Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14072


This item is only available as the following downloads:


Full Text







































possa, avisamos que

os numerous avulsos

do "Diario de Per-

nambuco de qual-

quer dia, vende-se a

100 r6is cada urn, tan.

to no nosso escripto-

rio, como nos pontos

ja conhecidos.



TELEGRAMIAS





(Especial para o Diario)

LONDRES, 2 de janeiro.

0 Sr. Giadston acta-se bastante
indisposto, Inspirando cuidados o
sen estado.

BERLIN, 2 de janeiro.

0 Principe de Bismark, agradecen-
do aos doadores das subscripe6es
feitas em toda Allemanlha em sen
favor e do pes.oal do Ministerio dos
Negocios Extrangeiros, declarou que
dispora de .0:000 marks para um
outro fim.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
3 de janeiro do 1885.


INSTRUCGIO POPULAR

PHOTOGRAPHIA
(Extrahida)



Historia da photographia
CAPITULO V
A PHOTOGRAPHIA
Em toclas as importantes inven5es e deseober-
tas apparece, ao lado do inventor, um sem numero
de outros individuos, que estudando o invent, o
sabem modificar e aperfeioar, dando-lhe um ca-
racter mais pratico, apezar de terem sido incapa-
zes de o crear.
A Photographia esta perfeitamente n'este caso,
porque.-sc Daguerre e Niepce foram posterior-
mente seeundados por Chevalier, Talbot e Blan-
quart,-muitos outros obreiros se lhes deveriam
seguir trazenda cada qual o seu aperfeiqoamento
para a fazer chegar ao adiantado estado em que
hoje so acha.
Herschell, o illnstre astronomy inglez, applican-
do os processes ji descobertos para a flxa~ao da
imagern no papel, lembrou-se um dia de experi-
mentar a substituico dis reagontes, at6 entdo
empregados, por uiD outro -o hyposulphito de so-
dio,-e, exneriencia foi ella, que para logo deixou
perfeitamrnte klefinida a vantageun de tal substi-
tuigao.
Ao lado das vautagens trazidas polo procosso de
Blanquart. appareceram logo os inconvenientes da
falta completA de brilho, dai contextura desigual
do nap.MI. i.s ri,d:dle' da su. superfieic que
nad" perllu'.t.ia.. a*i iiil'Tc.sionau nito )por igual, e
finalmnont d- diflerenya de porosidade e da sua
d-/si:'-a';*! c ::t'. ;;-:':nilida,.e.
'7;rur:,v'.- n' ^ -l:i neccssario :-Oil dar ao papel
ee:t: cnn-,.'L.-.-.:!:, brilho e homogeneidade que lhe
tizesi" ap5 ., .4a. r as vantagens da chapa, scm ter
o 'kefcito d< ,''.asiado reflexo ; oua substituil-o por
outra es;,.:'p de chapa. -
Consegaio isto Niopce de Saint-Victor, prino de
Nieephioro Nicpoc, urn dos inventores da Photo-
gry phpi,. torque teve a feliz idea de experimental
o vidro (cula superfioie e tao plan como a das


enapas meta-licas), cobrindo o corn urma camada
de liquido viscose, dotado da propriedade de se
solidificar, e podendp em si center as substancias
impressionaveis
Para conaeguir isto, Ni6pce de Saint-Victor ex-
tendia sobre umaa chapa de vidro urma tenue ea-
mnada de albumina (clara de ovo) tormando numa
saperfice lisa e propria para a fixano das ima-
gens; mettia sta chapa em um banho de lodeto
de potassio, e depoiwn'umna solueeo de nitrato de
prata, o que deteriMinava na chapa a formagao do
iodeto de prata, pai$ proprioa para a sensibilisa-
Vao da luz.
A chapa, depois do secca, ficava propria para
ser exposta sa canmara escura e dar a image ne-
gativa coinm que se poderiam fazer muitas provas
positivas.
A imagem ne.ativa era revelada pelo acido ga-
lhico.


Mediante proposta do engenheiro-
chefe do prolongamento da estrada de ferro
do Recife ao S. Francisco bern come da
construcglo da via-ferro do Recife a Ca-
ruaru, foi nomeado o engenheiro Altredo
Lisboa, per portaria da mesa data, par
o cargo de primeiro engenheiro do referido
prolongamento.
Por portaria de 24 de dezembro foi
dispensado o engenheiro Edgar Boully de
Pressi, do.lugar que exercia na commisslo
de estudos da estrada de ferro Madeira e
Mamor6.

Hlnlsterle da Iarinha
]or aviso de hontem foi nomeado o ca-
pitao de mar e guerra Luiz da Cunha Mo-
reira para servir interinamente o cargo de
chefe do corpo de fazenda da armada.
Embarcaram no transport Purds o
mestre de 2.' classes Adriano Manoel Cor-
reia: no cruzador Imperial Marinheiro o
guardiao Pedro Rodrignes Pereira.
Desembarearam do encouragado Ria-
chuelo o maestre de 2.a classes Adriano Ma-
noel Correia e do transport Puruis, o ma-
chinista de 3.1 classes Jacintho Pereira de
Souza.

IWinisterio da Guerra
Por decretos de 23 do de dezembro fin-
do:
Foram promovidos nos corps do estado-
maior de 1." e 2.' 1 classes, e nas armas de
artilharia e infaataiia, os officials abaixo
mencionados :
Corpo de estado-maior de 1.a classes -A
capital, o tenente Henrique Alberto Car-
los, de conformidade corn o disposto no
art. 6.o da lei n. 3,169 de 14 dejulho de
1883 ; a tenente, o alferes do 19." bata-
lhbo de infantaria Luiz Valentim da Costa,
de conformidade corn o disposto no art. 7.
da mesma lei.
Corpo do estado-maior de 2. classe-A
rajor, o major graduado JJoo de Oliveira
Mello, por antiguidade,
Arma de drtihaiia-A 2.' tenente da
mesma arma, o alferes altiri Adalberto
'Augusto dos Reis Pattrazi
Arma de infantaria 8.0 batalhao -A
papitao, o tenente Pauloi Pto Auto Ran.
gel, por estudos, 'pars 6.' companhia.
A tenente da arma, os alferes; Felis-
berto Henrique Bueno Deschamps, por
antiguidade, nos terms da imperial reso-
luto de 19 de julho find; Alberto Ga-
viao Pereira Pinto, per estudos.
Foram transferidos para o corpo de en-
genheiros, de conformidade corn o dispos-
to no art. 4. da lei n.3,169 de 14 de ju-
lho de 1883, o capital do corpo de estado
maior de 1.8 classes Feliciano Antonio Ben-
jamin; para o 9. batalhao de infantaria o
coronel commandant do 11. batalhao da
mesma arms Joaquim Jos6 de Magalhaes,
e d'aquelle para este batalhao o coronel
comm. ndante Joao Nepomuceno da Silva.
Foi mandado reverter ao cbrpo de estado-
maior de 2. classes o capitao aggregado ao
referido corpo Jose Joaquim de Andrade
KT -.. .


desordeiros o 'trabi1ho -A&
apuracao~qued ^Inga~r a cang
Eam remposta.U!Pji-etso dsd"
as providencia RM Dr. ohefe de p6-
hlicia e o commandaate das armas vaio assisith
tquelles trabalhos, sendo que a companhia de o -
vallaria e a fora de Imha ficarao de premptidao,
a poucos passes da s6de da reunion, para acudif
immediatamente A qaalquor reqaisiSAo daquellas
autoridades.
Ao president da Junta Commercial do Re-
cife.--Transmitto a V. S., par sea conhecimento
e devida execuago, covia do arise do Ministerio
dos Negocion da Jastigs, de 10 do corrente, cxi-
gindo esclarecimentos no sentido de poder o Go-
verno ImperiaLresolver~definitivaienoe sobre a pu-
blicaso do Codigo Internacional de Signaes Mar-
timos.
A' Theeouraria de Fazenda.-Transmittin-
do copia do officio do Dr. chefse de policia, n.1226,
de 14 de novembro findo, recommend: a V. 8. pro-
ceda na f6rma da lei contra o xn. erciantes
Silva & C., .e Almeida Camposa uiUe, sem au-
torisag$o desta Presidencia, fiem' W efnbarcar corn
destiny ao presidio de Fernando de Noronha, no
paquete Giquid, 4 garrafescom vinho, sob o falso
pretexto de conterem vinagre.
Nesta data autoriso o DI. hebfe de policia A res-
tituir aos respectivos remettentes os outros objee-
tos a que allude o eitado officio, apprehendidos .or
occasiao da busea a que se procedeu no alludido
paquete, visto haver sido permittido seu transpor-
te. Outrosim, recommend ao commandant do
presidio, providence no sentido de ser devolvida
para esta capital, afimn de se proceder convenien-
temente a respeito, a ancoreta de que trata o refe-
rido officio, na hypothese de center ella vinhe ou
qualquer bebida alcoolica. Communicou-se ao
commandants do presidio de Fernando.
Ao commandant do Corpo de Policia.-B-
mettendo copia do aviso de 5 do corrente mez, ra-
cmmmendo a Vinemc., transmitta-me corn a possivel
brevidade um mappa da ra sob seun commando,
corn os esclarecimentos eidos no citado aviso.
'.- Ao director do Arsenal de Guerra.-De con-
formidade corn o que solicit o brigadeiro com.
mandante das armas, no officio junto por copia, de
hontem datado, sob n. 663, autoriso Vmc. a man-
dar procederf- os rearos de que necessita a port
do paiol do antigo ooratorio, ezistente no Forte
do Buraco.-Communicou.se a* general.
Ao president e naembros da mesa eleitoral
do 10 district da parochia de Santo Agostinho do
Cabo.-- Devolvo a Vues. as copl&' das actas da
eleigo do 1o do correB* afim de serene conferidas
e concertadas por taboQiao public, come determi-
na o art. 151 do regulamento que baixou corn o
decreto n. 8,213, de 13 de agosto de 1881.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 2 DE
JANEIRO DE 1885.
Cempanhia Great Western of Brasil Railway.
-Deferido corn officio de hoje a Thesouraris de
Fuzenda.
Estevio Jos6 Lins.-Complete o sello e volte
querendo.
Fielden Brothers.-Remettido ao Sr. inspector
do Thesouro Provincial para mandar pagar de
accordo corn a sua informnao de 23 de dezembro
ultimo, sob n. 302.
Francisco Cavalc4 de Lacerd.-Tntorme o
Sr- iaoa tor do Thbsoso Provi .
G. Westermarche.-Junto procura .
Gerente da estrada de ferro do Recife a Caxan.
ga.-Informe o Sr. engenheiro chefe da pavtl-
ao das Obras Publieas. .
Irmandade do Divino Espirito Sautoleferiu
do corn officio de hoje ao Thesouro 1tbv ial.
Jolo Jose6 de Sant'Anna. Informe 6 Sr. ins-
pector da Thesouraria de Fazenda.
SDr. Joaquim de Albuquerque Barros Guimna-
rdes.-Informe o Sr. inspector da Thesouraria de
Fazenda.
Dr. Joao Vieira de Araujo.-Inforimne o Sr. ins-
pector da Thesouraria de Fazenda.
J. C. Andersen.--Junte procuracao.
Tenente Manoel Carneiro Machado Freire. -
Fornega-se.
0 mesmo. Forneoa-sc.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 3 de janeiro de 1885.
0 porteiro,
J L. Viegas.


*L"v-. Delegacia de policia do termo de Garanhuns 22
Concedeu-se reform nos terms da 1.a de dezembro de 1884.-Illm. Sr. Participo a V.
parte do 1.o do art. 9.o da lei n. 648 S. que a praca do Corpo do Policia Antonio Pan-
do 18 de agosto de 1852 ao capitol aggre- taleaod de Oliveira destacada em Born Conselho,
gado a arm deavallaria Manoel da Silva hontem as 5 horas da manh' no pateo da matriz
gado a arma cavalla'a Manoel da ilv esta cidade, assassinou barbaramente ao infeliz
Bueno Filho. Manoel Antonio de Lima, desfechando-lhe um tiro
de pistola no hypocondrio esquerdo na occasion em
Goerno d overno a ovnca noel Galdino da Silva, que moments antes havia
EXPEDIENTE DO DTA 19 DE DEZEMBRO DE 1884 tornado part em uma lucta que Manoel de Lima
Actos: tivera com Amaro de tal. Procedi immediatamen-
-- 0 president da provincia, attendendo ao que te ao corpo de delito e as demais deligencias do
requereu o tenente-ajudante do 63 batalhao de in inquerito que nesta data remetti ao Dr. juiz
fantaria do servico active da guard national da municipal do term. 0 delinquent poz-se em fnga
comarca de Bomrn Conselho Joao Rufino dos Santos, e apezar da deligencia que fiz para o capturar,
e tendo em vista a informacao do commandant pondo-lhe no encalo cinco prawas do destacamen-
_superior ds comarca do Recife, de 12 de setembro to desta cidade, conseggio evadir-se. Devo dizer
ultimo, sob n. 250, resolve designer o 8o batalhao aV. S. quoe a dita pra me declarou que tinha
do referido servico para o peticionario ser nelle vindo aesta cidade para ver sua familia, tendo
aggregado. Comnmunicou-se ao commandant su- para iso conseguido licenqa do commanidafte do
perior do Rcife. dcstacamento a que pertencia e a annuencia do
0 president da provineia, attendendo ao que delegado do termo.-Deus guard a V. s.-nlm.e
requereu o tenente quartel-mestre do 63 batalhao Exm. Sr. Dr. Manoel Ventura de Barros Leite
do service active da guards national da comarca Sampaio M. D. cbefe de policia da provincial. 0
do Bom Conselho, Jovino Cassiano Main e Silva, delegado.--Jos6 Geraldo de Lima.
e tendo em vista a informanao do commandant Secretaria de pohcia de Pernambuco 30 de de -
superior da guard national da comareca do Re- zembro de 1884.- onforme Pelo seoretario, Fran-
cife, do 12 de setembro ultimo, sob n. 249, resolve ciseo Geraldo da Silva Barroso.
desiguar o 2 batalhAo do referido service parao
peticionario ser nelle aggregado.-Communicou-se Repartilao da Pollela
ao commandant superior do Recife. Sec 2a o
: 0 presidaate da provineia, attendendo ao eco .-N. 6. Secretai ada
que requereu o ceapitao da 3a companhia do bata- Policia de Pernambuco, 3 de janeiro
lhdo n. 63 do servii activo da guards national de 1885.-Illm. e Exm. Sr.-- Participo a
da comarea do Bom Conselho, Jos6 de Azevedo V. Exc. que foram hontenm recolhidos &
Maiae Silva Junior, e tendo em vista a informsa- l n o o nte A
gao do commandant superior da com&rca do Re asa dDetento os segutes individuos:
cife, contida em officio n. 248, de 12 de setembro A' ordem do subdelegado do Recife, Cecilio An-
ultimo., resolve designer o 1- batalhao do referido tonio da Silva, Ernesto Lordeff, Hendril Ray-
ser io par a o peticonario ser neUil aggregado.-- mondo e John H. Lead, os dous pnrimeiros por dis-
Commununicon-se a commandant superior do Re. turbios, oterceiro a requisieo do consul hollan-
cife. dez e o ultimo a do consul inglez.
Officios:- A' ordem do subdelegado do 1. district de S.
Aoconselheiro presidents do Tribunal da Jos6, Jos6 Francisco da Cunha Pedroza Filho,
Rela Mro. Sva-se V. Exc. proy--ncadr no se- Maria Amelia da Conceiglo, Joaquim Pacheco de
tiddo .ri nida. certid .proc. do o Lyra, p embriaguez e disturbios.
tfod8 i r ne i c +e ~ r t i d l e o d +po e e s o .o r ,o y, ,N + ,,u t -
Antonio l6Hrique de Miranda, que pretend inter- Detns guard a V. Exc. HIm. e Exm.
por umi recudo; de graca Sn. r. Dr Sancho do Barros Pimentcl, muito
SAo Dr.efe depolia. Paraos dvidos dio -reidentdaProvii chede
defeitlos eem saaluCo do offieio n. 1,226, a l de pW& et o .. da proV a -o cf
novwbfra findo, trauswitto a V. S. opia do que dpici, .... d. Barros Leite
hoje iiIRe inspectorda*Tho ariasu F-,a de$..... ; -* $ :t;aio


Matoel Alves Guerra: -Ao *.. Tho",so.
reiro para opportunarqn tOetnder.
Francisco (Caval ne"acerda, e offi-
01eio dojuiz de direiteodee guaraiss. -Ian-
frnme o Sr. contador.
Maria do Rosario Pinheiro.- Registro-se
e fagam-se os devidos assentamentos.
Ponto da Casa de Detenglo.-Ao Sr.
thesoureiro para os devidos fins.
Juvencio Aureliano da Cunha Cesar e
Jeronyio Carneiro de Albuquerque. -In-
forme o Sr. contador.
Manoel Anselmo Correia de Figueirodo.
-Ao Sr. contador para seou conhecimento,
e ao Contencioso para lavrar termo de
conti ato definitive.
Vigario Manoel Jos6 Pereira de Albu-
querque. Junte-se copia das informages.




ECIPFE, 4.o DE. JAN O DE 1:i885
Retrospect Politico do
annI6e i1 4
(Ctmtixsuao)i
Acerca dos arts. 10 a 7e da lei de 24 de fevprei.
Yo do 1875, disse o Sr. Julio Ferry que a
larcial don iodb deleiglo dos senadores, a -
liaeao da base itoral da eamara altia sOo du..
,1o ponto 4 O is4a nomeaAo dos inaoviveis e
da compost dos collegioe eleitoraes os depata-
mentos, o desejo de obter a convrgenda dae duas
oamaras, corrigindo, em convenientes proporgoes,
a divergeocia de suas origenas, foi por oecaailo
ds eleiges geraes de 1881 principal deeidera-
umn dos promotores da revislo e o alcance mais go-
*d dos votes publicos;. que, deste modo ecompre-
lendida, a reforma nao *uia uma declaragAo
4e guerra contra a insatitui* senatorial, tenden-
oe mais a fortificalx- que enfraqueeel-a ; que a
visao n'este sentido Seia antes de tudo a nova
implicit cousagraio do grande principio da di-
*isSo do powder legislative em duas assembl6as,
rincipio por laro prazo suspeito aos republica-
Smas em que a experiencia dos treze ultimeos
s1nos Ihes tern feito ver urma das condi9es essen
Ofaes da estabilidade na democracia; que .eria
ena. estranha illusao o pensar-se que um senado
4a mais intimas relagoes corn o paiz, amparando-
p n'uma bi demoeratica mais ampla represen-
taria no orgahismo politico da Frana um papel
Wino+ imported ; que a reform proposta tinha
i jt reffal diametralimute opposto ..
SPara que essa reform seja coroada de born
etito- accrescentu o Sr. Ferry-juigambs que
converia seguir caminho umpouco divers do queo
anteriormente havia sido traoado. Se attender
mos ao lugar que a lei eleitoral do senado oceupa
no conjuncto de nossas lets fundamentaes 6 fla-
grants urma anomalia que a historic na constitm-C
io explica, mas que nAo p6de ser justificada pelae
logica. Essa lei divide-se em duas parties das
quaes urnsma tern o character constitutional emquanto
a outra nao passa de urma lei organic. Nao se
dA o mesmo em relaco a camera dos deputados,0
em relagao a qual a legislagao eleitoral nao sahe
do quadro da legislacio ordinaria. Esta dispari-
dade deve cessar. Nao 6 acertado enxertar n'uma
constituigao dispos;ces contingentes sujeitas a
variar e que nao podem ser modificadas sem aba-
lo do pacto fundamental. Toda a constituivdo e
um esforco para a perpetuidade. As reforms
constituciouiaes sao em todos os paizes operag5es
exeepcionalmente solemnes, corcadas de .estorvos e
formnalidades particulares. N'uma cnstituicao s6
deve entrar o que 6 fundamental: as constitui-
0~cs mais concisas sao sempre as melhores. ,,
Froseguindo nas suas justificativas declarou o (
president do conselho que opporttnamente apre- (
sentaria um project de lei, relative a elei~do se-
natorial corn estas bases :
l.a Manuten4ao de urea cathegoria de senado-
res eleitos por um collegio particular composto de
toda a representaao national, de mode a hayer


aw lado dos senadoreseleitos pelos departamentos
os que o iorem.por i64tlegio unico, representando
todo o pai'.
2.a Red&caodo d mandate senatorial perpetuo a
tuna dura d e annos, sem todavia dar a nova
lei um effeito retroactive.
3.a Augtento do numero dos delegados dos con-
cSelhos munieipaes no collegio departmental.
Depois dieustificar a proposta de reviqao do
art, 8 da l1 1te24 de fevereiro de 1875 corn a ne-
cessidade d(ima interpretabao clara deste texto
legal, pelo que respeita as attribuiqoes das duas r
cameras, quanto a votaio das leis financeiras,-
o Sr. Julio Ferry- terminou a. sua exposigdo, de-
clarando por sua natureza estranha as leis cons-
titucionaes a clausula referente A invoca Ao do
Espirito Santo por occasiio da abertura do parla-
mento. Esta clansula'extremamente gothic era
estipulada pelo 1 30avt:.Io da lei de 16 de julho
de 1875.
0 projeeto venceu rapidamente as discusses da
camera, apezar do grande numero de emendas qne
Ihe toram oppostas. Por exemplo, o deputado La-


mai9 da wam e do senado, Ma corn tod
Oph", frepubse"Ma ds pliz. ;^'*
SNo *mAh4dp a simperfeices theoricas& 4
DW ttk d e 187. Ease trabalho, arraeado
sodesal ro de amrsa assembl6a oar- e qu
vio desfeitos todos os seas sonos, consera em va-
rise dispfies a prova manitesta de perfidos e
perigose intuitos e esperanuas iaeonfeuaveis.
Nifo obstante, as circumstancias form mais pode-
rosas que certas habilidadesinaB politiess, de ma-
neira que aquelle trabalho, submettido a experien-
eia e so uso, tomrnou-se melhor que os designios
corn queofra realisado. Reformar, pois, comple-
tamente a constituiclo votada havia qaatorze an-
nos, t6ra commettimento, al&m de muto arriscado,.
inutU, porquanto a republics em Fran9a tern vivi-
do, e, felizmente progredido, apezar das imperfei-
gles oonstitucionses. E' precise que se nao ligue
importancia demasiada As simple lei de 'papel,
meo numero vai ji em todos os paszes muito alem
da somma das leis naturaes. Os costumes alo
muito mais valiosos do que os actos legislativos.
Estes nao teem influencia aeciaiva sobre aquelles,
ao pass que a elevaglo do nivel moral e intellec-
tual dos povoes p6de dar-se, e da-se sempre effecti-
vamente, nao obetante todas as imperfeiles da
legisla ao respeetiva.
A eommissio da camara dos deputados rejeitou
todas as emendas apresentadas ao project do go.
verno, aceitando este corn urma leve medificagao.
Isto 6, a commission nao quiz pronunciar- se acer-
ca da conveiencia ou ineonveniencia de serem
banidas da constituiao as disposaiges relatives i
eleigo dos senadores. Nio se julgou competent
pars proper soluaies definitivas, por entender que
a camera e o senado tinham per unica missio
apontar os artigos e paragrphos que deviam ser-
vir de objecto As delberai'es do congress. A
este somente cumpria deeidir quanta ao modo da
reform, porque s elle dispunha da plenitude da
soberania.
No corner da diacussao do project foram ainda
apresentadas 4iversas emendas. Entre ellas figu-
rou a do Sr. aujuinais, que pedia a suppressao
da president daRepublica E' escusado dizer
que a camara se recusou a tomar em considers.
gao semelhante proposta.
Nao aconteeeu,, porem, o mesmo corn a do Sr.
Andrieux, tendente a exeluir da suprema dignida-
de da Republics os membros das families quo ou-
tr'ora reinaram em Franca. 0 Sr. Andrieux reti-
rou entretanto a sua emends por lhe haver pro-
mettido o Sr. Julio Ferry que ella seria submettida
. considerasio do congress.
Approvado na Camara dos Depptados, o project
;inha de veneer as resistencias do Senado, cuja
attitude hostile era por muitos considerada invenci-
vel. Nao aconteceu, por6m, assim. Gra9as a ac-
tividade e competencia political do president do
conselho, o Senado, apds larguisssima diseussao,
em que tomaram part muitas notabilidades da
Csamara alta, approvou a proposta do governor,
nenos na part relative ao art. 8 da lei de 24 de
feveiro de 1875. Propondo a revisao desse artigo,
Sgabinete tinha em vista acabar com o motive de J
tdo o conflicto entire a primeira e a segunda ca-
nars, acerca da votacao das leis financeiras. 0
Senado nao quiz ver par ease lade diminuidas as I
prerogativas que se attribue, embora por meio de
iura interpretacao raccional do texto da Constitui-
ao. E corn tudo desde 1876 que as duas casas do
Parlamento francez eetLo em complete desaccordo
acerca do citado artigo 8.
Entende o Senado que tal artigo nao estabelece
em relaao As leis de finan~as, exceptao alguma .^
priucipio germal da igualdade de direitos de urna e
)utra dessas corporacoes polo que respeita A facul-
dade de legislar. E' ainda opinido da Camara
alta que esse artigo apenas estabelece urea ordem
2hronologica e de prioridade na apresentacao e
iiscussdo de takes leis, tendo par consequencia ella
a prerogativa absolute de emendar o orqamento,
quer no sentido de supprimir, quer no do augmen-
tar os credits votados pela outra.


A Camara dos Deputados, pelo contrario, tern
entendido que s6 ella possue a plenitude dos direi-
tos orcamentarios, de que o Senado tern apenas
uma part restrict A inspecqAo das finangas pu-
blicas, nao podendo portanto restabelecer credit
algum por ella supprimido ou vice-versa.
Como notou o Sr. Julio Ferry, praticamente esse
desaccordo, que muitas vezes ha estado prestes a
assumir o character de um verdadeiro conflict, tem-
se resolvido sempre A ultima hora por concessoes
mutuas e graeas aos sentimentos.de concilia*o pa.
triotica que animam as duas assemblias. A situra-
6Ao 6 sob esse ponto de vista tio normal, que a
Camara dos Deputados tern sido forqada a resta-
belecer por nova deliberagiolos ereditos que an-
tea supprimira corn desapprovagio do Senado. E
certo que este nunca foi obstinado em restabele-
cer um eredito duas vczes supprimido pela Camara
d46s Deputados. Comprehende-se todavia o perigo
que pode de um moment para o outro resultar de
ura causa permanent de tao radical desintelli-
gencia.
A lei orgamentaria 6 de todas as leis a que me-
nds demora p6de saoffrer na sua votago, que deve


Antes do projeeto voItAr Camara doe Deputa-
M 9 Sr. Julio F y proeuromu entender-se eom
diter "grup.e da megsma Camara, ssems do pro-
oedattt a oboervur, em face das disposiq5es do
ftmado pare nao soeltar integra*Mente a propoata
45 gtyetmo. Foi zosvido que a Camara aceitaria
a resoluo senatorial, nao obstante a exeluslo a
que cpndemnara urma das disposig6os mais impor-
tantes do project.
No dia 3 o Sr. Humber ho Senado e o Sr. Bris-
sen na Camara annnnciaram que o congress se
reuniria no dia seguinte cm Versailhes.
Eflectivamente na hora marcada foi aberta a
sesso pelo Sr. Le Rover que occupou a cadeira da
presidencia. Esta primeira reuniao do congress
prejudicou singularmente a dignidade do regimen
parlamentar. Durante algumas horas scwnas vio-
lentas ou groteacaa impediram a Assemblsa de de-
liberar, veldo-so o prlaidente na dura necessidade
de levantar por momerotoa a sesaio que se tornAra
tumultuaria.
Eis a tracos largos o historic d'essa primeira
sessdo, que as subtilezas do process parlamentar
souberam tornar de todo o ponAo esteil.
Nos dias subsequentes a tempestath da" paixoes
serenou um pouco mais, ate que foi/possivel ao
congress desempenhar a miAssAo para que havia
sido reunido. A opposiglo, como tinha antes feito
na Camara dos Deputados, amontoon emendaE so-
lire emendas, que o born sensoda grande Assem-
blea national soube totalmente repellir.

(Contin~a,)



RECIFE, 4 DE JANEIRO DE 1885

Notieias do S l do Imperlo

0 vapor Vile de Maranhdo, entrado hontem do
sul, trouxe as seguintes noticias e as que constam
da rubrica Parte Official:
S. Ialo
Datas at6 26 de dezembro:
Os escravos dos herdeiros da sp6nda do Sr.
Jolo Sampaio, em Jundiahy, revotaram-se, ha
dias desobedecendo ao senhor, negando-se a traba-
lhar e ameacamdo a vida do leitoer. Foram toma-
dss as provideneias necessarias.
Diz a Provincia dc ,S. Paulo que ante-hontem, A
1 hora da tarde, na ooccasiao em que comegou a
trovoadar. eahio um raio scbre o chalet em cons-
trucgo no Cambucy e pertencente ao Dr. Samuel
Meqita>
Felizmente o mAo tempo tinha feito corn que os
operarios suspendessem o seu trabalho de f6rma
que ninguem foi offendido.
0 raio, depois de damnificar o telhado, entrou
pela chamin6 da cosinha-e d'ahi desceu ao sub-
solo do casa, por onde sahio atravessando uma pa-
rede de 80 centimetros de espessura.

lRio de Janeiro
Datas atW 27 de dezembro :
As noticias sao destituidas de interesse.
Sob o titulo Fallecimento lemos no Jornal do
Commercio de 27:
% A's 3 horas e 30 minutes da manhd de hontem
falleceu repentinameute no hotel de Orleans -em
Petropolis William Graham Sandford, enearrega-
do de negocios da Gra-Bretanha nesta corte.
Hontem ainda passeiou naquella cidade, em cem -
panhia de sun esposa, e jogou o wisti at6 cerca da
neia noite. Tinha 47 annos de idade e occupou
cargos diplomaticos em 17 eapitaes.
a Os subditos britannicos residents snesta corte
reuniram-se hontem, no escriptorio do Sr E. W.
M1ay, sob a presidencia deste, e deliberaram enviar
uma commisseo, que ficou composta dos Srs. E.
W. May, E. Herdman, L. Mullino. A Tootal, E.
Total e B. Freeland, para assistir ao enterramento
em Petropolis, hoje, e dirigir urna carta de condo-
lencia a viuva.
n Os bancos inglezes e as agencies de paquetes
Ha mesma nacionalidade estiveram hontein corn
bandeiras a media haste.
Falleceu ante-hontem f sepultou-se hon-
tern, no cemiterio de S. Francisco Xavier, o ehefe
de divisdo reformnado Jcaquim Jos6 Pinto, chef
do corpo Cle fazeuda da armada.
v Nascido na villa de S. Joae da Barra, provirm-
cia do Rio de Janeiro, em 1826, assentou praQa de
aspirante a guard marina a 17 de fevererro de
1842, e tendo concluido o curso da academia de


marinha em 1844, foi, nessc anno nomeado guar-
da-marinha, sendo promovido a 2o tenente em
dezembro de 1846, a I tenente em dezembro de
1854, a capitao-tenente em dezembro de 1864, a
capitao de fragata em dezembro de 1867 e a ca-
pita'o de mar e guerra em dezembro de 1877. 0
decreto de sua reform, apedido, no post de che-
fe de divisgo, baixou no dia 23 do corrente mez.
Desempenhou numerosas commisses corn mintelli-
gencia e zelo. No combat dc Riaobuelo com-
mandava o vapor Jejuitinhonha. Foi sempre
muito considerado palos superiores e estimado por
companheiros d'armas e subordinados. NAo ha
muito tempo o corpo de imperiaes., mannheiros,
do qual era commandant, offereceu-lhe o retrato
a oleo, coma prova de alto aprego.
c Era cavalleiro da ordem de S. Bento de Aviz,
official da da Rosa e condecorado comrn as meda-
lhas de operaQies da esquadra no Rio da Prata,
campanha Oriental, tomada de Corrientes, comba-
te de Riachuelo e campanha do Paraguay.
S- IFalleceu hontem, as 6 1/4 da tarde, o te-
nente-coronel Hygino Jos6 Goulard, que por mui-
to tempo fai negociante nesta praca, e ultima-
mente exercia o lugar de tabelliao nesta c6rte.
a Era condecorado cornm os habitos da Rosa e de
Christo.
o- As folhas do Recife noticiam que falleueu
na cidade do Rio Formoso o Dr. Paulo ManftB
de Almeida, juts de Ji-eitondaquella comarca.
Eis ans nticias commerciaes da ultima data:
Rio, 26 de decmbro de 1884. Ojercido de
cambio continda pouco active e sem orn terao: os
bancos sacam sobre Londres a 19 5/8 d., corn ra-
roes tomadores.
As, Aatabellas no Commerciare no do Commrcido
e as taxas no London Bank e English i -Bok -o
amnda as .egintes: --"i):" -
.u9dres 19b18LaOdlv.+ *- J *':-:1f1 :


4.

























Abnixo doe d4

noes amp os od


Casnirfrs q"edno-teI@oi.cdd oCas
dra prvinecia daBha finbdon i d eu
do 30u pasas r Sain-Hiare, em snav. gen
.4- Ag
tera WsLh----d-- 350ROINOW
* em fragmentos lato e o, t q. isn
tamanhoa osi tuMh aad gdeteo a
chamado a attenItM hasait :o sie
nelles viam os festos dos gigantes da fabula.
Casai referee que no term la cidade de Conta
da provincial da Bahia, foi acbado no fim do secue
passado um csqueleto r ue occupava espao de mai
de 30 pasmps. Saint-Hilaire, em sua viagem a
xidAe p edrMoiani-nnem I& eq aa ha -ma.-
Minae Novas Ihe tmham i dado pu m dente de p-M
tdoat vaoindo ds terras salitrad do soa et
faavoitc para que oz geologos 9arelham .eastudeic
estes restos fosseis. Spix e Martiuas d escreve
tuna mgrata conhecida sob ea nome da tpa Grand
sitt i perto dA Formiga., onde .iA gtt*am oswo
de tapirs, coati e trestos de megalonyx.
0 diamarquaez Classen, maisgralmenite conhe
ido par Pedro Dinamadquez, qe e havia acempam
nhadoa o Dr. Selow na Republica Argentina e pro
vincia do Rio Grande do Sul, e con elileaprendi
do o valor que teem as collecnes de historia natu
ral, e o modo de recolhel-as, tinhaoseeadbeleeidc
hdvia alguns anaos, da Cachoeirasdo Carpo, e ex
plorava corn fim commercial os deposits fossili
feros.das gratast contended terras salitradas. An
tea de chegar a Ouro Preto, Lund o tinba encon
trado na fazenda das Porteirinhas, alguma le
guns & distancia de Curvelic e visitara corn ell
nmkts grutas desta aregio. As descobertas feitas
neEta rapid excursio tinham patenteado qua
grades thesouros scientificos havia alli para re
colher e quanta luz podiam langar as creates an
aigas do neovo mundo os rests fosseis dos gruta
do planalto superior de. Minas-Geraesl Cuvieo
cujo geno Lund tauto admirava e cujas lino es
livros lhe serviam d6 ,.uia, aaabava de descreve
em sua IHiitoria natural das ossadas fosseis f
fauna dos mammiferos do centro da Franca m
epochs terciaria e de mostrar quaes as suas tor
mas e relates coin o mundo actual de taes re
giues, e quao poces pontes comamuns tern ella con
a que caracterisa hoj,- o novo mundo.
Tinha esta fauna, antes da epochal actual, e0
mesmos caracteres differenciaes? Os didelphoc
dos quakes a bacia terciaria de Paris apresenta pe
queno numero de species, os desdentados enti<
representados na Europa s6nmfnte per dous gene
ros fosseis, haviam tide predecessors no BrasilM
Para chegar A solnuao de takes problems erc
preeiso A Lund estabelecer- se mesmo no meio dc
terrene que devia ser explomado. As cavernas dis
seminadas na bacia midia do Rio das Velhas e
na do S. Francisco centam-se per centenas. Neo
todas, porem, continham osses fosseis; grandE
part havia side jA revelvida pelos fabricantes d(
salitre e os rests de animaes, que podiam ellas
encerrar, estavamn perdidos para a sciencia. Con-
tra estas consideraveis pordas clamou Lund muitas
vezes, coinparando essa destruidao A das magesto
sas floreastas primitivas, ornament principal dos
tropicos. Cavernas, porem, jziam intactas e ta
era sua riqueza, quo urn s6 naturalist, per male
res reouraoa e tempo de que pudesse dispar, nac
poderia pensar em estudal-as methodicamente
ainda memo pelo unico aspect das pesquizas pa
leontologicas.
Imp9ssivel era esperar resultados importautes
scm utilisar os achados casualmente feitos pelo;
exploradores de salitre, sem interessal-os na con-
servagao das ossadas quo se Ihes deparassem e
sem aproveitar a secca para effectuar excursoes
rapidas aos ponteo assignalados pela importancia
das descobertas fortuitas. N'algumas rutas onde
mais provavel parecia o beom exito, dringiria pes-
soalmente o sabie o desaterro. Tal foi o program
ma adoptado e executado per Lund corn tanza
perseveranga quinta utilidade par& a sciencia.
Ben decidido a habitar por alguns anuos a ba-
cia do Rio das Velhas, nao havia coutudo Lund.
ao deixar Ouro Preto, fixado o ponto de sun future
residencia. Chegando a Porteirinhas em mar.o
de 1834, partio aggurn tempo depuis pars Curvello,
tendo visitado durante sun permanencia nestas lo-
calidades as seguintes cavernas: Lapa Nova do
MaquinA, Lapa do Sacco Comnprido e Lapa do
Mosquito. A primeira e a mais important de to-
das foi objeoto de unea uncmoria dirigida por Lund
A Academia das Sciencias de Copenhague, nos
fins de 1835, debaixo do titulo: Cavernas existen-
tea no calcareo do interior do Brasil, algenas en .
cerrando ossadas fosseis. Este foi o primeiro de
urea series de trabalhos acerca da zoulogia e paleon
tologia que, remettidos a curtos iutervallos por
Lund Aquella associacao, constituem a part mais
important da obra do incanSavel iavestigador.
Afira de facilitar miima exposilao, reservarei
para outra parte o resumo dos descobrimentos de
Lund, limitando mo aqui a indicar brovemente os
prineipaese assumptos de que se occupou o sabio
nas suas memories.
una primeima que envious A Academia de Scion-
eias-de Copenhagae, da o autor complete a des-
cripao dos diversos compartiinentos que consti-
tuem a caverna do MaquinA e a um dos quakes
chama castello de fadas pelo aspect taio conhe-
cido e tao elegant dos stalactites. Esta gruta


serve-lhe de typo e s6 em outra memorial, que
pnde considerar-se complemnento desta primeira,
trat% dos pormenores das cavernas. Determinou
corn clareza a existencia de urna cianida de terra
vermnelha a qual attribuio origem diluviana, com-
prehendida entire duas erostas do staiaginites,
sendo a inferior mais espessa e coberta de immte-
1i5s arredondaios ou coaicos que muitas vezes se
ligarn aos stalactites -.1' abobada, e correspon-
dendo a crosta superior, que e lisa, a stalactites
mnuito menos importantes.
Tendo sido muito mais long o period durante
o qual se depositou a primeira camada do que
aquelle em que se depositou a oeguuda, as aguas
infiltraram-se e aquella muito mais lent-imente, e
as g,)ttas, succedendo se a longos intervallos, per-
mittiamo que os deposits de ealcareo formassem
massas mais ou menos clevadas sobre o solo in-
ferior. A crosta superior, apenas- ondulada, deve
ter sido produzida mais rapidanmente, ja pela eva-
poraqo de uma camada d'agaa carregada de c.il
carec., ja pela queda precipitada das gottas d'agua
que, em vez dc augminentarem a superficie conical
das stalagmites, a cavaram, tendcndo a nivelahr os
depositors. As ossadas acham-ee enterradas na
argilla vermelha, formando massas no calcareo, ou
reponsam direetamente na eamada dos stalagmi-
tes, nao existiudo terra vermelha nas pequcnas
bacias junto dos restos dos animaes modernos.
Em geral cobrem estes parte do solo da caverna
e o product de sua decomnposicgo, misturado corn
argille mui final, um pouco de humus e area cal-
carea, forma um leito de poeira pardacenta. As
ossadas antigas provem de cadaveres arrastados
pelas aguas, quando estas se precipitaram nas
cavernas, de animals que alli se haviam refu-
giado contra a inunditao, ou dos restos destes
que serviram de preza As feras e ayes de rapina
moradoras na cavern. Estas tires origens sao
clafaente estabelecidas por Lund. Os rests
antigs pe-teneiam ao Megatherium, a urm rumi-
nanto a principiO tornado por Antilope (antilope
=aquinensis) e qum.-ais tarde Lund re .nnheceu
dever ser referido a.uma especie visinha do cer-
vus snmplicieornis a (veado catingueiro), e emfim
a n.mlerosos restos de pacas que Lund julgou pri-
meiAvente perteneerem a epoca actual, flxando.
Ihes abs tarde a origeom utiga e referindo-os ao
, C(Iegeaye Ruieeps, especifico a principio
adoptado e depois mudadb em a C. Laticeps.
Os oaos modernos perteueem sobretudo a dous
-oedores: a Cavra aperea a (Prea) e a Ias leu-
egfer,. v e a umia especie de muorcego, levados
6 eta-mu por um des sens moradores ordinariols, o
itea (biBoo hdas t-aL).




-4".
Ow


i- fints parano Rio daaYelhas, do- que c4
e a nas alguns kilomnPtroes.. A cidade mais vi
Snha 6 a de Santa Luzia, que -emora, mais
a mea9B, dunas legua ao sul. Emoetu arndoras c
3, tendem-se ao long as campinas, formando ui
s verdadeira chapacda corm suns moitas de arvor
rwehas calcamsas e numerous a lagoas. E' a. ea
- eervatonios natrAes, oade. as aguas se rea
- e de onde oscoam por canaes subterraneos, tar
- quanta s masses de c:.leareoem formal de mur
i- has e aos prads que as circuicdam, que de
- esta region sen especial caracter pittoreseo.
), admiracao de Lund per estas bellesas naturr
:- maaifests-se sempre que ihes -consagra algum
- linhas. Citarci aqui a que precedew A descri
t- cao da Lapa da Cerca Grande.
- Dirigia-se o nosso caminho para o sul, ati
- v6s de uma espessa flaresta, ojwas arvores se tc
e navam cada vez maim cerradas. De repente abi
L se a floresta, e vemos diante de n6s um maravill
o so prado, cuja belleza aiuda mais realoa o pit
- resco. As bordas da floresta prolongan-se A
- reita e A esquerda, formando um areo de circus
s que rod6a o prado como uma cerca viva. I
r, frente eleva-se ura muraiha vertical de calcar
e que limit o prado para os lados do st atravy
r sando-o de l ste a oeste. Julgara ver diante
a mim as ruins de um velho castello de gigautn
a. e meus olhos perdiam-se a contemplar uma set
- de altas areadas abertas na ala tesquerda, coa
- seeu Ihes prestasse attendeo para alli descob:
n or tracos de seus mysterious habitantes.
0 elevado tecto era coberto de florestas don
s das pelo sol naseente e animalas pelo v6o de i
s numeraveis pApagaios de azas amarellas, que cc
seus gritos estridentes imostravam como raras v
0 zes eram inquietados neste asylo.
A admiravel paisagem deaths prados til
? attrahido, havia muito, a attengdo dos primer
a habitantes do Brazil Os selvag-ns nomadas
) tribu dos Caiapos, segundo panso, alli fixaramn
sun residencia e acharam abrigo Enthusiasmad
e pela belieza da paisagem circumvizinha, ensai
i ram representar os objects que mais Ihes davs
e na vista. 0 p6 do rochedo estA coberto de se
e desenhos que, tao primitivos quant- a imaginary
s que guiou a mao de seus autores, nam poer is
interessam menos ao philiosopho que deseja co
a hecer as produceoes do espirito no seu m is bai
grAo do desenvolvimento. a (Lund, 2a memoir
s sobre as cavernas do Brasil.
1 0 clima deste planalto s occo e temperado,
analog scu inverno a primavera de certas regid
a privilegiadas do sual da Europa. Afastados d
grande centres de populacao, coUllocados nas v
sinhanaas de rios abundautes de peixe, em solo
extraordinaria fertilidade, os habitantes obtem (
Sterra, quasi sem esforgo, o paueo que ella deve fo
Snecer-lhes A subisteacia. A facilidade corn qi
vivem no meio de uma natureza tao clemente, (
aos costumes este character de affabilidade, i
3 qual a franca hospitalidade.dos habitantes do so
tiao A unea das manifestacoes mais coubnhecidas
Sapreciadas pelos exploradores. Quando o viajau
te chega A Lagoa Santa, ao p6r do sol, no momer
to emr que a chapada e banhada per ensa luz sum
Sve que os olhos podem impunriemente admiral
quando jA cessaaram os rumors do dia, e os c
noite ainda naoi se fazem sentir, A vista da serer
tranquillidade dauelle pequeno arraial, sente-s
penetrado o espirito do desejo de all ficar e d
no mneio daquella paz e daquella vida facil, esque
cer para semipre que existe outro muando cheio d
penas, de odios e de lutas implacsaveis, para sa
tisfacao de necessidades facticias, de ambigoes
de vaidade. Lund p6de satisfazer este desijo
ao mesmo tempo preencher a gloriosa taxefa qu
tomou a sua conta. E' facial comprehender com
a residencia em Lag-a Santa, por elle a principi
considerada provisoria, se tornou depois defini
tiva.
As circumvisinhanuas do arraial sao, mais qu
qualquer outra part da provincial, ricas em gnr
tas de salitre. Estas grutas demoram a pequen
distancia do arriaal e ainda hoje novas descobhr
tas lhes augmentam o numero. Assim podia Luun
em poucos dias visitar grande numero d'ellas.
Nao indica Reinhardt o potato onde Lund hab
tou. loge ao ehegar. Em 1839, por6m, estabeh
ceu-se em uma casa que comprou e onde acabo
seus dias ; modest habitanio que deve ser hoj
lugar de peregrinaAo para todos oaas que pereo
rein aquellas paragons. Coma as casas das pem
seas abastadas do lugar, compoe-se ella de um px
vminento terreo com alguns commodes, ceroada d
dons lades par um jardim onde Lund mandou ed
fiear um pavilhdo parm habitanao dos criados
para ahi preparar suns colie1c9es. Casa e coa
certo custaram-lhe, mais ou menos, 2,000 kronea
(1:2003). Sun despeza annual foi calculada eo
3,300 kroners (2:0003 a 2:5005) e era tal a sm
plicidade de sun vida, tro baixo o pre9o dos ob
jectos de primeira necossidade, que grande part
d'esta qurntia era empregada em obras dc car
dade, das quakes atA hoje se record n os habitat
tos da Lyg6a Santa.
Seu pnimeico trabalho datado d'este lugar
Suama memrona sobre as cavernas do Brasil, dirig
da A Academia de Sciencias de Copenhague or
julho de 1836. N'ella estuda Land a Lppa d
Cerca Grande, uma d'entre mais de quarenta qu
visitacra em tres viagens, separadas por algur
dias dc intervalbos passados em Lag-a Santa
quc tinham durado de 19 de abril a 8 de agost
O nuinero das species fosseis achado niesta pr


meira exploracao da Lapa da Cerca Grande, re
fere-se a dous geueros : Canis e a Ccelog
aiS m : Canis Spol~us nomee este mudado par
, C. troglodites ,), para o qual elle creou em um
ultima memorial o genero novel : a Paloecion n.
paca p-rtence A mcsma especie que a encontrad
na Lapa do Maquin6 : Ccelogenis Laticeps
Esta memorial, porim, A sobretudo important pela
conclusSes que Lund tira de suas. descoberta:
Suas primeiras visits As cavernas tinham-lh
feito entrever nm antigo mundo desapparecido
os resultados obtidos foram dos mais animadorer
Ap6s a descripcao da Lapa Grande, aquelle mu,
do estava revclado em seus principles traces
eitao, exclamou Lund -: c Percorri maitas veze
o prado que cireumda a Laps Grande, bern com
outros em suas visinhanqas. 0 silencio A apen:a
quebrado alli pela voz estridcnte dos papagaioi
pelo piado choroio dos anuns, e pelos gritos agu
dos dos carA-caras. Duranite estam cxcursaes ja
mais notei o menor traqo dos mammiferos primi
tivoes do Brasil, mas ou4ras scenes se desenvolver
diante de n6s quando volvemos os olhos para
piassado, para os tempos em que numerosos e ex
tenses lagos cobriam estas paragens. Notave
quantidade de species de mammiferos, em part
de gigantesea grandeza, e de riqueza extraordi
naria de individuos, passciava por este fertile pra
do e animava as margens d'aquclles lagos sere
nos. As flechas dos selvagens, e ainda meaos a
armnas destruidoras, aperfeigoadas pela civilisa*a
nao tinham encetado sna obra de destruigio. Ma
a manutenVAo da ordem eterna da natureza exi
gia victims, come mesmo hoje, e o mais firao
era preza do mais forte. A historic das perse
guioes e das lutas, da vida, da morte e de sui
destraia final, foi de nowo aehada debaixo-da
ombras abobadas de um labyrintho. (Lund, 2.
mtitw sobre as cavernas do Brasil).
0 m604% .ObM ee-ttrado: oftA a historia
310 .W.0"iWa'a-Basafl A. 6ppa que proBedi
^ momuaa unm wefsita~. a i"-tar i obla magistra
do yvior eay psiasis aaw eaedeBufis
Aild nW ^ 7^ w ^ v
-'.rt kd^ ^ ad )m&


ua a: cj aes,a Lapa .doa poree, era notavel pelo
Ai- namero de dicotylos que continha, mas foi sobre-
ou tudo ao estudo da grande quantidade dc mate-
es- riaes rec:lhidoa que dedicou sea tempo.
Ma As descrip*es methodiouenente feitas, e as cri-
es, ticas que as aeompanham, salo to elaras quao
tes judiciosas. Os fosseis desacripto pertencem a 32
em generous, dos quaes 18ainda vivem e 14 desappa-
ito receram. Os 32 generous, pondo de parte os es-
ro- pecimens dos quaes so possuia fragments, ou os
)-a que correspondem a animaes actuaes cuja osteolo-
A gia nao the era perfeitamente conhecida, com-
aes prehendem 43 especics. Este trabatho termlaou-o
ias Lund por unia asrxie de proposig5es que o resumemi
ip- admiravelmente.
Ja elle considerava demonstrado] por suas des-
ra- cobertas qu'. a zona tropical, durante o period
r- que procedeu immbdiatamente A ultimia revolul.o
re- da superficie da terra, no era doserta nem
bo- mesmo pouco habitada, come em geral se sup-,
to- puaha; mostra peio c trario tal riqueza e
it- variedade do formas animaes qcue parecem ter
Ulu de muito ercedido os que alli vivem em nossos
Emrn dias.
eo, As faunas daquella 6poca no velho e novo con-
es- tinaite distinguiae por camecta aualogos
de aoas qze hapoe rmEen a diferoeual as e aoaobre-
es tudo tomadas aos masarpiaes e desdantados.
rie Sua id6a sobre a catastrophe que determinou sa-
mo tas mudannas nas faunas 6 cathegoricamente ex-
rir press no segniatetrecho:
As species que actualmeute vivem sao todas
ra- difrentes das especics fosseis. A catastrophe
n- que destruio t'talmente as numerosas creatures
)m foi aeontecimento universal, que abrangeu todo
e. o globo. Toda a vida extinguio-se na face da
trra. a
ha A influeneia da escola de Cavier, que reinava
ros cm todos os espiritos quando Lund partio da Eu-
da ropa, ahi estA bem manifesta :
I a Em suns in7estiga5es sobre as crea-
os Soes extinctas de mmminiferos do antigo conti-
a- nente, continue Lund, chegou Cuvier a resultado
iM semelhaute, e quanto mais foram estes resultados
us objeoto de duvidas e contestaqoes dos naturalis-
a: tas que ihe suecederam, tanto mais content fico
5so por hayer coatribuido para sua confirma=Ao por
n- minhas pesquizas nesta parte do mundo.
xo Mais tarde reconhecera Lund o que suas pro-
ria posicoes contem do absolute, e, em preseusa le
factos por elle mesipo descobertos, ado hesitara
Se em modificar certonumero dellas.
es Terminando o primeiro trabaiho sobre os mam-
os miferos, tinha Lund a inten~go de enviar urna ex-
.i- posigao summaria sobre as outras classes de ani-
de maes, comeqando pelas aves, das quaes jA possuia
da grande e6pia de restos fosseis ; mas, tendo a felo-
r- cidade de encontrar, em suas duas ultimas viagens,
ne numerosos documents relatives A historic dos
dA mammiferos, julgon necessario publical-os antes
la de emprehender novoas estados. Estes documen-
r- tos constituem o objecto de duas memories, uma
e remettida de Lagoa Santa a A2 de setembro de
a- 1838, con t.res supplaentos de 4 de agosto de
n 1839 e 27 de margo de 1840, e outra a 30 de ja-
a- neiro de 1841. Na primeira, a menos volumosa,
r ; eontinua Lund a passar revista aos generous e As
na species discobertsdas d. quaesalgumas s".o novas,
ia elevande-se a 51 o numero dos generous fosseis e
se a 102 o das species. 0 estudo que foi obrigado
e, a fazer das especiesaetuaes, que vivem naqu Ila
i- r gio, induzio-o a escrever verdaaeiroa s A-
gXaphias nas quaes as desacobertas zoologieas vm
S- a eada moment recmpensal-o de seus arduous
e laborers.
e Na familiar dos roedores, os ratios s?.o tratados
ie com o moaior desenvolvimento. S6 no genero Mus
10 assignala dez espeeies originarias do Brazil, das
io quaes, segundo Ihe parece, ainda nenhuma havia
side descripta. Nos ratios de espinho descobrio
um novo genero: o Phillomys. A segunda memo-
Sria 6 quasi toda occupada pela monographia do
I- Plationyxpara o equal, em umultimo trabalho adop-
a tou o nome de Secelidotheriumr, (animal zambro),
r dado por Owen a um animal pertenceate ao mes-
d mo genero. Tratei a fuudo, diz elle, deste gene.
ro, assim pelo interesse que apreseata em si, como
-_ pela attencao que desde algum tempo os natura-
listas Ihe prestam e aos seus analogos, e por cau-
Msa dos inesperados resultados a quo chegou unma
je das summidades scientificas sobre o lugar que de-
Svem occupar estes animaes na classificaglo na-
tural do reino animal e sun affinidade natural.
Esta monographia 6 um model em sen genero,
Le assim pela exactiddo, coma pelas engenhosas de-
duc-Ses sobre as co-relap5es dos orgdos e suas re-
o lacoes corn as funccoes que deviam exeeutar. 0
sabie e seguro methodo e applicado par mao de
n mestre. Lund estuda successivamente a cabeca, a
r mo e o p6 do Plationvx, comparando ao mesmo
tempo todas as padres As analogas, quer dos myr-
rameeophagos," quer dos tatus, e conclue assim :
e Podemos considerar o pA do lationyx Como o
ideal de um pe trepador, como a image mais per-
feita do desenvolvimento de semelhante org'o par
sete i.spscto; ideal do qual muito se approximamin
a os tardigrados de noassos dias. De sun estructura
extraordinaria conclue-se que o animal nao podia
levantar nem abaixar o p6 sem que a junta for-
a masse um angulo de 90'. Quando queria eonser-
var-se de p6 como os outros animals, apoiava no
echio a extremidade exterior da planta dos prs,
pc~sicao evidentemente muito incommoda, que Ihe


a no permittia arredar-se do lugar, pois o p6 s6
podia executor um nmovimnento de rotacao em tornoe
Sdo eixo da parte inferior da coxa. Assim o Pla-
e tionyx via-se reduzido a mover-se do mesmo m o-
a do como.os tardigrados ; nao podia manter-se de
a pe nem caminhar, inmas tao sdmente avangar len-
A tamente, deitado sobre o venture. Tao embarano-
sos, poremeram seus movimentos sobre e solo quao
[a vigorasos e seguros em superficie perpendicular,
i visto seem voltadas uma para a outra as plants
Sdos p6s. i
. Esta condiggo essential aos tardigrados para
Sque possam subir corn facilidade 6 tanto mais iram-
portante para o Plationyx quanto a eata posicao
vantajosa se reune, com a largura desproporcio-
nada do p6, o maior vigor corn que o animal pdde
fixar-se gragas ao desenvolvimento consideravel (
do dedo munido da unha. Para qualquer especia-
Slista imparcial 6 evidence caber na familiar dos
L tardigradus o lugar que eumpre reconhecer aost
extinctos generous denominados o Crlodon, Mega
lionyx, Plationyx e Magatherium. Julgo que ne
nhum me recusarA a raza'o corn qua peso ser per-
feitar-ente adequada a classificaggo dada p)r Cu-
vier a estes'animaes, v Mais cabalmente uao p0.
deria ter sido demonstrado o erro da opinion de e
SBlainville. Todos estes generous pertencem real-
Smente A familiar dos tardigrados, da qual repre-.
sentam typos gigantescos, attingindo alguns a es- ,
tatura de um boi.
'- (Continua). p
9 i

REVISTh IADIA Rh

a Fateda-Ante-hontem Ais 10 e meis horas S
g da moite e no c es do Ramaos, Albino Victeriano p
a doe Santos, conhecido per Trevelou, tentou apo- *
derar-se de uns abacaxis, que corn outros alli es- v
S tvavam-arrom does e veda e pertenciaemm a An- e
a tonio anawco dos d am,, a
I Via esto, pois esatava de guards & ssafu enda, f
o "ade do homqm' oo.o opp.esse embargo p
frayw^ __at h gi>Miute Albino. = q


. ,S- ~ 1
--.-'. ,* i %-, ...
,*: '". ..\ *" -' '. *'._-


p^Sf. .y.c '^rba fe lx

,S* "" ', .r--.-- ,.i, .
4e-as a1oitn4 10
.cnpital subsea-ip oi_- O-
Pernambueca-
aktro Mamw iam .
AM-.

hoem o n. 397 deste seimanario illustrado.
Paipqete do norte --Hontem pela manhn
chegou A Parahyba, procedeate dos portedoa nor -.
te o0 ptya e iuiaI Pwiumbuo, que A tan-
sahio para os do sdl.
Deve h e am.uhsoeer em n o t
~' -~-- M-- d--- a- 6 (fio
comrene& era-fSi a 4 ita admlinttrativa f ar
sun sesso ae "noaa a.odi s create, uarta-feira.
Mele -Plrs. l ulbae- -e, vapor Ma
Ando da Comrpanba Braeiloeira chegou de passeio
a esta eidde- no dia 28 do passado, procedente do
Rio Grand. do: SIl, o nosso comprovinciano Sr.
Or. Belehior da Gama Lobo, filho do Sr. coronel
Joo Baptista P'era-a Lobe.
SComprimentamol.o.
Theatro de Ollnda -A sociedade drama-
tica Melpomene Olindense realisa amanh o sen
espectaculo mensal, levando A scena o drama -
?filho do cigo e a comedian Sema noiva e sem di-
nheiro.
Certameu rammatleo l.o de Janei-
ro Cow este, titulr aundou-se nesta cidade no
dia 1I do corrente, mais uma soeiedade dramatic.
EstrearA brevemente con o drama abolicionista
do anademieo Sr. Ribeiro da Silva: C6ra, a fi-
Uha de Apar; a chistosa comedia do mesmo nutor :
Uma noiva menculina; e a scena comic: Todos
bebem.
BExIawda. de assumcar e algodlo-
Vieram por mar e terra para o mercado do Recife
no mez de dezembro :
Aswcar
De 1884 338.398 saccos
1883 391.695
S1882 253.341
1881 424.543
S1880 418.650
Algodao
De 1884 29.604 saccas
1883 17.331 ,
S1882 12.968 a
S1881 15.274
a 1880 11.416 o
Exa-mie prinarios No di a 5 do cor-
rente, sob a presidential do respective delegado
litterario, I1m. Sr. tenente-coronel Brasiliano de
Barros Correia, sendo examinador o professor pu-
blico jubilado, Juvencio de Barros Correia, pre-
sentes grande numero de pessoas, tiveram lugar
os cxamnes dos alumnos da escola public do sexo
maaculino da villa de Nossa Senhora do 0' do Al-
tinho, regida pelo professor public Manoel Josh
dcs Santos Ferreira, obtendo se o seguinte resul-
tado :
1- grAo-Manoel Gomes da Silva, Manoel Ome-
no de Oliveira, Sebastiao Alves deBarros e Fran-
cisco Florencio da -Silva Jordao, approvados corn
distinceco; Francisco Joaquim de Amorim e Can-
dido Ribeiro de Azevedo, approvados plenamente;
e Francisco Gomes da Silva, approvado simples-
mente.
Ferro-via de Iimoeiro No proximo
find mez de novembro esta ferro-via:
Rendeu 87:8525680
Despendeu 59:520J180


Dando des, Ildo 28:3325500
0 trafego foi feito por 551 trens, que transpor-
taram :
Passageiros 8.082,5
Animaes 319
Bagagens 17.425 kil.
Mercadorias 8.054.272 ki.
Nas mercadorias comprehende-se :
Assuear 6.478.010 kil.
Algodlo 286.201 kil.
A taxa de transport produziu 1.188S500
A despezA absorveu 61,75 010 da receita.
Beuni6e soelaes--Ha hoje as seguintes:
Da irmandade de Santo Amaro das Salnas, As
10 horas da manhd, para eleicao da nova mesa
administrative.
Do Gabinete Portufz de Leitura, As 11 horas
da manha, para eleicao de alguns membros da di-
rectoria.
Da Beeflcente Liso-Brasileira, ao meio dia,
para eleicao da nova directoria.
Do Club farlos Gomes,, As 11 1/2 horas do dia,
na respective sede.
Amanha haverA a seguinte
Da Redemptora dos Captvos e Protectora dos In-
genues, As 5 horas da tarde, em assemblea geral
para proceder-se A eleicao da nova directorial.
Ave Libertas Foram offerecidos a esta
sociedade os seguintes ns. de bilhetes da loteria
98.a da provincia, pelos Srs. : Comamendador Ro-
drig-es de Souza, 40 6 ; Fiuza 1224 ; Peres,
1203 ; Nogueira Lima, 1617 ; Santos Porto, 579.
Nova muleca-0 Sr. Alffonso de Albuquer-
que Belle deu A lume uma polka de sua composi-
91o, intitulada-Nd8 amola, nao.
Agradecemos-lhe o mime que nos fez de um
exemplar.
SBDinoenlo -Distribuio-se hontem o 1.0 nu-
mero d'cste pe'riodico, que entra no seu 5.o anne
de existencia.
Hospital Pedro li-Estiveram em trata-
mento duraate os mezes de novembro e dezem-
bro ultimos, no consultorio medico (sala do banco)
do Hospital Pedro II, a cargo do Dr. Augusto
Serafim, 203 doentes em 567 consultas, dos quaes:
35 mulheres, 70 homes e 48 criancas.
Da felicidade e das suas formas-
As felicitades nao Re podem confrontar, nem o sorem-
mar e nem finalmente dividir. 0 Indo-pampa
que, depois de ter excessivamente enchido o esto-
mago de sangue quentissimo de cavallo, se espoja
debaixo do tecto do seu toldo, immersed na beat
censciencia de uma digestAo excelente, 6 feliz
Comic o sultao que nas delicias do seu serralho,
centre os sonhos phantasmagoricos do opio pensa
em ser senior de uma graude parte do nosso glo-
bo; como o philosophy que, depois de longas hor:as
de frenesi intellectual entire os seus livros e ma-
tuscriptos, vai encolher-se no seu leito, excla-
mnando: a Quem 6 mais feliz do que eu na Euro-
pa? a
Estes trees homes teem diversas 'naturezas,
gosam de um modo assas divers, mas mao torlos
felizes, de'de que todos creem sel- o.
Tambem o louco, que sorri entire os andrajos a
quem nao o er6 o summo pontiflce, 6 feliz, se elle
se sente tal. Pode-se fingir a felicidade como
qualquer outra cousa n'este mundo; mas desde
qae alguem se cre feliz, a 6; nem a eloquencia de
Cicero ou as propotencias de um tyrano poderam
fazel-o mudar de parecer.
Entre as mil formas da felicidade, eis algumas
iradas das extremes condiqZes dA organisaq:1o
cerebral e de desenvolvimento civil.
1.o Manoel Vasqnez, estancieiro de Buenos-
Ayres, tern dez mil vaccas e quatro mil cavallos,
ima milher bella, e uma prole b6a e robusta. De-
)ois de ter chupado por longas horas o seu mate,
.tntemplando corn soberana complacencia os bois
errantes -no desmedido mar herboso da pampa, elle
nonta no sem melhor parejero (cavallo mam ligeiro)
e, perdorrendo a galope as muitas leguas que o se-
param dos sens amigos, se acha bem acolhido em
;oda a part@ e festejado. 0 seu asado (assado) 6
emnpre gerdo, o seu mate 6 da mesma sorte sem-
pre optimo, e as suas noites sempre tranquillas.
As sass vaccas e as eguas teem sempre paxido nos
seus campos; aquelle home 6 feliz.
2.o Don Diego Figneroa, educado no seminario
le Salamanca, aprenden de memorial as obras de
i. Domingoas e de Santo Ignacio. Caste, tem-
aerante cruel, nSo via jmnaias na religion catholica
.nmo as abuaos da intollerancia, e sobretudo lou-
Tom a togneira, o eilicio e o inferno. E' mestre de
seola n'uma pequena aldeia da Mancha; tern
qmpue waitoa disiolpol sos quaes p6de formr on
sor saugue com a obibata ou awbia, tein.sem-
,re o seu hoolat Del, wfs .e -o brevianlo a
aode. 0 sen di.aoviTr- pr mais tempo do
kue as sene m AWeiso'sb uacjueloto: elle 6 fell..
3.q Josh Wit.5 -* l~e Simeo d'uina esore

p mm. Rova-Yiua*^^ Ca-


dsea d _-
50 C a
anno, Co-

sah prVqs d
eoinprair ooImpB 11- -W b"ita bh^
tasmagoria 4a 11 oti diml
paizxio do goveraador de Batav4 por ter de tra-
balhar tantas horas do dia e dar soluago a tantos
,megaeios. A unica inqaietagao que o tern atormen-
'tado.por alguns segundos na sua vida tern sido a
do perguntar a si mesmo porque Jimais os homens
_ afad;iam a _tanta n.b oa r .... .- i_
ca da telicidade, quando Deus concede a todos o
divino sueco da papoula ; elle 6 feliz. I z
6-. Peter Roberts, nuscido debil e cruei, foi
garoto, d-ppois ladr4o, e por fian careereiro. Tevo
a honra de supplicar o lugar de carrasco 6 espe-
rou veio a sel-o. Conhece todas as blphemias
da lingua ingleza, todas as tascas de Londres e 6
o primeiro apreciador de gin que pisa o solo bri-
tanico. Nio amaou jAmais a alguem, e odia a to-
dos; elle 6 feliz.
7. Elisa Dews nasceu entire as flores e a har-
moni,-. Educada no luxo, em urna athmosphera
de moral e religilo jAmais leau livro algum que nao
fcsae santo, e nem tambem nunca ouvio urea pa-
lavra que podesse offender a mais caste ouvidoda
Escocia. A 18 annos vio um joven e o amou.
Unida a elle para sempre, vio mil outros que nao
Ihe pareceram senlo homes, em quanto que o seu
marido 6 urn anjo. Dentro de pouco realisar0 o
sonihe de toda a sua mocidade, de visitar a Italia.


LEeiI6e-laBtawhr- h-h& :
Amaubl:
Pdo agente Guftmdo, As 11 horas, na rua Di-
reita n. 32, de moreis, etc.
Eltia famlree-Serlo celebradas:
Amanha:
A's oito horas, us ireja do Paraizo, por alma
de D: Anna Coutinho Bezerra de Mello ; as sete
horas, n p Tero, por alma de D. Marig-B
Pies Bawreto ; as sete horas, naS t matriz -SL
Boa-Vista, Santo Antonio-e Corpo-Santo, por.la
do Dr. Antonio Peraira da Silva 4 .ros.
Quarta-feira : .
A's 8 horas, na igreja da Madi de Dens, per
alma de AntonioDomingos Serra.
Quinta-feira:
A's oito homam, no convent dt S. Frauciseo,
por alma de Manoel Jos6 Dantas.


Alfiandega de Pernambuco-Damos em seguida o mappa demonstrative do rendimento
da Alfandega de Pernambuco no mez de dezembro de 1884, comparado corn o de igual mez do anno
de 1883.


DENOMINACAO DAS RENDAS


1884


1883


DIFFERENVAS


Para mais Para menos


Importagdo


Direitos de consume .
Addcionaes de 50 0/0 .
Augmento de 100/o0. ----
Expediente de 50/0. .
krmazenagem .
Capatazias .
Imposto de 40 % sobre fumo.
Despacho maritime

Imposto de pharoes. .
Dito de ddcas .i
Exportafao

Direitos de 9 %. .
Idem de 7 %/o .
Idem de 5o/o I r .... .
Interior


Sello por verbas.. .
Dito adhesive .


Imposto de transmission de 5
Extraordinaria


0/0


Somma. -


371:127,6067
185:4315390
37:0865277
3:3355018
9:2555510
2:2194588
845000


4:8805000
971;220


9:630A091

121:000227


43^000
1:8605000
74500


1:06446591
747:495$547


539:2325786
269:385A515
53:8315875
4:594.650
11:361428
3:3495921
325000


6:4605000
9525b00


4:6295188

181:6224824


126A200
1:9645000
1:1964500


1:9304797
1.080:670,134


$
5'0o
$
S
S
525000


A
18A720


5:0004953
4
S


168:1055719
83:9544125
16:7455598
1:2595632
2:1054918
1:1305333
S


1:580000




60:60S597
60:6025597


^ 634200
1 604JO00
1 f :18950


S 8665138
5:0714673 338:2465260


RECAPITULA9&O

fmnortaAo ..... ....... 608:53858 881:788W175 T7.a 825
Despacho maritime. ... 5:85194220 7:412A500S a 1:56128
Exportaoo . 130:6305318 186:2514962 5 55:621A644
Interior .. . 1:410500 3:286A700 5 1:876A200
Extraordinaria . 1:0645659 1:9305797 8665138
Total . t47:4955547 1.080:6705134 333:174A587


2.a secgo da Alfandega de Pernambuco, 2 de janeiro de 1885. -0 cheoe, Domingos Joaquim da
Fonseca.-O escripturario, Odilon Goelho da Silva.


SLoteria da previnela do Rio 3a grade loterla da corte de......
de Janeiro :=- Eis os numerous mais oo00o000o0o-Com novo plane muito van-.
premiador na 2." parte da 113. a loteria tajoso.
Premiado na 2.Os arte da 3.a loteria bilhetes acham-se A venda a Casa da For-
(348 B), para as alfaias das matrizes da tana, A rua do Crespo n. 23, os bilhetes dosta lote-
provincia do Rio de Janeiro, extrahida no ria.
dia 24 de dezembro : Grande loteria da corte-Esta grande
Sloteria, cujo preraio grande 6 de 500:0005000,
serA extrahida brevemente.
NUMEROS PREMOS Os bilhetes acham.se A venda na Casa Feliz, A
3727 ........... 20:000M00 praga da Independenciz Ds. 37 e 39.
Loteria-A de n. 168 B, do Rio de Janeiro
2945 -1O:OOXOXX de 30:0005000 sera extrahida no dia 7 de janei-
1988 ........ 4:000#000 ro.
1001 .-....-.- 2:Ot00000 Bilhetes A vendana Casa da Fortuna, rua 1I
6967 .. 2:0004000 de Maro n. 23.
943- -1:000000 Loteria de 30:OOO000-A loteria 168
94. sArie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
3656 .. 1:000W000 to meihorado, corre no dia 7 de j aneiro.
3726 Appr .... -1:0005000 Bilhetes A venda na Casa Feliz A pragapda In-
3728 Appr .... -1:000O000 dependencia ns. 37 e 39.
4834 ...-.-.. 1-:00000 -i-ot'erla da prowincia Segunda-feira,
5369'Jo ... .0 0 do oorrente, se extrahirA a Iloteria n. 98, em bene-
5369 1; ficio da irmandade das Almas do Recife, pelo
5557 ...... 1:000#000 novo plane approvado, no consistorio da igreja
,.______________ ._ de Nossa Senhora da Concei* o dos Mllitares, onde
NUMEROS DOS PREMIOS DE 5006000 se achardo expostas as urnas e as espheras arru-
2238 I 468 294-Apr madas em ordlem numerica A apreciacao do pu-
2 i 2238 4368 2944 Appr. blico.


308 5280 47304 2946 Appr.
473 3390 4275
791 3905 6502
890 4255 6627


NUMEROUS DOS PREMIOS DE 200#C

574 1494 3286 4097 4969
806 2062 3372 4175 5150
904 2306 3340 4328 5258
1174 2579 3586 4408 5362
1290 ii 3253 4064 j4620 5506

NUMEBOS DOS PREMIOS DE 1004(
25 1591 2347 3645114927
202 1607 2381 3926 5324
255 1610 2760 4005 5401
315 1638 2827 4143 5714
955 2059 3021 4359 5894
1129 2123 3062 4472 60281
1376 2172 3089 5587 6108
1381 2286 3630 4714 6219
NUMEROUS DOS PREOS DE
NU?4EROS DOS PREMIOS DE 40#)(


31 1544 2724
123 1602 2823
141 1609 2856
165 1615 2866
322 1616 2964
420 1648 3208
483 1709 3320
656 1764 3511
711 1809 38
896 1908 87
109l 1972 [
114 t209 0,2 3815
1277 191 3824-

I .
1^q~ U2 389
1%- %t39g8


4002 4766
4090 4806
4146 4855
4249 495T
4293 5012
4306 5021
4494 1508
44.19 5216
4441 5217
4468 5249
45251 5428
58 5402
4687 5W17


o00

5815
5979
6179
6301


Loteria de 400:OOO$OOO-Esita gran-
de loteria do Rio de Janeiro, serA extrahida no dia
5 de janeiro proximo vindouro. -
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praca da In-
dependencia us. 37 e 39.
Grande loteria de Nitieroy-Esta lo-
teria, cujo premio grande 6 de 400:0005000, serA
cxtrahida no dia 5 de janeiro proximo vindourq.
Bilhetes A rveada na Casa da Fortunaj, A ruma 1o
toe Mar0o n. 23.
| a grande loteria da Yptranga-Es-
ta loteria, cujo capital 6 de 2,000:000$000, dividi-
ia e 4 A ortein.u aendr100 :f000fi00oflfl narO i


iniores de cada series, serA extrahida no dia 10 de
"o janeiro proximo vindouro.
S Bilhetes A venda na Casa da Fortuna L runa 1
6605 le Marco n. 23.
6795 Loterfla de Wacei6 Esta loteria cujo
6824 -nior premio 6 4:0005, corre impreterivelmente
6 ao dia 10 de janeiro.
6860 Bilhetes garantidos A venda, na Casa Feliz, A
6943 praga da Independencia ns. 37 e 59.
nercado Maunclipal de S. Jos6 0
movimento deste estabelee-imento no dia 2 de
janeiro foi o seguinte:
Entraram para serom vendidos: 28 hois, pesan-
do 3,672 kilos.
No mesmo dia entraram para o meamoes-
S tabelecimento:
6071 Pixe, 361 kilos.
6095 Farinha, milho e feijAo, 20 cargas.
Fructas diversas, 26 ditau.
6216 Suinos, 2.
6340 Carneiros, 2.
6471 Preos dos dias:
6551 Came verde a 569, .a480 ris o kilo.
iSauino a 600 rdso kilo.
6592 CCraxeiro a 14 idea
6655 lVankha d 500, 400, ate 280 ris aegi.
6752 Milho de 4480, a 320 rei. aeuia. .-
6764 i 6Fejo de 800, e 5Q r. i-.O.
~,i Foram occupado.: "
6780 47 talhos do eamne verde.
6% 15i ditm d .. i. -
10 llt
Z ". MIDI


4'i;v, Ol"


* Eu


i..


' *" '-'- .? .'" '* '"
. .^ -'-


, a.-. .. ^ .
4. : i ... .. ., ,_ ., ,


..; '"
'V4-' .,


N-u


w
^
I."






























Mediea
Consultorlo muediee-irarrgie do t i
Pedro de Attabyde A e Mseeo i
rua da Gloria n. 8h
0 doutor Meo;owU dk eonsulta todos oO
dias uteis, das 7 As 10 horas &a imanhl.
Este consultorilo offerece a commodida
de de poder cada-'oente sor ouvido e exa-
minado, sem ser presenciado pwr outrD
"De meio dia As 3horas da tarde sera
Dr. Moscozo encontrado no torrelo A pr,.
9a do Commercio, onde funeciona a ms-
peego de saifde do porto. Para qialque
d'estes dous pontos podeilo ser dirigidos
os chamados por carta nas indicadas horas.
Dr, Leonardo de Albiquerque Caval.
canto, medico e laureado da Faculdade de
Paris, p6de ser procurado em seu consulto-
rio a rua do Imperador Li. 44, das 11 As
3 horas. Residencia provisoria -Alto da
Misericordia.
Dr. Barretto Sampaio, do volta de sua
viagem ao CearA, dA consultas de 1 As 4
horas da tarde na raa do Barlo da Victo-
ria n. 45, 2.0 andar; residencia, rua de
Riachueoi a. 17, oauta da rua dos Pires.
Advogado
Dr, Milet. 1 promoter public da ca-
pital toem sea escriptorio de advocacia, A rua
do Crespo n. 18, onde pode ser procurado
para os misteres de sua profisslo.
Bourgard 4 C.
Recife: rua do Marquez de Olinda n.
16; Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
go n. 3; B-a-Vista, rua da Imperatriz n
54. Grande fabnca d' cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos de Ha-
vana e nacionaes, eachimbos, tabacos e ob-
iectos para: f*ittes. Livros de medici-
na dosimetrica e unico deposit da fari-
nha laeea de Nest1-, para os meninos de
peito e eite eondenatdo.
Drogarla
Francisco Manxwld da ilva & C., depo-
eitarios de todas as especialidades pharma-
scuticAs, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos homamopaticos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.
Botica rranceza
Rouquayrol Freres successores de A.
Caors. Neste estabelecimento encontra-se
todos os medicamentos homeopathicos da
grande e offamada casa Je Catelan. 0
granules dosimetricos de Burggrawe. As
especialidades pharmaceuticas da Euroda
e da America, dos vordadeiros autores,
drogas, products chimichos, tinlas, oleos
pinceis, vernizes Productos especiaes da
flora brasileira e toda qualidade do funds.
ffecebe sempre vaccina fresca e boa. Rua
da Cruz n. 22, Recife.
Pereira & C., continiuam a alugar services
para cha e jantares, talheres de metal fino,
trinchantes, cops, calices, garrafas, com-
odteiras, jarros, -globos, lanternas, lustros,
toalhas, guardanapos, toalhas de I L yrintho
para baptisados, espelhos, baud3j ',. e me-
tal branco para chA, meza elastica o -.e icr-
radura e outros muitos artigos para casaj
mentos, baptisados, bailes, festas de igraia
e etc., por pregos commodos na rua Nova
n. 39, 1 -andar.
Drogaria
Faria Sobrinho & C,, droguistas por
atacado. Rua Marquez de Olinda n. 41.


PUBLIC OES A PEDIDO

0 eholera-morbus
0 cholera d pessimo visitante, que como
o tremor de terra, faz tremor a humanida-
do.
E' este flagello um principio destruidor,
que se desenvolve nos pads do Ganges em
certos tempos, dadas certas cireumstaacias,
do mesmo modo quo a criagao 6 reprodu
zida pela necessidade criadora de quo e
acerrimo e fatal inimigo; esporal-o corn
fraquoza 6 render-so cobardemente antes
de chegar A port, combatol o corn cora-
gem 6 venoel-o corn valor no cerco de sous
horrores.


0 terror quae incute o seu nome para
quern nio conheco ou nao analysa a sua
natureza, 6 o grosso de seu exercito, e. o
medo sern mais cortezia faz em seu nome a
a maior destruig'o.
B o queo 6 o cholera sem esta trombeta
de vanguarda despido desse manto assus-
tador?
0 modo s6 por si 6 uma grave mrolestia,
cuja natureza tern per object falminar o
anima midependente do auxiliares morbidos
de outra origom e natureza.
Uma colica rebelde pode produzir os
sycaptomrs do cholera-morbus na mnuior in-
tensidade ; mas as eolihoas rebeldes, 'nlo se
considerando epidemrnicas ou contagiosas,
deseem do valor medonho, que no cholera
6 o principal e fatal- contagio.
Tambem nao so more do mode do vo-
mito microbico, da cholerina e do sporadic;
porque seado especies dq cholera, nao ternm
polos nomes o pw idohai que acorn-
panha o nome do prnro cholera-morbus.
Um generalde-qa m-eonta proaa, s6
o suan nome traz a id6a de que em luta nin-
guem podera riustir,.ando malta vez 6
f.em, peasoalitV- iiapa, d'afrontar usna.
giuhtenacia de var;. otato, seja qual
for 9c0o4 vida do homem,
bB o a.suo.



.


p .1 "

arC'


0 affeetados em boas eendices hygie-
, nicas e regimen de.vida, robustoa na for
da idade, come6,n9atam a sentir nausoas,
. arr ios Ogekms, fbn eom dor d & abea
- intensa; symptoms que deaappareciam
D 24 horas dapois.
o As nauseas, que antes deste estado ape-
. nas produziam uma outra vez hnmidades
Samargas corn alguma diarrhea, depois se
r convertiam em vomitos biliosos noite e dia
Scorn character intermittent variando sem
hora certa, e os doentes, alemn disto, sen-
tiarn fastio excessive, complata repugnan-
Scia aos alimentos, abatimento, physionomia
e cor regular, taciturnidade, olhos fecha-
dos as mais da vezes, desejo de. star na
cama, cuspinhando constantemente uma
especie de mucosidade clara e pegajosa,
temor da morte, parecendo uma ou outra
vez restabelecerem-se, pars depois volta-
rem os mesmos symptdmas, sem queixa-
rem-se de outros incommodos novos ; por-
que mesmo nao havia nos doentes altera-
gao alguma nas func$3es lunarias.
0 estado morbido em geral descia umia
outra vez, os doentes mostravam animagao,
para mais tarde sem causa conhecida vol-
tarem os vomitos, precedendo alguma vez
febre corn dor de cabega como na primei-
ra invasao, Fcom alguma perturbagAo de
ideas e de memorial.
A metralhada medical do trt tamento era
medonha, bastava entrar em umn organis-
mo sao para Ihe arrancar a ultima raiz de
vida.
O vomito continuava em sea march,
ora bilioso, era de mucosidade, coberto de
linda espuma da mesma cor corn aljofado
miudo muito igual, que difficilnente era
expellido do vaso que o recebia.
Em certo easo, um assistente anmestrado,
attribuia A molestia um parentesco appro-
ximado corn o beriberi, outro A espinha,
outro ao esterico somente, finalmente o
menos prejudicial, que mais respeitou a
vida do doente e aos mysteries da sciencia,
foi un outro que se manteve na sabedoria
do silencio, sem quo nenhum so lembrasse
de apparontar a molestia corn o cholera-
mnorbus, que ja reinava na Europa, nem
que fosse produzida por microbios accu-
wulados no estomago.
Umn zero interessado lembrou isto, mas
cahioe a id6a entire o luzeiro dos assistentes
e conferentes das juntas, que corn palavra
autorisada nao cessavam em affirmar que
os doentes do mal nao morreriam.
Um s6 nao escapou no amargo e. triste
period de uns 60 dias da invasao A miorte,
ao contrario alguns declarados salvos em
convalescent, morreram no mesmo dia cer-
cados do todos os symptomas percursores
da more voando coin ella a espectativa me-
dicata! Factos quo tiveram lugar na esta-
9ao humida e que passaram desapercebidos
sem estudo anatomico nem de outro meio
de levar A evidencia os phenomenos morbi-
dos que arrastou a morte a preckosa gente!
Nao ha maior desaso p'ar fabrico de de-
funtos, nerm maior empenho de ser o pri-
moire na ignorancia e ultimo da sciencia,
e proprio da perniciosa retina de tratar as
molestias sem previous diagnosticos, e de fir-
mar Pantas e attestados cadavericos arbi-
trariamonte sem respousabelidade legal, no
quo tern grand culpa a sciencia do estado
a falta do corrective, fixando pena e pre9o
acerea do trabalho e do abuso medico como
na cult Europa.
A falta desta medida salutir e de estudo
da sciencia em sua vasta esphera, 6 causa
de noess atraso medico e da perda de vidas
preciosas, e haja vista aso que se passoucom
um d'aquelles infelizes doentes em que o
medico assistente o vendor moribundo, teve
o desaso de declarar que nao conhecia a mo-
lestia! que tal o medico e o tratamento ?
E' obra dos toimosos quo nbo estudam
nemr descutem, envoltos na fatuidade matam
os doentes, tiram contas fabulosas, e impro-


visam os attestados que acompanham os ca-
idaveres para o comiterio !
Nestas condifoes mil vezes o cholera-
morbus corn ou sem microbios; porque nao
havendo modedo, nao ataca as crian9as, e se
combat radicamente no comego corn cha
de macella, olhos do larangeiras &, e no
period mais grave corn tintura d'arsenico
da 5.' dynamisaAo misturada corn agaa
fria e applicada no preceito homeopathico,
tal 6 a sua naturesa despido do terror.
Sim, mil vezes o cholera asiatico, 6 co-
uhecido da popula9Ao e a terapeutica, e
isto basta para escusar a presenua de medi-
cos que nuaca viram nem conhccem a sua
march em garantia da vida e do thesouro
alheio.
Finalmente medicine nao 6 political em
que figurea qualquer trapo somial, ,6 negocio
gravissirmo, que nao -deve ser convertido
em umsa pirataria animada de presumpg5es
e fatuidades.
T.

EmalLr

O. eirurgilo dentist Bailiaco par-
tecipa wsos seas clients a;' aiigos, quo se-
ge no dia 5 para o. sul, em busca de me-
Ihoras A sua saude,a e spe. que nas. ua
volta contintem a diapvr-lhe a confian-
|, cool %e -empre- o ditinguiram.
,m.. .a- .U--o.. .


u iad e. Jo& -:
Ease inquarito foij4sr~vi4o, 41 mu~aAemimon do
Dr. prometar pubriA 0entUA1 pe.dioq a. wv Oia af-
s.m Oasis atumas t aM qae spclue .paste&i
Em cases com0e11 t e, f t diffi "e. :- Danse A alou po- D. Juafia. O- .M
se comn fadfidadeaOvieW.- prieifias dfilen-.veira. O"
i Enrops ande firequen-
ema, a verdade, per-famt da cowfUwa e mobre- Fatinitza por D. Laura e Eugo6 c a, tendo eito um cuao ema-
salto daa. pessoas presented. n' Ob doasubars.CIAcan
0 1o. juiz de paseoutra pessoa inm peituaso Grand Galop de Concert perMilus Mi- l.j m Mg o h eom J ri o D r e de
chfi e...,. .Ofv rA6 o m;dig a 2 horaiL.
Tempo, apezar de presented e offu ndas n1o pude- eh. a oT r ." Ie id o eil. Ata 2hos e. e des e-
ram dizer quem foram sess a e doeuwOdesieuraBarbeiro de 8Mila per Et... de o l I' e AS es
aOliveira. U r~ ptm a. Beebe chaMadc por eeriptee on ao seu consul-
c pheros oa o, p to, iavel Fanfare Militaire-por D Mariatoro, o em ua residencia rua do Baro de S.
que nos depoimentoe da1atMe, W s@*to6,3W1a_ ,e nheiro. EsCripto. fdeKAJI 1 B, Boils n. 30.
se versoeadiverssa, Attila a quatro maos por Miles. Pi- .. '
Os in4auarite devem asww ohidea de'tro de 5 nheiro, acompanhado. de rabeca. e em teda S pofg PlpaM !I
dias, quindo os iadiciadoBado -prwos, e'n) sao Fifres de la GaeIe per F. Pinheiro, eapIta Es a.a E"Co egio da J Pedro II
raros os que se tenhamt dno multo Mtes. acompanhado de rabeca. rea Seaptentvo e rm &i dOes do Ramosa 2
O promoter, portanto emvyz do inactivo, esta 2' classes sob a direcglo de Mile Mioha&- PL eli0 A8 st estabelecimento principiaro a
orocurando eselarecer os factospara. poderbamear is. 1 I Tl funceionar no dia 7 do corrente Recebem-so
.Canarios a qatro m~ PA~iNu UUU alumnos internee, meiopewnsionistas e externos.
o seu procedimento, eo mz.devia attended o, sem Canaris a quatro mos por Miles M. t, ea
E., deMattoise Laura. deoOliveira. Dlraate meatred czidode1deJam at col M tU hr
qued'ahi seposes idfrir~qne ile coalsdeze a in- R -^ 1 ^018" ,Dttante o sBesinete decmdo, do I do jaum ateW a^k^S
quo d'ahi se poss ierir quo si onsldeme o In- Reverie de Bertha-a quatro ma1s por 30 de junho proximo passado, pagou estcompi- Es l nl
querito inperteito. Elisa do Oliveira e Maria Francisca Sales uhiador 38 8 instros (mortem)aimportancia to- [V l lt fl
A policia inquerio as pessas qua eestvanm pre Abreu. tal de 1,827,17 dollarsouro dao Estedo-Unidos,..
sentes; eamprioeoneegaintemcnteoad6vev; As BaiJo em Maawbera -p Flavia Cato. oa em moeds brasileira ceres do 41600=.(O00, se.I-'lUflEmR e lti 9
sentos;, Oal do: 0 b f l a
testemunhas apontadas nao slopresences, ape- Edelweiss p Eliaa de Oliveira. Em Janeiro pr 60 amistros t 268,925 (ANTIGA DO SoL)
nas cousta que tern sciencia de factos aiterioresff Traviata por M. F, Sales Abreu. fevereiro por 50 209,615 Anns Theodora Simoes, avisa so re'peitavel
quepodemeselareerjtica Carnaval em Roma por Miles F. di- ,maro por 75 252,186 publieoe amepaisdesuasalumnas, que no dia 7
1 d e a "c Jheir e uabril por 84 396,261 de janeiro proximo vindouro, principiario os tra-
q pe a r nheiro e F. Araujo. amaio par "g 409,595 balhos lectivos do seu estabelecimento de instrue-
SFeder mans a quatroF mos por Maria junho por 58 i 290,635 geo primaria, continuando a receber alumnas in-
onteiro e Flavia Catao. ternas, meio-pensionistas e external, esperando
De~speid Grande Valaa de Schulhoff por Miles. o Sinitro* na *mpotauta do memos o acolhibtento e proteeo que seminpre
Devendoseguiraman no vapor Piraama lis e lavia Oao. Tocar A Inglaterra 6 d19412 he dispensaram, ertod qu empregarA todo o
D eoseguir, saman, no vapor Pir~araa, Nicha~lis e Faav A Catk. Escossia 5 a 10,000 esmero no adiantamentode man alumset
par a o alto sertio, onde von visit ar a mina fa Etoile d'or por Maria e Frincisca t Irlanda 2 a 22,500" _
-nilia, e nao podendo despedir-ne soalmente Arauo. ao Canad 8 3000
gdas pessoas de minha amiza, fa, -o d'aqui e0 Na mesma noite estavam expostos no s IndiasOceid. 102 a 187,000CaJi beba
Sixaa Borges. salsa de estudo, grande numero de pintu- Allemanh p2a 2 5 ,680 .... u b.b
--- ras A oleo e aquarella, e desenhos A crayon, Ab Hespanha 6 1 30,000 Ua r aiA
Aula particular de primelras que pela perfeiglo do trabalho mostravam a ASuissa 1 s 7,000 ma Cor a PO I
letter o bom method de ensino do digno profes- s ao Chile 3 5 17,000 Illm. Sr. Antonio Pereira da C tnha. Taquare-
Antonio Cesario Moreira Dis Junior tern aber. sor Mr. Goadault. Mexico 6 28,000 tings, 22 de dezembro de 18.--,i. precisa o
Antonio Cosario Moreirs Dias Junior tom aber- sor Mr. Gadault. a ss Estidos-Unia. 337 JS 1,558,912 seu famoso Cajurubeba que se ohe faga o'favor de
to, A rua das Nymphas n. 2, uma atula de-primer- No meio.-da sala havia uma grande me- __ exaltar;6 por6m de tod a oquidade quo mepa-
ras lettras que com" a funecionar no dia 8 do sa coberts do bordados -de tofs as quali- Total 388 1,827,217 tentei easmila girp rawrm etoa uam eqnide que para
mez de janeiro vindouro. dades o flores artificiaes. Durante. mesmo period pagou a companhia proveito da humanidade. Havero cousa de cinco
3m 1883: mewes qnepernoitonu nests sua ceasa o meu amigo
n titu 9 d ri 30do dezembro do 1884. Emjaneiro par 56 sinistros -. 199,900 Sr. capit A. da S. Ramos, o qual vendo o estado
InSlu O 19, e Ai l Diretora, )fevereiro. 55 v 22i),112 soffredor de ums mans miinha, senhora de 74 an-
SAnna Carroll. mareo 75 A "$ 255,654 nos, e que soffria horrivelmente de rheumatismo
d flabril 54 A 232,205 ha mais de 90 a onto de nioapeder andar
"m M "emaio 65 ; $ 365,358 semapoio, lhe aconselhou que usasse oCajurubeba
4d1 11 A f g S ju nho 64 v 227,370 e elle mesmo Ihe ferieece -um fresco.
DIREECAO DO iCollilo We lN --S- Nos primeiros tetdias, as dores dobraram de
Bacharel Luiz da Costa Ferreira P. Total por 369 1,500,599 intensidade, e ella deixou de o usar; por6m a ins-
Carreiro tancias minhas centinuou, e antes do liquid se
As aulas d'este institute abrem-se no dla 7 do ira s 0 rateio da mortalidade sobre os seguros vigen. findar, sentia-se completame-te restabeleeida.
correte tettuto abre era em 1883 de 1 10/100. Para que poie, quem so achar em identicas eir-
Penate. e Ieo-raries Este estabelecimento de instruceqo primaria e 0 total pago pela companhia nos ultimos 25 cumstancias As de minha irmi use de um tiao mi-
Interno par trimestre adiantado 140oo0) secundaria para o sexo femenino teorn a sua s6de annos, por sinistros, dividends, annuidades e lagroso medicamento, pe~o a V. S. que d6 publi-
Por mez 5Q000 em uma contortavel chacara na Ponte d'Uch6a n. liquida5es de apolices, era em 31 de dezembro cidadu a esta minha declaracilo.
mais de um irmo tern oab-timentode 5oi sosbre 10. prsximo passado 0 83.877,699 51/ ou m/,n........ Disponha do pequeno prestimo de sen criado e
cada pensio. As materials ensinadas no collegio sao as so- 200.000:000A000. obrigado, vigario-R-enovato Pereira Tjo.
Semi intern d'aula primaria ou de uma guintes : Relig:lo, portuguez, francez, inglez, alle- 0 total dos haveres da companhia em 1 de ja- Reconhego verdadeira a assignatura stipra e
s6 aula superior. 75,000 mio, historic, geographia, piano, desenho e pintu- neiro de 1884 era X 53,030.582.00; o total de suas dou f6.
De mais de uma aula superior 1005000 ra, bordados e flores. responsabilidades conforme a taxa de 4 1/2 0/( Recife, 27 de dezembro de 1884. Em testemu-
Externo d'aula primnariapor trimestre r155000 As linguas falladas no collegio sao as franceza, (padro do Estado de Nova-York) A 40.020825.00; nho de verdade, o tabelligo publico.--Joad Boni-
De urn aula superior por trimestre 20,5000 ingleza e am, para as qun e tcm mo stras eaque deixando o enorme surplus, fund de reserve, a di facio dos Santos Mergulhao.
De mais de umas aula superior por tri- residem no collegio vidir-se entire os mutuarios (possuidores de apoli- -
mestre 3o0500 A director encarrega-se seguudo a vontade dos ces de 12.109.757.00 ou cereal de 30.000.000f000.* i "I mm haB
Lavagem de roupa 15Av00 paes,"dc preparar as alumnae para fazer exames na 0 ratio dos haveres da companhia por cada COll)e da lm 0ll's
Dansa, music, ou desenho, por trimes- Academia, como fez este anno eom brilhante re- A 100 de sua responsabilidade 6 de 5 129. 0
tre de cada uma 205000 sultado a collegial Maria Eugenia de Mattes, ob- (Extrahido dos Relatorios Officiaes). e100
Stendo distinc9oa em frianeez, inglez e portuguez. As listas detalhadas e relatorios officials podem
Drrectora, ser vistas no escriptorio do Srs. Henry Forster & Rua do Wlospileli a. 1
COL^ I0 *Anna Carroll. C, na rua do Commercio n. 8, correspondentes da As aulas deste .collegio abrir se-hMo a 15 deja-
-- companhia, onde tambem pode ser. encontradoo neiro, coutmnuando a ter aulas diaries para todos
das r Institu !!ill $1D 4 m *ISr. Theodoro Simon, o agent. geral nesto Impe- os preparatoris e am corpo docente do mais re-
N. S. da 1Gru fn Ai eo rio ; todos os dias, das 10 horas da manhg ate as conhecido merito.
Et 1a e n d int-/ pi-adeu13 horas da tarde, durante a- sua estada nesta ci- Admittem-se alumnas internas, meio pensionis-
Ecste estabelocirnente do instmncgao pin- dade. tas e extemnas.
maria e secundaria pars o sexo femenino, 33 -RUA DO VISCONDE DE AL- Recife 24 de outubro de 1884. A director,
rtm a suna s6de -ea urea confortavel chaca- BUQUERQUE-33 --. Maria Coelho da Silva.
h s poteCrs de instruCi O 0 rimaria e
As materias ensinadas no Collegio sao 0 de E jlO DirjIntftf
as seguintes. Religibo, portuguez, franeez, secHndaora para ,o Basi g l va S ur
inglez, -allemao, historic e goographia, pia- DIRETtOwR-r A eornmies~o agenusiadora dos products pars Jorie Basilisco da Silva Sautos, cimurgibo
nol desenho e pintura, danza, bordadpha e nAC-AREL OLRE TOa exposio de Antuerpia na Belgica por inter- dentist e pharmaceutico pela Faculdade
us, eseho epinuradana, ordaos BAC &ME OLI;'qTuo medio do Centro da Lavoura do Rio do Janeiroe
flores. VICTOR do aecordo com a Associacao Commercial desta do Medicira do Rio .de Janeiro, eolleca
As linguas falladas no Coilegio sao a fran- .t pra~a delibcrou corn a reepectiva directoria fazer lentos pelos systems mais aperfeicoades,
eeza, ingleza e ailem, para as quaes tm Internato e extemrato ura exposi~o parcial em 27 de janeiro proximo obtura (chumba) a ouro, A platina e a osso
mestras que resides no Colegio As aulas deste estabelecimento de instrucco rsed oabetosma Aeaduirr sate ue eop artificial;
A director encarrega se segundo a von- educacAo estarao abertas do dia 7 do corrente em tenha occasiao de apreciar o desenvoluimento das ouro, trata das molestias da boeca e corri-
tade dos pais, do preparar as alumnae para diante. artes e industries. "ge as irregularidades dentarias. Acha-se
fazer exames na Academia, como fez este -- Para isso a commissao pede a todos os artists das 10 as 4 horas- no seu gabinete A raa
anno corn brilhante resultadoa-a collegial E ter a e industries qu abrilhantem corseus primares.da Iiperati u. 1.
Maria de Mattos, 0btenco distinc- l O d'art pars estimular a progress dstas proviciajs
E euad Matoot o tC-born como roga a quaiquer cidadao (caue p~ssua _


glo em francez, inglez e portuguez. S X 0 alguns moves objects do artes anigas) o Escla particular
Resultado dos exams feitos no collegio no eXO JO Tfl pial favor deos apresentar corn o fim de se con-
dia 30 do novembro de 1884. a frontar o adiantamento, que ha occorrido acerea Bua VIdAi do Negrefirio 190
Ru dee ia do Wionlelde Goyasna (antlga de urn seculo. Maria, do aCarmno Rotdrigmes Aimeida, fau
P Iclasse do Cotovello) n. .139 Acommissio doelara que estes objects devem sciente aos pais desas aluminnase aoirespeitavel
Portuguez, analyse logica. Abrir-se-hko no dia 7 de janeiro proximo vin- ser remettidos pars a Associagio atW o dia 20 de public, que su aula acha-se aberta no dia 7 de
Maria Eugenia do Mattos, distineago. daouro as aulas do estabelecimento acima. janeiro pars hayer .tempo de serem collecionados' janeiro proximo vindouro: o ensino coast de pri-
Laur d Oieira, de As materiasleccionadas constam de : Primeiras pagando esta commissAo a despeza do transport meiras lettras, trabalhos do agulh, de difereuttt
Maura Pe iu veira, ides. Lettras, Portuguez, Francez, Geographia, Pia- dos objectos emprestados. qualidades, flores, musical e piano recebe algumas
Maria Pinheiro, idem. no, Desenho, Pintura, Flores e todas as diversas 0 programma desta festa do trabalho sera em alumnae internal.
Eiysa de Oliveira, idem. _, __I_,,-_______......______W_....I_-
Flavia Catao, plenamente. (10 l7rIEI0 7-No vapor inglez Alice, carregou : MOVIMENTO DO POI'VO- "
Eugenia de Oliveira, idem. lIPara Liverpool, F. Caso & Filho 1,000 saccos Navios entrados no dia -:
Maria Monteiro, idem. corn 75,000 kilos de assucar maseavado.
Maaem.do Recife, do Janeiro Na bares Norueguense Simah, carregou:
2' classes Praa do eife, de aneiro Para Liverpool, J. H. Boxwell 500 saccas com Santos e escalas -10 dias, vapor france
Notas da analyse grammatical. de I8S5 44,-187kilos de algodio. Vile de Marcnho, de t775 toneladas,
Francisca Pinheiro, optima. As tires horas da tarde No vapor francez Ville de Maranhao, car- ommandante Bi-eant, equipagom 45, car--
regou : vresgnros a-Augusto, Fre z:
Edmunda de Oliveira, idem, Coe ojffiae. Pars o Havre, S. Gonalves Brito 50 sacas var gener a Auguto Fr oo
MAl. Fraticisca de Salles Abreu, idem. Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 5/8 d. per 15, com 3,928 kilos de algdao. de Oliveira & C. -
Francisca d Araujo, idem. particular. Pars Lisboa, P. Camneiro & C. 1,700 couros MacAu-13 dias, escuna national Evora de
Araujoiem. A. Leonardo Rodrigues, salgados corn 20,486 kilos; S. Guimarles & C. 260 toneladas, capitao Antonio Nunes~de
FRANCEZ Presidente. 1,437 ditos com 17,244 ditos; F. da Costa & C. p n r
1 classes M. J. da Mtta, 219saceas corn 15,504 ko' de algodo ; M. Campos equiag 7, carga sala Car-
Fabulas de La Fontaine Secrctario. G. Rosas 1 barriea corn 110 ditos do farina de los Antonio de Araujo, capitlto Antonio
Maria-Eugeiado t tsdistin o. D NTOS PUBU O mandioca. Nunes de Capos.
Laura do Oliveira, idem. RENDLVENTOS PUBLICOS .- Na bares in leza Lavinia, carregou : wodin
L aura ae Oveira, ideme. mez de janeiro de 1885 Para Halifax, M. J. da Rocha 600 saccos corn
FMavia Oatko plenamente. LFaNDOGA=4=e 2 2b8:730159 45,000 kilos de assucar mascavado. Liverpool---Barc:a nwuegeaese -Safridf a-
2' dasse Idem de 3 32:627A948 No brigue norueguense Savon, carregou: pitlo J. Samuelsom carga algodlo e as-
Charles XII- ---- -- Para New-York, H. Forster & C. 500 saccos r
s do Olera d o -r <61:358A107 corn 37,500 kilos de assucar mascavado. sucar.
Elysa de Oliveira; distincao. _.- Na bares norueguense Suez, carregou : Santos Brigue inglez Imwifalen capitIo
Maria Monteiro, distincp9o, idem. cBB2ooA De 2 1:9325509 Pars New-York, J. S. Loyo & Filho 2,311 Stonchewse, carga assucar.
Eugenio de Oliveira, idem. Idem de 3 1:348.643 isecos corn 173,325 kilos de assucar mascavado. 0b ao
Maria Pinheiro, idem. -______-- No ligar americano Geneva, carregou: :sed
Maia Pinheiro, idem. 3:281152. Para New-York, H. Foster & C. 1,250 saccos Suspendeu do Lamarlo para Maeei6 a
Francisca Pinheiro, plenamente. __ corn 93,750 kilos do assucar mascavado. barca americana Lllian capitbo G. W.
3' classes JON ULADO renxcvsit'-De 2 11:569A48 No patacho irgleZ or'dFredegar, carregou: Rumbell, em lastro. -
Charles XII Idemd 3 15:098t091 Parao Rio da Prita, Amoim Irmdos & C. Idem papa. Guaraper,- o IW norueg n-
Charles XLI Ideni do ~~~~ -1,610barripasecoin 17%,962 119.kilos -do assucar ~Loadcpt. M- i ata
Edmunda do Oliveira, plenanmnte. 26:667A539 braneo e 50 ditas corn 5,868 ditos de dito masca- eLoodahl aA em lastr.
Maria Francisca de Salles Abreu, idem. vado. Idem parsa Maca, o brigue noruegue.e .
Francisca de Arauio, approvada. sacm DameN--Da 2 229A28( Pave o interior Zela capital P. Andzesseo emBloa '.-...
INGLEZ Idem d4 3 4214A615 No brgue hespanhol AmiWtade: carregou: "
I` classes --- Para Uruguayana, J. 8: Loyo & Pilbo 600 -
Evangeline 650896 bsrriesm c orn 64,29TIiao demanear branceo e 400 v n" 'S -
Maria Eugoea do Mattos, distin o.-DA PATA ditas corn 43, 25 ditos de dito masoavado. VATPOR S ESPLI OS T
Laura. elivea de t ti o. ALTERACAO DA PAuTA Na esenna sueea Lomrey, earregou e
Laura do Oliveira, idem. Par a semnna de 5 A 10 de janeiro de Fam o Rio Grande do Sul, P. Carneiro & C. Persmambaco do norte e ; *:
2' dasse 1885 775 barricas corn 69,020 kilos de asucar-branco e MR *Wtg d Halmberg e e -t
Vicar of Wakefield Cachaga, 75 rs. o litro. 75 ditas corn 7,620 ditos de dito mascavado. tos do norte do .
Elysa de Oliveira, distinzxc. Alcool, 160 ra. o litmo No pataxho norueguense Amnfaud, carre- IMWAO VSe .
L, i ^ uAldoem rama, 480 ra o kilo. gon io s de da Biia --
Maria Pinh "tf peni, Klfndea dcPatmabo 3 de janeiro de Pars Pelotas, V. da 9lveira 300 barrieas corn Cfi- "dPi- -,
a nheixr, id i r10 kilos de aBunow' raao e.oO-dit .mco
Franeisca Pif b, idbd t-m Os conferents, fitis d'-dito a a -, .
H'uteria a&6a, media e do Brasil. A A rm. Nohiatea, ,
Maura due9l Mc8PA-CHOiAdistincqo. IPA -
*L ^^aura1 de 91 ...WPACH(d.. ^^, _98TA"O. T!F W












































Comprehende as primeiras lettras, portuguez, francez, ingl a, latima, geographia, historic, phitosophia, rhetorica, arithm
tica, geometria e algebra. -
Ha tambemonsmino de muimca, jazio e danMa, inediante -
O corpo doente eoP d profssores coneente ta ose de voea~go epe.imntada.
Ha no collegio unma ociefade litteraria composta dos alumnos -maisdedicados k lettras., a Otpu- umit a pequenabi-
bliotheca e celebra suas sessaes ordinarias vas sextas-feiras7 constituindo assim u 'a especi6 d auit p tics de ao5aw o

CON9WbIV~S

Admitte-se somente alutanos internos e externos...
Os internos pagarlo por trimestre adiantado 1506000 ; os externos, 204000 por cada aula. Os primeiros pagarlo tarm-
bem 206000 per trihnestre para a roupa lavada o engommada, ficando estafa cargo do collegio, e 504000 de joia no acto desua
entrada. Uns e outros sao responsaveis pelos damnos e prejuizos qtue causarem nos objects do collegio.
NIo se farA desconto de f6rias, nero da faltas dadas pelos alumni.; e, somente no caso de expulsao, serA restituido o
que faltar para o vencirmento do trimestre page. i r
Para InformaV6es, os Srs.: Commendador Jos6 Antonio Pinto e Henriquo Xavier "de Araujo Saraiva e Mello,
Recife; Dr. Bellarmin& Cesar Gondim, Jaboatao; Dr. Francisco Gomes Leopoldo de Araujo, Nazareth; Bernardo Pinto-de
Abreu, Goyanna; Jos6 Clementino Bezerra de Mello, Limoeiro ; Dr. Antonio Alves Pereira de Lyra, Caruare ; Dr. Jono Ca-
valcante de Albuquerque, Parahyba. .-

Resultado dos exames officials prestados pelos alumnus deste

collegio durante o anno de 1884


Portugues
Jolo Alfredo de Oliveira, approvado corn distinc*o.
Francisco Gomes de Araujo, approvado plenamente.
Fausto Anelio Fernandes Pimnienta, idem.
Joao Emiliano da Costa c Albuquerque, idem.
Joaequim Hyppolito Fernandes Pimenta, idem.
Jos96 Antonio Pinto Junior, idem.
Jose Bonifacio Pessoa de Mello, idem.
Manoel Barbosa de Freitas Cordeiro, idem.
Manoel Correia Pessoa de Mello, idem.
Manoel Peixoto de Alencar. idem.
Miguel Arehanjo Fernandes Pimenta, idem.
Lmz Jose da Silva, idem.
Joao Jos6 de Figueiredo, approvado.
Franeez
Francisco Pinto de Abreu, approvado plenamente.
Jas6 Agapito Maciel, idem.
Joao Pinto de Abreu, approvado.
13 faltaram A prova oral.
Latim

Joao Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Francisco Pinto de Abreu, idem.
Manoel Peixoto de Alencar, ideln.
Joao Pinto de Abreu, approvado.
Jos6 Bonifacio Pessoa de Mello, idem.
Joaquim Hippolyto Fernandes Pimenta, idem.
Inglez
Jolo Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Alberto Furtado de Mendonea, approvado.
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque Filho, idem,
Joaquim Hippclyto Fernandes Pimenta,. idem.
4 repiovadops.
Arithmetics

Olympio Bonald da Cunha Pedrosa, approvado.
Antonio Joaquim de 41Abquerque Mello, idem.

ARla particular Tpara meninas in
Vidal lde Nftrelros n. 12
Carolina Leopoldiua Coelho de Araujo, partitelpa oI
aos pais de familiar qqe de fevwreiro em diante
estark aberta sua aula particular para meninas, a e
run Vidal dc Negrehiros pateo do Terso) n. 12, d-e
1- andar, onde a mesma leccionarA primeiras let- b
tras. trance. piano e diversos trabathos de agulha. bo


EXPOSIAO na


Aehando-se nomeada pela Associaggo.Commer- Pe
cial Beneficente, a commission abai1oassignado,
para agenciar products e tod. -putros. artigos de na
manufictura desta provminena#ekpos a qwe o'
vai ter lugar em A perilp elg ta unginc. r
an satisfa o eo cunvidar aos. senbores agricalto- -
rels asom eomo aos senhores artists e a todos em
geral, que quizerem ceonorwercow e"awenforgos e -
especies, param darem eWegaLas na i Assoeia-
cao CommerVial, a rua do Commereit, at o. fim.Ae ^y^
Janeiro de 1885; os qw este4iarcentiyb pod"l
*sobrevirv 4oeardhv~vimenw: e bacommum
de commentio eot o est.e0.Rait 1 a uqal
J'os Jo& A.wifti- Junior.

[01.Ac A ni |ASh P.iQ


Geometria
Manoel Goncalves da Silva Pinto, appiovado plenamente.
Geralda das Mcrces de Souza Landim, approvado.
CGeographUla
Joao Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Franciseo Xavier Carneiro tie Albuquerque, idem.
Albvrto kuVtado de lMendonea, approvado.
Manoel Goncalves da Sil#a Pinto, idem.
Janucio Salustiano da Nobrega, idem.
Francisco Gomnes de Araujo Sobrinho, idem.
Antonio Guedes Gondim, idem.
Joilo Gomnes de Mattos, idem.
1 reprovado.
Hkliloria
Manoel Goucalves da Silva Pinto, approvado plenamente.
Pedro Secundino de Souza Landim, approvado.
PhIlosoplhla

Manoel Gonqalves da Silva Pinto, approvado corn distincAflo.
Rlhetorica
Jos6 Agapito Maciel; approvado.
RENUMO


Distincfio .
Plenamente.
Approvados
Reprovados
Faltaram A prova oral
Total .


didcs.


Por este resumo ve-se que, dos 60 exam(


S2
21
19
5
13

60s, 42 foram bem suce-
es, 42 folrama bern succe-


LO, geographia, his- Institut vaeinio
la, musica, piano, Larga do Roarl Bi so. l.da
iFunciona todos os dias uteis de 10 as IT-'or"a
se n ho, o s tur a s, 0 director
l Dr. Arruda BeUrdo.

rdados, etc. '

Admittem-se alum- Collegio Nossa Setho-
i ra das Victorias
s internal, meio- ra daS VCit Nias
RU.X DO HOSPIC[O N. 10


nsionistas

S.


e exter- Este collegio continuarA dursnte o anhone6*o
e. e r ~de 1885, abrindo suns aulas no dia 10- dfL Jneiro.
Admitted alumnas internal, semi-iajto e c-
ternas.


vado.
AR1THXSTICA
Jos6 Hugo GonIaives, approvado plena-
mente.
Sebastio LiUs Wanderley, idem.
Joaquim S. de Arruda Falebo, idem.
Horacio Cicero. da Silva Tavares, ap-
provado.
Joao Custodio de B. Costa, idem.
Andr6 Dias Pinheiro, iderm.
Pompeo da Silva Loureiro, idem.
Reprovado 1.
GEOMETRIA
D. Delmira S. da Costa, approvado ple-
namente.
Eutichio Autrant, approvado.
Jouas Hugo Gongalves, idem.
Joao S. de ArrudaFalebo, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silv.i, idem.
Jose N. Ferreira Coimbra, idem.
Jos6 Ferreira Muniz, idem.
Praxedes B. de Mendon9a Vasconcellos,
idem..
Joao Custodio de Barros Costa, ideinm.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem
S-GEOORAPHIA
-" Pompeu da Silva Loureiro, approvado
plenamente.
Joao S. de Arruda Falco, idem.
Joao Custodio de B. Costa, approvado.
Eduardo J. da Ferreira da Silva, idem.
Jos6 Martins Fiuza, idem.
Manoel Cavalcantedo Rego Barros, idem.
Reprovado 1.
HISTORIA
Joao Siqueira de A. Falcao, approvado
com distincSo.
SD. Delinira S. da Costa, approvada ple-
naalente. -
J"se Ferreira Muuiz, approvado plena-
mente.
Josi6 N. Ferreira Coimbra, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
provado plenamente.
.:- Joxo Castodlo de Barros Costa, appro-
vado.
S REETORICA
Joao Siqueira de Armrda Falco, appro-
vado plenamente. -
Manoel Alfredo M. do Passos, idem.
Reprovados 2.
PHILOSOPHIA.
SD. Delmira- Selundina da*Oosta, appro-
vada p104*mete.
JoAY84A. 91cUo.,idem. -
JoII&UB o 'Costa, approvado.
Hoa CSe Silva Tavares, idem.
&aheel Cavilcaiteo do Rega Barros,
idem.
WJose FerreiraMuniz, idem.
Reprovado 1.


RESUME
Approvados corn distincco
Idem plenamente
Approvado's


23
45

71'


Pela Seeretaria do Gymnasio Permabeoeano6,
do ordem do Rvm. Dr. regedor, se deelara a
que pais defamilia e a quem mais intereWar posse
no. dia.do corrente mez 'abrir-se-h o anno
lectivo pam os alumnos d'aula' primania, nos ter
mw do art. 185 do rerimento intern de 19 de
abril de 1876, approvado pela lei provincial n.
1497de 10 de junho do anno de 1880.
0 institute reeebe alumnos em tres catheorias
couforme se acham divididos pelo citado rejimen-
to: pensionistas ou intemons, meio pensiomstas eN
extemnos.
Os pensionistas residirfo no institute, tend di-
reito de estudar as materials prescriptas no pro-
gramma estabelecido, a ser alimentados sadia e
abundantemente, tratados em suns cnfermidades
pelo medico da casa, ter roupa lavada e engom-
mada rw.gularmente duas vezes por semana, ca-
belleireiro sempre que for necesawrio e banbo duas
vezes por semana.
Os meio-ponsmonistas se apreseitarlo no esta.
belecimento nos dias lectivos, As horas em que a
aula se abrir, e desde entio at6 ser encerrada A
tarde, serao equiparades aos interns, quanto aos
estudos, alimentaflo e recreio.
Os externos s6 tern direito as lises e expli-
cag5es do respective professor.
A pensio dos interns 6 de 4005 e a dos meio
pensionistas de 240, paga per trimestres adian
tados na secretaria d6 mesino institute.
Os externos, por&., nadat pagarao.
0 secretari,
Celso T. Fernandes Qudintela

dital n. 35
2a praca
De ordem do Ilhn. Sr. inspector se faz public,
quae as 11 horns do din 8 dp mez corrente, serae
vendidas em leillo, no trapiche Coneeiglo, as men-
cadoria abaixo declaradas :
Armazem n. 1
Marca OR, 2 eaixas ns. 26 e 27, vindas do Ha-
vre no vapor trancez Ville de Pernambitco, entra
do em 7 de outubro do anno passado, contend
pedras marmores, quebradas, abandonadas aos
direitcs pnor 0. Kdeller.
Armazem n. I
Marca M&C e contramurca P, 1 caixa n. 12,
vinda do Havre no vapor franeez Ville do Ceard,
eutrado em 7 de novembro ultimo, eontendo 120
kilos de rotulos impresses em. umna s6 c6r, corn
avaria. abandonada aos direitos por Meuroa & C.
3- Seqeo Qa Alfandegi de Pernambuco, 3 de
janeiro de 1885.
0 chefe,
Cicero B: de Mello.

ctiazcab 18 oscravo0
Ajunta lassifieadora dos escravos do muniei.
pio do R cite, em cumprimento a circular do Exm-
Sr. president da provincia, recebida .oer&-6 do
corrente mez, faz saber as pessoas que apreseuta-
ram A inesmn jita as nota" d eos ewaves quo
tee-m de se" classifi ados; queTlles fiia marcado o
preao de dez dias, a cokitar desta data, afim de
instruil a cnm a respectiva matricttla especial on
avrbacies, certidAo de baptismo dos filhos escra -
vos e certidao de casameunto dos escwraVo uc fo-
rem casados ; visto como a intend da le e que
naso seaceitem declaragoes algumas- sem que os
interessados provem por meios regula.rexso alfeo
ga&Zcs que possam constituir direitoq do efrTen
cia aos n emsinos eseravQ6.
Pa 3daC maraA Municipal do Recife, 30 de de-
zeubro de 1881.-Subscrevo e assignuo.-0 escrI-
v4o, Corlolano de Abrou.
Jos6 Candido do. MoNraes.
Manoel Jose Soares de Avellar.
Henriqne Milet.

Paciiinal ill eit0
De ordemn do Exm. Sr. conselheir director faeo
pubiico que a iuscripIo para o exames do.scien-
cias, no proximo mez de feverell'o, se abrirA no dia
10 do :corrente, e continuara at o dia 22
SOque pretender inserever-se deve fazel o nesta
secretariapor meio de requerimento ao mesmoExrm.
Sr; conselheiro director, edeclarar nao so a materia
em que se tern de inascrever, mas tamibem aquella
ou aqudhls em que jA tiv"r side appiovado, a fi
liagao e respectiva n;itmiiradliale nasirn coin') exhi
birji attcstado do dircct.nr do collcgio ou profit s or
(-1egalmen e autori'adj pars isso ) quo certifieraA
a habilhtsa~o do ex'rminamnd, e so sao do proprio
punho deste a 1 ttra e missignatura do requerimen
to, tuwIo deconformfidade comn os arts. I e 2 das ins.
truc~eus baixmadas coin o decreto n. 4100 de 30 de
outubro de 1872.
Outro sim se taz public que deve ser competen-
temente reconheida L aas..ignatua do director dio
collogio ou professor quo passer o attesrado de ha-
bilitaco.
Secretaria da Faculdado de Direito do Recife,
2 de janeiro de -1885.


PossdiwopaI iU.' .
Raymundo X Alvarei%Aa Costa.
Th. T. iastos.
Adolpho Selano Martins.
Jose JoaquidJ e Aguiar.
Antonio Erne&to-Gmes Carnciro .
0 2ooffiol
Deedato PinWk, So* Satdv,


A direc*4esta coipanhia dd seguoK c66ida
os senhorei keiinst a se reunirem m asa-em.
bl&a'geral extraordiiaria, quoudevera terlugar no
eseriptgrio da inesoif m. ia, ao me1io doe
19 dejaneiro prOmmio.. oum. 0 fim da roenri-
da reuniao 6 a dtseapl a_ C dos- estaz
tutos 'da mesia refoma-
dos de accordo comr lei 1. 8 4 de novem-
bro de 1882. eie, 3 d8 185.
Os dimetoMeby
HenriqLo Bernardes de Oliveira.
Joaquim Alves da Fonseca.
Jos6 d4a Slta Loyo Junior.
Imperial s4
DO-. .

Artists Meehakia- e
Liberaes
De ordem da directoria scientific aos senhores
socios e cxpositorce, que em eousequencia de se
achar o edificio em obras, por isso InIo terA lugar
o anniversario no dia 11 do corrente, mas aim no
dih 18, se nao hover inconveniente. Assim co-
mo convido os senhores socios effective u se reu-
nirem na sede social no dia 9, as 6 horaas da tar-
de, afim de ter Ingar a asemnbla geral do mez
proximo passado.
Seecretaria da imperial sociedade tdos Artistas
Mechanicos e Liboeraecs em E .ism 3 de,
janeiro de 1885. "
Francisco da o' i .


Conselho de co s da

reparfliao da t iat
Propostas para 0 supprimento de medicamentoa
Aenfermaniia de marina e aos navioB de guerra
fundeados no porto desta capital.
De oidem do Exm. Sr. chefe dedivio4%JMa-
noel Pican;o da Costa, inspector d6e
capitAo do porto desta provmcia, f
no din 8 do corrente mez, As 11
contracta-se em couselho o p|
dieamentos a entermnaria de niatrim
de guerra fundeados no porto dea para
o present semestre que terminar em d oe mho
puoximo future.
As propostas deverlo ser apresentadas neif ta se-
cretaria em eartas fechadas atd is 11 horas do dia
precitado, tendo por base o formulario, que desde
j4. acha-se exposto a consult dos pretendentes.
0 coutracto seri celebrado sob as seguiates con-
dic5es:
la Todos os medicamentos aergo de primeira
qualidade,
2a Serlo entregues pelo fornecedor quando pe -
didos, immediatamente.
3a Ficam expostos a approvaqAo oa reprioyato
do medico da enfermnarii.
4a 0 fornecedor pigara a mnulla-de 10 por cen-
to do valor dos medicamentos que nao eatregar', e
de 20 por cento o daquelles cuja entrega n lo ef-
fectuar on forem reprovados, se os nao substitair
por outros, que sejam aceitos; bern apin a diffe-
renea que possa hayer entire os pregos xjauitados e
aquel'es porque se tiver de obter no mwrcamla.
5a 0 fornecedor sera- pago da importaucia do
fornLimento que fizer, pea competente repartiao
em vista dos docomeutos q,' obtiver.
6a 0 fornecedor ficarwi sujeito rn1 is s1osenta
dias de tupp. i-nento, slmA d- prazo estipulsdp,
0o contract, serm que esta cireCUistalcia lht! do
dire'to a prroogacao do ajuste + ofonr o aviso
circular do ministerio da marinli an. 12de do de
janeiro de 1884. ,
0BSERVACOES -
1' Nenhuma proposta sera roeehida im qtte o
proponente nella declare pow extenso, ser olaro
algum, emenda entrelinhab ea t ]sur .pre..
mais cireumstancias qa itoressom || foreie)B.
:mento.1 '"1, 11 '' ^^ ++=^^ ^ .
2a Nao sera aceita proposta emqaeonegwoia
te nao declare que se sujeita a. paganinto d,.1.:
ta de 5 porw cento do valor! -proyav i do )
mento, diurante o praso para quo i
do, senao comparecer nesta seceta.
-nar o cotracto que for celebradoil l .
dias, contados daquelle em que fbi'*efamo plel
inspreasa. *y, *'', ,* ':i*"^'' y ^ ^ y-''
N|o serfo admittidas aa oposds regocL
tea on firmas sociaes qiue nab a
4dit aed atarmula da junta iai&e 4-
-do imposto de a dol
meotae certndfo do contract. oci ea
|Qs mmercial. : -,+ ... ,
,4Ktiitm mau proposta eea recobida depoi, d


dia a boradesi dos Nede aftoneio,'"-'"?^ :
Seeetiiria da 4iaM6 d e. Mrnh
do Pornrambae.4, Me u I4 1n
mmtawilo,
Antoi iia Agsia Awve&


didos.




































Abasteelmento d'agua e luz A el-
dade de Olinda

Aviso
Polo rcgulamnento da Companhia esti estipu-
lado:
I Que quaesqucr reclamaaSes acerca do ser-
vico public ou particular, quer do fornecimento
d'agua quer relative a illuminago, para serem
attendidas devem ser feitas ouB sscIu-nos DATADOS
3 ASSIGNADOS, dirigidas, ao escriptorio da Corn
panhia (officinas de gaz nos Milagres) diaria-
moente
11 Que sao responsaveis per semelhantes recla-
inmaCes os seus sigatarios, no caso em quo as
despezas nao sejam -da competencia da Compa
nhia (canalisacSes no solo das ruas por onde pas-
samin os encanamentos) ; o
III Que a Companhia roaerva para si o direito
de fechar a commnttnicaOw do gaz ou agua de qual-
quer casa ou estabelccimento, cujo DONO nao pa-
raer comn promptidio suas contas de consume, as
4fuaes deverito socr pagas em Olinda.
PIublicando estes artigos para pleno conhbeci-
mnento do public aproveito a opportunidade para
leclarar que qualquer conta de consume ou con
ceito (oage- oa gaz so dove ser pago mediantc
recibo e estandi per min rubricado.
Escriptorio da Companhia, 1 de janeiro de
A. P. AS'imcs,
gerente.

Great W stor 0 of Brasil Rialway
AVISO
Do l" dc janciro de 1885 em diante o servi9o
'.os trens de passageiros se farA conform o hora-
1io seguinte :
Linlan principal


P'ARA 0


itecif .......
Eucrusilhada.
Arraial .....
'Macacos ....
1amaragibe .
S. Lourcuo.
l'iumr .......
S. Rita .
P. d'Aiho ...
'arpii .....
L. do Carro .
t2. Gramlc .e.
Lirn mciro ....


I DIAS UT
IN TECRI3 ii
-'XMan ha! 1


part.

," I
j) |i

i
">, 'i
ii

chegil


7.42'
7 501
7.5.1
8.12
8.25
8.49
9.03
9.231
9.53S1
10.30
10 48
11.05
11 24


EIS DOMIXNGOS ETC.


rarde Manhl Tardc


2.37' 8.45
2.45i' 8.52
2 521 9. 01
3. 8;I 9.14
3.201 9.26
3.3'9! 9.45
3.491 9.56
4. 9 10.13
4.39 10.41
5 16 11. 9i
5.34 11.241
5.51 11.39
6.1011. 58


'I DIAS UTEIS DOMINGOS, ETC.
1)) I~fill' OMI-NG--

S1 anhila Tarde Manhil Tardc


Limociro ... part.l 6.13 2 3 2.-30
C. Gr'mde .. j 35 2.25 2.50
L. do Car- 6.54 2.41; 3. 5
'arpina .... 7.19 3. 9 3.23
P. d'Alho ... 7.521 3.431 3.55
S. Rita .... 8.16j 4. 7 4.16
Tiuma i...... 8.33 4.271 4.33
S. Lourenco. ,, 8.52 4.47 4.48
Camnaragibe. 9.10 5. 6 3
Macacos .... 9.22 5 18 5.15
Arraial ..... 9.36 5.32 5.29
Encruzilhada 9.43 5.39 5.37
iiecife ...... chegil 9.50 5.46 5 43
Ramal de Nazareth

Carpina. part.!! 10.40 5.26 11.15 3.30
Tracunhaem. i 11. 0 5.46 11.32 3-47
Nazareth.... chcg| 11.12 5.581 11.44 3.59

Nazareth ... part.) 6.20 2.10 10.20 2.40
'Tracuuhaem. G 6.36 2.26 10 33 2.53
(Arpina..... cheg' 6.56! 2.46 10-50 3.10
Ailsa Jaitson,
Superintendent.

Consulado Provincial
?cla 2.a seccao do Consulado Provincial
sito chamados os Srs. comprehendidos
na relapsio infira afirm de virem satisfazer
a importancia das differengas que foram
encontradas em despachos de cabotagem
purtencentes aos mezes de janeiro a
miaro de 1883 no prazo de 8 dias, fin-
do o qual sei~o ellas remnettidas para o
juizo.
Antonio do Ameida Nobre
S Augusto Baltar
A. D Carneiro Vianna
Aff.onso Tavares
SAlbuquerque & Filho
f Antonio Jose de Senna
Antonio Jose de Amorim
Autonio Jos6 da Silva Ribeiro
Anacleto Lopes de Medeiros
Antonio Loureiro & C.
Afibnwo Lucio
Agostinho Lins Vieira
Antonio Manoel dos Santos
Almeida M:chado & C.
Alfredo Monteiro
Affonso de Oliveira
S Alheiro Oliveira & C.
Antonio Pereira Santos
Adeliuo Reis
Antonio da Silva
w Antonio da Silva Campos
SAdriano de Souza Monteiro
Basilio Ceosta
Boaventtura & C.
S Balthazar de Bnritto Magalhies
Bento de Freitas Guimaraes
..* Costa & Medeiros
BRraoA 6i


- Joaquim Luiz Ribeiro
' Joaquim Maia Sobrinho
SJose de Macedo
J-s46 Martins Ferreira
Joao Manoel de Franca
Joaquim Rodrigues
Jos6 de Souza
Jose de Souza Costa
Joaquim da Silva
Jos6 da Silva Vieira
Joaquim Santos
Joao Victor Alves Malheu & C.
Leonardo Lavra
Leopoldo Marques de Assump'o
Manoel A. da Silva
Manoel Ramos
Manoel Alves Barbosa Succcsso
Miguel de Barros
Mareira da Silva & C.
Moreira & C.
Manoel da Cunha
Mendes da Cunha & C.
Manoel Fernandes da Silva
Miguel Jose Ferreira
Manoel Joaquim da Silva
Manoel Joaquim Dias
Manoel Jos6 de Souza
MaDoel Lopes & C.
Macedo Lopes & C.
Modesto Lopes & C.
Manoel Morcira Campos
Manoel Moreira & C.
Manoel M. Ribeiro
Manoel Ramos.
Manoel da Silva
Moreira da Silva & C.
Mendes da Silva
Manoel Soares da Silva
Macedo Vergulino
Netto Campos & C.
Neves & Salgado
Olyntho Jardin & C.
Pedro Antunes & C.
Pedro Ozorio de Cerqueira
Pedro M. da Costa Rego
Rodolpho Cavalcaunte
Rutino Figueiredo
Rodrigucs dos Santos
Romualdo da Silva Braga
Scares de Amaral Irmaos
Seledonio da Costa
Scbastiao Retumba
Virgilio Macedo
2a. Seccao, 31 de dezembro do 1884.
0 chefe
Manoel Pereira da Cunha.
A Carna-a Municipal da cidade do Recie
cjnvida aos donos dos estabelecimentos commer-
ciaes das freguezias de Afogados e Varzea, para
virem a. secqao competent aferir os pesos, mcdi-
d&s e balancas dos mesmos, no proximo mez de
dezembro, scb pena da lei.
Paco da Camara Mnnicipal do Recife, 29 de
4rovcinbro de 1884.
Jese Candido de Moraes,
Prcsidente.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva,
Secretario.

Gabinete Portugiez de

Leitura
ASSEMBLE GERAL
De ordem do Exmin. Sr. president do conselho
deliberativo, convido os senhores socios a reuni-
rein-se em assembl~a germl no domingo 4 de ja.
neiro, As 11 horas da manha, afim de proceder.se
a eleico de alguns membros da directoria, em
virtude de term recusado os scus cargos os ulti-
mos eleitos.
Secretaria, do Gabinete Portuguez de Leitura,
em Pernambuco, 29 de de: embro de 84.
Jos6 da Silva RoIrigues,
1- secretario.
A camara municipal do Recife faz sciente
a que iurteressar possa, que em virtude da reselh-
9Ao tomada em sessao de 17 do corrente, fobi pro-
rogado o prazo de trinta dias, para dentro delle
sercm recebidas propostas para a factura do novo
mercado da Boa-Vista; devendo ditas propostas
serem entregues em sessao.
Pa90 da camera municipal da Recife 19 de de-
zembro da 1884.
Jose Candido de Moraes.
President
Leoncio Quintino de Castro Leiee.
Amanuense servindo de secretario.

Irmandade
DAS
Almas na matriz do

Corpo Santo
A actual mesa regedora. que foi impossada polo
Him. Sr. Dr. juiz de capellas em 15 do corrente,
tendo de nroceder a cobranca de todos aquelles


que se aclham em debito corn a referida irmanda-
de, e alguns em grande atraso, vem disto dar scil
encia nao sd aoQ locatarios como fiadores dos pro-
dios, e que o encarregado deste service e o irmlo
cobrador Jose Fernandes de Mello, que ja exerceu
outr'ora o dito lugar, e e bern conhecido de todos
os irmaos.
Cousistorio, cm 23 de dezembro de 84.
0 escrivao, -
Joao Facundo de Castro Menezes.


Companhia de Trilhos

Urbanos de Olinda
HORARIO
A partir do dia 7 do corrente, o trem das oito e
ineia horas da manhbl deixara de fazer as paradas
do Feitosa e do Teixeira Lopes, que passarmo a
ser feitas polo trem das nove e nleia. E o trem
de carga que largava de Olinda as dnas e meia da
tarde, d'essa data em diante, corn um avanco de
cinco minutes ; send assim a sua hiora de partida
duas horas e quinze minutes da estaglo do Carmo,
duas horas e vinte e cineo minutes da estagaito do
Varadouro.
Escriptorio do gerente, 1 de janeiro de 1885.
A. Percira Simoes.

Sociedade Benefieente Luso-.ra-
sileira


PERSONAGENS :
Gabriel
Lusbel
Herodes
Religiao
Fe
Esperanqa
Caridade
Monge
Seduzida
l.a .Past6ra
Dianna
Pastoras
Soldados
Ciganos, etc.
DENOMINAAO DOS QUADROS


1.0
2.0
3.o
4.o
5.0o
O.o
6).0
7.o
8."


Canto do anjo.
0 sonho das past6ras.
A seducqilo.
Nascimento do Messias.
Desespero do Liusbel.
Her6des perseguindo as pastOras.
A estrella do Oriente.
Quadro vivo.


A sociedade nao se tern poupado A despezas afirm
de apreeentar a;o illustrado public desta capital
umrn divertimento digno de ser apreciado pelo es-
mero e elegancia corn que estA post em scena esta
magnifica producqlo do consocio CANTIDIO C.
NEVES.
A' RAPASIABA
SAo lindos os dancados
Sao ineigos os cantos
Os pulos das walsas
Nos euchem do encantos.
A muita harmonia
Na vez e na orchestra
As florcs e as luzes
Nos ineostra uma festa.
Principal o espectaculo
Logo ao-subir do pano,
Pois durarA esta funcco
D'um a outro anno!
Bilhetes no Theatro.
PrincipiarA as 8 1/2 horas da noito.


Grande


Circo


OOMIAMA IUROPLB
Equestre gyminnastica e acrobatic
DE

PAUL MERINO
Largo do Arsenal. de Guerra

Hoje, domingo, hoje

Sranne ospoctaco0

Esplendida run cCao !
Toma parte todos os artists

Success creseente!


Novo


pastoril


MISE EN SCENE DE


f. ADELAIEEE




ftmnh, sofU-ilra, Muhl
Grande festa


PASTORAL

Tudo novo! E deslhmbrante
Novas jor adas e arias

Palas! BrNvos! Eoras!!


A.O CIRCO
Veja os avulsos


AO CIRCO!


S A's 8 1/2 horas



COMPANiiA 5ilNABnUCANA
DE
Navegaiio costeira por vapor
S PORTOS DO SUL
laeeio, Penedo, Aracaju e Bahia
0 vapor S. Francis?,
i[ commandant Perehia,
seguir- no dia 10 do
corrento, As 5 horas da
Recebe carga atd c

-EnIommendas, passagens e dinheiro a frete ate
is ; horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Compankia Pernambucana
n. 12


Raw no.dial0 deja-
neiro ae meto dia o
i vapor 6i,, cor-
... andante afra.
Recebe caigaatWo
Enagenendas, pass e dinheiros afrete at&
as 4 hrasda tarde da vesperada sahida.
'ESCRDPTORIO
Caes da Compakhia Pernm*1a na
n. 12.
Companhla Rahlana de Navega-
pAo a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, AracajA,
Estancia e Bahia
o vapor
Marinho Visconde
Comwawndante J. J. Coeldho

E' esperado dos portos aci
Sma atkodia, 5 de janeiro,
e regressarA para os mes-
mos, depois dademora docos-
tume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7--dua do Vigrio 7
Domingos Alves latheus

Paeifie Steam Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Patagonia


da demora do costume.


Espera-se dos
portos da Europa
ate o dia 18 de ja-
neiro e seguirA
para os do sul e
do Pacifico depots


Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
o frete: tracta-se comos
Consignatarios
Wilson sons & C., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N. 14


O VAPOR
Ootopaxi
Espera-se dos portos
t dosulatW odia 5 de
Janeiro, seguindo para
SEuropa depots da
idemora do costume.


Pira carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
WIVlson Sons N. 14- DO COMMERCIO N. 14
OCO JPANHIA PIBNAMBUCANA
--~D -- -
savegaipao Costeira per Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahybo, Natal, Macdo, Mossoro, Ara-
caty e Ceara
dSegue no dia 5 deja-
noiro o vapor Pirapa-
ma, commandant Car-
valho, As 5 horae da
:tarde.
Recebe cargaWato
die3
Encommendas, passagens e dmheiro a frete atW
As 3 horas da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da CompaihIa Pernambu-
cana a. 19

COMPANIES DEIS MESSAGE-
RIES MARITIMES
INHA MENSAL
0 paquete
Niger
commandante Baule
i Espera-se da Eu-
ropa at odia 6 de
janeiro, seguin-
~do depots da do-
mama do costu-
iime para Buenos-
Ayres, tocando na
Bahia, Rio de Janeiro e Moonte-
tevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta agen-
ciia, que podem tomar em qualquer tempo.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: tracta-se corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9

United Slates & raSil Mail S. S. C.
0 vapor

Finance

-T4- h E' esperado dos portos do
/i JE A sul no dia 6 de janeiro, e
^*-Xli. n ~depois da demora necessaria
seguirA parna o
Par&, Marnhalo, S. Thomaz e
New-York
Par& carga,. passagens, e encommendas, tracta-
se coma os
AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUADOCOMMERCIO N. 6


Chegada

Che gada


Southampton
Bordeamx
Vigo
Lisboa
S. Viceate
Pernambuco
Macei6
BahiL
Rie de Janwito
Santos
Montevideo
Buenos-Ayres
VOLTA
BuenosAyrsca
Montevideo
Santos W
Rio de Janeiro V
Bahia
Macei6 0.
Pernambuco
S. Vicente *.0
Lisboa 0
Vigo
Southampton


mas *
22
26 29
28
5
7
0 17
18
24
27

S i29
. 11
I 11
a^ 15


ALA
27





24
1
* *




2
7
9
15



1322
24


1
2


26
9
12
13
14
20
26
28
30


(S) S6 tocarA se precisar carvio.
Para passagens, fretes, etc., tracta-se corn oa
CONSIGNATARIOS
Adamson Hflowie & C.
3-Rua do Cojmmerelo--3
Conmpanhla Braslleira de Nave-
gaplo a Vapor
PORTOS DO NORTE
S0 vapor

Bahia
Comwndante 1 tenente Auretiano Izaac
E' esperado dos portos do sul
ati o dia 6 de janeiro e
seguirA depots da demora in-
dispensavel, para os portos
do norte atW Mantos.
Par carga, passagens, encommendas e valores
cracta-se na agencida
46 RUJA DO COMMERCIO 46

PORTOS DO SUL
0 vapor
Pernambuco
Conmandtante o capitao de fragata Pedro
H. Duarte
SE' esperado dos pertosdo nor-
Ste ate o dia 4 de janeiro e
f\i l^ seguira depois da demora
gdo costume para os portosdo

Recebe tambem carga par Santo e Rio Gram
de, frete modico.
Para carga, passages, encommendo e valores,
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46


LEILOES


Lei0ao
Em eontnuapao
De uma mobilia de jacaranda antiga, uma cama
franceza, marquenoo, baneas, comoda, santuario,
quadros, cama pra meaino, secretaries, quartinhei-
ras, cabides, meza elastica, 1 palanquin e muitos
outros objects do uzo domestic, existentes no 1.
andar do sobrado da rua Direita n. 32.
Segunda-feira, 5 do corrente
As lthoras
Ao correr do martello
POR INTERV ENQ.O0 DO AGENTE
Gusmao


IAVISOS DIVERSOS


A Estaao
Compra-se dous numerous d'esse journal
de moda publicado no Rio de Janeiro; s o
de 30 de outubro e 15 de novembro do
corrente anno. A tratar n'esta typogra-
phiacom o administrator, no 1 .o andar.


Aluga-se o sobrado recentemente recons-
truido da -na do Marquez do Herval n. 33, corn
todos os melhoramentos, prompto a ser habitado,
corn cummodos para grande familiar : a tratar corn
Pedro Jose Pinto, na praea do commercio, ou em
soeu escriptorio A rua do Bom.rn Jesus n. 43.
Aluga-se o 2- andar do sobrado n. 28 A rua
do Visconde de Albuquerque, muito fresco, piuta-
do ha pouco tempo, corn agua e hanhliciro ; na rua
Velha n. 28.
-Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
Beberibe, onde residio o Sr. VaIlenca achando-
se a casa limpa, o sitio bern plantado de arvures
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse nome,
onde tern lugar para o agradavel banho ; corn 4
quartos, 2 salas, copiar, cosinha f4rna, quarto para
criado, etc. Para infbrmaq5es, nesse lugar; ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a estaalo, ou corn o
proprietarioa rua do Bemfica u. 5.
- Aluga-se a casa da rua danio n. 67.
tern commodos para familiar, agua encanada, gaz
e grande quintal : a tratar na rua do Apollo n,
22, armazem.
Trocam-se as apolices provinriaes de 100
corn pequeno desconto : nia rua do Bcmrn Jesus,
antiga da Cruz n. 60, loja de cora.
Aluga-se para f-miLia o priineiro e segundo
andares do sobrado ruz, !o Bara'o da Victoria
n. 14 por 501, tqdo pintado : a tratar na loja do
mesmo.
Ailuga -se o 20 andar do predio n. 51 A rua
eo Imperador corn grand&3 e ezceilentes -commo-
dos para familiar tern agua e gaz; tracta-se no pa-
vimento terreo do predio v. 10 a ru5 d(o Commer-
cio.
Aluga-se a caca assobradada a. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joo de SA e Albuquerque, a qual tern excellentes
commodos e grande siti : a trata'r na rua Pri-
meiro de Marco a. 13.


ru.k d Pxai aa-
laptado on fioa, idones eqiu~etaB|aa
4 itis efriesas da rua da M' sira,
1i 4 faltido Jolo Francisco Cteu Mo-
tefro. Ale aemmuitas arvores frucfiferae, tat-
qu eacimb, oomn excellent agua potavel, e se
aehar murado1 tem casa de habita*o em bom es-
tado, coin 2 salad, 3 quartos, 1 depensa, cosiba
e urn quarto fMra para criado on feitor, aecresem-
do ser esse sitio muito prqximo ao rio Capibaribe
e 4s duas estaoes da Casa Forte e Caldeireiro
da linha -ferrea do Recife ao Caxanga : quem o
pretender p6de entender-se com a familiar do Sr.
Manoel Miranda on corn o Sr. major Jos6 Camel-
lo do Rego Barrow na mesa travessa da rua da
Mangueira, que Ihe maadariio mostrar e podergo
daw as infornaces necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A rua Velha n. 59.
Nova eseola mixta partUeular
para os tres graos de instruego primar*a, dirigi-
da por Odorica Argentina dos Santos, i rua Ve-
lha, casa terrea n...., do dia 7 do corrente em
diante, das 9 As 2 horas da tarde. As condi9oes
de idoneidade e habilitago da referida professor
podem sw informadua pelos Srs. Drs. Jolo Jese
Pinto Junior, Alexandre de Sousa Pereira do
Carmo, Pergentino Saraiva de Araujo Galvao, e
em geral por todox os senhores professors da
escola normal de senhoras a cargo da sociedade
Props gadora da Boa-Vista.
Vende-se uma bonita can6a, armada corn
rcmos : quem precizardirija-se A irua da Impera.
triz n. 54 A, loja de pianos.

Aluga-se
umra grande casa, sita A. rua da Aurora n. 167,
pintada e caiada de novo, corn grande sotlo, pro-
pria para grande familiar, corn canalisagao para
gaz, corn agua, quintal, todo murado : a tratar
na rua do Visconde de Goyanna n. 100, Entron-
camento, Manguinho

Loteria de 400:000O
Esta grande loteria do Rio de Janeiro aerA
extrahida no dia 5 do corrente. Bilhetes A venda
na Venturosa a rua do Cabugi n. 16.


MIanoel Jos6 Dantan
Manoel Jose Dantas Junior, Antonio Jos6 Dan-
tas, Amelia Dantas Bastos, Leopoldina Dantas
Ferreira, Jose Joaquim Gontalves Bastes, Rosa
Antunes Dantas presentses, Delphina do Nasci-
monte Dantas, Josephina Dantas Jurdlo, Maria
Ambrosina Dantas Silva, Adriano Augusto de
Almeida Jurdao, Antonio Gomes Ferreira Elias
(ausentes), tendo aquelles recebido a infausta no-
ticia do fallecimento em Lisboa, de ser morto seu
presado pai e sogro, Manoel Jose Dantas, man-
dam rt-sar missas pe'o seu eterno repouso, na
igreja do convento de S. Francisco, no dia 8 do
corrente, quinta-feira, setimo dias de seu passa-
mento, pelas 8 boras da manhi, por isso pedem
aos parents e amigos da familiar a assistirem a
este aeto de caridade, cenfessaudo se desde jA
gratos a todos aquelles que comparecer.
Maria Annunciada Braga Serra, JIezuino Bra-
ga e sue familiar (ausentes), Bento Domingues
Serra, convidam a todos os seus parents e ami-
gos do finado Antonio DWmingues Serra, para
assistirem as missas do anniversario do mesmo,
na igreja da Madre de Deus, is 8 horms da ma-
nhg do dia 6.
Cavallo
Vende-se um lindo cavallo extremamente gordo
e muito born andador, proprio para silhao : quem
pretender compral-o dirija-se A rua da Rode n.
45, cocheira do Sr. Jose Duarte.
Ama
Precisa-se de uma ama para ccsinhar e lavar e
que seja de boa conduct, para case de familiar de
tires pessoas ; a tratar na rua do Bareo de S. Bor-
ja n. 49.

Ama
Precisa-se de urma abta que salba coslnhar, para
casa de pequena familiar a tratar na rua do Ba-
rao da Victoria n. 20.

Precisa-se
de um menino para eaixeiro de cobranga que d6
fiador de sua conduct : na rua larga do Rosario
numero 22.

Caixeiro
Precisa-se de um menino : na rua do Visconde
de Albuquerque n. 27.


Perguni
Pergunta-se ao Sr. Tristao Francisco Torres
quando pretend acabar com aquelle bolorento
negocio d'Agua Fria.
Um prejudicado.
I Quem quizer alugar a casa n. 4 A rna
do Conde da Boa-Vista, p6de procurar
as caves no estabelecimento u. 30, A
a ria do Imperador.

rI. _- ,


5

01


conhecido do mundo inteiro
como o melhor e mats perfeito
de todos os sabaSs de toilette.
Especiaidade.
Estractos esencias triples
de .cleiroa. A dee Colonia.
V"na0 oibidttO. PNo dan.
ros. Ponnnadas. Azeites 4 to-
das claso et fuMarilas.

Smfiaa naf- ara,,lm ies Per-


-.6





















o 1>1 A


Cavallo e burro
Vende-se urn born eavallo corn andares, e urn
born burro para sellaon carro-a : no armazem do
sal, r ma da Cenceiglo.




Aot 4OOO^OOO

Raa do artio da Victoria n. 40
e easas do eostume
0 abaixo assignado0 acaba de vendei
m seus felizes billietes quatro quartos de
n. 4,118 corn a sorte de 1006000 e diver-
sos premios de 32#"00, 16#000 e 86000.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conform
dale do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da L.a part das loterias a be-
neficio da lrmnandade das Almas da Ba-
Vista, (98.8), que se extrahirirA na segunda


feira, 5 do corrente.
PBE


Inteiro
Meio
Quarto
1rm porqao
Inteiro
Meio


COS


.F *.-


. 1-


B. DE BIUSINA & C.

RBo do B0m-JOSns B, 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de eomniissies
Grande e variodo sortimento de amos-
tras e catalogs de produo4ges da Allema-
nha, Franca, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Etado-nl8dos.
N. B.---Informaqoes sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombas, etc. para incendios e outras ma-
chinas e utensilios.


46000
2Wooo
26000
1i5000
de 10000O pars
elma
3#500
1#750


Quart 875
Joao if ipiUda Costa Leite.


CASA DBFORTFNA

Aos 4:0O$000

BILH4TEZS em o
Aua Primeiro de Mart s n. 2.
0 abaixo assignado tend vendido nqs
seus afortunados bilhetes garantidos 1
quarto n. 244 corn a sorte de 100#000,
alnm de outras sortes de 32#, 16# e 86, da
loteria (97.8), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algur.
Acham-se A venda os seus afortunadbs
bilhetes garantidos da L.a parte das lote-
rias em beneficio da Irmandade das Almas
da B6a-Vista, (98.3) que se extrahira na
segunda-feira, 5 do corrente.
i uSiIs
Inteiro 46000
Meio 26000
Quarto 1#000
Em quantidaAe malor de 1000
Inteiro 36500
Meio 1#750
Quarto 6875
Manoel Martins Fiuza'


lAH S 'V' IzIA
AOS 4:000$000
E

BDUIBETER ,ARATIJI0OS
Pra~a da Independen-
cia us. 37 e 39
0 abaixo assignado vendeu entire os seus
kelizes bilhetes garantidos da 97a loteria,
a sort de 2:0006000em 4 quartos n. 1181,
a sorte de 1006000 em 4 quartos n. 685,
al6m de outras muitas de 32#, 166 e 86.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto g
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
la parte em beneficio da irmandade das
Almas da Boa-Vista, 98%, qu e e extra-
hiri segunda-feira 5 do corrente.
Pre~os
Bilhete inteiro 46000
Meio 26000
Quarto 1000
Em porio de 100,5000 para
ciniia
elma
Bilhete inteiro 34500
Meio 16750
Quarto 6875
Antonio Augusto dos Santos Porto.
Precisa-se de uma cosinheira, para casa de
famulia, paga-se bern : a tratar na rua do Barf.o
da Victiaria n. 39, loja.


S.Blia~Wa9eJigo4'lB82'
;i0 o goso'de =1 ufeat-r a ia-.
tfisfago que tive corn v ,,a Fmtmina, isOl
bons resulthadOsque corn .I1Sc&I.SUC O
e pos graves em qu a teeho en pregado.
Sempre quando live de treat. r um r '-
Scue d, 4 te ou.
Ia' a prepare k fliq a.
dsente., !lhorands-lhe as funccoem digesU-
",s. multa .a- Iheres id anerieas c menino rachiticos devem aa
uad Ae ua. da Paptona. PolR;i..Aqu.
camisiUree cotn um verdadeor Ter,* T.o
commendal-o a, s meus d, l at o onn
numero de cass.
r TwnM pradeadwceew 19,1111110 dB.
rante s annos de IM. a l_0D) 'p-rl em
que a nesidado do dierir s alimrentos,
inumqediataente InuudooammoM inm-
poriosa do que hoje; Uatt nM cotuicd
eram maWs vgoroasi,.gun. s
e dotadas d'um robudo ae E avoroidas
ior uma Fgraise au d osci de xuC gas-
tbicew g W aovocava a 2iempt tramnforms-
lb, (u.wontoa mBrreoM.
c Hjoe, pbrdm il que os stc ouo -.
; eareeem de encrgia, 6 e i
.,ia m4odeM-&.7atMdM~wft
cufia digestAo, omo, r ex ,
mua Paicreatma.
s 0 preceito da hygiben. mas iimportmte,
,ordm mais deiriiab 6 ete : Satr
muito para #w rr musts. B' .te I-
gredo da sudi e dnuate muit tempo em
meus estuW4s tiveram este aasmdo por
principal objecto; alem d'iuuo a alubha si-
tuafo do medico na RepMti d. Realefi-
icacia d'esta cidade, em que os = i n
Slmphatieos abundam fra d m
permittem faer m ut fi.i I
oe seus excel! itl lil
Acha-se o deposiTo de tao vaviW 'aid!-
camento ass Pharmacias e Drogarit d'u
cidado. E"pieio cuular em recoitiheceo
-e nle-ae i mr as itaioes, to


do-ao do lams e do Qusamaw t
0 PR.OTGIO&&RETO da EMRd
fteturado por 1-Pl. LAROZK4 rab
"amt 3a" an ""ao *a <
OMVAPO PULA MU1TA 6 ft XSR( EM DA: S 4
^9 vtmeftadLsraft dYa ^reff*. I tocidoo. a etividad a 6ftawsi &ew I


batM pmpardo, beom casemdo, pAwn
ctkensts no est,&o liquido, a w
tmas ". preo I f.rrugiros, g
^pxptoiu_s xa omarersuJ~tad. Soh
a .innuoencm*, rucipies apangoe
< ciaci de iauafjt e eda
qu.siamarga, o ferro 6 assimila~o
fadl meae omuPz effeito prompto
egomestl ?ea .,,o .- SAgue, a forca;
iiA gk2 a A.,..-:<. n'e


saris s suas funcoes divosa.
Poriiso. o 0 wXomA G Fai
d J. P. BRmaM ieon2side46c pei
medicos da Faculdade do Pir., rcomo
o especifico mais acertdeo pI as
eenfas Aoe lanor, Clean. &e-
miua, Chlorit-An-.m -. Fhim Ib*w.
cos sorm diextoB istvsorad~a, *.
lestias escoablpV e -


a 4 Atmm, iwwo nos s utw *iS IBXUGc 59a
U UMwJOspWia e4-w d F iA aesgtrpnftt ProstMf .
WRWE iarsiu famm 8TONICO ANTH-N
Xki Basaarlm. owgiapw Dyapsi1a. Dozes ( _I-.".ibrxw*..
fao49 cmientsA la ryphsNiVma iDrio y DE
mrt~~~~i-gvoo Atr~~o fti ^1
l..~r i A~o~sna a oKir~'sasB5. oocnoeaoaaa, TnmoB~ra b'-ano'iA, Aisd,
k~i~d~uttc yphil~ooc s-iaaaria temiar~i:0^.,
~ir~rsd. W<~e is.. Dtanai do 8. &*By. Ztason'nta das 43i.-tan/. atf
raw85T~ **.sg -S3 55 WP OArae &5a
ka ".417 & -0110Ing *9 -0 a


".AW L-,!si


PlOTASIO
,raw m. t*ae9ft-

i\ar
0 r,, .-' .


DE *
do G7L ZAT'JLx.A J & Cia, Pharmaceuticos em Paris, 8, Rua Vivienne.
Admittid4oe nova phairmacop6a official de Frana. Appiovado pela Junta central do Hygiene do Brazil.
Fazem 25anno= s que o Ferro, element principal do sangue, a Quina Real, tonico superior do system
Snervoso e o Nosphato reconstituinte dos ossos, foram combinriados intimamente pelu Stir (-RIMAULT, em uln
zarope de cOr limpida e sabor agradavel.
Suas queaikdes tonicas e reparadoras dao excellentos resultados na anemia, chlorose, leucorrhea,
i regnlaridades de mo nstruagao, caiml?ras cde estornago consecuti%'a.s a essas eiccrcii;:,:, .:
-tismo e todas as'M p estias provenientes de enapobrecimeuto do sangue. ExcilwiIo o.a;)iii, I
0ganO o ortganii&-j.I reconictituindo. os ossos e o sangcue, o XAFROPE de Q WIN.oQ F 9 jed .
AULT & Ga, dasenvolve com rapidez as creangas debeis e as raparig' ,-1auMta dagia mdoa e saors noctdrnos; efticaz nas diarrNu'a. ,,b.
Fk eI. P -- ULT. & li, que popsue as mniesmas propriedades do
Wi' a rieo e genero .0 #eferivelpura as peU.Aas o .q t ol
.PM P.- D...
; .. ; _. .,


**-*:~~ ~>:
A -


)' 1'~


FUNDICAO


GERAL


ALLAN PATERSON a
N. 4--Rua do Brum--N. 44
JUNTO 4A ESTACAO DOS BONDS


Tern para vendler, per pregos medicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas e baildas.
Crivaqos de diverssos tamanhos.
Rodas de eopora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandaz de ferro batido.
Ditas do dito fimdido, de liudos models.
Portas de fomalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Medas de 10 a 40 pollegadas da panadura.
Rodas. d'agia, system Leandro.
Encarregam-se de qualqer conr-ertos, asentameo machinimos e
quer trabalho corn perfeiglo ou preste2a.


6


C


>xecut am quar-


-RI NifTi


N



H
M
run
Ni


JOSEPH KRAUSE a C.
Acabam de augmienlar o seu ja bemrn conhecedo
importance estabelecimento rua 1o
de marto n. 6 corn mais
urn salAo no lo aidar luxuosamente pepar-
radoe promido de umna exposi.-


d0o de obras deprata do Porto


e electro-plate


dos mais afamados fabricates do
mlundo inteiro.
Coinvida, pois, as Exmas. familias, seus nume.
rosos amigos e freguezes a visitarem
o seu estabelecimento, afirm de
apreciarem a grandeza e born goslo corn que
o obstante a grande
despeza, o adornaram, em houra
desta provincia.

AiM-SH ABEE TRI I87. Al ,a DA N9ITE


fl








M


A1 S ra


. = 3+-,; .*^ ... ,r- ,n, rF .^r ..j^L^B- ttt a ^ HIBflfmfl Iu~f^lf
V. V....-s .
Ids.i~d
saw g aa .mr c
e amwyne Im Itam p B .b6
Todos n nb 4bomda arde: Aceita-e. encsaSends Arsa mpeln.184


Todas as terbas-fe-iras, s 4 horas da tae :j
sassagons_ A tratar corn Loureno Pereira d'Amo- .. ... .. .
fn, em ItaNmbe. r r .. .. .
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual- -- -B ''
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e e MHr" 1r, a
a preeoa commodos. Essas contratam-se a rua da U v ""
Companhia Pemnambucona n. 4. Encarrega-se das' eSobafdrmad.YIHOd e .A,
bagagens que nAa podeem ir nas diligencias. pdad pre Deresne d Pari.,a e4ur.
l .. ..- 1 : -------- mnem ~euBoq~eimuitoon fee i|.rafnei-
IPomada vegetal Delsuded base de e em',-, ,
I d p oq do dasnts. -" e
a ---us---,,osEreals afamado m l de Pa en e
CopnhaPenmbutoamnb. narrg-e 4.o afim .VE IOd tjMS

A unica que ura a calvie, aquoe ieaueda dos cabel- 6iJze 4emcuntradii xaef&o daa*__Sli. s
los, as caspas, e ao mesmo tempo excellent espe- DB P.PTONA DWJIBB3ES; .;n-.
eifico para nervalgias na cabea, com se prova pb-ed sbilidado eiW qqS,. apt..
rom os attestados dos lentes da faculdade media Iq s.m lo '.'6"
da Bahia. Umco deposito em Pernambuco, Odi. -tatio oema o a bma era
Ion Duarte & Irmao, cabelleireiros, rua da Impe- V:A eonra paq fmnido Medilv .
ratriz n. 60. .' p TI|a ssil't n *a." vp.wnw.


Inteiro
Meio


Quarto
seado quantildade
a 100:000


46000
26000
16000
superior


Inteiro 36500
Meio 16750
Quarto 875
Joaquim Fires da Silv.a
XAROPE
DE
]IIAIA-EATA [


MatA-MatA (lecythis idatimon) corn o qual sa
prepare este xarope &um vegetal da flora brasi-
leira.
E' urn agent therapeutic poderosissimo contra
as molestias do peito e da asthma.
Os numerosos affectados que delle tern feito use.
conseguiram um resultado muito satistactorio, aca-
bando por se reconhecer qu e 6, at hoje o melhor
preparado para a cura da asthma, bronchite asth-
matica e antiga, e oppresses ; dispensando o em-
prego do arsenic, folhas de estraimonio e plants
narcotics que acabam quasi sevnpre pelo abuso
que delle se faz e mesmo pelo uso prolongado por
produzir effeitos desastrosas sobro a saude e em
geral entorpecimento do cerebro.
VENDE-SE NA
Botlea Franeeza de -L cauquayrol
Frares
successores de A. Caors
22==Rua da Cruz=22 RECIEE

Cozinheira

Na praga da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se dira quem preeisa
_ .. ... ..-._ .-


S P ae umna mumer xorra
B DE ELLE ou escrava para e-
AppIo'a1o p i/a J.nna centia. de Hygiene do Brazil.
UABDN !TEODEALCATR "5 T-b'-',LT & consolidae vlvifca as cam*aie | nheira do caSa
efflcacia adImha.'(A4-DasfCe.','''. l.. [,n lio. e.id,/.,, empingens, UWhen,, herpes, ecsma, a m iHi
comiofbes prtwigo, eta. Sc iLeuov..u'iiiuou a.-S ab,'iJuitores para os animaes atacvdos I l uI
de- eftar es da pelle. B -- __
Sifi^oET *S f,-g PHR:tcG DE GR-L1AULT & C", temn todas aspro iedades Balaneead
dsinfocla-'tes do -icidoplienico, eiiido exLcelltIILe preserva'ivo contra o .loIem e J. dos ..t o. .. *e. -
danto fechaateso do e 4irag
pubridw,0inodifcaiuido a r viciado dai habi t' *uis e cornbat( ndo as tranupirapksnoai..s| 'J.c oe a ti aaa0 '' siSg
reserve d'iws a semr egual pra picada de insectos. vC at hore 4 -
#;lareVpqiea d iei4.Prn spuM. [Lont .
,B. .rua ivieamfe naa primp. Pharnacasa A. a ru-o. Ra a. .5,! .. ;
MYiyii ,n--i-mCB-..--i* A&~1;||f^ linn ^< D7t^ iS


- -v,-, '-' -
4 -.~ ~4,4
-~-. 4
-- .~4Z


- o.
.- ....


-~ --a~~*** A


-.4


tfS MJMI^

Vm iS BO UITIMO ANNO 603,292
Quem nio temn ouvido fallar das famosas machines de costara de
Singer?
iEm prestae6es semanaes
DE


'' 181 00 0
Quando o pagamento por este system se
HBB ~ effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
deo 5000.
Abatimento de 10#000 a dinheiro A vista.
....-.fl^ |^ Roga-se aos pretendentes de virem ao es-
criptorio da companhia para minformaqes cir-
cumistanciadas.
Immensi e real vantagem e obter-se o
melhor artigo nas melhores condig9es.
De hoje em diante ninguiem eomprara senio a verdadeira
machine de SINGER

PORQUE?
L.o Por ser incontestavelmente a melhor, mais forte, mais bem aca-
bada, mals samples, mals duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imnaitadores.
2.0 Por existir urn deposit succursal da propria companhia, onde se gtran-
te estas maehinas por um tempo illimitado e onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.0 Finalmente, porque aquellas pessoas que ate o present, por falta de meios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando urea d'estas excellentes machinas,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica presta9gio de

1O000 POR SEMANAN!
Recommendamos corn sistencia-Nio se Illudam com as machlnas
que trazem o nosso nome e que nao passam de RUINS I I-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em earretels, agulhas, oleo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por pregos
sem competencia.
0 unleo deposit das verdadeiras machines de Singer t na
Rua do CabugA n. 1 A, Pernambuco
Direcio geral da America do sul..Il01 rua do Ouvidor 101.
Rio de Jamiro. Casa miatriz...34 Union Square, New-York.


.l4:,


I


O ..-
f^" -: .. f '* .*'
^a .;^:' ^-
K '. .. ?_


..~ ~


'I


-5


4


DEPOSITO GEFAL
13a-Run Primeiro de Earco-13
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambtco
ADASN MOWIE A C. M
N. 3 = Rua do Conmermovio N.3
A venda em todas as bbtcas e drogarias


Fw. S


P


I O. .


,;w -* -a",-.


Alugapse barato
0 20 anaar 'da ruado Born Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife,
Casa terrea da rua da Ponte Velha n, 22.
A cssa terrea na rua da Palma n. 11
A. casa A rua do Visconde de Goyauna n. 79.
A casa terrea da Baixa Verde n. 1 B.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primeire
audar
Registros de S. Miguel
Qutm tiver osnas. 661, 244, 1181, 685, 3410 e
3995 e houver pago at- a vespera da extrac*o da
leteria da provincia n. 97 de 31 de dezembro ulti-
mo, p6de vir ou mandar receber os premios que
Ihe sahiram por sorte, conforne a ultima decla-
ragio quo fiz por este Dirrio ; e perdera o direito
find u 1 trimestre. Afogados, 1, de janeiro de
1885.
Vixario Pedrosa.





D. Anna Continbo Bezerra de
Mello
Joao Bezerra de Mello manda resar missas por
alma de sua esposa, na igreja do Paraizo, As 8
horas da manh, do dia 5. ge
Uaria nertla PaeM Barreto
Feinando de Castro.Paes Barreto, Jos6 de Cas-
tro Paes Barreto e Manoel Lins Paes Barreto, ir
maos e tutor de Maria Bertina Paes Barreto, fal-
lecida no dia 29 de dezembro, convidam seus pa-
rentes e amigos para assistirem uma missa que
mandarao resar no dia 5 (segunda-feira) As 7 ho-
ras da manha, na igreja do Tergo.
Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar e com-
prar na rua da Penha n. 7
Pianista
P6de ser procurado para reunites familiares,
na rua da Mangueira n. 14.
Cobrador
Necessita de um cobrador a sociedade Ave Li-
bertas : na rua larga do Rosario n. 22.


A VETUBIIOSA

Xos 4:000$000

BILHEITES G ARANTIDOS
16-Rua do Cabuga-16
0 abaixo -assignado vendeu nos seus
venturosos bilhetes garantidos os premio4 se-
guintes: 1 inteiro emn quatro quartos corn
a sorte de 1006 no n. 3410 alum de
outras mais de 32#, 16# e 8#, da loteria
n. 97.
Convida aos possuidores a virem rece:
ber sem desconto algum
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 98 em beneficio
da irmandade das almas da Boa-Vista que
se extrahiri na segunda feira 5 de janeiro.
PRECOS





















*


mais apurados gostos.
Comnpromettem-se


I ~.


a vender mais barato tIncto


ltB W7 100Alvf4
NPonl A & J APSLOSS. 1O 2 B
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas relacoes directs


corn os melhores fabricantes,


engenheiro


e comn um dis-


de Inglaterra, offerecem


do ctue etIontra qual- Igrandes vantaVgenspara encommendas, como


J. .u- L


quer parte.,

Ina do ab n. tI

Luzbrilhanle se rumc(
Oleo aromatico


HYGIENIC


E ECfNOMICC


Para) lanma$ias










Martins & Bastos
Pernambuco
NamerO telephonlco n. 23


0 Pn Killorveotal db Perry Danvs
Matador da dor
Um amigo dos pobres, economic e ede
fail applicagAo, 40 annos de s uccesso.es-
pantoso.
Nenhuma farmilia dove estardesprovida
deste remedio.
Externamente cura: furunculos pana-
ricios e outros tumores -torcedura dos ten-
does intumecencias Ias articulaeoes do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
- queimaduras- golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doenqas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitagoes.
Agents em PernAmbuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Barao da Victoria n. 95


PROS
Frascos grandles
Pequenos
Duzia de frascos grandes
Pequeno


1#5500
1#000
12#006
94000


... Aluga-se a casa da rua do
Fogo n. :0, a tratar na rua do
Barao da Victoria n. 14.

LINHA COATS
SLustrosa para machina, e a o Macia de 6
fio8 o tanto para machina come para cozer a mo
-Nao se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nome
-J.&P.COATS -


Preeisa-se de uma ama para cosinhar e engom-
mar, para casa de familiar de duas pessoas : na
rua Duque de Caxias n. 86.

MWH itsJ./HL
Para comprar e cosinhar precisa-se: na rur
doBarao da Vietria n. 48-A.
Canvas pequenas
Alugam-se canoas pequenas : a ver e tratar na
rua Imperial, olaria da Casa Amarella.
Cimento portland e potassa nova
Vendem Orestes Travassos & C., em sen escrip-
. orio no.largo do Corpo Santo n. 19.


Papel io


e gumnii5es daa f.bnieaf.. aoea e naeiomaes,
graide paorltUBWa dQlV' atw preco gem.
competidor, ae "&af mbs rpara a
LIVRARIA INDUSTRIAL
7--.ua do Barao da Victoria-7


provam corn os apparelhos completes assen-
tes nos engenhos Massauassu' e Bosque, e


meio apparelho no engenho Conceicao.
MACHINAS a vapor trabalhando s6


corn


o fogo do assentamento, podem ser examima-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
l6m, em Timboassu', Cucaii, em Gamelleira,


Goyanna,


Pao Amarello, Ca-


If w
mara e Lages em Itambe, Vidraeio em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e


atten~ao


dos Srs. agricultores


para os novos vapores que tem recebido do
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conduceao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6


de mencionar os engenhos


em que os tem col-


locado, por jia terem vendido 85 para


diversos


e por issoja devem ser bem eonhe-


Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da collocaao e por sna
durafto.
Quanto a moendas, rodas d'aguna, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tem sempre grande depo-
sito, sendo tudo da melhor qualidade;
Vendem a prazo ou a dinheiro corn des-
conto.


FUNDIUAO DO BOWMAN

RUA DO BRUM N. 52

PASSANDO 0 CHAFARIZ
Offerece vantagens para as encommendas
de apparelhos aperfeioados de fazer assu-
car, pelas suas relaeoes directs, e pelo bom
exito dos apparelhos que tern montado nos
engenhos Unussu', Sa o Salvador, Maciape e
Mussu', onde, corn urn dispendio tanto menor
que nerm se compare corn alPuns dos que por
ahi se tern feito, tem-se obtid, resultados iguaes
senao superiores, em vulto de produ&ao, qua-
lidade, e preyo de venda.
Chama a atten"ao aos melhoramentos para
eeonomia de eombustivel que tern introduzido

nos engenhos Pereirinha, Arara e Ora desta
provincia, e Boa Vista de Maranguape, aonde
corn o fogo do assentamento se produz o va-
por necessario para a moagem.
Em moendas, rodas d'agua, vapores e todo o
machinismo e ferragens precisos para enge-
nhos tern a venda grande sortimento da me-
Ih]r qualidade.
TRILHOS PARA CANNAS. Tern de system por-
tatil simples, sem os inconvenientes que al-
Wms apesentam; eom. carros proprios, loco-
Vetc. a preps razoaveis, p'ed6 fa-



i 1 .i t
irftenta-- ....f ,., RM' ..,. ;t lite rt 4A
.... 'V I -- ,,c4.* ..... :| ;"


to de lMlogiosdos mais
acreditados fdbrican-
tes, e se acham habili-
tados a tender mais
barato do que outro
quaquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os relo'ios


Vendidos


n'esta


casa


sa garantidos.

-doa' l"nt, 1. 4


A ttenvao
Lava.se e engomma-se na rua de Santa Cecilia
n. 4, pelos seguintes precos :
Vestido de chita, de senhora3 400 rs.
Vestido de fusta o 1Aln


Vestido branco
Camisa de chita, de homemr
Camisa branca
Camisa de senhora, pasfada a ferro
Coberta de ganga
Cortihado
Toatha de mesa
Saia branea, lisa
Saia de bordados
Paletot branco
Paletot pardono
Calga branch
Calca parda
Contrata se per mez.


100 rs.
120
160
60
80
10500
160 rs.
240
320
240
320
240
160


Ao commerdo
0 abaixo assignado pelo present deelara que
nesta data vendeu as Sr. Jos96 Maria Soares a sua
padaria intitulada da Victoria, sifa A rua Impe-
rial n. 208, livre e desembaragada de qualquer
onus. Recife, 31 de dezombro de 1885.
Jos6 Ermigdio Ferreira Lima.

hiseira de 'oral
Perde4-se no domingo (28) da rua da Impera.
triz at m'largo do mercado de S. Jose, uma pul-
seira deo oral e oure para menina :quem a achou
se quiet restitif-a p6de ftze[4o na rua nova de
Santa Rita n. 3, on na da Imperatriz n. 5, segun-
do andar .q m qualquer desses lugares se gratifi-
cara e aradecera.
a Quemn quizer alugar o segundo andar do
sobrado n. 43 a rua da Aurora, podera
S I Lm r as haves em a caa dos Srs.
sade r eWose & Irmao n. 30, 1 rua do Impe-
"ader. "t^' .

Ama
Precisa-te de uma ama para andar corn crian-
9as : na rua do Apollo n. 2, 1 andar.
Ama de leite
Precisa-se com toda urgencia de uma ama de
leite para Olinda, casa de familiar conhecida : a
tratar na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30, 1-
andar, de 9 da manhi as 3 da tarde.
Aviso
JA chegeu para o unico agent nesta provincial
o acreditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha & venda no unico deposit i
rua do Born Jesus n. 38, junto ao correio.


AMA.
Precisa-se de nina
perfeita cosinheira pa-
ra casa de pequena fa-
milia, que compare e nao
durma f6ra: a tratar na
rua das Cruzes n. 39,


1. andar, de


11


as 2


da manha.,

Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-sP.
luga-seo e troea-se novos e usados.

VENDtS
Vende so por 2:8005000, quantia em que
estA avaliada, unea parte do engenho S. Francis-
co, no term de Serinhiem, distant duas legoas
da estaglo de Gamelleira : a tratar corn Antonio
Franco da Silveira Lins Fi!ho, do engenho Santa
Catharina, no termo de Porto Calvo. ____
Carro0aparaCarneiro
Vende-se ruma b6a carroqa para carneiro, a ver
e tratar na rua do Bom Jesus n. 61, agencia de
eiloes.
Vende-se a bern conhecida propriedade Tra-
picheira, distant da cidade de Olinda urnma mi-
Iha : a tratar na rua do Imperador n. 16, loja de
trastes.____________________
0 Ihesouro dos dOntes


Matoamui largo e^ aiJe'1MQOC
0 o1004, e 1 911
Dito fisnees, amerieauo, faz-ib multo
ia enoorpada de 7d at6. Id o
AlgodAo enfetad rn 9 pals delar-
gura par tazer leng6es de urn s6 pan-
no, metro a c
'Dito tre ade rom a memnalarguta,
prepriero para lenoes e toalhas deo
mesa, metre a 1S901
Bramante de algodo corn 10 palmos de
largura.proprio para fazer lens de
uam s6panno, 'etro 1S8(-
Dito friancez, sendo de linho, metro a
U1800 e 2000t
Dito inglez delinho metro a 2A50 e 29800
Ureguellas proprias para leng6es, toa-
Mhas, eeroulas, sndo f&zenda muite
encorpada, cada peqa corn 20 vara.
por 105800 e em vara a 4
Ditas corn a mesa media a 800 rs., on
vara a 40(C
Atoalhado adamasecado para toalhbas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a 180tL
Assim como um complete sortimento de
pe* s de algedaozinho americano e
inglez, que se vende per peca de 3S atW 65000
Iste ua loja da esquina do becco dos Ferreiros


Casemiras de cores
DBe :*- 0 at6 e:oo rs,

Alheiro & Silva ara da Imperatriz n. 40, tern
urn immense sortimento de casemira de cores,
tanto claras como escuras, que vendem a 2-000,
21500, atw 65 o covado, e das mesmas mandam
fazer qualquer poca d'obra ou costumes, por pre-
gos muite rat oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pro-
tos ate ao mais fino sedan que vem ao inmcrcado, e
dos mesmos tambem se encarregam de manndnr
fazer qualquer pega de roupa & vontaie do fre-
guez e com toda a perfeiao e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.
l oall 6 aI0,ruis
Os Barateiros da BMa-Vista vendem muite bo-
nitos linhos de umna s6 cor e de listrinhas par
vestidos, sendo a 160 reis o covado e de c8res xas,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beeeo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 46 e 5o000
Na loja da rnia da Imperatriz n. w venae-st
muitos bons espartilhos para senheras a 55000,
sntos para meninas a 4000, assim como um boe
dito sortimento de fichus a 3O5O00; isto na loja di
qeiuina do becco dos 'Fe-,ifros.
Para festa


Vende se

Roupas para homens
POB
Preo os baratissimof,
Rua da Imperatrlz n. 40
LOJA DOS BARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6900(
Dites de panno preto fino, fazenda mauito
boa 7;00=
Dite"sde casemira de quadrinhes e listri-
nhah, forrados 800
Dites de casemira esoura, de cordao, for.
rados 8100'
Ditos de flanella azul, forrados, sendo fa-
zen la que nao desbota 10400,
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 105001
Ditos dc panno preto fino, forrados 10M.C
Ditos d. casemira preta de cordao 105 e 12500
Calgas de casemira corn differentespa-
droes, de 5$500, 65500, .8 e 1090Xt
Ditas de casemira preta sedan a 85 e 105o00
Ditas de casemira de cordao 6$50('
Ditas de casemira preta 6500(
Seronlas de creguella, obra muito bemrn
feita a 1;200 e 11600
Ditas de Hamburgo de linho a 15800 e 2900(
Colletinhos para dentro, sendo de cre-
guella e muito bem feitos a 800 e 1000(
oamisas, grande sortirento de camisas
braneas, tanto francezas como inglezas,
tanto de linho como de algoda, send
de 25, 25500, 35I, at6 6500(
Ditas de cretone de cor de 2;, 21500 e 3500f
Meias, grande sortimento de meias cruas
para homes, de 320 rs. o par, ate 50(
Collarinhos, grande 9ortimenito de colla-
rinhos, tendo de 51 a duzia ate 8800(
Toalhas, grande sortimento de toalhas,
tanto para rosto come para banho, que
se vendem por pregos muito razoaveis.
Tudo isto e eom grande reduglo de pregos : n
loja da esquina do been dos Ferreiros.

"Mlana
Vinho puro da uva, c fino da Figueira, vende o
Maia na rua da Concordia n. 165, a 500 ri, a gar-
rafa ?

Papel pintado
para forrar salas de visit e jantar, quartos, al-
covas, corredcres, etc. Grande e variado sorti-
mento por precos extremamente modicos
SEM COMPETITOR
acaba de chegar para a
Livrarta Industrial
A rua do Barlo da Victoria n. 7.

Engenho
Vende se o engenho Mr*rity, antigo Gallo, na
comarca de Palmares, prompto de urn tudo para
safrejar 4,( 00 paes : os pretendeutes podem ir
vel-o e admirar a fertilidade do seu terreno. Aos
mesmos se dirA a razio perque se vende, e trata-
se corn L. G- da Silva Pinto, no Recife, ou no
mesmo engenho corn J. Matheus Fcrreira.
Livraria Industrial
Rua do Barge da Victoria n. 7.
Livros para escolas
CASTRO NUNES, compendio elementary da
grammatiea national, segunda edigo correct
e anndAada per Jos6 Martiniano de Souza, 1
volume.
IDEM, elements de arithmetica, nova ediclo
revista e melhorada per Jos6 Martiniano de
Suza.
IDEM, resume da doutrina dhri tE, nova edico,
revista e annotida por urn sacerdote,
JOSE MARTINIA!O, elementos de orthogra-
phia, terceira edicao, revista e meihorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bone con-
selhos..
BISPO DO PARA, historic biblics, on iuarati-
vas do velho e nero testamento.
Avenda n' livraria 'Indutriali. 7, ruq.*:.?a
rio da Victoria ; e niviarla ZEinais a, :
Pdineuro do Marco, juno ea an o deutst An-
^^i- y.. ..I ',sft :
e .-',


-. -- .,. .. ;- .
APara acabiar
Popelines Has,.d liet.a e ivdas.
LAS de quadros, ecoum e lavra4.
Alpacaa.JiM e de lirar.
Grenadines de cores e pretau.
Cambraiss bordadas e albertau.
Vtuarioe par a meninos.
Lecpiem
Cbaes para senhora.
ChitaS lisas e de cores.
Fichus de sedan e de I&
Capes de malha de IL
Para contlunar
Collarinhos e punhos pars soihora e homem, di-
verseosfeitios. -.
Camisas eem collarinhos e sem punboe, elf pu-
nhoes e corn collarinhos e punhos pars hte,
desden. 35 A 45.
Camisas pars meninos desde n.'28 & 35; -am eWl-
larinhos, de n. 32 a 35.
Camisas, saias, penteadores, calCat, gofla e Ip-
nhos para senhora. -1
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e '*6lm.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, b'olai velludi-
lhos, brings brancos e de cores, luva., perftma-.
rias etc.. etc.
Papoula & C.
I S Rnua do Ca.ug-.IS
Em frente a matrix de Santo AntoBio


Novas setinetas lavrada a 301
Chegou para a loja dos Barateiro da Boa-Vis,
rua da Imperatriz urn grande sortimento daa
a idindas setinetas lavradas, tendo de todas as
c ores mais novas que tern vindo ao mercade, ineluh-
sivamente pretas, sendo a fazenda mais bonita que
tim vindo para a festa, e vende-se a 500 s.:o eco-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferrem-
ros.
Cazemiras Inglezas a 2450- e
28800
Na loja dos Barateiros da Boa Vista, vende-se
urn elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
guras, sendo' inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 25500 e2i800 o covado, sondo multe
proprias para couttnmes, e das mesmas tambem se
mandam fazer costumes muito bern feito de calga
palitot e college por 30A e 35;, e grande pecincha
na loja da rua da Imperatriz n. 40 a esquina do
becco dos Ferreiros.
Fuswts a 40, 500e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem urn grande sortimento de fos.-
toes broncos, proprios para vestidos e roupas de
qreanas polos preeos acima indicados; isto na es-
quina do beco dos 'Ferreiros.
LUsinhas para veslidos
Alheiro & Silva, A rua da Imperatiz n. 40 aca-
barn de receber urn g rade soitimento das main
bonitas lansinhas pars vestidos, sendo alpacas
de cordao ccm lindas cores ai 500 rs. o covado,
gurguroes lavrados tendo de todas as cores a 560
ra. e ditos muito finos corn brilho de seda a 800 m.
todas estas lasinhas sae inteiramenite modernas, e
vende-se na loja da rusa da Imperatriz n. 40 ea-es-
quina do beeco dos Ferreirna.
FarinhaLactea
Nos primeiros mezes a alimentaglo mai
natural e apropriada para alimentar a criam.
9a de peito 6 o proprio leite matemro o quaW
em caso de necessidade deve ser substitul
do pela
FARINHA LACTEA DO DR.
FRERICHS 1
A sciencia e a pratica adoptaram a fan
nha Lactea como poderoso element nu
trictivo para a infancia e distinctos medi-
cos do Brasil e da Europa reconheeeraa
ser A do Dr. FRERICHS a meihor n'dt
genero.
Deve-ze pois evitar zonfiar o filhie
ama pessoa estranh e de compoirtaimenti
nuo conhecido muitas vezes o germen
numerosa molestias. "
Vende-se a verdadeira farinha Lactes
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estabeledmeno de muiccas e piano de ":w
tor Prealle

Orgao


Um orglo quasi novo, corn 2 manuales, 1 pedal
e 28 registros, d'um som, muito forte, prestando-
se tambem para igreja, esta A venda per metade
do preyo: na rua Nova n. 52.
lNo. OSIPr niro0SS
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., a rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!.
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quern tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes criancas, pelo que
os proprietaries da Nova Esperanga nAo poupam
exforgos; rua Duque de Caxias n. 63.
S10,000 bolas de borracha
Especialidade pars fazer present as criangas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seus
freguezes ; Nova Esperanga n. 63, A rua Duque
de Carias.
Cabellos brancos *6 tem quemn
quer
A verdadeira e especial preparacao, vende e
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vendor
prcva a sua especial qualidade ; na rua Duque de
Caxias n. 63.
Sao bonitas
as luvas de seda abertas, canno alto, que acaba
de receber o Pe*aro Antunes & C, A rua Duque
de Caxias n. 68. -
S Para os banhos salgado. rec"beu o Pedro
Antunes sortinento de sapatos especiaes ; ru
SDuque de Caxias n. 63.
SiLapatoes napolitanos, especiaesI, -pa o tri-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., s
estai liquidando para feebar factura ; rua Duque
de Caxias n. 68. E' a Nova Esoe.anca.

Bilbar .


Diamante em


Parahyba.
Chamam a


IA
lugares,
cidos.


-*^f
,.;.


.- '-.,
S.- ***,
.-< ,


a i-


0


i


I


I


I





















1 ^" -"" -*:: ,..

.inua, o) .


a; 4 ia vez mais. eAuu-
K i. ^ '- ie ." 't ._;,.. ..o

'1i m. f aS sB quedaoendeu. Deiiou
.! !xa em cima da mesa dos. barqueiros e,
F- elieendo-se de alumiar a mesa onde se
,,. avs Vasseur, junto do qual BernabW
i4 ido 4adkr o sea lugar, sahio corn
L.t A~ yantando o algaplao en-

1 ,A f va o Jeau 24,. Vasseur
:i de"d" observer o estalajadeiro.
V6end6-o tId tolo, tto pesado, tao gordo,
perguntava do sl pars si so os seus ouvi-
dos o nao tinham enganado.
Ila penumbra onde o ddixava a ausen-
caas lt uz, sentio a maio de Bernab6 pou-
sar-si-lhe no brago.
OuS*; disse-ilhe ell..
E logo depois :
E observe os barqueiros, accrescen-

Effectivamcnto, das bandas do Sarthe
d *iio-so unm iassobio baixo, mas prolongado,
quo depois do uma nota louga, se cortava
cornm uma mais breve entire dnas pausas.
Esse assobio devia spr o signal dirigido
Sos barqueiros, porque depois de um novo
olhar trocado entire si, o patriAo gritou com
unia vez impaciente :
-- Vensld'ahi?
.... Prompt I disse o Paio em pe sahindo
pelo algapAio e trazendo umrn enorme caneqo
-quo foi collocar em cima da mesa da equi-
pagem, corn a outra vela.
Assimilluminados por duas luzes, os
barqueiros apresentavam-se muito dis-
tinctos aos olhares do tenente e de Ber-
nabe.
LA! disse o Paio ewm pe, coltocando
e pote: provem d'isto e depois podem ga-
bar-se de se torem regalado corn o que ha
de melhor... Ein! que aroma?
0 estalsiadeiro nao mentia. 0 vinho
tinha um tal aroma que ia fazer cocegas
nas pupillas nasaes de Fichot, que ao lado
de Lambert, observava a scena, a dous
passes de distancia. Abrio as narinas Avi-
das ao doce psrfume, dizendo A meia voz
ao seu camarada :.
Oh I quo echeiro I faz crescer agua
Sna boCeaC. ; .
Se tens v-Itahe1 chega o teu copeo
amigo, offereceu' fo,#Ftrao, que tinha ou
video. "
Fichet niao esperou que Ihe offtreeessen
segunda vez. Voltou-se pars a mesa ond(
tinha i antado e pegou no cope que apre
senton ao barqueiro, dizendo:
E' para te fazer. a vontade.
No moment em que offerecen, o esta
lajadeiro fez corn a boeea um moviment(
brusco, que interrompeu de repented, pos
ter o patrao olhado para elle.
Para Vasseur, quoe o observava, enr
evidence que- aquelle movimento quo fo
interrompidoadevia ser um signal feito A
Fichet para que nAti bebesse.
O dictado que entre n cop e a boece
vai urma grande distanca-devia ser d(
Urea triste verdade para o soldado. 0 set
copo ja estava proximo da boaca c 'os seon
labios quasi o toeavam, quando Vasseur
eorn" "'oz seocace imporiosa, disse
-i Fihebt, vet.
Era un'i vahente bebedor, o born Fichet
mas lainbemo era um soldado models
Onvindo aquella ordem cuja entonaca
*-nao Ihe' ddeu tempo do beber, collocou
sea cope sobre a mesa e foi direito ao sei
chefo.
A' sua feliz viagem! disse o estala
j; ladeiro aos barqueiros, quo pareciam que
"' rcK espermur a volta do Fichet p'ra be!o
iem juntos. -
S, ..: '" *' Talvez o esperasscm, so neste moment


FOLHETIM


4?

."



4 .



--

9..
- r ;.4.1 -


o0 FILHO DE ANTONY
FOR

S ALEXIS tOUVIER

Q' rART.- PATE


Perlities-me COIO 0oliomiei f
-' desgraa


S 1-(!'nti.rtrr'i/'n dl l n


....... GAPITULO III
.' .... ;- II
",.q. .. p-ri.ne. rivererp itado que ali-
.' ,.'. rer a, primetra pedra
'&:i VS.hno era dos ipais simple.s. ,'a-
iYpe amava Rachel e tiulia a
SLie Ra-hel havia notado o mann
.,i. atur.que queria servir-se
.luello. Neom o conde nem
.... repelir a mopa, seriam
a auvil-a e a situaeio
-eucontro.
sar a situagab, obrigar os
a estederem-so as iniOS

din'ttiver"maubib, quo
qgar.t a Q ir esperal-a
ntarlhi.- a se- modo ao9ae
L-a ..perturbal-a
S" afi*- aa dirigir

,~ bn --' Mir*o
04y : .


c-,A?^eflB d:^i^T.s -: o -onteudo
0- 41011"&o C

0gid ot tdees-

.. t mimnd o per so
terJ umn viaho to bom.
A,, como 68 v, tinha me.zoria...
confundis o fe-miino corn o

o. o- estalajadeiro dirigira-se
*Qa d,' kpOrta, e olhsva, esperaa
do a parti&f, a J.uleta.
0 dia nto tiha ainda desappareoid& d4
todo, no borisonte havia uima pequenaisW
ridade sobre a qual a Julieta destacava-;0
como um ponto negro.
Como sombras, viam-se os cinco homens
occupados em desatar as amarras.
Os assobios cessaram. Durante este
silencio, Bcrnab6, que corn Vasseur Be ti-
nham aproximado d'umina janella para assis-
tir A partida do navio, disse baixo ao te-
nente:
Talvez me engane I mas parece-me
que este hyppopotamo e um tratante...
Oh maais do que isso, muito mais!
Espera um pouco, disse Vasseur,
que queria causar-lhe surpreza.
Entretanto, a Julieta, completamente li-
vro e cornm o auxilio de dous homes que
a ajudavam a gtanhar a corrente, mo-
via-se.
N'este memento, de bordo ouviu-se a voz
do patrlo que, vendo o estalajadeiro de p6
na port da casa, gritou-lhe :
Adeus! grande idiota!
Coio se recebesse urn comprimnento, o
Paio em p4 agitou alegremente o seu lengo
em resposta ao viajante. Mas, ao mesmo
tempo, sua voz que jA nAo era fanhosa
disse ameagadora:
Nao te digo adeus mas ate breve,
Sde ma morte.
Voltando entio para a sala, dirigiu-se a
) a Vasseur e disse-lhe:
Venha, tenente.

*CAPITULO VIII

S Vasseur estava perfeitamente disfarna-
do. 0 seu vestuario s6 indicava o qae
ielle pretendia representar, um verdadeiro
camponez. Dizeado ser umrn negociante do
cereaes, devia ser acreditado.
Ouvindo pronunciar a palavaa tenente,
no rosto de Vasseur transpareceu a sua ad-
Siairaglo, de que o estalajadeiro adivinhou a
Scausa, porque disse rindo-se
S Oh! eu conhego o por jA tel-o visto
em Chartres corn o uniforme... Tinha ie-
cessidadede consorvarna meromoria os tragos
- d'aquelle de que de uim dia para outro te-
) ria de reclamar o auxilio... E como vc,
r quando guard a physionomia de alguem,
6 impossivel que me esquega da sun cara.
S E aquelles .? disse. Vasseer, aiostran-
i do Fichet e Lambert, que tambem estwivanm
. disfargados.
(Co(tinuar-se-ha)


; VARiEDADFIS


o -eaehlmbo do tenente Rioquc

(Extrahido)

(Conclusiio)
Entio o general Ihe estenden a mibo, e
diante de todo o exercito, lhe annunciou
quo havia sidp nomeado..,. tenente!
4*
Esta vez tudo tinha acabado!
Que umn sargent), em seus moments
Rosolv1ido a ir ao duollo para sO deixar
matar, desejava uTo ser mais atormentado,
onipregar a noite qati lhe restava cm por
et:u o',ie os se ue ocio-si e '.irantir a
posi;'"o do su.! i sobriiilia.
-Foi co In o s'mbi!aint,? carregi.lo, coru
Itl fi a1borr.:.:ido '1: ell..- apD. i'e\ saliLo.
A elio a ,corr-.t inin ,,'liatain:nt.-, pira celle.
Antony contemnl)iou a por algi Orrs j-,G'iIl s,
alruira' '.l : ,nu'lanG qn- so t;Inll:i opera-
'1.) n'>'ll,. N'o era a n'lu i i. M 'i l'?r iii. ,
hiavia pi-co o tinha diixadi, ttemrlti de
c:fl.?O;L), dc-pois da promess.i 'p.'r vi!', tinlia
fPit,).
Era urma inuiher ardentt, c.):u o ollair
Lhairnincjante, rejitvenes'.-iIa Dh'.1 t',.b- qrle
Iho corava o rosto. Vii'-a Outcj. v'-,z co0n
o set ve.,tidlo de baile, d'lcotad.a, co:no a ti-
Lll"L (Mixado vinte .iuco anni:) -; autos.
quanido ella se Ili lancit no-; bIri'c ,s. ,li-
z --n -lo
Amo-t, muata-me
Ella corria para clle, ape-rtava-lli2 as
mnaos e fallava-lie corn o inesmo calor de
oiitr'ora. Era Adelia, a siua amante, qlu
via ,liante dit. si.
Elila d(lizia :
Coinprehendi tutdo e volto para dizor-
te que napo qnero o tea sacrifice'.'. Quro
quero qoe vivas, oures ? nao quwro qu. t.
deixes matar per ton filhl. Dlrci a Vw'
dade a todos; hoje nada iais tn i.o qnt
esconder, chefgou a minha v-vez de resgatar
o mal que tonho feito. NAio to baterAs,
uito te deixarAs inatar por teu ilhb. Al6in
disso, sou iivre, agorai softil viu-a ; men fi-
lho m h omerom. Na) podcri soffrercomn
o que se disser de sua mai, e direi a todos
que eras meu amranto. Livre lioie, venho
dizer-to quo 6 precise que tu mn obede-
'as, porque o amnor qte tinha por ti nunca
se extinguio. Escondi-o, abafei-o, para
educar meu fiho. Aindla to amo, Auto-
Ry!'-'-NAu quero quo morrmas ouves? 'Ve-.
ii n ir^|i quo te dizia outromra. A t'r
M ~ ) irn f a-' i A


>, w-,


s^t? f~u.,q^ s a-era

Chegsu~98 euvg




Veia a verW7~
'Ehta d .t .


'Ih taco ... .*_, ., :' >- d g. -^. .


Se dims emIo- -
Roque tinkha Um cL^^~~^
repetio m 4- 4air iistor 0 | |
diterraan. e 1 d'prtea tad. jIf r-cito
que conhecia par UBaI & ein
tantas occasios ig lda.. que
possuia um cachin, k. -i0 o aban-
donava. ''
Desdo entio q'ia-"f' Iava delle,
nRa so cantent'avam jA 0 I Roque
s6, por6em-Roqu eo se cakhikbo.
0 regiment partio para a Crim6a.


Alli Roque teve outro pamsatemn; com-
partia sua avida entire seu eaabsihbo e
sua navalha -como t.inha baptisaao A seu
sabres. "
Nio se separava de um senio para des-
embainhar o outro.
E entao encerrava sua preciosa prenda
em seu uniform, sob sua cruz da Legilo
de Honra.
Nao havia um s6 home no regimento
que nao conhecesse 0 tenente-do cachim-
bo.
Por soeu lado, Roque conhecia. 4 todos
os soldados, que tinham n'elle'a major con-
fiansa.
JA o sabiam ; se se offerecia intentar um
golpe atrevido, o coroner chamnava ans Ro-
que, que nao tinha mfais que erguer a voz
pars que todo o regimento acudisse ao sou
chamado.
Veio o inverno trazendo comsigo todas
as privaioes.
Um dia chegou a faltar at06 o tabaco.
Dia funesto 1 0 eaehimbo ou o charuto e
o console do soldado. Fumando pensa na
patria, nos ausentes.
LA, em seu paiz, 6 tambem fumando,
depois do trabalho que gosa do suas ti-
doces esperangas; o soldado pensa em senu
paiz. Sua patria, sua familiar, 6 o s6nho
que sempre acaricia quando fuma seu ea.
chimbo. E o tabaco faltava!
Entb comeou a epop6a do cachiimbo
do tenente Roque.
Elle famava sempre. Ilomem inocavido
so tinha provide parta a campana.
Zeloso de rIfterttua pelo soklde de
quem so sentia querido, compreliendeu de
prompto a tristea do saaU gente.
E al6em dissq consa nuo renos impor-
tante o trabalho ji nalo adiantava.
Foi entao quando se valoeu de seou ca-
chimbo.
Umra manha, no momeonto de partir pa-
ra a trincheira, reunion a sens soldados e
mostrando-Ihes seu cachimbo Ihes disse :
0 quo trabalhe melhor fumarA em
meu cachimbo.
Nao necessitava mis. Se fez triple tra-
balho.
Roque, tomando elle mniesmo set tachim-
be o apresentou ao soldado que o conten-
ton mais, e o afortunado fumon diants de
todo o mundo.
Desde entaio o trabalho frenetic; todos
queriam fuimar.


S ot .l pedio Vitw"omens
l ,s..rwegoudou. cS
i-bi na feito mal contender e N
gnim 0 _,oveu. ,d
uAh Ie 6 4 ede a vespera os tinhamos a
0..tO cahir A toda de n6s.
p cmprehewudeu; estava cerca de
jm'Bo vejo a ida; era comnovedor. Seu
era ^ n'descriptivel, e ulna lagri- v
no. Di olhos desse home de ferro
'primneira vez via ser inutil a suR
Sfazer ?
r afm lado se tinha compromettido, e e
w outro, por valente e forte que alguem
ejaulguo, niao se rende urma bacteria assim j
emnimais-nem menos. Nao sabia que attitu- (
letormar...
Machinalmente tirou seu cachimbo do pei-
to e se poz a carregal-o corn furor.
Esse cewhimbo prodizia sempre em n6s
uinm grande effeito. Apenas o virmos, olvi- i
idando a tristo scena quo assistiamos, todos
os nossos olhos se fixaram nelle.
Roque o notou; um radio de luz brilhou
em seus olhos.
Mirou ao- redor, escolheu um soldado,
ohegou-se perto delle b lhe fallou ligeira-
monte ao ouvido.
O soldado sahio da fila.
Roque dirigiu-se a outro, que sem vacil-
lar voio coildocar-se ao lado do primeiro.
Dopois um -terceiro, um quarto, um deci-
mo none.
Quo Ihes havia podido dizer?
Roque oscontou, faltava urnm.
0 tenente deitou entito os olhos sobre
mim, me cobriu corn um olhar rapid, e
approximando-se em seguida como o tinha
feito corm os demais, me disse ao ouvido.
Ouve, sei que me vAo matar; vem
commigo, e urma vez eu morto, meu ca-
chimbo 6 teu, eu teo lego.
Dizendo isto, me deitou ao nariz uma
grande baforada de fumaga.
Sem titubear me fui juntar aos outros
dezenove.
O tenente guardou ostensivamente o ca-
chimbo debaixo de seu uniform, baixou
sua Cruz sobre o eorago, desembainhou
((sua navalha e, tendo chegado a noite,
sahimos da trincheira.
A noite era negra como boca de lobe,
Tinhamos um teupo desses em que os mais
inidifferentes dizem que a more estA no ar.
Bah muito nos occupavamos da morto;
nem si quor pensavamos no cachimbo.
Avan9avamos arrastando-nos.
Roque marchava adiante, e nos atraz del-
le pisando-lhe quasi os tagoes, pois cada
qual queria star mais perto dolle. Era
aquillo um verdadeiro racimno vivo cujo tale
era o tenente.
Maldito cachimbo i
M. e par",e j. possui-o. Nao tinha que
accusar-me' de nenhum mAo pensamento:
quem tern servido conhece ess3s presenti-
mentos de desgraca que nunca enganam
a' soldado. Roque nos tinha dito: #.Sinto
que vao me matar e era para mim um
hornmem morto.
Nero uma s6 vez me veio a imagina-
9ao a ideia de que havia podido zombar
de mim. Desde entao me conservava o
mais proximo possivel dello prompt pars
i recolher seu preciaso legado.

De repente Roque so doteve.
Nos achavamos de encontro ao espaldiio
da bacteria c ouviamos os russos que con-
versavam uns corn os outros.
Roque nos contour corn um olhar, e sem
dizer 'rna palavra comecou a subir o para-
peito...' "


rentes; nio podia rsponder e apnas bal- de. FAippe, amiparando sun maii nos bra
buciava : gos, levava-a para f6ra do sal"o.
Cala-to, Adelia, o qtUe me pedes 6 Quando ia trarispor a port, lanou uln
mpossivel. olihar d6 desafio e de despreso ao condo li-
.Allelia, oento, passott-lia es bagos cm zenilo-lle :
torlno do pescoo, e disse : Entao, ruata-mo aruanho. Julia quo
Antony, Antouy, sei qu lhi'io) de vir ,k t.T) f,.,-il tiiitir li" n ,1 nir e.n u u co:n
bttscar t( esta noite, sei qui. v.o bater-se bate co:no assassimir uin: mullihr? vere-
:;manhi. Quero quoe vcnlrs c,)minuigo, que I los.
ti'lFos c,)nmigo ; nio to dleix-irei -nais M- Miseravel! disse o conde.
N.lo p'Jes rcprllir aqaell' a qerem per- Felipp. IevoU aLIa mIAi :.tL A carritagemi.
st. Procurotti Vernet, a quoinem qu,?ria confial-a
Tenii:lo-a nos brag-js, soutindo p.tair polo p rs lrevl-a ao p.bacio c v'!tWu a prvoc.-r
i,,-t) o son Ialito ar-lute, eneouignlo o1 o conlc" ; ni'o teii lo, por,'-.-, oi-.ontradio
s-i.u olIar, vencio-a t.Ao bAll a cono utr'ora, Vermiet, tov,. tic acomnpauhlr sitA ma1',3 a,'-
sentimndo-a tromnr, ;islunibrl-a1o polo .pa easa.
colio soberbo, ells rr.iuv-nenscir, to ie do La assut rst i.m
'ar aquella a queen tuih.i arn ido !1,' n as ta paI trvet
ho a t-na quupotliaat qud ni acabava de assistir. procurava
lo qtvi aut' ora... acalnar o code c attenuar a inCualifca-
loervia-leosang ve l agressao ,ic Felippe. 31-is Anitony,
seom difi.ruli,-do A podia center o..i e de- qlt so tinha acalmnado logo. disse"
sejo do apert-ir Adelia nos bra-)s,.cncos- Tl to di aaba-- assim mais
tar os seus labios n-..s dellia p.iia drit : i Tudc istoa Ea antiga falt que pa-
Ainda to aino Ilii inenos dia. E' a antig i flta quo pa1-
Aina e ~n!I,,o- hoje...; E' a pupigeto, -que a justieL'
Fez uirn esfor(o supi-rmno c procurou re- e gals]o soEiepae o u q as vea hojo
iii--lii Ia. L cuiola-UrtA so~ediA-Lcaone uonos vein bojo
Prl) i r I i-a., pci polo destiny. Esta mulher culpadIa hla de
P,.'rJ o! gcintaa r .,llia- -- s no orte do son f lho, c en me
N'cst, pm. menos aiertad 1r a(osiitM.,- faro justiqa-por ninh is prop-ias ,trios.
N'esto c moruincto .elports ,s sabida b.. !Antony, o sonhor nilo ha de inatar
se cow viol-,nciat o Felipp: pallido se i-hL '
ra, >pp ireccu entr- os .hurubrae'. h' de ,atal-o, jA disse-. E depois
VC 1ii OsILa l,. qm.wii nos brn.s r in ,to- m. E' pr.ciso este sangue part
qiliicito-inc.
be, supplicanrio-lhe, ouvinMlo-a P)Cdit -r- ho d'esta casa.
dao, piedado, ura horrivel pri-agi .salio.- l asar l orrivel istu! exclamo a
limo dos labios, n lkc .eipt0-se .gI- j r-A horrivel su xlmi
Ihe dos labios, lie preiitou.sC, gri- viscondessa (do Lncy, a chorar o calindo
tando :.a,.
taD ', ,, ,,, ell] cm hna do umna poltrowa.
Aliseravlb niloultrajes a w'i para eai cirria do apa poitr-oua.
"erIv o ltr. a par Antony, fizendo um signal a. Luiz par
ven-ler-lbio a vida do. filho. cuidar n'ella, den Ihe ordemrn que o nao
A mino suspensa no ar'ia cahir -n rosts inconiodadso .ins, e voltou para o sen
do condo de Sancy, q.. i mogj'onto, q o
c, agarran'lo-o pelo ati rou tl u CAPTUL IV *
CAPITULO IV
moviminento rapid o nr b¶i om k
do salao. "" .. -,.- J | ll. ** ^ ~a do
d u w.o. J.
Entlo, lou 10 Ra4... ..
ge que o atiimha.A .elippe aA. carrugern coa i
A .!e -t 1ado o tinb- aps p "
....si, ......,. ...


&0 b _qhoado e


uoi, aie elihbIu i, a us. 1
Roqua na foi do* de si mesmo. Ssi -
obre i plaisforma e mostrando-seQ a..s' W
oberto agitando seu bonet gritou aladi:
iva o Imperador !I
Nao tinha concluido quando Os estilhacos
e urma bala de metralla o prostraram como
,m raio.
Cahiu junto n6s.
Morto, exclamamos todos!
Depois de urn silencio, so levantaram,
into vozes que disseram.
- 0 cachimbo e meu 1
Nos olhamos; tinhia promettido A todos.
Por6m A esse grito succedeu outro.
EstA quobrado 1 0 tenento quebrou o
seu cachimbo!
A bala que Ihe havia atravessado o cora-
aio tinha quebrado ao mesmo tempo o ca-
chirnbo, e a noite todo o mundo dizia no
icarnpamento.
Roque quebrou o seu cachimbo!
*
No dia seguinte a bandeira tricolor tre-
mulava sobre Malakoff.
Regressamos AFranga. Desde entao cada
vez quo ougo fallar de umrn morto: ((Ter que
brad seu cachimboD penso sempre no te-
anente Roque.
IJuan de WVestyne.

usnmorlsmo

AMEAVAS

Nada! cousa afguma! eis as respostas
Que tive ao meu pedido de Anno-Boin,
Por isso continulo a decantar te
Usando como entAo do mesmo torn.
Mais uma vez fui tolo, pois contava
Que havias de ser boa e complacente
Ao menos nesse dia, por6mn vejo
Que tens mAo cora Agora na-) to deixo e d'hoje avanto
Eu, hei de purseguir.te toda a vida
Pois 6s alm de tudo-mentirosa,
Ingrata e tim born pedaco do atrevida.
Mas has de arrepender-te I estou disposto
A treguas nato te dar um s6 meomento
E nada me demove quando acaso
Eu fago algum protest ou juramento.
Zombar de mirm que tal! nemrn um s6 mimo!
Matar do urma s6 vez tanta esporanpa!
Pois ber! hei de ensinar-to, nao calcules
Qu'eu seja por ahi qualquer croanga.
Eu custom me zangar mas quando acaso
Percebo que me querem debicar
Cornmeo a dar pancada a todo instant
Porein paneada logo p'ra matar.
Vou dar a conhecer nossos segredos,
Contar a todo o mundo o teu namoro,
Que ha pouca percebL; eu nao tolero'
Que zombes mais de mim I quo desaforo!
Vou dar publicidade ao quo fizeste
Nos takes banhos salgados ha do Olinda;
Nao penses qu'eo me cale, eu to prometto
Que esta tal historic se deslinda.
Tambem hei de contar como podeste
Fazer levar a breca o casamento
De urea tua amiga, estou ao faeto
Do teu mais qu'exemplar procedimento.
Nao hei de m'esquecer do tal nainoro
.Que as pressas arranjaste no Monteiro,
E' cousa muito nova, pois que um anne
Agora vai fazer noste j aneiro.
Naio falta o que contar trarei A campo
A briga quo tiveste corn titia
Por certo military a uorm aruavas


E tinha tambem ella sympathia.
mai, cuja natureza nervosa era frequentes
vezes sujeita aquellas syncopes. Depois
da sun erno9fo violent precisava de algu-
Smr:s horns para r.cUpeOL'ar os se.:tidns.
Que so teria passi.dlo ? p'rgnntava a
si mosmo Felippe.
()lhava para sua mli e uao podia atinar
corn o motive per quoi estava ella em tra-
jOs de bails. Porquc s, vestio assian? NAo
podia per corto ser plra ira casa do conde
Cii Saucy.
Estaria em algumin baile e teria sabido
pelos convidados coirn aemn se achava nio
.6 da desavenca co.no do duello quo so do-
via effOctuar no li.iA inmuodiato ? Se assim
fosse, sna mnii devia ouomprehender imrnme-
,liatameute o motive quo o tiuha dirigido ;
volton 4 casa, interrogou Vernet e soube
tudo.
0 proeedimnento. qu a bironeza d'HIer-
vow tove exasperava o ruincebo, quo o
coLmprolehondia ftcilriuente. Antes de tudo
ella era miai, e, sabendo que seu filho do-
via bater se c31U o condo de Sau-cy, quo
(corn razIso Vu se.n llli passaft por ser de
primeira forca na iarte de -esgwiman, s6 tinha
visto o perigo quo sou filio corrie, e antes
tio tudo se havia resign tido, palra imp-dir
esso duello, e ir z! casa do honem que a
harvia ultraj;ado, jilgiaudo quo esse homem,i
aid attengiho a passado, nAo podia recusar
o que Ihe ia pedir.
Foi por isso que a tinhlia visto a supli-
car e a pedir compaixao.
Felizmento elle tinha chegado a tampo
de impedir quo aquellc. procedimento tives-
so uun result.ado quc o teriw tornaddo4i-;
culo.
Elic, que conhecia a grandeza d'Iiij
sua mli, que sabia que mulhert
digna era ella, padocia corn a id6a& -
milhaglo que se tinha infligilfo pt
d'elle.
Quando chegoo s o
Lrar parruagem at V FAA
ao'etestytd. *-'^ B
00volhoykaci eOi

Ae erido q
9W- MlI ''l^ ~
M 1%. iffilt^H^T w -^R^^^^^^^^^RH^^^^


oe tenho grth
Em breve eqt
Fata qu'euni
Emfim, p'ra h
Qn'escutes o
Prometto me ej
0 dia se app;q
Joins do valor,


I


C. CAULOS.
aI- pcqurno gabinete- qnpe a a seu
quarto.
Chamou entioa criada, que veio imme-
diatamente. -
Assustada por ver sua aiwa inanimada,
exclamou :
Mou l)eDus, o- quoe anteceria "A &a.
baroneza? .:",.
F elippe interromnpeu n-4'y' t, Viv._a .WA 0 :
No 6 nada, Liza, ,dtava eab i
bail e o calor suffotou .a &A. barojaJa.
Apressei me em trazela p-
Ido subiamos a escada oiL's f
6 nada, bern sabe qn|7 ,sqeits
a estas indisposigk:8.' -" B .i .
A criada apprai
tar o vestido de it i:tlt
Felippe amparava, f.ze.do-a. OR6s.
Vendo Lza, olhar 'soupreheii- a
baroneza, Felippe exclamaott:
Eatro? nUou -o, :quo re4i0g .
Mas corn qu.vestido vemn a iiteho-
ra 2 .. .. ,: .


ia coin urmi ve c4-a pa llo iQ
Felippe frani, .
va interrogar iA
*Iii, p r --so
ra mais a e e< "-

,.. .-e..,Ike..'
.prte atikh ;.i
s b et : "-ti-


-I

- 1~


Emfim, manda ,.i-.....




*^ 'P .j ..." &A .;
Recife,3-ati6l8,i

e, *' -" .
.-, ^
__( ^ ','-;.,
Nunca viste na
Onde da fouce aupz U
A arvem. ? "'-7-
E depois de mirmrr-se gato a'
Tendo chammas arden pei. lo,
Em cinza, storou
^ o-. ..-.
A's vezes acontee o _At- o
Que muda o anrvoer(-- e a po
Urm s6 deiza de p6 ;'
Mas tambem o l repii fteharu. a ardente
Que o involve quaaguea seqpete
Que devora-o at 1

JA nao mais o perfirme da bonina,
JA nao mais a verdera, da apina, .
A rede de sipd;
As aves que lhe davam terna beijos
Ora levamn p'ra long Os sens adejos-
Deixando-o tristo e s6.-

Infeliz! que nao tern uern.gafotta d'agua
Que suav.se a dor coaole at magua
Do tanto padecer!
Quando A noite agoutado pelo norte,
A coruja em sen ramo canta a morte
Em funebre gemor !

Tantalo das solid~e Tr- b p asarinho
A's vezes iA bern porto faaso Dinho
E salt e cauta I ril-
Mas, quaudo fepow e-tlVno alegre a vida
Niao tens do' orvailho a ata appetecida
Quo se doa do ti!
B ".' t
0 men ser, 6 inmJbhr, .in4 6 mna triste,
Este peito que'alegre oufief'r vipte
E' va"ta solidlo
Ondo reiaa da sorte a ventaviaa
Retorcendo cruel em fera oa'-:"
Um espectro o oovto!
.- '
Vi bemrn cede murcharem-se-me as flores,
Do veneno cruel das minhas does,
0 calix bebi s6;
E, quasi a succumbir nesse martyrio,
Foi-se a luz da razlo e u ddrio
Do chlo morfla cr6 '-
.* .r.

Mas basta de soffror, a vida can"a,
Se nao vem alental-a uma espranp,
Esta seiva de iaz ,-
P'ra quem vive em angustias se estorcendo
Viver sera um bem rn ma... bern tremendo t
Prefiro antes a crua.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EFNHFUGPG_0FUUUT INGEST_TIME 2014-05-03T11:22:50Z PACKAGE AA00011611_14072
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES