Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13970


This item is only available as the following downloads:


Full Text


*(J~ ~ -


4..
9.
~m1- *~"~
- '1. j *-.


* LA A
* -1


mes mm -adiantados. .... ..
Sseis ditos i ien. ... ...
P um anne idem ........... ..
Cada nurnc.'o avulso ... ....... ...


~t3.
I ~ 0


W % A ....moM eA


I a
0


.. oi i ,.


'. .. v ,
; :| ., t '
i i e .?* 'I ** *
''s i


*. 657U
. .. 1345S9.
207250
.27$000


b11


PROPRIEDADE DE 'MANOEE-Fl
.I -"'


,-1i i, I ,.di
h.'j:r,, .; ., _


-Ill_


STELE.RIAMXMAS

aLGKi~cia ~1tLvXS
POLITICOS
BAKIA, 11 de outubro.
0 paquete inglez JOHN EL DElR rece-
beu a seu bordo os passageiros do
I'ARANA.
COMMERCIALS
^ LONDRES, 10 de outubro.
Fundos brisileiros de 5 o',, empres-
timo tie 1875, a 9t.
Mercado de assucar corn pregos bat-
xando.
LIVERPOOL, 10'de outtibro.
Venderarm-se hoje cerca de 12,000
balas coan algod&o de .diversas pro-
cedenclas; sendo o de Peruaimbuco
a 6G58, e o 'FAIR de Santosa 611/16 d.
poP libra.
NOVA YORK, 10 de outubro.
Cambio sobre Londres 4-82.
Preo do ouro 102 3 4.
LISBOA, 11 de-outubro.
SChegou hoje dos portos do Brasil,
o paqulete inijjlez ELBE, da coinpanhia
IOYAL MAIL.
Agencia de Pernambuco, 11 de ou-
tubro de 1877.
PELO DIRECTOR, J. IROCHIER.


PARTE OFlCIAL

Governo da provincia
i \I'EDIFNTTEDO DIAA19DES'TErMBRO DN 1877
Adco :
0 president da provincia, attendendo ao
ue emin petiaQ douumentada requereu o segun-
(do escripturario da thesouraria do flazenda Je-
suino Rod rigues Cardoso resolve oonceder-lhe,
de accord corn ordem Ao.thesourb n. 182, de
28 de setembrntro de 1876 e a inforniaCao do ins-
oector da.thesouParia, de 18 do corrente, n.-
58.9, dws mezes tie licenca, corn ordenadonA
f6rma da lei, a de traiLtar-se 16ra da pr'vin-
cia, da nmolestiA& doominada beriberi.' "
O fficius : 4.1 .1
Ao presidents da Paraliyba.- Passo As
ross de V. Exc., pdml ser devidanlente ins-
tnruida, a petliao 'grata em que A S. A. I. a
IRegente, i&ploa P6o .Manoel Monteiro de
Araujo, a gragia do Ite perdoada a peha de
gales pe:pettlas qiWne foi imposta emn 1868,
por decisao dojury de Mamnanguape. Oplo1'-
tunaniente transmittiroi a V. Exc. a infoj-na-
C:io (tle exijo (to commaiandante do P15idio de
l -'eitando, coin relagQo ao temjp dw eEe qua,-
do curnpre sciilenca dito rlo.e o seu compor-
t;amnento naquelle pae..idio. "
Ao do lauiliy.--Passo as rnios deo V.
1'x. o autLo de vistoria e identida.de de. pessoa,
Iprocedtidio ei IAWiz, escravo, segundo, condemn
ntiado p)ena de gale6s perpetual, por decisao
do jury de Oeiras, proferida em 20 de marQo
doe1860, e fallecido no presidio de Fernando
em 7 do corrent.'.--.ll.-th!l: mitttandi.s ao do
Rio Ghrand.do Sul quanto ao sentenciado Ra-
Iphael, condemnado a igual pena pelo jury de
S. Pedro.
-- Ao con rnaidaate alas arimas..- Para os
fins convenientes, trinsmitto a V. Exc. os au-
tus de vistoria e identidlade de pessoa procedi-
dos nos sentonciados mi'litares Sahiino Manoel
Joaquimn, do Ceara, Manoel Joaquiim do San-
IlAnni, dosta provincial, e Alexandre Gomes da
Silva, lo Rio de .lineiro, fallecidos no presidio
l'3 Flertla do.
Au coinniandante du presidio de Fernan-
ul'.-Para serem devidauiente encamninhadas
:oit petics de gra[ii; dos sentoneiadus Manoel
,luaquimn da-Bilva e Manoel de Ar.aujo, annexas
6 u 159, de 14 do1
c')rrete, cumpre qtmt V. S. declare dosdel
juando se acham nesse presidio ditos senten]-
S Cieados e qual tern sideo ou eoi!pottaiflnto.
l']in casOs identics, sumneliiantes petipioes de-
e'ii I,,a O vir aco npanhadas-de taes informa-
,.;,'>s.
-- Ao0 inspector da thesouraria de fazenda.--
Oe aco, rilo coam o qua solicitor o comman-
dante das armas, em o'ficio de '14 do cor-
renei, n. 7oXc. auloriso V. S. a mandar adian-
tanr o official e prav,'as de !inha ein destaea-
uljeuto/no ternio de lii.a/azeira, as seus \,enei-


mentos relatives aos ;nezes d(oe setembl)ro a de-
zemtul)ro, na importancia total de 2:726$4i8,
constante das folhias e prets juiintos.-Cominu-I
Hiuou-se ao cornmandalnto das armas.
Ae mesnmo.-Para os linis conveniences,
,'lnmulnico a V. S. que J)r. Graciliano de
Pa nla Bliptisti, lente substitutO da faculdade
,re direito do Recife, deixon a administracao
i Piaiulhy, em 13 de agoslo.
Aodo thesouro provincial.- De accord
crn o que solioitou o engenhiciro ajudante da
repartiQcao das obras pnllicas, cm officio de
utt.tnlc, sob n. 258, autoriso Vinec. a mandar
smtisfazer o incluso podido d(o 9:!)70$, afiin de
cuorrer As despezas a cargo da mesma repar-
li;iu no cortente mez.- Communicou-so ao
..,io e(genheiro.
Ao mrnesno.- Se estiver regular, made
Vmc. pagar a Fielden Brothers,. a quantia de
(0.':1.1801-, proveniente do gaz consumido nos
mnezes de abril a junho ,leste anno, corn a illu-
miinayto da casa do dotenCao.
Ao mesmo.-Communico a Vmc.. para Os
(ins convenientes, que a reparticuo das obras
piltblicas, em 5 do corrente, mandou lavrar ter
'ill)o de recebimento provisorio da obra do atu-
de dti Bezerros e pass certificado de paga-m
!nento no arremnatante. Outl..irn, declaro-lihe
tpie ao iel'erido arrematante deve sert tainbemrn
lago l:' 219fi8 6proveniente de 351u,99 de alve-
.,aria deo pedrta do eranito corn argamassa de
C.ientoo" e area, que de mais executbu, nds
"'irnos do art. 54 do regulamento de 24 do fe-
vereiro de -1874, corno inforrna a rnesma repar-
'icAo em officio sot) n. 219).-Comnmunicou-se
;tuo engenheiro chefe dla diua repartiao.
Ao director intorino do arsenal do guner-
I,,.-Coiw cste ser. apreientao a Vmcne., afin
I!, ser iecolkido a esse arsenal, nm mosque-
li.io (Oil sabre. lIayoneta e Qenlurao, que f6ra
: ;,iprcelituidido na comnarca de Pio d'Allho em
1ijer d. urn particular
iuiz de direito de 1'uo d'Alho.-Tl'an!-
initto a Vinemc. os doctirneunLos e as inforrnaaCes
ie que iratam o decreto n. 0,566 do 28de
mieO rHe 1860, e circular n. 287 de 28 do ju-
itho de -1865, afim de ser devidainenhe instrui-
.la a petigao de grapa do) r-o Man'jelJoaquim
11a Silva, condemnado a penn de gal6s per-
ituas, por decisaoo do jury desse termo em
S16 de marqo de 1860 e actualmrnente no presidio
de Fernando.


EXPEDIENT DO SECRETARIO j
Officios: --
-Adjui a.Ijtto do J8oB distrli

erit^S.Sr
Va't "' -- .T- _4 '- '


Fernantdo regressou, conform solicitou V. S.
emn sen officio de 5 do conente.
Ao mesmo.-De ordem do Exm. Sr. pre-
sidente. transmitto a V. S. os quatro autos de
vistoria e identidade de pessoa, procedidos nos
senteuciados civis Raplhael, escravo de Anto-
nio Martins de Freitas, do Rio Grande do Sul,
Luiz, escravo, segundo, do Plianhy, RaymundQ
Ferreira da Silva e Paulo Marques. desta pro-
vincia, fallecidos no Prpsidio de Fernando.
Ao mesmo.- Dibrrdem de S. Exc. o Sr.
president, transmit a V. S. as guias dos
sentenciados Alexandrp Jos46 dos Santos, An-
tonio Pereira de Oliveira, Manoel Luiz.Blanco,
Manoel Luiz do Oliveira Espinhefro Q Joao AI-
ves de Attahyde, que do presidio de Fernando
regressaram, os 3 primeiros por terem terini-
nado Os 2 ultimos por estarem a teiminar
suas entonaas.
Ao mesmo.- De ordem de'S. Exc. o Sr.
president, devolvo a V. S., o alvarti de soltura
passado em favor de Joato Cardozo de Mattos,
que jd foi posto em liberdade, conform decla-
ra o commandant do mesmo presidio.
Ao 2,, supplente do juiz municipal de
Goyanna.- De ordem do Exm. Sr. president,
transmitto a V. S. a guia ,do sentenciado An-
tonio Pereira da M6tta, que do presidio de
Fernando regressou, em virtue de lhe ter
sido perdoada, 'por decreto de 18 de julho, a
pena degal6s perpetuas que cumpria ii'aquel-
le presidio.
A' camera municipal de Olinda.- Com-
runico a essa camera, de ordem de S. Exc. o
S president, que em 29 de agosto, foi as-
signado no thesouro provincial, o termo de
novaCao do ontrato celebrado entire o mesmo
Exmin. Sr. e a companhia de Santa Thereza, de
conformidade coin a lei n. 1.278, conforme as
clausulas para esse fir estabelecidas.
EXPEDIENT1' DO DA. 20' DE SETEMBRO DE 1877
Actos :
0 president da provincia, d vista da pro-
posta do Dr. chelo de policia interino, em of-
ficio n. 723-.de 15 do corrente, resolve exo-
nerar de 1I o 2, supplentes do delegado de
Barreiros, a Manoel de Parros Wanderley e a
Manoel Accioli Santiago Ramos, este a seu pe-
dido, c aquelle por ter side nanmeado 2o sup-
plente do juiz municipal do termo.- Commu-
nicou-se ao Dr. cliefe de policia interino.
0 president da provincia, autorisado
pel lei provincial n. 1,130 de 30 de abril de
'1874, resolve nomear sargento da guard toi-
cal de Cimbl):es, a Sobatito--Argelico da Paz
Frapozo.- Fizerainm-se ,i communicacoes.
Officios
.- Ao juiz de direito do 2o district crimi-
oal.- Para ter convenience destiny cr auto de
vistoria e identidade de pessoa procedido no
sentenciado civil, Simho, a- que allude o officio
de V. S., de6 do corrente, e fallecido no dia 14
ao desembarfar no presidio ,de Fernando,
cumpre que'V,.'8,-'declare em que lugar foi
elle condemnado. .-
.- Ao inspector da thesoeiw de fazenda.
o Constando do officio do ogmmandane das
armas, de hoje, sob n0. 718(t r faIecidp no
'dia 16 do corrente, o majo' t'0Cliimaco
Moreira Tomporal, fiador do capl60reormado
do exercito, aihloxarife do hospital mWilitar,
Trajago.Alipio de Carvalho Mendonca ,'assim
o"communico a V. S., para sett coahe'msnlo
e devidos effeitos. '- ....-T
Ao mesmimo.- Para os fins convenientes
comimunico a V. S. que o bacharel Lourenco
Bezeroc Vieira de Mello, reconduzido por de-
creto do 26 de jullio, no lugar do juiz munici-
pal de Itainb'!,tprestou jurarnmento e assurnio o
exercicio de s-,u cargo, cin 1 do corrente.-
Rospondeu-sc o offici',j do jtiz do direitc) da
conmarca.
Aornesino.- Para os fins convonientes
cinmunico a V. S. que o 9', suiipplente do juiz
municipal do Bezerros, Jovino Bezerra dtVas-
conceldios Torres, assumnio o exercicio pleno
d'aquelle cergo, ern i6 do corrente.- RespOn-
deu-se o officio do dito supplente.
Ao president da junta commnercial.-De-
claro a Vmc., emi r'esposta o ctonsulta cons-
tanto de seo officio de -15 do corrente, que
devemn ser addidos a essa junta o ajudante do
portei.'o e conlinuo do extincto tribunal do
comrtercio, as.:im como 0s 2 officials de jus-
tita a que allude Vmc. no citado officio, a vis-
ta da doutl'ina do avis) do ministerio da justi-
ca, pou Vine. citado D)esta solucao dou nista
data conhecimnento ao goverlio imperial.
Ao cominandante do crpo de policia
-Pdtle Viuc., conformno soliciLa em seu officio
n. li, de hiontetta, engajar o paisano Joao Dul-
cieo Motthoso.
Ao commissario do policia de Flores.-
Approvo o aco1) p1e qutal Vmnc. eliminou o sol-
dado desertor Antonio Benigno de Souza, que
devern rospo ider a cnsello peremptorio logo
quo f6r caplurado. Couw~m que em casos
s,'melhantes Vmc. solicite previamente desta
pre'idencia autlorisacio para dar baixa a qual-
quer prate.
Portaria :


Declare a ctimaira municipal do Recife,
Sem resposta ao seu ofticio n. 78, de 17 do cor-
rente, quo approve a arreonataC.io feita, por
urm amto, dos comnparLimtetos dos mercados
de S. Jo)se6 e Boa-Vista, constantes da rela.ao
annexa ao predito officio.
E:xKPEi'IENTLE D00 SECRETARIO
Olficios :
AO jttiz do direito da Boa-Vista.-O Exnm.
Sr.presideittc da provincia manda accusaro re-
cebimento do officio de V. S., de 5 de abril,
comminunicando nao have em seu powder saldo
dos 40S0000, que lthe foram adiantados para oc-
correr a despezxa comi o sustento dos press
pobres recolhidos A cadeia da villa.
Ao engenheiro chliefe da commissio de
fiscalisaQyao do proLngamento da estrada do
forro do Recite a'S. Francisco.-" Com-munico a
V. S. que o Exin. Sr. prosidente, nesta data,
submetteu :i consideracao do ministerio da
agriculture, o assunimpto de sou officio de 30
de agusto. sobm n. 427.

iDESPACIIUS DA PRESIDENCY DO DIA 10 DE
OUTUBRO DE'1877.
Andr6 de Carvallid Cavalcante. .-- Presente-
mente niao pode ter Ingar o que requer o sup-
plicante.
Antonio Mtgallihes da Silva Porto. -' Passo
porlaria, concedendo ao supplicante dous me-
zos de licena comn dous tertcos da respectivat
porcentagei, tinos terms do '1 do art. 139 do
regulamento do tiiesouro provincial.
Augusto Gewimiqrpo'de Figueiredo.-Informe a
cantra i11iicipal do Recife.
EmrnstLU Aiug1uss de Atlayde.-Ni-tio pode ter
lugar o ,ie re..,cr o supplicante.
F'ielden IBrdilrers.-Deferido coin officio des-
ta dalta to tlesornro rovincial.
Franhln V.!loso de Cusmho Uch6a.--Infor-
ie o Sr. inspector do thiesomro provincial.
Francisco J i t.arreto. -Informe o Sr. enge-
iheiro chiefe da cmmissAo encarregada da
medigdo e demircaC das terras piublicas.
Francisco Fiuemire l de Faria.-Piasse por-
Laria, conoedeudo a gmntna pedida, com or-
denado samente.
Bacharel Gasp.ar do 1Dlimond. Por ora
nao pode ter luIgar o irequer o suppli-
canto.
Padre Genuino Walfredo de Souza 1 ri0o.-
.Informe o Sr. inspector do Lbeoadro pp ncial,
Gpio gnacio de 6e Madabao
.MI .- ..


u *


Jose Umbelino dos Santos.-InfoFma o Sr
engeuheiro chefe d4commissao qmrregadE
- da mnedicao e dernmaialIdas teirraspqub*icas
S Joao dus Santos 'Ljn aforme o Sr. ins
Specltor da tlhesoura ,-ainda.
Jolo de Barros AnwtrieWalderley.-Infor-
me o Sr. brigadeiro commandant das armas.
S Maria Barbosa de Almeida Neves.-Nesta
data pro.-idehcio no sentido quo requer a sup-
plicante. ;
Manoel Ventura de Souza. luforme o'r.
a ngenheiro chefe da commissao encarregada
da medieio e demarcaao. das terras publi-
cas.
Manoel de Macedo..- Rewettido ao Sr. ink.
pector da thesouraria de fa* qda, para nos ter-
mos da sua informagco .de 8 de corrente n.
"636 attender ao su.pplicante.
Manoel Evangelista Ramos Cavalcante.-In-
forme o Sr. engenheiro' ckefe da commission
encarregada da medico e.demarcaa.o das ter-
ras publicas. '. :
Napoledo da Cos, Mereii. Remettido ao
Sr. inspector do thesouro provincial, para ser
decidido nos terms do art. 13 3o da lei n.
1,261 de 28 de junho ultimo.
Pedro Americo da Gama Duarte e outros.-
Informe o Sr. inspector da thesouraria do fta-
zenda.
SPorfiria Illuminata Rodrigues dos Santos.-
Informe o Sr. provedor da Santa Gasa de Mise-
ricordia.
Possidonio da Rocha Pereira, professor.-
Sim, corn ordenado somcnte.
Secretaria da presidencia de Perijambuco, i
do outubro do 1877.
0 porteiro,
Joio Gonpalves dos Santos Junior,

Repartipao da polid ':*
N.( 787.-2.' Secao.-Secretaria ^rpiicia
de Pernambuco, 11 de outubrQ de al.8r'
film. e Exm. S.--Iarticip%,4 .V. JRxc. que
foram hontem recoilhidosa Acasa-te de w.0n os ,
seguintes inadividuos :
A' minha ordein, Felippe Santiabgo de Carva-
lho'e Silva, atW a qiinha segunda ordem, An-
.tonio Jose Pereira, vinjo do termotlo Ipojuca,
como sentenciado, Monica Maria da CouceiAo,
Maria Francisca d a CQnceicao, Thomazia Ma-.
riu das Neves, Joaquim Antonio Pinto e Lau-
rinda Gomes da Swva, vindas do Garuarf,
como senteaci#Aio,. -.
!A' ordemi d6 subdelegado do, to district de
& Jose, Jeronymo de tal, afira da veriflear-se
a sua verdadoira condigao, Maaoel Aiftonio de-
Jesus,.como vagabundo, Joalo Duarto de Oli-
veira, por offensas ta moral public, Mancol
Antonio do Nascimento, Jose Luccas de Fran-
ga e Mathias Antonio da Cruz de Souza, pWr
emabriaguez o disturbios.. .
Pelas hoiras da madrugada de hoje, o sol.
dado do ." batalh.o de infantar-ia de linha Ma-
noelGonqalves Peres Ferreira, forqou o kios,.
que proximo a estacao de Olinda, ja fieguezia
da Boa-Vistai, e roubou a quantia de cinico minif
e tantos rcis eni dinheiro, e algnus magos de
cigarros. n1t6 conseguindo rou'bar mais algu-
ma .couso, por ter urn preto, que dorrnwno
mesuio' kiosque, acordado e gritad6o por soc-
corro '
.9 ],1tquenWe foi prQwa em flagmante e col-
It'ie procede-!ejos termos.da lei. ,
P6 sbdelegado do [teci'. .',mettido ao
trMotUomipetente o inquorito policial a quq
procedeu contra Pedro Ivo Cavaleante e De-
inetrio Antonio Cavalcanto de Albuquerque,
por crime de rouIbo.
Deus guard a V. Exc.-Illm. e Exmrn. Sr.
Dr. Manoel Ciemnentino Carneiro da Cuiha,
muiiito digno president da provincia do Per-
MnaMnbuco.-O chafe de policia interino, Her-
Inoyqmes Socrates Tavai'es de VasconceUos.


JURISPRUDENCIA
Fallencia commercial
Florencio RPodrigues de Mirande Franco, ca-
valleiro da imperial ordem da Rosa, conduco-
rado coin a mudallha da campanha contra o
governor do Paraguay, capitao honorario do
exercito. escrivo privativo do jury e exeeu-
coes ariminaes desta cidade do Recife de Per-
nambuco, por Suna Magestade o Imnperador, etc.
Certifico quo revendo os autos .cimes de
fallencia culposa, instaurados contra Jos6dJoa-
quirn Guerreiro, delles consta a sentena do
theor seguinte : "
Vistos estes autos do faliencia da firnma com-
mercial-ViuVa Leitlo, Guorreiro & C.--PO
elles se mostra que o reo Joss Joaquim Guer.
reiro, socio daquella firma, pronunciado pelo
superior tribunal da rela5ao, pelo crime de
fallencia culposa, como se v5 do accordao de
1t. 157, e accusado pela justica public, por
seu promoter, pelo crimn previsto no art. 831
do codigo comoercmal, 3mbinado corn o art,
263 do codigo criminal,,cujas penas sao ,pedi-
das no gro uedio contra o. mesmo r-o, no
libello accusatorio de f[. 162. 0 libello fun2


da-se: "
o em que o ro n-ao tinhlia seus livros es-"
cripturados na f6rmna dcterminada no art. 12
do co ;igo commercial.
2- em quo, tendo cessado seus pagamentos,
nao se apres.'ntou em juizo no prazo legal. -
30 om que o roo, entire a data do seu 'ultimo
balano [.5 de abril dleste anno] 'e a da fallen-
cia, devia p:)r obrigagSes directs o dobro do
capital apurado no nmcsmno balance.
4o em quie vendera., poi menos do preco
corrente, effeitos comprados nos seis mozes
anteriores d quebra, estando ainda a dev6l-os.
em tler occultado no balance o product
das vendas das mercadorias feitas por inter-
medio do corretor Alcoforado, nos mezes do
mnarQo a abril deste anno.
60 ern ser fieticia a perda quc o r6o attribhie
ao incendio do seu estabelecimento.
7, em ter contrahido dividas coin simnula-
a) e fingirnento.
Na contrariedade de fis. iG a 173, allega o
reo em sua defeza, centre outras cousas, o se-
guinte :
Que o ministerio public, desrespeitando o
tribunal superior, quo alterou a qualificaci'o
de quelob)ra fiaudulenta parta culposa, ultra-
,passouos limits da aecusaCio, c cornmmetteu
urn attentado, imiputaibo.lihe facts qualifica-
tivos de urine outra quebra, contra. o dispos-
to no accurdao de fl. 157, que expressamente
de-larou nmo so verilicar tienhumi dos requisi-
Losdos paragraphios do art. 80! do codigo
commercial.
Qu iiese, em vista do citado accordao, nto.se
1he poJiau inputar factos relatives i quebra
fraudulent, tamboein, A vista dos autLos. nao
Sih podem fser iniputados os da (inebri't cul-
posa :
Io porque o art. 801 do codigo commercial
nauo se refere ao art. 12, citedo no libello, mas
soinmeiite ai); arts. 13 e I1; e de oainformidade
c,>m estes estu foita r escripturagio da casa
fallida por urn guard livros de primeira or-
dom.
L dcni-.
2, porque o accusado fez stia apresentaQo
em juizo dentru do prazo prescripto pelo art.
805 do codigo, pois, tendo-se ven'ido o sa-
qute, constant de fl. 2, no dia 27 de~abril, em
qitque deixou deserpago, requereu o accusadc
no dia 30 daquelle inez a abertura de sua fal-
lencia, oomo consta de fl. 7 verso.
3o porque & nullo todo o processtio em vir-

, Dtu d 0. H 4
Lad dapol 17Xi.14poi o 19Ld .


, 4 ".


do codigo, e em que devera ba- digo para verifiear a exactidao e regularidade
a krlrio public 6 anterior ao in-: da escripta do aeusado.
:o do 0. 8, faito :posireriormente 0 exame de fls. 128 nio 6 o de .que trata o
-ntestaiao pelo qprLdor fiscal, art. 818, fbi requerido para fim especial e di-
o esbooo. verso. Desde quo o juiz o omitlio, presume-
Sqane pelo balance de fl. 8, o r6ao se toda a regularidade na escripturaCibo, tanto
*s Yr nowr obrigagbes directs a mais quanto o curador. fiscal, part interessa-
56 nao 6 menos certo que da contra o accusado, a confessa, arguindo-a
-068 e a importancoia de ... so6mente de falla de clarez&, que nao estA
t53 generous exisleates nc armazem, comprehendida nos arts. 13 e 14 do codigo
.BK pelo iWcedio, coiLante do nemr envolve a responsabilidade do art. 800,
S perfazem a somme que re- n. 4.
pr passivo.:. 0 quarto facto flinlmelmnte, imnputado ao ac-
NI existed noe autos prova alga- Cusadd dtt, er vendido, por menos do prevo
ma q"-a eW& auvw4ombo f fdido. por menos corrente, effeitos comprados nos seis m'tes
do .istt l" ominprados uios antLeriores a quebra, estanlo airida a devel-os,
seis Mimleriorewf=iJMh, estando ainda n o estr provado. S6 a 5a testumunha falla
a deveioq. nisso; mas o seu depoimento, alem de nada
0, Forque dos'autns nao consta que o rdo provar, porser singular, est. destruido pelos
occalluasa*nq balance o product das morcado- dooumentos de fls. 115 e 116. *.'
rias vendidas pelo correlor Alcoforado, nos Pelo que, nawo podendo a quebra do accusa-
mezld de.arco e abrilultimos. do ser qualifloada nem frauduidenta, nerm cul-
As. allr)4ilrim lanQadas e levadas ao apu- posa, julgo-a casual, nos terms do art. 799
Srado ira g pscia de 19:-150mS380cqwmo con- do codigo cornmeal, e por conseguinte ab-
f'essa pcua :or'fiscal, depois de dedlfidas as solvo o mesmo c6cusado, e mando, se Ihe de
desplas(49Oleposilo e .ocentageni.ho as de baixa na culpa,e seja post em liberdade, pa-
mar no, valor de 5:70O0w.O, nao teido sido gas ascustas peta m-assa. Recife, 6de outu-
pagah, deutro de 30'dia$, fQram considetadas bro de 1877.-Joaquim Gonpalvesi Lima.
a.credito, 'e biigado s osdevedores a aceitar E nada mais se continha em dita sen-
letras,- qae ioram des6obntadas em ahril para tenca, aqui bern e fielmente copiada d~s pro-
pagamenWs que tiveraitmugar nesse mozm. prios originaes: Recife, 10 do outubro de
7.o porjue naio tern lugr a atlegaAp de ser '1877. Eu, Jos6 Joaquim Dias do Rego Ju-
ficticia a perda que o r6o attribue ao incendio, nior, escrevente juramentado, o escrevi. Eu,
nem valoialjum a vistoria corn que se pre- Florencio Rodrigues do Miranda Franco, es-
tendep* irese facto;'borter sido feita sem crivto do july, subscrevo. Recife, 10 de ou-
citai e le uva~io do r6o, constanth de fl. 36 tubro de o'177.-0O escrivito do jury.-Miranda
v.; alimn queM"ta 'vistori quando regu- Franco.
lar fOab,. jb resistirla au Valor juridico dos --II---_
docuiment de flis. 114 6 117. -
8.o or r also que o r6o tivessecontrahi- F i
do dildas 'oom simulaoto e flgimertito ; pois E TI___ORIJLIL
as divias ldoscriptas slo reaes, coistam de
tituiosiiegp naio sao contestadas- pelo cura- Oambetta no correctional
dor'flsal, bforam reconhecidas no oxame de
[ft. a128 e pei proprio Dr. promoter public na Da Correspondencia geralportugueza
sua pror.oodo a fl. 129 v. recebemos a seguinte curiosa noticia :
Examiane attentamente as allegacSes, (( No d!'a 22 de seternbro s 11 da
constantelda accusaeao e defeza, e confronta- manhf, chega o Sr.."Gambetta no seu
das con a proivas dos autos, verifica-se que o am' coma o Sr no
a fallenidoia-de-ue se trata., nailo 6 fraudulent, coupd, acompanhodo pelo Sr. Sandri-
'nerm colpei, massimn casual. .. que, seu secretario, entra por uma por-
'Nio f&raudulenta porque assim o diclaroii ta reservada ignorada do public, e di-
o tnqt#l superior dia rela.o e Om ai ie re-
curoelMoi accor do dee fe.-to IOtO rige-se para ogabinete do Greffier, para
cu apelo accordao de fl. Agf Cj IRWposto B "1 .10"1 Oreepr
que aoiaDmistiero puMlicoue L nt sinntes- evitar quialquer demnonstraCo, e s6 en-
tar o direito de alterar qa i fflecacao tra na sala da-audiencia, depois do tri-
anteriomeate fala- sal Iirmrciae o burial ter tornado os seus lu ofTeracigOinea .doi ,fwvfbt'ircums- .i Mr. Alloa manda-o seutar i seu
tanoi quoedevM AAt, awlk,'an. 53.de W "
4ejulH doB14a ,4ft o podiW.bmtudo fazer ladou no bauco dos advogados, e nio
"no casoevert.n~s,'(N que o offerecimeito do no bauco (os reos.
libello.01eo0-..A ronuncia; e no pe- 0 Si. Gambett- apreftta-se conm-
qlueno baterlo ediou entire esie, dous pletamente vei 1.' cmp r
Pctos, .lrma ctroamstanoia se desco.)hrio men essu!o q p s cumpli-
que autq0o se .d _classificacfo ultiinamente inenta os seu..Aligos q9,qj iasi liLte-
*feita no meaio-hiWiel. I raLmente, eneiima acanhada sala das
Equando se q qims largar a esphera do audiencias. MotAs notalibdades po-
ministenrio public ao ponto de tomal-a coan- iticas enveri'afi'a tg do ao
preienitva d Qa&Q. emn questao,.pelo priacipio ga d a( a e
do no sera elle obrigado a conformar-ac o0 se confundemrn com scollegas, nQtiugar
uma classiflcaCdo, que ao *6 a que entende que Ihes 6 reservado. .':
daver fazer, sustentar. con raz6es tlhas de l, Nasala ha muiros xepresentantes
sua conxicqAo, .apda.assim nia sAo, preceden- da imprensa estrangirir%
tes s tWuit ^I e* .o accusado. e clasifi- a o lado esaGinhtLa sta-se u-
cadas no-art Q R1;4: r Ao ladoe Ga lla senta-se Mu-
Snividas centrahidascoin simulahuo e fingi- t gerete da Rp.blique Francaise.
c'mento; occultac(o no balanCe do producto (t Esperava-se que Gambetta apro-
( (ias vendas de mercadorias feitas pr inter- veitasse a occasido para fazer umn dis-
-tedido ,1 corretor Alcoforado, no maizes curso de effeito, mas, pelo conitrario,
de.marco e abril deste anno; c perda fieti- fat 0 mai,.. aoio possivel.
cia, attribuida ao incondio do estabeleci- I-I e possivel.
Smento. ,))ob Convidado peto president a des-
A primoeira arguiC.Ao nao encoitra base al- culpar-se, disse
gimh nos autos; e o ministerio public reco- A i i d
phel'eu a sua improcedencia na pronioeo de Aceito a intei-a responsabilidade do
fl.,1l9 v., nas palavras transcriptas-na contra- discurso de Lille ;-comro e um pro-
r4dade, art. 46. ( cesso essencialmen.te politico, desela-
A segunda sufiiciertemente'refutad., no art. jia, entretanto, nao setr-jugado, senao
30e seguinles da contr riedade, o'e So ros- uando ai s ivprnn id
tr queas vendas feitas pdo corretor Alcofo- quando 0 pai i e pronunciad
rado, no rmez de abril, fotnam lanctdas has li vros come apuradb na ititportancia'de ...... Do roesto, rfiro-,ne absolutarnente
19 1505380, depois die ded hzidas as despezas c ao que disser o rneu cqllega, antigo
de deposito, porcentagem etc. ; e as que fez ^ batwnnie nestre )
no. iez de marco, nao tendo sidb Magas dentro A i e re.. r*i
de S(DTsf,.corlform& o costumA i ,omimner- << A palavra 6 conoedilda a Mr. Allou,
cio.,foram consideradas 5 prazokde1as pas- que COnecta por p4ir a6 tribunal que
saram lotras os compradores. se declare incompetente ; sentlo o me-
A terceira tern por fundamento a victoria de gocio indevidamente enviado a policia
fl. 41:- Mas esta, alem de ser um acdo hullo, e ,orreccional
seui elreito algum por ter sido processada semi corieccionle.
taudiencia do accusado, que alius nunca se oc- (0 advogado demonstra que o .cue.
cultou, e sempre esteve em juizo, accresce se imputa aos sets clientes nao 6 eflec-
que esta completamente desfeita pelos docu- tivarmente um.simples delicto (1e ultra-
mqntos de fls. "114 e 147.
Nao c culposa a quebha do accusado, por- jes,. para coal e mnarechal e os seos mi-
que os factos qualificativos dessa quebra, nistros, mas sun urn critne de incita-
mencionados no libello de ns. 1 a 4, nao pro- q-o ao odio e ao despreso pelo gover-
cedom, mom ostao provados. no. e crue nessa conformidade. 6 da


0 primeiro facto allegado nao estA nas con- competencia da cour d'assises.
diceOes da lei; porque o lib)ello, diz: o r6o ( L6 depoiso spacho do guarda-
nao tinha seus livros escripturados na forma L p despacho do guarda-
deoerminada no art. 12 do codigo criminal. sellos, ordenando ao procurador geral
Entretanto que a lei s6 consider a qqebra que instaure o process, e que 6 con-
culposa, cquando o fallido nu< tern seus lvrps, ebido uos terms seguintes:
escripturados nog terms dos arts. 13 e 14 do
codigo, como 6 expresso no art. 8 1 n. 1. I. V* t ('ris, 29 de agosto de 1877.-Sr.
Ora, que os livros do accusado esta escrip- proc.padbibr geral.--O journal la Rjpu-
turados rtia forma dos arts. 13 e 14, deduz-se oblique Frianaise, no se naumrnero d 18
dobesboco do curadori-scal, que deolarando de agosto, publicou un discurso pro-
eiressainmente estarim nos terms do art.
'13, nao.menciona nesses nenhuma das faltas nunciado em Lille, pelo Sr. Gambctta.
previstas no art. 14, antes accrescent. qcuanto Esta publicacao parece-me center o dle-
a este quo a escripturagibo n5o 6 feita corn a lic.to de ultrajes para corn o president
devida clareza, falta de que, nio tratando o d republicana, e o de ultrajes aos
legisiador naquelleartigo,nao lhie p)ode ser iio* do ministerio, em ultrajes aosde
imputada. me ros do minister, e razo d
O que'a lei exige no art. 14 e que a escrip- suas funcSes e qualidades.
ttiuracao seja feita (m forma mercantile, e se- o Parece-me, puis, qut ha lugar para
guida pela ordemn chronologica de dii, miezo e serem chliamados ao tribunal de policia
anno, sem intervallo enm braoco, neor entreli- correccional do Sena, tanto o rerente
nhas, l)orradutas, raspaduras ou emendas; do preciado jona, coo o a to do
faltas estas que nao foram arguidas no libello do precitado jornal, coe o iautor do
nemr nos atios. discurso incriminado; e ao pedido que
O segundo facto imnputado ao reo deo se nao me 6 dirigido por todos os membros do
ine apsntado em juizo no prazo egal, ministerio, e d que me associo, convi-
inexacto. :
Dos autos consa qst oaccusado, deixando do-vos expressamente a juntar a incri-
de pagaro saquo veftide no dia 27 de abril, rninagao de offenses para o president
constant de.fls. 2, ipmsentou-se em juizo da republican, e de ulttr, jes aos minis-
requerendo a abrtuia de sua ktmac:a no dia tros em razaio das suas tunle'ioes e" das
30 daquelle met, corn reoectivo balanco, as idadesp
constant de fls. ?. 'e seguintes, nog ter- suas aidaades.l a
mos exigidos pelo art. 805 db codigo omn mer- Receba, St'. procurador geral, a
cial. certeza da minha alta consideraao. 0
0 0 terceiro facto attribuido ao r6o de, entire guarda-sellos.-Brogrlk.
a data dose'u ultimo balango e a da l'allencia. Cortinua Mr. AIou, dizmdo qe
devier por obigai,3es directaq o dobio do ca- ( ontio Mr. Allou, dizndo que
bodal apurado no mesmo balanpo, nlo-. 6 Gambetta, atacando lodos os homes
xato. que lizerarn o 16 de maio, nao distin-
S So pelo balance de fls.-8 o reo sAIcha a de- guindo enitre ells, cowmmettera real-
ver por ob-igacQes directas a quantia de.... .. .lle ces o ner
93:0296516, desse mdfto bhlangconsta que, nte u urae coeco, q -e
para fazer face a aquNUl sivo, existe o ac- produzir uama aggravagio de criminali-
tivo de 39 4195680, quo AW';. imporlar.cia de dade.
53:6Y09J386 de generos exislentes no .rmizem" (ita eois e ula nts e s en
- 0 consumidos pelo iOcendio, perfaz a somtna l que tOliUilol f oialos0St e tsdl-
que represent aquelle passfvo. as que conlirmam a opiiio expos'a,
Os livros dos comnmerciantes, quantio regu- e acecrescenta
i larmente escripturados, merecem 16 plena, c As vioLeicias. (lue se attribuem ao
art. 20 do codigo commercial. Dos livros do meu cliente, nada sio, comnparadas corn
Saccusado, cuja escriptuarpIo foi encontrada as qenedirigem os jornaes seus ad-
regularmente feilt, coBppdio fica, tfol extra- as quejbedirgem os jornass seus ad-
Shido o balamo de.q ". 490k versari a iAvue n6s repegimos abao-
a s esebalngo,. 4o 4, doir,, de lutiuenhte te nodod -de r d


-- &.. .

I1// = -7 : .W&..'-.


depois de ter visto o Bolletim das co*,+
munMs, annunciar officialmente a nsq,
condemnago, que no o era nais quer
provisoria.
(( Aqui nao 6 precise ,Rem subterfu-
brios, nem equiVocow, mas sim lealdade
e franqueza ; n6g comaimettemnos um cri-
me, ousai julgar.-ps por urn crime.
c Aldm disso, noR se langa o adver-,
sario em prisao nas vesperas de um
duello! ;
SSim, .0 paiz, a camera devetn co-
nhecer. deste process ; o que acontece-
ria, se a decisfio da camera, onde ha
de vir comno espero uma mrnaioria repu-
blicana maior do que nunca houve; o
que aconteceria, se a decisao da camera
fosse contraria a da juslia ?
(( HIa honmeis de nmaio, corno ha ho-
mens de dezembro (sensagAo no audito-
rio.) hla direito de atacar tanto uns
corn os outros.
d Ed *vo nos fallareis da palavra
dada pelo ,narechal.-Um povo nao p6-
de viver sem organisaap e.sem segu-
ranga... e tudo isto nosfalta. Venham
tres annos como estes uttimos tres me-
zes... e a Franca esti pa-dida {Movi-
mento de sensacio.i
Mr. Allou termina pedindo aotri-
b)unal-que nao tfa;a umn process poli-
tico, e envie o Sr. Gamnbetta peraute o
jury.-


a 0 discurso do Mr. Allou produzio
sensag.o no au(litorio, quasi todo syrm-
p thico u Garnbetta. Allou 6 de alta es,
tatura, falla corn vivacidade, e 6 um
orador de talent ; e deve occupar um
lugar distinct no future parlamento.
& 0 Sr. Gastambide, representante
do minmisterio public, tomnou depois a
palavra, e demonstrou que era honmemrn
para se medir corn o defensor de Gam-
betta.
0 advogadoda republican, repellin-
do as palavras do advogado da defeza,
disse: 1. Longe de todo o pensamentoa
que a justiga faca neste process acto
partidario; pratica uma obra de legali-
dade e nada mats.
Respondendo a ceitas insinuag6es,
disse: r0 Sr. Gambetta no' estA aqui
pbr causa das suas qpinides, e at14 -
cusamos por ser k-epublicano :. compa-
rece aqui corno qualquer cidadao p6-
de'ser chamado a comnparecer; yve.
comno um accusado que deve dar co,, '
las do seu procedimento d justica. v
c Discutindo o system de defeza.
Mr. Gastambide oppoe julgamentos e
sentengas aos julgamentos e sentencas1
apresentados pelo seu contender, e de-
senvolve a theoria contida na carta do
Sr. de Broglie.
K Mostra depois o artificio do discur-
so pronunciado em Lille, e em que
quiz, confundindo a pess6a do presi-
dente da republican corn as dos minis-
tros, attingir o marechal, parecendo
atacar unicamente os mirnistros.
c Tomnando depois a. analyse de ca-
da umra das parts d6'discurso incri-
minado, o ministerio public nostra
em todas ellas intengio otlensiva. A
passage em que diz que'o president
da republican se deve submetter ou di-
rnittir-se lhe parece da mais alta gra-
vidade. Demittir-se 6 uma cousa im-
possivel antes de '1880.
(( Quanto de mais alto part a olfet-
sa, taitto mais severe deve ser o casti-
go. Ora, no apice esti unm chefe do
partido que e o culpado e, alem d'is-
so, a pessoa oltfendida 6 sagrada: 6 a
do primeiro magish-ado do paiz. -
c Frnviai o accusado perante o ju-
ry, comno elle reclamna, e isso seria con-
trario d todos os principles. Os con-
servadores nao devemn fazer actos re-
volucionarios. )
(( Terminando, o Sr. Gastamnbide pe-
de a confirmacio da sentence de 11 de
setemnbro, e a rejeiato da concluso de
competencia.
(( 0 Sr. Gamnbetta, ern vista do dis-
curso de accusacuo, estA vivamrnente
agitado, e chega a levantarse para in-
terromper o Sr. Gastambide: cpnse-
gue, porern, conter-se.
(( iarante 'a deliberagibo dos juizes,
que durou quasi uma hora, Gambetta
retirou-se para o gabinete do Greffier.
Fallou coin alguns amigos, e, tendo
socegado mais, disse alegremente que
a sua pimeira condemnacao nao dei-
xaria de seo confirmnada.-Mais tarde,
ueremos, accrescentou.
( Voltando as juizes, pronunciaram
que repelliam a declinacao de compe-
tencia.
(t0 Sn. Gamnbetta declarou que se
ausentava ; a sentenca que o condem-
nava a tries mezes de prisio 6 pura e
sirnplesmntte0 contirtnada. ,;
( Ao sair da audiencia, o Si. Gain- '
betta esquivQu-se por urea porta tra-
zeira; alguns "rupos de individuos que
estavam nos boulevards acclamararn o
Sr. Garnl)etta.
t 0 resultado do process 3 era pre-
visto de todos. Houve socego cormpleto
nos arredores do tribunal. A multi- ,


dto que esperava Gambetta diante da .
porta principal, quaido soube que j.
se havia retirado, tispersou pacifiMt-
mente.
S Eis o texto das sentengas.
( 0 tribunal, depois de ter deltbe-
rado conforme i lei, estauido Pre
a acgio de incompetenia
S Attendeodo que os 04e.
fo Ia 1Ai pe1 midnl WI .
hliaa' LifuaAw fff~n i


--
ti 4~


,


a ..t :.. .


: A


I).








I!:L
;

.2:.. .j


I -e


'I1



/"*
ar.-' .


TA!, --

. :. ., ^ ** .- .r


.;a-
fn~ !..






























,* V, peo orIme* r reiO .s.
delictos de olensas &pess6a do presi-
det de r, bI Mica, e de ultrajes aos
mifttistes, praapreciagio dos quaes e

-de os julgar asinm que tenha "roconhe-
,Ise pa .Rsagens citadas io'-or-
d-iM entl6nmrn reguhtrrt-e6 qqal-

SAttnhdendo corn effeito, qdti no ar-
UtjibW8 VfA uid n. elojornal L Re.-
jf4Mque1'V&f&iSfe, W~8dy 4a^6oato 46,
COM & ,cAcbnrtetl rnettos con-
~stitftlil dous Wtctis visaIos na

Q, 'Qae esta affirinaao feIta, 6 trBifb-
"nal nao tern que indagar se os aceu-
Ssasos-tiveiar, alin di.so, a inten(do
dc eh ta'r a& odio e ao desprezo do
goveno da republican
--(Por estes inotivos ;
'RMirita, como rmal fundadas, a'
conclavoes tomadas afin de incompe-
tencia ; declari.se cornpetente, e rde-
na qtWi se passe aos debates, e con-
detniam os accusados solidariament6
nas'custas do incidente.
t-0 tribunal estatuindo sobre a ma-
teria :i5 -
SAttendendo que Murat e Gambet-
tarTe 'riad apresentani para sustentar a
oppobi0(6 aojulgamento datado d(e t11
de osefnrbo6 de 1877, que os condom-
noun ^6 faIta cada umn a tres mezes de
prisdo, e solidariamente a 2:000 fran-
cofer'.mtulta e as ctistas, em repara-
O& delicto de ofoensa ao presidents
d& PBblicea e de ultrajes aos minis-
tros; e comno, visto o art. 188. do Co-
digo de justita criminal, declara a sua
opposigao hulla c do nenhum effeito,
ordenamn que ojulgamnento supracitado
seja executado segundo a sua forma e
theor, e t condemna Murat e Gambetta
nas custas. P


PERNAMBUCO

REVISTA DIARIA
Delegado da capital Consta-nos que,
por acto da presidencia, datado de 11 do cor-
rente, foi noineado delegado policial desta ca-
pital o Sr. Dr. Francisco de Paula Lacerda de
Almeida.
Promnotor I)ublico Por acto de 1 do
correlate apresidencia da orovincia nomeou
promotrp4ublico da Cornarca da Boa-Vista Q
bacharel Joao da Silva Pires Ferreira.
Asylode mnendieldade Por acto da
meisma dita,-a referida presidencia nomeou o
altferes honorario do exercito Martiniano bleu-
terio da Silva para exercer interiaamente o,
cargo de amnanuense do asylo de mendici-
dade.
Ternio de Ipojuca -- Ainda por acto da
mesma data, a dita presidencia nomeou o te_-
nente .lose Genuino Ferreira, para exercer
provisoriaimente os officios de 2o tabelli5o de
notas e escrivdo do civel, crime e privativo
das,sweuioes civeis do termo do Ipojuca.
Tribunal do jury-Com assistencia do 37
Srs. juizes 'de facto funccionoa hontem esto tri-
bunal, sob a presidencia do Sr. Dr. Idelino An-
tonio deaun4m Frieire.
Foi subrnettido d julgamento o reo Manoel
Joao da Cruz. pronunciado no art. 257 do co-
digo criminal, por ter subtrahido, contra a
vontade de sou donor, diversos objects, rio lu-
gar Belen, da freguezia de Nossa Senhora da
-Graca da Cipunga, em 6 de agosto do anno
passado.
Teve como advogado o Si. Dr. Luiz. Emygdio
Vianna.
Em vista das respobtas dadas pelo conselho
de sentene;i aos diveps qtle.sitos formulados
pelo presilente do tribunal, foi absolvido por
perempoao e pqsto em liberdade.
Roulbo--lontem cerca das 3 horas da ma-
drugada, o soldado do 2" batalhao de infante-
ria de linha de nome Manoel Goncalves Pires
Ferreira foroioa a porta de entrada do kiosque,
que lica proximo a estacao de Olinda, na rua
da Aurora, da freguezia da Boa-Vista, e dahi
roubou a quantia decinco mil e tan'tos reisem
dinheiro e alguns macosde cigarros, nao con-
seguindo levar mais, poi'que urn preto que dor-
mia no dito kiosque despertou e griton per
soccorro.


0 delinquonte foi preso em fl,'agrante c con-
'tra elle a autoridade intenta lprocesso.
Inquerito policial-Pelo subdelegado da
frerUezia dp S. frei Pehiro Gonalves co Reci-
fe firernettido ao juizi". petente o inquerito
d que procedeai constra Pedro Ivo Cavalcante e
Demetrio Antonio Cavalcante de Albuquerque,
por crime de roubo.
Institute Archeologico e Geographi-
co Perlanlbucano Hontem reuniose o
Institute, sob a presidencia do Exm. Sr. baruo
de Villa-Bella ecmoin a assisoencia dos Srs. Drs.
Soares Brandao, Antonio do, Siqueira e Maxi-
miano MachadahcapiiRo de mar e guerra Step-
pie da Silva, e dos Srs, Ferreira da Almeida,
Augusto Costa o ieajores Codeceira e Silvador
Henrique.
0 Sr. 2.o secretario fez leitura da acta da
antedentp, a qual f,)i approvada.
0 Sr. secretario perpetuo mencionou as so-
guintes offertas:
Urea copia authentica do registro da patante
de lenrique Dias, cabo e governador dos ho-
mens pretos e pardos, extrahida do archive
da ithesouraria de fazenda da Balhia, olfTertada
pelo inspector d'aquella thesouraria, o conso-
cio Umbelino Guedes de Melro ;
Umn capacete, corn o qual correu ecavalhadas
Joaquii- Aurelio Pereira (te Carvalbo, senhor
do engeniho Massaigana, no tempo em qua;
governwrva esta provinicia o capitVio general
Luiz do [Iego Barreto; offartado pelo consocio
Dr. Antonio llerculano de Souza Bandeira;
Dous ns. do ijrado Gonse'oyador do RioGran-
de do Norte, e vm'ios numeros da Provineia,
pelas respectivas redacg5es.
0 mesmo Sr. secretario porpetuo declarou
que as aulas do Instituto continuavam a fuic-
cionar regularmente, contanlo o numero de
62 aluinos matriculados nas tres materialss -
arithmetica, geomrnetria e historic.
FfIdo o expediente, o Sr. president corn
voz sentida communicou ao Institute o passa-
niento do consocio orrespondenteExm. con-
selheiro desembargador Anselmo Francisco
Per'etti, e na f6rma dos estatulbs nomeou uma
conrMaissio composta dos S"s. majors Salva-
dore Codeceira, e Augusto Costa, para daremn
os d vWos pezames a familiar do illustre fina-
4 ,S signal, de sentiment levanta a ses-
.itldesignando n dia' 25 do corrente, para a
*i .__l.. a- hnv ntem lWnaI nt tanalla


ra cidade ever quo nnumeros don quo
elle levara A porta do ::abr gowmpfnsava|-jthe
os esforqos elevando-S8. \ i
No cominercio, nas letros, 9 6n'ei6s, t dnns
cont osque a a hoje se nim deo have7
rem, tldo k r ik mostrei
Morreu, hbern merecendo "d4 sea t"po.
Fia seu 4astmeont feito eraOtM1tewarvo de
di$sN 4,:' U SOu eMrit4) Anto .JAsse o
m 4 paesr.vOl 'miole, : seu. izadawer, coneta-
;to parade t.9, t o por 4 ptores, c-da nu m os
quaes raeiber t0OOO00 ;,.bem assim da.r-se-ha
5ilW s. a eada pobie des que so aombarew ,
port do einaipo oes que for deposto o-eettm tr-
po, e a do cemiterio.
Deixou a eada umn de seas affihados 1000)00,
e aos seus notes, que o forem 200$000.
A's suas duas filha*olteiras, paptalimen-
taco, daixou o rWddimento de dous)t- ios A
rua da Paima. .,+,
Legou # ,emnaneseeate da terQa A sua nm-
Iher D. Thereza Maria de Jesus Villar, a quern
constitution seuo testamnenteiro, sendo o se-
gundo, o setalrnro JosJ Nogueira de Souza e
,o terceiro seu'llhoMarcolino Au.gusto da Sil-
va Villar.
0 seu cadaver eafit depositado na igreja do
*Divino Espirito Santo, dolonde, feitos os ultimos
sufTragios, serA hoje As 4 hwitaia barde leva-
do para o cQmiterio.
Os tnossos pesamrnes a sua EKmI,familia.
SComnunissio central de soceorros as
victims da seeca Foranm;nos remettidos
para publicar os seguintes docirnentos :
( Villa de Cabrob6, 17 de setembro de'1877.
-Illms. Srs.-Ao officio circular dA Vv. Ss. de
27 de agosto findo, que aco:ripanhou um mo-
delo para descrever-se os dinheiros recebiios
dessa cpTmmissao, as despezas feitas corn os
mesmos dinheiros, os generous recebidos e
tamnbem suas distribuiiQ5es, a,) qne respoude-
mn .s.
o Em officio de 15 U uaip ,iUdo, sJeclara-
tros a Vv. Ss. a maueira que haviamnos dis-
tribuido o 1 .GO6,O,00 que Vv S. n fos renmette-
ram, e agora o demonstranos pela relaQuho n.
I ; as quantias remnettidas a diversas commis-
sOes, quo esta commissio norneou e na mes-
ma relagao vao nomerados os documents
desde 1 A 7, que junto acompanhainm,- pelos
quaes verifica-se o recebimento das ditas com-
missoes.
a Tambem em officio de 14 dejunho firydo,
declarou esta commission a coinmra e soccorros
iquie havia feito corn os 709$oo000 que aqui fica-
rainm ; porem, da relagio junta sob n. 2, esta
ella de novo descripta.
(( Tamibem em officio de 26 do julho findo,
I nos remetteram 200000 para fretes daqui para
ILeopoldina, o omais que necessario fosse, da
retaco n. 3 veSificarao a despeza'feita A vista
dos recibo.&ps;, 16 e 17 e o quo existed.
( Finalmente eni officio de 9 de julho findo,
renmetteram rn0000 para esmolas secrets da
relaeao n. 4, e recibos de is. 8 a 15. constam
ter-se dado essas esmolas ; e das relac5es de
ns. 5, .6 e 7, ve AYy0s".. ,s generous recebi-
dose suas dis r t 9Pr-[oo vao reconheci-
dos os document "TO a tlaie estampilha.
c Dando as' I 1il a drfoheiros e gene-
ros recebidos nestatommniSlAfq ue tudo de-
ye soer publ*4dolteWnos 4tdgqra Vv. Ss. que
a seeca continua, e os re4r4,nti, comparepm
diariamente em numero aviuttado, e e um povo
exigente preguiCoso; epedem esmolas ma-
ride, mulher e filhos ;6 a, ltabiryntho ; e ao
depois e alguns. djas- t demora utins *eguem
para Tacarati, oniros.o acima, utos para
Jacobina, provincia da "ahia ; porem nunca
doixa de star esta villa corn um crescido nu-
mere delles.
a E' urna tarefa ardua a que nos vemos col-
locados, e ja cangados desse mesmo trabalho
que sobre n6s teio rec'ahido desde o principio
e alem disso sobracarregados de muitos ofaze-
rms, pelo que desejava que- essa commissao
me dispensasse de continuar a ier membro
desta commission.
o A minha consciencia estai tranquilta de ter
fielmente cumprido a tarefa de que me encar-
reguei, porem o meu espirito flagellado pela
odiosidade, nao s6 dasses pidoes imprudentes
que me vexam deo manha a noite, como de
vez em quando, uma indirecta da commissue
de Tacaratlu sobre os viveres que remette para
aqui, o eu nmo estou disposto a soffren injuns-
tica so por quo se quer proteger a conductor
de saccos de farinha e milho, come se me in-
p6z para recebel-os da maneira que eles aqui
chegassem ; come chegam" farinhas pod'es,
saccos meios de farinha, feijao e milho, nieo sn
desta commission, come da de Salgteiro, Gra-
nite, ExFt e Ouricury* '
Ea'bunca Live relagoes coni o Dr. juiz de di-
reit& de Tacaralt, porem corn os outros dous
members sempre tivemos re1aQses dao amisade
e per isso sinto me do modo come se trata A


esta commissao.
( Fago tamibemrn sentir a Vv. Ss. que murn dos
i membros desta commissao A mort o e a outro
6 o vigario do Granito.-Deus guarde a Yyv. Ss.
Illms. Srs. memnbros da commission central de
soccorros da capital--O membro da commis-
siao, Jos6 Soares de Melto' Avellins. D
a Caruarn, 2 do outubro de 1877.-.'Mns. e
Exms. Sr.-Teanos a satisfagiAo de remnetter a
Vv. Exes. a conta cearrentLe junta, relative ao
mez findo, e aos sprvigos de que nos achamos
enearregados nesta cidade, mencionand6 ;o
recebimento de generog e dinheiro, as'trp-'
tias despendidas e em que, e os0 gehoke G
tribuidos pelo numero de pessoas islicafltln
dita conta, cuja exactidao garantem'o'I.'jdiz
do direito e o missi)nario, e n6s affiritlni6 !
s A obra do cemriterio estA no seguinte es-
tado: os minuros erguidos e em respaldo) pa-
tao collocado, e as respectivas portas e poT-,
tadas em construciao.
( Esta scndo edifticada aceapella, cujas pare-
des JIa tern 10 palmos de aitura. Corntanos
corn o auxilio de Vv. Exes. e corn os do lTf4 .
Sr. president da provincia para aconwlusp(
dessa important e utilissima obra ; e come
6 certo que 03 indigentes, acosSados pelbo ac-
tual flagello, e muitas outras pessoas necessi-
tadas affluem sempre de mais a; inais;A, esta
cidade, prdcutrando trabalho na obra do cemi-
terio, pedinmos aVv. Fxcs. que non enviem
novos soccorros em generous e fazendas, do
que souberem fazer-conveniente.--Deus guar-
de a Vv. Excs.=Illms. e Exms. Srs. Dr. 3oa-
qqimni Gongalves Lima, Visconde do Livramon,
to, Joaio lgnacio de Medeiros Bego, dignos
membros da cornmminssuo central de soccorros
na cidade (to Redife. 4s ,membroA da com-
missao de Caruari. Jono FranoWp Driltre;-
Padre Antonio' Freire dq Carvalho.-Elizirio
Augfusto de Moraes ) r, .
Conta corrente do dinheiro o genero.S recebi-
dos pela comnmissito especial de soccorrbs
de Caruarft, destOI atnt3t de setermbro des-
te anno, e bern assimn da applicacao eden-
tine que tiveram
Recebidos
Dinheiros recerbidos em 15 de se-
temrnbro dete anne e tambem exis-
tente em 1 do hiesmo mez 2:248QW00


liT 0an ~i polo i -1
yes Lima, no process crime d aeniei
Jos ioaqvB' weiro. i
E' igaaietmr ildaomo l6~ assr t % -s
feridaa-^Maoittlndtomin~tpnr1io....W
F'ejtaaXiaeaboMr 4~s ~Pattss-Te
tonmegado o septenario do Senhor dos iPaos,,
qius ,e bier naifgreja i4e 'OGep6 8afVo0
doraing pwoximo passadolAt rft f aK lta,
tdimvremo Saaho, no prelA ingo, M o
correote,custandp de misaga it nmepella-
nhikeiltdairaiata wai 1 **.....^ w
MoIte.PIo aiita piz -Esta, sovie4Be
fuoeciu|a hoje ois 64eraala tarde em assrn-
I6a geral. em sua s6de 4rmua.estita kdo'Rt,
tarN n. 41. "" : '
,. iftento-De Utohaftta e $S.Bento, data-
aa-de 5 docorrMnte,'Mta quenos flzeram o
favor de mestrar, eo,rfflss o segdthte tre-
cho, qiie con'tm uma noticia agradavel.'
Diz a carta:
(( Gra.as-a Deus tivemos noje urn'borni agua-
oeiro qua molhou a terra, e consta-te queq no
perimetro de 0lleguas em torno.iresta tilla,
tern igualmente chuvido polo w0%"as cous's
tern melkpra46. Detis queira 'ifto conti-
nue. w ', 1" t ,;,
Fernalido {de Nftonhla -'-"t*,o dia 15
do corennte [segunda-feiral que deve seguir
para ese presidio oivapor Gequid.
Soifibras da Nplte-Sobre essa denomri,
naAo, e corn o pseudonyio de A. Sabtds,iAca-
ba de ser encetada, n9sta Midade, a publicaao
do urna cOllecCAo d e poesias.
Nas duas primneiras follies, que nos foram
obsequiosamente offeicidas, ae,ham-se algu-.
mas poesias interessantes, ,
Doxas Mundos_-GCom esse titok deve ter
comecadd em Par.ie w nmez passed* a publi-
cacao de uim journal iltustrado, escipto em
portugiez,e destinado ao Brasil e a Portugat,
constandoQ-de 16 paginas, no format do Nooo
Mando, e em excellent papel, tendo sampre
4 a 6 preonclii4das corn gravuras defprimeira
ordem.
A distribuigao sera faita graduitmtento-no
dia 15 de cada mez.
Opreco da assignatura para a Atnerica do
Sul 6 de 5$000 (moeda fraca) por seis nume-
roso
Duas gtyuras que vrm go prospector in-i
tituladas Uma novella interessaute-e-0
judas nqjbbado de alleluia-suo de bellissi-
mo eoff ~ ideendo se r preerrbhida esstlpr
te da foi(m r^ao4 egnavnras dsjmOieeu'
distinct A ier-w g&U s, "rarbreet P
allemikems
N vmeri is,,tedoosde TeU.-
taWao feita, mdibittos iAlit-
temratoportugi s, MtomB conbhectdo
no- .m ndo das i$asr, acliaWm 'is incamnbWto
da parte litter*W,
Assigna-se, n*lAk n aria Iduus-
trial, dos Srs. Walfredijm Ai,,,' ma da Ba-
rAo da Victoria n.4$ :., +
Zarzuela hespanoufdAoerea da conm-
panhia, que trabalha no tbhtf'aabMnta Iha-
bel) assim seexprtWa9 o W4dtDW da Bahia:
(-Langando-9sas Visttis Sp bre todaaweoi-,
panhia, aflgua'que tlMtttei k os atteff
co6 a lgtra culmioandta;a que 8 destaca
1'etftretoldas,e que pot- ai merito occupai
o primeirb lagarr6 A Sra. D Josepha Garcia.
s Dit hdr be he p.auvaj pntoonente-'e
graciosa na estatura.. ww gO~op *iftwrfta
possue o raro privilegid 4e rishlgurdf-se e
de imitar fielmente os caracteres que repre-
senta; 6 assim que nella vemos era o typo da
nobre magestade, ora.o da ingenue encante-
dora, cuja candida expressao seduiz e arron-
ba o espirito, parocendo incrivel poder uma
mesma pessoa apparecer sob form tM, di-
versas no grdo de pcrfei(,ao corn que D. Gar-
cia se nos revela.
As linhas graciosamente pronunciadas dAe
seu rosto permittem-lhe traduzir os sentimen-.
tos que deveoa animal-a no cursor da reptfl
sen ta@o; e o talento de que e dotada sobirt'
levam-n'a notavel mente.
< A"6Ia de qt~e distingue-se D. Garcia pela
diceeo correp e Clar,; modulacao habildnen-
te regulada, ora pgt~fte e magestosa, ora-
suave e dpl1ada e 1traa, bellpzas e vanta-
gens' qile predisp.en ai'seu favor os quota
u E mtiitog.,rtopnmenda ainda no i ,cai
os sans dd4 ; Obijas vbacSes'
pelos a nbi s do theatre ; essas not~a
emittidas mani'ralrente como qdo 'tanspori
tam oouvinte s.ptras regimes do sublime.,
Q 0 que mait ad' firamos nesta distinpta ac-
triz 6 a pureza da escola, que permnte-lh6f
percorrer grao por grao todo o prolongado es-
tudo que a arte da Malibran exige e corn o ra-
ximo esplendor D. Garcia nos offejrece.
Os differences registros de vo0, cuja unito
e difticil comprehehdpr, enlaca-os corn' tanta
uniforuidade, que nada deixa a desej&. Os-


son, picados e as notos iladcis, como $6e dizer-
'se, os trinados, queos da a perfeifao, s4po re-
ciosidades que nao &dado a todos po.suir e
que; por isso mesmo, maisse augmentg nossa
admniraCVr. 4
L Sd, no dizer de Mauuyt CarA'a, em ia Gc,
lelo-T obtar L'art da chant,' qi'rIa ser^ lor
aaoOr CiOm nan tiver arte ar a dirigirl 's--
7i&.,-a f que D. Garcia, oel +dbseryaaora.
de_'s-dcceito, cu'upre-o niaravilhosameo.rj
a Na6 se 'nos taxe de eoagerado em nossaa
obserVagoes : julgamps a tpda atisa ejn ab-
soluto : odiamososs o araI i',os' confrrontos
que 0 de costume estabet a;se n'uria Criti-
ca nos repugnarnm.
I( Ao julgarmos uqf ArItfE,. julgamol-o tal
como elle -6, e, nao tal como outros sao; o con-
trario disto 6, no ftim de' tudo,. urna .injustica
isobre ser urn ataque ,A verdqde, sem a qual
nnao se deve ser critco: Mdzart foi urn ,enio,
nao 6, por6m, por isgo, quo se deve concluir
que corn ile acabiaram os genios; ou que todos
devemu ser como Mozart. 1 .
e Resumindo, d iremos: P. Garcia 6 uin ver-
dadeiro tiple e unwactriz excellenN, ditua de
ser o ideal das comptbias do genero zar-
zueta. )
S A Sra. Espana mostra-nos que se ao seu
bello talent, se a sua I pathica figure e
rosto mnimoso reunisse "aBvNoz potent, se-
ria, semrn d uida uina iissima cantora
seelundo Ul e zamil tSe, por6m, nao
the sobram aquellas facl abe ella diri-
gir e servin-se habiluw ll que possue e
tao opportunanv que 'adnmramos
em- scena zsenmwd
(C 0 'SrofBaC(qu6i vOr iro actor corni-
co; e gragas fxiB ffl8ta( oz de que
dispbe ; gracas d seguirau na. emissao della ;
gragas ao pleno conbhebAento que ternm da
arte, pod0'od'aitrt. O VOes tenoreitcomi-
cos, occubaffum do- nI 05 oslugafes!
Sdaa*ptejioW a amolta-se per-
1eitamente a vo'e.deo preteIder, o
que, unkdo,4 a bduagoes,
torna- o uni .. ontasytvBl.ti
0 C) Sr. 0- 'uma sympathica


i cultor sincere, qw*.isa dedicaqa1o
mor oJfferece-lhes o, n' ,hor d'e seu
1 woragao puro, einitaesclarecido. t
lt& N a' -,7 qrreu ha-q
a grant,

ragosto ese s r As paS I
se constantoeit0*9bert4de
Vapor, qua tranptm I ra A
d, ou entiAo A git casw
gresso, ssoas que 14 Iio oI m.
ra nesta ndiSoes, a nrwewp tona-mO i
rtremam iarriscada, poe., d&*m" ,J
Volga ra ilhotas
ode0o e rso.
0 Crondstad Vestnik refere que. nosprinci-
riode iv*erp a Oeze IIrPiw da ,oiIt,4o
abalroou violentamente corn o vapor BoI'is, que
isMp 0v pAimsaein4erfoiA 0 lga. w reco uAi feira de Njni-Novgorod. 0 Boris foi
immediatamente a pique.
Segunderr6, o piloto 'a rtemente avi-
nhado, Io tesS a:..-iefiii siniMstro. Das tre-
zentas a quatroceeitaN s dc Bori8. cento
e oitenta morreeraniv0ttosE,; quanto as ou-
tra*, foram recoilhidas' pe b-ior, ictet; e n'um
rebocafor que subito 0olga no memento am
que se deu o embate' '
Uinm desmaipi de sarah Berinhardt.-
Os 9spectadoras do theatro Francez, de' Paris,
inioressionarath-se vivamente 6cm uma peri-
pecia que duiante a repregntaCio da Andro-
maca se deu em-sena.
E que muito que se sentissem dessa f6rma,
quando a victitna da ocqorrencia era a prodi-
giosa artist Sarah Bernhardt, esse portento-
so talent e vasto coragao ?....
Mademoiselle ,3arah Bernhard., arrebatada
pelo seu rigor tra'gfo,;- achou-se incommoda-
da urn pouco antAs aa aluima na do ter-
ceiro acto; o incomtioct6'foi it subito que
mademoiselle Fmma Fletriyq;recet4.endqoa gran-
de artist nos braQcos, sd66ten'm i to custo p6-
de fazer-se c:mprehender no respeitante a
baixarem o panno.
Sarah foi levada ao seu camarim, onde umrn
facultativo lhe deu alento por meio. de sua
sciencia e solicitude.
Em seguida a um entre-acto que duraria 10
mintitos, veio Delaunay participir ans espec-
tadores que nao era casa de gravidade, feliz-
imente, a iddisposicato de Sarah Rornhardt, mas
que, para ndo interromper-se o espectaculo,
se passaariamn em claro as scenes seguintesemI
quo ella devia apparecer.
Corrida degatos.-Os jornaes de Cam-
brai doscrevem um genero de sport pouco co-
nihecido.
Trata-s lniqma corrida de gatos.
Esta oim verificou-se ultimamente em
Bel6bAept o de Bonsecours.[Bclgicn.]
Setenta, ,go1 tomraram pa-irL nia corrida.
TransportaTa u-rdoba-qaatro kXionetros da po-
voau,&, prt0 d Ladewte, o pied os soltarani
na presenga do burgomestre e de um grande
numero de habitantsdas atdeia, vizinhas. In-
felizmeonte, L poiili' dstava ntisent, e a grita-
ria da multifo, quet segoaqj jte center em
distancia, amedrjOifCdiu o'1 s animals, que
ars'ignal da pritida& se)6capaa'am em todas
a ce.* .. ':- n!,'iO .^ _^
Fbi por inssoque Loo, umi'ri'-gan'ata ma-
lhada de.preto, que onmia sidr] 'i e -
.riag apoartis, pattio-em semtidk conte rio, .ta
direc&io-da villad'Ath ; erdo euncontrada rIo6
armpos, a tres hoias de oBetoeil, natarde do
mesmo da, e ainda cornendo.
0 prieiro premio, que era arma cafeteira
de prata, foi ganho por Minette, bonita gata
ranca de olhos meigos eponstivos.
0 prlncipe Amaden. 6-!-se e. urma
correspondencia de Roma que o principle Ama-
deu de Itala e ex-rei de Hespanaa, entristeci-
d.) pela moratte de sua esposa, escrevera ha j*
rtultos seftirih ao papa 'tn*1irta', ha qiqal
manifesta a resblugao- de entrar em urLma or-
oem religiosa e 'demt'retirar mesmo para um
,cunvento. 'i
d.onoebe .i[ae a farnilia real e ospartida-
inos da realeza fazem os maiere3 osforVos pa-
ra dissuadirem o principe dessn resolncap
uoe nO paco temnse utta *f6 0 'aior ranier
a este respeiWt0. : atl^sa. Wfrh do,- mais aift'
nes cirl pstntimos'do Vatieano onde so tra-
balha, naturalmente, c por todos os meios, pa-
ra se apossar do principe tornado devote ; se-
gundo a opihiao dos cardeaes, seria esse o
melhor meio para me effectuar iin accordo en-
tre a curia romana e a Italia. Ter-se-ia ate
avisado jri o principe, de que no dia da sua sa-
gracuo come padre, seria nomead6 cardeal e
ao mesmo tempo levado ao prodimo conclave
come candidate pnivilegiado a th ara. At6 ho-
je, pouem, os duus parlid.^ o dos papiatas e
o do rei, aada teem podi'Il cons eguir.
O joraal" e trangeiro do onde extractamos
*es La noicia da-a sob todas as reserves.


Ponte destruida. A grande ponte de
Omaha, no Nebrask (Estalos-Unidos), que me-
dma 2,800 p6s de extensAo, acalta de sen des-
truida per um cyclone.
Na manhti do swceeslo, ouvira-se um ruido
sbrdo que partia do- lado do note. Cessara
UnMa brisa interinsa .tque soprara durante a no;-
de, tmas pduco a pouco o tuido foi augmentan-
-d., ot06irecendo-se o ceb. De repente ou-
vio-s Af espantoso estalido. 0- cyclone, en-
contia riBno seu curso furioso a pqnte de
Omaha, Wmclio-a em um segundo,.
As columns de ferro macisso, que formna-
vamn os pilares, ficaram torcidas como se fos-
.smtenues palhas.
Iomsculdade dos setos nas es-
qolWi.-Acerca deuin congress Lque ultima-
mente se celebrou em Mons escreve o se-
gninte upia folha estrangeira:
SNo cbngresso de mestres do primeiras let-
tras expeimio-se o vote de quo os sexes n'o
toroem a ser separados nas escolas. As ra-
z5esquese flzeram valer para solicitor dos po-
,deres publicos esta refbrma urgonte e capital,
1q9 bastante.curfosas. para que as, deixemos de
eaoftluzir na sua integia.
Conservr'r os rapazes e as raparigas a
Aistancia uart" dos outros at6 A idade em" que
4 eordinario se casarn, 6 dar-lhe-s o maior de-
.9jo de s'e donhecerem e despertar na imagi-
inaibo de cada rm, idftas absolhtamente falsas.
S.. -Ovapa* toma-se' facilmente um deus pa-
Sas imagibase64-dxcitadas das' raparigas, e
-ars- L.n smer etheIeo e divine para os moos.
SE,. destas dua eorrentes, em opposi(eo A
realidade, nasnam dosgostos e deeepcSes, que
sao pare muitos a causa das desgragas con-
jugaes.
a Assim baseado, o principio Aa promiscui-
dado dos sexos foi votado quasi itnanimemen-
te pelos assistentes. ,
L Saude publica.- Ja pubticamos a opiniao
do Dr .Germano Se; sobre o tratamento do
-riuwmatismo e da gota, por meio do salicilato
deo-s4fa. Agora vamos n mencionar a opiniAio
de outro membro da acaenia de medicina
fran;eza, naio menos distid'q.O.
Na sessao do 11 de _etEmbro, o Sr. Julio
Guerin declarou quo era d6 numero daquelles
que receiam a accaio geral que o medicamento
em questaop6de exereer na eco:iomia, parti-
cularmente no cereborb, no pulmaio e no coraeao.
Recordou que ha vinte annos fez conhecer o
methodostibio-dermico, come meio quasi se-
guro para conjurar os primeiros ,ccidentes da
coxalgia aguda ; e quo, ha quinzo annos, se
servia. desse process no rheufratismo arti-
cular.,' x
O proesso consist no emprego de unturas
repetidas corn uia pomada, contend uma
parte de tartaro stibiado e duas padres de en-
kundia.
O Dr. Gu6trin affirmou que, depois de tires ou
quatro applicarSes repetidas em vinte e quatro
horas, serppre obteve notavel diminuicio das
dores, senAe a sua desappariCio complete.
E este ultimo retuftado, segundo elle disse, 6
A, Mn i f Vav11ni(


Esli 4dbaue muito in sante, principal-
mente para a populacao d life, onde.extra-
ordinar&o numero de pessoftioffre de rheiuma-
tiUsmo. Poisso nao lprgaremos m16 to as-
Sumpto, emquanto deUe se tratar na af&i
oI tedicina franoe + ,
iDevemnos por uatt"o "ar que o Dr.'
miodeu a razAio porqule reavs quo 06 e
J# salicilato de soda, express waoo B& e
miia, e produzisse a m et so ou rep0r -
dQ.que fallout _. pelo nos do wihtfrt
essilo que te",apreiote, tna costa que
Ompraticas, Ip..
m praticasse, aopassoque- Dir. S6e COI
star de lemnibanca, designapdcr $o0s409
os efficazes d e salicflato de sa8Wa4e edk-
ue ordinariamen.o se tornmatvari askn
caqOes habituaes da alfeccbAo gotosa, pelos ef-
ftaiw do lwPirpagto em questao ; e que nao
ora, aess|o aplieal-o em d6ses maximas,
come praticam os medicos inglezes e allemAies,
py ette6 pndm tr ffi A3o sattar." -
Vapores-Sao esperados os seguin$s:
Minho do Sl aitW 14
eurd do Norte ate 15
Penedo do Sul ate, 15
Bahia do Sul atW 17
Potosi do Sul atO 20
Ornoque do Sul atM 20
Delambre da Europa at( S2
Ville de Rio dc


0 sete de setembro

'Recitada no theatre da L.iguna, por occasido
de festejar esse faustoso dia, a S. D. P. Re-
creio Lagunwnse.]
MaldiCao bradou um dia
bello, sublime, arrogante,
por libertar-se anhelante
o colosso brasileiro !
Nesse dia um povo altivo,
-type de here glorioso-
tornou p'ra sempre ditoso
o Imperio do Cruzeiro !!
Gemia oppresso e captive
esse titan magestoso,
emquanto alegre, orgulhoso
sorria-se al6ni Portugal.
ContradicNao inaudita [ "
O Brasil-gigante iralmenso-
curvado. queimando incense
ias-plantas de unm seu igual !
Surgio enta o no horisonte
uma aurora de sangue e luz !
E a terra da Sana-Cruz
mostrou-se pujante e forte.
E do peito d'um monarcha
de seu povo idolatrado
partio este ingente brado
Independencia ou inorte !


Jaboatao
Oh! mniseria! Desgragada humani-
dade qhe em teu seio tens tantas vibo-
ras pe4onhentas I! --
Quando 'todos os homes honestos
larnentAo a peodIa irrep rAlel do con-
spicuo cidado ; q6dan 'oI agistra-
tura inteira sentW o .ifflMiibo golpe
que aciba de reeober coin a' aorte do
seu illustre mejnbrQ, o Exm. Sr. des-
embargador Phrtti; o ex-soli6itador
Luiz de Hollanda Cavalcante ca*, e ri
de prazer, dizeudo que agora iri envi-
dar todos os meios de ser-lhe conferi-
da a nova provisao que aquelle proto-
typo de rnaior honradez Ihe havia no-
gado pelas sdas fa'anhas, apezar dos
empenhos !
No poder (do Exm. Sr. desembarga-
dor Peretti existiam, que lIhe foram apre-
sentados ultiminareute, dooeamentos ter-
riveis, que sobrernodo p5emn em relevo
o procedimento do r. I olanda, no
exercicio de sua profissao.' '
Esperamos, pois, que nas malhas da
justiCa passe jkmais semelhante tubha-
rao.
Sera mais uiha grande julti(a que
tern de ser feita pelo nao menos hen-
rado, actual p15sidente da relagio, o
Exrn. Sr. desembargador Lourenro
:Santiago.
4, 40 de outubro de 1877.
J. C.
P. S.-Parece-nos que na secretariat
da relagAo existed tambem alguias do-
cumentos, bemrn comno no poder do Dr.
ijuiz de direito d'esta coinarca.
0 mesmo.
Ses. ricdactovcs. Lendo no Diario de hon-
tern uma d clara.ae do Dr. Angolo do sertelle
o unico advogado dos press pores e titala-
do ernm'razaa de es4ar eu nesse camcier defen-
dendo no jury ; pero-lhe a publicaqiAo das se-
guintes linhas, explicando o facto
*Em -1871, sendo juiz de fact, e notanio a
difficuldade de encontrar o president do jury
defensor para os press pobres, offereci-me A
camara gratis e assignei umn term. Servi
dous annos, e dnpois a camera marou o500SOW
adnuaes de graiticaoao aadvogado dos pre-
sos pobresj: q percebi pQrputtos dous.
Em 1875 a 1876 nkoflieoncedida gratifica-
Quo, e continuei.A defender os press pobres.
No exerciGio deol876 a 1877 a assemn)bl6a ele-
vou o ordenadq do avgftt i da eamara, Dr.
Angelo, a i:0Qj, tcaft uit;I 4btigado a de-
fender os prn "esoA pobr aii t de 1877
a 1878, reduzio o ordenado di*vogado'da ca-
mora a 800S. e.marcou 40(0& ra .gratificagao
do advogado dos preo 06 o s. A' vista da
separagao continpei a jf= ,er 0o press po-
bres, e appello ppra ows S dpautads a quern
cabe a interpellacU au aa&ll da oei, para quo
heclare qual a.mente da assombl6a assim le-
gisla44p, visLo como se quizesse que conti-
nuassq 0.advogadco da camera, naio teria sepa-
rado, o oomo no anno anterior flea o)
advogado da..;amara obrigado a defender os
presos pobhres.
Desde que me propnz a defender os presos
pobres nunca live titulo, e nern por isso o mean
earacter foi contestado, s6mente constando a
existencia de advogado e titulado depois (que
a assemblda retirou do advogado da camera a
gratificagao para o dos press pobres.
Gontinuo, pois, a defender os press pobres,
come d'antes, semr mi impOr.
Entendo que a confiana que dev existir
entire o constituinte 0 patrono, nao p6de seo
imposta sob pena de repulsa, principamnente
em materia criminal. Ctntiwuo, poil, e por
essaoccasiao previno aos pobreo presos e sol-
tos, que tenho escriptonio a rua Duque de Ca-
xias n. 83, primeiro andar.
Recipe, 11 de outubro de -1877.
L. E. R. Vianna.

Comarca de Jaboatao
Chama-se *d alten( o do E3~m. Si.
president .da provineia para o facto
que se vai dar publicidade, visto pen-
der da decisio deoS. Exc. um recurso,


Janeiro da Euvpa at 22
Neva daEdrfpaat5 25
Para do, 6O at.6 26
Pernambaco do i6 at0 27
Tagus do Sdl at '29
Loteila da lirovincla No dia 23 do
corrente, se extrahira a loteria 245.A, em be-
neflcio da matriz de Tejucupapo.
Os bilhetes acham-se d venda na thesoura-
ria das toterias e loja de calcados do Sr. Por-
to, d praGa da Independencia ns. 37 e 39.
As listas sahirao no mesmo dia da exitrac-
cao ; quanto, porem, aus pagamentos dos pro-
mios, s6 tera ugar do dia seguinte em diante.
Leil6es Hoje realisam-se os seguintes:
Pelo agente Vfartins, na rua do Marquez do
IHerval n. 25, de diversos objects ahi exis-
tentes.
Pelo agent Pestaia,- ,* rua do Vigarion. 12,
de mobilia de marcjneiria do todos os usos
domestics, vi irosniogios e olbras do electro-
plate.
Pelo agente Gusmtd,"Ai rua do Barho da Vic-
toia n. 28, de machines de coslura, miudezas
e quinquiibarias..,
Pelo) agent Pcstuana, a rua do Vigario The
norio n. 12, de unm cavallo ruddo:.apatacado
muito novo, andando baixo inuito bem.
Amanha deve realisar-se ..segiunte :
Peo agente Martins, rua dbt Imperador n.
'16, das casas terreas ns. 38, 40 e 42 da rua da
Paz, nos Afogaulos.
Geiterlo publico-Ohituariodo dia '10
de oulubro de '1877:
Maria, recemnascida, branca, Pernambuco,
S. Jos; espasmo.
Joao, bronco, Pernimbuco, 5 mez4g. Boa-
Vista ; convulsess' .
Candida, panda, Pernambuoo, 8 diaa, Boa-
Viste&; tetano dos reeitinasctdos..
Manoel, pidrdo, Pertiambuco, 9 mezes, Boa-
Vista; -j ,vulstes.


f|aIGCA Q9S.UMIS
. i :, .fW1dteos
Dr. Lobo Moscozo, rua do Visconde
de Atbuquerquemn. 39.
Advyoados .,
Dr. GuenInes, rumt do InAperador n.
48. .1 '
Dr. Anton&f fru~mmotd., rta do Im-
perador n. 26. .a

Antonioc rasconceUosm rua
'Pritr.i*'(a) ,odas
Pritf A-6 -
Costa"`, t, rua Primeiro dee
Fa etd l os a vapor,
Bourgard & C., Recife 15, rua do
Marquez de Olinda, Santo Antonio 3,
rua Prirneiro de Marco, Boa-Vista 54,
rua da imperatriz.
Pharmacia e drogaria
Ferreira Maia & C., rua Duque de
Caxias n. 57.
Encadernaiao, pautaV?.o e papelarla
Mirawda Junior, rua Duque de Ca-
xias nm.37.
LiU(6es de francez
Liq6es theoricas e praticas de fran-
cez, pelo mrethodo mats facil para se
aprender esta lingua em poucos mezes.
Curso todos os dias na rua da Aurora
n.. 41, 2.0 andar.
Gastronomia
Archiarmazem do Campos Q8-rua do
nImperador--28
Leite condensado superior, presun-
tos para fianibres, linguas afiarnbradas
(em latas), frambres em latas, cha lino,
doces, licores. acipipes e grande varie-
dade de vinhos tinos e de pastes.
Vendas corn desconto, em grosso e a
retal ho
William Inglis C., rua do Impera-
dor n. 57, armazem, grand e deposito
de fazendas frapnezas, inglezas, beJgas
e allemaes.
Capellas tmortuapias
Amaral, Nabuco & C., rua do Barao
da Victoria n. 2.



PUBLICAIOES A PEDIDO


Ignorara esta camara que os sup-
plentes de juizes substitutes s6func-
cionam no impedimento delles e-se-
grindo a escala de suas stIpplencias, e
naoe cooperam activa e ,rontfiUamente
corn melles, como succede aos supplen-
tes dos juizes municipals nos sens di-
versos districts, argument da lei Ide
Set. art. 8 1o, iRegul. desta lei art.
6o 3o e art. 18 10? -
Ignorari tambem que nas conmarcas
especiaes, come e ella on'qe ha umrn so
juiz de direito iao ha diyio de dis-
trictos especiaes, para ,nelles terem
exercicio os supplentes de juizes subs-
titutos, porque isto s6 tern lugar nas
comarcas geraes, onde somente ha jui-
zes municipaes, segundo so deprehen-
de do art. 6' 4o do Regul. cit. ?
Ignorara ainda que as attribui);oes
dos juizes substitutes sao outras que as
dos juizes municipaes, e portanto di-
versas sao as dos seus supplentes '
JTal)boao, 4 de outubro de 1877.
0 born Democritio.


conernente a negocios'-a camera mu-
nicipal deste termino.
Foi eliminado por deliberagao desta
camera umn vereador pelo futil pretex-
to de ser 2o supplentc do juiz substitu-
te, s-em nunca ter ,ntrado 110o exercico
deste cargo !!
Pergunta-se :
",mara municipal tern competen-
cia para assim eliminar um vereador,
creando incompatibilidades alguresa-
chadas para ageital-as, a seu mrodo, a
casos diversos '?)


v--





















arnomlarto devaneios e se'" fanta-
aiowo.n campo fecundo 4 scencia.

^AA veidadeima s4cia. w a a e A pro-
ottso da vista e do taco a o j padcto
d razao humana elevando-se i razo
:.4Nna. :J I
'Sio palavros do Sr. Visconde.
No qu e The e citaremos eam oppo-
aisio a tal descobrimento a phrase pitto-
resca de A. Comte:
S A. sciEfcia poz em. retirada o pai da
xptureza, levou Deuatd suas fronteiras,
agradecendo-lhe os service proviso-
rw .,.'1.. ..
0 tre deixa i gente exuberante-
inern onvencido disto depois do co-
nhe ento da sua doutrina; efaz com
que gcondcua que sabo anachronicos o
livro e a assercao do Sr. Visconde.
*
Teixeira de Souza* imostra-se desde a
primeira atd a ultimrna pagina do opus-
culo verdadeiro discipulo das ideas no-
vas.
Ndo poderia ser melhormente esco-
hIbido o crtico; poeta e medico estaria
muitissimno no caso de comprehender as
intenQ6es e a obra do Dr. Magalhfies.
E pois, eta b6a hora veio a lembran-
ga e obsequiosidade do illustre Sr. Joa-
quim Serra, a cujo p -"4o escreveu tal
opusculo o ex-redactor da Idea.
*
A linguagem mascula, a forma tra-
balhadora, as valiosas citaqes techni-
cas que the exornam as paginas, tor-
nama judiciosa critical por demais re-
commiendavel.
Este opusculo so vende na livraria
Economic. N.o deverA elle passar des-
apercebido A mocidade intelligente de
Pernambuco; mormente quando tio
desapercebida anda a nossa litteratura
1e obrinhas corn aquella feigao.
Costa cada exemplar 500 rs.
Luiz.

Assumpto municipal
Na vida dos povos como das nagSes ha dias
solermnes e magestosos.
0 dia de filnados nao menos que outros 6
urn de penosas recordagSes, mas recordaC5es
berp fundadas ; quem nao ternm w parent,
ou amigo que, nesse dia nao Ihe ftge a me-
moria os beneficios que recebeu tes ?
Quem podeone plo f az ima insripcao no
tumulo daquele qua nos 6 caro suaj$emoria?
E' oerto de que a falta de nm h.beleci-
mento para svpprir nesse dia o quo 'rIde cos-
tume nos paizes tdiantados 6 sensivel."
A casa Paula Mafra, supprindo-se directa-
mente do coraQlo do mundo, d'ese emporio
do bell e agradavol, de Paris,_ finaftente de
um caprichoso e escolhido sortimento de ca-
pellas morttuarias de vidritio e paino, de pan,.
no sim, mas de panno, cousa caprichosa e es-
pecial nesse mercado.
No complement dos ornatos que so faz aos
tumulos, o mesmo estabelecimento esta pre
venido de especiaes 'bugias de eera mara re-
sistir o calor que as ataca ; assini pois convi-
da-se a todos, e especialmente bell sexo
para comparecer A rua do Cabuga n. 5 A, afim
de ver-a
Exposicao Municipal

Institute de Nossa Senhora
do Carmo
RUA DE S. FRANCISCO PALACETE N. 72,
Director Hermino Rodrigues de Siqueira
Medico Dr. Cyrillino Castro
Prolessores:
Primeiras letras e portuguez-o director.
Latim-o Dr. Altino de Araujo.
Francez-o Sr. E. U. Mazeron.
nglez e rhetoric -o 8r. Francisco do Brasil
Pinto Bandeira Accioli de Vasconcellos.
tieographia, historia e philosophia.- o Sr. Ig-
nacio do Rego Barros Pessoa.
Arithmetica, geometria e algebra--o Sr. Jose
Ferreira da Cruz Vieira.
Desenho da paysens e figura-o Sr. Alfredo
Ducasbie.
Musica vocal e instrumental- o Sr. Candid
Gomes da S.lva.
Recebe alumnos internos, semtMnos terne


externos

Collegio de N. S. da Graca
N. 10-PONTE D'UCHOA--N. 10
Director
MademoiselleAnna Caroll
0 grao de instruccao nested estabele-
cimento costa de portuguez, francez,
inglez, calligraphia, aritlhmetica, geo-
graphia, historic, mythologia, mnusica,
piano, canto, danas, bordados de todas
as qualidades, crochet, flores e dese!
nho.
Recebem-se pensionistas, meio-pen-
sionistas e externas, send, as primei-
ras a 406, ais segundas a 20 e -as ulti-
minas por 50000 por mez, njL.avendo
extras
A lingua fallada no collegio 6 a fran-
ceza.

MODISTA FRINCEZi
Rua do Barao da Victo-
ria n.18, 1o andar


Enfeites para chapdos, vestidos Vara
casamento, baile, theatre, visits, etc.
etc., etc.
Vestuarios para crianeas; prepara-se
tudo na ultima moda da Europa, coq
muita perfeigdo.
Pregos muito razoaveis.. ,
18 Rua do Barao da Victoria, 18
NMile. Maria Coppnet, modista fran-
Iza, par"ciipa a suas-antigas freguezas
e ao respeitavel public que reabrio a
sua casa de modas e que se acha
promnpta para qualquer encommenda
concernente a sua arte, como vestidos
para senhora, etc. :' na rua do Mar-
quey de Olinda n. 38, terceiro andar

Caixa I conomica e M

de SoroI


ceder de 00 ana que quizer ie-
*tir n ... .1 11'1 11 '*i1
No fle de cada semester do anno civil aeao
iios Om Tenedos.
Sdepositatequ prder a res tUTa r
dermnot, deev I particlpal-o immediatameAte
io ixa, annuiciaodo 1 pa a pela gazeta de
naior 1ir4ula0ao. Pagari 2 pela nova cader-
nete quo se ibe expdir.
E' oxpressamente robhibido ao depositante
fazer emendas ou qualqiter alteraoes wo texto4
da caderneta.
0 MONTE DE SOCCORRO faz emprestimos
de quantias de 5W at6 a quo f6r convenciona-
da, sobre penhores do prata, ouro e diaman-
tes, a juros.de I por cento ao mez, sob as soe.
guintes condicoes:
I., Pagar a respective quantia cornm o premio
de 1 por canto ao mez qua se veneer durante o
prazo que'so convenccionar, que serA contado
da data da opera o.
2.a Ser vendido em leilaIo o penhor, se ven-
cido o tempo nao fOr resgatado, ou prowogado
o prazo do empreatimo.
31 Prescrever o saldo do mesmo penhor, so.
nao for procurado durante o prazo de cinco
annos, contado da data do loilIo.
4.*a Se aconteoer que o penhor se extravie
neste estabelecimento e Uao possa ser resti-
uido sao muttuario, serda o thesoureiro obriga-
do a pagal-o polo preo d a avaliavio e mais
25 por cento de indemnisagao.
0 mutuario podoeri resgatar o penhor antes
do prazo estipulado, pagando a quantia em-
prestada e os juros vencidos.
Recife, 11 dej anho de 1877.
O guard livros,-
Francisco Joaquim Pereira Pinjo.

Edueaeao de meninas
Uma famila convenientemente ha-
bilitada, encarrega-se da educaCAo d6
aeanlnas, ensinaRdo .m materials que se duo
enr.nossos ollegios.,lm niqgisterio 6 oxercidd'
pela propria family _PstAp nas condigoes
de aperfeigoar suas a- .tios principios qtie
constituem a educaqAo c6veniente A uma se-
nhora. A casa tern comumodos para exteraas e
pensionistas, que se recobern por modico pre-
Qo. Para informaQI3es: o Sr. Gustavo da SilA
Antuues, na roa do Barao da Victoria n. 46 ;
o Sr. Joao Carlos Cavalcante de Albuquerque,
na cidade da Escada; o Sr. professor Joaquim
Elias de Albuquerque Barros, em PAo d'Alho,
emr Goyanna o Sr. Frederico Augusto Velloso
da Silveira e nesta typographia.
N. 395.--Oleo puro medicinal defigado
de baealhao, de Lanman & Kemp. A
phtysica 6 uma molestia insidiosa. Uma vez
quo tenha principiado a destruiQAo dos pul-
moes, a enfermidade segue a sota marcha ra-
pidamente, e isto sem que a suspeite. Todos
os medicos confessam quo para esta molestia
tudo 6 inutil, except o oleo de flgado de ba-
calhio. A difficuldade, por6m, s6 est{ e.m se
obter o artigo puro. A adulteraglo 6 quasi
qu6 universal; por6m os que se deixam en-
ganar, devem p6r a eulpa em si mesmos, pois
que bemrn sabido 6, que neste mercado o oleo
puro medicinal de figado de baealhaio, de Lan-
man & Kemp, tant6 o brane come o preto,
6 extrahido do figado de peixe fresco, e & em
lodos os sentidos o typo mais finodeste admi-
ravel pulmonico, o qual em ueruaum outro paiz
se p6de conseguir. NeDhum risco se corre,
quando a safide seoacha em perigo, previsto
*que se tenha A mao am remedio conhecido da
maioi excellencia. Este 6 o grande antidote
para todas as molestias dos pulmoeo e da gar-
&aLanpara as aZec0iSe4 9WRtdo e das es-
*inAh Assim o afftiipr entebames de
medics e idntterars 'eefte, .

COIIrcIO


Junta dos corretores
PRACA DO RECIFE, 11 DE OUTUBRO DE 1877
AS tres horas da tarde
cotag5es otliciaes
Aceao da companhia de fiaAo e tecidos de
Pernambuco, do valor de- 1:000#, por
600# cads unia.
AlgodZio do sertao 1" sort, 76100 por 15 kilos,
hontem.'
Dito de dito median, 66100 por 15 kilos, hon-
tem.
Dito do dito 2 sorte, 56100 por 15 kilos, hon-
tern.
Algodao de Penedo, senam inspecAo, 6$200 por
15 kilos, hontem.
Caf6 do Rio de Janeiro, 8j800 por 15 kilos.
Farinha de mandioca, do Aracajd, 65800 por
80 litres.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 25 d., e banca-
rio 24 3/4 e 94 7/8 d. prw 1$000.
Dito sobre dito, 90 d/v. 24 7/8 d. por 1I000,
hontem.
Dito sobre dito, vista, 24 -/2 d. por 15000,
bancarioe
Gambio sore: Paris, 90 d/v, 3a38 m.. e
S bancaflb 86 rw o e5ftus
Dito sobre dito, vistl 390' r. o franco, ban-
cario, h;aeftmie hfe.
Cambio isobre LiUsboai, 3 d/v. 1H5 0/0 de pre-
mie, bacario, hbontem e hoje.
Cambio sore o PprtO, 3 d/v, 116 0/0 de premio,
.fancario.
Descontb de letras, 9 eq12 0/0 ad anno.
W."dfftlo do VWcencellos,
President.
J. LeaI-Reis,
Secretario.
ALFANDEGA
Readimento do dia I a 10 342:8776872
Idem do di 11'. 34:327#777
** 377,2055649


Descarre am hoje 12 de outubro de 1877
Vapor nacional4Btaganpa, (esperado) generous
nacionaes e encommendas para o tra-
.piohe Companhia.
Barca mingleza Glentilt, ferragens despaehadas
para o 50 pontos,
Lugar ingtezxora, (&.raca ie-,.itoM AOspa-
Schado em transitq 1po trapiohe Con-
eeivao.
Brigue portuguez Dantiao, vinho para deposits
no trapiche Cunha. ,
Brigue ailemao Treiheit, madeira despachada
para o 5o ponto.
Brigue sueco Esmeralda, feno despachadc
para o 5o ponto.
Polaca hespanhola Cqnegucyana, madeira des-
pachada para o 50 ponto.
Patacho allenuig A ,Wt, Sgvw s nacionaes para
a terra.


DESPACHOS DR EXV)RTAQAO NO DIA 10 DE
SOUTUBRO DE 1877
SPortos do exterior
Na sumac.tespanhlola Joven Maria, carre-
garam : p ara 4rcellona, J. S. Loyo & Filho
236 saccas comnQ, ,kilos de algodao.
No patacho am*no M. R, Cusa, ccamrega-
ram: para New-York, H. Forster.& C. 2,720
couros salgados corn 32,44 kilos.
Portos do interior
No vapor .aional S. Salvador, crregaram:
para M 4a .liJta iria.a'& .CI barrli


corn G(
!No v*


Afbe; carregaramt:
C. t00 paccos corn
igaram: para Gua-
ibw, f6tih'703 kilos
68 qom 8,000 '11105
A*-bhIt14^f, tO~fltt


9,354
SERVIgO MARITIME
Alfarengas descarregades aos trapichees
da alfondega


No iia I a lIt
Nc dia 11


NAVIOS
No dia I alO
No dia 11


4
2


ATRACADOS


Segura contra o rsco do fogo, casa (
outros edificios, fazendas, generous c
rmercadorias de today a especie.
C Capital 16,000:01004000
AGENTES .
B iOWN to SON- & C
!3-1 Buado Marquez de6Oltnda'31


BOEUREHNUt"40PORTO
Navio entradO no dia t1
Terra,*Nova--47 dias, escuna ingleza
Bianca, de* 188 toneladas, capitio P.
Pongel, equipagem 8,'carga baca-
lAho; a"Saunders Brathers & C.
N4;t sado no mesmo dias
Terra-Nova-- Escuaa infleza .Dahlia,
capitaoA. Sltewart, em lastro.


I xy-


-RECEBEDORIA DE RENDAS INTER
NAS GERAES DE PERNAMBUCO
Rendimelto do d.0 1 a 10 13:674594
Idem'-dodia11 1,149#M68
44:826(5562

CONSULADO PROVINCIAL
Rena:mjnto do dia 1 a 40 42:7676790
dem do'dia 11 5:832891
48:60001



mmsmlt

A companhia de se-

guros Indemmnsdora, es-

tabelecida netk prama,

toma seguros laritimos

e contra o fogo, a rua do

Vigario n. 2, casa corn

frente para a Praca do

Corpo Santo.

SEGURO0S


Maritimos e contra fogo
Complfia Peltx Per-
na, bucana
Rua do. Commercio n. 34

Cbmpanhia de seguros
terretres emaritimos
Phdeli de
Estabelecida emLisb6a em
1.835
Toma sesuresO & premiosmodicos:
rERRESTRES detoda a espeeie, contra os ris-
cos de fogo ou suas oonsequencias
SARITIMOS sobre mercadorias importa das
exportadas em vapores e navios A vola.
Nos seguros terrestres faz a concesslo gru
nuita do premio do setimo anno aos segura-
dos que durante seis annds oonsecutivos fze-
rem seus seguros nesta companhia.
Agente nesta cidade Miguel Jose Alves, &
rua do Born Jesus, outr'ora da Cruz, n. 7, le
andar.

Saques
Augusto F. de Oliveira A C. sacanm
por todos os vapores sobre o Banco
de Portugal e Banco Umao em Lisb6a
e Porto, e sobre as cakas filiaes e
agencies dos mesmoa bacews em tdas
as cidades e poamesaaso 4& reino de
Portugal. _

Seguro contra logo
The Liverpool -& London &
"Globe
insurrance Compjny
AGENTES
SauudersBotert
ll--Coipo Sarte0 -4





Com)anhia seguroE

EST:' 1803


Q desembargador Francisco de Assis
SOliveira Maciel, official da imperial
Sordem da Rosa e juiz de orphafs da
-, cidade do Recife de Pernambuco e
. setrtermo, por Sua Magestade o Im-
perador, a quem Deus guard, etc.
Fao saber aos que o present edital
virem e o le noticia tiverem, que por
oso j -e6pois daadidteocia do dia
25 do' coe' na respective sa, vai
a piraa 1-venda, para ser aremata-
do pm mais der, o gitio denomi-
nado trada nova" dQ Ca-
vivenda, dom 31
P [fiats, de fuado, olaria,
catbl* # s aib Ca>pibribe, baixa
para ca a;les arIvoredos de
ructo 400pa!tmos del
ffente b futo e 800do
palrhaoo gp ro 'iOo
conto~t basee para


E
Thot


0imento de
ii Lans Ju-
ens deixados
Q.lara Gaval-


.i diaored 60," 0 "-de
17furdenae coittw Ril do
ci c reak*ivo oea d 18
1876, deotlr'a o ditos oeveirs- que
lhas f dca mvcado o pw deo 30 diaso t
c0f r d p 'art. 53 da uri n. 891,
a conta srguIicaziwa cifte, pra re-
odhe I ota"4iae sm.3 debitos
ao the.04 porindce rwtoe do que
'find* a Ikll procederd a
wobran4 fdZ Mente
Rcife, e.ri9 ibd deO 8.1877.-Mi-
guelJosd de Almeida Pernambuco.
Relacao dos devedors do imrposto de
-.60 rdis.por litro de aguardente consu-
mida nas freguezias da cidade do Re-
cife, no exiarcici de 1875 a 1876.
Rua da Victoria n. 2. Francis-'
co Pereira de Menezes 365000
Pescadores n. 43. Francisco
d3arbosa da Silveira 30600
Gmiperial ir. 102. Firnineo do
R6go Barros 248000
Dita n. 173. Ferreira Leal&C. 368000
Ditan. 225. Francisco Burges
daSilva 361000
Gervazio Pire'; n. 54. Figuei-
redo & Almeida i 668000
Hospital Pedro 1H. n. 1. Flo-
rinaa Germana d'Almeida
Amaral .-10000
Luiz do Rego n. 40 E. France-
lina Maria dos Santos 128000
Ventura n. 1. Francisco de
Paula Lima 548000
Hora n. 20. Francisco Anto-
nio de Magalhfies 240000
Campina Grande. Francisco
Jose de Sant'Anna 98000
S. Lourengo Francisco Luiz
Quaresma 158000
Estrada Nova. Francisco Mon-
teiro Borges 128000
Marquez do Herval n. 73. Gui- -
mardes & Ribeiro 278000
'adeia Nova n. 15. 0 rnes-
mo 408500
S. Jo.o n. 5. Gaspar da Costa 66000
Socegon. 21. G.ervazio P. Si-
m5es Filhos 965000
Largo de Santo Amnaro n. 6.
Guilherme Francisco deCar-


* Perante a cainara municipal deste
cidade, estara novaimente em hasta pu-
blica, nos dias 1 e 18 dob*orrente,
paraser.arremdatao por tempo Ae unm
anno por quem mais oflerecer, o im-
posto de capim de plant pela quantia
de 4001000.
Os pretendentes deverio comparecer
nos indicados dias, habilitados, na f6r-
ma da lei.
Paqo da carmara municipal de Olin-
da, 5 de outubro de 1877.-Bardo da
Tacarun., presidente.-Marcolino Dias
de Ar'aujo, seeretario.
Edital n. 358.-Por esta secreta-
ria e de ordem do inspector geral da
instrucgao public, fat-se saber ao pro-
fessor JoAo Valentim do Amartl, que
em virtudQ de autorisasio do pesi-
dente da provincia, de S do corrente,
fica rescindido o contrato mediante e
qual o mesmo professor regia a cadeira
publica de ensino primario de Game!-
leira de Buique, visto ter-se verificado
a seu respeito a hypotbese do art. 119
1.0 do Regulamnento de 27 de novem-
bro de '874.-Secretaria da instrucao
public de Pernambuco, 10 de outubro
de 1877.-0O secretario, Joaquim Perei-
ra da Silva Guimarae.
0 coronel Decio d'Aquino Fonseca, offi-
cial da imperial ordem da Rosa, por
S. M. o Imperador, juiz; de paz em
exercicio da freguezia da Boa-Vista
da cidade do Recife, president da
junta parochial, em virtude da lej, etc.
Faz saber aos que o present edital
lerem, que nao se tendo podido reu-
nir &junta parochial no dial.o de agos-
to do corrente anno, se reunirai a mes-
ma junta no dia 10 de novembro pro-
ximo future, 'para proceder ao alista-
mnento dos cidadaos da parochia para
o servigo do exercito e armada, nas
condigdes do art. 9 1 o do regula-
mento approvado pelo decreto n. 5,881
de 27 de fevereiro de 1875, devendo es-
sa reunido se telebrar no consistorio
da matrix, em 10 dias consecutivos des-
de 9 horas da manba asll3 df tarde. Con-
voca pois todos os interessados a com-
parecerem nesse lugar, dias e horas,
pars apresentarem todw os esclareci-
mentos e reclamagdes a bern de seus
direitos, atim de que a junta possa
bern orientada ficear da verdade, e ha-
bilitada a fazer as declarag6es, e dar
as informagdes precisas, e esclarecer o
juizo da junta revisora, que tern de
apurar esse alistamento. E para conhe-
cimento de todos, mrandei lavrar o pre-
senae edital, que sera affixado na porta
da matriz e publicado pela imprensa,
e qua vai per mim feito e rubricado
pelo juiz de paz. E, eu Alvaro Paulo
Noblato, secretario da junta parochial,
subscreve, Alvare- Paulo Noblato.-
Freguezia da B6a-Vista, em 10 de outu-
bro de 1877.--CDeco d'Aquino Fon-
seea.
ODr. Jose Hygino Duarte Perebra, uiz
substitute da primeira vara civel des-
ta cidade do Recife e seu termo,
provincia de Pernambuco, por Sua
Magestade o Imperador, que Deus
guard, etc.
Faco saber aos que o present virem,
quo no dia 6( da novemyo do ceorrente
anno, lindoe ieejam0os dias da lei,
e em tres pit^&deste juizo, tern de
gr arrematado llB pi'aa public des-
te mesnmo l,' im penhorado ao
Visconde deSutna e sua mulher,
por execucag 4luo ihes movemni Manoel
Pires Ferreira e outr0 o qual bern d
o seguinte:
tima basa tedrea, sob n. 14, na es-
traaia do Pombal, t[ tijolo e cal, edifi-


poso
Ponte Velha n. 43. Joao Pe-
reira Rodrigues Lima
Dita n. 8"2. Juvenal deMat-
tos Freire
Conde da Boa Vista n. 107.
Joao Francisco Henrique
Dita n. 119. Josd Antonio Viei-
ra Barcelins
Socego n. 70. Joio Francisco
Lopes -.
Dita n. 49, Joaquim Jose da
- CQsta
Principe I. 28 A. Josd Correia
de 1rito
Coelhos n. 12. Josd Raymundo
de Mello
Lima n. 10. Josd Jacintho de
Carvalho .
Passagem n. 5. Joao Ignacio
de Mores
Luiz d o ,ego ni',t Jose Cus-
todiodos SantisA
Balxa Verde nu 12. Joaquim
Ferreira de Mattos
Pontede Ucha n. 20. Joao
SEugenio dalrindade


1o Ramos


18000
48?000

728t100

2146000

31 920

128000
485000
36$000

51$000
72S000

608000
78500O

60#000

102$000

30$000

60#000
308000

608000

48$000
608000

72$OOC

605000X

6800(
72$00(
4800(
488000

24$000

4800(

12800(

30$000

48$00(

30$o00


De ordem do Ullm. Sr. engenbeiro
chefe iterinteo da repartiiao das aras'
pablicas, fato pubito a quem iniees-
sar possa, que, em virtude da ordem
do Exmin. Sr,. president da provimeia,
vai t praqa perante esta repartido, no
dia 20 do corrente, ao meio dia, a obra
de embarreamento dos diversos areiaes
da estrada do norte, no lugar denomi-
nado (hli da Mangabeira, na impor-
tancia de 1:257$490. 0 orgamente e as
cendio5es do contrato acham-se nesta
secretaria para serem examinados pelos
pretendentes.
Secretariat das obras publieas, 1 de
outubro de 1877.-0 ofhcik1, Joao Ton-
quim de Siqueira Vareido.
Estrada de ferro do Recife a Ca-
xanga.
A pedido de muitos passageiros, o
trem que, segundo a nova tabella, de-
via sahir das officinas as 5 horas e 30
minutes da manhni, sahira' do Recife a
essa hora, inio pela linha principal atW
Apipucos, onde deve chogar as 0. e 15
e d'ahi voltar ts 6 e 20,' estando no Re-
cife is 7 e 10, pela masma linha; o
trem que ddvria sahir do Recife As 6 e
l0 da manhi, sahiri is 6 e 35; ectiega-
ri ao Caxangd as 7 e 35 ; e o que devia
partir do Caxanga its 5 e 45 sahiria as 6
e 30 pelo Arraial, devendo chegar ao
Recife as 7 e 28.
Estes trens substituem os tres pri-
meiros da tabella, que fcleam suppri-
midos.
Escripturario da companihia, 10 de
outubro de 1877.
F. E. Fenn,
Gerente.
Pela recebedoria de rendas in-
ternas geraes se faz public que e nes-
te mez de outubro que tern de ser pa-
go, livre de multa, o primeiro semes-
tre dob exercicio corrente do 1877- Z8,
relative ao imposto sobre industries e
profissoes, depois do que sel-o-ha coin
a multa de 6 por cento.
Recebedoria de Pernambuco, 4 de
outubro de 1877.
0 administrator,
Manoel Carneiro de Souza Lacerda.
Santa casa da misericordia do
Recife
Por esta secretaria se faz constar quo o IhIm.
Sr. thesoureiro, no salao da camitia expos-
tos, no dia 45 do corrente, pelas 9 horas da
manha, fard pagamento das mensalidades ven-
cidas de julho a setembro findo, As aras que
se apresentarem corn as crianas. quelhes
foram confiadas.
Secretaria da santa casa da milsericordia do
Recife, 8 de outubro de 1877.
0 escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza
Consulado de Portugal em
Pernambuco
Por este coniulado se faz public
para conhecimento de todos os subdi-
tos portuguezes, ou naturalisados por-
tuguezes, residents nesta cidad, quoe,
em virtude do decreto de 6 de junho
proximo passado, tern de prooeder-se
ao j'ecenseamento geral da pop ulaao
existente no Reino, no dia 31 de de-
zembro do corrente anno, e come com-
plemento deste recenseamento, houve
sua magestade el-rei, por hem ordenar,
em portaria expedida a este consulado,
pela reparticao de estatistica do minis-
terio de obras publieas, commnereio e
industrial, quo se proceda tambem ao
recenseamento ki populaioa portugue-
za residents no districto deste consula-
do ; e em virtude desta ordem. convi-
do a todos os portuguezes, ou natura-
lisados portuguezes, resideptes no dis-
tricto deste consulado, no dia 31 de de.
zembro do corrente anno, a'remette-


remin a este consulado, por escripto, in-
Sformacoes que conteonim os nomes,
idades, estados, profiss6es suas e de
cada pessoa portugueza de suas fami-
lias, corn a declaragio dos qne, em ca-
da lugar teem residencia habitual ou
nelle est.o momeataneamnente de pas-
Ssagem ; ou dirigirem-se pessoalmente
Sa este consulado para daremn estas in-
Sformagces vocalmeote.
Recife, 27 de setembro de 1877.
) 0 consul,
C. de A. Guimardas.
) Institute Archeolegico e Geo-
graphico Pernambucano
) Haverit sessao ordinaria no dia quin-
ta-feira, 11 do corrente, pelas 11 horas
) da .mantrdai.-Ordem do dia.-Pareee-
res de-commissoes.e-o maise qua occor-
rer. Secretaria-do)itituto, 8 de ou-
) tubro de 1877..-Ors etario perpetao,
Salvador Ieriq buquerqt.


)


30800O

15000
42$0.:

66S000
305000
18000
48800O

548000
24#000

18$000

188000

42$000
wbol0


Obras puiloas
De ordem do Him. Sr. engenheiro
chefe da repaitigdo das obras publi-
es.; fago public que nos dias 8, 9 e 10
do corrente, fica interrompido o tran-
sito de vehiculos e animaes pela ponte
da Ticaruna, em consequenciada col-
loeaodo do novo lastro.
Secrelaria da repartiAo das obras
publicas, 3 de outubro de'1877.
Jodo Joaquim de Siqueira Varejoo.
Estrada de ferro do Recife o
CaxangA
Do dia 15 do corrente por diante a arga
para as estagSes de Caminho-iSovo, S.4os6,
Torre, Ponte de Uch6a, Jaqueira, I
rim, Sant'Anna, Casa-Forte, Porta gua,
Dous Irmaos e Pedg-Molle, s6,sera despacha-
da havendo pessoa quo a acompanhj; ou
quando houver na estago do destine quemr a
receber immediatamente que chegar 9 trem;
o que deve ser declart.do' na occasiAo do des-
pacho. q
No caso de falta da pessoa que deve rece
ber a ?arga, esta seiguica para aslaW jaA
proxiMa, onde" hofiver ,,teipq ,& a
guard. :
Escriptorio da comit&nhlia, 8 d4
1877.-O gerente,
....... F. R-. V
Junta commercial
Mlta secretariat ia t4 0


cada 6m so lq rprio, corn port e ja-
nella, quintal *Ui6ef4O, e mede 9 me-
tros [10 centirmetros de fmido e 3 me-
tros de frente. avaliada pela.quantia de
de 450$.
E pars que chegue ao conhecimento
de todos, mandei ppapr 6 prueente que
sera affixado n Q gaLr0o costume e
a WAdo pela imnprema ; servindo de
bae pard a ar-remataao 'o preqo da
avaliagA para quemu mais der e maior
taco dfferecer.
Dado e passado nesta cidade do Re-
cife e seu termo, frovincia de Pernam-'
buco, aos 5 dias do mez de outubro de
"t877. ...
aubser"V e a.iigro, el, escrivdo,
Thomaz Ferreira Maciel Pinbleirq.
*__ ^ :Duartee ?cia.


valho
Padre Nobrega D. 70. Henri-
que Rodrigues Ferreira
Vital de Negreiros n. 30. Hen-
rique da Silva Moreira
Imperial n. 298. Herculano
Ramos da Motta
Sol. Henrique Pereira da Sil-
va
Estrada parao Engenho. Ilde-
fonso dos Reis Gomes
Vigario Tenorio n. 14. Julio
Ferreira & C.
Amorim n. 1. Josd Ricardo da
Costa
Domingos Jose Martins n. 80.
Jose da Costa Caseiro
Bardo do Triumpho n. o5.
Joao Beniguo & C.
Estreita do Rozarlo n. 19. Jose
Alves Dias
Visconde de Inhauma n. 1.
Josd Tavares de Gonveia
Dita n. 73. Jose Romaeo de
Azevedo Campos
Dita n. 75. Joaquim Femrnan-
des Lins
Marcilio Dias ns. 19 e 21. Jose
Ricardo de Farias
Coronel Suassuna n. 41. Joao
de Deus
Marquez do Herval n. 96. Jose
Rodrigues da Silva d C.
Dita-n. 160. Jastino Pereira
Ramos
Dita n. 141. Joo Antonio da
Silva Oiveira -
Trave do Pocinho n. 31.
Jr quim Samarco
D[ irdoso n. 94. Joaquim
SAntonio de Oliveira
Yital de Negreiros n. 66. Jo.o
SJose de Carvalho
SAssumpgo n.8. Joaquim Luiz
da Silva
Santa Rita n.*-50. Joao Lopes
Pereira Jtbi
Dita n. I. Jose Antonio. Bar-
bose
Largo Jo Mercado n. 4. Joao
Baptista de. Carvalho
Dita n. 21. Jose Antonio de
Siqueira
Travessa de S. Joo n. 22.
Josd Joaquim Soares
Imperial n. 58. Jose Gomes
Alves
SDita n. 307. Josd Alves de Mi-
rania Castello Branco
SVisconde de .Albuqieatike n.
S54. Josd6 Crpifteire da Sil-
s va
Ditan. 68. Josd Oreira Ra.



















de Jo-


i-" ~Mi ik&W J.o .l m e tm om-'
,0 .m.. erciom em gro58o e a
: v_atos, .poroeanas a orys
., A rua do Barao 4a Viotoria n.
S% 8atso"m.d4 Cooa Pereira 1 C., sendo o
Q+,:: capitals de2l:OOO9St .
L'e Jsl 14J0 Gomaes -Teixe-ira, Domingos
edes is S0uza.Machado u Joaquim Pinm de
*. ~ab~ sob a arma do primeiro & C., para
;6 i"m em generous de'estiva nacionaes e
e angeiro, a retalho, no estabelecioento
- sito A rua da Penha n. S, corn o capital de
2 :7665,
D IP' Cypriano da Costa Alineida o Manoel Pi-
nheiro de Moraes, sob a firma de Almeida &
Miraes, para a compra e venla Ae generous
seceos e uiolbados, nacionaes e-e.trangeiros,
*; aota ciiade,'-com o capital de 2:0005.
6", Antonio Ignacio do Rlego Medeiros, Fran-
S cy Ignac Q de Oliveira c Jose da Assumpe.o
Q* Wiveira, associados sob a flrnna 0a Oliveira
, i AlBos & C., para ci-ntinuagao da sociedade j.
SexisLtente, cnjo tim serA o mesmo anterior,
Sista 6, a compra e vonila de generous nacionaes
,e estrangeiros, commnissoes e descontos de
letras, corn o capital de 300:000S, fornecidus
em parties iguacs.


Distratos
De Jos6 Francisco Martins & C., de cuja fir-
ma tambemn fez parole Custodio Francisco Mar-
tins, retirando-se esLe livre de todIa a respon-
sabilidade social e corn o saldo do 63:349jl122.,
e aqulle encacregado da liquidaetio di socie-
dade.
De Rodrigues & Martins, firma que foi com-
posto de Antonio ilonri'fle Rodriaies e Cts
studio Francisco Martins, dissoivida por mutuo
accord, ficando o socio Martins corna o est;a-
belecimento c o outro re-ira-se sese responsa-
hilidade algrnini. corn o sallto do 85:083,$936.
Matricula
Manoul J )s,'. Corweii, cidadiio pjorLuguez, tic
40 annos dte ilado, domiciliadlo o eslaLelec'do
Loln sua casa de commencio do e tazendlas d I'la
Durque de C;i.\i:is n. 71, solb a lirnma de Moin-
telif & Correiar, foi aduittido d nm:tricula de
vMi-ta 0
,',*>!iu;n-i.--:anlt[ e tua (':tt.li exp~i^'!t.

Do Aintonio Porcnir a l tCuiinha, niegoci rite dI'
cigarros, estabelecido neiiLa pru-a, irepresen-
tU. ndo dita marca o sol, cornm diversos iiomes
esc.'iptos, e corn a deiiominaiu de tahrlict
Apollo coin tinta encarnnada e papel' branch,
sendo antLerrjmeiilt' ii :-SL re.-is.rado cotice-
didii a baixa do ieina utiLia marca do inOeswiO
-negociante, jA re-isLr-ad-.
EscripLura antenupcial
De loaquim IDias da Silva Guimar;'ies c D.
Umbelina Cecilia dits Np'ee, para se recebe-
rein em malrimonio sob as condines se-
guintes :
VI' que nao haver- communhao de bens en-
tre elles. quer dos que ura possuem, quer dos
que venham adqririr na constancia do matri-
monio.
2' que sAo hordeires da nubente o' seu fi-
liros do 10 consorcio e os que pur ventura hiou-
ver do que vai contrahir, o do nubente, estes
somente, ficando todavia a qualquer dos pac-
tuantes o direito salvo de dispor de sua teri'a,
conforne a legislah'o emn "vior.
3m que em caso alguin os bens de cada um
do'- pactuantes serao obri-ados pelos compro-
missos do outro, quer anteriores quer poste-
riores ao casamento.
Secretafia da junta commercial da
cidade do Recife, 9 de outumbro de
1877.
0 secretario,
Julio Gaimardes.


Companhia dos trilhos urbanos
do Recipe a Olinda e Beberibe
Per ordem do president da assem-
blda geral sao convidados todos os se-
nhores accionistas para se reunirem em
assembled geral no dia 18 do corrente,
ao meio dia, no lugardo costume, afirnm
de assistir ao relatorio da directoria,
nos terms do art. 12 dos estatutos.
Recife, 10 de outubro de -1877.
0 secretario.
A. Gama.

Consulado dePortugal
Sao chamados os credores do espolio
do subdito portuguaez Jose Joaquim Ri-
beiro Vianna a apresentar as suas con-
tas, devidamente justificadas, dentrodo
prazo de quatro dias, a contiar -desta
data.
Recife, 11 de outubro do 1877.




A compatihia ferrea de Olinda, com-
pra sulipas de oitysica corn as dimensbes
seguintes :-comprimento 9 palmos,-
largura 9 pollegadas, e grossura 4 polle-
-adas.-O gerente,. L. J. de Miranda.-
The New London Brasilian
Bank limited
Rua do Gommercio n. 32
Saca por todos os vapors sobre as
caixa do mesmo banco em Portugal,
sendo :
Em Lisb6a, rua dos Capellist. n.
NQ Porto, rtnados Inglezes. 73.


MARIITIBOS
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegagdo costeira por vapor
Portos do inoirte
Furnando de Noronha
0 vapor Giquid.
conimandanLe Costa,
seguira para o port
acima, no dia 15 de
ou"ubro, ao meio lia.
Recebe carga at( o dia 8 ; encommendas,
passages e dinheiro a frete, atW as 3 horas da
tarde do dia da sahida : escriptorio na
Rua da Companhia Pernambu-
cana n. 19. a


Os srahbrf s an egad oores oras n
bown 0)4) sri~toriQS da s, Ubia declat0
os vo quoes qi pvteidemB8 ar:, afti e
^r resolvrtemrl4tiWameut vias no
e hora amima irfdieados. I. ..
Escrlptorlio--J dsa. A!kbURM PBr-

CHABAGJM 'heuWM% S
JOMPANIItA FIANCEZA tME AVE3AGAO A
VAPOli
Linha' mMeftr 'ntre o
tfare, Lwsboa, Permambauco, Bahia, Rio de
Janeiro e Santos
STEAMER
Ville -de Rio d'e Janeiro
Commarulante A. Fleury
E' esperado da Eu-
ropa atd.o dia42do
corrente, seguindo
-depoisda demoratin-
dispensavel pare os
portos do sulde sua escala'acimna refe-
ridos.
Roga-se aos Srs. imporlAdorc.. de carga, pe.
los vapores desta linha, queiram apresenlar,
dentro de 6 dial, aconitar do da descarga das
alvaren-as, qualquer reclaintao coimiceriente
a volumes q(uo por venture a Leniimmin seguido
paa os porlos ido suli, aflin lie se podeler dar a
tempo as provideiinia iiecoss-irias.
Expirado o.referido prazo, ia omiiiilhia nAo.
se rosponsabilisa por exliraivi.-s.
Pl'aa arga. encommneilas, pissa.,-iros, tra-
la-se corn os
CONSIGNATAIIOS
Augusto F. de Oliveira & C.
*2?-Rua (to Comme,'lio-4?
Entrada pela- na do Torres
Lompanhia Brasileira
DE
Navegago a vapor
PORTS DO NOFRTE
PORTOS 1)DO SL;L
0 paquete a vapor
Ceara
(i),nminiLdiite A lcoforaJo
SE' esperado dos por-
//".^" ltos tdi iorle aLt o dia
j /15 de outubro e depois
da demora do costume
Sseguira para os do sul,
inclusive o de SaUtos.
PORTOS DO NORTE
0 PAQUETE A VAPOR
Bahia
Conmnaidamite o primeiro-teineiinte G.
Waddington.
Espera-se dos por-
tlos do sul ate o dia
) 22 do correnl.e e de-
pois da (lemora do cos-
-tume. seguir, para os
portos do aiorte.
Para carga, encomnmendas, valores e passa-
gens, trata-se nia agencia, escriptorio do com-
missOes de
Bernardino Pontual
S12 -Rna do Born. Jesus-161
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navega9ao costeira por vapor
Parahyba, Natal, Macho, Mossor6 Ara-
caty, Ceara, Acarac c Amrarrac.,
no Piauhy .'
n iuy vapor JaguaribW,
Scommandante Julio, se-
guirA para o port aci-,'
ma no dia-15 do corren4
-.to, A~s 5 horas da tar-
'~- '" de.
Recebe car',a atd 13 ; encommendas, pas-
sagens e dinheiro a frete ate as 3 horas da'
taade do dia da sahida : escriptorio do
Forte do Mattos n. 12.

Companhia de navegacao a va-
por Bahiana, limitada
Aracaju, Estancia e Bahia
0 vapor
Bragan a
A^^^ tlB^[iZ l Penedoa 1JIor para
!''.os referidtIgIos no
--l~l dia 14 do corrente,, ao
'" =: -meio dia.


Macei6, Penedo, Aracaj 6,
Bahia
0 vapor
PenIo


Estancia t


Commandante Peres
E' esperado dos
rportos acima ate o
Sdia 15 do corrente
e seguirA para os
mesmos depois da


demora do costume.
Para passagens, carga, encommendas e
aheiro a free : trata-se na
Agencia
7-Rua do Vigario-7
Domlngos Alves Matheus


Royal Mail Steam Packet

Company
Grande reduucgio nos prepos das pas-
Ssagens
0 PAQuJETE A VAPOR

IIN II i4


Gonmandante Compton
Tocando em Vigo
SEspera-se dos por-
tos do sul no dia 14 do
corrente, o qual depois
da denoraado costume,
soguirn para Autuer-
pia, Southampton, to-
cando nos portos do S. Vicente, Vigo e Lis-
b6a.
Temn dous vapores por mez, desta compa-
nhia, tanto para o sul, corno para, Europa.
As chegadas e sahidas sao as seguintes
Da E-iropa
I!c Southlan fl.ton nos dias 9 e '21 de oa mel.
De LisbOa nos dias 13 e 28 do cada mez.
De Pernambuco nos dias 10 e )5 de cada nmo
Do sul
De Buenos-Ayres nos dias 1 e -15 de-cada mez.
De Montevideo nos dies 2 e 16 de cada mez.
Do Rio de Janeiro nos dis 9 e 24 de cgda mez.
Da Bahia nos dias 12 e Ift#e cada mez.
-De Pernambuco nos diae 14 e 29 de cada mez.-
PREQO DAS PASSAGE.NS
CLASSES
1.' 2.' 3.
Para Lisboa e Vtgo. ,' z 20'5 o 45 9
'- Southampton ',. 30-35 2Q i3-
- .251 155
- Rio do Janeiro. ." 0 -t
-Montevid6eo. 76.
--Bueno l Ayms .; -. i "*'*' ; -


. .,-. ""A .


POB INTERY jN O DO-
ACftlNiZ. fcNTO
Na rua ia.. 65 .
PrincipiarMi as )10 !gAp.&
-LEt/A @ .
.J l_ .PL :., f
uma casa ferrea d0 tijlo c cal, corn
S2 .alase 31jnellas de frente, 2'por-
tes aos lados, coro g ande quintal,
umn pequeno siUo, coin cerca de 198
. pallhos de.ftente e 191 de fundo
(Chaos proprios)
Na estrada da estalo da Casa Forte para a
matriz da freguezia do Po(;o da Panella ; a
qual casp se torna recommendada por er
muito fresca, A beira da estrada, corn os oi-
toes livres, e perto da estoao da linha
ferrea -
TERA-FEMERA' 10 DF. OUTUBRO
a I bora da tArdip'
POR INTfERVEM*OO DO' "KATE
PITO 1.
Na rua Nova n'. 65 ',
Por occasiAo do eiHAd dd generous, "CCAO
e mais utensilies do armazem de m oedos,
os quaes generos serlo vendidos em as, A
vontade dos compradores.
0 a-genie Burhlnmaq.

IMPORTANT LEILL
,Nos dias 22, 23 e.-24 do correntI
S-. A's 11 homas .-i
Sflegro emprego "de capi
O agenle aeiJi, porT mndado do Ilt'Sr.
Dr. juiz de di'relto substitute reoiproed do
comunercio, venderi nos dias acitma 24c'6Bas
terreas, urn born sitio e Lree ternenos prDos
pan ediftcacAn, sendo as' caias de tijol ?m
solo proprio, emr ruas de .p nmercio, ait &'4as
qqis today por pre os- qfued o resd o do
d& 10 Oj'. mis Ou menos, tudo ema Mamangna-
pe, 0rovincia da Parahyba, jnais 6 casaso i
tLrreDr ma vila-dadlndepmte&udtei. nte n ma
provincia. Se venderA :'ait 4J:700057ryem
dividas; Derte..e rlc tLsdq-.7f.remanescente
da mussa faUtlda deo trlu.'vred.-&
0 catalog de iwiec .lvsr.t a-
raoes poderAo Os q m eW4o pitA- ar
emo ais-ruas do Bom 9 do Baa
Victoria n. 18 e Ifnm- .. t
0 leilo. i0, i

'"..a rua .'-.^ i X .O.L.


~~q u erft n eI
al paraco quo
0ICUen-ioseolugar do
eeir posiv a tratar na .hesouraria
u1.s I '
PROO e- de urma- perreile cozmheira :
na saboMfdo Recite. ,


| i', u


S MEIISILLL


1I' -g e P111611wl -



.. .duzia. bopos tIos 'do. vidf, 7 ditfti
de oalio.;, moAbiWi de jacaraodl, gliardas-
!vua, Q avp. rdores., campus fancezas, mar-
quezoes farkos e estreitos, do'mnmodas, meias
ditas, consoles, sofas- cadeiras, mesas elasti-
cas, carteiras, lavatArios corn ltahpo depe-
dra, cabides, quadros. relogios do patede,
diLos-d ouro, ditos de prata, figures, frnuctei-
rag' de electro-plate, perta-cartOes, de dito,
porla-colheres -de dito; salvas do dito, porta
essencias de dito, paliteiros de ditouicopos de
dito e muitbsoutros objects que estaraia p6-
tentes no acto doleil'u, para serem exami-
nados.
Hoje
u tft horas em n'"
No arnazem de agencia de leiloei, d
ruado.Vigario Thenorio u. 12
ao correr do nartoeup
POR INTERVENGQO 'DO AGENT
PESTANA

LEILAO0
DE
Um registro e 2 candieiros de o g., carros.
de mto corn rodas, ditog sen, rzidastelhas
tijolos tie alvenaria batidi. bai.oles de
amarello, ripas,-pceas de cordas, enxames
de lourno, costados de sicopira, varas para'
can6as, taboas, solipas. unia porcao de qui-
ris, 1 jarira e 3 espeques
Hoje
A'S 11 !tORAS
No armiazenm de mnateriaes da ( ria do
MaNjuez do Herval i. 25
Agente Pestana
LEILAQO
DE
urn cavallo rudado. :iatlacado, .nuito
novo, andando b:iixo muito bern
Hoje -
12 do corrente
as 12 horas em onto
No arnazem de agencia de leil6es, d
-rua do Vigario Thenorio n. 12
POR INTERVENE AO DO AGENT
PESTANA

LEILAO
Em continuagao
Hoje
as 10 horas
0 agent Gusminlo continfa oloilao de ma-
cliinas de costura e miudezas existentes no
armazem da rua do Bargo da Victoria n. 28.
Pelo 0agente Martins.-

LEILAO
DE
3 casas terreas na travessa da Paz, fre-
guezia de Afqgados, de ns. 38, 40 e
42
SABITADO i3- DO CORRENTE'
A'S i HOIQASq'
No armazem da rua do-Impera-
db: Slr n. I8
O agent Malrtina- fora leilo dn cyrs,adt-
ma, edificadas em terreno propri. .
O agent data informatfes. ; Vr
LEILAO
IPA
arma~ao, balcao, candieiros a gaz, ba-
Ian~as, pesos, mesas, generous e mais
accessories da casa de moihados da
'rua do Barao da Victoria n. (5
constando-le:
vinhos, licOres, cervejas, champagne e mais
generos
Irm lotes, a vontade dos comp radores
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE


va (Gusmao. Duas palavras s6menite
em resposta ao seu annuncio de hon-
tern. Eu o lastimo, apezar de viver
na mniseria. Guilhermina Candida
Nobre de Gusndo.
S- Na noite'dodia9, etac'o do
9spinheiro; 'A rua do Iml'rador, per-
deu-se um relogio todo d ouro, corn
.smalte -a.ul e no melo do esialte o
vidro que se. as horas; taivez se
pierdesm r no t m :, queinm o
ilbhAr e vqliiz i'-entregar, leve-o A. rua
do Im _erad-r n..50, terdeiro andar,
que seri bem grptificado. "
A Iff A0jv pJR" hsta ita casa
com ^ic o a M ili a pri-
meiAi4 a dla Aie aia n. 17, tern
uaim pequeno sitIu corn portlao para o Bomrn-Fim
e muiteo enxuta. Na rua da Imperatiz n., 8 2o
aivdar, se dira corn quem se trala. -
.-:-Quem precisar doe uma engoinimadeira,
tanto pars oupa de stnhora comb de homein,
dirija-se A rua de Hortas n. 67, qoie acliaraI
con quem tratar. I
-- Tendo-se desencaminhado uma cautella
do-Monte de o corro desta provincia, sob n.
134, Zatada deo 17 de julho do corrente ann6,
ppveaiinte de nit emprestimo de rs. 17000,
paeus jurors is. MO ttal rm. 1TPI), roga-se
aquem a achot, o favor de trader a esta typo-
grophia, visto qu po. tondo valop.algum para
outrem. se faf z mister aso signatario ita mesma
cautella para uitimar essa trAnsacCUo corn o
dito .etobeleiineqnto. : -


No rcslauranli e italia
o, rua (dias Lafti',angei-
ras f-. 23. v'IdI -se O x-
cellentle vinho Marsalla
Delka Falloria de Gia-
conime : a preoo Cm)lll.'. -
do.

-PRECISA-SE de uma ama pa-ra
cosinhar ecomprar: na rua da Concor-
dia n. 43.
Pretende-se alugar urna casa corn accom-
modacoes para familiar, que tonha silio ou
quintal, proxima da cidade, em qualquer das
estradas por onde passam as linhas; dos bonds,
Passagem ou Fernandes Vieira, tendo encana-
mentLo d'aguia e gaz ; indemnni:.ando-se de
quald uer bemfeitoria : a Ltralar na saboaria do
Rocife. -___________ ____
-PERDEUL-SE no dia 6 dc. corrente,
no theatre de Santa Isabel, timn alli-
nete do peito corn umnAt pedra no centro
que lhe chamanm topasio; pede-se a
quemn o tiver achado e queredmio res-
tituil-o, sera recompeneado : t rua Du-
que tie Caxias n 91.
GonsLa ique se preLtende veneer' a casa
terrea n 46, sita a rua da Assunmpao, fregue-
zia de S. Jose, avisa-se a quemn coimprar que
foreira e deve alguns f6ros, assimrn como o laru-
demio. _________
Precisa-se de uma qeizPeir.a, preferin-
do--e esprava : na rua OJQOwiniado n. 31,
segundo andar. _
Um est~angoeiroprecislalugatr urm silio
que tonha baixa de capim, eslribaria e comn-
miodos para criadog, que seja proximo da ci-
daJe, em qualquer das entrada por onde
passam as tinhas ferreas e bonds : a tratar
nesla typograpfiia.
0 uiwo deposit dos
remedies do Dr. Ayer -e
em casa de Adanson
Howie & C., a rua do
Maiquez de Olinda n.
37,| entrada para o es-
eriptorio rua do Bispo
Sardinha n. 37, outr'o-
ra rua do Eneantamnen-
to. _______
PRE@ISA-SE -I-"uma ama que
entenda de engoit-jfo, costura e
mais services domeatcos: na rua da
Concordia n. 42, '-_
J. S. Camerniro da Cunha, sendo obrigido,
por maotive de forea maior, a segiir amanhK
para o tnorte, deixa, durante sua curta ausen-
Wcea, encasregado de todos sous negocios o seu
empregalo Sr. Abdon Mafra, a quem nesta
data deu prucuraClAo;bastante. Recife, 9 de
outubrQ de 1877. "
.- Na rUa Imperial n. Y55 preci-a-se contra-
ter o asphaltarnento de 206,m do ladrilho:
quern estiver neste caso, mpparecs.. Na mes-
ma casa vende-se tres escravos muito bons
para engenho, o nao se p~e duvida em vender-
se corn alguma espera, dando garantia neeta
praca. .* ,
Por este annuncio convido a to-
dos advogados e procuradores, desta
cidade do' Recife e fora della. para no
espaco de 30. dias, a datar ,oe 16 do
correnle mez de outubrn, apresenta-
rem, das 6 as 9 horas da mrnnha, na
rua de 'S. forge n. 74; segundo andar,
suas contas corcernentes a servicos que
me prestassem, que serao itr.mediata-
mente. paas.
Frnacisrco de MNo Cavalw-nitq e Albuquerque.
Ao meu irmao. Maximino da Sil-


Miguel Autunes de Farlas .
Torres
Innocencio Antunes de Farias Torres, Maria
do Carmo Torres, Joao Antonio Torres, Aggeo
Antunes de Farias Torres, Alvaro Antunes
Torres, Senador Magno Antunes Torres, The-
reza de Jesus Torres, Celestina Agripina Tot-
res, Adelina Amelia Torres, Maria Luiza Tor-
res, Francisco Jose de Sant'Anna [ausente], e
Antonio Jose de Sant'Anna, cordialmente agra-
decem a todas -s pessoas que se prestaram a
conduzir A ultima morada os restos n.ortaes
de seu muito prezado filho.. irmlo, neto e so-
brinho Miguel Antunes de Farias Torres, e
rogam-lhes o caridoso obsequio de assistirem
a missa do setimo dia, que tera lugar As 7 ho-
ras do dia 13 do corrente, na igreja do reco-
Ihimento da Gloria'; pelo que desde ja anteci-
pam seus agradecimentos.
Jeronyno Pereira Villar
Thereza Maria de Jesus Vil-
lar, seus filhos, genres e ne-
tos convidam a todos ,s seus
parentese amigos e aos de seu
Agindo maridpopai. spgroe av6
Jeronymo Pereira Yillar, para
'' -assistirem aos ultirmos siffra-
giO3que devemn ter lugar ho-
je, A s 4 horas da larde, na
igreja do no Espirito-Santo, e desd6 ja se
oonfesam gratos por este act de caridade.
ConselheiroAn mo Francis-
-co Peratti
Os abaixo assignados, residents na
cidade de Santo Agostinho do Cabo,
em homeniagem e 'ihlto A veneranda
nmemoria. do inelyto magisLrado conse-
Iheiro Anselmo Francisco Peretti mian-
dam rezar por sua alma urna missa de
requiem no dia 15 do corrente, as 8
horas da manhA, na igreja matriz da
mesma cidade, e convidam a todos os
rarentes, amigos 6 admiradores do if-
ustre finado para assistirem ai esse
actq religioso emjulrragio daquelle
grande espirito quft'oi uma verdadeira
gloria desti provincial.
Franwisco Teixeiri de Sd.
Joao Gotizaga Bacellar.
AndrJ Cavalcante de Albuquerque.
Candido Valeriano da Silia Freire.
D. Maria 'Enphroslna Ferreira
Tourinho
Adolpho Frederico Tourinhbo e Joao Baplista
Tourinho, fliho e sobrinho de D. Maria Euphro-
sina Ferreira Tourinho, fallecida na provrincia
da Bahia, convfdam, a seus amigos e colleges
para assistiremn a 'missa qua per sua alma.
mandamn resar no dia 13 do corrente,setiho
dia de seu fallecimenLo, na matriz da Boa-Vis-
ta, pelas 7 horas da manha.


now*^S W-mw W&O a
Ala -ae a ain. )41ara padia, na
ruado Li,;em ato Amuds asyanau.: a
tratar usDim da ftIsauraco n. 5, 'owr'ora.
Guis, padrt~a. .'
ALMAS. Preciaa-se de duas; uroa
AM.A .para lavar e engommar e
outra para cominhar, para casa de fa-
milia: a tratar na rua do Visconde de
Itaparica n. 32. -
Aina Precisa-se de uma ama que co-
A zinhe brn e compare, para casa de
pequena familia : na praca do Cqnde d'Eun.
30, segundo andar.
A liui Precisa-se de uma ama que saiba
| | cosier corn perfeiclo ; n-1i rua do
Merquez da Herval n. 12.

AMA Precisa-se de uma para co-
i zinhar, co mprar e engomniar"
na rua da Concordia n. -153.
A--IIca Precisa-se'de uma ama que seja
u perfeita cozinheira, para casa de
fantilia : iia rua Vidal de Negreiros n. 16, se
gundo andar, out.r'ora pateo do TprCo.
AMA Precisa-se -de urma para ser-
vilo de uma casa de pouca fa-
milia : a tratar na ruada Palma n.168.
Desembargador Anseimo Fran-
cisco Peretti
"M Mathilde Libntia
Ma lonteiro Peretti e
scus filhos Manoel
da Trindade Peretti,
Maria Josd Peretti e
Maria das Dores Pe-
riti, possuidos de sincere recoiheci-
menrto para corn aquelles, que fizeram
a caridade de acompathar atd o ceai-
terio public os restos morlaes ltf cu
p.'esado marido e pai, rogaim ce espe-
raini ainda de todos os seus amigos e
parents o obsequio de assistirem d
mnissa, que pets. repouso d'alinm d'a-
quelle Iinado( hr, rezada na igreja
matriz da Bo-Vi'a segunda-feira 15
do corrcltc a s 8horas da manh., e
desde ja agradecem.
,~~~~~~~- ,- i-- *-\^w^~w's
Conselheiro Anselmo Francisco
S Peretti
!IS!^ 0 Dr. Virgilio dleGus-
Sindo Codho, Julio Cear
3 ~Cavalcante de Albuquer-
-H que, Miguel Moreira de
:Souza Maia, .Jovino Epi-
i ~phanio da Cunha, Jose
l P-eres Campello de Al-
meida, Lydio Mariano de Albuquerque,
Manoel Antonio Leite, e Luiz Francis-
co Rod rigues-Franga Mello, secreta-
rio, ainanuense, porteiro,. escrivies e
continues do tribunal da relaao, emrn
signal do mais profundo respeita a me-
moria do tinado conselheiro Anselmo
Francisco Peretti, mandamrn rezar unia
misssa por alma daquelle illustre (in.a-
do, na matriz da B6a-Vista, pelas 8 112
horasda manha, do dia 15 do corrente,
e para assistirem aesse acto recligio-
so, convidam a familiar, parents -e
amigos do mesmo linado.--Recife, 11
de outuhro de 1877.


Na largo "do mercado, sobrado h. 19, preci-
sa-se de duas que saibam trabalhar em machi-
na, e outras para alinhavar, e casear camisas,
collarinhos e punhos para homes.
Trilhos portateis
para conduzir canna dos par-
tidos para os engenhos
0 agrimensor Jose Soares-Pinto Cor-
rea oflerece-se aos senhores proprieta-
rios dos engenhos, para estudar o ter-
reno e assentar trilhos para conduzir as
cannas dos seus partidos para a casa
do fabric. Aldm da modicidade do
prepo que p6de cuslar esta via de trans-
porte, ella offerece ao senior de enge-
nho, presteza, menos carencia de br-a-
Vos, menos fadiga e mais method, po-
dendo os trilhos ou via permanent
serern mudados e collocados todos os
ar-nos paia os lugares emn que se acha-
rem as plantages.
A constri-uco de taes trilihos p6de
ser empreitada on feita per adminis-
trab, sendo que se procederA a um
ajuste oQ -contrato pelo qual o senh-or
de f ho saberA logo o custo- da
o'bra na madeira a empregar, atd nm
cons lIao dos carros ou carrogas,
podef& ser tirada nas proprias mattas
do genho.
Offerece-se tambeti para fazer de-
marcl.6es e nivelamentos para leva-
das, etc., etc.
P6de ser procurado a rua do Crespo,
loja:. 6, das 10 da mnOnhi ds 2 ho-
ras da tarde.
Boa acquisica oa
Aluga-se a casa corn armoao e 6mais
ertencasda antiga e muito afregueza-
'a tavem, na povoagio do Macaco,
freguezia do Pogo da Patella, por preo
commode : a tratar no largo da Alfan-
dega n. 2.


7-


m


MA.


2lfl.jA. 6(EV M1YEZ DE OLIN;
DA-21
Esa tintra faz tornar os cabellos
rapidamente pretos sem offender acu-
tis, e muito facil-de se applicar. Cada
frasco acompanbarfia -as instruczOes ne-
cessaries.
0 autor da tintura chineza rflcr preci-
sa de eneher as columns d'este journal
como muitos outros autores fazem, en-
graindecendo seus preparados a ponto de
tornal-os uma maravilha, sem se le.nbra-
remn que, A maneira que seu autor os
eleva, o public os p6de rebaixar, por
que as mais das vezes d'enganado.
. Portanto, o autor da !intura chineza.
certo do bom resultado, jA pelas mui-
tas experiencias que se tern feito, jA
pelas b6as prov'tqne sempre tern tido.
recommenda esta tintura.
Pede tao s6mente que experimented
ella, para depois fazerem 'eu juizo.
IJnico deposit, cm reasa de sen a1t
ro acim
MOFINA!
Parahyba do Norte
J-Veja-se que just contrast
Foi demittido o Ihonradissimo ex-col-
lector geral da villa de Bananeiras, pelo
unico motive de nio haver prestado
fiana, no prompto period, que se lihe
exigira emnqu:nto que o actual collec-
tor Franciso de P. Ferreira Grillo exer-
ce esse cargo iia mais de dous an-
nos e ainda nao presto fiana !...-
Assirnm que se fiscalisam as finan-
(as pul)licas.....
0 Carioso.
Muita attenecio
a
Sabaixo assi-,nado, tendo resolvido acabar
cornm aofflcina d& concertarchapcos, sita A rua
Duque de Caxias n. 20, avisa 6s pessoas que
tern concertos na diLta oflicina, que ltenham a
bondade de vir husca-los no prazo de 30 dias,
a contar desta data, e nio o fazendo ser;ao
vendidos para seu pagarnenlt-j. Recife, 9 de
outubro de 1877.-Custodio .Ios6 Ppireira.

Aluga-se
um sitio corn casa para famnilia, Va riUta
de S. Miguel, Afogados : a tratar corn
T. T. Bastos.

Caixeiro
Precisa-se de um para tomar conta
de uma 'venda por ba!ani:o, dando tiador
de sua conduct: a tratar no becco do
Pocinhabn. 31.
Aluga-se
AiuestA para alugar um sitio na Copui-
ga, run das Grioulas n. 59 : a tratar na rua do
Vigario n. 33, -o andar. -

LUJA DA 0 CA i i1 .
6-Rua do Cabugad-6
Para esle estabelecimento acaba de chegar
um variadissimo sortimento de fazeradas pare
grande toilette, assim come
Granadine de c6res:
Rosa
Azul
Perola
Branco
Amarello
Sortimento complete de chapeos de palha de
Italia e palha ingleza, primorosamente entei-
tados.
6 -Rua do Cabug&-6
Costureiras


I




































Nao emprega inculcadores pelo campo.
Roga a todos, que mandam encommendas a
ella, exijam a vista da conta impressa respective.
Tendo sid. enganadas diversas pessoas em
procura'desta fundicao, observa-se que a
FUNDICVO DO BOWMAN
esta entire o chafariz e a fortaleza, que os edificios
estao de-ambos os lados da rua, perto da cochei-
ra dos bonds e pintados de verde nos andares
inferiores.


Museu


de Joias


N.'4-Rua do ,GabugA--N. 4
Este important estabelecimento de ha muito conhecido do respeita-
vel public, tern na Europa um de seus socios bastante habilitado para a
escolha das joias, que constitute o seu esplendido sortimento, tendo por esta
f6rma novidades constaitemente no artigo jcias. Asseveram seus proprietarios
que, a modifica0do nos pregos e agrado e a slhceridade de que usam, fara corn
que qualquer pessoa compile uma joia qualquer e ainda mesmo sem precisao.
Pedem, pois, as Exmas. families para visitarem o sen estabelecimento,
qfue se acha aberto das 6 horas da inanha as 8 da noite.
Jolas de brilhantes. De brilhantes teem ricos adereqos mo
elegantes caixas apparelhadas de prata, e para todos os pregos, tendo dMre elles
aideregos de subido valor, por serem dos melhores fabricantes que tern vindo A
esta cidade ; assim como, anneis, brincos, cruzes, cagoletas, broches, rosetas
e uma infinidade de brilhantes soltos, para cravar A vontado do compjador.
Joias de phantasia. De ouro, cornm pedras finas, tern um va-
riadissimo sortimento de brincos, cacoletas, voltas, braceletes, cadeias para ho-
mens e senhoras, atd lapis, canetas, apitos, etc., etc.-
Joias de prata. De prata tem coheres, casticaes, esporas, sal
vas, bandeijas, faqueiros e paliteiros, etc., etc.
Relogios. Teem um complete sortimento de relogios deprata e
oaiO, para homes, senhoras e meninos, todos dos melhores fabriiantes.
Joias para baptisados. E' para este acto que chamamos
a attencao das Exmas. madrinhas e padrinhos, porque temos um complete sor-
imento de pequeninas joias, c em caixas proprias para dadiva no acto do bap-
ismo.
S Aldm destes poucos artigos que mencionamos, temnos outros que nao
podendo mencionar por ser enfadonho, sorprenderio A todos que visitarem nos-
so estabelecimento.
Joseph Krause a C.


REi LOGIRII E UiIITAIRi


A' RUA


DE
VICTOR GRANDIN
DO MABQUEZ DE OLINDA


N. 26


Vtor Grandin scientifica*ao public e fez acquisijo de um bom sor
to de relogios de algibeira, de ouro, prata, fohpadco. de oofro; paten-
vezsuisso e americano, dos melhdres fabricantes da Europa t dos Es-
maos, para homeh s e se nhoras; assim como grande sortimento de
Aea oa s paesiimo 1s'1 -' 11' -
ieramde sortimento de r0'0 de parede e de cima de mesa, de todas
ades e differentes n os e dos relhores fabricantes.
oquto a lunetas -6e ld acha-se ,iesse genero sortido do que ha de
Sem vidros de crystal, ql's osF Mais-apropriados piar a conservago
Tem excellentes officiaes par. a eeutar o onceo d squalid
aMsogoos. )qa
ema casa ,, e dl o ~cVpa~aa- u VPr-W e


Mill SlPHuIE CYRENAICUE *R |
r.spdecifaco CWrktodas a.8 RSeItS 4. P5e4o..
TIICkAPULMONAR., Tialbdaaryngea BRONCHITE AGUDA, Irbablsihi, S
5Catrho, Angina gangrenosa, Esquincucia, Granulaqoes, etc. S
Aceito e empreado MS Hospiles de Paris, e wosil das priscipw cidades da FraWa.
DERODE & DEFFES, p,Pameudeos de .. use, 2, RUA DROUOT, PARIS
3__ l6U* u FEMEf A KAII e Ca, T, r ihia Dqu de o Cai

... i II .OMPENSA. NAC.. 6,* Z FR .
Pfiii N1Ev~hMDALHAKNA Bsr'osi(AO DE-PAKis 1875 J^ I' t'
'--i~t1e0eoo P logioso 1 cadept, K te1eoo -,.
16960 Udwit 1 elogloso Academia doa eJh


Reconstituinte, tonico e febrifugo.
A QutIn-ZArpfo 6 um elixir agradavel con. 0
tendoa totali'ade do s numerous prineipios das MEsmo FER R UUINO SO
trez especdies de quina (amarella, vermelha e FE O S
parda). 0 ferro soluvel e a quina reunidos oostituem o
Superioridade bern constatada nos h ,pitaes, tratamento reparador mats poderoso da medi-
durante trinta annos de successos, ontra a falta de cina.
fouvas ou denergia, as affecsoe do estomago, A quina estimula e d& vida aos rga6s enfra-
coivalesccn{Qi muito demoradas, e contra quecidmos, o ferro da ao sangue a fotoa e a c6r quo
febres antiUs e rebeldes. constitue a saude.
Reommendado contra a debilidade causada
Ipela edadle ou pelas fadigas, contra a pobreza do
E.igir sem- angue, chlorose, fralucza 4tpois do part.
pro a assigmna- P- -[C, PARIS, n* 22., ru.a Drouiot, e em todas as
u ta. emv n case d .aphoarnamcias.
Deoositos em PerammbiWo, -w cas de si Kd MA1. e Ca; L CAORS. -U.. rua do Pom 1esus.


A
':TABi


;A i-H\L DL>L 'r.LEUP2 : t ."-i .?.*' ..< I
r:LECl".NTO FUNDADO EP 1774. LLS H ^ 3
para a frescura, L.-q p j cc P o rsldo. r


i
Perfir.iu'i esoecial cos: Iccte d'Iris.
VEI3AD DITO o
^^^SA^A9^ |O~ icLFC
a1o n,'1hw \s sob del toucador.
) o^^^ J PERFUMABIA FASHIONABLE
44, 1 wuAu
/NulxA OPOPA AX -I
/X Rsssucias .......-..... ae OPOPAkAx.
\.lr%)// LI.9a dc tovcador. 4. OOe 0P?0AAX.
0IS..W4 ,rspcO.. dP. OAOP..I3 X.
Pmaaa flinissir3.. ..... de OPOPAN&X. .
SOleosup/hrfino.. d OOPiPAiV6ir..
Cosmetico flassimo.A. d' OPOPANAXZ.
1Pos de afro:.. .. .. e,: OPOPANAX.
Bolsinha de cheiro ...... dc OVOP AX.
40. boulcrard de Strasbourg, 10. TUTTI Q'J'ATI.
1d QvAGUA DENTIFRICA O:DONTALGICA.
i ra/ lrcd ./ienh, em LuDRESee.w BSUXELLAS Q:alidade incumparave..
l i ww il.,, principals Pe.fiinmnrias, Pharmacias e Calwlleireirris do Brazil.




E.- l E DIdAMENro do um..gos. agrveladoe cm guam cowto ha mais d o
to .. p.Aos mielboreus Medicos do Pars, car as Dei Grip, Tom, Domes de gar-
,ft., tfurrhin pulmonar, Irritafes do petodas ja.w'aar 0 da Befptaul,
I .AY., 7, rue du MareMSi-intaIHobr.
becvsrAo M PepsI6iuc. XRRmIIA MAI' o Q4W.- fMAwm" d u"06


ALUGA-SE


o primeiro. andar do sobrado n. 312, a
rua estreita do Rosario; muito fres-
co, tern cominodos, agua do Prata e
gaz : na thesouraria daslIoterias,.


- -o t s t l pD i CI O D 1
YIN 140
CHASsAING
coo-


V, P % PSIA EOM DlAtSTAsE
SAga-ntes sal:raei e irdspensarvis da
Ii^,'fiS'TO t 0 "
S tuuftnt,'4 tle iie e!CO
S DIPESTOES DIFFICEIS
OU 11CORFLETAS
,MALLSC DO EStOMGOO
L OYSFEPitAS, A"tTrALGIAS
PEROA OE 0PPETrR, E 0/.Si vOfW.AS,
MAGRaZA, CONSUP'eAO
CONVALESCNipA5 LEisTAS
k f *\ vomitos,"C .I.
S"rsA, Avow, ieperia.f Par%
M e "ps- h l',trfiW.


Casa da Fortuna
Aos 4:000O000
BILHETES GARANTIDOS
A' rua Primeiro de Margo (ou-
tr'ora rua do Crespo) n. 23 e
casas do costume.
0 abaixo assignado, tenido vendido nos seus
felizes bilhetes dons meios n. 3857 corn 200$,
um quarto n. 2139 corn 100O000, um quarto n.
3675 coin 10$0000 e outraA sortes de 405000
e 205000 da loteria que se acabou de extrahir
[244.'], convida aos possuidores a virem re-
ceber na conformidade do costume, senr des-
eonto algum.
Acham-se 6 venda os felizes bilhetes garai-
tidos da 2.a parte das loterias a beneficio da
matriz de Tejucupapo [245.'], que se extrahiri
na tera-feira, 23 do corrente mez.
PREgOS
Bilhete inteiro 4$000
Meio bilhete 2$000
Quarto 1t#000
Em pore&o de 100$000 para cima.
Bilhete inteiro 3S500
Meio bilhete" 15750
Oilarto $875
Manoel Martins Fiuza.


Bilhetes garantidos
r ua do Barao ia Victoria n. 40
e casas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
nos seus rnuito felizes bilhetea a sor-
te de 1008000 em 1 quarto de n. 2139,
aldm de outras sortes de 408000 e
de 205000 da loteria que se acabou
de extrahir.
.0 mesmo abaixo assigndo convia
aos possuidores a virem receber na
conformidade do costume sem descot=
to algum.
Acham-se A venda os muito felizes
bilhetes garantidos da 2.a parte das lo-
terias a benelicio da matriz de Teju.
cupapo (245), que se extrahiri na tV'-
ca-feira, 23 dio corrente mez.
Pregos 0
Inteiros 48000
Meios 28000
Quartos 18000
De 10000O para cima
] nteiros 38500
M\eios 41$753
Quartos .875
Joao Joaquimrn da Costa Leite


Caldeiraria Centl


fildiao de sims di
DE .

Eduardo Cardoso & C.


Rua do


Outr'ora do
0, ( .


Os proprietarios deste estabelecimento prew
vinem aos senhores de engenho, agrieultores
e ao public em geral que continual a fabri-
car os objects abaixo mencionados, como se-
jam.
Machines de Derosne para fazer espiritos,
ditas de Collars, os melhores systems, .alam-
biques de feitios diversos, simples e. corn es-
quenta garapas, incluindo os de NOVO SYS-
TEMA, ultimamente adoptado na provincia, ca-
rmpucas, serpentminas,tachos, passadeiras, repar-
tideiras, escumadeiras, cobre picado para moer
mandioca e todas as obras necessarias para o
fabrico -do assucar. Bombas aspirantes e de
repuxo, de ferro, de cobre e de bronze. Si-
nos de 16 libias ate 110 arrobas, fabricados


pelo system .franeez, torneiras de bi
parafusos de dito, de. todos os tamanho
EmfiA fabricamse toda e qualquer
cobre ou de bronze, corn today perfeieo
to, pa o que teem feito acquisiicao dos
res operarios, podendo desta forma s(


onze e

obra de
e gos-
melho-
Brvirem


bem aos seus freguezes e a todos quantos Ihes


honrarem co a sua confianca. .
Na Caldeiraria Central
66-Rua do Bario do Trtuipho outr'ora do


Brum--66


Francisco Gurgelr iAmiaral
S A'rua 4o deMaro n.20A, eiquina.,
Este antigo'e acreditado estabelecimentio acha-se cohstantemnente provide de tuV
portaiLtesortf'ienLo do fazendas de gosto. as quaes recebe directamej e das me-
)ires ca d Ptris e por esta razao 'poderio ser vendidas por prmeos muito modio,.
Tem amtaalmnte, u mesplendido sorfimento de vestidos feitos e em cortes iguaes
s quo se- sqa present emente em Paris. *
Tem iUaletame ur. variadissimo sortimento de chapeos para senhoras o que .
e desejarde melhor ernm tai artigo, sendo preprados por unma das psucipael
t!d A Bs t& cl Pa i '1 : '1'1* 1 f 1 l,^ .,1;'.:1<.


Barto do Triumphlo,
Brumn n. 66.


^rtiviennJ,


l 1


i











rovindiis corn
ouro em moe-
dan. 58.


1NO R1'DIODEJAN-EIBO'
~ioem Pernamuo


Rua do Vigario Tenorio n. S31

to DO BARAO DE EFICA
aos senhores agrietirfiores que imandem
amostras pois esta fazenda e especimlmneate
|ra o trabalho da agricullura
bmto emi relaqao a importaoica da vcnda


SPHIARMACIA HOMEOPATHICA


$


DBEPOSITARIO BDOS PRODUCTS RIItPATIh

? ~~~~DA CASA _
Globulos puros Variado sortimento
de Catelan ASIELAI IRMAOS de carteiras
GIobulos dynamisados DE para globulos e para
e Tinturas PA?.Z tinturas,
STusv I frascos vazios 22-RUA DO BOM JESUS-22 cb-A e. chocolate
d e todos os tamanhos. PERNAMBUCO homeopathico
L.^^,.PER..114BUCO


SAAAIEOBAE MA4NA
a 'I nenergico elixir depurativo do sangue
... i nico approvado e privilegiado pela Junta
deo -do Rio de Janeiro, e autorisado pelo governor imperial,
"por decreto de 18 de dezembro de 1871
;PIIPRIUAINVEN.AO E PREPARAgA-O DE

EARPIES DE HOLLUiIA'
Pame 1 I (Do Piauhy)
Pharmaceale+ lormado pela Imperial Faculdade de Medicing do Rio de Ja-
Aeiro, `osio elecvo do Institute Pharmacentico d& COr_ e cortespon,
dente da Sociedade Pharmaceutica do Grao-Para, e laureado na Exposi
&o Nacjonal em 1866, pelos seus pt'oductos chimicos e pharmaceuticos
cavalleiro da Imperial Ordem da Rosa, etc.
Este preparado 6 sem contesta-goao melhor de todos os seus similhantes:
ja tAo conhecido em todo o imperio, principalmente no Rio de Janeiro, onde o
seu consume em 1876, chegou a 24,000 frascos! !! Aquelle que mais provei-
tosamente (o seu salutar effeito principia logo corn as primeiras d6ses) se poderd
applicar em todas as molestias que teem sua origem na impuridade do sangue
e principalmente nas molestias syphiliticas, como sejam: gonorrheas, bobaes,
cancros, bobas, rheumatismo-articular ou muscular, darthros, empingens e ou-
tras molestias da pelle, etc. etc.
Vende-se uma duzia por 42Q000
Cada frasco por 4#000
Deposito em Pernambueo 6 rua do Cabuga n. 14.

Tambem existed a 'enua neste deposit Os seguintes
preparados do mesmo autor
Xarope balsamico peitoral de flores e bagos do aroefra e
mucilagem de mutanbu, pumo atrataranto radical das molestias das vias
respiratorias, takes como: cataryao pulmonaragudo on chronimeo, laryngites,.bron-
chites, hemoptizes ou escarr6s de sangue, coqueluche, affecq6es asthmaticas co-
mecantes, e na convalescena das paeumomas.
Linimento anti-rheumatico, para tratamento do rheumatismo arti-
cular ou muscular, chronic ou agudo, gottoso ou syphilito, d&r syatica,-e
como resolvente das bobas, exostoses e tumors.
Pomada antt-herpetica ou anti-darthrosa, para tratamento
prompto de darthros, empinmgens, noduosidades, "CO 0"5 syphiticas, cas-
pas e de todas as molestias da pelle, devidas eo coi3act6 ol a Impureza do
sangue.
Pilulas anti-petodicas, para cura prompta 4as febres intermitten-
tes, ou sezdes, constipa(oes, febres remittentee, ftiu as e pettcioss; sgo
laxativas.
Odontina, especifico vegetal para a cura lnstahtanea das d6res de den-
tes, por mais rebel4es que sqjas. quer provQuham de cariaro do dente, quer
sejam piopnamente l*tosam,
Dio-se prosnectos. ,

G FlIGRO PARNINEE

Gra(alde salio de cabelleirefro
RAa dIo Xaruez de 0 linda n. 51, C.o andar
Luiz Chautin
Especialidade de posticos para senhoras, e penteados por pregos razoaveis.
Nesta casa se encontrarai todos os objects concernenteS aos penteados da se-
nhoras, como sejajn: cachos, topetes, tran.as, magdalenas e tudo o que ha de
mais moderno neste genero. Tambem se coneerta coques usados, tornando-se
do ulnimo gosto.
.Penteados de coques 1$000
Ditos de caches 500
Ditos dc tranga 500
Ditos do topetes 500
Ditos de senhoras, dentro da cidade 3^000
Limpa-se a cabea p6r lheio de uma machila electric. Preco lO rs.
Alugam-se todos os objec.tos de cabelIs que conrernem,,os penteados da
sefthoras.


COLDE IUR

i N. 3 A-,-RUA DO CABUGA'"--N. 3 A |||


H Agostinho 4 IrmI4os
SOfferecem ao respeitavel public desta lidade e f6ra dellhana 'tifidade
4joie *endo aderevacs brilhantes, ruins, esmeraldas e perol' S -
4dtis d ditoe brinios de alta phanftsia e argolas do ultimo gostef, amn D"ara .
SreUaOWe aem elles, oaolets co mletras e sem ellag, cadeias para boB 6,
4 6&ansdeasiurado.gosto, reloglosopara ditos e ditas, de 6utot e a


uwuwlmqVwRlw !wvIIUrW U ,
XA!IOMPE OTGRa.
D E 1
Cwrtos fttencout
Pharmaeeutioo pet a academia de medici-
na.daBahia
Grande e novo descobrimento
ESPECIFICO DA PHTISICA E DOENQAS
FULNfARES
0 Jaramf eonmpstoW Jm'opLpeipeto-
ral 6 urn medicanaq pte esm & e o me-
lhir peitoratW al bohi qoeida nos an-
naesdanediciha. considsrar soeasit-
co'nas morestias eguintes: defuxo.tos-
se siMples U rebelde, catarho pulmno-
nar, affeq.es da garganta, e phtysicacl-
monar. Sao innUmeras as curps wc-
tuadas desde o sen descobrimesto. E'
empregado em. alta escala pelos medicos
espeoia(Ustas.
Salsaparrilha e caroba
CarosDE
Carlos Bitterscourt_
Grande depurativo do sangue
Empregadanashydropesias, rheumrtis-
mos, affec&es gotosas, infartos glandu.
lares, escrofulas, syphilis, papekra, mo-
lestias chronicas da pelle,. cachexia mer-
curial, lupus, sycose, eczema, cariees-
crofulosa, dysuria, darthros, bbubas, bu-
boes e todas as molestips que teem a!
sua origem na impureza do sangue.
D6se : uma a quatro colheres de s6pa I
por dia em agua ef mais 'progressiva-
mente.
DEPSITO &ERAL
Pharmacia popular
Carlos Bittencourt
Rua Nova n. 51
P ernam hueo


Alga-se
dous grandes armazens a rua e caes do Brum:
a tratar no largo do Corpo Santo n. 19, pri-
meiro andar.. ..
Para banhos do mar e
passar a festa
Aluga-se urma excellent casa na
Boa-Viagem, muito fresca, tendo corn-
modos para grande familiar : a tratar
na rua do Aragdo n. 1, segundo andar,
ott corn o Sr. Dr.- Pitanga, t rua da
Imperatriz.


-Copeiro
Aluga-se um optimo copeiro, escravo : a
tratar corn Candido Alcoforado, no largo (do
Corpo Santo n. 2.

Cozinheiro e copeiro
Para esses services aluga-se um mio-
leque de boa conduct, e um outro
para serving em armazeinm ou sitio : a
tratar na rua do Aragdo n. 1, segundo
andar.
3(0)1O000

Atten ao
Escravo lido
No dia 4 do mez findo fugio no porto da
Bahia, de bordo do vapor national Bahia, o
escravo Romualdo, que seguia viagem deste
porto para o Rio de Janeiro, de propriedade
de Luiz Jos6 da Silva Guimaraes, negociante
no Recife, que o houve por compra em 25 de
maio de 1869, a Jeronymo Theotonio da Silva
Loureiro, morador na Baixa Verde, cujo es-
cravo tern os seguintes signals caracteristi-
co6s: c6r acabralhada, estatura 5 p6s, I1 polle-
gada e 3 pontos, cabello preto e carapinho,
rosto comprido, olhos pretos, corn olhar amoN
tecido, nariz afilado, bocca grande, todos os
dentes, barbapouca, e corpo gross,, em urma
das mAos, por traz do pulso, tern um caroco
A especie de um lombinho, pronuncia compas-
sada, conservando-se, quando falla, em attitu-
de humilde e vista baixa, tern de idade 30 6
32 annos, pouco mais ou menos, e fliho de Joso
e Antonia ..ge w ff 8t-o0 4 O A
lugar FazeVda 6rahde o Pe 'Ire
d'Oide o reterido*s'avo n4tpl lte es
eOcioia o office de ferfteid. haihde 4didade
voetdo corn caila e aiis brica,) paletot de
alpca preta, chapeo do Chile, levou um ba-
hitzinho de oouro, corn bastante roupa branch;
afslm como 4hista que no acto do embarqua
"W, um preto foi A horde e entregou-lhe a
quantia de 600(MR a mandado de ildia amasia
de nome Romana. 9i provavel que tenha mu-
dado de nome e de vestuailo, e que ande
calkado, para assim intitular-se livre e illudir
a vigilancia'da$ autotidaae#. Ha de corn cer-
teza seguir caninhe da Baki para esta cida-
de, em algumn dos vapores da companhia bahf-
anna, desembardando em Macei6, out pelo in-
terior das duas provincial ; roga-eo, portanto,
As autoridades policiaes e aos Sr, capifte de
campo, ou a qualquer outra pess6a qui delle
tiver conhecimento, o apprehphd m parti-


ee sero recnmpensados 0m a Rn i ca o


Advogados'
OsDrs. A. Clodoaldo deo
za e Jose Eustaquio Ferpa
Jacobina mudaram seus es -
torios para a rua do Imp e|.
n. 57, primeiro andar doI
dio, em cujo pavimento t
teem armazem de fazenda'.s
Srs. W. Inglis & C., ental
pelo caes 22 de Noyembro."
_-ABoh iI.* raVi -a
Recebeu um yariado sortime de
taltados Melids para homes e nho-
ras e sandalias de*-marroquim inglezas
P am L s 0", O w w --' "
RUA .tj o D MApfgO) N, 0,
A' NAPtOLi E RU.SSIANAS
Botasra r onFi a do fabilcante
Melies, reaetfe i u ft Io taravithosa.
Rua Lo de Mao0 n. 49.
i Coxlnhoeir
SPara casa casa de familia ,ai
preisa d ut boft cziriheiroe,
:guinho, s.ipn.2, q..a as do It^ o
a?71. !;l;~;r 1..,4


712-


SE' pedra que naojoga.
Agua moe em p'd1'a dira,
Tamto da at6 que fmura.
(Mas esta" d. bronze, que se nA
tem furado por ser estanhada).
i Roga-se ao Illm. Sr. Ignmcio Yieira
de Mello, escrivio da cidade de Naza-
reth, desta provmncia, o favor de viAp 4
rua Duque de Caxias n. 36, a concluir
aquelle negocio que S. S. se compro-
miettet'a tisah pela terceira chama-
da dtste journal, em fins de dezembro
de 1871, edepois para janeiro, que pas-
sou a fevereiro e abril de 1872, e nada
,umprio; e per este motivo, pois, d de
Mow ehamado para o dito fin, pois de-
v S. S. lembrar-se que este negocio 6
de mais de oito annos,. e quando o se
nhor seufilho se achava ne;ta cidade
20:O00000
Di-se a premio ajuros sob predios
em diversas quantias: ia rua de Hortas
n. 86, se diui quem da.
Ama escrava


Precisa-se de uma ama para vender
bolos, prefere-se que seja escrava: a
tratar na Capunga, na rua das Pernam-
b.ucanas a. 12.
Piano, music e francez
Ressente-se a falha na cidbde de Ma-
mamiguape de uma senhora, para lec-
cionar piano, nanrsica e france; haven-
do naquella cidade bastantes meninas,
e deSejo dos pais dar-lhes educagdo,
conforma suas posses, deixam por
tanto de o fazer, uns por causa de des-
pezas e outros por nilo quererem ex-
portar suas-filhas ; faria boa aquisigo
A senho'a que se resolvesse ir para lt ;
qualquer pessoa que desejar algumas
explicagoes neste sentido, dirija-se a
rua da Cruz n. 37, Recife.


Breu purificado
claro, barricas de 400 libras, no arria-
zem de JorgeTasso, d rua do Arnorim
n.37. -
Ao public
N6s abaixo assignados proprietarios
da Confeitaria do Campos, sita t rua
do Imperador n. 24, prevenirnos ao pu-
blico e corn especialidade aos nossos
amigos e freguezes, que o Sr. Manoel
Gongalves Caseiro, deixou de estar em
nossa copfeitaria desde o dia 1o do cor-
rente e que por isso qualquer negccio,
tanto intern como externo, relative ao
nosso estabelecimento, deve ser dirigi-
do a n6s s6 e s6mente. Recife, 2 de ou-
tubro de 1877.
Marques & C.a



Os abaixo assignados declaram ao
respeitavel public que o Sri. Manoel
Paulo dos Reis nesta data deixou de
ser caixeiro da casa, sita a rua do
Commercio ns. 4 e 6.
Recife, 5 de outubro de 1877.
Herman Lundgren t" C.


Aluga-se
duas casas na Capunga, uma na rua das
Crioulas n. 61, e outra nos Quatro Cantos n.
29 B: a tratar na rua do Vigarto n. 33, pri-
meiro andar.
Attenwao
Precisa-se saber aonde existe Augusto Pin
to de Barros, filho de Damiana do Carmo, na-
tural da cidade de Villa Real. ema Portugal,
'vlind p L provincia em 1865 : que'endo
qUaiutceto -fter o obtequio de dar noti-
cias, diaija- aPlo Julio, a bordo do vapor
national Geard, que deve chegar a este port
no dia 15 de outubro, dos portos do norte.
Aos fumantes


0 abaixo assignado, estabelecido corn
fabric de cigarros, convict da justica
que o public dispensa aos products
e sua fabric, expostos ia venda em
seus deposits e na loja do Sr. Joa-
qufm rB. dos Re -spi Soi com-
pradOis df seA ciagriBs qupe tinima-
mente destobrio que. alguns tende-
lhMes, efoiftprando-os erna poia tn,
dem-os a retafho, ficandT co. fs ro-
tulos, que depois .cedemn a o* s fpa.
bricantes.
E comno o abaiko assigzado tei con-
vicao de que os fums que .eotrega
sao- bos o*, lhidos e que, nttral-
memate, eteI Ouros fabrianites que se
apadrinhai hM eto os eeut 6tAos, tiuo os
farao cornm os mesmos fumos, trazendo
assim um descredito paro sua fabric,
pede a quernm coprar cigarros de suas
marcas e niao os achar bons, que, ve-
nha c.onferinl-os, para final conheeer-se
quem slo os falsiticadores.
. Ainda no dia 3 appareceu-lhe um
meniano offerecendo 168 .rotulos, que
dizia toer coprado a um sen visinho,
a 640* rs. o ceto, o que rowva a.. eco-
nomia do mesmb etu visinho.
Recife, 9 de outubro, 4J1877.
jos Antonio Domingue e Figueiredo.


Aluga-se
o sobrado 4 rua do Hospicio a. 59,
corn commodos para grande familiar,
muito fresco e corn agua, e paisa o
bond pela porta : a tratar na rua do
Aragao n. 1, segundo andar'.
Olinda e Beberibe
Junto its estagdes de Bebez4Je o 0-
iinda ha quartos'- ie catas. 14.hsergr
llugados a pessods que
banhos. O0::s' p|ivos Wc,,
tagoes informarao.' ..
4 u- g o. l i ^ M ~ isa u g
A. ps o. 2o*apdl a"-40so


Freseas botSi `A*4*
beu a Nova Esperau -rA ma uque (
n. 63; a ellest antes que se acabe..


Eseimvw fit IdOS
No dia 20 de agosto- de i8770, !iugiram do
engenho Cam aragibe,. terwo Aes$erinh~tm,
dous-escravos de nome Joi6( t, sen& um r to,
.cogpo regulAr. poucA brba, cab.Uo--carapipba-
doe ern a braco qiulradi e potr isoq m
pouco torto, tern algumas cicatrizes de relho
ws costas ; este eseta o ft oaMprado m 16
de maio deste anno nesta cifade ao Sr. Pa-
rieio. Joa6 Tavares,, que o comprou na la4e
dh 'Parahyba. 0 outro de altura regular, edor-
po tambem regular, muita barba, falla flna,
idade 31 annon; f;i comprado nas mesmia data
em que o outro, ao Sr. Manoel Travasse, Sa-
rinho, morador em Born Jardim, Paiahyba;
este escravo 6 vinvo e deixo fllbos na Para-
hyba : roga-se as autoridades policies e aos
capitals de campoi a apprehenslb dqstes es-
cravos, gratificando-se a quem os entregar
nesta cidade aos Srs. Manoel Alves Ferreira &
C., ai rua dp po$io n. 4, primeiro andar, ou ao
respective senhor, no engenho Camaragibe,
em SerinhAem.
SAluga-se um, excellente sitio em Be-
Sberibe, no Porto da Madeira, junto ao
rio~contendo mui boa casa de vivenda,
corn todos os commodos precisos,
e imba e algumas arvores de fructo,
bern como urn gradde terreno corn
Sbaixas de capitm a tratar no largo do
"C orpo Santo n.15,Ao andar.

Bolos de encommenda


Faz-se bolos de encommenda para
casamento e partidas, na Capunga, na.
rua das Peruambucanas P. 12.
Moleques e rapazes
Precisa-se de holeques e rapazes
para vender bolos e bolinhos pelas ruas,
paga-se boa vendagem, na qual podem
ganhar para mnais d,. dez tust6es, atd
4 ou cinco mil rdis por dia, conform
a diligencia: a tratar na Confeitaria do
Campos, a rua do Imperador n. 24

|| Cognac
Bisquit Dubouchd & C.
V H. Ledebour, rua do Commer- .
y cie 17, 1o andar

PARA COZINHAR
Precisa-se de uma ama forra ou es-
crava, preferindo-se desta ultima con-
dicao, para comprar e cozinhar : na
rua Duque de Caxias n. 42, terceiro an-
dar (nesta typographia). Adverte-se que
em poucos dias a familiar terd de sabir
para fora da cidade.


Tintura Japoneza
A unica approvada e premiada pelas
academias de Paris e Lond- es, por nao
ser prejudicial it safide, encontra-se nas
principles casas de cabelleireiros e em
toda.3 as'boticas principles da Pernam-
buco,,aors, Bartholomeu & C. Mau-
rer dC. erua daCadeia n 5A, 1.6 an
dar.

Fumo hollandez
Se cachimbos de barro vende
H. Ledebour, rua do Commer- h
^ cio n. 17, Mo andar

Caellas mortuaris
Rua o ra6 I da Victoria foutr'ora
rua Novf] :n.40, 1andar, tern bonitas
capellas de flores artificiaes, porprege
cozmodoso aslt como fazem de per.
petuas Aaturaes, s-endo estas feitas a
encommenda trees dias antes.
Aceoes tre amigos
Fica transferida da tl deste mez para a 2a ao
mesmo, a acAo que corre corn a sort de
4:000S, um relogio de ouro de lei, e coma
immediate um annel inglez, de ouro
I S- 'a 1 _- -


Sociedade


Precisa-se de um socio qtf teanha o capitAf
de 800w a 1:000S000, para tavernas ;qaem ti-
ver e quizer, p6de dinigir-se ao caw .22 de
Novembro n. 54, quo acharA corn quem tratar.
Sem um dos primeiros points de nego0io desta
capital. ......


,MAIIkAVILliI

. L !


n. 9, e


-se


no telbeio que servi param.a reconstrucoo da
po&ti do Aftodos, porvao de madeiras de
que 4`e iquandaded de pedaCos de ama-
rello, de 5 a 22 parmos de comprimento, pro-
prios pamf offieiaes de msacneiros e carapi-
ass, ami* co me ,1,S0pe plms de gradeamen-
tode madeira que serviram no passadigo da
referida ponte
Attenao
Vende-se uma armallo na entrada
da Torre propria para venda, qcuja casa
onde esta collocada tern comodos para
familiar; dependence ao lado. Tambem
se aluga, caso faga mais conta ao pre-
tendente: a tratar i rua Direita n. 30.
A10


+


Popines, que ka de 'mlis PSto,
a 320,e 4M .
Ditas -de linho E seda, sortionto
sem .opetenia a 00 e 500(-.rS: a
DIA sa soda pura, B
oos 0'004N0O rs. ; ajvtee-
Osoo de4e seda. o, Q melor
f vindo, a 'estai-a-
Gewdenaples a 2500 e 2
pecbi"-hifca,.,, 11:% *:
Setins de todas as cores, ioM ave
Daimarks. a 150C ;i'Macmaoft.-
SOutros tecido-intei
;-- ^ & 11 nov"s 1 /l '1,1
I .4ue:zas de oura s6 clr, fazenda
goo, a 800 rs. cova4,4; d bom
tlff^ Imam. *.:.:.I1I


amrr


lscado para mesa,
part dita, do W4d
kt'com 10i altn
Lvara? e o


0. P t, P .b....lva
i n .o + inm'vaNi4 -Ath p .. ..'fn c


Medlcina e drurgia
I Dr. Cantalice
Medico operator pela Faculda-
de de Medicina do Rio
de Janeiro.
Especialidades:
Syphilis, molestias das vias
respiatorias e dos centres aer- '
Chamlados por escripto a qua'-
quer hora.
Consuttas das 9 ia 11 hqras.
6do setr .procurade a Ita
Nova ni. 58, segundo andar, ou
na mesma rua.
51-P-armacia opular- s
-~ aaoOftr


Vk


m


__.. = .... + -


w


AL


tu


sh


E' para acabar
MCortes de vestidos de lo e seda, padres
modernos ; vendem Amaral, Nabuco & C., rua
do Barilo da Victoria n. 2. ______
Grandes espelhos
Amaral, Nabuco & C. receberam elegantes 0
grandes espelhos francezes, ovaes, d Luiz XV,
moldura dourada, vidro biseaut6, e vendem
na rua do Barao da Victorian. 2.

Cal de Lisboa
J Vende-se cal de Lisboa, chegada no
ultimo vapor, em muito boas barri-
cas : no largo do Corpo Sartto n. 15,
primeiro andar.

Campo na cidade
Vende-se urma casa reformada de novo, corn
6 quartos, 2 salas, sotio corn janellas, eozinha
f6ra, estribaria, cocheira, deposit d'agua,
banheiro, quartos, tanque do lavagem, jardim,
e graride quintal, em uma das melhores ruas
da Boa-Vista : para ir ver e tratar, a rua Nova
numero 43.
Batatas
Vende-se muito novas a 3000 a cai-
xa e 60 rs. a libra na rua do Livra-
menton. 31.
Tomem nota:
14-Rua do Imperador-14
0 ARMAZEM DO NUNES
(Nutriqao instantanea)
Grande variedade
de generous alimenticios
de superior qualidade.
Modicidade espantosa!
Facilidade gastrica!
Vantagem proveitosa!
Veitjam:
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara-
tissimo ; garantir a superioridade de suas
mercadorias; sustentar uma prodigiosa varie-
dade de generous raros e saborosos, e final-
mente mostrar a facilidade de qualquer pessoa
passar bern corn pouco dinheiro.
Custa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se ha
quern tenha sortimento mais variado e supe-
rior ; que venda mais barato e d6 melhores
provas de sinceridade e franqueza do que o
-- Vende-se uma negrinha fula, de 18 annos
de idade, com um filho de 45 dias de nascido,
e corn muito born leite, propria para criar al-
guma crian~a, ,6 muito sadia e limpa, cozinha,
engomma, lava de varrela e ensab6a, cose
costura ch&: quem a pretender, dirija-se &
Olinda, Arua de Fernandes Vi.ira, antiga Ma-
thias Ferreira, casa de sobrado, varanda de
paio, pintada de verde, que achara corn quem
tratar.

VINHO MARSALLA
No Restaurant Italiano Ait rua das La-
rangeiras a. 23, vende-se o excellent
ViffihO salla 1elJV t Faltoria de Gia-
come, t preo commodo.
VESTUARIOS PARA
BANHOS DE MAR
Vendem Amaral, Nabuco d C., .& rua
do Barao da Victoria n. 2
059 !
Rua do1 Queimado
Primeiro brado da barateza I
Admirem Admirem
Finas nansuks para vestidos, cores
fixas, a 260 rs. o covado !
om eortimeaito de cretones siasos,
a360e 400 rs. !
Mati4osas e flores do prado, a 400
# r e ., ,
C. mtas finissimas, clarai e escu*5, a
240 e 260 reo,


o-r"


















v"4s "ia Tambem mm

Sem ego
t4dW0 o cam fl 2 d ix.
SAIIN1 S o BROTHRS &r bem pare
render em seu escriptorio na paa do 06rpo
Sanlon. M14:
Tintas em massa, branca, de alvaiade dezin-
eo e de chumbo, verde e preta.
Oleo de linhaoa em latas de 8 1l2 gales.
inho dO Porto, superior.
Dite Sherry.
Gognac.. EvI caixas de urma duzia.
Cerveja branca e preta, da muto cnnhecid?
area Z, em caixas.

Verniz para mobitias e


armacoes
Querem envernizar suas mobilias
S 1por 15 000? E' o custo de um frasco
de verniz, que da para envernizar uma
mobilia. Gonserva seu brilho por es-
pago do 6 annos. Os frascos tern nos ro-
tolos a maneira como deve serefita a
sua applicagao e por isso po6de ser ap-
plicado por qualquer pessoa.
VENDE-SE NA RUA NO VA N. 30.
VWosecapellasparanoivas
Chegaram lindas capellas e veos de blond
de seda para noivas a 6, 8 e -10, e baratissi-
mo : na fragata amazonas, rua DNaue de Ca-
xias n. 47.



PECfIiNCHAS
Lirndissimras baptietas para vestidos
a 240 rs. o covado.
Variadissimno sortimento de maript
zas, a 400 rs. o dito.
Grande sortimento de popelinas parn
vestidos, a 400, 500 e 600 rs. o covad(
Maripozas brancas, o que teni'vindt
de mais gosto.
Riquissimno sortimento de cretone.,
corn desenhos inteiramente novps.
Popelinas de seda pura, a 1#090 t
10200 o covado.
Popelinas de seda branca para casa
mento, a''t.000 e 1U200 o dito.
Madapolio francez de duas larguras.
a 56000 e 58500.
Cambraia transparent para vestidos.
a 3 -500 e 4i000 a pega.
Fustio branco para vestidos e ves.
tuarios para meninos.
Bramante com 4 larguras, a 16500 L
vara ; 6 muito barato!
Camisas bordadas para seihora, a
35000 e 46000; que pechincha !
GorgorAo de li, de cores lindas par.
vestidos, baratissimo.
Leques de madreperola finos, dese-
ahos riquissimos a 10#000.
Chitas : grande s rtimento e para todo
prego.
Temos un, complete sortimento de
fazendas, das quaes a maior parte nao
annuDciamos, para nao enfadarmos
os d gnos leitores, e de todas se dao
amostras e mandam-se em casa da?
S Exmas. families para melhor escolhe.
rem: na Fragata Amazonas
47- Rua Duque de Caxias 47
Attencao
Vende-se uma important machlim
para cortarbolacha, em perfeito estado,
corn todos os jogos de cortadeiras: a tra-
tar na rua Imperial n. 208 ou no pateo
da Santa Cruz n. 1. -


:REmt :vAM AS mm st~yf wmymtfifi
L Fenos de.hink cpm letra e barra
de.c6 91; dioizia
ToahM:.lcoothoadas ara rosto a 41
a duzia. E' pechincha.-.
Meias de c6res superlerem parm -o
mem, duzia 88, 10 e 121000. Slo lin.
das.
Meias superiores para senhoras, du-
zia 108 e 125000. Admiral...
Brim bronco alcochoado superior a
38 e 38500 a vara. E' baratissimo.
Coques frisados do ultimo gosto a
51000. a
Co6rtes de linho bordado, a 125000.
Linho bordado, covado 500 rs.
Dito liso corn 4 palmos,covado 360 rs
Alpacas corn listras de seda, covado
500 rs.
'Chitas chinezas para coichas. covado
500 rs.


ja de Pereira "Si fra4I '.-
cretoks para ve.tiE.de f a e
Cheou mpara a loja do Pav-o' m
magiicfio sortimento dos.l is, encor
pados e bqvitos etohet ',q :'todu W
crest, tauto de la.U-w qiladrmo,
ue sa vendem a e 3960 o covado:
dpechincha : i rua do*Duque do Ca.
xias ni. 55, loja de Pereira da Silv
AIC.
Vestuarios para b i-

Ssados
Chegou pa;a a nova loja dd Pavao uum
bonito.sortimento de vestuario e toi-
I[tes proprios para baptisados, vindo ca-
rda 11M A son ii ,n i i.-.a .. on


Camisas brancas para menino, .us de 88 at6 248 ; isto rua D se de Ca.
0: xiat n. 55, loja do Pereiua Du Sio deCa-
Cam'braia slisas de cores,metro 500rs i 55 ja de Pereira da-Si
Algoddo corn 5 palmos de largura, Ia
vara o rs. ope.inesa 6 e400 rs.
Toalhas felpudas, mrnonstruosas, para Chegou para a loja do Pavao urn ele.
banho, .a 28500. gante sortimenfito de bonitos popeltia
Lindas rnariposas, brancas e de co. de quadfinhos, proprias loara vestidos,
res, a 360 e 44)0 rs..q covado. tendo de todas as cOres, quo se vendemr
FiI6 preto corn salpicos, vara 500 r%. a 360 e 400 rs. o covado ; assim como
Brilhantina preta e de c6res, tova- um bonito sortimento de mariposas.
do 500 rs. das mais finas e lindas que tern vindo
Esguido ainarello, corn duas larguras ao mercado, a 400 rs. o covado ; isto'h
vara 120,. rua Duque de Caxias n. 55, loja de Pe-
Lindissimas mantas de -setim para reira da Silva & C.
hormem, a '18000 e 18200. VENDE SE a taverna estabeleci-
Casemiras de cores, finissimas para da no quarto n. I da ribeira da Boa-
costumes, covado 38500. Vista, a qual e boa acquisico por de-
Especial flanella azul para paletot, pender de peqeno capital, ser muito
covado 3#000. afreguezada e em lugar demrnuita con-
Damnasco deo 1Ie seda, pglo diminu. currencia: a tratar no largo d&a Alfan.
to prego de .'.000 o covado. dega n 2.
Capas de borracha, prova (d'agua C no- A
vidade a 248000. .,
Cortes de casemira de cores, lindos 1
desenhos, a 58000 e 10000. VIinho df Bordeax
Camisas de linho para homern, o
que ha de superior, a 40$000, 50$000 a 4$000 por duzia de meias
e 60800)0 a duzia. garrafas corn capas de palha.
Ditas bordadas, uma 68000. caixas sortidas de vinhosfi-7
Ditas de bonitas cretores, a 308000 e nos "20000.
408000 a duzia. T II. Ledebour, rua do Corn-
Cambraia preta fina, vara 640 rs. mercio n. 17, 1.o andar.
Mantilhas d brasileira, a 58500.W, NKMN N 1g
ROUPA FEITA W
E' tdo bonito o sortimento deste ar- Cimento portland
tigo e por tao barato prego, que so llt6p rld
corn a presenga do elegant cavalhei- Vendem Jos6 Joquimr Alves .&C., drua do
ro, se poderd mostrar a realidade. Bargo da Victoria n. 69.
Bolsas e indispensaveis
Amaral, Nabuco & C. acabam de receber da I 0
En ropa. pelo ultimo vapor, um li ndo sortimento
'de bolsas e indispensaveis, de couro, seda e
de velludo, para meninas, meninos, senhoras
e home, sAo muito elegantes, e 'endem no
Bazar Victoria, ;A rua do Bar.o da Victoria nu- rPeelliha em camisas
mero 2. 1 h m t'
.. ........- -Camisias hrancas,". hm eollarinhn n


Potassa da Russia
A mais nova do mercado, e em pe-
quenos: vendem Domingos Cruz & C,, na tra.
vessa da Madre de Deus n. 1.


2(C'8 a duzia, uma 1w" .- .
, Ditas 'de cretone, 6oque ha de melhor,
a 308 a duzit. uma,2$500.*
Ditas francezas, btan9s, as mais ele-


Vestidos b ad gantes em punhol ecollTarinhos, diver-
Vesfllos borUaUos, sos gostos, de 505 a 605 a duzia.
a it, 12W e 14$ Grande sortiroenlb tarmbem de pu-
oja "America, f rua do Cabugi n. 10; nhos e coUarinhos.
ai e m vende por este preco, 0 rnesmo em meias e ceroulas, de
24-RUA DO COMMERCIO-24 menor ate o maior preco, bem como
Neste estabelecimento vende-se o mantas e gravatas. "
verdadeirQ e superior vinho de Boi- Antiga loja do Gu|Uerme, rua
deaux, tantoembarriseemoem engar- do Crespo 12Q
rafado, e mais barato do 9 _. em qual- .lap. O p rae n or
quer parte, por ser recebido de conta mWpbos para s'6 oras
propria. No mesmo estabelecimento glegantes e primoresamente enfeilaaos ohb-
compra-se garrafas vasis envidompra-gar vasinh due tor~enha' ~quaes est~o se vendendo por preo Muito
servido para vinho dBoreanx ou commode: na Fragata AMzonas, ruaDuq
cognac. de Caxias n 47.


RAP-El' irancez.
CIIA' preto e verde.
MALAS e bolsas para viagernm.
VESTUARIO para crian0a.
Vendemrn Amaral, Nabuco & C.,
do Bardo da Victoaria n.. 2.


roaI


Libras esterlinas
Vende-se libras esterlinas na rua do
Bruim n. 96.
-Vende-se na cidade de S. Luiz, do Mara-
nhAo, uma furidigaio completamernte montada
corn machines, officinas, mate iaes e accesso-
rios tendentes ao mesmo estabelI.iimento, por
preco muito razoaveh a traiar na mesa ci-
dade corn Francisco Antonio de Lima & C., e
para informagoes, em casa dos Srs. Thomaz.
de Aquino Fonceca & C.

VENDE-SE
IJns importantes lavatorios inglezes,
de mogno corn tampos de pedra, qua-
drados e triangulares para canto de ca-
sa, com os apparelhos prateades, gosto
modern, na travessa do Marquez do
Recife n.0 12 A, casa do ma.chinista de
gaz, Luiz Moreira & C.
La de Lisboa
Em pequenas e jides porOe. : vende-se
na saboaria do Recie.
Caamisas minglezas
a 28, 30 e 36$ a duzia, na fragata amazonas
ria a Duque de Caxias n. 47.
Alta novidade
Sedas escocezas, lindissirnos padres
a 800 rs. e 18; aproveitem que e gran-
de pechincha, na FRAGATA AMAZO-
NAS, rua Duque dCXaxias n. 47.


daiao
Na loja *0 trms
= Mo a. 20
Lindas liAnhas ded qiadrino, gostos
novosb a 320 rm. ocovadO : 6 pechincha.
Grande por&o de popelines de linlio,
bons gostos, pIra 240 re. o covado.
BOnitas batistes, todas sorlidas, miu-
din as, 240 rs. o covado.
E oayles de c6res, ultimo: gostos, a
440 r. o covado: aproveitenm.
L zinhas escocezas, padres escuros,
pa 160 rs. a covado.
-os certes de linho pardo,. liso e
bor ado, aberto-. urn.
C itas escuras 6 elarms, rIara 200 e
240 0 COVndO.
Lindisuinas mariposas,. brancas e de
c6re|, lias, de flores, achamalotadas e
arrenrdaaas, para 320, W60, 400, 500 e
600 rs. o covado.
.Bramante de algodAo, 4 larguras,
para 15400 e'15600.
Dito de linho, corn 10 e t11 palmos,
pare 25 e 25500 a vara.
Fazenlmas do ultimo gostlo, novas
Jaires Jiios, uma s6 c6r. proprios
pars vestidos, a 800 rs. o co\ado.
GorgQtores de la-, as mais lindas c6res,
para 909 rs. o covado.
As mais lindas popelincs de seda pu-
raporllBO0 o covadb.
Os mafi modernos rostos em 1is es-
curas, fingindo quadros, 80)0 rs. o co-
vado.
Elegante sortimento de gravatas e
mantas para senhorms, e muiLos artigos
de phantasia, quo vendemos muiito ba-
rato. -,
Loja das Qportas, antiga do
S.....-_ Guilherme
-- Luvas d. peia
.... ++de penlicla


Peas de cambraia Victoria,


final, a


38, a pesa.
Madapolio francez infestado, a 58 a
peca.
Brim pardo trangado, a 400 Ira. o co-
vado..
Chitas escurasy, a 240, %0 e 320 rs.
o covado.
Chales de casemira grega, padres
especiaes, a 28 urn.
Caseinira preta, fina,' a 18400 o co-
vado."
Camisap bordadas, finas, uma.
Organdis bordado corn fboi, a 500
rs o covado.. .,.
Peca de algodA0a 35 e 3s500.
IPea d6 cambraia transparente, fina.
a .3850(1 e 48.
Folores de cores, de la e seda, pa-
droes ultimamente chegados, a 500 rs.
o covado.
Chita escalate, propria para vesti-
dos e polonezas'a 320 rs. o covado.
Alpaca preta, fina, a 440 rs. o co-
vado.
Merin6o tranado, corn 6 palmos de
largura, proprio para roupa de homes
e de senhoras, a 28500 o covad(lo.
Setim Macdo de todas as cores, a
18500 o covado.
Toalhas acolchoadas a 48 a duzia.
Meias para meninos e meninas, de
38 a 48 a duzia.
Ditas de cores para horiiens, a 48 a
duzia, e outros muitq artigos por ba-
rato preco, vende-se mf grosso e a re-
talho a
A DO QUEIMADO N.43
4iazem e loja de Guerra &
Fernandes


Binoculos
de madreperola, marfim, tartaruga e
metal : vendem Amaral, Nabuco I C.,
rua do Bareo Victoria n. 2.
CappIas mortuarias
Amaral, Nabuco & C. receberam sor-
tirnento de elegantes capellas funebres,
brancas e pretas, corn as seguintes ins-
crip6es
A meu pai meu filho
AA" minha mai A' minha filha
A meu esposo Saudades
A' minha esposa Lembrangas
Uma lagrima
Vendemna rua do Baraoda Victoria n11. 2.

Fazendas e modas
Conquista
6- Rua do CabugA 6


j. ~A


vores, padre
em Paris, pelo m
rs. o ;ovado ;. ven,
btiscar as amfis
penhror: so Iio
mado.
Nanzukesal


da ruahqn d xas
S(Antiga do Quaimado)
Linho pardo para vestidos, a 160 rs.
o cavado.
Organdis cam listras de io, a 38500 a
pega; 6 modern;
Bretanha de linho puro corn 30 me
tros, a 8S a peca.
Varas da mesma, a 320 rMis; e pe-
cliincha.
SMariposa branca, bordada, a 400 rs.
'o covado.
Batistes finas, a 240 e 320 rs.'-) co
vado.
Mariposas 4 duqueza, a 400 rs. o co-
vado.
Cliita indiana, a 320 rs. o covado.
Brim pardo liso, fino, a 4-40 rs. o co-
vado.


-~


GER-JIL


244:


JDOS PREMIOS DA 14.


PARTE DAS LOTERIAS' CCONOWDAS POR LEI PROVINCIAL N. 946, A BENEFICIO l)A MTRlZ:.DEJABOATAO,


EXTRAHIDA EM 114 DE OUTUBRO DE 1877


NS, PREMS.
5 46
18 -
21 -
26 -
32 .-
39 84
41 46
46 -
.5 -1


54
56L
07
67
70
71
80
886k6 "


41


INS.


Pi


28
87
90
98
305
14
21
26
38
45
46

49"
54


REM$-

4#


4$


88
45











o**
* -. ,
-_: .,


NS. PREMS.





2 '? -







50. 46.&,.


8
39 -
48 ,'














52 30,
64 "206
66 4$


I 79 .- -
71' -.;

90
95 -
96 a
99 _. -
600 ,-
17 -




Io.181 -;
Ir .. f2 -

J"^*. *.^


,;-^T iT1


8~7
^f $. J


NS. PREM

737
43
44
46
4
69'
i-3
-75
'77
78
OW
98 V

801
16

33 '


38
43
44

52


70
70U


it4^1


IS. ?

4$



84
4'





8-l


NS.


I


953
60
62
64
68
7J
72
77
.78
85
86
91
.98

22
26

40
41
44
61
64
'69
75
78
. 87


PREMS.1

4$


20#
4.#


NS


PR


1166
67
68



13

74-,
27

36






28
39
43
54
75
77
78-


9
16w
27
30,
48 ''
60
62
72
81
96


IEMS.

80
4$


206
44


4~.q


NS. PREMS.


1464
69
,N-'73
76
78
96
1502 ,
15

19
23
26
68
73
83
84
91
9$
1600.,
IL .:
6h 2
13
19
22
29
33
44
4k.:

5 2


:4'3&I


!'1".7-
lutZ:


r~i~'.;~
~' ~


NS..
1737
I51
54
55
57
71
74


H803

12

18
21
27
28
31
46
.62,


r-


(uXf
'


P rEMS. J.NS. P IMS.
414 q25, 1#
32 -
36
-.37 -
r4.41^ --
S48 -




*4 0' ,46
++. -U7


***" --? .89 ---
S 58- -





'.: -- 97 --.
11 "' 0 2. --
A 67'40
-- 71 84


-A9
S1 0. -74 4'
'89
DO( .
8 9
rt 97-
'-2106 .

.,7 '


*-17 c
__ 19 .--
^ 20-
-- 27 V" -
2f;
-- ,8 /33 :. -
,, -,-.
i ,+.-,rd .6,;.': .*hij..


2144)
43'
55
63
G4
05
67
S70
80.
94




13.
' 4i

: 29.;.
^ 34
46-
56
69
76
--832-
*83


93
1'312
' V+


247
28
34
40
48
70'


* '


9 -^


21
.23
31
32
35
S37
55
58
59
79
91


I3 8.
23 8004


4"3 96
-3102 .
-- 12
13
15"
16
17
18 '
.- 21
43
5i .

.a. -#- I55
-- 55
' ., .1 :*' ,_:;- .:.
,-


vado
Receberam Almeida &d Campos as
mais lindos nanzukes para vesti"o,4.
gantes pad res e as mais mFU,
cores, para 280 rdis; e pechincha.
Rua db Crespo n. 20. .
Almneida & Campos.
Correias par no
Fog.es americanos pars
vaio.
Grades para a lavoura.
Machines para descatogar aigodao.
Machines a vapor de forpa de2 1|2, 3
e 4cavallos. .
Vendem-se na rua do Maiqtte
Olinda n. 14.

320 o eovado '
Almeida & C. A rua do Crespo n. S2
Receberam hontem novo sorkimBato
de lizinhas de quadros miudos e cu-
tinuamn a vender a 320 rs. o covado. Ca-
semira encarnada muito fina, e lindos
percales, cretones e batistes duas c6-
res para vestidos a 500 rs. o covado.
....-


400 rs. o covado
Rua Duque de o i n. 43
Corrain e venhawt ver
Popelines de linho e seda, padres
inteiramente novos, irso actualmente
em Pariz, por 400 rs. o covado: dAo. st
amostras corn penhor. 0 43 da rua
Duque de Caxias.

Vende-se-
o engenho Conceico, em Seribsem, nesta
provincial, muito born d'agua, oewndo salve-
jar annuaJmente 2,500 pies : quem o prtem-
der, dirija-se d praca do Corpo Santo n i5,
primeiro andar, once achara comn quem tratar
a respeito.
Capellas
Vende-se tres capellas mort~arias em per
feito estado, e per prego commodo. co es
seguintes letreiros : born pai, *de aeita
rninha dor meu esposo : na rng" .o l Jfarq
de Olinda n. 35...- "

Fumo se'
eni rolosde media arroha.; ve m
Madre de Deus nl /.It
-- Vende-se no escrlii
maz de Aquino Fonceca"l
do Vigario n. 919: s
Cera em grume. *'
Cera em velas. l ,
Cera dle abelhas. .-:
Cal de Lisboa. : "
Cimento Portland. .
Potassa da Russia.
Fio de algodao da Bahia.
Algodao branco e de' e6r, da Bahi.
Genebra ingleza, Old Tornm,
Vinho do Porto em caixas de uma
duzia e em ancoretas e barris de
quinto.
A 21 o milheiro
de cartas de a b c e taboadas brochadas,
organisadas por J. A. de Castro *NB-
nes : vende-se na Papelarian Commer-
cial, a rua estreita do Rosario n. 12.


PREMS.i


PREMS.


48
8$
45



86
4$


206
4$


69
70

75
70)
84
94

97
WB


160
63
67
73
77
79
82
86'
00t
8
19
36
.2.7
29
'32
36
40
42
47
50
58


61
63
69
71
74
87
90
93
3001
12
13
18
27
30
32
36
44
53
62
69
70
76
78


;.+,







1 :.... .


3372
73
94
3400

7
23
25
30
.31
35
37
39
48
53
58
62
CV)
69
7


I",i
78
79
86
94
99


14
19
S26
30

36
38
40
53


64
67
70
71
73
75
76
79
86
90


-- 9
S10
-.' i0
_., ;
'to

._' 35
8! 4(0
100# .47
4152
-C'
57

S653
60
__" 91



,- 20
.- 21

48
--53
1'5


2005$


41


-I









'.;7


tr,,,+.


0 wo


i


17 1'^ .


N


** ,i>B


T-i n r.- r c,


I^


'K T 1-4 *" V-1 IL r r. I


I a ,


, /


t


m


].tm-. +,._ |


It


I 1TA,
















Mtu1s proueo ct





i0 oI( m a bnilhai.tte
a e penia qu trat de corn-

R .,kn..oDE S. DOMtNGOS: --
p ado.
0 SR. BARiO. DE MACEIO : Presto,
.residente,a devieda hornenagem ao
lntat e aos eonhe1imentos do hon ra-
!' paeol ue'nambuco; mas,
I'Bwrdio cor o mod6 pelo qual pen-
I&P .dilve engender a autoridade,
p Ie icenga pora ponderar que, a
1 agrado 1itierario de suas nume-
ka itaoes, S. Exe. foi pouco feliz
"i'rsdeio r$cor'd co" feliz, e atd as vezes


co, mni!((r' reor rto |@nra ga-s
nhar dieheiro. -ufdo decmrnpoz o
tenure radio da 1, 4 s tL& aos sabios
attonitfis slet o rientes' de
( jel. Q s* nawd^ s e grnW31d' -h^^
m(im, queo faz honi5 t' A humthidade,
esse cerebro immeniso, Wvet o iiAis
bem. organfsado da especie liumana,
nao tinha lugar em que se albergasse
o pepsamento grossetro.do amora ri-
queza. [Muito beml.-
Era o evangelista da tnaravilhosa epo-
pda da creac&o; traduzia e-escrevia @na
vulgar, em linguagemi intelligivel .a
idea, o penearmento ao Creador; e fazia
muito rnerecido jus ao elogio pmnposo
que a sabedoria franceza the teceu,
corn toda a razdo, em urma synthese ar-
rojada que diz mais do que longos dis-
cursos nestas poucas palavras: Deus
fez o inundo e Newton o explicou...
Vozrs :-Bonito!
O SR. BARIO DE MACEI6 : -Benjamin
Franklin, o genio precursor de outros
genios amerncanos, ao sahir de urna of-


j ,.du e icia de cutileiro, entrando como apren-
re deputado, nao querendo diz na primneira typographia que no no-
aeeitar, como typo digno d4irnitar-se o vo mundo divulgou o maravilhoso in-
+systema da instruc-ao superior na In- vento de Guttemberg, lia e devorava
gatrn'a e i-a sun colossal descendente, todos os livros que Ihe cahiarn nas
a giandenacAo americana dos Estados- maos, percebia-os como nestre, na irn-
Unidos, declarott que nests dous pai- mensidade daquella intelligencia exce-
zes onsina-.se, estuda-se e aprende-se, pcional, c nao punha a mnira em fazer
nao por amor da sciencia, mas unica- unia operado fiUanceira pelaqual che-
monte para consegair-se uina )rofissito gasse a riqueza; era animado dos. no-
lucrativa. I bres e santo& desejos de preparer os
Senhores, esta proposiYao secca, des- meios do libertar a sua patria do domi-
carnada, desacompanihada de provas e nio estrangeiro, e 6nsaiava as azas,
corn o character ,ereal que represent mnai onsistentes do que as do Icaro da
6 doloiosanente'isjusta. (Apoiados.) fabala, corn que pudesse elevar-se aos
Emn qualq*er part do mnundo, quatI astros, onde chegou coin effeito, reali-
defidia suia vida intcira a um traballio sando o estupendo commettimento, pa-
continuo, freqniente, exclusive, decoy- ra arrancar-llics o segredo do raio, e
po ou de espirito, tern incontestavel di- provar ao inuindo que esse fogo do cdo
reito a tirar delle os mles de subsis,- nao 6 uin instrurnmento da vinganga di-
tei,Cia, de abastan(, a, e atd de riquoza. vina, e sim o effeito de causes natu-
(1 labor da sciencia 6 dos mais pesa races. A fortune atraz da qual voava o
dos e dos mais diflicios, e, portanto, sabioa americanoa no era a que reluz no
tco:i raioria de razeo devein sens cul- ouro ; era a que a'posteridade I lie con-
tores esperar mina recoinjpensa condig- ferio como uma apoftheose deiimmnorre-
na de renonme, de gloria e de fortuna. doura gloria pela voz' da poesia neste
I-sto, senhores, e natural, e just, 6 o simple; verso Eripdit celo falmen,
que teoi lugar e00 todes os paizes, e cceterumque tiranis !P
nao s6 na Inglaterra e. nos Estados- Poderia, Sr. president, ajuntar a
Unidos, que nao se extremrnam dos de- esses minitos outros nomes de poste-
mais pela avi:dez do ganho resultanite ros esentes, que, desprezando
a cultural scientilica., i fruiSoes materials, inspiravain-se e
0 SR. CoMAE[A D; .\itU;.,io :-0 nobre ioispiraifi-se na gloria de descobrir a
deputadome poderna contestar quo niao verdade, e de lanaal-a as nmtos cheias
J ojuizo dos escriptores o quo eu emit- sobl)re as que della carecem : mas, comno
ti-?. f Ninjuizo men. ja liz ver, nao tenho gosto pelas cita-
O- sit..BARIODE .LA(:CEi6 :-- Se todos I(oes; e por domais charno a attencao
,s eseriptores que V. Exc. consultou, v da camera para o grande numerom de'
,ibs qiaes nao tenho noticia, nern vagar sociedades humanitarias, de escolas do
para travar conhecimeinto corm elbs, di- todas as ordens, que ha na Inglaterra e
s 2,claro-lhe positivamente que I nos Estados- Unidos, cujos membl)ros
MIn"i n a-nverosimilnanca, eontraria despeclemn tempo e cabedaes serm nie-
aisimptos raao e ;to conliecihnento do ilhu1i1 outro tnteresse, que inao seja o
cora8ao h'iM3ano1 da protpagadao da luz, e o de benieficiar
Na Inglatrra e nos Estadost-Utnilos por Ltoilos os modos a humanidade.
ha muilos. hornems erm nmuero nio 1i1. 0 illustre deputado por Pernamnbaco
tenrior aos que existed em outro, InL- foi pois injusto nas imnmerecidas censu-
gares, que sacriticarn todos os seus in- ri's que inllinrgio aos dous aduinraveis
teresesss A p-jquiza da verdade pela estados em que. a liberdade ni6O 6 jA
veardade, hbruens que sa-o verdadeiros uma aspiratuor, e se tradwiz por factors
apomoss (da sciencia e qLue a collocam innegaveis :-foi iijusto na apreciagao
lacimna de tudo tondo ein vista s6mente quo fez da instruccuo superior daquel-
u betIda humanidade e nao o interesse les prizes. Oxala que o nosso estivesse
pecuniario. a eIse respeito nas meismns conrdicoes.
Se en tivesse as -:!nosmas iaabilitacoes Outra iujustica nao meano grave foi
sore rudeo mes no gosto pelas cita- imputada tamberm aos Estados-Unidos
.O6es, jue tern o honrado deputado por polo nobre deputado, quando fallout ido
Pernanbiuco, podenia apresoitar uma mercantilism da sciencia naquelle
lista assas long de sabios inglezes e laiz. Infd-iznmete 6 verdade, Sr. pre-
"imericanos que gastararn e gastam a si.lte, coma V. Exc. e n6s todos sa-
'xisteucia estudando constanternente, bemos, que alli a troco de alguns punha-
propagand(o a sciencia, e ,lue mnona se o ds e dollars,- se dao carts e titulos
curvaram ante as areas de Pluto. Dos de habilitaAo scienilicos, pordrn titu-
passados lembrarei apenas dons nomes los que nao passam de bullas falsas,
para evidedciar este men asserto. Isac qtie nao sao conforidos pelas escolas
Newton na Inglaterra; e Bejmtanli autorisadas e legaes ; e s6 representamn
Franklin, nos Estados-Utfidos. o product da fraude, do estellionato
Quando o primeiro destes genius des- icientifico.
.ol)bria as leis da gravitajtio terrestre, e o0 facto nao e exclusive a este paiz da


FOLHETIM ,rebeldes, capitdo ; a rebeldia 6 uih cri-
me de que nao me into capaz ; se al-
gurna vez Calouc jurar hidelidade ao
W) ^Fi IrIOS rul MOnf N l [itnperadoriD. &arlos, Calpuc scra oseu
tlS FILlt0S D0 MOlFIU- mais tiel vassallo.

IPo Emnbora nao sejais rebelde, re-
FERNANDEZ YjGONZALEZ (ldrg i, irmas o imperador meun anao 6
VOL UME I assaz poderoso pare vos conquistar e
V_ couqiista-vos. Podereis avaliar. Cem
PnIMEIIIA PAITE homens apenas form bastantes para
OS AMnRES BE n vAYE penetrar atd no interior do desert e
O APiT OS DLV dietar-yos condio,-s.
:APTUL V -Eu aventurara as ultimas palavias
th,1 ,- : sE SAB;i; P-,aQ DEIXARA.A SUA CAS., para experimentar a tempera da alma
o ,4APITAO ESTROPEADO de Calpuc, e notei que as escutara corn
(Continuaaiio do n. 232) altivo desprezo Em vez de se irritar
Sentai-vos, disse-me, e cobri-vos, elle, f6ra erle quo me irrit',ra a mim.


capirto ; estiis inteirainente na vossa U que demionstra, disse o anciao
,asa. 4^.ro quo me trateis coram fran- Yuzuf, interromnpendo o capital, quo
,tijeza e me respoindais lisa e singela- o. r'ei d'aquella gente vaial muito mais
Inerio ao que vom perguntar-vos. Ha Cqle tI.
,iiaito tempo atravessastes a fron- Deus te livre, emir, de te .veres
teira ? ern0 op)posiAo a Calpuc. E' umn homnem
Ha umn anno, ponco ;rais ou fe- corn alin.a de demonio.
nos, Ihe respqndi. Nao, creio que elle tern urnia al-
E dizeis queo frontoiro vos orde-- iti energica, que resisted corn urna for-
not que penetrasseis no desert onde ca prodiosa A adversidade. Mas con-
ninguem atd agora se atrevera a pene- tinfia, porque apezar de ter ouvido con-
t:rn ? r tar essa-mesmahistoria a.Calpu quero
irin, senlio-, rspondi. ouvi-la a ambas as parties Elle ac-
E quaes er..m as instruccoes que cnsa-t6 de bandido e assassinro, e.se
trazieis? volveui olhand para mirni fi- eu i nio te protegesse.
xaientee. Sedeno fez uni gesto de profundo
--Reduzir a obodiencia as rebeldes desdem e exclamou :
que tinihami recusado ,'assallagemn a S. Calpuc e6 qua vivo porque ttL o
A1. o granuel imiperad&r, nosso amo.. proteoes, emir ; mas continuemos, por
21. o .'- 'cniumoo
Estais em error, capital, e o fron- que tereas muito tempo para fallar'
teinro tamnbein o estava chamanhio re-, n essas cousas.
beldes aos habitantes do desert. Nao 0 frio aspect corn que Calpuic res-
Sexacto. Os homes que prefeiivn ponbeu as minhas arrogantes palavrais,
fugir das povoa(.6es conquistadas. para As quakes me davarn direito cern victQ-
seinternarem nnestas soledades, .para rias ganlas contra aquelles barbaros
virern procurar estas outras povoacoes, sem pePtda de urn s6 homrnem, contra-
desconhecidas ainda para os castellia- riou-me.
nos, naio sao rebeldes porque nunca Chegastes atd aqui, capitao, me
reconheceram outros senrhores senao os disse elle, porque Doens assimno quiz;
-iJBs falta de Montezuma defenderamrn porque Deus castiga em n6s os pee-
-a- dade e a honra dos mnexicanos: cados de nossos pais e a :sua cega ido-
Alo e que no Mexico ainda repta latria ; Dens" enviou-vos, niao-coio ai
t (aos hespanhoes que conquistar, liz que allumia, mas como,:. O pesgada
rto oslis nav e cs isar
e qui nasintnerminaveis soledades, nos que fere. Sois un hIlagello a'qu Deus
i tes oues, fa suas im- prestou a fora de sUif anoei tiAm-
oras e .viyera se b phais, yp orque e necn qure- trium-


o -ano paasaxo 4e, vr -upj
dolttior, p'm' ,mpdc-na -t 140
moIo que haviapqu: inlhtq,'
Rio de Janeiro, onR un, a :
neninuma da 4 cieaeias mas.itao, se
elle'hav 'caaqmpr4-do. -A
Na pirprita Alteu raha,$o eeAntWi
pelo no sre depitado, e om j raM por I
-que hojoe acha-se na vanguuartI-a dO io-
vimento ;scientijico, esses, titulos taffl-
beorn se. do; tambem ha o chamado
mereaiitismo.
UM IVoz :--D&o-seatd in-absentic.
0 pi. BAP&o DE MACiE6 :-,--DAo-so
mesm4 i -absentia, como diz o nobre
deputado,' conhego mais de unm que
sem teremn sahido do Rio dAe Jaro,
mandaram b isca titilos,--aqui estao
pavoneando-se cOi eles..
Mas, senhores, nao sej-ios faceis na
aocusaao.. Ito o -qul*di o mer-
cantilistno d#prop4?
ta. Taes titti= sio Qerdeados
pelos escolw' te sid b. r ada
fraud (apoiados), Praticao4& or em-
pregados subalternos da*, por
outros industrialists Cri o .. s, ue
abusando da confiancaieln ipit-
sificam as carts mediante quJdiuas as
vezes insignificantes ; sao o0 icto
ainda de uma fraud pratioadap r ou-
tra maneira e que assenta na t 41 de
conhecimento relative A identidiae* de
pessoa. I '
Na escola de Rostof, do qc lia no
Brasil grade numero de eao r ocry-
phas, coin as quiaes alis tp tinlgms
intruzoa conseguido -ser at fti stores s
de estabelecitnento -%-rires : nessa
faculdade, digo QIO r d Heydel-
berg, ha individuoS habHlitadissimos em
todas as inaterias de um tirocinio scien-
tifico; e que vivem de fazerexanies
cornm nomes de outros,. para o0luaes
obtem assim titulos, que so teron de
falso o nome dog que os conseguenm.
Quern quer urna carta de doctor vai
ou escreve ao sou correspondent, e
rnanda-lhe a competente quantia; este
entende-se corn o tal contrabandista da
sciencia, cornm esse sujeito que faz
traficancia coin seus conhecimentos,
e elle 'rpresenta-se fazendo exams
muito briliantes coin o nome suppos-
to, corn o do comprador, tira approva-
yoes completes, e em ,irtude dellas
duo-se aos que as exhibiram certifica-
dos ou titulos falsoi, semr duvida em
relano iAt identidade da pessoa. Esse
industrialismno criminoso 6 tanto mais
facial (iuanto nas universidades frequen-
tadas pj)r mnuitas centenas de estudantes
nuo 6 possivel aos professors conhece-
los individualmente, sobre tudo aos takes
niegocitantes de doutorados, que tern o
cuidado de nao se tornaernem conhliecidos,
e inesmo de so desfigurarem, andando
um dia corn grandes barbas, e outro
semrn ellas, ora usando de oculos, ora
nro, etc; V.-se, portauto, que nerm o
mercanrtilismo 6 exclusive aos Estados
Unidos, poik que tambem se faz, e em
l^ga escala na Europa, nern acredito
que pJ'ocolirnento -tlo reprehenivel
part das oscolas verdadeiras; como
lies reconhecidas, send, conforre ex-
pliqnei, urna explorndao da frautde, ma-
nirestadn por' mais de urna f6rrna. 0
illustre dePutado pot' Pernamhbuco,
pensando mel hor nas accusacoes quo
fez aos maelicionados paizes, reformarA
de certo o seu juizo sol)re elles.
Quanto a procedencia dos argiimen-
tos geraes; e applicacao das citaces ao
project em discussa' S. Exc. licou
no vago das generalidades": nao baixou
ao positivismo da realidade.
Parece-me que o illustrado professor
andaria mais avisado se cornbatesse o'


project corn razes positives e suas
proprias, que as poderia tirar-e -valen-
tes da bella intelligencia que possue,
.e se depois procurasse rpbustecel-a.,
corn as alheias, colhidas em casos
iguaes, e circurnstanci4s identicas. S.

cholera de Deus, volvi-Ilhe intencional-
mente, v6s vos convertestes uo chris-
tianfismo. -
Coaverti-me ao christianismo, por
que Deus quiz que me convertesse. re-
plicou-mne corn a g-'avidade peculiar
dos indios.
E porque e que send christao
resistis ai armas do imnperador ?
0 que por acaso nasceu 9. vosso
irnperador para escravisar toalo 6 nun-
do ? retorquio Calpuc comn mododes-
deahoso.
0 grande imperador e rei P. Car-
Los V e o maior monarcha da terra.
A sua granioza 6 um crime con-
Linuado, volveu Calpuc. Deixernos po-
rem vas disputes. 0 que vietes cA
fazer ?
Ja vo-lo dee arei. Conquistar ter-
ras a meu amo o imperador e dwrmrar
a fd de Jesus CiChristo.
Era por ahi quo devices S ria:
cipiado ; mas a fd de Jesutiwbristo
nao so derrama par meio daa fa
do iiioendio, "a inpureza, do abo e
de today o genero de delijto.4-
quizer deramra fa a de Jesus ahtdss t
deve s .wstolq e Avssa lar as
alhnas pd .i i e 5 vir1indeiPla
sabedori da H a pStavma. Se 1I os
trouxe a estas reae'tas tetras, OMO, foi
pela gloria do'seu noame ; 'sois igno
de.,1xialta-la.. Enviou-vos :eo.o a r
C"tttgp. %iO pelejais corn o V4 er Wleo,, icitados pela "f6, mas p Ia sede
o0Uro. Chegastes atlea' Axaidos
pela filna da, imontanha dou'radr' Teq.
parasites corn uma rgcha qualquer. Se
os vossos soldados soubesaem isto, nao"
teriatn sido tao atrevidos. Para encon-
ti'aiespojos abutidantes nio d neas-
sario penetrar no desert ; se pa'M
de estar a montanuha dourad 4A it
d'esta cid-.aidc estivesse alidi, t3e,
riels passado adiiT." Ein tod6 o caso
quanto ouro sera n cessario parasnos
deixwfdes em paz.? '
S-Toedo o ourO que'tendes. to a
riquezas que o-enthesourai pertetIcO
a meu amo o imperdor, edari e
*- ,o gre Cl Met.,;-ta t o
,Isom o -ouro do tem~pio ; ad-fr


114 o, ftao-egando a cotn-
orvenentes d-oeu modo de
mobei de, proI, "
pridente, en, setario ar-
W ade em, todas as suas
-stag6es, votando-ihe
qasi adoragao, )enho
Pdentro ( traca es-
imuta forges,
quer : litica e, partiou-
llar I ii arreira profissio-
nal ario. Como minembro do
coo to tenho constantemente
deo libaterdade (de nsinar o a li-
bd ena ea prndenr, teinho-a defend,
do na cadira da licao, no congress
dos profiti aes, na imprensa, nesta tri-
buioa,,0nde ainda agora a defend, e
atW nos onsultas corn que por different;
tes vezes me tern 'honrado o governor
do paiz."
Sempre tive a mnais.completa repug-
nancia a essas imposig4es de um mes-
tre e de umn livro, feitas a homes que
espontanea e livremente procuramrn as
fontes do saber, e .assim tamibem a
preseaa forgada, A chamada ao ponto
a liAo quotidiana, A sabbatinas sema-
naes, que s6 servem para impedir o
exercicio das prelecc6es, que teem hora
certa e determinada por lei. Imaginai,
selhores, o quo s.ria ura curso fre-
quentado por grande nurnero de alum-
nos, por 100 ou 200, corno os temrnos na
faculdadede medicine se o professor
quizesse ficar adst to a estas anti-
gualhas.
Dada a hora para a liM-o subia o
mestre a cadeira ; apresen'.ar-se-hia o
bedel com urma long list e chamnaria
um pot' umn cento e tantos ou duzentos
noanms. Por mais depressa que andas-
se naogstaria menos de unM quarto de
hora, .%ssado isto o professor abriria
a caderneta e chamaria um dos muitos
alumnus, pedindo-lhe a ligd).
Pouco que tlhe perguntasse e 'pouco
que se Ihe respondesse, is';o nao leva-
ria menos de outro quarto de hora. 0
que restava para a .prelectSo? 9Meia
hora.
A lei manda, entretanito, que so lec-
clone uma hora.
Descontando ainda um dia perdido
emn cada semana para a sabbatina, a que
ficaria reduzido A tempo em.que se de-
ve leccionar materias imporlantes, para
as quaes. 6 ouco o tempo lectivo de
seoe mezes? E, pergunto e:;, mesmo
assimrn o professor ticaria conhecendo as
habilitagaes e aproveitamento de todo o
seun auditorio ? Certamente que nao.
Senhores, este arsenal enf-rrujado de
prescripcoes, restos herdadog do antigo
system docente da vetusta Coimbra,
qqo alii's ja o naio tern, sempre me pa-
receu uma tyrannia anachronica, que
tern alguma cousa,de pueril.
0 Sn. COHnRi.U D&ARAUJO :-Mas de-
vemos respeital-d."P-' .. I
0 Sa. BARO DE "MACEi6O:--Devemos
reformer aquillo.'quoiiao 'ern- mais ra-
zao deser. -
0 SR. CORRa.A ""'ARAUJC :-0 pr
jecto niao trata disso.
0 SR. BARAo DE MACE(6 :--Como nabo
trata disso, se estabelece o ensino li-
vre ?
Sempre menareceu, ia en dizendo,
tudo isto Ltrmrichronismo que apenas
podia set apiplicavel As escolas pri'ma-
rias de latim; em que, para incentivar
o estudo, nao s6 coin a feruta lhavia os
partidos de Roma e Grecia, dos quakes.
ainda hoje conserve saudosas recorda-
coes, que se prendem ao tempo da mi-
nha infancia.
A. liberdade quo eu -quero e a qua
presto culro 6 esse sentimmnto pure
essa nobre emanaco diviaa iaoculada


no coracb-o do hornem e par elle senti-
da instinctivamente. NMo e a faculdade
de olrar indistincti e soltamente, semin
respolitar os direitosdos outr3s. 4do 6
a licenpa que detest ; nao e esta liber-

terra thesouros eni compapacao corn
os qu es nada 6 o que tender. roubtldo
u p ssais roubar, porque sabemos
onde ,stao as miuas de ouro e os ban-
cos e perolas, e as rochas onde se
acha diamante. So o vosso fiimn nao
6 out senao accumnular riquezas, fal-
lai ; onde prepo A nossa liberdade,
rAceb (i-o e parti.
i )tlvi, tornei-lhe pu. Ha um meip
de tu o conciliar. Quando entrei vi
uma rmenina.
Cab uc fez-se ektremrnamente palido.
minha fliha, replicou.
'iois bernem, dai-me vossa filha por
espos, e fico entre v6s. .ijudo-vos
corn os, m,,us invenciveis soldados ;
fundaab8s um paoderoso imperio a que
nao pOderdo chlar as hespanfioes e...
4-Sae as vos.,s -ultimas condivoes ?
peagQgu*u Calpnc interrrompendo-me.
-- Docididamrnente.

'- ljs be;, pensarei n'isso. Entre-
toW k emsai; oesta casa 6 vossa.Nao
esmrano4e -aeinio me -vedes por algumrn
temp A.qe' talvez gravee.occupa-
Om* ( imnpepam do apparecer. Adeus.
xE a esperar pela minha resposia
d"iapeceu.detraz d'urina taipearta.
Tac-to que vira e me inaravilhira,
oCl~i'aj'-di Calpuc, aiureza cor to e
fajla'i.a stelcaao, a exulencii tetgfs
sacerclotes ,thWicos n'um. pairz de ido-
llatras, e oa 4ada desde o mtnomc-
toem in lip no palacio do rei do
deset'oa filha do :luque de la Jarilla.
F6ra ella de aerto -que o convertera,
ella quae the.ensinara o idiomi% caste-
'lhano.
Seu apostoulo e mestrefdra o amor.
E nada de eitraaho- tinha isto. ID.
Itriez era mulhe. r uito capaz, pelo
eus cantos, |lto er do ciue quIr
que fosseo.t^rAt W que .sore
lavai noelay qu (.vef UM r eC.
-Fu proprio coflplendi ii .
igez seo irteressasse por isso, apezar
dos nemas habitno de libertino ee'(a1
.4er hoern
4ido me conve ria em honiem a
Fdrap ton inRrirtr a 0-0ift*ft -6 -nM


0 nlbr depat libpor Pernambuico
admitKo art. 1o. do project que confe-
i'a a 1lerdade- de ap.render; S. Exc.,
prdm, niio adopt o art. 20, qu e 6 um
corollario, urna corsequencia forqada'
daquelle ; isto 6, oppoe-se a liberdade
de ensinar.,,
Eu pass a lir os dous artigos para
que minelhor se conheamn as suas dis-
posigoes.
Diz o art..jo
( Nas faculdades e escolas de ins-
trucao superior abrir-se-ha regular-
mente, duas iezes par anna, pelo me-
nos, uma inscripgao par& exame, a qual
serao admittidos quantos o requeiram,
independent de matricula e frequencia
do respective curso official. )
Ora, d'aquiii se deprehende clara e
evidentemnente a liberdade de aprender,
a faculdade que se da a quern quer ad-
quirir conhecimentos de procural-os
onde mnuito bern Ihes aprouver.
Vamnos ver o art. 2.o E' corno.se-
gue :
C Art. 2.0 E' livre o exercicio do ma-
gisterio particular em cursos das mate-
rias de instructao superior, podendo
estes realisar-se no recinto das proprias
faculdades ou escolas do respective
cursor oilicial. ))
Da confrontaaio dos dous artigos do
project se infere que um nio p6de
existirsemr o outro.
Nao p6de haver aprendizagem livre
se nao houver ensino livre; pois do
contrario nulla e irrisoria a liberdade
de aprender.
Ora, Sr. president, a maneira de ar-
gumentar do illustrado professor pare-
ce-me laborar em contradicQctb mani-
festa ; dar uma liberdade e negr a ou-
tra 6 adoptar cousas que se repelem).
Corno se deve entendeim essa liberdade
de aprender se se nega o meio pratico
de a realisar ? A idea de aprender 6
uma idda relative, que presuppoe ne-
cessariamente a idea de ensinar.
Pois se eu dou liberdade a alguern
d(o aprender corn quern quizer, comno e6
que nao concede a quern quer que seja,
que se julue habilitado para ensinar,
o direito de o fazer?
A que fica reduzida a primeira liber-
dade sem a segunda, que o son com-
plemento natural ? A cousa nenhuma ;
ftica nullificada. E' precise, para havmer
3oherencia, que se admittam ambas,
ou que se recusem as duas.
E'por isso quedisse que a argumen-
tacao do nobre professor peca por
contradictoria..
Nao-me 6teuparei paor ora da pri-
meira liberdade, da de aprender, por-
que ella nabo e impugnada; tratarei
apenas da outra, consignada no art. 2o,
a liberdade de ensinar.
0 nobre deputado, historiando os
differences systems de ensino, o mode
de sern pelo qual tem-se regido ein todc
o mundo civilisado a instrucgao supe-
rior-, -fiurnerou os tres principals, dos
quaes o primeiio 6 a direoccao e tutehl
absoluta e exclusive do governor ; o se-
gunvbo 6 a liberdade complete e inteir
indepeiidencia, sem a minima interven.
cao (Io poder, e tsrceiro 6 o meio termc
entre estes dous extremes, no qual sc
casa a intervencao benefica do governc
corn a liberdade concedida em terms
habeis de ensinar e aprender.
S. Exc. repellio, assim coma eu re-
pill as dous primeiros, par ineonve
nientes," como exclusivos e absolutos
que sao ; e pronunciou-so em favor dc
system mixto, ou do term toddio.
Estamos no mais perfeitp accord ; en
tambem nao quero a liberdade sem
restriccoes, alias license no ensino;


nerm tdo pouco a. tyrannia adrnministrati-
vt do- goverfio, especie de censura prd.
via, que traria grande obices ao des.
envolvi mento das sciencias. Do mnesmc
modo que o nobre deputado, tenho poi
mui razoavel e admissivel esse systems
mnixto, cujas vantagens deixo de enu-
merar, porque ellas nlo foram contest.


por meineo do sangue, nao era precise
afastarmo-nos tanto da fronteira.
Procuraria o terrivel Calpuc corn um
punhado'de valentes, porque tinha in-
dicios de que se D. Ignez vivia, devia
estar em seu poder.
Encontrara-a d'um modo maravilho-
so ; mas se a ambigo. me impellira
para junto d'ella, amor, violent ainor
substituira na minba alma, desde que
a vi, os pensamentos ambiciosos.
,0 pedido da filha de Calpuc para
esposa fdra apenas urnm- pretext para
me approximar de D. Igniez.
Comtudo consumia-me, mortal .in-
quietaao ; cornmmettera serm duyida
urna imnprudencia em proferir diante
de Calpuco nome do duque de la Ja-
ri llIa.
Calpuc mostrara-se desconliado co-
rmigo, e era de receiar que occullasse
de tat modo D. Ignez que en nao po-
desse dar corn ella.
Serviram-mne de comer d moda do
paiz, no aposento que Calpuc me de-
signara, e depois ajresentou-se-mne um
indio, aue fallava mnediocremente hes-
patoi, e.participou-me .que seu se-
nhm enviara, para, w" eu quizesse,.
me servir doc guia e de interpre n ni
.cidade.
Aproveitei os seus servhios, sahi do
palacio por urn postigo que ficava mui-
to perto do men aposento, visitei os
alojamentos da minha tropa, a qual en-
citreiL disposta a tuAo, e percorri 'de-
pois a cidade.
Notava que por toda a parte se fi-
xavam em mim olhares desconfiados,
que as mulheres se escondiam de rnim
e qt os agoureios pregavam do urm
piodo enerrico, al r: minha proe-
-senva, na iag* a bll rbara dos sa-
cerdotes indios, lei d'ma mul-
'(id'o .silenel^^S "^ bibax-
AlgUa- agoqrer5- apontavemc O M
I raiva upra a u4dYq4apparecers r


lberdade d under ; o 2oae'.
sinar'; porde6il-las nao sao absolutas,
em seas offeitOs: teem fiwoal e correcti-
vo, esto sujeitas a i Wvencao sahitar
do estado.: .
Os oonhecimentos adqi"g assim
hvremente corn os mestres -'.da am
escoliher, nao produzem ipi;fl ffei-
tos legaes, para isso d neces .- que
quern se julga possuil-os vaiexhibir as
respectivas provas nas faculdades offi-
ciaes, perante as professors que sao
os fiscaes do governor. -
Eis, pois, realisado na letra e espirito
do project o system rlxto :-a liber-
dade de ensinar e a de aprender, e ao
mesmo tempo a intervenAo benefica
do governor.
Sr. president, esta liberdade de en-
sinar nrlo novidade erna nosso paiz ;.
ella existio sempre e existe em .relacao
no ensino superior; existe sobretudo em
relacao ao ensino secundario.
No ensino superior, V. Exc. sabe me-
thor do queeu, que uma das disposi-
goes dos estatutos das nossas faculdades
de medicine liberalisava aos opposito-
res o direito de abrirem cursos livres ;
em que nao ha matricula nem presen-
Ca forcada : assisted quaern quer. Aldm
disto, 6 aind niia ptincipio das nossas
leis organicas escolares'do medicine a
.declaragdo explicit que faz o chefe da
corporagao aos discipulos que acabaram
o tirocinio, e ao conferir-lhes a honra
do grubo de doutor, dando-lhes o am-
plexo que oine todos os medicos em fa-
milia de irmauos : declaracao formulada
nestes temos--podeis e.rercer.e ensinar
a medicine.
Ninguein pode privar o medico de
ensinar as doutrinas que aprendeu. Ern
outra qualquer sciencia do cursos su-
periores nao vejo que haja prohibiaao.
Se algnern se jolgar habilitado para en-
sinar a sciencia de jurisprudencia, poi
exemplo, c abrirL urIn curs particular,
Dinguem ihe p6de ir a mao, ninguern
p6de privar que esse curso se estabe-
lega.
No ensino secundario o que vemos'.
0 ind(lividuo que se consider nas con-
dic5es de ensinar as materials que cons-
titueon as preparatorios dos cursos su-
Speriores estabelece seu collegio, chama
outras pessoas a seu juizo. igualmente
habilitadas, associa-se a ellas, e exerce
livremente as funchqes do magisterio.
S0 governor exerce nisto apenas urina li-
geira interferencia: a sua fiscalisado
nao poe p6as A liberdade de ensino. 0
Sque succede e que o estudante que
adquirio conhecimentos em tues colle-
gios, nio p6de servir-se delles para as
effeitos legaes, sendo depois de ir con-
feril-os emn examne perante a inspectoria
Sda instruccao pul)lica, e perante as de-
I legados do governor : 6 esta a. unica in-
Stervengio do poder.
Se o principio esta adoptado na ins-
trunciao secuhdaria, se j5 existed em re-
laqao ao ensino superior quo muito 6
1 queconcedatnos esta rnedida coma com-
plementa, no qua diz respeito a este
) ultimo ensinio, igualando-o em vanta-
gens as que teem o secundario ?
) 0 Sn. GoiiRRiA DE ARAUJO :"-Adopta-
do o art. l0 do project se verifica-isto
sem inconvenient.
0 SR. CTTINA LEITAO :-Entao porque
- combat o art. 20 ?
0 O S.. CoRRAx tDE AnAuJo :-Porque
6 d desnecessario.
0 Sn. B:-.RO DE MACET6 :-Entenda-
nmo-nos" desnecessario porque ja 6 de
Ilivre exercieio, on desnecessario par in-
, conveniente? Na primeira hypothese,
- quo penso ser agora adoptada pelo
* illustre deputado, nao faz mal que se


legisle claramento em favor da disposi-
)ao consuetudinaria" na segunda, jA
Sprovei que ha antagonismno corn a pri-
meira, rielativamnente a essa inconve-
Sniencia, que repelle a conveniencia re-
Sconhecida da outra. [Continua.]


Ja indicar aos rieus alferes onde po-
deriarn encontrar-me,,.e ainda que a
minha sittuagio era diflicil e arriscada,
encheu-mne de alegria a idea de que tun
ataque da parte dos indios, mne autori-
saria a obrar na cidade corno em paiz
conquistado.
Assimn que entrei serviraam-me a ceiola.
No se passou muito tempo quando
percebi leve ruido il'um dos aposentos
immediatos.
Foi o mneu primeiro pensamnento a
suspeita de que talvez projectassem
surprender-me e assassinar-me, e es-
perei de pd no meio do aposento o que
es ivesse para succeder.
Pouco depois ergueu-se a taperaria
d'uma port, e em vez d'um assassin
entrou urna menina.
Era formosa corno urn anjo.
Poz, sorrindo, um dos pequeimnos
dedos na delicada boquinha, e chegaa-
do-se a mirn disse-me corn encantadora
conlian'a :
Senhor hespanhol, minha mni que
e .lannbein hespanhola, deseja fallar
coinvosco ; mas para isso sera precise
Suie me sigais sern fazer rado. Muito
devagainho e muito si l'mente..
- Tirei as esporas, e ift. erA de
supper que Caipticse'Osrvis
para mre armar irn laIo, liii
levar por unica arma -mi iha. a
que ainda tiahai na'"citara.t u.
Se nio a tivesse, "rguiria Estre
que assim se chamava-'a meninrl
ramente desarmado, aliats, seria ;
,frar f'aqueza on' desconfiania, ,
offendiao meu orgulho. '
Estrela agarrou-me na mao, coond-
zio- .e para f6ira dacamara, e le%,oJinme
&s ecurates por um labyrinth de ofe-
dores e de aposeritos. "
Final entramos n'un" oade se'res-
pirava ..urn ambient imlpgudQ de
iPerfumes, o que feazia spori,
estavamosn aost-a flNlXdt


Jr.


r
4


'.Li




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERRYR67J6_Z27W3W INGEST_TIME 2014-05-03T05:59:25Z PACKAGE AA00011611_13970
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES