Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:14049


This item is only available as the following downloads:


Full Text








-- -


0 S*~* 3 ~ ~


i-4 *d is.
do --oa di..


.
* A 3


*1.ii A


o.a*
5~2-


, Z' i ,. .


0. 0 S
'*-r.I*.;h:w.. h. .. s..
'it : ,* r -. ,. "
o! '." ^ .ar -*.- :. -


*0 A S 9 S 2 9

0 0


.pri: iat t Jane Ji


4a Zbt kria & d.fita


TELEGRAMIAS


(Especial para o Diario)


MADRID, 20 de janeiro.

S. N. o Rel D. AEFonso festi preror-
rendo actnalmente a Audalusia cnm
vista an victimas dos ulIlmos ter-
remolos.
S. M. ten m mido alvo de numerosas
ovacOes.

BERLIN, 20 de janeiro, A tarde.

S.jI. o Imperador GCuilherme acha-
*e Indimponto.

LONDRES, 20 de Janeiro.

A mur-parte dos Jornaes inglezes
eritcamn a resposta dam potenclas an
proposfta do governor britanico, re-
Iatiwos ao Egypto.

Agendcia Havas, filial em Pernambuco,
21 de janeiro da 1885.



INSTRUCCIO POPULAR

PHOTOGRAPHIA
(Extrahida)


PA^RLTE 11
Operacoes e processes photogra.
phicos
CAPITULO V
VARIES PROCESSES
0 process que deixamos descripto um nm dos
anteriores capitulos, e que e canhecido pelo nome
-de-processo do collodion humido,-da cxcellentes
resultados, mas tern o grande defeito de ser neces-
sario empregar immediatamente a chapa logo de-
pois de collodionada, porque o collodion se evapora
corn muita facilidade,-o que 6 inconvenient, n.o
so para a photographia de vistas, paizagens, etc.,
para as quaes e necessario levar as chapas jA de
antemio preparadas. come tambern nos paizes
quentes que sao muito poueo proprios paras um tal
process.
D'aqui nasceu a id6a de modificar o process
por modo, que a chapa se podesso conservar du-
rante algum tempo serm perder a sua sensibilidade.
Originou-se pois-o processo do collodion secco,
pae resumidamente vamos descrever, e que se pode
azer de tree varies modos :
Process do collodion secco- Pela albumina.-
Quando pela albumina, deve haver grande cautela
corn a limpeza da chapa, por ser mais prejudicial
a falta de limpeza do que em outros processes.
Limpa a ehapa de vidro, estende-se o collodion ao
modo erdinario e sensibiliza-se a chapa corn um
banho neutro de nitrate de prata; esgota se, e
cobre-se immediatanente o collodion corn uma ca-
mnada de albumina o'l clara de ovo que se prepa-
rou de vespera.
Prepara-se a albumlnaI batendo inmui fortemente
algumas claras de ovos corn iodeto e brometo de
ammonio, em pequena quantidade, algumas gottas
de ammoniaco e um ponco de assucar candi.
Depois de assim preparada a cliapa, deixa se
seccar na obscnridade, e mette-se em caixa apro-
priada para o seu trainsporte, podendo servir pas-
sadas 5 ou 6 horas depois da sensibilisaeAo.
Este process tern inconvenient de necessitar
de uma grande exp.)siao na carnaria escura ; o
desenvolvimento da image s6 se effectua meia
hora depois de ter est:ide em contact corn os re-
veladores, e muitas vezes produz bolhas e man-
chas nos cliches.
Quando vai servir a chapa sensibilisada, tira-se
da caixa de transport, e passa-se para o caixilho
da machina; expoe-se a luz ; e o desenvolvimento
feito por meio de acido galbico; e a fixacao, pelo
hypo-sulphito de sodio.
(Continua).



PARTE OFFICIAL


Governo da Provinela
EXPEDIESTE DO DIA 7 DE JANEIRO DE 1885
Actos :
0 president d;i provincia, attendendo ao
que requereu Bcllarmina Erancisca Lobe Barros,
professor da cadeia de ensino primario mixta
de PAo Branco, e tendo cm vista a informacao n.
378 de 9 de dezembro do anne findo do inspector
geral da Instruego Publica, resolve conceder a
peticionaria dons mezes de licenca na forma da lei
pars tractor de sua saude onde lhe convier.
0 president da provincia, attendendo ac
que requcreu o continue da Alfandega desta ci-
dade Luiz de Franpa Xavier e tendo em vista a
informacAo prestada pelo inspector da Thesourarit
de Fazenda,n.m officio n. 869 de 29 do dczcmbr
ultimo, resolve conceder ao peticionario trees mezes
de licenga corn ordenado na firmna da lei para tra
tar de sua saude dentro da provincia.
Officios :
Ao inspector da Thesourarii de Fazenda. -
Transmitto a V. S. a inaclusa ordem do Thesourc
National n. 195, e bern asim nma portaria do Mi
nisterio dai Faztu-h d.) 23 de dezembro ultimo re'
lativo A concessao de 3 mezes de licanqa ao 3 es
cripturario dessa Tliesouraria Ant)nio Percgriui
dc Mendonqa.
Ao mesino.- Corumunie) a V.S. que ojui
municipal do term de Santo Anto, bachare
SAntonio Sergio Lopes Lima, ecm 17 do dezembr
"-d. o, interrompeu, per motivo do molestia, o exer
eleie de sea cargo, reassmnindo-o em 19. No di
6 do referiio mez o promoter da comarca d
Coyanna, bachtrel Joto Agostisho Cariceiro Be
.-;'.enra Cavalcante rcasnumio 9 exercicio de sce
ca"ergo.
.. Ao mesmo.- Commuaico a V. S. que o va
..'- per Giquid seguirA pars o presidio de Femand
6.. do Naronha no dia 10 do corrente ao meio dia.-
S: wrisera- e devidas commuus i caVUE
''" Ae "Or.j de direit dus exeeusges erimi
so R ie = oi- Cvonvcm qua V. S informne sobi
s~f 4^< -y aN!ti n uMai&" ,-, .


TWO, +, ...... erro
AM f.."b.. oi
"WWI^..^^ .,, ". .


:ssam D ala -sri ma


posse do cargo de adjuncto dos promotores publi-
cos da comarca desta capital o bacharel Ascenso
Maria de Castro Mascarenhas, conforme parti-
cipou o juiz de direito de 2. district criminal em
officio de 30 de dezembro findo.
-Ao Dr. juiz de orph.ios desta capital.-De-
clare a V. S. pars os fins convenientes que o snide
da 5a. quota do fundo d3 emancipacao no munici-
pio desta capital dcve ser de 375121, visto que,
resultando da libertaslo de 35 eacravos o residue
de 213;121, e nao 6631121, em 24 de outubro do
anne passado mandei pagar a Manoel .Figneiroa
de Farias & Filhosia quantia do 176#000, prove-
niente de publicaclo relative a esse service.
Ao administrador dos cerreios. Verifiean-
do-sf da su a imformago cm officio de 22 de de-
zermbro do anno passado, sob n. 1071, que a junta
classifieadora de escravos de Born Jardim deixou
Sde reqnir-se no Ldia designado per esta Presiden-
cia poi haver o respective agent do correio feito
Sentrega da circular de 22 de outubro ao supplents
Sdo juiz municipal do term, quando pelas repeti
das reuniSes das junta classificadora, suo conheei-
dos os funecionarios que as compoem, sirva e V
S. de impor ao dito agent a multa do minimno dc
0 1. do art. 15 do Dec. n. 4743 de 23 de junho d(
1872, por rro na expedito da correspondeu-
cia.
Ao director do Arsenal de Guerra. Para
Sque possa haver a necessauri fiscalieaao aue fur-
0 neciincntos a'as corpos do exercito e aos estabele
cimncnto. militaries, polo Arsenal de Guerra e de
Z positos de artigos bellicos, recommend o Exm
Sr. ministry da guerra, em aviso circular de 26
o de dezembro, a restrict observancia dos avisos di
S31 de agosto do 1860, 26 de janeiro, 9 de feverei-
a ro de 1861, 29 de setembro de 1873, 30 de marni
o de 1876 e 26 de dezembro de 1877.
0 que faeo constar a Vunc. para seu conheci-
' mento e devida execnuo. ;
Ao commasdaute do corpo de policia.-De
"claro a Vinemc., em soluito do officio n. 1,147, de 1o
o de dzminbro findo, que desde o dia 21 povem
bro ultimo, eatiuno exercieio do cargo feiJunt
dos promotrne publicos da edmarcA idax'vpita
So baeharel Aseo f Maria de OaattW-Kw.are
re .' .
;L. : .,


" .lTcrowal
W- 4 A-is6 4e rp


foi approvado o convenio felRe entire o superinten-
dente dessa estrada de ferro e o representante da
Companhia Central Sugar Factoris of Brasilh sobre
o trausporte, recebimento e deposit de asaucar e
outros products do engenho central da dita com-
panhia pela alhudida estrada do tferro.
EXPEDIENT DO SECRETABIO
Officios :
Ao engenheiro fiscal da ostrada de ferro do
Recife ao Limoeiro.- 0 Exm. Sr. president da
provincia, scabs de remetter ao Exm. Sr. minis-
tro da agriculture, commercieo eobras publieys, os
documents que acompauharam o officio de V. S.
de 2 do corrente, sob n. 655.
Ao engenheiro director interino da reparti-
9Ao de conservaC.ao dos portos.- De ordem do
Exm. Sr. president da provincia, communico a
V. S. que per portaria de hoje foi econcedida provi.
soriamente a exoneraeao que solicitou o eoadjt-
vante do 4' classes do servivo technico dessa repar-
titio, Manoel Torquato de Araujo Saldanha, e no-
meado, tambem provisoriamente para substitui|-o,
o cidadlo Joaquim Jose da Costa Fajosa, tudo de
conformidade corn a su a proposta em officio de 3
do corrente, st b n. 3.,
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife ao Sao Francisco.--0 Exm. Sr. president
da provincia, acaba de submetter a decislo do
Exm. Sr. ministry da agriculture, cormmercio e
obras publicas, os documents que aecompanham
os officios de V. S, de 6 de ounubro e 29 de novem
bro do anne passade, sob ns. 135 e 158, assim come
copia desse officio.
Ao general eommandante das armas.- 0
Exm. Sr. president da proviucia, tendo per des-
pacho desta data, autorisado pelo Arsenal de Guer-
ra a satisfagso dos dons pedidos annexes ao officio
do V. Exe. de 5 deste mez e sob n. 8, send um
de artigos para o expediente da Fortaleza do Brumin,
no corrente trimestre, e outra de vassouras para o
serving da mesma fortaleza, assim o manda decla-
rar a V. Exe. pars os fins convenientes em res-
posts ao citado officio.
FXPEDIENTE DO DIA 8 DE JANEMO DE 1885
Actos :
0 president da provincia, resolve nomear o
bacharel Jose da Costa Dourado para exercer o
cargo de promoter public da comarca do Buique.
-Communicou-se aojuiz de direito.
Officios:
Ao general.-Em solucao ao sea officio n.
484 de 26 de setembro ultimo, relativamente A
construcao de um novo quartel pera a companhia
de cavallaria d'esta provincia inclusa transmitto a
V. Exce, copia do aviso de 30 de dezembro findo,
em que o Exm. Sr. ministry da guerra declara o
motive per que nao pode ser autorisada a mencio-
nada construc*o.
A Thezouraria de Fazenda.-Para sen co-
nhecimento e fins convenientes transmitto a V. S.
a inclusa copia do aviso de 30 de dezembro findo
em que o Exm. Sr. ministry da pguerra declare o
motive per que nao pode ser levada a effeito a
construccao de um novo quarter para a companhia
de cavallaria d'esta provincia.
A mesma.-Para que possa have a necessa-
ria fiscalisauio nos fornecimentosaoecorpos do ex-
ercito e sos estabelecimentos militaries polos Arse-
naes de Guerra e depoeitos de artigos bellicos, re
commends o Exm. Sr. minister da guerra, em
avise circular de 26 de dezembro ultimo a restric-
ta observanciados aviso de431 de agostode I1860,
26 do Janetro, 9 de favereiro de 1861, z ae neuem-
bro de 1873, 30 de margo de 1976 e 26 de dezem-
bro de 1877.
0 que faco constar a V. S. para seu conheci-
mento e fnlus convonientes.
A mesma.-Declaro a V. S., em additamento
ao meu officio de 13 de novembro do anne passado
que o saldo da 5a quota do fundo de emancipaao
no municipio desta capital dove ser dci 374121,
visto que, resultando da libert;aeAo de 35 escravos
o residue de 213,121 e nao 663J121, como consta
da rela* o que acompanhou o dito officio, em 24
de outubro mandei pagar a Manoel Figueiroa 4e
Farias & Filhos a quantia de 1765000 proveniente
de publicaeAo, relatives a esse service.
A mesma.-Declaro a V. S. para os fins con-
venientes que determine hoje ao administrator dos
Corrcios imponha a multa do nxinuo do 1.0 do
artigo 15 do decreto n. 4743 de 23 de junho do
1872 ao agent do correio da cidade de Born-Jar-
dim, per erro da expedicao da correspondencia di-
rigida A respective junta classificadora de es-
craves.
A mesma.-Communico a V. S. que em data
do 1 do corrente o juiz municipal do termo de Na-
zareth, bacharel Jose de Castro SA Barreto eutrou
no goso de uma license de 3 mezcs corn ordenado
concedida per esta presidencia en) 29 de dezem-
bro fideo.
Em 2 do corrento o juiz municipal do termo de
ltambe ontrou no goso de nova licenca de 2 me-
zes corn ordenado concedida cm 26 de dozembro
findo.
A mesma.-Cornmunico a V. S. que n'esta
data nomeei o bachatel Jose da Costa Dourado
para exercer .i cargo de promoter public da co-
marns do Buique.
A mesma.-Communico a V. S. que, em 21
de novembro ultimo, prestou juramento e tomou


Bank of Rio de Janeiro, nesta cidade.-De ordem
de S. Exc. o Sr. president da provincia, accuse o
recebimento do officio do 5 do corrente, corn o
qual V. S. envious o balancete das operacoes reali-
sadas per essa caixa filial durante o nez de de-
zembro proximo passado.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 20 DE
JANEIRO DE 1885.
Anna Acacia Lins.-Nao esta vaga a cadeira
requerida,
Antonio das Chagas Rodrigues Machado.-Con-
cede, corn ordenado, na forma da lei.
Bacharel Argeniro Martiniano da Cunba Gal
vao.-Concedo, na forma da lei.
Alfredo Jos6 d- Carvalho.==Indique a cadeira
que pretend.
Major Baldoino Ornando Freire. Como requer.
Beinjamrnim Martiniano dos Aujos.-Concedo, na
forms da lei.
Bardominiano Ni)o dos Santos Ferreira Barros.
-Nuo pode ter lugar o que pretend.
Clementino ,Acuivly Lins. Informe o Sr. ins-
pector daThesourtria de Fazonda.
Bacharel Francisco Odilon Tavares Lima.-
Sirm, provisoriamente c scm vencimedtos.
Firmino Evaristo Ribeiro Varejao.-Passe per-
taria negando prov-imento ao present recurso.
Fraga Rocha & C. -Remettido ao Sr. inspector
da Thesouraria do Fezcnda pari. os fins convc-
nietes.
Genesio Libanio de Albuquerque Monteiro.-
Concedeo nova licenqa, na form da lei, a qual do
verA comeoar da data cm que o peticionario in
terrompeu o exercicio de suas fcncc3es e terminal
a 20 do fever'ero proximo vindouro.
Gustavo Alberto de Brito.-Prejudicado quan
to a nomneaqao proviboria.
Joaquim Ramjs da Silva Moreira. Come re-
,uer.
Josh Maria da Silva.-Informe o Sr. inspector
da Thcsuuraria de Fazenda.
Julia Maria Pereira Caldas.-Prejudicada.
Joaquim Teixeira da Costa.--Remettido ao Sr
commandant do corpo dI policia para attender
de accord corn a informa Wo prestadi cm office
n. 44 de 16 do corrente.-
Mawia do Livraacnto da SIlva.-A eadeira qp
pretend nao tbn credit.
SMaria Mafumlana Carneiro da Cunha.-I&defe


mento nos pontos de cruzammto da linha, corn as
6stradas publieas.
Recommendo, outrosim, a Vinemc. que providence
afim de seremn demolidgs os muro, do uam portao
excellente no antigo sitio Jaqueira, per ser um pe-
rigo constant aos passageniros.
Igual ao engenheiro fiscal da estrada de fter-
re de Olinda corn exceplo da ulitima part.
Idem da Companhia Ferro Carril, crusamen-
to da linha nas russ desta cidade e suburbios.
A'junta classificadora de Salgueiro.-Ap-
prove, por estarem de accord corn os avisos do
ministerio da agriculture, commercio e obras pu-
blicas, do 19 de janeiro e 31 de marco de 1883, a
classicaglo que por cipia acompanhuram o officio
de Vmc., de 15 de dezembro ultimo, e determiao
que, find o praso do artigo 34 do regulamento de
13 de novembro de 1872, tea lugir por part do
agents fiscal membro dessa junta o arbitrameuto
dos valores dos libertadores no termo da ordem em
vigor. Communicou-se ao juiz municipal.
A' junta classificadora de Bom-Jardim.-
Inteirado, pelo officio de VinYmes. de 4 de dezembro
ultimo, da razlo per quo s6 neosa data installou-
se ossa junta para dar cumprimento a circular
desta presidencia, de 22 de outubro, declaro-lhes
qne devem solicitor do 1 supplente do juiz muni-
cipal, Bernardo Gemes de Moura Coutinho, em
cujo powder se aceha, segundo informs o adminis-
trader dos Correios, a dita circular, dando-me co-
nhecimepto do que occorreu a respeito.
Outro aim, aguardo a c6pia da classificacgo, a
que VmcL est o procedendo pars apphcago da
68 quota do fund de emancipato.
A' junta classificadora da Escada. De
posse de urma classifieaoo, que Vinmcs. remetteram
per copia em o officio de 22 dezembro ultimo, de-
claro lhes:
1 quo deve essa junta informer quaes es docu-
mentoe attendiveis apresentados pelos senores da
escrava Adriana, para ser esta classificada, urma
vez que ja se mandou excluil-a da ciassificago
anterior, por ser residonte no municipio de Palma-
res.
2. Que da propria classificaiio remettida corn
o officio de 4 daquelle mez, verifica-se tererm sid,
classificados em primeiro lugar os escravos Felix,
Ivoe e Antonio, corn a declaragio de que o toram
per occasilo da applicago da 5a quota, mas que
nao perderam a preferencia.
3. Que na nova classificacao foram preferidos
escravos casados, tendo filhos livres, semr constar
a idade deste; o que e imprescendivel, para exe-
cuaglo do aviso circular do Ministerio da Agricul.
tura, Commercio e Obras Publicas de 31 de male
do anne passado, alludido na circular desta Pre-
sidencia de 26 do junho, seguindo-so-lhe escravos
da mesma classes e filhos escravos, de preferencia
a outros que nao tern filhos, contra o disposto nos
avisos do mesmo ministerio de 8 dejulho de 1876
e 10 de abril de 1877, os quaes manda preferir fa.
milias, que mais facilmente se conatituissemo I-
vres.
4.o Que nio estao assignados polo collector ge-
ral, membro dessa junta, que a nova classiflcaao
quer o officio a que respond.
Opportunamente resolvi sobre os valores dos eas-
craves libertados.
Cumpre, a vista do exposto, que se taa urns
classiscaW'o e seiam prestadas as inform&oes quo
exijo.-Communicou-se aojuiz municipal.
Ao juiz municipal de Villa-Bella.-Para re-
solver sobre o pagamento dos valores dos dons es-
eraa nol
ta dofundl~ot d~ele eMndcipat=ao) comorokea eco
em duplcata, que vai annex ao seu officio de I9
de dezembro ultimo, hoje recebido, cumpre que
Vinemc. informed porque foi prebo, tendo o escravo
menor Alexandre, segundo da classificaco, contra
o disposto no aviso do Ministerio da Agricultura,
Commercio e Obras Publicas de 31 de marco de
1883.
Outrosim, recommend Ihes que faga organisar
nova relagao em duphcata, de accord corn o mo-
delo junto per copia, repetindo os valores na H11a
column.
Portarias:
A' Camara Munici al do Recife.-Declaro A
Camara Municipal do Recife, que nesta data de-
termiuone aos engenheiros fiseaes das estradas de
ferro do Recife ao CaxangA e do Recife a Olinda
e Beberibe, e da Companhia Ferro Carril, que
provideneiem Acerca do assumpto de que trata o
seu officio de 3 de dezembro ultimo, sob n. 78.
0 Sr. gerente da Companhia Pernambucara,
mande dar paseagem a proa ate Maeei6, no p'a-
quete que segue amanha para o sul a Francisea
Maria da Conceicao, por conta das gratuitas a que
o governo tern direito.
EXPEDIENTE DO SECBETARIO
Officios :
Ao bacharel Jose da Costa Dourado. Por
esta Secretaria se communica ao Sr. bacharel Jose
da Costa Dourado, que por portaria de hoje foi V.
S. nomeado promoter public da comarca de Bui-
que.
--_ At' O' fba onta t a fur^*n^nr~hav o ITil;I ln 1 nr3 d jl !


Ricardo Fonseca de Medeiros, thesoureiro
das loterias o Manael Ignacio de Oliveira
Martins.-Informe o Sr. contador.
Bardominiano Nile dus Santos Ferreira.
-Facam-se as notas da portaria de licen9a.
Ricardo Fsnseca de Medeiros.- Regis-
tre-se e fagarn-se os devidos assentamen-
tos.
Medeiros & C.-Pague-se.
S Contas do thesoureiro das Obras Publi-
cas. -Examine -se.
20 --
Luiz Pereira de Faria. -Ao Sr. Dr. ad-
ministrador do Consulado para attender.
S Herdeiros de Joo Francisco Martins. -
SVolte ao Sr. contador.
Manoel Jose Machado. Ao Sr. Dr. ad-
r ministrador do Consulado para attender.
S lrinandade do Senhor Born .Jesus dns
- Portas. Infiormne o Sr. Dr. administrator
do Consulado.
Carneiro & C. Certifique-se.
S Antonio Gaspar da Cunha, Jose Elias
-. de Oliveira e Alfredo & Ferreira.- Infor
Ime o Sr. contador.
I Antonio Joaquim da Silva e Hypolyto
r Martins Gomes dePinho. Ao Sr. adminis-
trader do Cousulado para attender.
Hordeiros de Joto Francisco Martins. --
SHaja vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
0 Martins & Irmios e Dr. Aquiline Gomes
Porto. Haja vista o Sr. Dr. procurador
e fiscal.
"I Pedro Manoel Tavares. Informe o Sr.
contador.


Manoel Cypiaco do Alb quo Hen'iq s.- -
Prejudi(o m.n i,. boo 1 Pral
*im de -do. .v "14 A[emaht w

q :St4 ti _imm.,. rlm' B AO DU 19 Ml aKSI Mo DE 1985
S--A d Freitas. -A imdaRochw--Iniforme a 2 e-

1 I" I"* IJequms do C vaiho. -- Informe a 1l
i" A,


nus Pereira do Cari e Silva. Concedo
naIdo, na forms da lei.
Jesuina Baptists da Silva. Concedo,
ordenade, na form da lei.
Antoio de Albuquerque Mello. In-
rde.

-Indeforido.
.noo Pleio Teixeira.-Requeira a quem
do
Oro Lopes do Siqueira. Concede, usna
foI lei.
do Aqonj Barbona de Souza. Preju-
di UaMto 90eagto provisoria.
.d6 Preideucia de Pernambu-
d janoiro de 1885.
S Qajudanto dd porteiro,
A" eo Zimandesda S1 vra Carvalho.

CoWnawdo das Armwa
QUAITEML Glt*ERL DO COMMANDO DAS AR-
Mx48 DE PErNAMBUCO, 21 DB JANEIRO
1885.
Ordesa do dia n. 1,500
Twmdo o Ministerio da Guerra per aviso de 2,
compiunicado em officio da presidencia desta pro -
vincia de 20, tudo do corrento, expedido as neces-
saria orders no sentido de ser chamado a servir
na fortale4a do Brum o Sr. capellao tedente-eoro.
nel reformado do corlpo ecclesiastico do exercito
cone Manwel de Vera-Cruz, a quem nos terms
do mfmo aviso, devem ser abonadas, alem do sol
do deisaua reforms, as vaatagens de capello tenen-
te do memo corpo assim o tago public a guarni-
qao pit oa fins eonvenientes.
(Assignado).-Antonio Tiburci Ferreira de
Souza, brigadeiro commandant das armas.
Confornie. 0 tenente Joaquim Jorge de Mello
PFilho, ajudante de orders, encarregado do deta-
Ihe.

RepartlIo da Pollea
Secglo 2.e-N. 58. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 21 de janeiro de
1885.-Dim. e Exm. Sr.- Participo a V.
Exc. que tforam hontomlrecolhidos A Casa
de Deienglo os seguintes individuos:
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Pauline Juventino de Souza, Pedro de Oliveira,
Jogo Baptists da Penha, Maria Franeisca de Sou-
za, lfaria Augusta de Lima, Salustiano Ferreira
Bastos, Cypriano do Souza Viegas e Benedicta
de tal, por disturbios.
A' ordem do do 10 district da Boa-Vista, Ma-
noel Rodopiano da Cruz, Jose Joaquim da Silva,
Joanna Maria Franeisca de Mourn e Maria Joa-
quina, per disturbios.
A' ordem ddo do 1 district de AfogaJos, Maria
Franeisca dos Prazeres, per offenses a moral pu-
blics
Communieo-me o Dr. juia de direito ida co-
mares de Aguas-Bellas, quo no dia 6 do corrente,
fMr small capturado pelo subdelegado de policies,
alfres Maurieio Antonio de Lemonp, o criminoso
Manoel Francisco Villa-Nova, pronunciado usna
dam Alagdas come incurso nas penas do art. 257
do cod. erim.
Dens guard a V. Exc.--1im. e Exm-
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
^Sg ^efHpjteda. prorinftiA.-0 chfiie
jde picia, Manoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.

Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 19 DE JANEIRO DE
1885
Manoel Jose da Costa Cabral e Anto-
nio Jos6 de Magalhies Bastes. -Informo o
Sr. contador.
Irmandade do S. Sacramento da Boa-Vis-
ta. Ao Sr. thesoureiro para o0 devidos
finse.
Luiz Felippe dos Santos Porto. -Escrip-
ture-se a divida.
Albino, Cruz & C.- Informs o Sr. con-
tador.
Manool Machado Brandlto. Inforno o
Sr. Dr. administrator do Consulado.
Joao da Costa Pereira. Informe o Sr.
contador.
Carolina da Silva Ferreira.-Intorme o
contencioso so existed conta nessa secito.
Jose Elias de Oliveira. Informed o con-
tencioso.
Luiz Fflippe dos Santos Porto. Ao
Sr. thesoureiro para effectuar opportuna-
monte o paganiento referents ao corrente
exercicio
Pret do corpo de policia.--Pague-se.
Bellarmina Francisca de Barros. Ao
contador para os devidos fins.
Manoel Clementino Correia de Mello,


n. 22 ao Caes do Ramos, bern como pars
reedificar a casa que flea no fundo, fazen-
do nova coberta.-Pagos os direitos muni-
cipaes, concede-se, na form do parecer do
Sr. engenheiro, que observarA antes do co-
mecar aobra, o disposto do art. 75 da lei
n. 1,129 de 26 de junho de 1873, sem o
que considerar-se-ha cassada a present li-
censa.
Manoel Carpinteiro Peres, pars fazer
urn 9ccrescim6 no fundo do sua casa n. 1
A rua das Creoulas, freguezia da Graga.-
Concede-se, na forms do parecer do Sr.
engenheiro, sendo previamente pagos os
direitos municipaes.
*IMaria Luiza da Cor.ceiglo, para cons-
truir uma casa de taipa na travessa do
Rosarinho, freguezia da Graca.-Na form
do parecor do Sr. engenheiro.
Victor Neesen, para reedificar o arma-
zem n. 3 site ao largo do Arsenal de Guer-
ra e no fundo dos armazens ns. 4, 6 e 8
ao Caes do Ramos, as dependencias delles.
-Depois de pagos os director municipaes e
do conformnidade coin o parecer do Sr. en-
genheiro, que dara copia do dito parecer
ao respective fiscal, concede se.
19 -
Pdlo Sr. tenente Viegas, commissario de
r policia:
Anacleto Pereira Magalhles pedindo li-
cenga pars abrir urma quitanda a rua dc
Muniz n. 5, declarando que nao se rospon
sabelisa per qualquer debito de impos-
tos, que seusantecessores ficassem a dever
Deferido, pagando, o imposto do exer
Scicio corrente no valor locative de 300.
Barbosa Lima t C, para abrir um es
Stabelecimento de miudemas a ua do Daqui
doCaxiaa w., 65. Sim pag0# impyto dc


Araujo Castro & C--A 1" seceo pars os devi-
doe fins.
SManoel Joaquim da Rocha.- Sim, de aenordo
corn a informa&o.
Joaquim Mamede do Nascimento, Silva Fernan-
des & C., Souza & C., Castro Monteiro & C., Cus-
todio Araujo & C., Manoel Jose Vieira & C., Go
wes Maia & C., Ferreira Imios & C., Gemes An-
usto Gago de Miranda, Eustaquio & C. Adolpho
s IrnnKibeiro & Almeida, Bartholomeo & C.,
ManOel &., Jos0 Ferreira. & C., Jos6 de Souza
Aguiar & C., Manoel da Costa Ramos, Silva An
tunes & C., Viuva Magalhio & C., Alfredo Lu-
eio da Silva, Samarcos & C., Ismael de Olivela
Guimarges e Joaquim Mamede do Nascimento. -
Sim.
Augusto Margal Vat Cerquinho. Sim.
Jose da Silva Meraes, Manoel Pinto Alexandre
Franco Ferreira & C. o Campos & Garcia.-Inde
ferido, em vista das informaces.
Pedro Joaquim Augnsto Ribeiro.-Deferido de
accord corn as intormacbes.
Manoel Machado Brandlo. Informe a 1I sec-
9Lo.
Irmandade de N. S. do Rosario do Recite.-De-
ferido corn relago 0ao 1 semestre, de accord corn
as informacoes.
Joannu Gomes de Oliveira.- Em vista das in-
fbrmacoes nada ha que deferir.

Camara Muaicipal
DESPACHOS DO DIA 16 DO CORRENTE
Pelo Sr. Viegas, commissario de policia:
Clemente & C., pedindo licenca pars
abrir um estabelecimento de seccos o me-
ihados na casa n. 14 a ruan dos Torres. -
Deforido.
Francisca Pereira de Britto e Silva, pe-
dindo baixa dos impostos do seu estabele-
cimento sito a, rua do Sol n. 7, freguezia
da Varzea, visto ter acabado corn dito os-
tabelecimento.-Sim, pagando o impostor
do exercicio corrente.
Monteiro & C., pedindo licenca para
abrir um deposit de cigarros e fumo rua
do Imperador n. 2. -Deforido.
Marcelino Ansberto Lopes, replicando
pedo quo seja cumprido pela segc.o da
cortadoria o dospacho do 29 de dezembro
findo, concedendo licenga para concertar o
inure de sua casa n. I A rua do Jardim,
independent do pagamento de impostos do-
vidos sobre o referido muro. -Mantenho o
despacho de 29 de dezembro do 1884 dldo
pelo men antecessor.
Pereira & C., pedindo licenga para abrir
um estabelecimento pars venda de catW,
sorvete e mais generous do seccos no corn-
partimento da frento da casa n. 22 A runa
de Joao do Rego. -Come requerem.
Rosa Gomes da Costa, replicando pede
que seja-lhe permittido ter aberto depots de
3 horas da tarde, nos dias santificados, 0
seu estabelecimento de deposit e hotel
it a r- u oTuda n 17, visto provar corn
documents, ser o seu referido estabeleci-
mento e daquelles que as posture omanseon-
tem que se conserve abertos nesses dias
depots das 2 horas da tarde.-Em vista
da informaglo do fiscal, nto toern lugar o
que roquer a supplicante.
Pelo Rod. padre Mello, cnommissario de
edifimoaes:
Andr6 Rompcke, autorisado per Manoel
Moreira Ribeiro, pedindo licenga para
suandar fazer urn quarto que sirva de c(;G-
zinha a4 casa sits A ruan do Quiabo, fregue-
aia da Boa-Vista n 14, bern come corner
o telhado, concertando o algeroz da de n.
7 ai rua do S. Francisco. Concede-so, na
formal do parecer do Sr. engenhoiro, depois
de pages os direitos municipaes.
Ernesto Bezerra da Silva, para edificar
urna casa de taipa no lugar denominado
run da Harmonia, freguezia do Poco da
Panella.-Na formal do parecer do enge-
nheiro.
Jose Emigdio Ferreira Lima, para edi-
ficar urn forno no fundo da casa n. 10 a
ria Imperia, onds pretends abrir uria con-
feitaria, fazendo sobre o referido forino um
telheiro coberto de zinco. -Estando a pre-
tencto do supplicant na excepcato do art.
50 da lei n 1,129 de 26 dejunho de 1873,
concede-se, na form requerida, depots de
pages os direitos municipaes.
Joao Joaquim da Costa Leite, para ole-
var A altura das posturas o caixito da casa


tempos estes quatro fidalgos veem augmentar a
enorme riqueza predial que ja possuem, por meie
da acquisi*ao das edifica96es ievantadas em sesue
terrenos, e as quaes Ihes ficam pertencendo ,A me-
dila que vio findando os arrendamentos effectua-
dos em taes condiCes. Este system estende-se
a todo o paiz, posto que em menor escala.
As terras situadas a pouca distancia das graa-
des cidades slo 'ardentemente desejadas pars a
edificaqio de novos bairros. 0 proprietario del-
las, portanto, serm o minimo trabalho, duplica a
centuplica subitawente os seus haveres. Arren-
da-se um teireno por tantos annos e edifica-se
ahi um ou mais predios. Entretanto vence-se *
prazo do arrendamento e o senhorio pass a per-
ceber um aluguel exorbitant da propria casa que
o locatario edifieou!
Se isto se da nas capitals, succede peior no&
campos. Ainda em 1816 o Duque le Sutherland
corn o fim de poder recrear-se mais largamente na
caca dos veados, usou dos seus dircitos de seuahr
territorial pars expellir mais de quinze mil monr-
dores de seus dominios, iindando-lhes deitar fo-
go as casas!
A anomalia e de tal mode flagrante, que Stuat
Mill nao hesitou em snstentar a theoria p
de quc em, principio, a terra de uma'-rf
qualquer pertence A totalidade desta e
te a alguns, individuos privilegiadoe .
S Reinam ainda per toda a part& s .:'
vivas como em plena idade media, as trdaif ...
feudalismo. Ao lado do prodigious w Wain
dustrial hodierno, quando a sciencia brilha cor
uam sol vivificante e a moral humans se engramdeu
ce, as prerogativas aristocraticas mant&em-f Ua-
ilhas britanicas come pungentissima injuria IoRO-
aa Apoca.
FE' imposivel que o simple formalismo paris-
Smentar, de que tanto se orgulha a Iaglatemrra, -
tifsa sempre gma popula~Io, que, spoW d at5
oio siinjp' .ngu1U t w n, .t tam ma us
0, -.,
0.^ **'. -^


- le.t. .


.. -.;-*N
.'" :^ "-** 'a


...4,4


..- / *- .a-

.^.- ..,/'


3i~.-72.


I


. .


4,'.. 2*


'I




ii.
*
~


+ 2t-
.4,


Atoo


.' ;,.,


We ',-' -:.-. .-+
fc-' ^^...+ "+.


' a 0. "


45 &'v


exercicio corrente no valor que foi colleo-
tado.
Caetano Jose Rufino, pedindo quo sejl2
feitos os devidos langamentos no sentide
do ter acabado corn o seu estabelecimene
de taverna sito a rua do coronel Apolosi
n. 2 freguezia da Gra9a. Sim, depoisde
ter pago o impostor devido.
Camnillo de Farias Andrado, pedindo Ii-
cenga para abrir uma officina de barber
no pavimento terreo do predio n. 15 ae
Largo do Arsenal de Guerra. Sirm, page
o devido imposto.
Joaquim Antonio Ferreira para abrir um
armazem de xarque a rua de Pedro Affoa-
so n. 8. Como requer pagos os impostt
devidos.
Jos6 Caetano de Carvi.lho pedindo bai-
xa dos impostos a que possa estar sujeito
o sen predio n. 15 ao largo da Praceta fre-
guezia de S. Antonio, onde existio arina-
sem de materials afim de que poses al ai-
gal-o livre de qualquer contribuiggo. -Nio
tern lugar o que requer o supplicante.
Jos6 Joaquim Pereira de Oliveira pe-
dindo que se Iho pague a quantia de 195f
de custas vencidas, como contador do cri-
me, cujo mandado dovia-ihe ser pago no
corrente mez, nao s6 pela sua data, come
tambem pola doliberaglo da camara, no
sentido de nao haver pretericio, o que se
deu por ter dado a camera preferencia ao
pagamento dos mandados do Dr. Drum
mond e escrivIo Pontes.- EstA esgotada
verba para o pagamento quo requer o sup-
plicante.
Jos6 Thootonio Magalhibes, pedindo Ii-
cenga para abrir uma officina de alfaiate
no 1." andar do predio n. 14 a rua do Ba-
rAe da Victoria, bern come pars colloewr
uma taboleta. Sim pagos os direitos ma-
nicipaes.
Joanna Caetana de Farias pedindo eli-
mina9go de qualquer debito de impostos de
inure, cdae possa dover a sua casa terra
n. 48 a rua de Santa Thereza, que cor-
prou em 29 de novembro findo, bern come
quo seja-lhe concedida licenca para maa-
dar reedificar dito muro. Pagando a sup-
plicante o que estA a dever a casa de quo
trata, polo imposto de muro nos terms da
lei, flea deferido, quanto a isto somento.
Quanto, poremra reedificalo ao Sr. commis-
sario de edificag5es compete deferir.
R. de Drusina & C. pedindo que seja-lhe
pormettido pagar independent de multa *s
imposto de industrial e profisslo dos exeor-
cieios de 1883 & 1885, cujo pagameate
deixaram de effectuar no praso marcado,
por engano do seus prepostos acerca do
edital publicado pela camera. Indeferido.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 20 de Janeiro de 188F).
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.



DIARIO DE PNERAiIBUCO

Retrospeeto poitioe do anno de
1881
(Continuagco)
lnglaterra
0 vici6 radical das instituicoes sociags da Gri-
Bretanha, deve talvez n'um future mais ou mewo
remote produzir perturbacoes funestas n'esse paw.
Vivem sill, mais ou menos reduzidos, todos os el-
mentos de um regimen social que ha muito expi-
rou para outros povos do Occidente. A grande ri-
queza e a miseria extrema offerecem na Inglater-
ra um triste e singular contraste, cujas propor-
ces augmentam ante um phenomenon especialiaui-
mo: nao ha na Europa naco alguma onde a pre-
priedade territorial seja mais desigualmente dii-
tribuida.
Trinta mil proprietarids possuem on nove deod-
moes do solo britannico. Urna grande parte de
Londres pertence a trees duques e um lord, a sa-
ber: Duque de Westminster, Duque de Belford,
Duque de Portland e lord Portman. De tempos a


- I ruin.



























umilo da loi da((Ji6. -
0 projocto dotfr i oiWI fld
amtado em mar90 4- m a ) St.
- d irte de 0


do


onlado em mrg dIM Mdkv'l 0 1
glhdtone, n'ums dessas amplas e lucidas exposi-
Oes que Ihe sao penculiarea, explicou os motives e
dignios do lei corn a qual pretendia dotar o paiz.
No eria a primeira vez que os ingleaes procu-
,mm I*rSra Um far Tmekdoai 0 qfigi-'
iminamate e durmante muito tempo Dio foi mais
uq am desenvolvimento historic. Tambem eso
V&e asegumar, sem mode do que on facts veahaw*
dm itir a previsea, que nao merl essa a ml
.lga tentativa do genero,.por imso que desde qu
;povo entra defiaitivamente no caminho dA
wAmmas sjam ellas poUliticas ou sociaCea, ao ha
mais forca retrograda que o contenha indefinida-
mate Quando a redistencia 6 de mais, a legali-
e s aaerificada A legitimidade e a revoltas faz
So qufta o emprego de meios regulares e paci-
Siwo nopode consegair.
E' este urn ensinamento historic, cJ 4impor-
tawis ne wnhum etadita deve esquecer por amor
Sms us. matresses ou a preconcaitos que o doimi-
Am& So proprio gabinete a que o Sr. Gtadstone
preside ha homes dispostos a irem muito a&tm do
ptioiMso chefe dos liberals ingleses.
*uante ao alceaee do bill, afaal tranuformado
k ei, aabehse le ele pretendia esender A popm-
ibq rural as mesmad condioes de que as ei-
o4ea gosavam. Nos traces generioos, abo Lig'
me que.atrilibur as franquias politieasmjA eis--
toites a novas camadas sociaes. Qoe fanquiai
oemsa ? Para nos limitarmos as que dix res-
sto ao sens, diremos que a seguanda das duas
Iid eleitoraes que precederamn o projecto do Sr.
GMadstome, em vex de abaizar simplesmente a ei-
fra representativa dos haveres a que andava an-
mea a faculdadc de suffragio, tiaha multiplicado
Sdireitos politicos, modific&ndo-lhe as eimdiOes.
Oa.to de 1832 exigia que o eleitor possuisse urn
gwgel 4e rendimento annual nunca inferior a
dm libras sterlinas, ou que pagasae urn aluguel do
mmmo preo. 0 acto de 1867 mantia& estadis-
poiso, mas attribuia tamben o direito de vto a
Ip o idadlo que possuisse ou occupasee uma
usa, pagamdo a tas dos pobres. 0 triumpho do
M apresentado o anno passado so parlameato
kritamico teria, como teve, por consequescia es-
Omader essas dis posies sauteriores so povoa-
do ruraes, que pelas leis precedentes estavam su-
to A eeondi oe sensitarias mais restnrctivas que
* haabitantes das cidades. No ha mais hoje per
m lado a antiga distincWao entre o Skire e o bo-
vmah, o rein a acha-se na posse de ursa legislaao
ebtoral uniform.
0 project do minmsterio foi mui favoravelmente
e*lhido peta camera dos communs e per todo o
pmtido liberal. Os deputados irlandemes, princi-
palmente, que reeeiavam vetr o sea paiz exclaido
dw beneficios da nova lei, reoeberam e bill corn
m atisfabo nmaifesta. Mas este favor amaim,
macedido pelo Sr. Gladstone a, Irlanda, iris sem
dovida tornar-se urnsma das causas da opposicio dos
msemtdores, que veriajn n'elli urns arma peri-
gua posts nas mnos de urn inimigo deelarado e
implacavel.

No serial esae no cmtanto o unico motivo corn
(]ue o-coonervadores justificauiam a sea oppcsi-
qio ao project. Como veremos, o pretexto qua de
preferencia osoolheran para essay opposiao t~aaz
Iii a falta de mn bill que diziamn ser complemento
kadiopensavel do que era polo ziinisterio submet-
tide a votavao do parlamento. Corn effeito, decade
qeu a reforms la aaugmentar em porto de done ter-
doe enisteto 9 niauero dos eleitoresr, r|ue
tIre. miitau qae eusut os elvava wmmm4e
HBco milhoes, send esse augmento realisado pela
udriwula no agragie de umr ctuas pmrtiealar do
aaiz, parece realmente que semelhante innovaao.
requeria conc.rrentemeate o emprego de outra


medida tendente A. reorgaaisaio dos collegios
tdeitoraes. De outro modo dar se-hia uma ex-
traordinaria anomalia numeric entire o condado e
Sa eidade. E 6 facil de comprehender o interesse
que teriam os partidos em saber ao certo porque
maneira seria organisada e, por censeguinte, que
swracter apresentaria a nova tor~a admittida ao
eacrcicio dos direitos politicos.

0 ministerio nao quiz apresentar na mesma ses-
vio os dous projects, que o partido eonservador
isglez parecia considerar urna especie de irmaos
siamezes da political. Fusse porque o Sr. Glads-
tone julgasse nao haver tempo para, na mesa
sessao, ser votada a reform electoral corn o addi
tamento consideral da divisao dos collegios, fosse
porque, come se dizia, nao heuvesse accord com-
pleto entire os ministros aeerca desse ultimo as-
sumpto, o certo 6 que o Sr, Gladstone declarou
gaardar o bill relative As circumscric5es eleito-
raes, para depois da approvacao do project con-
zernente A extena'o do direito de suffragio. 0
3Ministro limitou-se a dar a conheeer a sua opi-
niao individual quanto ao mode de taes circums-
cripq5es; promettendo ao mesmo tempo que se es-
fbruaria pars que essa opiniao prevalecesse no
psarlamento ; mas s6 emin 1885, caso a esse tempo
ainda se achasse A frente do geverno do paiz.
Den a entender o presidedte do conselho que nao
opinava pelos districts eleitoraes uniforms ; que
preferia respeitar os direitos historicos a aquillo
a queelle chamou-- individualidade das entida-
des rep esentadas ,-o que queria dizer que de-
ava conservar certa distinc e o campo. Segundo o seu parecer, nao devia ha-
yer restrict proporcionalidade entire o numero de
deputados das populav.es densas c agglomeradas
doe grande centros e o das populaq5es ruraes c
dispersal.

Como quer que podesse ser, foi nesse terreno que
os conservadores levantaram o baluarte corn que
pretendiam resistir aus desejos do gabinete liberal.
A falta do bill relative A divisao dos districts
amJ, a carencia d'oatra melhor, servir-lhecs de ra-
a o pura hoatilisarem urn project de character
-ieentuaadamente democrat ico.
. --A nao estaria pela opiniao do partido tory ?
Nao eertamente.
. ,0 jrecto de reforms eleitoral foi appftovado
,ra do s ommtuns, mas a dos lords despre-
f '1SV em primeira leitura. Vamos ver ag)-
4 "1o i o procedimento do goverao ante easa
a.09o que a aristocraeia britannica no ultimo
H do mculo XIX aLirava as aspiraqsoe pi.








f: .- .- -


lobasixo ose *-, qw e psmn pela Po t- Sm
da provincia e pelas serras do Herval e Tapes,
qu se a eatendom no sentido da costa occidental
desta magedatosa lagoa. 0 comprimento, ddes a
ponta do Itapuan at6 o Estreito, 6 de 36 leguam e
largura 01. Entre a Pouts Negra e o acco de

a Corre a la no rume geral do 80 e NE, e
suas aguas se acham no mesmo nivel das do
Oceano. E' emneada. do baioa qaeu trna a san
navega"1o dicil e perigosa. FU amsbas aa miar
ge ha pntaa que so adiantam sae fou menos
=pas aus ; eagumas sistem plardoes.
Da lga dos Patos o paquete RioPardo en-
trou no nio Guahyba, que ahi ldesagua us ponta
de Itapuan. E' o Guahyba, frmado pelos rio
Jacuhy, Taquary. Cahy, Gravatahy e Suos.
SE .obre a margem esquerda deste lago e sore
formosa collins, qu assents a beUissuma cidade de
Porto.Alegre, capital da provincia do Rio Graade
do S4, oade chegaram Suas Alteras hontem as
9 horas da mana, teadeo feito magnifica viagem.
Logo qne o paquete fundeou, como ja sabem as
leitores do Jornal, foram a bordo o president da
provincial conselheiro Jose JuUlio, deputad$ gerat
Dr. Camargr, senador Visconde de Pelotas e ma-
rechal Barlo de Batovi que form abragados pelo
Sr. Condo d'Eu, outros generals, o corpo consular
apresentado a Suas Altezas polo president da
proviacia, comanudauate superior da guarda na-
cional coronel Joaquim Pedro Salgad-o e offieiaes
directors do Arsenal de Guerra e Escola Militar,
o commisso de engenharia military. Suas Altezas
desembarcaram no trapiche da Alfandega, onde
al6m das eommisases de recep o aehavaiu-se o
provisor do bispado, muitos outros funccionarios e.
grande numerI 1lk senboras. Fizeram as honras
militares de reoepilo umar forga compost do ba-
talhao 13, umn contingente do 12 e do corpo de
alumi os da ecola mititar. Desembarcando Suas
Altezas e depois de receberem as devidas conti-
nencias militares, dirigiraam-se em carro a igreja
matriz d'onde, depois de fazerem oraglo, se reco-
iheram i palacio.
,& Porto-Alegr 6 urna grande e imponente ci-
dade, que se vista de lounge e se adianta come
urma peninsula pelas aguas do Guahyba. Esta
ella situada em 30o 2' lat. sul e long. 8" TIT' o6s-
to. E' bem dividida; tern ruas largas e regular-
mente eaadas, pragas ajardinadas e bonitos pre-
dies, eatre os quaes merooem mencao especial o
do Theatre, Camara Municipal e Santa Casa de
Misericordia. Esta cidade p6de ser considerada
come de primaeira oerdem; os ecus temples e ediffi-
cios publicos impoem certo respeito a qnoem aqai
aperta.
a A fundaco da cidade de Porto-Alegre data
de anno de 1742, no qual a1guns easaes aoria-
nos, aqui vieram estabelecer-se e deram principio
a idade, que por ease facto foi denominada Porto
dos Casacs.
i Por proviso fora erigido em capella o Campo
de Viamno sob a invocaqlo de Nossa Scueiora
Coneeiao.
SCoeae da Silveira, que fasendo part da 3&
expedigao, que ao mando de Joao de Magalhles,
partira de Santa Catharina, afim de explorer as
campinas da provineia, foi o primero que se aven-
turou a residir afi s6, sendo send sea exempio se.-
guido annos depois per Francisco Carvatho da Cu-
nba que e 1751 arrendou ram cupe para tornar
urna fazenda, e nelle fez construir a oapella acima
refenda. Foi elevada A freguezia a 16 de novem-
bro de 1803 e servio de capital at6 1772, ate que o
govemrnador Jose6 Marcelino de Agueiredo tranai-
rio a s6de do governor paru o Porto dos Casaes.
A 12 do julho desse mesmo ann o ogovernador in-
terin o tenente-ooronel Antonio daVeiga de An-
drade ordenou -so capitbo Alexandre -o6.Monta-
uha que das terras de Igacio Franeisco desap-
propriassec e demareasse os tenreoo preisos pes
edificacao de diversas eass e da &i.r. -d'ata-tmA
NoLesa Senhora Madre da Deus, entho sob a invo-
cago de S. Francisco. A 18 de oaneiro de 1778
efeebsou o a satstitaibo do erage de S Fran
ciaeo pelo de Nosse Senhors Madre de Deus.
Foi o governador Marcelino de Figneiredo
que Ihe den o nome de Porto-Alegre, e o primeiro
vigarie encommendado da freguezia foi o padre
Jos6 Gomes do Faria. A 24 de jutho de 1773 or-
denou o measmo goveraader aw officials da Camara
de ViamLo que fizessem suns reuniSes em Porto-
Alegre, o que cumpriram, vindo reunir-se pela
primeira vez a 6 de setembro do mesmo anno.
Foi Porto-Alegre elevada A cathegonia de villa a
23 de agosto de 1803, 4 de cidade par carts impe-
rial de 11 de novembro de 1823, recebendo em 1841
o titulo de Leal e Valorosa em commemoraco dos
services prestados por seuas habitantes a inmegri-
dada do Imperio na revoueo tida previnema em se-
tembro de 1835.
Partem de Porto-Alegre differentes linhas de
vapores que estabelecem communicacoes quasi
diaries corn diversos pontos do interior. Tem uma
importante Alfandega- E' cabeca de comarea e
sede do bispado do Rio-Graude do Sul, que foi
creado per decreto de 27 de agosto de 1847 e
bulla de Pie IX ad oeas pascendas de 7 dejrnaio de
1848.
Foi seu primeiro bispo D. Feliciano Jose Ro-
drigues Prates, nomcado por decreto de 5 de mnalo
de 1851 e bulla de Pie IX de 26 do sotembro de
1852, sendo sagrado na igreja do mosteiro do S.
Bento no Rio de Janeiro a 29 de maio de 1853.


Tomou posse da diocese a 3 de julho do mesmo
anne e falleceu a 27 de maio de 1853 corn 77 an-
aos de idade. 0 actual bispo 6 D. Scbastido Dias
Larangeira, nomeado por decreto de 28 de marco
de 1860 e bulla de Pie IX de 28 de setembro do
mesmo anne. Foi sagrado pelo Santo Padre Pie
IX na capella sixtina em Roma, a 7 de outubro de
1860, e tomou posse da diocese a 28 de julho de
1861, per sen procurador padre-mestre Juliano de
Faria Lobato.
Suas Altezas visitaram a Camara Municipal
e a Assembl6a Provincial. A's 7 horas da noite
assistiram na matriz ao solemne Te-Deum que se
canton pela sua feliz viagem e chegada a esta ci-
dade. A' noite assistio ao espectaculo no theatre
de S. Paulo.
,( NAo se talla aqui senso em festas pela che-
gada de Suas Altezas, em manobras e exercicias
militares no campo de Saican, distant cerca de
30 leguas do ponto terminal (Passe do Jacuhy) da
via-ferrea de Porto-Alegre e Uruguayana. JA fo-
ram expedidas as ordens pelo commando das ar-
mas desta provincia para que todos os corpos e
esquadrSes de cavallaria, jA designados para as
manobras que alli tern dc se realisar, se achem em
Saican ate 15 do corrente.
o A partida esta marcada para o dia 10 do cor-
rente, contando Sua Alteza estar em Saican antes
de 15. Nao tenho tempo para mais

Topicos do dia
(Do Paiz da e6rte -de 11 dejaneiro)
Urn personagem infallivel nos antigos debates
elcitoraes, socio ate certo ponto inoffensive, e ami
go de salvar as apparencias desertnu por uma vez
dos comicios, e brilhou completamente'pela ausen-
cia, no ultimo pleito.
Ninguem dA noticias, e nem sabe onde escon
deu-se o companheiro dedicado, o Pylades c.in-
plementar de qualquer Orestes dorrotado.
Quem vie per ahi o Triumpho Moral, ease ca ,-
pedo imperterrito, no qual se apoiava o candidate
mal succedido, sempre que vinha explicar o spu
desastre ?
Pois o graude consolador e eterno amigo dos
infelizes cansou o seu papel tAo desinteressado
como platonico ?
Que sumiqo deram os politicos a ease Malta da
cabala, que sahio da circula*ao quando mais ar-
dente procuravamos noticias suas?
Acaso perdeu de credits a victoria sem pro-
veit., e a eleicao que s6 da urn resultado moral ?
E' o que parece, pois nao se tern novas e nerm
mandados daqueMe poitualizmo eseadeiro doe pa
ladinos vencidoz. I
Terminando qualquer eleiob, at bemrn pouo
tempo-,.o ce~tume era ouvirmos o agradeenmen-
ato -ar0dor, e ou protests do seu rival
brrotade jio .aaejos da


zer em ajuntamwto ro exoti.o; e 0 mopeocs
eleitoraes proclamaram seas triumphs indepen-
dAmte da. pia*
JA tijnamod4MOinOM he cemates44I tm.
batentes cahiam amhos mal teridos ; corre mundo

doeqe apontin da sauda, a "a* no empd hours,
Valtava o triumph wvri9ee do dlu wdvema.
Tfrc, a retwaoda iguul e ostne a m corn a
louros da victoria.
Maot teo m eumlhadeo asatt*dagwra; as
metralhadoras, as bombas, os torpedos eudosos
demais artificios pyrotheeh4om rfmaaa saeden-
eiw de extermitiari; O neva s artfisf eio eitoraes
aperfeicoaram os methods de veneer
Ji vlo ha male vee e o m6 e dsea ei3o
directs interpretada pelos seus comumetadores
iadirectos pars nle disar -twtoum .
Ao menos oi partide e ostrarm-pe ag"re Oe-
pois da luta : ne be mais Mim rSupo trajando ga-
la e outro vestindo crepe.
As duas seitas politicas estio as posse da pala-
vra sagrada, preferida pela coosciancia national.
Ambas dizem a verdade, e ha erentes-era am-
bas.
0 par de Roma e o papa de Aviaie abengoam
o fieis mutumeate fulminam-so par meio de bu-
las de excommunham.
Tanto um como outro se considers infailivel.
0 Espirito Santo illumina sos done, que se di-
zem convictameate-os triaphadores do espiri-
to do mal.
Ora, urnma ve que nLo ha aqui senio viwctorio-
sos que olham, ouvem, cheira, .provaam e apalpamS
o triumph alcaunado ; triumph teo evidence que
6 perceptive aos cinco sentidos corporate ; urnmas
vez que a causa 6 eatsta, v o TaMuxao MowA pa-
ra a contracosta dos Alguidures, e os candidates
que prescindam delle em todos os seus artigos e
manifestos.
Basta o trinmpho brato; f6ra o moral! F6ra !

A nova amiara
(Da (Gazeta de Noticias, da cte, de 15
do janeiro)


0 I nie Pereirs Mai".l k
bta rinea ApoU5S g
melhoramentos da lavoura, faz hoje uma publica-
9Ao neste Diario, n seeco de Apedido ; e pars
Osa pUbMeae--o di1mos rene o lwr.
abdos. AL'4 u law; om l
Liberdade-No dia 17 do corrente, o ur.
Mantfi anltA Ahumiai iM.Aarai Ia^


ou tom Ondioes oSf t mn earavoa Jorge, de
35 aanos de idade e Joaquina de 25.
uiu anu ema'psasrv aft de dphieatrptia.
AgAQWl ra Om atbLn9o aqni 'dm.s
pu"biededt a ..na .. ta 4e 40 htgar Areias re-
cebeu o Sr. comea r Jo Fernanudes Lopes,,
ineaasavel propagandist da laviura do- eaco e
do cafe, e qu o B' til teu sdo aos sgricultores
desta e s vimnhaas prowini". I
N'essa art dio-se agradaveis notieias qtte nao
podem ser indiferentes sos que se interessam pe-
su eausas patrhas. Eil a:
A Areia, 8 de1 zsembro de 84.--nhm. Sr. eom
neadador JaeU Fernandes Lopes.- Por inutermne-'
die do Sr. Feciseco Jos Gomes, rewebi a estims-
da earta dc V. S. datada de 10, do que hoje ex-
pira, a qual respomudo.
Fieo de powe dos fructose de caeaoeiro, cafS e
caaa quo me foram ntregues a mesm:i occasion
em quae recebi a suaa ludids cart%, os quaes ja
distribui por algans agricultores deste municipto.
t NIo 6 a primeira vez que V. S. attended aos
mess pedides, romettendo semmteo diversas e as
quaee tenhe Uo iguval destino.
S N-eo ou agnien r, por6n deas je maito ver
prosperar e augmentar a agricultura de um solo
o fertil como A o desta serra, unieo interesse
que por vezes tern me levado a incammodal-o,
poste quo V. S. de a vonwtade se tenhi presta-
do as minhas exigeneias.
,, Desde que residi n'essa cidade que o admire
como torte propagador das principles plants do
paiz, jA forueecado sementes e excitando os anri-
cultores,j i dando-h as ooes para o desenvolvi-
meuto de certas partas, cn tal desinteresse que
muito o hourc.
a EV porem pona lamentar que a maioria de
nossos agricultores nao se sngeitem As regras
aconselhadas peht pratica e experiencia, tanto pa-
rs a plaanta9o como pars o tratamento e ctlheita,


No dia 10 do proximo mez de fevereiro deve aneponfo a8eiasa rotma antiga que raras vezes
realisar-se a primeira sessao preparatoria da ca- d bones esultados.
mara dos deputados, uitimaMnone eleita. Quanuto a pergunti que me faz sobre a pros-
Mais do que em qualquer outra eposa a forma- peridade da safra deste lugar, cumpre-me dizer-
4o da camera dos deputados 6 assumpto into- Ihe que nbo se p6de avaliar per em quanto se a
ressaute para o publiUc, porqato AI vista de safra do cafoecanna sera grande ou pequena, por
graude nnmero de eleoes comtestads corn maiS falta de chuvarns.
ou meinos fundamento, 6 pela verificago de pode- Comn referencia no cacao, apenas Ihe posse in-
res dos novos eleitos, quo se ha de ehegr a co- format que as possess per quem distribui as se-
nhecer definitivanmente qutms ao os epreseutan- mentes tern tratado d'ellas de aceardo corn a sun
tea do pai prescripAo.
Segudo o regiment intern da camara do a Ja que fallei em cacao, rogo-lhc o especial
deputados, no din quae acia indicamos, i 11 ho- obsequio de inforarn-me na primeira occasion,
rasda mah, occapaia seadeir da presidencia qual o process porqaue passam os caroeos do frce-
o deputado que tor mais velho na iduaie d'eatre to afim dte preparar o chocolate ; esta pergunta 6
os presents, o qual convidar pan ser virm m- devida curiosidale de um agrlcultor que tern al.
terinaente desecretarios squatro deputadosque guns p6s deeacaoeirobotandn fructo, e come a
mais T he parcere. -quantidade 6 insuiciente para ecxportaoo, desejo
Format& assir a mesa cadaum dos deputados empregal-o no us, domaestico.
entregara ao president o s diploma, e um does f Depoisda canna, que 6 a principal plant
ecretio aW4 a rela* nom dos present d'esta fertilissima zona, sao o cafe e o fumo ao que
tdo. a nomia d pe i e Ihe seguem, existindo sitios que em annos de
Por esta relaqao serao chamados os deputados boa safra tem produzido 130 a 200 alqueires de
para elegerem, por eecrutivio secrets,* preMidente, eaf em c~co, cuja qualidade nao 6 inferior ao do
vipe-prelidente a ecreartiios qeUq ta detwrvir R,
a e6 ao earo awittidos a Wt os daio por em urma s6 safra mais de 160 alqueires.
distrito eam quottdov a emlars deoam-turaios e Tondo em consideranao qualquer pedido de
eeitos, oe quae. tambem a* to tarm Pte m V. S. remetto ureas amostras do cafe d'este lugar,
outros trabalhos da camars, sendoi s e eomoe V. S. te dis quo deseja mandal-as pars o
permittido diacutir deigloquom iasdim res- Rio,n'eUas llquei o home dos agnricultores e o
peito deade que apcesentem diploma, retirando liungr dos asitios.
sajporm, do salo sempre que e tiver de votar Muito grat Ihe ere sn e podrn enviar-me al-
O_ 8" J- aii4-a_ a u5 peote n "mT"d come&; .cose (''dncr dt- Pnnn psira -wr rd a aka* -
so -,de cino membroe, a quit, A vista de di. AS xaunasd qui soffrem I mais de dous annos
plomas, deuuncias ou contestasoes que frem pw.. uream olestiaque os agricultores aso sabem ex-
sent6s A camera, organisara duas listas urma does ptlar e que altnibuem A atmosphere ; de form
deputadto aoja eleilao ao soffra duvi4a nerm con- quetndo Rese feito plants com a canna doente
testaso, deveffo essa lista sr apptdvada pela do tem tido safra e corn especialidade este anne
camara; outra dos de putados eujja elei1o eantes- et que a molestia grassou geralmente.
tada por protest ou denuncia contra a swia vali- orSem mais, sou-Joeo Dias Moreira. ,
dade, apresentados a camera ou inserts nas acts l eIesoe laes.-Ha hoje as seguin-
das eleibes primaries ou seeundsriass. tea :
Des deputados da primeia lists so tirarbo Do Institute Archelogico, ao meio dis, na res-
A sort tires commissoes de nove membros cads pectiva de.
urn. Do Segredo e Amor da Ordem, as 6 1/2 horas da
um. ~~tarde., no luga do costume, para elei~a.0 a
A' primeira commissabo perteucera o inquerito Dar no lugr t o costume, are eloi o.a
sabre as eleiq3es das provineias do Anazonae, Da Irmandade da Cone dos z r, as 6
Para, Maranhao, Piauhy, CearA, Rio Grande do horas a tarde, pa elei9e.
Norte, Parahyba e Pernambuco. Do Club Apoeineo, sessao de assemblea geral.
A' segunda, o das provincias das Alagoas, Ser- lMnheiro=O vapor Ipojuca levou para s:
,SPwahyba 10:000%000
gipe, Bahia, Espirito-Santo, Rio de Janeiro e S. Nata 10:0004000
Paulo. Nata2 10:000A000
A' terceira, o das provincias do Paran,-Santa MosSOrd 28:0005000
Catharina, Rio Graudo do Sul, Matto-.4roaso, Awe Libertas-Ainda foram offerecidos a
Goyaz e Miaas-Geraes. eats sociedade de seahoras os segaiintes quartos
Prestado o respective juramento nas maos do de bilhetes : polos Srs. Santos Porto 2081, No-
presidente, as commissoes passarao sa xaminar gneira Lima 2240, Pires, 3025, coronel FPiuza,
os papeis relatives As elei 5es, o depois de ouvi- 928; commendador Rodrigues de Souza 4174.
rem oa interessados ou qualquer cidadio que Salguetro-Desta villa escreveram-nos em
queiracoucorrer para o esclarecimento da verda- 4 do corrente o seguinte:
de, tormulargo os relatorios dos inqueritos sobre Comecarei esta noticiando a passage do ar-
as elcicoes de cads district, concluindo corn os cipreste e visitador padre Joaquim Antonio de
seus pareceres em artigos precisos. Siqueira Torres per esta villa, onde tez sua entra-
Esses paruceres, depois dc publicados, serno da solemn das 10 para 11 horas da manhi do dia
dados para ordem do dia; para serem votados sem 27 de dezembro proximo find, precedido de um
debate algum. nameroso acompanhamento de perto de cem caval-
Nas eleicges duvidosas, a requerimento de qual- leirossa muito pevo a p6.
quer deputado, apoiado pela terqa part dos pro- a Abrindo o charisma no din 28 o encerrou no
sentes e independent de votas'o ficar sadiada a din 2 deste, ohrismando numero superior a trees
votaqbo dos pareceres na part respective, at mil pessoas. Apezar das necessidades trazidas
que haja na casa metade e mais um dos ntembros pela secea que ainda nos flagella, oompareceu muni-
de queo a camera se uounpoe. to povo, ficando por chrismar talvez mais de uma
Quaneo a maionria de qualiquer das commissoes tera part que nao p6de vir A villa.
concluir o sen parecerp annullando a eleiao de a Oecupou o digno arcipreste per duas vezes a
um ou mais deputados, ficai A o mesmo pareeer tribune sagrada corn admiravel vantagem, expli-
adiado para ser votado de0ois da abertura da as- plicando o Sacramento da penitencia. E' incan-
semblea geral, na parte relative ao diploma ou savel no desempenho de seu sagrado ministerio,
diplomas, cuja validade nao foi reconhecida, pre- pois desde julho que percorre o seu arcip.estado
cedendo neste case discussao igual a de qualquer andando centinuamente a cavallo na peior estagqo
parecer de commissio. do serttio ; entretanto nao se poupa ao pesado tra-
Em todos os ouentrosee cases -a camera decidirA, balho do confissionario antes e depois dc duas e
desde que estejam presents 21 membros, pelo mais horas do ehrisma! Apar de tudo isto 6 sem-
menos, nas sessoes preparatorias. pre jovial e prasenteiro para todos.
Sao estas as principaes disposig5es que t,3 a de a Foi muito auxiliado aqui polo digno vigario
sea observadas na verificagao de poderes aijs de- Manoel Antonio, que durante ease tempo redobrou
putados eleitos. de esforges em seu assaz reconhecido zelo.
_____________________ R etirou-se tendo acompunhamento quasi igual
iST^ DIARIA --: ao de sua entrada, no dia 2 deste, seguindo para
l 1T DI KVI Villa Bella, d'onde pretend em pucos dias reti-
A _iA 10 _AI___I__ rar-se pars essa capital.
SPelizes e bonancosas auras e conduzam ao
Supplentes de Julz municipal-Por ponto de seu destine em paz, 6 o que de coracao
portarias da presideucia da provincia de 2'0 do Ihe aimejamos. Tern chrismado em today visits
corrente foam nomeados : sessenta e tantus rail pessoas.
Jose 'achece Lit" pars o lugar d 3'1 supph n a Nio tivemos as misedes que ostavam an .un-
te do juiz municipal do termo de Garanhuns. eiadas per causa do rigor da seeca.
Felix Ak-es Machaao e Antonio Rodriques Lins Tivemos occasibo de veo e admirar em um pas-
de Albuquerque para os lugares dc 2' e 3o sup- seiq'que fizemos A eidade do Triumpho um pro-
plentes do juiz municipal do termo de Ag-tas Bel- paraeor da instrucqbo public e bemfeitor da hu-
las, ragos por terem os respectivos proprietaries maIidade. E' um home que, A sua custa, sus-
aceitado postos da guarna nacional. 4 teo em sua companhia numero superior a 50 me
Aulorldade policial Por portaria Ila nianB orphios e pobres, a quein supre de alimeo-
dita presidencia da mesa data e prcposta do taca. e vestuario, dando instruceqo a porto de 80
Dr cheft de policia foi exonerado a pedido o ca- moiunoe, fornecendo a quasi todos de livros e o
pitbo Joio Jose da Silva, docargo do delegado do 'necesmerio. Incontestavelmente merece o titulo
termo de Carnuari, e nomeado para substituil-o o de nemfeitor da humnanidade. E' estc o p incipal
corouel Jo-io Vieira de Mello e Si!va. motfo porque tomamos a liberdade dte o fazer co-
Tabelionalo-Por portaria da mesa dati nhe~ido do public, pois que a sua modestia o tern
foi nomeado Baldoino Amando Freire pare exer- conBlvado incognito. E' o padre Jobo Evange-
cer provisoriamente o officio de 2' tubelliko e an- list[ dos Santos Lima, u-.ui digno vigario daquella
nexos do termo de ItambO. trexzia.


Bilhetes ftlslflcados Segundo nos in- &t6eoutra '. ez.
form tram, o Sr. Dr. delegado do 1- distrieto dstsa Illanva--Deste povoado e em data de 15
capital jA descobrio quern foi o gravadSr QU fez, E teescreveram-nos o seguinte:
diversos bilhetes de passages da Con.abia de *eonte hoje me foi postivel vir As columns
Trilhos Urbanos do Recife Olinda e Be l l. couceituado Diario para terminar coin o


guns dos quaes foram passados a A dait-
panhia e a diversos particulares. X "
Jbisesabetawkif.que n 1m pbt. 8lyt' A-
oemnodon os bflhetes.
Opportunamente daremos os n6o, e '
noQ b .. .
A warlola em Palmikre .-
te um cart ea euwpta de PWm -sn'
por pessoa digna de dmaor credit, ii


ido em 1884.
i ao passnimos muito mal, porque tivemos
a no dia.23, acompanbhda per meninas, a&
Rndadipoeiedade Musical Dons de Ab-ii,
S.14 a traditional missa do-galo, a quW
sempre, mat. eoucorrida.
I dia 81, so deosaubar o 84 para os basti-'.
N pmsado, quVado teb povoado dwmia,
yM auidoa, 6tbu fn qiw ar I noi-


A' tarde retiraram-e os e amigom atiuoeitissi-
moe eon o pequeno acolhimento que receberam, e
a ziterminimos noua festa.
1b dia 18 do mez findo, em essao ordinaria,
toram propostos e aprovados socios honorarios da
rka-- A A i^-i -_ TH-- 0-^ ^ ;> Am ifi:_a;_


Agora tem-se certeza de que desappareceu no
mar. 0 navio succo Anna, corn effeito percebeu
perto das costas de Gotland um grande vapor em
chammas, que s6 podia ser o Sirits.
Os rests da mtadeira do navio foram langados
polo mar na costa sueca porto de Oestergarn. Em
fim, ultimamente, foi ensontrada na costa da i!ha
de Rugen urma garrafa hermeticamente fechada,
contenlo um escripto assim concebido:
Nao ha mais esperanaa de sermos .salvos; te-
mos a morte ante os olhos. Os commerciantes de
Lubeck cuidem de nossas viuvas e orphlos. Adeus
& minha mulher e A meus filhos Da parte de H.
Mull, commandant do vapor Sirius.
Que drama nestas poucas palavras!
A eremaefio na Italia-A idea (I; cre-
mag'o caminha por tal f6rma na Italia que otac no
clero encontra adeptos.
Qiuarta-feira, 24 de dezembro de 1884, proce-
deu-so em Roma, no temple crematorio do Oenpo
Verano, a incineragbo do corpo do prelado mon-
senhur don Gaetano Savi-Scarpon, que, n'um tes-
tamento olographo, ditado de 10 de setembro, ex-
pressara Ai tal respeito sua vontade formal,
Os vegetalinos--Mais urna delicadeza foi
inveutada p-ira o vegetalismo. a No recent
banquet dos ',.g-talistas a celebrado) em New-
York, apos a absorpebo ordinaria das comaidas di-
lataveis, um deisentente tove a ceragem de obser-
var que se se deixasse de criar animals pars ser-
v'irem de alimento, far-se-hia nal sos trajos.
Coinme mereeia, foi elle instaitaneamente con-
ffiudid), do mnode mais pratico possivel. por uni
verdadeiro vegetalista, que declarou que se achava
vestido compltamente cnm tecidos que nalo lia-
viam determinado nenhunma efusio de sangue. Uni i
poletot de veiudo de algodtlo, umn cllete de linho
purdo, uras calgas de velulo de algodilo, e sapa-
tos aos quaes era inteiramente extrauho o couro.
constituiam o trajo desse amigo do animal.
Elle chegou A fazer a admiraVIl declaraqao de
que jAmais em sua vida tinha provado alimento
animal. x
Napoteria elle taunca bebido leite?
0 bacillo do cholera-L-se no Post de
21 de dezembro:
SSabe-se que o governor bavaro mandou a Na-
joles, nbo ha muito tempo o Dr Emmerich afim
Ie estudar 03 simptomas ?o cholera.
a 0 Dr. Emmnem"ch fiwo ss pesquizas anos or-
.o iit os e no ui; e eneontrou no san-
abfigado, n0oa da os rins e no baso de
ktado0Oa oadtuVe qoe eaMnou uma unica es-
pee de oI que nad de commum teem corn
o C-il;ovudret, do Dr. Koch. Eus- bacillo tam-


W


4


.2 'r ~


-4


~


.


qlmwwddw6l Acdm-A 4


I


ra Paris e Profesor Mareelino Clet tendo si
do approvado em novembro o Sr. Eteva o Ra-
mios.
a Quanto as noticias locaos nada ha que seja
digno de men*o, a na aer o noseo destaeamento,
que ha mais de um seculo partio pars Nazareth,
nao sei sob que pretext, e ate hoje nada de vol-
tar. Parece-me, entretanto, que no quarter se
suppose que o destacamento estA em AUianai, pois
as remesas que fa o digao e illustre major-fiscal
do soldo dessas prs9as, 6 cornm destine a Allianua,
embora ellas ea na o estejam. a
Colleceo uoolooclea.-Lemos no Jornal
do owmmercio :
a Ha pmcos dias publicamos uma interessante
communicacso do Sr. Dr. Heri.t Smith a respei-
to dos earanteres physics da bacia do Paraguay e
per essa occasilo alludimos A long viagem raa-
liada per este naturalists ao interior da provin-
cia de Matto-Grmsso onde se demorou por dons
annos a coUigir, coordenar e classihcar colleccoes
de historic natural. 0 Sr. Herbert Smith fez takes
estudos por conts propria, tendo apenas recebido
do governor do Bras il pequeno subsidio em troca
do qualja tern entregado ao Museo Nacional e
terA ainda de entregar-lhe collecgoes preciosas a
sciencia.
A mais notavel das colleccoes organisadas pa-
lo distincto naturalist s a zoologica, que era pode
ser vista no Museo Nacioual, e que, al6n de ser a
mais rica das coiligidas no Brasil, 6 no grupo dos
inseetos a mais nuraerosa em amostras e especies
que ja foi recolhida n'uma s6 regiaoe de todo o glo-
be. Reunion o Sr. Smith 350,000 amostras de in-
seetos, comprehendendo 22,000 especies. Oj Co-
leoptoros estio represeutados por 250,000 amostras
e 13,000 species; os Lepi opteros per 40,000
amostras e 1,700 species ; os Hymenopteros per
35,000 amostras e 4,000 species; os Dipteros por
8,000 amostras e 1,600 species; os Hemipteros por
10,000 amostras e t,200 species ; os Orthopteros
por 8,000 amostras e 460 species, e os Neuropte-
ros por 2,000 amostras e 200 especies. Conta,
alem disto, a collecqao 30,000 amostras, corn 1,300
species de Arachnidas (aranhas) e 1,000 amos-
tras corn 100 species de Myriapodes. A archi-
tectura dos insects (casas, etc.) 6 representada
por 60) amostras que indicam os costumes de mats
de 250 espeeies
,, Do grupo dos vertebrados contem a valiosissi-
ma collecgao 200 pelles, 150 esqueletos, 203 cra-
noes e 100 amostras de 70 de m-immiferos, conser-
va4ea em ilcooL. Os passaros sao representados
pQr 5,500 pellee, 200 amostras conservadas em al-
cool a 200 preparagoes osteologicas, tudo referen-
tu a 280 especies e 350 ovos pertencentes a 100 es-
pecies. Os reptis e batrachios contam-se por 200
amostras de uns o outros con 50 a 75 species,
Os peixes sio representadas por pequena mais cu-
riosa collecaoe dos rios S. Lourengo e das Mortes.
SUrma colleco botanies comprehende quasi
todos os fetes das visinhancaa de Cuyabi e nume-
ro coasidwavel de plantas phenogamas com os
fructose te erca de 350 species.
S Discipulo e antigo ajudante do mallogrado
professor Hartt, de quem tanto podia a sciencia
esperar, ano se limitou o Sr. H. Smith a estudar
a zoologia e a botanica das regimes que pertcorreu
mas inqairio euidadosamente de sea estructara
physics e geologic. Nesta ordem de estudos te-
ve a felieidade rara de deseobrir, em sertoes qua-
si deapovoados do Brasii, um deposit fossilifero
que, post lthe fornecesse apenas colleeco insigni-
neante em amostras e species, constitute desco-
wtsa at ata valua scientitfiea per ser esta prime
ra yez em que se acharanm foseis no planalto do
Alto Paraguay, dando irrefragavel testerwinho da
idade geokgica dos extensos deposits de gr's que
fobrmam grande parte da provincia de Matto-Grosa-
me. Estes fosseisjA foram determinados petlo corn-
petente Sr. Dr. Orville Derby qae os referio A ida.-
de Devoniana e vai eonsideral-os minuciosamente.
a Al6m das colleccoes que depositor no Museo
Nacional possue o Sr. H. Smith outras que dei-
aou em Matto-Grosso e no Rio-Grande do Sul,
aeompaahaidas de notas que lhe augmentou o va-
lor scientific.
o 0 laborioso naturalists nka deu por terminada
sua tarefa nointerior de Matto-Grosso pars onde
pretende regressar a continuar as exploragSes.
Gozando de nome mui feotejado como collecciona-
dor, acaba o Sr. Smith de dar novo e important
testemunho de sua dediaosao pela sciencia. Em
toda a sua longs e aspera cxcursae fti acompa-
nhado o illustre naturalists per sun mulher, que 6
muita versada nos trabalhos deste especialidade. a
0 cumulo da falsflcacao-Acaba de
ser desceberto o meio de frabricar rfalsos caracdes!
... Este artigo, que ate agora tlnha escapade A
falsificacao, d'ora em vante poderA ser elassificado
na mesa cathegoria das truffas. Descobrio-se
na Burgonha urna fabric que chega a exporter
15,000 por dia.
O novo caracol e composto corn substaucias
mucilaginosas e de baixo preqo. 0 bofe de vi-
tello 6 seu principal ingrediente.

Quelmados no mar-No principle de no-
vembro ultimo, o vapor Sirius deixou o port de
Lubeck para ir para Revel, levando carregamento
de algodto e diversos passageiros; e nao mais
appareceu.


J-


Os dramas do revolver.-Segundo con-
ta o Jornal dos Debates, n'um domingo, de tarde,
vie-se sahir de repente de casa de Mr. F...., um
dos mais rices negociantes da cidade, Mr. B....,
architccto da cidade, que corn as feigSes transfor-
madas, fugia, sem chapeo.
Mr. B..., era seguido pela Sra. F..., que gri-
tava: a Prendam n'o! prendam-n'o! a
A Sra. F..., que o tinha sempre seguido, alcan.
cou-o e disparou immediitamente sobre elle trees
tiros de revolver, gritando entie :
Ha muito tempo que eu sou insultada. ,
Os visinhos attrahidos pelo ruido das detona-
95es correram para junto do ferido. Transporta-
ram-n'o para a casa do guarda-portao do collegio,
junto do qual elle cahira, mas um quarto de hora
depois, apezar dos esforcos do medico que tinha
side chamado, Mr. B... exhalava o ultima suspi-
ro eem pronunciar urma palavra.
A Sra. F... foi, apenas realisou o crime, acom-
panhada de seu marido, entregar-se A prisao.
Julga-se geralmente, que a Sra. F...., muito
honest e tda idde de 27 annos, quiz viHgar-so de
importunac5es frequentes de que ella era alvo, por
part de Mr. B...
Experiencias de alimentaeao.-Na
Allemnanha foi determinado que em varies regi-
mentos de infanteria se procedesse A seguinte ex-
periencia :
Urma companhia furmnada de officials inferiores
e soldados, tornados d.. todo o regimento seri pos-
ta s)b Ias ordens de um coinmandante especial ;
ser-lhe-h.t distribuido o equipamento de campa-
nha. e durante 15 dias deverA executar quotidia-
nineiite, durante 6 horas, marchas e exercicios.
Esta companhia serA submettida A um regimen
alimentar particular : a alimentacao consistird
apenas nas conservas, que se pretende proper para
tborneeimrento cm tempo de guerra.
F6ra das horas do serviqo, tanto os officials in-
feriores: como os soldalos, cstarao debaixo do urna
v;gilancia continue, afim de nao poderem tomar
alimentacao algumna estranha As suas ragoes all-
rnmentares especiaes.
Pretende se conhecer duraute que tempo os aol-
dados sujeitos a cste regimen poderlo conservar
as torqas nocessarias para supportar as fadigas de
campana.
Estes individnos seroau pesados periodicamente.
Lelloes-Effectuar-se-bhilo :
Hoje :
Polo agent Burlamaqii, as 11 horas; .-ia-
zem alfandegado Jos6 Luiz, no Forte do \i :s,
de cimento.
'eldo qgente Pinto, As 11 horas, na rua do Bea
Jesus n. 49, de diversas mercadorias.
Pelo agent Gusmao, As 11 horas, na rut j
Birao da Victoria n. 55, da tabacaria a&, ".a,
Amanhai:
Pelo agete Brito, As 11 horas, na rum do RaBt.
gel n. 41, dae um predio.

7_ .F
*-..', ..:..>*; .-


16


A


Ml, 4 e r o .lg_ i *oO a wu-
ciencia, e eis o que obteve:
a Senhor, responded o primeiro, ouvi dizer
que o romonce era mal construido.
a Nunca. Enganaram-n'o.
E minha consciencia, senhor? Eu nou pe-
4hcko !
A' mium, die o sgQndo, buS ram que o
assumpto a tinhda b&lleva Ssten-me iaso.
S- E como?
Eu sou cobridor de ecasas.
E o senior? perguntei ao terceiro.
SAh! senhor, nao costumamos preeedt levia-
namente. Pretende-pe que o 8r. Deasprez operou
n'um terreno escorregadio.
E entuo ?
S- Eu trabalho nos calcamentos de madeira!
S- E o senhor? perguntei ao quarto.
Eu, foi por outra raz.o.
S- Qual foi?
S- Disseram-me que todos podiam ler facil-
maWte entre as linhas.
a E depois?
a Depols? 0 que seria de n6s se todos os
autoreas e Jlemabrassem deo fiaier o mesmo? Eu
sou luneteiro.
a Isto bastou-me, e poupei aos demais as mi-
nhas perguntas. a
Eloquencia da repeticeio e baptis-
mo do nosmo seculo. Hoje nao se quer
fazer outra cousa senao gosar e brilhar, dizia
Pelletan.
A repeticao, diz Maggionari, 6 a mais selva-
gem e ingenua f6rma da eloquencia, mas 6 tam-
bem a mais universal e talvez mesmo a mais efli-
caz.
0 menino sabe quantas resistencias encontra
por estar repetindo sempre a mesa pergunta ; e
o velho usa e abusa da importunidade, sabeado per
longs experieacia a sua forca om lipotento ; e a
importunidade no 6 seunao uma fdrma da repe-
ticao.
Das portas do Rgypto at as da China, atra-
vez de toda a Africa e teda a Asia sentimos a elo-
gencia da supplicas reduzida a repeticao infinite
d'aquella palavra que nos pede a esmonla: baesaao
bascisci! e os tociuhos ferozes de Somalos, e rostom
de buxo de arabes mendicantes e rastos de mago-
ganos da India, e rastos de terra crua e doe terra
cosida das regioes mongolicas, nos sorriem ou nos
dao gargalhadas, ameacam-nos ou nose commovem;
mas todos aquelles labios repetem a mesma pala-
vra; confiando-se justameute na efficacia da repe-
tiae, a maisa simple e a mais autiga dsue formas
da eloquenda.
a Se destas baixas subirmos mais alto, Aa esphe-
ras dos altos id6aes, acharemos sempre que o ho-
mem condaz comsigo a arms da rhetoric, que nao
se embotarnl em quanto a humans familiar for do
homes. Tambemn o Evangelho diz: Batci e te serd
aberto, eo 0s maiores actors tragicos conseguiramn
mais de urna vez fazer entrar em sympathia de d6r
urn theatre, e commovel-o e fazel-o chorar como
repeindo urma certa palavra em opportuna occa-
siUo.
v Jistificada assim a summa efficacia da repe.
ticao seri concedido tambemn a mim, a proposito
da cura preventive das doenuas nervosas, repetir
cousas jA ditas outra ves, e talvez mais vezes em
diverse fdrman; porque o problema do mervosismo
summo da noss epoca, 6 dos mais palpitantes da
actualidade; e entire aquelles que se nos impoe,
que achamos A mailo, a qualquer hora do dia ou da
noite, em familiar e na escola, no theatre e na po-
litiep, na litteratura e no hospital.
a Igualmente eu, devendo elassificar o nosso se-
culo, em um method taxonomieo qualquer o cha-
marei propriamente o seculo nevrosio, usna ordem
moral o direi tartufo, e na ordem intellectual por-
nographico. Seculo nevrosico-tartufo-pornographi.
vo ; descripylo pessimista 6 verdade, mas comtu-
do semelhante ao original.
A este nervosismo da nossa Apwca se unem,
pois, como problems secundarios os muitos smuci-
dios, a criminalidade augmaentada ou nao dimini-
da, apesar da instrucco obrigatoria; as revolt.
coes sociaes, o descontentamento universal, as Mail
blasphenuas laugadas contra a vida e contra quem
nol'a deu.
( E' uma pesquiza em vast escala, agitada ou
corn calma serena, corn crueldade anatomiaes ou
corn piedade profunda, segundo o temperament ou
a culture de cada um dos inquisidores. E me pa-
rece ver em certos mementos todo o aesso seculo,
corn hypochondriacs turbulencia. Tomando-se-lhe
o pulso achal-o-hemos: intermitt.ete, irregular,
convulse. i,
Expediao ao Congo. No fim de de-
zembro partio de Genova, a bordo do vapor Ves-
pueci, urna expediiao italians destinada ao Congo.
A bordo do Vespueci vao 300 marinheiros, 40
ofliciaes, e soldados para dosembarque e 8 ca-
nhbes.
A expediiao durara anne e meio, teon um fim
scientifieo e politico.
0 capitao Cecchi, que dtrige a expedicao, ten-
ciona dirigir-se A embocadura do Lago, subir este
rio em um pequeno steamer ate As cataratas, e da
ahi seguir para o interior do continent africano.
Tendo um grande numero de mancebos pedido
para fazor parte da expedicao, o capitao Cecchi
recusou tal concurs.























A' ll8O s, as matrix da Boa-Vista, por alma
ie A. Mara do Cars. Carneiro da Veiga Pesoa.
A's- horas, na matrix da Boa-Vista, por alma
49 madame Marie Anna Potelleret; ais 7 horas, na
ig.ea do Roaario de Santo Antonio, por alma de
V. Joannan e de. Andrade; is 7 horas na igre-
ja do Espirito S anto, per alma de Francisco Mar-
tins Ferreira.
Sabbado "
A's 7 112 horas, na capella de Joio de Barros,
per alma de Jos6 Ca-los Ferreira.
Operaeo eirurgica Foi praticada no
hospital Pedro II, no dia 21 do corrente a seguin-
to :
Polo Dr. Estevilo:
Eztirpaeio de um tumor de natureza angioma
limpomatoso da regiAo mamaria esquerda em cri-
anca
Pasiagelros-Chegados da Europa no va-
por ingles Patagonia :
Ramon A. Christiani, Reboni Prosper, Luiz de
Mendonca Vasconeellos.
Sahidos para o sul no mesnmo vapor :
Dr. Joaquim Aureho Nabuco de Araujo e 1
criado, A. Lopes, D. LM. Torres, MN. Makon e 1 fi
lha, Telles da Silva, Miss Mocukbe, M. Byondor,
3 filhos e 1 cnado.
Sahidos pira o norte na vapor national
Ceardi:
Alfrcdo Lopas Guimaraes, Antonio P. Correia
da Silv.i, Dr. Fbabio Augasto Btyma, sua s-inhora,
1 fil ha e 2 criados, Custodio Martins, Joseph
Krause, Joaquim Antonio de A. Bastes, sun se-
nhorit e 1 criado, Alfrido Barros, Manoel Soares
da Silva, Henrique M. de Freitas Velloso, Jos6
Teixeira, Delfino Antonio, Laiz Ferreira do Mi-
rand.i, Francisco Corroia de Alinmeida, sua senho-
ra e 3 alhos, Malaioel Riboiro 'jomes e sun senhoo
ra, Igaiaio Jos Ferreira, Estevo E. d.-s Santos,
Jose Antonio Jaccme, Sabino Fracoli.
Sahidos pars os pottos do note no vapor
Ipojuca:
Consclheiro Lui. D. de Brit, Gaerra, sua se-
nhora, 1 filho, 1 neto e 5 erialos. Joao R-mns,
sua seuhora e 1 criado, Fausto Fernandes, Abilie
Ferreira Baltar, Augusto Gomes da Silveira, Dr.
Arthur 13. C. de Albuquerque, Manoel Januario
Sobrinho, Antoaio Fernandes Borges, Dr. Aprigio
Goms-i >1lo SA e sao saoalhra, D Fiiato Jos6 Meira
vigario Am-iro T. Castor Brasil, Pedro C. Bezer,
ra, Joss arneiro de Albuqverque, Dr. Panto Pes-
seoa e 1 meaor, Vicente Borges de Castro.
Loteria da provincia Hoje, 22 do
corrente, se extrahirA a loteria n. 102, em ben--
ficio da matriz do Triumpho, pelo novo plan) ap-
provado, no consistorio da igreja de Nossa Senho-
ra daConceiao dos Militares, onde se acharito ex-
postas as urnas e as espheras arrumadas em or-
dem numerical apreciacio do public.
3a grande loteria da corte de ......
aOO0:000OOO-Com novo piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham--so A venda A Casa da For-
tuna, Ai rua do Crespo n. 23, os bilhetes dosta lote-
ria.
Grande loteria da corte-Esta grand
loteria, cujo preraio grande 6 de 500:0005000,
serA extrahida crevemente.
Os bilhetes acham-s' A venda na Casa Feliz, a
praca da Independencia os. 37 e 39.
Loteria do Cear-a-Esta loteria serA ex-
trahida no dia 14 de fevereiro proximo vindonu
ro.
0 resto dos bilhetos na Casa da Fortuna, rua
1 de Marco n. 23.
Loteria Extraordinaria do Ypi-
rautga-Esta loteria, cujo maior prermio 6 de
100:000t000, sera extrahida no dia 5 de marco
proximo vindouro.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna 6A rua I1
.e Marco n. 23.
Loteria da Bahila-Esta loteria, cujo pre-
mio grande 6 100:0004000, consta que corre im-
preterivelmente na dia 10 de fevereiro proximo
viudottro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praoa da In-
dependencia ns. 37 e 39.
raude loteria de Nitheroy-Esta lo-
teria, cujo premio grande 6 de 400:0009000, serA
cxtrahida no dia 1 de abirl proximo vindouro.
Bilhetes A reeda n& Casa da Fortuna, A run 10
de Marco n. 23.
Loteria do 3Io de Janeiro -A loteria
n. 350 A, do Rio, de 20:000000 sera extrahida
no dia 24 do corrente.
Bilhetes A venda n-i Casa da Fortuna, rua 1*
de Marco n. 23.
Lioeria-A de n. 170 B, do Rio de Janeiro
dj 30:000000 sera extrahida no dia 28 de janei-
ro.
Os bilhetes achim-so a venia na Casa da For-
tuna A run do Crespo n. 23.
Loteria de 30:O000(04 -A loteria 170
serie B, do Rio de Janeiro, cujo plane foi mui-
to melhorado, corre no dia 28 de janeiro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praca da In-
dependeneia ns. 37 e 39.
Loteria de 3t400-Si^-Sabe-se poer
telegramma reeebido 4pela Casa Feliz, que a lo-
teria 170 Aextrahida ao -lia 21 do conr.ate M. oir-
te, form premiados os seguintes naneros:
5.112 30:0005000
490 10:0005000


5.582 4:0005000
Mereado Municipal de S. Jos# 0
inovimento deste estabelecimento no dia 20 de
janeiro foi o seguinte:
Entraram para seren vendidos : 34 bois, pesan-
do 4,478 kilos.
No mesino dia entraram para omesmoes-
tabelecimento:
Peixe, 231 kilos.
Farinha, milho o feijao, 102 cargas.
SFructas diversas, 27 ditas.
Suimos, 4.
Carneiros, 4.
Premos dos dias':
Came verde a 720, 480, e 400 r6is o kilo.
Suino a 600 r6his o kilo.
Carneiro a 1 idem.
Farinha do 500, 400, at6 320 reis a cuia.
Milho de 480, a 320 r6is a cuia.
Feij.o de 800, e 500 rs. ides.
Forama occupados:
45 talhos de came verde.
15 ditos de suino.
12 ditos de fressuras.
33 connpartimnentus de farinha comi.as.
70 idem de legumes.
Deve ter sido arrecaedadla naste dii a impor-
taneia de 1751520.
Matadouro public Forarn abatidas
no matadouro public da Cabanga, pira con-
sumo d3 dia 22 do corrente 71 rezes.
Cama de Ietencao-Movimeatc doe pre-
os3 no dia 20 de janeiro :
Existiain presos 383, entraram 13, sahiram 10,
existem 386.
'A saber:
Nacionaes 350, mulheres 11, esaTraageih s 14,
essavoa 11.-Total 386.
Arraqoados 355, send : bonds 337. doentes 18
--Tot.al 355



-UIDICAUOES UTEIS


hora.
Advogado
Dr, Milete. 11 promotor public da ca-
pitaI tern sea escriptorio de alvocacia, A rua
do Imperado n. 22, onde pode ser proou
rado para os misteres de sua profisslo.
SPhuarmacia bomeopathlca
A. Caors Rouquayrol Freres (Successo-
res), depositarios 'dos rnmcdios homaopa-
thicos da casa de Catelan de I Paris -22 rua
dIa Cruz, (Recife.)
Drogaria
Francisco Manod da ,Siva & C., depo-
eitarios de todas as especialidades pharma-
scutieAS, tintas, drogas, products chimieo
e medicamentos hommopaticos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.
Olaria da Ca a Amarella
De Candido Thiago da Costa e Mello,
rua Imperial n. 322, veude barto tijo-
los para paredes, ditos para ladrdLho de
qualquer dimengo e format, telhas, etc.
Tern canvas para conduao e aluguel. Ap-
parelhio telephonico n. 221.



PUBLICAOESA PEDIDO

Frei Intriga
Li corn sorpreza uma publicaqAo feita no Jornal
do Recife de hontem 20 do eorrente, assignala por
urm incapetado que se denominou de Frei Caneea.
De born grado deixaria passar desapercebida
ess, publicanlo, se nio deparasse n'ella corn uma
vil e infame calumnia !..
0 autor da tal publicaqqio inentio descarada-
mente, quando disse que o anno passado nao hou -
ve nem ao menos uma missa no dia 3 de fevereiro
por alma do patriota desambargador Joaquim Nu-
nes Machado.
Em vista disto e precise arrancar a mascara
desse imbusteiro, que aeobertou-se corn o nome de
-Urn Martyr-, quando devia se apresentar de
vizeira erguida, e assignar sea proprio nome Frei
Intriga da Mentira.
Nc dia 3 de fevereiro do anno passado, houve o
funeral do patriot desembargador Nunes Macha-
do e o Rvm. vigario da freguezia de Santo Anto-
nio foi que celebrou a missa cantando depois corn
o Rvm. padre Albino e mais dous sacerdotes uni
memento.
Umrn outro saicerdote disse uma outra missa e re-
zou um memento.
Armou-se urma grande ega da qual foi enuarre-
gado o Sr. teaeute Paula Mafra qua muito coadju-
vou, como por mais de uma vez o tern feito, des-
pido de interesse algan apenas levando as despe-
zas necessarias.
D)urante todo acto funebre t)eou a music de
policia o funeral.
Frei Intriga da Mentira, deve ter consciencia
disto.
Corn relaoao ao tumulo nada diremos porque
pertenco a outros. que por miitas vvzs trn ido a
pra-a public, apadrinhau-lo-ae corn .o iome de
patriot Nunes Maehado.
Entretanto tudo que diz a sua syndicancia pro-
cisa de modificaoo.
Os amigos do finado patriot desembargador
Joaquim Nunes Machado, ja estao tratando do
funeral do dia 3, e ja se acha feita usa urna nova
de cedro, para secr collocada a oawada do martyr,
at6 que o decantado taumaulo seja feito.
A urna de que fallamos foi feita pelo artista Si-
miao Ribeiro da Conceirlo, i rua do Fogo n. 28.
Pode ser vista por quern quizer.
A guard velha, os amigos do finado patriota
dese.nbargador Nunes Machado, morrem ias nao
se rendem, e nao se esquecem dos martyres do din
2 de fevereiro de 1,848.
Respondo per mim, e autorisado pelos meus
amigos.
Qae cada am cumpra corn o seu dever, que n16s
cumpriremos os nossos.
Recipe, 21 de janeiro de 1885.
He,'mino Amaral.


Ao public
Achando-me desempregado, sere meios
de subsistencia, e onerado de familia, pelo
que vejo-me obrigado a incommodar paren-.
tes, amigos e conhecidos, em grande esca-
la, quasi que diariamente, para nao descer
a praticar actors illicitos que a moral e os
bons costumes altamente reprovam; e por
nao dever continuar por mais tempo a in-
commodal os, quando disponho de algum ca-
bedal litterario, que me p6de auxiliar de al-
guma formal; venho hoje do alto da impren-
sa pedir e rogar ao distinct corpo commer-
cial d'esta provincia, ao ijustrado foro do


Recife, e a digna classes dos fuaccionarios
publicos, a protecgao que sabem dispensar
aos que os procaramn; afirm de poder publi-
car n'esta cidade, em alguma de suas typo-
graphias, uma comedia de minha lavra, sob
o titulo de-- Umn Engano Conjugal. .
Dirigir-me-hei pessoalmente, ou por car-
ta, a diversos negociantes desta praga,
empregados do f6ro, e funccionirios pu-
blicos, pedindo lhes sua digna coadj avago,
no sentido de contribuirem eomr a pequena
importancia de umrn mil reis, para uma as-
signatura ; afim de corn algamas fawer face
As despezts da impressAo, quo ser& sim-
pies.
Assim tenha obtido numero de assigna-
turas sufficientes, que cubra o quantitative
da edigio, suspenderei o alvitre aqui to-
rnado, e proseguirei na distribuiao de
exemnplares ?or divcrsas classes e pessoas,
A vista d'elles.
Aquelles a queim tiver a honra de deri-
gir me pedindo-lhes assignaturas adianta-
damente, para o fim acina dito, terao di-
rcito, cada urn, A um exemaplar, c soe qui-
3 zerem a dous (sem indewnisakc do se-
gundo); e em prova de mitita gratid'o e
consideraq'.io, publicarei n fim da mesma
comedian, a exemplo de otrotes, os reapoi.
taveis noa es dos bearfi4twee de mna pu-
blica9bo, em lista alphabetca.
Recorro i este meio de pubticalo pox
rnUo poder diapor de outro.
S Em quanto disposer de exemplarea &
men trabslho Iitterario, lembora humilde;
* encontrar alt ge.W -0 e bemtazgjas
L terei meioap p aaiuieL 4.var iii||as fi
i ihinhas, thesom'. ad e vsik'iaaj a
K- ueoesidades. "
- CroiQ de. 4 86m


Recife, 22 do janoiro de 1885.
Antonio Ignacio de Torres Bandeira.

Programma da festa de Nossa

Senhorado But Si ccesso dos

NavtgnBm 'ue se "enera a

igreja dh .iw.
No dia 23 do errenate, settsfeira pelas
7 horas da manhl, sera levaatat a -ban-
deira da Ekcclsa Padroeira da igr4a. para
o maestro carregada por mrinnas e acom-
panhada pela musicA murial do Corpo de
Policia, e na vesperi, sabbado 24, ao
meio dia havera uma salva e em seguida
tocar a mus;na algamas pegas costu-
me; a noite haverA ladigmha e so fim to-
cari a mesa music.
No domingo, 25, ais 5 horas da manha,
havera uma inisaa resada, tocando no fim
a mesina musical, finalisando eomrn una sal-
va; As 11 horas, entrari a rmissa solemne
sendo orador n,) Evangelbo e no Te-Deum,
o pregador da Capella Imperial Fr. Au-
gusto da Immaculada Conceiglo Alves.
A tarde tocara a music e nos interval-
los subirio sos ares alguns bales ; a noite
entrarA o Te-Deum, no fim seri arriada a
bandeira da Excelsa Padroeira, do mastros
para a igreja, finalisanda o acto corn um
fogo de artificio, e pede-se por obsequio a
todos os moradores pars que illuminem a
frente de suans casas, afire do abrilhantar
mais a festividade.

Ningueam que eonte a ella
Nessas horis da tarle em que s'esconde
Na regiAo longiqua do poente,
Entre as nuvens azues e pardaeentas
0 sol-o astro rei incandescent;
N'essas horns t;io tetricas, tGo madas;
Horas em que descanca a natureza,
Em que todos aquelks que padecem
Sentem mais augmentar sua tristeza;
Eu soffro muito!... a negra hyppocondria.
De mirm se approxima, e me esphacela
0 desgosto que tanto me atrophia,
Ea soffro tanto assim per causa dclla...
E essa dor incesante todo o dia,
Nao ha ninguem que vA contar a ella!


Recife, 21 de janeiro de 1885.
Cleodon de Aquino.


Irmandade de Nossa Neahora
da Sande
DO
Po o da Panella
A mesa reg, dora da irmandade de Nossa Se-
nhora da SaAde, erects em sua igreja no Pogo da
Panella, nilo tend obtido a lieanca quo requereu
a S. Exc. o Sr. D. Jos,- pars celebrar a iesta de
sua padroeira no proximo dia 2 de fevereiro, iaz
sciente aos devotos da mesma Excelsa Senhora e
aos paroehianos do Poo da Panella, que a mesa
genri da irmandade, convocada para tomar conhe-
cimento da decisAo de S. Exe. Rvdma., resolve
que se obedecesse fielmente as ordens de S. Exc.,
emanadas de legitimo superior, abrinde-se tio so-
monte o temple para os que quizerem fazer suas
oraiees, como o permittio S. Exc. Rvdma.
Declara mais a mesa regedora qae, ainda em
obediencia As do virtuoso prelado, foi reselvido
pela mesma mesa geral que se proelanrasse o si-
lencio da igreja, atW quando S. Exe. Rvdma. en-
tender convenieute permittir a oeebrasao dos ae-
tos de nossa santa religiao.
Secretaria da irmandade de Noqsa Senhora da
Saude do PoWo da Panella, 21 de janeiro de 1885.
0 secretario,
J. Borges.

Srs. Redatores
Quero protestar publicamente contra a filelida-
de d'aquelles que, retirando-se para eona cidade,
levam d'aqui noticias, de que, quor com emrnpre-
gado public, quer come particular, tenho prati-
cado actos censuraveis e indignos.
Protesto e provoco a estcs desleaes mensageiros
para que venham pela imprensa declarar, ao menos
se em 8 deste corrente mez, effectivamente estive
na casa da Camara : se cabalei em favor de al-
guem ou mesmo se, assumindo a posicao de auto
ridade policial, tomei ou ten'tei tomar alguma arma
das muitas que foramn eonduzidas para a eleieio ;
juntamente qualquer aete de minha vida public
ou particular que nio esteja na altura da posicio
que occupo na sociedade.
Para attestar a inverdade de tal noticia nao
necessitarei apresentar o testemunho de pessoas
criteriosas ; basta-me o silencio de takes vampires.
Panellas, 17 de janeiro de 1885.
Joaquim Rodrigues Villares.


IWdishiaaricla
0 abaixo assignado sempre no nobre intuit de
concorrer para o desenvolvimento e engrandeci-
mento desta provincia tern side solicito na propa
ganda dos melhoramentos industries, que Ihe pa-
recemin ever serem adoptados.
Apesar dI ocenpar-se de uma industrial, mnito
diverse da agricola, nio se descura entretanto des-
ta por estar convencido de que sem agriculturanao
poderao prosperar e desenvolver-se quaesquer ou-
tras, que depended da applicaiIo do esformo do
Ii)mem. "-
Reconhece, qne muitos melhoramentos tes sido
adoptados; mas as actuaes circumstancias do ramo
principal de nossa industrial agricola sao as mais
difficeis e desanimadoras. -
C.jnvm muito e muito que ds nossos agTiculto-
res vio iniciande novas cultures, mesmo dc peque-
na javoura, experimentando se is resultadoa cor-
respoudem aos esforcos empregadios, e insensivel-
mente se passa;ri a un estad.o melhor. -
Ha cultural, que, desprezadas por pareeer-ct de
nenhuma importance, ago no entretanto fauteS de
melhores rendimeatos do que as grmndes umltliss.
IEntre as ptcqisenaa eulturaa. consideramos ai do
amendoin, vulgamente ehamado, mendobi, que 4
Sentrc n6os, aprnas cultivado nas hortas ou emx pc
quenas plantaCoes.
r E' amndoia de t.teicultivo, Cenrr I n6s seos-
tunma plantal o em janeiro, e em minus de seiiwe-
zes, pode ser colhido.
S Do amendoin, se extrahe -superior .azeite dtsa
e paroes oleos pars divermsa mannufaeturas -
0 preco nos mercados fucese reguu .s
per arroba. .
E'u" tado em gand id qmatidade po
a AntilfaM, Repudica A.cnifff, e, po jdiU

- uda9fi
.m orieA S. '"
:! 'tr da : .htpl a qefl~et:


umaplnta&^h- jzwri & de *q| pecegal sin-
da novo. *.',
Send. aemeada em aEmig em setembro se poderi
cortw as huteau eu agm pars se etraahir a fi-
brin b quo ea- eo gje anrvapod- 'a .imerm
por dez dias n'aguaeagneada.
PNde dar dua a Plbeias annuals, e am quatro
Wa0 attbW a C, imw t f ifbmvalvimento.
A Atura ordinatia e de 12 a 15 palmos; a plant
6 eoitads trea pWl#&adaa asu# do j y..
0 .enq d-o- ew &tmaftmmr autonii plants es-
tar'se emente.
d R4 dea idqneucmtdbra 44 Juta ainda,
modho vendend-sia lOO'xs. A libra,e maii van-
tajoq eatsaidutrilt do se 0 do. ae$oW e mea s
traMonh..
Q0 agricultorez, que quizerem experintar essa
nova industria encontrarao a semente de que pre-
cizaem da Fabrica Apollo a rua do Visconde de
Cefrapi e I 79.
Qabaixo aasignado, igiImeaute forneceri gra-
tuam ente sementes doeAtmeafin e do Algodaio
Sea Island, o melhor algodlo, ate hoje conhecido.
Na revista o Industrie .e encontrarao intorma
Iioes detalhados acerea 4k eultura do Amendoin,
Juta e do Algodao do 9wi1dand.
Tambem fornece fohelttm, contend minuciozas
informaues sobre a cult's de fume e os diversos
processes de sua preparnU.
Recife, 21 de janeiro deo 1885.
Aonio Pereira da Cunha.

Nos enmas dos tropleos,
o eabello oahe eedo, se 6 queU no se conserva corn
grande cuidado, Uma friaco suave e frequent
corn a escova, torna-se mai nacessario para seu
desenvoivimento vigoroso; por6m requer-se ainda
mais alguma cousa.
0 crane torna-se secco, e precisa de for9a e vi-
gor. 0 melt-or vigorador que aso tem inventado A o
7snico Oriental, o qual tio admiravelmente se as
siamila corn as secreoea dos vases capillares uni-
dos i, -eutieola, e asiste a podazir uma colheita
abundante de cabellos lindos e lusidies. Os bigo-
des, bgrbas e suicas ralas tornam-se bastas e vi-
gorosas sob sea estimulante effeito.

Ao public
Em cumprimento a promessa, quo no Diario de
hontem.fizemos em relato a busca dada em i osso
estabeleimento, offerecemos A consideraglo dos
homes de. bem o term de bussca abaixo transcrip-
to, e assim fica restabelecida a nossa reputable,
se per ventura foi ella abalada corn o procedimen-
to indebito da policia.
Recif 21 do janeiro de 1885.
Raposo &Roma.
AUTO DE BUSCA
Joo Geomes dos Santos FilhI o, escrivao do 18 dele-
gado da capital, etc., etc.
Certifico ser o theory do term de busca da ly-
tographia da rua Duque de Casias n. 35, perten-
cente a Raposo & Roma, procadido a 16 do cor-
rente, o seguinte:
Auto de busea na casa n. 35 da rua Duque de
Caxias: e logo em, seguida dirigiram-se todos
pars a lytographia existente no 10 andar da casa
n. 35 da rua Duque de Caxias, pertencente a Ra-
pose & Roma, intimado a estes e mandado retro,
se proeeden is buscas necessarias, nada se en-
contraudo. E para constar se lavrou este termo.
Eu, Joao Gomes do" Santos Filhr, o escrevi.
Francisco Amugust. da Fonseca e Silva, delegado.
-Joaquim Innocencido Gomes. Raposo & Roma.
Bernardino JosM N. Guerra.--Franco Martins No-
gueira.-Josd Freitas de Sousa fagalhdes.
Conformnne corn o respective original, etc., etc.

Ao public
Declare que os versos publicados no Jornal do
Recije, coin os titulos-Aos livres eleitores e aos
vencidos, nao sso de minha produccilo, s6 me as-
signo per extenso. Recife, 21 d6 Janeiro-de 85.
Antonio Ignaeio de Tortres Bandeira.
AIua particular de primelras
lettras
Antonio Cesario Moreira Dias Junior tern aber-
to, a rua das Nymphas n. 2, uma auna de primei-
ras lettras que comocraA a funccionar no dia 8 do
mez de janeiro vlndouro.

Seminarie episcopal de 0linda e

Collegi0 Diocesano
A come~ar do din 1 de fovereiro proximo, es-
tarA aborts a matricula do curse superior do Se-
minn-io de Olinda e a do de preparatorios doCol
legion Diocesano; as alas, porem s6 comegarao a
funccionar no dia 8r
As disciplines de que conuta o curse de prepa-
ratories. inclusive a aula primaria, s'o :
Portuguez, latim, trancez, inglez, geographia,
historic, arithmetica, geometria, philosophic, rhe-
torica e musical.


COIIIERCIO
Prava do eelie, 3 i de Janeiro
de AS@S
As tres horas da tardf
C otacef officials
Apolices provinciaes de 1:000A e jnros de 7 0/0
ao prego de 1:0125 cada uma.
Ditas ditas de 5005 e juros de 7 0/, ao preo de
506A cada uma.
Ditas ditas de 1005 e juros de 7 0/0 ao preco de
101,200 cada umsa.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 3/8 d. e do
banco 19 1/4 d. por 11.
Cambio sobre Paris, 90 d/v. 494 rs, o franco, do
banco.


Na hora da bolsa
Venderam-se
21 apolices provineiaes de 1:00)5.
7 d.tas de 5005.
14 ditas de 1005.
A. Leonardo Rodrigues,
Presidente.
M. J. da Motta, *
Secrctario.

RENDIMENTOS PUBLICOS
Mez de ianeiro de' 1885
LFANDIOA=DO) 2 a 20 529:9115027
Tdem di 21 41:479937
571:340,959

aDOmuA-1). 'i2 a 20 19:211A884
ldem. di 21 1:352,505
20:564A389
,..r'-Ai', psBovCAi -- )e 2 a 20 162:0841328
,temi A, 21 4:u795491
166:164019
-hiy DLnaim:m- 2 a 20 3:2444401
Idem d4 21 31J068
3:275A469

4M&AMHUS DE IMPORTAVAO


joia 6 de uP t ua 4 v', a qual da
direito ao qu e precreve o prospect de 1882, ex-

t.es t aes" 0%preparO
rios pagario adia-I t a nsao de 5J000
per mez, e os da atla .maria,-31000.
Cada a'umno dwve tar no Recife ou n'easta ci-
dade do Olinda, um correspoudente ou peasoa ido-
nea que se responeabilis e pelospagamentos de suns
mensahldades, sem o que nao poderi ser conserva-
do no estabelecimento, come determine oprospecto
de 1882.
Para informaces e esclarecinentos deveroo os
iuteremsadoaentender-se directamente com o reitor
do estabelbecimento.
Seminario du Olinda, 19 de janeiro de 1885.
Couego Antonio A rcoverde de A. Cavalkane.
A viuva da rua da Assump9lo n. 56 pede saos
Srs. negociantes e empregados publicos um soc-
corro polo amor de Deus para adjutorio de uma
casa para morar corn 6 filhos, sua mai e uma irma,
me ache despejada da casa polo Sr. Joaquim Bel-
trao filho, que e o fiador e principal pagador ha 4
annos que este Sr. me faz esta earidade e nao po-
denido mais fazer esta esmola porque se acha al-
cangado e sustenta famnilia deixa de ser fiader e
nao concorre mais corn os alugueis da casa, tenho
side citada quatro vezes para sahir da casa por
todo este mez, do contrario irei pars o meio da
rua corn as minhas cruzes e os cacos; espero en-
carecidamente ser attendida pelos senhores a quem
eu fago este pedido e que tenha compaixao desta
pobre desvallida corn seos infelizes sou ter um re-
curse pars a sun morada.


Collegio


rso rimario o preu iratolo
15 Rua da Imperatriz 15
As aulas deste collegio acham-se abertas
cesde o dia 7 do corrente.
D'ora em diante o curse primario acha-
se a cargo exclusive do director.
Este curso constara no maxino de 50
alumnos entire interns, externos e ineio-
pensionistas.
Recife, 16 de janeiro de 1885.
0 director,
Manoel C. Silva Braga


Institulto 19 de Abril

1-nRua do Progresso-1
Numero telephonleo 95
DIRECVAO DO
Bacharel Luiz da Costa Ferreira P.
Carreiro
Este estabelecimento de educacao, recentemen-
te mudado pars a rua do Progiesso n. 1, offerece
sos Srs. pais, pelas magnificas accommodates e
boa hygiene da nova casa, todas as condigoes exi-
giveis de um estahelecimento de educagio su-
perior.
Continua a aceitar alumnos interns, meio-
pensionistas .oe externos, assim como continia
corn o curse de ferias abrangendo todas as ma-
terias para os exames officials de fevereiro, de
accord corn o programme do Exm. Sr. ministry
do imperio.



\\ { Dr. Mello Gomes \\

Medico operador
Rua do Bar.o da Victoria, antiga
rua Nova n. 37, 1 andar
Onde pode se procurado A qual-
quer hora do dia e da noite. Uonsultas ) (
das 10 ao meio dia. Recebe chamados I J
per escripto e para f6ra da capital. Deo-
diea-se corn cspecialidade ao estudo de ) f
febres, molestias de peito e affeccoes sy- } {
I philiticas de ambos os sexes.
} APPARELHO TELEPHONICO N. 156 }{




Portuguez, franeez e

inglez


Pedro Marques oflerece-se para leccionar em
casas particulares as materials acima.
caixa a Parent- Vianna & C., 1 a Goncalves Ir-
mio & C. Cartas para jogar I caixa A rdem.
Cerveja 40 caixas a Saunders Brothers t C,
Drogas 2 volumes a Faria Sobrinho & C. Do-
ces 1 caixa a Ramoes & C.
Eaeerado 1 fardo a A. Jose de Azevedo. Es-
t6pa 10 fardos a J. H. Boxwcl. Envelope 1 eaixa
a Manoel Jose Goncalves Braga.
Jolas 1 caixa a E. Goetschel, 2 a J. Krause
SC.
Mercadoriase diversas 1 volume a Otto Bohres
Successor, 1 a E G. Casco, 1 a Adolpho & For
rio, 2 a Parente Vianna & C., 1 a Salazar & C.,
1 a Joaquim da Silva Carvalhu & C. Machinismo
2 volumes A order. Manteiga 115 barrio e
230 1/2 ditos a Fernandes da Costa & C., 50 e 100
a Augusto Labille, 60 e 110 A ordem, 100 e 140 a
Paiva Valente & C., 30 e 50 a Rosa & Queiroz,
20 e 40 a Feraandea & Irmalo, 15 e 20 a Joe6
Ferreira de Carvalho & C., 2 caixas a Joed da
Silva Loyo & filho. Materials pars telegraph
22 volumes a Brazil Submarine Telegraph Com-
pany, 57 a Western Brazil Telegraph Company.
Oleo de linhaga 12 barrn-is a Bartholomeu & C.'
10 a J. C. Levy & C., 5 a Ma4ioel Alves Barbo-
a successor.
Papel 4 caixas a Parente Vianna & C., 1 a Ma-
noel Jos6 Gungalves Braga. Perfumaria 1 caiXu
a Salazar & C., 1 a Parente Vianna & C.
Queijos 101 caixas A ordem, 24 a J. B. de Car-
valho, 14 a Alheiro Oliveira & C., 16 a Domingos
Ferreira da Silva & C., 20 a Jos6 Joaquim Alves
& C., 23 a J. F. de Carvalho & C., '3 a Paulo
Jos6 Alves & C., 10 a Fernandes da Costa & C.,
10 a Souza Basto Amorim & C.
Roupa 1 caixa a A. Jonguan.
Teeidos diversos : 1 volume a Machado & Pc -
reira, 2 a D. P. Wild & C., 1 a Jose Ferreira &
C., 54 a Cramer Frey & C., 27 a Rodrigues Lima
& C., 5 a Bernet & C., 26 a Monhard Huber &
C., 5 a Andrade Lopes & C.
Vinho 60 caixas a Rames C., 40 a Dias Pi-
nhbeiro &-0., 10 e 2 barris a Augusto Labille.
Vidros 12 volumes a Sulzer &'Koechlin.
Wisky 20 eixase a Henry PForster & C.

AUESPACHOS DE EXPORTAQAO
-Em 20 4e janeiro de '1865
Para exterior
S- No vapor allemnlo Hamburg, carregu :
Para Hamburgo, Pohlman & C. 597 pontas e
5,500 unhas de boi, 1 fardo com 560 kilos de gar-
ras de courmo e 2r8 courosa salgados corn 3,096 kilos
Borstchnann & C. 40 fardos corn 7,075 ditos d(
algodio.
S Na barca ingleza Victor, carregou :
Para Liverpool, N. I. Lidistone 5,000 ki!os de
passes de boi.
Ne o gar iaglez M. Cory, carregou :
Parm New-Yrk, J.I S. Loyo & FRlho 476 sac-
CO corn 3570 kilos de asucar mascavado.
Na bazis national M isw camrregou :
Pam Petlb"36a, 0liveia & C. 50 pipas con
o_ lit-s d "ao te qur entr.
No t-OouaeBaPeork,ecaurrgoa
PAmiiariiapf1 ios & C. 3*8%barri
C" OM a~sucar branco.


Aila particular part au
Vidal de Negreirol ,e I
Carolina Leopoldina Cuelho do A a, paJ
aos pai, de familiar qae de fewretro em dinm
estari aberta sa aula particular para muuialmA
rua Vidal de Negreires tpateo do Tero) .i 1
1 andar, onde a mesa leccionari primeiritU-
tras, francesz. piano e diversos trabalhos do agaL

Dr. Bettencourt
Cirurgia: estreitamentos da urethra do n
curados pela electrolyse sem d6r ; fistulas; t-w
res do utero. Hydroceles sem injecAo (cum rs-
dical). Embalsamamentos pelo process do Se-
equet. Ulceras. Medidcna: molestias do peto
e da garganta. Syphilis, molestias venerease 4
pelle ; affec$5es do cotacgao. Rua do Marques de
Olinda n. 34, das 12 As 3 horas da tarde. u-
dos por escnpto.


Internatlo PerafamNica
Estio abertas as aulas deste oollegio, sito4mi
do Hospicio n. 55.

Dr. Cerqueira Leite

Medico e operator
De volta de sun viagem A Europa onde f requm-
tou os hospitals de Paris, tendo feito um curNases-
pecial de parts e molestias de senhorns, d&wi-
sultas no sen antigo consultorio A rua Dwqlod
Caxias n. 48, do meio dia as 2 horns.
Especialidade : molestias de criangss e dam.-
nhoras.
Recebe chamados per escripto ou no sea coel-
torio, ou em sua residencia A rua do Baro de t .
Birja n. 30.

OCULISTA
0 Dr. Barrette Samnpalo, medie
oculista ex chefe de clinic do Dr. deo We-
cker, de volta de sua viagem ao Cear6
continda a dar consultas A rua do Barieo da
Victoria n. 45, segundo andar, de 1 is 4
horas da tarde, except nos domingos a
dias santificados. Chamados em seu c9"-
saltorio ou em casa de sua residencia -,
rua de Riachuelo n. 17, canto da rue d4
Pires.


Insliluilo Philomaticou
33 RUA DO VISCONDE DE AJW
QUERQUE -33
Giorso doinno pIrmu



DIRECTOR


Internato e externaut

As aulas deste estabelocimento de o1m-
trucao e educagao e starf-o abertas do dia
7 do corrente em diante.


GOLLEGIO

DOIUS DE DEZEMBR
(Rua do Hosp e'om. 58 ).
Resultado dos exa: es oicoiaes prestady s
, pelos alumnos deste collegio duiaute e
anno de 1884.
-,.' Portugue.
Alfredo Mameliano de Castro Quintaes, approve
do plenamente.
Jose Francisco Bandeimra de Mello, apprevado.
Jaaquim Gon~alves Cascio, approvado plena.-
mente.
Francisco de Paula Gonhalves Caacio, approvadao
Manoel Guilberme de Athayde, idem.
Joao Xavier ( arneiro de Albuquerque, idem.
Castor Athelano de Souza Lacerda, idem.
Jose Populo de Mendonca Vasconeellos, approva-
do plenamente.
No pataeho0nacional Maria 2o, carreg"w -
Para o Rio Grande do Sul, M. F. Marques FI-
iho 300 barricas corn 33,169 kilos de assmur
branco.


No patacho dinamarquez Henriok, carre-
gou :
Para Pelotas, Amorim Irmios & C. 725 barrios
corn 65,462 kilos de assucar branco e 75 ditas cam
8,228 ditos de dito mascavado.
-= No brigue hespanhol Henriqueta, carregoa:
Para o Rio Grande do Sul, B. Oliveira & C. t M
pipas corn 48,000 litros de aguardente.
No hiate national Deus te Guarde, carregam
Parao CearA, Baltar Irmios & C. 5 barriers
corn 700 kilos de carvio animal
== No vapor national Ipqjuea, carregou :
Para Parnahyba, E. C. Beltrio & Irmlo 50
barricas corn 1,893 kilos de assucar branch e 20
ditas corn 853 ditos de dito refinado ; J. dos Sau-
tos da Costa Moreira 20 ditas corn 670 ditos de
dito branco.
= Na barcaga Flor do Norte, carregou:
Pgra Villa da Penha, Valente Irmb &C. 2
barrieas corn 120 kilos de assuear braneo.


MOVIMENTO DO PORTO
Navies entrados no dia 21
Pelotas-28 dias, lgar national Pelotense 20,. de
227 toneladas, capitao Thom iz Pereira de F-
gueiredo, equipagem 9, em lastreo; a Silva G(d-
maraes & C.
Rio Grande do Sal-42 dias, patacho hollandez
Stella, de 106 tonelad'.s, capitio G.. I. Kli,
equipagem 6, em lastro; a Silva Gvimaries
& C.
Suhidns no mesmo dia
Hamburgo por esc:i!;is-Vapor allem.o Hamburg,
commandante R, Lower, carga varies generoas.
Bahia-' atacho dinainarquez Euie Hoy, csiqS
Christian Hoy, carga assucar.
Rio da Prata- Patacho dinamarque z Venwerna
capitao A. M. Kundsen, carga asacar.
New York--Lagar inglez May Gory, capitao J.-
seph Goss, carga assucar.

VAPORES ESPERADOS


Mexfi
Sculptor
Mandos
Merrimac
Ville de Rio de Ja-
neiro
Pgnmanbmmco
Neva
Architect


de Trieste
da Europa
do norte
de New-port-News


hoje
a 24
a 26


I


1.




as


k,


Wados 1 ^
;:- JN3MB1 -I
o dBuys, ppnivsoa. 1
SPuuts Leiva Junior, pprovado
A- lt1


euos do eruinmuwu, IU.
ma Flho, approvado.
Wira de Sousa Filbo, approvado


ple a-


it -e.
J Olympi. Theodoro da Silva, idem.
mqiso de Siqueira Cavalcante, idem.
-ranceuso de Paula Gongalves Casego, appro-
*gl~/'- vfto.
Tlones LUms Calda Junior, approvado plena.
lamete.
o rBor U Eo H. Carneiro Lelo approvado.
IIen Erasmo P. Jutuca, approvado plenamente.
SJo Marianno Carneiro Leao, idem.-
i: Reprovados 5.
L6atim
i Joaquim Guedes C. Gondim Filho, approvado ple-
namente.
SaOetaviano de Siqueira Cavaleante, approvado.
Brat Carneiro Leao, idem.
i4 IFramnaisco Gomes Parente Filho, approvado ple-

wtuLins Caldas Filho, idtm.
ui: sindiao Buarque de Lima, idem.
: Mamosl Ephisio de Queirz Menteiro, approvado
S corn distinaego.
S Fabio Rino Filho, approved plenamente.
f aamino Antonio de Souza Vianna, idem.
|Lycago Nasbal Pamplona, idem.
Js Ja Marianne Carneiro Loeo, idem.
S Epaminondas Leite Chermont, approvado.
|Rhetorica
Alfredo Mameliano de Castro Quintaes, appro-
Slli'vado.
f Uancisoo do Paula Leiva Junior, idem.
Gerrasie- Pires Fioravaute Ferreira, approvado
I? plenamente.
Z e de Carvalho Scares Brandio, approvado.
TUaeophilo Torquato de Araujo Saldanha, idem.
I Joaquim Jose Correia de Araujo, idem.
Antonio Gitirana, idem.
Heraclio Gitirana, idem.
Jos6 Gitirana, approvado plpnamente.
Luiz Augusto C'urneiro de Albuquerque, appro-
vsado.
Alfredo A. Gama, approvado plenamente.
Caetano Correia de Quciroz Monteiro, approvado.
Manol Guilberme dc Athayde, idem.
Jose Candido Dias, idem.
Raymundo Cunha, idern.
.s u31aBoelt Ephisioc de Queiroz Monteiro, idem.
1beprovados 4.
'Geograpllia
0 Jio6 Nogueira de Souza Fillio, approvado plena-
mente.
Franuisco de P.ula Leiva Junior, approvado.
l Laiz Jos6 Burlamachi Monteiro, idem.
S Alfredo Drummond, idem.
p Antonio Miguel Nogueira de Souza, idem.
Arthur Cavalcante de Ambuquerque, idem.
Juvo Luiz dos Santos, idem.
Godofredo Moseoso da Veiga Pcssoa, idem.
7: Aristheu Pinhciro de Mendonua, idem.
Julio Pires Ferreira Sobrinho, approvado plena-
mente.
Thomaz Lins Caldks Fillio, idem.
Firminmo Antonio de Souza Vianna, approvado.
Espiridilo Buarque de Lima, approvado plena
mente.
Iabio Rino Filho, approvado eoan distiucilo.
Horacio H. Carneiro Leao, approvado.
Irinen Erasmo P. Jutuca, approvado plenamente
| Vietoriano Rigueira P. de Souza, iden.
Joaquim AndrA Bentren, idem.
Reprovados 7.
p "Hlisto'ila
... Joo da Costa Ribeiro, approvado.
fcAifredo Drummond, idemin
S Manoel Gvinalves Limna, idem.
Sanoel l'loiicarpo Moreira de Azevedo, idem.
: Luiz Correia de Queiroz Barros Filho, approvado
plenamente.
SManoce Ephisio de Q.tciroz Monteiro, iden.
Irinmeu Erasmo P. Jutuc:i, idem.
C( Jos6 Marianno Carn miro Leao, approvado.
^ Victoriano Rigudira P. de Souza, idcs.
Alfredo A. Gams, anprovado plenamente.
|^ Joaquimi Aidr6 Bentren, approvado.
SPbiloMophia
| D. Maria Amelia Cavalcante, approvada,
| Jogo da Costa Ri eiro, idem.
Joao Carlos Camboam de M. Vasconcello?, idesn
SFirmirno Ant,-nio do Sfuza Viarnna, id m.n
i; Jos6 Marianno Carneiro Leao, approvado plena
IS: mente.
Vietoriano Rigueira P. de Souza, idem.
I Alfredo A. Gama, idem.
Bernardo Sampaio, ides.
Reprovados 3.
-;, Arithmetica
Diogo Salomonio A. Maranhao, approvado.
Joas Paeheco de Queiroga, idem.
Luiz Jose Burlamaqui Monteiro, idem.
Joan Carvalho Snarea Brandilo, iden.
i ; Manoel da Costa Ribeiro, ides.
11/ Antonio Espinola Ferreira de Oliveira, ides.
:j| Virgilho Cicero Camneiro Leao, idrm.
S SJow Ricardo de Souza Bandeira, idem.
IEspiridiao Buarque de Lima, approvado plena
mente.
Manoel Ephisio de Queiroe Monteiro, ,deo.
11. Joaquim .Andre Bentren, appeovedo.
R- Reprovado 1.
|p^1 ,- .* leoBmeftua
ID. Maria Amrlia Cavalcante, approvada plena
nmente.
1^. Francisco de Paula Cysueiro Cvalweaute, appro


vad-o.
^ Di0go S alomouio A. Maraabho, idem.
SJoao Pacheco de Queiroga, idem.
1 Jo da Costa Ribeirc, approvado plenamente.
SMano de Barros Bezerra Cavalcanate, approvadc
S Gedofredo Mascoae da Veiga Pessoa, idem.
Siero Martins Pcsoa, idem.
aael Ephisio de Queiroz Monteiro, idem.
Itz Ersmo P. Jutuca, idem.
S Lyftrgo Narbal Pamplona, idem.
S Jose Marianno Carneiro Leao, approvado plena
monte.
Viceriano Rigueira P. de Souza, idem.
Manoel Gongalves Lima, approvado.
Joaquim AndrA Bentzen, approvado plenamente
Beasrdo Sampaio, approvado cornm distinegao.

V al& Amelia Cavdlcante, approvada cornm di

Oo'-tda Costa Ribeiro, approvado.
W-god da Costa Ribeirof idea.
imnpwo.approvado plenamente,
30tWmnoP. Jutuo, approvado.
:vado., e om distincoe 3
iados pleusmente 54
A va 70


lists, por ignorar o
do Sr. Caetiano0 Cor-
6 fizaime foi bern

fureso Antohio
g- exams de franeez,
#IetoMc64 Mae cajo
eowes do Sr. Caeot-
iw ^ruits4t;.~


-H


o adiiMnatnNado4. utla] :,vi public a quem tetrena r em4. deace11
co a lei do crocamcto, ea vigor, w msarado o
prazo de 30 dias uteis, ontados a del datat par,
indepcndente de multa, serem zecolbidas aos coo
fresh doeta repartiglo as importance relatives w
1" semestre do exercieio eorrente de 1884-85 dos
seguintes impostor provinciaes :
Taxas de repartio
20 0/0 sebre estabelecimentos nmo eomprehen-
didos no perimetro das taxas de reparticao.
1:000A por casa de garmutia de bithetes.
1:00, A per casa que vender bilbletes de outbis
provincias.
2S500 por tonehlida de alvarenga, e 205 por es-
cravo-empregado no serving de magarefe ou esatl-
vador.
Consulado provincial de pernambuco, 24 de de-
zembro de 84.
Francisco A. de Carvalho Moura.


Gyinnasio Pernaumbucano
EM 20 DE JANEIRO DS 1885


Pela So.-retaria do Gymnasio Pernambucano sae
declara aos Srs. pais de familiar, e A quernm mais
interessar possa, que a abertura solemne do cutrso
scientific e litterario terA lugar no dia 3 de feve-
reiro proximo vindouro, e desdejA se acha aberta
a inscripAo da matricula pars aquelles que pre-
tenderem estudar as seguintes disciplines :
Lingua national.
Dita latina.
Dita franceza.
Dita ingleza.
Dita allema e italiana.
Geographia antiga e mnodcrnia.
Historia sagrada antiga e inoderna.
Geometria
rithmnetica.
Philosophia.
Rhetoricas e poetic.
Historia e corographia do Brazil.
Scicucias naturaes.
Descuiho.
Gymnastica.
Musica.
0 corpo docente do institute e composto de 19
professors, occupando-se cada unn d'eiles soiwu
te com a material ensinada cm sua respectiva ca-
dcira.
0 institute acceita alumnus em trez cathegcrias
conforne se achain divididos; pensionistaia ou iu-
terros, meio-pensionistas e ext(rnos.
Os 3pensionistas residirlo no institute, tcndo
iireito de estudar as material de que se okliwpe o
curso easinadas, segundo o programmed estabele-
cido: a ser aliinentados sadia e abundantcmnente;
tractados emi su;>s cnf-rmidaides pelo medico do
iatstitnuto, fo-ueceindo Lie tambeim cs tec medicitanc
to; a te roupa lavada enugoinmada regulari-amn-
to duas vezes pnr semana, banho etc.; tud', isto
pela modica quantia de 4006 por anno.
Os meio-pensionistas se apreseutarano t esta-
beleIamnento nos dias lectivos, A hara emn que as
atilas s .,bLiriem e desde entito atA screm encer-
radas ai tartle, sao equiparados aos intrinos, tvn
do como estes os mnesmos direits o quato a o estat-
do, alinmrnta.lo e recreio : isto pela mnodica ,,ua-
tia de 2405.
C's externos s6 tern direito As lilies c expliea-
cues das materials ensluadas no curso, qunaRsqwtr
que ellas sejami, pagando apenas no acro da ina-
tricula a taxa ignal a que again os alumnis no
Collegial das artes.
Os aluaianos iuternos dcverxlo amresentar o en
xoval prescripto no regimento inerior v rer cnr-
respondente na capital, para coin promptihio satik-
fazer as peoascs e outra qualquer despeza do que
tiver elle necessidade.
As pen.r's serao pagass na secretaria do insti-
tute, per trimestres a-li-tntads. :-
0 secretanrio.
(elso Tertidiao 14 Q.-tatella.
2.a see8-,. Seeretairia ,IA l'resirdencii: dc
0... ,nnmbIe e.m 2d Oi' .an. e.no;r det 18 ,5.--eI o nr


dem do S. E'-. o 8r. pr sideniite da provinrcia, faco
public que lr port;,ria de hojo fui nomn.ado o
cidadilo Baldoino Amnand* Freire p ra scrvir pro-
visoriamente o officio de 2 tabellihc e annexo do
termo (de Lainabe.
0 sreretario,
Judo Augusto de Albuquerque Maranhwdo.
0 capitao Joco Carolina do Naschnwnt),
jniz de paz do 3" uanno em exereicio nes-
ta freguezia de S. Jose do Recif, em
virtue da lei, etc.
Fa,* saber que no dia 23 do e'rreunt, (A rua do
do Vivoiro do Muniz a. 8, p'las 10 borus dh uma-
on!>, seraioarrcinatadosetn pra"a publica, 7 aniina.'s
suinos os quaes toran apprehendidos pelo fiscal do
2 disiricto desta fregauezia, podondo os seus donos
compareeeram, que pagando a mult a lh seraLo con-
tregues.
E para coustar ma-tdei fazfr o pre.enite para
ser affixado nos hlugares do costume e publicado
pla impreasa.
Dado e passado nesta treguezia de S. Jos6 do
Rliecife, aos 20 do janewro de 1885.
Eu Josx Gonualves de SA, juiz de paz. es-
vrevi.
Joao Carolino do Nascimento.

Faculdade de direito
De ordem do Exin. Sr. con melheir director deela
roque no dia 27 do corr'ute camccari a ,inatricula
para as aulas preparatorias, e poderA effectuar-se
at6 o dia 9 de fevereiro (por ser o antecedent
domingo) independent co despacho do mesmo
Exm. Sr. conselheiro director.
Desta ultima data em diante at6 o le de abril o
alumni qne quizer matrieular-se deverA jastificar
perante a directoria os motives que o retardaram
naquelle acto.
Nenlaum lumno podera metrienlar-se nas aulas
de rhetoric e philosophia s em que exhiba docu-
mento que prove ter aprendid ) latim e francez,
nem na de geographic e historic sem que mostre
saber o trance.
Nas aulas de linguas a matricula sera permit-
tida t6 o fim de julho, e todas as alas serao
abertas no dia 3 de fevereiro proximo -vindonro,
de conformidade eon o art. 16 do reoglamento das
aulas preparatorias, sondo o respective horarib o
seguinte
Latim, de 1 is 8 horas, na 2& sala.
Frances, das 2 u 3, na sala.
Ingles, das 3 As 4, a la sal
Geographia e histories, de 1 as 2, na 1"a sala.
Rhetoriea e poetics, das 2 6. 8, nua 1" ala.
Arithmetic geometric, de 1 is 2, na 3 sala.
Philosopbisjd 1fls 2, as 4" sla.
Secoetia d Faeulda de d Direito do Recife,
19 de janeiro de 1886.-O secretario,
Joe Honorie B. de enees.
0 Dr. Adelin Antonio d Luna Freire,
ojfcial da imperial ordem da Rosa ejuis
do cireito Priativo de oorPkh84e awsentos
naesta comarn o Recife, por Staa Ma-
geatade lImpueial e Cowsatitucwa o Sr.
D). Pedro A, a qum. DMnwr-&vd


CO1WNIE 1"RANCAISE.


116,fl -.-'ai'-'1-.u1*


ii'-


fran ss ss$ie Z4

courat k8 heures #a

soir I hotel delTkro-

pe.


wt -Jm "A


I


Franeieo Martln* Ferreira
A presidencia desta sociedade, sentida pela
minorte do seu prestimoso consocio effective Fran-
cisco Martins Ferreira. manda resar uma miss
per sus alma na. igreja do Easpirito Santo sexta-
feira 23 do corrente, as 7 horas da wanba, setimo
dia do sen passamento, par, cuo actor convida
tod.,s os socios, parents e amigos do finado.
Recife, 21 de-janeiro de 1885.
Minoel Bandeira Filho,
_________ l-seoretuaci.
'The aiEari dFazeiadde
Peraaiflew
Do ordem do Ilim. Sr. inspector faco public
que tic.e prorogada pars o dia. 29 do corrente a
concurrecia aso arrendamento de urnm rmazem
alfanlegado para deposit degrneros i4i6amma-
vns, afir de que possam os concurreutes apresan-
tar a competence plant, devendo ser o dito arma
zem intciramento imolado d'outra e qualqucr edi-
fieCaCo.
Th ,souraria de Fazonda de Pcrnambuco, 2(0 de
janeiro de 1885 0
0 secretario,.
LuIZ Enaygdio P. da Camara.


Club Carlos Gmes
Assembla geral extraordinaria.
Niio se tcndo reunido numero legal de socios.
sai. miuvain-nte cutvidadus para quiuta feira 22,
As 7 hioras da noite, funceimnando,), cnm 6 nuinero
qui, compareer, c m preceiriza o.2- do art. 18
dos iaossos estatuta s.
Sceretaria do Club Carlos Gomes,. 19 de janeiro
,e 15M-.


David F Porto. B6ar,
2" secretaryh.

Imperial sededade
DOS

Artistas Meehaieos ce

Liberaes
ELE -0O
Para a eleiqIo dos inmmcbroa da directria0 do
corrente anno% convido, de ordemf do Sr. 1-
aijttw'o' n exereicio, a todosa. (a i-nhor'es s,-
el-s effectivos quo estiveremn nas eotuliqces pros
cr'iptas io art. 51 dos estatutos, a .e reunuirem nti
.-e e social doing( 25 do coerrentm, As 10 lioras
da rnmuhl, pera o tim aciuma indicad),.
Scgund6 dispuc o art. 50 doe estututos devia
tyr lugqr esta sespsilo no di a 20 d9 eoraraeta, a quai
ito se efffuou em couskfqfvlna" ui ea Oft
ta do anniversario ter t0ido no dia 1.
Secretaria da imperial soeiedade dos Artistas
NMelhanicos e Liberacs em Pernainoeo, 2U dL
j.oueiro de 1885.
Francisco da Ccwta Rasios,
I socretaria.

Faculdade de Direito
If) ordemin do Exmn. Sr. conselheiro director fao
public o programmua quo deveser'-ir nesta Facuil-
duide para os exarmes genres do prepatonros no cor
re-ite anno, organisado p -+ directoria da instrue-
qao primaria e secundaria do municipio d;a Corte
'c approvaudo par aviso do Ministero do Imperio
d. 29 de dezembro ultimo.
Seeretaria da Faeuldade do Direito do Uccife,
20 do janeiro de 1885.
0 secretario,
SJosd tH. BeJerra de Meaeczes.
POZITUGUEZ
Prova escripta. CoinposigAo livre foita pehl)s
I andidatos sobre o assumnpto que a sort desigunar
d'.ntre os organisados pela comi.nmissao- Este as-
sumrnpto pode consisair em dtscrippues faces de ob-
jiectos ou factor eonmmuns. Os pbntos serao dia-
riamente renovado4 omL numero de seis.
N. B. Nesta prhva e commissiao dever:- atten-
der A r ,lae.Ao, A' cnrrce,!io de phriso e t at ) iio,
(,I incnor d.-.seivolviIn'-iIt (I) do :3.U:iijt(.
Prova oral -L-iturt e anailyse *lettil t "c!'io II
radio A sort deA obrats el;issie sorteaduae ,;ti:a,:
di;ns antes do comt'neo doe oxames.
N. B1.--Os examniuaIlurs dividirlo cutro s1 o
trabaiho dl msin ) (ji i o c.ui.lidato s.';a anr_;,iil,
sobro a exaemt. sioifi.i.l alas pal.vras o aiy're-
g.) dellas, s -Abr, n iiiterpr,'tt.,;) do) texta, sobre :I\-
questcs gramon n:ticaiwo quu so pror.ilerri-:n aoi j r-
ios c Ais ol'al5.',.
FA.CEZ
Prova escripta. 0 mesmo que p:ira o examine de
portuguez.
Prova oral.--L itura, traduea.) e antlys, de
umrn texto escolhido em algum. d:s seguiates ohras:
Regnier, Theatro Classicoa; Chateaubriand, Obras
N. B.--Um dos examinadores se ocupar4 coin
a leitura e traduegco, o outro corn a analyse
grammatical.
INGLrZ
Prova escripta. -0 ieasto qun para o exame de
portuguez.
-Prova oral. 0 mesmo quo pamra oexame do
francez em relate ao s segniatef lirros : Macau.-
lty, Obras; Milton, Para*,c Perdido.
LATIM
Prova eacripta. TradueoAo pura o portugnez
de um trecho do 10 linhas, pelo menos, escolhido
em umadas seguintes obras : Horacio, Odes on
Arte Poetica ; Virgilio, Eglogas ou Eneida ; Cice-
ro, De Officis ou Oraomes; Cesar, De Bello Gal.
lioo.
Prova oral.-O meEmo que para o exame de
francez quanto as obras supra designadas.
GROGRAPMIA
1.-Crosta terrestre, formglo da terra, eompo-
siao da cromta terrostre, rochas, diviao gerldaa
reciua, sus cu"p:0 ico, iatureia do-solo, fosseis,
teminmotos voieoes. ; :1. ..1:11"- ,
k-Foriha appeaete 6 real de terra, movimen
ta,.grandesa de 'ma sperfiole. )Otiem"91O. Re
dAo &tera, carta- e aboe. "qua-oV


Im =do EgtodaUOidW e MO~exio. 11:*;'11
1l-Idem4 du ighaterra, Nova Bretnba ae Tero

11 .-Ideta Hasueeia, Ncruega e Dinamarea.
12;- idem da Framns. a
13&.-Idemn da Alloiaih e Austria.
S14. Ide& da ei Suissa e Hollanda.
K5\ IdemR do 4.otugal.*
16.-iklrdi Aespan .
17..- a1u'd Gsciea, Rusia e Turquia, dos
przcipdoeibli^ Europa.
r18.-Idem rdr ai 4 ii e Arabia.
19. -Idimtdo1 d o .: e do'Cha.
20.-Ide da Ohlna"e Jipao.
21.--Idea daAica Occdmtal e Central.
22.-4dsm da Africa Oriental e Austral.
23.-Ides da Africa do Norte,-do Egypto, Nu-
bia e Abyssmia. -
24.-Idem, daI Masaia, Australia e Polynesia.
Coroymapia do Brazil.
1.-Generalidadea e provincia do Amazonas,
limited, popalalo,. produccoes naturaes, commer-
cio, industrial, diviaso judiciaria e ecclesiastical a
qua pertenoe cidades principles, faetos historicos
e personagens main notaveis.
2.-Idem e provincia do Para.
3.-Idem e provincia do Maranhio.
4.-Idem e provincial do Pianhy.
5.-Idem e province do Ceari.
6.-Idem proviacia do Rio-Grande do Norte.
7.-Idem .e provincia da Parahyba.
8.-Idem e provincia de Pernambuco.
9.-Iden e-provincia das Alagoas.
10.-Idem e provincia de Sergipe.
11.-Idem e provincia da Basia.
12.-Idem e provineia do Espirita-Santo.
13.-Idem e provincia do Rio de Janeiro.
14.-Idem e-mnmieipio neutron.
15.-Idem e provineia de S. Paulo.
16.-Idem e provciaa do Patrau.
17.-Idem e provincia de Santa Catharina.
18.-Idem e provineia do Rto-Grande do Sul.
19.-Idem e provincia de Matto-Grosso.
20.-Idem e provincia de Goyaz.
21.-Idem e provincia de Minas-Geraes.
COSMOGRArHIA
(Nao- eatra em prova escripts)
Nebulosas, es4arelas, planets e coimetas. Movi-
inmvnto dos astros noespaga. Cireulos da esphe-a.
Estas5es. PosiWo da esphera e dias. Eclypses.
N. B. Na provas oral o cauilidato serA arguido
por um dos examinadores sobre es'es puntos de
c osmographia iara as demonstraaoes ein appa-
relhos.


HISTORIA
Antiga e media
1.-Autiguidade do) homem sabre a terra, tra
diqoes biblicas. Vestigios do period lo pre-hietori-
co. As grades civilisagoes antigas, raias cultai
c incultas, rac e historlicas. Sua distribai9ao pela
superficie da terra.
2.-Nocoes 6umtnarias (natureza do paiz, rata,
principaes factor historicos, civilisagio, influencia
aalativa) sobre os a.tigis chinezes, egypcios, as-
>yrios, babylonios, pheinicios, judeus, hindous, m6
dos e persas.
3.-A Greei- at6 a invaso d.rica territoryo,
raga, influence dos phenicios o egypcio3, estado
social do period heroico.
4.-Da invade dorica As guerras medicas-Ila
hegemonia de Sparti. Lieurgo e Solan, Pisistrato,
reforms de Clistheqnes.
5.-Das grerras medical A guerra do Pelopo-
neso.-Hogemonia de Atlhmaas.
6.-Da guerra do Peloponeso aso tratado deAn-
talei.ia--2alhegemnonia de Sparta.
7.-Preponderancia ephemera do Thebas He-
gemonia da Mace lonia.
8.-Suceessoores de Alexandra at6 a anaexaalo
d, Grecia A republican r.mana. -.
U .-A vila dos greg,,s, civli9'itL), sexs elnse1i-
tos, relases corn a civilisaiuo ormentaJ, influencia
-eobre o futuwo da hunmanidade Letras, sciencias e
arts. 0 seculo de Pericles.
10.-A Itailia autiga.lsens prim .ires hahitattes,
instituic,'Zs primativas, reformnas de Servio Tullio.
11.-Institui*o da republican, oa patricios e os
plebeus, conquista da Italia Central c Meridional.
I1.-A republics senhora (tdo Mediterraneo Oc
cideutaL Destruieao de Carthage.
13.-A demnocracia e a dietadura em Roma, In
tas intestines, expedioes ,abilitares.
14.-O Cezaurieao, aniquilamento do partido re-
publicano. AunexaAo do Egypto.
15.-De Augusta a Commodo, a vida dos roma-
nos, eivilisagAo, letras e artesuo seculo de Augusto.
16M Reorg-mnisa.Ao do Imperio. 0 absolutismno,
r'forxias de Dioeleciauio.
17. Constantino e sous suceessores ate a divi-
sAio do Imperio ein 303.
18. 0 mundo romano e o mundo barbaro. In-
flmencia da civilisaAo roman e do christianismo.
19. -Primeiro e s-gundo periodo das invasees
dos barbaros, estableeimento destes nos diversos
paizes da Europa.
20.-Queda do imperio do Occidente. I npe-io
do Oriented, nsua civiisagao.
S21.-Invasbo arabe. Mahomet. e seus successo-
Sres. Extensaio do domipio arabe.
22 -Clovis e CarlosN Magno, imper'io fr,'-o-ro
n' mt-ino.
2 -Fcudalism.), dhs -nvolvimeat') e reijirml s.
hinp;-rio romanoL aileC.io. 0 sacerdocio e-.> period.
-4.-As cruzzads, nseu resultados.
2) -Pri-ogresso d a civilisaa!,) do seeulo IX ao
XIII (fettras, artes e sienacias).
26 -Rivali lado entro a Franea e. a Inglaterra,
c;altss e ,resultados.
27. Moang6s e "rareos-Otton intrx Toums la de
Comstaitinopl't.
Modern e cm)ntemnpra.a
1.-A Europa geographica e political no tim d
saceulo XV.
2. -Fran'ca e Iaglata ra,preponlerancia da rea-
leza. Luiz Xs -Guerra dasA-duas rosas ate Henri-
que VII.
3. Hespanha e Portugal. Nova derrota pars as
Indias. Descobrimento da Ameriea.
4.-Gunerras na Italia. Rivalidades das casas
d'Auatrnia e Pransa.
5.-Lettras, scieueias e arts no seculo XVL.
6. -lRfmuna protestan'o Felipp II da Hespa-
nha, Isabel de Inglaterra, Henrique IV de Franca'.
7.-Revolwhcio de Cromwell. Desenvolvimento
do powder maritimna da Inglaterra.
8. Paz de Westphalia. Richelieu. Tolerancia
religious. .
9. -Hespanha e Portugal no sealo XVII.
10.-.Preponderiacmia da Franga. Guilherne III.
A Ruassia eotrae as nas europas.
11.-Sciencias, lettras e artes no seculo XVII.
12.-0 reins da Prssia, rivalidaJe corn a Aus-
tria. Governor da reganecia e Luiz XV em Franqu.
Portgaigl e Hapankas no Asulo XVIIL
I& -Beiencias lettm a e artes nj seculo XVHI.
14 !-Z tvolB to fra-eza. Assemble eonstituin-
to, 1 gis$ativs e couvengbo nacional.
I! k-.-freotor, conamulido e imperio.
~-tmuci~~d cona lepanholes.
^^VII-jalo Xe. Fr?1|pnSgs. For-
Bbrfdo reino da4reia odiJe1~ieti.
eeto d monarchia em,
a.v import. ahlemo. Regimen republi-


adm401- jo w dde O-ewem
<:1^?^1 *M 1~~s A ajceia

ri e pychologicos
Enm44e000cao edltis~no >d aww outro&.
.-Thoois da faculdadi ds alm, mrodo de an
leterminaw. DisA e wsubdwisae das faeuldades.
5.-t-eunsibihdade cm gerak seas characters e
suas fornass. Sesibilidade physical, sous produc-
ton, sei lugar in ordem do desenvolvimento das
faeldadus.
6.-Seasibilidade moral e inftileetual, condico s
do respective deasavolvimentoo Affeiuesa e sen-
timentos.
7.-Oque 6" a intelligencia.. Suas divisoes e
subdivisoe. Caracter e alcance-dessas divisbes e
subdiviaes.
8.-0 que e a idea. Ciassificaao das ideas.
9.-0 que 6 a perceplo external. CondigAes do
conhecimnoto do mundo externoa matenrl. At-
teingo.
10.-0 quo A a percepgAo racional ou razlo.
Noges e verdades primaries.
11.-Origem e iformaao das ideaw.
12.-Defini a e divisao do juizo e do raeiocinio.
13.-Memoria e associaoplo de ideas. Qualida-
des da memorial. leis de associagao. Relaqoes en-
tre estas operaV os.
14.-AbetraeqAo, generalisanAo, imaginacuo.
15.-Linguagem e suas differences formas.
16. -O que 6 actividade, o qu e a vontade, e
quaes seus caracteres.
17.-Demonmtraglo da liberdade. 0 fatalismo.
18.-Provas da immortalidade da almna.
Lo.ica
1.-0 qu e 6 a logical. Suas divises.
2.-Methodo em geral. Analyse e synthese.
3.-Classificacao das sciencias no ponto de vista
do sujeito, do object e do method.
4.-Methodo inductivo, ana'!ogico e hypothese.
5.-Methodo demonstrative. Axiomnas, defini-
coes.
6.-Syllogismo.. Formasde arguraemontagao que
se reduzem .s syll1gismo.
7.-Proposic*o. Suas species. Opposieo, con-
versao.
8.-Verdade e evidencia. Certeza.. Possibili-
dadr,, probabilidadc.
9.-Et.,os hum mnos.. Causas e remedies.
10. Sophismas. Suas especiea. Autoridade
do testeinnho humanto. R -gras du aritica hiisto-
rica.
Mbral e tlheodica


1.--O qae c a moral, sen futdainemto, critics das
opiuniSos.
2.-E:n qae consiste a s e8aoa s da itoral. l)if-
ferentes espcies- tae sntle.To.
3.-Deveres di omt'ma para comsigo.
4. -Deveres do hmoeun na familiar.
5.-Deverea do h)imein na sociedade.
6.-Deveros do hominin comeno cidadieo.
7.-Devcr'-s '1t) bhneiia parsa. coin DI-us.
8.-lIla do DRus. Attributetos tic Deuas.
9.-Pr-videncia divina. Atheisiso, Dualismo.
Polytheismo. Paitlieisrno.
iuMroiOuCA
1. Eloquencia, seu character's. Divisies d.a
eloquencia. Rh-tori.:a, seu object. Inportancia
do estudo da rhetoric e stuas dviS.
2.-Invenilo.- siu object. Argnrtentos, pai-
xoes, costumes. Regras da inven a'x
3. DisposigAo, parties do discurso. Regras de
cada mmn:a das parts do discurso.
4.-Elocuioy.estylo. Qualidades geraes e par-
riculares do estylo. iR-gras.
5.-Tropos e-figmras em geral, differenqas e di.
visSes g*racs.. Exemplo de tropos e figure.
6.-Eloquetncia political. Seu character. Kegras.
7.-Eloquencia judiciaria. Seu earacter. Re-
gras.
8.L-Eloquncia sagradA. Seu caracter. Regras.
9.-Elhoquencia acad:mica. Seu.caracter. Re-
gras.
1U;-Geacro hiaterieo ou narration. Seu carac-
tear. RAgMs-9 --. .
11.-Ranianco, contto, novella.. Sea character.
Regras.
Poetica
1.-Poesia e petica. DUiffrenrca entire urma cou-
sa e outra. Regras eais -iciaes do versificagao.
2. -Genero iyrieo. Son caraeter. Regras.
3.--Genero epico. Sea character. Regras.
4.-Genaro dr imitico. Sou character. Regras.
5.-Genero epigrarnmatico. Seu character. Re-
gras.
6.-Poesia di&lictiea. Sema ,eta.ctor. Regras.
7.-l'oucsia elegiaca Seut ertcter. Regras.
8.-i-o'sia pastoril S-u c:imecter. Rtrgras.

i 1.-Numieranlo cm geral e especialh-nte a de-
,cimal.
2.- ,:idi.&cio e subtracq0>- dos nuamcros inteiros
Multip:itaclo e divisao dos-utmneros itateiros.
3.--,racq5es ordinaliais, Pril-i ipi-)S fundanCmn-
taes.
4.-Redu.elo das f'aceeso ao inesmo denomina-
dor, in nor denominador. ceomauia
5.-OporaV5es sobre.as fracqcos ordinaries.
6.-Divisibilidade dos. uamnros. Numorot pri-
mos.
7.-Maxiino comrnanm divisor. Sinplificacao das
fraeases.
8.-Frntacqc's deciiaaes c suas operac5us.
9.-Q:uialrad) e raia q'ridrad:x dus nuneros en-
teiros e d-it fr.ae:re3.
10.-Cui).)., -. I;a;ia ebi:.t ilos itnncr iiLt-ros
e das frac;:c.s.
11.- Sytet a iastric, ,1-a i';nil.
12.--Ei i~;~fIZa;;.-.a. Uegr., d," ,escojito.
13.- Pr ), );,ros.
14.-R'ri- dLit' trust, samples einpi-rit;i..
15.-U- r t'- di .j>i r,,s, iiliples c-i i,o a.
16.-Praogv'>-.- s p ,r .L 'ffor,:;.i.
17.-Pr>iogiesaScs 1p ,m ({i'oci.m;re.
A:.;;B}:Li{.V
1.-Sigtaos emnpregados ein algebra. 'Terios si-
milbant ms. AJdiao e subtracnt algebrica.
2.-M'iltiplicaib;o algebrica. Casa particulars
mais communs. Divisao algcebrioa e snas conse-
quencias.
3,--.Operacao sobro o:s f.c;5_s aligebricas.
4.---rheoria elementary do maixim i comninum di-
visor algebrico.
5.-Nogoes gcraes sobre oqua5.es. Desigual
dades.
6.-Resolugbo das equac5es do 1 grQto a uma
incognita.
7.-Resoluh o das equaaV-s do 10 grAo a duas
ou mnais incoguitas.
8.-Problemna dos crreios e suas diseussuos.
9.-Anaulyse indeterminada do 1 grAo.
10.-Quadrado e raiz quadrada das quantida-
des algebricas.
11.--Calculo dos radicaes.
12. Equaqmes do 2 grAo a uina so incognita.
13.-Theoria elaemenutar dias eombinaOcs.
GEOMETRIA PLAB.A
1.-Theoria das perpeudicularea e obliquas.
2.-Theoria das parallels.
3. Triangulos.
4.-Quadrilateros. Especies e propriedades.
5 Polygesos em geral.
6.-A recta em relagbo A circuamfrencia.
7. Media dos an" ulos.
8.-Tnuangulos sinailhantes. Proprie-Jades espe-
ciae do triangulo rectangulo.
9.-Polygonos nim ilhantes. Circumfereneia, sec-
cantos.e tangents.
10).-Po lygouo inacriptos e ciroumseriptos no
*ei PAoai1:ia',o e lados des oygm regu-


Dito toile n qcrqnpcr, !-.
Dito imitta !b'rrAo h flr, tbslh.
Pl':ait seceoutta Im.rar. ,opmilor, id in.
D)ito di enilmril,,io buA, denm.
leolr: ;o'me, ki
P. s do vira'- ,ool.i
I';aj!<:l t.'xiscn psixcUalf,.u:t^La.
I)i:o :-Shinaoz, ,hs.
P>ii-.iaj ,s dr foag,, gro-a.
Diatos uic latAo, ei.-
'.air, dits c(.I, p I-ns, un.
l'i,-Ie, lhtra.
i'(} ,ti liroA-, grami:a -.
Pinecis chatos redualos sortidos, urn.
Ditos de peia sortidos para pintumas, idem..
P6s preto, kilo.
Preto cortigo, idem.
Dito marfim, idem.
Prensa para copiar, idem.
Pavios para candieiro, idem.
PAs americanos, idem.
Plains corn dois ferros. idem.
PNo de ouro francez, litro.
Pinceis Balorinho (para ouro), um
Penuas Mallat exafiaas -, 10, caixa.
Picaretas de ferro, uma.
Pinceis para copiador, urn.
Pennas de desenbo, cartao.
Quartinhas, uma.
Rouxo tUrra, kilo.
Dito rei, idem.
Raspadeiras cqbo de marfim, unra.
Serrotes grades, urn.
Sabonetes, urn.
SobresalIentes de matt borriA oylindroQ 0,09, urn.
Sulfate de maguinesia, kilo.
Soda, kilo.
Steccante fezes, kilo.
Solda de estanho, kilo.
'golda forte, kilo.
Sabao amarello, kilo.
Sola inglaza, kilo.
Sandalo, kilo.
Sinetas, kilo.
Tinta A tampom, fraseo.
Dita carmmia, frasco.
Dita dita, pao.
Dita preta (blen black), litro. ,i
Tinteio b do vidro, urn.
Trena. do fio metalhco do 200j' a 30,01, was.
Tvixa de cobre, maseo.
Dita~ do hsti., nauu,
Tra* do mi*t e rose uw.
^^oMi" uis gn es, ua*S ..


jrms i ud cobfe, kilo *l:'\l^*s'^^.^:we'-f<'?.!, 1'
Milodelata, ideM /"\'f' :-, '
ito do, sinco idemt.
lk dlo da Bahia, metro.
po de Milo, kilo.
mbg -raz, litro.
Mvaiade de zinco, kilo.
kito de ehumbo, idem.
itei pars moldar, barr miena.
ITvaunea culgadas de aco, urm
aeite de coco, litro.
)ito de peixe, iden,
Lumwerllo francez, kilo.
L#IfmO (tinta,)idem.
Bones, umn.
iandNiras imperiaes corn dous.-pimom, umsa.
loceas para candeeiros, um.
larbeate greosso e fino, novello.
Brochas chatas e redondas sortidat.
lorracha em lenqol, kilo.
Cadermetas em branco papel alms> pautado 50
folhos, uma.
)itas dle ponto ( conforme modeIu)rideB.
Canetas de madeira, idem.
Canivetes bonds de duas folhas, urn.
Caixasoin colchetes n. 2, 3, 4, 5, ,1Bn.
Cestas para papeis idem.
Cola da-Bahia, kilo.
al pretax, alqueiro.
Caves inglezas, uma.
Carvao de ferreiro, kilo.
hanmines parna. candieiros, umn.
Candieiroa- para kerosene, idem.
Core em leneol, kilo.
Cadinhos um.
Cadiados grandes patentes, Hidem.
Ciscadores grande, idem.
emnuento Portland, barrica.
hliavcs do pairaifusos de aco, umsa.
Dita de dita francez, idem.
Cord de hiulho, peca.
Cannos de ebumbo, kilo.
Chumbe de barra, idem.
Carimbos de borracha para data, umn:-.
Cadeiras anstriacas, uma.
Copes de vkiro, urn.
Cre, kilo.
Dobradigas-du latao coin parafusos, par,-.
)itams de frvro corn parafusos, par.
Enechadas de ao, una.
Escarradeivas do louga, uma.
Espihadolws de palha, urn.
Estaniho, kilo.
Enx6s cum martello, uma.
Espirito de vinho, litro.
Eunvcloppes quadrados marcados, cento..
DitOs pe'queinos sa'm murca, cento.
FardetAto de panno para guards, urma..
Fcchladtnra dte latao para gavetas corn ptafusos,
unia.
Ditas de f'Sro corn parafusos, idem.
Ferro sueco sortido, kilo.
Dito dito irag ez, id-'m.
Ferrolhos dv latio para portas e armarofes, nun.
Ditos de ferro para portas e armarios, ides.
Farro em k-ntol, kil.
Fulces natrouitaes, uma.
Pormoes s6rtidos, nan.
Ferros para suldar, kilo.
Gomma arabiua emin caroco, kilo.
Dita dita d(ita, trasco.
Gaxata de linho, kilo.
Gaxeta patent', metro.
Indice alphabetico, um.
Isoladores carritcis de porcelain, idem.
Jarra corn torneira, ursa.
Jarrao, an.
Kalen.lataios. idcm.
K erozenue, L., t.
Lapis da-duas cores, duzia.
Latao cto leni-l, kil).
Limpa pemnias, umn.
Dita du- Faber ns. 2 e 3, duzia.
Livros eam bronco papel almago pautado 100 e 150
folhas, urn.
Ditos dgtos d;tos carr6 50, 100, 150 o-20(0 idem.
Lampeo'es para kerozene, idem.
Lixa f'anctz;,, folha.
Ditt ItAneril, fo'ha.
Lavaturio de ferro corn jarro e bacip de louca, um
Limas,. mursas, meia cauna, chatas,triangulo, in-
gleaa,.uua.
Ditas.bastardas, mcia canna, elhabs, triangulo
ingleza, idem.
Limatu-s inglez s, sortidos, urn.
Lonternas pars k-rozene, uina.
La pars pavis, kilo.
Mtta barrio cylindro, urn.
Maitados amrnricanos, idem.
Maehadinhas americanas, usa..
M,,dente fraucez, itro.
Niveis de bolha d'ar ccin caixea. sere, urn.
O0{e pars apparelho, frabco,.
Di'to de linha^a, litro.
tica amarella, kilo.
O1eo de mamuona, litro
Oleo de banha, litro.
Occa arruda, kilo.
1Progos francezes sortid-s,. ido.
Papel almaco pautado (Flaume)1, resma.
Dito dito liso para ampresaeo (commum), fulha.
Dito dito lies bom pars inpressan. f .
Papel para officio marcado cuneaae o modello-
resia.


I4i


I


fc















'^fiN~i^^861^ f~ttata^-pp reiamezej
, p ioas ws pecti rqR yiie.
-3Q M sao de priieira qualidade c entire
aw-veantemstuieit acoudiclouad uos aolms
sisiSdo on na eataalo da Chineo P'ontas, segund
t VA tip dof-&Gervi-o.
We o escriptorio enccutrar-a-hao as amostra
eO salm os esclarecimentos u, cemsari,'s. A
proposta semo abertas e lidas no luga., din e Iho
ra aeimra indicados na prescnCa dos Srs. propo
nentes que deveraio assigual-as e indicar nas tnes-
mas suas resideneias, e o fornecinmento poderA se
iajustado cor na n o lwoponente, ou parcialmente
conformne as vantagens offereeidas.
Secretaria do prolongamento da cstrada de fr-
lo do Recite no S. Francisco e cstrada de ferru
do Recife a Caruari Id de Janeiro de 1885,
0 seeretario mtertio,
Maifoel Jarvcncio de Saboya.
iRLII AN D AE DE


Nossa Senhora da Lug
Do ordem d. irmlo jaiz e de accord con
comprormniso qfie reg.- eota irmaulade, cmvido
t dos os irmnaos, ex-juiizes, ex secrbtarmos e ex-thb
souriro, i part so reuhrc;n e l vin nosso coisisto
no d,'uiiit2- 26 do corre-te, ;i 11 h.'s d4;L inailnh.
afim de caseolhertns os irn s ein que deve reca
hir a votalo ni proxin.r edlei) qut se ha d
proceder para os novos f.muccionaros.
Secretaria da irm n lade de N. S. da Luz, er2c
ta no conveatw do oCarann, 22 de ianeiro de 85.
0 sw."retarlio,
Femrrira Fraii.mt.

lndetonisadora
N.io se teilno riuni lo numero sufficicnte de ac-
cionit;!s mdesta Co(npanhia que pidesse constitui
:I assOMnblIa geral convocada 19 do corrente, d(
L.OVO e nIvid:- s aos Srs. aiccioiistlas pira o din 2-
dost moz no mineio dia no cscri1,torio da m esm
comnp-iih'ia.
0 fin da rcmivu ) c ap:*rov:t(;iLo dos Estitutos re
form'ias de coi)formiid.mie ci a a lci n. 3150 de .
do novembro dit 1882.
Rccifi., 20 de jaieiio de 18SS5.
Os directors
,Joaquiimn Alves da Fonlis'c.
Josi da Silva L ,yo .Jmior
Antoni:) da Cnhai Fern-ira Baltar.

Freguezia da Boa-
Vista
0 lise:al do 10 distrit',to da frcguezia da Boa Vis
t., si .'mitihca a.)3 Srs. prcpriet.rios d.s prcdios d(i
f .'i- 'i-zi:Aa I s rf e;trgo, ( 11p 0 lote iniida os pas-
6cios feitOs ou (juC os tun estrag.:dos, que ilihs fi-
ca ticisrLado o pras-i de triita dias, a coiatir desta
data, pitia serem elles c,,incrtid ls (.U construidos
(lo accol., corni o art. 1:) da. l.i i. 1,129 "lo 26
junho d 1873, inc:irctrelo n;i nulti ti de 20,S0),
como minda o art. 113 d;a citata hci, ;i.ji ilcs (iue
findo praso n3'11) hImIverein eonristrhuii o rjtira;i1do.
Scientifica tambem aos mnesmnos Srs. prmpicta-
rios que para cn'nprinmento do (quot' acnna flea dis
posto devem re luercr lice nca 111na. C;Utinxi;,
bastandlo provia p).irticipal It qnan)lo forc-.n sancI-
t3 ligeiros 0s r(;Iimirs dos ditis paiss-ios.
Bea Vista, 20 dej.ninro (4e 1SS5).
0 fiscal,
F.','mncisco A.i4ntio Brandao Cavalcaflc.

Arsenal de Guerra
0 colis; 111i" de otiprlis recebe propostas ate aIs
11 horas da manha ,Io dia 23 do eorreute, para a
cm;)ra dos artigos s-guintLs :
Algod'osinlio, metros 5,000
Algodao suarto, idin 20()5,5()
Algod', wiescla, idmin 4,50
Amiiaiagn, ilmn 4,80
l'riin branco impt.ri;l, idemin 500
ito pardon tratii;iad,, idem 14,774
](at.i tviicarnadia, idem 8,'2
i -mncts de servi.,o internal 227
Ditos i d diro piart recriuitisi 65
])itus para s-argento IjiI4intc quartel
rin s 'c 3
!)ainis de ha para sargeiito )ItSoes grades de metal, finos 66
('oloas douradlas 6
Estiras d1 tabuta 37
I'lanella branch de algodao, metros 17.5,50
(4:inga aiatirn;ad;, idem 25,22
(;.l1o dourado de um fio. idem 0,96
(t-Maivatas d sola de luistro 129
I1jLlanda de forro, metros 150
Ljpnos de ehita 710
Meias de algodao, pares 1,014
Man'as de la cinzentas 11
Panno azul para calqas de pracas, metros 429
Dito dito fino para fardas de sargento,
idem 15,84
Dito mescia alvadio para capotes, idem 486
Sargelim fiancez, idem 10,50
Sapatos de couro, pares 8
Tamancs, idem 68
Previne-se que nio sermo toinadas en conside-
racito as p.'opostas quo uao foreman feitas la f)rma
lo art. 61 do regulameuito do 19 de outubro do 1872
in duplicate, cjm referenci a ucm s6 artigo, mcn-
cionando o nome d commercial, o prc{,o dc cida srtigo, oas unmeros c
:narcas das amrostrtas e d-elaracao cxprtssa do se
cajeitar a multa do 5 /o caso recuse assignar o
-*ontracto, born coimo :rs de quo tratam os arts. 87
,- 88 do citado regulaimiento.
Secretaria do Arsenal de Guerra de Pernambu
c, em 19 de janeiro do 1885.
Francisco Joa'wnn de Souza,
Sccrmtario.
Sociedade Recrealiva Jnventude
Soiree bimestral em S de
fevereiro
Scientiflco asos Srs. seios, que esta soiree, prin-


'piart As 7 horas da nante.
Ingressos em m.Ao do Sr. thesoureiro
Recife, 20 de janeiro de 1885.
Manoel Bandeira Filho.
Secretario.

Saredo u Amor a Ordim
De ordem superior convido os oper. -. desta
Aug. ". Loj. para ses. ". de elei. *. quinta fei-
ra 22 do corrente, As 6 1/2 hIoras da tarde, no nlu-
gar do costume.
Seer.-. da Aug.- e-Rasp. -. L)j.-. Cap'.
Segredo e Amor & Ordem, 19 do janciro de 1885.
U. Ribeiro
S -cr.. Int.-.

Imdade oo Nossa wuoora da

koCOI8 foldos Miares
Sio convidados todas oas membros desta ir-
inandade a compareecrem no consistorio respective
Is 6 horns di- tarde, de quinta-teira 22 do cor-
rente, afimr de proceder a eieigAo dos nossos func-
-ionarios.
Consiatorio, 19 de ianeiro de 1885.
0 secretario,
L. A. de Moraes.


Go0M 8ania Theruza
Beabastecimento d'agna elIz i
cidade de OliRda

rgulapeto da ompnbhia aeaest tipulado:
-l [o: qusesquer reelam ues aeorca do servi-
00 on regularr d torneeimento
qB r r ativo e tlai ao, para screw
.... .' f vw a g feit. w t UO MO data.
~j dfrigidae merl io da emmpaphia
: ..
Al I
io


"'1


0
8
o
s


doe"r que qualquaer sa do d eusumo ou eon-
carto d'agua ou gas A dcve mea pago mediante re
cibo estandO por mim rubrisde.
Eseriptorio da companhia, 1 de janeiro de 1985.
-A. P. Sim&ea,
Gerente.

Escola Nrmal


De ordem do Dr. director faz-se public a quem
- interessar pose, que as matriculas deste curse
r estaita abertas desde o dia 15 do eorrente at6 3
o de fevereiro proximo.
Os pretendentes a matricnla do 1 anno deve-
- rao mistruir os seas requerimentjs corn cs docu
Sincmitos seguintcsd :
1 Cerridio de idade ineior de 18 annos para
homes, e 16 para senhor'is.
2o CertidIao do u no haver soffrido coudemnacao
por algum dos crimes quo motivam a pcrda da
c.deira aos ,rofessores publieos.
3 Attestado de approvaeao em exame nas es-
colas publicas do instruccao primaria.
S 4 Attestado de moralidade passado pelo rcs-
Sp.-ctivo parocho, ou pelas autoridades policies e
littcrarias da freguezia emin que residir o pcticio-
Snario. Aquelles que nao podcremn exhibir attes-
tades d c exatne primanro em alguma escola pu-
blica, dverito inscrever-se parsa os exames de
adinissito, que deverao comegar no dia 26 do cor-
rente, do conformidade comn os arta. 75 e 76 do
regimento interno de 17 ac tetembro de 1880
Para as minatriculas do 2- ou 3- anno basta ins-
truir o reqaerimento corn a certidito da approva-
eao no exame do anno anterior.
Secretaria da Escola Normal do Recife, 7 de
janeiro de 1885.-0O secrctario,
A. A. Gama.

Irmandade
DAS
Almias do Recife
A actual mesa regedora, ten.io procedido unia
rigorosa sindicaneia no patir'mcnio a cargo dest-
r'nandade, verificol a existc-neiai de um atraso de
alugiIeis na importancia de 4:423,5250 at o uilti
mno do mez de novem' ro )>r,,ximo find, figurando
ous loeatr.mos e alguns fiadorcs dos predios que
t)lo present sito convidados a comparccerem den
tro do prazo de 3- dias, a entenider-se coin (cs ir
mios juiz ou proennador geral, paria se tratar o
mneio mclhor de evitar uma liquida'ao judicial que
nIo A convenriente.
Emvista das eircumstancias pouco lisonjeirs a
da corp-iraavo tambein proscgucn-se na arrecada-
cio de outros debitos antigos de procedencia di-
verss, e que ainida n'ao se achain do todo bern
esclarecidos.
Couvmcn obbrvar que o irma'o juiz e o encarre-
gado do alugam os predios, p)odendo ser procurado
Ai rua Duquc dc Caxias n. 79). COnsistolio, em 13
de janeiro de 85.=0 escrivAo,
Juao Facundo de Castro Menezes.


ThNsnrargio do I axonda
Do ordcm do 1I1m. Sr. inspector faco public
que at6 o dia 22 do corrente m,-z se aceha aberta a
oimncerrencia do anrre-ndamnto de ua armnazem
ailf-idegado para dp'isito do generous inflamma-
v.is. Os coucurrent-s deverto aprescntar suas
proposta3 em carts s'l:hkdas e fchadas, afimn de
-sirim julg-das cm sessilo dajunta do r(ferido
tiit 22.
Thes-uraria de F;Caz-da de Pernambuco, 17 de
ianeiro de 1885.
0 s,'crnt;!ri.) da junta,
- Luiz Emygdio Pmnhciro da Can'i t


THEATRE




E:n principio do muiez vindouro, fe-vrreiro, teriA
lug;u o
Concerto vocal e Insaltrnumental
DO
Vilinista Francelino Domingos de Moura
Possolt
coin o concurso de alguns bns artists que gra-
ciosamente pr-'stainm se a coadjuv;l-o


THEATRE


SiANTO XNTIINI

Grande novidade!!
ESPLENDIDO SUCCESSO!!


HOJE!


HOJE!


Grande festa artistica
Beneficio do joven
Tito Livio, 0 Arlntos bilhotairo
Subirai a scena pela primeira vez nesta capital
a inuito linda peca em 3 aetos, original hespanhol
e imitana pelo dist.ncto escriptor portuguez o Sr.
ARISTIDES BRANCHES.
OS

Filhos de Ad Segue-se pelo sympathico e popular actor LY-
RA, a muito applaud ida scena comic
0 CARA DURA
Tenrminar., o espectaculo coin a espirituosa co-
media em 1 acto.
Maricota on os effeitos da
educao0
Toma parts em obsequio aos beneficiados o ac-
tor PENEDO.
0 pequeno rest de bilhetes acha-se no escrip-
torio do theater.
Principiari as 8 1/2 horas da noite.


HaverA
as linhas.


AVISO
trem para Beberibe, e bonds para t.odas


ABRITIXOS

United States & Brasil Mail S. S. C.
0 vapor
Merrimac
S Epera-se do New-Port-New.
anr dia 27 de janeno,
weguindo depois d demora
necesaria para
aa e lU4o de Janeiro
Pelos vapomo 60at ctMpW MI jAo-se pawa
geam para Liverpo so pr.o da s2 do .x;a
r..tia.a paa u J Lwpool 4 mB4o b..
%Ouver por vpo de 1o ladmB.
Par carg4, pama,4I ,.* e


v rfjW,.i


-S


I Linha nZal a o Havre, Li-
Doa, Perniambuco, Rio de Janeiro e

stelae"
Ville de Rio deJaneiro
-. ;- E' es 0 ado da Eure
--pa atodia 26 de ja-
Izaheiro, seguindo de-
pois da indispensavel
emora para a 1a-
aeiro e Santoe.
Roga-se sos Srs. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclamaoo concernente a volumes, que por-
venturm-a tenlham scguido para os portos do sul, afim
desse poderem dar a tempo as provideneias necessat
rias.
Expirado o referido praso acompanhia reo s-
responsabilisa por extravikn.
Recebe carga, encommedas e passageiros, pa",
os quaes tern excellentes accommodates.
AGENTS
Augusto F. de 01iveira
&C.
42 RUA DO COMMERCIO 42


kastr0-tfn arian Lloyd's Samol
Na iatin G:o

0 VAPOR
Memfi
S* E' esperado do Trieste,
ate o dia do eorrente e de-
pois da demora necessaria
seguirt para a

Bahia, Rio de Janeiro e Santos
Para carga, passagcens e cncommendas tracta-se
corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
RUA DO COMMERCIO N.
1.- andar
Comnpanhia Brasileira de Nave-
gaoie a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor
Manaos


Conmmnandante 1- tenente Guilherme Wad-
dington
E' esperado dos portos do nor-
(tc at6 a dia 24 de janeiro e
i seguirai depois da demora
I k do costume para os portosdo
:La ,Jul.
Recebetambem carga para Santo o Rio Gran
de, free modico.
Para earga, passagens, encomrmenda e valores
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46
PORTOS DO NORTE
0 vapor
Pernambuco
Commnandante o capitao de fragata Pedro
IH. Duarte
E'esperado dos portos do asul
aV t6 o dia 27 de Janeiro e
'seguir depois da demora in-
Sdispensavel, para os portos
Sdo norte at6 MauAos.

Para carga, passagens, encommendas e valores
rracta-se na agencia
46 RTJA DO COMMERCIO 46
COMIPANHIA PEUNAMBUCANA
DE
Navegacao eosteira por vapor
PORTOS DO SUL
Maeei6, Penedo, Aracaju e Bahia
0 vapor Jaguaribe,
l- commandante Costa,
a seguirm no dia 27 do
*' :'"^corrente, As 5 horas da
.. .. _. tarde.
E Recobe carga atW c
di 26).
Encommendas, passages e dinheiro a frete atW
a 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
n. 12

LEILOES


Leilao
De mobillas, pianos e quadros
A saber
Um piano de armario e cadteira para o mesmo
1 mobilia de jacarandat corn 1 soAil, 1 jardineira, 2
consoles corn pedra, 2 cadeiras de bragos e 12 de
guarnicao, 2 cadeiras de balance, 4 quadros doura-
dos, 1 espelho oval dourado, 4 casticaes com man-
gas, 24 cadeiras dejunco, send 12 brancas e 12
pretas e 1 estate envidraqada.
Umrna mobilia dc juuco pieto corn 1 sofA., 2 con-
solos, 2 cadeiras de bracos e 12 de guarniaio, 2
cadeiras de balan4o, 1 piano de cauda, 1 secretariat
coin armario, 1 espelho, 2 quadros, 1 tapete, 1
toilette de jacarandA, 2 camas francezas, 2 mar-
quezSes, 2 commodas, 1 toeador, 12 caieiras de
junco, 2 cabides e 2 etageres.
Uma mesa para jantar, 2 aparadores, 1 guard
louga, videos e outros muitos objects de casa de
familiar.
Quinta feira 22 do eorrente

A1nle P1iltO
No sobrado da rua do Born Jesus n. 49


Leilao
De 5 caixas coin mobilias de junco e ca
deiras avulsas, 2 caixas com ntremeios
bordados.
Quilnta-fera, '3 de Janeiro

AgMlot Pito
No arnazem da rua do Born Jesus n. 49
Em continuatio
vendera o meomm agente umna burra prova de fogo,
1 dita franceza, 1 carteira, 1 mesa corn prenas do
copiar, 1 balance decimal, armarios, mesa, ca-
deiras e outro moves de escriptorio.
Lellao

0 piep*s do uged=t lia i

No uaagaLsd Luiz.
Oercdes 9.46 1ema WAS to= suto inglo*
do AARMm L




*" .. ",* m rf W fi ^ *-: : ',4 7


8 earns tomr svaria.
2 cai~xaa(t odd
50 ale ar w 10 eaix ama mvinho.
20 caizu a(m Vdbo -9M Cwmyvi&
5 caba= w ~attillg wf
Differentes fazendas avaxiadaa.

061-18ire, 2 go cormte
A's i horas
POR INTERV:NQ,.O DO AGENT
Pinto
No ammazem da rua do Born Jesus n. 49
Por-oceasiao do leilao de fazendas, lout*, vi-
droes, quadros, earteiras, cotres, mobilias de junco,
cadeirs avulsas e outros artigos.

Leilao
Agente Pinto
Qihnta-feira 22 deve continnar o leilao de mo-
veis, lousa, vidros, quadros e mais objectos exis-
tentes no armazem da rua do Born Jesus n. 49,
ondejiaveri leillo de generos, bisnagas, fazendas
e nmMezaa avariadas, bern como carteiras, caixzes
vazi* cofres, balanqas e outros artigos que serao
vendMos ao correr do martello por ter de effec-
tuar-se a entrega da chavd do armazem.

Leilao


Da armac-ia, balcio, fiteiros, cachimbos, pon-
teiras e mais objects existentes na Tabacaria Co-
meta, sita a rua do Bario da Victoria n. 55 A.
Quinta-feira, 22 do corrente
A's Ii hokeras
0 agent Gusmao. competentemente autorisado
levara a lei;o, o estabelecimento acima mcncio-
nado.

Leilao
De I casa terrea a rua do Mar-
qiuez do Ilerval n. 134

Agenle Britlo
o agent acima a mandado e presenca do Exm.
Sr. Dr.juiz de direito e da provedormia de capellas,
e a requerimento do inventariante ds bens de
Jos6 Ferreira da Silva, venderi a casa terrea aci-
ma, cornm 1 part e janella, 2 salas, 2 quartos, co-
zinliha fora, quintal murado, cacimba meieira, me-
dindo I metros e 35 de largura e 13 metros e 40
de fund, terreno de marinha.
Sexta-feira 23 do corrente
A's 11 horas em ponto
RBa do Rangel n. 41

Leilao


De moves lougas, espelhos e quadros

SaU -feir, 23 do crrnite
A's 1Oe lII horas
A' rua larga d) Rosario n. 14, 10 andar
De uma mobilia de jianco, consolos corn pedra, 3
espelhos, 12 cadeiras de guarniao, 2 ditas de bra-
cos, 2 de balanco, 2 estufadas, 2 para quarto, 2
consoles, 1 sofA, 1 mesa clastica, 2 aparadores, 1
cama franceza, 1 nmarquezilo, 1 gnarda-louga, 1
rico lustre para gaz carbonico, 8 porta-flores, 6
stageres, 1 porta-licor, 1 piramide para bules, 2
venezianas, divcrsas joias, lougas e mais minovis.-
0 agent Silveira devidamente autorisado leva-
ri A leiilo os referidos moves.
fexta-felra, 23 do eorrente
A's 10 e 112 horas

Leilao
Sexta-feira, 23 do eorrente
A's 11 horas da ncmnh/i
Cartno e Silva
Uma important mobilia de jacarmandai, 1 dita
de mogno corn tampos de pedra, 1 rico santuario,
guarda-vestidos, apparadorea, 1 piano novo, 1
grande cofre de ferro, prova de fogo, guarda-lou
ga, mesas elasticas, marquezoes, quadros, relogios,
espelhos, louqas, vidros, joins de onuro e prata, fer-
ragem, miudezas e outros objects que s3e achaw
presents e que serio vendidos sem reserve de
prevo.
Na mesma occasion vendera
Urn eavallo russo, born andador e para todo scr-
V. "o.V
Na agencia travessa do Corpo Santo n. 27

Leiaio
De 50 caixas corn eerveja branca.
50 barricas corn dita pretax, e coroa de 200 gar-
rafcs vakioi.
Sexta-feira 23 docorrente
A's 11 horas
NO ARMAZEM DO SR. ANNES NO
LARGO DA ALFANDEGA
POR INTERVENjAO DO AGENT

Almo aulmaraes

Leilao
&De 13 volumes lcom fazendas inglezas
D Constando
De madapolalee, cobertoree, chitas roxas, e de
cores, brine, cambraias victorias e outras fazen-
das.


No


Sexta-feira 23 do coiTrrente
A's I1 boras
FOR INTERVENVAO DO AGENT

PINTO
armazem da rua do Born Jesus n. 49


Agente Pestana

Leilao
Uma easa terrea sita a run de Lomas Valenti-
nas n. 90 e uma part do engenbo Jussara no va-
lor de 2:0005.
SSabbado 24 do corente
AO MEIO DIA
No anrmazem da rua do Vigario Tenorio
n. 12
0 agent Pestapa por autorisaAo e assist(neia
do Illm. Sr. Dr. juiz de direito do civel, levarA a
leilao o predio acima mencionado e a part do en-
genho Jussara pertencente ao acervo de D. Maria
Pailina da Silva Baptista.

Leilao
De 1 grande espelbo eom columns, camal fran-
cezas, marquemas, guard louga, meza elastica, 2
mesaspars escriptorio, 2 secretaries, carteiras,
mala pars viagem, bergo, quartinheira, bancos
compridos para eclas, venezianas, cadeiras, con-
solos, abide, lavatories, colheres para sopa, ditas
para chi, iouqa,- vidros, relogios de parede, livros
de direito, diverse obras de ouro e muitos outros
objects qae maeIo vendidos semr reserve de prego.
Sexiafeira, 23 do corretle
-- As 11 horas
A. mw da raa do Born Jesus n. 51
PO& INTERVENvAO DO AGENT


Bs^ t"u*sg2 o Iff Thqlpmom madapio.
ges, potp fa da, doib Mibrnia victor-a_
e outras fazendas no armauem da run do Born Je -
sus n. 40.
0 abaizo assigrado pelo present chama as me.
guintea peuoas que seacham atrazadas em auae
contas, para virem pagar at6 o fim do corrente
mnez, e, se nko vierem, eantao farei judicialmnente,
fornecidos de cigarros:
Monteiro & Ribeiro.
David Angasto da Silva.
Alexandrino Pereira dos Santos.
David Avires Pereira.
Jose Gomes Pinto.
Caetano Carlos de Lemos.
Joao Borges Leal.
Alferet Constantino.
Manoel Alves Ferreira
Joao Villela.
Jorge da Paz Teixira Lima.
Jacintho Jos96 da Silva.
Oliveira Villela & C.
Joao Machado Soares Junior.
Farias & C.
Martins & C.
Andr6 Luiz Pereiq.
Leoncio Pereira de Souza.
Antonio de Souza Rasteiro.
Francisco S. A. dos Santos.
Jos6 Conte.
Almeida Siqueira & C.
Claudina Francisca do Resario.
H. da Cunha Albuquerque.
Meades Ribeiro & C.
Joaquim Soares Pinho.
Joaquim Anselmo Pereira.
Marques da Fonseca & C.
Jos,6 Martins da Cunha.
Raymundo Correia de Almeida.
Joao Francisco.
Joaquim Gonoalves Coelho.
Ulysses Raiagel.
Pedro B. Costa Guedes.
JoaquimMaximiano da Costa Figueir6a, (Agua.
Preta).
Francisco Honorio de Souza Ribeiro.
Felippe Nery da Silva.
Jos6 Luiz Bernardino Pessoa.
Jose Leite da Silva Rosa.
Pedro Lnstosa Fernandes.
Joao Virites.
Jos6 Januario da Silva.
Recife, 20 de janeiro de 1885.
Manoel dos Santos Falcdo.


Aluga-se a 8$ umas mcias aguas novas, na
travessa das Barreiras (becco do Aquino): a tra-
tar na run do Cotovello a. 25.
3 Quern quizer alugar a casa n. 4 a rna
de Conde da Boa-Vista, p6de procurar
S as chaves no estabelecimento U, )30, A
rua do Imperador.
Pessoa habilitada offerece-se a ensinar,
quer em casas particulares, quer em coliegios, as
materials seguintes : portuguez, frances, inglez,
philosoplhia e sciencias naturaes : na loja da rua
d(o Cabuga n. 9 se dirA quemn 6.
Jos6 Paulo Botelho, tencionando retirar-se
temporariamente para a Europa, julga nada dever
nesta praca ou f6ra della ; todavia quem se con-
siderar seu credor cu da firm Jos6 Paulo Bote-
limo & C. queira apresentar-se com os respectivos
doeumentos, dentro do prazo de tree dias, a eon-
tar da data de hoje. Scientific minais que desde
31 de dezembro passado cedeu seu estabelecimen-
to sit o A ruan de Pedro Affonso n. 68 ao Sr. Anto-
nia Jos6 Lopes Braga, fieando este senhor encar-
regado da liquidacao do activo Jos6 Paulo Bote-
Iho & C. Recipe, 15 de janeiro do 1885.


Aluga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
Jcberibe, onds residio o Sr. Vallenqa achando-
te a casa limpa, o sitio bern plantado de arvsres
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse name,
onde trnm lugar para o agradavel banho ; cam 4
quartos, 2 salas, c i)piar, cosinha f6ra, quarto para
criado, etc. Para informaneos, nesse luigur, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a estaio, ou corn o
proprietario a run do Bewfica u. 5.

Festa Naval
Pede-se encamecidamente a todos os senhoreo
capitaes dos navios nacionaes e estrangeiros o ob-
sequio de, domingo 23 do corrente, embandeirarem
seus navies, afim de abrilhantar a fiesta da Ex-
cdsa Padrocira dos Navegantes ; ficando a di-
recao dos devotos suminmanmente agradecidos.

Muito pode o progress
Gran:le loja do razendam de Canto
dio de Hendonea at C., rna Duque
de Caxia. n. 61.
Neste estabelecimento est-t abolido o systems
do vender caro. Os seus proprietaries teem adop
ltado o system de vender pelo custom, ganhando
tao somente o desconto. E' o system mais aper-
feicoado e que garante ao compr-dor ser scmpre
bemrn servide. Todos, portanto, qne quizerem eomm-
prar, estejam convidados a. honrar este estabele-
cimento, onde encontrario, a par da sinceridade
e agrado, um completo sortimnento do todas as
fazendas, come sejam :
Setinetas lavradas e lisas, o que ha de melhor
em gosto a 500 rs.
Setineta preta adamassA, fazenda lavrada, de
bomrn gosto e muito larga a 800 rs.
MerinS preto fino a 1I400, e superior a 14800.
Merin6 setim preto fino a 1,4800.
Setins de cores fiuos a 15400.
Sctim preto auporior a 2,500.
Fustlo branch finuo a 500 rs.
Saias bordadas a 4, 5 e 64000.
Complete sortimento do fichus.
E muitos outros artigos que e infadonho men-
cionar, e mnesmo nil j agradavel fatigar a pa-
ciencia das Exmus, leitoras.
61--Rua Duque de Caxias--61

Sabia e ehech o
Exeellenates cantaderes
No caes 22 de Novembro n. 42-A, vende-se os
dous passaros acima, m.nncionados, propios para
um present. Na mesma casa tambem se vende
passmros de diversas qualidades.

Atteneao
Na rua Direita n. 74, veudc-e ovos muito
fieseos em pornglo c a rctalbo, e mais barato que
cm outra qualquer parti.

Caixeiro
Precisa-se de um menino corn pratica de
taverna : na rua do Marquez do Herval n. 170.

Cosinheiro
Na rua do Born Jesus n. 45, segundo andar, se
precise de nm cosinheiro.

Criado
Precisa-ee de um eriado : no largo do mercado
n. 33, hotel. _____________

Ama
Precisa-se de :unn ;ira para servico domestic
eandar corn uria crianqa : a tratar na rua das
Cruzes n. 28, segundo andar.

Criado
Precisat-se de urn criado : na rna Nova n. 31.
Tonda-se desencamin-ado a -catell"n ume-
re 11,340 do Monte dc Soccorro desta cidade,
datada de 21 de outubro de 1884, pelo emprestinio
de 21J2 0, roga-se & pessoa quo a tiver, o favor
de leval-a A ran do M:nrqmez do Horval n. 63.

Caixtiro
Preciua-se parm fra da cidade, de ua merino
de 16 a 18 aano da idade, eque teaha pratics
dsmelinadoa, dmA" fador de sun conduct; a
fratar ma rua dwziudr* de Deus a .14.


LUluao 6 rawreiawl Be~fed h ~~l~i
.Miilio que a&cab de reoebor dert .]i..
*ti idiao
S Fuendo votoa pelo eugrandcimento e n p.k-
ridade da meama.
lRecife, 18 de janeiro de 1885.
Manoeld B. Gonme
A quem intcr.'ssar declaramos quo nests
data despedimos ao nosso empregado Joaquim
Antonio de Araujo. -Recife, 12 de janeiro de 85.
"Floriano Passo & C.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de Si e Albuquerque, a qual tern exeellentes
commodos e grande sitio : a tratar na rua Pri-
meiro de Marvo n. 13.
Aluga.se na rua Imperial duas casas, uma
de padaria, corn furno e uteusilios, e outra 'demoo
radia. ns. 198 e 199, por preqo muito commode e
a fallar corn Jos6 Fcliciano de Nazareth. a rua
de Pedro Afbfonso (outr'ora rua da Praia), arma-
zem n. 20.
Alga.-se a cssa n. I run Lembranga do
Gomes, em Santo Amaro, grande, fresca e pintada
de novo, tern agua : a tratar na rua da Impera.
triz n. 32, 1- andar.

Ama
Precisa-se de urma para lavar e engommar e um
menino para ciado na rua da Uniao, sobrado n. 37,
porta'o de ferro confroite a venda do Sr. Antonio
Duarte.
J- Precisa-se de impressares para typograi
phia : a tratar na rua de Maris e Barros n. 14.
Precisa-se de uma cosinheira, pira casa de
famiilia, paga se bem rn: a tratar na rua do Barao
da Vict ria n. 39, loja.
Precisa-se de urea ama para cosinhar e mais
servii.os de casa de famiiia, e de urn menino para
esmpras e recados : a tractar na rna do Marquez
de Olinda n. 51, 2" andar.


--P eia -s drpnrt ap p ar noiipipnha m
A rllUndilzus0 0 Cstuoriros
Precisa-se na Encadernamio Cominercial, rua
Duque de Caxias n. 39.

Caixeiro


Precisa-se de um caixeiro de
idade, corn pratia de mollados,
suna conduct : na rua de Pedro

Ama
Precisa-se de umna co.iuheir
Corpo Santo n. 17, 3- andl.r.

Rua do Bi


Aluga-se o 2 3
do Brumn n. 62 corn
(padsria).


14 A 16 annos de
que de fiador de
Ivo n. 10.

a : no Largo do

rum


andares do sobrado da rua
agua ; a tratar no mesmo


dose Carlos Ferreira
A viuva, genro e filhos do finado Jos6 Carlos
Ferreira, tendon de mandar celebrar uma missa
por alma do macsmo, na capella de Joio de Barros,
pelas 7 1/2 horas da manha do dia 24 do corrente,
3' anniversario do seu pranteado passamento;
pede e espera o comparecimento de sous parents
e amngos.

Ama
Para cosinhar para urna familiar : na rua do
Marqnez do Herval n. 107, entradla pelo oitao.

.iiAd


ACIDO PAOSPATO DE HO8SFORD
preparado em harmonic corn a formula do
do professor E. N. Horsford, de Cam-
bridge,
para indigentiIo. prout'aeao mental
e physical, s*ores nocturnoe, etc.
E' esta uina pre.pairacao do phosphate
de cal, ir.agnesia, potassa e ferro corn aci-
do phosphorico, de tal form 'ombinados,
que mui facilinente se assimiila ao system.
Nao diverged as opinions na elevada
autoridade medical, relativamnate ao me-
rito dos phosphatos; entretanto atW hoje
nenhuma preparagico so offereceu ao pu-
blico quo corn os nais feliz.s resultados te-
nha satisfeito a neccsidadc geral, conmo
esta.
E' agradavel o paladar, e sua acqAo se
harmonisa perfeitaunente corn os estimu-
lantcs que seja necessario tomar-se.
Os medicos mais cclebres dos Esiados
Unidos tern ultimaimente empregado o
Aeldo Phosphato coin melhor exit
para combater os naos effeitos pro-
duzldos pelo effelto do famo.
Faz umn delieloso tonico sim-
plesmeute com assuca e aguma.
AGENTE |EM PERNAMBUCO
Adamson Howie & C.
a Runa do Commerelo 3

IlTD AN A



A EmIroza do Gaz avisa, o

m18a o 81 escritorto la nia ldo

Imworador 1, 41Pons lo RSma ruO

n. 29, aldr trreo, Bid9i cOiti-

ara a rocobr onulir rMel-

mO o0il edidolo i tl0 for li-

fid0, 0 oild tafii m e -W i -

pOtslo, m V1 0 6 ln11100liU soM

ge apemrl1hosDa mn N

18i Por Droes Nnil t 1

cbase A 'i

(i, -.


-M.- ',
- .:; -.


4,.- '. .


r. ,
" ..". "' is- ?.. r'-'",


- -5
-i
'V


a


-, A

"'-.


An, ,..
x: -: "='" "5


* .^ .


I


I


I -























-v3 i 0 LENCO 0 TOUCAE
0 E 0 BANHO.

iltengio
Jos6 Theotonio Magalhes regressando da Ea-
ropa onde foi tractar de sua saude, estabeleceu-se
agora na rua do Barlo da Victoria n. 14, 1 andar
tern boas fazendas francezas e inglezas e bons
bruins, promette server bern e por precos modicos.

Boa engommadira
Precisa-se para casa de urma familiar nos Af-
flitos.
A tratar na rua Nova n. 13.
Aiuga-se
o 1 e 2* andares da rua do Livramento n. 26,
I ,m agua : a tratar na loja.
Ama


Precisa-se de urma ama para cuidar em crian-
cas : na rua do Apollo n. 2, 1 andar.
Precisa-se de ama e costureira na rua da
Imperattiz n. 43.
Precisa-se de ama que lave e engomme de-
fronte do Gaz. _________
Ama
Precisa-se de urma engommadeira : na rua da
Aurora n. 109.
Carroceiro
Na rua do Born-Jesus n- 45, 2- andar, precisa-
se de um carroceiro.
Engenho
Traspassa-se o arrendamento do engenho GOIA-
BEIRA, distante de Jaboata'o media legua, movido
por agua, moente e corrente, maito bem acabado,
corn excellent casa de vivenda, sendo todas as
obras de pedra e cal- Verfde-se a satra que acha-
se nas melhores condioes, boiada, carros, alam-
bique, etc. 0 motive se dira ao pretendente, a
tractar na rua Nova de Sftta -Rita n. 49 ou no
mesmo engenho.
Per 3500OO
Aluga-se o 2 andar do predi8 n. 45 da rua es-
treita do Rosario, corn grades commodos e esti
limpo.



AdmInlstraggo : PARIZ, Boulnved lonitmartre.
GRANDE-GRILE.-Affe s esl iqpiasdoeo-
gas das vias digestivas,obstrucmes do figid e do bac o
obstraccdes viceraes, conWiSes calculosas da bile.
HOPITAL. Affecoes Ie digestivasincommo-



maea Cao e ,* ~
dos do emra digf i doe flHcil, inappauncia,




gas Vbr yensea. mb, -- do O .
concr^ Sira. 8ltfb!lij*anirtia.



H 1 Brins o ,ia
A vend 1S i iha b!8i|*** dCo
rna aa Cie'd AMC







LOWLANDS

Oft atheddo ha mais de 84 annos ra M
Mtfft r- nro affyl o do !tbe/t, Innrticut .
tesqucntes. impede os CWell" 0-42btf
etfl c C; forflca.os e eo0tvem eMlalM f
a --Vende-se tambem Cdr de Our.--O
BOWiANDS' MACASSAR OIL de o'
N om Gwrden, Lolidres, encontra-te em vei m
Drwaas e Perfumnria

;~jP~PITOS

XAROPE

D; RIPOQ1IOSPTO DE A I!
Empregados com tanto cxito para curar a;.
phtbisiea e as snfltestfas tuberCulosUs,;
vendem-se unicamnentr.n fmascos quad);t-.
dos cor o home do atbutor CituftcniLL Sobrc
o vidro.
Sob a intfUeneiado8 ltipophosphitos a
tosse diminie, o appetite augiicta. as roi-
cas)rnno a vir. oust lrO'oetul0so cessno. s
e o doente goza de urn aem esiar dvsusad&o.
0 hypophosphit'os que 125 a w)',rra
de fabrica da phslrm ia, S WV A N N
12, rue Catifflzofe. Pariz, .rt i -t
cos reconhicvf.' e o r',co eir.i.e-a,l:,o, ,ci'A
D' CHURCHILL ulor O:, ic.,!,, tii
de suas prop,'iedaie-. r*l~iiit:..,
Preco : 4 francos Ij,,r frasco eif I .ai. ^. ,.
YVidess-S9 nas pr.ci a;t.s 2', .armucres.


n sIlie ito,0 l Inxuosarnete pepar*
radio eprevid de Na expos
fio de obras ,deprata do Itor* e eletro plate
-L dos mais afanados fabricates do


N
0

U


mundo ioteiro.
Convida, pois, as Exmas. familimas, seus IM--
rosos amigos e fregnezes a visiarem
o sen estbalecimiento, aft 4c
apreciareh a grandeza e born gosto eom qne
o obstante a grande
despeza, o adornaranim, em hra
desta provhicia.
KCII A. lImI TODASIi 's 8 DA l OITH


0


N

4






H


C(ARW


I1
ii




5j 'AGOA
pa ra.A
A TOVCADoa
rnBkl,,#.tl
I 5aTT;'^l


KANAN GA Do JAPAO
(ova giaV pS.V 9 &oucdor
MAPORIADA POMW
RIGAUD & C', Perftmiait
8, Ra Viviennwe, PABI5

Esta Agua e ttrahida daes fl6rg 4I m
Japonica, pela sua suavidade e ma s poprio.
dades beneficas, excede os cosmetic a mb
eelebres; rendo side adoptada por t"da a
aociedade elegant.
Usau'a no banho, 4 de um perfume delicioso,
consolidate as carnes faz desapparecer as
espinhas, comichos e efflorescenciaa da peUe...


, _oencas T rvosa&
4.aIBICALIE CT ? URADA' CMl 0


OIRDT LAROZE
qr.73 -sI *"4


o? wwtBkw^ O-'-O dO:, -.7 -1p.'*(;i-
:'it.)s :,'o<7.; f.pwi- ^^,i;((: onto, 6 ::] ,
u.aaaJ ,' -*-*- ...A. :Z ';1".!L,. .)ilin i:.';i> !;.,'`','
,i,.a!,- p6.i^ qu>- -** o,)etuna, ,: *,'";?
itatatt -.,;; a .ia<3lt yl,3 .,-,;:):^ *. .-*:-;
F"aa-O iqP.-: o: ..
Disoy.lv-r o no" IS~-^".'-)SQ- va .:
G&&-I-' -e lru0a" *iw i-s^. t il .;
'"','1 81 ^ HI.^r9 J i1 .lC P!: ?'*0;1:,.


'A ~]'A!
,'n:!'mico 'r' od s as .au. -
-.b';'-. {.la ci-nit'2i cn;^ r.-rlj>z~s
-. .'ecc,..s3 'xeTrv'sa3 fiV; cC!0~-.
-'. vas diP -st ~-i'c is rA~jWft&atie
*i^ r-i^a gL s, Da cgia&.aja, 0 '-Ae
rlic-, a L-ian' do S. -'uy, a iTiomni&.
das ,iano~as durante a dent^io, am
'uri'i r'ir' Aodas a eaifec98es


f l ; K.T :.;8^ .,,, u epu ,, aeha-se a t.in a os 18.".: ru ss Pra .te ;0;;5 ai J ,--', "JitnQ0 i :
Li )ZE a i:t '3. Tf ii. A.iT 11t .RVOSO
Sra "- n? ,rit'as i.ast..a.ia;., o spa Dor 3 t i:aiftabraa d-ectomao.
- -o': 1. 4 ",?.5A -;; .:& t) d i
a Q- -' Ina Ss. -y"zxSbt:oO3 rs.c.:,,-5..L.ri-s e er ciari las.








f~e~d~ es~rtdn a-~o~ e~os ~ re i -_s edte r*, alo10S.~~~
P6? N4, oLo;.a,,,;;, d To..p.. $N V ,w.a9-iO Uf .ET .m RROI
.^ ,:C ;,**:. a5.-.^i ,, Chif.rc A-'ncm.L <,;5re7, *H." "='.a F. o ***. .irsncas, aat chit.is,o. 41









.1 iaiue~aef. eh. e uti ne sueas as per urbacd- sa tri n i'sL
O 2, T IN E EDES TS-SA I NT-PAUL, 2.I


r YBpDAD-i1A$ ULAS&041&0
S piM- daeaamnttft sifenluco como ex wet sg
st~ !VIo emdO rto baMA de 40 anno pIo MO t
p* (ngems 64 elmte C boflqjju 6u eo),dos e s tar a frstatacop. A






I's l!ii ue~ebsa.l salltoernpregdis par-, Zaii~ltm o twalhS '*)
V M re e p ae i ta, e tqehagia, ea .aqr oaoli.
J_"BI 4I,*mainf i 41i l ir n c n ov Codes fl la r aoxf rlr idosT- Ett f td -r""1 g%**
am ;P ahi L .1 ruidm Ja.okir, e =.
--nta soaifm t, n Ou i- m feSrr aSo e A
fx-Aampr toado, A dA 4n do .. J.M o w aid e .
|~~~q *a~ttttmn somneBamaavado "mbr ftft HlulCX) ljaei^
| 40OUWU DUSOONFIAR bAt WiTAeO----CO





& ilA,/A-A&X oil a~ee ~ta
&,WErl altSGNP M. tlag-ParHa frO3lVY la zr in, .B.lw*0888tO. ,

FLO GOTINi" ft il i GGHlBW
| ~a ^BOSIqJ3EA&.Z
1| ~~~~~ caM 'uit da Sofjoda*s do Ptwtmaclb&fa tiU ;
9 A ~jiriutedAb'eeiw~n tOcf-a 6 um dos melhorres hunxiohAlsc. A~ ggn'a Qvxp
arm ^***9lu^JbaftasAOempreg Jad"p~~a~itont~e^r'
~ ~ ~~~b~ eli rar* aaKhaglas, le q aalq--,r ftt6t
i.^t-,S iss Wtafrtoeif LAtiiIONE, 99, Put Oboskir,,I B(mJ
I^Hi- *M_^_^ J W O IOIII -^____JMlt ^& FMO A W WO 6 kWJA&B .^


1


Reconmendamos corn insistencia-Nio se illudam eom as machines
que trazemn o nosso nome e que nio passam de RUINS Ii l-
TAVOES.
Vendemos tambem linha superior, retroz em carretels, agulhas, -)leo, linha
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidade e por pregos
sem competencia.
0 uniceo deposit das verdadeiras maehinas de Singer 6 na
lRua do Cabuga n. 1 A, Pernambuco
DirecVftio geral da America do sul.-.101 rua do Ouvidor 101.
Rio de Janeiro. Casa matriz-34 Ulnion Square, New-York.


Fli~l~lAll
~t~tCo


DE


CARDOSO & IRMAO
BUADO BB MLN.o100 A 104
DIPSIT A Bi D IAPOLLO 1S.2 1 2 I
Os proprietarios deste bem conhecido es-
tabelecimento pelas suas ehlaoes directs


corn osmelhores fabricantes,


tincto engenheiro de ]
grandes vantagens para


e corn um dis-


[nglaterra, offereeem
encommendas, como


provam corn os apparelhos completes
tes nos engenhos Massauassu' e Bos


assen-
qmue, e


meio apparelho no engenho Conceieao.
MAC,'INAS a vapor trabalhando s6 corn
o fogo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-
16m, em Timboassu', Cucau, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidraaio em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e
Parahyba.
Chamam a attenciao dos Srs, agricultores
para os novos vapores que tem recebido do
,creditado fabricate Robey. que se recom-
mendam pela facilidade de conduccao, assen-


am-,


I


~'I~! INER!

IN1
^WQiJBLTfll ANM #^,2
9 u f o ten ib hitlar das fl osas maunas Ide costura de
Singer?
[ Em presta"6es semanaes
DE




M Quando o pagamento por este system se
effectuar dentro de quatro mezes, abatimento
de 5#000.
Abatimento de 106000 a dinheiro A vista.
... ...... Roga-se aos pretendentes de virem ao es-
criptorio da companhia para informages cir-
cumstanciadas.
---Immensa e real vantage 6 obter-se o
melhor artigo nas minelhores condig8es.
De hoje em diante ninguem comprar senole a verdadeira
machine de SINGER

PORQUE 7
1.o Per ser incontestavelmente a melhor, mals forte, mais bem aca-
bada, mals samples, maU duradoura, a unica que tern obtido mais de 300
medalhas, e a unica qno tern mais de 100 imnitadores.
2. Por existir urn deposito succursal da propria companhia, onde se gran-
te estas machines per am tempo illimitado o onde sempre se encontra
tudo que diz respeito as mesmas.
3.o Finalmente, porque aquellas pessoas quo atW o present, por falta de mineios,
nao podiam satisfazer o seu desejo comprando urea d'estas excellentes machines,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante ita modica prestagAo de

1$000 POR SEMANA!!


t
0
Madame Marie Anne Potellerel
Um amigo da fallecida, summamente grato As
pessoas que se digiarain tcomnpanhar A sua ulti-
ma morada, de novo as couvida para assistirem a
missa que por alma da nmsma manda resar na
sexta-feira 23 do corrente, pelas 8 horas da ma-
nhi, na matriz da Boa-Vista ; e mais uma vez se
confessa agradecido.
Idalina Alexandrina de Carvaiho
Franca
Luiz Francisco Rodrigues de Franca Mello,
seus filhos e nora cordialmente agradecein as pes-
soas que se dignaram acompanhar at6 o Cemite-
rio Publico os restos mortaes de sua mui presad-
esposa, mAe e sogra e tendo de inandarem celea
brar na Conceiao dos Militares, As 7 1/2 horas
da manhil do dia 23 do corrente, setimo dia de
seu passamento, algumas missas pelo seu eterno
ropouzo, convidam a seus parents e amigos para
assistirem a este acto de religion ; pelo que Ihes
antecipamn o sen eterno reconhecimento.


AO COMMERCIO

Viagens ao centro
De OlindaalItabayanna por Igua
rassun, Goyanna e Itambe
Todos os sabbados, As 4 horas da tarde : passa-
gens tomam-se A rua Primeiro de Marpo n. 1,
loja.
De Itabayanna & Olinda por Itam-
b46, Goyanna e Iguarassta
Todas as tergas-feiras, ais 4 horas da tarae :
assagons A tratar corn Lourengo Pereira d'Amo-
rim, em Itamb.
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a pregos commodos. Essas contratam-se & rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nio podetem ir nas diligencias.














0 Pai9 ilerv lotal eoPey llaDft
lalador da dor
Um amigo dos pobres, economic e de-
facil applicagao, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuma familiar deve estardesprovida
deste remedio.
Externamente cura: furunculos pana-
ricios e outros tuminores torcedurm dos ten-
does intumeceneias das articu!a9oes do-
res de dentes -nevralgias- rheumatismo
queimaduras--golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doenvas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitates.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Ana do Barao da Vietorna n. I&
PRE0OS
Frascos grandes 16500
Pequenos 1W000
Duzia de frastos grandes 12i006
Pequeno 96000
Caixeiro


LIi
DEPOSIT GERAL
18-.Ran PFrimeiro de Marco-1a
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAWMSN HOWIE d C.
N. 8 = Rua do Commercio = N.8
A venda em todas as boticas e d'ogarias
D. Joanna Cemar tie Andrade
Bellarmino Alheir.) Fihto Osorio e D. Maximille
Rigueira Pinto Os,,ri, cinvidiam a seus parents
e amigos para assist;rem as missas do setimo dia
que mandam celebrar sexta feira 23 do corrente,
pelas 7 horas da manha, na igreja do Rosario de
Santo Antonio, por cujo acto de religiio e canr-
dade, antecipam seus agradecimentos.
[ [ [ [ [ [ .


















npeitavel publieo, que

eontmluam ter um sor-
timento de joias das
mais modernas e dos


mais apurados gostos.
Compromnettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer part.

11f1hC&MiL4


Precisa-se de urnma ama que i aiba lavar e cosi-
nhar, e que seja de boa conducta: a tratar no pa-
teo da Santa Cruz n. 18.
Por festa ou por anno, corn pagamento adi-
antado ou fiangs idonea equivalent, aluga--se o
pequeno sitie da travema da rua da Mangueira,
que foi do fallecido Jolo Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques e cacimba corn excellent agua potavel, e se
aehar murado, tern casa de habitagio em bom es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto f6ra para criado ou feiter, acreacen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e As duas esta9,es da Casa Forte e Caldeireiro
da linha-ferrea do Recife ao CaxangA : quem o
pretender p6de entender-se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda ou corn o Sr. major Jose Camel-
lo do Rego Barros na mesma travessa da rua da
Mangueira, que Ihe mandario mostrar e poderao
dai as informaoes necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, & rua Velha n. 59.
Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira peria: i rua Du-
que de Caxiss n. 86.
Trastes
A' rua do Imperador n. 16 compra-se, veade-ast
luga-e e trocs-ase novw, e usaul.
Aviso
JA chegou para o unico agent nesta provincia
o acreditado kerosene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposito A
rua do Bom Jesus n. 38, junto ao correio.
LINHA COATS
a Lustrosa para machina, e a Macia de 6
fios tanto para machine como para coser a mdo.
-Nto se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nowme
-J.&P.COATS -
PARTEIRA
Rua da Aurora numero 1.
Loteria da Parahyba
No estabelecimento n. 2 C A rua do CabugA,
acham-se expostos a venda os bilhetes de unma
nova loteria da Parahyba organisada segundo uam
bornm piano, que contem os seguintes premnuios:
1 de Iomo
1 de 1:.00000
1 de 200W000
2 de 100009
4 de 509000
15 de 20,000
40 de 10000
50 de 5#000
500 de 21500
Este ultimo 6 o prego de cada umn bithete alli,
sendo elle em Pernambuco 2A750 para os vende-
dores e na casa 3000.
Os prenmios slo aqui e alli pagos integralmente,
sem desconto algnm, & vista da listsa da extrao-
Slo estas vantagens que nao podem deizar de
ser apreciados pelos que gostam do jogo dasn lo-
terias.

AiLViSo
A' rua do Marquez do Herval n. 51 precisa-se
le um pequeno que tenha alguma pratica de miu-
dezas e que dg garantias de sua conduct.

Lm britOhnte semin fum

Olco aromatico
HlYGIENICO E EC1NOICC
NriE~c 1a nma


Martins & Bastes
Pernambuco
Nrmenre telephodee a. 83

Alaga se
urnma grand easa, sits a rua da Aurora n. 167,
pintada e caiada de novo. com grande sotao, pro-
pria para grande familiar, econ canalisa*ao para
gaz, com agna, quintal todo murado ; a tratar na
m:rua do Visconde de Goyanna n. 100, ent'onosmen-
,~ to, Manguinho.
Ao o pnblico
0 abaixo assignado faz sciente rao respcitavel
public, e especialmente A ju'tiga da comarca da
|5 h Escada, que nesta data tern casdo os pcderes
^51 que em proera*o bastante conferio ao 8r. Urgo-
lino Jos6 Marques pave tractar de todos oa terms
*do inventario dos bens que fiearam por falleci-
t Pr mento de seu sogro Francisco Cavalcante d'Albu-
1 l''^ 'querqueLins ; eobemamsim previne qub ninguem
^*-; r*oa tTU ao alguma oem urns loltra aeceita
t^ ^ .; ,cio. A*iD Cavaleante A'Albuqutquee
"i persteaente ao abaixo asaignado, e qu" em
m' ..i :.seo acha em poder do mesmo 8r. Urgo-
'* y^ -^-.lim~&imikMamues. **-*


Atoo a.,^
tea 5s,*tido0 daloeiian. 102z i o
cis at do, imPho quo, w extaij
w quiauts feir22 do oon"te.

Intoiro 4,(000
Meio 2#S00
eada^nantdas *9priTr
Intoiro 3,550
Meio 1#750
Quart o 875
Joaquim Pires d Silva.


CASA DA FOITUNA

Aos 4:0@ O00

BILSES AEAITDIDO
fia Primeiro de iarpo n. 23
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 218 corn a sort de 2:OOO)00,
4 quartos n. 3,414 corn a sort de 200W.0,
4 quartos n. 4,278 corn a sort de 20#00X),
alem de outras sorts de 32#, 16# e 8#, da
loteria (101.a), quo se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da la parts das lote-
rias em beneficio da matriz de Triumpho,
(102.a) quo se extrahira na quinta-feira,
22 do corrente.
PIREOS


Em


Inteiro
Meio
Quarto
quandtdade
Inteiro
Meio
Quarto
Manod


4,5(000
4#"o
2#000
1000
malor de 1100
3#5500
1#750
#875
Martins Fiuza'


CASA Do DUlR
los 4:000$000


Rua do Darlo da victoria a. 40
e easas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 744 corn a sort de 4:000#"00 e diver-
sos premios de 32000), 16#000 e 8#000.
O memo abaixo assignado convida sos
possuidores A virom receber una conformi-
dae do costume, sem desconto algum.
Acham-ae A venda os folizes bilhtes
garanmtidos da 1.a parts das loterias a be-
aneficio da matriz de Triumpho, (102.a),
que se extrahirirA na quinta-feira, 22 do
corrente.
PrEC OS


Inteiro
Meio
Quarto
am perqo
Inteiro
Meio
Quarto


4,5000
2,S000
1,5000
de I00400o pars
eima


Joao Joaquim da


3#500
1#750
#875
Costa Loite.


SA+AFELIZ

AOS 4:000000
E

BILUii]lJ ASIRAXTIDOS
Praea da Independen-
cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado vendeu centre os seus
telizes bilhetes garantidos da 101a loteria,
a sorte de 100#000 em 4 quartos n. 4468,
al6m de ouatras muitas de 32#, 164 e 85#.
Convida os possuidores a virem receber
semn desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto A
menda os seus felizes bilhetes garantidos da
a1 parte em beneficio da matriz do Trium-
pho, 102, que so extrahirA quinta-feira 22
do corrente.
Precos


Bilhete intc
Meio
Quarto
E-m porqfo


iro 4^(4000
2,5000 I
en~e -.ooo
16000
de 1006000 pars
elma


Bilhete inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto ,5#875
Antonio Augusta dos fazntos Porto.


Fica o meu college Dr. Vicente Ferrer de
Barros Wanderley e Ahmjo autorisado a tractar
de todos os meus neg teae coen ole se entendam
os que nesta cidade slo meus credores, afim de
serem pagos da importancia de quellbb eu-dever.
BRecife, 17 de jaeiro de 1885.
Bao. e ianto A.4dr4.

E do mundo


Offerecem ao respei- -g
taveltpublico um rgro- ul

de e variado sortimenai to


to do reloeiPsdOs mlaa|
acre4itados fabricau-
tes, e se aham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.


Todos os relogioa
vendidos n'esta casa
sao garantidos.




Precisa-se de unma. p i cosnheira pars
casa de pequena families, quo compare e zao durma
f6ra : a tratar no escriptor o deste Drio.

0 Dr. Democrito Cavalcante mudou
Sseu escriptorio de advocacia para a rua
Primeiro de Margo (Crespo) n. 18, pri-
Sineiro andar.
SEncarroga-ze de defesas perante o jury
SBas coma rcaa do interior, e bem assim
Sde qualquer quest oforense.
P6de ser procurado das 10 da mauhl
A s 3 da tarde, nos dias uteis.


Canaries d'Allemlanha
DE
C. BRAUDMIILLER
Vende-se
Bua do lmperador n. 12
Casa de Lopes & C.

R. D DRUSINE & C.

R1a hB0 -Jess is.18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nhal, Franea, Inglatera, Austria, Hespanha,
[talia e Estado-Unidos.
N. B.---Informa~es sobre machinismos
agricolas, ditas pars engenhos centraes,
bombas, etc. pars incendios e outras ma-
ohinas e utensilios.
Criado
Precisa-se de um criado : na rua da Aurora
numero 109.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corn refinao
de asmucar por grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
eeu estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
commendas para f6ra desta praca, garantindo
pontualidade, modieidade em pregos e sineeridade
em suas trasaccoes. Os proprietarios esperam
mereeer a proteceao de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77
Aluga-se
a salad de detraz do 1 andar do predio sito A rua
Primeiro de Margo n. 18, muito propria paia es
criptorio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do memo predio.

Victoria de Bernardi
aWUista i rua Primelro de War-
a- I L-, S imdsur
EstA preparando um compteto sortimento de
toilets para os bailes camnavvaleacos do club Carlos
Gomes, tuo pelos ultimos figurinos de Pans. En-
earrega-se de qualquer ttbadhb no mesmo geltekv
pars quern de seu prestimo se quizer utilisar. a-
ruite modieidade nou pes os e apurAdo gusto na
confec91o deoseus trabalhos.
AInga-se barato
0 2 anuar 'da rua do Bom Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. IKecife
Casa terrea da run da Ponte Velha n, 22.
A csa terra na rua da Palms n. 11
A. easa A rua do Viscoade de (ioyatma n. 79
A casa teorea n. 7 da rua de Lomas Valeutinas.
A loja n. 10 da travessa do Carmo.
A tr tar no largo do Corpo Saunti. 19, prirmm
audar-


Cozinheira

Na pra pendencia n. 38 a 40
se dirA quem precisa
de uma mulher forra
ou escrava para co-
zinheira de casa de

familiar.


Attencao


-a~ leAogao& ,bftrt

win& do, dakvwese mbeu
-W B^" 0' i p / o ^T vli^*
. .to^t^ g~aaa^CU

i +o "x~~l fl^B a ....~ ft a' d


IRglogas dc Virgitio
traiuidas pot J< Bqptiat. B. Costa: a venu
naB livrariaa Framess, Beuomicsa Universal.
Prwq=1soo___


59 == Ba Daque de Ck ia4 s = 59
o ,rgurmua wewaores- pa mesti a 5 0 r. om
eavada!
A. acau de sda furta-cores a 400 re. o dito! A
ellas.
Merin6a de duas largumas, toda W s cores, a
11200 o dito!
Idem PrAto superior a 15200 e 1500!
Casemtra diagonal para palitot a 2o200 ao c
vado, I-ae do duus lurguras.
Idem de cores, ingleas, a l20 e 1500!
Flanella ugleaa, azul, a 1400 o die!
Camias brancas francezas, superiores, a 28
a duzia
Ceroulas de bramante a 16; a dita!
Lencas de linho em eaixinhas a 35 a dita!
Damascos e pannos proprios para mesa a 600 e
1500 o covadoL
Brarante te uma largura, trancado. a 600 rs. o
metre 1 fazenda del,
Lenq6oes de dito, grande, a 2 umn !
Cobertas de gang, forradas, a 2$500 urma!
Colehas de fstAuo, brancas e de cores a 25500!
Ditas riquissimas de crochet a 105 !
Chales de casemira modernos a 2*500 e 3i.
Fichus superiors a 2*500, 3 e 44.
Setim macro verdadeiro a 15400 o covado !
Dito preto supperiar a 15200
Cambraia victoria a 30500 a pegade 10 jardas!
Madapolla boa-vista a 65 a dita de 24 jardas!
Brins deleores superiores a 2A o c6rte!
Dito parda, lon, a 320 rs. o covado!
Dito Jranco u. 6 a 11500 a vara!
Atoalhado bordado, de linho, a 1 o metro !
E outros artigos a prees resumidos.
59.u=Rua Duque de Caxias=59


St I
rSilio
Vende-se ura bman sitio na Ponte dos Carvalhos,
co. 800 p6 de coqueiros e outras fructeiras, seis
viveiros corn peixe, muito grande e proprio pars
plantaces ou refazer gado por ter bastante ca-
pim salgade. tern boa casa de pedra e eal, agua,
etc., etc., cuja venda se deseja effectuar corn bre-
vidade pars pag at de urea hypotheca veacida
do mesmo sitio : a tratar na rua Imperial numec-
ro 136.

ba seuipre novidades
Rua nuue d"e Caxjas n. so
Casenira chariol corn 2 larguras ninguem tern a
2, o cevado.
Lindas chitas modernas a 200,240, 260 e 280.
Brins pardos lisos a 240,320, 360, 400 e 500 rs.o
covado.
Bramante para lenolcom rn 4 larguras a 800 rs. o
metto.
Casenira pekim a 400 rs. o covado, que pechincha.
Setineoas isas e lavradas a 360 rs. o covado,
aprQveitem.
PopeliMsu corn listas de seda a 360 rs. o covadp,
6benibem.
Madi to ftnericano corn 24 jardas a 5S.
Dito -Vista corn 24 jardas a 6,9.
Cortinados bordados a 6A.
Ditos 4itos recortados a 74.
Merin4i pretos a 800, 900, 1A, 1I200 e 14500 o
covado.
Camisaa.brancas franeezas a 2A e 1.800 uma.
Ditas de cretones francezas a 2A, aproveitem.
Espartiihas corn courapa finissaimos a 40500.
Meias brancas para home a 2A800 a duzia.
lsto s6 se vendo. E' barato!
Len"os broncos corn friso preto a 800 rs.
Ditos corn barra de cores a 1800 a duzia.
Ditos de linho para senhoras a 1*600 a duzia.
Ditos imitacao de seda a 10800 a dita.
Ditos de nhe finos de 8* por 3*500 a duzia.
Lindas bandeiras nacionses e portuguezas a 4*800
a duzia.
Lindos setins macao a 1A300 o covado.
Velludilho bordados a 1* o covado.
Ricas ventarolas chinezas a 600 rs.
Ditas ditas bordadas a 15.
Flanelas de todas as cores.
Tarlatanas, gangas corn paisagens tio baratas.
Causa
Admiracao
N.80.
Dos barateiros
Aproveitenm.

Engenho
Vende-se o engenho Maurity, antigo Gallo, na
ormarca dePaldhares, prmpto de um tudo para
safrejar 4,(00 pies : os pretendeutes podem ir
vel-o e admirar a fertilidade do seu terreno. Aks
mesmos se dira a razSo perque se vende, e trata-
se corn L. G-G da BSilva Pintito, no Recife, ou no
mesmo engeeho comn J. Matieus Fcrreira.__


Borraea para limas
Vende-se na funilaria de Francisco Teixeira
Barbosa, A rua larga do Rosario n. 20.
BOMKACHA
PARA

Vendemrn Souza & C., A rua Estreita do Rosario
n, 22. E' especial e commodo o prego.

PaIpel pinado
para forrar salas de visits e jantar, quartos, al-
covas, corredores, etc. Grande e vanriado sorti-
mento por preqos extremamente modicos
SEM COMPETIIDR
acaba de chegar para a
Llvrara Indusntrial
A rua do Barne da Victoria n. 7.
At~eng&o
Vende-se o estabecimento de molhados a rua da
Imperatriz n. 34, tambemrn da-se sociedade no mes-
mo corn aigum capital. Por vehda garante-se a
chaves e demonstra-se as grande vantagens que
o dito offerece.
Vende-se na rua Real da Torte urma arms-
ma*ao de taverns, vende-se barato c garante-se a
have ; a tractar na mesma taverna.


r -RWI 10 de !-
ma men s meiu l s wa Wq0 e 5500o
I-rea a A0,
pit -t ,aeiao f-xed Bnuba
fina eencoipaddeo 7 ate 1200
4lop4 n tadlc^q~lar-

guot ars tuMerto noodemm 6 pan-

Dito tran m"do corn a md larger,
&anante de alspdar 10 pd mo r de


Z580sw, 25000
Pite hqje4 de quatro larguras, e"44o
del-lhometro a215500 e 2 0
mreguelias propriasvrpa tea-
Mas, -owmu
eneompada, cad& peqL cora 0 vara
yor; 1o800eeu vam a 50w
DOWa comn a mes= medida a W mis., ou
va a 400
Atoalhadiadamascado para tornhas de
tesa, ando 8 palm s de largura, me-
,tre a 15800
Assim como um rnmpleto sortimento de
pecas de algedlozinho americano e
mglez, que se vende por peoa de 35 at 65000
Isat ua loa* da esquina dp beoco dos Ferreiros
Casemiras de cores


Be R:@4Oat6 S:ooo ns,

Eroua loflilk
Alheiro & 8ilvairua da lmpersatris n. 40, tern
um immenso sortimento de casemira de cores,
tanto claras comO eseuras, que vendem a 2000,
20500, at6 65 o covado, e das mesus mandam
fazer qualquer pe"a d'obra ou costumes, por pro-
os muito ratoaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pre-
tos at6 ao mais fino ed que vem ao mercado, e
does mesmos tambem so encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa k vontade do fre-
guez e corn today a perfeigao e presteza : isto na
loja dos barateiro da Boa-Vista, na eaquina de
becco des Ferreirms.
Liies 1a M
Os Barateiros da Boa-Vista vendem uits bo-
nitos linhos de uma s6 cO6r e de listrinhas pars
vestidos, sendo a 160 reis o covado e de e8res isa,
isto aa rui da Imperatriz n. 40, esquina do beoo
doe Ferreiros.
Espartilhos
a 46 e 60"
Na loja da rus da Imperatriz a. %v venoe-s
muitos bone espartilaos pa s senheras a 5#000,
sutos para menmas a 4A00 assim como um be
dito sortimento de fichds a 9tOOO; isto us loja di.
qeiuina do becco dos FerreirOa.
Para fiesta
veade se

Roupas para homes
103.

Pre fos baratissimon
Rua da Imperatriz a. 40
LOJA DOS BARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6500X
Dites de panne preto fino, fasnda maito
boa 7"
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
nlas, forrados 8500
Dites de easemira escura, de eordo, for-
rados 800(
Dites de flanella azu], forrados, sendo fa-
zen Is que naeo desbota 10O00M
Ditos de easemi a de cores clarm e es-
curas 10o00oL
Ditos dc panno preto fino, forrados 10Jlo000
Ditos da casemira preta de cordao 105 e 125000
Calgas de casemira corn diffrentespa-
droes, de 5$500, 61500, 85 e 105001
Ditas de casoemira preta sedan a 8$ e 10*00
Ditas de casemira dc cordao 65508
Ditas de casemira preta 6100M
Seronlas de creguella, obra muito bemrn
felt a 1,200 e 16000
Ditas dc Hamburgo de linho a 15800 e 2500W
Colletinhos pars dcntro, sendo de ere-
guella e muito bemrn feitos a 800 e 15000
,amnisas, grande sortirento de camisas
braneas, tanto franeezas eomo ingleza,
tanto de linho como de algodao, send
de 25, 20500, 35, atA 6500C
Ditas de cretone de cor de 2o 22500 e 3000
Meias, grande sortimento de melas cras
paahm fin 90 n. o pu, at6 5W1
Collarinhos, grande sortimento de coils-
rinhos, tendo de 5; a duzia atW 8,00(
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto pars rostd come pars banho, que
se vendem por pregos muito zaxoaveis.
Tudo isto e eom grande rdao de preos :
loja da euqUina do beccnde zoI reiros.
Novas selinetas lavrda 500
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
ruan da Imperatriz um grade sortimento das
a iilindas setinetas lavradas, tendo de todas as
cores mais novas que tern ta itV tia0rc*&B inclu-
sivamente pretax, sendo&s a zt tsai*ibouia que
tern vindo pars a festa, e vu$-.rnsea sO .S. o 0o-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferrei-
ros.
Cazeumira inglezas a fZ1OO e

Na loja des Barateiros da. Boa Vitsa, vends-se
um elegant sortimento de cazemiras de duas lar-
gurms, sendo inglezas e corn oTbmags cores que se
vendem a 200o e 2800 to eot~&o, esendo muite
proprias para coatrjmes, e das mertams tambem se
mandam fazer costumes mnjto beta folio de calia
palitot e collete per 305 e 35*, A grand' pecinchs
na loja da run da Imperatriz na 40a eaquina do
becco ,los Ferreiros.
Fusties a 400, b e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, a rua da Impera-
tmiz n. 40, vendem um grande sbotimento de fus.
toes brancos, proprios para vtWit' e roupas de
creaneas pelos prioao aeina indimados; isto na es-
auina do becco dos Feroiro.


Lisinhas panm vstids
Alheiro & Silva, A runa da Imperatiz n. 40 aca-
barn de receber um grande soiaiento das maiR
bonitas lansinhas pars vestidt, sendo alpacae
de cordao ccm lindas cores a 500 ra. covado,
gurguroes lavrados tendo de tcdas as cores a 560
rs. e ditos muito finos corn tritaotesie"aa 800 ris.
todas estas lAwinhas sao inteiramente moiternas, e
vende-se na loja da ruan da Imper'atriz n. 40 a es-
quina do beeco dos Ferreirtli.


Attenao
Mathues, Austin & C., A. rut, do ommercio n.
18, teem para vender:
SPinho de resia
Chegado agora e de superior qualidade, das
seguintes dimensoes :
1 a 1/2X9
2xia


foIte a vontade do mprn

.. ^ ...'- '' "* : :o: i* +.: ~ '. '


''^'*'^''!^::.?"^^ 'c'''B "'';- ** '* ,*" -* ', *., *.' ^^ ^ ^ ^ '"^ i (''


1olrmo de pMhos prs enomrlva e crne.i *. -
Ps" ffeitiws
....d W oo" nm
Arnarnds ameplroed



fhlqeis de mori ppt B o
4e)a1ial edada e ck rta 2


YOari8e parah prPameB0ebrmms.i.
Qlwm, ap p 0ara 8 lNoaBB e^ se '- a


Sdode a. 85 d 45S.
omarmn ea paa am inos dmed 28 85; =dI


aatapSamde vapedad&
Me!". enw de% Comet Bpreta.
.tSpv e ,e as,i, d
.imbriras nrcoeaed e d Coresi ima, prft.-
m etc.. etc.
Papoula & C.
i Rua de Cabug5-j"
Em frante a matris de Santo Antonio
Farh". Lact2a

Nos primeiros mezes a alimentam
natural e apropriadapars alimnentar a ctia
a deo, peito 4 o proprio leite matera o qald
em caso de uecessidade deve ser laabst6itua
do pela
FARINA LACTEA DO DR.
FRERICHSI


A sciencia e a pratica adoptaram a 6.fi
nha Lactea como poderoso element nu'
trictivo pars a infancia e distinctos medi-
cos do Brasil e da Europa reconhemenr
ser A do Dr. FRERIOHS a melhor n'ewtU
genero.
Deve-se pois evitar wonfiar o filhinhe
urma pessoa estranha e de comportamente
nao conhecido muitas vezes o germen
numnerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farina Lactes
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estabdecimento de muuicas e piano de Vsw
tor Pr&U6


Pharmacia homeopathica


DO
Dr. Sabino
Vendas em grosso e a retalho, descontos
tajosos ; rua do Baro da Victoria n. 48,
Pern ambuco.


van-


Cimento portland e potassanova
Vendem Orestes Travassos & C., em seu escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

Bilbar

C LUO L30MAN
RIua do Imperador a. 8
Os proprietaries deste bern montado e conhe-
cido estabelecimento, tendo recebido directamente
da Europa um grande sortimento de tacos que ha
de mclhor neste genero, ternos de bolas de oarr,
de primeira qualidade, jogos de domino e outrox
artgos concementes a este fim, e como tenham
tamb feito uma reform em seus novss bi-
lhares, forrando-os e collocando marcadorea nas
tabellas de todos elles; por isso convidam aos
seus freguezes e amigos, A visitareme cmo de cos-
tume este estabelecimento onde encontrarlo tam-
bern umn complete sortimento de bebidas finas. cemo
sejam : vinhos, cervejas, licores, chazpagne e re-
frescos gelados de dizersas fructas do pain, e 0
magnifico cafe moka a qualquer hora do dia en
da noite.
Outrosim, vendem bolas, panos e tacos usade
por modiceo prego.
Carroca para carnefro
Vende-se uma b~a carroca para caraeiro. a vet
e tratar na rua do Bom Jesus n. 61, ageiia de
leiloes.

Pa a O0 S eOsOS
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como s Bonitas e elegantes bonecas, A o Pedro Antu-
nees & C. quern tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes crianoas, pelo que
os proprietarios'da Nova Esperanea nao poupam
exforgos; rua Duque.de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borracha
Especialidade pars fazer present As crianqas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seuns
freuese ; Nova Xspeianfa n. 3, A n1 i Dique
de Caxias.
Cabelloibrranme 6 tern qquem
quer
A verdadeira e especial preparacao, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vende
prova a sua especial qualidade ; na rua Duque de
Caxias n. 63.
SAo bonitas
as luvas de seda abertas, canno alto, que scabs
de receber o Pedro Antunes & C, A rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos especiaes ; rua
Duque de Caxias n. 63.
Sapat5es napolitanos, especiaes, para o tra-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., e
esta liquidando pars fechar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanga.

Livros para escolas
CASTRO NUNES, compendio elementary da
grammatica national, segunda edicti corrects
e aDnitada per Jos6 Martiniano du S.uza, 1
volume.
IDEM, elements de arithmetica, nova edico
revista e melhorada per Jos6 Martiniano de
Souza.
IDEM, resume da doutrina chri-t, nova ediao1
revista e annotada por um sacerdote,
JOSE MARTINIANO, elements de orthogra-
phia, terceira edico, vistaa e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bonds con-
selhos.
BISPO DO PARA, historic biblical, ou narrati-
vas do velho e nevo testamento.
Avenda ni livraria Industrial n. 7, rua d Ba-
rao da Victoria ; e na livratia Economica, ru
Primeiro de Mar90, junto ao arco de Santo As.
tonio.
Per 45O^!!
Vende-se per esta quantia o restaurant da su
das Larangeiras n. 29, corn todas as suas per-
tenas e prompto a funecionar, A pechincha quc
nao apparece mnuitas vezes, porque vale 80013:
quemr pretender. enteoda-se corn Silva Dies & C.,
A rua da Madre de Deus n. 36, 1" andar. :


K lmrto


Ve&de-se um t-tenuo emn ber( qmb b
palgm de o=ente e raias do I)00 do de -Ova
junto ao do S. rancisce fAutoaIo
quem quiszer dirijaO oe ao eucipta odte
que so dirA quenm vende.


I -


I


e =au d~e
Wda, o
isfllf


-I: qu


















eakomUa Pitro~1s.
Ai01 MAW:as|l eoatuomias
...^I tt ..' ;.,.* i ... .... '* *-

.1^1 povoama ,as ruas o as estraU#as
"A ia mosma exuberaneia corn qt as
s! |10vicejamn nas crcas (do oa|ab ;e1
vi hortencias azues e as violtas p.'-
fuMadas fljrescem nos jardins- do higi
'Ufe.
Dir-se-hia que 6 para ellas, to s6-
inmte para ellas, quo o sol brilha nesta
Sabobada do saphira, que as florestas
ufabricam oxigeneo ; que os passari-
nhos cantamt; que as aguas susurramn
jo.r entire as facetas brilhantes dos
seixos dos canaes; que Petropalis, em-
fim, come o symbol mythiologico da
QUpoesia, exponde-se em eterna prima-
vera.
Quando dou o meu passeio matutino e
vejo, em banoes, aquellas mimosas crea-
turinhas corn as faces rosadas, os cabellos
louros em desordem, oihos anues vivos e
-brilhantes e pcs descalgos, o primeiro sen-
timento que se me aeorda no peito 6 o da
,inveja.
a. Digoo sem rebugo, soja embora a inve-
jaum peccado mortal.
E' que, infelizmente, cheguei A idade
das desilluhses, dos aunos de prosa, serm
ter ti4o o console de ouvir do uma bo-
quinha vermelha esta palavra, que re-
sume tolas as alegrias do mundo -pa-
pai.


0 meu lar e desert comno cerebro de
um idiota.
E' silencioso come a noite.
Ao ver-nos passar, cu e a consorte, di-
zem os vizinhos e os conhecidos:
Come so. felizes aquellas create
ras!
Podera nio! Elles dous sosinhos!
Ah que se fosse eu s6 e meu ma-
ride, outro gallo cantaria 1
Nao ha nada come nao ter filhos!
Ora, ester visto.
E per entire esses commentaries vu ar-
rastado a existencia, ser grandes prazo-
res, e o que o6 mais triste ainda sem dis-
sabores.
A vida sem dissabores 6. um fardo.
Esta proposig9lo, que cheira a para-
doxo e que parece um contrasenso, en-
corra, entretanto urna grande verdade.
Sen sahir da hypotheses de que estou
trataudo, imaginemos leitoros urm pai zan-
gado:
-- Nao posse ter nada em casa, diz
elle. 0 diabinho do menino estA de uma
travessura.... Quebra me tudo. Com-
prei hontem em um leilbo duas jarras
da India. Quando cheguei a casa, dis.
se A senhora: Ponha isto om lugar
onde o Juquinha nilo possa ir. Pois quer
ver o que fez o ladrAosinho? Tropou
emv unira ca(deira, fotbi A mesa onde estava
uiaa das jarras e... zds, reduzio-a a
cacos! Que inferno! Nao posse viver
assim.
Nio o creiam. Aquelle -inferno 6
dito, come vulgarmente se diz, da bocca
para f6ra.
Sem o endiabrado Juquiniha elle n3io po-
dorA viver.
O Juquinha C pars elle a existencia in-
teira
No dis em que o menino nao lhe que-
brar maisjarras, em que nilo atirar pe-
dras para os quintaes da vizinhangas, em
que naio sovar o moloque ou nao fizor
alguina das travessuras costumadas, ellk,
o pai infeliz, quoe se queixa a todos de
que a sua casa 6 um inferno, dira corn ar
pezaroso :
Estou nmuito triste. Nlo se! o que
tern o men pequeno, coitadinho Ja nIo
pula,'* A nao salt, come outr'ora! Vive
encolhido polos cantos. A minha casa na.o
6 a mesma.
Imagine agora outro pai ainda zan-
gado.
-Nio se trata de um Juquinha pequeni.


FOLHETIE



AMOR MATERNO
POR

JULIO .MABY


PRINEIRA PARTE

,'MTSvmA NEM ,JTHA


(Continuag9o do n. 16) -


-. Albina, pallida, de olhar sombiio, den-
tes cerrados, abaixou a cabega e fieou mui-
f "to tempo caiada.
Ouve, disse ella final, na-o compre-
hendo bern tudo quanto acabas do me di-
zer... E' impossivel que o Sr. R.v6ron,
cuja probidade 6 conhecida, seja teu eum-
S police. Mas aconteqa o que acontecer, e se
f : f isso se realisaar, ainda tudo nlo estaria
-, acabado para ti, Gaspar. Nio esquegas
estas minhas ultimas palavras. Eu estava
-.- rosolvida a morrer para to deixar livre, lo-
go que fosse tua mulher... v61, pois, que
I:G..lto teIho apeo vida. Portanto, toma
S uteno!'... N Ko-me hei deo humilhar mais,
$Upliudo-te, porque isw podera fazer-te
peq er ,que: o queor rea umo urn direito,
n um favor! ... Agorap6des ir, to
h- maa... .-val peurar a tua noi-.
*!t .... ..d .


parece4ll .ic^^!
vado emi alga m exal
ventura 4o -4 w mI,


WuW
Ai. I
I le


li


Albina ficou alih, innmovel, em p6, co-n
fcbre, tiritando de frio.
Machinalmente ella o vio partir.
N'esse moment, por6m, ella nao pen-
sava em nada. Havia vacuo no seu cora-
bro.
Estava come atoleimada.
Os labios entreabertos deixavam passar
uma respiraglo opprimida, ruidosa.
Unico signal de vida que dava.
Mas, de repent, cahio, estendida na
never, que, cahindo incessantemento, co-
megava a cobrir as folhas e os galhosmor-
tos.
Os seus dous bra9os estavam estendidos
em f6rma de cruz, e as mios fechadas
apresentavam um punhado de musgo.
Parecia que tinha morrido ali, de re-
pente, conservando assim o ultimo movi-
monte da vida, a ultima convulslo da ago-
nia.
Ficou assim long tempo, o a neve co-
megou a cobrir o soeu corpo, sem quo ella
se movesse.
Subitamente, por6m, quando as sombras
da noite comegavam a cahir, quando s6 os
cimos das arvores grandes recebiam algu-
ma claridade, ella tevo um sobresalto, de-
pois outre e ainda outro.
E gemidos e solu9os sahiram-lho dos la-
bios e grandes lagrimas cahiram-lhe dos
olhos na never, quo o seu halite ardente
derretia.
E atravez dos solu9os e atravez dos go-
midos :
Men Dens, tende ,iedade! Meu
Deus, tende piedade I disse ella.
Afinal levantou-se htorpecida e eom as
milos azuladas pelo frio, o rosto inchado
pelo' prato ,: :-
E, tropeado, procuron a alameda.
AlHi estava a O cv.4-morte.
A done pw"o eltk~x a- facs de que oia


jl"T&=W.o $Pio D. da9rA
PftSCA RXPMBBTMAIj OA, Ve-
NETISMO, GEOVESIA, TOPOGRAIW R;TtA
.^frn e-*^^, i.


JA ve o leltoe quo os 4ft1b -0 s.
verdadeiros estimulantos pan os grades
affeetoa do cora .o.
Oa dlssabees aslo a pimentoa mUalagueta
da vida.
Eis per que a existencia jA comeea a
pesar-me come um fardo..
E eis por quoe, no ver) em meous paseios
matutinos, esses bands de creanas ale-
gres e travessas, digo corn os meus botdes,
ralado de inveja:
Cormo nao devem ser felizes os pais
destes cherubins t
Que prayer nao sentirlo ao receboe-
rem es osculos destas boqainhas porfuma
das, que ainda tiao sabem mentir I
Vel-as nascer, ensaiar os primeiros
p -ssos, balbuciar as primeiras palavras,
desenvolver-se e educal-as na lei santa do
trabalho!
Se isso nalo 6 a felicidade, em que
consist ella, entao ?
Fazondo takes consideraces, atravessa-
me o espuito umna id6a negra, mas que,
entretanto, coasola-me.
NMeo me irriem as doces alegrias da
paternidade; mias tamnbem nao passarei
pela d6r, sem qualificativo na linguagem
humana, de ver-me ontre um ber9o vasio
e um esquife occupado.
As creangas em Petropolis slo bellas.
E o quo Ihes da a belleza nao 6 s6 a
harmonia das linhas, uma especialmnente
a saudo.
Desculpem-mo os partidarios da belleza
ideal, desse bell absolute pautado pelos
canones da antiga Grecia, o qua Lteve per
sacerdotes Phidias e Praxiteles e per ido-
los o Jupiter Olympico e a peregrina es-
posa de Vulcano.
As creaugas do quo me occupo nao sito
vasadas uos moldes gregos.
Nio t6m a linha correct dos filhos do
Lacoonte do Vaticano; mas sao fortes,
robustas e verwmelhas como os anjos das
telas do Rubens, graciosas comne os che-
rubins que brincam aos p6s das madonas
de Corregio, e risonhas come os marmores
de Carpeaux.
Se naasceasem na autiga Sparta naio so-
riam por eerto langadas no Eurotas.
Soo ellas quoe alegram aqui a paisa-
gem.
Andam sempre desoalgas.
Pisam o mac-adam comn os pdsinhos
c6r do rosa, e parecem ter polos sapatos a
meama antipathia quo um agent do poli-
cia tern pela ordem,
Em comnpensaglo idolatram o chapdo
do sol.
Assim come em Loudres ninguem vera
umn represontante da baixa plebe, per
mais infimuo qute seja, sem ter a caboea co-
berta per um c.liapao sim as eft -
por um chap6o cylinhdrieo. Asaii e=m Pe-
tropelis todas as creangas trazernm o seu
chapeo do sol.
VWo ao collegio coin chap6o de sol.
Fazem compras corn chap6o de sol.
Vendem hortaligas, lite, queijo e man-
teiga fresca sempre corn o indefectivel cha-
p6o de sol.
Nao ha muitos annos, o Sr. Oetaviano
Hudson, de cujos sentiments philantropi-
cos sou o primeiro a dar o mais viv tes-
ternunho, andava ahi pela cO to a pedir
cal~ado para as crean~as.
E' precise que as creanuas se ins-
truam, dizia elle; dcin-lhes, pois, sapatos,
afire do que ellas possam ir para o col-
legio.
As d'aqui, vio parn a escola dcscaIgas.
Instruem-se ion sapatos.

E afastou-so, rapidamente, cantarolan-
do.


VA

No dia seguinte ella ese-reveu a Lag-
guil y:
a Esperarei dous dias, dous dias semen-
to, durante os quaes ainda terei esperan-
gas. Depois hei do vingar-me.
Nio assignou a carta,.era inutil. Gas-
par havia de saber quem escreveu ; estava
prevenido.
Depois voltou ao seu trabdlho na herda-
de das Faias.
Estava muito fraca, extenuada, mas os
nerves a sustentavam e a febro tambem,
assim come a necessidade em que estava,
de parecer alegre e de boa saulde,.-afim de
dissipar as suspeitas, se per acaseo nsuspei-
tas havia.
Passaram dous dias.
Nio recebeu nada de Gaspar.
Depois que voltou para a casa de Billo-
ret, ouvia todos os dias as mogas e os
rapazes da herdade fallar no casamen-
to e nos preparatives da proxima ceremo-
nia.
Entrava o menos possivel n'cssas con-
versas, mas, As vezes, era obrigada a to-
mar part n'ellas.
EntUo respondia ou ria de uma reflexao,
mas fallava em tomrn breve e voz. surda,
tendo o eoravIo apertado e lagrimas aUos
olhos!
N'essas oceasioes ella era obrigada a
sentar-se, e se estava oceupada em al.
gum trabalho, perturbava-*e, nao o fazia
bemrn. .
Ah pouca couaa bastiria para fazel-a
oesatar em ptapito a tiahlir-9.
No fim do se -dia, fiitr-so06r
tanedo,4tendo hdido Vida
rga a pita es 4A,


(Condluslo)
IV ,
a to
leM P,!d in 4guir 4
scijeim :sess divwss eseuivolvirnen-
tos, e s6 p6de passar no dominid da praj
tica depois que a electricidade das machi-
nas pode ser substituida por uma fonte
permanent de electricidado, come aconte-
ceu cornm o prodigioso apparelho iaventadq
per Volta; denois quo as propriedades e
as lois de electricidade foramn detormina-
das; e quando a necessidade de uma com-
municaio instantanea pOde iffluir e des-
pertar es poderosos esforgos quoe deviam
coroar do melhor exito a mais grandiosa
das appliea9 . E' ainda ao genie da America do Norte
que coube a gloria de applicar o electro-
iman nas transmissies teoegraphicas, per-
mittindo assim uma omissito e urea facil in-
terrup9lo da corronte da pilha; intermit-
tencia em quo se fundam os signaes que
constitute a linguagem da toelegrphlia
electric.
Prompto e resolvido o problemadoe mar-
car, sobre uma banda do pa.pl, per meio
da electricidade, pontos e tra96s, o appa-
relho do professor Morse surge privilegia-
do em 1838; conseguindo depois de 1840
passar dos factos meramento curiosos para
um dos mais poderosos auxiliares da civi-
lisaglo e grandeza de nosso tempo.
Univorsalnmento adoptado pela sua ex-
trema facilidade e commodidado prat'ca, o
apparelho do Morse tern paseado per varias
transformagoes e aperfoigoamentos, o hoje
escreve os signals em vez do risear corn
um estileto a banda de papel que so ache
onrolada ua roldana do receptor.
Os apparelhos do Morse, simples, ox-
postos pela Roparti9&o dos Telegraphos,
cont6m todos os grande melhoramentos
dos telegraphos oscreventes o ainda outros
aperfeigoamentos empregados em appare-
lhos do mais rapidez.
Os principaos aperfeioamentos que con-
v6m mencionar slo: 1 eescrever corn tinta
collocada em urna capsula, quoae serve de tin-
teiro; 20 eserever comn-uma pequena la
mina circular, girando em torno de um
eixo, em vez de empregar o antigo estile-
to; 31 ser um telegraph polarisado, tendon
a alavanca principal do apparelho formatda
do umn iman permanent em forradura, que.
torna o apparelho muito sonsivel, o contri-
bue assim para a maior presteze dos mo-
viment.a.

ihe mechanic do receptor 6 mais ou menos
reproduzida em todos os apparelhos acces-
sories, desde os commutadores c o Galva-
nomentro ate o despertador e os engenhosos
para-raios de places de ferro.
A simplicldade o engenho quo so obser-
va nos apparelhos expostos, torna-se ainda
mais notavel nos mecanismuos de translac-
9io adoptados pela nossa Reparti9ga dos
Telegraphos.
Uma corrente que percorre urna linha
bastante extensa chega, eim geral, A sum
extremidado sem a for-a precisa para fazor
funecionar os receptores, pouco sensiveis;
e o isolamento imperfeito das linhas impe-
de muitas vezes os receptores de funouio-
narem, quando as duas esta9 munica9io s~o muito distantes.
Em takes circumstancias se proecura pro-

Irei ate o fim, mnurmurju ella, d(
lho.i fcrozos ; n'aquelle invsucto G~tavr:
lour-a.


Ella levantou-se, vestio-#p e abrio a
p ort-i.
0 sol, vermelho, apparecia atravez alas
arvores, aUllumiando, do repent, a rfiata
corn a luz vermelha de umrn incendio.
A goada endurecia as hervas, que bri-
lhavam come esmeraldas, rubis e topa-
zios.
A villa, corn os seus telhados cobertos de
never, estava emn silencio. Dir-se-hia qae
todas as casas estavam abandonadas, se
aqui e alli nao subissem ao ar tonues co-
lumnas de fume.
Fechou de novo a porta e partio em di-
reccaofias forjas.
A principio, o frio intense da manhA a
entorpeceu.
A dultima noite de angustias o do in-
certezas a tinha abatido.
Entretanto a sua resoluglo estava to-
mada.
Ella noe olhava mais para tras, senie
para a frente.
Uma hora depois chegou a Chalambot.
Nas forjas a extrema aninma9o contras-
tava corn o sileneio o a solidly dos cam-
pos : alli tudo era ruido, actividade, febre
do trabalho.


Doixon as forjas A esquerda, passou
rio e tomou uma avenida, no fim da quf
estava a-morada do done, construcao mmc
derna, quadrada, em que nad, era sacr
ficado A vista, onde tudo era commodo,a
mnesmo.mtempo samples e rico,, que deixav
adivinhar uma grande fbrhi, tirigida pc
uma intelligencia s- a recta. '
Havia muito que RWv6ron estava de p
e trabalhava no seu gabmele. -
Touda"Albina insistido" parns V4_-0 t i
criado adfvA,. adimmedatamite.-
STinhamio ro r inoilvidow em um i .co


0



'a
1-


sadoe, faz corn quvipoelter cu ha i-

oS do prireiro atW Xa Sa Iitva, de

s moatsrosimple quo reoaisam a
traB~lac9V I'R 4ib (f tado pormlo-
tarm a hsta daos ecoleutes qu*aidades que
'_RTO "I, .ov .
postos pela RspArbtiF a d t le-graphos do
lt aMt41*4R 0 to,4i de
serot exhibid6s na Exposiflo Continental
4 4Rerl~l-ao 41= .. ..
Antes de encerrar este capitulo parece-
1#40 jifto pov4qrwrquo, e prxisti h bojo ,tt-
legraphos quo inprinem em cara teres or-
4iario9, coip ,os appaIehei de Hughes,
telegraphos de transmissao i'apida o atuto-
matica, como o de Whlwsioe; apparelhos
de transmissoomultipla eoino o systoma
,leyere Baudot, q apparelhos de trans-
iss6o simultanea do dous despaehos emin
,evtido Qontmrio, ou o duplAx, seria de
um grande impulse para a industrial nacio-
nal dos telegroaphos, se as officinas do Ea-
tado encetassem a fabricag.o de algum
destes novos typos, que tanto t6im concor-
rido para o progress de noss o seculo.
A exposiglo de apparelhos scientificos
de astronomia, inautti, geodesia, topogra-
phia e phyaica experiimental, aahidos das
celebradas officinas do cavalheiro Jos6
Hermida Pazos, successor do intelliganto e
infatigavel Jos6 Maria dos Reis, do saudosa
recordailo, tern especimens de admiravel
belleza, grande preeisAo, notavel perfei9o
artistic, desejavel commodidade pratica de
installagao, e a imprescidivel solidez exigi-
da pelos empregos e differentos uses a que
so destinam instruments que tem do sof-
frer frequeutes doslocamontos e supporter
fortes abalos.
A sua luneta meridiana portatil, de 62
centimetros do long, trazoado circulo gra-
dupdo sobre prata perfeitamento polida, de
16 centimetros do diameotro, podendo apre-
ciar angulos do 20" to construida para dar
urma atnplifieaco do 120 diaiuetros, trazendo
recticulo de 6 fios verticaes, urti d'elle me-
vel, regido per urt deliado parafuso 'mi-
cromotrico, do 1/3 deo millimetros de passe,
e apreciando ate 1/300 do millimnetro, ob-
jectiv de 60 miilimetro de diametros, mu-
nida deo todas as peas e accessories para
as Pbservaj3es do sol on durante a noite,
reeommenda-se especialmente ao trabalho
nacional pela nitidez de suasimagens, do-
$ura de seus novimnentos, igualmnente das
divis~os do sen limbo, grande regularidado
dos tragos do suas escalas, solid system
do parafasos de calagem, trabaihados no
ago fundido e movondo-se dentro de por-
cas de latao assentadas sobre places de
lateo, aptas para os deslocamentos da pen-
taria, horisonte de mervurio para as ob~er-
va9oes nadivaes, e umn commode system
de acondisionamento, quo muito conoorre
para a conservagao do instruamento.
A luneta astronomica do mesmo expo-
ue^4- jz0 1J3.a^A as observe
ges terrestres, do 0 1il 7 long, objoeti-
va de 80 millimetros do diametro, aiupli-
ficando deo 160 diamotros e tend taceis
movirmcuntos sobre o pe, tanto no piano ver-
tical come no sontido horizontal, 6 um
apparciho que, polo bern acabado do stias
linhas e perfelto eajustamento do suas pe-
9as, esta no caso do honrar a industrial do
paiz, contribuindo deade j6. para sua in'i
peoidtncia.
Um dos exoellentes o bern fabricados
apparelhos da collecqao Pazos 6 a agulha
azimuthal o de reflexso do Capitao de
Fragata Luiz Fhilippe Saldanha da Gamns,
que, alem de se prostar a borlo ai deter-
mina9ao mais cerrocta da variasao da
ngulha, p6de funecionar, seja come un siim-
pies esquadro do agrimensor, seja para do-
terminar a reduc(;o do angulos ao horizon-


-Vou dizer-lhe. Mas antes prometta-
m gardInlar o silencio mmis absolute a res-
peitoe do quo von dizer-lhe. Jure-me quo
nao confiara ease segredo a ninguom, nemn
ao sea melhor amigo, nem a nsua filha.
Eu ojuro... Mas entio que 6 ?
-Jura-o, aconteoa o quo aconteeor?...
Aconteca o que acontecer, conte com-
migo '-
Obrigada, senhor. Agora ouga. 0
que tenho a dizer-lhe nlo levarA muito
tempo. 0 senior vai casar sua filha corn o
Sr. do Lesguilly, nalo e assim ?
E' verdade, mas que relaglo ?...
Esse casamento 6 impossivel.
Impossivel I Porque? disse R6v6-
ron, quo se tinha levantado bruscamnente,
um poueo pallido, e a cujo espirito volta-
yam, de ropente, as suspeitas de outr'ora
e as suas repugnancias.
Porque o Sr. do Lesguilly foi meu
amante.
E a umn gestj do Rev6rou :
Sei que na sua sociedado nao 6 cou-
sa de consoquencia ter um home mais ou
menos amasias.... mwas eu tenho umn fi-
lho, cujo pai 6 o Sr. de Lesguilly o ello
pertonce a Mze tfilho e. a mira, antes de
tudo!
Essa revoloainpressionou muito o in-
dustrial. 4
Tinha-so sentado inquieto, de olhos bai-
xos, prevendo alguma desgra9a myste-
riosa.


)r -Ah I voce 6 'pAi, disso elloe; mas per
que me pede segredo? a sun falta deve
s6 er'p4bbloi, o seufilho a accusa... "
S- No, dei A lus em segredo, ha quin-
iu o d ,;as onmi m C.Adh'o emP minha ca-
sa, oroqaanto estien e ,ie fechei a por-
,e -ta a, todost -4*,itei "noes a *oi~atroz, inns,
tbentie..... ,ca' qu habit6 -ilolada;
mogmer. .o--m. ,,Ahqua t-acagem
|eiforga mneform*
Boee* easa cranqa ?
t'4gme -8estima
-qtm- Uluqtte,*As a rae e
W em a existencia
m aso Sr.
..... nnv; .. 4L 2...


1,


mento 6- t em actuar como co:mnport 'ador
iazintieo,|anov-a origial agUha do fa--
brieaM lb niclonal otfroe peloss 'Motivow JA
exp6tos e pole g'Mado fPa ,margneotiea es-
palhada prooorci6ahpentom pela'i snperfciO
da rosa dos ofS, j que a toraam prfefrivel ao commum das
agulhas do rarear, sobretudo applicadtas
aos navies do ferro ou encouragados.
A linear bitaaul ,sat.ndarte- cornm agulha
azimnthal, do c'ir'u1l .tovel, indepen lento
da aguilha; aguilha azimuthal prismatica, do
cireulo movel; a born trabalhad'a agulha de
bitacula, morgulhada em alcoal, para amor-
tecor as oscillages nos navies do. grande
marcha; os agulheos;para tectos do cama-
ra, quo pormittom ao;co emnmandantes o
conhecimnento d4os ramos, sem ca sultar a
qgalha da bit' alo; um belleo thoodolito
trAinsito coin gradua91o sobro metal pratea-
do, cano no system americano, dando
30" do approxinmaeo, o nivel, corn lunacta
portatil o circulo vertical graduado sobre
prata polida, dando 30" de approxinaio,
e niveis de bolha d'ar (de 9 e 4 centime-
tros; os dous typos do oscillometros; o
pequeno clinomnetros R'iis; as bellas miras
fallantes, do quatro metros do long, corn
tres. corrodigas, numneros cscriptos em ver-
intlho e direitos, para o omprego dos tran-
sitos ameriuanos, quo t6im oeculares diree-
tas, o a magnifica collecelo do lunctas o
pince-nez do ouro lavrado, renninclo aos la-
vores mais puros a mais escolhidla ehlgan-
cio e nitidez, fazoenu da collecao Pazos
uma das mais dignas do ecorrer na Expo-
silo Continental da America do Sul.
V
So a applicaita da oleetricidade debaixo
do todas as formras, como meioe do cura,
nio concorreu na fiesta do trabalho corn ap-
parelhos de induelao o do electrincidade
station, para diminuir os soffrimnentos da
humnanidade, a eloectro-therapia nao ioi to-
davia omittida em nossa Exposig-lo Indus-
trial, e dous apparelhos do electricidade
voltaica, dando correntos continues, ,mais
ou menos poderosas, figuram no quadro de
nossos products.
Dos dons apparelhos expostos, um d'el-
les, no que diz respeito A formina, disposi-
gaeo e naturoza das pilhas e do complete
invenilo do fabricant3 expositor ; o outro,
naquasi tatalidade, 6 u:n apparelho de
imnitaglo; ambos sao entretanto muito bom
acabados o prestams so admiravelmente aos
uses da therapeutica.
A machiaha electro-maudica do Sr. Fron-
ti, recentomento privilegiada polo Governo
(1do estado, dove antes o sen merecimonto a
natureza (i6 substancia que form o vase
da pilha, a forina e disposie'o que dA elle
aos elomentos constituintos, do que aos li-
quidos x-itadores o materials solids des-
polarisantes do suas pilhas.
0 apparelho expwso so comp5e do 136
elernentos voltaicos, formados do pequenas
bacias do guttapercha endurecida, ligeira-
naf nomas, Ae qua.tro A quatro o ineio
centimetres de base, dispostas em co!un-
nas do 8 eletuentos sobre un cixo de fio
de cobro coberto d;- borraeha, e tendon pa-
ra electrodios fibs de prata.
T..rmo m6dio entro as pilhas seccas o as
pilhas do u:n s6 liquid scm polarisacio,
a pilha Fronti 6 umna pilha humida muito
approximada, na disposicao, da pilha do
column; e nos excitadores e solids dis-
polarisantes 6 quasi identica apilha Lo-
c-anch6.
Corn cffoito, cads bachi contem 10 gram-
mas de bioxido de ranganez e5 a 6 gramn-
mas do carvio de retorta, composi~go idon-
tica A da pilha L-iclancie6; sendo o liquid
excitador do preferencia o chlorureto de
zinco, q me 6 muito hygroscopico, em vez
do chlorureto de ammonia usado per Le-
clanch6, ou do sulfacto de mercuric ou de


be quo ello pretendia casar-se voce nto fez
uma ultima e supreme tentativa...
Sim, ha oito dias, durante a cagada.
Ah I corn effeito, nao sabiamos o que
tinha acontecido. A sua ausencia comeea-
va a inquietar-nos quando o viemos voltar
a p6. Elle contou-nos nao sei que historic
para explicar...
Fui eu quem matou-lhe o cavallo,
porque elle queria partir sere ouvir-me.
E vocB o que lhe disse ?
Suppliquei-lhe, pedi-lhe que me res-
tituisse a minha honra e que d6sse um no-
me a men filho.
.Quer quoe lle a despose ?
Sim. 0 senhor tambem admira-se
disso, porque sow uma meninapobre ; sem
duviia, diz, come elle, de si para si, que
eu era bastante bouita para servir aos go-
zos do muarquez; mas quando so trata do
toawar o seu nome...
Engana-so, minha filha, disso o do-
no das forjas; eu tambem penso quo vo&e
dove ser sua mulher. E' o unico remedio
para o mal que iudica.
Ah! come o senhor 6 borm! disse
ella solugando. So o senhor soubesse corn
quo despreso elle tratou-me..-- Eu, mar-
q'ozade Lesguilly?... Quo exigeneia!
Como era singular e enrigranado! AIh! Sr.
ltvFvron, nao quero que o senior pease,
nerToper umn memento, que eu tive seme-
lhante sonho per ambiogo! Gaspar Ihe di.
rA, lhe repetira o que cu prometti-lhe...
0 que foi ?
Ea morretia, afimr de o deixar livre,
depois que ello tivesse roconhecido meu
Ilho, depois que o tivesse legitimado petlo
sea casamento commigo...
Fazia isso ?
-- Eu o juro, per Deus, que 16 no m eau
coracgo e que. deve perdoar-mea 1 qR
commetti, por causa dos soffrimentow 0Am-
zes per que tenho passado. -e i
--Pobro menina!1 <
0 senior teinvd6 d aio # li_
ron?
Sem davidal f


IsAsn f
tolio.j
s-i^'t


nM itro, nversor da coirrenteum orl
r, onN AioWt da,^ (i |^
llo dontro d? uam t bo contendo blbioou
tZ #5 oxc44orq0 I eta.i#* para
apl icaoo da orronto, qualquerqus seja
Scrg .io fuuoioje.
CMumpre dizer, come aviso aos que tra-
tA -deste asauIpto, que o apparsiho fuc-
ciona admiravemento ; 40 elemontos pro-
dazem soosiveis alfinetadas, e comn 60 os
effuitos theruicqs eo quasi insupportaveis
nat peoaoas do median seusibilidade ; es-
tes douns typos s Ato muito portateis.
0 outro apparelho de eleotro-therapi e6
forinado do 30 elements do pequeno for-
mate, systoma Caillaud Troave, isto 6, do
zinco e urnm .so liquid (sulfate do cobre)
sem polarisaglo, e trazendo todas as peas
quo devomin regular a forga da corrento.
Justainente apreciado pela constancia de seas
effeitos, vai este apparelho se espalhando
como o apparelho Fronti, e concorrendo
os dous para nacionalisar a industrial dos
apparelhios electricos corn applicaggo A
therapeutic.
Achando quo os apparelhos de electro-
therapia podemrn concorrer A Exposigo
Continental, antes do terminar este as-
sumpto cumpre-me declarar que soeria da
maior conventencia, para o bornm uso e eom-
prego de cada urn destes dous apparelhos,
que f3oss cada uram delles acompanhado,
do umna series do, excitadores metallicos,
de formas e dimonsies differences, em or-
demin a que a corrente pudosso ser facilmon-
to applicada tanto em qualquer ponto da
superficie, come nas diversas cavidades do-
corpo humane.

VI

Podia a justice que na festa do nosso,
progress industrial nAo deixasse do con-
correr a mais recent das maravilhas do
seculo : 6 urm exemplar do telephone que,
preparado n'uma officina nascent do paiz,
tamnbemn figure na list dos products exhi-
bidlos.
Transmittir a voz, a palavra articulada a
grandes distancias, distancias quo amanhi
poderbo igualar as quo porcorre o telegra-
pho, eis o problem que resolve o modesto
apparelho cuja admiravel realizagio data
do 1876, devide ao genie do Graham
Bell.
O telephone Bell, quo mereceu da Aca-
demia das Sciencias, do Paris, o grande
promio -Volta-raramente concedido, tem
o trausmissor e o receptor identicos, do-
mode que cada um delles se revesa nas
fungies.
0 apparelho exposto, supposto derivado
do teihephono magnetic, s6 fez o sen
grande success d-pois da descoberta pelo
professor Hughes, do" microphone a carvya,
quo da urn extraordinario reforpo ao sorm
da nossa voz.
Dest'arte, o transmissor A .er, isto 6, o
apparelho junto do qual so fall o mi-
crophono de doez baguetas do carvIo reu-
nidas por trees bast~os da mesma substan-
cia; o e o receptor, isioe 6. o apparelho que
escuta, al6m de utilisar a ac9Ro concentra-
da dos polos do iman, tern um annel su-
perexcitador, quo torna sorprendente a-
scusibilidade do apparolho.
Laureado recentemente pela Academia-
das Soiencias, o telephone Ader 6 suscep-
tivel do experimentar ligoiras modificaoes
nos sous detalhes, o o modelo do Sr.
L6on Roddo, que estA em actividade nas
salas do Palacio da Agricultura, tem o des-
pertadcr na part inferior, o quo ja, torna
o apparelho mais portatil.


(Conttinua.
.s




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXL3HD9HP_YO9VMB INGEST_TIME 2014-05-02T21:26:31Z PACKAGE AA00011611_14049
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES