Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13641


This item is only available as the following downloads:


Full Text










































Apezar da deelaracao sda maior
parte das potenclas europ6s de
u*e aeeittarem a preteneao da Ser-
vIa re atlv emSite so sugmento de
territorleo, stla naaeo ontinka o
seas p repwtstts ade Iuerra e ames-
sa Invadir o territ6r ottlomano.
3" davldO qWie as questges pen-
dentes mejatm reiolvidas anmigarel-
mente.

LONDRES, 14 de outubro.

As eleikes para a Camara dos
Commune tere lagar a 1I de no-
vembro.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
14 de outubro de 1895.


INSTICO POPULAR

PISCICULTURA
A -I

(Ectrahido)


SETIMA PARTE

Culture a da lagosta e da ostra
(Con4tinuaC6)o j
Como remate ao presented estudo e p.r conatituir
um aceessorio da Piscicultara propriamente dita,
diremos algumas palavras sobre a creagis articial
(Guuura) da lag~ata e da ostra. 0 leitor jB sabe
que estes animaes (embora vivam na agua) neo
silo peixes ; as outra sago molluscos, e crustaceos
as lagastas.
I.-Creaqao artificial dam lasgostas
A Lagosta (Astacus flaviatilis, L), 6 bastante
conhecida por todoa3, muito apreciada pelos ama-
dores e nio rare entire n6s. Sao muitas as vanre-
dades descriptas pelos naturalistas que se distin-
guem pela c6r mais ou menos vermelha, pets
natureza das aguas que ha bitam e ainda par ou-
tros caracteres descriptivos sobre que uno pode-
mos agora demorar-nos.
Duas seo as variedades mais importartes para
o piscicultor, a saber : a lagosta corn pates ver-
melhas (Astacs flauviatilis), e a lagosta corn pates
brancag (Atacus fotinalis) as quaes nao s6 na cor
des patas apresentam difierenga, mas tambem na suna
contormaggo, genero de vida, sabor, e torma ex-
terior. A lagosta prefer as aguas limpidas, cor-
rentes, nio maito profundas, e onde posse achar
para seu abrig* un fund de pedras e area. A la
gosta de pates brancas gostats mai das aganes trias,
rapidas e ivs. E' a lagosta um crustaceo muio
voraz, nutrnndo-ae de animaes vivoes ou mortos,
pequenos molluscos, ovos de peixe, etc.
Aiada a historia natural da lagostas se no
aeha completasente feita pelos naturalistas ; ha
na.vida deates ainimaesalguns enigmas, relati-
ves aso seu modo de reproducao, ainda ntb deei
frados.
A fecundai artificial dos ovae deste crustaceo
nao 6 practicavel, e impossivel 6 tamnbem a eneu-
bae* d'esses tvls, do miodo queha no caUivo da
lagosta apenaa o tr'balho negative de nao pescar,
quaudo se pretender augmentor o numero de la-
gostas em un rio, no qual se tenha mostrado es-
cassez. -A grande facilidade na reproduegio da
lagosta assegura, em pruco tempo, a repovoagao do
rio de que se tratar.
Teatou o mecklomburguez Brossow por meio de
eaixas espacosas conveuientemente repartidas
em lnuins nos quaes punha lagesta femeas prestes
a desovarem, fazer a repovoaglo artificial. Mas
este animal 6 muito caprickoso a respeito de lugar
de habitaoas; e tem-se observado quo se nas
agnes, em que so pretender fazel-os viver, nao
existiam anteriormente lagostas, o animal eascapa-
so e toge pare terra.-preferindo morrer, a viver
em aguas extranhas. Evita-se esta fuga, metten-
do as lagostas pequenas em grades cestos, de
malha muito apertada, ate quo o animal se habi-
tue ao seu novel domicilio.
(Continua).


11... '^.^iipi^ lakIy ^



DOTPACOO DA PRESIDENCiA DO DIA 13 DE
OUTBRO DE 1985


Anna Aesi LUns.-Indeferido, em vista da
ifetmago do inspector geral da Instruego Pu-


Joao Mende 1 Dar Dr. juite dieito
cia comarca do W A.
da comarcade i lpaiifrmar e provi-
denciar como fdr de lei.
Jos6 Victor da Gama. -Prove que 6 casado4
Luiza Amelia de Drummond.CDerido, por ot-
ficio de hboje ao inspector gerai da Instrueglo Pu-
blica.
Landelino do Luna Freire.-Deterido corn o of-
ficio desta data ao Thesouro Provincial.
Bacharel Liberato Velloso Barreto Ceutinho.-
Inferme o Sr. inspector da Thesouraria de Fa-
senda.
Maria das Neves Guimarnes.-Indeferido, a vis-
ta do estado das finan"as.
Mirandolina Borges Pestana.-Sim, corn orde-
nado.
Maria do Rosario de Oliveira Mello.-Sim, corn
ordenado s6mente.
Bacharel Manoel Raymundo de Araujo Pinhei-
ro.-Encaminhe-se, devendo ser pago o porte na
Repartigbo dos Correios.
Sebastibo Antonio de Albuquerque Mello -Sin.
Vicente Ferreira de Mendonga.-Sim, pagando
o supplicant as comedorias.
Secretaria da presidencia de Pernambu-
co, em 14 de Outubro de 1885.
0 porteiro,
J. L. Viegas.


Repartiaio da PoHella

Secgro 21-N. 1258.-Secretaria de Po-
licia de Pernambuco, 14 de outubro de
1885.-Illm. e Exm. Sr.--Participo a V.
Exe. que foramn hontem re.olbidos na Casa
d e Detenglo os seguintes individuas:
A minha ordem Jobo Thomaz de Aqnino e Jos96
Francisco Rodrigues, vindos do term de Nazare-
td como criminosos.
A' ordem do sub lelegado do Recife, Joanna Ma-
ria da Conceigao, Josepha Maria da Conceigco e
Laurinda Cyrilla de Lima, por embriaguez e dis-
turbios.
x' ordem do do 1" district de S. Jose, Maxi-
mianos Pereira da Cunha, por disturbios.
A' ordem do do 1- district da Boa-Vista, Fran-
cisco, escravo de Joaquim Correia Lins de Albu-
querqne, por andar ausente da casa de seu se-
nhor.
A' ordem do do 2- district da Graga, Jos6, es-
cravo do D. Anna Lucia de Albuquerque, por cri-
me de furto; e Maria Rosa do Livramento, por
eimbriaguez e ofiensas A moral public.
A' ordem do do 3 district de Afogados, Inno-
cencio Francisec de Lima, alienado, atW que possa
set transportado para o Asylo da Tamarineira.
CuLm deitiuo ao Presidio de Fernando de Noro-
nha, embarearam hontem 21 presos que estavam
recolhidos naCasa de Detencao.
Corn referencisa a- um crime de infantecidio oc-
corrido em Pao d'Alho e sobre o qual ais deram
noticia as fclhas diarias desta capital, acaba de
mne informer o delegado daquelle term quae tendon
proeedido as necessarias deligencias, cheg aa
evidencia de que tel crime foray praticado por Ma-
ria Magdalene da Conceigao, que havendo dado a
luz, em a noute de 6 do corrente, a ums cregnqa
do sexo femenino, a envolvera em pannos e a ata-
rara no campo, onde estava sendo devorada por
alguns animals da rags suina.
A victoria foi feita pelo Dr, Jose6 Joaquim do
Souza, que para alli se trensportara em vista de
requis 91o do delegado do term.
0 miquerito. que j.t estA coneluido, foi remettido
a autoridade jadiieiaria da comarea.
Pelo subdelegado da freguesia do Recife foi re-
mettido ao Dr. juiz de direito do 1" district cri-
minal, o inquerito policial a que procedeu contra
Benedicto Jos6 a Soares da Silva e Cezario Jose de
Sant'Anna, como incursa nas pens do art. 201 do
Cod Crim.
No dia 10 do corrente, as 8 horses da noute e no
cercado do engenho Souza, do term de Ague
Preta, o individuo de nome Manoel Bernardo ferio
gravemente a Joaquim Hermino.
Contra o deliquente, quie evadio-se, procedeu-se
nas ulteriores thermos da.lei.
Aa Dr. juiz municipal do termed de Ipojuca ja
foi remettido o inquerito polical a quo procedeu o
subdelegado do 1- district contra as individuos
de n.ime Jose Bibs e Joao Marques, per haverem
ferido gravemente a Joio Francisco de Paula e a
Joao Ferreira dos Santos.
Assumaram o ex-rciaio das subdelegacias dos
districts do Itamaraca, termi de Isgazoira e Gra-
vata, emAgua Prats, os cidadi.s Manoel Cordeiro
Cavalcarate Galvia e Marc ;lino Evaristo da Ro-
cha.
Deus guards a V. Exc. -hin. e Eim.
Sr. conselheiro Luiz Correia de Queiroz
Barros, muato digno vi-e-presidente da
provincia. 0 chefe de policia interior, Jose
Antonio Correca da Silva.


Commando das Arms
QIJARTIL DO COMMANDO DAB ARMAS DE PER-
NAftuCO, 13 DE OUTUBRO DE 1885
Ordem do dia n. 27


Autorisa a 74e Nor&h Brasiian Sogar Fac-
tories, Linmited a fncciowr no jmperio
Attendendo aeo qu qeqe ureu a The North
Brazilian Sigar Factorieaf Limited devidamente
representada, e deewforamidade corn ma minha im-
mediate resoluqUo de 10 do corrente mez, tomada
sobre parecer da See8 o dos Negocios do Imperio
do Conselho de Esta-lo, exarado em consultsa de 12
de Janeiro do current annao, hei por autorisada a
funccionar no Imperio, mediante as elaumulas que
corn esta baixam, assignadas por Henrique d'Avila,
do meu conseiho, senador do Iramperir, ministry e
secretario do Fstado doe Negocios da Agrieultura,
Commercio e Obras Publicas, quoe asinio tenha
entendido e faoa executor. Palaeio do Rio de Ja-
neiro, em 17 de Fevereio de. 1883, 6,2' da Inde-
pendencia e do Imperi. "
Corn a rubrica de Sua Maestado o Imperador.
Henrique dr'Avila.
Clausulas a que 8e refere o decreto. n. 8,882 desta
data
I
A companhia 6 obrigada A ter um representante
no Imperio, cotn plenos poderes para tratar e defi
nitivamente resolve as questoes que se susci-
tarem, quer corn o governor, quer coarn os parties
lares.
II
Todos os actos que praticar no Imperio ficarno
sujeito. as respectivas leis e regulamentos, e a
jurisdic0ao de seus tribunaes judiciaries ou admi-
nistrativos, semn que em tempo algum posse a re-
ferida Companhia reclamar qualquer excepglo,
fundada em sens estatutos.
III
As alteragoes feitas em seus estatutoas sero
communicadas so governed imperial, sob pena de
multa de 200A a 2:0005, e de lhe ser cassada esta
eoncesslo.
IV
No Case da Companhia deliberar executor al-
gum ou alguns dos fins de sua creaAio que nso
estiverem em complete connexlo corn o contract
que celebrou corn o governor imperial, deverA pri-
meiramente pedir permissao aso mesmo governor.
Palacio do Rio de Janeiro em 17 de Fevereiro
de 1883.
Henrique d'Avila.

Actos de companhias de 162 a
1680
Companhia limitada por acoea
MEMORANDUM DE ASSOCIA91O DA NORTH BBAZILIAN
SUGAR FACTORS, LIMITADA
1. 0 nome da companhia 6 North Brazilian Su-
gar Factories, Limited.
2 0 escriptorio registrado da Companhia sera
situado na Inglaterra.
8. Os fins para quo a Companhia 6 estabelecida
sao: -
(A) Adquirir, assumtr, possuir e exercer: 0.s
duieitos, beneficios e privilegios de um certo ecqn-
tracto de consegcao do govern) da previncia do
Rio Graude do Norte, no Imperio do Basit, da-
tado de 6 de Fevereiro de 1875, pelo qutal, entire
outras cousas, '6 concedido o direito de constrrr,
sustentar, administrar, e dirigir urma fabrioa par
a manufacture de assucar de canna no munioipio
do Ceari-mirim n usdita provicia do Rio Grand
dcF Norte, e tambom os direits, beneficios e privi-
legios des subsequentes leis e deeretos do dito go-
vorno provincial e do governor geral do Brazil.
(B) Adquirir por petig.o inicial, por conpra,
conceusso ou outra qualquer maneira ne provincial
do Rio Grande do Norte, on em outra qualquer
part do Imperio do Brazil, quaesquer outraseon-
cessoes, terras, heranas, direitos, privilegios, be-
neficioas, em, sobre, ou relatives a qualquer terra:
tambem adqurrir sbfrns de assucar e aUtros pro-
ductos, tambem machinismo, animaes de servivo,
plants, material rodante, navies, botes e propne-
dade de qualquer natureza.
(C) Adopter e effewcuar os ditos diversos con-
tractos de concessao quando form assim adquiri-
dos, e oa ditos decretos imperiaes e outros feitos
em virtude dos mesmos, reapectivamente ou qual-
quer um delles, e todeas as modificacoes, alteraotes
e addicgoes dos mesmos reopectivamente, e solici
tar as concesso e tidecretos addicionaes ou modi-
ficades, quo forem neceasarios on utuis pars qual-
quer um dos fins da Companhia.
(D) Celebrar, executor e effectuar inter alia
com as alternates ou modificacoes, se houverem,
conform for combinado, o accord mencionado
nos artigas de associateo da Companhia, quo tern
de ser feito entire Rood Bowen & C. do umn lade,
e a Compauhia de outre lade, pare a transforeneia
e venda A Companhia, coma esta meucionado nos
mesmos, do beneficio do diue contract de cases
sio de Fevereiro de 1875, e p ra construc-go e
minoegem de engenhos centraes de fabricar awu
car nas sapraditas municipalidades sos tertas e
condigles mencionades ao dito coutracto.
(E) Exercer 4entro do Imperio do Brazil, on em
qualquer parte a mister de plantadores, de fabri-
cant.s e refinadores de assucar o desltledores de
aguerdente e todo..a outros ignal ou earnumenlc
feato. em conusouo daqueule mialres.I


(F) Coustrsir, orgamisar au faSsrObri os epo-
raOes que former neceessaris on prouem par
quaesquer fins da Companhia, e partlen e
para construir, estabelecer, sustentar e explorer
quaesquer caminhos de ferro, tramways, movido
a vapor ou por outro qualquer m o, estrada,
linhas telegraphicas, telephones, cannes, ou outras
Squaesquer obras ou operates que ella char on-
Svetionte ou vantajoso estabelecer em oeanexio aim
ditas tabricas ou outros negocios da Coaps i,
Sou corn quaesquer das mecioadas obraoa ope-
rages, ou nepradamenote das mesmns; tambet
3 ner taxes isbre pssaga"rs e argu, eatr
Sem todos. os onsor*cs, ajustew, e ari-u-oe, que
" fore.i ufmi im de ater efi"etivas .-*I
teriasas em, *a qua'buer della-.
() Emp diaheiro, corn M sem gem arti,
a edobriarseee o de natracto los oM"
qualmue- peiba on pessoass e partimaca net:
1 .6aldMiws die mnmas, e fabricantes do a ae-a e


prnemio ou descont6, b a &0pra M garantia,e
segrane aldicianaes (sehouverem) e resgata-
vwis nos. termos ou do dioerso modo, da maneira
....e tempos em temps for determined& pika
(K) Arendr, permultar, transferir, hypothe.
ear, empenhar, tender, ceder, on de outroe modo
transigir, e dispor absolute ou condieaonalmente,
ou por qualquer interesse limitido de todae quat-
quer part da empreia. ou do negoeio da Compa-
nhia e quaeequer oropriedades, direito., on previ-
legios da Companhia.
(L) Cousear, reservar, ou distribuir eomo divi-
dendo ou bonus pelos membros da Companhia, ou
de outro mode applicar conform a Companhia
achar convenient, qualquer dinheiro recebido por
meio de premio sobre acq5es e titulos emittidos
corn premio pela Companhia.
(M) Fazer todas as outras cousas que sejam
inmidentes ou eonducentes ao conseguiamento dos
fins acima-
4, A resp-nsabilidade dos membros 6 limi-
tada.
5. 0 capital da Companhia s6 de A 450.000 di-
vidido em 16:875acoes preferenciaes de 20 cads
uma, e 5625 acc53s ordinarias de 20 cada uma;
por6m no caso de ser emittido um numero menor
de acqoes preferenciaes, do que aeoges ordinaries,
estas poderLo ser augmentadas naz rzo do nu-
mero das preferenciaes nito emittidas; e ano caso
de ser emittido um numero menor de acoes ordi-
narias, o numero des preferenciaes padera ser
augmentado naquella conformidade'
N6s as diversas pessoas, cujos nomes, e ende-
regos vio abtixo mencionados, estando desejosos
de former uma Companhia dea. accord corn este
memorandum de associaa), concordamos respecti-
vamente tomar o numero de accoes do capital da
Companhia, marcado em seguida em nossos rea-
pectivos nomes :
Nomes, endereos, e character dos Numnero de
ubscriptores acgces de


Charles Henry Whitehurst, guards
livros, 23 White Lion, Street, Bisth-
pagate, Londres .. ........
Jenes K-eliogsworth, guards livros,
59 Russel Road, Finsbury Park N.,
Londres .
Willian Alfred Dawton, engenheiro
civil, Norfolk Cottage, Werterroad,
Pulnery, Surrey-. .....
Alfred Tyson, engenheiro civil, 2
Pinriand Villa. .
James Seslie Wanklius, semr oecu-
paego, 100 Piccadily W. Londres. .
Ernest Authony Henley eugenheiro
dtiil, 1 Celworth Street, Weastbourne
terrace Londres .... ..
SJames Strict, negoeiante, Swancea,
Glamoryonu .....
Datado em 26 d nmaio de 1882.


Testemunuhas dau'assiguaturas acims
R. Wainwright. Solieitador, Staple Inn


cada um


I acglo

1 aegiao

1 acso

1 accao

1 acgao

1 aegicao
1 acao

i.-G. W.
e.


Aeton de Compaup a + t de- 1 *-t SOO
CompaniUm da paor aces
ARTIGO0 DiE AOCIA, A NO DA SORTH BRASULIAN 5UGLA
PACTOBIES LIMITADA
CAPIMYUOl I
Da interpretaio
-Art. 10 Na interpretacao desta escripura am
segpintes palavm. e expresses tern a seguintes
siguificaV.es nao estando exceptuadas pelo as
sumpto on pelo ebntraeto.
(A) AL Compahi .ue dizer a-North Brasihian
Sugar Featorie. Limrlted.
S(B)Reino Unido, quer dizer Reino Unidoa I
Gri Bretanha e Irlanda. .
(C) Brazil signifies o Imperio do Brazil.
(D) Estatutos, significam e inclucm os actors de
Companhias de 1862, 1877, 1867 e 1880) e qual-
quer urn, e cads urn dos outros actos postoas em
vigor de tempos em tempos sobre Componhias
anonymas (Joint Stockj e que necessanaimente
affected a Companhia.
(E) Eases presents, significam e incluem o
Memorandum de associago da Companhia, e estes
artigos de associa*o, e os regulamentos da Com-
paniaem vigr de tempos em tempos ; e formarno
os estatutos da Companhia retferidos nos decretos
imperiaas e nos contracts.
(F) Concess5es,incluem todoi os contracts, de
creto, concess5ea ou acts de qualquer legisla-
tura mencionados e referidos no Memorandum de
associago, on que possam ser adquiridos polela
Companhia ou concedidos a favor da mesma.
(G) Resolugle especial, significa umna resolugAs
especial da Compauhia, tomade de accord corn a
seegiao 51 do actoro de Companhia de 1862) e (re-
soluglo extraordinarily) signifies urna resolucao
extraordina'ia da Compauhia tomada de accord
corn a seeo 129 do actor de Companhias de
1862).
(H) Acqoes de capital c debentures, significam
reapectivamente as aegos do capital e debentures
(obri;g&Vesc da Companhia de tempos em tempos
eMaittidas).
(I) Membros (accionistas) s'gnificam os posa-
s"idores de acl5ss da Companhia, registradas, ou
os portadores de cautela (Warrants] de acq5es
respeedtamente.
(4) Cautela de acg5es signifies cautelas emitti-
des a tepeito de accoes ou funds da Companhis
em vartude do actoro de Companhias, 1867, e des -
() Di"rectores sigaifieam oas direetores tempo-
ratios A Copaahia, on conform seja o caso,
os direeteres reunidos em numa junta.
(L) Junta, signifieA urma reuunilo dos directors
devidameate eonvocada e consatituidai-ou cmforme
osa -en r o easo, os direotores reunidos em
jaoits. "....
(M) 1is0ses. (auditors) depositaries e secretario
sigaiam oiw speetivos funceioasarios da Coin-
pniabia.
(N Heounilo erdmaria e reunibo extraordinaria
ag*taa respectivamente ma sreuniao geal or-
4a..ri....'i Sembl6a gwra etrao, dara de'
1smpiaa* deyeiameute .wvwwow e ooAntiluido, e
Aetnoer adianmento. d a ai.t-
(0) k-seemblea geol fe w~ sebe
ordinary* ou w as, ml^1
(P) Eriptaorio e ,ell, sigfiam respeetiva-
meat. eriatomio regai.ade. e- sellto comminum


houverem) a sere m emittidos aos contractantes
sob ease accord4T, be eriao era ittidos da maneirt
disposta no iiinjoai s eo erao eonside-
radas ete
~radas et tli g poV inteiro. -

Ao n fins
Art. 4 0 fim ft a 0apanhia comprehenderA to-
doas segoeios e finesmmeionados ou ineluides no
Memorandum de associaglo; tambemn a gereneia,
uso, emprego, disposigio da propriedade e do ca-
pital da Companhia e todas as material inciden-
tes aos mesmos, respeetivamente, porem a Compa
nhia nio tera c direito de comprar suas proprias
aces. A junta p3r6n, poded, uando de suna
descripolo, aceitar a renuncia de quaWuer ac-
6es, por qualquer membro como pag iento ou
eompromisso, no total ou em part do qualquer
divide on responsabilidade desse membro para
coin a Companhia. Quaesqwer aegao. assim re-.
nunciadas poderno ser vendidas a outra vez emit-
t das da maneira adiante disposta a respeito de
ae6es confiscadas.
As funegc5es da Companhia poderao sero ence-
tadas logo depois da incorporate da Compaahia
conforme a junta julgare conveniente, nio obstante
todo o capital nao ter side subscripto.
Os trabalhos serao dirigidos pela ou sob a ad-
ministragio dos directors, e conformse os regula-
mentos qua a junta de tempos em tempos estabe-
lecer, sujeito somente a inspe6c3 da reunito ge-
ral como esta disposto pelos estatutos e por estes
presented.
Art. 6 A adminaistragio principal e a supen.
tendencia geral dos negocios da Companhia serao
em Londres ou em Middelesex, ou em outra qual-
quer parts da Inglaterra, coAforme a junta de tem-
pos em tempos determine; e poderao haver as
agencies dentro oun f6ra do Reino Unido, como a
junta de tempos em tempos determinar.
Art. 7 Nenhuma pessoa, except a junta, e as
pessoas devidamente atornisadas por ella, e func-
cionando dentro dos limits .da autoridade, assim
conferida, tera qualquer autoridade para fazer,
aceitar ou endossar qublquer nota promihsoria,
letra de cambio ca qualquer outro instrument ne-
gociavel, em nome ou pea Companhia; e nenhuma
pessoa, excepto expressameate autorisada pela
junta, e funecionando deatro dos limited da auto-
risa.bo assim conferida, tera autorisagAo de cele-
brar qualquer contraeto de maneira, qae imponha
polo mesm; qlquaqer responsabilidade A Compa-
nhia ou de outra sorte empenhe o credit da Com-
panhia.
Art. 8 0 escriptorio segistrado serA no local
em Londres, Middelexex ou em outra qualquer
parts da Inglaterra, que a junta de tempos em
tempos marear.
Art. 9 Podero tambem haver wacriptorios fi-
liaes no Rio de Janeiro ou em outia qualqer part
do Braiil, que a junta de tempos em tempos de-
terminar, e haverA seminpre no Brazil um agent
reconheeido da Cempanuia ao qual tern de ser
tranamitidos todos oa aviad oiciaea.
CAPITULO V
Dos prine.paee funiconenio .
Art. 10. O primeiroe directores sr eleitos
peloe subsxiptoni do vwmor, n aan des adsociaiao,
peor an ecipto e assignado por elles, ou
pela wmaaria dee, e at6 esta eeieo Os subserip-
tores do uswmndum de associaV eomporlo a
junta de direetores, por6m elles ao. serao obri
gado. a ter a habiliaqo em scces, deixarlo o
cargo a egnida a sooapao de directors, come
flea diiposto aestnekatjgo
APMLO TVI
: Do capital
Art. 11. 0 capital da Companhia Ae de 450,000,
dividido em 16,875 acg6eo preferenciaes de 20
coda uma, qmn a faeuldade de f&ser-ae as altera-
.6ea qua esitao previitas no menmrandim de assao-
ciaso*, iato no case d e-&emittir menor numero
de aeOesw rf prenciaes do q 450,000 a junta
poderi auaentar o capital daes o e ordinaries
com a difference estre a importancia du aseg.
preferenciaes nio emittidas, e a importancia an-
torisada da emisudo e poderi emittir a different
de tempos em tempos, da maneira que achar con-
veniente.
E no c so de set emittido um menor numero de
accoes ordinarias do que 5,625 a junta poderA
augmenter o capital de aecges preferenciaes corn
a difference da importancia das access ordinarias
nao emittidas e des autorsadas a son emittidaa, e
poderA emittir a difference de temapos. em tempos,
da maneira que julgar convenieute.
Art. 12. As accoes do capital da Companhia
estareo por emquanto sob a guards dos directors,
que poderao ratear ou de outra maneira dispor das
mesmas, seja coma bouus, corn desconto, premio ou
ao par, e geralmente nis terms, coudioes, e +nos
tempos que ella julgar convenient, As derides
possess.
Art. 13. Os possuidores de ditas ac5is pre-
ferenciaes terbo o "direito de receber dos iucros
liquidos da comphnlhiae corn prioridade de qualquer
outro pagambnto de divideudo, um dividend, pre-
ferencial e cumulative de 7 O ao anna, sobre a
quantia quo nesse tempo ostiver page sobre as
aegoea que possnem; e no caso de nio haver
lucros liquidos nlo sernm sufficieates para o
pxgainento desse dividends preoerencial, entbo
sera esse dividendo page, ou a dcfliienncai sora


preenchida dos diuheiros que de tempos em
tempos form pages a Companhia peso governor
imperial do Brazil, oun por qualquer dos goveorn
provineiaes, e esses dinheiros seroo consideratds
a serem em primeiro lugar apropnriados ao sm
aima; e doepois desse pagamejte ouiatnnlivo e
preferencial e sujeito ao que adiante se mencioma,
quaesquer lucres liquidos no excedentes de 7/ %
pt rtencer o aos possuidores des acoes ordiuarias
da Companhia, e quaesquer outros lucras liquids
.remanescentes serao em rateio dividids eutntre
todos aeccionistas da Companhia, por6m sujeitos
as disposig5ea dosa conessesoe. E quaesquer di-
nheiros que sobrarera, provenieutes do pagamentos
teitos de conformidate em t'as ditasg asiu-a
existentes, serao oonstivdos e applieads ia A ma-
neira que eo segaida ism exptieida.
No case de diasolu1o da C Gmpsahia os paO ni -
dores de a^e8m prefousreaeis A, 4MIbo *HASpre-
viamente auias. corffji& WaitdSaqa Bste
*sentido aqiittd^Alt t^^^ ^
roe6ber par intelrod4i ^ u As
asm suas aegsi, oa lyab des A 14eow
dos po-snidoria daa oeg
no ~tmhluamda d nv lMNsr aousaisa 6


as resolalglo, epecial m ordenar, cowI tents qe
nenhuma accao nov& LdaeaWidamlquseamrsir
*,t rfrnc~i owFwd4x as 4 A.
ado ordinarna,tantoafrespeito do diwidaq
como de remgate de capital, salvo ate anda i wa.
pauhlia powss estar em poaiglo do conferir emu
direites preferenciaes, ou p ridade, em virtad
doe uma garantia additional dada pelo governs im-
perial do Brasil, e neste ease someate na extealiO
coberta por essay garantia s no fk corm o conosm-
timento de trees quarts parles, em valor, do pw-
suidores dessas acgoes ordinarias.
Art. 16.o Qualquer capital levantado por novas
accoes, salvo ate onde na ereagao doie m aa
companhia posse determiner de outra maneirs, a-
ra conside.rado como part do capital primitivow- e
ficara sujeito As mesmas disposigase a todwo
respeitos, seja corn rtferencie ao pagaments das
chamadas ou prestag5es, tansferenmsa e tradsmia-
sio, confiseaaso por falts de pagaento decha-
madas, hypotheca, desistencia, ou de outama -
neira, como se elle tivoase sido parte do capital
primitive.
Art. 17.o Durante o temps em que o pagama-
to (pelos ditos governor, provincial e geral, o
qualquer um delles) do juro garantido por elles
respectivamente, sobre o capital effectivameate
levantado para o fiq de construir a dita fabric e
obras, f6r demorado, por6m, s6mente emqu.nto as-
aim demorado, poderilo os directors de tempos em
tempos, conform for precise, pager dos dinheirom
do capital da companhia es luroS sobre tod. au
acg5oes preferenciaes da garantia, on de garantiax.
E oa dinheiros retidos pelos governor, geral e pro-
vincial, respectivamente a sextenso dos adianta-
mentos feitos pela companhia por juros de confor-
midade corn esta disposilo, serio restituidos a
coats dc capital, quando e logo que aos meosmos fo-
ren recebidos dos ditos governos geral e provia-
cial respectivamente.
CAPITULO VII
Do resgate de tegoes prefereneiaes
Art. 18.0 Todo o possuidor de qalue4 r aegio
preferential, esteja essa aco lanaqWi so rcgistes
em seu nome ou repres-ntada por nw eaulela&de
acao, possuirA a mesma, sujeita a tre st ao por,
por um fund de amortlsagao, que temn do ser tor
mado pela app)icaglao do measo te temps ema
tempos, de tanto dos dinheires reeebidoe peao -
panhia do dito governo imperSl, eonforraM&ee
exigido por quaesquer cones ou deete do
dato governor imperial. : r
Art. 19 As acoes que'teem do ser remidks, a-
rao determmnadas por meio de sorteios periodic
que serbo feitos na presenoga aumIabeB, es-
seas sorteios teri) lugar today 4 yx aquuti"
a credit do dito fundo de asaortfadV uicenar a
somma de 10,000, e se faruo tambeoa sorteios
em quaesquer outros tempos que a junta julgar
eonveniente.
Art. 20, 0 dia e lugar do sorteio seroe de tem-
psi em tempos fixndos pel junta, avisando se dis-
to por alguma folha diria de Londres, com, pelo
menos, uma'semsan de autiidpaglo aos possuidorea,
afim de habilital-os a eomparecerem, seo deseja-
rem.
Art. 21. Immediatamente, depois de qualqer
sorteio, se darA aviso por annuncio e umia foSU
d'aria de Londres, daos accs preferenciaes amiM
sorteadas pera rete te, e mencitoando o die em
que o resgate das aoges assim sertedas teri lI-
ger, sendo esse dia nunca mais de trees mse.s&
depois do dia do sorteio, e o resultado de cada am
sorteio serA registrado em um livro para ee fin
a cargo dos directors, que serA livre A inspec*i
de qualquer possuidor de acglo preferencial, e se
qualquer desses accionistas prefreatijaes, com
acima dito o requerer, p tabellilo present nesne
orteio, passari urmsa certido do resultado d.
memo.
Art. 22. Como da data assim fixada pars o res-
gate, as aceces assim sorteadas cessarlo de ter
airetto a quilquer dividend, as agces eassim so-
teadas, quando resgatadas, ficParX4p absolutameote
extinctas e incapazes de sorem outre vez emitti-
des.
Art. 23. Nenhum accionista preferential ter o
direito como tel de votar sobre qualqner resolag
pr6, ou em relaglo do resgate des acoes prefe-
renciaes, eonforme-esta disposto nas precedents
elausulas.
Art. 24. Depois de todas as accoes preferen-
ciaes terem s do resgatadas ou sorteades pars reo-
gate comr fiCe dit. quaesquer dinheiros que fiea-
rem a credit de dit. fund de amortisaglo, alAm
dam que form necessarois pira resgatar quaesquor
aegles pretfrenciaes, cujos possuidore. nea te-
nhar reclamado as importancias de suas acg&@a
quando sorteadas, e quaesquer dinheiros de tem-
pos cm tempos recebidos aso depois pela compa-
shia, dos diut gavernos getal e provincial, ras-
pectivamente, de confirmidade corn as ditas ga-
rantias existentes, pertencerao A companhia; e
poderbo set tidos coma lucros derivados da empre-
z da companhia.
Art. 25. A junta aidera desde ja, ou de tempt.
em tempos, sob suae ecripglo, tamer emprestad.
eas directores, menos ou do public em gerne,
qualquer somma ou sommas de dinheiros part a
necessidades da companhia, pornm, de maneira quo
(salvo corn sanugco da conpanhre em rennite ge-
ra ) nio sejam tomadas mais de 20.000 do urns


s6 yes. ,
Art. 26. A junta poderA levantar e garaatirea
reembolso dresses dinheiros da maneia e sob so
wrmos e Condites a todasMos 4eonfone
ella julgar convenientmo -.t
emuisA de debentures, oa pe e e-
tures-stok, ou n nduo on *r 044
titulo da companhia, o por "w -
uheiros poderao er const (mew
go sobre a empresa, propriodeioe m* dft i)e.G,
panhi' a e00 tempo, incluindij quswalq.m *eadeai
o; garantia pelo govern geral e .quilquCr gowe-
no provincial, qu. *ndau otenuham sat pr-

"; mas, 'i:iiiiiii emia-

-dA-edo se 9 qup d
.diuiros 6deS vaeajigm.^l
P^k*;1 e a I peiB^



ter





























4ur pt* *mn M OM-i 70
da mesma, e except mbenmt auspeito de p P,
- tutor,r eommissao, marido, testamenteiros on admi-
nistrador on curador de fallencia, seua direitos,
p p"eFentes a set membro de, ou a 4ransfereneia
de urns acco.
A 8t 31. A eompauhia tea m r naprimeiro e per-
~m t pmwa sock lAf m t mqui-
Sdade idre todas as a5wes e fundoa reaistrados
ean med de cad nm meumbro, e sobre todos di-
vitendos, ooneerntes a essas aces e esses fnn-
doS, tr odes os dian ws devidos Acompanhia
P erIeS ou eonjunutmente orn qualquer outra
Powas aseja vencid" ou no; e quando aces ou
madSow possuido por mais pessoas d qo nue IPS,
a compahis tera o mesmo penhor e aeLo sobre
S MM respectivamente em relaco a todos os
inem destkI modo a els devidos por todos
ouq u-uer dos possuidores das mesmas.
i.Art. 2U. Esse pehubor pdera se fLaszer effective
pel venda de todas ou quaesquer das ditas a&o9es
i fads arn tat quoe aenhums dis veadas seja
M ow, be t meditate urns resoluago da.junta, e
emquato"l Ilo s tiver dado avisu pot er- tiiplo 0o
membro devedor, on a seus procuradores on admi-
niatradores, exigindo delle on delles pagar o quo
etIavewrem eato a ever a cwpanhi.a ; e dande-se
faas por 28 dias depoid a contar daquelle aviso,
ao pagamento das quantias peelo mesmo exigidas
part serem pagas; ou a junta podera, se achar
conveniente, em lugar de vender as acoes, con-
fiscal-as sob as disposigoes adiante mencionadas.
Um certiflcado por escripto do proprio punho de
um dos directors e rubricado polo secret rio, de
q a faculdade de venda, ultimamente menciona-
da, derva-se e a exequivel p3la companhia confor
me 0s presents, sear prova concludente dos fac-
to. entio mencionados, e esse certificado ijunta-
monte corn a entrada do nome do comprador no
registro, como o possuidor dessas acoes ou desses
tundos, conferirA. a,) compradir um titulo valido
contra todas as pessoas que sejam, e isentara o
comprador de toda responsabilidade de examinar a
applicago do dinheiro da compra.
Art. 33. No caso dessa venda, a junta terA o
peder de, por escriptura corn o sell, transferir ao
comprador as ac5es on os fundos desta f6rma
vendidos, e applicar o producto liquid dessa ven-
da, depois do pagamento de quaesqner despezas
da mesma, e para satisfagio dessa divida, e o res-
tante, se hoover, sera pago ao membro primitive,
a sns totamenteiros, administradores e procura-
dares.
CAPITrrULO IX
Da transferencia das ac95es
Art. 34. Sujeito ao exercicio pela companhia
das padres de emittir cautelas dc acio as pOr-
tador, e a quaenquor regulamentos da companhia
Sease respoito, as aces e os fundos serio trans-
feaveis samente por meio de instramento por es-
cripto, passado polo transferidor ao transferido e
devidamente lanvado no registro de transferen-
cias.
Art. 35. Nenhuma pessoa podera sem o con-
setimento da junta, o qual ella podera dar on
deixar de dar sob suna discri4o, tornar-se ou ser
registam&do come membro a respeitj de qualquer
aego, cujo valor uao teuha sido totalmente pago.
Art. 36. 0 registro de transferencia estara a
cargo de seeretario sob a inspect$ dajunta, e
podera sor encerrado de tempos em tempos, e na
40 on 6pocas nao excedendo so todo de 30 dias
em cads anno, conforms a junta achar conve-
nieate.
Art. 37. Nenhum menor sera registrado como
paimoaidaor de urma acqbo ou de fandos, e nenhama
mier emsd s eri rgistrada como urma tal pos-
uIkdrna .~ni de conformidade co0 o aeto so-
fr iedade das munlheres casadas, de 1870
-Married woien's property act 1870) ou qualquer
jnfimaaf, sogulamuentaria existent ; e nenhuma
peassa aera reconhecida pela compauhia como
teado direito a aces on funds, registrado em
ame de am membro fallecido (nao sendo am dos
diversos possuidores em commune) except os
testamenteiros on administradores desse membro.
Art. 38. 0 pai, tutor, commissio, marido, tes-
tamenteiro ou adminiatrador, respoctivamente de
num menor, idiot, louco, mulher on de pessoa fal-
lecida, que ao n pssna umas acao on fundos regis
trades, aa serA coma tal considerado membro;
porem, apresentando a junta o sen titulo, podera
ser registrado como possuidor da ascco ou dos
futdos, on poderi transferir a accao on os funds
a qualquer pessoa approvada pela junta.
'0 curador de urna tallencia de um membro re-
gistrado nao sera corno tal considerado membro ;
poi6m aprescntaado a junta o sen titulo, podera
da mesma maneira transferir a accga.
Art 39. Nenhuma transferencia de qualquer
acce ou de funds sera feots seo pagar-se 2
schillings e 6 pennys de emolumentos, ou qual-
quer mentor somma sobre cads acco, conform a
junta determinar.
At. 40. Nenhuma pessoa ser registrada como
o tranaferido de urna accao, ou de fundos, oem
-que o instraumoato de trausferencia, devidamente
_e xeGUtado, teaha sido entregue aso secretario para
- ..o.. conservado nos archivos da companhia (po-
r.rnm pra ser produzido a qualquer reqntsigo ra-
zoavelb e as emolumentos de transferencia tenham


aido pagos, conforme ee acha disposto, ou de ac-
-cordo corn e ultimo artigo, porem em qualquer
caso em que, a juizo da junta, nao se deva insistir
sobre este artigo, podera elle ser dispensado.
CAPIrULO X
Dos certificados das aceoes
Art. 41. Os certificados de accges ou de funds
saeolr d e assigos pelo menos p r um di-
rector, e rmbrisades polo seeretario.
Art. 42. Cadg membro teta direito a urn certi
ficado pars todas as suas acoes on funds, on a
divesos certificados, cda um por ura p&rte de
su aecoes aon undos. Cads um certificado es-
,peeifiAeadi a qantia dos funds ou o n unmero de
aeiese as quastias pagas sobre as mesmas.
Art. 43. S. qualquer eertificado se inutilisar
4% s.e ,pler podera ser renovado a vista de pro-
Va q "d;tiia a jaunta, apresentada a ell&, de
4te-se inaflisad o ut perdido a mesma e na t al-
-s dema prev., uaedimWte a-idemal eo, 3aa a
junta. qa a. d da s; e esw pro-
a -e mdemake0o serU laa1 4 a"a restivas
A 44. L Wd o membr.o im"tiv4 em tateic
ter direito a sos certificados do ac agatis
?wmem qtakqew etttco caso qu qo a junta
A o 4e40 e e-&sea tifieos de a Se-
SonaaisES a .mea o mgat pespeekaie


mas.
Art. 52. Quando qnnlquar chamada a respeito
do aec'as for feita de outra maio que nao rateio,
aes dart a cads membro sujeito ao pagamento da
meosma, ne-sa epochs on em qualquer ouitra depois
de feita x ehamada, aviso de 21 dias do temps e
lngar primeiramente ou por qualquer subsequent
rasoungao degaSado, pare o pagamento das mes-
man; cam tanoqae ano easo de mua posseoas do
que um, semrem ionmjunctamente intemsreada, o
visao dadm a pessoa, eo ome estiver primeiro no
ristrsAdam membros, seja considered como avi-
so a todos as passnidores associados.
te dias depois do dia marecado por e3se aviso on de
outra maneira, para o pagamento de qualquer cha-
mada Mn prestagio, se darta um segundo ayVo, irm-
mediatameute ou et'algum tempo subsequent,
so omisso, pedindo o prompto pagamento, e no
caso de falta de pagamento da mesma per sete
dias depois desse segundo aviso, a compauhia po-
deri (sre prejuizo dos direitos da campanhia de
confisear as acceos) demandar o membro omisso
pela quantia nbo pags, que veneerA, si nbo for de-
cididoo contrario pela junta, juros a razio de 0l/o /
ao anno, desde o din determinado polo primeiro
avise on do sorteio pars pagamento das mesmas.
A junta podert tambem, quando qualquer chamna-
da ou prestagco nao tenha side paga aso tempo
mareado pelo aviso primitive pare pagamento das
m snmas, depois do aviso de 14 dias ao membro em
faltals, contar juros sobre essay ehamada ou presta-
gbo a razob naeca superior a 10 O/o ao anno, des-
de o tempo primitivamente determinado para o
pagarmento, e a importancia dessa chamada ou
prestagiao corn o juror, come flea ditoe acima, serao
dinheiros devidos a ccmpanhia por forge destes
presented.
Art. 54. Nenhum memnbro votarn ou exercert
como membro, qualquer privilegio, a respeito do
qualquer accao possuida por ella s oun conjuncta-
mente, emqnanto qualquer chamada ou prestaiAo,
devida por ella, seja sobre umea agco ou aobre um
debenture, esteja por pagar.
CAPITULO XIII
Da converaeo de acqoes em fundos
Art. 55. A junta podert corn a sanegio da
companhis, previamente dada em assemblAa ge-
ral converter em funds (stock) quaesquer agcoes
registradas e pagas por inteiro.
Art. 56. Quando quaesquer aeces tenham si-
do eonvortidas em funds poderlbo d'ahi em diante
transferir seaus respeetivos interesses nos mesmos,
ou qualquer part desses interesses nao send me-
nos do valor nominal de 10, da mesma maneira
e sujeitos aos mesmos regulamentos, sob as quaes-
quer acces do capital da companhia poder-o ser
transferidas, oan to apr-.ximadas a elles, eonforme
as circumstancias permittirem.
Art. 57. Os diveraos pssuidores de funds te
rio o direito de participar dos dividends e uicros
de companhia, conforme a impartsacia, de seus
respectivos interest ues es fanmda, e asm intte-
resses em porporcla ao valor, ;ero a ens
possuidores, respeetivamente, os z*urMo privite-
gos e evantagens pars o fim de otarema em reu-
naoesc da companhia, e pars otUr4W*"wIf eomo ape-
:ria conferi Jo palas ae&oes de igal importattcla do
capital da companhia, pordm de nanemira quo nae*
nhum dresses privilegios on vantages, corn exp-
eao da participaio aos d=Vi=ae ou ros da
companhia, sera conferido po1ar qualquer descas
partes aliquotas de funds consolidados, como nao
conteririam, si estivessem em acea, esses privi-
legios e essas vantagens.
UAPfItLO XIV
Da confiscagio
Art. 58. Se qualqauer hamada oa pcestagoa ficar
por pagar dtrante sete dias dep i lti segando
aviso, anteriormeate meueioaada, a jiata podert,
depois de un terneiro aviso de sets dias ao mem-
bro, declarar essa aegao confiseada em benefici)
da companhia.
Art 59. Quando qualquer pessoa, corn dircito' a
reclamar uama aegbo, e alao e teIndo habilitado de
conformidade om on preantea, pan sec negistra-
do como o poessuidor da mesma, deizar de, par 12
mezea depois de pars isso ser exigido pr aviso da
junta, cama habilitar-se, a junta podera desde logo
depois de expirar aquell praw, deelarar eada
uaa dses.as acgIe omfiseadas em beneficio da
Cemmpeubif.
Art. Em qualquer tempc quo-os dinheiros, a
reapeito dos quaee a Cempanhia telr jus, on acog.
brue.quaeoqier secges rgiitradas em virtude de
qualquer a q. l aqi ncionado, nao form pages
destro de 28 dins depois de ter-se dade aviso par
escripto ao membro deveoor, eu a seus testamen-
tdiros ou administradores, exigindo dello, ou del-
les, a importancia, que elle a esse tempo seja de
vedor A Companhia, a junta podert, em qualquer
tempo depois em quanta eases dinheiros on qual-
quer part delles ficarem pot pagar, confiscas as
ditas accoes, e creditar-o em segaida o valor, que
essas accoes confiscadus tiverem a esse tempo no
mercado, contra esses ditos diaheiros, e pagarbo
aso primitive membro qualquer excess do dito va-
lor alem dos ditos dinheiros. 0 valor do mercado
em caso de diffarenga, sern decidido per arbitra-
gem.
Art. 61. A confiscacao de urna aeco envolvert,


Sao tempo da confiseacgo, a extincgao de todos os
interesses, reclanmaces e demands contra a Com-
r panhia, a respeito da accgo e de todos os direitos
inherentes a aces, except somente daquelles
Sdireitos, que por estes presented sao expressamente
' resalvados.


cretario do tempos l emoie do eavri o1
MI Ingatevra, q"a e come -a lugar I
A=-m pigstra I= Mwartton-
siderado paras finsa0d estatut.s e denies pro-
seate, ao lugar de oanns ruid ia. e *azlqer
lglaterrsa, nW. It*A itio d reeber aviso do
qualquer dma aas us-1, geraes'ou outros traba-
Jhos d companhi, anhumas assemblies on ou-
tros trabaihos eerab invalidados em rauo-de qual-
quer membro nao ter recebido esse aviso, como fiea
dito.
Art. 70 0 secretary permittiralentr e as 10 horas
e me o-dia, on em noutro qualquer tempo qeuo for de-
signado pala junta, a inqpoego do regiaro dos
membros ou de outro registro,eomo disporos s ait-
tutor, porem, de maneira qaue, qualquer membro
ou outra pessoa antes de inapeccionar qualquer
egistro, assigned o seon nome em um tivro que ha-
tertA parsa ease fim, e o secretario permaittir, antes
de qualquer assemblea ordinaria, nas ocoasioes e
sob as restricoes, qae a junta marcar qalqua erj
membro que ao seflicito, una inspeeco de qual-
qtfer dos livros de contas da companhia, que a Jun-
ta ordenar; porum, nao permittirt sem express
autoriss9ao da junta, qualquer outra inspecgao
dos archives, livros, e papeis.
CAPITULO XVI
Dos directors
Art. 71 0 numero de direetores nao sera (su-
jeito a alteraoao pela asembla geral) menos de
13, nem mais 9.
Art. 72 0 requisite em accSes pars director
(sujeito a alteraglo pela assembled geral) sert ea-
tar ease registrado eomoa possuidor de nunca me-
not de 10 aces da companhia de 20 cads urma,
on de nunca menos de 200 de funded.
Ar- 73 Os directores sorao semeate responsa
veis pelos actors qae elles proprios tenham execu -
tado, ou em que tenham tornado parts.
Art. 74 Todo o director, except a respoito dos
membros primitives, e os membros recommandados
pela junta pars a eleig5es, ou nomeados pela junta
par& preencher uina vaga casual, deve ter sido o
possuidor do seu numero qualificativo de accoes,
ou da somma de ftundos, pelo menos por 6 mezes.
Art. 75 Na reuuib ordinaria de 1886 e nas
reunioes ordinarias da cada anne subseque'nte,
um tergo dos directors, ou aquelles em seguida
menos votadQos,teem de retirar-se do cargo, e a as-
sembleas os reelegeri, se estiverem habilitados, ou
elegert membros habilitados pars preeaoherem
seus cargo.
Art. 76 A ordem de suecesslo pafs a retirada
dos primeiros directares serl determiaada per ae-
cords entire elles proprios, e se nao chegarem a um
accord, os directors que teem de retirar-se serlo
cscolhidos por sorte.
Art. 77 Qaando suacitar se qualquer question
sobre a retirada successive de qualquer director,
serA decidida pela junta.
Art. 78 Os direetores quo se rtiram, esitaado
habiuitados, poderbo set reeleitos.
Art. 79 Um membro n os endo director quo se
retira, nao estara qualifoado para director, senie
for recammendado pela junta pare a eleiglo, se
nao der a aecretrio ou delxar no escriptorio
anuca menos de 14 dias nem mais de dous mezeo
atA odia da eleigio, aviso pot aecripto de seun pro -
pro paenho, do se eouseantimeato para sert eleito
director.
Art. 80 Toda. a vez que a assemblies ordinaria
deixar em qualquer anne de eleger um director em
substitui* do director qee se retira, o director
que tern do-eetiar-seai o iderada como ree-
leito.
Art 81 'TocTo o director devil & largar set
cargo desde que cessar de po-sir o numero de ac-
goes ou a quantia de fAdosi.del babilitaoes, on tor-
nando-se fiallido, on s.speaodeado os sens pagamen-
tos, ou compoado-o aoots s eoam redoreso, en ahen-
do so lemwou sofffteudo Mentatmeate, on (se a jun-
ta nao revolver de outro mraodo) deixando e0ampsa-
recer A junta seis mezes consaentivos.
Art, 82 Um director poderi4 individualmeate
ou come membro de urma ociedade, ompauhia as
corporaoo, aindsa qua haja quaquer regra en di-
reito ou de equidade ao contrario, set interessado
em qualquer operano, emprego, negocio ou con-
tracto emprehendido, auziliado, ou feito peals -com-
panhia ou nos quakes a compasahia tenha interesse,
comtanto que a natureza e a exteusba dease inte-
resse sejam mauifestados 6 junta, ou po iert ser um
des solicitadores do companhia, e podert set no-
meado pars qualquer cargo sob a direcgao da jun-
ta, cru on sam remuneracao.
Art. 83 Nenhum director ieart inhabilitado de
set director polo facto de ser assir interessado, em-*
pregado, oan nomeado, porem, nao votark sobre
qassquer materias relativamonte a quaiquer epee-
raao, enwprego, negoeio, on contracts, em que seja
individuakuente interessado, on coma mombro de
urna sociedade, ou coma director on fuaccionario
de qualqaer eompanhia ou cerporagao.
Art. 84 Todasos asoos pr.at-ados par quaiquer
renniao da junta dos directores, ou pot qnalquer
eomirissao de directors, on par qualquer director
ou per eeus agents, ainda que aso depois se doseu-
bra, que havia algum defeito na a de qual-
quer desses directors ou dessas pess, on quo
elles ou qualquer delles, noe eram habilitados, so-
rio tie validos, coma seo ues peao tivesse side
devidamente nomeada, e estivesse habdlitada-a


ser director on agenbe. E -nenuhuma pesseoa one-
nhum director incorrer- na responeabilidadedepa-
gar chamadas sobre aceoes a respeito de ama habi-
li tacgo'ou por outra causa, em razao de ser ok tar
exereido o poder e as funcqoes de um diestoS, ou
exeeutado qualquer actor on quaespuer acts como
director, antes do ter-se devidamante hbitado,
se elle ao depois fOr ou tornar-se possnidor regis-
trado de acgies, on de funds necessaries habi-
litar-se come director.
Art. 85.. Qualquer director podera corn a appro-
vagAo da junta, por um document do sn a asasig
nature entregue no escriptorio, nomear qualquer
outro director on outro membro, que posset. o uu-
mero de aegos on fiead neaessarios posa o-qua-
lifiear director, puas voter por siem teds as sreu-
nie da jntadaju oante a ena amaeseneia Lx*-
dre; m e podera d tempos *m tempos wor, .e
corn a mesma approvagao renovar ess& nomeobo;
e toda a-pesoa sainam nomada deposit eom po-
der do seoretaro seun eaderego, so qualm e mas
darao os avisosa.
Art. 86. Director padera em qnalqneor tem-
po dar svisopor esripto deedeaejo de roig
nar, outteegando -ease aviso ao secretaries on dei-,
xand.-o a.no eriptorus da e3mpaatia, e sam a aeeol
ta*a de uon resigna*o pela iunta, e nmao an ,|
firar osoa lgar o.
Art 87. Qsalqaor sas casual, no lugar de di-
rector poderaser preenchida poelajuta, pelaro
inmeao de umr rmembrohabihtado. qua fiara to--
dos oas respeitos em lupt de sea prede aor. 4
directoreaetaate p"doa fsinar nka41bs
tante qumiquet vega .o -U"go -ujunt&.
Art. 88. A deLo dama -sRt. d
r1,000 par amemM-MA ss, -s e WW rau


-a. a t.'ad-erm s *
so d epais A pw dpa
jtA deternAamilgr~ i 4 -" < ss uuoo Do

Iftraordinarioa am B Mda A--^se s, yeaa
poder A!gi^" ii *^
ral- ow WOr MMANw~lwl r^ mumo d atAro, cOO't


testemunho do actor primitive.
Art. 101. A junta podera ser adiada a vontade
para o tempa e lugar gaa os directors determi-
narem.
CAPITULO XVIII
Dos poderes e dos deveres da junta
Art. 102. A junta poder, fazer, affixar o sell,
e executor corn as madificazios, se houver, como
ella achar a proposito, o aweordo a que se referee
o Memorandum4 de associaego, come jA preparado
em relago A compra, e a acquisigio de certas con--
cessoes para 03 trabalhos de plantaVoes e fabrics
de assncar no imperio do Brasil e para a cons-
truegbo de fabricas e obras respeetivamente, e do
qual accord se v urma copia no appendice anne-
xo. E a junta tei foderde e executar e fazer
todos esses actos, escripturas, instruments e eou-
sas como elLa poses achar conveaiente ou neces-
sario, afirm de per em execugbo ess acordo.
Art. 103. A juAta dirigira e administrari sob
a censure da asemblea geral (por-m nao de ma-
neira a invalidar qualquer acto teito pela junta
antes de umra resolugio da assemblies geral) tod 3
o negocio e. todas as transacaes da companhia, e
exercert todos os poderes e todas as autorisaqoes
e gestles da eompanhia, e obtert todas as conees-
soes, decretos, privilegios e acts legislative e
autorisaoes de qualquer governor, on autoridades,
e praticarA todos os outros actos, e cousas confor-
me possam ser necessaries para dirigir os negocios
dia companhia no Reino-Uaido e no Brasil e em
outras parties, except s6mente aquelles que pelos
estaatatos e par estes presented sao expressamente
deteraiaados que sejam exercidos per asembleas
geraes.
Art. 104. A junta nomoari sob as condigbes
aqui contidas, o secretario, o gerente, os banquei-
ros, 08 advogados e oatros funccionarios, nos ter-
-mos e condicges que julgar coavenientes, e con-
cordar, e podert de tempos em tempos remover ou
desttdtr qualqaer amr deltes e (tcmporariamente
ou de outra maneira) nrowea' outros em iseu lugar,
e tambem filar qumemqeor garantae (es houver)
que tenham de se receber delles para field desem-
peaho de senu deveres, eonforme a junta aear
convenient.
Art. 105. A junta poderA nomear e remover
commissAes loesfos em qualquer pais ou lugar, con-
sistiado dessas pesoas, sejaul dfroetros, meoe-
bros, on nan omo a junta achar aeetfado.
Art 106. A junta poderA debtekWVWar raglar
o quorum, os deveres. os actos ea eITunetIMrso
de qualquer commisebo constituida ou nomeada emn
faco do taltimo artigo, e qualquer debass conwats-
sioes eotarL a todos os erespeitos ujeita a direOV26
da jna
At. t07. A junta podera de tempos em tempos
nomear qmalquer pessoa par a set agent on re-
prenutante da companhia em quaiquer paiz e lt-
ga, e podera n mea r todos os servftftarios
fanccionarios necesearios para desempenhar as
fuaeoes da companhia em terms takes e corn a
remuneraeas que a junta julgar convenient, e
podera de tempos em tempos remwer essas pea-
seas, serventuarios e funecionarios, ou quaesquer
delles, e nomear outros em seas lugares respecti-
vamente.
Art. 108. A junta podera de tempos em tempos
delegar a qualquer commissio local, agent ou ire-
prescrtante, serventuario on funccionario todos ou
part dos poderes e das faeuldadesa da junta. -
Art. 109. A junta podert verifiear, concordar e
pMgar todas as despezas da promover, former e
inaugurar a companhia e inherente it isto, e da
emissio e collocagio de quaesquer aogoes e deben-
tures, que elals julgar coanvenieaute.
Act. 110. A junta podera exercer os podcre-
do actoro do sellos de companhia de 1864) cujos
poderes a compauahia 6 polo present expressa-
mente a sutorisada a exereer.
Ar,. 111. 0 secretario affizxar o sell corm a au-
torisago da junta e na preseaoa de, polo menos,
um director, em todos os docamentos que precisa-
re% de sell ; e todos esses documentos serao as-
siguados .por ease director e rnbricados polo se-
cretarie. Qualquer sell usadoe no estrangeiro sob
as disposigoes do actoro de companhia de 1864,)
serA fixado por asutorisago e na presenga da pes-
soa ou das pessoas que a junta determiner, e o
document sellado corn o memo, sera assignado
pelas pessoas que a junta tambem determinar.
Art. 112. A junta podeor, snjeita aso que antes
flea mencionado, exercer os poderes da companhia
de tomar dinheiro per emprestimo.
Art 113. Todas as letras de cambio e notas
promisseries seato aceitas, saccadas e endossedas
par dons direetores devidemente autorisados pele
junta, e rubricadas pelo secretario, ou seero sac
cadas, aceitas ou endossadas pela ou par part da
companhia ou par duns ou mais peasoae, urea da
qunes deve set um director, obrando corn urma pro.-
curagio especial ou eutorisaaao concedida sob o
solo da companhia e em virtude de urma resolucea-
da junta. -
.Art 114. A junta fart escripturar todas as
sommas recebidas e gastas pela companhia, e to-
dos os objeetos a respeito dos quaes es0es recobi-
menato e desp-zas tiverem lugar, e os creditos e
zesponsabilidades da companhia e de todas as ou-
ftmemuaterias necessarias, pars mostrar o verda-
diro estado e condicao da companhla ;e a escrip-
tu] acba devera ser feita em livros e da imanelr, e


as Aivros, da escripturaeo gaardados no lugar ou
ame Wgares doe egranga, que a junt achar con-
viaUtes ; e todas as caseonta da junta, depols d
glozadas e approvadas por urma asuemblta geral,
smoaro coneclusivas, except em quanto a qaaesquer
pervos aoeobertos nmas meamas dentro de dons me-
zess depois da approvagio das mesmas.
A"t115. Erro descobertoa deatro daelpe-
rieo- serol logo owmigidos, e a dita coes no

Art. 116. A junta podera em qualquer am ei
".f.a li e h ito px N l .o-, pawabeg de
#91oua-k dizbiWp "qwkperoena qam
tooa< >fcat loeecoadf ~of Ai
a iihf pora toi.4innw& por MOpOSAi"ao

iMito 00 WOOc sw"'*~ll~ll


do -sidage on. 0-am-460 a hros I
on por todos ou qnoalqnpa um bstes .
AOt E20. U. di ptr -poeaeIaAo eostmrt, du-
renteu iw de I N sje1W-e re tirada
pot erdene s8 oessMaR; W 6 sera- i:nhfido,
fica~ia, sueito .s4olsias tdm0lofsd em quanto a
reslgt& 'ea e corn outros bAretorei daa
,6io pntl. Se Mee essar de exercer o cargo de
director per ququ oaousa, cessara ipso facto im-
madiatamente de ser ggafte. .
Art. 121. A juatawpera de temposem tempos
eoafiar e -confei r so -direetor gerente em -exai-
'i', s poemres-1qae lthe caibam peloa present,
cOlfafnte ajOIts julgar conveniuete; cepoder& Cod.-
Sferir eases poderes polo tempo e pars seem exer-
cidos para os -objectos e fins, sob os terms con-
dti5eas e corn as restricoes qu e elisa julgir propries
e poderi conferir esses poderes cotlateralmente
corn, ou em substituigio de todos ou de qualquer
part dos poderes da junta Aquelle respeito ; e po-
dera de tempos em tempos revogar, restringir, al-
tert on variar todos ou qualquer nam desses po-
deres.
Art. 122. Um gerente nao tera ou exerecrt
1*r6equer poderes maiores ou mais amplos do que
pelas 'diposioes destes presents sejam exer-
civeis pela junta, e elle ficara sujeito no exercicio
deamses poderes a todas as mesmas conligees e res-
trigcoes a que a junta se achava sujuita nis mes-
mas circumstancias.
CAPITULO XX
Dos fiscaes
Art. 123. Urma vez pelo menos, em cada anno
serao as contas da companhia examinadas e a exa-
ctidco do relatorio e do balance apresentado polo
junta ser veificada por um ou mais fiseaes, que
nto necessitam ser membros, e que serbo nomeados
pela assemblea ordinaria em cads ann o para ;
anne seguinte. At6 a primeira assemblea ordica-
ria junta nomeartos fiseaes. Todo o fiscal que se
retire A elegivel para a reeleiglo, e qualquer vaga
casual no cargo da fiscal poderA set preenchida
pela junta, sujeiva A confirmaglo da seguinte as-
semblea geral.
Art. 124. A remuner o dos fiscaes sera fixa-
da pela assemblea e elles glosarao as contas da
companhia, conform os estatutos e estes presea-
teo.
Art. 125. A cada fiscal se forneoer4 urma Ista
dos livros da escripturagbo da companhia, e elle
tera em todas as occasioes rasoaveis, access aos
livros e contas da companhia. Poder A custa da
companhia -empregar coautadores on outras pessoas
pars o ajudar no exame das contas, pedir eselare-
cimentos dos directores ou de funccionarios da
companhia.
Art. 126. Polo menos 21 dias antes do dia pars
cads assemblies ordinaria, a junta entregart 0os
fiscacs o relatorio annual das contas e o balanco
que tern de apresentar A assembleAs, e s fiscaes
receberbo e examinuaro os mosmos cornm as contas
e documenatos elativos e inspeccionarbo pessoal-
mente O s titulos da eompanhia.
Art. 127. D6ntro do 10 dias depois do recebi-
mento do relatorio das oontas e do balano, os flu-
ceos 6a confirmarao ou nao, soe julgarem conve-
niente confirmal-os, daro urnma inat aoe espe-
-diad sbe t mesmosr e etregarao aj junta o seu
patreter eie eamea de eontas do baango corn o
reloatoe que auenoonasi o resultado da ins1pecglo

Aft 12. 8ete diss uteis antes de qualquer as-
sembl6a ordinarta sera remettida urama copies im-
preom polo sorreio on de outra maneira, das coun-
ws e do batanco examinados, e do relatorio dos fis-
caes, pelajuwta, a todo o possuidor de acq5es e de
tandos registrados contorme o sea en eforego regis-
trado.
Art. 129. Em cads assemblies ordinaria, o rela-
torio do fiscal sert lido perante a reunibo corn o
relatorio da junta.
Art. 130. Nenhum valor de fund de reserve on
de quaesquer outros empregos serA disposto pela
junta, emquanto esses valores nbo tenham side
examinados polos fiscaes e por elles declarados de
estarem correctos.
CAPITULO XX[
Dos directors, depositarios e outros funccionarios
Art. 131. Quando a junta achar convenient,
havert tantos depositarios para qualquer dos fins
da oompanhia, quantos a junta determiner, e serao
nomeados c removidos pela junta, e terbo a remu-
heragas e 0s poderes, executarbo as deveres e seo
rio sujeitos as regulamentos que a junta deler-
minar.
Art. 132. Os directores, gerentes (se houver) de-
positarias, fiscaes, advogados, secretaries outros
serao indemnisados pela compauhia de todos as
prejuizos e todas as despezas em que incorram on
concernentes aso desemionho de seus respectivos
deveres, excepts aquelles que possam occorrer par
sun respective falts ou acte voLuntario.
Art. 133. A jinta podert pagar um agent, ad.
vegado ou funoeionario da eompanhia par porcen-
tagem ou per outra commissao, seja elia calculada
no todo oa em part dos lucros liquidos da com-
pashia, ou sobre transaegoes species.
Art. 134. Nenhum director, depositario ou fune.


cionario sera responsavel por qualquer outro di-
rector, depositario ou funecionario, on por ter tido
parte -em quoiquer reeebimnento on noutro qualquer
actor por conformidade oa por qutalquer prejuizo ou
despeza que occorrer A.companhia, ou a qualquer
outra peassesoa, sobrevindos de acetos ou do procedi-
mento da companhia, salvo se eases prejuizos ou
despezas form causados por falta ou actor volunta-
rio d'elle.
Art. 135. As contas de qualquer d ,positario ou
de qualqner funecionvo poderbo ser liquidadas,
aceitas ou nBo, no todo on em parte pela junta.
Art. 136. Um director, depositario ou outro
funecionario, viado a fallir, liquidando seus aego-
cios por arragnjo on publicanente conchavando-se
com seus credores, ficarA per isso inhabilitado pa-
ra obrar eomo funccionarioe cessarbo suas attri -
bucges, cam tanto que atA ser feita-a deelaragia
de suan inhabilitagbo nas actas da junta, os actos
do sen cargo serof tio validos como exercidos
por am fuaccionario babilitado.
CAPrIULO XXII


et~lrie tl iitf'f1^ radilque o
ae eja o numero ou a qusatia das aeoes eu dos
frdos por ells possuldos ter- apooe aode d eidir
sobre todsas materits, que podiam propsria te
ter aido resolvidfs us assemblea em que 9 adia-
mento teae lugar, no aao do baver esttda pro-
Art. 14. President, crne o cenmntinento da
assemble podeA it qaaerM bla geral,
pars outra oeftsio e pata otft Itgar, e negocio
nenhum seral tratado em uma assembiea adiada,
alem dos negocios que ficaram por acaber na as-
sembla em que teve lugar o a disment, e que po-
diam ter sido tratadoa n'aquella asembls.
Art. 147. Pessoa nenhuma, tera, como portador de
urma cautela de acego, direito a compareeer e votar,
ou exercer qualquer dos direitos de um membro em
qualquer assemblies geral daCompanhia on assignar
qualquer petiggo convocando urma assemblea geral,
so ties dias polo menos, antes do dia marcado pars a
assemblies no primeiro caso, e se antes da petiggo
vr eutregue no escriptorio nos outros casoe. elle
nao fiver depositado a dita cautela de acco no
eseriptorio, on qualquer outro lugar, ou em un m
dos lugarvs que a junta deteraiuw de tempos -em
tempos, juatamente corn urnma dedclaraegiao por escrip-
to de sen nome e enderego, e se esta cautela de
aceos nao ficar assim depositada atM depois da ase.
semab6a geral ter tido lugar. Os omeos de mais pea-
soas do que um i, como possuidores em commum de
urns cautela de aclo, nao serao recebidos.
Art. 148. Eotregar-se-ha a pessoa que aesimn
depositar urma cautela de accao um certificado
mencionundo o sen nome, endereco e numero 4!e
acoes ou a importancia de funds ineluida na
cautela de aegia depositada por elloe, o qual certi-
ficado Ihe dari direito a comparecer e votar na
assemble da mesma maneira, como se elle 4osse
um membro, a respeito das accoes e dos funds
especificados no dito certificado. Corn a entrega
do dieo certificado, a cautela de aegio, a respeito
da equal o mesmo lhe havia sido dado, Ihe serA res-
tituida.
Art. 149. A junta, convocaudo qualquer assem-
bla geral, e os membros, convocando urma assem-
beAs extraordmiaria, daro respeotivamente avizo
da assembl6as polo mends 7 dias, e nunca mais de
15 privios ; por6m a talta de recebimento de avizo
por qualquer membro, seja por causa de na'o ter
elle lugar de endereco na Inglaterra registrado ou
por outra canesa, nao iuvahidari os acts de qual-
quer asembl]i geral.
Art. 150. Quando qualquer assembl6aa geral fur
adiada por mais de 7 dias a junta dara avizo pelo
menos de 4 dias, da assembi6sa diada.
Art. 151. 0 avizo convocando urma assembilea
geral sera calculado exeluido o dia do avizo, po-
rem ineluindo o dia da reuniao.
Art. 152. Avisos convocando assemblias geracs
ou os seus adiamentos, ser.o dados por- circulares
aos membros registrados, mencionando o tempa e
lugar da reuni4a, e a junta on uos membros, convo-
cando urma reuniao, darao tambem avizo por an-
nuncios, se houverem em existeneia cautelas de
ac0ao.
Art. 153. Nao se tratarT de negocio algum em
assemblies extraordinarias, except daquelles que
form mencionados no avizo convocando a. Em
todo o case que, por estes prescntes, tenha de se
dar avizo de qualquer negocio a tratar-se em as-
sembleas geral, a circular e o annuncio, se houver,
tergo de espocificar o negocio.
CAPITULO XXII
Does poderes das assemblies geraes
Art. 154. A companhia poder corn a sncol de
qualquer assembl6a extraordinaria, e sujeita quaes
quer condi5es impostas pela assemb1& de tem-
pos eo tempos, exercer qualquer dos podereos eon-
feridos pelos estatutos a companhias limitadas por
aces.
Art. 155. Qualquer sassembla geral, quando se
tenha dado aviso a esse respeito, podera por umr
resolucao, extraordinaria, remover qualquer direc-
tor ou fiscal, e podera por uras simples maioria
preeneher qualquer vaga no tugar de director ot
de fiscal.
Art. 156. Qnalquer assembileas ordinaria, serm
aviso a ease respeito, poder, eleger directors e fis-
caes, e podert receber, e, on no todo on em part
rejeitar on adoptar e approvar as contas, balan-
cos e relatorios da junta e fiscaes respectivamente
e podert, sujeito as dispoaicoes destes presentes,
deeidir sobre qualquer recommendacao da junta de
qualquer dividend, on retativamente aso mesmo.
Art. 157. Nenhuma resolucao pars o augment
do capital, nero quaiquer resolocao reterente a
emissal de novas accoes, sera passada sem a pre-
via recommendacao da junta.
Art. 158. Qualquer resoltugo par escripto, nbe
send exigida pelos estatutos, que seja tomada de
qualquer maneira particular, se for recommendedad
pola junta, e depois de aviso da mesa a todos as
accionistas registrados de accord corn as respec-
tivos enderegos, sanccionadae adoptada por escrip-
to, pelo menos por 3 quints em valor dos membros,
sert tAo valida e effective coma urea resolueo de
urna assemble geral.
CAPITULO XXIV


Das attribuig5es da assemblies geral
Art. 159. Em today a assemblies geral, o presi-
dente da junta ou, na sun ausencia, o vie.-preti-
dente se houvor, ou durante a aueencis dellei, nm
director eleito polos directores presents assunira
a presidencia, e se nao houver director present,
ou se todos os directors presents recusarem as-
sumil-a, um membro eleito pelos members presen-
tes tomara a presidencia.
Art. 160. Em toda a assembila ordinaria, na
qual quaes quer directors, tenhain du se retirar do
cargo, eonservar-se-hao elles em exercicio atA a
dissoluao da assembl6a, quando se retirarao do
cargo.
Art. 161. 0 primeiro actor de cads assemblies
geral, depeis do president assumir a presidencia,
sera' a leittura da aets da ultima assemble a geral,
e se a acta nbo parecer a assemblsa ter sido assig-
nada de cnformidaede corn es estatutog ou estes
prcsentes, sera depois de corrigida, assignada pelo
president da assemblea em que for lids.
Art. 162. Sujeit a set pedida votaqoa ptr os-
crutinio, come esta menciosado adiante today a
questiao que toern de ser decidida por urna. assenm-
bla geral, salvo se assim for decidido sem _ar
dissident, sera resolvida polo levantamento das
mnoE, pela simoles maioria dos membros pessoal-
mente presents na mesma, e qualificados a votar
conform estes presents.
Ar. 163. Em umrns assemble geal, s.oe i escru-
tinio no for pedido immediataminete depos da de-
claragio do president do resulted. do levanta-
mento daa raoos pelo menos por 3 memabros, ou pr
ease membropossuindo on representado por praoea-
rago, ou corn direito a votar a respeito de pelo
menos um quinto do capital rewpentado as a4-
0m1e1a, que ama rs l foi temadr pasau a
on foi prejudiced. p*-US e'rtam ai 0 aa
delaraoso este fIoW&r MS owhnas t acts 44s
trabalhos da assembly, seriL coaIimW a pro 4o
faseto amasi dee .id% a pa viPff do uoaon da
prompswgi. doe ,otws ades $0 *a oastra a woosot-

Art IO. SeBe A- eftidom tu iwM W' s w-
cedera a eldie o m ris no a ia-
tamente onu4O ~ a d 7 tw isso,





























r s7-._V- breco4rsitALsWutrrn
S deui ,t ePspo tempos nomear qualqaer oe
asa bi.- M M piseurador para votar eam es
crtatBioh
Art, a& Tode o instrument de procuraglo se-
yA, felt. pM easripto nos soguintes termos, on a
permittiref m aeA assignado pale constituinte,
e depositwad m eriptorio polo aenos 48 horse
antes do tenmpammn ado para a asaembla geral so
reunir:
Eu ELA. B., membro da Norti Brasilian Sugar
FPa 'i Xmiftd, -pe que sate noWei a (0. D.)
ou na sua. ausencia (E. F.) ambos membros da
companhis, pars obrar coma men proceurador na
assembl6a geral da coanpanhia, que terA lugi r no
dia-de--de 18-e em qualquer adiament, da
mesa.
SEm testemunho de verdado me assigno, aos-
do-de 18.
(Assignatura).
Art, 171. 0 president de uma assembl6a reral,
pm qualquer case, de igialdade de votos em uma
votav'o por escrutinio, ou de outra sort, terA o
vrtu definitivo.
Art. 172. Os advogados da companhia sero os
unicos juizes absolutos da validade de qualquer
voto dndo cm qualquer assembl6a, ou em um es-
crutinto exigido em qualquer asemblea, e po-
ciriao approval em deizar de approval os votes
dados, coaforae elles form de opinilo que elles
sejam ou njo vWidos.
CAPITULO XXVI
DDa sa s das assembl6a geraes
Art. T173. Toda'a decaracio no livro de actas
dt assembt geral,. quo tenha de seot langada e
aBsignada de conformidade acorn o eatatutoa e es-
fes preseutes, seri, na ausencia de prova em con
trario, considerado um testemunho field e um actor
genuine da companhia par conseguinte, e cm todo
o case o ones da. prova de erro recahira inteira-
mente sobre a pessesoa que fizer objecgio ao lanna-
mento.
CAPITULO XXVII
Dos fundos de reserve e amortisaeio
Art. 174. A junta paderA de tempos em tempos,
al6m do fiuda, de amiortisaa )para o resga-
te das- acqoes preferenciaes, que ja toz aqui dis-
posto, por6m (sujeito aos direitos do governor bra-
aileiro e de qualquer governor provincial por forVa
de decreto, coneessio ou contrato) reservar ou p6r
de pare doe dinheiros da companhia as sommas,
que a juizo setn f Or necessario ou convenient se-
rem applicadas A discrieio da junta a igualar os
div;dendos, ou para fazer face a prejuizos, ou
ptra novas obras, construog5is, material rodante,
plants, m-ie inismos e pars outra propriedade,
sujeita A depreciaEg'i ou a eatragos, ou para fazer
face a reclamarnes sobre a companhia ou a suas
responstbilidades, oen pra serem usadas como fan-
dc de oamirthai3i para pagar quaesquer deben-
tares, hy)pothecas, bonds, ou encargos da coinmpa-
nha, ou par.i quaAqaer fila da comnpanhia, ou para
qutiquer filn mencionad) em qualquer concessao
feita A companhia.
CAPITULO XXVIII
Do emprego dos dibaheiros
Art. 175. Quasesquer diaheiros levads a credi-
to de qua'lquer tuado de reaserva ou amortisaguo e
todos os outros dinheiros da companhia que nao
sej ,m immediatamente applieaveis pars quaesquer
pagamentos a que a companhia tenha de fazer e
que nao sejam preeisos como capital active em
qcu Iquer 6poca, podenao, sujoitos sos terms, eon-
digbcs e reatric5es f(e heaouver) a ease respeito
contidas em qualquer deereto oun coneesso, ser re-
colhidos em deposit em qualquer Joint Stock
Bank a-dres ou do Rio de Janeiro, e* pode-
rao (sujeitos como acima dito) ser empregados
em titulos do governor on do Estado, roeaes ou pes-
soacs, ou em oatros titualos c empregos (outro)
que nao s'jam a compra. de acq6as da companhias
conuforne a juta Upossa de tewpos em tempos va-
nrar eases empregos comojulgar acertado.
Art. 176. Em. qualquer caso em que julgar con-
veniente ess-s empregas. ou qualquer part delles,
puderto (sujeitos como acima dito) ser feito no
nome dos depositaries.
C'AYTULO XXIX
~ ~ N dfwrfivindow
Art 177. Oc lueros liqando, do eompanhia. em
cadanasno marto a somma declarada eawo tat pel.
jpato^ ldeois da. deduccuo da quantisa, que
dev~efx po qualquar decreto oe conceasoo anr
leva das a fundo de reaerva ou de amortisacao, oa
couforaeta junta pose, nujaitos a tdios 0a direitos
reservados e obrigagies impostas par qualquer
4ecrreto ou coneoosns, judgar umcassaaaio e conve-
mlnte oevar a qualquer fund de reserve ou asoir-
tisaago; a esses 14mar liquidua ser pagoi (an-
jpito a tedesoa deitsu a obriguen dclte desd
reservadas e impostas, e a paaummnta da juros,
nhoaves, weido soblew as Gbuipq.i da oompa-
xhia urs tnso. am us tivisado sobar as
quantias de tempos em tempos. gan sbre o e,;-
tal em oeoq-e 4.. coanpsobia), ezforme, a pswirida-
de (ni hioaoe) den ditseates porceuu dese capi-
ta4l, a seod aadea de atme modo, amma foe de-
terminado pa assaiblh s!a\.
Art. 17&. Seami aimer dividrada mrait do-


claradc do que 0 reeomnmendada pls junta ; me-
nhum diridado serf. paSvet senao dos iaros li-
quidos.
Art. 179. A junta podard drclarar am dlvi-
dendo inteumediariao. a.asiai de qusausv por-
tee de uamsnw quaado mua-opiaiAo OB luaos
liquids da. w aop ia. owpermatdrcm.
-i 180. .Toda a diviatendo ulterior, l-go dpjis
denordeearao seri pge la pesas ew dircito
a elles, do uaeqe q jata do t rpaa en tern-
paS deterinar; ae e haorer aais d unra peMoa
registrada com,) posmuidoc& de urna aegi o de
funds, o pagameato oeio As pessoas cujo nome
esteja em primekro lagar sert sufficient. Fican,
do sempre oa.eodido Ie j aj quluae dividend
for pago p 'w d'lxt--0" 6 t modo, e
r n .r onremUt od peo correio, seri assim
entregue t^'tfllfki8 pe dozbE e i4 ffo membro
corn ueiti twg e divrded..
Aft 18. 1. dno um amccirnit.. ou quiqatr
mu doba oau e m sa pocidores asm&iados em
urna ancgo, ou eim fandos, eetiver devendo ai oa-
ppalui todo' as dividends ppviabAre ovmre

^d^ ,pesidlos lpe coma e iB kai&sa~ itBiao



dqar riit i g.er..i fa lM, ease a divi.


a MON, woi
A 8 l* t Avis ad deAarap oT quantla rdi


... r. .. ... 'im pa



X-4-
a '. .te
':'"i h^ ^ E ^ a BB f~e**;'j yce di .a pl ifi


muiher ^l ,^^ metude~pd
quer on.= utt q mnoualqer
int~er~tp":. I

aidm, fMAr-ig 0..m dSE0o re-
giatrado ~ ~ ~ 1 ILr| ph^ & Waahiw
doeverte
maioiidsdej da Js idittino, ala falleucia
on do aent d mbro regisutrado, o
desse intereue equitativo oa&teoutra espeme.
CAPULO XXXI
Do arbitragsiB
Art. 189. Quando suseitar-mw qualquer dilerea-
ga entire a companies doe ha a4o, o qualqaer dMa
membros, sen testamedosift, administrator on
procuradores do outro lae, referent e A verdtdei-
ra intelligence, ou pensameut6, incidente on dts
consequeneias destes preseones ou dos estatutos, ou
a respeito de qualquer cousa entie, ou depois fei-
ta, executoda, eOittida ou permittida em virtude
destes preeentes e dos estatuto, on relativamente
A qualquer violavio, uo nllegada violaglo ou de
oattro mnodo, relativamente As promissas on a, easts
pasetes em eos as Atr a* a qu mqiWFl bl-
aceps d a companhia ; ;ququeur dessas differengas
sert submettida & decislo do am arbitro, que serti
nomeado pelas parties dissideotes, ou nse efla nio
concoraarem em am unieo arbitro, A decideo de
dous arbitros, dos quaes cads unma das parts dis-
sidentes nomearA o seu, ou a um desempatador
que sert nomeado pelos dons arbitroa.
Art. 190. As despezas desm louvamento e des-
s-% arbitragem ficarlo A discriggo do arbitro, ar
bitro, ou do desempatador respectivamente, que
poderlo determiner a importancia das meumas, ou
ordenar que as mesmas soam taxadas como entire
advogado e client, ou do-outto mode, e poderao
arbitrar por quem e a quem, e de que maneira as
mesmas serao supportadas e pages.
Art. 191. A subinussoo A arbitragem sera su-
jeita As disposicoes do actor relative ao process
de lei commum de 1854, (common law procedure
act 1854) ou a qualquer modificacAo regulamentar
do mesmo entio existent, e valert eome ordena-
Qo ou ordem do supreme tribunal de justiga de
Suaa Magestade, por petiagio d aqualquer das par-
tes, e essa part podert instrzir o conselho a con-
sentir nisso pelas outran parties. _
CAPITULO XXXII
Da liquidagao
Art. 192. No case da companhia ser liquidada,
o active que sobrar sern applicado priumeiramente
ao reembolso, pari-passm, de todos oas dinheiros
pages a respeito de chamadas feitas na liquida-
gfo, e em segundo- lugar ao pagamento pari-
passu, de tod o ouetro capital pago ; por6m esta
elausula -orA scm prejuizo dos direitos dos possui-
dores de acOes emittilas camorn privitegics prefe-
renciaes sobre active da eompanhia, ou sob
ouaesquer outras condigies eeciaes.
Art. 193. Se a companhia for liquidada, os ili-
quidatarics (sejam voluntaries ou officials) pode-
rao, con a saneolo de uma resolugio extrsordina-
ria, dividir entire os contribuintes em dinheiro,
qua quer part do active da companhia a deposi-
taries, corn as segurancas em beneficio dos econtri-
buintes, que os liquidatrios, corn identics sanc-
9io, acharem conveniente.
Art. 194. Se em qualquer tempo os liquidata-
rios da companhia fizerem qualquer venda ou cc-
lebrarem quaiquer accords- de t-oormidade corn
a (seclo 161 do acto de companhias de 1862) um
membro dissidente, no sentido daquelle (aoto) nai
terA por isso os diheitos dados a elle, pwrem em
lugar disto, elle podera par aviso escripto dirigi-
do aos liquidatarios e eatregnue no escriptorio.
nuaca mais tarde de que 14 dias depois da data
da reanito, em que a resolu*co eapecil autosisan-
do ensa vends ou. aecordo foi tomnad, rseoezer-
Ihes vender as aeVoea, funds onu outra propriedi-
de, opc ilo ou privilegio, a que pelo aceordo elle
viesse de outro mode a ter direito, e a pagar-lhe
o product, e essa veads e pagamento serti per
conseguinte feitob.. Esa vend&a ultimamente men-
cionada, podera aer feita c-mo os liquidatarios
julgarem conveoiente.
Art. 195. As dasposigoes acims, a respeito di
liquidagao, et#&Vaqeita5 tCdos os respeitos, aos
direitos do govern. imperial do Brasil e de qual-
quer goverso provincial, em face de qual qua
conceosso outorgada a counp nhia, e das lein ge-
rams do Brasil.
NOMBS, EMDE8EOS B CVfACGTE DOS SUSSCIIPTORES
L harles Hdory Whitehurst, 23 White Lion,
Street, Bishopsgate, Lendren, escriptarario.
James Ketlingswarth, 59, Rhssel Road, Finsbu-
ry, Park, N., Londres, eseripturario.
William Alfred Dawmn, Norfolk Cottage, Wer-
terroad, Pulney, Surrey, engenheiro civil.
Alfred Tyson, 2 Pyrlenc Villa, Richmond, S.
W. S y, engeanheiro civil.
James Leriie Wanklyu, 100 Piccadilly, Len-
dres, W. seam oeeupaco.
Ernest Anthony Henley, 1 Chitworth Street,
Westboarne Terrace, Londreo, engenheiro civil.
James Strict, Swansea, Glamorgan, nogociante
Dlatado em 26 de main de 18g -Tegtemiha
daa assigaaturas acima. 0. W. Wainwiight,
S$tapte Tan, advogado.


DECRETO N. 9,965 0E 2t DM JUNHO DE 1883
Autorisa a Te North Brasiia S au r
Factories Company, limited a funceio-
nar no impvrio.
Attendendo ao qua me reqaereu a The North
Brasilian Sugar Factories Gompany, limited de-
Svidameot;e repreeatada, e de conformidade eom a
minha d fhist lte do 9 ha tuente meoz,
mtoada sobreoareeor Ad saea dom negoei"s do
conselho de Ef ,. e em cosfulta de 8 de
abril lnitimo, hci par bem aatorisal-a a funccioe-
dar no 6mp'rio, com seus estatutos reformados,
medimnte-as clausulas quae baixaram "cin o deer.'-
to n. 882 dae 17 de Fevereiro dests anno.
Affieo Adgusto MKreira Penna, do men con-
selho, ministro e secretario do estado dos negacios
& gtuaiira, eommercio *aeirau'publka-vbuim
o tam eats dido e fago executor. -Palaeio do
Bin deJwsiro, em 2L de Junho de 1883, 62o da
iweuedbbt e do imperio.
Cornm a rubrica dc sua wligestade o imperador.
A fonso Agsto MSordta Peam.


Atesdot eompaahlae de 1563 a I Sl0
- -OMPANHIA LILMITADA POR ACQOES


I


vat I.i: Oil




ts,u-mp~oeito adisa* mAtid, tom
4 W-4iwio 4. giW -
rfts. pegs obue anus um a anai n-
do~ on direitas dog powuldrem du ae~weor-

PoAm sia sio enitd&aem tempo alpm
pelat -o1ai1- rab -.e"eeuiac ar urna imn -
portanciaaa nand eqsr mo moja e qua aeou-
ro pagavel aeafidoaese tempo pai governor
impa.M a eauffiqeante prus pugar urn di-
videuds.. 7 Wmane.
3.a pel aL famidade dadsa a junta peo art. 25
da as eniae, pa l toma emprestado S 20,00,
com0 am memo dspo, aeja ampliadsa eque a
junta moja e pela piesnto autorisada e arevestida
do podes pea uBomar emprestado qunalquer om-
ma, ns e-oaden .no ted. a ;505$00, da ma-
mai rem ajoita aA diump ee a em respo ao-m
Wads sssarigiaAdeemiqio'-dempas"hia.
4.a Que'atimtm MGzP-s l dh ia juitpaw dm
2,0008poseeum s% pnisio u d1- do jmnueiu d
1883 e q a elstautBSw due m" w do inuueeii
deveri setW lids enttndidtema i dade a quella
data a somma do 2,00 tivene sido inserida na
mesm#.
W. Alfred Dawson, president.
C6pia 6el.
Ernest cleae.
Registrador udjunto dos companhias anonynas.
-Joint Sek Companimes.
Traduzido litteralmente do original, em inglez,
quera me foi apresentado ao qua me report.
Pernambuco, 31 de janeiro de 1883. -Joad Fams-
tino Porto, interprets do eommercio.
Certifico quao s estatutos, cartas imperial de-
cretes us. 8,882 de 17 de fcveiro e a8,96de 21
de junho de 1883, clque autorisaim a funeonar no
Imperio a Companhia the North Bazilian Sugar
Factories, limited, form arehivados na f6rma da
Iei a 8 do correcte.
Secretaria dg Junta Commercial da cidade do
Recife, 13 de outubro de 1885.
Em 6 de verdade 0 seeretario, Julio Augurso
da Cunna Guimardst.




rrbneir. pr metor eapt.al -
Por acto da Presidencia da provincia, do hentem
datado, foi exonerado por conveniencia do snvi"o
pubilico, o Dr. Henrique A. d'Albuquerque Milet
do cargo de 1 promoter public da capital, e no-
meado par substituit-o o Dr. Job Joaquim de
Froeitas Henriques.
Autoeridates potlelaes-Por vortaias
da preosidencia da provincia de 13 deOutabro ee -
rents, foram nomeadas sob proposta do Dr. ehefoe
de policia interino, as seguintes autoriadades poli-
cies, em substitui$3 das aetuaes, que ficam exo-
neradas
TERMO DE CGBRIS
rgo se ntco deogledoe, Jes& Rodrigues Pe-
reira de Freitas.
Diaetrko Santa Agueda .doPeV ,eira
ubdelegado, Jos-6 Alexandreo Correia do Mello.
10 supplente, Antonio Manoel Bezerra Caval -
cate.
20 dito, Jos do Rego Maciel.
3 dito, Alexandre Gomes de Araujo Frafim,
SDitricto de Alagoinhas
Subdelegade Jos6 Rufino Bezerra de M ell.
P supplente, A siedoi Bezerra Cavaleante.
20 di4t, Jo6 Soares de Maedo.
3 dito, Francisco Tenorio Cavalcante.
Diatrioto de Nonea S enhora des Dor a deoo
Subdelegado, Franciseco Vicente de Vasconeet-
Mon.
10 supplente, Miguel Archanjo Bezerra.
2 dito, Jos6 Francisco Alven.
3o dito, Henrique da Si de Roalg.
?reguezia do Hrno Sene dcnhora Meso
Sw bdelegado, Ambrosino doragde Baee.
10 spplntes, Fraciseo Peola de Vasusmel-
los e Silva.
20 dite, Fraaeiscode Brito Cavalcante.
3. dire, Leodegnric Emiliano do Espindola.
Diet noto e do Ofsa nor dgas Dore Bte Pr~




Subtelegado, ViFranc o Jos6 do Couteo.
I1 supplente, Jerenymo Pachece do Albuquer-

que. TEEMO DX 154A.0k DE BAtIO
Delogado, Francisco Alres do Siqueira ielle.
10 nupplente, Dunare Francisco dos Santos.
20 aito, Esperidilo Leito do Siqeoira.
3' dio, Josb Francisco Fraslo.
Distrieto de Alagoa de Bao
Subdelegado, Rayinundo Fe g'rroeira de ll Ju.
nior4
1" supplcnte, Alexauirae da l dya Vaaeoueuml


2e dito, Francisco Nunes da Silva.
3o dito, Joao & Daw Bvai&
S DWnftc ie (apity
Sbdelegado, Isidoro Camello Peasa do Siqeli-
ra CQwulante.
1 sppleate, Jeaquim Francisco C anvcante.
20 dito, Joaqeuim ALves de Siqueira Badaems.
3 diM., Je Antonio ds Santos Carraim I
TSXNO DO ESXIT1
20 sapplente do delegido, Joe6 Dias Parte.
30 dito, Joaquim Pereira Lima.
11a dvtriftrt
20 suppleata do suidelepdo, Vicente Ferreira
de Castro.
30 dito, Jose6 Fariaa Costa.
20 iitviea (Baue4)
20 supplste do a leegst.a Fuawiino Josk6
Baptistl.
3o dito, Domingo. de HolUdaa Caal""aft.
T=P&G dI ALJABeS
1o supplcnte do dolegado, tenente Jueo Felix


Perenha.
Ct*SHts Rw gflMWUtlt^h-D smietania
do Vefto' i fb nmettldo pat publicsa :
!a tifa dim 6 itOiS db Panmbuwl td
paitste ldB -.Illm. e ri '6.. 0 -0,0
=9W T. ki -o' dormtna ea onAdo de Wo WS -
2 dowauat- mu%, e nw feM *pF waetM&o s
h b"r tie Bhea V'. in. Z a em e istw
Old&Ii Atrftei.w w do )tvisi u aftta ppniada BI
14 ft Agbuto do cassente faw py dpi sa-tikli-
tar-me con a eom npetmie fiieas, Gnj.teno foi
isvt.do 17 dl Ago*te do eoarreate auu
. ; QaQ tudton 0o nape fdo meu emwaels-tem
lido oxtrbldda des toteriun:
Que o ee ral o tsxtrahidas us lote-
sian 6 anlesd& s, t mwai ats eesor, treedr

U eb am a....
7rTVeA,B~f|BBWM .n A s ,Je a.o afl'gN.


eom oa... &.... '* StWC ."WW -w' -ti
loe

refatids auy .^|&abtaootol
reiro e nem direetameatW
tabelecidaw s 11 iajft saau; A thwsoa-
coin a eseripkpb *la is.. es


pagamenton, so0 s-pans
funcciahirio, B lmt sei s tudo
aia despezn in- qul a uepiuevel
para eum a Fazenda, o thenoureire palo seu fiel
que fizsra o pagamento dando-meeb.verbalaeete
parte do ocoarride adeleii Ikq qaq entrwte in-
continenti corn ma respective importancia o qae
otendo lugam eie a idea dde defaljle corn que
foi tituladL asatieia.
SAsim explicado o facto pego-lhapque aeosigoc
estas linhaa em seu joraal.-Anto&o Witrwio
Pin Bandeira Aooly d ey d Va ,onoeUs. a.
Chefe de polieia-A& bemo do vaer
Marqucs de Gasias, da Cmapanhia Bahiana, ps-
rfpo hpjedo sal!, deve chegar o Dr. o -
sente par&s*a. prov0iaa.
Comprmaut08assa iksated Bmgbeuado.
Ferimonto grave-No dia 10 do correate
eraca de 8.howa da joitae no ncsda4o engeaho
Souza, do temo de Agua Preta, Kanoel Bernas-
do ferio gravemente t Joaquim Hermiai, evadi"-
do se depois. .
Detrato-Na Livraria InAdustrial, A ruaa do
Basto da Victoria n. 7, aeba-se exposto am is-
trite a crayod do finuadu negotiate Masoel de
Mendonga, desenho do Sr. Vera Cruz, cdjo re-
trato foi mandado farsper or um soeio da Soieda.-
de Recreio Jmwentade para lThe ser offereeido e
eolloeado no sea sabAo de honra.
0 desenhista, que fez o retraito guiade exclusi-
vamente pelas reeordaioes que tinha do finado o
qual nenhuma photographic deixara, foi muito fa-
liz n% executao do seu trabalho, que prima polo
hem acabado e pelals perfeita semelhaoia cow a re-
tratado.
um bom attestado do merit artistic d: Sr.
Vera Craz.
Ordem Teateea de oama Senahora
do Carmo do Seeift Hoje celebra esta
veneravel Ordem a fiesta de sua matriarch Santa
Theresa de Jesus, retornadora da Ordem Carme-
litana, comrn a maior deeecia e brilhantismo ha-
vendo minisa sleime a Te-Deum.
Serlo tranqueados a visit dos fieis o hospital e
suas dependeneias, das 6 horas da tarde ais 10 da
noite ; par& o que nada tern poupado o sea presti-
mo00 inrmlo ex-prior fManoel Gongalres Agra, e a
mesa regedora respective.
Novo baebarel No dia 9 do eorrente,
dcpois de approvado plenamente nas materials da
5.- series do curse, recebeu o grAo de bacharel em
ecieneias juridleas e soeises o Sr. Eduasdo Cor-
reia d Silva, natural desta provincial, filho do
uossd amigo o Sr. Dr. Jose Antonio Correias do.
Silva.
Tribunal do Juary do Beeife-Hon-
tern, neste Tribunal foi, submettido a julgamento
o r6o Euno Eutropio dos Prazeres, pronunciado
no art 193 combiaMdo em o art. .34 do Cod. Crim.
'eve per advogado ao Dr. Josb Maria de Albu-
querque Mell*. .
FPi absolvido em vista du decizoes do jury.
f toram a oleoa-A irrasdade da Nossa
Senhora da Los, erecta na igrja do Carmo, poriai-
ciativa de agauns de seas meinsmbro mamdon tirar o
retrto asotw, do sea actual Jut, o Sr. Epaminon-
das Marianno de Soua Goauveia, para sea cokca-
do no consistorio em atteniglo asa relevantes ser-
vigeos por elle pretadoe tomeM irmandade.
Foi encarregado da eseauqU t trabalho artis-
tico o retratista franeez, Sr. Ducastle, que o tern
exposto enm ma guis*, A XaL do Wl o d&t-Vto-
ria, devendo ter luga a in-taupoa do meamoa
no domingo proximo as 3 a media hotas da tarde.
Diabelro-0 paquete Valparaizo letou pars:
Portugal -s 200
-t paquete Perns bwa leva pars :
Alagoas 62:4005000
Rio de Janeiro 2:0005000
Ameaea cahlrs-A' momea do que hontem
dissemos sob esta 4rtturSiBrdtivasrente ao predio
n. 42 da rua da Seszatla Velha, informs non o fis-
cal da parocliado I Fsi Pedro Qealves do Re-
cife que, A esfonrgs seoo, jA fi demorldo part do
ditr predio, fioando spenas a9 paredes natas,
qae se bo-fio brevesiamte,-e qae-no entnto- nse
ameagam imminente ruins.
Vaallelumeute.-Daiam-non que, na idade
de 21 asnos, falleeeo ante-hostem na Cans Forte,
o siferes hudguarda uasismaL Jot Caetano Lsinack
de Mello, victims de urna affeeoo pulmonau.
Nasaretb.--Communicam nos da cidade de
Nmzareth, que, no din It heave uma reunito de
varies seahoras, na adsde dt Ut o Litterario Na-
zareno, pars o firm dI traetaxaaa da fandaglo de
urn saiedade emaenipadora eorn o nomse de So-
dedade Enmweiaixfcrow aasarmc
A reuunil'Fofpteuidida peoo ixm. Sri. D. Capi-
tuiti. 0. Vflirs de MeUo, aeoees pa e
quo aspI o eads daemui.
Faliras dupeis n s.t MamoL Xnuier Sibri-
,bn> Praneisea Fikeacioe Arthur Vieiraoe a Barn


sn. Bh Maria Angeliea. Vieira de Macedo, reei,
tado vm mu ua Snr. Vietur Vieira -e ThMa Lin
CwaMleaMtt, e ltMnda aind as S r Emilia F k-
-el e AMdii CteMatim. BMOMa.
Proc-deo so depois A eleig" da cirsetoria, que
fiM'.JomBOnapa b:
Presidente, D. Capitinai C. Vieiml do Mello;
Vice preaid fl D. Matim de Nazareth Albuquer-
CardsM
t- Sarlbf'n .1.- B.muifiM bu "- "'Sw.. -
qua Mhftnutbr;
2' &cdardc, IX Cpltuiia sC Vira. mi Hellio

ThuMreira, D. Maria AsaliL de Axruda Conu
tialh&
Spo~r., D.- S Angelica .Viola te Manedo.
Foi tMMbatenli asoeanum peat agesciar
douatniaspas man ba de. pre a. q uL wn
wsMto e ,on &um..&sas..&..i, MiseOuuas Psi-
ton -Baio, Ult~bifda A* w demO,
aM J. P-airad i 4LrMaasJm. C -en .C

nlts,Meia Am 0 AueusC u i-.
'de Ada,, Laints C. V esM. ftiMlio fMas desa
Some. rAnwo-hehMihsds C. ditlbMpewrqjs Chum
9-1A 049 01. ai gha, l paema dm
&Swu~, i>smbsa (Mute Lyrw e Jams Be-
au's Visits Em seguida Iwa t .arafic, evdo deaig-
dom d.e pma.r s amal deapese.


4. I 0a e eurbg dt a "ead- do. me-
'bison quemefiwm dale hwuiaa i6uM ~ina.
' 5" App'. cada a os natins trp inastm a cb-urn
ifooaveniente.
69 Pode fasir a- sanomes arM eomo amio
gr! deo asseio e sdbattial"Me no inverno an ba-
,ehos g s.
7 Juntae. eaB a aYmumle0%a ai MOsi
-o exOereieiqjiilll~area easrf pes uxa per-
T. qm Pa ..
feita edu
8'E',e unm ^ r~~Oepmugoe~ue.b
nefico, a.ahYd. a eM a -yep-
tba tee ki -mm no voiMe o oneo ss eo-
nheeimente.
Animao pois PFas-se no Bril astgama coma
que se assemelhe A isso tato mais que no Bruit
as fibras ncaugadas e eaparowm WUo see davift
main ameeream que as Begea; -qsq a edsabi
military teaa au eUaw imatspm dea preparm
homens melhores pa- a eptae.'. que rol tre-.
moa mais o habitode mo a-r-am em noe unMa
palavra, d'am partido ou d'ua i trpelkido.
Um banheiro, algumas tinas de maeira e am
canal de ondeire qnu-demn eahir nm tjwo dao
ein aqui od m bo o me hy.dropathe quae
em Gratm berg;q, qu.e4 Md. eriar
doense para serem -IA Pri_ Sta.U
Nos dias de b a -'ll'l N ."tyaotIe-
rapeutico 6 urma offWas ewa iedisshnsa v6s ahi
achaea:
Umn banho de chu ra ve~s. -
Um jorro d'agum vefio-saos daeaitcolumna.
A ducha vertieat de lIsanM eeCenUtriQo.
A dueha e imina aimpleas
A ducha movel A jorro.
A ducha movel de lamina ou dacha de leqne.
A ducha imr adw oamr*.&
0 semieupi d- agu a enMate.
0 semicupio de dacha perineal.
0 semicupio deacbk vaginr.
0 nemicupio lombar. -
E depeia ha o hanheiro pars as immerses, as
limpezas, as htriegI,jetc.
LerVew-Eflbetuar-se-hlo :
Hoje :
Pelo agent Pestana, As 11 horas, na rua do
Rangel n. 25, de moieis e outros objects
Peae.ysM o B A .I 1t&1 1% rn". A ruan de
Domingoa Prres n. 1229, de piano, rnveis e mais
objectos.
Palo agente Giamio, As 11 horse, na rua do
Fogo a 18, de move, lougas, vidros e trem de
cosinha.
AmanhL :
Pelo agent Martas, As 11 horns, na rua da Im-
peratriz n. 47,1 a&ad, de moves ediversos ob-
jectos.
Pdo agent Pima, te 11 horas, na ru a do Bom
Jesus n. 46, de moveis.
Pelo agente Brito, is 11 horns, na rua Direita
dos Afrsadas, da taverna ahi sits.
Sabbdo:
Pel a apne SUpple, is 11 hcras na rua do
Imperadur n. 22, de predoos ; e na de n. 24, da
armadao .da estabdelecimente ahi site.
In.LLjm funebree-SerAc eelebmada :
-, H'e:,-
A's 7 kItr kar, as igrej E LS. Bealo em Osin-
da, pela alma do commendador JosA Joaquimin Dias
Amanhi :
A's 7 hmss, nr Coagregaglo, pa. ala de An-
tonio Pbreira de Oirvulho.
Sac6dh :
A's 8"6hras, no Ctrmo, ptr alma doe Camerino
Lucio Pereira dWa'Cmza.
P"askura- Sahida pars em potos do
sul a m* -r.-arnioMi Ps-samaue:
Dr. Ehgo. Barrala RJaynmndo Ignacwio, sun
sanhora e-1 criado' Dr. Antonio Pedro de A. Arau-
Jo, Dr. Herculano Manooel Alves, Pedro E. de O1i-
veira Porto, Dr. Trasibolo Teixeira Pilha, En-
elides diMsmai, JsM~do Weauti 1 D. Vicen-
cia. Feito@t, Ceonatanuio Soato, D. Argpn"a F.
Bri-kenfeld, 2 filhos e 1 criads, W. A. Fogerty,
Francisco P. de Vasconcellon, Antonio B. B. de
Nazareth, D. Anna U Buarqpe de Nazareth e 1
criada, Pedro R. M. de' Orvatlo, Trank CoW sua
saenoe a1 fillho, Dr. Manoel B. Vianna, Jose
Auto. $srcer Al d elm, Asgpat V. de Abreu,
Louoequg do Sousa Pinto, Dr. A& Feitosa e2 ft-
thes, Pedro mibre' Bittencourr, Dr. Sitverio Lins,
D. Anon RUi~M. e- cwikdo, Jebtymo tP. Fda
CVunha Jurgu.dot.adimUetto Rads .Domiqgo A.
Fafious, Ouuineppe- A. Fafleac, ESrsuoinssfilippo
A. Santos Faleit B'arcelino Teizeira de Mloan
tara, Franeisco Duarte, Antonio abs Sanaos, Fran-
cflsco Jesquim fedinuax, Mattteaf' Citina, Slecolto
Caboli, PhuseimsCeliB$, Matuia-t.Seoeemu, es-
avers,, official db feen~ds, Meisui d.-Msdfur..
iGomes e sua maehora, 2' irurgio Dr. Maqoel do
Arveltos BottUs e sUa seniors.
Operacae -to Srugba--i pratieada no
hkopital Pdre UI no d(h lis ussente a so-
guiteo:
Pelo Dr. Malaquias:
Beducgao de urna hernia iagQuil.engaagsda.
Cnn UlemeqtO-Mvmeonato sea pre
MRa naodie 13 xteca~Bibus


EzxtaM prmao 60, .etaram 12, mahirum 40,
exuatem 322.
la&donaes 271, mulfereis 13, estraugeiros 11 em-
erava senteaziadou e proeemmdad 15, dit deor-
noesgb 12.-Tbthl 360
ArraseadoSa 32, aand : boWa 285, doaeentm. 16.
-Total 301..
Movimento d a entermaria :
rivesm baixa :
Thoma AntoAn d Qouea&.
Lamieo Mwauma deesantoe.
Manuoel Ignciorde Armuda
Paulo Ioo da Costa.
7 ,veramalta ^
TJivw Joum st -ef Vaidt vim o" da SaHa.
e.*&-..- ,
Qaboerla to pnwftma. -Sabteah tI d
onututhro, se ezitmrahrA a ttria u. 14, m b eio
da Saosta Cue de Miniowtia do iaft
No co"sistaria- iAj&* o Me No mulahe. d&
Uonceigco doe Militaren, no soharla cepasqtas as
uras e ass ephermas s umadas em r aamm-. -
rima, A apreegis.o da),5pur-
L 0terfteRtufr a as -
rmaw*. .f o tereamr mftdreo-'dt' 41a v Sm e'ii
d&91& 6M6rtut 911ed0s, -gmsiuW-ymb 4 de
100:000A000, sert atmhuid.seadisr lGde hdba-
bro


.a el6-. Pbntmufi, C


%., -n .. .- ;.-.lbwt W a B ."o
5 $ r. n" ..m $ . a t 1 0


m a
Ceaataeroie uml-rug. Ce
rared e Aflebde XAe .e..e. a
rua fl Gloria. MaO9.
U. utfor Mowsc. I" co aaa tos as
dias uteis, dclas 7 as 10 IaM di u. S'f
Este consuitorio offered a pmeB dida-
de de powder cada $oente 8er ouvTido e ex-
oinado, srem r preswnciado p ar uo
De mo edo ia isa hora da taur iuat o
Dr. MoBcoze eneontrado -no torres& 6patr-
9a do Commercio, onde funcciona a IS.
pecLO do eid. do porto. Par. qualquar
d'eetes dOUs pentos podedo a-- dzinghdos
os chamados por cartaw inmdicadas horas.
0 Dr. Joaqalm Camara medico
dentista d consaultas i rca Barlo da Vic-
toria n. 51 10 andar.
Encarrega-se do qualquer trbalho de
cirargia e protheso dcatarios ; extrahe de-
tea por meio daanesthesoia obtart (chumba);
colloca denies artefi.iaes e corrigo as irre-
gularidades dos deites.
51 Rua Barbo da Victoria 51
Dr. Barreto Sampaio dA consult. de
1 ats 4 horas da tarde, a rma do Barbe da
Vic toria n. 45, 2 andar;, residencis rua do
Riachuelo n. 17, canto da ruma dos PTres.
Dr. 8imeu Barboma medico e parblio
mudou o seu consultorio pan. A rua do
Marquez d Olinda n. 64, 10 andar. N.
telephonico 279.
0 Dr. Acibiades Vetloso continue a ter
consultorio, na sa antaiga reaideacia, i
rua do Baro da Victoria n. 45 P andar.
Da consultas das 7 As 9 horas da manhA
a acode aos chamades a qualqier hora.
Pratica operates.
Msdas~a t eooiSt
o0 Dr. Airilo arise aos seun tlientos
quo mudou o seu consultorio parasa rua de
Q.ueimado n. 46, 1.0 a dar. Consultas
todos *3 dias das 11 as 2 hora 'da tarde.
Mrogapft
Faria, Sobrinho & C., drogustas poi
attacado. Baa Marquez do Oinda n. 41.
Fracwiso Mame da Suva & C., depa-
sitarios de todas as espeeialidades pharma
*3utieAs, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos homwopaticoe, rua do Mar-
ques de Oiinda n 23.1
es*hea ftsuenaM e drrg ar de oe
quayrol Fr~res. Snee8 ores
ALto-Ca. as
Nests estabelecimento fnbdo desde
1821 encontra-se os products chlmics2
drogas, tinta., olos, pinceis, vernizes das
melhores arcas; t"ada w4specialidade
pharmaceuticals dos legitimes antores, um
variado sortimento de ftundas e aguas mi-
snores, os granules dosimetricas de Burg
grave a producteso apeciae da. Flora Bra-
sileira. 22-rua dd ORuz, Recife.
ProfeM? Op dBmgfles
Mr. ,eorge Nii emsina a traduzir,
ellar e esever pedeiftamente o i"tz.
Pbde ser prpcamzadoA Aa s Eatreita do Ro-
sario n. 4, to sadar, e, ma tea a e sex-
tas-feiras A note, em O0Uda no chalet pro-
ximo a estaglo do Carmo.
Camuslarla remi ubaaa
De Ferreira daSaivVJ. Or. U nwo
proprietariosdeate antigo e beam conhecidc
estabelecimento, tendo-o refomado e achan-
do-so corn um complete snostianto de boas
fasendas e corn um perito uestrs frances,
em artt de oamisai; roa.am ao soes aeose
tumados frqes, quo, main. a han
rar-lb.s mmw, a u vahism omcucrrein ;
certos de qaueo neotrarao agrado e maudi-
cid&de nos prep., usamu coaridam HO res
peitavel publico a visitor o se emlabeleei-
monto qmmeeabsh e ts ai*6s 9 haore
noite. Ru. dolmparadt- n. 54, esipens da
Praga do D. Pedro U.

Nio te meciat. i agost., como


hello e primoroso T .ofto O a t
vernente serka iMepi aiqps at-
vimento dkbihttg Camwumuin-*nri.


logo de bola, serving dB crejA e lamuh
u terrago, e music aonsuaibad. e do-
=&ow sob a dirsegle 4 habi psafeulr
Atoi ats


daijrmmmmw




































9 d j ut vo. u _me =Wauo 4B
.:' e t ate para sbstituir a V.
49 eue 0iseo deaeort.olw eaeto logo quo me-
dko- dimt.anCio pmr amir
'aom Ia _LpJUe tru er

Siiafdo Jo~hani Pinto do r Almeia uiora,



lma .=eotmzi intorino.
Sgai lEaUte f-e preaIN quj me atenormen- a
T Mo' Beg aia paua oubstitnir a V.


d& o exea respota o hog quo me aplprouver. -
Do V. s. attesto veo nerador. e- qu rega eeo,


AuosoJoauia Peresra L~o_. a -.,
Apvioonsmjeo pua t nboeml~eira vv.Ss.
A.f rAasfipMo da cart. i aetsa cu ntl tri aer



Mira. Br. major Guilbermiun Paes Barette, e dat
S~o. e.^ ^ iw, e *c doon.
& epeloqu "a uw p iiao o anwo. ai


ota qne elO e me dirigito, de ujo theor s von-
Mu weret rio 00ern.


Squ nlme exaeto tr esteSr. official ntose rati-
i do Fersando coin soo du e se al assassver a-


d, aim polo motive do achar--me eun. esposa gra-
va meate doenite.
SDe Vv. Ss. attentmigo muito venerador. 0 brigadn eiro
bacidos-O bnigadeiro, Fa o JiLobo. u -
A ei Lobe o njo para t unbe pir a Vv S.
SPubrip f6roda.-Retife, 3 dnclua outubroe endere o
-bis. Sr. major Gailhermino Paes Barretto, e da.-



T~mdo lido no Diafro do hoje no relaterioo do .Exmn.
r. osta queheiro desembargdor cjo theor se veri-gues
a que, ex-pr exacto ter este Sr. official ,que V. S. nati-
e rde ajudandote e direcitoria de Fernani o us-
asim pelo motive de achar-esidio coin mdodesposa gmea-
mminate doete, o qu import dizer-se qu aquelle
Dlee Vv. amigo muito attv ento venerador e-



ia pepo Ihe quo junto a esta declare qua! o ver-
dIdadiro motiv gadeiro raimove o a requirrn Pe-




me, quo a eoncedi como director :lue estava em
Sexonoioio, par. a en. retinada do ineetus presidio,
jemmittindo-mne V. S. fazer do sna respost8 o use
s eLobover.




Do. V. S., amigo affectuoso, obrigado.--O briga-
SRePubca.- on.-Reife, 3 de outubrtubro ede 18.--m
_111m. Sr. major Gailhermino Paes Barretto.-





e ado lido no dario do hoje no relatorio do Ere-m.
Mr. conselheiro desembargsdor Jolo Rodrigues




Saeb, ex-presipdentedo a incia, qut de V. Se. nat
Mida.d tenho adclran quirectoria, d6 me tirei Feando der-
abopimentor se achava minta o em maximhe graveenter-
ea;fer pea, e pelo que junto attestado medico, o ver-
deiro motivxc. e ob deiove u a requerer-me0 dis
ea qa, foi aqui c cfirmada, oe depois prrector ogade esta pelo




u~na. Sr. president da provincial. ..
eolevio pa a suponde retirada qu tedo vmineso o presidio,




ama ioto, demde o mes anterior hawia en solicit.-
b1oaY. Exo. data licenpa, porquo jA entilo em pade-
eimentos idome minV. muh fazr eomde sua resa a so aggr-so
a- e c ponque V. E. me tvesse aconeihado
quiei ro econvinha qu en me reiraso n'aqueoll.
us, per isso reserve me paeutubr fazel-o no sg1885.-lum
Ste. Pelor.que brigadeixo dt ver-seJoa qu m Perei-
Fe Lando pbo.r irneumstnde a earta de V. Exe. destas,
db aoma, tenhop ael, par que, o6 me retireai assde Fer-
aBdok por se achar minha, mulher gravemente




ise, endelo nada mque, e po.rn attestado medico, re qu
qw a Vord e. V. e obtive um pren mora de30 diaso,
a qua] fbi aqui confirmada, e depois prorogada pelo




m. Sr. pra mes acidente da provinciava.os aceca




hmquo occonnia.
Sedo estva a povderdar e dtendo vin asumpto do presidioa-
@a agosto, deede o mes anterior havia eu solicitz-
do a .Exc. ditalicenga, porque j46entio os pade-



todeo. e ae de sta mmea cartm a o use agqugr-




udher lhe esavier.
e V. erue. amigoEx me uitorivespeitador attselhadot




eb..gdo. Guisermao Pace Barretteo..
e Uada codevidanenha q eomra estaupi ea de 2ul
]z, '6801 reserve me para, fazel-o no seguin-




t Conform-qern deio dito vers me foi.ap esntai
pans doll por circustancias extr a peente purordinarisa, e
Reeifo se propala,pelbro drecreio deser 1885. ubcrevo eass-
smEadc, onde nada eho dpe veria intimidar desde quede.
de acordo out V. Ex. que sempre moralisou to-bro d 1885.
d e mes actosfaio doie Santivamos aeraqu deo.
t d devote e evotas qu h occorria.d stear
SetDdo esta, a verdade do assampto 4le que trac-





e 8enh Ex aer desta minhaso, caperla do so quo
JawbwTIhe eqaavier.





Do V. Miguel, eamigo maitorespeitador attento
*gado.e Gmibrino de 1885.Barretto.
Meada devkdamente comn uma, estaulvilbs de 2v3










Ju per oloipao
conforme comn o original que me foi &present&.
as per& delle extrabir a presente public% forma,




~. o vl me. pors.:




Nanoel dos t1ro d1 A 5aujo. e_
ftr. Augmsto d ea Conveeiad o e ve.
Jw4Antonio doosa d Abren.
Jmquuim Edi IN renira.
Juiess per eleipao
As ll[s. Bra.:
l emuAoeneni Amelia, filko do m'. Bartholome
-aieriano da Silva.


It ftiidelpha dos Santos, consorts do Illm. Sr.
.rchias Lindolpho da bilva Mafra.
L Isabel, eonsorte do I.1m. 8r. Antonio Ribeiro
Sda Silva.
I l bel Fraucisca Besermra de Vasconcellos.
-Jtui por devoeao
Oa lhlb .:
iiMmte-euaimlo Francisco da Cumnha.
Aatoiio.JosATetisiraLim.
mfao sMia e da Ros.
S smMel do Nascmento Guimares.
Ire Manouel Zacharwia e gaza Lyra.
'. Im JnMum__ por devoeao
LE'L i" Ma Mop a nPirqs Ferreira, filha do 1Im.
.* fL IMt .iree Ferreira.
AD Vu .C '. e 0 Silva.
ISab9W3 AbgHd l-
ON DkI


i -'i '9 W I
Uvdm. Fugi Antonio das Dome. Tartar= go-
Joso Iwacios -Modeuros Rego.
Eugomo Amorim.
Viewts Ferreira de Sant'Anna.
I Mordomas
D. Maria Rita da Crau Naves.
Esposa do Dr. Argo!. Ferrao.
Baronesa do Serinbbea.
Espose do Dr. Cosineme de SA Pereira.
Esposa do Sr. Frederico Correia Lima-.
D. Maria Felicia Araujo e Silva.
Viuva do eommendador Jo0a Pinto de Lemos.
Espo.a do Dr. Mathen Mmz.
Esaposa do Sr. Manoel Nascimonto Vieira da Cu-
nAa. ,
Espoa do Dr. Rego Baptista.
ERposa do Sr. Mmoel Jose de Bastos e Mello.
FapmM do Ila. Sr. Antonio da OCrus Ribeiro.
Esposa do him. sr. Fortunate Joae de Andrade.
IlUms. Srm D. Prancmisc Barbosad Sonzusa.
Bpomsa do Dim. Sr. Maaoel Jos6 Jaquim de Santa
Anna.
Sep.sa do 1lm. Sr. Manool Gonealveo de Mello.
EAposa do Ill Sr. ino Francisco das Chagas.
Illma. dra. D. Leonilla Cavalcante Varejao.
Thesoureiro
Este- o Laurindo Coelho da Silva.
Procuradores
Claudiano Antonio Jose6 de Mello.
Manoel dos Santos Faria.
Jose Mendes Carneiro da Silva.
Afogados, 13 de outubro de 1885.
Vigario, Franciso Raymundo da Cunha Pc-
drosa.

Ur. O Lelta
Medieo parteiro e operator
Consultorio A rua Duque de Caxias n. 59, pri-
meiro andar.
Residencia A ru. Payssandi n. 15 (Passagem).
Di cansultas das 11 da manhi Ais 2 da tarde.
attende a chamados para mos miteres de suna
profsolo a qualquer ohera.

Connltorio medico.eirnrglco
0 Dr. Estevan Cavalcante de Albuquerque con-
tinua a dar consultss medico-cirurglcas, na rua
do Born. Jesus n. 20,1 .andar, deo meio dia is 4
horas da tarde. Parasf demais'eonsulta e visi-
tas em sua residencia provisoria, rua da Aurora
n. 53, 18 andar.
Ns. telephonicos : do consaltorie 95 e residencia
126.
Especialidades :-Partos, molestias de crean-
gas, d'utero e seus annexes.


FABBICi D11A01mAS


FRIRTElI & ROSSIMAN
SOCIEDADE POR ACEOES

Imco represenlanteem
PERNAMBUCO

2-LARGO DO CORPO SANTO-2
Machine superior, systems Singer e
Whrcler & Wilson.
APERFIPMOADAS
PREMIADAS EM TODAS AS EXPOSI9ES

Hosanas!
N. 17.
Por toda a part se propalam corn vivo
enthusiasm os beneficios produzidos polo
-Cajurubeba-no curativo das eafermada-
des que exigem a depuraglo do angue ;
mas a a cao depurativa que o-Cajurube-
ba tern em grAo superior a todos os de-
purativos naciataes e estrangeiros, tlo
apregoados pelo. jornaos e cartases, e tlo
desacreditados pela sanainefficacia, tern pra-
ticamente revelado que suna aco ourativa
se esteonde a mui umaor numnro de moles-
tias, que frequentemente resistem aos meios
therapputicos mais preconisados : a dys
menorrhea, a suppressor da fl&xae mens-
truaik a chloro-anemia, os cornimentos
broncos, as hemorrhagias uterinas, as es-
coriages do coiol do utero, QB pruridos e
erupgoes que invadom os orgaos sexuaes,
e mil outros soffrimentos do sexo feminine


tao rebelde aos variadismo meios atW hoje
empregados, todos cedem corn manifest
vantage ao emprego do Cajurubeba.
Mas a quo ataribuir este miraculoso
beneficio, que enthusiasm o paeiente, e
taz pasmar o medico' que esgotou os recur
sos da sciencia ate boje conhecidos, som
o mmnimo proveito ? Sera- pela acoo de-
purativa do Cajurabeba ? SerA per sua
acgalo tonica ? On tora elle a -virtade de
actaar sobre o apparelho genital por nm
modo especifico ? P6e ser por qualquer
destoes ams ou poles trr.s reuuidos. A
aeiecia ebarra nanmneas veses na expli-
aps do modo de opera 'dos miedicamen-
toss mms i em por isso deixa do aceitar os


RBi 10 IftC la I. 10

ledico eparleiro

Dr. Jlua LLmoiro
Di consult. das 12 As 3 na rua do


Ca-


bugA n. 14 1.- andar. Residencia tempo-
raria no Monteiro.


Dr. 'Cerqaeira Leite

Nedleo e operader
De volta de sua viagem a Europa onde
frequentou os hospitals de Paris, tendo
I.eito curso especial de molestia de senho-
ras (part.) e molestia de meninos, abrio,
o sen consultorio A rua do Marquez de o
Olinda n. 53. onde encontrado do meio '
dia as 2 hboras, e desta hora em diante
em sua residencia ao pateo da Santa s
Cruz n. 10. (



Casa de Saude do Dr

Souto Maior
Acha-se aberta a cass de saude do Dr.
Souto Maior,. situada .A rua de Paysandti
a. 5 (Passagem da Magdalena) corn acorn-
modag5es para doentes de todas as classes
!a sociedade.
Os Srs. facultativos da provincia encon
trarlo n'essa modest casa de saude as
condiges favoraveis para o tratamento de
qualquer molestia cirurgica ou medical e
para ahi poderalo enviar os sous doentes,
medical-os, conferenoiar corn mos medicos
de sua escolha etc. conform se acha dis-


post no regulamento da mesoma
Apparelho telephonico 398.


casa.


OCULISTA
Dr. Barreto Sampalo, medico eculista
ex -ehefe de elinica do Dr. de Wecker, di consuls
tas de 1 As 4 horas da tarde, na rua do Bar&-
da Victoria n. 45, segundo andar, exeepto nos do-
mingos e dias sanctificados. Resideneia-rua df
Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.

Mudou-se
fille Cotlma (nodista) para a
run do Imperador n: 55, 2' andar por
cima do armazem de musical do Sr. Pr6al-
les, onde continda As ordens das Exmas.
families e de suas freguozas.


Medico
Dr. Souto laior
DA consultas de 11 as 3 boras da tarde, na rua
Nova n. 23 (esquina da Camboa do Carmoe) lO an.
dar. Chamados a qualquer hora.
Esspeciilidades.-Molestias nervosas, ataques
hyatericos e epilepticos, paralysias& nevralgias,
caimbras e darmencias.
Tracta o beriberi polo unico meie effieaz, ojgal-
vanismo.

EDITAES

Edital n.705
De ordem do inspector geral da instruceAo pu-
blies, ec declara As professors publicae,- Maria
Paulina Alves do3 Santos e Frnneisea SLeraphico
de Assis Carvalho, aquella reniovida da cadeira
do sexo femmino da estrada nova de Beberibe
par. a do Camp-) Grande, e esta passando a ter
exercicio na da estrada nova de Beberibe, qne
Ihes ficsa marcado o praso de 30 dias. a contar da
data de suas remotees.
Secretaria da Instruceao Publica de Pernam-
buco, 13 de tetembro de 1885.-
0 secretario,
Pergeutino S. do AraniA Qalvalo.


gar3 UU Uw~wlwa. p 'W
DadoeapasaJo n itta cidade do Cabot, msI AuiI Jt i
ao9 3 de outubro do 1885. U U I I U
Ea, Clarindo Hermeto Lins, escriv3. Tendo d der' sdo.a od ii do
Eompanheird, o eserevi.t Rc Barb&Ra Moutei q1o,. qual fui iehdailo MARlTIM S E TER ESU M
companero, o eeerevilo ulad d Portual na Parahyba, e a Eitabeld elda cf
Luiz S.lazar da Veiga Pqoa. mia to de crrdres t aferido pars.este i
-54 Aecao. Secretaria da Prlesideneia deo oisodo ond e ed condo liquiiaduo; o CAPIT-AL 1 Cu1UI
Pernambueo, em I de Sete=Aro ,do 188.-Por .vdads os credores do memo espolio A compare- TRO AG
esta Secretaria se fax puieo part g comptr e"BM na chancellarii deste cjnsulado no dia 21 SINISTROS PAGOS
dos interomuados, que, segndo roata do I doeawrente, aso meio dia,.paru recebor o que lIhes A4 81 de dezembro de 1884
Cular, de'29 do 8embro6 ultli, "b a..8.'- tIeou no rateio ; o que se fua p-ablico par a conhe. .I
Mimit riodaA(eatra,(eObnrpa. ci entodos interessados. Peruambuco, 13deou- ari s..... ,
blica, autorioado o dir etor geot dos correos a tubae de 85.- 0 rincarregaao do consulado,
receber e expcdir livre de porte, no actual exer- Frederio Corr.ia Lima. es ,. 316:
cieo, a correspendencia dirigida para o exterior N o w l-rr do esies,;-
pelas sociedades de emigmao eatabelecidas no S. so J -K a do Cd o nmerele-44
impro, fiando revogadas as orders anteriores,
Saendo adespeza levad Aconta da eonsignaqo Sociedald RecraliVa Juventd eI 1
de qua dispoe a vrba-Terras publicas ecloni- Ici.c lcaiv uvd i
.ago-para oczrretr ao pagamento do transporte Soiree biiesteral 1flT
de emigrantes da c6rte para as provincias. Realisa-se domingo 18 do corrente, is 7 1/2 h>.
0 seeretario, ras da note a soir6e bimestral do eorrente mez. I JINTR A F UO G
Pedro Francoo Correia de Oliveira. [ugresbo em mao do Sr. thesoureiro ate o meo T n Ii ondo i
-_______ dis deo 18. Becommenda-se simplieidade nos toi- 1 L erpool ,& o on lo
-i----lets. ,No admissivel aggiegados. I SU RpA &CE COd &A
Recife, 13 de oitubro do 89%EM
DEC..R.OES.0 J. Meddur NSR A(NCE CTEM
0 J2.scretaio, Il
AGENTS
Seeretaria daveneravel ordem terceira de N.S 8 e rtes
do Canno do Recife, 12 de outubro de 85 c C. E. SaW Oiuais rolS kV
De ordem da mesa regedora, convido a todos os
nossos earissimos irmaos para, paramentados com In stallacA. da Banda Musical
sous habitos, comparecerem na igreja da noesa Acha se determinada a noite de 7 de novembro f lflP
ordem nos dims 14, pelas 6 1/2 horas da tarde, e proximo futu.o para a installasao da Bands Mu- AlIA I RI1X
15 pelas 9 horas d manhla e 7 da noite, para en sical deste club, e o co:.sdb administrative, no Cg E U
corporados, assistir m as vesperas, fiesta, rasoura intuit de abrilbantar rais essa festa, resolve CONTR]A FOGO
e Te- Deum da nonsa matriarchba Santa Thereza .ar a soiree dansante concernente a este mez, eComoh i MAa tla
de Jesus.-0 secretario, parte final do seu programma, que sera .(m tempo lorth British & MercantilUe
Miguel dos Santos Costa Junior. publicado. CAPITAL
Os senhores socios pjdem decade ja apresentar A IT
IRMANDADE as suasnotas d.' convites ao Sr. thesoureiro, na *0:0O.OOO de Hbras stierIuK
Do9de social; d&s 7 As 9 horus da noite. A G EN T E$S
Sd 8 1 Secretaria do Club C)mmercil Euterp, em 13
SS. Sacramento mda ud Mtubro de 85.-0 losecretario, Adson towie & a .
costa Rge. I -RUA DO COMMERCIO N. 3.
triz da Boa-Vista C. D. F. -_____
DOe fdem da mesa regedor. desta irmandade, Ce D Fe
convido a todos os oenhoros irmaos A coomparece- Club Dramatico Familiar
xima quint& feira, 15 do corrente, a6fim de, rcuni- ASSEMBL1A GERAL S E (JI lIB O S
dos em mesa geral, resolverm sobre uma propoeta Domingo, 18 do corrente, As 11 horas da manha,
do irmiao o Revm. Sr. vigario Augusto Frauklin no lugar do costume, haveria sessao de assembl6a 5WARITIMOS CONTRA FOGO
Moreira da Silva, que lIhes sera apresentada, e geral, afim de tratar se de certos melhoramentos
mais sobre o que por ventura possa occorrer de de interesse pars o Club. Companhia Phelkx Per-
interesse para a irmandade. Recife, 14 de Outubro de 1885. nalmbueana
Consistorie a a igreja matriz da Boa-Vista, 12 0 20 seeretario interino.mero 38.
do outubro de 85. R. P. borte. Rua do Cassero n. 38.
Antonio Cavalcante de A. Pimrnteli--
8__ ervindodeescrivio. Companhia Locomolora crnam.*
santa Cama deo serleorda dc bna PERIAL
Recite ONPANHIA MPERIA L
Na secretaria da Santa Casa de Misericordia do Assembiha geral
Recife arrendam-se por espao de unm A trees an- Nio se tend reunido numere sufficient dos
nos, as casas ahaixo declaradas: Srs. accionistas para a assemblia geral d'esta DE
Rua do Marques do Herval n. 9 sobrado 7005000 companhia, convocada para hoje, sk novamente SEGUROS CONTRA PO&OG
Idem idem n. 11 700s000 conuidados para o dia 21 do corrante, is 11 horas EST: 1803 -
Rua da Moeds n. 45, 300,000 do dia, na sedde da Associaeao Commercial Agri- __
Rua dos Burgos n. 27 2165000 cola, afim de proceder se a leitura do relatorio, Edifljcios e mercadorim
Idem idem n. 13, 1 andar 3605000 parecer fiscal e nomeaeAo da commission fiscal. Taxas baiau
Rua do Vigario n. 22, 2- andar 2405000 Se constituira a assembl6a geral cum qualquer Prwwto pagamento de pruisas
Idem idepm n. 22, 8- andar 2405( 0, numero de aecionistas que cormpareeer, como pre- CAPoAL
Rnua da Moeda n. 47 3(j0000 ceitna heart. 13 dos estatutos da Companhia. PI. 16,000:O5OOA
Idem -dem n. 49 3005000 Esenptouro da Companhia Locomotora Pernam sA 6,0:000
Rua da Madre de Deus n. 10-A 2005000 bueana, 6 de outnbro de o1885. Pe nn
Rua da Senzala-velha n. 18 2401000 Sebatido de Barros Barretto, BROWNS & C.
Armazem do Caes da Alfandega. 1:6000800 Seerttario. N. 5- Rua do Cnnrcio- N. 5
Rua da Palm n. 34 60 $000 '_ ....II _II_ _
Ru, da Detengao n. 3 (dentro do quadro) .A.i ---No vapor ana Pe, earregou :
mI' na 5 Co iaU B IjERCOlU Par o Rio de Janeiro, H. Bade &,C. 80ei
[dem idem n. 5 (idm) mei'aua 84d00 ____________cam eom 26,980 kilos de algodAo; F.L. da Sy.v
Secretariat da Santa Ci de Misericordia do& C. 80 caixzas oleo de aiceino; M. N. Ayres 4,500
Recite, 23 de aetembro do _188 5.S~,sa coIIm erelal de Pernam socos fructa; A B. de Verosa 40 caizas cajuil.
Pedro R0d r deSouza.b. bob..
P~dro Rodre de Sooa. E0 PamaeEspirito 8anto A. B. de Verosa 20eai.
0 abaix,' assignado vem declrarr pela im Recife, 14 de outubro de 1885 xaS cajurubeba.
prensa qun sen filho J-ao Antonio de Albuquer Pars Bahia, J. Fontelles 25 sacoes com 1,125
que Vascoucellos, corn 16 annos de idade, sabi, As tres horas datarde kilos de eer de carnasba.
de su casa a 28 de agosto do eorreute anno, e se -- No haste national 8. Lare eoarrgon :
ignore onde de prsento esteja ; polo quo o mesmo Cot.ae o.diaea Parn Aracaty, Maia & Rezende 1,030 saccos
abaixo assignado pede que alguem quo do m-sso corm n frinha do maniioea.
sea filbo tenha notieia, vise ou ihe transwitta, Ac9Sea da companhia do Beberibe, do valor de Na bsrcaea Aurora2, earregou :
some faiendo mm especial favor, que reeompen- 1005., ao preo de 140 eada nuna. Pan Moesord, F. de Mranda 2010 saccos coin
sar u rna ete cia gratidvo. Engenho Retiro de Agedao de Mossor6 1a sort, 8510) por 1 5 kilos. farina de mandioea.
Traeuobulem, cimarea da cidade de Nazareth. Dto de dito median, 75100 per 15 kilos. -- Na barcaga EBpadwte, iregon :
Francisco de Albuquerque Vasoncellos. Dito de dito 2a sorts, 65100 per 15 klios. Para Parahyba, F. Durao 200 aaeoes coin fri-
--- Cambio sobre Londres, 90 d/v. 18 1/8 d. por 15, nba de mandioca ; D. Qonoalves 150 ditos ides.
M aGio ailsl I '] .iAA-. do baneo. -- Na barcaya D. Af'aru, carrego~u :
M aclssa fallidac dey 8oa'l Cambio sore nboacvist., 193 0/0 do prornio, NPar ahba, D. Gonpalves 180accos corn
*^j6 r dj aaco honem.farinha de mandioea.
Mouaid DragiA &i 1. Caurbio sobro Paris, Aviate, 532 re. o franco, do z= Na bareaca Tree Irmaoe, carregou: eao
^ ^ .0 .A bunco. Pars Parahyba, P. Carneiro &C. 200 uaaeos
Mouhaid, Huber & C, administradores da mas- com fanuha de mandioea.
sa falida de Soares Braga & C., coavidam os ere- Na hora da bolsa Na bareaea Linda Rota, carregou :
dores da mesa, para apresentarem c3 titulos dos Venderam-se : Para M oeei6, M. J. Pessoa 10,000 ltres de sal.
sus8 credits, n seu eseriptorio A rua do Mar 25 ae.5o. da eompanhia do Beberibe. Nabareaga Dimna Prt'idenia, earregou:
quest de Olinda n. 31, dentro do prazo de oito dins, A. Lardo Rodrignes, Par. S. Migael, J. A. G. Piros Junior 4 barri-
a co tar da presonte data, para poderem formu- Preidente. cam com 400 kilos de assnoar refinado.
lar a competente classificaeao. Recife, 13 de ou- M. j. d Mata, -- Na bareaca Sempremva, earegou :
tubro de 85. decrctario. Par. Porto Calvo, J. Guimardos 3 meios de sola


S t e 10 courinhos do cabra.
S. U. LI. ENDIMIENTOS PUBLIGOS -
Bilhetes do rio 30-C, 193a serie.A. Decimos Me: de outubro de 1885 MOVIMENTO DO PORTO
us. 4571-21, 3339-2, 6736 1 Provincia r4a ,- Meio t LmAuA--De I a 13 352:336A859 Navio entrados no dia 14
n. 970, quarto 2959. i
Recife, 14 de outubro de 1885. dem de 14 33:798841 Santha Catharina-4 dipW, h e ilg Lser
0 thesoureiro, do 219. to-neadas. ag 7, i ga iMa
__J.M.S. --__ 386:135J700 de mandioca, a orIdei;-. to ouro.B.
GabSlmte Pertuguez de Leitura tc.aus -D 1.a 3 50:393S472 Bahia-? dias, iMgar em L2 hfaNa 2
De ordem do Ezm. Sr. president do coneelho deI do 14 12:236J220 toneIodla quisifm, em hU*, a i ibmiga
delibozativo, o em virtud de um officiod a direc-CI
& C. ; eapitto Iti~d Grif.
toria invocando os podes quo lhe do confekidos 62:629A692 Mosur6--19dia h blate ndaima A deO 60
poe 380 do art. 60 do statutoi, s convidados_ oladasequi pa 59 _eaws' ,_
tedo. dsi'nu eo hez a rounirn is na sd. mwwo faovEiZA De 1 a 18 28:0911296 doe Soe oueita; ito bL deo iup
soeo a)ela 6 e mela beoras da tarde do dia 17 do [dem de 14 4:890t882 Medeioas
sorrent, afim de em sesslo eztraordiaaria fatl. rObsl'n t
veret sobre a material qale lies for apiesentada 32:9825178 No houve mahidas.
n sse oceeasio pela referida drectoria. .
Seretaria do conselho deliberative do Gabinete --
Port gez de Leitura em Pernambuco, U deon- .1 C,.H DRAiAGM-De I a 13 8:160580
tubroITe 1885. Ides de 14 1:1171785 VAPORES
0 1.o seretarno, 92 .... 3
Joad da ,Slt aRodrigues. 9.278*36u5 Ma..de doin d. Bi d .''
-- "-------- ^ -- '- *J o a 'I ''
.Congresso Dramatico ALTERAGAO DA"PMA 'o Iwo -
Am"t -pran ce,..3 rs.MI. & O hi
i~.atgafi s deo PonaTan7IOt$bro e 1 ... o A
". *' .. E. ,,. .04.a s a w -
,-.
JN ~~IFITWIMEbt1pMwt-


a a-

















































Psa la ves nesta capital a engragadissimta co-
media em 3 actos origin dos escriptores CHIVOT
e DURU, do repertorio do distincto e provecto.ar-
Itista X18TO AHIA I

Casamnmento por interesse
DarA comego ao espectaculo urnsma bella comedia
em 1 aeto do repertorio do mesmo artist.
Toma parts n este espectaculo toda a compa-
4115a.
Comecar& As S e 1/9
Depois do espoetaculo haveri bonds.
Sabbado
Grande espectacalo PHINTASTICO !'


. MARITIIOS

ROYAL IAIL STEAM PACKET
COMPANY

0 paquete Elbe
I esperado
do sul no dia 16 do
correntsMeguindo
depois deademora
necessaria para
*f. ieente, tlsboa, Vigo e Sou-
,,thampton
Par passages, fretee, etc., tracta-se corn os
7CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
--una do Commerelo-$
COMPNAXINlA PERNANDUCA NA
DE


Comopanbla mIilerad de Nave-
eSoa evapor
PORTS DO SULt
0 vapor aos
Commandante 1 tenente Galerme Wad-
dington
SE' esperado doe
.. ports do norte
S4-. at6odia23deou-
tubro, o depois
da da.or no india.
pensavel, seguiri
6 < pars 0o portos do
Secebe tam-
bem carga para Santos, Pelotas e Rio Graude dc
8ul e Victoria, frete modico.
Para carga, passngens, eneommendas e valores
tracta-ae na agencua
PORTOS DO NORTE
0 vapor ParA
Commandant o 10 tenente Carlos An-
tonio Gomes
E' esperado dos portos do sul
Sat o dia 16 de outubro e
Sseguir depois da demora in.
dispensavel, pars os ports
do norte atW Manim.
Pars carga, passages, eamauems e valoree
tracta-sena agencia
46 RUA DO COMMEROIO .46


LEILOES


Agente Pinto
Hoje 15, continia o agonte Pinto o leilao de
miudesas, 1 piano e meveis, comeeado houtem no
largo do Corpo Santo n, 17. ]
Sexta-feira 16, deve ter lugar o leillao dca
moveis da loja de barbeiro da ruat do Bomn Jesu
n .16.
Sabbado 17, o de 1 core, earteiras e mais
moveis do eecriptorio da ruan d Madre de Deus


De 1 armaglo propria ptra venuds, e car-
teira, na cass a sits ruma Direita dos AN-
gados n. 18. .
o, ente Britto a mandado do Ilam. m. Sr.
Dr. jiuts de direito especial do comamercio e re-
querimento de Paiva Valeoto contra Abilib Mar-
tins Guimarss, venderia os referndos objectos aci-
=a.
sexta-feira, tedo cerreate
A's It huras
Garante-se a have.

Leil.o


De bonds moves e I piano forte
Sendo :
Uma mobilia de mogno medalhao (encosto de
palhinha) corn 18 cadeiras de guarnico, 4 ditas
de brawo, 2 e solos corn pedra,jardineira e so-
fa, 2 importantes eamaw francezas de jacaranda, 1
toilette dejacnrandi, 1 lavotorio con podra, I bi.
det, 1 meia commoda de amarello, 1 santuario, 2
cadeiras de balango de fantasia, 1 cadeira para
crianD, 1 bacea de jogo de damas e 1 sofa t.r-
neado,
Urn excellent piano forte e I cadeira para o
mesmo.
Urma mesa elastic corn .jtaboas, 1 mobilia do
faia, 1 grande guarda-oiid4is corn portas e lados
de arame, 2 aparadores de column, 1 sofa de ja-
earandA, 2 cadeiras de balance, 1 lavotorio de
amarello, 1 costureira, 2 pares de cantoneiras, 1.
ports-flores, 1 mesa de amarello mcorn tampo deope-
dmra e outros muitos moves.
Stxta-felra 16, do eorreate
As 11 hwmas
No primeiro andar do sobrado n. 47 da rua da,
Irnpcatrsz
gO agent Martins, autorisado por urma familiar
quo se retirou par s Rio de Janeiro, far leiio
dos moves e mai objectos eiatentes emdito so-
brado e ao correr do martellf. 1


S, eao
-+ llao


p- ?iee'Se An eumprqasdo pare urm a casa
americana de ngocioa, quo tome conta das ven-
das do eatabelecimento e eonhea boem os compra-
dor de ferragens.
Pretere-ae umas pessoat qua entenda inglex e te-
nha as reommendaZea iduipensaveis ; a tratar
no armse:. n. 47 da nma do Born Jeoa.
Vende-se dunas cams as ra Imperial, que
estlo empre alugadas, por preOo muito em con-
ta, e urma prte em umans casa onde 6 pharmacia,
na ra da Imperatriz, que nunea estA feeaada ; a
tratar no Caminho Nov. a. 128. Na mesma csea
vande-se ut baiha especial para nascer OB ca
bello e agural-os, e tambem um xarope 'vindo
do sertao o par&* eplo0 pars Astam..
Precisa-se de ums osinheira : na rua da
Aurora n. 81, 1: udar.
Declaro quo neta data ven mef a eatabe
lecimento sito s rat do Visoade dd Pelotas n. 17
ao Sr. Adolpho Jaeintho Pereira, livre e desem
bara ado de qualquaer dabito oa impostor. Bee i
fe; 13 de outubro de 85.
Manoel Barboa Ribeiro.
* Ouem quizer alugar o 28 andar do sobra-
do n. 43 da rua da Aurora, procure as c.a-
vea m poder do Sr. Negreiros, a rua do
Imperador n. 80


Diversos moradores da rca do General Sa-
ra, antiga Jasmim, pedem prowdencias aos Illms.
Srs. chefe de policia e ubdelegado do 1- district
da. fregueuia da Boa Vista, parm que lance saas
vistas para diversos desordeiros que se embriagian
e dizem tudo quanto ha de mais indeeente : alo
elles os nmais salientes Joaquim Cstacolo, Fernma-
,des Balom e outros mais.
Aluga so peor commodeo preo a casa n. 78 da
ruma do Padre Nobrega, com 4 quartos, 2 salais,
quarto de eugommado, cosihan, aeisaba! eappa -
relho no quintal, com gas ancana ; par ver, a
chave- aha. s naus tavernma junto, do Sr. Rabtlio, e
par tratar, na travessa da Praia do Porte n-
E&;W 6. !. ^ .- ^ __ :' ,*
Preiisa-se deum caxeimo do 12 i 14 4 e
id idade, par taverna ; a tratar na rua do Via
ad de a Goyau-n. 97. _,_


Neste vastoe bem sortid o etabelecimnento de fasendas e modas, cujIOas.pr pri
tarios ngo poupan epoargs afim de bem server aes seus neroos fregueoas naqh,
continuarao as Exmas. mailia- a encontrar os principss arti e os nmlora teo -
dos proprios para as mais primorosas toilettes. ,
Os Srs. agricultores poderlo preferir-nos em ua cotpra, TiSto qu A-
offeecer-lhes tambom urn born sortimeute de fazeoda prop par raPm Ike o
oampo e po, pre eO manis rasoavaeis, em raio de as rec ra de eomt
gopna, dos mereados exportadores. '-
Os Srs. navegantes encontrarlo tambem um born tortimento d artigos pro.I
prios para viagens.
Continuamos a repotir que 6 de grande vantagem preferir-se sempre o LOU-
ARE, tendo de fazer-se qualquer compra de artigos de boa qualidtes a de born goati ,
visto quo se encontrarA constantremente urnm. grande e variado sortim.nto.
M~iAL 'Iu~ AL:A W I^
e encontrarA constaantemnte verdadeiras machines, asim como um bom e vanad
sertimento de roupas feitas (fazendo-sa tambem par media) apropriadas, tanto para
cidade como tambem pars traballhadorea de campo, convindo cbamar a atte 91o pa0
os pros dos aeguintes artigos :
Superiores sqbre-tudo de panno pilot a 15#, 20# e 255000.
Madapolgo Mariquinha, superior, a 4800 a peoa, comrn 20 varns.
Dito Jangadeiro cearense, corn photugraphia do dito here, a 6200 e tam.
bem corn 20 vara.
Divmrsa outras marcas a 5#500, 6#. 6#500, 74 e 8000, qualidades e quan-
tidades garantidas, emuitoa outros artigos por pregos baratissimos.

Casa de confianua
InPriIorlhao oaiIJ. 0

EAQUINA DA RUA DUQT E-IDE CAXIA
-lN.telepht ic. 158 .r.

FRANCI0 GURGE. DO AMARA+i 46


(

































a4W, do Chacon n. 13, por caea. aesta cidade : a
tttawna rua da Aurora n. 81.
Aluga-se
a casa corn sota -A rua do Conde da Boa,-Vista
n. 28, corn agua e gasz ; a tratar pas mesma rua
U. 91, padaria; oe aquuez d4OlfO ia n. 60.


Ama


Precisa-so do urma boa engommadeira,
que preste tambem outros servings domes-
ticos; no 3 andar do predio n.-42 da rua
Dnque de Caxias, por oima da typogra-
phia do Diario.
Ama
Na rua do Hospicio n. 34, precisa-se de urma
ama para pouco trabalho de urma pessoa.
Ama
Precisa-se de uma para lavar e engommar, para
casa de familiar: na Passagem, rua de Bemfica
n. A.. sbrad) tin "'l-,,.
Ama
Precisa-se de uma ama de idade e de bons cos-
tumes pars cosinhar e mais service de casa de fa-
milia, no largo da Santa Cruz n. 16.


Precisa-se de ums arma; na rua Imperial n
200-C, para todos os services de duas pessoas.

.Xfla


Preeisa-se de uma ama para cosinhar e lavar,
para casa de pouca familiar ; na rua de Fernan-
des Vyira n. 24, taverns.
Ama de leite
Precisa-se de uma, A rua da Imperatriz n. 17,
segundo andar.

Ama de leite
Precisa-se de uma ama de leite e de outra para
cosinha ; na rua Imperial n. 50.

Attenao
Os proprietaries du padaria A rua da Impera.
triz n. 41, confront ao Sr. Alheiro, tend descu-
berto os generous da padaria, fabrieando o plo
frances, especial qualidade, assam como um com-
pleto sortimento de bo'achinbas de todas as qua-
lidades, proprias pars diets, chamamos a atten-
$o dos amigos e freguezes a viren ver a espe-
cialidade. Becebe-se encommenday que sera feita
corn promptidio.

-Atten ao
.*. Urea seihora viuva e honest deseja achar urma
familiar que precise dos seus services para gover-
no de uma easa.; quern pretender eneontrarh in-
fcrnaoe do II o.Sr. Badtos, director das omci-
naas de Machinas.do arsenal de marinha, A rua de
S. Jorge u-. 124.;" *"

Fuultureo
S. A fabica Veadome tendo feito grande reduc-
$ xio aS reos db,fumoe'ei4raros" turco, convida
aoe apredadores a s.rtirem-se deste tabace, re-
S ncomMB&do pelos medicos.
A' rus do Bao dt Victoria a. 39.
l4 O Oeusacs
Aiutpee a casa terrea a. 51 da travessa do
Rapa tom cmoa o para um ura familiar regular;
a x rua do Rogueira n 29.


Venderse, cedc-ae par alguus anuos, corn a
clausut Se edifica*o de uma fabric d a fazer as-
auear oeaarrenda.se para outro mister, uw exten-
so teuw muito proxiuo & villa, de Iguarass6,
cobeatO d. matas, tend ja casa de vivenda, urma
pe l r, ereado, ea de d buiaia, gran
de c~queircs, laranjeiras e outas
rvove cfxe aras; x&*a ns a tmdolmperador
''- A .n.,50:3>' pttda. '
Wassa fi rJa Euslsqulo Cous.
tncido Redivivo Junior
Os Ea isistradores desta. assa, eonvidam os
senhoues itedores a aprementarem, dentro de oito
S dias, os s vtnios de credit, alim de seem qua-
lificadou. yanea, 8 de ountbro de 85.
Antonio dMs2l. Ly).
jeaw Chri MQtkMo a %bilo.
.. :. (l dJoaqau'm.de Mllo.
SPaga-se 5em
;. Meetees d9a l ioa ..
Pmreia. s-de operari ,s habilitados no oosiwento
Sde ws. emr aypuwmbOs do Ieurum ; a tratar
va *dOam*b&ereio n. 7,1- aada,.
Preo fixo
...' 0j "-.s.e '- 9
*5& ? IWOMUMLs, eweivetes e navalhas,
" "a "para sa" r oeas nmos ; tambem veio
4. Ia:da. 4 eai


I
U
.5
lI~
I
U
I
I
U
U
U

a


po. *



->B f^. ^ ^ KJ ^
S 1z-S



a-^PIZ. *= 0


^s S *mow^ -
AI 23w aNO r\*-





.10-4- AIM ^ H
w M? ^r /^\4w


FABRICA TIGRE
40 go f Barao do Victoria-

Antiga rn Nova
Ao publiro
Viuva Goncalves & Lorega, proprieta-
rios da FABRICA TIGRE, chamam a at-
tenglo de seus freguezes, tanto da capital
como os do interior da provincia para os
seus optimos e afamrnados cigarros denomi-
nados BOHEMIOS E PRIMORES.
Esses cigarros tornam-se recommenda-
veis n1o s6 pelo doefieado aroma e sabor
como tambem pela inalterabilidade dos ta-
bacos corn que sao manipulados ; accres-
cendo que attenta a ciscumstancia de se-
rem manufacturados corn fumnos de primei-
ra escolha, proceuertes de Ooyaz e Minas,
products estes quo conservam sempre pre-
cos ahtos no nosso meeadsj sao os cigar
res BOHEMIOS E PRFMORES, vendidos
por pre9o relativamento medico.
E para quoe os imihadoes fraudulentos
dos cigarrus da bern conheeida FABRICA
TIGRE nao continued a illaquear a boa
f6 dos incautos, jA aproveitando se dos ro-
tulos servidos, jA mandando fazer imitates
g omsei'as da marca da FABRICA TI-
GRE, os abaixo assignados previnem os
sans freguezes que relwtem como falsos
tdos os cigarros cuias mortalhas e rotulos
noe levaremn o emblima registrado da fa-
briea, (ensblema este que para inteiro co-
nhecimento de todos inseriios no cabega
rio deste) exceptuanda-se os PRINCEZAS
IMPERIAES cujas nortvalbas nZo sao
marcawas.
Alens da marca BOHEiHOS a FARI-
CA TIGHRE tem as sgaiuites marcas db
cigarros de prinimeira cnaliuade :


Bohemios
Princezas
Primores
Pbiro Affonso
Dito ditus grossos
Flor Hespanha


8;6000
:'4fO0
8,500


milheiro
Y)
't
is
1,


Recife. 23 de setcit.Fo (Ie 1885.
Vi'uva Ge ncai,-s & Lorefqa.
Est! pirn alaia" a casa n. 6 A rua do
SConde da B3o;-Visi : quem a pretender
P- t P ae fte eaftve (4n- pder- d &r. Ne-
greiros, a run do lnmperaomuor n. 30.


S. LUIMZIA 6T EJA 4 A 6 so #1Wm pie s d


i ^ 1^ I.. LEQW NFoneedw i4 Cbrte da Rus.

OUZA-LACTt v lsaumas | -
L ... Jl~^. ^tA J "

O ICREKI"ORZAB1...rnsa to*
Arri .09dpar


SAUDEBPARA TODOS.


As Plulas purificao' o Sangue, corrIgem todas as desordems de Estomago e
dos Intetinos.
Fortalecem a saude das constitu9oes delicadas, e sio d'um valor incrivel Para todas as enfermidades
peculiares ao sexo feminaino em todas as edades. Para os meninos assim como tambem para as
pessoas de idade avangada a sun efficacia e incontestavel.
Essas medicinas slo preparadas s6mente no Estabelecimento do Professor HOLLOWAY,
78, NEW OXFORD STREET (antes 583, Oxford Street), LO)fMD ,
E vendemse em todas as pharmacies do universe.
Os compradores so convidados respeitosamente a examinar os rotulos de cada caixa e Pote se nio teem a
direcgao, 533,. Oxford Street, sd o falsificagoes.




040. -- 0, "Ho E4*-,9 awls. ...
I SdOLUOAO CoIRRE. I
AO CHL)RNYDRO-PHOSPHATO DE CAL
S9 no padeu de 4recoasa tunrse adoptado pfr todos o Vedicos da
m. geral, Anemia. CMorosis, Tde tsi Cac"'exia, scrom u. e acMtap e, %
| S s -su *simwetc 4tca e.* c'reaveas, lastio, .swejras.
Pu.GCOIRBRa,?, 79, mdo teCbpeita-Ia. .iieBs{ p na nprincipe3 .ra.a.t




"' > ANANG o JAPADl

[al ~e MIMoa- AXM & Out Br e i Iwio&"
mPAS9 e-9, *ua V.*Bau, 8f S PAE

..__ ( .tztco de 'sd ( an |er
R, Novo e delicioso perfu paraoetno, product t
-i -aaf a preciosa l6or conhecida sob nome de Pnrjtspo, o
0 ssu delioado aroma, do persistencia sem egual, Freresca aw quo
a nepira, opargindo ao mesmo tempo ao redor da a qI u g,
s sfma r emenas6es ques revelam distinc'e eiei
rAcha-a Advndft em todai as Parf.t.araia



C DOIPm ,SSAO LB NEVRAL.IAS1
SUTBO-SLO EPlos CIWGaOS ESPIC
Aft b*eMa fumaca quo i peito acalma o symptoma nervoso, facimta
l tpe<*torada6 e fSvortsaT 9doa orgads respivatorios.
yVeda em ataeade em cam de Jo. ESPIC, 89, rus St-Lamare. em Paris
-^ 4 9m^aWto#i4M 9rwmbEs! : P Sj!C' N. d. a do A&C'% C




IPILULL WESTIAS BE ?MIRIATINAB

#hrm wuu Gdw1 WAm hemmSddw 910Mbl. d A*
GINVmUME W a mhexpgtagd d. 6 ads psissmo
XdieefU, qse o -ebnsha, viae&am. .jp 1 a ap 1 toB B r
f nmr^MtaxjlMh o lnmente a 6rn Os oorpc 0orsunMOoni -0
'.ia pto amido t as feculas.
Qudqsir que qseja a causa da intolerame ds slimestos, absra~1o, oau
a Vawwami d^w 1 wwwwo"Mt sco, inflamimaco on oV~lcerao ft estomagc< ouB

9-mioo- A xni a a*a Oes: -
k-VItl'ldbR dertto t cnftlw is Dsil mr deHb ft 0
ra~lttaadlgte~k Diarrhjw 4oT9e-no rr~&
Marrhqs
4fr ~ Wtfti Ote-oMAN| gN~ftriit B MCMtBf& I
doaiez.ev~esAX=aoom auham
^r^WltMIFNA DFR^U E em anAuMi rS om 0 a dam de So4-- helm
radwzininas depot. dt mula A.
IftAi s CAa PWEOM .I auto AL' Pemr k=$ 5AR, eM-aoMaswflvaciaf '
^ _^ ^^^ ^ *, _______. ^^ 'SEr


Pura H inTUCATU daElPetparaUIW aBAHUA E
AWN IVAQ -(-0 iam O" l.,,amm e -
5tisAfZ2w do Mundb sao exca&ieafes contra as Affecgoes ab
d" paiLp e as,- Piadat =
I3E: XK'OSQTTrXWOS. Du-
ppondo-se a accao dos Miasmas e Microblos do ar e das aguas
slo necessarios con Ira as molestias contagiosas e cpidemicas. 3
W ,A-SE A MraOCHURA EUPLI A TIVA
UExJle-se a Marea do Fabrioo &, lmoz.hx 3
WIDi E5?hAiZEi lAS DROGUERIAS, PHARIACIASE PIFIA IAS ,"
Aw i Sccesor. Pharmaceukiep de t4 Classe
8, Rua de Lombards em PAIX. .
ICBIlMES. caia ,,8 m m ancI. .imig-


Inteiro
Meio
Quarto
Ga poraio
Inteiro
Meio
Quarto


4,000
2,5000
2#OOO
IMDO
de 1004000 para
ehma
36500
16750
6875


Joao Joaptim da Costa Lbite.



A VENTU0ROSA



Bm1Rmi BABANTBO
16-Rua do Cabuga-16
0 abaixo assignado vendeu nos seus
renturosos bilhetes garantidos os premio4 se-
puintes : 1 inteiro corn a sorte de 2004
no n. 3902 alem de outras mais do 32#,
16#, e 8,, da loteria 13.
Convida-se aos possuidores a virem rece-
her sem desconto algum.
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
;8s garantidos da loteria n. 14 em beneficio
da Santa Casa do Misericordia do Recife
oue se extrahirA na sabbado L7 do corrente.


PRE GOS


Inteiro 4,000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Mendo qaunidade superior
a 100:OOO
Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto 857
Joaquim Pires da Silva.



iAX FELIZ


E
1:0004000
oILlENIU QARANWIDOS
Pra4a da Independen-
cia ns. 37e 39
Acham-se a venda os felizes bilhetes
garantidos da 14', part da loteria a beneficio
da Santa Casa de Misericordia do Recife,
que se extrahira dodia 17 do corrente.
Bilhete inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Cm poriFo de tOO50 0 para
eima
Bilhete inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto #875
Autonio Augusto dos asnt-i Porto.


AA BA FOTUNA

Us :0000OO0


4a Primiro dte larOL n. 22
0 abaixo assignado tendo vendido not
teas afortunadoe bilfoetes garantidos 4
luartos n. 2,545 comrn a sort de 1:000,5,
4 ditos de n. 1,840 corn a sort de 1006
am de outsa sorts de 32, 165e 8&, d
oteria (13.), que se acabou de extrahir,
onvida aos possuidores a virem receber
ia conformidade do costume sem descontu
tdgurt.
Acham-se A vendao a seus afortunadob
b-Ihetes garantidos d 236a parte-dxs lote
rias a beneficiev da Satrta Oasa de Miseri-


cordia do Recife (14") que m
bado 17 do corrente.
?RE0s


extrahirA sab-


Inteiro 46000
Meio 26000
Qmr. l- 1o
Sm Fbdade imae r doe to#
Intiro 35o0
Meio 1050
Quarto 6875
Manoel Mar ,,as sa.


0 Vigor I
Cabeilo
"' Aye r

5 (Ar's flair vigr)
fTS^B GR1 ,BALHOSU

BBWWEW k SEM IGUWL
WP PAA 0 CABELL.O,
TORNANDO-D
MACIO.FLEXIVEL E LUSTROSO.
Ftparado elo Or.J.CAYERCIAAtowe.MaEstUn



JMES
UnIco legalmente aueriMdao
pelo governor de Portugal, e app-
do pelo conselho de saude do mesmo
paiz, depois de evidenciada a mwesl,
cacia em repetidas observangms no
hospitals officials.
Cada frasco estA acompanhn&d
um imprf sso corn as observa6es dos
principals medicos do Lsboa, v -
nhecidas pelos consules do Bramd


Protest
Antonio de Souza Duarte Perreira, credor de
D. Maria do 0' da Silva, previne que esta ques
tionando corn a mesma desde novembro proximo
passado, raz.o por que protest contra qcualquer
traasacAo que faga corn suas casas e mesmo ou-
tro qualquer bern.

Attenyao
0 abaixo assignado pedio ao Sr. Dr. Francisco
Augusto de Almeida, langador da reeebudoria da
Rio de Janeiro, o especial favor de responder oas
bilnetes posters que o abaixo assignedu ir tsmn
enderegado, e qu. parece nio ter rewtsiar takes
bilhetes, tornando-se ssim cyanico, e que nao era
dinheiro5 dos negres que os corneu e nio deu li-
berdades. 0 abaixo assignado pede-lhe que ihe
mande pagar 4405000 de principal, diauelsio qua
pagou de aluguel de eas a 0.. Anauiidda, e
mais dinheiros que lhe adiantm.
Antenio da Silva Gaumi.
Polvora
Vende Candido Thiago da Costa Mello, cm seu
deposit A rua Imperial u. 322. IgnahlnentoevTen-
de tijolos dc todas as dimencoes e telbas. Appa-
relho telephonico n. 221.
Aos senheres propriedu '
Precisa-se de urma casa corn commodos par a nu-
meros famiiaes que sejarsitkedr n v fmalie-
Magdalena ou Pernandew Vreira. D'ja earta
so restaurant Violets, rua das Larangeiras, ind&-
eando horu e local cndedeve ser procunts

Aluga-se
a loja, 1- e 2- andares da casa A ruas niperfat n.
19, cor muitra commodos, gtalA quiaurugs
encanada; a trttar narus Duque dthtxxas nu
mero 92.


Ama
Precisa-se de-amas aea.para ooinha-e engom -
mar ; na rua di Uaiio a. 54.


Aviso
Jos6 Moretrs da Silva scientific as publico e
eapeoialmate enmpo comwmewci* qmaer At a
de houtem dasoftt Vunigavelmente -i soedWe
que tinha corn o Sr. Augusto Jos6 Baptista, sobre
a firwMoeirw4 & CQ, estabelecido corn em
de madetras so cies do Ramos n. 26, Bsc de
posse do aetivo e passive, e aquelle seAm '-lme e
deeembaragado de qualquer onusm BWO eKde
outubro de 1885
Aluga-se
uma casa de campo, sita no Arraial, perto dA CL -
tagwo da rongabeira de Cima, com commodb pa-
ra familiar, sitio mwoltisado, baeho e agua Mlito
bk par. beber : a tratar na acasa defrouae da es-
ta da Manbeia do Chlma eom FwmbS Jo-
96 Gnedes de Lacerda.
Preeisa se de uria ama q.9 saibas osiahar:
a tratar na rua do Marquez do H]rse! a. 107,
entrada pelo oitAo.


w T


J I- -
























f Devedores
B6c deSom 70J80
S PhiloBammo Constantino de MendoncM, ,
rieeo Xavier C. de Barros CampeU1,
SeWar lJa Xavier C. de Barnm Cam- -
pells 8(;573
Limilia Nobre de Almeida Castro, fia-
dor Jos96 Joaquim de AlmneidaiLobre 3076993
HeBoteSoarme do Asevedo 90960
D. Belmira Fadea da Cooeiclo, fi-dor
Manoel Pereira da Cunha 137,000
Anselmo Ayres de Azevedo 746s000
Orestes S. de C. Neiva 586000
Jdo 1tstista do Bego, letra 4286400
f* roico Jerovrymo de Freitas, fiador
TJemaz Garrett 129;720
Capitao Manoel Joaquim Bello 3826580
D. Hermina de Luna Freire, fiador Josa
Maria Rodripues 1705000
Joeulm Jose6 ie Jesus. fiador Rodrigo
Pinto Moreira 6U180
Maeoel Augusto Menezes Costa 546000
ChristovA0 Jaeintho de Lyra Flores, fia-
doer Manoel Moreira de Sousa 155b170
Bea. a Maria dos Prazeres, fiador
Manoel Francisco Paredes 225j700
Jos6 Luiz Coelho 1894730




UBLOGIOS
0 IIUISED DRBIota
UT DB
M. MIGUEL WOLFF & C.
Offerecem ao respei-

tavel public um gran-
Ade e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
S 4erm directamente.


Todos


os relogios


vendidos n'esta casa
Sao garantidos.



Broce perdido
Perdeu-se hontem A noite, da rua da Aurora
pars a Nova, um broche de prata deurada, repre-
aentando a cars de .u ao ; quern o tiver echa.
do, dirija se A rua da Aurora n. 77, que sera >e-
compensado, entregando-o.





Comnpra-se e IMpaga-
se mais do que em ou-
.raqualqur part, lem
-00310

NOEDAS


4equalqr qualidade
a rua do Impera-
orB. L,.2, 1ojadejoias
JuI FuersOen erg



AmSJ


Oase pUrs shswv-soe quw w to* mobilbadla, pus-
gommodicos: a tratar cm o Sr. Bedel, om lqja
doe joins A rua do Crespo n. 25.

Ao public
0 bacharel Amaro Joaqumn Fonaeea de Albu
querque declare que desta data em diante suig-
nar-se ha, somente, Amaro Fonseca de Albuquer-
que. Jaboatio, 5 ce outubro de 85.

K. R E MSIN C.
10 nl-e f.18
ANTIG A DCflUZ)
Casa de comumissoes
Grande e variado sortimento de amos-
ras e catalogs de produces da Allema-
iha, Franga, Ing.latera, Austria, Hespanha,
[talia e Estado-Unidos.
N. B.---Informaces sobre machinismos
igricolas, ditas pars engenhos centraes-
>ombas, etc. para incendios e outras ma,
hinas e utensilios
HOTEL

LUSO BR&SILEIRO
De Jose Fermandes (Gomes
EM GAMELLEIRA
Este novo estabeleeimento, moatado nests villa,
acha-se A disposiVao dosSrs. passageiros, onde as
Exmas. families eneontrarlo bom tratamento, ex-
cellentes commode, auseio na hospedaria o modi-
cidade nos pregos.
9-Ruma 13 de Deembro--9
MEM


Vende-se ou permuta-se per casas em Afogados
ou Boa-Vista, 1 bomn sitio em Beberibe a tratar a
rua do Marquez de Olinda n. 30.
Vende-se uma pequena armago de taverns,
A ruan do Bario doTriumpho n. 11 ; a tratar' na
rua dos Guararapes n. 10.
Ladrilhos de u*rmore
Vende se na rua do Marquez de Olindan. 6.
OROAS



A lojade eeras da rua Duqwee oCaxi -,n. 119,
recebeu um esplendido sortumento deo coroas mor-
tuarias, desde o que ha de mas simple atW o
melhor e mais rieo, tanto em gtesr eumo em qua-
ildade. Colioemn se os disteM gratis A ventade
dos compradores. Qint. n a preos demfam today
a competeucia.
Yende-se
uma taverna bern loealisada, a freguezia da Boa
Vista, propria para principiante, porter pones-
fundos ; a tratar na rua da Deteuago n. 35.
Ven4I-se
ura armaco e pertenas, para taverna, em bom
estado e barato ; a tratar na ru a de Pedro Affon
so n. 23 (rua da Praia).


Attcniio

Camfirodacufta&O.
A' ruM Duqu 4 do !aulasm a.
Linen corn bollinhas de velludo, 14900 oeoovad. 6
o segundo sortie onto.
DamacO de seda bordada de cores, a 16000 o
covado.
Cachemira de tedasass cores, a 1 e 10400 o co-
vado.
Setim maeao de todas as c6res, a 14000 e 14400 o
covado.
Idem, macao preto, a lA200, 1500 e 1$400 o dito.
Gurgurinas matinadas de todsa as c8res a 400 rs.
o dito.
Setinetas lavradas e lisas de todas os c6res, 460 e
500 rs.-o dito.
Merinas pretos de duas larguras, 16 e 16800 o
dito.
Faile corn cmres lindas, 640 rs. o dito.
Cambraia Victoria, 81200 a pega.
Idem traaspare=te fiua, -8600 e 45 a dita.
Cretones elaros fans,-320e 860 rs. o covado.
Chitas escuras, 180 e 240 rs. o dito.
Baptistas matisadas de c6res, largest, 200 reis o
dito.
Fustao bronco, superior, a 500 e 560 rs. o dito.
Fustao de c6res, 500 rs. o dito.
Mariposas da India corn rodinubas, 280 e 30 ris
c dito, aproveitem que nao chega pars todos.
Popelinas de seda, 280, 320 e 360 rs. o covadoe.
Alpacas furta-cores, pecbincha, 860 rs. o dito, comt
toque de mofo a 320 reis.
WiAra molvas
Colchas de crochet, ricas 10j, 126 e 156, uma.
Grinaldas e v6os, 95, 125 e 15i um70=.
Cortinados, -icamente bordado, par a came, 74 e
80 o par
etim branco maiacAo, I, 1809 e 1600 o oovdo.
Popela-branewade 6Oda, 800 ro. O e 1v 00. o tdtO.
Setia stW benms, fins e bbordada, 5600e40Mw.
o dift. s s 1 .
Weiets pars Phora, 3500 e4 a dusia.
Brim ppardr, lona, -oft 4 -lw mS ao lautfgur
&3<369 e 400un. o &d0.
Brim psrdo twsads~, ue ewon cotoque deobok,
500o600eoordlto.
X*ttti ftusf, 1600,1<(900o 26 e c6rte.
(^elklU'k~ttfqt~ii^iirALL^^


FareIlo
Vende-se mais baratoedo que em outra qualquer
parte, par ascabar, superior fardlo de LUboa, d&
fabrics do Seato *i ruto, em- porqoA e a
retatho ; -a r a do Brum v. 96, ausem,

Rite 'alieraflr^frf
Ve&de-se
na botica frauceue e drogaria detOUQUAYR1L
PBE=8, sue-saea deo A. Cors
-aa f B-tJtr
WHISKY
ROYAL BLEND mares VlADO
Este excellent Whisky Escossez 6 preferive
ao cognac ou eguardente de canna, pars fortifive
0 Corpo.
Vende-se a retalho nos melhores armazens d
molhados.
Pede ROYAL BLEND marca VIADOcujo no-
me e emblema sao registrados pars todo o Brazil
BROWNS & C., agents

PIoD de Riga
Mathues Austin 6 C. teem para 'vendei
pranch5es de pinho de resina da melhoz
qualidade o de diversas dimensoes.
Taboas da mesma madeira proprias parn
soalho, portas, etc, etc. Em lotes a vor
tade dos compradores, e por prevos mo
dicos.
Rua do Commercio n. 18.
Cabriolet e victoria
Vende-se urn cabriolet e urnma victoria em p i
feito estado : a tratar una rua Duqne de Can i
numero 47.


Novo dor de carvao

Ina t ml -1oal I.21
Vonde-escarvios 720 e600 reis a barioeo
eomprador reeeberx um, barrier gratis quando
eompletar o numero de-30 banrias ; tambem se
vende ou permut-sepor urn pretio urn& barcava
bemeonservada, livre e deembaracada, carrega
corn 600 eaweosdeac. ______

(Ylitda
Vende-se memo a pralo, o permntase por
omita terrees, pequenas,4BB S. JosA on~bads
ura gonnde/aiaeomnmntoaormodo, sitio Iu-
rado, eacimba, e embom estado, na ladeira do
Varadouro de Olinda; a tratar na ru a do Viscon-
de de Pelotas n. 86, das 9 horas da mainht ao
meio dia, e das 4 as 6 da tarde.

Boa acqiusicao
Vende-se um estabeleeimento de refinao corm-
pletamente montado, e alugs-e todo o predio, ou
apenas o andar terreo, onde.estA o, estabelecimen-
to, A vonta4e do comprador, send o mesmo si-
tuado A rua de Santa Rita n. 83. Os pretenden-
tea podem diigir-se a travessa da madre de Deus
numero 5.
Novas setinelas lavradas 50
e 640 rs,
Chugo pars a loja des Barateiroada Boa-ViA.
a rua da Imiperatris n. 40, um grande aortiment'
das mais inda setinetas lavradas, tendo e today.
as eores, as maisnovs queotem 'indo. amerute
e vende-sm polo bareto -pre de 500, e 640 m.
iito ua loja da-ouquina doecco dos Ferrmro.
hslmes brancos a 40, I* &

VWr
Alheiro & C., A rua dait Imperatriz n. 40, vm
dem urm delicado sortimenx de ftutoM braneom
proprios pars veetidos e roupas de creangs pleO
pregos agecmns indicades; isto us esquina do bece
dos Ferreirom.
Caaenuras \mi s a 21500 4
mom
Nat. ka dos Banst*os da Boa Vista, veade.
ur eloegano sertimento deo casemirasoA de duaos-
aindo gles e corn beonita eoe, pfsI
110L0 de 2500 te86 O o u
side muiteproprias pars cobturnu., edo B
maua tambem se mandam faer costumes mun
bem fertos de pa l; cxal e 6 ooldtlefpor 80A(
35A, 6 grande pehchm : 4m loja da rlo de I.b
peratuis n. 40, eun do beo doe PerrerO
Esaoo" lho

Nea loja da a d h Imperatri. a. 40, : .
nmuits hoes espartilhgs as menhbera.a
PUBi7 euttWs 4IOoln; tlsip *E ,o
S*bmmti~lt AS fhsom e 1^0 1#6 14M 4 0*so
s, d, 4 e 689 0 i6 .4'1"
i)s low d sBhiuio do baeoeo d0 I'emiss. .;:
1~~w O kg u* : i""r11" +
A 'ABB "."
*. *f-rutd MAdiftk' *^' dft l^ k Nk lr
pdeh~bwa e iii q1590, lso,0e 'edB
K~d <&f8 ;iA itbn!*}.145


Ompbsmsad heladses ebr la. .

Vestuanles psiaBaeanos.
Lequos.
Ciapeos para4 esora.m

(hitats lisa.e do gores.
Fiehus de reds e de I
Cap.s de milso de 1,
Wanfa ..gstiauar
oarinhos e puhos pes. ehore e homei.
queos feitie
caiw s ea iieai emV punboasmr p
ahos e ewi9ooUlnhos e pvuhos pasahoa
ded n. 5 4.
Ca(mis pare moinem d adesde n. 28 A 85; Mm
IsArhO1, do n. 8 :A 35.

Meias cras, bbmnqas, de corem e ojip,.
..es ., ostouras, belies, veflut
I ho, hrina bwmvooa e d eo s luvaa, perfuw
rias etc.. etc.
Papoula & C.
68 RIu 4o Cahidj&-A
Em rente a matrix de Santo Antonio
Liquidaeao para aea


bar


I-


Das miudezas cxistentes na loja da rua largs
do Rosario n E8, a saber :
Carreteis de linha de 200 jarda, a 80 rs.
Pecas de entremeios finos, 500 rns.
Garrafas de agua florida, 600 rs., 700 e 18.
Latai corn 5 milheiros de agulhas, 800 rs. e 11.
Leques grandes modernos, 500 re., 800 e 1$.
Gravatas regatas e plastrons, 500 ra.
Magos de la pars border, 21800 e .
Duzia de meias finas, de cores, 46000.
Dita de ditas cruas, 83.
Dita de eollerinh a, 2$500 e 35.
Dita de lenqos, de 600 rs. ate 124.
Primeiros e segundos livros, cartas e taboadas
do Roeha, precos semr competencia ; fitas, bicos,
bot6es, sabonetes, perfumarias e ontros mnnitos
artigos que est o a exposieo naus referida loja da
Una larga do Be marlo a. 8a

upas pm bahmens
POR
Pro tos baratissimo
Itua da Imperatrli n. 40
LOJA DO BARATIEIRO8
Paletots d casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que se lava 01
* 4de peno O pret fino fameod amuto
hoe WQ
Dii.os d easemir de quadriuho. e istti-
nhag, toTaios rr
kitea deo-MminG Mor^ fado 9W
DtOh ese do dewwsiclsuma em-
Ditos da smira de cordao, de 10 A 1W
Dito. dc pam. preto .4M o soado 10i0( f
ilcas de caemsira coa nten pa-
drac. do 5d500, 66500, 86 e 1QW
Dites de cas e m cordo 6C50
Ditasde aeemr preta sed a 86 e 100'
Ditaide eammur preta 600
Ceroula docreguea, oa muito bean
feita a I200 1
Ditas de B nuburgo de limnheo a 1800 e 200
CoUletinho -para dentro, mnde de ee-
guellsa e muito bem fitosaA8004 e 1O
Camiss, grande mortieato do eamia
branes, tanto franeezas cemoi4ges,
tanto de linho como deoalgodb, sendo
de- 2, 2500, 86, atW 660
Meias, grande.rtimeat de meias ormm
pras hmens, de 320 r.o par a46
Toalths, grande sortimrnto deo toala,
tanto par rosto como pars bwnAho, que
se-vefdem pot r preos muito rmoaveis.
Tudo rito &eomgn redUeilo de preos:
loja da esquia do bew doFerreim.
Fazendas brancas
Na loja dos barateiro?
da Blam-Vista
5-Rus da Iumperaatrlz-4
VE1NDE-SE


MadaPOaO com 20 vw"a
Dito fnmes, faends' muto encopada,
comn 0 varms a 5, 5500, 60 e
Dito firanee, amenimo, fasends muito
fin&s, de 7- at
Algod&ao.enfeatade com 9-palmoa delar-
gur, propria pare tazer iengOes de um
6 panno, metro, rs.
Ditot"ansAe e om 8 palms de largrIm ,
pprio paren lecoea e toelhasdemee,
dte
Eoamante de algodilo corn 10.,pabnos do
tlaegoraepnopriso parm flenrlentoes de
Pit i~a tequaw- larguua, sagao
de .b metro
o eeroulae, sendo m~fiode, muit. epee-
pe8fo, eads pegs corn S0 vares & 146,
e e vnm tau&"
Ditto pa. _mueaws medide a 11e50,
e em vara,n r&.
Atoslhdo adamacadeTo par toaha de
mes, toado 9 palmos dde lrgura, me-
Als 4mn cmo ur sompleto'srhen do


g.aig-dk aWMs dobewo deA


Sim,
13iw
696'

11-,
Idl


h i+I I'QS +I ..... N E
SINER! IGR


VENDAS DO ILTIIO A O 603,292
Quem ilo teni ofido fallar das famosas machias de esto'a 4t
Singer?


Bin psta ialu
OR


Quando o pagamento per este sysatema me
S effectuar dentro de quatro memes, abatimento
de 5#"0.
Abatimento de 10#000 a dinheiro A vita.
ij Roga-se aos pretendentes de virems ao es-
criptorio da companhis para informawes cir-
curstanciadas.
Immensa e real -vantagem 6 obter-se e
Melhor artigo nas melhores condiguses.
lnte alnguuem cemprat saenaeo a veradeira
manlcma de SINGCR

TORQUE.?


1.o Por ser incontestavelmente a melhor, maits forte, sal8 be aca-
bada, mods simple, mais duradoura, a unica que ternm obtido mais de 00
medalhas, e a unica qne tern mais de 100 imitadores.
.2. Por existir iumn deposit succursml da propria companhia, onxe, sae 5.15
te estas machinmas per am tempo IHmmltado e onde sempre se enoontra
tado que dis respeito as mesmas.
3.0 Finalmente, porque aquellas pessoas que at6 o present, porfalta de meios,
ulo podiam satisfazer o seu desejo comprando uma d'estas excellenitee aihimun,
podem agora corn toda a facilidade compral-as mediante a modica prestao d4
Recommendamos corn insistencia--ieo s Illdanm eWna *m-is-
que trazem o ess o some e que nio passam de RUINM im-
TAhely.
Vendemos tambem Hnha superior, retroz em carretel), agha, ielo, laia
de crochet, peas avulsas para as machines, tudo de superior qualidiea e p. r pegor m
tern coinpetencia.
Omdleo depoIto das vrw adeiras maclnas de ti fcEr m5eMt Iade
Maido Cab.gi 1 ArPerwMocn"
moste u. ftd

io e Jgeirom, I fuas a doatrsz 4 Uln.i Sqarea, NUT- r






FUIDUIVAOU I



ALLAN PATERSON C
iN.44-Rna do Brum--N. 44u o


JUNTO A ESTAVAO DOS DO
Tern para vender, per preen medicos, as seguntesferrage
Tachas fundidas, batidas e caldeadas.
Criv"aoes de diversos tamanhos.
Rodas deeeporai, idem, idem.
Ditae s.guiares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas do. dito fhdido, de lindos models
Ports de fornalha.
Bancos de ferto eom serra circutir.
Gradeamento par jardim.
Vapores fora deo 3, 4, 5, 6 e 8 oavailoe.
Moendas d 10 a 40 poBegadas de panadura
Rodas d'agua, systems Leondro.
Encarregan-se de concertos, e assentamento de machinismo
trabaiho corn perfeilo e prestesa


FITA


NDs
ma8:


e ezeeut5m4~Ud~lfUSr


MARCA CARNEIRO ,


v


I I
































clanodad
n p rai o 30, preopinante
qI. l11xptiow por tal mode, porque
satia o o.que sepassava -nomse cidades
tu s atame, to couni radas ono hayia
a eowe'ir mmwdiias,. e focos de mias-
,JI'. M tiAo:ll.evl0 qu noem era pos-
-4%*' oro~itaniIs quo quauuto a esta
odpi&'a1a^so.ra que apezar
do 'o B a -pdemnos considrBar, como type
aa iome sa, coatudo podiaino as-
sov qa' q h1 )e beeA apdOaSi' diades da
Europa podiam Bse comppar ao Reonfa,
que nao Is6 peas suas qualiades especiaes
que fadilitam o escoamento das aguas, co-
mOs pelos esforqos que tem 'empregado a
Camara Municipal, acha-se limpa quasi per
today parte : quo ulo havia cidade algi ma
da Europa em qae ni houveose menturei-
ran, deposits deomaterias putridla, mate-
rissfepaes em decomposicgo, emfim, mniui-
tan outras causas geradoras de molestias ;
caus-s essas que quasi geralmente tinham
desappareci lo desta terra.
Per fim emprazei o nosso contender para
Ihe mostrar em occasion opportuna a des-
cripglo de alguma cidade da Europa e que
era ta! que elle noe acreditaria ser verda-
deira, a nio estar em letra redonda e his-
toriada por um medico d6 de maior nota
na Europa e incapaz de faltar a verdade.
Nesse interim chegam-me as mios os
botetins da Facullade de Medicina de Pa-
ris, que como todos sabem, 6 o resume das
actas da dita sociedade, cujos membros
seo as medicos main notaveis da Franga,
quer effectivos, quer correspondents.
No resume da sessIo de 11 de Agosto
do corrento anne, vem o relatorio apre-
sentado pelo Sr. Browardel, que a convite
do ministry do ,Lommercio foi con o Dr.
Proust visitar a cidade do Marselha no dia
2 e 3 de Agosto.
Traduzindo ao p6 da letra o relatorio do
Sr. Browardel, e a opinigo dos outros
membros da academia, ficarA patent que
n6s somos muito felizes, a vista de outras
cidades e que devemos antes nos lisongear
de sermon filhos desta t~o invejada terra,
onde noe se encontram os horrors que sac
vistos em ontras capitals, d0as chamadas ci
vilisadas por excellencia.
Vejamos a communicate do Sr. Bro
wardel siebre a apparigAo de uma nova epi
demise eholerica em Marselba, condigei
sanitarias da cidade e as medidas propostai
para dar-lhe remedio.

No finm de Julho o comit6 consultative
de Hygiene! Public& teve noticia de quo i
algum tempo tinham havido alguns falle
cimentos en Marselha por causa de acci-
dentes cholericos.
A primeira more, attribuida a esta cau
sa, foi ela m adutoa e teve lugar no dim
25deo unib. epo'ims disso, houve at
de Agosto Bs seguintes obitos :
S26 'do Junho 1
13 de Julho 1
14 a 1
15 ( 1
19 1
20 ( 1
22 + 2
23 a 1
24 3
25 *, 3
26 2
27 4
28 8
29 a 5
30 a 15
31 21
1 de Agosto 15
2 17-
3 (( 11
0 Sr. ministry da agriculture quiz pee
s aoalmente conhecer as causes dest epide
mit; cauvidou a mim e ao Dr. Proust pans
o asompantiarmos ; eeis o reasultado destE
visita, feita no dia 2 e 3 de A ;onto, cuj(


resumo tenho a honrade apreaeutar a Aca
demia.


Ill Si rus etroitae ;, omw
f 0 -despejo de today as iui-
j e rans, no rego 4*rumqu^a
40 im tri, ..... 01 ,1

0 ioEm .alium aa1-caa u
da em uuw quarto, .U Jaports i: BR
a rua, mais vezes na paasgem da c
6 deitinada a ajuntar as defeeOes. Um
certo niumnero 4essas tinas transbordavam,
e se andava aobre materias mais ou menos
liquidas- que d'ellas orriam; espalhan-lo
emanates qieo empetam a casa On a
rna "^ F :.-.:i y
As vezes esto atopetadaw de detritos de
toda especie, d quo 4ufaS por sua f6r-
m n, a c.r o pbeiro.. o deizam a manor
davida a res p itde a, irigern.
0 velho porto 6 o reiptaculo dos esgo-
tos que serpeiam pela cidade. As aguas
so negras, espalham umr cheiro nausea-
bundo: sua superficie esta seinpre enfeita-
da por bolhas de gazes de putrefacglo, que
estalam principalmeinute nas parties mais
afastadas da embocadura do porto. s
canos de esgoto, alguna dos quaes sgo des-
cobertos, estlo em umn estado de infecglo
ainda mais pernicioso.
Na margerm 6sate do velho porto, o Sr.
prefeito, o Sr. maire, e o Sr. Lapeyre,
umn dos adjuntos que nos acompanhou
nessas visits, nos mostrou uma casa em
que reside setecentas pessoas. Esta
casa formada de um corpo de edificio,
a que sdo annexas duas alas eram' angulo
recto, tern duas escadas. Ahi o despejo
nlo se faz mais na rua, por6m no vyo da
escada. Desde o quinto andar langa-se
tudo sobre o patamar do andar terreo, e de
ordinario se remove o monturo assim for-
mado, quando elle tern attingido a um ou
dons metros eubicos. Na occasiao de nossa
visits, os patamares estavam relativamente
limpos. 0 temor da epidemic tinha pro-
vocado a ingerencia da autoridade, e havia
agents de policia permanentes para pro-
cessarem os infractores.
Emfim, visitamos) atraz da Camara Mu-
i nicipal, uma escola primaria de meninas,
estabelecida em urma casa estreita e som-
bria, empestada pelo mao cheiro das latri-
I nas, man empestada principalmente pelas
Semanases de um pateo para o qual dao
Sas janellas do sobrado. Todos nis flea-
mon doblrosamente impressionados vendc
* esse pateo corn nossos olbos, corn o cornm-
primonto de vinte metros pouco main ou
.M ? largura de tres a quatro metros, en
caiilbado polo piano posterior de nmuitas
W eswom a altura de cinco andares. De
s oado ma das casas- abrem-se obliquamvnte
sobe9 muro frestas corn o comprimentc
de cinoonta centimetros a uin metro, das
Squares eoshem de toda a altura e ao ar livre
S0as liquidos e materials gross provenientei
deos casas. Al6m das frEtas ha algumai
tinas s.rvidas por tabm para ajuntar au
dejecg3e de urma d'esa casas. Dessc
Spate desenvolvem-se oeiuanagaes maligaas
a 0 maire non dinse que no dia da nossa vi
3 sita o pateo eatava limpo por exoepglo
uma por&o de homes tiuha, duranto dou,
ou trees dias langado agua sobre o solo ci
montado.
Em outros quarteiroes de Marselha exis
te urn. outra fonto de ins lubridade. Sal
os sumidores (eponges). Chama-se epong4
em Marselba urn. escavagio chela de pe
draaroligas ou de qualquer outra f6rma
do tamanho de unea pedra de calamento
tendo um metro e meio do profundidade
Formam-so nos quintaes atraz das casas
A eponge recebe as aguas sujas per conduct
toa de barro vidrado que partem das pia:
das cosinhas. Sao pogos de absorpcao ru
dimentarios, que tom todos os incornemen
tes dos sumidouros, e contaminam inoes
santemente a camada aquifer. subterranean
(Nota do tradtucor.--Antes de passar


mos adiante, permittam-nos que pergunte,
moo: onde o6 que nesta cidade do Recife
Storn oe notado cousas iguaes a esses que
ahi ficam desbriptas ? Mesmo no temnpc
Squo a municipalidade pouco ou nada se im
, portava corn a limpeza da cidade, em tom
0 po algum se encontrou aqui focos perma
neates de -podridao e em tfo alto grAo, co
mo os qua so desoriptos em Marsellia; ;
se forms a manisear escriptos sobre ou
tras miota cidados da Europa encontra
i remos a da pagina, noti"ias do factos in
i acrditu J'rtamente de muito mac
gosto .st m" Mal desta nom* terra, ou-
* jas -bel encautam a innumeros estran
giroa,. ec rmos na nosa iuagnaglao pa
Saimos, onde ulo m senalo woutreiros, ca.
pazes de fawe toa a qauidade de pestes
ts elp ea m eas o 0poder dE


por mais urgentes que sejam.
A lei de 13 4oiil de 1850 autorjpoui
as munipalidades a crm. comojnmis$o
para vigiar as hbtaces insalubres. M*M
nto definiram betm as .condig3w. de insa-
lubridade; e as proprietarios podem adiar
indefinidamente a exeeucgo d"aas medidas
preseriptas, de appelagAo emn appollaglo,
percorrendo todas as instancias, expoudo-
se apenad a multas insignificantes, censer-
var durante annos f6cos de infegcio, crear
um perigo, real em qualquer tempo, po-
r6m principalmente em tampo d a epide-
mia.
0 coMMit consultative submetteu ao Sr. mi-
nistroum project de lei reorganisando os
servigos de hygiene. Neste project, estio
previstos os trabalhos de salubridade que
devem de ser executados eomrn urgoncia em
case de necessidade. Pedimos que no
case em que os infractores neo executed
as medidas prescriptas, a administragio
proceda ex-offieio e A sua custa, cobran-
do-so as despezas executivamente pelos
rendimentos de predio.-
So fosse precise justificar essas medidas,
invocariamos o exemplo mesmo de Marse-
lha. 0 anno pAssato, a commission das
habitaqoes insalubres assignalou todas as
causes de insalubridade, alguamas das quaes
nos foram patenteadas. Suas decisoes nao
puderam ser executadas seneo nas casas
quo se alugam corn mobilia, e nas que es-
tao A mao da policia que poderiam ser fe-
chadas em case de resistencia: para todas
as outras as decisc-s absolutamente nio
tiveram effeito ; e o Sr. adjunto nos deola-
rava quo este anno haveria grande diffi-
Sculdade em promoter novamento a reunito
da commissno, desanimada como ella estA
polo infeliz-resultado de seus trabalhos.
Eston certo de ser o interpret da aca-
demia, chamando a attenglo do ministry
sobre a urgencia de urma reform legisla-
tiva sanitaria.
S Actualmento a boa voatade de todos es-
3 ta paralysada, e no memento em que as
questoes de hygiene t6.n a primeira or-
Sdem nas preoccupaqoes publioas, ao gover-
no pertence tomar a traduoao dests refor-
5 ma.
( Nota do traductor. Antes de passar
adiante direi quae a este respeito andou
muito mas segura i.aglaterra, creandc
o seu conselho de saude (Board of-keltj
con sua autonomia propria e taos foram os
Sresultados immediatamente alcangados pe-
los seus esforgos e trabalhos qu e dentro de
poueo tempo obteve-se urna diminuigio de
s main de cincoenta por cento sabre a mor-
Stalidade da febre typhoide, al6m de outran.
0 conselbo 6 compost de medicos, phar
maceuticos chimicos, engenheiros archi-
) toctos etc., etc. Inspeccina casa por
e casa e toma-se nota de tudo quanto 6
precise fazer para i..elhorar o estado sani-
tario da habitagio. Depois remette-se ao
proprietario um orgameato detafhado das
Sobras a fazer e do sou impostor e marcan-
Sdo-se-lhe o tempo em que deve executar as
obras, o qual noe tern dilagto ; e admoes-
s tando-so logo que se nao fizer as obras no
tempo marcado, elas serAo executadas polo
conselho e cobrado sou imposto sumnaria.
monte: Parece quo assim 6 quo dove snr.
SSeo juiz do commercio manda fechar as
portas de urna casa commercial son haver
quen se lhe opponha, se mand. tambem,
quando o entende, trancafiar na Detongito
qualquer honrado negociante quando oile
nito foi Leliz nan suas transacg~os, como e
que a juata de hygiene par. obter qual-
quer providencia, 6 precise recorrer ao sub-
delegado, ao delegado, ao cheoe de policia,
a Camera Municipal; e por fim ouvir as-
sin em segredo--estamos em tempo de elei-
gao: aquelte donor da casa torn ua perga-
minho, pode zangar-so e votar no adversa-
rio etc., etc. etc. E nesto abengoado pain


I eminem3ntom t eleitoral, quem, nlo se sub-
* mette logo a uma raso deo tanto valor!I
A respeito de negocios de salubidade
public entendo que sAo indispensaveia me-
* did" a Cavaignac. 0 mais 6 irmos vien-
do conform-0 nos deixam.)


Nada .tenb portanlo a respowler-he:
X ibstante P8e90 a eArdswoip'ermisdAo
pqra esclarecer alguj i s partioularida-
aes deste reletorio, cuja cofQrdA9Ado, -
Aj li0gao corn as o 0i 0es e 03s pinipIOs
quo tenhlo sempre deendido ha cincoenta
anos serA facilmente rewonhecida.
)i m effeito estoe relatorioe oscripto corn
u imparcialiddel quae me julgo muito
fela de reeonheor, trees consideragaos
l'presentai:.r e
1u Na.ga uumstanoias atuaes emMar-
slha, eite auno pode-se coahecer a repe-
t4ia do que n64 obaervatnos ded que o
cholera exist aa Europa, a saber, que o
cholera confirmado ten sido precedido de
uma serie de modificaqeos na sauie public
ca, caractoerisadas por desarranjos intesti-
naues, e quo torn sido attribuidos cornm maior
ou menor fundameonto A influencia do calor,
a comida de fructas, etc.; motives estes
todos sem fundamento, purameuto coadju-
vantes, porem nao determinativos.
M. Brouwar fez mais uma vez a histo
ria desses factors: eu mesmo prevenido
delles fii me informar ha quinze dias em
Marselha e Toulon.
2.0 Em segundo lugar so v8 qu e este
anno ainda a molestia procedeu por espe-
cias de esbogos, per particularidades de
ensaios, A maneira, por assim dizer, das
tentativas que seo fazem par. obtor a ger-
minaglo das s -mentes em certos terrenos.
Houve cases duvidosos ao principle, for-
mas incompletas do cholera, at6 o dia em
que a realidade da epidemia foi demons-
trada.
3V Um facto nto menor important de
verificar relativamente A questio que eu
defend ha tantos annjs, 6 que os primei-
ros casos observados em Marselha e con-
siderados como casos de verdadeiro cholera,
manifestaram-se em diversos-quarteiroes da
cidade, sem que se tenha- podido achar li-
gago alguma apparente centre si, sem que
tenha sido possivel relacional-os una aos
outros.
Oor, estas particularidades se haviam
apresentado da mesma form no decurso
da ultima epidemia em Paris, come eu os
related em minha communicaglo de marga
ultimo. Em Paris tambem em 1884 a epi-
demia foi precedida de um period que eu
chamnei pre-epidemico, caracterisado princi-
palmentoe per diarrhea, que erradamente
foi considerada como estranha ao cholera
cujo apparecimento era attribaido ao use
dan fructas e ao calor.
Quando so v6 despontar urma molestia
cujo caracter se verifica, e continuar por
urma outra molestia que tern a .nesma for
Sma, apresentando os mosmos symptoms e
sem differengar-se da primeira senio pols
gravidade dos symptoms, 6 bern difficil
deixar de admittir que haja fiiagio e idea
tidade de natureza centre os duas moles-
tias.
0 que me impression ainda neste rela-
Storio de M, Browardel 6 a procura das
causes preparatorias da epidemia actual, a
saber, a influencia do esgoto no mar de
todas as iminmundicias, tao livro e comnple-
Stamento praticado am Marselha e em Ton-
Ion; e por conseguinto as alteragss da
atmosphere quo d Idisso a eonsequencia
natural e direct. Polo quo respeita parti-
eularmente A Marselha, eu ahi mesmo ve-
rifiquei que o sujo e a infecgio sie em um
grAo que se nto acreit.a : tudo ao regato
o ao mar 6 o use geral. Este facto, parem,
nip data de hoje; contava-se em ontre
tempo quo um capiitao quo viajava de
Nantes pars Marselha, quando se julgou
star A vista desto porto, dizia a seo im-
mediate: c Quando sentirzs o cheiro da
m ... podes star descangado quo estas en
Marseiha. E'. pois, incontestavel que
todas estas condigoos de insalubridade pe-
den eorn iusts raz.io ser consideradas


Scomo ele nntos de origem do cholera, e
esta consideration vom em apoio da opi
nilo qu e eu sempre sustentei, into 6, qua
o cholera-morbus nasee no lugar, sob a
influencia de condigoes especiaes, takes
quakes as que seo observadas em Marselha
e Toulon.
K (Nota do traduwtor. Ooncordo corn
o Sr. Tulles Guerrin, man entendo quo
al6n das causes quo. continuamente exis-
terno, e que oomn razao podem coadjuvar
a desenvolugio das epidemias, ha uma oi.-
tra temporaria ot passage a, como qui-
rem chamar, e que e a determinativa del-
[as. Isto 6 ecohhecido deadie o prinoipio do
rundo: a david etsta, porem e quae at6
agora iao poderam apontar corn o dedo,
epor iso vao oulpando 'a quem n0o tern
oulpa, e se a tivesse, devism ser sempre
ewno taait6riamente.) .
,. ^ _1 .. x __ ? ... .


i a outro genero, no
a qsq onit~ ce nos. *AM:,S1
oquo s lvps0'di6i1adog: j)1
cholera, quo as mafteriss ecaes neuoe
sa dem ro nunca? ? ,. Pre-o a
% f.ado tradudc o Percoe-nos 80Bi
do Mirecourt. Nao ha material fecaes nios
navios, mas ha ouoa muito peior nells,
qua 6 o porlo, (como muito be a torn es-
cripto o Sr. Fonsagrives n3 sea tratado
de Hygienoa naval, on4 s0 ajiantam as
-aguas que filtram atravd das juntas das
taboas, e que etast exsudam, e os animals,
como ratios, baratas, escorpioes, etc., etc..'
que morrem e docomxna-n.se reunindo-sa
As substancias vegetaes, que vao ter A sen-
tina, como batatas, feijkto, arroz, etc., fa-
zendo um conjuncto de substancias vege-
taes e animals em putrefacglo, desenvol-
vendo principios perniciosos, tanto mais
activos, quanta mais diffiail 6 a lavagem
do porao e a penetraglo do ar nova nelle
para queimar os gazes maleficos.
SEstamos de perfeito ascordo corn o gran-
do bygienista na part quae di z respeito
a nao ser o accumulo de material fecaes e
outras, a causa das epidemias. Persistindo
esta causa durante seculos, deveriam tam-
bemrn as epideonias ser, polo menos, muito
mais frequentes : entretanto vG-se o con-
trario: a epidemia percorre varias cidades
immundas, varies paizes, e depois de al-
gum tempo some-so sem deixar vestigio
algum de si, e apezar do contagio nao ser
capaz do atacar se nto urma minima part
da populaglo. Entretanto, dahi a algum
tempo, A alguns annos, dahi a muitos an-
nos, dahi torn a voltar, faz a mesa coan-
sa e some se de novopor tempo indefinido.
JA 6 tempo de deixarmos de andar fingin-
do que vivemos enganados par. assim po-
dermos enganar os nescios, infiltrando-lhos
no animo crengas em quo n6s mesmos nao
acreditamos. a
Continu'a o Sr. Le Roy:
Eacontro ainda um argamento no que
se pass nan ilhas. Estas nao sto nunca
affectadas senlo quando o cholera 6 impor-
tado nellas. 0 Japlo por example, conner-
vou-so livre do cholera emquanto este por-
to esteve fechado aes navios europeus.
Avalib por tanto que nao se poderia
achar, na influencia de causes tao triviaes
como a temperature e a accumulagio de
imundicias, razges sufficientes para expli-
car a appariglo do cholera emr posts t-.es
quaes Marselha e Toulona: a imnportaglo
gosa de um papel predominante.
(*) Nota do traductor. 0 anno passado
t muitos dos main abalisados professors da
r Academia do Medicimna sustentaram que o
cholera morbus teve sua origem mesmo em
Toulon, Marselha, o qua em Pariz elle pa-
receu promiscuamente em mais de cem lu-
Sgares diffreAntes, nsem quae so podesse
Sachar relagtao alguma entire elles. Aqui cabe
Sbemrn a historic da mulher do piolho : men-
mo prestos a succumbir levantava as duas
m. os f6ra d'agua e dayva o cafun6, para
asseverar quo havia piolho I
Houve imporftig por for',z embora nin
guem pudese provar, mas houve, houve nato
ha duvida !
E depois dizem muitb anchos quo o cho-
lera e a febre amarella e outras molestias
nato se desenvolvem in loco, man tao sem-
pro importdasd !!
Quo ceguira, quo pertinaria digaa de
melhor causal! !
MR. BROUARDEL. Desejo ficar corn on
meus dous illusties colleges no terreno em
que tomos a felicidade de nos achar de
accordo. Doixemos pois de lado as ques-
toes da doutrina ate que a commissno de
inquerito do cholera tenha apresentado o
relatorio em que trabalhamos actualmon-
to : a discussao poderA entro ser complete
e main proveitosa: ella tomara a extension
que merece; e Mr. Jules Guerin me per-
mittirA poise que eu deixo igualmente para


esse tempo a resposta que espero dar A sun
communication de Margo passado, con todo
o respeito que merece.
Dito into, o ponto sobre que estamos do
accord hoje 6 que om relagto A hygiene
as immundicias e as cloacas que encontra-
mos ha pouco em Marselha devem desappa-
recer o mais depressa possivel; se se nao
quer que as cidades assir infeccionadas
sejam, ou pontos de origem como pen-
Ssa o Sr. (aerin, ou pontos do reforgo das
spidemias, como n6s o pensamos. Urma
cidade pagAt a uma epidemia, atrevo-me a
dizel-o, o tribute que seu estado hygienico
Lhe impos.


verdadeira? A tantos mil aUnR quo a
attribuem a todas as causes conhecida s.
por conhecer, man que todas ellas se comn-
batem con o mais leave sopro: o que ne
querem dizer 6 o seguinte: N6s ao sa-
bemos qual 6 a ciusa das epidoemias,
come todas as que teinos indicado .j fo-
ram condemnadas per uns e por outros,
agora langamos mio do main uma -micro-
bios! I e corn a facilidade corn quo se
vio fazendo creaqs de microbios 5os mi-
lhes, d'aqui a poucos dias nio serA este
mundo mais do que um montio de micro-
bios !,,,, e ;; ;; I Triste humanida-
de I Pobre scieaciaI !
Mr. Bechamps correspondent nacioaal:
Se eu tivesse a henara de oser admittido a
dar meun voto sobre a conclusion da commu-
nicagIo de M. Brouardel, eu me apressa-
ria em dar-lhe minha approvagio. Com-
tudo pego A Academia permissno para
submettar A sua apreciagio algumas obser-
vagoes que nato parece inutil apresentar
neste debate. Admire, quand examino-
attentamente as estatisticas, que ninguem
faca conta das predisposigai do% indivi-
duns, come se tudo dependesse s6inente
das condigo3s exteriores.
E' con effeito incontestavel quo certas
condi 'es exteriores teem urma mnfluencia
manifesto sobre as causes e o desonvolvi-
monte das molestias em geral e em parti-
cular do cholera-morbus : mas admire que
ninguem se occune tambom das condiies.-
particulares apresentadas. Que iaffuencia
exerce o alcoolismo, os excesses de todas
as qualidades, as diathoses, a miseria, etc.,
o home adoeee per si mesno, porque as
molestias nasoem noellea por si mesmo ;nel-
eto se achan reunidas todas as condioes
morbidas quaesquer quoe sejam, como das
epidemicas, que apparecem em sujeitos quo,
para ellas estio dispostos, gragas As inm-
fluencias exteriores, da mesma f6rma como
se fosse um tire de pistol.
Assin devemos n6s prestar today a at&
tenglo do enter humane tauto, se ni mais,
que As condigcos exteriores no, meio das-
quaes elle vive.
Mr. Le Roy de Mirecourt. Tomoe a li-
berdade do perguntar a nossos sabios col;-
legas da seegto do physical e de chimica,
se as materials fecaes, com o pensa o Sr.
Julio Guerin, adquiram qualidades 'tanto
mais perniciosas quanto mais logo 6 .0
tempo que ellas esttlo amontoadas : eujul-
gay.a, polo contrario que as experience
mais recentes tendem a demonstrar que as
materials fecaes slo tanto main inoffensi-
vas quanto ellas saoe mais velhas.
(Nota do traductor.) .E' por identico-
motivo que os nossos velhos dizem que-
emquanto se fazilm todos os despeios nas-
praias e nos quintaes, nunca houve febr-
nemo cholera-morbas ; e que depois que in-
ventaram Cambronnes e varredores deo rw
ao meio dia em ponto, appareaeram tbdas
estas pastes. JA o Sr. Parent Duchatelet
e muitos outros asseveravam que muita
exageragio'havia ass oulpas que eram at-
tribuidas aos cannes de esgoto, aos cemi-
terios e tuti qutnti. 0 Sr. Araoul I no
seu important e posthumao tratado de hy-
giene publics, assegura quo as materias
fecaes expostas ao ar na/toem inconveniei-
te algum. E' precise que este parocer
fique em segredo; ,l1 contrario ter-moS
breve em cada canto uJna caa. de engr-
xates!!




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHC772U8X_A84O86 INGEST_TIME 2014-05-02T21:22:44Z PACKAGE AA00011611_13641
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES