Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13556


This item is only available as the following downloads:


Full Text




































"RIO -E. JAXEIRO, 3 d etemlbro,
AI hora e 25 winutos da tarde. (Rees-
bido As 3 horas e 25 minutes, pela linha
terrestre.)

Eontem, tna Camara -dos Deputa-
dos. o Orl. Ulys s Vianna apresen-
tou umna representaceo da Camara
Muincipal do Cabo, a equal foil remet-
tida A respective commitssAo.
Foi publleado o decreto de ddi-
solueao da Camara dos Deputados,
sendo convocada a inowa Camnara
parn o dia 1.0 de mareo de ISS5


(Especial para o Diario)

BERLIN, 2 de setembro.


A Princeza Augusta Victoria, es-
poma do fhno maim volho do Kron-
priuz da Alemnanhat a qual me acha-
va gravemente doentet tern melho-
rado.


PARIS, 2 do setembro.


o cholera augmenta sensivelmen-
te em Toulon e na Italia.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
3 de setembro de 1884.



INSTRUCCIO POPULAR

MACHINES DE VAPOR
(Extrahida)

RESUYIO HISTORIC
t /uIM,.u-.f&(zywJ


r cjuinrxniiuauujI
Em circumstances identicas se acha o eolipylo o
de Branca, aiada que este ultimo ja revelava tald
ou qual applicagio util, pois que o jacto de vapor
fazia mover umas rodas dentadas, as quaes eorn-I
municavam o seu movinento a dous piles ou maos
de gral e poderiam servir pars pulverizar quaes-
.Auer substancias.
Mas o principles fundamental da machine de va-
por assent, como adiante havemos de ver, sobre a
forfa elastica do vapor d'agua contido em um es-
pago teehado,-e n'este ultimQ apparelho apenas
se tern em conts o effeito de impulse qu e um jacto
de vapor produz. Qualquer corrente de ar produ-
zida por um folle teria iguaes effeitos,-e jA o lei-
tor pode ver qu semilhante apparelho nao tinha
em si o germen d..s futuras machines tAo podero-
sas nos seus effeitos, tAo variadas nas suas appli-
caqZes, machines que hio de format o assumpto
do present trabalho.
A invencao do barometro por Torricelli iniciou
nova era para os estudos da physical. Torricelli,
estudando as causes que obstavam A subida da
agua a unea derta alturars no palacio do gran-duque
de Florcn9a, foi quern soube achar a explicaglo
verdadeira e scientific d'este facto, at6 entAo ex-
plicado pelo horror ao vacua, e mostrou que opeso
da atmosphere, exercendo se sabre a agua nos tu-
bos das bombas, determinava n'elles a subida d'este
-liquido.
Foi para verifiear esta cnjeetura que o sabio
Torricelli teve a feliz lembran9a de substituir a
agua pelo inmercurio (pouco mris ou menos quatorze
vezes mais pesado do que a agua) no tubo em que
fez a sua notavel experience, e esta feliz desco-
berta reduzio o comprimrnto do tubo (em que pri-
* meiro se fizera a experiencia) a um comprimento
quatorze vezes menor (isto 6, a 28 pollegadas ou
=1,75).
SParece que Vicento Viviani, condiscipulo de
Torrizelli, e a quern este communicara as suas rd-
.flexoes, foi quen prirneiro executou, em 1643, a
experiencia notavel, pela qual se provou que a
atmosphere era pesada P se poude avaliar o sen
peso. .f .A,
Como o leitor certamente saheq o espaco vazio
que fica acirna da columns barquoetca no tube de
Torricelli ou em qualquer barometro, ehama-se :
camara barometrica ou vacua de Torricelli. Pois
bemn: a explicagio da existencia d'este vacuo s6
mais tarde foi achada, porque as id6as 4a epocha
nao permaittiam otoutra explicaelo qua nao fossem
as coafusaS e absurdas ideas escolasticas sobre o
vazio e o chelo univereaes. ..
Mais tarde a experiencia de Torricelli foi repe-
tida por Petit e Braz Pascal, que verificando o
facto lhe den interpretagao erronca, explicando a
existencia da camara barometrica pelo velho axio-
ma do /twrror que a natureza ten ao vacua.
Um padre jesuits EBstevao Noel, nas suas discus-
sues sobre a experiencia referida, corn Pascal, e
pela repetigao d'ella em alturas divensas, parece
ter sido quem achou e provyou a verdadeira cansa
do vacua do Torriedli.


nuam aqio u
O m: ~ai ~ *


vista a informa9ao da Theaa !V 3uU5 4do'aSeWaf
13 do eorrente, n. 570, resolve, de confmitde
conm e dispoato no 4eereto ui. 2,884 doI defever
reiro de 1862, abrir sobsus responaabids am-
credito da idpoerteia deo428621 & Averbsa .-
mento etc, do Ministerio da Guerra.exrcicio de
1883-1884, afin de oeorrer ao pagamento da di-
vida de fardameato constant do titulo expedido
ao peticionario.-Commuicoua-e ao inspector da
Thesouraria de Fazenda.
0 presidmft ds provincia resolve, de aceer-
do corn ma peopoata -contida no offieio da procura-
doria dos feitos da fasenda provincial de 18 deste
mez, n. 6, nomear o promoter public, bacharel
Antonio Clementino Freire, pars exercer o cargo
de ajudante da mesmsa proeuradoria no distrieto
da collectoria de Barreiros, visto ter sido nomeado
juiz municipal o de4 orphalo do term da Concei-
$1o do Arroio, no Rio Grande do Sl, o baeharel
Leopoldo Marinho de Paula Lins, que servia
aquelle cargo.-Communicou-se ao inspector do
Thesouro Provineial.
--0 president da provincia resolve, de accor-
do corn a proposta contida no officio da procura-
doria fiscal da fazenda provincial de 13 do corren-
te, n. 6, nomear o cidadlo Luiz Aurelio de Godoy
e Yasconcellos para exercer o cargo de ajudante
da miesma procuradoria no district da collectoria
de Alagoa de Baixo.-Communicou-se ao inspec-
tor do Thesouro Provincial.
Officios:


Ao commandants das amnnas interino.-S-ir-
va-se V. S. de prestar as infornmases quo estive-
rem a seun alcance sobre o object do requerimen-
to dirigido ao governor imperial por D. Theophila
Leopoldina Maciel Monteiro, viuva do capitwo de
voluntaries Manoel Rodrigues de Araujo Lima,
declarando si a impetrante ainda reside nests pro-
vincia.
Ao mesmo.-Remetto a V. S. a inclusa guia
de expedicao de medicamentos mandados fornecer
A Pharmacia Militar, devendo V. S., logo que ha-
ja a verificaoo do contefido dos dons volumes em
que vieram acondicionados, remetter-me a respee-
tiva quitacao.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda. -
Providencie V. S., afim de que seja entregue pela
respective collectoria A commissio nomeada para
prestar soccorros gos desvalidos accommettidos de
variola usna cidade da Escada, a importancia de
200A000 para alimentagco e curative dos doentes
atacados daquella epidemia.-Communicou-se A
commissao.
Ao mesmo.--Communico a V. S. que em 25
de julho findo presto juramento e assumio o exer-
cicio pleno do cargo de promoter public da co-
marca de Floresta o respective adjunto Firmino
Gomnes de Menezes, nomeado por esta Presidencia
em 4 do mez ultimo.
Ao mesmo.-Communico a V. S. que em 16
do corrente o promoter public da comarca do Bo.
nito, bacharel Manoel Maria Tavares da Silva, en-
trou no gozo da licena de um mez, que ultima-
mente obteve pars tratar de sun sande.
Ao mesmo.-A' vista do que ponderous o
commando das armas no officiojunto por ecopia de
1 do corrente, sob n. 396, providence V. S. para
que as coUeetorias, d aecordo cam as dispotigef
do MiWirtiodantA Guerra, to9ntida os
aneiro, satisfiago as requAsiges
tos commandndtese&h destacamentos de lia do
interior da provineia, sobre o abono de etapas para
as pracas do mesmo destacamento.-Communicou-
se ao commandants das arms.
Ao mesmo.-Haja V. S. de providenciar pars
que na conformidade do aviso junto por copia, ex-
pedido ,A 9 deste mez pelo Ministerio do Imperio,
seja pago ao conselheiro JoWo Silveirg de Souza
lente cathedratico da Fa"O direito do Re-
cife, o ordenado relati decorridos
de 7 a 24 de dezembro 0 a So asdo, e do 1O
de margo a 6 de abril do corrente, em que esteve
ausente da mesma Faculdswie por motive justifi-
cado.
Ao mesmo.-Transmitto a V. S., para os de-
vidos fins, quatro orders do Tribunal do Thesou-
ro Nacional de ns. 115, 118 a 120, uma ordem cir-
cular do Ministerio da Guerra de 28 de julho ulti-
mo, relative ao saldo da verbs a obras militates n
do exercicio de 1883-1884, e urma portaria do
Ministerio da Fazenda, concedendo licenga ao 3o
escripturario dessa Thesouraria Gedeao Forjaz de
Lacerda.


'ira.r


iPodra.. :
Ao commandante do corpo d -'Wl s
Vmcine. alstar no corpo sob sea omG
nos mencionados em officio a.779
rents mez. ,
Portarlas'' '
Accusando oa recebimento d dfie 4 .1I1.do
eorrente, recommendo A Camara Meisialft Es-
cada quoa ex"e as devida ordens e eommunoie-
es afim de que,n o dia 2 de dezambro proxismo
viudouroA so proceda nf usamwiqipi* a eleiggo de
Inm veoreador emi sub tiiao do .4eeido major
Joao Manoel Pont muniotf-se ao Juis do
direito da Eseads.
0 Sr. ger.te da Companhia Prnambncama
made dar pasagens a r6 ate o CearsA no vaonr
queo seguinr a 2 do corrente, par os portoas do
norte, por couti das gratuitas a queo govelao tel
dirito, a Eugenio de Barros Fatelo e D. Duae de
Bareros alco e A pros a 2 criados. spto
0 Sr. gerente da Companhia Pernambu-ana
faga transportar so Rio Grande do Nrorte, pr conta
do Ministerio dan Marmnha, no vapor S. Fraciho,
dous latest corn oleo do e alya e dous pequeonos pa-
cotes corn diversos destinados ao .pharol daquela
provineia, volumes estes que teem de medida 128
deeimetros cubicos.-Compaunicou-se ao inspector
do Arsenal de Marinha.
PAEXPEDIERNTE DO D. SECaETAIO
Officio:
Ao ante diCompabia PnaBrasileira.- De
ordem do xm. Sr. desembargado r president e da
provincia accuse o recebimento do offeio em que
V. Exc. commuonia que o vapor Ceard, chegado
hoje dos portos do sul, segunira piam os do norte
amanh, As 4 h.oras da tarde.

DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 2
DE SETEMBRO
Companhia Pernambucana. Deferici
corn o officio desta data do Thesouro Pro-
vincial.
Francisco Jos6 Alves Guimaraes. Pas-
se partaria -negando rovirnento ao re-
curso.
Francisco Marques da Trindade.-In-
forme o Sr. inspector geral das nstrucgao
Publica. .1
Major Jose Domingues Codiceira, -In
former o Sr. inspector do Thewouro Pro-
vincial.
Jos6 Martins de Siqueira.-Certifique-
so o que constar.
Manoel odopiano Barbosa de Santa
Barbara. Infoxrno -o $r- Dr. jizis dodi-

oSrh.fDr.
das execugoes efiinuaes.
Manoel .fodopiano Barbosa do Santa
Barbara.-Remettido ao Sr. brigadeiro
commandant do presidio de Fernando de
Noronha, pars attender como forjusto.
Major Manoel Joaquim Bello.--Fomrne-
ga-se.
Mesa administrative da irmandade do
Senhor Born Jesus das Portas. Deferidol
corn o officio desta data ao Thesouro Provin-
cial. *
Severino Francisco Bandeira e outros.
-Sim, pagando o supplicant as comedto-
rias.
Secretaria da Presidencia de Pernara-
buco, 3 de setembro de 1884. --
Pelo porteiro,
Antonio F. da Silveira Caralho.


cial. Ao Sr.


uheo4entol- e i0 seeg0o do Coatsncji
vidoe fins.
*tpuioo Mathilaa de Souza.-Ao I
i u conhecimento e fins eon ate.
i nngues Codeceira.-InforHe o Sr. !-


c nsula FrVIaije^a i
S>EBRACHOS DO DiA .3 DO CO fE11
Jg5 Clewente de Borba Cavaleaoteid~nieida
Ca*08 & C., Gaspar Augsto Soares W* An-
tmka^ Pih~tei da Silva, Antonio Pinto Lapa, An-
P e m* da Silva, Joaquim Moreira Reis, e
A *i i da Silya.-Informe a 1, see-
A Joaquina da Silva.-A' 1.- sec*,o para os
Aida o Octaviano de Souza, Maria Benta de
sm GEoveia, e Isabel Candida da P. Ribeiro de
Mores.-Intorme a 1., s ooao.
Bcharel Manoel Ferfreira da Silva, Almeida
S0 Rodriges & Maia, Augusto Fernande
& 4 Antonio Paulino H. de Menzes, Herminio
Rodrigues, Jos6 Antonio Ferreira Porto, 'Vinva
Britto Meo, ERugaio & Vieira, Jose de Maoede,
Martins Vieps &C., Santos Silva & C., Carvalho
Irmulo &C., Andrade Lima & Irmki, Jos6 Moutei-
ro Tonres de Castro, Mareolino de Souza Travas-
sos, Genuino Alves, Fernandes, Charles Blew
& C., e Arthur Bastos & C.-Informe a 1. sec--
So.
Joa Luiz de Andrade Couto.-Certifique-ae.

Vamara I acelpal
DESPACHOS DO DIA 2 DO CORRENTE
Pelo Sr. Dr. Jose Osorio commissario
de edifica&a.
Mawnoa de OChristo Pacheco, pedindo li-
cenga para mandar acabar a -construcgao
de sua easa n. 2 A, sita a rua do Desem-
bargador Nunes Machado.-Sim na formal
do pareeer.
Pedro Alexaudrino Rodrigues Lins, re-
pliando, pede pars fazer a cosinhn da
eanl1uuexsa de n. 13, a travessa da Bai-
xaVerde, freguezia da Graga, serviado-
se da licenga." que obtew-para a conastre-
91ogE a 4- Subsiste o despaeho Ca-
4a. 2 deuagosto do eorrente sano, em


iceuga par mandar fazer p uenuos rebo-
cos e ca&a, em suna cas a. 2 a rua do
Sol. Sim2,avisandoaso fiscal.
Secretaria da Camara Municipal do Re-
cife, 3 de setembro de 1884.
0 porteiro,
Loopolio C. Ferreira da Sila.



KEYVSTA IARIIA
Theatre Santa Iabel- A companhia
dramatiot do Emniilia Adelaide da hoje em espec-
taculo, nests Theatro, o lindissimo drama de Pi-
nheiro Chagas -A Morgadina de Val Flr.
Ante-hOntem estve, explendido o espeetaeulo
em beneficio do actor Gil, sendo enorme a concur-
rencia de espeetadores, constituindo urma enchen-
te real.
Todos os artists foram muito applaudidos, sen-
do-o prinoipalmente o beneficiado, que recebeu as
mais calorosas demnonstrag5ea de aprea e estima.
SIsto deve ter teito convencer ao 8r. Gil quo a
sympathia que Ihe vota o public ternm fundas rai-
zes, que se firmarani no sen ierecinento real.
Alieante- Esta cidade, onde, segondo um
recent telegramma de LiAsboa, apparenea o cho-
lera morbus, 6 maritima, situada na estrada da
bahia do Alicante, ua costa do ilediterraneo, e e
e capital da provincia do maesmo nome, na HRespa-
nha, a 106 kilometros A sudueste de Valencia.
Tern 31,162 habitantes, e a provincial 440,470.
~owa T~alia-Esta associavao commemora
a 3*e anniversario de suna creaco no dia 8 do cot-
rente, eelebrando uma seado magna ha8 horns
do dia, e daironum espectaeulo as57 hOra dai noi.
ten 3sua noviasedeAruadapaBsiBlen. 0
1'-Frefmneuta : d Sa~uto A*atitw# -O0
Revm, Sr. vigar.o destA paoehia mudon sin resi-
deniaparao2E adar ptedio-n. 11 da ruado
P a h n tra 1 1*; *.i -iii ~*''*i i 1 '-1


a Sa du eseses, em 1 de setembro de 1884.
-S. .-AtotioFaria..
poi dberagAo da directorial foram adiadas a
slo e votago de semelhantes medidas para
de 9 do corrente.
C E^e1 M amwe]l-Escrevem-nos:
l O rme oe convites feitos pela imprensa, ti-
ram lagar na scada, no dia 10 corrento, as
exequias e se ebre do Club da Lavoura,
ac~ells '^iBJ~^RHIR^^n11d& alms -do mjor
l] Club como significativa
to polo denplpreciren-
o en
actos estiveram na altura do as-
sumpto, send grande o concurso dos que a muds
nessa ocasilo procuraram demonstrar o seu pe-
8ar.
SA Sociedade Auxiliadora da Agricultura fez-
se representar por unma commiaso dos Srs. Dr.
Aquilino Ganes Porto, commondador Jose Perei-
ra de Araujo e coroanel Marcionillo da Silveira
Lins. a
Deal tspital Pertague--Movimen.
to das eufefiarias no me de. agosto find:
Existiam em tratamento 26 eifermos.
Entrarsm 28.
Sahiram curados 22.
SFalleceram 3.
Ficam em tratamento 29.
E' mordomo fiscal no mez de setembro o Sr. An-
tohio Maria da Silva.
Diunhelro-0 paluete Epirito Santo levou
para :
Alasoas 1:700O000
Bahia 5:773A710
Rio de Janeiro 255:000,000
eunwtaes soeiae -Ha hoje as seguintes:
Dos Artistas Mechaicos e Liberaes, as 6 horas
da tarde, em assemblha eral, na respective sMde.
Do Congress Litter'n Scientfco, as 4 horse
da tarde, no 1o andar do predio n. 58 ds rua do
Bareo da Victoria.
Do Club CeardLire, as 4 1/2 horas da tarde,
no 1O andar do predio n. 12 da rua da Imperatriz.
o0-pital t Pedro HI-Estiveram em tracta-
mento durante o mez fiudo no consultorio do hos-
pital Pedro II:
A cargo do Dr. Augusto Seraphim:
96 doentes, sendo 40 mulheres, 31 homes e 25
criangas, em 351 consultas, das quaes 32 conti-
nuaram do mez passado.
- Opera ee eimrgica-Foram pratica-
das no hospital Pedro II no dia 2 do corrente as
'ti
seguintes:
Peo Dr. Malaquias:
Urethrotomis.interna peloprocesso de Maison-
neuve, ecla*mada por estreitamento fibreso da
urethra, compli&6ado de fistulas urethro-perineaes
e uretbro-escrotaes.
I PelDr. Poanual:
SPostotomia pelo thermo cauteriq, reelamada
pw phiumpsu, complicada de balano-postite e can-
- -lDr. Estevo :
Excislo polo thermo cauterio, de condyloma do
annos.
Pelo hDr. Bei ado:
Capsulotomia pot adhepneia da crystaloide em
catarata tranmatica.
Dia 3
Pelo Dr. Malaquias:
Abertura de grantN abeesso peri-prostatico, na
regiAo perineo-nadagueiro, resultante de estreita-
mento da urethra.
SPelo Dr. Berardo:
Enuclea9ga do globe ocular, reclamada por de-
generecencia do mesmo em ophtalmia purulenta.
_enito-Em 19 do mez passado escreveram-
no. dosta cidade o seguinte:
( Entrou no goso de 30 dias de licenga o Dr.
Manoel Maria Tavares da Silva, promoter publi-
co desta comarea.
a Consta-nos, qua efoi non-ado para exercer in-
terinamente este cargo um individuo de nome Joa-
quirm Roberto Pereira.
a As interinidades sempre sao prejudiciaes,
tanto mais que nessas comarcas centraes nao se
encontram pessoas de reconhecida idoneidade, que
exersam os cargo interinos sem detriment da
causa publics, no entretanto os juizes de direito
lutan corn suas difficuldades na contigencia de
lasnarem mao de individuos senm habilita&5es ne-
nhurma, e algumas vezes ate de verdadeiros au-
th os.at
a As autoridades judiciarias a policies cum-
prem restrictamente cort os seas deveres, mere-
condo applausos da opiniao publics. Era o que
mauitose fazia necessario nests comarea de auto-
ridades zelosas e energicas, que puniesem o deli-
quente e restituissern a hberdade o innocents.
a Tem declinado ofarto de cavallos, e alguns
criminosos, que se achavam homisiados em alguns
reooncavos d'aqui, coasta-nos que foran procurar
outros lugares onde o crime eampea em plena paz.
Queno ae lembrem maim d'aqui, 6 o que dese-
Acha-se eonvoeada a 3a sesslo do jury desta
eamarea pars o din 1 do mez proximo vindouro.
a N* o ma:ragrxlado -teria^ da freguezia de
Santo Antonio do Bebdouro, a qual desmembron
grande territorio des, ieando quasi rodazida so
efrouit6 da villa. A 'ppesms parars Exm. gver-
tudor do bispado, que atteudoudo a jasta dor, que
nm -opprine nao proverA canonicamente a referi-
di freguesia; e assim paticara mais am acto de


oeoo aoomeroo pr apersonagea fts f
tituledft paWarot e nmima pequena pouts
Obrigaram-no a abrir as potAwbr do
ea de aehados detom
AvoctOs qud'o Sr. Arrudsa e, a 1 80-ok-
far-se eta pax das unhas de seius grataitos gr$.
sores; mas fioou jurado -
Ojuiz municipal 1.0 supplento em e
tendode fazer uma viagem a comarca d o
ro, Parahyba, passoua o exercicio, ou dei
sen lugnar, ao ex-delegado Santos, que nao *
ptqe deo autridade alguma deixando de faz.l-t e
aopeanB uvo 2.'supplente, tenente Joaquim dq
Queirez :Lim.-[fk
A lei, quo tint nesta terra contina a aser
a absolut, vontade de quern tern costas quen ft,
a Ainda estamos em pleno verlo.
a Temos tido, algumas chuvas que muito tean
servido pars enverdecer os feijnes da safra; espe-
ra-e uras grande co 1heita delles bemrn como do ai-
godio.
Camhis xime findo
seo m v-guinte:
4 Rts tmPO ff Redaetoresf dar-lhes a
grats noticia d qu esaqos lives do torrivel fla-
gello da variola.
v No dia 16 do corrente deu-se por finds a corn-
misato do commercio, qua havia tornado a seu carl
go o tratamento dos variolosos. Desde o dia 14
de jilho proximno find a 16 de ugosto correntf
entraram no hospital 21 bexiguentos tiveramrn ,7
ta 16, e fiearam em convaleoenga 3 e doento el
gastando a commissao 950820.. Desde ewe dia
que ficon a cargo da commissio nomead pel]4
Exm. president da provincia o tratameoi dod
accommettidos do mal e ordem parareceTree m da
Collectoria eftal de S. Bent (1500., conform.
me officious o mesmo Exm. president a dits com-
missIao.
s Consta quc A commissio nada receben d'a-
quelle collector, em consequencia de nao ter rece-
bido ordem par; tal fim. 0 certo 6 que as bexi-
gas extinguiram-se, e o dinheiro nao appareceau!!
a Quarenta dias esteve em exposiglo o Glorioso
Martbr S. Sebastiao, A venerasao dos fieis, e today
as nites era concorrido de muito povo do povoa-
do edos arrabaldes no temple de Dens; ao p6 do
altar entoavam-se canticos e prices, implorando a
Clemencia do Altissimo por intermedio do Santo
Martyr, pars livrar da horrivel pests.
a 0 nosso digno capellio Frei Pedro da Paz e
Paiva, urn dis por outro subia A tribunal sagrada,
e animava sos seas ouvintes que fassem persevo-
rantes na orago e devoglo ao Santo Martyr, qus
o mal seria debellado.
u Assim, em aceo de gracas, costa que se
prepare urna grande festa ao Glorioso S. Sebm-
tijo. x
Netbodo para engordar os ma"ro
-Maito mais difficil f6 engordar os inigros do qte
emmagrecer os gordos. Na veroade 6 sempr
mais fail tirar do que ajuntar, e perante a feetn-
da natureza o home nao tern, as maisis das vezeo,
outra misslo que no seja cortar os ramos muito
luxuriosos da arvore da vida. V6de o home em
acgo, e aelhar-lhes-heiH sempre entire as maos i-s-
trumentos destruidores. Soldado da civilisca) e
da liberdade, ter na ramao urn fuzil* reparador dos
organismos defeitaosos, tern na mo unt cutelo ou
urns lancet; eultivador d'arvores e de flores, tern
na mao as tesouras on pequena fouce.
Em um minute amputamos um membro, um ra-
mo; separamos urn ser da arvore em que nasceu;
mas pars vigoral-o, se fraco, para eugordal-o, se
magro, para reanimal-o, so inerte, quantos cuda-
dos, Auantas longas e pacientes fadigas, qua:ita
science e quanta arte E depots corn tanta so-
berba os baptisamos!
Quando a magreza d'um corpo human e0t es-
cripta nas visceral desde o bergo, 6 quasi sempre
irremediavel e estA esculpido na front do honem
ou da mulher:-a-earago--como urma sentena inexo-
ravel e fatal.
Brillat-Savarin deixou eseripto:
S Mais pour lea femmes qui sont n6es maigrcs et
qui ont VlestomWc bon, nous ne voyons pas qu'dles
puisien St re plus difficiles d engrcaisser quo lespou-
lardes; et s'il faut y mettre un peu plus de temp,
c'est que les femmes ont Vestomac comparativemwnt
plus petit, et ne peuvent pas tre soumises d un re
gimne rigoureux et ponctueoement execute comme ces
animaux devous. ,
Mas corn certeza as frangas se podem engordar
todas ou quasi todas, e ha muitas mulheres que
submettidas so regimen estupefacients corn quo os
arabes ou oitro povs fdo Oriento ongordar as ii-
Ihos, quasi coma se fossom patos deo Straburgo ou
htortl~es, nao consegnorn augmeotar urn miillim '-
tro dgrdura a os agopos enfraquoeidos e m'or-
mificados.
Quando, poremn, a magreza e ao ffeito do longas
molestiss, do graves fadigas, on do profundas do-
tes, pdod-so fazer nutito pars cainbatol-a e alguns
cause tambern as rnagro podem esperar inorrer
gordos.
Aconselhamos este regimen:
Climas mores e pouco variaveis.
Compridos somnos e pouco movimento. Em car-
to depois de jantar.
Antes de levantar-se, alrnoo corn presunto gor-
do, dous ovos fnitos em manteiga, cerveja on caft
arpso. -


SAo jantar, arroz ou s6pa d'arroz, tarinaceos no
forno e earnoa gordas. Pouca alface corn pouco
vinagre, preferivelmente de beterraba oun batatas
ou raponcio. Muitos d6ces, queijos gordos, pou-
quissimo caf6 e ,raito pouco tambem chba.
Cerveja excellent, tambem ao janter.
Aconselhamosa corn muitas reeommendaoes et
almidon de mandioca con leche que se usa na Ame-
rica Meridional. E' unt prato doce, feito de gem-
ma. de mandioca, ou tapioca cozida corn leite e as-
sucarada, de modo a format urma especie de creme
muito dena.
Todo este regimen engordanta, seria lettra mor-
ta, se nao fosse adubado om aman paz da alma,
su o se deixaprtnrbar por temporaes do cor-
ei dajlitica. Todos estes conselhos sao ,u
tei paraalm tern no seio serpentes que se o g
niu SrAreZ94 smbml"a e '*milla.
E dopois, as mulheres magras que nao podei
.nuo"daa, so consoler mpeusando e
0l. Quoas poseous enaxtas envelhecei maiti
'T?^1.0^1, Quo asl pesoa eft:.' 1-latas *W^


'I


(
'I


. ,...- ; f,


..'^

"n.



*l::: ; -::::fe



l-:l c
: -i 11 '



^V'























peetorW
163.737R32 -
monto de 7.2:7
correspondente& I
Se se remoatar a dez su rd mass atrax, quer
dizer a 1874, eneontrar-ae-ha que a produeao at-
gmentou de 29,3 0/.. Eati wdgmento foi d resto
contrabalanhuado pelo progresso das exportages e
pelo consumo interior
Al6m do carvio propriamente dito, as minas
derar. 14 a 15 milhos d e toneladas de JfroddtOB
imtso, argilosos on atginos, que ve m-
tar- ao reatimeuto da hulha.
0 nuamero de mina no uk atio
f6i de 3,707, em vez do 814 em 1880 -
Nio obstante estadimimnui*a o numero de ope-
aries empregados elevon-se de 508:987 a 514:938.
A prodwe*ao media prot trabalhador foi Wensi-
vomeute mais forte em 1883 do que em qualquer
outroanno. 0 augment foi de 15 toneladas so-
bre oa resultadoa de 1882, e de 94 ou 36 0/, eom-
paratkuaonte aw de 1874.
Polo que respeita a aecidentes o numaro de mor-
tos foi superior ao da maior parte dos annos pre-
cedentes. Esse numero attingio a 1,054. Propo-
cionalmente A producelo, cada perda de urn ho-
,em eorre3pondeu a umna extrago de 169:605 to-
As eollecaes Ttlers- Devem ser bra-
vemeate franqueadas ao public as salas do Lou-
vre, ondo se acham expostos os objectos de arte
egados por Mr. Thiers.
Esta collectio comp5oe-se d- objects curiosos
e de reproduco5es modernas das obras primas da
antiguidade. da idade media e da renaseena : 6
uma especie de museum de copias, comprehendendo
aa reduce5es de tudo quanto ha de mais belle no
mundo em esculptura e pintura.
0 catalog divide-se em quatro parties.
A primeira eomprehende as antiguidades egyp-
cias e gregas, os bronzes, p3escalpturas em mar-
more, marfim, madeira, eryataes de Veneza e co-
pias dos grandes mestrea. 'A segunda 6 reser-
vada as arts do extreme' oiiente.
As duas outras parties comprehendem a collec-
cao de madame Thiera, e constam de porcelanas
orieataes e europ6as, e de caixas de tabaco.
0 hotel .do suicidlo- DA um journal es-
trangeiro a noticia de hayer side inaugurado, ha
15 dias cm New-York, um hotel espeeialmente
deetinado para os individuos desejosos de por ter-
mo aos sens dias.
Cada uma das salas deste n vo estabelecimento
apresenta entire outros objects deeorativos -urn
ganeho de ferro forjado, de form elegant, para
os viajantes que preferirem ser pendumzados a qual-
quer outro gesero de more. 0 toillette estaguar-
necido de uma infiaidade de pequenos vidros, con-
tendo os venenos mais efifcazes, e sobre a mesa de
cabeceira umn magnifico revolver carregado e ar-
mado.
Sera inutil dizvr que os viajantes, que procurarn
este hotel, slo logo a sua chegada convidados a sa-
tisfazer a sun conta.
Estes americanos !...
0 Parsifal-A viuva de Wagner acaba de
recusar 50,000 libras esterlinas, offereidas por um
emissario a trco do direito executive de por em
scena, nos Estados Uaidos, o Parsifal, ultima obra
do celebre maestro allermano.
A viava de Wagner tern ainda, segando pare-
ce, o proposite de recusar offerta semelhante pela
cessao do privilegio na Allemanha.
Herr Gross, o amigo dc Wager, nega-se a toda
a classes de concess5es, declarando que o Parsifal
nunca sera cantado n'outro theatre senge no de
Beyrith, conforme a ultima voatade de Wagner.
Jeil6es-Effectuar-se-hio :
Hoje:
Pelo agente Pinto, As 11 horas, na rua de
LuIz do Rego n. 13, do predio desse numero e dos
moveis, etc., etc., nelle existentes.
Pdo agent Burlamaqui, As 11 horas, na rua do
Imperador n. 51, de moves, louga, vidros, etc.
Pelo agent Brito, as 11 horas, na rua do Vis-
conde de Inhuma n. 41, de bilhares, piano e mo-
?eis.
"?elS.
Pelo agent Gusmma, As 11 horas, na rua Du-
qne de Caxias n. 111, da armaao e ferragens da
loja ahi sita.
Pelo agent Carmao e Silva, ao meio dia, na tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, de predios.
Pdo agente Pestana, as 11 horas, no respective
escriptorio, de moves, joias: loucas, vidros etc.
Amanhl :
Pelo agente GUmsmdo, as 11 horas, na rua do
Imperador n. 43, 2. andar, de moves.
Polo agent Pinto, As 10 1/2 horas, na rum do
Marquez de Olinda, de moveis, loucas, vidros etc.
Pelo agent Carmo e Silva, as 11 horas, na trar-
vessa do Corpo Santo n. 27, de moveis e outros
objector.
Sabbado :
Pelo agent Gusmno, As 11 horas, na rua do Im-
perodor n. 43, de predios.
Pdo agente Carmo e Silva, as 11 horas, na
rua de S. Jorge n. 88, de moveis.
Missas fnebres--Serao celebradas :
Hoje: As 8 boras, no convent do Car-
me. per alma do conselhbero Joio Paulo Men-


teiro de Andrade ; As 8 horas, na igreja do Pa-
.raizo, por alma do Visconde do Livramento ; as 7
1/2 horns, na matriz da Boa-Vista, por alma do
desembargador Joao Paulo Monteiro de Andrade;
As 8 horas, no coavento de S. Francisco, per alma
d3 Joao Antonio Machliado.
Amanha : as 8 horas, na igreja do Car-
me, per alm'a do Viseonde do Livramento; As 4
1/2 horns, cm Santa Rita, per alma de Joao Bap-
tista Bjaventura Rodrigues do Almeida ; As 7
horns, na ordem 3a de S. Francisco, por alma de
Francisco Candid3 do Amaral; As 8 horas no con-
vento do Carm., por alma do Visconde do Livra-
meato; As 7 hbras, na capella do Monteiro, por
alma de Manoel Teixeira de Miranda ; as 8 ho-
rae, no convent do Carmo, por alma do Visconde
do Liviamento.
Sabbado: As 7 horns, na watriz da Boa-Vis-
ta, per alma do inimAjor Juviniano Antonio Duarte
Cunha.
ILoteria da provtnciae -Amanhi, 5 do
corrente, sera extrahida a loteria 68., em benefi-
cio da igreja de ChU Grande da Vietoria, no con-
sistorio da igreja de Nossa Senhora da Coneigio
dos Militares, onde se acharito expostas as anmas
e espheras arrumadas em ordem numerical & apre-
eiacao do public.
Loteria d4w Ceaa-Correno dia 30 de se-
-tembro a 5a extraegio cujo premio grade 6 de...
5:000g.
0 resto dos bilhetes na Casa d Fortuna, rua
1 de Margon. 23.
Loteria de Uacet6 -Corre impreteri-
velmente no diaJL5 deetembro.
Bilbhetes A v"nda s Casa Feliz pra da iIn-
dependenoia ns. 3 e 39.
dinraide ut.ero a de V, 0 00 ,,00-
-fists extrawordinanA lote % serA exzeaida no
dia 8 de outubro pro Wr viidouro, impreterivel-
monte.
Os restos dos bhates Wiam-s. vonda n&
Cas" da mfortuna, A rua1- de tiaro u. 23.
icsteria-Ad.o n. 158 A, do 'Rb.do jauw#miro
de 25O:9000 sn ejth so dig, 5, is4oA.em-,
bra.
Bi.betes i vembaa (:i ..Ca4' rts rum It
do Marco Un. 28.


Pasivo
Depositos :
Em cents corrente 1,737:291A390
Fixo e por aviso 1,821:979j930
Garmantias por contas correntes e
di'versos valores
Diversas contas


3,559:271$320
1,315:060380
2,007:43316506
S6,881:765$350


S. E. & 0.
Pernambuco, 2 de setembro de 1884.
W. J. Haynes, manager.
A. J. Duff, acting accountant.


English Bank of ilo de Jaxeiro
(IUmited)
Capital do Banco em 50,000
acgoes de 20 cada unaa 1.000,000
Capital realisado ...... 500,000
Fundo de reserva-...... 170,000
BALAN90 DA CAIXA FILIAL EM PERNAMBUCO,
EM 3DE AGOSTO DE 1884


Activo


Letras descontadas .
Emprestimos e contas caucio-
nadas. . .
Letras a receber. .........
Garantias e valores depositados
Mobilia, etc. do banco .
Diversas contas . .
Caixa . .
Rs
Passive
Gontas correntes-
simples 475:688M400
Deposit a prazo
fixo cornm aviso
e por letras 1,133:497A320


Letras a pagar .
Titulos em caucao e deposit
Diversas contas .


440:311$090
108:8696260
318:7566710
425:214S910
2:5636400
1,298:4956060
1,482:3666760
- 4,076:5776190


1,609:1856720
S 1976590
S. 425:2144910
2,041:978$970
Rs. 4,076:577$190


S. E. & 0.
Pernambuco, 3 de setembro de 1884.
Henry K. Gregory, manager.
Fred: Groodchild pro accountant.


Caixa Economica e lotte de Soc.

corro de Pernambuco
Balancetes em 20 de agosto de


I 884
CAIXA ECONOMIC
Active
Thesouraria de Fazenda-conta de
deposits
Thesouraria de Fazenda-conta de
juros
Monte de soccorro-couta de pas-
sagenus
Jutes
Caixa


Depositos em contas


Passive
eorrentes


703:627A300
159:7021675
42:679A750
1270900
8489000
906:985,625

906:985I625


MONTE DE 80CCORRO


Active
Emprestimos sobre penhores
Valores depositados
Moveis
Cadernetas
Aluguel da casa
Despezas geraes
Retormno de jurors
Lucros e perdas
Gastos corn leilSes
Caixa


ai'eilve
Capital
Cautelas de pemsnre
Jurors
Caixa economica--eonta sde passa-
gem
Thesouraria -de Fazenda-conta de
emprestimo
Emprestimos m juros
Cadrnetan archivada
Saldos de penhoae vendidos em
leilo
Saldom deplnorems prescriptos
-. Q :
o. E ..
0 gu- aq -i
Frauioe(waJoauim PeroFe


87:335A226
111:217$377
3:631*9227
7076804
228,750
10:675A682
379$910
226215
21669
620364
214:2400224

14:183M)6
111:217$377
9:6654102
42:6794750
31:096172
2:0010004
316200
3:1836791
1836752
214:.240A224


vroe,
eira Piuto.


ae riptori na cOrte do Imperio, A ru da
Quitaudk A. 37.

Dr. Barreto Sampaio, coisntaa ie s
4 horas da tarde, na rua do0aI o da
Victoria n. 45, 2.- andar, residencia, raa
de Riachuelo a. 17, q atoda ruados Pires.
DBuxgirad *f 'C
Retife: rua do Marquez de Olindca n.
16; Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
9o n. 3; B.a-Vista, rua da Imperatri z n.
54. Grande fahnca de cigarroa a vapor.
Especialidades: Cigarros, eharutos do Ha-
vana e nicionaes, cachimbos, tabacos eab-
jectos para fumantes. Livros de meiicio
na dosimetrica e unico deposit da farin-
nuha lacea de Nestl, para 0s memuios de
peito e leite condensado.
Brearia
Francisco Manod da Silvta & C., depo-
eitarios de todas as especialidades pharma-
scuticas, tintas, drogas, products chimico
e medicamentos homeopatioos, rua do Mar-
quez de Olinda n 23.



PUBLICAICES A PEDO


Hentem e hoje
HII
M
Continuemos a ingloria tarefa de acoTpanhar o
corpulento-- *-nas suas insinuaoes.-
J nos referimos e mostramos que existed a inais
correct coherencia entire os diversos apartes do
Sr. Pedro Beltrio, quando deputado geral, e as
suas opinioes emittidas por oecasiao do Congresso
Agricola n'esse discurso, que tauto incommodou o
cioso -* *.
Resta de todo o aranzal do artieulista a argai-
90 feita ao illustre democrats por ter adoptado o
requerimento de urgencia do Sr. Joaquim Na-
buco.
Este actor do deputtdo Pedro Beltrao j tern si-
do explorado de todos os modos e mois pessiveis
polos soilm de sen merecido prestigio e populari-
dade no 60 diatrieto elitoral d'esta provit
Poa imprensa no .incipio do annft .
teve lugar a primeira inseenaao. Na ma0i o
dia em que so devia reunir o Club d La itoura dc
da Eseada para eleger a saa nova direetoria, o
primeiro trem trouxe nos numerous do dia, do Tbnm
po e do Diario de Pernambuco, um artigue. em
que era referido o facto e malignamente commen-
tado no mesmo diapasio.
Agora, nas vesperas da eleiwao geral o ineiden-
te 6 de novo explorado nas balPs de etlo da Ga-.
zeta de Noticias, e nas trees estrellinhas ( *) das
selicitades do Diari. &e Pengausbuco.
Esta porta denote que o epeculador, que oa-
tem e hoje, aqu aIli sepime o memo, tern ou
preuma~~ t obtlido agul remudtado pratico.
E' precise, poi, quo urma ves per todas quere-
mos esta fragil arma nas midos adversaries do
nosso dedieado correligionario, impedindo que ve-
nha A conseguir o impostor fazer por aki alguma
verdade da mentira muitas veses repetida.
xira na mesma sessao parlamentar de 30 de
agosto de 1880, 0 Sr. Joaquim Nabuco depois de
ter censurado o meio pouco decente da parede, em-
pregado pelo-ainisterio e sua maioria para burlar
a urgencia paras dia eerto que, nemine 4iscrepant,
Ihe fOra concedida, renovou o seu peaido de ur-
gencia poara fundametar um rojecto de lei, qe
tinha por fin a completta inwao da eecravid"o no
BrasiL aI
Yeio 4. tribtna o ministry da agriculture, Sr.
Buarque de Macedo' e declarou que o governor fa-
zia da concessao da urgencia questAo de confiana.
0 Sr.Joaquua Nabuco volta A tribune, e diz que
vista da declarao do governor, a quemnao deseja
rear embaracos, retira o seu requerimento.
0 Sr. Pedro Beltro toma a palavra e reqer
que eac'aasiderado seu o remgerinim.to de urgeia.
Segue-se, diz o logic a, pemfilku o projeee
da aboligdo im/mediaka.
Esta de seibe tirarochape ,'
Adoptou de certo, o Sr. Peo Beltrao o reque-
nmento do urgencia, que era o object da Ues,-
ta : uao se tratava da omauoipacao abolzgao oo
escravidao, diseutia-se a prelimirnir da coneesslo
da urgencia, do permiasao de user da palavra t
aim ropresoataute do povo, daprerogativa do do-
putado, que tern direct do de-xpender livreiuente
o sea pesamnento e d.esnope lmar o sea mandate
do ma conscioeeja.
For utra face, em relagle 4 oppo~igao, e ao S.
Pedro B~eltrao, quo delia 6mzi parte, tratavra.se do
embarata governor adverse, o doado qa e o Sr.
Joequim Nabuco rocuara ante a qieatho de con
ianca, o 8r. Pedro Beltao 4etia avancaz, coiS
a1aneou., s 44&, !RO 9 arti^liata

ser t.aia4 A oum pa ooo^Iaretr1id^
88U rorueriuiaento deorfeeaa8' oai a


*Que* iwftar oD amiga da lavonma, nao-O--
Ahee e applaude ccmw usAIa e as pujastes sr-
vios usa imprensa jomalistica em prol da. us
do aguimnlto bdaileiro?
Qaezn, arjeltasu axigodalawra, nao vie
e ouvio cor emdevaeni eato a o aasu palavwa ungi-
da de coavico e aitoridide, levando 4e ven"ida
no APoagresso Agrieola as intraaigetesa e exage-g
ra" f?
Quem melhor advogou e promoveu, anto a ad-
miniatragie da provincia, # nesters utimos e ats-
mitoses tempos, os direitos do agrieto senhor de
escravos, graas a mirecaida cooiaa e attent'a,
quo Ie deferiam as ex-presideate e hafe do poli-
cia da proviunia ?
Seoriao Sr. Heuriquoe Marques quem fez tudo
isto ?
Fag rir !
Voltemos, pemrm, minds A question do requeqri-
meontoe de urgenacia retirado polo Sr. Joaquim Na-
buco, e 0inontinenti adoptado polo Sr. Pedro Bel
trio.
SVoltmos parsa tiar a limpo arsa important
verdade.
Neste case quern ter-se-hia havido corn maim
aeerto ?
Seria um mal, seria um bern a discusaao ?
Ondeaestava o molhor criteria, quem tinha ra-
zao e melhor advogava, e promovia os miteresses
4a lavounra p asts ema jog na questao sevil :
Sr. Pedro Beltrao aeeitendo, e promoveado mesmo
na defficiencia do Sr. Joaquim Nabauco, a distus-
sao ; -on o ministerio, a maioria e oa mais vwou-
ristas abafando a urgencia, impedindo a polemic
e sepultando na omhra, semnpre dubia, supeita e
inqmetadora, a melindrosa question ?
Sempre applaudbis, e es faetos me ineumbiram
deo pr em evidencia o scerho da ft de videwte do
primeiro, eo erro funesto do excessaaivo zelo dos
segundos.
E foi talvez a perep"io desta verdade, q"e in-
dicou ao Sr. Joaquim Nabuco a falsa manobra de
abandonar o campo prlamentar, onde a derrota
ser-lhe-hia tremenda e desmoralisadora, para pro-
curar o terreiro das pequenas associates, da opi-
nibo dos seus meetings.
Erro funesto, que neor mesmo a boa fM dos que
o commetteram p6de justificar !
Condemnarem-se A= mais tenaz madez todos que
tinhamrazo do fallar: a)Camara dos Deput-idos, o
Senado, o conselho de estado, today a elite da socie-
dade brasileira, a immensa maioria da namdo sem
diatisao de cor ?olitica em quanto es exaltados, os
aventuieiros e aos utopistas bradavam par odas as
bocas da publicidade, inculca&ndo-o sem zonztes-
tac a opinion dominate e aeceitar do paiz, qae
alias se unoiervava ailencioso s6 aconaelhando o
.ilencio,-on* ~~. pv aa nba podes-.
M oeft sexEa austexta coC voategewm a
luz do sol !
Do certo : abafada a discusao naus Camara, Ie-
vantou-se a propaganda infrene da pequena im-
;prwa da assoacios e dos meetings abolicionis-
tas, Ro pasose que a opmiao contrais alias a legi-
ti ma aria da nao, maioria de quantidade, e
Imaioria de qualidade, so inutihisava no reducto
da inercia, no expediente da reserve, na political
do silencio inventada n'aquella fatal sessio de 89
de agosto, contra o voto e corn o claro protosto o
St. edro Beltria.
SEm quanto o Sr. Joaquim Nabuoco arn um pun-
bade de exagerados levantava poeira nas ruas, a
grieultura, o commercio e todas as foras ream da
aiSo Lazibo pared.. a coanelfo do seusa ma gra-
dad. commissarieoa Matinho.Campos, Saxraiva
etc. etc.
D'sahi provieram todas as fates consequeneias,
qua tem pesado sobre a lavoura.
0 movimento illegal foi peraorrendo todas as es-
calas e todas anomaliss atW chegar ao s desvarios
do Coara, a extravagancia do Amazonas e a de-
predsb* do Recife.
E, final, hoje esgotados todos os recursos tris-
tes de adiataa e oprotellao, amos forcados
;. acceitar a lhts na Catuaados depatados em con-
dices desvaatajosissiuas, tando repudiado a oc-
casieo ensejo de triumph complete, fail e ine-
vitavel.
Naquelle tempo tinha a Camara dos deputados
pItna liberdade de pronuciar-so, vendo a sou lade
uam gabineto amigo, que pola voz autorisada do
sen preasidente dizia alto e boer son-A AI4'o uA
QUBB.-
Hoje a luta 6 travada ha Camara sob a prosbo
de um Conselho de ministros inventado para diai.
gil-a contra es mteresse da lavoura, eajd presi-
dente-o proprio ministro da justias daiquele-
tempo -veto dizeo-the on VOTABs oo sBus urmeox-
VIDA -
N'aqutelh tempo o president do Conselho..Sr,
Sarava deeomissva, iaateiamante a situacao ao
sen talante e o Imperador nao o podia submotter,
nsem dimittir. -
Hoje 6 post. na presidncia o Sm. Dantas per
obr. do Imperadr, para dobelar- queatbo, oe m-
made coin todas as arms possiveis :-dissohubaI
doeamara, dissolucao de distiusttaco e, q..ueI
sbe ueeom disolaao da proprim reform eheito.
Iml,


peis. o.
e o sea8
i. Peiro


---M1 -que perdeu o set
n~A IA foi e cntinua a er.
aims niniboe ot enHif.


o IL' irtei
eariqkae Max


kit Dpow aB am deveree pl OM; o governor
:9wof enids aO m enoaiWM-
isd eiwsh dinheio A .mas de 4 1/2 O/:
pr tMakwr qe fi e e a san iueapaoidade
ywmt ax eoasbtrioa lAs vS poda -ignorar
eurvas quagdoemtempo reativa-
d euo- wateirS rodit. e via permanente,
viriam-deofaturopesar maiau foruteainate sda&bre
4 Sdo 7 L0, quoeb .^y tido.'
* Zre'f'^ foss, preegairam os trabalbos,
e8 Plos Aetresw ohegor a eompabuts e its ir-
dnh a daedI d d e do imoeiro, eonstroindo aes,
ta, dest ntome, on o a ida"de, nmas aquem radel-
, Maia so n a AlM kilowetrabo de distancia; o
que Imparta em diae-qune tambae as interesses
eanmeoreias da loealidade, mereado iat eoindiario
ntv eoentres produetores importantos e ao mere-
do epoertador do Recife, foram deeattendidos.
NUibastavam as eairvas repetidas ee oscandalo-
amea, aem tio pnco e taboleirw, nos quaes o tsra-
bahoera d nivelramenta e largura; quizeram
popr mais iouisas mesquinhasa desappropriam es e
Iann tetme de trabalho; e chegando quasi eousi-
dearamm-se dhegados.
Seaotrato estava cumprido, quanto a linha
piinalpal.
E o eageoenoiro fiscal, semproe cavalheiro, con-
sentio tambem quo e os interosses commerciaes da
florescente cidade do Limnoeiro fosasem esqueeidos,
celypwua-se em preaongo doa estrangeiros subvea-
eioda poer inaoeapaoidade, on polo quer quo fbase.
A loaatrueio do ramal par& Nazareth fei nas
meAosmas condiOes realisada: eolloearam a astaPo
A grande distaaeis da eidade, em provado prejuizo
do eommereio e da lavoura da comarca, quo aug-
meantm, comao em Limoeiro, despezas para leva-
rem A estrada do ferroe e sous products.
Tambeon ahi eelypsou-se o engenheiro final que
sempre geaeroso, tai entao havia cendescendido,
por ieapaidade, o pelio quer qu e foase.
Asima eonAtrida a iaha, corn deeivesa eomo os
dos Macaeos, doe Carmorim e os que se v ontre P*a
d'Alho e Carpina e em Floremsta, abriram a at6a Pao
d'Alho.
Q eathusiasmo peo melhoramento, pelosa moti-
vos expostos, havi a arrefeeido-; era, poram, con-
vicoAo geral ainda-qaea abertura ie tal estrada
ad serve publico tranis grande vantagens A zona
iateessads, pela sregularisaeao e baratesza dos
transported, pelas rapidez eom que serial feito o
serving, pela sisudez corn quo naturalments seria-
mos servidos pela companhia privilegisda, o quo
tado estaria em seas proprios interesses, so leal-
Sdade e probidade tivessem em suas rela5ces para
eom o estado.
Triaste deoepa soffreram todos quando, come-
Iando o serviqo da nova ferro-via, foam conheci-
dos as sus9 tarifas, as quaes sao takes, quo pora hi
so v sempre, do Lirmoeiro so Recife pela estrada
do roda em, grande comaboios do products da
grade lavoumia, A serem transportados em costas do
animals, quaando ao lad delles correm vasios ose
treea ds estrada do ferro; triste decepao, sofire-
ram todeos, quandm reooheeeram-qrue a ferro-via
destinada A servir uma ona no preparada o po-
breo, a qaU se encDntra eromreeeeo pss o na pro-
vinest, o pequeno proprietario, e l tivador da pe-
qiena lavoura, da lavoura de consumuo, viram
quaoirm girindm, que umas if&es, qe oquiesoem
mandar ao mereado do Recife, nom o valor mbdio
do 400 rmis, teriam doe pagar, polo artigo 85 das ta-
rifas que eomnecavam a vigorar, 640 rais, do Pao
d'Alho; e isso sem recurso par&a oartigo 18 das
uesmas taritas, que refere-se As bagagods de-pas-
Bagoiro5, quepodem passar hivres do tretes.
Assiat, tambem ero relaeao a tariffs, quando o
governor confeepionava para as estradas do estado
uma especial e banfiefimal referente sos produc-
tas da pequena m*iS, e tratava de reduzir as
tarifas em geral nelas adoptadas, em una estra-
da subvendonada, dastinada A servir numsa zons
preparada, de prodco variada, o engenheiro
fiscal, sem um protest ao menos, serm urma obser-
va4o o tempo da .abertur da- linha fazer dei-
x=a que fosEem approvadas, endere--ndo ao go-
vernoparM tal Am esas exorbitantes taxas, que
4eswimam a produeoio e estabelecem a mais tris-
to eoneorirenciae, a competeacia entire os transpor-
teo por aia eatrada de ferro e eosats de ani-
maes.
Em relsaa a tarifas foi, poil, ainda o enge-
nheiro fiscal de uma especialissima condescenden-
cia, filha da incapacidade, de desidia ou do quer


Iquefosae.


(CoWtinua,)


Para o Tribunal da Relaple ver
e eorriglr o Julz 4e direlto
Jost Tavares


(TAQUAUETINOA)


Vamos entrar na analyse do process do
responsabilidade tumultumario, iacompete.
toe nullo, forgicado eom a mais oastentosa
violamo do lei peo juiz de direito Jose
Tavares, cidadlo impossivel de ser tolera-
do em qualquer rela o social da vida,
corn o fim de rixosamente pronunciar, como
ronuunciou, ; ao respectivo juiz municipal,
br. Alexandre de Casto.
Parm perfeito conhecimento deste aocto
da awab ia justigado juiz dediroito Jos6
Tavaes fagamos um historic dos factos
-Sa eeBr ao qu occasionou oaml-
#Aw p6retxA pwerscui-o movida, pormo
i inoonfesrAis, por ums weea preo
Ofi.toria ue leop haveaos do eoaar)- por
eSte juiz cona eionalmento poasesso ao

^a 19 de dozemnbro do anno pessado
foi sabme*ttio a iul ajttento em TaQua*e-


me29mo tempo mandou pot.r ports trawesmt,
quoe Firniio B. de Souza requeresse para si
urns ordem do habeas-corpus.
0 Dr. Alaxandre de Crasto, n3o deven-
do ter em prisAo Firmino B. do Souza sob
pretexto de liqnidaAo do.a multa, mandou
lavrar alvar&a de soltura-em favor do meo-
me, deveudo posteriormente ser ella ii-
dada, principalmente, quando estejAt;
cumpriado quasi o duplo da pena, pu -..2
OU... do iuiz de direito Jos6 Tavareis, cr-
respondente ao delicto, polo qual foi con-
deonado.
Este despacho do Dr. Alexandre de
Crasto foi de 31 de maio deste anno, e da
mesma data foi o provimonto dado pelo
juiz de direito Jos6 Tavares ao habeas-cor-
pus por este aconselhado a Firmiino B. do
Souza, mandando, tambem, soltar este.
Deste despacho este juiz recerreu ex-
officio para o Tribunal da Relaoo ; este
negou provimento do recurso, julgando le-
gal a soltura concedida, peor accordlo de
11 de julho do corrente anno, n~o decre-
tando, por6m, responsabilidade de autorida-
do alguma. Estava, no entretanto, reser-
vado ao jaiz de direito Jos6 Tavares emoa-
dar Cam~es !...
Onde este respeitavel Tribunal uao
achou material para responsabilidade, fel-o
este juiz impossivel de figurar na magis-
tratura de ua paiz vtdgarmente civilisado!...
E ha populaglo tdo iiconsciente da sua
suberauia, que ature juiz de direito come
Jos6 Tavares!...
E come foiiniciado este procedimento ar-
bitrario do juiz do direito Jos6 Tavares?
E? o quo amos tratar no artigo se-
guinte.
Recife -Setembro -1884.
Jose Climaco do Espirito-Santo.


U2f IMMItf 10CM
Pede-se ao Sr. gerente da Companhia
Drainage que polo amor de Does mnande
concertar o aparelho da casa da rua dos
Pires n. 139 pois nilao se pode mais aturar
o fedito que exala toda casa.


Elei0ao
Dos dovetos rue tern de festejar
a veerat. da imagem do te-
ikor Bo= Jesus dos Passs
na eapella de f. Jos6 do Man-
gutullo, ao anno de 1t84.
Provedor bemfeitor
0 Exm. Sr. Visconde da Silva Loyo.
SProvedo-a bemfeitora
A Esma. Sra. Viscondessa da Silva Loyo.
Provedora por eleiiao
A Fxm. Sra. D. Clementina, esposa do Sr. te-
nente-coronel Augusto Octaviano de Souza.
Provedor per eleicao
0 rIm. Sr. Jose da Silva Loyo Sobrinho.
Eserivi per eleicao
A Exima. Sra. D. Roan, esposa do Sr. Dr. Vicente
A. do Espirito Santo Junior.
.Escrivio por eleico
0 Illm. Sr. Luis Lopes dos Guimarles Peixoto.
.e rdoma per eleico
A Exma. Sra. D. Maria Salom6 de Siqueira Vare-
jao.
Provedoras per devoco
As Exmas. Sras.:
D. Deelinda, esposa do Sr. capitio Jo- o Rodei-.
guea de Moura.
D. Adelaide, esposa do Sr. major Jose Joaquim
Coelho.
D. Isabel, filha do Sr. Manoel Carpinteiro Peres.
D. Genoveva, esposa do Sr. Antonio Marques d4
Amorim.
Provedores per dovocao
On Illms. Srs.:
Joma Jo0o de Amorim.
Coronet Candido Jose da Costa.
Manoel Joao de Amorim.
Tenente-eoronel Manoel do Nascimento Azevcdo.
Coroner Domingoes Affonso Nery Ferreira.
Joao Joaquim Mendes.
Tenente-coionel Herculamo Alves da Silva.
Dr. Bento Jose da Costs.
Capitao Felippe da Costa.
.Escrivis por devocbo
As Rxmas Sras.:
0. Joesephina, esposa do Sr. Ovidio Silva.
D. Adelaide Lieuthier.


D. Argemira, filha do Sr. Luiz Jolo Affonso.
D. Emilia, esposa do Sr. Joao Baptista Pinhei".
D. Isabel, esposa do Sr. Justino Bfa-Viwta.
Mine. Henry de Morgan Snell.
D. Ohadina, filha do Sr. capitao Vicente A. do
Espirito Santo.
D.Jophina, esposa do Sr. Joaquim Francico
Das 1haga e Silva.
D.X Marie esposa do Sr. Antonio Joo Fuartado
). ranneis, esposa do Sr. Manoel Joaquim da
Bilva Gamrares
D. Maria,. esposa do ir. Jolo Francisco Ferreira
Borges.
D. Joaquina, espopa do Sr. Joaquim Helviro Pe-
roirs Magalhoes.'
Escrbvxes por devoco
O8 a .l -:- *, :
Conselbair d Qeatino Jos do Mbwb a.
Dr. Ceejiatao Mated Alvea Perroira.
COpitio Alemxadre Amemoo de Caldas Padilha.
cwp4o pHermes Ferreira.
Audl-Onio Pereira Lobo.-
i A-Maria de Albau4aruue M"o.


I






















Catende em P az
A?. populaglo pacifica destes arredores
deveria mandar entoar um solemn Te-
Dwm, em acglo de gragas, pela retired
do Tnthng"w destas paragons, o oneo
cabMom, o here e campeao da policia.
Agora tomamos folego. Afigura-se-nos
assim a especie de um aeabamento de
guerra oun extincao de peste. Era mesmo
o c&o!... 0 rigosijo paira em todos os
coragles, porque delles arrancou-se um
fatal pesadelo, post pelas maos do go-
verno.
Parabens, 6 gentle opprimida pela atroz
perseguigo do impassivel military, qua ex-
gia aqui uma espeeie de dietadura de pe-
queno rei da terra! 0 homem que, coma
muitas vezes fez ver a imprensa, consen-
tiaesbordoar A faclo, pessoas pacatas,
takes como o seagenario Jos6 Oesario del
Almeida Nobre, Othom de Andrade e mui-
tos outros, que se nao defendiam, corn re-
ceio d'uma acgo caprichosa; alm destes
offendidod phisicamente, tambomrn moral-
meoite TNram o professor Deodato Lins e o
negocianto Julio Brandlo ; a autoridade
que forgava os pobres almocreves a darem
seuns cavallos paradiligencias ; o poliaiador
que gritava alto e born som: ser a lei
a SUA VONTADE; que ria-se de ver o sa-
bre de seas aguazis tinir nas costas de
miseros indefesos, de cujas scenas revol-
tantes foram theatre esta localidade,
Bonito e Marayal, o home, emfim, que
zombava assim da lei, que menti t a con-
fianga do governor, que abuzava da fra-
queza ou prudencia de uma povoagelo, su-
jeita a sua jurisdicglo policial, s6 pode
merecera maldigRo public, e o mais
pleno despreso; agora, pois, que estamos
livres, ou porque o chefe de policia se
convencesse de suas tropelias, ou porque
o acaso, que e tambem as vezes uma pro.
videncia, quizessse favorecer os homes
desta terra, livrando-nos'.de um ter-ror que
ha muito a infestava, e hoje paralysada
em seu progress, devemos entoar cantos
pela retirada d'um tal home que foi
como uma caipora funesta, tao funesta
como a secca, ou o cholera-morbus.
0 commercio da localidade atrazou-se,
a lavoura esmoreceu, e a paz, a alegria, o
bemrn star, a seguranga individual desap-
pareceu de todas as casas, para dar lugar
ao terror, e a todos os sentimentos que
despertam a presenga do uma vislo fatal
e esmagadora. Hoje, portanto, qne por
qualquer motive feliz fizeram-nos o bene-
ficio de alliviar-nos de um tal impecilho a
todas as nossas aspiragoes, ao nosso tra-
balho e a nossa quietude, descarreguomos
as gyrandolas de nossa alacridade, bata-
mos as palmas e demos uma gargalhada
franca e unisona, como emanada de uma
emoglo tao grata semelhante a que experi-
mentamos quaerdo ouvimos noticias tlo
auspiciosas como esta: MORREU 0 LOPES! !
0 que traduzido pat nos equivale a di-
zer: Foi-se o leoncio! Hurrah! mil vezes
hurrah !*!!
%Catende, I de setemoro de 1884.
Os catendenses.

HOJE ninguem mais fall na Europa senate das
maravilhosas deecobertas do Sr. Pasteur sobre a
raiva, suas variedades e seu tractamento. Desde
a inven ao da vaccine por Jenne,, nonhuma des-
coberta tao importante se tinha feito na sciencia
medics, nero serviyo tao notavel se tinha prestado
a huimaaidade.
Mas, si o nome de Pasteur excite a admiraao
e o respeito do mundo inteiro, nao devemos recu-
sar a nossa gratidao A outros sabios que consa-
graram a suaevida, A cure de molestias infelizmen-
te mais communs e quasi tao crueis quanto a rai-
va; a hysteria por exemplo e a Epi ftep$iA, e-
te raiva dos nerves que tambem faz sobrevir a
cspuman i bocca I
Estas molestias, outr'ora, reputadas incuraveis
se tratam hoje em dia corn born exito, pelo empic-
go da SOLUVAO ANCI-NEBVOSA, pre-
parada pelo Dr. Laroyenne, solutae cujas virtu-
des estao provadas e eota efficacia nxao pcisea mr


proclamada.
A nossa intenao, nao 6 pois, fazer aqui um re-
celamo desta especialidade pharmaceutical, quize-
mos somente lembrar aos que soffrem o nome do
Dr. Laroyenne pois elle bern merece da humani-
dade.

Victoria


sexto distrleto
Aproxima-se o pleito electoral para


a eleioo de


deputados geraes.
Ha dous candidates, o Sr. Dr. Henriques Mar-
ques e o Sr. Dr. Pedro Beltrio.

courIci


Praca do Recife, Sa de
bre de 18@4


setem-


As trees horas da tarde
Cotac6es officiaee
Milho de Mamanguape, 50 rs. o kilo.
Farinha de tapioca do Ilaeanhao, 59450 por 15
kilos.
i. J. de Oliveira Rodriguew,
President.
P. J. Pinto,
Polo secretario.
RENDfIMENTOS PUBLICOS
Mez de setembro de 1884
&LPABDzGA=De 1 a 2 36:4359460
Idem do 3 24:838003


Bane
e pi1
Pr


*lsest'
ander.


148,


|de


Apesar de ealumniado e ijuriado constante-
mente pela imprensa nor ui. ma preteado does-
cer a responder a anonymos e outrl quivaden-
tes.
Sei que ha entire os ecapotdk oam ,ereador, ,
quern s6mente poderei responder se tiver a core-
gem de seller corn o seu nome as inverdada ean-
tidas em suas publicag5es.
Espero em breve powder detalhadamente dar sos
que tern lido e que contra mimn se tern dito, infer.
mag5es documentadas acerea dos factos que apesar
de inmexactos, sao attribuidos A6 no intuit de pre-
judicarom-me.

Aproveito a oeeasilo pura efasegrar a quem in-
teressar possa, que nada tenho corn os artigos re-
lativos a negocios de cares verdes e tdahos.
Recife, 3 de setembro de 1884.
Jos6 Eleuterio de Azevedo.

Freguezia de Santo Antonio
0 vigario Salles tern mudado sua residencia
para o 20 andar do predio n. 11 da rua do CabugA
onde podcrA ser procurado.

Cirurgii-4 dentista
Jos6 Basilino da Silva San;os, cirurgilo dents-
ta e pharmaceutico pela Faculdade de Medicina
do Rio de Janeiro, colloca dentes pcIlos syntemas
mais aperfeigoados, obtura (chumba) a oauro, A
platina c a aosso artificial ; fez reeonstruc5es de
denotes a ouro, trata das molestias da bocca e
corrige as irregularidades dentarias. Aoha-se
das 9 As 4 horas no seu gabinete A rua Visconde
de Albuquerque (antiga da Matriz da Boa-Vista)
nnmero 24.


0 Dr. Adriao
MEDICO
Continta a dare consultas das 11 As 2 horas da
tarde, em seu antigo consultorio, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1. andar. Chamados por escript
a uqalquer hora, na pharmacia Bartholomeu &


Pharmaia e drogaria

25-Rh n deo ir. 0f victoria-s

J. C. Levy & C. con-

vidam & seus amigos

e freguess a visitor

seu estabelecimento,

que se aeha present

mente montado e devi.

damente preparado a

semelhanua dos me-

ihores estabelecimen-

tos desse genero das

principals capitaes

d'Europa.

Recebe por todos

os vapores products

samples, ebimicos e

preparados pharma-

ceuticos, dos melho-

res, mais conhecidos,

e acreditados fabii-

cantes d'Europa; pelo


Para o Rio Grande do ISul, J. S. Loyo & Flho
500 barricas corn 52,124 kilos de assucar branch.
No brigue hespanhol Eduviges, carregou :
Para Santa Catharina, D. Maristany 4,000
cocos fructa.
No vapor national Espirito Santo, carre-
gou :
Para a Bahia, F. J. de Barros Junior 5 caixas
corn 200 ditos de doee.
No hiate national D. Ai-wMwy"a'2e, eare-
gou :
Para Maracajai, P. Alves & C. 1 barrier corn
60 kilos de assucar refinado.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 3


do


'-OD&.Akaoto ix1 ned aw.
hi Mute, eu-Aefo do cli-di Br. de Wae- M
Sker, da consultas. A-ru*u'dwBaada Vi
'tarisa A5,eguado wamo do I 4 hce- ^
am* de taxde, mexept an ws e ojriiar -dkiaa
iu em casa de su a aidenma iA m ede

uf_ p o wstv
i el 'a Menoa~a~e lm


Synopsis ou deduoo chronologiea dos
factos mais notaveis da'historia do Brasi,
polo general Jos6 Ignacio de Abreu e
Lima, 1 vol. corn 408 paginas 19000
Da soberania do povore e dos principios
do governor republieao modernao, Hoes
prenuniadas ea Faculdade deDirito de
Pariz, por M. Ortolan, tradue*lo de A. P.
de Figueiredo, 1 voL corn 160. lpginas 500
Reforma eleitoral, coletelo de divwr-
sos artigos sobre a elei*o diredta por di-
versos lentes da Academia do Recite, 1
vol. corn 360p ginas 25000
Doze proposicoes sobre a legitimidade
religiosa, da erdadeim-toleranci dos
cultos por Ephraim, 1 vol. eom 200 pags. 1000
Estudo elementar de direito de uso-
fructo adaptedo a legislago patria em
vigor .pelo Dr. Jeaquim C. da Cunlha Mi-
randa, 1 vol. corn 174 paginas 15000
Segredo da geracAo ou arte de pro-
crear raparigas e rapazes espiritaosos,
etc. etc., (leitura A6mente pars rapazes),
1 vol. corn 200 paginas 500
Mosaico Pemnambucano, collecco de
exerptos historicos, poesias potplre,
anecdotas, curiosidades, lendas, antiqua-
lhas etc., tudo relative a provincial de
Pernambuco. 1 vol. corn 260 paginas 15000
Jesus Christo e a critics modemna polo
Revd. padre Felix (da companhia de
Jesus) vertido do francez polo Dr. Pedro
Autran da Matta Albuquerque, 1 vol.
corn 150 paginas 19000
Historia sagrada do valho e novo tes-
tamento, corn explicacoes e doutrina dos
Santos Padres, para reform dos costu-
mes em todos os estados e pessoas corn-
posta por N. de Rayaumont, 2 vole. con
564 paginas 15000
A' vende na Livraria Universal, rua do Im-
perador n. 52.


Dr. Mello Gomes

Medico operadr

Especialista de felires, molestias
pulmonares e syphiliicas
Rua do Bardo da Vicfria (antiga rua No-
va) n. 14, 2" andar
Onde tern eonsultorio e residencia e pode se
procurado A qualquer hore do dia e da note.
Recebe chamados por escripto e para fore da
capital.
COgSuLTAS das 10 ao meio dia. Apparelho te-
phonico n. 156.



SCLINICA HOM(EOPATMICA
DO

S Br. Tristao
U Consultas das 7 as 9 horas,-e ehamia-
dos A rua da Uniao n. 15. U
N uneve telephonico 154 { }


TIT AT TBTn~lnTf A (UI An1!

MEDICO OPEBADOR
6SPECIALISTA EM PARTOS E MOIESTIAS DAB
MULTIERES
Tern o seu consultorio em casa de sua
residencia A rua da Imperatriz n. 30, 1."
endAr.
CONSULTAS de 8 as 10 da manhi e
de 12 As 2 da tarde. Chamados por es-
cripto a qualquer hera.

Dr. Cerqueira Leite

Medico e operator
De volta de sue viagem a Europa owde
frequentou os hospitaes de Pariz, tendo


feito um curso especial de partoa e moles-
tias de senheras, dA consultas -o seu an-
tigo consultorio A rua Duque de Caxiasn.
48 do meio dia as 2 horas.
Esocialidade molestias de crianeas e de
senhoras.
Recebe chamados por escripto ou no
soeu oasultorio, ou em sue fmidencaArua
do Barlo de S. Borja n. 30.


eram as Mr. .MMo S ,e 4
Sius.-de Azevedo.Campo s. .
A d0 SOA"er
.A. de A~bwuer
IM.'0U.11 I1 1 -


tor a oe
mmnte.
como Bo
Preeo


1C.


29000



Bum-


TeOM as0 meat olddeienfpeatas das
agan do S Aplai eoutmw, eelent.
960 1IMAmttics 0ixad ,.8 a e moles-
~~~~~~~do figod aao eaiadeoa roogdie
- umnas tep ibieaea inorde, e(~l~a]fH

monares eiwbraea, hypoeona,
gottoeso, odtarho de today a especie, n dngiuA,
asthma, syphilis e moleftias cauadas pilo nerCU-
rio, assimieomoe eproeta pmoo a im bebida pela ma-
nha, qnandoem zonseqaenciade alta de diet na
vespers sppateoem iregulaidades na digestio
Ag ten gvg e depositario



17 -Corpo Santo-- 17


A Camara Municipal da idade de Olinda
e seu termo, em virtude da lei etc.
Faz constar a quem convi'er e interesar possa,
que nos dias 27 do corrente mez e 8 e 10 de se-
tembro proximo vindouro, eWtarai em basta publi-
ca para urn anno, e parn serem arrematados paox
quemn mais offerecer, os impostos seguintesa: alu-
gueis das casinhas da ribeira por 2265000; 40$ .
por p6 de cequeiro de producgo, exeoptuados 20
pe para o uso do proprietario por 6325000; 509
rs. sobre cabega de gado vaccum poi 3665500;
maseates o boeeteiras por 271)000 ; 120 rs. por
qualqaer carga on volume exposto i veoua no
mercado public por 865000 ; 200 rs. sabre cabe-
ga de gado suino, ovelhum e cabrum por 315000 ;
o aluguel do salao terreo do predio municipal em
construcAo, asito A rua da Ladeira do Varadouro
por 625000.
Os pretendentes devcrao comparecer nos dias
acima indicados na form da lei.
Pago da Camara Municipal da cidade de Olin-
da, 25 de agosto de 1884.
Bar.o de Tacrna,
Presidente.
Jo 6 Igueira Curado,
Secretario.


0 Dr. Adelino Antonio de Luna Freire,
official da imperial ordem da Rosa ejuiz
de direito privativo de orphdos e ausentes
nesta comarcq do Recife, por Sua Ma-
gestade Imperial e Constitucional o Sr.
D. Pedro 1I, a quem Deus gwzrde.
Fago saber aos que o present edital virem e
d'ellenoticia tiveremi, que no dia 9 do corrente m'b,
dopois da audiencia deste juizo, na respective sala,
ira a praga, por venda, para ser arrematafia por
quem matis der, a divida de 3:3755000. que sao
acervo do commendador Manoel da Silva Santos
devem Joao Jos6 de Medeiros Correila & C, mora-
dores na Parabyba, onde fii movida a compe-
tente aceao pnra cobranga d'essa divide, represen-
tada por utma letra, po r elles ageita, e vencida
desde o 10 de marco do corrente anno.
E para que chegue ao conhecimento de todos
mandei passar o present, que serA affirado no
lugar do costume e publicado pela imprensa, send
este passado a requerimento do eommendador Jos6
Joao do Amorim, inventariante e testamenteiro
des bens deixados por aquelle fallecido.
Dado e passado nest a cidade do Recife, ao 10
de setembro de 1884.
Eu, Manoel do Naseimento Pontes, escrivao o
subsercvi.
Addelino Antonio de Luna Freire.
0 Dr. Thomaz Garcez PWwmos Mo -ene-
gro, commendador da Imperial Ordem da
Rosa, juiz de direito especial do commer-
cido desta dcidade do Recife, Perambuco,
por Sua Magestade o Imperador, a quem
Deus guard, etc.
Fae saber aos que o present edital virem ou
delle noticia tiverem que tendo-se feito penhora
na quantia de 263830, ne deposit public e per-
teneente a Tavare Cordeiro & C. por execu*o que
Ihes move Moreira Lopes Irmros, foi em audien-
cia de 28 de agost do corrente annopelo procu-
rador dos autores, feito o requerimento do theory
seguinte. Aos 28 de-a.osto de 1884, em audien-
cia do Dr. juiz de direito especial do commercio
do Recife, o solicitador Jos6 Xavier Coelho, per
part dos exequentee, aceusar a penhora feita em
dinheiro dos executados Tavares Cordeiro & C. e
assignou sobpreglo a estes o prazo de 6 dias para
virem corn seus embargo, eo do 10 aos credores,
incertos sob pena de lancamento para cujo hnm're--
quereu que se passasseeditaee, que foi deferido. E
para constar fiz este. 'Eu Joao Gomes dos Santos
Filho, escrivao interino escrevL.
E mai6 soxeeeatii m, dito requermt
em virtude da qual oa e.eiWez passar o presen-
te editl polo qual fioase gdo a os exeata-
dos es 6 dias da1,hi para vir oem seas embargo,
e dez aos credoreminezrtoe, sob.pena de lanameinn-
'to.
E pare qu.bhegue aoeatsheeimento de todos
malei.passar o preenteedital que sera publica-
do pela impreiua e eanfado nos lugures do eostu-
Dadao epassado aesta cidade do Recife em I
de setembro de 1884.
0 escrivao, escrevi e dou f6. Joao Gomes dw
Santos Filho.
Thomazs Garces Paranlwhos Montenegro.


,couor
Se J08,6


ue"Maranhiao.
'a


De ordem do IllB. -r. Dr. inepester fa~o publi-
co, que no di` 2 do outoero lmcqplOBinmOnro ira
pa p a, Tperan te ajunta deste Thesouro, impos-
to do dizxuo do gado ,aecum, cavalir e mawr,
de-quetracta o 9 48 da lei do or9amento v*e OU,
ervfmded base paraa mme por
mnrnoipios as import'xncia abeil. menciomedas e
eorrespondentesa umamao, eendoe de addieio-
nae a importancia da arremata*o a do impostor
additional de 5&0/0.
OutroIim, o serving de que se traota s6 par tem-
po de tre s anne, ficando porem salvo Afauda o
dieito *de rescindir semr indemnisao algums-o
contmeto se a Aesembl6ea Provincial, antes de
find ro prazo da arremsteIo, -elimnar da reeei-
ta provincial impost em quest.
O arrematantes deverao prestar fiangs do va-
total das imi ; peera
habiitao A lieitao, devero os concurreutee
fazel-o na sessilo da junta do die 25de setembro
proxmo.
imoeiro e Taquaretinga 2615000
Bonito e Panel8as 8500
Caruar 3::081900
S. Bento 38:84000
Bezerros e GravatA 8379000
Born Conselho e AgmewBellas 5:1469000
SBrejo 3:715000
Bom Jardirm 8175000
(Cimbree e Alag6a de Baixo 3:3085000
Buique 1:57059000
Flores 2:2209000
Villa Bella e Triumpho 2649000
Boa-Vista e Petrolina 2649000
Cabrob6 e Salgueiro 2645000
Ourieury, Granito e Exi 2649000
Tacarati e Floresta 5005000
Garanhuns 4:2385000


Total
Secretaria do Thesouro
to de 1884.


31:1725000
Provincial, 21 de agoes-


O secretario,
Affoueo de Albuquerque Meilo.


DECLARAOES

Oprocurador dosfeitoe da Fazenda
Provincial, tendo recebido neata data, ;da
seco do Contencioso do Thesouro Provin-
cial a relacao abaixo transcript dos contri-
buintes do imposto da decima, da freguezia
de Afogados, do exercico de 1882-1883,
quo deiaram depagar o mesmo imposto no
tempo competent, declare aos es mos con-
tribuintes que lhes flea marcado o prazo de
30 dias, a contar da publicagco do pre-
sente edital, na conformidade do disposto
no art. 53 da lei n. 891, para recolherem
a importancia de seus debitos ao Consulado
Provincial, certos de que, find o referido
praso, se procederd exeutivamente a co-
branQa.
Recife, 1 de setembro de 1884.
Joco Francisco Toiera.
Relago dos devedores imposto da decima da fre-
guezia dos Afogados, do exercicio de 1882-43,
que dceixaram de pagar no tempo competent.
Largo dos Remedies n. 13. Jeronymo
de Albuquerque Mello 65062
Dito n. 15. 0 mesmo 60062
Dito n. 17. 0 mesmo 65062
Dito n. 7. 0 mesmo 125125
Dito n. 5. 0 mesmo 125125
GiquiA a Jaboatio n. 208. Joanna Ba-
tista, Feitosa 95699
Dita n. 309. Joanna Baptista Olympia 6
de Mello 6X062
Dita n. 307. A msman 7A274
Pocos n. 41. Joanna Evangelista dos
Passes Dantas 155156
Travessa do Remedio n. 27. Joanna
Maria da Fonseca 185187
Castello n. 4. Joanna Paz Varella 4J849
Bemfica n. 37. Jolo Alifredo Correia de
Oliveira, administrador de sun filha
Maria da Coneeigio, duas tergas 155156
S. Miguel n. 64. Joao Anastacio Hyp-
polito 7S274
Largo dos Remedios n. 74. Joao de
Azevedo Pereira 125125
Coneeido n. 1. Joao de Azevedo Soa-
res Filho 75274
Largo dos Remedios n. 44 A. Joao
Baptiata de Moraes 65062
Dito n. 44 E. 0 memo 65062
Direita n. 12. 0 mesmo 95093
Poqos n. 15. Joao Bento Lages 6,062'
Ditos n. 17. 0 mesmo 4$849
Ditoo n. 19. 0 mesmo 61062
S. Miguel n. 15. Joao de Brito Correia 5$455
BRosario n. 4. Joao Carneiro Rodrigues
Campello 75274
Torre n. 5 A. 0 mesmo 24250
Dita n. 5. 0 memo 245250
Dita n. 3. 0 mamo 86834
Dite n. 12. 0 mesmo 205208
Dita n. 10. 0 memo 20$20W
Ditan. 8.'Omeso 20520R
Giquia a Jaboattao n. 267. JbodCaries
de Souza Santos 3$637
Dita-n. 285. mesmo 3617
Rosario n. 6. Jio Cyoto Perei-
ra Soai9es9 9
Torre n. 1 A. Joao Coelho de Almeida 95699
Segundo becco da travessa dos Reme-
dios n. 8. Joao Floriado Pereira 65062
Dito n. 6. 0 mesmo 65062
GiqaiA a Jaboatao n. 115 G. Jbioo
Francisco 125125
Estrada do Rio n. 34. Joao Francisco
de Amorim Lima 124125
Dita n. 34 A. Joio Franciaco de Li-
ma Amorim 24S250
Largo da Matriz n. 7. J6oo Francisco
de Mendona 1451549
Estrada Nova n. 19. Joao Jo26 de Sou-
" za 181i.87 IS1
GiquiA a Jaboatao n. 247. Joa oLuiz
Vianna e outros .... S^
OasteUo n. 5. Joao Macbadoe 6ge-
:'-iista. :'-':, 1"- ..^- '.1. 1 > Qif Q2
Oaote." ": ..... '."02i:
)cttuhal nx. 2. Joao Nepamuceno 7Ac-


Dita n. 26. 0 memo
Dits n. 28 A. 0 mesmo
Setubal n. 6. Jos06 Victor da Silva Pi-
mentel
Giqui4 a Jaboatao n. 98. Jos6 Vieira
Lima
Dita n. 96. 0 mesmo
Estrada Nova n. 78. Josepha Floren-
tina
S. Miguel n. 120. Josepha Maria dos
Santos.Porto
Estrada-Nova n. 57. Josepha Lacerda
partt)
Dita n. 59. A mesma partt)
Dita n. 82. A mesa partt)
Reom arAo. 2. Josepha Maria do Espi-
rit o Santo
Bongy n. 12. Josepha de Oliveira Mel-
lo
Estrada-Nova-n. 59. Julia Maranhio
partt)
Dita n. 57. A mesma partt)
Dita n. 82. A mesma (parte)
Dita n. 78. A mesa (parte)
2- becco da traverse do :Remedio n. 2
Justino Pereira Alves -e -
Direitan. 18. Justino Pereira de Faria
Estrada Real da Torre n. 34 A. Leo-
nardo Francisco de Almeida
Traveesa de S. Miguel n. 21 A. Leo-
poldoJos6 PFelippe Santiago
Dita n. 21 B. 0 msmo
Giqui a Jaboato n. 5 A. Lourenfo
Games de Oliveira,
Estrada Nova n. 40. Louren9o Rodri-
gues da Silva.
Ditee. 38.0 mesmo
Motoeoiomb n. 20. Lucminda Maria de
Albuquerque
Gi aa Jaboata n. 258. Luiz-Ber-
nardoda deRoha-Catello Brato
Ditea:n.254. 0 mesmo
Ditan. 202. Luiz da&Conse$oAIhbu-
PDitI n.,* 0 mesmo
"Dit .06m 0 mesmo
:D tan. 206A. Luixs a ,ConeA io Al.
liq "DIU 11. B. 0 mamo
Dia n. .206 C. 0 mesmoa
IAUn da Conueijo <. 5. Luiz Eduardo


a.ti 221-A. 0 nmesmo *, ,
Vift a. 22 B '0 meemo *.1,1''^
doa Remedioe n. 12. Joaqknm
194!1i A Jaboatlo n. 42. Joaquim Do-
'wes Tavaret
b nI. 1. Joaquim de arias
&trada Wova, n. 74 A. Joaquim oew-
reiraEsteves
Ditan4,101. Joaquim Ferrsira Lima
Dita 99. 0 mesmo
Dita a. 96. 0 memo
Poca n. 39 A. Joaquim Ferreira
Bomn Gosto n. 21 Joaquim Ferreira dos
Santam restt)
Dita n. 19. 0 memo
Metwelomb6 n._8 Joaquim Francisco
Sdas Chagas e Silva
Estrada real da Tcrre n. 36, 0 mesmo
Ustrada do Rio n. 13. 0 mnesmo
Quiabo n. 56. 0 memo
Giquii a Jaboatao n. 38 B. Joaquunm
Francisco de Lacerda
Dita n. 3841. Joaquim Jos6 Ferreira
da Rocha (Dr)
Rosario n. 1. Joaquim Jose de San
t'Anna
GiquiA A Jaboatao n. 50 A. Joaquim
Machado Lima
Dita n. 184. Joaquim Manoel de Oli-
veira e Silva
Dita n. 188 A. Joaquim da Silva Lopes
Ditan. 80B. Joaquim Tavares de
Almeida
Dita n. 80A. 0 mesmo
Giquia A Jaboatao n. 80. Joaquim Ta-
vares de Almeida
Largo dos Remedies n. 63. Jorge Pinto
Quiabo n. 35. Jos6, filho .de Isidora
(escrava)
S. Miguel n. 111. 0 mesmo
Dita n. 124. 0 mesmo
Imberibeira n. 24 Jos6 de Albuquerque
Mello Lkyolla
GiquiA A Jaboatao n. 119 A. Jos6 An-
tonio de Mello
Dita n. 119 B. 0 memo
Ditan. 119 C. 0 mesmo
Travtasa do Venancio n. 21. Jose Au-
gusto Canmeiro de Medeiros
Estrada real da Torre n. 29. Jos6 Be-
nevides
Travessa do Lucas n. 18. Jose Eles-
balo Borges Uch6a
Bongy n. 2 D. Jos6 Emiliano Moreira
Dita n. 2 A. 0 mesmo
Dita n. 2 B. 0 mesmo
Dita n. 2 C. 0 mesmo
Giquin A Jaboatio n. 139 B. Jos6
Francisco Borges (padre)
S. Miguel n. lI. Jose Francisco Ma-
hado (parte)
Bemfica n. 8 Jos6 Francisco do SA
Leitiao e herdeiros de Joao de SA
Leitiao
Giquia A Jaboatao n. 341 G. Jos6
Francisco de Sousza Lima.
Ilha de Bemfica n. 2 A. Jose Jacintho
Ribeiro
GiquiA a Jaboatao n. 341 M. Jos6 Joa-
quim de Castro e Silva
fDita ditan. 341 F. 0 mesmo
S. Miguel n. 136. Jose Joaquim da Silva
Dita n. 133. 0 mesmo
Dita n. 153. 0 mesmo
Travessa do Remedio n. 37. Jose Joa-
quim Sim5es do Amaral
Po1os n. 6 C. Jos6 Maria Paz Justo
Dito n. 6 B. 0 memo
Dito n. 6 A. 0 mesmo
Dito n. 6 E. 0 mesmo
Estrada Real da Torre n. 1. Jose6 Maria
de Sant'Anna
Bemfica n. 52. Jose6 Maria Sodr6 da
Motta 1/2
Rua do Remedio n. 3. Jos6 Maria de
Souza Araujo
S. Miguel n. 85. Jcs6Antonio Lopes
Travesa de S. Miguel n. 3. Jos6 do
Nascimento de Albuquerque
GiquiA aJaboatito n. 35 A. Jos6 Pedro
de Faria
Travessa do Motocolomb6 n. 2. Jos6
Pedro Velloso da Silveira
Rua Direitan. 41. 0 mesmo
Dita ns. 43/45. 0 mesmo
Dita da Conceicao n. 21. Jose6 Pereira
dos Santos
Motocolomb6 n. 32. Jos6 Pereira da Sil-
va
Teavessa do Uchoa n. 6. Jose Pereira
Vianna
Dita n. 8. 0 mesmo
Rua Direita n. 54. Jos6 Roberto de
Moraes
Giquia a Jaboatato n. 104. Jose Ribei-
ro Guimaraes
Dita dita n. 275. Jose Severo Ferreira
Dita dita n. 345 A. 0 mesmo
Estrada Real da Torwe n. 18. Jose Tei-
xeira Bacellar
Dita i. 28. Jose Times Pereira


19182
99699
29424
4A564
105104
69062




15183
7S274
125125
205208
39637
39637
79274
129125
125125
199399
1187
245250
29849
4500


4-


65063

95699
9iff9S
3||68


101911
65062
149
3AWT
35I63
79274
6$M
S8xw
69063
89486
666G8
umm

9699
soomn

18Ai87
245250
95699
12A12
85486
75273
35031
3;031
65062
95679
90699
141549
85486
24020
85486
6$062
7 274
9A699
75274
8;486
45849
45849
4;849
45849
125125
19412

605625
65062
305312
49849
4;849
500521
752?4
65062
129125
65062
6;062
65062
752714

10911
609625
205200
75274
75274
45849
20;611
305312
20208
125125
99699
39637
35637
425439
125125
65062
49849
245250
95699
79271
95699
95699
752T4
95699

























:.Dirita n. -68. 0 msmo "
H ~- -rav.ssa deoS. Miguel ii. 25.*I 0 .
Iita n. 1. 0 AOewmo -; "

Ra Ido&,BornGat 70 edo
rDitan. 21i. 70 .O mesmoO
Dita n. 27. Manoel de Carvalho 9oura
D': ita n. 10. OMesmmo -
'4Wo- oDitaUn.10A. eso -e t
Rua do Bom Gosto n. 57. 0 mesmo
tRua Direita n. 72. 0 meas o
Di. ita n. 28. 0 mesmo .
Motocolomb6 n, 23. 0 memo -
Dita n. 27. 0 mesmor -
Ditan. 2. 0 mesmo
Gamelleira n. 28. 0 mesmo
IjW Mtocolomb6 n. 21. 0 mesmo e eutros
S Pogos n. 42. Manoel Duarte Vleira
GiJ iq*uia a Jaboatao n. 260. Manoel al-
i: eo de Menezes
S Travessa do Mctocolomb6 n. 9. Manoel
S Ferreira Escovar
Estrada Nova n. 103. Manoel Floriano
S Vieira Pessoa
S Rua de S. Miguel n. 106. Manoel Fran-
cisco de Carvalho Paes de Andrade
j GiquiA a Jabeatio n. 245. Manoel
Francisco da Silva
Rua do Bomn Gosto n. 13. Manoel Fran-
cisco de Souza
'' Torre n. 16. Manoel Gomes Ferreira
de SA Leitio
3 Estrada Nova n. 26. Manoel de Jesus
*p Jordao Caldeira
il Giquia a Jaboatao n. 50. Maneel Jolo
Alves.
Viveiro n. 3. Manoel Joaquim
2: Dita n. 5. 0 mesmo
Dita n. 7. 0 mesmo
Dita n. 9. 0 mcsmo
GiquiA a Jaboatao n. 41. Manoel Joa-
quim Baptista
inbcribeira n. 10. Manoel Joaquim dos
Passes
Dita n. 12. 0 mesmo
Ponte de Uchoa n. 13. Manoel Joaquim
Pereira de Carvalho
Bocco do Quiabo n. 78. Manoel Joa-
quim da Silva
Giquia a Jaboat'o n. 115 E. Manoel
Jose deo Imoida
Dita n. 115 F. 0 mesmd
Born Gosto n. 25. Manoel Jose de
Araujo
Dita n. 27. 0 mnesmo
^ Dita n. 29. 0 mesmo
:P Dita 1. 31. 0 mesmo
s Dita n. 33. 0 mesmo
Capote n. 2. 0 mesmo
Largo dos Remediosn. 67. Manoel Jo-
st Bastos (parte e rest)
Direita n. 90. Manoel Jose de Bastos
i Mello
Paz n. 92. 0 mesmo
S: Largo dos Remedios n. 48. Manoel Jo-
se da Costa abral
GiquiA A 1 aboatao ni. 88. 0 memo
Dita n. 88 A. 0 mesmo
Dita n. 88 B. 0 mesmo
Dita n. 90. 0 mOcsinio
Dita n. 92. On'mesmo
Dita n. 84 A. 0 mesmo
Dita n. 84. 0 rnesmo
Dita n. 83. 0 msmno
Born Gosto n. 35. 0 mesmo
GiquiA A Jaboatao n. 70 A. Manoel Jo-
se de Lima
Esperanca n. 8. Manoel Jose Percira
Bcmfica n. 37. Manoel Juvenal Rodri-
gues da Silva (parte)
Giquia a Jaboatio n. 220. Manoel Luiz
da Conceicao -
Dita n. 222. 0 mesmo
Estarao n. 14. Manoel Luiz dos Santos
Dita n. 16. 0 mesmo
Born Gosto n. 59 A. 0 mesmo
Motocolonb6 n. 15. 0 mesmo'
Dita n. 26. 0 mesmo
Travessa d., estrada real da Torre n. 9
Manoel Karques de Oliveira
Dita n. 7. 0 mesmo
Dita n. 5. 0 mesmo
Dita n. 30. Manoel de Moura e Silva
Travesfa de S. Miguel n. 54. 0 mesmo
Dita n. 52. 0 mesmo
Dita n. 50. 0 mesmo
Estrada Nova n. 91 B. Manoel Moreira
da Silva Santos
Conceicao n. 13. Manoel Nunes deo0Li-
veira
Direita n. 88. Manoel Olavo do Rego
Barros
Quiabo n. 76. Manoel Paulo de Albu-
o querque
Dita n. 62. 0 mesmo
Largo da Matriz n. 13. 0 mesmo
Motocolomb6 n. 62. 0 meamo
Dita n. 64. 0 mesmo
Dita n. 66. 0 mesmo]
Gamelleira n. 40. 0 meesmo
| Dita n. 42. 0 mesmo
Giqu3A a Jaboatao n. 152. Manoel de
Paula Pinto
Travessa do Lucas n. 2. Manoel de P.
de Souza Rangel
||e Direita n. 8. Dr. Manoel Raymundo de
fi; r Oliveira Rangel


- Dita n. 8 A. 0 mesmo
* Esoxada Nova n. 98 A. Manoel Ribeiro
Pessoa
S" GiquiA A Jaboatao n. 35. Manoel Rosa
de Oliveira
Dita n. 331 A. Manoel Seares
1 Dita n. 331 B. 0 mesmo
/ *Pocos n. 45. Manoel Vicente da An-
nunciacao
^ S. Miguel n. 132. 0 mesmo
Motocolomb6 n. 51. ManoelVieira Gui-
S; ~ mares (tutor)


125125
20,208

95699
12;125
65062
91699
20;208
19P99
35637
65062
65062
65062
6,062
65062
25424
18J187
9A699
95699
125125
65062
40849
45849
45849
45849
45849
305312
4605
85486
75274
145549
95699
65062
6A062
60062
95699
125125
12A125
125125
85486
65062
35637
305312
65062
6,4062
61029
105911
105911
75274
-305312
605625
125125
125125
125125
12W125
7527!
75274
75;274
95699
245250
30.;312
124125
125125
16A974
19;399
14J549
145549
125125
12$125
7A274
245250
305312
505521
85486

45949
25424
25424
405417
245250
125125


va Tavares '" _1.
Dita n. 29. Rita Felicis.aam de e-
zes
zea. *. ,' ,; ::
Dita n. 7. A mesma
Dita n. 11. A mesma
Motoeolomb6 n. 55. Rita Joaquin& A-
cioli Rosa
G. a Jaboatio n. 259. Rosa Feliian.,
Galviao (e, oatro)-,,, .: -;
BFtao n. 20. Rosa. Maria d4e JAu
SMendonga
Dita n. 18. A meomas
Motoeolombd 1. LA mesma
G. a Jabeatao n. 158. Roa% Mathilde
da Conceicao
GequiA a Jaboati, n. 305, Rufino Fran-
eisco Baptista.
Dita n. 157 C. 0 miesmo
Estreda Nova, n. 168. Sebastilo de
Arruda Ponte
Largo do Remedio, n. 40. Serafim Lei-
te Pereira
Quiabo, n. 54. Severino Rodrigues da
Silva COmpos
GequiA A Jaboatao n. 339. Silvina Jolo
Nepomuceno
Idem, n. 100. TertulianaMaria da Con-
ceicaeo
Direita, n. 82. Tertuliano Ernesto de
Carvalho :
Quiabo, n. 1 A. Tertuliano Murques de
Mello
Gequi& A Jaboatao, n. 48. Theodore
Alves dos Santos
Quiai'o, n. 38. Thereza Amelia dos
Prazeres
Estrada Nova, n. 59. Thereza Lacer-
da (parte)
Dita n. 5i. A mesma, idemrn
Dita 1. 82. A mesma, idem
Dita n. 78. A mesina, idem
Paoos n. 26. Thomaz Domingues Tava-
res
Dito n. 24. 0 mesiwo
Bomgosto n. 59. Valerio Pacheco de
Almeida
Bongy n. 2, Vicente Al7cs
Estrada Real da Torre n. 11. Vicente
Joiio da Costa Monteiro
Becco da Estrada Real ('7 Torre, re 4.
0 mesmo
Aurora, n. 14. Vieente Pereira do Re-
go (Dr.)
Tonre, n. 57. Victor de Sa Barreto
Estrada do Rio, n. 40. Virginio Ro-
drigucs Campello
Dita n. 42. 0 mesmo
Estrada Nova n. 78. Joaquim Carnei-
ro de Albuquerque Lacerda partt)
Motoeolomb6, n. 25 A. Antonio Jos6
da Costa Ribeiro .
Quiabo, n. 56 A. Antonio de Lima
Torre., n. 14 A. Augusto Cezar C. de
Menezes .


125125

7527C





75274
21j825
9A699,
45849
65062
12A125
125125
7A275
75.274
75274
165974
,7274
3,637
854S6
15A156
2A424
1051404
15182
65062
65062
65062
93699
9.5699
85086
40A417
30.312
7.-5274
24,250
15182
85486
1219205
125125


Setubal, n. 1 A. Archanja Maria das
Chagas 12.125
Quiabo, n. 7 A. Constancio Alves da
Costa 75.274
Estrada Nova, n. 24, Enedino G(,onal-
yes Ferreira 12,125
Estrada do Rio. n. 32 B. Francisco
Augusto da Costa 3)5312
Estrada da E. da Boa-Viagem, n. 2 B.
Francisco Telles 75274
Estrada do Rio, n. 17. Francisco Ro-
drigues Martins 12J125
Estrada Nova, n. 81. Francisco Gon- -
9alves Paes de Andrade 95699
Forte n. 2. Herdeiros de Thomaz Ca-
valcante da Silva Lins 24-250
Estrada da Imberibeira n.-26. Jose de
Albuquerque Mello Loyolla 24S260
Largo do Remiedio n. 43 A. Joao Fran-
cisco Chacon. 125125
Estrado do Rio n. 38 B. Jodo de Amo-
rim 24250
Estrada. do Cordeiro n. 4 A. Joto Go-
mes da Costa 245250
Estrada do Bomgy n. 8 A. Jose Fran-
cisco Prazeres 74274
Dita n. 8 B. Jovino Francisco da Siva 125125
Estrada do Rio n. 24 A. Laurindo de
Moraes Pinheiro 205208
Setubal 5. Manoel Paulo de Albuquer- 24250
que 24S250
Dita 3 A. Martha Maria da Conceicio 125125
Estrada Nova n. 19 A. Manoel de Je-
sus Jordao Caldeira 65062
Estrada real da Torre n. 30 A. Proco-
pia Roza de Jesus 95699
Dita n. 20. Herculano Elyseu da Silva
Caneca 95699
Estrada Nova n. 78. Anna Lacerda.
(parte) 116082
Dita n. 7$. Viuva de Joao Antbnio Vil-
la Seca (part) 145731
Travessa de S. Migueln. 34. Maria da
Purificao 65062
Seca9 do Contenciozo Provineial, 1. de setem-
bro de 18i4.i
1." Otlldal


,Santa CasO de gkef do



de Miseriiordia do taeif ,--at ofa das suas ses-
sBes, pelas 3 horas ,atd" 'doik 9 do corrente,
roceba propostas para 0 fornecie.fito do pAo e
bolacha que for preciso paro a o coegto 4as or-
phas em O1inda, 40o trimestre' de otitumir a do-
zembro do corrente anno. '
As propostas dcverao Ser ei earstas feehadas,
devidamente selladas, indic'ando ofiador, e obri-
gando-se. a pagar a malta de einco por cento so-
bre o valor total do fomeeiimeiftr, se nu6 paso de
3 dias nao vier assigniar o competentc tormo. -
8cretaria da Santa CasiA ie Miieridrdia do
Itecife, 2 de setembro de 1884.
0 escrivio,
Pedro Rodrigqes de Suza. -

Clib Dramatieo famiiliar ,24

de Maio
Assemblea geral
Do ordem do Sr. president convido A todos Srs
a, sociados, a reanireum se A rusa das Crazes n. 32,
domingo7 do corrente as 5 horas da tarde, afim de
coustituidos em assemblea geral descutirem o0 es-
tatutos ultimainente eollaborados.
cife, 3 de setembro de 1881.
lo Seeretarin.
Apolinario Carvalhio.


inentost neebos ri- e piQderio Bar 'onsultadas as
plants, deseihos, or9amento, etc., di rpferida
obra., ..
As ? aw a=herio ahertas e lidas no. lugar,
dia ora a didos em presenca do pro-
ponentes, que 4ve|o assignal -as, indicando n a
mesmnas ssa8Se rm inela,
Seoretaria do prolongamento da estrada de far-
ro de Pernambuo"e0 rada de ferro do Reeife &
Caruar, 28 de agosto do 1884.
0 seretario interino,,
Manoel JuvenciodeBaboia.

De ordem, do Im. *Sr. director funnheiro chefe
rwo public que no dia 7 do corrente serio abertas
ao trafego as otaoea de Barra e de$. Benedicto.
Ohorario dos trens e as 'preo das passagens spo
os seguintes- :


EstacKew


Una. .
Catende .
Jaqueira .
Marayal .
Barra .
S. Benedicto


Estae*es


S. Benedicto. .
tarra .. ...
Xaikyal..........
Jaqueira .. .
Catende ..
TUna... .....


A' tarde
TREMI M 1


Ohegada




2 h. 40 m.
3 a 15


Partida





Chegada


9 h. 12
9 x 47
10h. 12
lOh. 47
11 h. 32


Partida



8 h. 45 m.
9 ((17 .
9 52
10 17
10 5


PRE9OS DAS PASSAGENS


PASSAOEX SIMPLS

Estac~ea __ __

l.a dlss 2. claasse


De S. Benedi#to a Barra 5600 5300
Idem A Marayal. 1400 700
Idem A Jaqueira2. 2000 1'000
:i ACatende9 -. 2900 1$500
Idem A Uaa 0. 400' 2.000
De Barra Marayal .800 S400
Idoem A Jaqueira i. 1i300 5700
L1cm A Catende 2S200 11g00
Idem A Uua 3500 15800


Antonio Jos6 Soares de Castro, Boni Jesus das
Portas n. 16.
Ignez(parvula), Conceicao dos Militares n. 3
de-a. -.
Dia 15
Manoel Hugolino Pereira Geraldes, Camara n.
101.
Luiz Gomnies da Silva Junior, matriz do Recife
n. 3 de la.
Ignaeio Barbosa de Freitae, Santa Cecilia n. 6.
Dia 16
Leopoldina Clara Rosa da Motta, Conceigco dos
SMilitares n. 1 ao poente.
' Ubald, (3 annos), Camara n. 99. P.
Manoel Machado Guimariea, Terco u. 127.
Anna Emiilia de Lemos e SA, matriz do Recife
n. 5 de 2a.
Jos6 Cornealio do Figueiredo, Camara n. 5 A.
Dia 18
Andr6 Fereira do Almoida, matriz de Santo
Antonio n. 8 ao poente.
Dia 19
Maria Joaqniaa do Sacramento, Terco n. 11.
.Dia. 20
Manoel do Nascimento Xavier de Couto, Teoq
n. 26.
Antonio Jose Pereira do Lago, S. Francisco n.
14 de 2'.
Clotilde (8 horas), SS.: Sacramento do Recife n.
o ao poeutc. P.
Dia 21
Simplicio Pereira da Paixio, S. Gongalo n. 2
de 2&.
Maria do Carmo Moraes, Camara n. 102.
Joito Baptists Moreira, Passoaes n. 4 de Ia.
Guilherme (parvnbi), matria de Boa-Vista n. 1
ao note. P.
Dia 23
Josepha.:Maria do Espirito-Santo, Soledade n.
17 ao norte.
Jqaquina Adelaide M. de Barrcs Falcao, ma-
trizsde Boa-Vista n. 14 de 1 a.
Dia 24
Lauriana Maria de Assumpeao, Livramento n.
16 de la.
Dia 95
Manoel Sergio de Hollanda, Livramento n. 27
de 2a.
Maria Rosa Nobre, Almas de Santo Antonio
n. 29.
Maria Carolina da Silva, Camara n. 42.
Belisario Alves Paes Bareto, Santa Rita n. 12
ao sul.
Jos6 Mariz de Almeida, Santa Anna n. 9 de 2a.
Jose Gonolves da Cruz, Espirito Santo n. 14
ao sul.
Dia 26
Constanna da Silva Neves Junior, Almas de
Santo Antonio n. 26.
Vicencia Maria da Conceico, Santa Rita n. 18
deo2a. :-. ,
Anna Maria de OliVeira Santa Rosa, Livra-
mento n. 19 de Ia.
Augusto (7 moezes), Espirito Santo n. 6 ao
sul. P.
Miguel (parvulo 39 mezes), Espirito Santo n.
4 de 2a.
? Dia 27
Jucudiano Rodrigues de Olivcira, matriz da
Boa-Vista n. 6 ao norte.
Genmerosa Rosa dos Santos, 'oledade n. 11 ao
norte,
Pedro de Vasconcellos, Passes n. 6 ao nascente.
Dia 28
Arthur (3 annos), Camara n. 98. P.
,Maria (7 mezes), Almas de Boa-Vista n. 4 ao.
norte. P
Dia 30
Luiz August, do Moria Carvalbo, Soledade n.
12 ao norte.
Josepha Maria da Couceico, Ordeui Termcira
do Carmo i. 7 ao sul.
Geraldina Peres Campellp Jacomo P., Camara
a. 5 ao'nascentc.
0- adnmmnistrador,
JTo Baptista dp Rego.


The New London and Brasilanm
Bank Limlted
Rua do Commerci9 n. 32
Sacca por todo# os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banca em- Portugal, sendo
em Lisboa, rua dos Capellistas n. 75. oN
Po, rtorua dos Inglezes.

Club Carlos Gomes

'amiversario
Couvida-se os Srs. socios que estio no goso de
seus direitos a virem receber do dia Io em diante,
na side do Club, A noite, os ingressos para o con-
certo do anniversario, e que terA lugar no dia 7
de setembro, no theatre Santa Isabel.
Previne-se aos mesmos seuhores qne a distri-
buico, que s& sara seita na sede do Club, termi-
nartA precisamente no dia 6, na se attendendo
reclama~ao alguma inherejite a bilhetes, depois de
find o prazo mareado.
Seeretaria do-Club Carlos Gomes, 30 de agosto
de 1884.
8 0 secretario,
Andrg F. da Costa.

THEATRE
SATI1 ISABE1









Emilia Adelaide
DIRECTOR GERENTE


5OAO GIL



Quinta.feira, 4 de Setembro
Tomam part no espectaculo a distinct actriz:


EMILIA ADELAIDE
0 notavol galan


Unica representaao do applaudido drama em 5
actos eseripto expressamente para a actriz Eml-
lia Adelaide pelo conselheiro PINHEIRO
CHAGAS:
A

lorgadinha de Val.flor


Luiz Fernmandes, pintor....
Leonardo Fernandes, lavra-
d(or ....................
Pedro Paulo de Faria Aztve-
do capitio-m6r de milicias
Rodrigo de FariA Azevedo
capitao d'um regiment da
eort .... : .........
Frei JoAo Ignacmo frade do-
minicano...............
Bernado Rodrignes, poestar-


Sr. ALVARO.
, Pereira.
, Camiho.

, Costa.
, Gil.


Santa Casa de Miseri-

cordia do Recife
A Ilima. junta administrative da Santa Caisa de
Misericordia do Recife,, na sala das suas seos.as,
pel;is 3 horns da tarde do dia 9 do correute,Teco-
be propot-as para o fornecimento de assucarisen-
do de i", 2a e 3' sorts e turbinados, que fOr no-
cessario para os estabeleeimentos a seu cargo, a
saber: Hospital Pcdro II, hospital doa lazaros,
hospital dos variolosos, em Joode Barros, casa
dos expostos, asylo de Mendicidade, hospicio eC
alienados, na Ta.marineira, e coltegfo dal rphs,
em Olinda, no trnmestre do outubro A dezembro
do eorcente anno.-
As pfoposta- deverilo ser em eartas fechadas,
'devidameente selladas, indicando ( fiador e obri-
gando-se o arremiatantie a pagar a multa de 5 ot
sobre o valor total do fordecimeato, se no prazo
de 3 dias nio vier assignar o competent termo.
Secretaria da Santa Casa de AIisericordia da
.eeife, 2 de setembro de 1884.
0 escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.

Santa Casa de Miseri-

cordia do Recife
A Illma. janta administrativada Santa Casa de
Misericordia do Recife, na ssla das suas sesases,
pelas 3 horas da tarde- do dia 9 do corrente, rece-
be propostas para 0 fornecimento da earne verde,
da melhor qualidade que houver no mereado, o
que fOr precise pamraos. estabelecimeatos A sea
cargo, a saber: Hospital Pedro II, hospital dos
lazaros, hospital dos variolosos, emi Joso de Bur-
ros, casa dos expbstos, asylo di mendicidade, hos-
picio de alienados, na Tamaarineira, e collegio das
orphms, em Olinda, no triliestre de outubro A de-
sembrdo d corrente anne.
AS propostas deverdo ser em ecartas fechadas,
devidaaente selladas, indicando o fiador, e obri-
gaxndo-se o arirematante a"'i mnulta de 5 o/, sobro o
valor total do forneeimonto, se no prazo de 3 dias
unovier assignaro competent termo.
SSeeretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 2 de setembszo de 1884.
O escrivao,
'Predro RodrIgUesde Sosa.


De manatba
TRhEM 2





















































caty e Ceard
y e ei SeCigue no dia 5 de se-
A' ^^--- teimbro o vapor l.jfln-,
= ca, commandant Tel-
^ les, as 5 horasda tar-
Recebe carga atW o
alia 4.
Eucommendas, passagens e dinheiro a frete atO
As 3 horas da tsarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Co22spauhia Permauidb-
cana B. 12
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navegaewio eosteira poi vapor
Fernando de Noronha
Segne no dia 11 do
-' ^, corrente ao meio dia,
~vapor Giquf, cornm-
.-mandant Mafra.
Recebe caiga at o
idia 10.
Encommnenrlas, passagens e dinheiros a frete atW
as 10 horas da m'nmhil do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Cazs dcia Companhia Peramrnmtrana
n. 12.
COMPALUIA PERNlAIBUCAIA
DE
Navegacio Costeira por Vapor
PORTOS DO SUL
Macei6, Penelo, Aracajii, Estancia e


Bahia
0 vapor Jaguaribe,
S comnmandante Costa,
aa seguirA no dia 10 do
corrente, As 5 horas da
S tardecebe carga at. o
iiRecebe carga atW o


dia 9.


Encommendas, passages e dinheiro a fiete
As 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambucana


n. 12
COMPANIES DE MESSAGE-
RIE IMARITIMES
LIJNHA MENSAL
0 paquete
Gironde
Comma ndante Jacques
Espera-se da Eu-
~ropa ati o dia 4 de
setembro, segnin-
do depois dade-
mora do costu-
me para Buenos-
Ayres, tocando na
DahiaI Rio de Janeiro e Monte-
tevideo


C
(
C
(
I
I


No referido sobrado
0 agent Pinto, autorisado pelo Sr. consul de
Sua Magestade Britannica, levara a leilAo a cass
de sobrado emn quo f neciona o hospital inglez e
ultunameate casa Ie saude &o Dr. Ramos.
Em continue ao
venderA o mesmo agent em lots a vontade do;
coinpradores os moveis e mais objects existentet
no mesmo sobrado.
CONSTANDO DE
Cairns de ferro, mesas, mochos, bancas, quadros
lavatorios, grades, arminarios, pratilciras, cadeiras,
travesseiros, 1 relagio, pertences de botica, ferros
de cirurgia, 1 carteira, 5 tachos, 2 armarios e ou-
tros moveis.
0 bond de 10 e 40 minutes, da linha de Santc
Aminaro darA passage gratis aos coneurrentes ac
leilao.
Em tempo
o referido predio e mais podem ser examinados nos
dias 1 e 2 de set mbro, das 9 As 4 horas, bemrn como
no dia do leila'o.

Agente Burlainaqui

Leildao

Quinta-feira, 4 de setembro
A's 11 horas
No sobrado A rua do Imperador n. 51

Do6 bOils 1116Y61
0 agent acima autorisado per unas familiar que
se rfctira para eorte, venderA em leitlo ao correr
do martello ura important mobilia de jacaranda
com 15 cadeiras de guarnicao, 4 ditas de bra9o, 1
sofa e consoles cornm tampo de pedra, 1 born gnar-
da lou"a, cadeiras de junco novas, espelho grande
Surn rico toilet de jacaranda, mesa elastic, com.rn-
nodas, cadeiras do balanco, louca, vidros e outros
nuitos artigos que estarlo a vista dos Srs. licitan-


S tes.
ate


Leilao definitivo-

Dos predios

ifta-ft4e 4de seteombo
Ao uele die em ponto
CARMO E SILVA
Compentemente autorisado faz leilao por cents
e risco de quernm pe-tencer dos seguintes predios.
Um sobrado de um andar e urnm sotao sito a rua
das Trincheiras n. 40 solo proprio.
Um sobrado de 3 andares sito a rua do Padre
Floriano n. 40 solo proprio.
Uina caza terrea sits a rua Imperial n. 125 corn
2 salas, 4 quartos, cosinha externs, quintal etc.
N. 27.-Na agenda R'avessa do Corpo
Santo.-N. 27


Da casa terrk asit4a rude Jorge n..
:34, fregueZiia- do R:'lecife. -
Da casa terreoa ita a rua de Luiz do,
Rego n. 37 em Santo Amlxo.
SaMbbado, 6 do corrente
.A'sIi honras,
0 agent Gusmlo fara leillo dos predios acima
muencionados podendo desdeja serem e*aminados el
para mais informaeoes o mesmo agent d'la.ui.

S LeiIao.'.


De moveis, espelhos, quadros,
loufas, idros, etc .
SSabbado, 6 do corrente
Na rarde S. Jorge n. 9S
CARMO K SILVA
Autorisado per urma Exm. familiar qxuo se retira
para fora da provincia, farA leldo de todos os
moveis de seu use, constando de 1 mobilia de ama-
rello, corn 1 sofA, 12 cadeiras, 2 ditas de balance,
2 consolos, 1 jardineira, 1 espelho oval dorado, 1
tapete grande, lanternas, candieiros pars gax, jar-
ros, escarradeiras, relogio, 1 cama franceza, corti-
nados, quadros, 1 commoda, lavatories, quartinhei-
ras, cabide, 1 mesa elastic, 1 guIarda-loua, cadei-
ras, marquezas, apparelhode porcelana para mesa,
dite para cha, cops, ealiees, compoteiras, taboa
para engommar, machine para costura, bandejas,
jarras, bacias e outros muitos objeetos do use 4e
uma casa de familiar, e que se acham presented no
acto do leilao.
Na rua de X. orge n. 88

Sa.bbadO, 6 do corralte -
A' 11 HORAS

Leii o

De moveis, espelhos e quairos8
A SABER:
Urn mobilia corn 1 sofa, 2 consoles, 2 cadeiras
de bras, 2 de balance o 12 de guarnicio, 4 qua-
dros, 8 jarros para flores, 2 espelhos, tapotes, es-
carradeiras, 1 tapete de sala, 4 ectagers.
Urn santuario, 1 estate e meza, I sofa, 8 ca-
deiras 2 consoles.
Urma cams franceza, 1 commoda, 1 lavatorio, 1
guarnico, 1 cama de ferro, 1 marquezao, 6 ca-
deiras.
lUma meza de jantar, 1 guard louca, 2 apara-
dores, 12 cadeiras de guarniao, 1 apparelho para
jantar, 1 dito pars cha, cops, calices, garrafas,
mezas de engommado, trem de cosinha, e muitos -
outros moveis.
Sexta-feira & de Setembro
Agente Pinto
No 1' andar do sobrado da raa do Mar-
quez de Olinda n. 60
AS 10 1/2 HORAS

Leila

D- PREDIOS

Carmo e Silva
Por alvarA do Exm. Sr. Dr. juiz da provedoria
e a requorimento do Sr. consul de Portugal, farm
leilao dos bens abaixo, do espolio do finado Jese6
Goncalves da Cruz, e corn assistencia do mesmo
Exm. juiz.
Tera.feira, 9 do eorrente
A@ meOi dia
1 sobrado do 2 andares, site na rua Velia do
Santa Rita n. 40, em solo proprio.
Scas terreas, na rua Estreita do Rosario n. 16,


Precisa-se de urm empregado para seryigo
bracal : na rua do Arag&o n. 87.
Na rua de S. F 'ancisco n. 54, se offerece
uma mulher para o servigo intern de urna casa
de familiar ou mesmo de home solteiro.
Eu abaixo asigU ado deakro ao commercio,
que tenho just e centruta4-du;im o Sr. Joaquim
Lopes Gtma sua taverna sits a rua do Visconde
do Pelotas n. 1'', livre e desembaragada de qual-
quer onus -. por isso quern se julgar corn direito A
mesma, p6de reclamar no prazo de trees dias, que
desta data em diante nao me respensabiliso por
debifo algum. Recife, 2 de setembro' de 84.
Francisco Torres da Costa.


Aluga-se a casa de vivenda do DP. Castello
Branco, sita na povoagao do Beberibe, entire as
duas ultimas estac5es, corn muitos commodos,
murada, bonmjardim cultivado, pintanda e limpa,
gAso de fructo dos arvoredos e banho do rio, pro.
ximo, corn born banheiro: tiata-se corn o pro-.
prietario A rua das'Cruzes n. 23.
-= Euabaixo assignado decaro quo compei
ao Sr. Police Colombo Simoes o seu estabelecimen-
to de molhados, sito A rua S. Sebastilo n. 10, em
Olinda, livre e desembaracado de debito algum ;
quern se julgar credor apresente suas contas do-
cumentadas para serora satisfeitas. no prazo de
tree dias, a contar de hoje. Recife, 3 de setembro
de 1884. "
Guilhermino Gomes Pinto.
Precisa-se de Urna ama ng ua DuqD e do Ca-
xias n. 2. ,'-

AtteAAo
urnde-BOii bancavA muito be ornatti
pintada de novo. e suas pertenaes, tudo em opti-
mo estado de censervago; a tratar corn Manoel
Fiuza & C., rua Imperial n. 229.


CASA F-ELIIZ
AOS 4:0004000
0 LHIETES GARANTIOS
Pra a da Independen

cia ns. 37 e 39
0 abaixo asig.mado vendenu entire os seuns
telizes bilhetes garautidcbs a soite de 2006
ema 1i inteiro n. 2757, a do 100# em
1 inteiro n. 2420, alum de outras sor-
teas de 32# 16# e 8#.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto A
venda os seus felizes bilhetes garauntidos da
loteria 68a a beneficio a iagreja da Ohi-
Grande daVietoria, que se extrahirA sex-
ta-feira, 5 do corrente.
. .* *e. se ~ ...., *
Bilhete inteiro 4#SW
Meio 24000
Quarto 1000
km pe"JoE de 14.do10o0 para
Billiete inteiro 3#500 -
Meio 14750
Quarto #87&
Antoxio Auguato dos Santos Porto.



SA


Ma oel Antonio Pinheiro
Felippa de SA Albuquerque Pinheiro e seus fi.
Ihos muito agradecem a todas as pessoas que
acompanharam ao cemiterio public o cadaver de
seu presadissimo marido e pai, Manoel Antonio
Pinheiro ; e de novo as convidam a assistirem as
missas do setimo dia, que por sua alma sero ce-
lebradas na igreja matrix de S. Jose, no dia sab-
bado 6 do cornnte,. pelas 7 1/2 horas ea manli ;
antecipando dede j sbus agradecimentos.


Major ~7uvliaino Antonio Duar-
te Cunha
Maria da Gloria Pimentel Cunha, seus filhos e
genro possuidos do mais doloroso sentiment polo
fallecimento de seu sempre ehorado marido, pai e
sogro o major Joviniano Antonio Duarte Cunha,
vem respe-tosamente convidar a todos os seus pa-
rentes e amigos para assistirem As misses que
mandam celebrar na capella do engenho Gaipi6,
As 10 horas, e na matriz da Escada, As 7 horas,
dia 6 do corrente, 7o dia de seu fallecimento. An-
tecipam seus sinceros agradecimentos.
-g ,^^rf^^feB S^ag^


CASA liOURO
Aos 4:000oo00

BUMBET6 MOUTID08
Rua do 4ail. da Victoria n. 410
e easae do eostune
0 abaixo assignado acaba de vender
em seus feizes bilhetes dous quartos de
n. 2,970 corn a sort de 8004000, e diversos
premios de 324000, 166000 e 8#000.
0irmestmw abaixo- assignado onvida aos
possiudores A virem receber is conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-se a veda ,os f slizes bilhetes
garantidos da 2., part da lotoerias a
beneficio do igreja da ChlGrande da Vic-
toria (68.'), que se extrahir i na sexta-
feira, 5 do corrente.
iPiN s


Inteiro
Meio
Quarto
Omw periao
Inteiro
Meio
Quarto


4#000
26000
1#000
de o100oo 000 para
elma


JToo Joaquim da


3#500
1#750
#875
Costa LAit$.


Cnra radicalmente e corn segnrana os peores caso,1
de Phthisica, Escrofulas, Rheumatismo, as doencasa
da Espinha Dorsal, dos Quadris e dos Ossos, as m-!
flammaV6es do Figado, doBapo e do Utero, etc.,etc.,.
e restitne ao corpo enfraquecido e fatigado o seU pri-
initivo vigor e arredondadedosa contornos. E! certa-i
inente unma grande descoberta o Pure Oleo de
Ftgado de Bacailbao cornm ledureto do
Ferro-de Barcelay & Ca., Now York.
Xarope de Vidal
de Reuter No. l

A& rltl 1


:^





:.. .w
: *'


DEPURATIVO E PURQANaTEO.
B4te novo e admravel prilcsdorlde 1
fansuo actua uobrO~sjuteutilios
S f igado, o0 re"sya .pele.
E'cura InftallivecowtraaDebilidade
oervosas as Dore do Cabeqa, a Dys-a
pepsia as Szoee, e contra as doen-
cas deorlgem Miasmatica ou occa-
slonadas por deserden8 do flgado
ou pobreza* Impureza do sangueo
Depositos.-Em New-Y orkrmimiou-
des Srs. Barclay & C. em Pamunacor
co e em casa dos dos Srs. Fsaercab
Manoel da Silva & C.


a

e





















Chetm: ae onsp. had"Mla200, 240^^ '
Ls e alpacas decores-a'at40 i,30O 4% m. o eflawo -N
Set i ontaa m, de listlu e,.odcores fi ites qx44 6S)v olv6O
Fustalo brwawo prop par% -vestid a 40r0. o cavao.-
Ditoi.enCmtrso a 600,is.,o t.s.
Camisas de Iho pars home a 2$500 urma.
Toalhas felpudas a 500 rs. umas,.
Camissm frncezas, de chits, a 1#200 urma.
CoLxas de oore pars cama a 1,600 uma..
LenqOe branco. ala 'a a IOW e 2#'000 adusit,
Brim pdo.iaso, a 280..Ye.- ovade.
Setim branmo, superior, paravestidos de casamento a 1#lKO o covado.
Setineta e crepe para cobeta a 800 rs. o covado.
Cretone francem pars coberta a 500 rs. o covado.
Chitas de ramagemns par coberta 240 as. o ovado.
Brim de cores, linho superior, a 1#800 a vara.
FMde. cam, proprio pa veatido a 400 T. ?o evwod; assim .co o i
de bol casemnira para hlomem, per Menos quoe e utrm quaaliqnr ; p 5 a o f *
mmuncio chamamos a attengo das Exmas. fAmilias. Na rtua aDuque d Oaias i. _8
loja das quatro portas. N. 88: 1 ella


Products especiae-s
DO


DR. CARLOS BETTE 0RT


Salsa e Caroba
(sem mercurio) poderoso restaurador do
sangue, em todo e qualquer grAo de sy-
philis, ainda a mais rebelde e julgada in-
curavel.
Appliea-se tambem corn vantagem pro-
digiosa nas molestias beribericas.
Urm vidro 36000
DTanS 30#000
BU!" de ,3uf*a,
pega pinto, ferret e quis, reeommendado
como o mais efieaz medicamento nas se-
gumntes molestias: figado, amso, flores
brancas, cataro da bexiga e outras muitas
molestias.
Um vidro 3400"
Duzia 30#000
Xarope de Jaramaear*
remedio misagoso na curie radical das
o eatharro, brenchites e todas
as a if s do peito"
Um vidro 2#000
Duieg 2ojo


Vinhle tonlco
corn lacto-phosphato de cal, ferro,
cascas de larajems amargas e quina.


coca,


0 melhor "emedio quo se tern form blado
pela combinago destes heroics medics-
mentos. Empregado no tratamento da&
molestias do peito, do 'estomago, anemia,
menstruago difficfl, debilidade geral, ores.
pallidas e todas as vezes que se quer ferti-
fiear o erganismo.
Conv6m ser usado pelas uemeras qfe
criam afim de tornar o leite mais nutritivo
o robustecer as crianpas.
Este remedio 6 superior a todos os torn-
cos eetmageiros quie oe riPuiami pai.

bazia

PJ~~InOW ^ lU^ina
contra sezoes e-t q mer febre, be-
nigna ou de mwifttet ida as mais re-
beldes.


1 caixa
Dusia


2#000
20#000


MPlals aperllVut
contra as molettias do estomago0
1 caixa 1400
Duzia 106000


INJEC(?AO .

anti-blenorrhagica, cura corta em 4 on 6
dias-serm pjtdoir estreitameato na ure-

thra.


Un vidro
Diigia


160ooo


S...s.mP!harmaciDAi Galeno
- IIU Z3&- 3ARAO DA VICT~IRIA 6i


4.y


Imo
N-4-


IA*


ticani


~ills:


*!Pmeewa-e de u* a pa's j

Casa para alh
0 2. andar da ru larga do Rai
fromnte igroja: a tri tabet
ment tetioo.


e,'einisafm
Precisa-so de urns aita twn


Precis-se do uo es eoar e en.
gommar : na rua Imperial n. 161, sedo pa
poacs faraniim.


Creada
Precisa-se de unm crdaa de b8a condueta aR
anwar eom- dues eriaizmhas de .quatro e 00co
ansooe de idade: a trta a Ims da Iroram
n 1 7 ._.. .. . .. .



a fmos tonese corn eet1o, game aas do Bebe* ,
Sita as ruea de Py-san&u 22: a tvatpr ma rus
do Vigario U. 81.

C06inua-se
nu 4mhdtooisiio a. *6, a lfornewert -ome,-
dorias par aiatu o atMc o e leAidoo,
e "'confte oajete, t powyo DoA
iguatriam. Tambeim so 1",pt, 1a, -
rets o frestfcies d tos a iade.
N merosa casa tft" quemC jae, sfq qUe sB
pi'ecure,_para qnaslquer ______________iafd).

Precisa-se detma ooaikeimu : na red, AR-,
ora n. 156.


Precisa-se de unm ama pars cosinhar coam-
prar a tatar na ruma da Sdade n 16.

lissas lie Natal
Trata-se corn ui-U e que queirairpara
umn engenho em oo eSAr as miss de
esta adeazino bow.r: ; a do yisao& w
ggdandag __ *1
Criado
Precsa-se de um iriado ; a tratar n a na o,
Barao da Vletoria n. 61, segundo andsr.
Ahwga-se
a casa terrea sita i ma do Forte n. 26 por 20000
mensaes ; a traarnat t ofa m. 14, thesouraria
das loterias.


Precisa-ede dmo feiter pa horta : sna rua do
!Eospicio n. 79.


A viivo fallecido d gnheiro Pero de Al-
cantara doe Guimars Peixeto, esti.ndo pree-
dendo a inventario dos bens de Seu ca*%al convida
a todos aquelles jue se camdeta-Lem credoms de
bou faeeido manido avr a ureetr nas eftas
A rua do Hospicio n. 26, no MUO deoito diav
contar de -oje. Reezfe 3 deaetembro do 84.
Amft
Precisa-Wd4 wama ama paws ceinhar e ebgom-
mar; a tratar na rua Nova R. 5.


agora,


w n.'! doe-
^is i


eotiftlr(vwo):


SANDALS MIOY
Aprstraf F~a ua2~a cDttr A. 3b tftmeg-f

atas aopstlks acabaif com os fivios em 48 hom, tuppd-
mitido a Cubebas e InjeoQeLa



at*".:' 'Ofit-U-w otft-Wtme Ar


vAi VGWEAL COM OS "1RFUM BMk


Iia^oIoK bmo0 a0odesAsubstania dfutfauis Ce f3Xd. E
fSta., doAW,*. a a moai -Kfd

=wpme




L. LSRA M0103. nAmrmnift
.i. 07, #m EsMw^ Ph
R~&8 J'iD~PAU~WI' ON4SA E AUL~


A ftafia do fineo JeabAdor Paela,
folida doauai acerba doa coafa a enus parwn-
ta e amigo paru na qumnta-feirs 4 do eorents,
wiire as miBmas do setimo dia, que mauaa
raw pr k a alms A s 71/2 horse, a igreja da
mattim da Ba-Vista.


Joroa. AMUsq ISOhado
Manoel JosW6 Maehado e am mulher D. Marga-
rid& Julia Ferreira 'aohado, maadam suffragar
is 8 horas do dia 4 de Wtemtbro corrente, na igre-
ja do convento de S. Francisco, a ailma do seu
mui presado irmao e cunhado, Jolo Antonio Ma-
chado, fallecido na cidade do Pilar de Alagoas a
29 de agosto ultimo. Para esse acto de religilo e
caridade, convidam aos seus parents e as pessoas
de sua amizade, e antecipam o seu mais vivo re -
conheeimento.
ConsellI Jro Joao Paulio Montel- -
we de Andrade i
Valeriano Manso da Costa Reis, seus irm,
irmas, cunhados e cunhadas do conselheiro Jobo
Paulo Monteiro de Andrade, pesarosos pela in.
fanta notieia de sua morte, muandam por sua
alma rearalgumas missas na matriz daBoa-Vis-
ta, qmata-fdirs 4 docorreute, As 8 hoias do dia,
setimo do seu passameto u par o que convidam
seusparentes, amigos e colleges pars assistil-as'
e desde jA seo confessam penhorados.


Visende do IeAvramento
Augusto Cesar da Cunha, tcndo de mandar re-
sar uma missa par alma do seun intimo e nunca
esquecido amigo, Visconde do Livramento, na
igreja do Carmo, As 8 horas da manhia do dia 6
de setembro, trigesimo dia do seu pansamento,
convida a seus parents e amigos e ao do finado
para assistirem a mesma.


Santa Casa


de Elserleorda do
Recife


Vlseonde do Livra ento
SDevendo a junta administratmlva f iser oelebrar
na igreja de N. S. do Parizo, pelas 8 ihoras da
manhi do dia 4 de setembro, triesimo do falleci-
mento do ex-vice-provedor e irmao bemfeitor, Vis-
conde do Livramento um officio solemn por sua
alma, convida nlo s3 a todos os membros da ir-
mmadade, como tambem a Exma. familiar e ami-
go. daquelle illustre cidadao para assistirem a
ese ameo de picdade christi.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 80 de agnsto de 1884.
0 escrivlo,
Pedro Rodrigues de Sousa.


Franelseo Candldo 'de Amaral
A familiar do finado Francisco Candido do Ama-
ral manda celebrar missas por alma do mesmo
finado, pelas 7 horas da manha do dia 5 do cor-
rente, usna ordem terceira de S. Francisco, segundo
anniversario do seu to ; e ,convida aos
pamrentes amigos mesmo finado pars asisti-
m a eacdere e ac..do*e.


11 A


f \ .
'*; '
e: i;.,11'
^;1 .'








%:"
Ig-
11^1
*fe1 _* *
^y'11'
^*,,.:''^1
*S^;' .
%^1
"^3;"'"' \


CAJURUIBEBA

0 MAtS PREOCONISADO DEPURATIVO DO
'$ANGUE OA ACTUALIDADE.


; COMPOSIwAO.
F DE

C0 .andido de Figueiredo.


" t a


Aw







































































Aluga-se por 20$
o segundo andar da Tua da Aurora.n. 151, cm 8
salas, 3 quartos e despensa : a tratar na rua ao
Thomr de Souza n. 6.
LE{ITE BE AVELOZ

S Concentrado, perfeitamente incoagulavel
e conservado para exportagAo
PELOB ACHAREL
Joo Baptista Gfiirana Costa
Manipulado pelo cirurgilo dentista
Numa Pompilio
Privilogiado pelo Governo Imperial e approva-
do pela Junta Central de Hygiene do Rio de Ja-
neiro.
Para a cura de caneros, ferldas
chronlcas e syphlitleas
Unico deposit geral em Pernambuco
Rua do Barb da Victoria (ou.ro.
ra Ia Nova) u. 54 I' andar

Bmral' BdoIr nm s 2, llialtliros
Preco de cada frasco para cancros 6*000
Formula especial para ulceraqoes e gra-
nulaV6es no colo do utero e cancros
syphiiticos 5000
Para feridas 6000
Para-calos 2;000
Cada frasco leva o retrato do bacharel Gitirana
Costa e assignatura de proprio punho e rubica de
Numa Pompilo corn tinta encarnada.


,IRANflUB tO

Liqiidainse Cm bmap st 6l 0 "a- CH i

Madapoloes avariadosa 900-e450; 2v
Ouftes e cretones paa' coberta, a l)0, o metro I
Chitas corn ligeira avaria, a 240 rs., o covadq; conv6m I
Camisas de linho para home, a425000, a duQia!
Brim pardo, liso, a 320 rs., o covado! .
Popelinas de quadro, a 300 rs., o covado !I
Zephyro para vestido, a 280 rs., o covado!
Chales' de Casimira, a 4000*, uml
Brim branco superior a 1#600, a vara!I
Corte de collete, a 2,000, urm!
Ditos de dito de fustao, especialidade n'esse genero, -a 4)000, um !
Lindissimos cortes de casimira, a 3#00 e 5#000, um! .
Meias cruas para home, a 4#500, dttia.
Costumes de banhos de mar, a 8s000 um!
Fichus para criancas, 1#500, um
Toalhas tlepudas, 55000, a duzia!
Colch8es para cama, a 7M00 e 1200, urn:
Merind preto, a 15200, o covado!
Brim de algodlo, a 280 rs., o covado I ,
Cobertas de ganga forradas.
Lengos abmliadbs, a 2000, a dczusia!
Camipas finas de algodlo, a 26500, uma!
(Casimiras de cores, a 2#0W o covado.
E muitas outras peehinchas, qu conv&mn approveitar.



Da rUa A. de. Ma Mar
S rt a t. nT.2


Veide-se na Torre urnm terreno corn 60 pal-
mos d frente e 720 de fundo, sito centre a segun-
da e terceia taveaua da rua do Rio: a tratar no
pateo do TerVo 6&a


Vende-se p pwpeo onaoo um aiie no hga
4a Florest, N ,Olwda, tod ercad' corn boa
easa de vivenda de pedra ca4, corn 2 salaam, 1
gb'mete, 4 quartos espapom e eemhax, teodo
:^ M4 o (ou iuirog t, *iMiNm El lntr
)e-le mpn, c 'ca, tambem de peda e cal, edificada noa do
.do rerido site, cem. a frene pmra estrada de
modagem do orte, em0 2 ulaa, 2 quartos e coui-
nha : a tratar no mesmo sitio.

Polassa da Russia
DPomiigos Alves Matheuu tORa paa vender em
soneu esiptoio, A rua do Vigaris Theporio n. 7,
.primeiro andar, superior potassa da Russia, em
'barrns de 5d kilos, e reentemeate ohegada no
vapo allembo Paw bm -

Barca.a
Vende-se ufma bareaa de 400 saos : a tra-
ranarua do Rangel n. 58.-




I avaria.


M406-R po 4e WI-pnrrU4
eufoetado corn 12jardas 8*000
Dito muite largo corn 20 vas a 4 000 *0
Dito, fazenda mnito encorpada que o-
reee cretone, corn 20 va a saf 0,
640000 6*500
Dito fiances, americano, faunda pinito
fina e encorpada de 7 at 12000
Algodao enfostadocom 9rpamos deolam-
gura para tazor en96es do uam adpan-
4o0 aetro a _
Dito traugado corn a MeOMa largura,
proprio para lenoes e atoalhas de
mesa, metre a low
Braomante de algodlo oom 10 palms de
larguma, proprio para faer 1e=9&ws do
unm s pamo, metro 120N
Dito francez, send de dnHo, metro a
11800e s00w
Dito inglez d quatre Iguraa, eodo
de linho, metro a 2A50 e 2j800
Uguellas propr, a paPa lenoesa, toa-
lhas, meroulas, sendo fazen4a muito
Me=oraa cadi "ea -0 oo 9Vaxa
r am e em.' a W506
Ditas corn a mesa media a 800 p., on
vara 400
'A4tonlbad o aimageado puwa woalH do
mesa, tend 8 palmkos de laWgi, me-
tro a l80
Assim como um eompleto sortimento de
pe" de algediozinho ameoieao e
mge, que so vende por esa de 8o ate 6* 00M
Isto a loa da esquima do bee. do. Frreiros.
Caseuiras de cores
De 9:000 at6 :O n,

Alheiroo & Silva A a da Ipe z a 40, tern
urn immense sortimento 4. cmmuia do pore,
tanto dlarms como eseuras, qu v m a iOa
2A500, at1 6* o covado, e da meas mm d
fazom qualquompo"md'obim o~un a, Pmpro-
gas murto rauomvois, aisim 0014 t s tamhU ainu
oeplsidido sortinento do camiraale paens oMe-
too ate o mais fino seda queuvemo so merca4e
-d4s memos tambem so e camegamn do mado
faeWr qualquer peoa do -p i montae do fre-
uez e corn today a perfigCo e preswtxa : itna
do ate a d oa-Vista, aeqmina4o
becco dep Ferreuroo.

Os Barmteiros d. B6a-Vista vondas miut. bo-


vavdae a w
isto a& Mna da Impereatru n. 4, 'a-an dbc
doo P'erreimos.
Brim pa- 4,
.1 1: ^Covado a a"-W14
Na loja Mada Impemtis a. 40, vend.-se
brim pardo liso, proprio pa paletots, caIa. e
roupas de Oriancmw a 360 rs. 6 cvado, istotpoi
ter um leve toque do mofb, quo b. p logo que at
tAaa &a mahaid-


.4


4.





I






4.-'





V
I




-V


E' pechincha
Na Ia da rua da Imperatriz n. 40, & esquima
do becco doe Ferreiroa, vende-se peas de cam-
braia branca transparent, sendo azuladinhas,
parm vestidos a 8S a pea ; salo muito baratas.

Carneiro da Cunha & C.
Liquidam os seguintes artigos e outrmas
muitas fazendas de seu grande deposit,
como sejam :
Cretones clars e eascumos, corn pequeno defeits
a 240 roa..e cvado .
Oxfordsn liia veidoa 120 rs. o covado !
Lb, de cores, bonitos padres, a 200 rs. o dito I
A .pacas doe quadrinhos, nevidade, a 400 e 50
re. o dito!
Merind prete de duas larguras a 11000 o dito I
Idem dre gores a 1*900, &barato!
Casemiras de cores a 1 e2(0 e 1500 o dito, duas
Idm diagonal, final, a 20400 o dito I
ains para roupa de meninos a 240 rs. o dito!
&amante trangado para lenR6es a 500 rs. o
metro I
Pustme em cortes para college a 2,500 dada
urnm!
Lnmos de linho em caixinhas a 31 a duzia l
Meiaa ingeioas para home a 3S500 e 5A500 a
dita!
Seroulas bordadas de bramante a 16* a dita!
Camisaa brancaa e de cores, francezas, a 30,100%
a dita I.
Cobertas de gang forradas a 2A500 uma I
Cobertores de la, gmandes, a 2*, colchas fiuau
Saias bordadas superiores a 3A, 4* e 5$.
Espartilbos de couraca a 4*500 cada umn !
Lequesmodernos a 44, 4 barato !
Madapolos, boa-vista verdadeiro, a 6* a pe
do 24aardaa I
Algodoes largo a 3S20O a SAW00 a dita!
Toslbariquisasimas de ilabyrintho para presen-
tes e batisados, a preco resumidos.
Corthm d borddxe a 7*o par, proprios par'
cams e janotim
Redede. d cores, superiors, a 51 !
Fichus, chales, crochets, sortimeuto complete de
ronpas de todas as quallades.
As vendas em grosso dams descontos
59--tua Duque do Caxias -59
Vareiiro dat Cumba 4k .

































vigo; neste caso receoera eue os memos minuciosa. -.
vencimentos qu e tinha commigo. Isso elementary, re deu o Sr.
Entlo, vio? perguntou o Sr. Tus- Toussenel, um poneo piea c oc a repro-
senel. .. .hensao do colegaao 0 P ioci rhealo
Vejo que a falecida senhora parecia qu tambem Ile era dirigida. !
ser muito affeicoada as duas pess.as que 0 Sr procuradj do rei nao tern
ella chamava seu vdeho amigo e sua cara inatruces a dar-mfi?- tou o chefe
filha. qda brigada de osgerana. ,
0 juiz fez um pequeno gesto de imps- Por emquantoin gu o. qo a
ciencia. chusma continua a a i l f6ra.
Agora, disse elle, volte-se, S. Thome. smea sun preau a s.aI ^a
Estou me voltado. a Vidoq soroa-se.
Vidocq somrio; se.
V6 d'aqui, na manga do vdho amigo, A chusma ,a minha amante. Ella
no bra9o esquerdo, esses pingos de cera ador-me, pr que eu dou-lhe pancada.
exactamente iguaes ao que esta na pagina Depois dirigindo-se aso ex-dragao e pon-
que acabou de ler ?... e d-lhe a m6 no hombro:
Eu vejo d'aqui, nao 4 precise ve Sr. Jacques Lobrun, 6 precise.acom-
lcar. panhar-me.
N6s tambem, continuous o Sr. Tous- O v eho durante todas essas overseas
sendel de born humor, nao quizemos acrodi- e todo esse movimento, esteve de costas
tar; tambem julgamos que era inverosimil, para a gentle para as cousas. Qaando o
absurdo!... Um velho de sessenta annos, policial tocou-lhe no hombr o, eue voltou-se
cuja probidade 6 immuculada! Um ex- e o seu rosto destacou-se da mao esquerda
soldado, cuja bravura brilhou em todos os da fallecida.
campos de batalha da Europa Um ser- Em tempos ordinaries esse rosto tinha
vidor, cuja dedica9ggo firmou-se do tal mo- tanto do civil como de military. Brandura
do, que a sua patrol julgou ever teste- e nergia combinadas. Expresses diver-
munhar o seu reconhecimento por urn le- sa qua soefundem em um type: o solda-
gado exceptional e pela f6rma affectuosa d casa que maneja com mesmo ar-
por quo foi feito! Acabar tbo mal urma dra espingarda e o espanador. Ainda
vida tao bern comeada. Coroar corn a mais na vespers ninguem teria aehado o ex-cabo
negra ingratidbo um passado de fidelidade do 3.0 do drags sensivelmente mudado
e de desinteresse! Isso parecia-nos sir- do quo era no dia em que no 'cAcs do Lou-
plesmente impossivel! Mas qual! a huma- vre tinha recebido o beijo da limonadeira.
nidade tern dessas aberraeoes monstruosas Mais algumas rugas nos cantos dos olhos,
e desses abysmos insondaveis.... As pro- mais alguns cabeUos brancos, uma ligeira
vas accumularAo-se a pouco e pouco; tudo curvatura na espnha, o andar um pouco
quanto voce mostrou-nos ergueu-se contra mais pesado, cram as unions cousas que
o intendente, e o testament fallou, para indicavam o corner dos annos.
dizer-nos o que o legislator disse ajustia S, ma entre a vespers A nite e


hesitant:
(( Procure a quem o crime aproveita.
Houve urn silencio. 0 policial estava
de cabega baixa. As feices sombrias, os
sobrecilios franzidos, as veias inchadas, quo
pareciao cordeis na sua front, denotavao
uma tensao de espirito extraordinaria, urn
trabalho profando de reflexLo, uma luta
interior das mais violentas. De repent
levantou,se, e um protest, que nao pode
center, sahio-lhe dos labios :
Nao! exclamou elle. Esse velho e
tao innocent de tudo isto como a crianca,
quo mama! Aposto a minha cabega, e
ainda corn a cabeca no cepo responderia
pela innocencia d'elle, como pela minha.
0 Sr. de Bergande appoximou-se...
Darante a long conversa do juiz pro-
parador' corn o chefe da brigada do segu-
ranga, o procurador do rei tinha dado sig-
naes de impaciencia e de descontenta
mentor.
Achava, sem duvida, quo o college mani-
festava muita satisfagao em discorrer e jul-
gou exorbitant esse comminercio de expli-
caoes centre um membro da alta magistra-
tura e um simples assalariado da prefeitu-
ra de policia...
Sr. Vidoeq, disse elle corn severida-
de, guard os seas commentaries e a sua
opiaiao para quem lh'os pedir.
A li'to foi several. 0 policial rocebeu-a
sem pestanejar. Esses pariAs sAo blinda-
dos contra as affrontas. Vidocq compri-
moentou a mercurial do magistrado como o
aoldado comprimenta a bala:
Sei, murmurou elle, corn deferencia
affectada, que a minha opinito deve apa-
gar-se ante as ordens dos magistrados. Es-
pero respeitosamente as do Sr. procurador
do rei:
I! I MI


aquella manhl tinha havido urma grande
desgraea, um grande crime. Jacques Le-
brun parecia ter envelhecido meio seculo.
Rugas profundas come gilvases tinham-lhe
sulcado a fonte, os seus olhos estavam vi-
drados; os soeus labios tinham umn sorriso
alvar. A cabe9a vacillava nos hombros
comao se tivesse ficado subitamente vazia
de ideas, de intelligencia! A' vista dosessa
madanga, tanto mais eloquent quanto via-
so quo tinha se realisado em uma ou duas
horas, o juiz preparador nao pode deixar
do dizer ao ouvido do Sr. de Bergonde:
Na verdade, se esse home estA re-
presentando uma comedia, 6 um actor de
primeira forwa.
College, tornou o procurador do rei,
lembra-se do Castaing ajoelhado bA cabe-
ceira do amigo que acabava de enveno-
nar?
0 intendento tinha tentado levantar-
so. 0 chefe da brigada de seguranga re-
petio:
Sr. Jacques Lebrun, e precise acom-
panhar-me.
Havia no torn, no gesto, no olhar corn
que o policia sublinhou esse convite, al-
guma attravgo mysteriosa e inveneivel?
Ignoramos. Mas o certo 6 que o ex-dra-
gAo responded :
Born, espere, eu o acompanho.
PUz os labios no ferimento quo tinha o
cadaver no brago. Depois, voltando-se e
indicando a morta:
-- E' para vingal-a que quer levar-
me?
Vidocq fez signal affirmative. 0 in-
tendente levantou-se corn esf6r9o.
Aqui estou, disse elle, present A
chamada.
0 pobre soldado velho vacillava como


A maior parte deoai chuma alii -estafv
dede a adgda Era q
ras da tarde. '0 r.processo roizuinwa4 qqe
assistimos, tinh4`orn effoito, leod~tenr-
PO..
0 nevoeiro da m&anh, tinha-seco4Erti-d
do primneiramente ni'u. choVMieoioe po-
netrante, depois em chuvagroa. o:e coni.
nua. Sob a accao dessa catarat e doA
sapatos, quo calcavaim see ceesaa crosta
de neve endurecida que cobria a calgada,
tinha-se esta liquliaoado a pouco e jtpuco e
transformado em lama. 0 ventos
fiava pela rua estreita espalhavaiqui9e
alli sobre a agglomeraeo do cabecas algu-
ma telha que desprendia dos elbados.
Mas, que importava isso? A husma na
capital do universe -civilisado 6 come guar-
da em Waterloo: morre, mas nao seen-
trega .
Os assistentes nao perderam per espe-
rar. Serviram-lhes alguma cousa impre-
vista, inesperado, impossivelI Em um mi-
nuto o nome do intendente tinha chehpd
at ias ultimas camadas da m6. NoteNOM
de passagemn que no moment em que esa*
recebia corn espanto, mas sere cntegstao,
Jacques Lebrun como author do crime deo 3
janeiro, os magistrados, no interior do pa-
lacete, nao tinham ainda deixado transpi-I
rar as suas convinces a esse respeito.
Mas qual! o povo tom urnsma pacienca siit-
gular. 0 que elle tambem tern slo revl-
soes mais rapidas e mais inconscieites do
queo raio. Em algumas hours, JJ41 .'
Lebrun o symbol de todas as virties
tinha-se transformado em p'ototyp0o d6
dos os vicios, e o coro de elogios tinh&a
convertido em concerto de maldig0s.
-Quom ha via de pensar!
Urm parochiano quepoderia commun-
gar sere confisslo I
-- Elo escoadia o seonj6go.
emx pigna mora&,^ *nu fav o,
vinho.
Meus filhos, declarou a vondedora deo
peixe, esse nunca me enganou, nao, nunc
nunca!
Um soldado velho, que nao furma, n|^
bebo, nro masqa, e 6 bern comporta
como Baptists, 6 exquisite. Tautas vAi
tudes na'um home so, nao 6 natural'r ..r
Sou da sua opinilo, opinou o NQ
cieiro Michon; quando eu vi ease Sr. -F'.
Tudo regatear e examiner as contas, comro
so o.dinheiro fosse delle, eu ponsei: Eis
um tartufo.i
0 ajaudanto de official do justiga .4
coU .:-
Logo que o nome delle cstava no
testament, o cas e 6 clare, simples e lqi-
do. Teve press de herdar: Qgwre i
scelus prodest, come dizemos n6s os h o-
mens de lei.
A Madu concluio :
Hlo de dortar-lhe a cabeca. Have-
mos de ir todos, nap 0 assim ?
Que bOlli aIaspiro a costureara;


opeta: oe-attudo so loattento,
q4kirues abrio, so pousanento
dsiuzU6 a amplos fec'undos
oe H.,finda aamplidilo magnetic& dos mundos.
MJ _A4xvOrw 6 f6 n amDDes, 'outra ezistenela,

:;*:. ;* M& **: a ap 'wao ~r-a erenga nos mostra a bemaventurauga,
/" ..... uoi pon. so esvoiab soero dasaioleuis.
otelh .ssop i. m aeeoa-sa~
Nenhuma das eonstrucg~es nivaes re- Tiain'Wrmoi-se no vacuoua eethwAriaiiito.
,% tea p~ ,5,asdos jo mdo- natural-as Cremii do mytho.;
to oupado ta j eniea doe jor- A16m da e u d-os vb dapsi-%
es scientifioos da Inglaterra eomo o Sta- 0 fio n ar eteio de(10)IGS
Nad nais vem, a.ser que unua a llusao da vista.
E Lste navio- laneado ao -mar ultima- Lutando aem cessar, de conquista em eamquista,
monte dss estaleiros de Iarrow and p(Gra&adiosisimno afn eterno, triumpha)
; A A bunaaidade avanga a busea do ideal.
destina-se a exploragses nos rios africa- Quanto mysterio vio no sol a antiguidade,
d0o, principalmeute no Congo, pars onde DeoumDNulhe attribuindaoaexcelamagestade!
Sonvergem cs esforgos da companhia a qaue Na lna, a feiticeirae pdlida Diana,
rtuance Il ntabe-eza ve a piihatas manana! -
navio arma-s e desarma-se corntaa rligio, a ieia friae
f aiid o irms-soosa rm- mure Affiirs se: o Sol urm globo ineandescente
fwidade immenn. A do ap6s si planets colossaes
Mode o Stanley 21m de comprido por tPoles espas fra; a luaa nBo mais
65M,50 de bocca maxima send soeu ca- Qwe una careassa presa ao astro quo habitamos !
lA^ .... ,_A Ami o ... Avante lutador! nos tempos em que estamos
Wo tW somente do O. 18. a.Rn de quo p preeiso canter modernamentoe em verso
possa facilitar, approximando-se terra, a 0 velho imacrocosmo, a trama'do unidvero.
moutagem e desmoutagemn de suas sec- Honra, poias, a Lacreeio e aos grandes pensadores
SDo seculo passado, aestreu&uos deuAore
Do pensamnentonovo, atiger-e Sore peias.
E' compost deoito compartimentos Os- Que foge-omente so noue ds ideis?
tanques, que quando separados sa o traus- preci o motrar que asuccumbio de vez
portados em unm pequeno carrinho, que 6 A creams bet rra, o sonho eioysS.
impellido por quatro homes. D in balsa .oro geocentrico,
Darwin re .iioanr a authropocentrioo:
Esses compartimentos recebem ao mes- Eit par tera v i v eiro de Jehova,
mo tempo a bagagem dos expediciona- Corn melle to illisoeW blico au-ded.
rios. Nada de hesitio; -Wo -ecase a luz ;
E' propulsado por urma machine de dous A scieneia reparsas aea squo produz.
q medem dodiametro Om,260 No te abatejimais dos iens a injustiga;
yindro que otoTSno eahir se grande : no calor da liga
ede curso do embolo Om.160, e cujas for- Qae depuram-se, e*, oes nubres caracteres
alhas collocadas avanto do navio, tern Si o pranto no soter #troz nao coutiveres
pas gulhas de grande superficie, afim de Veto azinha depd|o aqui no meu regaso;
*_derem so'e aimonad.os pela lenha. Si acaso te invadir os mombros o cansago,
ldee O oernsaimentados peot.oen obioa. Procara o peito men; ahi ter s support
0 governor do navi4 6 perfeito e obtido Para amparar-te ate, aos tramites 4 more
por um system de dons leoma equilibra. De que precisas mais?- pars te 'd.oragem
4os, o quo permitted e fadiita a navegaio Tens de minh'alma, tens, a eandidahlinguagem ,
sinnaa a a as Qae exprime o puro amor que to dedtb a ti.
nas paragons sinuosas e apertadas. No tealucido olhar, confesso sempre li
Antes que o navio fosso entregue a corn- De um cerebro valente a insolita amplitude,
auia fiseram-se experiencias tendentes a A cuja seducao. eu resistir nbo pude. ,
f Hiuo Cux.
emostrar a facilidade e durago das ope-
"es do montagem e deasmontagoem uler e amor
Sprimeira expeniencia empreganudose
pperaios e 3 aprendizet, duas `fsfces A mulher constitute a obra prima dp
foramr montadas em 23 minutes, o que te- universe, diz Iessing.
uiaMda para-operagbo total 3 horas. Ella 6 a mais linda e preciosa joia tira-
-Q Qando s: tatou ida4. d*auatagem foi, 4a da caiXza de leus, para feolicidade e or
Sexmeutada em 8 minutes, dando pelo nato do home, declara Auwgste Ouyard.
aitealo pars a operacgo completa 1 hora. Saint Prosper eutendo que ha creaturas
Essas experiencias mostraram a supe- do sexo feminine poderosas somente polo
rioridade doesse navio sobre os outros que som da voz.
tWn destinado ao mesmo fifn. Na opinilo do Sophocles, o soeu maior
A vantage que offereco um navio tal adorno consisted no silencio.
4 immensa na navegacao dos rios africa- No pensar de Guibert as gynes formal
fe,i onde as vezes obstaculos naturaes imr- os costumes, e os anthropos as lois.
pedem momentaneamente a passage em Condoreet julga o bhello sexo apto adi-
Jos que sao verdadeiros mares; nestes rigir os negociosKpoliticos.
cases o Stanley tara o aUe ointrepido via- Conforme Platlo, a mulher pode ter as
janto, do qual ternm o nome, faria, ladearia mesmas occupaqoes do home.
por terra para depois seguir o seu curse Sogundo Saint-Beuve, ella deve amar
atW pelas suas mais apertadas paragons. muito.
*_ 1 .. .. TN lH 1 -


Gom=ma exploslva
0 Sr. Nobel deseobrio urn muovo explo-
sivo. E' formado do 93 a 94 por cento de
nitroglyoerina e do 6 a 7 por cento de al-
godfo asiatico soluvel. Por meio do esirm-
pies contact, a mistura das duas substan.
cias dA um produeto gelatinoso solid em
quo o oleo explosive 6 completamouente so-
lidifieado. Posto qu estate explosive per-
tenga A lasse das dynamites, como sendo


NO conceito ae lamas nnmo, o sexo ae-
licado possue o direito do votar e o de
matar.
A mulher so mostra sempre um anjo, o
sexo forte a transform n'urm demonio.
Sen poder estA na belleza e no amor, o
qual na phrase de Bernardin do Saint-
Pierre faz os homes generosos, obsequia-
dores e sinceros.
Baanche consider a affeiao unma cousa
.augusta e: senaata,


Pa haslo e- ZeuXis
A' Grecia, patria das arts e dos heroes,
coube ser o bergo daquelle distincto pin-
tor, qi nasceu no anno 415 antes de
Christo.
flustre entire os mais illustres do soeu
tempo, Parrhasio avultava, entretanto,
como o primeiro pintor daquella epoca, do-
nominada fabulosa por causa das grande
maravilhas de quo estao cheias as historias
daquello tempo.
Todos os pintores da Grecia, todos os.
genius da Europa o respeitavam e admira-
yam, modelando-s3 polo sea talent por-
tentoso, pela sua imaginaago fecnmd& e
graciosa.
Parrhasio foi umn genio.
Zeuxis, o famoso Zeuxis, tevoe o son
bergo nra Italia, patria do Petrarca e Dan-
to, do amor e da poesia.
Ainda quasi crianga revelava jh o gran-
de artists quo mais tarde, como Raphael)
levia ter o pomposo titulo de anjo da pin-
tura.
Home de grande illustraggo e gosto,
COnseguio logo no principio de sua brilhau-
to carreira artistic fazer nina bonita for-
tuna, negando-so mais tardo a vender os
soUs bellissimos quadros, preferindo dal-os
de gra9a, porque, dizia elloe, nao havia di-
nheiro que lh'os pagasse. /
E ainda hoje, quo sao decorridos muits
seculos depois da more desses dous genios,
sous nome6 ingentes sao apontados na his-
$aria como as maiores glorias da pintura
-tiga, e quo meito honram a humani-
diado.
i 'eios- nao morrtm.
A,-proposito desses pmntores illUustra en-
contramos em um journal da cOrte o seguin-
te facto, por onde so pode avaliar do gran-
de talent artistic quo tanto os ennobre-
oeram.
Zeuxis, que disputou corn Parrhasio o
premio da pintura pintara unm quadro fi-
garando cachos de uvas e de tal arte imi-
tou a natureza quo as ayes os vinham es-
picaar.
Parrhasio pintou urma cortina de tal
modo natural que Zeuxis, convidado a vir
ver um sau quadro, exclamou ao achar-se
em frente do panel:
c Levantai essa cortina, para que-
possamos ver o vosso quadro.
Explicado depois o negocio, Zeuxis den-
se por vencido e disse :
Zeuxis enganou os passaros, mas
Parrhasio enganou o proprio Zeuxis.
Factos deo tal ordem admiram-se somen-
te, e dispensam commentaios.
Garanhuns 1884.
B.D.
--- -- -----


1*




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVLN04TWX_W9RAKN INGEST_TIME 2014-05-03T09:10:45Z PACKAGE AA00011611_13556
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES