Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13449


This item is only available as the following downloads:


Full Text
























































LIVERPOOL, 5 de dezembro.
Venderamu-se hoje cerea de 18,000
Ihalas com algodao de diversas pro-
cedeneis; seudo o de Pernambueo!
;',,a a 0 7/8 d. per libra.
Assucar maascavado purgado a 21
ichs. por quintal.
NOVA YORK, 5 de dezembro.
Camublo sobre Londres 4 dollars e
1 12 CENTS por libra esterlina.
Prego do ouro 102 1/2.
Assutear reinado pilado a 7 1 '8 ;FN i-}s
por libra.|
Petroleo purilicado a 13 a3. C TS
per gale.

BIHIA, 6 de dezembro.
Segue hole para os portos do norte
. paquete national BAIIA, da compa-
Ihia iJnSIRLEURA DE NAVE(A(O A VAPCP.

Agencia de Pernambuco, 6 de de-
/zcil)bro de 1877.
PELO DIRECTOR, E. WECG ELI:N.


11 BIT imrAllT


A commission, composta do Dr. chefe dd
policia, promrnoter public da capital, adminis-
trador da recebedoria, o dous escripturarios da
thesouraria de fazenda, proseguia nos exames
devidos na alfandega, de accord corn a re-
presentacAo da praga do commercio de BelOn.
Nao tendo sido possivel conseguir a apa-
raao geral dos votos das eleioeos para vteta-
dores e juizes de paz do municipio de Breves,
pelb motive de nao se term reunido nto 0
os vereadores que se acham em exercicio
como os respectivos supplentes, facto quo se
tern reproduzido desde julh0 ultimo, resolvOu
A p d ori iM i ...... r ui ..
doresIa rida cawaraNato-efAnto 0
bato de Miranda, Theodoro Antonio de Souza.,
Manoel de Chrsto dos Santos, Manoel Francis-
co das Chagas e Silva e laymnundo Manoel dos
Passes, e aos suppientes Roberto Jacinttio de
SNazareth, Seraphim Rodrigues de Mello, Theo-
doro Nicolao Bastos, Maximo de Miranda Por-
tugal, LOurengo Raphael de Mendonci, Eu-
zebio Jos6 de Mendonca e Joao Marcelino de
Macedo, a multa de eJ00000, reparkidamente
por todos elles, por se mostrarem omissos no
cumprimento de seus deveres, e'ordenar a ca-
mara municipal de Oeiras que, comcoa mais
vizinlia, faga a referida apuracio, remettendo
opportunamente ao president da camera de
Breves o resultado. -
Acerca da vazante do rio Amazonas di7
o Liberal do Par ; *
(( Tern side extraordinaria a actual vazante
do Amazonrias e seus affluentes. Os vapores,
apezar do grande cuidddo corn que se faz hoje
a navegai5o, tern encalhado mesmo em luga-
res por onde na vazanto de outros annos sem-
pre transitaramrn sem o minimo obstaculo.
(( Os lagos menos profundos tern mficado cornm
o leito a descoberto, do que result grande
mortandade tie peixe.-Nos outros a pesca e
feita corn summa facilidade, pelo que a safra
do Pirarucfi deve ser extraordinaria.
( Em varies paran4-mirys tern morrido o
peixe nas margens, por effeito da grande des.
cida do rio.
u Ha lugares onde mnao cove ha tres mezes.
Felizmente a enchente era esperadk tqdos os
dias, para vir trazer nova vida e 'anaoi*do
aquellas ricas regioes. I
Lemnos na Provincia do Puir, de 23 de no-
vembro:
( Entrou hontem do Purcis o vapor Teixeira
& Ruiz, trazendo o seguiate carregamento :


&LIJAUJ vA& au5&u o Borracha final 82,447 kilogranmmrnas
a Dita sernamhy 10,179 a
Governo da provincia I Peixe 11,100 V
Cacao 90 a
IlEsPACiOS DA PRESIDENCIA. DO DI x., DE[ Eis ahi urma prova de que nao ha inotivo
DEZEMBRO DE 877. para desanimar nemr perder a esperanQa no
DEZEMBRO RE 1877. future.
Aiutoaio Gomes Serra.-Passe portariica na (( Trabalhemos todos corn calpa para ven-
rorma rdquerida. cer as difficuldades que ora surgernm; rate de
Augusto Cesar da Cu.nha. Intforme o Sr. Ins- seu lado a assemblea provincial de alliviar o
sector do arsenal de marina. com.ercio dos vexames que sobre elle pesam,
Francisco Pedro da Gosta.-Passe portaria, e o future serd certamente auspicioso.
concedendo a licenQa nos terms re.!ue- A demrnora que tLove o Teixeira & Ruiz, nao
'idos, foi devida A falta d'agua no Purus, como aqui
Major Joa o aptista Muniz FalcSo.-NiC,: po- correu, mas, a ter o navio transposto as ca-
ie ter lugar o quo requer o supplicante. choeiras'6seguido at S. Miguel do Arany, 8
.lJoato da Costa Cardoso.-Informe o Sr. corn- dias de viagem al6m de Iliutanahan, que 6 o
andante do presidio de Fernando de Noro- ponto terminal das viagens dos vapores da
iaha. companhia do Amazonas, limitada. a
Maria Francisca da Silva Novaes Doria.-ln- Falleceu, em Cameta, o tenente-cororel
lorme o Sr. commandante Jo presidio de "er- Marcelino Antonio da Costa.
uando de Noronha. Procedente do Rio de Janeiro chegara ao
Secretaria da presidenciat de Pernambuco, 6 porto de Bel6m, no dia 24 de novembro, a
4e dezombro de 1877. corveta allemaf Meduza.
0 porteiro, No dia 95 devia proceder-se, na provincia,
lodo Goncalues dos Santos Jn.c, '. a eleiCdo dos members da respective assem-
-- bl6a legislative.
RepartiUg&o da policia 3MARANIHAO
2. secao.-N. 949. Secretaria de rol.cia -- Acerca do naufragio do vapor Hibernia,
le Pernarmbuco, 6 de dezembro de 1877. lemosno Pu iz:
tllin. o Exm. Sr.-Participo a V. Exc. tque (( Empenhando-se corn a maior solicitude
ioram hontem recolhidos i casa de deter.c-o em descobrir as causes do sinistro do Hiber-
., seguintes individuos : nia, nao tem o Sr. capitbo do port para esse
A' ordems do subdelegado do Recife, Joaqe;m, fim se esquecido de um s6 meio.
A-scravo do Anna Emilia Teoixeir? de Meti a a(( Da conferencia dos praticos resultou o se-
roquerimento de sua senhora. guinte :
A' ordemt do de Santo Antonio, Liberata N6s abaixo assignados, praticos da barra
iranoisea do Rosario e Casimiro, escravo do e balia de S$o Marcos, reunidos em urma das
'rancisco Artrniode.Albuquerque Mello, or salas da capitania, por ordemn e estando pre-
liturias io I senate o Illmn. Sr. capitio do port, para dar-
V ordem dc ? a Boa-VistLa, Antio Alves De- 'nos nosso parecer a respeito das circumstan-
/era, com atiocnado, at A que possa tec C co..n- cias que poderianm Ler motivado o encalhe e
'cnienlte destino perda do vapor inglez Hibertnia, em frente da
tNo 'ie 2de. iovembro ultimo, no distri'to Ponta d'Areia, .se o dto vapor bi bern ou real
ie Be. i to, do termo de Panellas. ,os6 guiado pelo pratico Joao Candido Ferreira e se
.liuio, JS'Paulo o Manoel Juli.o, assassina- nuo lugar onde o pratico den fundo ao mesmo
ra. n con' ain tiro e cinco facadas a Js- vapor Hibernia estava elle convenientemente
relino. 'utc. os delinqenes, dos quaes soeguro e livre de qualquer perigo ; depois de
Ioi preso o pri.eiro, procedeu se nos terms coda um dos abaixo assignados apresentar di-
ho inquertto policia,. versas considera(;es sobte o facto, somos de
A's 8 h6oras mais on muemos da noite ao dia parecor
I" do corrente, na villa de Panellas. Bernr.rdi- 1 1.0 Que o vapor HLibenia enlrou bern pi-
to Jose de Senra, Miguel Aureliano dcs Pas- lotado pelo pratico Jo o-Candido Ferreira, to-
so Maotnra e -oaquim Corrca da Silva, reuni- mando estoL todas as cautelas, visto comoa en-
:m na asna do primrneiro grande nunimero tu muitLo de vagar e deu fund em 10 bragas
ie desordeiros jogadores e ehrios, corn o fim d'agua, estando preenchidas todas as marcas,
e fazerem..desordens, e sahindo par a ma em lugar onde cm outras occasiues tern fun-
1safaratn a pulicih. 0 subdelegado rep- dead navies d grande porte, o quo foi geral-
tivo comparOett0 a lugar corn o destacawenm- mnente observado tanto pelos abaixo assigna-
t, e nao po'e restabelecer a ordem, por ser dos, comno por "luitas outras pessoas enten-
:-raade o nurero dos dlesordeiros e esta- didas.
onw quasi todos armados ; apresentando-se, (( 2.o0 Que o vapor JHiberia no encalhou no
i,,r odeeado, conseguio a muitc cas- lugar. onde ao fundeou o pralico Joto Candido
pur~m. o'dolegado, consognia AdmujlcC- V
o acalnar us animos e pcender a quatrc dos Ferreira e sim para dentro, o q(ae visivelnen-
,I,,, ; .P,;,.-n i -._ 1 ,i;vandn da nanuntr,, s. d j te se notou na occasion.


!uUI~t.- uxuII'dbttlt Utl:.\dltll UO. U LU t L dtt L -tl ,-Ul.t:-
c i os autores da desordens por se evadi-
eitn. Do couflicto resultou sahirem levemen-
io coiitusos aljrns soldados e paisanos que
auxiliaram a forga public. Cntra os fi delin-
jiientes o delegado estia procedendo na forma
] a lei.
Pelas t10 1/2 boras do dia de hontern fIlle-.
:eC repentinaente na rua do Cabugli, o ca-
Iueiro. Canna Brava, verificando-se
Ila vista | soe procedeu, que a morte
l'.['a o r urenusma coogestao cerebral.
A's 10 horas noite de hontom, na Estrada
Nova do district da Varzea, Maria de ta!, ar-
mnada de ama foice, fez diversas contuniss no
;ispector d6e quarteirtao Manoel Fernandes de
Xlbuquerque Miello. Contra a offensora, que
,,@iuseguio evadir-se dopois de ter sido presa
em flagrante, se esta procedendo. na forma da
jeJ.
No dia 27 dc mez proximo flndo, n,- engenho
Tapipir6 Novt, do termo de Ignarassf, Fran-
cisco B&a( tina ferio gravemente corn um tiro
;,-Portli4 4 Ribeiro, logrando evadir-se
(.entre 0l, nte se estA procedendo nos
termos do ff to policial.
Da&s 5p[ i 'oras da tarde do dia 4 deste
mez. na i de Olinda, Umbeliio Adonio
Maciel X ryferio gravemente, corn tees
racadasa, aPti os6 dos Santos, e logrou eva-
dir-soe. ipjooriiminoo so, estA proceden-


do ipquerito poliial.
aV. Exe. --1im. e EEsm. Sr.
SFancisco de Assis Oliveir4
O + prlidente da provincla.
+ itenio, Jtanoel da Sil-


( 3.o Que o encalhe e perda do vapor Hiber-
nia altribuimos a urn dos dous principios: ou
o vapor garrou em consequencia da corren-
teza ou enltao de bordo Ihe arriaram mais
amarra, o que poderia dar occasiio a que-elle
no virar tocasse no banco. Estas circumstan-
cias poem facilmente ser averiguadas ouvin-
do-se possoas de bordo.
a 4.o Que nemn o vaporHibernia nemr as for-
talezas fizeram signal algum para a terra pe-
dindo soccorro, e tendo pegado da popa As 3
horas pouco mais ou menos, somente As 5 e
meia, segundo dizemn, ioaram urma bandeira
dando urn n6, signal que nao consta fosse vis-
to em terra. Esta falta de signal de soccorro,
logo que o navio tocou no banco muito con-
Lribuio para sua- total perda. Maranhio, 26 de
novembro de 1877.- Jose Miguel Pereira, 2.0
tenente e pratico-m6r.- Joaquimn Domingues
Corfeia, ajudante.- Joado de Dews Vieira.-
Francisco Xavier Ferreira.- Luiz Gomes Bar-
boza.- Francisco de Sales Junior.
c Nao satisfeito corn isto mandou o Sr. ca-
pitlo do port urma conimmisslo sondar o lu-
gar, e do parecer desta, como do que acima
ficatlao result prova contra o pratico que
gu U o vapor.
c 0 Sr. capitAo do porto vai ouvitmo com-
mandante do Hibernia e outras pessoss, na
presenQa do consul de Inagaterra, que para
es'se tim convidou. s
Procedia-se A salvaciao do fo telegraphi-
co, existente a bordo do tiber#ii.
A presidencia da provineia dterminou
ao capital do porto que, nos terms. do para-
grapho quinto do artigo oitavo do regulamento
de 22 de seteoubro de 1852, proceda contra o
Jo&o CandLo Ferreira, por c"nstar da
nformagdo do mesmo pratico nAo ter elle cut-
sav 0 uco mr., quantO ao to-
,o vaiwzr cectndo A


que poderao ir appareodd gagts leumes,
isto mesmo se cover logo.-
( Sabemos que S.'Exc' solicito como se'ha-
revelado em attender os clamores publicos,
tern enviado soccorros em dinheiro A commis-
sao respective desse lugar; assim como to.
mou providencias no sentido de irem do Area-
rants, -onde estabeldeeu um eleiro,-arroz,
farina e feijAo,para os terms deOeiras, Picos
e Jaic6s.
( A' commission do Amarante deverao, por
consequencia, a desses lugares solicitar os vi-
veres de que carecerem, mesmo em quantida-
des pequenas e indispensaveis para irem sup-
prindo suas necessidades mriis urgentes ; ten-
do em vista a falta absoiuta que ha em today a
provincia de generous alimnenticios que escaq-
seiamn consideravelmente,
t Nao desesperem o. habitantes de Picos,-
S. Exc. o Sr. Dr. Rodrigues Silva procurarA
como tern procurado, corn louvavel actividade,
mitigar as afflici-es daquelles que se estorcem
nas agonies da miseria.
( E nem.4 possivel fazer mais do queS. Exc.
ha feitod-e-t quadra tao mneindrosa, n'uma
provincia vasta como esta, ondp as communi-
cagOes sao, pela forea das -eirumstancias
sempre demoradas, e onde os mrios de trans-
porte sdo tambem, como sempre foram pessi-
mos e mui difficeis. v
CEARA'
A Constituifiito assim se express acerca do
Sr. desembargador Estellita:
SS. Exc. logo depois da posse do seu digno
successor, ao retirar-se de palacio para a sua
nova residencia, foi acompanhado at6 a casa
por crescido numero de amigos e admimrado-
rns, que assim deram-lhe urma subida prova
de public e pessoal estima, a que o distincto
magistrado nao poude set insensivel, retri-
buindo-a do modo porque costumam fazel-o
os cavalheiros distinctos.
A music da policia tocou A porta.
o Depois de um governor de nove mezes e
doze dias, o mais arduo e mortificante de
quantos tivemos de trinta e tres annos, A esta
parte, S. Exc. recolhe-se A vida do juiz coam a
consciencia tranquilla por haver cumprido re,
ligiosamente o seu dever, tanto quanto era
possivel na Iltbrosa situacao em. quo We,
be governor, merecendo invariavelmente a e-
tima dos amigos, o respeito dos correligiona-
rios e as bencAos de todos quantos o proctl-
raram em nome do infeliz e do- desgraga-
do. )
l Hontem, [23] o Sr. desembatgador Esiel-
lita reassumio as funcSes de seu elevado
cargo de procurador da cdr6a, fazenda e sobe-
rania national da nossa relacAo, deixando des-
dc entAo o 6xercicio que tinha interinamente
o Exm. Sr.'desembargador Antonio de, onza
Mendes, um dos caracteres mais distinctot da
alta magistratura. I
A' capital chegaram, a 21 de novembro,
procede ites do Aracaty, na barcaa Fiaet do
Aracaty, 450 emigrants no mais deploravel
estado, tendo embarcado naquella cidade no
dia 19 A tardo.
Na viagem morreradi'de fome tres crianCas.
Os demais em quasi complete inaniQAo, foram
soccorriJos e abri6ados incontinente pelo sub-
delegado Marcos Apolonio da Silva, como
substitute do Dr. Henrique Theberge, commis-
sario do governor que se achava entao incom-
modado de sa(de.
Falleceram : em Missao Velha, oeapitAo
Antonio Joaquim de Macedo; na Pedra-Bcr9
ca, victim de febre amarella, o major Manoel
Joaquim Cavalcante; em Sobral, corn msoan-
nos de idade, o capitao Victorino Alves do
Prado.
Na capital o color exarcebara-se, mar-
cando o thermometro de meio A duas horas
da tarde diariamente de 31, 31 e meio e 32
graos.
A escuna allemia Blinche Bonny, levou pa-
ra o Canal 1,200 saccas corn cafe, e 4,500 cou-
ros.
0 Retirante, journal que se public na
capital, da as seguintes noticias acerca da
secca :
o No lugar Bento Pereira, da cidade do Ara-
caty, diversos retirantes encontrando enterra-
da na estrada urna vwcca que morreoa do ma!,
dividiram-n'a entire si e a ,devoraram para sa-
ciar a sua fomm !
Horas depois, principiaram a sentir does
agudas no estomago e por todo o qorpo. No
dia seguinte estavam inchados e corn o corpo
frunehado de carbuliculos, mal horrivel que
mata os gados quasi de repente.
JA morreram 2 destes infelizes, e 17 estio
em risco de vida.
Sirva este lamentavel facto de remorse
aos zdosos membros das commissoes de soc-
corros que Ihes negaram pfio e agua, por on-
de transitaram esses desventu-ados retiran-
tes !
Na mesma cidade, em casa do Dr. Pache-


oo, morreu quasi instantaneamente uma po-
bre retirante, por occasiato que pedia por ace-
nados, urma esmola para comer! Todos os
SexforCos medicos empregados para salval .a
foram inuteis.
SE' uncrwivel que em urma cidade, onde exis-
tern tantos recursos alimenticios, e onde a ca-
ridade particular tern side excessive camo'
nos consta, se d6sse tao triste aconteci-
diento .- 1;^
S 0nto que dir a coinmissao de soccorros?
q No dia 18 do corrento, ainda na mes-
ma cidade, mriorreram de fome 15 emigran-
les!
K A nAo mudar de rumo a commission de
soccorros, a fome devorara todos esses info-
lizes reUrantes, que procuram naquella cida-
de abrigar-se da miseria A sombra do go-
verno.
0 Com o so illudiram. P
A alfandega arrecadou no mez de novem-
bro 111:5"82.
A emigracgo atW 30 de novembro eleva-
va-se a 3,820 cearenser, sendo 68 ptra o sul
e 3,149 pa raortnoe do imperio. '
No mez de novembr3 foran'm"putadas,
no cemiterio publico da capital, 536 pessoas.
Ng mesmo mez de 1876 forgm sepultados 73
cadaverss+ 7
-- Lamos i&WenM. 4d wrrnt .


*o( up t/ngracAo torgada, ou a maorte pela
fore .4
< Te4 ivel dilemma! s
AoamoO de. receber urma representa.ao
que os habifates di Aracaty dirigiram ao
Exmr. i sidehte da provincia.
SDei'amons de publical-a por nos ter vindo
As mAoL quando a composiglo do nosso journal
so ach*a quasi concluida.
o E' "rDmbrio e tetrico o estado do Aracaty,
ningue* pdde praver o que sera o dia d'ama-
nha;. {" ..
c Seri forga public para center tao grande
nurner parar'w rrente de emigraCaU, sem recursos
comrn q possa satisfazer a necessida4 do to-
do vite a laboriosa populaQiao do Aracaty en-
treue aos mais horriveis preseatimentos.
Para mais de 35,000 emigrantes assoberbam
ja as ruas, as'casas, semi-nus, mortos A fome,
a pedir.pao.
( 0 ne sera de todos, quando a fome de-
ter,'iny os horriveis desatlnos de que o.e a-
comppa?! V
a tS vindas d'alli dizemrn-nos que mor-
remin d1iamente 20 individuos.
SD'eatre ostes infelizes a quart pirte mor-
re i ftoae, ou em consequencia de alimenta-
cAo inconvenient. )
M(( ais uma scena lutuosa registram os an-
naes do-crime desta infeliz provincial.
( No dia 19 do passado, pelas 8 horas da
mannEa, no luger Jardim, do termo de Quixe-
ramobim, a 10 leguas daqtmtlla cidade, foram
babaramente assassinadps o fazendeiro Ma-
tvel .erreira Chaves, cehhecido por Manoel
EXf io, Amna de tal, que coin este vivia, e o
monorN Maioel, que aquelle creava como fliho,
e espanodo a cacetoe um soeu escravinho de
11 anpos de idade, que os malvados deixarain
por madr sendo autores desse barbaro at-
tentad*4p imrmaos Bento Sabino, Agostinho Sa-
bino e% irginio, 8bi'no, moradores no lugar
BomftA ,do tofni6AePedra Branca.
r Oe "'rios ha muito projectavaii esse
crime., t o dia 19 niandram avisar ao infeliz
Manoel genio que fosse, vr urea rez sua que
se ackav cahida; ganoel Eug.nie apenas re-
ebe o;Z1 drige-ie ao lugar iodicado.,aconm-
'panht*4 da referida mulher, do sea tfitho adop-
tive a o escavinho.
o U(n"dos assa-sinos que se ti.nha embos-
cado A borda do caminho desfacbou-the umn ti-
ro ; o infeliz cahe e acabanm 4 intl-o cornm
11 fatcdas ; e successivamentieforam ?azendo
-o niesmo A mulher, ao meodr e ao escravi-
nho. Consummado o delicto apoderaram-se
das chaves que o infeliz trazia sempre comsi-
go, vao A casa e roubamn todo dinheiro e vi-
veres que alli so encontraram.
S.autoridade policial tratou logo de tomar
comiecimento do fact, conseguindo a capture
do um dos sicarios, Bento Sabmo, que tudo
confessou, seado apprehendidos varies dos
objects roubados..
a A populaaio daquella comarca i''hava-so
aterrada.
o Pipala-se alli que grupos de individuos,
moradores em algumas serras e outros luga-
res de Pedra Branca e Maria Pereira prepara-
varn-se para um assalto em Quixeramobim,
onde dizem haver homes abastados e preve-
nidos de generous para passaremn a secca.
K Diziamos ha pouco, a proposito da trage-
dia de Missio-Nova, que nao seria s6m.nte
esse facto que teremos a lamrnentar, A vista da
falta absolute de seguranoa e do abandon
complete a que nos entregoa o govevno. Vao-
se realisando nossas tristes provisoes.
( A provincia pass por urma crise horri-
vel. .
RIO GRANDE DO NATE
Da capital escreve nosso correspondent :
( 0 dia 26 do mez passado foi um dia de
gloria para o Exm. Sr. Dr. Tolentino de Car-
valho.
( A assembl6a leglslativa provincial, inter-
pretando flelmente os sentiments do povo
rito-grandense, enviou urma commission de seu
s0io para felicitar a S. Exc. pela solicitude que
ha desenvolvido na angustiosa quadra, que
'atlavessa a provincial, providenciando corn
inexoedivel zelo para que nio faltern soccor-.
ros a: populacao faminta ; pela fiscalisacio e
economia no dispendio dos dinbeiros publicos
e acertadas medidas tomadas no sentido do
conjusor'acrise financeira, facilitando no futu-
ro ol4ibrio entire atreceita e a despeza ; e
flnalnte pela ractidan e imparcialidade d6
seus raetos em todos oj ramos da public ad-
rninistragiio.
c Esse acto espontaneo da patriotica assem-
bl1a |rwofcia) revelaj a conflanga que tbe
inspirlR' p^ p a.,ninistrador, o qual nao
tern poupadblrios'para atoenuar'os effeitos
da terrivel secca, que nos flagella e prestar a
esta provincia, acertadamente confiada ao seu
criteria e illustragibo, servigos importantes,
que o recommendam a estima public e ao
reconhecimento do governor imperial.
C Eie a felicitaeao :


SIllm. e Exm. Sr.-A assembl6a+ legislative
provincial do. Rio Grande do Norte resolvou
em sessao de 21 do corrente enviar-nos em
commissaoA presenCa de V. Exc., para, em
sea nome, dirigir-lhe umrn voto de louver, adhe-
s!o econflanga, pela maneira digna e erainen-
tmente patriotic, porque se tern havido V.
Uxe. na difficile melindrosa quadra, que afflige
a provincia.
SPor tao poderoso mitivo,. a assemblia
folga de reconheGerioue V.'Exc., na esphera
de suas attribfli 'nao tern poupado esfor-
gos par a attenua I males, que pesam sobre
as vietiLnas flagelladas pelgs rigores da secca
e de epidcemias, proporcionando-lhes todos os
soccorirosi coan promptidlio, Wo e solicitude
inexoilvels.


tinfia a-b
seus padi
( Semd


o constituctonal f6ra desde os
a horrivel oalarnmidade flelirente
V. Exc.,. e appljpd.,*roporcio-
pulagAo soffredora, 4qual pon-
zer a meo beifiazeja, que mitiga
m tos. .
temente, aassemabl6a provinciat


"es- momenfto soie WWe tfluaim W
preentar. Pace 0a assemblea provincial, 26
4i'novembro detV7..-Joaquim Guilherme de
pma Cdldas.--Iphat Araujo da Foneeca.-
Pedro de Alcantdra Deao. Luiz Emygdio
Pinheiro da Camara. Joaquim Pereirl de
Araujo. )
S. Exe. digaou-se de responder:
SAceito as hoarosas manifestaqbes que a
patriotic asseminbl6a desta oprovincia me diri-
ge, depois de ter apfeciado, corn a mais be-
nevola attenvuo os meus fracos 4 pequenos
services.
S Diante agr dilficil e mel.iuosa quadra que
afflige esta parte do ipperio- cidadao e au-
toridade-tenho apenas, nos limits dog re-
curses de que displho, procurado oumprir
imrperiosos deveres.
a Portanto, s6 A genejrosidade da illustre
corporagAo, que dignamebte representais,
posso attribuir o encaceauento desses ser-
vicos, cuja gloria cabt, de pleno direito, Aquel-
les, que em rtao contstadora emergencia teem,
de bom grado, coirrido para que, atW este
moment, maiores nales nao haja a lamen-
tar-se.
(( A economic no dispendio dos dinheiros
publicos nao podia deivar de ser considerada,
especialmnente na rise financeira em que se
acha a provincia,'senflo como principal media
de governor; e, pondo-a em pratica, cumpri
ainda umrn rigoroso dever.
( Entretanto, extrernamente penhorado pela
espontaneidade desse seu actor, peo-vos, se-
nhores, que transmittais a assembl6a legisla-
tiva proviMbial as seguranCas do meu profun-
do reconhecimieito e eterna gratidao.--Jos6
Nicolto Tolertino de Carvalho. 0
PARAHYBA
Da capital escreve nosso correspondent:
a Quasi sern importancia saoas notlcias que
tremos a transmittir-lhes desta vez.
( Qua.into A secca escusado serA dizer-lhes
que vamos de mal a peior, nio havendo signal
de chuvas, quer dos brejos para baixo, quer
para cima e alto sertao.
(( Ternom atd falhado por aqui as chuvas de-
oomnedos de--eaj-, o que e raro e bern
mostra o estado irregular da estagUo, que a
todos faz tremer!
t Nao diremos outro tanto a respeito dos
AdrOntes, cujo numero cresce de moment a
moment, bernm como dos Poj porta, que
ja andarnm aos grupos esmola%
(( Se Dens nao se cornpadecer de n6s, deve
set medonho o desfecho desta crise
( JA se vAo tornando insufficient os dous
dias da semana, designados pela commissAo
de soccorros desta capital, para a distribuigao
dos mesmos aos famintos, pelo seu elevadissi-
mo numero.
(( No sabbado passado. nao obstante o ser-
vico da distribuigAo, que regularmente comega
de 9 para 10 horas da manh-i, ter entrado pela
noite, deixaram de ser racionadas para mais
de 200 pessoas, chefes de families; o que obri-
goe a commnissao a voltar no dia seguinte para
terminar o seu trabalho. no que andou bern
avisada, e sempre convirA que assim proceda,
para que nao se deem scenas desagradaveis.
a SerA unm dia de juizo, aquelle em que, por
falta de viveres, se deixar de soccorrer esta
misery e infehliz populaQao faminta.
( Tenha, portanto, o govurno o maior em-
penho e cuidado para que nao faltem esses
soccorros, certo de que serai diplo o resulta-
do benefico dessd media humanitarian.
a Principiou a ser feito na segunda-feira pe-
los retirantes o servigo da limpeza e asseio
desta capital, e brevemente outros trabalho'-
mais importantes serao encetados sob a direc-
cio da respective commission.
s. Tendo chegado, a 30 do passado, no vapor
da companhia brasileira, que aqui tocou nesse
dia, o Sr. Dr. Manoel Antunes Pimentel, chefe
de policia nomeado paraesta provincia, tomou
posse S. S. do referido lugar no dia lo do cor-
rente.
( Pela secretaria do govarno, de ordem de
S. Exc. o Sr. president da provincia, foi ex-
pedido, em 30 do passado, um convite aos ne-
gociantes desta praga, pars, nos thermos do
art. '1 da lei n. 658 de 17 de outubro preterito,,
e 10 do regulamento n. 21 de 3 daquelle mez,
apresentaram sua proposta para nomeaeio dos
inspectors do algodao, dentro do prazo de
15 dias, afire de que possa ter lugar o que
recommend o artigo 25 do citado regula-
mento.
Perto estamos, portanto, de ver essa ex-
periencia; que praza a Dens, produza o dese-
jade offeito, coma 6 para desejar.
falleceu, na cidade de Pombal, o Rvm. vi-
gario da froguezia, padre Alvaro Ferreira de
Souza, em idade maior do 70 annos.
No dia 2 do corrente, anniversario natali-
cia do Sua Magestade e Imperador, illumina-
ram-se A noite os ediflcios publicos, tocando
em frente a palacio a banda de musical do cor-
po de policia, que depois percorreu algumas
ruas^ 4 cidade.


STerminaram-se no lyceu desta capital, no
dia 22 do passado, os exames geraes de lin-
guas e sciencias, cujo resultado foi o se-
guinte :
( Prtuguez.- Approvados plenamente 4,
simplesmete t11, reprovados 7.
(( Latim.-Approvados plenamente 1, sim-
plesmente 5, reprovados 4.
S Francez. Apfiovado corn distinceo 1,
plenamente 5, reprovados 8.
x Inglez.-Approvados plenamente 9, sim-
plesmente 11, reprovado 1.
K Rhetorica. -Approvado plenamente 1, sim-
plesmente 2, teprovados 2.
( Geographia.-Approvados plenamente 6;
simplesmente 4, reprovado 1.
a Historia.-Approvados corn distinccao 2,
plenhinenfe 5, simplesmente 9, reprovados 6.
( Philosophia.-Approvados plenamente 10,
simplesmente 6.
r Arithmeti;ea.-Approvados plenamente 4,'
simplesmente 11, reprovados 2.
Algebra.-Approvados plenamente 1, sim-
plesmente 6.
a Geometria.- Approvados plepamente 8,
simplesmente. '
a Ks entradas dos generous neste mercatto.
teem sido maito reduzilas em consequencia oa.
,secca, e por tal- mouvo reduzidos tambem os
rendimentos das epartiQ5es fiscaes. D


a ( Palacio da presidencia de Pernambuco.-
i Secco 2a, em 5 de dezembro de 4877.--4 pre-
sidente da provincia, attendendo a quo a guar-
Sda local, creada pela lei n. 1,130, de 30de abril
- de 187%. nAo tern preenchido salisfactoria-
Smente o fimrn de sua instituicAo, e quo ao4-
* trario, os destacamentos do corpo, WOD it4e
policia, por sua organisac.o e discipNta, 0Me-
SIhor se presta, quer ao policiamento doea-
Stros populosos, quer A perseguicao e m|a
Sdos criminosos ; resolve, usando da4 No
cAo que lhe confere o artigo 90 da k f. t9j,
de I de junho de 1876, corniwoaef a o.n
1,263, de 4 de julho ultimo, encorpwt ata
guard local ao corpo mililar de polka q.
flea elevado a mil pracgas corn oito coioidmd,
tendo a seguinte orgauftaao :
( Estado-maior.-1 tenente-coronel, I ma-
jor, 1 tenente-ajudante, 1 dito qlartel-mestre,
I. dito secretary, Cpttaoci o el ten-

dito 20 vago-mestre e 1 coleta r
e Cada companhia compor-se-ha de : ca-
pitao, 1 tenente, 2 alferes, 1 1o sargento, 46s-
gundos ditos, 1 furriel, 10 cabos, 100 soladoo
e 3 cornetas.
S A !" e8, companhia tereo 103 soklados
cada urma.
o Outro sirn, resolve dispensar aos c mrrais-
sarios e sargentos da guard local.
( Manda, portanto, que neste sentido se
expecamrn as ordens e communicacoes do es-
tylo. -Francisco de Assis Oliveira Maeiet. a
Por portaria da presidencia da provincia,
de 5 do corrente, foram noweados para o cor-
po de policia :
6.a companhia.-Tenente, o tenente honora-
rio do exercito Felicissimo de Azevedo Melo ;
alferes, Joaquim Servulo Vieira da Paz, e
Theodolindo Augusto do Rego.
7.- companhia.-Capitao, Joao Baptista Ca-
bral : tenente, Manoel Ignacio de Albuq erque
Maranhao ; alferes, Jose NicolAo Ferreira Go-
mes e Joaquim Francisco de Torres Gallindo.
8.a companhia. Capitlio, Apolinario Luiz de
Carvalho ; tenente, Jose Paulo Maciel de Car-
valho; Alferes, Laurenio GonCalves de Azeve-
do e Francisco Xavier Camello Pessoa.
Por portarias da mesma data foram pro-
movidos : a capitAo da 6.A companhia, o alfe.
res da 1., Felix Antonio de Alcantara ; e a al-
feres da 1.4 companhia, o sargento Jos6 Gui-
Iherme da Silva Duarte.
Hospital Pedro II-Por portaria da pre-
sidencia da provincia, de 4 do corrente, foi
normeada uma commissao, cornmposta dos ,Srs.
Dr. Pedro de Athayde Lobo Moscoso, commen-
dador Antonio Ignacio de Medeiros Regc, e
major Laurentino Jose de Miranda, para fis-
calisar a construcg5o do novo radio desse edifi-
cio, na qual devem ser empregados os reti-
rantes, aqui existentes, que recobero soccor-
ro do governor.
Autoridade policial Por poctaria da
presidencia da provincia, de 4 d3 corrente, foi
nomeado Antonio Manoel de Amorim deIlegado
do tecmo da Boa-Vista.
Institute Areheologico e Geographt-
co=llontem reunio-se o Instituto, sob a pre-
sidencia do Exmn. Sr. Barao de Villa Bella,
corn assistencia dos Drs. Antonio de Siqueira
e Affonso de Albuquerque, e dos Srs Augus-
to Costa, Ferreira de Almeida e majomslode-
ceira e Salvador Henrique.
0 Sr. 20 secretario da leiturada acta da an-
tecedente, a qual 6 approvada.
0 Sr. secretario perpetuo menciona o se-
guinte expediente.
Umn officio do Exm. president da provin-
cia, convidando o Instituto para assistir ao
cortejo que teve lugac no palacio da presi-
dencia no dia 2 do corrente a effig;e de S. M.
o Imperador. 0 mmrno Sr. secretario perpe-
tuo declara que alkuns socios assistiram a
este acto.
Outro do lo secretario da directoria da Asso-
ciaco Portugueza de Beneficencia dos Empee-
gados do commercio, convidando o Instituto
para se fazer representar em sua sessAo mag-
na no dia 8 do corrente. 0 Sr. president no-
meia ura commissao dos Srs. Drs. Cicero,
Ulysses Vianna e Ferreira de Almeida.
o mesmo Sr. secretario perpeluo menciona
as seguintes offertas :
Um volume em brochure de Arte do la tin--
gua Guarany 0' Mais bien Tupy por El P. An-
tonio Rodrigues de Montaya, offertado pe!'
consocio Dr. F. L. de Gusmrao Lobo.
Um folheto=-Resurno :hronologico da histo-
ria do Ceara, por J Brigido dos Santos e pelo
mesmo Sr. offertado.
Dous dos do discurso da sess'o academic
pele Dr. Aprigio Guimaraes, offertados pelo
mesmo senhor.
Uhn dito-Poder Autoritario, opusculo so-
bre a historic do Brasil, pelo Dr. G. M. de
Villa-Nova Machado, offErfcados pelo autor.
Urna copia dos apontamentos sobre a ilba
de Fernan Io de Noronha, por Jos6 Ignacio de


Abreu e Lima, em 1857, ;companhada de urn
mn.ppa da mesma ilha levantado no annO de
1798, offertad pelo teneute Emriliano Ernesto
de Mello Tam orim.
A obra Guiherme Pisonis e Jorge Marcgra-
ve de Liebetad, offertado pelo Sr. Israel Ben-
jamin de Oliveira.
Varies ns. da Provincia, Correio do Aui e
(onservador da Parahyba, pelas respeclivas
redacQSes. -Jodas as offertas sao reoebidas
corn aggrado e mand im-se archivar.
Passando-se a ordemn do dia, 6 lido e vai a
imprimir o seguinte balance da receita e des-
peza do 2o trimestre de julho a setembro.
Receita


Donativo provincial
Saldo contra a caixa


Somma
Despeza
Expediente e despezas diversas
Ordenado ao amanuense
Idem a0 porteiro
Saldo contra a caixa em junho


30080
1:037$230

1:337$220*

4604290
7200W
722A930


Somma, 1i:7220
0 Sr. Augusto Costa pede a palawra e da
conta do resultado da commissao, qe- fora
nomeada para assistir A sessao furebre de
Thiers.
Vam A mesa urma proposta para socios ho-
norario e correspondete.4, do Instituto, a qua,
a requerimento do Sr. maor S8lvador,, 6 vota-
da urgencia para qtmoado logo o parecer;
e, passando a urgeada', 6 lido e approvado o
mesmo parecer. Correndo d6 esortinioo se-
creto, slo approvtdos socio honorario o Exat.
Sr. Dr. Roberto Calheiros de Mello, e socios
correspondentes os Srs. Drs. oAo Francisco
Dmls Cabral e Francisco Ildefonso Ribeiro de
Menezes.
E' ainda lida uama outra propo$st part socio
correpondente, que a requerimento do mes-
mo Sr. major Salvador, 6 votada e apprqvada
a urgencia sendo em seguida lid o parecer e
correndoe o escrutino secret 6 mprovado so-
cio correspondent do Institqto o8r. Dr. Ma-
noel Duate a Morira de A iv
^ tdo lida e approyada gl te prq-
'n^ U.^ v- *.' :::.^cf -: ...,- p r**1 -


n aI


do go-



















6A 'de
iuellas
llJ' I1...


a inesma obra "
Nada mais hal o a Sr. to
levanta a sessao e Oesigna0 o dia 20 mocor-
rente pira a proxima reunilad.
Golleglo da Estauncia Segunda-feira
proxitta 10 do corrente, aon meta dia, tera
iras doe caridade, a ceremnonia da distribuito
dos prewkaos, entA-e as reqaclivas colleges,
quem.*e se distinguirw durante o anno;
Se4;aeU aa.n^maz oeeasiko, algaimas se-.
no s btlfderuo niverso objoctos, cujo pro-
doioo.srA applicado em favor das victims da
44Sml Pernambmeano-Hoje A noite
ha umiuiS familiar, dawsanle, nessa asso-
elao1o. ;
Upboo repenina -As 10 hoi-as e neia da
marf e 5do corrente, falleceu repentina-
meilt, Ilnma &o CabugA, da freguezia do San-
to Atbmia, o caeeim;Alexand re Carna Brava,
setdb t more produzida por umna congest&o
cewtal.
lFie ntos-Na Estrada Nova, do disLrco-
to da Varzea. As 10 tIeomas da noite de 5 do cor-
retae Maria de tal, armada de uina face, fez
divabas etmtusoes em. Manoel Feroandes de
Albuquorque Meltto, inspector de quarteirao,
pondo-se em fuga.
Feilsnotos Paves--n terras do eage-
nho Tapipir& Novo, do teranx) de IguarassA,
Frangilco Barauoa feri, gravemente, coin am
tireolBsfir sea Ribeiro, evadindo-se emin
Na cidade Olinrida, de 5 para 6 boras da
tate*dh4 do conrente, Umbelino Adonio Ma-
ciel Moateiro ferio gravemente, corn tires fa-
cadasa Paulo Jose dos Santos, pondo-se ao
depois em ftgs.
Assassinato-No district de S. Benedic-
to, tMAerime de Panellas, a 28 de irovembro.
Jose lAJuli&e, Jos PaAulo e Manoel Julilo assas-
sinamn, cornt umn timro e cinco facadas, a Joski
Maroolino, send proseso somente o primeivo,
Contllcto e prlsbes-Cerca de 8 horas da
noitedo to do corrente, na villa de Panellas,
Btenirdino Jose de Senna, Miguel Aureliano
doa Passos Moura, e Joaquim Correia da Silva,
rounidos A um grande numniero de desordeiros,
arnados, andavam opelas ruas da villa provo-
cando disttarbios e espancamentos.
Goiinpareowkdo ao lugair o delegado de poli-
ciaiaooimpaihada de forQa, conseguio prender
A qeatro dos mais exaltados, evadindo-se to-
dos-os outros.
Do onflicto sahiram levemente contusos al-
guns soldados a paisanos que auxiliaram a
forga pubtica.
Pestivldades religiosas-AmanhA cele-
bramn-,se festas, a imrnaculada ConceiiAo do
Maia, nas igrejas seguintes:
CGncelgi9 do Arco-Corn todo esplen-
dordo costume celobra-se amanha a festa de
Nossa unhiora .da GCnceiao, que so venera
na capella do am* da ponte Seoe de Setembro,
ocoqopando a tintuna sagrada a, Evangellio, o
Revmt. coadjutor da freguezia. A' noite have-
rA ialainha.
Daraate tedos os acts tocarlo tres bandas
de music marcial, saltaando-se a tarde divoer-
sos bales aereostaticos.
A' noite serA queimnado um lindo e novo fogo
de artficio.
%1 igreja do convento de S. Francisco,
corn missa solemn, pola madrugada e ladai-
nha A noite. IHa sermoes nesses actos.
Naisreja do convent do Garmo, corn
missasolewne, pela madrugada. Pelas 7 ho-
ras haa inissa oantada do costume-a deno-
minada,-Sabbatiaa.
S- -al igreja da ordem terceira de S. Fran-
ycisco, foaunmissa solemne, polas 9 horas da
manha.
Na.igres de SantaRita, comrn missa canta-
da, pelas 8 horas da manhZi.
Nt i~pgta da OonceigAo dos Militares,
corn missa solemne, pelas 11 horas da manhn
e T*4am a note. E' orador ao Evangelho o
Rvm Sr. frei Augisto da Immaculad* Concei-
glo alves,.e ao Te-Deom, oRvdm. Sr. Anto-
nio.ie Melob Albuquerque. Ha missa rosa-
da deimadrugada.
Na .ieja de S. Pedro, corn missa so-
lemne, pelas 8 horas da manha. Ora ao Evams-
get/uao.Rirm. Sr..Joa.o Carlos de Moura. Ha
missa* resada pela road rugada.
a--N igreja da Penha, corn missa solemn,
pelas r horas da manha; e a acto da benalo
corn e Skcasmento a tarde.
Na igreja matriz de S. Jose, corn missa
solemn e sermao, pelas 9 horas da manha, e
ladtai A unaite.


Na igreja matriz da Boa-Vista, corn mis-
sa soteune, pelas 7 horas da manhn e o actor
da bdnco com o Sacramento a tarde.
Na igreja da Gloria, corn missa solemne
As 8e meia horas da manha, e ladainhe A tar-
de corn bena'o.
Na sun igreja de Goyanna, corn missa so-
lemin e As 11 horas e Te-Deum i noite, corn
sermuios nesses actos. Ha vesperaS solemnes
hoje N noite.
Na igreja do Livramento, em Macei6,
corn missa solemne pela manha, procissoo A
tarde etadainha A noite.
Mats testfvidades-Ainda em louver da
imMacUlada GonceiQlo de Maria Santissima,
ceftrtam-se depois de amanhi 9:
Na igreja da Conceiglo, missa salemne
ais tO horas da manha, e ladainhea, noite.
Na matriz provisoria da cidade da Victo-
nia,, em Santo Antitao, fiesta solemne pelas 11
horawda manha. e Te-Deum & neirte. E ora-
dor neSses dous acos 0 Rvm. Sr. frel Angus-
to d Imiataeulada Couceigao Alves. Termina
amaoiM a novena. Ha prociss1o A tarde e fo-
go Sd vista dcpois do Te-Deum.-
Na matria de Santa Rita, na *Parahyba,
misa solemne pelajpanhik, e ladainha A.noite,
oomrsermnOes nesses dous actos. Ha procis-
sto A tarde.
Parteiras-Conforme determine o regula-
mnto do hospital Pedro II, das Sras. que fre-
quentaramn as preleSoes deobstrecticia, tres
foain submettidas a exames, per ordem da
presidencia da provincia, e foram julgadascom
aptidao pelos Srs. Drs Malaquias, Estevao Ca-
valeuate e Madaro, send em primeiro lugar
D. Antonia Leopoldina da Costa Ribeiro, em
segundo D. Candida Innocencia Serpa e rm
teweiro D. Raymunda Nonata dos Prazeres.
P. a4orade taZenda Nesta estagAo
papi~e ,a qe, as seguintes folhas:
ArsenalM e marinha e companhia de apren-
dizes, operarios do arsenal, de marinaha, me-
Ihpsanw do port (emnprogetdos).
Theatre Santa Isabel-Em consequen-
cil. de m9lestia grave de diversos artists da
empanhia zarzuelas hespanbolas, que traba-
&a0esse iheattra, acham-se suspensoss s es-
pcaa ulos aW6 que cessem Ai causes que a


Garanhuns, durante o
1877.


ae novembro ae


o


DECADES E MEZ


I ALTU#A MEDIA


';t0 | VARIAgAO MEDIA


?J ALTURA MAXIMA


w DATA CORRESPONDENT

Wq
^roSS^ AL.TORA MINIMA ,


t~t~ca {DAtA CdHtBR!9P6NDENTE


ilo. o i VARIAC.O EXTREMA


to to t
~~I
i
bo NObt I
i--~cOp I)
ac2.',


-AT
^. I

to00
>*o I


60w


0000O

00 00
'-botoi I


?' to
(0 3
N ~


0000
; Fs


C > m
po>? |
-> 0100


0 10 o-wl


o0000
1tObOOO


TEMPEIATURA MEDIA


SVARIAgAO MEDIA

TEMhItWATURA MAXIMA*


DATA CORRESPONDENT


TE MPEA.TURA MINIMA

DATA CORRESPONDENT


. .


VARIAAOQ EXTREMA


DECADES E MEZ


HUMIDADE MEDIA
RELATIVA


I \ TENSAO MEDIA
S (EM MILLIMETROS)


PLUVIOMETRO
QUANTIDADE DE CHUVA


opp DIAS DE CHUVA
2.?n00 __________,
~Co*
OD 00 00 DIAS DE SOL

ap Lo DIAS NUBLADOSI


DIAS DE TEMPESTADE

0 t"DIAS DE TROVOADA


DIAS NEVUADOS
0000 I__________ ___


i N.


i E.
o00 o p ______ _.__




N SE.

S [ I
CIT 00 ISE.
_ I C 1 _______ ._____
0 0 .S.-1
9 Coo T I__


so.


I N.I
0000 I1_______________

~o00 I NO.


No dia'26, em que chuveu das 4 ate As 6 da
tarde, a altura baromotriea reduzida a 0.-
688,881; a temperature maxima-24,8 ; a mi-
nima-19o,4; o estado hygrometrico medio do
dia-0,760; a tensao media do dia-15,871; o
estado da atmosphere foi vario ; o vento rei-
nante foi NE.


F6ra do alcance da fleclia do Jauper
voeiro goza de tranquiflidade, bern qu,
dado A Moutra gozar desde 1870, data
os ditos- selvagens recomeCaram as su;
vels incursoes.
Habita esta gentle ao lade esquerdo
Negro: todaa aona que se estende de
penima a Moura, que fleam ao laon olp
mnargent direita. As malocas ou tabas
no ceakro de uma matta immensa, t
margem do rio Jaupery (d'ahi Ihesvem
que 6 um dos confluentes do Rio Negr
ningoem penetra, sob pena de perder
porque estes selragetis salo de urona feo
que s6,encontra equivalente em sua e
Eatretanto, neo sido antropophagos
so fue. sao dados A lavouka, o que pa
crivel, attenta sua ferocidado. A m'
e a canna sao, talvez, os unicos gene
cultivam, porq6ue de urnm eoutro artigo
encontrado rests nos acampamentos.
nados.


os de
oegro


fabricas
etc.. ist
va caffi


"T MB


Musica nova No grande .arm
musical o.r. .A on. J1006 de A
A dovflar4qoj9, ft
exposta & venda,,|A *ew at. I
fiAfaf n okii 'fM aiM 1.0 )~m~~
composiglo do Sr. Luiz de
President do Planuhy-A bherd
por brasileiro Ceard, em viagem para
Janeiro, acha-se o Exm. Sr. Dr. Franc
drigues da Silva. president do rlPuhaf
do qual lemos no Paiv, do Maranlhao
SComio dissernds, chegou doente d(
sina wetira-se para o Rio de Janeir
'quete Cearti, -qe se acha no porter, o ]
Dr. F. B. Rodrigues da Silva, presi(
6rovincia doJiauhy.
:a EstA S. Exc. sottrendo de seoe
commodes- nas pernmas semelhantes a
beri.
( De uma e oUtra molestia tern exi
tado mnelhoras, apezar da viagem pot
moda, ceftir6 a da capital do Piau
esta cidade;, principalmonte parna um d
w Deixou'o Sr. Dr, Rodrigues Silva (
nomn na p'ovincia que administrou:"
soneas de iambos os partidos e que g
tinaior pretigio no lugar, temos carl
das sio'unanimes em louvar a S. Exc.
tando que um governor lao -bein comet
tivesSe maiaor dursSo, lutando a proving
difficuldades, que s6 um espirito eo
justiceiro, uma dedicagio decidida pje
go public, como manifestou?. Exc.,
vencer.
( A provincia do Piauhy, atem dhs
gos provenientes da fatta de renda.
compromissos contrahido'stalveoflevia
te, tern agora o flagello da secca qu(
vasta coinarcas outr'ora ricas, tein a a
ra(;o das matltides fugitivas do Coal
tWes do Rio Grande do Norte. Para
As exigencias desta situaCao, nao poui
ca. trabalhava sem descanso o Sr. Di
gues Silva, e no meiu de tao afanoso
Ithos foi accommnnettido da molestia de o
soffrendo
(( A principio quir ver sose sm -ahir
vincia poderia restabelecer-se, e sahi
pital ora para amrn ora para oatro' It
molestia tonridu-se, porem, renitent
foi forgoso ir procurar a saulde em. ou
mas.
a S. Exe. a.ha-se hospeddo polo Sr.
nevides. ))
0 rio Negro, no Amazonas.
Negro u am dos beltos e extensos rio!
vincia. Pouco favorecido quanto a
abunda em outros products de subi
e possue mdgniflcas terras para A
Sun populaeio, quo outr'ora era cr
que vivia na abastanCa por isso mes
se entregava a esta iudustria e a ou
menos rendosa, 6 hoje escacissima
ravel, em consequencia de ter aba
sual plantagSes e nigrado para o I
Purfts atraz da bdlracha. esse etern(
dos simples habitantesvda provincia,
empobrece na minesma proporgeo qi
quece aquelles per conta de queit
hem, isto --ao commerciante.
Taupessass(., Muirapenima, Ayr.o, B
Carvoeira, estAo atrazadisgimos. 0
sao freguezias, como quasi todas as p
do Amazonas, desprovidas de vigari
este motive 6 crescido o numero de
duos que poralil se encontra jA em
casaremr-se, amancebados e... pagto
Taes povoados unicamente consist
tieia duzia de cisas de palha, quando
estragadas, em roda das quaes vegeta
jeiras, mangueiras, e outras arvores
ras de colossal altura, que denotam i
ao d outros tempos e attestam a pr
exhuberancia do solo;
Entretanto, o que A para admirar ,
escolas do Rio Negro, comquanto nio
os professors pela proflciencia, nerna
cesso de zolo, sao relativamente ao ]
numero das habitantes frequentada p(
numero de atumnos que as outras do
da provincia.. 0 estado da de Taupes
o mais satisfactorio possivel.
Em Ayr'bo e Muirapenima nao ha est
0 primeiro destes povoados, nas tLi
meiras decadas deste seculo foi o lua
recsente e promettedor do brilbante
Reduzio-o a miseria actual, ha cousi
annos, unea invas.o de indios Jauper
quaes adiante fallarei.
Moura, que tambem teve o seu comic
mais de 50 fogos, nao conta agora D
60, e definha, jA pelo abandon d
primeiros moradores, ja, pelos estra
repetidas vezes lhe tern feito aquel
vagens.
Carvoeiro A um povoado modern, [
unico que denote algum desenvolt
Tern unea escola frequentada por grai
mero de alumnos, e ainda mais o se0
professor fosse mais diligente e habili


.ap ina relici
nos, soteira,
na Joaquinad
Rico, 78 annos
ud monares.
z, es'ravo,
Boa-Vista ;


NDICAd
-------T


Lobo Mos4irua V, 11
de Albuquerque n. 39.
*I ~ J .j 1ji~agsdosI
lJos'Ozoriotc Cerqueira, rua do In-

Da truenne, irua do linperador a.
48. o -
Dr. Antonio Drummond, rua do 1I-


perador u. '2U.
"A?. J. Corr&a de Araujo, rua
Imperador n. 67.
Fazendas e modas


do!


*a un


TA dormindo seachava oCreador.
Era umrn quadro gentil, Sinhd dizia,
Urn quadro Ltodo ator, todo perfume;
'Q..deoinagC~oebao,4t**1.8ee*1me
A' luz da lua um anjo meditando.
Era uma scena Candlda e sublime
Duas bellezas a so mirarem juntas
-ma A outra a fazeowm-se perguntas
E l)eus no throno d'oiro as escutando.


A. I. de 7'. Bandeimra.


1877-1-do marco.


le Slasaainda so V'
em d Bne o matas. s Vlapulavto
iazrem do nio tern 30 casas de telha e sua populacao

iJ$^e3 Ioa!?R^ ti ct'
aengra- 3000 habitanes, hoje urn povoado de 4
Esta decadencia contrista o coragao e faz
to do va- ac&ii"' ao espirito uWa series de reflexes be n
o Rio de amargas. '
isco Ro- Depois da ifideeendencia ttrdo mudou: a
,, acerca popse4e6odlminauio, twetraslornararn-se in-
e cultas, a:T4abricas fecharam-se, a industrial
IThere- nmorreu, u commneraio desappareceu, a mise-
o tio pa- ria substituio a abasta aa! Como se explica
Exm. Sr. estn mudanoi radical ms eondiq5as da vida
iente da destes poTv4s
Annuncio curiloso-O Liferal do Pard
es e in- pubtliweoa o segainte annuncio :
ao beri- Jarmes, Henderson teai :despaahado uraa
'caixa de cetApreto da India Colp aroma mag-
perimnen- niftdo.
ico conm- Ainda tern Biblias e Novd Testamentos.
hy para porem elles jAuo tern purgatonrio. Os judeus
toente. escolhidos por Dous nao tinhamrn metO de ser
methor mettidos l1, o elles nonca dis3eram que as bi-
Af pes- blias inglezas.loramtltsificadas. 0Os dez ffan-
Mzamn do damentos de Dleus, sla os mesmos qtae Moy-
tas, e to- ses,ensinava, porein o papa tirouo segot, e
lamen- oscatholicos ropianos tem s i qpve. A theo-
gado nao logia pwaa o pdi'o 6te na e t ?usta. Para,
ncia corn 2 de novembrb d 1*77. ..r.. .
aergwco e A secea--As vretimas a soct-orrer na regilo
V eIrvi- presentemente flagelladl(pela f ca, sio :
0poderfto Provincia do Piauhy 1 ,000 pessoas.
Ceara 7A0000
embara- Rio Grande do Norte 4 17,000
s, e dos TParahyba 400,000 )
anamen- Pernambuco 200,000 a
3 Ihe de- Alagons 50,000 a
.gglome- Sergipe 39.00 -
ri e ser- Provincia da Bahia 500,000 D
attender ---
co criti- Somma 2,147,)0 6
r. Rodri- Trata-se, poeis, .de soccorrere salvar -,147,000
s traba- brasileiros.
que esta Se fossem esceavas valeriam 2,147,000,000$,
pelo menos.
da pro- Niao sera. pois, de riAais que empreguenios
io da ca- 20 a 30 mitI contos de ris para salval-os da
igar. A fome. e da eeste, do roubo, do assassinate e
se. e Ihe da projitutoo.,
tros cli- Arela brillhante-Mandaram-nos, diz o
Paiz, do MaranhAo, urna amostra de ura area
SDr. Be- notavel pela alvura e brilho dos grAos, que
tambe-n slo muito finos o em formna de erys-
- rio takes. Esta cariosa amostraveto acomnpardbada
s da pro- da seguinte nota :
siringa, (( Fdi esta area encontrada em um Poo que
idotvalor existe no alto da serra que divide a provin-
lavoura. cia do Piauhy corn a de Goyaz, a &ujo terreno,
esclda e os seu primeiros habitantes chamavam Jala-
mo qu e ao. A fazonda em cujo perimetro foi encon-
tras naoo trado o dito poego charna-ase ltapiru, e esta col-
e mise- locada A margem de urn rio. o
ndonado Expedigdo maritima-A expedicio rus-
[adeira e sa, que partio no navio Luira, armado pelo
) engpdo conde Kamarowski, e outros membros da so-
quo os ciedade deh navegarao russa, acaba de voltar d
ue eaih- M6scow.
a extri- Duraqt o verao, que fai bastante frio naquel-
las paragons, pecorreu o mar de Kara, e o
Moura e golfo ainda inexplorado' de Obi. Subio o rio
1 e 4 deste nome e o Irtisch, n'umna exLensAo de
arochias 2,000 kilometros.
os. 'Pr Atravessa do mar de Kara e important,
- indivi- assim como o conhecimento de tuma passage
idade de ate Obi, principalmente para to4a a Siberia oc-
s I cidental.
tern em Vlagem rapid 0 vapor Germano da
) maito, companhia Union, ingleza, feaz ultUmamente
S-taran- viagem de Plymouth ao cabo da Moa Esperan-
fruftife.- ga em 19 dias, incluindo a demora na Madeira,
a planta- unico ponto emu que tocou. E' a viagem mais
odigiosa rapida que se tern feito entire a Iglaferr e a
Sq asua colonia do cabo; ordinariamentoe gastam
que aos paquetes 22 a 24 dias em percorrer esta
prinmem longa travessia.
pefa ex- Loteria da provincia-0O dia da extrac-
pequeno 'o da loteria 250' sera annunciado logo que
r rnaior "sja por S. Exc. o Sr. president da provntcia
interior approva&1o o0 respective piano.
'sassu e Vaperes-Sao esperados os seguintes-
Camoes do Sul hoje
cotas. Bahia do Sul ate 9
Oes pi Minho da Europa ate 11
gar fib- Mondego do Sul ate 14
future. Oberon da Europa ate 14
a de 30 iberia do Sul at 15.
ys, dos Pard do Norte ate 17
Pernambuco. do Sul ate 17
merdio e Nigh" do ,tfP. '-ate .0
aais de Glenlogan aelfe*t-Yerk ate 20
\os seus Leliaes- Hoje ydun realisar-se os oe-
gos que guintes :
les sel- PeSo agent Pinto, a rua do Born-Jesus n.
43 : de diversos utensilios paralythographia;
)or o0 da casa terrea n. 8 na rua do Fbg.; e de urn
imento. terreno no Chacon.


soccorros, me foi dirigida conta= V. S. reoativamente a
Extremamente ciosa de sua humanitarian faetos graves que Ihe. sao imputados.
missio, apraz vel-a, abrigando aosque che- Tendo. por6m, noliia daeles.peo Cearee,
gain de retirada, creando hospitals para quo aqui se public dei.-me prssa em solici-
serem medicados os muitos doentes ataca- tar logo inftVrmapco sobre a sua veracidade
dos das fqbjes, e cameras de sangue, que para poder formartOtm juizo segur.
presenteolate remain amcorn intensidado, e re- Corn relacao ao. individuo que Oe diz haver
clamando 5. S. Exe. o Sr. president da pro- fallecido dA bordo do vapor soblsqp commando,
vincia, todas ]as medidas convinhaveis a i- devi" aegundo, se diz, A fome e ao mao tra-
tuacgo. tamento que teve a bordo, cornwQiOiiu-%e 0
Ha benm, poucos dias, fomos testemanha de Exm. Sr. president do Para em ofiio de 6 de
uma scena. cheia de d6r, mas rica de senti- ,0tubro passado, que esse inod iuu falleceu
mentos !. em consequeuia 4de soffrimentgs aggravados
Cabio etenuada 4-ONW-a duas leguas dis- por sga idade avangada de 70 a
tante desta cidade,ia f*aiilia comosta de pole V. S. izer o useo quo k *iw desta
seis pessoas. minha resposta. So t comes i r
Nao se fez esperar a cmamisslo de son, zelo Qo. De V. S. attento veoii* rido --
incansavel GCaetano Bwatita C. Peso2
Doze himens, conduziando tires reoes, par- Mirg. e Uxm. S.Dr. r09* 46k w"---
tira% e a deAanda do lugar, e boras .lpois rijo-me a V. Exc. af1me- B Sc. uma
chegaram essas victintas, cujo aspecto-fazia resposta que se me t;r.004 pO-
brotar lagriias do corcaog..... .der, send precise, adefel r-imfts*wmlignas
O Exm, Sr. Dr. Nicolao Tolentino do Carva- acu es de qoe fui teenho Ao aguido
lho. actual president. da provincia, teA sido polos jornaes do CearA-.1se a i*o te do
icansavel no emprtg6 das umedidma em ordA verdsde, V. Exd. nao a obeo so mes-
a salvar das garras da more nilbares de o ,o soatido dirigi-iauExow. i l dente
mintos. "- e 1eo ; res-
As assignaladas provaaw, de civismo e phtilan- posta. v
tropia, quake tanto o teom distingido nesLa cra- Tan. edo V. Exc. 8 1 Ca-
zaoda de caridade nao se apagartAo jAai5 da ao meu c omwm=R4 051
menonia dos rtio-graodensu. mbarca m ,i:eir{ iB


I Antonio worrea de Vasconcello., ia ..---
Primeiro de Margo n. 13. Tendo side atrozmeinte caiumniado n'umna
AlgodAio branch da Bahia, tpe- 1 das folhas do Ceara, public osr dcumnentos
or, rua Duaue de Laxia h a 44. Iabaixo que destUw a baixa acusaCao que
rior, rua Duque de axias n. 44. me foi feita, utuicamente como stgade res-
Ghapeilarsa e modas peito e considerate ao publico.. Maranhao,
Costa Maia & C., rua Primeiro de 29 (de novernbro deo 877.-J. P. G. de Alco/o-
Margo n. 6. rado.
Fabric de cigarros a vapor 1 Ilhn. e Exm. Sr. president da provincia.-
-Biorgard &.,,C Recife 15, rua do Acabando de fundear hoja neste port, vou
Marquez de- Olinda, Santo AntOnio 3 rogar a V. Eke. tera bondade de me respon-
I der se ha nesta capital queixa algama contra
rda Pimneiro do Margo, Boa-Vista 51, mim das infamias df que sou accusado pelos
rua da imperatriz. jornaes do Par& eCear6 relotivamente aos
Pharmacia e drogaria emigrantes que o vapor Ccara conduzio a
Ferreira Maia & C., rua Duque de viagein passada para este porto. Querendo
Caxias n. 57. pois resalvar ininha repkitaCio de comman-
Encaderna^ao, pautao e papelaria idante, positio tao melindrosa como V. Exc.
Mirnda JunaIo, p taDqe de I reconhece, desejo uma resposta a ella qual
Miranda Junior, rua Duque de a- f6r que v. Exc. me queiita dar, e pedir-lhe
xias n. 37. autorisacao para fazer uso della onde me f6r
Ligbes de francez precise, comno fiz e obtive do Exm. Sr. presi-
LiVSe+- theoricas e praticas de floin- dente do Ceara. Maranhio, bordo do vapor
cez, pelo metbodo mais facil para se ceai, 23 d ovebro de 1877.-Co oda
Z I consideracao. De V. Exc. servidor altento re
aprender esta lingua eni poucos mezes. nerador e criado.-Joaquim de Paula G. At
CGrso todos os diasla. rua da Aurora ; cofo/ado, commandant do vapor Ceard.
n.,41, 2.o andar. i11m. Sr. Joaquim de Paula G. Alcoforado.-
Gastronomia Em resposta A carla de V. S. em que, para
Archiarmazem do Cafnpos 28-rut ',-o M justificar-se das accusaC5es feitas a V. S. em
peador--8 0jornaes do Cear e Pard, pede-me que sobre
Imperador-28 o assumpto de taos aceusacoes declare se ha
Leite condensado superior, presun- nesta provincia algutna queixa contra V. s.,
tos para fiambres, linguas afiainbradas cumpre-me, a bern daoYerdude, podendo fazer-
)em latas), fiambres em latas, cho fin, v. s. a us o que quizer do quo vai dito, asse-
)em laias, .acires e gr ladas, n-vear a V. S. que nada consta contra V. S.
doces, licores. acipipes e grande varie- nesta provincia relativamente ao asSumipto
dade de vinhos fines e de pastes, em question, send que desembarcaram nesta
lheumatlhmo provincia immigrants vindos no navio do coin-
Gura certa e rapida pelo emprego mando de V. S., os quaes nio articularam
do Elixir e Linimento do Dr. Cons- queixa alguma. Sou de V. S. atteato- venera-
Sdor e criado.F==rancisco Marut C. de Sd e e-
tantin. Vende-se na bctica franceza de neoides.
A. Caors, rua da Cruz n. 2-2. 11 m. e Exmrn. Sr. president -Sou forcado a
Corn o disconto de 13 % bern de poder defender-me das cahimnias que
W. Inglis & C. Deposit de fazen- os jor'naes desta capital, e os do Geara que
da 0 irglleas f,_ar ea all es c n- transcrev-ram me arguiram na ulinia viagemrn
das ingezas, racea, lema es eame- ue aqui fiz corn immigrants do nossa malfa-
ricanas, a rua do Imperador na. 5. dada e inleiz provineia; accdsaOes tio gra-
Casa da Fortuna yes que como com.,aadante de un paquete
A' rua Primeiro de Margo n. 23 a- nao posse deixar de procuai trazer a yerdade
charn-se A venda os bilietes da 5a e In- ao conhecimento da directoria ; e so6 per meio
titna grande loteria da Bahia cue co- de cartas que como agora faCo a V. Exe. e ja
re impreterivelmente no dia e afiz aos Exms. Srs. president do GearA e Mara-
re impretevelmente no dia de ja- nlo, e ao Exm. Sr. Gomes de Castro, passa-
neiro. geiro do Geard a MaranhAo; e de todos jA olbti-
Asphyxiador das formigas de roea ve devida resposta.
Este infatlivel destruidor das formi- Espero de V. Exc. que me respondera, se,
goas vende-se unicamente na botica tle perante V. Exc. honve quoixa fornrmulada em
a P lven B^arbosa nra do rlaMa to s accusagSes que me fazem aquelles
Manoel Alves Barbosa, A rua do Mar- .jornaes de defloramentos, mAos tratos e ats L
quez de O14da n. 61. r inesmo morte proveniente da falta de alimen-
Rels e Silva & Moreira tLos. V8 V. Exc. que, o incommaedo per ur-
Para senhoras e homes fazendas goente necessidade de defender mioha posicgao
e artigos de phantasia, rna Duque de de commandant; pedindo ao mesmo tempo
Caxias n. 60 A. rlicenga a V. Exe. para fazer uso de sua res-
axias n. A. posta come me f6r convenient. ParA, bordo
-, ........ .. do vapor Ceard, 25 de novembro de 1877. Sou
BL AfI o, TP I deO V.Excv attencioso venerador e criado.-
P UBI lULI A l1)LU Joaquimn deP. Guedes Aleo/forado, commandan-
te do vapor Ceara.
Ilim. Sr. Joaquim de P. Guedes Alcoforado.
Rio Grande do Norte -Em resposta A sua carta, tenho a dizer que
Mac:io, 18 de o.tubro do .1877. nenhuma queixa me foi apresentada contra
;;m 1V. S. relativamente aos facts de que trata-
Sr. redactor.-Gonsterna o coraClo e afflic- ramosjornaes doGeard e umrn desta capital.
tivo quadro, que-desenha esta cidade, diantoe Na minha enstumada visita ao Forte do Cas-
do consideravel numero de retirantes, que pa- tell, onde piovisoriamente sito alojados os
ra aqui ltem affluido immjgrantes earenses, Live orcasio de fallar
Niao permittimos a duvida, de que possa a lodoes os que vieram no vapor, sob o com-
existir ponto algura na provincia, que-accu- mando de V. S., e indagando, come sempre
mule tantos infelizes Ltenho feito, qual o tratamento recebido A bor-
A cada canto da, cidade, a cada sombra de do, nrao etouvi queixas e, pelo contrario, decla-
arvore, e atA mesmao nos alpendres das casas raram-se todos satisfeitos. Pode V. S. fazer
habitadas polos particulares, A doloroso ver- use desta. miaba resposta com Ihe for conve-
se apinhadas essas victims do infortunio. niente. Bel~m, 25 de novembro de 1877. De
cercada? dos fllhinhos, cujo sorriso innocent V. S. attento venerador e criado.-Jedo Capis-
naio transsunde o-fel da desgraga queos op- trano BaWdeira de Mello Filho.
prime IIlm. e- Exm. Sr. desembargador Caetano Es-
0 grito de d6r e angustia, exhalados per as- tellita Cavalcante Pessoa.- Fortareza, 2' de
ses irmaos flagelindos, tern encontrado echo novembco de 1877.--Tenho a honra de eum-
nos coraces macasenses. primentar V. Exc., e tome a libtomade de
A commissio de soccorros, sobre modo ac- pedir-lhe que se digne responder-x( ao pA
tiva e zelosa, ha procurado desempenhar o desta, se alguma queixa on rec ao, cnn-
grandiose pensamento do governor, poupando tra mim, chegou perante V.Eve., relatvaimen-
com trabalho quasi insuperavel, a fome des- te a urn factor calumniios que algumas gazetas
sas familias. desta capital teem publicado, em que aeuusam-
Os sons dignos- membros especialmente o me conmo violador da honra de senhoras, quo
padre JosA Joaquim Fernandes, juiz municipal na ultima viagem do vapor Ceard4. 3ob mee
Dr. Silva Antunes, promoter public Dr. Vi- commando se transportararn destapta piro-
cente de Lemos, esto acirna dos maiores elo- vincia do Para-- come eoaigrantes.
gios possiveis. Alm do obsequio que a V. Exc. floor devon-
Procedem A distribuicao dos soccorros .dia- do, pec mais a-tmudadede me penrittirque
riamente, e s6 assim podem elles aeudir A to- de sua resposta facs o uso queif6r prec.s0 pa-
dos os indigents, quo se multiplicaun cada vez ra mnnha defeza. Gom subida cQnsidetcaco
mais polo numero dos que, afalta de recur- me sbserevo. De V. Exc, servidor attoento
sos, pelo mao estado dos caminhos, affluem venerador e criado.-Joaquim de Paula G. Al-
das freguezias otreumavizinhas, isteo A, do As- cofOrado.
su, Angicos e Sant'Anna do Mattos. ri-m. cr. eommandaste Joaquim de Paula G.
Nibo esse tabalho o unico galhardilo, quo Mleoutrado.--Em resposta A sua carta, eabe-me
tern conquistador a benenerita commissio do dociarar que nenhuma queixa ou reclama.aio


pi








I


nde nu- Pelo agent.-Pestana, A rua de Imperadorn.
ria se o 025, de morveis, loucas, videos, piano, espelhos,
tado. obras de electro-plate, etc.
ry, Car- Segunda-feira devern realisar-se os se-
e nao e guintes:
eam. que Peto agenM Stepple, A rua de D. Maria Go-
asterri- sarn.12, d*movei,
Pelo agenU Marti, A rua do Imperadorn.
do Rio 16, de dez acgoes da comIanhia de trilhos
M oira- urbanos de Olinda e Beberibe.
)poSto- = Terca-feira dovem rea~isar se os se-
i, ca m guintes:
Laivz ac Pao agent Gwm&o, 4 ruiado Barlo da Wic-
o wnme) toria n. 65, da casa terra n,. 24 da rua do co-
rolpnde ronel Lameoba.
& vida, Pelo agynne Pinto, a travessa das Cruaes n.
rocilad 2, de moves.
vatntia. MIssaf tunebre-Sera kaelebrada :
esabe- --Ifg. As 8 boras do din, na natriz
tw in- de Santo. Antonio, pela alma do Dr. Virginio
00oa Hewniquos Costa.
t eeli Passgc44ros.- Ghegados dos ports do
term nonte no. vapor nacional. Cear d:
abaodo- Luiz luigue a e 2 filhos, Dr. Luiz Fereira
Maciel Pinheiro, sua senhora el criada H. C.
ribu nu- Donovan, Olympio de Seixas Borges, Francis-
Sde ar- co das Chagas Lima, W. .. Potter, Dr.. Henni-
5em em Sdamara, Jose Pedro da Custa, Manoel da
'ao .o e Iva. Bastos, Bernardo Norat, Frei Jose da
s, e, do- Exaisaeao Marques. Wximiano Vieira Lmeos,
ariQ dos Franceisco Joi Marimto e 22 retirantis..,
o, Inerm Seguem para osul no mesmo vapor :
-se, fu- Manoel R. Gongalvys, ManoelNobeto-da Con-
is, onde MeRo, Josa ibwtrignes Forties, oapt..o Theodo-
a. ro Marques Ram os. oionel Antonio Joaqusm
mo n6s Bacellar e sue faSia, Francisco Jansen Viei-
m rear a de Meliott, Jose6 Lvucio Goncalv,, Dr. Fran-
5 m tem cisco Rodrigues Silva, Dr. Antonio Epamnlon-
dais da Fjota, Wicente FagWnd4S, Jose PintQ
lpo pu Josd Gongalves de Moura, yhleia Rita Bap.
trvt tofaJoaqjin Gongalves oo, adetes Dio-
'pnn de A. Altaquerque, Jos9 A. Bezerra Ca-
glnta ^ante, Josb Alves da Silva 8pragaa do exer-
ma u~


branc f prag da aainsda, 5A rtirautes e 77
baaorrd 'w11 a ettirgr.1 1
proza- 2 Saidos para o norte no vapor Pirapama:
irtii M6anga do iascmenta astro e Silva, Fta-
Clone entino de Yaseoneitos Chaves.
a C deA Albuqr Silva e suna seeom9A e, Dr. Ce-
itonatJ. os A. [ Ye sdaSa.8ara," o o aee da
do..; 'iWainnlinr T.iup'i Baaton5 Datre tse7ilon


I


I






















WI~~tiUF!R0 a$r. J0o o Gaf QOvalosute d6 A~b
em tiancids4 do E~eid; i- professor
B-5Ue 1rav de 2p RrOs. oetu P&oAa ho,
VIC ern Goyanauw o.S&,41'neerWip Augusta Wioso
t I 1wra4a forradent at da Silveira enesta ty'lp9raphia. A tratar na
Vau. 14 1medini aos Imperial v. 43.-

*|^sa.agoa acabo de dirigir-nieCllfft8 L8r2Wf3
0 i daTGraT-
d g-Coltedio de N.8 a a
aot a V. Xx e o aoos ftspre- :+v >J- I
gaoi o e ique isimtaram omo* a. N. 10-PONTE DUCHOA---N. 10
vio cguei.d v V. Exc. qu e de Directorsa
acci -rave ., -l toraaiecessaria MadOi Q .Anl ?Oap
just raV. a &'a o]ectoria da igesma g 'Opfi d tLe
orna erando pertnissIo d'V`. Exc. gad det nste eteoe-
de fe o quo men for coaveniente da res- cimento consta de portuguez, francez,
posta 4W'# E ParA, 25 de novalrb do iugtez, calligcaphia, arithmetica, geo-
1877. de V xc. servo, attento venerador aphi, historic, mytholoian m ca,
e criado ,Jmiqaia de P. Godos Alcofworaido. caph nito, na yoo a,
lllm. 'Sr.6mmandante Joaquim de P. Gue- piano canto, danas, borda4o de tdas
des Alcoftrado.-.-Perfaitta V. S. que aqui mes- as qualidades,crochet,florese- desenho.
mo reSpowa a queime pergunta. Nao me foi Recebem-se pensionistas, meio-pen-
trazida, aW o presente. q'ieixa alguma Contra sionistas e extefnas, send as primei-
V41a. -,ttttiwatie Pode v.-8. usar Illltseeirasno spmi
desta mahl resposta do modo que the are, ras a 41t)0A, As segundas a 205 e as uiti-
cer. Be164d PPara. aos;2t5 de novembro de imas par 53000 par mez, nao havendo
1877. SoudoV. S. attonto venerador e criado; extras
--lrancu'w V. teieu.
l r. major ntos. a miia ultima lingua fallada no collegial 6 afra-n
111m. *S'. major Santos."Na makiia'uttirnaI
viageoa a este porto corn iiMlKrantes, fui pe- ceza.
los jWnaes d'aqui aceusad mar'ltratos, de -
defloramento que riz Aq*fois-:passageiros. el |,U(;TITJTh (SUiTADff
de mesmo ter at W norridd-a bordo, por fal t a i ISTITUTO SANIA l0
de alimneuto, urn d'aquelles passageiros. Tendo iY W1l & C
sido V. S. o encarregado de receber aquelles I
innigrantes fizera in- lhetgu ma queixa formi EM.
lada, e fui eu ouvido owi arguido por estes "Nova Friburgo
acontecimentos de que traitamn as jornaes. _1 3 hoi'as de viagem do Rio de Janeiro pela via
Queira ter a bonkde de ao p6 desta inme dOc- ferea de GCantagallo
clarar d bern da vardade e para fazer o use que DIIRECTORES
me. conviy ara pt o jaiupu_ iagvar ao co- Dr. Fortunate Correia de Azevedo
nheciinento da directoria da wopanhia. De Dr. Carlos Eboll
V. S. venerador eoriado. Par, 25 de inovem- Estatistica jd publicada de 25 de junho de
bro de 1877.- J. Atcoforado, commandant do 1871 a 30 dejunho de 14875,
vapor Ceamd. rm n 3 doentes curaram-s radicalmente 149
Encarregado conio diz n'esta sua carta, do de mnolestias chboopicas daduaabo de 6 mes a
dosembarque denimmigrantes cearenscs, ne- 20 annos. Entree estas figuram 101 casos dd u-
nhamna queixa tern elles formulado contra V. ra do lubereulos pulmoiares, em 40 doentes,
S. em sentido algam, do qie todos se lamen- e 19 curas de o bqnchites chronicas,: e6i48
tamn, da infelicidade a qua as reduzein a sec- doente.5. 0 resi4tado mais notavel obtido 6
ca na provincia natal, nas nolastias lronqho-putlmoarts,
0 immigrant que falleceu na uiltima viagem ) Ducihas geladas e tlemperadas, refrigerator
dle seu vapor era um honien extenuado pela e n grand e esoala, moido a vapor ; ba-nhos
idade e molostia coni que embarcou. Que era russos, banhos turcos, hanhos medicamento-
velho set polo cadaver qua mandei enterrar, e sos, I)aahos hydro-electricos, banhos escosse-
que acliava-se muito doeate, diztoda familiar, zes e agua quente, e tria, alternativamnento
a qual prevenio-se da uma imagemin do cruxi- applicuda coamrn o apparelho de Jorge Charles,
ficado, provavelnente contando coarn o acon- bIthos mineraes (applicados comi hydioferro
tecimniento. Faga o uso que quizer da respos- de Mathieu de La DrOmo).
ta que ora Ihe dou.-De V, S. attento, venera- 0 saluberrimo clima das montanhas de Nova
dor e criado. Pard,.25 de novembro d1 1877. Friburgo, a grande Vtiriedade do tratamento, e
-Antonio Clemente dos Santos. o grand numero de curas admiravei's ji nelle
1llm. Sr. Dr.-Tende side atruzmente accu- alctnvadas, o tornam sabre manoira recom-
sado polos jornaes desta capital, que na mi- mendavel aos medicos e aos doentcs.
nhlia ulltimaviatem camn immigrants que troupe Neste importahite estabelecinmento, modela-
,to GCeard, tinha havido a bordo do vapor de do pelos methores da Europa, encontrario urn
meu commando., d4ordem, defloramento, indos poderoso meiv therapeutic as pharyngo-la-
tratos a ponto di9ser victim um delles que ryngo-bronchiies chronicas, os tuberculos putl-
morreu a mingua. moni'res em certas condiches, os rheumatis-
Tendo V. S. r'vistado e.-te vaper coin1) me- mns inveterados; algunscasos de gotta, as mo-
dico da sauide, e aonade demorou-se par algum lestias do utero, o hysterisino, as nevralgiag,
tempo, para ben da verdoade e mesmo por o nevrosismo, a chorda, as congestoes do figa-
qu(oe men de dever perante a companhia jucti- do e ba ticar-me destas a-cusaogs, tenha a bondade clhdoroso, a dyspepsia, a gastrite chronic, as
de ao p6 desta dizer-me o que Ihe c.nstou, ,esrofulas e certas molestias syphiliticas e
presenciou e ordeuou coinom medico, pedindo cutaneas. Os cases do beriberi, sujeitos e este
iicenta para fazor o usa qu< me convier, e le- tratamento, teem sido todis seguidos de cura.
vando ao conhecimento do publico- a quem A maior part destas molestias resisted or-
deve eu satisfagao domeun ecmiwortamento, co- dinariamente a todos as outros agents thera-
mo comnandante de uri paquete. De V. S. peuticos.
attento, venerador e criado. Para, bordo do Para certas molestias e, nao s6 preferivel,
vapor Cea-', 'Z5 de novembro de 1877.-Joa- cono necessaria a est'iaeao invernosa.
qpi,n P. G. A4coi'orado. [ecebein-se pensionistasno institute.
(ilm. Sr. Joaquimn P. G. Alcoforado.-Res- Os doantes interns costumain ctomrnar duas
pondo a esta carta do V. S. que na quali- ducchas por dia.
dade de inspector interino da safido do jor'to Especialidade do Dr. Eboli :- Molestias ute-
do Pardi visited o vapor Ceai'i na ultinma viagem rinas, tratadas pela hydrotherapia.
aqui,e que interroguei aos immigrautes que elle Para consultas e informaC5es, podem diri-
conduzio do Ceard para este port, a respeito gir-se ao Dr. Jiot, dibeiro de Almeida, rua
tie seu estado de saade, visto como so dizia Primeiro de Marco 1i 29, no Rio de Janeiro, do
que nbqumella provinCia grassava-febre 6ma- Ineio-dia (is 2 horas da tarde.
reila : que cerca de uma hera depois de fun-
dear o vapor-falleceu umn desses immigram-
kes, o qual seg-ndo infornou-mo a mulher (\lle*i0 de S n Ge
delle, havia embarcado d'alli jA corn muita -
dyarrhe&+, send liomem do mnais do 70 annos. e d
Ero homenagem a verdade declare qu6 nao lOVeVa
ouvi queixa algumna quer a respeito do 1o to- llveVa
pica desta sua carta, qruer a respeito de mao iI--'Fiua da Aurora--i 11
tratamento a esses infelizes.
P6do fazer o usa que deseja desta minha Recobe lumnos interns, meto pen-
resposta. Do V. S. respeitador e serva. Para sionisias e externos, para cuja educa-
20 de novembro ds 1877..-Dr. J. Vivciios de cao e ensino tern complete pessoal do-
Mattes. cente
Illin. Sr. Joaqaim P. G. Alcoforado. ParS., cent ifie.i e que e ea cido
26 de novembro do 1877.-Em resposta a car- u cdifcio em quo esta estabelecida
ta de V. S., de hontem datada, na qual pede possue as com modidados necessarias ;
que,-em abono da verdade eu declare so me ha b anhos salgados e doces, areas de
consta tor fundamento as fortos deque fora recreio e tudo que constuc urm intre-
V. S. accusado no journal C,?arnse, de detlora- imento
mentor em pessoas de alguns immigrants cea- timento


refuses, bern como de mAos tratos a passagei- --
ros. tudo na penultima viageon do vapor sob q., a Aga& C& Sm_ am
seu commando em que fui passageiro corn mi-
nha familiar, do Maranhao paraeesta capital,
devo, satefazendo o pedido deV. S., e em COLLEGIO DES. THO-
abono da- verdade, declarar que, nao s6 a bar- MAZ DE AQUINO
do do referido vapor, coma mesmo depois da AQUINO
minbaestada nesta capital, nao ouvi articular 65 Rua do Hospicio 65
accusaeAoalguma a V S., pelos facts de que o BACHARELMANoEL BAR-
tratou o Cearense, podendo ao contrario jurar,
se precise f6r, que observe durante minha j BOSA DE ARAUJO
viagem, o maior respeito e cavalheirismo paor ,t A a at ia
part de V. S. e mais officials do vapor e ma- -se aberta a atcula
rinhagem para corn todos os passageiros, sen- de philosophia, geographia,
do que detodos os meus infelizes comprovin- e historia, rhetoric, arith-
cianoscearonses ouvk sempre manifostaeSes metica Pgeometria para ,
ligongeiras ao tratamento qune recebiam a bar- cs eia dr
do do vapor. curso de ferias, que deverA
0 que venho de expor .1 a verdade, e della comear no .o de dezembro
pode V. S. fazer o usa que Ihe convidr. Sou proximo vindouro..
tierador e criAdo.-Josi Felicio Ribeiro. se ire ins v e
se quizerern inscrever em al-
o Sr. Dr. Jos6 Eustaquio Fer- gumas das materiassupra men-.
reira Jacobina cionadas, deverao enteader-se
0 Sr. Dr. Jacobina exhibe-se hoje polo Jo'- cornm o director do collegial, das
,ot do Recife apedrejando-me, sob descon- 9 As 2 horas da tarde dos dias
lianga de que pretend descortinar sua vida u teis.
tjrivada.
Nao estoa acostumado a vir & imprensa tra- 0 pagamento, de cada aula,
tar da vida pdivada de ninguem. que e de 0O, sera pago adi-
Ahi se leam os meus antlgos e a provs mais antado e feito na occasiao da
evident 6 o que fiz hoje publicar nas paginas respective matnicula .
deste Diario. Altm do que, alio tenho ogeri- respecuiva rs a tricuea.
sa ao Sr. Dr. Jacobina, seja pessoal, seja pela 0 curso ser de tres mezes
circamstanciade o constitlirem advogado do a ontar do lt.de.- dezembro
Sr Manool Espiodola de Mendonoa, circumns- at ultimo de fevereiro.
tancia esta. arto, to p6de preju- -
dicar osbeW90ituinmte o Sr.
Antonio l14 erreinefilnador. iP ^I" 6 iQi
Tranquirtm ^, pft aik, 6tiS Dr. Jacobina,
certo de wqt e e f rent N4efe.0erei esses N -Broncltes,perda devoz.-
direitosX argta at o, se S. A mudega do *;'s nAQ cura. bronchites ou
S. quizer, o=&ais pr uaciajo esquecimento Perda 4 v, p mr o oleo puro medicinal
a sua eauaa via ptw ia. o defgo de baeolhiu de Lapman & Kemp, o
J. rM. de Andrade. 0 Wd.- Heber Rapelye. de Milwaukee, pi-e
-s Wtement. em Buenos.syros. pame onde- fi
-cof l C o1 a ,speoringa de quo o ar tropic..ocua,
.0doLo0s" hora -_ia deumador de garpnla chronic de quo
r- plje 1 : a idihavia mUiatos raos, ewar've o so
~RUA 9_AAK.2 guiMnte
..... -- E-.! -- 2i nanrw.Ai ria n ma nmardnmin ham al"nIm


0re


utv *IluP V ] i U IUMl Wkj+WKl.,2,
aproveitl do uta 4doleo de
r 6ow dea do ames posso
.-4, ai au Mhaa volhir- mi-


Ditq
Caw


Vascwwetlos,
-to-


S- re aro.
'. .A~;rEl .
ALFANDEC
Rendirmento do dia 4.a pIi 209:7210845
idem do dia 6W + I 46:868b87(
zo:9W721
Descarregain hoij 7 do dezembro de 1877
Vapor naciornal Cwnoes (esperado) generous na-
cionaes e encomnmen4as para o trapi-
che Gompanhla.I ,
Barca ingleza 30rahIlni ferragens despa-
chada4 pia feia, nto.
Barca ingleza MarceUw, farinha despachada
para o 1o pontdo, ao para alfandega.
Barca ingleza Minalto, varies generous para alt-
fandega.
Brignue intez Raehel'Lewis; ferro ai despacha-
do para o 10 ,ponto, madeira despa-
-bctatwirto (o mponto.! e cimento pa-
ra deposito io trapiche BarAo do Li-
vftmento.
Brigue allemAo Mathilde, madeira despachada
para 5o poto..
Lqgar inglez Titania (atracado), bacalhio des-
pachado em transito) pelo tapiche
Co nceigdo
.tAtgar inglez Leander (atracado) bacalhfido des-
achado ein transit polo trapiche
o. Gonceigo. *.
Luigar i dez Louita Witt,. carv~io despachado
pTara o1o0 ponfo.
Patacho a e'cano Vohanna, farinha despa-
chahlapaera dloo poatoi, e' madeira des-
pachada painao 54 ponto.
Barca ingleza Po'rth/erna,'farinha national para
o trapicheo Companhia.
Vapor francez Gironde, foijao despaclia o para
o 20 porto,. ,

1. ,/*-*Im cIrt~si~oj
Vapor francez (Gironde, entrado dos
portos da Europa emi 5 do corrente e
consignado a IXugusto Labille, mani-
festo u :.
Arnostras 6 volttumes a diversos, A;
meixas 11 caixasl Ramos & ,arvalho,
9 a Ferraz & Pereira, 26 a lDokiingos
Ferreira da Silva ( C., 5 A ordem, 1
ao consignatario.
Azoite 1 caixa ao conIsiguatario, 6 a
[E. Nuesc li t C., 1 a Augusto Caois.
Agunrd~ente 6 caixas a Lehmann .Fre-
res, 6 a Jean Laguin & CA. Agua de flo-
res de larangeiras, 3 volumes a Augus-
to Caors, dita de alores de rosa 1 vo-
lume ao mesmo. Artigos de Paris 1
caixa a Klein Freres.
Conservas 4 caixas a J. Laguim, 20
a Ramos & Carvalho, 3 a H. Nuesch &
C., 1 ao consignatario. Cognac 3 caixas
A ordem. Cerveja 6 caixas ao consigna-
tario. Cl-wcolate I caixa ao minesmo. Ca-
minisas 1 caixa a Klein Freres, d a or-
dem, 2 a Luiz 'Antonio "Siqueira, 1 a
Eugetio Gongalves Cascdo, ditas e gra-
vatas 1 caixa a Goncalves, Irmao t C.
Couros 2 caix-s aos mesmos, -1 a Mo-
nhard Mettler c.C. Cebolas 100 caixas
a Silva Guitnaraes & C., 50 a Thomaz
de Aquino Fonseca & Suceessores.
Chapdos 2 caixas a.Ya; i r t" C., 3
a Vaz & Leal, 2 a Parente( inna & C.,
3 a A. J. Maia & Irmao, 2 a Joaquim
da Silva Carvalho A C., 1 a Antonio
Correia de Vasconcellos. CalQado 1 icai-
xa a S. S. da Silva, 1 a Gongalves, Ir-
mao 6t C., 2 a Joao Christiani & C., .3
a Parents Vianna & C., 1 a oridem, 1 a
Machado ^ Pereira, 1 a Frederico C
Burlamaqui. Cartas de jogar 1 caixa a
Partirio Machado.
Elastieo I caixa a ordem. Envelopes
1 caixa a Parente Vianna &" C
Fructas 7 caixas a Rarnos 8c Carvalho.
Figos 3 caixas a Pogas & C., 3 a Carva-
lho & Araujo, 7.aCarneiro Silva & C.,
1 a Joaquim Ade S ima & C.
Instrumentos de wmisica 1 caixa a> E.
Robert & C, "
Joias 2 caixas a A. "yvWrnat & C., 2
a Lehnoann Freres. a
Livros 1 caixa a De Lailhacar it C.,


ditus e papel 2 a Walfredo 4 Spuza, 1 a
J.os6e N. de Souza,, Luyas 2 caixas a
Henrique da Can4h .Poqto, I a Guima-
raeq Irmao. Licores # caixas a Ramos
& Carvalho, 1 a ordem, 4 a Lehmann
Freres, 4 a Jean Laguiir I a Francisco
Guedes d'Araujo. -
Mostarda 4 caixas .a Ramos & Camva-
Iho. Massas 7 Maixas aos mesmos, 50 a
H. Burle & C.,i aiFraqisco Guedes de
Araujo Mereadorias ditersas 3 caixas
a Porlirio Machado, 1 a Guimaraes Ri-
beiro 4 G ,2 a Vaz & Leal, l a Anto-
nio da Silva Azevedo, 1 a Otto Rpghrs
& Successores, 1 a Loyo Sobrinho t
C., 3 a Parente Vianna A4 C., 1 a Men-
des Lobo & C., 3 A ordem, 3 a Vaz Ju-
nior it& C., 2 a Ramos &t Carvalho, 2 a
H. NueschdC ,laT Coimbra dtC.
Pissas 6 caixas a Carvalho & Araujo,
5 a Joaquim de Souza Lima & C 3 a
Carneiro SilvaAtC.,5a Pocas &A C.
Perfumaria I caixa a Parente Vidnna
d C., 1 a Eugenio Gongalves Caseao
Papel 12 caixas a Rodrigues de Faria
a ,2 a VazJunior 4 C., 2 a Fernan-
des Carvalho &C dito e cutilarias2
caixas a Vaz Leal.
Queijos 105, caixas a Corga, Figuei-
redo &C., C,34 a Carneiro Silva it ,
50 a ordem, 12 a Ftruandes 4& Irnaos,
4 tira- a Brown Toamson &C.,1 a6
consignatanrio.
Refogios 1 caixa com 33a Eugenlio,
Lamberty. Roapa 2caixas a Eg O
Goncalves Casco, 1 a Joio Ignacio
deiros Rego. Rolha ,fardoao co
natarino
Salames caa ao mesmo, Sardi-
nha 1 eixa A 'ordem. 20 aJoS JTa-


rtOS do4| *afflut Itcarrente ^
WnsfiJgt4wa Bernardino Potultl, maf-
+ m i^ ;:: ^ .. *11>1,i .:.. :+ 1.,
Adlaellas parabarrica'p vl s a
ai'deftri
Sa6ssparrilha 30 rq*s
Alves, 37 aordem. .
Brigue hollandez Geoorechten, e ntra.
do deo.T'rieste na toesnia data ^e con-
signadwaa iohnitoii Paler& C.,drtiani-
festou ;
Fariuha de trigo 1,080 barricas. a ''os
cousignatarios.


Palhabote portuguez Luzo, entrade
do Rio Grande do Sul na mesma data
e consig-fado a Amorim IrmriAos & C.,
manifestou :
Gouros de refugo 60.
Tainha de salmoitm 30 barris corn
4,300.
Xarque 162,615 kilcs a erdemn.
DESPACHOS DE EXPORTAgAO NO DIA Z I)DE
DEZEMBRO DA 1877
Portos do exterior
No navio franeez Beautport, casiogou : para
o Havre, C. C. Monteiro Santos 140 saccas corn
i .,l z kilos de algodeo.
No vapor inglez Glefsunniax, carregaram.:
para New-York, V. Cascao & Filho "1,021 saccos
com 76,575 kilos de assucar mascavado.
No brigue norueguense Peggi, carreraran :
para New-York, B. Oliveira &.C. 600 saccos
corn 45,000 kilos de assucar mescavado.
Np vapor francez Girifde, carrogou : para o
RioidaJPata,Altfredo Lima 150 barricas corn
16,981 ilos de assucar abranco.
;Porfos do interior
No paltacho national lMarinho o, carrega-
ram : para o Rio Grande do Sul, J.-F. A. Quin-
tal 20 saicopoi-o 1,50 ) kilos de,assucar bran-
co; J. S. Loyo & Filho 170 volumpscom 14,828
ditos de dito. t
N') patacho national Ganganelli. carrega-
ram : para o Rio Grande do Sul, Amorim Jr-
maos &C. 70 pipes coma 3,600 litros de aguar,
dente.
No ltrgar portuguez Cwistina, carregaram
para o Rio Grade do Silt, Amaorim Irm-os &
C. 550 barricas corn W383 kilos deoassacar
hranao.| i '
No brigue nacional Mar-ia T/uereu, cinrre-
gou ; pam oit'io Grande do SuA,,yF, It P. Gui-
mar"es 480 volumes corn 38,480 kilos de assu-
car branch e 4i0 ditos corn 34,68 dios tie dito
mascavado. i
No ligar portuguez LIia, carre-oio : pars o
Rio Crande do Sutl M. L? Paes Barreto 200 bar-
ricas com 15,176 kilos d p assuaar branch e 75
ditas corn 8,528 *tos de de d'ipascavado.
No vapor national Geamraj sgaramn: para
Santos, L. G. da Silva & Pini y sacecas coni
6,00 kilos delassucar 4uavao ; A. F. Bal-
tar 650 ditos corea 39,000 Ilit6i'do dito bronco e
350 dito caOrn 21,000O ditos do dito mascavado ;
Alfredo Lima 1,000 ditos co 60,000 ditos ie
dito bronco. 'I "
Para o Rio do Janeiro, J.. A. Quinital 54
saccos cam 4,050 kilos do assucar brau-c ; J.
M. Saldanha 70 ditos cohA 5,250) ditos de dit!)
nimaseavado e 211 ditos coarn 12,660 ditos de
dito branch; M. L. Paes Barreto 1 barrica corn
115 ditos de dito mascavado 3 ditas coim 344
ditos de dito bronco ; J: S. Leyo & Filho 1,000
sa -cos corn 69,000 diltos do dito e 400 ditos co1n
24,000 ditos de dito mascavado.
No vapor national S..Salvador-, carregaramn
para Bania, M. L. Marques 25 barricas conam
2,738 kilos dpiassucar b co. j
Para Macei6, M. S. dol SantoA-, volume cern
60 a)bacacbis. *t "
No vapor national Cam6es, carrqgou : para
o Ceara, 2. atheus 10 P*ricms -copi 782 kilos
de assucar branco.
,ft vapor rmacidnal Piiapama, carregaram n
para oCearA, L. G. da Silva & Pinto 5 saccos
corn 3-0 kilos de inilho.
No hiate national Adelino, carregaram : para
Caissara, M. S. dos Santos #2 barris corn 192
litrQs de.aguardepte e 1 barrica coin 60 kilos
do assucar branch.
Para Macao, M. S. B nas I barrica corn
60 kilos do assucar brAB1Ot saco com 60
ditos de milho ; E. da Slya. aldas 2 barricas
corn 1 0 ditos d6 asstu rftrco ; F. Pereira
Lima 387 saccos coan Trnlma de mandioca.
Para Pirangy, B. F.Guimariies 1 barriea copn
65-kilos lie assucar branco e 10 saccos coiam
farinha de mandioca.
Na barcaga Aarora, carregog : pare Macao,
A. G. Wanderley 250 saccos carn farinha de
mandioca. -
Na barcaca Rainha dos Anjos, carregou"
pars Mossor6, A. C. Wauderley 250 saccos
corn farinha de mandiooa.-

ftECEBEDORIA DE JENDAS INTER
NAS GERAEJI9ElfRNAMBUCO
Rendimeuto do dia | ^5 ... 4:70915507
Idem do diam6 1:5535221
6:2625728

CONSUL )DQ14lQVINCIAL
Rendimento do -flk-t s' 38:7935710
Idem do dia 6 10:6335594


S, 49:4275304





A c',pnaia de se-

guras Indemnisadora, es-

tabe lecidai nesta praca,
toma S mphos naritimos

e contra olfoo, Arua do

Vigario n. 2, camsa con

frente para a Praca do

Corpo Sa4l4


)U


utura
I utro


W ere;


,casa e
q0YO *


Rua do


ta
on. 34


S.Saques
Augusto F. de Oliveira & C. sacaro
por todos os vapores sobre o Banco
de Portugal e Banco Uniio em Lisb6a
e Porto, e sabre as caixas tiliaes e
agencies dos mp-rros bancos em tdas
as cidades e possesses to reino d,
Portugal.

Companhia de seguros
terrestres e maritimos
Fidelidade


Soue~de
Nio t nodoomingo 2d o
^te c^ acido numero de sOcis
fi iente parra-a assembida geral extral
dinaria qoe se onv0Cou, o iim. ISr.
vice-presidente ordenou-ine que Con-
vidasse novamente todos o| Srs. -'o-
cios para sabbado, 8 do corrente, ais 7
huras da mani co'nparecerern fi sdde
social; certos de qpe qualquer namero
do socios constituirt a assemblea ge-
ral.
Secretaria da sociedade R. J uventude,
aos 4 de dezembro de 1877.
0 2.o secrelario,
___ Manoel Pimentel.
Irman'dade do' Senhor


EstabelecidcA em Lisb6a em Bo ..J. da P
1835Bom-Jesus das Pors
rma seguros A preminos modins : Po r ordemrn da mesa administrative
rIERRESTRES detoda a especie, contra os ris- convido todos os irmfios para se reu-
cos de fogo ou suas consequencias
AIARITIMOS sabre mercadorias importadasa niremm no dia 8 do corrente mez ina
exportadas em vapores e navies a vela. i igreja da Madre de Deus pelas 11 hora
Nossesguros terrestres faz a coneessao gre da unailhii, aiim de so proceder A elei-
n~d ^ ,1 ^ ^da maidia, alim de se proceder 4 'lei-
nlita do premnio do setimo anna aos segura O da4aov'a mesa.
dos que durante seis annos consecutivos fize e d 17
rbm seus seguros nesta companhiua. Recipe 4 de dezenbro de 1877.
Agent nesta cidade Miguel Joss Alves, a 0 secretario,
rua do Born Jesus, 1itr'ora da Cruz, n. 7, t10 Mlanoel de Azevedo Pontes.
andar.
_Associa_,Ao Portugueza de Beneficeneia
OVIM NTO no --.__ dos Empregados no CofnC-cio e In-
BOVIMEHfO DO PORTO dusfria em Pernambuco.
.....D..... ..... dIe ordemll ll. Sr. director s1i) convida-
Navio ent.o ~ i. dos todos as socios a comparecerernm na s6do
Navies entrados no dia G social, sita A rua larga do Rosaiio %. 26, pri-
Pard e portos internedios-9 dias, vapor na- i,'ii'u anudar, afiun de ab)rilhantaroern a session.
cional Cercd, de 1,999 toneladas, couinan- mingna do 5(, anniversario desta associacao,
dJanto Alcoforado, equipagom 62, cargi (liffe- quo tert litgar As 11 horas da manha do dia 8
rents generous; a Bernardino Pontuial. i io correiiLute. Renife, 4 de dezemnbro de 877.
Maoei6-15 hlioras, vapor inglez Chrysite, do i 0 1o secretario,
517 toneladas, cominandante Johnu George, Jos6 Maria Rodrigues.
equipagem 23, carga algodto e outros gene- r-- -e-i
ros ; a Saunders Brothers & C. Veio rece- Ponte 0 Polular Pe
ber ordens e seguio para liverpool.
Triest.e-61 dia', brigue hollandez Groorecher atb1 a
o,,.?, Z> ,tnamubueanj
OLidambt, de 204Honeladas, capito P. A. 1).
ltentema, equipagem 8, carga farinha de' De or-lern to Str. director convido a
trigo ; a Johnston Pater & G. "todos os socios desta sociedade para
Rid Grande do Sul-30 dias, palhabote por-it- p co receren t d o
goez Lim, deo 165 toneladas, capilaoManoel col r ar noddi eto carrenteAs
a Assumpco, equipagrem 8, carga xarqUe 12 horas da rnanha, aiim de assistirem
e ouiLtros generous; a Anorirn innaos & C. A sessdo rnagna do 2.0 awiversario desta
Navios sahidos no mesmo dia asso-criao, deveido preceded a missado
Bahia corn escala-Vapor brasileiro S. Salva- estvlo ina igreja (do Livramrento ,is 10
dor. cornrnndante M. A. de S. Beltrfio, catr- i," do i a qu ab o
ga differences generous, horas do referido, dia a que tambem de-
Neow-York-Vapo i inglez Gletnsaino.a', cinmanm- verno comparecer.
d antLeS. Marden, carga assucar. Recife, 4 de dezemb)ro de 1877.
Rio Grande do Snl-Brigue brasileiro Saitel- Josd Luiz da Costa Rocha,
0o, capital Manoel Ignacio Ferreira, car-a '. secretario.
assucar e auardente. ____
Rio Grande do Sul-PiIlhabote portuguez Di- De ordem do Him. Sr. engenheiro direc-
li/enfe, capital Antonio e'. da Trindade, tar da reparticfo das obras piblicas, fago pu-
carga assucar e outros generous. blico que no dia 10 do corrente, vao ser arre-
Rio Grande do Sul--atacho brasileiro Mari- matadas, perante esta reparticao. as madeiras
nho VI, capitao Ezio de Oliveira Cura, carga velhas que se acham ao p6 da ponite de Taca-
" assucar e outros generous. runa, e bern assini a grade de ferro da antiga
Observa-to ponte, tudo avaliado em 100$000.
Suspe ,deu do lamnarao para o Cearat o upata- Secretaria da reparticao des obras publicas,
cho allemnZio Aleqp'o, capilo 1 P. Meyer, carga to de dezembro de 1877.
a inesmna qde trouxe de Sflta Caltharina. 0 official,
___________________ ~ Joro Joaquim de Siqueira Va'ejdo.

PODITA. Ohras do nnortn


WF- A SA dJU~
0 ?11 Josi Jaes;! ha6Borges 'Diniz,jutiz substitif-
to do especial do commercio desta cidude do
Rlecife, e seu termo, capital da provincia de
Pernambuco, por Siw Magestade Imoeriul e
Constitucional o Senhor P. Pedro II, a quean
l)eus guard, etc.
Faco saber aos que o present edital
virem ou delle noticia tiverem, que ten-
(do sido convocada a reunion dos credo-
res da massa fallida de Soares, Castro
& C., marcando-se para isso o dia vinto
e tres de margo do anna proximo futu-
ro, resolvi, a requerimento dos fallidos
e por verilicar que os credores ausen-
tes se acham naqui comnpetentenaiente re-
pre'ernta(dos, adiantei essa reuniaio, de-
signanlo o dia 7 de dezembro do cot'-
rente anno, para a mesmrna ter lugar na
sala das audiencias as 11 horas da mrna-
niha, certos os credores de que rino se-
rio admitidos por procurador sem que
este exhiba procuracao especial, a qual
nao podera ser conferida a devedor dos
fallidos, nao podendo, outro sim, urn s6
individuo representar par dous diversos
credores, e que sera havido o credor que
nao cornparec r cerno ldherente as re-
solugoes que tomer a malaria de votos
dos que compareQerem, cotntanto que
para ser valida a concordata e necessa-
rio que seja concedida par urn urne-
ro tal de credores que represent pelo
menos a maioria destes em numero de
dous tercos no valor de todos as cre-
ditos sujeitos aos effeitos da concor-
data.
E para que chegue ao conhecimento
de todos, rmandei passar o present, que
sera publicado p ela imprensa e affixa-
do nos lugaresdo costume.
Cidade do Recife de Pernambuco, 1.0
de dezembro de 1877.
Eu, Jose Franklin d'Alencar Lima,
escrivdo
JosJ Jacintho Barges Diniz
Edital n. 363.-Por esta secreta-
rna, em virtude da ordem do inspector
geral da inst ba, so faz saber
ao professor iie arimari doCe-
dro, Manoel ya(6j vierr Ribeiro,
que por portaria desta data foi o mes-
q adver'ido pU iAnfrwo que com-
rnfttk U do disgp no art. 172 3.o do
regulamento ,a -74 1p novembro de
1874.-See:retari da iinstrucao publi-
ca de Pernaitbuco, 6 de dezemhro de
1877.-O ecretario, Joaqutmn Pereira
da Silva Guimardes.




Juixo dos ifelto t
4Cartorio do e
Em audienciaa i 8 'Dr.'D
juiz dos feitos da fazeuda, Joaquim Gon-
galves Lima, de 7 do corrente mez, se
ha de arreoatar a quem mais der:
Um ,sitio na ilha de Itamarac corn
QOX p4s d co eiros, cbos proprios,
t.ndo pa mos de frite e3,000 de
fundo, o q e poqo
I..i k" rw n 1 ni jt IIlCl '. hhad 4nhbAh QUi


De ordemdo Ilhn. Sr. engenheiro direeto.
das obriis de conservacio .los portos, de con-
formidade corn a autorisagao de S. Exe. o Sr.
president da provincia, de 17 de novembro
corrente, e na formina do regulamento do mi-
nisterio da agrieultura commnereio e obras pu.
blicas, art. Io do decreto n. 2,926 de1 44 de
maio de 1872 e 18 do decreto n. ,922 de 10 da
mesa data, faco science a quem interessar
possa que no dia 7 de dezemtbro proximo vin-
doturo, ao meio dia, na repartiggo das mes-
mas obras, recebe a competent junta propos-
tas para fornecimento dos materials necessa-
rios Ais obras de alvenari por administracao,
por espaco de 6 mezes, a contar do lo de ja-
neiro do anno proximo vindouro, sob as con-
diQOes seguinles :
Art. 1.0 Os proponents deverao fazer suas
propostas em cartas fechadas, selladas e apre-
sental-as ate a hora acima indicada, sendo que
depois nao serao aceitas.
Art. 2.o Os proponents deverao apresentar
as amostras dos objects que propozerem.
Art. 3. As propostas deverao ser feitas se-
gundo o systemna de pesos, mnedidas, quantida-
des e qualidades, de conformidade cornm a rela-
gAo abaixo especificada.
Art. 4.0 Os fornecedores deverao fazer o
fornecimento dos materials, a tempo e A hora
em que Ihes for pedido ; sob pena de pagarem
dez por cento de multa sobre a importancia do
fardamento e de vinte se effectivamente nio o
fizerem.
Art. 5.o Os fornecedores serao obrigado a
pagarem o sello proporcional sobre a impor-
tancia do fornecimento feito.
Art. 6 0 Os fornecedores se obrigarlo a en-
tregar as materials pedidos, no armazem do
caes do Ramos, ou ao p6 da obra sabre qual-
quer urn dos caes desta cidade, mediante re-
cibo, que seri passado na propria via de pedi-
do, polo empregado competent, a qual acorn-
panhari a conta que sera tirada mensalmen-
te e entregue na reparticao no comero do mez
seguinte ao do fornecimento.
Materiaes de constrcccao.
Area do Monteiro, me-ro-cubico.
Pedra bruta, idem.
Dita dita do i4o deJanoiropidem.
Bito d- to eik Janeit44 r i a ,Prsada
no annel de 0,06m. para betn ou empedra-
mento, idem.- ,
Tijolos de ahbaTia' grossa do Monteiro,
milheiro.
Cal hydraulica extincta de Iguarassfi ou de
outra qualquer procedencia,6capaz de suppor-
tar a agulha Viet depois de 3 dias do immer-
sio n'agua salgada, metro cubico.
Cimento Portland inglez,,la marca Piramy-
de ou West Kent [Invicta], sendo que o de ou-
tra proveniencia serd tambem aceito no caso
de provar igual qualidade em experiencias
comparativas de resistencia A fracCAo, kilo,
peso liquid.
Dito roman, idem idem.
RepartiQAo das obras de conservaClo dos
portos de Pernambuco, em 13 de novembro de
1877. k
.0 ttscriplurario,
Manoel Duarte P*reira.
0 administrator da recebedoria de ren-
pas internal geraes declare que, em virtde
da circular n. 28 do ministerio dos ngocios
da fazenda, de 11 do oorronte, dez dias dpois
da publicaQgo deseannaouoo. oo wear a r-
recadagao do sellofio deo 200 lei do
orQamento n. 2,792, de 10 deout! ,"proli.
mo findo, pars a os exercios do8977 't; I
r 1778 a 1879, tornou exte a a
e valor de25%00 a 5QWOAQi;. =
a adhesAo das respectivas a H
da assignatur dos referidos rais. :
Na, applicaeCo e cobranca deste t
estlo comprehendidos na isoi ,A
tam as ordens ns. 8310 de 6 d J d e
n. 408 de Idemargo de 4871,os reit de
salaries pa dos em avlto, afolha ou fe-
rias poes operarios m e "ras e


tf



















1.L". ---.
'. ,;
*^:


ao expede alas o Para os ..mora 3.


*;om perle duplo
0oporn om -a-mtr
Affowsf d~wo ar.

Monte Pio Portuguez
Aeado-se evago o lugar do cobrador con
inoaedesta pia instituico, convida-se a quer
pretender exercer o mesmo lugar, diigi
Ssuas propostas de accordira -ora S80 do art
45;- e unico do art. .11 des ef.atmmlos. Par,
informatueF, podea os protendentes dirigir
soe.4 travessa da Madre de Deus n. 18.
Secretarim da direct ria do Monte Pio Pur
tguez, em Pernambco, 6 do dezemnbro dr
1877.-0 io secretailo,
Domingos da Cunba GuimarRies Rocha.
OBRAS PUBLICAS.-De ordemi i
t1um. Sr. entgenheiro director darepart
ti5o das obras publicas, fago pubsi co
.'lue no dia 20 do corrente ao meio dia
sermio arrematadas neninte estia repar-
tiCAo, as obras de reparos ito propri.
proviaciai, queserve'de cadeiazem Agu;
Pmeta'. oryudas em 2:0246000, e beir
issim, as doicasa Ca quie serve deadei (
iltrtel ao destacamento diVarzea, ava-
liadas em 220X0M.
OIs ordamoneitos e eondiia es do con
rato, ancha m-sc nesta secretary epara
selem cxaieminados pelos pretendentes
Secretaria da repariao das olras pui-
bli6as, 5 de ee dezembro e 1877. 0 of
licial, Jodo Joaqsuim de Siqpii- Vat-
rcido.
Santa Casa de Misericordia dc

A junta adminiratniva da Santa Casa
tie Mi'ericordia Id Recife, pelas3- 1oras
4a tarde do dii 13Jdo cirrente mez, na
.ala de s 0uas sessoes, contract o forne-
cimento de assucar retinado de l1i, 2a e
3a sores para cons umo dos seguintes es-
tabelecimentos : mospilta Pedro II, casa
eloe expostos, asylo de mendicidade,
. hospital doslazaros, collegio das arphus
o hospicio de alienados, no trimetre de
janeir a marao de 1878, pielo preo
mais vantajoso, devendo os -proponen-
tes apresentarem as aa.ostras em fras-
cos devidamente acotidicionados e as
propostas em cartas fechadas e selladas.
A junta administrative da Santa Casa
Ie Misericordia do Recife, pelas 3 hio-
ras (o tarde do dia 13 do corrente rmez,
tlmila tde suas sessdes. contrata o for-
nocimento de care verde, para o con-
smrno dos seguintes estabelecinmentos :
hospital Pedro II, dito dos lazIFos, casa
dos *expostos, asylo de mendicidade,
collegio d(aorpas r e hospicioa de-alie-
nadosi no trimestreo de janeiro a mtaro
deo 188, pelo preno mais vantajoso, de-
vendo os proponents apresentar-e suas
propostas em cartas fechadas e sevida-
rnente selladas.
A junta administrative da Santa Casa
de Misericordia do Recife, pelas 3 ho-
ras da tarde do dia 13 do corrente rncz,
nam sala de suas sessoes, contrata o for-
necirnento de pao e bolacha parao con-
sumodo callegio das orphas e hospi-
cio do auienados, em Olinda, no trimies-
nie de janeiro a marco de 1878, pelo
pre8o mais vantaj so, devendo as pro-
postas serern a apresentadas em carras
fechrdn^ p devidii 'ente selladas.
A junta administiatava da Santa Gasa
de Misericordia do Recife, pelas 3 ho-
tas da tarde do dia 13 do corrente mez,
na sala de suas sessoes, contra la o for-


necimento de pilo e l:olaclha para o con-
-umo dos segmuntes ,estabelecimentos:
*asa dos expostos, hospital dos lazaros
e asylo tie niendlicidale, nO trimestre
Je janeiro a margo de 1878, pelo prepo
mais vantajoso, devemdo as propostas
ierem apresentadas em carts fecbhadas
ievidamente selladas.
Secretaria da Santa Casa de Miscri-
:oidia do Recife. 5 de dezernbro de
-1877.
0 escrivao,
+ Pedro ,ldigues de Sou :a.


,n.nnhibi P rnam-


F


I
I
)

)


" "W W-- "" 4 "m
Al 4d~ pa
Sobrado de umrn ande .
Ru 4a do Viwt de d Albuquerque
Gasa lerrea h. 01 -. 20
Ru a do Cornel Suasswua
Casa etorrea n. 132 '4050M
PATRIMONIO DE ORPHAOS
Rua do Amorim
Casa terrea 11. 61 M5700
Largo do Paraii,
2.o andardo sobrado n. 29- (fecht,0d. 3905JO(
Rua da Lapa -
Casa terrea n. 2 20'|00(
Rua da Madre de Deus
.'.sa Lerrea n. 20 7229000(
Idem n. 2 (feebada) 233S4"
Be co dues Boias
Sobradu de 2 andares n. '16 6230(X
Idemn idem 11. 14 644M00
Idem n. 18 (fechada) 360O00
Rit't da Moeda
Casa terrea n. 15 21717O


dena n. 17
lmna do .l{nmoit.
Casa Lerrea 1m. 24
Idemf n. 26


2ijooc

1231000


Rau dc S. Jurge
casa te'rrean. 10.1 242000
[dem 94 251"00
Iderum .. 100 [feeimadaj 26992
Os rretehndentes deverAo apresentar no aeto
da anremnutualo as sues fiancas, ou comniparece-
rem acompmaihados dos respectivos fiadores,
devendo pagar al6m da renda o premio da
quintia cm que f6r seguro o predio que con-
Liver cstabclecimento commercial, assim cootu
oservico da limpeza e pre-'cl dos apparelhs a
anuuidades.
SecreLaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife, 30 do maino de 1877. Q escrivao,
Pe 'Jo noi,';,:ue., te S. :'.

COMPANHIA


Gymnastica e a
SORIENTE PERNAM
DIRECT TOR
A. Francisco de


crobatica
JBUCANO


Assis


G rrande e esplewlida func'a, c,)in urn iinfio f
variado programnma
Domin.7o, 9 do cor,'entle, (i s 5 horas da tarde,
ez Obintda, pateo do Carmog'uo, gtis.
) Prog'aminima :
J1 parte.-Barrna double.
dita,-Batuta amnericana. -
34 dita.-Luta niicional.
4a dita.--Trapevio simples.
Li]tervwdlo de 20 minutes.
5- parte.--Percia perigos;a.
(i' ditt^-Ciub 33.
7, diiLa.-Os torniquete5
8- c ultima dita.- Diabitiras de Punk.
i o0 directorio dai companhia denominada
Oriente Periuamnbucano, offerecx ane respeitavel
public, emt signal der g-ratiLLo, &Ia grande pro.
teci5o que do ,nesmo tern recebitlo uns espec-
ltaculos '(tti(. em Olinda, pateo do Carmo, do-
I minigo US 5 hQoras da tLtrde.
Gratts;i
Gratis.
GratisGratis.
G ratis..

THEATRE
SANTA ISABEL

Companhia hepanhola
DE
ZARZUELAS
Em virtude dos infelizes e tristes aconteci-
rnentos que recentenmente sobreveem d esta
conimpaiinhia levando por infermidades ao felito
alguns dos seus artists, entre os quaes gra-
vernmente o regent da orchestra, cunihada do
artist Bonapiata que deveria realizar corn o
1.0 tenor Gerner seu beneficio na note do hoje,
fica transferido esLe espectaciuo pare o dia
que prcviamente for annunciado.
Outro simr, us beneficia-ios confianiJlo no
bemrnfazejo public pernamahucano. pedeim as
pessoas que o s obsequiarani acitando bilhe-
tes, as conservarem urn sen poder, favor es-
te quo ctmstij.ue emr si urn verdmdeiro litulo
dc gr-atidAo. 4
A sociedade enaprezaria aproveita esta op-
portmnidade para pedir desoutpa ao public
ein geral e especialmente aos Srs. assignan-
tes pela interrupgao dos espectaculos quie
se prolongara por alguns dias pela just ra-
zao que sentidamente apresenta.
Recifo, 6 'de dezembro de 1877.
0 gerente da companhia,
Thoma: Passini.

THEATRE
SANTO ANTQNIO
Quarta-feira 12 do correutc
Espectaculo em beneficio do actor
Antonio Jos6 Duarte Coimbra
Junior
llepresenLar-se-ha o drama intitulado :
0 grilheta deBotany-bay
em 3 actbs, e a clhistosa e mita applbudida
comedia : *I
0 conde de Paragara.


i't.LPL JA.krwJ J jr'i JJ KWK J. I jj XJ.J.*, __.,
Eu) olbsequio ao benefiaiado toinari part
bmDdna em todoo espectaculo o praprietario do rnes-
D o de ,o conseiio de d i motheatre o Sr. .ntoni'o Jos6 Da-te (Coim-
Do ordem do consel'o de diee;a Ira.
-ao cojividajo& os Srs. accionistas para 0 programma ser, publicado na vespcra do
-reunirem-se de novo cmass.enbliage- espetaculo.
a'al no io andar do predio" a rue da Osbilhetes podem ser procurados no nmes-
roapimuia Pern;ambucana i t, ni. mo theatre a qualiquer lijora.
*Aornip~inina Pernminuc--ma vt 12, no~ia __*_____
J7 do corronte, ano meio dia, paJa a con- '.. .''
i.inua;gao dos respectivos trtal,.'lho.s. i 1aRITI OS
Recipe, ide dezembro d. -1877. -.;----......
Uffgeinte, 1^__i r r i
F. R. q tc M SDi Koyal Mail Am i Paukel
fte Il


Santa Casa da Xiseriodirdia do
BeczGe -a
A tlaa, junta administrative da Santa Cusa Grande
.,a Misericordia do Recife, manJda aWzer public o
,ire na sala das suas sess5os, r,. dia S de I e
Jezembro pelas 3 horas da Lardlo,ltemn do ser I
,.rremaltadas, a qienimais vantagens offerccer.
ipelo tempo de um a trs annos, as rehdas dos
I-redios em seguids declarados :
ESTABILKCIMENTO DE CARIDADE
laffa do C oonel 8 stwusiat i,'
Sobra~k* i. 43- i^O iI
1L* do lwan Is~59OO
Awb .A'. 0 e8to emO.ndi.
018sa ImcmaDn. jw #.XO0 u ^
S.,Ro ddo Padre Florimano.
: uSO E. 47 o sdeS. V
"11 4. "1, Te, do,
4 Im n. 7 207$03 A ch
Ausa drga do Roswi'
: Oo adnlar ;o drM A 267f001i) if Souihai
I .oja L i t- do Pobado n. A .9l*ai-17 De Lisb6ai
ttilado N.tte NMn Be Pernan
^oda frmperstri
"" D Buee 3o-
i;,br.adlk ".'. de J
L" ."^ Pl1 ^ lg8 -. ''* D! Part Mole

...,, ~ ~ ~ ... .. ..."..., ....
b...... V' -.r e
^ ;- ^ ^-a? '

-.-.^~le


CoIpany
red uie&o nos p s das pas-
sagens ,
PAQUETE A POR
Mosdejjo
Commawlaw' Kemp
ToC hitd c Tf4go


*1


i LEspera-se dos por-
'(tos do sul no dinI 1 I do
corrente, o qual depot
da deue ora do costume,
seguird para Antucr-
pIa. tocando anos pr-
'icet, fisb6a, Vigo e Southampton.
as vapores por mez. desta conapat
o para o sul, comoePara Eurppa.
adas e sabidas sadu'-s seguintes "
Da Eirov a "
[rfton Mno diafOW e m i.e e' .
nos dids 13 e 28t'di 'taz.
ibuco nos dias 10 e Z5 de cadsa ,af.
DoL su.l '
-Ayres nros dias e .15 de cala nv
iddo nos dia e f16 de cada imem -
Janeiro l 9e 2i de cada niez.
-wta 411e -.-do cada m eI z .
B1c CL-U RS
e", =. ,


A Uam1EUUI3GOW ,
a&" 4itp itja*ar,
a de etectto-plat e mui-
qcu estarlo pagtetes no


I. --



Ss,frFo partmBues-
Ayes ,, tocandQ o9
porli" di ,Rio040 Janeiro e Montteyido.
Pusa pawsgens, fretesketc., trata-so com as
CONmSONATAERIOS
Adamsoni tiowie C.
Rua do Marqoes de Olinda n. 37
Entrada pare o escriptorio pelai rua
doJBispo Sardinaa n. 37.
Companhia Brasileira "
DE .
NavegagAo a vapor


"PORTOS DO ISM, -"
Portos do wnorte LEILAO
0 PAQUETE A VAPOR DE
ConBahia grailde poroao de moveis, novos, usa-
) Commandante o -primeiro-teiietec G dos e por acabar
Waddiugton SEGUNDA-FEIRA 10 DOCORRENTE
SEspera-se dosA's 11 horas
tos do sul at o dia
9 do corrente e do- No armazein da rua de I). Maria Cesari
pois dademoradocos- (antiga ,ua da Senzalla Nova n. --12)
inine, seguirA para os. M continuagdo
do norte. c*Dm continuacao
do norte.0 agre ule $teppfe, por'm a ndad o do fi1m Sr.
Para carga, encani elalt \-alorcs o passa- pr le Stepple, purnandad do Iim. Sr.
Pgers, trata-se nm agncia. colors Jpss co-Dr. juiz de direaLo da provedorid, a reqneri-
g e n s ,, tr a t a -s e n a atg e uc ia c ,: cr il~ to r io d e c o m I" M n o d v e t r a e D i i g a J s 6 a f u
i*nksses de mreno do imventariante Domingos Jose da Cu-
Bernardino Pontual Inha Lages, levari a loilao urna grande porco
Be -ra do .Ie- I de trast.s novos, usados e por acabar, I me-
12 --.ia do Boni .lesu.s-- bilia de jacaranda, jTnhdaa nbo acabada, mar-'
COMPANIIA PERNNAMBUCANA I quezres,-consolos, cmas phara casar .umah cai-
DE- xa de ferramenta, cadq"as de amarelld, lam-
Navogao~o cosfteira per r oo Wm por' acabar, peda.os de mindeira i.e lei,
Fea dos diea Ncnh. ?o .-,inmesas e outros muitu objectos que seria en-
Fernantlo (le NCoonhl fNdonh-, annunciar. *
-.t'' t Seguo para 0 porto Enm se;uida levar5 a leilao, por mandado do
Sacima o v'aor G qa4 iMnesmo jpiz, un terreno em Beberibe, no lu-
omm1did ; Costa, as gar Agia-Fria, coin 235 parhnos de frente.
*12 ho~rus dI, r iht 1" 10 o ]Tudo pertencente ao espblio de Joao Jose
17-* ~- -1dia 15 e dezembro.a,,da d o1ndes.
-Recebe cara at6 10; encommendas, pas- .
sagens e dinheiro a free at6 as 10 horas da iI"- JfI
manha .do dia da sahtida: escriptorio na LII. 'r
Rua da Companhia Pernambu-1 DE -
da cmana en. 1 a 10 ac9des da companbhia dos tri-
..canan. 1 -os urbanos do Recife a Olin-
Companhia des Messa- da eBeberib DOE-
i 4SEG(UNDA-FEIRA 10 DDQCORRENTE
genes Maritinmies s 11 thoras
LINHA VENSAL oaIm LzeAzm da rua do Imperador
0 paqueto n. 16
9 0 agei te Martins faid leilao, por mandado
l V do fliM. Sr. Dr. juiz substitute do especial do
Commandante Jacques conmercio, das acCOes acima, quel'orai cau-
/" Egpera-se dos po'- odaspolo fallido Joaquim Pereira"'Aantes
E.pera-sd dos par- a Jo;to Carlos Bastos Oliveira.
tos do sul no dia 20L L0
dto o wrente, segifludo IT P TA(I
dcepois da deimra do LE L' L I
Ea. t* i em costume para BOR- DE
EAUAt ,cando emS ,T um casa na rua do Corotcel Lamenha
Dakar, (iS e Vigo. n i24, freguezia da Boa-Vista desta
Faz-se abatimenios de 15 por cento em fa- cidade
vor das faminias c6mpostas do quatro pessoas Terga-feira 11 do corrente
ao menos e qua pagaremn quatro passageuq A'S 11 HORAS
inteiras. 0 agetoe Gusmrio, por alvarA do him. Sr.
Por-e.xcpati eos ciados das families, que I.r. juiz de capellas, e a requerimento do
tomarem biltbees de proa, gozam tambe Revul. vigalio da Varzea, fari leilo dacasa
deste abati ento. aciwa incncionada, pertenaente ao patrimo-
Para prssagcir, eucownomnendas, etc., a tra- nio da matriz da Varzea, o qial ter, lugar em1
tar corn scu escriptorio ai rua do Barao da Victoria n.
AGNTE 6-"i 65,.armazI-m. Para mais explicuaces o agen-
Au t l hil dara aos conurrenes.
AnasteLabfle I


9- Rua do Comvmroio- 9
Lisboa e Porto
A bai'a portugue"4"Nvo 4 c'ascidas; rom
a maxima brevidade para as prtus aciia in.
dieados, para os quaes receb,; camga a fete e
passageiros : trata-se com as consigniatarios
Jos6 da Silva Loyo Filho.

LEILOES


LEILAO0
l* DE
UrMa prensa de litographia de 51,70 ceutine-
tros, sem mesa, eon pertencas.
Dons r6os para tintl preta e de c6r. ,
Seis libras de ouro inrglez, encarnado o coroja.
DWas ditas de tintta encarnada.
Dezoito pedras do dtfferentes tamnanhos.
Seis latas corn verniz. <
Oito ditas coin tnt;a preta
(Nova. e miltmainomnte dlu-pachaj;a. coustan-
te de 5aciixocs ile tf}5)
Hoje
A's 11 l12 horas
POR INTERVENp.O DO ACENTE
PINTO
Em soa oscrlptorio
Na rita do Bont Jesus It. J3

LEILAO
DR
uma casa torrea n. 10, A 4rua do Fogo,o ecn 2
portas e 1 janella. em chaos proprios, corn
32 palmos de frente a 5)7 d fund, coziuha
f6ra, quintal corn 50 palnmos de extensao9
cacimba
Hoje i
A'is II hera4a mMnhan
POR lNTERVfN O DO AGE- TE
P INTO"
Em sein escriptorio '
Na rua do Born Jesauesn.3 4

LEILAO 0


um terreno no Chau ,"'1 freguezia
'lanclla com 125 palinos die iai
freiite, para nascente, sobra 1um
1ltria, fMndopara.o OnLe, per u
com a dialiga estra6N do Chacon,
ao norte coin outro Lerrent do SI
Felton, e ao sul coin outrou ditu
dos Santos Ferreira I&l os.
Hoje
As 1 Ihiois em point
POR INTERVEN.?AO DO
PINTO
Em seu escriptorio, A
Born Jesus n. 43


Agente Pesta,


fLc '1t
13H
roL'^wa0VT~asi a^ om'ecto,


Elm
-LS?


Leilao:
DE '
e Moveis novos


POR LIQUIDA(,AO
conistando de:
.1fbilias de amarello con taumpos'de pedra
e ,,ar pedra. carnas frarrcezas, .mnaquezas, ca
Imas para meninos, carteiras de differeuLtesta
manhood, cabides, quartinheiras, guardas-conii
das de -iame e mniadeira, mesas, guardas-lou
I*uias outras obras avulsas, setAlo tudo nowv
o da amiarello.
TER(CA-FEIRA 11 DO CORRENTE
Na rua D)uque de Caxhas n. 2
0 ageute Pinto faz leil-o, por liquidagio, c
par conta e risco de quem peftencer. e ao cor.
rer.do martello, de todos os moveis e malt
objeclos existentes no armazemn da ra Duque
de Caxias n. 2, outr'ora rua das Crtves, junt(
i typographia do Diariole PNrnambaco.
P'rimcipiard fis 10 1J2 horas.


a
El


LEILAO
-DE A
urtn sitio de terrasppropias, derhoiniua-
do catinpho, fio lunar Venda Grande
QUARTA-FEIRA 12 W DEZEMBR0
A's 11 horas m
No armazem darua do Imihra
Sdorn.16
0 agents Martins farA leil.o. por autorisgQao
do Ilhn.'4f. Dir j iz dos feitos da fazena ao
in-)otarianbe din bens. deixados pelu o. filo
Joaquim Rodrignfs Nogueira, do sitio acima.
corn nmitos pNs de coqueiros, tendo 1018 pal-
mos do?'rente e i20X de fundo.
LEILAO
DE

'lftimo defliltivamente du liqui-


,laca
Jilio ijuac faz leiliao io dia 17 tie dezembro
proi:ino,, por inlierveng;io do agent Martins, ai
t avessai-da riia Duque de Caxias n. 2, As 11
ho'as .n p);)nto, dos ambjuclos constanles das


do Po,,,., d, N. %2896, 3022, 3306" ,2W.6, 4435,
r-.,a, comot 4 4911, 1685, 3160. i894, 4890,
Siamitanti5L9i u#ugj~y _uluae .62,l..,' .
anovaa '05, 388, w4 ,5.06,51065, 4v05 ),,
Dnde li s5 0557, 25 L 55U4, 5554, 55Yt,
i- ih-t)o 5;1 w8 56'75 F. GOMR O, 5Gtp;
aun .josJ "646, 5087, 5685, 5066, 5650,
lt 52 5602, 5T 79, 5670, 5657,
56 -r565; 5608, 5636, 5630, 502.3,
:Ul, 5.a56, 5338, 4713, 5570, 5522,
LO 1.41 .9r9
,. 3 90 7 Th 486, 433, 387, 505
AG(ENIE1 o i;&,' -,
":T I4 5 t7,i _29,2903, 908, 2794, 2.676,
r i o 0 9)k IN 2916. 29(0, 2970,2946,
rua .0 E, 2914, 21 2927, 2947
S'- 3 -2955 2971 2779, 294,
2 7792, 240-1,
---^l @0, 1tI6. 1129, 2 2402. 2461,
S205 25,1, 2547, 2509, 2615,
l 79, 2557 N 8590, 2A0, 2630, 2170,
20N, 2066, 1800, 1978 1817,
+ 1525, 94 1599, 1N7, 1466. 1370,
Sd2 t388, ,. V .. 12S5, 1482, 892, 681.
d k ]- a i l "


'A

~gI


S4s'&da<
;*h, p6 a
d pOB~a


It


Ausentou-se desde o dia 17 do correonLe
escravo Luiz, de 50 aftrnos de idade, pouco
mais ou menos, c6r preta, estatura regular.
grossb, corn falta de denotes na freqte, .-e usan-
do toia a barba ; levou vestido cahca ea camisa
de algod56 de listra e cbap6o.de couro ; sup.
pSe-se ter-falta do dedo rninimo em urn dos
p6s. Este escrav6 esteve ultimnarnente em po-
der do Sr. Joaquim NiolAio Ferreira,_ refinador,
Ai rua Direita, e era empregado no serviCo de
entregar assucar nesta cidade, onde presume-
se achar-se occulto, constando ter sidt visto
nos Afogados. Gratlfica-se a queon o conduzir
ao lergo do Corpo Santo n. 19, e.criptorio de
Oliveira Filhos & C.
Joaquim Luiz da Silva e Jos6 Luiz da Sil-
va participam an corpo do commercio, que
resta data dissolverama sociedade que tinham
na taverna sita it rua do 0oronel Suassuna n.
-15, sob 4 razAo .de Joaquimrn Luiz da Silva & C.,
ficando todo o aetivo e passive a cargo do so-
cio Jos_. Luiz da Silya, e exonerado o soaio
Joaquim Luiz da Silva. Recife, 7 de novem-
bro de 1S77.
Precisa-se alugar uria escrava para co-
zinhar e comprar : a tratar na rua Primeiro
de Marao n r23, loja.
Preci-i-se&de urn a ama: a tratari,
na rua da Ponte velha n. 77.
Precisa-se do uRe a ama para co-
sinhar: A rua do Range! i1. 73.


Faz-se negocio corn a armaco da leja n.
11 da rua do Rangel: quem pretender, dirija-
se 4 mesma, que acharni com qu(ern tratar.
Precisa-so de urn wmeino para caixeiro
de tavermt e que teniha pratica della, e d0 co-
nhecimnento de sua conduc:ta: na rua do Mar-
quez do IHerval n. 141.
Precisa-se do uma ama para cozinhar e
engommar Damra duas pessoas, livro'vu escra-
va : na rua da ConceivAo n. .38.
--Precisa-se de urn caixero corn pratica de
taverna a tratar no pateo da Penha n. 8.


0~ papa-
tat ,=40

a'e limpa, pDo,


imsje mrAa corn q-uem" se


r ~


4i


iBacharejTFrancisco Ferreira
Martin Ribeiro
,Ma.:a Baibina de Gusiiti5, Martins (c.,
d. ,'-imao Martins con'.idc. a todts os pa-
'ln'lei e amigos de seu se.r.re lemhirado m,-
riT-! e pai, Francisco Ferr era Martias IlyiiJai,
par.a assistirem a uma r:?sa qute mna]dait(
reset no dia 10 do correnic, ds 7 horas da w.;-
mtfr., ?wt. i-reja da Sledad.e, I' auniversatt,1 *if-
se..: le-imento.
Dr. Virginio Henriques Costa
0 )r. Tristao Henriques Costa, n.
An] a ,.rnero,a Rodrirrre.s Costa cul-
Sia ..e ,te:agradeceinnas [-essoas, que .
(tign.aram acompaniar cs restos mor-
taes le sea presado ira.o ccunhadi.
o D'. Vieginio Henrique- Costa, e Jd


' Aluga-se a loja defronte do sobrado da ,1"- pV r H .
rua da Roda n. 46; a tratar na thesouraria ',pa a
das loterias. to Antonio 1(
No dia 13 do manz de dezembro proaimo .111. Anteci!
vindouro, depoisdaaudiencia respective, seri tos.
atorado emn hasta public, a quern mais der, .
tarn terreno, it rua 27 de Janeiro, desta cidade, *
i pertencente ao patrimonio do Santissino Sa- l
cramento de S. Pedro Martyr, soabre a base de
5000 annnuaes, pelo cattorfo da provedoria de 0 a3ai.io assign
capellas. Olinda, 26 de novembro do 1877. zemr de arne de
-Affonso n. 5-8, ju
PREGISA-SE de uma anma que onewn i .r della;
saibaengommar e cozinhar: atraz da se creu-m, api
matrizd;a Boa-Vista n. 5. dias, a mntiarde
-- -~. ---responsarki;N9a j
J- ,eseja-se saber onde cxistl 0 Sr. Joo qOpo.sappia
Ant6nio, negociante na cidade Ja Victuria, o 0dea-1S7
qual veio ha ponco para o Recife, e nao atben- A
do-se o lugar certo onde esA, pede-se a quem -.-A
souber e flzer coma que ellc evolte para a Vic- '
toria, serA recompegsado. .
Prelisa se alugar ujna pessoa par.e ven- i em
der fructas, verduras., dtoces,. e o mais que :t Na. corn
houver ro sitio ; quor-se que seja capaz e que to .. :, Toerc
venda bastante, paga-se 12$ por mez, dando-
se :asa e comida : exige-so tianca de coilduc- _1
ta, querseja home ou nmulher: na rua de ,
Joaf Fernandes Vieira, sitio u. 7, depois dos E.'- J
quat.ro l se es. p .tird ;!
Maria Se'erin d a As.umpcao Silveir, ha pO;a-O acab
inventariante d.s ben. deix:.dos pur seaW fin- 11 t pro
do marido Antonio da Silveira Luiz, pelo pre- 0 pr
-nlte convkia nos wetdores do dito seu ti iaidlo taheloe I:.teto,
marido, para no prazo de oito dias, que Qe" a en
contain do hoje, apresentaremn suns contas, 1am c. ^
requererem o qae for a hem do seis dir-'tos. doS .'-. Mr.- )Y
Jlecife, 6 de dezeurW tte 1877. % .
Aluga-se anami;Ljpite, coziunlieiras c enO- -
gomnmadeiras: na -e S. Fraincisco n. 18. mpf...
Aluga-se a"casaN. 36 da rna do'alhb",n- 0 I.'2LA. os dQ
co : a traLar na rua Imperial ma. 321. -
-- Aluga-se o 1 anmlar datasa fin. 41 da r .an
do Ilangel, o I1u e3v andar comn stuo da casi ea
u: 3 da rma do Penham a ca*a m. f.d ruLWde S. Aci
J010. coin 4. quartos, ^1rHrj^ nta- lh ti
da de novao por :XiXJ ;O'* a n.
27 no paeo doTe rPrW Iua do
terreo da casa n I. daru1 in liae mlii
o sobrado de 1 audar corn sto a- 0 aRt aixo asi
mans Valealiuas n. 27, pwodo-: aSin a io
to andar da casa o. 41 a rua do Rapu | IOS s"i's milto
AIga-se o anmazeiL di d-a iiS
Velha n, 88: quern o retnderw d4r.-s. 3 a e iu1q
Imperalriz n. 53. qda ii -,.+.aet ,io ,e te I

AfUGA-SE par prow 66 ..4
q pre dim n. S. nvw de Mariz e P
._ ft dha Codomrniz (owle Iu ei -
tabefft to 4o Calan-ro) mw
pn6l^m uq^ WfiHl^
,moit Peie.S ANI%
" Now.. .


missas nia
o dia 7 -s 8
)elitn o s ot:,


iws ..-i't ...g. e ...-
conlmlier( i

rnado, cs1li-i&ecido cornm arm;.
yanrque, s-tc ai rne de Pedr.
Tga naila de-ver nests praca
porem se nlguemj se jul:;.-r
esente-se nc prazo de Lr -:
hoje, find? 9 quacs n*o ,,
>or ,jualq r.-r enita ou tiL i.,'
scer. Kfs;l-e. 7 d? dezerl,.1
Lctlio Jos. Lopes Braga.

Una, lj. ; d:a de Palhnv,.
todos s ';'.'iliOS : aS tr;!.:':
o n. 2

Kttenctoa
Paral'bIn urm armazc:m.
i t>la Cor.,e d'Eu n. '..
ado e co.-dperado o i,..-
sla-se 1,;,:L quailque, -
Co-n p,'..,enti.'i fa/..,-t
tie as e..;;.bclecimet[.t-
. (. e Soiza & Cns'r..
er'o tern dlad ahi<,i -
i tlar ric inesio COt,.:
,.fcecn.

K" 40O


tu m.i'-un U a s t i i aU nl-


matrizde Saii-
hioras da mi;.a-
agr~decitic.i-


rO
S

SI
gn


ia n. 4L
re!
Le vetii[I.
F1S a sor
IWI-ele doI
e~Oni -i


cotvidt..


: Do sobrado UI azulejo ni. 3 da ladeira do Va-
radourd em Ollnda corn a armaCio, balcWo, e
inoveis que ali se acham, servindo de base a
quantia de-2,7W000 maior offerta obUtida no
leillo do die 5 do corrente.
Hoje
Ao mneio dia
POR WINTERVENQAO. DO AGENT
PINTO
Em sen escriplorio
Na rua do Boni Jesus n. 13


dous de sW! -
lha. Os de set4, fi sjusso an
baixo e castrado, on a esta marca JF.
e outro melludo con em clii brancas,
anda baixo, peqaeno e eastrado, corn
a mesma marcd. 0 qua&to 6 rozilho
foveiro, de born tamanho, frente aber-
ta, inteiro e corn esta marea R. Quem
os encontrar, os poderi tomar e trazer
a este engenho, que serai bem recoin-
pensado por
Jodo Florentineo C. de Albuqtterque.
0 Sr'Jos Carvalho Pnes de Andrade tern
na rua Duque de Caxias n. 55, loja, urma carta
para Ihe ser entregue.

Encyclopedia modern
Vende-se uma Encyclopedia modern,
,liccionario de sciencias, artes. letras, in-
dintria, agriculture e commereio ; pu-
blicaoo feita em Paris, pela casa Fir-
min Didot; sob a direcqo de Leon Re-
er.
A obra compoe se de 30 volumes,
encadernados, em born estado, -.endo
27 de texto e 3 de Aitlas.
A tratar nestn typograpliia.
Pede-seaquem achou seis pequenas cha
yes press por tuam aniel fhr ferro, perdidas em
28 de noveminbro proximho pssad,, desde o fini
da rira Imperial aL6 a povoagao de Tigipi6, o
favor de entregar as referidas chaves no esta-
belecimento dos Srs. Gppertino Bezerra & C.,
a rua Impirial.que sera generosamente remu-
nerado.
0 inico deposit dos
remedies do Dr. Ayer e
em casa de Adamson
Howie & C., a rua do
Marquez -de Olinda n.
37, entrada para o es-
eriptorio rua do Bispo
Sardinha ni. 37, outr'o-
ra rua do Encantamnen-
10.


L- Mm n.-"A 4,ad11.de Bemni-
C*a, corn 2. lpalr gsra.dufafUli con|
banho do CftibWdefroNta- perfo dos
Donds : na ru nstret do Rcsa-io -b. 17, pri-
meiro andar.'.
A Preeisa'-se doo anna amta
ASApawi uco servigodeum;,
A A L casa : .a tpr.lpa rue do
do Rangel n. 33, 1*andar.
M A Na rua-de Hortas n. 15, sobradu.
XI precisa-se do urfa ama qua sail,
bern engommar.
AM A Precisa-se de uma pard todo
I serving. a tralai delraz da mia-
tMiz de Santo Antonio i,. 28, 20 andar.
MAlff Na rud[ d,;s (Crzes n.20, 1"
I1MI.A andar, precisa-.e de uma d-
bons OSL.colritmes, ivre ou escrava, u'
saiba coziniir e commrar, e faca todo i
servi.o de casa de t.Milia; paga-s,.
bem, agriadando.
I Il Precisa-se de u-a ama que saiba
ljia cozinhar: na ra da Unilo n. 11l.
Dr. Francisco Ferreira Martins
Ribeiro
(0 I.tcharel Fr'imm-
cisec. 'erreira Mar-
tins .beiro e seu.-
irlJ~i, convidam aos
ai'iio.,, do seu faill,.
cid( i.;a, o Dr. Fran-
cisco. Ferreira Martins Pibeiro, para a--
sist,'em As misses que serdo celelb-
das Aia.-matriz da Boa-Vista, no dia !a
do corrente, ats 7 horas da rnanhi, 1"


i


I


FestadeNossaSenhoradaon-
ceicao dos Militares
A actual mesa regedora resolve solemiaism-
a sua padroeira do modo ciinte
Vesperas, festa e Te-Dea,,,, send oradores
deste, co capello-tenente da reparticao eccl-
siastica do exercito, padre Leonardo Joh;,,
Grego : e daqueHla, o actual provincial do coit-
vento do Carmo, pregador da capella imnpriial.
Fr. Au.tisto da Immacuid;:. (onceicao Alvc1 .
orchestra, qus se ,c. a cargo do cir-
cumsp'tcto professor Jos T"a\ares de Medci-
ros, e.e -:attara a miss do :,;esLito Marti, ,
Tc-.Deuit i de Santa Anna.
..A me-raa mesa regelor1c .. ,iJda a tdoz
lrn1-.o-) para assistirem :, actoos acirna iio-

Aluga-se
o se -.l>Jo andar corn sotc, muito fresco,
ex. ,a'.,e vista, predio rece:.lemente reediti-
cai). :'Ila Duque de Ca:ias ;. 2 : a tratar 11.
I," -.- t. T5. na mesmna run.


Ahia-sc o segundo ana..r c sotao da cu.-;,
n. 2 da rua do Apollo, co-u: commodos par-"
n;',.erosa familiar : tIrata-s,- :art a drn Apol,
n. ;, arazern.

Iluga-se o predio d(ta
e, .e Horti. n. i, constando de ar-
n.aem e sotfo, corn 2 quartco;.- sal
.',a;-" para moradia *Le quer n'cllt-
Sc3,abelecer corn ta'e:.:na, parao ,f,(-
'Rm rn;maco e utensiilo e o lgar e ,,
neu.or possivel, a trat'd na lhesourari;,
a oerias.


anniversario de-ser pa..,.ero


I


r


1


t


j
I




















,-e-,PraofabnC 4 ascare rpa



iulfe vende sempre fOrmas de ferro e
di4|w utesiios f "a engenlios, e motors para
desdo ar algodao.
Vende a prazo, ou a dinheiro corn mdescnto.
Incumibe-se de todo o concerto, quer de pe-
cas trazidas A ella, quer de machines em seus Iu-
gares. Faz contrato annual para todos os concer-
tos de engenho.
Cautella
Nao emprga inculcadores pelo campo.
Rogaa todos, que miandam encommendas a
ella, exijam arista da conta impressa respective:
Tendo sido enganadas diversas pessoas em
procura desta fundit+o, observa-se que a

FINDIJD!O DO BOWMAN
estA entreo chafariz e a fortaleza, que os edificios
estao de-ambosos ladosda rua, pertoda cochei-
ra dos bonds e, pintados de verde nos andares
inferiores.


Al IEiR,


>SNLJI&LL ,,@
II, NT C'tIU'l ('


Levantando-se predios defronte da nossa galeria photographic" somos for
,ados a deixar a casa aonde estaminos ha cerca (dc onze anno', e mudar-nos para
!t rua doIBarAo da Victoria n. 52.
Quereudo preparar o novo estabelecimento coin todo o csmero o utilidade,
0, precisando lovantar'alli uma nova galeria que, pela sua posic.-o da luz nos
tacilitarait muito o Litra" bons retratos, somos obrigados a interromper nossos
rabalhos durante quintize dias, no ime dos quaes, teremos a honira dc anunciar
. aber-tura de nossa casa. gradecenudo aos nossos mnuitos freguezes a conlian-
.,a corn que fomos semp:'e honrados, esperainos que, para o nlosso novo osta-
belecimento, nos segtir-A a mesmna benevolencia.
Recife, 2. (1o VC iio;ihro de 1877.


ALL C.AIOUX EIAN ACA
0 imais energico elixir depurativo do sangue
Unico approvado e privilegiado pela Junta
ie Hygiene do Bio de Janeiro, e autorisado pelo governor imperial,
por decreto de 18 de dezembro de 1871
DE PROPRIAj INVENgAO E PR1EPA $l4& DE

LEtII*iUIJWE I)l DOLLt A

(DO f hby)
PharniaceutLk e lorkado pPia Imperial Paculdade de Medlicina do Rio-de .a-
neiro, soesloffItIvo do InsUtituto Pharinaceuticlo da C6rte e correspond,
dente da 8ojeda4t PtPharmix ttra do Gruio-Par cAo Nacional enti ji86, vpl, seus rodiuctos chimlces e pharnmceuticos
cavalieiro da lt!ri|yu|pdmi da liosa, etc.


:ste preparado 4
a tao conhecido f
Seu coistumo eirllI
osaieulite (o sen salt
-pplicar e~~m todas as
Sprincipalt mente nas
rnctos, bobas, rhenr
ras mnolestias ditiel1


)eposi

lati"t


jo o melhor, de LodEw.q seus similhantes:
Q 4 wipalente no lit no 4 Jaineiro, onde o
W ,(6 frauscos!! Aqul lque mais provei-
i ncipia logo corn as prime& 4dses) se poderi
eatitis jueteem sua origem na impuridade do sangue
l jwhpbititca+, comino sejam: gonoirAias, bobs,
sio-.aticuilar ou muscular, darthros, empipgi:s c ou-
lima d(uziapor 2#M
4oCpor 4000
r~pbueoaeCabuga u. 14.

a n s s1uint
irt n +: ni- cm aninr .... '1:'++ S:Ults i


, Seria
nas colon
bs rMitiri


SEXPi0$1A0 U'VERSAL DE 1855
DMROALHA D E I' CLASS
.ALF. LABRRAQUE & "I


'-gill.


LtADAn 91


APPR'i)VAlDO PELA iCAlIIIA DE I DIlCINA DE PARIZ


S 0 Quiniuum 'Labarrpque,
;' 06 eutn vinhe eininentemente to-
nico*et [fj'go que deve ser
p,-rfcr'idj i touas as outras pre-
0a'aces de quina.
Os.vinhos de quina ordinaia-
unicrle inpregados na inedicina
,rcparam- t comn cascas de uiia
cuja riqueza eim principios icti-
vos 6 extremamente variavel; i
parte disso,- em razio de seu
inodo de preparaca0, estbs vin-
hos .oultem apenac vcstigios de
princiipios activos, el em pro.-
ptr(;oes sempre variaveis.
0 Qlninum Labarraquoe,
approvado pela Acadamia de me-
dicina, constitute pelo contrario
umn medicamrnento de composi.
co determinada, rica em prin-
cipios activos, e coal o qual os


medicos


e os doentes poder


sempre contar.
0 Qamalcuam Lahi~rraqae 6
prescripto comn grande exito is
pessoas fracas, debi!ita4as, seja.
por diversas causas d'esgota-
mento, seja por antigas moies-
tias; aos adults fatigados por
uma rapid crescefa, is meni-
nas qui tern difliculdade em se
formal e desenivotver; ais mullie-
res depois dos parts; ads velhlios
enfraiaecidos peli,. idade ou
doenva.
Nc cazo de clIorosis, anemia,
cores palidas, te vinho e um
poderoso auxiliar dos ferrogino-
sos. Tornado junto, par exemplo,
corn as pilulas de VALLET, produz
effeitos maravilhosos, petsua
rapsda acqao.


epeol

Depositarios: -- Os Srs. Barboxa,, BarLholomeo1 i C. e Mauia
:.++ ,+ (C


VELOUTINE
SUMA SPECIES Di
PO DE FLOR OE ARROZ


L


Eipecialmente preparado coin BISMUTHO-
Spior conseguinie d'umnia aecdo saudavol sobro
a -,dle.
5-ADHERF.I7E e totalnente INVISIVEL,
:.ailo a i,-;'.e ,na frescura e aveludado natu-
toes.
Prefo ,.l,'uic'isa coint borla, lfr.
Pans, Ch. FAY,. 9, rue de la Paix. .


l r,'* is il 11 IP, flit'0 ib41'O),
E.IS DE MOURAe C.
;: I"-" I'wi'l.w- Pharmacias. "


lb


EASbA PiTCI B a3 33
d.ikFtde DELA IENIER
Ph I'AJUS7".
M Idkpi ias d inmpitpe de Paris oitatai-
rim ca aupieriorlade ohtre totd 0o ais
peitoav ri sow puti.ri-a eqficacia Ce de-
flzos. astAimas. rtppe, cogqseiucAe (tse
cvalt'3,,S). fuInassnaaeo do& bro fables,
irritaies do pslto e dat arglanta, etc. (Ca-.
lea -roMfrla as f/lst4/i.qfs.)- Dtpositoi mas
Biitn.ill,;ci t- Al;Ji lit .0to B aOzil. ,"


rup
Paa11'narear roupa
TiLita Preta iniideleel, a nelhor que ate hoje
tem apparecido iO mercado. Garante-se sua
durabilidado. 0 fabricante tern muitos attes-
tados cim garantia da mesma. )epcsito a rua
do larai) ila Victuoria i. 21, loja. ubrico, rua
Epevlal n. 151.

SAVISO. Estando as nopsa" maricas
0 regaistradas no Birazil, t6& o outra-
Sfaciotor sera punido de multa 0 oadoia
em cowformidade A lei.
As Verdadeira..

IP1LULAS 1


l All A

! PPOVDSPLAG AS NCADEI K EIIA
I'lauitw w Job 6 flti d 6 l

d APPROVMI A8 PIEA gAiAIA X IDICIRA *I
For DE PAWIS
Por I"alt ilidi.
! O ,URA N sUrofia, a GciU o imue, f
FfrtTIFrAM as constituldO w c- X
ou0 anaws .a
A UP A a formal o.0 jivqmelko .
1-a ti- -ox ft
, [luiRI' abs g
** ^ ,.^^.^-^^M^


Is M "Umc.-- a 05fsi 15Wgv0s..E-a as provu: I
.lea repartcb r, makpaompfo e*i
,^foriqu do@ febr^|do a< do^*^ #dasuvwUr
I^W~wa~di beoeif a (otdromts-to anew*a
dffau ro 1 o q o inho uedoomruina. Declaro.-
oAutipAo$d@@o porwezleauoja.-lDogwBrtAru.,
"de A.f laudo0 :Vi.bo eo Xaropo Aroud corn quina
ondelavrios f *eopeoialrBnton afebsepaludeaonw
O eatahrgio* o.nd a ochloro-anoemia em nto. Jp
icaor iiMns, paM imp.sa e & a febrea palur
*mn&ntegno ykfktno OB Eturopew, aft. DJoytar Fvm..
moio RVIN em RmI~rancF


Queiii


ii() poicr cont inuar a


esta causm, ,irij,-se &


al cidaaes 40o i mptro ou -esitiR wa
en.19, alguns amiges que se querem presuilI
tear e vlo a confeitaria do Campos, compram
algumas latas corn os se uintes doces, os
wmais apreciados nAo s6 aqui como hi f6ra.
- Asaber:
SDoce de caj(i secco, crystalisado, picado e
em calda.
Doqe de mangaba; secco e crystalisado.
Doce de gaiaba ralado, muito fino.
Doce de c6co, em calda.
Doce de Iitto secco e chrisLalisado.
Doce diacaxi verdadeiro.
Cozinheira e engomma-
deira
Precisa-se tle urna cozinheira e engtomma-
deira, perfeita em cada mister: ia rua Nova
numero 13.

& CIGARROS



IARAVILHAS.,

| FIBRICA

1*AJPOLLO 1
-*At.1110 L: w

1 -1-Ruado Cabu qa14

lMEDICO E CEIBURGi;tO '
0 Dr. Cyrillino P. de Almieida e Cas-
t ro, corn uma pratica de cliica civil .
;* de idobs annos,e de cerca de tres annos 'e
ui os principaes hospitals tie Vienna -
Sd'AuAtri,, Paris, Londres e Allemaiha, ..
i4 p6de ser procurado paia o exercicio
) de sua profissao ruaa da Aurora n. 19, -
Ssegundo andar.
)j Consultas de o is 3 horas da tarde ^
.0 N4.z .4 P ... I r,/-'/:;~ "AN0


SConsultorlio Il'
~,hd:q0
dico c'trurgico
0 Di. Adriao havenido regyres.ado
Sde sua viagem a Europa, tern estai- |.
belecido a sua residenciw e consul- "
S torio i rua do Imperalor n. 55, 2o
andar, casa junlto a llelaCiao, onde-
Sp6de ser procurado a qualquer, ho i
ra do die on da noite, para os mis- :o
S teres de sua profissao. "Consullas
das 10 horas uu .eio dia... ..
Chaniados por escripto.



DESCOBERTA
CURi,-$P
A ASTHMA
SUFFOGAQAO e TOSS'

De PoSO em Pcuaiul uc I
_____ _MAI o

IALTA


iAM


i6 0t s.ij ''i;


pro,


FIDIOIO NO BOWMi


Que em rnerlos -e Ae%. i
ligandi,.o aI mow da. exisrente.


A fuu Icao
.9


senta!lnen)to,


rninda uru


eo'eo3ho ro


u c- Va ro


tlJTflliaSbi I) ~


que nao ) prejudlca a ro"a dau'.


0i vapr,'s de.a ftiwiiao


CIS~I rn
(MIde


de o fis a de aiverlai-,H
rli 8


E&al OS( iii(8408


Ilee jao) pre-


quer por s, q j1& por uas


A DO BRUM N 52
PASSANDO 0 CHAFARIZ


Jamres ,s iTsoi
Parat dar Ium diata-
nmente ao= cabelos e a
biarba a sua cOr natural-
i' -' *eo. 1^ ^


U! Cor e.1 t u-en^la--jha 1.-.
E. 1 oem+ avaa1 'a i ,
K j a2:iii': l i ehi-du]s, a a tat icea-
k to li Jai e o rusi" olhe
'. prii pt!; io i0.1 0
l I tI !|i^iilt^lt'a i! ,itnaf
:. a L A stil ,itJm, p vfraiK3t*
A ?l_ V oam rl r --I .m!tc p v' v.' F
A' -. L.Ci qlvt *U
Ie' .l- tt b." 44
r Ifowiail~c 4 %Iai fcl ar o. tie
Alew,. k;f.. w', as: BI, L. Lagrosa #
'Pe i :-li ;, /'i,." ::i +' "
i erut 9itetl |ltt! '- '^ ; r
dado,:i:i .ni I -... .....(.^.^ .
TCrwi C "i i
,Ei i


I*RAIK41 i.LL.- AfMWcea lympbatm*, 4MW
daa VnSa df@"UVS&, obfitc;*a d.a fiedo & ft bags,
obstrac*s ,isersH, coaerftseo ea tlcumiasbi We.
JtilL.1 Affecot ds %i ins d#lgbam- inftm-
Kc,*es.! f t ;Me e o. 4...ld d aa tenc
ClSTt;. -fftc.9es edos rimndabetp. treos,
I i -J s %ia t rirlnits. g irit, dEiv4e. aWft:hm Iri.
HIUTE[IV,. Affe>..6 .is rni,. da bxl<, aretes,
ccc>.:'i"t;'&c IS l owtrii..>.-' K-'a. ,ltt~iilt^ltj, l~inliziia. L-
EI6A-Sl .
9 r(.E t>* FOTE hCABVSULA
.4A ; das Fo.lntde Vichy, atm:r vromne-
PAR"t,. -.h i-t 1I 1-'e v l WrT acQ, ci aiia de
A.ItK E.:!DLA!TESS.oa-ft.:.04.
":',il++ 21" I -, '"'


4 1.
:'1. IL ** ^ r !!N
:l) ll~~. + ^ ..,, 1 .
1 1:(: .! +J[' : .- I$ : +.i H
,++ -+' --D -'
++ii ;i;:,+++=


U


9 8

hij'

o n:


t S
EA'- t- .


I.?

0
p,
(
il'


mu

C
^ '.4


t A
0 d


main



>-z


tratanletio
Is?. o y-


EYlr 'o detourente dos ttiadfo
fresc 0tbaca' o, pd*"leio da coh-
pressaoee s {i aqao aiiWosa, algiwa.
depois de ter rido pescado- lS claw(
da Terra-NoVa. E de gosta agradav-.
e contdm d tQem grande propoor<.,
IE' de effeitos admiraveis no ctrativo da
phtysica. Fortalece a delicada nature.
za das creancas : faz engordar, ;a
cotialunicar as core.- da sau'tde iqud.
es qtuefazem uso de.ie.
Vendem
Bartholomeu eComp. A. Caors, Jos,
Elias de Moura e Coinp, P. Paurn
eCoin.


JAAMACARUL OMPBSTO
Carlos Bi e."court
1'narmaceutico diprotrtido pela academia
de riedicina da Bnhia
Maravilhosa deseoberta do se-
culo
0 primeiro peitoral conheci-
do na medicine, de ori-
gem americana!
IUNICAMENTE PREPAADO rELIO AU-
TOR E DE COMP0r'C7O0 DESCO-
NHEiGiDA
Temos experiencia de curas rapidas el-
fectuadas corn o-xarope de jararfacart
composto-em molestias rebeldes a qual-
quer outra medicaCo !
Cuir:ra Idicalmente :equ:ictes doen-
,-as : asthiiia. deilt)u, tsse simplee; ou
Co onvllsa, )bronichiteP, ,ecc-, da ga:'-
S-anta, afflec'aes dos rm"ioes. e en;pre-
g;-lo oin grande succe!--o ;;:- AItysic:,-
)'aryngua e pulmoniar
Pr-'cco para at. citta : 4 :',o
'6000,C C .,w, ,Luzia '-. V tO
Salsaparrilha ec aroba
; Carlos Bitte.co..
Grande depurativo do sanIgue
SEM MEh1!R.IO G I
C)tiuposiqtio vegetal feiWt con: o extract
de diversas planlas arnericanas sere con-
s"!jiencias nocivas coaio as desses pre-
paados qiie se a.r-.r.ciam pomposa-
inente.
Unico especiico ias doen-
gas seguintes
Rllcuilatismno, syplii;;-:, ;.'c(:..-. .i,,,in- .'
gens, cancros ito peris, concr' c ';t 'O-
:nica, boubas. buboes, olilas, pr,,ia.
es.rofulas, mcjlestias p-- !e!le E, dk s s
Sidoenq.as flue teem a &-ja or!':-,-,i -
puremza 4osancgue.
P,'eoo para a fqpira'i. asco
-00O0, e umaw dc'a ^,bO0
tOcdLuzindo os preCos, o auto' tern por
rnm p6r a6 alcaeoe de tc4os esto precioso
iedicamento e acarbar Cm as especula-
,,: C.s, exigindo-se $(0'_O por t:.-r. prepara-
do nacional !
DEPOSIT(, G1^ttA A
Pharmacia Galezio
Carlos Bit'enwout
.\. ir .--hi' bo ./.KV,< la'mi lo-

P e rn a in t 11 eO


p


*?',:


h-


I


I I


Hie as-sintarfi














L. E
i" %"C"
?.-.-.,
",....


", -, HI^B ff Ml^^^ lMUil-,l-.



Govieegawo do. .4~lfe dec*6es
do g-verd, do aPt emader-
nado por GS.'-
Dia, dita, dita do anro. de, 873, en-
eaftudo por 85
0 ESPRlirADOR DO MUNDO NO-
VO, obra critics, moral e divwtida
por Jose Daniel R. da Gosta, encader.
aado por 26500. *
OS ENGEITAD&OA AFORTUNA, pe-
tomesmoauctor, enecErnadopor 11500.
TRIBUNAL DA RA;AO, onde 6 ar-
guido o dinheiro pelos queitosos da sua
falta pelo mesmo autor, encadernado
VENDE-SE thibem 'ara banda de
*sda, quasi nova, para official, por 106.
MACHIINA DE TGELO
Vende-se barato uima machine de fa-
bricar gelo, propria para casa de fa-
milia, especialmente para algum eige-
anho. E' do systeoma TOELLI, e trabalha
Iiimplesmente corn chlorureto de amo-
Soiaco. E'de samples manejo, pois qual-
.!quer crianga p6de tear a mnanivella,
sem esforpo.
. Para ver e traL.tu na rua do Bardo da
Victoria n. 2, no BAZAR VICTORIA
t'le Amaral, Nabuco & C.
AGORA SIM
IN .O PODERA' HAVER M\IS CABELLOS BRAN-
COS, COM A TINTURFLA CHINEZA
SPreparada por A. :R. Ramalho.
'?-RUA DO MARQIEZ DE OLIN.
DA-21
Esta tintura faz tornar os cabello,
rapidamente pretos semn offender a cu-
tis, e muito facil de se applicar. Cad(
.frasco acompanhara as instruceoes ne-
cessaries.
0 autor da tintura chineza nao preci-
sa de encher as coltimnas d'este journal
comro muitos outros autores fazem, en-
grandecendo seus prepirados a onto de
tornal-os umna maravil h.1, semse leinbra-
r?m que, A maneira (que seu auto os
eleva, o public os p6de rebaixar, poi
-,e as mais das vezes e enganado.
Portanto, o author da tintura chineza.
:.e:to do bomn resultado, jA pelas mui-
tas experiencias que se tern feito, j6
pelas b6as provasque sempre-tem tido.
recommenda esta iintura.
Pede tlo s6mente que experimenterrm
ella, para depois fazerem seu juizo.
Unico deposit, er. 'isa de seu au
acim
Lava-se e engomma-se
roupa (de home, corn promptidaoe
isseio, no becco do Padre n. 20,2o andar.

CAShL DE PENLORESj
T TRAV.SSA DA RUA DO
UQE DE CAXIAS N. 2

Julio -ae~c, pedA
Ia todos os grs. mu-)
tuarios que Im cau-i
telas veacidas, ve-
nham tit gjalha,

porque se esta liqui-l
dando todos os va-1


lores em core; nAiol
Ise recebendo, desde
fhoje, mais empres-
&timo sob penhores.)l
- Recife 16 de ju-|l
Inho dei77. l7


Precls
ruaCod

rua de


,4fi~wfio
E~Vu6 fugido
,No .t6d. d waMi.-,..... ...Mlft~
Bahia, de bordo d(o vopor nacionas'nwa, o
escravo Romuald-. que sezfiia viagem deste
porto pure o Rio ne Javieir., de piopriedad-
'de Luiz Joss da Silva GuiLaarAes, negociante
no Recife, que o houve por compra em 25 de
maio de 1869, a Jeronymo TeotiIto da Silva
Loureiro, morador na Baixa Verde, cujo es-
cravo tern os seguintes signa&e" aracteriati-
cos: c6r acabralhada, estatuira 5 p6s, I pooe-
gada e3 pontos, cabeUllo p mto- carapinho-
rosto comprido, elbho preto complhar almr,
tecido, nariz afilado, boccawitfltf, fodoe os
dentes, barbapouea, e corpo grW., era urna
das mlos, por t-az do pulso, "tee um caro
i especie de um lombinho, pronuncia compas-
sada, conservando-Se, quardolfi, em attitu-
de humilde e vista baixa, twp de idade20 6
3N annos, pouco maid ou me .ho deJoso
e Antonia. escravos de MN ol2 vador, de
lugar Fazendia Grande ou. e Flores,
d'onde o referidoescravo Arim ,,e ond*W.
ercicia o officio detbrreiro. &Wi.esta cidde
vestido corn cava e camisa IOpMea paletote
alpaca preta, chap6ado Chile, w urnbm -
buzinho de coidro, corn bastante roupa brag;
essimn comarn osa que no icto do rombs a
aqu, Urnm fal ibordo u-"AM
qumUa de amndackd- aro a
de nomeo Romama. provo tenha m-
dado ae nom e.-* ve j que ande
calgado, p"nti ^ ae
aM


nourarem corn


W W.VS.. owl


ii
II


"w


Eduardo Ci

Rua do Bario do Ti
Brum
Os proprietarips dpi
viinem "dos senioridt d<
e ao publieo em geral
ear os objects abaixo


.666
estabelecimento pre-
enugenho, agrieultores
ne continuam a tabri-
uencionados, como se-


r
q


* A'elans e amendoas.
I uneixas e flgos.
1 (stanhas do Maranhao.
c, contra-se tudo isso e mais alguanas cou-
i4na confeitaria do Campos.
S~2 4 Imperador 24


1 ~~qWerial^. 55,vende-sp omui-
dl niaria, e por muito menos pre-
o e em outra qualquer parte.
s(j^ Attenoao
o-se fallida a firma de Ramos & C.,
o de Joaquim Fernandes Ramop e
p.i 1A S u ..f p. 0tabel lAos
r1-da" .r Pedro
Stodof.OWSe us teovedo-
0 ls w diw 9ter os Oeus deIftos. entenden-
Co-se corn os curadores fiscaes Baltar Oliveira
SC., e dopwtartos Pereira Carnoiro Maia &
.,.WS.mO a maxima brevidade, afim do evi
Paroln so despezas judiclas aos mesmo de-


Aluga-se
po creg muito razoavel as tan" sitas i rua
do assp da Patria, outr'ora travessa do Mon-
teiA, c! os seguies commddos : 2 salas, 3
qual's cozinha, muito born quintal corn ca-
cimba; 8so casas modernas e muito frescas :
quem prtender, dirija-se A rua Duque do Ca
xias n. 11,;' 1 andar, que acharA corn quern
tratar.___

Hotel Oeberibe
O abaixo aspignado, eompenetra4o da urgen-
to e cessias'de haver no povoa4p de Bbe-
ribt urn holeir'ara o copforto d pajoas
qut'demandam aquelle pittoresco armablde,
-attrahidas ji palo sea banbo sew igual, jAi pela
pureza 4i. su.s atbosphera5 eu pelos variados
diveria& .g qti slteem lugar durante a
ALstaglo 46 a, resolve abriram estabeleci-
ment.sob a denonminacao de--Hotel Bebe-
rIbE, onde o respeitavel publico encontrard
excellentes quartos pac aslsar, Gcow sahida
para o rio, boa ln:O e 2 o que se pode
exi.r de um es beo monlado,
par o que nao te- *adt 4lspeza almguma,
. ndo em compensafto t&o s6mente a va-
l pDrtefso "do respeitavel public, pela
q di antemAo sedecara agradecido.
fBetaibe, O de ozembro do 1877. --Mathias
^ 6w4 b-Guimara^ "e


rua
so-
mtal


a sua cuOiiaicaa.
la


Na Caldeiraria Central
.66-Rua do Barao do Triumho outrora do Brum-66
4 -
CO L LAtRE ()URI

N. 3 A---RUA 9DQ 0ABUGA'-N. 3 A
Agostinho Irndos
Offerecem ao respeitavel public desi cidade e f6ra della uma infinidade
de joias, send adhere *M. brilhantes, tubins, esmeraldas e perolas, meios
ditos de ditos, bri ntasia e drgolas do ultimo gosto, alfinetes para
retratos e sern eli iS9x .! leLras sem ellas, cadeias para homes e, se-
nhoras, de opuri l para dKos e ditas, de outo 'e prata, anneis
corn brilhantes, e perots e corn letras, voltas corn laCo e serm
laco, pulceiras p4_|i.tmvs) einas, djectos de prata do Porto de toda qua.
lidade, e emm e ilr'. woias qua seria enfadonho mencionar ; s6 corn
a vista pode-se aji.UWtinto .regos corai em' gosto, garante-se a qualidade
de ouro de lei e a slt pregos. Copra-se ouro, prata e pedras pre-
ciosas.. Concerta-se os ,de ouro e prata, co.f..z. ,
^VW/P^\|tf/.\V~.^^.^^'\R/r.vw^v\M4f^\\*f/j^*Ji~.^<^IHHBklMU M "*rM~i~tl^Mlfl l^l


PIfARMACIA IIOMEOPATHICA


Globulos puros
de Catelan


Globulos dynamisados
e Tin turas


DE


Tubos e frescos vazios 22-RUA DO BOM
de todos ostaAianhos. PIP'TN A M


DE


A'1RUA


Victor G n ientif
deI d2. *w-)de Wbeirh4
,Lask e.m- cano
ffi-sad, a1r41oAnsD e 34


para globules e
tinturas,


CO .


para


cha e chocolate
homeopathico


. -4


*-..**.- A'
;*
^i
^
'f.. *..
'* k


- -I


maA*
bmto,
~ulnimo


Qas: prepare
A rua Duque 1
FraDUooS i
___Dito. nr


&Z. AT J *.^*'-


Na loja do Pavao, A rua Duque de
Caxias n. 55, vende-se elegantes ves-
tuarios para cringas,, sendo ricamcnle
enfeitados e de gosdos iteiramrnenteomrno-
demos, ielo It rato Pilo de 35100 e
45000, nida rtI&isbonitC41iem mna"- !.
rato para quem quizer dar bonitas fes-
tas corn pouco= dinheiro, isto s6 no lo-
ja do Pavio, a rua do Queimado n. 55,
loja de Pereira da Silva & C.
Roda para engenho
d'agia
Vonde-se uma roda para moor corn agua'
rasteiro, toda de ferro e perfeitamente ataba-
da, corn os comptentes rodetes, e umra pe-
quena moenda, Ludo em born estado : quem
a pretender, dirija-se ao engenho Pores, ou A
fundicgAo do Bowmann, A rua do Brin.
Vende-se


Os prepares para um agougue cons-
tando, e um baleaO com pedra mar-
more. balangas'e mais utensilios, para
ver, na rua do Bornm Jesus n. 4: a tra-
tar na rua do Vigario Tenorio n. 12, ar-
mazem.
Vende-se um caixlo para deposit de sal
e uma pequena armac&o para taverna, corn
pesos e medikIs, do armazem de sal e fogos, 6
run Imperial n1 487 : a tatar no mesimo.
Vende-se on aluga-se o sobrado do um
andar e sotAo, na rusa de Santa Rita n. 75 : a
tratar na rua Duque de Caxias n. 54, escrip-
torio.
Q j.. i .. ) | ,
** ,'"- ..fW ^ f '^ :


RUA DO i.,.
Novides para festa
-Popeufis de lih6b, linidos padres, at
200 riso covado.
Sita (fIsda, a 5WO, 600,800, 1j'
a dequadros, a i100 ,arto ,q

^rmI sadas da1ii, a^ tf (E)~t
4. .au-ibr aa
., =-WIT


ft


IL 0


M.*
, ,-


lam:
Mahinas de Deros.. pazer espiritos,
ditas de Collars, os MeW% 6rfiy tas, alai-
biques de feitios diverso..o si.nus e com es-
quenta garapas, incluitndo $ dk NOVO SYS-
TEMA, ultimamente ado -tadt .ia pr-vincia, ca-
rapucas, serpentinas,taclos, passadeiras, repar-
tideiras, escumadeiras, mandioca e todas as olras Weesaiwa para a
fabric do assucar. Bomba ftsapirintes e de
repuxo, de ferro, de core e de bronze. Si-
nos de 16 libras ate 110 arrobas, fabricados
pelo system franeez, jorneiras de bronze e
parafusos de dito, de to4os os tamanhos.
Emfim fabrica-se to 4a e qualquer obra de
cobre ou de bronze, con| toda perfeiOao e gos-
to, para o que teem feitO acquisiAo dos melho-
res operarios, podendo desta forma servirem
bemrn aos seus freguezes e a todos gjuantos lhes
I Il...... .... ..


O jib reg muta hafbata mao


idada 31 ames ; foi comprado na IBma data
em qe o outr, ao r. Manoel Trssos Sa-
-inho, morador em Born Jardim, ..Parahyba ;
eate escravo 6 vluvo e'deixou filhl- na Para-
byba : roga-se as autoridades polies e sos
aqi4t e d almpo a apprebenslQ. destes es-
ofvos, gtielaudo.se a qutm *b entregar
egta eidade aos Sis. Maneel Ahives Ferreira &
C., a rua do Apolomn. 4, primelro aAdar, ou ao
respective senior, no engonmn Qtamaragibe,
em Serlrafaeem.
T6inura Japoneza

A unicjl ^yifda ejfixiiada pelas
.aceniaseldlo e ri es, por nieao
"ixm .c mpo*a-'app, 'e.31. etse-



ser xrejudcial seaude, eheontra-se nar
principles casas de cabelleirvros e ema
toda4 as boticas rinlinfpaes d3 Pernam-
buco, Caors, Barthliormeu & C. Ma'-
rer& dC. e rua atlati o.mlr a. 1. o
dar W -.: -,

dam
90 --

Graifica-e comesta quantia a quem
a3 rebtd o es0ravo S del nome Canuteo,
baixthieslioa d drpb, bern fiallante,
suis.as fechadas, jes um pouco apalhe-
tados, goata de andar de alpargatas,
levou veslido cal;a e camnisa de algo-
do azul de listra e chapeo de feltro
branco; quem o agarrar, leve-o 6a rua do
Cotovello n. 89, que recebwra a grati-
ficaafi. Consta que ellc e costuma acoi-
tar-se em urma casa no Aorredor 4o.Bis-
pc, onde era freguez de .conduzir a-
gua.
Magnifica ajuisiaio
Est6a para alunar a casa n. 58A da
rua Imperial, coin armacao dti amarel-
lo e mais utensilios, propria para umr
principiante, por j. se achar ben afre-
guezada r em magnifica pos ic:o ; para
mais averigua oes podem dirigir-se'i rua
do Imperador n. 40.
Alhga-se
0 2. andar da. casa n. 8 a rua da
Imperatriz : a tratarcom J. 1. M. Rego.
S e ,cMofinao d m
E' pedra que nao joga.
Agua mole em pedra;dura,
Tanto da. ate que furs.
(Mas esta e de bronze, que i nao
tern furado por ser estanhada).
Roga-se ao lHim. Sr. Ignacio Vieira
de Mello, escrivao da cidade dnNaza-
reth, desta provincia, o favor de vir o.
rua Duque de Caxias n. 36, a chcluir
aquelle negocio que S. S. se cfmpro-
metteu a realisar, pela terceira chama-
da deste journal, fem fins de ^zembro
de 1i71. e deois oaraJia.Mai, que pas-
sou atevr6 e bro'ne 1872, e nada
cufiprio; e por este motive, pois, 6de
nofo chamado para o dito tim, pois de
vet. S. lei1ram-se qae este negocio e
de maln de c~to annus, e quaado o se
nhnr seu fitho se achava nesta cidade

^ Alerta
Pequenas novidades
1t(angas de Ila.narach.
d Melle de mesmo.
Iranjas de umbigo.
Abacacbis sem casca


Alerta
Fugi0 em id 7ro 4;'" esavo
Jos0 pretl, noup, de idade annos,
alkima d lar, coifoerhie sua idade,
secco, pernas regulares, cabqa com-
prida, ptscowo mtpridi, pA S'
este escrlvipho foi comnprado no Pago
de Canniraie au' Sr. Joio Vieira. de
Lima, e s6 esteve em powder do Abaixo
assigniado 15 dias, finda 9as quaes 4de-
appareceu e consta estar em terras is,
engeniL, s Paraizo, RiachAo, Sawito An-
tonio Grande, Sacramento, Ccronha ou
Quebra, conforme cartas que o abaixo
assignado tLem rn: quem o apresentar na
rua do Hortas n. 86, sobrado, terA a
gratificgao acima.
Maximino da Sfla Gusmio.
Casa na Soledade
*Aluga-se a casa n. 29 da rua do Progress9,
corn 5 quartos, I grande salas, cozinha r6ra,
quintal corn portAo de ferro ao lado, torna-se
fresca por ter janellas para Indos os lados : a
have para v-r, estA na taverna defronte, e
trata-se na rua da Cadeia do Recife n. 3.
Bellas artes
Acaba de chegar da Europa o Sr. Fernando
Guerrieri, corn um grande sortimento de obras
de mnarmnore e alabasl'ro, proprias pars enfei-
te de sala, a saber: lindos vasos para flures,
priinorosas tagas de nmarmoro, para iuso de
fructeiras, jarros, animals. estatuas e muitos
outros objects que se Ltoinariam enfadonho
enumeral-os, e quo s6 cor a vista pode-se
apreciar. Todas estas ohras sao esculpidas
pelos melhores artists de Florenva, e todas
por precos commodissimos.
Abrio seu estabelecimento a rua do Bario
da Victoria, antiga rua Nova n. '28.
Pianist hespanhol
Lembra-se ao Sr. Paulo Salesa, pianista, se
ja esqueceu-se do negocio que ficou certissi-
mo de o concluirno dia 1 do correnie, na rua
do Marquez de Olinda n. 42, Io andar.

Cozinheira
!'iocisa-se de uma cozinheira, seido es,,ra-
V na rua do Marquez de Olinda n. 35.


SCOMPRAS
Compra-se diaries e jornaes atligc- : a
tralar ho pateoda Penha n. 8.
Machina
Compra-se umra machine a vapor de fq.rQa
de urn a um e meio cavallo, usada, porm em
perfeito estado : na rua Vidal de Negreiros
n. 113.

VENDA_
Vende-so umn excellence sitio no Arraial,
alum da cstagio da Mangabeira, A esquerda,
urna casa das bolas brancas, corn 400 palmos
de frente'e mile tanto de fundo, corn 20 pes
de jaqueira, porgio de coqueiros, muitas man-
gueiras, corn 12 p 6s de oiti-cor6, quantidade
de larangeiras, p6s de sapoti e abacate, um
parreiral miito born, duas cases, send urma
de pedra e cal, feita A modern, corn 4 quartos
e 2 salas ; a Qutra de madeira, muito bern
construica, corn 3 quartos e 2 salas, corn um
rio que atravessa o mesmo sitio, corn q uanti-
dade de bananeiras, terra de barro e baixas
muito boas : quern pretender, diija-se ao
mesmo sitio, que la achara corn quem tratar.
Bmtinas para senhoras
A 3,500 e 46000
Na loja do Pavyo, 6. rua Duque de
Caxias n. 55, vende-se botinas para se-
nhoras que sempre se venderam a
55000 e 65000, liquida-se a 38500 e
45000, para acabar, isto s6 na loja do
Pavao, a. rua do Queirnado n. 55, de Pe-
reira da Silva d& C.
Para dar de festas
VESTUARIOS PARA CRIANCAS
A 36500 e 45000


:7'


'00


^


.bom
ft 4A-i


Coques a 2500
Coques a 24500
0 Coes a 2$500
S6 o,'P*akro
4 rMA uque de tixias n. 55, vende os mais
modernos coques que tern vindo ao mercado.
pejoqbeatissimo uej d 2500 cada urn, por
terero chegado crn umn leave toque de m6fo.
sendo artigo que na se vende em parte al -
guma IDor menos de .6, isto para liquidar
depressa : na rua do Queimado n. 55, loja de
Pereira da Silva & C.

Setirt da (ina a 500 rs
o covado
Receberam Almeida & Campos A rua dr
C-espo n. 20, os mais lindos setins da China.
proprios para vostidos, gostos A imita,.o d6
goregerao por 500 m. o covado.
Jaines
Receberam lambem umn Undo sertimento de
jaines lisas, ciftIescuras paravestido, I pura,
a640 rs. o covado.
Bern c6mo um novo e lindo sortimento de
fexuis de peda, gostos modernos, a 45 ; e um
complete sortimento de popelines de seda purse
a 1S, 900 e 800 r. o. covado.
NA LOJA A' RUA DO CRSPO N. 20
"De Almeida & Campos.

Pipelines de seda lisas
A 14000 0 GOVADO
Lindissimaa paPines, seda lisa, lin-
das cores, manoderno, por 15000

n. 20.
Utr goto,'" parr 6 1
jdo. "'L rs.0. co-
I-pd a rto t mt t .4 o


Yende-se6umr grawie setimeebo ftbonitas
aesu4ag Wpuoprip'sa e
qdOe m Mlqu avw p e afetf 9.6
para.apppr dinhqur ";
AiPa&M : '6.& ,
Merinos para vestidos, seisd U ,s urma
0 6.96r, tlendo dteduts t M p&ii ,9
senM6 fazenda mtlto love ptra Yves-
tidos, oque ha cdeM in 4 0rno
Se quo se pyestarnagnvg Ywrvgeti-
dos de duas cores, Covado a 5360
Popelines de seid. falteak de muIla
phantasia, covade a j500
Ditas tambem de melto geoso, covay
doa 720
Ditas de linho, serdo de listras e qua-
drinhos, .4vado a 320, 3e0b : $400
Anadinas escocezas, o que hi de mais
gosto no mercado, pArp Yepsidos,
,ovado a $ 500
Majiposas abertas, de urma s6 c6r,
fuzenda de rmito ostose.vado a 5640
Ditas bancal,'abertas, faz&Ada rnuito
Oonita, cqvado a 500o
Ditas oxatisadas, fazenla 'de muilo
gosto, cuvado a 5440
Fiuslao branco, muito boa flaenda pa-
ra vestidos e roupas de tieninas,
cuvado, a 5640
Grande soitimento docambraias bran-
cas, tanto tapadas como transpa-
rentes, que se vendemn de 35500 a
peca al6 6$ e 7000)
Girnde porg.o de chitas olaras e es-
1 curas, de240 rs. o covadQ atl $320
Assim como ui bonito sortimento
das mais id laf percales e creto-
nes, tanto claras como escuras, co-
yado a #360
Etpartilhos dos mais modernos, a
4 e500 e 55000
Punhos e collarinhos bordados, a
1$500, 15&6) e 8o000
Grande sdrtimento de gravatinhas de
todas as cores de 1# at6 2$000
Grande sortirnento de babadinlios e
liras bordadas, jor p'reos multo
m conta
Ctapeos do palha para senhoras, sen-
Bo modernos e muito bern enfelta-
ilos, a 6$ e 85000
Gfande sorlimento dos vins moder-
'nos chales de casemira, sendo mui-
to finos e gostos inteiramente no-
vos, n 0,-j e 75000
Ditos de meri'n6 estampados, de 3$500
aLt 55000
Ditos de gorgor5o, corn quadros e
listras, de 15500 aLA5 2$50(
Tudo islto na rua do Queimado n. 55, loja
(d Pereira da Silva & C.

SVestidos bordados
a 106000, 1200do0 e z14000
Loja d'America a'rua do Cabuga n.
l1, s6 quern vende por este preo.

Granadinas
|Grande scrtimento de granadinas de
sgda, pretas corn ramnagem e listras de
cores, padres noos' e lindos; ven-
drm-se por prepo i)ar sjmo e ddo-se
ainostras na FragataAmazonas, rua
Thque de Caxias n. 47.
Alpacas lisas a 400 e 500 r6is
SAlpacas lisas de todas as cores para
stidos a 400 e 500 r'dis, na Fragata
f4nazonas, rua Duque de Caxias n. 47.
LinAdos chapeos para senhora
Chegaram no ultimo vapor, lindos e
ricamente enfeitados chapeos de palha
de ILalia, e de seda, para senhora, ov
quaes se vendem por muito menos de
que em outro qualquer estabelecimen.
to, na Fragata Amazonas, rua Duque
de Caxias n. 47.
Popelines de linho a 320 r6is
Vendem-se lindas popelines de linhc
a 321' reis, valem 640 reis o covado;
aproveitem, na Fragata Amazonas, rua
do Queimado n. 47.
Camisas inglezas
Grande pechincha em camisas in-
glezas a 305 a duzia, na Fragata Ama-
zonas, rua Duque de Caxias n. 47.


0





























NOVIAeafs


-ar ho-


mem, us SXII!, l10 e UAsW. Salan-
das& *
Meias superiores pa, er voms,. du-
zia 108 e1swO0. a!...
Brim branco alcochondo superior a
3( e 35 a vara. E' "baatissim .
Cortes do .linho bordado, a 128000.
Linhe bdrdado, covado 500 rs..- *
Dito liso cam 4 palmos,covado 360 rs
Alpacas corn listras de soda, coyado
500 rs.
Chitas chinezas para colchas, covado
500 rs.
Algodao corn 5 paloa de larguwa,
vara 400 rs.
Toalhas felpudas, monstruosas, pars
banho, a 2500.
Lindas mariposas, brancas e de co-
res, a 360 e 400 rs..r oxvdo.
Fil6 preto com rn lpicoS, vara 500 rs.
Brilhantina preta e de cores, cova-
do 500 rs.
Esguiao amarello, coin duas largqras,
vara 48200.
Lindissimas mantas de setim para
home, a i1000 e 16200. .
Casemiras de cores, finissimas jpara
costumes, covado 38500.
Damasco de laI e seda, pelo diminu-
to preco de 3 .00 o covado.
Chales de casemira, superior a 5( e
10(000.
Camisas para meninos, brancas e de
cOres, duzia a 2880O 0 e 308(000.
Atoolhado de algodio, idem de linho
a 28000 e 38000 a yara.
Cortes de cretone, corn figurino, bor-
dados e estampados, ultimo gosto a
158000 e 208000. *
Cortes de casemira de cores, lindos
desenhos, a 55000 e 10#000.
Camisas de linho para home, o
que ha de superior, a 40000, 50(000
e 608000 a duzia.
Ditas bordadas, umra 68000.
Ditas de bonitas cretores, a 30S000 e
408000 a duzia.
Cambraia preta final, vara 640 rs.
Mantilhas a brasileira. a 5500.
Batistes, padres elegantes, pelo ha-
rato preco de 280 e 320 r6is o co-
vado.
ROUPA FEITA
E' tao bonito o sortimento deste ar-
tigo e por tao barato preco, que s6
corn a presenra do elegant cavalihei-
ro, se poderd mostrar a realidade.
Vende-se a casa terrea da rua do Viscon-
de de Goyanna n. 43, antiga Gotovello, tendo 2
salas, 2 quartos, cozinha fora e bomn quintal:
quem pretendAr, dirija-se A4 mesa.


Miag 0os6 oomreewewiQ. e aineis, a-
quilas cootra co nvulsOenaos orianas, esteA
veradeiro antidoto para os nervOSOs, rece-
beu a Nova Esperanca A rua Duquefde Caxlaa
"p ova remeeas
Agua para pratear as metaes, lixa de bonrr-
cha (tit a a ferrugem pulindo o ferro ao mesmo
tempo) e baleias _para polonezas e vestidos,
recebeu a Nova EWsmanq,"rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Liwas froscafid pollica
A Nova Esperana, frua Dqueq de Cexias n.
63, acaba de receber frescas luvas da pellica,
brancas, pretas e de cores, para homes, se-
nhoras e menins, tambem.receben dd camur-
ca brancas e amarellas.
Anneis Oomf lottras
SMo de ouro os que recebeu a Nova Esperan-
a rua Duque de Caxias n. 63, e sAo para
criancas.
Mata caspa
Pomada do Dr. Alain, remedlo infallivel con-
tra as caspas, recebeu a Nova Esperanga, rua
Duque de Caxias n. 63.
Para baptsados
A Nova Esperanca, A rma Duque de Caxias
n. 63, recebeu bonitos e ricos vestuarios para
baptisados,. e estA vendendo pop commodo
preco.
Linhas para serzir meies recebeu a Nova
Esperanqa, rua Duque de Caxias n. 63.
Artigoo baratos
Papel amisade a 400 rs. a caixa.
Envelopes a 500 rs. a caixa.
Fita de linho a 60 rs. a peva.
LUnba de carrital a I1 a duzia.
Oleo Orisa a 800 rs. o frasco.
Dito Opopanax a 1$ o frasco.
Agua Florida a 1$ a garrafa.
Voltarete
Bas caixas corn fixas de ossoe marfim, pa-
ra voltarete, recebeu a Nova Esperanca, rua
Duque de Caxias n. 63.
Jardim artificial
Ojardimda Nova Esperanca, a rua Duque de
Caxiav n. 63, estiA replete do flores para re-
gago de vestidos, ditas para e9feitar cbapeos,
ditas proprias para bailes, tfeatros e casa-
mentos, etc., etc., 6 o que de welhor se 16de
desejar de artigos de flores, a ellas!! a
ellas!!!
Cortes de seda
A' imperatriz das Indias
Sao de gosto
Tern 33 covados cada uw cdrte, e vende-se
ur 805000: na loja da America, A rua do Ca-
uga n. 10.


hi4,m lnho a seda 4
Bomtaa pepelwes4 .de (ia fwa cqo.
res, lindosdesenhos, 800 r&i aeoa4t;
aproveitem,
Popelins d in telo e seftfis a
a 6W Ms oa cova4o.
Lindao alpacas de neda s.sa, padr4ew
de novidede, a 700 r Batistes lisas de todas a Oreo6 a
rdis o covado.
Lindos cortes de esti ca nw
branca, a 6$; 6 pecixh a, .
Lanzinhas de todas. as qualidades,
400 a 2S0 r iso ova4, .
Grosdenaples pretov, faoida.'fia, a
25500 o covado.
Gorgordes ider Aitcf idam a 3"500
o covado. .
Sedas do diveisa qtalid4Wdes 4 o
covado ; aprovdtei.' -.C
Cambraias de cores pelo -barato pre.
go de 240 rdis o covsdo ; admirem.
Chitas de diversas qualidades, a 24
rdis o covado; admire.
Lindos chapeos, palha de Italia, para
menino, a 25; aproveie.;
Idem idem pello de lebre, fita de seo
da, a 28600; aproveitem.
Cretones de bonitos padres, a 360
reis o covado.
Colchas de fusteo de cores e de chita,
a 35 cada uma.
Lengoes debrarnante, 28 a cada murn.
Brim pardo lisp, fino,a500 reis o co-
vado.
Brim branco de liUho fino, a 1$20Q
a vara.
S6o 59
Rua do Queimado [dao,-se amostrai
corn penhor]
LOJA DE CARNEIRO DA CUNHA & C.
Vestidos em cortes
Os mais modernos e lindos c rteiode vesti-
Jos de cretone para senhora, enfeitados e bor
dados A utima moda, receberam pelo ultimo
vapor vindo da Europa, Amaral, Nabuco & C.,
e vendem no Bazar Victoria n. 2.

Espartilhos couraca s
Os mais commodos espartilhos couracas e
'e outros models, lisos e bordaoos ; vendem
Amaral, Nabuco & C.. rui a do Barao da Victo-
ria n. X6
24--RUA DO COMMERCIO-24


Novidades Neste estabelecimento vende-ae o
i~uvluauTOrdadeiro e superior vinho de Boi-
Sahidas de baile, de seda e 11, ultimogosto..ieauxr, tato em harris cmo em engari-
Granadines de sedt preta, o que ha de me- tafado, e mais barato do q em quar-
lhor. rfdemi'aaod .e ul
h Gorgorfes de o, de cros wvas. uer parte, por ser recebido de conta
Popelines lisas, de todas as c6res, propria. No mesmo estabeleciment4i
Alpacas iisal 25 cores differentes compra-se garrafa vasias que tenham
Preos sem competencia. ervdo para vinho de Bordeaax ou

CA MISAS h1 0prae
Com abertura, !pu s e collarinho Clap os p S O s
de linho 4de ns. 3637. 3 9, 3 0, a)40 e Amarai, Nabwuco & C. aoebae r4'kb fr do-
4F, para horens, vn.e irm Amaral, Na Europa, pelo ultimo vapor, elteos
4bo, para Co. ens, Vr a i AmamVictria, do palba enfeitados A ltima moda, para se-
bwio & C., rua d*o o da Victoria nhoras, sendo pretos para luto, e de cores.
n 2. Vendem no Bazar Victoria n. 2.


**~'~ AM, 5 O W, 4*lom000 o
SNa n M loja.-Pdo- N O-
de Caxias, vende-se urn gramde i.
mento de bonitos bortinado8 bordkdo&.
ptophios mrm camna e |aneltas, quo
vehaem cde 700atd 10 00 opar, sen.
do cortinados de muit ogto, asinm
omo calehas de: sute r mnisco &e
IA, imnita.o 4o seda, proprias pan
tama de noivos, que se vendem a 12$0(1
sada uma, na rua do Qufimado n.fS
CRkETONESPARA SAIAS
var a 1$6000
SNa nova loja do Pavao A rua Duque
de Caxias n. 55. vende-se cretone fran-
'ez, proprio para saias, coin 11 palmos
de larger, que corn duas aras faz-se
umna saia comr 22 palmos te roda; rma
cominmenda-se esta fazenidal pelo sep
corpo e duracao : vende-sepelo barato
preco do e1W a vara na Wia do Quei-
madoe n. 5-. ..
Tomem nota:
1 -Ziado Imperador--14
0 ARMAZEM DO JVNES
(Nutricgo instantanea)
Grande variedade
"de generous limeniteioE
de superior qualidade.
Miodicidade espantosa I
Facilidade gastrica!
Vantagem proveitosa!
Veijam:
0 Nunes tern resolvido vender barato, bara
tissimo ; garantir a superioridade de seua
mercadorias; sustentar uma prodigiosa varie-
dade de generous raros e saborosos, eflnal-
mente mostrar a facilidade de qualquer pessol
passar bern corn pouco dinheiro.
Custa pouco
Venham tirar a prova e depois digam se hi
quem tenha sortimento mais variado e super
rior; que venda mais barato e d6 melhoret
provas de sinceridade e franqueza do que o


aos dous mil paletots
52 Rua da Impeoatriz 52
Loja da porta larga, coan bandeira vetr-
de e amarella.
Este estabelecimeato 6 bem antigo e conhe-
cido em roupas feitas, a os pros s~ o os maj
commodos que se p6de imaginar. Venham
ver, a festaestA na porta.
Os dous mil
Os dous mil
Os dous mil
Os dous mil
Paletots.
Paletots.
Pletots.
Pa1etots.
Rua da Imperatriz, loja daporta larga de
Paredes Porto.


Cortes de ia para veslidos
hbgarem scortes de Hi corn dues c6res,, pa-
dr%* l=diios, Wdo 9 svadoA, pari vtpe-
ti4d e se yende psi 4iiiw~t~ope e 18S;
rua que d Caxias n. 47. "a
Fichus do Sra. a 3$ :5 na Fragata Amazonas,
A rua Duaque doe ax4o a. 47.


ePopeines 4 Iioho, lstras e quadr.-
nhos, padres completarmete novos,
vmtito barato, sem compeencia de pre-
,o ; corrain a ellas, pois se acabam per
ste ,pre~e, todos querem ; venhaenm ou
m.dem. ver as amostfas, pois custa
cad ur covado--00 r6is-Sao os ba-
'tattOOrS.
_Ahtda & Campos.
Mudou-se o tempo
As 200 duias de toathas
Es pntosa pechincha!
Toalhas acolchoadas de diversos ta-
manhos, pelo diminuto preo de 38000
e 38500 a duzia.
.;Ditas felpudas, pechincha sem igual,
a 58000 a duzia.
Lenios de seda para algibeira, co6r
de canna, corn diversas figures, cousa
chique e novidade a 26000 cada urn.
Aos amigos das pecinchas, lembra-
mos nAo s6 este, como outro estirado
annuncio que aqui se acha corn o mes-
mo -titulo, a comparecerem na loja de
Joaquim Fetreira Campos & C., rua 1.o
de Marco n. 21. Vejam 14, nao se en-
ganem, tudo esti mudado, mnenos a
loja.
A festa esti na porta, e a secca de
dinheiro d grande.
Martello
Vende-se papel de linbo para cigarros, sen-
do verdadeiro, corn 500 folhas cada urma res-
ma, pelo prego de 1$000 por cida uma resma:
na rua do Vigario Thenorio n. 26, fabric de
cigarros do Braga ; e na rua larga do Rosario
n. 14, fabric de cigarros'.


Para a festa
Pechinchasi e sao novidades
Almeida ft Campos
A' RUA DO CRESPO N. 20.
Receberam uma grande porcAo de
pipelines de linho, miudinhas para
200 rs, o covado; pechincha.
As mais lindas popelines, seda pura,
tambem receberam para 800 e 1S000 o
covado, que barateza!
Mais popelines ainda'f bons gostos,
para 600 rs. o covado.
Vdos prateados, dourados e de salpi-
cos, urn veo 25000.
Russianas de c6res, li pura, lindos
gostos, a 800 rs. o covado.
Cambraias brancas para 3S500 e 4W,00


Duzia de c tde%0iha para
m ach uiaa a:'^ ^ ^- ,,. 1 *; 1ff f
E muitas o pechinch!b
SOARED lT gIRMAO
30-Rua do Barao da Victoria--30
Chapo0s pa nts-.
Aclba de receber Amaral. Nabuco & C. ,ele-
gantes chapdos de seda enfitados para bW.
tisados, e vendem na ruma do BarA6 da Victoria
numero 2.


Vende-se por prego comodo, urna
casa de taipa corn teri'o proprio, sita
no Arraial, estrada d5 Brejinho: quemr
pretende-la, dirija-se A rua Bella n. 17.
A U"
E' para acabAr
Cortes de vestidos de l1 e seda, padrWs
modernos ; vendem Amoral, Nabuco & C., 7
do Bargo da Victoria n. 1 2Ia
Vende-se uma casa de tijolo na cidae
da Escada, corn 30 palmos de frente, ponWo
alto, frente e oitOes dobrados, tevio de cori-
primento oitenta palmos, quintal grande, estA
sem repartimento, propria para qualquer esta-
belecimento ou officina-; a tratar na rua do
Gommercio n. 8, da mesa cidade.
Vende-se cravos brancos e delicados sa-
potas e sapotis : em Fernandes Vieira nu-
mero 58.
Vende-se a taverna estabelecida no quatr-
to n. 1 da ribeira da Boa-Vista, a qual 6 boa
acquisleao, por defender de pequeno capital,
ser muito afreguezada e em lugar de muita
concurrencia : a tratar no largo da alfandega
numero2.


Grandes espelhos
Amaral. Nabuco & C. receberam elegantes
grandes espelhos francezes, ovaes, A LuiWz I
moldura dourada, vidro biseautO, e vendem
ua rna do Barlo da Victorian. 2.
Attencao
Vende-se uma important machine
para cortar bolacha, em perfeito esta4 corn todos os jogos de eortadeiras: a tra-
tar na rua Imperial n. 208 ou no pate.
da Santa Cruz n. 1.
Presepios e arvore de,
Natal
Amaral, Nabuco & C. vendem peqie-
nos e lindos presepios, fructas e mais
prepares para as arvores de Natal. No
Bazar Victoria, rua do Barao da Victo-
V. n n


k a pega. r"ia ia______z._
NA RUA DO CRESPO N. 20. FLORES. Vende-se latas corn
SLoja de Almeida & Campos. craveiros de diversostqmanhos, e ou-
I ras flores para jardin. : A rua da Pal-
Cabo ma n. -109.
Vende-se uma linda e nova caldca JT
I nd a qualJ00
americana, corn ssento para quatro meninos e arreios completos para dous Bilhares russos, bagatellas e outios
I carneiros a tratrar na fabric de car- muitos lindos e curiosos jogos
ros da Gastavp-A. Nauman, a rua da brinquedos de crianxas : vendem Awu
'Folatip a nrs. 14 e to_, ral, Nabuco & C., rua do Barao da, ic-
0 melor que ha em -torian. 2.
0 elir~1J~h e Attene~

Londres Vende-se na rua dos Martyrios n, 103 duas
C Pe en W. In mulas : a tratar corn Maoca Bond, ou co1
Cha pretQ e verde: vedei W. In conductor da estrada de ferro de Olinda Aa-
glis & C., rua do Imperad&r n. 57. puim Jos6 de Azevedo Santos.


LIST


249.


DOS PREMIOS


DA li


PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVINCIAL N. 402, A BENEFICIO BA MATRIZ BE $. JOSJP, EXTRAHIDA


EM 6 DE DEZEMBRO DE 1877


REMS.i.NS PREMS.


8#

8*


496
500
5
*Ii
16
19
21
30
-32
43
50
'5.
59
60
61
65
68
69
71
72
74
77
79
81
82
83
84

. tttt
87


611
16
I817


32$
88









"i




.*rtp
-1


NS. PREMS.


660
61
63
68
71
72
73
74
76
77
78

81
83,
84

V3
97
701
4
14
13
23
26
29
29
,


'3
48
40
57
60.

if'^
84


34i
8$
m
1 *


NS, I


813
23
29
40
44
47
49
62
64
67
70

88
0
94
901
4
13
15
23
24
26
28
30
34
37
40
45


Ofl
05

661
79


PREMS.

8-


326
m


NS.


PREMS.INS. PREMS.iNS. PR


1020
28
32
33
36
37
40
41
44
50
52
53
56
61
64
7O
72
77
78
84
87
94
96
98



6
8
913
20
25
27


190
94
96
1203
, 4
7
9
1$
17
19
23
24
32
44
42
45
47

52,
57


,78,
78'



409
i1 1S
fl' '1'


1W




-J


1372
75
76
80
84
86
87



99
1400

3
4
1.0
11
15
16

28

44
47

: 51


LEMS. NS. I
84 152

31
3
-34
-36
-43
9004 46
8*49
51
-60
62
63
-65
-06

74
83
^Y87
1 -88
-90
99
4600
1
5


S14
-- 5
y--- 0W


-- ..^ .SNI


PRE1


IS. INS. PREMS.1
86 1o6I 8j

-702
-3
-~ 7 -
- I -


.,45


.14




104
*88'








-J


1651

_20^



34
35

eo



1 174:



Xp


t0I
,-=*
. *


NS.

487M
81
83
88
03
19


14
21
24

38






94
* 45
:55
8 '96

63
65
78
84
'l,82
87
94


PREMS. NS. ]
8# 2072
16# 74
1 85 79
) -89
S- 90

-12103



120




S-24
S -, 6
t ib)







30
r 34


-44

59
-66
76
r -- 87
I -, 2



-220
-53
I' 6- 3
i 113


PREMS.1NS. PEMS. tNS.


8
81


t.'
8r
m


2277
87
94
M02
4
7
9
21
28
39
33

37

.42
43
49

54
03
64
69


86
97

5*^l

AU
2 1


S rff !: _
wi
84


-J


2476
77
78
84
88
89
S500
I
7
11
20
22
23
25
29
33
39
40
45
60
68

75
78
79
91
93
96

2601
^* 3
4


PREMS.








--!









16^





-5





"-~i


NS. PRFMS.INS.


2672
76
87
2701
4
6
12
13
14
16
1$
24
26

33
37
38
40
49-
60
66
68
71
73
75
.82
86

95


PREMS.


68 -
71 -
73 -
78 -
80 -
84
85 -
89 -
91 -
93


96 -
m00 -
3 -

11 -
15 -
17 -
20 -
22

32 -
33 320
35 8
38 -
46 -



'4 -


a~uzm.
?es .Operiiow


I


REM


PREMS. I

86


t100

o


ILOS


NS. F


9
13
14
16
20
21
23
24
25
28
30
36
30
39
46
56
58
00
63
74
76
87
97
99
100
3
11
13
20


177
84
92
94
97
98
200
4
6
7
10
-44
13
46
17
20
2*
33
34'
35
31
43
52
54
S9
00


S- NS. P
8# 34
4- 7
-549
- 51
- 54

- (55
-M 56
-- 57

- 68
- 75'
- 77
- 80
- 83
~-86




-- 13
16
-- 17
.- Is
-- 19
- "1
- 23
- .12
-35


*


ILA I ,


P


I


N


, r 1,





















ella


A vcz de au sino e s:contel
irum as doze, meia noeoe ttito
A trortte ei tem'ra a descanfar pouzei.
.. np tmeu soaRone ouvidizer: levanta-te
fiI o da ternl IAwstitnado a dor,
Icoo contempla uma visao magnifica
SQe uima alnma crete abrazara d'arnor.


E no mineu somno elevado
S r meu pensardivismu
m templo.. q e temiplo aquelle
tUe aos meus olhos se mostrou!
.nha d'ouro o pavimento
Tinha os munros de crystal
As portas de saphiras
Mas de um brileo celestial
A.s columns ce diamante
avarnm luz decljmbrante
Que de pasmta e-moreci.
.tvi ternplos liminosos
t''m ador0os peciosos
Mas outro igcalmtnwea vi!
4|*re o altar de ;ola' puras
"Urna images i'ontremplei,
i4as tUo bella, ".ca e nobre
4ue descrevel-a nao sei.
'.,.o eram luzes que ardiam
E Ifeitaudo aquiel altar
cc m astros ,e olanetas
'urn brilbo que nao tern par.
'Fnba de estrelas a cr'oa,
Cobria o sol sua pessoa,
Tinha a lua por pedestal
,f sobre o altar se ia
,,c A Immaculada Maria )
m'i do Rei Ce.lestial.
:,'r-phins corn Ilras d'ouro
Cantavarnm hybmos aoes mil
0i! que vozes tao saves !
.ue concerto tio gentil!
'm turibulos fuomantes
Ventilavam sem cessar
As puras nuvensf de funio,
Cue se envolviam ,to ar:
6te prayer e de alegria
Era o canto "IUe c oSC .
Pelo tempo retiuir,
iAas tao ledo qne con penia
+'cdera lingua terrena
f-se canto repetir.

HI
*.;i.Utai, pureos anjS celestes
No triumph em que Deus se compraz
?;ovo gozo de prazer e de alegria
.Lste dia-de gozo nos traz.
QWainha dos q0os a grandeza
Toda a terra "e.tultando acelamnon.
Acclamou serm labeu a Maria
Virgem pia, .le o Eterno formou.
,edos cantos C.j terra partindo
Vem imnir-se do cdo ao folgar,
Cotresponde do r6oQ a harmonica
Cm porfia-da terra ao cantar.
.orrei Anjos, te.ei nobre cr'oa
Comque cinja sua front real,
orrei Anjos, .'xitando a Maria
Co'a harmonia,-do Reino immortal.
4: 1 pura, tao pura, tao bella
Qoe mais bel!a no mundo nio ha,
Sem mancha origem fulgia
ernem havia outra igual-nem hayeri
ft As na terra, na terra de pranto
Puvidosa do mumdo a razao
Se da culpa eximida seria
Que trazia do mundo o cond.o.
f! )Ije nao !... Ja de Pedro a palavra
As contends 4'um golpe cortou,
Oiz a f6 que foi pura Maria
4Jesde o dia-eni 'rue o Etsrno o foriaou.
Cmntai ledas coiortes celestes
4iova aurora formosa raiou,
Oos grmhoes em que o mundo remia.
$1 Maria exirmida escapoue.
IV
A .slm dizia os mavioso'cantico
A que applaudiam celestiaes clarins,
Fo repetiam c3m sua voz harmonica
Os seraphins.

,as como nuvem que do vento rapido
,,ada em volta,,se desfez, morreu,
Asimn passara esta visao bern fulgida
Do somno meu.


A molle aurora naisava candida
O.-vyerdes montjis prateava o mar,
Acordei ao biilho e.i prostrar-me tcitc'o
A meTitar.

FOLHETIM

6i'S FILHOS DO MONFI
POR
FERIHADEZ Y G0NZALEZ
VOLUME H
SEGUNDA PARTE
0 MARQUEZINHOE ADUQUEZINHA
CAPITfJL' x
0 QUE OUVIIRAMA A UEZINHA C 0 MAR-
QUtSINHO
(Conttnuaeo do ii. 281)
0 principe continuava silencioso, e
ca.da vez mais perturbado e tremulo,
domitado pa.palavra penetrante e so-
-feranede Yaye.
Por canmsau ou desprezo ara corn
o princip Yaye sefton, "; Carlo*


0 iriAo Clemoente Brentano, poeta
distincto e poplar, Nfo um dos ftndti
does da escola romatiica na Allema-
nha ; o cunhado Savignyr celeerri-
mo entire os eruditos pelas mais precio-.
sas investigaCes em Direito Roano
de queaea professor; isto sem fallar-
mnos dos amigos da famnilia, graves per.
sonagens de ar solem ie e pausado, rigi-
dos conselheiros que parecemn desfilar
em procissao na fund d'uma tapessa-
ria Namenga.
Todos elles quando Boltina sahio do
convent corn o aspect espavorido, o
cabello sempre despenteado, a pelle
queimada, os olhos cheios de luz, e no
espirito os raios do sol, as gottas do or-
valho, os aromas penetrantes, que rou-
bara a-livre natureza, todos elles fize-
ram exclamag6es de pasmo e de ter-
ror.
Vo taram-se entao' com toda a cons-
tancia de que eram capazes tao conspi-
cuas pessoas, a converter a deliciosa
selvagem as regras acanhadas, minas ne-
cessarias do born sense.
Empenho baldado, que dava em re-
sultado as scenas maii pittorescas e as
discusses minais comicas centre Beltina
que representava os caprichos desorde-
nados da phantasia, e as seus graves
parents que represeitavam os direitos
inscriptiveis da razao. 0


-" Beltina, a menina no nada ama
vel -dizia-lhe o solemne Von Bostel,
umrn dos conselheiros amigos da fami-
lia.
Nao sou amavel ? entdo que hei
de eu*zer para the agradar?
Ha de parecer-se corn sua irma
Lulu, fallar de vez em quando em cou
sas razoaveis, escutar o que se Ihe diz.
A menina tern a inquietacao e a traves-
sura d'aai gato pequeno. Quando the
fallam, ndo d,, nenhuma attencao. An-
da n'um p6 s6,,pula por cma das me-
sas e cadeiras, e quandoi henos se es-
pera vai por-se a fallar corn os velhos
retratos da familiar, dos quakes parece
muito inais aminiga quo de n6s que so-
mos vivos.
-Senhor Von Bostel, esses pobres
retratos velhos nao teem amigos, nin
guem Ihes dirige a palavra. Eu sinto
per elles precisamente o que o meu
amigo sente per mirn; um d6 im--
menso.
Dou-the os meus inuteis consellios
tal qual me dA os seus ; fago-lhes ser-
moes moraes no mesmo genero. Sao
tao interessantes aquellas cabelleiras
velihas. -
Beltina, faga favor de me ouvir;
que tolices esta ahi a dizer! Come 6
que uma lona ruida p6de interessal-a?
C, me eu ointeresso a si.
Mas come poem esses quadros
corresponder a similhante sympathia?
Do mesmo mode per que en cor.-
respondo a sua, meu born e velho aT-
migo 1
Von Bostel, desanimado e seduzido
sem o querer, nao podia deixar de rir-
so., deixando incorrigivl Beltina entre-
gue as suas scismas do outro mundo.

MARIA UMALTA VAZ DE CARVALIIO.

0 poeta e a fidalga
Foi um dia de outono que utm poe-
ta a vie em companhia das manas, n'umrn
arrabalde da cidade. Come se tf6ra hoje,
lembra-se o infeliz de particularidades,
e falla nellas corn tanto amor, come
fallamin corn desprezo os felizes que as
recordam.
Um seixo, em que ella apoiara o p6
para saltar urnmibeiro, tem-n'o marca-
do na memorial come um object que,
deslumbrando-lhe a-vista, the absorve
entendimento.
0 dia em que a vie era um dia for-
moso corn) a primavera os nao ternm. 0
sol nao abracava, a sombra era tepida,
a fragrancia dos fructos embalsamava o
ar, alegrava o coracao o trabalho das
eiras, consolavam os pds os tapetes de
folhagem.
Acompanhada de um escudeiro e de
uma criada grave, corriamn as louras
meninas pelos caminhos de carro, corn
. I
vosso pal, escrevestes esta carla que
tenho na ma. Tomai, lede.
O principle pegou n'ella corn mao tre-
mula e reconheceu-a a primeira vista.
Era toda escripta pelo seu punho, as-
signada por elle, e n'eIla aceitava a pro-
posta do principle de Orange, e se de-
clarava protector da Reforma .nos Es-
tados de Flandres.
Aquella carta era a cabeca do prin-
cipe se per acaso fosse parar as maos
de sou pal.
Devais comprehender, disse o
dnqhe, que, quem e possuidor d'esta
carta e nao fez use d'ella mostrando-a
a vosso pai, 6 muito vosso amigo. -
Come veio ella parar as vossas
maos ? perguntou o principle sere a


largar.
Lembrai-vos dea.que vos disse que
em quant fallaveis em certa estala-
gem coin Loarengo de Perceval e o:
cmediante CisAneros, havia outra pes'
soa que sem. que v6s o soubesseis, tu-
do preschiava. atravdz d'urnm orificio


-Mento.-# ts s audadp
0ai cia ao rebates'da juventue
caixuhava de ordiaario abstrahida, pro-,
S-a a- scismi -que so nao tradazem,
vago- o ol0atr, ineerto opensamento,
aspirndo as sensasnes que nao sabia
dednir. Pnrecia que desejava outro,
panoramas ,irezoBtes mais largos em
que respirauise deesfogada.

0 poeta, fugindo- da cidade, desse
grande desert agitado e sussurran-
te, onde as acgdes nobres se confun.
dem corn as vis, onde a bondade abafa-
n uma atmosphere de perversoes;
onde nio ha flores, nem brisas, nem
saudades-o poeta sahio ao acaso, em
procura de novos ares e de impress,6es
minais gratas ; sahioe talvez para confiar a
soliddo segredos que nao teem confi-
dentes ; e encontrou esse rancho de me-
ninas, que anitnav, m a paisagem corn
os seas risos infants.
Per delicadeza propria do campo, ti-
rou o chapdo, e cumprimentou respei-
tosamente a infancia e a juventude, a
graQa e a innocencia que passavam-des-
cuidadas. Depois contemiplou per at-
gum tempo o grupo que deixava ap6s
si um rasto de perfumes, e se dissoflvia
gradualmente no horizonte
Se o poeta o contemplou, alguem
contemplou o scismador.
Repetidas vezes olhou Branca para
traz.
Ao apanhir o vestido para atravessar
um ribeiro, mostrara o p cornm ernpe-
nho que elle o viwse; parara atd colher
uma rosa, dizendo a si mesma que a
colhia para elle. -
0 poeta vio tudo, e tudo se the im-
p rimio nocoragio. E o coracao que 6
louco, julgou ver na rosa o vello d'ouro
cuja conquista Ihe ordenava a donzella.

Branca chegou a casa ao anoitecer
la adiante de todas, s6, pensativa, ia-
quieta. Gomoelle a nao seguira, cofm-
tinuando o seu camrinho do lugar onde
parara, indifferent, cego, ou apaixona-
do. por outra, ella em vindicta desfolhara
a rosa que colhera. Naq queria uma
unica memorial d(aquella tarde. No co-
raQao dissiparia facilmente o primeiro
atlecto que sentia. Mas no coracao nao
se apagam tao depressa vestigios de
umni sentiment, come se perdemrn no p6
das ruas as folhas de umna rosa.
Ao entrar em casa, achtiou a loja im-
mensa, ingrone a escada, as estatuas
pesadas. 0 cuidado do guard portao
em tocar a camnpainha, aborreceu-lhe
de morte. Os beijos frios e os-abragos
de convengao corn que a receberam as
criadas infastiaram-n'a tambem,
E quae tristeza no sea quarto! E que
quarto- tao espagoso Se tivesse uma
alcova onde soe encerrasse as escuras...
Sentou-se n'uma cadeira; licou s6;
estava bem assim; mas dahi apouco
a mai foilter cm ella. Queria ao me-
nos estar calada, e a mai comecou a fa-
zer-lhe perguntas, f

Um mez depois houve um bale de
mascaras n'um theatre da cidade. Bran-
ca estava n'um camarote. Ria e coaver-
siva~com os mascarados que a procu-
ravam, aceitava flores que Iheo olere-
ciam, dava em troca violetas que tirava
unia a ura de um ramo que levava.

Ghegou um domino azul, cuja voz e
gesto eram desconhecidos, cuja conver-
sacao differia completamente da dos
outros. Pedio tambem umra violeta.
Vein logo, the disse Branca. Ago-
ra nao tenho


0 domin6 sahio. No corredor, um
amigo que o aacompanhava, pedio-lhe o
domin6 azul em troca do encarnado que
trouxera.
Meia hera depois o domtin6 encarna-
do entrava no camarote de Branca. A-
pos curto examrne, em queens olhos vi-
vose formosos pareceu atravessarem-lhe
a mascara, viu a gentil fidalga escolher
iuma violeta do navo ramo que arran-
jara, e ouvio dizer-Ihe em extranha
commogio que trahia o mais profundu
dos sentiments:
SAqui tens a violetaD.
0 poeta aceitou coin mao tremula a

her tudo quanto me interessa. Per
outro lade, como s6 vim &a Mrid,
contando comvosco, era. natural, que
mee interessasse per v6s. Sabenio o
dia em que Loureno de Perceval se
devia p6r em minarcha-para levar a vossa
infamante carta a Guilherme- doaas;
sau, esperei-o no caminho.
-E matuate-lo !

-fia o o1tei. Eu ia perfeitamen-
te disfarqado corn os distinctivos de
alfores da vpssa guard, de modo que
Perceval nas me reconbeceria se nova-
mente me visse diante de si. Ocoul-
tei-me a' uma estalagem, deixei-o pas-
sar-e apresentei-me a etle como um
envi do vosso. DisseoIe que tinheis
roflectido melhor ; qteuo ainda, artjitat
gavels opportune urn -levantawneto nos
Paize Baixos' em vosso no:ne e taos
signals s he di das. conferencias que o


reeiwplaso-dvidaw. di cerwias, que
'profundas raises fazem twear-ao
primeiro affecto, copando-o "dotfolhas
que sio sorrisos, e de flores que& sao
esperancas.

S0 escudoded arms da familiar de
Brancatinba per timbre um castello
e .dal. Accusava per isso descenden-
cahlocastellAo. 0 poeta nerm de cava-
theiro descendia.
Fidaltga, a formosa donzella parecia
deso|sar-os pergaminhos; multher, es-
colhera, amara eera amada.
0 Poeta reflecti. Vio as classes ni-
veladas pelo amor, o pebi6 ao p6 do
fidalgo, a aristocracia misturada corn a
plebe; feza c6rte a Brauca, e foi lou-
camente eorrespondido.
Umn anno ou mais, nao viverain se-
nAo am pura outro, correspondendo-sA
todos ds dias, veudo-se a cada inetante,
encontrando-sl nos bailes e nos thea-
tros; elle invejado dos amigos, ella es-
carnecida das companheiras, que teem
em mais apreCo um titulo do que um
home digno delle.
Os pais de Branca fingiram nao ver
aquelle amor infantil, que a razAo do
sangue destruiria em pouco tempo.
Fecharam dtd os olhos a tudo; guar-
daram-n'a apenas.
Passado tempo, chamaram a filha
e disseram-lhe. -*
I 0 visconde de **, rico como sa-
bes, de linhagem tAo nobre como a
nossa, elegant e prendado como tens
tido occqsiao de apreciar, nranda-t- pe-
dir em iaamrnento
Como nenhum outro elle sustentard
o teu nome, conservando a positVao em
que foster educada, o luxo e a grandesa
em que tens vivido.
Branca, surprendida, corou, impalli-
deceu, rolaram-lhe as lagrimas nos
olhos, evio pronunciou umn monossyl-
labo.
a Pensa, tornaram os prugenitores,
corn a gravidade no rosto; mas rindo-
se por dentro da sensago que causa-
ram.
Branca pensou e responded no dia
seguinte :
% Aceito.
A coroa de viscondessa tinha ptdu-
zido o seu etfeito.
0 poeta ficava naturalmenhte remune-
radot inma saudade de umn amor.
Assumpto para um livro! Que mais
i queria?
I*
SBranca casou; as recordagoes do pas-
sado perderam-se no turbilhao dos bai.
les: o poeta lembrava apenas quando
uma orgia ou uma dissipacao do vis-
conde mostravam que o amor e o unico
titulo que deve seduzir a mulher
Volvido, pordns, um anne, o infeliz
sce.sm'dor encontrou a viscondessa a
banhos de mar.
Face-a face, frente a frente, passaram
um pelo outro. 0 poet'h baixou o ros-
to, para suster o coracao; ella corou,
parou-lhe a respiracao, assombraram-
the os olhos.
Envergonhou-se pela primeira vez da
deslealdade corn que tinha procedido.
Sentira ate a perda do homem que ama-
va, Na sua uniao corn o visconde fal-
tara o sacramento da natureza; o amor
nao presidira ao consorcio'; nao a a-
companhava na vida, nio a preperia
para a more.
Encontraram-se e o poeta protestou
retirar-se. A presenca d'aquella mu-
lher, t"ao formosa como leviana, aggra.
vava-lhe a saude, irri ava-o na sua


d6r justissima.
Mas o homem pae e a mulher dis-
p6e. Branca ercreveu-lhe uma carta.
a Sei que soffre. Nao me culpe serm
meouvir. Procure-me ; quero justifi-
car-me. D
Sem reflectirt um moment, o poeta
foi a casa delia.
-- Perd6e-me, Ihe disse Branca n'um
tremor de voz que demonstrava a pro-
funaieza do arrependimento.
SEs'ti perdoada, respoudeu elle,
friana apparencia, mas o sangue a ar
dar-Jhe no coramQao.
SEstarei; mas essa frieza denun-
ciarme o contrario), tornou ella aproxi-

serviam da lhor maneira qub podiam
servir,.
O principle apressou-se a queimar a
luz d'uma vela aquelles terriWeis pa-
peis.
Bern, agora que quereis de mim ?
perguntou depoisie os destruir. 1.
Quero, em primneiro lugar, que
nada fagais sew me consultar.
E o'qus:ilgais que deva faer ?
Reinar.
-A- 4 o transe
07, hapoucallaveis con
indignagio do crime.
-- Pela mesa razao de nos rodear
o crime por todos. os lados, devemos
-valer-nos d'el sso proveto an-
teste outrosfig-am isso,, em nosso


que devo aceitar
weagos?
arteza; mas nao
Imp. Uma ten-
ei baldada. A


A vo- t liunotIexclamou o in-1
feiz.. ('0 'lotica, .,e loucso ea tambem.
porque me amas, e ds mana4, e o ja-
rimento qt profriste.nos raa para
sempre! 1
S Naio os separa em esi -, -
murou Branca, dando-lhe instinctiva-
monte a mao quo elle procuravap, ra
completar a expressed do seu- fio
0 poeft tornou essa mao tremh ute,
fjtou-a om olhar incendiado, apertou.a,
beijou-a corn paixio.
Um n mornento depois, Branca repel-
lia-o, voltava-lhe as costas, e sahia
apressada da sala.
S Os hornens sao muito tolos, disse
ellaUho-seu quarto, mirando-se ao es-
pelho, e namorando-se da sna ima-
gem.
!PEREIRA LOBATO.
Uma victim do tempo
Ninguem esperava tal aontecimento.
At6 se dizia em Santardm quaudo al-
guem vacillava em casar, ou occorriarn
difliculdades que demoravamn o casa-
*nento; Ha de casar como o Barra-
das. ))
Nao encontrava quem o quizesse;
offerecia dinheiro, oflerecia dotes, e
ninguemrn o queria para marido ; senho-
ra a'quem Antonio Barradas pedisse a
mao, recusava-lh'a formalmaente. -
Porque disseram-lh'o todas as meni-
nas a quern elle pretendia; (Antonio
Barradas nao procurava senao meninas
de dezeseis annos, tendo jAt 'os seus
quarenta;) disseram-lh'o uma vez que
o apanharam na berlinda.
( EstA na berlinda, porque 6 feio,
porque 6 papalvo, porque 6 t61o, por-
que acredita tudo que the dizem, por-
que conta a sua vida a today a gente,
etc., etc.
Mas o caso e6 que o Sr. Barradas ca-
soui,.e casou como pretendera semprz,
corn urma menina nova, bonita e pren-
dada.
Casou, nao digo bern.
Nerm sei como hei.de dizer isto.
Fez meio casamrnento, se me permit-
tern a expresso,
Isbel, filha e um advogado, disse
que gostava d'elle; encantado o nosso
homnem, pedio-a em casamento; o pai
ao principih oppoz-se; mas final ce-
deu, estabelecendo por condigio que
casanriam segundo o-costume do reino.
Ella tambem fez uma exigencia mui-
to em particular a Barradas, e que elle
aceitou logo :
Desejo passar a lua de mel em
Lisb6a.
Sim, meu anjo.
Viveremos la como n'unm desert.
Felizes, muito felizes!
O caamento fez-se; houve jantar
opiparo, e Ai hora em que passava o
comboyo, partiram os noivos para a ca-
pital, aconipanhados de umra reada an-
tiga do advogado, que protestfi no se
separar da suna memna.
Em Santa Apolonia, Barradas foi des-
pahabhr a bagagem. Era noite, a gente
muita, e Isabel e a creada ficaram at
porta da estacao, esperando o solicito
noivo.
Um quarto de hora depoii Barradas
procurava Isabel, procurava a creada,
e nao 1he apparecia ninguem.
Pergunta a uns, pergunta a outros,
aos empregados, aos gallegos, e nia-
guem lhe da noti4lias de taes creaturas.
Urm sugeito bem trajado, e fumando
charuto, avisintra-se d'elle e diz-lhe :
V. S. nao procura duas senhoras
que estavam aqui ai porta ?
Ah vio-as E' a: minha mulher e
uma criada. Para onde foram ? nao re-


parou 2
Primeiramente tenha a bondade
de me esclarecer. Que figure tern sua
mulher?
--4E' uma senhora bonita de olhos
grandes, branca, rosada, cabello preto,
cheia do corpo.
E' isto rmesmo. E chama-se ?
Isabel.
Exactamente. Era o nome que
Ihe daira a creada.
-. E entao ? Que direcao tomaram?
Mas... 0 men amrnigo nao me leva
a mal que the faa ruma pergunta ?
Todas quantas queira, mas depres-
sa. Estou inpaciente. Nemr sei por-
que minha mulher nao esperou por
mim. Nao se acredita. Isto 6e im-
possivel.

mo modo ampararemos os hugauenotes
de Franca. Quando, ha ouro tudo dfacil
Ev6s!... ,et
-Ji vos disse que sou talvez um
rei, talvez um bandido, e talvez ambas
as cousas ao mesmo tempo. Agora
que ja me conheeeis como vosso par-
tidario, que ja sabeis quo podeis M-
corror a mim para ouro e conselhos,
ide-vos, priacipe, e nao esquegais nun-
ca comno vos recebeu um home em
cuja casa entrastes corn tenco de o
deshonrar.
Nao, nao sahirei d'aqui sem que
ma facais uma promessa.
-- Qie promessa? .
-Amo vossa filha...
E o vOsso amor 6 coin sentido de
a fazerdes vossa esposa ?
i ainda que para ser seu es-
pso, tivesse de sacrificar a propria
vida.
S;de rei!
-Comno'
SStde ei, repetio o duque corn um
'.liimodo m a fMAW.-.
M#A ceu pai e' ainla mowoo


ift e e.ax

engsnar?.
inflame exclaiavi mauge
do desespiro. r ago
.-So ec 66e

Conhego-a eu, e estoumJ AO a
obsequial-o no que poder. ajo me 6
um home infeli z. I"a o'que quer-
fazer, que en acompanbo-o4 .+
Oh! me a aro sonmhr, eng lhe-
estou obrigado 0 seu uom'para o
grvar eternamente na emorh.
Bomtempo.
E eu Antoni Barradas.
Pois, Sr. Barradas, estou As suas-
ordens. Determine.
0 uoivo pensou alguns segundos, e-
olhou depois para Bomtempo. Fechou
em seguida os olhos; tornod a pensar
e finalmente disse corn voz de chore :
Entrego-me nas suas maos, Sr.
Bomtempo Dirija tudo. Eu nao te-
nho cabega para nada. Infeliz, infeliz
que eu sou !
Bomtempo perguntou-lhe:
Barradas traz dinheiro comsigo ?
Tfto. Cem mil rHis em prata
n'este sacco de viagem, e quarenta li-
bras em ouro n'este bolso do college.
Bern. Dinheiro e o que se quer.
Ainda esta noite apanha sua mulher.
Vamos d'ahi. Direitos ao Portoense
primeiro. Tenho-14a gene que me ha
de servir e informar de tudo.
Bomtempo deu o brago a Barrados, e
caminharam para a hospedaria. No
Terr#irordo Pago encontraram duas pes-
soas a quern Bomtempo apertou amAo
Barradas nerm vie takes cumprimentos;
vinha mergulhado na sua d6r. A lua
de metl transformara-se em lua de fel,
ou nem lua era, para dizer. as cousas
coma ellas sao.
Na hospedaria, Bomrntempo chamou o
criado de parte, fallou corn elle come
inforwando-se, pedio de jantar, e sen-
tou-se ai mesa. Barradas seguio-lhe os
movimentos, esperando tudo d'aquelle
hornem que tao desinteressadamente se
the dedicava. *
Entao ? perguntou o triste noivo,
esperando logo uma jolugao.
Jantemos primeiro, the disse Born-
tempo, corn todo o conselho e profunda
gravidade.
Nao tenho vontade de comer, sus-
pirou Barradas. 0 que eu queria era
minha mulher. Ella, ella s6 ..
-Jantemos, j A Ihe disse. D'aqui
i meia hera saberemos onde ella para.
Barradas descansou, e come uma
colher de s6pa. No mais nao p6de
tocar. 0 estomago recusava-lhe t ude.
Ao contrario Bomtempo devorava o
que vinha para a mesa. Durante meia
hora, corn admiragao de Barradas e do
creado que os servia, come come se
estivesse em jejum.
Barradas levantou-se, estava enjoado
de ver comer. Bomtempo pedio caf6,
accendeiu um charuto e encostou-se a
mesa zomo um pacha.
--- Entao? tornou Barradas olhando
para o seu belle relogio de euro.
Morro, se espero mais cinco minutes.
---Ah exclamou Bomtempo corn os
olhos fixes n'um sujeito que appare-
ceu subitamente a porta. Eu logo vi
que me nao faltavas.
Porque? disse o recemchegado.
Creio que nunca te faltei. ^
Senta-te aqui. Tenos a tritir de
um neeocio muito serio.


0 novo personagemrn sentou-se 'o pe
de Bomtempo, junto" da cadeira em
que Barradas pozeria o sacco de .via-
gemrn, e entrou em conversagao animada
e tao em segredo que parecia negocio
de estado. Barradas esperou no meio
da sala a olhar para elles.
Um memento depots Bomtemipo le-
vautou-se, e dirigio-se ao seu prote
gito:
0 Sr. quer guiar-se, disse elle a
Barradas, polos conselhos de um ho-
mem pratico ?
Oh! senhor, falle.
Ja se sabe onde esta sua mulher.
Entao varmos ter corn ella.
-Alto, ibto e que nao.
Nao, porque ?
[Conitfia)

O aposento ficou desert. Detraz
das vidracas conservali-se calado, ater-
rado, o mrquez de la Guardia. Amiia
cravava n'efle um ol'iar lucid.
Oh meu Deus! mea Deus ex-
clamouo marquez. Que horror Tu,
Esperanga, gromettida a esse principle
infane em troca d'uu parricidio !
0 crime combate-se corn o crime,
D. Joa&, disse Amina. Teras valor
para te sacrificares ao meu ameor coae
eu me sacrifto a sagra46ds"Jeveres ?
Oh 1 Esperanpa c. oidera que
sou hespanhol, nobre e avalheiro !
0 homer qu e f, mou esposo ha
de sacrificar tudo por im.,
Conduzieo om a umna porta,
fe-lo eontrr n'uam deixou-o
ahi fephado -abrio a; e entrou
na camera de teu pak--
Pou-ahe dqis ap +e b
jon-a na f ronte.

neaosso Asi*,yo


d




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EG6EFHEKP_88JVVP INGEST_TIME 2014-05-03T13:04:36Z PACKAGE AA00011611_13449
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES