Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13782


This item is only available as the following downloads:


Full Text






77, 7i


I..--. -


h~1m~nA
-I


2.- .
. -. .


a. ,, '


t5


PAMRA uivm0 i


Pbr seis m. aditado. .
Pornvo ditos idem. '
Po urn &mmo idem. .
Caii numero avulso, do diAs anteiores.


I Ir0pritbabt bt JeA lano Jwfvu a iri Aria k- Jiafo


TE?'mnDAUEAS conceder A petinionaria a eontr de 1 de setem-
TIl IJ nA Efau bro findo, 2 mezes de licenga corn ordenado inte-
gral para tratar de sua saudc onde Iho convier.
Officios:
Ao Exm. Sr. bispo diocesano.-Pelo officio a
SE5 S BA. A IA B que respond, de 8 do corrente, fico inteirado de
VW ^ hayer S. Exc. Rvdmi. reassumido o governor da
diocese de Ohnda naquella data.
(Especial pars o Diario) Tenho a satisfacgio do retribuir corn iguaes as
vexpress~os de estima corn que V. Exe. Rvdma.
honrou-me.
LONDRES, 23 de outubro. Ao brigadeiro commandant das armas.-
Expeca V. Exe. suas ordens para quo no dia 15
do corrente, as 10 boras da manha, se ache pos-
Teve lgart boje a abertura do tada em frente da igreja da ordem 3a do Carmo
uma guards de honra afire do d olemnisar a festa
.arlamento inglez. A mensagem de Santa Theresa, padroeirp daquella igreja, que
real annunela que o gowerno apre- terA lugar no dia acima indicado.
seutarA breweemmnte 6A eamaras .- Aomesmo.-Deaceordo corn a proposta con-
t t b 1 tida no officio de V. Exc., de 11 do corrente, sob
am project Aobre a reftrma elel- n. 524, nesta data nomeei o teneute honorario do
toral. I exercito Jos6 Francisco de Paula Vellez, parsa o
lugar de conservador da fortaleza de Itamaraea,
em substhtuicAo do tenente tambem honorario do
BRUXELLAS, 23 do outubro. exercito Camille Machado Freire, que falleceu. 0
que fago constar a V. Exe. parsa seu conhecimeuto
SM O- e devidos finp.
onuidera--e provawel] mama mo- Ao inspector do Arsenal d_ Marinha.-Se-
dflceaeieo no miniaterio belga. gundo consta do aviso do Ministerio da Marinha,
de 27 de setembrj fiudo, sob n. 1,577, foram ap-
provados os contratos celebrados para o forneci-
BRUXELLAS, 24 do outubro. monte de viveres, sobresalentes e'materiaes aos
navies da armada e (ldependencias desse Arsenal,
no semestre de julho a dezembro do corrente anne,
ministry da faer dapdenon de e mprindo, ,quo sejam feitos na forms do
Mimao. citado aviso, as correegces indicadas pela conta-
doria no officio junto per copia de 15 do mez pas-
Agencia Havas, filial em Pemnambuco. sado, sob n. 253, quanto as eonservas e cangica, e
bern assim qne so prefira a mnanteiga france'a
24 de outubro 'de 1B84. quando se tenha de autorisar .semelhante snppri-
mento. 0 que faco constar a V. Exc. pars sen
_________________ conhecimento e devidos effeitos.
I- ST--VC -I POPU_ _A Ao mesmo.--Sirva-se V. Exc. de fornecer a
esta presidencia urma eopia do termo de obita-
POP Uw mento do menor Manoel Anselrno do Nascimento
na companhia de aprendizes marinheiros desso
Arsenal.


MACHINES DE VAPOR
(Extrakida)

AB IV

LOCOMOVEIS
Denominam-se locnmoveis as machines de va-
por ambulantes, destinad-as a exercerem variadas
operayues industriaes e agrieolas. 0 seu carae-
ter especial 6 serem transport.iveis para os luga-
res onde so care, dos seas services, 1lo lhes sin -
do oomtudo o movimnmto dado pela propria na-
china. S1) transportadas em c'rros apropriados
e tirados por bois ou eavallos.
Principahlnente a agriculture 6 que as locomrno-
veis prestam valios-s services. Urna exploraaoi
rural e n) sen filn especial umn verdadeiro estabe-
lecimento industrial. N'uma herdadr, como em
qualquer offlcina, pretende-se transformar mate-
ria prima, de mole quo esta ad juira maior v;lor
e maior utilidade. Assim nal admira que sejam
identico3 os process-)s para obtcr essas transfor-
mawwes, quer ellas tenaham per tim fabriar" pannos,
preparar metals, fabricar uteasilios, ou aproveitar
as foras natare&, -rando o so, l mande t m-
m te ftA turr, on colhendo os'diversos eercaeB,
meendo gra'o, etc.
Na industrial comprehendeu-se mais depressa a
utilidade das machines aubstituindo o trabalho
manual dos operarios; e, nao obstante as riifficul-
dades, a guerra quo primeiramente tiveram de
soffrer as machines no seu emprogo industrial
(guerra tuodada no supposto mal que pelo em-
prego das minachinas se julgava fazer aos operarios
e artistss, a introduceao dos apparelhos mechaini-
cos nas oflicinas e manufactures den a producCaio
um increminento prodigioso, que centuplicou as for-
9gas, os recutirsos e a nriqueza da sociedade. 0 em-
prego das machines na agricultural 6 relativamente
moderno,-e earoceu, para ser util, de que tossem
hem estudados e calculadas as condic5es espeeiaes
d'eate genero de trabalho.
0 povo americano foi o primeiro que comprehen-
dea bern estas vistas; e collocado em regioes im-
mensas, corn uma populagio ponce deusa e bas-
tante disserninada, lutaDdo coin o alto prego da
mao d'obra, bern depressa poz em executio o plano
de substituir, ondtie.c qnanto possivel, a machine
pelo hominern. Aos Estados-Unidos seguiram-se,
n'ecste progress, a Inglatcrra, e a Franma; e hoje
em todos os paizes civilisados as locomoveis en-
tram como auxiliar importantissimo nas oporagos
da grande cultural em inai'r ou menor eascala.
Bastar-nos-ha para miostrar a multiplicidade de
servings que as locomoveis poi1m prestar, citar o
seguinte exemplo :
Urma loeomovel corn forga de 6 cavallos, permit-
tio effectuar em tres lugares differences, e a dis-
tancia de 1 a 2 kilometros uns dos outros, as se-
guintes operasges:-ema uma fundi.,: t.'-z mover
o08 folUes; n'um cases deu andamento As bombas de
esgoto ; e em urma officina de machines, durante a
noite, fez trabalhar os instruments ou appirelhos
de ajustamento de divcrsas peas.
(Continua).



PARTE OFFICIAL

Governo da Provinela
EXPEDIENTE DO DIA 14 DE OUTUBBO DE 1884
Actos:
0 president dt. prv.wincia de conformidadle
vm a proposta do brigadeiro commandant das
Anmas, contida cm officio n. 521, de 11 do corrente
esolve nomear o tenente honorario do exercito,
Jos6 Francisco de Paula Vellez, pars o lugar d(
couservador da fortaleza do Itamaraea, em subs-
titaiVAo do tenente tambem honorario do exercitc
Camillo Machado Freire, que fallcceu.
0 president da provincia atteudendo ao qu
requoreu o eserivalo dos Feitos da Fazenda, Luiz
Augusto Coelho Ciatra, resolve prorogar proviso
riamente por 3 mezes a licenca coneedida emn 2
Sde abril ultimo, para tratar de sua saude.
0 president da provincia attendendo ao qu
requereu o Dr. Jose Sorano de Souza, professor
de philosophic do Gymnasio Pernambucano resol
ve conceder-lhe 30 dias de licenca corn ordenadJ
na forms da lei para tratar de sua saude onde lh
convier, e bern assin perinissito para ausentar-sa
da sede de sua cadeira durante o period das fe
risa d'aquelle institute sem prejuizo do tempo d
exercieio e percepcga1 do vencimentos.
0 preszdente da p-ovincia attendendo ao qu
reqnere', o Dr. Tarquin) Br-anlio de Sonza Ama
ranch, lento cathedratico da Faculdad,! de Di
reito do Recife, resolve conceder-lhe 2 mezes d
licena corn vencimeutos na formal da lei par
tratar de sua saude onde ihe convier.
0 president da proviucia attendendo ire qu
requercu Julio Cesar Gonalves Lima, profess4
contratado n. villa de Granito, e tendo em vist
a informra~o n. 332, de 10 do correate, do inspen
tor geral da iostruc-Ao publics, resolve nos tei
moes do art. 122 3" do regulamenuto de 7 de abr
de 1879 heart. 7 | 5 das rostrue95es de 29 dej
moire, resolve coneeder ao petieitfsnio 3 mzes c
IUmuea para tnatar de sua saudo ond lbhe eo


0 president da provincia stlemdendo ao qi
loquma &amatciada do Moello Mseauego, pn
kmowa de enimo primarnio eam Itapimmima e ten
m vista infinmipo n. 331 de 1 do Wrrente,'
iMpeetum? geral 4a inamaierso pubsi resol'


Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Autorise V. S. a collectoria de Tacaratl a saccar
contra essa Thesouraria pela importancia que ti-
ver de adiantar para occorrer ao pagamento da
etape das pracas do destacamento de linha alli
existeutes, nos terms da sua informacgo de 2 do
corrente, n. 667.-Communicou-so ao comman-
dante das armas.
Ao mesmo.-Provideneie V. S, para que nos
terms da informaaom dessa Thesouraria, de 10 do
corrente, n. 688, seja autorisada a collectoria de
Pamhnares a pagar mensalmente a etapo das pra-
cas do destacamento de linha estacionado em Ca-
tende, calculada para o eorrente semestre, na
razaode 617 r6is.-Communicou-se ao ceomnmn-
dante das armas.
Ao mesmo.-Mande V. S. pagar, nos terms
da sua informacao de 9 do corrente, n. 683, a im -
portancia de 9445692 proveniente dos materiaes
de que trata a inclusa conta fornecidos per N i-
cente Ferreira Nascimento, para as obras da Ifor-
taleza do Brum.-Communicou-se ao engenheiro
das obras geraes.
Ao mesmo.-Remetto a V. S., para os devi-
dos effeitos, c6pia do aviso de 30 de setembro ul-
timo, as'b a. 1,319, expedid. loMmwtww da
iahrihah erm d* verabs por oude deve corner a
despeza corn a pintra do pharol de Olinda.
- Ao mesmo.-Transmitto a V. S. sete orders,
send seis do Tribnald do Thesouro Nacional, de
naus. 141, 145, 147 e 148 a 150, e urma do Ministerio
dos Negocios da Guerra, de 3 de outubro cor-
rente.
Ao mesmo. Transmitto a V. S., para os
fins conivenientes, c6pia do officio de hontem da-
tado, relative ao exercicio do 5.o juiz substitute
da comarca d'esta capital.
A' Thesouraria de Fazenda. Para os fins
eonvenientes tranismitto a V. S. a copia inclusa
do aviso n. 4,169 de 30 de setembro find, relatvo
a admissilo do urn guard extra-numerario dt
inspeegio da sadde do porto.-Communicou-se ao
inspector da sadde do porto.
A' mesma. Remetto a V. S., afia de ser
entregue ao interessado depois d& pagos os direi-
tos devidos, a inclusa patente do brigadeiro com-
mandante das armas d'esta provincia, Antonio
Tiburcio Ferreira de Souza.
A' mesma. Sob proposta do brigadeiro
oommandante das armas, contida em officio de 11
do corrente, sob n. 524, n'esta data nomeei o to-
nente honorario do exereito Jos6 Francisco de
Paula Vellez parsa o lugar de conservador do forte
de Itamaracti, em substituioo do tenente tambemn
honorario do exercito, iamillo Machado Freire,
quo falleccu.
O que faco constar a V. S. pira soen conheci-
mento c devidos fins.
A' mesma.-Em aviso n. 1,577, de 27 de se-
tembro findo, participou o Exm. Sr. ministry da
marinha toremr side approvados os contratos cele-
brados para o fornecimento de vivcres, sobresal-
lentes e materials aos navies da armada e depen-
dencias do Arsenal de Marinha d'esta proviucia,
no semestre aejulho a dezembro do corrente an-
no, cumprindo fazer que sejam feitas as correc-
Oes indicadas pela contadorna no officio junto per
I copia, de 25 do mez passado, sob n. 253, quanto
As conservas e cangica, e bem assim que se prefi-
ra a manteiga franceza quando sc tenha de auto-
risar semelhaute sqnpprimento.
A' minesma. Fago constar a V. S., para os
devidos effeitos, que resolvi conceder o augment
de 30 mensaes ,A gratificacao quo percebe o guair-
da do lazareto do Piaa, Francisco Josh Vieira
Slachado, emquanto alli estiver servindo, devendc
I aquelle augment corner por conta do mesmo crc-
Sdito polo qual so tern effectuado ath agora ao res-
Spectivo pagamentop, segundo coastal do seu officic
c n. 675, de 6 do corrente mez.
Ao Dr. Francisco Magarino de Souza Leo
0 procura ior fiscal e dos feitos da fazcnda geral.-
Fico sciente, pelo sea officio de 13 do corrente. n
e 9, de hayer V. S. reassumido o exercicio de set
z cargo.
Ao contauidor da Thesouraria de Fazenda
8 Josh de Burros Accioli de Vasconcellos. Fico
inteirado, pelo seu officio de 11 do corrente, n
e 696, de haver V. S. assumido novamente o exerci
ir cio do cargo de inspector d'essa Thesouraria, po
" ter de ir tomar posse de igual cargo na Thesoara
o ria daI Bahia o Sr. Raymundo da Silva e Cunh
0 Ao eommandante do Presidio de Fernand
0 do Noronha.-Declaro a V. S., para os fins con
v- reaientes, que par' aviso do Ministerio dos Nego
be eio3 da Justiga, de 6 do eorrenta, foi approvadnd
a nomeag-o de Minervina Feitosa Brandlo par
Le exercer interinamente o cargo de professors d
- cadeira de cnsino primario do presidio de Fcrnan
i- do de Noronha. Communicou-se a Thesourari
le de Fazenda.
-a Ao mcsmo. Pars cumprimento do que n
fo determinado em aviso do Ministerio da Justi
*s gi, de 3 do corrente, convem quo V. 8. facs aeou
or panhar a inclusa carts do son escrnavo Josias, d
t' eompetenite peticao de graga, corn indioalO d
e- pena imposta e do tribunal ou juizo a data c
r- oudemnacmo.
-l Ao Thesouro Provingial.-Approvo as amrr
"- matagoes foigas perante qf Junsta d [einThM
de por Augusto ctayisnho de o es,,J*y
n- tdnto da ilvaa Loireire Joe" CO~drtto *^85
10n ManoelDodnagae Porto eDlvaJoA lit
iO daoobsad~i^iknpoetodegad~ts~~iie
0- e muar u.Bulims, ?dxr, o-.'


do Cabrob6, Salguale-, Iarat
p r o atp t


tias constantes do officio desse Tkesouro, de 2 do:
corrente, n. 196.
0 u-- e declare a Vine. para osa devidoa fis,
recommendando-lhe fakg leva novamenate em Wr i
aa c6branga d'aqnelle Imposto quanto aot mu-.
Wicipios de Garuaru, S. Bento, Bezero ,Gravati,
]iom Conselho, Agua Bellas, Brejo, Barn Jardim,
Cimbres, Alagoas deBaixo e Garanhuns, mandan-
.o abater 25,/1o no respective calculo nos termnos
da citado officio.
Ao mesmno.-Faga Vine. levai novamente a
praqa a arrematagco do servigo da cobranca do
disimo de gado vaccum, cavallar e muar, relative
aos mumnicipios de Flores e Ingazeira, servindo de
base a offerta constant do incluso requerininto
de Jeronyme Theodoro da Silva Loureire, nos ter-
mos da informaolo des Thesouro de 6 do eorrente
n. 199.
Ao mesmo.-Autoriso a Vine. conforme soli-
cits o Dr. chefo de policia ei officio n. 1025 de 19
de setembro finaledo, a fornccer de acoordo cam a
informagio prestada em sea officio i. 197 de 3 do
corrente, 400 colheres de ferro estanhado e igual
nume:o de canecos do folha para o servigo dos
press pobres queose acham recolhidos a Casa de
Deteniao.-Communicou-se ao Dr. chefe de po
licia.
Ao eommandante do eorpo de policia.-Res-
pondendo o officio n. 911 de 3 do corrente, decha-
rou Vinmc. que designeio2o promoter public da co-
marca do Recife parsa servir de auditor nos con-
selhos de investigagio a que foram submettidos va-
rias praqas do corpo sob sea commando.-Commu-
nicou-se ao 2' promoter public da comarca do Re-
cite.
Ao mesmo.-Providencie Vine. nosentido do
ser apresentado, no dia 18 do corrente, ao Dr. che-
fe de policia interino, urma escolta de dons solda-
dos e uanm cabo, afim do condizir at6 Barreiros o
preso Jose Baptista dos Santos ou Cunha, reque-
sitado polo juiz municipal d'aqnelle termo pars
responder ao jury.
Ao promoter public da comarea do Olinda.
-Transmitto a copia inclusa da representagalo
que em 27 de setembro find dirigio-me a Camara
Municipal de Olinda e da infornnaio n. 1088pres-
tada em 7 do corrente mez polo Dr. chefe de poli-
cia a respeito do facto sobre que versa a alludida
representagio de hayer side, a forca armada, reti-
rado do deposit public per Henrique Ferreira
Pontes um boi que havia side apprehcndido des-
truindo plantagoes de Manocl Pereira Rodrigues.
-Communicou-se a Camara Municipal do Olinda.
Ao inspector do geral da Inutruccao Publica.
-Concede autorisagiao a Vmc. parsa justificar as
faltas de exercicio escolar da professors Dina do
Silva Coutinho alludidas em sea officio a que res-
pondo n. 334 de 13 do corrente mez.
Portaria :
A' Camara Municipal doBonito.-Approvan-
do a arroematacio dos impostos conatantes do ter-
mo annexo per eopia ao officio que a Camara Mu-
nicipal do Bonito dirigro-me em 15 de setembro
findo, declare A mesa Camara que devem ser al
teradas as lettras acceitas polos arrcmatantes dos
impostos do district de Capoeiras, visto come as
arrematacues parciaes dos impostos desse district
dio o resultado de 4714020 e nao 4616020 conter-
me se verificon do referido termo.
A' Camara Municipal de Aguas Bellas-Para
resolver sobre o assumpto do officio de 2 docorreate
mez cumpre que a Camara Municipal de Aguas
de impostos a I oT em soT1n.di offioio. .I
A' Companhia Brasileira de Vapores.-0O
Sr. agent da Companhia Brasileira de Navega-
Vito a Vapor made dar transport por centsa do
Ministerio da Fazenda.; at6 a prov ncia da Bahia
no vapor Par4 esperado dos portos do norte ao
inspector da Thesuraria de Fazenia deota provin-
cia Raymundo da Silva e Cunha, removido para
igual cargo n'aquella provincia, e bern assim as
pessoas do sua familiar constantes da relagao junta
per copia.
EXPEDIENTE DO D. SECEMTARiO
Ao commandant das armas. D, ordem
do Exmin. Sr. president da provincia communion
a V. Exc. para seu conliecimento que A Thesou-
raria de Fazenda 6 remettida a fi-x de lhe ser
entregue depois de satisfeitos os devidos dereitos
a sua patente de eommandante das arms dosta
provincia.
Ao Dr. chiefe de policTia.-De ordem do Erm.
Sr. presideute da provineia declare a V. S. que
providenciou-seconvePientemente sobro o assump-
to de sea officio n. 1107 de hontem datado.

Repartlo'o da Polila
Socg.o 2.7- N. 1,151. Secretaria da
policia de Pernambuco, 24 de outubro de
1884.--ilm. e Exm. Sr. Participo a V.
Exc., que form hontem recolhidos ai Casa
de Detencao os seguintes individuos.
A' ordem do subdelegado do Racife, Antonio
Gomes dos Santos Bacamarte, per embriaguez e
disturbios ; e Joao Muhlert, per offensas a moral
publics.
A' ordem do de Santo Antonio, Francisca de
Paula Rocha, alienada, ate que possa ter o conve-
niente destine; William de tal, Anastacio Fran-
cisco da Costa, Manoel Jose, Jos6 Pires Falcao,


Jose Ignacio de Lima, Joao Vicente Ferreira, Ce-
sario de tal, Jose Martins, Jos6 Francisco dos San-
tos Lette, Luiza Francisca de Souza, Theresa Ma-
ri da Coneeillo e Emilio Manoel dos Santos, por
disturbios.
A' ordem do do 1, district da Boa-Vista, Au-
gusto Antonio Lopes e Antonio Roberto de An-
drade, por disturbios.
Deus guard a V. Exc. -IlUm e Exm.
Sr. De. Sancho de Barros Piment( 1, muito
Sdigno president da provincial. 0 chefe dc
Spolicia interino, Jeronynw Materw Pereiro
de Carvalho.

conmsulado Provlanelal
S DE8PA3CHOS DO DIA 22 DE OUTUBRO
S Escolastica Maria Benedicta de Oliveira.-De
terido de accord corn as informajoes.
Luiz Jose da Silva Guiinaries.-Defenido con
0 relaglo ao '2 seroestre do exereico finio em faca
das infornagtes.
- .. -24-
Thesourniro das loterias para o tundo de eman-
cipa o, Joaquim de Souza Neves, D. Maria Ros:
Ferreira da Silva, Martins & C., Francisco Canu
te da Boa-Viagem, Cawdido HermesFerreira, Ma
noel Carlos da 8. Curado, Jo"e Faustino Port
- Oliveira & C, Simijo Ribeiro da Conceigio, Fran
cisco Gougalves Netto, Corrbias & C., conselbeir
% Joao Josh Ferreira do Aquiar, Victor Preale, TIh
maz Jose de Gusmio, Joaose do Rego Barros, Vi
center Ferrer Gomes Ribeiro, Maria Emilia da l
s. Manta e Olymnpio Adoipho de Barros.-Informe
I I scccfo.
Jose Leonardo Grego & C., Vicente Josh da S
Jose Soares Laps, Sympnrma Olympio Marqum
So Alfredo Candido Cuneireo.-Informe a la secoa
fa Ventura Perira Peas,---etifiquw-se.
i Guimanares C.,e Gerummo Segotta.- Dirija
sea junta do Themunm ni frms e prase o das in
tueBdea de 27 do jilo de o883.'
Leias dePaula Lop---Diruja-se ao Theeour
SAatni )Owt .POiReDoantas At Bastes.
W -4Ml WM.- 4


Ib a presiden-ia do Sr. conselheiro Quintino do
da corn assistencia dos Srs. Drs. Cicero Pere-
.o, Baptista Regueira, 1 secretarieo e Lopes
lchado e do Sr. Major Codoceira, 20 secretario.
SLid a a cta da sessao anatocedento foi appro-
0 Sr. o1 secretaria mencionou o seguinte:
'Urn officio do Dr. Moreira de Azevedo, secre-
tnio do Instituto Historico do Rio de Janeiro, de
1 do corrente, enviando em nome do mesino Ins-
titato, uma relagoo dos documents relatives ao
dominio hollndez no Brasil, afim de ser entregue
ioDr. Jose Hygino para obter chpias de outros
quJl possa enecontrar nos archives da IloUanda e
que nao estejam mencionados na mesma relaqgo,
e de interest pars o refenrdo Instituto.
Um dito, do 1o tenente da armada Leoncio Rosa,
oftrtando Eum exemplar de seu trabalho intitu-
lItd-Cabotaqem.
iUm dito do Sr. Julio Soares de Azevedo, remet-
tando dons exemiplares do opmeculo intitulado-
3SAcka de sVugue-e pedindo ao Institute uma
a*flno pars a s seus estudos.-Inteirado.
.fortau: -
VIma relagro das propriedades de casas e mais
ba de riz qne possue a congregazAo da Oratorio
do Recife, e que ja se remetteu a S. Magestade,
p iord-m u telve o Rvm. padre Preposito do
E4 secretario do Estado Francisco Xavier de
Midongsa, e agora segunda vez apresentada ao
Sr. Dr. governador geral desta capitania, por or-
des sua. Offertada pelo consocio major Codeceira.
Un folheto--Defeza do bacharel Luiz Fre-
dereo Codeceira, inspector da Alfandega da Para-
nyrbp, polo memo offertado.
Om dito-0 Lyceu Litterarie Portuguez, offer-
tas pela directoria do mesmo Lyceu.
1Vm dito-O combat naval de Riachuelo pele
Sr. Rangel de Sampaio.
Diversos jornaes desta e de outras provincias,
pelas redaceeeq. .-
eido o oxpdliente, vicm mesa umna proposta
pats socio effebtivo que vai respectiva commis-

I lido e vli t'p4 mir o batuo da receita e
delsea do lmaituto no trestre findodo d julho a
set ibrom, o qual I"o sego' : .
Reeita arrecadada no trimestre 1:335000
Sahb que fazra parte da receita 29-aA610


Despeas docunentadas
Salmb existente


so 1:270590
1:270J930


Seoms 1:6270610
0 Sr. major Codeceira, partecipa que jiA estio
recohidos a bibliotheca do Instituto os diversos
joruaes encadernados e de different 6pocas que
foi autorisado a comprar.
E nada mais havendo a tratar-se foi levantada
a aeio.
A)-oelantfo dos F*unclonarlon Pro-
wvUbaem-As vagas existentes nos diversos
eagos da direcc'o desta associacio foram ante-
hotem prehenchidas em sesaio extraordinaria da
asonblha geral, da maneima seguinte:
reiWdente-Dr. Pergentino Saraiva de Araujo
Gsalv~q.
10 vie-presidente-Major Leopoldo Borges Gal-
vA) Uch6a.
'. vice-iirteidente-Profesfw Francisco da Sit-
-;IL Miranda.
I1o secretario-Dr. Jose Antonio de Almeida Cu-
nha.
1 oradar-Antonio Fernandes da Silveira Car-
valho.
anumlaMsAo-O Sr. Salvador Barbalho
Uch6a Cavalcante, acaba de passar carta de liber-
dade, sem onus algum, A sua unica escrava de
nome Miquilina, de idade de 48 annos.
E' um acto digno de louver e muito folgamos
em registral-o.
Alicidio--Hontem, as 8 horas da manha, pro-
curou pr fimn .4 sua existencia, o que consegnio,
disparando um tiro e t pistol, o suiblito portuguez
Antonio Francisco Martins, home dc mnais de 50
annos e caixeiro do Sr. Miguel Joaquim Carlos
Gardoso, estabelecido com armazem de estivas A
rua do Amorim n. 62.
Parsa effectuar a sua desesperada resolugalo
trancou-ae por dentro do armnazem ; e quando se
ounvio a denotalaio do tire acudiram os visinhos,
que entraram polos funds do referido armazem.
A oreiha direita do infeliz estava lacerada e
contua, e em part carbonisada, e pelos ouvidos,
bern come popelas narinas corria sangue, o qne in-
dicava existir hemorrhagic cerebral.
Aprosentando signaes de vida foi remettido pa-
'ra o hospital Portuguez onde pouco depois expi-
roa.
Foi encontrada a seguinte cartsa :
Ponho term ia minha vida por nao poder mais
soffrer. Nao crimino pesseso alguma.
a Devo a Gomes & Gouveia 1i00 ; a Antonio
Ferreira de Oliveira 160 e a Antonio Ferreira
dos Santos 4u0000.
e Nilo tenho object de valor algum, alim do
sitia corn duas casas. Plants e animaes que 1U
estilo na'o so meus.
Compadegam -so deste desgragado. Antonio
Frawncisco Martins.
Sul p6e-se que este desditoso fosse levado a pra-
ticar tAi desesparAido acto por causa de alguns
desfalques'em dinheiro dc cobrangas. Achou-se-
Ihe nos bolsos cento e tantos mil r6is, quantia que
o Sr. subdelegado entregouldepois ao Sr. Miguel
Joaquim Carlos Cardoso, preenchidas as formali-
dades exigidas em cases semelhantes.
0 suicide residis na casa de suh propriedade,
de que acimna fall, a qual 6 sitsa na Estrada Nova
Sdo CaxangAi, tendo em sua companhia ha annos
unma mulher de quem houvera filhos, que ficou ao
desamparo.
0 Sr. Dr. J. J. de Souza a chamada da respee-
tiva autoridade policial prestou ao suicide os pri-
meiros cuidados.
Iuflrace.o mnaancipal-Chamamos muito
particularmente a attenglo da Camara Municipal
do Recife pnras nas construcg.es que se estiao fa-
sende so lado do palacete do Lyceu de Artes e
Officio'.
Essa obra estA feita inteirnmente fora do ali-
Snlh-eionto dolugar, prejudicando a servidiloopu-
blca cam mais de um metro, de que o done da obra
estA a querer ase apropriar.
S COonsta-nos que jA houvo embargo, mas o tal do-
Sn,-,.'e n:os parece tem costas quentej, mandou
proseguw na obra, sem fazer easo do embargo.
Crm-arA a Camara os brakes, deixando quo t
' mwunipio weja espoliado?
n- Vreios. .
.0 1eatro Mamia Isabel A compaunhi
Slyri-o-eomica itsa!iana, cants hoje a bellissima ope
Srota de Offemlmbk La Belle Hew, estreando a
. primi-dona soprano Eugenia Parodi.
a esta relil0sa Amanhu ceebra-se :
., os de N. S. do Terog, na sua igr-ja, da pare
@1)5a de 8. Jose, eonstando de : missa ref a ia sa
" 1f/ beras da madrugada ; miss solemne, corn ser
o. pelo Rvd. eouego Antonio EuitVtSve
dl&lva, as 11 bores da manub; dA.cndiment
_ .. bandeir-, aa 5 horse da .tarde,- Ts-Desm Ia
^oras da sorts, prt~oyvd." wnmnendado
1 Manoe. Memoirs da ww- -


Barlo de Ibiapaba e liberal do Dr. Antonio Pinto
Nogueira Accioly.
Hoje aqui dames a chapsa cos outros grupos co-
ligados-conservador do Barao de Aquiraz, e libe-
ral do coaselheiro Antonio Joaquim Rodrigues Ju-
nior.
Pelo 10 district eleitoral, Dr. Manoel Ambrosio
da Silveira Torres Portugal, advogado ina Forta-
leza.
Pelo 2o, Dr. Amaro Cavalcante, advogado na
Corte.
Polo3 Dr. Jos6 Pompeu de Albuquerque CUa-
valcante, egenhciro nA. Furtaleza.
Pelo_', ? laojewe A toaqiJoaquw Rodrigues
Jusior, advugado as F oltl.u ,. ,_-"`*
Polo 5o, Bare de Canind, medics na Corte.
Pelo 6', Dr. Leandro Chaves de Mello Ratisbo-
na, advogado no Rio de Janeiro.
Pelo 7o, Dr. Metoa da Franca Alencar, medico,
na Fortialeza.
Polo 8o, Dr. Jos6 Avelino Gurgel do Amaral,
advogado na Corte.
NMn MSa pa& plano 0 estabelecimento
do Sr. J. A. de Azevedo, A rua do Barite da Vic-
toria, acaba de receber da Europa duas novas pro-
ducVjes musicals appa piano, ambas deo Grace M.
Hime. IntitAl- so umas dellas Saudades e outra
Lembranfas.
E' uma boa noticia esta pars os pianimatas.
Fernando de Noronlm a e pharol dam
Roccam.-Hontem chegon destas ilhas o vapor
Giquid, tendo cm sua viagem de ida tocado nas
Roecas.
Eis o que acerca de ambas ellas nos esereveu o
nosso correspondent de Fernando, em data de 21
do andante:
No dia 16 fundeou aqui o vapor Giquidd, o'qual
desta vez veio corn escala polo pharol das Roccas,
para onde, por ordem da presidencia da provincia:
trouxe goneros para os pharoleiros que alli se
acham.
S Mais adianta lhes noticiarei certas occurren-
cias extraordinarias havidas nessa ilhlia, e cujo re-
sultado foi conservar-se apagado por muitos dias
dito pharol; felizmente unada houve a lamentar-se,
pois nao se perdeu nenhum dos navies que por alli
passam constantemente.
Form s6 estes os passageiros que paras aqui
vieram: o alferes Brand4o, 12 pragas e 20 pre-
BSO.
sos.
a P partari& da presidencia de 2 de outubro
co-rente, fi eoncedida urma licenga de tres mezes
corn o vencinuto a q" fiver direito, e parsa tra-
tar de sua saude ao fel do almoxarifado Sr. Anto-
nio Facandes de CaAtro mlenezes.
No dia 4 de outubro corrente foi aqui visto un
eclypse da lua, que durou bern visivel entire 6 ho-
ras da tarde As 9 e 35 minutes da noite.
Effectuou se uo dia 10 corn a decencia e so-
lemnidade aqui possivel, a test de Nossa Senhora
dos Remedies, precedida de novenas corn pratica e
bengao do Sacramento.
SNa tarde do dia dessa testtvidade sahio uma
modest procissio que percorreu varias ruas e re-
colheu-se na melhor ordem.
Esteve na altura do assumpto o panogyrico
da excelsa Senhora dos Remedios pronunciado pelo
Rvdm. padre Juvencio- a eujos esfergos se deve
todo o brilhantismo d'eases acts.
(' A colheita de cereaes este anne, conforme pre-
vimos opportunameunte, foi bem regular. Per todos
"6 vapores soe ha feito bosa renusaaAa. s ho e
feio parsa governor, e tsto denota o selo e a ac-
tividade das autoridade superiores.
SDur-inte, porhm, As disposig6es para o plantio
do algodao, que julgamos seria mais convenieate
ein resultado monetano para os cofres geraes, per
que alem do mais 6 genero que nao p6de ter ex-
port'1cao particular, o que nao acontece coin os de
mais, desde qua aqui esteve a commissao presidida
pelo Sr. Dr. Materno, torgoso 6 confessar que foram
ponco a pouco diminuindo de proporcges, porque
S. S. julgou isto de born aviso c o aconselhou ao
Exmin. Sr. commandant. D'ahi 6 que vem nao
mais de entUio para cA preparar-se o terreno para a
plantaglo desso grande rame de nossa principal
indnstria.
S Banido por este mode, deste presidio o cultivo
do algodilo, genero este que jA mereceu no estran-
geiro as honras da preferenciA. em uma exposiio,
pelo que o distinguiram corn umr- medalha ; sup
pornos que o governor soffrera coin isto, e que assim
conviria restabelecer a dita plantatino.
Eis o que corn o devide respeito pensamos so-
bre o case.
Em unia fachina mandada aqui fazer, coinme
de costume, mataram-se 17,543 rates. Ja 6 urn
total bern regular desses bichinkos que tanto des-
trdem a lavouna.
Conforme acima promettemos varos agora re-
ferir cernos acontocimentos que se deramn na ilha
dis Roccas, foram ellcs: de quatro pharoleiros
que existiam rtaquelle pedaco de terra inter mares,
so urn sobreviveu porque os~mais falleceram em
poucos dias victimas de urna enfermidade que pcr
incompetontes nao podemos qualificar, 0 ultimo
ficando so poude ucsapar-se em um navio que alli
passou e cujo commandant generosamente o rece-
bora a bordo.
Abandonada assim o ilha s6 depois de muitos
dias chegou isto as conhecimento do governor que,
6 inegavel, nia tardou em providenciar sobre o
case, mandando in-coantinente quatro outrOs substi-
tutes dos mortos e do fugitive.
a Lo-o ao chegarem alli esses naves pharoleiros
o pharol comeiou a funocionar corn a regulari-


dade necessaria.
S Quo ideatica sorte nao tenham esses novos em
pregados 6 o que sinceramente desejamos.
a Hoje (21) volta para ahi o Giqvia que conduz
a sea b6rdo o mesmo alferes que d'ahi veio em di-
ligencia, o Sr. Antonio Facundo de Castro Mene-
zes, field do almoxarifado, 23 pratas com 9 pre-
.os.-
a No presidio reina plena tranajuillidade.
Prolongamento da Eatrada de Fer-
ro do Recife ao S. Fraancisco-A reeeita
geral do tratego desta ferro-via no mez de seternm-
bro de 1884 foi esta, a saber:
Passagens 2:316,250
Bagagens 340,4420
Animaes 155A760
Mercadorias 3:9990300
Telegraph 2340630
t Armazenagem 50,280
Reudas diversas 1$000
SMultas 304000
7:1275640


Rendeu no mez de setembro de
1883


3:582W450


DVfderenga parsa mais cm setem- w
bro de 1881 3:5455190
Aggreaseo e ferantLento.- Ante-hontem
as 4 horas dr tarde, no Arraial, estando a esmo-
lar paia o Santissimo Sacramento do Poeo da Pa-
nella, o sexagenano Jobo Antonio de Mello Alen-
car, foi aggredido per um individuo conhecido por
Bsndeira, ,ie-bheanreamessou un ceeete e depois
o espancou.
Entre as cacetadas que levou Alencar, peugon-
Ihe uma na region esquerda, fazendo-lhe um eri-
mento hastaute extenso, que foi declarado leve
per o lItimitar apenuas ao couro caballado.
0 aggressor nixo foi prM-e, tend sado o offenli,
do vistoriado p -lo Sr. Dr. J. J. de Souza a pedido
do Sr. uabdelegado doe Bemo.
wImemoa-,-Na- qsarta-feira houve ura
lceta entre tre trabskador0 i da poate ltarqne
de Maeedo dedlla rerltou er ferido lelememate
r Frapeiseo Vieate e um oompmuhciro, Jose
dppe & Lim brane apateiro e asdo, corn
Snms &eseoriaeo na-lado esquerdo do peifo acorn


panhada de eschimose e corn outra na region dor-
sal esquerda, feitas per cacetes.
Nio foram press os aggressores, tendo o offeu-
dido sido %istoriado pelo reteri4o Sr. Dr. J. J. de
Souza a pedido tambem do mesmo Sr. subdelega-
do de Belhm.
Inquerltom polictlaes 0 Sr. capit&o
Alcides Barata, subdelegado da parochial de San-
to Antonio, remetteu hontem ao Sr. Dr. Adelino
Antonio de Luna Freire, juiu de direito do 2o dis-
tricto criminal, os inqueito policiacs a que pro-
cedcu acerca dos inu4mdios que se mnanifestaram
m* uoite do dia 07 do mez proximo passado no
predio n. 27, a nmr lTrimnbiras, de p-nprieda-
ddo 8r. Joao Francisco Ma oeLe oode tinhk of-
fieina de marcineria o Sr. Josa Pereira da Triu-
dade, e na do dia 6 do eorrente. nos predios i-
tuados no largo do Arsenal do Guerra e becco do
Carioeca, pertencentes saos Srs. Dr. Francisco Cor-
reia de Araujo c Victor Neesecn, e nos quaes era
este estabelecido corn dcposito de algodio e prm-
sas hydraulycas.
Os damnos causados no primeiro dos predios,
que se achava segurado pela Companhia Imperial,
foi avaliado em 3:0005, dos ultimos em 27:000j,
sendo o das machines e prensas hydraulicas em
35:0005000 e o do algodao emn quantia superior a
200:0004000.
Mercadorias, prensas, machines e os predios
pertencentes ao Sr. Victor Neescn, se achavam
seguros em uma companhia estrangeira
Mociedade Dramatica Fillows de
Thalma-A nova directorial desta sociedade
ficou assim composta :
Director-Teneute Antonio Josh Machado.
Vice-director Jose Pereira Siqucira Brags.
lo secretario Joao Gonealves Ferreira e Silva.
2o dito-Antonio Manoel dos Santos.
Orador-F. de Andrade Lima.
Thezoureiro-Agostinho J. Bezerra Psesoa.
Directores de Espectaculo : lo Tenente Galdino
Pie dos Santos; 2o Agostinho Jacoinme Bezerra
Pessoa; 3o Salvador Guimnarnes.
Corpo Scenico : president, Urbano J. d e Linma :
director de scena, Jose Valente ; 1' secretario.
Antonio Quintas; 2 Segismundo Telxeira ; the-
zoureiro, Mamoel S. Pedrosa; procurador, Luiz
Agra; contra-regra, Vicente Lima.
Rlmbel w.-0 paquete Bahia trouxe do norte
para:
Carpinteiro & Peres 16:00opoiJ
Amorim Irmnos & C. 10:129O505
M. F. Marques & Filho 5:3950130
Josh Krause & C 3:0005X00
Fernandes & Irmao 2:1335000
Fonseca & Irmiao 2:1030010
Miguel Jose Alves 2:400X000
Henry Foster & C. 2:000(0)0
Dr. Henrique S. T. Vasconcellos 1:476010
Almeida Machado & C. 1:.-00000
Clemente Lima 7105000
W. Haliday & C. 636X000
Monhard Mettler & C. 5005000
0 mesmo paluete levou para :


UAlag6as 2005000
Rio de Janeiro W:)OlwX
Reuniles %ocliaem-Amanha ha as se-
guintes:
Da Confraria do Seathor Born Jesus, da Santa
Cruz, As 6 horas da tarde pamra eleialo.
Da Unido GQmaer*MWBBmeuMente dosA Mercieiro,
ao meio dia, paet e14t0a-
Do Congress Abolicionista do Recife, is 10 ho-
-as do dia, na sua s6ede.
Da Beneficente e Instructiva dos Empregad, d,
Commercio, as 3 1/2 horas da tarde, na rua do
Barmo da Victoria n. 58.
Do conselho do Club Carlos Gomes, ais II horas,
la respective sede.
Club LItterarlo Carunaruen e-Com-
nunicam-nos :
,, Duraute o mez de setembro proximno findo ee-
lebrou asta sociedade em sua sMde na cidade de
Caruar6, alim das sesshes ordinarinas, duas extra-
)rdinarias, send uma destas na noit, de 7, an-
niversario da independencia national, que asasim
'oi solemnisado, corn today pompa compativel corn
)s recursoi do Club, tendo concorrido avultado
numero de senhoras e cavalheiros a sessio litte-
*r-ia, durante a quai pronunciaram discursos
inalogos os socios Drs. Estcvao de Lacerda e Eu-
tropio de Farias.
a A outra sessao extraordinaria foi destinada :i
diacuasAo e votailo de algumas medidas concer-
nentes aos estatutos e outras, que haviam side
julgadis object de deliberacIo, em sessio ordi-
nana, sendo entalo tambem rcsolvido par unani-
midado de votos que fosse destinado oa lugar de
hionra no quadro dos socios benemeritos a Sua Ma-
gestade o Imperador, agradecendo-se ao mesmo
Augusto Senhor o donative que fez ao Club da
quantia de 2004000.
0 movimento da bibliotheca foi o seguinte :
SEutraram 12 volumes broxurados e encader-
nades.
Sahiram para leitura dos socios 21 obras em
U0 volumes.
( Frequentaramn a bibliotheca 30 socios e al-
guins visitantes.
c, Recebeu : o Diario de Pernamnbui,., Jqrnal
do Recife, Tempo, Lanterna Magica, Tribunq,
America do Sal, remio, Amigo da Verdade, a
Gazeta do Povo (S. Paulo). ,
AsmumptoM da China-Umn correspon
dente da Agencia Havas escreve:
a Os preparatives de guoerra continuum corn umna
grande actividade em todas as parties do imperio
chinez, mas nao ha necessidade de nos espantar-
mos muito d'esta palavra, preparativos qne tern
aqui um outro sentido que na Europa.
-Distribue se 6 veidadade, algumas armas de
construcqio modern sA uma pequenna arte das
tropas, isto 6 aos velhos regimentos c os dos rc-
crutas; porem, o rest do exercito chines, que se
compue de voluntaries, sem discipline e semo ins-
truc.a military combatera, sea guerra tiverlugar,
aos francezes corn as velhas e inoaffensivas arms
chinezas quoe todo o mundo couhece.
a Os voluntaries estlo encarregados de defen-
der as practs e o exercito regular sera emprega-
do em campo descoberto.
Na China pensam que a guerra durari muito
tempo q que os francezes terao um trabalho infin-
do pars chegarem a aceordo corn as bravos do -,
leste imperio .- -
Na mesma carts nos dis coma os osinezes comn-
batem os francezes em Tonkim- O Men-Pao pu-
blic a o texto do despacho official ciiua contendo
informagoes que ponca houra f so character
dos bravos guerreiros do oelest -imperio.
SSegundo este despacho, soldados chinezes
que connbatiam no Tonkin a epoeha da, estio
de Long-Son tinham en oenado as foats a Is- l-
gares onde deviam a os francems e sn--
viam para con.bater d frechas igualmente envene-
nadas. _
S0 veneno emprgado pars este effeito era pe-
rigo-e; caubava u a sede exe, va, e qua ijo mm
soidado ferido bebi agusua rra iuinmJna e.
o Pareee resaitar do documeto em qaon e qua
o veneno dos Chin.xes tern feito athoje ainm dm-
gAB.o francezes do quo s m a a eapcidads% mli-
tares.
Notieas divermaw -A diupom d. a hi
italiana sobro pen au m UobsmVewi du m-
dicoAs, victims da epidema eAB qM aWis.
va d'um medico mornto mB -Mpimmu-s doe-
devenee, tern dinuito am a pMd -104 &MM;
e tiven um o am fidhm ii eh al 600; -m tym
ties on quatroilhos. 800;. se ..i- nt
frmilia se eomponer de quatro mfu Mo
a pens.o se fisa a 1000 frunes.
Falecida a viuva, semi k mum,..
ae eaa pendso.


- .,


-a,. -. -
;- a
mm *- ., -


'MA A :-.


$


Ae M
J^^^^^^^^^HL'* *i^^^^^^^. *>_ ^B .j. 'F ,* ;-:.."^^^


NCITA


;' 5



..,














I. ':


a uma nova.ai
amj ar ioab
eode feri-


I I& of ^ if Jg^ g^



a "lia doe empestaI i'do ( a
Sa s aeum desejos'
Muita gente de mA catadura se aproveita da
S. exaltago mental em quo se acha o pobre povo,
S atiga o fogo, se impoe sos debeis e. aggrava corn
..---. u procdoer o triste estado de coaas qne acaba-
m mos de dscobrif- -. ... /

deserts.


naguarnigo. A do rei Humberto taer uidesrel-
* amft admiravel.
w DepsahMbelindiew *GL dla,12 -jd maah
eassorne' :d-a'~arnas a-" neomskladeoa'd pwouoat
..ea ,re speaMtideal tsfa o Pfaefto e
arnie-a 1ais.
SDireis -a Camauart- upondmdes o-ratl -y
mv. Awmidita~e s^S'mosf r.
datIIiIW ata.-hn l .pelhuqqftseioaa-. ee.
freuindhde i l a elasecapso e deplao
taes-DiUiW- doeerbi.
-, Apoauou-sa comaode costuamaea todasl oes eo-
lericose euteve seatenado bra aAm infeli
awiubuadi
Ao sahir dos hospital encontoua '.,s supresti--
teag babitamtis 'ereadi iemmadMsea procis
a& 00aM tobha* eytros, image-'ls.4esAMAd&-ChrintD,
kisa~ietc., offeresendo' urn sSaumiAs 'eupcGtaouh]
qo' desgots vivwamenate.
S-De. fact, aquelles fatios toriama coaprido
muito melhor seus deveres de chistaow e de aomens
alistindo a seavu iwos -doeates e, .waado-lhes
sooees5.:
S- Todos os-soberanos da Europa team ex-
pessadosotei da sItaliawaahda9 pr sBo eon
dteta em Napoles, e epropri:e Pa"pa aga
ao cardeal S. Felix felicital-o-enem-eu noamae.
S 0 tei deos Icalianos den main outos 3 0,000
pesetas para as .anilias dos ehol-ricos e para. as
instituioes de urn Hospital-ema Npoles. o
Leil6e-EFieAtuar-sehaio :
Hoja:
Pelo agente Brlamaqui, Ais 10-oras, aszrma da
Imperatrmv 28i de maveis, loua, vidrose etc.
Seguada-feira':
Pelo agent Brito, as 10 1/2 hers, nas rua da
Aurora n. 48, da- taverna ahi sits.
imsasa tmeb-es-Serao eelebradaa:
Hoje :
A's 8 boras, no Corpo Santo, per alma de a
Ehsa Gomes ; as ,9 borie, u- matriz de Agna
Preta, por alma do Dt. Antonio Padifioo aeLima.
Segunda-feira :
A's fioras, na matriz de Santo Antonio por'
aaimde Jao Juvino de Almeida; ias 7 1/2 horas
na.Outm- Tercei-a de S. Fraacisco, por alma de
AuMtoaio Luiz dos Santos; as 8 boras, na Ordem
Teoceira de S. Francisco, por alma de D. Alice de
0detews Fiuza.
-- Terga-feira:
A's 7 1/2 na Ordem Tereeira de S. Franeiaco
pot alma de D. Isabel Ferseira Baiter.
Ieria da provwinetf-segunda-feira, 23
dtiaorrente serA extrahida a loteria 82- em be-
uciaio da igreja de S. Pedro Martyr de Olinda,
no ;eonaistorio da igreja de Noses Senhora da Con-
ceiao dos Militates, onde se acharao expostas as
urnas 'e espheras arrumadas em ordem numeric
A ,.apcciagao do public.
*a grande loteria da re.de ......
500OO0O$000-Com novo piano muito van-
tajoso, aeham-se a venda A Casa da Fortuna, a
rit do Creipo n. 23, es bithetes dosta loteria.
oeeu4 IM e ___S0 ---A loteria 161&
s6rie B, do Rio de Janeiro, corre hoje 25 de
corrente.
Bilhetes z venda na Casa Feliz A praVa da In-
depesdeneia as. 37e 39.
Leteria-A de n. 161 B, do Rio de Janeiro
dA 25:000000 ser extrahida hoje 25 do eAr-
rente.
Bilhetes a venda na Casa da Fortuna, rua 1l
de Maro n. 23. ....
Loteria do Ceara--Corre no dia 8 de no-
vembro impreterivelmente cujo premio grande e
de 5:000.
O resto dos bilhetes na Casa da Fortuna, ruan
1" da Marco n. 23.
Pasagseiro--Chegados dos portoas do nor-
te no 'apor national S. Francisco :
Vieente Alves de Oliveira, Aristides A. Wan-
d-rley, Antonio Ferreira Brags, Jose Bruno de
Miranda, Francisco Geraldo de Oliveira e Fran-
cisco Antonio M. de Miranda.
Chegados de Fernando. de Norooha no va-
por national Giquid:
Alteres Augusto F. de A. Braudao, 2 cadetes,
20 pracas do 20 e 140 batalhbo de infantaria e ',
sentenciados, Joao da Rocha e sua senhora, An-
tonio da Costa (menor), uma mulhbr e 2 fllhos de
urn soldado.
Sahidos para os posts do sul no vapor na-
cional Bahia :


Dr. Augusto Netto de Mendonca, Rosalina A.
de Farias, Adolpho Kleiichmit. Dr. Domingos
Jos; A. da Silva e uma irmm, Jos6 Maria Pereira
dos Santos, sua senhora e 1 filho, Augusto P. Ri-
beiro de Carvalho e su i senhora, Dr. Joaquim
Jose de Oliveira Andrado, Eugenia B. Ferreira, 2
filhos e 1 cnmado, Theodoro Brask, Benjamin P. da
Costa Borboleta, Cordolina Ferreira Franco, G.
Ramaliho, Maria Antonia de Jesus e 1 filha, An
tonuio D. Torres Gallindo, Jos6 da Silva, Vicente
Xavier, Maria Joaquina do Carmo,-Antonio Joa-
quim da C. Guedes, sua senhora e 1 filho, Lou-
renco de Souza, Rita Maria, Joaquim S- Barbo-
sa, Maria Soares, Jose Maria Ayres, Jo4e da Sil-
va Carvalho, Ernesto Tornes, Jeronymo B. Perei-
reira, Gregorio A. Villa Nova, Francisco Fontan,
Anna G. Nogueira e I filha, Flacido A. da Silva
Santos, Severino B. de Brito, Carlota Borges Ca-
bral, Arthur Quadros C. Moreira, Joao W. de
Medeiros, Irineu de A Cesar, Luigi Felosai Luigi
"- Floresti, Fioresti Giocondo, Alfredo de Oliveira,
Jobo Baptista Duarte, Jos6 F. da Cunha, Ray-
mundo da Silva e Cunha, sua senhora e 6 filhos,
Maria Paraguay, Maria Delphina, Solomom Dent-
ch, Vicente Rodrigues, Maria Joanna, Jole Ma-
noel da Cruz, Vieente Xavier, um anspeada, 1
criada e uam imperial marinheiro.
Chegados de New-York no lugar inglez
Emma:
R. Smith e Cotand.
Mercado Hunicipal de S. dlose 0
movimento deste estabelecimento no dia 23 de
_ outabro foioseguinte:
Entraram para serem veadidos : 46 bois, pesan.
do .1,738 kilos.
Na m q smoo dia entraram para o mesmo es-
tabelecimhnent&:
Peixe ,284 kilos.
FarinhaV nd feijgo, 83 cargas.
i f Fruetaa 8M 3 ditas.
Suinoe, 5. ,
pros,5. ,
Pre Ndos dias: \ ,
Came verde a 480, 320 160 reis o kilo.
Sauinaoa 6QO rO s o klo,
Carneiro a 1X idem. 2 a
FIrin de 500, 400 at 28 ria a cuia.
MiIUG ode80, a320r$is acuia.-
F ade@ r W....W...



621
-a. -i~~ff-f~l^ -' -^


noA-Vitat,; t uls pulon-
raea
aria, Pernambuco, 20 anos. soltoirao, BO
;ita; variolas.
Anna, Pernambuco, 2 mezed, Boa-Vista; es-
nfa0mo.3


! 'P^.--- w ,. !
casada, BaVista; ectazi bre .i-
M lfedb, P n ua ,4ao 'sa ~e atttf, & Jos

easads, Boa-Vista ; febre paerperaL
Bihfts- Igoadawanesiga, P&wlfambco', 24
wi8os, s.8 ,, -. Joi6' ; abtekos- puhoonaS-
res.
iuWbel Maia d& Conceiqeo_ PritAtaBaoo,. 291
annos, casada, Graga; eacorbuto.
Joad Praneisco -de AMrac, P aernaB ,'25 -an-.
nos, casada, B4,tiatf beaxigus.
JoB- Joe& dmBl- Oom Pm* w oo, -46- *moo#
viuvo, Boa-Vista dinrllb&L
"oel' wrat, Pit oba- 2* noftua s lteiro,
Bw-Vitta;. beuigas.
Balbina, Perumab'eo, 50 asinmoa viwwa, a ;.
aneurusma.
Manoel Borges de Medeiros, Portuga, 44 annos,i
easado S Jo-&; beriberi.
Manoel Faustino do Mello Aertto, Prnam,-
buco, 28-aunos, solteiro JMe6;heptI -
Maria Virginia da Coemeeiaoy-Pernambueo 32;
taaon, slheir, Santo Antonio; tubereauos putmo
stares.-
Ursula, Fernamnbuco, BOa-Vista; ao nascer.
Paulo Jose Ferreira, Pernambaco, 45sanOs9, 8.
Jose i frieldade.
Um feete, PCrnambueo B8a-Vist ao nas -
cer.
6 pela caridade.


22 -4
Isabel Ferrcira Baltar, Permnambuco, 80 anmios,
viuva, Graoa; deereptude.
Jos6 Cabral .da Silva, Pernambuco, 24 annos,
solteiro, Recife; variolas.
Maria, Permmbaueo, 3 annos, S. Jose; bezi-


gas,
Joaquim Pimenta, Portugal, 20 annos, solteiro,
36a-Vista ; hidro pericardio.
Bemvinda Maria, Permnambuco, 40 annos, sol-
teira, Boa-Vista; variolas.
Jose, Pernambuco, 6 annos, Graga; coquelu-
dhe.
Luiz Maria da Silva Oliveira, Pernambuceo, 27
annos, solteiro, BWa-Vista ; tubereules pulmonv-
tes.
Ildefonso JJos& doe Santos, Parahyba, 48 annos,
casado, Boa-Vista; anenrisma.
Antonio Luiz dos Santos, Pernambuco, 65 an-
nos, casado, P89o; henmorrhagia.
Manoel, Pernambuco, 8- dias, B pasmo.
Claudina Maria da Coneeiqilo, Pernambuco, 46
dias, S. Jos6; tuberculos pulmonares.
Julia, Pernambuco, 14 mezes, S. JosC; denti-
9io.
5 peta car dade.


CHRONICA JUICIiARIA

Tribunal da Rela"ao
SIESSAO ORDINARIA EM 24 DE OUTUBRO
DE 1884
PRESIDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QUIrnTIO DE MIRANDA
Secretario Dr. Vzrgi&io CoetAo.
As horas do costume presented os Srs. desem-
bargadores em numero legal, foi aberta a sessio,
depois de lida e approvada a acta da antecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se os
seguintes
JULGAMENTOS
Habeas corpus
Pacientes:
Jose Felippe de Farias. Negou-se a soltura,
unanimemente.
Joaquim Marinho Borges e Manoel Francisco
do Nascimeuto.-Mandou-se ouvir o juiz de di-
reito de Timbadba.
Joao Rodrigues Baracho.-Mandou-se ouvir o
juiz de direito do 5o district criminal.
Lourenqo Jose Correia.-Indefero-se a petico,
unanimemente.
Jose Vieira de Mello.-Mandou-se soltar o pa-
ci nte, unanimemente.
Recurso deleitoral
De Alagoas-Recorrente o juizo, recorrido Jo-
s6 Portella. Relator o Sr. conselheiro Freitas
Henriques. Deu-se provimento contra o voto do
relator para se annular a avaliaco.
Aggravos de petio
Do civel do Recife-Aggravante Herinenegildo
Etuardo do Rego Monteiro, aggravado Justino
Eaminondas d('Assumpinpo Neves. Relator o Sr.
conselheiro Freitas Henriques. Adjuntos os Srs.
desembargadores Toscano Barreto e Buarque Li-
ma.--Negou-se provimento, unanimemente.
De Jaboatao- Aggravante Joaquim Pereira
Borges, aggravado Manoel Martins Lourengo.
Relator o Sr. conselheiro Araujo Jorge. Adjuntos
os Srs. desembargadores Oliveira Maciel e con-
se] heiro Freitas Henriques.-Negou-se provimen-
to ao aggravo, nanimemente.
Do commereio do Recife-Aggravante Manoel
Bodrigues Teixeira, aggravada Angela Maria do
Espirito Santo e Silva. Relator o Sr. desembar-
gador Toscano Barreto. Adjuntos os Srs. des-
ernbargadores Alves Ribeiro e Pires Ferreira.-
Dau-se provimento ao aggravo, unanimemente.
Do civel do Recife-Aggravante Manoel Inno-
cencio Menna da Costa, aggravada Virginia Au-
gusta Percira da Cruz. Relator o Sr. desembar-
gador Alves Ribeiro. Adjuntos os Srs. desem-
bargadores Pires Ferreira e Oliveira Maciel.-
Negou-se provimento ao aggravo, unanimemente.
Appellages crimes
De Timbauba -Appellante o promoter public,
appellado Joao Pedro Mendes. Relator o Sr.
desembargador Buarque Lima.-Confirmo'-.se a
senten unanimemete,.
Ne Olinda- Appellante Pedro Miervaino do
Freitas, appellada a juatica. Relator o Sr. des-
eiabrgador Buarque Lima. Confirmou-se a sen-
tenca, unanimemente.
De Nazareth-Appellante Joao Simgo doe Pra-
zehes, appellada a justica. Relator o Sr. desem-
bargador Buasque Lima.-Coufirmou-se a senten-
: ca, unanimemente.
Da Gloria do GoitA-Appellante Antonio Mar-
qses de Siqueira, appellada a'juatica. Relator
o Sr. desembargador Buarque Lima.-Confirmou-
s8 a sentenca, unanimemente.
De Palo Affonso-Appellante Manoel Francis
c0) do Naseimento, appellada a justica. Relator
o Sr. desembargador Toseamo Barreto. Man-
dm-so o ru o a novo jury, unanimemente.
De Injzeira-Appellatnte o juizo, appellado
Pedro Vieira da SilVa. Relator o Sr. deembar-
gador Toacano Barreto.-Mandou-se o reo & voa
De A de Muias Appeiante o juaiso,
aipjellaiead o elA~rtanisCluteonte. Rilator o


-ia, appeaa a austia. Relator o Sr, geabw
gildor Touas- wo-CfEnB8aafie
sa. u~amjineadft *- 1* '


Do. Sr.4W 89.1
I.^^ijr^tnK : *'!


DoiPiar-App i fmn da Costa Mae-
reahaa, Oppe~do Wil=Um- J. Bushlim.
tw& do "l.odp CaibTinaref 8r
Do Sr. gador Toscano Barot aso Sr.f


Do Recife--Ae el at0 ajunt admiisaW

do Sra -esM 4%i 6ra~r-b d~Stad
seild olihO. Patibjesam.dfbuet
Doe aedo--App.eU aSoPvadeb t e




1) D 1eteife-ADpeibateiJ. J.. Olat r ,ap-
pellados os administradores ca mms--aldl i
o Aiat IOntirec -Gdras.u
-,Sr.,doeembu rad Oli''eira, M&eidw as 8SI.
dsombae-gedotPinet Pearoir sa
Appeflws- -crime-
Do Flores-Appellaate o j uizo, appeldo Pan-
eise- Joea de Siena- Drib.
O Sr. desom oargddrO(kiveir Ma niel-:omo-pro-
euatdor dua corh*aWhoe -dA mpareef n
Appetlaqo civel
DP AuaglTs--Appeltlaste-Jo.'o Fi'saeiso Fer-
reira, diSaitva Brags, upplados' Mnmoel IRodrid-
gues de- imnwa'arbosa a .outr..
Do Sr. denembaigador- Pies Ferraira ao Sr.
desembargadorfIre -ongsives :
Appella9o crime
Do Limoeiro Appellaute o jprmetor, apeltaie
Antonio Gomes doe Santos.
Embargo ivnfriugentes
Do Recife-Emba-rgante D. [gnacia Francisca
dia Coa cei'o Patricia, ombargador Antonio Joe-
Candido de Sotin sa.
DILIGENCIAS.
Recursos crimes
Ao Sr. conselheiro Queiroz Barros:
De Flores-Appllante a juily, appellado JesA
Pereira de Magalhies.
Ao Sr. desembargador Bnarque Lima:
Do Llores -Appellante o juizoe, appellado Joe
Satyro, da Silva.
Encerrou-se a sess go as 2 horas a 20 minutes
da r.


IIDICAOES UTEIS

Medicos
Consultorio medico-clrurgiCo do Or
Pedro de Attahftyde Lobe Moneoso a
rua da Gloria n. 39.
0 doutor Moscowo dA mosubas todoes
dias uteis, das 7 As 10 horas da ma-hA.
Este consultorio offcroce a commodida-
de de poder cada.doente ser ouvido e ex a
minado, serm ser preseaciado per *IAro
De meio dia As 3 horas da tarde setk ow
0r. Moscozo enconftrado no torreao pr-a-
Va do Coramerio, onde fuiceiea".A i-"
pecgao de saude do porto. Para'qu iu
d'estes dons pontos poderto ser dirigidos
es chamnados por carta nas indicadas horas.
Dr, Leonardo de Albuquerque Cavarl.i
cante, medico e laureado da Faeuldade de
Paris, p6de ser procuradoem- seu consxato-
rio a runa do Imperador n. 44, das 11 As
3 horas. Residencia provisoria Alto da
Misericordia-
Adwogado
Dr, Milet. 1 promoter publieo da ca-.
pital tern sen eseriptorio de advocacia, A rua
do Crespo n. 18, onde pode sr procurado
para os miateres de sua profissAo.
0 conselheiro Soares Brand&o, abrio sea
escriptorio na c6rte do Imperio,A rua da
Quitanda n. 37.
Dr. Seabra, mudou seu escriptorio de
advocacia para a rua do Imperador n. 30.
Das 10 horas da manha As 3 horas da
tarde.
Occulfsta
Dr. Barreto Sampaio, consultas de 1 As
4 horas da tarde, na rua do Barao 'da-,
Victoria n. 45, 2:0 andar, residencia, ra c
de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
Bourgard t C.
Recife: ruma do Marquez de Olinda n.
16; Santo Antonio, rua Primeiro de- Mar-
go n. 3; BRa-Vista, ruMa da Imperatris n
54. Grande fabnrica de cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos de Ha-
vana e nacionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos para fumantes. Livros de medici
na dosimetrica e unico deposit da fari-
hha laceea de Nestle, para os meniris de
peito e leit, condensado.
Irogriaa
Francisco Manoel da Silva & C,, depo-
eitarios de todas as especialidades pharma-
scuticas, tintas, drogas, products ehimico
e medicamentos homneopaticos, rua. do Mar-
:quea de Olinda n 23.
N4tea frameesa
Rowinuayrol Fr4res successores de A.
itCaors. Neste estabelecimento encontra-se
todos os medi'amentos homneo pathicos da
grande e offamada casa deo atelan. 0
granules dosimetricos de Burggrawwe. As
espeoialidades pharmaceuticals da Euroda
e da America, dos verdadeiros autores,
drogas, producteschimichos, tintas, oleos
pinceis, vernizes. Products espeoiaew da
flora brasileira e toda qualidade de-fundas.
Recebe sempre vaccina fresca e boa; Rua
da Cruz n. 22,,Recife.
Fabrica de Cer^ Pbientft
Industria aperfeigoada de AntonioAu-
gusto de Lemo& &^O., aa dora 3 J6odo
Bego n. 15 (antiga ruada Florhntiua).!
N'este estabeiteeimneo, mintado a oaprir
cho, ha sempre ui co~etop wrtuineto~ de '

Kiel'ro marcaa 4aeB ad seu fabricoO4

heri ~pwaadis~ir o' 4* eie e

n6s, etc., etc., e ?i fumii:


na con-
'hean.


!~i


do facto por facto, ircwmstancia por circumstancia,
toda essa imaginaria intervenao ,partidaria.
S. S. s6 hoje so descobre, porque suppoz que
passasse sem reparo o seu artigo de **. Foi por
isto e s6 por isto e nio por delicadeza desentimen-
toe pessoaes, que eu nao lhe pedi e nem lihe agra-
deVo.
Deveria limitar-me s6mente ao que flea dito ;
mas 6 precise ainda responder ao Sr. Dr. Ulysses
Vianna. S. S. entendeu de si para si powder reu-
nir aos tropheus- de seu triampho, no proximo plei-
to eleitoral o men. humilde nome; e acredita con a
ingenuidade quea iAe 9 peculiar que Ihe serA possi-
vel mediante falsidades, previamente engendradas
preparar a sua defeza future, no caso dc algum
rev6z politico..- Por isso no escrupulisa na luta
por si mesmo provocada comrno aanonymo para cons-
tituir-se meu dosaffecto rancoroso, iorando-me a
uma justificative, sem que tiveose reaebido de mim
a inenor offense.
Pois bern; precise de eontestal-o, e o tenho feito
sem separar-me diasregras da eortesia, que devem
ser observadam por cavalheiros, cmjas posioes se
acehamn definidas. Assim, prosegairei, affirmando
ainda urama vea ao Sr. Dr. Ulysses. Vinna, que sot
inimigo d& ealumuia e da intriga, que nao sioa
eompativeis.com aminha educacgo. Tenho ouvido,
dizer sem reservas quoe S. S. se declara bastante-
mente protegido e recommendedo pelo governor
em cujas gragas se acha, assim eomo qne S. S. diz
qua pode nomear e demittir a q uem Ihe aprouvo.
Nbo son chefe de partido n'esta comara e a nai-
nha norma de conduct protest contra tal quali-
fictivo, queo -Sr. Dr. UlysseeViaunsa,'por demaa-
siado espirito, me quer dar.
Os meus habitoe se oppoem ao traquejo da poli-
ties activa e tenho perteita negagdo a pratica doa
meios de que so serve ue9fwjgem memtame ate
chomam pars illaquear a boa f do eleitor.
Iseto 6 quest deo temperamento, poarq so con-m
trario ha quemin7pr.aem captar aw sympatbias do
eleitorado, lardoaado privaea us oate o gowerno,
promettendo a i _ialt. patented da gmudwIaa-
eional, a noutrwme tte orit eatapo-
gos lucrativoes, etc., etc.
Nunca fiz aoeerdo politico, macia
tidra, ebmno.o Sr. U-IeYM wteN
declars em se artigo do 1. Be in1b-uio
exito para costeutal o odistinoto Sr; tommt eo-,
ronel Asgro~kT<, dr wqpeite^mb amtia4
estA n e usaoidae&o8t Dr. -aiqwv*
am que confloa- mt at qua sexi^ap sde-i
Air -nGliw 0M mvtrn t5x'-lta reO


AGovs doumene :
lo Jaiuo dedroito d comares do Li moeir, 20
doutabro de 1884-Oeacriva Henninado Nas-
cimeato Lima, eompulaadoos proceoos leiMtora
arphivadwgem ea artorio ertifique de udos
produsa f6, 10 quanata foram os recrsos eltorei
da revisao d*4S- quo obtiwrnm provift'1D o
Egregio | 2. ->do
e1ritre IS


Cartifico ewdg~ke -tri~tMjO M<
tigos n'ella centidos o seguinte :
QUatato 3 10 que, qtuinze sado as recursos eleito-
ida revisdo de 1883 queo no Egregio Tribunal
Iado obtiveram pravimento. Ao 2' que cia
eo slo oe eleitores alistados em outras comareas,
Amn n- n~naam, A -


"95


etj.0 Sr. Dr. Ui
ars contra ao~~~
-ao partidaria nesta comarca.
S. S. me no coaheeae e d'shi a sa a facilidade
*udeclaawa p.a miuhoa -m w
Xat s 4WwI-eSilvair gei,: MiN,
guer-ise aetma da. extgencias dos partiaos e nao
TW pra'iwrB~ritwmatta p~tlW'tcs de 4ttatn
*quei-qtjttsel~a. Cbeatra iasseprotssta a n4.hatotr4
g.4e barn conhecida vida abliwa mA variasee tiM
~d~r slaef sma-trA evfttaLW
eatflkyt.w (r agoTAs. tum propoi*mteuineti
w9 #oaflfI*el. 'ge Mt
A- 'ia tog. r. Dr. Mys, Vlua.a, sk"
*naofeinwaeadae ni. 'gasi au otrvigo do~ 'D.
Dba'esitlanevmud peha alguam.. Os swens
-preedeontos aotrisam-um juiz) eoatrario- e anl
sergo suffoeados pelo deapeito de quam seo txan.
wasitmideitnew mi-A go para fmrir--n- e s&O p5 r
{psto deo farir.
0 men-caweacter 6 uam protesto contra ossa ;nsi-.
nuiuca: en aWo nasi fiexivel e nem me sujeito a
certes evAl t facea que podero ser acettas pto
aiqumn ex-repreentante da naao, quae, cegopelow
brituli deslumbrante due poeicues, nAI t nha opi-,
niao firmada, pondo-sae ao"srvia da t)d)ao3 g.t-
binetes, prestan.io o sea voto a tois o o p3 gr.ntm
mas, embora mais tarde' faa variantes.
Aceitando a provocacgo quae se m, fez e.n a a ai
pablieac.oanonyma, cuja autoria foi toiaada per
S. 8., tetarh o direitio de defender-me e fal-o-hiI
sem renuar uma liraha.
Os documentos, abaixo pubricados, provuma pl.-
ua e eabalmente a falsidado das accasaqes. do Sr.:
Dr. Ulyssas Vianna, quer sobrc a sessgo do jury
em que foi julgad- o capitAo SimpIicio Gjn9alves
dos Santos, quer sobre o numero do recarsoa d:i
revigio eleitoral de 1883.
0 primeiro mostra quo nao foram triota e sim
quinze os recursos qate obtiveram p-ovitnent) no
Superior Tribunal la RtIlacgo, em cajo aumnero es
tao comprehendidos 5, que cram de eleitores j1
alistados em outras con-rcas e nao estA iucaluido
o do empregado da estacao, que ajantou attetildo
do chufr do triafego da estrada de ferro do Limoeai-
ro, qae, coAs mais cinew comnservadores, foi por mim
desatistado.
O segundo nm)stra .pl c)a)jui/ u. it can.,ir-a
tenho scmpre eonvo-i:ilo :t 4:, sesmo d) jury p ira
o mez de dezeinbr.).-C)sea:iiantemenate, 6 jfalso qun
*a tivesse convocado urma sesso especial para jul-
gar o capitao Simplicio.
0 tereeiro mostra que cia mais de urn i sesso
por mim presidida, me foi apresentado para julgar
apeonas um process, devidramente prepared) pelo
respective juiz municipal, e portauto nao procede
a accusao da quena sessbo de dezembro do 1881:
e que s6 hoje o Sr. Dr. Ulysses qualifea de espe-
cial, fobse somente julgadoo capitilo Simplicio.
0 quarto mostra que preparou e apresentou o
process do capitao Simplicio o Dr. Jose Mauricio
de Torres Temporal, eanto jniz municipal, em cu-
ja. casa-se hospedbu em 18S1 o Sr. Dr. Ulysses
Vianuna, particular amigo desse doutot, qgze acon-
panhou S. 8S. em today swa excu8rs8& deitoral.
Este document mostra tambom quo o libello foi
formulado pelo Dr. Pergentino Saraiva de Araujo
Galyh-o, entao promoter public e o sasltentador
da accusaa.
Se esses documentos nao form deAtr idos,ficar-A
o public julganlo do criteria do Dr. Ulysses Vian-
na, que se reveloa do uma leviandade inqualifica-
vel accusaudo-me falsamente e fazendo-me reite-
radas ameavas, como se eu me receiasse de suas
invectivas. 0 Sr. Ulysses Vianna 0 tenaz e re-
caleitra em querer considerar-mejuiz desenfreada-
.mente partidario. S. S. nao deve ignorar, e euja
.d disse, que so tenho de julgar os processes regu-
lar e devidamente poeparados pelo Dr. juiz muni-
CepaL 0 de qu se trata foi preparado e apresen.
tatao par B Jul. particular amigo do Sr. Dr.
Ulysses VTana, quecomo confess, se ofreceu,
por intermedlio de um am io para ser advQgado do
ce-usado. Absolvido o capitol Simplicio podia vo-
tar em quem bemrn quizesse.
Esta accusalao nao me prejudice, na' me pre-
judicaudo tambem a qua se referee a press& par
mim e-ercida sobre o official dea justica Thomaz
Pires Ferreira.
Nada tenlio corn o prepare dos processes, que
core perante o juiz municipal, e o Sr. Dr. Ulysses
Vianna sabe perfeitamente que a versbo, que en-
tao corten, foi que S. S. e amigos seus quizeram
presentear ao refemido official corn uma corta quan.
tia, pars que se nio fizesse a notificacao das tes-
temunhas e fosse adiado o julgamento. Esse ser-
ventuario da justice, embora pobre e onerado- de
familia, teve a necesaria hombridade pars regei-
tar a offerta, f cumprio o sen dover. Nao inter-
venho nas attribuices dos funccionarios da minha
comarca, e appello pars o testemunho dos que ser-
viram commigo e aindai servem e alias que me
contest em.
Mas admittindo memo que seja verdade e nao
uma intriga oalcusdia tedo quanto din contra mim
o Dr. Ulysses Vianna, perguanto : por que nao re-
correu a imprensa p~ia aecusar-me ao tempo em
que deram- se as factos inventados par sua imagina-
cao fertil? S. S. nao o fez, porque tinhasa certesa
de aue eu Ihe sahiria ao encontro, contestan-


soQse d'aOm4a11 ft S &P --
brigar coam o. i Mia
para a provhia sum pni wvipl-i.
Na0 tOeN1 poise trsbulfa de our en n M
aa onkwwiem aprinr..m us WWII&
do 11 0,.m
qs par .m % d8 P6. so"
felt umddi






LbRkde plidk
= t DE Ol'O=Vfto DR 1884
hUm. e Ezm. Sr.-No Diaro 4e hoate, 2Sn,
le-se una publiaeao, na qual se pints o ditric-
to do Arraial em estado de anarchia, dmndo-.e e-
mo causa d'isso ser o subdelegado d'este distrieto,
ha.cerca" de mnamas, 0 Sr. Dadato Qesalv Tar-
res, e endeosa-se o anteseaMMor duto 8r. Pesta.
Protestaudo oontra atqaellUa pliaCo, virmos
declarar a V. Exc. qu .UiMo ou pma de non tri-
es political, pois o district do Arraial nunea go-
zou de tanta pax.
Em todo o lugar dio-"e seinpre faeto. que nio
podemo ser levadoe & conta de agradaveis ; mas
nem se deve dizer que isso import um estado de
anarchia, nein autoridade alguma os p6dc impedir.
Manda ajustia qu" n.oB se negue a predileeVo
que o Sr. Pestana tern pelo lugar de subdelegado
deste district; ngo se digs, pore6ma, que o Sr. Deo-
dato Torres abandoaa o sea lugar, como subdele-
gado ; ha portanto muita exageracio n'aquella pu-
licaeo; nuo se guic V. ERc. par ella.
E quaado se faz aeus;icio desta ordein, aI-
mgna-.se o nome ou oas nomes, porque o direito qwe
tern qualquer desgostoso de acobartar,-c aM a
assignatura-Os rioradores do Arrnaial-para di-
xer que o Arraiai esta em anarchia, tern q'ialquer
outro pars lausr nmW) da fesamt assigmatura e di-
zer que-o Arraial esti em paz.
Nao acredite V. Exe. em takes calumnias, qite s,;'
podem vir em prejuizo de nossas vidas, nossos di-
reitos e nossas propriedades, poi s auim o affirmai
Os inoradores do Arrain,,.
Recife, 24 do outubro de 1884.-L
IllM1. Sr.
Candidate a deputado por ease uindeciri, dim-
tricto, eu peco a V. S. o muito particular favor
de honrar-me coin o seu voto, e dos ses numero-
sos amigos.
Si eu fizer parte do parlamento, sustentarei to-
do o project do sabio estadieta Exmin. Sr. senador
Manoel Pinto de Souza Dantas, digni preideabec
do cons iho de ininistios.
Enteudo que todo pretendeniitc a represcntante
da na~ao, em a eleieao do 1u de dezembr. deve
apresentar o seu progranina relativameute ao
elemento servil, (ii agitado no imnperio depois do sempre nncmoravid
7 de de setembio.
Diaponha de quem 6 coa a iamior consider<&.i
e ooima, de V. S. amigo e criado oaeigadisim,
Jow Maria Ramas Gar*-.

ereuria4a.


Aq A -3 q nuo, nao werodes Qwrte a se
iadWdooa de MImoel Faustihao i Ie1l Am.-
emprpado que Jnitou attestado do chete da
tr. go da estrads de ferro, o qual foi desaUtad
ptQ Dr. jiz de diraito da cmamrca Joi6 Antonio,'
'Corroi'a da Silat, em graO de recurso. Ao 4" qua
0oat: cate fibram soles eleitores coaservadores dt-
salistadobvpelo meamo eDc.juia de duroibio emgrAo
de recueso.
Limoeiro", 20 d& outubro de 1884-Era f da vinr-
dade.-Hermino Ddfiho do Nascimento Lima."
2.o Juizode dkireito da comarca do Limoeiro,20
de outubro de t884.-0 escrivao Nascimento Li-
ma, teado A vista o livmo que serve para o sottoio
do3 juradoa certifique para que ma tom sido poe
wna convocad- a quart, sesso do jtw desde que
nests comarea exergo o meu cargo.
Cmmpra.-Correica da Silva.
Certifico por forga.da portaria supria .qe todas
as quartaos seawsea do jury deute term, tern sido
.empre conwoeadas plo Dr.juiz de dirsito Jos AnA-
.tIonio Corres da Sva para os mezws de dezembro de
cida anno, e isto desde que aqait exeree o set cargo.
Limoeiro, 20 de oaitubro de 1881.
Em f6.da verdade.-Hernsioa Dslfao do Nasci-
mentd Lima.
3. Juizo de direito da comarca do Limoeiro, 20
de outuhro de 1884. -0 eacrivio Nascirwmento Li-
A,.eea vista do livrea das actas das seissas d)
Jyry d'ewte terwo, aertLiftpze de miodo que faga f,
omr quotas aossies por mis presididas foi samea-
te julgado am procesanoe devido e regamraente pre-
paxada.
Cumpra.-Correia da Silva.
Certifici por forqa dca portaria suprat qo, em
vistai.do-livro dai aotas, costa q(ie na 4a sessao
do jury deste ter.no convocada pars o dia 6 de
dezembrode 1881 foi someate julgaao urn proces-
sa), imico prepaxado e apresentad) polo Dr. juis
municipal, Quae na 4a sesAo do jury couvocada
para a dia 14 de dezoabro do 1882 foi julgado
tamabem tuin processo unis, preparaiao e apreesn-
t Ldo. 0 que doafO.
Cidade do Limoeiro, 20 do outubro de 1884.
Ema f de verdala.-Hermniw Dedfiao do NwVsci-
mento Lima.
4.0 Juizo de direito da comarca d Liaoiro,
21 do outabro de 1884. 0 esorivio Nascimento
Lista examiotado os processor do sea cartorio,
certifique.por queiu foi prepoaxado e apresaeutado o
proeesso crime contra Simplicio Goacalves dos
Santos per mim julgado na sessaAo do mnez do de-
eembro de 1881, certiticando tamabem quemn foi o
promoter public que forsmulou o respoetivo libel
lo e sstentou a accusagao.
-. Cumpra.-Correia da Sdva.
Certifico om virtue da portaria supra queoe-
veado o proceaso crime iastaurado oontra Simpli-
Scio Gonalves do Saiutos, costa, que fora prepa-
Srado e ap-'esemtado para ser julgadS pelo Dr. jauiz
municipal de eat&afJos Maaricio To rre Temporal
ssand o libeilo aprewntado pedo enitao promnotor
pablico Dr. Pergentino Saraiva de Aranjo. Galvdo
que susteatou a accusaado no jury, o que don f6.
Liwoeiro, 21 de outabro de 1884. Em f6 de ver-
dade. -Hermino Ddlfino do Nasimento Lima.
Cidad.e do Limoeiro, 21 da outubro de 1884.
Josd Aatonio orreia da Silva.

A Companhla Lasaronui l Massa
niecll, ariani
XIV
Audaces fortune jauat.


Total 88
Durante o mesmo periodo paga
em 1883:
Em janeoiro por 56 sinits
v tweveiro v 55 a
A margo 75
Iabdil 4A
a nmo 65
Sjunho 64

ta -


5 ,Ut1


oae li que ptueaise* e0 p z 0 -M s-M .
'ioefswos recureose usnami ;quetdo tiq wuat* je~ia ano*, ar*md"s


-0
I&W Gnaw S-


.L


M


.J


Jose Loi6 da perna secca,
Traficante scm igual,
Valeu-se de umn certo nome...
Mentindo-causou-nos inal.
Entendeu, -serm saber na la
De Direito um curso abrir,
P'ra poder dos Estudantes
Grandes lucros auferir.
Menmtio mentio ate mesro
Espalhou ser nomeado
Examinador do primeiro
Para ner mais proeurado
Uma vez disse-me elle -
Sem pejo, que desenhava,
Mas cori franqueza nao disse
Que d'esta vez mc enganava
0 que merece esse typo,-
Essa Besta sem rival ?
PNa bem grossa eneebada
Em nome do nosso mal ;
Quizera botar-lhe o treio,
Largar-me p'ra inmeu sertio
Montado n'esta Bestinha
P'ra tirar bern producioo ;-
Que boa Besta Fainos '....
De baixo a mcio estradeira
Quando anda puxa umn quarto)
E vai today feitieeira.
Nada sabe e tudo invent
A favor da latronagem ;
Sempre aos diseipulos dizend) :
f DOsMKS ? EU VSLLO SEDUCTO IMA.EM
Roberto do Diao.


THE EOQUITABLE

(A EQUITATIVA)


Sociedede de seguros de vida,

dos Eslados.1nidos

Eseriptorlo central, em NEova-
York, Broadway a. i**
Eseriptorio filial, em Ladres.
Cheapslde n. St
Escrlptorlo filial, em Paris,
Avenue de l'Opere m. 31
Eserlptorlo f11al, em Hamburg*
Neueberg a. i
Eseriptorio fllial, em MADRID.
Carmen. M
e em tdas as prielpaes
eapitaes da Europa da Ame-
rica Septentrional e lerlomal


PLANO PURAIINTH IJTIO
Durante o semestre decorrido de 1 de janeiro at
30 de junho prosimo passado, pagou esta compa-
nhia por 388 simnstros (mortes) a importancia to-
tal de 1,827,217 dollars oaur o dos Estadoes-Unidos,
ou em moeda brasileira cerc& de 4,600:0006, sean-
do:
Em janeiro por 60 sinistroa 268,925
fevereiro por 50 A 209,615
marno por 75 25,186
abril por 84 396,261
maio por 61 j* 409,580
junho por 58 a 3 200,65
Ministros U & m porItamen a
Tocarmo A Inglaterrm 6de A 19,125
A 1Escossia 5 i 10,000
A rlanda 2 a 22,500
ao Canada 8 ,3,,000)
AsIndias Occid. 10 5 87,000
& F-rana 2 $ 12,0o0
a aAllemanha 2. 5 5,6w
SAHeaspanha 6 5 30,000
a Suisaa 1 5 7,000
ao Chile 3 5 17,000
ao Mexico 6. 28,00
sos Estadoa-Unid. 337 158,913


0 artigo hoje (22) publicado n'este Diario, sob
o titulo a Trimdade abolicionista, e uina tatica, uma
intriga lazaroni; nao para compronetter alguem,
mas para amparar seu patrilo.
0 ataque de um esclavocrata que oustenta a lei
de 28 de setembro pura e simils, nao offended
n'esta cidade os candidates a querm ella aggride ;
ao contrario os ampara. E' por isso que o fiagido
-Lavrador que assignaa total artigoa- Triulade-
attaca Nabuco e Jose Mariamnno e Gomes de Mat-
tos como abolicionistas. E' para se faier odiado
elle proprio labrador e amados as victims de seus
ataques.
Nao 6 pelo Sr. Nabuco que nao preeisa d'esta
ta.tica, ,'esasa mana lazaroui; elle quo, exaltado
pelos proprios que combatem a sua canadidatura,
que nao tam os horriveis peccados politicos do
Massaniello Mariani, que nunca fez tanto nem al-
guma mal a sua terra. Essa manha do lazaroni
agricultor 0 pelo eeu patrao, o unico abolicionista
intransigente,- de forrarx todos o negros em umr
so dia e de graca,- em todo o BrasiL
ErrAra Maasaniello pensando star a maior for-
ca nos lazaronis, sern lembrar-so que n'essa mul-
tidao poucos sao os eleitores ; mas. agora ja 0
tarde para admittir a indemnisaqbo contra a qual
soe- tern, sempre levantado.
Ataquemos, pois, pensou a manha lazaroni,
accusemoN Massaniello de agos dadas com Nabuco
e Gomes, de Mattes como abolicionistas fingin-
do-se o accusador eselavocrata, que o odio que
cahir sobre o anonynao revertera em sympathia aos
accusados.
Ma- Nabuco nao carece d'esta tatica : embora
o seu antigo project seja quasi de um abolicionis-
mo intranisigente, elle tern hoje suas idWas modifi-
cadas, comao todos os abolicionistas rasoaveis.
Esta tatica lazaroni de aproveitar o Sr. Nabuco
veta de mais long. Foi um achado- que explorou
Massaniello a sua vinda. Pobre Sr. Nabuco,
todbimnpo, pela mao de Massariella tao culpado
e accusado de mil culpas por este amundo todo do
Recife.
Nao 6 um passe theatral ? Ate para isto nao dA
t1lo bem o nosso extrenuo patriot? V r o aplombe,
o serio coin qu a elle apresenta o Sr. Nabuc o a esta
grande public, sentindo dentro dalma o papel
qpe estA fazendo!
Nao se v6 coma o escarneo do sentimento de uns
assoma sos labios, e outros at- de pena se enver-
gonham?
E por firm de contas 0 Massanielo que apresenta
o Sr. Nabuco, ou ao contrario seaa o primeiro que
A custa d'este quer ganhari?
Ainda 0 de manhosa tatica oa jogo do lavrador
corn o Sr. Gomies de Mattos, pois este se por ven-
tura jA foi exaltado ou intransigente abolicionista,
que jA nao acompanha Massaniello provou corn a
sua megio e seas discursos o congress abolicio-
nista. Foi essa mo*a opposta a outra ainda da
manha lazaroni em favor do seu patrao.
Cuidado pois corn as manhas lazaronis, e quem
for Ihe descobrindo as tricas va dizendo. Ease
tal lavrador 6 por certo un lazaroni se fingindo
eselavocrata, para, acaesando juntamente Nab=co,
e Mariani, nivellal.os, subindo assim um tio abaixo
a custa do outro.
E emfim la vai elle A conferencia!... JA disse
que s6o fundava a sua oandidatura no seu abolicio-
nismo I... Ora, este 6 o de forrar s negros
'todos em um s6 din e de graca. S6 encontra pois
apoi nos lazaronis, entree os quaes sac poacoe os
eleitores, embors tantos ephosphoros. Sao bastan-
te, por6m. pars berrtria, batter palmas a mil por
um e faaer ro._-
Qu ir& porem diner Massaniello ?
BuusteaWra aolidnismo intransigent, ou eon-
verter-soe na supreme hora da prOm6vaa?
Pita ocAhrisMt nuacao aQr"p-PoduMenta do pee-
Qedo At rdi. V M" V.aaleilojqueleipro-
fesia ? "A lei de Clhistoou a deJdi m.?
Ja se converteun corn vigario? Niste aentido
qe oars cat oa cacatistas,


I


I






























Qeltavesi1 of v.-Ithnene + OB(ioi-J .i,
ribeeo Jlag-p,,odo-e p& pw a wr b *ttoloto 4$-
timeats, puque urm ecate do leife, w it a+
falta que havia em tal arrabalde, moston a ew-. '
ro num hotel, onde a qualquorh'waurOb si eo
temwdt abemw o c sgmfo, uen- pat
naappreaa oeeailo.
fS4it, e tub e 4 'd
&erjfis 'ifrwra Prutu. ',
0 abAuom tOW4k it nao A a Mtter
quo Src -Dr. dfe de
polcia--sel a no ia&o dePerAwbmco do 23 do
corrente, nem*pram pablc awiw mmorreu por
torma algutm.
Recife, 14 denturq de WS.
Joaquim nMaxiniano Pestana.


10o4. Jnu Mu s Im
INI og g,'Cm

Constando-mo que este Sr. procusa ma-
reiar.&-minba.roputagAo, espallando inver-
dades a respei0 1to, -Jewfiioo dado nesta
cidade pela socftade Melpomeone Olinden-
se, emdfavor -de. D. Mkrta Souto*[aior,
provoco-o, para rounidas, preatarm-.sscn-
tas,,tei meswo amjuaiso.
Diz o-Sr. 6os 'MVarques, Recmtbole mo-
de*o%, quiaxisto ecrm -Meu poder groie
quaumiaiy r ltauto deste beneficio, dado
somente em favor de asuabolsa ; pois bem,
o melhor meio, polo qual nos -poderemos
justificar, .o ude a*iqe "maabode dlan9ar
mao. DosdejApreimno-o de que, so nio
aceitar, repito, serA tido como um infame
calumniador. Felizmente ee o Sr. Jose
Marques sowes- hm eonhaeidos nesta ci-
dade !...
Oliadi, 20 de outubro.-deo684.
Jog& Pikto da Costxa iwjto-Maior.


ConTeia )n M i bTiea
Incumbid da- vonfereaia que, puB ia.-
ciativa da commisslo central emancipado-
ra do municipio do Recife, 'deve roalisar-
se no primeiro domingo, no theatre Santa
Isabel, consagro-a especiahlmente ao eleito-
Srado do 2" district, ao qual tenho dmo pedir
a renovagao do mandate ecan que fui hon-
rado na legislature finada.
Nessa conferencia proponho-me a des-
envolver os seguintes pontos :
Porque sou abolicionista;
Como sou abolicionista;
Qual o modo por que desempneuhei o
meu mandato ;.
A quem cabe i responsabilidade das
tristissimas difficuldades em que se debate
esta provincial;
0 que me compete a fazer se merecer a
renovagAo do meu mandate.
Convido, portanto, todos os cidadlos
que se interessam pelos publicos negocios,
e espeoialmente osSrs. eleitores do dis-
tricto, sem distincco de opini~os politieau,
a comparecerem aquella conferencia.
Quero ser julgado sam bonevolencia, e
sim corn aeiemridade ejustiga.
De outro mode nao appellaria pars aquel-
les que estio constituidos em meus juizes.
Recife, 2.4 de outubro de 1884.
Jose Marianne.


Chapa n.
Consta que certo viscoade
Feito agora em Portugal,
Passando per mnito rico
Vai vivendo muito mal;
Se continue cahrldo
Brevemente farA ponto
Pois na COrte sus letras.
Nao acham facil desconto.


Ao public

Declare que de hoje

em diante, em vez de

assignar-me ((Gaspar

de Menezes Vascon-

Sfl~llK~gl0

Prapado *RoeiLe,34 deootu-
bro de 18-94
As tros horas da tarde
Cotaoe. offidae
Algodao de MacAo -la sorte, 8.4200 por 15 kilos,
honteam.
Dito de dito median, 7,200 por 15 kilos, houtem.
Dito de dito 2a srte, 6*200 por 15 kilos, hontem.
Couros salgados ieceoo, do .io Grande do Norte,
620 rs. o kilo, hontem.
Cambio sore o agioode Janeiro, ,I d/v. com:rn 1/2
0/0 de desconto, hontem.
Ditosobre dito, 60 div. da data cem I 010 dedos.
vontookontem.
Dito sobre dito, 90 d/v. da data corn 11/2 0/0 de,
.doseuto, hontem. I+
Cambio sobre Londres, 90 dIv. 19'3/4 d. por 1 ,
do banco, boatem.
A. hL de Amr'im Jumipr,
Pelo president,
M .J+daLAM;ta,
Polo secretario.
E a+'q + ++.TOBI^QS
Me doe outabro dE ,1884
A-IAMWR -y la 23 661:
Idem de 24 84:814A*


,uiin p --p o _m u- mmumuq+igti-mi
e+ frimnado alas,. rio IMtsao a .bSndsira de
Jiwa xo^ .pad>Qu.qsi 4i~opri
cisie. pi.rcetdoo + .t~ Mr. ola +.
r a ?&W r Twy ;
soin da omx1cnlete .m^ docGo.po ^*
lioiai, e depois wiA nteasda, stibind n-
-a& occasiAo grandet umero deo. gira 14a
die foguetes. ,
Sabbado 25
Ao meio dia, uma sahr reatdm-I!w
c- iiamauin~s girandolas itt auN.:
rio ao ar, aaunimandoa,-wuspura aam "
nes do glorioso -dia wmque-hade ser-es-
tojada corn a maxima pompa a Vemeranda
Senhora do Taw^O, ocano .nsesa siia.
a briosa music. do corpa d.Po.iJ aa
mais bonitas p- tB do, u-sto repertorio,
havendo L ,a agiOrno sobre
arcadas -ei bdad6,*, r, iM I winM o nt*-
nas de bales 'veneoiaos que-aes o-de um
effeito dedumbraite.,
'Domiw~ 26
A's 4 l2-hwAs _d ad a eele5 -
brarA o santo sacrieio da rissa, em Iouvwe
dos devotos que tio generosamente con-
correrarm corn esmolas pa 0,bIrilhautismo
"da festa, -tocwndo ,oeta camai&o a bem
acreditada banda do Corpo de Policia,; e
ao romper da auora, unma salva real acom-
panhada de muitas girandolas do toguctes
subirlo ao ar, anuncmmdiauo aos habitantes
desta cidade que 6 chegado o dia glorioao
em quo a igreja -elebra.eorabde o oxplen-
dor, uma das suas mais sumptuosas festivi-
dados do Santissimno Tergo da Virgein
Maria.
Festa
Pelas 11 horas do memo dia 26 prinur
cipiara corn toda a magaificencia a festa,
sends a missa denomina &anta Cruz, re-
gida pelo habil professor Porciuncula, can-
tando o solo denominado Guissedes, o dis-
tincto baritone da companhia lyrica ita-
liana, o Sr. Joseph Dominici que ganero-
samente so presta a iaso, a pedido da ir-
,mandade, orando no evangelho o Revd.
'conego Antonio Eustaquio Alves da Silva.
Tanto no solo, como no fim da festa, subi-
rao ao ar centenas de foguetes encommein-
dados a capricho para aquella occasiao.
A' tarde
Das 4 horas m diante, trees bandas
marciaes em seus respectivos coretos, to-
carlo a capricho-as mais lindas peas de
seus reportorios, e nos intervallos subirto
ao ar lindissiamos halJes, entire os quaes,
alguns do novo modelo, offerecidos por
um dos nossos irmlos.
A's 5 horas serA arriado o estandarte
da Exeelsa Padroeira, e conduzido por
meninas pars a nossa igreja.
Te Deum
A's 7 horas ontrari corn o maior brilhan-
tismo este actor, denominado CoraQso de
Maria, occupando a tribune sagrada o
Revdm. Sr. padre Manoel Moreira da
Gama.
Fogo de artificio
Findo o Te-Deum, queimar-se-ha umlindo
e variado fogo de artificio, caprichosamente
preparalo polo eximio artist Jolo Hypo-
lito, constando de novas peas, nunca vis-
tas.
Igreja,
0 nosso temrdo achar se-ha ricamento de-
corado sob a direccao do artist Bartholo-
meu, para o que empregamos todos os es-
&or9s.
llumina9~o
Alem da mesma illuminateo da vespe-
rs, baverA mais arcos corn bicos a gaz e
quatro f6cos de luz electric pars maior
realce.
Pedido
Roga-se aos dignos moradores do pateo
do Ter~o quo illuminom a frente de suas
eazas, corn bales venezianos que Ihes se
rile destribuidos pelo nosso irmao thesou-
reiro, pelo que a irmandade se confessa
summiamente grata.
Consistorio da irmandade de Nossa -Se-


nhora ddTero, 23-de outubro do 1864.
0 aecretario,
Omkala Cartella.

Vapor national S. Francisco, entrado dos po?-
to do ,orte, no-dia -24do c atee ei_*nwigua-do
atimpfmIia Pemaambema d vos vepao Coo-
teira por TVanoraaikeatou :W
_lgo l saccas a ordem, 426 a RodrJgues
Lima & C., 399 a H. Nueselh& C., 203 a Affonso
Tsborda.

-MSPACHOS DE EXPORTAVADO
Em 23 le outubro de 1884
Nlo biga is hse aima .Astin, earregou :
*Pr eWi-Yagk, M..J< daRrta 250 jsacoos
-or 7S6 kiiod~Heauneari _&aecaMvdo.
-ibrigue ines JMaid of Gkoewe, earuw-
gou
;RAo Camal, F. .asdo f ilbo 42.saeoos corn
tle assausmSsmudo.
--S. a4iflmmnmmrqn +a-. J. JJ., ,s, carre.


anqrar a c + u.R.iu4tr let
rante em a pole tefl.. o4flaaok
qpe se tev em vista oomjieuitadjet 28Ae *Bea
Nestes condo, .p.e p tf t i-'
nala candidatur2 o ej^t'totatti~t
It franca hostitIad ao mnt a quO ,r-
II, terei todo o cAid4.A m'i defema dom uIaH
de nossa provinOU, e partieularnMida *.
%Istricto, ao quaid meqpwendem. iufpiibraite
veis la9os de .
SSou ccm a mais dietineta estima e elevia0a 0o6
IsIderaiao de V,4^, am'a tj,,4aW i "0. exis&to aWn"
.Recife, 15 deuaatabro das44.
MifgaseJof.! e AhmiaPeruo.~Iao.


Smj~stitaotsmt wte
Funciona todos. os dias ,dtisie a 12-horam.
Dr. ArrkTW o.



A nova compahia.que os jonumes apresentaram
eomo seria e que-viaha h xpiorar o negoci de
earnes verdes a benefico da populaao eata j no
eoneco moatrando mtlttos arfferentes abatendo
apenas dez rezes diarias e expondo a'veida .ear-
nes polo mesmo pre~o 'dos makhaites.
No entretanto .sabemos qune estlo-m e eoutros
ganhando mais devento o sessnta reis em kilo de
came.
SPor amor deoDens sojam ao menos eeaoerentes-
em os seus anuuncios, e nao queiram iltidira po-
pulaeao.
Um wn 8umidor.

Aos digs" eldwa .e dsb-
trieto
Sem quo falte is conveniences partida-
rias, especialmnte emium&nuadza emque,
pela indolo do systems eo&itawal.adoptado,
o corpe eleitoral ou antes cad eleitor-dove
assumir urma importancia salieuto diante
dos centros de deliberagio politica,-,n--
quecidos centre n6s, oelemde tudo, porpfaIa
de homogeneidade de principios, e de-sin-
ceridade do vistas patrioticas, venho an-
nunciar ao distincto corpo eleitoral 4o 3.-
districto d'esta provincia que aspironae-i-
cao proxima do 1.- de dezembro a houra
de represontal-o na camera quatriennal.
Nao sou um homnem novo aem desco-
nhecido na politics: portanto, limito-me a
declarar que o meu passado servirA deonor-
ma ao meu future.
A consciencia do que tenhoaido at hqje,
o a coaflanga inabalavel na independeoncia
e no patriotismo do corpo eleitoral do 3.-
districto, eis o fomento A miuha aspirato
present.
Tondo-se teito constantemente daipoliti-
ca, na esphera elevada do nossomundo of
fial, um campo de explorajOes em provei-
o de individuos quo nAo da causa pubiea,
toespirito national acha-se abatido e a au-
tonomia das provincias, em sua general.
dade, aniquilada.
Pemambuco, esse centro d'onde sempre
emanAram todas as concope8es grandes e
todos os commettimentos generosos, tern
servido de presa a ambigces acanhadas de
homes de propor5es liliputiaaas, e arras-
tado o seu desprestigio at6 o-ponto avil-
tante de constituir-se o prolongamento das
provincias menos importantes do imperio,
conform as influencias predomimants- nas
organisacoes ministeriaes,- os presidentes
que se ihe tern dado.
Politicos que afagam e apoiam todos os
ministerios em troca de miseraveis vanta-
gons pessoaes tern vendido poresse vilpro-
9o o direito do primogenitmra -doe hora e
dignidade d'esta provincia.
Prej udicada em sousa aais vaosinterss-
ses, ultrajada-em seus f6roe esearnoeida
em seus brios, ella tern necessidade inde-
clinavel de levantar-so gigante, altiva, for-
midavel diante da turba multa que ua
present quadra eleitoral pretende corve-
jar em sunas entranhas, e de enxotal-a das
urnas, se nao como fez o Christo aos que
meroadejavao no temple, ao menos corn a


attitude serena -e austera do juiz que nao
transige corn o seu dover.
E' a occasiao do se separar os homenus
sinceros, dosinteressados o dedicados Aiv -
sa publics dos quo- vivem de expedieat.s
interesseiros, atropellando e pisavio todos
...-MOVI[ENTO DO PORTO -
Navioms entradosno dia.24
M -mu6-2 dias, vapor nacionalS. A;-Foaco, de
382 toneladas, commdandate Joaquis da Silva
Pereira, equipagem 30, cargaalgdo; a Con-
panhia Pernambuasa.
Fernando de Noronha-5( mras, vapor nacioaal
Giquid de 22&tueladxo, aommaudante ,lu-
reuao ,.J. de Soam'Lobo, equipagem 30, em las-
tro; a Companbia*Xnfmmbuaoaa.
New-Castle-49 dias, bare ingleza 'raigopv.de"
338 toneladas, capito S. Geikie, equipagoem
11, earga carvto; a Browns & C.
New-York--46d ias, l 0mrie jmuJ.
de 386 toneladas, capitae ., D. G. Faulkue<
equipagem 10, carga varioa geiwros; a Foae-
ca Irmlos & C.
&Sa"i o 1noxaemwia
New-York -Ligar inglez Bacer, capitio John
&orhmd#-caiga.msMinr.
Ol~4ervaago
Supendeundo L io para Parahyba o Ifigar
norueguense &ibt smapitao 0. Fruglestade, em
IaWtro.


4AUi^*id now I oiB^^^f**|^l~p^'CB




,desta proviucia, biaan t a bracos crn
utna divida qua todos xa dia VOW,' e 0
mpossibiidapede dprover A segurana
.-a e ao soga" F.
4 0 soldado co fucuwario prauur,
jA do si, per via de regra, maLJrrinbuidos,
a.ham so na oAtig ia dad-
r os seus lugares oa.de morrer afome.
SEmfim, urnsma perturba*.e um dequi-
librio em todaaaa r ,da& vida .coom-
uMica-social enfermam .pitoe ,tato
nIamando dwnepolti*Bd ida promp-
tIs eobem combiad. I aqueaut.flem o
futuro medonho que se o iau .
Corn relagOo., qa, dlo i n2emen-
to traz a -itado o espirito public, a do ele-
eaento servil, devo dizer que amando a
liberdade no ,antido mais ample da pala-
vra, e tendo n'esta conformidade pamado
carta de liberdade em 18,0, a titalo gra-
taito, sos escravos qua entio me couberam
'em partilha dos bens de meus finado ,paes,
ier-me-A urnm. di-de.oxtEmo onto
aquelle em que so annuncinr a todos es
ventos da publicidado a extinccao da es-
cravidlo entree nu, Isto, porem, nao quer
dizer que pretira interesses que, si nio slo
sagrados, nao deiXoe :todavia ,de -ser res-
peitaveis diante da sociedade em que vive-
mos, e dos embaragos que. aseoberbho a
fortune public e prtieular.
A lei de 28 deseterebr do 1871 ;eonfir-
mando a aspiragIlo -nacional preexistente
da extinccglo da escravidAo foi o marco mi-
nario de uma.-6pocha de regeneragio mo-
ral no Paiz; e, porque na evoluglo das
cousas humanas as ideiss generosas, por
urma lei providencial, tender a engrande
cer-se e a substituir-se As velhas ideas,
clare que, depois de um period de 13
annos, que tanto decorreu da data d aquel-
la lei atW hoje, a sociedade nao p6de icar
estacionaria em material do atan magni-
tude.
Augmentar portanto, e augmeitar con-
saideravelmente o fundo de nemancipaglo
por mcio de novas taxas que recaiam so-
bre toda a populacgo, visto que today ella.
direct ou indirectamente, aufere as vanta-
gens resultantes do trabalho escravo; tor-
nar effective, -por meio de disposig5es re-
pressivas, a garantia da propriedade es-
crava, jA tao depreciada,; nto esquecendo
o estado de definhamento do nossaagricul-
tura, unica fonto de renda que tomenos, fa-
zor quo a iudemnnisaAto do proprietario
scja tina verda rusultado de uina chicana, e cn outros, o
do um favor, improprios da magestade dos
tribunaes que P. decretlo; providenciar em
ordem a que a emigra9glo se faga em larga
escala para o Paiz, e nao seja objecto de
reprovada especula9go mercantil; aprovei-
tar os bragos livres matando o parasitismo
bureaucratico e civil, afim de quecada ci-
dadlo seja urma alavanca de engrandeci-
mento national, e nao urea fonte:perenne
de perturbacgo da ordem publics e de es-
coo indevido dos recursos publicos e par-
ticulares; Sao medidas que, a meu ver,
nIo podem ser procrastinadas em urna si-
tuacgo, onde, par um lade, a humanidade
protest em defesa do seus direitos concul
cadas e par outro, a sociedade estrebuxa
A mingoa dos meies os mais elements res
de vitalidade.
Feita a synthese do meu mode de ver a
actualidade, aguardo confiadamente o vere-
dictum do corpo eleitor 1.
Recife, 22 doeoutubro de 1884.
Silvzno Cavalcante de Albuquerque.


Ao digno eleilorado do 9."
district
Convencido de ter, quanto me foi pos-
sivel, cumprido o mandate corn qua fui
distinguido em 1881 pelo digno eleitorado
do 9.o district, venho solicitar a renovatlo
dosse mandate, como approvagoo de meu
procedimento.
0 pleito eleitoral, que so approxima, vai
ter lugar em condigces mimto graves oe, ex-
cepcionaes, uma vez que trata-se de apu
rar qual a opimfo do paiz em relaoo ,A
questdo do lemento servil, que, collocada
pelo governor no terreno da confianca, dei
em resultadao a disaluao da Canarm.
Negando, como. fiz, meu voto-a so. gover-
no, repelliudo as id6as contidas no projeto
que elle adoptou, por o ffauemo direito
de propriodade garantido pela Contituigo
do Imperio em todsa ma plenitude, julgo
ter dofendido os mais importantes interes-
ses do paiz, e correspondido assimr. acon-
anca em mimr dpositada.
SNio quoro, e cfeio mesmo que ninguam
quererA, que so perpetue a escravidlo no
Brasil, havendo apenas divergenciaas quan-
to ao mode d a.j weilpeamateo nosso
-direito .eonsatitaido, e amoos qae dvam -ser.
ampregados parsa su, cmpleta satine1
Debaixo deste ponto de Vista+eu quo
a aboligio i."Rat&i aua. : speto As 448s
que-garantem a propsiedae, eautes d6
ser organisado otabXtMho livre, come eon.
"'m, importa ,juv gftepmxfuudo .aa%1-
v*oaEa,a fonte prita1 ns riq a
SAntes, poisedoagq ra.aso
cias raias da de1 28 de set=6bro 4*
1871, cumpria o -govaerno s tieitsr .'
Earlmaenoto . s, e deveriam sobretudo viavi*

S-.a~em, porqlp++a+ l=ei8 q,
possuimos, Q^ m~itiifa~iijp ^tt~ft
Na questdo bo 4?eento ser#ifc -
<9 lR uo &- A


Convida-se os eonsenhores desta pro-
priedade e reunirem-se no ultimo domingo
26 do corrente mez, ao. rmeio dia, no cofi-
isatorio da igreja, pars a-trataremde sads
interessos gravemente compromettidos.
Apipucos, 15 de outubro de 1884.
!ivms comewtores.
Carte de f-de iatl r a -atn
ifagewtade wam-nperadr
Sobre. o e.ento aervil com uam prologo
so leitor e um P. S. ao paiz
Esta obra, que interessa aos agriculto-
res peloaeu assumapto, dove fer lida por
todos os homes politicos porque, ipar das
apreciaqoes historical do segundo reinado,
desenvolve um piano geral de reform da
Constituigta.
Reesbe-se assignaturas a 25000 o exem-
plar em casa de Arthur& Deziderio rua
do CabugA n. 3.

-Him. Sr.-Apresentando-me caadidato polo P
district desta capital, nas proximas eleiV5es para
deputados geraes, dirijo-me a V. S. para soicita
o seu. apoio em favor da minha candidatura.
:N'o precise fazer profisaiode f6 political; V. S.,
como liberal c tendo lutado nas inmesmas fileinas
em que eu ha mais de vinte annos milito, deve
conhecer o pessoal do partido liberal e os services
de seus correligirnarios, para fazer-lhes devida
justiga.
Carnio, por6w, em face da melindroisdsina si-
tuacflo que atravessa o paiz, dizer corn today a
franqueza, a cads um dos Srs. eleitores, o meu
mode de ver acerca das questZes mais memento-
sas a que, per certo, serA chamada a resolver a fu-
tura Camara dos Deputados.
Em primeiro lugar figura a magna questAo do
element servil, cujo problema entendo deve ser
resolvido de maneira a nao trazer o aniquilamoen-
to das forcas vivas do paiz, a braos corm embara-
eos de tal ordem, que aos espiritos mcenos perspi-
cazes nao escapam, per certo, as conseq-xuencias
desastrosas de que estamos ameaados.
*Prtilhando a opinigo dos que desejam a ex-
tincilo do cancro qne corroe as entrauhas deste
paiz, opiniao da maioria da naiao, tenho concerri-
do e continuarei a coneorrer, envidando esformcs
para a sua aboligio e conseguintemente para a
regeneragio dest- joven imperio, sem apartar-me,
entretanto, de um dos principios reguladores das
sociedades bern organisadas; o respect o ao direito
de propriedade de todo cidadao. sob qualqucr for-
ma que esse direito se manifesto.
Apoiarei neste terreno todo governor que, seria-
mente empenhado na 8olueao deste important
problems, apresentar medidas que na pratica dem
os resultados desejados, sem abalo para o paiz.
Propugnarei polos interesses da lavoura e do
commercio, principals alavancas e sustentaculos
do edificio social; cencorrendo corn a minha pala-
vra e coin o meu votopara tudo que possa trazer-
lhe o mais pequeno infuxo de prosperidade.
Nio serei indifferent ao triste estado a que
acham-se reduzidas eatre n6s as artes, que forca
confessar, nao teem side .ottendidas em suas
justas aspiraoes, sendo esse abandon a causa
efficient do abatimento em que permanence entire
n6s uma classes que nos paizes cultos concorre
poderosamente para o engrandecimento national.
Noe darei o meu apoio a nenhum governor dela-
pidador dos cofres publicos, certo, como estou, de
que a restauragAo das fiaanqas do paiz esta de-
pendente da mais several economic dos dinheiros
publicos.
Espero tambem nio serlangado ao rol daquellas
que slo acoimados de esquecer as necessidades
da sua provincia, deixando-a jazer em eondem-
navel abandon.
So estas, Sr. eleitor, as ideas que pretendo p6r
iempratica, se mercer o vosso valioso apoio, que
inuito me fortalecera nesse desideratum, tanto rais
quanto, de nenhum modo vinculado ao carro do
poder, posse dar-vos come penhor o meu passado
politico.
6 de outabro de 1884.-De V. S. correligionario
e criado obrigadissimo-Paulo Jose de Otiveira.
Ao partido liberal
Apresentamos, tendon ouvido os nosaos amigos,
a combinacao de nomes pars a eleieaio geral do
1 de 'ezembro do corrente anno.
Esta combia:acalo nalo entende corn a quostio
de element servil e attended s6mente As eonve-
niencias do partido.
Esperamos que ella merecerA a adhesio de todos
os nossos correligionarios e amigos, e que estes
unidos trabalharno corn esforco pars o seu trium-
pho, per amcr ao partido, aos principios libcraes
e ao future da provincia.
1 dastricto. Dr. Joaquim Aurelio Nabuco de
Araujo.
2 dito. Dr. Jose Marianne Carneiro da Cmnha.
3o dito. Dr. Arminio Coriolano Tavares dos San-
tos.
4o dito. Dr. Joaquim Tavares de Mello Barreto.
5o dito. Dr. Antonio Epaminendas de Mello.
60 dito. Dr. Pedro da Beaha Beltrao.


7o dito. Dr. Segismundo Antonio Gonalves.
8a dito. Dr. Antonio A-res de Souza Carvalho.
9o dito. Dr. Jos-Fmstaquio, Ferreira Jaoobina.
W)o dito. Dr. Uiysses Maehadd Pereira Vianna.
11O dito. Dr. Jolo Augusto do Rego Barros.
12o dito. Dr..Oaetano Xavier Pereira do- rito.
130 ditr. Dr. Antonio Manoel de-Siqueira Gaval
cante.
Recife, 7 de outubro de 1884.
Antonio Apemimmdas de Mello.
air -eippffdeW9sim Leao.




aBtftIJl
i Alem de tingir inetantsamn atote e ser de um
uso mtuito simples e facil, a tintura indiana 4ino-
fensivel e da aos oabellos e barba una bonita oar
Creta e natural: vende-se na botica franceza de
IBouquayrol froresii ceasores de-A. cars, rua. da
GmBu n. 22, Recife.


SCLINECA IHOM(COPATMCA 01












ESPECIALISTA EM PAITOS E MOLESTIAS DAV
MULTIB&B5
Tern o seu consulWorio em casa de sms
residencia A rta da linperatrisz a. 30, 1.0
andar.
COSULTAS de 8 s 10 da aema e
de 12 as 2 da tarde. Chamados por os-
cripto A quaLquer hora.

Dr. Sew4
Medieo parteiio e oporador fisou a &ta reien
eia a eidade de Palmar, praa de MiKuity a.
4, onde p6de sor procurado pars os misteres de
sua pEofilio.

ig.-..A.........
S MEDICO E PAP.TEIRO I

Dr. Jwqvim Lwuem
Owa* orio-mlA Duque ae Caiasa 89,
defronte do DIARI ) DE PERNAM-l
SBUCO, oudedA consultas das 12 i. 3 ho- /
ras da tarde. Rasidc temporariamente no
Monteiro, I


0 Dr. Adria.
MEDICO
Continia a dar consults das 11 is 2 hbm&d
tarde, em sen antigo consultorio, a run x Lar 4
Roaario n. 36, 1. andar. Chamado par m n
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholoe &
*XXXXXXXX--mXXXXXSXO

S eOculista
m ODr. Bareto Sampaio. medico .em-l*4
4 list, ex-chefe de clinical do Dr. de Wec-
> ker, da consultas A rua do Bario da Vie-
S toria n. 45, segundo andar. de 1 is 4 ho-
Sras da tarde. except nos demingos e dias N
Ssantificados. Chamados em seu consultorio
Sou cm casa de sua residencia A rua de
SRiachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
xxxxxxxx-- xxxxxxxx

DBR. BRIIRK DE Lull
MEDICO
Fixzu a sua residencia na cidade de Caruaz*,
onde pode ser encontrado pars os misteres de sus
profissao.

Mudaii~a
0 advogado Adelino A. do Luna Froire Junior
mudou o seu escriptoro da rua do Creqpo a. 12
parm A rua do Imperador n. 51, junto a Realso.

Liquidaqio apromeilavel


Synopsis on deducao chronological dos
factos mais notaveis da historic do Brasil,
polo general Jose Ignacio de Abreu e
Lima, 1 vol. corm 408 paginas
Da soberania do povo e dos principios
do governo republican modern, liqoes
pronunciadas na Faculdade de Direito do
Pariz, per M. Ortolan, tradncico de A. P.
de Figueiredo, 1 vol. corn 160 paginas
Reforma electoral, collece.o de diver-
sos artigos sobre a eleicao directa por di-
versos lentes da Academia do Recite, 1
vol. corn 360 paginas
Doze propmstoes sobre a legitimidade
religiosa, da verdadeira Iolerancia doe
cultos per Ephraim, 1 vol. owm 200 pags.
Estudo elementar de direito de uo-
fructo adaptado a legisla to patria em
gorvi polo Dr. Jeaquim C. da Cunha Mi-
randa, 1 vol. corn 174 paginav.
Segredo da gerae-.o on art'f de pro-
crear raparigas e rapazes c-pirituoaos,
etc. etc., (leitura b6mente pur, rapazes),
1 vol. corm 200 paginas
Mosaico Pernambucano, e, lleecqo de
exerpteos historicos, poesias populares,
anecdotes, curisidades, lends, satiqua-
lhas etc, tudo relative a jrowincia de
Pernambuco. 1 vol. comr 260 paginas
Jesus Christo a critiea modernms polo
Revd. padre Felix (da companhia de
Je us) vertido do frances-polo Dr. Pedro
,Autran da Matta Albaquerque, 1 voL
com 150 paginas
Historia sagrada do viho e novo tee-
tamento, eom exFliesq5e e doutrins do
8antos Padres,,para. reform dom cotu
Awem todoas es estados e peaoss com-
posta per N. dc Rayaumont, 2 vols. w-
Ensaio sobre a superman do p,
especialmedte a respsto da instituigio
dos bispos, pw D. Joe Iguacio Moemo
1. volume corn 280 paginas
Mossico Poetiev, co .eci- ,* Sd -
,as poesias dos melhores poetas Brsilei-
ros e-portuguezes, 1 volume eom 0,poe-
sias
SOs Dramas do Reife, romance perCor-
te Real, I parte o conego, 2 o bariaode
Albuquerque, 2a o eomninddor erreira
1 volume corn 384 paginas
A Reform. El itoral, emenda
SA' vemida ,na Iivraria Universal, ruaM
perador n: 52.


IWA
woJ




200

lit-Not
1t0om



-4-N


lam


500


2AW
1100I
ido Ii-


3


)




























9


cantes Ir. p&qk. peof

que se acha habilita-

d~s a fazeruma reduc-

9io sensivel nos pre-

9osja conhecidos. Fa-

zem tambem sciente
... _,._


49 Sya ift L6UVO~ftt) 90b*f uepftitq M" i
o deo dseiw a primeira arreomata9&o4 a equal fc
eduxida a 1:7?6000. .
SSeretarfa do Theaotom Previueial de Per-a
buco, em 15 de outubro de 18W4 Na aumenei
do secretarlo, o official)
indolipho Canpello.

Caumara Muaielpal
RelPato dos contritbuintes da freguezia d&
A 9. Jo8S nujeito. aIo imposto SOb WE(
valor locativo e de bobidai, e apirit~uas
correspondent ao exercicio de 1884 c
1885, os quaes s&o chamados a vir pagar
dentro do prazo de 60 dias, a contar do
10 do correate, livre da m.lta deO 50 por


que sao aepositanos to
qu sa Rau do Padre Muniz
dos m edi iam entos do- N. 1. Medeiros Barboza& Primo, mer-
cearia 30, bebidas

simetricos do doctor Nd'Barboa Irmo & C., idem 400,
N. 3. Maneel Rodrigues de Amniorim,
Bourgraeve, S dlitz idem 4d00tditas
S e N. 5. Medeiros Barboza & C., idem
chant d ch 300., ditas
chanteaud, ch C preto N. 7. Jos6 Marceulin & C., idem 300,
ditas
de Horniman e das N. JorgePereira Ramos, idem 180A,
de Honima e d ditas
perfmarias de G 11. Jos Jaeintho Pavio, madeiras
porfumarias do Gq S- 8j
N. 13. Ant nio Alves da Costa, idem
480A.
nell. N. 15. Abilio de Araujo Cesar, idem
400A.
N. 17. Ferreira Coelho & C., idem
Dr.CerqueiraLeite 01,,
1Mdf e d oN. 19. Jose Jacintho Pavyo, idem
M edico e operator .21. Francisco Aseeneio da Trin-
De volta de sua viagem A Europa onde dade, ferreiro 3245.
trequentou os hospitals de Pariz, tend Ns. 81 a 37. Vicente Alves Machado,
: pa-to serraria de madeiras 1:6005000.
feito nim cur(, especial de partoB e moles- N. 39. Ferreira da Silva & C., pada-
tias de seuhoras, di consultas no seu anti- ria 4005.
go consultorio A rua Duque de OCaxias n. N. 41 e 43. Francisco Avilaide Men-
48, do meio dia as 2 horas. doteia, madeiras 6005.
N. 49. Avila Irmlos, serraria 400j5.
Especialidade molestias de crianas e deN. 51. Os mesmos, madeiras 400.
senoras. !V. 53. Joe Wrigth, ferreiro 600;.
Recebe chamados por escripto ou no seu N.. 59. Jose Bernardino Ferreira, ma-
consultorio, ou em sua residencia A rua do deiras 4005.
BarKo de S. Bodja n. 30. N. 65. Wilson Sons & C. Limited, de-
posito de e arvio 1:0003.
Ns. 69 e 71. Joaquim Jose de Seixas,
Pasihas does alhelmniicas Ic de sab'o 1:600A
Patihas UULUI aTravessa do Se*ra
J^ Ii-ern N. 1. Joao da Costa Jannario, mercea-
e Herin ia 200W, bebidas
Largo do Mereado
Para complete expelligio dos vermes intestine N. 1. Antonio da Silva Junior, mercea-
em criancas e adults. ria 360A, ditas
EFFEITO FACIL, PROMPTO E CERTO N. 7. Rocha & Guimaries, idem 3605,
UNICO AGENT ditas .
N. 9. Solano & Souza, farmnba 4205.
The o. Just N. 11. Joaquim Jos6 Goncalves Gui-
Smaroles, refinaVio 2405.
I -CORPO SANTO--. I N 13. Francisco Pereira de Oliveira,
Deposito nas principacs drogarias e pharma- m-ereeartia 3004, ditas
cia. N. 15. Guimariles & C., idem 200A,


* EDITAES

Edital n. 25
l'a prava
Dl De ordem do 111m. Sr. inspector se faz public,
que as 11 horas do dia 28 do corrente mez serao
ven lidas em leilao, no trapiche Conceisio as mer
cad )rias abaixo declaradas:
Armazem n. 1
'Marca DSP c RB em baixo. Uina caixa n. 85.
S rinda de Hamburgo no vapor allem.o Corriente,
1 entrado em 1 de maio do corrente anno, contando,
S 40 kilogrammas, peso liquid, de eetampas nao es-
S pecificadas, abaudonada dos direitos, por J. Sa-
S bino L. Pinho
i ~Armazem n. 6
i Urma caixa, sem numero, vinda de Bordeaux no
S vapor francez Senegal. entrado cm 7 dejulbo idem,
S contend 17 kilogrammas de siretes corn cabos
S de madeira e 750 grammas de brinquedos de fo-
S lhbas de Flandres, pars crianeas, abaudonada dos
dixeitos por Joao Besse.
Armazem n. 7
S Mares GB. Urma caixa n. 178, vinda de Ham-
i' burgo no vapor allutmao Prnambuco, entrando em
S 28 de iu ho idem, contend 10 kllogrammas, pe-
l so liquid, de cartazes impresses em daas c)res,
S abandora Ia dos cireitos por R. de Dirsina & C.
Terceira secao da Alfandega de Pernambuco,
*V 24 de outubro de 1881.-0 chefe,
*-,, *Cicero B. de Mello.

S Edital n.24
a31 praea
De ordem do Him. Sr. inspector se fax public,
*.' que is 11 horas do dia 28 do corrente mez, oerA
vdndida emin lcilao, no trapiehe Coneeigao, a mer-
S cadoria abaixo dcclarada:
i A saber:
.i Armazem n. 7
*3 Marea HF&C, quatro atados corn 8 eaixas ns.
1,154/1,157, vindas de New-York no vapor ame-
*- ricano Finance, entrado em 19 de maio do cor-
rente anno, contend 343 duzias de ventarols
de papel e 208 kilo eas, peso liquid de an-
-*^ nuncios de duas "co/es, abandonadas aos direitos
por Henry Forster o'C. e b. 2 d
;3a SeccAo da Alfandega de Pernambuco, 24 de
S outubro de 1884.-0 ehefe,
Cicero B. de Me(l.


Edital n. 6
De ordem do 1ilm. Sr. Dr. inspector, fago pu-
blico que n3 dia 80 do corren'e ira de novo A
praea, perantesa janta debate Theouro o impostc
do disimo do gado vaccum, cavallar e mult, re-
lativamente as localidades abaxo indicadas e com
25(0/0 de abate nas importaneias que sentita
debase A primeira arremata9o.
Outrosimn, tem-se de oaddiciona a importancia
da arrematao a d imposto taional d incO
por cento.
Caruar i 2:2884250

em-Conoe e Aguas Bellas 3:

t^imbrev a Alsgoa do baio4
Nests 'quantia soe acA feito f o abate dlhue
a Iftaita"t~ici^^ Q r' -t. V:^ .iMt^ffi


ditas
N. 17. Antonio Francisco de Andrade,
idem 2405.
N. 25. Antonio Paulo Botelho, mer-
cearia 300j, ditas
N. 2. Antonio Soares Raposo, talho
4805.
N. 6. Manoel Joaquim Alves da Costa,
mereafria 300, ditas
N. 8. Silva Campos & C., idem 360A,
ditas
N. 10. Alberto Silva & C., idem 3005,
ditas
N. 12. Go.ncs Ferreira & C., idem
3005$, ditas
N. 14. Gomes & C., deposit 1205.
N. 31. Josh Theodora dos Santos, casa
'Ic past 1205.
N. 33. Jos6 Gomes dos Santos, iden
360^g.
N. 33 A. Joao Felix dos Santos, idem
3005.
N. 62 A. Ramos & Santos, mereea-
tria 300s. ditas
Rua da Assur.pgao
N. 1. Ribeiro & Duarte, cigarros
120,.
Guilherme Barboza de Lima, restau-
rant 170o, ditas
Manoel Francisco B. de Carvalho, idem
1925, ditas
Manoel Teixeira de Carvalho, idem
1205.
N. 4. Martiniana M. da ConceiVio,
idem 1205.
N. 6 A Ramos Filho & C., pastelIa-
ria 1205.
N. 6. Engracia M. da Conceico, res-
taurant 3005.
N. 10. Fulgencio Cardoa d'Albuquer-
que, barbsiro 1205.
N. 44. Joao Ferreitra dAlmeid mer.
cearia 200A, ditas
DIimQingos Theotonio
N 1. Silva Neves C., deposit 12054
N. 2. Marcellino A. Lopes, mercearia
2405, bebidas
N. 15. Antonio Francisco da Costa,
idem 240A, bebidas
N. 49. Marcellino& A.Lopes, idem 2405
bebidas
S. Jos06
N. 2. Jos E-equiel Bortg. mercearia
168, bebidas
N. 56. Joao da Silva SaUtos, depojto
Santa Cecilia
N. 27. Joaquim Pereira dos Santos, de-
positol1605f -..


JNorguer
SN. 1. Antonio Martins Gmes,mereia-
S ria 200S, bebidas
i N. 28. Etiag Baptista & C., deposit
. 192 ...
i N. 29. Antonio Marques de Oliveira,
i idem 1505, bebidws
Velha do Sant Rita
N. 55. F ,-





N s 4 A .m m, s..u...m..

*N. 4.. 4w Bb a rem'w


20/5ooX
20,000
20SOo0
20o00(
20oX00
20500(
20G0(


205000

203009
205000



20000O
20A000


206O0


205000
205000
2CA000
20,5000


20,000


20,000
205009


205000


205000
20A000
29,000

205000


20O000


205000


posito 2405.
N. 153. Jose G.y-m.lvcs F. Guimnaraes
i adaria 300N.
N. 154. Josi Lopes Fcrreirn Maia, air-
Imazem de sal 200" .
N. 155. Joao B. Rodrigues die Alm-i-
da mercearia 303A', bebidas
N. 156. Jose Lopes Ferreira Maia, ar-
mazem de sal.300A.
N. 157. Maria da Conoei*o, quitan-
da.
N. 212. Joio J. Coesar d Lima Junior
barbeiro 1005.
N. 214. Frederico Iguacio de Oliveira,
quitanda.
N. 214. Joaquim Nicolao Ferrteira, ta-
%h6 180s .


Lomas Valentinas
Agripino Marinho dos Prazeres, depo-
sit. 120l.
W. 70. Manoel Josh Gomes, mercearia
1805.
." Ipyranga
N. 1.Miguel Francisco dos Santos, de-
po 'to fli
4. Rtua do LCoronel Suassun
N. 41. C todi o Adriano d Costa,
maroear-ias 180M, bebidas
N. 91. Mak-coina Maria da Coneei*ao,

N.re 0 ea Perirabebduas
Xi.148. Jo$6 Pereira, Dust-to, deposito,


*LAGit


201000


f N 'AuatilMaria Estves qui-
-1~? J~ ~o -~utio' A., de, U4*
SN. 116. UMaol Jose Ferrra, tIntt-
Sreria120,4
N. 90. Thoess Felippa Peroira da Ro.
IN. 9&. Candido Hyppolito Rlbeito, bar.
beiro 800
SN, 100. Jos6 Francimo Mamede d'AI-
mineida, eigarrmbs 300
N- 104. Joo florentino Radrigues Pe-
reira, mrinceiyro 1505;
SN. 106. Ferroira de Oliveira & Irmao,
I merceana 3005, bebidas
N. 112. Carlosde AraujoPtinheiromna-
chinas deo costura 200s
N. 1 IS. Manoel Tbeophilo da Paixao,
quitanda
SN. 122. Aff-uso Joaquim da Silva,
Sbarbeiro 240A.
N. 124. Joaqiim Roberto Guimarles,
altaiate 2405.
N. 127. Mareos Gomes da Silva, funi-
leiro 200A.
N. 129. Francisco Gaspar Pinho, pa-
daria 5005.
N. 133. Guilherme &C., barbeiro...
240.
N. 135. Joao Cysneiro da Costa Reis,
D pharmacia 600A. I
N. 137. Souza Rocha & C., mereearia
2404.
N. 139. Theodomiro dos Santos Silva,
pharmacia 2405.
N. 141. Francisco Fabilo do Monte,
mercearia 2405, bebidas
Vidal de Negreiros
N. 1 Manoel Miguel Monteiro, mercea-
ria 360;, bebidas
N. 2. Manoel Luiz de Oliveira, qui-
tanda.
N. 2 A. Martiniano Xavier da Cruz,
barbeiro 2404.
N. 4. Joaquim Teixeira Bastos, mer-
cearia 3004, bebidas
N. 7. Francisco Jos96 Sampaio, funi-
leiro 250J.
N. 8. Heleodoro Tiburcio deSouza Va-
nrejo, cigarros 360J.
N. 10.. Jose Cactano de Carvalho, pa-
daria 5005.
N. 11. Francisco Jose Dias Pereira,
cigarros 240A.
N. 15. Jose Simplicio de Sa Esteves,
rfia*ao 300A.
N. 16. Antonio Valentino dos Santos.
quiitanda.
N. 18. Manoel 'P. de Albuquerque Lins
mercearia 240j, bebidas
N. 20. Maria da Conceigao Caistro, qui-
t.miida.
N. 21. Joaquimn Jose de Souza C r.-eia
& lrmnio, depo.sito 21)$.
N. 22. Domingos Joi6 Fernandes, bar-
I) -ire 2404.
N. 23. Antonio Mendes Pereira dai
C",sta, mereearia 2104, bebidas
N. :4. Castor Vieira do Lima, restat-
rant 20MJ.
N. 23. Felippa Luiz:i da Coneeivo,
quitanda.
N. 29. Moraes & Piuheiro, refinaio
2405.
N. 30. Manoel dos Santos Falcio, ci-
garros 2644.
N. 32. Jc-s6 Gomes Ferraz, mercearia
30o05, bebid.s
N. 34. Francisco dos Santos Moreira,
dita 2405, bebidas
N. 36. Paulino Aungusto de Siqueira,
(-girros 252j.
N. 40. Joaquim Caetano de Carvalho,
padaria 400,4
NX. 46 c 48. JoAo Antonio F. Alves,
refinagio 1:0005.
N. 52. Agostinho G. Pereira dos San
tosea, gengibirra 300W.
N. 63. Manoel Lourenmo da Silva So-
brinho, padaria 3605
N. 68. Antonio da Costa Mendes da
Silva, quitanda.
N. 71. Antonio Joaquim da Silva, fer-
reiro 2405$.
N. 93. Manoel Soares & C., deposit
3605.
N. 126. Manoel Antonio Pinheiro, ci-
garros 2405.
N. 143. Silva Pinto & C., deposit
2405.
N. 145. Constanea Maria do Carmo,
quitanda.
N. 147. Martins Ribeiro & C., pada-
ria 3005.
N. 146. Rufino Jose de Sant'Anna,
cocheira de cartos 240,5.
N. 148. Emilio Antonio Gonceives Li-
ma, carpina 2405.'
N. 149. Azevelo Larges & C, mereca-
ri a 200,S, bebidas
N. 150. Ferumindes & Primo, dita 2705
bebidas
N. 151. Manoel da Silva Moreira, de-


20500S


20o03O


20.030C


20,0910
20S000


203009
20A003


205090


20o000


205000


-20O000
Ida., .-^.^ *


cigro
ri~ 8005.


- --1


-Rado &SAJo8o
X 5. Francisco & C., mercearla, 2405,
bebidas
1, 1I2. locha Pereira & C., idem,
!245 bebidas
.Rua da Detenc.o
N. 25. Josa Ignaeio do Valle & C., de-
Sposito de ossos, 1201.
35. Domingo Jos6 Avila, mercea-
-, Bas do Marquez do Herval
K 68. Joge Antonio do Monte, deoi-
rto 1005.
N. 96. Francisco Jooe Rodrigues, ci-
s-girt-os, 1205|.
N, 96 A. 0 eamo, barbeiro, 120A.
N. 98. JoIe Gemes de Mello, quitan-
da.
N. 124. Jo6 dos Santos Moreira, mer-
cearia, 200J, bebidas
N. 146. Joventino dos Sautos Silva,
Side, 240A, bebidas
N.-164. Marcolino Jose dos Santos,
-- quitanda.
N.. 170. Jfao Joe Malaquias, mercea-
nia, 2001, bbidas
N. A41. Francisco G, Fernandes Mar-'
cos, idem, 3169, bebidas
N. 160. Maria Julia de F. Bragsa, idem,
200, bebidas
N. 165. Rodrigues & Maia, idem, 3005,
, bebidas


2010


2010
20AC
20J(


1 1/ 'o'_ tf Tin'u:.i 2; out rod d
XP; IW.'pestes o 111m. Ij. endftcAnitomi
Qoimeo Miranda Leal, presi enter da meajuanta,
e depal*, Qlit9 a)to'a tondo comuncAo o
St. pAt Ph e~o r. tIpplentue P eiredo
0 o 0 poderem comparecer, deixou do haver sesio
K00 por dta de numoro, sendo pelo '&. ,M 0 ivte
distribuido os seguintes livros : diarlio copiador
de Gtuisno & C. diario de Ferreira 6S C.Q
KM copiador de Jiaquim Felippe & Aguiar dito do
Ofinto Jarditif& C.; dito de Machad Lopes & C.
00 Eu, Julio Augusto da Cunba Guimaraes, sc-
Seretario, mandei fazer a presented declaramoo.


205000






20O000

20o000


20A000
205000
20o000
20o000


Rua Imperial
N. 1. Andr6 Affoeso de Carvalho, mer-
cearia, 2005, bebidas. 20,
N. 3. Josh Nicolao Ferreira, refinagao,
3005.
N. 5. Gregorio T. de So Leitao, arma-
zen de sal, 2405.
) N. 7. Joaquim Antonio Alves Ferreira,
depnesito, 2405.
N. 17. Jo1o Antonio Sabino do Espiri-
0 to-Santo, marcinciro, 240j.
N. 31. Gaspar Josh de Mello, armazem
Sde sal, 3605.
N.'55. Tiburtino Jovino da Silva, qui-
tauda.
N. 55 A. Joaquim de Almeidti Gomes,
) /irmazem de sal 2005.
N. 57. Theotonio Jose Barbosa, funi-
leiro 1000.
N. 58 A. Francisco Antonio do Oli-
veira, mercearia 3005, bebidas 20
N. 59. Augasto Moreira da Silva, mer-
ceimaia 1804, bebidas 20
N. 76. Antonio Lino dos Santos, mer-
caria 180,4, bebidas 20
N. 91. Viuva Coimbra, merceiaria 2405
bebidas 2C
N. 95. Joaquim Nicolao Ferreira, ta-
Iho 300A.
N. 107. Augusto Gomes da Silva,mer-
c ceara 3004, bebidas 20
N. 110. Josh Gomes do Oliveira, de-
posito 240A.
N. 115. Freitas & C., mercearia 300j,
bebiosa 20
N. 128. Antonio de Ahlmneida Rabello,
mercearia 2405, bebidas 20
f. 183. Mauoel Goncalves Nogueira,
e uierecaria 2165, bebidas 20
N. 139. Alipio de FranaH Mello, funi-
Mlaria 2105.
1 147. Marques & Gomes, padari:L
;8005.
150. Antonio Thomaz das Chagae,
-quitanda. -
,151. Maoel. Francisco de Souza
i M, e 6eari 30, bebidas 20
^'ltoLLohengo Thomaz da Silva,
nleiro I1)8A
N. 155. Francisco Xavier de Carva-
miulezas 180Q. ;
56. Jronymo da Silva Neves, mer-
cearia 2405, bebidas 20
N. 160. Manoel M. Alves do Nasci-
meto, quitanda.
164. Antonio de Souza Netto, mer-
Seearia 216i, bebidas 20
f. 165. Jesuino Miguel Ferreira e
SSilva, quitanda.
N. 167. Viuva de Martins IrmnAos,
merdearia. 240A, bebidas 201
X. 182. Pedro Josh da Silva, mercea-
ria 216,0, bebidas 20
N. 184. Esteves & C., talho 2405.
N. 187. Joaquim Nicolio Ferreira, ta-
l ho 4605.
N. 202. Jos6 Soares Fernandes de Oli-
veira, mercearia 192., bebidas 20,
\. 207. Valdevino Ribeire da Silva,
armazem de sal 2005.
N. 208. Josh E. Ferreira Lima, pada-
ria 2005.
N. 212. Bernardino Jsaquim Gomes &
C.,Ibric" de sabeo 603A.
N. 215. Henriqueta Maria da Concci-
*2 ceicao, quitanda.
S. 227. Antonio Fiuza Lima, quitanda
N. 228. J< s6 Antonio Jorge, deposit
120J.
N. 229. Manoel Fiuza & C., mercea-
ri;t 1804, bbidas 20,
X. 23). Felicianoo Rlrigueics do)s San-
tos, deposit 192A.
N. 232. Manoel Jose da Costa & C,,
mn-reraria 1925, bcbidas 20-
N. 251. Manoel Tavares de Mello,
mercearia 1923, behidas 20;
N. 261i. Segismundo Lopes da Silva,
mnreearia 192$, bebidas 204
N. 269. Thomaz Alves Ferrecira, de-
p.1sito 168A.
N. 269 A. Manoel Francisco Gnima-
Sraes & C., togos de artificio 1144.
l. 277. Eduardo Jose de Mello, togos
.d-artiaci 1445.
!?. 279. Josh di Silva Persira, mer-
cearia 1685, bebidas 20j
N 286. Lulz Martins da Costa, mer-
cearia 1925S, bebidas 20d
NL 299 A. A.itonio I. Ferreira da Sil
va, cigar-os 144.
N. 299 i. Joaquim Gomes Ferreira de
Sa Leitao, deposit 1405?.
N, 820. Azevedo & C., mercearia
' 2405i, bebidas 205
N. 321. Olympio de Carvaiho Vareojio,
.. dorapsito 1685. c
N. 8i8. Francisco dos Santos Ioche-
do, armazem de eal 1445.
N; $26. Antonio do M. C. Brnneo, fa-
-. briea de sabko 3005.
N 334. Joanna de Miranda, deposito
1205.
Sem numero. Rufilno Josh de Souza,


' tad6tria da maa iipa do Recife,
4 deooutubro de 1884U.
0 lanwador,
t-Um -


A000


);000
)5090
5090

'5090)
0030



)5000
'WO
)30010


)000


8000


o000


500 >
m00


&OOJ


i090
3000


1000

1000


!000
0ooo


000


Obras publicas
De ordem do Him. Sr. engenheiro director,
fao public que, em virtude d* au~orisailo do
Exm. Sr. president da provincia de 18 do cor-
rente, vio de nevo em pras no dia 8 de novem-
bro proximo vindouro, ao meio dia, perante esta
repartigo, as seguintes obras, eom o augmento
de 10 0/0 sore o valor dos rcspeetivos orga-
mentos.
Reparos da ponte sebre o rio Pirapama
no engenho do mesmo nome, orca-
des em 1:800000
Idem da point e sobre o mesmo rio, no
engenho Trapiche e sobre o rio Gar-
jahu no engenho Guerra, em 1 :200A000
Idem das pontes do Aterro. rua Bella
c Agougue, na cidade do Rio-For-
moso, cm 1:5955000
Idem da escola dia mesma cidade, em 286A000
Secretaria da repartiVmo das obras publicas de
Pernambuco, em 22 de outubro de 1881.
0 official secretari'o,
J. J. de Siqueira Varejao.
Confraria do Senhlor Bomn dJesma da
Igreja da Santa Crum
MESA GERAL
De ordemrn do nosso irmao provador, convido a
todos os nossos irunos para comparecercm em
nosso consistorio no dia 6 do corrente, pelas 6
boras da tarde, afim de reunirmo-nos em numero
legal, como terminal o art. 40 do nosso compro-
miaso, proceder-se a eleiclo par o us cargos de
thesoureiro e 2, procurador, par term recusa os
irmaos que os exerciam. Consibtorio da entraria
do Senhor Born Jesus da Via-sacra da igreja da
Santa Cruz, 23 de outubro de 1881.
0 esctivio,
fM. D. da Silva.
SOIE DA DE
Unieo commercial bentefieente
dos mercieiros
A&smemlula geral
De ordemrn do Sr. president do conriselho fiscal,
convido os senhores socios para se reunirem na
s6de social domingo 26 do corrente, ao mneio dia,
afim de se proceder a elei9ao para os tuncciona -
rios que tern de dirigir es negocios sociaes de
1881-85. Recife, 23 de outubro de 84.
0 1- secretario,
Albino de Souza Azevedo.

Congress abolidonista do
Iecife
De ordem do Sr. Dr. president, convido as
sociedades que adheriram a este congress, a se
reuniremin no dia 26 di corrnmte, :;s 10 horas da
manbha, na sede da Nova Einancipadora. Seere-
taria do Congresso Abolieionista do Recife, 24 de
outubro de 1884.
O 1' sccretario,
Jo" de Oliveira.

Juiizo de direito da


provedoria
Por despacho do Him. Sr. Dr. juiz de direito
da provedormi, seri arrematada por vcnda a quem
mais der, no dik, 27 do corrente, ao meio dia, na
sala das tmidiencias, uma caia terra, sita ;! rua
do Visconde de Albuquerque u. 141, freguezia da
BioaVismta, corn port e janella de frente, 2 sal is, 3
quartos, cosinba external quintal inurado, corn
eacimba, terreno proprio, medindo de vao 4 metros
e 80 centimetros, e de fundo 14 metros e 14 centi-
metros* avaliada por 2:000.&, cuja casi-i perteneen-
do ao espolio de Anna Theresa do Sacramento,
que por este juizo se acha inventriumndr, vai A
praga a requerinento. do res-pectivo inventarinute
para satisfaqao dos onus testimentir;os. Recite,
23 de outubro de 1881.-0' escrivao,
r, liz ,i. V,,iga Pessoi.

oIDianiI iI do nta Thro
Abasteclmeto d'agua e luz eme
OllHnda
Prcvine-se aos Srs. passadores de festa,
que, sB-gundo o art. 24 do regulamcnto da
companhia":
c Quaesqner reclama.9cs acerca do servi-
90 public ou particular, quer do forneci-
monto d'agua, quer relatives a illuminagAo,
pars serei attendidas devem s'er feitas
por escripto, lataidas e assignadas, dirigHas
ao esmriptori( 1' comnp:anhia toffiW.in:i ns
Milafgres) inriazlent-: ,ias 7 lhor.is dla ma-

panhia, 23 do outu-

A. Pcirel-a Stm'es,
Gerente.


Gumpa la lo mlos urmanos do

Recife a Olinfa
Assembles geral
De accord corn o art. 73 do regula-
mento das sociedades anonymas e 12 dos
eatatutos da conpanhia, sao convocsdos
os Srs. accionistas a so reunirem no es
criptorio da companhia no dia 31 do cor
rente, afim de tomarem conhecimento dos
negocios relatives ao ultimo anno findo.
Eseriptorio da companhia, 23 de outu-
bro de 1884.
Dr. A. de Almeida Cunha,
Secretario da assemblIea geral.


Secretaria da Camara Municipal do Recife, 23
i.e outubro de 1884. Him. Sr. De ordem do
Him. Sr. commissario de cemiterio, faso sciente
A V. S. que se ebstenha de embaragar e merme
prohibir, como tem feito, segundo a elle costa,
que as irmandades e os donos de eatacambas
mandem pr pessoas de sua confiana, caiar e
pintar as mesmas, no intuit de encariegar-se
Vn4es |aewvi9o, mandando fazeo tans obrao,
medianteprevio ajuste, deixando livremente quoe
quem qntzer e precisar fazer as obras quo nes-
rirm O's reterldo tutoulosparticelarese e-srta-
cumbas de irtmandade o fa sam, oiao hes oppondo
o menotr obstaculoo, e nem if fiptnd exigeneias
ke vatureza algma, om ten determinado.
Deu s r4 or do .rijo BSaptiost do
dk% do b4teat~iodo Santo Aims-


PeruAmuMeN
vbTesouraria de UPAxetk de
Pel* Thesouraria d e Faeuda e fax pubie,
par cohecimento de quem inter p9 a, -
em vhrtade da eiroular do Thevmo Naeiof .
34, deo 19 de etembro proximin pauado, aMtm-
creve o art. 16 da lei x. 3229 de 3 de uetmbrm
rOeferido, cuja integra foi publicada so DMane
Offic/ n. 248 de 6 4o raesmo mez, e tambeim e
Diario de Pernambuco n. 213 de 16, a qual e a
seguinte:
Art 16. Fiea prohibida a concerns de des.
pachos livres dos direitos de consumo, f6ra dos
casos em quo o permitted as diposigoes preli-
minares da tarifa das alfandegas, c suspeneas as
que tenbam sido teitas A emprezas ou particu-
ares.
E', porem, o governor autorisado a conceder a
continua*ao desee favor aos que o tiverem eam
virtude de contratos symalagmaticoa, depois de
accord sobre o prazo em que deveria cesar, e a
restituir a importancia doe direitos que houverem
pago durante a suspnesa.
Thesouraria de azenda de Pernamibuceo, 17 de
outubro de 1884.-0 secretario da junta.
Faanuisco Antonio de Oliveira e Sil a.


SEcUROS
iIARITIMOS CONTRA FOGO


Companhia Pheix


nambucana
Rua do Commercio n. 34.



UONTRA FOGO
The Liverpool & London & Glob

INSURANCE COMPANY
AGENTS
8anellrsM Bters& .

1I--CORPO SANTO 11.-


CONTRA FOGO
North British & mercantile
CAPITAL
:000,000 "le bras sterulw
A GENTES
Adinson Howie & C.
RUA DO COMMERCIO N. 3.


C OMPANIIA


IMPERIAL L


SEGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -
Edificios e mercadorias
Taxas baixas
Prompfo pagameuto de prejizus
CAPITAL
Rs. 16,000:0005000
4Agentes
BROWNS & C.
N. 5- R1-it do Conmercio N. 5

INDEMNISADORA
Totma meguros maritimoN e ceonra
FOGO
RUA DO COMMERCIO N. 44
COMPANHIA AMPHITRITE
de

moos sletmos terast
N. 9--Praga po Corpo Santo--N. 9


EMPREZA DO GAZ

0 Gerente pede aos

Srs. consummidopes que

queirain fazer qiiilquer

comunicaCio ou recla-

mnap sej' esta feit poOP

escriiptoe a ellc dirigida,


que


se 'achiari nos dias


uleis, a radu Iinpmodor

110 I das, t0 horlas da

manha a I horadataide,

onde tambem se Pece-


ber? qualquer conta que

queipam pagar.

Os unicos conpadores

externos saio s Senhores

Francisco Felix de Mello

e Hlermillo Francisco Ro-


drigues Freire, e quando

for preciso oSr. Antonio

Martins Carvalio.

2Todos oreeibos dessa

empreza d verao sep pas

sados emn tables carimba-

dos e assignados polo seu

gerente, sem o queno

ll AOvaor w.
Charles A. Croo


p


/


Per-


II


2000o
20400(
















cto. deo


Ua11 t&tr~f 46 l. damttf uepu'ano

Prireira ropresentact da grandiose opera co-
mica em 3 actos:
La Belle LENE"
Bonds par todas as linhas.
Trem ate Apipucos.
PrincipiarA as 8 horas.
N. B.-Domingo 26, 2 representago da opera
ncomica La Relle RELENE.


Grande Circeo

COMANRIA HUROPll
Equestre, zoological, quadrumana
e caniM a
DE
PAUL S8KII11O
tLargo do Arsenal de Guerra
Grande funcao


Succeso!
Sabbado 2S


Novidade!!
do corrente


Ma iralhooespectacao
SEiereielos Intelrameute moves !!
2a ESTREA DO PESSOAL ARTIS-
TICO DA COMPANHIA DE

Joao Goines Ribeiro


AO CIRCO!


AO CIRCO!


Tomam parte na funcco 23 artists .de ambos
os sexos
A's 8 e media horas.
Domingo 2 funcgoes


ARITIIOS
Companhia Bahlana de Navega-
4po a Vapor
Mac3i6, Villa Nova, Penedo, Aracaju,
Estancia e Bahia
0 vapor
S. Salvador
Cominandante Senina
S E' esperadodos portos aci.
ma atJ o di 27 de outubro,
Koe regressarA para os rues-
mose, depoisdademora docos.
tuame.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7-IRua do Vigarlo 7
tfomingos Alves Matheus
COMmaANEIE DES ME$SMAGE-
RIES AlkARITIME
LINHA MENTAL
0 paquete
Amazone
Commarwdan te 1foreau
.. Espera-se da Eu-
ropa atW odia 4 de
inovembro, seguin-
do depois da de-
mora do costu-
me para Buenos-
Ayres, tocando na
Bahia, Rio de Jakeiro e Monte-
tevidE*
Lembra-se sos Srs. passageiros de todasas
classes que ha lugares reservados para esta agen-
cia, que podem tomiar em qualquer tempo.
Para carga, passages, encommendas e dinheiro
. ft-ete: tracta-se cen o
AGENT
Augnste LabiWle.
9 RUA DO COMMERCIO -9.
CiARGEIIRS RJUNIS
Companhla Franeeza de Navega-
4ao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis
0oa, Pernambuco, Baha, Riode Janeiro e
Santos


4'
E


tpoQea


RIJA


&r o-
ca -.


Nb


I., Eandr


hiaek's-em Ngis'n
STRArrS oF MAGEL LAN'- "
S* va por
Britana
-. Espera-te dos portos
| dosalat6 odia5 de
Souutbro, seguindo ps.
sra a Europa depois da
deomora do costume.


Para carga, passages, eAcogmnendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consigatarios
Wilson Lim ai e, IUmited
N 14-- DOXMZWR IOA N. 14.
0,vay r r
Araueama
oEspei-se da tu-
rop at0 odia 26'
.d outubro e te-
pAarar0o Sul
do costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinlheiro
a free: tracta-sc eomnos
Cenilguatarie.
Wilson Sons t ., Limited
N. 14 -RIJA DO COMMERCIO-N. 14
COMPANIIA PERiNAIBUCANA


Navegaieo costelra por
PORTOSDO SUL


Iacei6,


vapor


Penedlo, Araeajii e Bahia
0 vapor S. Frandcico,
"- commandant Pereira,
seguira no dia 27 do
i oo enyote, As 5 hora da


ebe earga atE c
1,2di.
Encommends, passagens e dinheiro a free at.
as 3 horse da tarde do dia da saida.
ESCRIMPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana
n.12


Companhia Brasileira d4
gaVlo a Vapor
PORTOS DO NORTE


0 vapor
Pernambuco


Commandant


o Nave-


o capitaO We fragata Pedro
H. Duarte


E' esperado dos portos do su]
I at6odia27de outubroese-
guirat depois da demor in-
dispe vel, l par os portos
do nore ate Maanimos.
Pars carga, passagens, encommendas e valores,
ani-t-ee na agmema
46 RITJA DO COMMERCIO 46
Part
Segue corn brevidade para o porto Acima o
brigue national D. Fraucieca ; a tratar na rua
do Marqucz de Olinda n. 6.
Lugre aMario,
Segue corn brevidade pmra Lisboa e Porto:
para carga trata-se corn Amorim Irmaos & C.
LEILOES

Agent Burlanqui

Leilao
Sabbade, 25 d errteI
As 10 horas em ponto
NO SOBRADO A RUA AFA IMPERA-
TRIZ N. 28
0 agent acisma autorisado pelo Ilim. Sr. major
Raymundo da Silva Cunha, inspector da Thesou.
raria Geral da Bahia, pars onde retire corn e
Exrna familiar, vendera em leilao uma mobilis da
mogno, toda entalhada e complete: 1 guarda-lou-
a, 2 apparadores, 1 mesa elastiea, 2 epreguia-
deiras, candleiro, espeUlh, tapote part sofAG, 6 db
tot, 1 ioiportante oceretaria, escarradeiras coiMps-
teiraa, appareiho paia chA, dito para jantar, han-
co, treat s de cosinba, 22 eadeiras de guai o1
lavatorio c pteraes, 1 filtrador, 1 -banheire, 1
jarra pars agua, tabo. e cavaletes para engommar,
I machine de coitura, latas para deposit, e outros
muites moves que estarao ,A vista dos Srs. concur-
rentes.

DIN
Dos generous, armsao e divide, do esta-
belecimento de molhados, sito a rua da
IRoda n. 48. :
0 arente Britto. venderA 0 oseero. armac.o e


vj raft latt Lmbraic o, & Okm m. 41 toaito fttsci
00 grwe, w^t~o cwit.tBjan dsgraeftq~uwlmi
uamadaa e gen boa penn d'agua :atrat a
rwada Impcratris a. 328 eud adu 1
- Aluga-c-uma casa nuito frecea, em Ou ida,
rui do Caire n. 2, muwito peorto d banhos do
mar: a tratar no Capinho-novo n. 128. Na
memrn case veso uua parte de casa nesrus
da Imperatriz, onde e phuacia
a- lmug-se na Cap"'a, a d Veutura, dua
baias de eapim, ua plantada,* ao pe da-Rra.
viuva Pinto, e outra contign ao Sr. Dr. Joao de
S oque est per plantar ; assim comb o sobado
n.' 36 A beira do rio zCapibaribe : a tratar em
Beumfica corn sua proprietana.


Alugase urn sobrado e loja, deo um
andaro e sota, corn miwuitos bonrs commo-
de, inuito fresco, pintado, con agua en-
canada, banheiro e gaz, na rua do Coronel
Suassunaa,. ,278: atractar no Chora-me-
ino, sitio da ealla, cown Jos6 Antnio
Marques.
Precisa-se de urma cosinheira quo du= em
casa, para casa de familiar : na rai do Barbo da
VitorMa n. 89, Ioia.
Na rua Imperial n. 34, engomma-se perfei-
tamente, a tambem se enecarrega de cosinhar
mensalmente A quern convier.
-Aluga-se um sitio e casas em frente aos
bonds da' To ; na rua do Iperador a. 49, se-
gundo andar.
Aluga-se
0@ amdar do sebrado n. &I
arua do Bario-da Victoria a
60@000 e m sales na loja por
balxo do memom.


Eat. obra receuteiuouts pubaloada, scba~-s. 4
vzd& i a livrauii Eonoio, ns Pieiro de
Mar90 n. 2.

VendO-so t a d i kda n. 8A da rua do
Bariao da Victoria.
aea BO Rmleiro
Aluga-ee muito em eonta a casa 'de ineo ja-
nellts d4 frnte, portao de ferro e varandas aos
iados, rna;do Laar n. 4 junto, a da equisa:
atratar. A rua do Barao da Victoria, loja nu-
mero 16 M '.


Isabel Ferreira altar
Theodolina Ferreira Baltar, Paulina Ferreira
Baltar Isabel ScoWi Fraga e Antonio Joaquim
Goncalves .Fraga, pu'gids pelo pasasmente de
sna presada mi e av6, Isabel Ferreira Baltar,
agradebia'a todas as pessos que a acoipanha-
ram a sus u'tima morada ; e eonvidam-as para
assistirem no dia 28 do corrente, As 7 1/2 horas
da manha, sna ordem terceira de 8. Francisco,
urmsa misesa do seu isetimo dia.

Antonio Luta do4 sant0io
D. Maria Luiza dos Santos, seas filhos e genro
mandam celebrar missas per alma de sou finado
marido, pai e sogro, usna igreja da ordem terceira
do S. Francisco, segunda-feira, As 7 1/2 horas da
mnanhL


Arnas
Na rua das Nymphas n. 26, precisa-se de urma
ama de leite e de urma cosmheira.
- Aluga- se a cass terrea n. 74 da rua dos
Guararapes, corn bastautes comrnodos para fami-
lia : a tratar na roa do Born Jesus n, 26, bo-
tiea.

Na rua de Domingos Jos6 Martins, outr'ora
Sensala-velha, sobrado n. 82, precisa-se de urn
menino de 10 A 12 annos, para recados e comprar.


GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE


411 WAU


LUSTSA


&


C.


41t..Rna do Bark da Vitoria...41
N'este acreditado estabelecimento se encontrarA -sempre um sortimnento ; re-
pleto de pannos finos, casemira de todas as cores, proprias para costumes e cala.scom-
cebemos directamente &c cuai fazendas por todos os vapores da Europa. Brim
branco e de cores, e todas as fazendas tendentes rumar casa nesse genero de negocio.
Aprompta-se costumes para lute em 12 horas.
Dispoe de umn pessoal habilitado e con os melhores elements para servir
a seus amioes, e a qusiquer pessoa que quizer honrar seu estabelecimento corn suas
ancommen(Us.
41--Rua do Barao da Victoria-41









SAUDE PAIIA 11TODOS
TratamenUa e cura radical de algumas moles-
tias que afligc a humapidade

ALJTERACOES DO SANGUE
Pelo Rob Tonicd, depurativo, Lechaux.
hen^asapeI^


I ela Pormada


Anti-Dartrica, Lechanx.
l os, asul, tun ncitw.etc.
te Ninous TAcI Z. .* .I I
+* L U +W~ ~ 4


RA ILt O loo A104
*UJ AFLLUS.2 I2I


Os proprietaibsg de-ste bern conhecido es .
tabeleciinento pelas ,suas relaeoes direetas
corn osmelhiores fabric antes, e comrnu di
tincto engenheiro de&nigtterra1oferecem


grandes vantagens para


provam
tes nos


encommendas, como


corn os apparelhos completes assen-
engenhos Massauassu' e Bosque, e


meio apparelho no engenho Conceivao.
MACHINAS a vapor trabalhando s6


o logo do assentamento, podem ser examina-
das as que foram assentes nos engenhos Be-


lem, em Timboassu',
Diamante em Goyan


Cucau, ei


ma,


n Gamelleira,


Pao Amarello, Ca-


mara e Lages em Itambe, Yidraao em Pao


d'Alho, e outros no Rio


Parahyba.
Chamam a attena"io dos


Grande


do Norte


Srs. agricultores
- A 11 0


para os novos vapores que tem recebido do
dcreditado fabricante Robey. que se reconm-
mendam pela facilidade de conduceao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6
de mencionar os engenhos em que os tern col-


locado, porja terem vendido 85 para


lugares,
cidos.


diversos


e por issoja devem ser bernm conhe-


Saio os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da colloca~ao e por sua
dura~ao.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a ag'icultura, tem sempre grande depo-
sito, sendo tudo da melhor qualidade.
Vendem a prazo ou a dinheiro corn des-
conto.



FUNDICAO DO BOWMAN

RUA DO BRUM N. 52

PASSANDO 0 CIHAFARIZ
Offerece vantagens para as encommendas
de apparelhos aperfeiCoados de fazer assu-
ear, pelas suas relafbes directas, e pelo born
exito dos apparelhos que tern montado nos
engenhos Unussu', Sao Salvador, Maciape e
Mussu', onde, corn unm dispendio tanto mener
que neim se compare corn aluns dos que per
ski se tern feito, tem-se obtid. resultados iguaes
senao superiors, em vulto de producao, qua.
lidade, e prevo de venda.
Chama a atten0ao aos melhoramentos para
econonmia de comnbustivel que tern itroduide
inos engenhos Pereirinha, Arara e 0i desta
provinia, e Boa Vista de Marangmape, ande
corn o logo do assentamento se produz o va-


com


I


11














A A.


Um %ado ortmnento m c e-
Nepta s tern msempre wam s 60 rtimento emBtigoa de
-- &^eaof80 ttn2ftr pM "ke.s .oeiu 'rxeebe
n 0mnM fte wasr..d. ista de Pari o queha de ois
a = tvi-s, inceri dad epre amodloos. _
azanto-so ainceridade e preo modlooB.


3


JSM musv'tt


AeauMie augmetar o senu ji ben- coeiWo
importante esltabelecimento A- ma 1o
de maro v. 6 commais
um sfl0-nto no if l sfeile ep .-
rnt eprotid' fVtmr expsi.
Ao de obras de prata do Porlo e eleclrotelte
dabs iofs d ad. :a es do
imif ntem

Cowida, is, as fxms. fhffiia, seas "ime
rtoss amigos e freguens a visitafem
o se eslabelecimiento, aim de
apreciarem a grandeza e bom goslo coin que
-%o obtWhile a grande
desp0za, o 9 I19fraNi, em Ionra
tCfA BR I viTDA B.
IMMS ABBE TODAS I YS 8 DA NOITH


CA

0


4


II
N


C.Artig r


PHL.MACIA LEVY
Anttgga pliar cia de P. i rlr
U r 3 tlo xA on

ilix3 depurdtiro regenotdor do


Prflo ielo O1iiaeBnttim
JOSE' FRANCISCO BEIVENCOURT
cox
Salsa parrilha, velame, cainana e caroba
Os resuitados adniraveis. d'csse medicamrento e a grande aceitao3o que tern me-
reeido fazp*-ndfto onml tdado-pAra as nids Itoietyphlitieas e imipurezis do angne.


BA M Iii :_~ ___

ANTIGA PIIARMACIA E P. MAURER
4 Oe"ite*ji j.j mebka. d lpelte
AR6PI DE i fJU4A111i IJUCA


Deposito en casa dos prdoprietarios

J.C.LEVY C.


25. -itu a aco d&a Tetoria--.I8


mmdti t&Fer;'
tftUsarMIM[Wdt rFr[rtwr
I I-'eisa-s.de umri wouo para caieiro de -i.
raz Pereira & C. Iem: ,taaa do 8, bm pi-
iea maread" a devedor" da '4" fallida -nhelro.. -"
SF&e MeFreura & C. o przo de 6Mt6 Os pawa mf-
eonrarem cqm as impomtancias de seus debttos,
woMeuMuat t iswl tos rfqietvos depbsitai'ob sobsmdo n. 9 te PAsagta. da .Mliaea.
Suiva Guimaraes & C. Recife, 22 de odtubro de ih -i -t-
ism. I.__ An alln AR |il- 0
A ia j 1,,a do Mo.dego .i. 0
Precisa-se de uma ama pkrma cosinhar ; na rua padoa, dando fucto, a 44 e a 3j, nd o
da Santa Crmu ;a. 74, esquina.do Coto ... .I daab e deaondo 1 cm i, is paWi mJ1. lm
'c-esjdo- et- I*0'Mw-i dsfe 'ws ez a'ae s. batalei. 4,
outras muitas plants tambem pars pre"oa emr-
'e oIIg do-ei-o.__ __-_.. ._.,
dos pulmoes, da garganta dorlaryptr c. --
TRhAVAKETO e ctit AMTMsvel iai a Iksa dh
sodica, sulfurosa e calcica Ia g
9ULL&Ltr-ilkil, ff,! WG'WVid farna -4# hoa<>tin. -U.^
it' I4c-ioo wL -Am r e au.,cfd ,..i., ,,
ag paLrMaorto Ba id
tBfs,-P^^ ?^c) ..'^ "sted^"^, r_,


Agentes para o note do Brasil
G- Laporte a c-
,2& #iW


parisiena*, Pnma Ridneiro de Marco u, 7 A.


nrmna em eam : na run df -onceicao n. 4, pri-
meiro andar. ,,.1f as'


ocaidde: a tratar na ma -larga do ana mr
mero 34. r' Mj v-


Precisa-sc de um criado : a tratar na rua Novat
n.,SepadeHtdar
m1 iI

XT p'^ I ^Hf*
aMwl. *iyior
^ ^^tsftpK~i8 ^nw 30


s. .9h *w^^^r^^^^f~ B|RfaC-
- ,,pri- =i r~.:z f.- ~ ,,u. .q .. C -j
gjg B m _, Iq~y r*W *m v




A' rum da Imperatris n. 68, prineiro andur'
O dS;mlim deolm;mduct. pm oompar
o_.., e cdafwmk&sadi.


Alttga-se ana -as Caunga, (npeante
eq pauaquem queiwa pasar a
pinteiro Peres, Arua dam Crioula i ).I,w-
punga.
t-.fi^ i


luita atlenfl(Xf j
Na rusm da Uniao n. 47 fa-ae pls e reeorta. i
so babhs W&d wa fttjMm, pojum.
&V,._ftjipbtfyitoU=%IMF 11 IPA
"Iicir^

pwda tW- drsk~*

Precisa so de uma mulher idosa pamra vender
quitanda : na rua do Apollo n. 2, 10 andar.

Paiw 4& Gor~m X. 9, 1.0 andar
Ac At# J. S:ed a p t tftea to eseit ,'
nio s6 ensina bem a dangar, como tern urn hlbil
professor de music ; e pelo S eanr do, ga-
l rante dar promptos os seus discipulos em pouco
Tempo, mediante modica recoxpensa : das 7 As 10
'horas da noite podewp sOrar o mesmo profes-
sor no predio acima i; l;ido.
Ana
nWBW-', 'OC.Vtf l99tam l (Prmil.
Wwr*A M 'I *Y*"dyxaa Ai 'Its *
g~r'6 kafItfftEtf)._ ____
PereB-C.
continual alugar serf#1W 'iara chA e jantar, ta-
lieres de metal ios; trinehante, copos, calioes'
garrafas, ceapoteiras, jarro., globos, lanterna,
lustro, toalba, guardasapos. tonihas de labyrmn-
tho para baptisado, espelhos, bandejas de metal
braneo para cha, mesa elastica e de ferradura, e
outros muitos artigos para casamentes, baptisa-
des, bailes, festas de igrejas, etc., etc., por pre~os
commodos : na rua Nova n. 39, 1 anudar.
Criado
Precisa-se de um criado para o serviVo de urnt
casa de familiar : na rua da Aurora n. 109.
T11IL1&OS P TboIATXISI
0 SYSTEM APErBFXIcOADO DE KEBx STUART'& C.
Browns & C. receberam denefste e
expeciflcaceen desten trfld n4.
coma tambem de wagdae
e loeomolivam
8Os frilhos e dormentes s ao todos de afo poa' tmto
tern muita durafao-o awsetamento I mai fail do
que corn dormentes de madeira.
N. 5-Rua do Commercio-N. 5

Allenvao
Na secretaria da Santa Casa se preoisa fallar
ao Sr. Bernardiae Jose Perreir oaja jwsgda s e
ignora.
Casa na Soledade
Alaga-se a cata n. 5, a A rua. do Btifim,
corn 4i|uartos, Isalas, cotila fsa, IqdnttA ma.
rado, eacimba eow boa agus ; as ch*tes pa*a ver
estAo na casa n. 3 da mesa rua, o A trata. na
rua do Marqnuez de Olinda n. 3 A.

Aluga.se
o segundo andar da rua Primeiro de Marco n. 18,
muito limpo e Ibseiado, corn commodos para fh-
milia: a tratar na loja do mesmo predio.
Casa e sitio na Torre
Ainga-se o asitio na trada do Rio n. 2, eassa
na primeira travessa da rua Real n. 1 : a tratar
na rua do Marqaez de Oltnda n.. 42, Ija.

-ot-e-le cralo e dm lado r
Vende-se um piano em bom estado, trees cordas
e un cavallo de sella, born aodador, gordo, cas-
tanho, podendo servir tambem para cabriolet: a
tratar no mesmo.


Sulfato


0
ro Of


neade Sousa Perea. & C., ruada Cadeia n. 27,
e na drogaria le f1 iw MInoel da Slva &
Companhia.


Jhuls u.LdI


> paga a


.aka FCTzf yOp4gni D raN,
(YOE' 4MUN@l d PO0FM AS


. IAt.oFJEri S BOlrAA ,*S
bmt.Ao .AiW d 0brdo !'
dof-tletutc) o
~ w~'eIau o.m'Zr'21 ~-~'*i~'; ~ "F inho do Ccam
4 r a u b 0 rml :l r 21
. t, posiLm Pwma o n c VAd. '.' S Mi ,"&,0%: p n0 OO
.....g^ **"'" S^ ^ *HIHF. MW


I
!


rVINHO DEFREUE
I ONICO- NUTRTIVO
COM PEPTONA
tCamne asimilavo/J
rEM E LACTO-PHOSPHRTO DE CAi. '&TUJES
Send o Vinho Debne d'um gosto delicioso, tam-
b4 unico reconstituinte: natural e t ampletu.
t o mais precioso de todoos s atowcos; sob a. am
hifluencia, desvanecem-se oas accidentes debris, renasce
o appetite, fortilecem-se os musculos e voltam as forgs.
Emprega-secom exit contra a inappetencla,os oar-
omentos rapids, convalo eogad, moleutia do
awtomago (Gastralgia. Gatritis e Dyamteia), e
debilidad., a anemfti e omsuopgmo.
DWRPUM: fmcaqdr s ietpilt. Pais,. Aor sdAo ftomfa
"ae eIuNSuMMua


Pun. vW.- -P"&WPAh -


ip iji
ill tat


iii iii I,
~ '4~.. -.J,


-Toni
I _J^fAGUA VEGE'AL COM OS PERFUMES AI&AOM
..S ^ QUALIDAOK SUPKIRIOR
PU inn' oa CABiLS, 4 cowanr iSaiide do LMp
BEf t ,o i o extrano das subsutandas dMenim e f t ,ifi a 1 i
gm do ovo. Peldo mu uso, conserva-a a ado e a sadde do
Kc^Ibcdt; impafdP-j Cwkil& d cabr. O muos pefunnes ft -
,ttm, dou d& so tar suvid dBm -c0ar ada&iO IL 1
B'iHS^^^B P'MHL31 ^ DZVEROSO
'W b w ^ NAYM I OMIZA DUO PAMPA8 Y1LAUO YVLAO
d JOCEY-0 @g I ,IAUMIn 0DPAONE I POMNE M 111
T .od I TEVOL |kT DU NO
P 1 g otoU.n i OPOPO4X
U. LEGRAN D, itnma mowI Uf mr
PABU 207, run mslnt-rwo, w -- A1
AlrTmTO HAS PRINCzA PAUMAp *J6a8 D3A caaz.ns uJnL
> pEscoN % ^It A t.

de Quinina de Pelletier
6hMWiM dos B G8achets


A^Mfe(,t~ EW. LIdSLE I& fbia Succ~sares
Desde a deavobrta do-Sutfato doQuinipa por, PELLETJER, este product tern mantido a sua reputaAo de
arte-a. e a ft 6& &i erida setn todos'ogiWrercados do mundo, hpeiar-da ceml-.tencia e da
falicaWRoWs M's.RMET DE SULEtt.R.eeores de,PellU4ier,; realisandoium novo progmresso, introduzem
o 1N 6 Afit a dl PMlax i*m peqaeftM' capsirias redondas, delgaidas, transparentes, muito
soIuvej., (econ.mervvao indefinida,qune hnao endurOmmcemico as pilulas e gtageas. Sao o espeeifico certo das
febre rdito5i"s, tLftiria- ppalhitres; das d6res de cabegc4 enxaqueoas e vevralgias,
gota;.-fieumatI:Ad o, as azecvoel 'do rgado e d6 ago Na d6se de uma ou duas por dia, o Sullato
de Quinina constiIte o miais poderoso dos tonicos; excita o appetite, favorece a digestdo, combat as transpi-
ragdes exageradlas,reaiimaasfbras e'di so corpo a energia necessaria pararesistir As febres e enfet-midades
infecciosas. Vende-se em Ifrascos de 10, 20,.100, 200, 500 e -1,000 capsulas,o que permitted ao pharmaceutico
satisfazer todas as preseripgdes medical. .
Cada capala c6kUn dk centigramtMas e leva o nome Pelletier impresso em preto
DepositB exclusive, em PARIS, RIGAUlD & DUSARTt8, Rea YVjvienne, encsutram-se em todas as Phamacias.


i'21


g.~ .. __ .... ^ -._./ !. .




Is^e lftfophtqmato .de 0&1
Admaitid Nas DoS .phalmaopda oePa M tie P*a. -.llfi~uibp^k .Ml ceatnrsylb iI RkBa
A e&S dl s smicoevt dAibror do W"dQ tmrdo que o tRetphosphato de cat
rn estado olivel, como se acha noVlnho e'no arolper *aot, 6, toidbs-.t da vida
Sre"onstituinte excellencia do coapo humwnno
Sfa' e Ib l6Nolo nmuita eze pummitr m vomiteO e
cifrost K d iite% a -o b te, r s a~a dAa tas--fm -a
Cejltros &Cide-t_ travidez." ATminNistdi amas de. ,ie o
de amR? 46AJAL q^rTmmm w
est4 a de1 10. landulat bdiitpt n-e ism-
phdsphato d i reme o sempre <,IBa.
Sua a",. rear Wora e reconsti soo ftWtb 1^n

... ... .- -.-t---. s .-4 t4
.................. .. _...a..m...


*II


D W QMERAL
Rio de Jaudir
Unieo agent em Pern-baoo
ADAMON W13 a c,
N.--3 Rua do Commercmio-N.--3
A venda em todos as botcas a droim

Oligtetnet
Os armaem n. 13 d largo do Corpo Sato,
Znl tern communic i3o corn o do n. 4 no cmas d
ompanhia PernambLeam, CO guaEndte.
Lomas Valentinus n. 4, cam terren.
Run do Santa Thereza n. 19.
Travessa do Carmo n. 10, loija.
Armaem da trmeu do Ca npelo D. 1. 2me.
A casa terrea n. 1 C us Bid Vendk (CS-
punga).
Idem da Palins n. II.
A tratar no karp do Corpo mts 19, pinim
sadar

Ama
Preciua-se de mum pars ca a de famia, a tra
trar i run do Born Jesus. n. 58 armazem.
Costureira
Precisa se de uma eosturcira : a tratar na ri.t
da Saudade n. 16.


,Alk
Prgcisa-se de um
tSir- n. va i. d Ao r A,


o srvio doe-
o servi~o domue, -


D. Elisa Tigre noreb
Delfino da Silva Tigre, D. Julia Tigre dc Oi,-
veira e D. Rosa Tigre Moreira Lopes, iausent'.
feridos do main doloroso e pungente goipe plvu
pelo infausto passainento de sua idulatrada irmn.;
Elisa, rogam aoa scus parentes e as pesos"s 'ir
sua amisade quo se lignemi asistir a missuMa qie.
por al ra da finadaI, inaudam celdiebrar na maia,
do Corpo Santo ;is 8 Ihoms d.) dm '25 deste mn-z.
Por ease acto de piedade christi, ue eon.'esa,,
etername rite grates.
9.



Bacharel Ac i os o Pacifico de
Lima
D. Maria Cleopha. Maciel Lima, fendo de man
dar celebrar uma misia na igroja matriz &1A..'u:
Preta, no dia 25 do corrente. ;s 9 horas da ma
nha, pelo 10enniversario d:a morte de seu sempr.
pranteado esposo, o baclhurei Antonio Parafic" I..-
Lima, convida a todos o.. seu.. parents 11 ILMIZI
para assistirer a misia ; comafessando-se deade j.i
o seu eterno agradecimento a todos aqnueli e in<
se dignarem comnarecer.


Abadle Xavier
Os francezes e amigos de Abadie Xavier. 4o
convidados a assistirem a misa. que pelo repons'.
de sua alma sera celebrada na sexta-feira 24 io
corrente, is 8 horas da maubli. na matriz da Ikei
Vista.


D. Alice de ledelros Fluza
Manoel Martins Fiuna Junior e Antonio lImaTL
cio do Rego Medeiros, agradecem sinccram.nt tr m-
pessoas que se dignarain acompanbar a uhltima
morada, os restos mortaes duc sua cara rxposa ..
filha D. Alise Medeiros Fiza, c convidam a assis-
tir as mssinas qu par sua alma maiandm cekbrar
na igra da Ordem Tereira de S Framcio. se-
gunda-feira 27 do correte, sS boram da nmamBi.
T dia de seu fillecimmto. anteelpado prefundo
reeonhecimento por mais esse oequio,
%7.k .... .


dJoato dowimo de Almelda
Francisca Maria Chaves de Almeida convida a
seus i'-maos, parents 'c amigos, e aos de sen fi
nado caposo Joao Jovino de Almeida, A awisti-
rem as missas que manda celeb-ar na matriz de
Santo Antonio, na segmuda.feirs 27 do corrente,
is 6 boras da manlUa, asetimo dia de sen falleei-
meato ; pelo que deede jA se confessa summa-
mente grata.
_G


Para o da de Smad-
No estabelecimento doe Sr. PaOda )rAm teni
pessoas habilitxdss que we mearrngam de arma-.
q3es de tumnnulos e catacumbas, for mecemndo tad,
quanto for neoessamrio a simple u pompom de-
eeraqes ; na run do Imperador n. 23.
PHARMACIA -UOXEPATHICA
Do
Dr. bno
Verdadeira homeopatha'
Mecheamenmtos vegetaes braileires
Preparac4s maebina s
Vendaa em grosso e i rctalbo
Deeoutos vntajwos
mna do hMugo da vf"erla .13
'Maehinas eleetricas
SMeias elasticas
Mamadeiras
Tim-leite
C FnMohte hd m
PaNd~was a ha e0nahc
Fundas pmj esn-am
Tubos wmapopam vaudwM


4p
-.A


n. .1.


"- .,


S


'.--- ."


.5-, ***-~i~. -


*-


..* Sh


a








0

U


I
(
I


-7i


-,- ^:


,-I 2


I


I


























.I


0 Pailiil1rvoOt arUMl i
Matador da dor
Um amigo dos pobros, economic e de
facil applieaco, 40 annos de success es-


1 w1 mu^ lfiU- asM~ .iwu0 4*A
lo-O-IO 16010%L
bwt 4r ambour 4&modiurp
soflsn o poemuidmsra a vzftml teosba',
ao-oflibhi do oM tume swaw
'dgu- -.
bI, A.e.'w- ai 1 os- ..e. RdA.i
biHtet goolloaw.. a& IS.; paifrw iA..i
tefiasa abeneficio dacli tttz db f4 ie&
.MartIrde Oinda (82.), quoeu e extarai
;us ae,$7imd 27 d6 aemnte.

4000
Qoarto 1#000
Inteiro S OW
Me.io 15io
Quato875
Mkuiwd Mapimsw Fsuza'

A ift "I4; &*1 Ra
C ASZA DO B OIt



R=a do Rai.. da VieworIa a.A 4
e eamms do4 e a
Acham-se A venda os felios biketea
IpAunmtidos da 210." part das loterias a
heaeficio da matriz de S. Pedro Martyr de
Olizda (8g.), qaue s. axtbhira nasegunda4
feirs, 27 da corrente.


ma0I modernmas e da
-mais apurados mw.
Compronmet~em~se~
a tender mais basato
do que em outra qual
quer part.





AO COEIERCIO

Viagens n ceitro I
De OUndailtabayana per IMuO
rasitA, Ge'anma e Itaiib6
Todos os sabbadoei, as 4 horas datarde: passa-
gens tomam-se ruma Primeiro de Marg0 n. 1,
loja.
De Itabayauna aC Olinda xpr Itaem
b6, doyanna e Iguaras86
Tod" as tera4feiras, As 4 horaes da tarde:
Sassagens a tratar corn Lourenpo Pereira d'Amor
tim, em Itamb6.
Viagens avulsas para qualquer part e em qual4
quer dia, partindo do ponts que ae couvendonar e
a pre commodos. Essas contratam-se i..a da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se dae
bagagens que nAo podierem ir nas diligencias.

Casa de cajopo
Na estrada do Luc, cico minutes distant da
estateo dos bonds da Magdalena, aluga-se ura
elegant easa de campo con exeellentes common
dos para uma pequena familiar de tratameutg.; tem
casa de banho, lavadouro, cocheira, jardim, al?
gumas arvores de fructo e baixa de capim : &
tratar corn Luiz Duprat, rua do Commereio n 28
e as caves eatio em poder do Sr. Maneel Bran-
dio, taverna ao chegar ao sobrado grande,


Inteiro 46000
Meio 2M000
Quarto 16000
porpie de 100o 000 para
elma


Inteiro 36500
Meio 16750
Quarto. 6875
Ao8o Jeaquimd&a Csta Leite.
iCA A F...E!LIZ,


A0S 4:00JOO9

Prana da Independclen.
cians. 37 e39
0 abaixo assignadr vendeu entire os soun
telizes bilhetes garantidos da Sla loteria a
sort do 8006 em 2 quartos n. 1921,
a sort de 100# em 2 quartos n. 2653,
al6m de outras muitas de 32# 166 e 8#.
Convida -os possuidores a virem receber
Am ffiwin"lpa,
0 abaixo aas-n'-o tern exposto A
venda os ses felizes bilhetes garantidos da
loteria 82a a beneficlo d. matriz de S.
Pedro de Olinda, -que se extrahirA segun-
da-feira, 27 d oormete.
PreCos


Bilhete inteiro
Meio


pantoso. Quarto
Nenhutma fanailia deve estardesprovida j Ii pori *o de


deate remedio.
Externanmenf li.tra: furunculos pans-
ricios e outros tumors torcdairs, dos ten-
does intmaeccenias das articulagaes do-
res de dents nlvralgias-- rheumatismo
queimaduras- glpes, etc., etc., etc.
Internamicu t, cura:: cholera,. molestias
do figado, (dipepsias, ulceras doengas de
garganta, tosaes, etc., etc., etc.
Acautelar so contra as irnitag3es.
Agentes e i Pcriambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Barlo da Victoria n. 9i


Frascos grandes
Pe.uenos


PREVOS


Duaia de frasuos grandes
Pequeoo


1#500
1#000
12#006
96000)


ADS APRROi IADORiS

Vinhopnro sem confeiIo
Proprio para mesa
Emnbarris de quiatos e
declmos

V ENDEM
FERREIRA DA COSTA & IRMAO
]RDawdo Amoril 04 "


Luz brilhanite sem fuwm
Oleo aromatico
HYGIENICO E IW-I


46000
26000
1o60 pa
ito00,1$000Para


elma
Bilhete inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarter 875
Antonio Augusta dos Santos Porto.




Aos 4:OM$0

BI NMTRA OS
16.Rua do -abug-16
0 basixo assignad.o vendeu nos. seus
venturosos bilhetes gaianticdos os premioa se-
guintes: 1 inteiro corn a sorte de 4:0004
no n. 1412, 2 quartos coarn a sort de 200,
no n. 979, 2 quartos corn a sort de 100#
no n. 2653, &lm" de outras mais de 32o#,,
16# e 8#, da loteria n. 82.
Convida sos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum.
Acham-se A vend& os venturosos bilhe-
tcs garantidos da loteria n. 82 em beneficio
da matriz de S. Pedro de Olinda, qua se
extrabira na segunda feira 27 do cor-
rente.
eBE Cos
Inteiro 44W000
Meio 2#00
Quarto 1#000
memno qumaV dade superlfe
a 100:000
Inteiro 3500
Meio 1750
.Quarto 875
Joaquim Pires da Siva.


AMA
Precia-se de urma perfeita cosinhei
par cam de pequena fmailia, qws compare
e nao durma f6ra, a tratar n'&est typo-


'tode relogipsdos mais
ae3rUXeditados fiebrican-

1 tm "e ,s c a habflipr
tados ai vender i' i
barate do q"e 2Outr
qualquer, visto reeei
berm directaniente.
Todos os relogioe
Tendidos n'esta casa
sao garantidos.
t nakd0abudL 4&



RUs da Praia n. 85 segundo an"arw
Eduvirges Maria Colbo.lparticipa auae nu-u
perosas freguezas que, tando feito grande eseolha
habeis coatureiras, e tend por geronte de sua
mas urnsdeinig maestra ortadeir, e
ha. pwmpte a .atifte .:qualquer toilt pars
memento, bailey, pameios, theafiros, etc.,: e e,
vaealpara baplasados.

Chiiadlo Turco
t0.i RIN do Bari, da Vitetoria 10
0 ultimo vapor da Eurapa acaba de
conduzir para este bern conhecido estabe-
lecimento, tudo o que de elegant se pode
desejar em calgado, no s6 para senhoras,
como tambem para homes e meninos.
A's Exmas. familias, as distinctas clas-
ses academic e commercial, e ae public
seam distinceo do cathegoria, convidamos
a visitarem nossacasa, convietos estamos,
que ninguem se recusara honrar-nos cornam
suas encommendas, caprichos de moda, ou
modestas compras, ante. o explendido sor-
timento, amabilidade e preos rezumidos
que sustentamos.
Estas garantias s6 offerecem
Thomaz de Carvaiho (ba C.
Compra-se
diarios na rua do Rangel n. 67.


" ti, I ** a k "~ d-, AT


-


V.J t UttJLlCUU U -/0
avisam ao respeitavel
public que sob es-
sa firma organisaram
uma companhia de car
.3


nes verdes, e que a
partir tie hoje darao
principio a venda de
carnes.
Os talhos perten-
centes a companhia
estao assignalados por
um bandeira branca.
Recife, 7 de outu-


bro de 1884.

Ama
Precisa-se de uma ama pare cosinhar e lavar:
a tratar na rua do Imperador n. 55, 2*- andar.

Flbres
Urma pessoa competentemente habilitada na
axte de florist&, se propSe a dar lig6es em easa
particulars ou em algum collegio : quem de seu
prestimo se quizer utilisar, p6d deixar .o seu
adresse na livraria ecanomiea A rua 1o de Marco
(outr'ora do Crespo) n. 2.
Aluga-se .uma salad e alcove A ruaestreitu
do Bosario n. 34 : a tratar na rua Duque de Ca-
xias n. 63.

Alugase
una casa. em Santo Amaro das Salinas, corn 3
qaartos, 2 salas, cosinha, copiar e quintal, pasase
a Imha dos bonds junto.; para ver e tratar na
estrada de Luix do Sego n. 19, taverns.



Aehan-se expoatos a vend a na cocheirm que
foi do Pinto, A rua de o.to Amero, dous cabjjnp-
lete americanos, num de dous assets corn arremos
e duas rodas sobrecelentes o outro de quatro as-
sentor; ambos em optimo estado.
VeniABpo D'I taif preo de 2S005000 a
armas* de leur, eavt da tavernma n. 5 da
rua nova d CIAt. Rita l w do meiado) bem
afreguezade e em boa localidade; a treatar na
mesma ra n. 1.


osertomo, tegif *'3%



ot ,aMteda C





pKn-* i.w leod e dea i



icede pe. de 20resa
Uom~rk e vMarmemolug5(K
Pehe assainva.edid a 0 a.,on e







Amioahaem tim deemideo,
lh500, tot6w oe~lovado, d memn ad a
fr ulqrueBroo peg ~baaiu eetuos, er pre.
euie m metr0e i
Mlido urBand* e ple % rlidaw entro da








dt~o malioufiao ad~uamrevmca merse
a esm-", nftwa dOe 21M
0 Bruiat pama ler owl tm-





Soironmeeu*was eso e seenim"dsopreste
encorp&4a cada ppemc 20 vu"
tpor 10cAr eoa. ovra q 50%





250,estdA end a o c oi o esa o eader& s anu

pinendido Uo, ropietdo earsimpoal.to tdeas
o peta. de aiesfian. o &qe0 rin o ercado, i
dig lequee -m, ven spor .o"ea de qu e ment










fazeeu lqurnd peehnda d:rop na lonta dos artei-
rosgao Bo-Vsotd, esquina do beew do Feeiras,
eos 1Drscores











Os BSrateiros da, Boa-Vista, vrandea Imperah
trffii &.-env&e-it"& UMssoienodeft
ater na oin s ua da u aoImaperatriz n. 40, q esuons




do Feeodro save* eiro s, re-deome-taneene =
immenpo ato deweries de ias smea != radaes,
toa daas core das IonseiaL s qua ve4n iodsag
b5meremo ad s e6pre.n o ovado e a cm manda m
fiser qdua-lqur pe ag der3 fi caIotedo, ers pea





ta alove dao m ofod I eratquoere loo quov ee

muios bosesmoe tilhomse pnaream de .ehoas a y
nale, pganer pecnia dhe e, a& bnoe dos brn fre-
guez e cormn today a perfeief ehpreste0 :- ;i&o na





oja dos baateiros da Boa-Vist, u es ia d
b0660edos 4wreir5s.
0Hosa1r60ls
Os Barateiros da Boa-Vita vendem maito bo.
nitos bincos do up s6 cpr s de stidruhas da
vestidons, ldo a 160 ris o covadedo e: ires me
iste Ia ruada Imperatriz n.. 40, exquina do beoee
es odoe Ferreiros.
Brim- pardo
Covade a 860 re.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
briii'pardo liF, pro io para paletots, calcas e
Toupao de ctinetas, tto rses o covado, istd po
ter um leave toque ds mofo, que larga loco que si
milhe, 6 grande pechinca : na Iola doesbarateio
ros da Boa-Vista, eaquina do becco d ps Ferreiros
fustoc'saS60 47,10t'500
Cef40rs.
0s barateiros dado. Boa-Vista A rua da Impersa
tris a. 4A- vendem. um grande sortimento de fus
toesE.bracos, propros pars vestidos e roupw de
crianc~as, peloo preeas aciraa indleados : isto na.
"suina do becco- dos Ferreiros.
Setinetas A 500 e 640
Na loja da rua da Imperatriz n. 4C, A esquina
do becso dos Fesiros, vepde -se um elegant so,
tunento de setinetas, tanto lisas como lavradas,
sendo, as cores mais bonitas quo tem. vindo aw
mereado a n00 e 640 ra. o covado; assim COMO
umcbet. sorti nento do lcoanhoaw;s m lavradds,
PqOPria dParo vetidos, e-e 6- osa6 CO -re, f pe-
chincha :na loja dos barateiros da Boa-Vista.
E9spartilhos
a 4# e 66000
Na loja. da r'ua da Timperatriz n. -*- vencte-* .1


Novos tedidos
POR
Prepos baratissimos!!
Lindos padres em fustles de cores a 240 rs. o
covado!
Bonitas setinetas lisas e lavradas a 360 rs. o co-
vado !
Baptistes de cores fins a 200 re. o covado !
Alp;cas de quadrinhos finob, modernas, a 400 rs.
o eovado!
Merin6s de cores a 700 rs. o covado !
Dito preto de duas larguras a 15200 o covado !
Casemiras proprias para roupas de crianc, aa
1A500 o eovado I
Ditas pretas diagonal a 21400 rs. o covado!
Saia bordadas, novidade, a 35 uma.
Cambraias transparentes a 3,500 a pega de 10
jarda!
Ditas victoria a 34500 a peca!
MedapolAo boa-vista a 65 a peca de 24 jardas!
Colchas brancas a 24500 e 35 !
Cobtas de gngang, forradas a 25500!
Len0oes de bramante a 2A !
Camisas corn collarinho deitado a 38$ a duzia!
Seroulas bordadas a 16A a duzia !
Toalbas felpudas a 55 a duzia!
Fichus modernos a 21, 35 e 4%.
Pannoes de crochet para cadeiras a 1A2001!
Ditos pare soft a 351.
Ricas toalhas de labyrintho a prego resumido.
Complete sortimento de capellas e veos para noi-
vas a 105 e 14S.
Popelinas brancas e setinetas pare as mesmas.
Espartilhos a 45500 e 59, leques, gravatas, len-
goo, etc. etc.
Grande deposit de iazendas e roupas. Vendas
em grosso, damos desconto.
5==Kua Duque deo Caxias=5
LOJA DE
Conifrt PhC & C,

Para a safra
V'ede-se dous.bois bons de trabalbo e urn car-
ro de quatro rode, em perfeito estado : a ttatar
no sita das bolas, pri meipio da estada nova do
leberibe, p eira bomba.

e aiento. ngle dO 320 libm, iarc pyramid,
ebad de LoAndes : vmndem Foasem mi &
Compoania. I I In


Piano baratioto
Vende-se urn piano de mesa, muito born, pro-
prie pare aprendiz ; a tratar con Adolpho Fer-
reira da Silva, A rua do Livramento n. 1.

Plharmniacia
Vende-se urma boa pharmacia bem localisada:
a tratar na rua do Barao da Victoria n. 51.


Liquidacao

Para acabar
Popelines lisas, de listras e lavradas.
LAs de quadros, escossezas e lavradas.
Alpacas lisas e de listras.
Grenadines de cores e pretax.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques.
Chapes para senhora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de seda e do 11
Capas de malha de lA.
Para continual
Collarinhos e punhos para senhora e home, di-
versos feitios.
Camisase sm collarinhos e ser punhos, com pat-
nhos e corn collarinhos e punhos para home,
desde n. 35 A 45.
Camisas para meninos desde n. 28 A. 35; sem col-
larinhos, de n. 32 A 35.
Camisas, saias, penteadores, calgas, gollas e pu-
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, velludi-
lhos, brings broncos e de cores, luvas, perfuma-
rias etc.. etc.
Papoula. & C.
I S-Rua do Cabug--i*
Em frente a matriz de Sante Antonio


NOVO


SOt IM NTO


Roupas para homes
FOw
Pr e Vos baratissimon f
Rua da Imperatrcz a. 40
LOJA DOS BARATIIROS


Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que se lava
Dites de panno preto fino, fasenda mnito
boa
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrados
Ditos de casemira escura, de cordao, for-


65
78
85


rades 8
Ditos de flanella azul, forrados, send fa-
zen la que nao desbota 105
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 101
Ditos dc panno preto finm, forrados 10J
Ditos da casemira preta de co4ao 10J e 120
Calcas de casemira corn dAfferentes pa-
droes, de 55500, 61500,S 1 e-'
Die,: de caoemira prets e@ -8- e 10)
Ditas de casemnira de cordb 6
Ditas de casemira pretax 6
Seronlas de rem nella, obra muito bem
feita a IJ200 e
Ditus do Hamburgo de linho a 140 e ( 10
Coiletinhos par a dentro, sendoA oere-
guella e muito bem feitos a 800 e 10
amizsas, grande sortirnat de o aia
branees, Canto francernq como jngIes,
tanto de linho como de algodo, sad
de 2$, 24800, 3&, at6 60
Ditas de cretone de cor de 2, 250 e 34
oIse, do ortiahto ft dw esa cula
pan omens, de 320 r oa par, s6
Colmhos, grande do to de celia-
rinhos, tendo de 51 a ddia t6 81
Toalha, grande sortimeto -'d'*awha
tato pare roto cus pra baau, quo
me vendam por See tora*9vea.
T ude to e el .. .r :.o
I -a dae n fm e ,f.


i00(

;00

001


W-1


vbypit* "am-sms 1.4.. e nm rap ia ie. yI

:~0 .


I W etaa I-r--r0 a 2 oado.
Cr a m pam.l, a28o aa
DlAb,-smmsaJinO 40 iia& o evab.
o i dm, o 15,00
me" -immedo=rg, 500 VW, lowo0
Row. ed.4
uBw e tac pm.400,a 0 ea a700 o eo-l,
**do.Qljiovdo




Dite bomm.1AOL80.uma, 0
Bita &bra s peto .de Uobo.30M 0, a 00 -e 44

CasiuBirsingieza pv w rgnia-o cowado.
Assi Co io outros aos 2u0 eo a viv4.s
pode avaliar. Pam o respective annuneio, chat
__a g oo.e,7-



mamnos a aittenq do respeitavel public. o ads
Fan".fAmnilim ma
Ia, fIuqi de Cqaxwa.i de o Mo-d m
S quat.ro, parts no So
Girandear imazm de m er

ciaria
De P as aides& C., ru Es.
ireila do Msar ion..9

< ESPECIALIDADE EM
lizecitom do todas as qualidades.
4Quei6jo idea, idem.
Linguaen do Rio-Grande.
DOta preparadas.
Premuntes de Lamego e ingles.
eortadelts emlames.
Came do sertio.
Uwas e magles.
Docem estrangeiros e nacionaes.
Farhuba lacteFa ararnta e sagA.
Coumerwas inglezas e franeezas.
Wviuhs finos e commune, grande sortimento.
Licores idem, idem.
Cognac idem, idem.
Caft idem, idem.
ChL idem, preto e verde.
-- Amendoas e confeitos.
matsam prasarpas de todas as qualidades.
Mate do Parane.
Obras do verga.
Nementes do hortalias e flores.
E oas afamados reqiemijoes em aas,
todos oas dias


mercado,


em novello


de 200 a 400 grammas
e em saccos de 25 ki-
los, da muito acredi-
tado fabric Bom-Fim,


de Catilina


& D'utra.


Rua do Marquez de


Olinda


n.22,


Grande fabric d'aguas

gazosas
DE
William Chance & C.
R ua da Crioula a. a
(Cani ua)
Deposit
Caes 22 de Novembro n. 42

Golfoita ili


Gingerale
Limonada
Tonie Water
Soda Water
Agua de Selts (em Syphon


Allenva,


dumia 3#000
a 3M000
W300O
1 21400
t), 11&00


rat des- ru e em premy.
m-ewel
Cedeiras de junce do fbariante 'ioneta 65O
itas corn pequeno4 braciahos 70
D lias de oe ao&-epiha
DItas de pio-sege a SG e NO.
mai pecaivwuas quo eo v&mdo hreb : n
rua estreita do Rasari a. A


cm I


No. Dvh i obi
O ogfeadeopeitlad 9 dopeI
Nam 0"0do


erdolk,. PIJd w
B .a se&mein&D s







;Dvende u vtr cnv fhf e brMes
PALOin B n a &4 ARKL,
Muw aap.op eirmkatq da O tinpt

SPadm-. I ird lioa
do P sr. FEbao:
.' 5-RUA D%~tIBfLDDOR 6









.neiL/m[.ta Centra de ymiU doW SW4U Si-
-e.&oI.hoim.mta4sueo e yp....nu .
cI4AVOS H FLQWS
Na rdmar daiMiAWL

r, ha sean.pre pant se

tender N an e Ires



Ooncenfrado, perfeitamonoh incoagulavei
oe cdnservaco para exportano M
PELO BACOffBEL
Joao eapeia Cimulra Coseg a
Manulueado pelo cirurgiio deanta
N'ui a Pompiliss
Pr iadeo pelo Goverao o periaI e apivres
do pea .uta Central de Hygiene do Rio dei Je
neiro.
Para a cura de eamew-, fer~dw
ebronica. e yphINtdea.
nico deposit geral em Penrnambco
Ra do &hrao da Viclria (mt'nL



o sorado guranddee umanar ew)Stonaertnw
ra Rua Nova) L. 54 fawnr
o ma o elBarp,2,liwa8hlivmn
Prego de cada frasco pamn eanros 6M000
Formula especial para ulceranes e gra-
nulatoes no collo do utero e can deos
syphiliticos 55000
Para ferdnts 6u0GO
Para calos 200M
Cada frasco leva o retrato do bacharel Gitira
Costa e assignatura de proprio punho e rubies do
Numa Pompilo corn tita encarnada.

Vendesse
o sobrado grande de urn andar e sotio na eatrada
de Luiz do Rego n. 13, em Santo Amaro, con
janella nos dous oitoes, quintal grade e murado,
quartos f6ra, cocheira, viveiro, poriio e gride de
ferro na frente e um grande barraco fechado o
lado do mesmo sobrade, encanamente d'agua, gas
eo drainage: para iiiforaea no Consulado Bri-
tannico, rua do Commnercio n. 16.


Fill BA DUI
Souza Moutinho &
C., term constantemen-
te ai venda fib d'alg'o-
daio da marca L, mui-
to conhecido H' este


I


I




















|iado a sobrialtenxnva os; :olh8 can-
lr ot +der-so"ha tavbem a
I^Jp' aorirdia, o cm sesaabead. ilne D.D, Paula
W ivo no alto da Tiipl^ d'I[onde raras vyess
De ".ec; a ultima foi pte Natal passado, e
1 estaifrAemiarmaie do 188. Desceu l0on-
p tern, a tarde, e foi para easa da irmi, ra.
6 LbIiavradio:Hojee tiat deprtssa alemoou,
S wst'o-s e correu a visitor a sobrinha. A
nprimeira escrava quo a vie, quiz ir avisar
t eao, oe foiep6 ante p6, muito de vagar,
a 'Oihora, mais-D. Paula ordenoa-lhe quo.

i para impedir o rumor das saias, abrio a
S porta-d4sali de visits o entrou:
Que 6 isto ? excdamou.
S Venancinha atiron se-le aos bragos, e
Sasv lagriimas vieram-lho de novo. A tia b-i-
jou-a muito, abragou-a, disso-lhe palavras
S de conforto, e pedio, e quiz quo Ihe con-
S tasse o que era, se alguma doenga, oa...
S -- Antes fosso uma doenga! antes fosse
a more! interrompeu a moga.
Nilo digas tolices; mas que foi?
andoa, qnuo;foi?
Venn&nha euxugou os olhos e comegou
a fallar. Nio pOde ir al6m de cinco ou seis
S palavras ; tas lagrimas tornaram-se tileo abun-
S dantes e impetuosas, quo D. Paula achou
S de born aviso doixal-as correr primeiro.
S Entretauto, foi tirando a caps do rendas
pretas quae a envolvia, e descalgando as
Sluvas. Era urna bonita 'relha, elegan-
S to, dona do um par do olhos grandos, quo
S deviamn ter sido infinitos. Emquantoa so-
brinha chorava, ella foi cerrar cautelosa-
monte a port da sala, e voltou an o c.inape.
No fim do alguns minutes, Valentina ces-
sou de chorar, e confiou A tia o que era.
Era nada menos que uma briga corn o
marido, tao violent, que chegaram a fal-
lar do separa9io. A causa era ciunes.
Desde muito que o marido embirrava corn
um certo honiem; mas n.: vespera A noito,
em casa do C..., vendo-a dangar corn elle
duas vozes e conversar alguns minutes,
concluio, que eram namorados. Voltou
amuado pars casa; do minanhI, acabado o
almogo, a cholera estourou, e elle disso-lhe
cousas duras e amargas, qno ella repellio
cow outras.
Oride esta teu marido ? perguntou a
tia.
Sahio; parece que foi para o escrip-
torio.
D. Paula perguntoti-lho o escriptorio
era ainda o mesmo, e disso-lheo queo des-
caugasse, que naoe era nada; dalli a duas
horas tudo estaria acabado. Calgava as
luvas rapidamente.
Titia vai lA ?
Vou... Pois ent-ao? Vou. Teu mari-
do 6 bom rn; sa'o arrufos. N. 104 ? Vou lA;
espera per mirI, que as escravas nio to
vejam.
Tudo *is*. ere dito corn volubilidade,
contianiqa doura. Caladas as luvas,
poz o mantilet e a sobrinha ajudou-a,
fallando tambem, jurando que, apezar de
I tudo, adorava o Conrado, Conrado era o
marido, advogado desdeo 1874. D. Paula
sahio, levando muitos beijes da mo9a.
Na verdado, ni to. De caminho, parece quo ella enoarou
-% o incident, nao digo desconfiada, mas ca-
-- riosa, um poueco inquieta da realidade
positive; em todo case ia resoluta a re-
construir a paz domestic.
Chegou nao achou o sobrinho no 'escrip-
torie, muas elle veio logo, e, passado o
primeiro cspanto, nilo foi precise que D.
Paula Ihe dissosse o objecto da visits:
Conradob adivinhou tudo. Confessou quo
f(3ra excessive em algumas cousas, e, per
outro lade, nio attribuia a mnlher nenhiu-
mna indole perversa ou viciosa. S isso;
no mais, era urna cabeca de vento, muito


am1iga de cortezias, de olhos ternos, do
palavrinhas doces, -e a leviandade tain-
boew 6 urma das portas do vicin. Em rela-
9.o A pessoa de quemn se tratava, nileo ti-
nha duvida deo quoe eram namorados.

FOLHETIJ


0 FILIO DE ANT'ONY
POR

ALEXIS BOiVIER

PniBIMElA PARTE


CON1SEuNcI I1i 11DE lm ALTA


(Continuaglo do n. 245)
CAPITULO IV


A9m8orprezau do coronel d'Hervey
Pedi um quarto, foi precise ir se pedir
*a um viajante que me cedesse urn: o vi4-
jante cedeu. Era Antony, ji o advinhou,
e tinha tirade os parafasos da fechadura
que fechiava a portsa om os dous quartos.
la deitar-mc, quando um home so proe-
: cipitou no meu quarto. Come ura doudAt,-
assustada, gritei peor soccorro : oelle atirot-
se a mim e tomou-me nos braeos dizen-
do-me :
Gala-te! Sou eu, Antony. Esta 6
a verdade.
., Oh! quo doesgragado t n-murou o,
S i' doutor. .. '
Adelia, rampeido cm- prauto, ocoultandio
a cabea entre as mi ow conenluia: -
--. E agora, doctor, .a.nt ot! amro lie
I tenho harror de o ean waiido
A desAg -da 4zia dio' r -c bor-4,


ou*6o3e e &0,itat0kt MR M 1WAaw
ro; a fatuidade deus Q -ae' doou-,
bra explicem tudo. IPaf apaorte dolla, ca-
bava do ( er a Inog chorar lagrimas since-
ras; deixoou.a canstornada, fallIado' de
morrer, abatida corn o quo ella Ikhe disse-
ra. E se elle preprio Ile attribuia levian-
dade, porqae n lo proceder corn canuItla e
do9ura, por meio do -onsolho e de obser-
va^io, poupando-lhi as oecaiwes, apon-
tando-lhe o mal que faz a reputa 'o- de
uma senhora as apparencias de a.eordo,
de sympathia, do boa vontade para os ho-
mens? Era muito melhor caminho para
ambos.
Nao gastou menon de vinte minutes a
boa senhora om dizer esses cousas mansas,
corn tbo boa sombra, que o sobrinho sen-
tio apaziguar-se-lhe o coraeio. Resistia,
6 verdade ; duas ou tres vezes, para nio
resvalar na indulgencia, declarou A tia que
entire elales tude estava acabado. E, pars
animar-se, evocava mentalmente as razoes
que tinaha contra a mulher. A tia, por6m,
abaixava a cabega para deixar passar a
onda, e surgia outra vez corn os seus gran-
des olhos sagazes e implorativos. Conra-
do ia cedendo aos poucos e mal. Foi en-
tao que D. Paula propoz um meio termoi
Voc6 perdoa-lho fazem as pazes,
e ella vai star commigo, na Tijuca, um
ou dous mezes ; uina ospecle do desterro.
Eu, durante esse tempo, encarrego-me de
Ihe per ordem ao espirito. Valou ?
Conrado aceitou corn difficuldade. D.
Paula, tio depressa obtove a palavra delle,
despedio-se para levar a boa nova A outra;
elle acompanhou-a at6 A escada, Aperta-
ram as mAios; D. Paula nio soltou a dolle
sem lhe repetir os conselhos do brandura
e prudencia; centre duas phrases, fez esta
reflexio natural:
E vlo ver quo o home de quemn so
tracta nom merece um minute dos nossos
cuidados...
E' um tal Vasco Maria Portella...
D. Paula empallideceu. Quo Vasco Ma-
ria Portella? Um velho, antigo diplomats,
que... Nio, esse estava na Europa desdo
alguns anuos aposentado, e acabavA de
receber um titulo do barno. Era um fi-
lho delle, chegado de pouco, umpelintra...
D. Paula apertoa-lhe a mileo, e deseeu ra-
pidamouto. No corridor, sem ter necessi-
dade do ajustar a caps, fel-o durante al-
guns minutes, corn a milo tremaula e mn
pouco do alvoro9o na physionomia. Che-
gou mesmo a olhar para o chAo, reflectin-
do. Sahio ; foi ter corn a sobrinha, levan-
do a ruconcilia9Ao e a clausula. Venanci-
nha aceitou tudo. Dons dias depois- foram
para a Tijuca. Venancinha isa monos ale-
gre do que promettera ; provavelmonte era
o exilio, ou pode ser tamber quo algamas
saudades. Em todo caso, o nomao de Vasco
subio a Tijuca, se no emin ambaa as cabe-
eas, ao menos una da tia, onde era uma es-
pecie do 6co, am sorm remote e brando,
alguma cousa que parecia vir do tempo da
Stoltz e do ministerio Paranm. Cantors e
ministeri, cousas frageis, nio o cram me-
nos quo a ventura do ser moga, e oede
iam essas tres eternidados? Jaziam nas
ruinas de trinta annos. Era tudo o quo D.
Paula tinha em si e diante de si.
JA se entende quo o outro Vasco, o an-
rigo, tambem foi roses e amou. Amaram-
so, fartaram-so urn do ontro, a, sombre do
casamento, durante alguns aunos, e, come
o vented que passa n.o guard a palestra
dos horns, nao ha meio de escrever aqui
o que entao se disse da aveutura. A avon-
turna acabou; foi umia successito de horas
does e amargas, de delicias, de lagrimas,
de coloras, de arroubos, drogas varias corn
quo encheram aesta senuora a ta9a das
paixiles. D. Paula esgotou-a inteira, eem-
borcon-a depois, para nio mais beber. A
saciedade trouxe-lhe a abstinencia, e corn.
o tempo foi esta ultima phase quo fez a
opinil.. Morreu-lhe o marido e foiranvin-


senio corn a coudiVlo de satisfazer os dc-
sejos de ambos. Vendo aqnella dor, aquel-
la desola9HO, o doutor nao necessitou mais,
comprehendeu quo tinha a supreme conso-
labob, pois quo salvava a honra da mulher,
fazia corn que o fiho vivesse, e quo para
salvar Antony, era apenas precise desfar--
gar a verdade.
Disse :
Pe9o-lhe, minha senhora, que nao
chore mais, ouga-me. Esta tarde jantei
cum o coronel, e is o quo combinamos.
A moca ergueu o corpo. Atravez das
suas lagrimas, os olhos curiosos brilharami,
as feigoes expandiram-se, e ella perguntou
corn vivacidade:
0 quo combinou con mnon marido
A senhora vai tralar de furtar-se ao
inquerito e aos interrogatorios. Logo que
lhi for possivel, sahe do Paris, isto 6, den-
tro de um on dous dias, corn sua filha, sua
irmtna Clara, o vai para Strasburgo.
Corn o coronel,r viver corn meu mari-
dof?
E a moca fez-se corada, e-a peio ot-orni-
se tlo quente, que as lagrimas seccaranm-
se-lhe. Iatava como quo atordoada, quan-
do disse:
N" o- pense nisso, doutor; o coroner
auparou-se de mim ha maia do seia oezes;
quando d'aqui a alguans der polo ou es-
tado... Mas...
Santo Deus Como corre o SaIo-
tro da vcrdado que eu quero evitarl Sahk
iminediatamente de Paris porquo asaim soub-
trahe-se a todos Os diteoa mialvolos. Vai
corn eeu maido, purr o 2p l iui de
suas rM440os coin Autoubny, u~e 4.naKm
do cnairt ",tw a Akoen, 4
jautto do Rcm1", t"doale 04, svitA-
rA quo uma naova, earta Jh. choguo i IAsos,
4 ar foir It l ^ipr lbt- pfeeiime
leP.? 1, ,. .' '* .: *
Dom 1. to "le^'4*1eskt-


tou-lhe tudo, depois da primeira palavra cabega aturdila. Na'o posse dizor quo Sim, senhor.
que ella lhe arraneou. Tinham-sd visto estava alegre nem tristo; lombro-me que Pois bemrn, quando eut sahir do quar-
nas corridas, uma vez, logo que dell che- pensava imnito n'elle, ,e pars arredal-o pro- to levando a menina nos bra9os, voc gri-
gon da Europa. Quinzo dias depois, foi- metti a mim mesma revelar tudo aso Con- te per soccorro ; fa9a o que Ihe vier a ca-
lhe apresentado, 6din umr baile, o pareceu- radio; mas o pensamento voltava outra vez. boe9a, porque assim illudinrA completamente
lhe tao bern, corn um ar tao pariziense, De quando em quando, parecia-me escu- a gente de casa.
quo ella fallou d'elle, na manhi segainte, tar a voz d'elle, e oestremecia, o era entao Entraram no quarto das mnoas. Tia
ao marido. Conrado ffanziu o sobr'olho, que me deixava ir de idea era id6a. Che- Joaquina segurava a vela cujos r.uios ba.
e foi esteo gesto quo lie dteu umar idia qae guei a lombrar-mo que, A di's-oIi -i, Ihe tend no resto angelic de Vicentina, ex-
at6 entle nao tinha.* Comecou a ivel-o d6ra os dedos frouxos, e sentia, uzao sei pressavam ainda mais sua formmsura.
que do eteja-eequedio,-'e a e t- ora1 'a er. precise tecr-se a conscienciada Passei urma noito horrivel; e, dando
sabe come tudo se esquece depros em situaSo, o habit de moderar as suas im- o brago ao doutor, levou-o pars o touca-
Paris. I presses para nio solar uma gargalhada, dor, fechou a ports por dentro, e, mode-
Mas depois? vendo o born do home. random a voz, disse :
Passam alguns dias em StraslMrgo; 0 coronel d'Hervey tinha passado uma Oh! meu care doutor, se soubesse
depois patrtern para a Italia, pars oajados noite horrivel, cheia de pesadollos; em ce- quanto esta phrase: Nito ha nada de no-
de Nice ou do Menton. ralas, as pontas do lengo amarradas so- vo t roe fez bern Meu Deus, respire ago
Para a Italia. bro a beta levantavam-se come dous chi- ra. Ousa! toda a noite tive um terrivel
Eu sahirei' de Paris no dia seguinte fires. Os bigodes, que elle pintava, ti- pesadello, motivado pelos acontecimentos
aquello em quo a senhora partirpara 8tras- nham perdido a cOr corn o suor. 0 de hontem. Olhe, a minha pobro Adelia
burho, irei procurar urma casa par a f se- olhar desvairado, o rosto fatigado, a face ostava alli, em cima da cama, a minorrer,
uhora morar, cm urma aldeia perdiAg.i- pallida, unicamente d nariz tinha cOr, es- dando A luz ursa creanga que nao era meu
ra mar. Ahi passarA os mezes queooxem tava-de um vermelho insolente. filho.
necessaries, tendo per compauhia ,nica- Qtte sonhos terriveis tinham trabalhado 0 doutor fez-se livido; balkuciou:
monte sua irma. 0 seu ferimento justi- no cerebro do coronel ? So6 elle podia di- Oh! coronel, o que estA dizendo ?
fioarA, quando voltar, o sen estado d6 fra- ser. E' urma loucura, bern soi, e a prova
queza. Pela manhI, todo molhado de suor, le- 6 quo vim procural-o iminediatamente...
E a gene ignorarai ? vantou-se e gritou: a cousa qu e mais me impression e quo eu
Toda a genite ignorarA quo Mmne, de Hei do matal-o, hei de matal-o. via a minha pobro mulier entendida, ina-
Hervey doe A luz um filho. Depois, per duas vezes, passou a mao nimada, merta, em cima da cama. Oh!
Mas, do desgracado o que vai fa- p.la test e per fimn, olhando em torao de santo nome de Deus, ainda tenho aquelle
zer .? si, acerescentou : quadro dianto dos olhos I Oh! imeu que-
0doutor, srriodo, ni pod deixar de Nol 6 possivel, foi um sonho. Nilo! ride amigo, so soubesse quanto as suas pa-
responder a eata pergunta muito humaa, naI 46 possivel, corn todes os diabos! esal- lavras me izeram bem!
em que a mulhlr e a inif so. revelaram a ton par& firada cama, chamou polo earna- Respondo-ho agora per Mine. d'Her-
um tempo: rada, mas Vernet dormia a somno solto e vey.
Ah! coio isso (0 bow, miahadnVo- ,rpondeu-lhe corn .um bronco formidavel. Obrigado! diga-me, posse vel-a, a
ra... Ama-o. Pois bem; o soe ir t Vivaineuto impressionado pelo pesadello da minha querida mnulher, abra9al-a... come
m ell. S e da lice vog. ta Rda oitet, a1s e arrebontou per nlo nlo vir o isso me t aria benm
c~m elle. So me dA. J+1ioe tr dail.a.. e, s
liberdad4 do Antpyu vt alvt a sea c-iado- vestio-se s6sinhos. Mas co- Espere uma segundo, coroner, vou ver
sadeclarar o qu8ou eUseA s.-Av y se ella esti a donrmir, disse o medico, per-
livre, acehar se-ha na aldeia e. w qi.at$f e Enfiou as ceroulas, calcou umas chi- turbado coin o que o velho soldado acaba-
nhora deix3Rr seu filh no diif iito ,nolas e norreiu pra o quarto de sua mu- va de Ihe dizer e content per powder de?
doa su artida I 6 v b M" "l.te r. : d s q o s ...os dolhore-xal-o per alguns mtainutos.
-Verdedo e! 6 verd di' i tj ? JA dissemoa. qua os aposentos do coro- Foi simploment o pro formnuda que elle
verdade t n qe0 p-q ;es"'a, nel communicavam pelo toucador eom os se dirigio parfo leito.
quilla. Nada tm a t*tmierf'. d::n < "id'Icnrvey.- Ficou immediataianto assustado, vendo i
Ama Coga oi ,p i o A l do mtuansinho A port, e o doutor o rosto de Miae. ",'Hervey.
sombl^er J^ 1: 4. v;:i i -.. *-- 11*11 Men et., owio tern?
o"eo'1i;w;wlUVOl c a Strenulapa per..- Oti t* 1 t lle sabOe, estamos per- 0
SMe-na ih..'wi o- "*"'" didos, elie sab... l
ih do 'A ,.. ., q ha do ne vo? 0 d^tor dAbritott-so para ella o ein
Bat~min. t W^orkt". aw ^ timeroneza vai mule- ye buizadia .lhe presead
Batftw- k- _Cu1nh USAsprose.El.zada ab z


pmoiw-^1ilV4j),1fi quC, esti-af


0o querot- e ,1.
; *: ^ *', ... *^ *' .'-


I


^liat ll 'iu ga 'itiptar os~ii* Iheumuito asino11T faerirtni geTj<|o1 dl ca-

vt 4it ll. n p It.*l !01u, ?8olNWt, ,j '" ingoniicainente uarradas. Tinha llft^t)?-r mu.# qu .....I...i^ai 4 ,! ir b 0Omo-cordacao, ora -agu9ad6s do curiosidado o
l' u posa ''elo aziiJaaronecr calor, e ouvia tudo, dia per dia,enceontro
rlado ^ flrg^u elano oqt #!^ ^ s utravam, batia por encontro, a propria scena do theatre,
do, no ooiztra4t~a ehdoo sorlnh,5
di erabrc^ d -oo ra^l.po sIrquo ellle qua a principio lIho ocultara.
r J& !latt&8 abortseida? ., .: ,. .viasaentio, no rosto,, a uiipres.ao quo fa- E vinha tudo mais, horns de ancia, de san-
Nie, iioaoani.aspergunAD;... Zia. (lade, do medo, do etporran., dosalentos,
D. Paula. rndo tambem, fez cora o D. Pawla, inclinada para ella ouvia essa dissi'i ulagses, imnpetos, toda a agitasa. de
dedo un geato negatio; depois, pergim- narra.o, que ahi flea apenas rsumnida e una creature em taeas circmuinstancias, na-
tou-lhe so tinha saudades cat de baixo. Ve- coordenada. Tinha toda a vidasnos olhos; da disponsaver a curio-ilade insaciavol da
nancinha reosponde quqenenhunmas ;e, pars a bocca, moeio aberta, parecia beber as tia. NLio era urn livro, nbo era soquor um
dar mais forga a rosposta, acompwbou-a palavras da sobrinha, anoioaamuento, como capitalo de adurtorio, mas um proteog, -
4. uin descahir doecantosda boca, a mode upm cordial. E pedia-liemais, qui (ontas- interessante o violent).
4emdifferun9a o desdem. Era pord~onis- se tudo, tudo. Venancinha crioe oonulan- Venaneinha acaboa. A tia nto Iho
na carta. 3) Paula tinha o born costume .a. 0 ar da tia era tio oven, a exhorta- disse nada, deixoauso ostir mettida em si
de nio ler As canraras, come quota vai $lo tao meigi, ch-iia do um pordao aatoci- mesima; depois accordou, pegou-lho na mao
salvar opai da fore.. nas-dvagar, nfiaun- pado, quo ella aehou alli uiea eoafidonto c o pugou-e. N~no Ihe fallout logo; fitou pri-
do os olhos entree as syabas o entroas a miga, nao obstante alganas phrases so- moiro, e de perro, today ss.ia m oidado in-
lettras, pars ver tdo, hou q o-ges- voeras que Ihe oavin, mnscladas As outras, quiet e palpitanto, a bocca frosca, os olhos
to da sobrinha era de tais. .. per urn mnotivo de inconscient3 hypocrisia. ainda infinitos, o s6 voltou a si quando a
Elles amam-se I pensou ella. ,. Nao digo calculo ; D. Paula en anava-so sobrinha Iho podium ainda urea vez pordato.
A doscoberta avivou o espirito do pas- a si msnma. Podemos compara-a a urn D. Paula disse-lhe tudo o quo a ternura
sado. D. Paula forcejou por sacudir f6ra general ivalido, quo toreeja or achar um e a austeridade de mai Ihe podoriat dizer;
essas memorial importunas; ellas, por6m, pease do antigo ardor na audiencia de ot- fallou-lhe do castidado, do amor ao marido,
voltavam, ou de manse ou do- aesalto, tras campanhas. do respeito public; foi t.o eloquent, quo
como raparigas quo eram, cantadalO. ria. Ji ves quo ten marido tinha razao, Venancinha nao pOde conter-so, chorou.
do, fazendo o diabo. D. Paila tores aos dizia ella; fosto imprudonte, muito imprun Veioo cliA, mas nao hi cha' possivel ds-
sous bales do ontro tempo, as suas eter- dente... pois do certas confidencias. Venancinha
nas valsas, quo faziam pasmar a today a Vonancinha achou quo sim, mis jurou recolheu-se logo, e, como a luz era agora
gente, As mazurkas, qae ella mettia A cara quo ostava tudo acabado. maior, sahiu d a sala coin os olhos bai&os,
da sobrinha como endo a mais gaciosa Receio quo nile. Chegastes a arneal- para quo o criado Iho nao visse a cromnmo-
equsa do mundo, e aos theatres, e as car- o deveras? 9ao. D. Paula ficou dianto da mesa e do
tas, e, vagamnete, ass -boijos; mas tudo -Titia... criado. Gastoi into minutes, ou poeco
isso-e esta 6 a situaao -tudo isso era Tu aindla gostas d'elle I innos, om beber uin: chiicara d cha e
come as frias chronicas, esqueleto da his- Jure qu4 n:lo. Nib gost ; mas confes- roer um biscouto, o apenas ficou s6, foi en-
toria, scm a alma da historic. Passava-so so... sir... confosso qua gostei... Per- costar-so ajanella, quo dava par.h a cha-
Atudo na caboa. D. Paula tentava empa- doe-me tudo; nto a diga nada a Conrrado; carn.
relhar o coracao corn o cerebro, a vei so estou arrepondida... Rcpito que, a prin- Ventava um pouco, as folhas, moviam-
sentia alguma cousa alrm da pura repeti- cipio, um pouco fascindda... M-s quo so, sussurrando, e, cornquanto n .ilo mental mas, por mais que evocasse quer a senhora ? as mesmas do oetro tempo, ainda assim
as common oes extinctas, nio lhe yoltava Elle declares-te algoma cousa ? perguntavarm-lhe: Paula, voc lembra-so
nenhuma. Cousas truncadas! Declarou ; foi no theatre, ui;na noite, do outro tempo ?, Qut3 esta 6 a particula-
So ella consegnisso espiar pars dentro no theatre lyrics, a sahida. Tinha costume ridado das folhas, as gerao es quo passam
do coraIato da sobrinha, p6leser que ahas- de ir buscar-me ao camaroto e con luzir- contain As quo chegarin as cousas que vi-
se alli a sua imragem, o entlo.., Desde me at o carro; e foi a salth da... duis ram, e 6 assim quo todas sabm tudo e
quo esta idea penetrou no eapirito de D. palavras... perguntam per tudo. Voee lembra-se do
Paula, complicoulhe um pouco a obra de D. Paula n a perguntou, per pudor, as ouentro tempo ?
reparaiao e cura. Era sincera, tratava da proprias palavras do namorado, ma s mira- Ldnbrar, lemobrava ; mas aquella senia-
alma da outra, queria vel-a restitUida ao ginou as circumstancias, o corredori, os I o do ha pousc, roflexo apenas, tinha
marido. Na constancia do pccado 6 que pares que sahiam, as luzes, a multidio, o agora cessado. Em vao rapetia as pala-
se pode desejar que os outrose pequem rumor das vozes, e tev o poderde repro- vras da sobrinha, farejando o ar agreste
tambemr, para descer de companhia ao tar, corn o quadro, um peouce das sensa- da noite: era s6 na cabeca quo achava al-
purgatorio; mas aqui o peccado nlo exis- os d'ella; e podiu-lh'as corn interesse, gum vestigio, remniniscencias, cousas trun-
tia maeis. D. Paula mostrava A sobrinaha a astutamente. Padas. 0 coraiho emapacitra de novo; o
superioridade do marido, as sunas virtues, Nioe sei o quo senti, acudiu a r noa sangue ia outra vez corn a andadura do
o assim tambaom ars paixoes, que podiam cuja uerommoio crescent ior desatando a costume. Faltava-lho o contact moral
dar umman desfecho ao casamento, peior lingua; nlo me nclenbro dos primneiros cince da outra. E continuava, apezar de tudo,
que tragic, o repudio. minutes. Creio quo fiquei seria ; em todo dianto da noite, quo era igual As outras
Comnrado, na primeira visits que Ies fez, o case no Ieho disse nida. Paroneu-ma de entito, e nada tiha que se parecesse
nove dias depois, confirmoD a adveotencia que today a gento olhava p-ira n6s, quo to- corn as do tempo da Stoltz e do marquez
da tia:l entrou frio e sahi frio. Venanci- riam ouvido, o quan'lo aagum me compri- de Paranai ; mas continuava, o la dentro
nha fiou atrrada. Esperaa oainaEr que os nove mentava sorrindo, dava-mo idea de estar as pretas espalhavam o somno contando
dias de separa lo tivessem abrandado o caosando. Desci as osoadas nto sei co anedotas, o diziam, una ou outra vez, in-
marido, e, em verdade, assim era; mas me; entrei no carte sem saber o que fa- pacientes: -Sinh t velha haje delta tarde
ello mascarou-so A entrada, e contove-so zia; ao apertar-lhe a maIo, afrouxei bern os come diabo I
para ne capitular. E isto foi mais sahutar dedos Juro-lha quo ntao queria ter ouvido MACHADO DE ASSIS.
quo tudori mais. 0 terror de perler o mar- nada. Conrado disse-mo quo tinha seromno, _- '...
d. foi o principal element de restauraclo. e onoostoeu-se ao fund do carro; foi m- -- i E ADES
0 proprio desterro nc o poudo tante Ihor assifr, porque ua nao sei quea diria. se VAum DADES
Vai se nlo quando, douas dias Ia e tiveseemos do ir conversando. Eucostei-sme ..s____________._______________
d'aquella visit, estando ambas ao tao tambem, mas per pouco tempo; nsadptdit As sceeas de sangaue
da ehacmara, C ast a sahir para o p1sfeio estar na mesa posii. Olhava parsa f6- ot Mpo) eCH e T A rLA
do costume, virarm vr uri caValleiroo e- re a travz dos vidDs, eEJ via so c ra ls a A. LIauAo
do onAnein a fsu a ista, pd-eu pr ua aha- ieno r busatraiez dos vidros, ova soon-star- ot aiosqecean scua i













nancinha fixou a vista, deo ur pun. e odos lampeoes, ilo quando em quando, 0XV
grito, e correu a esconder-se atraz doniro. afioal noma isso mesmo; via os corredores (Continual o)
D. Paula comprchendeu e ficou. Qu vit r d6 theatre, as escadas, as poessoa tolas,
o cavalleiro do mais porto; viu-o d'alli a e ella ano p6 da mimra, cochichando as pala- Pars o quarto das mesas, tia Josa-
dous aon tres minutes, umn galhardo rapaz, vras, duas palavras s, e ncao posse dizer quina, disse o bandido mettendo o dinhei-
elegante, coin as suas fiuas botas lstroq o quao pensei em todo esse tempo ; tinha as ro no bolso; corn todos os diabos, do mn
sas, muito bern post no seliumn; tiaha a id.as baralhadas, confusas, urna rovolucio urna luz, nio quero mais andar As escuras.
mesma cara do outro Vasco, era o filho; em mira... Mas...
o mesmo geito da cabeca, um pnoueo a di- -- Mas, em casa? Na o emporta, nao me prejudicara...
reita, os miesmos hombros largos, os irues- Em casa, despindo-me, 6 quo pude Aqui tern ura vela, agenda a.
mos olhos redondos e profundos. reflectir um pouco, mas muito pouco. A noiva do Vital, deita-se ao lado
N'essa mesma noite, Venancinha con- Dormi tarde, e mal. Do manlhi tinha a direito da ports ?


XVI


Todos os homnens tooin a sui mania. A
de Alberta jera a caia e principalmente a
caga do veado.
Sahindo da pristo, elle projector uma
ca9ada. No sabbado foi explorer o inatte
e descobrir debaixo de uina grande arvo-
re o lugar ou.l- umr veade vinhia a noite
comer.
Chegando cangado cm casa deixou para
a noite do domningo,
Quando a noute-eu munio-se de urma ca-
rabina de dous canos e derigio-se pars o
mato.
Parando junto A arvore descobrio siguais
de quo umn veado alli estava indo desde
algumas noutes. Trepou pela arvore acima
e seutou-se em um galho.
Pouco mais ou menos as 9 horas a lia
surgio por traz das arvores e o mancebo
comenou ainda a deitar mais attenilo-
Estava impaciente e despunha-se a des-
cer quanito murmurou:
Esperemos mais u n pouco. E' exact,
que ha muito tempo nilo ca9o; porenm os
signaes que hoje descobri, naio me podem
enganar.
Eram cerca de onze horas da ni-jute
quando ouvio um brando rumor entire os
mates; applicou o ouvido: crao veado.
Eil-o eil-o! e pouco a poucoia abai-
xando os canes da arms.
Bern no tronco da arvore o veado parou
e comegou a comer.
Alberto collocou o dodo no gatilho para
impedir o c"io d e estalar e armou : apontou
atraz da orelha do anianal e fez fogo.
0 veado deu urn salt, cahio em terra
outra vez, e curvou-se Vms pernas trazeiras
come se quizesse corner; tudo foi embalde,
porque a pontaria havia side certeira; f
veado estrebuxou e ficou quiet.
0 mancebo satifeito corn o resultado da
sua ca9ada, deseeu da arvore, agarrou o
animal, collou-o nas costas, sogurando-lhe
as patas.
Apenas foi chegando a rua, no fim de
quase uma hera, corn o seu pesado fardo,
recebeu urnsma encontroada, a qual se fosse
outro nalio teria resistido.
O veado lhe cahio das costas e sentio
que ao rumor produzido polo baqaue do
animal responded urn ountroe quase igual.
0 home que encontrara-se corn Alber-
to nao era ountro senior Adolpho.
Vicentina cahindo dos bra9os do misera-
vel vie quo tinha livre os seus e tratou de
livrar-se do ienuo quo a imp-d-ia de fallar.
Levou a mao ao len1o, abaixou-eo e dise :
Senhor! qurem quer que seja, salvW-
me.
Cala-te, miseravel, gritou Adolpho.
que jA a ia apanhando outra vez.
A lua encobrio-se come pars nao assistir
aquella scena, do que talvez rosultase
sangue, sempre sangue.
(Continuia)
Durma... durma. Olhe, estA a es-
preitar pela porta.
Era verdacie o colonel, impaciente, met-
tia a cabega pela abertura da portly. e olha-
va para dentro do quarto para ver porilue
motive esperava.
-0 doutor, felizmente, nito trava os olhe
da ports, e foi obrigando Mine. d'Hervey a
nso so mexer, foi fingindo quo observava
o sou estado, quo Ihe ordenou que dormis-
so. Mas o ultimo pedido era ura ordnen, e
Adelia comprehondcu. Doix.,u cahir a ca-
beta no travesseiro c feehou os olbos.
0 doctor voltou-se entilo e disse ae co-
ronel :
Esta a dornir; entire, Sr. b irio, mas
nao faga bulha.
E, o coronel entrou nos bicoi doba pus
Oh! come o velho soldado estava grotes-
co corn a suna roupa de dLrmir, o come ,s-
tava satisteito per sua mulher ostar
corn os olhos fechados e nile polar vel-o
apezar da gravidade da situacao, o doctor
fazia os maiores esfornos pars conservar-
so serio.


Pobre homnem !n quo horrivel noite paS-
sou elle I! n'aquella noite havia tudo perdi-
dp, a honra, o affeato, tudo. E co no "e
sentia fcliz corn o sea desert ir! Era tao
feliv,! Era um sonho, sua mulher vivia,
sua mulher coatinuava a ser sutin di
consort, havia, preferido sacrificar i ida
a hours !
0 grotesco, de quem o deoator um m1o-
mentu antes receiava rir-se, fez-4he corner
as lagrirnas dos olhos, quando o vio art-as-
tando-se sobre o tapeto para nlo acordW
isua mulher, approximar-se da cams, p"r-
se do joelhos e estonder devagarsinfi
)s beigos para dar uam beijo em w ma I-
her.
Aquelle beijo na testa de Adeliaprods-
zio o effeito do um choque elecrio, a NO-
ga estremeaooa, o doctor peps iSmS
neute o coronet p -lo 1waqo, IemitmtBu 4ft.
)resa, dizondo:
-Oh! ooak m u quo IOWA &old*I


A moeg aoawdott, quitp r:
r a OS o i.us gritw N a
OO lenqo, que tsparft46 a om i;
Tia Joaquina s.hio pas fr dg
- Come.ou a correr de um Id#o pwa re
da sata gritando:
Soc.orro I acudlo! adrWs o ON.
0 quo 6 ist,? perguntou D. Bnm
acudindo poucos in3tantes depois.
Senhora! ouvi ruminor em caa e pre-
senti quo tinhainos gent estranha em
casa; acendi esta vella, e mIostroi a rdla
que tinhi n'I m quando chlggini vi um ho'n!in sahir do
quarto das meninas, levanlo umi codsa
nos bragos.
Mostrava-se ateraorisada: uina atriz nl,
teria deseamponhado melhor o saeu pipel.
D. Branca arrebatou-lhe a vela das mios
o corraa para o quarto ondo dormiam
suas filhos: o leito do Vicontina estava
vazio.
D. Branca empalllideceu e disse:
Nto tern duvida, foi elle; esta des-
peitado; foi Migti.l. ( Vai Joaquina, con-
tinuou dirigindo so a cremula, quo havia en-
trado corn ella no quarto, vai agora mrues-
mno a casa do sennhor Vital c diz-Ihe, qua
venha jA aqui.
A creoula sahio e D. BIranca sentou-se
no lhito vazio da fillia.


-'V
'i*"
* ti


i













i


Ptt111t


"Typ. do D""



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EGDS8H9MI_7KKVXA INGEST_TIME 2014-05-03T19:29:28Z PACKAGE AA00011611_13782
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES