Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13696


This item is only available as the following downloads:


Full Text

















M^-'
^x^-'
*rM *K'^
^f^,
t^lt!-


ll 4 ",
- .^'-- l~v'


. A L, b,,


:'w:: Miso


_JLv~te- interessar


pos que

o0 8 ae avulsos

do' D aiio de Per-

namibuco de qual-

quer dia, vende-se a

i00 r#ada urn, tan.

to no nosso escripto-

rio, c6mo nos pontos
ji mnhecidos.



TELEGRAMMAS




RIO DE JANEIRO, 3 de janeiro, As 12
horas. (Recebido as 3 horas e 45 minutes
da tarde do 4, pela linha terrostre, coin a
nota de demnora por cauisa de interrup9;o
da linha.)

Naio 4e eoinfirma a eleihto do Dr.
Manoel Fulgencio pelo 20.0 district
de linas Geraaes, Ao contrario, foi
eleito o Dr. AIffonso Celso de Assis
Figueiredo Junior (L).
Falleceu o notavel advogado da
rirte Jo oaqulm Jo Teixeira.

RIO DE JANEIRO, 4 de jaaeiro, As 9
horas e 30 minutes da noi;t.' (Recebido
as 11 horas e -2j$,inutos dn manhl de 5,
pCla linha terrestre.)

Foram eleitos .em 2. escrutlnio
pela corte 1s -\"" ',^ :'- ''->''
I.0 dlistrlct'o. Dr. Ailredo Camillo
Valdetaro (L) ;
2.0 district, Dr. Joaquim Antonio
Fernanlles d'Oliveira (C);
3.o0 districto, Dr. Adolpho Bezerra
de Menezes (L),

RIO DE JANEIRO, ;5 e Janeiro, as 4
horas e 26 minutes da tarde. (Recebido
as 5 horns o 30 minutes, pela linha ter-
restre.)

Fol eleito deputado, cm 2.0 escru-
tinio, pelo 4.0 district do Rio de Ja-
neiro o Dr. Carlon Frederico Castrio-
to (C).
Foram nom.cardo delegados da
*corte:
;S.<-Peiiaro Catrfjo.
'-''1n grun p d~ecap'ovraS assaltou
hontem a typographlia da GAZEJA DA
T1ARDE. havendo diverios feriein-
IrOn. .. .
0' eukpregadO, ao etalbeleeisncen-
to resisniiram*,
FOvft~l pre~o' alguins lo~a assKB -
tantes.

RIO DE. JANEIRO, 5 de janeiro, As
4 Ihras e 30 minutes da tarde. (Rece-
hito as ( horns 5 minutOs, pela lijha
t e vrr e s tr a .) 1 '-' -" -


Apoltcta appreiendenino cartorio
do escrivfto da parohelka de Santo
AnR4oniO a urna da_ .-1 eccao do 2.0
adiutricto.
Consta que udentrodessaeurnaa ea-
taw aeta ta eiefco- repectua
aiindt per concluir. e que foi ella re-
1 'mestfMa& ao jails eemoete.
paii eC0U1 tst,%faedSupremo
-"'; T.:Sa .. ,^ iiI $e i l', Nanoel Eli-

S- sbieidAWA e. f aeiig. reluei-
COLOP COw 'GO4101, et rid1oaf


o)
4 -4-^'


SPARIS, 5 de janeiro.


0 general Negrier connmmandando
uma brigada franceza no Tonki*,
derrotou uma columana do 1O.O000
elinese*.


PARIS, 5 de janeiro..


0 general Lewai tfoi nomeadonmi-
niltro da guerra.


LONDRES, 5 de janeiro.


Acaba de dar-se umra exploM&o no
caminho de ferro subterraneo dexta
cidade.
An conuequenciax desse accident
coumistem apenam, em relacao As
pesnoas, em algumas contusoem sem
gravidade.
Ainuda se nfio conbece o author.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
5 de janeiro da 1885.


INSTRUCGIO POPULAR

PHOTOGRAPHIA
(Extrahida)



Historia da photographia
CAPITULO V
A PIIOTOGRAPIIIA
(Continuagaoj
Em 1817 toi feita esta important deseoberta.
Mas jA entao havia muitas pessoas costumadas 'a
pratica do daguerreotype, e que mostraram bastan-
tc relutanucia para este process por causa de ser
desagradavel a manipulacao dos sae3 de prata e
do acido galhico, e ainda per causa da solugao da
albumina que tinha o defeito de se decompor corn
muita facilidade.
Ate 1850 foi empregado este processojuntamen-
te corn o daguerreotypo,-e as tendencies cram en
t3o para a substituicao da albumina per outra
substancia que se nao decomnpuzesse tao facil-
mente.
Em 1846 havia sido deseoberto por Schoenubein
urna nova materia falminante-a algodao pol-
vora. -. .. .
Schenbein obserVou que o algddAo ordinario,
mergulhado em uria sd0luOb de acido nitrico e de
acido sulphurico, adquire propriedades explosives
semelhantes As da polvora.
Jiilgava-se que esta ia ser de todo desthronada,
e final de eontas nao logron fazer modificacAo al-
guma na arte da guerra; mas, em compensacao,
trouxe urn adiantamento tao valioso para a Photo.
graphia, que conseguio desthroaar o daguerreotype,
e ficar em campo sosinho na arte photographic.
Estava fatalmente destinado a ser urn autocra-
ticida! nao desthronou a polvora, mas matou o
daguerreotype !
Em breve se conheceu que o algodAo polvora
era soluvel em urma mistura de alcohol e de ether;
e que esta solugo formava, depois de evaporada,
uma pellicula transparent, que comecou a ser logo
empregada'em esperiencias, para se fazer a subs-
tituicao da albumina das chapas de vidro per esta
outra que parecis poder servir.
Esta nova substancia recebeu o nome de-col-
lodion.
Varias silo as opinioes acerca do nome do que
primeiro descobrio esta vantajosa substituigao do
collodion A albumina : os francezes--4luerem que
seja Legray; os inglezezes dizem ter side Bingham
e Cundell.
0 que, porem, e verdadeiro, e ter sido o inglez
Scott Archer quemn apresentou o process photo-
grauhico, que se tern conservado atW hoje em pleno
reinarlo corn modificaq5es que a prat~ea ihe tern
trazido. Consiste elleno seguiute :
Dissolve-se o algodao polvora cm uma mistura
de alcohol e de ether, e addiccionam-se-lhe iodetos
ou brometos soluveis; esta soluaoe e deitada sobre
uma choipa de vidro muito bern limpa, e, logo quo
se formna, a pellicula, e a chapa mettida em banho
de nitrate de prata, para que so fornie n ella o
iodeto on o bronmeto de prata. Assim prcparada
6 a chapa n mettida na camnara escura para sofirer a
accao da luz durante alguns segundos. Retirada
seguidamente, e submettida aos agents revelado-
res (que sao-ou o sniphato de ferro ou o acido py-
rogalhico ; e quo continuam a decomposicao, que
a luz comecou, transformando a imagem latent
cm imagem negatzca e visivel).
Para a fixar e necessario, per meio do hyposul-
phito de sodio on do cyaneto de potassio, desenm-
baraear a chapa do excesso dos sales que ainda sao
susceptiveis de ser impressionaos.
,Cotntinua).


PARTE OFFICIAL

Governor da Provlncia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 3 DE
JANEIRO DE 1885.
Agcstinha Maria do Nascimento.-Naio podc ser
attendida par estar complete o numero de apren-
dizes artifices.
QAntonio de Araujo Alcoforado.-Justifico, de-
vendo' a present petiq1o ser remettida ao Sr. ins-
pector do Thesouro Provincial para os devido0
'fins- -.
Dr. Joaquim de Albuquerque Barros Guima-
Aes-Deferido corn officio de hoje &Tiesouraria
ie^ Faizenda. N
qiJe UHenrique de Albuquerque Mello.-'Inform<
oit'claaseifeadora de esseraves do munieipio de
Iguarassu.
3oao eFeravo. Recorra a autoridade compe-
Bahebrel Mtanoel Juaquim Ferreira Esteves Ju-
iior.- s', na f6ra da lei.
aiia( ?Pies c 9 ixza. Informe o Rvd. Sr.
"e'rio d4 O nia ,Orphanologica Iza-
tia ia a ieiIencia do Pernambu-


porteiro, -
L. JVilqw.


Por nossa parte, e de accwordo coin o Dr. Vcranhes,
teriamos simplesmente perguntado ao aorcebispo de
Angers, que havia poaco tinha feito a sun profis-
ado de f6 monarchista, se as cartas de 181-1 e 1830
incluiam dispcsicao obrigatoria de prices publi-
cas ; se no tempo da restauramn'o e no reinado de
Luiz Feiippo as magistrados cram constrangidos a
assistir a missa do Espirito Santo ? 0 honrado
sacerdote responderia forqosamente que n'o, e en-
tao haveria toda a procedentia em ponderr-llhe
que o atheismo de que elle tao amaphjaet9e se
queixa, naIo unm recen-nascido em Fxraha. -
No meio do enomne diluvio de emenda e pro-
postas apresentadas no congress, appareeeu uma
que podia, nada mais, nada menos, que a eonsa-
graqiao constitutional da igualdade de direitos po-
liticos entire o iomem e a mulher. Nao nos oc-,
corre agora o nome do autor de semelhante pro-
'osta. E comtudo valia bemrn a pena memoral-p;
como exemplo do pouca sermedade n'um represen-
tante de um grande paiz. Se as eoposas dos
actuaes deputados e senadores francezes podessem
veneer os respectivos maridos no proximno pleito
eleitoral, que papel ficaria reservado ao legifslador
pornocratico no seio do lar doanitot' --i Certs-
mente nao pensou nisso, n.m no ridicb quhe a
sua proposta lhe devia ter naturalimente gran-
geado. '
P. J. Proudhon, o utopiftae deuoelidor, aodoA7t-
do, se ainda hoje fDse vi .i'- ie-iia'sem d..
vida a proposta e o propteaw a ju.ti.a4. u
sua cortante,,thas .. f "
0 & Ig~r e o' L I I *gJ


deal
eec
t*vA


|llii~i iH^^ o rgt en~ -monarcmci eg14
4,qs h-oie+ ne~m~
actual ineteafnto
na teladas discusses parla-
ir6muritante, e
S a-ntransigentes
6 magniofiO A manii&taqes e almejada
-susk0s singulares e extravagantes

onar msais ardente esfor-
el,i govemativa do que a
.i* oSr.Julo .Perry no sentido de obter
04%iB breve, e. sem o minimo abalo da or-
* -a refora constitucional nas bases
etanso que as circumstonciasIhe faeul-


Manoel Januario Mwniu; -Ana. !
Ferreira, Francisco Jo6, dos i
cisco Ferreira daPain 'te Rox=
daL Conceioo, por dia.rbt ,
dous primeiros A ordemi do .
de Santo Antonio, o tercom i 6- -
ordem do do 1" district deoS. -
ultimo A ordem do do 20 dijstri
Jose.
No dia 4:
Antonio Geraldo de Sant'AnUIR, oberti
Jose de Oliveira, Sebastiao Joaqoi FlO0r,
PedroJose Joaquim Ferreira e Jeaquim
Jose de Sant'Anna, o primeird A. minha or-
dema, vindo da provinoia da Parahyba
como criminoso de furto4 dQ cavaios no
termo de Santo Antio ,e os demais por
disturbios, A ordem do subdelegado do Re-
cife e de Santo Antonio.
Comnmunicou-me o Dr. juiz de direito
da comarca de Iguarasg*u que na madru-
gada de 25 do mez find f6ra alli captau-
rado o criminoso Ooqme Marques de Oli-
veira Machado, pronunciado em crime de
more.
A referida capture foi effeatuada pelo
sargento do corpo de policia, Honrique
Jorge Paes Barreto e pela praga Manoel
Jose Roberto.
SDeus guard a V. Exe. Eim. e Exm.
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
digno president da provincia. -0 chefe de
policia, ianoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.



DlRIO0 DE PERNAIBUCO

Retrospecto Politico do
anno de 1884
(Coatinuagdo)
0 congress de Versailhes approvou successiva-
mente, todos os artigos do seguinte project, redi-
gido pela respective commission de conformidade
corn o que havia side formulado polo governor :
SArt. 1 0 2 do art. 5 da lei constitucional de
25 de fevereiro de 1875, referente a' orga~t%` o
dos poderes pablicos, flea deste modo alteiib
Nesse case (o de dissoluao da catmara) i
collegios eleitoraes serao eo w oid&s para as' no-
vas eleicgcs no praso de dons ,mzes e a camera
nos dous dias seguintes ao eaceraime todo Wtj
.1tihcs eleitoraes
ta se pela maaeira seguinte :
SA forma republiefpani dp governor nao pode ser
objecto de nenhuma proposta de revisao.
Os membros das tamnilias que reinaram em
Franca nao podem ser eleitos para a presidencia
da republican.
(c Art. 3. Os arts. 1 a 7 da lei c6unstitacional de
24 de fevereiro de 1875, relative a orgpaisa[ao do
senado, nc terao d'aqui em diante o carater de
disposiqSes constitucionaes. i -,
Art. 4. 0 3 do art. 2 da lei constitutional
de 16 de julho de 1875 (preces publiceas) flea abro-
gado.
Ao discutir-se ebte ultimo artigo, o Sr. Freppel
sublo, comro era de prover, tribuna, pa.a articu-
lar o sea proti.to. ,c A suppressao dis preces pu-
blicas. disse o illustre prelado, d urn passaporte
para :jue a reform constitucienal seja aceitaper
certos espiritos poaeo religiosos. 0 atfsism. tor
non-so a senha de tolo o partido republican. ,
Acoreseentou que se queria supprimir D.eus, para
afinal se acabar corn o orc amento dos cultos, pen-
sameato reservado do today a discussao sobre o
art. 4.
Disseram-lhe em resposta que nada havia mais
consoante ao desenvolvi mento do numero dos atheus
que uma religu'b do eatado : que o que convinha
era livrar quanto antes a religiao de toda a pro-
teccao official.


stitui~i
modifia
existen
dade c<
te q un

aIng

catholi


I senatorial em vez de ser simplesmente
da, teria side radicalmente abolida. A
La de uma dupla camera, n'uma nacionali -
no a franceza, 6 uma contradica'o flagran-
incommoda excrescencia.
onte, a divisao do poder legislative s6 na
ra foi uma consequencia logica e natural
,ao politica. Ao perverter-so o regimen
i-feudal, a aristocracia n'esse paiz, long


den ciar-,se das communas ou do po,0, aesu-
i' 00o elle a direceao social, em prejuizo da au-
tortdac monarchica, que ficou notavelmente di-
minui e da supremacir dos papas, que o pro-
teistan o complete e systematicarente desco-
nlccpt D'esta maneira as aristocrats ingIezes
ad4ir ram temporariamente uma ascendencia le-
git a -.evitando a perda total de prerogative., a
qul tras eircumstaneias teriam side irreme-
i el nte condemnados. Essa associacao ou
pa4 'do poder enitre as classes privilegiadas e
at-Ole s,.traduzio-se na pratica political pela
ex:tel iia d6 duns eamarns, representando cada
umk di tas a diversa ordem dos interesses asso-
*v raua foi ountra asolucao do problema so-
$ r riealuiza fez eausa commamneomn o povo
a prepotencia dos senhjres feudaes"
Aftrt, aloahada essa victoria, a mo-
b 0suio o ptder supremo, servindo-se dos
s e- do clero como Instrumentos contra
s n nas. &ituaqiao prolongou-se at6 ao
urtni da granAe erise revolucionaria do fim
4i0u q passado. A accao critical da philosophia
kl* isoivido do os03 elemmntos do velho regi-
eI eial. 0 terceiro estado vcncedor procla-
men dirAtos do honemn oo'dogma metaphysico
al aniapopular\Aaristocracia e o theolo-
gi W41j iimente, comno a mnarchia.
t JfWT bl ga ~a e sirin nos destinos da
nio e fi .. '0 poueco exito das res
Api- tat,'S troU.va isto evidentemente,
caOa na e p la
4--i ~t ~ gocieseolta


6 Ttltiano jttiS of
ais n Aeque
etotraries e


I A inti.i.o Senatorial A"",. ... k.
At.a pomedentia wonzrca e4iti OqdotiVUd
4Mo.i AitIO tdq9que.,1 -
~aode causas diversas so pias po~iticeunentenp'ou-
II nag6es. Ha todavia ainda republicans con-
victos que acreditaw sinceramente na urgent ne-
cessidade da permanencia da camara alta, como
poder moderador contra os excessos, que julgam
ser defeito particular da camera oriunda do suf-
fragia universal. Como perfeitamente diz o 8r'
Aaitonin Dubst (Conadioes do governor em r&anfa).
esses republicans nao convideram na injuria que
a sua opinigo implicitamente ixrrog ao-aesmo suf-
fragio.
SSe elles corn effeito obteem por outro mebio'
que nao esse mode de eleiCo, uma assembled su-
perior em capacidades e em luzes, inspirada ex-
clasivamente nas tendencies, desejos e necessida-
des nacionaes e apoiada n'uma verdadeira forgo
social, sendo por consequencia, mlis que a outra
camara, digna do presidir aos deatinqoa do paliz,
que argument no teriam em senu favor aquefles
que opinam pela proscripco do suffragio upiver-
sal por verem n'elle um mi) iastrumento poli.
tico?
Esta contradicqao flagrante levou o Sr. Naquiet
a proper ao senado, per occasion de discutir-se alH
a nova lei eleitoral, a igualdade no mode de elei.
Ito de ambas as cameras.
a Sou de parecer-disse pounce mais ou means o
honrado senador-que dove hayer uma s6 a sem
blua. Mas a constituigao estabeleceu duas cama-
ras e o congress maute |iAesse ponto a theoria
constitutional. NiaO, numn seetario, nemo tenho a
preten9ao de serto.maiacriterioso do men paiz.
Portanto, desde que o senado existe, rest ao me'
nos dotal-o da maior autoridade possivel, elegen-
do-o per meio do suffragio universal director corn
escrutinio de lista per departamento. ,
A proposta do Sr. Naquet toi repellida, e corn
toda a procedencia, per isso que duas cameras
eleitas pelo mesmo system seriam identmlas Xo
sea espirito e tendencies, tornando-se per conse-
quencia umna a repetqso eseusada da outra. A
reform nao podia ir, per emquanto, al6m da ex-
clusao da vitaliciedade, que at6 agora era attri-
buto de uona parte dos membros do senado fran.
cez. A hera de mais ampla innovaglo ainda nao
soon per emquanto, nem chegarA tao cede emquan-
to repubhlicanos conspicuos come o Sr. Schemer,
por exempio, se julgam fgo dis^r. de p~hras f


*1


abso' de votos, rou pr+sm
escrutinio entire s s. co0e6f. oiia
Mendes e Dr. Demetrio Ite iZ" p ,to'-
taudo este contra tal decialo. / -
Nos 5* e 60 districts as j' np a
dora deram diplomas, sem cbntett o ai
Drs. L.itlo da Cunha e i-A", --
A'cerca do paquete sApirito Sano
lemos no Diario do Gr'd Pard 11*21:
S Este vapor, que daqutsahio p --
naos no dia 16 do corrente, en ...
Aquiqui, perto de Oaur pa, as 10 Imus,
noite de 18.
Consta-nos que 6 urn poucea difc a
sahida delle do lugar do encalhq.
( Hontem, A tarx4e, seguio para o va-
por Yapock da companhia d6 navegaoao
Para e Amozonas, para receber a cW
ga e paasagoiros do Espirito AS'lfaO) aif,
de oonduzir at6 ManAos, +^ '
c Acompanhia brasileira jA deve, r
arrependida do contrato quo fez co O- /
vernmo do Amazonas, queo -it& ho' ih e
toern dado prejuizos., J ..y--.
K S6 ha urn remcdio -6 a rescislo -i)
coutrato.
A's 6 horns da tarde de 19, no por-
to da cidado de Belein cahio ao mar, do
bordo da barca portogueza Walkiria, Ires
Gundersen, tripelante da mesma barcas
nUo se tendo podido salval-o, apezar dos
esforgos empKegaos pelo capitgo respec-
tive. .
No dia 10, no rio Inamari, em casa
de Procopio Pontes, Julieta, sua filha. es-
tando juanto ao fogao a mecher uma panella
que fervia, as cPammas apoderaram-se de
seu vestido oarbenisando-a quasi -de mo-
mento. : :.
A inditosa meni lfaeceu no dia seguin-
te, e extorcendo-se ias mais horriveis do-
res. % :* '' :'
Nas eachoeirar'dk alto Tapaj6s nau-
fragou-a oanoa em quo regresaava para a
villa de Itaituba, o capital, Raymundo Pe-
reira da Silva, que talleeeu poucos mo-
menta depois. p
ofinado era membro do partido con-
servador, em cujas fileiras military sam-
pie com denodO :e. 6,dbicao.
No district d "Qaveh houveram 9
librta9?os a titblo $ao08.


E' jdade que o president do conselho nao al-
eanqtW4l Senado tudo quanto a esse respeito
quenzNmou onisa .umus omnes. 0 seu mats
vivo'4eujo era pbr eerto estab.elecer entire as duas
casas do parlamento francez aproximadamente a
mes- ordem de direitos existentes na Inglaterra
eqtre*Wamara dos communs e a dos lords, acerca
d4', go das lois orgamentarias. Mas ser Ihe-ia
de todo-iwpossivel resolver o Senado a concordar
na re4fdO do congress, sem sacrificio de uma
part &a programma de reform que havia conce-
bide 4*poato de conformidade cornm o vote da
maiori'4a camera dos deputalos.
A rEirma da constituig3o franceza nao tern.
pois, ?-si mesma urn grande alcance pratico. A
sua inpotaneia estA principalmente em ter inuli-
sado, p estese annos mais chegados, um dos the-
mas predileitos, o mais querido talvez de todos os
partidea extremes, satifazendo ao mesmo tempo
uma clausula traditional, embora-pouco urgente,
do' programma republican em geral.
UmAn yz que, segundo a resolugao do congress,
deixara* de manter o antigo character constitucio-
nal tolts os artigos da lei referente A-olei~ao dos
seoadosa o governor tratou immediatamente de
elabort o project de uma nova lei nesse sentido.
EsIe #ojecto foi com algumas modificagoes accei-
to per atnbas as cameras. 0 recentissimo acto le-
gilative deye ter uma tal oau qual infIienia'no
dttv~ i (a agwi'e ^>ixa se ha de
eaii~~vn'a~x~1vljai~tjl os meinbros da
earn ca~s ta. -, -:ii--
A nova lei eleva o -"ta. o delegados mu-
nicipaes, eleitores em segundo grao dos membros
do bSenadol quasi proporceioe ncnt ao algarismo
dos membrog de cadsa commua. Acaba corn as
s4iadores vitalicios, prescrevendo entretantanto
queo s amorte ira. diminuindo, atW extinguir, o
.gr1po dom actuaes.
Ista.Aodificagao no organismo da camera alto
emFransa 4 porventura sufficient ? Correspon-
de ella 4eoricamente, e de urn mode pleno, As ne-
cessidales que as condieoes sociaes e as antece-
dentes istoricos crearam n'esse paiz ? Naeo-
respondimos resolutamente. Se a maioria dos es-
piritos alli ja tivesse na hera actual a clara e per.
feita co4prehenslo d'essas condiSes e d'esses an.
tecedepes, e soubesse extrahir d'elles a provide
liHlo qf e encerram, nao padeee duvida que a in-


I


4-.'





c

4-,
.4-
* cc-

A4'


loqenci, su fficiente para lamentar o facto da ia o
mequana reua rnaiada a-;d MawanN "6o
(Cwoi) Datas at6 28 de dezeuw?&:
---- DO18 0 Dr. Janson doatte. qae devi* en-
RECIFE, 6 DE JANEIRO DE188 trar em 20 escruti6i. -o Dr. Silv
Votfciaa do norte do lmperlo" Maia, pelo ;10 distri .! nao a6l .eclarow
pela iumprensIqaeqistia d I!pito, ma':P
0 paquete national Peramrbuco, que tambem qUo de1i 6e artidwliboial
Bntrou do norte ante-hontem, trouxe asse- e adheri ao -it :
guintes noticias: Estava desigru_ iodia9 doc )P
Amazonas te pora ter lug& o 2' e0, irutinioi -4. dig-
Datas ate 19 de dezembro: tricto entire os Drs. G on de do astro" e
Teve lugar em ManAos, no dia 18 a Vianna Ribeiro.
apuracao de votes para deputados geraes Lemos no Paiz de 24:
pelo 10 district, tendo parte da junta ex- a Haje As 9 1,2 horas da manh,(. m
pedido diploma ao Sr. Dr. Antonio dos Campo d'Ourique, fronteiro o uart
Passes Miranda, e a outra part ao Sr. Dr. teve lugar um crime, qae manifest es -
Satyro do Oliveira Dias. rozes intents do qua e dotado o del-
Quanto ao 2o district, nao se tinha quente. -
procedido a apuragao, mas nao havia du- 0 sargento quartel-mestre do 6 O
vida de quo o deputado eleito seria o Sr. talhao de infantaria, Marcos iEvanges s f*
Dr. Adriano Xavier do Oliveira Pimentei. natural do Parana, questionava om a. ,I -
A' ultima data, faltava apenas conhecer- do sargento do corpus do. policia, Joaum-
ce o resultado da eleigAo da parochia de RayinuudoRabello, mulher de idade *vl.-.
S. Paulo de Olivenca, que nao excederA ada. Chegando Rabello tomon parte'na
de 10 votes, e que de form alguma pode- contend e fez retirar-se o desordeiro E-sWte ,
r'a influir no resultado, pois o Dr. Adriano perem, que morn em uma casa contigua a,
tinha 312 votos, e o Dr. Clarindo Chaves de Rabello, voltou immediatamiente armadpo
175. do uma espada procurando fbril-o, o.Jp
0 Amazonas diz que no rio PurAi, nao conseguio por haver o aggrWdide,*judg-
Benedicto Antonio do Oliveira, em defeza do por umn irmlAo, contrameestre da mIuica,
de sun propria vida, por ter recebido tres tominado-lihe a arma. Enfureid,4i I WO
tiros de riflo, de Joaqaim Ferreira de Mel- entrou o sagento Evangelista em cqsa;?-
lo, atitou sobre esto corn uma arma de rein desta vez nao sahio mais,: ,d, do ntr
dous canes, tendo o primeiro tire espalha- mnesmo, pando aina espingarda sobreb-0 p.1-
do o chumbo sabre o baixo venture e peito, toril da janella, disparou-a em sua yiqtima
e o segundo, quebrado uma terra, do que que ia passando.
veto a fallecer vinto e quatro horns depots. a Nove carogos de'chumbo gramilo p-.
-- 0 inspector do thesouro provincial e netraram no inteliz, ferindo-o nos priuies
2o vice-presidente da provincia enviaram e no coraiao. 1 ,
aos seus empregados a segninte portaria : 0 tire apanhou-o pelas coslS-af :.
a Thesouro provincial do Amazonas, em morte foi instantanea. ',
15 de dezemnbro do 1884. a tommunicado o fact q ir|a i
a 0 inspector do Thesouro Provincial rigio-so iminmediatamente para o luart
do Amazonas determine ao Sr.......... ocorrido o alferes ajudanteji qnuo, ,A -:
que juito a esta e corn urgencia, sob pena d e muita resistencia por part udlas kti-,
de desobediencia, inforne os seguintes consegaio prendel-o, sendor.1co do -E.:,
itens: qu;rtel.t '
a lo Se 6 eleitor de parochia nesta ca- a Compareceu t.imbein ADr. 4:k. fto- 4' .
pitai policia, que procedeu lg & 4 go !* ^,
2.o Si para dar o seu votoa algaumn dos do facto, mandando faz er 'no sasiif
candidates pelo 10 district, em que votou, o coripetente examno cadavenrico', 4 ^
teve pedido desta inspectoria ou de alguoemn effectuado pelos Drs. f lrs ;er% ,:
em seu nomie ou do Exm.n Sr. president tro. '' ?1,
da provincia; ou si, no exercicio do seu a Verificou-se depois qIeS direito de cleitor, soffreu compressao ou lhe perpretalo do crine, o de.inqua fteie.
foi feita qualquer promessa ; gara novarnente a arma, t o4 forga a
3.A quo partido pertence. porta de u ina anna pr :
a (Assignado). -Joagnim. Jose Paes da havia refugiado a Mali dk
Silva Sarmento. 'V A arna foi m nandad&a.s"l at
Falleceu Jos6 Antonio Rodrigues Dr, chefo de policia, quo t
ParA, que ha pouno voltara da Italia, ondan ao competent proeesso. -
fora estudar pintura. Logd"que:o Exc.o Sr.
Para provmnoxA teveo n. cina! ?
Datas ate 27 de dezembro: xo1 uina ordem d eb ,ii o rro e0
A jtuta apuradora:1'o 1l district, feito quo occupava. -' -
o seu trabalho no dia 20, expedio diplom, 0 oargnto Rabello era tmuito -;
ao Dr. Ferreira Cantlo protostiado o Dr. estafimadio Contava Apeamas -
Santa Rosa contra a eNi:o doar i ..... + 4s
A ." r" .*,, O'= d" ... aa. i ^ -:v ange~ita6 o rn
0 e, .,aca*du tu,+,* ^ :-
ftan'ditrie 01 -


I I


I























.. .. ;.-e d v ._ z... ali 6 i 1
pu ra a o di oa is as ttaswbOTT Ko
m E rt M .euDa o ad gos tt AL, :i Ea 0 ptt oem virtude*e it s. go tp it o i
--effet.... ....mst ..s..de A sse magistv.b6e ....


AS 11 hioras dcaaite, r' eq c i- to retMoir psia16:s revive&
U 9njft ~brigujilift* aI-endo urns s-e a ~ C ae9.rvvr ~pr p~a~r ~ ;ii.z
mento M[atiel huio t : h Siba, ..... .Eta ma E Coatestquebe de
mente Ha(oel POROW, DWA6, q*' se a ye nossos e 'fidili *4lo At us
soinho do te roo acio i- e o n e v, a teve .. o soberan o de obstar, seja qual for o pretext, a espcBtaculos publics, fixando a hora a que deve
sobrinho do ten 4tro dedaros costumados apoiados. Seguio-se uma festar a sua opinilo de guerra itransigentre own e uam membro do conselho de Estado politico terminal.
e autor do crime foi u ta j pausa de cinco minutes ao cabo da qual o preai treg aa foi o Sr. Ansefio Brameamra o-P o s des e deo xercer as funcies quando no mes, Foi.muito notavel o serraSo que pregou no
A p ma chinistsrim pe gao u n tre o dente, o Sr. Joao Ribeiro dos Santos, se dispuaha honrado e venerand, chefe, qi| seiB q m o oonsdWe 10 V "att8s5suiptos polifies, sefhdo dia 4 do corrente -patriarchal o reverendo I
Agripino, machinists, empregado no trem a fechar a sessao. N'este ponto pedio a palavra o vigoroso de todos n6s na fidalga altivez dos brio certo qu nem d'outrcs compete quell alto corpo bispo de Bethsaida (D. Antonio Ayres do .ouveia) r
da terro-via-Natal A Nova-Cruz. Sr. Alargal Pacheco, que fez urn largo diseurso, partidarios, ainda quando o corpo Ilhe fraquejae do Estado occupar-se. Creioque foram boas as miissario gral da Bulla da Santa Criada par
a ; o A dido an cn Disam q-e a i T1 A,* TOm *'- '"- > *1*a ml aconseihado oeeaai o di. f d publica.o di. 'mo Bulls. E
vida, aorqu depois do snuite maltratao, podia prestar-lhe poio incondicional, e que, se es- caraeter e no reapeito A f6 jurada.' Abriraae a n'est pont, eem que visileente exorbitou do que Esta-se imprimindo esta notabilissima orao,
via- pogrq da garras doe mufino a raao e tava resolvido a apoiar a political ministerial nos sesslo, e ninguem quizera usar da palavra, per presreveo direito public' constitutional. devendo o product da venda reverter em benene-
pod fufir das garras do set offensor,L e es tragos geraes, havia various aotos de alguns umajusta defereucia e mudo convite a que o chefe E' ao govene por6m q.e a responsabilidade do icio dos pobres.
oceultar-se na casa de una vizinha de no- dos ministros, que reprovava termiaatemente e do partido progressista expozesse o sea mode. de fact deve SerO cdnstitueionalmente pedida, e se- interessava r ouvir oe-
me Malta. contra os quaes protestaria no parlamento. ver a situagio political "gundo a egislao eam vigor esse traslade da acta qet ente, t per air eo -
Apolicia, jA se sabe, conservou-se 0 Sr.Marcal Pacheco referio que militava ha Durante quadi meia hora, o Sr. An3sao s6 p6deter seguimento scndo reclamado pela Ca- sAlgr
S1Ap j se ud;n aodnab minha rvide- des on doze annos no partido regenerador, e que Braameamp traeou corn phrase firme e mnimada o mara dos Deputado como base da accusaAo dos mi- beo derohabatane, nuo a n pse o i
i.,a eqe a ; ro dea a minha providen- s6 umsa vez abrira urn parenthesis aa sua disci- quadre dessa situatea e das responsabilidades do nistros. A imprensa progressista estA explorando domaveis obstacles no Vaticano, e s depois do
d., nem sobre a prislo do criminoso, que plina partidaria. F6ra quando votara pelL adop- governor, e indikon os deveres, que ella imp~ e -sao j a questio e tude faz crer que algum deputado ultimo accea com a Santa S a que Santo Pa-
A1p6a impune, nem sobre o facto, dei- ao A discussio de una proposta de reform da partido progressista para bern do paiz e das insti- d'aquelle partido logo que a camera esteja cons- dreo resolve nomear bispo parib o S. D.
d at prceder corpo d delito carta, apezar do Sr. Ftes ter feito questAo mi- tuies, e para seu preprio desaggravo. Se al- tituida, ira levantar a antiphona send essa a base Antonio Ayres de Gouvea. discurso reente-se
Ea o de Foeerro adec d o c1e nisterial em sentido opposto. Quae n'essa occasiio guem hesitasse ainda (que nao hesitava) no eami- para urn cheque ao ministerio. d'um cere revisamento, on ates regresso pars
Em Pao dos Ferros falleceu o coro- elle fizera part de uo a especia de Gironda ro- nho a seguir, o discurso do Sr. Anselmo Brr- Uma das principals folhas do Porto, common- ideas mais orthodoxas o poventur un tanto
nel Eblfano Jose de Queiroz. manesca, vulgamnente designada pelo nome de camp, escntado 'corn urn respeito quasi religioso, tando o que se passou na reuniao da maioria, en- ultramontanas, dizem-m peoas qu form S
paraltyba grupo barjonaceo, e que, entAo come agora, fran- teria feito desapparecer quaesquer divergencis, tend que o ensinamento final da famosa reunion o. .
Dats at 3 de janeiro : camente viera A reuniao da maioria fazeor as suas Desde aquelle memento ficoe assentado, que havia da maioria, e que a coanservacao do Sr. Fontes no Succumbio a dolorosos e presistentes padeci-
Fram nomeados promotores publi declaraoes previas. Que o Sr. Fontes Ihe respon- alli uma s6 vontade e urn s6 mode de penaar. p:der constitute corn element de dissolugao para o n A
-Fo ram nomeadora nesse tempo louvando a su hombridade, e Guerra iutrasigcnte e semr treguas ao ditador corn- proprio partido regenerador, porquanto a sua son
COS : que elle, orador, nao duvidava de que o Sr. presi- mediante, ao estadista sem palavra e sem brios, sao presenca no governor a e corn estorvo a todas as p o s oiere oa o tn
Da capital, o Dr. CicerQ Brasiliense dente do conselho tivesse esquecido completamen- reformador buarlaeo E'o enosse norte; a pala- approximaoes coneihadoras, urn fermento de thiaSa e era minito illustrado.
Moura-; te ese facto passado, porque a prova era a pro- vra de ordem do partido progressitta. reaceao e desaggregaAu, corn urn ioencitamento in-
D Pitir b', o Dr. Sindupho Calafan- sena do Sr. Barjona de Freitas no ministerio ao Esta r6to, pois, o accord que-ha um anno, me- vencivel a todas as intransigencias. ,
DePitimb, Dr. ulpho alaa- lade do Sr. Fontes. Que o prestigious e a aunorida- nos 15 dias, fora celebrado corn tanto apparato de E mais adiante: Em tempo tomara a iiciativa de urn project
ge d'Assumpao Sant'ago ; de do Sr. president do conselho cram grandes, rhethorica, e muita gente esta convencida quaff- c, A insurreicao, que se nota nao fileiras minis, de communicaao accelerada para Amboca, mas
BO Inga, o Dr. JoAo Leopoldino For- mas que no bastavam para fazer perdoar certos providencial para os progresAstas o pretexto fori teriae; e que principion a manisfestar-senareu- nao logrou ve- cercados os seus esfros, pois
reira. aggravos que varies ministros, e especialmente mal que o Sr. Fontes Ihes deu con o adiainento da niao da maioria, A um testemunho eloquente de quando agora esta tinha ferrea africana se poz a
am, tinham feito a diversos membros da maioria, abertura da sessito legislative, para que o accord) quc o Sr. Fontes, depots de haver trabalhad per- cnurso, j s estado morbid he no permittio
______________ _.. ..._______ porque esses aggravos eram funades, e difficeis de se rompesse definitivamente. Se o pretcxto nao sistentemente na desorganisado de todas as for- dare-lhe cohecimento d aqull fact, que tao
tolerar, principalmente quando nao derivavam de existisse, era necessario invental-o, pois que d'ou- as political, esta em via de realisar a desorga- patrioticos esforos Ihe tinha merecido-
.... 1''TDIOiR urn velho correligionario corn uma larga folha de tro mode, talvez que os elements parlamentares nisalo do seu proprio partido. Tambem so finou ha dias o eonselheiro Julio
EX EIOLRi service, mas emanavamn de um adventicio, cuja da opposieao progressista se na'o achassem, como Acreditam alguns que, se se der a hypotheses, Antonio Ribeiro, empregado superior das alfande-
______________ ______________ carreira political f6ra apenas um acaso feliz. Que hoje cstao, em perfeita harmonica. aliAs provavel da demissio do gabinete em ja- as
rvde la do larlo de a maioria tinha deveres para corn o gabinete, mas -- Constou que o Sr. Focntes meditira a demis- neiro, nao seria necessario a umsa situagio pro- r
p ena quoe a reciprocal tambem era verdadeira, a quoe so d ntesao do ministerio a que preside poucos dias atntes gresista dissalver a camara para governor, no ~Monreutambem asemana passada ur dos
Pernambuco governor pessoal peior de que o de um rei que nao da abertura do parlamento, mas que for& o chefe caso de serem os progressistas chamados ao po- Mai secar o do Sr. ciamma BrrosO
PORTUGAL LISBOA, 23 de dczembro de respeita as indicagSes constitucionaes, 6 o de um do estado que se oppuzera a isso. Presume-so, to- der.
1884 miOiterio queodesprezaoseunpartide a sa mio- davia, que o gabinete nao ter- long durao e Noo me parece muito facil tal soluco. A seus vinhos muscatels tmhamjusta reputaco em
Corn o ceremonial do estylo rasou-se no diria. Que elle fazia declaraR9es francas e cathego- que vamos, brevemente, assistir a outro peniodo do opposiao progressista conta na Camara dos De- todos os mereados, bern osde uvaperinta e ou-
15 do corrente a abertura do parlamento. S.M. n rias, porque detestava as emboscadas. mientras vuelve. Serno chamados os progressis- putados uns trinta a trinta e dous votes. E o tras espeies das mais estimdas.
a raiha assistio tambem A session, servindo de Este lung discurso, segundo nos consta, foi tas? Prevalecera novamente a idea de um mi- resto? Dar-lhe-hiam as a approximagoes conci- As adegas que o Sr. Jose Maria da Fonseca
condestavel S. A. Sr. infante D. Augusto. ouvide ci religioso sileucio per todos os assisten- nisterio de conciliacao ;em todo o case de feiao liadoras o restant e para powder governor cm esta possuia a villa de Azeitio eram visitadas per
Na camava, a concurrencia i s galerias, tausto de tes, havendo at guns que nao poderam center regeneradora, a que presidisse o Sr. Martens For- camera? ,
senhoras, come de homes, era extraordinary. os seus apoiados. Tomuu logo em seguida a pala- rAo, ou o Sr. Thomaz Bibeiro ? Nilo me parece. podim seroir do modelo as mais aperfeieadas.
Nas ruans, onde as e tropas formavam alas, via-se vra o Sr. Fontes, muito irritado, muito nervoso, Nos ultimos dias que precederam o da abertura Dissolver corn as constituintes no inicio da' suas Tinha o tallecido 84 ansos de idade e era rnui-
grade numero de seahoras ,aSjanellas, declarando-se saciade do powder, apontando ,A maioe- do parlamento circularoin insisteutes boatos de attribuices parlamentares, gravissimo serA tam- to bemquisto.
grad0 poe onucnorreuo em gshorande massa aver a for- ria os perigos de uma opposio numerosa e va- rise ministerial, e o mais 6 que a credulidade pu- bern. 0 mnis plausivel seria porventura o for
mature mii nlitar e a passage de SS. MM. Nao leor te, affirmando a sua solidariedade corn todos os blica aceitava-os a todos, porque a idea de que a mar-se umn gabiaete de transicao. Mas corn que Na salas daredacgoo do ConmeriodeOd Por.
nsa a miia e s em d colleges, dizendo que quemaracasse qualquer crise political existed na situacao actual, nio offerece elemn'mtos? Prestar-se-hiam os progressistas a hyo, doquo eredactor e prpietaie o Sr. r.
heave a minima desordemr. ontro ministry o atacava aelle, e citando, come a mnenor duvida. novos accords e transacnoes? hosto la
,x Dignos pares do raino Srs. deputados da opportuna, a phrase jA famosa do finado bispo de Urma das cousas que levava, ate aos mais des- Duvido muito, osio d quadros moderns, .ealisada pr is
Vizeu :-anda uma coisa no ar creates de crises a supper que ella existic, era o Seja come for, a situalo nao 6 de facil desen- tinctos artists qu s doinam o po do Le.
nasao portugueza: oq 0 Sr. Aguiar (ministro das obras publicas), conselho quasi permanent cm que estavam os mi- lace e s urma a dictadura o poderia resolver. Deu orgem a esre jiaoo Lerem unao quead
Consultada a avontade do opaiz e consequeneia estava corn urma cara de sete palmos, e o Sr. Bar- nistros desde o dia 12. Conselho de dia, conselho Falleeeu a 14 deste mez Joao Anastacio a rdr nd
anse corn prasr me vejo rodea do polos ores orent- e na alg encavacado. A coisa ia-se tornandotem- A noite, at6 fora de horas, conselho no dia seguinte, Rosa, umsa das glorias do theatre national. Uma Principe, onde todas as notes seencontravam.
preseontantees da nao, livreomente eleitos per eas, pestuosa, e pedio entio a palavra o Sr. Luiz de conselho sempre. lesao cardiac, terminando per anasarca, poz SS. MM. o AA., o S. D. Feando es
psia presennte legislatura.c hrmne spr Lencastre, que tratou de deitar agua na fervura, Affirma-se cA per fora que o ministerio seria fim aos dias d'aquelle grade vuito da seen por- spa a a exposii
Copara ptirenu sene alterai e alguma as nssa bas ponderando que no era alli occasiio de liquidar substituido peor um ouentro. genuinamente regene- tugueza, cujo none illtstre procuram honrar, corn no pmeiroiae aquirm varies quadros, os
relseon corn as peteuciaas estrangeiras, aggravos possoaes, mas que em todo caso Ihe pa- rador, presidido pelo Sr. conselheiro Thomaz Ri- tio laureados esfor~os seus dous filhos Joio e Au- melors tevez ia d a o n ds
Per-convit de Sca Magestade o Imperador da recia que os membros da maioria tinham o dirci- beiro e que teria per missed principal apresentar- gusto Rosa. A imprensa today presto sentida Tam
Prrconvitede Sua Magestade o Iperador da to d azr perguatas ao governor e de Ihe fallar As cameras. homenagem ao finado artists, cujo talent s e tor- sguintes emuitos utrs quadros trn achado
blica Frlleanhcza, d accordeo mcorn o governor da fazepu- corn fianqueza. E por aqui adiante, algumas phra- No dia 13 correu que o Sr. Fontes fora 0ao pao nara notavel tambem come sculptor. orasdos louvae s process u s es e -
blica Franceza, accedeu omeu govBernoli, juntamzer- see conciliadoras, mas d'um ministerialismo hesi- antes deir ao conselho de ministroo e aecrescen- 0 theatre D. Maria II esteve 3 dias fechado em doraos plouvave t proio eso quo toses nsu
reprenentar na conference de Berlim, juntamente tava-se qua fora pedir a demissao do ministerio. demoastraco de lute. diosos r s ter feito e q d todos os an-
cmm eutras potencias interessadas no eommercio tante ast lo do Into.hante manifeststio. Os oxpesitores s&0
de Afriea, afir deassentar oes prnipios qude- 0 Sr. Manuel de Assumpcio tambemn fallou, Causas determinants deste facto--discordancias 0 sou funeral foi immensamente concorrido, S Silva Porta, ah, Colombano Bordall
dveo regular o commercio assentar veos pgaoipios quZaire e e entire varias declaraoes de lealdade partidaria acerca das reforms, anceios do Sr. Lope Va (que n'elle se viam os representantes de tode o nesso s
do Niger, born come oAs fornmulidades a observer dirigio usma several monitoria ao Sr. Fontes, es- a nenhum dos conselhos assistio a pretext de jornalismo litterario e politico, o Sr. Pinheiro h- Pinheiro Co, Giro, Vaz, Vieira, Raalho, Christine,
dem novas oecpaeas rn'aqudlla part do mundo. tranhando-lhe a sua.intolerancia e dizendo-lheque doenca, nem consentio que em sua casa fossem as gu, milaistro da marina, as eerpora95es de todos Pinto.
em novaBse occenpa do aus nnibno era S. Exe. que podia perguntar A maioria se reunites dos conselhos de ministros come o Sr. theatres de Lisboad, iacluindo a do theatre lyri-
Quando se tenha chegado a um resultado defmni- ella o acompanhava, era a miuroria que estava Foltes lembrara) difficuldades a proposito da .6, o conservatorio Real de LisbOa e pessoas mais Falleceu no hospital military da Estrella, em
tivo ns conferencia em quo so discutem negociosr Lboocptodo01alnareomdEdao
tquo tante prendem oer os dircitos sculares do agora no direito de perguatar a S. Exc. se poudf questAo da companhia t ot dn, d inhos de v wa t od ..! Iaoa00 LisboiQg, o capitol de vallari eformadoEduardo
Portugl em tao s regies, n restscontar corn o governo, desde que o Sr. president portuguezbs, e sobre tpe6o, as diercasi ades na- c prett sat i da igrejade d Nieolho e le- Castellani, oriundo d umafamilia italiana. Ser-
Portugal em taes regintoes, ser quao pcareasentes a Cnar- do conselho se declarAra saciado do poder. Que el- ceiras, que existem, apesar do tom de opti iiho vava mais de 150 carruagens. vi as orders do marecha duque de aldanha, de
legislative e quantos possaum servir a eluncidal-as. le estava prompto para a lucta, e que c nao apa- fazendario que se nota ma fall do throne, que, O eximio actor, ha muito aposentado, estava quem err intimo amigo. Enthusiasts polos prin-
Tendo a lei dclrado quo alguns artigs da vorava o quadro tetrico que o Sr. kNontes fizera da segundo se affirma, foi redigido desta vez polo pro- doente havia muito tempo. Tinha 7T annos de cipion liberaes, de que sempre oi extrenuo defu-
Tendo a lei declarado qu aguns artigos da opposicAo, mas que era mister que o governor sou- pnro president do conselho de ministros. idade. s era doado d'uma natural e s vezes rude
Caro Consetituional carecm de reform, e epo -e no besse ispirar confi-na aos seos partidarios. Como lhes disse, repetia-se tambem inos cireulos Longa 6 a list das das suas glorias, comecadas franqueza, que Ihe concliera geraes sympathias.
tando ros pars alisamunidos corn os poderes ne- c0 Sr. Marcal Pacheco voltou a carga, estra- regeneradores que el-rei fizera sentir ao Sr. Fon- no velho theatre da rua dos Condes, sob a direc- Conheci-o muito dc perto, na convivencia corn o
sentara a proposta do um neove acto addiciona A nbando quo o Sr. Fontes nio tivesse agora usado tes nio seo esta a opportunidade de o governor se cao de Emilia Doux. Este notabellissimo artist, tambem ja fallecido Bernardino Martins, o espi-
coustit e d Esotadeou contedo asctera~6ou, quon da benevoleacia de mue se servira quando elle, demittir e que se apresentasse ao parlamento. companheiro de Emilia das Neves, de Epiphanio, nrtuoso redactor do Supplemento \Burlesco, que
pareciaopportndo que so facam nos referidces ati- q ruder, do accordo corn e Sn. Barjona, quebrara, Affirmava-se que o Sr. conselheiro Aguiar es- de Theodorico, do Tasso e da Talasia, desappare- tanto contribuio em tempo para demolir o governor
gos da. lei fundamental. Tambem yos serA pre- na questao da reform da caria, os liames da dis- tava resolvido a sahir e que entre S. Exc. eos 5eo, sobrevivendo apenas d'essa pleyade a Talassi eabratsta.
set dura preposta de loi eleitoral em roferencia ciplina partidaria. Que o facto d'elle estar s6, ou seus colleges havia grave dissidencia per causa e o ['hoodorico, retirados da secena ha bastantes No dia 8 do corrente inaugurou-se a esta-
ase ume prostemporaries dai camera dos pares. estar corn o Sn. Barjona, nao devia alterar o pro- da questao dos caminhos de terror. anno-. co do caminho deforte do-Minho, em Valena,
aos nembros temporary a oses der do Sr. Fontes, porque os direitos do Sr. Bar- Contava-se ate que, na seata-feira, A noite, 8 Confiava o grande actor ultimamente nas apre- que flea situada no kilometro 130 8 6 a estaaoa
Do tie er.ovadaarquast~escoquodprroensctutuszar Ct o nfioavas earandehactdor esltismaret .s apr quoa t learinuadauel einho kio etr 3 fe 6 ao.
De ta elevadas importatese que oe a adisutiatureza- ions a sg guir os impulses da sua conscience no Sr. Agiar mandara convidar os actuaes dieto- goadas narvilhas do espiitism. Era n'uma terminal daquelle aiinho de ferro.
ta sesise, estou enter que yes occupareis corn a podiam ser scperiores aos d'elle, orador. Que pre- mes da Conpanhia Real pars companeeerfl^ no mesa toses, muito love, qae elle ia consultar to- 0 acreditado livreiro editor Antonio Maria
solicitude, e distinct critero, que ovo s sc o proprios, c sa saber so o partido regenerador tern per nor- seu gabinete. dos os espinites see affeioads desde Hannan Perira, fez agora a eunda edio do M terio
dod t ant magnitqude eslsaorpn mao cr ou nerre, porque entaoo cUe estava alli Alli form perto da meia-noite e o Sr. Agaiar atd so son college Epiphanio. E assim so on- da ertrada de Cintra, a enRamale OrtigMy e Er
e qoe assumptos de tanta magnitude reelamam emais. E nova tunda no ministerio das obras len-lhes ura portaria em clue o governo dizia ter ganava, nos seus ultimos tempos da sua attri- de Queiroz.
dosseepresentauteu da nafilo. -Vl uiodinaaasersocotr-
Ados nquilidada publics torn side geralmeote publicas, rebatendo a imputaeao de vir alli liqui- visto corn desagrado o adiameuto da assernlea bulada existencia. Vao auito adiantadas as obras de construc-
mantidaqemliddde romei pteincids ulralment ar aggravos pessoaes, porque elle referia-sec a geral e que esperava que a nova convocaca se Ficon sepultado no cemiterio Oriental. 9-o do ramal do caminho de ferro para Coimbra.
has. Algumas aggressors dos indigonas, mae pes- aggravos politicos. Que as suns declaracoes eram fizesse corn o maior brevidade. No dia 17, succumbio tambem, mas no ver- Ura grande part. do aterro -ja estA feitae estio
nes.e6 portAguezas do Guin6 e de Mouambique, torminantes, porque as suas convicioes eram an- Parece que o nio star prompto o relatorio dos dor dos annos, Antonio de Menezes, o celebre sue- quasi a conulnin-so os pegos onde devem ascen-
forum devidaniente eastigadas, restabeleocendo-e reigadas. novos directors a tempo 6 que determiuoi o tor das espirituosas gazetilhas inofensivau, que tas os dous arcos em construccio.
o imperio da leai e o respeite da sutoridade. "- 0 Sr. Airoyo fez o sou maiden speech, com adiamento da assemblea geral daquella poderisa diariamente se publicavam no Jornal da Noite e
No intervallo das sesspes forur decretadas a muita elegancia de phrase, mas sem descer do ter- compaahia para 18 ou 19 de fevereiro de 18S5.- Diarie Ilustrado sob o pseudonymo de Argus. No dia 14 do corrente foi distribuido na ci-
gumas iedidas do natureza legislative corn ret none das generalidades. E o -r. Fontes desceu de Os directors da companhia nao sao emprega- Era um born rapaz, que toda a gente estimava dade invicta o Premio eCominercio do Porte, insti-
roncaso exercito e A marina, e ontras destina- novo A estacada, mais manse e mais amoravel, dos do governo e pprtanto nada teem corn jue polo condo insubstituivel da espontaneidade de tuido polo fallecido Eduardo de Lemos. Presidio
.. ........ ao ... e dando exalicavoes A direita e A esquerda, e fazen- este se agrade ou desagrade dos -ens actos e ?a- um graeejo de muito chiste e jamais injurioso para e Sn. Joacuim de Vasconcellos, que pronunciou um


tas .a preeervar o r ein aa mvasao uo cuieAr- do sobretudo notar que elle tinha dito que esta- rece que neste sentido resp nderam ao mini ro quem quer que fosse. Dous dias antes ainda es- diseurso commemorative dos services prestados
morbus..- V6s examinareis a esu importancia o un-
genia, e eo governor apresentari proposta para ser va saciado do poder, mas nao dissera cauqado, o das obras publicas, o qual, voltando a consular crevera as suas gazetilhas. Fallava da abertura polo benemerito fundador daquelle civilisador es-
relevadoe da nresponsabilidade em queo incorreu que positivamente uma coisa muito diverse, e os seus colleges, se decidia a substituir aquila das cortes que poueo depois devia realisar-se e timulo, bern come a premature perda de um dos
vadoptado~a rsp e qeat6 o contrario da Messalina, de quem Tacito diz: portaria per outra em que se disA que, teadOo tmiham come remate a seguinte quadra ligeira: chefes do journal ao qual confiara o honroso encar-
adoptando-as. 0"" eaa
Continuaraim'o obras publieas em tode o reino lassata sed non saciata. Cantata em d6 menor, em governor recebido communicate de que a renrao go da distnibuiao da recompensa aos estudantes,
corne omaxio desenvolviento compativl co os qu elle chegou a dizer que se a maioria o no da assemblea geral serial a 18 ou 19 de feverero Um trabalho se esar Sr. Manoel de Soua Caqueja.
fucorn o tmaxdosPar desenvovimento combative l l orn osea apoiasse se retirava do puder. Corn esta implora- espera que assim se realize. Esta portaria #Io Urma aina desp'rada Tem-se spalhado boats desconsoladores,
posiVlo agricola, con proveito incoutestavel da e.o. logron alcancar varies apoiados. Tambem me -passarA tambem de urma inutihdade corn que, uz- No final-o que fizeram? nestes ultimos dias, de se have declarado incura-
pnimoira das nosas industnias.T a utesa Sset o Sr. Fontes procura satisfazer aos desoss N lo fim-nao fizeram nada! vel e ravisim urn padcieto qu e-reio
i o-dos gades, come a dos products da terrade- Sr. Garcia Lima declarou qu fra histo- dos Srs. Hintz Ribeiro, ministry da fazene Sr. D. Fernando soffre ha tempos na bocca.
ram clara id6a do successive desenvolvimento que rico at6 ao pacto da Granja, que depois abando- Lope Vaz, ministrO da justiga, os quaes continrnm Este humorismo a dous passes da sepultura, foi Aver lade pornm 6 que el-rei contina a corn-
tern tide dro nss este impotantisimo ame da nn a political, e que surgia agora deputado feito a ser contraries A actual aituacilo da eCompainia a derradeira manifestasco d'aquella veia inexgo- recer nos espectaculos, nas exposicoes, sahe quasi
riqueza national lo Sr. Jo Gailherme, com a eondio de votar Real. travel da boa verve portugueza que fazem rivalisar tedos os dias e no tern alterado os seus habi-
Igumas propostas ficaram pendentes na sessao cu o goveruo. O Sr. Fuschini foi breve mas fri- A question pois, 6 a mesma de quando sahide muitas das melhores quadras e quintilhas corn as tos.
passadauja inieiativa ser renovada plo gover- sante. Disse qeos deputados da maioria tinham governador civil de Lisboa o Sr. Segurado, cdse melhores de Bocage e do Tolentmino. Urma tysica
nopasaautras tendentes a melhorar alguns ramos direito de fazer perguntas ao governor, e de decla- que entae ficou adiada, mas nao resolvida. do laringe o prostro,succumbindo a ua hernop- a a o s
de adainistraieo, serao submettidas por differen- rarem os seos intuitos. Quo elle per sua part de- JA sahio no Diaro do Governo o decreto da tyse nos bragos de sua mai.
tes ministerios ao vosso esclarecido exame ; de clarava mto terminantemente, que se o governonemea do Sr. Marquez de Vallada, para gov- Fez varias Revistas par o theatre. As pl. uda cit dFa o, em qu to pat. a ce-
todas yes oceupareis de certo corn a atteneio e apreseotasse urna reform da carta liberal e demo- nador civil de Braga. -1tWiss domavam-uo. No sahimeute, quo foi mui
cuidadoqueosmerecr. cratica, que podiacontar corn o sen apoio, se apre- ste despaeho tern daio lagar a um chuvero nesroso, cmpaneceram actoresa de todos os thea- il q reiso t
n r oesooema sar e e m a tr d de s s the a- ,O a usnti e.s r p onpt
A nodsdo sitae cosme poteucacooilxg sontasse urns reforms scanha~da otsedeede do epigrammas picaroseos dos jornaes do. epic- tres, teds a impress do Lisb~a e muitas eutras cos quo tern circulade em yes baixa a rospeito do
aino satsiteugo dos poderes publicos. A Africa, nosgoem j 3 o vote e a e ns piade vra contra. amoco- sirio, pois ainda nilo esquecon a maneira esem- pessoas das suas relagses, seqdo na ultima parada e(tado perigoso da enfenmidade daquelle persona-
prineipalmente, abro um eaupo vastissimo A acti- nee quo love u merit. do son eame eat.erador. dalosa come o Sr. conselheiro Arrobas, de co, os cordbes do seo feretro tomados per senhoras.
vidade naeioaal e has dilatadas regioes, que os ,, 0 Sr. Pereira de Vasconcellos deelarou que bina~io corn o fallecido A. R. Sampaio, en e Ceeraca oscrever Antonio de Menezes no to, sem distinct do partidos ner do posiio sos-
dominios portuguezes alli eomprehendem, podemos centre a obedieacia cega, o er ou morrae, e a india ministro do reino e president do conselho, e. Journal da Noute, sondo director d'aquella folha cial,
eno r eeoetoe driqueza, pelo commercioe, havia u mio te, era nest nio tendeuon inutilisar aquelle pardo reino, fazendo em o seu fundador Antoni Augusto Teixeira d as N seso unicipi d 11 do coent.
e nr mo t re eele s eo snd enrr aue z a ,0 S r.ov iocmn doid I s e s easdodm unAn to n io d eg1 1td oTe ix e ir aed en a
pela industrial, que largamente nos compensem de term que o encontrava. O Sr. vis ond e do qnu a policia o sorprehendesse n'uma casa de p eoncellos; que falleceu ha s guns annos. do ort effectuo-se a distibuio do
quaesquer saerificios. N'esseintuito realisou o go. Rio Sado tambem disse que os deputados no cram da travessa da Esperacom uma praga de pret .. Comeoaramja no Theatre de S. Carlos as rec- d or ef tuo uio s
verno urnmontraeto para o estabelecimento de urma marcas. Passam-se cousas de tal ordem, que nao sn o tas extraordinarias, para ser admirada a celebre dons Premios daoe, instituids poner iniciattva
linha telegraphica, que nos ligue As nossas pos- c Finalmente, o Sr. Cypriauo Jardim pergun- o chronista come referir se a.ellaa, mas asio dal cantor Fides Deor6r6s. Estreou-se no Fausto, de do Cntereio do oro, em commemorao do ter
sesoeu de Africa occidental, tendo j ahavido co- ton se o governor estava disposto a tomar a res- pablicidade os facts, qne nao ha outro remeio Gounoud, sendo secundada per Devoyod. barytone, cei centenari do fallecimento do gorioso canto
me0o de exoeauk nas refenida linha. Para explo- ponsabilidade dos actos praticados pelos nosses re- senior vasculhar neues. -Nauneti, buixop-Guille, tenor,-Mantelli, con- l ocuao uit. discrete, nefenindo-se A benemo-
rar 0 interior da provincial de Angola foi annun- presentantes na conferencia de Berlim. Entio o 0 case tfoi obiecto de pungentes caricaturaseo tralto. Umsa enchente A urrata, apesar da eleva do sio aae a sairor.r dau can-eze uernesmo
ciatdbO rs*o paraa c eonstrucio de um camin-ho Sr. Fontes, de novo possess, declarou que o go- Antonio Maria e andou na bocca de todoL j r ,orbitante dos pros. Um suecesso complete. rencia do finado mttdor daquelaes prore s em
de feoteatre Loanda e Ambaca. Estas medidas verno nio podia dar mais explicaes a maioria. rece que a decencia exigia de um governor e Confessam todos que nunea o Fausto fora assim Sr Maoel d o Soua Carqueja. Prcede-se em
e outras que foram tomadas em virtue da autori- E assirm se fechou a sesaio que nio diremos que se presa, nio levar agora a coroa a assignar c antado em Lisboa, e que a part de Margarida segid o soteio doe preitos.
saVi concedidade no art. 15 do actor additional, foese urn triumph para o governor, mas que 6 um decreto que poe a frente de um district impr- nunca tivera mais excellent interpreted. Foi agraciado ultimament crn o titulo de
serb devida e opportunamente apresentadas As symptom eloquent da cruise political em que o tante do reino, o fidalgo cuja devasidio ou fr CantarA ainda o Rigoletto e o Hamlet. Foies- viseude d e Amoros Lie a Loo Sr Manoel Jos6
cOitS. ministerio se debate. Por isso referimes cota todos gilidade encalhou per tal formal nos parcels doe u cripturada 06 para 5 representagoes. Aoroso Li capitalists prpietai, neidcn-
No use da autotisaglo concedida pela lei, eon os promenores, que podemos obter, o corner me- escandalo monumental. Tern estado em perigo de vida, am Roma, a sc- to ua cidade do Rio do Janeiro.
tra49- meun governor um emtestimo, realisado moravel desta reuniAe, que proves de um mode con- Poiso governor teve ousadia para fazel-o,eo s- nhora marqueza de Thomar. As ultimas noticias -Affirmavase onte que Sr. deputy Lui
em boas condiq5es, tended com o product d'elle cludente, que a maioria eonhece o peso das res- berano lovesvoa a sua condescendencia corn o S. Ba telegraphieaa, porm, accusavam ligeiras melho- Bivar qu seia n eado, quero dize, Vtado
side ad. da fluctuante internal e external. ponsabilidades, corn que tern de arrostar, e quo jona de Freitas, actual ministry do re, ao pen! rae. pans president 'I carara coustituint.. Pen on-
I t A6rtesosdocuento ao est muito resolvida a deixar-se afundar de referendar aquella nomea que no dizer d oi iamado o egulamento da escola r lade, aguns .igo deste cavalheio, contes-
soc -p we Stpremar coWesiettemeuteaetas 'ellas, ao memoom eare e sere protestoo. foas progrossistas, veioe pr nasaitua xercit tavam quo e acitasse. Segunde estos, tonal
ao fiuer -X&neama inoite huve urs reunie ,politiea emf t, enea que Ihe faltavaI P- or arte do everno da Italia, foi commu- side Sr. Bivar onsultado pol S. Fotes, een
ituS da fazenda public s6 sufficiente- cam do par do reino o Sr. Vas Prato (urn dos JEitretanto, em Braga, onde.t'referido marqiu nicado soSr. Almeida e Brito inspector do service sand, por6m, dede logo, termiantemente, a elei-
=uete ciaemttads pora ne o inspirar reeios As chutes do grupo contituinte), a que estiveram jA foi governador civil em tep o be aterio 1 -,phylloxerieo que a sua memenia acerca da phillo- ] ao prsideneial.
,Se a eidop mode sivel.e o piz resentes, entire outros, os segintes deputades tributa- lhe especial venera, o pparam- xera em Portgal recebera meno honrosa do
-recetftd*0ft redoi Turimo. tabsita, vapor%, enP"re ow Z xir me Loanda.st
uto A eicm os em ecarffOB Sw mJo in CoeltO de Carvalho, Fernando Ge demonstrate festival pra um a reCep9o de e jury da exp de T i tala vpo en i o .
s*;r--giou wsaoa meat- eao ewUsuTo' imer- Jury u Jo epoto de nma me dizer-ihes que a s ip
r3,A eeurseos d-obns pians entiuniam&as~is raldes, Luis Osarie, RisTrgalFranee Fraslo trades. Cosi isa it sond&!I-No mes ultinmo osquecl ie dznlo u AesAnuacfaiprtnoasbcin
..... w edo e honrando teodo oseus a com -oDr. AvelinoCit0d. : ad.israddr do conseBhr d go -has alleeido Verissin Jos 6 Baptista, o mas abort polo jrnal rescinanie a Or do Coi-
b- atreteat o augieato da riq'A G r. consloeihor w ADias Ferrois, seg u0do quo soahe do tabdepsoho pedio a miitigo dos mercadores do papel, d'esta cdade, bra, pars offerecer urn eruz peitorai soSn. arce-
"ha t c aas o eneris oppose o go- tw administradeedaqu-eol dist vie t 1 w 4 era o t4istl ode a taboleta. bispo do Goae see Revde. bipes da Guards e
da faiseada yoagaproe~n it .AhA&-se agra.no k'orto. &tehm rm nurlnebods m'
,0mbea lodi18 rSun-so no center e pregressista V ate Es hmmornper ro" maturam1i4eatobondoso, m uito Fuacha. Esta veffrtsiproud. acema p elt quo da
O~btW doso do d h ~ atioif8 dostO OJtic. utiitiferie o eniboi coesda ubicyi d
Q0e. pare ra fU:t O u Por&decatteb itod mos foi aberto con- oneyclicaHumaam genu, ser beneplato r~giO,


que a t i ooft t z -, t. o&*p0,_d4.d teminaem 2no
doOW& r e r ofai a- a wmn aukiamvm O R h0 11eovlooo oi oaol


-4-


Tktspara SWiima
Mtft:porq V D& ) for

depoi k Vi.titui.o pare-,
Um t~~norni& .... .
.am^, port"a* Aor, Wo en an"eduaa
0*e so"W< vias -*ae v-o eiterio, cas
*t ente*b deade yam "0yapoek atM qwU 0 o Rio
b-?raib
No interior, V6s sois o goveruno do Estado.
No exterior, Vos sois a hours do Estado.
Este governor 6 que tende a annullarse ; essa
honra 6 que corre o risco de perder-se, se pars a
-epresentaglo do principio da autoridade no res-
ar, neste paiz, mais do que a forca compressor
,xercida tenebrosa e mysteriosamente per um po-
ler secrete, come a exercia oqtr'ora o powder lutu-
ento da Inqnisiqlo.
Ao vosso espirito elevado, A vossa magnanimi-
lade, deve ser grate e lisongeio eate mrmurio
anfraquecido que chega aos vosaos ouvidos come
o Jerradeiro appello de um povo moribundo, que
a perdeo a conscieneia da vida, mas que ainda
aIo goza di paz da morte.
Todas as agonias tern este caraeter: ou se re-
velam per umespasmoconvulsivo ou semanifestam
por este stertor oppress, que significa o adeus
supremo daquelle que senate partir de si-a alma
e a vida.
Ah Senhor, n6s sentimos que se part da nossa
consciencia, come cidadiios,-a idea do direito e o
sentimento da liberdade.
Onde nio ha senae um Poder effective, a Esse 6
que pertence a responsabilidade.
Peor uma tacita delegacio national, VO;s repre-
ientaes a summa de todos os poderes.
Seja isso embora o nesultado de uma funesta
ibdica* o ; seja isso embora a expresdo de uma
illimitada confianua nas nossas- virtides, na vossa
sabedoria, no vosso patriotism, o facto 1que sois
o Alphao e o Omega da nossa organisaqo social e
political.
Sois a razIo supreme que delibera; a conscien-
cia augusta que se manifest; a vontade soberana
que determine e manda.
E' per isso que neste memento volvemn-se para
V6s os olhos amortecidos do povo, que, havendo-
se resignado a na'o viver, 6 porque contava ao me-
nos fruir o repouso e a tranquilidade inconsciente
do ser anesthesiado.
Mas isso que rest da consciencia publiea senate -
se abalado e temeroso.
A impression que se experiment 6 a de um ca-
daver saccudido no proprio esquife.
E quem assim desapiedavamente ludibria da
nossa fraqueza, nao e a vossa mao poderosa : 6 a
mao sinistra de um outro poder occulto, que pre-
tende ter mais autoridade que a Lei, mais pres-
tigio que a Justiga, mais forca que o Direito,
mais imperio que Vossa Magestade e que se in-
terp5e entire Vos e a Nacao -como a sombra de
urma divindade mythologica, affrontando o C&o e
escurecendo a Terra.
O case Malta nao 6, [como se p6de supper, umn
facto individual, restrict, isolado.
0 case Malta 6 um symptom, 6 umsa eve-
la~lo, 6 um estado pathologico que denuncia a
decrepitude de um organismo e que estende
sobre o corpo social as places roxas da gangrena
senil.
O Imperio 6 que estA enfermo.
Este delirio da autoridade demente, que toma
todos as forms da evolugio fatal que agita as
cerebros desorganisados que eora manifest o or-
gasmo da furia, oun a impression do terror, era a
melancolia do abatimento, era o stridor da arga-
lhada alvar e convulsa, nio exprime, bSenhor,
mais do que ajfunesta enfermidade que dove ser
curada.
Seja qual for o aspect pelo qual se consider,
neste memento da nessa historic, o estado social
da nossa Patria, a impressio que result dessa
oabservaoo -6 o desalento, 6 o desconsolo 6 o
terror.
Parece ehegada a hora das supremas energies.
E' o moment do esforqo intelligent e da von-
tade inspirada polo amar do bem e polo amor da
Patria.
Lembrai-vos, Senhor, que se trata da restaun-
racaio moral do Poder Legitimo ; da felicidade e
do credit da Naca.o.
Lembrai-vos finalmente que, se, come dizia Ca-
tio em um discurso celebre, ha crimes que se
podem castigar depois de commettidos ; ha outros
que nio podem ser castigados senao tomando-se
medidas para que elles se nbo commettam.
Topicos do dia
(Do Paiz)
A POLICIA tern o direito de nio defender-se
de accusacoes. a
Quando Pythagoras proferio esta senteona, a
Humanidade acocorou-se dando gracs aos deuses,
essa celestial incarnacaio da Policia. '.
Realmente, em todo o Livro da Sabedoria nao
ha maxima que, come esta, resuma a graudeza e
magestade dos seres sobrenaturaes.
Debalde appareceram depois outras defini9oes,
nenhuma deu tao perfeita idea da cousa omnipo-
tente, come esse indiscutivel axioma.
A Policia. que 6 mai do Arbitrio e filha da


Violencia, reservou para si o direito de nao defen-
der-se, porque a sua inerrancia e impeccabilidade
estlo acima de qualquer accusacao.
Melhor do que a mutdher do Cesar, ella, a fa-
vorita do Gran-Turco, nio p6de sequer ser US-
peitada.
Troveje contra a institui*ao immaculada o des-
peito de pygmeus (aos quakes mais tarde ella amar-
rotarA as calottes); a verdade mostra que no 6 a
Policia susceptivel das contingencies humans, e
que somente para ella foi inventade o motto de que
entire n6s se apoderou o Poder Moderador.
S6mente ella, Peder Supremo, 6 que deve ser
irresponsavel e sagrada; s6mente ella nito p6de
j Amais errar...
Murmuram os praguentos que ella (escreva-
mos corn maiusculd), que ELLA, apezar de sua
origem divinal, cerca-se de gente mal encarada,
vivendo em companhia de satellites tenebrosos;
mas esqueeem esses qaoe os mythologicosju.izes
da Eternidade, os sabios que julgam no Orco e
fazem a policia do Barathro, rodesami-se das Eu-
minedes descabelladas, das Parcas hediondas, do
Cerb6ro trifauce, e de outros patuscos polo menos
tio patibulares come os aecretas manipuladores do
hepatites fulminantes!
Accusar a Policia?! Acaso ousari o verme
da terra inculpar os astros do firmaioento ?
Defe.-Aer-se a Policia?! (-ande ja viram a
Omnisciencia e a Omnipotencia travar-se de razoes
corn as ignorancias da fraqueza ?
E que accusaoe senarm. esa quando a luz
policial fulge come diamante- sem java e a sua
pureza come a candura da never alpine?
A policia 6 forte, mas a fortalesa nalo e 6 umn
crime; a policia 6 valente, mas Deu amou a va-
lentia de David e a de Judas Machabeu!
Nao, a Policia tem o direito de nto defen-
der-se de accusa ses! .
Esse conceitc, repetido desde Pythagrs at
Bernardes, e do Bernardes ate Berardino, colloca
a Policia f6ra do alcance de todas as bernardas
tramadas contra ella!
Aceitar o papel do reo I
Se a magna Poten1 submettea a ma
tal contigencia, seriasn "05 0ilevoie# -de
querer agarral-a pelo e dapalpas, xbtoal-a,
hepatisal-a memo come a qualquer cimiinos vul-
gar?
Nibo; podem outros compareer perante tri-
bunaes quo pesquisem de dalietpseI iio Cow-
parcerA a nenubm, 0 robi a b mrra iem ot5
do Valle deJoml*W Itl
XMetta-.e coq, pOliBia ae mvaldeviaos 'sa-
-kpo L a%, quo--a *sl
^SS^^^' H1 eawwo1^






























LUND
E SUAS OBRAS NO BRASIL
(8EGUNlqO 0 PROFESSOR REINH RDT)
MEMORIU LDA POR H. GORCEIX, DIRECTOR DA I SCOLA
DE [INAS DE OURO PRETO, AO SEa LWAUGURADO
NA M'SMA ESCOLA 0 RETRACTO DI LUND
(Dos Annaes da Escola de Minas de Ouro Preto)
(ContinuaCeo)
Tambem nesta memorial annunciou Lund pela
primeira vem o descobrkneato de ossos humans
em dunas difflerentes cavernas. 0s resultados ne-
gatives que lhe haviaurdado por este aspeeto nu-
merosas outmas excavates, das qnaes coacluira a
na existeneia do home na epoea em quo viviam
as species extinctas que lograra achar, e a posi-
VAo que occupavam as ditas ossadas em relaoo a
do outros animals de species fosseis existentes
nas mesmas grutas, quaes o Phationyx, o Chlamy-
dotherium, o Smilodon, o Megatherium e outros,
deixam ainda duvidas no espirito de Lund. Ape-
zar de mostrarem as ossadas humans caracteres
physics da antiguidade, identicos aos das ossadas
doantros animaes, nao oausa Lund afficmar positi-
vamente houvessem sido contemporaneosos indivi-
duos a que pertenciam aquellas e estas Reser-
vandos esta questo par a Imais aprofundado estu-
do, rematou Lund esta sun memorial per quadro de
todas as species fosseis que reconhecera ainda
viverom na region, e 'ste quadro 6 tanto mais
interessante quanto foi o ultimo em que Lund re
sumio suns descobertas,As quaes bemrn pouco teve
de accreseentar.
Elevaram-se a 39 os generous da fauna actual
estudados por Lund naquella region, comprehen-
dendo 88 species; muito mais rica, a fauna fossil
havia-lhe patenteado 54 generous e 112 species,
As excavag6es nas cavernas deviam, porem conti-
nuar. Pouco activas em 1842 em razao das par-
turbacues politics que agitaram a provincial de
Minas-Geraes, recomcaram corn ardor em 1813 at6
concluirein-se no anno immediate. Bern que non-
hum descobrimento de genero novo facultassem.
o que inlica term as pesquizas anteriores dado
a conhecer a quasi totalidade da fauna extinct
das gratas de MNinas-Gcraes, nao Jdeixam de ser
mui iuteressantes as novas excavacoes, por have-
rem patenteadogrande nuurcrode individuos e corn
elles o meio de fixar corn exactidto o lugar de ani-
maes ate entao apenas conhecidos por tragmentos
de pequena parte de seas esqueletos. Assim, o
genero Sphenodon foi supprimido e referido a in-
dividuos novos do genero Scelicotherium, o qual,
representado por mais de 30 esqueletos, parece
dover ser decomposto nas duas bemrn determinadas
species que se chamam S, Owenii e S. Bucklandii.
Reconheceu-se ao mesmo tempo como bern distinc-
to de genero Nasua, o genero Ursus das grutas, e
confirmon-se a existencia dos Myrmecophagos fos-
seis. A historic destas altimas descobertas foi
enviada, como as precedentes A Aeademia de Sci-
encias de Copennague, debaixo do titulo : Docu-
rametosfornecidos para o conhecimento do mn'ido
animal preexistente 6 ultima revolugdo do globo
pelas cavernas exploradas em 1841, e nas quaes se
acharam ossadas.
Ainda outros trabalhos emprehendeu Lund por
esse tempo, e, em 1811, redigioe remetteu Aquella
sociedade uma memorial acerca de aves, nao con-
sentio fosse publicada integralmiente, tendo sid)
apenas mencionada nos Comptes Rendus da Aca-
demia das Sciencias. As difliculdades que lhe
deparara a distiaccao das species fosseis na clas-
se dos mammiferos, c quo muitas vezes o haviam
obrigado a alterar classifica'6es anteriormente fi-
xadas, induziram-no naturalmnente a nao dar A
lume o resultado de suns pesquizas sena'o apoz
profundo estudo do numeroso material que cornm ta-
manho esforgo havia colligido.
Pertence tambem a esta quadra uma memorial
acerca dos carnieeiros vivos e fosseis do planalto
central do Brasil e foi esta monographia a union
parte que logrou acabar de uma immensa obra,
em que entao cogitava e devia abranger todos os
mammiferos daquella regiao; esta monographia
considerava-a Lund como natural continuaco da
exposiao summaria que acabava de dar relativa-
monte as ossadas fosseis das cavernas. A nmono-
graphia que a esta devia succeder, e teria de re-
ferir-seo aos gatos, martas e ursos, nao foi conclui-
da, como tambem nao o foi o estudo acerca dos
tutts vivos, do qual o professor Reinhardt achou
fragmentos ji redigidos entree o manuscriptos que
acompanham as collec9aes de Lund,
0 que Lund chegcu a publicar acerca da familia
dos cases mostra quao -asto era o sea plano e
quanto labor e pesquizas de toda a especie exigia.
Nao somente os caracteres distinctivos da osteolo-
gin do cada ospeeie sao estudados nas menores mi-
nudencias, mas descriptos mui particulsrisada-
m~nte os seas costumes, segundo as mais fidedig-
nas narracues dos canadores e dos natures do re-
giio, o tambem segundo observances feitas sobre
individuos creadca dobaixo dos olhas do in-vesti-
gador em sun mesma casa. Comprehende-so
como obra assim acabada teria de ser superior em
precisao e exactidao As que tern escripto tantos
oitros naturalistas lounge do theatho onde vivcm
os aninoaes, que devem ser descriptos, e as vezes
psssuindo apenas mal conservados despojos dos
mesmos animals.
0 resume d'esta memoria basta para mastrar o
sou valor. Das 12 especies do grupo dos caes quo
habitavam outr'ora ou ainda habitat o valle do
Rio das Velhas sao extinctas sete, pertencentec


aos generous Canis, Palccion, Speothos e Abath-
modon. As cinco vivas pertencem aos generous
Canis e Icticyon. Exceptuada a especie Canis
Subatus (GuarA), sAo novas todas as outras ou
pertencem a antigas describes inoompletas on
erroneas, como succede corn o Canis Vetulus ou
raposa do mato, verdadeiro chacal s6mente en-
contrado no Brasil, e que, post nio houvesse sidc
conhecido por Azara, foi designado polo nome de
Canis Azarw e assemelhado A rapose do Para-
guay Form creados quatro generous e um d'el
les, o Icticyon, emb~ra parecesse commum, na(
foi assignalado nemo estudado senao por Lund
Mas tarefa tao ingente, devendoversar secbre toda,
as families, era para exigr numerosos collabo ado
res e meios tnutto mais aoplos do que aquelles que
Lund podia dispor, e o illustre sabio teve de
abandonal-a, nao sear haver mostrado como vast(
campo de descobertas, offerecia a grande empress
a nataralistas que houvessem de leval-a ao cabo
As ossadas fosseis achadas nas grutas do Su
mid.ure mostraram a Lund objecto para duan
corn unica,5es que, em 1842 e 1844, dirigio ao(
Institute, Historwe e Geographico do Brasil, e fo-
ram publicadas na revista trimensal d'esta asso-
ciacao, bavendo mais tarde tratado Lund do mes
me assumpto em menemoria que escreveu na lingua
franceza, e foi dada A estampa nos annaes da So-
ciedade de Antiguidade do Norte (Copenhague,
1845).
Taes trabslhos durante oito annos, occuparar
ininterroampiamoete todos os instantes do illus-
tre sabi% ejioltls igualmente notaveis pelo nu-
mero como pelos desacobrimentes que patentearamo
ao mundo scientific. c Seu isolamento, escreves
Reinhardt, seu afaOtmento dos centros de activi-
dade soietifisea, a ftals de grandes collecdes, ta<
utris aos trabathos de anatomia comparada, estan
mesmas difficuldadas em que se achou Lund de
consult, doewuaente;s e livros de quo havia n-
ccssidadeo tiiatrve a mostrar como deviam seo
grandes os seus conhecimentos pessoaes e os re-
eurss quoa em si mesmo devia achar par|-Ih(
suppir os 0 tOWlt vaI de estranhos. ws
taiffie por6m, jA de si tao graves, jun
ouss i o era sda eza diverse. Lund tevo
qua*tear mais:4a i ei emased7s


Gilnanee qj *w, sa lo OiN, w a k- 1
excavag das e anw iea 'P de.Aoenpoho de




oa sohealtude. '2U6 d hearts dasn inis


$es, ponr, mjn~ns exceclo am ,QOQ rigedaos,
A, iuscieates pa cobir e as de Cspeas ncess-
CrMs s traba ,I dmateDinaes do sabj, teve erste



quo uotiofazel-ss -ema grandse porte A. esu custa
Doe ura cartW d Lund pa ee deparehado-so quo



o honorario dosa so rtario era pagoepolo bolsi-
nhvao doess em jhagarei.;-
dAa a sodtade. 'Alm de carts dAso mais li*~-






As descobortas de Lund erarn justamonte apre-
eiadas noEuropa polo muwomo sabio. Em 1842
oesroree Bou6 A Soeiedade *ealogicO dao ra,
annunciando-he ha beir asLund despezas necessadaa
afossei as ntra cbavemns do Staisdour sabio, Leonardt et
gatisfazel-as edam lingua andem os prineip as es cuatA-
Deama carts, de Lund pwfece depreheader-fle que
;o'honorario do sea sooretario .era pago pelo bolsi-
nho do rei.


tads iudieadortas per Lund eram js tamenteorias re-ett-
cias a CopnEuropa pelo mwen, dAho sabio. Em 1842 Pitt -
tescrv em suns clasoieds obras os tgicablho da lrn,



Strne solitario do Lag~a.Santa, os qunes mrosir no-
annuntoriedade terio-he haver Lund desobert ma onheci ssada
fasseia ngua em quaverna do Sunam idou digidos.oardt
ApBronn (es period to fecundo meraia undscgeolo-brien-
gitoe) trasladam considengar doals factm os prineipaesychologs resal-do
tados importateos por Land nas meorias remetsoluti-o
W a a Copenhagme. Owen, d'Archiae e Piteta ei-


dt jeAmais classdeixar o Brasil e a do cessar suns pu-



bticaqes seientfficas. Nero nna nemo ontra foi
tre solitarente toada deLaga-Santa, os quaim comeao natu-
rato resultado do encadgeamento de eMIas eonherie da



oausas. A primeira parecia j'A formada desde
fr1843a a nng a em que haviam Lud sorvi a so digidos.
driaps e supportaiod o ossf inveundo ecorn esobrta mi-en-
nhtos cabe consideralicr da e osfacto minha sensibilidaosde o
mais important es m na vida de Lggavda pela presolunecao
de j~mais deixar o Brasil e a de cessar suas pu-



bliem paoes squienteific. Agum t nem outra f dipois, d-
libertamente tomada de subito, das as sus a collecmes pnatu-
ral resultado do encadeamento de uma. series de



Dinamars.A, offerece-as A p triaA formadacio de



carts dirigida a Christiano IV', corn a eondi,Ao do
1843, aconstituirno em que Lund eco espcrvial d a seu irmao: seco
d Seria lou meura da mindo quha parte acreditar que po-
deria eu supporter o noma inverno comn esta mi-



nhafoss postaude delicada e estguarda dminha se u insibilidade aor, ar-
frio, cada vez mais aggravada pela permariencia


emgo paizes quent des. Aignoum o fitemho d sn professor Rein-
liberou Lund enviar todas as suas eolleegoes paraI
Dinamarca, e offereceu-as A patria, por meio de4
carta dirigida a Christiano IV, comn a condiglo de .
constitairem uma colleccaio especial de uma secciro
de algam musen, e pedin o que, em todo Q cat o,
fossem postal sob a guar a de um inspector, car-
go para que designou o filho de seu professor Rein-
hardt. Nessa carta avaliou Lund em 9,000 rigs-
dalers as despezas que fizera para recolher as col-
lecSes, e manifesto o desejo de que essa quan-
tia, feita a deducao de 2,800 nrigsdalers em que
haviamn importado as subvenqoes que recebera,
fosse applicada a remunerar aquelle inspector.
Esta generosa offerta agradeeeu-lh'a o rei Chris-
tiano IV em carta autograph, na qual manifesto
por estas palavras a alta valia em que tinha os
trabalhos de Lund: o Vossas memories, impres-
sas corn os seous desenhos nos Comptes rendus da
Sociedade de Sciencias, t6m jA despertado' singu-
larmente a attengio dos naturalistas, e o mesmo
tern succedido corn as remessas que ha tempos
mandastes para minha colleccao particular. Jul-
gar-me-hia feliz se vossa sadde vos permittiEse vi-
sitar vossa patria, porque essa seria a occasiao de
ropetir vos de viva voz a expressao do men reco-
nheci-nento e gratidao. Em prova disto, peqo-
vos aceiteis a minha medalha que ora vos envio
(Iayenio et arti) e da qual tao merecedor vos ten-
des tornado como home de sciencia. Sou, Sr.
Dr. Lund, ccm respeito e benevolencia, vosso as-
signatura do rei).-Copenhague, 11 de abril de
1816. ,, Esta colleceao foi definitivamente ins-
tallada no muses mineralogico de Copenhague,
sendo nomeado seu conservador, segundo o desejo
de Lund, o professor Reinhardt, que aceabava de
completar seus estudos corn a viagem scientific
que o trouxera atM Lagoa-Sauta.
0 valor soientifico desta colleccao 6 bern conhe-
cido na Europa onde e visitada por todos os via-
j,.mtes que, interessando-se pelas cousas da scien
cia, passam por Copenhague. Cont6m ella, segun-
do Lnnd, tires secqoes; a primeira 6 tormada por
esqueletos de animals que ainda vivem, contend
tudo o que ha de essencial para o estudo da fauna
da bacia do Rio das Velhas, e destina-se ao con-
fronto dos animnae vivos corn os fosseis; a se-
gunda comp&e-se de brechas corn os ossos e trag-
mentos de rocha, servindo a determina~ao da na-
tureza geological dos terrenos onde se acham os
restos fosseis; a terceira, e a mais important,
comppe-se de restos de animaes das cavernas si-
tuadas no planalto superior de Minas-Geraes. Gra-
cas ao cuidado corn que form organisadac e con-
servadas, tornaram-se ostas preciosas collec96es
verdadeiro patrimonio da sciencia, util a todos os
sabios, achando-se A disposicao de todos ,os na-
turalistas, sem distincao de nacionalidade, que
quizerem continUar a obra de Lund ou L tive-
ren necessidade de emprehender estudos prelimi-
nares Acerca da fauna do Brasil. Este tao util
destino,-que tanto interessa a todo o mundo scien-
tifico, nao o lograria a sciencia s5 as eolleccoes de
Lund nao heuvessem tido a fortune de captar a
importancia a que haviam direito. Devemos feli-
citar-nos por vel-as recolhidas em Copenhague,
onde se acham rodeadas de escrupulosa solicitude,
digna de seu alto valor e do sabio que as reu-


nio.
Parece que atW 1848 nao havia Lund abando-
nado o project de fixar sun residencia no sul da
Franca. Nesse anno a sun resolucao de permane-
cer no Brazil tornou-se mais fire : se as exhorta-
c5es de seus irmios e de amigos parecem por ve-
zes abalal-o, 6 certo quejamais so preoccupou se-
riamente corn os indispensaveis preparativos de
viagem. Em 1853 declarou elle necessaria uma
mudanca mui radical nas circumstancias para de-
movel-o da sun resolugao e irmaos e amigos com-
prehendcrain comno seria inutil qualquer insisten-
cia. Separando-se das suas collecc6s em 1847,
Squando as envious para Dinamarca por occasiao da
visit de Reinhardt, Lund dava a entender que,
ao menos por algam tempo, se absteria de estudar
as ossadas fosseis ; elle mesmo reconhecia, por6m,
Squad sua tarefa estava long de haver tocado a son
termo natural; suas quatro primeiras memories
nao tinham sido, por assim dizer, senao o prologue
da grande obra cujo piano havia concebido, e da
Squal a monographia sobre a familiar dos caes f6ra
o primeiro capitulo. Mas facil 6 comprehender a
necessidade que experimentava Lund de suspen-
Sder momentaneamente sun actividade scientific.
Ap6s oito annos de incessante labor em complete
Ssolidao, que lhe nao offerecia ao espirito, fatigadc
por long a tenao nenhum desses instantes de re-
Spouso que se deparam nos centros de actividade
scientific pela conversaAo, pela troca de ideas e
at6 pelas discusses, nAo podia Lund, a despeitc
Sde today a sun dedicagao petlo trabalho, deixar ae
sentir-se cansado. Mais difficil, sim, 6 explicar co-
mo no vigor dos annos e na plenitude de suas fa-
culdades intellectuaes nao havia elle emprehendi-
do estudos de outra natureza.
S Eftectivamente, a continuagao de investigagoes
Snas cavernas das cercanias da Lag6a Santa nac
* era para fazer esperar deseobrimentos que corn-
* pensassem fadigas e despezas. As cavernas exis-
- tents nos districts das cidades da Formiga e
i Tamandua, e, ao norte, na provincia da Bahia, si-
Stuadas em condi9oes identicas As das cavernas da
, Lagoa Santa, em planaltos de quasi igual altitu-
de ondo o desenvolvimento da vida nao podia mos-
Strar diflerencas sensiveis, nada de novo promet-
- tiam, e em todo o caso, pame cxploral- teria
SLund de abandonar sun hAbitaao em Lagoa San-
i ta e expor-se a fadigas re lm ente superiores as
s usns forcasw : 1
Mas a flora dos campos, que fra aos pinepio,
Sao ehegar a Minas- 8ere, objecta de suas-pea-
s qmuzas; a zoologia, sciencia a que se havia dedi-
e cado no comeco do auna carreir, offereeiam lhe
- vastissimo campo de investigao95es, Segundo pen-
r so, 6 antes, nos resultados do seu isolamento, dc
- que no estado de su a sade, que devemos pers-
Scrutar o-motivo deste sileAcio que se prolongou
ate o fim de sua vida. Em eircumstancias analo.
gas. d'aquellaosem que os acha Lund, opera-se no
espirito u.ntrabsao lento que se traduz fatuimen.
Ste na deseoafiauo doas pr6Opias: fore, no exage-
rdo resia doatree r no e oo, e no folso coneei-
Sto dos propriosdewimoblame.os qne a cad_ pass
Spar tem -sickjktitaiupotr trosm. :A difficilda-
*e doe adMe q coworw -os sas tosencia
.e de ember 4,QM'MakoeaVI -.4-w dsscobrtas quo
cad& diea, osoaretiwisn -6 -f r a er e-
I s~ta lftdo meh1.e &r n ^ J


Asoestavopresa s a :doescaadear-se n. Europo
Sea oso era dividido bntre paseilos n a
Aos attra t wo,~ pit % a|Tt
aiate mfiufeam te or ei o doraI
quitlanmAte u6 mm laai>elawt ftrQ6*xlme &0 BOPO
A',esotao presats a daeuecadear-se na Y'Uropa.
-sea oeio era Aividido' -entie passeios nos amps
ique eercar o arraiI, porto da pequeni goa ne
eons9tue um de seus m auis bellos Pornxoae "t ei-
.ttra de folhaoerevistas que recehiam rieqt
Conservou seare- to de si urn sea io que Ihe
.servia de leiter O dirigia os pornmenore mate-
nroes da V'id. 'Morrendo Brandt gi 4862, foi
substitoido por Warig jovb ic diaar-
qucz, que muito devi eertaBter proveieUd
para seus trabalhos corn a pegrwanea na Lwaga
Santa e corn os sabios meets Luand. Ead
1860 foi substitudo W iWrintelnu Aet kreh
con quuem Lu anta&imt" igm W o de &i-
sade. Um brasileiro, cmja 84 i-"anvil"
da por Lund e um dinamrque atabeleedo
no Brasil, permaneceram o lado an o ai at6 s8ta
more, e a umn delles deixou Lund a easa.quepoe-
suia em Lagas Santa. 0lO#ab~zaai- -g oj LWg9a
&ata tributavam a Lund a venerai- :.- V,1 -1
thia que a todos inspirava pal sua: a Uabieidade o;
pelo desejo que mostrava de ser agradavel Aquel-
les no meio dos quaes vivia. Apezar da diWffren-
qa do religion, nuaca Lund deixou de eeptribuir
corn generosidade e solieitaude pars aapdrezas das
festas religiosas, tao frequentes nos arraiaes do
interior. Sun caridade era proverbial e de certo
devem-lhe a liberdade afgutas desgraados escra-


vOs.
Lagoa Santa havia-se tOamsdo lgar depere ri-
nagao para todes os visitantes que penetmavam o
interior da provincia de Minas Geraes. Lund 1
acolhia-os a todis do melhor modo que podia, gos
tava de entreter se corn elles aeerca dos assump-
tooa que interessavam A historia natural, e indica
va-lhes por vezes, como, fez ao Duque de Saxe- d
Coburgo Gotha em relaglo A cavern do Maquin6,
as grutas desconhecidas ou esquecidas pelos habi-
tantes das loealidades e cajas bellezas naturaesi
offereciam particular interesse. Eram eomo the- n
souros cujo valor tinha o sabio o maior zelo em dar
a conheeer. 0 Sr. Dr. Em. Liais, na sua viagem
dedicada a estudos hydrographicos do S. Fran-
cisco, foi recebido por Lund corn a eostumada be-
nevolencia, o qual chegou a communicar.lhe sua
ultima memorial Acerca da fauna extincta das ca-
vernas, memorial ate entio inteiramente deaconhe-
cida e da qual o sabio astronomo publicou em sonu
livro sobre s geologia, fauna e flora do Brasil, nu-
merosos extractos que constituem capitulos dos
minais interessantes d'aquella obra. Heuzer e Cla-
raz, em 1858, e, no anno immediate, collaborado-
res de Agassiz, passaram em companhia de Lund
alguns dias. Sao numerosos os habitantes de
Ouro-Preto e de quasi today as cidades' do centro
de Minas-Geraes que ainda se recordam com pra-
zer de suas visits ao Dr. Lund.
Bern long estava, portanto, o sabio dinamar-
quez de ser aquelle misanthrope selvagem que,
segundo tentaram espalhar raros viajantes, fugia
da sociedade, recusando-se a toda coamunicacAo
corn os que o visitavamn. As precauges hygieni-
cas exigidas por sua precaria saude, e das quaes
se cercava Lund tanto mais cautelosamente quan-
to sentia debilitarem-se-lhe pouce a pouco as for-
gas ; o desejo, que seria natural ainda mesmo em
qualquer outra eireumstancia, do eximir-se da
curiosidade de visitantes frivolos, explicam satis-
facetoriamente a necessidade a que era forvado o
sabio de conservar-se muitas vezes encerrado em
casa. Gragas a estes cuidados hygiennicos poude
elle evitar at6 o ultimo instante os soffrimentos da
terrivel molestia cujo germen julgava ter herdado,-
e expirou socegadamente, sem outra enfermidade
al6m da velhice, nos ultimos dias de albril de 1880,
quando apenas Ihe faltavam semanas para cem
pletar 80 annos. 0 corpo de Lund repousa em
Lagoa Santa, em sitio que elle mesmo escolhera.
Lund jamais nomeou as sociedades scientificas
a cujo gremio havia sido admittido, nem outras
honras que Ihe houvesse valido o alto merecimen-
to. Reiahardt, por6m, menciona ter Lund perten-
cido ao Institute Historico e Geographico do Bra-
zil, a Academia de Sciencias Naturaes de Phila-
delphia e A Academia de Sciencias de Co n1ta-'
grid. -Ali 'da medalha Ienio' ee arti, a qu e jA
tive acima ensejo de referir-me, recebera o graio
de cavalheiro da ordem de Danneborg, o titulo de
professor de S. M. Frederico VII, e, do rei actual
da Diuamarca, em 1873, a cruz de commendador
daquella ordem.
De'xarei agora fallar o professor Reinhardt, cu-
jas informa5nts me teem servido de guia : ( Lund
possuia espirito claro e bemrn dotado, tinha amor e
enthusiasm protundo pelas sciencias, e este amor
elle o conservou inalterade; mesmo depois de ha-
ver entregado o product de todas as suas inves-
tigaoes originaes, gostava de manter a roda de
si occupanoSs que corn ellas se relacionassem.
Guardou at6 a morte o interesse que votava aos
progressoa da sciencia e sentia-se feliz quando
d'elles tinha noticia em sun solidlo. Sen character
era tratavel, ameno e nobre. Possuia vivissimo
sentiment religioso. En carta que, no ultimo
anno de sua vida, dirigio a seu primo, o bispo de
Kiergeraart, expli'ca suns idWas religiosas em ter-
mos tao tocantes quao caracteristieos. a Tenho
a crenga ingenua, dizia Lund, mas flrme itoaba-
lavel, graqas a Deus, em uma Provideucia, no
sentido chnrstao da palavra, uma Providencia que
contoua os cabellos de nossa cabega; aqui paro,
por6m ; eis o meu Rubicon., Do outro lado deste
rio vejo cousas quo me nao agradam : o christia-
nismo despeda9ado em innumeras faces, anima-
das de sentiments hostis umas contra outras; em
vez da luz brilhante da Escriptura, a obseuridade
do mysticismo; em vez do genie do amor, o do
odio, representado pela intoleraneia ; a f6 simple
maitas vezes eivada de superstig5as e de sen com-
panheiro inseparavel, o. tanatismno. Devo entre-
tonto accrescentar que os esfor-os honestos de
qualquer pessoe recebera3 sempre de minha parte
a approvacao mais complete e a estima mais prb-
funda. Quanto a miua limito-me a aspirar o per-
fume que de odoriferas flores soube tirar uma irna-
ginacao tao elevada qualo pura e das quaes to en-
vio como lembranca o bello eantico da Igreja:
Panqe lingua... o mais magestoso quo tenho lido
sobre assuinpto sublime. ,
Inclinemo-nos cheios de revorencia ante esta
profissao de f6, dictada por unia conviccao profum-
damente formada pelas longas meditaoSes de urea
existencia consagrada ao trabalho e ao bern. A
fe religiosa, bebida na co'templagao das grande-
zas naturaes, desprendida de todas as miserias
humans, nao pode manifestar-se melhor do que
nas palavras do Lund, nero ser melhor protessada
do que pelas virtues de que elle den exemplo.
Tal foi, senheres, a vida de Lund.
Para melhor caracterisar as obras ao illustre


sabio, apresentar-vos hei ama synthese de todob
os seus descobrimeatos, que melhor farA resaltar
toda a sun alta importancia. A traduccAo que,
ecm 1840, enviou Lund para os aunaes das scion-
cias natures de Paris 6 apenas urn resume das
suas quatro primeiras memories e nA o outem,
portanto, senao part dos resultados de seus tta-
balhos e das determinao'es das species e gene-
Sros, quaes os havia elle fixado nas suns primeiras
memories. D ahi provieram erros e omissoes qne
hao aido repetidos em tratados classics, errors que
"quasi nao sao corrigidos senao ana obra seima ci-
tada do director do Imperial Observatorio do Rio
de Aaueiro.
(Contina.)


REVISiiDii1hN&

31 diwtricto -Verificou-se ante-hontem o 2
eserutinio no 30 district eleitoral desta provincin.


S
5
f
:'

I


*S


Votos
Dr., Antonio C orrea s
.A^sit~fr^v~l" "' ** 4' 10'
i -", ... .. 1 V tos
D~r. Antonio (Oorxeia de Axaujo 383
-,' mdB X1seplm.t .....^'o "*\"'. : '^ ........
Di. Armnis)olro Tavaresdae Sanmtos 331

Esta.1hitoomi~ebipFW 52 votos de maioria.
-- tt dadede Otn da, e resa, de 8 horis da noite de 8
do correMsIek doeneilnram divemos carros do
0enipe ps,-ullirs ia t0do wsaido do Recife
ao71/2^oua.,
Dea caa eao a4ocIdente ter o trom apanhado um
mdavalio, que, assustado pelo barnlho do mesmo
trem, foi deo rmeeo sobre le, 1depois de ter atirado
htm doa&* e respectio ciamleheo, quo era um
tas ioor de emue o qual leyrava uma formidavel

0 cavalleigo nada sofireu, o cavallo ficou esma-
gado e em pedagos, e alguns carros soffreram li-
gejros damnos. Os passagairos apenas tiveram
uaihormeAustw.
. A linha ficou interrompida por uma horna, fa-
Ido o serving por baldeaiO no ponto impedido.
S llvas-Por ger amanthl dia dos Reis Magos,
salvaro asfortalezas A 1 hera da tarde.
Cotopaxi -0 paquete Cotopaxi, da linha do
Pacifico, dove tocar hoje no porto do Recife corn
destino A Europa, visto ter sahido d, Bahia ante-
Ibntem.
Finance- Tambem dove tear hoje no porto
do Recife o paquete inaiwe, da linha de New-
York, que se dirige para o norte.
Bahia --0 paquete national Bahia tocarA tam-
Ifem hoje em Pernambuco, em sun viagem para o
note.
Can ara Municipall do Reeife- Na
form da lei, esta corporanao procede amanh!a A
eleigao do seus president e vice-presidente para
o corrente anno.
Institute do% Professores de Per-
nambee. Procedeu-se no dia 3 do corrente a
eleiAo dos membros do conselho administrative
que tem de dirigir esta sociedade no present anno
de 1885, foram eleitos :
Presidente.-Simplicio da Cruz Ribeiro.
Vice-presidente.-Ricardo Fonseca de Medei--
:08.
e1l.o Secretario.-Torquato L. Ferreira de Mello
2.o Dito.-Antonio Juvinoda Fonseca.
Tbesuvureiro.--Manoel R.doe Carvalho Guima-
riaes.
Procurador.--Antonio Vieira de Barros.
Orador.--Francisco S, de Faria.
Conselheiros-Manoel Antonio de Albuquerque
Machado, Geminiano Joaquim de Miranda, Tran-
quillino da Criz Ribeiro, Felix de Valois Correia,
Adolpho Silvino Baudel, Liberato Tiburtino de
Miranda Maciel, Benjamim C. da Cunhs Sales, JoAo
Landelino Druellas Camara.
Dinlneiro- 0 paquete Pernambuco, trouxe
do norte para:
Diversos 23:331260
Loteria da Parahyba -No estabeleci-
mento n. 2 B A rue do CabugA, acham-se expostos
a venda os bilhetes de uma nova loteria da Para-
hyba, organisado segundo um born piano, qne con-
tam os seguintes premios:
1 de 4:0005(00
S 1 de 1:0004000
1 de 200S000
2 de 100$1' 00
4 de 505000
15 de 20S000
40 de 105000
50 de 55000
500 de 2S500
Este ultimo 6 o preqo de cada bilhete alli, sen-
do elle em Pernambuco de 2$750.
Os premios sio aqui e alli pagas integralmente,
srn descontoalgum, a4 vista da lists da extraceao.
---o estas antagens lque ano podem deixar de
ser apreciadas pelos que gostam do jogo das lo-
terias.
UnmA ca critipositivista -Corn este ti-
tulo acaba de publicar-se em Paris um folheto
contend um artigo de polemic elaborado pelo
Sr. Cositlieri Pedroso, de Lisb6a, em resposta
apreciaao da sun Historia Universal publicada
na Revista dos Estados Livres, pelo Sr. Teixeira
Bastos.
Agradecemos a offerta que d'alli nos fizeram de
um exemplar.


Mercado de Genova 0 Sr. Gustavo Panellas-==Escrevem -nos em 26 de dezem-
Colombo, antigo negociante da Bahia e resideute bro find :
em Genova acaba de enviar-nos um exemplar da 1c Aos rs. redactores desejamnos felizes festas
sun Nova revista commercial e preqos correntesdos e prospa entrada do anno novo.
principaes products quo se exportam de Geneva c, Na noite do 24 do vigente, pelas 2 horus do
para os ports de-te i npoio e do Rio doPrata. manhi, no povoado de Lagoa de Gato%, o subde-
usica em Oliuaa -Hoje 'A Larde e no legado tendo a sun freute um grup do deesordei-
largo do S. Francisco nina band% marcial, para ros, corn o name de -Ron 'a--procurou impedir os
e i dbrinquedos do poevo. m ndando dar per sun canto
recreio dos moradores de Olinda, exeeuitarit diver-e so.Caoirm.
sas ^as0c1musicoes. carisco! Caso virgom
aspetecau aes.DeDirei- ccDo semelhante ordem ia sendo victimtn Jos6
to do teeife-Continda a star aberts no sa- Ferreira da Silva, que, ameapado dos cacetes, par-
Blo do convent doCarmo, a comesar de amanho tira em busea de unia casa, quo o podesse garan-
das 9 horns da manh i A s 2 da tarde das 4 as tir das violencias da policia, a todo transe mani-
6 ; e ser franqueada a todas as pessoas que alli festada contra si. Por um dresses acasopenetrou
se apresentarem deceuteomente vestidas na casa do capitao Francisco Leite deo Azevedo,
Certamen Mhtuieal-Alguns moeos fut- onde so achava seu genro o professor public Jo-
damrnum na sociedade corn este titulo ficandons s.6 Casemiro Bezerra imais pessoas do sun fa-
sum composta sun directorial : -milia, a quem implorou garantia de vida!
Presidente=Dacio Paes Barreto. a 0 subdelegado coin o sao grupo forgaram a
Vice-pmesidente -Abdom A. do Aquino. port, qnando appareceu o capit-o Florentino Be-
10 secretarino -Joo Alfredo de Figueiredo. zerra Leite que, corn o professor e mais amigos,
2o dito -Mauoel JoAo Baptista. p6de garantir a victimna, condnzindo-a para a ca-
Orador -FlavianoH. Ribeiro. sa de sua residencia, serm que houvesse scenas
Thesoureiro-Alferes Paulo Tobias Maestrali desagrmadaveis.
Filho. or Estamos nos tenos de cada um se garantir
Director de concerto=Jos6 de F. Moraes Pi- por suas proprias for2as !
nheira. (( Realisoa-se final, na noite de 24 de novem
Conselheiros-Tenente Victoriano Ebla Carlos bro find, o premeditado e propalado assassinato
Costa, Octaviano Moateiro e Maneel Teixeira Ju- do infeliz Jos6 Antonio da Silva Pellado, sem
niCosta, quo fossem dadas as providencias reclamadas pla
Hoj have- sesso do psse as 4 horns d victim em 8 de novembro a S. Exc. o Sr. presi-
-or Hoje havera sessao de posse a 4 horas da det de Pernambuco
tarde no lugar marcado. dente do Pernambuco.
cca0 crime foi atrozmente consummado corn dous
mevoefo dae N. Josa--Communicam-nos : tiros, e os assassins campram impunes em cimna
Amanha, por ser a primeira quarta-feira do do s7igwda victww, a c4eolieia! !
anno, que 6o din da semana consagrado a S. Jo- No din 26 de oucubro preternci a infeliz Gui-
s, hprsnapimbaqat-oi d os gs'ovitoaa*-~ in eba facto d
se, have' As 7 horns da manhd uma missa na ma- ihermina Dias do Amer Divino, pelo fact de
triz da Boa-Vista; e eomo S. Exe. Rvma. o Sr. abadonar a companhua do commandant do des-
bispo ja approvou essa devoqio praticada na- tacamento e delegado de policia alferes Joaquim
qunlla matriz todas as primeiras quartas-feira do Eduardo de Godoy, corn quemn viveu longos an-
inmez, coneedendo atW uma indalgeneia aos que nos amaziada; foi, mesmo nesta villa e de ordem
exercitarem, seri essa primeira missa do annO do tal delegado assaltada em sua casa as 7 horas
celebrada polo mesmo Exm. Sr. bispo que assim da noite polas pranas de policia Joas6 Vianna da
deseja mostrar quanto lhe 6 agradavel essa home- Silva e Luiz de Godoy Vasconcellos, este inrinao
aagem tributada ao Purissimo Esposo da MAi de do delegado, visto como conceJou a victims e
Deus e padroeiro da igreja catholica. ) poz em pratica -arrojado piano de firmar n'esta
lewvista de Medleina == De Paris rece- localidade a sun residencia !
bemos hontem o n. 108 deste quiezenario de me- c Da luta resultou sahir barbaramente surrada
dicina, cirurgia, pharmacia e sciencias accesso- de sabre a infeliz Guilhermina e um dos soldades
rias. E'este o seu sumnmario : ferido gravemente.
1. Aeademia d- medieina de Paris. Sessses cc Deste drama tomon eonhecimento o delegado,
de 18 e 25 de novembro de 1884. sendo apenas iencluidas no inquerito e na denun-
2. Sociedade de cirurgia de Paris.-Sessoes de cia da promotoria a infeliz Guilhuermina e o sol-
15, 22 e 29 de novembro de 1884. dado Jos6 Vianna, que estao pronunciados e pre-
3. Sociedade medical dos hospitaes.==Sesslo de sos.
24 de outabro de 1884. (( Ainda a 3 do corrente, Francisco Joaquim de
4. Associasao franceza para o progress das Mendoaga, cidadao qualifieado e inoffensive, re-
sciencias.-Congresso de Blois. Sesseo de 8 de se- cebeu nos suburbios desta villa, de Antonio do
tembro de 1884. tal, filho de Manoel Francisco Cabelludo, duas Lfa-
5. Revista dos bospitaes.-Hospital Cochin. o cadas em urn brao e um tiro queo felizmente o
Sr. Dr. Dujardin-Beuinmetz. Novas medisauoes nao cravou.
estmacaes. A, 0 delinquente foi presospelo povo em flagran-
6. Pathologia. A ailochisia ou allesthesia. te, e post em liberdade poueas horas depois pelo
7. Therapeutiea.-Tratamento do torticolis pc- delegad,. ,
losulfaWte de atrophina. -Usos therapeutieos da QuipaPA Escrevem-nos em 3 do corrente:
&ags chlrfo*aeda polo Sr. P. Vigier. Na ordem do costume) saudamos a illustre reo-
8" B pbliSaha.==Theoria parasitaria.--Micro- dagcaondo Diario e seus milhares de leitores ; que
-bioT, p aO b I Bo Pauloi do Rio de Janeiro. teanham todos tido boas festas e felines entradas
9. yt Pnd rss. 0 icrobi do chok- w Quarto so humilde missivista desta terra,
ra. 01tatistio dosobitos de 3 a029ide torminou felizmente a sun tarefa do anno expi-
o I8. -Meio pars fazer pegar as rate sern contar inimgos e acha-se disposto a
.. *, proseguir..
-. Aontamentos sobre ow ospiN- Langando uam olhar retrospective para o an-
,.. &- mobsAh nfarmary. Sank nofiAndo, esmipre diser quo para--,ns od n foi dos
de..jq..-jms~`. 3aS
Ti o^ h *ho te 'peiowsi abtodosos pontio,&de vista, moeno qu"n-
ta soqpOWa ru daheio;, qoe, oomWAR N"
v. oura doIadOho 8 teOmpos fe a ia dia matuteo omo p, digto
dofS *A*110 d eBz.-
I^^^MS 4 ^^|>^


lbpaaram-se hataapsU ckdade "a im-
gmeo convidando o, povo a ziuuir-v* up la*o da
orocag corn 0 m de. resitir pela 4era
Iarisac odaspennaade aua.
Crcal as 7 boras da soite foram-se formaa-
do varies grupos iaquelle largo deatre d pouico
tempo era immense o ajuatamento d povo. Nao
apparecedo, comeo dA primeira ver o auto do
ceavite, o povo foi-se e oN mais
exaltsdos eomearano a quebw os o.ambustores
publicos do large, forum depots ao escriptorio da
Cty Improvementw quebraram os vidros das janel-
las e espalbando se por todas as ruas da cidade
continaram na ua obr deo truio, nto dei-
xando intacto urn unieo combustor public.
( Na run de Santo Antonio cercaram dous bonds
ue vinham da Barr, tiraram-lhe os animaes que
isparam pela runa ra e eseangalharam os car-
ros, deitando-os depois ao mar corn mais 5 que fo -
ram buscar A estaeao.
a Na praga Andrada a devastago foi enorme.
As cans do Sr. piesidente da Camara Municipal
o do Sr. vereador Lima ficaram serm um vidro inm-
teiro.
S Um magote de povo foi a Barra, i casa do ge-
rente da City, e nao o tendo encontrado arromba-
ram a port, quebraram as vidracas, deram tiros e
lancaram ao jardim todos os moves.
SAs easas todas fecharam-se e a populato oesta
aterrorisada. A cidade estA em trevas e percor-
rem as ruas magotes de povo gritando desespera-
damente.
S A hora em que escrevemos nada mais pode-
mos adiantar-pedindo mais uma vez ao public
que se acalme e que entire de novo no regimen da
ordem, o unico digno de uma cidade civilisada
como a nossa.
a A policia, de que nos iamoes esquecendo -de
fallar, nada fez; o limitado numero de pracas de
que disp5e seria insufficient para center os revol-
tosos.
Ahi tern S. Exc. o Sr. Dr. chefe de policia a
razao dos no. sos reiterados pedidos de prawns para
reforgar o destacamento desta cidade.
Diz o Correio Paulistano:
a A' numa hora da manha de hontem patio pars
Santos o Sr. Dr. chefe de policia, acompanhado de
uma forga de 70 pracas da companhia de linha da
guarnikao da capital, commandada polo capitao
Manoel Euphrasio dos Santos Dias e tenente Paulo
Pinto Rangel e pelos alferes Jos& Cesar Marcon--
des de Brito e Antonio Pereira Rufino.
a A's 3 e 10 da tarde de hontem toram para a
mesma cidade mais 16 pragas de cavallaria de li-
nha sob o commando do tenente Firmino G. Belle-
garde.
,( Do seu correspondent, em Santos, recebeu o
Jfornal do Comrmercio da c6rte, o seguinte tele-
gramma em 24:
0 Diario de Santos de hoje leva-lhes minau--
ciosas noticias aeerca idos lamentaveis successes
que se deram nesta cidade.
( Hoje, at6 a hora em que escrevo este, 4 da
tarde, conserva-se a cidade em paz, nao se tendo
repetido as scenas da noite. As ruas illuminadas
por gaz corrente ainda permaneceramit as escn-
ras esta noite, porque nao fieou perfeito um s6 corn-
bustor.
Mulher home. Lemos na Gazeta de
Noticias, da. crte, de 27 de dezembro :
c Ha cerea de quatro meres residia na villa do
Apiahy, provincia de S. Paulo, um home muito
active e trabalhador.
,f Fazia corn os lavradores circumvisinhos con-
tractos de rogada e outros services grosseiros, pro-
prios do sexo forte.
a Em sun companhia vivia uma mulher, que
elle dizia ser sua esposa (!), contando tambem que
estava gravidia (!!) e que em breve teria um filho
sou (1!!)
A principio parecera exquisito tanto ponto ad-
mirativo, para cousas alias naturaes. Mas elles
nao sao tao inuteis, se soubesse quo esse home
era simplesmente uma mulher.
,, 0 delegado de policia, tendo conhecimento
d'esta... exquisitice, mandou para o lugar onde
recidia o home mulher duas pracas, para trazerem
o individuo a sun presenga.
a Mas o individuo nao se entregou assim sem
mais nerm menos ; oppoz grande rcsistencia or-
dem da autoridade e deu uia facada n'um dos
soldados.
c, Levado A presenga da autoridade, ahi foi exa-
minado por dots peritos, quo reeonheceram ser
mulher o que ate alti fora home.
Declarou ella em sou interrogatorio, que usa-
va trajes masculine parn ovitar a persegui9ao dos
homes, contando ao mesmo tempo que chamava-se
Delphina e era natural de S. Paulo, baptisada na
parochia da Faxina.
c 0 curioso d'isto 6 quo a autoridade policial
mandou pol-a em liberdade, sem se importar corn
o lerimento feito no infeliz soldado.


no, mais que indifferent aos nossos desqji
Os agricultores estb desaninmados e os cna-
dores contristadissimos, poise que em larga zona
vOem os seus gados em pessimo estado de conser-
vagao e jA dizimados por effeitos da secca.
,( Mais urna vez temos occasion de lamentar o
nao se haver construido o acude deste lugar, em
consequencia do que estanoszaujeitos a usar de
uma agua salobra e enmpgruada de sedimeatos
prejudiciaes a nossa sa.da-'
Na missiva ultima noticiamos o assassinate
de Pedro Soares, mas sem naod Aca0 eatarmos
por deficiencia de informaoes.
( Hoje. por6in, bern informados, exporemos os
motives que concorreramn para ter lugar ease fac-
to delictuoso.
( Pedro Soares, embora cavado, raptara em
Santo AntAo a menor Leopoldina de tal corn- pro-m
messas de casamento. Pur mais tratos qqe d46sse
elle a imaginagao nao via outro mejo de realisar
sua promessa senao tentando contra a exiatancia
de sun mather, e, isto assentando, cuidou logo Soa-
res de dar-lhe execucao.
a Um pareate affim d'aquella que estava votada
ao saccificio, sabedor do piano teuebroso, apres-
sou-se em occultar-se na propria casa da infeliz
mulher para receber a Soares, e vindo mals tarde
este despachar sua mercadoria importuna -auceum.-
bio aos besouros sem azas que lhe envibu Joaquim
Pedro de tal.
a 0 criminoso evadi,)-se.
,( No dia 14, em o lugar Nateimianto, Jeronymo
de tal, conhecido por sapateiro, atirou emrAntonio
da Purificaao, ferindo-o moratonnte. 0 delin-
quente evadio-se, e a policia tomouwew hecimento
do facto.
a Permittam-nos que laneemos aqai um voto- de
louvor a todos aquelies que dominadosdoeum jus-
to sentiment religioso concorreram parana cons-
truNeo, em frente a igreja, de um bonito patamar
meaindo uma are&. de cerca de 9 metros quadrados,
fochado por pilares e grades e contend no ,eeatro
o symbol de nossa redermp$o. E' uma obra de
agradavel perspective e que-era aitamente zsxla-
mada pela reverencia que nos devem iAofr os
objeetos sagrados. .-
a A novena dai Excelsa Virgem jlmCiiiao
padroeira desta freguezia, eQme9oa nem 3' pre-.
cedendo a bandeira acompaihada le ei o.a da
musical que aqui tomeos. A festa de ezren lugar
no lo de janeiro.
a Os actors teem corrido corn brilhantlsmo, ani-
magao e affluencia de povo.
o No dia 10, em-a escola publiaa osgida, pets ,
Exma. D. Cecili% Liberate de O1*veirna iausb f-
ram submettidaits a ex-mine as alumw &4".a Li,
berata da Rocha, Julia Bemnvinda eJanat deo
S3uza Dias, que foram approvadan,,-" a-iio '
plenamente. ,
SDepois do acto, a digna pro3-
As suas a'umnas, A commiseos sts O
possess predentes u rn LpmMf&W W-
que se troearam diveronaleiu*W
ossmpto.
a Sempre nos 6geato a I

Aha im e.mapre


anno, "houv u rieaft~itllrsfadfitaa a, '. '

ConR m no w c pelo a
quasi tods, visto qm mooed a e perder s umi
euio mao fabri- logo, algi i teimi t0os
alvitre de deitar-lb fog. .
a Pos quebaa q ocA quvimos dos poo0s 1a-i& :
vradores do canna, podemos aizar dO desos6pero
qua lamra Ia poles coutxo aaiaeeeoM.
or E quaIearxx1*- B .JMial-
guns doutoque etw rash, s6 aUdiaosw que
uno. -
SNo dia em que o assuear, o mel, a agurdente
o akool d agiwa do pagan ti3 -Ae4.i.*Mosto
poderemos compotir corn quantas fabricas de be.-
terraba houverem na Europa, e a riqueza publics
e particular augmentarA. Pelos modos que va-
mos nao 6 licito duvidar do ,o&anioomento.
a Voltando aos acontecimentos do finado 84,
tambem nao foi inglorio no que cncorneA i tran-
quillidade public e a garantia da'propriednde.
a Tivemos quatro escrutinios eletoraes, e, co-
mo todos os outros da reform SwaXiva, passaram-
se sem perturbaos. Estas eleigaes symbolisam
um jantar cm casa de famiba pobre berm ododa,
todos comemn do pouco e born ou mao que vrqu no
prato semr se rguer uma queixa.
r Entretanto devemos nos cingir a& u ato
todos os tempos : triste de quemn miorre., -1_ae o
84 foi born o 85 pode ser melhor e nuaea to d4eve
desesperar do future.
(( Desde setembro nao temos aquik uma gota de
chuva ; as continuadas trovoadas do outubro, as
celebres experiencias de Santa Luzia e o choro
desta santa, tudo mais falhqu.
SAtO hoje, o novo anno nao nos d&a esperasa.
cc Passou em paz a festa do ultimo natal em to-
da a nossa circumscripoao.
,, Em Marayal apenas, deu se um facto um
poeeo grave, no qual ia ficando sem a vida o ma-
jor Jos6 Victorino de Paiva, administrador geral
da empreza do prolongameato.
( E' o caso que pela manha quando alli ih
chegando o trem que desee de S. Bencdicto As 8
horas e 45 minutes, Sergio de Campos disparou
um tiro de pistol A queima roupa naquelle cida-
dao, cuja bala felizmente reqavalou polo ultimo
choque da parade do trem, roqoado-lhe- sobreo a
epiderme na ponta da pA esquerda.
C, 0 guard freio do trem n'este interim seguron
o aggressor e obrigou-o a soltar uma facada quo
por traz deu-the Autonio Grania primno de Segio.
E ste que so entregou A prisao e aquelUq ut ,
foi logo preso confessam que tinham intieniao pre-qPI
meditada no .41ique,4am prati _,. -o Sergio em .
ura or4' a uma pesos dase que : c nao tendo
feito o servigo complete, era just que se entregas-
se A prisago o que fez.'
,, 0 motive desse attentado 6 frivolo e o decla-
raram logo; 6 o caso que, ha tempos pediam em-
pregos para viverem ao major Victorino e como
este nao os podesse arrumar, os dois entenderam
que isto era uina -perseguiaiu e resolveram dar ca-
bo da vida. Se isto era receio d moirrer a tome,
modo de obrar na faita de aequsigao de emprego,
delirio ante o espetro da fatalidade ou um exem-
plo da mais brutal perversidade, que o digam os
Srs. juristas.
Nao p6de ser inaugurada a nova estaqAo no
din 1 como estava assentado, devido a niba se
ter podido concluir o corte n 5 cujas rainpas de
altura de 20 e tantos metros contantcs de blocos
de pedra em decomposi~ao offerecem perigoso
transit aos comboios, polo que o novo director
Dr. Antonio Galvao, que aqui anioa em excursao
no din 31, assentou de inaugurar a estacao a18
do corrente.
Deus permitta que uao fique ainda adiado.
Faltam uns retoques de pintura para conclu-
sao final das obras da nossa bella estaao. Os
trilhos acham-se assentados na extencAo de 3 ki-
lomctros acima dcsta villa.
a Continua a actividJade. Cresce a construe-
qao de casas nas immediaqSes da estacao e na pra -
a da Matriz e outras rusas offerece ja um aspecto
mais agradavel.
a Tambem vao muito adiantados os trabalhos
da nova matriz, cujo corpo principal do edificio
acha-se coberto.
c Consta-nos que o Sr. vigario active o traba-
Iho do intuito de fazcr vir aqui ainda o Revd.
missionario Fr. Cassiano, no mozsde margo e inau-
gurar a igreja a 25 d'aquelle mez.
c Consta que parn as catingas e sertoes 6 es-
pantosa a morte de gados corn a seca e muitos
babitantes pobres jA estao (nmigrande.
cc Teremos epoca igual a 1878 ? ,
Canlootinho-Escrevem-nos em 30 de de-
zembro :
c Antes que o tempo em sun marcha progressi-
va lance o veo do passado sobre o quebrado anne
de 1884, transmittimos ao Diario as noticias mais
notaveos que occorreram nesta paragem, depois da
minha ultima missile.
c Felizmente passamos o Natal em paz, sere
que houvessemos de lamentar o mais love inciden-
te no sentido de perturbar a ordem pablica.
c, Outro tanto dissessemos da atmosphema, que
se tern conservado ingrata no ponto de n~o nos ter
dispedsado a mais leve ehuva. Faz um calor de -
abrazar, e o ceo coatirnta a m-stmar-se elaro e sere-








































SImyiportafdo
Dikeitos de consumo .
Addciops de50 % .
Augment(o de 10% .. ..
ie de 5%......

Imnposto de 40 %/ sobre fumo. .
Despacho maritime
Imposto de pharoes. -
Ditb de di e s ..
Exportfa&o
Diritos de 9/o. .
It de7/o ..
Idnm de 5-/o. .
Interior
Sello pr verbas. .
Dito adhesive .
Imposto de transmissao de 5 0/o


Extraordlnaria
Multas .


.sommr a. .


3.202:9655962
1.601:050/821
319:8345022
19:0345909
112:410887
18:739/1185
515.4040


25:480J001
5:5444720


29:577J016
2555183
633:265J993


2825450
11:295J;000:
4:003,f050


5:887.027
5.990:141 9651


2.683:7310189
1.341:6064260
268:321/251
22:4005039
71:321700
15:5914882
1594480


22:860o000
5:735A067


37:8420674
135784
331:4705368


1915720
8:635A000
1:623J000


5:387.080
4.816:891W184


a;
S
S.
3:3655I130
S




1905347


8:2654658
$
S


519:234.088
259:4440561
51:511A771
41:089,187
3:147308
85560


2:6201000
1 -



i 241399
- 301:795/625


;S 9OJ730
S2-660^000
2:380,050


499;947
11:8214135 1.185:0715216


BECAPITULA9AO
Importao \ 5.274:5504826 4 403:1323491 A 871:418.$335
Despacho maritimno. ..\ 31:0240720 28:595A067 :1 2:429N653
Exportao .. .. 663:0981192 369:326J8261 293:7715366
Interior ....... 15:5804500 10:449,720 A 5:130780
Extraordinaria ..... 5:887,027 5:387A080 49994
Total 5.990:141l265 4.816:891w181 1.173:250;081


2.a seceio da Alfandega de Pernambuco, 2 de janeiro de 1885. -0 chete, Domiagos Joaqidm da
Fonseca.-0- escripturario, Odilon Coelho da Silva.


Passagelro. hegados dos ports do nor-
te no vapor national Pernambuco :
Jose de Barros Gouveia, Jacintho Francisco de
Lima, Thereza Maria da Silva, Manoel Jos6 Bar-
celles, Antonio Meel, Albertina L. E. Castello
Branco, Alfredo Alexandre de J. Ferreira, Odi-
Ion Garcia, Antonio de Paiva, Germino Fernan-
des Cunha, Arthur Cavalcante, Joao Baptista de
Lima e sun familiar, Luiz Lauria, J(,s6 Olmes, F.
Gomnes Marques da Fonseca, Dr. Elias Frederico
-de AlImeda e Albuquer.que e umrn criado, Thomaz
Jos6 Cardige.
Leilloe--Effectuar-se-ha:
Quinta-feira:
POlo agent Burlamaqi, as 11 horas, na rua do
Imperador n. 22, de divides.
Pelo agmnte Britto, as 101/2 horas, A rua Di-
reita n. 36, de moves, fazendas e miudezai.
ilswas funebrem-Serao celebradas:
kmanhba:
A's 8 bhoras, na igreja da Madre de Deus, per
alma de Antonio Domingos Serra.
Quinta-feira:
A's oito horas, no convento de S. Francisco,
por alma de Manoel Jos6 Dantas.
Sexta-teira :
A's 6 horas, na igreja de Santa Rita, per alma
de D. Maria Ftancisca de Oliveira.
Sabbado:
A's 8 horas, na matriz da Boa-Vista, por alma
de Manoel Jose de Sant' Anna Araujo.
Lloterla daprowlneila Sexta-feira, 9
do eorrente, se extrahira a loteria n. 99, em bene-
ficio da matriz de Cabrob6, polo novo piano ap-
provado, no consistorio da igreja de Nossa Senho-
ra da Conceiao dos Militares, o under se acharao ex-
postas as urnas e as espheras arrumadas em or-
em nmerica A apreciaeo do public.
& agraude loteria da corte de......
4 -O@4-Com novo piano muito van-
tajoso.
Os bilietes acham-se A venda A Casa da For-
tuna, A rua do Crespo n. 23, os bilhetes dosta lote.
ria.
Grande loteria da corte-Esta grande
toteria, eujo preraio grande 6 de 500:0001000,
sera extrahida 'revemente.
Os bilhetes acham-se i venda na Casa Feliz, A
praga da Independenci vs. 37 e 39.
Loteria-A de n. 168 B, do Rio de Janeiro
de 30:000,000 serA extrahida no dia 7 de janei-
ro. :
Bilhebte a vendana Casa da Fortuna, rua 1,I
4%svo ii. 23.
LtE ria de OsO:a0000 -A loteria 168
sdeie A, do 'gio de Janeiro, eujo piano foi mui-
to me. ado, core no dia 7 doe janeiro.
bIoa & vendsa na Casa Feliz A praga da In-
dedencia ns. 37 e 39.
#a rande loterla da Ypiraagla-Es-
ta loteria, eujo capital 6 do 2,000:0005000, dividi-
I sern 4 ,eios, sendo 100:000000 os premios
muores d- cads aerie, sera extrahida no dia 10 de
jameiro proximo vindouro.
Bilhet venda na Cama da Fortuna 1 rua I*
1 Ma n.23.
'+l ia ei Macei6 Esta loteria cujo
niee n i 4 4:000, corre impreterivelmente
awoan o.


es gajrwntidoo A venda, na Case Feliz, A I
Li eapecia3nc 37e 59.
& 4EabI4 I -Ro-lago dos numerous
i ae extraegao da lotera que so ve-
46 dezmi**r:
)PEETAS NS. PESETAS
2.,W:W.0 j 22:905. 36:000
2900:000 22:907. 36:000
1'.W(X000 41:269. 20.00
7bW-00 41:271. 2:0o00
WW; I 16:466. 12.3W
50 0I'16:468. -* *12:750'
inos diais 3 e4


65 compartimentos de farminha e comidas.
120 idem de legumes.
Deve ter sido arrecadada. nestes 2 dias a imnpor-
taneia de 342A540.
Matadouro public I- Foram abatidas
no matadouro public da Cabanga, para consumno
do dia 5 de jaueiro, 88 rezes.
CaMa dec Detenc.o-Movimento dos prc-
sos no dia 4 de janeiro :
Existiam prCsos 382, eutraram 7, sahiramn 7,
e*istem 382.
A saber:
Nacionaes 35G, mulheres 7, estranged s 15,
.eseravos 10. -Total 382.
Arraeoados 358, sendo : bons 346, doentes 16
-Total 358.


PERNAIBUCO


English Bank of Rio de Janeiro
(Limited)
Capital do Banco em 50,000
acg6es de 20 cada uma 1.000,000
Capital realisado ...... .500,000
Fundo de reserve ....... 170,000
BALAN90 DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO,
EM 31 DE DEZEMBRO DE 1884
Active
Letras descontadas ..... .280:249,830
Emprestimos e contas caucio-
nadas....... .. 58:2896320
Letras a receber 366:8085510
Garantias e valores depositados 119:990.800
Mobilia, etc. do banco 2:59164)0
Diversas contas . 753:9385000
Caixa . 866:9725480
Rs. 2,448:8406310


Contas correntes
simples ....
Deposit a prazo
fixo corn aviso
e por letras .


433:0215710

1,221:989$790


Letras a pagar . .
Titulos em caugao e deposit .
Diversas contas ....... .


1,650:0115500
1:8476590
119:990,5800
671:9906450


Rs. 2,448:8409340
S. E. & 0.
Pernambuco, 5 de janeiro de 1885.
Henry K. Gregory, manager.
Fred Goodchild proaccountant.


PUILICAC9IS A PEDIDC

JOAQUIM FELIX BEZERRA CAVALCANTE, TE-
WENTE DO CORPO DE POLICIA, E DELEGA-
DO DE POLICIA DO TERUO DE ALAGOA
DE BAIXO, AO EXM. SR. PRBEIDENTE DA
PROVINCIA E AO ITLM. E EXM. 8R. DR.
CHEMR DE POLIOIA.
Ilhns. e Exms. Srs.-Com o, mais pro-
fessado respeito vetn esta delegacia pedir
energicas providoncias a Vs. Exc. contra
os factos criminoso. praticados neste termo
pelo 1 supplent dejui municipal tenenteo
coronol Manool Inacio 8da Silva Azevedo
pela maueira que passo a expor:
Tendo aido nC 0ao ldeegado deste infelis
tertuo, por portaria de V. Ex. datada &e
17 de novembro proximo passado.
- *h.1: __'A -


V o o tal iudivlduA) U it rbhigt-1
torro.gando-o par"qae
se era on'tKoi mninosO, to, 0LO i 4
responder-me que era crimnmoso us 'Ma-
goa do Monteiro, proviucia d. P ?araA
por ter tornado da prisiWAso filk. .
achava proseso nus porc doOlimb
daquelle termo, sob ta gAriA do- t
aIens, e que naloe sarroepondia, e top^a
tantas vezes prendessem s et filho. Man-
dei-o recolher a prizSlo, o nomeei ures es-
colta compost de urm cabo e quatro pra-
gas, pars irem entregar o pr-eo no Montei-
ro A-autoridade eompesteat,
Meis hora depois apareeeu em minha
casa o referido teneute-coronel dizendo-me
que aquelle pobre home era mesmo qe
uma barratinha de parede que nlo offen-
dia a ninguem, e que era am dos seus pro-
tegidos a pedido de un amigo de Pesquei-
ra; e que, podia-me o prezo pasaao-me
un recibo. Neguei-me a este :pedido, O-es-
tranhei o proeedimento do tenente-u' 0ne'l
Manoel Ignacio o qual 6aqui tido c ltavio
cotno o assombro deste infcliz ternmo; pars
aquelles que slo seus desaffectos.
Este meu procedimento deu lugar ao Sr.
.tncnte-coronel dizer-me que nao havia ho.
mom que sustontasse Zeferino na prislo,
pedindo-me mais para cu ir corn elle A mes-
ma prisao ver o tal proso, e dentro do quar
tel teve o arroujo ainda do dizer-me tue
Zefcrino nao continUiava proso, porquo so
quizesse naquella Iesma hora tomava-o
dentro do mesmo quarter; respondi-lho que
elle viesse tomar o proseso. Por6n, o pro-
cedirnento do Sr. tenonte-coronel alum de
criminoso foi misquinho, porque esperando,
que eu mandasse levar o proseo, reuonittw
povo da feira, para effectuar o .sfiu ppano
devia tomar o preso do meu pu4.r Jl
dos soldados. Urma. hora depois, 'iz s gir
o preso acompanhado da for"a jA mencio.
nada, e na distancia do 40 bragas mais ou
menos, o Sr. tenente-coronel, na frente de
sua casa que flea no pate6 da feira, atra-
vessou-sena frente da escolta, acoatupanha
do de um grupo e pediu ao commmindante
da escolta, qu e Hie entregasse o preso, que
elle era o responsavel, e o commandant
da mesma negando-se a esto pedido, o Sr.
tenente-coronel gritou para o povo da feira
quequuem fosse migo e agora, sen-


COI*BERCO

Prava do Reeie,5 5d4
de-i885
As tres horas dattar
Potaiesi 0ociaea
Cambio sobre ParA, 30 d/y: corn 5,
conto.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 1
d. pqr 1U.
A. L-onardo Rodrip
President.
M. J. da Motta,
recrctar


RENDIM.ENTOS PI
Mezo de janeiro de
.?AND]R&GA==De 2 a 3
Idem de 5


Idem de 5


JOxwULADO PEOVrictA.L-DcL 2 a 3
Idem de 5


tacwaB DaIx-AoE-DI 2 a 3
[dem da 5


JBI
188


ALTERAQAO DAPAT
Para a semana de 5 A 10 de j
1885/
Cachaga, 75 rs. o litro. -5/
Alcool, 160 rs. o litro.
Algodlo em rama, 480 rs. o kilo.
Alfandega dc Pernambuco, 3 dc
1884.
Os conferen-
Antonio L. M. 1
J. da Costa Cir

DESPACHOS DE"IMPOR0
Vapor national Perminmbaco, entra
do note no dis 4 do corrente, e cons
nardino Pontnal, manifesto :-
Barris 60 volumes a AmaorimIrma
Couriuhos 30 fardos A ordem, 23
&C.
Mercadorias diversas 3 volumes a
do de Medeiros, 6 a H. Slotsenback
SPipas vazia- 65 a Marques Lima S
Vapor francez VzUe de MaranhM
Havre e portos do asul no diW. 8 do co
s#gnado a Augusto F. de Flivt"ra, 3
Amostras 3 volumes a dbversos.
10 eaixmas a Francisco Manoel da Si
Parent Via'sa& C. .
Balsa e 2c0ixs a Bfnto Machad4
bas e pertences 2 caixas a Bemaw
Batatas 50 cAvxaw e 250 ( gitfagea s


.ut4~icso.asUi6-CIO4paisffps Sr, ;o
MelM o.l Ignaclo 6 w weiro
4 Y io + s patica o toma do preso.;
Ost MAia tim ,4aq odle toma, e
-pas pssadb impwae. meoma data
Su o Sr. tenete-corondel accabou de
winter oerifm, ,Ita-me- iqute escreveu
paa certas .1 11ias atteinando o seuon
procedimente e tratandq do caluniar-noe pe-
dido a ha abstituig. Est delgacia
4oe fiido oti actos eriterioso de vossas
Exaes, espea a garaiitia queo caso exige
afirAde fa&Wr rtabelecer o impn'o da lei.
Procedi a inquerito policial contra o tenen-
te-coron e' ooutras1 e ja foi remettido a au-
to'dade competento; e por esto men pro-
codimento, estou ameaido e ser assassi-
pado aqusalquer horse. Foroso me e decla-
rat a V. Exes. e ao respeitavel public que
de ora emdiante torno o unico responsavel
permute as leis do paiz ao 1.- supplente de
juiz municipal desto termo tenente-coronel
Manoel Ignacio da Silva Asovedo por qual
'quer desar quo aparega em minha vida.
Tenho dito.
Alagoa de Baixo 30 do dezembro de
1884.
Joaquim Fedix Bizerra Cavalcante


Maranhao
(Do Paiz, de 27 de dezembro)
SDeixando hoje o partido liberal, sob cu-
jas bandeiras militei desde 1865, era de
men ever dar aos meus amigos--as ra-
zAes que levarami-mne a assim proceder, se
acaso houvesse disto necessidade, e noAO
fossom ellas de todos tao conhecidas, pria-
ceipalmente ap6s o ultimo pleito cleitor.l e
Sdiante da guerra- semn trogua-quo mu.
Svemo-me aquelles a quemn em tao mwA ho
Sra -foi confiada a direcago d'esse partido.
0 visconde do Rio Branco disse uma
Svez -a que a conscienucia e a dignidade
Spessoal obrigam-aoa a mudar de opinioes
Se de allianWas.i
Pois bem : E' a consciencia que jA do
Smuito dicta-me que outro nao podia ser o
Smenu procedimento. E' a digaidade peisoal
Sque exige separar-me 4 hliomens que tor-
naram-so incompativeis 2cb louigo, e c3m os
quaes nao posso e nem devo traibhAhar em
ommumn "


V r 4 oatinho Sautos & C., 1 a Odilon Duare D a
IrE^ Creiois 1 caima a N. J. Ribeiro,l a Jo04 pool
A. A. dos Santos & C. nifesi
e Jm r. Drogas 23 volumes a Francisco Manoel da Sil Ca
val & C., 7 a Rouquayrol Frorku, 5 a J. C. Levy &
C. ,i- 1 a Manoel Alves Barbosa Successor, 3 A or M
SEnvelopes 1 caixa a Eugenic Vieira & C. le
Fitas 1 caixa a A. D. Carneiro Viaima, ditas e nado
'8 0/0 de (ies calado 1 caixa a F. Barbosa. Ferrageis 2 cai- festo
11 e -1 sxas a Parente Vianna &C'. FlQres artificiaes 1 S&
1/16 e 19 /8 caixa a A. D. Carneiro Vianna. -
Gravatas 1 caixa a Parente Vianna & C. Hi
ties Instrumentos de cirurgia 1 caixa a Satyro Sc- Mac
raphim da Silva. a B.
Louga 3 caixas a G. Laport & C. Lunetas e A]
i0 relogioA I caix a A. Laberty. Ladritho 30 cai-
c zas a Jnlio Fuerstenberg & C., 35 a Francisco -
jLACOS Manoel da Silva & C. Livros 4 caixas a G. La- V
61;35A107 pqrt & C., 3 a Andr6 dos Santos.
29:74A097 Mantelga 10 barrios e 40 meies ditos a Joaquim Es
29 9 Dutrte Sitines & C., 15 e25 aJos6 de Macedo, 50 5 do
91.142A:)01da Silva Gaimaries, 170 e 302 a ordem; 15 e 20 a Sa
H. Burle & C., 15 e 30 a Fernandes da Costa &
3:281AI52 C., 50 e 100 a Souza Basto, Amorim & C., 55 e 70
368A318 a Joao Fernandes d Almeida. 15 e 20 a Joa uim Hi
I F-- -P. de Carvalho, 20 e 40 a Pernandes & Irmao, 45 n di
:69470 e 55 a Paiva Valeinte.& C., 10 e 20 a Carvalho &
la 1 e 15 :a Dinigos Forrtira da Siha C., Pacs
2to:66T53 0 ) e 0.) a Posa & Queiroz, 35 c.Aixais A ordetn, 8 Al
10:7436681 )audido Jose. da Silva Gain raes, 6 a Paiva Va Sa
fente & C., 16 a Souza Basto, morini & C., 12 a
37:4U1223 Joaquiirn Duarte Sixnes & C. Mereadlorias di-
? c drsas 11 volumes a Nunes Fouseca & C., 3 a G. U]
650865 Laport & C., 5 a Gomes d6 M.tttos Ir'n'o., 1 a
596h7J H. Nuesch & C 1 a Oliveira Bast-> & C., 3 a Ea-
"- -- genie Vieira & C., 4 a Meudes Junior & C., 7 a
1:147ii ;ulze-r & Koechlin, 1 a Augusto Fernandes & C., pa,
4 a Francisco Lmiria & C., 1 a Jo.o Bezerrn'a & 14,846
JTA C., 2 a William Halliday & C., q A ordem, 2 a ditas
aneiro de R. de Druzina & C., 2 a Laite Basto & C., 2 a na 13
Manoel Colapo & C., 5 a A. D. Carneiro Vianna, -
1 a Ferreira Guim-arites k C., 1 a Emilio Roberto, pa,
1 a Odilon Duarte & Irmno, 2 a J. das SAntos cornm
Oliveira, 1 a B. de Oliveira, 1 a Teixeira Coimbra 1,Q0
e janeiro de & C., 7 a Gaituiriaes Cardoso, 7 a Jose Augusto wellI
dos Santos & C., 2 a Manoel P. Neves, 3 a Sala- PForste
tes, zar & C., 2 a F. G. do Amaral, 8 a Otto Bjhres assuca
Imorim. Successor. Mascaras 1 caixa a Joaquim Bernar- dites
me do dos Reis & C.. Machinas 4 caixas a Auguste: 20Q9 d
Labille I at Jose A. dos .Santos & C. Marriain _N
TAQAO 1 caixa o Palmeira Maia & C. Par
Ldov&s portosa Plumas 1 camxa a Maii Irmao & C. 25,683
ignado a Ber- Objeetos de eseriptoro 1 caixa a Manaoel Jose -
Gongalves BragA. regou
os & C. Perfuinaria 1 caixa a J. Bdrnardu dos Reis & Par
Sa H. Nues Cl.,a H. Nuesh & C., 1 a Pedro Maia & C.:, 1 pcnna
a; Ferreira & Irmao, 4 a Parente Vianna & C., 1 assuce
Joao Walfre- a Manoel Colaco & C., 1 A ordem. Papel 2 caixas 26 71
&.C. a Oliveira Basto C., 1 a Jos Augusto dos San- de bon
C. s & C.,1 a Eugen uo Vieira & C, 1 a aNune e 898
fseca 6 C., 4 fardos a Francisco MJnel da Par
So, entrado d Silva S C. Poreelana 1 a Iuiwmaraes IrmIo & litros
rrente, e co, 8 a Tixeira Coiera & C., ditac.s idros 6 volu- saceoa
k C., manifes. tues a Beraardino Daarte Campos ,&4 C. Provi- O. Tr
sees 6 eqxas a Pgiva Valente A C. Piano 4 eai: aigods
Agna mineral xa a Hf. Vogeley. comlR
iva & C., 1 I Queijo I tinaa Abrautes & C.1 a aino d com ,
SOliveit Maa, 2 a Sulzer & Koelfin, aJos&a
ixW Pontual. [*ia&sa -Otto iohres Sutee sr, 4l2 fardos a i. R los.
9I1br & Koe.-do Drazin t C.
U. ds.:lvi-s luadr Ifa a Aa.drade_ Loe&C. Par *
ra, funw;nL..R. M2f a Ides a,13u i %o&echlin. Sabo- coan 1/


,tf zoi, qtnwao Uaa wr aws iliow aue
1aUsiei -qjue, se totwas politcas podem
-promtter-nos o progress, somento ea polt-
ta conservuora nos pl.de dar a ordm,
com quo podemos adquiri todoa os pro-
grenos. 'r..^^--^^: -^,;*-
Vyenhama. iUvectivas e os insultos do
o<8(tiBWm.:.. Nte1 cpoo;-m acrediteia,
que os saberoi dpw a.'r.
Tenho f% de quo aBo I o deo -siqaer
abala'-me e nem trar-me remorsos, qua
persigam-me, cemo so sangumiario, Orstes
p)rseguia a so:nbra medoha, ou quemarty-
risem-me,, como a Prometheo martyrisava o
feroz abutre.
Terei,-Quando menos -para justificaro
meu procedimento, oxemplos no paiz e f6ra
d'elle ; e, pars os homes de boa f6,-
que felizmente. ainda posuimnoiS, direi
mais: -quo, abandonando o partido libe-
ral, eu devia alliar-me ao partido conser-
vrdor, poise qae xinguem pode, sem accu-
sar-se de enfernidade de espirito oa de
condemnavel ogoismo, deixatr de pertencer
a um partido.
S. Luiz, 26 de dezembro de 1884.
Antonio Jansem de Mattos Pereira.

tFalledifento
Vitima de antigos padecimentos, falle-
ceu n'esta cidade, no dia 4 do corrente, as
10 horas e 25 minutes da manhit, o capi-
tao Manoel Jos6 de Sant'Anna e Araujo,
escrivilo do orphlos c annexes na cidade
do Santo Agostinlaho do Cabo.
-Nascera na cidade do Natal. provincia
do Rio Grande do Norte, em j)ulho do 1806.
Militara fortemente na political do sua
provincia, durante ous tempos regenciaes,
e asi exercora diversos cargos de fazenda,
send eleito anuitas vczesjuiz de paz, quan-
do as attribuigoes de tal cargo cram muito
maisamplas do que hoje.
Quando teve lugar o assassinate do pre-
sidente Manoel Antonio da Silva Ribeiro,
Saint'Anna e Araujo, seu amigo, despre-
sando as offertas e ameagas dos mandan-
tes de tal assassinate, entire os quaes onu-
merava-se o praprio vice-preasidente, que
succedera ao Dr. Ribeiro, cujos procura-
yam desnaturar a causa do hediondo e trai-
goeiro delicto, soffreu a mais infrene per-
seguigao ; sendo, por isso, obrigado a mu-
dar-se pars esta provincia em 1840.
Aqui foi durante 15 annos solicitador de
causas, e em 1855 provide na serventia de
escrivao de orphaos e annexes, lugar quo
exerceu durante 30 annos.
Exerceu o cargo de vogal da adminis-
traglo do patrimonio dos orphaos e outras
muitas fuocoes gratuitas.


rca- ingiez t J 7ell wr entrad. de Liver-
no die 1 e cousigaada a empreza do gaz, ma-
tou :
rvao de peara 604 tonelladas a mesma.
iate national Santo Ambrozio, entrado
Macei6 no dia 5 do corrente e consig-
Sa Manoel Joaquim da Rocha, mani-
at
ati 2,430 litros ordem.
iate naciondl Dona Jualia, entrado do
0o no dia 5 do corrente e consignado
trtholomnu Lurengo, manifesto :
IgodFlo 405 saccos.
emra do carnauba 312 saccos.
elas do carnaitba 13 caixas A ordem.

scuna national Evoract, entrada no dia
D corente e consignrada a Carlos Anto-
le Araujo, manifestou :
Ll 115,200 litros A ordem.

iate nacianal Iris, entrado de Macao
ia 5 (do corrente e consignado a J.
die Oliveira, tauifcstou
g.).l') 22 saccos.o
,A 25,601 litros
ESPACHOS DE EXPORTAQAO
Emn 3 eto janeiro de 185
araa o eAxterior
No vapor inglez Cotopa,:6, carregou :
ra Liverpoel, J. Pater & C. *20i sawcas corn
: kilos de algoddo; P. Vianna & C. 296
corn 20,083 ditos de dito; J. F. de Sant'An.
2 ditas corn 10,176 ditos de dito.
No vapor inglez Warrior, carregou :
ra Liverpool, S. Nogueira & C. Itl saccas
7,356 kilos de hlgodao; Boretelman & C.
ditas corn 100,885 ditos de dito ; J. H. Box-
1,2u0 ditas corn 92,560 ditos de dito ; H.
er & C. 2,700. sacos eomn 202,500 kilos de
ar mascavado ;' F. CaseAgo & Flho 1,5)0
corn 112,501, ditos de dito ; J. Pater & C.
itos corn 15,' 00 ditos de dito.
Na barca noruegoense Sinah, carregou :
a Ltverpool, J. H. Boxwell 300 sacas corn
3 kilos dealgodbo.
No vapor francez Ville de Maranko, car-
-a o Havre, J. F. de Sant'Anna 200 kilos de
;s A. Santos 6 barricas corn 400 kilos de
ai refinado; A. Labille 321 saccas corn
Sditos de alg~dlo, 11 barricas corn 571 ditos
racha, 7 saccos corn 390 ditos de carnafba
courts verdes corn 18,858 kilos.
a Lisboa, F. de Moraes 6 pipas corn 2,760
de aguardente; Amorim Irmaos & C. 500
s comn 87,500 kilos de assucar mascavado;
avasso & C. 596 saccas corn 45,055 ditos do
l; P. Careiro &C.126 couros salgados
,512 kilos: S.,G4nr-aes & aC. 100 ito s
2O ditwo ea bari/cas ean 221 1/I-kilos do
r brine B. 'liv'a & C. 8 dita con
toei cdelaJHen"ique I barrio couec120
le farina deoamndioca. -
Na ba-ai leza Jane P., cearregeu:
2' tolsalueaC & 25 & C' e c


Lei kypot ma
Fomos obsequiados pelo illutr Dr. Luias
de Albuquerque Martins Pereira, comr uum
exemplar do sea important tfabalho jur-
dico -Indice alphabetico e reveiiva da Id
da reforma hypothecaria e seu regtlametoi.
N'essa obra, sera duvida iiportantben-
contra-se tudo o quo diz respeito 6 hyp-
thecas, inclusive os avisos expetoos pelo
governor, explicando textos da lei-. j
Para mais segra applicago da( lei, o
illustro magistrado addition ao s8a traba-
tho um Espiclegio juridico, mcoiie aveL-
monte do muaito proveito e utilidade.
Agradecendo ao Sr. Dr. Martins Perei-
ra a offerta corn que distinguio-nose, fa-
zemos votos sinceros para que kej&' vi-
damente apreciado o grande servigo qt e
acaba de prestar Ajurisprudencia do pai.
(Tnatacripto.)

0 academic Julio de Mello Filko, pro-
poe-se a leccionar, segundo o programma
official, francez e ingle a em collegios e ca-
sas particulares, ou em sua resideaqia, &
rua do Coronel Suassuna n. 173, po mo-
dico prego.

Como, e deque modoe- cresee *
eabelleo
0 nutrimento do cabello igual as das florea, se
obtem, principalmente el i L-absorviao da raises.
Sc a terra se secca e as raizes das flores ficamn
sem a necessaria humrnidade, ellas murcham e per-.
dem wuas bclas cores; e se o craneo onde ea4rto
plantadas as. &raizes donde nascem as fibrai doca-
belle, se aclia secco c entorpecido,o cabello se tor-
na aspero, sein lustro e as cans apparecem..
0 Tunica Oriental reinedeia esse manl, reanimaan-
do a cutis entorpeeida e inerte, excitando sutave-
mente as raizes e os diminutos vasos de sangue,
e renovando por assim dizer, o proeesso vegetaLk
A acqio reproductive desta preparao 6 mnilagro-
sa e promnptmente transforna ma eabelhadura
Para o tutetrlor -
No br'gue hespanhol Amitade : carregotrr
Para Uruguaysna, J. S. Loyo & Filho 1,050
barriers corn 89,615 kilos de assucar braneo.
Nopatacho noriueguense Amtiiuad, canre-
gou :
Para Pelotas, J. de Oliveira 300 saccos corn
22,500 kilos de assucar branco.
Na eseuna dinam.nrqueza hmilie, earre-
gou :
Para o Rio Grande do 8ul, A. 0. de Souza
300 saccos corn 22,500 kilos de assucar branch.
No vapor national Pernambuceo, carregou:
Para o Rio Grande do Sul, J. S. da Costa Mo-
reira 25 barricas corn 1,847 kilos de aseuear bran-
co; M. F. Marques & Filho 700 volumes om
59,261 ditos de dito ; A. 0. de Souza 60W ditos
corn b5,844 ditos de dito.
Par o Rio de Janeiro, 0.. M da a 9 %000
cocos fructa.. -
Para Bahia, S. G. Brito 53 saoc% cowr 3,750
kilos de assucar mascavado.
No hiate nacional D. A tonia, carregou:
Pars Aracaty, J. A. G. Pires Junior I bar'ca
corn 100 kilos de assucar branch.


MOVIMENTO DO PORT
aoTio (ntrado no dis 4
Para e escalas 8 dias, v.por nacional Pter6iaM4-.'
co, de 1999 toneladas, coinmajdand nter Peiro fly-
polito Dnarte, eqnipagemn 60, carga var.ios ge-
n2ros ; ao Baro de Pitrlina.
Sihido no mesmo dia
Porto e Lisboa-Brigne pertugue Titoe, capitbo
Jose Lopes, carga varies generos
Navios entra oas na dia 5
Rio Grande da Sul-24 dias, brigue inglez Cam-
brian, de 182 toneladas, capitao He.ry -P
equipagem 7, em lastro; a Maia Rende i
Bahia e escalhs -12 dias, vapor nain Maftrmo
Visconck, de 400 toneladas, conrmanadnte Jose
- Joaquim Coelho, equipagem 28, carga varios
generous; a Domin.os Alves Matheus.
San Nicolas, (Republica Argentina) -31 dias,
brigue inglez Hagh-,Roberti, dg 18. tonelades,
caputao John Jnes, equipagem 7, em 1astro ;
ordem.
Santos 30 dias, barc neladas, capitao J. Z. Forbes, equipagem 10,
em lastro; a Lidstone & C. ;
AS$hidos no mesmodia
Rio de Janeiro e escalas--Vapor national Pernam-
bueo, commaodante Pedro Hypolito Duerte
carga varis generos. :,,- .* 1r
Camosiam por escalas -Vapor nae~iS.N ipama,
coanmandante Francisco dc'Carvalltt8, cara va-


ros generous. ...... 1 1
Bahia- Vapor inglez -orsea, comi ite W.
H. Licy, earga apparelhos telegrVe 1os.
Obserrag es j ::.-+ +
Piwedente de Bordeaux e eselu o
Lamaaro o vapor franez .igi-er, oj4 oom-
municou corn a terra pot era.? lep tgad:o
o erv"ui.
SSuspondealdo Luparato i74
a bas sneowsVw, capite,
berg, cm a memin earsga -queOwI& .
Ilgio.
,ueG. o Rio.o Graue Norte
vHig A1 ^ ^^ +l NO


io, 60cagas.
m&IfeI '


m


s^11'7'


















kL.O r. Epa ajou4, Uhm
iosp4*?10oJ1to R0io,
tie digno .irni .


a s


'5.
I


Em virtude de dcterminacao da presidencia da
rroviucia e de ordom do inspector geral da ins-
:ruc-o public, se leclara que tendo de ser pro-
vida por accesso a cadeira de ensiuo primario do
sexo feminino da villa de Petrolina, deverao os
-irofessores de 1I entrancia que pretenderem o
-,ccesso, enviar a esta reparticao suas peti5es
,or intermedio do delegado litt-trario, no prazo de
-10 dias, a contar desta dala.
Secretaria da Instruca'o Publica de Pernam-
:ueo, 11 de dezembro de 84.-0 secretario,
P. S. de Amaujo GalvMo.
0 cidadlo Antonio Marques Correia, 1"
juiz de paz, president da mesa eleito-
ral da parochi de S. Salvador do Cura-
to da S6 de Olinda, em virtude dalei,
etc., etc.
Faoo saber aos que o preseiite edital lerem e
rirem que na elei'fo a que nesta data, e em 2"
,scrntmnio, se procedeu para um deputado a As-
sembles Legislativa compareceram e votaram 150
cleitores cujo resultado foi o seguinte : Dr. Anto-
aio Francisco Correia de Araujo 83 votos e 2 em
separado, bacharel Arminio Coriolano Tavares
los Santos, 6D votos e 2 em separado, Dr. Joalo
de SA Cavalcante de Albuquerque, 2 votas e Dr.
3ernardino .Ie Senna Dias 1.
E para coustar larou-se o prezeiite edfital que
oa Maaoel Jos6 de Castro Villela, sceretario da
,nesa eleitoral subscrevo.
Mesa Eleitoral da Parochia de S. Salvador do
Curator da 86 de Olinda, em 4 de janeiro de 1884.
(Assignado). Antodnio Marqnes Correia.
0 cidadao Antonio Machado Gomes da ,Sil-
va, 2" supplente do juiz de paz do 2" dis-
tricto da freguezia dos Afogados, 'enr vir-
tude da lei, etc.
Polo present edital fago saber que tendo a jun-
ta aputradora do l1*districto eleitoral desta pro-
viucia deliberado para se proceder segundo escru-
tinio da eleigAo para umn depatado geral no-dia 9
de janeiro do'eorrente anno nos terms do artigo
179 do deereoto n. 8,213, de 13 de agosto de 1881,
visto que os candidates votados em primeiro cs-
crutimno nao obtiveram a maioria absoluta de vo-
tes; e no havendo o 1, 20, 30 e 40, e o 10 sup-
pleate do juiz de paz deste districto~feito atA hoje
a convoeaiodoseleitorca, eu os convoeo, para
quo oiparam meuns eleiqo no dis supra
meoiosimdo po 9 hiorsu da mauhi na capella
d. K ikora dMeM emoedios, fiando pelo pre-

r3~~ qu to
00 '.


EPAMNONDASCiaIRMONT
S Envia' um abrago deM feli-


S. ,,3. Leite. k_





Ehnbarque
., *o






Se irurgia dentist Jq Baisilisco pa;
tecipa sos sews clients e awoigos, que s(
gue no dia 5 para o Au, em busca de mc
Ihoras A sma aaude, e espera quo naasu
volta continue a diapensaer-Ehe a confiar
ga, com que sempre o distinguiran.

~DITAES

dital .. .
0 administrator do Consulado Provincial avis
acs contribuintes do imposto dle repartielo po
K cIasses, sobre induatrias profisso's, a que se re
i'erv.o 26 do art. I- daleiin. 1810 (oreaneut
vignte) q'e nesta reparti9Ao eomeca no dia 1
do janeiro proximo future a cobranwa A bocca d
cofte, do :nesmoi:nposto, relative ao 1 sem.str
do escreicio urrentst (1881 A 1885), devendo est
terminar imp rorogavelanote no trigesimo dia uti
nos termos do art. 42 do regulamento de 4 do ju
he do e 1871,
Consulado Itiinial de Pernambuco, 21 de de
zembro de 81.
Fran cisco A. de Carivalho Moura.
v g- e (ll z Pornam umcaunoa 1
Em 1 ide Janeiro de 1885
Pula Seeretaria do Gymnnasio Perinabucao, c
do ordem do Rvn. Dr. regedor, seo declara aosE
(fue pais do farnilia e a quem mais interessar possa
no dia S do corrente mez abrir-se-ha o anne
tectivo pra os alumnos d'aula pnimaria, nos ter
mos do art. 185 do re*uimento intern de 19 de
abril do 1876, approvado pela Ici provinmli .
1497 do 10 dejunho do anno de 1880.
0 institute recebe alunos em tres cathegorias
couforme so acham divididos pelo citado regimen-
to : pensionisas ou internens,i meio pensionistas c
exterl0os.
Os pensionistas residiro no institute, tendo di-
reito de estudar as materials prescriptas no pro-
g'amnna estabelecido, a er alimentados sadma c
abundautemente, tratados em asuas cferminidades
pelo in-dico da casa, ter roupa lavada c engorn-
;nada r.-gularnente duas vezes por semana, ca-
oelleireiro sempre que for ncesmario e baniho duas
vezs por semnmrna.
Os meio-pensionista s so apresentarao no esta-
belecimento nos dais lectivos, as horas en queo a
imla so abrir, e desde entio at6 scr encerrada A
:arde, serao equip trads aos interuaos, quanto aos
yostudos, alimentaAto 0e r ecreio.
Os externos s6 tern dircito As lio5es o expli-
vaezes do respectiivo professor.
A pensao dos internos 6 de 4.)0c e a dos meio
)ensionistas de 240, paga por trimestAres adian-
tados na secretaria do mensmo institute.
Os--xtermos potr& ntdI s pagarlao.
bsfcternos, p.3ei,nfd Caaro
-. 0 secretario,
Celso T. Fernandes Q'iutdlla

Edital n. 35
2a praa
De ordem do IHm. Sr. inspector se faz public,
::ue as 11 horas do dia 8 do mez corrente, serao
-rendidas em leilmlo, no trapiehe Concei'co as mmer-
-adoria abaixo declaradas :
Armazem n. 1
Marca OR, 2 caixas ns. 26 e 27, viudlas do Ha-
i-re no vapor fraucez Ville de Pernambuco, entma
do em 7 de outubro do anno passado, contendo
.edras marmores, quebradas, abandonadas aos
:hreitcs por 0. Killer.
Armazem n. I
Marca M&C e contramarca P, 1 caixa n. 4-2,
vinda do Havre no vapor francez Ville do Ceard,
outrado em 7 de novembro ultimo, contendo 120
kilos de rotulos impressos em uma s6 cor, corn
avaria. abandonada aos direitos por Meuron & C.
3a Seccao aa Alfandega de Pernainbuco, 3 de
raneiro de 1885.
0 chefe,
Cicero B. dc Mcllo.
Edital n. 689


President
Leoucio Qaintno de Castro Leao. CHARGE S REUNIS
Amanuense servindo de secretario. CiIARG R n i
Irmandad Companhia Franeeza de NaWgv
Irmandade Vie a vapor
DAS Linha quinzenal centre o Havre, Lia- -
Ahnas na matriz do uoa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro 6
Alnsn nti oSantos

Corpo Santo Vil Steamer i
A actual mesa regedora. que foi impossada pelo le de X ax eie
film. Sr. Dr. juiz de capellas em 15 do corrente, E' esperado da Eume-
tendo d proceder a cobranca de todos aquelles -- pa at6 o dia 12 di ja- Cc
que se acham em debito corn a referida irmanda- J 0 neiro, seguindo de-
de, e alguns em grand e atraso, vem disto dar sci pidasai indispensavel
encia no s56 aos locatarios como fiadores dos pre- emora pars a D-
dios, e que o encarregado deste servivo 6 o irmao "-ai, Rilo de JA- 4f
cobrador Jos6 Fernandes de Mello, que ja exerceu neiro e santo.
outr'ora o dito lugar, e 6 bern conhecido de todos Boga-se aos Srs. importadores de carga pelos
os irmbos. vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
Consistorio. em 23 de dezembro de 84. dias, a contar do da descarga das alvarengas, qua].- ri
S Oescrivao, quer reclamagIo concernente a volumes, que por-
Joio Facundo de Castro Menezes. ventura tenham seguido paraos portos do sul, afim
---------__- __- -- desse poderemdar a tempo as providencias necessa m
rise.
rlaExpirado o referido praso a companhia nao s-
Bresponsabilisa por extravion.
Recebe carga, enepmmedas e passageiros, parb
:5 quaes tern excellentes accoiotdaces.
%AGENTEI

Companhia' de Trilhos Aungusto F. de Oliveira

Urbanos de Olinda & C.
HORABIO 42 -RUA DO COMMERCIO -42 e4
A partir do dia 7 do corrente, o trem das oito e
meia horas da mauha deixara de fazer as paradas Companla MBaBlaia de Navega i
do Feitosa e do Tdixeira Lopes, quepassaruo'aa pio a Vapor
ser feitas pelo trem das nove e meia. E o trem Macei6, Villa Nova, Penedo, Aracaju",
de carga que largava de Olinda As duas e meia da Estanoia e Bahia 1
tarde, d'essa data em diante, corn um avano de
cinco minutes ; sendo assinm a sua hora de partida 0 vapor ca
duas horse quinze minutes da estacao do Carmo) T Io, o I 0
duas horas e vinte e cinco minutos da estacao do no mld o
Varadouro. Commandante J. J. Coeoml
Escrniptorio do gerente, 1 de janeiro de 1885. om a .. C
A. Pereira SimoeAs. Segue pars o0 portos
-_ -" acima no dis 9 deja-
earP neiro As 4 horas ta
IItecie Draionage
& c-e, ta r-do. 'Recebe cargii
A companhia faz public, pars conhecimneato t6 ao 1/2 dis do di-
dos iiteressados, que collooou nno mez de dezem- sua-Baii
bro proximo paseao os aparelhos abaixo deela- Pa crga cmda d eiro 1
rados : .. ..
Freguezia du Reecife a E tract&r,-" aa -
RuadaMadedeDeas n.28,apparelhon. 7,999, AGgNCIA
IqJ&.,.. 7-AM, do Vwrayr 7 'lf
Santo Antonio Dr
Rua de Santo Amaro n. 1 A 5, apparelhon.; B
5614,'caua terr.a. ..
S. Joe mAwit~lU man^WW
Ru do Cmve Suaewna a. 278, apparolho n. 31]Mil
6- .11-an'r.


Emad o40,. *"Cu.- I -e
!, 1 "' '~~ln~r I"a
IL* I :,I":] [i' : :"II::d4 I ld I" I "[' I' :II I Ii II I I '" d iI""I][ I I 'I:id :


;* '
F


a..
. ~ :*
W~a
I
a
Chogadi
a
*
*
*
a'


,.... e ., o *!
Saute..
Montevid6o
VOLTA
Montevide .
Santof -
io de Janeiro
Bahia
Macei6 4
Pernambuco o
S. Vicente .p
Lisboa a
11r. O ^U 1 "-


UICA


86*29
S..-.

7
17/
18
24
27
29

15


2
1



14
2
2




1;
24
24


0. Jos Xavier 0. R.mn CaOioe
.'i .,.. ......... ac: O '
Auxiiiaiorn &,i _

PetlsMeretaut kpal da cidade Prevlne-me a 4t444 s&nhores ioue, par
do Rec.!-ti s .tar p'sa3 neso se achar aind oAfido o proceo eletoral,
o a. 8- da de 1873. foi adiada para o dia quinta-feira 5 de fevereir.
Art. 8a: Nolni' mez de ja- a reunion da assembles geral que tfra annuncia-
neiro de ewad' f-rurgis, da paira o dia 8 do correate. Recife, 5 dc janei-
pharmaceatif<^:^ I anfgrado- ro de 1885.
rce, dentistas iamgraoroo18 H(nrique Augusto Milet,
Municipal a desfra- 1# U aturali- Seentm io geraL
dades e moradai&n iA m qw inaada "-----
pubhcar a lists de todas as pessoa: os i0fra .' I
res serlo multados em 10AL P m.U W "l
Secretaria da' amara Muniipal 'PdecRIfe, 30 al I C i ee lII
de dezembro de 84. I tP K41
Pedro G. de RoIis e Silva,
Seoretario. .. i _na ___-

Indeinnisadw
A direcqio desta companhia do a mngymnsliCa e acrobatica
0os senores accionistas a se reuntre.UiaqWaB- D -
blagcml extraordinaria, que dcveri ter ligar.no r-
esc-riptrio da nesmna cornpauhia, ao meio i de d "'^^ G S'n f h 'T
19 dejaneiro proximo vinXouro. 0 fim da refeni- '.EL t SJ 9X SL~Z. 9 V
doo prexii de or
da reuniao 6 adiscusso e approvaIao dos esta- Largo Are -d G e
r- tutos da mesa compn1hia ulcimameate reforma- L ,aug o At ser a d E WSoTr
dos de aceordo corn a lei n. 8150 de 4 de novem. H,, Ih ra hoje
- bro de 1882. Recife, 3 de janeiro de 1885. !
e-^~ ~Os directores, r fn o
la Henrique Bernardes de Oliveira. |
la Joaquim Alves da Fonseca. rande r1n v l '
Jos6 da Silva Loyo Junior ...":

-Imperial sociedade FlOs! BMWv0! A loMs !!
DOS Ordenm e armola !
Artistas Mechanicos e Grande suceesso pastoril!
I i Pela segunda vez as lindas arias
r; liberaes t'I3SrIM lIIQ1
De ordem da directoria scientifieo aos senores 9 nIU --
0 socios e expositores, que emin consoquencia de se ol Sn
Sachar o edificio em obras, por isso nao terA lugar n r
0 o anniversario no dia 11 do corrente, mas sir no MeHM s 6 Sinha
7e dih 18, se nibo houver inconvenicnte. Assim co- Pela sympatica e sempre vitoriada
a ro convido os senhores socios effetivos % s u ren-
l nirem na s6de social no dia 9, As 6 horas da tar- A
Sde, ,ifiin de ter luigar a asseinb'la geral do mez
proxi-mo passado. P n, 3
Secretaria da imperial sociedade dos Artistas
Mechanicos e Liberacs em Pcrnamuco, 3 de
SJaneiro de 1685. UU d
Francisco da Costa Ramos, s lEs TC E
PeasUrtV-aa10 scrtari. I T Srt !
Pela seeretaria da Camara Municipal da ci- M J
dade do Recife se faz public que em virtude de o Crntado pelas applaudidas DD. Adelaide
cresoluI..t da ilium. Camera, tomada em sessa'o de
17 do corrente, foi concedido o prazo de 30 dias, e Amelia, corn acompanhamonto deo CORO
a pora os proprietarios dos estabelecimentos da fre- O Im* d
Sguezia de S. Jos6 mandarem A secqao competent
aferirem os pesos, mnedidas e balanqas de seus A IA o ad e
,estabelecimentos.
Seeretaria da Camara Municipal do Recife, 19 R d au Pa torl
de dezembro de 1884. l e -ou h W
0 awnanuense, servindo de seeretario, A's 8 1/2 horas
Leoncio Quintino de Castro Leao. _
COIIPANIA OLIN)A

Locomotora Pernam- No PavilhAo da praia de S.

bucana, Frandsc
Nos terms do art. 5- dos estatutos, convido F ani
pelo preseute aos senhores acecionistas a realisa- J A KIS
rem a oitava prestac'o de suas entradas na raziHo JE Im L D I U luIS4
de 1'. 0/0 sobre o capital das acoes subscriptas. hbaverd urma bands marcial que tocarl desd; ais 5
Para este fim podem dirigir-se A casa n. 56, pri- hora= ate As 8 da noite. I
inmeiro andar, cua do Marquez de Olinda. No largo funccionarao o TIVOLY e o COSMO-
Recife, 2 de janeiro de 1885. RAMA.'
0 thesoeurciro, ________
A. G. de Miranda Leal. II l' i, i, = -
A Cama'-a Municipal da cidade do Recite MARITIInOS
convida aos donos dos estabclecimentos commer- ______________ ____________ _.
iiaes das freguezias de Afogados e Varzes, paras C MA EI-A PRNAUDUCAV
virem A secgio competent aferir os pesos, medi- COMPANMIA PIBNAIIBUCAIA
das e balances dos mosmos, no proximo mez de DE
dezembro, sob pena da lei. Navegaaio eosteira per vapor
Paso da Camara Mnnicipal do Recife, 29 de PORT OS DO S U L
,ovom~bro do 1881. ^^^ ^ f ^ g
Jesd Canrdido do Mor-aes, Macei renedo, Araaj e B ahi
President. vapor .Fr-acieo, *,
Pcdro Guadiano do Ratis e Silt'a, criadnoPria
Secretario. sui no dia 10 do
A csmara municipal do Recife faz sciente corrente, As 5 horas da
a que inreressar possa, que em virtude da reselh- wllSSdo.
9ao tomada em sessao de 17 do corrente, for pro- Recebe carga ate c ge
rogado o prazo de trinta dias, para dentro dells dia 9. pa
serem recebidas propostas pars a faectura do novo Encoummendas, passagens e dinheiro a fret. ate ma
mercado da Boa-Vista; devendo ditas propostas -A 3 horas da tarde do dia da sahida. pr
serem entregues em sessao. ESCRIPTORIO
Pa(o da camara municipal da Recife 19 de de- ('aes da Companhia Pernarnbaena t
zembro de 1884.
Jose Candido de Moraes. n. 12 .


T;iPar passagens, fretes, etc., tracta-se corn mos
CONidATARIOS
AdamsiHIow&ie A C.
S--ua do Commereio- -3


F


COMPANEHIA PERN
' .' ... "D E


AUDUCANA


avegaio _oestelra por vape
ernando de Noronh




lacommnendas, passagense odinheir-os afrete a
4 hoas da tarde da vespera dia shida.e


ESCRIPTORLO
~neiro ao meio dis
I apo Giqidcon
.... noante"TMqalra.
'Recebe caiga atA
sdis 9.
?aeommendas, passagens e dinheiros afrete a
4 horas da tarde da vesperadi sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernamb.trana
n. 12.


2.
5-


4
1
2
7
9
2
8
I6-
3
)


a
ia-
5 o
10
t-
? o
At6


haeific Steam Navigation Companr
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR


la demoria do otuame.


Espera-se d(
portos da Lurol
at6 odia 18 de jf
neiro e seguix
lpara os do sul
do Pacifico depot


Para carga,pafbagens, encommendas e dinhei
) frete: tractasseoomos
-"'U0nslgnatarios
Wilson Sons & ., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N. 1


os
pa
a-
rA
e
is

ro


4


United Slates & sil Mail S. S. C.
0 vapor
Fiance
SE' esperado dos portous do
sul no dia 7 de janeiro, e
depois da demora necessaria
seguirA parnao
Pa*i, Iaranhlo, S. Thomaz e
New-York
Pars carga, passagens, e encommendam, tracta-
e corn Os


AGENTS
iBnry Forster & C.
RUADOCOMMERCIO N. S


a


1.- andar


. 0 vapor
Merrimac

'L Espera-se*aNew-Port-News
Alk ate o diam 1 de janeiro,
vseguindo depois da demora
unecessaria para


Bakia e Rio de Janeiro
Pelos vapors desta comparhia dao-se passa-
ens para Liverpool ao pre"o de 200 dollars ; o
msageiro desembarcaado em New-York tern ga-
ntia a passagens para Liverpool quando Ihe ap-
outver por vapors de la ordem.
Pars carga, passagens, encommendas e valores
act&-se corn os
AGENTS
Henry Forster & C.
S8 RUADOCOMItt(.itAO -- N. 8
:. 1.'andar


14 anla Brasileira de Nave-
f gapio a Vapor
PORTOS DO NORTE
S 0 vapor
Bahia
ommatdante 1- tenente Aurdiano Izaac
E' esperado dos portos do sul
-ate o dia 6 de janeiro e
S seguirA depois da demora in-
dispensavel, para os portos
do note ate Manaos.
Para carga, passages, encommendas e valores
icta-se na agencia
46 RUJA DO COMMERCIO 46


LEILOES

Lefla o


e 1 piano de cauda, movein, fazen-
das e muita. miudezas
Agente Britto
0 agent acima venderA ao correr do martello o
guinte:
Uma mobilia de jacaranda corn 1 sofA, 4 conso-
s ceram pedra, 2 grandes espelhos corn moldura de
xaranda, 2 consoles, 1 mesa redonda e 15 ca-
-iras de guarniao, 1 mobilia de junco comple-
S1 mesa elastica de 4 taboas. 1 piano de cauda,
espriguiiadeira de panno, 1 mesa para p6 de
ma, eandieirds para kerosene, quadros, cande-
brEs de vidro e de pedra, 2 .fiteiros proprios para
|a, algumas farendas e grande quantidade de
iudezas.
Qtdnta-feira 8 dejaneiro
A's o10 1/ horas
Run Direita n. 36 1- andar
Seguu leilao definitivo
De dividas aziuvns na importancia de 5:0458
QUINTA-FEIBA 8 DO CORRENTE
o armazem da rza do Imperador- n. 22
O preoto do agonte Burlamaqui, levarai a lei-
Sas qividas activas de diversos dovedores co-
eidoU, por mandado e asaistencia do Ilm. Sr.
.juims'de 4 io de orpaos e auseentes, eper-
mopnta aoepo*io dofinado Manoel Soares Men-
w. Os m pro.etdentes dedse jA poderio exa-
!ar a glpqi devedores que se acham em


I
a]

I
i

t
t
C
c


f
d






ci
0
1]
d
a
a
d
c


de 0 d onttalf ^^e ovombpL4 1S
L!ia oa- n ao ao 1.o wdlar.
Aluga Be o2- andar do obrade n. 28 1 a
do Viweonde do Albaqprqaej mafito fes put".
do ha pouco tempo, corn agus e baneiro na na
Velha .28.
Aluga-se ou vende- se o sitio do Cumbe em
Beberibe, onde residio o Sr. Vallenc chando.
se a casa limpa, o sitio beni planted de' arw
fructiferas, o qual confinda cornm o rio desse nome,
ond ternm lugar pars o agradavel babo ; corn 4
quartos, 2 salas, copiar, couinha f6ra, quarto parm
eriado, etc. Pars informa5es, nesse lugar, ta-
verns 4o Sr. Jacintho, junto a estago, ou corn o
proprietario A rua do Bemfica u. 5.
"-Alga-se~acsa da rwUa daUnio n67.
tern commodos parafarnilia, agua encanada, gaz
e grande quintal : atratar na rua do Apollo n,
22, armazem. .


Aluga. se para fswiiia o primeiro e segundo
andares do sobrado d run do Baroge da Victoria
n. 14 por 505, todo pintado : a tratar na loja do
mesmo.
Aluga-ie a loja do sobrado n. 31 A rua do
Livramente, a qual se acha perfeitamente asseia-
ia pars urma tabacaria ou loia de cabelleireiro :
a tratar na rua Duque de Caxias n. 53.
Alugam-se o 1o andar da casa n. 18, o 20 da
de n. 66 A rua Direita; o 10, 20 e 3o da de n. 3 A
rua da Penha; o 2o da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o lo da de n. 34 A rua do Rosario Estreita;
i tratar na rua do Hospicio n. 32.
Aluga-se a grande casa n. 159 A rua Impe-
rial, de azulejo, corn porta e duas janellas de
rente, estucada e ladrilho de mosaico, coatendo
Ssalas, 1 gabinete, 5 quartos, cosinha f6ra, quin-
tal e muitos quartos no quintal, que 6 murado,
;endo portao pira a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacimba corn muito boa agua: a tratar no
escriptorio n. 54, primeiro andbr, A rua Duque
Ie Caxias.
Precisa-se de uma cosinheira, para casa de
amilia, paga-se bern : a tratar na rua do BarAo
[a Vict ria n. 39, loja.


Attencao
0 testamenteiro de Joao Luiz Ferreira Ribeiro
onvida aos afilhados do mesmo fallecido para,
n0 prazo de oito dias, apresentarem suas certi-
1es de baptipmo, no largo da Alfandega n. 4,
irmazcm, para seem remettidos para Portugal,
fim de serem attendidos os legados aos mesmos
leixados em testamento polo supradito finado. Re-
ife, 2 de janeiro de 1885. --


Aluga-se na runa Imperial duas casas, uma
de padaria, comn forno e utensilios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por preco muito commodo -
a fallar com Jose Feliciano de Nazareth. A rua
de Pedro Affonso (outr'ora rua da Praia), armsa
zemr u. 20.
Por festa ou por anno, corn pagamento adi-
antado ou fian a idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitio da travessa da rua da Mangueira,
que foi do fallecido Joao Francisco Carneiro Mon-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques c cacimba corn excelleute agua potavel, e se
aehar murado, tern easa de habitacao em born es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e um quarto f6ra pars criado ou feitor, accrescen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e As duas estates da Casa Forte e Caldeireiro
da linha ferrea do Recife ao CaxangA : quem o
pretender ptde entender se corn a familiar do Sr.
Manoel Miranda ou corn o Sr. major Jose Camel-
lo do Rego Barros na mesma travessa da rua da
Mangueira, que Ihe mandarao mostrar e poderAo
dai as informacnes necessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, A ruan Velha n. 59.


I-


Nova escola mixta particular
pars os trees grAos de instruegio primaria, dirigi-
da por Odorica Argentina dos Santos, A rua Ve-
lha, casa terrea n.... do dia 7 do corrente em
diante, das 9 As 2 horas da tarde. As condioes
de idoneidade e habilitseao da referida professor
podem oer informa4as pelos Srs. Drs. JoAo Jose
Pinto Junior, Alexandre de Souza Pereira do
Carmo, Pergentino Saraiva de Aranjo Galviao, e
em geral per todos os senhores professors da
escola normal de senhoras a cargo da sociedade
Propsgadora da Boa-Vista.


AIuga.se
us grande casa, sita A rua da Aurora n. 167,
5intada e caiada de novo, corn grande sotao, pro-
pria para grande familia, comn canalisacgo para
gaz, corn agua, quintal, todo murado : a tratar
na rua do Visconde de Goyanna n. 100, Entron-
camento, Manguinho


.9.


Manoel Sos6 Dantas
Manoel Jos6 Dantas Junior, Antonio Jose Dan-
tas, Amelia Dantas Bastos, Leopoldina Dantas
Teixeira, Jos6 Joaquim Goncalves Bastos, Rosa
Antunes Dantas presentses, Delphina do Nasci-
mento Dantas, Josephina Dantas Jurdlo, Maria
Ambrosina Dantas Silva, Adriano Augusto de
Almeida Jurdiao, Antonio Luiz Teixeira Elias
(ausentes), tendo aquelles rccebido a infausta no-
ticia do fallecimento em Lisboa, de ser morto seu
presado pai e sogro, Manoel Jos96 Dantas, man
dam resar missas peo suen eterno repouso, na
igreja do convento de S. Francisco, no dia 8 do
corrente, quinta-feira, Eetimo dia de seu passa-
mento, pelas 8 horas da manha, por isso pedem
aos parents e amigos da familiar a assistirem a
este acto de caridade, canfessaudo seo desde jA
grates a todos aqueIes que comparm-eer.


Maria Annunciada Braga Serra, Jezuino frs-
a esua familiar (ausentes), Bento Dompigues
erra, convidam a todos os seas parents e ami-
gos do finado Antonio Drmingues Serra, para
assistiremr as misses do aaniversario do mesmo,
na igreja da Madre de Deus, As 8 horas da ma-
nbhA do dia 7.
rn Quem quizer atriar a casa n. 4 a rima
de Conde da Boa-Vista, p6de procurar
as chaves no eltaielecimento n. 30, A
i rua do ImpcradoL. -

Ama die leite
Precisa-se de ua', :a t:.i':i-tr nnv rua da Con-
cei*ao n. 37. ______

Alug'a-se
A grande cas i: ruza da UniEo n. 49, atraz dz
Assembl6a Proiucial.: -. tratar irua do Marquea
de Olinda n. 56, 13 audar.


Ama
A' rua da Im;ect'tris u. 53, 1' -.ndar, precisa-se
de uma para tcdc zervi.o de u.-a casa de pe-
quena familiar. -


Vende-se un-i. r:,;a Ijad;t ; ua travessa op
Peixoto n. 57.


Ta erna
Vende-se a t .,evna da rua do Rangel n. 29.


Ama
Precisa-se de usa quae eugomme e cosinhe,
pamra uma familia de Juas peascas : a tratar no
Recife, rum da Cruz n. 14.

Ama


"ra Pri-. Pr -euase de ur ma : no bc-ceo
,krniom. n. 6.

s


-5-
..: -
= .A-.


de JcIlo


Mugs us as coiUm gmomt fr- a
ha: a ttW noliAemo Igar, em em de Jos
Paalo Betelh.
Precisa-se aingar um criado fim.y sOe-
vo, o ma"r preta pas v"der -oA i M, pa
gb -so ber ; no Caiinho Novo a. 132. Nft -
ma casa se dira quern vende n um e f t 'in.a
de plant viada do eentro do sertlo do C.earL
pars cura de molestia do peito e asthma, que j
ton feiti muito boas curas. Na meema .eua
vende parasitas em vaos propriop pars sala ou
embarque. .
*- Maria da Concei9Ao de DrunmMondparticipa
aoa paus de familiar que abr.rA no dia 12 do cor-
rente mez, & run da matriz da Boa-Vista ii. 44,
1I audar, um curs p das materials attinentes a
instrucego primaria para ambos os texos1 estando
os Exms. Srs. Drs. Jolo Jose Pinto Junior e Ale-
xandre de Sonza Pereira do Carmo habilitados a
dar as precisas informagoes. Desdc j A agradece
cordialmente Aquelles que a honrarem, confiando a
educaAo de seus filhos


Um rapaz brasileiro se offerece aos senhores
medicos para cobrar suai contas, pela quantia do
156000 memaes ; quern de seu prestia o se quizer
utilisar dirija-se A mrua do Imperadobn. 65, loja.

Aluga-se
Na rua da Aurora n. 103 aluga s-se umn born msoto
corn agua e banheiro : a tratar na mesa.
Aluga-se o I- andar da ran da Penha n. 1
a tratar no mesmo.
For 22 00O
Aluga-se o 2 andar e setao a rua de Lomas
Valentinas n. 50 : a tratar na rua Primeiro de
Margo n. 7 A, livrara Parisiense.

Aluga-se
a sala de detraz do 1 andar do predio sito A rua
Primeiro de Margo n. 18, muito propria paa es-
cripforio de qualquer natureza ; a tratar na ,loja
do mesmo predio.
Aluga-se a casa n. a A rua Lembranga do
Gomes, em Santo Amaro, grande; fresca e pintada
de novo,'tom agua : a tratar na rua da Inmpera-
triz n. 32, 1" andar.
Maria Francimca de Offveira
Antonio Marques de Oliveira e Francisco Mar-
ques de Olivcira mandam rear urma missa sexta-
feira 9 do corrente mez, p 'las 6 horas da manhu,
na igreja de Santa Rita de Cassia. por alma de
sua extremosa mgi, Maria Fraacisca de Oliveira,
primeiro anniversario do sen passai.ento ; para
assistil-a convidam a todos os parerites e amigos,
pelo que desde jA muito agradecem


S0 CapitAo Manoel JoSe de
aunt'Anna Araujo
A viuva, filhos, nora e nets do capitio Manoel
Jose de Sant'Anna Araujo, intimnamente agrade-
cem a todas as irmandades e pessoas que acorn-
panharam atW o cemiterio public os rests mor-
taes de seu presadissimo marido, pai, sogro e avO,
e convidam sos seus amigos e parents, bemn como
sos do finado para assistirem as misses, que pelo
repouso eterno do mesmo finado, devem ser cele-
bradas na matrz da Boa-Vista, as 7 horas da
manh! do dia 10 do corrente. Tambem haverui
missa no mesmo dia e hora, ua matriz da cidade
do Cabo.
lAntonlo d[eAranjo Alofto?5ado
A viuva, irmgos, cunhados e tios de Antonio
de Araujo Alcoforado agradecem h todas as pes-
soas que acompanharam ao cemiterio os restos
mortajie sen presado esposo, irmlo, cunhado e
sobrhilibi e convidam-as a assistirem as missaa
que hM e' ser resadas no conyento de S. Fran-
cisco, as 7 horas da manha de quinta-feira 8 do
corrente, setimo~dia do sea passamento.I



AF I LIZ
AOS 4:0009000
E


2:06000
BILEETEM GARATIDO
Pra a da Independen-

cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entire os seus
telizes bilhetes garantidos da 98a loteria,
a sort de 2005000 em 4 quartos n. 3182,
a sort de 1006000 em 4 quartos n. 4238,
alm de outras muitas de 32&, 16 e 8#.
Convida os peauidores a virem receber
sem desconto algum.
O abaixo assignado tern exposto A
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
7s part em beneficio da mittriz de Ca-
brob6, 99a, que se extrahira sexta-feira
9 do corrente.
Prejos
Bilhete inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 16000
am porpio de 1004000 para
cdma
Bilhete inteiro 35500
Meio 15750
Quarto 6875
Antonio Augusta dos Santos Porto.



CASABDAFORTUNA

Aos 4:000$000

:IL34";E; :-A:.-IDI30
ftua Primeiro de Marfo n. 25
O abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 3,006 corn a sort de 2:000(0,
4 quartos n. 1,283 corn a sort de 1004,
ale'm de outras sortes de 32#, 166 e 8#, da
loteria (98.8), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sem desconto
algum.
Acham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da 7a part das lote-
rias em beneficio da matriz de Cabrob6
(99.2) que se extrahirA na sexta-feira, 9
do corrente.

Inteiro 45000
Meio 25000
Quarto 15000
Em quantdade maior de 1000
Inteiro 3S500
Meio 10750
Quarto 6875
Manod Martins Fimua

College A
Kan da IM|OO< .W 1 : .
Abri aaula nia" i. Ad-
A
"' '4- '"" r-' "


v Igu
Southampton


/


Patagonia


- I il 1111116 ---- -- I


MMMN"M


--m-


I


I ~-


Im,


I -


!


!


I I


I


-I


r I


I


I


i


(fty $6 tocara se precisa4it 'vao.





V-n 0 "Y PARA
S/V -0 .LEN9O 0 TOUCADG
p &E 0 BANHO.

Luz brilhante sem fumc
Oleo aromatico
UHYGIENICO E ECCNOIICC
Para laflaH as








Martins & Bastos
Pernambuco
Numero telephonleo n. 33


* .*


0 PaiUKillrveotal ie Perry Davis
Matador da dor
Um amigo dos pobres, economic e de
facil applicaao, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuma familiar deve estardesprovida
deste remedio.
Extemnamente cura: furunculos pana-
ricios e outros tumores torcedura dos ten-
does intumecencias das articulagoes -do-
res de dentes -nevralgias- rheumatismo
-queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitagoes.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Ruia do Barlo da Victoria n. 25
PRE9OS


Frascos grandes 1ot0
Pequenos 1#000
Duzia de frascos grande 124006
Pequeno 960001
so Aluga-se a casa da rua do
Fogo n. S0, a tratar na rua do
Bario da Victoria n. 14.

Pergunta
Pergunta-se ao Sr. Tristgo Francisco Torres,
quaudo pretend acabar corn aquelle bolorento
negocio d'Agua Fria.
Um prejudicado.


II-


Sulfato


f- ^I'-a ^^ ^-^R W f^

MlIUEL W(OLFF
Participam ao
peitavel public,
continuam ter um
tmento de joias
mais modernas e


mais apurados gostos.
Compromettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer parte.
inao10cahio n. 4
Papel pintado
e guarnigoes das fabrics francezas e nacionaes,
grande sortimento de qualidades, e preqos sem
competidor, acaba de chegar para a
LIVRARIA INDUSTRIAL
7- Rua do Barao da Victoria -7
ilttenCao
Jose SA e Souza declare aos seus freguezes e
especialmente ao commercio, que comprou ao Sr,
Luiz Lucas de Mello Junior nesta data o estabe-
lecimento de padaria, sito A rua do Lima, em
Santo Amaro n. 4, e espera continuar a mercer
a confianca de seus freguezes. Recife, 30 de de-
zembro de 1884.


I
Ao commnierci
0 abaixo assignado pelo present
nesta data vendeu as Sr. Jose6 Maria
padaria intitulada da Victoria, sifa
rial n. 208, livre e desembaracada
onus. Recife, 31 de dezombro de 18I
Jose Emigdio Ferreir
Cavallo
Vende-se urn liundo cavallo extrema
e muito born andador, proprio para s
pretender compral-o dirija-se A rua
45, cocheira do Sr. Jose Duarte.


&G.
res-
que
sor-
das
dos


Uamia bU"uUragua iHu
Camisa de senhora, paseada a ferro 60
0 Coberta de ganga 80
Cortinado 1s500
deelara que Toalha de mesa 160 rs.
Soares a sua Saia branca, lisa 240
A rua Impe- Saia de bordados 320
de qualquer Paletot branco 240
85. Paletot pardo 320
ra Lima. Cala branea 240
CalQa parda 160
Contrata-se por mez.
imente gordo iI
iho: oquem Cimento portland e polassa nova
a da Roda n. Vendem Orestes Travassos & C., em seu escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

*


SAN DALO MIFDY
Pharmaeutlco de i& Classe em Pards.
AJpprovado pela Junta central de Hygiens do BaShL
Estas caprdlas acabam corn os fluxos em 48 horus, suppri.
mindo a Copahiba, Cubebas e Injec9es.
Deposit em Paris, 8, rnaVivienne, e nas principles Pharmaciat.


ria-Tonical
SAGUA EGEAAL COM O P.FE MES A4O
4 AA.J QUALIDADCE SUPERIOR
Im a impu se CABKui1Svjonsern a Srde di Ck EU & A
Eata lalo e o eracto das substances detctias e fobttcaa1%s
AW g do ovo. Pdelo uso, conserva-sc o adeio e a sa6de do =
c &bdludo; impede-se o Cabeo de cabir. Os seus perfumes sio m t
derlam, depos de se tcr servido della, um chdeo agradaveL
am'^SS~r'mPs'UpMsa DZvExHsos
I.:W W M,"WN HAY ORIZA DES PAMPA1S 3YLAO YLAIO
JOOCKEY-OI UBs JASMINE O'ESPACNE FONl MAimUIa0roW-
MIOS-ROad TR9VOL V'OLETTE h on
iVmnVEPT Ks "6KE9S. BOUQUET I OPOPaiMAX
L. LEGRAN D, PrrMa, Fornecem iu ffihsas Cfrts etras
PARIS 207. rua Salnt-Horor, 207 PAfMlI
lbklTOW NAS PKINCIPANS PABMRIAS ZK E C SAS D B CABELLUORO .
De AS -FAL'__SIFIGaA1

I IM W~R^BIER RM\ ~^"^/^ BOITADO peR TtDSA
Oa Aar "p 0!olbrCldAde MeCL.1icas
I hic, le 'tWOO DA FRAJSA1KP&EOBOPA
e balnmf,*PC r4.;a do
Lu ,m 9 [I OLESTIAS0O0 PEITO,
M do MA N N I/AFFEC&0ES E$SCKFULOSAS
i M hCALUO FEIIRUGINOSO CHLOS O USiS.
4 Wa aio wralvSe irmitt. +C o ANEVIA, OEBUMIE,
t~ ~ ~ ~ ~~u~ 10^IBPU 0^^"^ --4-4^
,m de.F3ab-Bon.ma.,trm, 21 e4 ,?1 Ae. i,.lhodie.Cm
ciptos am- Pwanumo : MAK M. da SILVA & 8: Os prlnoa. f .tMp aI i


deQuinina


dePelletier


Chamadoc dos 3 Cachets
ARMET DE LISLE & Cia, Successores
Desde a descoberta do Sulfato de Quinina por PELLETIER, este product tern mantido a sua reputacao de
bondade e pureza, e a sua marca 6 preferida em todos os mercados do mundo, apezar da competencia e da
falsificagao. Os Snrs. ARMIET DE LISLE, successores de Pellctier, realisando um novo progresso, mintroduzcm
o Sulfato de Quinina de Pelletier em pequenas capsulas redondas, delgadas, transparentes, muito
soluveis, de conservapo indefinida, que ndo endurecem como as pilulas e grageas. Sao o especifico certo das
febres perniciosas, terciarias e palustres, das dores de cabeoa, enxaquecas e nevralgias,
gota, rheumatismo, as affecgdes do figado e do baco. Na dose de una ou dnas por dia, o Sullato
de Quinina constitute o mais poderoso dos tonicos; excita o appetite, favorece a digestao, comibate as transpi-
racoes exageradas,reanima as forgas e da ao corpo a energia necessaria para resistir Is febres e enlfermiduades
infecciosas. Vende-se em frascos de 10, 20, 400, 200, 500 e 1,000 capsulas, o que permitte ao pharmaceutico
satisfazer todas as prescripg5es medical. /,"-,
Cada capsula contdm dez centigrammas e leva o nome Pelletier impresso em prc"Lo
Deposito exclusive, em PARIS, RIGAUD & DUSART, 8, Rua Vivienne, encontram-se em todas as Pharmafias.-'


(VINHOeXAROPE DEDUSART
De Lactophosphato de Cal
Admittido ma nova pharmacop6a offeial de Franpa. Approvado pela Junta central de Hygiene do Brazil.
As experiencias dos medicos mais celebres do mundo tem provado que o lactophosphato de cal
., estado soluvel, como se acha no Vinho e no Xarope do Dusart, 6, em todos os periods da vida
reconstituinte por excellencia do corpo human
S Nas mulheres gravidas, facility o desenvolvimento do feto e basta rmuitas vezes para evitar os vomitos e
outros accidents da gravidez. Administrado As amas de leite enrique-se-lhes o leite, preservando as creanras
i de colicas e diarrheas; a dentiho faz-se facilmente, sem d6r e sem convulsoes. M.s tarde quando a creanoa
Sestae pallida, lymphatica, corn as carnes flaccidas, que apparecem glandulas no pescoo, a cha-se no lacIo-
phosphato de cal urn remedio sempre efficaz. .
Sua acao reparadora e reconstituinte nao 6- menos segura para os adults anemicos, que softrem de m&
Sdifestao e para os que se acham enfraqtiecidos pela edade ou pelos excesses. Seu uso & preooso par0 os
ts.cosporque traz a cicatrisacao dos tuberculos do pulmao e sustenta as forqas .ddDt favor pm4io. sua
: f tdin9M0aIo. Em resume o Xarope e o Vinho de Dusart estimulam,'" 6 ie, est ee a
"m trio de uma maneira complete. e asseguram a formafdo regular dos ossos, dos muscalos e do sangue.
S-M PharmweeutM 'o, 8, rua WOlefine, PARIS e nas p1r"isgs IuMr e rP'

p
'..-. '
^ ft- ""; ".'?*-*.-.-- '^t-:..,,.,--. .


- --* 'A -.
* .' -. ~ -
~- ..~ .


I


.LA. %WJB


MA ca qw eumra a cyTWP
los, as caupa e ao mesmat
ciico paei sr algias Da lm
corn OB attest~dosdos etsduililf Be~f
da Bahia. Umeo deposit amn P Odi.
Ion Duarte & Irmnao, cabelleireiros, rma da Imp.-
ratriz n. 60.
Ama
Precisa se de uma ama para c sinhar e lavar e
qpe seja de boa conduct, para casa 'Ie tamilia de
trees pessoas ; a tratar na rua do Bargo de S. Bor-
ja n. 49.
Casa em Olinda
Aluga-se o sobrado do fin4do conego Manoel
Thomaz, ou metade do mnesmb, contendo este 2
salas, 4 quartos, cosinha, quintal e ccimba, aito
na rua de Mathias Ferreira n. 12 : a tratar na rum
da Imperatriz n. 61.
Doce de caju em calda
Sem cofpetenela
Aceita-se encommendas a rua Imperial n. 134,
ou rua de Hortas n. 1, taverna, onde encontrario
os preteudentes a mostra. Aceita-se encommen-
das pama embarquc.
Balanceador
J. dos Santos Vieira, corn pratica de balangos,
contratas e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vigos aos senhores commerciantes. Chamados A
rua do Rangel n. 3, ou em sua residencia, A rua
da Penha n. 7, primeiro andar.

Attenao
Lava-se e engomma-se na rua de Santa Cecilia
n. 4, pelos seguintes pre~os :
Vestido de chita, .de senhora3 400 rs.
Vestido de fustao 11500
Vestido branco 100 rs.
Camisa de chita, de home 120
'kjam"uuAut-1 P-A


Por


semana


P6de adquirir-se as verdadeiras machines do

SINGER
Quern ndo deixarade comprar agora urma destas afamadas machi-
nas?
Venham a succursal da companhia Singel na

RUA DO.CABUGA N. IA
N. B..-.Yendemnos tambem linha superior, retroz em carreteis,
aguihas, oleo, linha de crochet, pepas avulsas para as machines,
tudo de superior qualidade e por preos serm competencia.


FUNDICAO


GERAL


ALLAN PATERSON 8f
N. 4-.Rua do Brum--N. 44
JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS


C


Tern para vender, por pregos modicos, as seguintes ferragens:
Tachas fundidas e baildas.
Criva9oes de diverssos tamanho.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos models.
Portas de fornalha.
Bancos de ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Medas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregam-se do qualqer conertos, asentamea machinimos execut am quar-
quer trabalho corn perfeig-o ou preste2a.


E tbV3"TL/


M


M







U


rTruE


JOSEPH KRAUSE ft C.
Acabam de augmentar o seu ja bern conhecido
important estabelecimento a rua io
de naruo n. 6 corn mais
um salao no to andar luxuosamente pepar.
rado e provido de urma expos.


Aio de obras de prata do Porto


e electro-plate


dos mais afamados fabricantes do
mundo inteiro.


Convida, pois,


as Exmas. famnilias, seus nume-


rosos amigos e freguezes a visitarem
o sen estabelecimento, afim de
apredciarem a grandeza e born gosto corn que
o obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
desta provincia.
AtA-b81 AR TODAS 7 I A'8 8 DA NOTE


(,A* T *W


ELIXIR &VINHO
:0iesosti-vos>
TROUETTE-PERRET
de JPAPAINA (Pepsin,. vegetal)


af oa mais poderosos digestivos conliecidos at, agora, para combaute a
AFFECqOES DO ESTOMAGO: 6ASTRITES, GASTRALG6Ii
D1MREAS, VOMITOS, PESO NO ESTOMAGO, HA DISfAO, ETC., ETC.
t OAIUCE .,GO DEPOIS DA. COMDA. BASTA PARA CURAR OS CASOS MAIS RaBEBLD
A venda nar prindipae Pharmacies e Drogarias.
Venda e grosso em Paris :TBROUBTTE-PERRET, runa aint-Altoie, if
D7e- eilgir sello do otmvero 1mraoes sobre os Frasos -ra evitar as Paelnlas5m
o,,i,os: larios e Pernambuco : FRAN" M. da SILVA 0.


Iecom exito coy' ina. p '
'' ( rast r



.--s_ .
7. .- ".
S /. :- '.-. .'--- ,,<
4 t-- ;: = -.-.. ... .-...
= # I .i -i i 4 d "' 11


n




M
N,


Em presta4s



S1000


(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commiss6es
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Alema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informages sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombas, etc. para incendios e outran ma-
chinas e utensilios.
Canoas pequenas
Alugam-se canoas pequenas : a ver e tratar na
rua Imperial, olaria da Casa Amarella.


RELOGIOS
0 1USU D1E jIOs
DE
MIGUEL WOLFF & C.
Offerecem ao respei-
tavel public um gran-
de e variado sortimnen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-


tados a vender


mais


barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os relogios
vendidos n'esta -casa
s& garantidos,....


-'. --
-. .
' ,---* ** : a .. "..i .'.* *.^ .^,"
^., ..: .; "* ., ,,. ... .* ''... '..tr -


".


.gap


ga-m. i


If


O/f

r.O


p eA CtA.c cm CsruM(w. I
TOSSe.ASTH MA.BRONCHITE.
CQUELUCHE ouTosS CONVULSIVA
Tisica euP.moar.
P~earado pci Dor.1CAYEfRCALui.kasLCjtwLM
II
DEPOSIT GERAL
13--Bun Primeiro de Marco-13
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMSON HOWIE C-
N. 3 = Rua do Commnercio = N. 3
A venda em todas as boticas e drogariar
Aluganse barato
0 2o anoar'da ruado Born Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
Casa terrea da rua da Ponte Velha n, 22.
A casa terrea na rua da Palma n. 11
A. casa A rua do Visconde de Goyauna n. 79.
A casa terrea da Baixa Verde n. 1 B.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primeur
audar
Registros de S. Miguel
Quem tiver os ns. 661, 244, 1181, 685, 3410 e
3995 e houver pageo atA a vespera da extraccgo da
loteria da provincial n. 97 de 31 de dezembro ulti-
mo, pode vir ou mandar receber os premios quc
lhe sahiram porp sorte, conforme a ultima dccla-
racao que fiz por este Dirrio ; e peyderA o direito
findo o 1 trimestre. Afogados, 1, de janeiro de
1885.
Vigario Pedrosa.
Ama
Precisa-se de uma ama para eosinhliar e coi-
prar : na rua da Penha n. 7
S Pianista
P6de ser procurado para reunites familiare-
na rua da Mangueira n. 14.
Cobrador
Necessita de urn cobrador a sociedade Ave Li -
bertas : na rua larga do Rosario n. 22.
Cozinheira

Napraga da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se dira quem precisa
de uina mulher forra
ou escrava para co-
zinheira de casa de
familiar.

Para comprar e cosinhar precipa-se : na rut
doBarao da Victoria n. 48-A.


AO COMMERCO10
Viagens ao cenlro
De Olinda Italbayanna por Igua
rassu, Gooyanna e Itambe
Todos os sabbados, As 4 horas da tarde : passa-
gens tomam-se A rua Primeiro de Marco n. 1,
loja.
De Itabayanna a Olinda por Itam-
bl, Goyanna e Iguarasstk
Todas as tercas-feiras, As 4 horas da tarae :
*assagens A tratar corn Lourenco Pereira d'Amo-
rim, em Itambo.
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual-
quer dia, partindo do ponto que se convencionar e
a precos commodos. Essas coutratam-se a rua da
Companhia Pernambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podetem ir nas diligencias.
R. DE DRUSINA & C.
RE a do Boni-Josfs 18


iE^^'^'





























Precim.a-ae omn today urgencia de'uma ama de
-lite p1an O 0 Ia, cans de ftmilia eonhecida : a
trstear Bsrm Duque dc CAxise (Recife) n. 30, 1
andar' de 9 da manha ais 3 da tarde.

Aviso
JA chegen para o unico agent nesta provincia
o acredifado, kerosene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposit
rua 4e Born Jesus n. 38i, junto ao correio.

Caixeiro
Precisa-se de urn menino : na ruado Visconde-
de Albuquerque n. 27.

Precisa-se
de urn menine para caixeiro de cobranua que dM
fiador de sua conduct : na rua larga do Rosario
numero 22.
LINHA COATS

i LuTsa DPara macioa, e a o Mada de 6
fsoa tanto para machina como para coser a mao.
-N~o se usa mais linha em novello-
Pede linha em carreteld corn o nome
-J.&P.COATS -

Ama
Precisa-se de uma ama que saiba cosinhar, para
casa de pequena familiar : a tratar na rua do Ba-
rao da Victoria n.,20.

Loteria de 400:000A
Esta grande loteria do Rio de Janeiro serA
extrahida no dia 5 do corrente. Bilhetes A venda
na Venturosa A rua do CabugA n. 16.

Trastes
A rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-s*
luga-se e troca-se novws e uandos.
VENuIS

Vende-se tuna bonita oan6a, armada corn
remos : quern precisar dirija-se a rua da Impera-
triz n. 54 A, loja de pianos.


Livros para esoias
CASTRO NUNES, compeodio elemuentar da
granmmatica national, segunda edico correct
e asnjtada por Jos6 Martiniano de Souza, 1
volume.
IDEM, -elementos de arithmetica, nova edico
revista e melhorada por Jose Martiniano de
Souza.
IDEM, resumo da doutrina chrita, nova edicao,
revista e ainotada por urn acerdote,
JOSE MARTINIANO, elements de orthogra-
phia, terceira edico, tevista e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bons con-
selhos. bi
BISPO DO PARA, historic biblica, ou narrati-
vas do velho o novo testamento.
A venda nu livraria Industrial n. 7, rua do Ba-
rio da Victoria; e na Hvraria Economnica, rma
Primeiro de Mar9o, junto ao arco de Santo An-
tonio.


Papelaria
Papel e enveloppes de alta phantasia para es-
crever, de cores e branco para quaesquer miste-
res, de impressao de differences formatos, de seda
para flores e folhas. Tintas de impressao, de es-
crever e copiar, dos melliores fabricantes conhe-
cidos. Deposito da afamada TINTA SARDINHA
do Rio de Janeiro. A unica casa aonde se p Sde
encontrar un cormpleto sortimento de papel e ob.
jectos d e escriptorio e na

Mani
Vinho puro da uva, e fino da Figueira, vende o
Maia na rua da Concordia n. 165, a 500 rs, a gar-
rafa !?
Vende-se por 2:800A000, quantia em que
esti avaliada, uma parte do engenho S. Francis-
co, no termno de Serinhaem, distant duas legoas
da estago de Gamelleira : a tratar corn Antonio
Franco da Silveira Lins Fi!ho, do engenho Santa
Catharina, no termo de Porto Calvo.
Vende-se um estabelecimento constando de
3 carros de 4 rodas, 4 bois muito bonds de trabalho
e mai's algumas rodas de sobresalentes, assim
conmo encerados, 2 camboes para 2 bois; quern
pretender dirija-se a rus do Marquez do Herval
n. 96, na fabrics de cigarros.


- *mada O i I ;.v,- if-'., _" ..'
Dmta de p&enn prto fike, f.zena mito
boa


Ditos de casemira do Adrm zes etri-
nhuu horrados



SD i.tw-de.c.a e iasBdeord ae'oi;
D=.
xftdo 'p~a
Dito de caemirs pt
0.191. do pasom prew corn pa
N6to da camemira COeT %.20oro1906e
04uca de eAsemirs eom dfeets
dries,4e 645, 660o0, 8i o
Ditas de camemur preta seda a 8A a
SiteB]C de.caaaira dC aowdlo
Ditis do caseias proeta
Smlas de creguella, obra muito bern
feita a 10200 e
Ditua dc Hamburgo de linho a 1U800 e
Colletinhos pars dentro, send de ere-
,guella e muito bern feitos a 800 e
anmiaas. grande sortimento de camsas
braneas, tanto francezae como inglezas,
tanto de linho como de algodp, seado
de 24, 2500, 83, at .
Ditae de cretone de cor de 2,, 2A500"e
Meias, grande sortimento de meias oas
para homes, de 320 rs. o par, at
Colarinhos, grande nortimento do cols.-
rinhos, tendo de 51 a duzia at6'.
Toalhas, grande sortimento de toalhas,
tanto para rosto como para banho, que
se vendem por pregom muito rammoaveia.
Tudo isto earn grande redugio de pre
loja da esquina do ben drs Fermiroa .

Carroa para caiiro
Vende-se uras b6a carroa parm erUni
e tratar na rua do Born Jesus na. 61, age
eiloes. .

Ilhar


Rua do Imperador n. 3
Os proprietarios desto bem montado conhe-
eido estabelecimento, tendo recebido directamente
da Europa urn grande sortaimento da tacos que ha
de milhor neste genero, ternws de bolas de nimfr,
de primeira qualidade, jogoes de domin6 e outros-
artigos concenmentes a oeste fim, e como tenn'ham
tambem feito umna reform em seus novas bi-
lhares, forrando-os e colloeando marcadores nas
tabellas de todos elles; per se convidam sos
ses freguezes e amigos, A visitarem como de cos-
tume este estahelecimento oude encontrargo tam-
bemrn um complete sortimento de bebidas fins eeme.
sejam : vinhos, cervejas, Berems, champagn e re-
frescos gelados de dirnsa fructas do paiz,eo
magnifico eafe moka a quwqwr hera do dia on
da noite.
Outrosim, vendem bolos pans e tacos misade
por modico preeo.


7 Do ito fi ea ra-f.e- _o .a .y i,'.o.
a f- .";. em^ e'^t~l tt ". l Bfe^ t 1'. -" ... ."


4i1p\ ICe^^^ o~ PW PW eo toio irItm 'Arn o gmnB
.s ^e tel... do -C m .a .ii.es as.
~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~ .04 "eg -"" '..,..i- -mia e "Ms. 0scam

Uo m UiO0j V -ese a verdadeira fariuha 1.
-"JA0 t e aID pabnw do iDr. Frerichm:
M6F PSln96metros 1^o d5 RUA -DO IPEADi&D 55
X Ret, aaeoe dlbe, meaE meto do mwwae a piw do Vit
1.%" e8 20M torP.eflad
c~iaDeingtez do cqnatro I r'guxvih sendo ______________
,! :det lihe,.ietio6 2pKX e 21800 1nm nn linn
itpegullan propira para lenoes, to&- hit OS low
1- 60em0R& cada "camom 20 vara _. Os vepdkdeiros anneis etectrices encontra-se na
y0 r Oi80 e em vara 8500 i!oja do Pedro Antones & C., a rua Duque de Ca-
low Dtas com a mean. media a 809'r., ou xmas n. 63.
Atoado adamascado pardas toa& d OIO A!!
mesa, tendo 8 palmnos de largurame- Bonitawe elegantes boneeasr -&'o Pedro Autn-
0 .t.Pa U M -- nes & C. quem tem, torna-seiudispensaveloentre-
oo AsLIm comeo umew l eto rtimnto de ter- o espirito das interessantes euianeas, pelo que
w de algvdauaoAo maeamo e' osproprietarios da Nova Esperanca nao poupam
5W aglez,cg e se vpade por K&c deSAA 61000 emreos : rna Daquede Caxiaa6& aO.p
l tAs us loja da esquma o becco dos Femrrero. sIa Duq o C ca
sw a smias de cores0 s a bolas de borracha
Kfasemrao ,j de JL a e Especialidade pana fizer presente ia criangas,
o Pedro Aumnes & C. distribue gratis aosses
De 9:6 atS ." :000 rS, freguezes ;: Nova Esperanwa a 6 rnu a Duque
s : n Pde Caxias
.quer
Alheiro & ia i rua da Imperat n. 40, tern Averdadeira e especial pepara vende o
umn immense sor6tmento de casemimde do Pedro Antme & ., pela quantidae vende
ro, a ver tanto claras comoemras, que vendem a 2000, p.rova a sua especial qualidade ; na r Duque de
encia de 2;500, ate 6& o eovado, e da mesaas mandam Caxias 9 .. 3.
famer qualquer pe.. d'obra ou costumes, por Ie- S o boita
m muito rasoavem. ssm como tem tambem um I k.Saol WUboL


explendido sortimentode casemiras e pnn ee
to. ate ao mais fine *edi que vem af mereado, 0:
dos memos tambem se enearregam de maudnr
fmzer qualquer peoa- de, reupa A vontaile do fre-
ges e corn toda a pefeiao e prestza : iate na
j dos barateiro. da Boa-Vista nas esquima'de
b"cco dos Ferreiro.


LSte 16rMS
Os Barateiros d Boa-Vista vendema mnuiteo bo-
ultos linhos de umais co e de lictiaa parm
'Wstidos, mendo a I6Oris o covado e de efw. fums,
ito as rua da Im petrizu n, .40, esquiaa do beeo
doe Ferreiros.
Espartilhos
a 4#fe 00OO
Na loja da rua da Imperatriz n. w venae-se
muito bons eopartlhoa para senaha as a 55000,
anton pars ne-uaSwUa4009, seea como um be.
dito-sortimento deo fichuds a 35000 ilato na loja da
qeiumina do beeo do Ferxermos.


s


'.enuemjuc ayw zo;WeAppm ov aTCwl. "MmU -KUWI
as luva& 0 seda abertas, cano- alto, que abs:piropriasparaseottuamesaedasmesnanatambem so
de recebef, o Pedro Antunes & C., i rua Duque mandam fazes-eostumes-muito bemrn fito de caloI
de Caxias- a. 68. palitot e college por.4O e 355, 6&grande- pcinca
Pays os banhos salgadeso eeebeu o Ped s ojas da iruda Impdtriz n. 40 a.ea fina do
Antunes- sortimento de sapatos especiaes; ru ceo los Ferreiros.
Duque doCaxias n. 63.
Sapates napolitanos, espeeiaes, para o tra- Faus '. 4 1 a640V
balho do eampo, tern o Pedro. Aatanes & C., e Os Barateires- da Boa-Vista, runa ,o Impera-
estA liqsidando pars fechar, factumra ; rua Duqu trig n. 40, veudem um grandesortimen*o de fu
de Caxias n. 63. E' a Nova. Esperanc tees braneesr.propwm* para vestido roupas de
creangas palos-prego acima icadoes-.; ito na ea-
quina do beco dos-Ferreiros.
Moenda L nks pare vesidos
,, ... Alheire. & Silva, a rua &a Imperatial n. 40 ama-
Vende-se urma moenda em peito estado, p_& Silva, mua d puatu 40 sa-
ebarnde- eeber uma grand soLtimemto das mab
quintaparte de sen valor, tendo 18 pollegadade bonitas lansinhas para wstids, sendo alpaca.
panada e40 de grossur na rua larga doB.o- de cordlo em liUdas cor a 5W ri. o covad_
wriow a. 22, loja.__ gurgurttlavmlsdos tend* de fodasass scores a& 5
Vende-se a bemrn coaheeida prepriedade-Tra- rs. e dito mauit finos com. brilhlde seda a 8Ors.
piceira, distant da cidade de Olinda uma' mi todas estas. liaas se inteirasente modermnas, e
ha :- a tratar na ruasdo.Imperador n. 16, loja de vende*-se na loja da nrua da Impratriz n. 40oa es-
trasate. quinado, bam dos Fenisao.


|a,

1 ur n^R *R M H n W me depno is da xtrac$So.

DOS PREMIOS DA PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 1757, A BEMEFICOO DA IRMANDADE DAS AMAS DA BOA-VISTA, EXTRAHA F_ 5 I
.... 1 7


DE JANEIRO DE 1885.


im~imrcs v~o lnlm rs %oYMIwMImEC


NS. PE

5
a 7
15
) 19
24
S 39
44
45
S 51
S 52
57
61
68
69
93
99
111
27
31
32
36
47
50
53
58
59
60

18
S80
'82
90
S 91
92
i 97
-204
'10
.. 14
i 19
'7; 22 !
24
: ; 31
33
.- 34
-.^- 35
38
.', 40

"47
HM


4BMS. 1

4,51


40





.,




*..: .- 3 .
;. ." .i-:.: ... -


!S.


07
10
16
22
22
.43









C
51
56
67
68
76
77
8(
87
8E
9t
401
1
1
2
4
5

61
6
8
8



50








4
4


PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREIMS. INS. PREMS. NS. PREMS NS PRBEMS' NS. PREMS. NS

S 4# 621 941 4# 1262 46 1548 4# 1901 4, 2217 4,5# 2508 4# 2788 31C
S -39 42 .1 71 63 -- 7 19 8# 9 -93 -
-- 51 -43 4# 73 -70 -19 29 4 10 -94 -
-- 58 44 80 73 29 32 16 97 -
1 61 47 83 100, 86 -31 5l 20 98 -1
S 63 --. 50 97 4, 89 33 57 22 8 2800 8, 5
S -66 57 99 -1610 -37 69 30 4, 12 4# 2
S -77 4 59 1301 13 38 76 31 21 -
7 81 61 12 -14 -39 80 33 8 39
S -85 67 14 -15 -40 .81 36 4# 43
3 -89 -69 19 -18 -43 82 -37 -48 -
7 91 72 20 23 -46 83 -43 53 -
) 93 75 25 25 -52 87 -47 -59 -
7 94 -77 8, 36 8S 28 63 89 55 64 -
8 95 79 4# 44 4 29 72 92 8 #63 -73 -
9 -700 83 47 34 73 96 4 70 86 -
2 4 -95 51 36 85 -2301 -76 -88 -
8 9 -1007 53 40 -89 10 3M3 77 8# 90 -
4 -18 -12 1160 59 45 -99 16,l 12 4, 83 4 94 -
5 22 -28 4, 65 -47 2000 4, 17 91 2908 39#
2 -38 -. 32 66 48 6 19 -2604 15 4#
L9 -- 39 33 -67 50 8 .- _22 21 22 3
i2 -41 -38 -73 -54 13 23 35 -28 -
6 42 -53 -76 -61 15 26 200 37 -34 -
6 47 -55 81 .64 -- 19 -27 4, 45 -43 -
9 -4 48 76 -83 -74 8, 24 29 51 -44 -
-0 -51 -77 85 90 46 31 34 8 56 8, 48 -
1 59 -89 87 -94 33 39 4, 69 4, 50
D0 -61 -94 106 94 -95 36 40 -74 -53 -
)8 -65 96 4# 1402 96 -38 41 75 57 -
04 -71 .-1102 4 1720 -40 42 -81 -63 -
13 -75 5 9 34 57 -. 47 92 -65 8#
[4 -77 -13 12 -35 -60 -49 -94 -71 44
15 -89 22 13 36 -62 60 8, 96 -80 -
21 -95 8 28 19 -. 3 63 71 4# 2701 86 -
27 801 40 30 27 42 74 -- 78 6 8# 98 -
34 2 53 30 43 -76 _. 80 8 4# 3006 100s
39 24 54 33 -46 79 -83 -11 20 4Q
46 33 60 34 -49 -81 -84 -16 29 -
49 331 35 66 47 166 54 -2115 85 18 86' 30 -
50 4 37 69 86 52 4# 62 --16 -89 -23 4# 39 -
53 38 71 4 62 93 -22 -91 -24 41 -
54 49 73 -73 99 24 -- .93 7 -42 -3
56 50 82 -. 77 ..-1809 .A 9 52 -
60 54 93; 7" --i0 12 -- 41 4, 3 55 -

4 0 5-- 58 -- .
64 6. 98 ,8i ;- .- 54 ; .; .: .^ 8. :, Q. -
7 44. .4G ,
65 7 --120 8 4 "---0 6- --; --
Si'6
.- gf .5 "-,."^ .'.44 -: *.T- ""7". i.:- ::-..-.:; .-,.. -.( ;- f ?..

p A.V
... .. .. .


)7
N
.1
12



L2
23



26
34
31





3E
4(
69s
7
8
81











2
32




2
2
30













4
4
















r

,3


4# 3375 8#3650 4# 3
L 82 4# 51 -
86 60 -
S 89 61 S8
S 94 67 4#
S 3401 72 -
) 2 73 -
S 15 80 -
-- 17 81 -
I 18 89 -
3 22 93 -
4 24 3700 16#
7 S#,5 30 5 4#
8 4# 34 7 -
6 44 11 --
3 51 16 -
0 59 17 -
2 900 71 18 -
M9 4# 72 34 -
0 4:000# 74 37 -
)7 4, 81 3,5 44 -
) 83 45 48 -
57
1 85 --
7 97 58
11i -3505 ,
15 6 67 -
16 12 76
17 19 82 16
20 S# 20 83 4#
21 4# 25 90 -
24 26 97
7 27 -3800 -
31 30 1 -
35 31X 8s 2 -
36 35 4,# 3 -
47 8# 36 4 -
48 44 58 5 3W
60 59 8 4#
61 63 12 -
66 64 13 -
71 69 14 -
96 70 16 -
00 71 24 -
5 80 I66 32 -
7 83 4, 35 -
10 85 38 -
32 89 39 -
34 93 42 -
40 -- 3601 57 -
44 6 76 -
47 9 78 -
.8 :. 10 o 84 -
12 .* 85 W
~.-99:, -4.6.
/ .P,. *


3939
49
50
51
60
64
69
71
73
77
78
81
85
94
4002
16
31
34
36
39
41
44
47
50
51
52
55
56
58
64
65
66
70
79
88
89
93
98
4103
6
8
12
14
18
21
44
48
49
51

54





,. t.-.-.yL
tt r ~k^.^


44
te





4









8

4'

-4


4186
4203
5
9
11
15
18
2
26
29
35
38
39
40
43
55
56
S59
61
69
S75
S76
S85
86
87
90
91
95
-4301
4
S 9
? 13
19
25
27
29
34
39
44
S47
S49
53
61
S 63
S69
70
76
88
S91
-4402
6
14
16
S21
24
-1


Q

4#








too#
86









4#

,..


4444
49
58
63
69
70
71
74
75
76
88
92
4509
10
- 11
- 12
- 23
- 35
S48
S 49
- 54
- 64
- 75
- 87
S92
9
- 96
- 99
-4607
- 12
- 18
- 20
- 27
- 31
- 35
- 36
- 41
- 43
- 47
- 49
- 54
- 58
- 65
- 66
- 70
- 71
- 81
- 82
- 89
S97
98
-470
18

S4. .


46









8-4






8r5
4#









s1
4'













41


4751
53
56
57
60
63
72
73
78
80
85
,89
90
94
4807
12
S23
24
25
28
35
37
41
- 47
5 51
53
54
55
60
- 72
75
76
77
^ 82
- 84
- 88
- 94
- 4910
- 13
- 23
- 26
- 29
34
42
- 48.
S 53
6 55
iS 5?
- 59
- 61
4 "69


44


m


8m,



4#




w






8s


45




85
4f


41


6.m
^^
I


Ns. PrEcMS.


PREMS. NS. PKEMS. INS. FKEMS,.lNS. KP MS.ISS. PREMS IS. PRAMIS.


in whbeniors.niu% d
.Gmfff-amelxraom poakw RM
I rohio e Cam celUaiahsg o ptambos imnri iMm.
.deen. 385146.-
eama u par. menimna.deade-n 28 A 35 e.oem t..
I darinhoe, dn..3 A35.
ON"aa, waast easedozrea, o wf 1 P-
| nhOB pm sealora.
r&MV88 anda variedade.
Meias crua, braneaa, de cores e pretas.
CapachogtApetes,.mala) eseiras, bolm eladi.
ies brnA brammo e de ore,- InvaWpebnsfm
rise etc.. etc.
Papowla & (.
to RuRa 41 C0u.uA&-te
Emn frente a matriz de Santo Antonio

Novas selinelas hmda s 5W0
Chegoupara a leja dow Barateiros da Boa-Viata,
rua da Impesra num grande aortimnto da
a iflindas setinetas lavradas, tendo de teda u
etres mais novasquoe tern vindo ao mereade, inuclk-
sivamente pretax sendo a tfazenda maia-bonita quo
temvindo pars aifesta, e vende-se a 500,S. o co-
vado, isto na loja--da esquina do beeco dos Ferrei-
rest
FCAzemirat d"2118 a6

Na loja des Barateiros da Boa Vista,. vende-so
um elegant sOmetininto de casemirasr de dwas lar-
uras, oendo ingzas e oem bonitas core. qu m
Zn ,affONP 2A5 Q M n mw A&n mu" jiA& m
V~Z5~~5J. ~ M~dWV~ MP'J'D~J UY con* W qUWi


-.-


I


I


L.<-


E -r. *"a*























'~M ith- ima. de~ehegar .0 o 14
-Br iRCia~ ong i 0 ~ iasiiJr
lio, co or ue
l^ .__:- "6 dGrosg onde cdoI rdox'
(-?.Z ceuto numierosa, .rollecreos do reino
aui^hsL. Ceologo &o MeslVtmip&I que na.
t' alist%, a Sr. Herbert Smith deoU-seo tam-
be m- a estudos geologicos da riegino, e, em
quanto prepare trabalho complete aeerca
de suas investigagoes, lembroud' comriu-
micar-nos algumas de suas observagoes
pelas seguintes linhas, cheias de interesSe
para a scifncia. 'eluas indica o autor a
S asoluugo propostt pala primeira vez da qaal
The cable, portanto, a honra da prioridade
cujo direito fica assi-n firmado :
a Sr. redactor. Voltando ultimamente
ao Rio de Janeiro de long viagetn a Matto-
.Grosso, Li em sun folha a noticia da magni-
fica explonaVio do rio XingA pelo Dr. Von-
den Steinen e seus companheiros. Per-
mitta quo manifesto, ainda que tardiamon-
to, minha viva adwiragIo por exploraeao
tC bem executada, qua'o minodestamente re
laiada. Ha tempos sonhei tambem, explo-
rar o XingA; abandonando esse sonho,
tanto mais razAo tenho para admirar aquelles
que o realizaram, e o men tribute de ad-
miragaole talvez tenha algumn valor, visto
como sei alguma cousa do interior do Bra-
sil. Nao conheco pessoalmente os mrem-
bros da commissrao allemit.; entretanto es-
ton certo quo elles forarn bemrn succedidos
nao por qualquer combinano de circums-
tancias felizes, mas porque eram homnens
para success. Em nome de tolos os ar-
rojados exploradores, eu os saudo.
( Esta recent viagcm despertou tanto
interests por M:tto-Grosso, quo os seus
leitores devem qui;rer conhecer mais aquelle
paiz. As minhas exploraqons limitaram-se
S- uas parties no north e leste doe Cuyabd ; mas
durante urna rosidencia de- mais do dous
annos, colligi inforinaes de todas as fon-
tes A minha disposiiAo, corn o intuit do
realesar para o future estudos mais ex-
tensos.
( Subindo Os rios ParanA e Paraguay
nos vapores da Companhia Nacional, notarn-
se caricte-rs physics bern pronunciados.
0 ParanA corre sobre uina planlcie pant.i-
nosa, muito larga ao sul, mas estreitando-
se cada vez mais rio acimna; as vezes, as
curvas do canal aproximamn-se da terra fir-
me que limit os pantanos. Esta terra fir-
moe perfitamente chata, coberta na maioer
part de gramma e hervas, e cortada quasi
vertical nenfe ao rio ou As varzeas. No
Rosario, a sua altura sobra o nivel ordina-
rio do rio nib) excede a 20 metros. Esta
terra constitue os Pamnpis da Confodra-
7ao Argentina.
a Aconranhanwo as margins talhadas
d'estcs pamnpas para o norte, isto 6, su-
bindo o ParanA, parece qu:s elles diminum
de altura grailualimente. Esta dimiauicibo
6 apenas appar-nte, v'isto que os pampas
se elevam umn pouco para o norte; a vista,
por6m, mede a altura das barreiras s6
w nte do nivel do aio. Geologca ncnte
fallando, o ParanA pounco tern escavado os
pampas perto dajunccfo corn o Paragutay,
mas abaixo a escavacio tern sido maior.
( Dcixando o ParanA e entrando no
Paraguay, nota-su que as planices pantano-
sas desapparecem quasi inteiramonte; do
lado oriental, ha marros e collinas mats ou
moenos irregulares, forrhando parts do ter-
ritorio da republiea do Paraguay ; do lade
occidental, os pampas nivelam-so corn rs
planicies baixas do Grio Chaco. Aiada
ahi, pormm, o abaixarnento 6 apenas appa-
rente; o Chaco f6rma urna parte dos pam-
pas, send um pouco mais alto em relancao
ao nivel do rio. Em fronts de Assumpcabo
as margins talhadas do Chaco nao tern
?tmais do quatrs metros sobre do rio, mas
para o norte sio ainda monas elevados.
a At6 esse ponto a differenga entire o ni-
vel doae ampas e do Ciaco eo do rio di


FOLIETIE



0 FILHO DE ANTONY
P JR

ALEXIS BOliUVIER

QUARTA PARTE

P rtene es-ie comnO home a
desgrafa


(Continuaglo do n. 3)

CAPITULO IV


-i;. o vi^nuil9 ,P 4' Y5W )* -V* iJ w(
daru ~entia -des' -'-Mubuo ug$-
phyasiMIntc6ai* bapdat
e desde logo ',appareate. Ha. as M"nmnaI
planecies, muito sem at. as dir<]I^oo
mas urnm poueo mais mbaixas, e corn voaget-
00o mui differente. Iota e audo quanta so
nota quando p.rio esti baixo; ;nas. em j p
Iho, durante as maiores enchgntes, obser-
vase qu e as aguas se e+pam ham sobre as
planicies, cobrindo-as quasi intramonte,
mas corn pouca profundidide e s6 durante
duas ou trees semanas cada anao.
a Subindo ainda o Paraguay, nota-se
que as planicies slo cada vez mais panta-
nosas. Perto de Coimbra ellas cobrem-se
d'agua durante douns mezes ou mais; em
Corumba, durante, tras ou quatro mezes;
e p-rto da f6z do S. Lourenyo, ellas attin-
gem o nivel mais baixo em relaqao ao rio.
Ahi toda a immense extensio das varzeas
reduz-se quasi A firma do lagoa, coborta
d'agua durante nove mezes do anno o em
part coberta d'agua e ,lama durante os
outros tros. E' este o lago dos Xaraes dos
mappas antigos.
( Passando em revista o que flea dito e
o que se sabe a respeito da extensa'o late-
ral destas planicies, seoinos levados As se-
gunites conclusoes:
( 1.-Umni area immense do terras
niveladas esten-e-se ao long do Paraguay
c do Parana, desde a latitude 16o sul, ate
alcm do Buenos-Ayres. Esta planicie, em
algumas parties, tern proximamnente uma
largura de 1,000 kilometros. Ella 6 atra-
vessada diagonahnente por duas cadeias,
quebradas do moreros, que appareoem no
Paraguay, cm Coimbra e no Fecho dos
Morros.
( 2.--A part desta planicie quo flea
ao norte do Fecho dos Morros esta abaixo
do nivel das enchentes do rio ; e a part
mats septentrional e tAo baixa que ape-
nas se eleva acima das vasantes. Do Fe-
eho dos Alorros para o sul, a planicie estA
acima do nivel das enchentes e sempre
mais alta em relacao a ellas rio abaixo.
S- Purtanto, geologicamente, a part
Ila planicie que flea ao note do Fecho dos
Mlarros estA crescendo A custa dos detritos
do rio. A o sul do Fecho dos Morros o rio
;sti corroendo a planicie escavando-a cada
vez mais fund.
4 -Por inferencia, toda a planice, co-
ino a do Amazonas, dove a sua existenria
a um b')co i imenso do mir, ou tdlvez a
a u:a lagoa d'agmra dote, que fossao choa
polos dotritos do rio. Depois de former
a planicie o rio esta hoje contando u.n ca-
nal atravez d'ulla. A este respeito impor-
ta notar qtuo em Assurnpgilo vi corachua
fosseis do gencro Osb'ea, genera quo vivem
em aguas salobras, come nos bracos do
mar em quo desagmiam rios.
a Sam insistir agora nas Hlades geologi-
cas das diffarentes parties da planicie, o
quo so pode ser rasolvido ap6s estudos
minuciosos, 6 incontestavel que a planicie
se formou dos detritos trazidos polos rios,
quer sejanm os que constitute hoje o sys-
temrna do Paraguay, quer outros que Iheo
,orrespondessem. Surge portanto a ques-
tao da procedencia do material da plan;cie
a que pretendo responder.
a Do Fecho dos Morros A foz do Jaurfi,
e do Coxim a; CGirumbA, os pantanaes d)
Paraguay occupam urea extensao nao mo-
nor de 120,000 kilometros quadrados.
Elles sio marginados a oeste pela serrm
dos Dourados, altm da qual ha outras pla-
nicies muito baixas, continuaqao das do
Grao Chaco, e estendondo-se ate os tabo-
leiros da Bolivia.
a A leste do Paraguay ha urea zana de
- terras baixas, mas roehosas, acompanhan-
do as margens dos pautanaes.


N: teu ultiao altnto (na o liars o
teu assassmno ?
Abongoar-te-hei, mas avia-to.
Nada temas ; a more estara aqui
antes d'elle ; mas lembra-te barn-a mor-
te !
Pardcia-lhe quo ouvia gemrner a port co-
mao quando ella lhe disse :
Pe9o-a, quero- imploro a. Venho
procural-a.
Antony beijara-a, dizendo:
Poits brno. morreo !
Toda aquella seena lihe passavapor dian-
te dos olhos.
A sua impress-ao era tal, que lovou a
mao A cicatriz do feritnento, soltando ul:
grito.
A criada entrou assustada, exclamando:
Meu Deus! o que toem, minhia senho-
ri9.? I
SElla dominou-se immnediatarnente e dis-
-Nad : ,nda
S -- M.!Ia f n ,ni.,t_


-ab ao se do o :lz-o' a- a
m.fdaa entoa _n
Os pantauaxes, ,mb
Oeufmpolo 0n8
qua a os as planiciesb0a
l&ste 0 4),0 ortejuupit a nt
triCte do Miranda, aita'ii tod
area iguaL in Aj .anoi p '
roes da planicie 'ao lonio | do 1
Paraguay, e' podemos dizer g&e a' nd6
baciatom 250,00k0 oometrasJquadrados.
As margas tadhadas-do plaIt mostra
que ele6, teve ura aaltura d, e 0 rtroo
pelo mienos mlia do mnivl act j.dilas pla-%
nicies ; logo,' 700 metros: dlll is foram
rotiradas, Bser'6 0 q a ^a^ o 50,OW A
kilometres, ou 17 51'9w metro ioubiccso
foram tirados do MatfftG Orosso qevados
Paraguay abaixo. -bservar-so-ha que to:-
nho fallado apenas das prtes daProvinoia
que estrto reduzidas approkimadamnente ao
nivdl actual do rio. A maior part do pla-
nalto quo ainda oxiste teinlsoffrido ania de-
nudaqo mats on menos.-ipportante, de
maneira que a superficie 6- extremamente
irregular.
( Ajuatando-se ao nosso calculo o ma-
terial assim tirado do planalto, nao pode-
mos support que fosse de nmenos de......
300.000.000.000 mnetros cubicos a denuda-
9ao acima do Fecho dos Morros.
S Grand part desta inmmensa massa
deve ter side espalhada sobre as planicies
do FrIo-Chaco e dos Pampas.
a Nao pretend dizer que estas plani-
cies foram inteiramente formadas detmato-
Srial derivado do Matto-Grosso; o Pileoruayo.
e o Boermnija concorreram muito para a for-_
mang9 do Chaco,. assim como o ParanA
para a dos Pampas. Porein, estou con.'
vencido do que a maior part do material"
quo actualmento formna as planicies argenfi-
nas, foi tirade. de Matto -Grosso. Os Pam-
pas foram roubados do Brasil.
((Rio de Janeiro, 26 dezembro de 1684.
m Her6,et H. Smith.)


LITTERATURA__

0PAIO EN PE
POX
EU GENIO CIHIAVETTPE

PRIMEIRA PARTE
0 VIRA-TRIPAS


( Cont inuag o )


- Ah! aquelles! Quero eonhece o h fe


adivinha quein 6 a guard. Dots gendarmes
qw, por isso mesmo que o acornompanhlitrnm de-
vem ser dous leaes e valontes soldados.
Ainda qpie estivessem disfarn.dos em an-
jos, roconhocia-os.
E semr dar a perceber quo gracejava:
Entretanto talvez me enganasse corn
Fichet, que pela su% linguagex escolhida
me pAre e mais um mestre-escola.-
E eu ? disso BernabK, adiantando-se.
Tu, meu rapaz, nio te esL4s disfar-
gando. Os andrajos que- te vestem sFo a
tun roupa dos dias de fiesta. Apenas a
intelligencia e a honradez quA leio em teu
rosto tern feito corm que nibo estejas ainda
rico.
- Tudo isto foi dito em n!A torn love, fol-
.....,1 C% .... .. +QTTQ 1 .. .,!^ I-a ... ..


Foi jmosa onde estavam as dunas velas,
a4pago unima, e levou a outra para detraz
do fogit. 'ITndo assim a certeza de que
nainhuma luz seria vista do f6ra, abriu a
port e dise:
Pancracio!
iLomodiataiemnte o criado penetrou na
salad empurrou a port'.
Por mais depressa que se fechasse e
abrisse a port, foi isso bastaute para quo
o tenento e o Vira-Tripas, podessem ouvir,
na margem do Sarthe, repetir-se o assovio,
mas desta vez mais estridente e sobretu-
do mais procipitado, o quo denotava impa-
t:iencia de quernm o dava.
Onde estA o Belle Francisco ? per-
guntou o estal jadeiro a queima roupa ao
criado, que 'coinprehendeu quo podia fal-
lar diante dos estranhos em cuja presence
seu amino o interrogava. Responded sem
hesitar:
Ainda esta nas Salinas.
SDepois do uama pausa, que deixou ouvir
Sassovio aecentuando cada vez maior im-
paciencia, Pancracio continuous:
Olhe, como elle se esganiga pela tri-
polagito da Julieta.
Pronunciando esto nome o criado soltou
uma gargalbada.
So visse come estAo os barquoiros!
-aontinuou elle. Os patifes vto levados pela
corrente sem poder aproximar-se das mar-
gens.
Depois corn uma gargalhada:
Coin os diabos! patrrio, exclamou
aee, collie que Ihes deu uma boa droga no
vinho. "N
Estas palavras esclareceram Fichet a
respeito do vinho que estava quasi a beber
a que o-estalajadeiro deitou ao chio.
y Agora comprehend porque nao me
^ -- Oh! disse tranquilamerite o estaiaja-
-deiroj duvilo muito; afogava-so, per que
estA muito pesado. -
Sem pedir explicalbo d'e dta ultima phraze
Vasseur prosegnui:
Enta6 alcangarA a Julieta corn o au-
xilio d'aquella can6a quo vi amarrada A
margem.
Tirei-Ihe os remos ha pauco, declarou
Pancracio.

Paciencia, cidadao Vasseur, pacien-
cia, dissoa oestal ijadeiro corn uu tomrn cal-
m). Dascance que o patife nao nos foge.
E para justificar a demora acerescentou
esta phrase enigmatica:
N-ao nos devemos zangar corn as pes-
seas quo querom de uona cajadada matar
tres coelhos !
Tres coelhos! repetiu Vira-7WTripas ad-
mirado.
Mas, em vez do continuar, o estalijadei-
ro voltou-se para Paincracio para dirigir-lhe
una pergunita que vinha muito f6ra de pro-
posito.
Ouve la, disse elle, a minha nova
criada, a Victoria, gosta de beber, nbo 6
-~O~A 1 rl a9


itasauu, qut ctaVV IUUtg Uu itmuiar i a i-, ToU.Lo t -r
.cento arrastado, agudo, e tolo do Paio em E' o sen peccadilho.
p6. 0 sen modo tioha tambeon mudado E a pobresinha nao desprezaria uma

Paea cvitar ser indiscretnmente intorro- p-. Procurou-o no sault), no son escripto
gada, disse : rio nOto encontrando pessoa alguma, diri-
Avic-so, Liza, estou quebrada de fa- gio-se para o seu quarto e escutou A porta.
diga, so inme demoro em deitar-me, desrnaio 0 mesmro siloncio. Folippe era valente,
outra vez. e na vespora do combate ripousayai, des-
Liza adiou para o di seguainte a satis- cuidado do perigo. Batoeu A portado quar-
faeao da curiosidade que a devorava, aju- b t toroei a b:rtc.r coin mais forga. Nin-
donu sua aina ainda fraca a dirigir-so para guem lhe responded. Abrio-a entio ; al-
0 sen quarto e deitou-a. lumiando-se conm a vela que trazia, corren
Prcparada acama, diminuiado a luz da par acama; estava vazia. 0 lhito esta-
lampada, depois do ter perguntado a sua va intacto.
amna so nao precisava dos scus services, A ausencia do seou filho, aquella hera,
retirou-so. fez-lihe atravessar o espirito urnia suspeita
A bAronza d'Hervey, so no quarto, sen terrivel. Qiz osclarecer-se'e dirigio so
tou-se na cama e chorava. para o quarto de Vernet. 0 quarto do
Que iria fazer? Depois da scena que se velho servidor estava ab<-rto, vazio e em
acabava de passar em case do conde do desor tem: pelo chAo, mascaras e espadas
Saucy nao devia mais esperar um arranjo dispersas.
e entretanto nao podia deixar este crime Deseeu para o qumrto, chamrando, gri-
perpetrar-so. MaIs quo fazer? sade esta- tando. Ninguem apparecia : gritava que
va Felippe ? h preparassom irnmnudiatanmente a carrua-
Pensou p-)r n unmoin--nta ein chamar a gem, para ir aondle? N ao o sabila : ao mi-
criada paraa mandar acordar seu filho, nisterio, A prefeitara do poliuia, as Tulhe-
mas isso era despertar a atteaon dos eria. tins, mesmo. (..,-
dos (6 pataciosdbre o que so epassava. E... prii p aqo, por-
... q rp a sa a. Erit preis: ri'ura qlld lp-
SA b.roneza d'H rvey tinha ami46s in- que ella rO l.)pdian, is duvidar eu fi-
fluentes no iniaiterio do interior. Avisan-, Iho tinha saliida'p.rat-i encontrar-se co0r
do )- policies poder-se-hima retardar o enoon- o condo do Sancy. %.i
tro. Una adiamaento 6ra talvez suiffiieomitc os seasn gritos os criundos
pars evitar a catastrophe. FPoi r -hi auiso aportas ella dlu-
quO. si decidio a .oine.ar, ,eanta .. se cahir o ma deira e, apertan
0tie-se oCesereven ao maiit4o. r1 -\, caIb a atno e asnre Ls ,, oalonlq0 u Io)Gqt seo
, Pea mant leovariti+i :'A-ut.- / i apando., !pml.nIgnin awIas rgra do
APoi Fulipp6e--3w5i h tstzj46.p pi A siiChoensa q-a' tpha u-
cb via, dcvjii es e ^taj u&-Ae qttaiart la a6icr- ra4 ii&n asa doitloide (to &cy-, or-
21.:p^ ^ l .... 'i., e .t'r'e
4 aaI-rmv-'uaedlete tr umabo -ja eJea4 ov -in brL u~Smr allad~av~aiec se


F- J?&ra hoar isnngostoso, dela te no
rijiho.
.. Born, die'Paacacio,inado, a mesma
cousa quoeaor0teceu As pessoas debordo...
a de ser engragado.
^*-- depois...1 -
Em vq4 do termiaar a sua phrase, o es-
tlJa deir doebruwoitodse ao ouvida doe seu
eriado, e em vozbaixa, dissoe-lho uma ion-
ga phrase, quoe ter iuoupor esta perguuta:
EstA entoadido?
Esta'. !
Vai en'ao, meu born Pamcneracio.
E emquanto o criado entrava na cozinha,
provavelmento para preparar a t.rrada corn
vminho, o estalajadeiro foi abrir a port que
dava para o rio dizenado :
Venha examinar, tenente.
A noite. apezar de nao estar muit) clara,
deixava ver os objects a distancia. Um
ponco mats long, no Sarthe, apparecia o
vulto negro da Julieta, que depots que ti-
nha desatracado devia star muito mais
longer.
Por que estA ainda alli ? e sobretudo
per que foi pbrar A outra margam em vez
de vir parasosta? perguntoi Vasseur.
Por que o barco foi levado pela cor-
renteza quo segue a margem esquerda.
Pela correntcza? repetiu o tonente,
mas entio o qauo faiz a equipagem?
DJorme a somno solto, gragas ao nar-
cotico contido no vinho quo ihes offereci.
Eis a razib por qua, como ve, toda a lar-
gura do Sarthti separa o barco do nosso
homenm.
Ficando s6s, o tenente quiz satisfazer a
sua curiosidade.
-- Dste- te a conhecer pela palavra de
posse, dize-me agora o teu verdadeiro nome.
Meuzvlin!
S.fa! exclamou Vaiseur corn o ac-
cento da mais sincere admiracao, pela pes-
soa que usava d'este nome.
Entre aquelles que estavam ao facto dos
negocios do ministerio da poliCia, em cujo
nuinero estava o tonente, pela posiao que
occupava, citava-se Meuzelin como o mais
habil e o mais andaciosodos agents da epo-
ca. Por isso, bastante justificada foi a ex-
clamaga.o de sorpreza que soltara Vasseur,
sabendo que se achava cm presenga d'esta
celebridacdo em policia.

0 comprimento contido na praga do to-
nente foi 'omprohendido por Meuzelin, quo,
percebendo o elogio, disae alegremenite!
.- P6de inspirar desconfienga o papel de
toleir.o que rapresento... o de Paio em pe,
cormo me chainam, cuja estupidez e citada
a vinte leguas em redor ? NAo tenho muito
gaito, creio, para representar o papel de
tfnf provinciano tolo.
Em seguidi, tornanudo-se serio, disse :
-- Chegou o moment de trabalhar; tco
nente mande vir os sous homes.
Armados '? prguntou Vasseur.
0 mais que puderem, porqu3 acredito
que teremos urea batalha.
Umna batalha, repetiu desdenhosamen-
to tenente. E' tAo poderoso o giganto que
vamos aprisionar, somnos quatro homes con-
tra elle, ciuco contando comtigo, Meuze-
iin.
(Contmuta.)

VABIEDADES
nIumorismo
OS REIS
Eu tire em certo tempo e n'outra part,
No digo onde o lugar, guard segredo,
Quemn hoje, nesto dia, se lembrasso
Do mimos remetter-me inuito cedo.
commendado ao guarda-portio que, no dia
seguintc, brn cedo, devia estar de pe, pa-
ra reeeb~rsc:n L'uXaL r o- S:m. de Croissy e
Gesvros.
O g'iarda-port', dovia ir acordar Folip-
pe, quando elks chegassem.
Fulippc nito tinha, pots, partiajo, tor-


rtal-o-hia a ver, pdceria ainda fizmr urma
ultinia tentative. Mandou todosos criados
embora, expli,-ando a sua inquictac.o por
causa de sen filho, que nio via desde a
vospera.
A brroneza. acabava do entrar nos seus
apos-ntos, quando toearamn a campainha.
Adelia pensando que era sewir filho que
voltava, rocommcnndou aos criados que na-
da disses.eom do que se havia passado.
Os criados voltaram p-ara os sous quar-
tos, e, acompanhadapeLt sua criada, apres-
sou-se en dirigir-se para o seu quarto, nAio
quirenilo quo sea filho a encontrasso alli.
MLd tinha entrado no seou quarto, quan-
do o guarda-porta0o Ihe veio dizer quo a
pessoa que tinhla tocadto era Mime. de Lan-


Fallei-te no jardinm Ia das Princezas
Nio sei se n'um domingo on cfuinta-feira,
Julgaste a cousa a serit e prometteste
Me ser sempre field e verdadeira.
Tomei entlo A peito endireitar-te,
Fazer te apparecer de front erguida,
Lutado tenho muito e desconfio
Levar neste trabalho toda a vida.
E tu o que tens feito ? Qual a paga
De tanto sacrificio e paciencia ?
Responded, talla ingrata, s6 parece
Que tit nao tens amor nein consciencia.
Pedi-te cornm braurlura as minhas Festas,
Resposta: urn tal bite, e mimo nada
Toimei, quiz Anno Bom, cousa nenhuma!
Acaso estas da bolsa ja queh a.
NMa creio n'isso n&, inda ha. bern ppuco
Te deu alguma cousa a loteria;
Credor nuo vio dinheiro, e muito feio
Andares corn urna tal sovinaria.
Agora exijo eu corn todo o imperio,
Nao posso assim passaro diaseis,
Por forga has de mandar-me qualquer cousa
Eu quero, nota bemrn, eu quero.os Reis,
So no torn evident as ameagas
Que fiz e sempre cumpro o promettido,
Sai toda a tua historic, nem um facto
Omitto, nada tenho me esquecido.
Direi come do banho tu correste
Por quasi toda Olinda, de calIes,
Que trajo d'espavento! s6 corn medo
De ter visto nadar uns tubaroes.

Nao quero amofinar-te, to proponho
Trazer-te algum present urna surpreza
Que diga, esteja a par, e correspond
Aos dot- xue te deu a natureza
Corn a condigao que mandes muito cedo
Tambem alguma cousa por lembranga,
Nao faltes, pois nao quoro novamente
Desfeita, vcr por terra a minha esp'.anja.
JA sabes do que gosto, mas se acaso
Por teres que faizer o dia inte'ro
Nio possas vOr o mimo, nao me -zango
Comtanto que remettas o dinheiro
Que vires ser bastante-para a compra
De muitos objects de valor,
Ficando tu sciente qu'eu prometto
Fingir por algum tempo ter-te amor.
Vou ja me preparar, 6 santo dia!
Eu hoje hei de por forga ser feliz,
Parec j Ciestar vendo o tal present
JA prestos a chliegar, jA per umi trz.
Conforme o quo vier direi ddmingo
Aquillo que mandaste do presente,
Sentido I o dia correl estou em easa
Pulando e dando gritos de content.

Recife, 6 de janeiro do 1885.,
SPAULO PEREIRA.
Ouvindo-a, Adedlia tremia. g oEhava es-
pantada para sua amiga.
Ella disso-Ilhe:
E' precise a tod o acusto impedir oste
duello.
E balbuciava: -
Sirns aii, 6 precise! Mas de quo mo-
do ? "'
Entiso a baroneza contou-lhe que tinha es-
cripto urea longa carta ao ministry. Agora
^ue ella sabia que o duello nio se effee-
tuaria no (ia seguinte pela manha, podia,
se a carta fosse entregue i noite collocar
g,':nte na port do palacia do conde. de
Sancy, e essas pessoas acompanhariam os
dous adversaries ate o lugar do encontro,
S impediriam o .duello. -
Aquilha hora, era diffiil, mas entretan-
to Mine. do La-iny offereceu-se pamra exe-
cuter. \


Ella eonhecia bastanto o prefeito de pO
licia para nlio recciar cousa aiguma, ran-
dando-lhe entregar a carta em hbrsadia-
tadas dArnoite. r
E'iexioSregou-see da 'entrega:
Adelia ficou por iso trnifa sobte o
que tinha comnbmiado para de 'adrunAJa,.
A policia impediria -o duellao, ell i-Uhs as-
stm tenpo de agir diante de sea q.lib. J
amiga perguntOi-ihe o oq^u eR'c ti-foawa
Elj^la recuson^-ne a roappon^ :'1r.^
Resignanda .a;^ tudf il s&va 0 VOinU6
quo ob 6garia sen fith arenuincia
r .a ra irgete quo, a ion 'Op
fuss' eaia k p.0refeita de o~
nba pobalidades deaidi ao' I.-Wob
4a

I


!




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EDHKNZD91_0YFC8K INGEST_TIME 2014-05-03T01:40:28Z PACKAGE AA00011611_13696
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES