Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13393


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*A


TELEGRAMIAS


(Especial para o Diario)

BERLIN, 15 do janeiro, A tarde.

Teve lugar Inoje a abertura da ses-
sao do Parlamecnto prussiano. A
mensagem re-u inenciona as b6as
relac6es exteriores e trata de ques-
t6es de interesse exclusivamente
macional. sem nenaumna declaracAo
notavel no ponto de vista geral.

PARIS, 15 de janeiro, A tarde.

Considera-se provavel a demissAio
do Ministerio da Marinha.

LONDRES, 1G de janeiro.

+ Em resposta &is propostas da In-
glaterra, rela4ivas a divida egyplia.
todas as potencias interessadas,
corn excepcao da Italia, remette-
ramn ao gabinete inglez uma contra-
proposta.

PARIS, 17 do janeiro.

Falleceu Edmnndo About, escrip-
tor e jornalista distincto.

Agencia Havas, filial em Pernambuco'
17 de janeiro do 1885.



INSTRUCCIO POPULAR


PHOTOGRAPHIA
(Extrahida)



Operates e processes photogra-
phicos
CAPITULO IV
RETOQUES, CORES E AUGMENTS BE. J.AA
(Continuagao)
"A proposito das cores contaremoes um facto que
nao deixa de ter algum interesse.
Em 1851 os photographs da Europa ficaram
completamente abysmados, per causa do urma no-
ticia extraordinaria, que lhes chegou de alum do
Atlantico.
Affirravam os jornaes americanos que.: um tal
Sr. Hill havia descoberto o modo de d reproduzir os
objectos corn a sua eor natural
Depois da curiosidade ter ja attingido o seu
auge, fez aquelle cavalheiro constar que breve-
mente publicaria tina obra, em que havia de di-
vulgar os segredos da sua descoberta, mas que s6
tiraria tantos exemplares quantos fossem os phio-
tographos que assignassem, devendo cada exem-
plar ser mandado, lacrada e sellado, mnediante urma
ibra esterlina, a adiantadamente paga. Para que
nao podesse hayer duvidas em alguus espiritos
mais meticulosos, andava polos jornaes um attes
tado corn varias assignaturas declaraudo ser o Sr.
Hill umrn respeitavel ecelesiastieo digno de today a
confianga.
Appareeeu final o livro : um livro eorn 100 pa-
ginas (quando muito), conter-lo umas descripg6es
de processes de photographic, mas... serm dizer
urma unica palavra sobre as cores !
Tinha arramado comn aqjuelle logro a bagatella
de quinze mR4 dollars (14:_: )0'J' aproaimada-
mente !)
Becquerel eensegulo, por. reprodueir real-
mente as cores do espectro.) d seguinte modo :
mergulhava una lamina de prara em acido chlorhy-
drico diluido, e 'ligava-a a un ho de uina pilha;
a prata cobria-se de umr-i cn,.,la ,lc sub chloreto
de prata cor de rosa, rethrava- a do banho, lavava-a
seecava-a, e expunha-a aos rioas do espeetro solar
obtidos pelo pristmna; as sete cores appareciam
logo corn as suns tiitt: correspondontes.
MAis ap;lims a lnz do. sol incidia sobre elas, des-
appareciam iminediatamente, e nao havia meio do
as fixar.
Varias experioieias so teem feito n'este sentido,
mas nio teotn sida imais felizes nosee seus results-
dos.'
Em 1874, na erposi.;o de photographba que
houve em Paris no Palacio da Industria, Vidal
apresentou umaspkhotoqraphias per elle obtidas por
meio da sobreposielo de papeis que dispunha de
um mode particular, p1Vtographias que apresen-
tavam cores nas sombras, mas eram poueo nitidos
n :seus detalles e nao tinham meias tintas nen
asmombreados.
Ducos de Hauron consegaio resultados notaveis
arranjando urma series de eliehes de um mesmo ob
jeeto corado atravez d vidros de differentes co
wee. -1
Pode-se pois concluir que o problema e difficil
mas que os resultados obtidos diao .jus a espera
que swa realisavel.


(PARTE onicuAL.
PARTE OFrIGIlL


S
3





i


Governo da Provinela
- Palatio da presidencia de Pernambuco,
| 'em 12 do jauciro do 1885-4' sec9lo.
0 D presidents da provincia para execu-
g. do art.3* da lei n. 1832, de 28 deju-
uh. de 1884 resolve expedir o seguinte
. ,. .zwulamento da Commissio Redemptora.
/Art ,1. A spplea Io do iundaprovin-
,.,. d'" 46 do 15 do 'aio do 1983, compete a
fil. ~coawiwsso redepto*ra, composta d'
mwbmbrn nomnaido dented
,os 0 ".g


S
si
i


Art. 3.o A conmmissao tera para o sou
servipo e expediente 'os segaintes livros
abertos, numerados e rubricados polo se-
cretaria da provincial: UMn para inscrip-
.9o, em iorma de mappa, dos libertandos
pela ordem da apresentaglo. Um livro
caixa em quo se escripturem, em form com-
mercial, a entrada e applicaglo das impor-
tancias do fund. Um para registro das
cartas de liberdade concedidas.
Ar. 4. Toda a correspondencia da
commisslo serA assignada pelo president
e o secretario.
Art. 5.o Ao secretario competirA a es-
criptaragio dos livros de inscrip9lo dos li-
bertands e do registro dss cartas.
Art. 6.0 Ao thesoureiro competiri a es-
cripturaglo do livro caixa, o levantamen-
to de deposit do beneficio das loterias e
outras importancias do fundo e o paga-
mento feito aos senhores dos escravos.
Art. 7.0 A commisslo enviara trimen-
salmente ao president da provincia um re-
latorio de seus trabalhos, acompanhado do
respective balancete.
Art. 8.o Logo que for instalada a com-
missoe e d'ahi em dianto de tires em tires
mezes, o secretario annunciara pela im-
prensa, per quinze dias o reeebimento de
propostas para liberta9gAo de escravos as
quaes keverao, center: 0 nome e a resi-
dencia do senhor; o nome, a naturalidade,
filia'io, cor, idade, estado e residencia do
escravo. 0 pre9o da alforia e a importan-
cia do peculio si o houver; a matricula ou
certidao d'ella, quando a proposta for feita
pelo senhor do escravo.
Art. 9.0 Os libertandosdeveora o serapre-
sentados A commission no dia por esta mar-
cado e annunciado pela imprensa.
Art. 10. Serlo libertados de preferen-
cia entire os escravos de melhor comporta-
monte e robustez physical, os que forem
mais baratos. Sem embargo disso pode-
reo, entretanto ser preferidos os que (em-
bora .de maior pre9o) per si ou por protec-
9ao de quaesquer pessoas estiverem em
circumstancias mais favoraveis de encon-
trar logo ap6s a libertagio, meios faces de
subsistencia, provenientes de trabalho pro-
fissional ou industrial,
Art. 11. Depois do recebidas as propos-
tas a commission rcmettera ao president
da provincia uma relaVIo dos escravos, que
estiverem no case de ser libertados, de-
clarando os motives da preferencia nos ter-
mos do artigo antecedents.
Art. 12. A presidencia declararA quaes
os escravos que deverlo ser libertados,
send as respectivas castas passadaa, pela
mesma commission, segundo modelo que
serA submettido a approvaggo da presi-
dencia.
Art. 13. A commissaNo podera receber
em favor do fundo do emancipailo provin-
cial quaesquer donativos ou legados, do
que darA part immediamente ao presiden-
te da provincia.
Sancho de Barros Pimentel.


DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 16 DE
JANEIRO DE 1885.
Bacharel Alfrodo Moreira de Barros Oliveira
Lima.-Mantenho a decisalo constant do officio
dirigido A. Thesouraria |de Fazenda em 3 de BO-
vembro nltimo.
Basilio Luiz da Silva. Ao Sr. juiz de direito
da comarca de Ouricury para declarar se o peti-
cionario j A interpoz alguma vez recurso de graga;
e na aflirmativa, em qne data.
Diogo Carlos de Almeida e Albuquerque. -Re-
mettido ao Revd. Sr. r-egedor interino do Gymna-
sio Pernambucano afim de inscrover o menor para
ser admittido quando houver vaga.
Francisco Libanio C<>As.-Remettido ao Ilevd.
Sr. regedor interino do Gymnasio Pernambucano
:lim de inscrever o mcuor para ser admittido
qnaudo houver vaga.
Francisco Domingos Ribeiro Vianna.-A' vista
da informacgo di. Thesouraria de Fazenda, nao
ode ser tornado cm consideragiao o pedido, por-
queo alsin de estar encerrado o exercicio financei-
ro, aceresee que o peticionario, per intermedio de
seu piocurador, nao declara a proveniencia dos
vencimentos, cejo pagamento reclama.
Franciseo Barbosa da Silva. Informe o Sr.
Dr. juiz de direito das execuioes criminanes da
comarca do Recife, tendo em vista o officio desta
presidencia de 22 de maioe de 1882.
Capitao G. Westermareihe.-Sim, page o porte
pelo supplieanteia administragiclo dos Correios.
Jos6 Feliciano Bezerra d'Aguiar. Sim, me-
diante recibo.
Joio Francisco de Oliveira. Aguardo a guin
solicitada. pelo Dr. juiz de dir 'o das execuages.
Capita'o J. C. Andersen.-Er.%.amiuhe-se, setdc
pago o port pelo supplicant na administragi(
doe Correios.
SIrmandade do Santissimo'Sacramento de S. Jo
se dieta cidade.-Apresente oargamento da despe
za a fazer-se com s concertos de que trtcta.
Maria Bemvmnda Leal de Barros. Ao Sr. Dr
chefe de policia pars providenciar em terms.
S Manoel Antonio da Silva Morcira. Informe
junta classificadora de escravos do municipio d
Recipe.
Manoel Ignacio das Candeias. Remettido a
i Rvd. tSr. regedor interior do Gymnasio Pernam
bucauo para attender nos terms da suajnforma
Maria Adelaide de Carvalho. Informe o Si
inspector geral da Instrueqo public.
Manoel Rodopiano Barbosa de Santa Barbara
-Nada ha quc deferir em vista da informacgo d
juiz do direito das exeung5es eriminaes.
Secretaria da Presideneia de Pernaminbu
co, 17 de japeiro de 1885.
0 porteiro,
I ,: J L. Viegas.


lmastruaea Pu*Riea
DESPACHO DA I5JC1i&.A'0RAL DO DIA
14 DE &AMIRO DE 1885
Porfiria Jesaiua Baptita da Silveira.-Erea-
uma P.-d" a ,tN zegilts- us'-. :.,-


tlarinda Ribeiro da Qunha Guimarges.--Cum.-
pra.-se e registre-se e marco o praso de 20 dias
para entrar no goso da licenca. -
Benjamim Martiniano dos Anjos. Euaeami-
nhe so.
Telesphoro Lopes de Siqueira.-Encaminhe-se
Socretaria da Instruo9lo Publica de
Pernambuco, 17 de janeirao de 1885.
Pelo porteiro,
Jose A. de Mdlo.

Repartloo da Pollcla
Secro 2.1-N. 45. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 17 de janeiro de
1885.-Illm. e Exu. Sr.-- Participo a V;
Exe. que foram hontetu recolhides A Casa
de Detenglo os seguintes individuos :
A' minha ordem, Maria Gerwana da Conceigao
e Henrique Antonio de Souza, -cate vindo da co-
marca de Jaboatao, como r6o prcnunciado e a
aquella como alienada at6 quao possa ser tranafo-
rida para o respective hospicio.
A' ordem de subdelegado do Recite, Manoel Ru-
fine de Paiva Camara, Antonio Rodrigues da Cruz,
Rufina Antonia Maria da Concei*o, Joanna Ma-
ria da Concei'o, Leonidas Maria da Conceigeo,
Justina Maria do Espirito-Santo, Josefa Maria.
Concei*o, Maria Josefa da Conceigao, Mariaw
ConceiVo Oliveira, Maria Magdalena do Espirito-
Santo e Francisca Maria da ConceiVe, por distur
bios.
A' ordem do subdelegado do 1 district de S.
Jos6, Manoel Francisco da Costa, tambem p ir dis-
turbios.
Communicou me o subdelegado da freguezia da
Varzea, que as 9 horas da noite do dia 15 do cor-
rente, o crioulo Manoel Francisco Clemente, co-
nhccido por Manoel Birbalho, ao pnssar pala es-
trada donominada S. Jolo, for& preio por pessoas
que fazem ronda alli de ordem do Bario de Muri-
beca.
Preso Manoel Francisco, foi conduzido aquelle
engenho e ameacado de ser espancado.
Tentando fugir recebeu urn tiro que o foria gra-
vemente na perna direita.
Dirigindo-se o subdelegado ao refeorido enge-
nho, encontrou o offendido sobre o ladrilho de urnm
dos quartos da senzala, sem ter recebido tratamen-
to algum, pelo que procedendo a auto de pergun-
tas, que confirm o que flea acima exposto, fel o
recolher ao hospital Pedro II, e prosegue nos ter-
mos do inquerito.
Deus guarded a V. Exc. Illin e Exm"
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
digno president da provincia. --0 chele
de p.)alicia, Manoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.

Thesouro Provincial
DESPACHOB DO DIA 17 DE JANFJRO DE
1885
Anna Pereira da Silva. Informed o Sr.


Dr. administrator do Consulado.
Jose Francisco Muniz.-Informe


o con-


tencioso.
Philomeno Raymundo Nunes Lima.-
Registre-se e fagamrn-se os devidos assenta-
mentos:
Bargo de Matozinho. -Junte conheci-
monteo de decima do ultimo semestre,evisto
ser o exhibido do relatorio anterior.
Thesoureiro das loterias do fundo de
emancipa9io, Manoel Cavalcante Coelho e
Antonio Florentine de Barros Guebra.-
Haja vista o Sr. Dr. procurador fiscal.
Manoel Fernandes Velloso.-SatiBfaka a
a exigencia da contadoria.
Joaquim Moreira Reis. Intorme o Sr.
Dr. administrator do Consulado.
J. J. Alves de Albuquerque. -Informe o
Sr. contador.
Manoel da Motta Bastos.-Informe o
Dr. administrator do Consulado.
Joaquim Jos6 da Mata Ribeiro. -Remet-
tide ao Sr. collector do Bom Jardim para
quo junto aos papeis a que allude e so fo-
ram-lhe a informal em 25 de outubro do
anne findo, de a informa9io que lhe f.)i ex-
igida corn urgencia.
Junta administrative da Santa Casa. -
Volte ao Sr. contador.
Alves & Irtnlo. Informed o Sr. conta-
dor.

Consulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 17 DE JANEIRO DE 1885
Luiz Cesario do Rego. A la seegao para at-
tender.
David da Silva Maia, Helena Rosa de Jesus,
Antonio Paes Barrette dos Santos e Maria There-
za da Silva Duecla. -Informe a la secgo.
David Parck.-Cumpra-se.
Luiz Antonio de Siqueira. Informe a 2a sec-
00o.
Antonio Joaquim Cascao. irija-se ao The-
souro Provincial.
Baltar Irmlos & C.-A la sccgio para os devi-
dos fins.
SAntonio Joaquim Casiao. Sim, averbadas as
escriptnras annexas.
Anna Joaquina Alves Pedrosa. A la secure
Spar attender.
Joseph Kranse & C. Sim, vistas as informa-
goes.
Manoel Floriauo Vieira Pessoa.-Certifique-se
Christina Maria da Conceig1o. Inforne a 1'
Ssecge.
C4armo & C., e Manoel dos Santos Falco.-
Ceitifique se.
Luiz Antoniode Siqueira.-Deferido quanto aos
Stermos assignados ein 31 de outubro e 21 de no
vembro de 1881 e indeferido, com relaqao ao tcr-
mo sob o n. 25 assigiado tambem cm 31 de ontu
r. bro d'aquelle anne.
David da Silva Maia. Certifique-se o qun
constar.
o Ferreira &. C. success.'.res.-Sim.
Joao Paes de Oliyeira.-Intorame a 2a secco.
H. Nuesch & C.-Indeferido em vista da infor
L- maago.


Camara Eua4eipal
A&CTA DA SESSAO EXTRAODAlPIAIA DA
CAMERA MUNICIPAL DA CIDADE DO
RECIPE, EM 8 DEU JANE[ROD ) 1885.
PYESIU5s CA D0o81, iL CARi'Q .D
*o ( ..o 7 .J. ..... :


Aoa otto dA
oiLto cento
z" As It -4'


Em seguida, obtendo a palavra o Sr. Dr. Barros
Rego dissane que o actor 6 regular; que reconhe-
condo o Sr. Dr. G6ea Cavalcante come reconheceu,
que o Sr. Dr. Carneiro da Cunha convocara legal-
monte a sessao, para hoje se proceder A eleigio de
presideute, e vice-presidente, e nomeagio de comrn-
mnisarios, per ser o mais votado dos sete, que es-
tiveram presents A sessae de hontem, terceira
frustrala por falta de comparecimento de numero
p legal, uao podia a convocaao ser annullada por
acro do president fora de sessio realisada ou
frustrada.


de ensino superior
& Parecer do Dr. A Coelho Rodrigues
0 Esta question prende-se de tal mode Ao 14a que
r na0o possvel resolvel-a sem lembrar, ao menos de
u passage, os principios, que preside A solug.o
da sua antecedente. E' pois, o que faremos.


Que qpanto ao fact de residirem alguns verea- 0 direito de aprender 4 um direito natural, co-
dores fora da cidade, e de serem convocados tires me aoe todos aquelles, de cujo exericieio depend o
supplentes em lugar de umn, nio podia o mesmo Sr. desenvolvimento do homernm no tempo e no espago ;
Dr. G6es Cavalcante concluir pela irregularidade per que 4 a sciencia quern descobre-nos o segredo
da sessao, porque todos estio presents, a excep- das forgas naturaes que nos assoberbam per todos
glo do Sr. president, o que provava evidente- os lados, e nos ensina a empregar em nossoe bene-
mente que o eonvite chegara a tempo; que quanto ficioeaquellas mesmrnas, que parecem mais incompa
ao numoro dos supplcnte3 convocados, faltavam tiveis corn a n sst Existenci.
dous e io urn, e que a lei o que nao quer a que Ao direito de aprender segue-se logicamente o
se juram.nte numero maier, do que o necessario direito de ensinar; por que o homcrnm tem direito
pars que possa a Camara funccionar; e concluio a tudo qaanto 4 necessario A sua conservagao e
pedindo a rcjeiclo da proposta, e que ose procedessc aperfeoiamuento, e sem o ensino, qua e a traas-
A eleicao. migsno do saber, elle viveria estu lando perpetua-
Eucerradi a discuassio, o Sr. president, divi mnnte os rudinmentos da sciencia : malpoderia con-
dindo a proposta em dunas parties, coma toi recla- servar-se, nunca chegaria a progiedir.
made, pos a vwtes a primeira part, isto, 6, que Corn a sciencia as faculdades do homnem slo su
nao tenha lugar bhoje a sessio convocada pelo Sr. periorei s suas necessidades; sem ella estas so-
presidente da reunite de hontemn pars a eleigao do riam supermores aIquellas.
navo president, e vice-presidente; nmo foi appro E parece quo o Creador, prevenindo o egoismo,
vada, votando s6mente A favor os Srs. Drs. G6es que 6 o calcanhar de Achilles da humanidade, quiz
Cavalcante, Jose Osorio, commendador Neves e que, ao inverse das riquezas materials, o cabedal
coronel Decio, totando contra per conseguinte os da intelligeucia pudesse ser transmittido todo e a
*ais Srs. vereadores. todos sem que o transmittente fioasse-.mais pobre.
S-Posta ,A votes a selunda part, isto 4, que fique Longe disto o esforgo, que fazemus pars ensinar
Ibado o preeedente, de que nao podera o presi- aso o-tros o que sabemos, faz-nos ficar sabendo
Iate da Caman ou quemn asu vezes fizer, mo melhor aquillo mesmo, que jA sabiamos : docendo
r ao t&s do n antecensor, que convocou, ou disco..
d-'- IpMw a dqfefs o w oj toi apprdvadi Quen sabe senate, e quanto mais sabe mais sen-
tea inecessidade de nao sepultar coneigo o fruto
s.41" douta Sr. president ordenon do -mons estados.
lusue--kgg WI d:a at, is u Le ,.tS D'ahi a liberdade doeasinar, tionecesaris a
M 'ot e, fdibnaid, fol fin ibirdade de prender Urma sem a oUtrt'ficaria
: ......... -, ~ .. iuanompleta; -to duas coanjunctameute expfeam to-
aj]|^^." 00 4 6 s ndo ajustifica s am maia
d6teino 6 mvimdi-
m 4o ~a o~4ii* -dcp od "osj
N 1 ipee ieo lm
..m-p dd r d w


sideu e viee-presi.dente, e decihron aberta a sea-
Comegando o seeretario a leiCR*A da acts da an-
tecedente, o Sr. Goes Cavalcante ebteaud a pila-
vra ptla ordem, disse que a Camara proeedia ire-
gularfaeAte funccionando" hoje, tendo sidle a ses.
sAo oduvoeada para o dia 12 per aeto posterior
do prsimente effective, que compareceddo depois
de dpsOlvida a reunito de houtem modificou a
convosaho feitas polo president interinao o Sr. Dr.
Parnetri da Cunha, per entender nao hater tem-
po pa avisar-se a todos os vereadores, morando
algu8 .fora da cidade; e ainda pala circumstan-
cia de terem side convoeados tires supplenteo,
quando tos termoaes' da lei faltando apenas dons
vereadores par constituir numero legal, s6 de-
.iam aer convocados tambem done supplentes.
Quo em takes eondig5es, feita a etoerco hoje de
presidents e viee-presidente #esta Camara, seria
um ae0o mullo, firmando,-se o precedente, de que o
president da Camara nio poderA alterar a convo-
eacaoeara qualquer sessao, que tenha side feita
pelc ap antecessor, qualquoer que seja o motive.
Die mais que elle e seas amigos, que tiveram
scien das convocag5es do Sr. president interi-
no e effective, 6 compareceram para fazerem
effect sus Ieclamaglo com o fim de se no pro-
ceder 'tiJe a uma eleicAo irregular e nulla; disse,
final. "e, que neste sentido mandava A mesa uma
popola para ser submettida A delibereogi da Ca-
lra, qual 4 a seguinte :
c I pho que nio tenha lugar hoje a sesslo
conv da pelo vereador mais votado desta Cama-
ra o Carnleiro da Cunha, quo presidio a reu-
niao l hontem, dia designado para as sessbes, na
falta presi iente effective; o qual por acto pos-
terior ignou o dia 12 para a sesaio, em que de-
verA oeder- se A eleigio para president e vice-
presi te da mesma Camara.
E ilvendo esta que haja sempre hoje dita elei-
9,1o, firmado o precedent de que o presiden-
te da amara, ou quem suas vezes fizer, nao pode
modi& i o aeto do seu antecessor, .marcando dia
para quer sessilo. Recife, 8 de janeiro de
1885 Oes Cavalcante. )
Poi em discussio a proposta o Sr. tenente Vie-
gas ido a palavra, discorreu na apreciagao da
prop] e entire outras consideracoes disse que
ella itinha duas parties, sobre cada urma das
que(eve have. votaailo;
Q .quanto'a primeira part e essa votacio se
manUI posi a convtacio da primeira sessio
do an* pro-presidente o Sr. Dr. Car-
neiro .da a, estL na orbit das attribuigoes
de quim una reunion de Srs. camaristas,
emborl a per altaa de number para haver
sessao- vrando-se disso um rterino, Q que, dissol-
vida a'reunio, era corm effeito president da Ca-
mara 4 effective, mas que nbo tinha este superio-
ridadeltal, que nullique ou disfapa as medidas to-
mada ao term assignado polos vereadores que A
ella afistiram, a menos que o president queira
exaunQaro sen college, pro-presidents e os mais
que e pvam legalmente reunidos, send, que os
que fItram sao os que estavam t6ra do lei;
Que, quando mesmo a present sesslo nio efosse
convocada regularmente, bastaria a maioria da Ca-
mara ter aceitado a convocaglo, comparecendo,
pars a tornar legal e legitima; a prova, pois, de
legalidade da convocai0a, estava no compareci-
mptoj.u8ua collegask que faltaram hontem, por
saberem que embora continuassem hoje ausentes,
a Camara tinha numero legal para fazer sesase;
e que, sendo esta a primeira do correute anne, por
forca da lei deve-se proceder A eleigio, nem a Ca-
mara podia adial-a em vista dcs terms pasitivos
da meema lei; por isso nieo ha razAo que justifi-
que a prop sta em discussion.
Quanto A allegagio de morarem f6ra da gidade
alguns Srs. vereadores, e por isso nao receberem
em tempo o avise, nio. procedia, porque mesmo o
Sr. Dr. Correia de Araujo, que reside em S. Lou-
renue da Matta, o recebeu, pois hoje aqui esteve
present.
Que puanto A chamada de trees s ipplentes, ne-
nhuma i rregularidade envolvia, porque havendo
na reuniao de hontem comparecido sete Srs. ve-
readores, faltando dons s6mente para attingir o
numero legal, seriam juramentados e tomariam as-
sento dous supplentes somente, send quc a con-
vocaclo de tree supplentes toi mandada fazer ad-
cautelam pelo Sr. president, o que foi de born avi-
so para que nao deixasse de hayer numero no ca-
so de fata de um dos convocados; e isto nao era
case nvoe nests Camara.
Quanto a segunda part da proposta, nao achava
alcance algum, pois o priacipil, que se procarava
estabelecer, jA 4 antigo n'esta Camara, isto 4, que
oapresidente effective nio pdde destruir os acts
do pro-presidente, porque as fnncoges d'aquelle
sao exercidas em pleno use par quem legalmente
substitue, nio s6 nas sessbes frustradas, coma em
qualquer impedimenta.
Que irregular a nunio era o procedimento de so
mandar fazer nova convocacao, estabelecendo-se
assim completa anarchic: que entretanto o coin
parecimento dos seus colleges, punha A limpo o
procedimento do Sr. Dr. Carneiro da Cunha; e
que nalo fazia questio da segunda part da pro-
posta, que so os Srs. da grove de honten poderio
negar a eleigao hose, contra a termmante diaposi-
gio da lei, o que era plantar assim a anarchia,
come disse, e concluio que em todo o case se de-
via approval a 2a part da proposta em sua inte-
aridade.


. .. .. ... ..... ... .. -a
:-= .'..'.:. ,'^ ; .6,
:. .... :i r, i1, i


- 55
-ass


o .-.
_. .
.c .
)..: 2. f'..J : -. .
..-.. ...^ :... ,: ; ; ". '.


* ,-


5 4 -- .,, ....
ti **.
-.:. : .,,m~ s i ., .;-


/1


0.


gulamento n. 8,213 de 13 de Agosto do mesmo que este per consequencia rno p6de suppri--il-.
ann.. nemo to pouco mutilal-o; porque elle s p60& te-
Em seguida propo* o Sr. Dr. Barros Rego pars o qu d, e suppnm oqne rO pal .a-
mar o que di, e u 'pprimir ov ne erd. peli eWa.-
presidentp o Sr. Dr Carneiro da Cunha; e con- positiva, a equal embora dependent do mio
sultada a Camara sobre esta proposata. Votaram a da circu tancias, qu varia O tepos e
.e dos eircumstaneiai, que vanam com os e a
favor oa Smra. -Drs. Barros Rego, Joao Augusto, logares, 6 tanto mais perfeita quanto mai N OasA .
coronel Octaviano de Souza, padre Mello, tenente xima das leia uaturaes,isto 6, das relag-aw nw -
Viegas, eapities Tornes e Silva Neves, e Cussy saias, que 4erivam da natureza dasn ..u .
do Rego, obtendo assiam o Sr. Dr. Cafmeiro da Cu. A misao principal do entado 6 gaaatr em,-
nba cito votes; e contra a proposta votaram, no pleta expanse do direitos nature. e-eivUd- o
Sr. commendador Moraes, os Sra. Urs. GOes Ca- cada home, sem preizo da ordem qu 4 4e .
valcante, Jos Osonrio, colonel Decio e common- xinmo interesse commum e a pnm ira oMsadic
dador Neves. garantia desses memos direitos: sub ge hSir-
0 Sr. Dr. Carneiro da Cunha votou no Sr. Dr. ta, 1'.
Jolo Augusto; per eonsegaminte ficou eleito presi- s retrico, que oppe as vezes o plen.
-9. &. a resriegoemque o oe'is vezes so pleno ex.
dented da Camara o Sr. Dr. Antonie de Siqueira ercicio destes,iou nao 'o lgitimas e devem.as-
Carneiro da Cunha. s ar, ou sao inevitaveis e determinadaspela neeeisi-
Em seguida deolaroa o Sr. president que ia dade da coexistencia pacificA da liberdade do .adk
proceder a eleigao do vice-presidente, e propondo um corn a liberdade dos outros, e eis poruifisa
o Sr. Dr. Barros Rego para este cargo o0Sr. padre Cicero: omne Zegum servi umws u t 4 eri ampo.-
Mello, o Sr. president, consulton a Camara, e ims.
votaram A favor da proposta os Srs. president, Emquanto todos os membron do corpo NoWi
Drs. Jolo Augusto, e Barros Rego, eoronel Octa- wantem.se na uas espheras propria, 0 Pod
viano de Souza, capitaos Torres e Silva Neves, e deve funcionarsemfazer-se sentir, comeo a ok,
tenente Viegas ao todos soete votos, pelos quakes, que s6 nos adverse da sua presence quando alga-
constituindo maioria dos Srs. vereadores presen- ma forea estranha vemo perturbar seu movimente
tes, ficou eleito vice-presidente o Sr. padre Mello. normal; pois o exercicio da liberdade 6 a regra e
Tambem obtiveram votos os Srs. Dr. Jose Osorio o powder 6 a excepio.
dous, commnendador Neves treea e capitao Torres Dizer por6m que a liberdade do ensino 4 umdi-
um voo to. reitoe natural, nao 6 dize4 que seja urn direitoabh,
Sendo o Sr. padre Mello proclamado vice-presi- solute; pois nerm todos os direitos naturaesa os
dente, pedio a palavra pela ordem e disse que nemr ha rigorosamente direito absolute na vida sw-
agredecia a subida honra que h Camara lhe ma- cial, onde atW o de conservao p6de achar se am.
nifestava corn a votagio de vice-presidente; visso conflito corn outro e em condiccoes de ever ce-
come, send mao o seu estado sanitario, nAo podia der.- lhe o lugar. -
ser assiduo nests edilidade, e adduzindo outras E' certo que o pensamento, emquanto subjective
considerac5es, concluio, pedindo venia para es- nao cahe debaixo da acAo, nem esta sujeito A re-
cusar-se do cargo, para que f6ra eleito. press social .cogitationi p-na n p .
Sr p "ndet obevns are Me" reosca (cgttinapcn- nmptiu)
0 Sr. president observou ao S. padre Mello que, ainda manifestado em f6rma critics, embor
que o cargo de vice-presidente nao era oneroso,,; apaixonada e improcedente, As leis positivas,a m
que a Camara terA de sentir a auseucia de tAo il- dove estar aujeito A sanc.ao penal; porque o mae
lustrado e dedicado vereador; que s acertada es- de reprimir o erro nao 4 punil-o, 6 refutal-o: per.-
colha, que a Camar'a acabava de faxer, era. a. field suadere non cogere, come dizia Santo Agostinho
expressao de reeonhecimento dos ans servigos qne fallando da religilo.
o Sr. vereador tinha prestado a Zamnara corn as A repressio das opinies 6 como a corrupgo
suas luzes, e ao municipio corn a sua incansavel dos eus defensores; p6de import o silencio, mam
actividade, e que so a Camara, a quem ia consul- nio gera a convieao ; p6de lazer um martyr, an
tar, competia conceder-lhe a eaeusa pedida. num vendido, mas nao supprime a id6a, que d'ahi
E send a Camara consultada, Ihe foi unanime- per diante continuarA sagrada pelas sympathies
denegada a escusa; pelo qua ficou effectivamente de todos quantos ndoforem "preprio algoz, on cor-
eleito vice-presidente o Sr. padre Mello. ruptor e corrompido-e a da do odio, que oo
Em seguida fez e Sr. president a nomeaco das primeiro insIram, e pd, oeo, que sempre
commissoes trimensaes, as quaes ficaram assim acompanh-o atirno, eoa consegue fa-
compostas: zer-se temido. nu fe
Para a commissao de policia o Sr. tenente Vie- Quem cr4,pa.erdaB sua forca ex-
gas, dedois de se escusarem em primeiro lugar o pansiva conija que on rros usm anu-
Sr. Dr. Jobo Augusto e em segundo o Sr. xilio do bro seculepdis3nsa a forga :
padre Mello; para a de peticoes o Sr. Dr. Joe6 porque dispoe da evil -a-esse fulot guidam
Osorio; paramade edifiecages o Sr. padre Mello; menti aenssm rape -qu dbra as cervize
P Pwtzs ensm rapienjstuqe dobra a ewe
pars a de saide pubhea o Sr. Dr. Carneiro da mats indomaveis e destrde as crengas mais antigam
Cunha; para a de afericoes o Sr. coroner Octs- e arraigadas.
viano de Souza; para o matadouro o Sr. Cussy do Quando, porem, a opiniao, falsa ou verdadeira,
Rego; para o Mercado o Sr. capital Jolo Torres; ultrapassando o limits da critical, excede as r*as
para o cemiterio da cidade o Sr capitAo Silva Ne- da theoria para procvar directameate e porfactos tin-
ves; para o de fora da cidade o Sr. Dr. Correia fraccoes a lei social ou violacgo ao dirqito parti-
de Afaujo; para a de legislacao o Sr. Dr. JoEo cular, deverA a represseo do powder attingir tanto
Augusto; para a de pleitos judiciaes o Sr. Dr. ao mestre, como ao diseipulo : Acuelle como man-
Joe Osorio, por haver-se escusado o Sr. Dr. Goes, dante, a este come executor; nao pelas opinioes
allegando que precisava de descanso, aceitando emittidas, sim pela acco ou omissao crimmicsas.
mais tarde qualquer commissaIo ; pars a de lim- Aqui nao havera especialidade no delicto, nemo no-
pea public e plautio de arvores o Sr. Dr.Barros vidade na pena; mas imfl.mento ae]eito conm-
Rego; e finalmente para tratar do or9amento os mum applHcado4riV'frm#iem tambem c M mum.
Srs. tenente Viegas, Drs. Jose Osorio e aBarros Ponce import que algumas legislates positivas
Rego, per se hayer escusado o Sr. Dr. Joo Au- e entire ellas a noses, comminem penas a certas
gusto., doutrinas, come por exemplo as deo quo tratam os
Comparecou o Sr. Dr. Praxedes Gomes de Souza 2 e 30 do art. 9 c especialmente as do art. 278
Pitanga, um dos Srs. supplentes convocados; mas do Codigo Criminal.
nao preston juramento nem tomou asseuto per nAo Tal 6 a lei, que, boa ou mA, cumprida ou nao,
ser necessario, visto ter comparecido numero legal dove ser obedecida per todo o bom cidadao : po-
de vereadores. r m mal estariam a existencia de Deus, a immor-
0 Sr. president leu o officio do Sr. 10 supplente talidade da alma e as bases da constituzdjo, se nao
Dr. Olympio Marques da Silva, dirigido ao secre- tivessem na consciencia do povo brasileiro apoio
tario, para que levasse ao conhecimento desta Illma. mats solido do que aquelles artigos d e lei.
Camara que estava prormpto a acudir ao convite -
do Sr. president da Camara, per Ihe parecer que Applicados os principles expostos aos curses li-
6 este o competent para fazel-o; e que per tanto vres nos estabelecimentos de ensino superior, a
tinha duvida sobre a legalidade do que 6 feito por solucio nao p6de deixar de ser a seguinte: esses
um digno vereador, como president da umar reu- curses devem ser lives, como sou nome o indica;
ni~o, cuja competencia para dirigir os trabalhbos lives para os professors na escolha das doutri-
municipaes, desapparecia desde que cessava o ia- nas ; lives para os discipulos na escolhia dos seus
pedimento do president effective. mestres.
Mandou-se responder, dando sciencia ao Sr. Dr. Uma das maiores vantagens destes curses e a
Olympic, 1 supplente convocado, do que a Cama- de estimularem o zea o do professor official pelo re-
ra acabava de resolver sobre este assumpto. ceio de que o livre ensine melhor do que alte a
E nada mats havendo a tratar nesta sessao, foi material, que ambos professam.
levantada, ficanda deuignado o dia 14 do corrente 0 tempo e o habito, enfraquecendo o gosto, di.
para a seguinte. minuem sempre mais ou menos o interesse do mes
De tudo se lavrou a presented acts, que eu, Pe- tre pelo object quo ensina ; sobretudo, quando
dro Gaudiano de Ratis e Silva, secretario, es- come succede geralmeute, ells nao p6de passar A
creVi. outra cadeira, e, para evitar esse mal, nao ha mais
Padre Antonio de Mello e Albuquerque, vice- efficaw nero mais nobre incentive do quo {a concur-
lpresidente.-Manoel Antonio Viegas.-Jos Osorlo rencia de um competidor estranho ao corpo docen-
de Cerqueira.-Jose Candido de Moraes.-Josi to official, interessado em sobrepujal-o no magis-
Francisco de Gdes Cavalcante.-Decio de Aquino terti, porque disso depended as vantagens, que
Fonseca.-Augusto Octaviano de S'ouza. Cussy die procura.
luvenal do Rego.-Joao Gonealves Torres.-Anto- Q facto mesmo dresses curses livres nao seem
nio da Silva Neves.-Manoel Francisco de Bar- gratuitos 6 mais urna garautia da sua utilidade;
ros Rego.-Dr. Joao Augusto do Rego Barros. poique o interesse fara naturalmente que os estu-


INTERIOR

Congress da Instruciio
DO
RIO DE JANEIRO
15a QUEST1TO
Cursos livres nos estabelecimentos


lantes nao queiram pagar o seu dinhciro senao a
quem lhes presto um service, que o valha, e em
regra nao ha melhores juizes para os mestrcs do
que os proprios discipulos. Neste ponto par. ce que
o instinct suppre-lhes a reflexao; porque, nao
send geralmente habilitados para bem aprecia-
rem o professor, quasi nunca se enganam no juizo
que formal a respeito delle.
Si, pois, o professor livre ensinar futilidades ou
absurdos, e precise confiar do born sense e do in-
teresse bern entendido da mocidade q,- elle seraL
punido pela aula desert, A falta de oo.- rates, e fe-
rido na bolsa, que e o corango dc todos os especu-
ladores ; o que constitute o melhor castigo para os
narmularios de todoe os temples.
Per outro lade, send a mnateria do curse livre
object de outro official, al6m das vantagens resnul-
tantes da competencia estabelecida entire os dous
professors, sao evidentes as dos estudantes comn-
muns; quer ambos ensinem a mesma doutrina,
quer ensinem cada um a sua.
Corn effeito, si ensinam a mesma cousa, o pro-
fessor livre farA as vezea de um repetidor officioso
cnjo prestimo sera recorder sos esqueeidus o que
elles j A ouviram ao professor official, ou ensinar- .
Ihes o que elles nao ouviram a este, ou nao enten-
deram. ovindo-o: Indocti discanti, ament memi-
nisse perili.
Si, por6m, os doue profersores ensinam cousas
differences, ou o official ensina a verdade, e nia
6 de receiar quo o discipulo, depois de. conhecel-a,
prefira o erro ; ou a verdAde 0 ensinada pelo pro-
fessor livre, e nmste cas- teni os estudantes mais
uma fonte de luz, que sem os curses lives nao te-
riam ; ou nenhum dos dous acerta corn ella, e ain-
da neste case o mesmo e. duas opinibes contraras, duplicando a atten9ao
dos ouvintes commune, p6.le habilital-os a, corri-
gindo urma pela outra, formarem jiizo seu, e, des
cobrindo a origin dos dous erros, evital-os ambo. 1
Os partidarios da jutervenglo do Estado pen-
sam que eile deve, plo menus, fixar as condio3('k
de meralidade e capacidade dos caudidatob A ab9 .
tura do cursos lives nos estabelecimuntos -fiH.i|l
de ensino superior ; m -s a cousa 6 mai tl -
exigir do que de realisar. E, senio, com ver'
car, per exemplo, a moralidadef POr-0 i'
graciosos? S6rmnete nao poder S
quem nao tiver a coragem de pe4il-os. Wa NOW
riedade publicas? E' um vio sao. quom B S..4t
prime. Muito home de bem 6 vicOma d"&t
nia, e muita pnmtala social vive cenw" Ce
derage e do reaspeito, qw quasi nuaa S
crumefe i*,aow protegadoedw podaAvtf OJTO
Far-se. nau ituwy enpesial ? Sqris Niit.g~
fieilawu .patuumr,


o
1


i


SB?
HSPS-rj




















A*'*adiaan oftsCdahm ilaso pRa m 0to da 8 usm
dade
Quasi outro tanto eo e dier dagaranta
de Oapacida e. 7%
' ema oEstado
a slossao intalhiv
que aso ensino offi
*doo ffleacia, ha m e s iof a
do facto nmits qua
to u cursos publica-' fl ia sb e
do seu talent mie grna, s i
0 que o Esta edo po t
a escolha e esclans as9 1e
conferindo titulos &= Vida ho
rem dado melhores e rigo a pu
cas; restringir. porim, s6 a estes o direito de en-
sinar nos estabelecimentos publicos, fsra preten-
der que sem oa attestados officiaes na"i ha saber,
nem seguranoa, nein garantins, o quc tern sido
muitas vezes desmentido pelo testemunhe irrecu
sa~rr~rttac^-*-1*11 '1'11""


gois, aiad4st ia ve4.a esteo c4so 0 '
direi 'Zfif nao se ogpoaham restriegoes a i
pO.'ine6'ss confiham aps rofewasor Ivreps ga-
rgteiAi~privilb6abbs ls ~tes aos dos pritit t
dbeuet'a da ttnmversioades a"i ; ellesa dale
xni(i pricr0ss fructos aos nossos poucos esta- C
befeeineatosde instruccao superior, como JA de-
ram na Faculdade de Direito do Recife a Sr. Dr.
BM ros Gauithares e na de'Medkiha da Corte o
Sr&; e tano de AAndrade em 1877 e ultimaiamen-
te'o Sr. Dr. Fort.
J'ieari, p3w4r i bsoluto e illimnitado o dirito de
alir cuerses ffvres nos estabelecimentos de ensino
surior ?
'Ky prtendemoi, nem .setia possivel.
"uflMfdo outas tu estricces nao tivease elle, te-
rim *t 1oenos as do tempo edb elp s p,
Z eOicliioe slo limitados e 0os eursos offices
e uf tclcuadod pars serem concluidos durante um
ce-ta perrolo, que constitute o anno lectivo. A
prunira.,retriccilo, portanto, aos carsos livres e6
qre efes auo Asbarvaib tempo, nem tomem o es-
pamo nlece5sa ios o officiaes, a que sio destina-
daos respettIfvos edificios.
Aceresee que ;s policia do estabelecimeuto a a
eonservago, jA 1o edificie, ia do material dan au-
Ian, podem soffrer gravemente por occasiao das
reunites dos estudantes dos curasos livres, e 6 tAo
n~eetsario comd just que por tud isso respensa-
bIlMeeme s euspjotfessores, perante a direetoria
on & 'c ct+reda'*o^ mesmb vstabelecimento.
If 'OdtrUstautas restricq5es para esse. profes-
Afeni dbiseos tursoa'hlivres hao de'sempre tra-
zed aecnescfmo de trabalho aos empregados dos
offlciaes, e 6 tambem just que estes percebam um
augmento de salario, eorrespondene a esse accres-
cfn'dte'rabIlho, qae'nSo 'de4e s pagopelo Es-
tadb. Efahi ainda ;uia reQAriea6 A abertura dos
cmSoa lfvres nos estabeleciijentos de enaino su-
Concl;soes
A" diretatora oti A congregar o destes deve cornM-
petir, .)irtnto0: "
6,lvcWai a tiora e o lugar dd6 urmsos lives;
i Exigir dos respeetivos professors urn termo
de respousabilidade pars master a."policia doas
seus discip'lxtos c repariros damnos, fue elles fi-
zeremo ao edifi-o ou as material das aulas ;
3 D-Designar o empregalo oun'empregados, que
devem assibtir'aos cursos livres, para fiscalisal-os
potr prte do estabelecimento';
-4iA' mesma directoria on congregaceo deveri
tambemin competir o direito do escolher entire os
cilditdatos, quando per sua affluencia nao pude-
Tem ser tados aditttidtos; ssim come o de sus-
pender on de fechar, corn recarso pars o governor,
os caersos livres, cujos professors. taltarem a qual-
quer das omrigagaes coatratias pdrante ella.
Estas ultimas attribnioeA' offetrec.ram mais ga-
rantiss, si forem confimdas 'a um corpo collective
do que si o forem A umsa peassoa singular.
Releva, porem, notar que na ausencia de todas
astas precauaces, c>nvenientes a.nbseo vr,na Fa-
culdade de Direitt do Recife teon funccionado per-
feftmenU ndda Menbs de dous cursos lives, em
virtade da nuica e vaga diposiqo da art. 164 do
demvto n. 1,396 de 28 de abril A 18d aim quo
houvesse occorrido em qualquer delles a mais leave
perturbaio ou disturbio, que nos constem.
Cofhclcruimos fate-ndo votos para queo o fecundo
exerdplo ,3sja largamente imitado nos domais eata-
belccimentow femelhantes do rest do imperio.

Vlaoem de S. Altezas
(ornml do Commrercio, da corte)
Dteerro, S de dexebr*.-44fsn& chuva hnperti-
neata e conetante cahio hontem sobre esta cidade,
o qw impedio que se fizesse alguma excuraso ou
pameie. Howte Se hje continuous o mesmo tempo,
mn. sendo dia de partida par o ftio-Grande, ndo
serA a ehuva- par eerto estorvo pars a sahida do
paquete Rio Pardo, que conduz SS. AA. A pro-
vincia do Rio Grande do Sal.
S. A.. o Sr. OConde d&Eu enearregon aqui os
seas ajudates de orders, capitaes Hermes da
Fonseca e Agricola Pinto, de inspeccionarem as
fortl-saas a sobri-e llas apresentar um relatorio.
E' vealmente pars lamentar que fortalezas situa-
dae- poantos tio estrategieos tenham sido aban-
dosmsd- e estejasrem tal desmantelamento.
-Qg referdos effeieaes visitamam cinco fortalezas
situada. em differentes points das quaes jiA fallei
na emits aate'ior e sio Santa Cruz, Ratones e Poa-
ta-Greom. Restam Sant'Anna, de usa o6 bateria
comitruda em 1763 polo gavennador Graucusco A.
Cardoso de Menezes sob risco do brigadeiro Jose
Custo de SA e Faria. Em frenta a Sant'Anua
soabr o morro ainda se veom as ruinas do force
deS Jeao, construido de fax;na, o qual foi des.
guaraee~do da artilharia polo president da pro-
viasta o brigades-o Joao C trios Pardal, na occa-
sihe em que as republieanos do Rio Grandc do Sul
inwdurarn a Liugna em 1839, tendon sido hevanta-
do pelo polo tsargento-mor eugenheiro Joaquim
Correma de Lacerda em 1793, senilo governmador da
prawicia otmente-coronel Joio Alberta de Mi-
randa Ribeiro.
Sobre a fortaleza de Sant'Anna dizem-me que
o capitao do porto, Miguel Antonio Pestana, pro-
pukwa ae actual mdnistro da marinha que nclla


se Sssoem os preeisos reparos e necessaia acorn-
modages para a&li ser aquartellada a companhia
d. aprendixes .ariaheiros, hoje installada n'uma
velha bare quo, por ameagar seria ruina, ja o mi-
nigkto ordenoe aeese aluhasse casa para a sudan
ma imediata da eoampamia.
Outm fertableum a u a tuada n'um ilhote de
pedpeorp-am sm ituaglo e aeeessibilidade a mais
ipia>te da proineia.
Pontos estrategi c emo os que se v6m no
eatcde Sntaw Canariua estao desmantelados e
dmmrdo* fei ese abesmion o naturalmente que
rh$" a aote$m do Sr. Conde d'Eu, que enear-
ewaisiaeduu mat -mador-aiapreseotar
mrefa brns Muaesabmdonado s fortes.
*4 odime a mainha anterior cart, o Sr.
Conde d'Eu chegou A Laguna sno dia 26, As 6 hcras
daWMha 4. udviitar eaes do tegrapho, nade
eci-icon sm viagmoe ehegada a 8. A. a Prin-
ee sa iim, w a ameiepal, cad6a e jury, ma-
tri,.md 9M" B ig A Deu, hospital de earida.
de,Ma t &gMu m au asn a mie mno livro dot
v .. e %l Ima mperma 8. A. corn-
Mdhir Jc- iu" A otmeB Piot J imDor, q=
a.- iA. A. a*ti !&o exnrnAo.
Is' A I*t ahM Li |hreetff--s-Mkado Fran-.
eiasBnii *riii Sr. mwedE oi m
&"uIfutnMaR& pMk. 0 ; is ZTrra-vft D.
*n nm NNW j talei m oaresan-
MtL aldm maiM qm


kcrAiaa &Bxcata Fa l lB~en1.- E',a8
.m'ama nieka isM^^ taprts, o bn-w*v *.ittwidiff
los TabaronGueaso, dando am V i A. a
conde d'E.
a D'abi contnuM a viaa' Pedruiha, a n&
nto 4 fo do ro Bpo dNomrtepaagaro em eA
a ama margem esqarda. A. viagem d'ahi
aava i |j ush# inargeado
d NWt chegoslE
aipri=Wr i tiptorisw*-

Sdihlhom da man06 part -
A afide daeolon, ondcdv-
hLb. U do e me & -
)6a i4k~rcx ou lw Alteza paa. tte
"d &,88 hw d- moite, debao-de
acbm.Sa AiflotwapudDseem cas do
Wnel ColIao. Hontem, As 51/2 da manhi, Sua
A.lteza corn se secretario assistio aso Tc-Deum
jue se cantou na matriz, seguindo depois para as
ninas de carvao, das quaes jA me occupei em ou-
tra carta. San Alteza ehegou As 9 1/2 As minas,
visitando duas, em cujas galerias penetrou, fazen-
s. hanguron a o cosZsino de earvio, ati.ando a
rimeira p A A caldeira da locomotive, partindo o
pm A 1 Cra da tarde para Jabituba, oade ee-
g a 5 hwas da tarde. D'ahc scg-ia logo ova-
pr .&Hua.A pra ests capital eondumindo o Sr.
anldo d'F-t, sen aeaeetario o major Oliveira San-
tos, o eoneliro Mafia e o eapitaliata Manoel
lirae, qua d'Wihi aeampanhon Sua Alteza em to-
da a ezcursae.
a A's 11 1/2daBoite o Humaytd apitou emfren-
te da eidade e poueo depois desembarcava o Sr.
Conde d'Ea em eempanhia, da Priacesza Imperial
que o f6ra buscar a bordo na lancha da capitania
do porto.
Sga Atteua oeahaearma hoje no paquete
Bi-Pardo, que d.'aai largo para o Rio-Grande.
,, Autos de fechar esta carts, ulitima qae esere-
ve deata proviaeia, doe conts dos kilometros per-
eard..a as excursues feitas aqui : Parmagai ao
DestwroW0) kilaometrea ; Desterro & Lagoa 26 ki -
lomnetres (ida e voka); Desterro a Santa-Criz
(ida e voldta) 29 kiloaetrowas; Desterro a Laguna
(ida e volta) 152 kildetos; Laguaa L.st eaio da
Minas (ida e vota) 222 kilometros ; Tabarlj A eo-
lon.a Grai-ParA (ida e volta) 84 kilometroa, que
prefazxn a sowma de 713 kilometrus on 119 le-
uas,. At6 outra no Rio-Grande c.
Ainda a eleiea
(Do Paiz, da corte de 8 de janeiro)
A situam o 6 impressioaists.
Asa anoticias do seasaeao succedem-se comn ra
pilez.
E todas ellas, ai de nos, s6 aos deixam u-a
impreassio deprimente!
ARowbaram o livro das antas de tal parochial !
Quizera asusaltar a uraa de tal outra paro-
ehia!
Uro grupo. de capaagaspenetro aa ceasa do ma-
juo D. ox. do eapitio F., quando este transerevia
traaquitlam ien e nolivro competeate, a& respee-
tiv acet& eaitowal que foi arrebatada, tend aquel-
le eidadio fi*ado.. no terreno !
,Vm reswon, u. se orve tallr sealo de catas-
trmphes sewelates.
Pame uam terremoto m al-am desmoroaa-
seuta da tw eieaeia. public.
A cadsa momeanto ouve-se o ruido sotrano dos
destre"oa queeahem.
Deeididamente ha falta de apruno e de equili-
brio.., para a asenso moral dos partidos que nos
offemeee eate vergonhesao espectaceo.
E' necessario que o digamos-*o fazermos es-
tas reflexes amarpas, a 6iA nooso intaito respon-
sabHiaar a detahnsdo as individuos.
Canheceo s facts Bmas nao conhecemos os
seots resposaaveis.
Pertence & jastiea descobril-os e fulminal-os
cam as penas da lei.
0 nosso ponto de vista 6 generioo.
Queremos a raoralidad e sempre em piano supe-
rior ass interesses e As pLixes doe .partidos e nao
estamos dispoetoa a sanecionar o mine e a fraud,
partam donde partirem e aproveitem a queoa apro-
veitarem.
A severidade neates caaos 6 mais do que um de.
ver--4 a salvaguarda do future e o uaico meto de
adiastar a edueacao politics do pove.
Mas nao serA certamente eom taeo exemplos per-
vernoers que ease grade resultado se ha. de con
seguir.

Eaquanto oa proprios pirtides sio deliberarem
acatar o pudor national, respeitando a sua propria
conaeiencia; emqnanto ado abstrahirem das aaus
paiiea e doa seon iutereuse pas s resguardarem
a ppropria ii em cja repreaentaeo disem fatlar e
agir; enqua at vari dos p.deres oelito-
sues nao se limitarem A funccao de juies austeros
em vez de coatiauarem no aen papel de agitado-
res apaixonados; sera impossivel so proprio par-
lamento pretender e alumsgar qaqla antoridada
moral de que eareee para impor-se ao respeitopu.

Aproweite a quem xproveitam, a fraude dove sa
perseguida e punida.
Esma moral de dipla face-a qua proessa e pu-
ne o ladrio de um relogio e a qae h-ra e ezalcf
o ladrio de urna acta eleitoral-6 perversors a


dissolvente e s6 poie mwrastar o paiz a deeadeneuia
ou i revo*Iaeo.
Como 6 de cima que part o exemplbo, ousamos
diner qae estes ecandalos aetuaes niao se terias
dado se ja, no inicio da sua vida, a nova camera
filha da eleiio directs, nao noshouvesse escanda
lisadoeemias depuraosea arbitcarias e illegaes
que form trashs tantas profanagoes da lei e que
fizeramn explodir nos labios do senador Saraivw
aquellas palavras eandeates que ficaram inscul-
pidas aa fronte da camnara como um ferrete igno
mnimoso.
Por estes processos&randalentos nunca se6che
gari a coaheeer o criteria electoral do paiz neu
nunca se poderi verificar a real expresao cda von
tade nacionaL
Nerm a aa&io nem o eleifor dos ministros, em-
quanto perdurar este regimen de superfetacio (
alsidade, podera cousegr m eadohfer par qu,
lado pende a balamna da Qpiniao.
0 partido que alcanr par eaes meios a prnt
meira maioria occasional podera, sim, eteraisar
se no poder ; mes A situaiao resultante dessa oly
garchia parlamentar, apoiasda na fraud e na vio
lencia do numero, s6 poderA c rresponder uma si
tuago revolucionaria que faga voar em estilhagc
todo esse mecanismo artificial que ano se apoi
nem na moral nem r na justioa.

que me ve e o que se nlo v6
[Do Paiz, da c6rte, de 10 de janeiro)
Tambem na provincia de S. Paulo eorreu san
gue deitrral; houve mortos e feridos.
As tragedias de Pernambuco repercutiram e0
&tucatfi.
0 Imperio revela por esta f6rma a sua uniform
uidade.
De norte a sal 6 preciso que uma s6 cords vibi
B nests quadra eleiroral-a cords da mtoleranci
Sselvagem.
Tanto pars o governor como pars a opposicio
crime-6 nao veneoer.
Ninguern p6de resiguar-se a posi* de derro
tUdo.
S Pars isso as dons partidos governamentas com
e tribuem cornm o sea melhor eaforo-deade a tra
paga e a frmude at a violeneia ; desde o rtou
das aeta atW o roubo das vidas !
Deste vgaonhoso espectaculo que nos eatA oaE
a ecendo o eleitorade director e ensitario, cumvW
- izel-o. cabe o maior quinhao de responsabilidad
- governo imperial.
Se ab delegadse do governo e as autoridados ji
diciarias e poLicises ao s seatisem =iad
S bafo minismterial eao petendaem tam
Sbe o ea offieio de lonvor pelo" bona aervic
"pados, coB eertoa w eaeand&Wos e as vi"s
1 ag qws taet o edtet aeai
!~ ~ XMM Inctt~ ,lMBto proporg~ie AOPWsMVei

Rd 8t deadeei gev~mamentaI; e"t demaf

a mawa~t ft0a mL ho
Sju de qus 4e junga s o M c jw
skimp


-tor Cmo w Pea sta aaintuio sil*
i a e s c a p & -*.... a. o t e es p U a s e s;. : -
I 0 wsO dagtmvotuaoes esta -na atmofp
w6a { y #ia tvnquillos em face da
cIo do ; ctAes publicosI
O Nao Vos deixeis sorprendcr pela tempestade;
eu vol-o supp!ico I Tao serio aonsidero o perigo
,one ejmw4- sc;Ow l& 1& j^ o00* -
apea ~s toumm uirywdo-Sma8
MrW
proprisi'rabi I.
Poucn m p oais ae dkd urso e~ l* Ina
_ -ranc-a lto lde fimb w.
Que hMnirm) l w oatH jiluatre siw do
allebra t
MQue lobt ar&ya emfN- a tmlw-
i~e?
AwJle owciO iu cf
Observara que os costumes pubflcos estavam
profundamente alterados ; que as opini6es, as
idMi e aos sentimentoff publieos sobreponham-se
os interesses particulare, as psixoes sordiUa, twv
cobiga do poder, a ancia pelas posigOes e peleos
empregos; que o criterio e a moral eram sacrifica-
que flnalmente o patriotisao e s eauervAira, debui-
tando o senso moral do povo.
SObservAra, emfiam, segundo snas proprias pala-
vras, que a vida politiea suffocava-se nos estreitos
lintes em que a circumsereviam os abusos e as
IusurpaSes, emquanto a eorrupao .ganhava terre-
no todos o0 dias, oceupando a intriga o lugar deas-
tinado As virtues pubicas, ameaquinhando tudo
e apodrecendo tudo!


A corrapcao social nAo se manifests por uma
s6 formia, nem se revela por uamn sO6 symptoms.
Como succede cm todas as iutoxica.oes pro-
fuadas, o organismo ataeado tonteia o medico pela
multiplicidade e pela variabilidade dos phenome-
nos que se pateateiam coa o earaeter de amiantcs-
t tes erraticas.
No organismo social a entermudade so manifesta
pot essas explesZea inesperadas, que parecem iso-
ladas e serm aia causa commum, mas que entre-
tanto partem todas da mesmna origem e accusam o
mesmo mal.
E' a moral que me supplantas, a lei que se des-
Ireza, 6 o direito-que se concuiea, A a justika que
se prostitue, e a seguranga que flea sem resguar-
do, 6 o credit peesoal seir garautia, 6 a honra
que pass a set urs preoeeupaso individual, 6 a
vida que se arrisca ou sa perde sera nobreza, 6 o
patriotism que se allue por todasas tornas, de-
saggregando-se as inoleculas do corpo social coma
atacadas por uma gangrena funesta.
Correndo o risco de parecermos exagerados aos
olhos dos observadores inconscientes-tal 64o qua-
dro que nos offerece neste moment a nosa socie-
dade.
E' precise reagir contra este estado de coun-
sas.
0 governor, o paiz, as partidos, os proprios in-
differentes, todos somos interessadcs nesta grAude
causa.
E podeinos como CatCo exclamar:
A v6s 6 que dirijo a fall, v6s que sempre
d6stes a prefereacia sobre a republican a vossos
palaeics, a vossas quintas, a estatuas e paineis;
se queieis conservar estas cousas que tanto apego
vos merecemr, sejam ellas quaes forem; se quereis
liberdade para vos eatregardes aos vossos gostos,
acordai uraa vez e tomai a peito oa iateresses do
Estado. Aqui nio se trata de tributes ou nijias
dos alliados ; da liberdade e da vida de cada umn
de n6s 6 que se trata.


RViSTA DIARIA


Artlstas Meebaualcos e XIlberaes-
Hoje, esta associaaio commemora o 44 anniversa-
rio de sua fandacio e o 4 da abertura do Lyceu
de Artes e Officios A seu cargo.
A's 10 horas do dia sera eelebrada, no convent
de S. Francisco, urna miss em honra da padrecira
da associaqio. Depois terA lugar no edifieio do
Lycen u ia sessio magna litteraria, seguindo-ese-
Ihe a abertura da 3a exposi o artistico-industrial.
A exposi*io estarA aberta, na formal do costume,
durante alguns di as, principalmente A Lnoite.
0 edificio do Lyceu acha-se convenience deco
rado e serial illuminado A noite, tocando alii uma
banda de music.
Annlversario. Amnanhl tazem 20 a=nos,
que o Paraguay declarou guerra ao Brasil.
Paquege Ceara.--Em viagem parao norte
dove tocar hoje em Pernambuco o paquete nacio-
nhal Ceard, que hontem sahio das Alagoas.
Tiro. Ante-hontem, em jterras do engenho
S. Francisco, da freguezia da Varzea, foi ferido
n'uma perna, por um tiro de pistola, o individno
de nome Manoel Francisco do Naseimento, de c6r
preta, qual encontrade ali por uma ronda de
gente do engenho, A qual se moatrou aggressive,
segundo nos informam, foi ferido por uaa das pes-
soas dessa ronda.
Trasido para o hospital Pedro II, o infeliz alli
.ffreu a amputaqAo da perna, na eoxa, polo tergo
superior, e polo method circular, process de Ve-
mrueuil, send operator Sr. Dr. Raymundo Ban-
deira.
Quanto ao seu offensor correm diversas versoea,
nenhuma das quaes podemos apurar cunveniente-
mtente.
Assasminato-Ante-hontem, cerca de 8 ho-
ras da noite, no lugar conhecido por Viveiro, na
Passage da Magdalena, lugar ermo e soturno L
noite, foi assassinado corn duas facadas o pards
Manoel Honorato Cedrim, de eeres de 18 a 20 au-
nos de idade, carpinteiro e morador nos Reme-
dios.
Dias antes, segundo noa informam, tivera Ce-
drim uma dispute corn Tertuliano Alves Pereira
pardo, casado e de profissiao sapateiro, o qual ha-
via jurado vingar-se delle Sedrm; pelo que sus-
peita-se que foi Tertuliano o astor da mort3, qui
pare.e ter side precedida do emboscada; e em con-
firmagio da suspeita vem o facto de nio ter mail
appareecido o suspeitado, newo na easa de sua resi
deneia, nem n'outros pontos onde tern sido proeun-
rado.
0 cadaver da victims foi viatoriado pelo Sr. Dr
J. Joaquim de Souza, que nelle encontroun: ums
terida de faca na region malaria direita, de cinet
centimetros de extenso, am WAo penetrate a ca-
vidade thoraxica; e outra, com a extenao de seii
centimetros, do lado esquerdo, no sentido perpen-
dicular, cortando as 3a e 4a costellas, proximo i
cartilagens extenwrs, e penetrante A retendacavi
dade, send o este ferimento a causa da more.
Ainda nio ha muito temp% so mesmo lugar Vi
veiro, dea-se um crime da meesma natureza do aci-
as relatado, e posteriormennute ahi se team dada as
saltos e aggrese s aos viandantes ; entretanto, I
despeito da ermidao e soturnidade do lugar, nane
a&dam roads por ali, e os incautos viajantea qu
se dirigem a Magdalema ou d'adii vottam pars (
Reeife, estio entregues aos ladroa asnsaina
Sqae infestam a cidade e sms arrabalden.
Istoe desolador!
0 Dr. Alvaro Botelo---Em carta .m
sOS dirigio hontem, o Sr. Dr. Jos6 Isidea MaUtis
Junior redama contra a nota (C% eusorvsdoi
que puzemos no telegramms da oerteOhentei man
ms publicado, e no nome do Sr. Dr Alvar Be
Stelho, asseverando-nos qne este cidadao 4 repe
blicano, pois como tal se deelarou na circular qw
dirigio as corpo eleitoral do 13, distrieto de Mi
asn Geraes.
No temoas duvida em riscar aquella nota
substituil-a por (R); mas devemoa doelarar que
aota na o 6 noses, cemo nenhama outra dos tele
gramminas eleitoraes tern sido nossa. Ellas fora
posetas & margem de eata soae de eandidato a
Sista dastes organisada ma crte polo auoao en
earregado dos telgrammss, e as oo. team limi
tado a geguai L coo"a -A:- _"iceo
SEis tud; e n soe eomphde ne aio tma
Iazia fiae pn s Pam qum de tofl; Botno
que podem ser eorreane
*ftkfta 0 vapor Aallo Biunobe, heat"
cisgmdo da Rals, troaxo flub. dams psounae
ate 14 do cormoute, as quaes nadet<3 de.-4 ista

-inkhei-O vapor Zetde heea Vtso,


-Ramlimu~e,noiafdu~~~^|L'~~l^ i


H-jo ha as seguin-
.Dreao natia Benoene, i 11 ho-
Theatro Santo Antonio,para posse da no-
DsMfdonene Oliaeaae, a l-oras e no lugar do
costume. pira prqstaco oe contas em assembl6a
fDa J4 inte L wiir., ao meio dia,
pamB IW tda sui nova
nhi ha as seguites:
1a C" Carlos oGonmeA 7 haras da noite, em
i o lgeral, para elei aw
i Wimento em tw--B, A p
&e, as do Carmo ei tt ha cCaok-
meiro timentos, seb mira& timp-e
alvo, gc9ao muito emioga.mB osparoas. -
tos.
Iso ArceSl .egw-
pbleo Pernambucauao-Reuni-se quinta-
feira, ao meio dia, em sesslo ordinaria, sobre a
prosidencis do Sr. conselheiro Quintino de Mi-
riada, com assistimis dos Ss. Drs. Baptists Be-
gueira, 10I secretario Lopes Machado, Amaro de
Albuquerque e Cicero Peregrino, e dos Srs. Au-
I iMlrefBtm ts daj feesaw I&tseerfetaria.
L'Did acts da sesiao antecedente, foi aipro-


I -


. Cesar.
Nada mais havendo a traetar-se foi levantada
_ oessio.


0,
0

S
R



Is-
is

i-
o
e



0

a
*
I--

>*
5,




a.


Villa Ade Sipapa-Em 15 do corrente
esereveu-nos desta villa o nosso correspondent
o segmaite:
Dissemos ha cerca de trees annos que parecia
uma eternidade o dia em que, saboreando um Ha-
vans, foesemos d'aqui ao Reeife em estrada de for-
ro. Terainou, por6m, ema eternidade Foi afll-
Sal inaugurada hoje a eostaao de Quipapa! E'
a realidade, ainda que a n6s outros, sate a demo-
ra prolongada, pareca um sonho.
a Etre te atns vexes que temn imnerecidamen-
te figurado eoluamna do deeano da imprensa
peranambucama em nenhuma nos apresentamos tao
Osido, de jbilo como hoje e por so nos eon-
gratulamos corn essa illustre redaea.o.
a S"m, QuipaI 6 o nosao bero, tenbo conheei-
ment do o senu atra desde sa funde, sabemosa
aquilatar o quae 6 a estrada de fterro para um pove
pr ells servido; 6 juto, pois, o nosso enthusias-
mo pelo melhboramento que acaba de chegar a esta
terra t
a S. Exc. o Sr. president da provincia, o Dr.
Aristides Galvio, director engeneiro em ehefe da
eomumuite do p m et, corCa-
tro Bebeflo, em qpro-m mt obras, desembargador
Domingo Ribeiro, Dr. Monteneene, juiz do eom-
mercio, e outroi altoe funeeionarios e pessoas gra-
dan, cmvidmd. Recite e Pabruo, pernoita-
ram do heOm6pikns. loe ma Colmi6 OzpbaliauW-
du p t*. imias oanal hoje
ime mae t sul et il.
40 AMU fci ~iy km =102-ff Vft *t ah *aes.
wait&#_ fmtAsiA. 'we #a*ssistir aoes foe-

~r -J_~ a~a to.-


Re q viepr eta, em3So Dr. J*s6 Ma-
SSeve o ComNiedador eblo; em 4- otDr.
|8tro RebeUo, ji de direito de Bom-Conselho,
agistratura representada no desembargador
ibeiro e Dr. Constantino Braga, juiz de direito
e Palmares; em 5 o desembargador Ribeiro,
gradecendo e cumprimentando aos seus colleges
iclusive o juiz de direito de Panellas, Dr. Almei-
a Freitas, que amnisti. *A L; em 6 aLiad o
ommendadorRebello; em?7 oDr. Austrdes al-
So doclarando inaugazda a estae o de QipapA
congratulando seam todama coamidadom ; em
o Dr. Montenegro, q con anmestria iitou
s vanCagens das esabis & ferro, eaafndo
o mesmo tempo a pax da. epianio qu euen ga
m erro no govmo p p. contMhe emph utimu pa-
a construir esmdoi. isto deaa m es-
as sao prodtiaftaasib m poe d ata
ucra o paiz corn a eeionsa. d a; em 9 S.
Exc. 6 Sr. president a S. M. o Imperador.
S A' 1 e 1/2 hoa da tarde voltou o trem inau-
rural para Una.
Fesmos testemunhas de alguns juizos teito por
idadlos do Recife acerca da terra que visitavam.
Elles nao cram certamente favoraveism, e nos
xmea exageramos ; alm de fazeor mi impressao
m lIgar do matt, soffrivel mesmo, para qrem
Luea vio outro horisonte alem dos limits da ci. -
ade, Quipap;i e diversas outras povoaqoes do
ul slo muito mais atrazadas que as do note da
provincia. Entretanto ahi estA o factor do pro-
gresso e mais tarde pode a nossa terra ser urn
aprazive lugar para passatempo d'aquelles can-
ados dos tumultos da cidade.
a Ja ha maito dissemos que o prolongamento
atravessa usma zona fertilissima da provincia, mas
nfelizimete 6 a que coatem mais pauperismo.
,a Ha terras baratas aqui, mas para cumulo de
afelicidades a baixa do assucar, principal fonte
La agriculture da provincial, parece ter influido
para que nao haja concurrencia de compradores.
D'est'arte, tambem so nos afigura que a es-
rada ha de supporter grades deficits por urn bom
par de anaos, conceit que ha muito formamos an-
Sa desercn~a que lavrava no seio dos pequenos
Lgiicultores semeados na zona, a rotina e igno-
ancia dos mais comesinmhos progressosjque se toern
>perado na industria agricola.
a Em diminuta escala, a mandioca, milho, fe'
ao e fumo, eis o quo counstitue a lavoura para ci
na da estagao de Marayal atW a future de Ca-
ihotinho. D'ahi a Garanhuns o terreno 6 pouco
ertil e muito sujeito a seecas.
Rests-nos o algodao do alto sertio, gados c
eouros.
Ainda temos uma vantage indirecta e 6 a
praca do Recife offerecer mais largos recursos do
que a de Maceio e por isso 6 de esperar que a
nosra estiada faca grande concurrencia A da Im-
peratriz cuja ultima estaqao nesse ultimo lugar
dista 11 leguas desta villa.
,, 0 future, talvez nio remote, se encarregarA
de justificar o juizo que vimos de emittir.
S Contina active o trabalho alem desta villa
pars conclusao da estrada at6 Garanhuns, porem,
apezar mesmo de toda actividade, parece-uos que
so no fim do corrente anno chegarA a locomotive
a Garanhans.
Consta-nos quo o Sr. administrator dos cor.
reios mandara que o carteiro dos trens venha s
esta villa diariamente, assim acreditamos que con
uma different de horas podemos saber como ne
Recife a que do vespers se pass pelo mundo.
SViva o progreeso !
c Au revoir. a
Miscellanea- Segundo recentes dados es
tatisticos, possue o Mexico 10,001,844 habitantes
dos quaes 4,354,218 sao da rata mestica 3,765,041
da raga indigena ; 1,188,522 da raga caucasianm
e o resto das ravas afrieana e mongol.
Tern o Mexico 8,586 eoscolas primaries officials
frequentadas por 441,453 alumnus, e 133 estabe-
lecimentos de instruccao mecundaria tambem offi
ciaes, frequentados por 16,901 alumnus.
Em Stoekholmro acaba de ser julgado an
process de imprensa, que impressionou bastaut
o public : o Sr. Augusto Strndberg era accused
de ultrages A religiAo e aos saeramentos, em um li
vro recentemente publicado.
Depoia de deliberacoes que duraram mais d
quatro horas, o jury abealveu o r6o e a multidi
immensa, que no tribunal esperava a leitura d
sentenca, victoriou-o a sahida, acompanhanda-
at4 easa.
O Sr. Strindberg tez entao usa breve alloeuc
em que declarou nao tomar para si aquellas beme
nagens, aecrescentando que e povo saudava n
sun abuolviciao, usa victoria ganha pela liberdad,
de conseiencia.
0 professor Luiz Quicherat, que ultimamem
te falleeeu em Paris, foi o organisador dos melba
res diccionarios latinos que se manuseiam nas es
colas. Tinha oitenta annos, e era membro da aca
demia de inscripciies e bellas lettras.
Aggregado em 1824, leeeionou rhetorica na uni
versidade ate 1847, data em quo foi nomeado con
servador dos manuscriptos da bibliotheca de Sant
Genoveva ; a sua elcicao pars a academia e d
1864.
Quicherat 4 o autor de muitos e notaveis tra
balhos de philologia e de um grande numero d
edicoes classics estimadas, de um diccionario la
tino, e finalmente do Thesaurus poeticue lingnuc Ic


vada. -"
0 Sr. Dr. 10 secretario mencionou:
Umrn officio do .Sr Joaquim Felippe Nery Del..
gado, de 18 de novembro, offertando um volume
em broehura, Coampte Rendd do congress an-
thropologico ,ealisado em Lisboa em 1880.
Offertas :
Pela Secretaria da Camera des Srs. Deputados,
5 volumes em brochure, Annaes da Camara dos
Srs. Deputados, 4a sesado da 18a legislature.
Um folheto. Carts Encyclica do S. Padre
Lelo XIII.
Um dito, Revista do Instituto Alagoano, pelo
mesmo Instituto.
Um dito, Boletim da Aseociacao dos Jorinalistas
e Escriptores Portugueses, offertado pels mesa
Associagio.
Urm dito, Americana Buletim du Buqueniste,
polo Sr. E. Dufosse.
Diversos jornaes desta e de outras provincias,
pelas respeetivas redacqoes.
Findo o expediente o Sr. president leu duas
cartas que the foram dirigidas, send uma do Sr.
Manoel deOliveira Lima, datada de 28 de dezem-
bro do anno passado, acompanhada de dons docu-
mentos extrahidos pelo mesmo Sr. do corpo ehrono-
logico existence no real archive da Torre do Tom.
bo, um camorn o titulo : conta que dd a el-rei Chris-
tovao de Barros, provedor m6r da fazenda da Ba
hia, e algumas conas daquellas capitanias a 18
de novembro de 1578 ; e outro corn otitulo carta dc
camara da villa de Olinda a el-rei em que lhe dc
parte de ter jd escripto algumas cousas necessaria
6 capitania da Parahyba, segund o que havic
decidido. E por agora succeler de novo uma al
tercac&o entire Fructuoso Burbosa e D. Pedro de
la Cueba, o equal Fructuoso Barbosa por se valle:
contra D. Pedro tern feito muita injuatiqa e irre
gularidades que tern excitado todo aquellegentio de
que se poderd seguir muito mas consequgentdcias, etc
A 28 de agosto de 1579.
A outra carta, do consocio Dr. Jos6 Hygino Duartte
Pereira, datada de Londres a 23 do november(
do anno proximo passado, na qual commusica qun
tend encontrado no Muzeu Britanico daquella
capital, algans documents que dizem respeito ao
objecto de sua commissio, resolve demorar-se
ali algum tempo, antes de partir para Haya
afirn de epiar alguns manuscriptos, a maior part
dos quaes da, noticia Frederico F. de La Figaaiei
no seu catalog dos manuscripts portugueze
existentes no British Museum e o Visconde d-
Porto Seguro, na sua indicacao de alguns manus
criptos importantes relatives ao Brazil e a Por
tugal. Na mesma carts declare o dito consoci
que o Sr. Antonio Baltar, obsequiosamente se in
cumbira de trazer eomsigo alguns livros ingleze
que comprou para a bibliotheca do Instituta
send que esses livros foram comprados por in
termelio da casa Short, Short & C., os quae
obteve corn o abatimento de 25 0/0 sobre o preq
dos catologos e diapensa de8 1/2 a/o a que tinha
easa direita, o mo tudo consta dos doeumento
que acompanharam os meosmos livros.
0 Institute dehberou que se agradecesse ao Sr
Manoel de Oliveira Liman a am important offeo
ta eom a deelaraiLo de que de aeu selo e patri(
tismo espera a continuaco de outras; bern eom
que se agradecesse igualmente ao Sr. Antoui
Baltar o servi o que acaba de prestar aso Institub
ineumbindo-se de trazer Oes livros mandados pel
coasoeio Dr. Jos6 Hygino, resolvendo ainda qu
se mandasse tambem agradecer aos Srs. Sthoi
Shorts & C. a boa vontade corn quo se prestaran
ao abatimento em favor desta aaaociaClo.
As abts remnottidas is as seguintes :
Pioneering in South Brasil, by Thomaz P. Big
SWitter; Primitive Culture, by Edward B. Tyle
Stanford's compendium of Geography and Trav
based on hellward, die erde un-i ibre solker, b
Augustus H. Keane; History of the united StA
tes, by Gewge Baacrott; Travels of Marco Po:
Sby Colonel Yule ; Fifteen thoaand miles on ti
Amazon and its tributaries, by Brown & Lidste
n e; Discovery of Guiana, by Ralegh,S; Exped
tios in the Walley of the Amuasens, 1539, 154
1639, by Marhham ; Threshold of the Uuknow
Region by Markham; Betwaou the Amazon as
Andes, by Mulhall; On the Banks of the Amu
son by Kingston, A Naturalist's Voyage Roun
the Worl, by Darwin; The Fate of sir Job
Franklin, by M_ Clintoek ; The Rise of the Dutc
Republic, by J. L. Mottey; Journal of a Reu
I deunce Among the Negroes in the West Indies, b
Gregory Lewis ; Journeys Across the Pampa
by Head Bart ; Philip Muagrave or Memairos i
a Church of EFgland Missionary in the Nod
American colonies Edited by Abbott ; Eduard
Voyages the Amazon Manual Mithology by A
Murray; Life Voyages and Exploits of Sir ]
Drake, by J. Bawow; The Great Frozen Sea, I
a Markham; Voyages Rowud the World by J. Ko]
Life of Columbus, by W. Irving; Brasil-Stre
s notes from Bahia, by the late J. Wetherell Esq
History of Brasil, by J. Armitage Journal of -i
Voyage.
Passando--e A ordrei do dia, o Sr. president
communion no Institute que tend este de obl
a bran a festa ainiversaria no dia 27 do corren
o plsarsa a faser a nomeasao das commisoeaJi
cumbidas da executeo do mesa festa.
s Pars convites As autondades as Drs. Amam
Regueira e major Codeceira.
ecoracao da ca0a Amaro, Codeceira e Angus


doe o e azadq aaoapri eiodetee ump
edve ser ass"a grave Aef Deaskdade de aoiabf-
tel-o se faz par Me tea, evidente e urgot
so no deploral-o se uairhm homenas das mUa oppm-
tas tendencias politicas.
| E esta unilo, no combater o mil, de hons
daa mais divrgi oqmWesm& de bom agouro,
pori M que d cwpperar pwO remedio p6de ser
offiww ua1o 2! W
i mpanl u 0 o artigo do mWpramencionado
jomk dirernoa -se o principe Bismarck deplora
aQ oqfdas suewes parlaieatanres allemaies, que
alTi diuM elle sessoes p trilmnentares braasilei-
Eaa unamuaesy as cLusOs prloangadas no infini-
:to eg o stbea t tecipadameata decididas pela
eoucienik dos deputados, dao.raas vezes resual-
tiado uWs e famndos e teem per effeite distan-
eiar da vis politics aquelles precisamente que nao
entendem fazer do parlamentarismo uma profissiEo,
comno corn phrase crua mas verdadeira, disse o
principle Bismarck !
Vilnhos italianoxjulgadoS em Fran-
ea-Nojornal La Vigne Americaine appareceu
uttimamente um interessante artigo do Sr. Julio
Leonhard Pomier sobre os vinhos italianos na ex-
posic.!o national de Turim. Louva elle esta ex-
positos dos vinhos e chama-a nao sdmente muito
eompleta, mas muito bern organisada; louva tam-
bern o ministerio da agriculture pela carta da vi-
nba na Italia e publicacoes a respeito da produc-
cAo enologica, polo mode claro e limpo corn que
sao preparados.
Depois de ter dado as suas impresses sobre os
vinhos e addictadas as localidadeb em que o culti-
vo 6 mais intense e nrais promettedor, accres-
centa:
Mas a impressao mais profunda que eu trago
da Italia, 6 o sentiments (doloroso pars um fra n-
cezX do desenvolvimento tAo consideravel que vai
ahi tomando a produegio e o commercio do vinho,
emquanto que na Franca v8-se o inverse. ,
Vinhos em Buenos-Ayres-Escrevem
dessa cidade que serlo considerados como adulte-
rados todos aquelles vinhos em que houver ang-
mento d'agua glycerina, etheres ou essencias do
glycose, accrescentado antes ou depois da fermen-
taao, ou alguma material corante aos principios
eonstituintes do vinho, alumen, acido salycilico,
osaes de chumbo, acido borico, etc.
JA desde o conmeo de janeiro de 1866 nao se po-
deram miis vender vinhos gessados. Este espaa
do tempo esti fixado afim de que os emologos ex-
portadores tenham tempo de mudar o seu system
de veuificaoio.
Leti6es-Effectuar-se-hao :
Terga-feira:
Peto agente Pinto, As 11 horas, A rua do Bom
Jesus n. 49, de moves, cntremeiqs, uma burra e
balan.as, e em continuacio de minoveis, loucas, vi-
dros, etc.
Pe lo agente Pestana, As 11 horas, na rua do
Amorim n. 70, de generous de estiva.
Pelo ageute Brito, As 11 horas, na rua do Vis-
condoe de Inhauma D. 41, de moves.
imas funebrem-Sorao celebradas:
Amanbh:
A's 7 horns, na Penha, por alma de D, Anna
Moreira de Jesus ; As 7 horas, no Terqo, por alma
de E. de 0. Rocha ; As 8 horas, na Concei"Ao dos
Militares, por alma de D. Hermelinda Senhorinha
Viegas ; As 7 1/2 horas, na ordem terceira de S.
Francisco, por alma de PantaleAo Jorge da Fon-
seca Bastos.
Ter~a-feira:
A's 8 horas, no Corpo Santo, por alma de D.
Theresa Dias de Barros Costa ; As 7 1/2 horas,
4 na matriz da Boa-Vista, por alma de Henrique
a Carroll.
Quarta-feira:
A's 8& h ,, da ceapella do Monteiro, por alma
de D. Adelaid e Lieutier.
OveraqaoIetrurgiea Foi praticada no
hospital Pdron II, no dia 17 do corrente a seguin-
te :
e Pelo Dr. Malaquias
S Urethrotomia internal polo process de Maison-
Sneuve, reclamada por estreitamento da peniana da
urethra.
e Loterla da provincia-Quinta-feira, 22
o corrente, se extrahirA a loteria n. 102, em bene-
a ficio da matriz do Triumpho, polo novo piano ap-
0 provado, no consisterio da igreja de Nosea Senho-
ia daConceico dos Militares, onde se acharao ex-
postas as urnas e as espheras arrumadas em or-
den numerical A apreciacao do public.
a Sa grande loterla da corte e......
e *OO:OOO*O--Corn nova piano muito van-
tajoso.
Os bilhetes acham-.se A venda A Casa da For-
i" tina, A rua do Crespo n. 23, es bilhetes dosta late-
r-ia.
*- draude loteria da corte -Eats grand
loteria, eujo preraio grande 6 de 500:000000,
i- ser& extrahida irevemente.
O" Us bilhetes acham-so A venda na Casa Feliz, A
praca da Independencia os. 37 e 39.
e Loteria do Ceara-Esta loteria serA ex-
trahida no dia 14 de fevereiro proximo vindou-
ro.
e O resto dos bilhetes na Casa da Fortuna, rua
l* de Marc n. 23.
L- Ioterla Bxtraordlnaria do Ypl-


ranqg--Esta loteria, cujo maior premio 6 de
e 100:000000, serial extrahida no dia 5 de marMo
0 proximo vindouro.
" Bilhetes A venda na Casa da Fortuna L run 1"
ie Marvo n. 23.
ereado Municipal de S. Jo06 0
, movimento deste estabeleceimento no dia 16 de
janeiro foi o seguinte:
u Entraram paraseremsvendidos : 31 bois, pesan-
do 3,625 kilos.
No mesmo dia entraram para o mesmoes-
Stabelecimento:
Peixe, 422 kilos.
Farinha, milho e feijao, 41 cargas.
S Fructas diversas, 25 ditas.
i- Suinos, 3.
LS Carneiros, 3.
Pregos dos dias:
" Came verde a 600, 480, 400 e 240 r6is o kilo.
" Suino a 600 r6is o kilo.
Camrneiro a 11 idem.
Farinha de 500, 400, at6 280 r6is a caia.
Milho de 480, a 320 r6is a cuia.
ir Feijao de 800, e 320 rs. idem.
Foram occupados:
45 talhos de carnet verde.
s 12 ditos de suino.
S12 ditos de fresanras.
iz 36 compartimentos de fannha e comidas.
- 70 idem de legumes.
08 Deve ter sido arreeadada neste dia a impor-
la taneiade179A740.
Matadouaro public Foram abatidas
sa- no matadouro public da Cabanga, par&a o con-
a- sumo do dia 18 do ctrrente, 76 rezes.
es Caa de lBetenc.o-Movimento dos pre-
m oss no dia 16 de janeiro :
m Existiam press 389, entraram 14, sahiram 12,
Sexistem 391.
r, A saber:
Nacionaes 348, mulheres 15, estrangeiuos 16,
eseravos 12.-Total 391.
Arragoados 361, send : bons 342, doentes 19
'- -Total 361.
Movimento da enfermaria:
S Tiveram baixa:
D- Antonio Rodrigues Figueiredo.
Hypolito Banms de Queiroz.
m Jos6 Marinho Boirges.
0s Tiveram sIta :
e- Antonio Soares do Amaral.
Antonio Barbosa de Araujo Barros.
.' Joao Ferreira dos Santos.
ti George Torgson.
Cemiterlo Publileo-Obituario do dia 16
Sde janeiro :
m Maria, parda, Pernambuco, 4 meses, Boa-Vista;
as bronchite.
LIS Francisca Joaquina da Costa, preta, Pernat-
a bueo, 80 annoe, olteira, 8. JO6 ; ypoe a
tes Emilio ide So=a Franga, branoA Pem eb
21 anna, Santo Antonio; broncho pneumonia.
9 Albert. branco, Pernambuco, 31 aMes, S. Jo-
ao, p-uinounis dupla.
insua; Maria de Oliveira, parda, P uumbn-
e0, 40 =nns, viuva, S. Jo8 6; canro0 usro.
I dItBeai pa caridade.


I- IRA,


- N


I


E' d'estethesouro que numerosas gerag6es d
eetudaates extrahiram, extrahem e extrahiri
dactylos, spondeus e heminstichios imitativos, gkl
ria dos fortes em versificaVAo.
Luiz Quicherat, esse apaixonado das letiras la
tinas, bom amigo e guia da mocidade estudiois
era official da Legiao de Hours,
Que a terra Ihe seja leve, quanto elle procuro
torntr love... a massada do latim.
0 asphalt, que ate hoje era muito empre
gado na Europa como preservativo contra a humi
dade, comeca a desacreditar-se pelas recentes ob
servaoes que se tern feito e que levam A conclu
sio de ser elle a causa de muitas pessoas soffrerei
de inchagoes nas pernas. Polo menos tem-se ver
ficado isto nos individuos que trabalham long
horas em casas asphaltadas.
Nota-se o mesmo facto das capoeiras betumi
das ; as ayes hue cstiverem muito tempo n'ui
compartimento d'esees ficamn tambem corn os p
inchades.
Um imaginoso Yankee de Philadelphia apre
senta-se agora cornm um novo process pars torn
a cor original os narimes ( avermdehadoa.
Primeiro applica-lhes sanguesugas, depois ga
vanisa-os para restaurar a elasticidade das fibre
arteriaea e venosas, e finalmente applica-lhes um
emplasto de or4. No fim de oito dias, estA o nari
reduzido As asuas proporoos naturaes e o donao ha
bilitado a tingil-o de novo, o que de ordinario (
yankees nao fazem mandando-o aos salingred d
terra.
A mod&aUao Jautares- Estamos na ei
taro dos jantares de convites; e o Figaro de P
ris nos d& o boletim da moda em facto dejantarn
Os pratiahee com acepipes, que se serve co
o primeiro serving nos banquets, que parece
proacriptos, toernam a ser da moda depois da sops
mas as ostras nio s abo o ackic : 6 melhor o cavia
salmd o fuo egado a o figado gordo.
As lampadas suspeasas echamadas de sospei
tion, slo admittidas somente pars o jantar de fi
milals. Em um jantar de convite devem set subh
tituidas por candelabros.
No meio da mesa, uma bella cesta de flores ni
muito alta para permittir que todos oas commez
saes se possmm ver. Em 1gr, dos cestos elevi
dos corn as fructas symet icamente dispostas e
formal de pyramid, estao em voga grandes prab
de lata, e de prata, nos quaes as fruetas estio at
eumuladas corn artistic desordem.
0 caffnae deve tomar-se A mesa, mas na salh
No que di rospeito a liceoree, nao sio admit
dos senle o Chartreee, o Cura(ao e o Kummel.
As folhas de cattio ou de pergaminho sobre i
quaes esti escripta a minute do jantar, se faze
elegantissimas e illustrada corn vinhetas e letr
extravagant. Aquillo que se pode fazer de ma
distincto, 6 eemprar nrtoimhs de flores pint
das a agu o a oleo pr um bom pintor e nell
escrever a v a a-uiMr
An mems em .parlamentarea brevei
bxt-aliw do MeJrsis d Geneova, de 28
nIovembo do 1884, sob o ti sa-Bia rek e Z

r No diseurso qae o Bipe Bsmarck pro

propota doe bfsio a do as pTa de
-as simmetttregahfir<" t a .ouioito quoa ho



















*ads cdll YUI


attribuidat
*3mezes urn M omMd3odo, M Na-
th, agora utu roubo, que nAo so di onde foi
aticAdo, ncm quande, nlo se dizendo tambern
`*rwm 6 a victim e.quom omtoar!
0 Sr. Dr. apirito-wato mt'uega que o pri-
meiro hamado f i em 30 de novembro, vespera da
Selei^o; jA seria por.tausa do supposto roubo? E
dOde Laquelte di at6 hoje ainda se nio fez un
inmuerito!
0 Sr. Dr. delegado nio 6 capaz de ter umn pro-
edimento mais illibado do que o meu; e portanto
faz-me injuria igual a que eu Ihe faria, se de hoje
em diante me dispozesse a pagar na mesa moe
da, attribuindo -Ihe acoes dignas.
Cahio na primeira calumnia, cahio a segunda,
porque ; vista do habeas corpus nio se animaram
a insistir noste ponto; mnas houve quem iniciasse
um terceiro piano, ainda mais indigno do qne as
outros; pois ante-hontem (15) appareceu em rmeu
estabelecimento, A noite, umrn individno, corn quem
nio tenho relaq5es, instando para que eu guar-
darse a quaintia de 42Q000, na qual observe que
havia duas notas falsas de 5.000. Se eu me ti-
vesse prestado a guardar ease dinheiro, meia hora
depois s:ria preso como passador de sedulas fal-
sas !
JA duas vezes recorri A1 justiga, e agora venho
recorrer a morahdade public!
0 Sr. Dr. Espirito Santo serA o autor do que me
acontecer.
Recife, 17 de janeiro de 1885.
Jose Jeronymo Rabello.


Petipdo--Illm. Sr. Dr. juiz de direito do 4"
districto.-Jose Jercnymo Rabellu, cidadao brasi-
leiro, morador em Bel!m, e eleitor do 2 district,
veoin requerer a V. S. a concessio de urma ordem
de habeas-corpus preventive, A vista dos factos que
pass a referir.
0 supplicate, a pretexto de ser criminaso pro-
nunciado em Nazareth, foi press) por ordem do Sr.
Dr. chefe de policia, e remettido para aquelle toer-
mo, onde foi solto, dando-se nesta occasiio as cir-
cumstmancias que o supplicante referio, sem contes-
tacibo alguma, no Diario de Prcmanambuco de 5 do
novembro do anno find.
No dia 30 de novembro, vespera da eleicao para
deputados geraes, mandou o Dr. delegado do 20
district da capital um soldado A casa do suppli-
canto chainal-o A sua presenca, mas este, receian-
do corn just razao ser victim de umi nova vio-
leucia, deixou de obedecer ao chamado, e foi abri-
gar se a casa de um distinct commerciante, nas
proximiLlmdcs do eduficio, cmn quie tinhbi de votar
(Assemblea).
Hontemn (6) foi o cabo commandant do dcsta-
cainento de Beldm, charnar o supplicante em nome
do Dr. delegado p itra comparecer na secretaria de
policia, e l() iindo o supplicante, foi de novo cha-
mado hoje, 7 do corrente pelo mesmo cabo, corn a
mesin. ordem ao mesano Dr. delegado para o sup-
plicante comparecer ao meio dia na secretaria da
polieii.
Sc ha motive para qualquer procedimento poli-
cial contra o supplicante, seia instaurado na forms
da lei ci mas depois de ta.nanha arbitrarieuade,
cowl) a que soffren, nio dove estar exposto A prisao
que se project, c p.tra a qual servirA de pretexto
o que disser o supplicante depois do provocado,
ou Ihe attribuirem ter dito.
0 supplicate, que por seu born procedimento
nad, abl)solntamente tern que vet corn o Dr. dele-
gada do 2' district, nao estA sujeito a recados
verbaes transtnittidos por soldado de palicia.
Jurado ser verdade o quo allega, P. etc. Re-
cife, 7 de janeiro de 1885.-Jose Jeronymno Ba-
bello.
Informafdo.-Delegacia de policia do 2 distric-
to da capital, em 9 de novembro de 1884.-Satis-
fazendo o pedido de informacao contido no officio
de V. S, de hontem datado, acerca do habeas-cor-
pus preventive requerido por Jos6 Jeronyemo Ra-
bello, tonho a dizer que realmente foi cste indivi-
duo intimado a comparecer ante esta delegacia
afni de responder a um auto de perguntas aecrca
de um roubo, cuja cumplicidade Ihe 6 attribuida,
a que niAo obedecendo, tern esta delegacia ,resol-
vido mandal-o busear debaixo de vara, com o 6 de
lei.
Deuns guard, ctc.-0 delegado de policia, Josd
Climaco do Espirito Santo.
Sentena.-Vistos estes autos etc. Verifica-se
dos mesmos autos que o. peticionario Jos6 Jerony-
mo Rabello nenhum crime praticou, pelo qual possa
ser preso antes deo culpa -formada, A vista do que
Ihe concedo o habeas-corpus preventive para que
nao possa ser preso, senio nos terms da lei e na
forma por ella prescripta; pagas as custas pelo
mesmo peticionario. Em virtude da lei recorro
dest', menu despacho para a relagio district. Re-
cife, 14 de janeiro de 1885. Manoel da Silva
Regy.

A apurapio do 2o escrutlalo
0 qae so passou hlioje una Camara Municipal foi
maisII u:: L f.trca c)rresp-)nlntc a do 2o cscruti-
nio.
Nao so acradit- riia no qae alli houve se no fos-
se public e notorio e presenciado por oresei4o pun-
mnrro do pessoas.
FAi mais um:i scena triste, deploravel mesamo, e
que ;to mesmno tempo cxcit;i o riso, a gargalhada.
Reounidos As 10 e 1/2 horas da manha os presi-
dentes das mesas do nullo 20 eserutinio formando
junta aparadora sob a presidencia do Sr. Dr. Ade-
lino, fo) am a este entregueL quatro protests con-
tra a eleico havida no dia 9 do corrente, firmnuados
par 300 e tantos eleitores de cads umna das paro
chias, que eompoz o 10 district, sondo os ditas
protests por elle reeebldos.
0 mesario secretario Barros Rego manifestou-se
logo contrx o Dr. Adelino, dizendo que este nao
devia ter recebido os protestos, accrescentando
que as Eleitores nenhum direito tern a fazer pro
tests perante as juntas (ignorando assim a dispo-
sioibo do art. 1"7 combinado corn o art. 161 do re-
gulaimnento eleitoral) e que os protestantes, nao
tendo tornado parte no 2' escrutinio, nao tiaham
que protestar contra ella, ainda quaudo houvesse
lei que a'tmittisse protest pirante as juntis apu-
radoras, conclaindo par requerer que nao fossem
admittidos os protests apresentados e nam delles
se fizesse meneao ua amta.
0 Dr. Adelino sem citar as disposiSem legaes
en que se firmara para receber os proteatos apre-
sentados c por forca das quaes nao poderm elles
set reuasados e devcm ser remettidos A Camara
dos Deputados, fazendo-se delles mens.o na acts,
declarou qmre ia por a votes par-. que a junta re-
solvesse, comecando por pedir o vote do mesaro
Thelesphoro de Araujo.
En Sio o eleitor do 1 district Dr. Portella Ju-


nior, vendo que a votagao ia correr sem eselareci-
mento, pedio a palavra para mostrar que a lei per-
mitre piotestas perante as juntas e que esse direi-
: to tern sido sempre respeitado. Foi-lhe negada ;
, palavra, aos gritos -nao pode fallar--partidos do
; : Sr. Barros Rego e acompauhAdos de parte dos es-
peetadores.
: Ante esta intervenago das galerias, acoprpanhia-
Sda dc palavras desrespeitosas, o Sr. Dr. Adelino
cedeu ao tumult, que se lerautou e declarou nao
ser permittid o ouso da palavaa seuaoos mem
bros dat'junta. '
S:<': Proeedeu-se entio A votaoSo; todes os membros
da. w v euepto o Sr. Aeo, o4f.m m-
tr a reef io 4ois protestosdeelarau& o Dr. Ae
: ,:::':,:::linoql tiagua a .r acta a veocido e que a
cU Tmal *nmao dos proteeatopaentados.
Ta parseAssg U partisse
Le Jv miis vheQ~enues, abus, e 10JUl50-


toe anwis*-Ow quepoia 4W
rotirarse que o Usey. w o 8r. rAdeino
pars pateio!'
Era meio dia qnsuaado j ata icou em o e
presiddate, l vaW e f"o _
0 que sosegmo a esas ecntristadora nao
so imagina e.nem se pode decrever.
Abandonada a junta p. le sa president, chega
o Dr. Mariano, que pecupa-lhes a cadeira, e oom
elle outros : inielam-se as negociages para que o
foragido volte e pars quo os membros da jwta
consintam que a acta faa menaLo da apresoata-
ao dos protests corn declara9io de quena-o fo-
ram admnittidos.
Junta na Camara e seu president em Palaeio,
gastou.se mais de 3 horas na negocialo, e afinal
esta produzio seus efleitos, enbora corn detrimen-
to da dignidade do Sr. Adelino e enfraquecimen
to da ousadia do Sr. Barros Rego.
Voltou a Camara o Sr. Adelino depaip de 3 ho-
ras da tarde, e foi lavrada a acta naif6rma accor-
dada, fazendo menio dos protestos, serm que o
Sr. Dr. Adelino assignasse-vencido.
E assim terminou a comedia E bemrn foi que as-
sim termina-se.'
Se o Sr. Dr. Adelino houvesse cumprido o seu
ever, talvez acabasse em tragedia; elle pagaria
caro bern caro, tal era a disposigao dos animos
da boa gente interessada em dar ao Sr. Nabuco
umrn papel, que se chame-deploma !


Protento
Os abaixo assignados, eleitores da freguezia de
S. .J os6 desta cidade pertencente ao 1- district
eleitoral, vein ante a junta apuradora, protestar
contra a eleicao a que se procedeu no dia 9 do
corrente, a euja apuragio hoje se procede.
Tendo sido feita no dia 20 do mez passado a
apuracgo da eleicao procedida no dia 1 do mesmo
mez, verificando-se ter obtido maioria o candida-
te Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella,
a quem a maioria da mesma junta conterio o di-
ploma de deputado polo 1- district, ficou termi-
nado o process eleitoral send portanto nullo o
segundo escrutnio ordesado polo juiz de direito
president da mesma junta para o dia 9 do cor-
rente.
Disto convencidos os presidents das mesa das
trees seccoes desta parochia nao s6 nato fizeram as
convocaoes, como corn a maioria dos mesarios
deiiaram do comparecer, declarando qae deixaram
de tomar parte nos trabalhos da segunda eleicao
por ser nulla e sua determinaga.o exhorbitante das
attribuio5es que a Li conferia aos prosidentes das
juntas apuradoras, abstendo-se tambemn de com-
parecer os fiscaes do deputado eleito em primeiro
eserutinio, eorrendo assim a segunda eleicIo com-
pletamente abandonada ante mesas uaanimes or-
ganisadas a feigao dos interessados na obtengao
de umn diploma para c candidate derrotado em
primneiro escrutinio, procedido no dia primeiro do
dezembro ; derrota esta que don lugar ao selva-
gem assalto A mesa electoral da matriz desta pa-
rochia, do qual resultou seremn assassins. dos dons
cidadaos un dos quakes fiscal do candidate veuce-
dor, e os fermentos graves de mesarios e de ou-
tros cidadaos que presents se achavam, inutili-
sando se a acta quasi concluida, e nmais papers
eleitoraes, nao se conseguindo, de ta'o barbaro at-
tentado, o tim desejado de inutilisar a victoria do
candidate sufftragado pela maioria do eleitorado do
district. E como se tudo isto n~a bastasse para
revelar os intentos corn que se procedeu a st-gun-
da eleigao contra a qual protestam, bastara o fac-
to da presenga e ostenta(io da forga public que
no die 9 do corrente o governor fez collocar nas
proximidades de cads urma das sec5coes, apezar da
conviccao em que estava opresidente da provin-
cia da que as secqoes estavam abandonadas pelias
mesas legitimas e maioria do eleitorado, procedi-
mento essc da Presidencia que contrast corn e
havido no dia primeiro de dezembro, deixando que
os desordeiros e facinoras quo ensangucntaram a
matriz de S. Jose, campeassem impunos, alarmas-
sem toda a cidade, que esteve por todo o resto de
tao luctuoso dia entregue A mais desenfreada
anarchia.
Assim, pois, os abaixo assignados esperam que
seja recebido o preseunte piotesto e rerrettido A
Camara dos Senhores Deputados para os devidos
effeitos.
Recife, 17 dejaneiro de 1885.
Fiquem coahteendo
Eu abaixo assignada victim c.poliada
polo Sr. Antonio Eliziario da Silva Ca-
moes, n3o podendo hayer deste o que me
dove, visto nada ter corn que ms pague,
pois a pequena casa de negocio que tern
esta em nome de sua irmni; viuha por
meio desta folha declarar ao public a sua
mA f6, tornando assim bern patent os
meios que para isso emnpregou, nlo s6
para desgragar a mima corno a mais alguem,
dos quacs, alguem houvo que o desespero
o levou a sepultura, tal 6 a chronic deatc
cavalheiro do industrial.
Imploro pois a beaevolencia do respei-
tavel public para quo leiia corn attendeo
nio s6 este artigo, como os que tenho de
publicar e. seguimento corn a mesa epi-
graphe, direi semrapre a pura verdade inda
mesina contra mirm.
Morava eu na praga do Conde d'Eu, e
estando meu marido muito doente fo rammui-
toe negociantes destapraga visital-o, e entree
elles foi este cavalheiro que auAo obstante nao
haver relato de amizade em nossa cisa,
apenas conhecia meu marido de vista por
ser elle negociante nests pra~a; foi este ca-
valheiro po: diversas *vezes, em nossa casa,
tornou-se assiduo e corn muitos offereci-
mentos; entrou assim no conhecirnento do
que meu marilo nao escaparia pois acha-
va-se desenganado pelos medicos e ainda
mais de que minha farnilia estaya indifferon-
to commigo, cimprehendeu a minha situa-
vito.
Sendo obrigados pelos medicos a irnos
para a matt, elle offereueu so p-ra procu-
rar a casa; mnudei-me para a Torre, e no
tim de 5 dias maorr-B maeu marido; no rues-
mo dia (minutes depois de sua snorte) che-
ga o seu despachante a quemn pedi para
tratar do enterro e alugar uma casa na ci.
dade ; chehando este ao Recife eneontra-


se corn o Sr. Camoas qae Ihe pergunta
como estava o Motta, eommunicando-Ihe
esto o occorrido, o Qamoes insisted para
quo deice a. sou cargo o eaterro, eaOquan-
to a casa no alduga-Se porque eu diria
para a casa de asua famiia por emquan-
to; tudft iWto oe paWoStao I V quo .A sostu-


besie.
A'Ao3 ihOrS-
sa- op Se'r. Jc
pezafnie doep
.qae o enterrio
hio o 'ersm,'
C0am -l( iii


a acsaf


a as
as a


F


I-'


sua gratidAo pela impi'iusa, e declarar-lhes que
gnardara.o eterna menoria dessas provas de esti-
ina e dedicacao, que tanto ihes tern fallado ao
atribulado coracao.
Corn particularidade agradecem aos Srs. Drs.
Matheus Vaz de Oliveira, Silva Maia e Carneiro
Leao, os valiosos services medicos que prestaram
A scu marido e pi, desvellando-se em arrancal-o
A more, e prostmndo se geuerosa e benevolamr-nte
A suavisar-lhe os ultimoa instantes deo vida, quan-
uo a seiencia se confessou impotente parsa salval-o.
A' todos, e a cada umn individualmente protes-
tam sincere e immniorradouro reeonbeeimento, e Ihes
pedem desculpas se por ventura corn esta confis-
sao Ihes causarern offense aos nobres melindres e
seutimentos de altruismo.

Collegio

SANTA CRUZ

34--Bua do Marquez do Herval-54
A directoria do eollegio Santa Cruz faz sciente
ao respeitavel pablieo que este estabelecimento
acha-se aberto desde o dia 12 do corrente.
Aeautelai-vos eontra tedas- as
preparacoes
mineraes quo enveaenam e destrdem o eabello !
Alimentai-o corn a nntrm.ao saudavel contida no
TwicQ QOriataf, e eertatmente tornavA a voltar
comprido e basto. Applicai esta manvilhQa pre-
-parnto vegetal eoma a eseoqa pel*ianh e inoi-
to, e anog .spete as fibras multiplicar-se-hiomas
sim tamabem chegjalro a alacsngar o compriento
desejad4o. Ste effiuito tio u umforme em. todos os
casos, prowaque esta rara e eeellente curapowsai
6 uma substitato perfeito par a nitriao do abel-
lo, quando ektcae xste em quatidde oiff
eiente nUovse Y awsoa wrfos. Itast nale M
do-, a cusopa s- a 1$tma Sam fibas, eseat&ad-I
jwr-elp I'par (^ i gates reClK
I-


gantivw afs 's'a. wl

aari mo. "U -so -o er m '%

Deposito .rni 14daai m cia* de Per-
nambuc. "

Vlht fermg0o0o Ar-ud
- CAR=, E tE o Z QVMtA Dez anvos
de exito conitantee as affirmages das
mais altas Sumidades. da sci encia media,
provan quo a associago da CARNE, do
FERW O e da QUINA, eonatitue o mais
energreo reparalor at6 hoj* conrheeido para
curar: a chblorose, a anenmia, a menstrna-
'9o dolorosa, a pobreza. o a 'Itera&o do
sangue, o rachfitismo, was affeees ocrofu-
losas e eoorbutica, ete. 0 viaho ferru-
ginoso Aroun-i 6, corn effeito, o unicj que
reune tud) quo tonifica e tortifica os or-
gos, e regularisa e augments considera-
velmente as forgas ouT: restitue o vigor e
pureza do sangue empobrecido, a c6r e a
energia do vital
EstA igualmente a venda em todas as
principles pharmAcias do estrangeiro.



Collegio


Sdisse que uaiohonrew, e ql a& wvia d&
fazer por im o qu ot prn ftdr -urea
Ailha; acreditoi nas suas palavras.
Chegando eu aiaa casa,'pedi a suaa eu
nhada para me chwmar urn advogado pars
tratar de meu ivenritao, pormo", logo que
to," disto cowahwcBnato o Sr* <3affe4_fi.
eou basftftte emiouuvade4.4. 4iww4wiLter
fallado ao Sr. *Dt.Jusia, que era sea co-
nhoeeido; era-& iff 6nte aceitar este
oun outto quaqiiert ,a, cohd -ia a nes-
hum, Q nem e tendia-ejutia, a vista dos
offerecimeautos do &. Games, 4deizi para
que elle s ee dq qw dizia
respeito ao mvot iueuitrite.
Aluguei umn ,sbrado na rua t urga do
Rosario, mudei-me, o Srs. Catioes nIo me
Aeixou mais a port, hia, mia.- a aaa tres
vezes por dia, contava-miteatashiatorias
e fez-me tautas promwessas, deixei levar-me
por essas lamurias, e atW que final satisfiz
aos seus desejos. e logo em acto conti-
nmio (precisava de liberdade), porgu'ntou-
me se meu marido nao .fiaha deixado di-
nheiro, eu Ihe disse que sin ,porx6m, que
nao podia dispor ema quanto nao pagasse
aos credores, elle ertdo me disse que se
encarregaria dos meus negocios e pagaria
aos credores, nao duvidando do sea carac-
ter, no puz duvida em entregar-lhe nesta
occasiAo todo o dinheiro que havia em ca-
sa, que foi, treze contos e quinhentos mil
r6is; pedi-lho um document desta impor-
tancia o que elle fez-me coxweneer de que
nao era precise, visto quo nao ficava em
suas maos, no din scguinte hia tratar de
de pagar aos crodores.
Recife, 16 de ianeiro de 1885.
Isabel Augusta de Oliveira Motta
(Continuial)

Reformia hypothecarla
Corn esto titulo acaba de sahir dos pre-
los de iurna das typographias de S. Luiz
do Maranhlio, um indite alphabetieo e re-
versivo da lei da reform hypothecaria e
respective regulamento, polo illustre ijuiz
de dircito da comrnarca de Alcantara daquel-
la provincia, Dr. Luiz de Albuquerque
Martins Pdreira.
El uma obra de incontestavel utilidade
para aquelles, que teem necessidade do re-
correr e estudar o system hypothecario,
que nos rege.
0 digno magistrado, publicando este seu
important trabalho, exocutado corn clare-
za e method, preencheu urna lacuna, qne
se dava a respeito da lei hypothecaria e
sea regulamento.
Hoje, corn o auxilio do Indiee Alphabe-
tico da Reformna Hypothecaria, tornam-se
faces o estudo e o exame do qualquer hy-
pothese sobre hypothecas.
Agradecendo o exemplar dessa obra de
358 paginas, que nos foi offereuida, recom-
tuendamol-a A consideraglo dos entendidos
na material, e de todos os que della possam
precisar como um excellent manual hypo-
thecario, que 6.
(Imprensa. Piauhy.)

A viuva da run da Assumpgao n. 56 pede aos
Srs. negociantcs e empregados publicos um soc-
corro pelo amor deDeua para adjutorio de urna
casa para morar corn 6 filhos, sua mui e uma irma,
me ache despejada da casa pelo Sr. Joaquim Bel-
trao filho, que e o fiador e principal pagador ha 4
annos que este Sr. me faz esta caridade e n'o p"-
dendo mais fazer esta esmola porque so acha al-
caneado e sustenta familiar. deixa de ser fiadir e
nao concorre mais corn os alugueis da casa, tenho
sido cirada quatro vezes pars sahir da casa: por
todo este mis, do contrario irei para o meiq da
rua corn as minhas crazes e os cacos; esporo en-
carecidamente ser attendida pelos senhores a quern
eu faco este pedido e quc tenha compaixao desta
pobre desvallida corn srus infelizes seu ter um re-
curse para a sua morada.
Agradeclimento
A viuva e filhos de Antonio Joaquirn Peoreya de
Ohveira, summamente grates as pessoas que du-
rante a mobestia de seu mar.do e jc\, e especia1-
mente nos seus ultimos mamentos, ihes deramn pro-
vas de estima e dsdicasco, veem 1 confessar-lhes


Cirurgia; estreitamentos da urethra e do recto
,curados pe,% eleetrolyse sem dor ; fistulas; tumo-
res do w*re. Hydroceomm seam ,njeegao (eura ra-
dical). rlbalasamiioietos pelo process de Su-
oquet. lcerea. M. uau: olestias do peit
e da g t_ Sypis, moetias venereal eda
Muda m.7$4, aa 12 isha S mtT. da tarde. -hama-
,-A" oper aenpto a aol^s emte



Eel&'rM a aulas deste college 9 rw


1a Ast arua ds


artui


Para o sexo Femmewau
Maria sloe AuiJe4 DoreAlls Ca-
mara competentemente habilitada, tern aberto
em sua resideneia, rua Duque de Caias n. 70, 2.
andar urma aula particular de primeiras, lettras, para
o aexo femenino, a qual funeaionA das 9 is 2 horas
da tarde dos dias uteis. Ensina, al6m das mateias
que constituem a iostrueclo primana; os diversos
trabalhos de agulhas. As pessoas que a quizerem
honrar confiando-lhes suas filhas podem dirigir-se
a casa acima, o corn seu psi o professor Camnara.


Colegio Pedro II
Caes do Ramos n. 832
As aulas deste estabelecimento principiare a
funccionar no dia 7 do corrente Reeebem-se
alumnos interns, meio-pensionistas e externos.
0 academic Julio de Mello Filho, pro-
poe-se a leccioniar, segundo o progranmmna
official, francez e inglez erm coliegios e ca-
sas particulares, ou em sua residencia, A
rua do Coronel Suassuna n. 173, por mo-
dico pre9o.

0 Dr. Adriao
MEDICO
Continima a dar consultar das 11 as 2 horas da
rarde, em senu antigo consultorie, A rua Larga do
Rosario n. 36, 1.0 andar. Chamados per escript
Suqalqucr hora, na pharmacia Bartholomeu & C.


Cajurubeba


rso I rim o pre 1artori0o
15 Rua da hmperatriz 1S
As aulasdeste collegio acham-se abertas
desde o dia 7 do corrente.
D'ora ermn diante o curso primario acha-
se a cargo exclusive do director.
Este curso constarA no maxino de 50
alumnos entire interns, externos e ineio-
pensionistas.
Recife, 16 de janeiro de 1885.
0 director,
Manoel C. Silva Braga


Institute 19 de Abril

1l-Rua do Progresso-1
INumero telephonico 975
DIRECU9O DO
Bacharel Luiz da Costa Ferreira P.
Carreiro
Este estabelecimento de educaclo, recentemen-
te mudado para a rua do Progresso n. 1, offerece
sos Srs. ppais, pelas magnificas accommodates e
boa hygiene da nova casa, todas as condim5es exi-
giveis de um estabelecimento de educagio su-
perior.
Continuda a aceitar alumnos internos, meio-
pensionistas e externos, assim com o continue
coarn o curso de ferias abrangendo todas as ma-
terias para os exams officials de fevereiro, de
accord cornm o programma do Exm. Sr. ministry
do imperio.
PenB6es e bonorarios
Interno por trimestre adiantado 1400000f
Por mez 50%000
mais de um irmlo tern o abatimento de 5 o0o sobre
cada pensio.
,emt interno d.sula primaria ou de urma
s6 aula superior 75J000
De mais de urma aula superior 100*000
Externo d'aula primaria per trimeste 151000
De umra aula superior per trimestre 20*000
De mnais de urma aula superior por tri-
mestre 30*000
Lavagem de roupa 15AC00
Dansa, music, ou desenho, per trimes-
tre de cada uma 20A000
Corpo docente
Aula primaria, o director e auxiliares entire os
quaes sua mige.
Lingua national, geographic e historic, Dr. Vir-
gino M. C. Lego.
Lingua fr inmceza e rhetoric, Dr. Carlos Porto
Carreiro.
Lingua latina, Dr. Jos6 M. Acauau Ribeiro e
auxiliar.
Lingua ingleza (theorica e pratica), Dr. Julio
de Mello Filho.
Philosophia, Dr. Alfredo Pinho.
Mathematica o director.
Sensoria, o academieo Julio Pires Ferreira e
auxiliares.
Curso especial de eseripturaAo meocantil pelo
Sr. Adolpho Guedes Alcoforado, habil guarda-
livro de nossa praga.


Portuguez, francez e

inglez-
Pedro Marques offerece-se para leccionar em
casas particulares as materials acima.
Promette empregar os meios A seu alcance para
adiantamento dos que quizerem se utilisar do seu
prestimo: tratar na typographia do Tenmp das
11 A 1 da tarde.

Escola particular
Rua Vidal dee ,egrirosn. 190
Maria do Carmo Rodrigues de Almeida, faz
sciente aos pais de suas alumnas e ao respeitavel
public, que sun auta acha-se aberta no dia 7 de
janeiro proximo vindonro: e ensino costa de pri-
meiras lettras, trabalhos de agulha de differentes
qqualidades, fiores, music e piano : recebe a lgumas
alumnas internal.

Aula particular para meninas
VidMl de Negreiros n. 12,
Carolina Leopoldina Cuelho de Araujo, particupa
sos pais de familiar qae de fevereiro em diante
estarA abezta eam auba particular para meninas, a
ir-a Vidal de Negreih-B qpateo do Terco) n. 12,
1- andar, onade a mesa leccionara primeiras let-
tras, trancez, piar~o e diversos trabalhos de agulha.

Dr. Bettencourt


diciplina, a excellente chacara, para re-
cw.a, o eorpo 4aomp e a long pra1,a do
director nas materift do ensine devein ser
peohores assaa uucintos de optimo desen-
volvtinmento pl u snellectual e moral da


*niuiwiao~diasa4^-K

jecto &lgUGA,lS-i


cnias saabrtuq*W.
Wotorio au sam amw
Wile fi~tdall ..


lima cura milagrosa!
Him. Sr. Firmino Candido de Figueire-
do e Antonio Pereira da Cunha.-Eu abai-
xo assignado, afirmo que soffrendo de uma
escrofula a mais de 18 ou vinte annos, a
qual por mnitas vezes, me deixou em esta-
do de abaitimento; a n'ao supor escapar, e
tendo a principio tornado diversos remedies
de curandeiros, tratamentos medicos, to-
mei mais Salsa Parrilha de Bristol, Sal-
sa Parrilha de Ayer, Salsa Caroba e Ma-
nacd de Eugenio Marques de Hollanda, po-
rem tudo isto era impotent, eu vivia des-
enganado de fiear born e sem gosto na
vida; succede por6min que lendo o Diario
de Pernambnco, deparei corn urn annuncio
do milagroso CAJURUBEBA, entendi
para mim mesmo ainda esgotar este; man-
dei ver um frasco, e principioi a tomar,
qual pordm nao foi meu espanto quando no
fim deste, jA a ferida declinava e nos fimn
do segundo jA eu estava born, tomei o ter-
ceiro nao que preeisasse mais, porem en-
tendi assim, hoje porednm acho me corn urna
saude robusta e uma nova vida, desde en-
tao nao deixarei de aconselhar aos -meus
amigos para que como eu possam gozar
das prodigies deste miraculoso remedio.
Como de outro modo n~o posso manifestar
a gratidio de respeito que devo ao inven-
tor deste remedio o Sr. Firmino C. do Fi-
gueiredo e propagador Antonio Pereira da
Cunha, offere9o-lhes esta para ser publi-
cads, e assim chegar ao conhecimento de
todos.
Pil)es do Bananeiras, na provincia 4da
Parahyba do Norte, aos 22 de novembro
de 1884.
Candido Luiz de Franga.
Reconhego verdadeira a firma supra de-
clarada, ser do proprio assignante e dou f6.
Villa da Independencia, 2 de dezembro de
1884. Em testemunho de verdade o tabel-
lino public Francisco Xavier Cavalcante
de Albuquerque.



\\ { Dr. hello Gonies

SMedico operador

Rua do Barao da Victoria, antiga )
S rua Nova n. 37, 1" andar
Onde pode ser procurado A qual-
Squer hora do dia e da noite. Consultas
das 10 ao meio dia. Recebe chamados
por escripto epara f6ra da capital. De-
dica-se corn especialidade ao estudo de
febres, molestias de peito e affecqoes sy- \
Sphilitieas de ambos os sexos.
S ApPARELHO TELEPHONIC N. 156




Embarqne
0 cirurgiAo dentists Jose Basilisco par-
tecipa sos seus clients e a-Digos, que se-
gue no dia 5 para o sul, em busca de ue-
Ihoras A sua saude, e espera que na sua
volta continue a dispensar-lhe a confian
9a, corn que sempre o distinguiram.



Instituio Academiico

153 RuB a Viscoui 68an15S
(Iondego)
Este collegio, estabele.ido em um dos
mais vastos edificios d'esta cidade, acha-se
convenientementeo preparado para recebear
awmunos interns, smi-internos e externos.
A .ittiaeao do edufkio em urn dos lugares
sMai'- hygieieo., a diaposigcio dos -albe. de
eaudo e dormiforio de acordo corn a boa


Reprovados 10.
Para conhecimento do public


o director


do collegio declara que os cursos do anno
lectivo comeeario a 15 de janeiro do 1885
Recife, 24 do dezerAbro de 1884.
0 director,
Jose Ferreira da Cruz Vieira


Collegio Nomsa SeA

ra das Victorias
RUA DO HOSPICIO N. -10
E(to oollegi6 eontuarak s o anno lectivo
de 188, abrindo snas aulas no dia 1 Ode Janseiro.
igalumnas internas, semii-ntersa e ex-
terael
aranne rlltf~


vado.
RHETORIC
Jobo Siqueira de Arruda Falcao, appro-
vado plenamente.
Manoel Alfredo M. do Passes, idem. '
Reprovados 2.
PIffLOSOPHIA.
D. Delmira Secuadiuaa da Costa, appro-
vada plenamente.
Joao S. de A. Falcao, idem.
Joao C. de Barros .Costa, apjrovado.
Horacio Ciero da Silva Tavares, e&m.
Manoel Cayaleante do Rego Barros,
idem.
Jos6 FerreiraMuniz, idem. -'
Reprovado 1.
RESUME
Approvados corn distinego 3 :
Idem plenameate 23
Approvados 45

Total 71


I-














-',* A


Jgltm^ aalO$ rB
:ov alumnws d AI46 durant0e o 0 <




Joaquim NuneeF os fra-Gm., o,"I
Jos6 Luiz Arconcio Camboim de M. Vasoeuto.loa,
approvado. .
Flisio Alberto Sil 0 a, idem,.
Andre Dias Pinheiro, i4em- -
Alfredo Olyatho Barbaihe, idam.
Antonio J de Rego M. Netto, idem. 3
Carlos de Paula Lopes, idem.
Justfino E. das Neves, idem. 'll|

Zeferino Pontual, aMrvado pnamente
Manoel C do Rego Barros, approvada. ::
Carlos Adour, idem.' "'- ... /,l
Manoel S. Nunes Machado, idem. "
Jos6 Martins Fiuza, idem. i
Reprovado 1 :
4 INGLE&
Jos aSpA4., lvai Loyo, approvade
corn distincglo. -"
Afredo Felippe da Costa, idem.- ,
Joaquim Naes Ferreira oimibra, ap-
provado plenamcnte. ,
Joo Custedi. ci B Coqa, idlao.
Alfredo iSilva yLoe idAw.
Manoel C. do Rego B. approvajo.
Andre Dias Pinheiro, idemt.
Joaqaim S. do Arruda Falco,. O L
Jo6 Luiz G. Ferreira, iden.
Reprovados 4. ,ATh-
IjATIM ''**J K*
Horacio de Almeida Guimara%; appro-
vado plenamcntd. -
Horacio Cicero da Silva Taya,-jm
Joao Custodio do B: Cbst-0o.s
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idim.
Joaquim N. Ferreira Coimbra, idem.
Joaqulm Siqueira de Arruda Falcao, idem.
PompLo da Silva Loureiro, idem.-
Leonidas A. de Mattes Torres, appro-
vado.
ARITHNTICA
Jose Hugo Gonpalves, approval dploena-
mente.
Sebastiao Lins Wanderley, idem.
Joaquim S. de Arruda Falcao, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, ap-
provado.
Joao Custodio de B. C-"sta, idem.
Andr6 Dias Pinheiro, idem.
Pornpeo da Silva Loureiro, idem. :
Reprovado 1.
GEOMETRIA
D. Delmira S. da Costa, approvado ple-
namente.
Eutichio Autrant, approvado.
Josd Hugo Gonualves, idem.
Joao S. de Arruda Falcao, idem.
Eduardo I. Ferreira da Silva, idem.
Jose N. Ferreira Coimbra, idem.
Jos6 Ferreira Muniz, idem.
Praxedes B. de Mendon9a Vasconcellbs,
diem.
Joao Custodio de Barros Costa, idem.
Horacio Cicero da Silva Tavares, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, idem
GEOGBAPHIA
Pon'peu da Silva Loureiro, approvado
plenamente.
Joao S. de Arruda Falcao, idem.
Joao Custodio de B. Costa, approvado.
Eduardo J. da Ferreira da Silva, idem.
Jos6 Martins Fiuza, idem.
Manocl Cavalcantedo RegoBarroicidem.
Reprovado 1.
HISTORIC
Joaio Siqueira do A. Fale-io, approvado
corn distincgao.
D. Delmira S. da Costa, approvada ple-
namente.
Jose Ferreira Muniz, approvado pisna-
mente.
Jose N. Ferreira Coimbra, idem.
Manoel Cavalcante do Rego Barros, ap-
oprvado plenamente.
Joao Castodio de Barros Costa, appro-




- i.4t
.-
-e "a J


,..;.-..- 5 .
NAM*PBvT^a


.'.. uea utrj a titad
a" o lecthvo darte eoUogio someaorA es 7 de
rie .- xoo- de 1885. Recebe-se almni. internas,
^ u. szintrnas externas.-A director,
SI. Adounr.


Coiegio Amor Divino
fluma da dinperartnz n. 3
AbirA as aeioas no dia 12 do correnute. Ad-
mitte ahimno interest, semi-internes e externos.
SA direetora,
0. A. de Mendm),a.

Instilulo vaceinico

]ua Lara do osariO a, 26 1. aa. da2
unciona todos os dias uteis de 10 as 12 hor-as
0 director
Dr. Arruda Beltrdo.


COLLEGIO


NOSSA S. DA E
Rua do Cabugia us. I
segundos amdares
Os trabalhos

collegio come a

12 de janeiro.

As disciplinas


PNHA
F eSf


U-
a.


pp


(Baa d.E oapeo a. 3).
Re4sdtdo dos ea es officiaw prestad.
peds alhmnos deste coltegio dwaute o
anno de 1884.
Portua-ex
Alfredo Mamoliano do Castro Quintaes, approva-
do plenamente.
Jos. Francisco B iundeumi de Mello, approvado.
Joaquim Gongalves Caseqo, approvado plena-
mente.
Francisco de Paula Goncalves Cascio5 approvado.
Manoel Guilberme de Atbayde, idem.
Jvao Xavier arneiro de Albuquerque, idem.
Castor Athelaiso de Souza Lacerda, idem.
JosA Populo de Mendonga Vaseoncellos, approva-
do plenamente.
Pautlino Augusto Veclloso Freirc, approvado.
L3 cutrgo Pimentel de AlIbugucrque, idem.
Francisco de Barros Cavaleante, approvado pie-
nameute.
Edigardo Cirne Lima, idem.
Jcaquim de Souza Leilo, idem.
Marceos Spiridioni Sloceovitb, idea.
Silvestrc Dantas de A. Lina, idem.
Reprovados 3.
Franeez
Alfredo da Coanla Pereira Brandao, approvtadc.
Francisco de Barros Cavalacirte idein.
Espiridiao Biuarque do LiUma, ipprovaado plewi.-
mente.
Fabio Rino Filho, idem.
Reprcvatdos 2.


I l luglez
|jos6 Celho da Silva. approvndo.
doeste Jrancisco de Pi.ula Lciva Junior, app'uv;,:
deste namente.
Gaspar Menezes de Drummnud, idlermn.
,rao Ayres Gaina Filbo, apprvado.
SJose Noguuira de Souza Fillho, approva-lo


ens


mudas saio: primeiras

letras, portuguez,

francez, inglez, alle-
miao, geographia, his-

toria, music, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Adindmittem-se alum-

nas internal, meijo-


pensionistas

nas.


e exter-


Collegio do Santissiimo

Cora o de Jesus
Este collegio para instrucalo do sexo fe-
minm e qu* funeciona no predio n. 15
da travessa do Veras, abrir-A suas aul-is
no dia 12 de janeiro proximo.
Tendo feito aequisicAo de bons profes-
sores para as materias quo constitucin o
ensino do mesmo collegio, acha-se Uas iCme-
Ihores condigios de preencliher o scu tim.
Slo professors os seguintes Srs :
Primeiras letras-D. Maria Luiza Sam-
paio.
Portuguez Dr. Joao Feliciano da Mattzi
a Albuquerque.
Arithmethica-franccz c geographia
idem.
Desenho-Jeronymno Jos6 Telles Ju-
nior.
Piano e music a directors.
Al6m dessas diseipiinis, o collegio cusina
trabalhos d'agulha, bordados, etc.
Recife, 31 de dezcmbro de 1884.
A director,
Vicentina Cesaria d( e kdlo.

Eseola puiblica
Desdeo dia 7 do correue esta funecionando a
4a cadeira do soxo fimcniuo da freguczia dc S.
Frei Pedro Gancalves do Recife, reoida; pela pro
fessora Maria Cleobulina de Mello Ottoni, no 10
andar do sobraito n. 86 i rna do Barao do Trinm-
pbo (Brum).
Wiberto Barreto de Mello Rego, ret rando se
inesperadamente para a curt,t onde vai residir, e
ano podendo despedir-se pessoalmente dos seus
amigo, o fax por este mtio, a offerece seos dimi-
autos prestimos no referido lugar.


COIlERCIO
Praia do Recife, 11 de Janeire
de 1IS6
An trees horas da tarde
('Eow eOa offiogaeI
Camblo sobre Sautos, 90 d/v. 3/1 0/0 de desconto.
Cambio sobre Londres, 90 d/v. 19 1/4 d. psr 1,I
do banco.
Dito sobre dito, 90 d/v. 19 1/2 d. por 141, hontem.
LA. Leonardo Rodrigues,
President.
M. J. 4 Motta,
Beerctario.


:REN ENTOS
-O M do janiro
4XMm =DI 2 a 16
d, e. di 17


PUBLICOS
do 1885
410:726J836
41:261104
451:987A940


14:5124580
2;89AM14
17;8652O094

;s 16 8Sfl37

-- iS4 ..p
150:716.388

IM ,., .


do l,1hl-


iplena-


mente.
Joao Olyinpio Tieodoaro da Silva, idu;n.
Octavi.,no de Siq(ieira ('avaleantc, itden.
Franciszco ile Paiul Gounalvcs C:;ts'.o, :i>pro-
vado.
Thomaz LUns Caldas Junior, approvado il:'ii-
mente.
Horacio H. C;rneiro Lt-o, approvedd<.
Irin,,u Ersino I'. Jutucl, ;pjrWvido plIn.imajentt.
JosO Mi'rinw Carneiruio L -;io, idem.
Rtu-prov:IdIos 5.
Latim
Ja;i'lt;iu G icdes C. Goudiui Filhm, aplrova.io pl,-
l;mcimacltit.
Octtismuno de Siquoira Cavaleaiate, appirova:i).
Braz Cari,'irc Ai,,, ideal.
Francisco Goines Parente Filiho, approw):',o ple-
nfitneuitbe.
Tliomiaz LiUs C.lh:ts FibIho, 7inta.
EspiiidiAo Buairque de Lima, idelm.
MaLnoeli Ephisio de Qu-ircz MAiantern, ajij;r..)-alu
corn distince,:o.
Faitlio Ri:to Fillio, rpp;o' til plcL;U:nntiac.
lFirniiiino Ant-,)o.io Jde Suz:a Vi:wiina, idcli .
Ly.eurgo Nasbal 'Painp'idma, itiin.
Js6 Mari;inno Cnirneir-o LeAc, iieim.
Epaniinoudas Leite Chermont, .pp-rovado.
Uhetorica
Aifredo Mameliane de Castro Quintaes, apiro-
vado.
Francisce; de Paula Leivam Junior, idenm.
Gervasio Pires Fioravante Ferreira, approv'iul
plenimente.
Joo tidc Carvaiho Soart-s Brandiao, approva.do.
Theophilo Torqsiato do Arsij-) Sahilauha, idenm.
Joaquirn .lost Uorrcia de Arraujo, iCdim.
Antonio Gitirvana, idem.
Heraclio Gitirana, ide!m.
Jo6 G itirana, sipji-ovado p1 ,minacnte.
Luiz Augusto C'-rneirou d Albuquerqu,, appro-
vaido.
Alfredo A. Gama, approval iplenninmente.
Cactano Correia. d.' Q.ir.iz M',,ituir-o, apr.,-vado.
Manotl Guiilberwc do. Atltydt.-, idesn.
Jos6 Candido Dias, idieii.
Raymiundo Cunla, idiem.
Manoel Ephisico de QQciroz Monteiro, iltm.
Reprovados 4.
Gieogu-naptia
Josc N,-gacira dte o.iza Filhi., ippio-. ail) 1 *i n i I
ILCi to.
Francisco ,d P;:ula L- i.-a Juiior, ipprovado.
Luiz Jos6 liiliaihmaian Moziciro, i,]em.
Alf'redl, Druminmond, idicln.
Autouio Miguel Nogucira dc Souza, ini.t.
Arthur Cavnlcautc de Albuquerquec, idlin.
J-'Lo Luiz dos Santuo, ide-rm.
Godofredo Muscoso dai Veiga Pcs(on, id' in.
Aristlieu Pinheiro de Mendonqan, idenm.
Julio Pirts Fcrrcira S.-ba-inho: pprvado I'l.onw-
inmente.
Tlhomaz Lins CaldiLs Fillho, id, m.
Firmino Antonio dc Suuzai Vi.anar, a!iprovaidto.
EspiridiiLa Buarque de Limn, approva.lo pi na-
monte.
Fabio Rino Filho, approvado emn diztniicrv,.l.
Horacio H. Carneiro Leao, aplirov'ado.
Iinen Erasmno I'. Jutuc-a, aplirova-lo plenainrnte
Viet,-riano Rigueira P. de Souza, ilenm.
Joaquim Andu Bentrcn, iderm.
Reprovadclos 7.
Hisloria
Joao da ''osta Ribeiro, approvado.
Alfredo Drummond, ideumi
Maioel Oonqalves Lina, idnmn.
Manoel Pul'icarp .Moreiri't de Azevcdo, itlem.
Luiz Correia de Queiroz Barros Filhbo, approrado
pleuamente.
Manoel Ephiio dc Qiueiroz Monteiro, idem.
Irineu Eriusmo P. Jutuca, idem.
Jose Marianne Camrneiro Leao, approvado.
Victoriano Rigueira P. de Souza, idem.
Alfredo A. Gama, approvado plenamente.
Joaquim Andre Bentren, approvado.
da, equipagem 8, carga various generous; a or-
dem.
Havre per escalaa-24 diss, vapor francez Vile
de Maceid, de 1,775 toneladas, commandant
Panchevyre, equipagem 45, carga various gene-
ros ; a Augusto F. do Oliveira & C.
Bahia-2 dias, vapor allamngo HamburAg, de 1,284I
toneladas, commandante R. Lawer, equipagem
37, earga vatios generos; a Borsteiman C -.
Cabo da Boa Esperanoa-24 dia, barca sueca
Mar-garfa, dc 312 tonelaitas, capital A. Hatla-
gret, equipagem 10, em lastro; a Herman Luad-
grin & C.
Jahidos no mesmo dia


Liverpool-Bares norneguense Sirrah, capitalo J.
L.rten, carga algodilo.
Santos-Patacho allemao Levante, capitio C. G.
GrOumlud, srga s mar.
New-York---*aa amaericana Archer, capitao HL
C. Mitchell carga ususar.
Guam--PaM Kjrdav, capitol a
Je, p, em


VAPORE8 ESPERADOS

Mars de Caaiaa da ha hoje
G deoi hoje
bt -opa koje
.do no Nwpor- w mmab ,


tdo ... .. t N.pI- o a .
S- I-e ^


JoA Pte to#tai i. ', ;
s, idea.
MaUnwol d Costa Ribeiro, idem.
A4ttoui Espinola Ferreira de Oliveira, idem.
Virgiie Cicero Carmeiro Leo, idem.
J".6 Riearo dfezsq Bauadei, kine..
xapdab B aesqo doe LiAms, approvado pk
Mleute. '
MUsseoal Ephisieo de Quiroks Monteivo, ,dem.
Joaqana Andr6 Beatren, approvado.
Reprovado 1.


Leas-


D. Maina Amelia Cavaieante, approvada plmsa-
inonte.
Fraucisco de Paula Cysneiro Cavaleante, appro-
vado.
Diego Salomonio A. Maraubao, idem.
Juao Paclheo de Qvciroga, idenm.
Jo'o da Costa Ribeir, approyado planameute.
Ma inuoel de Barrm Beerra Caivaleante, approvado.
SGodjtredo Moscooem da Veiga Pessa, idem.
Cicero Martins Peoso, idem.
Manoel Ephidio de Queiros Mblonteiro, idem.
Irineu Erasmo P. Jutuca, idem.
Lycurgo Narbal Pampltouna, idem.
Josa Marianno Carneiro Leao, approvado plena-
it cnte.
Victoriano Rigueira P. de Souza, idem.
Mianoel Gonalveq, Lima, approvado.
Jcaouim AndA6 Bentzcn, approvado plenamente.
B ruardo Sampaio, approvudo corn distincA.).
Algebra
D. Maria Amelia Cavak-lcante, approvada corn dif-
tineqAo.
.Juon da Costa Ribeiro, approvado.
MaNuioel da Cssta Ribeiro, idem.
Bcrnardo Sampaio. approvaao plenamtirtc.
Irimeiu Etrasmo P. Jutuca, approvado.
Re unmo
ApprovaAos corn distincqio 3
Approvados plenamente 54
Approvados 70


107


L MbaL a. : I
Reprovados 25.
lk'ixo de mencionar nesta list.a, por ignorar o
gri;o de approvae.o, o nome do Sr. Caetano Cor-
r-i1 de Queiroz Monteiro que fez exame e fui bern
swcedido em Litim, inglez, geographia e e rth-
aetica ; bein comno @ do Sr. Laurcntino Aintio
M..reira de Azeveilo qiI. fez cxainme de franeex,
nigi-z, latim, 'irilltnetica e rhetorical, mas cujo
r.vcdiltado n;to inme fci couinmuni-ado.
Juntandlo o resultado dos exams do Sr. Caet.a-
1n, Corrie tide Qu,.iruz Mouteiro ao resultado j i
uuomthtucido tin.,s ;
Approvad'js 131
Uestes 16 termin:Lraiii o curso de prepraitorios
u iii.tricularam-ze im dtiv'ersae faculdades do iiii-
per io.
Recife, collegio Dous de Dzeminbro, 9 de janiiei-
ro dlc 185. -
0 director,
Jost! Bandeira de Mello.


Pastilhas dImes anthelmifticas

de Hering
Iara compact: exp,.lliu. u ios vi'eras a int eti:aut.
0'mI crianpias e adttos.
EFFEITO FACIL, I'ROMPTO E CERTO
UNICO AGENT

Theo. Just
ILI-CORPO SAINTO Is
Deposito nas primcipacs dIrogarias e ph;rna-
ci(t.


EDITAES

Edital n. 42
3a praca .
De ordem do him. Sr. iis-iptetor se fax puhtoUo.
qra as 11 horas Ido ,li:c 2d:) 1, idx- eorrent-, sdrk,,
'1,1mlid;is cm nlila.o, iiu trapicl4.. C.mevi(io, as mei-
"adorias nbaixo ,leclaradas :
'Ti-ipiclie Barao di) Livriin -ito
Marca M FA, 2 barris de quintn, \!iiin', vin,,
de Lisbon no vapor frian-.ez HIenry IV, eitr;i,,,
mni 6 de junh., d IS83.
M1arca NF&C, 1 dit) ilein idem no vapoir frai-
cez Ville de 'aranhi.c),, item ivn 11 djulho ili-in
Marca MF5M, 1 dlito i'*m ilemin ua barca pr-
tugueza Bolina, idem cm 2 de novembro idem.
Maren &TC c citrawtt.rea G, 10 caixas idea,
de Liverpool no v;,por ingle2 Author, idcen ein 8
I/, agosto idem. contendo cousnrva dc kite, pesan.
d.j bruto nas latas 218 litros.
Scm mare, 14 saccos idem do Purto no pata-
cho portugucz Roblm. ilcn cem 17 idem ideni, con-
tendo lonuro, pcsando liquid 112 klos.
Tiapiethe da companhia pernarnbucana
As inereadorias scguintces Rpprehondidas no
presidio de Ftrnsndo de Noronha:
29 garrafifs de vinho do Porto, mcdindo de ea-
pacidadc 20 litros,
21 ditas coin aguardente de cauna medindo
todas 16 litros.
14 ditas corn geaebra, medindo todas 18 litros,
for t alh'-.liea !1 litros.
t| gim-airr, c, c,, i ll ; svci, inclii, I t, I. s 1-
litrs.
16 gtiiraf.'cs con agu;ir do to i'.s 27 I li:ro..
2 dit. s l u .
"' Sc <-c / e *,i A.iiilmIilin de [' 1iiinluh u, Ii 6i.
j.i nc iro dl I & -5. 0 e e o
Sivero IB. die Mel..

Edital n. 43
la praa
De ordcm do Ilim. Sr. inspector, se faz public
que as 11 horas do dia 21 do ci-orrente mez f.erA
vendida em leilao, no trapiche C.-nceiAn, a inmcr-
cadorma abaixe deelarada:
Arnmazem n. 7
Marca CWR, 9 cairLns mn. I si 9, vindas dt
New-York no vapor americano finance, entradb
em 18 de maio de 1884, conteudo tolihiahis im-
ptesaas em urea s6 cer, pesandi liquid 360 kilos'
abindonadas aos direitos potr Adamson Howie &.
Companhia.
Terceira seceio dn Alfandega do Pernambu.
co, 17 de janeiro do 1885.


0 ihefo,
Cicero B-asileiro de Meto"


DECLARAOES

Consulado provincial
0 abaiso asgnsado, lanordo conmmiado pro
vincial, corn a preente mpubeieao fa2 sieate as
Srs. G. Laporte & C. de quoe furam elle eAdeela-
,do n clause n. 6 databella de imp xtede re-
,parteo da lei do to vipta, eogade a
quita parts de 6 1a divT o dk rrWa
laues, reltiva ao 2o ammeatre do erat er-
cioe ona fdrma do art. 47 d & 'w t qg do 27
de jalho do mao proximo paiUgi _.
1* uscco do .otmmdado pe-viacia4I-1 dejmusar,
dlo885. .

d, -'Z i .


I


Arminda, filho de Francelino F. de MIollo, Trin-
dade a.-5ao sulP'.
Dia''20
..' 1,-0 ilI S.i (-:,-:i ti tr.-i!Oi AI ',qq 'cr-vr '. Sian-
ti.-" rMiI) N.it r' mlfci' cTi lt ] ;t" Vist.t a It ;i 11: c '
M}aocl J.'S.>;ii.iijk'ls li lCailIliAl, .mi.a, -L. i iL-
Wiii n; 6 ao.-sul.
.Ji,,fllho (1o l)r. Ai.ihla:Ces T. tle H.olxii-i i.
. .5 lc'd'i n. ; a: n to tuV.I
li),. 31)
n,,!n Candida de Suwa-it, S. J-i-i d'A.-?,,i.i a t
iii) iiazxqtxaatC.
Y.,ia lRosa do Olivcirn, Mi:i dos il,):,zvns n.
Francisco Jnso (A'uitc:ilvcs de Siqueiri. S. Frl:tc-
cisco n. 30 dec La.
0 admniniAtrador,
Juc, Baptista do Rey)..


DAS

Almas do Recife
A attaal mesa rebedora, tend pracedido uwca
rigorosa aindicancia no patrrmonio a cargo dc..-i
innauthtle, veriticon a exLatencia de um atr:Ls-j 'e
alogneas n unportincia de 4:4233250 att o ulti
mo do at-z let novem' ro proinimo fiado, figuraudo
oa locatarios e algunt fiatdorcs dos predios qmue
pelo prsente sRio cunvidudos a coinparecerem den-
tro do prazo de 3.) diss, a entender-se corn os ir
milos 3m on proenrador geral;, parta se tratar o
moe melhor de evitar urma liquidaclo judicial que
nhi j6 eonvenieute.I


Subdelegapda de Saalo Anlonio
Por eatsa subdegaoia ae faz pubrio que fOra
appreheudido e retlido a6 deposito urn cavallo
ruso por suspeita de ser furtado : quem se jul-
r om direhto ab umemo compare que provaun
k so domino, Ihe serA anttegu.
S8o idelegdcia da fregiuesia s11 6nto Antonio,
16 de janeiro de 85.0= .Bbdelgado,-
,Jo iq aoeek omes.
^ ^ ^ .. ^ ". _L' ._ ^* T -''-rc -a~lll5J>.*t "IO '[NAn,' J --


.I *- **
" .
, .t. --. --
, .


dia2.L
Theaourariado Fado bUdo 17
janeio de 1885.
0-5nv^^^^ stewS-^
t ~ J lMWObnfW=-sat

Cautw abicdo

Iloelfe
Do ordeut di lhna. Canra Municipal fia-se
eOite palo Waftscue Bem dim abaixo decei.
rad 00 a&r= a taambWA tambem abaizo
imeawas i9fta en* maqelle *mpo expire o
prMo ial pj a aommermeaco do cadaveres nmaM
sneamma eatacualMb. p 8e&cV td&a recainaglo a
sswreaPito e a'te do 4eterminados dias.
DiaM dI i abrilde 1885 (fallecidos ea janeiro de
1883)!
Fi'pcisco Delphino de SntAnna, Santa Cruz
n. 4dc 2 ordem.
Dia3
Jesuina Pessoa Cesar, Camaua n. 12 ao poen-
to.
Dia5
Joao.Baptista Eneas, Trindade n. 11 ao norte.
Le'oeadia Joaquim Pereira de Souza, matriz de
Santo Antonio n. 21.
Lutiza Maria da Costa Luna, Camara n. 29 A.
Dia 6
Etelvina Rosa Cavalcante de Araujo, Camrara
n. A.
Anna Candida de Araujo, Camara n. 6 B.
lenrique, filho de Constancia Ferreira Lima,
S. Jos6 d Agonia n. 1 de 1a.
Dia 7
Vic'encia Espindola da Costa BIllo Miii dos Ho-
mens n. 17.
Dia8
Fitancisco Ramos Maia, Espirito-Santo n. 19
de 2a.
Jo.o Francisco da Cruz Santos, Conceiqaiio dos
Militares n. 1 de 2a.
Dia 9
Elvira Auta Ferzeira Rabello, Uhagas n. 7.
Dia 10
Joio, filio do tenente-coronel Jeronymo A. M;i-
raniao, Sacramento da Boa-Vista n. au n orte P.
Dia 11
Lydia da Silva Rego, Ca:n iri in.. 4 ao poento.
Narciso Maria Carueiro, Pafs, n. 8 de 1".
Emilia, filho de Antonio ltdino de Andrade
Luna, Soledade n. 2 ao norte P.
Dia 12
Miquilina de Jesus do Me-iciros, S. Francisc)o m
3 ao nascente.
Manoel Paclueco do Am:Lral, Camaira 9 A.
Zulmira, tfilhba de Antonio Vcuincio d i Sii':L
Bastos, Carmo n. 12 ao uorte r
Maria Cavaleante de A. Lb a, Concciqluo ilis
Militares ni. 5 Eo poente.
DLi 16
Maria, filha de J. F. Carreixo, Luz n. 3.
Dia 17
Joaquina Mari:a do Espirito-Santo, L'z mn. 11.
Din 18
Maria Francisea Ribeiro, Camara n. 811.
Joaquim, AJmas da B)a-Vista n. 3 ao suil.
Dia 19
Frederico Benedieto dos Sautos, C:>mira n. 11
ao nascente.
Dia '20
Hereuclinda Senhorinha Vicgas, matrix de San-
to Antonio aos nasecnte.
Miguel, filho de Joao P. da Visitas..l-, S. Jose
de Agonia 19 ao nascent e P.
Dia 21
Antonio Jos54 Teixeira do Mendonga Bcltn,
Camaru'a n. 47 S.
lita Maria da f oncci:o Pez:soa, Camara n.
31 I.
Maria da Conceigao Souza, Carmo ai. 6 de Ia.
Di)ia 22
Maria, filha de I. J. de A. Braga, Santissinmo
Sacramento n.. 1 an .xL-nte..
Dia 24
XlMarfi ''. Viamn., tie Carvalh.), Passos n. 3 dIe
Din 25
Joaquian Lcocudio de Freitas, Cungrega,;'a.i n.
11 do 1;
Di:t 2.3
FranciGs- I[copoldiuai de Oiiveirzm, CILaura. m;
27.
Quitexia Nobre do Carvalho Pinti,, Solcdcic u
9-io tul.
D;i -27i
Joao Uicardo Crrcia Goyamna, n. 9.
Cecilia Siantina Aumtriri, Scsntissimo Sacramncnto
da Boa- Vista n. 1.6 dc 1' ordum.
Maria, fillia de Albiua de msza Neves, Espiri-
to Sante n. 19 ao sut P.
Dia 28
Joa, filho de J,. Taivares Pinheiro, Espirito-
Santo ao norte P.
Elvira, filha de Joaquim Marianno de Souzi,
Santissimo Saerxaitnit do R1'cife n. 6 a-j poen-
te P.
Maria, filha de Antonio Pates dc L'iinia, idem
idem n. 3 idmn idem.


Paga-se o o>;2o itvidentdo nna raszo de 9>OOO per
aci;i-, ; 1:L ua di, Cou,,nercio a. 4, 1- aR, lir.
Imperial Socie;daue dos Artis-
tas lieehauicos e Liheraes
ANNIVERSARIO E EXPOSI('.O
Couvido. dir t-il'i di dirictoria. a todus (s Srs.
socios b,) nf'itr,,st, lonormriom- e tft'fcrivos a cornm-
pareci rill 11-1 ?ot .ioL il, ijmingo, !- l ( cfrr61-
-';-ir,.. ;i d:.\ i to i( S l'-I 'h 'tSc *i i -- I : I -
dada c>d:L:i'.t"i n-m I.,ii,:-. ',:-s. p.d:9-' .r. ,."-- -. 'i "
dlade i i: ,vi -- a..: I i -...'. Id', iii,, t' -d '
Tii w'.' is .. i i i d -.!f i J i. :.- i :t :i "i .
do I, '' d i '' ;i:i; ,; i ;. 5 ', : i';'c'., i-
T 'i ." .:d .- Si c )'f o ai ,e s^ n :s '-s-! ,; \' ,. ,- -
por .- .'.;ii -:1-si., ,it. ,l ,ii.t ]5 r', i ,ii.cth i -.
dais i ,.: .i.. i.i tuii .'i ".S d. t.' ( ; *.'.:.I -:.Tr:i: c,
mc', cii-i.-d. -;'n'c i r- i- r'it.i
Secr-rta'i. dtl iLipierial SociedAle doljs Ail:!,Ia,
Mcchanicos e Liberaes, 12 ide ianeiro du l-SS.
Fraueisaco da Costa .Baunes
1", secrutarmi,.


Prolongamento da Estrada de
Ferro do Rlecife ao IFrancisco
e Estrada de Ferro do Reelie a
Caruarut
Do ordenm do Illm. Sr. director cngcnheirz chefe,
faco public-) public que att6 o dit 22 .' o -ocrcn',-
mez ao mcio din no escriptonrio central desta rep:ir-
tia'o ., rua da Victoria n. 3, recoel.m-se nrnpostas
cin carta feuthada para o forneeineanto dusa objeetos
seguintcs newssarios aos trabalhas dut reparti-,io.
Aramo de eobre, kilo
Dito de liti',, idem.
Ditoe de zinco idem.
Algodao dai Bahia, metro.
Ago do Mii.o, kilo.
Agua-raz, litro.
Alvaiade de zinco, kilo.
Dito de ehuuibo, idem.
Areia para moldar, barrica.
Alavanca calCadas de nao, tuma
Azeite de coco, litro-
Dito de peisxe, idem,
Amarello franeez, kilo.
Agafrfi (tinta,)idem.
Beotet, un.
Bandeiras imuperiaes co mrn dons pannos, ura.
Bowes pam- iraudem, am.
BArbante -bO-eo e mn9, noveolo.
We&*a Xbtmae redteda sortauas.
Boiiiea inkgol, lu~o.
M. r papel lmago pautado 50


w -.




"i" .. 7'71


'R lauimS ** m m Ubil d


e e pj ~Io do. eata-'
dk%-'=W fqWmp~abia ujVMUnUt reforma-
dB Am amr doema i e. 3150 de 4 de novem-
ed~ 1882.. foAit, 84aJm4aide ro1885.
Os direetores,
4- i Avea da Fonseca.
_____ ___ Jo-d I&Za Ijoyo Junior.
A Camara Muneipal da cidade do Recife
eonvida aos donors dos estabeleciu entos cmxnmer-
ches das fregueziaa da Oraga, Poco da Panella e
B. Lourenqo da Matta, para virem iniA seccao com-
oteate aferirem o m pesos, medidas e balances dos
amos, no proximo mez de janeiro, sob Dena
&k lei.
a.
aQ da Camara Manicipal do Recife, 30 de
Aovembro de 1884.
Josd Candido de Moraes,
Presidente.
Pedro Gaudtiano de Ratis e Silva,
Secretary.
De ordem do lm. Revm. Sr. padre Antonio
do Mello e Albuquerque, vereador commissario de
cdificagAo, se avisa a quern intaressar possa, que
as peftiges dirigidas lilma. Camara, pcdiado
lieenea para edificar, devereo ser de accord corn
o art. 75 da lei n. 1129 de 26 de jnnho de 1873, o
qual do theor seguinte :
Quando se tiver de edificar, recdificar, deinolir
ou fazer qualquer concerto, se requerers licenia
a Camara Municipal, na qual se pedirA igualmeu-
te o nivelameuto, cordeaV;Lo e mais preceitos sy-
metricos ; tambem sc declarari o nome do mestre
da obra, renovando-se a dcclaraeao quando houver
mudanca de mestre.
Secretariat da ( amnara municipal do Itccife, 12
de janciro de 1885.
Pedro G. de Ratis e Silva,
Secietario.

Escola Normal
De crnilcin do Dr. director faz-se public a quem
intercssar possa, que as in:Ltriculas deste curso
eLtaiao abei-rts dcsdc o dia 15 do corrente at1 3
de fevereiro proximo.
Os pretenlentes ai matrlenla do I anno deve-
r.'io instruir os seas requcrimentcis cm ,ns docu
inentos segaintcs :
1V c.r.tiI,, de il.-lde ntior de 18 a :os riara
homens, e It; parL senhoi':'s.
2o C,',tid.l, de ,1, iihavcr suff'ridlo ci:oemn:,i;,o
por nigin ds cri:pes (|cU, motivam a1 pcrjei da
cadeira aos profcs ores publicos.
3' Attestailo de :ippruva;,.o cm iexmic hIas es-
colas iubli'.is dec imstrnct, ) pr:naria.
4 Atre.-talo d1 111 r;1liiic ptssaild i p [. rivs-
p litterLriias d:i fi'g-,ziii 'ri que rc-ilir i.li -
nario. ATj.rIs pi, c\\, ph-r. xlir a:tac--
t' 4.s ele ex i:;e p:'in-ar i c m ignnia- '-sco.L pI-
liieai, Ilev'cr.'io iu-',-reer so p.rU 0os exmneCs ri
;i'l,, .ss.'ii, ,'1',: i.',' ,,'.',, ,..,0rnenar m.> d:;, 2 '; d,, cor-
rCnut ,' t f-. i :fiiadt c.,in os :.its. T, c ii .1,
r-gim' t t, iiit.-r,'- !, 17 (te tctembr. 41. ;IS- O
l'arii as it.-'ieul.is lo 2- ou 3- aino ba:i-ti ins
truir o rtr) cerit i I c.1n, a ce C rti.l. ,Ia ;appI'ova-
(,Io no riexa.,i tIo ::-mii nnteri.wr.
Sei'rit-r:iM l:i L'SCeoli N.'ri11 LI dJ I .cif, 7 de
j:wieiro de Is." .-O secretario.
A. A. Ganima.

Club Carlos Gomes
Assemblba geral extraordinaria
De ornien do Il1m Sr. president, e para se pro-
ceder a eleicio do 2e secretario do conseiho, con-
vido aos senhores socios a se reuniruinm ina-sedc do
club, seguada-feira 19, As 7 horas da noite.
Secretariat do Club Carlos Gomes, 15 de janeiro
dc 1885.
David F. Porto Baltar,
2. sceretario.
Pela secretaria da Camara Municipal do
Recife se fatz sciente a quem interessar possa, que
na s.ss;, do 2t do corrente ir4 A praea public a
factura dos concertos da cobcrta do casa do ce-
niitirio dio Caiclte, oiredos em 40"2,OS0, devendo
o4 ,'cet",,ndi'nts. i esta' arrcmatavao ficareni certos
d. ,-i'1w p ,n', ad.. deutro de dous dins depois do termo do
comitr:,to, c coiueluida dentro de dez, send cs ma-
tbriars da rqualidade rspecificada no orcamento,
qne p ,,, i'* ?er v~:stn nests secret.ria pmr quean
q'p z r 'i'ii ,:':.c ;'Li m ie ni:t. i'',.
I'ii:i,, i!. i i:l:, l i; it ullici Lil it'j R tciie, tii.;
j:Ilicirl ,J,'I 15':.
1'a.drr A,,ntuni, de Mr-l'n e Albuquc.,ii:e,
Vice pr-efidii:te.
P. G. do Ri;ti. e Silva,
Scretiario.

Banico do Brasil


Dita de lat*lo, m ,.
Trado de ;-m.'i 1 5-. '- i -
'|I :t',lrt !'iq. *l ;:* -itl l.";. it:;f ..
j', mI,,r-cal'n h. lc.
'i i' ;. ,ic I, -r'-'." I- -li
T ;.-.. + t ulnr.-mn r, tiln.
T :,a'. .-,' i i iiiire -s..) U lur.-a .p'i,... kilo.
V i !:',, br,,n.c-.s ot-uI j-)43"Y7 ;K 2, 11.11.


Li'S la-.~ ~ is ;~ ttl 4Mdmc ~-YJ2, ilium.
- 's is-cs ;~-5 :-. i42i1-~iAI')~. tcc.


,V;
.' i


" .'r., i, 1>;, l(.,. ; : .,
' : 1.-. :,"-'t,i .i I l,.',.- lInr '
' *;;'.- g*.J iinc. l.nir.-
'ass)siras to piaseavas, isma.
Dilas americanas, uaMa.
Velas de spermacete, kilo.
Vidros para nivcis d'agua, urn.
Veruiz de litogrumphia, kilo.
Vernelhilo Ja Chia', kilo.
Z.,rcan, kilo.
Zinco em -Imarra. kilo.
4) furnecinento ser. crntratado por seis miezes
e tfeito conforne as sespectivas requis c3es.
S so uijectos ser-,o de prim'eira qualidade, c entre-
cois convenicutemente aeonidiionados no alms.
xasifado ou na est-i a ( xigeucia do selvilo.
Neste ci-eeripturio e-uctriar-s-.hhao as amostras
e 00:u asim os esclareciuientoa ncessarios. As
p,-;VSLais ser-ao abet-as e lidae uuo lugar, dia eho-
r:a acina mudicados na presenCa dos Srs. prope-
neittes que deveri-o assignal-as e indicar nas mes-
mas suns residenciiAs, e o fornecimento podcr.A set-
ajua-tado coin urn t proponents, ou parcialmente
oonforme asa vamtagens offerecidas.
Secretaria do prolongainento da estrada de fr-
lo do Recite ao S. Francisco e cstrada de ofortro
do Ileife a Caruard, 13 do ianeiro de 1885,
0 secretario intcrino,
Manoel Jiitencio de Saboyci.




De akmastenBo d'agna e lui a

cidade de Olinda

Pelo regulams nto da c<*mp'whia e"ta.. t dS
I. Qqa qussquer relamagOes acOer
9o p articua, quer do a B-.
d'a 1u2 qirreti.^ illsminacaioJg.l^ |^
d1 r.wd^, tas ,, :scrtg.
0 e las, d.o"#-das ao e airA wiO
(9Mi i g s oau Use no
~a .< &^ w* ^ --a B s
(_!I sm li a gb'*i


r


















C

in,
I'
01





F-


i-
x^~
-in--


'a ~ --


'^W Wa_-IL -' K_- X .' ...IM f'fi. ^.,iFL~. ffi!

ts ,nbe kilo. ,' &

BtIa emra martello, uIea. :"
Espirito de vinho, kit.o. ..' -
Envelopph lqadrdio mareado, carto.
Ditos pequemino sw uv Nb, eento.
Fardeo de paima piwa gwardia, =e.L
Feehadura deo laI para gavetas emn pasvhmal,.
uma.
Ditas d ferro-eornm- p .rafre, idem.
Ferro sneco sortido, ;bkil.,
Dito dito ing.ez, id-inm.
FerTroihos do lat-o paRpa portas e armarios, nTm.
Ditos de fer p.irs t portawe armariots, idew.
Ferro em leniuI, kil.:.
Fuaces naciuoimaes, ina-.
Fourmes %urtids, i1n.-
Ferros para suldar, kilo.
Gomma armbica em casogoo kilo.
Dita dita dita, fraseo.
Gaxota de linho, kilo..
Gaxeta patente, metro.
Indice alphabetico, urn.
Isoladores cirriteis de porqilawj, idem.
Jarra eom torneira, urma.
Jarrao, urn.
Kalendarios. idem.
Kerozeune, I .it.
Lapis do duans cores, duzia.
LatAo em lenqol, kilo.
Limpa pennas, urn.
Dita de Faber ns. 2 e 3, duzia.
Livros em braneo papel almacs paItado 100 e 150
folhas, urn.
Dioos ditos ditos can-r 50i 100,.150>c 200, idem.
Lamnpeies para kerozeue, idem.
Lixai franceza, folha.
Dir Ismt-ril., folha.
.av.tri-o ctd ferro corn jarro e baoia de louqa, um
Liiii;, mursas, ineia canna, chat.., triangulo, in-
gleza, umra.
Ditas bastards, moia canna, ohatau, triangulo
ingleza, idein.
Limatoes inglez s. sorlidos, urn.
L'nternais para kuarozene, mina.
La pari pnvio, kilo.
Mtiis barr,-o cylindro, um.
Muchados anericauos. idem-
MaLc-aiidinhas uniericnruas, uma.
MIrdcnte fr-iimcez, 'itro.
Niveis de bulha d'ar c, in cai.xa e sera, urn.
(leo psi-ar:i .pi,:relho, frabco,
l)i'o d u liai;.;i, litro.
Occa anrlivlia, ki!o.
Oleo de rna;nona. litro
Oleo do banha. litro.
Occa arruidla, kilo.
Pregos francezes sortil'..,s, kilo.
Papel alma;o pautado kFiumne), resm,.
Dito dito liso par-a impressio (commum), folha.
Dito dito liso Ioan pare impresado, folha.
I'apel pir.t ofiicio inircado conforme o modello
resma.
Diu, toilet n cirqulier, r-31o.
Dito ,n;att: bui rao born, folha..
'i.tl)ol secet:i' piara copiador, idemn.
Diit, dt cin- Pedr:i po,,e, ki
Pescs de vidro, ,ool
Pli ramisen pantudf,natha.
I)i:,, chlini z, ileim .
Paraitusos di fci ro, grosa.
iEitcs de lata.n, idem.
Ditus ditos corn poreas, urn.
Piche, litro.
P6s de bronze, gramina.
Pincis chutos redonlos sortr<]oa, ,-in.
l)itos de tp-'m s,,o'idos IU&a piunturas, idem.
P6s pieto, kilt.
Pret-. e,orti-i', idern.
Dito inirtliin, idemin..
Prenl t para coupiiar, i-lein.
Paivios parsi ca.titdi-iro, ideim.
Pais :unntri-'::io;, iilh-m;
Plaitias )coin dois i.,rros. idemr.
Pio de ocuro fran.c'xz, litro.
Pineeis lHhr-inhli (pars uuro),. unm
Peu,,;ms Mallat exifiisns B. 10, caixa.
Pica-rt'as dc ferr,, unis.
Pinceist- par.it eopiiador, i-an.
Peniusm 'Ib h il -ho, cart-ao.
Q ima: iiiil ,s, Irilia.
{ouxo t|r ar:i, kilo
Diro r, a, itl-n.
Raspadciras o.abo de martin urea.
Serrotes graudes, mum.
Sabosueteo, urn.
'Sobrcsalexitcs de matti borrTho cylindro 0,09, urn.
iff, ulto dc maguinu'sia, kilo.
Soda,, kilo.
Seecante fezes, kilo.
Sol da de estanho, kilo.
Sulda forte, kilo.
Silmao aiuarello, kilo.
Sula iagleza, kilo.
Suandalo, kilo..
sincetas. kilo.
fintut u tiimlporn, frasco.
D)i:! carmian, frasco.
DLita tita, p;o
Di ia l~reta blendn black,), litro.
i'inteiros de vidro, urn.
Trenas de fro metalhco de 20,0"> .a. Ch>,,:", ,,a.
i Taixa de cobre, masso.


sI-


I


T.itoi


!


a 21-wSl -w. md,-


- 4Nm



4: : .


.I




* .t- ~- 2
.-~


w" io e nosso a et e .
aAU -t* b m dos ntereSses

oupAze v do scimitrag,& .
...."& C. &C.
Ramos a& C.
Jos 6 Joaquimn Alves & C.
Pr Carroll & C., Ant' dos Pases.
J. Lagumin &C.
Cmnp's & Monteiro.
7INBENISADORA
.Toma meguroM marBllmos e eontra
FOCKO
RUA DO COMU1ER00I N. 44N

"GMi? ilKBE8Et1IRO
CONTRA TFOGO
North British & lIercantile
CAPITAL
-:000,00 de libras sterlnas
A GENTES
Admson Howie & C.
RUA DO COMMERCIO N. 3.


SE(URiOS
ARIIMOS CONTRA FOGO
ComipanIIhIa iPhenaix Per-
naaluhucana
Raa do Cominciio nu.. 38.
"~.COMPANHLIAAMPI JIrRITE
de


Soes maritimfios o torrostro
N. 9--Pra~a po Corpo Santo--N. 9

A NOVA-YORK
New York Life Insurance
Company
Sepuros de vida
.89 (allos de c)1.Sta(ite pro.speri ladud
Unica companhia inesta provincial puramentt
mutua.
Activo effcctivo, 31 dde dczenibro de 1883, mais
Ad 55 ,nillihcs de dollars.
ESCRIPTORI) FILIAL
N. I -Praca do Corpo .aMtCo-N. I1


{OMPANHIA


IMPERIAL
A.


SEiGUROS CONTRA FOGO
EST: 1803 -


Ed;filcios e mercadorLas
TUxas baixas
Proizpfo pagamneuto de prejuizos
CAPITAL
Rs. 16,000:0S)0000W
Agenltes
BROWNS & C.
N. 5 Rua do Comnmercio N. 5


CuONTRA FOGO
The Liverpool & London & Glob

NSURRNCE COMPANY
AGENTES
iUnflop BrthoM & i.
11--CORPO SANTO 11.-

EMPREZA DO GQZ
0 Gerente pede aos
Srs. consummidopes que


queiram tazer qualquer
comunicacao ou recla-
rma a seja esta feitaPOP
escripto e a elte dirigida,
que s e achara ns dias
uteis, a rma do Imperldo,
110 1, das 10 horas db
manha a I hora da tar de,
onde tambem se Pece-
ber qualquer conta que
queipam pagar.
Os uuicos conPadores


Barra


Argollas


Trapezio
Dosloca93o
e outro tiirabalihos importantos. '


Glraide Circeo

CofiPAlflIA UROPBK
Equestre, gBiastica e acrobatica
DE
P&UL SERINO
Largo do Arsenal de Guneria
Hoje, Domingo, hoje
Grande funiao
Gyimnastiea e pastoril
l0~~! QiUpnnB8O !!

0 Tango- Ultra-mar
Por todas as pastors
Olho Vivo

IPela fst(jada

ADELAIDE


As quatro visdes
Urma Barcarola
Pcla ecntra mestra
Tangos! Valsas! Poll !
Oirdein e harmonia

AOCIRCO HUJE
AO PASTORIL! A0 PASTORAL!
VERDADEIRA NOTE
DE
ALEGRIA E PRAZER !
A's 8 1/2 horas

Diverlimento em 1Oinda
HOJE
DofMiingo 18 do corrente
Inanguraf'io do tiro no
alvo
Na praia de S. Francisco
Ao lado do tivoly do Braguiaha

Borracha para limas
Vende se na funilaria de Francisco T(ixeira
Barbosa, A ruan larga do Rosario n. 20.

MA1RITIMOS
eaciflc Steam Navigation Company
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 VAPOR
Patagonia
SEspera-se dos
ports d.r;uropa
at6 odia 18 de ja-
neiro e segara
para os do sulc
do Pacifico depois
da demora do costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
Sfrete: tracta-se comos
Consignatarios
VWilson Sou S & C., Limited
N. 14-RIUA DO COMM ERCIO-N. 14
United Slates & Brasil Mail S. S. C.
S0 vapor
Merrimac
SBEspera-se deNew- Port-Ncws
ark o dia 19 de janoiro,
a guindo depois da demora
neeessaria pars.
Dahia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta companhia dio-se passa-
gens para Liverpool ao prego de 200 dollars; o
passageiro deembarca'Ado em New-York tern ga-
rantia passagens pam Liverpool quando Ihe ap-
orouver por vapores do 1a ordcem.


aua sa fhida. '
Pa carga, paseagene, encommendas e dinheie
a frete traeta-se na
AGFNCIA
7--tlua do Vi gario -1
t~oii~ sAlves ..,
a *owum rYII-slm


~0


/ /' E' esperado de Trieste,
"7/'W /' atA o dia 20 do corrente, e de-
,/ f pois da demora neeessaria.
a~~eguirt& para a '


Bahia, Rio de Janeiro


e Santos


Para carga, passagens e encoinmendas tracta-se
corn os8
AGENTES
Henry Forster & C.
RUA DO (COMMERCIO N.
1.- andar
COMIPANINKIE DES MESAGE-
R IE% M ARITEIES
IJNIL,. MENSAL
0 paqucto
Orenoque
Commandante Mortemard
^ E' esperado dos
fportos do sul n-
dia 20 do corrente


seguindo depoisda
demora do costu-
mne para BOR-


DEAUX, tocando em
Dakar e Llsboa
Faz-sc abatimento de 15 per cento em favor das
families compostas de quatro pessoas ao menos e
que pagarem quatro passagens inteiras.
Per excepqio os criados das families que t ma-
re mbilhetes de pr6a gozam tainbem deste abati-
mento.
Os vales postaes s6 se do at6 o dia 18, pages
de contado.
Para carga, passagens, encommendas e duiheiro
a frete: tracta-s3 corn o
AGENT
Auguste Labille
9 RUA DO COMMERCIO -9
ROYAL MAIL STEAI PACKET
COMPANY
Grande reduecao nos prepos das
passages
0 PAQUETE A VAPOR
Guadiana
E' esperado daEuropa neo dia
18 do coiTrrente, seguindo de-
'pois da demora necessaria
~para
Mccelo', Bahia, Rio de 4fauero
ma n#,&&a


Sahida
Chegada

a




Sahidas

Chegada


Ilinerario
IDA
Southamrton ]
Bordeaux 4
Vigo .
Liseba
S. Vicente
Pernambuco 2(
Mavei6 2:
Bahia 21
Rio de Janaiio 26
Santos 28
Montevideo
Buenos-Ayres
VOLTA
BuenosAyres 0
Montevideo g
Santos
Rio de Janeiro
Bahia
Miacei6
Pernambuco o
S. Vicente .
Lisboa W
Vigo w
Southampton


1 9
I o
1 1.3
I


(*) 86 tocar. se precisar carvko.
Para passagens. fretes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson Howic & C.
2-Rua do Commerelo--3

Para o Ceara
..a1 ~Segue no dia 20 do corrente o
Ji hiate Dens te Guarde ; tern parte
f do seu carreamnento, podendo
jainda receber aiguma eaiga a ire-
tes medicos; A tratar corn Bar-
thom o Lourenco na rua da Madre de Deus
n.8,O PNF
COXPANUIKA PEBRAMBUMCA 'A


No ar nazeM da rua do Bom Jesus n. 49
1 Em e*a4# av eo#de
veiderk. o waso #gente uima buira prova do f igo,
I dita frauicex,I I carteirs, 1I Ui "m porn Usa de
copar, 1 bain~at decimal, araios, msas, ea-
deiras e tros moyveis de ederiptorio.

Lew.
De mobillas,c p a.s e quadros
A saber
Uniano do armario C cadeira para o memwo,
1 mobia de jacarand comn 1 sofat 1 jardmneira, 2
eouaolos corn pedr*, 2 eadeiraa do bra e 12 de
guarnio, 2 cadeiras de bilango, 4 quadros-doura-
doe, 1 espelho oval dourado, 4 castioaes corn man-
gas, 24 cadeiras de junco, send 12 brancas e 12
pretas e 1 estate envidraqada.
Uma mobilia de junco pieto eom I1 soft, 2 con-
solos, 2 eadeiras de braos e 12" de guarnigAo, 2
cadeiras de balance, 1 piano de cauda, 1 secretariat
corn armario,. 1 espelho, 2 quadros, I tapete, 1
toilette de jacaranda, 2 camas fraucezas, 2 mar-
quczoes, 2 eonmmodaa, 1 tocador, 12 caleiras de
junco, 2 eabides e 2 etageres.
Urna mesa para jahtar, 2 aparadores, 1 guard
louma, vidros e outros muitos objects do casa de
familiar.
Terja fetra SO do eorrente
Arento Pinto


No sobrado da rua do Born Jesus n. 49
Agent Pestana

Leilao
De generous do estiva e 1 cofre
Diversos librss de manteiga ingleza em latas,
ditas de massa de tomato, ditas de marmellada
superior, diversos barns corn superior vinho J.
C. C., latas corn ervilhas, diversas corn farellos,
diversos caixses corn phosphoros Jonckpings, di-
tos Vulcao, ditos Cavallinho, diversas iesmas de
papel pautado, araruta, garrafoos vasios, 2 cartei-
i as, 1 prensa para copiar carta, 1 balanca deci-
mal, tolhas de zineo, estivas, taboas e todos os
mais generous e objects existentes no armazem de
generous dc estivas da rua do Amorim n. 60.
TER(A-FEIRA, 20DO CORRENTE
A's It horas
No armazem da rua do Amorin n. 60
0 agonte Pestana, 'competentemente autorisado
fari leilao dos generous e mais objects existentes
no armazem acima mencionado, os qnaes serao
vendidos.
Ao eorrer do martello


Leilao
Da moves, louas e vidros
Quarta-feira 21 de janeiro de 1885
A's 10e I/*horas
No I- andar do sobrado sito na praga do
Condo d'Eu n. 28
Constando:
De 1 iinportante mobilia de jacaranda, nova,
consoles ccm pedra, jardineira, 1 espelho oval, ca-
ma franceza, 1 bidet, 1 toilet corn pedra, 1 guar-
da-vestido, meia commoda. mesa elastica de 3 ta-
boas, 2. aparsdores, 1 guarda-louca, 12 cadeiras de
guarnitto ,Juico, 1 sofA, 2 marquezoes, 1 lavato-
rio, jarros, lougas, vidros e mais moves.
Quarta-feira ft do eorrente
0 agent Silveira autorisado per uma Exma.
familiar que retira-se para fora da provincia leva-
ra a leilao us referidos predios.
Leilao
0 preposto do agent Burlamaqui
Quinta-felra, 9 do corrente
A's 11 horas emn ponito
No armazemn alfandegado Jose Luiz,
no Forte do Mattes
Cerca de 946, barricas corn cimento inglez
marca Wellington
0 preposto do agents Burlamaqui, levara a lei-
lao ccrca de 946 barricas corn cimento de boa
qualidade e que venderi em lotes A vontade dos
pretendentes, e por conta e risco de quem perten-
cer.

0VISOS DITEISOS
Precisa-se de urma cosinheira, para casa de
familiar, paga-se bern : a tratar na rua do Barao
da Vict.ria n. 39, loja.
= Preeisa-se de nm eaixciro corn pratica de
taverna : a tratar na rua do Marquez do Herval
numero 141.
= Precisa-se de tres arnas, de leite, cosinha e
engommado : na travessa de S. Pedro n. 8.
Costureiro de livros : precisa-se na run
Duque de Caxias n. 39.
Uma pessoa habihltada se offerece para en-
sinar primeiras lettras e trabalho de agulha em
qualquer engenho : quem precisar dirija-se i rug
do Imperador n. 54, camisaria pernambucana,
con as iniciaes A. G.
Compra-se uma casa em urn dos bairros de
Santo Antonio ou S. Jose : a t-atar no largo do
mercado n. 33, hotel.
Farinha deomadioca nova, de Porto-Alegre:
vende-se na run do Commerci. n. 38, primeir
andar.


VIA qui*$f frsi 46 cQ~4r."
toear45000
Neio 24M000
edo lowaesuperlor

Inteiro 3,,-00
Meio 750
Quarto 875
Joaquim Pirn da Silva.


CASA BA FOITUNA

Aoss4:00f$O)0


na Primeiro de Karpo n. 23
0 abaixo assignado tendo vendido nos
seus afortunados bilhetes garantidos 4
quartos n. 218 corn a isorte de 2:000,000,
4 quartos n. 3,414 corn a sort de 2005000,
4 quartos n. 4,278 corn a sorte de 200,000,
alum de outras sortes de 32#, 16# e 8#, da
loteria (101.1), que so acabou de extrahir,


convida aos possuidores a virem receber
na conformidade do costume sern dcsconto
algurp.
Acham-se A venda os seas afortunados
bilhetes garantidos da la part das lote-
rias em benefico da matriz de Triumpho,
(102.') quo so extrahirA na quinta-feira,
22 do corrente.


Em


Inteir
Meio
Quart
quani
Inteir
Meio
Quart


PRE(OS
o 46000
2#000
o 1#000
tidade malor de 100O
10 3,#500
1#750
o #875
Manod Martins Fiuza"


CASA DO 01101
Aos 4:000A000

Rll~ui~ iiRANmfh1Oa
tIua do Dario da victoria a. 4o10
e easas do costume
0 abaixo assignado acaba de vender
..-m seus felizes bilhetes quatro quartos de
n. 744 corn a sorte de 4:000,000 e diver-
sos premios de 326000, 16(5000 e 8000.
0 mesmo abaixo assignado convida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dale do costume, sem desconto algum.
Acham-se A venda os felizes bilheteE
garantidoa da L.a part das loterias a be-
neficio da matriz de Triumpho, (102.'),
que se extrahirira na quinta-feira, 22 do


corrente.
F
Inteiro
Meio
Quarto
6m poraio
Inteiro
Meio
Quarto


ItECOS
44000
2,000
1,000
de 100$000
clna


Joao Joaquimn da


3,5500
1750
65875
Coata Loite.


CXXFELIZ
AOS 4:000O000O
:0E
2:004000
BILEBTEX GARAVIDON
Praqa da Independen-
cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignawo venadeu entire os seas
telizes bilhetes ga-aatids-oa da lOl' loteria,
a sort de 1006000 em 4 quartos n. 4468,
al6m de outras muitaa ie 32,5, 16 e 8#.
Convida os possuidcres a virem receber
serm desconto algu=.
0 abaixo assigriado tern exposto A
venda os seus feliaez bilhetes garantidos da
la part ea beneficio da matriz do Triurn-
pho, 402, que se eiirrahiri quinta-feira 22
do corrente.


Vead! euAI
22. V' fln.Erua


Adelaide ileutler
Os irminos, irmes, cunhada, sobrinhos e sobri'
nha, summamente gratos is pessoas que se dig'
naram acompanhar 4 ultima morada sun presada,
irmi, cunhada e tia, Adelaide Lieuier, de novo
as convidam para assistirem a missa que, por al-
ma da mesa, mandam resar quarta-feira 21 do
corrente, pelas 8 horas da manhA, na capeUla do
Monteroe; e mais uma vez confessam-se agrade-
cidos.

Circular imporlante
Verdadelras peehnimehas
59 = Rua Daque de Caxias = 59
Gorgurinas superiores para vestidos a 500 rs. o
covado!
Alpacas de seda furta-cores a 400 rs. o dito A
elias.
Merin6s de duas larguras, todas as cores, a
1l200 o dito !
Idem preto superior a 1&200 e 1450% !
Casemnira diagonal para palitot a 2l2Q0 o co-
vado salo de duas larguras.
Idem de core,, inglezas, a 1200 e 1A500 !
Flanella ingleza, azul, a 15490 o dito !
Camisas brancas francezas, superiores, a 28A
a duzia!
Ceroulas de bramante a 1G5 a dita!
Lencos de linho em caixinhas a 34 a dita!
Damascos e pannos proprios para mesa a 600 e
1A500 o covado !
Bramante de uma largura, tranuado. a 600 ra. o
metro! fazcnda de 14.
Lenq6es de dito, grandes, a 2 urn !
Cobertas de ganga, forradas, a 25500 uma!
Colchas de fustgo, brancas e de cores a 2500 !
Ditas riquissimas de crochet a 10A !
Chales de casemira modernos a 25500 e 35.
Fichus superiores a 25500, 3 e 45.
Setim mactio verdadeiro a 15400 o covado !
Dito preto superior a 1A200 !
Cambraia victoria a 35500 a pegafde 10 jardas!
MadapolAo boa-vista a 65 a dita de 24 jardas !
Brins de cores saperiores a 2; o cdrte!
Dito pardo, Iona, a 320 rs. o covado!
Dito branch n. 6 a-15500 a vara!
Atoalhado bordado, de linho, a 14 o metro !
E outros artigos a pregas resumidos.
59=Rua Duque de Caxias=59


,ATTENCJAO
Vejam este quadro
d'aquelles que sao PON-
TUAES no modo de sol-


ver
que


compromissos, e
sao convidados a


virem a rua do Impe-
rador n. 79 a negocio


que nao ignoram.
SSrs.:
parm SenadorJacinthoPaes


de Mendon~a.
Jose Dias da Silva, da
Victoria, onde ajuiz
substitute.
Maj or Bartholomeu
do Rego Barros, ve-
reador da Camarade
Gamelleira.
Alipio Accioli Santia-
go Ramos.
Joao de BarrosSantia-
go Ramnos.
Clementino Pereirada
Costa, de Barreiros.
Antonio Ribeiro d'Al-


I."






I



A


J



























~%PEIIT04
NAMES
Uniceo legalmente auctorisado
pelo overno de Portugal, e approva-
do pelo conselho de saude do measmo
paiz, depois de evidenciada a sua effi-
cacia- em repetidas observapes nos
hospitaes officiaes.
Cada frasco estA acompanhado de
urn impresso corn as obsefvaCes dos
principles medicos de Lisboa, reco-
ihecidas pelos consumes do BrasiL
Precisa-se de urma ama para lavar e engom-
mar, para tres pe3soas ; na rua do Imperador.n
35, 2 andar.
S Quern quizer alugar a casa n. 4 A rna
de Conde da Boa-Vista, pSde procurar
as chaves no estabelecimento n. 30, a
rua do Imperador.
= Precisa-se de um criado para casa de fam,-
ha : na rua Nova, loja n. 16.
Aluga-se para f iilia o primeiro e segundo
andares do sobrado A rua do Barao da Victoria
n. 14 por 50, todo pintado : a tratar na loja do
mesmo.
Precis&-se de um criado para familiar : na
rua Nova, loja n. 16.
Pessoa habilitada offerecc-se a ensinar,
quer em casas particulares, quer em collegios, as
materials seguinrtes : portuguez, francez, inglez,
philosophia e sciencias naturaes : na loja da rua
do CabugA n. 9 se dirA quem 6.
==- Aluga-se o 1" andar do subrado n. 23, A rua
da Penha, corn agua e gaz encanados : a tratar
na rua do Imperador n. 31, arnazem do gaz. As
chaves sc acham no 2- andar do mesmo sobrado.
SPrecisa-se de uma ama para cosinhar em
casa de familiar : na rua Imperial n. 42.
== Precisa se de uma ama ; na rua do Range)
numero 67.
Jose Paulo Botelho, tencionando retirar-se
temporariamente para a Europa, julga nada dever
nesta praga ou f6ra della ; todavia quern se con-
siderar seu credor cu da firma Jos6 Paulo Bote-
lho & C.. queira apresentar-se corn os respectivos
documentos, dentro do prazo de trees dias, a con-
tar da data de hoje. Scientific mais que desde
31 de dezembro passado cedeu seu estabelecimen-
to sito A rua de Pedro Affonso n. 68 ao Sr. Anto-
nio Jos6 Lopes Braga, fieando este senhor encar-
regado da liquidacao do active Jose Paulo Bote-
lho & C. Recife, 15 de janeiro de 1885.
A quern interessar declaramos que nesta
data despedimos ao nosso empregado Joaquirn
Antonio de Araujo. Recife, 12 de janeiro de 85.
Floriano Passo & C.
Alaga-se ou vende-se o sitio do Cumbe em
fTeberibe, onde residio o Sr. Vallen a achando-
se a casa limpa, o sitio bern plantade de arvwres
fructiferas, o qual confinda corn o rio desse nome,
onde tern lugar para o agradavel banho ; corn 4
quartos, 2 salas, copiar, cosinha f6ra, quarto para
criado, etc. Paa informac5es, nesse lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto a estaqao, ou corn o
proprietario a run do Bemfica u. 5.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da run
da Ventura (na Capunge), propriedade do Dr.
Joao de SA e Albuquerque, a qual tern excellentes
commodos e grande sitio : a tratar na run Pri-
meiro de Marco n. 13.
Aluga-se na rua Imperial duas casas, urma
de padaria, corn forno e atensilios, e outra de moo
radia. ns. 198 e 199, por prego muito commodo -
a fallar corn Jose Feliciano de Nazareth. A rua
de Pedro Affonso (outr'ora rua da Praia), arnma-
zerm n. 20.
Aluga-se a grande casa n. 159 A rua Impe-
rial, de azulejo, corn porta e duas janellas de
frente, estucada e ladrilho de mosaico, contend
2 salas, 1 gabinete, 5 quartos, cosinha f6ra, quin-
tal e muitos quartos no quintal, que murado,
tendo portao para a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacimba corn muito boa agua : a tratar no
escriptorio n. 54, primeiro ands r, A rua Duque
de Caxias.
Aluga-se o armazem do sobrado da rua do
Duque de Caxias n. 37: a tratar corn o Pinheiro,
na rua larga do Rosario n. 38, 2 andar.
Alaga-se a casa n. 1 A rua Lembranca do
Gozues, em Santo Amaro, grande, fresca e pintada
de nove, tern agua : a tratar na rua da Impera-
triz n. 32, 1- andar.

JOIAS



MIGUEL WOLFF & C.


Participam ao res-
peitavel public, que
continuam ter um sor-
timento de joias das
mais modernas e dos
mais apurados gostos.
Comnpromettem-se
a vender mais barato
do que em outra qual-
quer part.

.Bn 111 riBbnu 8. 4


15 d 204o01
50 de 51000
500 deo 2500
Esto ultimo 6 o preo de cada um bilhete alli,
sendo elle em Perambuco 2*750 para os vende-
dores e na casa 3*000.
Os premios sao aqui e alli pagos inte gralmente,
am desconto algnm, A vista da list da extrac-
910.
SIo estas vantagens que nao podem deimr de
ser apreciados pelos quo gostam do jogo das lo-
terias.


Theresa Dlia de Barron Costa
Barlo de Jundio e sen genro Manoel Olympio
de Barros Costa convidam aos seus parents e
amigos para assistirem as missas que mandam
celebrar pelo repouso eterno de sua presadissima
filha e espesa Thereza Dias de Barros Costa, no
dia 20 do corrente, setimo do seu passamento, na
capella do engenho Noruega, e no.Recife, na ma-
triz do Corpo Santo, is 8 horas da manha, pelo
que antecipadamente se lIhes confessam agrade-
cidos.
0 bacharel Antonio Venaneio Cavaleanted
Albuquerque manda eclebrar segunda-feira 19
do corrente, oitavo anniversario do fallecimento
de sua estremecida mai D. Innocencia Luza de
Barros Cavalcante, urma missa no oratorio do en-
genho Minas-novas, e convida seus parents e
amigos para assistiremn a esse acto de religion,
que teri lugar As 9 horas da manha daquelle dia,
A todos protestando seu reeonhecimpnto.





Pantaleao Jorge da Fonseca BastOe
Antonio Augusto des Santos Porto, Leonor Por-
to e seus filhos, Joaquim Jorge da Fonseca Bas-
tos, Amelia de Almeida Bastos, Joaquinm de oSou-
za Monteiro e Zulmira Monteiro, cunhados, manos
e sobrinha do finado Pantaleao Jorge da Fonseca
Bastos, mandam celebrar missas, segunda-feira
19 do corrente, As 7 1/2 horns da manha, na igre-
ja da ordem 3a de S. Francisco, convidam aos
amigos do finado e pessoas de sua amizade para
assistiremn a este acto de religion e caridade.
Henrique Carroll
Francisca Carroll e seus filhos, tendo de man-
dar celebrar algumas misses polo repouso eterno
do seu presado filho e irmao, Henrique Carroll, no
dia 20 do corrente, na matriz da Boa-Vista, pelas
7 1/2 horas, 1 anniversario do seu passamento,
convidam os parents e amigos para assistirem a
este acto, antecipando os seas agradecimentos.

Atten ao
Fica o meu college Dr. Vicente Ferrer de
Barros Wanderloy e Araujo autorisado a tractar
de todos os meus negocios e corn elle se cntendam
os que nesta cidade sao meus credores, afim de
serem pagos da importancia de que lhes eu ever.
Recife, 17 de janeiro de 1885.
Bardo de Santo Andrg.

Espelbo do miundo
Espelho do mundo 6 o titulo de um bell quadro
que talvez tenha de ser brevemente exposto A
vitrina de uma das livrarias desta cidade. Este
important quadro 6 composico engenhosa de
um modesto pincel allemao, e represent umn louco
interrogando no espelho a sua propria somrnbra,
diante do qual fica, ou julga-se preso esperando
corn anciedade a resposta da pergunta que fez.

Vende-se
umn bomh cofre de ferro : a tratar na rua do Soce-
go n. 8.

Victoria de Bernardi
lodista a rua Primeiro de Mar-
o n- IS, 9 andar
EstA preparando umn complete sortimento de
toilets para os bailes carnavalescos do club Carlos
Gomes, tudo pelos ultimos figurines de Panris. En-
carrega-se de qualquer trabalho no mesmo genero
para quem de seu prcstimo se quizer utilisar. Ga-
rante modicidade nos precos e apurado gosto na
confecao de seus trabalhos.
Parahyba do Norte
LoBI 0 dB nayi0
3.l Harlow" capitol do patacho inglez Mag-
gievende em hasta public no dia quaita-feira 21
de janeiro corrente as 11 horas da manha, no caes
onde o navio se acha fundeado, por intermedio do
agent Joeo Ferreira, em presenaa do Sr. vice-
consul de S. M. britanica e corn assistencia de um
empregado d'Alfandcga para esse fim nomeado, o
casco e mais pertences do mesmo patacho, tal qual
se acha ancorado n'cste porto.
Cidade da Parahyba, 15 de janeiro de 1885.

Cosinheira
Precisa-se de uma cosinheira perita: A run Du-
que de Caxiss n. 86.


Aviso
JA chegeu para o unico agent ncita provincia
o acreditado kerozene imexplosivo de Coral &
Cardoso, que se acha A venda no unico deposit A
run do Born Jesus n. 38, junto ao correio.
Ama de leite
Precisa-se corn toda urgencia de uma ama de
leite para Olinda, casa de familiar conhecida : a
trn ar na rua Duque de Caxias (Recife) n. 30, 1-
andar, de 9 da manhbiL As 3 da tarde.

0 Paulino
proprietario do entigo archi armazemn do Campos,
6 o unico que tern o afamado chocolate dames, o
melhor que se p6de desejar, o em caixinhas de 1/2)
kilo : na rua do Imperador n. 28.


-" !} i: '/ + : *^^ ''^^"Bi I / ^isKM; : + y^ :/ .;,'**!i } ;,: +' -- i', :,' .' +.'
se
do unma n lher forra
ou escrava para co-
zinheira de casa de
familia.___

Ama
No largo do Corpo Santo n. 19. 2 andar, se
precisa de uma ama pa tra trt de uir a crian9a
de um anno e que entenda de ongommar.
Excellente sitio para
aingar
Aluga-se umgrande excellente sitio, na tra-
vessa da Casa Forte, corn casa de tijolo, corn mui-
tos commodos, teundo 4 quartos, 2 salas, cosinha,
um grande p6Oo e mais duas cacimbas, todas de
optima agua de beber, corn terreno de cerca de
1,500 palmos de largo e mais de 2,000 de fundo,
tendo muitas arvores fructiferas, como sejam :
mangueiras, caj ueiros, coquenros, jaqueiras, fructa-
p.o, bananeiras, oiti--coros, pintombeiras, dende-
zeiros, etc. 0 terreno 6 o melher que se p6de
imaginar para lavoura, e tern plantado muita
mandioca, macacheira, canna, etc. Este sitio se
faz recomendavel por ser extremamente vauda-
vel : quem pretender dirija-se a Casa Forte, sitio
do Dr. Cardim.
Compra-se
uma besta parida : na rua estreita do Rosario
numero 24.


Cosinheira i.U
Precisa-se Ide u a ama que cosinhe corn per-
feiao : na rua Duque de Caxias n. 52.

Molestias do estomago e


dos intestines


As dy.-pepsias, desordens gastricas, enxaquecas
digestoes difficeis (azias, flatulencias) sao comple-
tamente curadas corn o uso das
GOTTA AMni-DYSPIEPTIA8
preparado pulamente vegetal da flora brasileira
Vende se na Botlea Franeezade
Rouquayrol Freres
SUCCESSORES DE A. CAORS
22-Rua da Cruz -22. (Recife).
Ao commercio
Esteves & Secades, estabelecidos com refinaiao
de assucar per grosso e a retalho no Caminho
Novo n. 26, resolveram collocar o telephone em
seu estabelecimento par maits commodidade nos
pedidos de seus freguezes. Recebem tambem eu-
commendas para f6ra desta praca, garantindo
pontualidade, modicidade em precos e sinceridade
em suas transacqes. Os proprietaries esperam
merecer a protecAo de seus freguezes e amigos.
Numero do telephone 77


Lympha vaccinica
Chegada pelo ultimo vapor; vende se na botica
tranceza e drogaria de Rouquayrol freres succes-
sores de A. Caors, rua da Cruz n. 22, Recife.
Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-se
luga-se e troca-se nov',s e usdoe.

Roubo
Na nite 24 para 25 roubaram da rua da Impe-
ratriz n. 6, 3 andar os seguintes objects : sendo
o ouro todo de uma imagem, resplandor corn uma
meia lua toda de brilhantes, trees grandes no cen-
tre e diversos menores, uma cruz de ouro e o me-
nino Deus corn cor6a e cordaosinho de cure corn
um coracaosinho de filagrant.
Um alfinete redondo cornm esmalte azul e um cir-
culo de brilhantes corn um bastante grande no
centre, uma cruz corn 7 bilhantes e uma volta de
perolas, um atacador de euro corn diamantes, um
par de brincos corn dous brilhantes em cada brin-
co, um annel corn 5 brilhantes, outro de nove pe-
rolas, um par de broncos de maosinhas corn perolas
e rubins, e diversos objects de cure, assim come
uma moeda Oe cure de 204060 e outra de 5;000,
send esta ultima manchada de azougue, quern
trouxer noticias desses objeetos serA generosamen-
te gratificado.
BaltanceaI4r
J. dos Santos Vieh-a, comnpratica de balanos,
contracts e distratos sociaes, offerece os seus ser-
vinos aos senhores commerciantes. Chamados A
rua do Rangel n. 3, ou em sua residencia, A rua
da Penha n. 7, primneiro andar.


,i!
*t
i1


Por


P6de


E bes


semana


airir-se as verdadeiras machines de

SINGER


Quem no dekaru de comprar agora uma destas afamadas machi-
nas?
Venham a succursal da companhia Singel na


RUNADO CABUGAN. IA
N B..Vendemos tambem linha superior, retroz em carreteis,
agulhas, oleo, linha de crochet, peas avulsas para as machines,


do de superior qualidade e por prepos sem compelencia.



LIXI&VINXHj


ThOU ETTE-P EPE
SPI PA INA (Pepsiu7 ,-
Xi!Ses-tiv^7o^ s



0o s mais pG 'osos digestivos conhecidos ate agora, pa-ra comaat w as
AFFECCUES DO ESTOMAGO: GASTRITES, GASTRALGlj!
DIAiREAS, VOMITOS, PESO NO ESTOMAGO, MA DIGSibAO, ETC., ETC.
MU MAUOR LOGO DEPOIS DA OIfiDA BASTA PARA CURAl OS CASOS MIS MTBKBLDME
A venda naI principaes Pharmnacias e Drogarias. <
I Vea esm groaso em Parm: TROUBTTB-PERIT, r a Sait-Aigotu, 4 5
Deo-as exig? SeUo do cvwmro Iraaftc sobre os Frascos parn evitar as a:flellzagep.
,iiositarios ein Pernambuco : FRAN- M. da SILVA A C.


I


I

I


GANDALO MIDY
Pharmaveuatlio de P Classe em PartI
Approvado pla Junta central do Hygilent do Bail.
Estas capwadlas acabamrn corn os fluxos em 48 horas, suppri-
mindo a Copahiba, Cubebas e Injecg90es.
Deposit em Paris, 8, rrnaVivienne, na principals Pharmacia.


... 'lo^ ".. '. '^ A -
s A E RIleR arADO POB A TODAS AS
iuantooL d. pio A,'Jito ,I):,f OJ1%" "YW a@ eoCS
X' o VfuI sbdiufJaiose /oa q )-u._ .I Q> 1'11 DAFRA5NA 19 DAUROPA
80 e pfle d. o -xl. -- i: '
"^ -_ _- IM, IOLESIAS 00 PEITO,
*~W~sIIADO '~' ,AFFEZJOES EVAMOMLW
W McALtaUo FERJUGINsOSO CHLO9BII,
qv pwaitfANLIAM, E m,
*. m/.oa <.;-CHE M O/3i-YILn "^ ^ TISICAPUlm,
r ontPills-q- -, 'a
... d 9 a-Io, Ltre, 21 4 7 A ,e 1 h 0 d C c
Dtvyoaitm C o F"" ?. N v .( da SE.& & a. 6 cas p aifct, kcronrb&


De Lactophosphato de Cal
Admritido na nova pharmacop6a official de Fraua. Approvado pela Junta central de Hygiene do BrazL
As experiencias dos medicos mais celebres do mundo tem provado que o lactophosphato de cal
r,o estado soluwel, como se acha no Vinho e no Xarope do Dusart, 6, em todos os periods da vida
o reconstituinte por excellencia do corpo human
Nas mulheres gravidas, facility o desenvolvimento do feto e basta muitas vezes para evitar os vomitos e
outros accidents da gravidez. Administrado as amas do leite enrique-se-lhes o leite, preservando as creangas
de -olicas e diarrheas; a dentifo faz-se facilmente, sem dOr e sem convulses. Mu.s tarde quando a creanva
estA pallida, lyinphatica, corn as carnes flaccidas, que apparecem glandulas. no pescogo, a cha-se no lacto-
phosphato de cal urn remedio sempre efficaz.
Sua acqAo reparadora e reconstituinte nao 6 menos segura para os adults anemicos, que soffrem de mi
digestao e para os que se acham enfraquecidos pela edade ou pelos excesses. Seu uso 6 precioso para os
tisicos porque traz a cicatrisarao dos tuberculos do pulmao e sustenta as forcas do doente, favoricendo sua
alimentacao. Em resumo o Xarope e o Vinho do Dusart estimulam o appetite, estabelecem a
nutri'o de uma maneira complete e asseguram a formaao regular dos ossos, dos muscalos e do sangue.
D USfArT, Pliarmaceutieo, 8, rua Vlioienne, PARIS e m principals Phariacias e Dreari


Su lfato


. Desdea
bondade I


ARMET
a do Sulfato-4e
asa aia4ie


deQuininade


Chamwdo dos 3 Cachets


DE LISLE, & C&a, SucOessores
tuiminapor PELLETIEA, este product tern mantido a sua reputaco de
'eferi&-||tsodt^ ircados do mundo, apezar da compelencia e da
iSu szeu ores. de Pitkeroralisto urn o v r o itro
re S, dk-Aw. tmspruites, routto
~~a~ecs enevralgi as,
Sio ti tSlmwi ico cc~ztodusm

-!-NA~e~ u qduas potdiLn. o Silfato
Momiias~ a.Af~n


Lscrofulas e Wodas as MoIesMas
prownmlntes dieas:epaiaa
DARVIGOR AO COAPO
~R e 0JSARO sNGji r


DEPOSIT GERAL
13--Bun Primelro de Mareo-13
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernarmbuco
ADAMOQN HOWIE A C.
N. 3 == Rua do Commercio == N. 3
A venda em todas as boticas e a -ogarias
E. de O Roheba
Manoel de Souza Rocha c Theodolinda Baltar
de Oliveira commemoram o 1" anniversario do fal-
lecimento de sua presadissima esposa e filha, Es-
tephania de Oliveira Rocha, corn algumas missas
que serio resadas pelo eterno repouso d'alma da
mesma finada, segunda-teira 19 do cotrente, pe-
las 7 horas do dia, na igreja de N. S. do Tcro ;
antecipando os seus agr. decimentos 6s pessoas de
sun amizade que se dignarem a compareeer a este
acto de religiao e caridade.


Ermelinda Senhorinha Vlegas
Os filhos da finada Ermeliuda Senhorinha Vie-
gas convidam aos parents e amigos para assisti-
rem as misses que teem de ser eelebradas no dia
19 do corrente mez, 20 anniversario do sou falle-
cimnento, na igreja da ConceicAo dos Militares, As
8 horas da manha ; pe!o que se cmfessam eter-
namente agradecidos.


Anna Morefra de Jesus
Augusto Moreira da Silva, tendo recebido a
infausta noticia da morte de sua estremosa mai
Anna Moreira de Jesus fallecida em Portugal no
din 18 de dezembro de 1884, convida a todos os
parents e amigos para assistir as missas e me-
mento que por sun alma manda celebrar na igre-
ja de Nossa Senhora da Penha, no dia 19 do eor-
rente, trigessimo din do seu passamento, pelas 7
horas c'a manha, pelo que desde ja se confessa
eternamente grato.

Boa acquisiio
Aluga-se uma linda casa de campo na Passa-
gem da Magdalena, rua do Paysandu n. 5, tendo
gaz, agua encanada, jardim e umrna pequena baixa
de capim : a tratar na casa junto.
PARTEIRA
Rua da Aurora numero 1.
Precisa-se alugar um criado forro oucra- eq
evo, ou uma preta para vender flores e bolos, pa-
gm-se bem ; no Caminho Novo n. 128. Na mes-
ma easa se dirA quern vende um xarope e tintura
de plant vinda do eentro do sertao do CearA.
para cura de molestia do peito e asthma, quej i
tern feit) muito boas curas. Na mesma casai
vende parasites em vasos prcprios para sala ou
embarque.

Xinaa
Precise-se de uma cosinheira : na rua da Au-
rora n. 109.
Ama
Precisa-se do euma engommadeir,: na rua da
Aurora n. 109.
Predio em Olinda
Vende-se o de um andar c sotao, sito A rua de
S. Bento n. 63, corn bastantes commodos, quintal
murado, encanamentos d'agua e gaz : a tratar na
rua de Mathias Ferreira n. 51.
Agradecimento
Antonio Gomes de Mendonca agradece do inti-
mo d'alma a todos aquelles que se dignaram de
assistir as misses que mandcnu resar per alma de
seu extremoso pai Joao Gomes de Mendon~a.
Ama
Precisa-se de uma para lavar e engommar e um
menino para ciado na rua da Uniao, sobrado n. 37,
portao de ferro confronte a venda do Sr. Antonio
Duarte.

Alugaise
uma grand casa, sita A rua da Aurora n. 167,
pintada e caiada de novo. corn grande sotao, pro.
pria para grande famil;!.C con canalisanao para
gaz, corn agna, quintal todo murado ; a tratar na
rua do Visconde de Goyanna n. 100, entroncamen-
to, Manguinho.

LINHA COATS
i Lswtrosa a para machine, e a r Macia de 6
fios tanto para machina come para cozer a mdo.
-No se usa mais linha em novello-
Pede linha em carretel corn o nome
J. &P.COATS -





o MUSEIDE i0M
DE

MIGUEL WOLFF & C.
Offerecem ao respei-
tavel public um gran-
de e variado sortimen-
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican-
tes, e se acham habili-
tados a vender mais


barato do que oultro
qualquer, visto rece-
berm directamente.
Todos os ret QIS:-
lvendidos esta


VINHO ie XAROPE DE DUSART


I' MSUA ,GEXAL cOM O PR FUMES A' M W I
QUALJOAOD #UPEP.IOR 1 3

ff~flBBLHIS R F IA' vawu*Q~ pwuuwsw.^

Pelletier


T/


11


I


















v*as uam bow ww IO& uwbi% efo
,800 p6ede coquwoir.ie. e sBis Ca.eirae *i a &0lojf
Preis- cOwn pixe, i rfteo moit*ine para SNUPn set iw e fanu a. o 00va. ,



inaee o n ........ ;g,4,i aote Diario "te __a-j mm ap ovmop*,1_-,: a;.1' 1- .llll~l
p_ .,. torn boa eped e Mr POinaa ern l* de 'a a 3.is. 0 cOaO.
_etc. et., cuja Ven".a s d.-adaf tfi ar ona sr 6 bom. da
vidade paa paitoentsode usai hpaa va a v Ditoa orn 24r iaa a d5.
donrsmo uio d: a tratar (nrus n. l ume- 3 Dit. a-Yiae 4 ta.
ro l~~186. i~~'Ctle.dm-adoab". b 7X *
earr-g-edede*.--e eo"m Ditosdrinohcostadop a8 p -1 00 u :
Merindoaprotonea 980D, 90Xl 1200 e I*50 o
Preisa-et rdo aU po a oeheida pa cra n bes raee a 2i0 o e 0 urds.
can de pequei a fameilirquoe comproe ai a durma eost d A
f&a,: a tratar no escriptorio deso- teta a tar.o N. na&4# .
JS(^C:C^C C .......J to 86 se vendo. E' bmal&t I
n 0 Dr. Democrito Cavalcante mudon Lengos brancos com friso preto a800Wra.
sen escriptorio de advocacia pars a run 1 Ditos com barra de enres a 15800 a dusia.
t Primeiro de Mar"o (Crespo) n. 18, pri- Ditb do limbo parasseuheael600adusia.
Smeiro andar. ). itoe imltacno do stda a 1*80 a dita.
Encarrega ne do defesas perante ojuryv Dites de oinhe finos do 8A por 8A500 a duzia.
F\anas comaercas do interior, a bom asrim Lindasbandeirasnacionawsseportaguosa a 4*800
mdo qde quer quentio torense. \ a dusia.
Pode oar procurado das 10 da maiM Lindos setin macAo a 1300 o covado.
ias 3 da tarde, nos dias uteis. VelludiIho bordados a li o oovado.
.-^.-^^..-^ B Rica. ventarolas chinexas a 600 ma .
Ditasdikas-bomdlAas a 1.
SE AL- M Flanelas de todaa an ecres.
Z^ fTarlatanae, gangas corn paisagens ti. baratas.
Precisa-se deoumaam aquo aiba lavam e cosi- Admnra*lo
nhar, e que seja do boa conduct: a tratar no pa- 1N. 80.
teo da Santa Cruz n. 18. Dos barateiros
=- 4,l---m, --ntC-e--- d-: --am -------- Aproveitem.


data despedimos o neso empregado Joaquim An-
tonio de Araujo. Recife, 12 de janeiro de 85.
Floriano Passo & C.
Por festa ou por anno, corn pagamento adi-
antado ou fianea idonea equivalent, aluga-se o
pequeno sitio da travessada rua da Mangueira,f
que foi do fallecido Joao Francisco Carneiro Mou-
teiro. Alem de muitas arvores fructiferas, tan-
ques e cacimba corn excellent agua potavel, e se
aehar murado, tern casa de habitaglo em bom es-
tado, corn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, cosinha
e urn quarto f6ra para criado ou feitor, accreseen-
do ser esse sitio muito proximo ao rio Capibaribe
e as duas estaces da Casa Forte e Caldeireiro
da linha-ferrea do Recife ao Caxanga : quern o
pretender p6de entender-se omrn a familiar do Dr.
Msanoel Miranda ou corn o Sr. major Jose6 Camel-
lo do Rego Barros na'mesma traivessa da rua da
Mangueira, que Ihe mandarle mostrar a poderlo
dar as informaoes neeessarias, ou corn o Dr.
Pinto Junior, aI rua Velha n. 59.
S11olfi mmr

As aulas abrem-se segunda-feira, 19 do corren-
te mez.
= Offerece-se uema ama portgueza para casa
de pouca familiar, pan cosinhar ou engommar : a
tratar na rua do Bartholomeu n. 43.
Alugam-se o lo andar da casa n. 18, o 2o da
de n. 66 A rua Direita; o lo, 22 e 3o da de n. 8 a
rua da Penha; o 2o da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o lo da de n. 34 A rua do Rosario Estreita;
atratar na rua do Hospieio n. 32.


Aluga-se
a sala de detras do 1 adar do predio sito A rua
Primeire de Mar9o n. 18, muito propria paa es.
criptorio de qualquer natureza ; a tratar na loja
do memo predio.

Canarios d'Ailemanha
DE
C. BRAUDMHLLER
Veude-me
Ra do Imperador 12
Casa de Lopes & C.

Anma
A' rua da Imperatriz n. 53,1lo andar, precisa-se
de uma para todo o servizo de uma casa de pe-
quena familiar.


Precisa-se de urna ama para lavar e engem.
ar : na travel dos Pires n. 5 (Geriquiti).


Cosinheiro
No 2. andar do predio n. 35 A rua
triz precina-se deum couinaefro.


Precisa-se
corn pratiea
numero 50.


de urn caixeiro de 12 A 14 ainos,
de taverna : no largo de Apipuoe


vESill
Vende-se por 2:8009000, quantia em que
estA avaliada, man parte do Sae ro fAuues-
co, no termo de Soiuer n, diatante duas legops
da estao de Gameieira a tratar om Antonio
Franco da Silveira Lins FPho, do eugenho Sarta
Catharina, no term de Porto Calvo.

Cylindro
SVendo-se um ry.dro para padaria, corn pouco
uso ; na travessa dos Piree n. 9 (Geriquiti).


Attencao
Mathues, Austin & C., A rua do Commercio n.
18, teem para vender :
Pinho de resina


Chegado agora e de superior quali
seguintes dimeaOes :
11/2X9
11/2 X 12
2X12
3X12
8X9
4X9
41/2 X 9
Em lots a vontade dos compradores.


Made, das


= Precisa-. de um ama para eeainhar e mais
servings de casa de tmilia, e de um meniao para
da Impera- compras e recedes : a tratar n rua do Ma arquez
deOliadan.51, 2" andar.


LIvrs para escolas
CATO NU S, compendio elerentar da
grammaten nae da eo eecmtna
epe o p r mse ti nZano de 1
IDEM, olomontos do arithmetic, nova edigao
revlsta e m Jhorada por Joe6 Martmiano do
IDEM, Oumo da doutrina ehriit, ova edicao,
reitIa Otada por urn sameerdote,
JO8 MAWTINIANO, Oentos de orthogra-
e ievzsta e moihorada.
PiGENTINOGAVO, o livro dos hons con.
selbos.
BM P"T4SA -, lbif a biblies, ou narrati-
vdo velho e novo testaento.
venda n hivrar Industrial n. 7, rua do Ba-
rao da Vietoria ; e na livraria Economica, rua
Primeiro de Mar"o, junto ao arco de Santo An-
tonio.

Engenho
Vende-se o engeaho Maurity, antigo Oao, naus
comarca dePalmae, prompto de urn tudo pars
afrejar 4,000 pae: ospretendeutes podem ir
vel-o e admirer a fertiidade do seun terreno. Ao
meame se dird a rao perque se vende, e trata-
se eo L. G- da Silva Pint no cf, on no
meOmo engenho camJ. athos Fcrrera.


E barato
Vende-se urn terreno em Beberibe, corn 257
lmWos de frente e main de 1,000 de fundi o qual
fiea junto ao do Sr. Francisco Antonio Barbosa :
quern quir di ja-se ase eeeripterio deste Diario,
que se dira quern vende.


Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nee & C. quemn tern, torns-se indispensavel entre-
ter o espirto das interessantes eriangas, pelo que
os propi ris da Nova Esperanca nAo poupam
Sres; rua Duque de Caws n. 63.
10,040 bolas de borreacha
Eeeialdade p fauer prosente s erianoa& ,
o Pedro Anunes & C. distribue gratis aos oeus
ftreguezes ; Nova Esperana n. 63, A rua Duque
de Caxias.
Cabellot Ibram4os *6 tern quem
Averdadeima e especial prep rao, vende o
Pedro Antunes & C., pels quantidade que vende
prova a sun especial qualidade; na rua Duque de
Caxias n. 63.
Sao bonitas
as luvas de seda abertas, canno alto, que acabs
de reeeber o Pedro Antunes & C, A rua Duque
de Caxias n. 63.
Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de sapatos species; rua
Duque de Caxias n. 68.
Sapaties napolitanos, especiaes, para o tra-
balho do campo, tern o Pedro Antunes & C., e
estA liquidando para fechar factura ; rua Duque
de Caxias n. 63. E' a Nova Esperanga.
lb 1 *


FartnhaLactea
Nos primeiros mezes a alimentab
natural e apropriada para alimnentar a crow
ga de peito 4 o proprio leite matemz o *.
em caso de neceidade deve ser abatt-
do pela
FARINHA LACTEA DO DB.
FRERICHS I
A sciencia e a pratica adoptaram a s
nha Lactes come poderoso elemento nw
trictivo para a infancia e distinctos med
cos do Brasil e da Europa reconheeamk
ser A do Dr. FREICHS a melhor Ves*
genero.
Deve-se pois evitar *onfiar o filhinhe
uma pessoa estranba e de comportameast
nlo conhecido muitas yeses o germe.
numerous nmolestias.
Vende-se a verdadeira farinha LacteA
do Dr. Frerichs:
55 -RUA DO IMPERADOR 55
Estabeimeato do muic e piano dO V-
tor Priag e


Pharmacia honeo0atbica


rapeiala ..DO
siaparsres-Dr. Sabino
Papel e envelopes de alta phantasia para ed- em r B Abin
revr, de cores e brao para quaesquer ote- Vendas em grosso e a retalho, descontos va-
res, de impresslo de differentes formatos, de seda tajosos ; rua do Barlo da Victoria n. 43,
para flore e folha. Tintas de imlressao, de es- Pernambuco.
crever e copiar, dos melhores fabricantes conhe- --- ,--
cidos. Deposit da afnada TINTA SARDINHA .i Aprtland SS w
do RiodeJaneiro. Auniesa cass aonde se p6fde n V a
encontram urn comleto sortimento de papel e ob- VenOem Orestes Travassos & C., em seu enMc '-
jeetos de escriptom o n a e n torio no largo do Corpo Santo n. 19.


LISTA EBALI
DO RMS.I P N 393 A B DA IB M N B. Opremio prencrevera
f IBW -- ^ m anne depois da extraea.


DOS PREMIOS DA 3. PARTE DAS LOTERIAS CONCEDIDAS POe LEI PROVINCIAL N. 393, A BENEFICIO DA IGREJA DE NOSSA SENHORA DO LIVRAMENTO DA VARZEA, EXTRAHIDt
-- o' ; _1 .. ...


1011

A EM 17 DE JANEIRO DE 188.'


NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.I

8 45 281 45 597 45
11 84 600 -
27 85 25 -
32 86 30 -
34 90 40 -
36 98 45 -
39 300 16 57 -
42 3 45 64 -
43 5 66 -
51 9 80 -
53 15 85 -
58 19 87 -
62 21 94 8#
71 28 97 4#
80 33 98 -
-1 49 705 -
83 56 16W 10 -
87 57 4# 16 -
91 59 24 -
95 60 29
968 o 64 39. -.
O& 74 44
6 76 60 4A
11 83 62 -
12 87 64 -
13 89 6 .-
15 92 69 -
.29 93 73
30 0 3
m 8 -- 76 --
44 12 80 -
46 19 82 -
50 20 -- 90 -
1 1 -819 -
-61 -- 24 -
44 5 -- 5 m
72 84 31
7- 4 4 37 S
16 -- 4
S80 4 45 o-
87^ 4 43. -,
561
.9++ --

6 76 .. .
s -+ i i
.,:^|:;:.40:-i 77? -< ^1 ..1^
:--,|Btm 1

>" 1* ;1111'^ II -1^l}I':le


NS. PREMS.

927 45
34 -
41 -
45 -
47 -
50 -
53 -
60 -
64
69 -
80
84
88 11
95 4
98
1003
4
16 -
21
25
26
29
32 -
33
39
41 -
46
61
65
59 -
60 -
64 -
.66
73
74 -
76 10
80 4

m -

R4 4
11 .
4.'^-''


I























S
I




J


1



m+






aid


NS. P

1178
83
85
1208
25
32
38
44
45
49
50
53
55
56
57
58
59
64
67
70
73
75
82
85
96
99
1306
16

24
34
45


60
7 6
8I4
5*


E-MS.

45




45


REMS. INS. PREMS.INS.


NS.F P
1472
81
83
85
86
87
94
96
97
99
1502
3
10
15
16
29
37
41
43
582
53
57
b 9
.
68
70
7$
- 77
S86
I -r

- I
.2i
- 21
. 85
28
-34
-.a
"3.
-4, 4


45 1741
SW 42
461 47
49
-- 51
52
53
85 58
45 62
70
72
80
81
85
85 94
4 99
1800
2
-- 4
7
-- 8.
11

14
33
51
52
-56
145 57
'64
STO
870

-- 81

83.
--1
1-'91

46

2- 2


5-.
40


<




i/ i A '







' :


2023
31
32
38
46
54
61
65
80
82
99
2105
9
10
15
29
32
40
42.
48

51
54
58
59
63
71
90
98
2201
7
9
15
Is
24





40,-
-42
.46
|i+-a@K


REM4.

45


f





: l a '.*/-










" ^ .* ll


REMS.INS. PREMS.


347
55
59
60
69
72
73
85
91
94
2405
.9
t0
17
23
29
32
37
05
46
i"'.68 "
-49
81
94
97
S98
-2508


$8
y.

r 4




1.6




"li P:


46 2671
- 81
- 86
- 90
97
2705
-- 9
26
33
35
43
45
86 47
80 54
8o 59
45 65
66
d 70
31
80
-- 8e
-- 90t

85 2809
85 13
11 15

24
29
,34
-. 36

46
48


54


71,
01 72y^
7g 4

77


105
46
as#
45















..

SW q+


NS Fp

2967
69
73
75
84
85
89
96
97
3004
7
8
9
10
17
43
46
53
S62
66
84
- 88
I 93
S99

S 4
7
- 13
S1.7
- 20
- 21
24

.3*
41
49
- 52
60


73
- 74
78


; mt


RI


EBMS* -

45
85
1166
45







'is






















165
4.





















r-i


NS. PREMS.


3256
61
65
70
75
79
82
83
90
92
3302
11
13
16
22
27
44
53
54
58
64
66

76
77

84
87

9
340
A

21
2c.

3(
3E
4,4

5i
6S
6f.
-64
6'


I
94


84









45
m









i
I -




4 -
L -



r -

r -


1. 4
4.
45




8 44
I -







I
I --





Li
S-
? -
5 --


6 --

mom
.. .....


NS. F

3551
53
63
69
70
71
75
76
77
93
96
97
98
99
3604
5
8
11
23
24
25
26
29
30
33
39
46
54
72
75
86
87
95
96
3700
6
7
23
24
27
29
32
35
$7
42
46'
51

53
41

74'
766


hREMS.INS. PREMS. INS. PREMS.JNS.


8#
4#
85?

es
41

too#


3820
28
31
32
35
42
64
68
70
74
78
3903
13
17
18
27
30
34
35
40
45
53
57
67
80
84
91
4010
23
41
44
53
55
59
S67
73
79
81
82
86
4101
- 2
4
15
18
24


1 44
54
&4


45








86
45


45
-..


4185
95
96
99
4205
9
17
22
23
24
25
37
40
42
45
48
49
50
53
58
62
63
68
74
75
78
79
80
81
83
87
89
96
97
99
4300
2
5.
17
19
20
23
23

35
39
4I
48
S51
56
5
6$

72
75


4#
w


46





44,



8S
45










-,,
. *5

85~l.;~


4387
90
95
96
4418 3
21
27
37
47
48
51
54
58 9
59
68 141
70
71
79 A
81
82
83
91
92
94
4510
13
20
25
42
44

62
64
66
73
84
94
95
4617
21
23
25
26

29
34
38-
40'



M2. ,':


PRF1


NS.


PREMS.


f







I


US.

45



t'o

40



Q
D"




w
w
45





45







45
s


4706
14
19
21
24
SO
35
36
37
41
42
45
46
47
48
55
64
73
77
90
4800
4
5
6
7
8
10
15
17
38
39
43
54
63
82
83
86
4900.
6
13
14
15
19
21
28
29

4.


I
4#


























Nom
.41

.mm






"m

















- o-g


I


p]


q





















C C ton^-i'.u aSo)


U|| u-etot so1tou urna gargalh ada e saeu
-a^|l^ ,:perguntou ,viua:,,
nipreelso nleto ter anta press, ci-

D& Jequo?
4 J@m preparer o teu papel.
-'Per que?
-- Porque, parm lavrar-se a certificado,
parece-me que falta-lhe algurmaa cousa.
Qual?
"p- Corn a breca! a tercoira testemunha


qua exige o decreto.
Nio, nlro me falta a
munha aesta aqui.
Per irrislo o monstrengo
o clhar admirado o quarto,
um torn motejador :
Naa a vejo. EstarA
moves ?


terceira teste-
percorreu corn
dizendo corn

escondida nos


Esqueceu- se, disse a cendessa, que
ja lhe disse que a terceira testeuunha 6 o
senhor?
E' verdade, disse seeamrento o anno,
mas eu respondi-lhe, cidadl, que nunca a
conhcerae mais gorda.
E extraordinario, porquo eu me re-
cordo do senhor. Peruitte, cidadao, que
eu [he refresque a memorial? disse a Sra.
da Meralec.
Croutot soltou uma nova gargalhada,
e confiando em si, disse em torm inso-
lente :
Estou A espera I
A viuva encaminhou-se para o aborto o
quando chegou junto a elle, fronte A fren-
te, disse-lhe baixo :
DA-mo noticias de Julia?
De Julia? repetio Croutot, cuja voz
pareceu de repente ficear um pouco tremula.
Ha tantas Julias Se ao menos me indi.
cases uma singularidado qualquer.
Quer que Ilhe assignale uma particu-
laridade ? perguntou a viuva.
Sam duvida, affirmou Croutot, cuja
certeza parecia cntretanto vacillar.
Pois bemrn, disse a condesst, uma vez
quo 6 precise uma particularidade, aqulla
Julia quo gostava tanto de passear embar-
csda.
Esta intormatso er:. muito simples e,
entretanto, o s8u effe os foi fulminante
sobro o official munici, .. 0 sen rise sar-
castico apigou-s.-lhe ,ie subito nos lia-
bios, que se tornaram lividos e tremnulos.
A fac contrahio-sc-'"ie e elle ficou do
bocca aberta def.-onte ,a condessa quo Iho
sorria graciosamente.
Nao 6 verdade qio se lembra agora
perfeitamente de mira i. quo ha de ter mui-
to prazer em ser a r.inha terceira test
manha ?. diass-ilhe oat a condessa.
N'um relanccar dlo tIhos Croutot procu-
rou o Porco-Mont-z c Pipart. Vio-os a
conversar a um canto, para. ondc per dis-
cricao se haviam retirado.
Nada fazia supper qae tivessem ouvido
palavra.
O homunculo participava dan;tureza dos
gates, qae, .cahinr'Io mesmo das maiorcs
alturas, cahem secnpro sobro as pAtas.
Acabava de cexperimentar urma comminSo
violent e desangradive, mas nada dcix.i
perceber na inflexlo a um tempo de es-
panto e da alegria, corn que exelamnou:
Porque n l .'o disse logo, Sra. con.
dessa? Nao ha duvida, agorA lembro-im
-perfeltamente da sua infancia* r iss
.terei rnnt .,-a ..
tei -....... ..unr. em scr a sua terceira tos-
temunha.
MA estas palavras, ditas em voz alta, o
Porco-Montez, e Pipart, acabando a con-
versa, voltaram-se para dirigirem se A mesa,
sobre a qual a condessa Ilhes mostrava o
papel, penna o tinta, dizendo:
Sso as tres ttstemunhas cxigidas pola

A3in. mMATER
FOII ETIX



AMOR MATERNO


POR


JULIO MARY


PRIMEIRA PABTE


TMIM TYMA I1EM DUTRA


(Continuageao do n. 13)


Maria Anna conhecia a sobrinha.
SSabi&aque procurar faz66a recuar de
- emelhante resolugoo era tempo perdido.
Albina tinha umr character de tempera for-
te, .indoxavel.
S-Vidwiuinza filha, disse a tia; mas,
Sfraquesresao te acontecer alguma des-
jlI*p,0-ase A e1orrwein 31o0 esquegas quo
emiiWae a casa um, asy* com o0
Ue o de tua falta e uma affeiio sempre

-F:: per.AlWnua ml oi c -eriuel, quo.-a
,t ee d awd.uitos annos e levou para
u*ius imprimndo-lhe no
inunu *vel do a -amelancoa


rTaa.^o~awjta S qua %4totelta '* .ai
isso, por tdad..p"-a, so failtoa xueflrl'
in arnetiu e dA testUcN ia olia gw!sf tNello
do seatsVIM', ,
Oito ltas antes d'ella chegar, a sua vol-
ta foi annunciada pelo amu sil. caseiro Car-
deuc, per aleunha o Porco-Moantez.
Em todos os arrodores, em todos os can-
tos, cm today s s chpatinas, el estivera e
mostrara a heart que rocebeu da cofidesa,
participando lho suna proxima hegad;,
comn todos os dotalhes, e informaOes saobre
a viagem da Allemanhaa ao solar do Bri
vi6re. -
Era corn a mainor alegria que o cosoiro
demonstrava a sta felicidado per tornar a
ver em breve aultima.lescendented'aqulla
raga illustre dos Briviecre, que, ha duzen-
tos annos, do pais a filhos, a familiar dos
Cardeuc servira.
E quando algum comprador de algumas
eiras de terra, que pertencem ao dominio
do Briviere, dofendendo a sua causa, pare-
Scia interessar-se pela do Porco-Montez e
dizia-lhe :
Mas Cardeac, comprasto a tua terra
quando depois da con6scagio ella foi ven-
dida come bemrn national. -
Nao terAs de entregala ?
EntAo o Porco-Montez olhava para o
interlocutor de um mnode somnbrio e respon-
dia corn voz vibrant e ameagadora:
Comprei a minha terra para a con-
servar A filha do incus aumos e creio que
pensam come eu todos aquelles que comn-
praram os bens do dominie.
Diabos levem o vclllo fanatic, res-
mungavamn, distant do caseiro jA se ve,
aquelles que, per serem os compradorcs,
cram menos estiaiados pela antiga familiar
senhorial.
Balbuciando e tremendo, maldiziam a
moca que teria feito melhor em morrer do
que em emigrar.
Dipois diziam comsigo mesmos qu, ten-
do so passado treze annos, aquella que
partira ruma creanga voltava mulher...
Parquo cm 1787, quando a monarchia
parecia conservar-se por muito tempo, o
marqnez do Briviere, prevenio o fiituroe
emquanto outros descancavam acreditando
n'uma seguranga enganadora, tomara as
suas precaugoes. Corn o pretext de man-
dar sua fillia conquistar as bWas gragas c,
portanto, a heran9-. do uma tin, uma sol-
teirona quo vwiia no ostrangeiro, olle i man-
dou-a p ira a Allemanha.
Depois, pouco a pouco e sem ruido, con-
verteu em dinheiro uma fortune que devia
tocar A sua filha e vendeu todes os i-Unmn-
sos bens que herdara do sua mulher. Em
seguida hypothecou os sons proprios bens,
fazendo-se acercar da reputacto de jog.%-
dor infeliz.
Toda a fortune dos Briviere foi dei-
tada f6ra ao jogo, dizia-se, lastimando o

Ass'In aconteceu, quanu lo na tempcst'ide
revolucionaria deitou per terra o throne e
o rci. IHavia ji doui annuos que o euar
quez s o achava na Allonanha corn sua filha,
vivendo a rctdliar, tends o penas aban:la-
nado de lodos or sous bens, que n.o tinliha
podLido leva, o saq castelIo e algumnas ter-
ras que no uIzimo momento fbi-!iho ibepos-
sivel hypot.ecor. N9 fiI ti'-z do antos W'a-
auolIa uy'sten,-la aiourunada, e. tenleo Ci
tilde at'iagiuno aos seus vintO anne., o ie-
liz marqucz tzve ainda a ftdicidade do en-
contrar para genre uam liom.om quo so a^-ha.
va nas mesinas conuli(oios quo ells, on, p"i
outra, quo tinha salvo quasi na sun tot.li-
dade uana immensa furtuna.
Trcs ,nczcs depois quo Clotilde crr a
conlessa do Meralec, o marquez morreu
sem suspeitar que seu genre, eat voz ice
A essas caead-ns in gente d lo hge.
Certos amigoa de Gaspar, ou ;aiungos ,lo
falhici lio ficaValn no casttllo darantdao todlo


o mez do NovcmUbro, monMUado a cavallo
todas as manhAs e perseguindo nas matas
da vizinhanga um cerve, um javali, um
cabrito monte e, As vezes, um lobe; se o
mAo tempo obrigava os cagadores a fica-
rem em casa de manhi, so o sol apparecia
s6 A tarde e nio podiam contar corn mais
de duas ou tres horas de dia, soltavam uima
bonita matilha do uns vinte lebreiros e di-
vertiam-se cagando uma lebre.
Nos primeiros dias do Novembro desse
anno havia no castello una reunil, nu-
merosa e brilhanto.
Gaspar havia no dia seguinte encetara
cagada nas suas florestas.
Entre os convidados s6 dous nos inte-
ressam em consequencia do papel que re-
presentam nesta s arrativa: 0 Sr. P.-ov
ron, done das forjas de Chalamboi, Said.as
a poucos kilometros do castelo de Les-
guilly, e Mathilde, sua filha, boiva de Gas-
par.
R6veron era muito rico.
Tinha comeoado a vidai. havia vinto ou
trinta annos come operario em ,uma forja.
A sua henradez, a sua alta integridadoe,
a sua grande intelligencia, coa- hecimento
profundo que tiara dos multiplos recursos
da industrial, o tiraranm da a pobroa e a
felicidade nunca o abazudonou.
A ofortuia lon eoestragu.
Tiuha fieado orn .1.e1 'U Pece bras
co nos modoa, oquo soetii~atornado Is-
.-genijuio Onieat"s Oprat t .0 *itra


Poqe de 1
,o uniiico -01 TO In* -'. a

b ranr na *aa *mea0.i P
0o quda c 0co w e Braqidllee ae-q" o



wi dseiyia^ 11-o, 1oqu a/ prim'*1^:1.^: "ir :"^a -io
pocaseio oi egi a peroitra di oss o Portes
- a on0 easR A aper t a s:pars,


Tel i, t~ hern slcaa 4i~e ie
uinal lavada n'alultebe-c'asa rtso, qusdo
era mina, ern z qua econtribuiram Para
o gravar na i ua mtmemoqil. i
Muitas pessoapos ue ohaviam receiado o,
regresso da casteot de Brivi6pe acabarnam
por dcsejal-o, porque a priemira carta uo
caseiro foi seguida por outra quo o Porco
Mo rntez VIa por t.a a pirte,
Tal dia, a taf hori, pela d^ig9cia o'me
Pariz. a Nantes, a condessia precisava a
sua chegada n'aquella regtuda carta, que
torminava por iua reeommendago da
condessa ao sea caseiro para tranquillisar
parto dos compradores dos seus bens, vis-
to quo tornando-so duna Yezes rica corn a
fortaua de seu pai e de seu marido, esta-
va resolvida a nao inquietar ninguem.
(Coutiufa).



Efstio
Expldse ctn lava -assim como fornalha
accesa a immensidlo quo nos circula.
A brisa no arvoredo nao faffalha
de leave. A pine o sol a sombra annulla.
Em tudo muita luz. Nao gesticula
umn vegetal, urn s6-no ar se coalha
o movimento e o sore. Tosna a medulla
da terra, o sol quo o ar calmo retalha.
Espelha o rio argenteo o dorso. Espolha
no coqueiral a asa d'uma abelha
que sober e dosce em curvas caprichosas.
Desbrodha o cactus rubro comne sangue,
emquanto quo um lagarto junto ao mangue
repousa sobre petalas de rosas.
MOREIRA. DE VASCONCELLoS.

) phautasuma
E' hA, tu tens razAo, ness. castello
de velhas arcarnas alpendradas,
Mao tristo, abandonado,.otr'orabello
alccer das dama,. nait as ;:
ale, na as^l.1- ', *
6 h1 que a meisa.ate qiiug, o tado,-.
cm paz dormao n uri somno socegaIdo
so v6, totIo de branco e gesto mudo,
assirn comp quem vai para- um norlado,

.&urgir d'ua4. 4,,etl3 ^. um vulto de mulher que apaixonada
as gothicas ameiaas sobs e gugiga,

deixando cntre so ver come a m phantasma
a gonte do lugar -quo ao vol-a pasma
e vai narrapdo as lendas da fidalg.i
MOREIRA DE VASCONCELLOS.


Uumnorlsino


NO HOTEL


Vou dar to um alegrao! D'hoje em diantuI
Nao mais hei 4e oscrcyer o hunorismno,
Resolvi pOr ao fogo a nMinha lyra
N'um inomerento de spleen c do cyniism,.

Mais versos nleo farei! ILHje s6 qeiro

nenhuma cxprobraqito no sentido restri-to
di ptalavrm, Reveron, na sua qaalidadulc dc
trabalhador obstinado, no fund1 da alma
sentia per elle una ropugaaucia secret.
Para ello a vida sem um -fim era um
mysterio que a fortune nao explicava.
Quando comprehendeu quo Mathilde
amava ao marquez, precurou combater
esse amor por todas as distragoes quep6de
proporcionar A lha. -. Resolvil a todos os
sacrificios, a tudo tentar, entregou a di-
reco., das forjas a um homein de coufiau-
9a e emprehenideu corn Mathilde uma via-
gem de recreio que nao durou menos de
unm anno.
1Nem a, agitaglo de uema vida cheia de
prayer, atraveh des distrac*Ues dos climas
mals variados, nem o amor de um pai que
espalhava ouro As mios cheias pelo seu
caminho, para de vez em quando chauma
urnm sorriso aos labios da fill, nadA pod
distrahir Mathilde um s6 instant de pea.
sar eot Gaspar,
Por seu lado, o marquez, poucO habitua-
do a esses obstaculos, apaixokuou-se verda-
deiramente pela ausente. Teimou em lesr
ita terra, .esperando a volta do dono das
forjas.
SEm vaio tnha proeu oditrahir'se corn
relaoes que eona.ewva.ssageiras e seem
comequenciaa. A 'A uogo tde Albina n..
er Aprimoira falta ..ilo a ,isso o n nI ne
-de 'i ~ agho o forQquotinli. do
-so; Briiente, po'r6m, s 8pen-
1,a=V A M*m dM I* 11 7 i I


O Qoue r aixim ena eunT 'quao t ue oT



A lsta ar iili^^'ria.'ty 1*1
o ftivCej ft s 05i a oeil eambw
E Nae "p~t~o'Ii-auto uite randwk.

Veja a tietra,dimste. E,4tA sortida
Dabo 0 que 6 pspxaLW? autes quo tude
A lZira para v ier antear'ici.
O caixeiro depois de prqparada
A mesa, trouxe a llstra incoatinento
Miraste-a, leste-a quatro ou ctiao vezes
E por fim exclamasto de repente :

- Primeiro para abriro apetito
Metrsgp urn mNcitio dafbmaquiha,
Mas da bOa, o1hoE lA, no quero muito,
Escotia da melhor e mats fraquinha.

Una tres ou qustro typos quo ceomiam
Coimegaramn a to olhar, eu mesmo vi-te
Beber b6a porvh1o da tal branquinha
Afirm de ver so tinhas appetite

Depois disseste logo p'ro eaixeiro:
- Um teek cebollado o fejoada;
Nao sei o qu'6 que tenho todo o dia
Que faz-mo nao comer d'enfastiada.

Traga mais uni melgte sem assucar,
Nao me o'he corn ar assim de mofa !
Veja uns eves batidos, cabiddla,
Alfitace, plo, arroz, tragafarofa.

0 caixeiro, coitado, em roda viva
Do pratos ia onchendo today a mesa,
E tu comias tudo, mas dizendo;
-Que falta do appetite oh quo fraqueza

Agora nmande ver so me prepare
Galinha comn... esta cousa do car6oo
Que vein n'uma latinha; inda ha dous dias
Comi dessa tal cousa no almogo.

-Diabo 1 no me aleembI'o! toern um nom,
Parece que 6 francez, acabla em a,
Acertei! aecrtci! vja so arrainjia
Um prate corn galinha e tipleu.

7ipu4 !. tipud ftaih o eaix.iro
Batendo coin dous dedos sobre a testa,
Que abo serA ? quto atr 4 1
ean qi~nIo enterv:4.eora esta I

Eis onta-um un ingb muitto e rnad '
Trajoh4a muito beo smlito n frdsCk,
Se assent j inte a ti o vae dizendo:
-Caixerra mini qucr bebe, traz cognac.

Dopoi4 teo cuaprLumenta, aprezentada

All vigth !, anda caixerra, mim torn fome,
Dous.vezes une cousa mimr non pece.

-Os .paios que pedi? a frigideib' ?
Gritaste corn fuitror, coin bocca chliia,
Eu: quero mui'ir embor.I, ando depressa,
Preciso ir pars: cas, a helra c meia.
0 filho d'Albion ia comendo
E molhando a palavra a todo instant,
Mas tu comias rais, semiapre dizendo:
.-: Quo corp tenbo cu deblitante!

Podias tauta cousa quo o caixeiro
N,.o poleodo dar mis aviamento
ChiamGu cn smu auxilio dous ereatlos,
Que dia quo passaram tfo cruinto!

A cousa fui a mais, quo do repento

0 tumpo vencfu a ropugildfncia do in-
dusfrial. GU;spar foi aceito.
Matlhille era urea bolls inning, uiauto
morena, de olios nogcos, chicos do cham-
mas, foi9oes energicas, front estreita,
achatada nas fontes, o que indicava gran-
de forga de vontade.


Esbelta, robusta, de hombfos largos e
basteseio, era, Bem duvida, quando pas-
seiava a caallo nos bosques proximos de
ChaAuibot, uma diw mais bonitas e mais
soductoras amazoAs quaIp podia ver.
Era de um d'eses paeseios que datava
o seil amor,I pol's Joi ahi que a encontrou
pela rtmeira vez.
Enceuntraram-se depois muitas vyezes.
Gaspar ficou per um memento imprei-'
siUm0 pela bellesa -da menina.. Ella es-
tav', corn effeito, encantadora corn o seu
Iin peril, um olhar profundo, seus ca-
blt6s bastes, o avelludado das suas faces,
sf.b onja pallidez via-se o sangue circular
ardente, impetuoso, obedecendo As emo-
80s qu agitavamh o seu coraeo.
Emtao castaxmwte provocadora, comn o
i9o samiso dos aSeus uenos abios, ver-
,lhos e chei os, esse o sos dqueo lembra-
v&,a mysterious exprssAo do roito da I
cunda, e que tornevami nais co.turbado-
Rao saue penad& palpebras,- baixadas
soUtamnpte, velando A ehamn*edos seus

i: breve -aarm-s.e..
Poiela& que' iBS 6ron P o.icarou sepa-


. ...0-jaw u .. ........- :
494clse urn Outre 'IV&
#OV|*' 1tikAa aum,.ad so ouvit

N'&IOai-xo! largueaper.a da lli., ,
tevantaweao ingez fulo do raiva,
- ShorrAO miM d4 wtrre, fiaz barndho.
Voremos, dizestuca vais puxando
Um prato quoe continha sarrabulho.
Ahi &6 quoe foi el0a! acode gente,
Apita, .oi. furor pobre caixeiro
Dizondo quando em vez :--oh! que dea-
(graga
Qiuem 6 que ha de pagat o meu dinheiro!
Acode muito povo, toda a louga
Estava espedagada pelo chelo :
Mas mesiuo na contend. nio cessavas
De ter.-a boca cheia s6 do peo.
Fizeste corn u-n prato grande brecha
No pobre Jonh's Bull, bemrn sobro a testa,
Mas die deu-to muwrros quo p'rn sempre
Te has de recorder da bella fiesta.
Dopois do tudo caino e serenade
Sahiste para a rua amarrotada.,
Dizendo: -Nileo sou boa, nao se mettam,
Eu cA nito aguento caeoada.
E' disto que tu queros D'hoje avanto
Do ti neo tratarei. prometto e jauro,
Mias vou dizendo JA -muda do vida
6a nilo serA born triata o teu future.
Adeus! tomajuizo! qu'inLda pods
Achar corn quem arranges casamento,
Ou deixa do ser tola c vai direito
Asylo procurer n'algumin convent.
PAULO PEREIRA.
Recife, 17 de janeiro de 1885.


Triolets


Ando um tanto impressionado
Depois que uns olhos eu vi,
Come quern 'sta apaixonadp
Ando umn tanto imupressionado;
Receio estar nitraorado,
Eu que nunca amor senti,
Ando um tanto impressionado
Depois que uns olhos ou vi.

j~u, ivQo do ,0eu.1, rriso,
Tu vivcs do meu amor :
Qua. da brisa vive a flor,
Eu avivo do teu sorriso
A tuaiana e um paraiso
Onde acalimo minha dor.
_bryo do teu sorriso,
Tu vivcs do meu amor.
Quando tu fisllaq, que encauto ;
Quando sorris, que minagia!
., ta v~p, q-. h arnonia
Quando tu fallas, quo encanto
Tu tens na voz o quebranto,
No teu sorriso a alegria:
Quando tu fellas, que encauto!
Quando sorris, quo magia!
Eu trag.) dentro do peito
Co.no uin sigillo sa ;rado,
Esto am&r que te hei votado
Eu tr.igo dentro do peito
D'elle jlamais o effeito
Tu scntirAs, pois guardado
Eu trago dentro dopeito
Come um sigillo sagrado!
Doe-m mnuito, crcan9a, occultar-to
Esta louca pafixAi. quo inM opprimo ;
Este am-r que pareee-me um crime
Doe-me muito, crean9a, oecultar-tc.
Fu quisra poder segredar-te

Emn sunma, reflectia elle, voltando
do dar csse pass supremo, quo foi bemrn
aceito, cm su,,mai, nao mn.. dcvo lastimnar.
MIathilde Q admiravelmeonte bllal. Estou c
estarei por muito tempo apai~onado. Ella
6 rica, o que nao empeiora as cousas. Ella
me ama, e, ou eu me engano muito, ou
me parece quo ella estA muito disposta a
ser uma excellent esposa, meiga e dedi-
cad%. E' verdade que eu nno tinha pre-
visto este desfecho quando a vi pela pri-
meira vez.
Foi n'esse mesmo dia, quando voltava
do Chlambot, e pouco mais ou menos no
memento em que monolagava assim, que
encontrou Albina e que ouvio o appello
desespera'4o da menina, do outro lade da
cerce de espinhos do parque.
Soio, minetteu as esporas nos flancos do
seau cavallo e murmurou:
Ainda 6 cedo para ella esquecer.
Pacieocia 1... Entretauto, esta amava-me
mais do que as outras!... Pelo menos,
ella o dizia.
E-nko se lembrou mais-disso.

Havia, pois, reunion de cagadores no
castollo, e RWvyron e Mathilde Ia estavam.
Na vesperaa noite houve ceia na gran-
do la de jantar de tect6 oe madeira es-
cnipida, con tapegarias, representando see-
nas de cao is., dos Beauvais mais an-
tigos e G blin mais perkeitos.
JI a vi. .11 ur fogao monumental, ornado
4. litil~eI# *jgiplio do trabaiho mais
attb tcuxio que q sop6de ver.
E| | I^sea-c a:cadaho:

|gli^^|i|i# .era -


wf ampre do S AWfre s .
Nbo me perguntes, crean-a,
Poque as veoes vesnme tiate.
Ha nesse ten olbarfulgentoe
Urma attracgto que nos render;
Urna attracgo que nos" prende
Ha nesse tem olhar fulgante;
Que sem consciencia a gento
Ida mais fital-o tende.
Ha nesse teu olhar fulgez
Uma attraco que nos rorie.
Que mol pequena o macia
Alva, franzina e mimosa;
E' oomo a petaia da rosa...
Que mio pequena e macia!
S'eu fosse feliz que urn .dia
Te d(ssesse, capriehosa:
- Que mao pequena e maoia,
Alva, franzina e mimosa.
Os teus sorrnisos, creanga,
Tern attraees infernaes,
Ferem-me come punhaes
Os teus sorrisos, creanga:
Temrn a forga d'uma lanca,
- Gclpes certeiros, mortaes.
Os teus sorrisos, creanga,
Tom attracqes infernaes 1
R. DA SILVA.


Os proverbios da Uingua por
tugaeza, corn um append!
does de origena braslleira
REDUZIDOS A VERSO


P. S. DE A. GALVAO
(Continuagko)
Se o pobre te vem din-
6 quo mais te quer tomar.
Quem se detem eam dar
aquillo que prometteu,
claro esta se arrependeu.
Dinheiro me dai,
e conselho escusai.
Dizem o- sines de Santo Antlo
que per dar dao.
Nero deves dar mal per mal
nem creares official'. -

Ao rico cumpre.
remedio dar;
incumbe ao velho
a conselhar.
Donde ts dao,
as tomnaruo
Ondoe se do,
ahi so pagarAo.
A quern dao,
nao cscarnareo.
Dao a quemn
sem escolha vein.
Can9ga o dur,
nao canna o tomnar.
Cale o que den,
falle o que recebeu.
A quern has de dar do Oear,
nulo te doa dar de merendar.
(Continvia)

Sirm, Sr. inarquez. Sabemos onde
estao diversos nimaes o corgas na mata
da Garganta, Do6, tenos certeza de levan-
tar uin alli. No Valle. dos Repolhos, La
Briset vie dous pares de javalis, quo ha
quatro dias, nao sahem dos brejos de Hos-
sus. L'Epine ainda tem o sou grande lo-
bo, que vio de perto no Carvalho Perdido;
finalmnente, Dinis assegura quo um belle
veado motte-se todas as manhas, ha um
mez, entire os arbustos dos Tres Alahmos.
E' sd escolher, meus senhores, disse
Gaspar alegremente.
Pareceeme, Sr. Lesguilly, disse o in-
dustrial, que podemos comegar pelo ceryo.
SFoi essa a opinion unanime.
Comegariam a cagada correndo um cer-
vo, depois, se o tempo permittlsse, esao-
lheriam entire o veado, os javalis e o lobo.
Cavallos de muda estariam preparados, e
todas as matilhas seriam solt".
Isso estA resolvido, disse Gasparaos
picadores. Voc6 examine a mata da -Ar-
ganta, Do: : e voe6 L'Epine, veja se o 1o-
be ainda estA no Carvalho Perdido.
Os convidados doriiram. em Lesguill,
menos dous ou tres, cujos cstollos n1o -
-cavam longer e quo retirar -se, promet-
tendo ser pontuaes no dia 8 ito.
Entrotes estava Rb6'r 1,-
No dia seguinte, As novoe' d ia-
ithl, o patee, cheso de gomte- tava
urn espectaculo singularznent6 ti~~r
Esse patee, 1m f6rma *doe .-fet-adu
fechado per ura grade de *erro, atray
da qualvia-se um grande tabojeiro de rl-,
va entie uda. alamed.a&. do 6thal ib l
'*A' eatrada "do taonei estavam n
inatilha~domqu4~escento a fare~ouci
do Poi~to e da ahafn frtf8ll n




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYXYNAXRI_QLPRJH INGEST_TIME 2014-05-03T03:18:37Z PACKAGE AA00011611_13393
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES