Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13272


This item is only available as the following downloads:


Full Text
































TBLIGItUAS


RIO DE JANEIRO, 31 do julho, s 3
horas e 40 minutes da tardo. (Recebido
is 5 horns e 15 roinutos! Pela linha ter-
restre.)

A opposiceo conservadora resol-
yen dar ao gablinete meios de go-
verno.
Foram nomealados para o Cor-
reio de Pernamnbuco t
1.0 official, o 2.0 .Manoel Jose, Mar-
tins das Neves t
2.o official, o 3o.0 Deodato Pinto dos
Santos:
3. official, o praticante Amaro Go-
rme* da Silva lamoo.
Foi exonerado o actual presiden-
te da proviicia do Paranai, e nonmea-
dopara aubstituil-o, o baclharel Bra-
zilio Mlaclhado d'Oliveira.


(Especial para o Diario)


VIENNA, 30 de julho.


0 Archiduque Alberto vai visitar
em Gastein a S. mI. o Imperador da
Alemanhsa.

Ageuncia Havas, filial em Pernambuco,
31 dejulho de 1884.



INSTRUCCIO POPULAR

MAGNETISMO
(Extrahida)
SAPITTUTL C

MACNETISIO TERRESTRE
(Continuagqo)
Se tomanrmos uma barra de ago antes de magne-
tisada, e a puzermos em umn travessao de urma ba-
langa, compensando o outro lado do travessao corn
os pesos corresponce sites ao equilibrio,-veremos
que, depois de a magnetisarmos, sao ainda neces-
barios exactamente os mesmos pssos, e que por tanto
o magnetismo nao Ihe augmentou o peso (isto 6, o
magnate nao e tambem obrigado a deslocar-se no
sentido vertical.
E' pois, aforga magnetic terrestre unica e sim-
plesmente urma forqa directriz, como ficou demons-
trado pelas experiencias anteriores.
Pela theoria, tambem se pode demonstrar que a
forga magnetic terrestre constitue um binario, o
qual (comno se sabe) nao dA forga resultante, por
ser composto de for9as iguaes contrarias e paral-
lelas.
Effectivamente, o comprimento do iman on agu-
lha 6 tao pequeno em referencia A distancia dos
p61os da terra que se podem considerar parallelas
as dirccqes das forgas de attraccao e repulsao de
cada umn dos p6los trrcstres sobre ambos os extre-
mos da agualha; e, comio cada p6lo terrestre actua
diversameiatc sobre cada um dos p6los da agulha,
facilmente se vu que a agulba 6 influenciada por
dous binarios provenientes das acoies de cada um
dos p6lo. terrestres. EBtes dons binaries dao ou-
tro binario resultantc, que e o chamado binario
magnetic, o qual produz o minovimento de rotaglo,
que obriga a agulha a tomar sensivelmente a di-
recgao norte-sul, embora realinente diffira do norte-
suld astronomico, como vam s ver.
(Continka).


S .-Ao director n teriqo4FI.P e H^dad^o de)toto:
,,."-Velo. :offic^'io do Exe de 8 docoaante-1
fleo inteirado de4 harer-side tosferida bibt -
theoa'dosesa faaldade par&aum dos sales do eon-
vento doCaraoedo Recife... ..
Ao prosidcnte do Tribunal da Relaclo.- ir-
va-se V.BEc. de infurmar acerea do que alega
no incluso requerimento que sera devolvido, Pedro
Antonio Jos da Costa, reeolhido a asas De
ten*io desta capital.
Ao inspector da Thesouraria de Fazenda.-
Communico a V. S. que, em 19 do corrente, o pro-
motor public da comarca de P& d'Alho, baelrel
Manoel Cabral do Mello, interrompu o exaercieia,
de seu cargo por motive do molestia.
Ao mesmo. Pars as fins -otivenientes trans-
mitto a V. S. o incluso titnlo declaratorio do ven-
cimento que compete ao administrator aposen'ado
da Recebedoria de Rendas dessa provincial Manoel
Carneiro de Souza Lacerda.
Ao mesmo.--Para ,os fins convenientes trans-
mitto a V. S. as inclusas ordens do fiscal do The-
souro Nacional de n. 103 e 104 a 106.
Ao director do Hospital Militar tda C6rte.-
Transmitto a V. S. em satisfacLo ao que solicit
no final de seu officio n. 270 de 9 de junho findo,
6 incluso termo de abertura e exame procedido
nos medicamentos acondicionados em 11 eaixoes,
remettidos dessa corte corn destine a pharmacia
military desta provincia.
Ao director do Arsenal do Guerra.-Mande
Vmc., de conformidade corn as ordens em vigor,
satisfazer o incluso pedido de artigos deo farda-
mento quo para seu use faz o tenente do 14- bata-
lhIao de infantaria Mariano0os6 Pereira da Silva.
-Communicou-se ao commandant das arms e
inspector da Thesouraria de Fazenda.
Ao mesmo.-Nos terms do Aviso do Ministerio
da Guerra de 12 do corrente, mands Vmc. forne-
cer a companhia de infanteria da provincia das
Alag6as o fardamento constant da inclunt nota
de 10 dejunho findo, organisada na repartIiao do
Quartel Mestre General.-Communicou-se ao com-
mandante das armas e inspector da Thesouraria
do Fazenda.
Ao mesmo.-De conformidade corn o Aviso do
Ministerio da Guerra de 17 de junho find e or-
dem do Thesouro Nacional n. 106 de 8 do corren-
to, autoriso Vmc. a mandar satisfazer o inclnso
pedido de diversos livros e folhas de resume men-
sal de forragens para a companhia do cavallaria
desta provincial, cuja despeza, segundo o or.a-
mento annexo ao seu officio n. 1099 de 20 de maio
ultimo, foi calculada em 4005000.-Communicou
se ao'inspector da Thesouraria de Fazenda e com-
mandante das armas.
Circular aos juizes de dircito.-Em vista de re-
presentacIo do Ministerio da Fazenda, sobre abu-
sos de duplicatas na expediglo de precatorias para
levantame ito 'de dinheiros de orphios, o Exm, Sr.
nqnistro da Justiga, em Circular de 16 de junho
findo determinou, se recommended aos respectivos
juizes, o maior empenho no sentido de evitarem
factos semelhantes, procedendo na form da lei
contra os culpados por quaesquer omissoes e does-
vios 0 que faeo constar a V. S. parea os devidos
effeitos. -Igaal aos juizes municipaes.
Circular aos juizes de direito e municipaes. -
No intuito de evitarem-se conflicts e reclamanues
internacionaes o Exm. Sr. ministry da Justica em
Aviso de 4 do corrente, recommend a observant a
da doutrina consagrada no ast. 17 do Decreto n.
855, d 8 de novembro de 1851 e Aviso circular
do Mini terio de Estrangeiros de 4 de agosto de
1875, cornm referencia aos agents consulates. 0
qne faco constar a V. pars sua intelligencia e de-
vida execu9ilo.
Portarias :
0 Sr. gerente da Companhia Parnambucana
made dar passagens a r6 at4 Aracaju no vapor
que seguir para os portos do sul a 26 do corrente,
por conts das gratuitas a que o goverm temrn di-
reito, ao bacharel Uriel Gomes de SA e sua senho-
ra, e a proa a duas criadas.
0 Sr. agent da Companhia Brazileira made
dar transported A Crte por conta do Ministerio da
Guerra no vapor Ceard. esperado dos portos do
norte, ao Exm. Sr. general visconde de MaracajA
e bern assim a urnm cabo de esquadra que o acom-
panha.
EXPEDIENTE DO DIA 22 9 i JUL5o DE 1884


data o bauharel Malaquas 4de
ta reassumio o.di j&-w mimiipaie dojW otp d4aquel-
le nome.
Ao mesmo., Communico a V. S. quo em 19
do corrente o baeharel Joaquhi'raniis6n-deAr-,
rada assumio o exercivcio do cargo do prohatr
public interino da conarca dPe Pod'AIho. para
o qnual foi nemeado polo respective juiz de direi-
to, visto ter dado part de doente o prmiptor res-
pective.
Ao nesmo.-Roemetto a V. S. a relagio de
doz eseraves libertados no temo do Caboporr
conta d# 5a quota do fundo de emancipaglo, sim
de que se. sirva de mandur pagar 0os interessados
oo devidos yalores. Communieou-se ao respective
juiz de orphios.
Mutatie mutandi8 quanto 1 5 escravos libcr-
tados em Limociro.- 'ommunicou-so ao respecti-
vo juiz de orphlos.
Ao prosidente e secretario do 20 Congresso
Agricola de Pernambuco.-Em eumprimeonto ao
telegramma que me foi hontem dirigido pelo Exe.
Sr. senador president do gconselho de ministros,
communico que foi presented a S. M. o Impera4or
o telegramma que Vv. SS. dirigiram ao mcnmo
augusto senior, saudando-o, cheio3 de confian9a,
no patriotismro e anhelo inexcedivel do chefe do
estado, polo bemrn estar, communhao brasileira e
integridade do imperio.
Ao contador da Thesouraria de Fazenda.-
Fico inteirado polo sen officio, de 18 do corronte,
n. 500 A, de achar-seo V. S. desde o dia 16, no
exercio do lugar de inspeqtor dessa thesouraria,
por impedimcnto do effective funecionario.
Ao agent da Companhia Brasileira.-De-
verondo set a rt a passage do particular Antonio
Ferreira de AxagIo Sobrinho, eontemplado una
relagio das praqas vindas do Rio Grande do Nor-
te, corn destiny a corte, de que trata o officio des-
ta presidencia de hoje datado; assim o declare a
V. S. para seu conheeimento e devidos fins.
Ao mesmo.-Para os fins convenientes trans-
mitto a %. S. a inclusa relaelo n minal, por co-
pin, das pracas de que trata a portaria desta pre-
sidencia de 18 do corrente, que polo brigadeiro
commandant das armas foi rcmettida corn officio
de hontem datado, sob n. 873.
Ao inspector do Thesouro Provincial. --Au-
toriso Vmc., de accord cem a informagio em of-
ficio n. 23, de 12 do corrente, a fornecer ao ad-
ministrador da Casa dc Detenglo dous livros, urn
corn 300 folhas e pautadas e numeradas e outro
com cem, este para servir de ponto aos respectivos
empregados e aquelle para registro da corres-
pondencia dirigidasas diversas autoridades-Comn-
municou-se ao Dr. chefe de policia.
Ao meamo.-Autoriso Vmc. de aecordo coin
a informagiao em officio n. 24, de 14 do corrent;
a fornecer a guards civics as peas de fardamen-
to do que trata o pedido junto por copisR
-- Ao engenheiro chafe da Re$*1 o das
Obras Publicas.-Approvo o orcamento "n& im-
portancia de 3:7105 que me foi remettido pbr
Vme. corn officio de 17 de junho ultimo, sob n. 129,
paraa ebra de reparos da ponte sobre o rio Tra-
cunhIem na cidade de Nazareth, e autoriso-o a
chamar concurrentes a arrematagio dU reterida
obra nos terms das instrucoes de S0 de agosto
de 1875 Communicou-se ao inspectr do The-
souro Provincial.
Ao juiz municipal de Gamelleira.-Devolvo
a Vmc. a relaogo dos eseravos libertados nesse
term, por conta da 5a quota do fund de emanci-
paoo, e que, em duplicate, veio annexo ao sea
officio de 14 do corrente.,nio s6 para que seja as-r
signada por Vine., de conformidade corn o aviso
do ministerio da agriculture, commercio e obras
publicas, do 16 de dezembro de 1880, o excluir-se
a columns einm que so e1e custas de arbitrameotow
abolidas polo decreto n. 8.020 de 16 de fevereiro
de 1881, como pars que em column immediata-
monte subsequent a dos valores totaes que ni
heuver saldo da 4a distribuiglo.
Portarias:
Determine a Camara Municipal do Builnu
expegs as convenientes ordens e communircaoe
aos juizes de paz afim dc que no dia 13 de se-
tembro proximo vindouro se proceda na freguezia
de Nossa Senhora da Coneeigico da Pedra elei-
*ie de vereadores a que alludio esta pretdencfa
no officio de 14 de abril do anno pawsado.-Com-
municeou-se ao jui de direito de Buique.
O Sr. agent da Companhia Brazileira fa
transporter a Corte, par cents do Ministerio da
Guerra, no, vapor Ceard, esperado dos portos do
norte aspragas aggregadss eaddida aos batalh~es
2. 14.0 de infantaria, censtantes da relacea junta
por copia, as quaes em virtude" do aviso circular
de 13 de junho find seguem para alli a disposi.
gbo d'aquelle Ministerio.-Comrnunicou -se ao corn-
mandante dan armas.
O Sr. agent da Companhia Brazileira fcas
transportar por eonta do Ministerio daoGQuerra no
vapor Ipojuoea ate a provineia do Rio Grande do
Norte, o soldado Leandro Jose de Maria, quo veio
da de Sergipe corn tal destino.-Conimnicoau-
ao commandants das armas. i
0 Sr. gerente da Companhia Brasimera mande,
nu prmeira opportunidade eonc.de aae a
re, ate Maceio a Eutbimiom P d
Lana Freire, par coats dos gratuita, a queo gem
vmrno torn direita, cmxnoa dss vaporee detss coin-
panhia que pears osrtos do sa. :: :':


Aojuiz miunicipal de Ipoiscs.-De ordenx4o
Exm. Sr. dosembargwdor Prjea;4 te da provise
daclardoaV. S.aieem'Uo eo de.10 docortede


RMAAVO A PMONUM a D9 Y RXDR-'
tCOLIAAB.UNO -DA SILVA XOMARASPRQ-
SP~PLO JUIZ DE DIREITTO DA C&OM -
-D OUp^'i^NDA,. :,"1-1
8,--Consulado Provincial de Pernam-
hem 15 dejjulho de 1884. Ti[n.
Sr. A' inforagiIo junta Cm origi-
na quo submetto A apreeiaglo de V. S,
Cw#T.re me acerAsbenttar que, simples pre-
p on do thesoaureiru; os agents cobrado-
reidesta reparti0o n -o soe empregados
pulicos, e, portanto, ainda messio quan-
do le tratasse de dinheiros extraviados por
un d'elos,o responsaVel perante a fze-
a viacial serial exdlusivamente aquelle
fEMnnrio. Conseguirtremente parece-u
qprovidenci% alguma administrative de,
vel mar-4e com relagbo ao facto accusado
no$ papeis que devolve. V. S., por6mn,
mialor inforinara. Deus guard a V. S.
-I11m. Sr. Dr. Antonio Witruvio. Pinto
BAideira e Accioli de Vasconcellos, digno
injector do Thesouro provincial. O ad-
mIistrador, Francisco Aimynthas de Car-
vaAo Maura.
Do nenhuma das disposigqes dos arts.
19;e 20, e secego 5 .do regulamento de 4
do julho de 1879, se conclue, que os co-
bradores da reparti~go do Consulado te-
nhamn .o character de empregados publicos,
visto come sao elles meros agents do the-
soureiro, o qual A o unico responsavel pe-
los geus acts ante o Tbesouro.
Pelos abuses e prevaricaoes que comr-
metterem deverAo ser processados no f6ro
comamum.
Entendo, portanto, que nenhunma provi-
dencia administrative 6 licito tomar-se pelo
facto de que trata o Dr. juiz de direito da
comarca de Olinda, no officio dirigido a S.
Exe. o Sr. desembargador president da
ploviueia,
f- -xe.t pore6m, resolverA como enten-
de-vmaisn ertaro, .ife, 23 de julho de
i|2 'Tprocx or-gircal, M anawel Mo-
da -Riigueira Pinto de Sowsa.

2.a secco. Secretaria da policia de
Pernambuco, 29 de julho do 1884.-N.
817. Ill.n. e Exm. Sr. Para conheei-
mento de V. Exc. transmitto, por c6pia, A
ossa presidoncia, o officio que em data de
19 do corrente, me dirigio de CaruarA o te-
nente Leoncio Luiz Pinto Ribeiro, dando
conta do re.4ultado das diligencias a quo foi
proceder no termo de S. Bento. Jgual-
monte transmitto o officio do juiz munici-
pal de S. Bento, bem como do Dr. juiz de
diroito de Caruard, que acompanharam di-
to officio, ese exiginao do tenente Leon-
cio quo se domorasse na comarca por al-
gum tempo, attento motives do ordem pu-
blic, e o d aquelleo sobre as diligencias re-
fenidas. Deus guard a V. Exc. -Inm. e
Exm. Sr. desemnbargador Jos6 Manoel de
Freitas, muito digno president da provin-
eia.- 0 chefe de policia, Raymtmdo T. de
Castro e Szlva.


-Es't cn rnie e b A.. Eu d J'0 a-
.d w Fria earivIque fiethente co.
41 ,do Permambuco, 29
4.julho-4Ae 1884.. Coxnforme. -Pelo., se-
caertr Francisco (eal& da Silva Bar-
,ros-' olo ;o-

Juizo de direito da comarca de Caruna-
d -19doe julbio de 1884. InUm. Sr. Per
motivode ordem publics, quo levarei ao
couheciinento de S. Exc. o Sr. president
da provincia, requisito de V. S. a sua per-
rrunencia e da forga publics de soue comn-
mamdo nests cidade, at6 b encerramento da
sessno do juray deat terno. Deus guard
a V. S.-llin. Sr.tenente do 14* bata-
lho de infantaria. -Assignado. -O juiz de
direito da comarea, Agostinho de Carvaltho
Dias Linma. "
'Esta conform e don f6. Eu, Joto M]-
noel de Farias, escriVio, que fielmente co-
plei.
Sicretaria da policia de Periambuco, 29
de julho de i884. -Conforme. Pelo se-
cretario, Francisco Geraldo da Silva Bar-
s080.

Repkrtivao da Polela "
Sec 2a -N. 823.-Seeretaria de Pc-
licia do Pernambuco, 31 de Julho de
1884.--Ilm. e Exm. Sr.-Participo a V.
Evc. quo forum hontem recolhidos A Casa
de Detenglo os seguintes individuos:
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio, Ga-
briel Francisco de Souza, Ignacio Pereira de Al-
cantara, Juvino Albino dos Santos e Francisco de
Paula Caeira, par disturbios.
A' ordem do do 1.o district de S; Jose, Augusto
Carlos de Lemos, por embriaguez e disturbios ,
Caetano Jos6 Francisco, por disturbios.
A' ordem do do 1.o district da Boa-Vista, Jos6
de Souza, Antonia Maria da Conceigip, Joio de
Deas, Jose6 Gomes do Naseimento e Luiza, escrkva
de Maria Benedieta, por disturbios.
Hoje, ao meio dia, estando dous individuos fur-
tando legumes de urma horta do quintal da casa do
commendador Antonio Gomes Miranda Leal, A rua
da Unitio, e s3ndo vistos pelo feitor JtaA Barroso
Rodrigues, desearregaram sobre elle ds caceta-
das, deitando em seguida A corrtter.
SCenduzido o feitor A presents do subdelegado
do 1.o district da Boa-Vista, mandou este fazer a
victoria pilo Dr. Jose Io Souza ejm
da | ( u~lb ordem a ier
dk a prildo delinquentes.
Pela vistoria verificou-se que foram dous os feri-
menutos que.recebera,) feitr, um dos quaes consi-
dera-se de natureza grave par ter sido profundo e
interessado o osso.na testa.
Pelo subdelegado do district da Magdalena, foi
hoje capturado e recolhido A Casa de Detengio, o
individuo de nome Francisco Cincminato da Annun-
ciacio, pronunciado coma incurso nas jenas do art.
201 do CAodigo Criminal.
Deus guard aV.- Exc.-Illm. e Exm.
Sr. desembargador Jose Manoel de Frei-
tas, muito digno preoidente da provincia. -
0 chefe de policia, Raymundo YTheodorieo
de Castro e Silva

Coasnulado Provnlacial


**': 0 SBL LUNA PuIBEJNIwOW26 nova@ dVQ
dos da bancada opposta, quaudo em. ra ii Uelf
tU easa, e meam6 em teimpos mais xemotoe, foram
sojpte fertifssimos em coneeseso do ayvores.
or isa por urm acto erio d'eitaJA
; fI&A p ofe9sor de que se- trata e|
.dd :WX 0O;i muas segundo a dis!
16-do 3odo art. 13al, roliei ciaI ai paafs
o 0io&jeto, flea este cordonu Ig ao
professorea do mesmo Gyvnuasie. D&-se-I
O1:0000oo. Ora no estado da provide',
nosilchamos,. quando.devemos 'aiielo,
foros possiveis no sentido eac; oMniar.Oi
&eZros da provineia, en ilSvDtar por -
melhant augment. ':"
o S. Je MAu AA -um:,_ te.
0 SB. LUAi, Fli' 5^ioU-Sr. president parm
responder ao notre utado que me honra comn o
sea apart, basta le o projeeto que esta confee-
cionado do seguinte modo: (1I).
Uma das disp9sioes em vigor 6 que manda dar
2:800O000 e como 4 que o nobredeputado diz rue
nao se acha comprehendido n'esse artigo da lei o
professor de que se trata?
0 Sa. Jose MAI.&-Nito tenho duvida de acei-
tar emendas nesse sentido em 2a, diseussio, visto
como o nosso pensanmento foi apenas rcparar uma
certa desigualdade que havia.
0 SR. LUxA Fiame JuOiou-Portanto Sr. presi-
dente em virtude da explicaVAu que da o nobi
deputad' ptol 2' district, dizendQ que acei
nua emenda, d'tsde jA comprometto-me a apre-
sentar em 21 discussro esta emenda, no sentido
de tornar mais aceitavel a ideia consignada no
preoente projeeto. Eu nao pretend esqucer on
prejudicar os direitqO de quem quer que seja e
muito principalmnente da pessoa de quemn se trata,
porque nella4s.empre reeonheei uma vocaclo espe-
cial parao eisino, e bern vem os nobres deputadps
que eu sei fazer justiga inteira e complete.
Quanto a 2a part do project, tambem se acha
redigida do mode que nao me parece muito clara.
Colno agora nao 6 ocasiao para se mandar emen-
das, aguardar-me-hei para 21 discussio. No pro-
jecto ha muita cousa encuberta, que nao deve ser
acelta.
Aguardo.me,g.pois, para nasegunda discussion
fazer As mod f!aes quejulgar convenientes, de-
sejando que sejam de accord corn os dous signa-
tarios.
Era isto o que tinha a dizer, Sr. pretipente.
Encerrada a discussao e posto a votos o projec-
to, 6 approvado.
Entra em discussao o project n. 168, que man-
da construir urma ponte em Caruaru, podenlo-se
despcnder corn a construcio desta obrx at6
15:0004000.
0 Sr. Juvencio Mari -(N3o devolveu o
soeu discurso).
Entra .m la discussao e 6 sem debate approva-
do o project n. 163 (linha ferro-carril em Naza-
reth).
Segunda discussao do project n. 47 (acervo a
4 professorss, de conformidade corn a lei n.-1,766.
Slo lidas, apoiadas e entram conjunctamente
em discussio as seguintes emendas:
N. 1. Apresentamos como emenda o project
n. 62 desteanno.-Adeli.wo Junior.-Ermirio Cou-
tinho.
N. 2. Igual concessio A professors da cadeira
mixta da freguezia do Ca0j a Francisca
iard6o, vieto aichaile't edida na lei n.
1,766.&-G(. Drummond Filho6-.=Jo8d Maria.
0 Sr. Lana Freire Junilor-Sr. presi-
dente, vou prevenir a V. Exc. que o project n. 47
trata do seguinte: estes professors, cujos nomes
se acham no project, regem cadeiras actualmen-
te de 3 entrancia, ao pass que os mesmos profes-
sores saode 2a entrancia, porque .a lei que elevou as
entrancias de suas cadeiras, nio Ihes den o dirci-
to de passar conjunctamente corn as cadeiras para
entrancias superiores.
Portanto, creio que emenda alguma pode ser
admittida senio nessa conformidade; isto e, s6 se
pade admittir emehdas contend nomes de profes-
sores que exercam cadeiras de entrancias superio-
res, sem que elles seji am por lei da mesma entran-
cia.
Nio sei se me expliquei perfeitamente.
0 S. EMRammio-A mesa pode admittil-a, mas a
casa nao deve votar por ella.
(Ha outros apartes).
0 SB. LURA FmIrm JUNIoR-No nnn' "FS.IIV
votou-se a lei elevando a entrancia de mu versas ca-
deiras oas signatarioa desse project nib declararam
no memo que esta elevacao de entrancia era sem
projuizo dos actuaes proprietaries das cadeiras;
de modo que subiam as entrancias sem que os
professores ficassem corn o direito de subir corn as
mesmas entrancias.
Penso, portanto, que actualmente s6 devem ser
aceitas pela casa fazendo part deste project,
emendas unicamente contend nomes de professo-
res, mas que sejam cadeiras de entrancias supe-
rioreai per exemplo, se form de 2a entrancia e
estiverem regendo cadeiras de 3a, porque nests ca-
so 6 que esta confeccionado 6 project. (Apar-
tes).
Eu nio sou daquelles que acham quo devemos a
cads passe estar elevando as entrancias das ca-
delras de maneira a irmos assim, nullificar o arti-


go do regulamento da instruccago publics, que es-
tabelece umas certas medidas a este respeito.
A oomecara Assembl6a cada anne a elevara 1,
2a e 3a entrancias diversas cadeiras, fari corn que
se quebre inteiramente a disposiglo, aliAs bern sa-
ba, daquelle regulamento.
Entretanto, 9 project quoe actualmente se dis-
cute se quebra esta march estabelecida polo re-
gtlamelto da instrum io public, nio 4 culpa nos-
is, porque as cadeiras dos professors, cujos no-
mes sek aeham nelle, foram elevadas em entrancias
superiores, a 8, emnquanto que os proftsores cou-
tiouaram a ser de 2a entrancia. E' como peRnso.
Eucerrado o debate 6 o project approvado corn
as emaeudas.
Sb sm debate approvados os projects us. 60
e 176, amboi detso anno, o primeiro prorogando
por uai -dou3 aiaes o prazo pars exeeu* o da lei
ri. 1,1-7 e o, segundo concpdendo aposentadoris ao
eng eiro eique A. Milet.
CotiW S' at &cussuo do projeeto a. 25 deste
ai s &i p msa u loterea parsa o fund
























.":. 'fttit Q *^ .. '. .. "

Urn officio *NioI 01 dl
K informadoo oqwia#4sbCSWlu*
"" Coast-A q. t sS I --A
Oatro do mavw% M i baef tO i l
-A' quemn fer -inMq Io.
Outro do memum, atu nitiat aa project i
Spostaras da Cmarmu aluumeipal de 8. Bento.- A'
commissio de postaras.
S Urma petileo de Chilon Heracdito Peixoto e Sil-
va requerendo que se marque quota .pars o paga-
mento de 45J178 de seas vencimeatos, come pro-
f- tessor contratado da cadeira do iastruneo pnrma-
r'd. tdExit.- A' eomi de orga m at o o
vincial.
Outra de Joao da Silveirs Borges Tavwa, pro-
Sc-rador dos prisos pobres requereado semianele pa-
Wap gr 3005000 de suon ordenado. A' eommisalo de
orcamento municipal.
3? Foram approvados unm parecer dA commissfo de
posturas e negocios de eamaras, pedind0 informa-
i" -^es A Camara Municipal de Taquaretinga sobre
g;., rnu abaixo assignados de prop ietarios, a ieulte-
Tes e residentes nos lagares Kaadury, Tanqae
d'Anta, Cambuck, Manse e Junco ; e oetre di de
x; redacao sobre o projeeto n. 73 deste anno.
N. 200. A commisslo de posturas e negocios de
.-. camaras a quem foi present urn abaixo assigs-
dos de proprietaries e agricualtores residents nos
S..- lugares Mandury, Tanque d'Aunta, Cambuck, Man-
o.- Lo e Junco da eomarea de Taquaretinga, em que
pedem revogagao das posturas municipies d'aquel-
Sl e municipio approvado provisoriamente pelo pre-
sidente da provineia e relatives a design o de
i.- lugares para eriacio de ovelhas, cabras e porcos,
!' considerando que a iniciativa da creaglao e revo-
ga4o das postures 6 de inteira competencia das
c i-maras municipaes precise para poder resolve
f sobre o assumpto que seja ouvida a Camara Mu-
nicipal d'aquelle municipio.
; Sala das commisaues, 26 de 1884.- Paulo. de
Oliveira.-Jodo B. do Amaral e Mello.
: Foram a imprimir os seguintes projeetos, sendo
os de us, 203 e 204 procedidos de parecer da com-
missao de petides, e o de n. 205 de parecer da de
legisla9.o.
T-N. 203.-Art. unico. 0 tempo decorrido desde
11 de tevereiro de 1880 ate 8 do mesmo memo
mez de 1882, sera computado para aposentadoria
do empregado Joao Hermuenegildo Borges Diniz,
agent recebedor addido a 2' seciAo do Consulado
Provincial.
Revogadas as disposig5es em contrario.
Sala des commissoes, 26 de maio de 1884.-Ba-
rao de Nazareth.- Joao Augusto.- Augusta de
Souza Ledo.
N. 204. -Art. unico. Fica o president da pro-
vincia autorisado a conceder ao coroner Thomaz de
Aquino Cavalcante remissgo do que elle se acha
a dever A Fazenda Provincial em virtude do con-
tracto por elle feito para a construcoo de urma:
"casa na villa do Buiquecom destiny a paco da
camera, tribunal do jury e prisao do termo, dan-
do-lhe plea c geral quita~ao do dito debito.
Revogadas as disposi9oes em contrario.
Sala das commissocs, em 26 de maio de 1884.
-Joao Aqgusto.-A. de Souza Leao.
N. 205.- Art. unico. Ficam os 8rs. Ricardo
Connoly, H. Octelly e Joao Raposo de Souza obri-
I gados as pagamento das quantias em que foram
colleetados nas distribui5es das quotas, classes n.
54 do 17 do art. 2 da lei n. 1,786 como perten-
centes a classes express no 50 da referida lei ;
nao sendo obrigados a multa pela moral. 26 de
maio de 1884.-Ferreira Jacobina.-Nilo de Mi-
randa.-Dr. F. A. Rosa e Silva.
O Sr. Nile de Mirauda- (Nao devolvea
o sea discurso.)
Consultada a casa concede a urgencia reque-
rida.
0o SR. Nimo-Peoo a palavra.
0 Sa. PRESMEXTE- Tern a palavra.
0 -Sr. Nilo de Miranda- (NSo devolve
o son discurso.)
Eneerrada a discussao e posto a votos 6 appro-
vade o seguinte requerimento :
SRequeiro que se informed corn urgencia do
; president em que lei se funda o cobrador ou ar-
rematante dos impostos da Camara Municipal de
GOyanna pars cobrar 500 rs. per carga de aguar-
dente que doe engenhos veom dircctamente pars
os armazens do enchimento. -Nilo de. Miranda.
0 Sr. Antunes Prinheiro (pela ordem(
diz quo pedio a palavra pars enviar a mesa um
requerimento de informacio sobre facts gravis-
simos e que precisam de ser reprimldos.
A imprensa d'esta cidade tern per vezes denuu-
ciado a existencia de quadrilhas de ladroes e
nmlfeitores que infestam a provinoia, ohegando
algumas d'ellas atA a commetterem as majores
violencias contra o pudor. Nao ihe consta que
as sautoridades tenham tornado as necessarias pro-
* videncias, e sem duvida por issue esta -gora fa-
zendo proezas em Olinda uma d'essas quadrilhas.
VozEs-E' exacto.
0 SR. ANTuNES PraHsmaO diz que alem de ou-
*- tros faetos, ha poucos dias foi arraneada a solei-
- ra da casa do seu illustre eorreligioaurio Sr. JosA
*- Candido, que deu grito de alarm, que se foi ou-
vido pelos visinhos, do mode que nio fosse con-
m~mmado o attontado, nao o foi entretanto pela


... policia.
(Trocam-se muitos apartes.)
Consta-me que effectivamente a forga que ali
esta 6 apenas de 8 ou 10 pracas, mas mesmo corn
* 4essas pracas poder-se-hia fazer, se niao muito, ao
menos alguma consa em bemrn da seguranga pu-
blica.
Trata-se de negocio grave que nio dove ser
.desdeuhado pelas primeiras autoridadeo. Vaiien-
viar o sen requcrimento A mesa e espera que sera
approvado, pois que trata-se da seguranga publi-
Ca, s6riamente amcacad'i.
Lem Ai mesa o requerimento do Sr. Antunes
Pinheiro.
0 Si. PaEsrDENT 0 requerimento do nobre
deputado serit lido quando opportunamente entrar
em discuss!).
Continua a discussao do reqaerimento do Sr.
Antonio Correia.
So0 or. Olympio Marques (Nao devol-
vea sen discurso.)
Tendo dade a hora, fiea a discussio adiada.
ORDER DO DID
.". ~ Continua a diseussao do project n. 25 reformsa
do piano das loterias concedidas para a crear o
;.. de am fund de emancipagio provincial).


wa h L : j r -* .'.*.

.Nem m I ea4, nw-um facto nove, sequer, en
apresentado ; mus a mema cous sempre parus
variar.
0=
Aaa, depols do muitoe dias do prOkedae4 ,
pa"gMMicsot2. I&
Pen"Admo.B RON dfoa vr.0 V t. 49,l

com l&teidade.
Engana manifesto.
fubmettido A diseosao o art. 2., foi o meusmo
SystamA, permieiowro ystema de pretal&ao, no-
vamente adoptado, de sote que aida no pede
ser encerrnado este artigo.
A continuar assim, ste projeeto a* o pasaua
em dous rees.o
Os nobres deputados n ao discutem, coversm ;
o fia que visam ioe elucidar me quetsa sobre
que versam as disceask ; aa l i cowemcer, nem
persuadir, nem mesmo deleitar, mas simpleomen-
te impedir que se vote, que terminem os nosos
trabalhos. (Apoiade no apoiados.)
E tedo isto-A fito man detriment dos cofres da
provineia, que se aeham exhaustes.
Provado como estA que o unico fim dos illustres
membros da minora 6 impedir que tio cede poasea
ter lugar o encorramento d'esta Assembl6a (ano
apoiados da -banoada conservadora), a=o impedin-
do o noso regiaento qo seja oanerada, sob pro-
posta de algum deputado, a diwouseo de qual-
quer project, pois que n'meate :eas a omisso, -e se
roe permitted tAmbem no prohibe, devedo-aes,
portanto, no caso, regular pelias parties adeptdas
em todos os parlameatos ; ja" estando a material
do artigo bra em discuseo muito e muito debate,
da, rogo A V. Exc. se digne eonsuitar A casa se
coensonte noeneerramenato d'ee artigo.
VOZEB s nA BANCADA CONEsvADoRA-Peo a palt-
vra pela ordem !
Pepo a palavraI !
Peoo a palavra !
0 SB. PnSIDENTE-Attenlo !
VOZES DA BANCADA coSEavADoaI-Peao a pala-
vra pela ordem! Pego a palavra l Pop a palas-
vra!
0 Sa. PaEsiENTEwr -AttenClo.
A mesa jt deliberou noi aceitar um requeri-
mento idcntico so que agora apresenata o nobre
deputado.
Mas vendo que o regimcnto nao probibe as apre-
sentaeo .de requerimentos dessa natureza, e a
vista do procedimento que tern tido nesta casa a
illustre minoria4, nao tenho remodio seao apre-
sental-o a votagao desta AAssembla.
(Vivos protests da minoria que dc p6 recelama
ordem. Rumor no recinteo e nas galerias).
Suspende-se a sessbo.
Cinco minutes depois reunidos os Srs. deputados
6 approvado o requerimento.
VOZES DA BA NCADA cosRvADova--Ordem Or-
dem !
Entra em discussed o art. 20.
VOZeS DA LANCADA cox9sERvADo.A-Peqo a pala-
vra!
0 SBa. PaESIDENTs--EstA encerrada a discussbo.
ToDA A BANCADA CONSERVADORA protest, reelama,
pede ordem.
0 Si. PaasrDrNTB-Esta approvado o art. 20.
Entra em discussion o art. 3b.
ToDiA BANCADA cossravADoRA-Peco a palavra f
0 SB. PsRESiDzNTE-Esta encerrada a discusoo.
(Vivas reclama95oes dos Srs. conservadores.
Ordem! Ordem! Ordem I)
0 SR. PaRESIDmsT-EstA approvado o art. 2'.
(Sussurro nas galerias, protests dos conserva-
dores).
0 8. PABSIDEsTB-r-EstA em discuss o art. 4o.
Continuam os protests, o Sr. president sus-
pende a sesslo.
Cinco minutes depois continta a seslo.
O SB. PusmmrneN-EstA em discussade o art. 5o.
(Reclamaaes da opposigo. Todos a os Srs. de-
putados conservadores se levantam pedindo a pa-
lavra pela ordem. Grande saussurro tanto no re-
cinto come nas galerias).
0 SR. PauswBTE-Attenauo! Attengao! Se
nalo ha quern pes a palavra...
(Todos os Srs. deputados conservadores pedem
a palavra pela ordem).
O SB. Pn.smumm--Nao posso dar a palavra ao
mesmo tempo a todos os Bars. deputados.
Os Bars. que approval o art. 5' queiram levan-
tar-se.
Esta approvado.
(Raelanmaoes da oppoaigbo. Augments o sus-
surro).
0 Sr. PasIDEKn -NaO podendo continuar a
sesslo eu levanto a.
0 Sr. presidoate design a seguainte ordom do
dia : contiauagoda anteedonuteo, Ma9do investi-
das a 1aoe 2' parted.

64* SESSAO EM 27 DE MAIO DE 1884
PBsU5WCIA Do XrX. sa. BASSO DR ITArr SITRX A
Ao meio die, feita a chamada e vorifioaado-sf
estarem piesentes os Brs. Aristarcho Lopes, Olym-
pie Marques, Joes Maria, Paulo de Oliveirs, Mei-
ra de Vseooacallos, 1ara-o de ItapisMas, Silvino
Cavalcante, Antunes de Piaheire, Nile de Miran-
da, Visonde de Tabatings, Phereia de Lyre, Er-
mirio Coutinhae, C(Ies Cavalcante, Arruda FPluco,


Amaral e Mello, Baro de Nasareth, Sautos Pi-
nheiro, Rosa e Silva, Juaveacio Marie, Luna Preire
Junior, Constantine de Albuquerque, Maximiano
Duarte, Praxedes itang a Jel o Alve, o Sr. pro-
sidente abrio a session.
Comparecem depol os Ba. 3& t ie oOliveira,
Jobo Augusto, Drummennd F m Pacieo Tibar-
cia, Antonio Ceorroi, Aagt Labes Alfredo Cer-
reia.
Faltaram oas Srs. Demoerito Cavaafte, Cunha
Beltrao, Loureneo de SA, Fiel Grangeiro e Ferrei-
ra Jacobina.
Nao ae achaudo sobre a mes, deizo de sea lida
a acta da seosao antecedente.
0 Sr. 10 secretario procedeu A leitura do se-
guinte :
W"E WED T
Ums petielo de PLAunia Ros de Boaxas, viuva
do capitio OCandido Manoel de Soua Oliveira, r-,
quereaude a admiao de mu filWh moeor Manod,
no Gymassio Pemawmbsmo.--A' mXmmislo de
peticoe-
Continua a discusss do rq imento do Sr.
Correla de Aratgoe, peoido l iadce bre o
._eoace=a de eadairw me -y tao Pernambmwo;
e as eaSMol eNMaLl
ar..rONs.. diU --( eo deolvean o Ae

mf mB ,, ej __ ^
Vevc A meee &a
do a dieiU I it a
ar. dElm deaa sS- C .. i palm'



--'- "Do IRA ,4i
itUtn.... -6 .a;a- .;


1_74Mn I.
obre valor.U W e rer -
: d



N. 9.oA, 2 'an


Amaralt Jdk. o : '
0 --o. fh-e-"- 40-- d de-
vIVe0u o sea dianra) -
Tendo dado a hora, fiea a dieusebo at"ad..
2a'PARID A nO-U -OA" -
Approvou-se amS1 dfue 4'senkedqsp do
do intersticio a requerimento do Sr. Maximiano
Duarte, o projecto n. 42 deote anne (eomrca di
Gloria de GoitA), corn as segnintes emendas:
SN. 10 ffereeemos come omends e project a.n
34dete aamo.-M. Duarte.--Auguete lAb.
S N. 2. Aproesanto comemendso p r *e .t.a-
100 deste.Mano. --,Dr. .PitaMga.
N. 3. Come inoenda aoprojecto -. 42 des-anno
aprsena o a den. 108 telmbio desnno.-Dr.
Emn diseusm ajboapprevou-su o preso a. 196
desteo anno (credito upplementar-e extntiadario)
seado dispensado do interaticio A requerimento do
.Sr..- Lna Freire Junier.
,Um 2- dicuseso, anedo dispensado do Jitersti-
tie A requorimeato do mesmo S. deputtdoe sems,
approvoen o projeeto n. 59 deote anno (deelarando
que o officio de f desaw do jury e des see s
craiminaes do term do Lirmoeiro fics& a-md mode
eoNerivo do crime a ciel do mesmo termo, teo de
Io tabellieo da notas ao de eserivo de erphios,
capella-e reaidunos).
Approvoe-s em lda disa o o project. 54
de 1882 (mandando pertoaer as execraes civois
e ariminses aso 0lo taoelliescrive o do ci*9l,'eom
mercisl e crime do termeo d Agae-Preta), aendo
dispensado do intersticio a requerimento do Sr.
Earl de Nazareth.
Em .la diseuseso, send tambem diepesado -do
intersticio a requerimento do mesmo Spr. E ar'o doe
Nazareth, foi approvadoo projcto n. 18 destea
seno olevaio de entrancia deo dversase cadeiras
da instrue* o pnimaria), 6 61 tmben-m destet anne
(passandoa pertencer a frguezia de Ipoja ca oe
eangeanho Carmella) send dispoensade do intremsticioe
a requerimento do Sr. Santos Pinheiro.
Approvou-se em 3' diseussao, osendo rementtido
Scommissao deedagoo peBe rojeeto an. 2 deste
anna (revoga*o da leina. 1,761).
Foi approvado aem la discussed e disponeado do
interstioio a requerimnento do Sr. Barao deo Nza-
reth, o projejto n. 88 desteanan (subvengo de ..-..
9:000J000 po kioimetro iAs companhias que s e or-
ganisarem paraexceauo da estradas de foerroe do
que tatam as leis de 1,455 ea 1, 684).
Approvou-se em la dieussao, finalmente, o pro-
jeato n. 107 deste anne (creando um, lagr vitaEt-
cio de distribuidor econtadordo juizoe os foites
da fazenda provincial) send dispensado do in-
tersticio a requerinmento do Sr. Juvencio eMariz.
0 Sr. presideate lewnte a sess8e designuado a
seguinte ordema do dia:
la discusspo dos projeetos ns. 135 e 204; 2' dos
de ns. 64, 88, 107, 138 e 163 todos deste anne e 54
de 1882; 3 itdosdens.a42 e59 destenamo e con-
0tisua e dgantkoedente.

65.a SEiSAO EM 28 DE MAWO DE 1884
Pa-Ium IA DO no M. n B. iAlt o Ml aITAPZSUMA
Ao meio dia, feits a chamada, e verifieahde.se
aetans preseazes os Srts. Ariataroho Lop, Eate-
.vio de Oliveira, Jos6 auie, sBar do.e. Ipi-
Mas, Slvino Cavalcante, Viseconde de abetipg
,Pereira de Lyra, Ermiro -Coutinho, Amaral e Mel-
lo, Jobo Augusto, Ishm o4 Nna-ethiSso0 #i-
nheiro, Ferreira Jacobina, Francisco Tiburcio.
Juvencio Maris, Luna Freire Junior, Amaro Foen-
seoa, Maxkimano Duarte, Praxedes Pitenga, As-
gusto Ia.o, o Sr. presidente decaraabesrts a sea-
sao.
Faltaram os Srs, Olympic lisMarques, Paulo de
Oliveira, Meir&a do Vas6onceltos, Antaunes Pinhei-
ro, Nilo de Mwidrada, Deforito Cvaleante, Cu-
Was Beltrao, Goes Cavalesate, A-uds FPake,
Leuraw o de SA, Drummrn a Flhe, Fiel GrManjeio,,
Rosa e Sil-va, Constintino de Afbuquerque, Anto-
nieCoraeoa, Joao Ahve e Alfredo Correia.
PaFun lihas e aapprovadas mem debate as actas
das ,sob de 26 27 do 'eora-ote.
0 Sr. 1o seoretario procedeu a leoitrs do soe-
guiute:
RXPRDIEUrTE
rUm officio de Francisco Augusto Pereira da
Costa, agent aurillar da directeria do Archivo do
Imperio, sohcitando a remessa dos Anues de 1867
o de 1875 at o psote, umn cpiada sgti da ins-!
tallace desta Aeembia em t85 um exemplar
do regiment.interio.--Inteirada.
.Ta repreeontaglo da di teuii da Associagbo
Commercial Beaenceute contra algumas dispoeie
$05 do projecto oe -orameuato munieipal,-A'
eommisseo de orcamento municipaL "
Adipu-se por ter podido a palavra o Sr. Barde
de Nasareth,o .seguinte pareeor:
A comluissbo de ordenados a quern fi rementti-
tida a peticgo de Frasnoisco Uses do Araujo e
Silva, ex apoetador da estrads de redaguna


Agu P reta AJ acuhype, o m que pede se ne ia-
de pagar os vencieatos a que ju a ter diroito
deade o lo de oaftbro d 189 at6'A de manfo ie
1884, teale peddo a au&eia da-repartirAo das
Obrm Pblicas, cja iaamnu& tei prestada -
30 de abrnil do ornrentsammo 6 do opinigo queo
vista da mencionada informaeso dao.p6de ser at-
tendido ospuplcaiate. A Assemblea, porea, re-"
selveai- comoa jlgar msr.
gali das comimsnes, 96 de maio de 1884.-
Fauti de Olvivca.-Viwess di Tabatiwa.
Foi approvado em debate o seguinte pare-
der:
S.S204.
A cammissio de ordenado tend-e a vista a -
tiao de Maoel Tbomas do Santas gamda k
jardins publicos dental cidad, em que pede sejam
, ugmemodo es-renehimbeos quae em pereebe, at
i do 60e0 nnsaem, 6 dpueeme,
par msera sobmaS o aMOVto qa as o a a

Wadw eo -&a6 p* de 18"--m
ae do Owtveira.- asemlo is&
to Pislurimo.


4i^^^^s'Er~ V ^^
no






rwift 0014 6- .. MOO as.."W"


*i

.61ev do waeo 'its Jew #mw 39. ma 4SWuiC
2e". -.-O.n rgu .
Pol sea debate ampprado .vuiasqwi.
mteto
i Hequelro q -e pslo causewM enteo-AW
informed porque motivo daiz0w4i Mra Muniei-
pal do ,edie do pagar uma e .a de o _MSU .
vocid a em junho do aane pan.TM, teudo et-.
tato pago outra dividas no valor do mais de
20:;OOO000 e que nao veciam .juasm.- TJoa
Maria. a
O SBa. SAToares Pmmo-Sr. president, ndo te-
aho o fim de vir A tribunal para fair accueaome
a quemn qaer que seja.
No retatoio do administnrador dase Qba Publi-
-cas le-e o segmnte : (1).
Wo dia 8 de margo pedi inlformaose at6 hoje,
nada!
Diz o administrator das Obras Publics'(leQ).
Eutretanto, ate hoje, Sr. president, ado tern
sido concluMda est a obra.
Jobo Baptista do Amaral tendo requaerido para
ensarregar-se doess dbra, mas nao podendo eobrir
o lance, foi ella arrematada pbr oatroe. Mas o que
se deu ? Este, embarageado para dur execugAo Ai
obra, queria resecindi o coatraeto. Mas asconse-
lhavam a Reis que Visse faze qualquer negocio
comn Ignacio, disendo esta pessoas ao mesmo tem-
po que se respoasabilisaria. 0 enearregado do
trabalho disse que tiha barrematado a obra por 9
contoa e. 900, mas que se The dessem 11 coatos do
reis, ndo faria quest e cederia. Depois de algum
tempo a pessos que fez esoe negocio mandou a
Barreiros um preposto sea que -tomou .coata
d'elle.
Mas, Sr. president o que tenho a notr 6 que o
engenheiro do 2.o district aloe haja procurado.
cumprir ali corn os seus deveres. A obrigagbo
d'elle era nao s o apressar a realisago d'essa obra,
como tambeim tisealisar de mode a evitar qualquer
abuse que, vAnha- prejadicar os interesses do the-
souro. 0 preposto empreiteiro.disse que ate o tim:
de abril estaria coneluida a obra e a esse respeito
passarei a ler o seguinte documento, em re-posta
a um requerimento .que justifiquei n'esta casa,
Este- requerimeato constava de 4 quesitos dosi
quakes sd foram rcspondidos 3.
Eis a infornmaco : (16).
VA V. Exc. e a cwsa que, ainda o trabalho nbo
est feito e jia o empreiteiro tern rechbido 4 pres-
taqses.
0 engenheiro concordou que atW o tim de abril
ostaria terminada a obra, quando eu sei que ella
talvez nao se acabe por este auno. D'esta manei-
ra vam-so consumnindo os dinheiros publicos e este
empregado nao cumpre corn o sen dever. .No
posse portante deixar de eensurar ao Sr. engenhei-
ro~pelo modo porque precede; n'esse negoio ellte
na temrn tornado interests algum, peaquea obriga-
v9o d'elle era ir cxamnor o trabalhe, exigir do.
empreiteiro e do empresario ol acabameato ieatw
obra e impr-lhe multa muemao, come deoermina a
lei.
O SB. JAcoiau-Meas o empregado de quem V.
Exc. tracta tambem 6 muito respeitavel.
0 Sa. SANTos Pnuiu -o-Nlo digo-menos disso
ms a verdade 6 que dno tem proacurado aumnir
am o aeu -dever, fiesado asim prejudieadas os in-
aer-esos sda provmcia. -
SLevado por ease sentiment f)i que apresoeutei
e requeriniento uo se aeha aa mesa.o
Tenho dto.
,Sr. Perrefra Jaeartna-9SNo devol-.
veu sena discurso.)
0 Srw. antos PiAtseiro-Sr. president,
comege o meu discurso dizendo que ao veonhe A
tribune fazer aeusaq5oes a quem quer que tosae.
SVim apenas naqualidade do morador de Bar-
reiros e como deputado A Assemblia Provincial,,
que me corre o dover doe fiscalisar o modo porque
-e devera gastar o dinheiro da provincia. I.
Lse dever 6 que me obrigu a vir A tribuma
para tomar coutas de uma obra que ahi ae aftAt
Azendo e com bastante demora.
0 Su. JAcOBIA-EstA ano se a direite.
o Se. Sieos Pnmmo-Assim come V. Exc..
esta no seu defeodendo o S, &Galeuno. Conhege as
boss quali ades do Sr. Galee e os seus boas co-
ahecimeoAtos do service, e, portanto, na tenOMM o
que disor contra o que disse V. Exc. :
0 B,. JaC A-Ea nao dune uada contra o no-
bre deputado, nem eoateseta odinoito.
O Sn. SAiTos Pinnmeo-Mas nao posso finer sa-
kado quando vojo quo rna obra que foir a-remat-
daem 1880 como diz o reaotorio 4a directoria de
obraa pubioeas, arremetada eateo por dous anss,
o que V, Exc. denis ter tide, hoje aida nao eatA
eowaliida! Si se tivesse reqaerdo urna proroga-
$ao, o d-rear dads obras paoli as podoria oence-
del-a p-r eeis mnoes no maxim, e se foose nees-
at-io maeor praso, as eomptesntf puns concedel-o,
era esta Asaemb~a; eao oempreiteiro devee'k
reorrer a esta Auseobles mostauado as rides
que tinha para a dao oaclusa drs ebra e pedir--1
to B unas proregebo pian efeettal-a. j
0 SB. JACOBHA-Aqui a Censura do aoire depu-
t vai raehir n'outas, quo ndoao sagouehomr
0o l. P
O S.BSArneS PnamEo-EIla a-eioafme oweQ-i


uiheiro local por umn rasao, porqe V, Eac. viol
que efl nose diz que apenas oaei at a formagIo
base; maaeeugmaheiro alfoiapeH, ttaeo-
me dizd-o, tuke a rerdads; o a = p-tPIA
mareoen o lugar ede soe devia fiue s basn para
er euasbarragem; d'ahi datlr tao uea
ja -ev exa e nrei tionime inhom-
-ON eepor eas aiaae-Dem ells por mm
we ifrmua ao Tsomo pa qo o. em iro
uneba s prestagn
Speagmte a o etwrdepat : s mg& e:
MpreesMo Rdev =dog PNe2do? Pae. -
me que o engeimbri. tWa ri o -
s Ir, e devsdoqsesstlta di de de-




, .w .... tM vu. a. -
I.a umcmi .kle, qs. q de 4


-q aie s ale.i s, W i ...m...B' 1

n6geayif -*t.n S*e-s (tawg -a 40* c
^Mwrt^ia^fa ~ $te teoead


-P-V"ts..tB.iM e -te .a etiu do
- .Ul a e a P an spar Adam doe que au-
8' Be fipoLr OrdaSndeL. ze. ou do Dr.n lIe
MD iQO uo a sae orhmaas-e as pribo nmesas
easB soelta sa4".e alias dasarte diatia
4* e Afa-usdo Duteaglo nal eomporta mais
pream. -DessGMrit. LaCudsmte
RBq q o e i c oa mmargeneias do prc-
id.tteqd provla W io suntido de
: gr t a ia pro Wiedados do haitan-
tes i~dad .e elaa -aeftamt afaut ads
por uma quadrilha deo ladro qae ja tei feot
divem e reabs Iaqu loeadidade.-Antmen
Appelamo paT&ra s as e querems que eota,
a& oeonformiachde do tegHun to, ar-. 138, di"ds
que o Sr. President e da Ao embla viodou o Tei-
mento, aceitando, sojeitado a votaao sem dis-
easno, negando at0 a pAtvra pelt ordem a diver-
ms depntadoe, um requerlmento de encerammento
do t. t e 0 projeeo n. 28, e dando por approva-
do ease requerimeuto, quando a Assemblea no es-
tado de pertRasbo' di erdem e. do tumulto em
que fieou, aehando-se todes os deputados em p6;
nao podia deliberar, nemo era possivel verificar a
votaco que sida :nao howve, nem podiater havido
no memo moment e m- que Sr. presidente deela
ra que, nao podendo matter a rdem suspendia,-
Dr. -,F. A. oRaw e Silva.-Olympio Marques.-J. V.
Meir de Vwcoelto. Gem Cavaloanti. -Joo
Als. -. .ilo de Miraoda.-Antonio Correia. -
Drawmornd Fio.-Alfredo orrea de Oliveira.-
Aute Piheiro.-Cmausantino -de dAlbuquerque.
Passou-se a ordem do dIla.
1- diseustao do projeeto n. 965 deste anne (or-
gamento munitcipal).
0 Or. 46 MWlIa-=(Nbo devolveu o seu
diseurso.
0 Sr. MBaro de Nauareth-(Nao devol-
veu o seu discurso.
Eneerrada a discusslo 6 approvado o proiecto.
Veio a m, fat seguinte doelaraago de voto :
a &e4ueiro que se declare na acta que vote
contra o projeeocto de oramento munieipal.-Ba-
rao de Nazareth.
Continue a 2a diseussbo do project n. 158 (or-
gamento provincial.
0 SB. AMsfBCoKO Lons-Parecera a V. Exc.,
Sr. president, e a easa, que eu, amigo e sprecia-
dor dos illustres cavalleiros que compoem a com-
misao de orcamenato, que eommaungo nas mesmas
ideas political qae s. Exes., venhalfazer opposi-
leo e sea trabalh.oraameatario, onde nao se ob-
serva nem os principles eeoneomleos nem a justi-
[ 9 -equidade que deve assistir a today taxaco de
im,= ,. (Apoiad*.
,EwtretaBo0 meu dever de represeatante da
provin.ia e o interesse que igo ao florescinento
de todas*a claes, me eloaemna rigoa obri-
ga&Oo de vir, quanta antes, diseutir as vautagens
ou incovenenienias do aceressimo de crtee impos-
tos, que figuram no project que procuar anas-
lynnr.
Se por um ladoten-oa msbida hours de repre.
seatoar o 1 district dai provim, onte o -owaam --
Cie aMe sates eontitome a mtes iltereOanto Il.on-
te de impoatjulgo-eva, tasbem, par otroe lado
obriga& demt der es interest di lavoa, paa
a qual s6 se o e sos memento erifticesoa e emba-
ragosos daes nossas finangas. (Mitos apoiadoe e,
spartes).
Bern set sda situaodeploravel esn que nos acha-
mos depois da suspendlo inopinada do imposto de
consume. (Apoiades).
Comprehendo tambemz .Sr. president, o triste
legado que no' deixou a situacao conlervadora,
que asolou eate pais e prinipatment esta pro-
vineia, onde elevenou s6 em 4 annos de governo, de
1868 a 1872, a divida publics, que era de
152:301819,afabalosaquaatiade 4,86:212,494!..
(Aposdoes; uito bem).
Fao deiaroi- deo torar sarientu Sr. president,
o-eatado a que chegou o ecredito provincial, apon-
to de seremeotls aibaixo do par polices dej a-
os ae d oBl!... (Apoisdos).
UE St. DEUvTAD-Tudo so e 6 -acto.
0 Sa. Amx6TAxoo--Na qualidade deo home po-
litico 1o preacindo do oflrser wses dad-,s histo-
rnos, porqule no devo deiar passer semr protest
as-arguioaes inajstasa qe se tern feito repidaw
veses -a situcaao liberal que aetualmente dIrme o
governo do pars. (iitos e apeos apee).'
As euses da nOss toadenm alo veto de ho-
je, mas do dominio dos nossos adversarios, qae
naundaram o paiz de impostos, creando series em
baa- a o nomss pragresso eoenomieo e fiaacoei-
to. (Apoiados).
Se, poema-, Sr. presidonte, 6 o nosno panel nested
pais fazer eeoeomias para seem gastaa peLos nos-
sOB adversaries; soe 6 nto mismc coaeertar as
manges trreuinadas, rmoe trilin eroe cemiuhol .
saauo e ephioso, 6 yto mas qae toS Oobrira
4e gloias" (Apoiadoa).
IEnu, irt~am, 8r. president, qa-ro eooaotnia, e
Spa-dn-qnaelli e m fl'tmhalmsr meeals peed-
it, dquom eobr.ca- emo n- s Inp t-s
Is diverB etuawM, nAjpnppeoadade se akha na.s
tJiunmeito ligada us noseo systems tribututafo.
IApoiados).
Meamre esperei ems a iclatrada cornalssao 4e


srgaumnto, am vez depedir a =u0Mo a a***
denovoas impostos, p-roase _todiftal-os em be-
4teficio dos pobres e .oa! c t qao So t ibuta-
A ste pGo arqu repaf. (Apad),.
E, nes pesas, eponiVa ouwi eorm o
men v-etao eomaminkhfriia tlatr, l(nao apois-
.dos) pars a pugem de um orommi ft"e-

'as Rao, Sr. laetu, o presented projetoa es-
* etAeimae a a s6meoeer a miuan

Utb IiV*. u Wcpod c MrANl-o-mpre-


tL&vl Mg roa o tdidesa-

-O w ld-'- es:
0 816.l....:.... .. .. .
Sr -2. ,'aBM1giOo5 -_-0M M_ o me.I a .
.&.AD *oo& -0036
MI&MatS^^


^jll>lti~n~o 6-te ^jpgu.yilmt '.


~e "boa
*^S~~iS~~tt? -iS S~ne trabaW do
S "wlle strau e nao autorisa un m ao-

r^ BMufto hers).
D s NASAwuru V.Exc. eata pres-

presidente,
U1 poder, .dowe dim"tir t ed6 o orgamanto,
tod&i a uproeoito o ensejo para tratr dos funes-
os imped de ezporta .
Seatendermos pars a situaso da nossa pro-
vwWPo suw o .se estado do atrso agricoLia e in-
ddlial, meaueemos ddeae logo que os impostos
de exportai.o constituem urn doe maiores emba-
raoges do comomercio e da lavoura. (Apoiados.)
E Euao poaso tolerar qae em uran proviacia co
mo esta, onde a indastria 6 neahuma e onde a
agrieultura 6 decadent, se queira constituir os
impostos de exporta&o em fonte principal de re-
ceita. (Muitos apoiados e apartes.)
Comprehendo que alo so pode de memento sup-
primir esses impostor, porque infelizmente, entire
uis, quando se traetou da organisaso financeira
do paiz, nao se cogitou das taxas directas, de ma-
neirs que urma das suas principles fontes de ren-
da assents nos enlaces qua difficultam a exporta-
$o'dos nossos production. (Apoiados.)
Mas, deede quo o mal estA feito, n6s nao deve-
moa amplial-o ; por6m sim reduszil-o o mais que
nos for possivel. (Apoiados.)
A illustrada eommisseo de fazenda e orgamento
parcel qne nao attended a quae os nossos produc-
toes soffremn dous imp)stos de exportatso: un ge-
ral e outro provincial; e que aos generous nacio-
naes soffrem urma competeucia real dos products
similares das republicas americanas e dos paizes
da Europa, que descofihecem essa praga destrui-
dora que se chama imposto de exportacio. (Apoia-
dos.)
Nao sera foray de proposito lembrar agora i
eommisso de orgamento as alternatives porque
*tAm passado os impostos de exportagco.
Quando as assemblies provinciaes ainda nao se
tinham afoitado em tributar a exportaeao, a lei
geral de 31 de outubro de 1835, havia fixado esse
imposto em 7 /o.
Depois d'isto, creio que em 1852, ease imposto
fotei reduzido a 6 0/., ficando o governor autorisado
a fixal-o em 5 O/o, o que realisou-se por "forca do
decreto de 23 dc marso de 1853.
UM SR. DEPUTADO-EntAo n'esse tempo as as-
semblas provinciaes nao tribntavam ?
0 SR. AaisTAcHo-Tributavam, c foi essa uma
das razoes porque o governor reduzia as suas ta-
xas.
Digo uma das razoes, porque esse impostor, im-
popular e vexatorio, come ura, tinha desportade
varias reclamaqZes do conselho de Estado contra
as taxas provinciaes.
0 SB. Jolo AUGuosTo-V. Exe. esti dando pro-
vas do seu bonito talento e illustracao.
0 SBa AISTACHO Depois d'isto, foi elevade
ease imposto a 7 o/o, e maistarde reduzido a 5 O/o,
atA_ que em 1860 foi creada a taxa additional de
2 o/0, que figurou em todos os oroamentos atW 1867.
Infelizmnente, Sr president, a guerra do Para-
guayobuigou a elevacAo da taxes additional a 4
%, ficando deste modo-o imposto de 6 rtt aoo
fixae em 9 O/o..
Al-m Wdesa taxa exorbitante, 'as assembl6as
provinciaes tomrn abusado d'esse tribute, de modo
que ha mereadorias que, aS de exportagco, pagava
a taxa de 25 '/o !- (Apoiados ; muito bemrn,
apartes.)
UxM Sa. DEPUTADO Continue que V. Exc. vai
muito bemrn.
0 SB. AsemrAceHo-Se havia tornado te oascan-
dalosas as exceseivas taasa de exportaeao que o
governor geral, na present situao. ....
UK Sa.DsPuTAhqo--E' precise chamar so nosso
partidu Gese beneficio teito a lavoura.
0o .. AamsTAcIo -... resolve reduair o im-
poasto a 7 /9 ; e quando tinhamos de gozar esse
favor; eis a commissao de orcamento entendeu
convenient cobrar aquillo que o governor geral
julgou indispensavel come um pequeno favor a la-
voura. (Apoiados).
(Ha um aiparte).
O SB. AaSxTncao--Pelo que venho de dizer fa-
cilmente comprehende-se que, se em cireumstan-
dias cxcepionaes, podor4 o product national sup-
portar a concurrencia nos mercedos estrangeiros.
(Apoiados repetidos e apartea).
oSe oa men illuetres cootegas attenderem que a.
nossas meroadorias sdotaxadas nos centres con-
aumidoreo, e que, portanto, o custom da producoao e
tnnabporto o inliue sa eotaso dos procos ; ho
do couvir commigd que os impostos de exportagi-
recahem exclunivamente sobre o producto. (Apoi-
doe).
E td'kEi teremnos como conaequenoia o pouco ou
nonsl lucre do agrieultor eu fibrieante, o enfra-
qu ei eatoou-s morte das cossas fontes de pro-
Dv rei u applicar os principios que tenho ex-
pnciido, aos products da nossa'provincia.
AaMs Seas. DuTwose-Oucamos o orador.
OGSa. ARisTnOHO-N5o ignore V. Exc. Sr. pre-
sidente, que a producco do assucar tern se dessn-
volvidotde urn modo espautoso, sem quo se haja


augmentado proporcionalmente o consummo d'es-
a aeroadoria ; esse facto tern produzido os Beus
effeitos naturaes; isto 6, temrn oeasionado urma
baixa sensivel de pregos, de maueira quo es lucros
do piedactor slo em demazia insigaificantes.
(ApdS).
Ese ph"n o uooemaico tarn etabelecido
amurns luta deumft *t s o prodectore de assacar.
Emprezas vantajosas fte tern organisado ; machi-
uismosaperfeigoados se tern feito, e 0o governor
dio tern side iutffalentes aesse tentamen gigan-
te que trminari oom o d&eappireeimant dos
eombatentes mais fracoes.
Na Europa, em various paises a industrial sac-
hdiria mereoe todos os tavores, todo auxilio e
proe do estedo; este, jL nio se limits em of-
fTreeer eminhos de ferro em todas as direcoes;
ag he oentrames em todos as aagalos; banoos
per toda a parte ; faz mais franqueia s; ao 6 s6
so; remeir a eportw.Ao (Muito bemrn, diver-
anApeoisdos)-
r nSr.4pesidonte, entronde or venos ? 0
quo f 0yus gen ,e provincial pars appro-
idmar 6d|u iae deridade a eose genaro
de O p u ? ...
IW '"990"0 ditd-o: ..da W* aboutaumie~
ada ; ou psr outra g .rreia, mbMai,_alts
OM aexpW6O. (Apoia e apartes).;
E'mftfaagtmpoia qw n n cond..es em
idew zhw%, e& ~~u o w eptyr corn o
mapm 41a ~Rabls. AoI da)
AL f i00140tUporgem e a ento
eii e4 eeultrae abrico, em capiteos,
si. aP pawosssn.yws i de
1iirMqindi.-ni oa cettt .eaasmtmn&dwes ; e,
al de ta m as mAo iw impetss do, expor-

WA Ih,,.tn A* M ft qte


i~~~i~O ijzfffstt ^ (13f!O< 2do


W
































wemo a4
chester.
E de
MUnstrad
AMiS p!,


Slastimavel qf
kmento tivemse i


.itax iemurais'% a augme u qs iuspuua pyua
cxportaao d'eaua mercadoria. ,
Be Be. Exq. tivessew attendido qua o algTdio
americano 6 cultivado pelor meios mais eec.bi-
cos, e, beneficiado pelo process3as maiS st UP E
goados; tendo, al6m d'isto, transported fae; l ex
portaeo frauca, nio teria por eerto elevado a ta&=
sobreea.a mereadoria. (Apartes).
0 S. LN.A FmanMZ JUNIOR da uam aparte.
0 SR. AuismTArco-NAo ha egero de mlha
0 : o que digo 6 real e deplore qne aopequeuo
ue do productor national desapparcta nos im-
postos sobre a exportacAo.
(Muitos apoiados).
O SR. BAAo DE TADATINA dA um aparte.
0 SB. ARISTARCHO-A commission de oramento
nio se quiz porem limitar a estabelecer as taxas de
exportaeao que figuram no actual orcamento; jul-
gou acertade acrescentar mais 1/2 o/% sob-e o as-
sucar e algodo ; e, come se isso nao fosse suffi-
ciente, entendeu no 7 do art. 10 crear mais o
imposto de 100 reis per cada volume de aesucar
exportado em fazenda ou em barrica nao fabri-
cado na provinceia.
Eu nao posse admuittir esse derivative para des-
fargar-se o mesmo imposto! (Apoiados).
(Crusam-se diversos apartes).
Ou a illustrada commission julga-que a lavoura
p6ae pagar mais esses 170 contos, e devia antes
ter francamente langado esse tribute no to do
art. 10; oa entAo quer protege a outros ramos de
iadustria a custa da produc;Io da provincial.
A prirneira hypothese 6 inadmissivel, porque
eu nao aeredito que os meus illustres colleges
qUeiram illudir a lavoura desfargando os impostos
que julgam convenient cobrar-lhe. (Apoiados).
Uu SR. DEPUTADO -Verifica-se a segunda hypo-
these.
0 SR. AnRISTAUcHo-Resta-me, portanto, analysar
csse system proteecionista, que consider alta.
mente condemnade.
E corn effe;to, Sr. president, comprehend que
se queira proteger uma industrial qualquer lan-
9ando-se impostos de importacAo sobre a merca-
doria si.ailar estrangeira ; mas nao posse tolerar
que se queira proteger uma industrial prejudicando
outra, que, quando nada, merece ser protegida
tambem.
(Apoiados c apartes).
0 Sr. BuiRo DE TABATINGA dA um apart.
0 SR. ARISTARcao-Infeliz agriculrura! alem de
pagar taxas pesadas de exportacao para fazer
face a supressAo do impostor de consume, ainda se
Ihe onera corn impostos protectors de outras in-
dustrias!
(Apoiados e apartes).
Devo ainda ponderar que a primeira parte do
S7 ainda 6 justifieavel. porque ha entire n6s uma
fabric de tecidos, par caja prosperidade devemos
nos intcressiar; porem a segunda part 6 injusti-
ficave] porque cogita de industrial nao existent
entire nos. (Apoiados).
Eu peio, pois, aos ineus distinctos colleges que
modifiquem esse or amento que se torna demasia-
do oneroso a provincia!
No 3.', Sr. president, ainda existe um impos-
to de exportacaoe que repute demasiado.
E' a taxa de 8 /, sobre a aguardente, a!cool e
genebra. (Apoiados).
Admittindo como media transitoria os impostos
de exportagao, nao posse deixar de impugnar esse
tribute, tanto mais quanto parece-me haver con-
tradiegao n'esso trabalho orcamentario.
A illustrada commissao langando essa taxa, nao
ha negal-o, difficult a sahida do generQ ; parece,
p3rtanto, que desejou augmentar o consumio nacio-
nal. (Apoiados e varies apartes).
Entretanto na disposing do 8.0 tributou hor-
rorosamnente corn a taxa de 120 per litro, o consu-
me d'essa mercadoria na provincia.
Ora, das duas uma : ou a commission reconhece
que o grande consume de aguardente 6 um mal, e
devia entae facilitar a exportaao ; ou entao con-
ldera um bemrn, e neste case devia facilitar o con-
sume !
Trioutar, por6m, a exportaggo; tributar o con-
sume corn um impostor equivulente ao valor da mer-
cadoria, 6 sem duvida nenhuma acabar corn esse
rame da nossa industrial. (Apoiados, muito bemn).
Ha um aparte).
Consider, tambem, como uma media iniqua o
tribute de 80 r6is sobre cada litro de vinho con-
sumido na provincia f6ra do perimetro do imposto
de reparticao. (Apoiados).
0 Sn. SOrros Puirnuno -E' una iniquidade.
0 SR. Ausemuca Corn effeito, Sr. president,
esse imposto 6 vexatorio e deve soffrer modifica-"
9.o. (Apoiados).
A distincta commissai de oreamento devils at-
tender que essa mereadoria, alem de jA seot tibu-
tada aqui na cidade, per essa diveisidaate de im-
postos que nos opprimem, vai seo consumida no
interior da provincia para onde a difficuldade de
transport. eleva naturalmente o pre~o d'esse ge-
nero, que muitos consideram de primeira necessi-
dade. (Apoiados e apartes).
Este imposto, se passar, o que nao aeredito, im-
possibilitar6. o use de viuho no interior da provin-
cia. (Apoiados).
Nao posse, Sr. president, me furtar ao dever
de impugnar; se bern que ligeiramente, as dispo-
sic5es dos 11 e 12 do artigo 1o do presented
project, onde a illuetre commissre de oreamento
revelou as suas tendencies socialistas.


0 Si. JACOBimA dA um aparte.
0 SB. AisMarcuo-Sem duvidai V. Exe. sabe
que um dos meios de combater a propriedade, 6
onerar as heran9as, chamando para o estado a
fortune laboriosamente conseguida pelos particu-
lares. (Apoiados.)
Entretanto, come Bos achamos n'uma situaclo
normal, come nio temos maieres fontes de recei-
ta, sufficientes para satisfazer A noeessidades
mais imperiosas da provinuia, eu nio terei duvida
em votar esse impoeto, mas modificando-se a taxa
do 12 de 2 por eento para a de meio por cento,
como era. (Apoiados.)
Um Sit. DRPUTADO--V. Exe. estA prestando utim
servio distincto a sna provineia.
0 Su. AlsvAtcuo-Muito agradecido.
Um OUTRO SR. DSPUADo-Accite corn sinceri-
dade.
OuTuO DioPutAo-Todo nuds o estamos admi-
rando.
0 SB AwSTAncao-Nio eatou fallando para ad-
mirar; nio tenheoos dote precinoBscome V. Exe.
para despertar o enthusiasm e admiragae; ape-
i* poe aimplot palamas eu.it -oB inus -Paellsa-
mentos. -


:^mente-pan os vaqwre e W'is etagootaW
Qiero des-e modoproteor a: naVega9o geio,'
nal c evitar mais um imipastsobre-os nBoWt
Se 7pasar ese eome estAredigido, St. presi-
donte, eonstituirA elle mai umrn pesado aonus
para as nossas pequenasa dustrias. E de
factor, tributar-se 05 vapores e navios que viewem
tomar carga aqui em noOso port, 6tributatmos-
naturalmente a produce da*poovincia, porque o
frete e imposto setao coflnutads no preeo das
mercadorias a expbrtar. (Apoiadts),
Eu nao sei, Sr. president, coms a illustrada
commissio de orcamuento den taitos eochillos !
Ha urn aparte.)
eceio tornar-me enfadonho nesta discusao ;
(nao apoiados) a material 6 arida e n4e se presta
a observag5es que possam deleitar.
CouheWo, pois, o quanto nio estara fatigada a
Assembl6a corn as considera&6es que tenho leito.
VQZEs- Nao apoiados.
UM Sa. DSPuTADO- V. Exc. pode continuar per
que nos esta deleitando.
0 S. ASTAsRCHO-- Antes, poreM, de terminar,
peVo aos meus distinetos collegas que complem a
a commission de orgamento, deseulpa per te cri-
ticado o seu trabalho. que pode ser muito correct,
mas que me parece muito prejudicial aos interes-
ses da provincia.
0 S. SLvrNO da urn apart.
0 SR. ARImSTARCHO- Engana.se V. Exe. ; eu
quero que todas as classes paguem impostos, mas
de um modo rasoavel e equitativo, nas justas for-
gas dos seus lucros e prosperidade. (Apoiados)
Para langar-se qualquer tribute. 6 precise con-
veneer o contribuinte da sua utilidade ; 6 neces-
sario demonstrar-lhte que as despezas do estado na
provincia, nao podem prescendir de mais este sa-
crifieio ; 6 per isso que venho convidar aos meus
illustrados colleges o justificarem esse project,
cuja organisago viciosa nao merece o meu voto.
(Apoiados)
Se me acho nesta tribune, Sr. president, 6 uni-
camente para advogar os interesses importantes
da provincia que honrou-me corn o seu mandato
Eu nao podia deixar, sem quebra da lealdade
que devo manter, de esforgar-me em defender o
interesse das classes laboriosas que tanto coneor-
remn para a prosperidade public. (Apoiados)
Aguardando-me para em outra occasiao prose-
guir na critical que hoje inicio ao project de or-
Oamento provincial, pego aos meus distinctos col-
legas que modifiquem o seu trabalho, dando desto
modo mais urma prova do seau inexcedivel patrio-
tismo.
(Apoiados; muito bern, muito bern. 0 orador
6 felicitado.)(ontini)
(Cwtnitin)


REIVISTA ltARIIA -_


MiniMterio do duastiea-Sobre assump-
tos eleitoraes foram expedidos os seguintes avi-
ss :
( 2.1 Secgao. Rio de Janeiro. Ministerio dos
Negocios da Justiga, 14 de jdho de 1884.-I2m. e
Exm. Sr.-Prevalece a designagao, que por aviso
d'este Miaisterio, de 27 de outubro de1881, se
fez, dos serveutuarios incumbidos da transcripgAo
das actas em cumprimente do disposto no art.
149 4. do deereto n 8,213 de 13 de agosto de
1881 : sendo que pars as secoes nao eneiona-
das no mesmo aviso servirlo os escrivaes de paz
do distrieto e os escrivaas que forem juramenta-
fios pelos presidents das mesas eleitoraes.
Pica assim respondido o avise de V. Exc., de
10 do eorrente.
Deus guard A V. Exe. Francisco Maria
Sodre Percira.
a A' S. Exc. o Sr. conselheiro Felippe Franc-
de SA.
2.8 Secao. Rio de Janeiro. Miniaterio dos
Negcios da Jwtiga, 27 de outubro de 1884. HBim.
e Exm. Sr.-O art. 15 20 2.a part do deceto
legislative n. 3,029 de 9 de j ineiro d'este anne,
dispoz quO a aeta da ^leiglo serA transeripta nd
livro de notas do tabellibo ou escrivo do paz,
assignada pela mesa e pelo% eleitores que qui-
zerem.
o art. 149 4.o do regulamento annexo ao
decreto n. 8,213 de 13 de agosto ultimr exige que
essa transcripcao seja feita immedtatamente e
assignada pela mesa e petos fiscaes e eleitoreo
que quizerem.
V 'erifica-se, cntretanto, que onumerode ta-.
belliaes e escrivaes de paz nao 6 sufficiente para
a transcripcao immediata em todas as soecees
eleitoraes.
Convindo conciliar eom este facto a exeucuto
dos preceitos legaes, declare *a V. Exc. em res-
posta ao seu aviso d'esta data :
Queo Os tabellies de notas da c6rte senvirio,
o 1.0 na parochia da Gavd, o02.' na 1.' seco0 da
do Engenho Novo e o 8.' na 2.a seecao d'esta
mesma parochia.
c Que os 4.o, 5.,, 6.0, 7. e 8.0 tabelios sBrvi-
rno na 2.a secao de cada uma das segiteS pa-
rochias: Gloria, Santo Antonio, Lag(a 4E^pi-


rito Santo.
( Que nas primewras seceoes dos distrieto de
paz sera fltiV at enscij^pgIo.
escrivies effeaivo,Ie am 0 las
que forem jumamentadog p los preidentes caa
mei sas.111- "' 'l '^ K 1^ 1*^- 1,.1''^
La Quo eumpre pro. videncizisrpara60 tdiiu-
to de livres dos escrivdes do paz e&etivs ota-
ramentados.
., Deus guard a V. Exc'.- Manod Pinode
Souza Dantas.
I A S. Exe. o Sr. conselheir Bari Ho iemude


vopois o de aanna, 3edo: car;OW4-, !uao
.239 aninos que se del i bkala de .bocas, em no& bff, dene0f|a
Pernambace, entre holandezes e portua de r -po eidad
SRa A dna dbazar 3 A,&,". 0- adpeatdo e"in*oem
do Club CeanA Livre, queo loforameatreauo s ao ea, hroriivel, era .a*os :-
altimo domingo, podem ser proe raf no 1- an- sesaectowofogo'. enar-l&es a
dar do predio n.57 da rua.do-aB46da",Ytona. s %apregados enearregados da vigilaucia
aetut d Oaftr Pnblieodse o e n.14 do -o haviamuretirado, sema nada notaremr de
deste peniodieo, nrgle da Assoeiacao dos Fune- e rdinario.
cionarlos Pwevimeino i o renie ainda o official da guarda passou e
aendAlimento* public. -Arreeadaram v do palacioeo e nada vie.
as seguintes esta5es em julho: to eminutos depois ouvio-se uma forte deto-
-Alfadega aeguida de muitos tiros, e pelas janellas
De 1884 752:162R199 aa umn grande chamma.
De 1883 659:0871$624 Iga -se que umea exploeso de gaz originon a
De 1882 821:395A689 cat strophe.
De 1881 818:183,875 visados ,logo quo e sesoube do triste caso, corn-
De 1880 798:714A678 p oIram no lIgar do sinistro o rei, as infa as,
Recebedoria de RBendas Geraes s de Osma, Ahumad Alba, e outros titula-
De 1884 41:228,210 res autoridades superiores e os ministros do reimo
S De 1883 49:850Q892 e a publicas.
De 1882 53:8721806 -pessnimo estado do servigo de incendios con-
De 1881 42:131;988 e6eu para que o desastre fosse maior.
De 1880 40:046166 9s soldados praticavam herocidades, defendendo
Consulado Provincial os tos mais importaates, mas em*grande parte
De 1884 126:122%448 foitadado o en esfor~al
De 1883 126:6741540 a ala direita do -edifieio havia uma grande
De 1882 205:00359 pero deo polvora, quefoi salva corn mauita diffi-
De 1881 204:303f400 cakSade, sob uima chuva de faiscaus.
De 1889 0- 217:793P84 Ain tires horas da madragadao fogo estava do-
Commlssao Cent Bl W H Ianeliado- inal4d; poueo depois abateu o teeto do grande
ra Hoje, As 7 hoea. da nei l, enne-se esto.
commissAo, no primeiro ai7nan da npedin.31e IS3 a N se pode avaliar o valor dos estragos no edi
rua do Imperador aieio e muito mais o dos objects de aite perdidos
Passeiata-Hontem, As 5 horas datarde, on avariados.
formou.se, na rua do Imprator, um numeroso 0s jornaes de Madrid trazem muitoas e curioso
grupo de membros das sociedades abolieionistas e Pmneores d'este tnstefacto, que no publicamos
outras pessoas adherentes A id6a, e percoreU di- hoje p er faita de espaoo.
versas ruas da cidade em regosijo pelo resultadoante z djunho
alcanuado em rclaaqo A questo servil, corn a dis- ultimo paisaramo canal de Suez 248 navies que
solu9.o da Camara dos Deputados. pagaramn 4,750:000 fr.
0 prestito era precedido de uema banda de mu- mjnho do 1883 passarm 298, que prodzi-
sica, e deu numerosos vivas; sendo atacados fo- ram 6..032:567 fr.
guetes, em todo o pencuresoquofe extoeno, pela Em igual mez de 1882 e movimento foi de 230
cidade. navies, produzindo 4.540:282fr.
Terminou a noite em boa ordem. Darante o primeiro semestre do corrente anne
utilisaram o canal 1.824 navies, produzindo.....
Congress Littertrlo ScientlUlco.- 34.698:504 fr,.
Reane-selhoje Vs 9 horas d4a tarde, na rua do Ba- Em igual period de 1883 transitaram 1.813 na-
rio da Victoria n. 58, 1.o andar, para tractar d vies, que pagaram 35.341:554 fr.
negocios urgentissimos. Em 1882 navegaram por alli 1.-731 navies, que
Que1 fo feitodeUet-Ante-hontem,ameia renderam 31.934:554 fr.
noite, entrou de service na ponte da rua do Bornm Desde I de janeiro ultimo as tarifas tinham bai
Jesus, na freguezia do Recife, o guard de nome1 xade 50 per cento.
Pedro de Mello e Silva, que ha dous dias apenas Produ to da venda da historia da
fora alistado na guard civic ., eaam danua ade $1140-1I$l-Foi spresen-
SMeia hera depois, passando per aquella'rua o6 tado ultinamente um projeeto de lei na Allemanha
cabo rondante e nao o eneontrando no .pontoi, a w ser diotribuida pelos diversos institutes mi-
sciencia disso ao commandant di estaco, e iw rtarea do imperi" uma somma superior a 300.000
seguida, corn outras praas, ipercorreu todo bairra-)Raweos (70 eontos), proveniente da venda do re-
do Recipe afim de ver s o enoontrnava, o estad ar obre a campanla de 1870
porem, infructiferas todas apesquizas neise-salt' I-IST1.
tide empregadas. Prto" d'esta sonras serA destinada A compilaogo
At6 a hera em que escrevemos isto nao ha delle de oatros trabalhos, centre os qaaes a historic da
noticia alguma. Apenas foi encontrado, a4 ladoe gueirrat dos sete annos, que serA vondida per dimi-
do Club Popular, o cintundo quIhe i pertena. nuto preo.
Villa Formosa de S erlnaeBm-Es- aceeta... tristes-Os francezes fazem
crevem-nes em 30 de julho fidod: "' espirito de tudo atW do cholera.
4 No lugarejo Proprie-dade deste terino, loi es-I Os periodicon de Paris contain o seguint case
pancadc, na tardinha de 20 do corrente, quando0 succedide em Marsella:
come agent de policia, procurava apaziguar uu Apoetaram corn um marsellez em come nio era
barulho, o inspector de quarteirio, Adolpho J. d' capaz de dormir urma noite n'um leito em que ti-
Jesus, pelo individuo Manoel Germano, que aindo vesse morrido um cholerico. CombinadAa somma
puchou de uma pistol, para desfechal-a sobre da aposta o marsellez aeeitou e deitou-se durante
victima, o que nio fez dedvido a intervene de al duas horas no leito indicado; na manhi seguinte
gumas pessoas ;asssim fieou o indi0ao Jesus eeoni etava doente e n'essa note, morris... de cho-
tres ferimentos no alto d aeab,e acopanhad lens.
de um cunhado e camaradas, foi trazido para aqui Averiguada a origem, a cams era toda nova em
onde foi vistoriado, sendo felizmente jdlgada 1e- folha e o marsAeofe iorreu simplesmente de...
ves os mesmos ferimentd, pois umr tinha 10een medo.
timetros de extensIo e1 de profiididadee6os dia s Outra que um jonmal affi a ser verdadeira.
3 e4 centimetros de extensIo e a mesma pr fau- 0 jeven visconde X tom urMa tia que o estlma
didade do primeiro. muito e desoja arranjar-blhe um bon easamento.
a 0 offensor, apezar de perseguido eni aeW'toet-- Depois de varias propostas e reeUsas apresen-
tinuo pelos activos soldios do dtae- n tou-lThe uma mais rasoavel, una joven eneauti-
Francisco Bispo.e oMauoe J. da-Cota e aligas dora.
paisanos, logrou escapar-se, emibnhaind-se nos E 6 rica? pnergulnta viseonde.
mattos. Ainds nao, mats tom- muito a herdar..
c Diversos sentenciados estAo anciosos para muito...
irem cumpri.suns senen ,s ano.gigatesco pala- Ora! heranas! para d'aqui a mil aanno I
eete dess capital, cnhcido por tDetenceo. Nb Qual historic Imgina e espeaana
serial mao quei fosem todo, em e-jo iimero-est deves ter! today a familia della vive em Tou-
o de nome Manoel J. deBitoI a quem fn t desig- Ion... '
nadoeo presidio de Fernando pars eumplr pUa Lile.iB-Effeetuar--ae-5Bo-h:
sentena quenao 6 pequea; maonea oo -- Hoje: .
e active caroereiro d aqul, rnopiraria um pouao, Polo agents Sieeira, as 10 1/2 horas, A run das
plis aetualmente a eseassezde fomamiitaryfa- -Flores an. 3 deomovei.
viver, pregado a eadeia, come auxillar das pta- Pole agonte Brito, as 11 horas, A rna do Impe-
Cwa, que aeossados pela quebradeina, ido -mais rador n. 28, de predios. r
sao pelo atropelletdo sermvio. Feb agn Ca 'e o&ra, As 11 horas, na. .-t-
a Em virtude da erise, que de c61o erguid~via vTess do Cornp Santo n. 27, de movers o miude-
eampaudo por d:t A aparte, aplaeeu aqi itfi- las,s
mamento, um imitadoit do Lucian, aomrTOonja"g Amanhi:
nmilagaona,. topentn oemo popuaidvetimiieB do- PooeS e.ato Guam8do, as 11 hores, ma esa doBon
uominadea sormil; ea psoite^oh^a6li g~ri^ queft9ieii p quo iBj lton- tresob~eosO.
?^^*-l^^^^^^^^ -S.. ***S-. -..4.. __^=A. .ua. a *-.: f miA~tA-.KriA (>Alahbadasl^*-


agm
Bab


subi

celif
aelo
muml.... .


0 etar- Moscow: -A cosultas todos on3
dias utoisa;.a d"l- 7 A ls, 10orasi.da min
Este' consultorio offerece a commodida-
doe de poder cada doente ser ouvido e exa-
mmnado, ser ser -presenciado por outro.
De meio dia as 3 horas da tarde sera o
Dr. Moscozo eneontrado no torrelo A pra-
ga do Commercio, onde fmunccona a ins-
Ipeco. do satde do porto. Para qualqer
d'estes dous pontos podero seor dirigidos
os chamados por carts na' indicadas horas.
Dr. Baptista de Morams, rua do Bareo
da Victoria n. 37 1.', andar ; consultas das
10 horas ao meio dia chamados por es-
cripto a qualquer hora.
0 Dr. L A. VeUozo, restabelecido dos
Deus incommodos, continua no exercicio
da sua profisslo; podendo ser encontrado
na sua antiga residencia i rua do Barne
da Victoria n. 45, 1. andar. Consultas
das 7 As 9 da manha 6 das 3 As .5 da
tarde.
Dr, Leonardo de Albuquerque Caval-.
cante, medico e laureado da Faculdade de
Paris, occupa-se corn especialidade das
molestias da caixa thoraxica (cora9oe publ-
moes, bronchios, pleuros, etc.) Consulto-
rio rua do Imperador 44 1" andar, dac
11 horas As 3 e residencia na rua do Hos-
picio, 36, ondo recebe chamados por es-
cripto a qualquer hera do dia ou da noi-
te. Numero telephonico 214. Falla cor-
rentemente o francez e italiano.
Consolturlo medico ecirurgico
dentario
0 Dr. Joaquim Camara, corn consultorio
Srua do Duquede Caxiasn. 57, lo andar,
de volta de sun viagem a Europa, onde fez
estudos especiaes deo molestias da bocca:
encarrega-se do qualquer trabalho de ci-
rurgia e prothcse dentarias, extrahe dentes
aom anesthesia per mneio de apparelhos apro-
priados : obtura (chumbo) corn ouro, platina,
cimento : corrige as irregularidades denta-
rias; colloca dentes pelos processes mais
aperfeigoados.
Advogado
Dr, Milet. 10 promoter publico da ca-
pital temrn seu escriptorio de advocacia, A ra
do Crespo n. 18, onde pode ser procurado
para os misteres de su a profissao.
Dr. Seabra---Mudou seu escriptorio de
advocacia par& a ruia do Imperador n. 30.
Das 10 As 3 horas da tarde.
Oecuilista.
Dr. Barret o Sampaio, consultas de 1 Ao
4 horas da tarde, na rus- do Barlo da
Uictoria n. 45, 2.w andar, residcencia, rua
de Riachuelo n. 17, canto da rua dos Pires.
Bo.urgard a C,
Recdfe rua do Marquez do Olinda n.
16 Santo Antonio, rua Primeiro de Mar-
o n. 3; B)a-Vista, run da Imperatriz n.
54. Grande fabnca de cigarros a vapor.
Especialidades : Cigarros, charutos do Ha-
vana o nwcionaes, cachimbos, tabacos e ob-
jectos pars fumantes. Livros de medici-
na dosimetrica e unico deposit da fari-
nha lachea de Nestl6, pars os meninos de
peito e leite condeasado.

Francisco Maod da Slva & C., depo-
oitarios de todas as espedalidades pharma-
scuticas, tintas, drogas, products chimico
e medieamentos homeopaticos, rta do Mar-
quez de Olinda n 23.
'lrtolftem
Mdlo & Biset, corn padaria a rua Larga
do Rosario n. 40, previnem ao public em
geral que em vista dagrande aceitagIo que
tiveram as Brioche., resolveram fazor duns
veses por semana, sendo as quarta-feira 9
sabbados. Esperam continuar a mere-
cerom a protelo pnblioa, para tao singu-]
lar especialidade.


do eor-
zo con-


Para o publico sensato avaHar o qae val per
essa coilectoria, baUa.abcr q St as arrecadacoes
feitas pelos anteaets6es do S Andrade Lima
cahegavam a3ea 4 contos de r i nnoaLes, e que
aU-aslmentequ08 impostos Blo maieres o nu-
mero 4econtribuintoes awltadi o-iao-se arrecada
1.8001 como no anno de 1882 a 18 1
-E, se8 s fosse dada a celrtido impetrada a&
Eaxm. Sr. president da pl-vileiu, qfie tdve -0per
despacho.--k. am ni, havendo ineonvenieiite a,-
pantontear ao pubUco a fraud. de umnempregado
que usurpa os dinheiros publiwos nUo fosse unix
ineonvemencia, mais depressa proeiamos at&
onde chega a audacia deste collector peciuiatario.
Terminamos pedindo a attenco do Exm. Sr.
president da provincia para o doeumento que
abaixo publicamos, e que proya quoe o alludido
collector nio paga Ja diaria dos presof pobres- da
cadeia desta cidade, qae recorrem A carndade pu.
b:ica.
E nao paga talvez porque recolhe as folehas do
fornecimento sem recibo do respective carcereiro,
de cuja accuaao9o nio se defended, contentando-
se em tecer elegies ao seu fiador, parent e ami-
go, o Sr. Severino J. R. Carvalho que jarmais se
import a estima dos seuns concidadios, protegendo
empregados dojaez do Sr. Andrade Lima e em
quanto a political, nio entramos em discussion coin
.Os parazitas e leprosos transfugas,-essas macid-
nas que vergonhosamente se movem a qualquer
impulse ; certes de que, nio 6 desa'roso querer a
paga da hospedagemn, come o6 torpe eneher as al-
gibeiras a troco do voto.
Termina o Sr. Andrade Lima dizendo que des-
cubram-se que fiarAescavagoes...
Eis-nos Venham as escavacoes, lanigero, que
que s6 a tememos pelo lade que nos obriga a fu-
rar os velhos tumores, do seu corpo, de quando
era menos pelludo.
Au revoir.
Cidade da Gloria de Goiti, 30 de julho de 1884,
Manoel Vieira de Melto.
Antonio ',loriano Pereira de Lemos.

ILLM. E EXM. SR. PRESIDENT DA PRO-
VINCIA
Os abaixo assignados, press pobres da cadeia
da cidade da Gloria do Goita, entire as agonies
da fome e a escassez da mieria, recorrem a V.
Exc. implorando providencias para o que passam
a expor.
A lei que'garante 300 r6is diaries a cada um
de n6s, fornecidos pala collectoria das rendas pro-
vineiaes quotidianamente ou per quizenas, nao e
aqui, infelizmente, observada pelo Sr. collector,
que, desde o 10 do eorrente ate hoje (28), apenas
deu 10000 a eada um de n6s no dia 21.
Temos recorrido as autoridades do term sem
sermos attendidos.
Proeuramos um fornecedor e nao encontramos
nesta cidade, ou porque o Sr. collector nao garan-
te, ou porque nao contenta a sua garantia.
E assim, sem podermos implorar a caridade
public, e serm a nossa diaria nerm quem de n6s se
conflem, estamos condemnados a morrer de tome,
o que jA teria acontecido se nao fossemos soccer-
rides pela generosidade de algumas almas carido-
sas que nos mandam a esmola A grade do carcere.
Achando, por6m, no auge do desespero, quemn se
encarregasse de fazer chegar aos ouvidos de V.
Exc. os nossos clamores, rogamos humilde e res-
peitosamente a V. Exe., que, corn a acostumada
justice dos seus acts, lance as suas vistas sobre
os desgracados presos desta cadeia, que recorrem
a V. Exc., de quemn somento esperam providencias.
Cadeia da cidade da Gloria do Goitai, 28 de ja-
,lho de 1884.
(Assigno per mina e a rogo dos meus companhei-
ros por nao saberem ler nem escrever).
Manoel Joaquim dos Santos.
Caetano Joaquim dos Santos.
Jose Olegario de Souza.
Manoel Geraldo de Figueiredo.
1rancisco Rosa de FiYueiredo.
Antonio Jos4 Corria.
Jodo Antonio de Sant'Anna.
Luiz de Soma Carneiro.
Come testemunhas:
Constantino Ramos de Vasconcellos.
Antonio de Arruzda Lin.


ILLM. SR. MITONHO
N6s nao tendo recebidc nossa diaria at esta
data, vamos pedir uma esmola a Vmc para nma
morremos A fome, e esperamos que Vmc. nos soc-
correra.
Cadeia da Gloria de Goita, 28 de julho de 1884.
(Assigno per mir e a rogo de meus companhei-
roe por nao saberem ler e escrever).
Manoel Joaqim dos Santos.
Caetano Joaquim dos Santos.
Jos Olegario de Sousa.
Manod Geraldoe p Figudredo.
& FraneiscoRosa de Fgudredo.
Antonio Jo6 Correia.
Joao Antonio de Sant'Anna.
Luiz de Souza Oliveira.
Come testemunhas:
Constantine Bamos de Vasconcellos.
Antonio de Arruda Lins.

DECLARA91O
Os abaixo assiguado0, do alto da imprensa de-
elaram ao public, e especialmente ao collector
provincial da Gloria do Goita, que deixam de _
vender aguardente, vinho e vinagre em seus esta-
belecimentos, nesta cidade, para n io seem collec-
tados, agora que estiao faendao langamentos des-
"e0 impostos do corr6ente anne financeiro. Isto
fazem, nileo s6 porque nao querem se sujeitar ao
arbitrlo e prevenida impoeiVlo nessa collect mys-
teriosa, mas tambem porque receiam que ainda
mesmo pagando, o reeibo desse collector, nao evi-
tara que os sens nomes desgam em aberto nos res-
pOetivos lvros de lanamenato, tal 6 e o que se diz
por aqui, e se repetem pelos jornaes a respeito
dessareopamtilo.
Gtoria do GoitA, 12 de julho de 1884.
Antonio Moriano Pereira de Lemos.
Manoel Viera de Meo.
Pedem-nos para inseiAsegirir nte dirigida a
am droguista de nosso paiz : .
imSr.V. S._ feZ favored nie omar
nu pwe^rva-se estabeleer confuns centre o
e d j.Gsaprepaado per mini, 19,
'rux j~wtp .rieanproducto-similar fab*m:do
pow a'Ia i4ftgo aoitWio) 61,- 'srua e Seine.
/^ AgriiA>Q a sag commfuea e. 0 auto-
Z gOO a i Jo e, A confirmar altamen quo-
usessad. ten -esa 4 mourn om ao Ver-
AkithAo de Guo, quae e seha regiatna-


1oj :- wi:s 7 ihoras no tonvento- de S.


A PEBIDO
































A AA AXACLETO TDE MNEros
A me estava magoando a dura auseneia
Co'os lacerantes golpes da saudade...
Quado menoas esp'rava me apparece....
Oh !... que doce ventura. Que!... amisade !...
Nio se pode mostrar em pobres versos
O que soffre o que sente a cora9.o
Quando vs-se depois de longos atnos
Tiarer um amigo a pa xA inquietao !
- D'aleria fruiudo os does gosos
SD'est auseneia cruel j Dm"u s tecia
, Mas ea que vejo ao mar abrindo as vellas
I 0 baixel que bern long o conduzia.
SOh I tormento !... oh cruel reparaco !...
Dominado de dor cu exclamei,
E meu olhar lanondo sobres as aguas
S6 do baixel as velas avistei.
S Se sumindo elle vai depouco A poueo...
I Eis que todo p' ra mrniin desapparece !...
E' da saudade o manto que m'envolve...
E' de repente um dia qu'eseurcce !...
Que a viragio do mar te emballe rindo...
E que do Eterno o brago guie-te ao porto...
Ainda que desejo 6 linitivo...
Ainda que me doa me 6 conforto !...
S. Miguel dos Milagres, 29 de junho de 1884.
J. F. de Oliveira Moura.


Congress Pharmaceutico
Tenho a honra de convidar a todos os Srs. so-
cios, para a sessao ordinaria de hoje, na qual terA
lugar a posse da nova directoria.-
Recife, I de agosto do 1884.
Francisco Veras,
10 secretario.


Pharmacia e drogaria
25-Rua do Bar-go da Victoria-5

J. C. Levy & C. con-
vidam A seus amigos

e fregueses a visitar

seu estabelecimento.

que se acha present

mente montado e devi.
damente preparado a

semelhanga dos me-

Ihores estabelecimen-
tos desse genero das

principles capitaes

d'Europa.
Recebe por todos

os- vapores products

simple, chimicos e
preparados pharma-

ceuticos, dos melho-
res, mais conhecidos,

e acreditados fabri-

COMIERCIO
Praqa do Recife, 80 dejulho
de 18i41
As tres horas da tarde
Cotaoes offidae
Accies da companhia de seguros Amphitrite, do
valor de 200 A 2105 cada nuna.
Cambio sobre Londres. 90 dlv. 19 3,4 d. por 15,
do bmanco, hontem.
Na hora da bolsa
Venderam-se
10 ac,5cs da Amphitrite.
A. X. de Amorim Junior,
President interino.
P. J. Pinto,
:, Polo aecretario.
f R,ENDIMerTOS '*UBLCO
Mez Sdo jvdho do 1884 1:48Q5*.4
I? izuGA=De 1 29 731:430
Mdom de 8O 00 2:73155f.


Iczmu.DA=De 1 a i29
Idem de 30


(RUH

ESPECIALISTA EM X PARTS E MO.ESTIAS D42.
Temn o seun consul orio em casa de fis
residencia A rua da ltmporatriz n. 30, 1.,
andar.
CONSULTAS de 8 As 10 da manhI
de 12 As 2 da tarde. Chamados por es-
cripto A qualquer hora.


LITE DE ALYIOZ
Conservado e garantido
PELO PHANMACEUTICO
Antonio M. Veras
Cada vidro corn as istrucqOes 3W000.
Os effcitos obtidos polo LrITE Dz ALVELOZ
do nosso estabelecimento, sao a melhor ga-
rantia para qucm desejar ter este remedio
puro.
N, 11-Rua do Cabug -N. 11
Pharmacia Pernambueana

Uma esmola
Ainda supplica as almas caridosas um obula, a
pobro velha do bccco do Bernardo n. 51.


oXXXXXXXX--XXXXXXXX v
SOculista
4 ODr. Barreto Sampaio, medico ocu-
Slista, ex-chefe de clinic do Dr. de Wee- X
Sker, dta consultas a rua do Barao da Vic-
toria n. 45, segundo andar, de 1 as 4 ho-
ras da tarde, exccpto nos domingos c dias
Ssantificados. Chamados em scu consultorio
ou cm casa de sua rcsidcncia a rua de
SRiachuelo n. T7, canto da rua dos Pires,
*XXXXXXXX--XXXXXXXx*
~ffj v- "^ .;_ .,, w-, ,, .--

1MEDICO E PARTEIRO
Dr. Joaquim Loureiro
Consultorio e residencia rua Duque (
L ae Caxms n 39, defronte do DIARIO
t DE PERNAMBUCO, onde da consul-
tas das 10 as 2 horas da tarde.



{ CLINICA HO01EOPATHICA {\
DO

Dr. Tristao0
} Consultas das 7 a 9 hboras, e chama-
dos A. rua da Uni.o n. 1b5.
N muero teleplhnico 154


Naibarcaa Veneza, carregou:
Para P. de Alagoas, Maia & Rezende 20,000
litros de sal.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 31
Bahia e esealas-6 dias, vapor nacional S. Fran-
cisco, de 380 toneladas, commandantel Joaquim
da Silva Pereira, equipagem 30, carga various
generous; A Companhia Pernambucana.
Santos-30 dias, barca norueguenso Abion, de
'481 toneladas, capitao L. Knundsen, equipa-
gem 11, cm lastro ; a Hermann Lundgren & C.
Sahidos no mesmo dia
Rio. Grande do Sul Pataeho national Americo,
capitAo Jose T. da Costa, carga varies gene-
ros.
Rio Grandc do Sul Patacho national. Andaluza,
capitol Manoel Pereira de Sampaio, caga va-
ries generous.
West Indies-Barca ingleza Pride Of Wales, ca-
pitio E. Pugle, em lastro.
West Indies-Barca norudguense FornMyot, eapi-
tio M. Moe, em lastro.
O eOxb 3ea
Suspende -doLamarso para os portos do norte
o vapor inglez Noreema da linba telegraphica.


Sri. s--
;mtna.
Uegocio-


- 0 1.- seeretario.
Mauedl A- da Ponwmc.


CommnanicaMse aos s 4.45Fo m W ei ec"0
deigned o dial 9 para o S & Ritz dagost.
08 ugreswB podom ser procumlA do dia4 at6
odim 8, na 6de do Club, & noite.
Secretria. do Club Carlo. Gomes2d do julho
i -e 184-0 I p secretario,
A dr4F. d Costa,


Tendo de proceJer A colleeta:-de Ss.
armazenarios e recebedores de assucar,
do confortidade coorn lei provincial n.
1,810 part.- 2,. a directoria desta associa-
91o avisa nos mesmos Srs., que desde o
dia 21 at& 31 do corrente, das 9 as 10
horas da manha, recebera qualquer re-
clarmae o que por ventura tenham de
fazer comrn- relagao A referida collect, que
terA por base a dco anno passado.
Recife, 18-db-julho de 1884.
The New LmonU aand Brasilla
Bank, Limnted
Rua do Coammercib n. 32
Sacca pew todos os vapores sobre as ca-
xas do mesmo banco em Portugal, sonde
fem Lisboa, rua dos Capelistas n. 75. oN
Po, rtorua d0o& Inglezes.

Itec aracai


I


i 0
o
0
:1 S[:
..


T A __ da. Poeguio araliaram em 3W0 sacooe de as-
E DITIES saar, S osacco,1:500A.
"-------- A p lanta de fannas no lugar denominado La-
Inspecao de Saude do Porto do Pernambuco. doira do Ouro, avaliaram cm 100 aaccos a 5; ca-
em 30 de junho d-i 1881.- Por esta repartiyao se d* aum,500g.
faz pnblico, que o governor imperial por telegram- ,A planta de camnm do lugar deaomiuado Ma
ma de hoje datado, ordenou que fossem feehados ri de Mello, avaliram em 90 saccos a 5 cads
os portos do Brazil sos n@vios proced-htes do uh, 450&9
Earselha, Toulon, Speszia e quaesq.uer outrim Ai f plata do lavradr Ignacio. Beserra, avslia-
onde se tenha manifestado o c.holera-morbus, e Mn em 50 saceos, que tirada a meia aeVo que
declarar suspeitos para serem sujeitos A quaren- -prrtnce aa lairador, importa em 1254.
tena os navios proceduntes dos outros portos do A plant do labrador Joaquim Pedreiro, ava-
Mediterraneo e dos portos francezes do Atlantico. liratn em 1 saccos de assu9eax quo tirala a
0 inspector, 0ia0 wA6o 9Me pertence ao lavrador, importa em
Dr. Pedro d'Altahyde Lobo Moscoz 2
._____________________ A plant do l.tvralor Joaq'i;lr Baptista, av'.a
"lra;r em ZA saccos, A rArzao d' & W cv urnT, (que
SDr. Francisco Alves da Silva, juiz sub- gira a mel a acea do lavr&ar, iiparta eam."..
stituto do juizo especial do coinierciodes- 7$3.. "
ta cidade do Rccife de Perfnal bcon, p A plant do lavrador Jobo Cbral, avaliada em
S o. L.oJnperador, a quem Dew J n saeos.-nan raz-o do 5a eada tnia, e qe tirada.
M. o np do, a uem Deus g aam- i aeVto do lavrador, impartaem 2
(de, etc. A plant, do lavrrador Manoel Agastiho, ava-
Faco ,saber aos que prescnto edital vircm oao na'ada ue 4 saecos de assuearu w a iSie5,-d
delle noticia tivcreoa, que porp:irte dc Carlos An- sacco, a que tirade a mn'ia & uso'iodo lavrador, Jma-
gusto Carneiro Monteiro me f& dirigida a pctiCo porti a o 108.
do thlieor seguinte: A pl anta do lamdor Antonio Agostinho, av4
CIm. Sr. Dr. juiz substituto do commercio. liaram em 14 saecos do asucar r a razlo de
Carios Angusto Carneiro Monteiro, na ca o quo eda eo, e que tiradsk meiao sa do layra-
propoz eontra o padre Mathias Ayres Dclgao, or,,importea em *35.
para paganento de urna letra de se aceite e jtt. AI plant a do lavradoi frb ao Jo6de &xa,
ros nelia estipulados, obteve o mandado junto E avaliad em 120 saccos. na razio e do^ 5 eas-um,
porque eteja o sen devedor ausente em fugar in- e qe :tirada a meia aieo do lavrador, import
PArwM>j' 6A -njm fuahitin- *ti s a-fhn1?eA A r rip'.A M p1- -


cur.W uvtu maUJVR, o uip5ucapwA rquucV i. ;. 0.
digne-se marcar dia e bora parsa conip-tente
justifica1ac, feita a qual, seriao passados editaes
pelo prazo da lei, afim dc ser o supelmado intima-
do pars, nas 24 hor.is, que correrao no cortorio,
pagter, ou nomear benis A penhora, tantos qoantos
bastem par a satisfazer a qaantia executada no
mandado e o mais quo accrescer a execuao, fican-
do, outrosuin, c:itao para tados osseuete:rms,-
ate fial.-Esdcrivlo JeiO GmR Pede -* V. s.
deferimento. '. : : .- ,'
Estava competentemente e-ellsda eom mnit e&-
tampi.a de 200 r6eia e legalmente intili.sda
modosj!euste: -


ita dos lavradores Antonio, -Oime o
), avaliaram em 125 saceos na razzo do
acco, e qte tirade a moia aesao do la-
mporta e 6;2-500.
ta do lavrado Jeo* Bernardo (pedreiro),
tirade a meiosa razao de lacad smpacr-
tirada a iuoia. ao~o do lAvrador, Impor-


.d-e


data da traBsfereoacia ; q eB se deo
lem do l.spotor feral
SdaIntraco Publica de Pemambu-
tho de 1884.
0 sectotrio,
Pe_.eutino S. de Araujo Galv&S.


Edital Ute2
0 adSmiaitrador Consulado Provincial. ten-
do eavista o dspicho da presidencia da provln-
cia de 17, e a ordem do Thesouro Provincial de
18 do corrente, scientific a todooa contribuin-
tea compheadidoa na collect do iupQsto uro,
vineial sobire vinbos, vinagre c aguardente, e bem
assim aos inteessados comprehendidos nos arts.
30 e3 da lei n 1810 que, a center do dia21 do
eCrente, Ihes flea marcado o prazo imiprorogavel
de 30 dias uteis para o pagamento livre de m lta
e a bocca do cofre, dos seus debits, na frmina dos
arts. 16, 30 e 31 da refcrida ki n. 1810, sob pona
da inulta de que trata o art. 6 da lei n. 1786, que,
I de 10 10 atM o dia 30 de setembro e 20 0[0 dahi
1,or diante.
Consulado Provincial de Pernambuco, 19 de
julho de 1882.
.Franisco Am!nthas de Carvdho Moura..


titall a. 3
0 administrator do Consulado Provincial, at-
tendendo a reclama-lo que Ihe foi dirigida pela
association commercial beneficente e a informa4io
do ehfe da 1" secco proroga, em virtude do art.
2' additional as instrucoes do 27 de jalho de
1883, por mais trinta dias o prazo marcado no
edital desta repartigao sob n. 1, publicado polo
diario oflciai, para a collects .dos impostos de re-
particto, que na f6rma das referidas instrucces
de 27 de julho de 1883, devem fazer as associa-
goes e classes interessadas. Pars constar publi-
ea-se o present.
Consulado Provincial de Pernambuco, 25 de
ulho de 1884.
Franciseo A. de aCrvalhlo Moura.


Obras publicas
De ordem do Him. Sr. engenheiro chefe, fago
public que no dia 7 do mes proximo vindouro,
ao mcio dia, perante esta repartic*o, vai de novo
em praga a obra de reparos e pintura da ponte de
S. Jolo, orgada em 2:458A480.
0 orgamento e mnis eondiges do contrato se
aeham nesta secretaria par& serem examinados
polos pretendentes.
Secretaria da reparticio das obras publicas, 21'
dejulho de 84.-0 offieal secretario,
Joa Joaquim de Siqueiri Varejdo.
0 Dr. rrancisco Pothier Rodrigues Lima,
juiz municipal do termo de Pahmares em
oxercicio n'oste de Agua Preta, por S.
M. Imperial o 6r. D. Pedro H, impera-
dor e defeisor perpetuo do Brasil, a quem
DeJ s guard, etc., etc;
Fa saberaos quo apr senate editAl de praCa vi-
rem quearequeriment. d, Tavares de Mello, Genre
& C.7o-porteiro, dos anditories destejuizo ha de tia-
zer A public pregao de venda e arremataglo A
q uem mais. der e nwior lanco offerecer emn os-dias
3i do eorrente 1 e 2 do mez de agosto vindouro
As 2 hora da tarde quan lo tera lugar A ultima
prac5 n a port dopao da Camara Muntaipa d'es-
ta villa; 2 pates de terras doengenhoJPoeo Funm-
do, ambas avaliatlas em 1:7005000, peauhoradas A
Francisco. Q;Iatimo Ferrenira da Costa .sua mu-
Iher p'azi pagaueto da quantia de 1 :Ni8S10 ju-
roS. e custs dtic ina exc l w ao) qi1, lhw inm)V? 'la-
ares dc MdL.o (Goaro & U., cujas pitree pelnhora-
das OS euointadoa as mnaver.o pqr- oAnpra que fi-
aeramu.-uma a Jos Melchiades FairTira Costa por
804000e G n mi.tra por perutjta qi, fizirami ao ca-
pi*;o Antero- Aprtigia Ferreira Cosit. -
*E que.i wti aiasman qiizar luigar eompar,!a
'aestsju egio0 dii-acimat declhsuido devidamente
Epars. ooatar-so passon o pvIsante o mais dous
de.o igal thoivr n quoe o portiro dos auditorios
pablica'a e1 afixarA nos lugareis do costume e o oa-
tr6 quio serA- publicadono D-rio^ de Pernu .
lawradio ocparteiro a compe~mte cerridio.
-4 eld paessdo u'est. -viU do us Proe ap
10 Ijiado Aa nezde jolho de 1884.-Sabsa Vo. e
: ciaV oel] do OCarvalho, Paes de Andr e QM-
vim, seurivIi.
Frasnciuco Pot~er Rodrigusceainks.,


Ad4ino Aewanio deL
I da imperial ordem X
'erto privowtieo de3orpha


itma fevre,
x Rosa ejw
iosua asets
orjn. i' a


De ordem! do 1i1m. 8r. director enge-
nheiro chefo, f&o pulieo que no dia 4 do-
agosto proxwmo vindouro, ao meio dia, no
escriptorio da administragA central d'este-
prologamcnto, A rua da Victoria n. 3, re-
cebem-se propastas, cm carta fechada, para.
o fornecimeito., de mil dormcntes de ma-
deira paran a linha em tsafego, os quaes de--
verao ser entzegues, entire Palmares e Ma--
rayal,. noe. pontos que form designados-
pela direetork.
No eseriptori do 1.* engonheiro d'este
prolongamento dar-se-hAo todos os esclare-.
cimentos necessaries A respeito das dimen--
sues e qualidades das nmadeiras exigidas..
As propostis scrao abertas e lidas no.
luga, e hia acima indicados em presenoai
dos proponeutes, que deverno assignal-asy.
indieando ns m esmas as seas residenciauj.
prce e pmaso, dentro do qual se obrigma.
A tazer o alOudido fornecimento.
Escripto io da L.a divisao. Recife, 171
de julho de. l1884.-Jo&o Silveira Carwio,
da Cuna,, contador, servindo de smore-
tario.

THEALOA


COQiA*I&A DE OPERA ITALIA=,.]P
BAILADOS
Rmpweza P. M. MuseIta


Amanh i
Sabhado 2 de agpslo

IL" DiIFAB E I NATIIMt




AID A-
POecos e horas do costume.
Trem e bonds para todas as linhas.
PrineipiarA a 8 e '1/ ker-s.
ta-,h paxte do Ratdams seri deeomienhadk
polet 1 t-0 S


'VAPOtES Fi~sisa&DOB'^


Dr. Bettencourt
Operaes, fistulas, vias urinarias, nmo.
lestias de senhoras e criancas. Estreita-
mentos da urethra tratados pela eloctro-
lyse scm dor. AffccNes de pellet e sy-
philis. Molestias do peito e da garganta.
Embalsamamtentos. Marqucz do Olinda
n.34, das 12 as 3.


il


r




















a n.,Xo
ti cda Santa
de maio de 1
Pedro,


"COMPA1?
9 min


LGE-


Opaquete
Amazone
Commandante de la Marcelle
Espera-se da Eu-
ropa at6o dia 4
de agosto, seguin-
do depois da de-
aiars do costu-
me pars Buenos-
Ayres, tocando na
Bahia, RIio de Janeiro e Monte-
tevldto
Lembra-se aos Srs. passagcilros de todas as
classes quo ha lugares reservados para esta agen-
cia, que podem tomar em qualquer tempo.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a free: tracta-se cornm o
AGENT
Augiiste Labille
9 RUA DO COMMERCIO 9

United Slates & Brasil Mail S. S. C.
0 VAPOR


W 0 home da tarde.
webe carga at,6 o
ualeiro a freteatW
Lhada. '1 '*
10 -
Fernambu.
I


Cases da:


Reebecearga afrite para o Porto o brigue por-
tuguez Adedina: a tratar corn Silva Guimarges
& C. a rua do Commercio n. 5.


Won-pauhla lrasfelra de Nave-
gatho a Vapor
PORTOS DO NORTE
0 vapor
"1 0 1 S a n to
Espirito-Santo
Commandante Joao Maria Pessoa
,_ f E' esperado dos portos do
Ssul at0o dia 6 de agosto,
e seguiriA depois da demo-
i ~ ra indispensavel, para os
Sports do norte at6 Ma-
ia~os.
Para carga, passagens, encommendas e valores,
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46

PORTOS DO SUL
O vapor
Para


(Commandante. o 1 tenente
tonio Gomew.


Carlos An-


inny QE' esperado dos portos do nor-
at i u te at o dia 2 de agosto e
i a7 \\S seguirA depois da demora
E' esperado dos ports do do costume pars a os portosde
/tos1l no (ia 14 de agosto, el"
Sdepois da demora nccessaria Recebe tambem c arga pa- Sant a RioGran
-seguil par, o de, fitee, medico. t
Para carga, passagenm, emncommenda e valores,
fiarianhio, Parie. S. Thonlaz C tracta-se na agencia
New-'ork 46 RUA DO COMMERCIO 46
Paira carg, passagens, c encommendas, tracta-
se corn os Ac,,A I ,LA


AGENTES
Henry Forster & C.
N. 8 RUA DO COMMERCIO -


1.


N.b


anaar


Dainpfseiifffaliris-Gesellseiatf
0 VAPOR
Pernambuco
-.-*"'.-" ^:' PT E esperadoda Balnianat5
S. 2 a. o dia 8 de agosto se-
',' '... <':.".t guiundo depois da demora
*= -. necessaria pars o

Ccari, Siftalftahio. Para, Alha dti
I ladcira. r sboa e
I 1'anbiargo
Para passagcns, frtcto, e'C.1 tracta-so corn as
;;gcntes.

Borstelmann & C.
RUA DO VIGARIO N. 3
1 "andsar


CiURGE URS REUNIS
Coinpanhia Franceza de Navega*
iao a Vapor
Linhlia quinzcnal entire o Havre, Lis-
Uoa, Pcrnambuco, Bahlia, Rio de Janeiro e
Santos
Steamer
Ville de Pernambuco
Commandan(hte Tamuay


- a


Espera-se dos portos
do sul ate o dia 3 d&
agpsto, seguindo dG-
pois da indispensavel
demora para o Havre,
corn eseala par Lis-
boa.


()Os vaporc.i lesta companhia entrain no porto
.'iicoraiiido clii fricnite ao caies da praqa do Commincr-
,ioe, senlido lmito ireintmolu o cembarque dos pas-
-afeiros no fi(leali)ro dais i)aqujctes transatlan-
;cOs. 1o LIln:larYo c dlnal i -levendlo tolos aportIr
:io Havre, (iue o porto mais visiuho de Paris, o
;Sra de duvida ique ha grande vantage para quem
iuizer ir ai Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores ,tanto mais quanto, al6in de sorem os preg-os
l! as passagens mais modicos, as despezas do embar-
Iue aqui e as do transport do Havre a Paris, sao
uiuito inenores do q(cie as que demandam as viagens
nos paquetes (das outras linhas.
Couidizem ielico a bordo, sao do march rapida
fiferecem exeellentcs comnmodos e optimo passa-
,50"
As passages poder;o ser tomadas de antemro.
Recebe earga, encommendas e passagciros, para
n tiaes tern excellentes aceommodacocs.

Steamer
Belgrano
E' esperado da Euro-
-^ -_.pa at 0 dia (6 de
agosto, seguindo de-
t- pois da indispensavel
-demora para a Ba-
hc-Rio deA i-
nehio e mltos.
Roga-sc aom Srs. importadores de earga pelos
v';ipores dcsta liniha,queiram apresentar dentro de 6
is, a contar do da desearga das alvarengas, qual-
,lcr reclainagio concernente a volumes, que por-
vcntura tenham seguido para os portos do sul, afi:n
des,e poderein dar a termp as providencias necessa
ri:.-s.
Expirado o referido praso a companhia nao s )
_-pponsabilisa por extravio;.
lKecebe earga, encommnendas e passtigciros, para
'1iaes tern exeellentes aeeominoda oes.
ALGEN'TES
Augusto F. de Oliveira
&C.
42 RUA DO CO1IBIERCIO -42

pacific Steam Navigation Companu
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 vapor
Magellan
a Espera-se da Eu-
ropa atW o dia 3 de
agosto e segui-
para o sul dc-
ois da demora do
4A w costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiry
a frete: tracta-se comos
Consignatarios
Wilson ons t C ., Linmited
N. 14-RUIA DO COMM0 I0E1.O.-N. 14


S


lx


idU LISmIlh
Patacho portuguez
SFraternidade
Rceebe carga a frete modico : a tratar corn
Ainorim Irmnaos & C.

ROYAL MAIL STEAM PACKET

COMPANY
Itln e r a r lo


Sahi
'heg

*
ft
(


*
Er




Ct
Sahid
I c




Sr
Ceg6




$6t


IDA
da Southampton
?ada Bordeaux
Vigo
Lisb6a
S. Vicente
Pernambuco
Macei6 .
Bahia 2
Rio de Janeiro
Santos
Montevideo
Buenos-Ayres
VOLTA
las 3BuenosAyrcs n
Montevideo
Santos
Rio de Janeiro 5"
ada Bahia
Macei6 -4 g
Pernambuco o
S. Vicente 2. .
Lisboa
Vigo
Southampton CI
tocara se precisar carvao.


9

13
24
26
29
5
7
17
18
24.
27
29
ii

15


24
27
29
5
10
12
15
22
24
1
2
7
9
12
13
:pr
20
26
28
30


LEILOES

Leilao da semana

8extafoirs, 1 0 corr ito
AS 11 HORAS

Carmo e Silva
Mobilias, guarda-vestidos, guarda-louca, ricos
pianos novos e usados, 1 important, coefre de f rro
prova de fogo, mesas elasticas novas e usadas,
coimnuodas, aparadores, ricos quadros, cspelhos,
rclogios, lanternas, caudieiros, apparelhos do lou-
'a para mesa, dito para eluca e outros muitos ob-
jectos quo se acham patents, miudezas, rctroz,
tintas, ferragoinem, chapas para foglo, enxoes, pis-
tolas, inachados, phosphorus, roupa feita, uma
faetura de joias para fechar conta, cacoletas, meios
adereos, pulseiras, anneis, brineos, relogios, re-
wolvers, etc.
Na agenela de eille es

27--Travssa dfo oro Salto-27


Leilao

Doi of los om boas localidalos
Agente Britto

Sexla-feira, I de agsto
A's Ii horas
A' RUA DO IMPERADOR N. 28
0 ag-ente acima vendera emn leilao:
Um sobrado de 3 andares A run da Crnz, no
Icecife, n. 49.
A easa terrea A rua do Moun.lio, confront ao
lpalacet(c do c rnmendador Luiz Goines F1crreira,
corn 5 janellas de freute, portao a, lado, quintal
arb)orisado, gaz e gua eneanados, quartos para
banho c engominalos, grande tanque etc. etc.
A mnei'agua a run Larga do Rosario (antiga
Quarters) n. 4, port c janella.


Leilao
DE
Moveis, louas, qua-

dros e videos,



Sexta.-feira 1.' de Agoslo

A's 10 112 horas
NA CASA TERRA SITA A RUA DAS FLO-
RES N. 3
Constando de
Umna mobilia dejacarandA a Luiz XV consoles
c jardineira compedra, 2 teillets de jacaranda, 1
cama de jacarandAI, 1 cspelho, 1 guard vcstidos de
amarelo, 1 guard loura, meza elastic, 2 apara-
dores, cadeiras de junco, marquezoes, marquezas,
quadros, louea para jantar, dita para almovar, vi-
dros jarros e mais moveis de casa de familiar.
0 agent acima devidamente autorisado levarA
a leilao os moves e mals objects por cotta e or-
dem de uma familiar que se retire para a Eu-
ropa.


PORINt


'Leia^,Qo.
:De:.1N do+ de amirdeo conmplii to novo 1 grandest so
cre ria de amarello f mesa para e ,rij omio 1 mO
bilia coix tamp de pedra,portas, janeglas grade
tudo novo deamarello, mess elastica, camas fran
ceza, marqueztes, eadeitas de juemco, quadros, es
pelhos, jan'os, machines de eosturas, 2 grades
para portioo de aougue, livros de direito e diver-
sas obras de ouro relogios de ouro e prata e mLuitoi
mais objects que serlo vendidos.
Ao correr do miartello

Sabbado 2de julho
No arminazem da rua do Born


Jcsus n. 51
POR INTERVEN9AO DO
Gusinmo


B


AGENT


Agente BuDrlamaqui


Leilao


De


casas e armazem


Terpa-feira, 5 do eorrente
A's 11 horas em ponto
No armazem d rua do Imperador n. 22
0 agcnte acina, legalmente autorisado levara a
leilao um armazem A rna do Visconde de Itapari-
ca n. 27 (antiga rua do Apollo), e maiz, uma casa
terra A rua das Nymphas n. 1 A, Becco da Caja-
zeira, na freguezia da Boa-Vista. Os senhores
pretendentes desde jA poderao examiner as casas.

Grande e variado

De bons moves finos, crystaes,
espelhos grades, quadros a
oleo, jarro para flores, louea.
vidros e livros, a saber:
Sala de visit
Um forte piano e novo, 1 cadeira para piano,
unia mobilia de jacarandA a Luiz XV, corn um
sofil, 2 dunekerques, 4 cadeiras de braqos c 18
ditas de guarniqao, 6 ricos jarros para flores, flo-
res artificiaes, 2 almrnofadas, 2 espelhos ovaes dou-
radoa, 2 quadros a oleo, 1 tapkte grande de sofA,
6 ditos de port, 4 escarradeiras, e uma aleatifa
avelludada, para f6rro de uma salla grande.
Primeiro quarto
Urna cama franceza de jacaranda, 1 cupula, 1
toilet e lavatorio dejacaranda corn pedras, 1 mese
do camina, 1 guarniqiio para lavatorio, 2 jarros, 2
abides torneados.
SegundIo quarto
Um guard vestido, 1 guard roupa, 1 marque-
zao, 1 commoda, 1 bide, 1 sofa e 6 cadeiras.
Terceiro quarto
Umn thereoscopio, 1 jogo de chadrez, 1 mesa de
abrir, 2 lindos espelhos, 1 mesa de sofia 6 cadei-
ras, 1 mesa coin estate, e diversos livros.
Sala tie jantar
Umamesa elastic corn seis taboas, 1 guard
louca envidracado, 2 apparadore es corn armarios
taminpos de pedra, 18 cadeiras de junco, brancas, 4
quadros 1 quartinheira, 3 bandejas, 1 apparelho'
de porcellana para jantar, 1 dito para chA, copes,
calixes, garrafas, compoteiras, fructeiras, salvas,
do electro-plate, talheres, colheres, conchas, flan-
dres, pdtes, mesas de cozinha e engommado, trens
de cozinha e outros objector de casa de familiar.
Um carro corn mollas e varaes para 1 e 2 car-
neiros


Terpa-feira 3 de agosto
Agente Pinto
No 2.o andar do sobrado da rua da Imperatriz
n. 13.
Os refcridos moves c mais objects acima men-
cionados, achain-se cm optimo estado de conserva-
cio, por ter sido minontada dita cusa ha poucos
mezes.
O leilao principiarA As 10 o meia horas, por
screm muitos e differences os lotes.
A entrega effectuar-se-ha cm acto continue, e
cm 24 horas.

Agente Burlamaqui

Novo leilao


De uma important o grande barcaga, quo
acha-se ancorada no Caes da Companhia
Pernambucana
Quarta-feira, 6 do corrente
A's 11 horas em ponto
0 agente acima, por mandado (do llhn. Sr. Dr.
juiz de direito do civel, levara A leilAo a barcaca
Dous Amigos e mais pertences; acha-se em estado
navegavel, pertencente sos interessados no espolio
do finado Jose Cordeiro do Rego Pontes. Os se-
nhores pretendentes desdc jA poderato examinar a
dita barcaca.

Agente Pinto

Terpa-feira, 5 do corrlnto
De bons moves, finos crystals, ricos quadros,
espelhos dourados e mais objects de easa de fa-
milia.
No sobradj da rua da Imneper-atriz n. 13
Oninta-feira 7 do corrente
De fazendas avariadas, bemrn cono 3;000 peas
de bordados o entrermeios.

Leilao

Do ilMis Inom s
Limpas e avariadas
3,000 p,'cas de bordados e chopos de
sol.
Ouiitla.feira, I do corrente
As I I horas
Agente Pinto
Em seu escriptorio d rua do Born Jesus
l. 43

Monte de Soecorro de

Pernambbuco

Leilao de joias
Este estabelecimento farA leille no dia 6 de
agosto proximo vindouro, impreterivelmente, por
intervenglo do agente Martins, i rua do Comei
c6 n. 48, as 11 horas da manhu, dos objeetoc que
nao forem resgatados at6 a vesperm d'aqi Ue din
constantes das segui.nts ca.utea.
Os objeetos estarao export ons tros das ante-
r~ores A spreeiaelo do e pretendentes.-.


79146
7955
,7975;
7986
7990
800


eorrente (icompleta) p_ relegi, ouo
ar de rosetas de ouro coin brilantes
Pulceira, oaro-lbaixo,
mnel-4 ouro corn brilhante.
mora do o Para pmimugos.
BB^Iete, Ipar dohr ei oIeras camco-
iBW ...t. para relogio, owro de lei e I re-


I J Q ci d o r o -. .....
9 8009 U pueeira,1 alfinet, 1 par de brinco.
3 8 03 OM delei e Itrancelim, ouro baixo.
8013 l par de rosetan de ouro corn brilhantes,
crnuz eon ditos e um fio 'cam erolas.
8027 Dous pares de brincos, 1 ditto do argoloes
mais 1 dito, 1 ;erzie 1 anel euro de lei; :
emrueifixo corn lago e 1 alfinete, oaro baixo.
8034 Urin traneelim, 1 pulceira, 2 alfinetes, 4 pa
res de rosetas e 2 anneis, ouro de lei.
8035, Uin trancehm, our6 de lei. '
8042 Urn annel de ouro corn 1 brilhante e 1 tran
eelim, oauro de lei.
8050 Urma corrente e medalha, onix, para relogio
nr de lei.
8066 Upulceira, ouro de leL
8068 U par de rosetas com brilhantes, 1 pulcei
ra, 1 alfinete, 1 par de broncos, 1 medalha
1 annel, 6 botoes e 1 fivella, ouro de lei.
8076 Uma corrente e medalha, onix, para relogio;
ouro de lei.
8077 Uma corrente para relogio, ouro de lei.
8082 Um annnel de ouro corn 1 brilhante, 1 pai
de brincos e 1 relogio de ouro.
8085 Um correntAo, 1 corrente pars relogio, 3 an-
neis e 1 relogio, ouro de lei; 1 salva e 1 es-
crivaninha, prata de lei.
8100 Uma volta de trancelim, 1 medalha, 1 par
de rosetas, 5 anneis e 3 botoes, ouro de leti.
8110 Um trancelim e medalha de ouro de lei.
8123 Um cajado para imagem, ouro de lei, e duas
cor6as de prata.
8146 Um trancelim, urma medallia e um alfinete,
ouro de lei.
8151 Um relogio dc ouro de lei.
8164 Duas salvas oitavadas, vinte e cinco colhlie-
res, doze garfos, doze cabos para facas e umn
paliteiro de prata.
8182 Urma corrente para relogio, um cinete, urma
volta de trancelim e um annel de ouro de
leii; urma volta de odro, urma cruz e urma me-
dalha, ouro baixo.
8192 Um alfinete de ouro pars retrato corn pero-
las, urna pulceira e uma corrente para relo-
S gio, ouro de lei; urn alfinete cravejado de
diamantes.
8206 Urma salva, quatro colheres pars sopa e cin-
co ditas para chA, prata de lei.
8209 Um par de brincos de ouro coin brillintes
pequenos, um par de rosetas e um trancelim,
8212 ouro de lei.
Urma corrente para relogio, urma volta de
traucelim, urma cruz, um alfinete e um par
de brincos, ouro de lei.
8216 Um relogio de ouro, para senhora, e urma
medalha de ouro corn onix.
8218 Unma pulceira de ouro da lei.
8219 Uma pulceira de ouro de lei.
8229 Umn medalha, u~n annel e um par de botoes,
aura de lei.
8234 Um annel de OUro corn brilhante.
8235 Dons anneis de ouro corn brilhantes peque-
nos, uma corrente para relogio, um par de
brincos, dous ditos de rosetas, tires aflnetes,
um par de botoes e tres anneis, aura de lei;
um trapcelim, umn par de brincos e um alfi-
n-te, aura baixo, dous relogios de aura, sets
colheres para sops e sete ditas para cha, de
prata.
8241 Um trancelim de ouro de leci.
8245 Urma corrente para relogio e um annel, ouro
de lei.
8250 Um annel de aura corn um brilhante, grande.
8254A)Dous resplandores e uma angdlica, para ima-
gem, ouro de lei.
8259 Umn relogio de ouro, para senhora.
8269 Duas correntes pars relogio e uma chapa
pars puleeira, ouro de lei.
8274 Tres alfinetes, um par de briucos, um dito
de rosetas, tires anneis e oito botoes, aura de
lei.
3279 Um botho de aura cornm um brilliante.
3285 Um annel de ouro cam brilhantes.
3286 Urma volta de cordao, urma moedinha de aou-
ro, um emblema de S. Braz, aurao de lei.
3299 Urma corrente e medalha para relogio, aura
de lei; um relogio de oura.
8300 Umn annel de ouro corn um brilhante.
8301 Uin correntiato para relogio, aura de lei.
8302 Duas pulcoiras, urma volta de aura, um me-
dalhao, aurao de lei; um relogio de oura.
8321 Urna pulceira de aura corn brilhantes, um
annel corn um dito, eseuro, tires ditos corn
ditos, uma corrente e medalhao de euro e pla-
tina pars relogio, urna gargantilha, urna
pulceira, dous alfinetes e dous pares de brin-
cos, ouro de lei ; um relogio de aura.
1325 Um par de brincos, unia medalhao, ouro de
lei.


8329 Um alfinete pars retrato e umrn par de brin-
cos, ouro de lei.
8332 Dous pares de botues, para punho, aura de
lei.
8333 Umrn par, de rosetas de ouro corn brilhantes,
urma pilceira e umrn par de bates, aura de
lei.
8334 Um relogio de aura para senhora.
8337 Urma pulceira, umrn par de brincos, umrn annel
(incomplete), ouro de lei; dous botoes de
minoeda de ouro de valor de 53000 e umrn dol-
lar em botao.
8338 Umn lafinet.e, dous pares de rozetas, umto di
de brincos, urn dito argollas e uma cruz
8339 aura de lei.
Urn par de broncos de aura earn brilhantes e
8350 dous anneis coin ditos.
Quatro meios pares de rozetas de oura coarn
pequenos brilhantes, umrn trancelim, umrn cine-
te, seis eravaqies de aura corn pequenos bri-
lhantes, urma volta de trahcelim, urma cruz,
urma volta de cordao corn seis teteias, dous
pares de rozetas, um alfinete, trez pares de
bot5es e um didal aouro de lei, urnm relogio, pe-
8341 queno, aura de lei.
Umrn par de rozetas de aura corn quatro bri-
lhantes, urma corrente para relogio aura de
8345 lei, umn relogio ouro de lei.
Trez cruzes de aoura corn brilhantes peque-
nos, dous anneis, urn par de arrecadas, um
par de rozetas, urna pessa grande e duas pul-
ceiras, todas as pessas cravejadas do dia-
mante, urna volta de aura, urma cruz, uma
fivella, quatro pessas para cinteiro aura de
8346 lei, fiu de perolas.
8348 Trez anneis de aura corn brilhantes.
Urna pulceira, umrn trancelim, trez voltas de
aura, umrn par de brincos, quatro anneis, umrn
par de botoes e umrn emblems da conceiqlo,
8349 oura de lei.
Dous pares de brincos e dous alfinetes, aura
835) de lei.
8351 Ur annel de aura coarn brilhantee.
Sets colheres pars sops, seis ditas para chA
835 3e duas conchas prata de lei.
Um trancelim, urna medalha, urnma corrente e
cinete pars relogio, aura de lei, um relogio
8354 de aura.
8355 Umrn par de rozetas de aurao-corn brilhantes.
Umrn alfinete, urn par de brincos, umrn annel
urma p ilceira ouro de lei, uma pulceira,'nm
8356 alfinete, um par de rozetas, baixo.
Um trancelim corn passador e dous anneis
8358 ouro de lei.
8:60 Um alfinete de ouro, um relogio de oaro.
Um trancelimm, cinco botes, duas peMs de
8364 bridos uma figara ourouadoi..
868 Uma salv e oduas colbereo, prata de lei.
Uma corrente e medalha para relogio owa?,

Dons annei de o uro com brilhan te, IM a p
8 erra, um traneeUm pO* o et let 0Ai
&878 fxO OuM & le


$44 l# as, corn diuawantes um tran-9
Celina or'Odelei..
8462 Umr-relogi%, ouro.de lei.
845 Urma volta de tmrancelii, trez pares de brin-
co s,umacruz e quatro anneis our6 de lei.
8472 Umjn pa de brinucos de ouro eravejados de
S brilbaates.
8486 Uma pulceir our de lei.
8505 Dous pares de brineos ouro de lei.
8520 Dous trancelins, uma volta de dito e uma co-
roa ouro de lei,
8528 Uma volta de oauro, urnamedalha, dous pares
* de broncos, uin botlo e um aniel, ouro do lei.
8542 Um aifiunete de ouro cravejado de brilhan-
tes pequenos.
8554 Urn relogio de lei.
8560 Trancelin e um aneld ouro de lei.
Recife, 9 dejulho do 1884.
O gerente.
SFrancisao Joaquim Ferreira Pinto.


AVISOS DIVEISOS
-- Aluga-se os andares superiores do predio n.
51, sito A rua do Imperador : a tratar no pavimen-
eOo trreo do predio n. 10, A p a do Commercio
Aluga-se a casa terrea da rua do Forte n.
26: a tratar na rua do BarAo da Victoria n. 14,
loja.
Na rua do Hospiio n. 28, precisa-se de uma
boa cosinheira, mas que seja limps.
Precisa-se de uma ama de leite eem filho,
preterindo-se escrava : na rua Primeiro de Margo
n. 17, segundo andar.


Aluga-se as casas terreas de n. 36 A rua da
Ventui-a, na Capunga, a de n. 1 na travessa da
Hora, no Espinheiro : a tratar na rua do Hospi-
cio nurnero 32.
Alnga-se urma grande casa cm Santo Ama-
ro, rua Lembranca do Gomes n. 4, muito fresca,
corn grande sotio, corn dous grandes quintaes
murados e corn boa penna d'agua : a tratar na
rua da Imperatriz n. 32, segundo andar.
-. Aluga-se barato, por precisar de pintura, a
casa e sitio na Magdalena n. 8, corn grandes conm-
modos para familiar, tern agua encanada, bastan-
tes flares e arvoredos : a tratar na mesma corn o
proprietario, todos os dias das 8 horas da manhi
A 1 da tarde.
Precisa-se de urna criada : na rua da Impe-
ratriz n. 49, primeiro andar.
Precisa ;se de urna amra de idade para cosi-
nhar e ensaboar ; no largo da Santa Cruz n. 18.
Vende-se dous sitios, um em Tigipi6 e outro
no Darro, corn boas casas de morada, bemrn arbo-
risados, e perto da primeira estaca5 da estrada
de ferro de Caruard : a trat'r no caes do Ramos
n. 28, sobrado. -
Vende-se na rua Real da Torre uma taver-
na bern afreguezada e corn poucos funds ; a tra-
tar na mesma.
-- Aluga-se a loja u. 31 da rua do Livramento;
a tratar na rua Duque de Caxias n. 53.
Aluga-se a loea e 10 andar do sobrado sito A
rua de Domingcs JosL Martin3 n. 128, e o 2 c 3e
andares do sobrado sito a travessa do Vigario nu-
mero 3: a tratar na rua do Marquez de Olinda
nnmero 3 A.
Aluga-se a casa n. 8 do largo da Soledade,
corn commodos para numerosa familiar, acha-se
caiada e completaimente reparada, e tern galli-
uheiro, banheiro e agua canalisada: a tratar na
rua Di'eita n. 32.

Ama


Precisa-se de uma ama pars cosinhar e outra
para lavar e engommar : na travessa dos Pires
numero 5.

Engommadeira
Precisa-se de urma ama para engommar: rua da
Aurora n. 109-H.

Carneiro da Cunha & C.
Liquidam os seguintes artigos e outras
muitas fazendas do sen grande deposit,
coma sejam :
Cretones clar.)s e escuros, corn pequeno defeito
a 240 rs. o covado !
Oxfords lisos para vestidos a 120 rs. o covado !
Las de cores, bonitos padres, a 200 rs. o dito !
Alpacas de quadrinhos, novidade, a 400 e 500
rs. o dito !
Merin6 preto de duas larguras a 1I000 p dito!
Idem de cores a 10900, 6 barato!
Caaemiras de cores a 112 0 e 1&500.o dito, duas
arguras !
Id'm diagonal, final, a 2400 o dito !
Brins para rauipa de meninos a 240 rs. o dito !
Bramaute trangado para lengoes a 500 rs. o
aetro!
Fustoes em cortes para college a 2;500 cads
am !
Lenxos de linho em caixinhas a 34 a duzia!
Meias inglezas pars home a 3A500 e 55500 a
Lita!
Seroulas bordadas de bramante a 169 a dita!
Camisas brancas e de cores, francezas, a 3000o
Sdita !
Cobertas de gang forradas a 2,500 uma!
Cobertores de 1a, grandes, a 2$, colchas finas a
Saias bordadas superiores a 35, 45 e 5;.
Espartilhos de courasa a 455u0 cads um !
Leques modernos a 45, 6 barato !
Madapoldes, boa-vista verdadeiro, a 64 a peca
.c 24jardas !
AlgodSoes largos a 3$200e 35500 a dita !
Toalhas riquissimas de labyrintho para presen-
es e baptisados, a precos resumidos. -
Cortinados bordados a 75 o par, proprios para
ama e janellas.
Redes de cores, superiors, a 5 !
Fichus, whales, crochets, sortimeuto complete de
oupas de todas as qualidades.
As vendas em grosso damos descontos
59-Rua Duque de Caxias 59
Carneiro d&a CunIa & ,C


Farinba ia 1$6W

Saccos grandes; lar-

go do Mereado Publico

- o15. i


a
1


I

I






d
a




d

ti
c

rD


Aos4:000
AILzffS ItBAMD... S


Iua do Bario da Vietoria a.. 4o
e caas do csitune
0 abaixo asignado acaba de ovender
em seus felis buhetes dons quartos de a.
1.687 corn a sort de 8009060, dous di-
tos do n. 3,982 corn a sorte de 100#0"
e diveraos premios de 3200O, 165000 e
8000.
84A5OOO.
O'0 mesmo abaixo assignado oonvida aos
possuidores A virem receber ia conformi-
ae do costume, sem desconto algum.
Acham-so eA venda os felizes bilhetes
garantidos dca 198.a part das loterias a be-
neficio da Santa Casa de Mirericordia do
Recife (59.a), quo se extrahira na seguuda-
feira, 4 do corrente.
PREVOS


Em


Inteiro
Meio
Quarto
porgao
psriise
Inteiro
Meio
Quarto


JTo4 Joaquim da Caosta Lite.



CASA DA FORTUIA
0os 4:000000



Bna Primeiro de Marfo n, 25
0 abaixo assignado tendo vendido nos
sous afortunados bilhetes dous quartos n.
1,687 corn a sorte de 8006000, o inteiro
n. 2,406 corn a sorte de 200#000, dous
quartos n. 3,982 corn a sorte de 100b, almn
de outras ortes de 32#000, 16# e 8#, da
loteria (58.'), que se acabou de Pstrahir,
convida sos possuidores A virem receber
ua conformidade do costume sem descont
algiun.
Acham-so A vencla as seus aferAinaaos
bilhetes garantidos da 198.a part das
loterias a beneficio da Santa Casa de
Misericordia do Recife, (59.'), que se
extrahiri na segunda-teira, 4 do corrente.
PRECOS
Inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Bm quantddade malor de 100#
Inteiro 36500
Meio 1#750
Quarto ,875
Manoel Martins Fiusa.


4#000
2#000
26OOO
1#000
de too*ooo pars
elma
3S500
1#750
6875


AOS 4:000000
BIBLETEX GARANTIDOR
Praqa da Independen-.

cia ns. 37 e 39
O abaixo assignado vendeu entree os seus
felizes bilhetes garantidos a sorte de 4:000#
em 2 quartos n. 2,391, al6m de outras sor-
tes de 32# 16# e 8#.
Convida os possuidores a virem receber
serm desconto algum.
O abaixo assignado tern exposto A
vends os seus felizes bilhetes garantidos da
loteria 59a a beneficio da Santa Casa de
Misericordia do Recife, que se extrahirA
segunda-feira, 4 do corrente.
Preeos
Bilhete inteiro 4#000
Meio 26000
Quarto 1000
Em poerio de o10o00oo pars
lma


Bilhete inteiro
Meio
Quarto
Antonio Augusto dos


A VENTUIIOSA


Aos4:OW$O000

BRIETHS IIAOS'
16-Rua do Oabuga-16
0 abaixo assignado vendeu nos seus
venturosos biletes garantidos os premios
egunitos: 2 quartos cornm a sort de 4:QOO
no n. 2391, 1 inteiro com a sorte de 100#
no n. 2772, alrm de outras mai- do 32#,
16# e 80, da loteria n. 58.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum.
Aeham-se A vend& os venturosos bilhe-
6" 9ratiWW da loteria n. 59 6m beneidio


36500
1#750
6875
Santos Porto.


-s

* -~ S A5~ Cf f


'777


- I


'I


.1


I


i


lz


w SA

































D. Ritas Casista de U Jeias
Francisco Nunies Pires e Umbelina Theodora
Pires, feridos pela perda irreparavel que acabamr
de soffrer corn o fallecimento de suan tia, D. Rita
Cassia de Jesus, agradecem a seus amigos *e aos
da fallecida que se dignaram acompanhal-a A ul-
tima morada, e convida-os de novo todos os pa-
rentes e amigos para assistirem as missas que por
sua alma mandam celebrar cm 2 de agoste pro-
ximo (sabbado), na ordem terceira de N. S. do
Carmo, as 6 horas da manhl, setimo dia do sen
passamento.


Uygino Ferreira da Silva
Maria Lauriana da Costa e Silva, Lauriana i
Jos6 da Costa Lyra, Maria do Nascimento Jesus e
Jose Vieente Ferreira, viuva. sogro, sogra e so-
brhinho do finado Hygino Ferreira da Silva, since-
ramente agradecem a todas as pessoas e opera-
rios do Arsenal de Marinha, e nomeadamente aos
Exms. Srs. chefe de divisao, inspector do mesmo
arsenal e os Srs. Manoel Joaquimn de Jesus e No-
berto Bispo de Sant'Anna, que se dignara n acom-
panhar ao cemiterio pablico o cadaver do mesmo
finado ; e em especial ao Him. Sr. Jose Alves
Barbosa, polo muito que se presto durante a mo-
lestia do dito finado : de novo sao couvidados
todos os parents e amigos do fallecido para as-
sistirem as missas que pelo eterno repouso d'alma
do mesmo finado, terao lugar na igreja da Madre
de Deus, sexta-feira 1, de agosto, pelas 5 horas
da manha, trigesimo dia de seu passamento, ante
cipando desde jA seus agradecimentos a todos que
emparecerem a este acto de religion e caridade.


D. Anna Joaquina da Paz
Fernandes
Manoel Jos6 Fernandes convida a todos os seus
parents e amigos para assistirem as missas que
por almna de sua finada mulher manda resar na
matriz do Cabo, As 7 horas da manhi de 2 de
agosto, setimo dim, do seu passamento.
:S:,S ,,, ....S.


Jos*e Goncalves Torres
Joaquina Ferreira Campos Torres, seus filhos e
netos convidam aos seus parents e amigos para
assistirem as missas que, por alma do eon sempre
lembrado esposo, pai e av6, Jos6 Gonralves Tor-
res, mandam celebrar na matriz do Corpo Santo,
segunda-feira 4 de agosto, as 8 horas da manha,
1 anniversario do seu passamento, por cujo acto
se confessam desde j A agradecidos.
Gremio B. I e Arte Madag-
lerense
Convida aos parents e amigos do finado Jose
Augusto Carvalho de Medeiros, afirm de assisti-
ren a misba de setimo dia do seu passamento, na
matriz de Afogados, as 6 horas da manha, sab-
bado 2 do corrente.
0 secretario,
Joao B. de Souza.

Attencao
Francisco Antonio de Sa Barreto do 140 bata-
lhio, Dr. Francisco Xavier Paes Banrieto, promo-
tor de Iguarassit, Jobo Gongalves dos Santos Ju-
nior, Joao Baptista Ferreira (engenho Gapi6),
Antonio Bezerra de Menezes Lyra, Thom6 Au-
gusto da Silva Villar, apparegam na rua dos
Martyrios n. 148.
Cosinheira
Preeisa-se de umia cosinheira que seja perita
na arte : na rua do Riachuello n. 57, portAo de
ferro.
Feitor
Precisa-se de urn feitor : ,na rua de Riachtmello
n. 57, portao de ferro.
AMA
Para cemprar e cosinhar : precisa-se na rua do
Barmo da Victoria n. 48 A, esquina.
Criado
Na rua do Bor Jesus n. 45, segundo andar, se
precisa de um criado.



y..qFQ.,


Este' POM'ioO tew gjdzadeda a.eeil*.
-910 public dniante cinooeta e sete anxts, cost'
*, Wdo. ^^a aw m-asm ranTOSaettfa e wveda em .ift7.1'
Boaapopilmlidad e vend nta fisraipm oextmn-
Sp coro ao presented;. e .stoir. pot 'melk --
offerece a melhor. prova da sua -
hmSL
No ifesiawmes a dizer ip So
eli cawo lamm fc nlw t


[ RI

4i|


S T 9o I Esta
APA.O
;o 11 ^ Japonh
1 p o j dades
S celebrc
aocieda
P- i z Usa'1
i consoli
i ^ espinhb
___.. -.2 --


MOLES dAS d RONCIO8 e 4daB&OTA
(Defluxos, Catarros, Coquuo, Laiuit)h
XAROPE e PASTA de -V U
PAIP*,31, rua de CIry, e cm daa tihil't~iia


il -OPHOO S PPH IT'

tS XAROPES
DE HYPOPHOSPH .
de.5oda, de Cale de Ferv
R opregadog corn tanto exito pare
ieurt ^ phtLeioa a as. moleatikr
t bamulomau. vendem.se unicameute'"
tVa frascos quadrados corn o .=e. y
l'doutnr CHuncHiLL srrre o vidro.
I a influenola doe Hypophosphitos
a totee diminie, o appetite augrmenta,f
I- forfas torE.o a vir, os suores a 3
turaos oessao, e o doento goua& 6e ,
b _n star desusado.
Os hypophosphitm que leveo a 1.?aclf
|do fabrics da Phumneaa SWARN, If,,
vrut Castigtione, Pari,. sao sa uicos
"C-eonhecidfos e amcomrmenaados
9 CIURCHILL, autor da descoberta tie
vS6 propriedW tf Arativas.
S9: 4 tr. por ane em Framna.
Vwd'e' indp4 e HrmMi6j
Lgaw u1 ni ui i ** 11 iiii.^iin'rw~fw~m sicac14


(ANANGA DO JAPAO
gova 4gua para e #ocador
iMPOPtTADA ^POR Af&


GAUD


8, Rana ivienne, PAItiS


Agua extrahida das fi6red 4o Pirm
ca, pela sua suavidade e suas proprie.
beneficas, excede os cosmeticos mais
es; tendo sido adoptada per today a
ade elegant.
;, no banho, 4 de urn perfume delcioso'
ida, as carries a faz desapparecer as
as, comich5-3s e efflorescencias da pelie.


QIoencas Nervosas l
RlADiCALMEITE CURADAS COM 0


BROM URETO LAROZE
cr Caccas de Laanjaq amnrgas
corn BRONURETO de POTASSIO
APPROVADO V I'D.LA JUTTA DE HYGIEE N DO BAZIL.


)0 Brcom ,sto de Pof Asio e
5arou89 co iio todOs os proauctos
',itos n'este estabel2cinento, 6 d3
umna puria afsaltita. condicao indis-
pensavei para que se obteulia effeilos
-diaiTals e a dodynos sobre o sys-
tema ner oso.
Dissoivido no Xarope Laroze de
easc&s de laranjas amnargas, s~e bro-
mu,!eto 6 universalmence empreuado


e exclusivauiente rceitado pelos maia
celebres medicos de todas as facul-
dadcs para combater corn certeza :
as affecoes nervosas do coragao,
da vias di- ostivas e rospiratorias,
as nevralgias, a eq lepsia, o '-rste-
rico, a aanc de S. Guy, a insomnian
dus criangas durante a dentigAo, ema
umra palavrai, 'odas as afecges
nervosas.


I o rnoesino aeposito acha-se 5 venda os sepu-ntes Productos de J.-P. LAROZE
(je cam ado t ....
XAROPE LAROZEr ,..ga TONILO. ANTINERVOSO
I satra ,acstrites. Oastralgiae, Dyspepsia, ow e a(lalbrs do estomaqo.
XtAROPE DEPURATIVO .do ss' I"lOOUR ETO DE POTASSIO
Ootera aa Affesa8es asorofulddas, cance- osas, Tumores brancos, &cideZ do angie.,
AccAdentes syphilitioos seouncarios e terciaries.
XAROPE ERRUGINOSOe0 sia oam "PHOTO-IOOURETO d FERRO
Coatnr a Anemia. Chloro Anemia, Cbres palidas,. Flore- mraneas., acWtnmo.
#eposito em fodas as b"$s oganas do 40AsU
S Paris, J.-P. LAROZE e Ca Pharmnaceuticos,
,^ 2, RUE DES LIONS-SAINT-PAUL, 2. i




N PERFlIMAI Eza4n
^^^ at~~t~i!) ^*ticoos


r L -'


in ise. s


.,,, a
1.*.i


FAB


A


to% A -


A


1AC ,


ii


A *VISO,
Para que o public reconheoa qu e os queijos carimbados corn a marca acima, im-
porta serial e bemrn fundada garantia do recebedor, transcreve aqui a 3.' parte de suas
instrucgoes sob as quaes slo fabricados os mesmos queijos no SERIDO', cuja inspec-
Vo0 6 anli feita por seus agents, a quem compete carimbar sdmente os quo recebem
dos fabricantes corn as suas devidas numeragoes em baixo relevo, como se verificarA
mesmos queijos, na parte inferior a marca supra.
INSTRUCQOES
3.' parte. Os fabricantes marcarmo os queljos no acto de pol-os nas formas corn
as aumeracies que lhes form fornecidas pelos mesmos agents, deixando porem de os
marcar quando o queijo n ulo sabir nas condigoes exigidas, pelo qual perceberA o fabri-
cante o mesmo prego come se estivesse marcado.
Do que fica acima dito comprehenderao bemrn os apreciadores do leite do SERIDO'
que s6 desta marca se poderA lfazar um present de leite pure. As encommendas
pmra caixas de 4, 6 e 12 queUijods deverAoser feitAs corn antecedencia no armazem do
recebedor A ran da Madre de Deus n. 5,a vontade dos compradores, nas principaes
casas de molhados a retalho desta cidade."
Recebe dos portos do norte por todo sospaquete snacionaes.


GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE


" D41-1


DB


LUSTOSA

tia do Bari da Vic&ria...4I


&


Ce


N'este, acreditado estabelecimento se encontrarA sempre urn sortimento ; re-
pleto de pannos finos, casemira de todas as cores, proprias para costumes e calgascom-
cebemos directamente h&o *.-aa. fazendas por todos os vapores da Europa. Brim
branco e de c6res, e todas as fazendas tendentes A urma casa nesse genero de negocio.
Aprompta-se costumes para luto em 12 horas.
Dispoe de urnm pessoal habilitado e 'comi os melhores elements para servir
a seus amigos, e a qualquer pessoa qua quizer hourar seu estabelecimento corn suas
encommendas.
41--Rua do Bar'do da Victoria-41
I>< TC


Reouse-se j
....tOdo


'Ito


AL& AAAAA *A.. A a


eprodoem
m m


Potilo,


0


ri~
B -

Q


1--->. es
^J^
h-^i
WS
^' s'.
r_ i as.
r" ^ S '
S? jj
..S
^^
tfl.
-^^^
^^~l-^ e
/^^ ^
^i
<^


Mello & Bisset,
tendo recebido do fa-
bricante Lion, do Bou-
lvard St. Martin, Pa-
ris, a receita de seus a-
famados Brioches, re-
solveram fabrical-os, e
desdej a avisam a seus
0 0 0


mnumeraveis


tregue-


zes e ao respeitavel
public quenas quar
tas e sabados estao ex-
postos a venda em sua
padara, rua larga do
Rosario n. 40.

Farinha a 1500
Saccos grandes: na rua da Madre de Deus r."-
mero 1.

Escavacoes
Factos da historla de Pernam-
bueo
A venda cm todas as livrarias da cidade
Urn volume de perto de 500 paginas, encader-
nado, contend os seguintes artigos :
Agostinho Bezerra, a Santa da Pedi a, a pri-
meira poate do Recife, Alta prevaricacao, Baca-
lhao corn cabeqa, Caro Senhor Deus, Camoes,
Camoes e Baptista, D. Thomaz J. de Mello, Des-
potismo e degrada9go de costumes, Distribuieao
de doces, Deserenga, Eaercicio foreado, Especu-
laoo original, Farinha de Foguete, Francisco L.
Lemos, Gastronomos Bacehicos, Garrafus, Ir bus-
ear l1 e sahir tosqueado, Intuito mallogrado, J.
Cesar de Menezes, Jubilo ephemero, Luiz do Rego
Barreto, Libertagio de press politicos, Manoel
R. de Azevedo, Morra Pedroso, V: a Pedrone,
Nova Athenas. de grades de ferro, o Padre Vir-
ginio, o Sete de Abril em Pernambuco, Pasquim,
Posturas municipaes, Padre Jolo B. Cordeiro,
Padre Joao B. da Fonseca, Procissaop de Cinza,
Praca da Independencia, Primeira tentativa, e
Urupemas.

Proteslto
Constando-me que os consenhores do engenho
Gindahi pretended annunciar a venda ou o ar-
randamento de dito engenho, venho pelo present
avisar a quern interessar possa, que sou rendeira
do referido engenho, em vitude do contrato que
judicialmente fez o meu fallecido marido Antonio
Francisco de Vasconcellos Campos, cujo coqtrato
terminari em maio de 1885: aecresse ainda, que,
nao tendo os consenhores de dito engenho tornam&do
conta dos terrenos em maio do corrente anno, nerm
feito nevo contrato de arrendamento comigo ou
corn outrem, e j A tendo decorrido tres mezes, se-
gue-se, como 6 de direito, que o contrato primiti-
ve continuarA por mais urn anno, alum do prazo
estipulado e sob as mesmas clausulas. Firmada
neste principio de direito, tundei nova safra para
o anno de 1886. A'vista, pois, do exposto, pro-
testo desde j. fazer valer este meu direito e de-
fendel-o em juizo, se nao for elle reeonhecido pe-
los consenhores de dito engenho. Gindahi, 26 de
julho de 1884. .
Celina Cesar de C. Campos.

Ensino Particular.


POrUR.~ Eh2.~ Mfi B Ani-


aii di Aleria nJ
Jonaquir Pomru ibnteiro PeS, 2 infessr
particular enpmuna as materias a ma, em suaesa. a
r ~ao conselheiro Aga 8 (gutr'ora cs Ale-
grin) em casa d ses almnos,
PVe rodieo aju o. ,


.unero de.. fabeicautm. de
emjHui rMaUi&eO 00a


NLOROCSE ANMiIA
u66E PALLIDAS
fOBEITO 10 SilIE
0 FERRO BRAVAItS
6 urn dos ferruginosos mats ener.
gicof, pois que algumas gbttas
por dia bastam para restabelecer a
saude em pouco tempo.
o FERRO .lRAYAIS
nae prtauz cairniras, Ua ade
estomago diarres nem pri-
sNo de vMentre.
0 FERRO BRAVAIlS
nao tern sabor nerm cheiro e noe
da mau gosto ao vinho, agua ou
qualquerliqe4o em que fOr tornado.
0 FERRO BRAVAIS
6 o mais barato dos ferruginosos,
visto o frasco inteiro durar de um
mez & sets semanas, importando o
tratamento em alguns reis por dia.
0 FERRO BRA VAIS
nuu a ennegrece os denotes
0 Sfir RAVAIS s peode garantir a efl?-
Cacda d terror de que d inventor, quando
0e rotueos dos fras'os tiverem % sua awl-
gnatura ifprtw a coo tinta enoarnada.
Um proapeeo detalhado aoompanha
oada rasoo e indla o modo d u
doete preoooo ferugilnoin.
VINDA N GROSSO
Em Cua do BOUTRON & Cf
40, Ruf St-Lazare, Paris
DRBPOSO em tod as PRIIlPAU PHARIACIA


LElr

'N" /


RO 1.D


PR I f U

P A R -A


& C", Perfumistas


Im.1 lmmm&--W7 -- I OPROJNWN -


ei3





U^
*^5
HiSi
&ii
ja
^
<0
Q


w
^

&

ee
^
s=

c
^>
^


L A


151



























-mreditados fabrican-
.^ ',1 1 /m 1 '*a1 lOMs***
le., esee acham -habli-

t4os a vender mais

barato do que outro


qualquer, visto re(
berm directamente.


Todos


ce-I


os relogios


vendidos n'esta


casa


sao garantidos.
da. o Maiis



Leite de aveloz
Para cura de eancroaes de today a
especie
Perfeitamente couservado iquido gramco e con-
densado, approvado pela Exma. junta de hygiene
public do Rio de Janeiro.
SPrivilegiado pelo governor imperial pela efficea-
cia da sua applicagao.
Os frascos trazem o retrato do baeharel Joao
Baptista Gitirana Costa corn a sua assignatua do
proprio punho e s*o rubricados corn tinta encar-
nada pelo cirurgilo dentist Numa Pompilio.
Unico deposit em Pernambnco, rua do Baro
da Victoria n. 54, 1 andar.
PreVo de cada frasco para cancros 6O000
Para ulcerag5es e grannula5es do collo do
ero e cancros syphiliticos, formula es-
cip 5000o

A' grande proprietario
Offerecc-me para cobrar rendas de predios e
fazer outros servi~os tendentes A elles, se for
aceito por casa commercial, farei mais services
tendentes a ella ; promette levar a effeito o tra-
balho, dou fianga 6 content atW 6:000,, quar por
meio de carta quer por meio de deposit de apoli-
ces ; chamedopor'este Diario-M. A.


Verdadeiro cimento inglez


Marea pyramid
Recentemente chegado de Londres:
Fonseca Irmnos & C.


vendem


Boa moradia
Aluga-se tres casas a rua de Hearique Dias
(Estancia) : a tratar no escriptorio de Luiz Gon-
9alves da Silva & Pinto, largo da Companhia
Pernambucana n. 6, sobre o trapiche Dantas.


;* _a ,do MnOaWNo
Sapotief'ros e sapoteiros znuitt -randes
padosdando frcto, a 4t eoa 3A, sepmb
lahe descnd ate Uj corn ads Palmes&
padseM&ij do doz faz-oe' abati$06
oufras muitas plantsa tambem pama pveos
modos.


e 00i-
0 ~ta-
Com-i
ABM


Na ru da Unio n. 47 fa- Ae pliss e recorta-
se babados soda de todas a larguras, pontu-
dos, redondos o miudos.

Um convite especial
Zeferino Martins & C. convidam aos senores
que deizaram de frequenter o sen estabelecimento
a virem tratar de negocio que nao igueoram. Par
que nao se enganem, prata do -Cmonde d'Eu nu-
mero 18.

Ao public

Reabrio-se a Mascotte
Deste estabelecimento de miudezas e perfuma-
rias finals, slo hoje proprietarios Ferreira Lima &
Braga, que adoptaram como divisa agrado e
sineridade-constitumindo-se portanto & Maootte
uma casa de coe ana em seu genero. Para pre-
encher as exigencias do public fomaram urnm ex-
plendido sortimento com o qne ha de melhor e
mais esquisito em todos o0s artigos de sua especia-
lidade, uniram util ao agradavel; em resumo
fizeram da Maatte o que e uma Ramalheteira.
Estando, pois, o estabelecimento -montado nes-
tas condivoes, e8 proprietarios pedem ao public
em geral e espcialmente ao belo soxo sua valie-
sa coadjuva$o, e muito agradeceriam a finesa de
unma visit. Para evitar algum engano dio o
adresse


A MASCOTTE
Rua do Barno da Vietoria a.


so


AO conmmermcio
SOs abaixo assignados communicam ao commer.
cio que nesta data fizeram unia sociedade collec-
tiva bob a firma de Eugenio & Vieira, que conti-
nuara corn o armazem de miudezas e fermagens
rua do Marquez de Olitnda n. 34, da extinctA fir-
ma de Eugenio, Coelho & Vieirs. Recife, 80 de
jimho doe1884.
junho d Eugenio Begadas.
Olympio Vieira.


Bada~mui-


JJWI~U W VG UB I* A." O1|mWl .--.,1^ ii, li. .1 -,^,.


esa d'uma finiia, nos Afflicetos; s trt a c9 maeli
rua Nova n. 13. !n a.


Vende-se 'um fogo corn nove boceas de fogo,
deposito para agua quente, corn dous rpartien-
to s, eha m in a e nm a is ori e .icad B 6 Z
de Janeiro por Laranja & C., preo eommodo : na
rua Duque de Caxias n. 56, loja do ferrageas.

ABUa
Na rua do Hospicio n. 84, se pree'sa de uma
I ama para engommar, lavar e cosinhar.


Precisa-se de um cosiheiro que saiba bem co-
sinhar : na rua larga do Rosarion. 12, autia dos
Quarteis.

Atten o
Camne e linguias do sertio superior vende-
se na Boa-Vista, na BeUol A iora pr a do Con-
de d'Eu n. 2.

VfIWn


Fazendas avariadas!!!
59-Ru-ta Duque de Caxa-59sI
MadapolSes francezes e americaos om peque-
no toque a 50M e 6500! 6 faenda de 105000.
Algodoes superiors e largos a 4000 a peu!
Cretones muito encorpados a 240 r4is o saode !
Bramante t panadopra toalhs e leWa a 500
o metro I
Carneiro da Cunha & C.
69-RUA DUQUE DS CAXIAS-59


dos orodetes e ransnaxwmoesm p-.P'
tada n~ad ameto I quallquer,
le-se par prego coumncdo, por36ter
o queu li a tam w h
apgovadas as sues con&dicos do
Sfmeionanto.
l4m de ioder forneeer vapor a uma
it. aei.r fbrca, nmunida de urn
la, o quo occasiona grand. Oeono-~


mi aecomtwstie.
As peasoas quo preteuderem, podemoexaminal-s
na Capunga, 4 rua d&a (4oulai n. 57.
awato

Vende-se urn ienvie d'"ua pama ,'er 400
pes, uito grande. eom a maior part daterras
cobert0 s de matters Ocapoemes, corn vamease
nda corregos. muito m 4aciro e tarnrod,
e = nova, moadoa own 4 palms dopapsa-
dura eogrosa, parole doe cobre, bomr con* o-vasos
do asametamento, foa=mas de fero, dlstillaamo-
tada, earn awua "ooente, tanque pars laer,o stufa,
balei- e dposito pama assupar, apontamento
feito ease.ntamnt* quoa Io gasta leab,. cae
eombagag; todas aA obras dePedra -estylo,
send urn grande sobrado corn alpendre ao.largo
do tod a fronte, uma cupula nova, sen a casa
Sfeio, cva de zinha e de bagaoe stri-
Vende-se tambem, a safra de momr e a& ftura,
que;jA esta nascida e om a primeima limmpa,gran-
e, 20,000 co&vas de a, a metadejA madam umna
grande plantagio de batatas e um grande ba-
nana aontendo aso melhores qualidade., qpe for.
nece p.m todo o asno e alguns eoqueir ;. ven-
d-stabem ma propriedade annexa ao enge-
nho e de boa terxa. 0 engpnaho dista;leguas
do Reoif e lgu da taco de S.L oureno
vende-se pela uitde do valor, visto tero pro-
prietario de retiras-se, por doente, para o.sertio,
onde mo. ava. Oa pretendentes podem dhrigir-se
a rua 1.O de Margop n. 12, tratar om o kixm. r.
Dr. Joo C. Bandaira de Mello.-E' UMA OP1I-
MA OCOMPRA!


v w V piano do jared6i emn per-
feito eoUtao, eopa su respoctiva cadeira, nma
mesa 1e4oudaco4,, timpo de pedmra, a cadeiras
Sde Wblao ioais alguns moves usados t.na ms
dde Feandes *Wira, sobrado n. 12, em Olinda.


,Na in da


1.


A e 0,ca e4 4000
vender



Na Joa da rua da Imperatrb
Ir. 4LO
I 3.a 40
Vendese chaibres de embdo e retaones a 2500,
8000 o 4000, para aoabar isto a esquia de
beopo doe Ferrev.&

E! Olinda
N. ma de 8. Bento vaudo-se uma boa as-o eo
mu~its. oornmodidadea, Bmedo fresos, wpsgaoen,
corn tngrande quinta u p dantado a eapriehocm
agua e gaz : a tratar a mru da Aurora n. 39.

Mobilia 4
Vede-se urema rica mobili dejaerandi a Luis
XV = a tratarna rua da Madre deDs n. 5, pri-
meiro anda,, das 9r hmas da mmanhA s d
tarde.

Cambraias transparen-

tesa3U
S E' pechineha
'a loja d, *a da Impeatria a. 40, & esquina
dwbecco dos Foeiros. vende-se peas de eam-
btia branch tramp dit seao a di
pm vestidos a 8V aposa ; si. muito baratas.

Trastes
A ruma do Imperador n. l&eompra-se, vende-
aluga-s e troca-se novo' eusado.


i, "bpawit bem
deuho a 15800 l e
-% aesdo dw ore.
a-ite a 800.
rtfiu7to de enwmias
-Qexiofl -iflxs


1~


imu Umwb omo o algoeoO, menuo
dO* -26WC 0, IA* 4
DItae do metoAe deoor do 2S 2 a500. v
ids, eortinto de, meias cru
PAMinU de S20 m ompar, at 500
nCAtRReariobp grpasra timente de eolla-
uiao, do i5g a duaii at4 8FQ09
Tem1a cm de n We 4to deo etohBaf
taste paroateo poeo ma basbot, que
SYendt m por pm inmito eraoavem.
To ido aee omi a we redvao de preos a
lqj, do .qula do. b dws nnaoma.
rarinkaLactea
No. primeiros memos a alimentagso mau
natuinae-aprop ia ara alimentar a oriana
a de peito 6 pr io leites raater o qual
em ca de neesdade dove s m Y bstatui
do pela
PAiWHALAT19A Po DR.
FRIC HS I
A-siencia e a pratica adeowm a fai
nba Laotea como poderosoeem to nm
tricti'ro pa a infbhcia e disinetos modi-
coo do Brasil e da Eumopa reornleenon
s
Devo-a0 poi& evitar confiar o fifhinho i
uma peosoa easranoa e de coiportameuto
nD conhecido muitas vieaD o germen
numorosa molestias&
SVonde-st a verdadeimra fainha Lactes
do Dr. FrerichsE
55- RUA DOIMPERADOR 55
mtabdecimeto de ,rMnioas e piano de VT-
torlPri4al

Dro Bgaria
Fa" 8owiuW* & C. diogusts por atacOdi
i =ua do MNquez -do Olndan. 41.
IT- Veado-se tips pains & taipa, novas,
ftPuhu doe Caipo-Alogre, em torreno froiroe ao
tgoobo Pores, ocia looalidade fie& muito po-*
ma V s futures- olias do estenda doeferrodr raar6; qpem as tendono, earainf "
Afoga0os,. porn o 8a. coy r, o uo
oom o i6. (Ispitbh Muai.


DOS PREMIOS DA 7 I PARTE DAS LOTEBIAS CONCEDIDAS POR LEI PROVMINCIAL .





N.. .0 pren"o prscreveri
um auao depos da i* extao -


1563,. A BICO PA SANTA CASA DA AIAERICOIA DO P WIFE,


EXTh 381 DE .JUIQ P DE 1884


NS. PREMS.

14 46
18 -
32 -
42 -
45 -
56 -
57 -
60
61 -
78 --
79 a*#
86 46
88 -
t9
107 -

14 -
16 -
17 -
22 -
26 -
27 -
41 -
46 -

64 -
67 -

-10 -
-80. -
81 4
88 4-
S93
jo3 -I

r2 A"
9 46
'40
M'S
2.ys1


NS. PREMS.1

282 4#
84 -
91 -
95 -
99 -
300
1 -
5 -
6 so
12 46
15 -
16 -
29 -
39
42 -
46
49 -
51 -
61 -
65 -
71 -
90 -
93 -
94 -
05 *-
408 -
14 -
15
19 -1
22 -

36
.46

58 -
59
@60 *
69
70
,73
8'0' .:^
**a a1 1 .--J


NS. PREMS. NM.

538 46 75
39 6C
46 7
54 8
57 164 8
58 46 8'
60 W
61 9
66 80
68 -
78 1
79 1
91 2
-600 2
2 2
9 4
16 4
18 5
19 ,5
21 -- 5
22 -0 6
26 6
29 6


-34 '81^
37^ ;' 93
,41 A
43 1
44 2
47

l 7 -1- 3.'-
919


'63, AM
84l^";-ii


0
0
5
1
4
7
1
18


PREMS.




ie

46
L e


9
2
5

'4
'6
:3
0
1
'3
5
12
5
8
9
2
2



8
3
5
9
4
6
&
8
6
2
B


NB. PBE


1022
26
30
31
36
41
43
46
47
52
58
59
05
71
75
81
82
88
26
gim
1101
4
10
24
-8
AO

48


76
177


;mb. N *

46 1310
12
10
19
22
24
26
-- 32
.4 37
4# 40
42

46
-6&8
UL* 62
4# 66
67

71
74
81


496


VOW,
m
44





m
l-










,,, =,,=,







4.m



" 4


NS, P jEMS.iNS. PBEMS.


1518
33
39
40
42
44
54
58
60
67
73
74
76
78
.81
8s
97
98
16Q2
6
14
18

26
M


'.-,27.
40
42
53


66
4.7
^. tO


46






4A,


a.
41







"~1~


1772
74
87
89
92
97
1805
7
10
13
t4
18
19

37
-41
42
44
49
51
52

*-55


61


81

84
.65


4-









amo
4,,

46

46


N8. PREMS

2005 46
17 -
18 -
19
22
2$ -
31 --
38
46 -

49 -|
61

80 46?
81 --
ss ssr
96
.97 -
97



14
21034 -






58
4_f
66-


64


Ns. PREMS.'


2254
55
57
68
75
76
77
82
87
88
98
2301-
3
6
8


22
23
27

33
34
37
47



46

.61




.79 -


46
64
46


-1


S.
46


Ns. PRBS. INS. PREMS.

2456 4 2689
61 93 -
62 96 ..
64 99 -
72 -2701 -
74 8 -
77 --
78 14 -
80 16 -
90 21 -
91 26
97 4 34 -
2512 19136 -
14 4 38 -
15 41 -
JM 42 -
22 4 -
24 47 -
30 49 -
.32 0 -
--- 51 -
50 53 --
53 65 .


; ;,61 ^ 1:1:-400 .
., ^ ,71 .*- .1 .. .

.84 -89
$5 8 6 44
80 -i^^4;-46


89 -
'99 9-3
12610 -9

-14


NS. PREMS. INS.


2879
$2
90
91
96
2900
1
3
7
14
15
19
24
38
41

44
46
48
51

58
72
74
75

97-
7



,-24

38
40
4-1
43


m













80
44

I

w

.-4
I

2



.I


2


3109
11
12
13
14
16
24
31
32
33
38
39
.42
4$.
45

61
69
70
73
75
76
77


12


REMSS.

46
m













.*.















8*1
A
,.,,t








/ o


IS. PEMS.INS.


21
31
34
36
39
42

53
56
57
58
59
69
72
74
78
82
84
86


93
96
l3403
6
9
10
26
33
34
36
45
50
60
68


46













S.
4


3541
44
48
56
57
59
60
61
64
66
71
72
80
8t
82
64
92
3608
13
15
20
30
38
39

52
68
70
P
77
78
83
94
95
98
3761


PREMS. NS. PR M.


A






8*






-6
* .1


3785
86
91
96
3809
10
12
14
17
30
31
32
38
44
45
51
55
57
59
69
P
82
83
84
85
86
94
95
3901
4
.-9
10
12
15

17
19
21r
27;:;M


4A






,4#










404
m








4'



'S.


4w
!4


- pe~
0
*85o -


I


do VYaadoure, e n
tog eonmmodoo e ben
A tratar comn Mig
I Pnm -Tvann I> *1 -0 a


ISr I


im't vwftvmirc .'.


. WQ 'E


PTO3


q


I


o _


































































0 ARSENAL DE FOU-TCIIEOU

No corner d'estes estudos, quese pren-
dom A nossa civilisagao, eu tive oceasiso
de dizer quo a China mais de ulna vez ti-
nha revelado desejo de iniciar-se nos tra-
balhos e arts dos europeus; e demonstrei
que o espirito de nossas instituigoes nos in-
citava A praticar as artes uteis, e que todo
o esforgo dos povos estrangeiros devia
consistir em demonstrar antes de tudo a
utilidade dos seus processes novos e de
suas descubertas mechaniceas ; nerm julguei
ser excessive aos ollihos dos occidentaes re-
tlamuando para meus compatriotas o incon-
testavel direito que todo mundo tern de es-
colher.
Os jesaitas, cujos excellentes methods
quando se trata de chegar A umrn resultado
nao carego elogiar, comprehenderam admi-
ralvelmente o nosso character, o, 50 s6 de-
pendesse d'elles, nito teriam deixado de
prestar grandes servings A causa da civili-
sngao universal, porque elles, sabiam que
toio progress 6 lento per saa propria na-
tureza, C antes a conquista de um traba-
lhe assiduo do que urna obra violent de
conquista; e par isso mesmo, deixaratu na
China grades recordagos, que nio sinto
difficuldades em reconhecer, prestrando ho-
mn nagem A verdade.
Numerosos annos tern decorrido depois
que, na China, foi concedida aos jesuitas a
liberdade do ensinarem: desde ento pas-
sou um seculo que soprou sobre a soeieda-
do occidental um como vento tempestuoso,
que desarraigou dynastias e crengas, der-
rocou instituigoes, elevou novos tronos, e,
per centre o retintim das armas e o trovio
dos canhoes, fundou a actual ciyilisaglo,
que parece ter chegado ao opogeu do sen
brilho, sem ter podido entretanto assegurar
o reinado da paz.
Um dos mais brilhantes resdltados dessa
grande torments foi a conquista de nume-
roaos mercados ao commereio internacio.

SFOLHETII



0 GILHE TA


POR


G. PRIDABiL


~RAFAh


partji'ejar cd46 asu'wrk^at v 1U444
Svez de mais. E, E,. Umas ve .3
nnezes nao podaros. ar-lh -
quizeramos quoeles tivessewa"
nos A desejr qu elc ns a tor
nar mais faceis e mais dO&Lras %9 rw-
ciprbcas relaogcles. -
S De reWt, ha entire os trangeiros quemI
tenha post ao soervi9o da China suas blues
e conhecimentos praticos, vendo aeti esfor-
0os coroados de success. A paciencia comn
que esses taes torn desemponhado suaa
missao cmlisadora e o taotado quo dean
prova nos seus primeiros ensaios de inno-
va9ao foram as agents victoriosos de seus
emprehendiment6s; e'elles nio s6 nao teem
tide que lamentar urma opposiggo systemna-
tics dos chinezvs contra suas tentativas,
mas tambem nio teem tide oecasiao de
formular queixa., contra a mrA -onta Ie dos
funccionarios. Lnamentos ou queixas em
geral s6 tern sido expressadas quando me-
tivados; e bast -me accrescentar e affir-
mar quo os estrangeiros que tern side bemrn
succedidos nuuc.r as excitaramrn nem'jamais
as testemunharam.
Suas obras ali estaodo d p6: cm diversos
portos e cidades chinezas fundararm-se ar-
I senses; varias minas foram abertas A ex-
ploragao ; urma rdo de linhas telegraphicas
liga diversas provincias do Imperio i ca-
pital, e muitos vapores, sob pavilhao chi-
nez, fazem o commercio ao long da costa
e dos nosaws grades rios. SAW resultados
estes que fazem honra Aos que contnrbui-
ram para produzil-os; e, se nao sao ainda
tao completes ccmo devem ser, pelo menos
attestam que do -so um passe na via das
emprezas indus riaes. Alem d'isso, os li-
vros do sciencias, vertidos para o chinez,
vulgarisam-se entre as nossas populaces,
que nao mais terao modedo do cavallo de
fogo quando elle fizcr sua apparigao nos
campos.
Entre os estrangeiros que abriram o sul-
co da b6a semento o Sr. Prospero Giquel,
cujo nomo e6 sempro citad o na Fraaga
quando se trata das cousas da China, oc-
cups um distin to lugar, e, in'esta revista
da influencia que a joven Europa tern exer-
cido sobre o nosso velho Imperio, o esta-
belecimento que cle criou, isto e o arsenal
de Fou-Tcheou naturalmente apreseuta-se
ao meu espirito para que eu o aponto como
umrn monument credor de apre9o.
Essa obra teve, cam effeito, umrn grande
exito, e s e ten a prazer em maoncional-a
aqui 6 menos pela necessidade do render
homenagem a habilidade professional e A
energia dos que o crearamn e o tern diri-
gido, do que pla conveniencia de louvar
as medidas adininistrativas, tomadas com
perfeito corihecinento do character chinez,
e gragas iAs qua s um numeroso pessoal de
europeus e de si iticos tern podido viver
em b6a intellige cia. Os regulamentos que
deram esso resutado poderlo servir do me-
dolelo sempre q e quaesquer estrangoiros
tiverem de fundlar um estabelecimento per
cents do nosso governo ou de nossos corn
patriots.
Nao basta, eItretanto, -como pole-se ser
tentado A crer, er-so animado do boas in-
tencoes para obter successes na China.
Alli, come em tda part, tern applica9io
o proverbio : Faze de tus parte que o
ceo te ajudarA !Is, e se houver necessidade
do demonstral-o a carreira do Sr. Giquel
no nosso Imper o sera a melhor preys.
Quando cheg a a China, o Sr. Giquol,
send apenas official do marinha, tratoa
desde logo do aprender a lingua mandari-
tirou-so, apoianco-se coam custom a suA bAn-
gala.
Dopois quo o tie Berard sahio, o chefe
do divisao paresu psrplexo, e durante al-
guns instances iefleoctio profundamente.
Agora, ninha senhora, continuous
elle, pormitta-m i dar-lhe urn canselhb ? E'


evidence que eso pobre tio Berard nada
sbe, o qoae so podesse deseobrir alguma
cousa, o tal Paloque estaria immediata-
ments em nossoi poder.
Sua filha, por6m, deve star ao facto dA
vida do nosso home. E' f6ra de duvida,
visto qoe nao qUiz voltar parsa casa de seU
pai, que conservon rela5om cr e
ainda oe spera er., o e /io 'q
- Digrra(e' vA, interim mpru Ata iul
,insistiado. po6raqe dizia de si Dra 81 F e.


so mesmo, o loiter me releyara quo eu
cite 'aqui urna das passagens da erudita
Memodria que o directed do a. sebal dirigio
A Sociedade dos Engenheiros Oivis de Pa-
ris. Eil-a:
No. comego do aano de 1867, alguas
trabalhos preparatorioa, takes eorno habitu-
95es pars o pessoal e armazsens, foram in-
cetados ; mas foi s6mente no mez de out a.
bro desse moesmo anna3, na vo'lta do umna
viagem quo fiz A Franca para reonir as
precisos material e pessoal, que os traba-
lhos do arsenal propriament3 dito recbe-
ram um imupulso reaL..
( Hei-de sempre recordar-me da impros-
ssao cruel que recebi quando me achei diante
do urn arrozal sobse o qual era mystor cons-
truir as officials. Da ferramenta comprada
em Franga nada tinha ainda chegado ; n6s
estavamos n'um porto onde nao havia recur-
sos de machines e utensis europeus ; e no
entanto era indispensavel comt9ar. UJma
pequona cabana quadrada, a uwea exis-
tents no terreno, e cuja imagoem nigao pos-
so descrover, servio-nos de officina de for-
jas; ahi foramnlogo erigidos dous fogos,
avjvados por meio de um foleios chinez, e
nollas foram fabricad6s os primeiros pro-
gos.
Pelos carapinas indigenas fizemes coa-
struir maoacos para fiancar postes, e pro-
cedemos a installaglo de um estalleiro.
Ao mesmo tempo, os atorros eram vigoro-
samento feitos por 1,200 hl-mens, pois que
n6s carociamos levantar o terrono 1,mS0
para p61-o em nivel- superior as altas
cheias ; e, come era necossario acalmaar a
natural impaciencia dos chinezes, que qaue-
riam verI bons resultados no mais carto
prazo, emprohendemos a- coustrucela
uma serio de offloinas de madeira, t is
quaes foram send iastalladas algatnas
machines e aparelhos, a madida quao iam
chegando de Franca. Estas improvisadas
officinas existed ainda, e o arsenal apre-
senta o espectacilo., muito rommamI nas
novas constracqes eonprehonlidas no es-
trangeiro, do ter, ao lado do edificios fei-
tos As pressas, outros definitivos, erigidos
corn verdadeiro luxo de materials e de
mao de obra. ,
Todos os viajanteo que tern passado par
Fou-Tch6ou e, qu toern oscripto alguana
cousa sobre suas viagens, slo unanimns
nos elogios que tecem A.inastituiito do ar-,
senal. Os resultados foram superiores asf
esperangas. 0 quo, por6m, naod tern sido
louvado, e quo no entanto torn um grande
valor, 6 a boa administragao do estaW.le-
cimento e a ordem e aronia qae naO
tern deixado de rainar ali entire europeus e
chinezes. Estes ultimnos administrarn o
estabelecimonto o regalam-lh a discipline
sob a fiscalisago doe ura camnmissio com.n-
posts do altos dirnitarios d, impenui; e
03 europous dirigem eweisiameate -as
No fez wdiffedadoes? pergantoa o
chefe de divislo,- emquanto qLue Aline e a
tia Bitord so mettiam sem ruido no gabi-
note, e accreseentou quande fieou s6 esta
bem. Fag-aentrar. (Oagente a&stou-seI
e deu passage a uma rapariga quo appa.i
reeau na ports o olhou corn simplicidade
para o fanceionana ro, smm over.
gonha, sem arrogano, a ,: -' *m
De uma simplicidade extrama corn uras
roupas miseraveis, mas d ur rigoroso as.
seia, Thereza Berard etava
-Era impossivol na s ^cwi
corn o ar e, alo e refleci4. 4+ella w
,a, corn a su s a eU ig teauh.


Qamni nao se rocordarA que em do 1845,
ainda as aguas do Capibaribe, nao estaudo
A cidado guarnecida toda de caes, entra-
yam polo oitRo e pela frente do convento
do Carmo, e chegavam at6 o com03o da
rua, quo, per esse motive, so achamava da
Camboa do Carmo, porqaeuo ellas formavam
ahi urna camboa, sobre a qiial era mister
atravessar urna taboa grande e grossa,
afim de passar das ruas da Paz e da dita
rua para a de Santa Thereza, e que nesse
tempo nao existiam as ruas da Deteneo,
da Coneordia e da Palma, no bairro de S.
Jos6 ?
0 local onde so acha construida a casa
dos Expostos e a igreja do Paraiso, autos
de seremo fundados um e outro, era o de
um engenho.
.Ja poucos annos passados, o Lirgo do
R[ospicio estva replete do p6s do j urabeba
e outros arb stos silvestres, que so eeva-
vyam A altar do umn home, e era cortaHo
por urn canal quo comeeava na ra da Au-
rora. e finalisava defronte da rua do Destino.
A cidade do Rscife posse mais do 230.
ruas e 15 pragas ou largos entire os quaes
sobre3ahom o Cainpo das Princezea, por
ser a maior o a Prai do Condo d'Eu onde
outt'ora havia am elegant chafariz forma-
do par 3 orders de figuras superpostas na
primeira das quakes se viam 4 leWoes quo
suhtentava urna bscia ondo so achavam em
p64 nereides semi-nuas, ergaendo so acima
dellas a figurar do Brasil, representada per
uama selvagem..
SOs seus actaaes edificios Mais notaveis
sao os 17 soguintes : ArSenal de Marinha,
SArsenal Me Gouerra, Asylo de Alienados,
Pago da AssemNbl6a Provincial, Caixa d'A'-
gua, Camara Municipal, Casa dos Expa-3
tos, Santa C0sa do Misericordia, Casa e-
Deten`ao, Cemiterio Pablico, GMyaueio
Pr6vincial, Hospital Pedro II, lnstituto
Archoologico, Mercado Publico, Lyceu de
Artes e Offieios, Palacio da Presidencia
e Theatre de Santa Izabel.
dos os dias passavam por diante d'elle nao
se deixow levar por aquellas apparencias,
per mais sorprelhendentes, por mais orig|
naes que polessem ,ser. Estadava sim,.
plosmente o sujeito que tiaha diante de sir
sem so pronunciar.
| iFez sigaLai oagente:para que so reti-
raase, o drginido-se a Theresa:
Mor.'a n c~it do -suI?_disse elle.
Siv, seohor, responded ella cor uma
yvoz to simples, iIO Mega,Mcowo a seu
olhar. Ha muitos tannos quo no mu~o do de

-Deqi1e viva ?
8ou ooutaw~ra, e trbaibllo em roapas


| -em( 173%1 sob a adminaistragoo dogo-
WenA~or d e~rnamnbuo Honrique'Luiz e-a
| |iroquoso InaudoU aterrar a dite
i|e-treo' bainrros-do Santo An-
t"| `|de Jos6f6ioon|struida a-pants
ideum!deiira q'u gwa un aoautro bairro,
endo aproveitadoas os arcos e pilares. da
la edificada no mosmo hluar polos hollan-
ezeos, oa melhor per Mauricio de N a u;
assim como fez-se levantar a ponto dos
Afogados, o a 2a ponte qauo prende o bair-
mra da Boa-Vista so do Santo Antonio,
desmanchando-se a que f5ra feita polos
batavos.
Elle ordenou qua s e-edificassoin, sobre a
ponte do Recife, lojas de taipa, de seb3,
de um lade e do outro, deixando apenas no
centre d'ella urn oespago de 40palmos,
pouco mais on mewos, guarnecido de ban-
cos em duas linhas parallelas pars recreio
do public.
O b;tirro de S. Antonio nIo s6 continha o
palacio Friburgo conustruido peor Nassau,
corn a frente para o hnaseente, haje palacio
da prosidencia, em cuja face se elevavamn
dous torre~os,- um queo servia de'pharol o
optro de telegrapho, mas tambem o Forte
Ernesto no local do convento do S. Fran-
c's:o.
Dosta fortaleza so estendia urma exten-
sa muralha que a communicava cornm o
forte das Cinco Pontes.
O bairro da Boa Vista forminava urn gran-
de paul, tendo um pequeno cases quo s6
chegava at6 a altura da run da Ponte Ve-
lha. A localidade oecupada hojo pelas ruas
da Aurora, Formosa, Saudade e Uniteo se
denominava entao o Casimiro. Igualmente
era um pantano S. miinaro. A rua da Con-
ceiglo, da Boa Vista, era um sitio em que
existiao 400 pes de coqueiros, corn umn so-
brado, pertencente ao capitol Felippe de
Santiago do Oliveira e A suna mulher D.
Lourena Maciel de Andrade, vendido A
21 do agosto do 1683 so governador de
Pernambuco Christovio de Barros Rego,
pela quantia de 4976000.
0 pateo da Penha, e part da rua Di-
reita at6 a igreja do Nossa Senhora do Ter-
0o, era urma praga cheia do coqueiros.
A 25 de junho de 1631 nio foi funda-
da a fortaleza do Brumn, come dizem Jos6
Bernardo Fernaandes Gama.naa, suas MM-
morias Historicas da Provincia'de Per-
nambuco pag. 15, nota, e o padre Ma-
noel Ayrestdo Casal na sua Corographia
Brazilica. Este forte estava sendo cons-
truido polos portuguezes, cornm o nome de
Fortaleza de Diego Paes, quando os ba-
tavos so apossaram do Recife, segundo
referee Vamhagem na obra citada acima
pag. 44.
Em 1685, o lugar Forte do Mattos, an-
tes do ter ease nome, se chamava rua da
Praia, no bairro do Recife, depois foi que
se den a nesma denominagio A runa do
bairro do S. Antonio (hoje.de Pedro Affon-
so) quando Antonio Fernandes de Mattos
em 1685 ahi levantou o Forte ao qual p4z
o seo nome, assim come os da Madre de
Deas e de S. Pedro todos no bairro do
Racife, as quaes occapavam um quadra-
do de 300 palmos.
Em 1645 a Passagem da Magdalena se
denominaya sitio de Joio Velho Barreto.
A ilha do Nogueira eraconhocida pelo nome
de ilheta do Cheira Dinheiro.
Em frento do actual cartorio dQ Sr. Sil-


-- Ter visto essehomein, esse Bernar-
do Paloque depois da sua evasao? disse o
r. Maug6, continuando o seu interrogato-
wig. Nao tenha prossa em me responded.
Lembre-se quoe .est sob a vigilancia da
policia e que, so tontar enganal-a, p6de ir
parar A cadei.
Theresa Berard oncolheu os hombres.
--E peasa, senhor.jdisse ella corn vohe-
mencia, quo o mde da prislato me fara tra-
'ro homeem a quem ame.?
Apezar disso, posso e devo dizer-lhe qae
Paloque nao esta em Paris.
|ta affirmaflo t, posifiva levo a du-
i o :espirito d Aliae- Ella, por6m,
Iv tio luraite o ea do d um segun-


NiAo viste-te ao espelho ? Sejas franca !
Confessa, 6 natural o esquecimento,
Mas deixa qu'eu descreva em poucas linhas
Os trajos que tu tens neste moment:
Um vestido curtinho e muito feio
Corn babados o tufos escarlates,
D6 urma e6r duvidosa, oh! quantos la9os!
Que numero do botoes! quo disparate!
Um casaco encarnado, um casibeque,
Oa cousa semelhante, -urma japona
D3 feitio exquisite e tao comprida,
Que em ti flea soberba! Oh! que ratona!
Um balio de f6rma ainda nunca vista!
Corn os arcos come quo arrebitados,
Que erguendo-te o vestido deixa todos
Olharem tous pezinhos delicados,
Mettidos n'umas betas muito altas
Do T6rma especial, forte, segura,
Quoe embers sejam enormes nao comportam
Os pezinhos quo tens, 6 creature.
Chegamos A cabega Todos pasmem,
E ouarm corn attenglo o corn cuidado,
Pois quero fazer ver a todo o mundo
Aquillo que tu chamas penteado:
Uma trouxa disforme de cabellos,
Pregada bernm no cimo da moleira,
Quae a mou ver s6 parece uma rodilha!
E creio que nao digo alguma asneira,
Toda cheia do flore's! Tern estrellas,
Rosas, bugaris, flOres de gramma,
Craves, rosedAs, e bern no centre
A flfr que delta o p6 da mamcrama.
Al6m de tudo isto um rosto magro
De alvaiade e carmim bern rebocado,
E terei concluido fielmente
Do fazer a narra9go do teu estado.
Perd6a esta franqueza! Olha, eu to juro,
Que nao quiz teo fazer o menor mal,
Pois talvez jA estejas ensaiando
0 come has do sahir no carnaval.


PAULOQ BBA.


v e l o s o s -Saao9 -4 oq o ir e a
su9 ausenia o yeva direitoi o tumulo
A rapariga foz-se do urma pallidez mor-
tal, e, jantando nervosamnonto as maos:
- isnhor, disse ella, no sei o quo
lhe fiz,.ignoro qual o seu fim, mas tortuara-
me cruelmente. Pergunta porque motive
nal voltpar a compalhia do, meu p' i
so lhe dister a ramlo, nio acredita. E' mae-
Ihor, portanto, quao& calle. Cads ui se-
gue o sou destiny. ; ueu n iio me per-
tence. E aora ii me faga iais porgun-
tas, porqu.serei o-hrigada a miko he res-
ponder. ...
S- Que sigular creature, muarnuua, o


( Coutinua d o lon. 1.74)


V-V.i




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECOIUO66E_KWQ5ZF INGEST_TIME 2014-05-03T02:52:13Z PACKAGE AA00011611_13272
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES