Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14115


This item is only available as the following downloads:


Full Text










3oo


V *~*~i.
'I- ~


'i:A t ft^"^ iet I"c $ui & J" jo

-. 'n .


*' r .,

4.. K ',-
S ,


;des
.%des


erki'avi.

w t'* '
0 de
~IWO


M934


< I. .. ;
PARIS, '29 d seteinbro ie.

jqtppera-meRf que inelairem 94 W
"4e eatre a Prane. e a Cbi**. ,

BIM)A-PESMt, -29 al setembro.

Abwrt--e bde. c,4,.t.rng oit"a -"
io vad1 i de notalNl ba a a^iilouta-
male, ''
Waw '.

Ajeucia Havas, 1ial em jPernamluco,
30.de aetambho de o84.


I CSTCGNA POPULAPO

MACHINA3 DE VAPOR


(btrahida)


DE8CRIPQAO GFtAL DAS MACIINAS DE
,> i--y rVAPOR
,iEr Contiwzgdo)
--- --P--- ode o reguladol de forca centrifuga por duas
S. i maneiras prebnchezo seu fim. Em umas machi-
m m f m mu em nas (4 esta era a dsposi3Ao primitiva), o regula-
S- I dor apenaa previ0 o machinists de que o anda-
mento da machinanio 6 o regular, e de que 6 pre-
RIG E ,JANIRO, 30 (1 o iobr, o" a i eontai o dimiau'r a entrada do vapor
,l, ,4 J ... ipa.o ylmdro. Para isto ha nmechanismos espe-
as e 15 minutos da tard ( aea- (em cujoa prmenores nao 0ntraremos %tem 6
hoas e ia precis aq*qni t8sdo), por meio dos quaes duas cam-
1idoe b i i 6horas e 5)0 i',togs, damas eaons iverso silao tocadow quando eona-
.ihf stre.) ento 0 excesivo e quando elle 6 lento em de-
r, ) nasia. N'outtw machines (e 6 esta a disposio
fib,. i 1 m~oArluanate ada em todasass machines) o pro-
biohdo eadei p pro- P.nreUaderz abrir mais ou menos a valvdia
o o Rio de o el o e-C da gayta (asim se denomina a valvula que
lduino Joe* 8 1 f Tu- lo acep do vapor do gerador par o y-
i -+ lfidro) eoBmeorn o movimente da machine 6 lento
-! Ga 'e exemesso ou nccelerado em demiasia.
i "." | Par eonclui'mos o-que falta dizer sobre as ma-
!f 9t[, JAN IgRO) 0 de se to, As chinas de duVi effeito, vamos insistir aobre a des-
~41ow ) t AlaK ar *-criplo de Tamasdaa mais importantes pecas
} hOt' r" mnutoa d tadde, eatas machIas e refers ao leitor quaes $0o a
ia 6 ho ia 50 milnutos pela a -ter- Pncipaea e do.vapor cousiderado como fob9a
Matriz. h
r+re.) '"-. Emilos.--.~o s primeiras machines de vapor que
=4 s~s e oonstruircn usavam-se emboles semielhantes
,,ru sj AM An<.f de. s 1Aquelles que e empregamp uas bombast, isto e, fei-
/ tom de madeira e guarneoidft no seu contorno por
a "MoC ins de Vomemda: urna capa d4 estopa. Estas camadas de estopa
e I"*lot ah, o. AImtot io fj C &no* pela n fleabilidade faziam que o embolo se ajus-
eI# mbynM) A io tease eompletamente eontra as paredes do cylindro,
4 Hil felly alhde mespo quAe eetas uao fossem perfeitamente
wB 0 aya l d*i. aeC lh.; oas; a eabepa, deefiando-se e deterioran-
i 3 I" do-se eomo funcionar do embolo, exigia repeti-
-~ IiR "." ,dos concera e reparaqes (o que nao era econo-
*1 ,.. b mareI t 4gbsaM WC matibstituidas as adas
-ft Ai r 40 1 o area trabal- ri metaes e perfbeon. Era neceisa
Saw 'r rlauS 1A SMduad eu era- rnb pof11n quo as paredes do cclindro ficassem com-
S pletanaente lisa, para qua o eontorno do embolo
d a1 ac al. se adaptase porfeitamente a ellse e por igual em
emam 1 ,e ,da adherencia.
Se f ieonal : aelbei 0a. Pa conseguis eate duplo fim, 6 embolo 6 tor-
A+ i Cerread Wteira, aarao do mado por sectores metallicos, collocados uns em se-
ort-., Dr. 1 A1 tr Mhfk Dai., r. guiIda ao outros, constituindo dous anneis sobre-
postos. Estes anneis acham-se comprehendidos
P 1asosU S -tranda. ,bts o. Jo09 Pe- entire dons discos circularea, corn num diametro um
twira da klva Ua ra q o capihio do pouco menor, sees comtudo ficarem aportados bas-
S -, tante entire os discos, afirA de quo as diversas pe-
SiLurto do Maran-'o. gas de que elles se eompoem,- nao possam escorre-
gar afaatando-se on aproximando-se do eixo do em-
bobo. Um grande numero de molas, collocadas
interiormente, empurram eontinuadamente para
in a t6ra sm sectores metallics, que d'este moao se ap-
| ; ai4T rS k plicam.mmxactamente sobre a superficie do cylindro,
,: --podendo, eomtudo, ceder um pouco aproximan-
i i rdo-so do eixo, se alguma cireumstancia particular
I .e peci i para p ario) a isso os obrigar.
"As As molas on teem a forms de helices,--ou ape-
A 2 d s ni. nas a de laminas, fixas pelo centre e actuando
GENOVA, 229 do sotem rp, h note. pelas extremidados sobre os sectores metallics.
leram-ne hoje aq" t cason no-- (Conmfina).
P"tFE OFFICIAL


o m8iD


*1 ~ -







in.- -


*io en 1
b6a Le

.ergos.


gente
anno,


da provincia

Sr. desemibargador Jose Manoel
de setembre de 1884, enlregou a ad.
vincia ao Exm. Sr. Dr. Sancho de


tin u a o)

DA PROVINCIAL


a da province at6 o tin do to smestre do exerci-
uasta da falls corn quo abri a sessao da Assem-
*de marvo do corrento anno.
arsos da provincia paraa satisfa'io de seus en-

eo pagamonto dos' vgncinontos" ,top funccionm.rios

ioOeutd foi auutorisaida pela lei do oryamento.vi-
d a.1 .000#,- crn jjuro de 5 por cento-ao
6tti, +A 1 de'jto, de acaordo corn o pare-
* mu'ro, de -0 ,4julho. n. 158, so procedesme
i, corn o i)to jhtb ecipnd o, ilevendo aceital-os
pagamento dd impostos, ooo00 onoed. cur-
a^ culao em Wii5es de ig'aiilade.
FA .ia Theoaro, recommendei em 25 do
--provinoiUes lnmitsaem as respoctivas.
4o-oremeaue emi rigor. % ,.
iI'16 2 4 aA cqu4eUe J f
Jfel divunoP e-edte s -&

^^ ^ ^- .


J


didatos approvados em concurso.
Havendo fallecido o porteiro Manoel Joaquim de Miranda e Souza, pas-
sou a substituilo offectivainento o continue Alexandriuo Alvei do Moendonea, e
a este o collaborador Antonio Francisco Rigmeira. Duarte, por norueacao da inspec-
toria, qie foi approvda por esta presidcncia, nos terms do unico, art. 2 do deeret .
n 2,549 dc 14 do marpo de 1860.
Obteve 3 inqzes de licenga, corn venciniento na forma da lei, em 2 de ju-
Iho, o 2" escripturariu Francisco Canuto Eimeren'iano, para tratar do sua saude.
Em face do disposto no art. 69 do decr ito n. 736'de 20 do noveinbro dec
1850, nomeei provisoriamonte em 10 d'esto mez o 1- oscripturio Manoel Antnio C;.
doso para exorcer o lugar do thesoureiro, vago. pelo falecimenot do respuctivo tunc-
cionario, colonel Domingos Affonso Nery Ferreira.


ALFAND!WGA


Rcnuuaciandoa 1j do mez findo, o reate da liccney que Iho foi coucediida p,-i
esta presidencia, coassunio is fance3es (d inspector o effietivo fnnccionario Joao Cur-
vcello Cavalcante, quc 4 descrmponba corn todo o zelo c intelligencia.
A 18 de wu.o, 4 dl abri ,8 e 19 dc maiu, 2, o 14 de julho, 2, 6 c 12 de
agosto dt'esto anaq, blvcrain d'esta presidencia licopga corn ordenado na f6rm:i da
lei : por inozes o girda rudr, bachorel Jos6 Joaquimn da GAina M:dIher, por igaid
tempo os 2- e 3- ecript rLrios,Boanifacio Cmnon do Cerqueira Lmzna e S.'vero Gon
alves Pires, por 2 mnez~is o pratic mt Ovidio Ferreira da Silva, por 3 imcz-s os 20
escripturarios Joao do A4sis Ptreira Rocha eJose, Bernardino Dias d, Silva, o chef-
de s8c9ao Domihgos Joljaiin da Foneca, e os fi.ii de aria z'rm Jos6 Rodrigues d-)
Passo Netto o Antonio raaa4is de Albuquarque, e finalhiente por 2 mezes o guards
Je9o G0ngalves Pit"e Ftrreira., .
De coeformidae coiuo dilpato no 5 3 art. 47 dgt regulamoento annefro a<
d'eto i. 6,272 do 2 d, agostdo -176, noinaei a 20 de jaiho, cob proposta d.las
0, o Trel'Joo .Lhas cafokate do Albuquarque, aa oooapar o.lugar drdrfi
PPIo o Q -ipaoros iatl Uarim,^i^ '" .
#0 Aecreto -61Mde2-2do 8Se J
Jt~o deLo ro~~


Xi,
1., ,0.. .. .


licenga de 3
sui sauide.


mozes, corn ordenado, cm 20 de junho proximo passadj, pars tratar do


CAIXA ECONOMICA E MONTE DE SOCCORRO


l o b *%


D[, contbrnid-ade corn o disposto no art. 19 da lui do org.nento vigente, re-
mnovi o professor Francisco da Silva Miranda da 3.A cadeira da freguezia de Santo An
tonio para a do Gymnasio Pernamnbuc. n.
Transfer do Maricota par Agua. Fria de Olinda a professora Emilia Olym
pia Talles Bezerra, cuja cadeira ia lci n. 1,812 mandou fuanecionar na ultima d'aquellas
localidades, admittiudo alumnos de .ambos os sexos.
Designed o professor Custodio Joss ida Silva Pes;oa para reger a escola nuc-
turnai da cidade dln Olinda, restabelocida pela lei n. 1,810 do corrente anno.
Em vista do arL 18 daI lci cit.ida fiz cessar o ensino de urma das aulas noc-
turnas cxistfntes nas freguezias de Santo Antonio, S. Jos6, S. Frei Podro Goncalves do,
Rcilu e Smntissimuo Sacrammuto di Boa-Vista.
Dando cxctu9cio a lei n. 1,826 ito 28 deo junho ultino, autorinoi a inspectors
Sgernii d( Instrueci.o Publica a contractor por dous annos o alumnol do Imperial Insti-
tuto dos ineniuos cegos cdo Rio de Januiro, pars reger no Asylo de Mendicidada a ca-
dleira de ensino primario do menores cegos, noa termuos da lei citada.
Pars o lugar do amanuense da socretaria da Instruucgo Pubica, que vag-r
pelo tfulleimnento de Tito Augusto do Albuquerqut Porto Oarreiro, nomeei Affunso La-
cio de Albuquerque Mello em 12 de julho ultimo.
(Continua.)


i



I
1


I
o

(.
F


DKSVAiIOS. J-L p IREIDINCIA DO DIA R7 lugar A vista da ioformaSio prestada pad con-
bi STftEiBRO maudantc das armnM interim.
Anpolinaru Floren"o d. Albuquerque Mar- Emiia Maria -PatrocnaaL
npho1in,pari3,IAS.aino ia(Nla_ ,viato leter falleeido o amariI II a
p,,..r F( rer daCw~uA~neu-eefwmaria militar. Aviso -da .M
daveudo no supplic4nte, n 4 4I't 4Ne enoToibrde18I. .'
d omI *.. a6t. 2. d
fo~o hJ Adt
da ,irn


- L


j~7..


I MTV


*1
d


tonio; Witruvio Pinato Bandeira Acciom+ia Vascodatos, que o despinpenha corn pro-
ficencia e mnaxim iald-. "- -
C .0oncedi a e pregaios dessa roepartigao -e&, 26 o 2S de abril, e 4, e 17 de
anho scguistos licengas quatro mezes Gem v gt'entos ao solicitador dos feitos
fa prbvincial, Joalo Firmino Correia de AA' 3 mezes corn todos os vehci-
ntos' .bcbAio da inspectoria bacharel Affolijje Albuquerque Mello; dous
escaa'epa misma conformidade ao fiel do thesoureiro, Thome Joaquiln do Rego
ai. ii *mtbaa n corn todos os vE.ncimentos so escrivlo da recita Luiz Epi-
iw-de Sou., e-ao 4" esoripturario Landelino de Lana Freire, que obteve proroga-
to po do*s meae cow o respeotivo ordenado.
Ao'aolicitaor Job Firmino' Correia d'Araujo concedi prorogagto por igual
tempo, sem veacim] a lgau. ."
S Au.niisei;a 7 Z.p unho a permti ... lgar.es .ntre o archivist do Thesouro,
AmtcnioSo o'd0Rg Barr e o Ligatdr do:opado Jose Luiz Salgado Accioli.
ga A t.de julho nomeei _raucicp E.do do doa Freire para exercer o lu-
gar do solicitador dos feitos da fzenda provinpcial, ciso pelo art. 39 da lei n. 1,810
d'este anno ; promovi a chefe da 4' aseco do Thes,*o, na vaga aberta por fallc-
cimento lo bacharel Jos6 Maria Freire Gameiro, o bceripturario Pedro Alexandrino
Machado, e transfer para o lugar *este o field do thisoreiro Thom6 Joaquim do Re-
go Barros '
SNos trnmos do art. 5' da lei n. 68", restablcidedo polo art. 1' da de n. 1,522
concedi em 23 de julho, ao inspector, bacharel Antthio Witruvio Pinto Bandeira Ac-
cioli de Vascencellos, a gratifiacago da terpa parte de seus vencimnentos, por contar
maisa de 30 anitos de servico.
Nao tratando a lei do orgamonto vigente das gratificaoes ecxtraordias conce-
didas no V 1 art. 10 da lein. 1,713 eJ 62 art. 1" di ii n. 1,786, ao chefe do secgAo
do Thesouro, membro da junta de arrematavgo das obras publicas e ao escrivio da
receita, decidi a 14 do agosto, nao poder continuar o abono das mesmas gratifica9Zes.
S Assim resolvi, attenta a caducidade das disposi4es d'estas duas ultimas leis
a respeito.
Aposentei a 9 d'este mez o solicitador da fasenda provincial, Jolto Firmino
Correia d'Araujo, corn o vencimento que lho competir as conformidade do disposto no
S3- art. 1- da lei n. 1,108 de 29 de maio de 1873, e iQo 1- art. 2- da lei n. 1,114
de 17 de junho do mesmo anno, visto contar ease fuunocionario mais do 25 annos de
servigo e nao poder continuar no exercicio do sou emprego.
S Para substituit-o nomeoi n'aquella data Philomeno Getulio Correia d'Araujo.

CONSULADO PROVINCIAL

Sob a administraco do bacharel Francisco Amynthas de Carvalho Moura
continia vantajosamente a r partico do Qonsulado Proyincial.
Foram prorogadas em 10, 16 e 20 de maio : por 6 mezes, corn todos os ven-
cimentos, na conformidade do art. 1- da lei n. 1,735, a icenga concedida ao 2 escrip-
turario Rodrigo Jacomtnartins Pereira, e por 12 meazes corn ordenado, do accord
corn a lei n. 1,807 do corrente anno, a que obtivera o chefe de seccao Jos6 Xavier de
Barros Carneiro Caapelo.
COLLRCTORIAS, PBOVINCIAES

Em vista de propostaa do Thesouro creei a 19 de marco e 26 de julho col-
lectorias provinciaes noa municipios do Altinho e Oravata, separadas das de CaruarA e
Barreiros- ,.
Nomeei de 3 do marge -a- 27 de agosto, de accord corn as propostas do The-
souro os seguintes funcoionario a- bacharel Elysiario Augusto de Moraeas, ajudanto do
procurador dos feitos da fazenudaem Santo Antio ; Vicente Ferrer de Albuquerque,
collector do Altinho ; Alexandre Francisco Freire de COarvalho, escriv.o da collecto-
ria de Caruar ; Porilrio Pinteiro da Costa, escrivao da de Aguas-Bellas ; Jolto Bap-
tista Bezerra'de- Meo e Jos6 Benigno do Amaral, collector e escrivio da de Iguaras-
si ; Leovegildo de Barros Correia, escrivao da do Altiuho ; Francisco Ferreira das
Noves Ventura, escrivio da de Cimbres ; bacharel Antbnio Thomaz de Luna Freire,
ajqdante do procurator dos feitos do Limoeiro ; bacharel Ignacio Amnerico de Mi-
raindpra igual. cargo em PBalmtrep; J" a OCurv4l C.valcante e Joyelino Seve
! Memra, .ollector e escrivao da coll6ctoria de' Gravat .- Jon Arisat coalector" deB'"om JArdim ; bacnlaAre ^ 'os-hoT rVezerra Cavalcante, aju-
dante do procurador dos feitos em Goyanna; Manoel Garcia de Souza Padilha, es-
crivlo da collectoria de Buique Luizjurelio de Godoy e Vasconcellos, ajudante do
procuAdor dos feitos em AlagOa de Baixo ; bachttrel Antonio Clomentino Freire, para
igual cargo em Barreiros ; Antonio de Albuquerque Hollanda, collector do Rio For-
moso ; bacharel Lauro Castello Branco e Silva, ajudante do 'procurador dos feitos em
Jaboatao; e os bachareis Joaquim Rodrigues Villares e Manoel Cabral de' Melo, para
iguaes cargos em Panellas e PRo d'Alho.
A 9 do corrente e sob proposta do .Thesouro creei uma collectoria provincial
no municipio de Muribeca, separada da de Jaboatao o nomeei Levino Christiau3 Pra-
xedes e Henrique Dias do Faria, este collector e aquelle escrivao da mcsma col-
lectoria.
Na mesnra data baixei as instrucoes necessarias para execuvao do art. 38
da lei n. 1,810 do 27 de junho do corrente anno, que deu aos ajudantes do procurador
dos feitos da fazenda provincial as attribuicoes de fiscaes das collectorias.

THESOURARIA Df FAZENDA
Acha-se actualmente no exercdcio da iuspectoria o contador Jos6 de B r,'os
Accioli de Vaseoncellos. em consequoncia do impediment do effective fanccionario,
Raymundo da Silva e Cunha, quo ultimamente entrou no goso da licen93 concedida
por esta presidencia.
No cxercicio do cargo de procurador fiscal, continuia interinamento o bacharel
Duarte Estcvito de Oliveira, por impedirnento do bacharel Francisco Magarinos de
Souza Leiio.
A 26 de junho ultimo form nomeados provisoriamento praticantes, na con-
formidade do disposto no' 3- art. 1" do decreto n. 4,644 do 24 de dezembro de 1870,
Sabino Olegario do Paula Baptista, Alfredo Cornelio da Silva Ramos, Vicento Saraiva
do Carvalho Neiva, Braz de Andrado e Mello e Jose Joaquim-*Pereira do Rogo, can-


^A .*


D_ accord corn o disposto no art. 53 d, rcgulamr ito annex) ao decreto n.
5,594 do 18 de'abril de 1874, norneoi provisorianmnte eta 18 dejulho e 28 de agosto
do corronte anno M.noel do Nasciinento Cesar Burlamaqui o Jose FIuz t de Oliveira,
para exercerem os cargos de membros do couselho fiscal da Caix* Econonica e Monte
de Soccorro, em substituiglo a Jo'o Lieio Marques, a quein foi concedidla exoaera&Xe
de igual crrgo, e a Joao da Silva L3,nos Guimarles, quo falloceu.
0 movimento das operagTes dresses dous estabelecimentos ate 31 de dezem-
bro do 1883, consta do quadro trinscripto na falla corn que abri a scs,3o da Assem-
blWa L-igislativa Provincial no 1" de margo ultimo.
Por decrcto de 23 do agosto foi nomeado o roferido Burlam.iqui para o cargo
de membro effective do allulido conselho.

LOTERIAS'

D.ndo execuco a lei n. 1,832 de 28 do junho d'esto anno. expedi a 13 de
agosto o regulamento necessario paraa aextrac91O d-is loterias province eics, autorisadas
em ben-cio do fundo de ernancipaa'o.
Apprw)vei a 6 do corrente, oa oito pianos que de conformidade corn o dispos-
to no mencioaado regulamento, forarm conteecioaados pars a extra9cgio de takes loterias.
INSTRUCAO PUBLIC

Continua o bacharel Joao Barbalho Uchua Cavalcante a exercer, corn grande
vantage, o cargo de inspector geral da-Instruclo Publica.
Mediante concurso nomeei em 4 de junho ultimo o bacharel Gabriel HIenrique
do Araujo, professor public effective da codeira de geographia e historic do Brasil da
Es.ola Normal.
Do conformidade corn a lei n. 1,496 de 1880, nomeei professor public de
ensino primario aos seguintes alumnos mestres da Escola Nornal:
Alberto Augusto de Moraes Pradines, para Forno da CaU; Floriano Bap
tista de 'Oliveira, Abreu do Una; Francisco Marques da Trindade, Bena-ti-vi;
Francisco Guedes de Barros, S. Vicente de Itamb6; Joaquim da Costa Guimaraes,
Nazareth do Cabo; Bardominiano Nilo dos Santos Ferreira Barros, Paio Ferro; Fran-
cisca Eufrasia da Conceigao, S. Amaro de Serinhaem; Jose Octaviano da Rocha
Mello, Pao Ferro; Joaquina Mafalda Alves de Carvalho, Barra de Serinhaem.
Removi a pedido:
Bardominiano Nilo dos Santos Ferreira Barros, de Pao Ferro pars Santo
Amaro do Serinhlemn; Dinna da Silva Coutinho, de Bizarra para Tamandare; Anna
Francisca Scares Pacheco, do Cimbres para Serinhaem; Ismenia Genuina Dias, de
Sertaozinho para Goyanninka; Grata Candida de Alcantara Couto, de Barra de Seri-
nhaem para MacapA; Manoel Antonio de Albuquerque Machado, de S. Frei Pedro
*Gon9alves do Recife para a escola da rua do Calabougo; Amancio Aptonio dos Santos,
de Queimadas pars Tamandare; Prescilla Senhorinha Mendes de Albuquerque, de Car-
ne de Vacca para Capoeiras; Jos6 Alves de Soaza Bandeira, de Buique pars Victoria;
Maria Isabel de Mello Moura, do Nazareth do Cabo para Maria Farinha; Caalmiro
Lucio dos Santos, de Serra Verde para Agna Branca e desta localidade pars aquela
Francisco de Paula Lins de Carvalho; Josepha Prepedigna Rabello Padilha, de Duarte
Coelho para o Varadouro; Waldetrudes Priiitiva da Fonseca.Tofls, de Serra Verde
para Duarte Coelho; Americo Pereira Brandto, do Poco pa sVicencia; Anacleto Pu-
Wio de Moraes Carvalho, de Canhotinho para Catonde e desta pars a quella locaidadoe
Francisco Deodato Lins; Adelaide Rosalina B. Barbosa, da Colonia Isabel pars Marin-
cots; Maria Rita de Aguiar Fonseca, de Ferrnaado de Noronha para a de Tabatinga
em S. Louren9o da Matta; Jose LeAo Victof de Oliveira Icdo, de Santo Antonio de
JacararA para Nossa Senhora das Dores do Pogao.
Removi igualmente da cideira do 3.a entrancia do Varadouro em Olinda pars
a de 1.' em Sertaozinho a professor Umbelina Amelia da Silva, quo assim o roquerea,
f ndv ronuncia das vaatagens, que percebia em 3." entrancia. Sem projuizo por6m
dos respectivos direitos rbmovi, a pedido, o professor Lindolpho Coriolano Correia Ca-
bral, da cadeira de 2.3 entrancia de Itgazeira para Olho d'Agua da Oana.
Dei access A 2.' entrancia a Leocadia Julia de Castro e Maria Hermina dos
Passes do Lima e a 3." entrancia a Martinho da Silva Costa.
Concedi titulo de vitaliciedade no magisterio public a Urania Nymphs da
Silva.
Concedi gratificanao de merito aos professors da Escola Normal, bacharel
Ayres de albuquerque Gama o Ezequiel Franco de Sa; e aos do ensino primario The-
reza Emilia do Souza Gomes, NMarcolino Furtado da Silva Cabral, Manoel Felix do
Nascimento, Thereza Alexandrina de Albuquerque Mello, Amalia de Santa Rosa Cu
nha, Hermilindo Elyseu da Silva Caneca, Thudes Guedes de Mello, Jose Luiz do
Fran9a Torres, Christovao de Barros Gomes Porto, Maria Firinina da Silva Alcofora-
do, Antonio Jovino da Fonseca, Rita de Cassia de Oliveira Lobo, e do antiguidado a
Maria do Rosario do Oliveira Mello e Vicento do Moraes Mello, professor da aula prat-
tica annexa ai Escola Normal. IV
Concedi lieenia, corn todos os vencinentos; por sous moezes a Jost Candide
da Silva Pessoa; por trees mozes a Isidoro Marinuho Cesar, Marianna Teixeira da Coe-
ta Mello, Manoel Carlos Vital, Fausta Felieia da Cunha Rosal; par dous mezes a Jose
Augusto Porto Carreiro, Felippe Benicio Correia de Figueiredo, Anna S. MonteiN
Pessoa, Jose6 Lfiz de Franca Torres, Telosphoro Lopes do Siqueira e Maria Digna de
Albuquerque Maranhao; por aun mez a Josuino Firmo de Azevedo, Liadoipho Corio-
l.no Bezerra Cabral, Quiteria de ilmcid. Bistos, Thomas Augusto Maci M teiro,
Anacleto Publib de Moracs Carvallro e Josrc Eduardo do Souza L udim.
Corn or lenado concedi seis mezes a Jose Luiz de Franua Torres, Sophia aui-
luermina de Mello, Anna Clementina de Sjuza Barro3, Anna Senhorinha Monteiro Per
soa, Guilhenrninaida Silva Canha, M.ri-a Cleobulina do Mullo Uttoni e M.Iacuel Gregoni.
Vieira Lima; cinco a Minervino Francisco CarJoso; quatro a Bornarlo Teixeira de
Mouran, Emilia Olyupia Telles B.zorra, Franci.'c Xavier (Javalranti Vcliez, Pre-scilla
Senhorinha Mondes d'Albuqaeorque ; dous a Lindolpho Cariolauo Bezerra t;;bral, M iria
dos Santos Moreira, Sebastiao Antonio de Albuquerque Mello, Pacifico Patlino Mala-
quias, Fausta Felicia da Cunlua Rosal, Florianno Baptista do Oliveira. c Carolina Mi-
htina de iiarvalho; urn a Rufinao Epiphtaio-Rodrigues dos Santos, triirna dias a Quiteria
de Ahloida Bastos o scm vencimnentos a Carolina Militana do Carvall,3 urn mez-



















. "


.. ^"" ]i[ M 'f MB



&s F nQ SmW Amo r^
mabrtito ;.O.n,arca dbo ",t
JoAO JoJ4e'Amorim.-Releve se a malta.
Maria JoW de Jesus.-Infarme o Rvd. Sr. di-
rector interino da Colonia 0. Isabel.
_Maria Magdalena da Soledade.-Aguarde o pro-
iso credited. que .hpjao.isito -do Miniaseio .da
Guerra.
,7Tbureio Valeriauo Baptita da Cesta.-Nio
pode str feito ao supplicant o pagamento. polo
mode porque requer, visto coma as apolioes de 5
0/0 sao applicadas someite em satisfaeao de di-
vidas relatives aso exercicio em liquida*ao.
Secretaria da Presidencia deo Pernanm-
,buco, 30 de setembro de 1884.
0 porteiro,
J. L. Viegas.


Repartlfo da Peliia
Scg"o 2.8- N. 1,061. ..'Secretaria da
policia de Pernambuco, 30 d6 setembro de
1884.--Um. e Exm. Sr. Participo a V.
Exc. quo foram recolhidos A Casa de De-
tengo os seguintes individuos :
A' minha ordem, Jos6 Joaquim dos Santos, co-
nhecido por Parahybano e Jos6, esdcavo de Mi-
guel Dias do Nascimento Esteves, vindos 'do term)
do Bonito come sentenciados.
A' ordem do subdelegado do lo district de
S. Jos, Manoel Martins de Sant'Anna, por dis-
turbios.
A' ordem do do 2o district de S. Jos6, Manoel
Felisberto Moreira, por crime de furto.
A' ordem do do 10 district da B6a-Vista, Anas-
tacio Jose d'Assumpiao, Joaquim Hermillo Am:-n-
cio, Raphael Tavares dos Santos e Antonio Fran-
cisco Gomes, por disturbios.
Communicou-me b subdelegado do termno da
Gloria de Goiti, que no dia 18 deste mez fdra alli
assassinado corn (qutro facadas o individuo de
nome Francisco Antonio dos Reis, sendo autor de
tal crime a unm outro individuo conhecido por Jose
Cavalcante, que conseguio evadir-se.
A autoridade policial procedeu nos terms da
lei.
Communicou me igualmente o delegado do ter-
mo de Quipapa que no dia 5 deste mez e no dis-
tricto de S. Benedicto, o individuo de. nome Joa-
quim Pedro ferio gravemente comrn tires faeadas a
Jos& Pereira.
Contra o dclinquente, que evadio-se, proceden-se
nos terms do inquerito policial.
Deus guard a V. Ex. -- hIm e Exm.
Sr. Dr. Sancho dc Barros Pimentel, muito
digno president da provincia. 0 chefe
de policia, AManoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.

ThesouroProvinclal
"DESPACHOS DO DIA 27 DE 8ETEMBRO
'Adaneun Rodrigues Frana' Leito.-Volte ao Sr.
* ntador.
Vicenteide Moraes Mello.-Informe o Sr. con-
-u4or.
Mamael Rodrigues de Mattos & C.-Prove a
-- desoccupa3.o-da easa.
S'ianoel, Josb Rakbosa' ,e outro.-Infume o Sr.
-oolector de Olinda.
Aureliodos Santos C(4,umbra, Wells Hood, Siatur-
nino Antonio Leite e ManoAdraneisco Coelho Ju-
tior.-Haja vista o Sr. Dr. pirocarador fiscal.
Coriolano de Aibreu.-Ao Sr. Dr. administrator
.do,-Conulado para mttender, de-confornm4ade corn
a ordedo Eixm. Sr. desemznbargador.presider-,,da
provincial de 29 de agosto ultimo.
Dr. Jos6 Francisco Ribeiro Machado (2).-Jus-
,tifque-se.
J. J. Alves de Albuquerque, offieio do Dr. chefe
:-de policia, Anto Rosado Jesus Teixeir., irmavdade
,de N~ssa Senhora da Conceinlo de Caruari, Fiel-
dem Brothers, Companhia ae Beberibe e Jerony-
mao Games da' Fonseca.-Informe o Sr. conta-
- dor.
Antonio Goncalves Ferreira CascIo.-Informe
Sr. Dr. administrator do Consulado.
29 -
Dr. Jos6 Fracisco Ribeiro Machado (2).-Certi-
fique-se.
SDr. Manoel Ferreira da Silva, Sebastilo Manoel
-do Rego Batros, Adaneu Rotdrigues de Franca
Leite, Companhia Pernambucana e Ordem 3a2 do
Carnno.- Pague-se.
Jos6 Ernesto da Costa Ferreira (2).-Certifi-
- que-se.
Manoel Maria de Araujo.-Ao Sr. contador para
seu conhecimento.
Aurelio dos Santos Coimbra, "J.fanoel de Freitas
Guimaraes, Amnado T. de Carvalho e Francisco
Militino Ferreira. -Certifique-se.
Vigario Manoel Ferreira da Rocha e Joa'o Cli-
maco de Almeida. Informe o Sr. contador.
Companhia de Beberibe.- Pague-se.
Ordem 3a de Olinda u Eugenio Kauffman.--Ha-
ja'vist:t o Sr. Dr. proeurador fiscal.
Julia Annes de Souza e Domingos Jose Macha-
do.-Ao contncioso )ara os devidlos fins.
rTeles Gon'alves 1 C. Entregue-se a p.ti-ao
para a porta
Jobo Firmialno Corrcia de Araujo e Manoel Ro-
drigues da Silva.-Ao Sr. contador para os devi-
dos fins.
Izidoro Bastes de Oliveira.-Entrmgue-se a pe-
ticao para porta.
Francisco Vigri.--Ao Sr. collector de Igunrassui
para cumprir o decspacho da junta de 25 do cooren-
te, e depois das competentes notas devolvcrA estes
papeis.
Joao Climaco de Alrncida.--Entregue-se.
Esnaty Rodrigues & C.-Informe o Sr. Dr. ad-
ministrdeor do Conisuladc.
Jos6 Paulo Botelho. -Intorme o Sr. contador.
Collector de Taquarctinga.-HHaja vista a Sr.
Kr. procnrador fiscal I.
Antonio Jose Machado de B.-Certifique-se.


Coasulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 2. DE SETEMBRO
Feliciauno da F. Games Araujo, Joaquim Montel-
ro de Seixas Barges, Camillo Hyppolito da Si'lva,
Lourenco Justinisno de Lima, Herminao Simnoes
Ferreira, Jos6 da Silva Oliveira, Ernesto Carneiro
Ribeiro, Jos96 de Fntoes Braga, Joio Jose das Ne-
ves Souza. -Certifique.se.
Jo6s Lniz de Souza, Julio Ferreira da Costa
Porto, Augudto Moreira da Silva, Litiz Jo.o Af-
fonso, Antonio Rodrignos da Costa, Jos6 Francis-
co Domningues, Gomes Augusto Gayoda Miranda,
Jeao da Rocha Senna, Antonio Guilhermino doe
Santos, Silva Fernandes v C., Jobo don Santos
Oliveira, Zef-rino Valente & C., Joo Walfr-edo
de Medeiros, Azevcdo & C., Marcellino Anaberto
Lopes, idem idem.-Informe a la secqo. -'
Jos6 Luiz Innocencio Poggi e Innocencio P. Xa-
vier Ramos.--Certifique-se.
Antonio de Oliveira.Maia, Damino Aderito Fer-
reira Lima e Antonio Dramingues de Lima & C.-
Dirijam-se 4A junta do Thesouro, na fd6rma dis in.
tk esa de 27 de julho de 1883.
Aiaado Tifmm de Carvalho. -Certiu e.
Florentine' Ferreira, Saldauha, EuroUle Duart
doParA FIraiisco Joaquiim do% Sa tts, Jfljaquim

-_j t r.amD tA &i,tado
IA` 'ouza Y a e .
.s ie ,a, ib|,i ." Hb-
';:^ M ,,;, .. .. : "' .:, :;. -* *-
,. J4 -,,. -'. .i a.. '-,, '
a"' -' '1"


iDpdu .wk m uttom ftaM n em gues8'Dwo
Ema. Sr. protdeute da provifcia sos 10 libertan-
does prentes as reapoctivas cartas de libardade
passadas pela Camara, cads urma por u vez,' en*
tregando o libertado nessa occasilo ao Sr.. presi-
dente da Camara um boquet, send que o primciro
- nl Aw a nafie nJ A ncw> an, -juv Esla C_ --: Ii~


provincia, pelo presidents da Camara, e os seguin.
tes a divevsu aatoridades preeentes.
Foram tambem apresentadas outtras tantas car-
tas dadas per partieulares a escravos seus, afirm
de quae para maior solemnuidade, fossem pela mes-
ma Camara entregues aos libertados.
Findo este aeto, tocaram ambas as musicas o
hymno naciokal ;-e assim ficou coneluida a festa
-que foi modest mas assas imponente polo as-
suinpto e pela ordem que nella reinou.
Releva declarar que entire as cartas de liberda-
de remettidas per particulars afirm de serem en-
tregues naquella occasilo aos libortados, sobresa-
hemrn as. seis remettidas polo Sr., Jeronymo Theo-
tonio da Silva Loureiro, fazendeiro na villa de
Triumnpho, a s is escravos cujos names c a itam
das referidas cartas.L
- 0 edificio eateve elegantemente decorado corn
folhagens, flares etc., e assim se conservou etn ex-
posicao atW As 10 horas da noite, sondo visitado
por muitas families e tocando contmuadamente
urma banda de music.
Abaixo vao as discurso, alludidos.


Senhores :-Interpreto fivlmente os sentiments
desta Camara, e dos dignos-municipes quo ella re-
presenta, signifieando o mair jubilo do que nios
achamos possuidos cm commemorar o feliz aconte-o
cirnento politico que fez raiar no h)rizonto da pa-
tria a mais fulgurante aurora, prenuncio de insa
nova era de porvir A este vasto Imperio.
Sim, meus senhores, o dia 28 de setembro de
1871, abrio cm nossa historic urma pagina de ouro,
onde se ie a discripc-ao da brilhante victoria que
alcancemos na conquista da liberdade.
QE esse ingente feito foi a lei de 18 do setembro
que poderesumir-senestasinthese sublime: ningucm
mais naseerA escravo no Brazil, e nesse monmento
todos se sentirao in-adiados pela vivificante luz
da liherdade.
Cirtamente a luta foi immense, e difficilimes
cram os embaraeos; porque embora surgissem tor-
tcs combatentes e fosse eerta a victoria, ella milo
devia trazer miselia e opprobo aos vencidos, nern
despojos eusangaentadvas vencedores ; no con-
trario acarretAria f. talcouiflagraglo centre o pau&i-"
fico po 'o brasileiro, tornado a sua ruiaa meinvita-
vel.
Estes reccios dominavam os generosos impulses
de todos os coral&es verdadelramente patrioticos.
SEntretanto era foroeso condemnar urma institui-
gao attentatoria .dos direitos humans e filha do
erro do geraq5es passadas, que nos transmittiram
esse infeliz legado consistent em homes escra-
visados.
A nauio exigia dos sens representantes um re-
media effieaz, porem applicado coarn prudencia e
sem comprometter a tranquilidade de sua existen-
cia social.'
Onde encontral-o ?
Bis o lado anis difficil da:questIao !
E iato nao era tudo!
Preeisava-se ainda de urnm dossess genius provi-
denciaes que nerm sempre a todas as epobchas 6 per-
imittido.
Felizmonte urma inspiraeLo do Soberano fez lemi
brar o nome do venerando Visconde da Rio Bran -
eo; e a este grande luzeiro foi confiada a gloriosa
mission de resolver o problems social mais diffiil
queo Brazil tern tido.
0 insigne estadista, inexeedivel no oeeupatrio-
tismo, e oem hesitar.diante da gravissima respon-
atbitidade da tarefa, aceitou-a, talvez confiando
na-eliz estrella qu e nunca o abandonara.
Ellepenmanu epensou -bern: qne o combat s6
deveria terniLnro eampodas- deas.
E assim resolVeido, aht fortifieoo.-e,,e.Ia-eewUd
'cam a pericia que.- Ihe era habitual diguos compa-
nheiros de commando.
Entre elles para honra de noses cra provincial
figuraramn dous distinctos pernambucanos que sou-
bemnm corresponder a confianaa do benemerito ci-
dadao que enobreceu a patria, tornando sua mee-
moria immorredora.
Consintam, meus senhores, em expandir-me com
enthusiasmo declinando o nome do illustre e res-
peitavel estadista brasileiro o couselheiro Jolo Al-
fredo Ckrreia de Oliveira, assignalando-o entie os
mais esforcados compannieiros do Visconde do Rio
Branco, chefe do patriotic gabinete 7 de maro,
que auxiliado-pelos dignos representautes da na-
qao, dotou o Brazil eom a aurea lei de 28 do se-
tembro, sob os auspicios la muita virtuosa e ex-
celsa Princeza Imperial
NIo manoes dignos de mensao neste moment 6
o name qne pars an6s deve ser sempre lembrado'
tambem do illustre rinistro daquelle gabinete, o
conselheiro Theodoro Macbado Freire Pereira da
Silva, outro denodado eollaborador d'aquella lei de
redernMpao, Ihe competindo at6 a felicidade de re-
ferandal a.
A Carnaria Municipal do Recife inspirando-.se
nos sentiments de seus muaicipes sabe aprechir
o merito de qualquer brastdeiro que se recommend
pelos services a patria e principalmente ufana dus
glorirs de Pernambuco, nio porde occasigo de
render homenagemn aos pernaminbucanos illustres,
dignos deste nome.
Assim commemorando o faustoso dia 28 de se-
tembro, esta Camara sauda aos membros do poder
legislative oc a todes os mais cidadios que domi-
nades de patriotismo contribuiram com seus, esfor-
cos para que o Brazil attingisse a posiq.o de umr
povo livre.
E em testemunhio solemn do major aprcqo e
consideraaob aos illustres pernambucanos, os eon-
selheiros Joio Alfredo e Theodore Silva, resolve-
mos que no dias, de hoje fossem inaugurados os
seus retratos n'esta sala de nossas sessses, coma
re-ordanio dos valiosos services prestados A causa
da liberdade.
Pareceu-nos igualmente, meus senhores, quo
para honrarmos dignamente a memorial do vene-
rando Visconde do Rio Branco nao havia outra
idea mais nobre a realisar do quo conferir em se'
name a ailguns dos nossos comprovineianos quo ti-
vrram a desventura de nascer antes da lei de 2S
de setembro, o dar mais precioeo--a liberdade.
- Gracas aos sentimentos humanitarios dos muni-
cipes que so inscreveram em nosso livro de ouro c
ao concurso da bemfazeja commissao emancipado-
ra 25 de Mar90, conseguimos este almejado fim ;
pelo que em nome d'esta amara muito Ihes agra-
deco.
Eis, meus senhores, o fim da sesaso de hoje, e
n'ella se resume a nossa festa de emancipacio,


pobre de pompas, 6 verdade, por6m rica e gran-
diosa pela idea quo a presidio.
Ainda toeis qua agradeccr ao- Exm. Sr. Dr.
Sancho de lrros Pimentel, muico digno presi-
dente desta provineia, e *os demais distinctos ca-
valheiros, a snbida hourA de queo nos julgaram
dignos, abrilhantando corn sua presencas este
recinto.
SRecie, 28 de setembro de 1884-Joad Candido
de Moradi.


MoM.a hore-Depois de confeccioaado o pro-
gwamaa d'esta feta municipal emanc*Apaon, me
fdetinuada immercidamente e A ptima hora a
tarefa d e dirigir woe nor'e eid.ila. Udd beje Go-
neoam a gosr do e ibw&d, Vxsae'
dlvea d Hat a


-.Lev so;^ E^~~ i^ vnIW -


apper-
BM ~,awttore-
maoo ,tti0 ao maor progress, sendo um povo
completamente ivre.
Sobre iom ainda se prime ,0 meamo *ecriptor
-a liberdadc filo 6 somente um engrandecimento
politico, 6 sobretudo o 'sesultado de um engrande-
e a.. -.-- .... ".--J--.-


rma quo sejam observadas as posturas municipaes
impondo sos infractores as multas, comminadas
pelos artigos -20, 28, 34. 53, 193, 194, 195, 196 e
outros da lei n. 1,129, e inutilisando os generous
que polo medico form julgados deteriorados e no-
civos A saidde publics.
4.O Proceder A desinfecao dos apparelhos das
easas de negocio acima especificadas.
5.o Visitar os quintaes das casas particulares,
)btendo para isto licenqa dos respectivos morado-
res. e examinando o estado de limpeza das mesmas,
fazer remover o lixo eneontrado ou quaesquer ani-
maes que nos terms da posture de 5 de setembro
do 1884, posiam occasional lama ou immundi-
eias.
6 0 Inpeccionar as eavallaricas e cocheiras de
vaccas, obrigando os respectivos donos a cumpri-
rem o disposto nos arts. 54, 55, 56, 57 e 58 da lei
n. 1,129.
7.o Obrigar as proprietarios de terrenoea slags.
los a csgotal-os e aterral-os, na conformidade dos
arts. 10 e 12 da citada lei, fazendo tambem effef-
tiva a disposicao do art. 11 cam relac aos quin-
taes dos prediot urbanos.
8.0 Nio permittir que se deposite, sem previa
ieenoa da camera, nas ruas, pragau e outros lags-
*es publicos, inclusive caes e prais, qualquer ob-
ecto que, na conformidade do art. 12 das postu-
*as em vigor, embrace o transit.
9.0 Remetter semanalinente a commissio sani-
aria um relatorio dos trabalhos exe-utados e oc-
eurrencias havidas, doclarando o estado de limpe-
;a da freguezia, as faltas e irregularidades que
ibservar, requisitando as medidas qua julgar ne
cesaarias, bemrn como os embaragcs que encontrar
pra o born desempenho do sea cargo.' Conforme.
-0 amanuene sevimndo do seretario, Lwacdoio
Munti'n de Caro Leo.


Secretaria da Oauma M"WpI do Recife, 23
de otuembro de i--RlhB.; .-.-De dfllr da


. _...... ^ m ia
i~w *v- ^tat^^."MR p ^S0


Em r-


IF" -o7-Qvein



taa confla ao -. '- rp todo
'. .. "p^~B^-^^Il^ ... ,S


d aio.l as m ici
sbio'da cidade, pars o quo podera V. reclamar
da mesma commission aa iedidas que jt4 r neces-
sarias.
Doua guarde a V. S. -lllm. 8fr. Dr. Jobk Fetie
da Cunha Meuezes, digno medico da Camara Mu
nicipal.-0 amanuense servindo de secretarip9

Igual ao Dr. JOao M. Vieira da Gunha, medico
da Camara Municipal. -

DESPACHOS DOS DIAS 26 E 27 DE SETEMB'RO
DE1884


deneia e da Oberdade das a individuaes.
Outras considerag5oes poderia adduzir -contra a
mal entendido sentiment civililador que den em
rosultado constituir.-se por lei unm -homem proprie-
dade de outro.
Este erro foi identio ano doe pqvoptntigos que,
julgando-se cornm direito de mortd sabre as prisic-
neiros de guerra, os conservavam escravos por es-
pirito de caridade.
'Assim pensando senhores, nak sou entretanto
do numero d'aquelles que procuram extinguir o
mri por mcios violeutos, que podem comprometter
aos que soffrem.
Eu que-o a transielo pacificas sem o abalo so-
cial ; e por isso sou entLusiasta pela lei de 28 de
seteorbro, remedio poderoso a efficaz que, reunido
aos sentiments humanitarios dps brasileiros, em
breve apagarA a nodoa que- noas lauaram, e pela
qual naio podemos.ser responsaVeis., -
Honremos poals, amemnoria d hiuepirado estadis-
ta o Visconde do Rio Branco, a quem. principal-
mente so devem os meios que 5oje temos para a
resoluao proxima desse probletnma difficil.
E suna minfluencia 6 tio benefits que agora mes-
niom so faz sentir consedendo-se corn pequenos sa-
erificios nossos, em nome do grande benemerito da,
patrin, liberdado a cstes -nossos cormpat-mtas,
ate ent,'io iv elizes. a
E v6s, futuros cidadAos brasileiros, agradecei a
cllk, s6mneote a elle o in-xtimavcl beneficio de que
ides gosar, pelo que eu e os ineus honmrados colle-
gas vos felicitamos de todo coraieo, e estes sio os
sentimeotos dos dignos municipes que representa-
Inos.
Imuitai, por6m, o- exemplo dos gcnerosos cidadios
quo concorreram corn seu obulo para a vossa ih-
berdado, fazendo o mesno para que os vossos an-
tigos companheiros eouon tambem corn o vosso
esforqo,
Pars isso e precise qe yos deiiiqucis no traba-
Iho honest e perseverante aque o homnem dos-
tinado ncste mundo.
NAo vyes dcixeis embriagar polo goso da li-
berdade, sem procurer s-r utitA patria, aos vossos
seinelhfmntes o a v6s mesmos.
Nao vo s entregucis ao vicio da preguica c liber-
tinvgei !
Agora que acabaes de una escraviddo, nao ides
cahir em outra peior, que 6 a da miseria, o jugo
mais terrivel que se poderAsoffrer.
Lembrai-vos destas palavras de am hornein que
se elevouen pelo trabalho : 0 mai''miseravel escra-
vo nao 6 o que se acbaesujeito os caprichos de
umn despota, cornm qaanto seja iatosunm.grande minIl,
mas Bim o que C domninado pelos seus popripros vi-
Ces, pelo seu .egoismo, pela sua ignorancia.
V6s ainda nao oexperimentastes a oppressao da
iniseria, porque tender trabalhado, embora per
conta dos vossos ex-senhores, por6e- haveis.de ter
presenciado maior infelicidade do que a r vossa, de
homes lives, mas escravisados pelos vicios a di-
versos sehhores, esbfrendo os maiores marty-i
rios.
Fugi, pois, do vicio, e evitai de seguir o exem-
plo desses infetizes.
EFneste moment que tendes as corafes bern
dispestos, aeeitai- oa-wen coselho : 'Trabalhai, -e
trabalhais aemnpre que ;pdeordes,',.porque s6 assim
vivereis traaquil"a.
Siao ectes es meus votoa eosda Camara Munici-
pal do Recife.
Sede felizes.
Recife, 28 desaetembro de 1884.
Jos _rasow.eo de Goes. Gavalate.

:Secretariada Cas MaM ipa'. -Refe, 2a-e
seCLeino dc tRA.,Ilims. Srs.-D- ordem dacom-
missao sanitaria da fIInk. Cmaa,v -nrtt- Vmine.
eopia das instruccoes que devem ser restrietamen-
te observadas nasvisitas sanitarias que tern side
recommeudadas, compindo- a Vine. dar semanal.
nente unra parte circunmtantiada do-servicot que
se fizer e dos embaragos queo evcontrar, pars o
bom desempenho do musmo service, afim de que
poasa a Illha. Csnamra providenciar.
SQuanta ao fornecimento do' desinfeetantes-de-
vrerA Vine. requisitar da cqmmiseaio sanitaria a
porgao que for necessaria.
Outrosim; cumpre qu Vinemc. acompanhe a qual-
quer dos medicos da rmnicipaHidade, sempre que
ostes exigirem.a presen9a de Vinmc. nas visits sa-
aitarias.
Dens guarde a Vme.-0 amanuense servindo de
iecretario, Leoncio Qmsintino de Castro Ledo.-
IUlm. Sr. fiscal dafreguezia de.
rnstruc9ies dadas aos Srs. fiscaea do fnunicipio
para o servilo da limpeza e vistas sanitarias
1.o Fazer corn urgencia a rerno(?aoados entolhos,
empregando neste servi90 o pessoal que foi ultimna-
iente auto. isado.
2.0 Visitar os cortices e examinar o estado dos
apparelhos, latrinas e esgotos,. ordenando a remo-
ao das immundicias ou lamas quo encontrarem c
fazondo cffoctivas todas as providencias que fo-
remi indicadas pelo medico da municipalidade, takes
como desinfeccao dos apparelhos, caia9ao das ha-
bita96es que nio estiverem em estado de asseio,
ou outras quaesquer medidas indicadas.
3.o Examinar o estado de limpets das padarias,
hotels, acougues, quitandas, tavernas e de outras
quaeoquer casas ondo se vendam generous destina-
dos a. alimenta9ao publics, e providenciar de for-


bDiRIO E PEIAIIBICO


REAIFE, lo DE OUTUBRO DE 1884

Notlela4.da Europa
Eis o complement das noticias trazidas ant--
ho.ta.m-pelQ paquete inlz Patgna:
,gle lfta g ^t'
Temr aldo eepsuptoa a devastgaco p-od1 da
pelo cholera, sobre tudo em Napoles, *ojiesobre
642 easos houve no dij 13 de setembro 348 obitos,
,egulando qmuase todos os dias eata medonha pro
proporgoI! .Excede enormemente a mortalidade
que houve em Marselha e em Toulon.nos dias em
que a epidemic subira ao seu auge.
Na. outras oidades da Italia, a proporcao n
muito menor, mas ainda assim assustadora. Em
Spezzia, no dia que tomamos para example houve
23 obitos, nos arredores 28, e no rest da Italia
74. Em Roma nao havia novidade.
Como o telegrapho nos tern communicado, o rei
Hwnberto foi a Napoles na violencia da epidemic
que esta assolando aquella cidade, e esse acso de
coragem e de civismo valeu-lhe urma ovacao ca.
lorosa feita pelo povo, a quem sempre enthusirs-
marn actors d'aquella natureza.
Cem mil francs de esiola. deixou o soberano
para acudir aos desvalidos de Napoles.
0 principle Amadeu, ex-rei de Hespanha, a
quem nenhuma especie de ever obrigava a ir a
Napoles, expoz se tambem, corn seu irmnao.
Eatretanto, nota um journal que temos present,
emnquanto o cholera estA victimando o sul da Fran-
9a, o president da republican franceza tem-se con-
servado muito soeegado na sua propriedadet de
Mont-sous-Vandrey, entregue ao hygienico exer-
cicio da ca5a.
0 rei da Italia e o president da republican frau-
ceza entenderam per modos mui divezos a dever
que lhes impunham as circumrnstancias presentes.:
Austria-Eungria
0 Pester Sloo,acerca da projectada entrevista
dos tres imperadores, publics various esclarecimen-
tos que tern por seguros. .
Diz aqnelle journal, pois, que os tires imperadores
nao poderao, deixar de occupar-se da question do
Egypto, par ser aquella que aetualmente mais alil
mental a acq;o da diplemacia europea; mas, qut
em todo o case, o fim la conferencia e inteira-
mente pacifica.
Accrescenta que della resultarA urma nova
alliance dos trees imperadores, o que ao mesmo
journal causa certa ioquietago. Diz elle que '.
opiniao pubHlca na Austria e na Haungria estA
farta das segurancas e garantias que ihes pro-
mettem as jornaes officiosos dos tires governor e
jA as recebe corn deseonfianpa.
Segundo elle, a triplice allianca n1ao soube, npm
manter a paz, newn salvaguardar os interesses aus-
triacos
A allianqa austro-allem! que Ihe foi substituida,
conseguio pelo c ntrario satisfazer es int, ress'.-
geraes da Eurcpa aos da Austria em particular.
A paz esta na actu lidade sufficientemente garan-
tida, e a entrada da Russia n'aquella allianca,
sondo os d'csta potncia contraries aos da Aus-
tria, nao pdde deixr de provocar inquietacAo no
espirito dos austri ss.
lenianba
Come.a a propa r-se o boato de que o Impra-
dor Ouilherme n) poderA assistir A projectada
confer'ncia dos es imperadores, par motive de
sea estado de osat -
A proposition d'e ta annunciada entrevista im-
peial, sern prude~te consaiderar que esse facto
niao.tem a import nci que maita gente Ihe quer
attribuir. 1 t
Estas confeieniias teem-se repetido varias ve
z4, ha 13iann,-s k esta parte, sem que de nenhu-
ma W'ella result4e facto algum que ameagasse
dpa da puropaJ
Depoisde 1870 teem-se dado as segulotea
phases Dn relaoae das tries cortes do norte : tri-
lice ftea 4e 1872; accordo de o34rlim de
IND70 0a ameatede roelacies corn a 'usia sin
PISo e ongreto de ritnim de 18. .4 ,
Ritre-al &ma de o 1879; approtiitaoa 4 6 tia
Arma ea e a RAtsi 1 81,SMLO ORA" PZ
Wtreams-atriaaRmaa a t-1i8.s -
Hoje Mos a ts "aepot seataros trwdz a
j do oP to d a p A
aqmakdot
a n I E i e s


l WW f
~ eo n l eo'tftI
&L ^S


Seoi
pole i


eloisi q -
gressista semnr di que se naio devem
descurar-on out i a sa do imperio. Pro-
carou dctoUwtra 0e que haveria para o es-
tado em e reichs g o ntar corn a questIo
colonial 'o ut 6a8a sua politics na pro.
xima sesso e.
Que aw dade, perghntou ello,--teriam os
deputados% im eleitos corn um mandate tio
restrict, o 0e forca teriln pars resistir As pre.
teneues doanceller, quajulgasserm prejudiciaes
aos intereles do impermo ? T'eriam de votar coin
os olhoa ihados o monopblio do tabaco, o im-
poato sobre as transacqcgs da boha, a pioroga1io
e aggravamento da lei,. contra as socialistas, o
-augmento dos direitos sobre a importil:o co trigo,
e atk 6 or amesito biennal, into 6, a suppression de
today a vig;lancia financeira do parlamento.
Todas estas questbes na epintoe do illustre par-
lamentar, salo para a Allmaniha maiis importautes
do que todas as acluiii.-?es.
|- Aiiida a reipeito da tao fallIala visit d-s
tes imporadores iie coitinta a ser a preoccaip-
ca Cnstaiite de bda a imprensa europea, vemos
iu um jorial novo, ,ic se IMublict. em Berlim e t, m
liga';Scs intimas oin o governo allemnlo as se-
guimtes considera, :
Ia A presen.a d.)ninuistros d i dqu.-lle encon.
tro o caractor tie umriac.itecineuto de imnportau-
cia 'urop6a e julgai uii Io u ,is cugau ir, piesinnin-
do fue os ti-res sobcr4..., oe eutendt-run conu as
se.s ministros sobre b-is-es de tun i political pL-
1cei, mas !o m ,smi telapo bastante clara, qine
fauta 9s interne 4 hlidarios dts pattaciai c,,.n
tiiPIlt:i5s d Q.. lir,);):l.
UJmn tel'grnti.in ma e ') ;i. i Tin 1;.i ) prin,:i *.-:,
Bismark, o Sr. Giers o coadne K(-inmki dcvwm;
iSSi3tir a cntrevista (s tires inapiir.idor.s em
Skierniwic. d
Supple-se, acereseenta o mosmo despacho, que
nit entrevista ficara assepurada a paz da Earopa.
Rieusia


Palo Sr. Dr. Gies Cavalcante, commiasa-
rio de policia:
David Ferreira B. aAr & C., pedindo qua sqjanr
feitos oudevidos laougameontos no sentido de tererm
acabado corn o seu armazem de assuear, site a rua
d.-Baro >do Triumpbo na easamw na. 90, 92 a 94.
-Como- requer. d. .
Jobo Getms Riboiro, proprietario e director do
Circo AngIo-43aileiro,o pedindo lieenca para ar-
mar um pavilhao para trabalhos equestres e'gym-
11asticos em iugar copveniente.-Concede-se a li-
eenja para o supplicante armar o circo no largo
do Arsenal de Guerra, pagando desde jA o impose
to respective e considerando-se ella extinct, logo
qv.e cessarem as representacues pela companhia,
que funecionar, nao podendo trauferir ou servir
estir licenea a outra pessoa da companhia que pire:
tenda posteriormente utilisar-se do mesmo circo.
Palo Sr. Dr. Jose O.orio commissario
dec edificaoes:
Francisco Jos6 Alves Guimaritcs, ppdindo liccnii-
9a para mandar refazer a contra verga de ui.a
porta do oitio de sua casa n. .37 'rua da Cas:;.
Forte, bem cnno para demolir a casatIontigua, fa-
zendo nesse lugar seseenta palinos de muro.-Sinm,
de accord. corn o parecer.
Jolo Francisco Leite, para mandar murar n
frente do terrcnos, onde e sita a casa n. 143 A rua
do Conde da Boa-Vista collocando umn portao de
farro, al1m dos reparos de que preciia A referid;i
oaa, bern como levanter as frcutes, substituir ter-
Vas, canalisar as aguas, fazer parapeito, nas de us
145 e 147 e murar a frente do terreno onde sao
ellas sitas, collecando grade de fcrro.-O suppli-
cante faca as declaracot-s exgidas pelo engenhciru
que darai em seguida o seu parecer e volte.
0 mesmo, rcplicando, sat.isfaz as exigencias do
engenheiro cmn vista do qual pede que Ihe once tia
a supracirada liccnga.-Defcrido nos thermos do
,parecer e pago o imposto.
Luiz de Franga Soares, pedindo liceuna par:
reabrir .o sen 'aougue sito ao largo da povoaVlo
de S. Lourenco da Matta, que fechara em dezetn-
bro do.annoifiido.-,Sim, observando as condi5ues
das posturas e(paando o imposto do exercicio
corrente, pars que fa ca-se o devido lancamento.
Ernesto, Are1,to.de Barros Francop, pedindo li-
cenca park mandar demolir a sua casa n. 52 A rna
da Matri,; fregueziada Boa-Vista, afim de edifi-
car um sobradinho de*n andar coin sotlo, abrin-
do oculos no parapeito.-Deferido na forina do pa
recer e pago o imposto.
Secretaria da Camara Municipal do Re.
cife, 29 de setembro de 1884.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.


As potencias neutras, comq eran designadas na
conferencia de Londres, nao estiloiisposas.a re-
nunciar a regala"0o daqueutao eg)cia, devendo
renair-se proximauente em Paris uta nova con-
ferencia para regular a situagio plitiea e finan-
ceira do Egypto, e para se occupy tambem dei
questaio do Congo.
Esta noticia tinha corridor ha diajjiiz-se que
y"^^*ws Oi~f gen^Zu em nuspexr a adhesao da Inglaterra. Ura o gabinete de Lou
dres, sem se oppor em principieo a essay conoca-
91o das potencias, farA sem duvida anotar, se tal
proposta for feita de Berlim ou da, Vienna, que
nao 6 opportune discutir a questao egipcia no
moment em que lord Nothbrook foi oncarregado
dar missuo de estudar a situaaoo political financei-
ra do Egypto c que se dove, portauto, espoerar qua
elle termine o seu inquerito. Na entrevista que
lord Northbrook teve na sua passagein por Vien-
na corn o cond de Kalnoky, este ponto foi de cer-
to discutido, e no 6 provavel que as p)teacias ren
cusem A Inglaterrao additamento pedido.
Os arsenaes inglezes desenvolvem a siueor
actividade anos preparatives da expedigao que. sob
as ordens de lord Wolseley, dove ir aoccorrer a
guarwnao.
Agora que sabe o que quer, que preparou e
determinou o plano de suas operao5es, 1a Inglater-
ra vai entrar em campanha corn essa energia que
deseivolve na seguaida phase e d e todas as suas
expedi5es coloniaes. Cornea sempre com meias
mcelidas mas nao se poupa depois aos muiores es-
fouros, quando adquire a conviccao de que nao
andara bern.
Urma expedi~ao A Khartum tern que vencer mui-
tos obstaculos.
Ha douns caminhos a escolher. 0 primeiro par-
te de Suakim rem directio a Berber ; 6 o mais cer-
to, na raridade de posts, a sua pouca agua e mA
qualidade o tonarnam mpossivel praru .aexercito.
0 segundo camimnho pelt Nile ; atregu abun-
dancia d'agua ao corpo expedicionario, mas e
muito long c exige um material especial que sera
precise crear de novo.
Deve ser uam curioso espectaculo a parfida da
esquadrilha que vai subir o Nile.
Compost de embarcaSOes pequenas que cobrem
aetuahnente todos os estaleiros da GrA-Bretanha,
o primeiro comboio n io ter.menos de 400 barcos
de remos, construidos de modo a poderem levar
cada um 10 homes corn todo o seu equipamento
e viveres para trees mezes.
As verdadeiras difficeuldades principiarbo em
Sarras perto da seganda catarata.
As condiqoes de navegaeio do Nilo sao mal co.
nhecidas alem deste onto. Sabe-se que haverA
rapidos a passar, urma corrente violent a rhpel~ir
e que a travessia do rio seria long e difficil ;
mims couta-se t'imbein corn a impressio que hade
produzir nos arabes a approximacto dlas tropas in-
glezas.
0 maior perigo que pod -ria eorrer o exercito
iuglez, ieria o de lhe cairem cm cima as grandes
nuvens de inimigos ; m.is o pirti.-ularismao 6 tal
eutre os arabes, que o ouro inglesv desligou jl d,
causa do MUahdi grande part dos rebeldes que se
suppnnha serem as seus mais fieis adnerentes.
Para a guarnicao da esquadrilha, a Inglaterra
appollou para as diversas ,ragas do senu imper:o
colonial : ao CanadA pedio habeis marinheiros, ha-
oituados a manobrarnm nos c-'rsos d'agua acci-.
leuntados da America do Norte ; na costs occi -
lental da Africa, apurou um grande coatingeute
le krum 'n, que passam por ser os mais tenazes
trabalhaaores dos climas tropicaes.
Os primer -dos4 900barcos-qae tho do trans-
portar eo exercito do lord Wolseley,I ohepgalo pro-
vavelmente a Sarras so die 1 de uovembro.
Tero n quepercorrer entao am milhir de kilo-
metros Ute.-a fto par&siubir 6 rio, soccorrer
Khartufi ejAstc 'a sua rSinda, porque do mes
de janeiro" d4iuhte, o ea'or, q~e e tera insump-
fortave.l no Woa q egypc, abetteri, a ternr

Nloettsaia -a da~rpedigio, nao
se d.n. 'i .ofiku-bom exit% visto quo
to.bapltbdi^ s de a 'i

fa' bfhqjMsftg 4gh R.tna


Vain


Ido wI,-
tquaeub-to-

1. -.
*'do@
oa~. jik '-a-Ulk


ta proper a ooVoca*o de We
nceional, carn o fiin dereM m
go wno>tt~t de review -



reuntensario aml de Sumes.
i China
0 LSdunpt Mais plpitaaiB "
conflict fr*wo-caine Ia quew
mninavlo + guer4L U A l
nua emaeVol c reaeo--nc M
scm duvika, inst4tues do
Diz-se t 0 .uio que o 99e
veu por tmj: a declarar a
ficanuo e Ua. xesolu;Ao is
Este f.ji t6 6te:n a irn
ainda mtos q-gitnaio '1) cdeste
de pag- maiorcs indemqisa-
menos lk restar z plinna, arx
nezes eojumam t irir iuito
Naga-o que o Ljpio haja p
pars Abar o g. rnco de Pekain
sober.ando imnp .'. du Sol u*s,
La-ChIII L tanto;. ,nazg eo AUiti


eutre as dugra: ,.is i-upe io -ee .
A-3 n.ticias, pt -m, qin no cb doe .Vevr-.-
origcns, Sn10 de t4 mio Jo dice-oi -. ,In,- .
sabemnos frih ..ne, it ,1. q',mae d'ellll d :mm '..-
recer r.iimeicrediT,
)i'-a d '; i-Tain em dF I.. ,.-
'iro '9r, <,,, inT-] i: a i in ..
taria d's mIgocl. catrangciros r's!>?is
pr h reI;a scon :hdo ue sa e : :, ..
De Pl-'1li.han rticipam a 7, ., ,-xa
estranz-eiros foramn saquealas M st, .,
0s sl o 6hincz ,. '
S aej so inIczesf public i n ;t i *I i .
dcmsCrr jd n-'aolo ddoJs ,,dir,.,d m
ua qu:ACST i plinitta det-lara q -- r,,
wii~h .itretCltnmtmu algauna AIe *a ,* ** -* i
-das t I 1bH.
k W dhan Participam -, :
Ssau ades chinasze n00 i U IA :-
racio gu9 a. Shat-ghae foi'd R i, fi uWr:,l
0 W. un.: na cC3aflaueoia do(t .:Sti-
TIe- m10ig c'i-n o ric qie cq rla-,-.i. : )i-
p ast estalo da citio, sends u ssa',-m ,a-
ide neirtal a)s n;.vios( din -i., a
S halne.
a fortes ,de Kimphi fizerar ohre -
vi e guerrm Zi'phyr, julgawl.- erw I,: z. : :
ij '. ; Ovll pedio cx e l-icamea,
a Os vio-reis de Yunnan e da n Sm rezS -
bei n de P,'-kiu rinlern para invy o T,)ukini i
fo e das suits tropas. Depois de rvmin trans-
Po o a front,.aira nfarcharam par s il per cami-
al differantes. 0 vic--rei 4e eoneentri
'1 r forgas via Yuu-Kaug. 0 o eommiawlo
cm efea daas tropaIs.
SReferemn os jornaes de Rom .'s nfirnm im-n'o
os Paris Londres, que o Cart Jacobini en-
via umna nota ao governor franc.. licitanlo o
pro torado dla Frausa pars as cats caholicas
a hiuna. '0) superior da mi rtugucza do
Iam teve de h tgir e depedir i au-
to ades inglezas.
Umra crOTespondenciad A ra aoQ
c Havas, diz que as chine irwn,l
fo considermavais, o Tonkin, promo-e
c -a as fraaqezes a revolts vincas d'a-
q e paiz e que sao limitrol ainan e de
g-Si.
governor chinez publicoan u e to ordenan
d seja entregue ao, castigom t0-
4 individuo lue d aqui em liar emr wn-
c~o.
| Nao me verifies a notieia Leada aum
J inglez de te o atlmirante et bothar-
d o Kclung. A esquadra fran oi effectiva-
js^Que3e porto f" nM reconaheci-
-o urnabatriad Mra fiell&traelaal-
guns tiros que nohe a nos navi"s
francezes, e a que esi n reapoa c'n v4nas
bal. Feito o reco)n'he inentoo dra t4rnot
a fser-se ao lago rovavd por nio ter
s"ada recebido i de tro e desemew-
que deviam seguir da chinin 0 e o Tonaiin
*fgundo urm elegran a de l -Kong. algans
navos da esquadra fa m viMks Caar MtI frente
d'aquelle porto,taxeud dearoh, | ao sul.: Agora
suppoe-se quo a prim ira ooro do almiraut.
Courbet sera dirigida cotnt-A -ila dp. Hainarnm.

0 project de coafederacio da, eolonias au.itr,-
lianas da Inglaterra, project ddneado no senti-1,
de uma politics de annexa*lo ede defosa cmmurm
vaiganhando terreno. I
3 de seteianoro a Assembla LTgislat'va da-
Australia do Sinl mtific.-u po uma matiori-t d.- 22
votes, 0s desejis Fsrmul idos &a ste r spAit, pla
convengio de Sydney.
To-as as eolonias, A excepteo 3a N)Va G.ttleAl
do Sul e Nova elandia. jA se exprimiram mein f-i
ver da federaci. E' preciso ainds que a creai're
de umn conselho fetadral seja um faicto consamnmadI.
Absolutament de accord sobre a question dqu
annexasoes eofeetuar c das medidas de-fensivas a
tomar contra a invasiao dos reincidetes francezes
e os fIggressorc de fOra. as colonial4autralianAm
oast minuito di;,didas Acerca da qii:sUo da po)iti-
ca aduaneira fue devereo segair. Atgumas s4,
como por oxeo1o, a Nova Galls ,Jo'Sul, livre-
cambistats,o ao tsso que outra4 coin ajrT2on'
praticatm o sy4ema de proto.ilo, ando tdas"
como 6 sabid uama &at)noma qu,'Ihcs Permitte'
regularem as s-_ s pauta_ con_- mmtet -ri.-rn.
Achar uma hha eomunum e p| tica c-mnrr-
cial, scrA pois urais diflicial e *ss o tla., pooe-
rA isipedir que o project de *nf' im-i) p- r.a
lise*l) a


ads


a mlm- u
iebre as
kAda

int'-
1 iznt~-


iamde Ao
6 a dono-
w"- arnti-
nt dando,
i Paris.
ekin rsol
ranva u ti-
Sag-ravar
", qu," tor,
*Ca. sen ao)
no o "n-"ji

ILa 'li, .- fi..


de rea-


deo ira


-PSI


.-, ".:'.-*"* .}-. ..,.z ;.:. s
-. : ; \
..*.n"A a


-9
'-


77


I


AA


Tem-se fallado muito Itimaunvnte c;n nihiiis:no;
mas a horrivel seita mia nluo deixou de m.Ichi-
nar. Ulna -orrespOedcnca da Ruassia part o Vo',
taure, cnta q(uc ha cousa de umn incz, estando o
cz:tr no campo de mc-mbra de Krissi6, correu uan
graidissimo perigo, que i policia traction de dis-
siunular. Alexandrn It tiia so seu servigo emn
Cronu'tad umrn vapor de gitrrt d'onde costunmAva
assistir As manobras nilithres ; pois uma part
do astado rnmior e tripulado do navio, induizidAt
pelos nihilistas, project r)derair-se d& sobera-
no qtuandio elle estivesse a brdo. Heave, por6mn,
denuncia d'umin d s conspiracres, e o plane abor-
tomi, effectuauindo-se in muitas pisses.
SEm Kieff descobriram-se, iha pouco tempo, ra-
raiicaces nihilistas, em Ni.i ; foram press at-
gains sectarioes e foi o aihll'ua que disptroa a
pistolla coin que Maria KaIo, ni tentou matar em
Odessa um eapitao de geuda aes.
Tendo side assassinuado u ornalista charnado
Skragpezky, attribuio-se oh icidio a salteado-
res ; mas urna ,junta een al revolucionario
Skiernievic espalbou uma prm lamatio deelaran-
do que Skrzypezky f6ra exe tado por ordem
d'ella, come espiso e por ter enunciado as seus
amnigos. Nao nos eseaparA a' n um traidor !
coneluia. a proclanmalsi.
CorCejo boato de que o imperar da Russia temn
.toeeAo de sefazer coroar eome rMa Polonia e de
que a sua viagem a, Varsovia t-a per unico fiu
sondar a disposieao dos polacora respeito desase
-projeeto.
-Bypto


f


toma-


I


*r .'\
^Dr.


i


I



1



1


Joe


- .***.




























J 'e' pee eoe espere quoe a,, p-
,:.renia- epretetodofftreeer, faernoi o r-
S d i p ndqet-e casn e
oUK81L DeSra oD-Oa e anut ns de. V. Zue.
a* itern a t-Desoejo aiunda apr omar uasto
'6 $BRttustitvltaj dicqosioe' o 4-e48
dole ng10 do receits do prjeeto quae se disaute.
.0 1: S4CosA-Pois aprenartes p Naoioda. s
0 k.'itA*sTiAcno-Fa go muito eon o eoiviteo
que acaba deo faer me o robre deptdo r e estero
qerie S. ue.e ousseo s ucompauheiro de cohamissao
e aeeam-n'a, pois 6 tella inteirameonte favoravel ao
S ainteotbse da provientia. *
O sta .BASho.DEis Aaux --P6de ser que sim e
esapo i aser que nao. d
'S#. AuzrAn o-Quero quo, em vez do un.
post de por potro, 2000 por muar e 600
rei po beperro, se adopted de perferencia o verda-
ader. o eiimo pago nas fazesndas de ocriaco, como
monwioa era adoptado entire n6s.
)bista medida que proponho, al6m de maiores aIn-
Scroa, tern m vautagem de popularisar o itmpoato,
comso nao ignoram os -reresentantes do alto ser-
t b. (Aptiados.)
vOs taaendeirt s prefareW antes pagaro i-rposto
do dilib-d-dqua dar o oqaivalente em dinheiro.
t pard s aoprom ooj d xos
SNao me demorarei, Sr. president, nestascon-
posiderasie para na o perder o ensejo de explorer
veriaos utmas questoes que se prendem a material
torgamentaria.
Irei agora ocapar me corn as largas contribui-
S5os consigradas na tabella dos impostos da re.
ae rtieao. Luto, entreanto, cona grades difflicul-
dades para avaliar dajustica que devia assistir a
este trabalho.
Desejaria, antes de tudo, saber qural a base de
taeos imposioe.
Seria o 'capital corn que gyra cad a uma das
classes. Os seus lucros? A exuteneao do seu corn-
mwoio on induatrias?... Nao sei, Sr. president,
e coaftsso que nao pude descobrir a casa de tao
mOastrusa tabella. (A-poiados. Cruzain-se di-
Sversos apartesa) e
Nbo aei como o commercio, as artes e industrias
possam ainda supporter essa nova cornucopia deo
inipostos I (Apoiados e apartesa.)
UtM SR. DEPSTADO-V'. Exc. assirm combat a
* todo orgamento.
0 SR. B Iao DR NAZARETH-Era melhor V. Exe.
apresentar um substitutivo. (Ha outros apar-
tog.)-,
0 SB. ArsuTARCHo--Qe duvida! Pois V. Exc,
achi que eu, que fui hourado -corn um diploma de
deputado, por um district coeus o que o tenho a
hour de representar, posso deixsar deo advogar o
interests legitimodaquelles que me enviaram a
esta-Assernbids?
Nao, Sr. president, hoei deo protestar contrae csse,
oramenito e de combatel-o corn a forn a qume dAs
a senceridade da nmiuhas convice5es. (Apoia-
dos.)
Noto que, na tabella a que oiludo, ha impostos
qPe foram elevados ao duplo de um anno para on-

to M SR. DEPUTADO-Onde estai isto?
0 SR. AnYsTACHo EstiA-em n. 19 da tabdella
dos impostos de reparticao, quando trata das lo-
jas de vender famo a retalho, cigamrros, charutos
etc., cujo tribute foi elevado de 6 a 12 cantos do








asendiea! enacm eprvnuais
r0 Sn. Smviao-E' un imposto sobre os viciosos.
SSR. ARSTARCO Bern sei que o vicio deve
ser tributado, porque 6 esase uin da meios de cor-
Srigir-se a sociedade; mas o rnposto pode offere-
cer urma dupla face : se pr umr lado justifica-se
Somlum corrective de viciosos, poer outro se corm-
batepelo atrophiasmento de uma r industries queo sus-
tutsa, entire nes, a centenares de familiar. (Apoia-
|don, crusam-se apartes o Sr. president reclama
t A attena&a). i o -
Pes o permisao a illustrada scommissao de eroa-
effento par a notar uma ions e sdicao ino seo traba-
SIho: Sso. Exes. que sao prtreoeionistas, coremo de-
imonstres, deviam ter protegido a todas as nossas
industrial: era natural queo em 6 n.13 adoptasse
_ 2 2 taxas, unma para as Icoas de fabricar e vender
seltins nacionam, e outra para aquollas que van-
dessem sellinas importados do estrangeiro.
Entretaato, confandiram o tributo, equiparando
as condiceies oe venda, comno se porventura isso
-j niopodesse tinter difficuldades a essa industnia
qtquo e'vai aperfei'coaudo entro nds. (Apoiados).
^ -f 'UM n. Dzrrreaoo-V. Exc. tern masbo.
'7~' 0.SB. AKTSrarauCto-Noto aissda, Sr. president,
ousemo dofeito em melaSbo as lejas do moveis e
as do vendor productos do outran industrial pro -
vineises (apoindos e nbc apoiados). -
Aproverto a occasibo para offerecer urns.omen-
do estabelecondo dnaBp taxas diVersas, nina pars
as loins do jolas em grosso, o outma para as do me-
talbo; penao quo a disparidade do lueros nao per-
mitto a equiparac~o do-imaposto. (Apolados).
Nba poa-sotmbern. Sr. president, deixar do
nt'tarj8W~adataxa do -80 contos pars as tuver-
~ nat e amman-ens do veftaer genoros de estiva a -re-
talho Acho a impoai9ao denmtsittdsiente oflets-
as, porqune, alemn do mao acr eateo *trn dod corn.
~morcia puo gyma corn maiores capitaoa, SatrOSCo
quo o tributo 1-ecahe dimootarnente sobre generous
; do prinseira necessidade, tornando, deato modo,1
maim afflictiva a situacilo dos pobmes habitantes


desta capitaL (Apomados e nbo apoiados).
Podia, como esta, fszer a critics de today tabella,
Smash no poaiao e nem devo estar a aborrecer aos
Sincus illustrados colleges, (ngo apoiados), cujas
habilitaq5es supprem a defficiencia dos meus con-
ceitos.
E' minha conviciao, Sr. president, que o com-
wercio e aa industries na.o comportam tio grades
S, sacrifieiosi, e me parecia de grande acerto modi-
ficarmos toda a tabella, no sentido de restiinugir-
mos as imposigoes. (Apoiados e nbo apoiados).
0 SB. JACOBINA-V. Exc. censura mas nao indi-
ca os meios.
0 Sn. AxYs9aco -Perdoe-sme V. Exc.; eu jA
indiquei os meios : on devemos restabelecer o im-
posto de consumQ e ortarmos as despezas de
character gral,ouentSo reduzirmos as despezas da
Sprovinea as forgis'mtnguadas da sua reeeita. (Vo-
.. zes: muito bemrn).
n "Eu aceito qualquer d'elles e de preferencia os
| dois primeiros ; eomo j A francamente manifestei.
J (Crusam-se diversos apartes)..
^l Prefiro issoo, Sr. president, a aceitar o projec-
-' to de receita elaborado pelas illpstrada comsmisslo
S de ornafaento. No vejo razlo sdria para nao resa-
tabelecer-se ja ei o imposto de consumo; cc-
nhecido o erro da ns asuspenaso inspirada, sem
que se desse-a provineia novas fontes de receita,
eu nao vejoodtro recurso senao esse, que indict !
como o mais prompto, o mais efflcaz paraaregu
:" laidade aas nossas finances. (Vozes: muito bemrn).
astou crente, -Sr. president, que essa media
Ssemis recebida hoje corn geral applause atW do
proorio comaercio, eua situateo deploravel recla-
ta ,providencias energieas e de effeitos immedia.-
(Ap6iados). _
"NIo sei eozo possamos toaservar -a provineii
e-, emttdo depefeita bane-ro ,sel3 reeursos,
ame, nmesam0uo pArs rW s fanccionarios publi-

JA quo a A* L nao4 qne4itapoS do


'Mindatjue 9 ere", o cunho oop-
4 iOM u aho ppor-
tuiasdo, poise os estrangeltoo, por um aentimon -
to'mtral, preferem do ordilario a prptoa p ot
oag patrswicioSj) do quo maosposs0eosompaaIroyincl ahos,
aquealo eiuctramu mao aleta cozuaercio o acolhi-
-m to. que deviam ter. (Ap'oiados o eao apoia-
(Ha um aparte).
E' urnsa redida necessaria que devemos adoptar,
Iorque, alu delo str vexateriA, cresee qqe fa-
cilita as aspirades dos nosos pricios a subidas
posiaoes coun*eeiiasek. A4piados).
UM Sn. DUPoTAoo -. Mas o eomimereid -uesao e
nao estrangeiro.
0 Si. AwasTuao 0 graade eommercio, entire
n6s, como V. Exe. nao deve ignorar, est naus mr
part entregue a estratgeiros. (Troeam-se muitos
aparteS e o Sr. prescieate reclama attenece).
0 Sa.' AS arrAiao--Oe nobres depmtados atten-
dam que en nae me proponho a tributary for9ada-
monte, e nem indieo medida que vise onerar o omn-
mercio oatraugeiro; poe eato nveneido de que
elle fioara bern aervido eom o coneurso dos nossos
patricios *mos inteligentiasimos, honestos e acti.
vos.
(Apoiados).
Eu, Sr. president, tenho a. msior satisfaglo em
manifestar d'esta tribuna a considerago e respei-
to que me merecem esses Illustres estrangeiros,
que, corn os seus capitals, vem, entire n6s, explorer
qualquer industrial; penso mesmo que sio elles
dignos de today a nossa sympathia e protec9lo,
como um dos bons factors do nosso desenvolvi-
mento mercantil; mas aempor isso, deixarei de in-
sistir n'estas ideas, porque nao vejo nenhum in-
conveniente e neir o menor prejuizo sos seus ix-
teresses eonmmnerciaes.
Espero, pois, que a nobre commissao do orra-
mento, que tanto neceosita de fontes, de reccita,
aceite semelhante providencia que, aldm de util,
serA recebida corn geral applause pela populacao
desti' provincial.
9Apoiados).
9R. ERxMo--V. Exc. pode contar eomn todo
meu auxilio.
O SR. AISTAECHO Agradeco o concurso de V.
Exc. que me 6 assas lisongeiro.
(0 Su.'Jolo AUOusTo dA uim aparte)
0 SR. ABSTARCHO-Julgo-me obrigado, Sr. pre-
sidente A......
0 SR. Jolo AUGUSTO ... a apresentar novas fontes
de receita...
0 Sn. AnISTABcHo. -a justificar outras emendas
que submetti a apreciaga'o d'esta Asscmblha.
Comeaftrei pedindo uras pequenna verbal de 6
contos de r6ispara o restabelecimento da eschola
pratica de mathematics, que foi sapprimida quan-
do se achava a prestar imuportantes servigos a esta
provincial.
(Apoiados).
Acredito que o meu nobre college, representante
do 6.0 district c membro da commission de orca-
mento, nao desconhecerA a grande vantage que
results o ensino d'essa discipline, principalinent-
em uma provincia como esta, que, alem da acade-
mia de dfreito, nao tern outras escolas onde se pos-
sam aproveitar as aptidoes de mocos que se reve-
lam propensos a aestudar mathematics.
Eu poderia citar o nome de 3 mocos districts,
entire os quaes figure urn filho do mena amigo, o
notavel agricultor,'o Sr. Leandro C. da Siva Gui-
maraes, os quaes no interior d-i provincia tern
prestado relevantissimos services, devido o oensi-
no pratco d'essa escola, que em tao mA hora foi
supprimida.
(Apartes repotidos).
Ut Sn. DEPuTADo-V. Exe. nao devia apresentar
emenda augmentando despezas.
O ST. AutsTAaCOo-Nlo aceito a censure de V.
Exe. par que nbo proponho medidas muteis.
(Apoiados, crusam-se diversos apairtes e o Sr.
president recefama attenco).
Bern sei que as minhas emendas serlo abafadas;
mas Ilsto nao me desanima no cumprimento do meu
ever, cujo desempenho sera devidamente aquila-
tado por aquelles que me julgam see paixoes.
Tenho, tambem, Sr. president de justificar a
omenda relative a companhia de bombeiros. -
Esa providencia, da mais urgent necessidade,
nao pode pori mais tempo seradiada, sob pena con-
tinaarmes a preuenciar Os mais triates espetaculos
mom mementos de incendio! !
Alem disto, Sr. president, n'esta questbo aeha-
se compromettida a honra da provmncia. Ninguem
ignore que ja se arrecadou da respeitavel elasse
commercial impostos pars a organisaco de seme-
lhante companhia; e, custa-me dizel-o, ease di-
uheiro foi desviad, dla sun natural applicacao pars
fins mui diversos.
(Apoiados e apartes).
UM SB, DzrUTADo-Isso form cousas do domi-
nie cockervador.
0 Sn. ArAsrAcwo-Eu-'sno quero entrui nos com-
mentarioa d'este factor, apenas desejo toauar bern
saliente essa divida da hours da provineia paam
corn os habitantes desta capital.
(Apoiados e apartes),
UM SB. DEPurADo-Mae nao ha dinheiro.
0 SB. AnisTAacno-Me parseo, pois, que na se
pode adiar por mais tempo semelhante medida re-
clamada ate p la nossa civilisacao.
(Apoiados).


Quero, tambem, mereeer da benevolencia da
commission de oramento a fineza de eoneeder-me
alguns lampeoes pars a infliz freguezia dos Aff)-
gados. E' estranhavel, Sr. resident, que os ha-
bitantes d'essa freguezia, nao sejam regularmente
compensados do sacrificio que fazem; pagando os
memo tributes, sujeitos as mesmasimposicoes que
os habitantes das outras freguezias, no sao elles
comtemplados na partilhw dos beneficios que af-
fluem por toda a parte.
(NIo apolados).
Nba ha poneucos dias os habitantes dos Afogados
delegaram a esta Assembla urma commisao pe.
L dindo agua, luz eCemiterio, econtrista-medizel-o
Uinda s ;e tomaram providencias! .
Eu, Sr. president como repreaentante do 1.
Ldistrieto do qual faz part semelhanite. freguezia
procure entender-me corm o gerente da Gompanhii
Sde Bebiribe e obtive promessa de ser tomada as
providencias neceasarias quanto ao abastecnimento
d'agua; e agora nao posse prescindir de reclamar
4 h mpedes pars o largo da Paz; 16 para as ruas
do Maxixe e Quiabo e 20 para a rua Real d(
Torre!
Nbo 6 uma exigencia desarrasoada: 6 um pedi-
do just que nbo pode ser negado pela equidade
d'esta Assemblia.
(Apoiados e apartes).
No" sei a razao porque a illustrada commissir
de orcamento supprimio os 4 lamnpeoes do largo da
?Paz, que tforam collocados e mantidos por alguns
particulares, at6 quo a provincial chamou a st este
SserviCo. Quererbo os meus -nobres cellega4 que
essa despea continue por eont -d partiulares
quando a Illuminalao e serviio publieo?
Nao o c'reio, t quando fosse exibto, eu pr6testa-
rina contra semelhante ,nomalia, queprijaic ein
exz.emro a intertowq puAlieos. (Apoiado).
Feitas estasoaM eed ., euquero itritar ain-
da de- umar quest.1 qae B a pasr dpsop
*ercebida, -,e sinto profand tei't6 qe-a 01;
commiaisa de oreamento, quando evia -&Atr-si
aqui, se tenha retirado para ante-sala, n.o sei so
por osea,'OU se proposlto de o res.-
,o' a as bbviev Spqn' e-


q6 phs4sn r ir -i I
riAAo.cmmei eo.
O'"Sut. -s-, Exeieata4 liaeutia o nuilto bemn.
o -$. AMazouT. o-E Be oildiylfrld aUdazes ex -
ploram in a iudaatria ciuniaa, devum uer pani-
doa e nnC.btribd~tadqs. (Apoiadas).
o imposto preup p3e pro~flases ou induatrias li-
eitasi queome eem garaati"t .i4Aei, eir virtue
das vantagens queo resultamn do .asu exercicio no
seio da sociedad.. (AppiAado.
UM SR. DRP=TA -ioNao ha duvida.
0 S. AArsTA-cao-Mas, S. presideat tribu-
tar- iia aindustila eri uia, ree6waecel-a
com tlegitima, e anitM-a, 4 eAtimular o-trime, #,
finalmente, provocar a enarehia nua relaqoes so-
ciaes (Cruzam-se diversos apartes). .
Acredito que so for approvada semelhante dis-
postifo por esta Assembl6a, o Exm.Sr. presiden-
te da provincia, em Vez de executal-a, mandarA
"processar eases itdividuos que vivem a explorer
o ec-mmerio, fara que possam elles soffrer as pe-
nas que se acham consignadas em o nosso codigo
penal. (Apoiados e apartes).
E de facto, al6a doe agents de queo falla o nos-
so codigo do commercio, e que pereebem lucros
pelo services que prestam' as trMiwac95es mer-
cantis, eu nao conhego outros intermediarios, e, se
existem, cumpre punil-os severamente, mas nurca
tributal-es. (Apaiados).
Eu, Sr. president, tao sou apologista dos zan-
goes; deploro mesmo que a nossa praa se sub-
metta, como dizem, a mtervencao de agents cri
minosos, que nbo mereeeu 6 tbelic& e quae, por-
tanto, podem prejudicar a grandes interes'es.
Temos um niuimero regular de correctores que
dovem inspirar confianga, n-ao s6 pela fM public
de que se acham revestidos, como porque sao ho-
mens distinetos, honestos e trabalhadores, dignos,
certamente, do acoihimento do commercio da nos-
sa provincial.
Nlo posso crdr, Sr. president, que, ainda mes-
mo quanlo se convert em lei seamehante precei I
t haja quem pague semelhante imposto. (Apar-
tes repetidos).
Um SR. DEPUTADoC-E porque?
O SB. AkRsTncto-A razAo 6 simples: porque
aquelle que o pagasse, habilitaria a justiga publi-
ca a punil-o, medianto a exhibigo do talio do im-
posto, como r6o confesso, que ficava sendo. (Apoia-
dos e apartes).
Eu, pois, declare que nao vote semelhante tri-
buto, porque nao posse zoncorwer para que so le-
gitime uma profissao criminosa, lue s6 p6de e so
doeve ser punida. (Apoiados). I
UM SB. DEPUITADO- Pois saiba que os zangoes
continuargo a tirar grandes Iticros sem pagar im-
posiioes.I
0 SR. ARMSTARCHO-Se assim acontecer quern se-
rA o culpado? N6s, per certo, que nac Mas
sim aquelles a quern estiver coufiada a missao de
velar pela observancia das leis e punir aos seus
infraetores.
Vou feehar, Sr. president, as minhas conside-
raroes pars que nao se supponha que desejo de-
mcrar este debate.
Um SB. DEPUTADO-Todos nds fazemos justtca a
V. Exc.
O SB. Jo0o AUOusTo-V. Exc. tern discutido
muito bern.
0 Sa. Au'ISTAiRno-Corria-me o dover de ana-
lysar todo project de orcamento, de discutil-o semr
prcvencoes, porqae, so d'este modo, podia corres-
ponder a eonfianga corn que fui honrado. (Apoia-
dos).
Reservo-me para, em outra oceasao, fazer no-
vos cozmmentarios a ease project.
VozEB-V. Eixe. nao pode fallar mais; jA esgb-
ton as vezes.
0o S. PITANGA-V. Exe. ii fallout tres vezes.
0 SR. An=Ancwso-Parece que ha equivoco dos
nobres dep-atados; eu apenaa falei-duas vezes
uest% discussao e um outrx as. 2i sauppouho que
ainda me seja t&cultada& palavra para justiflear
as outras emendas que forimule' (Apoiados e nao
apoiados).
UM SB. -rvrADo-V.-Exere no p6de fallar rmais.
0 S. LyuA,-V. Exc. and tern o diro t
orar, salvo ee no estA em vigor o regiment.
0 SB. ARISTABno-Eu nao farei questao de
voltar a esta tribana, on Je s6 appureco quando o,
dever me impoe semelhante sacrifieio.
V. Extc. memo, Sr. presidents, bern p6de dar
testemunho do quanto me abstonho de roubar
inutilmente o precioso tempo desta corporaeao; ae
o mandate que desempenho inao redamasse o meu
eomparecimento nos debates das questlesimais in
teressantes, eu no viris usar da palavra, quiado
sei que nao reuno Os dotes neeaaarios paa des-
pertai a attencao dos meut collegas.
Vozzs-Nao apoiados.
UM SR. DEPUTADO-V. Exe. tern sempee iliustia-
do esta tribune corn a fecandidade do teu bonito
alfnto.
0 SB. ABISTABCHO-Sou muito roonhecido a be-
aevolencia doa meus illustres :e0lisas.
0 SB. Jolo AGUOSTO--V. Exc. nads teas -que
agradocer; as nossas manifeataods- sbaoineeras e
exrontaneas.
0 Sn. AsxaSTABco-Aodeixar esta trilmns, Sr.
president, levo a aatisfaco de ter oumprido corn
o men deover, ea esperanca-de que 'este project,
S6 depois de profundamente rnodifiado, podera


Iser approvado por esta Assembl6a.
VozEs-Fallou perfeitamente bem.


ilyTA MILAII
Trinta e eieo xuanumlau6em-Effec-
tuou-se pela manha, na sala das audiencias e na
audiencia do Exm. Sr. Dr. Adelino Antonio de
Luna Freire, juiz de orphlos, a entrega de 35 oar-.
tas de liberdade a escravos manumittidos polo
fundo de emancipagio
A a#la das audiencias esteve repleta de povo,
schando-se representados al!i todos os cIfbs e so-
ciedades abolicionistas existentes nests capital
Terminando aquelle bonito aete, resultante da
aurea lei de 28 de setembro de 1871, tocou a ban-
lia de musies do corpo de policia, send soltados
knuitos foguetes.
Em seguida, toda a gente que tomara parte na-
aquella tocante festa, precedido da referida banda
tie musiea, foi em numerosa e enthusiastic pas-
veiata ate o palaeio da presidencia.
Ahi, usando da palayra em nome dos abolicio-
nistas, o Sr. Dr. Joao de Oliveira, pronunciou um
diseurio saudando ao Exm. Sr. president da pro-
vincia, diseurso a que responded S. Exe. agrade-
-endo.
Aswasmlnato-Mandaram dizer da Gloria
de GoitA;, qun-, i 18 do passado, um individuo alii
eonhecido por Josi Cavalcante-assassinou coin 4
facais Frauncisco Antonio dos Reis.
O delinaquento elieio-se.


CoQ~neuado
No 1884
IDe 1883
'De IRS-


.Provinial
64:100$081
97:6800939
105:.2092tf57


Do V1881. X85:4364079
S -De 1880 230:396*815
zt MVrwe.---Seguio para a Europa o Sr.
Dr. Jjsd Hygino Duarte Pereira, afire de nos ar-
chivos da Hollanda'etractar documents refcren-
tes i *sttoria de Pernambuco no tempo do domi-
nio neerlandez.
Dipaeiro.-0 paquete 'Bahia trouxe do sul
para : ..
John Bosewe l 26:000sM00
iacha4o Lopes & C. 3:249$t80
Main a Rezende 2:8755700
Scares Pinheiro 2:0005000
Femuales & Irmlo 2:0005000U
Franciico Manoel da Silva 2:0005000
Moreir Lopes & C. 1:1524500
Augusio F. do Rego & C. 8004000
Mendei Lima & C. 417,500
- 0 paquete Permnambuco trouxe para :
Bahia : 3:8005000
Rio deiJaneiro 2:0005000
MoVimento de dinheiro No proximo
findo rtez de setembro, sob a responsabilidadedas
diversas companhias de vapores que servem a
praca to Recife, esta :
Recebnu 175:2324055
E.xpdo 572:3735807
expediqao foi pars :
Rio de Janeiro 257:0005000
Bahia 15:573,710
Alagats 63:9505000
Fernaido 8:5504097
ParahFba 3:0005000
Rio Grande do Norte 212:300,000
CearAi 12:0005000
Cidade de Nazareth.-Desta cidade re-
cebems o Thermometro de 27 do mez proximo
findo.*
0 capitio Joaquim Nunes Machado Couti-
nho em regosijo de ser o dia 27 o do anniversario
do sev natalieio, conoedeu serm onus algum carta
de libirdade a sua escrava Bemvenuta, de 36 an-
nos do idade.
Palleoeu no dia 23 na cidade de Goyanna,
onde la dous mezes se achava em tratamento de
grave molestia que o atacara, o tenente-coronel
Trajaao Olympic da Cunha Gouveia, rendeiro
consethor do engenho Brauna da comarca de Na-
zaretd.
Criada tnflel.-Uma familiar resident A
run dos Gurarapes, u. 61 foi passar f6ra o dia de
domirgo ultimo, deixando a casa confiada a uma
ama erioula, de nome Maria. A tardinha, voltan-
do a familia, encontrou fechada a casa, cuja port
foi mister arrombar, por se nao encontrar a chave,
assisindo a isto a autoridade respective.
Venificou-se ter a infiel criada tirado dinheiro,
obras de ouro, vestidos e roupas brancas, avaliado
tudo em 300,000.
At6 iontem nao foi encontrada a ladra.
Laterna IMagica.--Distribuio-se hontem
o n. 97 deste periodic livre e homoristico.
Bibliotheca do povo e dam escolam.
-Destt utilissima publicagio aeabam de chegar
de LisI6a os folhetos ns. 83, Manual do Carpin-
teiro: $4, 0 cholera e sens inimigos ; 85, Hydros-
tatia ;86, Pisciculdtura.
Existim A venda na livraria Flumninente, A rua
do Barto da Victoria n. 9.
iio;raphia dos homens celebres.
-Tarnmem de Lisboa e para a referida Livraria
Rluminsuse, scabs de chegar o n. 8 das biogra-
phias le homes celebres, Esta occupa-se de
.74g0.
lmb Carloes omes -Realisou-so no do-
mingo ultimo, comno fern annunciada, a eleigao para
preenehimnento das vagas abertas pela nao aceita-
de alguns funecionarios, eleitos anteriormente.
Deu o seguinte resultado:
Presidente-Commendador Miguel Jos6e Alves.
i Director de concertos-Jolo Nepominuceno de
Earros.
Vogal-Arthur Augusto de Almeida.
Pica assim complete o conselho que tern de di-
ri" o club no anno social de 1884-1885.
A popse d'estes eleitos se realisara hoje, ais 7
hiras da noite, na s6de do club.
Club Fimancipador de Palimarem.-
Recebemos hontem de Palmares a seguinte com-
n Aiucca do:
A' illustrada redacio do Diaeio:
Temos o praser de communicar a Vv. 8s. que,
hintern em sessao solemne, foi inaugurado o Club
~nancipador desta cidade, coneedendo-se nesta
oicasilo 8 carts de liberdade. Foi urna festa
iiponente, nue correspondeu a data do gloriosodia
2' de setembro.
Ficou assim constituida a sua directoria :
-4Presideate, capitao Inacio Matheus d'Almeida ;
vfce-nresidente, commendador Augusto Rufino do
Alseidas; 1.0 secretarni, Celsa Duperron; 2.c dito,
Alberto Antonio Mauverney; orador, Dr. Fernan-
dofAffonso Ferreira ; thesoureiro, eapitgo Antonio
Joaquim do Nascimento Barros. Commissgo de
e~ntas, Jos6 Victorino de Paiva Filho, capitbo
Jpao Hermino Ferreira de Almeida, e tenente Ig-
ncio Jose da Silva Brags..
Palmares, 29 de seteombro de 1884.
i Cidade de Palmares-A Gaazeta de Pal-
rca-es, de 28 do mez find, dA as seguintes noti
No dia 22 do corrente, as 7 horas da note1
nris ou menus, foi assassinado, em seu engenho
Pinderaca, o tenente-coronel Francisco Tavares


de Lima, per Franc'sco Vietorino de Oliveira.
S Passamos a relatar o facto, come se passou
c exactamente comno ounvirmos da bocca do proprio
assassmo. .
w Francisco Victorino -e Oliveira, de 22 annos
dkidade, e 51ho do Crato, na provincia do Ceara,
erk trabalhador do assaassinado Tavares de Lima
e #or vezes tinha tide corn elle pequenas questdes,
sendo que, a data da ultima que tinha tide lugar
hapoucos dias, projected matal-o.
( Effectivamente na tarde do dia 22 munio-se
de uma fouce, a pretexto de que era para ir traba
Ihtr no dia immediate, e As horas da noito em-
byeou o uassassinado, e quando este, de volta do
service pars sua casa, achava-se A pouca distan-
cii d'esta, surge-lhe de frente Francisco Victori-
no, armado corn a tal fouce, pedind6 55000 em-
prestados ; ao que responded o assassinado :-
nao os tenho aqui e quando os tivesse, nao davs,
pwqne voe 6 um vadio. A isto, francisco ricto-
riMo deixou elle adiantar o cavallc e traigoeira-
mmte deu-lhe pelas costas um golpe de fouce no
pmcooo que o deiton por terra, matando-o. Nao
isuisteito Victorino corn o resultado, virou o cada-
v r quoe havia cahido de costas, e deu-lhe outro
g( pe no mesmo lugar, quasi que separando com-
pttamente o peseoco do corpo.
Findo isto, Francisco Victorino retirou-se
pac casa e esecondeu deutro de umra forma de as
se$ar retaae no eugenho a fouce hoiicida.
,, Todo esto crime, estava envolvido em grande
ysterioN, porque aii tendo o ausasinado, no dia
22, okgado em caseais horasa habituaws, a familiar
-wndou -procsal-o, e encontnou-o morto, attri-
baindo etao aos escravos tgo horrioroao aasassi-
0? to-;.norem ums tdaltinha, -iamno escrasa,
mICIba da coaa, tendo sorprendido, na tarde
'Oiesse dia &aanciseo Victorina a diner a dons de
-fds paresei*o ',wweUe dia cacdorro hana de
Alr U; nt6 atumni, iStOae
S cm adidornAuzsto4.u-

to di immdatoao0,.


caw vea:ao eomanvaonCsad'e aaS4 ,.
Z ehofrra fer a&quo o pa-
M4 64JW Ue ce~ssado.
'*' izot $Ao'dos` o eommeircio aisei4 M
des dao iua do -tedaHespauha, d 6 yfer-
reas, A's-xgi~es mineiras-das Asturias, Biseay e
antander, e no nmeiodia da peninsula, sio ineal-
ula&veisw .a perturbaluo nos negocios setI segui-
da de o uii baixa sensivel nos rendimentos" do the-
Souro e nas alfaindegas.
Ein 1882, 6i1 assassinada emn Maamptramna,
Irlanda, umn Lamsiha de rcgadeiro, o ea chindo 'as
suspeitas sob3le algans conhecidos fenianos, torau
press sete illes. Ojuiz instructor tanto fez quo
eonvenceua 4ois delles, Thomaz Casey e Anthony
Philbrim, arpema depor coeno testemunhas ceontra
os outros,;4.resultado foi que urn, Myles Joyce,
foi enforcaNU, e os outros quatro foram condimnua-
dos a gal6erpetuas.
Ultimamente Casey foi lan~ar-se aos p6s do bis-
po do Tuam, accusando-se de perjurio. e depois,
na igreja de Partry, repetio a coniissio em plena
igreja. sedadc entao tornado o depoimeuto para aur-
tir os effeitosjuridieos.
0 que n6s desejavamos sabes 6 que castigo sera
aoplicado ao canalha do jaiz, principal autor des-
ta intriga legal, em que um innocent padecou a
pens ultima.
Fez-se ultitaamente em Tualette, Franea, ama
deseoberta das mais interessantes, sob o ponto de
vista archeologico. Foi encontrada n'umas exca-
val5es urea lobs de bronze, que servio provavel-
mente de insignia military romana. A loba est.ii
corn ; cabe~a voltada para a lado direito, comoque
olhando qara os filhos que amamentava, mas que
infelizmente desappareceram do sen lugar.
A loba castava primitivainente fixada n'um soco
do mesmo metal, como o provem os grampos collo-
cados debaixo das patas ; vA-se quie foi arranca-
da A forca, porque urma da.s patas estA quebrada
pelo mineio, e as outras, torcidas cm baixo. nao con-
servam o sen atfaistamento primitive natural.
A obra 6 de un born estylo e de urma boa epoca.
Julga-se que esta insignia pertencia a uma das
legiSes que combateram os gaulezes sob o reinad,)
de Angusto, por occasiao da colonisacao de Oran-
ge.
Realisou-se na nrtova cidade de La Plata a
experiencia de illuminaa'o por mneio da luz elec-
trica de Brush, corn as lampadas colloeadas n'umi
torre 'dc 50 metros de altura.
Alguns eollegas argentinos asseveram que a luz
to! vista a 65 milhas de distancia ; mas, dando
algum deconto ao rompante castelhano, 6 bern pos-
sivdel que os f6cos fossem vistos ahl a umas 15 otn
16.
Os criadores argentinos queixam-se este an-
no do mAo resultado das las, em vista de iiao ter
aido possivel atalhar o progress da sarna nos re
banhos, que em muitos lugares pouco podem pro-
duzir.
S- Acha-se ja nas aguas do Pr ta o vapor Cen-
tauro, de tinado A navegag.2o entire Buenos-Ayres.
Montevideo e Assumpca do Paraguay, e propric-
dade de urma companbia argentina, que espera
ainda outros navios para o mesmo serviqo.
Loterla de 5M OO600 Sabe-se por
telegramma recebido pela Casa Feliz, que a lo-
tenria 159 B,extrahida hontem na co6rte, foram pre-
miados os seguintes numerous: -
2.118 25:0004000
1.873 10:0004000
5.933 5:0000000
A Venturosa-Neste estabeleciments lote-
rico, A rua. do CabugA n. 16, acham-se A venda os.
bilhetes da grande loteria do Rio de Janeiro, cujo
major prdmio 6 de 500:0004000, que se extrahiri
impreterivelmente no dia 3 de outubro proximo
vindouro.
Loteria de 50:OOOO 000 -Esta gran-
de loteria do Rio de Janeiro, sera extrahida im-
preterivelmente no dia 3 de outubro proximo vin-
douro.
Os restos dos bilhetes acham-se A venda A pra
ea da Independencia, na Casa Feliz, numerous 37
e 39.


Grande loteria da u OOO00O0OOO
--Esta extraordinana lotea i, serA extrahida n,
din 3 de outubro pro mo vindoumo, iampotcrivol -
mente.
Os restos dos bilhetes acham-se -v, snda nh
Cas& da Fortuna, A rua 1- de Marco u. 23.
Pausageiros-Chegados dos portos do nort-
no vapor national Pernambuco:
Dr. Francisco G. da Silveira e sua senhora, Dr.
Jose Joaquim da Gama Malcher, E. C. Moreira,
Jose Vicente Ferreira, Samuel E., Valentim C.
A., Joaquim S. Maia, Francisco da S. Pimeatel,
capitiao Laurino B. Silva, Casimairo M. da Costa,
N. M. Murom6z, Martinho F. Ferreira, Josd M. Pi-
queno, LuIz Antonio C., Fradencisco A. de Mello,
Raymundo F. de Mello, Joaquim A. de Mello, Pe
tronillo A. Maehado, Maria T. de Almeida, Manoel
de A. evedo, Antonio 0. Barbalho, Arthur Lemos,
Manoel T. de A. e Silva, Josd P. dos Santos, Au-
gusto Toscano, Bracomo C. e 0. Beally.
Chegados dos pirtos do sul no vapor nacio-
nAl Marquez de Caxias:
B'to Jos6 dos Prazeres, Jose Alves dos San-
tos Carlota Maria do Espirito-Santo, Sebastia,
Marquez, Ramiro C. de Carvalho, Maria Candidi,
Dr. Josd Antonio de Amorim e Jose Tavares.,
Chegados dos portos do sul no vapor inglez
Tagus:
Anuibal Falcao, Bellarmino Carneiro, Maria
Carneiro Dr. Bezerra Cavalcante, Dr. Augusto de
Loyolla, Dr. Ulysses Vianna, senador L. F. de
Souza Leao, Dr. Lindolpho Ferreira, Dr. Joaquim
Nabuco. Manoel P. da Assumpcao, Peter Macken-
zi, J. do Sb., Jose, Hypolite Lath, Maria, Jose,
Jolo, Francisco, Theresa, Caridade da Silva e Dr.
Affonso Vianuna.
Sahidos para a Europa no mesmo vapor:
Dr. Jose Hygino Duarte Pereira e sua senhora,
Mr. Octawis Beathy, Mr. Hargravez, Mr. John
Howard, Jose Martinez Martinez, Josd Emilio da
Silva e Antonio de Carvalho.
Kereado liunftipal de S. oso% 0
movimento deste estabelecimento no dia 29 de
%etezabro foi o seguinte:
Estraramr para serem vendidos : 33 bois, pesan
do 4,372 kilos. .
No mesmo dia entraram pars o mesmo es-
tabelecimento:
Peixe, 215 kilos.
Parinha, milho e feij*o, 30 cargai.
Fructas diversas, 20 ditas.
Suinos, 3.
Carneiros, 3.
Precos dos dias:
Carne verde a 480, e 400 r6is o kilo.
Suino a 640 riis o kilo.
Cdrnmeiro a 1 A idem.
Farinha de 500, 400 atd 280 reis a cuia.
MIilho de 480, a 320 reis a cuia.
Feijao de 800,640 e 500rs. idea.
Foram occupados:
-38 talhos de carne verde.
12 ditos de suino.
13 ditos de fressuras.
63 compartimentos de legumes.
38 idem de fariaha e mcoidas..
Deve ter saide arreeadada neste dia a impor-
tancia de 152,700.
Ca ia de fleteneo.-Movimento dos pre-
4os no dia 29 de setembro :
Existiatm presoss 314, etaram 8, ahiram 8,
existem 314, a atber : uacionaea 274, mulheres
7, estrangeiros 18, escravos 15 -Total 314.
Arrag/ados 274, send : bons 259, doentes 15.
-Total 274
-Movimento da enfenmaria
Teve alta :
Francisco Caudido eBegirma.
Claudino Jos6 do Nainmento.
SLoteria da. prowvtcta-Hojo eroe ou-
tubro seri extrahida a loteria 75... em beneficio
a 7Sata Ca& de MWsehincdia, do Reie, .*o
bmaistorio da s vrej de Nssa Seah io A4o M iitsres, ooodese aclarko -egmoa& Or *
04SpWONAis-. 'O4Idm"I nlss fA


IM iai Justin, eraaub 2 toeins
Afogados ; entero-colitc. i '
Ma-,oot de Barros VascoaminaP Jsumaabm
23 ann4se, solteiro, S. Jo6 ; varidaulB<
Viaconde do Livranoauto, Pca lMb fls cmad
Boa-Vista.
2 pela caridade.
.... 2X--
L. FiliJipa da Cruz Wartius, PemWamos n
annos, viuv), Boa-Vista ; eqyuipel.
Jolo Manoei de Lima, PrN rac abwec 49 wa-I
e:B.. (, Santo Auttnio ; cynhoae do figado.
Rod i~ho Francisco Neves, Pertimboa, 42 *-
nos, easdoe S. Jo s; aneurisma aLmrtio.
Antonio Jo.fd Barbosa/i Peruaibuco, S4 MaM0M,
Soltoiro, S. Jose ; fbre int.ernitteate.
Manoel .F -;iuiiio das Cr a s, Peraambico, 24
annos, 4 ',t4ro, Boa-Vista ; bexigas.
Lourenu Fcrnandes de Oiiveira, 48 annos, BLa
Vista ; :t a.nia.
Joaq-;;;, Pernambuco, 8 aaaos, Boa-Vista;
anemia.
Ignea riai dai CouNei-ics, Pernambhco, 64 a2 -
nos, viuva. Bioa-Vit.a ; uleera Caerosa.
4 ptla caridade.
Soei,, S. --,_ ; br ... .. ..at





CHRONIC JUDIUIRIA

Tribuaal da ;elaq
SESSAO OKDIXARIA E.M J/, DO SETEMBRO
DE 1384
PRESIDENCIA DO EXMI. S2. CON8ELHEIRO"
QUINTINO DE MIRANDA
Secretario Dr. Vryyilo Codho.
As horas do costume presetitcs os Srs. desea-
bargadores em numero leal, fnoi aberta a esao,
depois de lida e .approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e pass Ldos 03 feitos derain-e-
seguiates


JULGAM ENTO3
[Lib eAs c-crpus
Paciente :
Francisco Gomes da SilvA.-ifaudou-ae solt,4
unaniremente.
Recursos cleitorses
De Campina Grande-lRecorrente o juio, re-
corrido Manoel buiz Cavalcante de Olieira. Re-
lator o Sr coaselheiro Araujo Jorge, Dea-se
provimeato ao recurso, unaaniraents.
D'Arcia Recorrente o ju1so, rec0rriko M-
noel Trigueiro de Pontes. Relator o Sr. doeso-
bargadr Oliveira Maciel. Deu-se proviment.
contra os votos dos Srs. conselboiro -reitas Hea-
riques e desembargador Buaiqae UiAm.
D'Areia Recorrente o juizo, reeomdo Vices-
te Pereira Lima. Relator o Sr. deeembargador
Pires Ferreira.-DLu-se pruvimnent" contra os vo-
tos dos Srs. conselh iro Fr-itas llrariqaes e des-
embargador Buarque Lima..
D'Arcia-Recorr.inte o juizo, recorrido Avelino
Quirino d,. Souza Medeiros. Relator o Sr. des-
emubargador Pires Gounalves.-Deu-sc provinme-
to contra o03 votus dos Srs. conelhetro Freitas Hea-
riques e desembargador Buarque Lima.
Recurso crime
De Bezerros Recorrente o juizo, recorride
Joaquim Correia de ifeadonga. Relator o Sr.
dosembargador Pires Goancalves. Adjuntos os
Srs. conselheiro Qaeiroz Barros e desembirgoder
SOliveira Maciel. Negon-se' provimento, unfti-
memente.
Aggravo de instrument
De Pao d'Alhlo-Aggravante Joas Praxedes, d-f
Santos Cavalcaute, -rggravados Amorim &a Ir-
ma- s. Relator o Sr. cunselheiro Araujo Jorge.
Adjuntos os "irs. deseminbargadores Busarque Lim
e Pires Goncalvcs..-Deu-se provimento, unaai-
memente.
Aggravos de petir.Io
! Dojuizo de urpnaos le Olin-a Aggri.vzwt
Jose dos Santos "atividade, aggravado o juif.
Relator o Sr. da.wInbargoAr Pires FerTeir.
Adjuntos os Srs. desembirgadores Bawqmue Li-
ma c Pires Goialves. Negom-ae provieuwt
unanimemente.
Do civel do Recife- \ggravute Fraaiw 1-i
do Carmo Ribeiro, aggravado Jeosqui Ribef dA
Gainsma. Relator o Sr. desemtfutisr Ie-Gw.-
,alvea. Adjuntos os Srs. dosemabgad& Phrs
Ferreira e Buarque Lima.-Negai-ee provriwAnt,
unanimemente..
Proro ac a de invetim
Inventariante Vaeuntiaiaao d Rego Barr...-
Coaccdeu-se o prazo de seis m-Aes..
Appellsoes crima
De Traip--Appalante Kand A&dr" Vieis
appellado Manoel lyppolito de li. FiU.. w R-
later o Sr. consdhelo Freitas Heanr% &. Oa-
firmoun-se a sentence contra os v4o4Aw Oft 0 m-
aselheiro Queiroz Burros c demiuapAw0& O
veira Maciel que reformarau em pute.
Da Escada Appllaurts Joei g .amem do
Barros e Silva e outros, app"lidX a JsIN SMo-
lator o Sr. conselheiro F'tss Uuiquss-bo
dou-se a novo jury, 1 .
De Garanhuas-ApppellsUa o jmn0 q
Antonio Pinto Carduso. Mai. o kr. -
ro Freitas Henriques.-Foi stON d a-
9a contra o voto do Sr. countliif Q..r O-
rus.
PA88AQER8
Do Sr. conselheiro Freitas HemiquWA S .
coaselheiro'Araujo Jorge :
Appelako eivtl
Do Recife-Appetlamtto u cU LAis P.rei
de Farna, appellado Aatonio da oSilv Ferrim.
Ao Sr. coaielhetro Qaciroa Barn:
AppeldiaO civel
De Cimbres-Appellaute D. Felicis Fraavim
do Nascimento, appellado o rcuador geral de ar-
phos.
Do Sr. eoaselhciro Araujo Jorge A sfr. -. -
Iheiro Queiroz Barros :
Appendb did
De Panellas Apypeilaaf F -AM
Leal, appellado Basilio Cna d ko aa.
0 Sr. conselheoro Anaujo Jwep eCmpo.-& MW
da eoroa e promoter da justia& dom sp wwN
seguintos feitos :
Appellacio mdd
De Olinda-Appeillite Ma.l Diouini Gto-
rues do Rego, appe.lados C- ui_ a iHe,
por seu curador.
Applia ix .
De Bananetrap- ABra N-
reira da Silva, appelada
Do Bnojo-Appet~~aBlsA
vcira, appellada a"lia. do
De hsrnbd-Appellamb liB"r si -
Carmo, appellada a juatu. -
Do Sm. eonselheino 8 B^
embargador kuarpue Lia:
Do C,

da Silva, appeal i
Ao Sr. desac rw


Vieira de Assajo
o Sr. &da~aai orjgfai^ Iliiiiii qmm
ton a moas pImw 5inV5

Em cue 6 deauncMog W &.


J






















Bahia da Trai-


o MariamnneFlorc
~ ~ 10 miegmegites feitos
5scrizves.,"I'
S iHante o promoter, appellado
SDe S. ento -Appellanto Pantaleio Jose de
an ddaapor Joaqmiiu Games Cavalcante
eontras o Dr. ia de direito Ude Ta tiax
(lootvista sppat ai s -
AppellamoeS etivis
3. Bom Jardim-Appellaunte Antouio 'ian-
eio de Aiuda, appellado JosA A4ttonio Pereira
deo oraes.-
De8. Miguel--Appellanto D. Sebastiana de
SJesus Cavaleante, appellada D. Thereza Emrilia
Cavalcante de Medeiros.
Appellato commercial -
Do Reeife-Appellante .Jos de Mattes Rangel,
appellado Flavio oalves Lima.
Do Cabo -Appdlante Manoel da Costa Pereira,
appellados Narciso Maia & C.
AppeiacAo crime
Do Bonito-Appellants Antonio Severino Fruc-
tuoso, appellada a justica.
DISTRIBUIVES
.Reurso crime
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira :
Do Re.ife--Reeorrente .o juizo do commercio,
recorrido Manoel Jose Pereira de Castro.
Appellagio civel
Ao Sr. desembargador Toscano Barreto :
De Iguarassi--Appellantes Jeronymo Leitao
da Costa Machado e outros, appellada D. Maria
Brilhante Pinto da Costs e outrios.
Encerrou-se a sesslo as 2 horas e 30 minutes
da tarde.


Junta Commercial da eldade do
Recife
ACTA DA SESSAO DE 25 DE SETEMBRO
DE 1884
PBRSIDENCIA DO ILLM. SR. COMMENDADOR ANTONIO
GOMES DE MIRANDA LEAL
SSecretario, Dr. Julia Guimaraes
A's 10 horas da manh, deelarou-se aberta a
s essao, estando presents os Srs. deputados, com-
mendadores Lopes Machado e Pinto, e supplentes
S Hermino de Figaeiredo e Beltralo Junior.
S Lia. Iida, foi approvada a acta da session anterior
L S!y'$" "Fez-se a leitura do seguintd
EXPEDIENTZ
-' Officios :
De 6 do corrente, da Junta dos Corretores d'es-
S ta praga, remettendo o boletim das cotag6es offi-
ciaes de 15 a 20. -Archive-se.
,Diarios officials dens. 247 a 256-Sejam archi-
v ados.
;Foram distribuidos A rubrica os seguintes li-
Diario e copiador de Jos6 Gomes de Moranes
Araujo, copiador de Francisco de Azevedo & C., e
contas correntes do agent de leil5es Francisco
Ignacio Pinto.
DESPACHOS
PetioSes:
De Francisco de Azevedo & C., pars que sp re-
S gistre a .pmeagio de seu caixeiro e se de baixa na
do ex-caixeiro Candido Jos6 da Silva Guimarles
Juuior.-Na f6rma reqtuerida.
Dq Jose Augusto dos Santos & C., para que se
registre o contrato de sociedade em commandita
quo sob dita firm eelebraram Viriato Severiano
romes de Castro e um commanditario, corn o ca-
pital e fundo em commandita de 50:00006, para a
continua*a do commercio de importasIo e venda
S por atacado do miadezas, quinquilharias e terra-
gens, send( solidario da dita firmna o socio V iriato.
Begistre-se cornm o segredo recommendido no
art. 312 do Cod. Comm
De Samuel Power Johnston & C., para que se
d4 baixa. no registry da uomeaca'o de aeu cx-cai-
xeio Manoel Joaquim do Paraiso.-DS-se a baixa
pedida. ,
De Manoel Ignacio Pessoa de Mello, de 44 an-
no0 de idade, domiciliado e estabelecido na cidade
de Goyanna, corna sua casa de commercio de assu-
car e farina de trigo, por grosso e a retalho, para
qaue s lhe passe carta de commerciante matrieu-
do. SAo attestantes do credit commercial do
impetrante, Foancisco Manoel da Silva, Carlos de
Paulu Lopes klanoel Joaquim da Costa Carva-
Ih-Como requer.
De Arthur Velloso dc Azevedo, da cidade de
Mamanguape, para que se registre a nomeacAo que
-o Ihe paasir Jo Rodolpho Velloso de Azevedo.-
Deferida.
Proferio-se o despacho-Regfttre-se-nas se-
guintes netioea soliceitando o registry de nomca-
com de caireires :
De Antonio Juvencio de Siqueira, Francisco de
Salles Teixeara, Joaquim Mamede do Nascimento,
Emilio Martins, Jose Rnfino Barbosa, Zeferino
Valente & C., Manoel Alves da Costa Lima, Bap-
S tiats & Rocha, 4uagasto Moreira da Silva, Auto-
ni Rodrigues da Costa, Pinbeiro Silva & C.,
Marcellino AmAnsberto Lspes, Jose da Silva Moraes,
Francisco Ribeiro Guimarles, France Ferreira &
C,Joaquim AnAurelano Pessoa, Augusto Cabral de
Barnos, Rocha Meirea & C., Alfredo R. .Teixeira
dos Santos, Pohlran & C., Affonso Ferreira Bal-
tar, Antonio Pedro de Souza Soares & C., Jos6
S dos Santos Oliveira, Manoel Julio de Foutes Bra-
ga & C., Joao da Rocha Senna, Antonio Guilher-
S mino dos Santos, Pinto & C., Severino Antonio da
Robha & C., Manoel Olympio Ferreira, Joaquim
Perreira Campos & '., Gomes Augusto Gayo de
Miranda & C, Andrade Lima & Irmao, Vianna
Junior & C., Lopes de'Sa ( C., Lins d'Albuquer-
qoe & C., Joao Francisco Feireira Junior, Manoel
de Araujo Guimaries e Antonio Josa de Mello e
Silva.
De Silva Fernandcs & C., par a que se registre
a nomeacAo de sea caixeiro e se d6 baixa na de
EliAsio dos Santos Lages.-Deferida.
'! De Manoel Joaquim da Rocha, para igual re-
gistro e baixa de Jose Pedro de Castro. -Na f6r-
mA requerida.
SDe Vienwte Alres Machado, por sou procurador
cumprindo o despaeho de 18 do corrente, pars que
F se registre a noinoe.$o de meu caixeiro.--Come
reqDe Luiz Ferreir de Almeida, para fim identi-
;1 ^' co.- Registre-sem depoia *de satiafeito o parecer
S De Segs o da Silva, idem.--Regis-
''" ./ti-p-se,. dopois -e wwta pba- ~ecer fiscal.'
1* Ni uhavendo m"ais"da a despachar, o Di1m. Sr.
.* cq, mmendador p encerrou a sessao 4s 11
,*.,' hoirue meia da mana.L


- 4perfbigdos-

Dr, e P prom.or puihieod,& CA
pitdal tern seu esCriptorio deadvomia, ira
do Crepo n. 18, onde pode ser preurado
para os misteres de sun a profissxo.
Dr. Seabra--Mudou seon escriptorio e3
advocaeia pars a rua do Iqperador n. P'0
Das 10 As 9 horas da tarde.
0 conselheiro Soares Brdand&, abrio soui
sscriptorio na cOrto do Imperio, A rua da
Quitanda n. 37.
Oceulsta
Dr. .Barretoa Sampaio, consutas doe 1 As
4 horas da tarde, na rua do Barao da
Victorian. 45, 2.' andar, residencia, ra
de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
Bourgard & C.
Recife: rua do Marquez do Olinda n.
16; Santo Antonio, rua Primeiro do Mar
9o u. 3; BUa-Vista, rua da Imperatriz n
54. Grande fabnca do cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos do Ha-
vana e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos para fiunantes. Livros do medici
na dosimetrica e unico deposit da fari-
nha lacea de Nestl6, para os meninos de
peito e leite condensado.
Drogaria
Francisco Manoel d, Silva & C, dppo-
eitarios do todas as especialidades pharma-
scuticas, tintas, drogas, products chimico'
e medicamentos homceopaticos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.
Botica franeeza
Rouquayrol Freres successors de A.
Cars. Neste estabelecimento encontra-se
todos os medicamentos homeopathicos da
grande e offamada casa e o Catelan. 0


granules dosimetricos de Barggrawo. As
especialidados pharmaceuticals da Euroda
e da America, dos verdadeiros autores,
drogas, products chimichos, tin'as, oleos
pinceis, vernizes. Productos especiaes da
flora brasileira e toda qualidade de funds.
Recebe sempre vaccine fresca e boa. Rua
da Cruz n. 22, Recife.



PUBLICAIOES A PEDIDO

Estatintiae dam operacn es pratica-
dam polo Dit. CARLOS BETTEN-
COURT no meua comaultorlo e na po-
Ilclinica (1) no trimestre pammado.
CircumcinAo pelo process de Saint Ger-
main, necess t ida por phimose, complicada de ba-
lano-poohitc. Fez-se a anesthesia local pelo ether
e apparelhou de Richardson.-CuiAno.
Ablaeao de ganglioma da regi.o epitrochlea-
na do braVo esquerdo. 0 tumor achava-so niulce-
rado tornando-se nccessario fazer incisSes tllipti-
cas para so obtcr a reuuito pritnitiva--CUaADo.
Electrolyme-Estrcitainento da urethra na
por<-ao minembranosa operado por este novo proces-
so sew. dor newo hemorrhagia. Sessailo de gailvano
caustica de 4 minutes e passage da Jawina iio
cortante do patina do electrolysador do Dr. Jar-
din (de.Paris).-CuG.uo.
Operacao important e.-Ala/o d umn
grande canero scirrhoso (carcinoma) da glandula
mamaria. Fez-se a amnputa.ao do seio corn minci-
sSes em parabola pelo process de Alqui6, empre-
go da forcipressura segundo os preceitos de Per-
neuil, ligadura das arteries mamarias e thoraxicas
polo catgat, A operaeao foi praticada pelo me-
thodo antiseptico de Lister emi meio do atmosphe-
ra phenicada, drainage pelos tubos de Chassaig-
nac e sutura-mixta ptolo fio metaltico e seda phe.
nicada (profiunda u superficial). CURADA.
Galwvano-cauntIca etimlea.-Estreita-
mento da urethra, operado pela electrolyse, na por-
gao membranosa. Sessao de 5 minutes sem dor.
-CURADO.
Este doente havia side operado polo system an-
tigo.


Electrolyte.--Extirpagdo de um grande
polytho extra-uterino, implantado no lade esquer-
do do orificio externo do utero, datando de 5 annos
corn procedencia na vagina e dando lugar a he-
morrhagias' frequentes e abundantes. Esta nova
operacao foi praticada pela electrolyse por um
novo process do Dr. Bettencourt com urim instru-
mento da sua invenile. A operacio foi praticada
sem dor, semr hemorrhagic e tem auxilio do chlo-
roformio.-CURADA.

Paraeenteme abdominal praticada na
linha dc eleicao de Monro c Boyer polo aspirador
de Dieulafoy, estabelecendo-se o syphioeo e dando
sahida a 10 litres de liquid ascitico. A operacao
foi ridlamada pela perturbasio das funcSoes car-
diaeas e pulmonares, tendo per causa uina scirrho-
se atrophixa do figado.
Convnm notar que esata operacao e palliative.
visto come a ascite 6 um symptoms. -NAo cu-
BLADO.

Punceao a trocater. da tunica vaginal,
necessitado por hydrocele, e injecclo iodada.-
CUBA RADICAL.
Eleetrolyse.-Dilataqlo do estreitameuto
da urethra da porao membranosa pela eleetrici-.
dade em sessao de 3 minute s pelo novo process
de Jardin.-CunAo.
Hernia jnguinal estrangulada. -
Reduceio pela taxis manual, praticada em session
de 20 minutos.-CuxADo.
Ablacwio.-De um kisto sebaceo da region
temporal esquerda, polo bistuari e suture phonicas-
da com apphcaqlo de apparelho bisteriano.-Cu-


,PuMane4 a -tiocater---Em hydroeele da
tumica vaginal d6 t"eiouo direito, pelo process
do MaWsojavaeuv, par& obter a,eurs Mradical qomi
extraceo de 40 centilitros do liquido citrino.
CUOADO.
mstrettamunto. da urethra.-Opera-
dos ptla olectrolyse se m dor em ihemorragia. 0
primeiro doente contava 62 annos e o segundo 70.
Sessio de S minutes n'ium e d,10 miuatos nonou-
tro.-CuaAwo.
Electrolyse.--Dilataqo le- estreitam~nto.
da urethra da porcgo peniana e per ineo-brilbar
Sessio de 9 minnutos.-CBmDO.. ,
Inclaeo nmedlana de grande abcesso 'uri-
nose miib-aponevrotico da regilo perineal, ipeld
processo de Gayon, com fixaqgo de tube de draina-
ge pela eontra-abertura no vertice, em mei deo
atmospheria phenicada, funccianaudo o poiveslr
dor de Lucas Championrii6re. Pratica-se a anes-
thesis local. (Hospital Portuguez)..- -E CmBA,-
TIVO.
Estes abcessos levam dous a tres mezes a cicatri-
sar.
Vide Anna'le des melodies des organes G-
urinaires, de junho de 1884, pag. 346. .
Bydrocele.-Punccao a trocater da tutica
vaginal, pelo process de Maisonneuve, afim d6 ob-
ter a cura radical, sem injecqa'o.-Ex. cuaAuvo.
Vide a GAZETILRA do Jormal do Recife uni.-
120, 121, 124, 128, 132, 133, 136, 139,- 141, 471
143, 148, 155, 156, 157, 160, 164, 165, 110, 176,
181, 186, 189, 190, 196, 203, 208, 214 e 224.
Esta estatistica S bastante eloquente, poisa em 30 operagoes praticadas nao houve nenhum ,ca-
se de mraorte, attribuidsa ao traumatismo operatnro
u1 a sua intervenuao. Cremos ser isto devido sao
emprcgo do curativeo de Lister, que sempre isa-
mos ate na opcracao mais insignificante.
Recife, 30 de setembro de 1884.
Dr. Carlos Bettenouitrt.-
34-RUA DO MARQUEZ Dir OLINDA-3-

A Um patriots Po Diaeio die
Pernambueo
Nao posso emprehender dar resposta a
quantos artigos anonymous forem-dirigitos
contra mim. Admira-me entretanto que Bo
nmece tao cede a mesma campanha do eif-
fa eacao corn que em 1871 fui recebl5
em Pernambuco. A calumnia, porem, dA
que fui ou sou subvencionado pelo Thesou
ro fere-mo no que tenho do mais sensivfl:
a integridade immaculada da minha carrei-
ra political, o por isso os quo rue conhlec:m
desculpar-me-hAo contal a. Eu naDo u
da massa do que se fazem siuivencionados
do Thesouro. Em mim niao ha ponto al-
gum mercenario.
Joaquiin. Nabuco.


Minlsterlo da Guerra.
Por decreto de 12 agosto ultim9 foi no-
weado capellio-tenente do corpo eccleias-
tico do exercito, o padre Vicente Ferreira
Lustosa Lima, o qual, foi logo proposto
por monsenhor Seraphim, capellao-m&" do
dito corpo, para secretario, e em cujajser-
veutia no dia 29 do mesmo iA se achava
em exercicio. : '
0 novo nomeado 6 naturaI da r6
vincia da Parahyba do Norte, ,C e
1ho legitimo do a!feres Manoel Franeisii-
de Lima e D. Isabel Maria da Ressurrei-
9ao Lustosa.
0 padre Vicente fez no Scminario de
Olinda o seu curso d.e preparatorios, e o
do theologia moral, dogmatica e o de di
veito canonico, pelos annos do 1863 a
1867.
Tendo naseido a 19 de i ulho do 1847 niAo
tinha ainda a idade canonica para receber
ordens sacras no fim daquelle tirocinio ; e
por isto s6mente em 1870 precedendo de.
missorias do vigario capitulaa de Olinda,
pode receber todas as ordens sacras. no
Seminario do Maranhio.
Fez sempre optimal figure nas aulas in-
feriores e superiores, dando sempxo as
mais lisongeiras espersngas pela sua habi
lidade e alta penetragao intelkcOuat.
Dedicado a tribunal sagrada oxhibio
Ssempre superior a toda a expectativa; '
sim na cidade de S. Jos6 de Mipibi, pro
vincia do Rio-OGrande do Norte, onde fe,
sua primneira residencia depois de ordena-.
do, como na cidade do Natal, na ecjrte d
imperio, e outras cidades importaates.

C 01OER0.CIO


PraVa do Recife, 30 de setern-
ikro de ISS4
As trees horas da tarde
Cotacoes officiacu
NSo houve cotaglo.
A. M. de Amorim JJnior,
Pelo president -
P. J. Pinto, 4
Pelo secretario. -

RENDIMENTOS PUBLICOS
Mez de s tembro do 1884
LPA-DBGA=-JAUI 1 a 29 751:147A124
Idem de 30 24:072A35(1
---- ..... 4.
775:219A5!
tL Idem de 30 2:085A


..ito profeo puNieo ve -
S doe c4i" as de 9ati* e frane, 1 da
ado ede S. Jos6de Mip*bi' a onde exert
deu o magisterio corn toda a proficienecia
`at o anno do 1882, quaado retirou-se
)para a c6rte do imperio, onde presente-
mente- estA send aproveitado. o sou talon-
to, e os soCus services.
Setembro de 1884.

Arsenal de Iarleha
0 abaixo assignado," ex-director das
construce6 navaes do Arsenal de Mari-
nia, declara que 6 apocripho. annuncio
que, sob. a epigraphe acima, fbi, em seu
nome, publicado neste Diario, de hoje.
0 abaixo assignado entendeu.-se corn os
seus credores. e estes convieram em ser-
lhes pages os seus credits no Rio de Ja-
neiro. Depois disso nao podia mudar de
resoluggo, porque subsistem as mesmas
razzes que teve para o dito acoordo.
Faz esta declaragao para evitar juizos
temerarioe, e desfazer o embuste do seu
.offcioso Amigoo.
Recife, 30 de setembro de 1884.
Jose Maria Pereira Santos.

Os amigos do Sr. JestEarlamo,
O- nosso lEasaaiello

I

Tantos quo foram (e eu entire elles) e
tij poucos que se contain hoje.
Ai.. ai!...
Sic transeat gloria mundi I...
Cadsa um o deixou por umr motive, e
muitos pon mais ainda.
Deixeio-o logo em principio de suas glo-
rias, por que, vindo elle A minh&. casa e,
grato por-pequenos services que etu presta-
va a sua candidatura, offereceu-me outros
semelhantes services que, no seu dizer, jd
os fazia; e, em vez disto, tirava-me votes
dos eleitones corn qtlm podia, para o Sr.
Ulpiavo Catanho.
Arguindo-o em frente do theatre, onde
elle foi corn sua claque para patear-me,
a, pretexto de me ir coadj uvar, negou que
tal tivesse feito ; confessou-o por6rn logo,
quando eu. disse-lhe que ali preesnte esta-
va eleitor coai quem elle praticara assim,
acrescentando em defeza que tirava-mo os
votes deste modo para na occasilo da clei
VAo dal-os a quem fosse de seo agrado.
Setembro 1884.
Affono d'Albuquerque MeUllo.

--Os abaixo assigaados estao de perfeito ac-
cordo entire si com referencia a attitude, que coinom
eleitores-devem tomar na eleielo que se vai pro
ceder no 1.o de dezembro do correnute anno, para
deputadoIs t Assemblea Geral; o proeedimento de
um serA de todos sem descrepanei : porquanto
semolhante accord tern seu fundarmento na dig-
mnidade dos mesmes assignados, couao dirno emi tem-
po sendo precise.
Comarea de Nazareth, 10 de setembro de 1884.
rAntonio Barbosa de Aratjo Pereia. .
Joais D~s Coutinho de Akaujo Pbreir.s.
Joaquim Antonio Coutinho de Awaujo 'Pereira.
;Joao Barbosa da Silva Coutinho.
Gervasio Paulino Lopes Lima.
Antonio RibeirA de Vasceneellos Amorim.
Domiagos Ramos de Vascoueellos.
Luiz Ignacio Seabra de.Andradc Lima.
Ios4 Francisco de Andrade Lima.
'J0o5e Carlos de Araujo Pessoa.
Joio Alves de Araujo Pereira.
Feliciano Gomes de Abreu Vasconecllos.
Lizi Ignaciio Ramos de Andrade Lima.
Josi Ignacio Seabra Andrade Lima.
Jos6 Gomes de Andrade Lima
Antonio Manoel de Souza.
Antonio Barbosa de Arauj, Pereira.
Matoel Pedro de Oliveira Mello.
Joaquim Dias Ribeiro Borba.
Candido Goncalves Guerra.
Veriasimo Nunes de Souea.
Felismino Barbosa Cordeis.
Francisco Xtsvier de Moraes routinho.
Antouiea Gmes de Andrade VasconceUos.
Minervino de Barros Lobe.
Josquim Alves Camello de Araujo Pereira.
Henrique Pe-tir.a de Lncena.
Luiz Ignacio de Andrade.
Joaqunim Goncalves do Oliveira Silva.
Suanel Eramciseo Bemerra de Mello.
rancisco Gomes de Abreu e Vaseoncellos."
Antonio G meh de Yaseoncellos.


Jo.o Joaquira de Moraes.
Ar, mio Pereira (lt Moraes.
Antb)iio Guomea da Cunha Pedrosa.
JoAio Ignacio Peosoa de Aranio.


IVapor nacional Marquez de ax,'w, entr.ao tiu,
pyrtos do sul, no dia 28 d& corrente e consignado
a D. Alves Matheus, manifesto:
Alcatrao 16 barrios a Beltrao & Costa. Azeite 10
volumes a Ferreira Rocha & C DVto de peixe "-0
barris a ordem. Assucar 44 saccoa a Pereira
Carneiro & C.
Couros seccos salgados 319 aos mesmas. Cor-
das de piassava 250 a Luiz Ferreira de Almeida.
Oleo56 latas a Domningos Torres & Carnoiro. .
Piassava 55 molhos a Boltrao & Costa. Pellos
15 amarrados aI ordem.
*Tamanos 6 fardos a AlImeida Machado & C., 1
a JoAo B. dos Santos.
Barca iugleza Mary Evans, entrada de Liver-
pool, mo die. 29 do corrente e consignado a Wilson
Sons :& C., mahifestou :
.Carvio do pedra 412 toaeladas e 6 quintaes aos
consignatarios.


A ^0 de, s Ad vedo Lins.,
Jo6'Xavifws ,d& C~A Qonmios.
ElTiogavares deMendonea P.gas.
TheoioBezerra de Arjo.Pugas
Manoel Mendes Bezerta de Oliveira Lacerda.
Manoel Gpme de AraajaPereira.
Antonio Jorg6 Perera 0uerrar
Mdanoel Ferreira do Souza Azevodo.
Antonio'-Vieente da Costa.
Firmino Bezerra de Andrade.
Antonio Pinheiro de Moura Filho.
Domingos Perreira de Souza Azevedo.
Prinmo Feliciano Lopes Coutinho.
Ursulino Francisco de Paula.
Antonio Aureliano Lopes Coutinho.
Doningos de Abreu Araujo Vasconcellos.
Antonio Vicente da Costa Azevedo.
As firmas estao devidamente reconhecidas p rlo
tabelli.o public Orlando Miquelino de Almneida.

Agricullura
Industrial saeharina
Do Sugar Cane, periodic dedicado a esta in-
dastria traduzifios o seguinte:
a 0 Board of Trade (junta do commer-io) renet-
tea A West India Committee uma extedsa cartasem
resposta A que recebera em data de 24 de j ulho.
Nella diz que crises em negocios especiaes e rela-
tivamente i. materials primas, nao sao raras; e que
a baixa actual nos pregos do assucar 6 principal-
mente devida As eonifica95es: que na Allemanha
chegam a 3 schillings coot (540 reis de nossa moe-
por cada arroba de 15 kilos) -mins que a baixa
sendo do 5 schillings, absorve aquella, e causa ainm-
da um prejuizo de 2 ou 3 o/o.
,, Segundo o Vienna.f Mark bericht, 14 fabrican-
teirde assucar na Bohemia dirigiram urna circu-
lar aos cultivadores, que Ihes forneciam betterava
prevenindo-os d- que nao os receberiam d'ora
avante, senao cornm urma reducao de 20 kresexs
(dous mil ri-s de nossa moeda) por quintal metri-
co (100 kilos).
o Si, por6m, seus balances mostrarem umn lucro
de mais do 6 -"/o sobre o capital, elles dividirao o
excedente com os cultivadores; nao pag-and.,-lhes
em caso algum mais do que o prega do contrtto
original. Julga-se por isso que urnia reducqio sna
simenteiras de 1885 6 inevitavel.
0 Deutsch Isacker-indistrie discutindo o as-
sumpto, aconselha aos cultivadores allem'es a fa-I
zerrn concessSes. Diz quo seria melhor for-
necer as raizes neste anno srcm lucro ou at6 corn
prejuizo, do que arruinar a manutactura talvez
para sempre. Corn os precos-actuaes uao ha meioi
de segpirar a existencia desta rIauufactura CI
qualquer paiz. A questiio agora 6 do pruloiugar
a existencia do trahalho. Para este fim os culti
vadores devem submetter-se 61 neeessidade de uIna
re-lue.ao de preco: 6 umn sacrificio teiporario que
teemi de fazer, par& nao perderern a posi-ao qu(
eouquistaram no mreado. ,.
Bella trieoria! Porinm am.argo reminedio.
Ainda acerescenta:
a Os embaracos dos cultivaacores do assucar na
Austria, diz o Times, sao o natural resultado do
systemna de borrificaSes, que tanto estunularam
esta industrial em dito paiz. Este systems tern
por muitos annos dado urn estimulo artificial, qua
continuando a operar tornoU-o de nenhuina van
tagem em consequiiencia dos baixos pros quie v
superabundancia causou. 0 estado actual desta
industrial 6 a melhor prova da sensatez do axioina
,io profundo Stuart Mill.
S Os governors poim deeidir como as lois de-
yam ser; mas nabo wodem determinar como ellas
operaramrn em seus resultados. ,
SLieciao approveitavel!


Ferrovia dol Recife ao Limoeiro
XI
A folhlia da conservaoIo desta estrada de ferro
reference ao mez de Janeiro de 1883 prova bern at6l
onde hio chegado as ladroices inglez-1s da firmsna
Janson, Conolly & C. toda4s referendadas pelo en-
genheiro fiscal, qie na celebre empress subven-,
.cionada tern a incumbencia official de velar os din-
heiros publicos.
Aquolla gentle costume fazer um simulacro de
balancete semestral de despezas. Da accord corn
tal habito, fiseram os dous do anne de 1883 s5 re-
conhecendo nos seus exambs dos seis primeiros
mezes do corrente anno que na folha de janeiro do
do anna anterior haviam differcncas tao escanda-
losas que corn o correr dos tempos poderiam acar-
retar-lhes graves embaracos.
Iss1 por urna part e a necessidade de darem sa-
hida a. mais dinheiro ainda par outra levou-os ,.
substituirem a folha antiga archivada, o que fize-
ram em junho do correute .-'11n, scm o menor em-
barano encoutrarem, mesmo porque, de tudo :a von-
tade disponde, s6 a conscience oas poderia emba-
radar no caso, consciencia nao podem tero s que
nos entro tao viltnnte roubando poer meio de rope-
tidas e sempre felizes .experieneias -in arnma evlis.
Os balancetes davam (e amnda dilo) grades diffe-
nenpas, porque a honesta gento, desbridada, nto
sabe a quantas-anda. Emjunho do corronte anna
as cousas haviam chegado a. um estado tal que me-
didas energicas julgaram indispensavel tomar, co-
meeando pela folha de janeiro de 1883, e prolon-
gando takes medidas atS o escandaloso deficit de


16 coantos no mez de julho ultimo, mez em que jA
nao quizeram especificar despezas por trazerem pro-
va do que no anter-ior tinham roubado, s6 na con-
svrwvaAo 7:099j150.
Na folha da oonserva.ao do mez de janeiro de
1883. archiwada e substituida por outra alterada
18 mezes dois nao havia verbal de dormnentes mas
na ultimi-tfiguram 288 cornm o custo de 316>2:40, o
que d p 1.at ui i valor igual a 14202 valor imWpos-
sivel p)'.rq oi nagitem oeude dor'nentes coai fraceoes
de reis. Isso, s u qualifica capacidade doas sal-


Vapor tnglez i.ity cf Exeter, entrado de Antuer-
pia, no dia 27 (i)o corronte c consigaaldo a Wilson
Sons & C., inaiifestouI:
arvao do pedra 1SG( tonelada.s ordem.
Papel 10 caixas a (jGromes de Mattos Irmao, 1 a
Joao W. do Medeiros, 1 a G. Laport & C., 3 e 43
fardos a Rodrigues do Faria & C., 3 o 149 a Al-
mcida Machado & C.. Ponte de ferro 1 ao enge-
nheiro do prolngamento da estrada de ferro do
Recife ao S. Francisco.
Lugar norueguense Polly, entrado de Liverpool,
no dia 27 do corrente e'consignado a Wilson Sons
S C., manitestou :
Carvao de pedra 576 toneladas aos cnsigna-
tarios.
Hiate national D. fulia, entrado de Mossor6, no
dia 27 do corrente e consignado A ordem, nrani
feston :
Algodao 425 saccas.
Sal 200 alqueires i ordem.


trgat M ,iio~e "0 por ieow -hbdr"a b-
drocira dos 288 dorawtw o h'M &dS
mez dejaneiro o er* de, 2A. O L
Sabemos que ha mito tiwp, dae
prensa eomionm apontar e i p&hnw r pit.-
candalosos da compauhia da ferro-vm
ao Limoeiro, a gene da firm so;al que o
previne-se por todos os modos :_Mq--vei; No-u
hio As pressas feito transporter emT oaMbtivW -
livros do almoxarifado para a esutqco do Bme;-
,que ali ogrando cnselho haestado em sw -
imanente, trabalhando em dias iiateia, a noie
mesmo, quando, entretanto 'ridicalameate qurm
appareutar indefferentism) perante opublio., qa
os julga em falta de outro tribunal, par oa s
'nenos sabemos bem quo tolas as relates, qua
todos os compadrcscos, que todlo s s m -turjos d
gentoe que sa nao preiea ho siAi,) empregados ; qu
a baixa intriga segrcaando miseries a a nn ea-
colhida pelos crimirnoi p.tra de-fcndlerem-se dw
min'i graves accusaees(i que jamais p0sara1n .-obre
umn;t companhia subvcncionada pelo Eatado. Nio
import, porern, cora. perfteita coneciencia, Abn -
que dizemos, ire-mos em no..,) c aunho, exyido aso
public as gangrentilas chagas que cuhremin em
gene, sem f6, sem lei,-.cm principios, pars a qial
o Deus e o dinheiro, per qualqueri meio adquindo.
Qua import qoe aubstituam livros de despeis
e receitas, nunca pelo engenheiro fiscal vistas,. quo
os arraftgem de modo A polereinm defender-a que
Fiscal incorrend em. crime de peculate, os ruli-
que as pressas ? Nada disso os itnoceataria pe-
raute o tribunaes, porque a luz da verdadb ha de
espancar as trovas da mentira e do embuste, por
que contra proves materials nasli poderiam art-
cular coin vantagem. porquc as modificaQo 'do sy-
tema adoptato nem por isso trariari a maxima re-
galaridade na viagein pelo novo caminho em qu
entram.
izemin, que interrgado o gerente official daU Li-
motiro por motive do orcamento apresentado ma
timipronsa relative ;is doespezas da ciuservaco de
sina estrada no mez deljunhio ultirn no qual enc.-
travami, pmlos pro-jrios l'tdos oflieiaes, urn iadroeira
toe :0941.t50, respnidrrai depois de- eerta heaita-
,w), a i:npertineit.. interpill;ao---aQue nemne am-
pre os algarisiui*s tihwan eloquencia acabraunha-
!Iot., corMno ,) C'--L-;iL"l-ilc na verbs consfer.'rao
su;L'.cStr-ulda haiviatn desp-zas qpv- ni podiia
.,'r specjio-rm.
Si o ftcuto fur verJLdeiro, com ino juganos, e me
A ttender-se ao; ''.latw'n. da. d.ierrmo, encontrada
t7:0994 150lJ aresposta traduz pcrfeiiainent- a po-
si(;o d'tssa uaute c o cylnisin, que a distinguc
se: apre.
L o que dir"a i isso o illustre eng-enhteiro fisll
da Lirnoiro '.. -.
Tomemonas nota da esclarecrdra r-sposta, ji qua
,)itira no tmnos, por screm as accusAcq s do e.
nado, da AssemWl,& Provincial e da impreasa t9d"
trtieuladas por an aynmo e despeita.s-
Eutretant fazendio ao publicoa a revelaiio quo
se o\u na primenira part destas lintiams temos ew
vistas tambein preveuir ao dedical aminigo dos in-
Alezes da Limoeiro, aqaelle qp Iera d flrma so-
eial oat, am carta. partictdares, que 4 intiidade
lhm sao diriqidas p tra assim mnostrar at6 eonde che-
ga a subserviencia de va brasileiro deslocado, te-
rn,)s ttmboin em vistas previnil-o para qae veja
corn os inglezes que geito poderi dwr-se A ladrodir
dos 288 dormnentes da segunda folha do mez de ja-
.eir) do 1883, que substituio a prinmeira arcki'w-
da 18. nwzes aides e na qual sahida alguma ha-
viam, dado setoelhant matet-rial.
Furtam sempre, erb tudo; ha certas verbs,
porem em que o neg,)cio mais se avoluma, maiorkm
lucros deixando. Os dormentes da c'w.zirva9S
.ao um grrnde negocio para a firma soc%*al Janawm
C0nolly & C. EUes c o mais dao cnn seanelaalnt
fiscal, para tudo paracompanhia e rcoresentante,
vindos do Soldio. Compram dormncntes pr tod&
o proo e at6 os da e'trada p r pr 9 det rfm&ade.
Figuram-os per preqos maiorcs .le 24i4M0, unma
vezes a 1A600 outras vezes, a 16400 c fiialmente
emproitamin-os por jaato, vindo nas contas sdiir
cada uin 1 -22 '2!
Van Ufl.
(Contiwi. )


Sr. UdRoctlor
Tendo eu lid.) nat Revista Diarna do Diainede
Periambuixi uman noticia sobre o cholera uo Pari
e nao iendo a apiniiao de meu pai, que fot pedids
pelo Diario do Gram Pard, na correspondeme.i
traascripta, por isso peco a V. S. o obsoquia de pu-
blicar a declaraeao de mea psi feita no wieo do
Belem de 17 do corrente, sobre o cholera eptucwd.
co diagnaticado pelo Dr. Uchoa de aatque deal-
caolismo agads e poles Dra. Souza Castro e Go-
dinho do choleriM. Assim priced. pars que ua
se pense que fugiu meu pai da questac.
Recife, 30 de setembro de 1884.
Liberato Catro.
i Sr. reda',tor.-Lendo o Diario do Gram Pa'ei
de hoje, deparei na hro'nica Dwiar eoma u at-
tigo sob o titulo-Paaico .obre o c -me quo
se relate o sesta do falledmento do uMIea
de nome Carlota Maria d Car.,. u s dii ter ma
passado umn attestado em que dedaooto' a .awte
sido causada pelo cholera simplemate Wan em m-
cioaar, se o ease foi de cholera atico, Om cholefe
nostra, oH sporadico. Nio 6 isto exat. 0 atte
tado de clara axpressamente ckoers qor b'c.


Agora you referir as ecumstanci dedefacto.
Fui chamado as 8 horna da noe do 14 docorren-
to, pasa ir ver essa mulher i beame dasa Give-
ta proximo A rua do Riachueloh,* Il egaimo en-
contrei na easa muita gentle. e a doente deiada
em urma rede em completeo ealo de algidez :erI,
faUando bastante,-. cor coinhecendo as pl.soas. quet a vveanam, wm pdoiw
inteirantentte, coin /,'raide auciedade as respi.ro".
os ollOs e eovados, c a physiowraa hyppocratai,
Disserain-inme, que luavia aAlocido, i 4 diaL-
que nito tinha diarr4a al 4m t-que samwntc ,'-
M 3OVIENETI DO PORTO

-Vrw.o eCuts-a do 0ao .o di
Liverpool e eo4cala-19 dias, vapor inglez
Pafagonia, de 1791 toneladas, comma.-
dante James Berr, equipagem 71, carg
various generous a Wilsob Sons & C.
Sahskdos no inesmo dik
Buenos-Ayres per escala-Vapor ing"ea
Patagania, commandant Jmes Berr,
caga various generous.
Para-Vapor inglez Norsemanum, comman-
dante Lacy, carga apparelhos tegra-
picos.
Rio Formoso e Tamandare--Vapor m'nao-
nal Giquid, commandantse Mafra, carga
varies generous.
West ladies-Lfigar inglez Ui*e., 6apitl
James Shelkel, em lastro.
ObservaC&a
Fundeou no Lamaro umia escnaingia
que nao communicou cum a terra.

















fl j uaa hera daw
isiise(o a ttait4 sew
SPtaeo atteata'do


-fl, snitrame, que digaun se a eata
!paiimet clerisna, so en d-viria
SI8-9-t884.- eu respcitador.-Dr.
&Iv f,1na Castm.,,


dunga sea
iuontir.
FralvdHaco


^ j advigadb Jolo Teixeira, procurador S Fei-
' :* s Faspoda Provincial, mudou o seu escripto-
j a )rk'par rua do Imperador a. 42, 10 andar, onde
if r'jerpOrocurado para os misteres do sun pro-
:: "if",o, daalO0 loras da manIh 4as 2 da tarde.
A yAveLibertas


S Do ordem -da Exmn. Smra. president convido
Sas Sras. Socias par. assistirem a sessao ordina-
ria desta sociedade, u. quarta-teira, 1.' de outu-
bro, em su. dc, a rua Larga do Rosario n. 22,
S 2.0 andar.
Recife, 27 de setembro de 1884..,
A 1." secretaja,
I Odila Pompilki.


Bacharel Gepeino Ferreira de
Lemos Rabello
Emnilia Francisca do Lemuios o seus fi-
Ihos, ainda sob a terrivel pressio da dor
quo os gclpeou ano rLcebercem a noticia do
passamento, ua eorte, dio scu estremecifio
fillho e irinto, Goreino Rabello, nAo poden-
do pessnalmentc agradecer a todos 03 que
foraim solicits ein acompanhal-os emi sua
jasta dor, ja animando-os e confortando-os
c)m palavras de auisade, e jA assistindo
aos suffragios quo na inmatriz desta cidade
forarn celebrados, prevalecem se desto meio
para dar public testeinunho do reconhe-
cimeonto que, gratamente, a tdos tribu-
-tam.
Nomeadamente agradecem ao Ilinmo Sr.
major Jos6 Carneiro, da M. Silveira e sua
Exma. familiar, e aos Ilims. Srs. Joss Ze-
ferino do Espirito Santo, Jocc Maria do
Souza Delgado e Revd Viganio Jos9 Ru-
fino Gcmes Pacheco, as multiplas provas
de amisade que Ihes term em todas epocas
-dispensado, corn a maior dodicaa-o.
A todos, pois, a nossa gratidao.
Cidade do Espirito Santo, do Pao
d'Alho, 28 de setembro de 1884.


.... 0 mundo march
Foi hoje corn grande pompa installado o
Club Abolicionista de Palmares, e a idea
tao bemrn aceita, que foram, na mesma sos-
? so, declarados livres quasi todas aspriinei-
Spaes ruas da cidade, a saber: rua da Au-
rota, Bomrn Destino, T6cos, Rodagem, Fogo,
UrubA, Catharro, Catuca do Joao Bairao e
flha do Rato!!
E digam os escravocratas quo a id6a
.- nao ciaminha ?
hUm aboliconista.



Aerelta Penna fIerreira da Silva
6.. anniversario
QUINTA-FEIRA 2 DE OUTUBRO DE 1884

-... ._.-"'-'..-.-.-'.-.--.-.._-.-...'


SEDITAES

Edital n. 3
De ordem do IUm. Sr. Dr. inspector faco publi-
to, que no dia 2-de outubro proximo vindouro ira
A praga, Ormate ajunta deste Thesouro, o impos-
to do dizuno de gado vaccum, cavallar e muar,
de que tracta o 48 da lei do or9amento vigente,
sbrvindo de base para a mesma arrematacao por
S munieipios as imiportencias abaixo mencionadas e
correspondents a um anno, e tendo-se de addicio-
!uar aimportancia da arremata*ao ado impostor
additional de 5 0)0.
*, Outrosim, o serviVo de que se tracts a6 por ternm-
-po de tree annos, ficando porem salvo A fazenda o
direito de resciodir sem indemnisagio alguma o
contract sea AAsemblsa Provincial, autes de
S findar o prazo da arremataco, eliminar da recei-
S ta provincial eiimposto em questao.
S Os arrematantes deverao prestar fiana do va-
lor total das arrematacoes que fizerem; e para
habilitacao A licitaao, deverao os coneurrentes
fazel-o na sessao da junta do dia. 25 de setembro
proximo.
Umoeiro e Taquaretinga 261A000
Bonito e Panellas 3835000
Caruara 3:0815000
S. Bento 3:840;9000
Bezerros e GrvvatA 837000
Bom Conselho e Aguas Bellas 5:146A000
Brejo 3:715000
Bom Jardim 8175000
Cilnbres e Alag6a de Baixo 3:308M000
Buiquee Pedra 1:570500
Flores de Ingazeira 2:2205000
Villa Bela e Triumpho 264000
Boa-Vista e Petrolina 264000
Cabrob6 e Salgueiro 2644000
Ouricury, Granito e Exr 2644000
TacaratA e Floresta 500W000
Garanhuns 4:238$000


31:1725000
21 de agos-


4.0

mo, se.do a. a i q'._
ea"s ca da unira l l
meni diary. sob -pxna 4 ". .revelia m
todos oa tarme da oaest "
E pars eonstar mand ps War o present edital
qae serA iublicado pela imprensa e affixado no
lugair do costume.
Dado e paissado nests cidade de Olnhda, aos 16
de sectembro de 1884.
Eu, Joao Theodomiro da Costa Monteiro, escri-
vao, o escrevi.
H. S. Tavarcs de Vasconcdloa.


2 ,a Sec.iio. Secretaria da Presidencia de Per-
nambuco, 30 do setembro de 1884.-Por esta Se-
cretarta se taz public de conformidade corn o dis-
posto no art. 11 do deereto n. 817 de 30 do ages-
to de 1851, o edital abaixo transcript pondo em
concurs corn o praso de 60 dias os officios do par.
tidor c de partidor e contador do term de Afoga-
dos de Ingazeira.
0 secrctario.
Joao Augusto de Albuquerqmc Maranhdo.
0 Dr. Argemiro Martiniano da Cuuha Galvo,
juiz municipal e de orphAos dos terms reunidos
tido Atoados de Ingazeira e S. Jose do Egypto.
comarca de Ingazeira, proving ia de Pernambu-
co, por S. M. Imperial o Sr. D. Pedro 11, a.quem
D)ous guard, etc.
Paco saber aos que o present e dital virem, que
so achando vagos os officios de justiqa, de parti-
dor, e partidor e contador d'este term de Afoga-
dos ae Ingazcira, puz eim concurso os ditos officios
para sea provimcnto vitalicio corn o praso de 60
dias, qua cowegarao a correr dvsta data em dian.
to. Estes officios foram creados pela lei provin-
cial n. 304 de 29 de miol de 1867 que assim esta-
tuio:
c Ficam crea'los ein todos os terms da provin-
cia dois lugares-de ,artidores um dos quaes accu-
muliara as funcqes de distribuidor nos termos em
que houver distribuies e o aoutro do. contador,
salvo o dircito adquerido pelos actuaes proprieta-
rios. "
Accumu.ando porlei o-eidadgo Miguelde Quei-
roz Amaral, os otfficios de 1 e 20 tabelliao c minais
annexo, uao ha no termo distribuiqlo, pelo que urn
dos lugares ora postos em concurso 6 de pai tidor
s6mente.
Os pretendentes, pois, dcverao apresentar Ai es-
te juizo no referido praso suas petiVoes instruidas
na f6riaiA do art. 14 10 do decreto n. 817 de 30
de agosto de 1851 combinado corn o art. 30 do
deereto n. 4,668 de 5 de janeiro de 1871 e 11 do
deereto n. 8,276 de 15 de outubro do 1 i81 c 8,526
de 13 de maio de 1882 e aviso do Ministerio da
Justiqa de 29 de julho ultimo.
E para que chegue a noticia a todos, mandei
passar o present, que sera affixado no lugar do
costume e remettido copia ao Exm. Sr. president
da provincia para mandar publicar pela imprensa
da capital.
Dado e passado n'csta villa de Afogados de In-
gazeira aos 5 de setembro de 1884.
Eu Miguel de Queiroz Amaral, escrivao o ea-
crevi.-Argeniro Mrtinianw da Cruz Galvao.
Esta conform, subserevi e assigno.
S0 escrivao,
Mlqud de Qteiroz Amaral.


0 cidadio Antonio Samicu de Lyra e Mollo, juiz
de paz do 2i anno, presiden'e dajunta parochial
do alistamento do exercito e armada desta fre-
guezia de S. Jos6 do Recite, em virtue da
lei, etc.
Faz saber sos que o present edital lerem, que
tend a junta parochial concluido hoje os traba-
Ihos de sua segunda reuniao, nenhuma alterasclo
fez no alistamento publicado, e que na f6rma do
art. 24 do regulamento approvado polo deereto n.
5,881 de 27 de fevereiro do 1875, tudo remette ao
Exm. Sr. Dr. Joaquim da Costa Ribeiro, juiz de
direito da comarca e president da junta revisora,
perante a qua] devem os interessados comparecer
para allegarem o seu direito e usarem do recurso
que a lei faeulta.
E para que chegue ao conhecimento de todos os
interessados, mandou lavrar o present edital,
que sert affixado na porta da matriz' e publicado
pela impreusa, e que vai por mima escrivao, subs-
cripto e rubricado pelo president da junta.
Freguaezia de S. Jose do Recife, 30 de setembro
de 1884.-Eu, Jos. Goncalves de SA, seeretario
da junta, o eccrevi. __ ,
Edital n. 065
Acha-se marcado o prazo de 60 dias, a contar
de 5 do corrente, paras o professor public Fran-
cisco hfirques da Trindade assumir o exercicio da
cadeira de ensino primario de Bem-te-Vi, da co-
mares de Bonito, para a qual foi renmovidao do
Pindoba de Cruangy, por portaria daquella data,
o que se declare de ordem do inspector geral.
Secretaria da Instrucco Publics de Pernam-
uuco, 27 de setembro de 1884.
0 secretario,
Pergentino S. de Arawtjo Gal vo.
Juizo dos feitos da fa-
zund' inaeional1
EserIwvAo Rego Darros
Pcrante o Sr. Dr. juiz substitute dos feitos da:
fazenda, Jeronymo Materno Pereira de Carvalho,
se veoderA em praca publics no dia 3 do mez de
outubro proximo vindouro, pelas 11 bhoras da ma-
nha, depois da audiencia, oa bens seguintes :
A easa tenea de tijolo e cal, corn sot.a e portas
ao lado, sits 4 rua do Viseonde de Goyanna n.
103, avaliada por 10:0005, pertencente a firma de
Fiuza & Filho.
A casa twrtea de tijolo e cal, sita a rua de Ipi-
ranga n. 2 C, esquina do sul, avaliada por l:500i,
pertencente A viuva e herdeiros de Pedro Ratis
Borges.
Umn cofre de ferro, avaliado por 1001, perten-
cente hoje A firm cde Pereira Pinto & C., estabe-
leeido A rus da Moeda n. 19, esado todos es bens
vendidos por execuae da fazeada national, pars
pagamento de impostos devidos A meama fazenda.
Recife, 23 de setembro de 1884.


DFCLARAVOES

ONI 'tPalteo
De ordem do him. Sr. cngenheiro chefe, faso
public que, em virtude da autorisaluo concedida
polo Exia. Sr. president da provincia, via em
praea perante esta repartic.a, no dia 11 do imez
proximo vindouro, ao meio dia, as segulntes obras:
Reparos da ponte sobre o rio Pirapama no
engenho do mesmo nome, orqados em 1:200O
Idem da ponte sobre a -mesmo rio, no en-
genho Junqueira, em 1:9001
Idem das pontes do Bento, Remedios,
Casaso Gomes, na estrada dos Reme-
dies ; Dwas Unas, na estrada da Luz;
Tapacumi, na etrada da Victoria,
MauEa, Boseiroswe Tapacirica, na da
GravatA i todaa na s2a seccTo do 3
diatrieto, orgados em t:4269700
Os orcamentob e as escoidioes do oontrato ae.
acham nesta secretaria para seem axaminadow
peloe pretendentes.
Seeretaria da Reparti*b dau Obras Piblieaa
de Vernambuob, em 27 de setembro deo 1884.
0 official secretaIio,
Joao Jeaquim de Siqueira Varejao.


as wo, IL-1Is
I, mDie din, a execuL doe t eparos daa poes
do Aterro, da rua Bella e do Aiu ge, na uidade
do Rio Formoso, orcados em 1:450A ; do edificio
provincial, destinado a escola public da mesma
cidade, em 260A a da ponre dt- engenho Gin-
dahy sobreo ro Sermln W, em 1r.I 0A.
Todas esnas obras vao em praa corn o aug-
mento do 10 0/0 sobre as importancias dos res-
petivos ornamentos, que se acham nesta secreta-
ria para 3erem examinados pelos pretendentes.
Seeretaria dsS Obras Pub!icas, em 27 de Se-
tembro de 1884.
0 official secretario,
Joao Joaqtim de Siqueira Varejao.

Fiscalisa ao da freguezia do
Recire
Tendo de entrar em cxecuao no I' de outubio
proximo vindouro a lei n. 1834 de 28 de julho do
corrente anno, que prohibe no art. 33 estarem
abertos estabelecimentos commercials nos dias
santificados, A eccopgao de pharmacies, padarias,
bospedarias, bilhares e eafeis, e das tavernas atW
no meio dia, pto para este preceito, a que darei
field cxecuao, a attenao. dos interessados. Reci-
fe, 30 dc setembro de 1884.-0 fiscal,
Jos6 Pedro dos Santos Nevcs.
Companhla Pernambucana de
Navegajio iUosteira per vapor.
A contar d'amanhla, 1 de outubro. terA lugar
no cscriptoro desta eompanhia, o pagamento dos
juiros do empresdmo contralhido peta referida comn-
paithia do semestre find hoje.
Outrosim. foram sorteados e passam a ser res-
gatada.s desde )a as seguinteb obrigacoes garan-
tidas :
Ns.-b A 10, 26 30, 61 A 65, 71 A 75, 181 a
185, 266 A 270, 411 A 415, 561 a 565, 571 A 575,
616 A 620, 63i A 635, 636 a 640, 806 a 810, 816 A
82 866 A 870, 916 ai 920. 966 A 970, 1,11 1 a 1,105,
1,121 A 1.125, 1,19G A 1,200. 1,226 CA 1,230, 1,261
A 1,26.5, 1,266 A 1,270, 1,291 A 1,295, 1,476 A
4,480, 1,506 A 1,510, 1,511 a 1,515, 1,536 a 1,540,
1,551 A 1,555, l,b76 A 1,580, 1,591 A 1,595, 1,636 a
1,6t10, 1,646 A 1.650, 1,731 A 1,735, 1,711 A1,745,
Recife, 30 de setembro de 1884.
IRMANDA DE
DE
N. S. do Rosario da matriz do
Corpo Santo
Eielelo
Polo present sao convidados os ir-naos desta
irmandade para se rennirem em nosse consistorio
sexta-faira 3 do corrente, pelas 5 horas da tarde,
afim dc em mesa geral elegerem a nova adminis-
traqao para o anno de 1884 A 1885. Recife, 1 de
outubro de 1884.---O escrivAo,
Manoel Fernandes Vel oso.

Arsenal de Guerra
N a dias 1, 2 e 3 de outubro vindouro proce-
der se-ha Ca distribuicao de costuras As proprias
costureiras matriculadas sob ns. 301 A 330.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernam-
buco, 30 de setembro de 1884.
Francisco Joaquim de Souza,
Secretario.


Imperial soiedade
DOS
Artistas Meehanicos e
Liberaes
AssCmu lIa- geral
De ordem do Sr. primeiro adjunto em exercicio,
convido aos senhores socios para se reunirem no
dia 2 de outubro, na s ede social, As 6 horas da
tarde, para ter lugar a assembled geral do mez
proximo passado, a qual nso se effectuou pOr falta
de numero, tendo lugar esta corn o numero que
comparecee.
Secretaria da imperial sociedade dos Artistas
Mechanics e Liberaes em Pernambuco, l de
outubro de 1884.
Francisco da Cunha Ramos,
10 secretario.
Faculdade de Direito
N. 4012. 2a directoria.-Ministerio dos Nego-
cios do Iniperio.-Rio de Janeiro, 23 de setembro
de 1884.-Com referendea ao officio que em 5 de
agosto ultimo V. S me dirigio, corn o requerimen-
to em que o substitute de arithmetioa e geometria
do curse preparatorio annex a essa faculdade,
pedio swr provide na respective cadeira, uo easo
de conceder-se a jubilacao solicitada polo profea-
sor da mesma ceadeira, declare oA V. S., pars aos
fins convenientes, que de conformidade corn mo que
expressamente determine o art. 4" do regulamen-
to de 4 de maio de 1856,' deve procede -ae a eon-
curse pars o indicado provimento, vials havber
side concedida aquella jubilao por deereto do 2
do eorrente mez.
Dens guard .a V. S. Felippe' Franco de Sa.-
Sr. director interino da Faculdade de direito do
Recife. ..
Irmandade de Santa Ceelila, erecta
na Mnatrfi de S, Jos6
De ordem. da mesa regedora, sao convidados
todos os irmlos professors a compareeew* no
consistorio desta matriz, pelas 10 horms da na-
nhA do dia 8 de outubro proximo vindouro, para
tratar-se de negoeis de summa urgencia.
Cansistorio da matrix de S. Josa, 27 de setem-
bro de 1884. 0 secretario,
Lydio de Oliveira.
THEATRE

S ANTIAI! ADELI


COMPANHIA
Lyrico-eoomica ,laliana
DIBIGIDA


-; "" '--- SIffl f- ; **
-. L. *-n v ^t":.; ^
..1* -_* ,Nw er ,'**

V de Pernambuco
SE' esperado da Euro.
Spa at odia 6 de ou-
tubro, seguindo de-
o pan da lzdispewavel
I~lomensr pars a I$a-
a. 31. de Ja-
neir o eSaita.
Roga-se aos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentax dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclama to coucernente a volumes, que por-
ventmura tenham seguido paraos portos do sul, afimr
des,e poderemdar a tempo as providencias necessa
rias.
Expirado o referido praso a companhia nao sa
responsabilisa por extravior,.
Recebe carga, encommendas e passageiros, para
os quaes tern excelentes accommodaqoes.
AGENTEIS
Augusto F. de Oliveira
&C.
42- RUA DO COMI-ERCIO -42
Comnpaahia Bahlana de Navega-
ao a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, Aracajfi,
"Estancia e Bahia
0 vapor
Earquez de Caxias
Comnaindancte Nova


Para carga, passagens,
a frete tracta-se na


Segue pars os port8
acima no dia 2 de on-
tubro As 4 horas da
-tarde. Recebe carga
gat ao 1/2 dia do dia
Ide sun sahida.
encommendas e dinheiro


AGENCIA
7--Rua do Vigario- 7
Oomingos Alves Matheus
CdMPANHIA PRBNAMBUCANA
,,DE
NIavegaqio Costeira por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parayba, Natal, Macdo, Mossoro, Ara-
caty e Ceard
CC Segue no dia 6 deaou-
tubro o vapor Pirapa-
ma, commandant Car-
valho, As 5 horas da
~tarde.
Recebe carga at o
dia 4.
Enconmmnendas, passagens e dinheiro a frete ate
As 3 horns da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Cases da Companhia Pernambu-
eana n. 19
COMPANHIE DES MESSAGE-
RIES MARITIMES
IINHA MENSAL
0 paquete
Niger


Commandante Baule
Espera-se da Eu-
ropa ate odia 6 de
outubro, seguin-
do depois ca de-
mora do costu-
me para Buenos-
Ayres, tocando na
ilIa, Rio de Janeiro e Monte-
tevideo
Lembra-se sos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados pars esta agen-
a que podem tomar em qualquer tempo.
Para carga, passagens, eucommendas e dinheiro
v frete: tracts-se com o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9
United Staes & Brasil Mail S: S. C.
0 VAPOR
Advance


alB^^^ JB


E' esperado dos pertos do
sul no aia 2 de outubro, e
depois da demora necessaria
seguira para


iLutahio, Par, e S. Thomaz
Pars carga, passagens, e encommendas, tracta-
se corn os


AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DOCOMMERCIO -
1.- andar
9 vapor
Finance


-


N.b


Espera-se de New-Port-News


a0 o dia 6 de outubro, Fe-
iguindo depois dademora ne-
Ieessarmapara
B ahla e Rio de Janeiro
Polos vapores desta companhia dao-se passa-
Sgenm, parsa Liverpool ao prepo de 200 dollars ; o
pasageiro desembarcna-do em New-York teni ga-
rantia a passages p'as Liverpool quando The ap-
Sprouver por vapores de Ia ordem.
Para carga, passages, encommnuendas e valores,
tracts-se com os
AGENTS
I Heprv F ardel &i C


Sahidas
it
Chega&


2'? 'te^ '/ ",- y
WA
Buenos-Ayrea s .
VOLTA.
BaenosAyrcs -
Montevid&o
SSantos
Rio de Janeiro ""
a Bahia 0
Maceif 6.
Pernambuco
S. Vicente
Lisboa


Vigo
Southampton


a


. ,2
* 'a

7
17
18
24
27
29
ii
i5


* i?.. ;

2i
22
24
1
2
7
9
12
13
14
20
26
28
30


(*) S6 tocari se precisar carvao.
Para passagens, fretes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
3-Rnua do Commerci- -4

LEILOES

Agente Pinto
Quarta-feira 1 de outubro o de moves, louqas.
crystals, quadros e espclhos na rua do Bom Jesus
u. 49.

Agenle Burlamaqui

Leilao


Qnarta-eira,


A's 11 horas em ponto
No armazem a rua de Domin-
gos.Jose Martins n. 1I
0 agent acima par mandado e assistencia do
Illm Sr. Dr. jwz substitute dos feitos da fazcnda,
levara a leilao as mereadorias seguintes: 150 cai-
xas com genebra, 28 deposits para espirito, c 1
cofre de ferro, as quaes inercadorias foram penho-
radas pela fazenda provincial, e acha-se a guard
dos Srs. Moreira do Cabo & C. onde u mesmo
agent espera'os Srs. licitantes.


Leilao

Do movoi u adr os sNpolios
A saber:
Um pianno forte de Pleyer n. 5, uma mebilia de
jacaranda corn 1 sofa, 2 consoles, 2 cadeiras de
brao e 12 de guarnico,. 2 cadeiras de balano
4 quadros corn finas gravuras, 2 espelhos, 1 can-
delabro, 4 casticaes corn mangas, 4 escarradeiras,
taDetes para sofa e para porta.
Urma mobilia de mogno a Luiz XV corn dunc-
kerques, 1 pianno francez.
Uma mobilia para quarto, de madeira jusca corn
i1 cama, 1 cupula, 1 cabide, toilet, 1 meza de canna
e 2 cadeiras de abrir, tudo igual de gosto.
Urma meza redonda, 1 port espingarda, 1 por-
ta-licor e 1 candelabra, tudo de pontas de vidro,
peas ignaes.
Urea mesa elastica corn 6 taboas, 1 guarda-lou-
,a envidracado. 1 aparador grande, 2 ditos tor-
neados, 1 sofA, 18 cadeiras, 1 relogio de parede,
quadros, loun para cha e jantar, copes, calices,
garrafas, compoteiras e trem de cozinba.
Ura mobilia de pAo-carga corn tampo de pe-
dra, 1 cama franceza, 1 guarda-vestidos, 1 toilet-
to, 1 marquezio, 12 cadeiras de guarnicao, 1 ba-
nheiro corn chuvisco c muitas outros objects de
casa de iamilia.
unelat-irai i de 0tntiro

AGENTIE PINTO
No sobrado da rua do Born Jesus
n. 49
0 leilao principiara as 10 112 horas.
A entrega sera feita em actor continuno.

Leilao


xx xvuxov'rs
:038o w0",v,3@8
lopu iros, Polhos, ai os etc,
Quarta-fleira I de oulubro
A's 11 horas
A' rua do Barao da Victoria n. 14,1" andar
CARMO E SILVA
Autorisado por uma Exma. familiar que se retire
Spar o Rio de Janeiro faz leilto ee todos os seus
moves.
Constando de:
Uman mobilia de jacaranda compost de 12 ca-
deiras de guarniVio, 4 ditas de brao, 1 sofA, 2
consoles corn pedra, 2 cadeiras de balance de
junco preto, 1 grande tapete, 1 espetho, 1 candiei-
ro para gaz, escumadeiras, 1 toilet de jaearandA
corn espelho e pedra, cama franeeza corn 2 col-
x5oes, 4 travesseiros, I commoda, cabide, lavatorio
corn louca, 1 mesa elastic, 2 aparadores, 6 cadei-
ras de junco branco, 1 taboa pars engommar, 1
cilhLo pars montaria, novo, louca, vidros, tens de
oosinha e outros moitos objects que se acham no
acto do leilo.
Quarta-felra, I de outubro
A'S 11 HORAS
Na rua do Barlo da Victoria n. 14, 1" andar


Agente Pestana

SLeilao
De 5 saccos com pimenta do reino marca
diamante dous CC no centre e muitos ou-
trosgeneros


Ouarta-feira, I de outubro


Kdo'* -
i A'frt m do 4rr

A's ii harm
POR INTERVBN9AO DO AGE1O
Gusmio

Leilao

De fazendas limpas e acarT um


MOMlITO


go OBlt


A's It oyra
POR INTERVENAO DO AGENTE

Alfredo Guimaraes
V,) armaze,,t di. -rva d Born Jesus m. 45

Leilao
Da loja de fazendas, slta rm
do Duque de (adas m. AM.
constando da armaioe. ,eofr
lnglez prova de foge, cartelram
e fazendas.
SBaONDo, 4 go ailtibi
A's 11 horas
0 agent Gusmndo, autorisado pr ma ida Io
Ezri, 6r. Dr. juiz de direito do commercio e a r&-
uerimento do Dr. curador fiscal da mamas fallrdils
e Motta Silvcira & C., far.' leillo corn naiim-
cia do mesmo juiz e mais interessados das mer.4-
dorius e fazendas da loja acima mencionada e per-
tencentes a referida massa fallida de Motta t&il-
veira & C.

IAVISOS DIVERSOS

d Urgenle
Precisa-se alugar urn sirio que tenha a cst"a
de vivenda, jardim, agua, quo seja murado, dbm-
tro da cidade ou cm algumas das linhas de boin,
nao se pondo duvida pagar algum asmeto que to-
nha : quem fiver e quizer alugar annuaeie per
este jernal, ou deixe carts fechada neste escripo-
rio corn a lettra M, declaraodo onde 6, a onmv-
dos e o preqo.
Cosinheiro
Na mrua do Born Jesus n. 45, segundo ankder, me
precisa de urn cosinheiro.


Jose Condido Viegas, empregados na The-
souraria Geral, sao rogados a virem a ma da Ps-
te Velha n. 41.
Precisa-se de urn mmnino paia caixeiroM
pratica de taverna: na rua do Caldeireir u. 39
taverna.
20^4000
Aluga- se a casa terrea n. C da rus de Ria-
chuello, antiga do Destino (Bea-Vista), am 2
salas, 2 quartos, cosinha e quintal, e a de n. F per
'6;000, caiada e pintada : a have ae acha juito
n. G, para ver, e trata-se na rua daoGuia 62,
Recife.
Alugause

ou permuta-se por casa dentro da cidade o itio
no Chacon n. 13, tern bastantes fructeiras : a trk
tar na rua da Aurora n. 81.
Caixeiro
Precisa-se de urn pequeno pars caixeiro do bi-
verna, ainda memo aem pratica : ua res da Hora
n. 8, lugar do Eapinhesro,
Engenho
Vende-se barato o engenho Cangama, ut"a
freguezia de S. Loureno da Mata, a Iuo -
goaav do Recife, e de 200 braas da ata* de v.
Loureno, d'onde paa 34M0 pr cadN d
assucar para o Becife. Acha-se i n Ldk
bca estrada, de redagem e a trees quart ese bga
de urn engenho central; sum terras ubo eN 4&
1,100 bracas de frenft e urnma lgoa de tuad, -
do que a metade degte terreno esti obwd 49
matas virgens, do qual nunca precios pama *-
freiar de 2,000 a 3,000 pes de assucar. T n -
to bom cercado, todo de valado, boao mo de
vivenda, boaas senzallas em 12 opar ,
casa de fazer farinha, estribaria, cas de --
nho, purgar, encaixotameonto, destilaio ed -
gao, tudo de tijolo e bemrn construido. EV ] -
a agua e cstA todo bem -rameutado, eo s40-
rb. ser visto por quem pretender ; te m1"
diversas casas de taipa para lavradoren; ua-s
se a dinheiro on corn algum somente A Vida *
mais a pagamentos annuaes, como 6 do eait-Ie -
a tratar na rua do Imperador n. 81, com o 8r. e-
bastiao Manoel do Rego Barroes, ou na ruado
Marquez de Olinda n. 33, corn o Sr. MmlN do
Cunha Lobo, on no engenho Diogo, us cauOM
do Bonito, corn o rendiro.


Graciliano Octavio da' Cru x Marid- m
irmraos agradecem aos seus parmt s e aips *
terem se diganado acompuhar*6oee O a eo m-
tos mortaes de sua proesada e semp ImlsmadL
mAi, Felippa da Cruz Martins; rogom-Ih 0 .
piedoso favor de assistirm at n a s do n
dia, que por alma da meam mies pas ma
igreja da Santa Cruz, ib 8 hor da s do A
3 do eorrente me. .

Naio esl pi


$1


V.


I -








a
0~~


?nr.
V-I-
~ wA


1-u

-LI

4


A
--.*


3-.,'
3'1
I- .~


I


o Otbro



















-21 AX.

a 6 pols &Ji> bdhor ciepir al q~uoqa objo* quee o q 6bra
^Bt~lfe'^*^*1^ ^>^ dpautot longosa trnos 9 resltete qualquer
l i l p i, ". ',+ ... *" *-.


Iaesm- A e 5Aeado
-t e 4-bookmanis;5, grade soriD'ento. Clamamos a at"
ElolIes dsadc'rea para a inportaute eoleeeao quo t"nise de


j9-predent e qu se spode tazer emr gatar muito dinheiro.
r 0, Artigos comupltos para dsesho mnodelos, crayons, papel,
UlmAL1IEuum compasses e 6,scalas de reducgo, eto.
;PnA| de impressio e pars. escrever. Um grande e cscohido sorti-
ASSlNp/E mento.

10 SUk9hlAk-LLYROSR R CA8Ab bfllRImbARb
A Livraria Industrial, A rua do Barao da Victoria "n. 7, acaba de "receber dos
Estados-Unidos uma collec-ao important de tintas de escrever de afamado fabricante
CARTElr'S
pars a escripturaglo commercial o escriplos de iuportancia, compre-se a
Tinta nl ia pa ecrever a qua 6chimicameute pura
Ti mnta nflai pam e. w LvV pqmuitoa impida e nao cria
bgor nerm engrossa. Escreve azul escuro, transformando-se immediatamente ema pro-
to, bem,preto. S
,Pra esorever negro inotantaneo, compre-se a
1M- A uma solucao verdadeiramente chimica. ,No
31* ll %l I 11 nU g a engrossa ern faz borra, neo corroe as penas
ie ago, nerm 3ongela no tinteiro e resisted a acglo dos acidos.
Para escrever corn tinta brilhante de cdr, compre-se a
Tinta violeta do um, c6r profamda e brilhante; nao corroe nem
nata v A6 ILdecompie as vennas de ago.
Temqs flasquinbos, frascos, garrafas e botijas para todos os tamanhos e
Chamamos, pois, a atten$So das casas commerciaes, guarda-livros, escrivies,
repartiqoes publicas e qualquer particular que queira tinta especial, de vir munir-se na


LRT-'ARIA INDUTSTRIAl

BUAJON90BARAODlA VITOR1AN.o7.
,ft COe, to4iad sf i de UdoapbW"Waf.t o rf do., ,
de fal d qaie, cuidiomsamente escolida dos mdehorm odcbosdasdimko
mais a&famados pela quadadedo pqo, como tanbeam doncto dofiag atfEn.ie ko U mcpunicado esp ipa qIe epap do spdto todas a paitiu aases.
cc.0o M oo2eeiBocagr'osefBt<"MdeMagnasmm malt.wasve s prodzidos no estomago e
nos 1inae pam.a ,m haxba o, o que acontece ao vu mant e f pmoss no aadinatad ,
S*S "SCHNAPPS"AROMATICOSDE SClIEDM
chg14 absdate.-1N1AOJ4II~m; e .ds casesosd HeRDOPSSA, PMDRA, OB51BICU
"X0no w BNS, MOLESEIDA da DI(I*, 15i3:8 mL7IA, DYSPEPVIA e DxBfI.
D GhIBL Sirco.nm emddos corn instancia pdlos iemtos mas dtiimpms darofisio medical.
Saopreparados em garrafas demido e de &qmi, e.catxAdas c o ome do aaixosmigsadoem cuda
pgnfr- a corn a mam da fabric.e uma i- a m da- apm umm mo codqea oam riedo.
Vmen-me em tod- s Plarmmaca. LqMm do C~mUo. Tern sido sugefoti a alyse dos
dnicosmeM aia M1 o e par eesfram deca-ados Mser ums p o eqiito itlaIal fbrMado.
To-,iul it&d m ea pne mia muas pro.ds eviae, ano-ia A.i ma nd
todw as imadiauhr dos EmsadosUnidc,& Apde quoeetrima'miinmwgmswL
Uma circular Mndo a rigoros prova e ui. im o ma do res Com u c
a*Brm.s QuitMR. 4m.w eclimwaucanski tofs Unmatol:FARE ltmeoete Les odam=n Smx
pmaodo antemmi.7 am chmteefavoraiqo Teepa nha l goqse fuiato
sn.tescmmfa ipiQm. mmumh cciamfV se sopa depo itar nos productos communs do commu rdo eIdes
msk omwms CiteecraitohBtmk pa us praposiacs Aezceienda pecuiarefo l
oko do Fearo kfjodm icdetpraqM mawrt O*dMy*~t mbt a Pr Aopi wf~a
So4he na q dos mcos oavd L supm'omLafe sobre L s 'b.ahti comadw. aism
or I
rutabindv '' .
fm etidM&edlnd fabricada pelo propietmom emsu engenhodadbOalem Schiedamfoanda,
uIoMa it .pmtOfm M Bco.dic h9
UBOLPUO WEi'ns BoW & CO., 9 IUVER WOtUBET


GRANDE OFFJCJNA DE ALFAIATE


lihilA


LiSTOSA


&


C


41-4Bua do Barib da YTioria.41
N'este acueditado estabelecimento so encontrara sempre um sortimento ; re-
pleto de pannos fines, casemira de todas as cores, poprias para costumnes e oalgmcom-
eebemos directamente a, c .s fazendas por todos os vapores da Europa. Brim
brauco e de cOres, e todas as fazendas tendentes A urns casa nesse genero de negocio.
Aprompta-se costumes para luto em 12 horas.
Dispoe de um pessoal habilitado e corn os melhores elements pars servir
-a eus ammes, e a qualquer pesAba que quizer honrar seu estabelecimente cm suas
encoadnuidas.
41--Raa do Barao da Victoria.-Al
A~oBCcoB


6


B'Mftfulle

Urn amigo dos pobres, econonw e de
facil applicaq5o, 40 annos do suceesso es-
pantoso.
Nenhuma fauilia deve-estar desprovida
deste remedio.
Externamente cura: faraneulos paU-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
does intumecencias das articulaoes do-
res do denotes nevralgias- rhoumatismo
queimaduras- golpen, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, diapepsis, uleeras doenWas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
SAgentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FIARMACIA
Rua do Baruo da Vietorfii, 9 "


PREVOS
Frascos grandes
Pequenos
Duzia de frasos grandes
Pequeno


16500
12N0061
9mo


Grande fabrica d'aguas

gazesas

William Chmance & C.
Rua naas cohubm n. 69

Deposit
Ces 22 do Novembro n: 42

.cofitanl MIs


Gingerale duzia
Limonada
Tonie Water .
Soda Water ,
Agua de Seltz (em Syphon) s


36000
3#000
3#OOO-
36000
26$400
*16500
24
oo


Aviso
0 proprerietario da officina de pintor, no. travessa
do Marquez do Reefe n. 1, roga sos senhores da
commisseo de edificaao. da capella de N S. da
ConceitAo de Ipotilga, queiram vir buscar as
images da Concei*o e Sant'Anna, que omanda-
ram eneamar, no pra-o de 20 ilias; a .contar da
present data, perdendo o direito da' ditas ima-
gens, so dentro do prazo no Vierem. busear. Re-
cife, 27 de setembro de 1884.

deum criado : no becco do Pocinho Y. 3La
Na a. 17
A rua de Hortas, ha para vender came do sertio,
o que p6de desejar-se em especialidade.

Serratheiros
Frecisa-se de dons serralheiros machinibtas
para trabalhar f6ra da provincial: a tratar no
largo do Cerpo Santo n. 6, 1o andar.
imlceiro
Precisae de tun official de barbeiro ; mna roa
do Livanedto u.1j7.
Elptdeo de Andrade Luna
Antonio Rufno fte A. Lima, 4seus files e genro
mandam eelebrar missas na matrix da Boa-Vista,
pelas 8 horas da manha do dia 2 do proximo vin-
donro mez de outubro, primeiro, anniveisAio do
fallecimerto do sen presado filho, irmlo e 'cunha-
do, Elpidio de 'AdrAde Luna,; epa Ep t il-as
convidam aos sens parents e ami gf nkulIpan-
do a suaperduravel graidipor esejavr ..


Olympl de Souza Cuuha
D. Maria Isabel de Carvalbo Cunha. Bernardi-
no de Souza Cunha '(asente), D. Antonia Muniz
da Fonseca CaruaHo, eaus lilhos e genres man-
dam resar algumwa imisas em suffragio d'alma de
sen finado esposo, filho e genro, Olympio de Sou-
za Cunha, no dia'4 de outubro, 10 anniversario de
sen pasamento, As 7 horas da manhi, na matriz
do Corpo Santo. Para assistil as co vidaii sos
sens parents e amigos, confeamado-se epade
j, eternamente agradccidos por ess'lwaie .e-
iipilp e %.. .--
Para .ium oes, #e fetIc4s
. Balfuinhoi de papel de cores, maito birato, em
centos : usa-ua Nova, loja n. 16.
Precisa se de urmna ania pam o serviqo inter-
no de casa de familiar : na rua do Hospieio nu.
mero 31.
Aluga-se uma grande casi. cm Santo Ama-
ro, rua Lenmbrnando 4omes n. 4, muito freeca,
corn grande sotao, corn dous grandos qiuitaem
murados e eom beoa & mpaW d'sam : a tratar na
rua da Itperatrizn. 32; segundo andar


nioI






S.&
.1 '= ...
3s :


!ova 4Agua pars e oucador
HMPOtTADA POM


RIG AUD &


Ca, Perfumistao


8, An Vivienne, PAZI8

Esta Agua extrahida das fldrem do Pirue
Japonica, pela sua suavidade e suas proprie--
daides beneficas, excede os cosmeticos mats
celebres: tendo sido adoptada po, today a
:)cicda1i elegant.


AM~ 7%3
Precisa-se de urnma ama 5ne ma'l ea -
comprar ; na rua Duque de Uxau n. 47.
Jardim das plantasU
R a do fondegso so
Sapotiseiros e sapoteiros nmuito PrF im 0 -
pados, dando fructo, a 45 e a 35, uegnmi o&-
manho, e desccndo at If, corn sei palm. C-
prando-se mais de dez fte-se abstimeato. H&
outras muitas plants tambem para pra OS *i
modos.
Aluga-se
o sobrado dc urn :indar a rua Imperial n, 2K9, 6
novo, tern mmifos commode e agua do 'eberibe:
a tiatar na rua do Crespo n. 18.


SVTIIOSA

Xos 4:O00$00

BttBETES GABOTD0
16-Rua do Cabugd-16
0 abaixo assignado vendeu nos sm
venturosos bilhetes garantidos os premiom .e-
guintes: 2 quartos corn a sorte do 4:000
no n. 1605, 1 intciro corn a sorte de 1006
no n. 792, 1 inteiro corn a sorte de o100
no n. 432 al6m de outras mais de 32,
16# e 8#, da loteria n. 74.
Convida aos possuidores a virem reow-
ber sem desconto algum
Acham-se A venda os venturosom Who-
tcs garantidos da loteria n. 75 em beae6fw
da Santa Casa de Misericordia do Reci
que se extrahira quarta-fcira 1 de outubm.
PRE(OS
Inteiro 4W00O
Meio 26000
Quarto 1i000
Seado quamtldade superior
a 4100:000
Inteiro 36500
Meio 16750
Quarto 875
Joaquim Pira da &Silm.


CANA 110 0Gll0
Aos 4:0006000

Rua do Bar&e da Victoria 3, .4
e cases do. -costuine
0 abaixo assignado acba .ie vender
em seun felizes bilhetes dous quarts do
n. 2,117 corn a sort de 800000,
dous ditos de n. 84 corn a aorte do
e diversos premios de 329M Iwo0
e 80000.
0 mesmo abaixo a.aigndo oouvida an
possuidores A virem receber na couformi-
dade do costume, sem descots alguu.
Aoham-se A venda os felMa biihetm
garantido da 207. parts das loteria a
beneficio da Santa Casa de Misericordia do
Recife 75.'), que e oxtrahiri na quarts-
feira 10 de outtubro.
rIE4 S


Inteiro
Meio
Quarto
m i per~ie
Inteiro
Meio
Qufarto


4&O000
2^O000
11O000
de It
elma


Joao Jwawmda


18750
#875
a Cbsk Lot&


X MAS
Na Prata da l n-
pendencia ns. 38 e 40
se dirk que. preds
deduas amas, ferras
on escravas, pare stm
vivo domestic de easa
de pouca familiar.


(-..i;- ,?
- :: "':






i,
i !!."




"s '
k'
i


I'...'
'I
L



-L


Ama


EAROPEoEDI iffTALE LABtLONTE
EoA adj desle tr'nta nnoo pelos Medicov de tzlos g :D. lat oamtm a A.
oers8cWaa du .walgo, Hydiopig, Baht.. se vmCo
'iUatehe.. Astbmab, etOw.. emfiin, en todas as peimItraekes da cirt;' o= .

FRGOTINA E 6GRm' S VIGOTtHI
a. -TNJEA.
w Ouft"from.& ftrWa* k ftPaw & ft ft
a dBotgo d'E,.--dS -.s.Josd- i um dos melores beosatu. aW v
d|skm 4. As-em sAu emprega 0 f. adltd o t* ii pferf'nak
|ae F07-r a aw mnerrhagkam, de q=qr nlum.a
| I AbW f : ie LAdiLfOE, So, rm IbOI r, 0 ftrw
k. ~ w. + A. ne~
^~ lm m-->. i- m















4 -
- ~4.
-A-:.:


- ~1.


0 Ibaleiresda .r;a rrimeino de Iar n.

pubtli fg s arigos, cujps pros
len" owe se'jan:
FUSTOES de cores do variados e wimosos padci
'MADAPQLOES avariados, a 3,5500 4 pega!
ALGODOES avariados, a 36500 a poea! qeuo p
CASIMIRAS de algodao a 400 e 500 re. o cova
LEN90ES de bramante a 26200 umn, e bern bon
COBERTAS de ganga torradas, a 2#500 rma'.
BRIM pardo liso, 320 rs. o covado!
BORDADOS tapados, a 1-, 15500 e 2#900, quw
COSTUM ES de banho do mar, boem oosturadoa4,
pars homem 8#000 o para creanga 5$000!
SETINETAS de cores, a 500 rs. o covado !
COLLARINHOS modernos, a 56000 a duzia!
CRETONES encorpadbs, a 600 rs. o covado!
CAMISAS de linho superior, a 45#000 a duzia!
POUPELINAS e las, para liquidar, a 240, 280 e
CORTES de casimrnira, a 36500 um!
FICHUS para creangas, a 1,500 um I
CHALPS de casimira, a 4#000 urn, aprovoitem
CHAPEOS de sol de seda, corn pequeno defeito,
BAPTISTAS do cores, a 200 rs. b covado !
SAI\S bordadas, a 3U000 uma!


E mnuitos outros artigos aproveilaveis
N. B..-.Firmiado nos principios econoi
pleta anitaencia ao nossollECLiIE.

AOS BARATEI
Na rua Primeiro de Mar


VIE


IIHAPELARIA


CHAPELINAS E CI
NA

Napa da lndependtncia ns. 5<
DE
d. da Silva Carvalo V
Um lindo sortimento em chapeilinAs e
ahoras em todas as cores, ultimos modollo
Nests casa toern sempre um complete sortimei
chapellaria, tanto para homes, senhoras e cr
inensalmente das principals modistas de-Paris
alta novidade em chap6os e chapellinas.
Garante-se sinceridade e pregos modlcos.


EASA IELIZ
AOS4:0000000
DILIETBm GARANTDOR
Praa da' Independen-
cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entire os seus
lelizes billietes garantidos da 74a loteria a
sor6t de 4:00065 em 2 quartos n. 1605, a sorte
de 1006 em 1 inteiro n. 1778, al6m de ou-
Iras muitas de 32# 16# e 8#.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto A
venda os seus' felizes bilhetes garantidos da
loteria 75a a beneficio da Santa Casa de'
Msericord'ia do Recife, quo se extrahirA
quarta-feira lo do outubro.
Precos


Bilhete inteiro
Mejo
Quarto
Em popio de
eta
S- ciii
Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Antoxio Augustao


46XX0
2,5000
16000
Ioo00 0ooo para
na
36500
16750
d6875
Pdos Santos Porto.


Caixa
Perdeu-se urma
sobre roda de on
S. Bom Jesus da

Luz bril
O1ec
HYGIENI


Mart

Numero
m A


AG CO6IEBRIO

Viagens ao centro


I' ,. @11ada&Itabayapma por Iga
S, :.,- r .oyraAvA e Itamib
To#. b b maljdo, a 4 horas da tarde : passa-
'f" : y,.= 9d -u ..'A rua Primeiro de Maro n. 1,

'K -' 4: W.". bortka l.,,
1^ :: bI- -
'a..ar corn


.'. t
\


) aromaico
ICO E ECONOIICO Convite
Q ila ~in "Acha-se montado eom todo o esmero o restau-
0 dono deste hotel convida o public para vi-
sitar o snu estabelecimento, certo de que a sim
pies visit d cada um ihe ha de dar um fregunez;
tal 6 a coafianga que eldie tern no sen gobto e pra-
tica de hoteis.
Almocos e jantares avulsos ou per dssignatura,
constandb- de pratos eseolhidom na list, agrado,
promptidao e modicidade nos precos Ao que o pro-
prietario garante aps fregnezes.
Restaurante AGUIA rua das Larangeiras
nurneoma29.
."6 GI0S

inW &k Bastes RJ
'hmambuco 0 SEU b j
telephone a. 33 DE
ML M M J}iTTEIWOIuFF&C.


J 0 / A S '(Offerecem ao res-pei-
S A tavelpubliebumgraD-

MGUEL WOLFF & GC. de e variado sortimen-
Participam aoars- tode relogiosdos mais
peitavel publieo, que acreditados fabrican-


das


tes, e se acham ihabili-
tados a vender mais


e dos arato do que outro
gost qualquer,. vtsto rece-
tem- se bermdlirectiameeie,
^. _1 .... o =I.
," -*, v -:


e 640 rs.
Os barateiros da Boa-Vista A rna da Imperm
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fiLus
toes brancos, proprios par& vestidos e roupat de
crisncas, pelom preces acnima indicados : isto naus
squina do becco dos Ferrmiros.
Setimetas & 500 e 640


Na loja da rua da Imperatriz n. 4", A esquina
dobecco dos Ferreiros, vende se um-elegante sor-
ti'ento de setineta& tanto lisas como lavradas.
sekdo as Gores mais bonitas que ternm vindo ai
mlrcado a ,50, e 641) re. o covado; assim como
aum bonito sortimento de lAsinhas lisa. e lavradas,
"Opr paa vestido, de 5 M 6at & IM r 6 pe-
4ibm a s na loja doe barateiros d Boa-vista.
ypttrtkos
- ii t a-

4 m a 6 e deLa ffOO. dt bkppfc P


g
I,, f


i *- o
:A;^,- '-y-A'^


rv -
-.e ~- -
:~c~


as


T l v(74.,), quse acabou d
.u... -- cotvida aose ponasidoreB A virh em r
B Oa.onformidade do costume sem deaconte
Aphmm-. A vsada on seus afertmadus
bilhete garaatidos da 207.a part dan lo-
Sterias a beneficio da Santa Casa de Mio
ricordia do Recife (75.a), que so extrahi
2, se pre R^ t a& quart-feira lo de outubro.
exp6, eri a 4 rin PIU
Rexpoe i aprn aa o neio 415000
g.o IWro 1000
Il .quamdade maior do tGO
,Inteiro 34500
Iea 240 rs. Qo vado i 17 .
-. Qaarto # d875
echinoha' I Afanoel -nrtim Fwsa.
do, aptoveitew I M!t- u

Precisa-se de ama ama. para todo o servi9o do-
Spechinclia!I meoticoem easa de familiar : a tratarmna prmaa do
aesdo pars senora 10#000, Corpo Santo n. 6, primeiro andar.
uem perdeu
dous cachorrinhos do reino, acham-se depositados
no becco'da Massa n. 8 (cadeia nova) : dando os
signals e pagando as despesas do presented, Ihes
serao' entregues.
320 rs. o covado!
Aos 8:000$
Os bilhetes desta loteria para o fundo de eman-
a 5000 um eipa'o, se acham I venda na rua do CabugA n.
1 B, loja de juias da viuva Hermino Ferreira da
Silva.

IModisla
iCos, COItamos cOMP ua.daPraian. 35. .egundo aadar
Eduvirges Maria Coelho participa As suas nu-
merosas freguezas que dispondo de habeis cstu.
reiras, acha-se prompta a satisfazer pelos figuri-
iT O S nos mais recentes qualquer tdtlet, como sbjam.
vestidos paia casamrentos, bailes, theatres, pas-
Sseios, etc., e enxovaes para baptisado. __

oo n. 20 sAn.9 A gase
sobrado n. 9 na Passagem da ,Iagdalena."
TR.tl-OS POKtTKTtS
k 0 SYSTEM A APEREZIgOADO DE Kzm STUART & C.
Browns & C. receberamn demenhom e
expeelflcacees destes trillom.
como tanubem de wages
e 1o aunotwtvam
08s trilhos e dormenta sao tods de ago pore tanto
tern m ita duragdo-o aasstamento 4 mais facildo
que com dormaen de maddra.
L Ti ^ N. 5--Rua do Commercio--N. 5
EIOSao Caxanga
Aluga-se uma casa na povoago do Caxan
cor muitos commodos, perto do rio e da esac
E (sda linha ferrea : a tratar na rua do Barao da
0 Victoria n. 40, casa do ouro.

Aos 8:0000
e Na rua do Cabugin. 1, enoowtarlo Os senhores
ogadores, os felizes bilhetes da grande loteria
Chapios para se- emancipadora desta provincia.
ito emartigos do lle
iancas, s recebe
o queha de mais usa grande casa sita & rua da Aurora n. 167,
pintada e caiadna de novo, corn grande sotao, pro-
prio para grande familia, corn canalisaeao para
gaz, orn agua, quintal todo murado : a tratar
na rua do Visconde de Goyanna n 100, Entron-
camento, Mangninho.
Favas
de lartaruga do~ende'sefavas novas a 500 ins. a kilo;:onJssn 0 na ma
de Iartaraga
Ocrn BinieiaesA.C.C.C., adL HA COATS
iro no meio; gratifica-se t rua de _
s Crioulas n. 36.i Lustrosa s para machine, e a Macia de 6
n IP fi8 ,, tanto para machina come para cozer a mdo.
Ihalet SCA l fiJUIG -Nao se usa mais linha em novello-
1Pede linha em carretel corn o name
-- J.&P. COATS.-


r ,* *. *i- "*'.l ~ J' ~ '

**", .,-^^ "*" *,. o^i ^- 'w W ~ ^

*A oma Jw M"ia C., proprietari
doate eatabelciment, aviami. O seus nau-
merosos fregnezes e a todos os Srs. cornm-
merciante em geral, deata e das outran pro-
vinmias limitrophes assim como ao respeitav-
el putieo desta capital, quo em vista do
grande deposit e augmento do fabrico,
resolve ven4er os seus chap6os por pregos
e condio5e m rn competencia. Deposit
da fabrica A rua do Barao da Victoria n5.
34 e 36.
Muita attenclo
Na rua da Uiaio n. 47 faz-se plissus e recorta-
se babados soda .de todas as larguras, pontu-
don, redondos e miudos.
Precisa-se de duas amas, uma para lavar e
outra para engominmar: a trafar no oitio do Corpo
Santo n. 25.
Aluga-se o 2
andar do sobrado da
rua do Barao da Vic-
toria n. 14, atractar
na loja do mesmo.

COBRAS


Compra-se uma casa terrea pequena, em bom
estado, situada em Santo Antonio on S. Jose ; a
tratar na loja de ourives n. 117 &A rua, Direita.
S..VENDAS

Trastes
A' rua do Imperador n. 16 compra-se, vende-se
aluga-se e troca-se novw's-e usados.
Rc 10o nPara asa Emas families

Fazendas brancas
Na loja dos barateiros
da Boa.Vista
40-Rua da Imperatrlz -40
VENDE-SE
Madapolao, peas de iadapollo francez
enfestado corn 12 jaidas a 3W00
Dito muite largo com 20 varas a 4 4000 e 5s00(
Dito, fazenda muito encorpada que pa-
rece cretone, corn 20 varas. a 5;500,
6;000 e 6;506
Dito francez, americano, fazenda muito
finae encorpada de 7; at16 12000
Algodao enfestado com 9 palms de lar-
gurm par itazer.enyoes de um s6 pan-
no, metro a
Dito tranado corn a mesma largura,
proprio para len6cs e toalhas de
D n435a metro a -1^200
B&aiante de algodao corn 10 palnos de
largura, proprio para faser lencoes de
urn so panno, metro 1U28(
Dito francez, sende de linho, metro a
1800eo 2d00tX
Dito inglez de quatro larguras, sendo
de linho, metro a 2S500 e 2$800
Oreguellas proprias para lenc6es, toa-
lhas, ceroulas, sendo fazenda muito
encorpada, cada peca corn 20 varas
por 10800 e em varaa 500
Ditas corn a mesa medida a 800 rs., ou
varaa 40C
Atoalhado adamascado pars toalhas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
troa 1a
Assim como um eompleto sortimento de
pecus de algedaozinho americano e
ingtez, que se vende por peca de 3 ate 6000
Isto na loja da esquina do becce dos Ferreiros


Fio de algodao di 200 e 400 rammas.
Panno de algodao da Bahia.
Vinho do Porto superior, em caixas.
Chapeos do Chjlle, sortidos.
Em casa de Luiz Gonalves da Silva & Pinto,
largo da Companhia Pernambucana n. 6, primeiro
andar.
84 a barrica
de cimentdoinglez de 320 libras, marca pyramid,
chegada de Londres : vendem Fonseca ,maos &
Companhia.


Cal dIo Sari6
(Vende-se care e linguicas do serto ; na rua
da Am ora n. 81.
Carro Victoria
Vende-se um quasi novo e corn os competentes
arreios, todos de muito boa qualidade : a tratar
na rua do Barao da Victoria n. 4.
- --Vende-se um estabeleeimento nito na estra-
da nova do Caxangi n. 6, bern afregpezado, pro-
prio para um principiante por ter poucos funds :
quem pretender dirija-se nop-azo de tres diaa, A
estrada nova.
Casa & venda
Vende-se a casa do largo de S. Jos6 n. 49, ecru
2 salas, 2 quartos, cosinha externa e quintal : a
tratar corn Gonealo Jos6 da Gama, & rua do Pa-
dre Fioriauo n. 41.
NOVO SORTMJeNsTO
DE
Roupas para homens
POR


Pre vos baratissimoc
Rua da imperatrlz n. 40
lOJA DOS BARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que se lava 6;0(
Dites de panno preto fino, fazenda muito
boa 5001W
Diwtos de casemira de quadrinhos e lftri-
nhas, forrados 8400
Ditos de casemira escura, de cordio, for-
rjdos 8}00D
Di deoflanella azul, forrados, send fa-
Zen ia que naqo desbota 10100X
Ditos de casemiras de cores dlaras e es-
curas i 10500
Ditos dc panno preto fino, forrados 1000(
Ditos da casemira preta de cordlo 101 e 12500M
Caleas de casemira corn differences pa-
dries, de b.500, 65500, 89 e 10600
Ditas de casemira preta aedl A 8 e 10500-
Ditas de casemira de cordio 6w50
Ditas de casemira preta G
Seronlas de cregueUa, obra muito bemn
feita a 9200 e 1l60'
Ditas dc Hamburgo de linho a 14800 e 2500
Colletinhos para dentro, send de cre-
guella e muito bern feitos a 800 e 100t
Damisas. grande sortimento de eamisam
braneas, tant o rancezas como inglexas,
tanto de linho como de algodob,. sendo
de 21, 241500, 31, ate 600go
Ditas de cretone de cor de 20, 25500 800W
Meias, grande sotimento de meias cruas
para omens, de 320 rs. o par, at6 0
Collarinhos, grande sortimeuto de coila-
rinhos, tendo de 5t a du"na at6 8400
Toalhas, grande sertimmto de toWlhas,
tanto parm rosto como pm butbo, quo
se vendem por pregos muf rzQvea.
Tudo isto eomr grade rego de pros :
loja da esquina do beco dons Ferreio.


E' acabando
Cortes d4 melesquins de ome-com pequeno
defeito a lb 0, 6barato
Idem de easmiras.inisUi.aupof a to 6!
Idem idam prttas a
Bfim padona, co 1i&4 940fX a44
ra. o covadb I
SDito. bla de bs" ..


.-I ,Y
lap.




I4SPE ZUsWl4P.EM
BihA do todoWoas qallidades.
ldo o-Grad
Pvs do Lamego e inglez.
ar"ta|edas e Waolws8..
Cerbe doesrtie.
pJva e msaes.
kocem estrangeiros e naciowes.
Sfaltriha lactea, ararnta e sagd.
Conmervwas inglezas e francezas.
Villuom finos e communs, grande sortimento.
|ecorex idem, idem.
Cognac idem, idem.
Cafts idem, idem.
CftA idem, preto e verde.
Amuendoas e confeitos.
Mamma& para s6pas de todas-as qualidades.
Mate do Parana.
Obrams de verga.
Sementem de hortaligas e flores.
E os afamados requeijoes em atas,
tlodos os dias
Cal nova
de Lisboa: vende-se na rua doArmorim n. 52.
Grande redueao de


i Chambres


A' 28300; $O000 e 4840
Na loja da rua da Imperatrix
ni. 4,-
Vende-se chambres de ch tae cretones a 2$5W,
34000 e 46000, para acauar, isto A c,.quina do
becco dos Ferreiros.
VYendense
o sobrado grande de um audar e sotAo na estrada
do Luiz do Rego n. 13, em Santo Amaro, em
janella nos dous oitues, quintal grande e murado,
quartos f6ra, cocheira, viveiro, por ilo e gride de
ferro na frente e um grande barracao fcchado o
lado do mesmo sobrado, eneanamento d'agua,gas
e drainage : para informaq"es no Consulado Bri-
tanni.o, rua do Commercio n. 16.
Vende-se on atuga-se umna casa na rua do
Carmo, em Olinda, muito fresca, defronte do mar,
em perfeito estado : a tratar no Caminho Novo a.
128. Na mesma ca a se dir, quern vende am
xarope vindo dos centros do sertao para molestias
do peito e do pulino.

Alteniao
Vende-se ou permnuta-se por alguma casa COem
commodos para familiar, nos bairros de Santo An-
tonio ou principio de S. Jose, um excellent sii
murado, tendo na frente gradeamento e porttia de
ferro, no aprasivel lugar Chacou, inteirameat
arborisado, corn boa cacimba, depoaito d'aga,
casa de banhos, immenso parreiral, tendon m a
assobradada, bastantes commode, uoti em Jra-
nellas, quartos e cosinha t6ra, proximo & rtI
da Casa Forte: quem pretendel-o dirija-e a
rna Vidal de Negreiros n. 111.


111T Dfir IfVIA
LEITE BE AVLOZ

Concentrado, perfeitamente incoagulavel
e conservado para exportago
PELO B CHREL
Joao Baptista Gitirana Costa
Manipulado pelo cirurgia'o dentist
Numa Pompilio
Privilegiado pelo Governo Imperial e approva-
do pela Junta Central de Hygiene do Rio de Ja-
neiro.
Para a cura de cancro., ferUA
chronleas e syphlUtleas
Unico deposit geral em Pernambuco
Rua do Barao da Victoria (out're-
Sra Rua Nova) n. 5-4 tandar
o rua de Mar n.2I, 1ola goHl in
Preco de cada frasco oara cancros 6A000


Formula especial para ulceraeuees c gra-
nula6es no collo do utero e cancros
syphifiticos 5000
Para feridas 6000
Para calos 200
Cada frasco leva o retrato do bacharcl Gitirana
Costa e assignatura de proprio punho c rubies de
Numa Pompilo corn tinta encarnada.


FI DI BAHIAI
Souza Moutinho &
C., tern constantemen-
te a venda fio d'algo-
daio da marca L, mui-
to conhecido n'este
mercado, em novello
de 200 a 400 grammas
e em saccos de 25 ki-
los, da muito acredi-
tado fabricaBom-Fim,
de Catilina & D'utra.
Rua do Marquez de
Olinda n. 22,

Fehres inlemui b
chamadas vi rom.mte t _iu_
Cuan rtwrda e omits pm AGUA
Z AiAds i 2p


' J-


S- ,
,l, '- '. : ',- "
.' ":i f '.V A t.. .A -'- :i


a.
a *~ ft


tfi~ lui
. fiE u
SB


.li
~~s %


1.'








3-


I


a',


I


:1

- j


A





fr'1, ( a


continuam ter un


timento de joi
niais moderas
A ft.
mM~anrads


ft.
F'<
-C-

m


eauiencliaopic .m na
nha ladn.......


trivQ pwam a inhrda. dh-" mu-
ser A d9 Dr. FREBOHS a MAW dank
genero.
Deve-i PON evitar coafar oIih. .
ama poem&soa Istreh do c~si
nlo conhecido muifta veze o gern
numerous moletim.
Vende-se a verdadeira fariha ][4d
do Dr. Frerilm:
55 RUA DO TIPERADOR 56
EBabelde etoe do ai e apm. dWIm
tot Pr" ae
Cambraias transoaream.
tes a 34

E' pechincha
Na loja darndadmpera triz n.40, Le1
do becco dos Ferreiros. vende-se pe de
braia branca transparente, sendounh,
para vestidos a31 a peqa; sAo uMitehSU

CRAVOS E FLORES
Na rua da Uniao i.

35, ha sempre para se

vender craves e flores


Casemiras de cores
De *:000 at *:00.0 rs,
R row orfili(ia
Alheiro & Silva 4 rua da liperatriz n. 40, tern
urn immense ortimento de casemira de c(re;
tanto etas cornmo eseuras, que vendem a 2 ,000
2$500, atW OJ o covado, e das mesmas mandam
fazer qualqumr peca d'obra ou costumes, por pre-
gos muito ra oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortim-ento de casemiras e pannos pro-
tos atW ao mais fino sedan que vem ao mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontale do fre-
guez e corn toda a perfeico e presteza : istc- na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
beeco dos Ferreiros.
oa 160 ris
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muito bo.
nitos linhos de urma s6 cor e de listrinhas par
vestidos, sendo a 160 r6is o covado e de cOres fixas,
isto na wa da Imperatriz n. 40, esquina do became
doe Ferreiros.
Brim pardo
Covado a 360 r. m
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo liso, proprio para paletots, calgas e
roupas de crianvas a 360 rs. o coyado, isto poi
ter um leave toque de mofo, que larga logo que si
molhe, & grande pechinelm : na loja dos baratei-
ros da Boa-Vista, esquina do becco dos Ferreiros
Fustoesa360 440,500


pretos!
Cortes de vestido de cretone e percalina, mo-
dernissimos.
" Fichus superiores a 2j, 34, 4;, 51 e 6;000.
Espartilhos a 44000.
Sortimento ger de collarinhos eplastrons para
omens.
Collarinhos de linho a 200 r6is urn.
Las escocezas a 240 reis o covado.
Fustoes superiores a 400 reis o covado.
SBrim de linho pardo a 300 r6is o covado.
Colchas de todas as qualidades.
Rua Duque de Caxias n. 62
Mendona Primo & C.

Extermminador das mu-
ri.ocas,
mosquitos e marquis
pelo
Antemoustique de qn us
Deposito geral
G. Laport & C.

Vendesse


I


it


W


* ** *' '


417'"."-


7


























Aadlomiai-Ae perdoarA, haver
abusado de sua bondade,
S. J M .qe consider e quo sera prova-
IH^ ,. 1aitima communicate quo on
"ef-lhe a respeito desta ques-
"e resume dos trabalhos do toUa rmi-
bro a materia.
V .... rvar-lbo a confianga corn quo eun
a ultima cxpresslo, pego-lbe
P .- "*ra tornar a lor as conclusoos
'K L -' A-- sua apreciagco, ha um an-
AL | IwMr-:u,-teom 31 dejulho de 1883, e
..^ ,^ :j..,%Z,'I3he aprespnto como a expression
-. : .- ..- invariavel de minhas convicqaes,
r .'' '* dos rctos que acabam do se re-
Baoa vista.
conclus es.
,.. ; .o. tconformidade do casino dos mais
S- .....medicos da sciencia, desde Hip-
.: '. ;\ l~ oje, sempre considerei a eve-
^ edas p pliemias, e das do cholora-mpr-
.. ..au especialmente, como o resultado de
Seas constituiges medical oriundas do
,... :"*di26ffies successivas da atmosphere e
^ .;;dowftamimo. (1)
i, 2.0 Sob b imperio dessas modificaces,
... a epidemias cholericas so annunciam por
deserrauos na sadde, caracterisados prin-
c!. ipalmente por diarrh6as continues nos
memnos a principio, nos adults e nos ve-
: .. Ihos depois. Mencionei estes factos no co-
vu" mego do todas as epidemias do cholera
NU desde o anno de 1831, mais de um anne
Santes da epidemia do 1832, e successiva-
i mentor nas quatro grandes epidemias que
S-vieram depois da de 1832: em 1849, cm
; 1853, em 1866 o cm 1873.
A existoncia dessas diarrheas, a que en
-, dei o nomede doarrhlas premonitoria as epi-
epidemias,foiconfirmada pelos mais severos
observadores de todos os paizes
3.- Per occasiao da explosao das epide-
mias cholericas c durante scu reinado, se
verifieam tres outras cathegorias do di-
arrb6a, que sao corn certeza a continuago
das diarrh6as premonitorias da epidemic,
-. e tries demonstrac-es mais claras da intoxi-
caSgo cholerica:
^ A primoira cathegoria 6 a em que o
cholera, em certas localidades, cidades, vil-
las,. n.o pass deste esbogo, em quanto que
ws loealidades visinhas, ellu adquire todo
on adessri lvimento
A segunda cathegoria 6e aquella que pre-
Scede invariavelmente a desenvolugao do-
cholera individual e constitae o primeiro
; periodo della:
A terceira cathegoria 6 a que nas loca-
J idades, em quo rei m o Cholera complete,
s ee limita comtudo a aoertoa-quarteir~es,
7 a Osrtas ruas, a certos lades do ruas que
Sseo havia supposto precedentemente ao todo
poupados pela molestia: e isto em virtude
de unia immunidade expecional..g Mos-
trei que estas tres cathegorias de diarrheas

(1) Nio so pode doixar de invocar ,em
occasion tao solemne as sabias e laconicas
palavras do um dos mais abalisados pro-
fessores da scioncia medical:
Disso Sydenhan: Ha diversas constitni-
93es do anno quo nao dependem neni do
calor, nem do frio, nom da sequidiao, nem
da humidado; mas antes de urea alteragao
secret e inexplicavei nas entranhas da
terra, que communica depois das qualida-
des morbificantes quo produzem as moles-
tias do diversas species. a Mas o que 6
que a sciencia medical hojo nio explica por
meio das mais subtis doutrinas, ainda que
nao seja se naio pelo espa9o de um dia ?
Cada system, cada doutrina, cada tracta-
mento tern seu dia, sua 6poca, seu impe-
perio, e sua morte ingloria. >
Not; do traductor.


FOLHETIM



o 4 IRILfLE'TA

POR

S G. PRADEL



T[RREIRA PRTR


(Continuagao do n. -225)

XIV
Pobre Thercea\
Enitito o soldado, o niarinheiro, aqiue]lc
que tantas vezcs'arrostara de frente a inor-
te, aqueUle qu,. nunca vacillara no mrcio do
perigo, na occasino em quo muitas vez.-s
caheni as onergias dos do melhor tempera,
fraquejou, ajoelhou-se diante d'ella e rYur-
murou a mcia voz em acgao do gra9as:
Abe oad p sejais, meun Deus! Vs
. que Uosjipestos peupar!
M]wa ic cheia de coragom, levantou-o
Q p ai gesto, e nwstrou lhe corn as m ios
4i[r do carro, dianta-do qual estava.n
'#fbus agptes.
-- Aquella que me salvou, cstA alii, is-
Foi forida a pobre Thereza, e esa;a


.9, que tiravarnm d'a carragem,
.grito abafado, arrancado pci.a

eBnto~a iammdatameut :

:f aa ^ i d er ; d.:
. ".m -dr of, t m.,, .,.


"' .'


pN '.^ij
10 -.!i*- ... .,


ram foi por quo. a vigilancia escrupulosa
naio foi bastante: era precise mais alguma
cousa. que se nio fez. Veremos no fim
deste discurso as opinioes abalisadas de
alguem que sustenta quo ha importagao,
ainda que nao haja.


-- Sim, disse Aline, em voz baixa ao on-
vido do seu noivo, soeu pai e um padre.
Por duas vezes pensei que a desgraqada
me expirava nos bragos, durante o trajec-
to. Ah! Roberto! Roberto a alegria
complete nao 6 d'este mundo I Para que
ha de a nossa felicidade ser enuviada
pela morte d'esta pobro c querida creatu-
tura! -!
Os agents esmeravam-se Subiram a po-
bro Thereza, qne acabava do perder os
sentidos.
Quando a collocaram em urma cams, a
cama de Aline, que fazia grand empenho
em que aquella que se havia sacriicado
por ella, f-sse tratada com todas as atten-
9ees, Thereza abrio os olhos.
Uina alegria coleste lia-se-lhe no rosto,
coimbatendo urna pallidcz mortal.
Rosw que n.ao podia reter as lagrimas-
sabe-se a amizade qae tinha A sua aina-
chegou-so para Thereza, e prodigalisava-
Ihe todos Os cuilados.
Ao Jadco d'ella a tia Bitord ajudava-a.
A criad.i puzera a descoberto o ferimuen-
t) largo C profundo, umrn golpe do carniei
r. feito pelo bravo robusto e furioso do for-
9ado.

A ferida, coberta por urna espurnma aver
melhada, e da qual o sangue s6 corria por
intcrmnittencias, escancarou-se.


a~ ~o d a
w w '- *< *-^ "' '


e que, per coeginte, si o agentoe
jeneo; necesairiamiente engolido pela"' m
part do anainae por occasilo das epide-
demiai nio. Ihes communica a molest% 6
porquo fica neutrahsado ou auniquilado no
primeiro ou no segundo d'aqaelles orgios
e corn mais probabilidade no primeiro. "
a Vejamos pois qual a compoeigo do
liquid estomacal em tree espocies d ani-
maes tirades da classes dos mamaitba: o
homem, o ceo e o carneiro. '
i Resulta dos analyses'. de Bidder e de
Schmidt, qae o sucCo gastrico contem:


aem 18 :..'-ea Mar
cem1 "M. e era
Sem cada umn destaa lo-
i Uf e tsmo sido? s
rovas muito autheatica. e apreaet-
das nos mais veridicos documeutos.
Em apoio destos factos citarei ainda as
notaveis vorifilaes do Dr. Cuningharm,
relator da commnissao sanitaria da India :
e A epidemic do 1872 a 1873;, diz Mr.
Cuningham, principiou quasi so mesmo
tempo em cem pantos different e a gran-
des distanclas uws dos oatros. A importacgo
nao poude ser verificada om nenhuma das
localidades que sujeitas a umo escrupulosa
vigilancia (Bulletim da acdemia, 1875,
pag. 927.) (2)
5.- Em sentido contrario da importaigo,
differences lugores da Franga ficaram du-
rante mezes, se nao foi duranto um anne,
em relagio quotidiana cornm differences cen-
tos invadidos pela cholera serm ter apanha-
do a molestia; e quando osta apareceu em
algumas, come em Paris em 1832, no Ha-
vre em 1873, foi absolutamente impossivel
descobrir am facto queo odesse servir de
pretexto para a importavao.
6.- A contagiosidade do cholera, firma-
da por um certo numero do observa-
goes incontestaveis, que sempre foram por
mim admittidas, constitute um facto relative,
isto 6, subordinado, quanto As looalidades,
quanto ao individuo e quanto a molestia
mesmo, a condigoes previas de aptidlo, do
receptividadoe de actividade contingeptes,
queo explicam completamente a impotencia
dos transports longiquos o a uterilidade
dos contractor individuals.
7." Finalmente as epidemias de cholera
sao sujeitas As lois quo regular a evoluelo
e a propagaglo das outras molestias virulen
;as; c infectuosas e as differences done-
minages corn que se ha arbitrariamente
separado as formas e graus de cholera realed
em cholera nostras,-cholera sporadico cho-
lera epidemic, cholera asitico, noe tem
mais razio de ser, que semoelhantes deno-
minagoes que so quizesso applicar A vario-
la. escarlatina ao sarampam; porquo ne-
nhuma dellas ternm uma fonte do origem uni-
ca, e nao podem serconsideradas, em seus
differontes grAus e formas diversas, come
molestias de naturesa e de origem differen-
tes, corn o nome de variolas, de sarampam
e de escarlatina nostras'ou exotica.
8" Emfim, e como consequencias logi-
cas e praticas dos fa'ctos precedents, as
medidas sanitarias postas hoje em pratioa
pars so opporem A invaslo do cholera
asiatica, devem ser consideradas pela maior
part como instituig5es caducas, quo urm
dia serAo substituidas polo system das
advertencias em casa, systems inaugurado
desde 1849 em. Inglaterr'a onde de....
130,000 cases do diarrhea premonitoria
exactamente verificados, apenas 250 tive-
ram o infortunio de chegar at6 o cholera
cyanico o mortal.
A's 5 horas levantou-se a sessio.
0 secretari' perpetuo,
J. Beclard.

0 cholera
Do numero do 26 do agosto proximo
passado do jornalfrancez Le 2emps tradu-
zimos a seguinte analyse, dada pelo Dr.
Girard, de unea nota, publicada pelo Dr.
Hommel, nw Journal des Medecins Suisses no

(2) Esta proposicao nao esta conform
aos verdadeiros principles da sciencla.
Que dovia de havar imrortagto 6 incon-
cusso, porque uno ha cholera asiatico que
nao venha da Asia, So nio a descobri-


986.1
1.2

4.1
8.6

1000.0


dPortanto, o liquid gastrico do clo con.
tom maito menos quantidade do pepsina
quo o do carneiro, o quo nao 6 de admirar-
sendo elle mais especialmena caruivoro,
ao praso quo o carneiro 6 exclusivaiente
herbivore; a proporcao de sacs minerals nio
parece offerecer grande interesse para a
questlo de queo estamos tratando par era,
mas o que 6 digno de reparo 6 ,a pobreza
do suceco gastric do home principalmen-
te em acido chlorhydrico, pois o do carei-
ro contem seis vezos e o do cao dezeomeis
vezes mais acido chlorhydrico que o do
home.
SEste facto ternm importancia capital,
visto ter o Dr. Koch reconhocido, quo o
acido chlorhydrico 6 fatal ao microbio do
cholera o hayer portanto probabilidade se-
nao certeza de ser a abundancia do aoido
chlorhydrico contido no liquido gastrica dos
animals que Ilhes confer absouta imdnida-
de em relao ao cholera.
S Do tee' vistas tho6rieas decorrem as
seguintes instrueges pratica, que nao de-
vein ser tidas per simples hypotheses,
pois sao consequencias de factos incon-
cussos.
a 1o Sabe-so que, n'um estomage sa),
a producco de acido chlorhydrico flea sen-
do notavelmento augmontada sob a influen-
cia da excitagao da mucosa estomacal pro-
vocada pela ingestlo de grande quantidade
de sal de cosinha; portanto, era tempo de
epidomia cholerica, quem goza de born es-
tomago tern a sua disposiog um meio com-
modo e energico do prevengoo contra o
flagello, basta-lhe usar de alimentoq, bntito
salgados e accrescentar-lbes 3 ou 4 vezes
per dia a porlo de sal qtte cable naponta
do urma faca.
S 20 Quando a producglo de acido chlo-
rhydrico no ostomago acha-so pathologica-
mente diminuida,' 6 precise supprir esta in-
sufficiencra tomando tros vezes per dia
uma colher de sopa do dito acido em dilu-
9ao corn 98 0oo d'agua.
( 3" Case seja pelo contrario notavel-
menteexagerado,'claro 6 que nio 6 necessa-
rio augmental-a.
S4- Emfinm o home prudent (homo
sapiens) deverA ovitar absolutamente todo
e qualquer excess de bebidas de qual-

(1) A Academia das Scincias tern 100
mil trances, (cerca do 50 contos de nossa
moeda ao cambio actual) que constitunem o
chamalo premio Breante silo destinados
ao descobridor de umn remedioe cspecifico
contra o cholera.
Tboreza dizia baixinho, olhando pars
ellas detidamento, meigamento:
.- Vm, 6 ainda a pobre rapariga que,
enxotaram, quo despresaram, C ella quern
lhes restitue aquella a quern tanto querem.
Para isso deu o seun sangue 0 nao so ar-
repende. Sonte-se feliz, muito feliz. Ex-
perimenta nuna alegria supreme.: Este sof-,
frimento que 6 borne cruel, 6 a rocompensa
das suas torturas e das suas lagrimas.
Um medico, chamado a today press,
acabava de sondar a ferida e da fazer o
curative. 0 sen rosto impassively nao tra-
hio nenhum'dos sentiments quo experi-
montava. -
O Sr. de Laitres chamou-o de parto.
-c Enaao, douter ? disso elle, quando
ficarana sos.
0 medico meneou tristernente a ,eabega.
i A more implacavol esperava a sua vic-
tima.
E, perg-untou Roberto, hi j.Mtando, por
quo a pergunta e-a atroz ; soffreri 'ainda
muito tempo a pobre creatura ?.
O doctor meneou a cabeca.
Nao I morr, suffocada. .hi Ihe dis-
so, 6 umra questao do horis. FI:i de vel-a
adormecer ao somper do din, o pouce de-


psis nio sentir in mais nada. So ella tern
algumas disposi 'es a tomari, c prociso
chaminar alguns dos seuis scmin pora do tem-
po.


Quando Aline vie a foerida, n.1o p6de ren- Disposiqas I estavam toinadas.
ter um scstremecimento do terror. Tinha 0 Sr. do Laitres, desde as primoiraspa-
n'aquello moment entire as suas a mao de lavras pronunciadas per Aline, imaudara
Thereza;: esta sorprehundeu aquelle movi Alain A procura do tio Berara, recoinmen-
monto. dando bern ao sen irmno de leita que to-
Sirm, disso ella,.corn umn sorriso, elle masse todas as procau9ies para cuinmuni-
n.o.errou. E' a elle que -lamento, Aquell; car ao deogragado velho o gopoe tor.ivel
miserave! 1 0 que ]he fiz eu ? Mas nalu que o ia ferir.
quapdo' colera, a raiva,'so apoderam d'ol- Ms desde as primeiras palavra logo
le,"e!1e hilo sabe o qune faz I que ouvio qua se tratavx do T r, o
.- ..us olkhgtromn.Ilaos e vacillants iaiam Iho agent soltou um grito: :
da IWiAiord fra. Boma O. que diriaru .inhafilha l. orreu,. f foi 4. -
aqas es hIares EwM tab eprPuivuBs, a matou !. 0
am Iat ta bpiaU i a e Ice e t..'a emau- 0 c6racao tarn Maiita" Vfw. l -
n^ 4N lb- avia gni- vOm cl.ramente a
.5 59i nc MO. ~
4 A_ %



... .-...... : : .
V' ,." .:.o r' I "",,:.-::,7 ." ,::


*2~ p kaver-ifi

havia re-
i~/ofiat it acima

i. As conclus ("/ f 'iwZtaSa- o per-
.s.tapento .o~e~.~~,jb0h ea pouto de vis-
ma mi supeeireeas elucub. mqes fantasis-
tas e commereaies corn quo a Academia das
Sciencias tern sido abarrotada de algum
tempo para eA, (1) entrctrotanto o Dr.
Homme2 deveria submettel-as a contra pro-
va seguinte : J4 que o suceo gastrico do
carneiro, embora mais ri2o em acido chlo.
rhydrico quo o do homrem, nao o contemi
sendo em diminuta proporgo, tentar, pe-
la privaAo do sal, ou ontro qualquer mcio,
reduzir ainda esta proporgIo, em ordem
de esperimentar, si n'oestas condigSes fica-
rA o carneiro apto a contrahir o cholera.
E' esperiencia quo merece ser feita e apre-
senta muito idteresse. Seja come for o
Dr. Hommel estA n'uma boa senda-a da
logioa o por isso merece ser encoaajado na
6poca prosente.


SLITTERATURA .-

VIDOCQ

UM EPISODIO DA SUA VIDA
POR
PAULO MAKALIN

seginda parte
O CAMINHO DO CADAFALSO
(Continuawo)
A CASA DE PASTO DA GUILHOTIJINAI
Ah! milord, que acontecimento des-
gragado! gemeu elle. Corn tanto que isto
nao dosacredite a minha casa!-- Esta moga
desmaiada, e o Sr. marquez. quo lovaram
sem sentidds para o soeu carro.
-- Que marquez ? perguntou a criada,
quo, curiosa, estava atraz do patrto...
0 cavalheirodesta dama... E' um mar-
quez. Tern armas pintadas e douradas na
port ,do seu carro.
A criada den unna risada:
-- Um marquez! exclamou ella. E esta!
romo se eun auo o conhecesse! T'o carto
como eu me chamo Mariotta o qeuo servi
tres Annos na estalagem do Lego de Oaro,
em Villeneuve-la-Cuvard, 6 o meu compa-
triota Rolando, o sobrinho das lavradores
de Grandchamp, Um dos meus antigos na-
morados!
Sir Jedediah Moore, ouvihdo isso, deu
um pulo, e corn um sotaque que nada tin'qa
de britannico, exclamou:
Rolando!... E-ra Rolando !... Pois
bern, palavra de Vidocq, euo suppunlia!...
A moca abrio oas olbos:
Men pai ? Onde esta meu paiL? sus-
piron ella.-
0 false inglez levautou-se :
Seu pai esta morto, dis3e ello em voz
grave. Voee, Helena precisa viver, viver
para vingal-o.
FIM DA SEGUNDA PARTE
Tereeira parte
A VINGANCA DE VIDOCQ
I

0 VNIFORME DO GENERAL

Dens desses tactos diversos quo tern o
privilegio do virar a cabeoa dos palpavos,
asbignalaram o o01me9o do anno de 1824 c
obstaram que em Paris so notasse as pri
micias de um inverno cxcepoionalmente ri-


goroso.
Foram elles:
Na noite de 31 do dezembro para 1i de
Janeiro, o furto que soffreon o marechal de
campo Bouchu, no palacete ondri esr- r, i


O velho chegou u orfeguto, ul t ,ocoio
em que o medico acabava de sahir. A an.
gustia dera-lhe forgas.
Mas quando vio sobre o travosseiro a
pallidez cadaverica quoe havia invadido o
rosto da pobre Thereza:
A miuha filha oxclamrnou elle, levan-
tando os bravos ao ceo, a minha desgraga
da filha estA perdida !
Cahio junto do leito. Nemr umnaJ lagri-
ma, ne m n solugo.
Nada podia sahir d'aquelles olhos cres-
tados, seecos.
Corn una voz cava, que a emoAo tor
nava mais profunda, fallava ai sua filha :
Minah Thereza, minha Thereza que-
rida, ostAs entio perdida! Ah I en brn
sabia qua isto havia de terininar assimn.
Cemrn vezes, ao fechar os olhos, vi-te como
estAs ahi. Elle rdubou-te, devia matar-te.
Estes monstros devoram tudo: o coraglo e
depois o corpo. Nao Men Dens! leovai-
mn, levai-me, toinnmi a minlia vida que pa
ra nada mais serve, inmas pcrdloa-'.h6, a ella!
Deixaii- Seonhor, coin aquelles quo a ro-
deiam e quo silo bons parna ella. Oia entlo,
so a levais, nlo mino deixeis s6; o que
quereis que cu fa.a, meu Deus? Se a um:I-
tais, rumatai-ne tairubemn..


Calo-se, papA, murmuron Thereza;
corn a voz fraca, despodaga-me o coragilo.
Nao, p691-lho, n.eo fallen assim, nieo ima-
giaa as d6res que me faz soffrer. Diga
antes, meun querido pai, quo ei perdu.i,
que nio estA mnal corn a sua pobre There-
za, digs, bein alto, pars queo eu o aou,
pois quo isso me. impediria do morrer tran-
quills. Causei-hs, muitos dosegostos, meu
querido papa, wmas jlgava quo .era isso
precise. Acreditava emp um casamento
possivel. Fu nao sabia do nada. Quando
sp area, meu p.ai, figa-se cega; e amava-o
muito, @oqao aedeve amsr a umr homem a
quop se es gada. Na, n mi, is
porque iub^ ^umria, nab o p 4fae o.n 0
men st~oeo, ^^ ||J( i- t i*H<
.0 ,-.
nfih _a-arxia


^ ,aoi.m que o t9a o trceiroe ...i.0o. #quA dwjp
. Ultiho. 4* t0 l drauta, a public ex.
cm ba"ie o da janella pela qual : tiradeMd au'.."
alg' tes dextrose nao roelamavam as digpas Irm 4a Cmu;-:m w
rin -so pars vor um personageom con- esse aujo do virtude, de C e p ma
sidoravol; signagao cuja reputaco do i imWk
Ou, aoprando nos dedos tranzidos e ba- compelling a opihB da oinata i
tendo o 6 ps na nave ondurecida polo gelo, respeito e cuj$a .g e i
per aeo aehar lngar dentro, ad:nirava, do julgaw-se enter ao f ado do amn m
exterior, a Bella Limnrmd.ra, sentada ao tro, tinha-se resoirdo a eavolver-e -
sen balcio, atraz dos cspelhos, illuminados, ruido presosAo sem n ow a, rwa m wih a
do CGaf da Escada 6specialmento refer- a hom6nagem daqumllhm am m m am
made.
Opa queinteo a insigne paciencia applaudido a exoeeulo do e u p ? Per-
Oa, par que teo a sige pacienia ambicionmava elQla fauor refle a bre
de acompanhar-nos ate aqui, 6 evidence a sun fronts brilhb Isinistro do Cuss&
quo nao se pode tratar da Sra. Angelica do Sanson? prque aprentava-so di,
Mazerolles, assassinada justamentat um como s fo o .ppedstal, no cadake
anno antes, no sou palacete da rua dos Ma- into do sangue ? Corn qnuo fim de ospec-
gons. Ia l gi o ou do vaidade, ambos "u a a lI
Paris parecia ter completamente esqueci- abjectos, trau dritava se, elas e talS
do a ex-Ceres da fosta da agriculture, a de estalagem, on&ado o vne qua se
rica vinva do bairro da Sorbanua, cujo mens aviam dea o elpdo, q
fim tragic, nio menos quo a vida ternpea- el!a devia julgor iBoaod utblso-
tuosa, a tinha abalado per urn m nomentona mecido do saeara etorso deboi"o do i rva
tilo violentamente. Paris 6 urn monstro que do Clamartdei d
^oTY~ r & d0116 89 de Clamart, ?? $*^ n
digere tie depwessa come devora. Cada tia Taos eram as pergunts quo todca fa-
traz-lhe o son pastel do novas eenog5es. ziam e a quo ngausa d.
Nib Iho perguntem Artoite so ainda senate Aczres.entariamos quo eqso myatera.
o gosto do bocado quo devorou de manhi'I ;iR.s c ;mu pa a son suc o
Eis, simplesnmnto, o que tinha acontecido: contribnia mito pa- uo m s osw sw
XT i i^ *^ j i-t naoe estivosse rvd qu e toa -
No seculo dezoito, eaia caf6-tinha a suna estivosse provada que, em todas an
bella limonadcra. No tempo do Imperio 6pocas e independent do todes as consi-
0derapi~es estrauhas, Pari s mpre se iate-
e no tempo da Restaarao, encontrava-seres srnhae, Por ro so
ainda urm em cada cidado. Nada tinham rersoo, singularmeate, portudo qnto, do
de commumn corn as nossas- darhas que pertoo edo longe, tam rela.lo oor as
a guandam a caixa v e nao fallam senilo crimes o s ss actors.
corn os criados; nada do commurm tinham, Fag o leitor id6a se Helae Lebrun,
tainmboei, corn os Gretchen que tudo fazem que era moga e linda, que tinha o adebo
dos nossos botoquins. Ella conversava supremo de so fiJwa c w npa, perdom-
com os freguezes mas nao os servia. Era nos esta La Palissada que torn perfect
alegre, graciosa, loureira come urma actriz cabimento, ehamou a atemoda do cute
0 .1' o da cidado quando foi roaberto o omil
quo quest -agradar, map nao acceitava, aber- Ida Escada !ebr
tanmente, dos seus adoradores senlo madri- vp i pl
gaQva ramilhetes a does. Para ella o caf6 Na vespera tinha havid furto no pals
tin6 areas do uma sala. cete Valais.
tnha ares do urne sala. Esse par do actualidades foi assumpto
Nesse officio, a bella limonadoira ficava das converses durante ura quiozena.
muitas vezes inillionania; os sous padres Digamos dus palavras sbr a segud :
semnre Digamos duas palavras sobre a segunda
sempro. ella tambern iga-se indiroctarente iino*-
0 leitor vio que Angelica 3.azerollos foi ella tambem lig-ic tamente/
0 litr iequ Agtic Maool sfai narrative. Demos a nosso paiavra a
ao mesms tempo patr6a e dama de balcio. Viarratvaq. Dem a n
Quando ella cedeu o sen estabelecimento e t -
para gozar em paz de urma fortune conquis- 0 ha policial esreve nas suas Memo-
tada A ponta dos sens encantos, o-novo pro :
pritario do caf da E scada deu-se pressa Alguns gatunos ousados, tendo pene-
pni tan e o c f6 ds sca a on- o pre sa trade A noite no aposont o ccu p d p lo
em installar no sen lugar urma dessas ama- trado a nolte no apo Bocbupado peso-
Sr. marechal de sarape Bouchu, o deepo-
vois possoas, que nio fattam, para occupar jaram o mais completamonte possi0eL
um emprego em quo basta sorrir cornm umra Avalia-se em trinta mil francos o valor do
bocca bonita guarnecida do bells dentes e furta. Tudo servie-ihos, desde a 4ip le
tocar unma campainha corn uma mlao be ro T do as de irnme
cuidada na extremidade de um bra9o corn lso de algod.e s at6 as dragons sto-
covinas das do general. E~ses senhores, habatuo.
covinfas.e.,a dos a nada deixar, levaramn 6 a roups
Iafelizmenteoopublico evario. A bocea lavadeir..a
da quo substituioe a deusa de messidor an- qu e ia pars dei dix r
no I[ era grande de mais ou pequena de asse systema o nao 6s des w
mais? 0 sen brao nlo reunia as condi- nada pessoa ro 6As ve muto
porigoso pars ao ladrdo, porque a sna ap-
93es exigidas de tom, calibre e contorno ? pi o p a c d
Oa a vjga, obadecendo ao minovimento do que podem ser fuestas. Nessa ocmde lo,
rota9io que a attrahe, tinha chegado ap perar cnes bes2
ponto em que deixa o lugar que passagei- porm, operaram com toda %n ; a
ramente prendeu o. seu humor caprichoso e pnsern9a doe general foi u gartiad
aabund?. quonib senam perturbados na sus e, pae -
vagibnndo ?.. .
0 que 6 certo e que a chusma dosertou za,. e assim eavaziaram armarios e mal
bruscamente do caf6 da ,ascada pars ir anorn a mesma segurana corn que um
Jardem etrco, onde a celebre Josephina, e cnivio precede aq inve1tann de urn marto.
aocaf o eondo a famose Sra. Remain, c 0 general, depois dT u bslqu ,
so cf6 Bsq isetentron parsaa casa cahindo do semeno,*
comegavam a fazer furor. 0 successor dns condiments a gente tnass
osposos Mazerolles lutou alguns annos corncm ndspos aons deta-s ted q rm
oeinfortunio. Depois resolveu.se corajosa- chrirspojeo para deitar-sx do qu. par. fr.
monte a fallir e o estabelecimento fechou-se char urma janellaoell deoxou qis aberte-
r *, 1 para commodidade dos que quisossem eor-
Mais tarde a moda abandonou por sua vez tran o sahir. Quo imprdencia !
o Jardim lurco, o cafe do Bosquet e o das (> Pans adarmecon nio fai precise quo o
ril columnas, no Palais Royal, para onde, embalassem; ignore so teve sonbos agr-
como ultimo nefugio, a Sra. Romain trans daveis, mas a qon colligi da queixa per
ferio os seus attraclivos. Esta, tendo per- oel apresontada foi que acordon-se cone
dido o marido, que succumbio a nma qu6- ur S. Jo1losinhoia.
da de cavallo, recolheu s0 a um conveato. Quem a despajou assin? NTlo ,orA
E Josephina, a sua rival, depois de esban- facial descobnir; e pan cnquant ao mne
jar montes "doeuro, suicidon-so atirando-so p6de affirmar a respeito deasa gente 6 quo
da janella da mansarda, para ondo a ruina 6 muito atrevida.
a remetteu, nas aituras do Montmartre.


Depois, soube-se, subitamente, qupo 0 ca- ico o see dias depois d ocurru-
f6 da Escada estava reaberto, sem annun- cia ontada por Vidoeq, so cai da oiteu ,
cios, avizos on cartazes preliminares, mais quantada por Vidocqrin, veao candedor da noita,-
bonito, mais luxuoso, mais osplendido. do gons em segunda mle, stabelecido i ra
que nunca e tambem, mais que nunca, pro- a onerie a. 1 i oca e su ji A
vido de ura moga de balcio, cuja belleza da Sonnerie n. 1, ia fechar a sua loja a
vid do uarns a do bd, cuja beaez va as costas para os transeuates, sen.-
de genera muito especial, apagava as das tio tocarem-lhe de leave no hombro.
mais apreciadas e mais festejadas das suas
predecessoras... ( (.t,,,,-i


frido muitoi Oh-! sim! cruelmente sof-
frido !
Bamrn sei, responded o velho, corn a
cabega mergulhuda nos lenoes, bomrn sei
quo tern sido desgracada. E eu, hojo quei-
xo-me de mirn mosmo. Muitas%vezes fui
severe para comtigo; mas o que queres
tu; minha pobre filha, presentia essa ulti-
ma desgraga, sabia do ante mlo quo ha-
via de succeder. E assim foi, veio esse
dia maldito. Tu fosto ferida. 0 teu. san-
gue correu 0 teu sangue !... Ah o mi-
seravel !
Entretanto, nmoeu born pai, e precise
que me coneeda um favor.
tQ io Berard orgueu-se. Comprehende-
r'|uo sua filha queria d'elle. No seu
li deo morte, ella presentia arrancar-lho
uma promessa de pordeo.
Sacudindo lentamente a cabega, respoa-
deu:
Isto nao, Thoreza. nib peas isto.
Tudo, except3... tudo quo quizeres. M:is
perdoar a ell-c nao o perscguir. at6 o
meu ultimrno alento, ninuca Enquantocxis-
tir no niu miseravel corpo qin rest de
for9a, hei dle perseguil-o. Ha, uina justipa,
o o scu di.a. chegit. Ah! hei do eucon
tral-o, ostou corto. Nao, nio ponses mniais
aisto, na'o cuides mais n'dle !
S- M-u pai, supplico-lhe...
Nao digas uada, nl falles mais. Pa-
dia a Deus do levar-mo comtigo; fazia i
nal ; o meulugar 6 aiada aqui. Nlo dor-
nirei tranquillo emquanto souber quo este
nonstro vivo a8;J.
Bateramin levemento na port. (
Era o paIre. a
Thurza o vie approximar-so sorn me p
do. A morto uilo a amedtontava. N.o
tayva a .ua vida acabada ?t 0 horriv
irro do seu amar ngo tinha ;ado manchado u
Stisnado? ..
.apejo doe si mesma, a deeagaada a
6mb o-se qfio pectencera deo corpo e d
lmla!,Sm aMsSsiao Ino a
c0 k ote a anra-se junto d'ela;
oet cab o velho esout
.4 0,?* Con *-- |
1^ ., 1: .,: :,.,':: ." ^ ? 1


--IVfK f WG


o tudo que soffrera parachegar a un des-
enlace loucameonte sonhado.
0 rosto do ministro de Dens de)tava
o cspanto e admiracao.
Entretanto, fOra muitas vezes canfideute
de muitas dures e muitas faltas; mas a*.
tia urma piedade immense, profumda, por
esse coragio dilacerado e agoniado. Non-
ca tinha ouvido a narrabo de toe crucian-
tes does.
E depois de ter tudo ouvido, e dito a
ultima palavra que separa a vida da morts:
Ide em paz, ininha filha, Deus vom
absolve... A o rosto da infeliz illuminou-se
do uma aureola de luz celeste: o perdlo
de sou pai, o perdao de Does, ella tinha,
possnia tudo quo descjava.
Entretanto, tevc um retroiesso pars a
terra. Curvada sobre ella, acabava de
perceber o rosto do Aline banhado min I-
grimas.
Chamon o 6r. do Laitras pr seu noam.
E entio, unindo a mao de Alims e a dn,
uaoo nas suas, mrurou:
Amain-soe Podem an-e1! A vid
dove ser suave as"h4' Ak que pars o
seuhor tambein o pasasoi desapparegs;
toi bemn triste, asaim coan o a. .
ha de ser feliz, e esotit asgums ease hba
Jo pensar na pobreoThmue '
A more avisinb*ie -Tib fakm
somento per phrao".U,96nD i A
ferida, da facAda ignobil, o aum sad s
parava a vida.
Abandonou ai mlos doa do4 Aoiv a,
.omprehsndondo cqm AL dLa dea6i .
que o ultiomornmet -B o dim ao mi-
sere velho, quo a&dom ps d
palqra a entrava cCaorn o
p psi,'*'do pap^N*
ibs para aqi, qsianal.


1111...iB R flS ^H ^ *^


~


w rU


Ir


II II IImllll


I


I o'


Agua........... 994.4 973.1
Acide chlorhydrio. 0.2, 3.3
Pepsina e mais ele- I
mentos organicos 3.2 17.1
Saes mineraes....1 2.2 6.5

;1000.0 1000.0




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERTZQ6Q6I_VH2P3A INGEST_TIME 2014-05-03T23:30:01Z PACKAGE AA00011611_14115
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES