Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13382


This item is only available as the following downloads:


Full Text












*0* S .0
* 9 --
a. *. 2
---- .-- -


,' .i


i,:: .,. .: C "d


.Or- .


,ide *. .


-' .4


-~ -'4.- -~
1-i


-, .


roprietbt e Aanoel Jieirda e Jaria lfjoz


(Erzh ILda)OHI
(Exmtrtihida)


PARTE IV
DESCRIP(,'.AO DOS PRINCIPLES PEIXES
I.a UB-CLASE--PEIIXES OSSEo.
(Continuagdo)
Do gencro Trgqla, ha mencionar o peixe Cabri-
haM ou Ruhwo (Trig/a hirt o), vulgar em Lisboa
c Setubal, onde apipamreee todo o anne. Tern a ca-
beqa grande, quadrada, corn fortes peas osseas;
barbatanas dorsaes; estomago largo, dez cegos,
figado grande nao dividido; filamentos articulados
per debaixo das barbatanas peitoraes parecendo
os raies d'estas separados uns dos outros.
0 Ruivo cmtouraqado (que habitat no mediterra-
neo).-E' notavel per ter o -orpo guarnecido per
oito fileiras de escudos osseos c o focinho prolon-
gado per dous forcadoa osseos.
Peixze cabra, Cabrinha ou Rdvo ordinario (Tri-
gla cucdlua, L ).-Este peixe 6 bastante apreciado;
encontra-se cm todos os mares, c 6 vulgar nos
nosSOs. Tern o ecorpo lio ee o fociuho redondo.
Pirabebe ou peixe voador do Brasil (Trigla vo-
Uitans, L.).-Tern, debaixo de barbatana peitoral,
outra muito maeior que lIhe serve unicamente para
ewar. Tern o focinho fendido. E' dos peixes que
os navegadores encontram corn mais froquencia em
todos so mares.
A segunda tarmilia d'esta ordein 6 a dos peixes
Thoracicos nado couragados que teem raios molles
uas barbatanas, sendo o primeiro as vezes espi-
ahoso.


-^ ,:'"-:. t. "rv
I "-'a' --..

B^^|,A^iUWA~gO8



HK%.^4-


(Contiada).



ILE Off=Ia

rams &a Irs itnela
DA PRBENCUIA DO DIA 3 Ds
JUNHO bD 1884
diwmo da Bsva.--Ao Sr. Dr. juis
O Wmirm iaembf.u do 'Recite'
^k ater b.-Cbme r~quer.


, ..


- snc -i TELIGUI ASI
M jwn O%% NlI111 lll




RIO DE JANEIRO, 4 do junho, As 10
horas e 35 minutes da manhi. (Recebido
As 11 hobetas e 15 minutes, pela linha ter-
restre.)

0 Sr. eonmelelfre Saraiva tol eha-
mado ao Paeo.
Foram =nomeadon s
Procurador-.Ocal da Thesouraria
de Famenda da Parabyba, Antonio
DernardAno don Santon
SO* ecerlpturarlo da Thesouraria
de Fazenda das Alag6as, Argemiro
coslta.
Foram transferidos a meu pedido
On Juizes municipaes e de orphaoe s
Bachbarel Jose Brandao da Bocha,
do fermo da Escada para o do Ga-
melleira, em Pernambuco ;
Sachiarel Pedro Gaudiano de Batis
e Silva, do term de Gamelleira pa-
ra o da Escada.
Foi nomeado Juiz municipal e
de orphlaos do term de Limoeiro,
O Pernambuco, o baclharel Fran-
ciseo Marinho~de Souma.

RIO DE JANEIRO, 4 de junho, As 3
boras e 50 minutes da tarde. (Recebido
As 5 horas, pela linha tcrrestre.)

0 eonselheiro Saralva. convidado
para organuiar o gabinete, recu-
b...
Ion.
0 conselheiro Lafayette estewe no
Paqo. para onede deve voltar note.
0 Minusterlo ahea-Me reunido na
Seeretaria do Imperlo.


R[IO DE JANEIRO, 4 do junho, As 9
horas e 50 minutes da noite. (Recebido
i 11 horas.)

On eonuelkeiros Sinimbdi e Dauta
-(bjpm etamkados ao Pace* e regira-
rtm-se. S. M. o Imperador enta con-
ferenclonando com o conselheiro
AUlon.o Celso.




SSB7I501-1 SIVA:s

(Especial para o Diario)

S. PETERSBURGO, 3 de junho.

Acaba de ser descoberta uma cons-
piracao contra a wida do Czar.

PARIS, 3 de junho.

I'm cyclone cannon cgrandes dam-
io. na regiao de Akyab (Indian
Orientaes), de.trnindo cerca de 2000
casas.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
4 dejunho de 1884-



INSTRUCt O POPULAR


Camara M unelpal
DESPACHOS DO DIA 3 DO CORRENTE
Pdeo Sr, Dr. Jose O'-wirio vereador com-
missario de policia:
Antonio Pinto Bezerra de Azevedo, pedindo eli-
mina&ao do imposto sobre o muro da sua casa n.
17, A runa da Roda, visto ja ter obtido licenoa para
levantal-o de accord cum as posturas.-Elimnine-
se o nome do supplicaute.
Emygdio Antonio da Rocha para abrir um esta-
belccimento de tavcrna na casa n. 15 a povoaqao
de S. Lourenco da Matta. t-im.
Francisco Eustaqnio Rodragues, cesslonario do
eontracto de kiosques, pedindo transfereacia do
kiosque n. 13 que se acha collocado na rua do
Sol, em frente ao cues, para o largo do Arsenal
de Marinha.-Como pede.
J.s6 Braz dai Conceicao e Silva, pedindo licen-
9a paran collocar na frente de sua pharmacia sita
a rua do Visconde de Inhanma n. 62, um embie-
ma das armas imperiaes.-Sim, pago o imposto.
Joao de Oliveira, pedindo transfcrencia da sua
relojoaria da casa n. 8 para a dc n. 22 sitas a prna-
Va da ludepeadeneia.-Sim.
Maria Joaquina da Conceiqgio pedindo licenga
par abrir uma quitanda na casa n. 42 A rua do
Rangel onde mora.-Sim.
Pelao RImd. T-. padre Mello, wereador
comumario de edpicaoes:
Antmoio Di da Silva, pedindo lieenga para
mandarretelhar o ea predio n. 26 rua da
Hoea labrtituiundoinmdeaana doberta, liapar o
o0itf6, f r eoru peapeito e ebean ars agsse
do au cm ptas a sbe smbkub ir untma so-
Ieia da p1tOtdaifreue. -- Coeedeo-se, p"" 0


Bacharel Basilio da Silva Santiago. Encami-
nhe--se devendo ser pago na Repartiqco doe Cor-
reios o porte do officio hoje dirigido ao Ministe-
rio da Justia.
Emilio Roberto.-Informe ao Sr. inspector da
Thesouraria do Fazenda.
Francisceo Silverio de Farias Junior.- Informne
o Sr. Dr. inspector do Thesouro Provincial.
Capitao Jose Francisco Cavalcante de Albu-
querque.-Indefirido, visto nao ser o que preten-
e o supplicant, caso de despensa de praso.
Bacharel Lauro Castello Branco e Silva. -Jus-
tifico as faltas. Depois de notado na secqao do
archive da Secretaria do Governo remetta-se este
requerimento ao Sr. inspector da Thesouraria de
Fazenda, para os fins convenientes.
Luiz Epiphanio de Souza.-Como requer.
Manoel Jos6 de Torres.-Informe o Sr. Dr. che-
fe de policia.
Major Manoel Joaquim Bello. -Forneta-se.
Maria Firmina da Silva Alcoforado.-Informe o
Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Manoel do Nascimento Carlos Vital.-Informe o
Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Manoel Marcolino Villas Boas.- Ao Sr. corn-
mandante do Corpo de Policia, para dar baixa do
serviyo depois feita a indemnisaVao dc que trata
o officio n. 550 de hontem datado.
Manoel de Castro Fonseca.-Sim, por 60 dias
somentc.
Secretaria da Presidencia de Pernam-
buco, 4 dejunho de 1884.
0 porteiro,
J. L. Viegas.

N. 537.-2a secqao. Seeretaria da Policia de
Pernambuco, 2 de junho de 1884.-Ilim. e Exm.
Sr.-Sobre o assassinate de que foi victim no
termo do Nazareth, Joio Jos6 do Nascimento, co-
nhecido por Joalo Grande, de que se occupou a
folha 0 Thermometro, que alli se public, sdendo
trauscripto a noticia pelo Jornal do Recife e Dia-
rio de Pernambuco de 14 do do mez de maio find,
mandei ouvir ao dclegado de policia respective,
que prestou-me em data de 30 do mesmo mez a
informagio junta por copia que transmitto at essa
Presidencia para conhecimento de V. Exc., a quem
Deus guard.
111i. e Exm. Sr. desembargador Jos6 Manoel
de Freitas, mui digno president da previncia.-
0 chefe de policia, Ramwuado Theodorico de Cas-
tro e Silva.

Delegacia de policia do termo de Nazareth, 30
de maio de 1884.-hIm. Sr.-No dia 8 d'este mez
foi assassinado em terras do engenho Pedregulho,
no district de Tracunhlem, Joaio Jos6 do Nasci-
cimento, conhecido per Jolo Grande, e pehlas ave-
riguaces feitas per eata delegacia foram dous os
assassinos sendo um Antenio de tal, conhecido por
Antonio Cabocio e o outro nao p6de ser conhecido.
Esta delegacia procedeu nos terms do inquerito.
que remetteu ao promoter publico per intermedio
do juiz municipal, para os fins convenientes. 0
facto, corn effeito, dou-se ao amanhecer d'aquelle
dia, junto A estrada de rodagem proximo A esta
cidade, e a policia aio demorou unas diligencias
precisas para tomair cou|hecimento do delicto e dos
delinquentes.
Assim entendo que tenhe intormado a V. S.,
acerca do assassinato de qua foi victim o inteliz
Jouo Jos6 do Nascimento, de que tractou o Ther-
mewva e tranwreverarn o Joraal do Reqfe c o
Diuriu de Pernuinbuco, J 14, e satisfeita a res-
posta do officio ticd. V. S., de 15 d'este mez, sob
n. 3,009.
Deus guard a V. S.--Illm. Sr. Dr. Raymundo
Theodorico de Castro e Silva, minuito digno chcfe
de policia da provincia de Pernambuco.-0O dele.
gado 19 supplente em excrcicio, Joaquim Nunes
M. Coutinho.
Secretaria da Policia do Pernambuco, 2 de
junho de 1884.
Conforme. 0 sccretario, Eduardo de Barros
Falcao de Lacerda.

Rerpartldio da PolHela
Sec9eo 2.8- N. 607. -Secretaria da
policia de Pernambuco, 4 do junho de
1884.-Dilm. e Exm. Sr. Participo a V.
Exc. que feramn recolhidos A Casa de De-
tenseo os seguintes individuos
A" ordem do Dr. delegado do 1.0 district da ca-
pital, Manoel Dias do Nascimento, per disturbios.
A" ordem do aubdelegado do Recite, Pedro Ber-
nardo do Jesus, por disturbios.
A' ordemn do de Santo Antonio, Constancia Ma-
ria da Conceicao, Paula Maria da Conccic1io, Um-
belina Cordolina da Conceicao, Joanna Frincisca
dc Lima Freitas, Rosalina Maria da Conceicao,
Maria Idalina do Nascimnnto, Maria LIuiza do
Livrarnento, Severo Jos6 Francisco ,a Ceciliauno de
Saut'Anna, por disturbios.
Communicou-ine (delegado do termo df Born
Conselho, que no di, 23 do mez finI c no sitio
Cajueiro, Lourenco Cezario Basp.) c sCu irnio Jo-
se Serafim da Fonseca, aproveitando a occasiao
em que estava dornijudo Manueol Urquisa de Car-
valho Cavalcante. descarr'garam sobre cate di-
versas caci tadas, matando-o iiinsantancamente.


DIARIO DE PERIHAIBUCO

RECIFE, 5 DE JUNHO DE. 1884
Notilas do Norte do Imperlo
0 paquete national Pernambuco, entrado hontem
do norte, foi portador dasa seguintes noticias :
Amazonas
Datas ate 18 de maio:
A assembl6a provincial continuava a trabalhar
reguli.rmente.
Pela presidencia da provincia form sanc-
cionadas as soguiutcs leis:
Autorisando a presidencia a despender at6
30:0004000 corn a constracca7o de urna igreja na
villa de Barcellos.
Autoris:ando a presidencia a despender at6
500,000 coin o levantamento da plant c orc:t-
mento de uma rampa no porto da nova inatriz dai
cidade de Pariaitins.
-- Creando no rio Solimw-s, no lugar Capacete,
um ponto fiscal.
De Badajoz regressara o Dr. chefe do poli-
cia que havia ido toinar conhecimento dos distur-
bi s alli havidos centre os commerciantes Claudio
Correia da Costa e Francisco Freire de CarvIlho.
No din 12 seguira pera o rio Madeira o va-
por Santarenm, levando a sonu bordo a commis-ao
de estudos da estrada de ferro do Madeira a Ma
more.
Na casa da camara da Badajoz reuniram-se
alguns cavalleiros e fundarainm uina sociedade abo-
licionista, havendo nessa occaaiao uma l iberdade,
concedida pelo cidadlo Manoel da Silva Sinies.
A variola continuava ainda o fazer victims.
0 Sr. commendador Francisco de Soaza
Mesquita, tendo recebido 2:U000000, pela liber-
dade de 5 escravos, devolve essay importance
para ser applicoda-1:500A000 A instrucglo pu-
bliea e 5004000 para a auxiliar a libertagao da
escravatura da provincia.
Polo Sr. cApitAo Jos6 Arthur Pinto Ribeiro
foi cedido 5 o/. dos vencimentos de sen emprego
publiep, at6 se concluir a libertacio d) element
servil.
0 president da provincia baixou uma por-
taria, em quo, ap6s alguns considerandos, diz :
a Resolve alterar pelt f6rma seguinte o art. 16
do regulamento n. 50 de 1. do corrente, que bai-
xou para exeeugAo da Aurea Lei de 24 de abril.
S0 valor do escravo para ser libertado pelo
a Fundo de Abolico s ;ra sempre calculado no
minimum possivel e nunca sera superior a 3005
para os homes e 250 para as mulheres at6 a
idade de 40 annos, c de 20A para os homes e de
1505 pra as mulheres de idade superior.
a Cumpra-so e communique-se. a
Lemos no Diario do Grto Pard de 25 de
maio :
Foi hontem declarada hLvre de ebcravoS9 a C-
dade de Manaos, capital da proviucia do Amaze-
nas.
0 Esta gloriosa conquista da liberdade 6 o re-
sultado do esorgepatriotico da imprensa .das so
ciedades aboliionultas, presidido pelo illustrado
8Sr. Dr. Th.etdureto Souto, administrator da pro-
vincia. a
Par&
Data at4 27 do mio :n
Nada encontuamo .m foihas digno de reprro.
Zt profeia ,ao
As foiaqu qoe n0oo ve des pro0hicia Beo
antigi; pots adiadtam. .


CearA 0 SR. PasmmmTz-Vai proceder-se a votae4o
Datas ae 1 de junho : do projccto n. 58 deste anno.
No dia 31 do maio deixara o exercicio do cargo 0 Sr. Loureneo de 5A (pela ordem) pede
de president da provincial o Dr. Satyro de Oli- e a caia concede votaoao nominal sobre as emen-
voira Dias. das dens. 17 e de n. 13.
Ausumira a administraglo o 20 vice-presidente Procedendo-se a vetacao da ella o seguinte re.-
DrI. Antonio Pinto Nogueira Accioli, que presto sultado : send approvadas as emendas nas. 1, 2,
previo juramento perante a camarr municipaL 3, 5, 7,8,9. 10, 11, 13,15, 16 e 17, regeitadas as
0 Sr. Dr. Satyro Dias tomou passage ao de s. 6 e 14, ficando prejudicada a de n. 4 e em-
brd # do paquete Pernambuco corn destine A Ba- patada a de n. 12. A requerimento do jSr. Lou-
hia. renoo de 8A foram nominees as votalSes das se-
No dia 31 de male deixara o exercicio in. guintes emendas :
terino do ergo do chefe de polieia o Dr. Joaquim N. 17 : pro os Srs. Aristarcho Lopes, Olympio
Lopes de Alcantara Bilhar. Marques, Esteviao de Oliveira, Jos6 Maria, Meira
Aasumira o exercicio interino do dito cargo de Vasconeellos, Silvino Cavalcante, Antunes Pi-
0 Dr. Gil Amora, juiz substitute da capital, no- nheiro, Nile de Miranda, Visconde de Tabatinga,
meado pela presidencia, Pereira de Lyra, Democrito Cavalcante, Cunha
Nada mats que mere menalo. Beltrio, Ermirio Coutinho, Arruda Falcio, Ama-
1io Grande do Norte ral e Mello, Lourenqo de Si, Drummond Filho,
Datas atk 2 de junho : I Fiel Grangeiro, Santos Pinheiro, Rosa e Silva,
Eis o que neeos communica o nosse correspon- Juvencio Mariz, Luna Freire Junior, Constantine
dente : Lins, Amaro Fonseca, Antonio Correia, Praxedes
a Per acto administrative de 16 de maio foi ju- Pitanga e Joao Alves, 27 ; e contra os Srs. G6es
bilada a professor da cidade de Moseaor6 ; secnde Cavalcante, Maxiiiano Duarte e Alfredo Correia,
removida para esta a professor da cidade do Jar- 3 ;
dim. N. 13 : pr os Srs. Aristarcho Lopes, Olympio
S0 Institute Popular da cidade do Ceara-me- Marques, Estevao de Oliveira, Jose Maria, Meira
rim, celebrou o seun 10 anniversario. de Vasconeellos, Silvino Cavalcante, Antunes Pi-
SVao a prao nos dias 16, 17 e 18 de junho nheiro, Nilo de Miranda, Visconde de Tabatin-
ante o thesouro provincial os iinpostos sobre disi- ga, Democrito Cavalcante, Cuanha Beltrao, Ermi-
mo de miunnas do pescado, 5 per cento sobre ra- rio Coutinho, Amaral e Mello, Drummond Filho,
paduras, taxa dt carnet, ias freguezias da provm- Fiel Grangeiro, Santos Pinheiro, Rosa e Silva,
cia no exericiio financeiro de 1884 a 1885. Juvencio Mariz, Luna Freire Junior, Constantine
w Pelo delegado do Apody foi capturado o r6o Lins, Amaro Fonseca, Antonio Correia, Praxedes
Manoel Alves de Lima, pronuneiado no art. 192 Pitanga, Jodo Alves e Pereira de Lyra, 25 ; e
do codigo criminal, contra os Srs. Lourenco de SA, Maximiano Duar-
Entre o Dr. juiz de direito do Naval e o Dr. t, G6es Cavalcante e Alfredo Correia, 4.
juiz municipal do term do Ceara-merim, travou-se Continua a discus.o Ido project n. 28 destc
conflieto de jurisdieiao sobre a competencia do anne.
inventario do vi"ario Jos6 Alexandre; levado o 0 Sr. Meira de Waeconceliox = Nao
conflict a Relaxao do district (CearA) decidio devolve sen discurso).
see competent o Dr. juiz de direito desta :idade. Vein a mesa, 6 lida, apoiada e entrajuntamente
a Pelo delegado do termo de Canguaretama foi em discusslo corn o project a seguinte emenda :
capturado Petronio, elcravo que diz ser de Joao N. 2. No art. lo em vez de 7 0/o diga-se 6
Pinto, morador na provincia da Parahyba. ,o Em 2 de maioe de 1884. Democrito Caval-
SForam arrematados em leilbo na port da Al- cante. a
fandega os navies Hoeap e Wendan, este naufra A di-cuss'o flea adinada pela hora.
gado em Maracajau, e aquelle arribado a este per- 0 S. President levanta a sess-o designando a
to; e julgado inavegavel. seguinte ordem do dia : la discusao dos projects
w N6scda terra ignoramos o movimento da nossa as. 51, 70, 73, 93,106 e 118, todos deste anne, e
via-ferrea do Natal a Nova Cruz, e a imprensa da continuagio da antecedente.
terra nada public, porque sem duvida ignora.
Alguma cousa que se sabe sobre ella 6 pelas ACTA DA 45.a SESSAO EM 3 DE MAIO
publicaoes dos jornaes da c6rte. DE 1894.


direitos munioipass e tudo de coformidade cornm
asposturas em vigor.
Dr. Antonio Bruno da Silva Mai&, para tomar
goteiras em seu predio n. 112 a rua de Marcilio
Dias.-Sim.
Jacob Martins da Paixio, para concertar a sUa
caisa de taipa n. 89 A rua das Crioulas freguezia
da Gra, fazendo a frente de tijolo e concertar o
muro.-Ja foi deterida.
J. Fuerstenberg, come procurador do Dr. Jose
Bernardo Galvio Aleoforado, pars reedificar duan
paredes externas e concertar a coberta substituin-
do madeira da cosinha de soeu predio site & rua
do Caldeireiro, freguezia do Pogo da Panella.-
Pages os direitos concede-se de accord corn as
postaras em vigor.
Commendador Jos6 Jouo de Amorim, para rete-
liar substituindo madeira da coberta, fazer re-
paros no interior do predio n. 21 d a rua do coro-
nel Suassuna, freguezia do S. Jos6.-No me con-
formo comn o parecer do engenheiro no qual pede
o cumprimento dos arts. 120, 121 e 122 de accor-
do con me 94 das posturas porque o supplicante
nao pretend bolir na frente de sua casa e sim
deitar teras na coberta, polo que concede a li-
cenca pagando eos impostoa municipaes referentes
ao que requer.
0 mesmo, como testamenteiro do inventariante
do finado commendador Manoel da Silva Santos,
para fazer reparos geraes no interior e nas ja-
nellas e portas do seu predio de 2 andares sito A
rua do Barto da Victoria n. 35.-Pagos os direi-
tos municipacs concede-se de conformidade corn o
2o do art. 78 da lei n. 1,129 de 26 de julho de
1873, relativamente a altura e largura das portas
e janellas.
Recommendo ao fiscal toda a sua vigilancia so-
bre b9ssa obra, visto nio merecer confianga algu-
ma o seu mestre por constantemente illudir e
transgredir as posturas nas obras de quo se en-
carrega.
Jeronymo Salgado dc Castro Guimarides, para
substituir terga dr coberta de sua casa n. 14 a rua
de Dias Cardoso. Nilo me couformando comn o pa-
recer do engenheiro que parece ter proposito em
criar difficuldades ao commissario e partes, so-
phismando a lei nos senus pareceres, concede a Ii-
cenea requerida polo supplicante pagando os diI
reitos municipaes.
Manoel Alves Lessa, para mandar construir
t inta palmos de muro no terrono contiguo a sua
casa n. 13 A rua das Larangeiras freguezia daI
Varzea.-Pagos os direitos municipaes e de con-
formidade eom o parecer do engenheiro, conce-
de-se.
Olympia Gomes Ferreira Bastes, pedindo li-
cenva para coutinuar a reconstruccAo de um ac-
crescimo site ao fundo de sua casa n. 29 6. rua
larga do Rosario, bemrn come que Ihe seja dispen-
sada a multa imposta pelo respective fiscal a que
ineorron involuntariamiente. Pages os direitos
municipaes e Jeo conformidde corn o parecer do
engenheiro, concede-se dobrando as ;paredes.
Thomaz de Aquino Cesar, para concertar uma
part do telheiro do rancho da casa a. 161 bern
come um pedags de muro do rancho da do n. 165,
sitas a povoa a o Peres estrada do GiquiL-
Pagos os direitoswor cada umae das obras que re-
quer, concede-se.
Zelinda Maria uandeira. para concertar as pa-
redes e coberta de sun casa do taipa n. -80 B A rua
do Encanamento, freguezia de Pogo da Panella
-De conformidade corn as posturas em vigor e
pages os direitos municipaes, concede-se.
C06rrigerda.mwdwpacko.-do .sonuwsaria de-edWb
ficaw5e Psblcador no Diarlo do dia 10 do cgr-
rente.
Na petlio de Ferreira & Barbosa, diga-se de-
molir e reconstruir uma puchada em vez de fa-
chada.
Na da vencravel ordem terceira do S. Francis-
co diga-se segundo disp6o o art. 79 combinado
comn o 94 e nao 70.
Na do Victoriano Domingues Alves Maia, d--
ga-se na travessa do Prata, onde pretend edifi-
car duas casas e nao tPes.
Secretaria da Camara Municipal do Recife, 4
dejunho do 1884.
0 porteiro,
Leopoldino C. Ferreira da Silva.


Tendo de deficit


13:66l.740


Parahyba
Datas at6 3 junho:
Fallecers o commeudador Lindolpho Jos6 Cor-
rea das Neves, redactor chefe do Pubicador e
membro da redacao do Liberal Parakybano.
Erg home illustrado e de posiao eminent na
*ociceade parashy.bana.
Yor nomeado proeiurador fiscal interino da
Thesourarla de Fazenda, o Dr. Padre Joao do
Kego Moura.






Assembila 0ovincial
44L SESSAO EM 2 DE MAIO DE 1884
PRRBSlXZCIA DO EXM. SB. DR. AUGUSTO D BSOUZI LHO
(Conclusalo)
Niuguem mais pedindo a palavra 6 encerrada a
discussao.
0 Sr. Olympio Marques (pela ordem)
requer votaVAo nominal sobre as emendas e sobre
o requerimento.
k' regeitado.
0 Sr. Drummond Filiho-(Nao devolveu
seu discurso).
0 Sr. Presidente-A emenda do nobre de-
putado era em substituioo ao requerimento.
Quando ella foi apresentada, 6 certo ainda nao es
tava na mesa a do Sr. Santos Pinheiro.
Mas pelo requerimento eu sou obrigado a por a
votacao aquella que for mais restrictiva.
0 SE. DEXocRITo-Peqo a palavra pela ordem!
O Sa. PaEsIDENTE-Tem a palavra o Sr. depu-
tado.
0 Mr. Democrito Cavalcante (Nao
devolveu seu discurso).
0 Mr. Olympio Marques-(N.lo devol-
veu seu discurao).
0 Sr. Santos Piubeiro (pela ordem)-
A material j! estai bemrn esclarecida, entretanto o
meu fim 6 someuto ler o art. 75 do regimento.
VozEas-JA foi lido.
0 SR. I RESIDENTS Eu jA decidi a qucstio.
0 SB. SANrTOS PINHEIao-N'este case sento-me.
Posto a votes o requerimenuto de adiamento por
24 horses approvado.
Vein A mesa, 6 lido, apoia'lo e regeitado o se-
guinte requeriuieuto :
Requeiro que u tempo que restar depois da
leitura do expedieute propriamente, seja dividido
em duas partes, sendo a primaira destinada a dis-
cussao doa ruquerimentos que torem novam'nte
aprescntados, c a segunda a continuacAo da dis-
eussAo dos requerimentos adiados.-J. V. Meira
de Vasconcellos. ,a
0 Sr, Olympio Marques (pela ordem)-
Eu tambemn vou requerer uma urgencta per dez
minutes; pois o meu requerimento 6 o seguinte:
(t,6)..
Crcio que a materim do mr.u requerimento per
si s6 justitica a urgencia per dcz minutes que peqo
Assembl6a.
Vetn a mesa, 6 lido, apoiado e regeit.Ldo o so-
guinie roquerimento :
Pceo urgencia per 10 minutes para urn requern-.
monto indagando do Sr. president da provincia :
1.0 Que solu io deu S. Exc. ao officio do viga-
rio do Poo, pedindo providencias contra as amea-
p:is do deputado geral Dr. Jos6 Marianne Car-
neiro da Cunha, quo como havia avisado no dis
autecedente, voltou ante-hontom as 5 horas da
tarde, aeompanhado da mensma troga, obstou per
nixio de ameana, que as families entrassem pmra
a matriz, de modi que, tendo o vigario esperado
at6 6 horas da tarde polas providencias pedidas
ratirou-se da ig.eja ;
2.0 Se S. Exe. soube que o sobreditb ropresen-
tante daI nalo ao sahir o vigario da igreja en-
toeu diversas oraVo5s groteseas, corn o acompa
nhamento dos seus sectarios ;
3.0 Que o memo representanto da naIi') con-
servou-ae no paceo da igreja ate 8 e 20 minutes,
fazendo diacursos a o aeutido de mostrar que s6 a
elle e sons sectarios competia regular a discipline
lithurgica no exercicio de devoVo que ia fazer o
vigario ;
4. Se tendo o mencionado representante da
uaao commettado publicamente oa delictos capi-
tulados nos arts. 180 e 277 do codigo criminal,
nao prettnde S. Exc. providenciar, quer para a
ropreid. necessana, quer para qu. o mesmo fac.
to senlo repita hoje e nos dias seguintes, come
foi por ese annunciado ;
5.' Se S. Exc. nao acha que deve proceder nos.
termo. dos arts. 285 e. seguintes do cod. crim.
qounto aom ajnntamentos illicitos. 2 de maio de
ISS^-Olfusjuw Marquea.
O5DEM DO DII
0 Sr. PnuMMO~d lRue (Nio devol-
vou sen diic6,Kr:


PRESIDENCIA DO HIEXM. SR. DR. AUOUSTO DE bOUZA
LEAO.
Aos dez minutes depois do meio dia, feita a
chamada e verificando-se estarem presents os
Srs. Aristarcho Lopes, Estevao de Oliveira, Jos6
Maria, Paulo de Oliveira, 'Silvino Cavalcante, Cu-
nha Beltrao, Vi condo de Tabatinga, Ermirio Cou-
tinho, Arruda FalciLo, Amaral c Mello, Lourenco
de Si, Drummond Filho, Santos Pinheiro, Juven-
cio Mariz, Luna Freire Junior, Constantine Lins,
Amaro Fonseca, Maximiano Duarte, Praxedes Pi-
tanga e Augusto LeAo, o Sr. president declare
aberta a sessao.
Compareceram depois os Srs. Olympio Marques,
Meira de Vasconcellos, Antunes Pinheiro, Nile de
Miranda, Goes Cavalcanti, Fiel Grangeiro, Rosa e
Silva, Antonio Corr6a e Alfredo Correa.
Faltaram os Srs. Barao de Itapissuma, Pereira
de Lyra, Democrito Cavalcanti, Jodo Augusto,
Bari. de Nazareth, Ferreira Jacobina, Francisco
Tibamreio e Joio Alves. '
E' lida a acta da sessao antecedente, e sem de-
bate approvada.
O Sr. 1.0 secretario procedeu a leitura do se-
guinte
EXPEDLENTS:
Uma petileo de Francelino Americo de Albu-
querque Mello, enearregado pela Camara Munici-
pal de Goyanna de diversas obras, requerendo uma
gratificaCao correspondente ao seu trabalho.-A'
commissao de ortamento municipal.
Outra da mesa regedora da irmandade de S.
Jos6 de Riba-mar, requerendo a concesado de
uma loteria de 120:0005000 para os concertos de
que precise a sua igreja.-A' commissao de peti-
0es..
Outra de Jesuino Barroso de Mello reclainando
contra a collect que o incluio na classes creada
pelo 11.0 do art. 2.0 da lei n. 1,786 e n. 51 da ta-
bella annexa.-A' commission de ornamento pro-
vincial.
Outra'do conselho administrative da confraria
de Santa Rita de Cassia requerendo preferencia
para a exnraceq;o de duas parties de loterias para
as obras da dita igrcia.-A' commiss;bo de orna-
mmnto provincial.
E' lido e approvado um parecer da commisi;o
de redacqilo sobre a do project n. 51 d'este
anno.
Slo iguai.mente lidos e approvailos os seguintes
pareccres :
Parecer n. 146. A commission de subvonqio pu-
blica, a quem foi present a indicaqdo do Sr. de-
putado Democrito Cavalcanto, que pede a esta
Assembl6a que polos mneios competentes se dirija
a mesa do benado para que d6 andamnento ao pro-
jecto da Camara dos Srs. Deputados, tornando va-
lidos os exames teitos no Gymnnasio Pernambum'ano
prera as matriculas na Faculdadcs de Dirtito e
Mcdicin. do imniperio ;
Considerando que scmelliante project, sw for
convertido em lei vira elevaroGymnasio Perr.nam-
bucano a altura L' que tern direito como primeiro
estabeleimento de educaqdo do note do impe-
rio ;
Considranndo ainda que virA aproveitar a ins-
trucq:ilo da provincia, visto como, sendo muito gran-
de o numero dos examinindos emn cada anno, diffi-
c'lmente podem os exames ser regularmenti f.itos
e devidamente inspeccionados;
Considerande igualmente quo sorA um meio de
augmentair a renda do Gymnasio, 6 de parecer que
a referida indi'ao;to seja acdita por esta Assem
bl;a, promovendo ella os meios para que chegou
a,) conhecimento dos illustres legisladores vitali-
cios da naqao, como a expressao da vontadc da
provincia de Pernambuco.
Paqo da Assembl6a Legislativa de Pernambuco,
28 de abril de 1884.-Ermirio Coutinho-Aristar-
cho Lopes Adelino .4. de Luna Freire Junioc.
N. 147. A commissiLo de instruenqo public, a
quemn foi presence a pctiqo de Prescilla Senhori-
nha Mendes de Albuquerque, profes-oi-a de ensino
pri uario no povoado denominado- arne de Vacca
-que requer remoiqo p.are nma cadeira de 2a o,.
3" entrancia, precise pora dar pareeer que seja ou-
vid) o inspector da instrucqlo pnblica.
Sala das commissocs da Assemblea Legislativa
de Perrambuco, 3 de maiio de 1881.-Ermirio Cou-
tinho-Adelie A. de Luna Freire Junior.
E' lido, apoiado ejulgado object de deliberanao,
sondo remettido A commnissilo de orqamento a re-
querimento do Sr. Fiel Grangeiro o seiguinte pro-
jecto :
a A Asscmbla Legislativa Provincial de Per-
naimbuco resolve :
Art. 1.o Ficam rcduzidos a dous tervos os or-
denadrs, gratificaqSes e parcontagens de todos os
empregados publicos proviaciaes.
Art. 2. Fican os mesmos exhibldos de pa-
garem qualquer porcentagem sore oas seus orde-
nados e gratificaqas, assim redunidos.
a Art 3.o FicB.m reduzidos tambem a dous ter-
9o0 es subsidies dos deputados provineiaes.
Art. 4.o Os empregos que vagarem per ape-
sentadoria ou pola .morte em qusosquer dis repar
ticoes, inclusive a Assembl6a Provincial, nl6 Ber-o
preenohides.
Art. 5.' Ficamn upprimidaa todas as cadeiras
que nao tiverein de frequencia mais de 20 alum-
n08.


a Art. 6.o Os professors que forem dispensa-
dos cm vista da suppressor das cadeiras serlo de
preferencia aproveitados para outras sempre que
se derem nomeagoes.
Art. 7.o Fica restabelecido o dizimo de gado-
vaccum, cavallar e muar.
S Art. 8.o A arrecadacao deste imposto serl
feita em hasta public perante o Thesouro Pro-
vincial.
Art. 9.0 Ficam revogadas as disposicues em
contrario.-Fiel V. Torres Grangeiro.-Loureuao-
de Sd.
Continue a discussio do requerimento do Sr. Olym-
pie Marques, pedindo informaq6es sobre a ameaga
da demofigio da igreja que serve de matriz na
freguezia do Pogo da Panella, e expulseo do res-
peetivo parocho.
0 Sr, Olympio Marques-(Nao devol-
veu seu discurso.)
Vein A mesa m6 ldo, apoiado e approvado o se-
guinte requerimento:
0 Requeiro prorogacao por mais 25 miuutos.-
Olympio Marques. a
0 Sr. Olympio MarqueM-(Ndo devol-
veou seu diseurso.)
Vem A mesa, 6 lido, apoiado e approvado o se-
guinte requerimento:
Requeiro prorogaglo da hera por mais 20) mi.-
nutoa,-Olympio Marques. )
0 Sr. Olympio Marques-(Nio devolved
o seu discurso.)
Vcm A mesa, 6 lide, apoiado e approvado o se-
guinte requerimento:
a Requeiro prorogaqao por mais 25 minutos.-
Olympio Marques.
0 Sr. Olympio Marques-(Nio devol-
veu seu discurso.)
Veom mesa, 6 lido, apeiado e e approvado o
seguiute requerimeato:
a Requeiro prorogaciao por mais 5 minutos.-
Olympio Marques. ,
O Sr. Olympio Marqnes (Nao devol-
veu seu discurso.)
O Sr. Jo Maria-Tormnei, Sr. president,
notas para responder ao nobre deputado e estou
disposto a f.Izol-o circumastanciadameute, por6m,
entendo que oneata occasion nao devo fazel-o
para nao roubar mais tempo a casa, per isso que
assim procedendo, concorreria para a protellaVao
dos nossos traballios, que 6 o que desejam os nos-
sos adversaries.
Partanto, me aguardo para em occasion opper -
tuna e na hera do expedient, responder ao nobre
depatado apreseutando nessa occasiao documen-
toa comprobatorios daquillo que eu disser em re-
futacao das affirmativas do nobre depulado.
0 SR. ESTF.vIc DE OLIvEiaRA-Isto nao deve ap-
parecer mais aqui.
0 SR. Jos MABIRIA--Eu tambem entendo assim,.
mas V. Ex-. comprehend que nao podem ficar de
p6 as accusaq5es atiradas a mim e aos meus ami-
gos.
A' vista diato, Sr. president, limito-me a man-
dar A mesa o sc.guinte substitutivo (16):
Veom mesa, 6 lido, apoiado e eutra conjuncta-
monte em discusals corn o requerimento o reguian-
te isubstitutivo:
Que per intermedio de S. Exc. o Sr. president
da provincia se represente ao Rvm. Sr. governador
do bispado no sentido de ser providenciado sobre
o mode de proceder do viganro do Poco.-Jose Ma-
ria.
Ninguem mais pedindo a palavra 6 encerrada a
discussio, nao se votando per star find a ultima
prorogado da. hora.
OADEM DO DiA
Entra emldiscussAosendo sem debate encerrada,
a emenda empatada ao project n. 58 deste anne,
deixando de votar-se por falta de numero.
Entra em 2' discuss.o, que flea adiada o pro-
jecto n. 2 deste anne (revogaqao da lei n. 1,761.
0 Sr. president levanta a sesaso designando a
seguinte ordem dia:
la discusado dos projects ns. 120 e 122 deste
anne; 3a do de n. 1 de 1882 e continuaqlo da
antecedento.

DISCURSO DO SR. DEPUTADO DR. ANTONIO
ESTEVAO DE OLIVEIRA NA SESSAO DE
28 DE MAIO.
0 Sr. Esteaio de Oliveira-Sr. presi--
dente, eu julguei nao dever callar-me diante d'este
apello.
Entendo quc elle 6 inaceitavel e incabivel por
que se refere a umea deliberaqdo da casa e o regi-
mento soanente autorisa o appello das decisoes da
mesa, sobre questoes de ordem.
D'esde, porem, que a deliberaqco foi tomada
pela maioria ia Assemblea nado pode have appel-
ho parnn a incsmaa maioria.
Dito isto approveito a opportunidade pa.ra fazer
umas consideraiS e ean resposta ao manifesto que
a nobrc maioria conservadora apresentou na am-
pren-a.
A minoria conscrvadorn, Sr. president, abando-
nou semn just motive o sou posto e parajustifcar
a suan falt, dissc entre outras cousas o scguinte :
(1C6) que a maioria liberal consumou hontem a
maior do tod;as as violencas de que h-i noticia nos
annaes parlaameiitamr-s.
Nao ha, S-. president, asseri;o mais pungente-
mente injusta do quc aqurlla que se h; nisc nma-
nifesto.


^,i
'ii









zii4'-
Ji+







o,:-.*!'









o1-
S-S










H-'












I,
i
'1






-"I.;f1 -


, : .
S- .. .




#1 -. ." .'".,'-". "'."' .. -. /eA1," a4'
0,7 ,.- pl--- .-: ,


'7j, ::' 5, .'' '. .. ,''7
i ', V e i,.$ :


4 -~


"AIN
." W .^ .* t "J?"


. .' ...... ..
-,". La ,. "', -.'


14
~J&a.~4a


A. i'. ..
-. ,.. -',; ,: *...
12,.,-_, :- .= Ig'"P
"o ov'. ,,: .


-~


.' ,f *
-.. .' .
,.r'"' i q "g ,** .*^ L ". .. oTi l' Mn-
-' .'
-, .


L k,
' ,-.: *. :, y', \*t. r: ".;ft- 'v'yr
..., :: .. ;^ s .. .-'

"!*/ ^c? ; '-. : t. .1 -' A- f "" *


4-.


&



--ml


Qual foi a maior de tolas as violencias de quo
ha noticia nos anines parlamentares, e do quo
fallam os coiservadores que tinham assento nesta
casa ?
Est.-s se reterem naturalmente ao encerramento
da discussilo do project da ior.a policial que est%
casa votou.
Nao ha quem deaconheqa que o pedido de en-
cerramento das discuisses, 6 umrn acto parlamentar
mniito em voga. e geralmente adoptado.
Por umina deficiencia do nosso regimento, no aoe
encontra disposiqlo qve se refira exactamente ao
eucerramento das discusses, mas tainbeim nao se
-ncontra artigo alguin que deva ser entendido
c)rnmo prohibitive dezsse encerramento.
0 Sa. Jose MNl -IA-Apoiado.
0 SR. EsrTEVAo DE OLIVRIRA-Os nossoS admit-
trami que a discussao se fizesse sempre corn tod.a
a amplitude que nao fosse jamais cerceado, por
que senhores pressuppoe-ae que as discusses sao
sempre necessarias para o esclarecimento das ma-
terias siujeitas a deliberaqo desta casa.
Isso, por6m, niao quer dizer que o abuso de pala-
vra, o abuso de tribunal, o system protellator'o
emfim, seja indefinidamente permittido.
Ninguem ignore, porque um facto public e
notorio, que o proposito da minoria n'esta casa
era iliscutir obstinada e systematicamente tudo
quanta fosse questato politic para assim retardar
e obstar a marclha regular dos nossos trabalhos.
Apoiados.)
Tratando-se de urr project util e necessario a
provincia, a mninoria conservadora nesta ea. Sr.
preiidente no intuito de pmivar a adminiatraao
de mcios necessaries para a boa mareha dos nego-
cios publicos, gastou aqui sessopes e sessues intei-
ras corn discusses e pensamentos estercis.
A proposito do project de forga policial de tudo
se fallout, menos do object quo estava sujeito a
debate.
Essa discussion political que 6 tA o sedica, t .
chata, tao inconveni nte, da qual nileo result 0o J
minimo fructo nem proveito pare a nossa province t '
essa discuislo esterelissima tinha sido irvorada
c.omo uma bandeire de guerra contra nds; mai
feriam os nossos adversaries a nOS individualzmu*
te; seus golpes reperentiam profundamente js"
interesses da ofwvinea. ,'
Penetraado*auM dii Oer diia do proposito criut-
nose, e aproveitandO-me de umn expresulo pOr X
selLes omregal n'.ta easa, do propemto verg*-


I -


v, !


-, Uosa pelo l Jtario ao Brastl, que a suna re-
ceita e despeza no mez de mar.o deste anno, foi a
seguintc :
Rendeu 3:3734790
Diapneudeu 17:040A530


Os delinquents form presosr cm flagrante e
contra os mesinos procedia-se nos termos do in-
querito policial.
Pelo delegado do termo de Born Conselho, Luiz
Tenorio de Albuquerque Meilo, foi capturado no
din 20 do mez findo o individuo da nome Jos6 Ita-
baiana, criminoso de more na provincia dais Ala-
goas, onde esta pronunciado.
Deus guard a V. Exc. -lIUm. e Exm.
Sr. desembargador Jose Manoel de Frei-
tas, muito digno president da provincia,
-0 chefe do policia, Raynmundo ViTeodori-
co de Castro e Silva.


t


*


IN


.A-tTBj.-:.'
Sl^


.^


27M000
020-.




























Pat ,,erto que o encerraiaento fto fero, nuo iva-
^ portsa m violalo do regimento, noe foi, nem
odser o qualifieado com o imnprbpria e desacerta-
udamente, mas so6, paXa prodAzir effeito, foi n'esse
Manifesto que respondo.. Nio 6a maior de to-
dasaM smoba dteq>n hasisis BOs a isoasa
Sparlamentares, ao eontrario o emprego de umn
mem legitime, legal e neesseario a todos oa par-
isntos a todasas assewebas, a todes os corps
Sdliberntes ; e senao; senhores, onide flcaria a
responsabilidade da maioria?. ':-.
Nio se teria desvirtuado o'mechanismo, a or-
ganisago d'essa instituieao, se porventura pels
ptlavra ilimitada, capriehosa, e protelatoriaa
defiberao jAnmais ehegasse? Onde fiearia a
nosesa missio'? A minoria .6 irresponsavel ; a
maioria porem tern today a responsabilidade.
Mas se a mamoria se deixasse veneer pels pala-
vra indomita e caprichosa d'essa minoria fi'ccio-
as, como jastificear-se perante a provineia que a
tinha eleito ?
Como justificar essa sua condescendeneia e fra-
queza ?
Como justificar-se da sua falta de cumprimento
de deveres ?
Confessar-se inepta, seria o unieo recurso que
Ihe restava. Inepta, pordm, a maioria nunca de-
ve ser, e corn a responsabilidade que pesa .sobre
si, devia veneer a minoria ; mas de que modo ?
Polo encerramento da discussao que era acon-
selhado pelas neeessidades do servigo public,
que era aconselhado pela nossa propria lei de
existencia, tanto mais q anto sabiamos que depu-
tados conservadores diziam que a Assembl6a iria
ate outubro !...
0 SR. PRESDENTE-Lembro ao nobre deputado
que a hora esti dada.
O SB. ESTEVAIO DE OLvnRA-Sr. president, eu
Vou p6r termo As minhas consideraeoes.
Penaso que corn estas palavras flea consignada a
resposta convenient aos nossos adversaries ; e
appellamos nao para aquelles' que se deixam do-
minar lo espirito partidario, appellamos exacta-
monte para a opiniao public eselarecida e im-
parcial e contentamo-nos corn o veredictum que
ella proferiri a nosso respeito.
Preferi concorrer corn o men voto para a deli-
beracao da casa, tio stygmatisada hoie pelos nos-
sos adversaries, a que, por mal entendida liberda-
de da tribune, estivessem os .no sos adversaries
ostentando o vergonhoso proposito de impedir a
votaalo das leis annuas, o que importaria a pro-
va da inepeia e fraqueza da maioria.
Tenho dito.
Vozzs-Muito bern muito bemrn !

DEOLARAOES DE VOTOS APRESENTADAS EM
SESSAO DE 3 DE JU"HO DE 1884.
Declaro que votei contra o desmembra-
mentos dos engenhos de Bonito para Pal-
mares. Ferreira Jacobina.
Declaro que vote contra o project n.
123 por excluir a concurrencia public
A. Lopes.
Declaro que votci contra o project n.
26 deste anno, e a emnenda. Silvino Ca-
vancante de Albuquerque.

A commission de redacgao 6 de parecer
que se adopted o seguinte para o project
n. 135 deste anno:
A Assemblea Legislativa Provincial de
Pemrnambuco resolve.
Art. 1.- Fica revogada a lei n. 1,796 de
30 de julho de 1883 e em vigor o art. 2."
da lei n. 601 de 13 de maio de 1864 o art.
3." da lei n. 921 de 18 de maio de 1870.
Art. 2.- Ficam revogadas as disposiges
nacontrario.
Sala das commissoes, 3 dejunho de 1884.
-Adelino de Luna Freire Junior.-J.
Bapttsta de Amaral Mello.-- Pereira de Lyra.

EMENDAS APRENTADAS EM 3.- DISCUS.AO
AO PROJECT N. 158 DESTE ANNO (OR-
qAMENTO PROVINCIAL-)
N. 99. Ao art, 2. | 37, accrescente-se a
importancia necessaria pare 24 lampeoes,
sendo 20 para a linha de bonds o run Real
da Torre e 4 para o cruzeiro do largo da
Paz de Afogados. -Amaral e Mdlo, CL..
n/a Beltrdo.
N. 100.--Fica o president da provin-
cia autorisado a conceder a D, Rita de
Cassia da Silveira Lobo a gratifica~ao de
merito, provando ter mais de 15 annos de
exercicio. Pitaaga.
N. 101. Os vencimentos dos chefs de
sectao do Thesouro Provincial serao rega-
lados polo art. 2." d m. lei 1693 deo de ju-
lho de 1882. M. DLhrte.
N. 102.-Ao 66 do art. 2.- accrcs-


cente-se: e o qae se estA a dever ao apon-
tador da 4.' subdivisAo da estrada do Li-
moeiro, Americo Caraceiro da Cunha e Al-
buquerqua e dos alugeis vencidos da casa
que serve para a aula da escola mixta de
S. Joao do terno de Garanhuns. M. Diu-
arte.
N. 103.-Ao 7 do art. 2.- clove-se a
20:460 para cxecugiio da lei n. 179 do
ann o passado. M. Duarte.
N. 104 Ao 18 do art. 2.- clove-se a
verba a 10:5604 para a oxecugo da lei n.
1790 do anno passed'. Jose Maria.
SN. 105.-Os numerous 64 a65 da tabel-


la, substituam-se pelo seguinte, conform
a lei do or9amento vigente. Por cads casi
que garantir bilhetes de loteria ou fraccAc
-destes 1:000#. Dita que vender bilhete
de loteria de outras provincial, ainda que
pague o impostoantecedente 1:000#000.=-
Ferreira Jabobina. Svibno Caualcante d
Albuquerque. Arruak Falcao.
N. 106.-Restabelega-se o 3 do art
2 da lei n. 1785 de 26 dojulho de 1883
supprimindo-se a palavra vinagre. Ju
tmncio Mariz.
N. 107. -Ao art. 2o envez do 3 [o -
diga-s.se 2 -1. -Juvenciw Mariz.
N. 108.-Suprima-se o 50 do art. 1
-"Jaumencio Mariz.
N. 109. Ao art. 1 1 envez de 200 0o
diga-se: 14 of Javwewio Mariz.
N". 110. Ao art. 2 1 27, accreseente
oe: e ma&is 15:#00#0 para aconatme
,So da ponte de madsira sobre or. oIpO
jua na cidade de Carttgr, augmenndo
v e a respectiva verba. Jido Maari.
ljA11: : -1 e2 Be
~a~s 4. i ,


a: emais .2:000) uee e goa a
eapitao Jos6 Francisco de Azevedo LyrI,
Sex-arreimatante das obras do agude de, S
e Caetano, provenientoe da iudemisagao qu
lhe foi Concedida pela lei n. 1,553 de 21
, aio doe 1882, augmentan-se a msp^e1
- va verba.-Juvencio Marli.
* N. 117. -Ao -art, 2" 666 aoeeoate-
: e mais 183332. qua se deve ao pro-
fessor jubilado na cadeira de Bebedouro,
a Juvencio de Barros Correia, proveniente
Sde seus erdenados de maie e junho de
S1883.-Juveancio Mariz.
S N. 118. Parn ser collocada onde me-
Ihor convier, accrescente-se : 1:0OOO0
para as obras da matrizs de Itanmb. Vis-
conded e Tabatinga.
N. 119. -Accrescente-se depois do
43 o seguinte: corn 2,5 em Limoeirc
S-.:8255000. AdeUno Jdnior.
N. 120. 2:000.000 para a continua-
e lo das obras da matriz de QuipapA.-
e Ferr'eira Jacobina.
N. 121, Ao art. 2o | 14. Augmente-
se'a verbal para a cadeira nocturna da
e Passagem da Magdalena. Sintos Pi-
- nheiro.
S N. 122. Ao art. 37 do.n. 2', accrescen-
Ste-se : o mais a quantia necessaria para s
collocaao de 5 lampeoes no beco do Pa-
i dre Inglez. -Ermiro Coutinho.
N. 123. -Ao 37 do art. a 2o, ccres-
Scente-se: e mais a quantia necessaria para
a collocacao de 5 lampeoes na estrada de
Luiz do Rego, ate o Asylo de Mendicida-
de. Ermniro Coutinho.
e N. 124. Onde couber nos mesmos
Stermos da emenda n. 6, igual concess.c
A professor D. Candida da Cunha. M.
Duarte.
S N. 125. Ao 24 do art. 2 oleve-se
a verbal corn 3:000. para concerto da ca-
deia d'Agua Preta.--- B. de Nath. zar
Santos Pinheiro.
N. 126.-Ao 58 da parte 5' da ta-
bella dos impostos do repartigAo, accres-
Scente-se : e outros genoros agricolas de
producglo national. Jose Maria.
N. 127.-Ao art. 20 29: eleve-se a
verba, ficando o enfermeiro e distribuidor
da alimentaglo dos press pobres corn
1:500W. Jose Maria-
N. 128. -Ao 24 do art. 2' accrescen-
te-se: vencendo o guard dos jardins pu-
blieos 1:000#. -Josi Maria.

A commission de redaccAo 6 de parecor
que se adopted o seguinte para o project
n.'26 deste anno:
A Assemblea Legislativa Provincial de
Pernambuco decreta:
Art. 1.a Fica desde jA restabelecido o
lugar de administrator do cemiterio pu-
blico do Santo Amaro, o em pleno vigor a
lei n. 1,233 de 24 de abril de 1876, na
parte que Ihe diz respeito, sendo rein-
tegrado em dito lugar o ex-administrador
Joao Baptista do Rego, corn os vencimen-
tos que percebia.
Art. 2.- Fica tambemn desde jA resta-
belecido o lugar de langador, send rein-
tegrado Manoel Lagea. que o exercia.
Art. 3. 0 pagamento dos vencimento,
dos empregados de que tractam os artigos
antecedentes sera feito pelas verbas do
art. 2" 6 n. 9e J 10 us. 1 e2dalei1
do orcarmento municipal vigente.
Art. 4.- A nomeagao do empregado de
que tractn o artigo 1." compete ao presi.
dente da provincia.
Art. 5.- Ficamn revogadas as disposi-
goes em contrario.
Sal. das commissoes, 4 de junho de
1884'. Joao Baptista de Amaral e Mdlb.
-Adelino A. de Luna Freire 'Junior.
A commissa. de redaccae d de parecer
quo se adopted a seguinte para o project
n. 70 deste anne.
A Assembles Legislativa Provincial de
Pernambuco resolve :
Art. 1.- Fca o president da provincia
autorisado a mandar indemnisar pelos co-
fres provinciaes a Francisco Tavares da


Silva Cavalcante, a quantia de 2:500, a
que tern direito como arrumatanto da ca-
deia de ItambW.
Ficam revogadas as disposigues em con-
trario.
Sala das commissoes, 4 de junho do
1884. Pereira de Lyra. Amaral e Mello.
Adelino de Lunaw Junior.

Declarac5es de votos
Na sess.o de 28 de maio:
Declare que votei contra o project n.
196. -Esteva'o de Oliveira.
Declaro que votei pelo project orga-
mento provincial corn restricoes de alguns
do art. 1.- B. de Nazareth.
Declaro qve votei pelos arts. 2 e 3- do
orgamento provincial corn restricoes. B.
de Nazareth.
Declaro que vote contra o projeeto n.
25 deste anno e as emendas. -Silvino Ca-
valcante.


Declaramos que votemos a favor do pro-
' jecto n. 25 e contra todas os emendas. -
SVisconde de Tabatinga. Joao Augusto.
Declare que votei pela emenda que
- supreme o art. 4- do project n. 25 e
pela emenda que applicou os impostos sobre
a loteria em favor do fando de emancipa-
9o0 aos cofres provinciaes.. Adelino Fi/ho.
S Deolaro que votoi contra o project a.
204 deste anno.-Barao do Nazareth.
S Declaramos quo votamos contra o pro-
jecto n. 204. -Maraimiaio Dusarte. San-
Stoo Pinheiro. Pe ra de ra.
Dedlaro que vo tei cot paroc .
99 deste anno. -Siwo Cawalcante.
StfDeclare qi wvp a *co parecer que
Absepm Beim-ardi Pereira Raincs deosa-
ti-faeris "wdeo 10-,de aroeloI

4sI ^w 15 A* t -,Ba* ze z. ,


a 0 president da provincia designarA
Smn professor ji instruco primara pira
Soccupar a cadeira de igual'instrucao6 no
Gymnasio Provincial supprimindo a cadei-
a quo o professor dexar, ,ian So ste'co"
os vencimentos a que ate ent-o tinha di
reio. Arruda Falco, Silvino Cavalcante
de Albuqueque e Ferreira Jaeobina.
N. 130. Ao 27 do art. 2.
Eleve-se a verba a M5:840#000 para o
pagamento do acerescimo de 500 rs. ao
servente quo 9cumula as fancqges de car-
teiro. M. Duarte.
S N. 151. Para ser collocada ondo con-
vier.
Accrescente-se a verba precisa para col-
locag'o e para pagamrnento da itluminaago
Sde 50 lainpeSes em Pesqueira. -Dr. Pitan.
ga.



IREVISTA MAI Dl
I Ass.mabia Provincial FunceiouoU
Shontei, sob a presidencia do Exm. Sr. Baruo de
Itapissurna tendo comparecido 21 Srs. deputa-
dos.
Foi lida e approvada seon debate a acta da
sessilt antecedente.
0 Sr. 10 secretario proteIeu ii leitura do se-
guinte expediente:
Umrn officio do secrctario do governor, devolvendo
informiada a petigio da companhia da estrada de
Sferro do Recife ao S. Francisco.-A' quem fez a
3 requisiAo.
S Outro do mesmo, idemin, a de Carolina Soido de
Barros Falc:o.-A' quem fez reqiisieAo.
Outro do nmesmno, idem, a Fraucisca Chrisolita
de Carvalho.-A' quiem fez a reqeisigao.
S Ontro do inesmo transmittindo uina informalo
do Thcsouro Provincial concernente A faita d&.
credit para pagamento de 23j4400 de transport,
de diversas c raqas no prolongamner.to da estratda
Sde ferro do Recife ao S. Francisco.-A' comnile-
SsTo de orcamenito provincial.
Outro (o mesaino, communicando term sido re-
mettidos ab Thesouro Provincial para os devidos
fins a relaAo (dos Srs. deputados qae comparoce-
Srain as sessues o mez de maio ultimo o potato dos
empregaloa da secretariat relativos ao mesmo mez.
-Inteirada.
Outro do mesmo, devolvendo uta exemplar d- re.
solualo sanecionada sob n. 1,800 e declaraud nraio
vir adeo a. 1,801 por seM referente a assampto de
economia e politea munaicipal.-A' arehivar.
Oatro do mesmo, devolveado un exemplar das
resoluV0es sanecionadas sob as. 1,802 e 1,803.-A'
archivar.
Uma petiiao do Jose Luiz de Frania Torres,
professor public de Nazareth, re4uerendo que se
marqmue quota para o pagamento de 492041i: que
se The dove de sua gratificaylo de merito desde
agosto de 1881 a 30 dejunho de 1883.-A' com-
missao de orlamento provincial.
Outra do conego Jose Dionisio Gomes do Rega,
capellAb do Hospital doe Lazaros requerendo a
sua aposentadoria.-A' eommiasso de legislacao,
Veio A mesa e foi a imprimir, depois de orar o
Sr. Jole Augusto, am parecer da eommnisswo de
redacqio sobre o project n. 26 deste anne.
Foram a imprimir os seguintes projeetoo, soado
os de ns. 214, 215 e 219 prccedidos dc pareceres
d eoinmaseao de peties eo de a. 216 preeedtidt
do pareer da de rendas Munmaipaes:
N. 214. Contemplando entire oa empregados pi-
blicos os eobradores do COasulido Provincild.
N. 215. Equiparando a porcentagem dos col-
lectores provineiwaf dos geraes.
N. 216. Autorisando a Camara MUaicipal de
CaruarA a dar a abate dr 104600O ao arrematan-
te de impostos municipaes da freguezia de S. Cae-
tano.
N. 217". Creando ama cadeira do sexo masculi-
no em Baixio de Garanhuns, e uma mixta em Mn-
cambo de Villa-Bella.
N. 218. Creando uma cadeira do sexo mascelli-
no no Poco do Cosine, termo de Bom-Conse-
Iho.
N. 219. Coacedeudo um anno de license corn
vencimentos A professor de Jaguaribe, Lauriana
Maria Ramos.
Passou-se 6. ordem do dii.
Adiou-se de novo pela hora a 3' discussao do
project n. 158 deste amno (orcamento provincial)
sendo apoiadas mais 3 emendas e orando o Sr.
Estevao de Oliveira.
Approvou-se era 3a diseussao o projeeto n. 70
deste anno (indemnisacAo ao arrematante da ca-
deia de Itamb6) indo A commission de redaceo e
tendo orado o Sr. Amaro Fonseca, que pedio e ob-
teve a retirada de duan emendas que apresentara
na sessao antecedente.
Entrando em 3a disoussio o project n. 59 deste
anno (declarando que o officio que se acha vago
de escrivao do juizo e de execun5es criminals do
termo de Limoeiro fica reunido ao de escrivao do


crime e civel do mesmo termo e o de 11 tabellilo
de notas reunido ao de escrivao de orphaos, ea-
pellas e residues) foi approvada urma emenda.
Approvou-se em 23 discussao o project n. 181
deste anno (creagao na cidade de Bezerros de mais
um cartorio do crime e civel c outro de orphaos,
capellas e residues) tendo orado os Srs. Ferreira
Jacobina, duas veze-, e Maximiano Duarte, sendo
dispensado do intersticio a requerimento do Sr.
Cunha Beltra-o.
Approvou-se em 22 discuiissao corn diversas
emendas o project ni. 138 deste anno (eleva;ao a
2a e 3a entrancias de diversas cadeiras de instruc-
gao primaria) tend orado os Srs Luna Freire Ju-
nior e Barao de Nazareth, que pedio e obteve dis-
pensa do intersticio. 0 Sr. Silvino Cavalcante de-
clarou ter votado contra este project e emendas.
Approvou-se em 3, discussao o project n. 24
de 1882 (estradas de rodagem) indo a commission
de redacto, send, a requerimento do Sr. Santos
Pinheiro,. separadas as emendas para formarem
project separado.
Encerrou-se a 2& discusiao do project n. 109.
deste anno (elevaao da villa de Jaboatao a ci-
dade) corn duas emendas, no so votando por fal-
ta de numero.
A ordem do dia 6: I discussao dos projects
ns. 197 e 208; 2a dos :de ns. 118 e 181 e das
emendas ao de n. 59 ; 3a dos de us. 138 e 210 to-
dos deste anno e continuaao da antecedente. .
Delegacia da capital-Em consequencia
de se achar pronnnciado em crime de respoansabi-
hdade e ter-lhe sido intimado Tespeetivo desp -
eho, deixou hontem o exerciMeO o cargo de dele- j
gado do 2, district da capital o Sr. Dr. Joa6
Climaco do Espirito Santo. e
Assumioe o exericiio desse cargo 0 oupplmnte, k
Sr. Dr. Antonio de ArrudaBeltriao.
Tributnal do JUmry d^elfte--CemB a
present de numero loai IJ uaizEdeofeto foi I
h intem ij la4&a $" e psetio oid ia- det.tri -j
bunal no corrente anno, sob a presidencia do Dr.
Manole da S ava Reo, .Ji dedirito do, r dis. 8
trieto erimiaxi, oceupoa udoaodeirs ,da jstiga, I
public& opriweiroprotrotor 41oi&Wf Dr.HfSo-.-
rique ]Kilt, e sorvmido de escrivio o priativo (o p
iory, mpit lo reno Ro~l( s de do Mim a q
Form ugpresentado. i*,m 4:n
m' sawnwda f; imbme^1aft A Jn1OWe8a $ o L~q s


fRim reita*o4 0%4&
q~a.ostvy u~ ase1~bi to "





eiro, Manoel Urqa de Carvizerlho CavalemCnte,
seiko, rme, no din 23 do maio findo, no sitio ;a-
jueira, Manoel Urqinia do Carvulko Cavalcaute,
Sestando deitado Al dormir, foi aggredido iA cacete
por Loureno Cezario Bisp) c seu irmao Jos6 Se-
rafim da Fonseea, os quaes o mataram corn as ea-
AA.A^^ I'^,- ift ew^ ^^A--gomm^~
Os delmquentes foram pros.
PrisnAa dle criminoso No referido ter-
mo de Bornm Conseiho foi proso, A 20 de maio, Luiz
Tenorio de Aibuquerque Mello, criminoso de mor-
te na provincial das Alagoas.
Anniveraario--Amanhi fazem 249 annos
que o forte do Arraial do Born Jesus capitu!ou, na
guerra hollandeza.
Tambem fazem amanhi 30 annos que o Papa
Pio IX creou as dioceses d' Ceara e da Diaman-
tina.
Socpedade Auxiliadora da Agricul-
tura-Devem reunir-se no din 7 do eorrente,
pelas 12 horas do din, os membros do conselho ad-
ministrati'. o desta soeiedad& para resolverem acer-
ca da uniao da mesa sociedade com os Clubs da
Lavoura.
Taxas de repartiefLo-Termina hoje o
praso de pagamento serm multa, do imposto de in-
dastrias e profiss)es comprehendido nas taxas fi-
xas e de repartiAo, relative ao 2.o semestre do
exercicio financeiro provinc'al corrente.
Lierdade-Em re-osijo polo sen anniver-
eario natalicio, informam-ig9s, o Sr. Domingos Tei
xeira Bastos, honrado negociante desta cidade,
concede liberdade gr.tumta e memn onus aos seus
cscravos Josepha, Laurentna, Rufina, Barnab6 e
Dionisio.
Rogistramos corn prazor o seto de philantro-
pia.
Ferimentos leaves Ante-hontern ma s 8
horas da noitc, e em Santo Ainaro das Salinas, o
pardo Migucl de Franxa estando A beber n'uma
venda corn Lucio Pereira de Souza, travon dis-
puta corn este e fez-lhe tree ferimeatos coru m rn es-
toque, sendo dous na regia.o dos peitos e o terceiro
nai mao esquerda.
Taes terimentos foram considerados leves.
4) delinqnente foi preso.
Em transito-0 paquetec Gironde levou an-
te-hontem para o sul 216 passageiros, seondo 12
tornados em Pernambuco.
Dimueiro-0 referido paquete levou para:
Bahia 31:4005000
0 paquete Pernambuco trouxe do norte
parm:
Diversos 26:1610210
S euui6es sociaesM-Ha hoje as seguin-
tes:
Do Inwtituto Archeologico e Geograpohico, na rcs-
pectiva s'de, A hora do costume.
Do Recreio Litterario Infantil, A 1 hliora da
tarde, no lugar do costume.
bDa Enmanc'pidora Pernanmbtcant, As horas e no
lugar do costume.
0 Tliermoametro.-Le-se n'esta fulha qui
se public em Nazareth, em seu unumero do 31 de
ifaio findo, o seguinte:
K Duas pracas do 20 de linha, vindas "a Vic-
toria, onde estAo destacadas, coaduziado um pre-
so para esta cidade, depois d'aqui estarem, diri-
giam-se no din terga-feira 27, ao engenho Cassi-
cat4, e em caninho, ou antes, ao sahir da rua tra-
varami-se de razies comr um tal Seabra, por causa
de haverem tornado urma faca e d'ahi resultou vir
preso a presence do subdelegado, Seabra bastante
tundado de reflex, e um dos suldados corn umn gr.in-
de talho no rosto. dado pelo mesmo Scabra.
c Dopois das devidas contarielias policiacs, foi
cada um cuidar de si. a
Congremmo Litterario lsntructivo-
Alguns mocos amadores da instrucqao, fundaram
una soeiedade corn o titulo acima, e em sessao de
3 do corrente, elegeram a sun directoria, que ficou
isaim organisada:
Presidente-Pedio Cordeiro.
lo vice-dito -Julio do Valle.
20 dito dito-Zacarias Correia dos Santos.
1V secretario-Manoel Victor.
20 dito-Manoel Priston.
lo orador-Theodoro Ramos.
20 dito-Rodolpho Sant'Aana.
Thesoureiro--Francisco Martiniano.
Procurador geial-A. Albuquerque.
Bibliothecano-M. Motta.
Em seguida foi empossada a mesa direetoria,
.e nomeada uma eommissao composta dos Srs. Ju-
lio do Valle (relator), Rodolpho Sant'Anna e Ma-
noel Victor, para confeceionar o regimento inter-
no, depois do que foi encerrada a sessao.
Desobstruacco do Parnahyba- Es-
creveram de Thereziaa A um joeaal da corte :
a Continuam parados per falta de verba os tra-
balhos de desobstniaeeao do rio Paruahyba, dos
quaes tanto depend o desenvolvimento desta pro-
vincia. De juIho a setembro trabalhou-se corn ac-
tividade. morosamente de outubro a dezembro e


aiada menos em janairo e fevereiro. Deduzida da
verbal de 50:000,, votada petlo poder legislative o
para este melhoramento, a quantia necessaria a,)s
vencimentos do pessoal technico, ficarito apenas
cerca de 29:0005 para ser o effectivamente empre-
gados uasobras durante o anno.
a Os mezes de maio e junho sao d'aqeuells em
que o rio permitted trabalhar. TerA a commission, (
porem, de conservar-se inactiva porque, devendo (
o parlamento abrir-se em maio, so em julho pode- Z
ra achar-se aqui o novo credit. A perda destes
d ums mezes 6 dolorosa porque, come 6 sabido, o ni- Q
vel das aguas nao permitted trabalho continue du-
rante todo o anno.
S, Foi aquirecebida corn prazer a noticia de
achar-se encommendada uma lancha de vapor cum
os caracteres technicos adequados aos serviws di
commissao. 0 aurflio de um vapor em |taes con-
digOes sera muito util, permittindo dispensar a
velha e quasi inservivel lancha da capitania.
a 0 Dr. Benjamin Franklin, ehefe da eommis-' d
sao, aqui se acha em Therezina A espera de ordens f
para continuagio das obras, tendo deixado o aju-
dante Dr. Mello Netto, na corredeira da Vargem
da Cruz, onde se oceupa em observaboes meteoro-
logicas e do movimento da enchente, que temrn sido e
grande neste inverno. S6 existindo dous guards
incumbidos de zelar os deposits e o material flue-
tuante, causou o ultimo repiquete do rio aiguns (
estragos ao mesmo material, tendo arrebatado j
duas canoas, que aliAs se achavam press por cor- d
rentes de ferro' e virando urma das cabras, queo fe- j
lizmente nio se eseapou mas permanece virada por
falta de pessoal para levantal-a! As canvas foram
apanhadas dez leguas abaixo da corredeira.
a 0 rio conserva-se cheio, e as chuvas conti-
nuam.
- Posteriormente A noticia, publicada polo Jer-
hal, de ter uma barca atravessado os novos ca- d
aes ,ja tive occasia de communicar-lhes que, a
13 de fevereiro, o vapor Junqueira, levando a seu (
bordo o president. di provinoba e varias pessoas
radae, tranppoz coin o inelher exito o canal aber- [
ho do lado do Maranhio. 0 vapor Tzuqueira 6 do
masdo de 1,10 o de velodade nao superior de 8
iloetcs peorr horo. Combiaades estes elemeutos |
301 0 estado do ivel dEas _aguas, que era e4tao de
no90w do e gtisg dedauz-se que serA ga-
ftntida nui maiores aestiagens, uma vez conciui- t(
1a as oMs, a francs pasagem do vapors do q
ialadodo do 1,00. E' resIultado magiflco que as- v
egura 'au ma "minna re oei element de d
pmsperidade.
SPareee que a ,eebmtruo. o do Pvad a yha vai E
,roduxindojA seus fructose. A industrial do izr-
quo, tend Nitso etr'era a fortuna de, um on doua 1
bidviduosM, quaa^& &Amtwra* p<>rkevcwiAioe-
desde muito mopletamente abandousda.
41 IIIIIIII *;Ij 0W .
Rdsi e bn b~ 0 4o de r


^5Piw de 4. 1431#ura iguawam*e-
se-Csguurucmmm-os:
So ba preideneia do Revd. vigario Floriaao
de Queiroz Cout ia, em usm ordiaaa so dia
lo 4do.correate.
S Lidsa e appro vad4 af gsetf aiteior o
lo secretario A coma 4o ae o te o dim* '
Officios doe IlliBw Srm s. o o
Uch6a Cavaleat e *Fergeto Savaidt'eA&u-
jo GalvAo, Manoel TEkotonie Freom unior, Pa-
dres Valerisno de AJMiia. Oneia Joie Ato-
nio Rodrigeajo aowi do e agraneado o i tulo
de-"ecioe beafdeftors.A
-a Dous ofalles d&Exm. 8r. doso1srgadAr J.O.
se Manoel de Freitas, am de 29 do mez proximo
passado, deelarando achar-se em seu poder uma
lettra do valor de 3005000 que the foi remettida
pelo mordomo da Casa Imperial, afim de ser o
produdto d'ella entregue A pessoa competent, co-
mo donativb feito por S. M. o Imperador a este
(Gabiete, e outro de 8 do corrente, fazendo cons-
tar que, por intermedio do Dr. juiz de direito
d'esta comarca, serial entregue ao mesmo Gabine-
te a referida quantia.
Officio do Dr. Francisco Justiniano Cesar Ja
cobina, juiz de direito d'esta comarca, communi-
cando a este Gabinete achar-se em sen poder. pa-
ra entregar ao conselho director, mediate recibo,
a quaitia de 3005000, doacao fe-ta por S. M. o
Imperador ao mesmo Gabinete.
a Officio do Exm. Sr. eonselheiro Manoel Fran-
cisco Correin, agradecendo a remessa do diploma
de socio bernfoitor, conferida ao meismo Exmin. Sr.,
em sessao de 3 de fevereiro do correate anno.
Apresentou o 1 secretario a seguIminte rela-to
de livros ejornaes recebidos *do 10 a 31 do mez
proximo passado :
a Pelo socio bernfeitor .xin. B:trzo de Itapissu-
ma : Annaes da Aisemblea Provincial de Per-
carnbuco de 1882 a 1883, 2 volimnes em broch.
a Pelo socio bemfeitor Dr. Jose Honorio Bezer-
ra de Menezes : Roger, o Fir da vida; 1 vol.
enc.
a Pelo soeio bemfeitor Manoel Theotonio Frei-
re Junior : 0 Giuiarany, por Jose de Alencar ; 2
vol. ene. Andre, litteratura franccza; 1 vol. ene.
e o Bramante Viajante, por Fernando Diniz ; 1
vol. em broch.
( Pelo socio bemfeitor M. F. de Araujo Salda-
nlia: biographia de alguns poetas, por Antonio
Joaqitimn de Mello; 3 vols. cm broch.
Pelo socio bemfeitor Dr. Praxedcs Gomes de
Souza Pitanga : America Portugueza, por Pitt. ;
1 vol. enc.; Diccionario Biographico dos Pernam-
bucanos Celebres ; 1 vol. cuen. ; obras de Fr. Ca-
neca, 1 vo!. enec. ; Rqvoluao de Pernambuco, por
Muniz Tavares, 2a edicao, 1 vol. enc.; Coinmmuna
de Pariz, por Pinheiro Chagas, 2 vols. enc., e
Historia dos Jesuitas no Brasil, pelo Dr. Antonio
Heariques Leal; 2 vols; enc.
Pelo socio bemfeitor Abdizio de Vasconcellos:
0 Marido de Margarida, por Xavier dc Monte-
Pin, 2 vols. cm broch.; 0 Bigamo, 4 vols. em
broch.; Uma cidade Fluctuante, por Julio Verne,
1 vol. em broch. ; 0 Rei Candaule, por Theophilo
Gautier, 1 vol. emrn broch. ; A Seducclo por Vin-
ganaa, por Chatcnay, 1 vol. em broch.; Um casa-
monto franc,.z, por madame JeAikin, 1 vol. cmi
brochli.; Descoberta da Terra, por Julio Verne, 1
vo!. cm broch.; 0 Flho, por E. Richebourg, 1
vol. em broch. ; Mademoiselle Cleopatr, por
Houssaye, 1 vol. em broch. ; 0 Filho de Monte
Christo, por Julio Lermina, 2 vols. em broch.;
0 Monarcha das Coxilhas, por Cesar de Lacerda,
1 vol. cm broch., e alguns outros romances.
Pelo socio bemiteitor, Dr. Pergentino Saraiva
de Araujo Galvao : Livro sobre o espiritismo,
por J. B. Borreau, 1 vol. enc.; Porque somos
Catholicos Romanos, por Gllott, 1 vol. em broch.
e 2 folhetos.
Pelo socio effective capitao Jos6 Benigno do
Amaral: Prcmptuario Eleitoral, por Novaes de
Carvalho ; 1 vol. enc.
,, Pelo socio effective capitao Antonio Alves
Barbosa : Magalhaes, Suspiros Pocticos ; 1 vol.
enc.
Pelo socio effective Dr. Joaquim Pires Cam-
pello : Becquerel, Dos Climas ; 1 vol. ene.; Pay-
en, chimica industrial, 3 vols. enc.
Pelo Sr. Joaquim Francisco Bezerra de Mello;
A Mulher Virgem MEi, por hatenay ; 1 vol.
enc.
Pelo Sr. Floriano de Oliveira : Historia Uni-
versal ; por Parley ; 1 vol. enc.
Pelo Sr. Pompilio Campos: Georretria de
Otton, 1 vol. ene.; Telemaco, 1 vol. one.; Liioes
elementares de eloquenecia naciocal, por Freire de
Carvalho, 1 vol..enc.; Syntaxe dc Dantas, 1 vol.
enc,, e o Condo Kostia, por Cherhonliez, 2 vol. em
broch.
a Polo monsonhor Joao Onofre de Souza Bre-
ves : Paixao de Nosso Senhor Jesus Christo, 1 vol.
ene.
a Polo Sr. Joss de Souza Aguiar : Amphiguris,
por E. de Carvalho, 1 vol. em broch. e Problema
de Arithmetica, por M. Saigez, 1 vol. em broch.
Pelo Sr. Jose6 Augusto Alvares de Carvalho :
Discursos Parlamentares do eonselheiro Jos6 Bo-
nifacio, 1 vol em broch.
a Pelo Sr. Manoel Joaquim do Miranda Junior:
Elementos de geographia, por J. M. S. eo bras do
padre Barretto, 2 vols. ene.
a Pelo Sr. Jos6 Pedro de Castro Villas-Boas :
Compendio de philosohia, por Barbe, 1 vol. enc.
a Pelo Sr. Pedro Rodrigues Soares: Physica,
por Pelletan, 9, vols. enc.


a Pelo Sr. Francisco Pacifico do Amaral: Al-
manack de Pernambuco, para 1884, 1 vol. broch.
a Pelas respectivas RedacQces: Jornal do Re-
cife, Tempo, Folha do Recife, Tribuna, Folha do
NVorte, Echo de Palmares, Seis de Outubvo, Aurora,
Seculo, Gremio dos Profeszores Primartos, Lida-
dor; Do Rio de Janeiro : Minoculo. Brasil, Apos-
tolo, Diario do Brasil, Revista da Liha do Ensino,
Patria, Resurreicdn, Cosmopolita; Do Rio Gran-
le do Sul: Federagdo; Do Rio Grande do Norte:
rorreio do Natal: De Minas Geraes : Tempo, Ga-
zeta Wineira: De S. Paulo: Imprensa Evangelista,
Jwstica: Do Espirito Santo: Cachoeirano: De
3inta CatIarina : A Verdade; Do Piauhy: 0
Seman.trio; Do CearA : A Constituilao ; De Ser-
gipe: Guarany e Democrata; Da Bahia: Diario
de Noticias.
a Declarou o 10 secretario, que, no correr d,
nez de maio proximo passado, recebeu o Gabi-
nete donativos, em dinheiro, na importancia de
3704000.
0 Procede-se em seguida a eleiqao para o cargo
ie thesoureiro, vago pela desistencia que d'elle
izera, por mnotivo, just o socio Joao Baptista Be-
zerra de. Mello, sendo eleito c capitao Jos6 Benig-
no do Amaral.
a Foram propostos e approvados para socio
eiffectivo o Sr. Elias Ignacio de Carvalho e "ilva, e
ara socios bemfeiteres, o Exm. Sr. Barao de Gur-
aht! e os Illms. Srs. Dr. Ayres de Albuquerque
-ama, Antonio Nobre de Almeida Castro, Pedro
Rodrigues Soares, major Themistocles de Oranje
los Reis Lima e Jos6 Pedro de Castro Villas-
B6as.
a Levanton-se a sezsao As 3 horas da turde.
Leil6e --Effeetuar-se-ho :
Hoje :
Pelo agent .Martins, As 11 horas, na rua do
[mperador n. 16, de um predio.
Pelo agent Pinto, Ais 11 horas, na rua do Bomn
resus n. 6, de generous de estiva.
Pole agent Silveira, As 11 horns, na rua do
Cabuga n 7, primeiro andar, de moveis.
Pelo agent Britto, Ais 10 1/2 horas, na rua do .
Angel n. 41, de moveis, louea, etc.
Pelo agent Gumrnao, As 11 horns, A rua do
tarquez de Olinda n. 10, de moves, cerveja, co-
heres, etc., etc.
- Amanhi :
Peoe qente Pinto, As 10 1/2 horas, no Mon-
eire, junto a estagAo, de moves, louWas, erystaes.
!uadros, objete do electro-plate. etc., etc. Ha.
er4 trem extraordinario As 10 horns e 10 minutes '
Ia manh. ]
Pdo agent Carmo e Silva, no laWgo do Corpo I
Sauto n. 27, de moves"
Pao agente &skivdra, .im 10 1 2 hor"s, Ai ru de J
[horm6 de Sousa 5, de um hotel.
- lSfbbado:
Pelo agent Alfredo Guimre ao meio dia, wti
us do Bora Jesus n. 46, de prediop.
ydo ajsils &lveira, as t1hons, a na naix*
Yerde, de um terreno aWi ie.
-u ,Asn el : As .8hw~ eaa qaWAX.
Witu,.r* 4.MsW9" AW#-.4 wu4pP+..


tiRgos Rodrigues Pra;, Gisemo Heaninelo,
Gsto Marotta, Guise pelrinello, Agaelo
d iaWello, Doaicaido d de'iieenzo Iasgi-
gu, Antonio, Msieo, Qvwil Mari e Pran-
Pdoorde Pp. arcieo e Fran-
cCefif elano.
kshidos OM0isaokDr
,.FB 06rA de, ASSo, a senhora, 1 cu-
S1 Unada e 1 =da, E egnio Rocha, Pol-
Ma oGM>Batt,<-lain Makeazie, eommendador Jo"
I4ae ^Pjt Junior, Giovo- Marrqne, Baaio
Ligi, Ufano Zeni, Maw,*e ,aico e Audr6i Ro.
hLopra d4. pr*Weta Amianhi, 6
do corrente, sera extrahida a loteria 43;, em be-
neficio da igreja de Nossa Senhora do Rosario do
Cabo, no consistorio da igreja de Ngssa 'Senhora
da Conceicao dos Militares, onde se acharao ex-
postas as urnas e espheras arrumadas em ordem
aumeriea A apreeiacAo do publiuco,
Loteria de 05:00~8000 Por tele-
gramma recebido pela Casa Feliz, sabe-se que fo-
ram premiados os seguintes numeros da loteria
149a B extrahida hontem 4 do corrente na corte:
6.107 25:0004000
4.264 10:0005000
132 5:000$000
Lioteria-A de n. 150, A, do Rio de Janeiro
de 25:000,000 sera extrahida no din 7 de ju-
nho.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna, run 1I
de Marqo n. 23.
Lateria do CearA-Corre no dia 7 deju-
nho, cujo premio grande e de 5:000,.
0 resto dos bilhetes na Casa da Fortuna, run
1 da Mnaro n. 23.
Loteria de 5:OO000000-A loteria 150a
series A., corre imprcterivelmente no din 7 de
junho
0 resto'dos bilhetes 'ha-se a venda na Casa
Feliz A prap'a da Indep dencia ns. 37 e 39.
Grande i loteria ; a00:000OO0Om-
Esta extraordlinaria lutei i. serA extrahida ua c6r-
to no din 16 de julho pro 01@ vindouro.
Os billietes acham-se venda na Case da
Fortuna, A rua 1 de MI c, u. 23.
Mercado Ilunicipal dc s. Jos 0
movimento deste estabelecimento no din 3 do
corrente foi o seguinte:
Eatraramn para sere.n veadidos : 56 bois, pesan-
do 8,293 kilos. '
No mesmino dia entrarainm para o mniesmo es-
tabelecimento:
Peixe 205 kilos
Farinha, milho e feijao 107 cargas
Fruactas diverras 32 ditas
Suinos 3
Carneiros 3
Preoos do dia :
Came verde de 480, 400, ate 240 reis o kilo.
Saino a 640 reis o kilo.
Carueiro a 1 idem.
Farinha de 500, 400 at6 280 ryis a cuia.
Milho de 480 a 400 r6eis a-cuia.
Feijao de 1 400 a 1000 idernm.
Forar n arrecadados:
(6 tallios de care verde.
14 ditos de suino.
11 ditos de fressuras.
40 idem de fariuha e comidas.
65 comnlartimeitos de legumes.
Deve ter sido arrecadada neste dia a impor-
tancia de 2254500.
Foram mniandaitdas lanar ao mar, depois do exa-
me medico, grade porcao de fressuras.
llatadouro public. Foram abatidas
no Matadouro Publico 92 rezes para consume do
din 5 de junho.
Casa de Detencao.-Movimento dos pre-
sos no dia 3 de junho :
SExiitiam presos 331, entraram 11, sahiram 14,
existem 328, a saber : nacionaes 295, mulheres
9, estrangeiros 7, escravos 17-Total 328.
ArraVoados 302, send : bonds 288, doentes 14,
-Total 302.
Movimento da enfermaria :
Teve baixa :
Boaventura Taciano do Nascimento.
Cemiterio Publico-Obituario do dia l@
de junho :
Mariana Fonseca Pereira, Pernambuco, 20 an-
nos, casada, Poco; exturcaeo palustre.
Jeronyma Luzia de Jesus Saldanha, Pernambu-
Sco, 109 annos, viuva, Boa-Vista ; enterite.
Maria Candida, Pernambuco, 18mezes, Boa-
Vista ; convulsues.
Manoel Fernandes, Pernambuco, 50 annos, Gra-
ca ; encephalite.
Joaquim Angelo de Souza, Pernambuco, 31 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; enterocolite.
Manoel, Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista ; con-
vulsoes.
Maria Joaquina da Cruz, Pernambuco, 70 an-
nos, viuva ; diarrhea.
Debora, Pernambuco, 8 dias ; enterite.
Tres pela caridade.



INDICACOES UTEIS
lMedicos
Consult orio medico-cirurgico do Dr
Pedro de Attahyde Lobo Moscoso Za
rua da Gloria n. 39.
0 doutor Moscozo da consultas todos os


dias uteis, das 7 As 10 horas da manha.
Este consultorio offerece a commodida-
de de podor cada doente ser ouvido e exa-
minado, sem ser presenciado por outro.
De meio di as 3 horas da tarde serA o
Dr. 1loscozo encontrado no torrelo A pra-
ga do Commercio, onde funcciona a ins-
pecglo de saulde do porto. Para qualquer
d'estes dous pontos poderao ser dirigidog
os chamados por carta nas indicadas horns.
Dr. Baptista de Moraes, rua do Bargo
da Victoria n. 37 1.-, andar; consultas das
10 horns ao meio dia; chamados por s-
cripto a qualquer hora.
Dr. Leonardo de Albuquerque Cavalca-,ti,
medico da raculdade de Paris, pode ser
procurado em seu consultorio a run do Im-
perador n. 44, 1. andar, das 11 As 3 ho-
ias da tarde. Residencia a rua do Hospi-
cio 36, onde da consultas das 8 As 10 da
manh- e recebe chamados por escripto a
qualquer hora do dia ou da noite.
Dr. Lyra, medico, dA consultas das 8 As
11 horas da manhal A rua do Barlo da
Victoria, n. 48, 1.0 andar, parm onde Ihe
p6de ser dirigido qualquer chamado.
Advogado
Dr, Miler. 1 promoter public da ca-
pital ternm sea escriptoerio de advocacia, arua
do Crespo n. 18, onde pode ser procurado
Para os misteres de suna profissio.
Oeeulista
Dr. Barreto Sampaio, consultas de 1 Ao
I: horas da -tarde, na rua do Barao da
[Jictoria n. 45, 2.' andar, residencia, rua
le Riachuelo n. 17, canto da ruma dos Pires.
Bourgard t C.
Recife: rua do Marquez de Olinda n.
16 Santo Antonio, run Primeiro de Mar-
po n. 3; B a-Vista, rua da ImperAtriz n.
54. Grande fabric de cigarros a vapor.
Especialidades: Cigarros, charutos do Ha-
rana e nacionaes, cachimbos, tabacos e a0-
ectos para fumantes. Livros de medioi-
ia dosimetrica e unico -deposito da fan-
Ah loAwe a do N$64U41, para ( mminw A
peito e'|~e oadpd,'L

w.amisco d Ct dp'1 .


' ;1 1

















11^



i .....

i~11;1/1


I






- 1 '
,!


























nIa


Al *yo Qutagr prefereneias-eom o.publioiata
do r doecifeo Sir. A. F. Barbosa otni&
SZbor*s -a vragem dos dons publicist tivese
p-r Obja to oo de r^ e receita eu nada tinha com
a ; Mae fblpon que a a6rie nao continuasne por
republic, iu privado deoapr^eiar em sun inte-
Sdo 0r gnSifieojuizo critics de mais um ar-
A *:,A*i a de obrws feitas!
Njos Diarnado 7 e 8 do mesmo mez appareeeu
unm anonymo, nAturalmente semr pronuraego dos
x e interpllantes, attribumudo-me corn mcerta maligni-
S dlde, em sou repetido artigo, iiten5es que nio
, tive quando publiquei minha izesposta do 23 d&
Sabril.
>ke' Ku devia restabelecer publicamente a verdalo
de minhas inten95os em respeito aos dignos senho-
res commissario, qua deixaram de assigaar a in-
terpellaggo; mas appareeendo logo utmn nova s6-
- -trie de artigos- sob a rubrica ASSOCIA1A0 COMMERCUAL
AGaRICOLA, addiei aquella resposta a espera qme
terminasse a promettida analyse da digna Assi-
eciacao Agricola, afim do responder a tudo de umiA
s6 5 vez, com o ora fago.
A minha resposta de 23 de abril foi bistante
,- esplicita e o public vio qu nao fiz, como ainda
nao farei a menor destin,'io eitre signatariois c
nao signatarios da iuterpella9ao.
SAs minihas pilavras claramnente derigem-se a
class inteira e a maligniladc do articilista 6
semr justificaglo possivel.
Se aquefla m:lignldad-: teve p)r fim on intri-
gar-mo corn os caval-heiros que nii, assignarain a
intdrpallaqZo, ou smnente ini:tgo)al-os p)r nao a
terem assignado; o artioalista pcideu ainia o sas
temp,), par que creio nii) ter el',e cooaeguid.l nem
Unm men outro finm.
Para evitar tod~ts ai (hdvidas passiv,!is repit)
s d ae tcunh) referido e aiu(-di nm3 refcrirdi ao;fact is
queoio notorious e inc3itestavelis,dos quaa3s adiante
ainda ine occuparer detidamente semn a monoral-
SlusAio individual e seon o menor interess mii-3smno dtu
saber se os soueas autircs assign-tram on n!) :i iu-
terpellacto.
Nao ha a menor convcnioecia pra aniaguemrn e n
disloiar-so tlo molim'ndr-) aissamnpit. ,I)J terre'io do
interesse public, em (-13 foi ell' agitad) p-)r
mnm.
Dito isto, p-mssarmi a oceupar- me da s'rie de ar-
tigospablicados por cjata da illustr.adi Ass,-ciaIt1.)
Agricola.
Em vez do qualquer dc sens minbro3 ci:mm er
e o public esperaiVfUno) apparcca n.ia iuyprt'nrs:
investiudo contra o projectt) de roc.-itm pruvinuidl
um descinhecido camp -io distincto pr) sua elr-i -
cia e btns miineiras. P-.i) titilI do) a,)o seas ar-
tigos que pe9o-lhe pertni.ssio p-; r. d:z id-o, so p-i-
mam pn ia fmn-m, fui obriga to o c-.asidoral-o conm)
Smandatario da Associanio Agricola ; e, testas con-
di6ois eu tinha o mnesin) direito de fa'er-ma repre-
sentar ri. lia par uin minmaidatario mm encarre;m-
do de rebaterglpes, atirldos a csm), quo nom do
leove attingiram ao reforid) projeeto.
Mas isto, do minha part, nio teria justificea-
lio priante os tentedidos na material que sabem
perfeitami-nte que, no terreno pratico financeiro,
ngo hl nada mais intoleravel do qu3 discusses
abstractas sobre ium n ou ontro ponti iio!ado c mit-
liciosamente desligado 4e assumpto questionalo.
Ora, o assumpto questionado, e unici que dcvi:a
constitair object de uma analyse, 6, e ni ) podia
deixar do sor a solulao pratrica da questto que me
foi proposta, no officio d; presidencia de 4 do jJa-
neiro.
Lago: toda a discuss o jtim nao versass sobr-
a seluqao que lei, comnpmaria coin ourra soluqao
que se oreputasse preferiv-el, nao podia deixar
de ser intoleravel; por que o bater bscca sobre
a prefereaneia do, m, para umna melhor solucIto
que n io se apresentav. o sobre ceartos enunniadas
sem attenglo a sua rela ividade, nram verdadeiras
poloremicas esacusadas, das quaes eu tinha o direito
de afastar-me como me afastarei sempte.
Se a illustrada Associan9ao Agricola, que so
m3stra tao entendida na material, nao quiz somente
evantar uma polamica palavrosa e esteril, porque
em vez de empreitar aquella s6ric de artigos e de
dirigir-me no final do seu relatorio annuo publica-
do pelo Diario, uas remoques, aos quaes nao pusso
ligar apreqo ;. nio dignau-se prestar um rnelevante
service a provincia, offerecendo-lhe uina melhlior
solueio da queastilao, que a todos tanto interessa ?
Isto ihe teria -ido tacilimr), emi vista das crite-
riosas e profundas reflexes que, sobre o equilibrio
oriamentario da provincia exp'oz no sen relatorio,
feixando-o assim corn verdadoira chuve de oaro.
Assirn, sirn, teria brilhado !
De aecordo corn as suas sabias reflexes da mais
inteira applicacqro ao estado fiuanceiro da provin-
cia as impostos seriam diminuidos e o ormramento
eqribrado 9i o eiereicio do direito que atri--
buido a provincia de exigir do governo germal o
eomprimento das suas promessas e corn a reducio
das despezas !...
Porque na9 deecobrio logo o segredo inteirod sse
equilibrio orcamentario, traduzindo-o em um pro--
jeeto tao born, tao' fail e tao profiero para salvar
a provincia ?
Corn certesa a Assemblha Provincial, que estm
funocionando e so vendo embaracada crm o as-
sumpto, receberia coam duas maos o valioso aun5-
lia de uma soluhio inapreciavel.
Mas, naturalmente a nova direecao quando hou--
ver de analysar o meu projeeto, nos dara a deea-
jada solucao mas, isto s6 para o anna vindouro.
Em quanto nio chegam as cebolas do Egypto,
se-me-ha licito manter convencidamente tudo


quanta a illustrada associagAo chamou erros efal-
saz aprecia.oes da mimiha part, e explicar perante
a opiniao public a causa unica de tanta celeumi
qu se tern feito, e corn a qual nerm de love me te-
nlo incommodado.
'0,,cupando-me largamente da question do aug-
mento de imposto de exportaeao sobre o assucar
impugnado por muitos senhores de engenhos, alludi
no mea projeeto ao monopolio que se d- no merca-
do do assuc.ir e escreoi ainda o seguinte period:
Muito e muito mais do que o impostor conspi-
Sram contra os nossos productores os precos con-
Sveacionaes que figuram em muitas contas de
v -nda feita aos armazenarios por alguns corre.s-
I .... ... .

COUMERCIO

Praca do Recife, 4 de junho
de 18844
As tres horas da tarde
(otaoes officiaes
Cambio sobre Montevideo, 90 dIv. 20485 o peso,
hontem.
Cambio sore Londres, 90 div. 19 718d. por 1,000,
do banco.
Cambio sobre HIamburgo, vista, 600 rs. por It.
M,, do banco.
S'A. M. de Amorim Junior,
r Pelo president.
A. P. de Lemos,
-Pelo secretario.

S RENDIIENTOS PUBLICOS
Mez de junho de 1884
S PulK'A GA==De 2 a 3 74:0791226
p Idema de 4 40:4888432

. 1t114,R4.08ii, 68


|IEBBBDORBt.==De 2 a 3
, Idem do e4


2:23238C.0
1:26958u5
3:502A695


:4^-J--;h3.


. maN, acescetam a L ptiWe .--Am 1ow 0a8 ver,
dadeB eaed!.
,.eqta L... Y'' Euao nproprit ii discortinau
verdadbs,'4 Uato que a aia eW me referi; o meu
fim unico foi .eas us fietos aos seabbors de
renzenho 80 ue *V d" imposto so-
bre o St:a'p prio sta, iao era Um Mal
tio grander mo A muitos parecia, e quando fosase
umn grande mal; era ele: iauito preferivel As fa-
nestas c6niiaeqafoneias doe Oroeamatos desiquilibra-
dos e do corte de despezas Iecessariis8e iadispen-
saveis ao dege6volvimnino progressive daprovim-
cia porque ellas nos levarikm faet.mente ao regi-
men da miseria.
Ora, s6 par ca sa d'aquelle periedo tern sido ir-
reflectidamente invectivao todo o project e at6
a minha personalhdade; -claro pois, qu a s6 me
remontando a causa primaria e justificaflo as
minhas asserVbes, poderei habilitar :o respeitavel
public e aos aeonhores de engenhos A seremn juizes
entree mim-.e os noua aggressores.
Entrarei, pois, nesta minateria.
Recorramos ao 'quadro n. 1 anrexo ao meu pro-
jeeto de reeeita provincial e tomemop ahi os alga-
rismos relatives a safra do assucar de qualquer dos
exercicios.
Aaalysemos, por exeniplo, os que dizem respeito
a safra do exereicio de 1880 a 1881, c mI exporta-
cAo param doeutro e fora do imperio efo'tvou-se A
155:917,019 kilogrammas, sorn dietinqc de quali-
.dzi~o", paguId) 2 -/,, do imfposto proviMcial na irn-
pjrtaiicia verifieada do 461:730.0i0yi8>..
Aquella quantid-le de assucar reduzida a ar-
robas de 15 kilograinmnas darA, desprosadas as
fracoes, 10:394,527 arrobas que framn exportadas
pio valor official medio do 2,249 por eada arroba,
visto ser o valor official (da totalidade do assuear
expo)rtado 23,386:5484403.
Mas, esses dados officiaes que sAo rigorosamcnte
exactos quanto ao impasto de exportacio, differem
muito dos dad-s reaes de que carecimos para d,-
terniaar os lucros dos corrospondentes ou a retri-
ui icAo que lhes depama os seniores de engenhos
pAlo exclusive trabalho de venderem os seus assu-
cares n'aquelle exercicio.
Convem pois tornar bern claro o quc seja o va-
lur official c o valor real do assucar; e depois corn
o auxilio dos dados officials recompormos os dados
reaes de que carecemos para as nossas demonstra-

Charna-se valor real do assucar o prco porque
elle 6 vendido no mercado; e valor 'official ou pre-
qo da pauta semnanal da Altamdega, aquelle que,
de accord corn os prcceitos da lei, 6 dado ao as-
sucar por aquella repartigau fiuisei, para servir de
base ;A cobranua do impjsto de expiortafto.
NAio tratarei de explicar, aqui, como se organisa
a pauta semanal, porque isto me levariaI long;
bastar'A dizer que, por motives valiosos e attandi-
veis, o concurso quo para ella devia prestar a Jun-
ta dos Correctores e prestado pela Associalo Coin-
mereial que tern por diover zelar os interesses dos
seas associados de preferencia aos interesses fis-
caes.
E, para que os seniors de cnge-.ios possamn cl-
color appr-,ximodamente a diffornu-a eutre o valor
official e o i'eal do assucar, Ihes dirci que pela pauta
s6 se doa valor ao assucar branco e ao mascavado
send o valor do 1 o roaultado mnetio dos preocs
do bronco c do somenos representados por 4 qua-
liladics e o do 2, o result;do inedio dos prcos do
mascavado, (do bruto o do retained represenutades
por estas tres qualidades, ao passo que nos arma-
zeos se conhecem inmais ce 14 qualidades diffaren-
tcs d(e assucar ; e Ihes darci aqui o valor official
minedio de cada arroba de assucar nos mczes de
janeiio A maio deste anno, afirm de que cada urn
possa comparal-o coin a media dos precos reacs,
constantes das suas contas de vendo e avahliar corn
seguranca da difference entire ambos.


Media do Media do
MEZES valor official do valor official do
branch mascavado



Janeiro .. 3045 1935
Fevereiro 33045 14)90
'Marco. 2:970 1,800
Abril 25835 1575
Maio 23940 1500

Agora, levemos em conta que a totalidade da
nossa safra nao 6 export'mda, porque urma decima
parte, pouco mnis ou menos, 6 vendida e consumi-
da na provincia, segundo os calculos mais geraes,
e das respectivas vendas tiram os correspondents
a sua commissao.
Devendo esse consume ser pernanente e nio re-
lativo a produc9io, recorramos ainda ao alludido
quadro n. 1 e ahi tomemos entire os 12 ultimos an-
nos a decima parte da mentor safra que tivemos, e
teremos muito rasoavelmente pram consume da pro-
vineia, 9:148,215 kilogrammas ou 609:881 arrobas
ou 121:976 saccos de assucar, vendidos, em cada
anno, sern pagamento de imposto algum.
feitas estas observances continuemos.
Se, aceitarmos, polo minimo, para valor real da
safra de 1880 a 1881, o seu valor official augmen-
tado corn 5 /o, e se levarmos em conta o consume


J. 7
da provincia na proporcao indicada que 6 muito
rasoavel, para conhecermos o valor eical d'aquella
safra; teremos que: a safra d'aquelle exercicio
elevou-se a 11:004,408 arrobas que foram vendidas
por 25,996:079,307.
Se desta quantia deduzirmos 3 o/o para oa cor-
respondentes, teremos que da safra de 1880 a 1881
lhes coube moito licitamente, s6 e s6 polo trabalho
de vendel a, nunca menos de 779:8823379 e que
ella se reduzirA a 25,216:196;908.
Isto ja' 6 muito mas ainda uiio 6 tudo.
E' praxe minuito coahecida na nossa praga, des-
coinar-se a titulo de que chamnam born peso, 1 ki-
logr. do peso liquid de cada sacca de assucar, de-
p )is de pesados os saccos vasios e de descont-'do
o peso destes do peso bruto que se encontra.
Ora: quasi que se pode aflirmar quo todos os
senhores de engenhos poesam o seus saccos do as-
!.ESPACHOS IDEMPORTAYJ
Vapor nacioual Pcrnambuco, entrado dos portos
do nortc hliontem e consignado a Bernardino Pon-
tual, manifesto:
Cimap6os do Chile 8 fardos a Bernet & C. Cou-
rinihos corn cabellos 30 fardos A ordem.
Mercadorias diversas 5 volumes a ordem, 2 a
Parents Vianna & C.
Pipas 100 a Amn,)rim Inm ios & C.
Qaeijos 30 caixas a M, Josg Alves 12 a Jose de
Macedo.

DESPACHOS DE EXPORTAQAO
Em 3 le junho de 1881
Para o exterior
No vapor inglez Marimer, carregou :
Para Liverpool, S. Brothers & C. 1,000 saccos
corn 75,001 kilos de assucar mascavado e 92 sac-
cas corn 7,827 kilos de algodAo ; Borstelmann &
C. 860 fardos 70,759 ditos de dito ; P. Carneiro
& C. 38 course eapichados coarn 266 kilos.
No vapor americano Finance, carregou.:
Para Ney-York, F. F Saboia 5 fardos couri-
ihos de eabra ; S. Brothers & C. 23 ditos idem.
N- o figair portuguez Lusitao, earregou,:
Para Lisboa, A. J. Furtado Sobrinho 400 sac-
cos com 30,000 kilos de assuear mascavado.
Na barca portugueza Nowa Vencedora, car-
regou:
ara o Porto, M. J. da Oosta 8 barrimas com
480 kiloa d&. rina.
... No 1Waeional Loyo, carreg.u
Par1 a* Porto, J. S. I,* Filho 1,000 oiee(
.4om 75,000 lkt4) de awmear brenco a l,59a ditem


JA vitaeos que liitamente coAube d'aqiiea uafra
4os correspondentea 779:882879 ; admittamos
agora que o bom peso seja tambem cousa 'muite
justifieada pela poasivel quebra no aspuctr depois
de comprad6 ; e os senhores de engsiho ainda
assim poderiam levanmtar as maos par ib Coo per
Sque IheAs fieava I sufficiente para se livrarem dos
fris do inverno, no obsatante elevar-se a inmpor-.
tancia dessas duas verbas ao total de .........
1,472:852A242 ; bastaria que nU Ihes falhasse o
peso liquid de 75 kilogrammos por cada sacco
pesadonos anrmazens .I
-Entrarei agora no ponto essential e meli'ndrqso
da cquesto, do qual nunca desejei tratar; mas,
aguilhoado pela illustrada Associagq Aa icolk
que, sem o menor moti-vo. tanto se iespanfdliso
Cam a minha onsadia de alludir .a faotos conhe-
cid(ios, passarei A demonstrar que muat o e muito
mais do que a elevacao do imposto, pr iraim pro-
posto, prejudicamaos nossos preductores as causes
referidas no trecho que transcrevi.
Argumentemos :
Quaes slo o ssenhores de engenhos. que, balan-
ceando as suas contas de venda, se possam lison-
gear de que o peso bruto da sua safra inteira
tenh:i, por clla, regulado o peso liquid com-.qu3
sahio dos seus engenhos, bu mesmbo o de 75 kilo-
:graminos por sacco- ? Bern poueos talvez.
Admittamos, pormn, s6 por. amor a argumenta-
914,lque todos teuham tidal essa felicidade e quoe
sejam inteiramente falsas e mentirosas 'i -Ve-
raises dos que sao capazes de jurar quae recebemrn
contas de vend., nas quaes o peso-bruto varia d,-.
ni.m-do inexplicavel at6 ao ponto de pesarem alguns
saccos moenos do 65 kilogramminas em vez de. 77 a
80 que tinhamrn pesado no engenho !:...
Mas ; quaes sao os senhorcs de engenho, sobre
tudo se deverem ao correspondent, que se possam
gabar de ter vendido a sua safra inteira, apuran-
do em sea favor o peso liquid de 71 kilogrammos
para cada sacco, isto 6 : depois de tirade o boam
paso, tara, amostras e etc. ?
E' urn trabalho facil quo qualquer senhorde en-
genho podeo faer em face dss suas contas de ven-
da.
Admittauros porem, e ainda por amor a argu-
mentaAo, que a safra inteira da provincia tenha
sahido dos engenhos corn o peso liquid de 77 ki-
logrammos por sacco para apurar-se 75 nus arma-
zcns e que toda ella se tenha vendido na razao
dc 71 kilos por cada sacco.
Apezar do parecmr muito lisongeira esta hypo-
theseque s6 darA um prejuizo medio de 4 kilos por
sacco, esse prejuizo corn relasao a safra de que
me occupo se elevou a 586,902 arrobas na impor-
tanucia de 1,378:630,1149 !
Istoj ( doe !...
Agora duas palavras sobre o que chiami pre-
cos coavecniona-s emrn contraposicao a pros
reaes.
Sobre tio delicada questao apenas referirei um
facto muito mais eloquent do que qualquer de-
monstracAo.
Asseverou-me pessoa circumspecta e digna do
minelihor concerto, que certo senhor de engenho, caujo
nImlle (leclinou, recebou uma conta de venda cu-
jos precos muito lhe desagradaram ; lcvou-a ao
seu correspondente, fazendo-lhe ver qae ninguem
vcndia, n'aquella occasiao, assucar igual ao sou
poer preco trio baixo.
0 correspondent, nao podendo convencel-o do
contrario, recebeu a conta pare verificar se tinha
ou nao havido algum engano, e depots entregou-
lihe outra conta cujos precos cram incomparavcl-
mente melhores.
Mas quando o senhor de engenho alegrava se
par ver desfeito um engano, notou que o saldo
que Ihe ficava pela ceanta nova era inferior ao da
conta velhlia : fez ver esta contradiceao ao sen
correspondente que debalde revio a nova conta
procurando um erro de calculo......
E' que na 2' conta o peso tinha diminuido em
urna raziao maior do que o augmento dos pre-.
os !...
Em takes condicoes, o senhor de engenho limi-
tou-se a preferir a eonta velha de maos precos,
porem, de melhor saldo.
Sendo isto exacto, como me affirmou pessoa do
maior credit ; como se podem denominar taes
precos ?
Eu chamei-os, convencionaes; o public, po-
rem, e os senhores de engenhos como os qualiti-
carao ?....
Creio que aceitarmo o meu qualificativo.
Ate onde, porem, prejudiearao os precos con'ven-
cionaes aos produetores de assucar ?
E' difficil a resposta, por isto escrevorei ...8...
e passarei a ontro ponto.
Urma outra causa, a que os senhores de engenho
attribuem um plejuiso descommunal 6 a humidade
dos sous assucares, contra a qual, dizem alguns
que at6 hoje, nada de profieuo poderam descobrir
Corn effeito a allegacao de humidade ou mao--
acondicionamento do assucar que determine nos
precos urea differenca que varia de 100 rs. a
500 rs. em cada arroba de uma remeca inteira, jA
6 objecto, e ha quem affirme que basta um saceo
inquinado de humidade para prejudicar a remeca
t ida
Admittamos, porem, que a cousa naio seja tao
feia como se pinta e caloulemos o pejuizo oriundo
dessa causa pelo minimo de 50 rs. por arroba
para a safra inteira.


Neste caso, teremos para a safra d'aquelle exer-
cicio, mais um prejuizo que se eleva a .......
550:220A400.
Sendo assim, como poderao affirmar ou negar
os senhores de engenhos, pergunto: tive ou nao ra-
zao no que escrevi, ainda tomando-se por metade
o rcsultado dos calculus apresentados?
bem takes circumstances naturalmente o produc-
to da safra de 1880 a 1881 se elevaria a mais de
28,500:0006000.
Desde, porem, que foi precise abater-so.
550:2205400 por causa da humidade do assuecar.
1,378:6305449 por causa da quebra de pesos ou
descuidos das estradas de ferro e dos cargueiros.
....... .... por causa dos precos convencio-
naes,
692:9695863 para o born peso, taxa, amoatras ste
779:882$379 para pagamento do trabalho des
correspondents.
N.io admira que o seu valor se tenha reduzido
!
Para Acarahu -JT-,d-a-SiIv-a --mpos--6-bari
corn 440 litros de aguardente.
Para Camossim, L. G. du Silva & Pinto 1 bar-
ril corn 96 litros de aguardente e 1 barrica corn
85 kilos de assucar mascavado ; J. A. G. Pires
Junior 20 barris corn 1,920 litros de aguardente e
6 barricas corn 420 kilos de assucar refinado.
No hiate national Jodo Valle, carregou :
Para Jacare, J. M. Barbosa 2 barricas corn 60
kilos de assucar branco.
Na barcaca Aurora de Mac4o, carregou:
Para Mossor6, J. J. da Silva ampos 4 pipas e
10 barris corn 2,480 litros de aguardente.

MOVIMENTO DO PORTO
Navio entrado no dia 4
ManAos e escalas-10 dias, vapor national Pernam-
buco, de 1,999 toneladas, .commandante Pedro
Hypolito Duarte, equipagem 60, carga varies
generous: a Bernardino de Senna Pountual.

VAPORS ESPERADOS


MAagellan
Finance
Bahia
Vile de Bahia
Araucaoia
Mbe
Rosario
Author
Pard
Guadia-4a
Tmar
iApiritQ Santo


do Pacifico
do sul
do sul
de Europa
da Europa
da Europa
da Bahia
d4 Europa
do norte
do Rio de Japelro


hoje
hoje
amanba
amanhu
a 8
5a 9
a10
all
a -1
a 12a.;^1


r~I Pama KqO~e Heys^t a.
tido, tiveeomdnte. e vista
compara*o'mais eoacto para
corrento que parole nAolIheter


I! Vai tir er i eomtro pal
L Lanoecoque6Deas,
'Rdga a Eite per ris'
Ca na terra, adeus.

C. de Almeida.

EAteR Ean"peu, sltma'd. no melher


eomaa-Bto n'aquee exercicio foi de 2 o/o; idade de Belemif @ Gd o i *Param -
isto 210A mig "ortauia, por que fkcil-aug- Drasil. -
wtil^-l 'em 2B ,0ofti 00. /., se, ^4izeremn
compare que fa imdit6 o eo00aolo aqU!e ex- Este antigo e acreditado estabelecimento tendo
reicio coam qualquer outro,' e por isto measmo ar- passado por grandes reforms e melhoramnentos,
gurnntei eOrn as medidas applieavwis a todos os prCsta-se com muita vantagem aos Srs. passage
outros, servatig servadis. [ros que demandam as magestsas plagas da gran-
Agora, se notar-se que eu propondo a elevactLo de amazonia; dista apenas dous minutes da pn-
do mposto sobre o assucar tive cm vijsts a regula- te do desembarque.
rtdadedasninannas pov- eiaes, com a o mais se- 0 referido estabeleclmnento tern magnificos apo-
,guro meio de extinguir a rise monetaria, que por sentos mobiliados coram decencia e asseio, bem
siead, causa maiores prejuizos a nojsa lavoura do como banheiros com agua potavel, e um se. viqo
que.todas as outras causes de que fallei, reunidas magnifico a par de uma modicidade em preqos
-em tempos normaes, com o 6 facil conjecturar-se sen cormpetencia.
desde que, entao, nao se ouve a cada canto o-sal- Este ecstabelecimento acha-se situado a rua da
ve-se quem powder !-creio queninguem deixarL de Imperatriz, corn frente para a &raca do Visconde
dar-,me razia, sobre tudo se attender-se para os do Rio Branco, vulgo Merces.
pr Vuizos da safra que estA Lfinda. --
. .6o mais tarde, conhecera'o certos membros da Caixa ,i'Inmiea e Monte de So'.
illstriada commissao de or9ramento, o benri que es- CJ'JUUUILaUa MU t d
til0 fazendo a lavoura, comn A medidas que prefe A A P m A
riram, para deixarem o oramento -provincial desi- eorro de PernambucoU
quilibrado, eo -exercicio corrente eon um enormis- Balancete. em 31 de maio de
-sinmo defidt A liquidar" !.. a 1
SNAo vi nisto censura por -que sou o primeiro a
fazer justice as boas intencoes tanto da commis- CAIXA ECONOMICA
sAo de orcamento, como da AssembI6a. Activo
* Prasentemeute, tanto o commercio como a lavon- Thesouraria do Fazenda-conta deo
ra pode alegrar-se com a proposta do orcamento deposits 7.8:8944300
da privincia; eu, porem, s6. peco a Dens que essa Thesouraria de Fazenda-conta de
alegria niLo se transform em tristeza! juros 140:532,232
Sentirei profundamente, se a illustrada Associa- Monte de soccorro--conta de pas-
tio Agrineola ainda quizerlobrigar aggravos n'csta sagens 35:1363368
minha resposta; por que apesar de coagido A res- Juros 759 1MO
pbrider-The, nao tive nerm tenho o menor intuit de Caixa 1:5155000
offendel-a.
' Epero, nto voltara, mais a imprensa sobre este 886:8375000"
assumpto.
Recife, 2 de jurho (de 1884. Paso co
Francisco Amynthas de Carvalto Mbura. )Depasitos cm eontas corrcntes 885:5233439
-"-'- Monte dc soccorro-conta de juros 1.:3135l1
Ao public e ao goverao -


No din 28 do minez que acaba de findar soffri os
maiores insultos e algurnas offensats physical quoe MONTE DE SOCCORRO
Inc fez o subdelegado supplcnti da freguezia d, t i o OC
Se, destacidade de Olinda, Columbo, Pereira de Emprestimos sc cnhorcs
Emprestmos s l)cepulmores
Moiras; e.como quer que na sua quaidado de au- Valores depositadlos
toridade possa o mesmo Sr. completai'o seu planeo Movris
die offender-mne, venho denmciar o facto, para que Cadiernetas
fique desdcj A conhiecido o author do mnl, 1quo p)ossa Caixa economica-coaUta de jurors
acontecer-me. Dcspezas gcrae6
0 caso foi simples, e caracterisa bern o meu of- RD5et.n ) res
fensor. Ret o do juios
Lueros e perdas
Sendo eu official de justica no foro desta comar- aix
cI, em cumDrinimento de um mandalo do Sr. D)r.
juiz de direito, fui fazer penhora em bens da Sra.
D. Francisca, mai do mesmo Columnbo.
JA por sermos conhecidos, e jA pela ciruenmstan-P .'i
cia de ser o mcu offeinsor autoridade, tive pra corn Capital
clle todas as defferencias. Encontrando-o na v n- Capt l pnrs
,., r 1 i ailt lelas deIt peIll91U.s
da do Sr. Teixeira, conversando, clhamei-o a parte J utes
e disse-lhe amnigavelmante o que pretenlia. Caixa eonoica cota d passa-
Fingindo calma, o Sr. Columbo convidou-me a gem.
entrar em sua casa, que fica ahi perto; mas aint- Thesouraria de Fazenda--conta de
da bem nao tinha eu transosto os umbraes da mprostinn o
porta, quando elle, que jao tinha feito, volta-s Cadern archivadas
fur'oso, dirge-me palavras tOrpes, e atira-mr3 de ado d peschoes veatUds
I bSaldos deolpenhores veadidos eln
eostai ao chao, em riseo de matar-mine.
Para que o public avalie a gravidade dcste lelo
l)procedinmento, deve saber, que eu tenho 68 annos S. E. 0.
de idade, e sou muito achacado.
Assimrn mosmo levantci-mc- para desaffrontar- gardn-*ir
me; masentao o Sr. Columbo jA empunhava uma 0-a cisco Jouim P7rei
espingarda de dous canos, com a qual certamente
me teria offendido, se nao fosse a interven;ao do
dous senhores, que acudiram-me! -ullrra cruel
A' vista deste procedimento inqualificavel, eu Sr. redactor da Revista. Foi
que, embora pobre e humnilde, goso do estima dos informado sobre a noticia, quo
que me conhecem, porque sou nimiamente pacifico, mm relativameato a uma surra,
e conduzo-me honestamente, dirigi-me ao honrado rm oret S a e, u am
juiz, e queixei-me. frera preto Sabino, que o m
Nunca, em minha vida tinha soffirido tao violen- fim concedera carta de liberdad(
ta aggressao! ... casino dos casamentos de suas fi
Reputo-me ameaoado; porque essa autmridade, Sabino apanhando-se senhor d
cujo mAo humor denuncia o habeas-corpus, que u ib
requeren em 1868, e foi processado polo escrivAo sua liberdade, njio soubera faz
H. Chagas, nao deixari de aviquillar-me. la, e em vez do se empregar em
Entretanto, estou resignado. Basta, que o pu- corn regularidade, a cumprir co
blicoe o Sr. Dr. chefe de policia saibam do que dao e pontualidade os seus tr
se passa, al6m das autoridades da comarca.
Nao tenho meios de garantir-me. para calotear a uns e a outros.
Deus velarA por trim, se os homes nao pode- tes caloteados, a queon Sabino p
rem, ou naq quizerem fazel-o. quantia emprestada indo cobra
Airoiesmo Sr. Dr. chef de polieia eu pederia, q pagamento uma formidavel d
que procurasse ler os autos de habeas-corpus d em pagnento a formidavel
que fallo, existentes no cartorio do escrivaio Theo- tura, retribuindo-lhe porem o c
domiro. troco de sua insolencia a tal surr
Olinda, 2 de junho de 1884. terras do engenho Gutuiba, eis
0 official de justica, Joao Ne omuceno Gomes. curta c certa da surra de Sabino


Agradeelmento
Joao Ferreira Braga agradece cordialmente a
seus amigos polo favor que fizeram em acompa-
nharem ao Cemiterio Publico os restos mortars
do seu prlesado filho Jos6 Ferreira Braga.

Pedeminos para chamar a attencao da Illma.
Carmara Municipal, para providenciar a respeito
de uma refinaoo que estA funccionando no fundo
de um estabelecimento de molhados, na rua Vis-
conde de Camaragibe, esquina da do Riachuello,
pois nos parece ser contra as posturas da mesma
Camara; a qual vai causando graves encomodos


a visinhanga.


Um encammodado.


lndleapio
No dia 7 de abril proximo passado, em regosi-
jo da liberdade que gosamos dessa instituicao li-
vre que nos foildada, ou ligada ppr Deus Supremo,
Arehitecto do Universo, fiz am panegyrico didi-
cando-o a mulher e acerca do papel que ella faz
no mundo conforme suas qualidades.
Um amigo que ovio, c sabendo das difficuldades
corn que luto, offereceu-se para mandar publicar ;
corn effeito foi publicado no Jornal do Reifc de
19 do mez proximo passado.
N-o sendo eu home de lettras pois que confes-
so-me um rustieo, pego desculpa aos homes illus
trades pela minha afoutesa o que em mim impera
6 a ordem, e a b6a vontade para discernir o bern
do mal, acompanhado do desejo de acertar o ca-
minho quenos deve- guiar nestomundopara desem-
penharmos nossos deveres.
0 que nos falta 6 tratar da emancipaqao dos
captives que, segundo meu fr-aco modo de pensar
devemos dar o praso de 10 annos, para fiear-so
livre desse" cancro que avilita o paiz, e assim ex-
tinguir-se a escravidilo no imperio da Brasil, scm
indeumnisacao algama par qualquer forma que seja,
quer do governo.quer dos particulars e para com-
pletar-se a lei humanitarian do venttre livre.
Se assim proceder o governo, fioaremos lives
de amra guerra civil entire o povo e as provincias
do note e sul, coma se deu nos Estados Unidos
par occasiao da libertakao dos captives, devendo
os homes da sciencia, durante esses 10 annos, to-
marem todas as medidas em ordem a evitar que
as duas nrsaes ambiciosas do mundo se apossqm
do paiz, ou de parte d'elle coma provamos.
Este 6 o meu humilde parecer, que submetto a
censura dos homes doutos : leambro que a nanAo
brasiieira vai soffrer um golpe de estado como eja
a bancarota prootovida pela Providencia Divina.
Recite, 20 de maio de 1884.
Capitol Manoe l Pereira de Mayalhes.

Nelda
I BEIA DO TUMULO DO IMO(;IBTy. JOS VIWO IDOLA-
TRApO DID JoO LFSXI;IBA BrAA, O DIt 3 DO COa-

Innocente. Emmudeees-te ao attingir-te o so-
pro d'essa f6ra lmplacavel, que rouba sem pieda-
de, A faniilia feliz, a Yoyo, o thesouro, o idoloe,
eQmo tu foste, qle arrastado per ease abutre, mi-
seravel cabriou da lhumanidade ;, acabas de abir
no cofes de tens incoaolaveis pais, -a uloera
oais pNda qp Jamis tiveraa expgri entado
d, muiyocos.
oSte im8S g enenico, o teuo enteadimen-


WA v ', Afand08'^1^
NevI..f~ a,:**-


Um destes entes rancorosos,
viperinas, d'almas vis, e baixas,
lizmente abuadam, em nossa


OOU.iJ I O0 > ?V


74:9536(16
95:59J0,377


,seter tmo cfap ital d't d-
::1^_nanbaco, por Sua Jiageatd .0 JM-pariw

Fago saber aosjue o present editallwYi!O Sul.
d'ellU noticia tiverem que por parteio gerenf^t s
comenpaMia da estrada de ferro do Reife aRCaxgi
por sea procurador me foi dirigida a ptiod.o
theor seguinte : Illm. Exm. Sr. Dr.juiz de direi-
todo civel. 0 gerente da companhia da estrada
de ferro do Recife a Caxanga, vemn deelarar V. Exe.
que estando teita a desapropriagao do terrenc e
easas do Manguinho pertencente aos herdeiros do
fidlecido Manoel Pinto de Souza e depositado o
product, digne- se na forma da lei, mandar affixa
edital por 15 aias para que ehegue ao conhe-
c.imento dos herlieiros ausentes, a Fazenda Pro-
vmncial e Geral ou a qualqucr outro credor, que
esse product serl entregue por este juizo a quem
direito tiver mostrando-se dividamente habilitado.
0 product depositado 6 6:0004000, e a desapro-
priaego livre de impostor. Pede V. Exe. deferi-
rnento, sendo intimagAo acostada aos autos de-
pois dos 15 dias nos terms da lei. Recife, 16 de
maio de 1884. Jodo da Silveira Borges Tavora,
procurad.or. (Sellada corn urma estampilha de
200 reic regulamente inutilisada) em lita peticao
proferi o despacho do theor seguinte : Corn re-
quer. Recife, 19 de maio de 1884.-Ribeiro.
E nada mnais secontinhlia em dito despacho aqui
trancripto.
E pare que chegue ao. conhecimento de todos
inandei pasBar o present edital corn o praso do 15
dias que sera publicado pola imprensa e affixado
no lugar public do costume.
Dado e passado nesta cidade do Recite do Per-
nambuco, aos 21 de maiode 1884. Subscrevo e as-
signo.-0 escrivio, I edro Tertulliano da Cunha.
Joaquim da Costa Ribeiro.
Edital n. 57

Terceira praga
De ordem do llhn. Sr. inspector, se faz public
que as 11 horas do dia 5 de junho corrente serdo
vendidas emin leilo,; no trapiche Conceiqao, as mer-
cadorias abaixo declaradas, a saber :
Armazem n1. 3
Marca DSP, 2 caixas ns. 71 e 72, vindas de
1Hamburgo no vapor allemAo Ceard, descarrega-
das no 10 de abril 'utiino). contondo 500 kilogram-
inas de cartazes de aununcios, abandanadas aos
dircitos por J. Sabino Pinho.
Armazem n. 6
Marca H13.C, 2 caixas us. 2,604 e 2,G)5, via-
das de Souithamptoni no vapor inglez I)ouro, dcs-
c.rrc-adas cmn 26 e 30 (ce janeiro dc 1880, con-
tend-o 278 kilogrammntin's d'.- casicmnira dc la corn
tod traina de algodalo, abandr=iadas aos direitos
por II. lkirle & C.


: -6i^< Arminn' n. 7
794404 Altarea diarnante. .,)3 no centro e contraminarca
1:313U.;1 BB&C, 1 frasdo ,e vidro, contendo miorphina, pe-
6:393" 8) sando bruto 980 grainmmnas, parte da caixa de
238180) mparca ot margein, n. 1, vinda de Southampton no
16713 vpo-i
54210 vapor inglez Minho, entrado emr 13 de marn o do
02088 corrente anno, abandonado aos direitos por Bit-
-- tmncourt & C.
L82:474004 3;, secao da Alfmandcga de Pernami-co, 2 de
junho de 188s4.
0 chefe,
14:1833080 Cicero B. de Mello.
9.)5:590o 377 -------------------------_ ---
4:194(., Facnidade de Direito


jo: 1003i;.,))
30:192 ,6818
74.,600

3:101"94(6

182:474,004

ros,
ra Pinto.


V. S. mal
Ihe envia-
que sof-
ajor Sera-
- por oc-
lhas.
le si, e de
er uso del-
trabalhar
m exacti-
atos, deu
Um des-
,edira uma
al-a, teve
escompos-
credor -em
ia, isto em
a historic

de linguas
que infe-
sociedade,


tendo se julgado offendido em seu amor
proprio, e em seu orgulho, porquo uma
professor contratada, nao se quizera pres-
tar a ensinar saas filhas, jurou tomar uma
vinganga por semelhante repulsa, dando-
so a occasiAo da surra, aproveitou se do
ensejo para attribuil-a a intrigas urdidas
corn a professora, dando lugar assim a fa-
zer-se allasies, e atassalhar-se A reputa-
9ao de uma- senhora digna de estima e
consideracao de todos que a communicam,
pela sua honestidade, sua esmeradaeducagao
de eminentes qualidades e virtudes inve-
javeis e apreciaveis, s6 tendo contra si
o grande defeito de ser pobre Fica por
tanto ratificada a sua noticia.
0 amyante da vtrdade.


DR. IMELLO MES

Medico operator
RUA DO BARAO DA .VICTORIA (ANTIGA RUA
NOVA) N. 14
SEGUNDIRO ANDAR
Especialidades: febres, molestias dos pulmoes,
venereas e syphiliticas (em ambos os sexos).
Consultas : de 10 ao meio dia.
Chamadlos: por escriptq,
Cura e opera estreitamentos da urethra.
Acode de prompt a qualquer chamado A noite,
ou para fora da capital.
DA consultas todos os dias uteis, As 9 horas da
manha, no 10 andar por cima da phannacia do
-Tereo.
Apparelho telephonico n. 156

Medico cirurgic dentarlo
Joaquim Camara, corn consultorio a rua
do Duque de Caxias n. 57, 1o andar,. de
volta de' sua viagemt a Europa, onde fez
estudos especiaes do molestias da bocca:
encarrega-se de ualquer trabalho de ci-
rargia e prothcsei dentarias, extrahe dentes
corn anestesia por m-eio de apparelhos apro-
priados: obtura (churabo) corn ouro, platina,
cimento: corrige as irregularidades denta-
rias; colloca dentes pelos processes mais
aperfeigoados.


EDITAES
IlEdtal n. 22
0 administrator do Consulado Provincial aviaa
aos contribuintes dos impoatos de decimal urbana,)
sobre bens de ocorp'raes de mio meorta e de 120
rs. por litro de vinho, vinagre e agaardente, que
na mesma repartilo se fari a obranva dos mes-
movc impostos, A bocca do cofre, corn rlam o a
2' aemestre do exerieio corrente (188 A 84) a
comewa no dia l dejonho1r poximo) future, de-
veodo terminar no trigesiuo diautil, na forma do
0a1*ent de4 d.1 "dd1e 1879.
Casulado nocv? iAl de Pemambuoa 28 2
3?rantioeo A. de Carvalho 3oara.


De ordem-( do Exmin. Sr. Dr. director interino,
fago publicar as listas noimaes dos estudantes
lue foramn alipprovado.-, c os inumlros dos reprova-
dos nos examnes de sei-'acias, ultiinamente presta-
dos perairte esta Faculdade, coin deelaraclo dos
professors que attstaramn sobra a habilitacao dos
que sc inscr-rverain para oi referidos cxames.
Secretaria da F;tculItdoe de Direito do Recife
20 do manio dc 1884.
0 secretario,
Jow. lomorio Bezerra de Menezes.
Philosophic
Approvados plenainente
1 Antonio Raynunmlo -armenitu Belfurt.
2 D. Delinira Secundina da Costa.
3 Jorge Goinmcs de Mattos.
4 JoAo Eithnmnio d Brito Macedo.
5 Jos Fernandes da Silva Manta.
6 Julio Pires-Ferreira Sobrinho.
7 Jose Hugo Goncalves.
8 Luiz C valcante Lacerda dc Almeida.
9 Manoel Bastes de Oliveira.
Approvados simplesmente
1 Antonio Coelho de SA e Albuquerque.
2 Antonio Pedro Carneiro Leao.
3 Adolpho Fernandes S iAntunes.
4 Augusto da Gaino Lamenha Lins.
5 Bernardo JosC da Gama Lins.
6 Euclides Bernardo Quinteiro.
7 Fernando Tlhcoplanes do Rego Barroca.
8 Galdino P. Linsde Barros Loreto. 2,;
9 Joao Carlos Camboiin de Mendon~ayVasco-
cellos.
10 Joeo Maria Carneiro de Lyra.
11 Jos Cesar de Albuquerque.
12 Jose Ferreira Muniz.
13 Lauro-Candido Soares de Pinho.
11 D. Maria Amalia Cavalcante.
15 Pedro de Carvalho Gondalves da Rocha.
Inscreveran-so 97 :
Approvados plenamented p
Idem simplesmente 15
Reprovados 25
Foi encontrado copiando a prova I
Escreveram ponto diverse 2
Levantaramn-se da prova escripta 10
Fidtaram a prova oral 8
Idem As chamadas B7

97
Rhetorica
Approvados plenamente
1 Augusto Joss Mendes de Hollanda.
2 Alfredo Mameliano de Castro Qnintaes.
3 Antonio Jose de Mello e Souza Filho.
4 Alfredo de Albuquerque Gama.
5 Antonio Augusto de Hollanda Costa.
6 Alberto Castello Branco.
7 Dacio Paes Barreto.
8 Eduardo de Aquino Fonseca.
9 Fernando Pedro das Neves.
10 Galdino i iniz Ribeiro da Cunha.
11 Gervasio Fioravante Pires Ferreira.
12 Henrique WenceslAo da Silva.
13 Jos6 Felippe Nery da Silva Filho.
14 Joao de Arruda Falcao.
15 Juvenal da Cnuha Antunes.
16 Jos6 Honorio Bezerra de Menezes Junior.
17 Joaquim Jos6 de Faria Neves Sobrinho.
18 Joveniano Alexandrine de Souza Bandeira.
19 Joaquiin da Silva Lacerda.
20 Joaquim Teixeira Peixoto.
21 Jos6 James de Miranda.
22 Leopoldo Preale.
23 Luiz de Franaca Pereira.
24 Leopoldo Pires Ferreira.
25 Manoel Arthur Muniz.
26 Manoel Alfredo Marinho.
27 Pedro do Rego Barros Cavalcante.
28 Rtaymnundo da Silva e Cunha Filho.
29) Thomn do Rego Barros Gibson.
30 Thomaz de Aquino Fonseca.
Approvados
1 Antonio Gitirana.
2 Arthur Barreto da Rocha Lins.
3 Antonio Cardoso dos Santos.
4 Arthur Barbalho Uchoa Cavalcante.
5 Antonio Luiz Cavalcante Lima.
6 Affonso Ferreira da Roche, Leal.
7 Antonio Egydio de Barros Campello.
8 Caetano Correia de Queiroz Monteiro.
9 Cornelio Augusto Serrano de Gouveia.
10 Delphino Augusto Ferreira de Paula.
11 Francisco Xavier da Cunha Rabello.
12 Felipe do Figueirma Faria Sobrinho.
13 Francisco de Paula Lervas Junior.
14 Heraclio Gitirana.
15 Jose Gitirana.
16 Jos6 Agapito Maciel.
17 Joaquim Guennes da Silva Mello Junior. '
18 Jo-o Chacon.
19 Joao do Carvalho Soares Brandao.
20 Jo-ao Januario de Arruda.
21 Jose Helvecio de Seuza.
22 Julio Gonealves do Valle POreira.
23 Jos6 Candido Diae.
24 Joaquim Jose Qarreis de Aragj.
25 Joio. Baptista dos Aijo,
26 Joao Baptista Caray ate Liase.
212 Jorge GaUes de Aro "rsj o
28 Luiix Autgusto OarBiro-4.Mfbuyaqne iB.
2i ^Miguel IapeaUt1^^l ^ ^-uIufc.;1: '-
Sfl 1ia. ;^.n i.. An~h f fftb~ Pibkam. --


."' .. **!1f





























































.5


I4
.5

I


.3
0


S...
U


/ ~ .40a)M' ~.. S~. A ~


9 a iJ.~


_46 4010 Auguste^ da Fo e a
'4 1 J o s6Att E u s b v e si 'al l R o r* *- *.
13 Joaquim Sigueira de Arruda Fua&se

5 Joaquim artins da Cost Ribro.
16 Joaquim Martins Cesarde AmoriH.,
17 Joa Pacheco de Queiroga .
18 Joao Dianiz Ribeiro da Cunha.
19 Jos6 Felippe Nery da Silva Filho.
:20 Jos6 Thomaz da Cunha Vaseoncelloe.
.21 Joaquim de Gusmio Coelho Filho.
.:22 Jos6 Candido Fonseca de Medeiros.
:23 Lourengo Cavalcante de Albuquerque.
24 Manoel d-AOliveira Mello. -
25 Pedro Alves da Silva.
26 Raul de Lemos Bastos.
:27 Ricardo Hardman favalcante de Albuquerque.
S.28 Sebastilo Carlos Accioli Line.
W9 Sebastialo Lins Wanderley.
.30 Victor Manoel de Freitas.
Approvados
1 Andr6 Dia -,Pinheiro.
2 Armando de Oliveira.
3 Antonio Manoel de Barros AeciolL
A Arthur Alfredo Martins 8aldanha.
5 Augusto Elysio de Castro Fenseca.
6 Arthur Theodolo dos Santos Porto.
7 Antonio Espinola Ferreira d'Oliveira.
6 Anthimio Altredo de Carvalho.
19 Antonio Augusto Ferreira Lima Junior.
10 Aprigio de Moura Gondim.
11 Antonio Phantino da Silva Soare&
12 Antonio Domingues Codeceira.
13 Antonio Juventino dh Costa Braga.
14 Augusto Dionisio Gomes do Rego.
15 Amaro de Mesquita Wanderley.
16 Antonio JcsA de Mello e Souza Filhoa
17 .Bento de Freitas Guimarles.
18 Bernardo Joss da Camara Sampaio.
19 Candido Alberto Sodr6 da Motta Junior.
2u Candido Amorim Fialho.
21 Christiano Frederico Martins Ribeiro.
22 Dacio Paes Barreto.
-.23 Demosthenes Urbano Figueiredo de HMello.
24 Diogo Solomonio d'Albuquerque Maranhno.
-25 Fernando Luiz Ferreira Lima.
.26 Felinto Ferreira de Albuquerque.
27 Francisco Apolonio Jorge.
.28 Francico Benjamin da Cunha Salles.
-*2 Francisco de Assis Cavalcante de SA e Albu-
querque.
130 Piacrio de Oliveira Souza;
.1 Florencio da Silva de Siqueira VarejAm
,32 Graciliano Martins Sobrinho.
33 Henrique de Asevedo.
-4 Ignacio Gomes Ferreira.
S5 Julio Antero de Medeiros Furtado.
36 Jonas Barachisio Coelho Meira de Vasconcellos.
3T Joaquim da Silva CabraL
38 Jose Ricardo de Souza Bandeira.
39 Jolo Thomr Alves Guimaraes.
40 Joaquim da Silva Porto.
41 Jose da Costa Rego Monteiro.
42 Jose Joaquim Jorge.
43 Joao de Barros Netto Junior.
44 Jose Teixeira de So .
45 Jos6 Joaquim de Moraes Sarmento.
46 Jose Cesar de Albuquerque.
47 Joao de Carvaiho Soares Brandio.
48 Joao Cordeiro Fonseca de Medeiroo
49 Joaquim Baptists da Silva Vaz.
50 Joao Evangelista da Frota e Vaseoncello%
61 Joao Baptista de Miranda Souza Gomee,.
52 Luiz Francisco do Amaral.
53 Luiz Gonzaga Bacellar,
64 Luiz Jose Burlamaque Monteiro.
55 Lopoldo Pires Ferreira.
56 Manoel Ribeiro dos Santos,
57 Manoel Xavier Carneiro de Albuquerque Pee-
woa.
68 Manoel Cavaleante do Rego Barros.
59 Manoel Theotonio da Silva Gomes.
,0 Miguel Pinto de Almeida e Castro.
SMainoel da Motta Monteiro Lopes.
Marcionillo da Cunha Machado Pedrosa.
43 Manoel Goncalves Lima.
64 Manoel da Costa Ribeiro.
65 Manoel Marques Carneiro Leao.
66 Manoel Ildefonso Rodrigues Villars.
67 Manoel Arthur d'Albuquerque Lima.
68 Olympio Freire de Carvalhe.
69 Olympio Bonald da Cunha Pedrosa.
70 Pompeu da Silva Loureiro.
U1 Pedro Papias Nunes Ferreita.
12 Paulo Tobias Maestrali.
78 Rotilio JosA de Oliveira e Silva.
74 Raymundo Augusto Ferreira Lima.
75 Vasco de Albuquerque Gama.
76 Virgilio Cicero Carneiro Leo.
Inscreveram-se 160:
Approvados corn distinccao 3
Approvados plenamente 76
Approvados 76
Reprovados 25
Levantaram-se da prova escripta 2
Escreveram ponto diverse 2
Faltaram a prova oral 2
Idem as chamadas 20
160


1
II
1
2
3
4
5
6
? 7

10
ii
12
S .13
14
. 15
16
S 17
18
?. q


Geometria
Approvados corn distincAo
Lourengo de Moraes Freitas Barbosa.
Approvados plenamente
Alfredo Cornelio da Silva Ramos.
D. Delmira Seeundina da Costa.
Francisco Apolonio Jorge.
Francisco Livino de Carvalho.
Fortunate Roberto Guimarnes.
Godofredo Moscoso da Veiga Pesom.
Jos6 James de Miranda.
Joao Thom6 Alves Guimarles.
Joaquim de Gumamo Coelho Filho.
Jos6 Felippe Nery da Silva Filho.
Jos6 Ferreira Muniz.
Joao da Costa Ribeiro.
Luiz Cavalcante Lacerda de Almeida.
D. Maria Coelho da Silva Sobrinha.
D. Maria Amelia Cavalcante.
Manoel Gongalves da Silva Pinto.
Raul de Lemos Bastos.
Sebastibo Carlos de Accioli Line.
Walfrido da Cunha Antunes.


Approvadas
1 Antonio Manoel de Banros Accioli.
2 Antonio Augusto Ferreira Lima Junior.
3 Affonso Pinto de Carvalho.
4 Agostinho da Silva LaL
5 Antonio Netto da Silva Costa.
6 Augusto da GamAi Lamenha Line.
7 Cicero Martins Pesoa.
8 Camillo Lino de Moraes.
9 Claudio Idebarque Carneiro Leail Flho.
10 Daeo Pies Baneto.
11. Euclides'Bernardo Quinteiro.
12 Euiqae de Albuquere Auton"
19 li5 LA me Tnnns' F.rreiras da S ilva.


1 D. MAri ia.. Cvalete,
Approvados p0)aaMulte
1 Clauo IdebOrqe Careito Lo F"-illa


5 SMbastzo Carlos Amion Libw
Approvadoo
1 Agostinho da Silva Leal
2 Antonio Manoel leBarrns AccoIL-
8 Eliu Pompilio. '.
4 Jose Accinli Cavaloante de AlMbuquerque.
5 Jose6 Octavio de Freitas.
6 Jobo Maria Caruoiro~do Lyra.
7 Joaquim Martins Cesar 'd Aori.
8 Marcinillo de Borrms Lins.
9 Manoel Carlos de Gouiveia .i,.
10 Pedro de Carvalho G6onalves d a Roch.
11 Rodolpho Gomes da Cunha LeaL
12 Tranquillino Graciano de Mello LeitIo.
13 Victor Manoel de Freitas.
Inscreveram-se 22:
Distincgao 1
Plenamentc 6
Approvados 13
Reprovados 2
Faltou As chamadas 1
22
Geographia
Approvados plenamente
1 Antonio Marcellino Regueira Costa.
2 Antonio Vital de Oliveira.
3 Augusto Hygino de Miranda Junior.
4 Amelia Pedroso Benebien.
5 Alipio Freire de Salles Pessoa.
6 Antonio Miguel Nogueira de Souza.
7 Antonio Raymundo Sarmento Belfort.
8 Bernardo Jose da Gainma Lins.
9 Carlos Arthur da Silva Lcitao.
10 Eduardo de Aquino Fonseca.
11 Esmeraldino Olympio de Torres Bandeira.
12 Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque.
13 Genuino Aguido de Andrade.
14 Hearique Martins.
15 Henrique de Alencastro Autran.
16 Joaquim Thiago Lopes da Fonseca.
17 Joao Evangelista da Frota e Vasconcellos.
18 Joao Dionisio Filgueiras.
19 Jose Thomaz da Cunha Vasconcellos.
20 Jose Antonio de Almeida Pernambuco,
21 Joao Euthimio de Brito Macedo.
22 Joaquim Silverio Carneiro Bezerra Cavalcante.
23 Jose Nicolao Regueira Costa.
24 Joao ThomA Araripe da Silva.
25 Jogo Alfredo de Oliveira.
26 Joao Evangelists da Silva Frota.
27 Lourenco Cavalcante de Albuquerque.
28 Maria Augusta Coelho Meira le Vasconelloo.
29 Maria da Gloria Forjaz de Lacerda.
30 Paulino Falcao Duarte de Azevedo.
31 Pompeii da Silva Loureiro.
32 Pedro Lopes de Mendonca.
33 Raul Faustino Ferreira Lima.
34 Ricardo Hardman Cavalcante de Albuquerque.
35 Salvador Barbalho Ueh6a Cavalcante.
36 Thomaz Lins Caldas Filho.
37 Vicente da Silva Porto.
Approvados


1 Antonio Guedes Cesar Gondim.
2 Altredo Pires Falcao Just.
3 Agostinho Jos6 dos Santos Junior.
4 Alfredo Ferreira de Carvalho.
5 Alfredo Drummond.
6 Alberto Furtado de Mendonca.
7 Arthur Cavalcante de Albuquerque.
8 Aristheo Pinheiro de Mendonqa.
9 Custodio Manoel Silveira.
10 Domingos Banleira Mendes da Silva.
11 Estanislao Cardoso.
12 Eduardo Innocencio Ferreira da Silva.
13 Feliciano do Rego Barros.
14 Firmino Antonio ie Souza Vianna.
15 Fiacrio de Oliveira Souza.
16 Francisco Gomines de Araujo Sobrlnho.
17 Francisco de Paula Leivas Jmunio.
18 Godofredo Moscoso da Veiga Pessoa.
19 Gaspar Antonio Vieira Guimarmes.
20 Joao Custodio de Barros Costa.
21 Joio Gomes de Mattos.
22 Jo'o Januario de Arruda.
23 Joaquim Cavalcante Pmains.
24 Joaquim da Silva Porto.
25 Jonas Barachisio Coelho Meira de
cellos.
26 Jos6 Curio.
27 Jolo Miranda
28 Janucio Salustiane da Nobrega Filho.
29 Joaquim Felicio Autunes de Almeida
30 Julio Pires Ferreira Sobriaho.
31 Joao Luiz dos Santos.
32 Jose Martins Fiuza.
33 Joaquim Bernardo Falcao Filho.
34 Jolo de Macedo Franca.
35 Jose Nogueira de Souza Filho.
36 Joao Capistrano de Souza Ribeiro.
37 Manoel Gonealves da Silva Pinto.
38 Pedro Ignacio Themudo Lessa.
39 Pedro Paulo dos Santos.
40 Sindelpho Rupiane de Salles Baviera.
41 Tito Hygino de Miranda.
Inscreveram-se 169:
Approvados plenamente
Approvades
Reprovados
Levantarnm-se da prova escripta
Faltaram a prova oral
Escreveram ponto divers
Levantaram-se da prova oral
Faltaram as ehamnadas


hascon-



Castro,


Historia
Approvados plenamente
1 Antonio Jose de Mello e Souza Filho.
2 Amnaro Carneiro de Moraes.
3 Antonio Raymundo Sarmento Belfort.
4 Demhnira Secundina da Costa.
5 Edmundo de Oliveira.
6 Jorge Gomes de Mattos.
7 Joaquim Felippe da Costa Junior.
8 Joaquim Thiago Lopes da Fonseca..
9 Jos6 Nunes Pereia Coimbra.
10 Jos Ferreiras Muniz.
11 Joao Evangelista 1a Silva Frota.
12 Luiz Correia de QueiroI Barroe Filho.
18 Lourenco do Morane Freitas Baabosa.
14 Paulino JoIo le Seua Uello,
15 Victorino do Rego Tostano Barreto Neto.
Approvados
i1 Affoso Pinto de Carv o.
2Alfredo Drummond.
3. Amerieo Villela Pereira do iago.
4-Benardo JoA6 da Gamia Lins.
5 Custodio Manoel SilveSra.
6 Henrique Wenceslo da Silva.
Jose JFel wy da Siva Wilho.


37
41
45
12
9
4
2
19
169


12
13


lI
18
19
20
21
22
23.
24
25
26
27
28
29


V, f




Amtouie*^ Axw""y'^o^^^ide 4e^*'Albuq, OIL
G b ie 1ftkuel _- do + ++:: +,+++-


AjBwooe4 3r Jlb


Bu~oa B~e| lxw^ev^aa' **.
B e JwA 1FrYmi *wibeO ..Mahad..
i + -. .a,,,,:/.+i +++



hare Adolpbo Tacio da ostaCime.





LyBde Afanano de Albuquerque ."
Dor. 0ooOtagiaz Pinto G-uar .
Bacharel Jos6 Iaidoro 4^rtinse Juniorf .
Manoel Chrysogio da Silva Brag .


I Somma total, ,


2


1P 4 61


S11 8
i i a
iJ 12..; ^
.i ,' 2 2
2 2
2 1
1
.'^1 ." 1
:1 1
11
11 1



jj 1

106


Secretaria Ia Faculdhade de Direito do Recife, 20 de maio de 1884.


Nomnes dos proefessores que attest!
examinandos de geographia em


Nomes


Bacharel Jese Bandeira de Mello .
Bacharel Manoel Barbosa de Araujo .
Bacharel Ezequiel Franco de S .
Bacharel Joao Feliciano da Motta e Albuquerque.
Augusto Hygino de Miranda .
Ascenco Minervino Meira de Vasconcellos .
Bacharel Manoel Sebastiao de A. Pedrosa
Manoel Chrysogno d a Silva Brags .
Jos6 Ferreira da Ohuz Vieira :* i ,.- "
Manoel Alves Vianna .. .
Olintho Victor '. ;
Rodolpho Gonzaga de Menezes .
Antonio Jose de Moraes Sarmento .
Bacharel Adolpho Taeio da Costa Cirne '
Herminio Rodrigues de Siqueira. ,
Dr. Jolo Clodoaldo Monteiro Lopes .
Simplicio da Cruz Ribeiro. .
Baeharel Ayres de Albuquerque Gama .
Bacharel Gabriel Henrique de Araujo.
Ignacio do Rego Barros Pessoa.
Bacharel Henrique Augusto de A. Milet .
Rodolpho de Albuquerque Araujo .
Antonio da Silva Guimares .
Fortunate Raphael dos Sant's Bittencourt .
Padre Julio Maria do Rego Barros ,
Jos6 de Oliveira Cavalcante .
Tto Correia Cesar :
Bacharel Aristareho Xayier Lopes + .
Joaquim Moniteiro de Seixas Borges ..
Lydio Marianino de Albuquerque .
Dr. Franicisco Gomes Parente .
Somma total .


aram sobre a habilita~lo dos
fevereire e marCe de 1884


)
8
4)



,1


3
7
6
8
3
4
2
2
WI


10
--4
2
3
3
3
6
3


U





7
4
2
2
1
1
2
2
2


U U U
0 U
04 0. .5


a.. "4


U .5
~ S
0 .2


.5



13





1
2


31


I


1


1* .* ; I '2*


-1
19


1






S:12


S





~27
23
14
11
11
9
9
9
7
6
4
4
3
3
3
3
3
2
3
2
.2
2
'1
I
1
1
'1
1
*1
1

16.9


Secret aria dai4Fcucidade do DJreitol 4oP cire, 20 do maio de f18$4.

Nemoes dos professores que attestaram sobre a labilit atio dos
examinandos de algebra em marfo de 1S84


Nomes dos attestantem


I Fernando Eugenio Martins libeiro
2 Bacharel Jos6 Bandeira de Mello 4
3 Trajano Alipio Temporal de Mendonca .
4 Bacharel Clovis Bevilaqua. .
S5 Bacharel Manoel Barbomsa de Araujo .
6 Joa24uim Cavaleante Leal de Barros .
7 Bacharel Ayres de Albuquerque Gama
8 Olintho Victor. ..
9 Bacharel Jose Francisco de Fanria Sallea
10 Bacharel Gabriel Henrique de Araujo,.
11 Manoel Alve8 Vianna ,
12 Manoel Crysogmo da Silva Brags
SManoel Alves Vianna .


Secrelaria tii Facuidao de DiJreito do


4ecifo, 20 do wuaio de i


Lista nominal dos professors queattestaram sobre
dos exanitnandes de phlosepHla em marte de


Nomes dos attestantes


Bacharel Manoel Barbosa de Araujo.
Bacharel Jose Bandeira de Mello
Dr. Jos6 Sorilano de Sousa.
Bacharel Adolpho Taci da. Costa Cirne -
Augusto Hygino de Miranda .
Manoel Chrysogmo da Silva Brags .
Ignacio do Rego Barres Pessoa. .
Jos6 Ferreira da Cruz Vieira ..
Rodolpho Gonzaga de Menezcs .
Olintlho Victor o
Asceneo Minervino Meira do Vaseoncellos -
Manel Alves Vianna .
Baiharel Antonio Luis de Mello Vieira -
Bacharel Manoel Sebastio de Anaujo Pedrosa
Rodolpo de Albuquerque Ara.jo.
HerninoRodri ues de-Siqeira.
Beharel Antoniu Thomi Carneiro d a Cunha Ju-

Bacharel Aymes do Albuquwqn- G"
Dr. Joo Clodoaldo Monteiro Lopea .
B i SeiSf I .+
S^ateAftinlw .^^ lfet *1v1 .1 : *'/
B ichrel! Hez. iqueM t .'
- ha el Al OnAfdon.
Rs~szI-UOJoe6 Yeeu* Wisde*Vsmoe&lo
Joquin M.onio de Seibsw Borges.
M,(^ ^NI~fllr

5


I
=)

4)


3


00
'0i
.5


.5


,t?
0p

1
"4
S


04o
U
6$
4)
S.'
4)
14
4)
U


1 -
"4
.5
__a_





.5





I1 '


8S4.
a habliUtaioe
1884.


U


i



&


I]
1
4 a
P-


- t


0
10
P4






3
2


0
co
P5









1
2
34
10
1)


Ii*
1
1
1
1
1]
1
1 ''
1.,
-.^i


20
11
51


I 1
'* 1
1
-1
1
S1 :
I t'


i ei 'I I1 l;:l' --
a Jos6 Ferreira di .Cm ora.,
4Dr.Jereuwmo Thomdal *
S Olinto tor. .
s max"el iveia
i aschArel Adolpho T. da eodta Ciern .
8 Bacharel Ayres Gma in .
9, Angusto Higino de Mirauda
10 Bacharel Alfonso Olndense
11 Bacharel Manoel Sarboa de Araujo
12 Bacharel Arthur Orlando da Silva .
13 Dr. Padre A. A. de M. Henriqtes ,
14 Dr. Fmer .
15 Bachareh l Joaquim de Mello Rocha Junior. .
16 Tito Celso Correis Cesar. ,
17 Luiz da Cost Ferreira Porto Carreiro ,
18 Bacharel Hennque Milet.
19 Braz S. dos Santos Bittencourt ..
20 Rodolpho de Albaquerque Araujo ,
21 Conego Antonio Arco-Verde .
22 Bacharel Herminio Moreira Lemos
2 Manoel Crysogmo da Silva Braga
24 kodolpho Gonsaga de Meneoes .
25 Baeharel Joa6 Paulino Cavalcante de Albuquerque
26 Sabino Jose dos Santos Junior,.
27 Bacharel Aristarcho Xavier Lopes .
28 Marieo Catunda .
29 Bacharel Joe+ Climaco do Espirito Santo
30 Bacharel Candido Jose Lisboa .
31 Bacharel Francisco Rufino dos Reis Lima
32 Bacharel Antonio de Padua Banks .
33 Bacharel Felisberto Milagres .
34 Manoel Nettb, C. de Souza Bandeira .
35 Benedicto de Alncida ,
Scmma .


'1^


1
1
1
1


19i
19 11211 18


I Secretaria da Faculdade de Direito do Recife, 20 do marco de 1884.


Lista



T--


Nomes


1 Bacharel Jose Bandeira de Mello
2 Bacharel Manoel Barbosa de Araujo .
3 Trajano Alipio Temporal de Mendon"a
4 Augusto Hygino de Miranda .
5 Manoel Alves Vianna .
6 Rodolpho Gonzaga de Menezes .
7 Jose Ferreira da Cruz Vieira .
8 Manoel Chrysogmo da Silva Braga
9 Olintho Victor. .
10 Bacharel Clovis Bevilaqua. .
It Bacharel Cicero Peregrino .
121 Pernando E. Martins Ribciro .
13 Camerino Sobrinho ,
14 Dr. Joao Clodoaldo Monteiro Lopes .
15 Bacliarel Affonso Olindense
16 Bacharel Ayres Gama .
17 Assenco M. Meifa de Vaseoncellos 1
18 Luiz da Costa Ferreira Porto Carreiro
19 Francisco Silverio de Faria .
20 Simplicio da Cruz Ribeiro. .
21 Bacharel Adolpho T. da Costa Cirne ,
22 tDr. Jose Lomelino de Drummond
23 Joaquim Monteiro de Seizas Borges.
4Bacharel Josn Franeisc de Paria Salles
25 Manoel Cesario da Lyiva ,Jrasileiro- .
26 Bacharel Manoc Sebastiao de Aiaujo Pedrosa
27 Manoel Venancio Alves da Fonseca .
28 Benedicto de Almeida .
29 Bacharel Jos6 Maria de Albuquerque Mello.
30 Dr. Manoel Portella Junior b
31 Jos+ de Souza Cordeiro Simoei. .
32 Jos6 de Oliveira Cavalcante .
33 Bacharel Joio Elysio de Castro Fonseca ,
Somma .3


nominal dos professors que attestaram sobre a habiItaplo
dos exanilnandos de arithnetlea em fevereiro e marco de
1884.


S0 1 '
> cil*> f
S- cc cc


f "4 5 5 .4
g 4) 3 3)

"2 1~ =-~ o
2 11114I


Secret.iria dh Faculdade do Direito do Recifeo, 20 de maio de 1884.

Lista nominal dos professors que attestaram sobre a habilftavio
dos examinandos de geometria emn fevereiro e marco do
1884.

= =ow


Women do attestantes


1 Bacharel Jose Bandeir .... ,e'lo-
2 JsF Perreira da Cruz Viv.i .
3 Trajano A. Temporal de Meludoia .
4 Augtsto Hygino de Miranda
5 Bacharel Manoel Barbosa de Araujo
6 Manoel Chrysogmo da Silva Braga
7 Bacharel Cicero Peregrino.
8 Olintho Victor .
9 Manoel Alves Vianna .
10 Rodxolpho Gonzaga de Menezes
11 Fernando Eugenio Martins Ribeiro
12 Jose Cavalcante Leal de Barros .
13 Bacharel Adolpho T. da Costa Cirne .
14 Bacharel Clovis Bevilaqua.
15 Bacharel Affonso Olindense.
16 Bacharel Manoel Sebastiao de A. Pedrosa
17 Bacharel Gabriel ILH. de Araujo .
18 Bacharel Jose Francisco Ribeiro Machado
19 Bacharel Abel Peixoto .
20 Antonio Joss Duarte .
21 Assengo M. Meira de Vasconcellos
22 Manoel Cesario da Silva Brasileiro
23 Bacharel Jos6 Francisco de Faria Salles
24 Luiz da Costa Ferreira Porto Uarreiro.
25 Bacharel sAyres Gama .
26 J. A. Moreira Dias .
27 Benedicto de Almeida. .
28 Dr. Affonso 0. Pinto Guimaraen.
29 Dr. Joo Clodoaldo Monteiro Lopes
30 Bacharel Jos6 Izidow Martins Junior
31 Joe de Oliveira Cavalcsnte
2 Jos6 de Souza Cordeiro Simoes .
SCamerino Sobrinho .. .
Somma .


Secretaria da Faculdade de


Edital n.
Ie 'dPriit-
Deordem: doIUmn. Sr.istwtc


Direito do Recife,


20 de maio de I


f-E pubfico
met sera
4.. a nerca-


i de Liver-
o er 9 de
doA seado e


8
2

1

2
1


21


8



I6
5

3

2
3
2
2
1 2
1
1


1
I
I
1
1
I
1
I
133


I




C. .+


1












30


41


CL4
04
as





9
7
6
9
5
3
2
7
4
3
4
2
1

1
21


5
3
4
2
5
1
3


1

2
1


1
1
2
3
2
1
2
1
1
2
2


12








2
I
8
8
6
6
6
5
4
4
i 3
2
2
2
2
2
2
I
1

I
I
1

I

160.


;a.
0
'.4
04
0
00
~04
6


4)
.0
~0 0
.5'..
1404
4.
00


8
0


15
I4
0<
@5
0



14


4
1
1
2


I__
6 1
6.


+i
3:
4i' 1


1

1 1
2 1
1


E
*S.
pZ


1
1


1S


f,


12
8
8
7
7
7
6
4
3
3
3
2
2
1
1
1
1
1
I
1
1
1
1
1
1
1
1
1
1.


4S 11jhf j


I I I I I


-- iiI


I


^w


S37 41,


I,----I


















"osagrm gratis ae conorr
0 leilAo prucipiari 6A 10


^ ift -"'1' 1' :':" '1
partir& do am de
rardinario queodu.
1/2 hora..


aima, owaro-
xu conm er-
as parassopa
patente Rno


arremstaao corn fin-
a de Misredcordia do
--0 eserivao,
odrigues de Sousa.
sericordia do


Na Santa Casa arrenda-se por um A trees annos,
os segmntes predios :
.Rua da Saudade


40,00o
30,000
805000
185000
12500
20,000
30,4000
205000
12A000

154000


Casa terrea n. 5
Travessa de S. Pedre
SSobrado de dous andaros n. 2
Rua do Born Jesus
Segundo andar do sobrado n. 13
Rua do Burgos
Casa terrea n. 27
Becco das Boias
Ioja do sobrado n. 16
Scnsala-Velliha
Casa terra R. 18
Rua da Moeds
Can terrea n. 49
Senzala-Velha


Casa terrea n. 16


Rua Imperial


S Casa terrea n. 127 "
--Rua do Encantamento
Primeiro andar do sobrado n. 9


Rua do Visconue de Albuquerque
Caan terrea n. 61 17A750
\yRua Sete de Setembro
QGxa terrea n. 28 4801000
'^ ib Estrada do Rosarinho
si l tio n... 250S000
i Seoretaria da Santa Casa do Misericordia do
Seciek, 13 de maio de 1884.
: 1 ...... 0 escrivio,
Pedro Rodrigues de Souza.
TW hesouraria de Fazenda de
i Pernambuce
? Anremvtaqo de obras da Alfandega.
DI)eordem do Ilim. Sr. inspector se fas public,
pa eonhecimento dos interessados, que em cumn-
phmeuto a ordem do Thesouro Nacional n. 34 de
1 doe fevereiro proximo passado, se receberio ni
dia 6 dejunho -proximo vindouro, atk, 1 hora da
S do t e, pcrante a junta da fazenda, propostas em
eutas devilamente selladas o fechadas, para exe-
cnco das obras de que precisam a ponte e a co-
S berta da Alfandega desta pr-vincia, na importan-
e a de 12'3785511, cujo orcamento be acha nesta
SThesouraria A disposicao dos pretendcntes para
w r onsultado.
...Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 30 de
inmo de 84.=0 secretario da junta.
Frncisco A. de Oliveirae Silva
Sconvidados os donos dos estabelcimentos dis fre-
guezias de Afogados e Varzea, para virem A sec-
q o competent ever os pesos, medidas e balan-
was dos mesmia, no proximno mez de junho, sob
pena de lei.
S Pao da Camara Municipal do Recife, 31 de
maio'de 1884.
Jos6 Candido de Moraes,
President.
; Pedro Gaudiaao de Rati e Silva,
Secretario.

Gon010 00 Proici
Faz-ee scente pela In seccgio do Consulado aos
dnbhores coutribuintes do imposto de industrial e
profisslo, comprehendido nas taxas fixas e de
repartiao, que no dia 6 jdejuuho vindouro se
fida o prazo quo Ihe fora concedido parm paga-
mento donesmo, livre de multa, depois do qual
se pocederA a respeetiva cobrana corn a multa
do art 60 da lei n. 1736
In Secclo do Consulado Provincial, 31 de maio
SeI1884.
H. Peregrino.
Ihe New London and Brasilnam
Bank Limited
Rua do Commercib n. 32
Sacca por todbs os vapores sobre as cai-
xas do mesmo banco em Portugal, send
em Lisboa, rua dos Capellistas n. 75. oN
Po, rtoruna dos Inglezea.
IRMANDADE
DO
SS. Sacramento da freguezia de
S. Fr. Pedro Gonalves do Re.
dfe,
S De ordem do nosso irmao juiz, convido a todos
os irmnaos parm se remunirem no consistorio da nos-
Ssamatriz do Corpo Santo, As 11 horas do dis 8
do corrente (domingo), afim de se proeeder a elei-
9Io dos novos funccienarios parao anno compro-
missal de 1884-85. Consistorio, 4 dejunho de
S188&,-0 escrivio interiuo,
Joalo Leal Reis.
A ,DMINISTRAQAO DOS CORREIOS DE PER-
NAMBUCO, 5 DE JUNHO DE 1884.
i Malas a expedir.se hoje
: vapor national Pernambuo part hoje para
os portos do sul, fechando a mala dos objector
Sregistrados a 1 hora da tarde, e a das cartas or-
:dinarias as 3 horas.
'0 administrator,
SAffonso do Rego Barros.

IClub Carlos Gomes
," -Anniwesatrio da biblotheca
Scientifica-se nas senhores socios que o sarAo
'deete mez sera realisade no dia 11, em solemnisa-
oa segundo anniversario da bibliotheca deste
inaugurando-se os retratos do notavel pro-
do musical, Thomaz Jose de Lima Cantua-
e outros. Os senhores socios podem procurar
^ .seausingressos do dia 6 em diante, das 7 as 9
I lwras da noite, em mio do Sr. thesoureiro ate o
- ... a do Club Carlos Gomes, 3 de junho
-0 1o secretario,
S Andr F. da Costa.
faita Casa da Ilserleordia do
i: leelfe
il Por esta secretaria se convida a Srm. D. Maha


^ Luein Gonalves Lima para vir recolher ao coile-
daorphis suas, filbas Adelaide, Josephna e
Mu*ari que pelt resoluao da lilma. junta -admi-
uis* o 9e27 dea mio find foram mandadas
SSta Casn de Mericordia do
..4.4|e juho do 1884.-O escrivao,
Pedro Rodrigues de 8o0"a.


OP


POR


comawuulante A. E. M eli
.,k espeado
doasul no dis 14
do corrente, se-
guiude depois
d demoranecssuria paraLsboa, Southampton,
etc.
Tern optimal accommodaoes.
Pasagens para a Europa podes ser toma-
dos na ida dos vapores para o sm
Eeduejlo *os pregos para Rio
Sde Janeiro
1. classes 90M(000 e 3. classes 27#M00
0 PAQUETE A VAPOR
Elbe
Commandante Brander

E' esperado da Europa no dia9
ou 10 do corrente, seguindo de
pois dademora necessaria para

BaNa. Rio de Janeiro, Monte-
video e Buenos-yAres

Itinerario


IDA
lahida Southampton 1
Chegada Bordeaux 4
a Vigo
a Lisboa 7
S. Vicente a
Pemambunoe 20
Macei6 21
Bahia 22
Rio de aneire 26
| Santos 28
Montevideo
I Buenos-Ayres
VOLTA
(Conforme as ordens do Rio
Sahida BuenosAyres
A Montevideo
Santos
Rio de Janeiro
hCegada Bahia
Macei6
Pernambuco
S. Vicente
a Lisboa
a Vigo
Southampton
S6 tocarA se precisar carvo.


92927
.24
18 6
2i io
24 10
26 13
29 16
'5 22
7 24
de Janeiro)
17 1
18 2
7
C?4 9
27 12
13
29 14
S 21
11 28
so
15 2


Lia ova araos .stelos

llilos
O VAPOR
Guadiana
Commandante Horton
Espera-se do Rio
e Janeiro no dia 14
dejunho oqual de-
pois da necessaria
demora seguirA parsa
New.York via S. Thomaz

Preios das passages
la classes 2a classes 3a classes
Londres (via No-
va-York)..... 42.0.0 28.0.0 17.0.0
Nova-York 27.0.0 18.0.0 11.0.0
Slo Thomaz ou
Barbados..... 23.0.0 15.10.0 11.0.0
Parm passagens, fretes, etc., tracta-so com oa
CONSIGNATARIOS
Adamson Howie & C.
8-Rua do Commerelo-3
COMPANEKA PEN19AJaBUCANA
DE
NVavegai@o Costeira per Vapor
PORTOS DO NORTE
Paayba, Natal, Mac&, Mosor6,
Aracay, Ceard, Acaracf e Camossim
Segne no din 5 deju-
nho a vapor Pirapaw,
commandants Bino,
As 5 horasda tarde.
SRecebe carga atWo
Encommendas, passagens e dmheiro a frete atW
As 3 horas da tarde do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambu-
eana n. IM
companhia Bras-leira de Nave-
gaeO a Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor
Balia
Commandante 1- tenete Aurdiano Izaac
( E' esperade dos portos do
sulnath o dia 6 de junho
e seguirA depois da demo-
m ra indispensavel, par os
portos do norte atW Ma-
nios.
Para carga, passagens, encommendas e valores,
ctaeto-se na agenda
144 RUA, DO COMMERCIO-44

S.les&BrasilNailS.S.C.
0 vsporj
Finance


E' esperado dos rtos do
sul no dia 5 dejunho, e
depois d a demora noessaia
seguiir parno
Re, Para, S. Thomaz e
NeW-York
, psagens, e encommendas, tactar.-

AOMli.T.J1.1:'.:-"


E esperadoda hlhiaatt
odia 10 do corote se-
gundo depois da demora
iecosaria paso


esu, E~a, IaV, Iara, mlba da
Kadeira, IHavrce aimburgo
Para passagens, frete, etc., tracta-se corn oB
agents.
Borstelmann & C.-
RUADO VIGARIO N. 3
1P andar

pacific Steam Navigation Comipanc
STRAITS OF MAGELLAN LINE
S0 vapor
Araucania
_Espera-se da Eu-
~ ropa atW o dia 8
de junho e segu-
rA paras sn. de-
pois da domoai do
costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiry
a frete: tracta-se comos
Consignatarios
Wilson Sons dk C., IAmited
N. 14-RUA DO COMMERCIO-N. 14


0 vapor
Magellan
Eapera-ws los p'-rtof
-j dosulatO odia 5 de
junho, seguindo para
I ^ a Europa depois dade-
nmora do costume.


Parm carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comas
Consignatarios
Wilson sons 4k C., Limited
N 14- DOCOMMERCIO N. 41

P a L. sboa e Poro
A j ~Segira neates poucoI dias
SJpara os porto03 acima a barca
J2[[ portugueza Nova Vncwedora :
para carga e passaqeiros, trata-
se corn as cenosignatarios Jos6 da bilva Loyo &
Filho.
CIAIRGEUIS REUNIS
Compauhia Franceza de Navega-
SVio a Vapor
Linha qunzenal centre o Havre, Lis-
boa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro
Santos
Steamer
Vile de Victoria
Commandansite ontaine

SEsperam-se dos portes
A do sul at6 o dia 9 de


junho, iegaindo do.
ois da indispensavel



Reeebe enoommendas e passageiros, para os
quaes tern excellentes accommodanoes.
steamer
Ville de Bahia
S E' esperado da Euro-
pa atO a dia 6 de
ljumnho, seguindo de-
-- -- "- do ... is da indispenusavel
S ._pemora s paras a a-
aAte io dale s-
nclre e Nantms.
Roga-se no. Sri. importadores de carga pelos
vapores desta linha,queirna apresentar dentro de 6
dias, a contar do d osoarga dae alvarengas, qual-
quer reclnmaae concernente a volumes, que por-
venturtenham seguido parasosportos do sul, afim
dese podeirem dar a tempo as providencias necesa-
rlas.
Expamado o referido praso a companhia abo s'w
responsabilisa por extravios.
Recebe carga, encommendas e passageiros, pana
os quaes tern excellentes accommodates.
AGENTS
Auxusto F. de OliHveira


42 RUA DO COMMERCIO-42
(Entrada pela rua do Torres)


LEI!S


Ageate Pinto
Hoje 5, deve ter lugar o leilao de armagoes in,
glezas, carteiras, cefres, balances, pesos, media,
bebidas finas, e tinta verde, por liquida&eo do ar-
mazem da rua do Born Jesus n. 6.
Sexta-feira 5 as 10 horas e 10 minutes dove
partir e trem extraordinario que di passage gra-
tis aos concurrentes ao leilo no Monteiro, casa
do Sr. Mettler.


Agente


&C


Silveira


Be


'. A'5 I- --1 M
No armtazem a rua do Marque de
FOR IPTERENO DO AG
POR INTERVEN(A0 DO AGE


Olimnda

NTE


Gusmao

Leilo
ia ft" terrea n.. S da rua da
Coaqulsta

Qma~-f 50o correite
A's it horas em punto
No armazemr n. 16 da rua do Imperador
0 agente Martins, far& leilo per mandado do
Him. Sr. Dr. jniz de orphaos e em sua presenga,
da casa terrea acima, a requerimento de D. Pauli-
na Maria da Costa Santos inventariante dos bens
deizados po esa fallecido marido Luiz da Costa
Santos.______ _____

Leilao

Dn genaros Ia os W a
CONSTANDO DE:
SGingerale, limonada, soda, ehampanha, whiskey,
cognac, champanhe cider, agua de Rosbache. sal-
saparrilha, Zamini e outras bebidas.
Milho em conserve, m6lho inglez, medidas para
seccos e molhados, balanas rorianas ,pesos, 2 co-
free, 2 carteiras, e mesa para fazendas.
Quintafeira, 3 de junho


A's 1 horas
AjIINTH PINTO

No prmazem da rua do
Jesus n. n


4. leilao


Bom


e definitive


DE

CARMO E SILVA

Qunrta-fR, Mo
AO MEIO DIA EM PONTO
Poa mandado do Exm. Sr. Dr. juiz de orphaos,
a requerimento de Manoel Marques Avila, inven-
tariante dos bens do espolio de Manoel Ignacio
Avilh, corn a assistencia do mesmo Exm. Sr. Dr.
Uiz. ,
VENDERA
Um sobrado de um andar corn tires portas de
frente, varandas de ferro, corn grandes commodos,
sotao, terrena proprio, sito A rua do Bemfica n. 31,
Passagem daMagdalenx.
Na agenda de lellies
27 Travessa do CorposSanto 27

a Leilao

Agenie Britto

q9 rta.feira, de juoho
SNa rua do Rangel n. 41
A'S 10 112 HORAS "
A. oeorrer do martello
Dua. mobilias de amarello cem tampos de pe-
dra, 1 guarda-vestido, 1 guarda-louca, 1 rica se-
cretaria de mogno, 2 ricos espelhos ovaes, mesas
elasticas, e para engommar e cosinha, marquezas
e mrrqeezeIs, 1 sofa d e jacaranda, louca parm jan-
tar e almoeo, cops e serpentinas, 400 alguidares
de loua e muitos diversos objects.

Agente Silveira

SLeilao
N|IANSFERIDO PARA
Sexta-feira, 6 do corrente
SA's 10 1/2 horas
N9 hotel sit A rua do ThomO de Souza n, 5, em
unm ou mais lotes.
Garante-se as chaves.


Leilao

De bons moves, finos cyrtaes,
objecdos de, electro plate, es-
pelhos, quadros, vinhos e I es.
pingarda de Flobert
A saber:
Sexta felra 6 de Junho
*Sala de visit
Um excellent piano forte e novo de Pleyel, 1
cadeira para o mesmo, 1I mobilia de jacaranda a
Luiz XV corn 1 sofa, 2 consoles, 2 cadeiras de
bra"os e 12 de guarnigio, 1 espelho oval todo de
crystal, 1 mesa oval, 4 eadeiras de balango, 2
candieiros a gaz, 2 almofadas, 2 descanco de pes,
6 cadeiras corn encosto de panno, 1 tapete de so-
fa, 2 jarros para flores, 2 quadros grande corn
molduras douradas e 3 lancas para cortiuados.
Sala dejantar
Uma mobilia de sala de jantar de madeira de
carvalho, 1 mesa elastic, 1 guarda-louca envi-
draqado, X aparador, 12 cadeiras do guamnzao, 10
quadros, 1 cadeira alta para crianga ir A mesa, 1
panno de mesa, 1 apparelho de porcelana para
4antar, 1 dito para clhI, dito dessert, cops, ca-
e- garrafas, compoteiras, 1 apparelhode elec-
tro plate parn cha e 18 cadeiras de junco.
1' quarto
Um guarda-vestidos corn espelho, 1 guarda-
roupa e guarda-vestidos de amarello, 1 lavatorio
corn leda, 1 guamicaio e espelho, 1 commoda, 2
cadeiras de abrir* 1 balaio, 1 lavatorio, 1 tapete,
1 abide, 2 vasas para agua e 6 cadeiras.
2 2 quarto
Duas camas de ferro corn estrado de arame, aol-
ehocs, travesseire, cobortorea, ootlmados, 1 comn-
I 6c4 deiras de juneo, 1 latoio de forin e
g 2 eastiaesBe mangas e 1 tapete forro


3o


1 omrtinado, 1 baer
tori. 1 taqete forro
s e 2 castieas corn


Canmo e Silva
Leilao da semana
Seafeir, 6 do jabunho
A's i1 hora.
SMoveis, mobimias, toilettes guarda-vestido, com-
modas, pino, quadros, relogios, espelhos, can-
dieiros, icops, calix, vidros, obras de ouro, prata,
relogios, etc., miudezas, hnha., retroz, machados,
enxas, phosphoros. meiam, collerinhos, caleas, pa-
litot, costumes de casemira, e muitos objects
qne estarao patented e serlo vendidos ao corer do
martello.
Na agenela de leilles
1 2 TrayerS o0Crle0Suito 2'7

Agente Silveira

Leilao

Sabbado 7.do corrente
A'S 11 HORAS
O agent acima por mandada e assistencia do
Exm. Sr. Dr. juiz de direito da provedoria, levari
a leilao um terreno proprio no lugar denominado
Baixa-verde, freguezia de Nossa Senhora da Gra-
"a, tendo o dito terreno 18 metros e 60 centime-
tros de largura, e 24 metros e 35 centimetros de
fundo, corn alicerces para casas, e um pequeno
quarto.
0 leilao serA effectuado no minesmo terreno dia e
hora Acima mencionados.
Os Srs. pretendentes desde jA podem examiner

Leilao

De predios
Mabbado, I do corrente
AO MEIO DIA
Por alvara do Illm. e Exm. Sr. Dr. juiz da pro-
vedoria e a requerimento de Jose Antonio Macedo
Lopes, testamenteiro e inventariante dos bens do
espolio de Domingos Joaquim Ribeiro Soares e
corn assistencia do mesmo Illm. e Exm. Sr. Dr.
juiz, serA vendida por intervenclo do agent Al-
fredo Guimaraes a casa terra corn sotBo, ultima-
mente reedificada, n. 51 a rua direita, a qual acha-
se occupada por um estabelecimento e rende
400;000 aunuaes.
Para mais explicaVZes o mesmo agent dara em
seu escriptorio a rua do Born Jesus n. 45, onde
serA effectuado o leilao.

GRANDE LEILAO
DE

inmportantes predios

Segunda-feira, 9 de junho
Ao welo di
Carmo e Silva
Plenamente autorisado vendcra os seguinset
predios :
Um sobrado de 1 andar e sotao A rua do Corn-
mercio n. 7 em solo proprio, junto a Associacao
Commercial, corn fund para o caes onde embarca
a prancha em navio de qualquer callado, e a pou-
co reedificado.
. Um sobrado de 1 andar e sotao A rua das Trin-
cheiras n. 40, em s6lo proprio.
Um grande sobrado de 3 andares, A rua do Pa-
dre Floriano n. 40, em s6lo proprio.
Uma caia terrea a rua Imperial a. 125, corn 2
salas, 4 quartos, cosinha exti na, etc., solo foreiro.
Urea casa terrea a rua Set4 de Setembro n. 20.
oem 2 salas, 4 quartos, cosinha e quartos externos,
quintalgrande em s6lo proprio.
Uma casa (armazem) A rua do Marquez do Her-
val n. 7, em s61o foreiro.
Welunda-t 9 lOe 11111


Na agenda de lelloes
27 Travessa do Corpo Santo


27


AVISOS DIVERSOS
Aluga-se por preo commode a excellent
chacara A rua do Caldeireiro, no Caldeireiro, corn
magnificas accommodates para familiar, muitas
arvores de fructo e boa agua potavel. 0 sitio
estA perfeitamente murado em teda a long, area
de terrenos que abrange, e tern alem da'casa
principal, mnuitos commodos extemos pars cria-
dos, grande estribari%, gallinheiro fechado corn
grades de ferro, banheiro, etc., etc. : trata-se na
rua do Apollo n. 32, 10 andar, escriptorio.
Preclsa-se de uma ama para cosinhar ; na
rua de Gervasio Pires n. 30.
Aluga-se uma grande casa em Santo Amaro,
rua Lembranoa do Gomes n. I, muito fresca, corn
grande sotio, dous grandes quintaes murados e
corn boa penna d'ag a ; a tratar na rua da Im-
peratriz n. 32, segundo andar.
Preeisa se de umoa criada para o service do-
mestico de casa de familiar : na rua Nova n. 39.

Proveitoso
Uma pessoa competentemente habilitada n'arte
de florist, se proper a dar lig5es em casas parti-
culares ou em algum collegio, mediante modico
preo : quem do seu prestimo se quizer utilisar
p6de deixar o eu adresse A livraria economic A
runa 1 de Marco (outr'ora do Crespo n. 2) para
ser proenrado.
Aluga-se a casa n. 8 do largo da Soledade,
tern commodos para grande familiar, agua canali-
sada, gallinheiro e banheiro, e se acha reparada e
caiada de novo: a tratar na rua Direita n. 32.
Precisa-se dc dous empregados pars serving
bragal na rua do Aragio n. 37.
Ausentou-se desde o dia 26 de maio do cor-
rente anno, de casa dos seus proteetores, na es-
trada dos Afflictos, defronte da capella, o menino
pardo, de 15 annos de idade, por nome Faustino,
que se occupava em vender bolos, muito conheci-
d nesta cidade e seus arrabaldes : quem delle
tiver noticia e o levar A dita easa, sera gratifi-
cada.
Meino
Precisa-se de um menino de 10 A 12 annos pars
vender na rua, e que tenha boa conduct : na
rta Imperial n. 134I. Paga-se bem.
Ao commercio
0 abaixe assignado fas public que nesta data
eomprou aso Sr. David Constantino a sua taverns
sitsa rua do Visconde de Inhaima n. 65, livre e
[eembaraada de debito algum ; pedea quemn e
julgar corn alum direito a alguma reclamagiode
fa*el-ao abnixo asaignado no pr~o de treO diaS,
fona. miames rwealiuari tAnmwma e deoas- Por


Mafa rAa da Aonn& sees Peura--
Dr. Antonio Joaquim de Morss e Silva,, naVI
Angelica d Fonsec& e Silva, Leopoldina Carolina
da Poncca Pemeira, Anunc.iada CaUla do M-
raes e Silva e Thomaz de Aquino Pereira agra-
decem a todas as pessoas que acompanhram, A
summ ultima morada os restos mortaes de eua pre-
sada filha e irma, Maria Anna da Fonsca Per4.
ra, e ao mesmo tempo convidam a todos os ews
parents e amigos A assistircm as minss qua peb
seu eterso repouso mandam resar no dia 6- do cor-
rente, As 8 horas da maahA, aas igrejas matriz da
Boa-Vista e do Monteiro.


Mistsa fmanebres
Na igreja matrix do SS. Sacramento da Boa-
Vista v1o ser resadas missas por alms da finada
D. Maria Severina Lins de Mendonca, no dia
sabbado 7 deste mez, pelas 8 horas da manh.
Os irmaos, irmaes a sobrinho do fallecido Jodo
Luiz Victor Lieutier, convidam aos seus paentes
e amigos pars assistirem no dia 7 do corrente,
pelas 7 horas da manha, na igreja do Mentciro, a
miss do primeiro anniversario do sen passamen-
to, o desde jA ficam agradeeidos a todos aqueUes
que assistirem a este actor de caridade.
Precisa.se alugar uma escrava de boa con-
ducta para e service de casa de pouca familiar :
trata-se corn o Sr. Franc. J. R. Praa, tA rua da
Praia n, 70, armazcm de carnet secca.
Aluga-se o prineiro andar da casa n. 25 A
rua velha de Santa Rita, o primeiro e segundo do
de n. 24 a rua do Aragao, as casas terreas de n.
36 A rua da Ventura na Capunga, as de n. 1 na
travessa da Hora, e 26 A rua de Nunes Machado,
no Espinheiro : a tratar na rua do Hospicio nu-
mero 32.
Precisa-se de empregados para fabrica de
licorcs : quern pretender, dirija-se A rua Imperial
n. 227, taverna do Trave de Menezcs, que encon-
trarA corn quern tratar, das 7 112 horas da ncite As
9, prefere-se empregados de idade.

Gloria para a familiar
Triumph de arromba
Consta de fonte limpa que o Sr. bacharel Fabio
altamente collocade, foi chamado A c6rte a pedido
de seus colleges para confeccionar o eodigo civil
Foi uma escolha boa e aeertada que tiveram
Aquelles que se lembraram do nome do Sr. bachao
rel Fabio, por quanto este senhor alem do grande
talent de que a natureza o dotou, ha muito tem-
po que elabora um trabalho nesse sentido em sua
casa, ouvindo o conselho de familiar, que o tern
feito emendar certos artigos, prineipalmente an
part referente a inventario.

Ama de leite
Precisa-se de uma ama de leite : na rua Direi-
ta n. 24.
Caixeiro
Precisa-se de um menino de 12 annos : na rua
de Santa Theresa n. 30, taverna.
MOFINA
A nada disso o bruto se movia.
Ha sete annos que se roga ao Sr. Ignacio
Vieira de Mello, escrivao da cidade de
Nazareth, ha sete annos que se pede quasi
pelo amor de Deus que venha A rua Du-
que de Caxias n. 36, e naa vem new,
manda.
E' muita dureza de coraglo.
Pois devia vir ou mandar.
E se mandasse aquillo que motiva as
saudades que S. S. tern causado, nlo da.
ria lugar a que se esteja compondo urma
chula para ser cantada A viola, a qual logo
sera publicada.

Ii FRAN FORT S/MEIN
S PARIS LONDRES
5itede"'d1qjr AdeanbtwyEC.


conhecido do mundo inteiro I
com o o melhor mais perfeito S
de todos os sababs de toilette.
Especialidade.
P Estractos 6 essencias triples
Sde cheiros. Agua de Colonia. t
i- Vinagres de toilette. P6s d'ar-
Sroz. Pommadas. Azeites 6 to-
dasclasesdeperfumariasfinas. 0
S Superiores qualidades.
DOepositos nas principals Per- .I
fumarias, Pharmacias 6 Cabel- a'
leireiros do Brazil. i
edhad Progresso Vienna I
Modiaha do Progresso Vienna 1873.


,URI

Precisa-se de uma

ama de leite, que seja

sadia, Para anmame

uIma creanea. de- CO'..


T .*11,.Manoob


0


--


!l

























ti" ro1em-bar 'conformi-

Aak 4wIia venud OsB fefises bilhetei
B d eI.Ae dam 1 lotorias a be-
; iQaig8e osa sSenhora do Ro-
Bm~ario do (ra), que se extrahirA ni
6doexta-fiad cornrente.
''^^ ll'i 1
1'' Intio o. *:1, :" 1"'1, 000
Meio 1-! 1^000 1
' m Bi poipao die tOeo^Opar,
ta eil',
Inteiro 49500
/Mole 1#75000

Meio 17 W50
Joaqoim d a tU4.




Aks 4:0 HO$000@


Ibla Primeiro de Marco n, 25
0 abaixo assignado tendo vendido nos
aeus afortunados bilhetes dous meios n.
S 509 corn a sort de 4:0006000, dous
S quartosn. 316 corn a sorte de 800,000,
o inteiro n, 1,721 corn a sort de 200#,
"' doas meios ni. 2,881 corn a sorte de 1006,
S e outras sortes de 32,#000, 16# e 8#, da
S loteria (42.'), que se acabou de P-trahir,
convida aos possuidores A virem ?eceber
na conformidade do costume serm desconto
algum.
S Acham-se A venda os seus afer;nados
bilhetes garantidos da 1.1 part das loterias
a benefieio da igreja de Nossa Senhora do
Rosario do Cabo (43.a), que se extrahirA
na sexta-feira 6 do corrente.
PBECOS


Inteiro
Meio
Quarto
Em qnantl
Inteiro
Meio
Quartc


4,000
2#000
16000
Idade major de 1000
34500
1,5#750
S M s875
Manoel Martins Fivsa.


AOS 4:000000
BILETES GARANTIDOM
Pra a da Independen-

cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado vendeu entire os seus
felizes bilhetes garantidos a sorte de 1006
em 2 quartos n. 2120 e outras sortes de
32b 16# e 8#.
: C.onvida' os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
0o abaixo assignado tern exposto ,
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
43a -loteriaa beneficio da igreja de Nossa
Senhora do Rosajio do Cabo, qu( we
extrahiri sexta-feira, 6 do corrento.
Preipes
Bilhete inteiro 4#000
Meio 2S000
Quarto 1#000
Em porpio de 106y600 para
elm
Bilhete inteiro 3#500 -
Meio 1#750
Quarto 875
Antoxio Auqusto dos Santos Porto.


AHVENTUIONA.

0os 4:OO$00000
.... BIL DT GT B M OS

S 16-Rua do Cabug- 16
O0 abaixo assignado vendeu nos seus
S venturosos bihetes garantidos os premios
seguintes: 2 quartos corn a sorte de 100#
t MO n. 2120, al6m de outras mais de 32#,
16# e 8#, da loteria n. 42.
Convida aos possuidores a virem rece-
bei sem desconto algum.
Acham-se a venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 43 em beneficio
da igreja de Nomsa Senhora do Rosario Ido
o abo, que se extrairA na sextafeira, 6
do corrente.

Inrteiro 4:OO
well*>0
's endo qu tdade Sinaperior
a 100:0010
Iuitelr* $:600
el.o As: t
Joaquim Pit-s da Siwva.


e de unas coainheira
tita eato4o do E]pir


s B Afflietos,
Peiron,


ttnm aj wiina
e o sie effeito,
revem ap6s sua
ereno elkv, .
ia-se coru.aas
. Tisicos, Teos.
oisCstiiw~*s,


wee ~toueI, SR
MASWAOI4A as xwao


Cor sesm e AU m>mwinsouni, pOwc'va ou Inwtftsaum, FO
a ureri sSa, riow wa aempre. sem I .LteI aU
comva ialu=
aeg prio ag. Retd
por miw -* a A ""e suVwes 8e0on1 *ae -
CASA SAIlSaJFUNDAD& EM 16
5. MoM.jibwW svac-&Xe5U*I)1B,73, X.Tbrigp. PARB
iejtoeqPsm~mb s: Pfr.UglaiUvaalme awr.Pti



LE ROY

E o remedle mals antigo e0o.
mals universalmente empre-
gado contra todas as malesti4s
epidemieas ou outras, eausadas
pela alteraplo dos humoes.
oe prepare exluslamnnte na Pbannalcis
COTTIN, Gex= de LE ROY
tua de Seine, 51, em Paris


/ ORS hIOIOAS Allivio immediate rCra cc a
}tr NuRRYOWAS (RaA RQYE R J1
A.
^ '-^.-cT r: oo ^'r muAg Li^ <. ./-1A y-t(.irc "
fiv do-GLl^ a n*}os f Rua Sain-lortito 2?5,PAIUS.t

''^^ Dep i?* 4fna *a Pernambuxi% ^; PAJS* U. A& KUyVA CAM^
-^ Ca de eons as Falt ifigaco> I' e-sJ f*T T tf^ m *
in *ocnasG GUA D E E 'MELISS ...
w -dos' arineli1tai

MAIIi 'nio FaooeascAr Idoe CarnJwaslawo
P.&A S. 14, l-.Rua 4. rAMd y, l4, E I(3
A3 CAn, *Vqg is 0e. do ag=, a VMUoG, a COUMB, IMP-
mwtf9**inel, i. e puspeftso no qafiu swvolvo aef vldre.
3 p~es- oiztr o letreiro aeftsa e proto, em todos os t4rol,
qual f~ro tamsnbc, como taUxebm a asgiunatwa
DqL 0po~em todaa as Pbarmada d America s.


P-ERF -0RIZA ----


do L L,.E RANDj Fornwdw da Ct e da Rusa.
^g^'tSStSi^uJniii~ses ORIZA-LACTt ^' atsiwasu5r r 1


IReMZ-ORZA)
E Btnr^^ y(.X)i.f


tLPo E ULSIVA w
_n -)n LMUS apreolla
Fa a-smdae.
ORIZA-vELOUTE
lS"o p r Reata f do
0%. REVEIL. -
OmaMa. pfarea pall. 1
ESS-ORIZA
Pfmes de todle so
raMlwtbse odres &ouM.
,aqMtM ua pa

ORIZHELOU1T
Pie FLOPffd'ARROZ
P, oB avaoBido
do Puow.


ORIZA-miL, Ol.o w
mOaO xmFAR DAm rA8zsxO.&q


no|^^ quRArpto de dorrnfriuio rno oAFASMATICO QAUIER.
A S M JP%&rmagautio-hlmioo do It Clafieiseola Supxrior we Pdlls.
*-*fvuxiX^^^^^^^^ ItintulwfnaigavaohMata, aamaladMuees, lpa ara o & OmMrOB ~oe
OPP RE Z wtfS OES deoTome maih violentoo e as Oppreane mAU dolerosaa--ion
&,e faS" res gestdos. --A am recoahecidct efflaea ft feil
A empreo, que nBo fatiga o doente, justificam a preferencia que o0 8Xedf*0o
k, l W SS W 0 e doentes d ao ANTIASMATIOO OAMBICR--As gimnfo ep-
CATA^ prtn6a it noite acabam-se, si se tiver o ouidado, ao detir-se, de queimna
S_ C0TNA-S NA MPSMA PHARMACIA
Os GRIOS AINTIEVRAICOS FEBRIFUGOS GIAMER c .:i
reappswroimento doa Wevralgios, Enxaquec" W Dares do Coabepa, etc. A sun eMcacia 6 iacontestaTl r0
eres dose paizes quentes e humidos : Febrse alurela, PalsItre, etc.
Deposit Geral : Pharvmwe"i GAWBIER, em Compiegne (Franca).
Em MPea-mbniboo : '3E&A.'CXSCO 3M. da SXV-A. & Cpl.
_^ -*<*>11 .^"iir ~ ^llrJllr-llll^ ^n ll'i**1l l~ r l r r~l a ^-il-l1J* '11 1 n iiii
up Q 9 ; =oo


N


RheumatismosUGota
SCIATI&A .1.MIA IOLESTIAS Ia OSSOS ?AR&LYSL& VEL ICE ATw
NOVO TRATAMENTO (Numnro. attestados) POR MEIO 00

BAUlO ANTi-RHEUMATICO DoLAMAU
^ ~EMPRUGAJDC)10 NO OSPITJUBS DR PARIS
> yAI :1.. rua La a, .4,3 -:AZ1 1
Asolutame"te Peat% wrig", M. w eaip"MiAal, oB A.90..UA- oi
W LAUAI o5pra a. ai&i pl is 0 M6 &da ourau9o allvi6 6 imnadeitto boog
com o prierc banlao. (Um fra(s t adI ate val posta para 3 o .)
tX' E)TH CTOM PERTMIIOM STTESTADOS DE BEIDIMSfCLIEBTES
r ar e eare solega,
k 0 resultadls .v e soa b -hBii M ogo cq" cpq o oven t, ee
r a t no e .asrneu a MpecAWi do1 1 e a jeL ob aavo ito bom smhado do]Dopreo do aswMi o
Ou .,t Ma%.R-AaRAOi5f 14,. Wier', pir, r 1 h :
|De V. S.. Do em Ak-cmv t U-dDrrft (LO* Ifl- ir Dotte
fIII- S Dor tor
Sinlr. ,ao ac-aj o s6 q C o et.B a io 1"4"
| nonsut a menorflr r. m & -e s u 6m qqe so ae" m11 Ha
F i^e lS., etc. WLON6UBSAaR WA. P"la ; r0v fo Ior.arprae-er'., 'A


q 1pA.I-ALIy dLA LaA- V., W" 7 y AyPJ lp"4
T .pM' vendor, per prel.u iedicos, as segLinl*S ferragens:
t: acs findidas e batidas.
Crivaoes de divoerssos tamanhos.
Rodas de espora, idem, idem.
Dita angulares, idem, idem.
Varandas de ferro batido.
Ditas de dito fundido, de lindos models.
Portas de fornalha.
SBaneos do ferro corn serra circular.
Gradeamento para jardim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 e 8 cavallos.
Medas de 10 a 40 pollegadas de panadura.
Rodas d'agua, system Leandro.
Encarregam-se de qualqer conertos, asentamoa machinimos e
quer trabalho corn perfeicao ou prosteza.


3-


executam qual-


GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE
DE


ARRIUDA LUSTOSA &


Ce


41...Runa do Barao da Victoria...it
N'este acreditado estabelecimento se encontrarA sempre um sortimento ; re-
pleto de pannos finos, casemira do todas &s cores, proprias para costumes e calgascom-
cebemos directamente h & :,- j fazendas por todos os vapors da Europa. Brim
branco e de cores, e todas as fazendas tendentes A uma casa nesse genero I e negocio.
Apromipta-se costumes para luto em 12 horas.
: DispUe do ,um pessoal habilitado e corn os mnelhores elements para servir
a seus amigos, e a :'i}iquer pesuoa que quizer honrar seu estabelecimento corn suas
encommendas.. -- -
41--Rua do Bario da Victoria--41


BOM PHOVEITO!!
Quern visitor o estabelecimento de tazendas e roupas feitas, A rua 1.0 de Margo
n. 20 (casa filial do Louvre) encontrarA aldm de absolute lhanesa no trato, a mais
complete infinidade de artigos recommendaveis por sua boa qualidade e rasoabilidade
de.pregos, como sejam:
Meias finissimas, para senhoras, a 56000, a duzia que pechincha!!!
Ditas para home a 5,5000, aproveitem.
Brim p.trd), liso, a 360 rs., o covado, d bern born I!!
Oxford's trinnado, fazenda superior a 280 rs. o covado!!!
Fichus de li bordados a 4#000 urn, barato !!!
Colchoes para cama, de 7,000 a 12,000, convem
Grande pechincha de chales de casernira, de 5,500 a 6,000 um!!!
SExposiao complete de brings de cores a 1800, a 2,000 e 2#500 a vara.
Caminisas de linho para home a 48,000 a duzia bemrn borm!!!
Casemiras alcochoadas a 2,500 o covado, 6 pechincha!!!
Dit#s de cores a 24200 o covado, corn duas larguras!!!
Toalbas felpudas para rosto a 5,000 a duzia!!!
Sobretudos de panno piloto de 25.5000 a 284000 um!!!
Cobertas de ganga, forradas, a 3,000 e 4.,000 uma!!!
Variado sortiimento de setins .te 'ores, a 800 rs. o covado !!!
Cobertore, de fli finissimos de 5,000 a 10,000 um!!!
Costumes para banihos de mar pars todas as idades, de 7(000 a 10,000 um!!!
S ii-s bordadas pars senhoras, a 3,000, 44000 e 5#000, urma!!
Guardanapos de linho a 4,000 e 56000 a duzia,, e muitos outros artigos. que con-
vem aproveitar!!!

A' rta 1. de Marco n. 20


CASA DE CONFIAN(A
DE

FRANCISCO GURGEL DO AMARAL ft C.


~A AVIISO
Pars que o public reconhega que os queijos carimbados corn a maresa acima, im-
a seia e bern fundada garantia do recebedor, transcrevo aqui a 3. parte de suas
uc95"s sob as quaes sAo fabricados os mesmos queijos no SER-DO', cuja ispee-
6 l fieit per sns agotes, a qum compete carimbar s6mente os que recebem'
inasusdsevida n e ra-es em baixo relevo, como se verificarA
xnesambo quijo, na parts inferior a mara :up ra.


jp oveietenicid~ilasepara,1 I .-1 *^
W VWOR AO COpo
IPURIFICARO SANGUE.I

DEPOSIT GERAL
13--Rua Primeiro de liaro--tAS
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMESON HOWIE & C,
N.---3 Rua do Commereio---N.---3
A venda em todos as boticas e drogarin.

Atten~ao
Aluha se ou vende-se urn sitio a rua de Sauto
Elias n. 4, becco do Espinheiro : a tratar na rua
de Santo Amaro, freguezia de Santo Autonio, ta-
verna n. 28.

Eserava
Aluga-se urna engommadcira : no becco do Ve-
ras n. 15, segundo andar.


Precis'-i-se de umna ama que saiba cosinhar; na
rua velha de Santa Rita n. 13. segundo andar.
Precisa-se
alugar uma escrava de boa conduct nara o ser-
vico de casa de familiar ; a tratar na ra do Cres-
po n.-25, loja.


Attefao"

Nesta typograplna ven-
dem-se as obras se-
guintes e romances
AMPHIGURIS, canticos c satiras por E.
de Carvalhlio. 1 volume 24000
JEROME SAVONAROLE, volume 2000
MANUAL MERCANTIL 2s500
APONTAMENTOS PARA A HISTO-
RIA D)OS JESUITAS, 2 volumes 31000
ESTUDOS HYPOTHECARIOS 21500
EXPOSIQAO UNIVERSAL de 1873 2s000
SATIRES DE PERSE 2X000
MARINHEIRO ARTILHEIRO 1500
REVISTA mensal das decis5es proferi-
das pela rela(co da c6rtc cm proces-
sos civeis, comnmerciacs c crimes, coor-
demnadas peie bacharel Joaquim
Maria dos Anjos Espozel, 3 volumes
encadernados
APONTAMENTOS sobre o contencioso
administrative e sobre os privilegios
e prerogativas da adminiistracao nos
contracts e transacc5es que celebra
comf o poder publieo, por Henrique
do Rego Barros, 1 volume enc. 31000
STATUTEN der Koniglick Preussiochen
Rheiniselscien FriedrichWilhelmsUni-
ver sitat. Offizieller Abdruk, 1 vol.
encadernado 5.000
NOVOS apontamentos de origem allema
para o estudo das questSes relatives
a educaeAo pacional, collegidos pelo
Dr. Joaquim Teixeira de Macedo, e
publicados por ordem do S. Exc. o
Sr. conselhciro Barao Homem de
Mello, I volume em brochure 3AOM0(
COLLECQAO das leis geraes do imperio
1827. 1 volume brochado 31500
Ditade ditas de dito 1828, 1 vol. brochado 21500
Di!a de ditas de dito 1878.2 volumes bro-
chados 51000
Dita das leis proviuciaes dc Pernambuco
1875, 1 volume eneadernado 11090
Dita de ditas das Alagoas 1835 4 1872,
6 vols. eneadernados 121000
BEVISTA do Institute Archeologico de
1863 4 1872, 2 vols. encadernados 51000
ORDENS DO DIA do exereito (do Pa-
raguay) 11 volumes brochados 12$000
FALLAS DO THRONO de 1823 a 1872
1 vol. encadernado 51000
N. B. Faz-se abatimento a quem comprar
todos.

Ao commercio
Manoel da Paixao Ramos, tendo liquidado o sea
estabelecimento sito ao largo do Paraizo n. 31,
julga nada dever nesta pra~a neo fdra della, e se
alguem se jnlgar seu credor, ae apresente corn
suas competentes contas no prazo de 8 dias, no
mesmo largo n. 8


Leile de aveloz
Para cura de cancros de today a
especle
Perfeitamente couservado liquid graxo e coam-
densado, approvada pela Exma. junta de hygiene
public do Rio de Janeiro.
Privilegiado pelo governor imperial, pela effica-
cia da sua applicaoo.
Os frascos trazem o retrato do bacharel Joao
Baptista Gitirana Costa corn a sua assignatura dO
proprio punho e sio rubricados corn tinta enar-
nada pelo cirurgiao dentist Numa Pompilio.
Unico deposit em Pernambnco, rua do Baro
da Victoria n. 54, 1 andar.
Preco de cada frasco para cancros 61000
Para ulcerag5es e grannula..es do collo do
ero e cancros syphiliticos, formula es-
ci 5000
Enxofre superior
Vende-se barricas corn quatro arrobas liquids
a 8I000; no largo da Companhia Pernambucana
numero 12.
Ahugase barato
A casa terra da Baixa Verde n. 1 C.
A casa terrea sit a A rua do Visconde de Goyan-
na n. 107.
oA casa terrea sita rua do Tambid n. 21.
A tratar no largo do Corpo Santa. 19.
Bljouterias de phantasa "
Alfinetes de gravatas em 40 mnodelos, corrento!
de relogio e botoes para homes, pulseiras, alf -
netes, voltas e porta-lequcs para seahoras e aBiS
nas, models bonitos, a lmita92o de ouro; ar
tras na vitrina da loja A rua Nova n. 16, ."
Aluga-se o segundo andar do .sobrado
rua doRangel;o primeizo do den. 25 AiU
nova deSantaRita;Iacasa terrea de,.17!*
largo de Apipneos; I da travessa'da Hemn.-
pinheiro; ft Aaruada Ventura, x a& txl
tratar na rua dHospicio n. 3,
desembsirp a 41wsMque e- r4

icto de pol-os nas
gentes, deiqando I
1, pel oquapereet


It




x


ELIXIR &VINHINO
Di::tes;i~vos

TBOUETTE-PERRET
e -e PAP4lNA (Pepsina vegetal)
so os mais poderosos digestivos conhecidos atd agora, para combater as
AFFECCOES DO ESTOMAGO: GASTRITES, GASTiALGIAS
DIARREAS, VOMITOS, PESO HO ESTORAGO, M-A OIGESTAO, ETC., ETO.
S UM CAUC LO)GO DEPOIS DA COMIDA BASTA PARA CURAR" OS CSO' MAIS RB
SA venda nas principals Pharmacias e Drogarias.
VFda enm grosso em Paris :TROUB7TTE-PERRET, rua 8aint-Antoine, 16
Deve-ae exiglr Selo a*o0eso r oee sobre os Praboopua evitar as leiSt0. e
Olepositarios ee Pernambuco : RAN- M. da SILVA & (p.


_~~ -- _- & -


Wt 'xncn-u I


OMAN


w


. ..- %.



















6,06--
o teo-
o ta-
Coin*A
.Q,:m::
cont.


am tax-So. I
6o u~~


Leite de AIvlIoz {
Conservdo 'e garantide polo phaimm u -
; ceutieo
AiteonioI. VTern,
Cads vidro corn as instrucg .. 31000 fl
Os effeitos obtidos polo leite de alvel-
S loz do nosso estabelecimento, sao a me- )
lhoki5 arantia para quein desejarrter es
to rIaxedio puro.
b alm aojaeitA Peruambueaa.
Rua do Cabugd n. 11

Gallo00, It.0
aquim Francisco Vieira, professor de canto,
naa esposa Germana Vieira, professors de piano,
S teem a honra de annunciar ao respeitavel public
ar Nrambuco, que se acham nests cidade p&0s
,V nda li0es de canto (escola italians) e p eiano
54 l ehor method conhecido na Europa; quern
u04a tilisar-se de sens prestimos, pde procu-
Mi nxo hotel de D. Antonio, Caminho Novo, ou
' 4,hars .l e ome e morada no eseriptorio do Sr.
^QXemdador Luiz Jose da Silva Guimarges, no
wifta rua do Commercio n. 5.


ATTENCAO
Mathues Austin & C., na rua do Commercio
8, teem para vender madeira de pinho de
N 3X9
3 X12
4X9
n 112 X 9
. r.. I lotes ;A vontade dos compradores. precos

brilhante sem fumo
Oleo aroniatico


IfGIENICO


E ECONOHICO


PM lamla


Martins & Bastos
Pernambuco
WNmnero telephomleo n. 33
A GBAUATICANACIONAL
DE
J. A. DE CASTRO NUNES
Annotada pelo professor
J4w06 MAKATINIANO DE SOUZA
Acea-se d venda
Na Livrarla Industrial, A rua do
BarRo da Victoria n. 7 e nas demais li-
vrarias da cidade, a 1000 o exemplar
Amas de leite e para
cosinkar
Precisa-se na praga do Corpo Santo n. 19, se-
gtndo andar. Paga-se bern.

Sitio para alugar-se
-Aluga-se um grande sitio corn camb6a,
gUa de morada, quartos para criados, co-
vaeira, agua encanada, muitas fructeiras,
^cixa para capim, na Torre : A tratar na
if Primeiro de Margo n. 17,10 andar.
wo-.. ---l----ti--


DE
IGUEL WOLFF &C.G
)fferecem ao respei-
vel public um gran-
e variado sortimen-
de relogiodos mail
11 1 1 *. : !,*1 '"3 af. [t:3 *^" :11/ i"^


e se


dle-


&dis~J


wes~vautageiis Para eveommendis, cmo
rai eomos o- apparhos'comM os assen-
efsos engenhos Massauassu' e Bosque, e
meio appfwrelho no engenho Concei0o.
MACHJNIASa vapor trabalhando s6 coQn
o fogo do assentamento, podem ser exanina-
das as q!fomamassentes nos engenhos Be-
lem em Timboassu', Cuciiau, em Gamelleira,
Diamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidraqao em Pao
d'Alho, e outros no Rio Grande do Norte e


Parahyba,
Chamam -a .attenio dos


Srs. agricultores


para os novos vapore que tem recebido. do
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendampelafacilidade de conduccao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixando
de mencionar os engenhos em que os tern col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos
lugares, e por issoj'a devem ser bem conhe-
cidos.
Saio os nnicos recebedores de trilhos porta-
teis de Fowler que se tornam recommenda-
veis pela facilidade da collocacao e por sua
duraiAo.
Quanto a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agriculture, tem sempre grande depo-
sito, send tudo da melhor qualidade.
Vendem a prazo ou a dinheiro corn des-
conto.


FUNDICAO DO BOWMAN

RUA DO BRUM N. 52

PASSANDO 0 CHAFARIZ
Offerece vantagens para as enconmmnendas
de apparelhos aperfeifoados de fazer assu-
car, pelas suas rela Aes directs, e pelo bom
exito dos apparelhos que tern montado nlos
engenhos Unussu', Sao Salvador, Maciape e
Mussu', onde, corn um dispendio tanto menor
que nemn se compare corn alguns dos que por
aMi se tern feito, ten-se obtido resultados iguaes
senao superiores, em vulto de produnCo, qua-
lidade, e prego de venda.
Chama a attentao aos mielhoramentos para
economa de conibustivel que temn introdizido
nos engenhos Pereirmha, Arara e Ora desta

provini, e Boa Vista deMarauguape, aoade
corn o logo do assentamento se pro o d va.
por necessarie para a moagem.
Em m das, rodas d'agua, vapores e tedoo
maelmisuo* e ferragens precisos para



F'TuIos PARA.CAuNAs. dfT AssDtm-Dofr-m


"DAB


Vevde- uma- mcSa la fua Imperial i. 79,
miuito boaM, ei terrenoe proprio, e urnma outra junmto:
* tratar no Caminho Novo 128. Na meosa
ea* veude-n jarroa coorm artificiaes muito
bontus fe fm-ue do do "imrendaa.


Cylindros amnericnos


SPara padaria
Vendem Henry Forster & C. A rua do Commer-
dio n. 8, primueire andar, on caes 22 de Novembro
n. 2, armazem de fariniha de trigo.
Nova machine de cos-
tura


Denonmlaada Aurora
Est4 em exposiAo a rua do Bario da Victoria
n. 30, loja de Antonio Pedro de Souza Soares &
C., a nova machine ,; cose corn dous carreteis de
linha, pedendo ser de 500 jardas cads um, e
frma os dous pospontos come se fosse de lanca-
deira, e de grande vantage. No mesmo estabe-
lecimento tern censtantemente um grande sorti
mentor das melhores machines de costura de todos
os prineipaes fabricantes, a vendemrn em poro e a
-retalho sempre per pregos muito razoaveis ; na
rua do Baro da Victoria n. 30.


AVISO
Adamson Howie & C. tern para vender:
Vinho dePorto fine, em caixas e barris.
Whiskey Donville verdadeiro.
Tintsde impressalo, boa qualidade.
Brins de Marshall verdadeiros, de todes e st nume
ros.
Remedies de Ayer.
3-RUA DO COMMERCIO-3

Cambraias transpa en-
tes a 3$
E' pechincha
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, a esquina
dobcceo dos Ferreiros, vende-se peas de cam-
braia branca transparent, sendo azuladinhas,
para.Restidos a 3A a pega ; so muito baratas.

Sitio em Olinda
Vende-se o sitio denominado Sebastilo Lopes,
corn ums pequena casa de taipa, coberta de telha,
cornam muito boa varzea para qualquer plantacao,
corn divorsas arvores de fructo, inclusive mais de
80 coqueirot que dao fructo ; a tratar na mesma
Olinda 4 rua do Bispo Coutinho n. 4.
Agnardenlte de canna
Vende-se amelhor aguardente de canna que ha
no mercado, em ancoras de dez canadas ; garan-
e-se a superior qualidade : na rus a eetreita diD
Rouario n. 8.

Liquidacao a dinheiro
DE
Fazendas iNas e gressas
Arts l9 o, De r miase

o0lltro Abidso ernri a

a-Rua do Bario da victoria -3
0 proprietario deste
important estabebe-
lecimento de fazendas,
tend de se retirar
brevemente para f6ra
da provincia, resolve
vender por todo o
prefo, para acabar!
os artigos acima espe-
cifleados e outros de fi-
nissimo gosto eultimias
modas!
Nota-Wse qae esta
grande loja de fazen-
da$ has, foi aberta a
coimwrencia public,
no eonmej^o do corrente
aBB. e portanto no-
te .ade!._


Nos primeiros mezes a alimentalo maie
natural elapropriada para alimentar a crian.
9a de peito 6o propri leite materno o qua)
emn ea de nocesasidado dove ser substitdi-
do pela.
FARINITALACTEA DO DR.
FARe CHS I
A Asdem~e a pratic~sadopta"sra faiu


'00A Q@,
mo sA1.W
MX.'A- rim *% -


_. mes, w u>u mero n a oMpaga.que na-
remacretoe, coem 20 vara a 560d



15800e
Dito ,iaaeeu amesicano, faenda muito
fins auooep7dade 7at
Algodao anfestado oe 9 palmos de lar-
um pars tszerlnes de um sa pan-
sno, met a
Dito traado corn ae a medsm largura,
proprio paras lendos e toalhas do
mesa, metro a
Eramante de algodo comn 10 pdmos de
largurs, proprio pars fazer leng6es de
um sr6panno, metro
Dito frances, seado de linho, metro a
1,9800 e,
Dito inglez de quatro larguras, sezido
delinbo, metro a 2500 e
uregueflas proprias pars lencoes, to&-
ihas, eeroulas, sendo fazenda muito
encorpada, cads peg& corn 20 varas
por 1000 e em vara a
Ditas corn a mesma medida a 800 rs., on
vara a
Atoalhado adamascado para toalhas de
mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
tro a


61500
1d1000


' 900

11200

1128O

2;800


1;800


Assim como um complete sortimento de -
peW de algeditozinho americano e
inglez, que se vende per pega de 3$ atW 6;000
Isto ua loja da esquina do becco dos Ferreiros.
Casemiras de cores


De 9:000 ate 6:000 rs,
E r Ua or mllda
Alheiro & Silva a rua da Imperatriz n. 40, tern
um immense sortimento de casemira de cores,
tanto claras como escuras, que vendem a 20000,
24500, at6 6A o covado, e das mesmas mandam
fazer qualqurr peca d'obra ou costumes, per pre-
0os muito ra, oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortinmento de casemiras e pannos pro-
tos atl. ao mais fine sed! que vem ao mercado, e
dos mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer pea de roupa A vontale do fre-
guez e corn toda a perfeico e presteza : isto na
loja dos barateires da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.
Merinos pretos
a 1200, 400, 26o000o e 6200
Os Barateiros da Boa-Vista, A rua da Imperatriz
n. 40 tern num grande sortimento de merin6s pretos
para vestidos que vendem de 1;200 at. 2A200,
sendo muito b6a fazenda, assim come ditos encor-
pados para roupas de homes e meninos que ven-
dem fnuito barato, na loja da esquina do becco dos
Ferreiros.
Lihos a 160 ris
Os Barateiros da B6a-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de unma s6 c6r e de listrinhas para
vestidos, sendo a 160 r6is o covado e de cores fse,
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do becew
dos Ferreiros.
Brim pardo
Cowado a 360 rx.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo liso, proprio para paletots, calgas e
roupas de crianas a 360 rs. o covado, isto per
ter um leve toque de mofo, que larga logo que se
molhe, 6. grande pechincha : na loja dos baratei-
ros da Boa-Vista, esquina do becco dos Ferreiros

Fazeendas
Para vestidos


Setinetas lisas e lavradas, send eom as
cores e lavrores o mais honito que tern
vindo ao mercado a 500 ra. e
Ditas muito bonitas, corn barras largas e
estreitas, covado
Gorgoroos bonitos de lt, lavrados, para
vestidos, tendo de todae as cores, co-


640


vado 640
Merinds de umr. s6 c6r, tendo de todas as
cores, fazenda de gosto, covado 500
Fusttes brancos, proprios pars vestidos e
roupas de erianeas, de 440 rs.. 500 e 640
Cretones corn barra e muito encoTpados,
proprios para vestidos, camisas e roupas
de crianeas, covado a 360 rs., 400 eo 500
Chitas, grande sertimento de chitas claras
e escuras, de cores fixas, de 200, 240 at6 400
Mariposas, as mais lindas mariposas que
tern vindo ao mercade, corn desenhos miu-
dinhos, co 7ad 360
Baptistes corn delicados desenhos miudi-
nhos e graudos, assim come Ulises 200
Cambraias brancas tapadas e transparentes
corn 8 jardas a peqa 3g000
Ditas mmito finas, tanto tapadas come
transparentes, tendo 10 jardas cada peca
a 4X, 4j500, 5A e ,tM 71000
De today, estas fazendas se dao amostras corn
penhor, na loja dos barateiros da Boa-Vista, es
quina do becco dos Ferreiros.
Brim pardo
Covado a 360 rs.
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, vende-se
brim pardo llso, proprio para paletots, calqas e
roupas de crianva a 360 rs. o covwdo, isto porter
um love toque de mofo, que larga logo que se
molhe; grande pechincha ; na loja dos bara-
teiros da Boa-Vista, esquina do becco dos Fer-
reiros.

9A8ATI1 DO CBELLO

USE E VERA
Chegou nova re-
messaparaa Livraria
Franceza, a rua 1.0 de
Mar9o, n.
UNICO DE POSITO
Preco 800 rtis.

Taverna
Vende-se uma taverna propria para qualquer
prieipinte, bemn afreguesada, e o motivo da yen-
0d o done acha-se doete, na runa de Hortas n.
56 : a tratar na rua de Mareilio Dias n. 14.
I leres-iImitentesna
~madasi vul iwmente RM1t'Q


KOXATsCA
e e recot&ecdo hole'
mtst mamati '_:1"


I P eta 2iago ( l ru),a 9Am00 o
-dito.
mt do eW-malraw d dore a 18800! E'
do 24600.
Ide de cammiraso pt pare in
"erag a UM I A9 a
Udo sortlmento em las de core a 200, 80 e
Meri preto parn luto, larguMas), a 1200 e
100 o covado
Bramante trancado de uma largura, alvo e mui-
to borm, a 500 rs. o metro !
Idem de duas larguras, a 900 rs. o dito!
Brim branch n. 6 fino, a 1,500 E' nova re-
memsa.
Idem pardo lona, o mais largo que tern vindo
a 500 rs. o covado!
Peas de algodosinho corn pequeno defeito a
35400 20 jardas!
.. Idem de madapollo superior a 5W000 24 jar-
das !
Camisas brancas francezas, celarinho deitado,
36)000 a duzia! A' ellas.
Ceroulas de bramante, superiores, bordadas, a
16$000 a dita!
Lensos de linho imbanhados, a 2$500 a dita !
Meias inglezas corn bocal de c6r a 34500 a
dita!
Toalhas felpudas finas a 54000 e 61000 a dita!
Rices cortinados bordados para camas e janel-
las, a 6$500 o par!
Punhos de linho superiors, a 14000 o dito!
Cobertas de ganga para cama de casal, a 3$00
uma!


Lenc6es de bramante, idem, idem, a 24000 !
Lindissimas colxas de crochets para noivas, a
88Sp01
8dem de fustao brancas para 4;000. E' ba-
rato !
Baptistes de cores fixas e finas a 300 rs. o me-
tro"!
Cretones superiores a 360 rs. o dito Temos
claras e escuras.
Setinetas francezas para acabar, a 500 rs. o
dito.
Lindas capas brancas de pelucia muito grandes
a 74000! Mandem ver antes que se acabe.
Chales de casemira grandes corn defeito a
3O000.
Ricas saias bordadas a 34000 Sao de 64000.
Superiores sobre-tudos a 184000, assim como
temos grande deposito de ditos para trabalhado-
res de campo a 44500 eada urn, algod6es nacio-
uaes brancos e listados, o quc pedimos a attengeo
dos Srs, fazendeiros
A'S VENDAS EM PORQAO, DAMOS
DESCONTOS
Carneiro da Cunha
&C.
9--.Rua Duque de Caxias.--9


CRAVOS E FLORES
Na rua da Uniao n.

55, ha sempre para se

vender craves e flores

NOVO SORTIMENTO
DE
RiupS para homes
POR
Pre os baratissimos
Rua da Imperatriz a. 40
LOJA DOOS BARATEIROS
Boa.Vista, vendem:


Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda que so lava
Dites de panno preto fine, fazenda muito
boa
Ditos de casemira de quadrinhos e listri-
nhas, forrados
Ditos de casemira escura, de cordio, for-
rados
Ditos de flanella azul, forrados, sendo fa-
zen la que nilo desbota
Ditos de casemiras de cores claras e es-


6;006
71000
81000
8;5ooo
81000
10;000


curas iulxuA,
Ditos dc panno preto fine, forrados 10$000
Ditos da casemira preta de cordao 10$ e 12$000
Calcas de casemira corn differences pa-
droes, de 55500, 64500, 8$ e 104000
Ditas de casemira preta sedan a 8$ e 10900
Ditas de casemira dc cordao 69500
Ditas de casemira preta 64000
Seronlas de cregudlla, obra muito bern
feita a 1$200 e 11600
Ditas de Hamburgo de linho a 14800 e 2$000
Colletinhos para dentro, sendo de cre-
guella e muito bemrn feitos a 800 e 1$000
Camisas, grande sortimento de camisas
braneas, tanto trancezas como inglezas,
tanto de linho como de algodlo, sendo
de 2$, 2$500, 3$, at -- 6$000
Ditas de cretone de cor de 2$, 2$500 e 3000
Meias, grande sortimento de meias cruas
para homens, de 320 rs. o par, ate 500
Collarinhos, grande sortimento de colla-
rinhos, tendo de 5$ a duzia atW 8 000
Toalhas, grande sertimento de toalhas,
tanto pars rosto como para banho, que
se vendem por precos muito razoaveis.
Tude isto r eom grande redu.eo de preos : na
loja da esquina do becco dos Ferreiros.
Fust6esa360 440, 590


e 640 rs.
Os barateiros da Boa-Vista a rua da Impera
triz n. 40, vendem. um grande sortimento de fus
toes broncos, proprios para vestidos e roupas de
criangas, pelos preoes acima indicados : isto na
esquina do becco dos Ferreiros.
Setinetas & 500 e 640
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, A esquina
do becco dos Ferreiros, vende se um elegant sor-
timento de setinetas, tanto lisas come lavradas,
sendo as cores mais bonitas que tern vindo as
mercado a 50W e 640 rs. o covado; assim como
um bouito sortimento de losinhas lisas e lavradas,
proprias para vestidos, de 5 t at6 8(O rs., & pe-
chincha : na loja dos barateiros da Boa-Vista.

JAC4#*e 6#4000
Na lojagda rua da Imperatriz n. 40 veOe-f6
m& IOeW'a ma da0
muitos hens espartilaos p enhoras a 5A0OO,
ditos pars meninas a 4 asim como umbe,
nito sorgmento de fiehIus a 3000; isto us loja da
esquina do beeco dos Femreimo.
V eadese


. lytbognaphia da raa
Ctun) a a teatr na me


S. Botn Jeos (outr'ora
IL -1 :..: :i^ 1 "


A I


,* r


L.


I


L i'
','FarilmhaLac*a


u


1


#
















BB., ,il.i lillpt 1 t nn -,inm liin iI
^^H^.'~ ~ ~ .e um .^Wia fohiel
d" 411foa r(s Mai
"do n 'ri
Paando do vai" domino da isencia,
HB onde o facto ou lei quo ella signiffia, ain-
da 6 e sern por muito tempo object de es-
Studos s6rios, ao domini o nao. menom, vasto
do dilettantismo loviano o incompetente, a
evolnglo tornou-se, na bocca dos Iittero-
maniaoos, .alguma cousa de amelmnte ao
que 6 a palavra liberdade na bocca dos deo.
'" magogos, ou a plavra amor na bocca das
cortozls, isto 6, um termo conventional,
S urn artigo de moda, urma phrase do ocea-
l silo.
S0 resultado-6 que essa palavra tedn sido
S' muitas vezes e vai send de dia emn dia
desviada do seu verdadeiro scntido. Os
mystagogos e gnotas modernos, que a con-
sideram urna especie de Logos divinao, que
Ihe tributam um como respeito religioso, A
ponto de escreverem-n'a corn letra inicial
maiuscula, como so s6oe escrever o nome
de Deus, esses senhores tern assim eoutri-
buido para dar um caractor cabaliatico e
e incomprehensivel -A uma cousa aliAs do
facil comprehensio.
Entretantoe certo que a evoluga(o 6 a
palavra que meo" o mundo; e na phrase
de Rudolf- Gottschall, a palavra que move
o mundo, nuo p6de ser mysteriosa; estA
passado o tempo dos oraculos.
Costuma-se geralmente prouder a idea
da evolunao so nome do Darwin. Evolu-
cionismo e darwinismo s6am A muitos ou-
vidos como perfeitos synonymos. Isr:o po-
r6m nao 6 do todo rasoavel.
Stheoria evolucionista j& existia bemrn
antes de Darwin. Os dous conceitos pre-
cipus, quo entrain na ideia da evoluglo,
os conceitos de transform ao e melhora-
mento, ja eram bemrn comminum de espiritos
uotavois, anteriores ao grande naturalista
inglez. Se a justiga da historic c da cri-
tica scientific so regulasse. pelo direito dos
laponios, segundo o qual o urso nao per-
tence A quern o mata, mas A: quein Ihe dos-
cobrio a pista, Darwih., ficaria f6ra de
questAo na contends pela glorin. Basta
lembrar 6i nomes de Geoffroi Saint-Hilai-
re, Lamarck, Goethe, e atd Kant e Ker-
der, na opiniibo de Otto Liebmann, para
saber entire quern a dispute soeria entito tra-
vada.
Mas o caso aqui 6 outro. Darwin ni'o
creou de certo a theoria do evolucionismo,
por6m concbeu umn novo modo de uxpli-
ca9Ao, tanto mais aceitavel, quanto nais
apoiada na riqueza dos factos observados.
Foi principio da selecTio natitral, por sua
vezexplicada pela grande lei da concurren-
cia vital ou da chamada lucta pela existencia,
estA bella phrase, que cntretanto jA tornou-
se chapa, mas uma chapa de ouro, onde
se aclia para sempre gravado o none do
celebre author du Orilen& das especles
Corn quanto o darwinismo meja des'arte
urma nova f6rma, a ultima f6rma do evolit.
cionismo, todavia pode-se -ainda notar urna
ligeira differenca entire ambos; e essa dif-
feren9a nao se deixa melhor accentuar e
aperceber do que dizandoq .*'
^- 5~foiw e ixaIb sruieOniflo, e e emiftilUOttslC
nais philosophies. Bern entendido: Setn]
dar a esta distinciao urea importancia ca.
pital.
Quando digo que o evolucionismo 6e mais
velho que o darwinismo, s5 me refiro a
theoria, a ideia n'elle contida, nato assim a
palavra, quo 6 relativamente nova, no sen-
tido da geral applicaiao hodierna. Na lin-
gua franceza, por exemplo, a primeira ap-
pari'bo do termo evolutioniste, foi na Re-
mue des douii mondes do 1" do janeiro de
1869, segundo sou informado par Carl Sa-
chs. Na'o fallo da introducaito do neolo-


gismo na lingua alleman, porque esta pou.
de bem dispensal-o; jA tinha ha muito tem-
po o seu Entwicklung, que traduz perfeita-
monte todos os phenomenon evolucionues ou
evolucionisticos, de que fallamr francezes e
inglezes, positivistas e spencerianos.
Imports sobretudo deixar de lado essa -
p/iilosohy of epithets and phrases, como ha
pouco um articulista da Edimburg Revieu
qualificou, corn today justi9a, a ptiilosophia
de Spencer. Import acabar corn esse mo
derno alexandrinismo, qu3 convcrte pala-
evras cm outras tantas realidades.
Assim como os devotos de antigo estilc
v6m cm todas as cousas, ainda as mais
disparatadas, o dedo da Providencia, as'
sim tambem os evolucionistas descobrern
em tudo o signete da evolu9ao, ainda que
ella realmente nao exists. Conv6m redu-
zir um pouco mais as despezas da phra-
Sseologia.
Evolugao quer dizer desenvolvimento
mas este ultimo term nao esta hoje muit(
em rooda, per nao ter o ar de profundeza
e sabedoria, quo por si s6 sconfere aquella
outra expresso de citractcr mystic e oc
camente son6ra.


Isto porem nao quer dizer que cu con-
denine de todo o emprego da palavra. Cos-
tumr c quasi que dove t imbemn usar
d'ella, ainda quo A meui modo, sobretudo
no dominion scientific, na applica;ao das
chamadas ideias darwiniceas. Tenho modedo
das senten9as, que grande naturalistas
tern lavrado contra a importuna legiAo dos
danrwinistas amadores.
Haeckel, por exemplo, jA disse termi-
nantemnente : 0 que pensarieis v6s de
urn leigo, que quizesse dar iaizo sobre a
theoria das cellulas, sern jAmais ter visto
cellulas, ou sobre a theoria dos vertebra-
dQs, semjamais ter cultivado a anatomia
oomparada ?, 1... Pois 6 o que succede to-
dos os dins A respeito da theoria biological
da descendencia. Decidem sobre ella lei-
: .gos e semi-cultos, que nada sabem do bo-
R.- '- tanica, nem de zoologia, nem de anatomia
^C omparada, nem de histologia, nem de pa-
Sleontologia, nem de embryologia. 1
E o que sabemos de tudo isto nus ou-
,;' tros, homes do direito, discipulos de Papi-
niano, leitores do Corpus juris e Ordna-
foea :2 Parece-me que nada. Os meus
receios nlo alo infundados.
2 : Sehleiden tambem esereveu o saeggite:
S'. .. a E' ums provays do repugnante grosseria
-do e uto quer ajdizar de counas, sobp
-' Bb se tern a minimo conheoon.eto
6Be~ *Poiz Ps t et ue pratendam por-

-'.,,, -;
l- P I
V ,

:. -, ... .. .


8 em BUSS'mats
4t.. hsa aartica. Tan.
to Me ta. Dir-pha tflvez que todo o
darwinumoeast meminotontido n'esaas qua&
tro ou ninoc ideias. Nenhuma duvida. Mas
essas quatro ou cinco ideias abrem cami-
nho A longos desenvolvimentos, explmnagoes
e detalhes, quo s6 os homes competentea
podem fazer; e 6 este justamento o domi-
nio, onde me julgo cornm direito de ontrar.
A' vista dc immensa litteratura darwi-
nistica, posts ao alcance de qualquer leitor
menos inculto, A quern 6 que hoje nio se-
ria facil ostentar muita sciencia corn a
sciencia alheia ? E' verdade,-e fui eu mos-
mo quem jA disse,-que n6s pensamos,
fallamos e escrevemos d credit ; mas tu-
do tem seus limits, inclusive esta mesma
especie de credit intellectual. Quern tern
obaervado, diz Emerson, o mundo dos
insects, as moscas, os mosquitos, os innu-
moros parasitas, e at6 os jovens mammife-
ros, deve ter admirado o seu extraordina-
rio gosto de sugar, que f6rma a principal
occupaqAo do sua vida. Quando se entra
em urma bibliotheca ou em urn gabinete do
leitura, ve-se a mesma occupagco exercida
corn o mesmo affinco...)
E' oxacto ; por6m ha sempro A notar
quo urma cousa 6 sugar a seiva alhoia para
alimentar-se, haurir alheias ideias para ins-
truir-se, e outra cousa querer fazor figure
corn o dinheiro dos outros, respective, corn
o trabalho dos Haeckol, dos Huxley, dos
Fritz MUlller, quando nao succede receber-
se do segunda e terceira mio, recorrendo-
se A menores grandezas, como os Spencer,
os Le Bou, os Letorneau... et It reste. 0
parasitismo litterario tambom 6 uma cau-
sa e um signal de doenoa.


4'%-


'II
a'
"'. ':

|,i
f "
'' 'i.,.


to 6 certo que Haeckel mesmo nao as ex-
poe como dados de urma sciencia feita, pro-
rem como piano de discipliuias scientiflcau
do futuro. Deixando sos competeutes a
apreciag9io detalhada do valor quopossam
ter takes disciplines, quoro aqai reatringir-
me A fazer sensivel a importancia de umr
ponto. E' o quo diz respeito A pysioophy
lia dos movimentos, nao dentro da eriec
dos vertebrados, mas imitada unicamneate
ao deosenvovmoanto human' e ainda assimn
no. cirg.o da uImmanidad histories.
"'A atilb & soria. QGilhermo His, um

4; -. *
** ,^ ..
: *'. >*...'; ; ,- ,4

: :%:,:.7 1 '


lan po si, las < .. Al
mais : -a milumios qua s povos exer -
cem a circuwoido, .so que a paiut, aem-
pre do novo arrancado, tivese deaappare,
cido pela hiranna. Diante do taes expe-
riencias nao pods medrar a mao cheia de o
anedoctaa, que so tern referido em tavar
da hereditariedade dos attributes indivi- t
duaes adquiridosp...
Pars esta expectorato do oraculo, Hao- a
ckel parece ter somente um sorriso do des- c
dem e limits-so, em rapidas notas, I Linvo-
car os mestrea de danga, os historiadores,
philologos, linguistas e calligraphos, que
todos dao testemunho contrario as prbten-
9oes do His. (1) '
Mas eu creio que so teimoso antagonis-
ta do professor de Jena poder-se-hia op-
por, logo nq comego do sea argumento,
uma excepggo9 peremptoria. Corn effeito, I
elle diz : -ha millennios que o nossoporto oe
o nosso andar slo os mesmaos.... Isto po- 1
rem serA exacto ? A affirmative 6 difficil,
depois de alguma reflexao. So quer di-
zer somente que ha milhares de an&os a posi- i
91o e a march do home 6 corn o corpo C
em formal vertical, -nonhuma duvida, pois
isto nio imports mais do quo repetir quo I
ha seculos de seculos o home 6 bipede.
Mas a question e outra ; -6 saber se este
mesmo verticalismo, da caracteristico human
nidade e dos seus mais proximos parents, ]
tern ou nio passado por variages e me-
Ihoramentos, atrav6s dos tempos, melhora- i
mentos e variagoes, que sao outros tantos
products de heran9. e adaptagao.

(1) Quanto A circumcislo Haeckel con-
fessa que a influencia da heran9a nao so
ha feito sentir entire todos os povos, que a
praticam, ha milhares de saunos. Pori6m
aqui levanta-se urna objec9gao mais emba-
raqosa do que a proveniente da incorrigibi-
lidade do prosaico tegumento; 6 a que
prov6m da r'beldia da mais interessante
das membranas. Corn rceio de offender
ouvidos casts, exprimo o meu ponsamento
na propria lingua de Haeckel: -Seit Jahr-
tausenden schmiicken sich die Madchen
mit derselben jungfri'ulichen Blume, die
der rohe Mann immer wieder eutblittert;
und doch ist das Jungfern-Hautchen im
Lauf der Zeit nicht nur nicht verschwun-
don, sondern vielraehr, wie es scheint, je
hoher sich die Menschheit entwickelt hat.
desto mehr hArtlich und widerstrebend ge-
worden.-Nao quero gracejar; o assump-
to 6 serio.
Segundo o bello hemistichio virgiliano
et vera inceesu patuit dea, 6 do crer que
os antigos julgavam conhecer os douses,
ou pelo menos as deusas pelo modo de pi-
zar. Este privilegio divino e 6hoje porem
bern commum da maior parte das mulhe-
res de educato. Actnalmente se distin-
gue, s6 pelo andar, o home das cidades
do home dos campos. A mulher rustic
se caracterisa sobretudo por um certo pe-
so corporeo ; nlo possue aquella rapidez
de movimentos, que assignala a moqa do
fino trato, desde os musculos que. descer-
ram os labios, par occasiio do riso, at6 as
contracoes e oumpa.xaoB ondul-a-aa que
agitam o cowo, nVB vortiee de urea wsa.l
Ora, estas differena!moodo de exer'er
a motricidade, qua corresponded a outras
tantas no grio de cultura, ap'eciada em
sua totalidade actual, accentuam-seo mais
claras, quando as consideramos em rela-
9'ao As phases sucoessivas do desenvolvi-
monte human.
E' inademissivel que ha trees on quatro
mil annos, a mulher, esposa ou filhb, que
brilhava no pago dos phara6s, ainda quo
fosse a bella salvadora e educadora de
Moys6s, tivesse a mesma graca, a mesma
conssonancia de movimentos organicos das
que refulgem nos salvos actuaes. Um


O process da evolua.o emotional e
mental do homemr 6 o mesmo process da
civilisacao, da cultural humana em geral,
encarada pelo seu lado intimo. 0 conhe-
cimento d'esse process 6 sobretudo um
conhecimento historic.
A evolugao emotional e mental constitute
pois urma das parties ia historic evolutiva,
dos series organicos e vivos. No dominion
das scincias naturaes toda a historia.evolu-
tiva, segundo Haeckel divide-se em duas sec
5es0 : a ontogenia e a phylogenia, confor-
me se trata do desenvolvimento do indivi-
duo, ou do desenvolvimento do troneo ge-
nealogico. Assim a seiencia das formas
organicas ou morphologia tem urma dupla
face: -como morphogenia, occupa-se do
desenvolvimento formal dos individuos or-
ganicos ; como ,wrphophylia, da historic
genealogica das forms ou desenvolvimen-
to paleontologico das especies, morphica-
mente apreciadas. Se bom comprehend
Haeckel, dou A mim mesmo a scgainte ex-
plicagto :-a morphogenia estuda, per oxem-
pio, no home, como no individuo, o des-
envolvimento das forms organicas, desde
o mais infimo ate omais alto estadio da vi-
da embryonal; a nwrphophilia estuda no
homemn, n.mo especie, o desenvolvimento
d'essas mesmas forms, sded aquella sob
qtt deveram manifestar-se os primeiros ,es-
bo9os da humanidade, ate as que hoje E1
observamn nos grlos superiors da evolu-
9ao morphologica, onde a sciencia jA en-
contra na belleza plastic, peor exemplo,
de um corpo de mulher, alguma cousa de
dysteleologico, on irregular, muito al6m do
quo e precise para o fim restrict) da pro-
pagago da especie.
Se estes dois ramos da morphologia, no
dizer do grande professor do Jena, ainda
nao chegaram so grau de adiantamento,
que 6 para dezejar, muito menos adlianta-
dos se acham os dous ramos correspon-
dentes da physiologia, que elle design por
physiogenia e physiophylia, segundo aquelle
mesmo duplo ponto de vista, nao quanto
as forms, pore6m quanto as funcu es.
0 segundo ramo sobre tudo, na physio-
phylia, ou phylogenia das actividades vi-
taes, Haeckel consider come ainda quasi
nalo cultivado, so bemrn que omin alguns pon-
tos ja' te ha feito progresses notaveis. E'
o caso corn a phylogonia da linguagem, co-
mo ella form aetualmente o alvo principal
da linguistic comparada.
Entro aqui em terrano sagrado, e come
profane, quo sou, -para naio ver-me obri-
gado a tirar os mous sapatos c beijar o
chio em qae pizo, recuo e pass per f6ra.
A physiologia nao esta na minha algada.
Eutretanto nto posso veneer o dezejo de
fazer umas ligeiras observa9(es, que n~o
demandam conhecimentos profissionaes.
Rsferindo-se a physiophylia em geral,
Haeckel diz:-otQue monstruosa extonsiAo
nos apresenta este dominie ainda to po'cWo
estudado, quando consideramos quo qual
quer actividado vital, qualquer ftunce-)
physiologica nos animaes e nas plants,
bean co0o nos series humans, tem a sum
historic propria, qualquer delias se ha do-
senvolvido historicamiente! Quo interes-
sante object do indaga io offerece, por
exCempIlo, a phylogenia ou mais exactamun-
te a physiophylia dos movimentos Quao
attrahente o instructive sc mostra estepro-
bleina sa; dontro da seric do3 vertebrados,
onde o andar e porte recto do homemd 6
rmmontavel A loeomocao dos macacos arbo-
ricolas, c mai, adiante A dos outros m Li-
miferos c quadrupedes! A locomo~fo des-
tes 6 per sua voz herdada dos amphibious,
quo ora correm, ora nadam, c que sahi
ram dos dipneustas e peixes, habitantes
das aguas. Nested ultimos ento o movi-
mento do remo das barbatanas apresentar-
se-ha come a formal primitiva, donde pro-
veio a fune9i'o loeomotriz do home ,
Nao Sei so me engano, mas me parece que
ha nestas talavras urea genial largmioza de
vistas, tanto inais digfas de reflexito quan-


S0autor quor e a. de citar, fas a so-
pxinte comrpIJo, esoaremdom e ins-
ructiva :--; NS heite tenebroas do into-
rior da montanha, trabalhavam minadores
em perfurar um lado do monte Cenis.
DJ lado opposto outros se occupavam em
igual mister. Ambos sabiam quo um dia
haviam de oncontrar-se, por que o enge-
aheiro tinha determinado as suas direc-
90es. De maneira analog os naturalis-
tas trabalham atrav6s da noito do millemios
passados, divididos em dois grupos, frente
a frente um do outro. Elles sabem tambemn
que um dia hao de encoutrar-se, por que
a sciencia Ihea tragou a direcelo A seguir.
Alli, parto-se do ponto minais longinquo do
passado, da epocha dos primeirosseres vivos
sobro a terra, e acompanha-selo seu desen-
volvimento continue at6 a origemin do ho-
mrem. Aqui por6m toma-so coinom ponto de
partida esse mesmo home, tal qual elle
se mostra aotualmento, e egue-se a sua
historic em sentido regressive por mcio
dos documents, das tradi95es, dos monu-
mentos qua resistiram A acglo do tempo,
emfim por meio dos signaes guardados nos
ultimos leitos da forma~go geologic. Se
A final, e de que modo, estes dous grupos
do trabalhadores, no rompimento das es-
pessas sombras do passado, encontrar-se
hao um corn outro, ainda nao 6 tempo de
dizer ....
Aiuda nio e tempo de dizer, isto affir-
ma um progono, e tanto basta para iauti-
lisar a pretenglo dos epigonos, que jA se
julgam munidos de todos os dados neces-
saries para, de uma asisentada, absorverem
o estudo do homernm e das sociedades des-
de as suns origens .mtis longiquas at- os
nossos dias. Neste numero estA, entire
outros, o sociologo Gustavo Le Bon, cuja
obra L'homme et les societfs, semelhante a
uma dessas mulheres, que aponas interes-
samin pelo diminutive dos p6s, visto qu- o
resto 6 vulgar, s6 tern do moritorio a ta-
ble des mintiires, quo 6 de certo promette-
dora e imponente, mans em v;Lo...
Nos meus annos de curso academic ain-
da alcancei a noticia do uin facto, quo di-
ziamn ter-se dado cm uma sabbatina. Cer-
to estudante respondendo A arguigao do
seu college, niao sol sobro que material,
entendeu dever appellar para o passado,
e disse convict: nio procisa ir muito
long, basta o exemplo do Adam e Eva ;
ao que o lento acudio: o queria uma epo-
cha mais remota? 0 caso nAo doixou de
produzir impressiao comica, e foi entao
objecto de inuitos cominentarios. Eatre-
tanto es tempos mudaram-se, e quemn
quer que hoje, lendo a obra de L-3 Bon,
usasse daquella mesma expressao, nIo se-
ria digno do riso, pois que o sociologo
francez par.a estudar o honmem c a socic-
dade, para tratar do direito, da religiilo,
da moral, da industrial, comneou polo pro-
topI:Lsofm !... Alain o Eva sl.a de hon-
tom. O dois grapeso de trabalhadores,
do que fall Schlileidcn, o francez reunio-os
todos em sua cabega !...
N.o so me opponha, a vista de minhas
sympathies haeekelianas, que tambem u
autor da Naturtiche Schopfhngsgeschiclett
comegou de muito long. Sem duvida;
mas elle esbarrou no home; ainda nabo
transpoz os limits da historia natural, para
fazer soeiologla. te itrc qa alvos, pare
ondo se dirigo a Entwckewimgsgqeschicete,
elle assiguala, como discdplina do future,
uma sciencia quo occupar se-ha do desen-
volvimento embryonal dos troncos, faimilias,
3ommunas, Estados, e A que dA o nome
de cosmogenia, nao 6 do crer por isso que
.elle ja tenhar essa sciencia como assentada.
;Quem prohibe ao m09o de hoje, que ainda
nao torn filhos, declarar que a sua primei-
ra netima chamar-e-ha Diotima ou Gna-
thenium, Terpsycore ou Melpomeneo? Poi
o caso 6 semelhante. Por ora,--somente
nomo.


Voltemos ao centre do assumpto. A ex-
pressao-evolurao emotional, quu legitims
spencerilana, podia ser muito bern, sem que.
bra de honra substituida por esta outra, nossa
velha conheeida--doessenvolvimento da sensi
bildade,--assim como a sua companheira,a
evolugao mental, nada tambem perdia, des-
pindo a roupa do gala o tomando o trajo
commum de... desenvolvimento da intelh-
genciat. Mas fiquem as novas phrases, con
tanto quo o seu ar de novidade nio se im-
ponha aos espiritos irreflectidos come umd
oonquista ou urma descob-rta.
0 'studo da emocionalidado ec mentalida
de do home tern duas faces: urma in livi-
dual e outra especifica ou para empregai
ainda aqui as cxpressocs de Haeckel--uma
ontogeniea e outra phylogqenetiea. A evolau-
9ao ontogenetica de ambas oa de qualquei
das duas mauifestagoes da vida, comquan
to de muita importancia no puro dominic
da psychologia, comino ella deve ser estu
dada, e como parece que Condillac jA ti-
nha um certo pressentimento no sea sys-
tlhemua de sensaires transfrmnadas, t davia
nao 6 a que mais nos interossa no dornminc
da historia. Aqui o ponto capital do irdaga-
9iao 6 a phylogenia das emino3es e das ideias.
Ha uui problems muito maior e ,uii:
penoso, do que 6 para o astronomo catalog
gar estrellas na imninensidade do ceu, ,.
para o philosophy cathalogar phenomonos.
que succossivamente emerge do fuindo de
alma, atrav6s da escuridi'to dos stculos. A
evoluigo emotional e mental da humanida
de form-a uiaa immonsa cadea, cujo primuei
ro 61o... quern poderai conhecer e dutinir ?
Conjectura-lo apenas.
No principio era o ovo d. ouro,-- dizem
as fontes da sabedoria brahminica. NAo hi
mist6r do remontar tio alto. 0 evangelhc
da philogenia emotional e mental tern uim
introito monos pootico e nmaiis modesto. Nc
principio..* era afomreeo amor. Estes, doi
aguilh~os da ferocidade animal, que Schil
lert disse, bemrn que corn algum exagero
ainda hoje seremn os unions sustentaculo.
do odificio do mundo, 6 do crer quao fosseiTr
realmente as forgas originarias da cultural,
.de toda cultural huuiana. Nom, se conceba
que outras m6las'podessem mover ohomenm
primit ve, a1om desses dois impetos psy-
chieos, reduotiveis As duas capitals faunc
$.s organicasm.da nutrigio e dab propaga
l. Etes- formam, por assimA 4ier, as
rSzSM da arvore g eogioa da vida 0en.
sivel e intelletual. '-
Max o que ha domains diffied netOas
.mmpto, nUo 6 d4Ouinar o ponto de par-
a-.. .,o poato deoe t-
imitivoe o ta&o ^B^

'c- ~ c
.


u Owl a ontrusa cadga, cuos anns o
oontam por milennios.
0 problems se"'complica tanto mias,
quatAo 4 certo que o estudo dessa evolu-
911, em muitos casos, isto 6, em rela9go A
muitas epochas, nao seria um estudo de
psychologia, mas de psychiatria historic.
Nelle poderiarn encontrar-se, como diz Mo-
ritz Lazarus, o ethnologo, Q historiador e
o alienista, comrn reciproca vantagam. Ver
se-his que nao raras vezes o pro-cesso cul-
tural nao tern sido mais do quo um pro-
cesso do deshallucinagJ'o, desde o primeiro
estor9o para veneer a pantophobia infantil,
quo levava o home a ver por toda parto
ospiritos perniciosos, no fusilar do raio, no
silvo do vento, no ruido das arvores e das
aguas, at6 o trabalho actual de acabamen
to dos ultimos phantasmas da rasco mal
educada. Aprender,--emn summa,-- 6 desil-
ludir-se. 0 systhema de Copernico desillu-
dita o espirito human de urna van image
dos sentidos. Isto mesmo estA do accord
corn o fa to e significanco da experiencia.
Esta foute de todo sabor, a chamadamestra
da vida, 6 mais negative, do que positive;
ella consiste mnenos em adquirir verdadeiras
ideias novas, do qne em arredar velhas e
falsas ideias. Nao 6 em vao, mas antes corn
muito senso, que o home experitnentado
costuma fallar das suas desillus7&es.
Aecresce ainda urma ecircumstancia;--e 6
que, nio obstante o long decurso das ida-
des, grand numero de sentimnentos pare-
cem ter ficado estacionarios, c de um modo
iuais anomalo do que so observa no domi-


de qu a paiavra do g no' ^ i^ ^
logo a respeito da a
ha *mais de Uam anno poelo actual
do ParA.
Laments que 1 Sr. ministry do I
nao quizesse entlo informar ema 'cam :
bre o procedimento do governor Amereo d*
acontecinmentos do Parl, talvez por ''' '-
achar embaragado corn esse atropello do '
irregnlaridades corn que S. Exc. quer re
duzir a misoeri todas as ordens rigiosa.,' .
Comeoa prevenindo um argumento 4-
phistico corn que so tern procurado illudir
a opinilo public, isto 6: ha no ParA duas
assembl6us provinciaes, como pode o go-
verno resolver qual 6 a mais l1,gitima?
Mas o que 6 incontostavel 6 quo ha alli
uma corporagio legitima organisada de
conformidade corn o acto additional e corn
o regimento da assembl6a provincial a umr
grupo illegitimo; se o governor nao tom.
competencia para discutir em grAo de rw
curso, nio pode deixar do ter conviucao
sua; assim o president da provincia, corn
todas as informag95es que tom a respeito,
devia reconhecer a assembl6a organisada
legitimamente e comnparocer perante ella,
atiim de so cumprir a lei.
Responde a apartes que, so a assembl6a
quo se intallou no edificio proprio, compos-
ta do dezoito conservadores, fosse illegiti-
ma o president da provincia alo so sen-
tiria embaragado durante um anno, em
nao assistir A abertara da assembl6a libe-
ral.


nio intellectual, onde tambem o progress E' necessario attender aos antecedentos
tem sido parcial e incomplete. que prepararam as occurrencias dadas no
DR. TOIIAS B. DE MENEZES reconhecimento dos poderes dos membros
(Confenti). I da assembl6a provincial do ParA.
__O_ roador record esses antecedentes, a
1 V C BTA G lAL noo saneaio pelo president da provincial
A uLfEDBLLA bERluR da lei do orgamento, bem como oas facWs
Camera dos Depuutados- ,escandalosos occorridos durante a elei9ie
amara dos Deputados da noassemb/ea provincial.
2& DISCUSS'O DO OR(,AMENITO( DE FAZENDA da nova assemble provincial.
0 president da provincia convocou a
SESSAO DE 21 DE MAlO asscmbl6a para o dia 7 de janeiro, afle-
Se o governor qucr equilibrar a reccei- gando a falta de orgamento, a falta do
ta corn a dcspeza, o oranlor aconselha que carnet verde e a epidemia da variola. No
corte essas despozas aunuas, p jr agora; dia 5 reunio-se a assembl6a em seslo preo
depois d'este passe podcrA fallar em im- paratoria pars a verifiea.ao de poderes,
postos, antes n~io. nias desde a vespera fallava-so em tu-
Mostra o engano do nobre ministry, di- multos pars o dia seguinte. Foi eleito o


zendo quo os impostos do guerra forAn president para as sessies preparatorias,
todos supprimidos, quando alguns sa'o con-! mas os liberaes em minoria corn um fim
servados at6 hoje e outros reduzidos ape-I premeditado fizerain entrar no recinto e
uas nas respectivas taxas. tomar assento dousindividuoi, nao diplo-
Observa que 6 estribillio d'csta situa9aoi mados, que quizeramin tomar part nas do-
attribuir as difficuldades tiuanceiras A libera9-es o votar. A minoria liberal apro-
guerra do Paraguay, quando esta n;io tem veitou a uonieaaIo dos secretaries pars
hioje a menor r,-.sponsabilidade polos des- reclamar, propondo o president entibo quo
equilibrios do orgamento, porque as des- fossem esses eleitos] na fotrma do r.ginmen-
pezas corn ella feitas acham-se pagas corn to; hove nova roclamagAo e quando ia se
os recursos creados paria a mesma guerra; proceder A cleigito retiraramn-se os liberals
essas despezas podIoe ser calculadas em tfazendo um protest que o o seu corpo de
3 o00,oiX tsf00r(ae. delicto-
NAo contest quo foram grandest as Dos liberaes reunidos s; 12 eramin diplo-
despezas coin a scea do Ceara, mas nfloI mados, havendo duvida sobre a eleicio de
temrn a iminportancia quo sc lies quer dar; tres, mais come pretisavam de 16i pars
sLo 7,Oli001):000 repartidos per sete exer- tunccionar inventaram mais ain A ultima
cicios, isto 6, 10,00)0:000,5 per exereicio, o hora e depois reconheceram officiosamente
quo nao tern umi influeneia grave. 14 conservadores, para poderem traba-
Acha a causa principal do desequilibrio lhar.
financeiro no desperdicio dos dinheiros pu- 0 president nomeado p)r essa reunilo
blicos e nosgrandes dispendios corn ga- foi Vicente Germa'o de Miranda, cidadlo
rantias de jurors e despezas de construe- turbulento e protogonista em todos os acetos
9oes do estradas do ferro; einquanto quo de violencia da provincia do Para. Mas
eatas no tin, dado os resaltados quao so o presdente da provincia adiou a assem-
-esperavainm; a da Bahia nao fomemtou a bl6a paras o dia 15 de outubro e ficou go-
riqueza da regi'ao que porcorre ; a do D. vernando scm lei do or9amento, cobrando
Pedro II, aqui mesmo ao sahir da corte, impostos, e fazendo despezas e contratos
ainda existed os terrenoas baldios que ha-1 onerosos para a provincia.
via antes, e se aproveitou ao valle do Pa- Pergunta se o governor pretend con-
rahyba, em compensag9io arruinou dez tinuar a illudir a opiniaio public emquan-
municipios, desde Paraty at6 Mag6; c a to o parlamento esta aberto, e a protrahir
de Pernambnco acha-se no mesmo case. illegalmente uma media em que seria me-
Nega, portauto, que o augmneuto da ri- Ihor ceder.
qneza da paiz seja devido As estradas de Diante de um ajuntamento illicito, quo
ferro; pergunta em que concorrem fs es- devia ser dissolvido at6 pela policia, o que
tradas de ferro pars o augmanto da ruenda fazer o governor ? Continuara a tolerar o
proveniente da gomma elastic do Para e sen delegado ?
do algod.o do Maranhiao. Do duas urma: ou o governor sabe qual
Tinha ainda outros pontos a discutir 6 a assembled illegal, ou n.o. Seo niao
corn o nobre ministry da fazcnda, mas a sabe dove convir que 6 inepto, e so a sabo
hora estA adiantada e nao quer privar o oentao 6 umrn covarde, quae no quer assumir
seu college de bancada de dirigir ao go- a responsabilidade da providencia que ao
verno a interpellaqto que annuncion. seu delegado competia tomar.
Antes, porem, de conc!uir, declare ao Prefere que o governor fa9-% arbitraria-
nobre prozidente do conselho, que o de- monte a sua assembl6a, do que continuar a
noinnou prophets sinistro, quo corn effaito dar ao paiz o escandalo de urma duplicate
o 6, porqueo tomou ao serio as explica9ges de assembl6as, quo a6 facto virgem em a
de S. Exc. sobre a situaa;io financeira; I nossa historic political. 0 procedimento
mas hoje dirA que a situa~ao nLo 6 pros- que aconselha seria inais nobre, o teria suan
pera, quo 6 precise mais seriedade nas me- sancea'o no correcti.vo da assembl6a geral,
didas a proper, queos moios heroicos que quando the fossem suieitas as lois provin-
S. Exc. annuncia nio se faiiam esperar. ciaes no case de ser installada a assembl6a
SerA prophets sinistro, porque at6 hoje illegal em vez do legal, pois que seinelhan-
niao se tein deixado le ar per essa mira- tes leis niaoe seria n approvadas.
gem enganadora, que tern cavado a ruina I Corn referencia so 2' quesito, pargunta
das finangas e atirado o paiz A borda dos ao nobre ministry se acha simple quoe.o
emprestimos que se succedem. president da provincia fa9a contratos na
S:ra prophets sinistro, porqaoue ten o! importancia de cerca de 600:00 )-, e al-
patriotismo de dizer que, ao mesmo tem- gaauns dos quakes provadamente rainosos,
pco que o g)verno nao pensa na transfor- cOmi.j do forneeimento da care verde.
maiao do trabalho que devia preoccupal-o IAntes de concluir declara que, referindo-
seriamunte, 6 facil ema atirar-se a dspe Ise ao Sr. Bargo de MaraeajA nalo dispute o
z ks como aquellas quo hoje se votaramn, cavalhoiro a quem acata, mais os actos-da
contando corn una renda quo sabe oom suo administrag3o que reputa desacer-
certczi quo vai cessar, entroten.lo corn 1 tados.
esperan9as fallazes a praga, quo continfi Emn urma conferenoia havida corn o ac-
orn cruise, quando o cambio se acha a 20 cordon de S. Exc., a respeito da qu. stto en-
d., quando os titulos da divida publics tem tre membros conservadores o liberaes, por
baixado e os dos bancos vato baixando, o part destes houve a. prop6sta de umL nova
quo 6 prova da descontianga da popula9iio, verificagao do poderes de membros da at-
quo a linguagem do nobre ininistro da fa- j sembl6a provincial. Ma- 3 os conservado-
zenda nAo podo destruir; porquc nem S. res, couscios do seu direito, nao aquieceram
Exe. ao menos allude a este phenomeno a somelhante proposta. que nito Ihe offore-
ds renova9?[o do trabalho para recommon- cia garantia alguma.
dar mais cautelia na decreta~ao de des- O orador espera do nobre mrnistro as
pezas. uecossarias informa95es, e as providonciaa
Conciue desejando que o cco desminta as que S. Exc protende tomar sobre o facto
suas prophecias, e qimauto A da dura~ao do anomalo a quo se tern referido.
ministerio, podera chegar a um accordo 0 Sr. Silva Tavares requer e a camara
corn o Sr. president do conselho; e o quo approval urna prorogaito do 15 miBsfos.
S. Exe. nito esteja no poder por alguns .0 Sr. Joaquim Tavaros (pea ordem) re-
dias, mas por unia oternidade. quer, o a camera concede, prcrogaco da
A discussao flica adiada pela hora. hera.
INTERPEhLAAO AO E[b. ^i3"TRO DO o (sr. Aatunes Macele (miniatro
iPERIO do inpeio) observa que nabo 6 esta a pi-
Eatra'em discussao a interpeilaca-. do meira vez que nas diversas provinc...o
Sr. Mac-Dovell lo Sr. ministro do imperio, nmperio so dA. a imregulanidade, ags *
sobre questeas .elativas a assemblea legis- tada na assemblea do Parn; e todo .
lativa da provincia do Para. orsos, membros do parlaernuto : .


0 Mr. Miac-Dovell sento succeder Iheiros de estado sao de a-o
na tribuna ao Sr. Audrade Figuaira, que, que 'no compete ao governor oui
corn a profundeza do sous conhecimentoas dentede da pfbvincia, n'wu caowA
fnanceiros, acaba do proferir urn brithan- seneo o ever do reatp i|
to disurso ; e aiaida mais porque fallas in ssembl6as proviaae, C,
eam horta tao iaatada, quo se ve obrige- na versilcs da p.daerp -
do, s6 polo eamprimento do devoer, a od- bros. : '
a W a Wa t otie seas illustres 61fite- O j-
Ty.d


" *-, *.
]' ^ ^ "*. *^^..,.-
'- % ;"' *^ *. I'' -''


.'t '^~- ''.*'* :,'r' i' f : ... ^ '' A --.," *" *A
-I-~- ~1 ,-. :...'= :.


4.a .4.-a -


prog.easso, portanto ; e este progress nio
podia dar-se semr a lei da hereditariedade.
Ainda mais; s o ,fugitive instant de
abrir e eerrar os labios podesse ser ap-
prehendido e doscripto corn exacfi-
dibo, os poetas que nos houvessem deixa-
do pinturas da bocca ridonte das Phryn6s
e das Lais, ou das Olodias e das Lydias,
dar-nos-hiam talvez o direito de fallarmos
hoje do um sorrir antigo e do um modern
sorrir. A belleza, como a bondade, e umrn
Iproducto historic, um resultado da civili-
sagao.
Esta ordem de consideractes, emL appa:
rencia diggressivas, tem uma vantage -
-6 prevenir o espirito do leitor contra a
faeilidade, comn que so mette mios a re-
solver certas questoes, que agora 6 que
comegam a sahir do fundo das conjecturas
phantasticas e hypothesses imaginarias.
Diz Hacekel, como acabamnos de ver,
que a physiophylia ou genealogia das func-
95es, 6 um ramo de conhecimento, que
mal principia A rebentar. Ora, nao ha
duvida quo o estudo da actividade enmo-
cional e mental do home faz parte dessa
genealogia, pois que ideias e sentiments,
em ultima analyses sio funciges ; por con-
Sseguinte esse estudo partecipa tambemo do
estado de balbuciencia, em Ve ainda se
acha a mosma physiophylia.
Ninguem ha por tanto, a.nIo ser algum
enviado do c6o, quo jai possa faser a his
tonra da emnocionalidade e nmentalidade hu-
mIana,-pois today a evolugao 6 historic,
-o isto corn o mesmno gtcwade segurana,
cornAM que se conta a genese e o desenvol-
vimento do qualquer artefacto notavel dos
nossos dias.
Mais quo algumas observagoes e curio-
sos apanhados, ainda nao 6 permittido
aventurar neste terreuo. A isso me li-
mito.

Quando so tracts do dar um seatido ao
estudo da evoluwAo emotional e mental do
- home, a primeira difficuldado queo urge,
6 a quo result da pobreza de taterlaes
Sprecisos paras a constricsgo do -edfifcio
i planojado, se nio so quer levantar,' cono
0os poetas, um paaeio, de sonhos qymno-
i ras. '' .
S 0 desenvolvi'nento humanemo di4'-e
Som dous graads peiodos : -o
*co e o hstori. eja
cmbaragos, c q. so kit a a
s ftguimouto da WuOcha eva
So paixoes h l. asP, denf 'i
hiatoria, o qa' a,3o sorboe alois w
Sli&ics, onde..' algun crejeos o




i-^'s Lt iiii


J ,-i


P1
',--


I


*-.t.^


. .'."^
;. J?. ,




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYI0ZTWKF_JZSOHA INGEST_TIME 2014-05-02T22:10:51Z PACKAGE AA00011611_13382
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES