Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13797


This item is only available as the following downloads:


Full Text

INSTMUCCIO POPULAR


0 "IVxocnVLO
(Extrahido)

PARTE I
GENERALIDADES
III--PROPRIEDRDES GEBAES DO VIDRO
0 vidro 6, como dissemos, bastante fusivel, pou-
co alteravel no ar, trAnsparente e incolor, e, se a
base nAo tor colonda, insoluvel na agua e em quasi
todos os acidos, muito duro, riscaudo a maior par-
te dos corpos, fi'agil, etc.
A transparencia e a brancura sao as primeiras
qualidades do vidro; para obtel-as, 6 necessario
empregar materials primas extremamente puras e
ajuntar o menor numero possivel de liquefacientes.
Umexcesso de potassa di ao vidro urea cor esver-
deada; a soda e os seas saes dio-lhe tuma cor
amarelada; e o excesso de cal torna-o leitoso.
Uma fraquissima quantidade de sulphate de po-
tama on de soda da-lhe uma cor verde escura, corn
visos de amarello e de negro. 0 ferro da-Ihe uma
aeeentuada eolorag.o de verde-garrafa; e o man-
ganez, empregado corn excesso, para tirar a colo-
raco devida ao ferro, ds`-lhe uma cor azul, que se
torna, pela acao da luz solar, em um violaceo pro-
nuncia'lo. 0 carvao da aos vidres cor de amardlo
topazio mais ou menos earregado, chegando mesmo
atW ao purpureo ; d este modo 6 impossivel obter-
se um vidro perfeitamente incolor nos fornos que
deitam muito fumo, assim como nos que sao aque-
cidos por meio de turfa. de linhite ou de huIha;
n'este caso, para se obterem vidros bran.3os, 6 ne-
essario empregar cadinhos cobertos ou retortas,
takes como &e usam no fabric dos erystaes, que se
6 levado A mestna soluglo pela necessidade de sub-
trahir o silicate de chumbo do contacto da cham-
ma do forno, que pode actuar sobre as materias
em fusilo. E' necessario tambem (perante este
poder corante do carvao), quando se substituem
no fabrico do vidro os carbonatos alealinos pelo
sulphato de soda ajuntar uma quantidade menor de


idem, .
idem.. .

avulao, de, dia anteriores.


* *


Por
04"fw


16*1 & 11'


.^m ^'iv


1A entrancial Pamra deoM catn de 2a entrania,
ambas Pa provincial do aranhUa,
Fei designada a comarca de Jaguaro, de 2;
entrancia, na provincia de S. Pedro do Rio-Gran.
de do Sul, para nella ter exereicio o juiz de direi-
to Francisco Jose de Souza Nogueira.
Foram declardos avulsos os juizes de direito
Da comarca do Mirandau na provincia deMat-
to Grosso, bacharel Candido Alves Duarte Silva
visto nao haver entrado em exercicio no prazo le
gal.
Da de Jaguarao, na de S. Pedro do Rio Gran
de do Sul, bacharel Aurelian&, de Azevedo Mon
teiro, por assim o have pedido.
Foram nomeados :
Juizes de direito:
"Da comarca de Miranda, de I. entrancia, ns
provincia de Mato Grossso, o bacharel Ascendino
Vicente de Magalhaes.
Da de Pastes Bona, de la entrancia, na do Ma-
ranhio, o bacharel Raymundo Joao de Moraes
Rego. ,
Da-o'na~d~tentrancia, nal da ara yQ,
o-1Yacharel Francisco de Gouvea Cunh% Barreto
ficando sem effeito sua anterior nomeagAo para a
de S. Joao, na mesma provincia.
Da de S. Joao Baptista de Campos Novos, de
la entrancia, na de Santa Catharina, o baeharel
Edelberto Licinio da Costa Campello.
Chefes de policia:
Da provincia da Parahyba, o juiz de direito D.
Luiz de Souza da Silveira.
Da de Matto Grosso, o juiz de direito Jos6 Car-
doso da Cunha.
Foi declarado sem effeito o decreto de 9 de se-
tembro ultimo, que nomeou o juiz de direito Vi-
centc Jansen de Castro e Albuquerque para o car-
go de chefe de policia da provincia da Parahyba;
viste nao ter aceitado o referido cargo.
Foi dispensado, a pedido, o bacharel Ascendi-
no Vicentc de Magalhaes do cargo de chefe de po-
licia da provincia de Matto Grosso.
Por portaria do 28 do mesmo mez declarou-
se sem (ffeito o deereto de 23 margo ultimo, que
nomeou o bacharel Joa'o da Silva Marques para
o lugar de juiz municipal e de orphaos do termo
de Itabaiana, na provincia de Sergipe, visto nao
ter solicitado o respective titulo no prazo legal.
Por decreto de 28 do mesmo mez foi recon-
duzido no lugar de juiz de orphlos do termo de
Santo Amaro, na provincia da Bahia, o bacharel
Pedro Franeelino Guimarles Filho.
Por decretos de 28 do mez findo :
Foi declarado sem effeito o decreto de 30 de se-
tembro ultimo, que nomeou o juiz de direito Leo-
nidas Marcondes de Toledo Lessa para o cargo
de chefe de policia da provincia do Parana.
Foi designada a comarca de Belem do Descal
vado, de la entrancia, na provincia de S. Paulo,
para Bella ter exercicio o juiz de direito Leonidas
Marcondes de Toledo Lessa.
Form nomeados : chefe de policia da provip-
cia do Parana, o juiz de direito Pedro Lean Vel-
loso Filho, e juiz municipal e de orphaos do ter-
mo de Santa Isabel do Paiaguassu, na provincia
da Bahia, o bacharel Tranquilhno Leovigildo Tor-
res.
Foi expedido A 27 de outubro o seguinte
aviso ao Barlo de Aguiar de Andrade :
@ 0 governo ita'iano por intermedio de sou re-
presentante no Brasil pedio que o governor impe-
rial se manifeste sobre a execugdo das sentences
estrangeiras, declarando se aceita as bases apre-
sentadas peio congress de Milao, como se vW das
copias juntas, e annue a tomar parte no estudo
preparatorio da material, confiada a uma coafe-
rencia que tern de reunir-se em Roma, e que .
composta de delegades officiaes de diversos pal-
zes.
a 0 go verno imperial, accedendo a este convite,
resolve nomear V. Exc., em cujas luzes confia,
para representar o Brasil na conferencia e pro-
nunciar-se alli sobre o assumpto A vista dos prin-
cipios geraes do direito patrio contidos na lei n.
2,615 de 4 de agosto de 1875 e decretos ns. 6,982
de 27 de julhe d-e 1878 e 7,777 de 27 de julho de
1882, dos quaes se lhe rcmettem os inclusos exem-
plares. k
,s E' escusado declarar que o governor imperial
nao se compromette pela adopclo de qualquer pre-
ceito que contrarie taes principios, ou depend da
resoluglo ulterior do poder legislative.
a, Aguardo a exposicao circumstanciada que V.
Exc. fara opportunamente sobre as questoes sus-
citadas e resolvidas na eonferencia. ,
Jmlnisterlo da F~azenda
Por decreto de 28 de outubro findo foi nomeado
2o escripturario da alfandega do Rio d Janeiro
o 3o> escripturario da mesma reparticao, Antonio
Jose Dins Machado.
Mlniftterio da Cluerra


, jresftar ojur ...nt do estylo. -Communicou-se ao fe.-- [ B de S. Exc. o Sr. president da pro-
Er.juiz de direito da comarea de Ouricury. ii ommunico a V. S. para os fins convene -
a Ofiios : wtes- lm seu officio de 22 do e rente, ,n".105,
Ao general commandant das armas.- De- re t [a despeza corn a publieae de editaes so-
fer ndo o ineluso requertento do 2.V cadets ore fl^^lamento e classifica*el de *Wores dos
2.9 sargento do 14.* batalhao de iufantaia Ma- oseo alforriados este anno 1elo fundo de eman-
Ramos Chaves, ahtoriso V. Exc. de ac- cip foi hojo proferido o despacho seguinte:-
noroe Roa on&h eianf is .Ex.des- z ttido a npco aTe~rad
- cordo eomna sua informacao de 21 do torrente sob a aor Sr. inspector da Theseuraris de
L, n. 539 a mandar dar baixa ao supplicants aceei- z pam mandar e etuaro pagamento recla-
i tando para per ell server, uma vez que esteja nas madn o havendo inconveniente.
condi 9es da lei o substitute que for apresentado. -- ^
A Thesouraria de Fazenda. De aceordo corn DAPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 5

- a informaco d'essa Thesouraria de 20 do corren- 1 DE NOVEMBRO
to sob n 715, n 'esta d ata au to riso o e gun h eiro A ...eid a, C... co a s"
encarrcgado das obras militares a mandar satis- tlta da rampo anne -Sia orara destacdata
fazer o pedido que faz o agent da enfermaria mi- Antonio erreiag Nobn eg a .otSi, derta data-
a litar de 2 globes e 14 vidros para os lampeoes da t onioFe r reira reoareoa.-Sim, cort as res-
o mesma enfermaria. 0 qne fage constar a V. S. dafe tas na relacao annex a portaia deste
para seu conhecimcnto e devidos fins.-Communi- Joir Joaquim Aloes & c;-sii artri-e-
-cou-se ao general.^of~aur lvs&C-iL as reftrc
eous,aogenerl. es W~as na relacito annexa e portaria desta
s -A' mesma.-Tendo em vista a reclamaitodo data.
juiz municipal e de orphios _ei .,.3Sy, r;,, r-. r-B M .---,--r,,- ....
,' & 'jin-r essay Thesouraria em off/i. .-.' o "'^ r.dareaeVImo-
, cio de 26 de setembro ultimo, 653 recommend "m.--Informe o Sr. inspector do Thesouro Pro-
a V. S. que providence no sentido de ser paga pela icpM.atdt?- nf e i d a Nr I
Alfandega ao escrivgo d'aquelle juizo, nos terms CJ f iltSr MaDoel r Joqui m de Sto.a. Neco.-d In-
do parecer fiscal annexo A citada informacao, a ei ra6 r -'
despeza relative ao salario dos operarios que esti- e d- .o i de Pern
verem empregados no servigo da arrecadagio das bSee'retarna da- JesKo 1a de Pernar
madeiras salvadas nas praias de S. Jose, Gravati bueo, 6 de november d ISE.
e Una, de 25 a 29 de maio deste anno, tempo an- 0 porteirf,
terior ao em que passou a ser feito aquelle servi- j L. Vifas.
.o pela referida Alfandega. Communicou-se ao
juiz municipal de Barreiros. C s ,
_- Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.- Co0mnaut Superlor
Communico a V. S. para os devidos fins que o juiz QUARTEL DO COMMAUNDO SUPERIOR DA GUAR.
de direito da comarca de Palmares, participou-me DANACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIFE)
em officio de 22 do corrente mez, que o promoter 4 bE NOVEMBROnnDE 1884.
public da mesma comarca bacharel Iguacio Ame. OE do lia4.
rico de Miranda, no dia 21 dcixou o exercicio do Oraem do din n. bo
sen cargo, por doente e que foi substituido ,pelo Para que produza o0 devidos effaitos faga. pu-
Dr. Eutropio Goncaves de Albuquerque e Silva biico aos eorpos da Guarda Nacional deste muni.
que f i nomeado para exercer interinamente o re- cipio que por decreto iraperial de 5 da abril do
terido cargo.-Communicou-se ao juiz de direito. corrente anno foi reformado no posto de major o
Ao mesmo.-Remetto a V. S. a relacao de Sr. capitAo do extincto lo batalhao da reserve.
tmais 2 escravos libertados no termo de Itambe em Thomaz Jose Mariaho.
audiencia especial de 10 do corrente pelo saldo Que apresidencia da provincia, por officio de 4
da 5.a quota de fundo de emancipacao, afim de de outubro findo declarou que o Sr. alferes da 2a
que se sirva de mandar pagar aos interessados os cowpanhia do 3) batalhao de infa tar*ia Ricardo
devidos valores, depois do praso do art. 44 do re- Henriques da le foi nomeado para o pbsto de te-
gulamento de 13 de november de 1872. -Comma- nentq-quartel mestre do mesmo bat Mhao, e nazo
nicon-ee ao juiz municipal. para 0 de tenente da 5 companhia,(como consta
-- Ao mesmo.-Inteirado do que V. S. informa da portaria da mesma presidencia de 3 de setem-
no officio de 14 do corrente, sob n. 698, declare- ultimo.
lhe que cumpre fazer punir os agents fiscaes de Que, finalmente a mesma presidencia. por por-
Garanhuns e Granito, qun deixaram de enviar ata turia de 16 do referido mez de outubro, designou
asora a essa Thesouraria como determinou esta o 50 batalhao do service active, para a elle fiear
Presidencia, as informacges exigidas pelo aviso aggregado o Sr. alferes do extincto 20 do mesmo
circular do Ministerio da Agricultura, Commercio service da Guarda Nacional deste municipio, Jos6
e 0bras Publicas, de 29 de margo deste anno. Francisco da Costa.
Ao mesmo.-Declaro a V. S. que nesta data Manod Martins Fiusa.
resolvi de accordo corn a sua informacao, em offi- Commandante superior interino.
cio de 30 e 31 do corrente, sob us. 717 e 718, acer-
ca dos recursos interpostos por Candida Rasa de AepartipAo da Polela
Albuquerque Nascimento e Armanda Julia de Al- Sacglo 2.a- N. 1,798. Secretaria da
buquerque Nascimento no sentido de interporem
se quizerem, seus recarsos para essa Thesouraria, polcia de Pernambuco, 6 de novembro de
per serem sujeitos a taxa os dous escravos, cuja 1884.-Ilm. e Exm. Sr. Participo a V.
entrada para o municipio desta capital deixou de Exc., que nao foi hontem recolhido Casa
ser averbada no praso legal. de Detenglo individuo algam:
--Ao Dr. juiz de direito do 2.0 districto crimi- de D n a :
nal.-Transmitto a V. S. para os fins convenien- Communicou-me o delegado do termo de
tes, o incluso auto de vistoria e de identidade de Agua-Preta, que na tarde do dia 1 do cor-
pessoa, praticado no cadaver do detente Jose Fran- reate e nas immediacies do engenho Von-
cisco Severino, que so achaea no Presidio de Per- tuiso, Jos6 Victerino Soares da Rocha e
nanv, do.Xx=Aa, onae 11mu cs'oSnrs a oha asssnaa
pulmonares, conforme se v0 do reterido auto que Panciseo Soares da Rodha, assassmaram
me fol remettido pelo commandant d'aquelle Pre- a facadas ao individuo de nome Theotonio
sidio em officio n. 1.397 de 10 do corrente. dos Reis.
An administrator dos Correios.-Remettendo Contra os delinquentes, que form pre-
a V. S. a correspondencia clatada de 22 do correnO
te, a qual dinjo hoje as juntas classifieadoras de sos em flagrant% precede-so nos terms do
escravoi e aos juizes de orphaos sobre applicacoes inquerito policial.
da 6a quota do fundo de emancipacol, recommen- Deus guarded a V. Exc. IMm e Exm.
do8lhe que fa eg ao sou destino na primeira Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
opportunidade determnando aos agents dos cor- *j p i. de
reios competentes immediate entrega. diane presidents da provincial. -0 chefs de
Ao Dr. juiz de direito president da junta re- olicia, Manod Ventura de Barnos Leite
v'sora do alistamento military da comurca de Pa'- Sampaio.
mares.-Declaro a Vmc. para os fins convenientes __
e em resposta aa su officio de 18 do orrente que
nesta data determine aos juizes de paz, presiden- amara municipal
tes dos juntas paroehiaes de Nosasa Senhora da ADDITAMENTrO AOS DESPACHOS DO OIA 29 DE
Conceicao dos Montes e S. Jose de Agonia de OUTUBRO DE 884
Agua-Pea sobpena de espesab~llidade, cre Ferreira & C.--Attendidos em parte ; expedi-
primento da ordem desta Presidencia contida em rms scneine res
officios que lhes forum dirigidos em 12 de dezem- Gram-se asonveni. entese o rdens. oaore
bre do anno passado, relativamento a remessa de curse.
urea relacao nominal e minuciosa das pessoaa in- niESpArTHOS nDO DA~S 4. E 5 DE NOVEMBRO
eumbidas do allstamento militar que .er censor- ^ aSDSMS4Et ENVMR
ride e eoncorrem para o nao cumprimento da lei. Palel r. coronat DLecwo, commlssarto de
-- An juiz de paz p~residente da junta de oils- aferiyfes e mercado :
tamento military da parochia de Nossa Senhora da Ferreira da Silva & C., pedindo que a revisao
Concei~ae dos Montes.--Constaudo de officio do dos pesos e balanca do seu estahelecimento de pa-
juiz de direito, president da junta revisora da doris, sita a rua de Santa Rta n. 39, seja feita
comarca de Pahinares de 18 do entrente, qae ain- em seu estabelecimento, visto ter a balanca forca
da nao se proceden nessa paroehia an alistamento maior de 300 kilos.--Como requer.
military caneernente ao anne proximo passado, ha- Gratuliano & C., pedindo licenca para abrirem
ja Vine., sob pena de responsabilidade, de dar cure- um talho na casa n. 14 ao largo do mercado de S.
primento a 'ordem desta Presidencia, centida no Jose.--Sim.
finnl do e fficeio que lhe foi dirngido emi 12 de de- Pale S.. Dr. Jose Osorio commissario


zembro ultimo. ___ -
Igual aojuiz de paz da parochia de S. Jos6 de e^Vic:wg
de Agenia de Agua-Preta. Francisco Primo do Couto, pedindo licenga para
d- A engenhia ro da s Obras Maitares.-Auto- mandar concertar a frente de sua casa de taipa,
Aoengnhero ds OrusMiliare.-Ato-sit& a estrada nova do Caxangl, freguezia de Afe-
riso Vmc. a mandar satisfazer o incluso pedido de I
dous globes e 14 vidros para os lampeoes dasenfer- gado, substituindo alguns esteios e fazendo os ne-
maria military, uma vez que para a respeetiva des- cessarieosreboeos.-Sim, page o imposto
peza existed credit segundo informal o inspector Joss Onofre dos Reis Marinh%" pedindo license
da Thesouraria em officio de 20 do corrente, sob n. para mandar correr o telhado de sua casa de tai-
715. pa, sita a travessa do Cunha, rua Imperial, subs-
-Ao Thesguro Provincial.-Nos terms da tituindo madeira. Como requer, pago o impos-
sua informagco n. 220, de 16 do eorrente, mande to. 1 4
Vmc. pagar a Fielden Brothers a quantia de Jeronymo Francisco Ferreira, testamenteiro in-
11:789f870 constant da inclusa costa drovenien- ventariante dos bens do finado Manoel Alves San-
te do gaz consumido corn a illuminaeo desta ci- tiago, para mandar fazer pequenos reboeos no in-
dude durable o mez de setembro a olmi o findo terror e exterior de sunacasa n. 196 a rua do Co-
... A ome de accordo poxm o s indr. ronel Suassuna, freguezia de S. Jos6.-Sim. dan-
-An mesmo.--De aecorio eom a son& inormagaor
n. 221 de 16 do eorrente, autoriso Vmc. a mandar do aviso ao fiscal.
pagar a Fielden Brothers a eonta junta na impor- Laqrindo Feij6 de Mello, para mandar coneertar
taueia de 1578500 pveniente do gaz consumido o muro de suacasa n. 185 a rua Imperial.-Decla-
com a illumimwso d0 qaartel da Soledade no tri. re o supphcante em que consists o concerto.
mestre de julho a oetembro ultimo. Manoel Marques. de Amorim, pedindo que fe
Ao mesmo-Mande Vw. pagar nos temo' proceda nova avaliagio relativamente a invest.
-- n msmo--and Vm~pgarnosteMOB dura du torrten0 d~flUndo da casa n. 77 a rua de S.
da sua informal n. 222 de 17 do corrente a Fiel- Jera 4"to ren onformer n a rudeir.
den Brothers a quantia de 294,80, constate da Deferidoc
inclusa conta e proveniente do gaz eonsumido eom Dferido.
a illumina&V da Casa de Detengao durante o tri- Paoe Sr.- es Cavalcante commissa'no
nmestre de julho a setembro ultimo, de vdicia :
Portaria: Barmina Maria do Nascimento, pedindo que
,A' Cam -M ankpal de Painellas.-Declaro sejam feitos os dwidoo lancnamentos no sentido de
Caman Municipal doe P-aellas que ficam ap- tor transferidoa sua"quitanda da easa n. 8 para
provtas as arremshijea dos 'iuipOost bootante a de n. 10, sits ao largo de Santo Amaro. -Como
do tem Znnxo e de 29. doe stembro requer, "M&mio o imposto. A. outadoria qaan-
findo, zeiepto a do-"wiw G a de &o do pow e do fixer aiverba*a, attend& a iafermaso do fie-
=WW~i asjervigo d Mameetek sob a "mi. Ca
Big~ft^ da 01101rcaaaf, ConionM o duSposto:no art. B'm'a & S84jeplican 10 da lein1,1 de 21 dejunho de 1875. q;ue proee wer de 600 o valor locatio do seu ea-
- MPI' 9 KWs DO -Z cAsMo tabeleikemeato sito a rua do Livramento, n. 24. -
L to : Attendidos.
A Dr. chefs deo pda. -De-ordem do 4 zn. 6 Carziro, Azevedote (1., pedindo que nesta fir-
Sr. prediowte da oavmiio, Co &V, Va a. VA soja wMleetado o estabeleeimento de mercea-
ueaesta data -4e f aobrigadeiro eoin r. mito a rus do Camarao n. 17, que gyrava sob
dme aa&MO aido 8*4 ,4 W. apreijowtodo a a de Manoel Bibeiro omes. -Comorequerem.
V. quo ff H 8 b'rttoaeelt ea tr~t 1 1*are r v risxa reopeanWdu juntam1 Uma -10-


Francisco Alves de Carvalho, pedindo licenc&a nao se tem levantado queizas contra o preaidem
para abrir um, estabelecimento de seccos e molha- no tocante a eleiqc0. O acto do Sr. Ce rio A-
dos na casa n. 62 A a estrada nova do Caxanga, yvim que nestes ultimos dias tea rsde dideutide,
freguezia de Afogados.-Como requerem, pagan- corn algum azedume, 6 o da recusa de saiwo A
do o imposto. uma resolcao da assemblha provincial,revalidando
Francisco Antonio de Oliveira, pedindo que se- a venda da estrada de ferro de Canta Gallo, que
ja modifieado para 180, o valor locativo de 300 ; jA tinha cahido em caducidade, e fazendo aligwm
que deram ao seu estabeleeimento de molhados novas eoncessoes ao comprador, taes omeo gar.
sito A rua Imperinl n 58 A.-O supplicante satis- tia dc juros.
tapa a exigencia da contadoria. Por essa resoluco haviam votado eonmr-
Guimar.es & C,, pedindo licenca para abrirem dores e liberaes, aquelles em maior numero, asim
um deposit de chs rutos e cigarros no comparti- como votaram tambem contra deputados de ambts
mentor da frente do predio n. 2 A rua larga do os lados.
Rosario.-Sim, pagando o respective imp sto e o A questao nao tomou character politico: a vend
que deve o antecessor no mesmo estabelecimento, anterior, autorisada por lei, tinha sido affeeZa
conform declara a contadoria. pelo Sr. Gaviwo Peixoto. 0 acto do presideSte
Horacio Marcelino de Moura, par% abrir uma longamente justificado nas razoes da recusa:
4uitanda no lugar denominado Camaragibe, fre- a questa6o e tao complicada, que aqaelles que no
guezia de S. Loureno da Matta.--Sim, nos ter- a acomp,.nharam desde sua origem, nao podem
mos da informacao do fiscal, pagando o imposto. comprehendel-a bem, somente polo que diz o Sr.
Joaqjim Eduardo Ferreira, para abrir um es Cezario Alvin.
-40btleiia&,,tde taverna na casa n. 6 A rua do Estou no case desses, e nem procure agora es-
Motocolomb6, fre-gUeza-'f -& Afegd ..-Como re- clacer-me.
quer, pagando o imposto. 'I Os interessados dizcmque o Sr. Alvim nno sane-
Joaquim Moreira de Sampaio, pedindo hcenca 6onou a lei porque a estrada% em questAo, sendo
ara canalisar agua para A casa n. 12 A rua da pro~ongada e coin umn ramal para o Rio Prcto, iria
Ponte Velha e bem assiin para a de n. 5 A5 rua prejidicar a estrada de Leopoldina, cm Minas,
da Ventura, freguezia da Graga.-Sim, pagando e os oUlros affirmnm o contrario.
o imposto. A comiPissaso da assernhY, --v:,cial a que foi
Jos6 Maria de Lemos Duarte, satisfazendo a submettida a resolucao confornin-
exigenciada contadoria pede que se lhe attend do-se coin as razS<- da nao sancclo, Ttjdeirt
no que requereu, corn referencia a modificagao do parecer propondo que a lei seja adoptida por d valor locativo do seu estabelecimento de minde- teros. Em virtudc de urgencia votada pela ca-
zakt, sito A rua da Imperatriz n. 84 B.-Attendido. so, foi o mesmo parecer dado para A ordem do dia,
Joao da Cunha Vasconcellos, pedindo que seja mas nao entrou ainda em discussio, para nto pre-
modificado para 400.4 o valor locativo de 6004 judicar a passagem da lei do orcamento. Votado
que deram ao seu estabelecimento de mercearia este, scra aquelle siijcito a debate, e conta-se que
sito A rua do Livramento n. 28.-Indeferido, por passara pelos dous trcos.
nao ter provado o supplicante quanto o valor lo- Se o presidente e a asscmbl;i provincial nio
cativo do predio em que se acha o estabelecimento. interreirarain a questa.o no campo exclusivamente
Ponciano Pereira Leite, pedindo licenga para politico, nein por i-so deve-se pensar ,te para
mandar canalisar agua para as casas de ns. 19 e muitos dos que nella tomaram part, nao h..ja tn-
92 5 rua Im erial.-Sire, paando 0 imposto tivo politico ; visto que e negocio que interessa a
Theobaldq Alipio Muniz Saidanha, para abnr municipios que brevemente tereio de concorrer cow
uma casa para venda de bilhetes na rua Imperial o seu voto para a eleicao dos representant< a .la aa-
n. 8, bern como deitar distico 'e encanar gaz.- qo. Formigain de todos os lados os candidatos,
Concede-se licenga pagando os devidos impostos. que procuram agradar as influencias locaes, auxi-
Secretaria da Camara Municipal do Re- liando-as em suas aspiracies e desejos, quer os
cife, 6 de novembro de 1884. de proveito pessoal, quer as que pareram sormen-
0 porteiro, te fundados no interesse das localidades. O0 que
no sao deputados provincia-s, intervcem com os
Leopoldino Ferreira da Silva. amigos que o sa'o, coin tanto que fique-se sabendo
no district por onde sao candidates, que interes-
saram-se pela cousa, e que mais fixeram do que o
INTERIOR inoutro candidateo seu competitor, so competidor de-
AINTER IO ve ser considerado o co-religionario, cuja concur-
rencia, entietanto, faz muito maior mal, em dadas
Correspondenela do n iarlo de circumstancias, do que a do adversario natural.
Pernambuco Disto 6 frisante exemplo o que se estA passando
no 6, districto da provincia, ondc o Sr. Rodrigues
RIO DE JANEIRO--CORTE, 29 de outu- Peisoto, por aemais assoberbado corn as contra-
bro de 1884 riedades que lhe vai oppondo o candidate censer-
vador, o Sr. Thomaz Coelhc ve aoppor-lh~embar-
S RxAx -.-O movimentoeleitoral no Ceard.-Os gos um co-religionaro, que, diz elle, ainda na ul-
telegrammas d'ali recebidas e os do Para- tima eleiqi.o provincial auxiliou a obter a cadeira
nd.-A estrada de ferro de Canto Gallo. que occupa na assembila o Sr. Francise ) Portel-
-Recusa de sancgo a lei que revalida a la, o qual, abespinhando-se corn umn articulista
sua venda.-A eleicao na provincia. que censurou a sua apresentacao como candidate.
Candidatura do Sr. Francisco Portdea. veio a imprensa declarar, que para tomar seme-
-Um atheistapor um positivista.-O Sr. lhante resolugao nao precisava de licenca do Sr.
PorteUa aprescnta-se porque quer.- Peixoto, em que nao reconhece superioridade.
Resistencia do Sr. Venancio Lisboa.- 0 Sr. Portella, que 6 actualmente deputado pro-
Renuncia do Sr. Ferreira Vianna a vida vincial c ja' o tern sido em legislaturas anteriores.,
publica.-Falta de reunieo da Assemblea f i o mtroductor da illuminao p)r luz eloctrica
Provincial do Rio Grande.-Viagem da na cidade de Campps, do que multo se ufana, ape-
Priwmea Imperial e sen espoo ao Rio zar de outros penlrem qne a camera municipal
Grande do Sul.-Uma caus.i celebre da mesma cidade nao deve star satisfrta coin o
perante o jury da cwrte. contract que fez.
O movimento eleitoral no Cearl continfa ainda Por que o Sr. Dr. Peixoto, pergunta elle, p6-
a ser them forgado das discusses joliticas na de ser deputado, e eu nao ? Esta 6 boa 6 St.
imprense. Dr. Peixoto 6 republican como eu, 6 atheisa e
Sao repetidos os telegrammas que d'alli publi- eu positivista, quer a extincVao da escravid'o no
cam o Diario do Brasil e o Brasil, annunciando paiz e eu tambem; porem no pode pretender quepor
novas aomeaces de delegados militares, remocbes ter sido deputado uma vez deve ser sempre ..
de empregados, nomeacoes de fuuccioaarios resi- Nato son arrebatado pela ambic;Io, nem deslumbra-
dentes na capital em commissoes de servips no do polos explendores de uma cadeira na camar.
interior, afimr de que nao posaam votar na elei*,o dos deputados, poise estou velho para me deixar
proxima, e fiaalmente retirada para a corte de impressionar por vas apparencias, morrante ven-
officiaes do batalhao da guarnimao, que se tern pro- do que n'aquellas cadeiras muitos vaidosos tern
nunciado pelo candidate da opposicAe. perdido todas as illusaes.
Hontem publicou o Brasil o seguinte telegramma a Apresento-wre porque quero, porque 6 meu di-
do Sr. Bargo de Aquiraz. reito.
S Cear, 27 de outubro, as 12 horas e 15 minu. Si-o -stylo e o homem...
tos -. O ,*-'T Sr. Venancio Lisbon, depois de ter side' deela-
,, Barao de Caninde.-Remocoes e commisssues rode candidate p.'lo 1 district da entre, corn pte-
para fora da provincia de empregados publicos na aqciescencia do Sr. Pauline, e quandoji h-
nOs osfie am ossos elioeAaceo o i dado eomeco ao irabalho da procara de votw,
Ooffcias usso eeitres Ancleo, e-appareceu polo journal de hoje, agradecendoaos
greiros e Freitaa, arredados para a corte, amigos ei ao mesmo Sr. Pauhrno o acolhimento que
,, Cabala official feita corn horrivel violencia, prestaram a sua candidatura, e delarando ao ra
O sangue arrcmatara a proxima eleicao. otpoqe dit ea rtnc wm-
Pea prvidecia ao mperdor.(As ig- es0 particulates que nao se julga obrigado a
nado).--Barao de Aquira. declarar.


RIO DE JANIM o, 6 de novembro, is
3 horas e 40 minutes da tarde. (Recebid*
is 4 horns e 50 minutos, pela linha terres-
tre.)


F Foram nomeadox para a Themou-
Mraria de Fazenda da Parahyba z
2.0 eseripturarlo, Jond Peregrine
de MedleIrox v


:- Pol lambem nommeado official
.... de desearga da Alfandega da mes-
-a provincia Joao de Brito Moura.






(Especial para o Diario)

NANTES, 5 de novembro.

/: Deram-me aqui nesta cidade, dez
eases de cholera-morbus nested ul-
times diax.

WASHINGTON, 5 de novembro, tar-
de.

ResultAdon main completes, agora
e-Bieeidom, dam elei6es don dele-
gados que devem tomar part na
elleaio presidenciaS, faxem duvi-
dar da victoria don democratam.
Aeredita-me de preferencia que on
eandidaton republicanos trinmpha-
rao quer para a presidencia quer
para a vice-presidencia da Repu-
bliea.

PARIS 6 de novembro.

Monmenhor de la Vigerie, areebi-
pe de Alger, acha-e gravemente
dnte. 0 sen extado i-spira xeriam
iiqutetae~e.

Agenda Havas, filial em Pernambuco,
6 de novembro de 1884.


toje publicou este outro, dirigido pela redac-
91o &o Cearense ao Sr. Veriato de Medeiros :
x Seguio para o 4P distrieto o capitao Bezerra
em commissilo eleitoral. Form nomeados delh-
gados da Vicosa o capitao Sucupira, do Pricipe
Imperial o capitAo Esteves. 0 president quer
sangue: suas informagoes sio falsas Publique. o
040 district 6 o do Sr. Rodrigues Junior, por
onde parece que agora se apresenta e Sr. Tco-
dureto Souto, que para alli partio, s.gundo outro
telegramma, acompanhado do primeiro d'aquelles
capitaes.
Do Paran, cujo president o Brasil de hoje da
como inteiramente langado aos bragos do Sr. Al-
ves de Araujo, public essa folha o seguinte tels-
gramma firmado pelo Sr Eufrazio Correia:
% Coritiba, 28.-Governo destaca officials con-
servadores, havendo outros naio eleitores. Inspec-
tor da alfandega ameaga dc demissao os despa-
chantes; remoglo de empregados. Fazem pres-
Aao. a
Mais adiante segue este outro :
a Paranagud, 28.-Acabo de ser damtttilo de
despqchante da alfandeg4. Persiguigao politica.-
(Assignado).-Arthur de Abreu. n
Os eseriptores do governor, no Jornal do Com-
mercio, riepondem quanto ao CearA, que em tudo
quanto se tern dito ha exageracio, e que as novas
nomeagoes de delegados militares explicam-se pelo
estado exceptional em que se acha a provincia,
onde como em nenhuma outra os partidos s-& aham
profundamente devididos, e a luta vai-se tornando
tan viva e porfiada, que o governo nao p6de deixar
de tomar as precisas eautelas para que a ordem
nao seja perturbada. Quanto a demissao de um
engenheiro, pela qual tern sido arguido o presi-
dente, verifiea-se,.no dizer dos citados escriptores,
Mue o aceto proveio de ordem do governor que por
ta de verba para o proseguimento do serving
de que elle aebava-se enearregado, mandon dis-
pensal-o; send de dotar que o mesmo president
dando exoeua a tal ordem, propoz por telegram-
ma ao Sr. m o da 0ul q squellse en-
genaeiro fosse aproveitado nos trabalhoi da as-
trada de BatUrit*-
Eatre o pr$ e o contra articulados acerca da
admi:-straca- do Ceara 6 difficil apurar, por em-
quanto, o que ha de real e de que lado estA a
$zAc S6 o resultadod4 eleiao: nol-o diral A
verdade, por 6 que as nomea.5s ddelegados
militares, em vespwa de eleicoss, tem. caisado
ma impresslo no public maxiw6 -atendendoe a
qua no, dominio eonaervador os, libemw s eniiff
danwaam gotra qlaa, weso, uao a quadras ardi
':1QxLUto ao Pina Ns* 5 aanhau poderle, on es-


Havendo o Sr. Ferreira Vianna declarado pod-
tivamente, ao que me dizem, nao apresenta-se can-
didato por nenhum district, visto estar na fire
resolugao de recolher-se i vida particular e dedi-
car-se somente as scus trabalhos de advogado,
nao sei qual outro candidato conservador poderiL
ser apresentado.
-Do Rio-Grande do Sul chegam-nos noticiM
de que a assemblda provincial, que devia ter-se
r-unido no present mez, deixou de fazel-o a falta
de numero, por terem- se esquivado de eomnpareeer
os conservadores, afim de na'o ser votado o pare-
cer que condemna a pjna de suspensio o juis de
direit3 do Rio Grande.
No dia 5 do vindouro partem para sesa provin-
cia o Sr. Conde d'Eu, que vai fazer inspecow mi-
litares, e a princeza imperial, que fixari sua resi-
dencia em Porto-Alegrc em quanto o prince p per-
correr a campanha e frenteira.
-Foi aqui julgado nasessio do jury de 25 dete
mez, um process que atrahio a attenuca do publi-
co, pela natureza da causa,-abuso de liberdade da
imprensa, sendo autor o conselheiro Moreira de
Barros, representado pelo seu adrogado, o Sr. Mar-
condes de Andrade, ex-presidente do Rio Grande
do Sul e do Rio de Janeiro, e reo o Dr. FerTeira
dc Araujo, como co propritano da G-azda de Ntoi-
c/as, de que 6 principal redactor.
Nessa folha foi publicado emf agosto do aano
passado, um artigo, escripto ie Taubati, em 8.
Paulo, onde reidia e havia fallecido um grande
rlcasso.
Dizia esse escripto que o finado, que era intiso
amigo do Sr. Moreira de Barros, em quew deposi-
tava a maior eonfian9%, e tanto que tinha comw
guard livros um home indicado por elle, havia
dito a pessoas de sua familia, ponac dias ante de
fallecer, que existiam 600:000 em atma bmrra;
entanto que esta, quando foi aberta eetava vasia.
0 articulista, censurando o Dr. Negumira, B-
mos, irmao da viuva e sea advoge o, potr UOr
procursdo salma so& reput&4%o powdo m* mg,-
em pra./s Unmps pea unpren-1 proM-M 4a
a .i esa tareh, e contm umurea hu m uMio a--
ga e qna tanto desconchavada fasedo reenMr w.
bre o Sr. Moreira de Barros a r aF ihidf- o -a
que fez o tal guard livros, e aecr eftava, sto
outras insinuagus injurioess :
4t 0 guards UVrm Sebtmtv lo, poo lt --
o ne e GemmtradiA fi di*-dopworic.
paar repremaena o po e de lIdrlo ,Mtd iup-
dente, medianft =m divideaIS e ravsl..
Pordfimi sppsftaa paa 0 1
q=enafi
,ara do prWpri ad~ogs&.9 a* $MHW.*I1 PM%
004W seer'nniri 0 Br. Uiwl atmM *


Foi expedido o seguinte aviso :
Ministerio dos Negocios da Guerra. Rio de
Janeiro, 23 de outubro de 1884.
Illm. e Exm. Sr. -De posse do officio dessa pre-
sidencia de 7 do corrente, sob n. 294, no qual me
communica que a junta de alistamento military da
parochia dos Santos Cosine e Damilo de Iguarassu
nao poude eneetar os respectivos trabalhos por
nao existir alli escrivao do juiz de paz e nao se ter
encontrado cidadlo aigum que se quizesse prestar
a servir de secretario da dita junta, declare, em
resposta, a V. Exc. que o assumpto de que se tra-
ta ji foi resolvido por este Ministed-o pelos avisos
de 4 de novembro a 12 de dezembro de 1882, di-
ngidos is presideneias das provincias de Santa
Catharina e do Ceara, este ulttmo publicado na
respectiva colleocao das deeisaes do governor, e
pelos quaes se estatuio que, na falta do escrivao
de paz e de umn cidadao que aceite o cargo de se-
cretario, deve o president da junta de alistamento
military requizitar do juiz municipal do termo a
designacao de um dos sets escrivies para func-
eionar na mesma junta.
Deus guarded a V. Exe.- Candido Lui% Maria
de Ohveira.-Sr. president da provineia de Per-
nambuco.


. A20


proprc~aixfcr Janti


c.a fe Jaria i ol


TEL....

























-d% Bas os qww i (m1 ro sbUtd^
Seado apresabo do h iv Asadue o snp
de oa conhecidaa Ow qeraad, ixos( m
I tar a responabilid& do impreeor por ter se ve-
rificado que elle ja estava sujeito a uma condem-
Snaro por identica questlo de responsabilidade,
foi a queixa dirigida contra o Dr. Ferreira de
S Araujo socio present da firma social a que per-
tence a empreza da Gazete.
^1 Ojuiz porante quem foi dada a queixa, o 0r.
DL ento Lisboa, julgou-a improcedento, mas a
S relaQao do district, contra o voto do rielator do
o iito, reformou tal decision, e prouciwou q proprie-
tario :da folha, na falta do responsavel, que nlo
pde saer citado por ser ignorada a s reaidencia,
e do impressor a que faltava idoneidade para as-
S sumir a responsabilidade do escripto.
Annunciado cam antecedecia que naquelle dia
S eutraria o process em julgamento, teve o juiz
| president do tribunal, o Sr. senador Jaguariba de
S distribuir de vespera carties de entrada, attenta
a impossibilidade de ser admittida, quer nas gala-
rias, quer no sallo, toda a gente que queria assis-
tir a sessao.
Ao abrir-se esta era immensa a afluencia do es-
peetadores, entire os quakes contava se pessoas qua-
lificadas de todas as classes, um dos redactores de
eada journal, desde o do Commercio ate a Revista
lllustrada, corn except da Gazeta da Tarde.
Quem demorou-se um pouco mais,ficou privado de
entrar no salao, ondeja nio kavia espaco. No nu-
mero destes contava-se o Nestor do jornalismo
fluminense, o Sr. Luiz de Castro, do Jornal do
Cormmercio, que, dentre os que permaneceram na.
ante sala, destacava-se pelas suas barbas e cabA-
los brancos.
A sessao comegou polo julgamento de urni pro
cesso seren importancia, cujo reo foi jabsoJi/ido.
Ao meio din foi ehamado o Dr. F#rraira de
Araujo, qu. ldao acompar iado dos Srs.
9kjiit''iocayuva e Seijiando Na.buco. A maio-
- ria dos espectadores levantoiha-e (tcoino que para
dar mostra de deferencia e symrnpathia ptra corn o
accusado, em quem viam encarnado a causa da li-
berdado da imprensa, segundo ref.re urn dos jor-
naes, minas que talvez nao o fizesse senao machinal
e inconscientemente. Umn dus espectadores amigo
do Dr. Ferreira de Araujo levantou-se ; o seu vi-
sinho imuitou-o, o terceiro fez outro tauto s;un sa-
ber porque, e assimn p)r diaute foi o movimento
propagando-se. Esta 6 quo pe'r-ca ser a verda;tde.
0 advogado do autor, tratou o r6o coin a major
dferencia, conmeando por decJarar, que nao ia ac-
cusar, mas defender umrn amigo caluminnialo.
Corn tudo pedio que fossem applicadas as ponas
da lei, enmbDa, connecesse nao sor elle o autor das
offenses feitas A honra de seu amigo, mas era por
ellas responsavel. Concluio dirigindo-se aos ad-
vogados do reu :
SSozinando: --tu, (lisse elle, rcpresentas e s
o herdeiro do nome de Nabuco de Araujo, quo faz
bourn da magistratura brasileira. e cujo nomo 6
respeitado ; tu nao sophismarAs e niao torcerAbs a
lettra da lei e os principios de direilo, em favor do
constituinte. -Quiiutino : tu 6s um velho amigo,
aqui rcpresentas dipnamente os interesses da im-
preasa que ninguem ataca ; tu nao podes torcer a
boa razlo, e antes dcves fazer valer o vigor de
tua palavra em prol da verdadeira missio dessa
imprensa, que e o elemento do progress e factor
da civilisagio. ,,
Foi o Sr. Quintino Bocayuva quem primeiro to
nmeou a palavra pelo lado da defesa para dissertar
sobre o papel civilisador que a imprensa repre-
senta nas sociedades modernas. Quando terminou
foi applaudido corn urna salva de palhnas. Ao Sr.
Sezinaado Nabueo toeou a p.arte juridica de de-
feza. Tambem teve palmas apezar das observa-
6& de president do tribunal.
Houve replica e treplica, e por hnm foi o Dr.
Araujo absolvido unanimemente. Novos applau-
sos e muit)s abracos.


DIARIO DE PERNAMBDCO
RECIPE, 7 DE NOVE.MBRO DE 1884
N.otieia do Pacifieo, Rio da
Prata e sill do Imperlo
O paquete naciosal Maoios, entrado hontem do
sol, troupe as seguintes noticias, e mais as que
constam das rubricas Pare Official e Interior :
Pacifico
Datas telegraphicas ate 21 de outcbro :
0 Senado do Chile "adoptou o projeeto de refor-
ma d. coustitui9ao, apresoultado polo poder exe-
eutivo e approvado pela Camara dos Deputa-
dos.
Um telegram:ni de Arica noticia o incendio
do theatre, avaliando em 6O).000 pesos fortes o
prejuizo.
Segundo Los Debates de Santiago, do Chile, o
governor autorisou o consul chileno em Panama
para repUtriar por canta do Estado os chilenos
de.evalidos qoe o pelissem.


No din 6, o Sr. c nselheiro Lopes Netto, de-
legado do Brazil nos tribunaes arbitraes, deu
umn binqaete ao corpo diplomatic resident no
Chile.
Rio da Prata
Datas de Buenos-Ayres att 25 e de Montevideo
ate.26 de outubro :
Em audiencia sole:nu- foi recebido raplo presi-
dente da RBpublica Argentiua e ministro pleai-
poteneiario do Peru, DI:. Joao Luna.
NajRepubliea Argentina, o S3nado approvou a
suppressor das verbas do orgammto relatives aos
Eeminlrioos.
Algauns diaries p)rteahos pablicaram o parceer
do procurador nacioaal a'Ionselhando que o bispo
d3 Salta seja susp mso e subinttido a proee.3so
criminal, e b.m assim a circular do ministerio dos
nego.)cios estrangeiros ao corpo diplomttieo argeon-
tino acreditado em paizes estrangeiros expondo
os motivos que teve o governo da republican part
tomar a resoluglo de enviar passaportes ao dele-
gado apostolico e enviado p'enipotenciario da
Santa S6, Monsenhor Luiz Mattera.
Pelo ministry da Columbia foi offerecido A bi-
bliotheca national argentina uma collecgio impar-
tante de livros e mappas.
0 governor deliberou prohibir a entrada no03
portos argentinos dos vapores italianos Matteo
Bruzzo e Nord America, proeedentes de Genova
corn cerca de 4.000 immigrants e despachados
pelo consul argentimo naquella cidade corn carta
de saude na qual fez a observagAo de que o cho-
lera desappareceu. ,
Dizia-se em Buenos-Ayres que o Bario Cova,
ministry de Italia, ia reclamar contra a prohibi-
9go, tundando-se em que os vapors sahir.o de-
vidamente d spachados pelo consul argentino, em
Genova.
Tola a imprensa de Buenos-Ayres lamentou o
falleVimento do jiIolpho Mitre.
Pelo governor da Republica Oriental, foi nomea-
S do o Dr. Alfredo Vasques Azevedo reitor da uni-
versidade.
Monsenhor Matera continuava a residir no se-
minario, ende estava sendo visitado.
S3Rio Grande do iSaul
Datas ate 25 de outubro :
Em S. Borja na noite do 20 foi arrombada urns.
parede da casa de Jose Baptista Diniz, morador
no 3.0 district daquelle termo, donde subtrahi-
S ram umra canastra que continha a quantia de
S 13:0000 mais ou menos em moeda papel, ouro e
prata.
No din 15, em Pelotas D D r. Honorio Silviia
S do Amaral, caixeiro do Sr. Joo da Silva Silvei-,
ra, passando pela ra do Imperador, perto dS

() Emuma carts e el. .caba de dirigir
agWrcif orea do-fU~tricto, oomcca por Wtas pls-
J 1vraa :- iKl*\ "i' :
Pens& 1 V.'19. ^,Osm
Aseravos a DOVaniI
~0.


ino IkfAM, 4.. aK onrfl idia~i do I
us, e na Te Duim a pmce5 o
por 6 annos, e a egunda por T; pr D. Fancis-
ca Augusta Ferreira, o aeu escravo Bahiano, de
38 annos, corn a presta*s de servings por 3 as-
nos; em Mustarda, e por Jose Fires da Silveira
Lima, a sua escrava Joaquina de 40 annos de
idade, hlivre de onus; por D. Anna Joaquina da
Siva Terra, o- sw escrwo JMio 6 d- 9 smms,
igualmente sem onus.
Sata CasaurIna
Dates atW 25 de outubro:
As noticiae carecem de iatexmsme.
Na capital foram feitas as seguintes manumis-
soes : por D. Anna Candida de Govia A sua. es-
erava Eufrasina, preta, 62 annos, sem onus ; por
D. Claudina Rosa de Jesus A sua esorava Senho-
rinha, 24 annos, parda, corn olauwula de services ;
por Sergio Vieira de Souza o sea escravo Manoel,
21 annos, pardo, corn clausula de servings ; por
Antonio Francisco da Silva Areas o sen escravo
Miguel, 19 annos, preto, sem onus; e por Jos6
Candido Capella ao seu escravo Joao, 72 annos,
para goal a onde se achar, visto haver so ausen-
tado do poder de sen pai.
Paranai
Datas atb 26 de outubro:
A presidencia da provincia sanccionou o decre-
to da Assemblka Provincial autorisando J o go-
verno da provincia a conceder A Compignie G4-
i'trale dos Chemins de fer BrJzilhens.,_ cwnsvo-.
naria cda. eat E &'-io-'iTro 4& ParanaguA A Cu-
trA.Yba, A garantia de juros de 7 o/ sobre o ca-
pital de 500:0(i00000, para a construcaiio de
um ramid al entire as cidades de Antonina e Mor-
retos.
No dia 15 foi apresentado na mesma assem-
ble;, pelo deputado tenentl-coronil Joao Vian-
ua, umn projeeto de lei, considorando foriado
o dia 29 de agosto, cm que foi promulgado o
Sdecrcto da emancipaIeo political da provincia.
S, Paulo
Datas atl 31 de outubro:
Por virtude de recursos iuter,)ostos pela pro-
motoria public dos despachos dos juizes de di-
reito dos 1.0 e 2., distrmictos crminaes, que des
pronuneiaram Felieiano Bicudo. Joao Ferreira
Granj. a e JosAe Villa-Maria.
O Dr. Jose Candido de Azevedo Marques, que
por suspeicIlo do juiz subs-ituto do 1.0 district,
ofliciou no process, sustentou o despacho em
grAo de recurso proferido pelo ex-juiz substitute
do 1.0 district dcspronunciando o accusado Jose
Villa-Maria.
A 18 do passado as 7 1/2 horas da noite,
mais ou min q, o Dr. Ant)nio Jose Forreira, juiz
municipal do Ribeirao-Freto, estava em sun casa
naquella villa, assentadt junto A mesa emn frente
A janclla, quando vio o clarbo que succedia ao
estalido de umna espoleta arrebeatada por u na
annrma de fgo. Correndo A janlla vio um individuo
quc fugia, nao podendo mreonhecA lo.
-- Diz o Diario de Campinas que o Dr. Bal-
thazar da Silva Carneiro, alli residente, esta so-
ffrcndo de alienacaio mental, tendo-se-lhe aggra-
vado tanto o mal nestes ultimos dias, que a6 preci-
se retira-16 quanto antes da casa da familiar.
Vindos do Rio da Prata chegarao a Campi-
nas 12 immigrants. Cinco ficerao alli, sendo
dous homes, duas mulheres e um menor, e sete
seguirao para uma fazenda dot Limoira, sendo trees
homes, duts mulhlieres e dous menores.
Diz o Diario de Campinas:
c Communicam-nos da estacio das Pedreiras que
no dia 21 appareceram alli mais de 200 ciganos,
que assentaram arraial, armando 28 tendas. Tra-
ziam comsigo cento e tantos animals.
Foram intimadospara se retirarem, o quo fize-
ram sem reluctancia, levantando logo o acampa-
mento e ausentando-se sem satisfazer as despezas
dojpasto dos aninmaes. Seguiram direc5cto ao mu-
nicipio do Mogy- mirim.,r
As folhas da capital noticiaram a 30:
a A autoridade policiat de Tatuhy, ap6s o corn
petente inquerito; em que foram ouvidas teste-
munhas, remetteu ao juiz municipal em exercicio
os autos segundo os quaes se prova qua Joaquim
Diniz da Silveira matara um neto recemnascido,
filho natural de Anna, solteira, filha do mesmo
Joaqatim Diniz da Silveira, e retalhara o cadaver.
Appareceram alguns casos de variola em So-
rocaba.
Por causa da queda de uma barreira, entire
Campo Bello e Rezende, soffrera o trem do norte
um atrazo de 1 hera e 35 minutes.
Rio de Janeiro
Data atA o lo de novembro :
Constam as princip-tes noticias da carta do
nosso correspondent na rubrica Interior.
Sob o titulo Engenho Central de Bracuhy,
lemos no Jornal do Cmmercio de 28 de outubro :
,, Para assistir A iuauguracao deste engenho
partiram da corto no sabbado As 9 1/2 horas da
manhbi em trem especial da estrada de ferro D.
Pedro II o Sr. miniatro da agriculture, seu official
de gabiacte, os Srs. comiendador Militbo Maximo
de Souza e Hermann Dalkal proprietarios do en-
genho, os capuchinhos Frei Fidelisde Avola e Luiz
do Piazza e outros convidados.
c, Chegando a Santa Cruz As 10 horns e 40 mi-
nutes, o Sr. ministry, acompanhado do engenheiro
Continentin e do emprezario da linha de bonds de
Itiguahy o Sr. Prnde, percorreu em um bond, o
ater,'o de Santa Coruz, examinando as pontes tei -
tas ultimameate e os trabalhos de aterro reclama-


dos pelos estrag)s que as aguas, por falta de es-
coam3nto alli fazem, alagando esse aterradoe o lei
to da linha de bonds, sobre elle assentado na ex-
tensao de novel kilomnetros.
a, Alem das obras neeessariaM para dar eseoa-
mento As aguas, desobstrair os rios e vallas, que
cortain os camps do Santa Cruz em diversas di-
receges e abrir novos esgotos, 6 tambem preeisq
fazer novo cammnho para a passage enetante de
boiadas, qua at6 agora tern sido para isso aterrado.
a De volta a Santa Coruz e depois do almono, of-
ferecido polos proprietarios do engenho em urn
dos hotels do lugar, seguiram o Sr. ministry corn
a sua comitiva em bonds para o porto de Sepetiba.
c A empreza destes bonds dirigida palo Sr. Ste-
kel e cuja linha esta bemrn conservado, e o service,
feito corn toda regularidade, trata de realizar um
irmportante melhoramento, qual o de estabelecer
navegaao rapida entire Sapetiba o Paraty, corn es-
cala por Angra, Mangaratiba e poirtos intermedian
rios.
a Para isto estA construindo um cases, que liga-
rA a terra firm a ilha da Pescaria, na qual col-
locarA, urma ponte onde atracarlo os vapores, cm
corraspandencia corn os bonds.
a Euto service, que deverA ser inaugurado em
janeizo, serl, feito per trees vap3res, quo gastarao
4 horas na viagem corn as escalas indLioidag.
SDepois de reeeber em Sepetiba um abaixo as-
signado, em que os moradores se qucixam da hi-
ver alli eseassez d'agua, e pedem que ella seja en-
canada de Santa Cruz para aquelle lugar, seguiu
visgem o Sr. ministry corn a sun comitiva a4 2 1/2
horns no vapor Marambaia pars esse fim fretado
pelos proprietarios do engenho central, chegando a
Bracuhy As 9 1/2 horas da noite.
a No domingo, As 9 horas da manha, o Rvm.
Frei Fidelis d'Avola, depois de diser misa, benaeu
o engenbo, sendo aecolytado nest eacto Frei Luix
Piazza, e foram poestos em movimento os machi-
nismos logo depois,
a Foi grande a concorrencia a emss ceremonies
teado vhide da eidade de Agra dos, nRis, va-
pot Ar 4,4 a tor4dad s e aqita. pesoas

Pepsi. daitagr~oofeea os psopnie-
ta1io a& ease ft *aeuds ns u0m*tueb. a1 '1
qual mes tocwatram mutos brinm", sonuls0
a .M. o apor, leveatado pelol Sr. inUtro

r e lmae AAev 1 h rapa apon do 3Bseohy acidadedeo n 6raa horasdatarde. '
1 '* 1B. bba M~i L |HMa^BWWO''
^vi^^s'"0 4' dot ofi^^^st i~^M^sSaw^l^^si^


asenhoras
a seuslp e


senator Jun.
leuador Jun-


lois Len-ge o relatorio, e o parecer da eommissfo
dAwel a di-|fm~aL *
mate ama- 0 estado desse estabelecimento 6 muito regu-

iillB.f*.aW i aram varies auwm -os qae 9 usade-
a dor das asoio e f coumlheiro. Dr.
Wj amvarea dos Saut.
I.si Vbandas de&imma toeesm dawame a
nm e acelebrou -sme nw-aq lds i i-
Sdurante os i u e bc ui de


__an-
Bi i i a"ome
do corpo dipromatico o mtniu-teiob, polo qual res-
pondeu o Sr. senidor Souza Dantas, president do
eonselho, que saudou aquella eorporaAo.
a A' aaudao qua UIhe foi dirigida p3lo 8r. Le
Maistre, ministry da Allemanha, responded o Sr.
conseihoiro Matta Mach ido, ministry dos negocios
-ertwgB~ro~qwa-p Tjftil rort ft,' repref"
sentantew de naeoesetsaogeiro, alni reunidos.
a 0 Sr. eoueheiro Tomva de Lows, ministro
de Portugal, recordaudo ser odia de hontem anni-
versario nataheio do S. M. El-rei 0. Fernando,
saudou a familiaimperial do Brazil. A este brin-
de correspondeu o Sr. conselheiro Mata-Machado
saudando a nago portugueza.
SAo Sr. V. Sagastume, ministry do Estad#
Oriental, que saudou o-Brazil, responded o Sr. eon-
selheiro Franco do SA, ministry dos negocios do,
imperio, que brindou.pola prosperidade do Estido
Oriental e de todas as republican sul-america-
nas.
a Tendo o Sr. Osborne, ministro norte-amcrica-
no, saudado o Sr. Baro de Arinos, brindou este
pela Republica dos Estados-Unidos.
S0 St. president do consetho brindou entAo
pelo progress e todas as nauoes que cooperaram
para o bom-estar e para a fraternisaa'o da humi-
nidade.
aEm nome do corpo diplomatic o Sr. inter-
nto.in.do Sua, Santidade, monsenhor R. Cocchiai
levantou o brindo de honra a i'-21. b mmperado0.o
Na mesma folha d, 1 do corrente, lemos sob
o titflo Conmmnissdo de agudes:
o Por port-ria do hontem foram approvadas as
instruc5bes pelas quaes deve reger-se a commission
dc a(ades que vai emp-egar-se na construcclo do
de Qaix;tda, na provincia do Ceara, e das obras de
inauguracao agricola a que tero de servir aquelle
grande reservatorio.
,, A commission compbe-so de um chefe, um en
.cnheiro hydraulic, umn engeaheiro d& 1A e um dr
2a classes; im conductor de 1' e um do 2a classes;
e de um desenhador, um secretario e um thesou-
retro pagador.
Percebara a commrnisso os seguintes venci-
mitetos annuaes; o chafe, 12:030, o engenheiro
hydraulico, 9:GJ3j3; os engenheiros de 1' e 2' clas'
ses, 6:009,3 a 4:800; 0os conductors d, 1 o 2,
classes, 3:600. a 4:800A, o desenhador, 2:49)9X;
o secretario 3:600A ; e o do thezoureiro-pagador-
3:6903.
-, Alem destes vencimentos fixos terao direito os
membros da commissao a uma aiaria variavel do
53090jo a 803J, except o secretario que n iao ven-
cerA diaria.
a 0 chefe podora nomear alem do pessoal neces-
sario de operarios e trabalhadores. auxiliaros cam
a diaria do 103000 no maximo.
0 pessoal da commissao 6 o seguinte: enge-
nheiro chefe, Jules Jean Revy, 1." engenheiro hy-
draulico, Antonio Joaquimin da Costa Couto ; enge-
nheiro de la classe, Paulo Emilio Loureiro do An-
dra le; engenheiro de 2a classes, Luigi Moreli ; con-
dactores de 1I e 2a classes, Ponpeu Ferreira da
Ponte e Thomaz Jose6 da Silva Gusmao; desonhis-
ta, Antonio do, Santos Gaspar; secietario capitio
Antonio Pessoa da Co)sta e Silva; e thesoureiro-
pagador, Jose Clementino do Monte.
,0 credit concedido pelo poderlegislativo para
a construccao do acuda de QuixadA, durante o
actual exercicio, 6 de 180:0004 quantia esta alin
da qual nao podera ir a despeza, segundo termi-
nantes ordens do ministerio da agriculture.
0 aqude quo vai ser construido em Quixada 6
o menor dos trez grandes reservatorios projecta-
dos na provineia do Ceara polo Sr. Dr. J. J. Revy
e destinados A irrigaito dos terrenos. Os dons ou-
tros sao os de Itacolomy e Lavras.
( 0 de Qaixada foi orgado em 1,081:0300, e, se-
gundo os importantes pianos daquelle distinct
profissional, deverA ser formado por uma bacia
central, oem area de 631 hectares e capatdade
para 890.000,000m3 d'agua, bern como por tre& ra-
maes pertencentes a outros tantos values e podn-
do center 60,000,O0Om3; o que elevar ao tod& a
capacidade do reservatorio a 140,090,000m3 cubi-
cos d'agua.
( 0 reservatorio de QaixadA, podendo attingir
sua provisa'o maxima d'agua durante a eata.ao
chuvosa de annos regulars, bastarA A. irrigac.o
durante prolongadas seccas, de ferteis planieies
corn a area de 3,000 hectares de solo alluvial, qua-
si impermeiavel i inteiramente pIano.
c Segundo o engenheiro Revy, que tern larga
experiencia de obras deste genero, havendo visitas
do recentemente as da Lombardia, as terras do
que acima se trata, frequentemente iunadadas
agora pelas ehuvas annuaes, deixarao de o ser corn
o represamento das aguas no r-servatorio do Qui-
xada, tornando-se por este modo aptas, mediante
irrigacao e cultura aporfeicoada, paraproduzir ex-
traordinnnarrente.
c, Calcula o autor do project que plantacoes
irrigadas produzirbo atl dez vezes mais do que a
cultura actual extrahe do solo, acoreasentando que
por este methodo, a provincia do Cearm poderab ri-
valisar na culture do algodoeiro corn as privile-
giadas zonas do Alabama, Luizania, Gregeria a
outras da America do Norte.
Recommondo ao parlamento a constuco des-
te primairo reservatorio, esoreveu o ultimo relato-


rio do ministerio da agriculture: aPeraittiar-me
heis suggerir-vos a conveniencia de deeretar a
construccao deste primeiro reservatorio, como pa-
drao de exemplo, que podera ineitar a iniciativa
particular a custear, mediante concessoes, este
novo ramo industrial.


( A primoira costruceao nao s6 mostraria pra-
ticamente a influencia dos reservatorios de tal na-
tureza, mas realizala sob a direclo do especialis-.
ta, servinria a preparar pessoal idoneo para esteo
genero de trabalho, inexperimentado entire n6s.
Sabmettido A acao mathodica de irrigaa.o regu
lar, o valle de QaixadA poderia constituir-se con-
trs de numerosa immigragco, quo facil sera at-
trair para alli, e nao me parece duvidoso que mo -
dicas taxas cobradas pela irrigagco bastariam a
ramunerar o capital que so houvesse de empregar e
a amyrrtizal-o corn a lentidAo convenience. Camaa
do particularmente para este objeetos vossa eseia-
recida attenirojulgo-me dispensado de ponderar.
vos que emquanto as obras deste genero estAo me-
receneado em tautas part do mundo active impulho
o melhoramento A inteiramente novo no Brazil.
SParte do material necessario a esta construc-
co, ja se acha depositado na provincial do CearA,
tendo sido adquirido durante a adminstranao do
Sr. senador Hearique d'Avila, que muito so esfor-
gou no senado, durante a ultima sesseo legidativa,
para p6r em relevo o alto interesse eeonomico dp
project que vai ser dado A execuao. a
Eis as noticias commercials da ultima data:
Rio, 31 de outubro de 1884. 0 mpcado de
cambio continue scm alteragio: os banom sa9oam
sobre Londres a 19 1/2 d., corn raros tomado-
re3.
As tabellas do Commercial e do Commercio e as
taxas no London Bank e Fnglish Bank aob ainda
as seguintes: "
Loadres 19 1/2 d., a 90 d/v.
Paris 488 e 489 r6i por fr., a 90 d/v.
Hamburgo 603 e 602 rs. por m., a90 d/v.
Itali&*495 e 498 rs. porlira, a 3 d/v.
Portugal 275 a 273 O/o a 3 d/v..
Nova-York 2A610 e 2k6o0 por doL, A via.
0 movimente do din foi insignfioate ,osqe
Londmre a 10 /2 d., banosrio, 1 S/8 d., pap1l
particular; e sobre Hamburgo a G0-.m bauce-

'Na Boles 4Uwimelotofo powe
As veoda dodA eoahi a*ata hria.4
tard& era do 26,64r u os- ...

Ai Dnoaiaw 31dAs intalri: 1 .
D" 0" w'-fi3 iow*" ,."

Da .at 4<>9 : ,.


vuf1 e a exposi ,ii do.t gu ijto dn s inm-
noA.
gdifkecio, exteuW aIiorm aet iava
p s" ente decorabt I
temos no Diario de Noticias de 30:
Como noticiamos falleceu ante-hontem a Sra
D. Balbina Maria do Oliveira Rodrigues, esposa
do conheeido estanceiro Sr. Jolo Antonio Rodri-
gues, diremos hoje o que a tal respeito nos fol nar-
rade.
] Poge-pr apodi dqawim Smm. ter ftifmidb, dl-
vulgou-se o boat de que perecera victims de en-
venenamusto ; este boat chegou sos ouvidos do
Sr. Dr. chefe de policia, que immediatamente in-
terveio como-l Ihe eumpnrm.
w Aasim, poil, as 4 horas da tarde ordenou ao
Sr. Dr. delegado, quo fosae A residencia da finada,
afim de averiguar do facto e fazer conduzir o ca-
daver para a sala das autopsias do Hospital da
Miserieordia, o que se effectuou as 7 horns da tar-
do d'aquelle meamo dia.
a A autopsia foi praticada pelos medicos da po-
licia Srs. Drs. Manoel SA Gordilho, Jos6 Baptista
Gongalfes e Thiago Correia, este, medico %seisten-
te da finada, os quaes conheceram a presenga-de
mamona e de uma outra substancia que occasio-
non o envenenamento.
( Sendo esta substancia desconhecida guarda-
ram as viseoras, afim de serem sujeitas a analyse
chimrnica.
c Foi depois encerrado o cadaver em caixao de
zineo, depositado na igreja de S. Francisco ed'ahi
Scoo hi' u.r.rarcieemtiterio da Quinta dos Lazaros.
SCorrem diversas verses sobre -r cas-f, pbiiaia
que nos dizem verdadeira 6 a seguinte :
a A Sra. D. Balbina ha perto de 4 annos que
soffria, segundo uns, de beriberi, outros dos rins,
etc., etc., chegando a estar duas vezes em Itapa-
rica, nbo se poupando o marido a nada afirn de cu-
ral-a, tencionando mesmno leval-a A Europa corn
sacrificio.
( N.o melhorando a Sra. D. Balbina c tendo
I diversas pessoas incutido quer no cspirito do ma-
rido, quier no d'ella, que havia feitipo, inituziram-
na a quo se tractasse disso.
Ella responded que jA ha muito pensava o
mesmo e que queria experimentar.
r Umn curandeiro, qee nos dizem morar para o
Rio do S. Ped&o e que tracta de muitas pessoas,
na sexta-feira: A noite maldon Ihe uma chicara
corn urn remedio que dizia ser mamona brauca,
para ella tomrnar uma colher de manha.
a No sabbado de manhil, assim o fez, sentindo-
se peior desde essa occasiao, porque o remedio ihe
causou muitos vomitos.
a Com:no no domingo no melhomrasse, o marido
tonaou a delibera;Io de mandar c'mainar o Sr Dr.
Thiago, o qual desconfiando que houvesse envwne-
namento, pedio uma conferencia, sendo chamado
n'"ssa occaiiao polo compare da fiaada, Hilario,
que alli se achava, o Sr. Dr. Nery.
Este conheceu e deu como real o envenena-
m',nto, do qual resultoa ella fa'lecer, conforme no-
ticiamos, na terca-feira As 11 horns, nao Ihe va-
lendo de nada os esfor9os do Sr. Dr. Thiago e de
seu marido.
,, Esta senhora era estimada pelas suas criadas
e por tolas as families que corn ella entretinhamin
relapses, as quakes todas conheciam a maneira por
que o casal se estremecia de verdadeira amis:ale,
o que nIo duvid;ram testernunhar.
Os interrogatorios doviam priucipiar hoje polo
Sr. Dr. delegado do 10 district.
Lemos no Diario da Bahia de 1 de nove:n-
bra:
Declaramos, em nome do partido liberal, a
rtodosos nossos correligionarios do 11' district
desta provincia, que o conselheiro Ruy Barbosa
nao e candidate por esse district, e que o candi-
dato unico, que o partido apresentA e reeomnen-
da ao eleitorado liberal dessa circumscrip9io elei-
toral 6 o Sr. Dr. Antonio Rodrigues Lima. ,
,, Chegou no vapor inglez Sirius, vindo de Li-
verpool, o monument para perpetuar a memorial
do distineto medico Dr. J. L. Paterson.
r 0 moamento que A de granite da Escocia,
setrA erigidojaolargo da G-raa, e na sua basa sera
collocado um deposit de agna potrvel para o uso
dos transeuntes.
a, Em homenagem rAquelle distinct medico, a
Camara Municipal, s .h a presidencia do uIllm. Sr.
Dr. Augusto Ferreira Franna, dignou-se conceder
a competente licenea para a collocatAo deste mo-
numento, e os Illms. Srs direetores da companhia
do Queimado generosamente concederam o sup-
primento d'agua neeeasaria. ,
Alagoas
Datas ate 5 de outubro:
Lemos no Orbe de 5:
a A bordo do vapor Ceard qua esteve hontem
em nosso port falleceu o Dr. Serafim Pontes.
a Consta-nos que havia tornado passage no
Amazonas e dirigia-se so Rio de Janeiro, onde ia
seo duvida procurar lenitivo As agruras da tu-
berculose pulmonar de que sucrumbio.
a Seu cadaver foi conduzido para terra e sepul
tado no cemiterio public. ,
Escreveram da Imperatriz a mesma folha, em
30 de outubro:
a Como esparavamos realisou-se hontem, As 5
horas da tarde, corn grande enthusiasmo, a entra-
da da primeira locomotiva a esta villa.
cc Grande numero de pessoas tendo conhecime a-
to do facto, foran buscal-a na distancia de um
k ilometro.


a Nessa occasion subiram As regimes ethereas
innumeros foguetes.
a Ahi o machinista fez parar a machine, que
vinha corn urn trem de materials, embarcando todo
o povo em um dos wagons.
a Soltaram-so alguns vivas, e ninguemn se en-
teadia pelo ribombar dos foguetes.
c Ao approximar-se a locomotive desta locali-
dade muitas senhoras efcavalhciros foram saudal-a
de perto. A locomotive estava adornada de ga-
lhardetes e a estacao enfeitada de bandeiras.
Confronte A estago achava-se urma grande
multidio de povo que explosia em acclama5es
festival. A's 6 1/2 horns da tarde o telegrapho
annuaciou-nos 'a vinda de distinctos caracteres
dessa capital, em trem especial. Aguardamos a
chegada que effeetuou-se urna hora depois do
aviso. Logo que chegou otrem, estrondou grande
unmero de foguetes.
a Ahi deparamos corn muitos cavalheiros que
vieram em carruagem-sallo, obsequiosamente offe-
recida polo chefe do primeiro district.
K Na estacao achavam-se as autoridades do dis-
tricto e todas as pessoas gradas do lugar.
a Muitas senhoras entire o enorme cencurso.
Diversos lunchs foram offerecidos.
a A' noite continuaram os festejos. Grande
animaCio pelas ruas, nas quake havia urma muldi-
dao de transeuntes.
a A iniciativa desse festejo popular patio do
nooso presadissimo amigo Manoel Candido Coelho
da Silva que, ajudado de outros amigos, n uo pou-
peou esforoos, indo atW ao eacrificio para abrilhan-
tar a festa.
a Reinou sempye a mais cordeal alegria, e nao
houve incident algum a lamentar, gracas ao es-
piritaordeiro da populalAo desta villa. v


RIYISTAMAIIA

C.OnAitOS euire aCktem e e tu-
dantem-OoAstaque vo set subumettidos a pro-
cesso military detes d 2, baUlhlo de infara-
taria que au neite te d do corrente seiaim
espasearatfm sIg usBeatu~ahmt da .wwaojataicQ.
r A proma em quo do, EXH ew. oBn-
mfaiwte- dAs *awma is ozpedirsw~ ordeBnAim
qis eticda*, xa do a d4impaho&o quo ba em
unk o..0 8ulpadwL.

eas*aa deeatadade rwebe~mo a -segulats ema-

w-Liha do^nii frat ~n~
Oo~flkwwwo^^lMN~fk M sooi' f.OKkR


x do


summanro:
Les Partis politiques du Br6sil; Conference
abolitionniste, par M. Joaquim Nabuco; La Ban-
que New London and Brazilian ; Nos Infor-
mations ; Edouard de Lemos; Revue financier ;
Nouvelles des Provinces ; Bibliographic, par Os-
car d'Araujo; Remarques sur les Calcaires de Rio
de Janeiro, de Minas et de SIo Paulo; Un Ma-
rige au B dl de l'Op6ra (suite), par M. Adrien
Desprez ; Rapport sur les mines d'Ouro Preto, par
M. Ch. Manchot, ingenieur civil ; Mouvement ma-
ritime ; Annonces.
Revue Sud Alnericainc-Tambem rme-
cebemos o n. 55, de 15 de outubro, desta revista
parisiense. Eis o summario :
L'anniversaire de la d6couverte de l'Am6rique;
Le Paraguay (voyage de M. Toeppen), traduit de
l'allemand par L. M. C.; Rio de Janeiro, par
Emile Allain ; S. M. Achdlle I, par C. Chincolle ;
Courrier d'Am6rique ; Revue e6conomique; Revue
financi6re; Revue commercial ; Arts, sciences ct
faits divers ; Mouvement [maritime ; Annonces.
Diahelro-- paquete Mandos, trouxe do Sul


para :
Fernandes & Irmlos
Manoel Martins Fiuza
Pereira Carneiro & C.
0 Piraparma levou para :
Parahyba
Natal
Macao
Mossor6
Arae ity


3:347A310
2:000-000
41429)

34:0)04000
31:0404000
2:0304000
12:0003000
2:0,00:000


Congresso Pharmaceutico Effec-
tuonu-ae, confoime so achava annunciada, a sessao
ordinaria do Congresso Pharmacentico.
Lida foi approvada a acta anterior, e, nao ha-
vendo expediente, entrou-se na ordem do dia. -
Usaram da palavra os Srs. Leal, Cotias, Castro
Menezes e Raposo e discutiram os abusos diarios
da profissLo.
Form levadas a mesa tres species mineralo-
gicas, que haviam sido examinadas e classifieadas
por um dos membros da classes, incumbindo o Sr.
president ao Sr. Veras de proceder a nova elas-
sificagio.
Tratou-se do melhor meio de dirigir-se o Con-
gresso a alguns pharmaceuticos da capital.
A's 7 horas o Sr. president encerrou os tra-
balhos.
Liberdade-No din 5 do corrente, o Sr.
Joo Francisco Paredes Porto, para solemnisar o
grio de bacharel em sciencias juridicas e sociaes
Sque recebeu sen digno genro, o Sr. Adriao Rosen-
o dos Santos Tocantins, concede earta de li.-
berdade, sem onus, A sua escrava Felisbina.
Registramos o actor humanitario corn muita sa-
tisfago.
Capella de S. Miguel-D Rvm. Sr. vi-
gario de Afogados nos communica ter recebido a
s.gWinte esmola para as obras da capella de S.
Miguel :
DapitAo Braz Barreto Camneiro Lego 10A000
46 Mento--Esereveram-uos em 2 do cor-
rente : ..
.# Ach*-e re ae u o Sr. Ur, Jose Bernardo
Galvio Alcoforado Junior, candidato A Awemblea
iteralp0. diAtriet*.
#A*. Exr omi 40. a deA04 4-u0 exlndd anie-
*Okj Ow Qoia ao* sAe cacxir. awd e a
efiat= k if sa6fU M- -A -


"'aim


'
*I


forA-


o EzxUrIo
ISO( '!*


OB~u^ t *diab tgmw o norteo .
Baro de Capuent, digno director geral dos tele-

Comprimentamos A S. Exe.
Eatri da Boea-vista- Nesta matriz ce-
lebra-se no domingo (9 do corrente) a ceremonia da
primeira communhio dos meninos que all! frequen.
tam o cathecismo. S. Exe. Revma. o Sr. bispo
dioesano dira miwa a6 7 bors pars ea t fim.
A' tarde, i. 4 hras, dep i uuZ. pequena
procisslomointeaiordaig ,a, ha9 o s1t da
consagrao4 -faia Santig ma, depoi do quaL
S. Exe. ehmaim". o mualWss e toa (auqtos s8N
apresentavmm prptiados am os maamfs exi-
gidos, terminandt&xerewiDa em a bow* o do
SS. acrSmentoedistiihjnbo de diploma.
Capt a --Apra de pelia de soe 8y'-
dronio Camnuiro C filcante. pertumnt aodesta-
camento de Gyawa,-de onde veio lhadiaw-em
procura de um individuo, de nome Fir niano d'Al-
meida, que estA sendo processado naquella cidade
Sor crime de roubo, praticado no armazem de Bel
rmino & Gasparino, na importancia de mais de
dons contos de r6is, de fazendas, encontrando
esse individuo, honteom As 10 1/2 horas da manhib,
'na ruea- das Calqadas, diu-lie v6z de prisno, e, nao
obstante ter elle procurado evadir-se, conseguio
captural-o, e leval-o A presenga do subdelegado do
10 district de S. Jose, que o mandou recolher A
prisio.
Consta que parte do roubo, bemrn como o resul-
tado de outro praticado dias antes, foi encontrado
em casa da familiar da noiva'de Firmiano de Al-
meida, e outra part na officina de marcineiro, on-
de elle trabalhava nesse officio.
E nsmagamtento-Ante-hontem As 7 horas
da noite e na rua do Bariao de S. Borja, na oc-
casiio em que subia o bond n. 48, foi atropellado
Joao Vieira d'Ornellas Camara.
0 infeliz que tern mais de 50 annos ficou corn a
perna direita fracturada e foi immediatamente re-
colhido ao Hospital Pedro II, onde hontem Ihe foi
amputada.
Zeferino Correia, cocheiro do referido bond, eva-
dio-se logo ap6s o desastre.
Joao Vieira, segundo nos informaram, nao so
ouve pouco como, tambem 6 curto da vista.
- As.&lAsi-srato-O Sr. elecgad2 de .Agua Pre-
ta acaba de communicar que no dfia t'Jo cor>
rente e nas immedia5es do engenho Venturoso,
Jos6 Victorino Scares da Rocha e Francisco Soa-
res da Rocha assassinaram A facadas a Theotonio
dos Reis.
Os delinquentes foram press em flagrant e es-
tito sendo inquericos.
Socldade Musical 2S de Setem-
bro-A nova directorial da Sociedade Musical 28
de Setembro, em sua primeira sessalo no dia 5 do
corrente, tratou de assumptos relatives aos seus
trabalhos, sendo propastos e approvados quatro
socios, e eliminados alguns como incursos no
art. 29 j 1.
Foi concedido o titulo de socio distinct@ ao HIm.
Sr. Dr. Jos6 Vic, nte Meira de Vasconcellos, c de
socios hionorarios aos Illhns. Sr. Claudio Gamna c
Manoe l Bandeira Filho.
Foi designado o dia 11 do corrente As 6 horas
da tarde para ter lugar a assembly geral, afim
de coutinuar-se a discuss!)o e approvacao dos no
vos estatutos.
Consta-nos tambem, quo esta S,)cietade, pre-
para umrn pequeno concerto e um sarao, para a
noito de 22 do corrente.
0 Sr. Hermann 0 prestidigitade; Her-
mann, que ultimamente trabalhou corn grande ap-
plauso no theatre Santa Isabel, acha-se ao bordo
de paquete Manudos em viagem para o Marauhiao
e Para.
Agradecemos-lhe a visit que nos fez.
Dr. aose tvelino Ao bordo do referido
paquete segue para a CearA, onde vac pleitear sua
elciao a~ Camara Temporaria, o Dr. Joss Avelino
Gurgel do Amaral.
Comprimentamol-o.
Faculdade de Direito-Foi este o re-
sultado dos actos de hontem:
5( anzo
Vicente de Moraes e Mello, plenamente.
Bertino da Silva Moraes, idem.
Francisco de Souza Ribeiro Dantas Filho,
idem.
Trajano Alipio Temporal de Mendonca, idem.
Jose Goncalves de Castro Cincura, idem.
Jose Calheiros de Mello, idem.
Ambrosio Cavalcante de Mello; idem.
Comecam hojs os actos oraes dos 10, 3o e 40
annos.
Sociedade Becreativa 8 de Dezem-
bro -Esta sociedade funccionou no domingo ul-
timo, elegendo a sua nova directoria que ficou as-
sim composta :
Presidente-Jose Mauricio Gomes da Silva.
Vice-presidente -Lino Cavalcante.
lO secretario -Pedro Cavalcante de Mello.
20 dito -Antonio Ribeiro Guimaraes.
Orador -Manoel Augusto Cavaleante de Albu-
querque.
Thesoureiro Francelino Rodrigues da Cu-
nba.
Procuradores Augusto Pereira Pinto e Joa-
quim Bernardino da Silva.
Foi designado o proximo domingo as 4 horas da
tarde, para posse da referida directoria.
Le Bresil-Recebemos o n. 76, de 20 de ou-
tubro findo, deste periodico de Paris. Traz este


SOperae6es eirargieam-Foram pratica-
Las no hospital Pedro II no dia 4 do corrente as
eguintes:
Pelo Dr. Malaquias :
Extirpaeio de um polypo mucoso no collo do
itero.
Pelo Dr. Estevioo:
AblaqAo das amygdalas pelo amygdalotomo, r-.
lamada por hypertrofia de mesmas.
Leiles-Effetuar-se-hio :V
- Hoje:
Pdo agente Silveira, as 10 1/2 heoaa n rusn do
ivramento n. 21, dos generous e arm&a o eta-
belecimento alli sito.
Polo agole Carma e Silva, is 11 horas, as t a-
essa do Corpo Santo n. ?7, de moves, jius, w-
olvers e outros artigos.
Peo agete G"uMa o, As fl horsa, raam do
Born Jesus n. 51, de moves, fatedaam .r-l

pler A rim 40


iw__* ~ 1.art Inml* il,",~i*'Sam
M&15do a 18*w v&~Ii al .


q

d

I
I
(

(




r
t


ti
b
p
c
f

d




I




b

v
v

B


a~cape.doA~pqMs adM


0o esdop AO-f W4viLBmurn osplm,
tar q a.e pro g. a6 10 Jara, e da-t
qual forainergudos bnindes emtuuiu Mal 6u~
cidadao, ao partido conservador, .A muhmra-, a
divemos ehefe. politiew da oojlidadm eo., -G.
SAp6s janta, dirijio-. o omo i -
pje ao so do Club itterarido S. Bes t, Sas
4e foi reeebi& .or ba d m ic quo&
inutou nUmsramrcha tnim uhaL
ASmpt1 w d au&dits-
p esnpoute dausaujac doe"-itorefW de tecoi.-
onse1r'Iome aUsberae S.EXe ex
i impraw o o Pe pemnto ua Camm
'Teffl|ranal & eaegbilatura finds, e termi-
mMAapendendo de siee clat inciivo a @O
id.h cerca da imans mqutso qu. aetualm-te
agita opais. Ao teminam i f Exc. abrspado
entmn aclamae calormw de todo os sis-
tentes.
Conferenela abltlelonlMta-Teri l-
gar no domingo, no theatre Santa Isabel, so meio
dia, a quart conferencia da commisuio central
emancipadora, occupando a tribune o Dr. Martins
Junior.
0 orador demonstrari os segnintes pontos :-
0 enthusiasm pela idWa-Abolicionistas e repu-
blicanos -Estado actual da question emancipatrnz
-Discussio Espirito da lei do venture livre-
Paranhos dcmagogo-A candidatura abolicionis-
ta-Joaquim Nabuco e Jos4 Mariaao.
Os camarotes de 2a ordem sao reservados para
as senhoras at' As 11 1/2 da manha.
Senior dos Pa o-os-Os encarregados do
altar do Sanhor Born Jesus dos Passos da ordem
terceira do Carmo continuam a ter exposta A ado-
raao dos fieis nio s6 aquella milagrosa imaemn ,
como a do Senhor Morto, na capella dos novwqos,
em todas as sextas-feiras, das 6 1 '2 As horas da
noite.
Hospital Portuguez movimcnto (la
enfermarmas deste hospital no mez de outubro fin-
do foi o seguinte :
Existiam em tractarnento 25
Entraram ,.


Sahirainm curados
Falloceeram


Ficam cxistiinido -
Entrou do nmez o Sr. ilnornlo', fiscal ,J... 1-'
Souza Braz.
Conmeta telesCopio-Escrcvcu. ;t 2- 1,
t)mubro ao Jor' c do Cominrc'ic... c Sr. Barti- ,1!
Parima, director interiuo do observatri ) i c-or-
tc :
A 21 do corlrente foi ac-hajlo pjlo Sr. .. Ii-
caille, 2 0 aitromtino d et<. )Observatorio. ui ni
ineta t,-lcscopico, dceobcbrto, por Wolf ,*in, .1>11-
berg no moez do stcmn'ro cproxiin 'ja::. ti -
observaI3es de p si\-A, frainn eifbetualis 1:i re- -
ii: noite por ca0ucllc 2" astronotm io. (i na ii "iiliat-
tao p lo) 3) astron,)'.-io, Sr. R-)\-.a Mirni-iri refcrido Sr. Laeaillc. sendo cadjuva ds ,S ,. o-.r-
vadores pelo a;tronoino-alumno. Srn II.';.r4i -
Moriz;.
O nlo tempo nto prrmittio fazer nova- -or -e
do observayoes a 2i, 27 c 2,'-.
,' 0 aspecto do eomletta. emi a nsit-' do 2I. c'1, o
dc uma pc(iuenta nebulosioidad", sciisivnlnint'- irv-i-
lar, a.Dreseintando no centro iina couhcns in".c iii-
miuosa da apm-troecia (lJe unr e'.trella de 11' a 12
graindez.a. No dia 25, o aspecto era umi pou,- if-
terente; a nebulosidade era mais forte f !n i ranito
:longala; o ineCko plar-ecia de intensidacde p1uco(
inm:;nor do que na vespera, cni rela(;Lo ai, r.--t do
comneta, ccnservando-se este todavia inais ht)rillain-
to na sua totalidade. A nebulosidade apiescintavi
1o dia 24 uin dianmetro pparente dec ccreai (1. -, a;
mininutos de arco.
c Do dia 24 ao dia 25 o movimento do atrr, em
asceinao recta foi dc qua-i 2 mininutos de tcii.,o, o
cm declina-Aao dc 2. iniinutos dic aro.
c Em razao do luar n-,o foi possivcl applir-ar o
spectroscopio. S o tempo pirnittir, bcrn c ,ono *.
lumr, serAo continuada;s as observa coe,, c em
breve poderaio ser deternninados os clemento- ap-
proximados. ,
Um duelo curioio-T'ev'li p,)- o ",-
gar em Nantes um duelo curioso entree o olir,-t:)i
do jor al Le Satyro. Mr. Martinet. c Mr. \V il-
liam Sebirc.
Os aduersarios tinhliani que atirar duns V'T-- ;-
distancia (de vinte e cinco passes.
Ao primeiro signal Mr. Scbire disparnuu s'-m
acertar no seu rival, quo no qjuiz fazer fg ).
Os padrinhos perguntaaiam a este o inotiso por-
que n.o tinha disparado, recsponclendo tlihe entio
Mr. Martinet quo tiuha o direito de nao querer fa-
zer uso da sut arina.
Em vista disto, tcntou-sc dar por tcrminatlo c
duelo, por-m, o mesmo Mr. Martinet sc oppoz
terminantemente, exigipdo cue soecruzassmin as
duans balas quo era o convencionado, e reservan-
do-se o direitA de atirar o u naWo, segund a sun
vontade.
Mr Sebire tornou a fazer fogo sem acortar no
seu cxtraordinario rival, que pela seguud;o vez
nao quiz fazer fogo.
Chapas de couraca No principle dc
outubro findo fizeram-se em Spezzia noras cxpe-
riencias sobre, chapas de eouraga, send concor-
renoutes tres qualidades diversas : chapa Schinei-
der, de aLo coin 48 centimetros de eopessura;
chapas Brown e Cammell, ambas d( ferrom c aco,
tendo a mesma espessura de 4- centimetres. Os
tiros foram feitos corn a peca Armstrong. de ii)
toneladas e 43 centimentos de calibre, empinrean-
do-se projectile Krupp de ago, pesando S35 kilo-
grammas, e corn a velocidade de 550 metros por
segundo. Todos os projects se quebraram de
cncontro As chapas, atravessando- as c produzindo
grandes resultados destruidores.
A chapa Schneider foi aiuda assim a que apre-
scntou maior resistencia, pois apenas tinha trees
fendas de dous a tires centimetros de largura,
partindo todos do centre para as extremnidades.
A chapa Brown foi igualmente fendida. mas
coin oito fendas, apresentanlo quatro a largura
de 5 a 26 centimetros. A camada de a o foi que-
brada e arrancada n'umina grande extensio, dei-
xando o ferro completamente a descoberto.
A chapa Camminell ficou corn 6 tendas, dcas
quaes, uma apresenta a largura de 16 centime-
tros e outra de 26 centimetros. 0 diametro dos
romnbos feitos nas chapas inglezas A in tir um a
dous centimetros de quo o feito na Schneider.
Destas experiencias conclue-se, como de mui-
tas outras jai fitas, a superioridade da chapa
Schneider ; s6 esta ficou em estado deo paoder sup-
portar as experiencias feitas coin a p'.ta de 25
eent mtros, e quo, scgundo o programma, dcviam
te-minar o ensaio projectada.
A dynamite-O telegraph communicou ter
hiavido uma explosbo no novo palacio d Parla-
nento em Quebec, no CanadA, accrescentando
que a explosbo tinha sido causada pela dynamitE.
Os jornaes francezes duo ja alguns poemmnores
lo acontecimento.
A exploseo teve lugar A 1 horse da tarde. O
Lbalo foi sentido em toda a eidade ; oas vidros dis
easas visinhas ficaram despedacados.
A's tres horas urna segunda explosdo se dava
poucos metros de distaneia do local da primei-
'a, nbo fazendo porem tantos eotragos como sts
1ue os produzio e inuito consideraveis.
Os operarios occupados no edificio contain que
inham reparado pela manhi n'uma caixa oncom-
ada a urna dias paredes, mas que suppozeram que
ertencesse a alguns delles Depois da explodo
io se encontrou vestigio algum da ceixa. Ficon
erido um operario.















4e


CA=&,


W(.t s a JSis a lists
is aal ,1.partei 18.'
Soebiraem bensficro do
eaniu O6gom e Surda-


Mudos, tahida a 29 do outubra:


5 .... 3:00:0
4 .. 10:0006"
4573 4:000OO
6463 2:000W000
472 ....... 1:000#"000
1162 ........ 1:000M
5067 1:000S000
5544 1:00000
5706 1....
mmiaawa BO fsio DE 50j$O

1 242 364 4058 4762
1 28 5 506 3934 468311 47,89
mo DOS P DEIO N DE 200000


122 92811 3481 II
419f' 144511 3904 II
re 1145011 3964 7
6750 299711 4378 1


4520
4716
4950
5122


5281
6689


nCfGEROS DOS PREIOS DE 1004000
8311 3 118529114465115598116731
217 152 113585 15059 15742 I 6775
442 319011 3822 15162 1602211
484 13210114186 115246 11629011
1481 3260114231 5337 116375
2248 1 3353 114399 II 5382 H 6547 II
2775.. 50o000
"umer. dos preumlos de 40SO0


14
54
81
88
317
367
385
451
469
670
677
719
770
800
802
825
832
1094
1278
1378
1420
1462


1536 2653
1607 2654
1640 2746
1743 2751
1846 2774
1940 2792
1989 2798
2013 2848
2038 2858
2061 2915
2066 2946
2128 3263
2183 3295
2224 3341
2255 3344
2381 3409
2409 3463
2415. 3469
2473- 3556
258213575
2626 13635
2640 3666


3670 4987 6172
3693 5099 6272
3717 5107 6273
3753 5123 6308
3783 5130 6374
3814 5170 6388
4025 5210 6396
40)2 5251 6408
4062 5253 6417
4078 5272 6457
4132 5304 6458
4304 5305 6544
4442 5413 6586
4496 5529 6617
4548 5799 6633
4574 5823 6659
4678 15866 6682
4686 5893 6732
4714 6001 6742
4797 1 6042 6878
4819 6075
4969 6097


Loterla da provincla do Rio
de Janelro:= Eis os numerous mais
premiadow na 1.a part da 7.a loteria
(346 A,) em benoficio das Obras 6-Repa-
ros das Matrizes da provincia do Rio de

Nuaer.. Premion
1031 20:000#000
5792 10:000#000
2178 4:0004000
5217 2:000#000
2992 1:000#000
3479 1:000#000
1120 800#000
2575 800#000
3078 8004000
5129 ..... .. 8004000
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 5004000
1381 1 4919 5253 1030= Approx.
1518 f 5206 15356 1032=
NUMEROUS DOS PmEMIOS DE 2004000
510 1 1261 3607 14282=
815 3209 13989 5791== Approx.
1007 3517 41451 5793 |j
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 1004000
69 1621 2441 3536 1 4532
400 1909 25771 3569 4619
966 1962 27911 3775 5162
1140 2142 3320 4004 5628
1305 2224 3444 4049
NUMEROUS DOS PREMIOS DE 404000


1357
1594
1683
17C6
1884
2035
2076
2093
2220
2234


2244
2262
2417
2539
2587
2645
2907
2919
3220
3575


3707
3831
3850
3928
3951
4267
4271
4378
4603
4966


5102
5189
5331
5599
5620
5657
5707
5730
5747
5917


lioterlia de OitOOO0OOO-A loteria 163
s6rie A, do Rio de Janeiro, cujo piano foi mui-
to melhorado, corre hoje 8 de novembro.
Bilhetes A venda na Casa Feliz A praga da In-
dependeneia nw. 37 e 39.
Loter-ia-A de n. 163 A, do Rio de Janeiro
de 30:0004000 sera extrahida hoje 8 de no-
vembro. ,
Bilhetes A venda na Casa da PFortuna, rua 1,
de Margo n. 23.
3a grande loterla da corte de......
500:00#000-Com novo piano muito van-
tajoso.
' Acham-se A venda A Casa da Fortuna, A rua
do Creipo n. 23, es bilhetes dosta loteria.
Grande loteria de Nithe.roy-Esta lo-
S teria, cujo premio grande 6 de 400:0000O00, serA
brevemente extrahida.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, Arua loe
de Mar9o n. 23.
Loterla o CeearAfi-Corre no dia 8 de no-
vembro impreterivelmente cujo premio grande 6
de5:O00.
0 reato dos bilaf ss na Casa da Fortuna, rus
I* do Marqo n. 23.
Loteria de 400*000OO,00-Esta gran-
de loteria do Rio de Janeiro, brevemente scrap ex-
trahida.
Bilhetes L vend&as Qa a Felkz prasa da In-
depnddeei us. 37 e 39.
Grade loteria da eaote-EEsta grand,
loteria, fopremio grande 6 de 50:00000,:
serI k t'ida brevemente.
On bilhottes ahm- seAvends a US Usaaa Welsi, '4
meva &" uad win n. ma S.q
mwv.111 mftft*^ deft'fb i Wt Docla de'


S] seado bow3,d812ia4"


Teve baosa d
Hyplniotoltsmos do Qteiror.


ilerafes feluas a Canra 1micpa 4. -ifm* auM nas
AWKM6Idue it if -Xbo


No-es actuneG


1 Las do Marques de Oliads.
2 fus ds Madue de DemD.
3 Rua d'AlAindga.
4 RuBaa do Bem J.uA.
S5 Rua do Mm" Srdias.
6 Bus d De- uImgO JoAMas ts.A
7 Rua deD. Maia muCs.
8 Bua de Alvea Cabral.
9 Rua doe Maoats.
10 Bua de Thom6 de Soums.
11 Rua do Coumereo.
12 Rua de Tuyuiy.
13 BRua do Amorim.
14 Rua da Moeda.
15 Bua da Restaurato.
16 Bua de Mariz e BanL.
17 Becco Largo. _
18 Rua do Vigario Tenorio.
19 Rua do Visoonde de Itaparica.
20 Bua do BarSo do Triumpho.
21 Rua doe Guararapes
22 Rua de Vital de Oliveira.
23 Rua de S. Jorge.
24 Praca de Pedro I.
25 Praca do Chaco.
26 Prasa dos Voluntarios da Patria.
27 Rua Barreto de Menezes.
28 Bua D. Maria de Souza.
29 Becco da Pindoba.
30 Rua da Companhia Pernambucana.
31 Rua do Pharol.
32 Caes d'Apollo.
33 Caes d'Alfandega.


Neme antlgoa
BRua da CaMei.


Ruam. da A N.u N
BaU da affgtate149".
Bua da s nAaMa a
Ra& da fl-te wba.
Beeoo dm Mimiialak.
Bua dai Lhet.
Bua do Trapiebe.
Rua da Lapa.


Rua daGuia.
Bus do Codomiz.
Bua do Vigario.
Bua do Apollo.
Bua de Brum.
Travesa do Arsenal.
Rua do Pilar.
Praca do Chafaris. "
Largo em Fra de forta.
Bua da Cacimba.
Bua das Crioulas.
Becco do Tocolombd.
Bua em frente do caes do Forte do Mattoe.


BAIRRO DEB SANTO ANTONIO


Nomes actuaes
Campo de Princezas.
Rna do Imperador.
Caes de Vinte Dous de Novembro.
Praga de Pedro 11.
Rua do Duque de Caxias.
Rua do Primeiro de Marvo.
Pra9a da Independencia.
Rua do Cabugb.
Rua das Larangeiras.
Rua das Trincheiras.
Rua Barao da Victoria.
Praca de Saldanha Marinho.
Rua de Paulino Camara.
Rua de Mathias de Albuquerque.
Rua de Fr. Caneca.
Rua de Felippe Camario.
Hua Marquez de Herval.
Rua Dr. Ivo Mequilino.
Rua da Ilha do Carvalho.
Rua do Conselheiro Piretti.
Rua de Vinte Oito de Setembro.
Bua de Jobo do Rego.
Rua do General Abreu e Lima.
Rua do Major Agostinho Bizerra.
Rua de Francisco Jacinth'o.
Largo do Paraiso.
Rua de Pedro Ivo.
Largo do Carmo.
Rua de Santa Theresa.
Rua de Lomas Valentinas.
Largo de S. Pedro.
Bua do FPogo.
Rua do Visconde de Inhaudma.
Rua de Marcilio Dias (parte).
BRua de Pedro Affonso.
Caes do Ramos.
Rua do Livramento.
Rua de Henrique Dias.
Rua do Dr. Feitosa.
Rua Larga do Bosarie.
Rua de Vinte Um de Maio.
Rua do Barao de Villa-Bells.


Nomes anAti0os

Ruas do Collegio e Cadeia.
Caes do Collegio. f
Praga do Collegie.
Rua do Queimado.
Rua do Crcspo.



Bua Nova.
Largo da Matriz.
Camboa do Carmo.
Rua das Flores.
Russ da Paz e Cane.
Bua da Palma.
Rua da Concordia.
Rua do Sol.
Rua Bella.
Rua da Roda.
Rua do Calabouco.
Rua da Florentina.
Rua de Santo Amaro.,
Rua do Born Jesus das Crioulas.
ravessa do Ouvidor.
0e '. A:
Travessa dos Expostos.

Rua das Aguas Verdes.

Rua do Rangel.
Rua Direita.
Rua da Praia.

Rua da Vira*o.
Rua Estreita do Rosario.
At6 a antiga dos Quartets.
Rua dos Ossos.
Santa Isabel (ao sul do theatre).


BAIRRO DE S. JOSE


Nomes actnaes
Rua de S. Jos&.
Rua da Penha.
Bua Imperial.
Rua de Vidal de Negreiros.
Rua Mareihio Dios (parte).,
Travessa do Serigado.
Rua de Santa Cecilia.
Rua de Domingos Theotonio.
Rua de Christevoo Colombo.
Largo da Penha.
Rua d'AssulnpVao..
Rua de Dias Cardoso.
Rua de Santa Rita.
Rua do Padre Muniz.
Raa do Nogueira.
Rua de Antonio Henrique.
Rua de Luiz da Mendonca.
Rua do Ypyranga.
Rua do Padre Nobrega.
Rua de S. Joeo.
Rua do Bairro Baixo.
Rua do Jardim.
Rua do Coronel Suassuna
Travessa do Peix ao,
Rua do Gazometro.


NIomes aWnio0



Rua das Cmco-Pontas.
Rua Direita.

Rua das Calgadas.
Rua dos Copiares.

Rua do Caldereiro.
Rua de Santa Rita Nova.
Rua dos Agouguinhos.
Rua do Nascente.
Rua do Ouro.
Rua do Alecrim.


Rua Augusta.


BAIRRO DA BOA-VISTA


Nomes actuaes
Rua da Imperatriz.
Rua do Visconde do Rio-Branco.
Rua da Uniao.
Rua de Antonio Joaquim de Mello.
Rua Sete de Setembro.
Rua do Visconde de Camaragibe.
Rua do Conde da Boa-Vista.
Praca do Conde d'Eu.
Bua do Visconde de Pelotas.'
Rna da Conceico.
Rua de Gervasio Pires.
Rua do Rosario.
Rua de Riachuelo.
Rua da Princeza Isabel.
Rua de Mamede Simbes.
Rua dbCapit o Lima.
Rua do Dr. Eustaquio Gomes.


Nomes antigos
Aterro da Boa-Vista.
Rua d'Aurora.
Rua da Saudade.
Becco dos Ferreiros.
Rua do Hospicio.
Rua Formosa e Caminho Novo.
Pracs da Boa-Vista.
Bua do Azaglo.
Rua dos Pires.
Canal.
Ao lado da estaqo de Olinda.
Rua do Gymnasio.
Rua do Lima.
A rua que parfindo da da Impertriz, terminal
no Caes de Capibaribe. (Becco Queimado).
Ruas da Mstrize Gloria.
Bua do Cotovel.
Rua do S ebo.


fW


a.b
a de Fazeda--oonta
soeooTr-conta doeps-


~amw
Depot em otaeorP.tes
Depositos em cout~aaomrtes


8O8A04oo1


159:7029675
53:888^550
371A000

894:5529125

894:552125


MONTE DE SOCCORRO


Active
pregtium wsabre peuheres
Moves
Caderneta
Aluguel da Casa
Despeoa gorae.
Beta,.. do, jwre
Lucro -e perdas
Gastos corn lsiloes
C"ixa


Panivo


Capital
Cautekas de penhores
Juroa
Caixa economic-coata de oassa-
gem
Thesouraria de Fazenda-conta de
emprestime
Cademetas auchivadas
Saldos de penhores vendidos em
leilSo
Saldos de penhores prescriptos


94:151A086
119:3123877
3,6314227
707,8O4
228,750
12:843|B7
51^120
27A495i
21A669
1:496&316



14:183$080
119:t812077
11U:047512
53:588RA550
81:096172
65A800
2:969A158
1831752


&. & 0. 232:446$401
0 guarda-livros,
Francisco Joaquim Pereira Pinto.


conmmuo

A bandein conservadora

Em 6 de agosto do corrente anno, quando jA
tinha sido resolvida a dissolucao da Camara dos
Deputados e annunciado o facto ao paiz, em artigo
que escrevemos, e aqui publicamos sob a epigra-
phe Sejamosjuetos -, n6s tomamos a defesa da
coroa, que injusta e cavilosamente estava sendo
accusada por ter usado da prerogative quoe Ihe
confer o V do art. 101 da Constituiqco do Im-
perio.
Dissemos entao que o procedimento de S. M. o
Imperador f6ra correct, quer no ponto de vista
do nosso direito constituido, quer no ponto de
vista das conveniencias politico-sociaes ; e, depois
de apreciar por ambas as faces a question, conclui-
mos assim :
a Cumpre, pois, ser just, e confessar que a
dissoluto foi umna media impoata pela attitude
da Camara hostile ao andamento dos negocios, e
perfeitamente indicada pelas circumstancias, e
feita nos restrictos terms da Constituico.
v 0 que resta 6 que a nacro se pronuncie fran-
camente nas urnas ; que eleja quem a represent
fielmente ; qucm interpreted corn a maxima ener-
gia o seu modo de vcr e de resolver o problems
servil; quem emfim faca a lei, sem odio nem pai-
xao, sem almejos de apparecer aos olhos europeus
coeo puauu-upiU aP uuaiia arues, t Vm u tamoei
sacrificar, por mal entendidos afferros ao passado,
os principios de humanitismo e os da civilisagao
hodierna, que nos impoem deveres estrictos, que
tambem visam os progresses d3 paiz.
< 0 problema servil, respeitado como pensamos,
deve ser o principio da proprielade, de que o Es-
tado s6 deve langar mao de accord corn o XXII
do art. 179 da Constituigco, isto 6, indemnisando
previamente o valor da mesma propriedade,-pode
e deve ser resolvido corn calm, sem atropellos,
sem vexames, e at6 urn pouco acceleradamente,
entendendo-se este acceleradamente em habeis
terms.
Em dous artigos posteriores, publicados a 9 e
10 de agosto, nAo s6 mostramos o como e oporque
somos abolicionistas, mas tambemi reivindicamos
para o partido conservador a gloria de, em quasi
meio seculo de vida, ter realisado os unicos pro-
gressos eonhecidos do paiz na alarmante questio
servil, ja extinguindo o trafico africano corn Eu-
zebio de Queiroz, jA libertando o venture da mu-
Iher escrava corn o Visconde do Rio Branco,
dest'arte seccando as duas fontes cm que a escra-
vidao colhia renovos.
Dissemos entao, extranhando que ao partido
conservador se atirasse' o lab6o de escravocrata :
Como, pois, corn que direito, corn que ifunda-
mento, se diz no parlamento, e se repete na im-
prensa e na prava public, que o partido conser-
vador 6 escravocrata ? Como, e con que base se
avanca que esse nobre partido, a quom deve o
Brasil todas as suas nmelhoras e mais queridas
liberdadep, deseja e quer a permanencia da escra-
vidao ?
a Assegural o 6 pura e simplesmente um dis-
late, 6 mais do que isso 6 um crime de lesa-
logica, 6 um attentado de lesa-patriotismo, pois
que, no passado do partido conservador, tudo se
contrapoe i. essa estulta -accusaco, tudo conspira
para protestar contra t:1 vii quao torpe assalto
as glories de Euzebio e de Paranhos, dous lumi-
nares conservadores, que pelejaram a frente das
suas hostess, sem que cst:-s jamais os abandonas-
sem.
E concluimos o nosso artigo de 10 de agosto
assegurando corn a inteira consciencia do nosso
acto que o partido conservador almejava e queria
ver resolvido o problems servil no mais curto
lapso de tempo possivel, porem corn a menor som-


fteeoto v41-w Ofl, aduavibdo o actuIam 0ono a
,meoMu~d puJ~eotatse eat .uarnpts, e atmado
dispwtk a seguia affu o ae hor salfotado'
pets vontsde da imsclo.
.Vclar que o diguo chefe osnservador, jutifi-
gamo aa corda, esmi a&s a haviamo. justifioads,
uS. fsllou em semaiwuco name, ma sim no do par-
tido nteh%, qa o tern como aum de seas lumins-
res; eajustficati m calo no espinto public,
porque deentia em vauto m mais so ergueram
Wte o throno as critical infundadas, que d'antes
Ihe eram dirigidas, sem comtudo attingil-o.
Ni.inmuu puoedents f. i a juuiftatia quo s
henrado Barlo de Cotegipe deu em pr6 do partido
conouervador, asim coafirmando asaoasu a&er-
Oes referentea.. ao modo de ver do partido em re-
la9o A questao servil.
0 aulUdid iojrmal resumio assim o primeiro


tu Gb 1G. o imp &rlqua lefta qum
baro .e 0diqse torgiOha o pis.
or mals qua m-gamndmaa i so a '
eloquenoia oa tribusos bMal a r o i a
adonmas p oa utise w aier as, ar IrtW
ataioA da rethorica, nt om qmo g dwure w AN
-14" do partido comuervmador, o pr mt m
ri&B odtdo easriptas em ca dos$e sn ip.
gias da historia sncional. B ia, h m
alto do quoe os tribunmaes, nao pom er dud
pelei alviSi do palnfrero.
Nem so digp em torn do critics quo. partlis
-o -ervaiorcioca ao p3der M O ovmik 4depf n-
do* pelo partido liberal; porque, paz rsbater-a
critics, basts accentuar que, em teds prtes, -
todos oas paizem coustitucionaes roprmetstoio, a
misdAodo partido consarvader 6, reopataado -
leis e o costumes, realisar, as modio" dak mv-
niencias publicas, as reform s proiamsdaf sa--


bride, levantado pelo iliustre chefe conservador, I tag pola unanime opinion do poves.


Dando-se, porma, de barato que o Bill Aberdeen
tenha influido para o facto, nem per isso diminue
a gloria de Euzebio e do partitdo conservador em
ter seccado aquella fonte de escravidao, come
nao p6de desmerecer a de Parauhos o facto de to-
rem os liberals incluido na Falia do Throno de
1866 come aspirageodo paiz a solugao do problema
servil.
0 que 6 positive e incontestavel 6 que, ao pass
que o partido conservador, per actos do immense
alcance social, evidenciou a sua vontade firm de
ver extincta a escravidao no Brazil, o partida li-
beral jAmais foi almn dos programmes e das pala-
vras, e nunca traduzio por outra forms as suas
aspiragoes, que releva ponderar nao do accords
na sus agremiagao.
Depois, se a eloquencia tribunicia julga-se corn
direitoia malsinar oactode Euzebio, dizendo-o filho
do Bill Aberdeem, ha-de conceder que igual di-
reito so arroguem os que affirmam que os actuaes
propagandistas da aboli95o A outrance obedecem
sos instuitos e ameagas que soo formuladas t6rado
pais, e bebem suas inspirago na Anti-Slavery
Society.
E Sra justoeste ocoaceito? Nao, no o 6, pois
contra elle protestam todoes os nosses actos e sen-
timeutos patrioticos. Pois, semelhantemente, 6 in-
justa a macl que se buses launar no procodi-


Dessa missao tern sabido boamente doeaeup-
nhar-se o partido coaservrdor do Brasil; e fi
por isso quNe, a 7 de jalho de 1879, o cometuoi
Jolo Alfreda disse no Seaado: a sou couv --,
e conservador firme, mas sou progreuata; e ubha
contradicao nestes terms, porque, como ji& dime
um grande politico inglse, aad& ha que o ja ua
oonaervador doqueo puogreso. NI. sme pg-
reformas que sejam o desaevolviueto prat & M
grande principios liberals, cousagrados as C -
tituigio, que formal a base deatas institui9o
que, na6s conservadora, mautemoa e qum
manter.
Nio, ao partido conaerrador n ao repwnam as
reforms; elle as tern feito, co mo prova-o a ollhc-
*o das uossas leis; e continuari a fasel-a, quaa-
do e sempre que elhas frem ind eadaspla t
public.
E foi por assim penar e crer, que o 0oao
Bare de Cotegipe se prommunciom pela forms acim
indicada no banquet de 28 de setembro find; e
foi por assim o pensar e crer, que elle, o chef e da
grey, dirse que o partido conaetvador devia, qw-
ria epodia resolver a quetso servil, corm a sa
natural prudencia e circunupecSo, isto 6, iem of-
fender direitos garantidos na Coustituio, srw
perturbar a ordem e sem desorganisar o trabalho
national.
E' isto o que quer o paiz ; e eata a unanime as-
pirasao national; e dessa aspiracso fez o partido
conservador o seu labaro, a bandeira corn que se
apresenta aos comicios eleitoraes do 1 de dezes-


B.M1 WOBCJ


que presidia o banquet :
0 Sr. Bare de Cotegipe, depois de fazer o
historic da lei de 28 de setembao e de mostrar os
seus beaefioos resultados em larga escala, tradu-
ziudo-se na liberta*o de mais de 40,000 brasi-
leiros, bem como de reinvidiear pars o partido
onservador todas as glorias do que se tern feito
uobre erta material, a comegar pela extincgalo do
trafico, tomnou bem saiente que tudo se pode eon-
seguir corn a fiel execu*o da mencionada lei e
eriteriosas medidas complementares. Accrescen-
tou que neste soatido o partido conservador de& ,
pode e quer proceder, e corn a nsus natural prm-
dencia e circumspecco.
Terminou levantando um brinde a, lei de 28
de setembro de 1871.
E' pena,--isse, A 29 de setembro, o corres-
pondente do Diarioa de Pernambuco usna carts que
aqui foi publicada 1 8 de outubro,- 6 pena que o
Jornal que deu extractos mais desenvolvidos, dos
outros brindes, tivesse resumido tanto o do hon-
rade Barao. 0 quo ahi flea nbo da id6a exacta da
parte mais interessante do brinde :-aquella em
que o Sr. Cotegipe repellio o estigma de escravo-
crate que se temrn procurado lanar sobre o partido
conservador. Referindo-se A formosa phrase-
noo recuar, nao parar, nado precipitar, disse que
isSO nao passava de umans figure de rhetoric: nin-
guem pensou jamais nem pensa em recuar ; parar
tambem nao 6 possivel, corn a lei de 28 de setem-
bro, que 6 umna lei de progress, e os que a fize-
ram e a sustentaram dando-lhe os desenvolvi-
mentos praticos a que ella se presta, nao querem
parar, caminham pars a solugao da questao, co-
gitando em resolvel-a e promovendo prudentes
medidas complementares: a devemos, queremos e
dodemos, affirmou o Sr. Cotegipe, chegar a uma
conveniente soluleo. n
Ap6s o illustre Barao de Cotegipe fallaram ou-
tros comvivas do banquet commemorative, e todos
foram accords no mesmo pensamento, sendo que
o conselheiro Joio Alfredo, que brindou a An-
gusts Princeza Imperial, referendataria a lei de
28 de setembro, disse que ( depois da declaracao
feita pelo pontifice da grei conservadora, de que
esta DEVIA, QUERIA e PODIA resolver apuestao do
elemento servil, s6 Ihe cabia congratular-se corn os
seus correligionarios.
Se se attender a que takes e tao positivas decla-
raVses foram feitas depois de realisada a dissolu-
gAo da Camara dos Depntados, e quando ante o
eleitorado se tinhajA posto a questio que motivara
aquelle facto; nao p6de restar a menor duvida de
que o partido conservador se apresenta nos comi-
cios eleitoraes nao como escravocrata, lab6o que
todos repellimos, mas como francamente eqanci-
pador, ou, por outra, como abolicionista convieto,
embora nao intransigent, embora nao exaltado.
0 uI, li plu".B d. iluotro Barac du Cotegipe, o
partido conservador deve, pode e qudr resolver o
problema servil; mas nao qu6r sahir f6ra das raias
constitucionaes, nao qu6r offender o direito de
propriedade, nao quer perturbar o trablho na-
cional, nao qu6r convulsionar o paiz corn a aboli-
Sojd e jd e sem indemnisaoo, aspiragio dos in-
transigentes, cuja missao 6 somente demolir, sem
se preoccuparem corn o dever de construir.
Nao se repita portanto na iir.prensa, nem nas
apregoadas conferencias, que o partido conserva-
dor segue a political do chicote, porque isto 6 um
dislate depois daquellas formaes declaragSes, quo
se apoiam no seu passado, aureolado dcsde 1850,
em que fulgura Euzebio corn a extinccao do trafico.
E' certo quo, para nos ensombrarem essa gloria,
os destimidos tribunos avancam que o partido
conservador o so extinguio o traffic quando, em
execu9.o do Bill Aberdeen, a Inglaterra deu ordem
para que seus navies fizessem prezas mesmo nos
mares territories do Brazil, ao alcance das ba-
terias das nossas fortalezas. a
Esta aeeusauao, entretanto, nao desmerece o
facto, nao so6 porque, se nao Iora o animo delibe
rado de Euzebio e de seus auxiliaries em extinguir
o trafico, nuo faltariam meios de illudir a vigilan-
cia ingleza, mas tambem porque os intuitos do
Grande artist conservador j a estavam manifestos
antes da bravata da Inglaterra.


25:3264720

26:4640230
1:184I)78)

52:977,5730

5: 13078)
3:04YJ46960
3:1733670
9574000
2:1304970
1:76393"0

16:2504700

36:7276030

4:9',4-600
4:017-5:30


18:0675320
1:8164620


30:89342,0
5:8336750

do Beberibe,


3 de novcmbro de 1884.
0 director caixa,
Graciliana Octavio da Cruz Martinu.

Balanmoe do movimente da ealxa
da Compabnhla do Deberlbe,
no trimestre do it de agWsto
a 3l de outubro de IS 4
Receita
Saldo cm 10 de agosto 26:316:-300)
Pennas d'agua :
Recebide dos concessiona-
rios 25:326472C
Chafarizes:
Arrecadado per adminis-
tragao 26:4664230
Rendimentos diversos:
Arrecadado por esta verbs 1:184$78'J
Fundo de reserve:
Retirado do Banco para


Total


Despezas
Honorario da direeglo
Pessoal da companhia
Custeio das bominbas
Limpeza dos arudes
Despezas diversas
Conservago das obras
Obras novas
Dividendos

Somma


5:941-390
85:2356420


5:1306780
3:0944960
3:173#670
957000
2:1304970
1:7634=320
1:041440W
1:0444"00

18:336#100
8M-
8eo


Idb Miw .d .. M.


125
618
641
673
704
864
993
1073
1149
1322


-----I


MAgic.


I


401"Pow


PUBLICACOES A PFEDIM

Balaneete da recelta depa
ordlnarla da Compamwa 4.
Dberbeibe no trimestre do t
de agosto a 1 de outar 4 de
ISS&
Receita


bro proximo.


obras novas


Pennas d'agua:
Recebido dos concessiona-
rios
Chafarizes:
Arrecadado por adminis-
tragao
Rendimentos diversos :
Arrecadado por esta verba

Total
Despeza
Honorario da direcqAo
Pessoal da companhia
Custeio das bombas
Limpeza dos aqudes
Despezas diversas
Conservaglo das obras

Somma

Saido

Receita
Em lgual trimestre
Diflerenga para mais em

Despeza
Em igual trimestre
Differenga paiamenos em

Saldo
Em igual trimestre
Differenga para mais

Escriptorio da Companhia























(Wo das obras

Somma

Saldo


IN Receita
Em igial trimeotre de 1883
SDifforenga para .mais em
1884

| Despeza
- Em igual semestre do 1883
SDifferenga pars menos em
S-1884

Saldo
SEm igual semestre de 1883
Differenca para mais em
1884

Escriptorio da Companhia
5 do novembro do 1884.


Saldo em 1 do maio
Recebido de pennas d'agua
Arrecadagao dos chafarizes
Rendimentos diversos
Dividendo das acoes do fun-
do de reserva


. Juros do fund de reserve
Retirado do fund do reserve
S em deposit em New Lon-
S donlBrazilian Bank


Somma


S* Despeza
Honorario da direcqAo
Pessoal da companhia
S Custeio das bombas
Limpeza dos agades
S Despezas diversas
Depezas eventuaes
S Conservacao das obras
- Dividendos de semestres an-
|- teriores
ii Setuagesimo 'segundo divi-
dendo
Obras novas
S Hcroweles & Foster (de Lon-
dres) para materials das
obras novas
S New London & BrasilUan
f Bank, recolhido para fund
;+ de reserve
S Saldo para o seaiestre so-


guinte


Somma


36:739#680

65:192#320


96:889#564

5:0426436


56:023#604

19:2836924


40:865#970

24:326#360

do Beberibe,


70:272#856
47:4806520
47:838#780
2:2874580

3:7024000
6236120


17:507#650

189:712b506


9:347#480
7:714#080
8:961*170
1:7766i000
4:4766700
581,6000
3:888#250

2:124#000

35:0886000
5:728#510


11:779#140


31:3536856

66:8996320

189:7126506


Escriptorio da Companhia do Beberibe,
5 do novewbro de 1884.
"i a9ixa'
Graciliano Octavio da Cruz Martins.

Ao eleitorado do 3 district
As repetidas provas d.- aprego que tenho rece-
bido de meus comprovincianos animam-me a sol-
citar de novo ao eleitorado do 3o distrieto a honra
de representar a provincia na eamara dos depu-
tados.
A dissoluca'o da referida eamara, no mesmo dia
em que. terminava o praso constitutional de sen
mandate, dA ao pleito que tern de ser juilgaJo em
1 de dezembro proximo especial e extraordinaria
importancia. Vencido pela opposiVAo no ponto
mais grave de sea programma, o relative ao ele-
mento servil, quiz o mininiterio de 6 de junho, re-
correndo ao meio extreme que a constituieago re-
servou pars quando o exigissea a salvacao do Es-
tado, que se pronunciasse o paiz sobre a conve-
niencia das medidas corn que pretend resolver o
difficil problemna, que preoccupa o present, e into-
ressa e ameana o future do imperio.
Nao me consentio o patriotism suffragar corn o
meu voto o project do governor ; e embora teuha
explicitamente manitestado na tribuua os motives
do men procedimento, julgo indispensavel repro-
duzil-os, ainda que em resume, ao solicitar a re
novanAo de um mandate, que so6 eleva e bhonra
quando a confianqa o confere.
Na situacio affiictiva e quasi dosesporada dc
nossas finangas, quando o proprio governor pelo
orgam do ministry da fazenda do ministerio de 241
do maio declarou a representanlo national ser ne-
cessario o emprego de remedies heroicos para res-
tabelecer o equilibrio entire a receita e a despeza,
vedava o simples boin sensor que aecelerasse a so-
lucao de um problema que interessa A prodlucaIo
e por tanto a rends public que della precede e
depend.
Pretend no entretanto fazel-o o gabinete actual
e de um modo, que nao s6 tere a propriedade,
como desorganisa o trabalho e torna impossivel a
actividade industrial e agricola.
Corn effeito, libertando seuo indemnisagio os es-
cravos de sessenta annos destroe o governor a ga-
rantia assegurada pela constituicao A propriedade,
e acaba de vez com o pequeno valor, que a agita-
rbo dos soffregos deixara ainda a essa classes de
bens. Pedindo por meio de novos impostos uma
somma nao inferior a doze mil contos par fortale-
cer o fund de emancipacio, esmaga nina indus-
tria ji agorentada e quasi exhaust, e arranca-
Ihe em poucos annos os unicos bragos, que ainda
a sustentam e mantem. .
E tudo isto sobre o pretexto de restituir A la-
youra a perdida tranquillidade, e de moderar uma
propaganda perigosa, que s6o existe e cresce A
sombra,j nao direi da indifferenga, mas da cum-
plicidade do mesmo governor! Repete-se poise corn
a victims de uma solicitude iusidiosa e perfida a
amarga e crnel irrniso do carrasco hespanhol, -que
dizia a.o infeliz que se lamentava a& caminhar
para a morte : Nao se queixe ; o que se vai fazer
6 pars seu bem. .
Muito diverso foi em igual assumpto, e em eir-
cumstancias mais favoraveis do que as nossas, c
pr6cedimento do governor inglez. Nio obstaute
intercssar a material a colonies longiquas, cuja
ruina no ameaava a ordem public, uem podia
influir aasituacao economic do reino-undo, a neu
case governor -anteipon os tempos, diz o Duque do
Broghe, eitado por um illustre coseheiro de Es-
tado, nemr dirigio oasaconteciinmentos; l;iitou-se a
minter o state 9w ; retstio vintee disco 000 a
SaboWiKi; ddeonden palmlo a palmoso Posi' in-
j; teredias e ale ieU em eadapcaeilo 0toalI A
OPe b uaid uanmrio
E.quaado afilal ceden a opiiaoquauuuiese
do .uitT'owiseit^es~u eziga *Wh;1lq^Io, o |


wtto^^ i:,auiema,m QW2ice ae tna1.,:':i,
SW S* *U.JI$ iiR ^ -,a G
-Agh.igeja4 -)sae 'Q;sf




Alada o e a=or llhenio, eo
seun SobvdefuorO
Desta vez aprsesntou-se o major Guilhermino,
o protogonista dI aceas de miseriras e vergo-
nunas, que vao hoje pelo o Preasidio de Fernando
de Noronha, escudado, na imprensa, per se u filh
o Sr. cadet e Symphroulnio Paes Barreteo.
E muiRo louivavel un m fillbo Aefder seun psi, 46
mesmo urn dever, emborat accuse eida vezsais
a intnao 6 o que fau pezo nabalanada eons-
ciencia; o que, por6m2 nfo mait- louvavel, e,
antes, nos enche de indignao, 6 quorer faer da
opiniao public, que o 16, uma sucia de mente-
captos. "
4 Antes calar do que mal fallar, Sr. cadete,
reza uma velha sentence. A defeza s6 tez pro-
duzir mais luz A accusaao.
Nao nega quo as quantias alludidas fossem re-
mettidas por sou pai a firma social-Silva & C.,-
que Ihe escrevdra, incumbindo-o do re.ebimento
de tacs quautias.
Mas, se antes da malfadada nomeaclo do major
Guilhermino para fiscal do Presidio, a firm
Silva & C., nunca teve a menor transacqio, na-
quella ilha, corn sentenciados, nem ali conhecia
ningue n, estA claro que est.0 desbnrioso olicial foi,
antes, ali, especular coin as miserias dos iufelizes
sentenciados, e agenciar pingues proveitos, do que
curar de bern cumprir os seus deveres, si 6 quc
alguma vez soube cumpril-os.
Demais, diga-nos o Sr. novo detensor, que pa-
pel faz um major da praqa feito cobrador dos Srs.
Silva & C., junto dos sentenciados ?
Que moralidade, que energia pode ter um otffi
cial assim convertido am um mercador ou cai-
xeiro de cobranvas ? Diga-nos nio e vergonhoso ?
Ainda : o que significa cem saccos de milho re-
mettidos A mencionada firm, dos quaes diz so-
rem mandados :-40 polo -sentenciado Joo Gon.-
calvcs e 60 polo sentenciado NicolAo de tal ?
Estes sentenciados, per ventura, alguma vez
conheceramn a firma Silva & C. ?
NMAo estA bm patente que os nomes destes po-
bres sentenciados so figuram ahi para melhor, ou
talvez peior, mascarar esse illicito tratieo dos ge-
neros da produegao da ilha?
E que 6 mais vergonhoso ainda o Sr. major se
servir d s nomes desses infelizes homes para en-
capar as suas miseraveis especulagoes ?
A opiniao public serA per ventura, tao simple
quo isto nao conheqa ?
Concluimos d'aqui que o major Guilhermino e
um caixeiro, socio de industria da firma Silva v
C. pari agenciar, no Presidio de Fernando de
Noronha, compradores e vendedores, isto 6 quem
comnpre caro e venda b:irato!
Isto 0 por demais irrisorio!
0 novo defensor do major Guilhermino, pais,
veio ainda mais mostrar a chaga de seu pai cons-
tituinte.
E. tome cuidado : muitas vezes, a forca de elo-
giiir-se a prodigiosidade do gigante, obriga-se-
no:3 A observr'-lhe as propor5es, e medir-lhe a
altura.
Temos dito.
Ao governor compete as providencias,
Recife, 6 de novembro de 1884.
A opinido public.

Aos eleltores liberaes do 4o
distrieto
Approxima-se o dia de pleito electoral.
A luta quo vai travar so, se jl 6 impor-
tanto enim si, inais important dove ser cou-
siderada, porquo do seu resultado depenle
a solutgio da inagna questlo quo agita hoje
o paiz, solugao quo trara o aniquillamento
h- rrtcuunra, nazM 'kI?- pw zcr oaegutmeuh
desapparecimento de todas as nossas fon-
tes de riquoza, caso o pronunciam-nto do
eleitorado seja em favor da propaganda
que vao fazendo os deoragogos.
E' dover, pois, do eleitorado votar enu ho-
mens que, dotados do criteria e cheios do
patriotism, possam arrancar o paiz das
bordas do abysmo, ere quo so acha.
Esta organisada a chapa liberal e para o
4o district vena nella incluido o noino do
Dr. Joaquim Tavares de M. Barreto, quo
nada fez na Camara, e em quem os eleito-
res agriculture nao votaraio, pola attitude
que esse ex deputado assumio, quando se
poz era prova os amigos do ghbiuete .o
project do element servil. Os agrioulto-
res estao tUabalhando. scm distinc.o do
cor palitica, para derrotar o Dr. Joaquim
Tavares, e essa- derrota 4 esperada. E
nemo pode deix r do ser ass m, desde q'-me


o Dr. Jo quimn Tavares, pertencaeenilo ao
grupo dos silenciosos. nenhumn beneficio
conseguio para o 4 district, e pAo con-
trario tractou de prejudicar os iateresses
da agriculture, dando o sea voto em favor
do project do elemsnto servil. Ser prejtt-
dicial A agriculture e somente empregir os
seus parents, nisto consistio o trabaiho do
Dr. Tavares naj Camara Temporaria.
Os organisadores da chapa liberal es
queceram-se do Dr. Luiz Gongalvcs da Sil-
va, liberal recobnhecido e de antiga data,
cuja candidatura assentaria em base mais
salida, do qae a do Dr. Tavares. Corn ef-
feito, a ser o Dr. Luiz Gongalves apresen-
tado na chapa, podia-se de antemlo contar
corn o triumph do partido, a que 6 elle
filiado; o quo eutretanto, nio succede corn
o Dr. Joaquim Tavares, que, al6m de toer
muitas antipathias, votou corn o Gabinete
que quer azabar corn os escravos, sem indem-
nisar seus senhores.
E so cotejar-se os services prestados polo
Dr. Tavares ao 4.- district corn os que
tern prestado o Dr. Luiz Gongalves, ver-
se-ha a distancia que os separa e os titulos
que tern este distinct politico, para ser
preferido pelo eleitorado ao Dr. Joaquim
Tavares Talento, illuatra9go, palavra facil,
honestidade e criterio tern o Dr. Luiz Gpn-
0aves para bem desempenm ar o mandate
quae Ihe for coQnfiado. Achamos que o eli-
to.ado do 4. districto o deve tot outro
Scanudidato,'seno o Dr. iuiz Gonbalves da
Silva que foi muito boem aceito, quando,
em competencia coro o Dr. Tavares, se
Sapresentou em 1881 no campo electoral.
Politicodesinteresado e de abnega1o-
LDr. Luiz sabwo er i s eresntamte da as-
.910 -
^.rtea-4o,. 4 istido, v,6tai no Dr.
Luis GonalrO. 4.NiY9&,e, a vossa coto

W"03 udmailo.
?;^1:'''-^1".*^ ^ ?


Asu~0quo o~r

p amtio do documentos fortes, etir. on-
tra i s as wa revoltantes calumnias e
uontiraa. .,Do das uma, ou o Sr. Mi-
ques 6 do9tado de am cyaismo desbragado,
ou suppz que o seu aranzel no soeria lido
por numi. A carta do Sr. Pedro Rygard
em que tanto s ea ocudout o Sr. Marques,
nada adiantou, porque o que eue o e publi-
Co desejamos saber, & do caminho quio to-
moun o dinheiro .ue, por conts dos bilhetee
que passei, Ihe foi eautregueI por mim em
proseitg do Srs. Dr. Lnpita, Fraxciw
OChfrysostomo e Joao Rodolpho. Etrotan-.
to o Sr, Marques guardou sobre isto o
mais religioso silencio I Pars despezas
nao acreditamos que o fosse, porque .4 o
Sr. proprio quem diz quo ellas foram sa-
tisfeitaa corn o product dos bilhetesa veon.
didos por si e por seus amigos! para a
viuva muito menos, e isto se verifica nao
6ad de uma declaragAo della no Diario de
15 do mez proximo passado, -como da pro-
pria carta do Sr; Pedro Riggard. .
Nunca fui procurado polo Sr. Jose Mar-
ques para corn ele prestar contas do be-
neficio em questAo, como fez elle acredi-
tar em sua desarrasoada defeza; prio con-
trario, no dia em quao eu munido do docu-
mentos o convidei para isto, elle furioso
porque via proxima a sua oondemnacao,
tentou arrancar-me dase maos os papeis, o
que no Iheb foi possivel conseguir em vista
da resistencia que oppuz, isto em presen-
ga do mais de trinta poesoas. Emfim pen-
do term a esta discussao, previno ao Sc.
Joss Marques Correia, quo as minhas con-
tas se acham d'ora em diante na bibliotheca
do Institute Olindense onde melhor pode
ser examinada pelo public. Este proce-
dimeuto serA digno de imitago ? Vel-o-
hem0s.
Quanto ao sou viver honest, eu appello
nito s6 para os seus proximos parents,
come para os criteriosos habitantes desta
cidade.
Olinda, 5 de novembro de 1884.
Joco Pinto da Costa ,outo Maior.


AO DISTItCTO BACHAREL


Vicente de Moraes Mello Junior,


Sem regosijo pela sua fortnatura,
felicita e abraga o amigo
6-11--8L
4. w.




CAolegio Ablilo
o De Barbacena
No dia27 do mez proximo passado, foi o colIe-
gio Abilio de Barbacena visitado pelo president
deaa provincia, o Exnm. Sr. cons(4heiro Olegaio
de/Aquino e Castro, acompanhado do,Sr. DrG^s-
--{vr rdo A 'I"in"n P. (ia-t~rn- rlifypiQ -i11., na nfr fi,
S. Josd d'Elrey e do Sr. capttao dc fragata Ca-
lhe'ros da Graa, distincto official da armada bra-
sileira.
S. Exe. e scus illustres companheiros, chegaudo
ao collegio a I hora da tarde, justamente quanlo
tunccionava a maioria das aulas, percorreram-n'as
detidamente, comeeando pela de desenho figurado,
onde entro numerosos trabalhos notarain algans
.de bastante importancia.
Depois do haverem visitado todo o estabeleci-
minento, aimirando a boa ordem c aceio que reinan
ein seus divcrsos compartimeatos, assistiram p-r
0spa&o de uma hora a aula especial de insti ucao
primaria dirigida pelo Sr. Barlo de Maeakubas,
ondie se mmstraram sorprehendidos pala pirompti-
d4o, vivacidade e consciencia comn qune- mninos de
tao poucos annos respondiam as variadan quest~os
elen.entares de chymica, physical, gcotaetria, ari-
thmctica, etc., que Ihes propunha seu caro mestre e
dedicado director.
Em seguida passaram os illustros visitantes .i
aula geral de music, onde apreeiaram sunmma-
monte o aproveitameuto de tao novas ercancas, as
quaes entoavam bellissimos canticos e variados
solfeijos indic idos ao acaso no respective compen-
dio pelo Exm. Sr. president da provincia.
E' sabido que nested particular tern o Sr. Barao
de Macahubas levado grande vantagem ao enineo
rotineiro, tomando a apreudisagem da arte de Or-
pheu immrnensainante facil e deleitooa aos e.luaia-
dos da mais tenra ilado.
Ligo ap6s foramn onvidas corn visivel agr.i4o
duas escolihidis pe(-.s, que execatou a bainda m,-
sical composta d: daluin.Ts.
S. Exe. e sous distinctos companheiros r.tira-
ram-s e as 4 horas d' ta:rJe ; ao d,,sp direin-se
dirigiram ao Exrn. Sr. B.irao d% Macahab-,s us
mais lisongeiras eongratuBa i'!s pelis esplendilos
resultados que saba tirar do enprego de sea novo
e admiravel method de ensino, e cam a excellen-
to direcoAo que sabe dar a seus importantes esta
belecimentos de educalao.
(Da redacriAo da G-.zeta de arbBacena, de a de
outubro de 1884.)

E' bom ler


Ouvi cantar uma joven
Que minha attenglo chamou;
Voltada pars seu bern
As quadras abaixo cantou.
Coitado men bern cottado
Do proposto deputado ;
Pois se for em-qui'hado
Meu bern, 6 bode eastrado.
Coitado menu bemn coitado.
Passara a novo estado;
No combat drmotado
Meu bem 6 bode castrado.


Cidade do Cabo.
0 administrador do cemiterio.


A violeta
Das fires a mais m bela, mai s formosa
A quoe mais nos sedu, a maisi* lla,
qur ,a s ....I em si --l
A Ilor que manwis eandura em si revella
E Mais perfum-as ten quo a fresca rosa...
:w' &Daft *ilMtk & oheirsuL -


ra ea W quo I Ur di

a" '0%t ea afrrp'jddve-
i0& tomar part na elei*Io do dia I Ae

Fregueiai-do S. Jo6, eam 6 de nov-em-
iro do 1884.

Parro; iaeo -seleate $toloi e
Igaiorantes
Lincoln escreveu em sea artigo publica-
do no Jornal2 de 5 do corrente :
1 Nas capitals efles t m apenas do seu
lado os commendadores burguezes e par-
vosf os barges inconscientes e tolos, os ca-
pitalstas &gnorantes e naoabos.9
Sp os commendadores, os bar5es, e os
capialihtf A dsta capital nflo querem sor
parvos, inconscidentes igaoranteos e tolos,
votem em Nabucoe Jos6 Mariano. -
0 remedio 6 fac6 .
Urn que 6 parvo sdmente.

Honra ao merito
E' sem selecco de opulenta liuguagem, sem foros
de profunda erudiceao que vimos register no vas-
tissimo pugilato da imprenta o nome do distinct e
active agent municipal o Sr. Francisco de Souza
Freitas, pelos incansaveis esfergos, e latos melho-
ramentos que zelosamente tern envidado para o
aformoseamento, e engrandecimento desta fregue
zia, porque alem do alto proceder nas suas arduas
funceoes, procura harmonisar os mutuos interesses
publicos e municipaes, corn circumspec.lo e apro-
veitamento.
Nao podemos portanto retrahir em nosso espi-
rit) a magna admiracAo que votamos a este h)n-
rado funccionario que dedicada e proticuimente
trabalha em prol do public e da municipalidade.
S. Lourengo da Matta, 5 de novembro de 1881.
Muitos moradores.

Garanlhuns


ELEIVAO DOS DEVOTOS QUE TEEM DE FES
TEJAR 0 GLORIOSO SANTO ANTONIO NO
DIA 10 DE JANEIRO DE 1885.
Juizas por eleigao
As Exmas. Sras. esposas dos Srs. Drs. Theo.-
philo Benedicto de Vasconcellos e Jose Joaquim
Rodrigues Saldanha Junior.
Juizes por eleiilo
Os Exms. Srs. Drs. Bento Ceciliano dos Santos
REamos e Joao Augusto do Rega Barros.
Juizas por devoaao
As Exmas. Sras. esposas d)s Srs. capitao Na-
poleao Marques Galvao e major Antonio da Silva
Souto.
Juizes por devo-an
Os Exms. Srs. Dr. Antonio Francisco Cor.-eia
de Araujo e tenente-coronel Constantinuo Rodri-
gues Lins de Alb4querque.
S la noite
Administfadores : Luiz de Barros Pereira Rego,
Jose Gonialves de Medeiros e Febronio Dacio da
Silva,
r 2a noite
Administradores : Izidro Lucindo da Silva Ruiz
e Jose Roberto de Mello Sant'Iago.
3a noite
Administradores: Ignacio Vespuciano Augus-
to Ferreira, Antonio Maria de Figueiredo e Fran-
cisco Ferreira da Costa.
4a noite
Admiuistradores: capitiao Napoleao Marques
Galvao e Pedro Ivo da Silva.
5a noite
Administradores: major Antonio da Silva Sanou-
to e tenente Jos6 de Barros Silva.
6a noite
Administradores : Jos6 Paes da Silva e Joao
Florentine de Araujo Miranda.
7a noite
Administradores: tenente Joaquimn Alves Bar-
cetto Coelho e Joao Correiade Meilo SMel .t'lo..
Adniuistradores: Jose Telles Furtado, Henri-
que Telles Furtado e t nente Joaquim Antonio de
Araujo.
9a noite
Adm'nistradores: Jos6 de Soaza Ferraz, Ma-
noel Correia de Barros, alferes Joaquim Correia
Brasil Junior e alferes Joao Bernardino da Senna.
10a noite
Administradores: Antonio de Moraes Campello,

COIIERCIO

Praia do Recife, 6 de novem--
bro de 1t84
As tres horas da tardo
Cotaeas Nio houve cotacAo.
A. M. de Amorim Junior,
Pelo president,
M. J. da Motta,
Polo secretario.

RENDIMENTOS PUBLICOS


Mez de novembro de
UtLAMDMGA==De 3 a 5
Idem de 6


4CBC, OMBIA==l)e 3 a 5
Idem do 6


osssurLADO PnoVInCIAL-De 3 a 5
[dem de G


&as DiAIms-De 3 a 5
Idem do 6


1884
107:2104316
63:605A527
170:81-.584')
5:793 A5388
2:418,W6.10
8:212A158
12:0501180
3:937AU00I
15:987A484
882A930
2690431
1:14&2A364


SDESPACHOS DE IMPORTAQAO
Vapor national Mandos, ontrado do*
portos do sul no dia 6 do corrente, e co.n-
signado a Bernadino Pontual, manifesto :
Carga do Rio de Janeiro
Chap6os 2 caixas a Affonso Oliveira
&C., 1 a Alves de Brito & C., 1 a Sa-
marcos & C., 1 a Carvalho & Irmlo, 1 a
Adolpho & Ferrno. Cafe 220 saccos a
Paiva Valente & C., 378 a Antonio LQU
reiro & C., 210 a Manoel dos Santos Arau-
jo, 64 a Jos6 Pereira de Carvalho & C.,
44 a Joaquim Duarte Simoes & C., 54 a
Souza, Basto, Amorim & C., 61 a Paulo
Jos6 Alves & C., 50 a Araujo Castro
<&tC.
Fumo 162 volumes ao New Londoba and
Brasilian Bank, 3 a Jolo Francisco Loite,
50 a Fraga Rocha & C., 50 a Joto V. Al-
yes Matheus & C., 5 a Sodr6 da Motta &
El'lho, 28 a Almeida Machado & C., aR)-
drigues de Faria & 0., 5 a Paiva Va'ente
C o., 6 a Ba.tar. Ib &C.
Mob$& 9 'volnomes-a Antonio Udrignu


Almida, capit* Joe6 Pauliuo da-B va Burgos e
*fres Joaquim Gualberto da Costa.
S .12i noite -
Administradores: vigario Pedro PaIcific do
Barros Bezerra, tenente-coronel Antonio Cesario
da Silva Brtisieiro e capitbo Manoel Thomaz deo
Villa Nova.
13a noite
Administradores: Dr. Francisco Severiano de
Braga Torres, Dr. Theophilo Benedieto de Vas-
eoneeloa e tenente Joao Ricardo Cordeiro.
Commisslo da fiesta
Vigario Pedro Pacifico de Barros BRzerra, to-
acnte Joao Candid., de Mello, Antoni)ub de Moraes
Capello, Dr. Joaquim Cordeiro Coelho Cintra,
capitao Napoeao Marques GalvAo e Ignacio es.
pasiano Augusto Ferreira.
Garanhuns, 1 de novembro de 1884.
IM O vigario, Pedro Pacifico de B. Bezerri.

A Comupanhia Lasaroal lassa-
nleilo-Marlani
XXIV
udaxxivfortuna at.
Auidaceu fo)rtuna jiivat.


Niosedig. qam maa 6U mu qw w db so
nraii Poin eadi an poda niini -
Ida& 1= alii a po ri dvt>
Qualeporema aseo q e w imabsl Owh
didatum idar?
e s u o eat qiuome cm- a
lasron, como unioo maio de doefdr .o m W
trio e doe queji faii an ouaroi.
Deixixmos ainda parm ma.
Afso d'Aqrh MeU.

Aos elelties liberemsde i.* du-
trieto da Graqa
Sao convidados os eleitoros liberal do
l.o district da freguezia de Noss Senhe-
ra do Graoa, a se reunirem no proximo
sabbado 8 do corrente, As 6 horans da tar-
de, em casa do coronel Augusto Octaviano
do Souza, A rua do S. JosO do Manguinho
n. 4, para tracttr-se do medidas referentes
A eleigto geral de 1 de dezembro vindouro.


'No labor continue polos interesses patriots ou da
humanidade inteira, da sa doutrina, nao me occu-
po de mim quando, vencidos, os inimigos men ata- i 111. l llh.ta
earn peasoalmente. Nio 0 assim porem, o candi- UW
dato ao cargo public, e mais que tado A depu-a ura surprehede !
tao. ma ura srprehedee
STal candidate 0 o cidadlo que se oferece aos
outros par& receber e cumprir um mandate nacio- Este medicamento estA unicament aconselhado
nal. Desde entao esta sujeito a exhibir os docu- polo sea autor para as milestias que slo indicadi
menritos que garantam a confianna, a defender-so nos prospector e rotulos dos respectivos frasMo:
dos ataques que D'este campo lhe atirem. rhematismos de qualquer natureza, em todas as
A fclicidade ou a desgraga das nacoes, depeude molestias da peUe, nas leactorreas (flore branc w),
da lealdade, patriotism e sacrificio corn que os nas differences formnas da syphilis e em geral nas
representantes desempenhamn o alto mandate. 0 molestias occasionadas pela impareza do angue,
maior cuidado, portanto, devem ter os eleitores na para as quakes 0 de uma accio verdadeiramnente
escolha dos candidates, devem exarminar se soeu maravilhosa ; porem elle se tern mostrado igual-
programma esta de accord corn as altas necessi- monte de uua effeito por demais salutar em outra,
dades, as difficuldades do paiz, segundo a opi- como scjam as das vias respiratorias, catharra
ni.o de cada eleitor; se a sua conduct passada pulmoinares, ayudos c chronicos, bronddite, too
garante a future e a sinceridade do programina. npcturnas c asthma, polo que 0 de esperar que no-
Por isto o candidate p6de ser atacido por sua vas experIencias authenticadas por outros factor
ideao e per sua conduct, e se nao se defense das de curas, veinham patentear mais essas applica-
accuia5oes demonstradas, na'o deve o eleitorado Ses efficazes de tao prodigioso medicamento.
concedar-lhe os seus suffrag-ios. As09 senhores medicos cumpre precisar o dev-ido
Se 4ssim nao procedem, e os pronmettem a quemi lu.r que n; therapeutica dove occupar esae pro-
mnais pede, sem nerm ao menos conhecer as opi- cioso ageate.
nioes do candidate, sem examiner se seu passado 0 facto de que trata o seguinte attestado 6 dig-
garante a sinceridade de seu programnma e o sea no de ser estudado e meditado.
cumprimento, nao p6de esperar o eleitor represen- 0 propagador,
tantes que estejam na ailtura das difficuldades do A. P. du Cunha.
paiz.
E' por isto que me offerecendo a rceb,.r doi ar Ilhn. Sr. Antonio Pereira da Cunha.-Reeife.
eleitores do 2." district um tal mandate, demons- CasP Forte, 2.S do outubro de 188"4. 0 cajurubO-
tro como dos meus dous competidores o quo re- ba acaba de produzir em uma fillia minha de onze
preseutou duas vezes a provincial, s6 lhe tcmin fcito Iannos do idade, urma cura prodigiosa e dovo fazer
mal e ainda mesmo agora quanilo pleitea a elci-ao, pubticar essa cura para que todas os que soffrein
desmoralisando o povo, i;npcllindo-o at violencia da nmesma molestia, q me tinha minha filha, econ-
para consoguir par to-l o o uicio o triampho. trem uim remedio efficsz.
Quanto a o outro nada haveudo o que apoAt ir de Ha nove annos que minha filha soffria de as-
mal quo tenha feito, ncmn cousa que ponlia ci thma, a que vulgamente se dai o nome de pumxado,
duvida sua probidme ou desintcressc, o elcitor, e tinhia ji esgotado scm resultado todos ;s remne-
uma vez liquidada urma questau que so levanta, dio3 indicados pela medicine.
dove mnovcr--e na prefcrencia enutre mnima c helo, Tratarain della os Drs. Tcixcira, Adriao, Ma-
pelas idWas de cada sin a respeito dos ncgocios e laquiace o pharmaccutico da pbarmacia franceza;
grandes difficuldades da patria, dos meios c es- tomnou todos os remedies caseiros, qua eram acon-
forcos que cada u:n p)dlor dispender nw) coucurso selhados e o terrivel puxado sempre zombava dos
a sua melhor soluao. cuidados i medicos e dos remedies dos cnriosos.
Em vez d'ist,', andar-se prontdtcndo voto por a Achava-me ja sem esperancas de vel-a polo
pedido e einpenho, por ser do me's partido e abo menos melhoradas, quando lamentando isto em con-
do coutrario, p.trtildos s-ma significa.Ao de ideas a versa coin o mcau visinho e amigo o Sr. JosO Arau-
respeito do takes questtes, scm id distinga, nao! constituir inm- representante, por beba, do qual tinha tirado excellent resultado na
que nao assimn ll', nLo ri preseita id&t algama ; cura do mninitestaces syphiliticas.
nalo 6 obrigar a mandate al-gagin a qu o candidate Posto que nao confiasse nesse novo remedio,
nalo se obrigu, acin a sacrilicio alguin ;- consti- deliberei empregal-o em vista das curas por elle
tuir do pesado encargo um lugar de delicias e fazor produzidas, de que me deu noticia o meu refcrido
dell present a um amigo. amigo.
Se o voto do eleitor forse um-a propricdade sua, 0 effeito foi maraillhoso: depois do segundo
coma o a eu dinheiro, o seu clihapo, clle poderia dia min ha filha jai nao tossia e foi progressiv:unen-
promctter e taz!'r present dellc scin nenhum to melhorande, de inodo ,ue nao inais the appare-
exame ; por que today o born ou mAo uso que o ceram as eonvuls6cs ique costumtnava ter, phoi me-
presenteado de tal mime fizesse, s6 prejudicaria nos tires vezes p)r minez.
ou bern faria a seu don; mas o voto na o est & Apezar d(c reputal-a curada corn um ', frasco
n'este caso, pois nao umra propriedade do eleitor, do cajurubb'hi, dci-lhec ainda maLi duus. e hoj-
por que vai fazer bem ou mal A naclo inteira. pI6le-se dizcr qu cst.' transfigurada, dc cachctica
Por isto C que todo o round nao pOie ser eleitor, e pall-ida que estava, esta forte, coradla, gor-
por que nao podem todos julgar dos negocios da da e oitenitissimna, dizendo a todo mundo, que foi
p itria, e as cegas iriam decidir comn os seus votos o cajurubtba quern a curiou.
dos negocios de todos entregando a sua gerencia a A minlha satisfa Ioism
A -%.A;----..-.,e A-1---- --- 1 -_ T, r*?M-q*0fi
amigos. cia dessa milagrosa cura, afirn de que gosem dos
0 eleitor 6 portauto constituido um juiz do mesnios beneficios de que esti gosando minha fi-
grmnde jury national, para julgar da maior eapaci- Iha, e por isro peco a V. S. que se digne dara
dade a todos os respeitos entire os caadidatos ; maior publicidade A present carta, do que Ihe fi-
por isto nao p6de prometter seu voto, coma o juiz carA' agradecido o de V. S.. criado, attention venc-
no p6Jle prometter sea sentenca. rador e patricio, Jose Lopes Ferreira de M.U1
Portanto, se prometteu, prometteu mal, pro- Cazitimbdi.
metteu o que nao e seu, ou por facilidade, ou por (Negociante e proprietario muito conhecido),.
nbo poder resistir As instancias.
Nbo esta portauto obrigado a cumprir tal pro. Reconheco a firma supra. Recife, 3 de novcm-
-amlg-aco .a-1PeiI ...n. .. -. .. 20, ii mreg -


Mircamdorias divcrias 1 volaue a B. l3tar
Irmilo & C., 1 A orl--i:n, I a Simar,-os
& C., 1 a R1r.g-es L't i & C.
Panno do alg)llo i fiardos a Fcrreira &
Irmmo, 11 a M[iaI & -Rmzencl, 65 a Mi-
chado & Pereira, 10 a Olinto Jardima & C.,
20 a Adrade L)peas & C., 25 a R- Iriguos
Lima & C., 10t Ag-rstinho Stutos & C.,
15 a Severino irma-o.

Vapor francez Arnazone, ontrado dosepnrtos da
Europa no dia 6 do corrente e consignado a Au-
guste Labille, manifestou:
Ameixas 8daixas a Carvalho & C., 8 a ILamos &
Azeite 20 caixas aos mesmos, 3 aos consignata-
rios. Chap6oas 1 caixa a Laiz A. Siqueira. Coun-
servas 6 caixas Pos consigniatarios, ; a Rosa &
Queiroz. Charutoas 1 caixa a Vcetura Pcrcira L-
noos & C.
Flm6rs dc li-arag-cira 1 caixa a Iitrtho.oa6ji
&C.
Livros 1 eaixa a [Mauoel J.-s6 Gomu)al-cs Brag.I
Licore i I caix-is a Rmns & C., 10 a Suizcr &
Kachili 1, '2 aW) c,asignat trio.
fcrCadori-jiv'aa lumaj. de Oiiveira
& C,3 a)o: j itrou, 1 a
G. Lap',t &C,2 4aigyii- G.jetsechel. Melti-
Ihucs d u muro I a o Cmneg Maia. Moctadella *2
c lisas a Ramos & C., 10 a Sulzer Koechlin.
Papel 60 fardos ao consignatario, 60 e 2 caixas
a Rodrigues de Faria & C. 5 a Salazar & C., 1 a
Eugenio Goetschel.
Queijo 5 tinas a Ramos & C.
Relogis 1 caixa a J. Krause & C. Roupa 1
caixa a Martin.
Salame 2 caixas a Ramos & C. Sanguesugas 2
caixas a Francisco Manoelda Silva & C. Sardi
nhas 5 caixab a Ramos & C., 5 a Jobo Fernandes
de Almeida.
Tecidos diveraos 1-volume a F. Lauria & C., 1
A ordem, 1 a Ferreira & Irmao.
Vermouth 1 caixa ao consignatario. Vinho I
barril a irma Audigue, 1 a Monhard Huber & C.,
4 a Jose Joaquim Alves & C., 2 a J. Louret, 25
caixas a Auguste F. de Oliveira & C.
Lbgar americano Equidneck, entrado do Monte-
vid6o no dia 7 do corrente e consignado a Amorim
IrmAos & C., manifesto:
Farello 1,000 sacos.
Milho 1,50'J saceos.
Sebo 800 bardolesas A ordem.
DESPACHOS DE EXPORTAQAO
Ei 5 ,le novembro de 1884
Iara o exterior
No vapor francez Ville do Amazone, carre-
gou :
Para Montevid6o, D. M. da Costa 5,000 coeos
tructa.
No vapor inglez Euctides, carregou :
Pars Liverpool, J. Borxwell 589 saccas corn
40,032 kilos de algodi Amorira IrMaos & C.
1970 sAesoa corn 73.76 ditos deassucar masea-

S No vapor .net BaeZl, carrregou

e :f4Y6 &1.ift 11p-lb .
Pa i-Yl i L .....& '
NolfirAeztAt z saregu -


--No lugar national Pelotense 2', carregou:
Para Pelotas, Maia & Rezende 150 barricas
eom 15,988 kilos de assucar branch.
Na escuna ingleza Weller, carregou :
Para Santos, F. de Souza Martins 2.500 sac-
cos comn 150,000 kilos de assucar branch,
No vapor francez Ville do Ceard, earregou :
Pm-ra Santos, Dr. C. Bittencourt 12 eatias me-
dicamentos.
No vapor national Mandos, carregen:
'Para M nuos, H. de Oiiveira 85 barrios corn
2,500 litros do aguardente e 39 barrinci:ts cornm
1,835 kilos de assucar bronco ; F. de Moraces i11
cascos com 850 litros de aguardente.
Para o Para, Main & Resende 25') h'-'ri -as cimi
17,141 kilos de ussucar branw--. ; F. d SoazA
Martins 250 ditas corn 1 IG,15'.! di do4 dit..
No vapor nacioua'.l J,-'.t(,* carremo. :
Para Bmliii P. Pinto & C. 2) barris- cmi0 3.2 O
litros do mrel.
Na hiat-e naciaai S. 1. ,rra,:). c:aitrreo i :
P-inI M ,saorm, F. deo Mo-raes 22 c-cos c,- m. -
litros dc ag';irtiaIt".


MOVIMENTO DO PORT()
Aauin- cufcrlc~s' ;ma rkf
Rio d(L. Jaeira c esealhas-; 1,'2 dias. vapr l)
cion'- l 3imuds, do 1,;9 toneladas, con'nr-ti
daute Guilhermine Waddington, equipagem 5,.
carga varies generous : ano arlo de Petrolin.s
Rio de Janeiro-4 1/2 dias, vapor inglez &Bfd,
de 1,242 toeladas, commandant C. J. Wat-
son, equipagem 31, em in lastro ; a Saunders Bro-
thers & C.
Bordeaux e escalas--l dias, vapor francez Asma-
zone, do 1,791 toncladas, comms.-ndante Moreau,
equipagem 71, carga varies gencro- ; a Au-
gusto Labille & C.
Terra Nova -14 diaa, ldgar inglez Potunia, dc
207 toneladas, capitio C. Nichallea, equipagem
10, carga bacalhao ; a Johnston Pater ac C.
Macah6-20 dias, patacho inglez Glide, de 206
tneladas, oapitio R. Jones, cquipagem 8, em
lastro; A ordem.
Sahidos no mnesmn dia
Buenos-Ayres por escalas-Vapor francez .Am4a-
zone, commandant Moreau, earga varios go-
neros.
Rio Grande do Sul-Patacho dinamarquezs Mer-
cur, capital C. Thurol, carga sal.
New-York -Lugar americano Formosa, capitao
Perkeans, carga assucar.
0bserrTw
Procedente do Havre par escalas fundeon no
Lamarlo o vapor francez Ville de Ceard, o qual
nao communicou eomn a terra por cstar em qua-
rentena d3 observauIo.
Suspenderam do Lamarao para a Parahybi o
Idgar inglez Hobo, capitao C. I. Pagel, em lastro.
Para Londres a barea pottugueza Citra, ca-
pitAo M. L. Barra, carga a mcsma que trouxe do
Rio de Janeiro.



VAPORES ESPERADO
S. Salvador da Baa hOa
Ta da Eurompa
Es6irio Santo do orte a*it
V= do P-cifico 13
Maner.. da Eampa a 1
nIxa doSa 1-4
A*farhskase do !se-Yek 41


0 director caixa,
Graciliano 0. da C. Martins.


. Balaneete do movimeato da
ealxa da Compamnla do Bebe
ribe, no semestre do It de
mAilo a 31 de outubro de 1884
Receita


I





__ EDITAES
0 tenente Joaquim Augusto Xavier da Maia,
juiz depaz mais votado da freguezia de
Nossa Senhora da Conceiwao dos MAlontes
da cidade de Palmares.
Faco saber aos senhores eleitores desta tregue-
zia, na f6rma do art. 124 do regulamento que bai-
xou corn o decreto n. 8,213 do 13 de agosto de 1881,
que tend de proceder-so no dia 10 de dezembro
proximo vindouro a eleicito para deputados A A,-
semblea Geral, devem os mesmos senhores cleito-
res no indicado dia, As 9 horas da manhi, compa-
recer no consistorio da igreja matriz desta cidade
os que pertencerem do 10 ao 80 quarteiroes e os
que pertencerem do 90 ao 260 quarteirSes na es-
tateo do prolongamento da estrada de ferro desta
provinia c ahi darem os seus votes, de conformi-
dade corn os arts. 141, 142 e 147 do citado regula-
mento.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mnandei passar o present e outros de igual theor
ue serto aflixados nos lugares mais publicos desta
reguezia e publicados pela imprensa.
Cidade de Palmares, 1 de novembro de 1884.
Eu, Manoel Fernandes Calucte, escrivao, que o
escrevi.
Joaquim Augusto Xavier da Maia.
De ordem do HIm. Sr. Dr. juiz de difeito do
30 district criminal, faqo sciente a quem interes-
sar possa, que foram despaehadas as petioes dos
cidadbos abaixo declaradis, do modoseguinte :
Joio Jos6 do Carmo. A certidbo junta pelo
supplicante n.o satisfaz a cxigencia do despacho
de 9 do corrente. Recife, 20 de outubro de 1881.
-Montenegro.
Arthur Hermes de Moraes e Silva.- 0 suppli-
canto nao pode ser alistado porque nao provou
que o emprego que exerce d-k direito a aposenta-
doria. Recipe, 20 de outubro de 1884.-Montene-
qro.
Francisco de Assis Cordeiro, Francisco Joa-
quim dos Santos, Aristides Duarte do Para, Jos6
Henrique de Oliveira, Florentino Ferreira Salda-
dha e Manoel Maximiano de Souza Serra.-- Os
supplicants alo podemn ser alistados porque nao
provaram ter a idade legal. Recife, 20 de outu-
bro de 1884.--Montenegro.
Reeife, 6 de navembro de 1884.
Ernesto da S ilva.


iOenerv~o ~teri)1o,
Jo1o ao omes do*-Rwtow

D o c' ... .^-**.-*:. 'C 'c '1* "


sal :.do, mejulgo 4dis-
es-.O ,:, de M po
Iguante prounciado na qesto servil, que
tanto l a- assiieoaa, a qu teiho a
1 anra de ener, participo do movimento i.iois-
-ado nuos da taoura da provincial, presidentO
-do da inhiii eomarea, 6 superfluo diser que ala-.
Toura teri em mira no parlamento, emo efora dells
r estre uo prpugnuador dos. seas direitos e gi-
times interesses.
Neste presupposto me sinto perfeitamente des-
embaragado ante a direc9Ao do mcu partido, per-
-sonificada nos dous illustres chefes, que organisa-
ram a chapas e subscreveram a circular eleitoral,
na qual se 1l que ,a combinago das candidaturas
liberaes nado entende corn a questdo servil, e atten
dett somente as conveniencias do partido. *
Em relaglo, por6m, ao ministerio que preside os
distinos do paiz, e no qual vejo preclaros correli-
gionarios e amigos distinctos, a minha posiglo obri-
ga uma explicagao, que nao pode ser indifferente
a V. S., e tern aqui complete opportunidade.
Esta obrigacao temrn origem na questao de con-
fianca baseada no project servil, que determinou
o golpe de estado de 3 de setembro e a subsequen-
te eonsulta ao paiz.
Ligado ao gabinete pela communhio e solidarie-
dade partidaria corn as restricq5es que impie a au-
tonomia pessoal, nao posso deixar de reservar-me
inteira liberdade de accao na questilto da emanci-
pacao dos escravos, e.declarar que nio acceito o
project Dantas em sua int,.gridade.
Nao sou dos que julgarn um mal a apresentaqlo
do project, ou antes levautamuento da polemic
no parlamento: folgo, antes, de ver a questao en-
terreirada nos pianos legitimos, f6ra do torvelli-
nho anonymo e irresponsavcl em que so tern deba-
tido anteriormente.
Si for eleito, terci a honra de offorecer emendas,
que cousagrem a scgurauna e garantias, que de-
vemn acercar o reginmen economic do paiz e os di-
reitos adquiridos dos paizanos.
Ja o disse c reteiro corn as proprias pala-
vras da representaqao dirigida :ao parlamento pelos
agricultores desta e das provincias limitrophes,
reunidas no Recife, no 2. congress agricola do
note.
Desejaos oer a suppressao do element servil
realizada tdo depressa, quanta for possivel sem of-
'fender o direito de propriedide, nem desorganizar
o trabalho. ,
Tenho a honra de ser corn o mais subido apreo
e consideracao.
De V. S., comprovinciano, amigo e criado.
Pedro da Cunha Beltrdo.


Prouaraflos do pharcauluco
JoAo Antonio Marlins Movaes


Glicerato Vegetal
Applica-se corn -exito admiravel nas affecc5es
siherpeticas, sarnas, friciras, cosseiras, feridas
-chronicas, e em tidas as molestias tern sido sem-
pro d'um grande resultado, operando o a Glycerato
Vegetal ), uma cura rapida da molestia, evitando
a repeticao d'clla.
Em cada vidro leva uma direccao ensinando a
maneira de usar. e diversos attestados de medicos
e pharmaceuticos que tornariam cnfadonho men-
1ionar.
Preqo do cada vidr, 23000


ODONTHLGICO

GO0I4S CILSSTS:
Car radicalnentc as dores de dentes, seja qual
A &".u*liiggM_ Desappare e'a dor immediata-
como so dove applicar. -_ a.
Prceo de ecada vidro 200
Bartholomeu & C.
MOINHOS EXCELSIOR, para moor qualquer
matoria prima, cafe. tornado, milho, etc.
ARTItOS DE FERRO FUNDIDO ENDU-
RECIDO, come rodas para carros de caminho de
-ferro de toda especie, cylindros, peas de machi-
nismo, trilhos e cruzamentos, simples e do patonte.
REGUL-JDORE S COSINUS para machines a
vapor.
MACHINES PARA QUEBRAR PEDRAS.
CRIVA(OES DE PATENTE e muitos outros
artigos de ferro batidu, fundido e endurecido.
H. Gruson
Buckau-Magdeburg

TflaCEG. J'TYST
17--- CORPO SANTO- -17
Unieo agent


conafltii tillos rbOno edo
01lnas

Axsemblqia geral
ciomnistas pira, naTlormaTo-irii-t. o65Tle-Idan so-
ciedades anonymas, so eonstituir a assemble ge-
ral, convocada paia 31 do mLez passado, foi mar-
cado o dia 11 do corrente para a sua realisacao
comn o numero de accionistas que comparecer, se-
gundo determine a segunda part do mesmo ar-
tigo. A reuniAo sera ao meio dia e no escriptorio
da companhia. Recife, 5 de novembro de 84.
J. A. de Almeida Cunha,
Seeretario da assemblea geral.
A Camara Municipal do Recite, faz public a
quern interessar possa, que resolve em sessbo de
29 do corrente mez levar em praca os alugueis das
casas da praca da Independencia ns. 10, 12, 30 e
32, bern como os das casas do mercado da Boa-
Vista ns. 1, 2 e 11,3 e 10 de 4 a 9, que se acham
occupadas corn acougues.
Sera tambem levado em praca o impostor de 120
rs. por carga de farinha e mais legumes, e bemrn
assim 40 rs. por p6 de coqueiro.
Esta praca deverA ter lugar na proximo quar-
ta- feira 12 do corrente, ao meio dia, na porta do
pao da municipalidade, devendo entretanto os
pretendentes habilitarem-se na f6rma da lei.
Pao da Camara Municipal do Recife, 4 de no-
vembro de 1884.
Jose Candido de Moraes,
president.
Pedro G. de Ratis e Silva.,
Secretario.


Thesonurri do Fazoondi
ArrematagLo das obras do Forte do Pieco
De ordem do Im. Sr. inspector da Thesouraria
de Fazenda se faz public que no dia 20 do cor
rente mez se procederA a arrema tag!o das obras
de que precisa o Forte do Picao, que ternm de ser-
vir do post fiscal da Alfandega, orgadas na quan-
tia de 17:5444948, cujo credit f6ra concedido
pela ordem do Taesouro n. 153 de 7 de outubro
proximo passado. Nesta ThesourariL acharbo os
pretendentes A dita arremataglo o orqamento e
plant de takes obrae.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 4 de
novetubro de 1884.- 0 secretario da junta,
Francisco A. de Oliveira e Silva.
Contrarla do. SS. Chrispim e Chris-
pinlano no convento do Carnmoe do
Recitfe
De ordem do irmio procurador geral, e em cum-
primento ao art. 69 do nosso compromisso, seo
convidados os membrosi o conselho fiscal da mes-
ma confraria, afim de eomparecerem em nosso
consistorio no dia 9 do corrente, as 11 horas da
manh-, para tratarem da consult dos novos me-
sarios que teem de funcionar no anno compro-
missal de 1881-85. Recife, 3 de novembro de 84.
0 secretario,
Antonio M. F. dos Santos.


awik saoto i oOdN o a todoios rtaen i deIh
Sowl a irqidq dao tps aovpaesOr "*,-
matris de S. Fr. Pedro Gone ves do ,eefe, 5 de
vembro de 8L-G eserivao,
S.. Affonso Rodrigues.
SOCIEDADE

cNfltat velhiira
De ordenm do Sr. prsideonte, coavido aos senho-
res membros desto conselho A comparecerem a
sesoo do mesmo, que tera lugar no dia 10 do
corrente, pelas 6 horas da tarde, afim de tratar-
se de assumpto- urgeonte,
Secretaria do conselho fiscal da sociedade be-
neficente Luso-Brasileira, 6 deo novembro de 81.
0 1I secretario,-
Bento de Souza Myra.
A Camara Municipal da cidade do Recife
taz public a quem interessar p sea, quo na sos-
sio de 12 do corrente sera levado em hasta publi-
ca e entregue a quern mais der, o aluguel da casa
n. 1 do pateo das Cinno Pontas.
Pago da Camara Municipal do Recife, 6 'de
novembro de 1884.
Jos 6 Candido de Moraes,
President.
Pedro G. de Ratis e Silva,
Secietario.


Acha-se designado oaea 8para o sarao refe-
rente a ete mcas.
Os senhores socios podem procurar os seus car-
t3es do dia 3 emn diante, das 7 as 8 1/2- horas da
noute, na s6do do club, em mEo do Sr. thesoureiro.
Quern ao exhibir cartAo nio teri ingresso.
Secretaria do Club Carlos Gomes, 1 de novem-
bro de 1884.
2 Secretario,
David F. Porto Baltar.

Companhia Brazilcira de Navega-
0o a Vapor
Faco sciente ao commercio dcsta praca e ao pu-
blico quo as mercadorias, transportadas pelos va-
pores desta companhia bergo d'ora em diante des-
carregadas no trapiche Baltar A rua do Vigaiio
n. 1.
Recife, 31 do outubro de 1884.
0 agent
Bardo de Petrolina.
A Camara Municipal da cidade do Recife
convida aos donos dos estabelecimentos commer-
ciaes das freguezias do Recife e S. Jose, para vi-
rem A secqao competence aferir os pesos, medidas
e balangas dos mesmos, no proximo mez de no-
vembro, sob pena da lei.
Pauo da Camara Municipal do Recife, 30 dc
outubro do 1884.
Jose Candido de Moraes,
President.
P. G. de Ratis e Silva,
Secretario.

Obras publicas
De ordem do HIm. Sr. engenheiro director,
fao publien oue, em virtude da autorinaio do
Exm. Sr. pr:.Sidente da provincia de 18 do cor-
rente, vao de novo em praca no dia 8 de novem-
bro proximo vindouro, ao meio dia, perante esta
reparticao, as seguintes obras, corn o augment
de 10 0/0 sobre o valor dos rcspectivoa orca-
mentos.
Reparos da ponte sebre o rio Pirapama
no engenho do mesmo nome, orva-
des em 1:800400.)
Idem da ponte sobro o mesmo rio, no
engenho Trapiche e sobre o rio Gur-
jahu nc engenho Guerra, em 1:200000
Idem das pontes do Aterro. rua Bella
c Agougue, na cidade do Rio-For-
mose, em 1:595A000
Idem da escola da mesma cidade, em 2865000
Secretaria da repairing das obras publicas de
Pernambuco, em 22 de outubro de 1884.
0 official secretari'o,
J. J. de Siqueira Varejao.


buco
Os possuidores das cautelas de penhores
dos numerous abaixo, salo convidados a res-
gatal-as atW o dia 20 dle novembro proximo


vindouro.
8085 8274 8321 8329 8348 83i
8587 8593 8597 8605 8610 86
8625 8627 8628 8634 8635 861
8657 8662 8666 8670 8671 86'
8682 8691 8700 8710 7715 87:
8722 8723 8726 8727 8732 87
8751 8756 8761 8765 8766 87'
8780 8783 8787 8791 8793 871
Ogg 8818 8822 8847 8849 88:
8925 8941 8942 8943 8944 85
8966 8967 8974 8977 8978 89
8984 8985 8986 8987 8980 891
8997 8999 9001 9007 9011 90
9019 9020 9022 9023 9024 90t
9036 9042 9043 9044 9045 90
9062 9064 9069 9070 9072 90'
9079 9080 9083 9085 9087 901
9095 9096 9098 9103 9104 91(
9107 9119 9122 9123 9128 911
9145 9146 9147 9154 9160 914
9166 9168 9172 9176 9178 91E
9183 9184 9186 9188 9189 91!
9193 9194 9195 919S 9200 92(
9205 9206 9209 9210 9211 921
9215 9216 9218 9221 9227 92f
9236 9239 9242 9243 9247 927
9262 9263 6264 9265 9267 927
Sio 196 cautelas.
Recife, 30 de outubro de 1884.


58 8536
13 8619
38 8644
73 8675
17 8721
40 8741
71 8775
94 8801
50 888,4
45 8956
81 8983
95 8996
12 9018
31 9035
51 9058
75 9078
92 9094
05 9106
33 9135
31 9162
31 9182
90 9191
)01 9202
13 9214
32 9235
57 9259
70 9273


0 gerente,
Francisco Joaquimn Peeirra Pinto.


Grande


Circo


COMPANHIA IIUROPHA
Equestre gymnastics e zoologica
DE
PAULA SEBI1O
Largo do Arsenal de Guerra
EMUNIAO A COMPANHIA BR.k-
ZILEIRA DE

Joao Gomes Ribeiro

Ultima semana

8abbao 8 Ie WoeNibro 1884

Grande festlival artistic *
Honrado com as presengas dos Exms. Srs.
President da Provincia Drs. Jos6Mariaao
e Joaquim Nabuco.


[ )? .Esera-se deNew-Port-News
Sa o adia 24 do e novcmbro,
[' saeguindo depois da demora

Iahla Rio de Janciio
SPolos vaporea desta companhia dao-se passa-
gens prat Liverpool ae preco de 200 dollars ; o
pasaageiro desembarca'ndo em New-York tern ga-
rantia a passagens para Liverpool quando lhe ap-
prouver per vapores de la ordem.
Parac earga, passagene, encommendas e valores
tracta-ge corn as
AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RPUAtDOCOML faiCiO -.- N. 8
1.'andar
COPANEIA PUBNAMBUCANA
DE
Navegapio Costelra por Vapor
fernando de Noronha
Segue no dia 10 do
corrente ao meio dia
o vapor Giquid, corn-
. andanteiMafra.
Recebe caiga atWo
Encommendas, passagens a dinheiros a frete ate
as 10 horas da manha do dia da sahida.
FMCRIPTORIO
Caes da Companhia Permambwuiana
n. 12.

ROYAL MAIL STEAK PACKET
COMPANY
Grande reduep4o nos preqos das
passage us
0 PAQUETE A VAPOR
Tamar
Commandant A. E. Bell


E'esperado daEuropa no dia
10 do corrente, seguindo de-
pois da demora necessaria
para


BaNa, Rio de Janeiro, Monte-
video e Buenos-Ayres
0 PAQUETE A VAPOR
Trent


Commandant
c1===


Dieklnson
t esperado
do sul no dia 14
do corrente, se-
Sguindo depois


da demora necessaria para Lisboa, Southampton,
etc.
Tern optimas accommodates.
Passagens para a Europa podem ser toma-
das na ida dos vapores para o sul

Reduepleo nos prepos para o Rio
de Janeiro
1- classes 90#000. 3- dita 27#000


Sahida
Chegada
*
a
a
4m
o
a
a
*
*
Sahidas
a
*
*
Chegada
a
a
r
*
a


Ilinerario
IDA
Southampton 1
Bordeaux .
Lisboa
S. Vicente
Pernambuco 2(
Macei6 2]
Bahia 22
Rio de Janeiro 2(
Santos 28
Montevideo .
Buenos-Ayres
VOLTA
BuenosAyrcs 0
Montevideo o
Santos W 9
Rio de Janeiro "
Bahia
Macei6
Pernambuco o
S. Vicente -
Lisboa 0
Vigo I
Southampton o9


(8) S6 tocarA se precisar carvbo.
Para passagens, fretes, etc., tracta-se corn as
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
3-Rua do Commerelo--3

iaeific Steam Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 vapor
Valparaizo


Espera-se dos portos
dosulat6 o dia 12 de
novembro, seguindo
-para a Europa depois
Ida demora do costume.


Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
WVllson Sons & C, Linmited
N 14- DO COMMERCIO -N. 14.


0 vapor
Aconcagua
SEspera-se da Eu-
H ropa tt o dia 23
de novembto e se-
guirn para 0osul
depois da demora
do costume.


Leilao
De generous, armapio, utemiaoes
e um eofre provea de fogs
No estabdecimento sito d rua do Livramen-
to n. 21
Sexla-feira, 7 do corrente
A.'S 10 1/2 HORAS
0 agent Silveira devidamente autorisado leva-
rA a leillo o que acima est i mencionado, em um
ou mais lots para pagamento dos credores.
Garante-se as chaves.

Leilao da Sematia

oxta-foia7 do corronnto

A's 11 horas da manhA

Carmo e Silva
Mobilias, guardas-vistidos, loucas, pianos, cofres,
mess elasticas, apparadores, commodas, trastes
avulsos, quadros, espelhos, louas, vidros, relogios,
miudesas, ferragens, machines, ioias de ouro e pra-
ta, relogios, revolvers e outros muitos objects que
se acham presents, que serao vendidos ao correr
do martello, para fechar contas.
N. 27.-Na agendcia Travessa do Corpo
Sauto.-N. 27


Leilao
De uma bagatella corn suas pertencas, 1 carro-
ca para carnoiro, 1 meza elastica de 3 taboas, 2
apparadores, 1 guard louca, camas franeezas,
ditas de ferro corn lastro de arame, marquezoes,
machines de costurs, tacos para bilhar, quadros,
jarros, candieiros, fazendas, roupas, livros em
bronco e muitos moves novos, usados e avulsos,
que serao vendidos per liquidaaso.

Sogxta-oira I0 corrmto
A's II horas
AO CORRER DO MARTELLO
No armazem da rua do Born Jesus n. 51
Por interven'ao
AGENT GUSMAO

Agente Burlamaqui


Leilao


Sabbado, 8 do corrente
AS 11 HORAS
No Armazem da rua do Imn-
perador n. 2t
0. agent acima por mandado e assistencia do
IlHim. Sr. Dr. juiz de direito da provedoria de resi-
dues e capellas, a requerimento da mesa regedora
da irmandade de Nossa Senhora do Rosario do
Recife, vendera em leilao o sobrado de 2 andares
e sotea A rua da Madre de Deus n. 34, uma casa
terrea corn sotea e telheiro a rua.,e Domingos
Jose Martins n. 56, e outra casa tetrea corn sota,
em chao proprio, sob n. 4, A rua da Restauraoo,
todas na treguezia de S. Frei Pedro Goncalves.
Os Srs. pretendentes desde jA podem examiner
as ditas casas.


Leilao

De predios

Qua a -feira 12 do corronto
Ao melo dia
Carmo e Silva
Peor alvarA do Exm. Sr. Dr. juiz provedor de ca-
pellas, a requerimento da mesa regedora da ir-
mandade de Nossa Senhora do Rosario erect na
maafiz de S. Frei Pedro Gonalves do Recife farAi
leilbo corn assistencia do mesmo Exm. juiz dos pre-
dios seguintes :
1Casa terrea n. 84 na rua de Domingos Jose
Martins corn grande armazem atW o fund em solo
proprio.
1 Dita n. 62 na mesma rua, comuma media agua
no tundo e portao em solo proprio.
1 Dita na runa de Maria Cesar n. 4 corn bastan-
te fund, solo proprio.
N. 27 na agencia a travessa do Corpo
Santo n. 27


Leilao
De bonds moves, quadros corn fins gravu-
ras e mais objects de casa de familiar.
A saber
Um pianno forte, urna mogno corn 1 sofA, 2 dunc-
kerques, 4 cadeiras de bracos e 18 de guarnicao,
4 quadros corn finas gravuras, differences objects
de fantazia, 1 espelho dourado, 2 bancos para pes,
2 lampees, 1 toillet, 1 lavatorio, cadeiras de ba-
laneo, 1 relogio, uma cama franceza, 1 guard
vestido, 1 battidor, 1 marquezbo, 1 estojo corn es-
covas, 1 meza de cama, nmezas corn gavetat, can-
dieiros a gaz, 2 espelhos, I sofa, 2cadeiras de bra-
co e 12 de guarnicAo, tapetes, forro de salla e quar-
tos, lavatories, cama, colxues.
Uma meza elastic cmrn 6 taboas, 2 apparadores
grandes corn tampo de pedra marmore, 18 cadei-
ras austriacas, copes, colheres, garrafas, 1 guard
louna envidragado, 1 relogio, 1 meza com 4 gave-
tas, 1 guard comida de arame, mezas de cosinha
e ountros accessories.

Sopuna-folra 10 do novombro

Agenle Pinto
NA CASA DA RUA DA AURORA N. 159
SANTOO AMARO)
As 10 horns e 10 mirutos partirA o bond da
da linha de Santo Amaro que darA passagem gra-
tis aos concurrentes.


Oobiuadodouoand-Iar = IL
wv% ter m io pans ~ Commodes me" nt do
a tratar na rMa do Mp. a. 18.IL

Ama
Precisa-se de uma ama: a rta d a ltm1s-o
30, sobrado. ___

12500 -
Aluga-se a casa terrim a. 31 1 rm de RSin
chaeUo, a chave aeha-e na taverna juat p
ver; numa dita na travessa do Apol o. 3, pf
10,, propria para sapateiro, a liat., quitda o
fabriea de cigarros : na ruta da Gkia L. 6

Ao publics
Salvador Guimnarles mudou wS estabdediu \,
para a rua do Rangel n. 10, aonde eoutinia a
servir a seus freguezes corn official de roupsM e
casemiras do ultim: gosto, por pre"os muito co-
modos.
Livre o'i captivo
Precisa-se de um servente pars todo o vervigo,
na reqfins* da iua de S. Jorge n. 118.


Aluga-se uma boa casa muito freca, corn ba
salgado, e preqo modico : a tratar na rua doe
Coelhos n. 26, taverna por traz da igreja de S.
Goncalo.

Ama
Precisa-se de uma ama par& cosinhar e com-
prar : na travessa do Corpo Santo, armazem nu-
mero 25.
Precisa-se de duas amas, de leite e cosinha:
na travessa de S. Pedro n. 8.
Precisa-se de uma criada para o servivo do-
mestico de casa de iamiiia ; na rua Nova n. 39.
loja.
Ama
Precisa-se de uma ama que cosinhe muito bern:
na rua da Aurora n. 109.
Ama
Precisa-se de uma ama para o service domesti-
co de easa de familiar : na rua da Aurora na-
mere 109.
WAJ00 3Pm3"BXPXGCXC
0 abaixo assiguado avisa ao respeitavel public,
c especialmente ao commercio, que n'esat data
deixa de ser seu calxelro o or. ,,,; ,chs
Duarte. Recife, 7 de novembro de 1884.
Olympio Adolplho de Bar'os.
D. Francelina da Comcelc o Oliveira
Lopes
No dia 11 do corrente pelas 7 horas da manhi,
tera lugar na igreja de S. Jose de Riba-mar. uma
missa por alma da finada D. Francelina da Con-
ceicao Oliveira Lopes, 1.o annixersario do sen fal-
lecimento, pira o que convida-se ams parents e
pessoas de sua amisade, antecipando se deade j;a
nossos agradecimentos.


Coronetl oniftacio Franeis.
Planeiro da Camara
Luiz Emigdio Pinheiro da Camara, sua mulber
c filhos, Dr. Bonifacio Pinto de Castro e Josi Pi-
uheiro da Camara convidam aos seus amigos e
aos d e seUfienado pai, sogro e av', o coronel Boni.
facio F. Pinheiro da Camara, par assistirem as
missas do setimo dia, que pela alma do mesmo
finado, mandam celebrar na matriz de Saito An-
tonio, pelas 7 1 2 horas da manhi do dia 8 do
corrente. Por este actor de religion e caridade se
confessarlo eternamenre agradecidos,

23 de Dezembro
Na Wtoa J-. ^:- IT...a.^ Va5'irp A.. 4tivo
acham-se A venda os bilhetes da 6a parte aa lote-
ria para o fundo de emancipado; e tambem os da
4a parte que corre no dia 13 do corrente.
Rua do Cabugi n. 1 B.
---Corre em 2.3 de Dezemabro.
_--0s 50;00000.

Ao cominmercio
Uma pessoa habilitada offerece aos Srs. com-
merciantes os seus services de balanceador, me-
diante preeo modico; pode ser proc-i1ti a rua do
Duque de Caxias (antiga rua das Uruzes) n. 1 .
3.o andar, on no Pateo do Tergo n. 29, refinato
dos Srs. Moraes & finheiro.
Recife, 15 de novembro de 1884.

PAPEL PINTADO
Part forrar sallas de visit e jantar, quart.
alcovas, corredores, etc.
Grande e variado sortimento por preoos, cx-
tremanente modicos
Sem compet'dor
Acaba de chegar paraa
LIVRARIA INDUSTRIAL
I Rua do Bardo da Victoria --
Offerece-se uma senhora boa costureira, de
bons costumes para esaa de familiar ou aesmo
de alguma modirta, tendo dorinida : quem quizer
dirija carta fechada para a Livraria Frauceza
corn as iniciaes B. e V.
Ama
Precisa-se deuma para comprar e consinhar
part 2 pessoas : tractor na rua Direita n. *4.
20 andar.
Precisa-se de uma ama que saiba bem larar.
engommar e cozer algumas costuras ; a rua das
das Florentinas n. 10.

Convile
A commission abaixo assignada serve-se des"e
meio part convidam a todos os proprietarios de
padarias desta cidade e arrabaldes a se rennirem
a rua Estreita do Rosario n. 13, domingo 9 do
corrente, As 11 horas da manhb, para tractor de
negocios que interessam a classes.
Recife, 6 de novembro de 1884.
Francisco Dia i R. Saraiwa.
Dominqos Pinto de Freitos.
Joaqulim Fernandes d,. Mown,'.
Manoel Gonpalres Salgado.
Luiz de Mello.


.!

*|
. *


I


Associapaoportugueza

de benefieencia
Amemnbl46a geral extraordinarla
Devido A falta de numero legal para o cstabe-
lecimento da assembl.a, convocada para quarta-
feira proxima passada, convidt-se novamente os
senhores socios a reunirem-se na sede social do-
mingo 9 do corrente, as 4 horas da tarde, afim de
discutirem os additives apresentados pela direc-
toria. Recife, 7 de novembro de 1884.
2' sccretario da assemblea,
M. Mendonca.
IR[ANDADE
DO

8lhor Bom Jeis ios Passos da

mami do Corpo Santo
De ordem do nosso irmlo provedor, communico
aes carissiaos irmlos e devotos que domingo 9 do
corrente comecarA o setenario do nosso Augusto
Padroeiro, esperando que a este actor comparegam
os mesmos irmaos e devotos.
0 setenario principiarA as 7 horas da noite e o
programma da festa sera opportunamente annun-
ciado. Recife, 6 de novembro de 84.
0 theseureiro,
Joo Bento Monteiro da Franca.
Monte de Soeeorro de Pernam-




















DE
Eida Slisa yarvalho *@ a,
Uft nW iit extt ch etiiaW ^ clap^f piu *
of as em ta 4 as -orei ultimod 'ilodoelb
Nest. case tein enp". uma ompletw sontimeno enm artig.w do
3naIaente das pA ai sts de Paris o queha do uaia
GA rute44e uiuoe idad e pefroiago
Qarate-e dnoendadsa e pregt i~ duup


ITT A (~1 ~ T' T i"'' !(*-;-- -T*rI .il'
A TEu DIE JA Ii..


GRANDE DESCOE.RTA -A
ESIECLFICO DAS MULEFIAS PUTL,0NAhE j
Este xarope un co:;pm)a:;to jir-cioso o o nulhtior poitir" c.):a iheci-id,
ate ,iojo io.s amiuacs da liherapelnthi.a.
Tratamento-curativo de tod.1s as iuolstias do peito C (da iarganta, ,
defluxos, tosses siimples e convunIsa, coqluichpo, coinstitan es, asthman,
brouchite. catarrho chrorico e tisica pulinuimar e do iuingo.
So prineiro peitoi.l que se conhece at' hoje na medicinin.
OE


DEPOSITO.- Rua da Cadeia n. 27, pharmacia do Hermes de Souza Peroira & C.


XACl.A~AS


SINGER


OE
DI


COSTURtA


SINGER!
Verdadeiras! LegftlimasI
Bkevemiente
Abrlr-se-lia uma Loja na runa do
Cabuga a. I A.
SBeerUal da afamada e pode-
resm 6manpanbahia Singer de lvoa
tork.
NIV qual se adquire as maehl-
lias po r melo de
prestagoes semamaes
VFNDAS DO tULflMO ANNO 603,392
Gbrantidasa 5nr f a .
Direcaco geral na Amenrica do Sul 101,
rua do Ouvidor, Rio do Janeiro.
Casa mafriz, 34, Union Square Nova
York.


JOSEPH KIAUS t C.
Acabam de angmntar o sn jd bIem cotiecido
importane estaflecimento i ria 1o
W w imfr n. 6 com mais
um salao no o and ar luxuosamente pepar.
4 rai e rovyd de uma expos.
j ciode obras de rata do Porto e elkthroplale
dos mais aamiados fbricanles do
mnfdo iSteiro.
S Convida, pois, as Exmas. fAmlias, seus nimen
4 rosos amigos e fregpezes a visitarem
I o sen eslitabeleaiteao, afm de
- apreciarem a grandeza e bomn gosto corn que


o obstante a grande
despeza, o adornaram, e honra


desta provmina.
kbilA4fi ABRE lflAS Ii ki


A





fl


$a miT


cojz~w^


3BO|ONlirW, TOlSktf, Caniw ?urilmos,
DEIFLUXOSI I oestias do Peito, T. wIRWIM Asfls
CURA T.APIDA B UGJTA PULAS

Gottas Livonietmes

CAN ROtW4 de PA#L, ALCAT~aO ANORUNGA d BAUAMO t IV,.-
We prepswado, lnaIlivein cm racuAh mai b atmWn t^1""16AA
zqitiAt~ms, 6 rgontiedado pelaW Notabilkiddes medical como o UiN O*aot,
A- .ai 9 ei9m awmto quo lJew do nao fatigar o etwnap, 0-k' t In 166-w"
0 appstl :440t9*Wta pA&I. nWbhS a d b^d bast~m papa ftrAImnur "M m M*as ni, fu.
^:~~~~a o OM ey t fLO n rifTA .aic^M '*sl': *


II


39


Jfioh'ii Acu .~t *.*. m*
BV B A UM.. .D... ..
Jvo WJdohi .

Jos6 Rodrigues E ....
GustevoW .
Jose Soam PArorn. .
Paul Emilio W, dI ...
Tito Antonio da Locha ......


DJOT4 DO PNDIDO


& de *Oeio de 1.876.
^(deaball de1876.
21d.jairode 1878
o deomao de 1882. -
Sde=AB tOidel882.
d- at- de 1883.
Sdoi&W de lBM.
dnar de 1883.
a31 doutebro de1883
1T de zio de&883.
12 de mar o de 1883.
27 de junho de 1883.


DATA DO r&ACI3mnTo


12 de jairo de 1883 .
1 eetd o e fb I881.
tIde abi& de 1878..
5 de fevereir de1883 .
17 de dezembro de 1883.
17 de julho de 1883.
19 de agosto de 1883 .
31 de agobto de 1883.
25 de janeiro de 1884 .
26 do fovereiro de 1884.
ff de abrildel1884 .
28 de soetembro de 1883.
[


ode Janeizo.
Rio de Janeiro.
a ii
11 B
Para. 11
B 0
Rio de Janeiro.
Para. ..
Rio do Janoiro.
Bahia .
Santos. .
Fortaleza .


PAGOU vDE/ misOa


541
275
1.546
5445800
674000O
2565800
4805000
664J1800
1755200
8605000
129000
2415000


Deede 1845 .
No anno de 1883 .
No mez de janeiro de 1884
Ph g- aeR fi t ~ m rlAli le dos seguradose omzd felZereiod : emzdd a~ar[dd18.8484.
No mez do fevoreroimde 1884.
No mez de maio de 1884. .
No mez de junho de 1884 .
No mez de julho .
No mez de agosto .


N. 17


05 HBDIUsO BElCEB3RAM



Restithnio'
Fr.
Rs.
B
*
B


cerca de
cerca de
cerca de
cerca de
cerca de
cerca de
cerca de
cerca de


1.07811/1
31M 3/
60 .
12:000,5000
24:000;000
7:209000
23:833000
11:825M00
23:693;000
13:9205000
11:613A000
6:176;380


72:000 contos
5:600 contos
496 contos
508 contos
373 contos
370 contos
472 contos
426 contos
375 contos
611 contos


Escriplorio FilialImPernambuco


Santo N. 17


PUR GATIVO JULIEN
CONFITO VEGETAL, LAXATIVO e 0 EFRIGERANTE contra PRISAO DE VENTURE
Approvado pela Junta central do Hygiene do Brazil.
Este purgative exeluivamente vegetal se apresenta sob a f6rma de um confeito agradavel, que purga corn sua-
vidade serm o menor incommode. E' admiravel contra as affecpes do estomago e do figado, a ictericia, bilis, pituita.
natseas e gazes. 0 eu effeito d6 rapido e benefico na enWalueca, quando a cabega estd pesada, a bocca amarga,
lguasuja, fala o appeutie a eomida repugna, nas fnmhaoes de venture causadas por inflammagdo intestinal, pois
naon iita o^ s~asabdowinaes. EZ, m, nas molestias d.pelU, usagre e conveulses da infancia. 0 Purgativo
Julien resolve o difficil problema de purgar as creanas que nAo acceitam purgativo algum, pois o pedem como
se fost uma pastilha de cbnocolate saidda aconfeitaria.
D .eto em Padis, 8, a ivlene nas prlnleipa Paa as Droarmta.


SVinfho de Peptona Pepsica de Chapoteaut
Pharmaceutice de P Classe em Paris
-B t Admlttldo not HospitAes do Paris. --Approvado pela Junta central de Hygiene do Brazil.
MARCA DA FABRICA Nutrir os enf/bmos e convakescentes serm canpr-lhes o estomago foi o problema re-3olvido
por este delicioso alimento; cada calico contdm, corn effeito, dez grammas de came db vacca
comnpletamente digerida, assimilael e dmAspoada das arates ins.. -... ""-... ... .
ftewvwvix l vt_*- "w wuww v wvifS'suvf Mo Aonsas, repug nancu&S pea a os alimentos, anemia,
extenua9&o causada por tmmores, a secco, canoerosau, dysenteria, febres, diabetes e em todos os casos em
que 6 precise nutrir o. doente, o tisico, e sustetar-lhbe as forces por meio de alimentaoao reconstituinte que em vio se
procuraria obter corn extracts de came, came crua e caldos concentrados. 0 VINHO CHAPOTEAUT 6 o nutritivo
por excellencia dos velhos e das creangas, assim como tambem das amas de leite cujo leite enriquece.
Depouito ezoaris, 8, t .A. VIVIENf e na. printaes Pharmacias e_ Drogaria..


ROW'ANS
KALYDOR
ental e yeeta Para afornesear- a cr e a
Sarda, a r trit
I toiteqorfdtdo raa lnseot e toda En
4A d t.uteote q dempo dezr 6 vft
*cw~lu~t. rflgeruate para o Owte, as Man 0
N p Orefi. E t' CompIetanente inoffensi* -A agm
IOWLANDS' KiLYDOR de 20o Hatton Garden, .U.DRE
WB~f^ an tctdas fl 1toguizs e wfumada'~
do f PUS mdorIV U.


SMTAA"NOS1tbomExitotemurn d a
g eow~esinamix~eyoel 'esW Pflula4 qneuo en~m
'tt4 f im s"to P wara a Meer*f & uwpm
tow sulm proprleate fswa err~mau sfmni ,
0 blg me i ,iv ,, tt .M 0
Sdre do L'stomago 6Wro* Aermia
S Perdia de Appetite
CuNSaio-Rn.p0reedfmento Sanmu"
S AffcOes escroftulas, ote.
pt Gd 9: 9.tau .t fl* 4at4ifUl3.PAIl
IS hBoum o: RAWM IXdaaSILTV& &O

EXPOSITION L 'jIVisO 187





T:5 GL'A kSA UDE
ftwsiAft -I0 A o dabr, come iniutgi
coutali wtkeasm sda Oi hb.
s pprsvado diptbf edo i mnt'm .


Aft O i63NT M- -S moll
P" Dilft KO
C_ *.on isunsift^^ in*t'


Pastilhas Peitoraes
Dt SUCCO D'ALFACE E LOURO CEREJA
do GRIMAULT & Oa, Pharnmaceuticos Padrs
Admittido na nova pbarmsacop~a ovicial do Irsaf,
Approvado pela Junta central do Hygiene If sBf*I.
Sob a forma d'um eonfeito delicimo, tornado corn prazer tanto pelas creanqas,
eono peloS adults, estas pastilhas contAm os dois principios mais calmantes e
inoffensivos em material medical. Empregam-se corn o melhor exito contra:
Tosse, Molestiat do Peito, C.atarro-Epidemico, Doena d a Garata,
Detluxoa, Catarros, Ronqnido. Bronchita Coqueltche.
PARIS, 8, Rua Vivienne, e nas principaes Pharmacis.


; 3m


We RP IICAMENTOdt i'mg si oagratfiidqtad comn t iv azitota n ris do
< es pals. mihorom Medics. do Par is, o DtsZltmxro., GOfp 7Wp e, Dores de gar-d
S~ft^ atan~opul.'u*ar, Yrniayle. do peito, da~Vs wisnse* jag La #wisaa. Pma


i-E-M


kgor q. I
beilo
wAyer




A IIUm^0
swom


S(^m de Vis ^ Eados.Uui5s
^uu aaK uwM ^
JAL CERCA M 35,o000:0ooooo


)S DE P SPERDADE


Carolina Aitunem de Otivrerm
Isabel Antunes de Ohliveira Bastos e Igne. An-
tunes de Oliveira Bastos, agradecem do iatio
d'alma A todos os parents e as peoao de aM-
zade, e cornm especialidade As mogas da coume
gado das filhas de Maria, e & irninandade dSe 8.
Jose d'Agonia, que se dignaram acompanhar oe
rests mortaes de sua mana Carolina Antneas de
Oliveira Bastos ; e de novo regain a seuns par-
tes e a todas as pessoas de sua amisade o caridoo
obseqio de assistirem a missa que par su a alma
sera eelebrada sexta.feira 7 do corrente, setimo
dia do seou passamento, As 7 horas da manhi ma
igreja de N. S. do Carmo.
-- Precisa-se deunira ama de idade pian cio-
nhar e ensaboar : no lhrgo da Santa (ruz n. 14.
Preciaa-se de urn criado e de uma cosinbda-
ra : a tratar na rua da Imperatriz n. 15.
Na rua da Concordia n. 69 se precisa de
vendedoras de bolos que deem fianga de sua con-
ducta.
X V A Precisa-se de uma an a
WA" = 6&A" para casa de familiar: na
rua do CabugA n. 2-C.
Aluga-se na run Imperial duas casas, irma
de padaria, corn forno e utensilios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por prego muito commodo e
a fallar corn Jos6 Feliciano de Nazareth. a rua
de Pedro Affonso (outr'ora runa da Praia), anna-
zem n. 20.
Aluga-se
0 1 andar do sobrado a. 14
a rua do Bario da Victoria a
5oooo mensaes ma loja per
baixo do mesmo.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro corn pratica de pa-
daria e qua do fiador a sua conduct : na run
Imperial n. 208, padaria Victoria.
Balanceador
Olegario Neiva offerece aos senhores commer-
ciantes seus servings como balanceadoi : a tratar
no estabelecimento n. 77, rua do Imperador.


Caa u"
Ainga-se muito em conta a casa de cinco ja-
nollhs de frente, portiao de ferro e varandas aos
lados, A run do Lamarao n. 4, junto a da esquiaa:
a tratar na rua do Barlo da Victoria, loja nu-
mero 16.

Novo Porto do Carvao

27--l- Ba anez go fHerra--
Vende-se carvio a 640 reis a bamca, farinha a
320, 360 e 400 reis, inilho a 240 e 280 reis, feijao
a 600 e 640 reis a cuia e muitos outros genero. do
paiz.
Outrosim, o comprador terA direito a uma bar-
rica corn carvao scm indemisaqao alguma, desde
que complete o numero de 30 barricas e igual nu-
mero de tales fornecido pela casa.

Instrucao Publica
Recentes ediV5es dos compendios de
JOAQUIM ANTONIO DE CASTRO NUNLS
A saber:
Reunxo da doitrina erllifta.
nova edicao revista e annotada por urn
sacerdote, 1 vol. cartonado, rs. 50-
Elementos de arlttlmetlca, nova
edicao revista e melhorada por Jose Mar-
tiniano de Souza, 1 vol. cartonado 1 600W
Compendio elementary da gI am-
matica national. nova edicao cor-
recta e annotada por Jose Martiniano de
Souza, 1 vol. cartonado 1000)
N. B.-Fazem-se descontos em compras para
revender. A' venda em casa do editor M. J. G.
Braga, livraria Industrial, run do Barao da Vic-
toria (Recife) n. 7.
Tambemn se acham a venda na mesna livraria
as seguintes e valiovas obras:
J. Wartinlano de Souzxa, elements
de orthographia da lingua portugueza,
1 vol. cartonado 1 000
Pergentino S. A. Galv&ao. o livro
dos bons conselhos ou guia la felicidade,
1 vol. cartonado 14000

Aluga-se
ou vende-se uma casa sita no Barbalbo, i margemn
do rio Capibaribe, corn frente para a povoa&Vo do
Monfeiro, corn 6 salas, 8 quartos e 2 cosinhas : a
tratar na run do Coronel Suassuna n. 244, antiga
rua Augusta.

Modista
Rua da Praia n. 36, 1' adear
Eduvirges Maria Coelho, tendo feito grande
escolha dc costureiras, e tendo por maestra de.
sun casa uma habil cortadeira, acha-se promipta a
satisfazer qualquer toilet para casamentos, bailey ,
theatres, enxovaes par& baptisados, polos figuri-
nos mats recentes e pregos commodos.

Aluga-se
o segundo andar da rua Primeiro de Margo a. 18,
muit3 limpo e asseiado, com emaodos para fa-
miulia : a tratar na loja do menmo predio.
Alnga-se uma grande can em Santo Am-
ro, rua Lembrana do Gomes n. 4, dito fream,
oem grande soto, com dous graado mIii
ruados e corn boa pen. d'aiai : a twr wa
run da Imperatriz n. 32, swgumoi aadm


Aluagise baral
Os uanne n. 13 4o largoduuOU
mla tern cowmmTumioI come o do ai.
mnisnhias Psmnarnbmbi-*s 'm8n


I'- C
'em &


m IL I.s1 .
to( ,e~o .pB pf


DEPOSITO GERAL
20-"sa raMeh.4 ~~
Rio do Jmniro
Unico agents em Pera
ADAMSNWIB*C,
N.-3 Rua do Comerdi-N.-S
A venda em trodo as boticas drogim.
AxA
Precisa-se don=naam-ampaIsmlameocgoMr:
na traveoaa do Pie, a. 5 (Goriquiti), pr3iA
se ania peoas oue mao sam I rat.


SINITEOS NOIBRASIL
-^-.ii11ii f'a.aa~sa~a.a^.---.^^usa^..^^.^..^. I. >,. ..^^-~-. __ ^_________________


P~i~~a o Crpo


i





I
p


I




I

I


1 PF TOPMMWD
NAACI% flEMLt~t LUST1ROS
BNIO" j ^w 1.f;!2.ft


mmmI -


I II l i


lip


Dr. ,,? ...n .r-:.
_.n r ? : ,A^ :c :u ':! :o 's } C A : o


01


Abf -r I~<


46 a.


r OY




















eAwgen-
tode e variadosortmen.


acreditadoo & fafcn-
tes, ese acliam habili-
tados a vender mais


barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os relogios
vendidos nesta casa
sao garantidos.

Rna lonChis4


Casa mobilhada
Aluga-se urna na Capunga, completamente
prcmpta, e propria para quem qucira passar a
festa fora da cidade, garante-se casa at mwarpo
proximo future : a tratar corn o Sr. Manoel Car-
pinteiro Peres, A rua das Crioulam n. 1, na Ca-
punga.

Luz brilhante senr fume

Oleo aromatic
HYGIENICO E ECfNOICC
Pars lampat as


Martins & Bastes
Pernambuco
Numero telephone n. 31
Trastes
A' rua do Imperador n. 16 compra-se, vende-se
aluga-se e troca-se nov^s e usdos. -

Amas
Na rua das Nymphas n. 26, precisa-se de uma
ama de leite e de uma coeinheira.


Precisaose

De uma boa casa de moradia
corn sitio, para familiar estrangei-
ra, na passagem da Iagdalena
on na Estancia: quem liver pa.
ra alugar queira dirigir.se per
carla para a caixa. do Correio n.
51 corn a mnicial K.

Aluga-se
o primeiro e segundo andares do sobrado n. 40,
sito d rua velha de Sant L Rita : na rua do Impe-
rador, pharmacia do Sr. Ribeiro n. 44, se dira corn
quern se deve tratar.
Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira que cosinhe corn
perfei9le : a tratar no Manguinho, junto a esta-
ao, casa da esquina, paga-se bern.
PHARMACIA HOMEOPATHICA
DO
Dr. Sabin
Verdadeira homeopathia
Medicrmentos vegetaes brasileiros
Preparag5es A machines
Vendas em grosso e a retalho
Descontos vantajosos
Rua do Barro da Victoria n. 43
Machiaas electricas
Meias el"iteas
Mamadeiras
Tira-leite
Chocolate homeepathice
Fundas umbelicas e herniaes
Fundas para criagas
Tubos vasios para vaccina
Themometros para febres
Anneis electricos, etc., etc.
Vende-se na pharmacia homeopathiea do Dr.
Sabino, A rua do Barao da Victorian. 43.


a sore deI
a sorta de 100
alem de outrai
Convida 0a
sem desmntoS
lo0 tabaso
venda 0s setis
loteis 85& a'


doe 32# 16# e.8#5.
ros a virem recobor
do lam mgmio A
Rlhftft garantidos daa
od& Siaaad


Miaerioordia do B Rcie, q8q e Oeitrahie
sexta-feira 7 do ,orente
Pre~oes
Billiete mteroj4^00
Meio 2#000
Quart. 1^000
Hum po~r9o de iO400O00 pars
ehMa
Bilhete inteiro 3,500
Meio 1#750
Quarto 0875
Antonio Augusto dos Santo. Porto.


CASA DA FOITUNA

Aos 4:000o000


Rua Primeiro de arpo n. 25
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos dous
meios n. 1,898 corn a sorte de 4:000#, dous
quartos n. 3,999 corn a sorte de 800#,
o inteiro n. 411 corn a sorte de 100#,
dous quartos n. 3,153 corn a sorte de 1005,
aldm de outras sorts de 326, 16# e 86, da
loteria (84.'), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se a venda os seus afortunados
bilhetes garafftidos da 212.' part das lo-
terias a beneficio da Santa Casa de Mise-
ricordia do Recife, (85.'), que se extrahirA
na sexta-feira, 7 do corrente.
PRECOS


Inteir
Meio
Quart
Em quant
Inteir
Meio
Quart


o 4#000
2,5000
o 1#000
tidade malor de i000
o 3,5#500
1#750
o #875
Manoel Martins Fiuza"


CASA DO91O1RO
Aos 4:000000
BIbR!1 ; ARATN!1f

Rua do Barfo da Vitorla a. 40
e casas do costume
0 abaixp assignado acaba de vender
em seus felizes bilhetes um quarto de n.
3,999 corn a sort de 800#000, e outro dito
de n. 3,153 corn a sorte de 100# e diver-
sos premios de 32#000, 16#000 e 8#000.
0 mesmo abaixo assignado eonvida sos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilhetes
garantidos da 212.' part das loterias a
beneficio da Santa Casa de Misericordia
do Recife, (85.1), quo se extrahirA na sexta-
feira, 7 do corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
Sm porjie
Inteiro
Meio
Quarto


4#OOO
42000
26OO
1#000
de 100o00oeo para
elm
3,#500
1#750
5875


JoA& Joaquimcla Costa Le.ite.


A VENTUIOSA

Nos4:400$004

BIMTHS GAMDOS
16-Rua do Cabug&-16
Acham-se A vemia os venturosoe bilhe-
tcs garantids da loteria n. 86 em beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife
que oxtrahir i na sexta feira 7 do cor-
rente.
PIECES
Inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1#"00
"eado quantidade suppeiri
a a00:*0
Inteiro 3#500
Meio 1,750
Quarto 875
Joaeuim Pire&s ilM va.


timento de jojas da.
sa" maemm e dos
mais apurados gostos.
Compromise
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer parte.

Raun oai.


Pan Killer voletal Pufry fDavis
Matador da dar


_^i'i .. ....iftlH r 4^>teiito,hft'fle...




[ uitmartig 4 pia ,apf eata s, ta-
JL: VA.t6v 9 ,I
reo domd fiao t e copes, -calic.'
aPXB, c.qpoteil.es, kimbost laf.nteans,
tho para baptisaao, espei adeja d metal

e, bdail., fests de igrejao, etc., etc., porp :ere.
egndamMe s: NR T ova L. 9, $ Sadr.
Cencordia, <49
BSsAejai para awlee, caameats, etc., etc.,
Mli-beag, bolo b deabcia pasteislde -ats a 60
'N. &da {wm, -cqui&o a a r. a libra : encom-
mendas do vespera.


Ama
Precisa-se de urma ama para cosinhar : na pa-
daria da runa do Brum n. 62.


Vendem-se dous orgiaos do celebre fa-
bricante da casa Mason & Hamlin, por
preop inferior ao que elles custam, para
ooncluir -ama consignaglo. Quem preten-
der aproveite a occasiao, porque se nao
iorem vendidos, em trees dias serlo embar-
cados para o Rio daPrata: a tractar corn
Hermann Stolzembach & C. A rua do Mar-
quez de Olinda n. 51, lo audar.
Criado e engommadeira
Na rua do Barlo do Triumpho n. 68 precisa-se
de urn criado e uma engommadeira.
Alugo-se o primeiro andar do sobrado n. 27
A rua Vidal de Negreiros ; o primeiro e segundo
do de n. 16 A, rua de Hortas corn bons commodos
e recentemente pintada?, a tratar na rua do Hos-
picio numero 32.
Ainda se precisa de um menino de 12 a 14
annos para caixoiro de tavarna; no Largo do
Mercado n. 1.


... .. .. Vende-se uma taverna sita A run Direita de
Um amigo dos pobres, economic e de Afogados n. 18: a tratar na mesma. A razao da
facil applicagAo, 40 annos de success es- venda se dirA ao comprador.


pantoso.
Nenhuma fanilia deve estardesprovichda-
deste remedio.
Externamente cursa: furunculos pans-
ricios e outros tumors -torcedura dos ten-
does intumecencias das articulagoes do-
res de denotes nevralgias- rheumatism
- queimaduras- golpes, etc., -etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitag5es.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.


DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Barao da Victoria n.


PrEROS
Frascos grandes
Pequenos-
Duzia defrascos grandes
Pequeno


.5


1#500
1#000
12#006
9o000


AO COHERIO

Viagens ao centre i
De OUnda A Itabayanna por Igna
rassu, Goranna e Itambt
Todos os sabbados, as 4 horas da tarde : passa-
gens tomam-se a rua Primeiro de Margo n. 1,
loja.
Be Itabayanna A Olituda por Itam-
b6, G(oy-arna e laarasua
Todas as ter9as-feiras, as 4 horas da tare :
*assagens A tratar corn Lourengo Pereira d'Amo-
rim, em Itamb6.
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual-
quer dia, partindo do ponto que ee convencionar e
a pregos commodoes. Essas contratam-se a rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podeiem ir Anas diligencias.
Criado
Precisa-se de um criado: no hotel n. 33 do
largo da Peaha.

Chinello Tureo

10 Rua do Barao da Victoria 10
0 ultimo vapor da Eurapa scaba de
conduzir pars este bern 6Sonheeido estabe-
lecimento, tudo o quo de elegant e pode
desejar em caloado, naosi6 para senhoras,
como tambem para homes e meninos.
A's Exmas. families, as distinctas clas-
ses academics e commercial, e ao public
sem distincoo de cathegoria, convidamos
a visitarem nossa casa, convictos estamos,
que ninguem so recusarA honrar-nos corn
suas encommendas, caprichos do moda, ou
modestas compras, ante o explendido sor-
timento, amabidade e precos rezumidos
que sustentamos.
Estas -garantias s6 offerecem
Thomaz de Carvalhoe* C.

Casa de campo
Na estrada do Luca, cinco minrtos distant da
estaEo doa bonds da Magdalena, aluga-e unma
elevate casa de camp or n eteellentea commo-
dos para umsa pequena familiar de traamonto; tern
easa de banho, lavadouro, cocheira, jardim, al-
gumas arvores de fructo e baixa de capim : a
tratar cornt Luiz Dnprat, rua do Commercio n 28,
eas11h&.4S tlo e. peder do-&. Manoel Brani
doI, tavqm so obogaw so sobrado grade.


Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (naus Capunga), propriedade do Dr.
Joao de Sa. e Albuquerque, a qual tern excellentes
commodos e grande sitio : a tratar na rua Pri-
meiro de Maro n. 13.
Aluga -se o 20 andar do predio n. 51 A rua
do Imperador corn grandes e excellentes commo-
des pars familiar, tern agua e gaz; tracta-se Bo pa-
vimento terreo do predio n. 10 a rua do Commer
cio.


-AMA
Preeisa-se de uma perfeita cosinheira
para easa de pequena familiar, quo compare
e nao durma fBra; a tratar n'esta typo-
graphia.
'VEtDAS


Vende-se o sitio da estrada dos Afflictos n.
10: a tratar na rua do Bartholomeu n. 40, on na
rua do Imperador n, 81, taverna.
Vende-se ura taverna bern localisada, sita
ao Caminho-Novo n. 113 : a tratar na mesma.

Pihlas anti.dyspepticas
E
Reguladoras do venture
PREPARADAS POR
Bartholomeu & C.
Plarmaceutlcos honorarios de S. M.
El-Eel de Portugal
Eetas pilulas, cuja formula nos foi confiada
polo distinct clinic desta cidade o Him. Sr. Dr.
Carneiro da Cnnha, sAo applicadas corn o melhor
exito contra a fraqueza de estomago, prisio de
venture, engorgitamentos do figado e baso, anemia,
tonteiras heiniorrhoidaes, ate., etc. Ellas nio
causam o mener vexame ou dor ao estomago, pro-
duzindo sua acuto opehtiva brands e suave-
mente.
Nao prostram as foroas nei abaten o espirito,
antee pelo contrario dao alento, desenvolvem o
appetite, dao maior vigor e restituem aos doentes
suas primitivas foras, concorrenlo assim para o
complete restabelecimento da sauide.
Bodo de unar Ura a duas pilulas por
dia, uma hora depois do jantat, ou ao deitar-se.
UNICO DEPOSIT
34 Rlua larga do Rosarlo-3 4


NOVO


SORTIMENTO
SDE


Roupas para homes
POB
Pre Cos baratissimot
Rua da Imperatriz n. 40
LOJA DOS BARATEIROS


Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que se aIsv
Dites de panno prefo fine, fazenda mauto
boa
Dito de casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrados
Ditos de easemira aeseura, de cordlo, for-
rados
Ditos de flanella azul, forrados, sendo fa-
ze a elae nao desbota
Ditos de casemiras de cores claraa e es-
curas
Ditos do panno preto fine, forrados
Ditos d a casemira preta de cordao 105 e
Calo de casemira corn differentes pa-
drSw, de ,fOO, 65600, 85 e
Ditas de casemmra preta sedA a 81 e
Da.8 de asemiradc cordlo
Ditai de oasemira peta
Serolas de crue obra muito bem
feita a 1200
Dit"a dc. HambUrgV do inhp a 118000
Coletin os para dntro, Bendo de cra
gu' l e muito bem felt a 800 e
iaSia, gr d ais
bra n G io K~a -i~o madexa
ta tade "ih mo emfdod~i a~


650X6
75OOC
800
8900(
105000
loom
10001
105000
125000
lOOO



loo
11" 1


eafestado awnl2jaxdsa~aSHJ
Dito mUit, large com 20 varas a 460O e 65000
Dito, faenda -suto encorpada quepa-
re cretune, corn 20 varas a f,
85000 e 65500
Dito france ameicano, f iazend mito
fina e enorpada de 7J at 12000
Algodio enfetato corn 9 palmros de lar-
gura parmtazerw lenes de urn s6 pan-
no, metro a C
Dito tranado corn a meanma largura,
prepriOe para lenfdes e toalhas de 12o
Bramante de algodo corn 10 pailmos de
largura, proprio pars fazer leno6es de
um sm panno, metro 1a280
Dito francez, sendo de limnho, metro a
"15800 e 250o0
Direo inglez de quatro larguras, sendo
de linho, metro a 25500 e 25800
Oreguellas proprias para leno6es, toa-
lhas, eeroulas, sendo fazenda muito
encorpada, cada peca corn 20 varas
per 105800 e em vara a 500
Ditae cem a mesona medida a 800 rs., ou
vara a 400
Atoalhado adamascade para toalhas de
mesa, tendo 8 palsos de largura, me-
tro a 1m800
Assimr como umr complete sortimento de
pecs de algedaozinho amerieano e
inglez, que se vende por peca de 35 at6 65000
Isto ua loja da esquina do becco dos Ferreiros
Casemiras de cores


De r:000 at 6:000 rs,
IIrow nbr ]OG
Alheiro & Silva A rua da Imperatriz n. 40, tern
um immense sortimento de casemira de cores,
tanto claras como escuras, que vendem a 2;000,
25500, at 651 o covado, e das mesmas mandam
fazer qualquer poca d'obra ou costumes, por pre-
gos muito ramoaveis, assim cornm6 tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pro-
tos ate ao mais fino sedan que vem ao mercado, e
dos mesmos tambem se enearregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontale do fre-
guez e corn toda a perfeilo e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
beeco dos Ferreiros.

Lies 160 rils
Os Barateiros da B6a-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de uma s6 cor e de listrinhas para
vestidos, sendo a 160 r6is o covado e de cores fixas,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beceo
doo Ferreiros.
Brim pardo
Covado a 860 rs.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo lis, proprio para paletots, calcas e
roupas de criangas a 360 rs. o covado, isto poi
ter um leve toque de mofo, que larga logo que st
molhe, 6 grande pechincha : na loja dos baratei-
ros da Boa-Vista, esquina do becco dos Ferreiros
Fustoes a360440,500
e 640 rs.
Os barateiros da Boa-Vista A rua da Impera
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fus
toes brancos, proprios para vestidos e roupas de
criangas, pelos pre~es acima indicados : isto na
esquina do becco dos Ferreiros.
Setinetas A 500 e 640
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, a esquina
do becco dos Ferreiros, vende -so um elegant sor-
timento de setinetas, tanto lisas como lavradas,
send as cores mais bonitas que tern vindo ae
mercado a 500 e 640 rs. o covado; assim como
um bouito sortimento de laisinhas lisas e lavradas,
proprias para vestidos, de 5W0 ate 8C0 rs., 6 pe-
chincha : na loja dos barateiros da Boa-Vista.
Espartilhos
a 46 e 56000
Na loja da rua da Imperatriz n. *v venue-se
muitos bons espartilhos para senhoras a 5;000,
sntos pars meninas a 44000, assim como um be.
dito sortimento de fichuis a 3W00 ; isto na loja de
qeiuina do becco dos Ferreiros.


59
Este 6 o numero de umsa acreditada casa A. run
Duque de Caxias, cujo sistema tern sido, vender
as suas fazendas por precos baratissimos, e os
seus proprietaries querendo provar a veracidade
do que flea dito, apresentam uma list dos precos
dos seguintes artigos, os quakes slo pars admirar,
como sejam :
Nova remessa de popelinas de quadrinhos a 160
rs. o eovado !
Lindos padrZioes em cretones claros e escnros a
240 e 280 rs. o dito !
Bonito sortimento de fustles de cores a 240 rs.
9 dito 6 bom verem.
Brins de cores para roupas de meninos a 240 rs.
o dito !
Idem pardo, lona superior, a 320 Mrs. o dito!
Idem corn quasi um metro de largura a 440 rs.
o dito !
Casemiras ingleaas de cores, duas larguras, a
11200 e 14500 o dito !
Idem pretas diagonal a 2A400 o dito !
Pannos para mesas, bonitas cores, a 600 rs.,
15400 e 14800 o dito
Eiplendido sortimento de laes para vestidos a
200 e 500 rs. o covado 6 para acabar.
Setinetas francezas a 360 rs. o covado !
Setim macao branco para as Exmas. noivas a
15200 o dito !
Idem de todas as cores a 15400!
Merin6s de dums larguras e de todas as cores a
15200, fazenda de 25000 !
Ides preto superior a 15200 e 1500 o dito !
Bramantes para lencoes a 500 rs. o metro, 6
trancado.
Ides de quatro larguras a 15200 o dito !
Cobertas de gangs pars camas de casal a 35!
Lencoes de bramante ides a 2J000 !
Cobertores de IS, grandes, a 2^.
Seroulas de bramante bordada a 165 a duzia!
Meias inglezas corn bocal de cor a 35500 adita!
Camisas francezas fins. a 30i a dita I
Lences brancos-abanlasdos 25 e a dita !
Madapolo boa vista, 4ja-rda, a 65 a p0a!
Algodso largo superior a 35800 e 4 a dita!
Cambraia victoria e fransparente a 35500 a
dita!


Espartilhos modernos a-4XX00 e 50 urn
Riquisimas tealhas de labyrtintho, proprias
para baptisados.
Enxovaes para dlitos a 5sf (6 229000 emo utra
parte).
Gmuarni9es de croct o o e qu aU 4 melhor, per
20^0M0 1 6"tr6 le veOdena& por _Q
Idelna-valasal 12N0,psiA a 8 a31
Colelhs de dito a 1W!1 liago Ws
omtinados, novos gest s e# b dos, a 7$000
*.r0Pt.


pn w a.. ~ -777
natural aI t
9a depeito 6 0 -0no 6iU
em caie de n's ade dw tor ^
dop )a -
FARINHALACTFA DODR. '
FIOSMCHS8 !

nha Lamtea ouw podaroa nehaat *


genero.
idW ,o*ici m

Dove-Be poise evitar con0 o 0"a
nmas pesso estranha e compo&IrdO
nalo conhecido mattax yeses o germs
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha LeAM
do Dr. Frerichs:
55 -RUADO IMPERADOR 55
Eatabdedmento de music. 9 pia1o d%0
torPraU e

CIAVOS E FLORES

Na rua da UJiN i.

3, ha sempre para se

vender craves e Bores

Chambres


A' 2$500 3$00 e 4$W
Na loja da rua da Imperatruz
n. 40
Vende-se chambres de chita e cretones a 25500,
35000 e 44000, para acabar, isto A'csquina do
becco dos Ferreiros.
Balanga
Vende-se uma balana propria para pesir cou-
rob, corn todas as suas perteonas: tamlpm se
vende um portilo de ferro, novo : na run do Brm
numero 79.


Liquidasao

Para acabar


Popelines lisas, dc listras e lavradas.
Las de quadros, escossezas e lavradas.
Alpacas lisas e de listras.
Grenadines de cores e pretas.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques.
Chapeos para senhora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de soda e de 1a
Capas de malba de la.
Para continuar
Collarinhos e punhos para senhora c home, di-
versos feitios.
Camisas serm collarinhos e sem punbos, corn pu-
nhos e corn collarinhos e punhos pars home,
desde n. 35 a 45.
Camisas pars meninos desde n. 28 a 35; sem col-
larinhos, de n. 32 a 35.
Camisas, saias, penteadores, callas, gillas e pu-
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias eruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, velludi-
Ihos, bruins brancos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
Papoula & C.
IS -Rua do Cabuq-t19
Em frente a matriz de Santo Antonio
Artigos para senhoras
C6rtes dc cachemira para r estido 28,6000
Ditos de percalina 135000
Bonitos leques 15000
Percalinas superiores, covado, rs. 30
Meias abertas, par 60 5
Alpacas mescladas de seda, dvado 610
Cachemiras escossezas, covado 500
Fichus, capas, lacos, meias finas, setins de
cores, sedas, espartilhos americanos, etc.
Rua Duque de Caxlaw a, 61
Mendonya, Primo & C.


- Cimento portland.


Potassa. U
Panno de algodao petropolitano.
Vminho madeira superior.
Vende-se no largo do Corpo Santo n. 19, escrip-
torio de Orestes Travassos & C.

PiEno 0Iar ow0
Vende-se um piano de mesa, muito bom, pro.
prio para aprendiz ; a tratar corn Adolpho Fer-
reira da Silva, A run do Livramento n. 1.
Vende-se
Veude-se a taverna do Becco da Lingueta n.
o motive da venda se dirs ao comprador. A' tr&-
tar na mesma.

Allenuao
Grande reduaece ei precon de
mnovein
Cadeiras de junco do fabnicante Thonet a 655
Ditas corn pequenos bracinhos 70
Mobilias corn encosto de palha 350o
Ditas de pao-carga a 2605 e 3005
E mais pecas avulsas que se vende barato :
rua estreita do Rosario n. 23.

Arima0
Vende-se a armalo da loja n. 48-A da rn do
Barao da Victoria.
Acham-se expostos A venda na cocheira que
foi do Pihto, 'A rua de Santo Amaro, dous cabrio-
lets americanos, um de dous amentoe corn arreici
e duas rodas sobrecelentes o outro d quatro a-
sentos ; ambos em optimo estad.
Prices espelhos ovaes corn mol


]

























W *""~~ '- .y i4:^'' "^ *- ^
AMOS a, qaviAo, ulaqs, td _b..t VB05iY-tf
poz-mso a rk, a+.
qne a apr~o. era admai a nir, 4gcar-
^,msonteo t- quoa-a. a^4: am U

'l" d .o. t Minhs querida mai, adivwho'e o10
us dcipto )Qimeglen.
SAfinal am dia- fi mipio do de to. Pensa que venho pertubar tragi
p-a B Sra. do ambaleu, maisafogueoda nente as bodp a-nossaiihs ,om -
quoe de costume, apresentou-se em ia d L ermoor, e qo dvo i
da da dondsa de Fr6meuse, e enotou 0:0 tal Ednardo... Oerdo...
gVseguinte discurso: s caa ee ? -Sooegu I lno me ige
Sso cha in u ? .Sag u l .nt eJuIgu o
Minho boa senhora, oonhecendo o sou ridicl.. o io
0M, deiei o) nm SneO rdi'lo 1.bmo&
interesse por mim e. pelos meus, desejo moutiria--disse elle corn crta altives- se a
que fosse a primeira a partilhar do feolia sustentasse que esto oacamento, um tanto
acontecimento qua brevemente terA lugar .recipitado, unl oontribuio para a minha
na minha familia... meu filho vai casar icenna.
corn minha sobrinha Marianna. Ha cousas quo so nao devom deixar rea-
A condessa n'uma alegre expanslo: lisar sem um protest, tacito ao menos. d
.- Obrigada, querida amiga, permitta- Marianna de La Pave passa a seguudas t
me abragal-a... nao podia dar-me mais nupias, estA no seudireito; mas omarido
agradavel noticia !nuasedieo;asamio
E abraaram-se corn a sincere prazer quminandou-lho dizer, pela minha bocca, que si
se podoiraginar. soq e alguma vez o fizesses, viria ter corn ella j
s N p ode imag melor, querida o soun espectro. E' o que vae succeder !
Nmgum melhor, queda amiga-- Esse espectro, sou eu!
ontinuou a Sra. de Cambaleu-p6de ava- E' ainda urnultimo ever que tenho a
liar a minha satisfasao; porque... tarnm- cuprir para com me amigo, cu-
-bem tern um filho, que decerto deseja ca- cumprir. Hei d ipor-h o me amigonha pre-
sar... avalia quapto a tarefa 6 difficil, epri-o-hei. Hei d impor-lhe a minha pr-
qUanta satisfao experimentaros em osena, nada mais. Nbo receive ruido, neron
quanta satisfalo expementamos escandalo, nao sou louce orgulhoso, como
consegur. A sabe! Pode confiar em mim I t
No mefallen'isso, minhba so se- Vendo que a mai, soer responder, en- i
nhora... disse a condessa, eu tonho a des- chugava as lagrimas :
graga de ter por filho um perfeito rapaz ; Minha querida mri, disse ellecorn
mas que nbo so resolveria nunca a aceitar meiguico, que hei de fazer para a soce- t
-.Um casamento rico, o que o tern feito per- gar? Quer qu e Ihe prometta nao ir ao
der magnificas occasioes. castello senbo comsigo ? Fica mais tran-
Nao se p6de ter tudo, querida ami- quilla?
ga, responded a Sra. Cambaleu... Tern U puc mais, murmur a co-
por flho ua pli-ixU poueo reals, murmurou a con- i
pr fiho ura phonix... fehicito-a por dessa.
isso... Mas bern sabo quo a phoenix 6 -_ Pois bem r! prometto.
um passaro quo nao casa I... Adeus mi- Dahi a dous ou ties dias foi a condessa
nha querida... vou ter corn o prior.. a prinmeira a proper ao filho o irem ao cas-
quiz por6m comegar por aqui... tell. Com n podia impedir o encontro,
A condessa agradeceu-lho mais umna vez pareceu-lhe que podcria diminuir a inquie-
a sua extrema amabilidade, e separaram-se ta de qu era pres, n delongando
na mais ordeal amisade. oe estabelecendo-se quanto antes novas re-
No mesmo moment, apressou-so a con- laqes entree Marianua e Mauricio, as quaes,c
dessa-com um bocadinho de triumphant auxiliadas pela sua presenga, tomariam
malignidade em mandar ao filho a noti- um character regular.
cia, que era jA official, do casamento de Alem disso, acabava de saber pelos com-
Manianna corn mo prinmo. mentarios da visinhanga quo o noivo de
0 leitor comprehendeu 4ue a nmi do Marianna tinha ido estar dous ou tres dias
Mauricio, por urma d'estas contradicoges a em Paris, e preferia qu a primeira entre-
que o genero human 6 sejeito na lucta do vista s desse na ausencia de Gerardo.
raciocinio con a paixbo, nao podia deixar Nessa tards a condessa e o filho dirigi-
de approval e censurar aso mesmo tempo o ram-so s castello.
procedimento do filio. Foram recebidos pela Sra. de Comba
Apreciava-o e orgulhava-se dos seus leu, que apenas tivera conhecimento da
principios de honradez e de delicadeza; subita chegada de Mauricio, organisara as-
mas pareciam-lhe levados a o excess, e ir- sidua espionagem nas proxiridades do cas-
ritavam-n'a intimamento estes principios, tell.
quo iam de cncontro iAs suas ambiqes ma- Descuipou-se do nto mandar pravenir a
ternases sobrinha: era inutil; a sobrinha estava in-
N'este moment, quo expenimentava um commodada e nbo sahia do quarto.
golpe definido, deu largas ao seun mAo hu- Men filha esti ansont, dizia ol. ;
mor, e escrevendo a Mauricio dizia-lhe: a primeoira vez qua se separam desde qua
Bern ves, querido filho, quo o teu an- st io noivos; comprehende-seo bern quanto
tigo idolo, nas.suas explosoes de grandio- ma o o coraco daqueUa pobre
sos sentrmentos, escarneca do ti. i chradotoda a manhl.
rei quo a tun delicadeza foi lograda, mam an-4 aehbera do pronunoiar oota.
nao posso dissimilar quo deu em resulta&d p& a abno-se a port o appareone_
o triumph do detestavel Gerardo OCamba- MPana do las Pave corn aspect bem di-
leu, e o indigo casamento de Marianna. ,so do qu a tia deserevora; no corn ar
Em vez de d osar um homem honrado e a o e triste, mas sim radiant, enfeita-
de merecimento, vae ligar-se a um estroi- da, triumphant atD-ealegre, comquanto a
na, quo a vae corromper, e arranr in alegria na toss habitnalmente o distincti-
por cina... Francameato, nao per.ebo vo 0 sye _a ebleza.
quo corn isto ganhon a mernoia do Re- -Ah! quo baa urpreza! exclamou
berto 1 Marianna, estendendo urna das muos A
Nba rncebendo resposta a estU carta, condessa, e outra a Mauricio.
a condessa imaginou que o filho, urn pouco Esta attitude e este acolhimento surpre-
despeitado e confundido par ver caharem as henderam as prescripg~es da condessa; a
sunas illusoes, preferia emudecer sobre um presence do commandants, em vez de pro-
assunmpto quo Ihe era penoso. duzir sob a viuv a o effeito do um phan-
Nero um instant se persuadio quo a no-tes, some a ol desejava, parecia, aso
ticia d'este casamento Ihe podesse fazer contrario, dar.lhe um verdadeiro prazer ;
soifrer mais do que a sua vaidadO. e, pole contrario, era o pretendido espec-
Havia perto de um sans que Mauricio tre que se sentia 9pi^4ie qetrificado; e
doixara o paiz. N'este intervallo tinha a a n.l^ e +i^ baracia
condessa ido passar corn eole algumas se- Ha e e_ o f di-
rmanna em Renes; tinham sempre susten- crete e ira -_ -l oiie hos-
tado uma assidua corrospondencia, e na. fdes, 6'ao o corpromet.
sua maneira de fallar e nas suas cartas, timento.4a aia; lte pu n'urn crescen-
nada Ihe tinha deixado penetrar quo ella to born humor era quasi s6 ella quo fal-


conservasse pela viuva de Roberte outro lava, transpendQ l se mod dsaffec-
sentimento mais do qu o do urma fria e. tado e natuija ui xtraordinario bern es-
respeitosa curiosidade. tar. Quando ,io qmi Mauricio se ia reti-
Dez dias depois da noticia, estava a rat, disse-Ihe rindo:-
kondessa na sua sala, a cozer, quando um Entio commandant! e o noesseo pas-
rWopel de cavallos, entrando no pateo, a seio a cavallo... quo me deve ha um
attraio A janella, an.io?
Toeve nm baque no coraglo ao reconhe- Minha senhora, disse Mauricio, de-
cor o filho, seguido pela suna ordenanags- pois de um memento de espanto e de hesi-
Comprehendeu---ainda que confusamente- tagio, quando quier:
que esta subita ehogada era, a resposta da Sim! disse ella, rindo muito, diz me


0DENTONY


POE


PBINEIRA PRIITE


CONSHEIJIGISDEDUIKFALTA-


flDLQGO


(Continuaglo don. 255)
....T.l. Vif
Q 1 1 1 :' *. *


Santo Deus I Ests gravida ? exela-
mon Claa aterrada.
Sim, estou gravida, gravida de qua-
tro mezes, ha mnais de sete qu e men ma.
rio s.parou de im para voltar a sen
posto. 1oma1prleln agora?
E' horiviel I
Bmrn o v. ... d. Adeli or-
cads vea main.
I .Mrt^ ii,L e puss.. e lagrimm nYo lewvem petmrinada. 0 eoronel
desconfia de alguma cousa ?
-* NIo... sBe elle viesse a saber, sedes-
confiasase ao maoms, mmava-sa.
N16 digpw laomaw.t.. Dimis-e quo
era essa a casa da tum viage*m; o qo0e-
perao f.ler?..
dout1r- cones orn c, o
doutor couveneionon com Antoay.

to; 4 peY p auXaaM &Lo quo iek q t?
porae.mes &SOO qe all^-!&_wseat
em


ualidade, juigo
MO pmu er.
drr oea D:mi
Nol disse
iala.


Vn


Afinal, coucluio Mauricio em resume
de toda a suna conversa corn a mui, o meu
Erro foi tomar a serio aquella mulher. Jul-
guei-a culpada porque a julguei capaz de
ientir profundamente, conscienciosamente;
ulguei-a responsavel pelos seus acts, o
que evidentemente nao 6. A sua attitude
para commigo acaba de m'o provar : nto
sabe o que faz.I
E'uma criana, e uma inconsciente; em
vez de nos irritar, a suna conduct, deve-
ios fazer rir!
A condessa de Fr6meuso talvez nao es-
tivesse tao convencida, como o filho, da
nnocencia da sua formosa vizinha.
Entretanto via que a situaaSo se ama-
ciava, que tudo tendia a tomar uma atti-
tude pacifica, o que Ihe proporcionou uma
noite oe tranquillo somno, quo pordera
desde a inexperada apparigRo do filho.
Muito antes de 10 horas entrava o com-
mandante no pateo do castello do la Pave,
onde urn velho picador sustinha dous ca-
vallos que escorvavamn a calgada, morden-
do os freios.
A joven castella aoparecou logo rigoro-
samente moldada no seu just vestido de
amazona; desceu os degrAos do terrago,
abandonando a longa cauda qae ondulava
atraz della; cumprimentou ligeiramente
corn o sone chicotinho :
Bons dias, commandant! e saltou
para a sell.
(Continuar-se-ha)


VARIEDADES

Os proverbios da lingua pOr
tugneza, eom urm appendale
dos de orlgem braslletra
REDUZIDO A VERSO
FOR
P. S. DE A. GALYAO
(Continaagao)

Assim 6 o marido ainarellado
como casa7om telhado.

Quando o ouro amardelleja,
tudo se vence serm peleja.
Amannecerd,
mere Deus nos farA.
Casaras, amansards,
ou te arrependerAs.

Pouco fel
faz anargo muito mel.

Dia de purga so atura
muita amargura.


Preso anda a duas amarras
corn dentes e garras..
A quern peneira e amassa,
nbo falta a fogaga.
Quando o trigo anuda pela eira,
ands o peo pela amassadeira.
Mais as ameals slo,
que as outiladas que se dio.


Quern amneaga e no dA,
mode ha.


Quem ameaga
sua ira amassa.


Muitos amedroata
quem um s6 affronta.

Nem tantos amen
que a missa damnem.

Tern jA da obra me &e,
quern a comega corqn vontade.,
mos para ura aldeiA pordida, onde dari
A lunz. Logo que o uaea otado o permit-
tir, voltaremos para o lugar da nossa re-
sidencia, abandonando o recemnascido.
-- 0 (ioe ests a dizer?
Adelia chorava, e foi a solouar quo con-
tnuou:
S- Sit minba pobre Clara, soU fnit
* sew.; ss Antony vci6 1 t
en tiver partido, vitmar4 co*tlt d %
rconhcel-o-h, dearando de m ino
nita.
A emogo abalava a pobro mulher i
intil noete prOMravs cotar osv
e, caaindo sos brado. die o iua i=
hunhtdoI-Air.'. fman:


eoli
eis a


dia
wok,


ioit 4a4e uma bolsaa
A"", t e+Ulm&'.
* .^ : .. .. I,. l.. ,;+ -.: .. .
S lgo: o out:r: chora. "

-Muitossao os amigoa conhecidos
mas podcos delles alo, os ecolhidos.

Amigo s6 de chape6o;
amigo de cortezia,
4 amigo sem valia.
Amigo, amigo
de longer to trouxe em figo,
mas apeanas -to vi
logo o comi.

Amigo desfartado,
inimigb dobrado.


Amigo de todos e
tudo 6 urnm,


do nenhum,


* Ao amig o segredo diz,
ter-te-ha proseso polo nariz.

Arrenega do amigo
que por ti foge ao perigo.
Vida serm amigo,
morte sem castigo.

Do teu empresta
ao teu amigo;
mal lh'o pedires
o farAs teu inimigo.

Conform os amigos
quo na sala tern,
cada um danga,
ou rmal ou bern.


A' casa do amigo
send requerido
irAs sem perigo;
A do necessitado
serm ser chamado.
* A falta do amigo
ha-so do conhecer,
mas nao aborrecer.
* Amigo anojado,
inimigo dobrado.
Amigo de todos
sempro sejais,
e da verdade mais.


* Amigo quo nbo presta,
e faca que nao corts,
quo so perca pouco import.
Amigo quebrado soldarA
mas nao sararA.
Velho amigo verdadeiro,
vale mais do quo dinheiro.
Amigo quo se desavem
por um pbo do centeio,
ou fome muito Ihe veio,
ou amor pequeno tern.
A mortos o a ides,
os amigos sAo perdidos.
Ao bom amigo
corn teu pio e corn ten vinho,
nao sejas mesquinho.
01 ten segredo doves
a teu amigo dizel-o;
por que se lh'o encobres,
arriscas-te a perdel-o.
A teu amigo,
se te guards puridade,
dize-lhe verdade.


A teu amigo
ganha-lhe em jogo,
e bebe-o logo.
Amigos, amigos
negocios'Ai part
perigos so evitam,
corn geito.e corn arte

Esquoce os velhos
amigos que tern,
pelos novos que vem.
Muitos sRo os amigos,
muitos mais os conhecidos,
e poucos os escolhidos.
Azeite, vinho e amigo,
o mais antigo.
Nunca o bocado comido,
amigo toern adquerido.
onTersaram durante uman grande parts
da noite, e analysaram em todas as suas
particularidades o piano combinado, pre-
vendo os obstaculos, e procurando os meios
de os combater, preparando-se pars tudo,
n'uma palavra:
Adelia, guiada pelos seus temores, Cla-
ra aconselhada polo seu corageo.
Ao romper do dia, o coronel acordou.
SVernet roncava come um suino.
O obre rapaz despertou corn o impulse
de umn socco e ao sorm de ura horrivel
praga. Como um titere movido por ura
mola, levantou-so no compartimento ba-
tendo oma cabega no tecto e toruando a
oa +, cAin a paucada quasi em cirma do co-
,+ +- + 1 1 +. :, + *
Blges to- partam, grandwsaimo brui
1 N10 p ro-as pars na4e ; loves a dor-
mtr tod~ #oa nt e toda o &ia. 1u duqmo,
cow nmil di.. P-2
0 q46 wands a mon ooroexl?


#6 h 'Au fa Pau
oo~t^ah wrmgela f}


4;, ,ii *!, no' 1 + ,l-
QOtDQ C0 i~ntIg
- C++:+Oatod. -.O.0 ... aa ::a, :

e cotn ammga quatro.
SDe amigo quoen valha,
o de fLas quo na0 talha,
nbo me dia migalha.
D'amigo reconciliado
o de caldo:.requentado
nunca born bocado.
Guara-te d'amigo serm sangue,
que comtigo so nao zangue.
0 primeiro consolho
de teu amigo acolher,
6 do mui born parecer.
Dize ao s amigo o segrodo,
p6r-te-ha o p6 no pescogo
pois quo do ti nao ha mde.
Do amigo has do receber,
o que te quizer dizer.
Este por amigo tenho,
porque m6e no meu engenho.
Honra que em baixo amigo se procura
ou nada ou pouco dura.
0 born amigo mas estimo
do que parent nem primo.
Mais vale na praga amigos, ter
do quo na caixa dinheiro haver.
Muitos amtigos em geral,
e um em especial.
Nerm herva no trigo,
nerm suspeita Do amigo.
Nao me pago do amigo
quea o seu come s6,
e o meu commigo.
Em coisas de interesse
de perder on de ganhar,
o amigo que tens,
nao queanas provar.
Aquillo qae por ti fazer poderes
quo o faca teu amigo nao esperes.
Amigo fingido
conhecel-o-has no arruido.
Mostre-se amigo o convidado,
mas n3ao lettrado.
O moo e o amigo,
nerm pobre nem rico,
se tern sem perigo.
Quern a seu amigo,
da o sou lugar,
nao o quer por certo
de si apartar.
Aquell e qu e amigo
de todos quer ser ;
Ou 6 muito pobre,
ou tern muito haver.


* Renege do amigo
que cobre o perigo.
Bea eston comn meu amigo
quo come e seu plo commigo.
Conselho do amigo,
vale mais quo um reino,
dA-lhe bom abrigo.
Nao cures de amigo lisongeiro,
e de frade sem mosteiro.
De mAos filhos inimigos,
nunca bonds amigos.
ou
De filhos quae por ser mAos
aso de seus paes inimigos,
nunca bons amigos.
* Em tempo de figos
nbo ha amnigos.

Nao te fies em ceo estrellado,
nem em amigo reconciliado.

No jogo perde-se o amigo,
e ganha-se o inimigo.

Nos trabalhos e perigos,
so veom os amigos.


Nunca queiras mais de teu amigo
do qua e elle quizer comtigo
Amigo so ha de levar
corn a tocha quo se the achar.
0 pobre captive,
e o preso tambem,
amigos nio tern.
aquella voz fotbrmidavel corn quo comman-
dava o esquadrio. Mas vendo o delicioso
quadro ias duas mulheres adormecidas nos
bragos urma da outra, tend a creanva dei-
tada sobre os joelhos, calon-so, tapando a
bocca corn a mao, como se receiasse fazer
bulha contra sua vontade ; encantado, con-
templou alguns minutes aquella a quem
amava.
Vernet voltou furioso, proferindo urma
s6rie de tolices contra o estalajadeiro.
0 coroner fechon depressa a portinhola,
mas de mansinho, corn precauglo e fran-
zindo a sobrancelha, corn o dedo nos la-
bios, impoz silencio ao sen soldado corn
voz de commando: Silencio! silenclo,
animal !
Os cavallos atrelados, o coronel entrou
part a carruagem, dizendo :
SAiMogarmoS nas otramu nda; Ver-
net, dA c Aa ping&.
SE depois d to w.bebido urn grande trago
de 'A ore. encostou-se a urn


d posts, que
e n-a ,&.i s
Itaternos corn o

OQi.vi Dean-


QCo amb -

* Amigo de born tempo
muds-se.corm o vents.
A todos tornm amiad,
por6m toern mais "A verdade.
A Pedro tao bemrn chamo
come a seu amo.
O que o aamo bemrn servir,
bomn salario ha deo conseguir.
MAo amo, mao creado,
6 s-empre achado.
Anda a teuamo a saber,
so queres ser bom servidor.
MAo amo has do agradar,
por nao empeiorar.
* S. Miguel e S. Jolo passado
tanto manda o arew como o creado.
Tal amr 6 achado
qual o creado.
0 melhor penso do cavallo,
6 o quo o amo vai dal-o.
Mau o mogo possuir,
peior C a amo servir.
So Pedro C ruim
seu amo 6 assim.


Sabo os amos hlionrados
corn o que se faz aos creados.

Em quanto os amos
estbo a repousar,
os famulos alegres
entrain a folgar.

Manda o amo ao mopo,
o moco manda ao gato,
e este manda aos rato.

Quem so amofina e se mata
pelo que nao p6dc haver,
mostra juizo apoucado,
mostra seu pouco saber.

Tudo se acaba e feuece
s6 o amor de Deus noo perece.

(Continua).
UI'm poueo de t udo


O numero de adherentes A cxposigio
universal de Antuerpia de 1885 excede to-
das as provisoes. Os 70,000 metros qua-
drados, pelos projects primitives reserva-
dos aos expobitores no palacio e sous an-
nexos, estao longer de screm sufficien-
te pars os pedidos que affluem do to-
dos ss pontos do globo. Mas os terrenos
offerecidos pela cidade de Antuerpia com-
prehendecm uma superficie de 22 hectares,
e prestam-so a todas as addicoes necesma-
rias.
Nao sAo somente os paizes da Europa
que mostram grande interesse ; o Japk, o
reino de Silo, e outros do azr-n. (--i-
serbo brilhantemente representados. 0 Ca-
nadA acaba de enviar a sus adheslo.
*
Urn journal parisienso faz curiosas reve-
lages acerca das inclinagoes artisticas a
litterarias dos principles e princezas da fa.
milia reinante da Allemanha.
Como o grande Frederico tocava flnauta,
todo o Hohenzollern consider necessario
entreter os seus ocios corn algunmas dae
manifestages da arte.
O principle Frederico da Allenmanha tor-
neia delicadamento objects de madeira e
construe movezinhos muito elegantes de
pao santo.
A princeza Victoria, aqa mulher, dese-
nha a penna: no gabinete do imperador
Guilherme existem alguns quadrozinhos
devidos A princeza.
Andon von Werner, Pseu professor de
pintura, acompanha-a nas suas expedites
campestres, onde a eximia artists, so dis-
trahe pintando alguma paisagem delicioma.
Sen filho, o principle Guilherme da Prus-
sia, 6 photograph, o principle Henrique
pinta tambem, dedicando-se prinupalwea-
to A aquarella.
0 principle herdeiro de Saxe-Meiningeu
6, al6m de compositor musical, muito eti-
mavel, um helenista, conhecedor conscien-
cioso da Grecia e das suas artes.
O principle Jorge da Prussia, sobrino
do imperador, ternm escripto algumas trage-
dias, aliAs pouco fielizes sob o pseudonym
de Conrad.
O principle Frederico Carlos 6 dad
numismatica.
Emfim, cada urn tern mi a sua quQda.
mediatamente conduzido A present do iou
amigo, e o carcereiro vendo o prew, come
se tivesse esperado a visits para o fater,
disse a Antony :
Tenho o prazcr de Ihe communicar
quo acabo de receber ordem de o por em
liberdade; n'este moment me entregaram
a ordem de soltura.
Antony saltou ao pescogo do doctor, e,
julgando que era a flle que devia a liber-
dade, abragou-o, dizemndo :
Obrigado, Olivier, obrigado.
0 doutor, um pouco atordoado, sl pes-
sou em dissuadil-o, porque isso I podia
ser util, dando-lhe mais autoridade obre
mancebo. AIlm diss o velho Sejmrut a-
via-lhe recommendado o mai abi oto M-
gredo. Alguns minutes depose, s doam
amigos estavam na rue, e Aantoy o OMBU
ao doutor que n'essa mesa lAa be i
side interrogado, e que so admirava da
sua soltura, porque no de'oiMato qeti-
nba easiguadoi havis eaaojurm
monte que, adoraeco M .ile drvey, es-
ganado pojrs u carts, julgades am.
do, tinha pesotredo ent -n d*atb
querido poismul-.; tesd. .1. Miflb.
juI~aad. eli. qu iea w .O9Fili~l^ij
essesniaal-a *e-*. -1 1- .1- *
O dou~tor estava a4iipmrl


I




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKJJT6JY7_90MNQ4 INGEST_TIME 2014-05-03T06:48:50Z PACKAGE AA00011611_13797
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES