Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13432


This item is only available as the following downloads:


Full Text








* ..
+ : t -. ++. *- ... '
, .. .. ,.K *


.o


. -
-*^.


Proprikbab bi Jta eti ,


be kria& fd 0o0


Avis7r

A' quem interessar

posa, avisamos que

os numerous avulsos

do Diario de Per-

nambuo de qual-

quer dia, vende-se a

100 rdis cada umn, tan.

to nO nosso eseripto-

rio, como no Spoutos

ja conh*cidos.


BAHIA, 10 de janeiro, as 10 horas e 30
minutes da manh. (Roeebido as 14 horas e
30 minutes, pelo cabo submarine.)


Pelo 4.o distrielo desta provineia
r lot eleito, em-- .0 eemtp.oaio. per
grade maJoria de vo. conme-
ibeiro Franelftceo EMaria or Perel-
ra, ministtro d jauslTea.

RIO DE JANEIRO, 10 o janeiro, As
| 2 horas e 45 minutes da tarde. (Recehido
As 7 horas e 45 minutes da noite, pela li-
unha terrestre.)

f Foram eleits deputados geraes
em 2.o esrutlnio :
Pelo 2.0 districio do Rio de Janei-
ro o Dr. Alfred" DBexamnat (C);
Pelo S.0 distri4 to de Paulo# o Dr.
Prudente de Morae Barro (B) ;
Pelo 9.0 district de S. Paulo, o Dr.
Delpbino Pinheiro UJib6a Ciutra (C).
Hla duwldas acerca da sec"ao
de Guapymirimn do 9.0 districto do
Rio ete J*MhW:4 Q0 BRASIL dA come
eleito por esme district o conie-
lbeiro Jofio Manoel Pereira da Sil-
va (C), e nilo o Dr. Carlos Antonio de
Franca Carvalho.




(Especi:d para o Diario)
LONDRES, 9 de janeiro.
Diz-se que a expedicAo belga ao
Congo roi massacrada.
SBern que tal noticia tenha curso
S geral no publiao, carece todavia de
colfirmnacfio.

PARIS, 10 dc janeiro.

Umu delpaciho (BC Tonkin annuncia
cguc a Iropas franceza% marcham
sobre Lang-Soen.

LONDRES, 10 de janeiro.

0 TIMES conviola o St-. Gladston at
dar rnua demisiiao, %tI1D o ofundamen-
to dte que a political seguida ultima-
montte por esse ,aomem l(e estado 6
liamlaialalanie pat'a a anglaterra.

LIS[)A, -10 do j:,neiro.

Acab.am de sBr--' desordetins de
crta i3mprtanica nsa cidade do
Porto.
Esa% desordens tuAo devidas a
eausaa particulares e puramente
loeaeae especialmente em conse-
quencia tle un augmento te im-
i pouto.
As autoridades conxseguiram comn-
primir a* desordens, realisando al-
gPRas priSes.
PARtiS, 10 de janeiro.
STelegrammaia do general Briere
\ de J'lle, dirigidos ato mlai(tro da
i. marlnaa. amnunnciam que aM tropas
frajMie0a no Tonkin 'oraam ataca-
S.. .jastpor 12400 cuinezacs send e-
S we eanmuKIjtaenC e derrotados e de-
r^ -N~y ^todas ast poie quo
j.ewt. .-
-:->'..] jl:-iroM.Jelefapl !me _o.^e-'
,^'^^ II AS 'WlEvs *.su~om e perde-


PAIRTE OFFICIAL

Goverao da Provinela
CONKTINUA9AO DO EXPeDlEl[Tlg DO DIA 21 DE DEZEMBRO
DE 1884
A' Camara Municipal de Timbaiba.-Decla-
ro a Camara Municipal de Timbafiba, em respos-
ta ao seu officio de 14 de outnbro ultimo, que, em
vista dos avisos de 28 de tevereiro de 1833, 23 de
junho de 1834,*13 de mareo de 1837, 29 de outu-
bro de 1838,16 de dezembro de 1861 e 11 de mar-
o90 do corrente anno, combinados corn a (lispCpiAo
do art. 4' da lei de 15 de outubro de 1827, o exer-
cicio do cargj de juiz de paz & obrigat,-io. Si os
eidadios eleitos nao apresentarem os motives de
legitima esounsa, de que trata o citado art. 4-, de-
verao ser compellidos a exercer o minandato por
meio das multas comminadas em casos identicos
aos ,)ereadores. Si fifda assim insistirem na re-
cisa do cargo devergo ser processados criminal-
mente cemo incursos nas penas do art. 128 do Cod.
Crim. Neeta eonformidade cumpre, portanto, que
a Camara providence para que prestem juramen.
to os dous Juizes de paz da parochia de 8. Vicen-
te, de que trata em sen predito officio, devendo
quanto ao terceiro que mudou de domicilio jura-
mentar o respective immediate em votos, de modo
a ficar complete a list dos quatro juizes de paz,
segun lo exige a lei.-Remetteu-se c6pia ao 2-juiz
do paz da parochia de S. Vicente de ItambW, Joao
Alves Camello Pereira de Lyra.
EXPEDIENTE DO IA 22 DFi DEZWIMBRO DE 1881
Actos :
0 president da provincia, attendendo ao que
requereu Pedro Nolasco dos Santos, porteiro do
Arsenal de Marinha, e tend em vista o attestado
medico qu e exhibio, resolve, de accord corn a in-
formaco do respective inspector contida em of-
ficio n. 684 de 17 do corrente, conceder ao peticio-
-nario trez mezes de licenga corn vencimentos na
ffrma da lei, afiin de tratar de sua saade f6ra da
cidade..
0 president da provincia, attendeudo ao que
requeren o bacharel Jose Mauricio Borges Junior,
resolve exoneial-o do cargo de promoter public
da comarca. do Cabrob6.-CommuLieou-se ao Dr.
juiz de direito da comarca.
Officios :
Ao conselheiro president do Tribunal da
Relaao do Recife. Transmitto a V. Exc. para
serem destribuidos pelos membros desse Tribunal,
onze collcc5es das leis do anno de 1883.
A' TJeeournria de Fazeuda.-Communico a
V. S. queem 16 do corrente, falleceu o juiz de di-
reito da 0omarca do Rio Formoso, bacharel Paulo
Martins de Alineida, tend na mesa data, inter-
rompido o respective exercieio e assumindo o in-
terino dejuiz de direito ojuiz municipal bacharel
Francisco Ignacio de Souza Gneuveia.
Circulares :
Aos commandantes superiores de comarcas-
Para cumprimento do aviso circular do Ministerio
da Justiga de 5 do corrente, haja Vms. de remet-
ter coin a possivel brovidade, urn mappa da for da guard national do serving active e da resorva
sob seu commando.
Aos minembros da junta classificadora de es-
,ravos dos municipios de......-Recommendomui
terminantemente a Vines. que por occasiao de
procederem a ctassificacao dos escravos lilfbrta-
dos polo fund de emancipagao, nao aceitem quaes.
quer deelaraqoes dor interemndow, emr que pro-
vem por meios regulares as allega5es que pos-
sam constituir diro to a prefcrencia dos mesmos
escravos.
Ao thesoureiro das loterias para o fundo de
emantipaco.-Attendendo ao que expoz Vmc. em
officio de 20 do correrite, autoriso-o a transferir
para o dia 23 de fevereiro do anne proximo vin-
douro a extracao da 6a part das loterias, de que
trata Vmc. em sen citado officio.
k- Ao president e membros da mesa eleitoral
da parochia do Senhor Born Jesus dos Afflictos do
Exd.-Afim de serem conferidas e concertadas por
tabellilo public come determine o art. 151 do re-
gulaminento que baixou corn o deer. n. 8,213 de 13
de agosto de 1881, devolve a Vmc. as copias da
installaaio dessa mesa e da eleipae que teve lugar1
no 1P do corrente.
Dito a de Nossa Senhora do Bom-Conselho
dc Granito.-Devolvo a Vmc. afim de ser confe-
rida e concertada por tabelliao public como de-
tcrnina o art. 151 do reg. quo baixou corn o deer.
n. 8,213 de 13 de agosto de 1881, a copia das as-
signaturas dos eleitores quo compareccram a elei-
^ao do l'-do corr-nte.
= A' Companhia Brasileira. 0 Sr. agents dai
Companhia Boasileira de vapores fa~a transportar
a. corte, por conta do Ministerio da Guerra, no va-
por Ceard, espcrado dos portos do norte, o 2o ca-
detc Rodoipho Honorio do Carvalho, que verificou
volmiltariamnente pra~a no 21 batalhulo de infanta-
ria corn tal destino.-Communicou-se ao gone-


0 president da provincial, de+6'i rMW ad
corn o. proposta do Dr. chefe de policia m6 office
n. 1,318 de hontem datado, resolve oxonerar a pe-
dido, do cargo de lo1 supplente do delegado *
termo da Escada a Manoel Thom6 do Oliveira, '
nomear para substituil-o ao cidadbo Jolo do Rego
Lima Filho.-Communicou-se ao Dr. chefe do po.
licia.
0 president da provincia, de eoonformidade
corn a proposta do Dr. chefe do policia em officio
n. 1,320 de hontem datado, resolve exonerar, a pe-
dido, a Jos6 Barbosa Pereira de Andrade do car-
go de delegado do term de Timbadba, e aomear
para sabstituil-o o actual subdelegado do 1I dis
tricto do mesmo term capitao Joa6 de Barros Pe-
reira de Andrade, e para 2 suppleute do metom
delegado o cidadao Jose Lmz Pere'ra Borba, em
substituibao de Francisco Gomes de Araujo P.
reira, que pede sua exoneraglo.-Communieou-se
ao Dr. chefe de policia.
0 president da provincia, do coaformidade
corn 4 proposta do Dr. chefe de pleia em officeio
n. 1,323 de hontem datado, resolve nmear subde-
legado, lo e 2- supplentes do districto de Cruangy
do term de Timbadba aos cidadlos Jose Ignacio
Camello Pessoa Filho, Joaquim. Jos Pereira de
Lyra Junior e Francisco Gomes da Silva Tavares,
na ordememm que esto collocados, em mbstitnigio
dos cidadlos que actualmente exerihpos mencio-
nados cargo, e solicitaram sa. ezencraqies.-
Communicou-se ao Dr. chefe de polieii.
Officios :
A' Thesouraria de Fazenda.-Tendo, de ac-
cordo corn a 'informaglo desae Thesouro de 17 do
corrente, s.b n. 843, approvado as propostas acei-
tas polo conselho de compras do Arsenal de Guer-
ra em sessio de 6 tambem do corrente, para o for-
necimento de artigos d fardamentos destinades ao
deposit de artigos bellicos da provineia do Ceari
3 diversos corpos do exercito, nesta data autoriso
o director do Arsenal de Guerra A mandar lavrar
o respective term de contrato na form do regu-
lamento n. 5,118 de 19 de outubro de 1872. 0
que fago constar a V. S. para seou conhecimento
e devidos fins.
A mesma-Sendo urgente a despeza corn a
compra de ferragena para a eavallaria recom-
mendo a V. S. que providence no sentido de
effectnar-se mensalmsnto o abono da quantia de
50A o que allude o officio do. Commandant. das
Armas annex [por copia ao dems Thesouraria
de 18 de corrente, n. 846, que assim flea res-
pondido.
Ao Commandanto do Presidio de Fernando
de Noronha. Faga V. S. regressar para a Casa
de Detengao, na primeira opportunidade, o reo
JosA Antonio de Oliveira, conhecido por Jose da
Josa, afim de ser posto em liberdade per ter
sido absolvido polo Tribunal da Rela*o, conform
declare o Dr. juiz de direito das execug5es cri-
minaes em officio n. 495 de hontem dataio.-Com-
municou-se ao Dr. juiz de direito.
Ao Thesouro Provincial.-Mande Vme. eri-
tregar ao thesoureiro da Repartigio das Obras
Publicas a quantia de 6:0755 constant do pe.
dido junto afim de oe*rrer as despezas A cargo
da mesma Reparticao no mez de novembro ultimo,
conforme solicit o respective engenheiro chefe
em officio de 19 do corronte, sob n. 269.-Commu-
nicou-se ao engenheiro chefe da Reparticeo das
Obras Publicas.
Ao mesmo.-Providencie Vmc. para que
d'orz era dianta s mt1 P --do .n
em-ai-nhft o 0pagamento doe da Comnahia
Recife Draynage, nos terms dasinfo rmaes desse
Thesouro de 17 do corrente n. 297.
AoDiractor do Arsenal de Guerra.-Trans-
mittindo as inclusas propostas que ficam appro-
vadas, aeceitas pelo conselho de compras desse
Arsenal, em sessao de 4 deste mez, segundo ecnsta
do officio do respective president de 6 do corrente,
para o fornecimento de diversos artigos de farda-
mento, destinados ao 11o batalhbo de infantaria,
companhia da mesma arma do Rio Grande do
Norte e de cavallaria desta provincia, deposit de
artigos bellicos do Ceara e 2' e 14o batalhoes de
infantaria, autorizo Vmc. a mandar lavrar o res-
pective term de contract na torma do regula-
monte n. 5118 de 19 de outnbro de 1872.
A Repartiao das Obras Publicas.--Nesta
data autorizo o inspector do Thesouro Provincial
a manlar lavrar contract definitive corn Manoel
Anselmmo Correia de Figueiredo para encarregar-
se dos reparos da ponte de Cazara e da casa da
barreiza de S. Joao a vista dos termos de arre-
matacao remettidos per Vmc. corn officio de 19 do
corrente, sob n. 267.--Communicou-se ao The-
soure Provincial.
Ao mesmo.--Nesta data auctorizo ao ins-
pector do Thesouro Provincial a maudar lavrar
contract definitive corn Joao Climaco de Miranda
pars execucao dos reparos e pintura.das pontes
do CasingA e Rico Peba, vista dos terms de
arriomata~ao remettidos por Vine. corn oificio de
19 do corrente, sob n. 268.-Communicou-se ao
Thesouro Provincial.


A' Companhia Pernambucana.-O Sr. geren- Aegneirfisala estada d ferro do
te da Companhia Pernambucana made dar pas- ARecifeno gS. Fnheiro facisc.-al da evistradas pde ferro o
sagem ia re at a cidade da Fortaleza no vapor Refe itas po Francisco -A vista dao ponderapoes
Ipcjuca, que segue para os ports do norte A 23 fe.tas porVmc, em officio de 15, n. 168, flea pro-
do corrente, por conta das gratuitas a que o go- rogado atd o dia 31 de janeiro proximo, o praso
verdo tern direito, a Damipao Jos Ennes B-ago. concedido para o fornecimeito dos apontamentos
EXPEnd IENTE DO SECETAIU agi. a que serefere o officio desta Presidencia de 4
EXPEDIENTH DO SECRETAR10d owne
do cowente.
A' Camiara Muieipal de GravatA.-De or- Portarias :
dem do Exm. Sr. president da provincia, devolve As president da Camara Maunicipal do
a V. S. seu officio de 15 do corrente mez, afim de Cabo.-Respondo ao officio de 22 de novembro
quo, de contormidade corn o art. 61 da lei de o10 find%,declarando de novo a Vine. que s6mente A
de outubro do 1828, seja assignado por toda a ca- Ca oa ne nao ao president respective cabe re-
mara. solver sobre o inelhor meio de proceder-se a ar-
Ao Thesouro Provincial.--O Exm. Sr. presi- recadamao dos impostos do muaicipio.
dente da provincia manda communicar a V. S. que Recommendo-lhe porissoque fa.a para esse fim
hoje indeferio a petiqio do coronel Antonio Bap- re_ tr a Camara, cumprindo a Vmc. quanto a
tista de Mello Peixoto sobre a arrematagio do di- fafta de comparecimento de vereadores proeeder
zimo do gado vaccuin, cavallar e muar, cornm refe- noas terms do art. 28 da lei de 10 de outubro de
rcncia sos munioipios de Cimbrcs e Alagoa de 1828, art, 22 4o e 6o da lei n. 3027, e aviso do
Baixo, do que trata em sua informnafio de 15 des 27 de setembro de 1881, isto 6, multar os verea-
te mez, sob n. 294. does remissose, seainda assim uio eaomparecerem
EXPEDIENTE DO DIA 23 DE DEZEMBRO DE 1884 couvocat snppicntes em numero strictamente pro-
Actos: ciso para haver maioria.
0 president da provincial attendendo ao que Previno a Vme. que o mandate de vereador 6
requereu Joao Mauricio de Abreu, quarda da 3a obrigatorio pelo que os cidadaos eleitos ainda mes-
secvio do almoxaritado do Arsenal de Guerra, e me sondo supplentes, apezar dis multas impostas,
tecdo em vista o termno de inspeceiAo a que foi sub- cuja cobrana dever-se-ha promover, eontinuar-m
rmetido o supplicant -, resolve, de accord corn a falt nio apresentaudo motives de legitima
iniformaeao do director do dito Arsenial, datada de escusa no 3 terms do art. 19 da citada lei de 1828
13 do corrente, sa-b n. 1.345, prorogar per 3 meow estio ujeitos a process de responsabilidade come
corn venciumentos na formal da leci, a licengade incmursoe-Bas penas do art. 128 do codigo criminal
igual tenmp quo lie foi concedida ultkgamnente a vista dos avisos de 28 de fevoreiro de 1833, 23
para tratar de sun saude. de junbo do 18A, -1 3 d margo de 1837, 29 de ou-
0 president da provincia attendeado ao que tubro dea 838, 16 de dezembro dv. 1861 e 11 ue
requercu o lannador di' Recebedoriade dRendas mar0co d orrent anno, dirigido a esra Presi-
Geraes Flavio Gongalves Lima, c tendo em vista ifua,* '-
gainformaglo n. 613 prestada pel. ThesouraxiaAe A C.timara de Salgueiro.-Approvo a arre
Fa'cnda em24 de setembro ultimo, resolve cones- matacao due impostos constantes 4os terms an-
der ao peticionario 3 mezes de licenga =a't neoxs ao officio qu* a Carna 4 .Mt ipal de Sal-
mentos na forma da lei ptra tratar de muait -gueiro dirigio.-ms uem 13 de ouubt6u nitimo.
0 president da provincia, dc conforrn'-ma i _
com a proposta do Dr. chefe de policia em otfi .
n. 1,321 do hoetem datdo, resolve namear 1
2o supplentea do eubdelegado d&, 1o/ ill -PACROS DA PRESIDEOIA DO &I>..t
term de 'Nmbaaba aos cidaddoos -,JANEIRO DB l.... .'. ......
Frore Pilho e Julo Gualberto da i Antonio da Costa ,ilva M "
quorque, em substitaiWge de Jolo F ,venciBento.qun lhecbecopimr na -Ia*
ae JoboDionisio 0. J .d .
Emns eIxoneragWa
d pulicia. [. ..

+: '. 1, -..
I 0 pi.


I.
I.
P
*1
[











I
(


A,. 9 --m
nio Francisco 1Correia Lins.-Re-
aoj Sr. commandant superior da
rtacional da comarca do Rio For-
para mandar paasar a guia de que
art. 45'do decreto n. 1,130 de 12
de 1853.
*nio Joaquim da Silva. Ao Sr.
-dante do presidio do Fernando do
p, para providenciar, devolvendo
*l^uenmeuto.
-da Campos & C. Indeferido.
Emiia de Miranda Hunriques.-
0 Sr. Dr. inspector geral da Ins-
Pablica.
-issao encarregada do tratamento
a laem Palares. '-- Remettido ao
Sd da Thesouraria de Fazenda,
dar pasar a quimtago de accor-
seu officio n. 859 de 22 de de-


zesl-a, kdo.
Coelho da Silva.-Informe o Sr.
Dr. 4Ade policia.
oIo Ubanio de Albuquerque Mon-
teiro. fo+rme o Sr. inspector geral da
Instruiso Publica.
1Hm3i0o Barbato Accioli. Informe o Sr.
Dr. ,kofe d e policia.
Idalina MLria da Luz. Nao ha vaga.
Joa im Rodrigues de Sobral Campos.
-Inorme o Sr. Dr. chefs de poicia.
Joa6 Agripino da Cunha.-Deferidocorn
o ofiio desta data ao comma idante do
corpQie policia.
J7iuDias dos Santos.-Sim, satisfeitos
os ditWitos fiscaes e prooedidas as diligen-
cias do estylo.
Jolo Alves Feitoza. Apresente-se o
suppAdante a junta medical military.
SJos6 Fxancisco Epiplanio de Souza.-
Informe o Sr. Dr. chefs de policia.
Jolo Rufino dos Santos Sim, corn as
restriOes feitas nas relagoes annexas A
portara desta data..
0 measmo. Sim, corn as restricoes fei-
taw nas relagces annexas A portaria desta
data.
f Joao Francisco de Oliveira. Informe
corn urgencia o Sr, Dr. juiz de direito da
comarca do Rio Formoso.
Commendador Luiz Jose da Silva Gui-
maraies. -Informe o Sr. inspector do The-
souro Provincial.
Bacharel Manoel Marinck Monteiro de
Andrade. Sim, provisoriamente e serm
vencimentos.
Maria Francisca do Jesus.-Sim.
M el Jos6 da Silva e Vicencia Maria
1006 =-Inde8e&ro. --
Maria4Victeria da Conceiglo. Sim, pa-
.gando a supplicant as comedorias.
Manoel de Castro Fonseca. -Informo o
Rvm. Sr. director interino da Cblonia Isa-
bel. .:
Rita do Cassia de Almeida Falceo. -
Nao ha vaga.
Sebastino A. Peixoto Gadelha. Sim,
pagando as comedorias.
Secretaria da Presidencia do Pernambu-
co, 10 de janeiro de 1885.
0 ajuiante do porteiro,
Antonio F. da Silveira Carvalho.


Repartidao da Polcia
Secgo 2.3-N. It. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 9 do janeiro do
1885.-I1m. e Exm. Sr. Participo a V.
Exc. que bforam hontei recolhidos A Casa
de Detenguo os seguintes individuos:
A' ordem desta chefatura Maria Joaquina 'da
Conceiego, come alienada, atW que possa ter o con-
veniente destine.
A' ordem do subdelegado do Recife, Agostinho
da Costa, per embriaguez e disturbios.
A' ordem do do 10 district de S. Jose, Claudi-
no Jose Francisco, per disturbios.
Deus guard a V. Exc. Illm. e Exm.
Sr. Dr. Sancho ae Barros Pimentel, muito
digno president da provincia. -Francisco
'Augusto da Fonseca e Silva, delegado do
1.o district do Recife.

Secqbo 2a N. 12-Secretaria de Po-
licia do Pernambuco, 10 do janeiro de
188-5. -Illm. e Exm. Sr.-Participo a V.
Exc. que hoatem foi recolhido A Casa de
Detoncao o seguinte i-idividuo :
Martinho Jos6 'de Sant'Auna, remettido pelo
Dr. juiz de direito da comarca de Jaboatio, a
quern voluntary, mente se apresentara per ter as-
sassinado na madrugada de 26 do mez find, na
cidade do Cabo, a Francisco Urbane.
Deus guard .a V. Exc. -flm. e Exm.
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel muito
digno president da provincia. -Francisco
Angusto da Fonseca e Silva, delegado do
1io district do Rec;fe.

Thesouro Provincial
DESPACHOS DO" DIA 9 DE JANFIRO DE
1885
L'ielden Brothers, Francisco Lucio de
Castro, -Manoel Goinmes da Cunha, Manoel
Fernandes Velloso, Joao Jos6 de Almeida
da RookiPitta e Delphina da Silva Duar
te a ". Ir. Informed o Sr. contador.
Punto da Sficretaria da Instrucgo Pu-
blica.T44o &r, thesoureiro para oa devidos
M Federio Beks A Sr.
,-Jk W tie, Frederico Beaks Ao Sr.


Contas do qmmaiado do oorpo de po- tra o principe Napojie. "ao m ae'
lica. -Examine-se. mente o tom adapvaduM
o Sr. Paulo de C1 ,eo4hefo
Coesuladeo Provilanelal contrario ao prineipe ilk o miuatre p
DESPACHOS DO DIA 9 DO CORRENTE pretendente a forga: .'-
Demingos Gomes Correia & C., Antonio Pinto Poi sio eae os 0 iu ai
da Motta, Antonio Maia Marques Ferreira, Jos esses os conspiradoreo s ?B
Goncalves Pereira, Antonio de Souza Duarte Per- tando de uma nia n; '.
reira, Joaquim Barbosa de Oliveira, Azevedo & C., i oe i t
Manoel Pedrosa dos SaDtos, Torres & C., Manoel Crqe-d'Et, disia o o A
Simplicio Torres, Jos6 dos Santos Coelho, Fran- fallando dos oradores e dos
cisco Pedro de Aleantara, Hermino Rodrigues, e Nao podendo enchera a* i mllg
Albino Joaquim Ferreira, Jeaquim Antonio dc tee distribuidos, os p o.
Sousa, Manoel de Medeiros Rocha, Jos6 Ricardo
Coelho, Jose Martins de Armada, Pedro Manoel ram entrar algumas armas
da Trindade, Antonio Ferreira da Silva, Henrique viduos, que nattle mu ap
Lulz Ferreira Leal, Jose& Rodrigues Lima, Fun- por poderem estar pot esm us hormwm-
seca Silva & C., Antonio Luiz Batista, Francisco tuitamente tam em eada nse-
Ribeiro Guimarles, Angusto Jos7doCouto, C. A. nte etad e adi
Vam dua Lindem, Henrique Vogely, Manoel Fer- sid A essao o Sr. Manrcim?.s ard anf
reira Braga, Luiz Moreira da Silva e Joaquim nistro das bellas-artes, no meimo' lugar b
Ignacio Ribeiro.-Sim. ontr'ora se mostravam o viado Coco e a =n6i04b-
Luiz lFerreira Bandoira de Mello Filho.-Em piaine. 0 Sr. Richard em pessoa eozereila -
vista das informaoes nada ha que deferir. i f e
Pedro Joaquimn. Augusto Ribeiro, Francisco An- oes do e8cudeiro Leal, por isso qu fi eueut-
tonio de Magalhies Bastos e JoLo Francisco Ro- gado de apresentar dous cavallos... nU16,
drigues.-Informe a la secago. oradores convenientemente educados, e dose um
Alfredo Soares de Azevedo e Gomes Augusto um sobretudo pulador doprimeira ordemoprw
Gayo de Miranda.-Deferido de accord corn as at hoj tern traposto traordinarias bar'
informag5es. hoe tem transposto extraordinaas bar
Manoel Antonio da Silva Moreira.-A' 1I sec- political. Eram elles os Srs. Paeal e Langli. *.
gao para os devidos fins. A' vista do estado anarchico do partid*i.
Maria Emilia da Silva Santos.--Sirm, visto as in- partista e d'outras circumstancias que oW
formag8es.
Joaquina Brasilina da Silva Cordeiro.-Inde- ignore, pode-se calcular quk 1igNOR Mr lo-
rido em vista das informagoes. / quanto, o suspirado advent 6dd r6 im -
H. Nuesch & C.-Intorme a 2a se 0a. em Franca, apezar do# opiparo banquetes pd -
Luiz Menezes & C.--Pague o iar osto e eun- s
tando o titulo de dominion serA attenido. co, como o qneaV" idarios do dnpiG pe Jer
mo realiiara&V aitj.teis no dia 10 de wmdmm
.... .... "N"MI" anniversario .dr:kheio de Luiz Boapat

DlARIO BE PERNIIBUCO "ln ^W i fguae
apresidenRia,1 DRlica ina1gurada edo2dovedemb.
ll ia l BE PER N4BIi UIO de 1848, e emp adpouco depois, pela gatu-R
RECIFE, L.o DE JANEIRC DE 1885 de 2 de dezembro.


Retrospecto politico 4
Sde ISS4


Io anno


Nao obstante as intimacoes do Sr. Paulo de Cas-
sagnac e dos amigos deste, o principle Napolelo
nao abdicou !
Fez elle muito bern.
Nao se anda assim a abdicar a a dA ca aquella
palha a a soberana prerogative de eoaborar de vez
em quando um manifesto inoffensive.
Por outro lado o principle Victor parece qftn se
resolve finalmente, depois de muitas inawciam e
amea"aa, a adsumir uma posigio mas saliente e
definida na political bonapartista. Consentio em
tornar-se, ao menos tacitamente, o chefe supreme
do grupo que o tomou per patron.
Se como diz o celebre verso do fabulista On
ne pent contenter tont Ie mend et son pere, a
attitude, post que talvez um tanto foreada do pnn-
cipe Victor, nao podia agradar inteirnweanont ao
wpito anet0m-de seos dibm,-4mto- L
mera supposicgo, porque a historic nao elqoiQ6
ainda sufficientemente eate ponto. No se sabe
ao certo, se o filho aceitou o papel que lhe deram
per habeis conselhos do pal. 0 principle Victor
tern uma penslo annual de,quarenta mil frances,
que lhe 6 abonada pelos seus partidarios em Fran-
ca. Esta list civil nao 6 das mais opulentas, mas
j naioe 6 tambcm das que se devam desprezqr, per
amor A mais simples e innocent das ficc5es-a
restaurasio de um imperio n'um paiz que tern
ainda, sangrando, as chagas abertas polo ultimo
que alii loi soterrado.
E' verdade que a dotaglo cr6a uma situaa-o in-
commoda e exceptional para o dotado. Elle nao 6
inteiramente senior das suas acoes mais inti-
mas.
Todos os anotes de sua vida sao escrupulosamente
indagades e solemnemente reprehendidos, quando
6 precise. Ainda ha pounce o Sr. Paulo de Cas-
sagnac, que serm duvida conhece o typo de Daudet
-le roi Rigolo, contava ao public as suas appre-
hensoes Acerca da idoneidade do principle Victor
para reprcsentar capazmente o papel que Ihe foi
distribuido na comedia bouapartista. 0 valente
campeito da political napoleonica accusava franca.
mente o seu pupillo per vel-o entregar-se corn mais
affinco aos prazeres que ao cumprimento das pe-
sadas obrigan5es que o office Ihe imp'e, de por-
tar-se come rapaz, em vez de proeeder come ho-
mem. ) A reprehensao nio teve nada de come-
dida, nem de extremamente respeitosa. Nio cons-
ta todavia at6 hoje que o principle abrisse mno da
renda que Ihe conferem per tal preco. E' levar
muito long a longanimidade de unm impcrador em
perspective.
E comtudo, soe o principle Victor 6 tao familiar-.
monte tratado per seus subditos, o principle Jero-
nymo nao recebe delles tratamento mais ameno.
Quanto aos individuos dos dous grupos dirigem-se
reciprocamente as mais estranhas amabilidades no
meio das lutas homericas a que frequentemente se
entregam.
Acredit,-a-se que a morto de Ruher pozesse
term a tao renhidos combates da imprensa e da
tribune. Houve mesmo uma especie de tregoa
entire as duas faces nesse funebre moment. 0
proprio Sr. Paulo de Cassagnac escrevia entlo
nests terms commovedores aos presidents dos
centros imperalistas de Paris :
a As nossas deploraveis dissidencias devem ter-
minar ante a dor que nos congrega n'um lute
commum. v E mais adiante:
a Seja qual for o matiz imperialist a que posa-
samos pertencer, 6 urgente que as varias fracq5es
do partido posanm livremente, e scm reciproca op-
posiailo tumultuosa, procurar os meios maia faces
de derrubar a republican c rejtaurar a monarchia


Os outros monarchistas francezes nao teemns
direito de censurar a indisciplina, nemr o do -ic41
das extravagancias do parhtido bonapartista. 13..
de que falleceu o conde de Chambord andam -
lar n'uma unilo, que se nao realisou ainda, e qm
provavelmente nao se darA nunca. Pare el&.-
tivamente que o Conde de Paris nao alcanuarijL-
mais a adhesio coumpleta dos fervorosss defeasm
da monarehia de direito divine.
Ha mais de urn anno que os realistas discuten
entire si esta dfficil e grave questAo:
0 Conde de Chambord perdoou cordialmeml
ou ad dos denotes para fora A familiar de Orleaws
0 Conde de Paris foi o herdeiro reconhecido, 21-
to e designado pelo representante da casareal
Franca? ,
Os aferrados A monarchia absolute, Ut-
diccional e de todo intransigent e corn o estado at
tual das socicdades occidentaes, responded opg.
tivamneate a questao, invocando a miudo p mw
l. e~aiencivel repugnanelia que 9 august w
do de Froahdorf, manifeuton, ate ao solemenw,
monte da morte, para fazer as passes corn osm pi.
cipes da dynastia que em 1830 banio a sua do a
da patria. Segundo dizem, a amargura dos &,
de julbo nao sahioe nunca do cora*e de Henriq-
V, cuja viuva, affirmam tambem,nbo more de oam-
res pelos ditos principles, e anteajhostilisa, taft
quanto 6 possivel, as pretenqoes do Conde.de Pa-
ris. -
Talvcz noo erre inteiramente na previslo qham
der come em todo o tempo inverificavej a iypothm-
se de uma porteoita hurmnonia de idas e seatimoa-
too gociaes e politicos entire chambordistas e ls-
leanistas. Per maior esforeo que empreguem e.ca-
teao homes dotados de algum senso pratico, parent
que nao podermo jamais conseguir a fetal conver-
gencia de vistas de um e outro dessog grapes puar
um ponto commum, para a realisaqUe de um idea-
tico desejo. A16mn dos 6*pO resentimeatos, q a
nunca se esquecem completaaite, impede tal B-
cordo a reciproca e natural 4Oonfighg entire hb-
mens extremamente dista-a&dos pjlo modo A
pensar, quanto is institioles que d.evm se.m .
panhar e robustecor a sonhada ltisaracao da m-
narchia em Franga. Ambos ela pa tidos im..
rem o rei, sem duvida. I.a., umardeieja-o vestift
A antiga e aureolado pelo brilhoa de Vna gras1e
f6 n'um poder sobrenatural; o 0qtio quer vel-si
modern, segund) o paidrao inga z -aeptieo ear
Voltaire e burguez eomoe Lmt. UM an-
pira prender ) seculo XVff I auef..in qtu o -
vemos, eliminando come inutil o mi toda a enorms
elaborato social do sec*p XVIII; o outro de"as
unir a tradiceao e a revolucgo e harmonisai-a
n'uma formula political em que se procura umoeqi-
librio impossivel eatre elements heterogeneos.
Estes dous systems, sem coutarmos cornm o go-
verno imperial, jA foram experimentados em Fras-
ca no corner do nosso secalo, e naio deramin o mii.
mo resultado benefice para o pair, causando fle-
antes males immensos. Nem a Restauraglo, em
a monarchia de julho foram situag5es duradoora
porque nem uma nern outra encoptrou em sea fa-
veor as indispensaveis condig68es de tempo e An
meio. A monarchia absolute tornou-se impo8miu|q
corn a situatgo da nacionalidade franeeza dese
Luiz XV, e abaldada tentativada primeira assem-
bl`a constitqinte paIa adaptar A Franca as inai-
tuioe politioas da.Inglaterra mostro. -evideiaW-
mete ezistir a mesma impossibilidade em relaVb
a mofiarehia constitucionaL 6 a prutnda, lab f
inevitavo. anarchia dos partidoe revolacionzjq
poderia for dade ensejo ephemwea reuraiieb
dessea regimens condemnados por uma gexia **'i-
lucao de espirito national em Fina.a.
(s monarchistas descoheeesm tudo isso, em-
qneceim o que" a na~bo devia esperar do sen patiA-
isimo,. pars mostrarem a todoq os momentum s.
odio contra a ordem de otasa
mantida em Franca. 0 exempt ".iJ "Est 4'-
Thiers foi pkra a maioriad | a
inutil, e ainda ha pouco se o
sos corn o arcebispo Freppel, p1.3^|'o i'-U-';
deb? te parlamettar antepor o eB "
s suggestoes do espirito reaceimo." .io. _,'.y.
E' que, na phnae de u -
realism. s'mppe na g
psisrmento, foruda^^H^
dig~a.e a~wnmue6 -^ M ---


A







'4


Im,, -_.
* ,.. '*
..
S -


*-low


P9
do















































p;nsaveiw ao desenvolvimento de todo o progress
aDcial; A u o ver o laso intimo que prende entree
it daa as phases da evoluaio humana, peceado
de qu o tbeoogisimo e a metaphysical devem por
- igal aecaart-se. Erro rmaior *todavia, loucura
mais rematadaA, 6 peor certo a vi tentative para
Saobjugar a vidanidernaa ao imperio deconeeN5oes
In Aol absolutaumneate esquecidas, pelo menos lar-
,'gAnent desasereditadas, e sobretudo enferma',
arUae siaertu come a propria Jecrepitude. Qual o
siod deresolver a Franca da actualidade a aeceitar
-*ceuselho dePascal, o use da agua benta e o es-
l-rqo pars a bestificaslo ?
Nio basta que os retrogrados fra-ncezes pro-
settarnm ao seu paiz todas as felicidales imagina-
veits, urma verdadeira idade de ouro, corm a con -
lii de verernm'o intellectual e moralmentc
. aei9oado ao conjunto de idWas e sentiments, quo
servio de base A longs permanencia do velho re-
ugimen politico. E'esaencialconvencerem-se de que
scAelllhante traustoruia;io 0 iuteirarnemcnteimpos-
gire, e de quoe commettemn um crime de leso pa-
Uiotismo na irraciosalidade de seu odio contra as
aonaea instituioes republicans, cnja estabeli-
dade e crescente credit nao 6 consequencia de
wa mere artificio, mas o resultado logico e neces-
ario de.uma grande somsnra de circumstancias
afvenciveis. -
anfelizmente para a propaganda realist, o nu-
mere das adhesoes no sen programma vai de dia
a dia diminuindo a no belle paiz de Fraca ,*.
Tlodas as vezes que o suffragio 6 alli consultado
Sama victoria da democracia republican que se
smignala.
Foi o que acouteoeu nas ultimas eleiv5es dos
emsaelhos municipaes.
(Contin4a.)

Recife, 11 de janeiro do 1885
Notieias da Europa
0 paquete inglez Trent, entrado hontem da Eu-
ops, trouxe noticias eujas ditas, de Lisboa, al-
mncam a 29 de dezembro, adiantando cineo dias As
trazidas pelo ifrancez Niger.
Eis algumuas dessas noticias, que depois comple-
taUremos:
Portugal
A carta do nosso correspondent de Lisboa, pu
blicada na rubrica Exterior, da as noticias deste-
paiz.
Hlempanha
Ei* o que saobre a Hespanha escreve o mesmo
ewrespondente :
Rebentou o cholera em Tarvagona. Por cada
3000 pessoas, havia 6 atacados.
a A pavorosa que o governor hespanhol havia
smajado na question dos estudantes de Madrid
ameaca. a eonverter-se-lhe em calvario doloroso
N 0 procedirento pe!o governo ordenado A poli-
6 a provocag9io aos estudantes, a violacaio das
eormunmidades nniversitirias, as perseguimoes
brutaes, tudo contribuio pars exareerbar os ani-
s I da opposicao pars toniAr inimigos do minis-
terio muitos para qnem era indiffereute a situaalo
palitica.
*r Hoqje e, sobretudo paras corn o mmistro Pidal,
qasi uaanime a aindisposima'o.
r O governor, por6m, e o pirtido ultramontane
actinuaram ina sun pertinacia perseguidora, come
s-mpre acontece a quem eegameiute corre a perdi-
SO eonselho da Universidade,, hoje em maioria
scaposta de ultramontanos, depois da exoneralo
do reitor e de diversos professors liberals con-
domnou A perda do anne olectivo alguns estudantes
sinatarios do pritcsto e que foram denunciados
emo imastigadores da parede, que ainda dura na
-lniversdidde.
Al6m da animosidade- geral que o governor
eonsentio contr-a si n'csta campanula odiosa e de-
sstrada, a sun intolertncizi es ,pirito reaeciona-
io tiveram o cffeito ,.; parodnzir at unii doas diffe-
lates grupos liberaes cliiinasticos.
Pareceu devcr cou;Iilerar-se segura a fusae
da osquerda dynastica com as eci-mentos democra-
tieos a que preside o Sr Martes e corn o partido
do Sr. Sagasti.
*0 ministerio Canovas a.-io podcrai resistir ;i
gaorra que, em breve, se I>,\artnrti extensa e ester
gia p:rra derrubar, a niens ,i-i nio queira ;ilagar
a Hespanha imn s.ingu..
J.i tei assignatlo i, protocolo ,i a Inglstnrra e a Alleam, nm.a re:-:-,heeerm a s,,bhera-
mia abauluta da Hespanha sobre aquolle arehipe-
ligo.
0 grande meeting que .)i celebrado ha dia
no theatre do AlIhb nbra e, Madrid, e nhoara dc
SE. More este'-o tuimito e",;,:..,rrido e teve grande
hapnr tancia.
) Sr. Moret etre frenticos applausos deeloc-
_ot que os seus amigos e eom estes, o Sr. Mastos e
9arns, estibo reunidos corn o partido pescionisti
do.Sr. iSagasta pars comnbater o Sr. Canvas e ,i
3a1 political.
Today a imprensa liberal ru-cebeu corn aiegri'


tal noticia.
Parece que o 6 Sr. Sagasta tas conferencia,
que tern sit ultimameute armrrs us Srs. Martos t
More se tern mostrado resolvido a que o seu par
tido tenha urma politiea prog.-essiva, acceitando oe
wincipias ddmocraticos qu: estes dous homens di
caido represantam.
Se o facto .6 certo, pode mnito bemrn ser qu(
ajgns centralislas se apartem do Sr. Sagasta
is se este acceitar francamente as idci .s- demo
rnaleas, conquistarA as forvas democraticas do
&. Morete e Martoes, come ja eonquistou as di
Soamtra-almirante Baranger.
Apesar das negatives da imprensa miniaterit
parme portanto t6ra de duvida quo os Srs. Sagas
ta, Moret e Mastos estiao unidos.
La Iberia, orgio do primeiro; deelaras-e'de
f0doe e ruoruas sastentadas pela demoaemcia
*4 Pas-auw e sob eats bases se formari breve
aenteut Udo liberal, e qt e entrat o loeo a
aSs Moret e ea generals i

d..
a-o


P,esea \ ... 2
car As mcadoras o direito 42' colurana Za
panta aduaneira.
SA's 9 horas da noite de 25 do correatoe s--
tio-se cm Madrid um tremor do terra coW p1e"f"
na intensidade. Nio fez grandsea estragos. Dos
theatres quo estavam eheios,re"nir -ase mjitta
aespreadores. 'E "' eina' a, Cordova e
Granadao aahalo duroi 50 segandos, gausailo
granule panico aos habituQtt's, que fuigirama imie-
diatamente para os campos. Em Granada norr,-
ram dous individuos.e ficaram feridi>s outros dous.
,, Na mafrhuta &e S repetie-sr o tremor de
terra na And.iluzia, easando alguns estragos em
Almeria, e derrLbanwlo varies edifi-ios ecm Ante-
qusra. Em Veilez-M'alag.t tez divrsais victims S.
A esta-c-) tlegraphiea deoab.)u co.a a i i)lnei'
Io aba'o, ficn lo Ferido.) um empregaIo1d) telegra-
phi. A pop'ilaio fugio to l;t para os cainpos, n11o
obsatante haver a Cs3a lieranerast t-emporal. LU.j
ficou muito arruiiada.
Em Madrid marrea um homemno e acham-so
inuitos tferi-loi. Albutnellas esti qasli totalmente
destruidi. Em Sevilha e Granad:t foi gnl o
panic, mas os estragos sao pouco importantes.
c Dizem 03s despsachos offleiaes da Andaluzia que
o tremor do terra m iton 159 pessoas ca varias
villas e aldeiasd&i provineia de GrAitla dN Ma
laga. Em Sevilha e Jaen neo houve nenhurnma
victims. No dia'25 seatiram-se alli oite abalos
successivos.
a No dia 26 de dezembro chgou a Bombaim o
pretendeute D. Carlos de- Bourbon.
cc Per um te-legramma de 25 de Madrid costa
que a Sociedade dos africanistas hespanhoes ooeu-
poan 1,500 kil.xnetros no interior do golpho de Gui-
n6, onde os allemies occup iram a costa. Os hes-
panhoes ceobraram tratados coarn 30 chefes do
gentio. 0 paiz occupado 6 sete vt-zes muior que a
illha de FPriruid-j BR6 e mutto m-ais fertil, acores-
centa a reterida coinmnniceavo.
Coiacideesta noticia coin outra da mesma dat-i,
de' que a Inglatorra occupou o porto de Dunford,
ao norte do Zizibar, para evitir a occupasao per
qualquer outra potencia
SA lobre do africaniarno invade as potencies
curop6as. A n6s, que dormnimos pjr espai de-
secnlos, A sombra dos loiros plantados n'aqueilas
regioes pelos nossos destimidos avoengos, procu-
rain todas ellas expoliar-nos do que temos ainda
n'aquella parte do mundo.
Peor convocac3s do Sr. Sagasta, retmnniram-s-
a 26, A tarde, n'urna snlt do palaeio do Senado 41
deputados e 51 senadores do partido constitucio-
nal.
0 Sr. S.agasta dcilarou que tinha o apoio dos
Srs. More e Matos, e qnuo escava deidido a inter-
pellar o governor a respect o da questto dos estu-
dantes, do emprestimo de Cuba, do corda'o sanita-
ri o da political seguida para corm o Vatieano.
,, Nao offerece pois a minenor devida, que o
illustre professor e eloqucnte orador, D. Segis-
mundo Moret y Prendergast, que foi ministro
do reino da passada situa9!o esquerdista, abando-
nou este partido, dedieando- so a urna propaganda
energies de colligaaio de todoes. os partidos libe-
raes, sob a direcgAo do Sr. Sagasta.
Segundo a opinia'o do talentoso tribune, 6 pre-
cise fornar em Hespanha um grande partido li-
beral para combater a poMlitica dos coaseryvadores e
dos ultramoatanos.
L.


P. S.-Urn despacho telegraphico da agencia
Havas, expedido de Madrid, de 27 diz :
,, Em Castelfa ha grande tempestade e neve.
Hontemn sentio-se nacvo tremor em Jaer, mas -me-
noe intense, que o aanterior. Em Benayorza, Alfar-
netejo e Nezja, na provincia de Malaga, os prejui-
zos saoe consideraveis ; quasi todas ca pequenas
habitacoes estio em ruins. Na Alhamibrs de
Granada nAo ha damnificaeAo alguma, apezar da
intensidade conm que alii sse ntio o tremor. 0
numero de mortos nas differences aldeias da An-
daluzia 6 jA calculado em 200. ,
cc Madrid 28.-0 resume dos despachos officials
diA 266 vietimas do terreanoto nas provwncias de
Malasa e Granada. Nas cidades e grande vil-
las nao lihouve victim alguma, exceptuando Ma-
lagasonde houve duas mortes.
Frauca
0 correapoandente do Time#, em Paris, escreve
aquelle journal, mauifestaudo-lhe que se apreeentam
trees solua5es differences, As difficuldades political
actuaes :
,, A primeira, 6 quo a Fran9a e a Inglaterra se
ajuademr mutuamente na China e no Egy.to. Esta
solucio parece pounce provavel come demonstriram
os u'timos aconteeimentos. A segundn, 6 que a
lnglaterra affastando todos os obstaculos que pa-
ralysam a sua liberdade de aecio no Egypto, pro-
dlame n'este paiz o pro"ectorado inglez e proceda
no future como entender pars garantir os interes-
seas do Egypto.
c Esta soluclo que parcee sert a melhor, nao
serA aceita pelo Sr. Gladstone.
( A terceira solauo 6 que a Franca, mesmo A
custa d1 um sacrificio de amor proprio, termine
serm demora a guerra corn a China, por meio de
um tratado dc paz rasoavel, mas modesto, o que
poderia obrigar a Inglaterra a fazer e ,ncessoes
nos negocios egypcios.
a SuppOJ se, porem, em Paris que o Sr. Jules
Ferry nao conenti :A mais que so fa~a um tratado
de paz dess? genoro.
,( V-se pois, conclude o correspondent do Times
que os d.us homenus do Estado que dirigem os des-
tinos da luglatmrra e da Franca dlo igualmente
prova le ineerteza e hesitnaeo. 0 Sr. Gldston-
nilo qucr nim ;bandonar o Egypto nerm submet-
tel-o ao p Irotectoratdo inglez ; o Sr. Jules Ferry
naeo nein tiaz:.r a paIz corn ell.i. Ambos deixam pur
assimdizer. as suas portias abertas e serat precise
alguin p ,il,', vento imprevisto )forte para as Ie-
3 char con violeneci:. ,
0 Figaro p iblicou, ha dias uma noticia de sen -
Ssa(.o. Nada inieos que a proximtni viagem de
Bismarck A Paris, para coasolidar a recent aini-
alde e appareate esquceimento de antigos ranco.-
res entire e Frnvqa e a Allemanha. 0 chancellor
allem;.o irA a Paris centre 12 e 14 de janeiro e de-
inorar so-haA tres dias n'aquella capital.
Eis a;ui o3 coinmueutari)s que o proprio Figaro
i faitz a tlo extraordinaria noticia :
a A viagem passarA desapereebida para -a o-
p pulacfo parisienue, mas prooceupa jA muito omun-
- do p.olitico. A npproximaq.io centre a Franca e a
Allemanha ficanra ae certo mode sellada corn essa
s inesperada vista. Deverk relacionar-se ean esre
- prjecto rde viagemn partida precipjitada do Sr.
Waddington de Londres ?
a Nos circulos officials reins cerfa inquietaslo,
;o ca onsquotncia da subita reaoluqilo do Sr. de
- Bismarck, e o Sr. Ferry sentirA provavelmente
mais agrndavel sorpreza que reccio poelo dialogo
) que se Ihe proporcime comn o chancellor que vaia
Nice acompanhiar a princtza, a quem os muedicos
I recommendam o raeio dia da Franva.
0 ehancellr echegarAl a Paris logo que se en
cerrar a conferencia. A viagem relaciona-se crn
- a questAio do Egypto e a attitude da Inglaterra.
L. Em part, tern per object affir'na' aos etios des-
- ta ultima potencia, um accord que persist em
s nioe s desacreditar, corn o fim de illudir, que nao
* .e.dirige contra ella.
., ..So. esto.ponte de "ata, a -usita do pripe
Bismar.. a Paris Ia it np iftci. Mda-
U -gasm vez 1x0 da wsam


Sate ober a8r.: Per
mlek m ex i R a v.c
S. d-lW Paois.' -


i-s a cste
respoeito.
0 gabinete dq Roma r veq _wenpetivar a du-
tussio das .nvequs dau9 __-nl~swiyfryw4
-4, pi&rem nrsdr itxft 'ds 3o ASdAobVo;
a votasao pmorm, attended i aunplitad9, qae teem
*40 04 athu t ta gM dua-.ds -
rias. -
A cImam oU.3 daepttdoas italiana, depjis do
voter o projectf.tg ft-b -par&a o aneamento da
cidade do Napoh*7 3p tes contra 10), -adieu
as suas sesases para 17TI .janeiro.
Urma das primceiras queataes a Iratar sera a do
divorcio. 0 prijeeto de let sobre cste grave as-
sampto ibi claborado pelo governo ; a eommissao
da cainira jAi o examinau, e o Sr, Giariati apre-
sent.tu ) seu rclLtrio. H.a sets annos que a ques-
tie. pnle da resolugo) pirlamuntar. Pela pri-
ineir:L vez em 1878, suscitou a o Sr. Salvatorc
|ioMelli eJfeasir sardL'It d.I emaneipao Idas
mnalheres. 0 Sr. Conforti, que era catro mirfistro
da justiva, takes reserves fez sobre a wpportunid.a-
die da inedida, que o projocto foi adiado. 0 Sr.
Montlhi nio desanimou, e em 1880 voltou e carga.
A pasta dajistisa tinha eatio passado parao,
Sr. Tomarn-so Villa, que recebei e melher grado
; reform:i e ehegou inoimo a transformar a pro-
pnsta do iniciativa parlamentar cm projiadto do lei
goverrnmental. Depois, a question ficoe em aber-
tu, e o adivorcio estaria, sear duvida, votado adesde
maito tempo, se as freque-tes modifieaw5os mtinis
teriaes nio tivesesmn feito an-ar suceessivamente
a pasta .da justica de miao em meo.
0 relatoriu do Sr. Giuriati 6 favoravol ao prin-
cipio do divorcio ; mas, na spplioaio, s6d admitted
duas hypotheses : aquella eta que urn do. eonju
ges for condemaado a penarultirnma, ou a tesabalhos
ftradolo perpetuos, c a Is separacio legal entire
esposos, dedt, cinco anacs, tendo filhos. 0 de trez
-io os havendo. A commnnissAo propoe, 6 vertlade,
permissao do divorcio no caso de condemnacao
a trabalhlios for-adus por 20 anuos, corn a coudi-
eao, porcm, de que a penn sfja motivada. por cri-
me do direito comminum; mas nao consentio em
adinittir a hypotheses de loucura ineuravel, n'um
on n'outro conjuge.
Os adversaries do livorcio, em It alia, alem das
objecgSes provistas, derivadas do caraster reli
gioao d, casamento, allegamn ainda que a reform
6 impopular e que a opiniAo public nito a reela-
ma. Os partidarios do divorcio opp5em a este ra-
cioeinio as estatisticas officials, que aecusam con
sideravel auginento de nascimnentos illegitimos e
em nome da moral reclamam a votaglo do pro-
jecto.
Alguas jornaes italianos assegaram que o
priacipc do Bisminarck ira no comeeo do novo an-
no a Romea visitar o rei Humberto.


EXTERIOR

Correspondeaela do flarlo de
Pernambuco
PORTUGAL -LISBOA, 29 de dezembro de
1884
Serve esta de complemento a que Ihes mandei
pela mala do Author da linha de Liverpool, que
entrou a'este porto a 24 do corrente. 0 vapor
das MWssageries nro tacaria nos portos do Brazil.
Urn telegramma de Paris, de 23, da Agencia
Havas recebido aqmui ultimamente diz:
A Franca pedio expliea5eis ao Brazil acerea
d'um tiro disparado contra o paqueto Girondt das
Wssageries Mfaritimes, procedente da Europa, no
inomento de entrar no port do Ri) de Janeiro.
N'isto se v8 a explicaclo de nao ter aig. o a-
gamento do Bordeus tocado neos portoa dese 'm-
perio, segundo a escala do costume.
No dia 26 d'este mez foram proclamados os
deputados cujas elei5es tinham side approvadas.
Proceden-se em seguida 4 eoei4o da list quia-
tupla para a presideneia, e a eleiao dos secreta-
rios, corn o seguinte resultado :
Presidencia


Luiz Bivar.
Joao Ribeiro dos Santos.
Lniz de Lencastre.
Silveira (ai Motta.
Firmino Jo-ao Lopes.


Secretaries
Moita e Vasconeellos.
Ferreira de Mesquita.
Vice-secretaries
Sebastiao Centevo.
Ponces de Carvalho.
0 Sr. Bivar foi o escolhido pela cor6a para a
presidencia. A 27 constituio-se a camera, pres-
tando juramento os deputados presents.
Grande part dos deputadoas foram passar as
festas do Natal para as suns provineias. Nio 6
de crer que at6 ao dia 31 do eorrenate, apezar de
estar coiustituida a camara desde o dia 27,_se le-
vante alguma discussion important.
Na sessao de 27, o Sr. Fontes, president do
conselho, leu o projeeto de lei de reformas politi-
eas, preceded de um largo relatcrio.
0 Sr. Consigliere Pedroso, deputado republica-
no, apresentou e sustentou um project de lei abo-
lindo o juramento politico.
Sob proposta de um deputado da maioria, o Sr.
Santos Viegas, a camera resolve que os deputa-
dos eleitos palo circulo do Funchlial assistam hoje
21j) A discussio do parecer que approval a sua
elei-:eo.
Na sesaioe do 27 o deputado progressista Dr.
Einmgdio Nivarro mandou para a mesa um reque-
rinento pecdindo que lhe fossem mandadas as ac-
t.ta dos conseihos de Estado, reunDidos no interval-
Io das sessues parlamentarcs. Este requerimento
pplo que so v0, tern relacno corn outro ha dia-
apresentado polo digno par Costa Lobeo na respec-
tiva camera, e ein pior fim as-rvir de base aosa de-
bates sobre a exclusao do principle real o Sr. D.
Carlos d:ais sess3es do conselho) de estado politico,
segundo o que na minha ultima Ihes referi, fun-
damentando unia tmo0.lo de accusa.lo contra o
conselheiro de estadu e president do cons2lho, o
Sr. Antonio Maria de Foates Pereira do Mello.
Eias o project de acto additional, oade ha
rofrmas politieas, apresentado pelo Sr. presiden-
te do coaselbo na sessaIo de 27 da camera dos de-
putados:
,, Art. 1 0 Os pares e deputados sao represen-
t-.ntes da nacalo e no do rei que os nomeia, ou dos
circulos que os elegem.
uuico. A cnstituiglo nio reeonhece o man-
dauto imperative.
Art. 2." Cada legislature deveri durar 3 annos
e cada sessao annual 3 mezes.
Art. 3.0 Nenhum par vitalicioou deputado, TZa-
rante a sua deputaio, p6de ser preso per aftori-
dade algnma, salvo per ordem da sua respective
icazira, menos om flagrante delinto, a que corres-
ponda pena maior. Igual disposiglo 6 applicavel
aos pareo.temporauios, emquanto neo tiver termi-
nado o seu mandate.
Art. 4.' No caso de qualquer das duas eamarsA
entender que o par ou deputado promunelado nao
dove sero suspenao, o juiz ordetari que o procesao
L fique siaiado atL6 quo as. c s earda,-
de modo que s6 no0 9ntt a anl do-
pois de fia a legis -ir ida A
,deliberagio da reVefi -i &inog
aoncluir-w. '

Art. 5." Os ppS e

IMllgt.4foLJIIII EII--


.0 Oxei e E a
bilidade- de w-<
igso Nooiad elf~ ^^i;u
uvne' exeeds,, o numero 0airsa a disposi- c
S do 4. do art 6.4a0e" lei.
,.0 Prarogm"o o d)dq c6rtea geraes,
nsWra de a dapatose e a paste 1
ilectiva da eaian do. parev, sempre que o exi- .
gir o bam do eulwdo.
S as novas ertes serilo con-
rocadas destro de m3 es e semr ter passado uma 1
sesso de igdal .pariodo de tempo, ao poderi ha-
ver nova 4iakobib.
j 3. Pordoand.amdersalo as penas impos-
Las aos r6os eoedeamdi per sentenwa, A excep-
$o dos mniistros de cstado par crirn-r3 conmetti-
nos no desempenho das sumas fnrio5es, a respeito
los quaes s6 pxiera ser exereida a prerogativa re
gisa, tendon paeeodido peti$o de qualquer das ca- r
maras legislativas. -
Art. 8. E' urma das attribiges(t do p~der ex,-
eutivo conceder, o, negar, o beneplcito aos de-
cretos dos eoncilios o letras apostolicas, c quae.-
quer outras consti:moeseeclesiasticas que se nao
oppozerem A constituiggo, e precedend-) approva-
9o das cOrtes se eoantiverem disposicao geral; de-
vendo entender se qne o beaeplacit,) se nio repi-
ta concedido sAtMa affirmAa9.ia express t do dito po-
der.
Art. 9. 0 rei nao p6de estar ansenate do rein
mais de 3 mezes, sern o conseatimento das c6rtes.
Art. 10. Sa p.tssadns 4 annas depois de refer-
made algunat artigo d t coastitui9go do reino, ;
conhecer, que esta merece nova reforms, so fara
a proposiAo per eseripto, a qual deve ter origem I
n camara das deputados, -- ser approvada p.ila
terca parte daelles.
Art. 11. Todo o eidadao poderA apresentar por
eseripto ao pder' legislative o ao executive, re
elamaqg.s, quexas on petiw5cs, e ate exp6r qual- 1
quer infrae-i sda eonstitui9ao, requerendo peran-
te a c inpeteite autoridade a effective responsa-
bilidade dos infiaetares. 0 dire.to de reunion 6e
igualmoente gtrantido, e o son exercicio seriA devi-
damente regulado per urma lei especial.
Pica por este mode substituido o 28 do art.
145 da carta constitueiorial.
A inoaiiria recebeu friamente a leitura do pro-
jecto e respective relatorio qua 6 a pice de rdsis
tawce do etual banquet parlamentar.
A imprcuad.. d4 opposieaio faz-lhe a critics, ta-
chando o dI aeanhado. Na suna quasi totalidade,
diz ella, nao serve absolatamente pars nada, neoin
&io ineos pars armar ao effeito. Urma das poucas
disposi5cs import-ntes, prosegue a critical adver
sa ao gibinete, 6 a qune se referee reforms da ca
mars ,Ios pares. E' esta talhada em molded tao
mesquinhos, que neo" respeitam a tradilao, nem
satisfazem as aspirai;(es liberals. 0 public ha
de vel-as corn indifferenqa, porque a camera em
vez de ser instrument dos governor pelo system
das fornadas, o ficara send pelas eleigSes vicia-
das que todos conhecemos.
S Comprehendemos que se respeitem as pasi-
yoes dos actuaes pares, nemo de outro mode serial
poesivel urma reforms pelos meics legacs. Mas a
nomeaeao regis e as eleiOes combinadas comno
estio forcosamente ser.o origens de complica5jea
sem proveito para ninguem.
A principal reform seria fazer perder a ca-
mara altaa o character politico, ampliando e fortifi-
cando as suas faculdades de eorpora'o revisora-
Deixar -lh todoes os actuaes attributes, eontiando
o seu recrutamento em part ao region favor e em
part a eleio'es viciosas, 6 piano que nao satisfaz
as aspirasoes liberaes, ao pass que destr6e o res-
peito peas tradiccionaes instituigces.
As dispoai9ea restrictivas do direito de dio-
soluvo nio tern vslia desde que fica libarrim os
de adiamoento.
SA clausula de s6 haver reforms constitucio-
naes de 4 em 4 annos 6 imenos liberal que A cor-
reapondente do Carta. _
f -0 Vproje.o eL pows am erro sem nenhubma e-om
prehenseo. *
As linh as quo acimassublinhei parece conterem
o pensamento daa reforms constitucionaes.
Na camera alta s6 se tern tratado de eleicoes de
commissbes e de notavel houve apenas o ter sido
riseado por varies pares do reino o name do mar-
quez de Vallada qune tf6ra post a frente da lists
pars a commissio de peticoes, fieando assim lex-
cluido per so ter tide 13 votes. E' case novo.j
Foi no dia 23 o julgamento do Sr. Dr. Se-
bastiio de Magalhaes Lima, redactor do Seculo,
folha republicans de LisbOn, accusado de ter di.-
rigido n'esse jornal, insultos as autoridades consti-
tuidas.
A natureza da caus:, a qualidade do r6o e a im-
portancia e feicfto political do seu advogado, o Sr
conselheiro Jos6 Dias Fprreira, ministry de Estado
honorario e chefe do grupo constituinte, cram de
molde pars attrahir grande eoncorrencia ao tribu-
nal. A concorrencia toi grande e a curiosidade cA
fora nao era menor. Mais urna vez a nova lei pe-
nal e a ac-io da justiva tinham conseguido fazer
reclame ao partido republican.
Ha pouease semanas, o Sr. Silva Lisboa e o sou
journal A Ern Nova oram as victims da sun propa-
ganda incansavel; ag'mra, o Sr. Magalhaes Lima e
o Setulo eram apregoados pela legislasao vigente e
pela perseguiiio insensata do governed As symps-
thias do partido ultra-democratico, que n'estes aza-
res nao perde, antes vai ganhando terreno.


Eram 11l horas da manhi quando o Sr. Maga-
blhaes Lima deu entrada no tribunal, send espera-
do ports per grande numero de pessoas, que o
receberam corn palmas.
Pouco depois entrava o seu patron, o Sr. con-
.selheiro Jos6 Dias Ferreira, e em seguida era
aberts a sessIo a que presidia o digno juiz Di:.
Manoel Celestino Emygdio.
Nos cla,'-ros do tribunal da Rou-Hvia havia
muilt povore ; a policia difficilmente conseguio evi-
tar que a sala fosse invadida alkm do que ella po-
dia regularmonte comportar jornalistas foram re-
servadas lugares especiaes.
Grande numero de representatives da imprtusa
de todas as corea political assistiram aquella im-
portante audiencia.
Ao Sr. Magalhies Lima tol dada urma cadeira,
nao consentindo o digno juiz que ell e se assentas-
se no aviltante banco dos reos. Apresentou-se
dignamente e sem ostentasgo nemr nas maneiras,
nem no toilette.
Nos interrogatories delarou que mantinha in-
teira e completamente o que escrevera no Seculo.
onde se encontra o artigo incriiniuado ;-quo nio
,-sta nos seus princiuios, nem na sua edacaao dif-
famnar ou injuriar pessoalmente queoa quer quo
seja ;-que nunca sahio fora da lei e achm-se ao
abrigo da corte coustitucional, havendo da sua
parte apenas o dcsejo de fazer propaganda das
idWas republicans, unicas que julga capases de'
salvar o paiz nas circumstancias em que elle se
eucontra, e de se mostrar digno da altissima'mis-
sieo da improensa, da estima e do bmorn conccito dos
sens concidadios.
Por part da defeza, requereoa o Sr. Dias Fer-
reira que se declarasse sem effeito todo o process
corn o direito salvo a quem competiase accusar :
t.o Pela nullidade insamnavel resultant de setdos-
tacarem passagens iseladas d'am artigo ufiico e
complete pars sobre dies dlaente sm u frrnlar a
aecetisao; 2.0 Porque nioe enudo emo todo a.
artigo ujn a palavra de offenmWapesa do rei, rsa"
iam otenteo itputao seaos fiunccionarios depen-
do peder execttieo do tpow mandado sI-
-' e. .idA..% ba o tIo Z.
Spel irdonario, ma


.. I. .
A: --1-

:-


,wAd t
tt AttlaM%^aM~^^<^




tautedo T O
:oatdin material injariewj3.e offeansva a el-rei,:
ois se exprime do se&itjW do: 0 Seot-
resta hoje nova e sincera hosenapgem o w ete pot
taesza, mandados assasaiaar no Funchal, per
irdem d, cl-rei, no dia 29 de janho de 1884;
q. AttpndWado a quo anM ifuano do pene--t
nento 4 ura da garantia mw iojadas no art.
145., f & do C. ., Beando tK4$a 6sdadao, que
d'ella se aproveita, respoavde pelos abuses que
Commecter no exereicio d'esse direito ;
,, Por estas ranges e em egaforraidado corn o
irt. 169.o da Reforina Penal, levando emi coata a
eircumstancia %ttenuante do born comportamento
do r6o, coudemno o bacharel Sebaitia do Miga-
ih;cs Lima U en m un mez de priilo un am uez die
multa a 500 r6is por dia, e mais o condleimno nas
custas e sellos.
Lisb.t, 23 de dezembru de 1581.
S(Assignado)
V .tanoel Celestiu.5 Emygdio.
D'esta seantena appaelou o r6o para o Tribunal
superior, c portanto sahbleo em liberdade para es-
perar a decisao dos tribuaes.
A' sahida foi novamente victoriada por urn nu-
neroso grupo das boas amigos e correligiona-
rioa-
Urna folha portuense faz graves commentaries
i esta nova phase por onde se nos apresenta o Sr
conselheiro Dias Ferreira e aqui niao tern side
pjucos os commeatarios A core; do caminho poll
tico par a onde aquelie estadista se vai agora vol-
tando. Vitoa para onde o impellem os insensatos
qu. .affastamn os que lhes pidiain ser uteis amig .s
o assinm se podemn transformar em series advrsa-
rios.
klea -
Mas, a insant reIorma penal quo coaretou a li-
berdade A imprensa. alargonu a lib'rdade aus g.-
tunos e ratoneiros.
A capital esti iafeatada dessa praga, porquanto
3os malandros ja drtudaram a ucaneira de segundo
a reforms praticar impunemente as suas fiaan-
has. Os gatunos s4o press, dao no tribunald urn
nome supposto e morada errada; mais tarde,.
quando a policia os procure, ninguem os eneontra
e entretanto, andam soltas no exercicio das su:1s
gentilezas.
Chegou ao Tejo o vapor Silvuertown, que con
clue o lanamencnto do eabo submarine de Teuerife
para Dakar. Vai a Inglaterra embarear minais ca-
bo p-tra proseguir no laninento centre Dakar e
as nossas possessoea da Africa Occidental
A empreza convidou o miuiterio da marinha,
( Sr. Pinheiro Chagas) e mais member s do gover-
no, funccionarios superiors, varies diplomats e
os representantes da imprensa, pars visitarem o
navio, 6 uin dos mais consideraveis do seun gonero
e vein munido de apparelhos muitos interessantes
e tudos os aperfeioamnentos quo a sciencia mzder-
no tern descoberto para facilitar a collocacao e re-
paraIeo dos caboes submarines.
Poi este navio quo lanqou urnm dos mais extensos,
o de Valparaiso. Traz duzentos homes de tripu-
1a9ao, foray o pessoai teehnico que muito e instrui-
do e competent.
Um dos apparelhos mais curiosos do Silvertawn
6 o que permitted conhecer o ponto exact onde ha
qualquer raptura oa transtorno do cabo submergi-
do.
O navio pertence a poderosa companhia India
Ruhber.
0 concessionario~do cabo submarine ptra a costa
occidental da Africa, 6 o coude de Okoza.
N'o ha actualmente um vapor dos que se em-
pregam n'este servi9o, que possa alojar major ex-
tensiLo de cabo.
Forami revaccinados o principle real D. Carlos
e seu irna'o o Sr. infante D. Aftonso, pelo medico
da casa real o conselheiro Antonio Maria Barbosa.
Ha din foram S. M. o Sr. D. Fernando e sua
qaposa a Seuhora eondessa d'Eddla, jantar a quin-
ta da princeza na Aurora, do outro lade do Tejo,
que 6 propriedade doSr. infante D. Augusto. S. A.
mandara construir ultimamente um espacoso mi-
rante naquella quinta e convidou sen pai e sua
madrasta para ihes mostrar aquelles melhoramen-
tos.
Continuam as bexigaa grassando em Lisbon.
Em geral sao benignas, mas teem apparecido ji
bastantes cases de bexiga negra ou confluente.
Urn desses casos 6 bern triste A segunda baila-
rina de S. Carlos, Sophia Baetta urea formosa e
robuasta rapariga de 23 aunos, esteve ha dias tra-
trando urna compaaheira que teve variolas, ou be -
xigas doidas,

A doente ficou boa, mas a enfermeira, dins de-
pois foi atacada pela bexiga confluente, mas corn
tal violencia, que apezar de tades os esforcos o
sen estado 4 desesperado.
Sephia Baetta foi alumna da real escola de Mi.


lao e veio este anno a Lisboa pela primeira vez,
6 urma artist de grande merecimento, muito so-
ria e quo tinha grangeado as sympathia geraes.
Falleceu de avaugada idade a mwi do talen-
toso diamaturgo o Sr. Aristisde Abranches. A
fallecida, a Sra. D. Constanqa Dragazzi Abranches
era dotada de subidas virtudes domesticas.
A comnmissao de obras da camera municipal
de Lisboa resolve proper que se conecda licenga
A Companhia Portugueza de Electricidade, aos
Srs. Cohen & C. Dr. Agostinho Vicente Loureneo,
Hermann e Rabello~de Almeida, paraestabelecerem
duos de Lisboa fios subterraneos parsa, conducio
da eletricidade destinada a illuminaulo particular.
A commission tambem proper umra experiencia
per cents da camera na Avenida da Liberdade.
-- 0 Haminlet de Ambroise e Thornaz, que se
contour ultimamente no theatre de S. Carlos foi um
novo triumnho para a celebre cantor i Tiles Deuri-
es, como tinha side a reprise do Fausto de Gou-
nod. As euchentes enormissimas, chamados, vinte
e tautos, em delirij. Dcbutou a 27, corin a Aida de
Verdi a prima dou-a B.)relli, quu \,uiz pr.cedido de
grande reputaglo c que a empreza eo-eripturou
para o lugar da insigne cantor Salla, cuja estr6a
na Africa foi min il atipiciada per um ligeiro encoin
mode nos org.ios vocae.- Aggravando-se este. a
artists julgou que era melhor r,'scindir o seun con-
tracto, visto que no tinha podido apresentar-se
perante o nosso public nas vantajosas scondicvbes
que tao merecidas ovasies Ihe tern grangeado nos
principles theatres lyrics da Europa. Fez begin.
No din 31 de outubro ultimo, anniversario
natalicio de S. M. El-Rei o Sr. D. l.uiz, abriu so
em Loanda ura cxposicqlo dv products colonials.
Foi um acontccimento muito f--tejad j n'aqueilt
cidade.


0 No coik i 511116^
maentos. *..^ i -% ;s-*'
0Sr.Peosse Allen realeio 6 J
artigos que nblica-a. JoriSd #
do B d>ogartao Ji jf| |^
glcz- '" *:' "..... 2 :-*^ -
Sob a danatieai t
rio, effectnou-&o ha bIuotdkfsf
da eompanhia deo cultural e ai. i
Mogambique, pars meolr Im-
M. de transferencia e encor por s.eia eom-
paubia coin urna anglo-pora.itga n- .t.Ota
nominal, foi cancedid*-autoriei lpr-tre "o8 ae -
cionistas presented, iwnos a direeb, am .eota
contratar comr o repl)resent-mnte dos I in-
gluzes os termnos da proposta. Em -igulida foi
approvado am vote de iouvorz e dca ii I di-
recevo, propoasto no pa-recer do eae l L
Parece que vilo seot restabel= s aa-
rentenfis de rigor para as proedcit 'qr *d s-
panha poecausa Ua rcappanigAo dtd" era na-
quelle reino.
-0 comboio rapid que se project em Paris
para comecar na proxima primavera eatre apoiella
cidade. Madrid e Lisboas, caloula-se qi fra o tra-
joeto em 26 horas.
Noticias do Porto derm bai 'diAoa o grave
riseo do vida o Viscoede de Alysviqchado.
As obras do port do LeixSes duranto a ul-
tima semana retomaram todD o-j .$-J ob. n-
te pouco se ter podido avansar n Wo longitu-
dinal, por nao o term permiti&iiiS ifar6s.
Do molhe do porte, apenas foi. Onivel avancar
trees metros correnrte. .-.
No estaleiro de Mattosinhos aetiva-t a cons-
truevio de armazens pars o fabri. *- tgamas-
sa; %
A direcco dlas obras recebeu j& o $wiro for-
necimento enviado pela Soeietr des cipseoa fran-
Vais de Boulogne str-Mer el de Esn'Mitsue usa a
marca Demarle, Lonqu6ty & C.
A empreza, em vista da importmoia 4. iwe-
cimento de cimcnto de que neces 4 mena-
toun os cimetitos do todasa as grand" 'vieas da
Europa. Quem procedes as experiesiss, foi o
Sr. Nogiteia Soatres, director da ecalisaqlo da
construqio do porto de Leixhcs, reconhecendo per
nioelhores, os cimentos daquella sociedade.
Tern dadoe lugar a diversos "omuentarios o
silencio absolute do discuieso da cor6a Acerca dos
promettidos melhorameotos do port de Lisboa,
em que tanto andava empenhado o Sr. conselheiro
Antonio Augusto de Aguiar, ministry dam obras
publicas. S. Ex. tinha tudo preparado para tra-
tar dos melhoramentos alludidos, e ate se disse
que uma das causas porque desejava retirar-se do
governor era a diffieuldade que encontrara da par-
te do seu college da fazenda (o Sr. Hintze Ribei-
ro), em acceder aos sens intentos.
Seja come fOr, os melhoramentos do porto de
Lisbon impiem-se come a obra mais urgente e
mais important das quo estio planeadas, o me-
lhiJr procederia o governor se Ihe nio tivesse pro-
ferido muitas outras de problematic utilidade.
Falleceu no dia- 4 do corrente, o ultimo dos
officials que fizers todas as eampanhas da guer-
ra peninsular. Tinha o posto de major sBerm ac-
cesso e chamava so Antonio Jes6 de CarvAiho.
0 segundo premio da opulenta lotoria hespa.
nhola do Natal sahio em Lisboa, n'um cambista
ehamado Gonveia, que tinha aberto o bilhete em
eautellal. Remetto-lhes a list geral.
As misses do gallo em Lisboa fIram muito
concorridasapesar do forte aguacero: que desabou
sobre a cidade das 9 para As 10 horeas da noite,
alagando as ruas, e fazeudo do aovb macadam do
Chiado um verdadeiro charco. No Porto, ha mui-
tos dias que chove em abuniancia. .
Em um dos proximos domingeos da qsaresma
o revetendo bispo de Bethsaida (D. Antonio Ayres
de Gouveia), pregarA novamente na Se patriar-
chal.
0 sermiaoe da publieaAo da Bulla da Santa Cra-
zada que cste eloquejte prelado pregou e a que jA
me referi n'outra misiiva, foi um verdadeiro aeon-
tecimeito.
0 congress postal realisar-ae-ha effectiva-
mente em fevereiro de 1885. As reuniSes serao
na sala do Supreme Tribunal de Justicn.
EstA jA na Imprensa Naoional todo o erca-
mento pars o anne economico de 1885 -1886 .e a
conta geral da administration financeira de 1894-
1885, que 6 a primeira que se apreaeuta.
-Foi aberto o eoncursq para o fornecimento
da hospedaria do Lazareto de Lisbon at6 ao fim
de 1890.

Consta que ainda este mez ficaria eonstitui-
dIa companhia do caminho de ferro de Salaman-
ca. Paria ease fim, part brevemento para Madrid
o Sr. Henry Burnay.
Falla-se ainda na prebabilidabte do unia for-
nada de pares, a ultima, antes da reoorfa d'a-
quells easa do parlamento. Tambem aole falta
quem pense que nas altas regibes se projects urna
recomposiwo ministerial.
Diz-se que s6 hoje o governor apresentari La ca-
maras as propostas das reforms politicas. ,
Foram entregues ha dins ao ministro 4twu fa-
tades-Unidos, e embarcaram no vapor GalickM,
corn destine a Bordeus, os irmaies Stir'cims, con-


demnados per falsos-muedeiros e eapulsos do ter-
ritorio portuguez.
0 Sr. Brito Aranha, orou largamente no
Atheneu Commercial, per occasiio de se inaugu-
rarem n'aquella associaqlo as suasr eonfarencias
annuals, sendlo muito applaudido.
Tomou posse do governor civil de Brags, o
marquez de Vallada. e do de Brsgaga, o viseon-
de da Ribeira Bi ava.
Esti constituida em Lisboa urma. sociedde
corn a denominacoio de Empreza Progresso In-
dusirial.
Tern per principal object exercer a fabricaeWo,
por meios mechnnicos de parafusos, porcas, Cayri-
Ihas e mais ountreos artigo: congeneres, bern come
outri's quaesquer products em ferro, aqo, latilo,
zinco, etc., que juigue convenient produzir.
O capital social e do 60:0004000 fortes repie-
sentadlo por 60) ac-qes de 1005000.
-- A camera municipal de Lisbp vai dar pria-
cipio is obras da Avenida du India quoe ha. d.l-
gar a Avenida da Liberdade cornm o Matadoun.
atravssan-.lo o bairro CambairrCas, bairro de que por
ora s6 existe- o terreno despovoado. A Avenida
da India atravcssa a runa de Santa Martha -por
mieio de um viaiduc-to pelo lado do norte do pala-
cio dos condos de Rdoudo.
No lugar ou l telfoi per muitos sanos a Ribei-
ra Nova, estio jA comeceando as obhrados caboun-
cAs para assentar os alicarces do ediU o ado Cot-
reio Geral. .*
Urma travessa de algaus metros de tsgz W[
eprarai do novo meread o da Ribdea RV*Zta.
do quatro frentes, a do sal, para u4 *" "0rqo
OAterroo e'a do norte, para a rua da, s
Anshba de appa r um nqlt
Populares do Bra --do Sr. -.
60a voluer do. Materiues
/Attematur=r^ s lora. S.
VoA. -V e
lnterntAna, -.'.de-
;---Ndja'k,7deq -..






















do *o id
k oj e odea o PRio, solb
w# uemr& doardo

hando doPauran oi
a d~t, izxdado pelo 10 tenente
CMO 4A. a Princosa Imperial,
-Hoje As 5 bqsdA aubia
MAi OANU 0 1 da ibsa do Arvoredo e d'4bi
3 horas. 0 PA iste sin-
;AW44pwo .4a orte do eanaltcom"Aircci.o a
s eneontro veioS A. o Sr. Conde
dsdo de act secretario major Oi-
U wvaporf tmatd, da Companhia
N a*i, ai qual tanibem pertencem
4..."* 4Zt;V t eRior de Janeiro. A's 8
'A2 4 q of a aqued, subinds a bordo
A-.. a oa deII e esen sa cretario, o presi-
lol 4 *4splwiitciBr. 4oe N raatguA, officials
di rat o terra, pesso ugradas da cidade, e o pes-
soal U1aemamisauo inglea -da estrada ,de terror D.
( SS. AA.. eutraram na lancha da capitania do
poreto cdesesubarcrar no trapiche principal da
ctdad,.oaonde estavaic os chefs do repartiqeos c
usa fw xoncurso de povo.
S9,'rm-autceipio do Desterro abrange toda a ilha
de SantaCatlharina, primitivamento denominada
pelot-ifdigenas Yjuriremirim (Bocca Pequena
d'Agu4e depoi.ads Pates por Pedro Lopes de
Souza. Cem 10 legaaus mais ou menos do exten-
sio sabre 3 na mairor largura e corro paralella L
costk, d., qual se acha separada por. tires estreitos,
tormnado dunas bahias maetodaa eomw excetleates
aaeoradouros para a maua eaquadra do mundo.
a Foi-seu primeiro povoadjr Fr.aneisco Dias Ve-
lho Moateiro, que corn sua mulher, 2 filthos, 2 fi-
Ihas, 530 inibs doinesticaL,)i, JosA Tinoeo, sen
aggregado, sua mulher, 1 fithi), 1 fillha e 2 pa Ires
jesuitas,AJl foram estabeiecer-so em 1651. A co-
Jonia, pardm, ulo vingoui, e a doabV de Pedro L)-
pes de Souza foi em 1711 coat as terras continen-
ties a&ajeutc2 a dcvolvid. ao p.atritnm io co.mnuin.
Foi de 1748 a 1752 que comeuou a coloaisacao re-
gular da ilh deoSanta Catharina. A parochia foi
(lievA"iLL a villa a 26 de mna.rc, do 1723 pelo ouvi-
dor de Paranamua Antm.io Alves Lanha Peixuto
e A cidade pola carta rcgir de( 20 de marco de
1823.
0 0 municipio da capital atravC3osado de norte
a bul pjor atn. eadeia de (0rinro e eta certa part
por duas, offerecendo declives suaves e formando
embaixo planieeis lindissimas de um e outro lado.
Tern umi bellssimt a lagA c rios do potqueno vo-
lume d'anaa, comno o R-itoines, Itacoroby c Tava-
res.. As costas ato miuito pincosas e abertas em
bahias e enseadas, que offerccem abrigo As em-
barcicm..- acassadas plo mnio tempo.
( Produz farinha de mandioca, mnilho, ainen-
doim, batatas, assucar e products de canna ; mas
todos cteos products d- pequena lavoura e;tao
sondo substituidos pelo ca1e, que estA send plan-
t:ado SSS. AA. logo que desembarearam dirigiram-
se para i residence di Sr. teunte-coo:omel Villeli,
onde se lispelaratn. Pouco depoi3 sahiram c fo
ramin asistir ao Tc-Dents inandado cautar pela sun
feliz clhogAda e prosper viagern a esta provincia.
Relativamente A exeirsito quo fez o Sr. Condc
d'Eu pelo iut-rior da provimncia do Parana pas
sand) p:ira a de Santa Catharina, posse hoje di-
zer que S. A. patio dr cidade da Lap:a As (lO ho-
ras da cianiha do dia 10 do corrcat,t acompanhado
i-d jr~ r Oliveira Siitaos, eonsclliciro Alves de
Armi ij e a o gheiro Daniel Iorminger. Logo ao
sahir da Lapa a estrada atravessa a divisa das
agus dos rios Iguassi e Vargem o acornpanha o
var le u d1 nm affluent deste ultimo.
Darante on primneiros 11 kilometros a estradiL
corre p'lrl'ullh am In contraforto di referida divisa
form-ido do gr-3s verm-hllt corn paredoes muito in-
gremne. Atravessa em geral ate ao kilometro
cainpos de Criacao e poucos capes de matt de pi -
nhciros. No kilometro 22 apparece o rio da Var-
goen, sobre o qual ha urma ponte de ceres de 300
utvr')sc de extens-o, eujos terrenos marginaes se
again mquaud,) ha enchente. 0 rio da Vargem e
afiueonte da rnargcin direita do Rio-N -gro.
A., encontro de S. A. foram eerca de 80 ca
valleiros, que se aehavarn postados 4 kilometros
da villa, no Ribeirio.
Chegaram os careos A villa do Rio-Negro as
4 horns da tarde dooreferido dia 10. Diversos ares
estavara levantaios mas ruas, nos quaes se ham
inscripcoes e saudau5es.
,, Na catnara municipal um vereador, o Sr. S r-
turnmio O. da Silva, recebeu S. A. corn um breve
discurso, que agradoa a todos. Fallaram tambem
o Sr. Bruumg, professor do urna eseol" allema, e
a altisia Elisa Kos-rtz, e cant:mram urn hyinco as
minsiii;m. e os m.ninos. S. A. seguio depois para
a faz.ucle do t'otreiro, pertencente ao Sr. Antonio
Iticardo dos Sanuto, etijo caminho estava ornado
de arvores, arcos embandeiradon e ornado de ian-
t;mr lsaS a giorno.
c, N din 11 patrtro S. A da villa do Rio-Negro,
fazendo a viagem ate S. Bento a cavallo, acom-
paihadmo, altm das posses que form da cidade
da L'lpa, pr muitos cavalleiros atA main de macia
leoga do distasois.
c( A daas leguas e mmia da villa c)nmsa o ter-
reno a smabin ast o eeapgAo do Bugre, divisa~das


aguas don rios Lane e Negrinho, ambos afluen-
tes do rio Negro. Tantoi a suuida como a deseida
para esto espiglo, qoe A umn contraforte da divisa
La1s aguas do rios Negro e Itajahi, so mrnuito in-
gretnes, palo que A neeessario andar -a pass.
,, S. A. almogou na casa do Sr. Nicolaio Hack,
umn dos colonos da antiga eolonia do Rio-Negro,
que v'ierna da Allocmanh% em 1829 por virtudo de
um contr.ito d) BuIrIo de Autoaint corn nosso go-
verno. Na casa do Sr. HLeack ha um pequeno bu-
gre botocudq, que f.ji apanhado no mate, ha tres
annos, nito Lugar denjminado Estiva. EAts bugre
cstA sendo ,riado na casa do Sr. Felicio dos San-
tog, e A afilhado do cx-presidente Carvalho. Ainda
falla e cauta na sun lingua, e corn elle tern teito o
Sr. Pelieio estudos praticos da lingua dos botocu-
dos. Mostrando S. A. desejo ctuvir cantar o pe-
queno bugre, este grunhio um canto monotouo na
sun lingua aeompanhando-o eomn um balancear
vagaroso de eorpo.
Continuando a viagem, chegou Sun Alteza A
estrada de rodagem que vai #o Rio-Negro a S.
Bento. Nao estando concluidos os pontilhboes, foi
precise percorrer ainda a cavatto 3 kilometros para
chegar aos carros qae tinham vindo de Joinville.
Sua'Alteza entrou no primeiro corn o Dr. Brns-
tlein, director das colonies S. Bento c D. Fran-
cisc.t. Chlggando A primeira poueo antes de 7
horns, ft i Sa Alteza rocebido corn todas as do-
monstraees de regosijo. As casas estavamrn emn-
baadeirdaos e eaifeitmdas cotn folhas de palmaeras,
ct., e.Sua Alteza hospedou-se na residencia do
negociante Karl Kamienski.
a A eolonia de S. Bento offereee agradavel as-
pecto E'- edifieada no valle do rio S. Bento, e as
casas se acham. o a A beira do rio, ora em cimna de
amrea colia. Ve,-se que nans easinhas -ha o ver'-
dadeiro bemrn star. A eolonia tern peas 9 1/2
annon de vida e foi fundadp Vela companhia eolo-
nisadora -de Hamburgo. Tomt ains de 5,000 ha-
bitantes .estabelecidos em cereal 100 () kilomnetos
sa*dos. On colon es eattivamvaNao, feijio, cp-
-eio, bitatas, etc., e bern nasim arvores fructlfetra
e Srojaa de todaas qaidades. *A' uoitoe ouve
a Nlo dia 12 Saa Alteza, azeompaahado do major
aaew aonenoiro i iagori WMdo, aw
AW d nAsA atm


=riejtsrvr sisaB*ovictral datl~abia*, per-
ate a&S. Duque de Asmale e distave 4
Iiloaetros de Joinville. Este engenao edifiado
a margem eque do rioCabatia tom actual-
mente eapaeadeipa moer mts d4e 50 tonetaas
de canna por d*a e ecW 0oi tgiento de poaeos
apparelhos, pr il ate daa moeondas, poderi
trabalhar 100 tonela#da. J1 t about suna safra
desate anno .e pr pama o earvo animal 'param o
gasto.
Depois de examiner todos os appaelhos e oS
deposits de assuear, Sun Alteua retirou-se para
aeidade, onde visitou-a escola do curso secundario
do Sr. Bac, as seolas publieas a cawgo do padse
Bogershuunmeo sali- e a fabric de cerveja do
Sr. Kuhne. Lste aalio 6 destinadb pars bailes,
tern urn paleo muito regular para sepresentaqoes
theatres, e, finalmente. serve pars as sessoes do
jury, sendo par isso cedido polo proprietario. Sun
Alteza visitou ainda a fabric de pilar arroz do
Sr. Germano Lopper, vea reeuaria do Sr. Fer-
nando Lepper. Ambos estes estabeiecimentos slo
movidos por vapor.
( A' noite Sun Alteza reeebeu a visit pelo Dr
Engelke que leyou comaigo una pequena boto-
cuda apanhada ha um anno corn mais duas no rio
das Corredeiras. A menina fall allemao e j' es-
qaecea sua lingua maternal ; e muito engracada e
parece bern 4ntelligente. Ao despedir-se de Sua
Alteza disse-lhe, fazendo graciosa mesura; Adieu,
Conde d'Eur.
SNo dia 14 foi rezada uma missa solemne na
izreja matriz; depois Sua Alteza foi visitar a ca-
mara municipal e embarcou As 2 horas da tarde
no vapor D. Frawiusa pars a cidade de S. Fran-
cisco, soneado muito saudido polo povo.
a A's 4 horas chegou Sua Alteza Aquella ci-
dade, que o de agradavel aspect, e lago qne sahou
em terra percorreu as r ias, visitando a matriz e
torre, hospital de caridade e camera municip:d;
continuaudo o seu passeio depois do jantar, visi-
tou outras ruas e um engenho de moer arroz. Em
toda a parte viam-se manifestacoes de regosijo.
A's 9 1/2 horas na noite Sua Alteza e seu secre-
tario cin')arcaram no vapor Humnaltd, e seguio
para It;jahy, onde chegou as 6 1/2 horas da ma-
nha do din 15. Foi bonita alli a recepAo Sua
Atteza foi 'A m-atriz, onde houve cantieos e exposi-
,Vlo do Santissimno Sacramento.
Visitou a camera municipal, as mesas de ren-
das provinciaes e geraes, daas escolas publiceas e a
e ideia, recolhendo-se a c;isa do Sr. Antonio Pe-
reira Liberato.
f A. bordo do vapor Progrpsso Sua Alteza se-
guio viagem para Blumenaiu As 10 horas da ma-
nhU. Nessa viag.in de i-se un desastre do qual
resultou a inorte de unm minusico que corn cutros
dous ia n'uma can6a para Itajahy afir de tocar
na hora da ehegada do Sua Alteza.
0 vaiper e mutinuan lo sea viagcin chegou A
freguezia dth S. Pedro Apostolo, em cuja ponte de
desembairque havia inuita gente.
Sua Alteza fbi A capella provisoria e A matriz
cm construcaio, erecta em um outeiro que doenina
today a !ocalidade. A igreja A feita em cruz no
sen interior, espacosa e elegant. A torre 6 cen-
tral, de estylo composite, predomrnando o romnano
c o -othico.
0 vapor seguio viagem para Blumenau onde
chegou As 5 horas da tarde. Alli muita gente,
honmens e mulheres, como crianas, formnando
grade prostito a cuja frente se via o parocho, re-
cebeu Sua Alteza corn calorosos vivas e encami-
uhou-se para a igreja, onde houve canticos, oracao
e music.
Sima Alteza visitor a camara, quc funccioni
emrn elegant edificio.
v Hontem (16), As 7 horas da manhit, Sua Al-
teza, acompanhado do sea secretary, dirigio-se A
igreja eatdolica, ondo ouvio missa, find a qual
visitor diversas escolas e fabrieas, o hospital e a
cadeia; depois, seguindo no vapor Progreso, che-
a Itajahy As 5 horas da tarde, e, depois de jantar
em casa do Sr. Antonio Liberato, deu um pas~eio
pelas ruas, que ertavam illuminadas; voltando
para boodo do Humaytd as 9 horas da noit co par-
tindo para a cidade do Desterro, chegando As 3
horas da minanh emi frcnte A fuotaleza-ie Sdmots
Cruz A espera db paquete Rio-Grande,c q ne cou-
duzia S. A. Imperial e seus filhos. Encontran-
do-se os dous vapors, form trocadas sauda5es
entire elles, navegando nambos para aqui. ,


REVISTA DIM IIA
Quatro aibertacees Tantas foram as
que no dia 26 de dezembro proximo passado con-
ferio o Revm. padre JasA Rufino Gomno Pacheco,
vigario collado da cidade do Espirito Santo de PAo
d'Alho, restituindo A sociedade os seus escravos
Narcisa, Virginia, Ursina e Juvenal todlos moros,
robestos e prendados. A aecao do Revm. vigario
e tanto snais louvavel quanto o seu estado de ce-
gueira, pobreza e avanacada idade, davara lugar a
crer que nao dispozesse agora da scan escravos,
ultimos que p.ssuma.
0 que porem de main tocante ha no caso, es-
crevern non d'alli, A que os libertos, regosijados e
agraducidos pars uom aquelle que pars elles an-
tos fern p:i extreoeos, do que senhor, promove'am
em honra do son iremfeitor urea festa que, modest


emb6ra, toraou-so impcnente, send a primeira
que, propriamenteo em none da liberdade, present
ciou esta cidade.
o Reunidos tod)s, offereceramn ao Revm. vigario,
no din 6 do correint,, um profuso e lauto jantar a
que cominareccu grande numero de pessoas gra-
das e farnilias. Durante o jantar que, comecado
as 4 horas da tarde, prolongon-se ate 7 1/2 da
noite, foram trocados muitos brides, reinaaio a
maior hormonia e cordialidade.
a Ao jantar compareceu tambem graciosa e ca-
valheirescamente a distincta e amestrada banda
musical PAo d'Alhensc, queo fez ouvir muitas e
variada3 peas do seu escolhido repertorio.
P Foi uma festa simples porem expressive; e
dando parabens ao distinct libertador e aquelles
que em sua honra a promoveram, fazemos votos
pars que seja o exemplo do distinct sacerdote
dignamente imitado.

MaiM duas manuamiMJes--O Sr. Fran.
cisco Ribeiro de Britto, solemnisando o' anniver-
sario do sun illustre consorte conceded liberdade,
serm onus algum, aos seus escravos Jose e Maria,
perteneentes ao soeu casal. E' mais'urn acto de
philantropia que, corn prazer, registamnos em nos-
sas collumnas.
A Moda Illustrada-Para a respecirva
ageneia, A run do Barao da Victvrma n. 9, chega-
ram os ns. 142 e 143 desta revista de mnoma, de
15 de dezembro e 10 de janeir) correate.
Os larapioas-Eates indastriososja noite de
8 para 9 do corrente, em numero de 5, derara
.uma asoaltada A casa de resideacia e estabeleci-
mento commercial do Sr. JosA Felix dos Santos,
no povoado do C xangA, arrombando urma porta
para pod.rem catrar.
Estavam todos rmada4-defaceas; e dirigindo-
ao quarto em que dormia o Sr. Felix dos Santos,
ameaqarat A este e sua companheir A de merte se
gritassem, e os. amarraram bern como a urn casi-
ei ro nmenor. -
Pei -istooijatitamar ao Sr. Felix qu e 4esia-
die'ase ond e tihia o dinheiro, e apoderaramui
do 26511,O ta que havia em am, el-
varama mais diversas pecas de {f.idas, toa".


des provinces. Chroniqu pariasien. Ad. Des-
P )rez. Revae liaaoit-rO et- eactioa da
oeaf-. b aia deLl C. beiro de Sou-
za, tl r H-irigable ,'ci MM. Ch. -enard et
.age ma*W- doe Opat. Ad.
tsprez. (Suit et fin). a Colonisatlou du Sad-
Brei1. Mouveme matle. Annoaes, etc.
RowRe Su a- .lmeaie--R~ualemos de
Paris o n. 5 qwnzenario litico, financsiro
e commercial don paizes latiaa da America. 0
seu sunmario A este: /"
La situation politique dTh31sr, par P. &. La-
masn Lear6lede l 'arm4e argwtine; rapport du
general Victorica. 'I4publique doUrug`uy, par
P. Antonini y Des. a I Y ,de, la Plalt, par
Daniel Munhex'. La gLa tieu ag'rare s deRiva.
davia, par Andr6s Laas. Rio do Janeiro, par C.
Allain. S. Latino-Amntiemana, par G. Gtzman
CharitA et patriottasme. Courier d'Airique. Re-
vae 6conomiqae. Revue finanueidre. -Corespon-
dance. Arts, sciences et fits 1Wres. Mouve-
inent maritime. Annonees.
,Guia pratlea do eidad Jurado-
Corn este titulo aeauba nosso eolega do Lidador,
folha da cidade da Victoriat, Br. JosA de Oliveira
Maciel Rego Barros, de publiear ali um livro, que
muito until sera para os juizes de facto.
Agradecemos-lhe o minmo qune nos fez de um
exemplar do seu livro.
Beuniaes eiaeo Hlahoje as seguin-
tes.
Da Irmandade de Nossa Senhora do Bom. rar-
to, em Olinda, as 11 horns da rnanhi, para elcigao
da nova mesa regedora.
Da de Beaneficewia Italiana, A hora do costume,
para tomada de econtas.
Da Melpomene Olindense, As 10 horas da dia.
paras eleigio de sonu novo eonselho administrative.
Amanha haverA as seguintes:
Da Soberana Loja Altianfa, a 7 horas da noite
na rua do Imperador n. 14.
A more apparent -- Traduziaos do
Temps de 4 de novembro do 1884:
,, Result d'um grande numero de observac5cs
feir-.s na Italia, depois da invaaio do cholera, que
os easos de more apparent alo maito mais fre-
quentes nesta doenca do que em qualqaer outra, e.
isto se explica sem duvida polo estado de emacia-
cdo, rigidez e insensibilidade em que se acham
logo mergulhados os desgracados atacados pelo
flagello.
Um case notaveli, que acaba de dar-se emin Ge-
nova, e aeonteceu corn umrn dos principles medicos
da cidade, o Dr. Cauepa. Accommettido do cho-
lera pela inanha, chegou em poucas horas ao pe-
riodo algido e A tarde pareoeu cessar de viver.
a Dous colleges, que o estavam tratando, de-
clararam-n'o morto, c as disposig5es habituaes fo-
ram immediatamente tomadas pars as exequias,
sendo mnarcadas para o dia seguinte pela manha,
as 10 horas.
c, Os oncarregados do en'terro acabavam de che-
gar corn o ataude e de pol-o na sala p: oxima do
quarto em que jazia o doutor, e oade elle estava
exposto entire quatro toehas, quando a port deste
quarto se abrio de repente e o pretendido defun-
to, apresenrtando-se em pessoa, perguntou corn ura
voz cachetica porque tinha.n deixado passar tanto
tempo sern Iho dare n remedies. Os fuaebres con-
vidados so eclypsaranm.
Chamaram os medicos, que depois de teerem
feito deitar o doente, praticaram- lhe a operacao
do hypodermoclyse de Pacini Mas ja era muito
tarde: o desgraqado deaetor morreu no mesmo dia
e desti vez par a semnpre!
c Um de seus colleges se dispoz a publicar uia
list de tedis os mortjs apparentes, assim verifi-
c0dos no curse da epidemia eholerica. Em um
certo numero de casos, o doente podia ser sal
VO. )
Cuidado, senhores Esculapios se o cholera para
cumulo das nossas desgraoas, tiver de vir visitar-
410S.
Deglutaeao de cegca de 140 aga-
lltas-Relata isto o professor Wide :
E.- urm cao impaprtAat- que dt.noastra mua.
vez mais as extravagancias do hysterismo.
,, Uma rapariga de 25 annos, hysterica, eurada
de rheumatismo articular agudo em 1882, foi ata-
cada em 1883 de dares vivas no joelho direito.
Abaixo do joelho vio-se um tumefacgAo escura em
que se percebia a cabeca de um alfinete. Depois
descobriram se-lhe outras tumefaceea iguaes em
diversas parts do corpo e principalmente non bra-
cos, no peito, no abdomen, pernas, etc. Em sure-
ma tiraram-se delia 65 agulhas e 6 pedocos, e em
janeiro 110. Finahiente a joven confessor ter en-
gulido ciaco maacos contend 140 agulhas.
c Um case semelhante foi nanrado par Herbold
(1882) e se tratava de uma rapariga de 14 oanos,
sa, a qual em 1867 teve colicas, hysterismo, etc.
Em 1819 appareceram-lhe a superficie do corpo
abcessos numernose dos quaes form tiradas 273
agulhas; em 1820 apresentou-se-lhe urna palaly-
sin no brano; em 1821 foram-ihe extrahidas dessa
lugar 100 agulhas, Jfinalmiente em 1822 no hos-
pital se lhe tiraram ainda 32. a
Extravagancias humanas!

MiMeiel1anea Mezger A o nome de um me-
dico que tern adquirido grande fama na Hollanda,
ua Sueeia, na Austria, na Allemanha e na Russia.
Tern 56 annos ; e, nAy dos,,jando coatinuar a lu-
crativa profissao de seu pai, que era carniceiro
em Amsterdam, doe icou-se A emedicina.


Habita um sumptuosissimo palacio nas margens
do rio Amnste', e d'alhi mesinmo faz as receitas. ..
que nao enriqu.cem nos pharmaceuticos. 0 Dr
Mezger submette toiJas as doancas ao system dc
massage.
A massage eonsiste em dar corn os n6s dos dedos
e corn as maos continues pancadas e fricpSes na
panrte enfernmni, ait que s- proJuza umna reaccao,
que de certoin mado agrad-ivel. 0 doente, passa-
dos dias, expernimcnta um eerto mcansaco, prove-
niente desta sova, que certos dias se repete duas
vezes ein 24 h.ras. Dopois roquer-se descanso
absolute e recomn-cga-se do novo, termninando o
doente por fazr urnma curta via. cm.
Slo notaveis as curas que tern feido de desloca-
boes, pairalysias parciaem e absolutas, rheumatis-
mos, oct. A imp-ratriz da Austria, a rainha da
Sneeia, os grand duques da Russia, principles rus-
so$, allemaes e austriaeos sahiram-lhe das mros
singuiamnnnte alliviados dos seus padeeimentos.
Mezger possue uma for una de muitos milhues
de fl)rins, adquirida por este simples process de
bater ou mandar bater na gente quo esta doenate.
Fizem-se acmualmente em Berlin interessan-
tei experiencias sobre a tranafusao do sangue.
Colloea-se o doente n'um ap )aarlho em que se di-
minue a pressao atinospheriea
0 que se saerifica, dando o seu sangue, A metti-
do n'outro apparelho, em qae se estabelece uma
pressao do muitas atinospheras.
Por causa desta differenca de pressao, a trans-
formagio faz-ae por um simples tubs sem auxilio
do bomb.
A introduoaeo do ar no sangue A, pois, mais
fail de obviar. As nmuadanas de presado fazem-
so progressivamente aos dons apparelhos; intro-
duz -se certa quantidade de sulphureto pure, o que
activas a circulac+o do sfagse e facility a trans-
fusio. -
0rei do Itsla 1i a Tarin pcra inauguraro
uovopmdeCO MaHoriziano para o qaal dora um1 mi-
Sad.- up&Blda foi aexposi8.l9, odo, nesge dia,
tnw a .ios de 60:00 pessoas i
- U pi nao de 4Bffalo Aprat o le tima.
oi acow aw rOie do a e e uateaba dr.


1"4.29
2.906
S41. 2T0

3, 8

45.443
20: 661
12.001
29.705
30.3t5
11.928
4.314
29.685
34.692
46.183
9.965
13.792
27.873
3T.135
33.5:11
1.053
3.902
648
36.891
10.155
14.915
40.347
34.729
3.997
1.346
41.710


125.09
.50.000
2.50000
i50.000





50.000
50,000
250.000
5io.ooo





50.00
125; ODO
125.000




50.000o
50.000
50.000
50.000
50.000
50.000
50.000
50.000
50.000



20.000
20.000
20.000
50.000
50.000
00.000
50.000
50.000
20.000
20.000
20.000


,OM7 8
35 M35,

27T4





20.117

26.136
20.940
33.045-
42.061
35.088
28.644
44.821
46. 149
13.0S3
1.27Z
18.33
825
8.927
14.291
14.293
22.905
22.907
41.269
41.271
16.466-
16.468


llinsas funebres--Serdo eelebradas :
Segunda-feira :
A's 6 horas, na igreja da Penha, pela alma de
Jos6 Ferreira da Silva, as 8 horas Ina matriz
da Boa-Vista, pela de Joaquim Machado da Cu-
nha Cavalcante; As '7 horas, na matriz da Boa-
Vista, per alma de Joaquim de Souza Baptistaa
as 7 horas, no Carmo, pior alma de D. Frantnsc ;
Maria de Figueiredo ; As 7 horas, em S. Fran-
cisco de Olinda, por alma do capital Innoceneio
da Cunha Goyanna Junior; As 8 horas, na matriz
do Cajpo Santo, per alma de Americo Antunes
Dantas.


Pr~yado ix'30 A
.a: ma c deia, ra.soa iodosn t MI h* 7
Ikee aala s a.aass easoapie$ .a aruw^ .foipprvad&a
Io dos name-, dosi umL ierW aikaproeialo do p io. P F-soa leitura do seguito
defa q se 3# O0liejos:
+ttt ^ il'^^ ^ t |l : ... /. to mut ....si^ ^
00M novo Piao mmuito van- Tr dIa junta dos orrectore a-r a, .
"' ETAf 1 Ose bilo te aes 0' d 3 da"o da For- e81dedezembro, dando, eiena 4 o *auw ,4 s


20.Oa00,s e adan novajunta; no 3-, de3do corronto're



S20. 01 ta, d.rua daIndependencipe.s.a7 39. ruia ca a soeguinte I s
I*Imez ; noc2 decado oe unlu


20.000. Merc&ad Iumeaiipale -S. 086 0 diario e eopiador de teaeira Monteiro &c C.,e-
20. 000 lovinento deste estaboleeumento no dia 9 de piador de Manoel Cola A C, diano d erire
20.000 an eiro foi a eeguinte -Barbosa & C., diari 'de Amantes u C., dia.io da
i Entraram paraperem vendidos : 33 bois, pesan- i Domingos osf Ferreira & .
20.OW do 4,396 kilos.
20.000 m0 mesmo dia entraram para omesmoes- P oetices S
20 0001 tabeleteaeInto: De Moanhard Hubert .C., adiada na preceden-
S 00 Peixe,r 426 kilos. te sessdio acornpanhada de um additamento pa'
'20.000 Farinha, milho e feijo, 50 eargas. que janem arehivados e publiecados os estatuto da
20.000 Fructas divermsasa, 27 ditas. companhia deo s eguroes da Prussia, que estabee
20.000 Suinos, 5. uma agencia nesta praca. Haja vista o Dr.filu-
20. 000 Camneiros, 4. cal.
0 Pre-os dos dia: faDe Alfredo Alves MNartiBoequa e Pt
20.000 Carne verde an600, 400 e 240 ris o kilo. lo proparioaal o e c .adi a do ,n4 p d
20.000 Suino a- 600 ri)a kii0lo. 24 de janeiro de 1884 da desciptua antia-
20.000 Carneiro a 14 idem. e do dote que celebrara com D.,Rba~araI
20. 000 'arinha do 500, 400, ale 280 rAis a cais, I Leo, pede pam que seja ellia roegistrada, diL
I Milho de 480, a 320 r6ais a euia. rando-se no registro que fra iapreentadae 2I
20.000 Fijode800, e 500 id do s ditoans mez e anno; e q 6ago sa apresAt
20.000 Poram accupados: porque tendo-lhe Asido ipsta a peoa de rev"l -
20.000 47 talhos de came verde. darao teve de recorder ppara o tribunal do T,| s-
50.00() 15 diton de sauino. ro, que den provimento so recurso coma eonstUA
S 100 ditos de fressuras. dia rio official de 10 de outubro ultimro.-Regiatre-
0.000 36 compartimento s de fandha e cmidas. se e publique-se de conformidade cm o parecer.
35.000: 70 idem d e legumes, i De Adolpho & Ferra para que se regiate a
35.000 Deve ter sido arrecadada nestes 2 diis a imporn- nomeaose eiro dsencaieir tJos GomesFaria Fil-
20. 000 taneia de 1785120. i Registre-ee.
0. oi multado em 10 e suspense por 8 dias o ta- De Bento Alves Maehado Guimarees e J
20.000 lhador Joio Francisco de Torres Bandeira, por Ferreira para qoe s archive oa contrato de soeie-
12.750 fraude na balance. dadhe cm noie eollectiy d que oelebiram p eoba
35.00 70 dem!d figrea.De d olph6 Ferreia&C, ) co qu 0 r iatal4..


12.750 atadou public For abatida firm d Jos Ferreira & C., corn o aital de.- -.
no mnatadouro publicoda Cabang, para consume "8:637o555 para o commercio de chapkos de arfe
no matadouro pablico da, Cabanga, pars consume d


do dia i do janeiro, 83 rezes. ...'."."usK"" j IAn o LUuo, nu10 pLay, a esw
Caa de ,betencAo-Movimezito dlos re- Bareo da Victoria n. 15.-Archive-so na f6rmada
sos no dia 9 de janeiro : lei .
Existiam press 379, entrou 1. sahiram 2, exis- Do Vieira & Silva' pars que se de baixaamoe-
tern 378. I gistro da nomea o de seus ex- caixeiros Basilio
A saber: Marques da Silva Guimarles e Joaquim irfio
Naciona 347, muher 6; strange 14 Correia e registre-se a de JoJo Avelino de Alaei-
Naeionaes 347, mulheres 6; estrangeil -)s 14, id ao-Jeun e.rr.- eeia
escravos 11.-Total 378. da e Manoel Jesuino Bezerra.-Defeida.
Arracoados 357, seudo : bonds 343, doentes 14. De Henrique Gnilha.rme Stepple, correetorF.,m--:-
-Total 357. ta praga, apresentando nova fianca. -Registre-se
Movimento da enfermaria : e archive-se.
Tiveram baixa: A's 11 horas e 1/4 da manha o Ihim. Sr. com.
Joao Ferreira dos Santos, Cosine escravo de An- mendador president enoerrou a sessa'o por ado
tonuio L. F. Lima. haver mais nad'IA despachar.


EII I A ~mais fundamnento que ostas; e de mnais 6 sabido que elle
IKJE IUX LWIL deixa muitas vezes de atacar ruas immundas, e nto pou-
pajAmais a falta de liiupeza doinestica, observaAo sti
Choer -- or usque indica jA ser este servioa mais util quo aquelles; e
Cholera- -M orbus por isso 6 just que, ao menos, a limpeza particular ande
___ a par da limpeza public ; ellas tern o mesmo fim ; ellas
dd do o memo resultado o melhoramento da saude indivi-
ledidtas prevetivas dual; fazer-se, pois, urn e deixar-se no esquecimniento
._ outro, consentindo que uos quintaes e nas cozinhas fiquem
REMXINISCENCIA DO CHOLERA EM PERNAMBUCO demorados dias, semnaras, e mesmo mczes o que so cha-
NO ANNO DE 1855 A 1856 ma cisco-mistura de todos os restos do uso domestic,
6 uma hygiene irrefleetida e pessima.
Infandam, Regina, jubes renovare dolorem Aecresce ainda quo o cisco das pracas e sempre ba-
nhado polos vents, deseccado polo sol, e levado pelas ea-
Medidaspreventivas contra a in- churradas; entretanto que o cisco dos quintanes e das co-
vasao do cholera; limpeza public; zinhas estA confinado, serm vuntilao.Ao, serm sol e sem luz,
visitasdomiciliariasmuniceipaes; visi- por isso melhor favorecido para as fermnentaOes, ori-
tas domiciliarias medics, cujo resul-
n tadoduve ser reservado; organisaaio gem de miasmas.
Sdos meios de caridae; appello a to- A municipalidade, que ternm o dir-ito de obrigar os
das as classes; corn particulmidade a proprietaries a terem limpo o exterior de suas casas, do-
classe medical; plane geral das me- ye tea tambem o poder doe exigir dos moradores a lira-
didas preventiva- peza do interior de su s habitag5es, e dos seus quintaes.

Testemunha ocular dae pidemia do cholera que in- Unquintal limpo e ben plantlado, e urma cozinha cneeia-
vadira eata provincial no anue do 1855 a 1856; tendo es- da 6 j um importatissio saneamento, capaz do lutar
tado A test da Commiss'ao de Hygiene Publica Proviso- e veneer meitas das infraeges hygienicas individuaes.
ria (1), sob cuja direcAo correram todos os trabalhos que Do Mas, comro e spoderA obter a limpeza domiciliaria ?
Ihe diziam respeito ; medico clinico, se bemrn uue obscure Doe mosmo nodo qu so obtee a limpeza public. A mu-
na arte, na sciencia e nas altas sociedades finalmentenicipalidade, por intermedio de seus fiscaes e guards fis-
no obstante ja so term passado 2 janoiros, conserve de sustentar perinanente inspect em todos os
ainda vivas em meu espirito as imnpressoes dolorosas em quintaes, eem todas as cozmhas, lois e .asas trreas de
que vi submergida minha patria natal, cujo lucto ento {pequeno valor, em quo morarem operarios asaalariados,
?oi extenso ; sua desgraa immenaa ; enormes seus sacrifi- em cujas habitao5es se encontra mais vezes esta falta de
i e o ;I sa d g i a ; eo rm *s s hygiene devida a falta de recursos.
cios : e vendo hoje quo talvez so viao repetis- ainda as hygen devid a alt do rouss
os" eondo oje que talvez se vo repetir ainda as Em acto continue podem estes mesmos agents exa-'
mesmas scenas do dor e do lucre, quo t *i protundamente minar o estado dos canes de esgoto chamados de dray-
me tocaram, nao posso deixar de exclamar corn o poo- 0 ,g e fa
Stoar posse iar d e aar onago, e fazer effectivas multas contra a companhia, logo
ta latino -Infandum, Regina, jubes renovate dolorem. o eo is uta c aso compirsa, lg
Entao eu fiz o qae pwlade em beneficio da patria, ja quo virem que esta no satisfz s s s co prmisos,
come medico, jA com homern social; bserva5es me- dando fail esgoto as aguas sujas, evitando as filtraieos
dicas; estudos aturados; tratamait to de doentes; historic pelas juntas dos canos e porosidades dos mesmos fora do
apa, etc e sisolo, e sobretudo quando nao fornecer abundante quan-
da epmdemia, etc. etc., e sempre quo pude, nao dei as idd d g, u d o i e n'st rome
udopiouiao ^ i itidade d'agrua, que 6 o mais nocassario n'este ramo de
costas aos afflictos, governadores ou governados; se me limpeza. o
na~o pediarn, eu tambemn a~a me offorecia, porem, semupre limpoza. j
no podiam, outabemao me offrecia, porfm, sempr E para quo servem o0 engenheiros fiscaes d'esta-e
ou quando de mim so embravam, a ecusa jaais veio d'outras companhias se nao para fazeor cumpr-r os com.-
me ao pensainonto, e reezbia o eucargo, e o trab-dho comn i .i, r.I
me ao perasiuonto, o re.-bia a m eargo, ea trabasho corn promissos d'estas estipulados nos seus contractor?
o f e proposito dedonempo l-o com todms as foras A municipalidade dove fazer publicas estas infrac-
de quo podesse dispor. g repetil-as todos dias, se assim for necessario ao
Mas, como hojia vejo que se vai fazeado o contrario es, e reptil-as ods o dias, se assi for necssaro ao
-~ interesse publieo."
do ue entco so fez, unua verdadeira antithese, sou forgalo A par desta inspeco municipal deve existir uma
a az~r urea reeord-tao de tudo quanto da mais essential ,*- ~ '^ i
a fazr urns recordac"to (o tudo quaulo do uiais Osnei-1 A outra desp ta aspecI .-o medical o fim de ambas
foi feito medicamente durante a epidemia do cholera oUtr inspoe ipo, -eza inspaudeto pmedbica,; masim dos ambas
Iito mosm a limpeza e sande publics; -ins os oeis
n'aquella 6poca, nao s para min asticao, om s bern differences, e por isso nao dove urma andar con-
para advertencia d'aquelles qua quizerem fazor alguoa fandida crm a outra ; e para quo com ur a t iignalo i-
cousa seria em beaeficio da patria, dta sciencia, e em seuqem abas em extremadas, ehamaNess- &a rexae
benefioio props-i corn mais aces-to o fnndamenono."[qe ma enete.d kt i r
beneficio propo dco en mais acerto e fund oento., vista domiciliaria municipal -de cujos agents efins jA
A Menepao de doum do.umentos orundo.s, um dastratAmos; a outra serA desigaada corn o nome de -visita
Camara Munigipal, e outro da Inspectoria da Saude Pu-!domieiharia mediea-,da qualvamos agora oeeapar-wos.
blica (2) espalhlados gratuitamente a mAos largas polo po- OS ageates destas vsitas domiciliarias sao os me-
ve, nada mais eacontro, ou nao sei quo se tenha feito' dieos exolusivamente; seau fim 6 tinicamente pnerenir e
actualmente, outrosa nesta provincia em beneficio de sun olestias e quano a estes agents se d outro fim
ppaoaeaada d nova invasochole-a, molestias quado a ete agnes sd outro i
popl o, aieaada dei nova ivaso holeca, o que nao este, se infringe suas prerogatives, e so Ihes di
novo morticiio epidemic. attribuioes as vezes offensivas.
No Diano de Pernambuco numero 19 1agrosto -
(r 0' V ramaprorogativa imedico, sere exce~p,I algua,,
1884 -l-se o seguinte em officio dirigido ao Consul da o segredo inviolavel em tudo quanto elle soubd r e re-
LaIapolo inspe.-tor drm naudo publics: jasg-d nilvte aeqat i aba a
ualia p nsloc iinspeeltor dsa saudp i pubsca: conhecer no exercieio de sua profissio; ninguem, grande
S iuanto asprodvioleacirelativas a p-remunir esta Ion pequeno, ternm o direito de exigir d'elle a revelaglo
cide dinvas do docholera-morbus, diroi qu o go- d'esse segredo. So medico a cabeecira do et doenote
vorno imperial tern tornado todas as providencias, ordena- reconhecer o assassin e o assassinio, declare emente
do jiervios importantes do saneamotos pablicos, d'esta -este individuo morreu envenenado, inmas onu no sei
proviacia, o de outrsas que d'eLlas ttan mais urgent n- quem foi o envenenador, etc. Assim pois, quasdo exa-
cesidade ; e po4e-se mesmo dvzer qu'e tern i as suas pre- minaudo seas dofntes v8 porcarias amontoadas, estA no
w alom dopnecesario. a guin sen direito nao denmncial-as; sen dover 6 este; suam is-
So ato pareesse ociosa poder-se-hia fazor a seg sin 6 prevenir e'eurar.
tpe wta : oido etao todas estas providencias tama- It peado este de. so ea ar tabem
S e os services importautes ds saneamento? ec a res i
?plaaera, qmuin~o pequ~.to t sbidoquo~ ~ d'aquelle outs-o, as-lie dA u:'ra attriknzigo offeusiva, ptr-
naa s oe t porqm-toc sabtdo quo denira quanta, public e3 joral poueco ou muito lito- )e 'vi
^ t aaetern feito, ^ que provideaw _nenhuma "r ) S^aemdco .^d^
macin so oegiettoonar; par sso quoitando, na quprida.o i.e medioo, o h.el. .r.- ^
so ~.r ti~d cants-eu +porcmari, as, ou quo, vuiul a sa
taa aguns quarters, ruas daiSi. N. aB -a cninha m
Sd ag ns is,-per um q faz do que da lelLe 6 urn m .c x e
qua aA Isiado qusote ae ha feito, nao mere- rea seba ..-t


P'fesiaa ag.
~ ~Irapoi ono moniba do outs-as medidas do blie erdaiW

er nwput dn rs Da. ti.le s t


Is














1K


Am
I

El













































* s-
'. 'X







.
$ .




L


A.L
M.J




jaseimk
* V Af tB~f

Jaaeir

"-Qtbio sobre o Ps
sobre Lond
obiobteo Pm
S i 60, f d/

7' Th


eonardo Bodirigues,
Preaidente. Alpiste = Retalho a 5;)200 por 15 kilos, coin
d. da Mott, 10 per centode desconto.
decretario. Arroz da India== Retalho de 35000 a 35100.
Azeite doce. = Retalho de 165000 poi cada
L f*XM IRCIAL lata, com[5 gales.
Bacalhio== Deposito 10,000 barricas, retalho a
k do S a 10 de 195000 uma barrica.
Batatas em caixa==Desattendidas.
.'* de1'88 Ditas em gigas= Retalho a 25100 25200 cada
uma, corn 10 per cento de desconto.
ark 30 d/v 5/8 per cento de Carvio de pedra=Ultima venda de 225 a 24-
urma tonelada.
dres, do banco, 90 d/v 19/16 Cemento.-=Ultimas ve -das 61300 1 barnica.
Canella= Retalho a 15600 um kilo, corn 10 per
wi, 15 d/v 1/2 por eneto de cento de desacsto.
Cerveja Bass= Retalho de 115 a 115500 uma
por cato de desconto. duzia.
h 1/2 por cento de pre- Cebolla== Retalho a 200000 a caixa, corn 10 per
cento de descouto.
ChA=Retalho de 1500 a 35000 a libra.
eM umaeheaeu Cominhoe.= Retalho de 154000 por 15 kilos.
Herva doce.= Rstalho de 16A000 os 15 kilos.
Naums vendasde 515000 per Farello de Lisboa= Retalho de 48300 a 4S400
per um sacco,
f 1,467 saccos, venda. de Dito do Rio da Prata = Retalho de 454OO
IM0Who median, 6J400 de 4J500 um sacco, corn 10 por cento de descooto.
06. -Farinha de trigo. -= Deposito 7,000 barricas.
d. 46,192 saccos, vendas sos -Retalho:
A americdana, de 215000 22f a barriea. A de
r de 3.& sorte, 2-100' a211700 Triestre -e Hungria, de 26A000 a 285000 cada
a de 4." sort, de 1800 a um baTrriea.
Sdito Bmen.. a.7~700 Ketosene=Retatho de 35300 a 3J400 a lata,
-eolm Lo Iloa iagleaa= Retalho a 350 por eent suobre
W W oJ 16 klos. 0 famtara. -
-0 brt eg- Mmam italianas.= -Retalho de 9500 a caixa.
0 m9td900 # franem a& b arria= LtaB o 940 a
a.l 1O e316lIO Bm i eam lat". taiho dos 00 a 15400 a
-5Qa ]LOW& bra,


.. .-. ...."


4o public
Par convite do Dr. Bettencourt accedi a fazer
sociedade corn Josed Soares do Amaral, socio da
firm commercial Soares do Amaral Irmao.
No dia 10 do dezembro passado foi em praga a
pharmacia Galeno que o Sr. Amarat arremato" per
ntervencao do Sr. Leite, corn loja de moveis na
ruan do Barito da Victoria. Estti enao'part a a
Casa no dia 11 do mesmo mez e. o Sr. Lute se di-
rigio passado dias a pharmacia, passou recibo em
none da firm Virgilio Lopes & C-, recibo que o
inesmo Amaral levou para lavrar a escriptura em
form I, fimnaar a sociedade, e assim ver se restabe-
lecia o descredito em que corn existia.
Pclai maneira do proceder tanto do Dr. Betttnn-
court como de Jos6 Amaral eu fiquei logrado em
todas as promessas feitas. 0 Dr. Bettencourt e
Josd Amaral exigiram immsdiatamente a mudanca
do firm da portsa central do Bettencourt & C.
para a de Virgilio Lopes & C., e depois dd algum
temple quando viramn que o mnu modo de pensnr
Ina atiuxiliariam os bonds designios destes senliores,
foritim ter corn o Sr. Leite, fizeram-lha passar o
recibo para novo individuo e o Sr. Leite na boa f6
passou garante o Sr. Amaral, que este modo do
proceler nio abusar da mninha boa f6-o public
e espee;calmente o eomincrcio que sabe o quie so-
ciedade veja entilo o que 6.
No din 8 a noite recebi ordem termninantc de
Jos6 Amaral e Dr. Bettencourt para fechar c en
tregar-lhe a chav3. Emn virtue deste modo de
proceder (o commnercio s&rio o classifiqae) ; aviso
todo e qualquer ind;viduo que sobre a. couafianca
qut ftazia da firma Virgilio Lopes & C., torneceu
(|usalquer genero ou uterisilios, se dirijain tuto a
Ur. Betteneourt comoo a Jos6 Scares do Ainirual so
cio da firm-a commercial Soares' do Amnaral Irmaos
p-ira recberemin suas importancias, pois que s aio cs
unieos proprietaries, salvo a passagcm de u.n ter
ceiro recibo de venda.
Pernambuco, 10 de janeiro de 1885.
Virgilio Any9sto Lopes,
Pharmannceutico.


Saiba Deus, o diabo e todo o niundo
S os conservaidores do Rio fizeran inul em he-
gair o exemplo d.ias lii.-raes, subtrabiuao as actas
do 3 district; e muito provavel quo d'ora rava-
te st emendem para deixaremr a gloria s6npnte Hi
sels tuitage'4stats. '
S 1i Sa aM Uns terati da epe'4.


Agradecimento
0 abaixo assignado, soffreudo hia Ion-
gos annos de estreitamnento da urotra, (ju
Ihe privava campletamente a evacu;s'I.
das ourinas, tendose jA sujeita-do a diver-
sos tratamentos, imas sc in resultado van-
tajoso, resolve se a recorrer A percia e
philantropia do illustre o habilissino mie-
dico o Sr. Dr. Carlos Betteneourt, o qual
nao enxergando etu in ais do quo o reco-
nhitecimento e a gratidio pplo benefieioque
por venture in e houavesse do prestar, visto
scr pauperrimo e carregulo de faumilia, i.t-
tendeu s6rnente nos dietames do seu be-
nigno coraglo, c praticou-me a operatIo
Ido alargamento da via ourinaria, por mrnio
-arisia= Ittah at 300[ a30wis


u UIf A uule A ~ aii ombranuosa), em sessao do galvano-chimi- q
x KUD lu ca de 3 minutes corn 16 eihmentos do3 ba-
I-*--- -teria de Gaiffe. CURAeO.
-_ *^IP-Ia ef uglea XIV Dierese de estreitamento do tire-
J- 'a- das operates praticadasplothra (atresia congenita) pelo electrolysador
Dr. Ca, Bettencout, no trimestre pas- do Jardin, corn 20 elements da pilha. -

d fish ae fistulca d perna direita, CURADO. Pa o vesical aspiradora coin o
----a _2,datando de XV Puugo e p
P do ucera chronic, datando d spirador de Diculafoy, reelasada, por es-
a annuao, na regilo postero-externa, plo troitamento infranquivel da urethra e re-
hIturi, corn m ntbnesia local pelo apparo- tento de ur ina. Empregou-se a agulha
IRdeTerrillod. CUADO. n. quo foi implantada a 2 centisnctros
E Diatao doe estreitar, ento da urole- acima do pubis, dando sahida a 55 centi-
fira, da fossa navicular, pela electrolyse, ir d un fi H-, ds tivemos no-
[litras de urina fetida. H-.L dias tivemos no-
an sesslo da 15 minutes, comn 20 elements ticia desto doente ; dopois da pueg$o elle
da bacteria galvanica dce Gaiffe, pelo pro- p6de eontinuar a emissio da urina pela fis-
esao de Jardim (do Pariz). CURADO. tula perineal. Brevevente operal-ohemos
M-Orlatomia a bisturi pelo process pelo process de Mallez, visto achar-se
do Gu6rin, neeessitada per elephantiase do obliterada a urethra. -CURX PALLIATIVA.
.]epucio. CURADO. XVI Dilatalo de estreitamnento da
IV-Dierase de estreitamento da uri- urethra (porito nombranosa) pela del
I a de potao membranosa pela electroly- trolyse, em sessio do 10 minutes, coin 14
m, em aedelo do 6 ininutos corn 14 ole ye mssiod 0mnts on1
emtosa de 6 .galvnica.nuts corn 14 cle elementos da pilha gaWanict. -CURADO.
Status da batea.galv a. CURA Nota-Este doenta havia soffrido a ure-
V-Dilataglo de estreitarnento da ure- trotomia interior pelo processo de Mai-
dwa da porgAo mombranosa pela electroly- sonucuve c a dilataiio rapid progressive
m, em sesslo de 6 minutos com 10 ele- te Lefort, a primeiora feita aqui e a outra
mentos de pilha,- CURADO. no Rio de Janeiro, reproduziado-se em
VI Dilata~go de estreitamento fibroids aibos os eases o estreit:rmento.
da urethra a 14 centimetros do meat, era XVII -Punca a troeater eon hylro-
sasio de 7 minuutos de electrolyse, corn 10 .ell eu ext n e" do 3 centilitros d.1
dementos da baterin electric sem dor. liquido citrino. NAXO CURADO, por nto se
WRADO. empregar o process par a cura r.dical,
VII-Dierese de estreitameuto da ure- a pedido do doente.
thra da porcao peniana, pela electrolyse XVIII-Dlatao d eseitamento da
jam d6r nem hemorragia. 0 doento s urethra -DILata aro doestro-bitba pelnto danovo
aehava atacado do retenlo de urinas. roeesso de Jardino perim se-bussbaro de 5polo novau
CURADO, tos de esslectrolyseJardin, em 12 elemeso do a b-
VIII-Dierese do estreitamento da ure- tos do electriaolys, ma2 elenentos da baDO.
tira da por9to peniana e regiaio prostatica, -se,i segundo a esta.istica ain, que
pa4a electrolyse corn d~ir, ein seessto tie, 7 W Vso, Segundo a estatistica aciruct, quc
mai eletrolyse ser doDr, n sess o de o maior nunero do operates foram prati-
Mutos pelo process do Dr. Jardin. c adas e asos de estreitamnentos da ure-
I -AD s thra. cm nawucro de 13 parra o triihcstre
IX-Ampntacao do penis pelo process e dosetemrbro a dezembro; tendo praticado
dlipsoide do professor Guyon, distinado a 40 opuraqces do clectrolyse cm utu aIu0o,
prvenir o estreitamnento do novo meato, de jaseiro de 84 ajoueiro de 1885. Toos
zoclamada per cancro phagedenio da glan- opera frm curados a cp-
O os weus olperados foram curad-os ,a exeep-
de, tendo destruido toda a fossa navicular. do q'te v t para pr.oceder a di-
sonstituindo um hypospadias inoperavel. lataio pelas sondas da series Genyon..
CURADO. Brevemente daremos A luz as observa-
X-Dilataglo do estreitamcntos multi- 9es inextenso de cada inlividuo operado
pios da urethra, polo novo process do Dr. electrolyse, observa(oes qune sera
Jardmin (de Pariz), em sess.to do 8 minutes a'mpanhadas dos eonpetcntes commen-
de electrolyse corn 12 eletnentos da pilha. trios.
CURADO. Dr C,'los Bettencourt.
XI Dilatac.o de estreitamnentos fibroi-
desdaurethra (pQrgqes meinbranosas e pros-
Utica) pela eleetricidado, ea sessilo de 5 Gratida"io
minutos do galvano-chimico. CORADO.
XII Dierese de estreitamentos da ure- AO ILLM. SR. DR. CARLOS BETTENCOURT
tSra (fossa navicular e porcao perinco-bul- Fago public o incu reconhecimento para
lar) em sessao de 10 minutes de electroly- coin cste distinct medico a- operator.
we, corn 16 elements da pilha valvanica. Soffrcndo ha longus minezes de uina feri-
CUR4DO. da fistulosa de mA earacter na pcrna (direi
XIII DiWlatagto de estreitamento da ta tendo recorrido a mais do tnu clinic
wthra a, 16 centimetros do meato (porqao desta capital seo resultado, foi-me inliea-
-Mel- Nominal a 45;0000 nuna pipa.
fc] El.R l ~ Milho= Retalho de 45 a 50 r6is por umi kilo
.. (i(da. provincia).
Praa do Iteelfe, 10 de Janeiro Pelles de ecabra = Vndas de 50 a i60 num
cento.
de1 8.s Sal do Assd.== Ultima venda de 800 Irs. os 100
Aa taps horas da tarde litres.
.utafees ofliiaes Seho--Nominal de 84500 per 15 kilos.
-Algodlo do Aracaty, la sort, 8.4400 per 15 Solas= Retallio do 3.000 a 53000 per urn mcio.
kilos, hontem. Villas stearinas -Rctalho de 700 a 900 reis,
Dit9'de dito mediano, 75400 per 15 kilos, hontem. corn 10 per eento de desc ,nto.
"]1 de dito 2a sorte, 65400 por 15 kilos, hontem. Xarqne do Rio Grande do Sul.-= Doposito de
?.olros salgados seccos. 6t0 r. o kilo. 20,900 arrobas, retalho de 5.4400 os 15 kilos.
"iambio sobre a Bahia, Avasta, 1/2 0/0 de premio, Generos estrangeiros
do banco.


iBuCsitamiu=l>)- 2 a I
Idem de 10


;OISlt LADO PROVrtIC AL-
Idem de 10


tMCivi DRAINoe-i),
J1.-m de 10


211:873A573

) 8:5740101
1:9621260
10:536A361
-De 2 a 9 84:593.256
12:992957
97:58613
2 a 9 1:2241830
61A937
1:2865767


ALTERA(AO DA PAUTA
Para a semaana de 12 A17 do janeiro de
1886
Algodlo em iaman. 493 rs. o VlUo.
Alfandega dc Pernambuco, 10 de janeiro de
1884.
Os conferentea,
Antonio L. M. Amorim.
J. da Costa irne

DESPACHOS DE IMPORTA.06
Vapor allemie Hambwyo, eantado di Win
go eescalasno dia 9 do eo se a a
5 arga do 1-
B^ fetnamm &a., a: ,% A


Pranaes Geomeamra
Alfredo da Canha Pereira Brandko, approvado. D. M irta Amelia Cavalcante, approvada plena-
Francisco de Barros Cavalcante, idem. mente.
Espiridilo Buarque de Lima, approvado plena- Francisco de Pau.la Cyaneiro Caalcante, appro-
mente. vado.
Fabioe Rino Filho, idem. Diego Salomonio A. M.iraubhio, idem.
Reprovados 2. Joio Pacheco de Queiroga, idem.
g. llez Joao da Costa Ribeiro, approvado plenamente.
Jos6 Coelho da Silva, approvado. Manoel de Barros Bezerra Cavalcante, approvado.
Francisco do ePasula Seiva Junior, approvado pie- Godofredo Moscoeo da Veiga Pessoa, idem.
namente. I Cicero Martinm Peosoa, idem.
Ga'par Mienezee de Drummond, idem. Manoel Ephisio de Queiroz Moutcir% idem.
Ayres Gama Filho, approvado. Irinenu Eraamo P. Jutuca, idem.
Jos6 Nogneira d Soua Filo, approvado plena- Lycurgo Nasbal Pamplona, idemn.
mente. Jos6 Marianne Carneiro Le4o, approvado plena-
Jouio Olympio Theodoro da Silva, idem. mente.
Octaviano de Siqueira Cavalcante, idem. Victori -,no Rigueira P. tidc Souza, idem.
Franciseo de Paula Gonoalves Cascio, appro- banoel Gonalves Lima, approvadlo.
vado. Jcaquiai Audre Benticn, appiovado piln ancente.
Thomaz Lins Caldas Junior,. approvado plena- B-rnardo Saitnptio, approvado corn .distiuscvi.
mente.I Al(gelbra
Florencio H. Carneiro Lemo, approvado. D. MAr-ia Amelia Cavaa,,ate, a!provala co:n dif-
Irineu Erasmo P. Jutuca, approvado plenamente. tincto.
Josa6 Marianne Carneiro Leio, idem. Joic da Costa Ribeiro, approv.-to.
Reprovadoa 5. Manoe! da Cssta Ribcirj, idesn.
La liim Bernamlo Samsipaio. approvade pletninente.
Joaquim GuedesC. Goadim Filho, approvado pie- Irineu Erasno u P. Juttuea, apprva-iJo.
namente. Ie tumo
Octaviano de Siqueira Cavalcante, approvado. Approvados eoal distinc lBraz Carneiro Leaio, idem. Approvados pl.,-asmente 51
Francisco Gomes Parente Filho, approvado pie- Approvados 70
namente. Total 127
Thomaz Lins Caldas Filio, idun. Tev ota- l 127
Espiridiio Buarque de Lima, idem. | Iuetnprovadoi 25.
Manoel Ephisio de Queiroz Montesro, approvado d )eixo de meaeioar nesta lista, por ignorai o
g _.t uI ... ..... s .. -_ I-ps uu ..se .Vs


corn distinegao.
Fabole Rino Filho, approved: plenamente.
Firmino Antonio de Sjuza Vianna, idenm.
Lycurgo Nasbal Pamplona, idem.
Jos6 Marianno Carneiro Leito, idem.
Epaminondas Leite Chermont, approvado.
Ulhetorica
Alfredo Mameliane de Castro Qauintaes, appro-
vado.
Francisco de Paula Seiva Junior, idem.
Gervasio Pires Fioravante Ferreira, asipprovado
plenamente.
Joio de Carvalho Soares Brandao, approvado.
Theophilo Torquato de Araujo Saldanha, idemn.
Joaquim Jose Correia de Araujo, ideinm.
Antonio Gitirana, idem.
Heraclio Gitirana, idem.
Jos6 Gitirana, approvado p In-imnate.
Lnin Augtt! U'urnoiro- o 4.Albuquerque, appro-
vado; *. '
Alfredo A. Gaim, approvado plenaumente.
Caetano Correia d.- Quciroz Moiteiro, approvado
Manoel Guilberme de Athayde, idem.
Jose Candido Dias, idem.
Riymundo Cunha, idem.
Manoel Ephisio de Queiroz Monteiro, idem.
Rcprovados 4.
Geogratphia
Jos6 Nogneira de Souza Filho, approvado plena-
mente.
Francisco de Pr:ula Seiva Junior, approvado.
Luiz Jos6 Burlamachi Monteiro, idem.
Alfredo Drummond, idem.
Antonio Miguel Nogueira de Soiuza, idem.
Arthur Cavaleantoe de Abuquerque, idem.
Juio Luiz dos Santos, idem.
Godofrede Moscoso da Veiga Pcssoa, idem.
Aristheu Pinheiro de Mendonua, idem.
Julio Pires Ferreira Sobrinho, approvado plena-
mente.
Thomaz Lins Caldas Filho, idem.
Firmino Antonio de Souza Vi.auna, approvado.
C. Farinha-2 barricas a Guilhcrme Spieler. Fer
ragens 20 volumes a Decio A. Rodrigues da Silva'
14 a Nunes Fonseca C, 3 a Vaz & Leal, 1 a
Silva Alves & C., 1 a ordem, 6 a Ferreira Gaima-
rses & C., 2 a Otto B)hres successor, 3 a Sulzer
& Koechliu Lupi lo, 1 caix:L a Soires d-' Amaral
lri:.,-, 2. A urdecla.
L;v3 1 uax4," J 'c X.gast, dos S.into- & C.
juW,. 1 caixa a A. L. Gai,ni'es. Livroks 1 cii
xai 't urdem.
Nlnnrnore 5 cAsx,its ordemin. Moveis 13 voin-
rwe r or,.Imin, 1 a I. [cters's C. Maciiiun 1
c.ixA a Mailoel Joaqudiimei d Miuda. Divts do
c.,st;.ra caix's a V Halihday & C. Merchdoi
rita iveresas 1 volume a Joiu- Clristiani & C., I
a F. Ii. Carlsi, 1 a J. Krause & C, 2 a W. Halli-
d6y & C., 13 a ordem, 3 a Oliveira Bastos & C.,
I a Francisco Lauria & C., 5 a Antonio D. Car-
neiro Viannai, 4 a Augnsto FPernandes & C., 7 a
H. Nuesech C., 2 a Wilson Son & C., 3 a N.
Campos, 24 a H. Petersen & C., 40 a IR. de Dru-
sina & C., 1 a Victor Neesen,- A a Jose A. dos
SantDs & C., 1 a T. Coimbra & C.
Papel 14 fardos a Antonio Pereira da Cunha, 2
a J. C. Levy & ('., 12 A. ordem, 30 a Ferreira Ro
cha & C., 2 a Cobta Kedeiro, 4 e 1 caixa a Jose
Augusto dos Santos & C., 1 C.ixa a F. X. Ca'its,
1 a Casimiro FernaLUes, 1 a Ferreira G(uimmracs
4L C.,1 a X. Paterson & C. Parafina 5 caixas a
Casininr Feraandel. Provisoes 2 eaixa a Suilzesr
&Koechlin. PhOnla 5 caixas a Juaqlim D.
Simoes & C, 5 a k.S Pinheiro & C., 2 a Sul-
zer & Koeektiu, 10 a Fernaud-'s & Irwaio.
Seanente 1 caixa a Antonio P'ereira da Cu:lia.
Tecidos diversus, 1 cI la a Frandcsco Gurgel
do Amaral, 1 a Andrade Lopes & C., 2 a Cramer
Frey & C, 6 a Befnet & C., 2 a Rotrigues Lima
& C. I1 a D. A. dos Reis, 1 a Souza Moutinho
& C.
Vidros para espelho, 2 caixas a Jus& Augusto
dos Santos & C. Vinho, 2 eoixas a H. Paterson
G., 6 a J. Christiani & C.
Carga de Lisb&A
Cal 40 barricas e *6e Peixoto da Fonaeca.
LCouervas 20 caixas a a rancisco Ribeiro Pthto
Vinhe 29 pipas a Souza Basto e Amorun & C.,
-2 e 10/5 a kancisco Ribeiro Pinto. Giaaries,
17 e lOI0 aJos6 Fernandes.LUM & 0.

19 o au~


grao Ude approvai-u>, o noine (to hr. UitanlU ou,-
r -it de Qiueiroz Monteiro que fez exame e foi begin
succedidoem latim, inglez, gcegra)phia c arith-
inetica ; begin coinome do Sr. Lrmurentino Antonio
SMureira de Azived, qu.$ tez ex-ine de francez,
inglez. latim, arithmetica e rhetoric, mias enjo
resultalo n'to me foi communicado.
Juntando o resultado dos examncs do Sr. Caeta-
no Coireia de Queiroz Monteiro ao resuiltado ji
couhnce.do tenmos :
Approvados 131
Destes 16 terminaram o curse de preparatonios
e matrieularam-se cm diversas taculdades do isn-
perio.
Recife, collegio Dous de Dezembro, 9 de janei-
ro. de 1865.
0 director,
JosA Bandeira de Mello..



Externato


Sexo femeniio
Rua do Visconde de Goyanna (antiga
do Cotosello) n. 139
Abrir soi h.'u no din 7 de janeiro proximo vin-
douro ;Is ai; l s As :;itcr.T-s ':cccionadas constami de : Primneiras
Lettrast. 1'6rt'guez, Francez, Geographii, Pia-
no, D.t-:rhis Piutura, Flores c todas as diversas
especie ide tr-tbalhos d.-, agulha inchlsive bor.ai
dos a coo-o, a eera a froco, etc. As materias suprit
sao Ic.cion.lts per prufeiorcs legalmnente habi-
lit(a1, R- cebo- se tarnbem aluunuos do sexo mas-
colino i1 a idade de 9 annoa. Ha duas classes
de aluniunos, mneio pcnsionistas o externos.
Clementina de Carvalho l4,ares.

Para H;inbairgo, Borstei&nan & C.' 699 fi-rdos
corn 120,350 kilos do algodAo.
No vapor inglhz Dalton, carregou :
Para Liverpool, Borstelm'n & C. 2,000 saecas
eom 13,619 kilos de algodto.
--N n '.t-.C '.mo ?l .11.'"i Eel'-tesf, c-'rr-zm :
Pars .'R.io d:i Prata, A:nornm Ir!ai3,s & C. 10
batrriica- con 12,l265 ki)s do assucar uiascv-adj c
27) dit :;s oCn 3,558 ditos die dito brinco.
Para o interior
= .N.- v.por sacioi ;1 MMarbiho V'ico,ale, car-
regou :
Para }llhia, M. C. L'4rss Vinoa-t 6 barris corn
1,1 0 I,'eos de Ine!..
N y ipaeiuo loreguense Amtiriaud, carre-
gou :
Para ) Ri o Grande d Sul P. de Souza Mar-
tins 200 sacoos corn 15,000 kilos de assucar
branco.



MOVIENTO DO PORTO
Navies entrados n,) dia 9
B.! iann-e-54 dias, hugar americano Marion Hill,
de 21'. toncladas, capdntiLo F. W. Annstiong,
equiipa.igeinm 7. carga ti;nha d'& trigo; n Henry
Forstor & C.
Buenos Ayres-.28 di.s, barca americana Mary
G. Reed, dt 556 touel.tdas, capit;la H. A. War-
ren, equipagein 10, ein lastrp; a Henry Fors-
ter A C.
Santa C:tharina-18 dias, brigane ingl.o ?Iary E.
BliMo do 188 tonelid.is, capitol M. F.AIIIiug,
equipagoam 8, ern lastre; a Robilliard & C.
Rio Grande do Sial-26 das, pataeho dinanarquez
Express, de 150 toueladas, eapitio N. Hansen,
equipagem 6, cm lastro- 4 ordem.
San Nicolas (ilepablict Argentina) --35 dian,
birca ingleza Lewis M.Lamb, de 380 toneladas,
capitol MI"4" Williams; equipagem 11, em las-
tro ; A orL..
Hamburgo e escalas- 42 dias,- vapor allemao
Ei y de 1,284 toneladas5 o<|aanlante K.
Ia^ ipaIam 37, earga ,ris jeaero., a
Porstbsd Me ba
fig=-ou -


SOCIEDADE PORI OBS







2-LARGO DO COM .M.*.'t O- 2
Maichina superior, syatema Sier e
Whreler & Wilson. .
APENRF O ASA
PRE3IIADAS El! TODAS AS 8
I^


-P.1ilTAF.~ -- a a


\


Sahidos no nwmo dia


Maceii6-Pat.ieio amcriecno Waubum, capitio C.
H. Welch, em lasto
Montevid6o-Lgar Maglez Lord Erodegar, copio
Iobert James, eurga nssucar. .
Liverpol-Brigue noraegnense AlUor, epi*.L
I.abhln, carga assncar. "
Bahia e es aa-Vpor naCeinal -S. Frmncu,
coammandaute ik J4 Pereirs, carga varic ge-
B&TOS. 'fa.-" = ,-A ,1
Bahia-Vap.r aM eia Hmanbda, eommam&3WasK

--

40 'armmI if
*W'T

-." -.-.~:
-5-.


4






']


Sardinhas= Retalho de 800 a 3:0 ris a iata
de quarto, conforme a qualidade.
Toucinho de Lisban.= Retalho de 10,4 a 146
os 15 kilos.
Vinho into de Lisboae== f talho de 200000 a
c 2204 tuna pipa. Dito da Figueira== Retalhl,
da 2202A a 23-0.4 iiam pipa. Dito d19 1'orto, ein.0c0i-
xas Retalho do 9.5000 a 40), uina caixs de 12
garrafas.
Xarque do Rio iLa Praca. =Depoeito em 10,500
arrobas, retalho d.- 7-5000 a 7i200 parl.5 kilos.

IENDIMENTOS PJBLICOn
mtz 4pi la neiiro i ,4 :' 155
DB 2 a 9 180;012At:71
Tdemt de 10 31:861U502


,r


- a '


.-1


S. .'


Edital a....
0 administrator do Consulado Provincial av.a
aos coutribuinutes do imposto de roparticao por
classes, sobre induatrias e profiss&es, a que se re-
fore o % 26 do art. 1 da lei n. 1810 (oramento
vig'nte) que nesta. reparticao eomega no dia 1 -
de janrieiro proximo future a eobrauga A becca do
cotre, do mesmo imposto, relative ao 1- semestre
do exereieio corrente (1884 A. 1885), devendoesta
teorminar improrwgavelunote no trigesimo dia util
nos thermos do art. 42 do regulamento de 4 deju-
lho de 1879.
Consulado Provincial de Pernambuco, 24 de de-
zewbro de 84.
Francisco A. de Carvalho Moura.

Syml i0tzf PfinMlbucoa0

EKi 3 de Janeiro de 1885
Pihl ierct;aria do Gy.nuasio Permabucano, e
dA ordemin do Rvm. Dr. regedor, se declara aos
que pals de familiar e a quem mais interessar possa
no din 8 do corrente inez abrir-se.ha o anne
lectivo pra os salumnos d'aula prinmaria, nos ter-
mos do art. 185 do rejimento iuterno de 19 de
abril de 1876, approvado pela lei provincial n.,.
1497 de 10 dec junho do anui'iile.4S&L -- .
o0 institute recebe alumuos cmi trees cathegorias
couforme se acharn divididos pelo eitado regimen-
to : pensionistas on interuos, mineio pensionistas e
externos.
Os pe.isi.mist'Rg residirao no institute, tondo di-
reito de ebtuar as mnaterias prescriptas no pro-
gramiimia estahiblceid, a ser alimentados sadia e
abundautementc, tratauhus em suas cnfermnidades
polo mr dico da casa, ter ruupa lavada c engom-
mada r.-gulartnentc duas v, Zt-s por seinana, ca-
belleireiro senipre que fr neceseario e banho duas
vezes per setimant -
Os meio- pensfonistas 'se npresentario no.esta-
belecitnento nos dias lectivos, As boras em que a
aula so abrir, e dcsde cutito at6 s,8r encerrada A
tarde, serao eqniparad.,.s aos internIos, qnanto Ros
rstudos, alihintawAo e recreio.
Os extern-,s s6 tern direito as li eU eexpli-
caqces do- respective professor. -
A ponsito dos interns 6 de 400$ e a d meio
pensionistas de 240t, paga pur triimearcsadian-
tados niA secretaria do mesmo institute.
Os externas, por6w, aIa pagarfo.
0 secretario,
Celso T. Ferimndes Quintella

Edital I. 38
3a praca
De ordem do Ilin. Sr. inspector se faz pubieo,
qua as 11 horas do dia 12 dj mez corrente, serA:
vendida em leilaio, no trapiche Conceicio, aiter-
cadoria abaixo declarada :
Armazem n. I
Marca M&C e contramnarca P, 1 cais n. 12,
v.nda do Havre no vapor franeez Ville do Cear6,
| A-ibou~ osel poto o brigue prtugu.e TMo,
que d'aqui mahie.8 de corrente, p'r s e char gra.
vemente doente do estomqi_ n s .-I capitueo. .
A barca ingl za Ahwaf.i, arribnu a este port,
por encommi ,dos do capital r seai destino 6 B ihi:a,
BIanra. e .
Navios entrados no din( 10

ilio de Jau.;iro-18 dias, bsare; ainmericanaWai-
lrce, de 613 toueladas, capita'-t John M. Uolhack,
eq'up:sgenm 10,Om lastro; a I Lun'itxenz. C.
!iBen.s- Ayres-35 ilias, blrc.t americaiiA DeJap.
iu, dtie ol i tJmt.ld s, capitiw oL C. Hill, cqui-
p.-guin 10, inm t stru; l' ordem.
luenus-Ayres 22 diins, barc.t a.ierieaia Treiwnnt,
de 459 toneladas, capitAo E. H. Limver, equipa-
gem 10, em lastre; A ordeim.
Rio de Janeiro-21 dias, barca norueguaeuso ma,
de 548 toneladas, capitilo H. Shongarardo, equi-
pagem 12, em lastro; ait ordem.
Ro de Janeiro-2J dias, barea sueca Pepita,. de
247 toneladas. capitio Al. 8. Pahlsson, eqqipa-
pagem 9, em latro; i ordem.
Rosario de Santa F-r-.30 dia, barca americma
Benjamin Dichernan, de 4 1 toneladas, aupiao
Jassah W. Cook, em lastro; a Henry Forste,
& C,


/ ,




a.. -
'9


-"^ ^B nr rn it a di srguro bdo
, ^l^^'* iios 4qa 7'..o corcspnd
"--*': "sea d o <
C. nn t pettll nufa
-ei a$ "enqu de 3es fics mar.
I1 dPtaroi daqnla data,
Sr oa, ercecio dt- su:,s
eueo ,ublies de Peru .mbu-
S -. X. see retarilo,
vehtin&S. de Amaujo Galvilo.
~ -iaiasuia eqitativa de seguros salbm
I
"~a U-.+n,,idts, da Vqua|st 'o eorrepon-
.... "4 He,,ryFrster & C., eat..
'divisgo, pmprs pagar o imposto
eaes-3.2- siemeptio do c.rrenmt, ax,,r-
44d4Sa' efneiM de .38 fA97.
!do Consulado Provincial, 7 de j;anciro
de 1885 .=O cl-fe,
J. X. C. de BarrnesCampelto.


AssseLaVAo mixlta redeflptbrua dos
eaplivom e protector dos loge-
De ourdern do II m. Sr. president, sao convida-
dos, pela terceira vcz, todos os senhores socios,
parsa W ass.mb,1ea geral, no dis 13 do Porreatc
se eleger nu.nva directoria, ficando desdc jA iu-
teirad.,s que so rosoiverA couin o numnero que cornm-
parcer, tend,) cm vista as disposiq5es contidas
nos est;,tutos que ,ios rig'"i.
Sccretatix ,ia associal..) nixta redemptora dos
captives e prrteetora dosa- imenuos, emr 8 de janci-
ro de 18853. 0 2' seuretirio,
Tiburcio Tavares.

Edital n.39
1a pra SDo ordinem do Illm.'Sr. ianyctor, se fitaz public
que ans 11 loras do dia 11 d -) corrcntc mez zer;i
vendila rem leil.o, no trapiehc C,.ncei9,so, a mer-
calo.a abai:io declarada :
Armaz7in n. 7
Mairc-it CWR, 9 eai.,:ts no. 1 :i 9, vinlas dt
New-York tno vapor amn-ric:s.no Finance, entrado
cm IS (le rtio di 1881, c). land) folhinzh',s in-
pressas aem unaa s6 cr,, pesid, I)C3eso liquido 3)0
kilos, ab):..u-lonadas ;os direitos por Adamoiun Io-
wie & C.
Tercoira secqio d:i Alfw-lga de Pernambo-
c^ t)1 de janeiro do 1885.
0 lehefe,
Cicero BrasPeiro de MIello


DECLARAGOES
velpomene Olindense
Sao convid;ado:a tads >,s Sre. socios, p'ir:t do-
mingo, 11 do correnate, ;'s 10 horms da imn;h;i, rcu-
nirein-se na respective s ed,, cm assemblar geral,
afim (it proceder-se a ele(;a: para o novo consellio
administrativo. Olinda. 8 de ianeiro de 18-5. 0
10 svcctario, Theodoro H. dos Santos Cota..
Cam Kra Ip'i ~l

Pela secretariat da Cainara Municipal da cidade
(d) Recite se faz pnblico ai quern interessar p ssa
o :irt. 8- da lei n. 1129 do 26 de junliho de 1873.
Art. 8o N's pineirje s uitj diis do mez de ja-
neiro l' cada anno, todos os medicos, cirurgioes,
plh:.rinw-euticeas, drouist;., pairtiros, mngrado-
res, dlcntistas e veterinarios, m ndarato t C;amara
Municipal a declarankio do seus nomes, naturali-
dades c moradwis, afin do quc ella possa inaudar
publicar a lista de t:das as possoas : os infraicto-
ros scr'to multados in 10,5.
S.-cretaria da atnara fuinicipal do Recife, 30
do dezt-inbro de 84.
Pedro G. de Ratis e Silva,
Secietario.
Indemnisadora
A diree~io desta compaidlinaI de seguros cnvida
os senhores ;IccionistaIs a sI" i-'.aLaireT em soPrm-
blWa gc:ral extraordinairia, que devera ter lugar n.)
escriptorio da inesma comnpanhia, ao meio dia de
19 dejaneiro proximo vindonro. 0 fim da refari-
da reunido 6 a discuislji c approvacao dos esta-
tutos da mesina companhia ulhimameate reforma-
dos de aceordo coming a lei n. 3150 de 4 de novenm-
bro de 1882. Recife, 3 d- janeiro de 1885.
Os directors,
Henriquic Bernardes de Oliveira.
Joaqnimn Alves da Fonseca.
Jose da Silva Loyo Junior.
IRIANDADE


DE
N. :S. da Boa-Viagem
De ordem do Illm. Sr. juiz desta irmiandade,
convido a todos os nossos irminos para reunidos no
consistorio da igreja da B'Ba-Viagem, no diall
do corrmante, As 9 boras do di:, se proceder a elei-
calo da dova mesa regedora que tern do adninis
trar a dit- i irmandade no anmio de 1885 A 86, de
eonformidade corn o disposto no compromnisso em
vigor. Consistorio, 7 de janiro'&de 1885.
0 secretario,
J. Chrispiniano da Silra.
IKRUANDADE
DE
N. S. daSaide
SMo couvidados, de ordem do irmao procurador
geral. toJos a irmilos a reunirem-se no domingo,
11 do enorrente, no conlist,)ri,) da mnatriz do Polo
Adx Paitela, as 10 horas do dia, afimr de s prece
der a el,'iT) da nova me a, e tratar-se de outras
negocioa llrecife, 9 do janeiro de 1885.
0 secretaria,
Mergulhao
Club Borboleta
ASSEMOLEA GERAL EXTRAORDINARIA
Convido todos os soeios a comnparecerem na st de
social, Al praca de Pedro 2- n. 81, 1- andar, se-
gunda-feirf, 12 do corrente, As 9 horns da noite,
para tratar-se de assumpto do interease social.
Recife. 10 de janeiro de 1885.
B. Aguiar,
1- secretario.





pfilia (3T Trtt Urdows tdo


f DIVIDEND
Apartir do dia 12 do corrente atW odia
S 21 serwi page no escriptorio da companhiak
ass 9horas ao meio digdos dias nu o
V esi dividend a rAz-o ;de 8 a1'
Sndo d'amhi em diante.o -
Am m f ':-(. "; .
.-... ';( t a, .. e.-.

_:?;v+" 7


tadwt de Gmmu ..
blifsa, deveuae,
reate, de- OUR a I.. ...
'wVmento ltg a 7 r-44eikewr dei88f
ata m2wo 2- -o n 8- amo bmata im-
truir o r quei to oo a ceidiao da approva-
io no exhe aBm anterior.
'Secretarin da Esaeba Normal do Recife, 7 de
janeiro de 1885.--O ecretario,
A. A. Gama.
IREANDADE
DO

Ro-l o o oGrDpo Suto
Factura de Catacumbas
SA Illma. mesa r-gedora contrata corn quern
melhores vantageas c gamantia do contract offe-
recer, a factura de quinze pares de catacum 'as
grades, encostadas ao muro ald emiterio public
de Santo Amaro. Os pretendeutes apresentarao
suns propostas em ca-rta fechbada ao irmauo the
soureiro MA. M. Campos Junior, a rua do Born Je-
sus n. 57, atW o dia 15 corrento, ou A rua do
Apollo n. 2.


Sanlta Casa de Misericordia do
Recife
Por esta secretaria sao convidadas as aras a
quem estlo confiados expostos para criar, afin de
quc venhamn receber do Sr. thesoure;ro as mensa-
lidades vencidas de outubio a dezembro find, no
dia 15 do corrente, pelas 8 horas da manhA, no
saiao do re's ectivo estabelceimento, apresentanlo
por essa oecasiao os mesmos expo. toe.
Secretaria da Santa Casa dec Misericordia do
Rlecife, 7 de janeiro de 1885.
0 cscrivao,
Pedro Rodriques de Souza.


Pela secretaria da Camarna Municipal da ci-
dade do Recife se faz public, que eia virtude de
resoluei da ll na.Camarna, tomnada em sessato de
17 do correute, foi eoucedido o prazo de 30 dias,
para os propjrietarios dos estabelecinenitos aa fre-
guezia de S Jos6 mandarcmn A seecao eompetente
aferireinm os pesos, inedidas e balancas de seus
estabel.imeiintos.
Sceretaria da Camara Municipal do Recife, 19
de dezembro de 1884.
0 amanuainsp, scrviiido do seoretario,
Leoneio Quintino de Castro Leno.
A Cama-a Municipal da eidade do Recite
ennvida nos donos dcs estabelecimentos commer-
iacs d:as freguezias de Afogados e Varzea, para
virem IA secao c-mnpetente aferir os pesos, mcdi-
das e balancas dos inesmnos, no proximo mea de
diezeiimbiro, sob pena da lei.
Pago da Camara Municipal do Recife, 29 de
aovembro de 1884.
Jesd Candido de 3foraes,
President.
Pedro Gaudiano de Ratis e Silca,
Secreta rio.
Massa do fallecido Benjamin
Jones


Os credores do fallecido Benjamin Jones, antigo
caixciro d:a companhia Brasilian Submarine Tele-
graph Company Limited slo convidados a enviar
os scus titulos, o mais breve possivel, aos Srs.
Sole Turner & Knight, 69 Aldermanbury, procu
rad,,rcs em Loudres, Inglatorra. 8 janeiro, 1885-
Irmandade de N. R. do nom
Parto cm Olinda
Sao convidados todos os irm;Ios, pra no domin-
go 11 do corrente, Ais 11 horas dta manha, reunidos
no respective consislorio, proccderem a eleiqio da
mesa regedlora do anno comproinissal de 1885 a
1885. Olinda, 9 de jineiro de 1885.-0 escrivic
interino, Antonio Romao do Sacramento.
11 1 1-01


tirane


Lirco


SOMPANIA HUROP .A
Equcstre, gymnastics e acrobatica
DE
PAUL BEITNO
Largo do Arsenal de Guerra

Hoje, domingo, hoje

Magnifica fune ao
Noile de entbusiasmno!

Success crescente !!
Delirio !!!

0 Nior RccasO Stori1

Levate la Caiisella

BUVON SEC!

Melindres de Sini!

:::;rHr;: 07 FING;;MIN::


A


Mocidade


Novas jornadas e arias


A.O


CIRCO !


AO CIRCO!


Rendez-vous au Pastoril
A's 8 1/2 horas

Sob.'. Loj.'. Allianva
Estando teraniuadts as ferias d'esta M. -. A.-.
e Sob. -. C ap. -., convid; a todos os nossos pros-
tim. e RResp. IIr. -. a comparecerem pro-
xima sess. -., que deverA- ter lugar segunda-feira,
12 do andante, pelas 7 hor-as ida tarde, em suna s-
de ao val.- dc Imper.-. n. 14
Secret. -. 9 de janeiro de 1885 (Er. -. V. ".)
Moltkcgr. 18.-.
Seer.-. .

CONi& Santh Tieza
-t 4 Agn. B z a


vilho dh Carso


l


SARITIMOS
CilARGEURS REUNIS
CompanbIa Franeeza de Navega-
ao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis
ooa, Pernambuco, Baltia, Rio de Janeiro t
Santos
teamuer
Ville de Macei6
<. E' esperado da Euro-
pa at 0 ii14 do ja-
cneiro, seguindo de-
pois da indispensavel
demora para a Oa-
la, Rio de dJck
cilroe SantoM.
Roga-se aom Srs. importadores de ecarga polos
vapores desta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclama;Ato concernente a volumes, que por-
venturma tenham seguido para os portos do sul, afim
desse poderem dar a tempo as providencias necessa
rias.
Expirado o referido praso a companhia no s-
responsabilisa por extravios.
Recebe carga, encoinmedas e passageiros, panr
os quacs tern excellentes accominmodaes.
AGENTES
Augusto F. de 01iveira

&C.
42 RUA DO COMMEROIO 42
Pacific Steam n Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Patagonia


da demora do costume.


Espera-se dos
portos da uropa
at6 o dia 18 de ja-
neir o e seguira
lpara os do sal e
do Pacifico depois


Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
Sfrete: tracta-se comn os
Consignatarios
Wilson Sons a& C., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N. 14

United States & Brasil Mail S. S. C.
0 vapor
Merrimac

fEspera-se deNew- Port-News
S at6 a dia 19 de janeiro,
meguindo depois da demora
necessaria para
Bahia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta companhia dao-se passa-
Sgens para Liverpool ao preio de 200 dollars ; o
passageiro desembarea'ado em New-York tern ga-
rantia a passagens paza Liverpool quando the up-
prouver por vapores do la ordem.
Para carga, passagens, eneommendas e valores
tracta-se com os
AGENTS
Henry Forster & C.
N. 8 RUADOCOMt0j1KtiO --N. 8
1.'-antdr
COMPANEIIE DES 1EESAGE-
RIE MARITIMES
LINITA MENSAL
O paquete
Orenoque
Commandaute Ukortemard
E' esperado dos
l tsdo sul at
dia 20 do corrente
seguido deapoisda
______________________emor- do costu-
S epar BOR-
DEU, tocando emmepa BR
Dakar e iUsboa
Faz-se abatimento de 15 por center em favor das
families compostas de quatro pesso ao menos e
que pagarem quatro passagens inteiras.
Por excepoao os zmados das families que toma-
re mbilhetes de pr6a gozam tumbem deste abati-
menlo.
0O vales postaes sdse ddoatWodia 18, -pftas
de contado.


S Agente Pinto
'Quart*.feira 14, deve ter-lngar o leillo dos mo-
veis, louga, Icrystaeu, e maia objdeto da cas em
1ie residio o Sr. Braga, & rua do Livramento u. 6.


0 artist VIRGILIO, agredecido pela recccpo
que hIbe fez o public eliadense tern organisado
um segundo
Espectaeulo serlo-doeoso
no qual apresentaiA mais alguns dos trabajihos
que teve ocasiao de apresenztar ao public enrope"
c das dermais provincial do imperio corn o grande
mnellhorsui ento de so mcptrar f6ra dns illuases opti.
eas do circo e de trabalbar completamonte
Ao ar hvre e plenamenge.., de gmv eal
Ease novo divertimento que propocionara aos
bauhistas de Olinda e a todos... que queiram ver
constard dos seguintes actos:
I Trapesio
II Desioealces a character
III Equilibrios ebinezes
IV Barra fixa
V Corda bamba
terminando a fiesta corn a espirituoua e material.
mrnte visivel
Subida no baifo
Onde se provara que o aantigo down teve pala.
vra e que nenhuma culpa he (cabe em que moitas
vezpes o respeitavel public:
Coma g'ato por lebre
em vez de ver primeiro para depois crer ulo pro
vand) para experimentar.
O espcctaculo serA comeqa.do As 5 12 horas da
tarde para terminal As 8 1/2, sendo que os inter-
valis sera'o prehenchidos por unia
Banda niarcial


Leilao
De uma armacao envidraeada e seus pertences
a qual se presta para loja de caiado, miudesas ou
cigarros existente na rua da Imperatriz n. 36., 2
fiteiros para pasta, 1 carteira, uma caixa grande
para deposit de funmo, uma balance decinal, uma
dita pw'a balcao e pezos, uma maqumna para picar
fumo, 1 balcao pars fabric de charutos, 2 tabo
ejt"os, 1 relogio de parede, 2 cadeiras de molla e
uma escada de thesoura.
Terga-feira, 13 do corrente
As Ai horas
RUA DA IMPERATRIZ N. 36

PIl0 aglntQ Martins


Leilao
De bons moveis, crystaes, poreelana, espe-
Ihos, jarros, quadros, 1 fogao de ferre e
1 bomba
A' saber :
Umn piano forte e 1 cadeira para o mesmo, 1
mobiia de jacarandA maciCo, corn 1 sof-, 2 conso-
los corn pedra, 1 jardineira, 4 eadeiras de bracos,
12 ou 18 cadeiras, 2 espellios grande e dourados,
candieiras a gaz, tapetes, cortinados para janel-
lae, lanuas para cortinados e pannos de crochet.
Urma mobilia estoufada, corn 2 ,tivans e 10 ca-
deiras, 1 mesa cornm abas para junto de sofa, 8 ijar-
ros para flores, 2 redomas corn flores, e escarra-
deiras.
Uma carna franceza de jacaranda, 1 toilet corn
marmore e espelho, 1 lavatorio corn pedra, 1 guar-
da-vestido, eortinados para cam-s, 1 mesa de cha-
rao, 1 guarnicao, 2 machines dc costura e 4 qua-
dros.
Um guarda-roupa, 1 commoda, 1 marquezao de
amarelo, 1 berpo, 1 abide de parede, 1 mesa d e
coumnla 12, marquezOes, 1 lavatories, 1 espelho e
estate grande envidracada e 12 cadeiras de junco
Sala de jantar
Um guarda-louca grande envidia ado, 1 mesa
Selastica cornm 4 taboas, 2 aparadores. 1 quartinhei-
ra, 1 sofa, 2 cadeiras de balance, 12 de guarnicao
de amarello, 2 mesas corn pes tAorneados, 1 arma-
rio, 1 guarda-conmid de arame c madeira, 1 relo-
gio de paiede, mesas de cosinha e de engommar.
Dous apparelhos de porcelana, para chA e jan-
tar, pratos para peixe, cobertas de metal para con -
servar a comida quente, 1 porta-queijo, talberes,
colbcres, fructeiras, 1 porta-licor, 1 galheteiro,
compoteiras, cops, calices, garrafas, macbinas
para eaf, cops de metal para cerveja, bandeijas,
48 garrafas corn cerveja 1 fogao de ferro, 1 bom-
ba, e mais accessories de easa de familiar.
Quarta-felra, 14 do correunte
No segundo andar do sobrado do azulejo
da rua do Livramento n. 6
Jos6 Antunes Pereira Brags, tend mudado de
residencia, faz leila por interven.do do agent
PINTO, dos moves e mais objects acima men-
ionados, existentes na .casa em que sesidio A run.
do Livramento n. 6.
i0 leilao principiara As 10 1/2 hlioras em ponto

Leilo

Agente Silveira
Terqa-felra, I83 do eorrente
A's 10 1/S horas
De generous, arma-io e utensilios da taverna sita
A run da Guia n. 19.

Agente Pestana
Leilao


in a. 4Mm
4-- ,I


-De 1 mpbi6a antigade 4 acaranda, camas fran-
cu, marqueses, lavatories, baco, cama par
merino, santuario, command, eobides, quadros,
relogios departed, meaw elastiiea, marqueza.,
bancas, quartinheira, 1 sccretaria de amarello. 1
f#a paradvogado, banheiro, loupa e vidroa,
eistentes no 1 andar do sobrado da rua Direita
n, 32. "
Ter"a-fera, 13 de Jameiro
As 11 horas em ponto
Ao eorrer do martenlo
POR INTERVEN(r.O DO AGENT
Gusmio

LeilIlo
Do sitio denominado Sebastilo Lepes, em Olin-
da, tend de frente 224 metros e de tundo 162
metros e 66 centimetros, corn casa de taipa cober-
ta de telhas, tend 95 pes de coqueiros de fructo,
sapotizeiros, jaqueiras, mangueiras, denddzeiros,
cajaearo, goiabeiras e outras fructeiras, todo cer-
cado, corn maito boa varzea para wanda, capim,
ou outra qualquer planta.io, corrdo de levadas e
tern um olho d'agua de beber.
Quarta-felra i4 do corrente
A's 11 horas
No arinazem da rua do Born Jesus n. 51
0 agent Gusmao fara leillo por conta e risco
de quem pertencer, do sitio acima mencionado, e
para mais esclarecimento o mesmo agent darA.


AVISOS DIVERSOS


Espledide leilao
Terra teira 18 do eorrente
A's 10 oras em pwnto
FORB SEE MUTOS 0o6 LqrES
No palacete sito a rua do largo da Santa.Cruz
n. 157,onde reside o Sr, Manoeldo Nascimen-
to Cesar Borlamaqui, que se retira tern.m-
porariamente corn sua -amilia para
o sut do imperio
Pavimento terror
1 mobilia de jacaranda de gosto inteiramente
nova, 1 secretaria, jarrom, qmdros e inuitos autros
artigo proprios deosalma.
1.o quarto
1 juarda vostido, 1 toilette, cadeiras etc.
2.0 quarto
1 porta garrofas e mais objects.
Sala de jantbar
1 mesa plastics, apparadores, guard louqa, ca-
deiras, 4 jarros de pedra corn palmneiras de salao.
.L andar
1 rica mobilia' dejacarandk massiCa e corn pao
rosa imbutido, complete, corn dmunkerques, 1 jar-
dineira do Erable; 6 cadeiras (phantasia) 1 espe-
Iho grande oval, serpentinas de crystal e erysto.
lie, etagers, port arroz corn flores artificiaes, 6
sance.as comnpletas, 6 pares de cortinados ricos e
semn uso, jarros, porta cart5-s.
Sala de piano
Um piano rico e do melhor fabricante, 1 porta
Snuisieti dc jacarandai, cadeiras de phantasia, cin-
toceiras, etagers, jarros, 1 rico espelho de mogao,
grande, sobre columns para vestir.
Sala de jantar
Mesa elastic, apparadores, jarros corn plants'
jarros corn flores artificiaes e pedestaes de madei-
ra para jarros e quadros a olco.
Sala de copa
SDous porta copos, 2 consolda corn tampo de pe
dra, I jarra corn torneira, 1 q'tadro.
2- andar la sala
2 guarJa vestidos, bancas, cadeiras, passars
eam bouitas gaiolas e outros objects.
Gabinete
1 toilette de jacaranda, etagers corn figure e
mais ohjectos de toilette
Quarto
1 cama de fcrro corn lastro de arame, eadeiras,
cama de jacaranda, cantoneiras e outros artigos.
Entrada
2 pedestaes de madeira corn 2 grandes jarros
corn palmeiras de salo, 1 banco pars jardim.
Todos estes moves ternam-se recommendaveis
por seem de gosto e novaos, os quaes serao vendi-
dos polo preposto do agent Burlamaqui.


ver

que


compromissos, e
sao convidados a


virem a rua do Impe-

rador n. 79 a negocio


que


nao ignoram.


Srs.:

SenadorJacinthoPaes
de Mendona.

Jose Dias da Silva, da

Victoria, onde ejuiz

substitute.
Maj or Bartholomeu

do Rego Barros, ve-

readordaCamarade

Gamelleira.
Alipio Accioli Santia-

go Ramos.
Joeio de BarrosSantia-

go Ramos.
Clementino Pereira da

Costa, de Barreiros.
Antonio Ribeiro d'Al-

buquerque M a r a -

nhao. do Cabo, enge-
nho Ara.agy.

Loureno Bezerra de
SiqueiraCavalcaiti,

engenho Castello,
Ipojuca.
Joao Baptista da Con-

cei~ao,enigenhoSan-
ta Rita, Serinha"em.
Joaquim Manoel de
Souza Oliveira, en-
genho Cachoeira
Nova, Serinhaem.


tadol Miranda ou coin o St m 8

pretender p6de ente alu se am e A eoa .
Manoel, Miranda on coom o Sr. =40r, iQlel *'
l do R~ego Barros na mus ma tnTl't
Manmeira, que lhe mandarao a dBl ^ i
dat as informaces neeesmdariTa o am-.
Pinto Junior, i rua Vel" u. 59. ,, +
Prccisa so alag.r tmw esam am li-R p$r-
to do bauho, e que o seu alagul B! ex=d V
161000 mensaes : quem a tiver anmacie par&
oer procurado.
Um rapaz brasileiro'se ofrece aos aushores
medicos pars cobrar suas contas, peh quantia de.
15A000 meneaes ; quern de e o prieolo ws quizir
utilisar dirija-se a rua do Imperador n. 65, loja.

Ao commercio
Os abaixo assignados participam ao oommercio
quo nesta data teem disolvido a sociedade no
tinham no estabeleeimpto de fazendasa rua u-u 4
quede Caxias n. 90, s a firma Am iD.
a C., retirando sc o socio Theodomu-u
Ribeiro pago de seu capital e lucie'ne, do o ,
so( io Antoae L. Rodrigucs de tWeda enearre-
gado do active epaflsivo 9 sob a
mesma firm. Recie, 31L de d l 1d84.
Antonio Luiz odgves lineida.
Theodomiro C. Duart fbeib.
Tricofearo
Bd" Bia 7y,
f1/^^"8 fE'irnnf>-i4 qtlo
...Z CreCtkWV .
CABELLO
Ina disn uns cin~t:a.
maiy cen';v a, beu comno quo
ctra r-..:canhente
a TI-HA e a CASPA.
S queda e o oembranqueciaento
do CAB 2 LLOeem tedos C ca-
gt os o tersa invariavelmento
XaCi o, ilauto, eFormoso e
SEI ,.o hamatdeoltentannoa
o tein "llor vE ftlfAt nenhum -
wa 'tpreparadoctWbdUeo ein
todI. aiultndo. .
SAgua Florida
A de Bawry.
DUPLA.
Preparsda segundo a formula
original usada pelo inventor no
anno de 1829.
Tern dues vezes mats Fragrancla
que qualquer outra.
Dura duas vezes mals tempo.
E'muite male rica do perfume.'.
meals suave.
E'muito male Fi,a o Deoloada. -"
Tern dobradaforca Rofrescattva
Tonica no Babnho.
Fortalece ao Debile no Canqado.
Cura is Dores do cabega e os des-'
mals.
E'm.uitissimo Superior a todus as
Cutras ,Aguas Floridas Actual"
monte a venda. ..-- +-.*
-e- 001 ft-


- Desooberta Importantigima.

Pure Oleo do Fiado de Bacalhas,
p ODURETO DE FI1IRO,
DE
Barclay & Comprnl







Cnra radicalmente c corn segrana os peores camos
de Phthisica, Escrof:Aas, Rheumatasmo, as doenc, -
da Espinha Dorsal, dos Qta0dris e dos Oasos, asin-t
flammaOes do ?igado, do-Ba!o e do Utero, etc., etc.,
-: r- stic ao corp.o cnraonec'do c fatigado o seapri-
S;.; vo vigor e airedondado dos contomos. E' certa-.
-; *-;; h;;:;:t grande descobcrta o Puro Oleo de,
Fti-,:do de Bacalmae corm 1edi#ssw. de'
- -ro-de larcelay & Ca.n, ew-York. -
.. outer O de V1da;
de Reuter No. 1

aMh iIi


DEPURATIVO E PURGAITE.R
2nte novo o admiravol purificadorlo-,
sangue actna sobre os intestinios
o uigado, os rains e a pellU
'urn infallivol contra a Debilidade
i"orvosa, as Dores deo Cabeqa, a Dys-
pepsia as Sezoes, contra as doen-
cas de origem Matsmatioa ou o ma-.
sionadas por desordens do figado
ou pobreza e Impureza do sangue.n
Depositos. -Em New-Y ork cmea-ea
dos Srs. Barclay & 0. em Pernambl-
co e em casa doe Srs. Franeisco Ma-
noel da Silva & C.


Admira-tra:o : PARIZ, SBoulwrd MestntiiOfti. "
aRANDE-G LLJB.-Au e, eilr ymmptica3,d vadas vias d igestivas.,obatruemes do aflgado o dobao
ohs Lraccdes ,isceraes, coucre-i catAlodm*Jar bite.
HOPITA&L. -- Affectdesdal viasdigedtimnisonmeo-
dos do estomago, digestio diffloil, isapapoti,
ga.-tralgias dyspepsma.
CtLESTINB.-Affecifes dos rins, tabeaigaaftoai,
concreOesdasouria gjLa, d iabelm,al -*u
HAUTB'RIVE.-A !.I -e.&s dos ri..r da beoxt-
cx ncrk':-C..AA, o a C.a. ,' U 1, -li.t.,-, .1U1d
EXIJA-SE 0 NO da FOITE ra
Em P nhamembilo, is Agaa das. RtD,- .I
e SELZER & KOE
A venda em caa de Sulzer & Suz
a aa C tadela n. 3f.


-4
-'a-


I


I-


'14]
4-a-


!--


no


A Estaqao
Conapra-se dous numerous d'esse journal
do moda publicado no Rio de Janeiro; slo
do 30 de outubro e 15 de novembro do
corrento anno. A tratar n'csta typogra-
phia com o administrator, no 1.o andar.



ATTENUAO
Vejam este quadro

d'aquelles que saio PON-

TUAES no modo de sol-




* 'a


R ina do Be r da vieter.a n. 40

, abairo assimiado tcaba de vender
an 80116eus fillmo bilhetes qpatro quartos de
a. 4,337 corn a sorte de i Oi e diver-
s 4preios de 32Sa0re 1O000 e- 84W .
0 epwmo abaixo asaignado convida aos
poaidores a virem receber na conformi-
Sdad.e do ostume, sem desconto algum.
^ Acham-se I venda os felizes bilhietes
Sgarautidoe I s 5.a pOate das loterias a be-
neficio da matrizd& Tscarati, (100.-), que
se extrairirA na terga-feira, 13 do corrente.
PRE CO 8
SInteiro 46000
SMeio. 2#000


Quarto
FAm porao


100ooo
de I004000 para
elima


Inteiro 3#500
Meio 1#750
Quart@ #875
Joao Joaquimda Costa Le.ite.

Aluga-se barato
o primneiro andar e a loja corn 2 quartos, quintal
e portlo, do sobrado n. 38 a rua estreita do Rosa-
rio : para ver, as chaves estao na taverna de.
front, e a tratar na rua de S. Jorge n. 56.
Precisa-se de uma ama para cosinhar e mais
servi0s de. casa de tamilia, e de um menino para
compras e recados : a tratar na rua do MarqueZ
de Olinda n. 51, 2' andar.


Loteria da Parahyba
No estabtecleimento n. 2 C A rua do CabugA,
acham-se expostos a venda os bilhotes de uma
nova loteria da Parahyba organisada segundo um
born piano, que contem os seguintes premios:
1 de 4:0001000
1 de 1:0004000
1 de 200,000
2 de 1005000
4 de 505000
15 de 204000
S40 de 104000
50 de 55000
500 de 25500
Este ultimo 6 o prego de cada um bilhete alli,
S sendo elle em Pernambuco 26750 para os vende-
dores e na casa 35000.
Os premios sao aqui e alli pagos integralmente,
sem desconto algn, A vista da lista da extrac-
gao.
Sao estas vantagens que nAo podem deixar de
ser apreciados pelos que gostam do jogo das lo-
terias.
Maria da Conceico de Drummond participa
S aos pats def.milia que abrirA no dia 12 do cor-
rente mez, A run da matriz da Boa-Vista n. 44,
S 1" andar, um curso das materials attinentes A
.instruccao primaria para ambos os F exos, estando
os Exms. Srs. Drs. Joao Jos6 Pinto Junior e Ale-
xandre de Souza Pereira do Carmo habilitados a
dar as preeisas informag5es. Desde ja agradece
cordialmente quelles jue a honrarem, confiando a
4 educa* o do-seus filhos
0 abairo assignado tendo-se retirado da casa
do Sr. Jao dd Cunha Vaseoncellos, on le esteve
6annos, 2 mezes e 3 dias aos services do mesmo
Sr. exercendo o cargo de caixeiro vem polo pre-
sente cumprir um dever,agradecendo ao seu expa-
trio acima referido, pelas b6as maneiras e trata-
mento, e bem.assim pelas muitas consideranUes
que se dignou dispensar-lhe este perido ; agrade-
ce por iguat forma ao seu amigo o Sr. Francisco
Alvres Machado su eox-companheiro (comn distinct.
Recife, 9 de janeiro de 1885.
Jos- dasNeves Pe rosa.
-- Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
S da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joo de l a eoAlbuquerque, a qual tern exeellentes
comrn6dos e grande sitio : a tratar na run Pri-
S meiro de -Marco n. 13.
RANC FORT.S/MEIN
PARtS LONDRES
l5Ruedei &chiquier 5AldernmanburyEC.


conhecido do mundo intciro
como o melhor A mais perfeito
de todos os sababs de toilette.
Especiaiidade.
Estractos 6 cessencias triples
de cheiros. Agua de Colonia.
Vmagresde toiottc. P6s d'ar-
roz. Pommau'es. Azeites 6 to-
dns clasesde pefumarlas finas.
Stuperiores qualidades.
Sepesito3 nas principals Per-
fminalas, Pharmaacias 6 Cabel-
teirmires do Brazil.
Wfts de Wrogrcs-,w Vienna 18?


Preves
Bilhete inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1M000
sm -pervi. de 14"054N para
elma
Bilhete inteiro 3500
Meio 14750
Quarto #875
Antonio Auqusto dos Santos. Porto.



A VETUON

Aos4;O#6000



16-Rua do Cabugi-16
Acham-se & venda os venturosos bilhe'-
tes garantidos daloteria n. 100 em beneficio
da matriz de Taearat' que so extrahirA na
terga-feira 13 do corrente.
PRECOS


lIeu


Inteiro 46000
Meio 25000
Quarto 1500
ido quaatldade superior
a 100:000
Inteiro 36500
Meio 1#750
Quarto 875
Joaquim Pires da Silaa.


Franceltna dar Neves Farfam
1 anniversario
0 tenente Albino Leite de Farias e suas filhas
mandam resar urma missa por alma de sua muito
presada esposa Francelina das Neves Farias. sex-
ta-feira 16 do corrente, pelas 8 horas da manha,
na igreja do Livramento ; para isso convidam a
todos os seus parents. e amigos, a quern se con-
fessam intimamente gratos.ll


Americo Antunes Dantas
Manoel Jose Dantas Junior roga aos seus pa-
rentes e amigos o obsequmo de assistirem a missa
que nanda resar na matriz do Corpo Santo, As 8
horas da manha do dia 13 do corrente, 1- anni-
versario do passamento do seu sempre lembrado
filho Americo Antunes Dantas ; agradecendo des-
de j a todas as pessoas que se dignarem com-
parecer.





Adolpho Rourgard
Arthur Espiaca, Libanio Costa e Fernandes
Barros mandam celebrar sexta-feira, 16 do cor-
rente, na igreja da Madre de Deus, as 7 1/2 ho-
ras, uma missa de setimo dia, por alma do seu
distinct amigo Adolpho Bourgard ; para cujo
acto religioso convidam a familiar do finado e a
todos os seus amigos.


Cavolhtaperdida
Na rua estreita do Rosario n. 9, junto a igreja,
pede-se a quemn achou uma canoleta, o favor de a
restituir, que serA gonerosamente recompensado.
== Precisa-se de uma ama para lavar e engom-
mar, para tires pe3soas ; na rua do Imperador n.
35, 2 andar.
Diaries e jornaes
Compra-se diarios e jornaes : na rua larga do
Rosario n. 27.


Ama
Para cosinhar para uma famiiia : na run do
Marqnez do Herval n. 107, cntrada polo becco.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 12 A 14 annos,
corn pratica de tavfrna : na rua do Nogueira nu-
mero 1.

Ama
Precisa-se de uma ama para casa de familiar,
que saioa cosinbar : a tratar no Cajueiao, sitio
numero 4.



CASA BA FORIU.,NA

los 4:080 0


isa Primeiro de nar .on 23
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seuns afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 570 corn a sort de 2:00(6000,
4 quartos n. 252 comn a sort de 2006000,
4 quartos n. 174 corn a sorte de 2006000,
aleiH de outras sortes de 326, 166 e 85, da
loteria (99.'), que se acabou de extrahir,
conivida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sen desconto
algunt.
I Acham-se A venda os se,. afortunados
bilhetes garatidos dia 58 part das lote-
rias em b 'ficio da matriz Ie TadrA-tfi,
(100.') que se extraNird na torga-_tea, 13
do corrente .

1ttFit I
M/eio


NQlargodoCorpo Santoan.l19 2 audar, se B
precisa do uria ama pa tratr de nrma crianma
de um anno e queente-d do engommar. S]?JLlj R

Caiei i rQemi Qoe deixar de comprar agora una deslas afamadasmachi-
Precisa-se de umn menimo d 1d I 14 annos,
para taverna: na ra do Vigrio Thenorio nu. us?
mavrn 15.


PARTIDA
Mr. Th6oddle Brocheton, representante da casa
de construccao de materials para engenhos, Ma-)
riolle Pinguet, de S. Quentin (Franqa) e fabrican-'
to de assucar, sendo chamado ,A Campos provin-
cia do Rio de Janeiro, seguio ppra o sut no pa-
auete francez Niaer.


Venham a succursal da companhia Singel na


RUA DO CABUGAN. IA

N. B.--.Vendemos tamibemi linha superior, retroz em carreteis,


- pessoasue precisarem de inform&' uagulhas, oleo, linha de crochet, peCas avulsas para as machinas,
rcspeto, devem dirig r-se ao Sr. Eugene alMue, m u
24, run do Commereio 24. Recife. 0tudo de superior qualidade e por pre os sen competencia.
Lymipha vaceinica ____ _________
plo ultimo vapor; voude- se us botica
franceza e drogaria de Rouquayrol freres succes-
sores de A. Caor, run dia Cruz n. 2. Recife. i | A M IA 1 41 a V
~ ~~~ I I n ^-.-iB ABBB BBBB*^


EnSino particular
Maria Olindina de Mello, alumna-mestra da Es-
cola Normal de senmmhoras a cargo da Sociedade
Propagadora da Boa-Vista, tendo regido inte"ini-
mente a cadeira da professor public a Exma.
Sra. D. Lisbella Cavalcante de Albuquerque Mel-
lo, tern aberto um curso das materials seguintes:
lnstruc?.o primaria, linguas national e ranceza,
assim como trabalhosl de agulha.
Para informaoes os Illmns. Srs. Dr. Joio Jos6
Pinto Junior, Dr. Alexandre Pereira do Carmo,
Dr. Pergentino Saraiva Galvao e major Leopoldo
B. Galvio Uchoa.
Rua da Soledade n. 56
SPrecisa-se de um socio corn o capital de
1:000 A 1:2001 para um negocio vantajoso e de
grande future : quem se dispozer deixe carta corn
as iniciaes F. F. na taverns da rua da Concordia
numero 73.

Cal de Lisboa
muito nova e mais barata do que em outra qual-
quer part : na rua Duquc de Caxias n. 73, pri-
meire andar.


SPessoas de ma f6 vender i. sob ,
: i oine de Xarope e Grageas se- ^
' -undo a formula do Dr. Gibert ou .
Sde Gibert & Boutigny, ceontrafac-
96es e imitates mais ou mienos
-inertes ou perigosas.
.14 S garantimos as verdadeiras
.t-a as e o vdrdadii-o Xarope
^ D_-pDurativo lodurado do D'. Gi- 4
Sbert ciijo rotulo leva. cm tinta encar-
av.',l as assignaturas do Dr. Gibort
v. do Boutigny Sices"Orecs e alem i
'dicto, ( sello do Governo Fr.-z, .
ispE iii s).3s corn tinta aZnl. 0 prcao uico
,dest,'s precparados e de 5 frescos cmra
l a:'i ?..___
F* '..?a s:-,isfazer ao (desejo dt gran:lt
l nul"'ro iie pessoas conseuiinos enctr- 4c
.:. rr ein Grag6as de volume insiyi/icanl2, ;-'+
ois os, principios activos do nosso
UAS GRAGEAS REPRESENTAM
'V1A COLLIER DE SOPA DE XAROPE 1.
4, 04 lw 10as no meio ou fiun das refeir6de, as
Gra9;eas Depurativas loduradasf
do D' Gibert ten sobre o Xarope a
w.;.ae c vtaein emde sercin tie uni emiprego
Sc t.rannawu-,nte simple o facil, e da cons-
Situireni iamibem o mais agradavel, ;4
nmelhor, mais activo e economic
ec todo3 os depurativos conic-
.1 sdos. -^
~ cPs. torts as boas
ip IEuC~lK")f|(l~f-5i? sun. 'CS0ffl 9
*j l'h' L,,",,++ ," Ur,'/rias.



i MtELO l
SZEITE D A CE

fi^ETE D-OCK


Azeite aotc virgel.T.
'xtrahido M t )





s yeW&, erto &ice (rJ &"-

i) nf lV&lyv 1 ttuas Udg~
Z^~eattii y mouwides 6ls uaHIt^
iX2GIR 0 )KO.cUL"C

ICHEL & LO JES


Pharmaieutlco de i Classe em Paris.
Approvado pel* Junta rentrai do Bygo.is do e rSwaL
Estas capkulas acabam corn os fluxos em 48 hora, suppri.
mindo a Copahiba, Cubebas e InjecgOes.

Deposito em Paris, 8, ma Vivienne, e nas principaoes Pharmada


ELIXIR &VINHO1


ThOUETTEmPERRET
de PA PA I VA (Pepsin vcgetal)
I% as mats poderosos digestivos conhecidos atW agora, para conlbalsin
AFFECCOES 00 ESTOMAGO: 6ASTRITEE, ?1ASTRALGIifAE
WIA~iEAS, VOMrOS, PESO NO ESTOMAGI, MA D" 0.MiO. ETC., ET&.
t=ULIIU AO IO ODPOIS DA COMIDA BASTA PARA CURAR OS CASOS -h ---Ld
& venda nas prineipaes Pharmacies e Drogarias.
Venda grosso em Paris :TROUETTE-PERRET, ra Saint-Antoine, is
'i P oo r Bello do "vemo Aifmes sobre os Frascos pm evitar as almiflea95 5
i)i. -*--5~dJU M^WWW'^ ^ ^^A A^ W AW(^^ ^
'^ U I ttEVJEfOTR^ '^Y --' ~'4 ZECRITADO POXTODAB AS
,, .. ,,.*I.,,,.i. 0 ,, BDA FRAIi. A ... B. ROA
dnaw P L.1 OLESJIAS U80Pure
Iw~uurwaw S flt*ri fMSQ l^^^AFFECQOESESCUFLSS
SMA FERRUGIh AA V GiuAsos..' CUMS
W'AIAa prarwJ EM rIR AhI|II 3EU I



Pyrt. a, iv,,. -A.; osruaPm o4
atre1o terrn -d"s subs^u^ TISMMiC A d
gain ass oIv. Plos ^" c,nse1>< s
is t .Fssb'-Non~m.:tri, 21!' '/^ ^ l"zfil de IiB
Diositoa em ?rranuao. FMK W. dS-LVA f =a .O spU *aacspm staw






?el de ^|g p^r sevi **^^ mm AA aga
^~~~ A&Mk I^okk j ^ sJLOM 71

AiGUA VEGEAL COM W* P.ERFUMES ANA2=D
2QUALIDADOE SUPfcRSOR e
Para MPii fr CABLS IMserUn a rm is Ca"e M
ii t. I^ o A o cxtracto dassubstandi, 4ctcsiv2s e fortitcamn 4k
3 Ao ovo. Peo so no, consma-w axin e a sawd 19d, WC c
i bldio; ae-se o Cabrlo doe uhr. Os seus perfumes sic M e
g d o oa s d eo Co seervido dde eam 4air; ogradavl.

?.f W bO flAv ONIZA DU SPAI YLAUO VIAUO
Ii^ f OOX3y-U(W JASMIN 3960 Puil VOW Ib9HWMW
Ua O S R < T R eV qi C L..T T 0 t P
Le eLEGRAND ,m P"- WIcI, MMt" .tears ra9*
pAMRB 207. rea mint-fcrt 217 PA o
Aa&tMITO NAS PRINCMAS PAUSUNAaI"U&S E 05AS DR CABXLL51a&amO 4







i P^C li m ^y^F5B&EMT@-PtOP5ATO-&(A,. 'UMUES\^^
teado o VXBk6 Dtresne d'um gosto delicioso, tamp'
o h' mied reconstitunte naturvale 6pfet.
o mais pcecioso de todos -es toticos; sob a a
h-ifluencia, deovanecem-se o6 aecientes febris, renaso,
|S2'~~ V 0qpe~te,,foecem-se oe muscutos e voltaro ftslorgas j^
ISE *H Effpregas-ge om exito col, %ainappetencia,os cxefr ||
imaa| te rMoe, OOD~AACconvwcenq molestlax do 91
g (tral. Gastriti e DWaenteria), e
I. 4Wt4A: U.a anewUmia e 0onsupwg ^ s
Y 1'IDFiS : famuiow 4do. pitaul, Pfis. A tor etal zarsaftmn
AV Uft| as ubawaau -p0a


Sulfato de ininater

A C RiMTaEo d do$E- 3Cthces o. 1: -
ARMET ME LISLE&-', Su c cau or- ode


Desdea desc
bondfdefe e :,
falsite(ab. ds

solive-i, 4e C6r
f 40Wbr -era


do Suffato dOe


:Lts


,e da,
itit11


1 -aaniversariode d maoiile4 to
Augusto Frederico dos antoa Porto, seas fi .
Ihos, gbro, caunhados, irmo e sobriuhos rogam
as pessoa de sua amuzade o especial obsequio de
assistirem as missas qae palo vtern9 descanso de
sua failecida esposa, mai, sogra, irma, cunhoda e
tia, mandam resar terga-feira 13 do correute, as
8 horas da manha, na ma'v.z de Santo Antonio,
agrademndo antecipadamente a todas as peasoas
quo se dignarem compartetr.






Jos" Ferreira da Silvwa
Mathildes de S. Jose Tavares Ferreira, Manoel
Tavares Ferreira e Joanna Joaquina Josepha de
Souza Ferreira agradecem do intimo d'alma a to-
das as pesboas que se dignaram acdmpanhar ao
cemiterio public os restos mortars de sen presado
filho, irmao e cunhado, Joss Ferreira da Silva ; e
de novo convidam para assistiricm as misses que
pelo eterno repouso dc sua alma maudam resar
no convento de iN. S. da Penha, segunda-feira 12
do corrente, As 6 horas da mauaLi, setimo dia de
seu passamento, pelo que desdc jA se confessam
eternamente grates.
joaqusinaeie ouua Bap & TtA
Manoel de Souwa Baptista e Ayres de Souza
Baptista, tendo recel)bido a noticia da morte de seu
presado irmao Joaquiin de Souza Baptista (em
Portugal), convidam os seus parents e amigos e
os do finado parh assistiremn a. missas e memento
que mandam resar na igreja matriz da Boa-Vista,
segunda-fcira 12 do crrente, polas 7 horas da
manbh ; e desde jA se confeasam gratos.


Jloaquim Mlachado da Cunha
Cavalcante
D. Rosa da Cunha Freitas Cavalcante, tendo
recebidoa intausta notfcia dn f(to m'aoa -s;('
prcsado filho Joaquim Machado da Cunha Caval-
cante, convida seus pnarentes e pessoas de sua
amizade, para assistirem as missas que por alma
do mesmo manda resir na segunda-feira 12 do
corrente, setimo dia do fallecimrento, na igreja
matriz da Boa-Vista, As 8 horns da manba, con-
fessando-se desda jA.grata aos que fizerem esta
obra de caridade.


Joao Gomes de iendonca
Antonio Gomes de Mendonca eCandida de Car-
valho Mendcnca, tendo recebido a infausta noti-
cia do fallecimento de sou rresado pai e sogro,
Joao Gomes de Mendonca, em Portugal, mandam
resar missas pelo seu eterno repouso na igreja da
Santa Cruz, no dia quarta-feira 14 do corrente,
pelas 7 horas da manha, setimo dia em que rece-
beram a noticia, por isso convida a seus amigos
para assistirem a este acto de religilo e caridadt,
confessando-se desde ja seu profundo reconheci-
mento a todos aqueles que comparecer.
SeRnhorinha A. de igueiredo Vasconcellose
sna filha. Carlota A. de Figueiredo Belfort, sua
filha e netas mandam celebrar na igreja de N. S.
do Carmo urma missa por alma de sua presada
mai e av6, Frmancisca Maria do Figuciredo, As 7
horas do dia 12 do eorrente, trigesimo do sen fal-
lecimento.


Capltao Isnoeencio da Cunhba
Goyanna Junior
A viuva, filhos, Jose Augusto T. de Farias e
sua mulher D. Maria Rosa Teixeira de Farias e
seus filhos. cunhada, cunhados e sobrminhos convi-
dam a todos os parents e amigos do finado ca-
pitao Inunocencio da Cunha Goyanna Junior. pars
assistiremrn a uma missa que mandam celebrar na
ordem tereeira de S. Francisco de Olinda, pelas 7
horas do dia 12 do corrente, pelo que se confes-
sam summamente agradecidos por este acto de
religiao.
Helena Tasso de telLo auches
Jos Gomes Ganches, commemora o 1- anni-
versario do fallecimento de sun extremesa espesa
Helena T. M. Ranches corn uma minissa, que sera
celebrada As 8 boras aa smanbi d o di; 14 do cer-
rente, na matrix da Boa-Vista.


Joaquim liachado da Cunha
Caiacasute
Ambrosio Mchad& da Canha Cavaicante man-
da celebrar minmas na capella do sau engenho
Gatipi6, polo reponso et'rno de seu presado irmnlSo
Jo.jquim Machaio da Cunha Cavaleaute, As 9 ho-
ras do dia12 do eorrente mecz, setimo do se-fal-
lecimente, e -oga aos seurs cmigos e parents o
obsequso de a istitem a esse acto de religilo e
earidade, pelo qua- anteeipadamitente se lhoes con-
fesia agradediido.


Ihos, pelo presei
amwizado, para
Measr pOeO 1 an
sempre lembrada
terya-feira Wao
.'Soledfad iPsWi


is e 80se fi-
oas de. btua
me a4ainm


I


I


I






























quer partb.

I tna McflagL a. 4


0 Pain Killer votIal tie Perry Darvis
Matador da dor
Umi amigo dos pobrcs, economic e de
facil applica.Ao, 40 annos de success es-
pantoso.
Nenhuria fariilia deve estardesprovida
deste remedio.
Externamente cura: furunculos pana-
ricios e outros tumors torcedura dos ten-
does intumecencias das articulagces --do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
- queimaduras-golpes, etc., etc., etc.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, dispepsias, ulceras doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as imitagoes.
Agentes em Pernambuco, J. C. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rlua do Barao da Victoria n. I5
PRECOS


Frascos grades
Pequenos
Duzia de frascos grande
Pequeno


16500
l0~7)UU
1#000
126006
9o000


Ama
Precisa-se de uma ama para c(sinhar e lavar e
qne seja de r>o:i conlducti, para casa 'le familiar de
tres pesscas ; a tratar na rua do Barao de S. Bor-
ja n. 49.
Ama
Precisa-se de uma ama que saiba cosinhar, para
casa de pequena familiar : a tratar Ra rua do Ba-
rao da Victoria n. 20.
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos corn refinalo
de assucar por grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveramrn collocar o telephone em
seu estabelecimento para mais commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem en-
comrmendas para f6ra desta praca, garantindo
pontualidade, modicidade em precos e sinceridade
em suas transacqoes. Os proprietarios esperam
merecer a protecao de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77

Miolestias do estoniago e

dos intestinos
As dyspepsias, desordens gastricas, enxaquecas
digestoes difficeis (azias, fl-itulencias) sao comple-
tamente curadas corn mo use das
GOM 1S ANTI-YSPE1PTIA
preparado puramente vegetal da flora brasileira
Vende-se na Botica Francezade
Rouquayrol Freres
SUCCESSORES DE A. CAORS
22-Rua da Cruz-22. (Recife).

GOYANNA
SA Sociedade Lealdade e Beneficencia, em ses-
sao extraordinaria de 21 de dezembro proximo
passado, resolve:
1.o-Suspender, per tempn indeterminado, as
ftmunees do seu Gabinete de Leitura, at6 sua pes-
sivel rehabilitavao.
2.0-Limitar o prazo de 3 mezes para liquidacao
de sua divida active, A contar d'aquella data, fi-
cando: 10, obrigado o secit a pagar seus atraza-
dos dentro do prazo estabelecido, ou a entrar men-
salmente corn a presta~ao de 10 ol sobre o seu
debito, sem prejuiso do 2 art. 9o cap. 80 dos
seus estatutos; 20,illhminado ipsofacto todo aquel-
le que infringir a presence disposigao.
Guyanna, 1 de janeiro de 1885.-0- 10 losecreta-
rio, Deomedes Rab, llo.

Luz brilhante ser fume

Oleo aromatic
SUYGIEMCO E ECCNOmm
' lamw ,


cdrte, !


2F de variados e mimosos padres, a 240 rs. o eovado
CA a algodio a 400 e 500 rs. o covado, que pechincha!
LENC .bramante a P6200 um, convem!
COB g1WTAS.de gang ofarradas, a 2#800 urma, sao bem boas '.
BRIM pardo l&o, 320 rs. o covado!
BORDADOS tapados, a 16, 16500 e 26000 a pe0a!
COSTUMES do banho do nar, bemrn costurados, send par. senhora 100C
home 8o000 o para oreanga i 4000, um !
CRETONETTES claros, 240 rs. o covado, que pechincha!
CAMISAS de linho supcri:oes, a 454000 a duzia !
CORTES de casimira, a k500 um !
SAIAS bordadas, a 36000 ima! -
POUPELINAS e las, para *quidar, a 240, 280 e 320 rs. o covado t .
MERINO' preto, fino, a 14000 o covado, aproveitem !
CORTES de usta'o par facollete, especialidade n'esse genero, a 26 e 4600


MEIAS cruas, para home, a 46500 a duzia I
CASIMIRA preta alcochoada, a 2=200 o covado!
CEROULAS de bramantes a 164000 a duzia !
SSETINETAS de c6res, a 500 rs. o covado !
CORTES do brim d'Angola para caila, a 1(800 urn
DITOS de algodno a 10000 ur!
ENTERTELA pars camisas, a 800 rs. o metro !


0
Oo


E muitos outros artigos aproveitaveis.
N. B..--.Firmado nos prindcipios economics, conlamos cou.
pleta annuencia ao nosso RECLAME.


AOS BARATEIROS
Na rua Primeiro de Marco n. 20.


ED "X 7


M






N

C

U


JOSEPH KRAUSE 8: C.
Acabam de augmentar o seu ja bern conhecido
important estabelecimento a rua io
de marpo n. 6 corn mais
um salao no to andar luxuosamente pepar.
rado e provide de uma exposi.


io de obras de prata do Porto


e electro-plate


dos mais afamados labricantes do
mundo inteiro.
Convida, pois, as Exmas. farmilias, seus nurme.
rosos amigos e freguezes a visitarem
o sen estabelecimento, afirm de
apreciarem a grandeza e born gosto corn que
o obstante a grande
despeza, o adornaram, em honra
tEB a p I'w c A N

A1JiAMEABBiE Tf~A S 3AS II u


IU I
8*~ i I "IE) U


II A


fl
0







M

N


Ao|l



CAJJITRUBEBA

0 MAIS PRECONISADO DEPURATIVO DO
SANGUE DA ACTUALIDADE.
-.5,A {

COMPOSI(AO
DE

Firmino Candido de Figueiredo.

PROPAGADOR


Antonio


Per ira (ud Ounha.


----=, :--- !
S VENDE-SE NA DROGARIA

T- _YF 0-^ T, D A 3
*~~~~~ ., O**i^LE~ jjii jj )1 .i-h
23 kUA 23 iDE1" i OLINDA 23 i
"T
| ~~PEILB'.:^
-! Em fr> "" ?': eco. c ', Dpp-mito Central.

.- ---- ------- ---- -- __ ..- .-.,- .- y -


SPor 224000 0
Aluga-se o 2- andar- e fetdo A rua de Lomas
Valentinas n. 50 : a fratar na run Pirmeiro de e guarnio
Margo n. 7 A, livrana Parisimnse. grande st
I ----- --- ---------competidor:
City Colege
Rua das Flora. 1 ...--
As aulau destes collegio abrem-se no dia 12-do iA^
corrente. IVl
Becif%, 5 dejaneiro de.18 .
!e -,. 'joaS
A abaio a sipado de0ara ao '^ Ia?.
-


Papel pintado
P ap e. M ,-_ ^ *'* ''
5es das fabricas francezas e iacioaes,
artimento do qualidades, e preos sem
r, aeCaba de chegar par a
LIVRARIA I SDUSTRIL;j
Run Vo Barao da Victoria -7

de caj6 ema di
e .S


barato do que odtro
qualquer, visto rece-
berm direetamente.
Todos os relogios
verididos n'esta casa
.0io garantidos.

R11 do O0R a. 4


Cozinheira

Na praa da Inde-
pendencia n. 38 a 40
se dira quem precisa
de uma mulher forra
ou eserava para co-
zinheira de casa --de
familiar.




A0 COMiERCIO

Viagens ao cenlro
De OllndaIltabayanna per Igua
rassn, Goyanna e Itambe
Todos os sabbades, as 4 horas da tarde : passa-
gens tomam-se A rua Primeiro de Marco n. 1,
oja.
De Itabayanna & Olinda por 1tam-
be, Goyanna e Iguarassu
Todas as tergas-feiras, As 4 horas da tarde :
sassagens A tratar corn Lour.enco Pereira d'Amo-
rim, em Itamb&.
Viagens avulsas para qualquer parte e em qual-
quer dia, partindo do pontq que se convencionar e
a pregob commodos. Essas contratam-se A rua da
Companhia Peruambucona n. 4. Encarrega-se das
bagagens que nao podeiem ir nas diligencias.
Aluga-se
a smla de iitraz doI 1" _an" 4 p1edio sito 6 rea
Primeiro de Mar o n. f8, muito propria paa es
criptorio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do mesmo predio.
LINmHA COATS
SLtustrosa para machine, e a (r Macia de 6
fos v tanto para machine coma para cozer a mao
-Nao se usa mains linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nome
-J.&P.COATS -

R. DE DRUSINX & C.

Rtal o Ri0m-IJ s R, 18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de commissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogs de produces da Allema-
nha, Franga, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.---Informa$5es sobre machinismos
agricolas, ditas para engenhos centraes,
bombas, etc. para incendics e outras ma-
chinas e utensilios.
Trastes
A' run do Imperadorn. 16 compra-se, venda-s;
luga-se e troca-se novs e usadoE,
Aviso
JA chegeu'para o unico agent nesta provincia
o acreditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha i venda no unico deposit s
rua do Born Jesus n. 38, junto ao correio.
Ama de leite
Precisa-se corn toda urgencia de urna ama de
leite pnra Olinda, casa de familiar conhecida : a
tratar na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30, 1"
andar, de 9 da manha as 3 da tarde.
Balanceador
J. dos Santos Vieira, corn :pratica de balances,
contratos e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vices aos senhores commerciantes. Chamados A
run do Rangel n. 3, ou em sua residencia, A rua
da Penha n. 7, primeiro andar.


VENDAS
= Vende-se numia armagao de loja 4e miudezas
que serve para outro qualquer estabelecimento
a tratar na run Duque de Caxias n. 93, loja.
Cimento portland e polassa nova
Vendem Orestes Travassos & C., em seu escrip-
torio no largo do Corpo Santo n. 19.

Taverna
Vende-se a taverna darua do Rangel a. 29.


Vende-sepor preo mnuito razoavel uma easa
terrea corn alguus commodos A rua di Lomas Va-
-f-tiD3 n. 90. Ttimbem se vende uma parte do
::ingmeUo JuMara da freguezia de Jaboatio, e a
m~m~I* lia d<*ra de ffrro de Ca-
'rari ?- pretderl diria-se A rua da Ap.


[*a, I ,
para forrar salas de visit ejantar, quartos, al.
eovaa. corredcres, etc. "Grande e variado sorti.
mentor por prevos extremamente modicos
SEM COMPETIDOR
acaba de chegar para a
LiAwrarla Industrial
A rua do Bario da Victoria n. 7.
Vende-se por 2:800J000, quantis, em que
estA avaliada, ulia parte do engenho S. Francia-
co, no term de Serinhbem, distant duas legoas
da estaAo de Gameileira : a tratar com Antonio
Franco da Silveira Lins FPi!ho, do engenho Santa,
Catharina, no term de Porto Calvo.

Papelaria


Papel e enveloppes de alta phantasia para es-
crever, de cores e branco para quaesquer miste-
res, de impressao de differences formhtos, de seda
para flores e folhas. Tintasde impressio, de es.
crever e coptar, dos melhorcs fabricantes conhe-
cidos. Deposito da afamada TINTA SARDINHA
do Rio de Janeiro. A unica casa sonde se p 5de
eneontrar urn complete sortimento de papel e ob-
jeetos de escriptorio 6 na

Man
Vinho puro da uva, c fino da Figueira, vende o
Maia na rua da Concordia n. 165, a 500 rs, a gar-
rafa ?

Livros para escolas
CASTRO NUNES, compendio elementary da
grammatica national, aegunda ediso correct
e aDnntada por Jos6 Martiniano de Souza, 1
volume.
IDEM, elements de arithmetica, nbva edicao
revista e melhoradla por Jos6 Martiniano de
Seuza.
IDEM, resume da doutrina chri ta, nova ediAo,
revista e annotada por um sacerdote,
JOSE MARTINIANO, elements de orthogra-
phia, terceira edicgo, tevista e melhorada.
PERGENTINO GALVAO, o livro dos bonds con.
selhos.
BISPO DO PARA, historic biblica, ou narrati-
vas do velho e nuvo testament.
A venda na livraria Industrial n. 7, rua do Ba-
rao da Victoria ; e na livraria Economica, rua
Primeiro de Maro, junto ao arco de Santo An-
tonio.


Liquidatao

Para acabar
Popelines lisas, d& listras e lavradas.
Lis de quadros, eaossezas e lavradas.
Alpacas lisas e de listras.
Grenadines de cores e pretas.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques-
Chap&)s para senhora.
Chitas lisas e de cores.
Fichus de soda e de l1
Capas de malha de la.
Para continuar
Collarinhos e punhos para senhora e home, di.
versos feitios.
Camisas sem collarinhos e sem punhos, corn pu
nhos e corn collarinhos e punhos para home.
desde n. 35 A 45.
Camisas para meninos desde n. 28 A 35; sem col-
larinhos, de n. 32 A 35.
Camisas, saias, penteadores, caloas, gollas e pu
nhos para senhora.
Gravatas, grande vaniedade.
Meias cruas, brancas, de cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, velludi.
lhos, brins brancos e de cores, luvas, perfume
rias etc.. etc.
Papoula & C.
1S Rua do Cabug--19
Em frente a matri de Santo Antonio
FarinhaLactea
Nos primeiros mezes a alimentago ma,
natural e apropriada para alimentar a crian
ga de peito 6 o proprio leite materno o qua
enm caso de necessidado deve ser substitui
do pela
FARINA LACTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e 1 pratica adoptaram a ft-r:
aha Lactea como podefogo elemento 1
trictivo para a infancia e districts jmned
cos do Brasil e da Europa reconheoer-
ser & do Dr. FRER('(HS a melhor n'ert
genero.
Deve-ae pois e';itar <,nfiar o filhinhc
urea pessoa estranh, nao conhecido muitas vezes o germen
numerosa molestias.
Vende-se a verdadeira farinha Lacy
do Dr. Frerichs:
55 RUA DO IMPERADOR 55
Estabelecimento de musicas e piano de T,
tor Preall e

PNrQ 0 lnarYoS -n


Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!!
Bonitas e elegantcs bonecas, 4 o Pedro Antu-
nes & C. quern tern, tcrna-se indispensavel entre-
ter o cspirito das interessantes crianas, pelo que
os proprietarios da Nova Esperan.ka nAo poupam
extorqos; rua Duque de Caxias n. 63.
10,000 bolas de borracha
Especialidade pars fazer present As erianqas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seus
freguezes ; Nova Eseranqa n. b3, A rua Duque
de Caxias.
Cabellos brancos 6 tenm quem
quer
A verdadeira e especial preparaeio, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vende
prova a sua especial qualidade; na rua Duque de
Caxias n. 63.
Sao bonitas
as luvas de soda aberts, eanno alto, que aeaba
de receber o Pedro Antunes & C., A rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de- apatos especiaes ; rua
thique deoCaxia .n. 6.
ba. .o ..a.. moC i .


Dito frmances.,> U, Ui.-i,
fin& e encorpula
-lgod so enfeftad. Co s *TNhwdoba..
gura para tazer leng6e a pa
no, metro a G
Dito trangado e ern a usona lrgvr.
Poprio pmr lea,6e toibiai d&
mesa, metre a 150
Bramante de algodlo corn 10 palmos de
lrgnra, proprio para fazer leng6e de
umr s pamio, netro I
Dto france, send de-iml)o, Ma'
1 800 e 2M000
Dito inglez dae quatro Jargra endo -
de he, metro a 2;500 e 2M800
nregueUas propria 1 para 0 e 66, to.
lthas, eeroulaa, send famenda muite
eneorpada, cada peqa wea 20 vane
por 105800 e em vara a ,*.K
Ditas corn a mesa media a 800 rma., ou
vara a "44K)
Atoalhado adamascado para toahas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
troa I IbiA
Assim como a a complete sortimento de
peas de algedaozinho americano e
inglez, que se vende por pega de 3B at6 6W000
Isto una loja da esquina -do beeco do& Ferreiroe.
Casemiras de cores
De 9:00WW at6 :000 rs,
I NIRaJr mIa l
Aiheiro & Silva a rua da Imperatriz n. 40, tern
urn immense sortimento d casemira de cores,
tanto claras como eseuras, que vendem a 25000,
2A500, ate 65 o covado, e das meumas mandam
fazer qualquer pega d'obra ou costumes, por pre-
0os muito rat oaveis, assim com o tern tambem um
explendido sortirento de casemiras e pannes pre-
tos at6 ao mais fino sedan que vem ao mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer peca de roupa A vontale do fre-
guez e corn toda a perfeieao e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.
ios a 160 rl is
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muite bo-
nitos linhos de uma s6 c6r e de liUstrinhas ara
vestidos, send a 160 r6is b covado e de cores aL,
isto na rua da Impcratriz n. 40, esquina do beceo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 46 e 5#000
Na loja da rua da Imperatriz n. %.. vanue-se
mnitos bons espartilhos paxa senheras a 55000,
sntos para meninas a 400 assim como urn be-
dito sortimento de fichis a 38000; istoe na loja da
qeiuina do becco dosPFerreiros. .
Para festa
Vendese

Roupas para homes
POR
Preo Vos baratissimoc
Rua da Imperatrlz n. 40
LOJA DOS BARA2EIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava 6000(
Dites de panno preto fino, fazenda tanito
boa 700
Ditos de casemira de quadrinhes e listri-
nhas, forrados 8
Ditoa do cascmnra o ora, do oord"o, for-
rados 8100C
Ditos de flanella azul, forrad9s, sendo fa-
zen Ia que nao desbota 10A000
Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas lO10SO
Ditos d panno preto fine, forrados 10^000
Ditos dn casemira preta de cordao 105 e 125000
Callas de casemira corn differentespa-
drbes, de 55500, 65500, 85 e 10500(
Ditas de casemira preta sedan a 85 e 105009
Ditas de casemira do .cordao 65$500
Ditas de casemira preta 65000
Seronlas de creguella, obra muito bern
feita a 15200 e 15600
Dtas dc Hamburgo de linho a 15800 e 25000
Colletinhos para dentre, sendo de ere-
guella e muito bern feitos a 800 e 15000
oamisas, grande sortimcento de canisas
braneas, tanto francezas como ingleza?,
tanto de linho comb de algodao, sendo
do 25, 25300, 3^ a 65000
Ditas de z.etone de cor de 25, 25500 e 3*000
Meias, grande sortinento de meia8 rUIa5
para homens, de 320 rs. o par, at6 500
Collarinhos, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 55 a duzia ate 85000


Toalhas, grande sortimento de toalhas,
tanto para rosto como para banho, que
se vendem por preos muito razoaveis.
Tudo isto 6 eom grande redv.ao de precos : a
loja da esquina do becc On Ferreiro,
Novas setinetas -avrada a 500
Chegou para a loja dos Barateiros da Boa-Vista,
rua da Imperatriz urn grande sortimento das
a Wlindas setinetas lavradas, tend de todas as
C ores mais novas quo tern vindo ao mereado, ineln-
sivamente pretas, sendo a fazenda mais bonita que
tern vindo para a festa, e vende-se a 500 rs. o eo-
vedc, isto na loja da esquina do bocco dos Ferrei-
ros.
Cazemiras Inglezas a 2 O 6 e

Na loja d-s Barateiros da Boa Vista, vende-se
um elegant sortimento de ecazemiras de duas far-
guras, sendo inglezas e corn bonitas cores que se
vendem a 25500 e 25800 Q covado, sendo muite
proprias para costumes, e das mesmas tamcbm se
mandam fazer costumes muito bern feito de calca
palitot e college por 305 e 355, 6 grand xecinmcha
ua loja da run da Imperatriz n. 40 a r.iina do
becco los Ferreiros.
FuslOes a 400, 506 e 640
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem um grande sortimento de fuse.
toes brancos, proprios para vestidos e roupas de
creancas pelos preios acima indicados; isto na es-
quina do becco dos Ferreiros.
Lisinhas para vestidos
Aiheiro & Silva, a rua da Imperatiz n. 40 ace-
barn de receber um grande soitimnento das maia
bonitas lansinhas para vestidos, sendo alpaea&
de cordao ccr lindas cores a 500 Ps. o covado,
gurgurbed lavrados tendo de todas as cores a 50
rs. e ditos muito finos corn brilho de seda a 800 rm.
todas estas l ,inhas sao inteiramente mocernas, e
vende se na loja da rua da Imperatriz n. 40 a es-
uina do beeeo dos Ferre irns.


Engenho
Vende se o engenho Mt*rity, an*o.-. Gallo, na
comarca de Palmares, prompt doi,' -tqdo par
safrejar 4,( 00 paes : os pretendertes podem tr
vel-o e admirar a fertilidade do sen OwrenO-. 46
mesmoe se dirCA a raze perque se yie", -aWf.t-
secom L. daSilva Pinto, ao -ROaf, omI
meamo engenho corn J. Matheu JFermira..
cavall
Vende-se um lud eaIalto extrm. u ....a.-
a invit e heR ,p?? t P a


- -,~




'i~a~


p 'r .


. -. y ."^


'A


)




-f


i.-.-t


----'--5.
* 0.~


I- -


tE^^5


-.. .. ....
. :;g." a ,.--- S


[r 0r13




'5


--.'
W[ P~iAI#-&: PAUT^
0 VJSA-TOSWAS -
', ( Comnt aua co)


.F ,. A esperanca de tornar aver
". irritaVit a impaciencia de Vasse
h disse:
S- Meuielin esta demorando
: ataquo.
E- dirigindo o seu olhar para s
da estalagemn onde devia apparecee
te, vio o barco em quo o Pancrae
maya pescar no $artbe.
Francisco podia so ter se
aquelle barco para atravessar o
elle.
Tern razao, reipondeu Bern
esquece-se que Pancracio tomou a
,Io de tirar-ihe- os remos.
Depois, voltando seu pensan
Decididaunente o nosso Bel
cisco ito sabo nadav, accrescel
alegpsmente.
Com.a ida de que ia cm brov
a ver Gervasia, Vasseur impact
ceMrn ademora.
Meuzelin ntao apparece P
zAo nao atacamos immediatameni
: Francisco? di&se elle.
Nao, noit; responded viva
esqueleto, lembre se do perigo q
ccrrer Gervasia entree as m iaos do
ekasperado.
E insietindo e rogando para,
resistencia do tenente, que soe
por um ataque subito, continuous
Confiemos no .gente que
me apresentou coro o mais atila
dos. 0 seu piano dove ser born.
nAo promettemos segnir a risca tu
to elle ordcnar?
Seja! esperemos, concord
mente Vasseur, fazendo corn quc
amnor cedesse A voz da razao.
0 Vimra- 1'rits, emquant, obt
nho de causa, lanou urnm olhar a
chet e Lambert, querendo gar
todo, o se u process.
E lenbremrno nos de quo Meu
recominendon que nio fizescsmos fo
a quadrilha dos AIncendiarios que
nos arredores seuao em uttirnc
afim do evitar que elles caiam so
Logo ao princiro tireo os tratante
riam.
Esta phrase do Viu'a-Tripas
por fim servir de conselho.
Assim, tenernte, faria bem rn
nar aos seus homens que guards
pistolas que tem na ,aTo... Um
pode fazor corn que o dedo t
gatilho, e part e tiro quo devem<
Deixem as armas, ordenou
als sous homes.
Collocando as pistolas no cintu
*het resmungou:
Se ao smenos tivesse aqui
Sardinha!
A que chamaa tu Sardinha,
Fichet? perguntou Bernab6.
A minha espada. Um gendar
urna espada, garanto-lhe, vale n
que seis gendarmes corn estes bri
disse 'o espadanohim, mostrando o
dem pelas armas de fogo.
Um pequeno grito que soltara
mente o tenente, fez caom que o a
pas se voltasse.
'No angulo da estalagem acabav
parecer o agent. Corn o luar el
minhava-se seguindo a margem d
direccgo da Salina, corn o seu pas
e corn a attitude grotesca do Pain
O agent tomnara-se o estalaja
diculo que tanto fazia rir. Ia rep
segundo disse, o papel do peda90
cinho quo faria corn queo rato s.


seu buraco.
9 que traz elle nos hombre
guntou Vasseur, que naqpella diets
podia reconbecor o object.
0 Vira-TR'ipas, que tinha mel
ta, descobrio o quo era a carga d
jadeiro.
Eh! oh I disse elle rindo-so,
me que Meuzelin e da minha opi
-- Qual 6 a tua opiniAo I
Quo o Bello Francisco nAe
dar. Por isso traz corn que o tirar
culdades. Ha de ser engravado;


OLIEETIE



OIFILHODE ANTONY
POR

ALEXIS BOUIIER


4UART. A PART

Pertences-me como o homem,
desgraa


(Contin uago do n.
CAPITULO V


Am vemperanm do combale


Felippe ficou aterrado, magoava-o dev6-
s aquella palavra elle, que a cads mo-
*Bto, a cads phrase ella pronunciava
B- se rferia ao conde Ae Sancy. Quiz

2 -o quo 6 isto, minha mli per-
4.hd&me eat& a'rma.
I eA. brago, rhas en a fu-
u-. ue acabavam
at4s a cena, nia
fiI5iignal a Felippo


e p fa minha vi-


l-. l._.. .
!*; ..*- -* .


Oft,: pianono,^^ ? ^ ;
Uiores. Apprmx,^| 40 6000. 6en
;- cracio 0o13 110 lesear coar i feHh l 'rancano, qup,
como i06a,h, 9 -l-,, dfitito'higo que os
reombs 'crnmiriro que "- b Lrco o conduaa
Julieta, C vatoVs vc!o sahir do eacon-
drijo.
Gervasia Mas a voz do Magrie-la, at6 onto ale-
aur, que gre, tornou-se grave, dizendo :
Unicamente repito o quoe ja disse.
muito o Tenho mndo que elle de cabo do Meuzolin.
Era chegado o monme;.to do so dirigi-
o angulo rem A Sa lina, t:dvez pars estar prompt
r o agen- a feochar a ports no Incelndiario, so, depois
'io costu- que sahisse quizesso voltar pars o sou es-
condrijo.
irvido de Evitando fazer baruliho e coin passes
rio, disse surdos, os quatro homnens approximaram-
se da Salina o vieram collocar-so a um
Lab, mas dos lados da caboega de Magricela, que
a precau- passava al6nm do angulo da fachada e ob-
ser" a.a o que so passava.
aento: Sahio? perguntou emn vozbaixa Vas-
llo Fran- sear, que estava ao lado de Bernab6.
atou elle --Ainda nio, diss o lTra-7Tripas, e
apenas responded, levantou vivamente a
re tornar cabega.
entava-se Por cima delles, estendia-se aquelle
groso ramno que out'ora havia servido de
orque ra- forca ao pseudo-Salineio, e ao Pancracio.
te o Bello Depois deo cobrir em grande part o telhlia-
do da SaUina, sahia bruseamente por cima
amente o da port, protegendo-a corn a sua espossa
jluie pode folhagem.
o bandido E' exquisito, disse comnsigo Bornab6,
., irece que ouvi estalar outra vez alguma
veneer a cousa.
obstinava Mas tratava-se de cousa mais urgent.
: I Voltou para o suea post de observagao.
o senior Ent:Ro? perguntou o tenente.
,do do to- 0 peixo vai pegando, o peixe vai
E demais pegaudo muimurouIhe o aVi'a-Ripas.
ido quan- 0 Bello Francisco tinha effetivamente
visto o estalajadeiro chegar A can6a coin
lou final- os remos. Abrio a port o sufficient para
c o soeu passer a cabega o observar o Paio em pC
Os quatro companheiros estavam imnno-
,inha ga- veis como estatuas. 0 menor ruido dos-
;obre Fi- pertando o attengAo do Bello Francisco, o
rantir de preveniria da proximidado dos sous inimi-
gos. Voltaria entao pars o escondiijo,
izelin nos onde tinha encerrado Gervasia, e a moga
bgo sobre tiuha tudo a temer do pritneiro transport
esperanm da raiva que se apodoraria do colosso, ven-
recurso, 1do-se descoberto.
)bre n6s. i Eutretanto, o Vima-Trlpas, continuava
,s acudi- a segredar no ouvido dtie Vassenr, cuja
cabeea Ihe encostava no hombro.
s6 tiuha Vai cads vez mellior! A ratazana
Sdeixa-se cada vez attrahir mais.
em ordc- Era a verdade. 0 Bello Francisco ti-
issein as nha avan9ado um pass. 0 sea piano era
descuido bemrn facil de adivinhar : ia saltar ecn cinma
;oque no do estalajadeiro, logo que este chegasse A
os evitar. barca. Deitava-o por terra, e, senhor
Vasseur dos remos que Ihe permittiriarn utilisar-se
da embareaqAo, atravessava o Sarthe para
Lrao, Fi- ir A Julieta e conhecer a causa da sua im-
mobilidade.
a minha Como a aranha espreita a mosca que so
vai prender na sua teia, o Bello Francis-
cidadao, co, A port da Scalbn, deixava a suna viu-
tima chegor.
rme, corn Julgou final o momento favoravol.
iais que Comtudo, antes de se precipitar, inter-
nquedos, rogou corn o olhar os arredores do abrigo
sen des- que ia deixar.
0 Vira-Tripas nao teve tempo de reti-
alegre- rar a cabega quo passava. alem da esqui-
Vira-Tri- na da casa.
A um pequeno estalido que so fez ouvir,
'a de ap- avangou o nariz.
lieenca- 0 Bello Francisco acabava de fechar a
o rio na port, e tomando impulse, correu sobre o
iso curt" estalajadeiro, que estava do costas para
o em pe. Bernab6.


deiro ri- A' caglda, o rato sahio! annunciou o
resentar, esqueluto.
de tou- Immediatamente os quatro companhei-
ahisse do ros, deixando os sous postos, correram-
Ihe nas pegadas. 0 mais urgente para elles
os ? per- era chegarem a tempo para salvar o Paio
ancia nao em pe das mlos do gigante. Agarrado e
amarrado o scelerado, viriam em soccorro
hor via- de Gervasia.
lo estala- Preoecupado pole carreira, o Incendia-
rio nao podia ouvir os inimigos que Ihe
parece- pisavam nos calcanhares.
inmao. Ellos o viram, emquanto corria, tirar do
bolso e abrir urma grande faca. la ferir o
sabe na- estalajadeiro, que provavehlmento atiraria
r das dif- em seguida ao rio.
corn cer- Bern razaio tinha eu em dizer que


E ella ferio-se corn a arma.
Felippe soltou umn grito, e tauto elle co-
mo as testemunhas correram para junto
de sua inmai, que Iho cahio nos bragos.
Feiippe olhava para sua mini, naio que-
rendo acreditar no que se acabava de pas-
sar.
Vendo-a inanimada, elle collo-ou vi-
vamente a mao sobre o sen coragao e
sua mao ficou ensanguentada ; nao sen-
tindo pulsar-lhe o cora95o, tcve medo e
gritol :
Minha ruai, minhna ruai, respodirla-
mine.
Depois soltou urn grito desolador, di-
zendo :
EstA mortal, meu Deus !...
De Croissy e de Gesvres ampararam a
baroneza em seus bragos.
Felippe, louco de d6r, chorava.
Corn o barulho, os criados do palacio,
acordaram e acudirain...
O infeliz mogo cahio em uqia cadeira,
e solugando, dizia :
Minha mai! minha mai o fui cu a
causa de sua morte! Oh meu Deus! Oh!
rmeu Deus !
Levaram a baroneza para sex quarto.
De Croissy disse ao duque de Gosvres que
elle nuao a podia abandonar n'aquelle es-
tado..
Pedia-lhe que elleo so dirigisse ao lugar
omDbioado, e quo prevenisse Aquelles so.
nhores do que tinha acontecido, elle se en-
tenderia corn elhes para que o duello fosse
aiiaido por aligua-'as.
0 velho duque ( o.GWvres ficou bastan-
te descontentji mawW -itretauto cedeu aos
conselhos do. -
Sahio.: -
Di dwHs^ 6 cw^Fe ppNne'
DoA
lb. ~uno L.L


" ""
.' I ? -'
. A*-* '^ A


~A~4 ~ *


lerantou iia4^Id. e a taei .
Vasaeor, esquecnd6
to? A vista da arma..qte,
airfmeagava 0 policial.
Era muito tarde.
(Continda)


AtIEDADFES
= ; '- ,-_ -_-. .


Medics e renedlo
(Extrahido)
)Cone!u.io)


Nba posse, retorquio Jose
rindo: tenho outras id6as, atirei
a outra odalisca... Mas, s6rio;
me hoje do ti a proposito della.
era umn born casamento.
Tern alguma cousa ?
Nio, nao tern, mas 6 s6 o


uAgnasto
o leng"
lembrei-
Cr6 que


quo


lh,


falta. Sympathica, bern educada, intelli
gente, inmuito meiga; urma exccllinte crea-
tura... Nio to pe9o que to obrigues a
nada; so nao gostares ou tivcres outras
id6as, acabou-se- Pars conmegar vAs sab-
bado a umn casamento.
Nao posso, tenho outro.
-De quern?
Do Miranda.
Mas 6 o mesmo casamento. Conhe-
ces a uoiva?
Nao, s6 conhe9o o Miranda.
Pois muito bem rn; !A verAs a tua.
Chvgou o sabbado. 0 c6o trouxo duas
cores: umra azul pars Malvina, outra feis
o horrenda pars Juliota. Imagine se comra
que dor so vestio esta, que lagrimas lhe
nao arrancoan a obrigavao de ir assistir A
felicidade da outra. Duas ou tries vcses,
esteve para dizer quo nao in, ou simples-
monte adoecer. Afinal resolve ir e mous-
trar-so forte. 0 conselho de Maria Leoca-
dia era o mais sensato.
Ao uesmo tempo o bacharel Marcos di-
ziua consigo, atando a gravata ao espe-
Iho :
Que interosso tota o Jo-e Augusto de
me fazer casar, o logo corn a tal moga qu o
nbo conhego? Exquisite, reahnente... So,
ao inenos, fosse algumrna cousa quo mere-
cesse e pudesse...
Enfiou o college, e continuous :
-Efimu, veremos. A's vezes estas cou-
sas nascem assim, quando mrenos se espe-
ra... EstA feito; nao me custa dizer-lho
algumas palavrinhas amnaveis... TerA o
noariz torto ?
Na vespers, o Jose Augusto dizia a Ma-
ria Leocadia.
Queria guardar o segredo, mas jA
agora digo tudo. Ando vendo so arranjo
um noivo pars Julieta.
Sirn? "
E' verdade: jA dei uns toques. Creio
que a cousa pode fazer-se.
Quem ?
Segredo.
EstA bom, mas nao passe daqui; 6
um amigo, o bacharel Marcos, urn bonitq
rapaz. Nao digsada -a Julteta; muito
orgulhosa, pode recusar, se entender que
Ihe estamos fazendo algum favor.?
Maria Leocadia prometteu que seria
muds como um peixe; mas, serm duvida,
ha pcixes quo fallam, porque tio depressa
entrou no salao e vio Julieta, perguntou-
Ihe se conhecia um bacharel Marcos, as-
sim e assim... Julieta responded que nao,
e a amiga sorrio. Porque 6 que sorrio ?
Por um motive singular, explicou ella, por-
quo alguma cousa Ihe dizia que elle podia
e viria a ser a consolasgo e a desforra.
Julieta estava linda e triste, e a tristeza
era o quo mais lhe realgava as gragas na-
turaes. Ella tratava do dominal-a, e con-
seguia-o As vezes; mais nem desfargava
tanto, que so nto conhecesse por baixo da,
crosta alegre uma camada de melancolia,
nem por tanto tempo que nao eahisse be
espago a espago no muis profundo abati-
mento.
Isso mesmo, por outra form, o corn al-
guinas precaugoes oratorias, lhe foi dito
por Jose Augusto, ao pedir-lhe uina qua-
drilha. Come9ou par lhe declarar franca-
mente que estava linda, lindissima. Julieta
sorrio ; o elogio fez-lhe bern. Jose Augusta,
sempre philosophy e pacato, foi al6:n e con.
fessou-lho cm segredo que aehava a noiva
ridicula.


res pars as quaes nao ha balsam e que
s6 as lagrimas servem de allivio.
A dor que sentia o mo9o era urna d'es-
tas, tao legitima e tao sincera, quo s6 mee
recem o respeito.
Deixou Felippe chorando e lastimando-
se, o retirou-se sem fazer barulho.
Foi indagar dos criados do palacio quq
estavam agrupados diante da port do;
quarto da baroneza, e soube que ella respi-
r;ava ainda.
Um criado tinha ido buscar o medico, 9&
a criada do quarto e urma outra estavam
juntas da baroneza.
Mine. d'Hervey nao tinlha voltado a si,


mas o sea puls o ainda batia.
Do Croissy voltou immediataimcnute
junto de seo amigo
E disse-lhe que tivesro coragem e
nao chorasse.
Ello respondeu-lhi.:


para

quoe


Mas mniha mai esLA mortar I minha
mai mnatou se por ruminha causa.
-- Nao desesperes, disse vivamente-de,:
Croissy; s6be depressa ao quarto d'ellaI
s6 estA ferida.
JAt form buscar um medico. -,
Nao me mentes ? Fallas a vordade ?
Oh men Deus! meu Deus! nao podereo
supporter esta dOr!
E eneaminhou-se riapidamente para o-
quarto da baroneza.
As pcssoas que estavam na ports afas-
taram-sc asaim que o viram. "
Elle entrou e corre u para junto da ca-,
ma onde tiuiham deitado a desventurada
mulher.
Ajoelhou-se, e, eolucando, pegou-lhe
K-B mao. ... '
Minha mali, mii uthA eAda-me.
:edec"F-t-hei. .md. ,
a 11-1a11
-so' _... -
-. .."'. -,:' .^ ., ".' .?. ,% .. ".- ;


0 senWIs muito reprador, di.e
Juli4ta. on
.-& E NA@tBh6 estava glorioa. Oanvia
ga.dmar-we balls, e a noiva ridicule.
naag vietoas coormnes. E o Joe6 Angus-
to nao disae aqtlo pars oinoprimentWl-a.
Pode sor quo carregasse a mao no juizo
que fez da noiva; mas em rolagio a Julie-
ta disso a verdade, tal qual a sentia, e
coutinuava a seutir fitando os lindos olhos
da abandonada. Dahi a pouco apresentou-
lhe o Marcos, que Ihe pedio uina vidsa...
Julieta lombrou-so do que Ihe dissera
Maria Leocadia a respeito deste Marcss, e,
post nao o achasso rao, nao o achou tIlo
especiahnenta bell qua mierecesse o papel
que a amiga Ihe attribuio. Marcos, ao
9oatrario, achou a divina. Acabada a val-
da, foi ter coin Jos6 Augusto, onthusias-
mado. I
Realncnto disso elle, a tua recoinm-
mendada 6 uina sylphidlu.
Ainda bern. Bonita, nao?
Lindissima, graciosa, e conversando
muito born.
Ja v6s quo te nao eng ,nei.
Nso; e, realmento, 6 pena.
0 que?
E' pena que eu nao house.
Quo nao houses ? Mas, ousa, peralta.
0 que 6 que to impede do ousar ?
Ajudas-me?
Se eu mnes-o to propuz!
Jos6 Augusto ainda nessa noite fallout a
Julieta acerca do amigo, louvou -Iho as
qualidadcs solidas o brilhantes, disse-lhe
que tinha um grande future. Tainbem fal-
lou a Maria Leocadia, contou-lhe o enthu-
siasmo do Marcos, e a possibilidade de fa-
zel-o aceitar pola outra, pedio lhe o auxi-
lio. Quo ella tr. balhasse e Clio, e tudo se
arranjaria. Conseguio ainda dansar urua
vez corn Julieta, e fallou-Iho de casar. Ha-
de haver algumn coraglo nesta sala, refle
xionou elle, quo ,angre muito de amnor.
Porque nao d z isso corn mais siin-
plieidade? redarguio ella sorrindo.
A verdade 6 que Julieta. estava irritada
corn o trabalho empregado em fazel-a
aceitar umn noivo, naquella occasiAo, prin-
cipalmente, emin que era obrigada a fazer
cortejo a felicidalde da outra. Kao fahei
desta nwm do noivo; para que? Valeui
comio antecedents da acVAo. Mas que so-
jam bonitos ou feios, quo estejamn on nao
felizes, 6 o que alo imoporta. 0 quo isn-
porta unicamente 6 o que vai suecedcs
corn a rival vencida. Esta retirou se para
casa aborrocida, abatida dizendo men-
talmente as eousas mais duras A outra ;
atW a madrugada nuo p6de dormir. Afinal
passou por uina breve mordorna, atordou
nervosa e corn soinno.
Que mullihrsinha! pensava o Jose6
Augusto indo para casa. Embatucou me as
takes palavras: Porgque io diz isso corn
mnais sinplicidade2 Foi um epigramma fino,
e inesperado. E o ladrao estava bonita!
Realmente, quem 6 que deixa a Julieta para
escolher a Malvina I A Malvina 6 urma mas-
sa do came, sem feitio.
Maria Leocadia toeroe a peito o casarnen-
:o da amiga t Jos6 Augusto tambm. Jgu-
ffeta nno davasesperancai ; e, cousa singu-
lar, era mensa expressiva corn a amiga do
que o namorads desta. Tinha vergonha do
fallar corn a outra em takes materias. Por
ontro lido, a linguagem de Jose Augusto
era mais propria a fazere-lhe nascer o amor,
que ella sinceramente desejava sentir pelo
Marcos. Nao queria casar sem amor. Jos6
Augusto, posted que phiosopho e pacato,
adocava as suas reflexes de urea certa cor I
intima; alem disso, dava-lhes o prestigio do
sexo. Julieta chegou a pedir-lhe perdao da
resposta quo Ihe dera no dia das bodas de
Malvina.


S- Confesso, disse' ella, que o amor nlo
p6de fdllar corn simplicidade.
Jos6 Augusto concordou corn ease pare-
cer; e ambos entraram por urma tal flores-
ta de estylo, que so pirderamrn inteiramen-
to. Ao cabo de muitos dias, foram achar-
s A port de uma cavern, donde saiu um
dragio azul, que os tomou e voou corn elles
pelos ares f6ra ate A ports da mrtriz do Sa-
cramento. Ninguem ignora o que estes dra-
ges vyo fazer as igrejas. Maria Leocadia
teve de repetir contra Jalieta tudo o que
esta disse de Malvina. Plagiaria!

M. LA.


Lovantou-se, amparou sua mai nos seus
os, encostou-lhe a cabega sobre o pei-
-o cdbrindo-a de beijos disse :
Tu viverA, mininha mai, tu viveras !
-quero que morras !
Paroceu-lhe quo os labios moveram-se
para responder-lhe, que os olhos entre-
alwiramrn-so pars olhar para elle.
*--E soltou um grito de alegria, dizen-

:- Oh minha querida mni, perdao, es-
"tu prompto a obedeeor-te.
VO doutou chegou.
'I Calaram-se immediatamonte.
SElle inclinou-se sobre a doente.
.Felippo afastou-set emquanto a criadai
4sgava o. vestid. ;4 va a camisa,
Sleobrindo 6 AoltoeI el da baro-

'" ferimrento era umn 'lueo acuma do
i em direoglo ao brago, mangrava abuan-

usi9 0me doko .eI.vo atteutamen
a' erids, conapgq4"Ldo as carnes,
I B no rosto do
.qtz iM-iutp na o era mortal.
.....a.e98, jrinei'to quo tu-
....^ ui k urida, seme so

-* i tathScab 'u disse, voltando-
q tppp :m epalolW"


4


familiar, para p~axr o9pterro, dizcr mis. lA l~nto dewna yes ^iRlia
sas pela alma do de. o, sisfazer alga- Que quaoieaorracAam-rt lb.
mae dividas ant1aa.-' mti e i-ho ficaram e:
rn outros patriconio quo o do amor en. Mas nada! Anoiteceun! MN
tranhavel n.ur am & outro tinhaom. Rogando-te mil pragas, jet il -
Uf anjo veo mitigar as tristezas da- Na oama enfroei qnando to
trahael qu, m otrotiha. Rgadotom enfprthlqayQ ,jint
quell jar silencioso. BatoremN no meu quarto do repentw .
Qnando, Situato, depois do percorrer em
vlo o cAcs an busca deo umn assent no -Q prgutoeu, qom me pro
banco de urna laneha para poder levar -QS ou eu, venho a mandado donhdeproc
logo a sna mfti a parte que I corre~pon- -Sou on, venho a ma"ndado din ainl
logo a su m~ti a parts que flhn correlpon- Espefe, santo Dens I quanta slegris
dose do produnto da posea, voltava sua Espere, faz favor, qu'eu abro j.
casa corn a alma cheia do desespero soe faz favor u abro
Ihe sahia ao encontro a orphl Maria,
quo acompanhava a velia em quanto que Descalgo, levantei-me ; acendo a vela
die bus.;ara trabalho no porto, desarru- E todo inda envolvido na cobcrta
gava-se sua front c sentia alliviado o co- A ports escancarando muito alegre
ra9to. M'encontro cara A cara coin a Noberta
E como nao sorrir ante aquello anjo
louro de olhos azues -do cor azul quo to- -Que foi o que trouxeste ? Nato foi n
ma o mar nos dias esplendidos do verlo -N.Io brinques centupeia, anda, o qu(
Se do tez mais alva que as espuinas das -Sinhd no me den nada, sd me diam
ondas quo so quebram na praia! Qu'eu desso a vossurncS este pap*.
) aonavain corn amor purssimo e ci-
fravam um no outro sua esperana : Si
mao adogava suns' pcnas com a lembranga Zangue-me, espirri mauito e estive c
de Maria, e a orphA ao mirar o negro ho.- A dar na tal creada urea tapo a,
risonte de sua vida, s6 via um raio de luz Ma poude me center vendo que oulpn
--Sirnio. Nao tinha em cousa alguma a toleiron
Que felizos teriam sido os dous 1 Po-
6ren era precise renunciar ao dito sonho. Peguci no tal paper, era um officio
Os-pesares iam consumindo a existencia Pesado, volumoso, 6 cacetada,
da mrii do Simlo, e a infeliz velha se ex- No quai por fim de conta tu dizias
tinguia A forga (to tristezas e privates. Qa'estavas muito triste, envergonhada
Quanto nao houvcra dado Simia por pro-
porcionar a sua mri toda a sort de cuida- Por nao poder mandar-mne cousa algi
dos, e atalhar assiw, so fosse possivel, Nern mesmo urma gravata, algam collet
a molestia I Desculpas como aquellas qu'inda ha p
Sua viia era mais que a sua propria, Mandas-te me dizer polo bigte
era sou amor. 0 sacrificio era grande,
por6in, tinha que fazel-o. Li toda a cacetada o a portadora
Joanna. a filha do marinheirn Andr6. T.,,.ai f ,a rla d Asa .n a 7o


tinha post o seus olhlios nos negros, de Si.
mao, enamorando-se delle prirneiro, o ar-
dendo depois em furiosos zelos ao saber
que Maria era a donna do sou corarao.
A amrante desdenhada procurou em vAo
venccr a sua rival, e nao encontrando
outro rucio pars arrebar-lhe SimnAo,
ideiou, a malvadA explorer a molestia da
miti e a miseria do filho, e obrigou seu
pai,-um lobo marinho, a quern conver-
tia em cordeiro umn olhar seu, para quo
offerecesse A Simao sua mao, urn punha-
do de oncas e uma lancha da qual seria
patrAto.
Tinha dle decidir entro a mai e a ama-
da ; Simio vacilou, -- estes probleoas ter
rivcis nao so resolve promptamente ; -
poren, Maria se lan9ou em soeus bragos e
afogada em pranto, lIhe disse:
Salva tua mai, Simbo... Eu... ea...
morrerei de pena.
Ner deixou Ihe continuar o pranto nerm
p6de articular urma s6 palavra, porque a
dOr o impedia.
Nos bragos um do outro e misturando a
amnargura de suas lagrimas, os surprendeu
o prineiro raio de Inuz que entrnu na es-
tancia. Beijaram a front da velha que
iazia em profundo lethargo, dando naquel-
le beifo o adeus A sua felicidade, e se
separaram, elle para dizer ao mariuheiro
Andr6 quo seria o esposo do su a filha,
e ella pars chorar em silencio tamanha
perda.
A bods devia verificsr-se no dia se-
guinte.
(Continc).


IHunnorlsmo

LOGORO

JA viste como ands o candidato
Que foi taboueado na eleiao,
Todo penso p'r'um lado, taciturno
Sew prestar a ninguem maiseattento ?

Assim estou agora I todo penso -
Semn saber. mais andar exasperado,
Ouvindo a cada pass mflrmurarem :
Que logro que levou pobre ooitado!

E's ingrata do mais Nunca passou-me
Pela mente, sequer unm s6 instant
Levar dia de Reis serm tore um mimo
Recebido de ti, falsa, ineonstanto..
--Aquil-,em diss-e Felippe, deignado-
Ihe urma pequena secretAria collocada A
cabeceira do leito de sua mRi, quo a tinha
deixado aberta quando tirou o punhal.
'Felippe, quando procurava a tints e o
papet, vio em cima da tbmpa urma carts
na qual reconheceu a letra do baro d'Her-
vey, seu pai.
Muito admirodo, guardou-a immediata-
mente, e deu hugar ao doutor que se poz
a escrever.
Felippo metteu a carta no bolso do col-
lete o voltou para junto do sun maii, quo
pouco a pouco recuperava os sentidos.
Mandaram aviar a receita do medico.
Tendo observado as suas prescripcoe, a a
baroneza voltou a si mas muito fraca polo
rangue que tinha perdido; nao podia fal- s
lar; por isso move os labios, dirigindo o 1
olhar pars Felippe. Parcela feliz por vel-o
sO lado d'ella. 4
O mancebo comprehendeu o que ella pe- 1
i; pegado-lhe na mao inclinou-se pars
illas e' 41 :-
N~ada tol.,.minha mati; nao me se- {
paro de ti. .
Mas comprehendeu p lo sen olhar que
ella podia maim, e diseo:
Juro-te, minha mwi, que to te aban- t
iojiarei,-jc.e A tua cabeceira, renuncio por r
igbra a ease duello. Quando estiveres res-
atelecida, quando estiveres de p6, guiar- r
ine~as oitvirei os teus conselhos, o juro- .


te qae to e re. Descanga, fica tran-
1uila : .te, miurm mai, que na0
: ." '
a -

....-..


ura?

&I







ada,
ae?
e


[uasi

a
la.






tuea,
te.
ouco-


Que tenho na certeza que a tal doze
FarA qu'ella abandoned as commissoes.

A par de tanta asneira e tanto err0
Que tern o tal officio interessante
Eu vou citar um trecho mas temendo
Que possam me acwusar do ser massante.

Dizes: ( Devo tanto, os accredores
a Me avaexam polo dia tantas vezes.
( Qae nao poude mandar-te cousa alguma,
aNem Festas, Anno-Bor nem mesmo Rezasw

E n'csto portuguez e n'este estylo
Tu vaes por ahi f6ra, na carreira
Qu'eu nunca vi, confesso, em parte alguma
Dizer-se encarreirada tanta n.neira.

Emquanto me tratavas deste ;no.?
Eu tolo te mandei o meu present
Julgando ter em troca alguma cousa
Que havia de guardar alegremente.

Mandei-te um born calgo, roupa de banho,
Urma anquinha imitando a travesseiro,
Tintura p'r'os, cabellos pois usavas
Gastar mesmo da tinta do tinteiro.

Mandei-te um espartilho, um mantelete,
De fita bella facha pr'a cintura,
JA tinha combinado corn o dentist.
P'ra por-te urma complota dentadura.

E nada me mandaste Gastei tanto
Julgando tirar disso algum provto
Que hoje m'envergonho, pois de eorto
Tu has de mim fazor um born coneito.

Devolve-me o presented se nso juro
Embora estejas tu mesmo narua,
Tirar-te o espartilho, o manteleto,
Aanquinha e tudo mais suna peria.

Eu hei de me vingar Toma sentidoI
Conserva sompre o quarto bern fechado
Pois nao m'esquecerei um s6 memento
Que fui mais urma vez por ti logrado.


Recife, janeiro 9 de 1885.


PAULO PEREIRA.


A doente precisava deo algumas hois-do
repouso absolute.
Felippe ficou s6 corn sua mai. 0 medi-
co que elle accomparihou atW A ports, res-
pondeu ais suas perguntas inquietas, que
voltava A noite, e que s6mente entlolhe
diria a gravidade do ferimonto; at6 aquelle
moment nao o considerava mortal, pre-
cia-lhe quo o ferro tend entrado, um pOu-
co acima do seio, havia encontrado 1ma
costella, o julgava que nenhum orgo tiuba
sido offendido: mas s6 podia dar ura res- -
posta definitive na sua visits. .f, ,
At6 entao, a doente precisava de' wip-
cio absolute que lIhe a impedissem do ef&.
[ar, que lh3 poupassem qualquer emoga.-
O doutor tend intcrrogado, Felippe vio-
se obrigado a contar-lhe o que so tinha
passado. .
0 medico insistio do novo, cdoise,.. .
era precise dar ordem a todos l1
proximasse:n d'ella, que Ihe -,
se ella os interrogasse, va arranjado, quo o due-io % Ao tRMiL,; -
gar ; a catastrophe que sobrviera, b
tecidido as testemunhas a in .
sntre os adversaries. *.,.
Felippe, como era natural, con
'ia-se a auxiliar poelas suas declal?,
nentira. "
Tendo-se o doctor reti-ado, .'.
nou a criada, a unica pessoa
Lpprox1iar-se doe a m, a


parM-b sea Be
.- .'1*
.'" : *; \ ..
,. o .


, ,.. .. .,


*~ A.
L4-~~ 4r?~"~ '~-* ~ -


i


7i


..* *- .'




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED8QFUKQD_HX5GWM INGEST_TIME 2014-05-03T01:22:47Z PACKAGE AA00011611_13432
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES