Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13202


This item is only available as the following downloads:


Full Text





































RIO DE JANEIRO, 26 do agosto, As
4 horas e 55 minutes da tarde. (Recebideo
is 5 horas e 30 minutes, pela linha terres-
tre.)

A Camara dos Deputados, ua mes-
sAo de boje, approvou as eAcnendas
do Senado ao orcanmento da agricul-
tura. menos a relative ao contract
para a illuminaclo do gaz carbon.
a qaa foi regeitada por IT contra
9 votos.
Em vista deste rtsuitado. o presi-
dente da Camara nomeon uma com-
-milsAo comrposta dos depatados
Martin Francisco, Cantao e Camar-
go para ir pcdir a fusao das duas
camaras, afiim- de ser resolvido o
conflicto.
Foi nomeado commandant dam
armas da provincia do Amazonas, o
coronel Villela Tavares.


(Especial para o Diario)

LONDRES, 25 de agosto.

Os Jornaes inglezes em geral cen-
-auram o bombardeamento de Fou-
Tchehou.

S. PETERSBURGO, 25 de agosto.

S. IS. o Imperador da Russiaa deve
SItr proximamente para Ischl, I onde
se encontrara coin S. M. o Impera-
dor da Alemanha.

Agencia Havas, filial em Pernambuco,
26 de agosto de 1884.


INSTRUCCIO POPULAR

M1IGNETISMO1
(Eaetrahida)


CAPITULTJ VIl
ELECTRO-MAGNETISMO
(Continuavao)
Admittida tel theoria para os inmans, ficava
tambem estabelecida para a terra que era consi-
derada come estando atravessada per correntes
em varies sentidos constituindo tambem verda-
deiros solenoides.
No ha a certeza de que esta theoria seja ver-
dadeira, mas pelo menos exphca todos os factors
relatives ao electro-magnetismo, e atW ainda nao
seri posta de part e ha sido a causa de desco-
bertas importantes que teem servido para a confir-
mar.
Para mais evidenciar esta theoeia do electro-mag-
nsetismo, fez Barlow uma experiemcia bastante cu-
riosa, que tinha per fiai rcproduzir o estado meg-
netico da terra.
N'um globe de madeira enroloe um comprido fio
conductor em espiras parallels e cobrio o globe
assim preparado corn o papel, qud se emprega para
fazer os globes terrestrcs, que servem para o es-
tudo da geographic, applicando porem o desenho
de mode que os p6los magnetics da terra coinci-
dissem corn os p6los das espiras, e assim obteve
um globo terrestre que sensivelmpnte representava
o mundo que habitamos, porque l-ercorrendo aquel-
le cornm uma agulha astatica (para a livrar da in-
fluencia do verdadeiro globe ter estre) via-se que
tomava as direcq5es quo a ag lha magnetisada
apresenta nos differences lugare (isto 6, a decli-
nagao e a inclinaabe era sensiv.lmente a verda-
deira).
Admittida a existencia d'cstasi correntes, assal-
ta-nos a ida de saber qual a suaeorigem, que (as-
sim come o facto da sua existencia) esta tambem
ainda mettida em hypotheses mais on menos arro-
jadas. .


puion aU0 notiia ne %eb.Alo -da *gr -Se-
exaeto?-na qual seo dinzque Mrsaaai 1
estagloda-guardaecivicea, o .pr. taigeLt Jo ndle1
de Abreu. I
A respite deste facto prestou-me o subdbeltga-i
do da freguesia de iAnto Antonio, em data dehon-
tem, a informagio que oEr opia tranamitto a V.j
Exc. para que tenha eonhbecimanto.
Dens guard a V. Exe-l. e Exm. Sr. dese-
hargador Jos6 Manoel de Freitas, muito dignoI
president da -provincia.-O tchefte de polieia, Bayy-
mundo Theodorioe de ,astro e Silva.
Subdelegacia da freguezia de Santo Antonio,
22 de agosto de 188 : Sr.-Em res ostaao
officio n. 4,492, do V. I19 do correlate, orde-
nando-me que inform ',,9 papneamento que
diz o Diario de Pernamuca odo mesmo dia, have
soffrido na la estacao da guard civic, o indivi-
duo de nome Manoel Jose de Abreu, tenho a de-
clarmr o seguinte come ja fiz ao Dr. delegado do
10 district da capital, em officio sob o n. 132.
- 0 individuo de que trata, larapio e desordeiro,
dado ao vicio de embriaguez, tern sido por mim e
por outras autoridades preso mais d& uma vez, e
no dia 13 do andante, furtou um bahA contend
diversas roupas e objects de ouro da taverna de
Antonio Jos6 Moreira Gams, situada na rue da
Aurora n. 39, conform p6de informal o Sr. sub-
delegado do 1. district da parochia da Ba-Vista,
que me o requisitou e a quemo fiz apresentar.
Tendo sido recolhido a Casa de Detencfo par
esse facto, fui post em liberdade no dia 17 deste
mez, mas come houvesse pratieado disturbios, de
neovo alli entrou no mesmo dia a note, passando
simplesmente pela la estaeao para dor o nome an-
tes de ser recolhido a prisao, sem que so dem)-
rasse alli mais do que o tempo para isso necessa-
rio.
Nao me constu que Abreu tenha soffrido offen-
sa alguma s6 na estaaeo referida, come tambem
quando se effectuou a sua vrisao, e foi remettido'
para a Casa de Detengeo.
Despeitado comeo se aeha Abreu coW a policia
que o prendeu, e natural que trate de attribuir a
ella offenses que provavelmente recebeu de outros
desordeiros que estiveram corn elle A a praca do
Capim, pouco antes de ser preso, e.,6 a mA f6 de
sua part di explicac3es ao 9ue procure levar ago-
ra .4 conta desta subdelegacia, quando entretanto
Abreu de nada se podia lembrar tal era o estado
de embriagnez em que se achava, quando passou
pela estaeso.-
Foi o que deu-se.
Deus guard a V. S.-Illm. Sr. Dr. Raymundo
Theodorico de Castro e Silva.-Alcidee F. iarata
de Almeida.
SSecreturia de Policia de Pernambuco, 23 de
agosto de, 1884.-Conforme. Pelo secretario,
Francisco Geraldo da Silva Barroso.

ReplwtO-ao da Polleia
Seego 2a -N. 931.-Secretaria de Po-
licia do Pernambaco, 26 de agosto de
1884.-Illm,. 3eSxm. Sr.-Participo a V.
Exec. que foram hontem recolhidos A asa
de Detenglo os seguintes individuos: w g
A' ordem do subdelegado do district de Apipa-
cos, Jos6 Joaquim dos Santos, Ieverino Joaquim
dos Santos e Francisco Gualdeberto Pereira, po6i
disturbios e offenses a moral publj.ea.
Deus ruarde a.V. E e

tas, muito digno president da-" a. -
0 chefe de policia, Raymnunde 1seoorico
de Castro e Silva.

Thesouro Provincial
DESPACHOS DE 26 DE AGOSTO DZ 1884
Dr. Lauro:Castello Branco e Silva.-Oumpra-3e
registre-se e fagam-se as devidas notas.
Francisco Tavares de Si Cavaleante.-Vulte ao
Sr. contador.
J. J. Alves de Albuquerque.-Inform3 ao Sr. c)n-
tador.
Mari% dos Martyrios Tavares dos Stntos.-Cer-
tifique-se
Camera Municipal de Jaboatio, Francisco Pa-
cifico do Amaral J. Ferreira da Costa.-Haja visto
o Sr. Dr. procurador fiscal.
Joaqium Tertuliano de Medeiros.-Informe o
Sr. Dr. administrator do Censulado Provincial.
Dr. Ignacio Alcibiades Velloso -Informe o Sr.
administrador do Consulado Provincial.
Landelino de Luna Freire.-Campra-se~c facam
as notas de portaria de licenga.
Francisco Gongalves Torres.-Certifique-se.
Francisco Egydio de Luna Freire e Aifredo de
Lemos Araujo.-Informe o Sr. contador.

Coasulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 25 DE AGOSTO


em officio de 30 dejilbo altimo.-,lntcirada. -
Outro do EKma. r. provedor-deSeanta Ccadeo
Misericoriiaem 7 do correast, coavidan4o a Wm.%
Camara paraassistir a festa, qde a juttaaAida
eelebrar na igreja de Nom Se nhora dPawmia
'no din 15 pelas 10 horas da manfil eam honra de
sua padroeira. .
0 Sr. resident disse que esperava que os Srs.
vereadores compareeeasesn ao eoavite..
Outro do administrator do Correio em 11 do
corrente, pedindo pormissio pars mandar collocar
defronte do edificio d'aquella repartigbo uma co-
lumna postal para recebimento de corresponden-
cias.
Postal em discussao a material, e tend sobre
ella fallado alguns Srs. vereadores, resolvea-se
pela concessio d, lieenga,-etciando-se neste sen-
tide ao Sr. administrator, e dando-se sciencia ao
fiscal respective pars nao oppor embaragos.
Oatro do Sr. coronel Decio de Aquino Fonseca,
commissario do Cemiterno de Santo Amaro, sub-
mettendo a deliberagco da Camara a representa-
go, que Ihe fizera o administrator d'aquell.e Ce-
miterio no officio, quae se aehava annexo sobre a
urgencia de concertos, de que precisa a coberta de
uma das casas, que serve do secretariat n'a-
quelle estabelecimento.
Posts em diseussio a material, o Sr. Dr. G6es
Cavalcante disse que; send os concertos mais ur-
gentes, e inadiaveis, de importance, talvez nao
excedente de 50J000 achava convenient autorisar
o Sr. commissario respective, A mander fazel-os,
ficando os de mais, de que trata o administrator,
e que sao adiaveis, para oecasilo opportune.
O Sr. tenente Viegas, obtenao a palavra, do-
celarou que votava per esta resolugo, se o custom
da obra se limitasse, come disse o Sr. Dr. Goes Ca-
valcante, a cincoenta mil reis; e que A passsar
d'ahi, o orgamento devia po-se em hasta public
de conformidade corn o art 47 da lei do 10 de
outubro de 1828.
R3solveu-se pela approvagso da proposta do Sr.
Dr. G6es Cavaleante, attento o orgamento.
Outro do memo Sr. coronel Decio em 31 d3 ju;
Iho ultimo, submettendo A deliberagco da Camara
o officeio annex do geointe da CompMaMia Recife
Draynage de 10 do mesmo mez, em que cibmui-
nieava qae a autoridade policial da freguezia da
Boa- Vista, mandando colocar na ponte da BOa
Vista, e na Isabel um cabo corn duas pragas fize-
ram voltar as carroas da Empreza que con-
duziram cisco para ser depositado, segundo as
ordens da Camara nosa alagados em frente do
SHospicio, a embaragara de cnumprir as orders mu-
nicipaes deede o segundo dia do seu cumpri-
mento.
Posts eat disgussio a material o Sr. Dr. Gdes
Cavalcante mandou A mesa a seguinte proposta,
que foi approvada plenamente:
a Proponho que fique o commissario da limpeza
public autorisado A escolher o lugar para remo-
go do lixo da cidade.-Gdes C'aalcnte. "
Apresentou ainda o mesmo Sr. colonel o offi
cio do administrador do Cemiterio, dirigido em i
de julho ultimo ao Sr. commendador Joso Pedro
des Neves, enteo conmi do Cemiterio, ce
iaunicaado quoe n'aquel- sut =*Ueu 0o141
jiero, estabelecid corn eai a-aeraxia df eoonwr.
midade corn o art. 68 do regulamento de. dito es-
tabelecimento, por haver feito conduzir fdra do
tempo marcado 4 cadaveres de caridade, acompa-
nhados das guias ns. 8,095, 8,096, 8,097 ,e 8,100,
estando portanto ditos eadaveres era adiantado
estado de putrifacgleo.
Posta em discussion a material, o Sr. commenda-
dor Neves, obtendo a palavra, provocon a Camara
para resolver, se 6 o administrator compotente
para impor multas.
0 Sr. padre Mello, obtendo a palavra, fallout so-
bre o assumpto, e disse que a communicagbo feita
plo administrator do Cemiterio de haver mul-
tade a ca-,a funeraria de Quinteiro per infra-
g.o do art. 68 do regulament, do mesmo Cemite-
rio, seja remettido ao procarador para fazer effec-
tiva a multa, devendo-se entretauto scientificar
ao mesmo administrator que s Ihe compete em
takes cases dsar part A Ilma. Camara par a resol-
ver ella de conformidade corn o mesmo regulamento.,
-Sala das sess5es, 13 do agosto de 1884.-Padre
Mello
Posta em discussio esta proposta, fallaram sobre
a material os Srs. Drs. Goes Cavalcante, Jose Oso-
rio e teoente Vi gas, send afinal approvada a
proposta do Sr. padre Mt!Ilo, ficando tambem re-
solvido quo em vista do regulamento sa a Camara
competia a'imposiglo da multa, cumprinidoesmen-
te aso administrator communicar as infrae5oes, e
que mesmo as multas, impostas pelos fiscaes, a5
tenham effeito depois de approvada pela Camera.
Officio do junz de paz da freguezia do Pogo da
Panella em 5 de julho fiad, communicando que
foi vendida em hasta public a cabriuha, que fora
apprehendida pelo fiscal daquella freguezia, a qual
produzio a quantia de 2j500, que nao foi safficien-
te pare pagamnento das despezas do juizo.- Intei-
rada. o
Ontre de Joequim Cavalcante de Hollanda Al-
buquerque em 9 do mesmo mez, communicando,
e provando, corn doeumentos, que junton, achar-se
despronunciado, e no livre gozo dos seus direitos
civis e politicos, e portanto habilitado pars exer-
cer o carg) do 4 juiz de paz da freguezia de S.
Josd.--Inteirado. -.


Ountroe do juiz de paz desta freguezia em 11 ain-
da do mez de julho eommunandoque form ven-
dilos em haste public os trees porcos apprehenldi-
dos pelo respective fiscal, os quaes se achavam
depesitadeos na casan.,9, sit no largo doK Merca-
do de S. Jose : e que nio teado apparecido liei-
tante, adjudieou-as- ao depsitario para sea u paga-
mento : e que de igual forms proeede4 na de 5
porcos, e uine cabr apprehendidos polo mesmoe
fiscal em abril do eorre.te anno, pela esma ra-
aio de auencia de licitantes.-Inteimrada.
Outro do juis de paz da freguezis do Poo
Panella em 11 dejulho. dtsir eaoimcauldo qe
foranm vendidos em hasta pubheca ums embra ue m
bode. apreahendidkmWntleramaio fiea 1 i *es a n


i O ak, 5aua h ompareeeu a: Sam0-
r:$(pep|io.term,)apuar de
gafl V,~e ~ 50 iuii,

tvast&~ mass s i'* o Sr. Dr. woes CA-
vacante' mandou A moa a a eginte proposta que
oi plaeament a appr6vada : -
Propoho. quse made proceder A nova prAa
ra lotag'o da osasa n.1 A rua Imperialeu
!'ora em diante nio se faa entrcga do ram? a
alquer arrematante de servizom o predio, sem
mm preceda a assigatura ido rspectivo teraw


(bis. o 4ido jll 10 de junho uktio, re-
mettendo b. % da eoeoita e'despena4di esta
1{lh0. Camara t-ferente ao mnz do maie7 0 -.Au
S5r. oaamissarno 4d polieia..
0l!z 6 do smo', em 10: dejulho findo, iJemet-
tendo- balancetetda,4reicte- e deepe tad
Ma d jii
D14a. enara, r1ef7repite o que s dejaho.in.o"
--Ao 8e. com',m isaai{ do pOI5C1)*
tro ainda imeoa, '31a jlhofi,
c masudo ii'ue cn4ta r-deta d |
procuradores F bIaauto A ras.i a q matia "
52 332, polenta' o ; ie o de muaeicipeli
do ao refsrido bkaeso,'desfo5Muididd. corn 06xt.
54 da lei a. 1,791.- Isteihza, que se ofa(" ae
Contadoria s devidase note .
Lkais outro do mesmo, am 5n-o cotrnte-,oin-
nicea-do que corn a deaproiqo davl A d sa
4s.,) 45 e47, sitasnopateo do Paraizse des..
pundou comic oertidos eopllosea quontia de 485, e
bc asim e fo doPefiaajet& desapropriada
a c a. 443 d r afeoridtop pertenc t-e a Sil-
veEse Josd PaFernaaudi-1I' p&6 Yaded
como foi eatorisado em soesslo de 23 desja-
nctr9 do corrente anno ; pedia jue as Ioh man-
d f levro ar n cnta ease valor.-Inteirda, eo que
e nas. Conteadorie as necessarias notaes.-
SfinalemidteMso s m ,atea, e 8 do correator
cane i y do havesi-se uetendido a coaroo Al-
v edro, proprieotario 'deo solo ca eisa n. 43,
o pateoe do Parais, jA desapreprioda por
es-Ima. Camera, acmscra do valor do mesmo
so. ebhe respondPra o dito Pedroso que aceitaria
eo1 indemninaAo do ref1rido solo a quantia
qub for arbitrada pela Camara, corn tanto quae
naffiue rendcado.
regisaws, a material fallaram .sobre
eils asgun Srs. vreradores, reovendo-se que fi-
casse o Sr. eommissaio de policies escarregado
de entender corn o prepotitario do omesmo slo,
e -oelle accordar obsropreo Ce da deaSpropria-
do contador, em 10 deo de ilho ultimo, lre-
me o balango do Ltrimetre de alssajunho
fiado do qa se viea e, hsvend4, nm
saldiem 31 de mrard d 18'459137 5A elle enuqele
trimaent, e foi Arrsudadodsa aqusna i .de 7:108,
Ileld-so =ipostos auantied64e?1:l69 -9
porar do prsidene mas reebida.'add
end o mesmo periodo a quantia de .......
L70:1 ;505 coi diversas veorb.s, omq condteva
oe elanucetes me;nses ei do respeetovos liuwos,
tando am daea-:t e 144e aqne pas-
l pa aquelle mez. Ao Sr. cowunissario do

bgrea doae he datado, ra o es havia do-
abatimento d e 612 reznes pare o consumo dos
dias 6 a 1 do corrente, e bern assim que foi lan-
gala a caldeira no dia 11 uma rez pertencente a
Manoel dta Barros.-dInteirada.
Outro administrator do Cemiterio de Santo
Amaro, Joao Baptista do Rego, em 5 de julho ul-
timo, communieando que n'aquella data assumio o
exercicio de administrador d'aquelle estabeleci!
mento, em virtude do disposto na lei n. 1,808, e
portaria do Sr. president d'esta Illma. Camera,
expondo tambem o estado em que achou o dito
estabelecimento.-Inteirada.
Lido, este expediente, o Sr. president propeoz
que se mandasse construir dous mictormos, urn ao
lado da matrix da Boae-Vista e outro ao lado da
igreja dSanta noCruz, parea o qu jA haevia man-
dado fazesr o oramenteo ue apresentou, tendo
mostrado a conveniencia d esta media.
Sendo visto e examinado o orgamento, foi ap-
provada a proposal do Sr. president maidando
affixar editeaes para ser a obra de ditos mietorios
rrematad em hast publics.
Em seguida o Sr. president doclaron quo es-
tevai em diacusabe e prepesta do Sr. Jesmi Eleute-
rio do Azevedo quo ficon adiada em sossbo ante-
rior. .
0 Sr. Cussy do Riege obtendo a palavra pela
ordem; lon a informrrgbo e parecer do quo na ses-
sae passada foi ineumbido do apresentar, o quel
e concebido noBs eguintes terms :
A pretesigbo do Sr. Jos6 Eleutorie do Aneveclo,
contractento des obras do Metouro, pode sor at-
teudicia.


foavoreis a eoncesso -aa pro-
p" .enluio maudeudo A
t~o p istarderefirou.
Poata'e-u rehato *d- usogno, sebreo Nie fal-
lott o Sr.: Dr. MoU Mga4% ad M'4indo oatros tr-
:gumuestos aos "X'a, ul d e eoeh4 qua a Camqr-
ra nao npreesava t eaentrtaBr o serving do Ma-
tedouco, os quaes deviamtsacr feitos por adminis-
traeAo 1da mesama, ineumbiado ease servings ae
actual administrador, cajo zelo era eonhecido, o
uneio que-fiscalisava os interesses da Camira corn
toda rostrieclo.
Em segaida oqSr. Dr. Jose Osorio, obtendo a
palavra para faidamentar o voto que pratendia
dar sobre esta questAo dia e o egaultoe:
16g. IoIcIiids.red
e "n
evequ term in i mdezem-
bro' d-64_1 8$5o iba-so a ifazer no M-itadouro,
de.ntro d-pree o-N m anno, certas e determina-
dsa obrasno mQOmo Matadouro.
Que pi3tparqeor aprosentado polo Sr. commis-
sarie 4*i Xa-tsouaro v&4 quoe foram feitos algu-
maso dess'-qbkia'-nA;.tiajndesia pars as que
faltim faenrZ.qeu& riars!- e-i ado promptas

; sxbre8 que, queo
,^i|ttihO-osora"-ma ruiB .^ ai dens fie'Lr-res-

'lgunrs. ver5 iris0 .eritendiaja.quo, ale
p Utseetantoe f0A). c as oboeas iimtro
9 Abo f -d, ttdm

aO-pas qo 'outr eaille qut no ale
S ndo o prazo do dcntracto, pode-se e de-
3er o4e 10m iezes puar a constueglo
Sddiscuslo, e das razes da-
das pelo ontea ate i e m asqa petielo, neo as-
ceitava, nem votava por menhum dos dous alvitrt4
propostos, muito meaow pw qualquer proposal,
Rua apparege pare us:um o contract do serving
3o mlatadonro. ';;' *:e\. 1 '*
Q eaas respeito i*b a.a opiailo:
Que, fado o eontre&oau .1V M
o actual contractante do mad ot, eves c r
A si aquelle estabeleeimento, e fzer o orvigo por
adlministraglo, m6dificando o impsto que pe be
ddsnrchants1 poque-assimd lada f*I ar mail
vantagem, e evitari a eoustante lacta, que tern
sustentado ha muito tempo com os contractantes.
Que, a Camara nao devia ter admittido,- e man-
dado estudar a propostA feita par u a niOve mata-
douro, em que gaston-se ecresa de tres a quatro
mezes, alimentando assim no eontractante a espe-
rangde ofazer um matadouro novo, o que de al-
guma forma concorreu, para quo elle nio fizesse
talvez o rest das obras, A que seobrigeu, e cujo
praso tcrminow n6 dia 7 do corrente.
Que, atten ,tudo isto, e nao se achando
fiado o p o penav que a Camera
sem yrel4a. cuntoactante a con-
ewsl do pwAquo fega a
construe~ qla', p~serando,
porm,, W1a A queonkofez p

Qua8,iuipertawdo as90rs afazer em o r esa
dez eood o de r6is (10:W pO) segndo e.ae
informed.? era de opuni eTq-so0 cojatrcinte -do-
posite ij & esta qati, e queo depois ,de fei
ease depito, soja-lhe concedido o praso 'de z
mezes, de que tracta o pareeer do r Or,", igajs


e asim nenhum prejuizo viral para aCamara, que
mandarin fazer as bras corn aquella importaneia,
e nenhum pretext podero allegar mais o contrac-
tante perantd a Camara, que devia ser mais es-
crupulosanaaeceitagio de propoestas par a con-
traetos.
Quando assim fallava o Sr. Dr. Jos 6 Osorio, foi
interrompido por gritos das galerias em apartes
poUco respeitosos ; pelo que o Sr. president e cha-
mou s ordem aos que a perturbavam deelarando
que suspenderia a sesseo se nro fosse attendido.
Continuando disse o orador que desejava es-
tender-se ainda mais na jusfificacA,) do seu voto;
ma que as continauadas interrupal es nao o per-
mittiam fazer, equen'este caso mandaria o seu
voto por escripto, e votando ao mesmo tempo con-
tra a opiniq o d'aquelles, que entendem que a Ca-
mra sere mais razis tome canta desde ji do ma-
tadouro ;contra o parecer doe Sr. commissario do
cesbio, que concede simpesmente ura proroga:ao
de praso paea as obras ; e firalmente contra a pro
pemta doeSr Dr. Carneiro da Cunhas lue da o prf-
sde dez mezes, mediante flans, per que enten-
dia que se devia exSgir mais do quese acha nesta,
duns propostas ultimas.
Em segida loeu a declarraso do seu vots, con-
cebido non seguintes terms : L
Tendo-se em vista que o prmss do eontraeto,
oelebrado pars o ser vido do matadouro, termina
em dezembro de 1885, e aindas as allegang es fei-
tas pelo contrastante, e o mais que 1e acha expos-
to no pareder do Sr. commissary o do matadouro,
vote pela concessao do praso de dez mezes, pro-
post0 pelo mesmo Sr. commissario, devendlo, porem
este praso ser Coucedido, depois que o centractan-
te fizer urn deposit(>, ou presto Unsa fianca de dez
coates de reis em predios (10:000|>000), on apoli-
ces da divida publica, geralou provincial, o que
devera set felts dentro do press de site dins con-


tados da communicaglo, crescendo que, find o
praso de dez mezes, que for coneedido ao contrac-
tante, sem qua este tenha feita as obras, perderA
elle em favor da Camara, n alo s6 a flanga prestada
come todas as obras feitas, e o material que existir
n'essa occasion. Emin 13 de agosto de 1884.-Jose
SOaorio.
Lidaesta declaraglo de votes, que foi conside-
radsa come nea proposta, o Sr. president a sujei-
tou A discusslo.
Deelarou e St. Dr. Carneiro da Cunha, que em
vista desta proposta,retirava elle a sua.
8obrea propostasem discasslo ainda fallaram
0s Srs. Drs. Job Augusto e Barros Rego en. op-
posi a ella ; e o Sr. Dr. Goes Cavalcante dimsse
qae em vista do eaminho qua tern seguido a ques-
tbdo matadoro, appareeedo =um media alva-
dora dos interesses d Camara, apresentava a se-
guinte proposta:
8e, passar a proposta do, Sr. Dr. Jos6 Osorio,
seia. o raso de tires mezes e nalo de dez. -


usho a OCtdaa; comiuendadai rs vae s* cir
[694caitit Torrese Sbilva Neves, e6ronel
tayano de Souzi e tenent e Vie;a, que mado
dealarax e do sea voto nos segumtes terms:
Que abr0aad6o gs mai lac'dis e judiciosas ra-
Aes da proposta ou vote do Sr. Dr. Jos6 Osoriow
corn ella se identifieava, acereseendo mais as ra-
ases quejA expoz no vote eacriptu, que per si apre-
sentou come fundamento do seu procedimeato nesta
qnestao.
Votaram contra os Srs. presidents, coronel De-
cio, Drs. Barros Reg., G6es Cavalcante, Jo.o Au-,
gusto e Correia de Araujo.
Posta a votes a emneada do Sr. Dr. G6es Cavalp
cante, foi rejeitada, votando somenute a favor o soe*f
auetor, os Srs. president, Drs. J Ao Augusto, Barr
rMs Rego e Cjrreia de Araujo, e eCronel Demo, ,
a favor os jOtros Srs, vereadoees.
'0 6rMv .os4 W 0301,obter* a palavra pel
orde a~kapesetou a piaio de Fr. -de
j I I Botglo,, proli;,|i oiexo aS Beiod
jat atei~0$ et
Ollada,^|n q~is pedi aRa pi-r^- IUolir a tre-
peira, e o forno de a, asas : d casa nI. 69
a ra dd'Marcilio Di sbttu teras
parte posterior do mesmo predo. a equal petii
ao querepdo per si despaclar, dtUinava para a
Camari* -
Podia em discussed a materia, ifoi adiadu a ,r
querimento do Sr. Cussy do Rego. .
.0 mesmo Sr. Cu4syr d ego, luotendo. a pValasv,
pei ordem, fez p d e^ todo t conds r-
tesrque.se esta.o fuset tf 4*sa audio a^
08 qusos estae foss.,
*Rqaesoles so o-j^l^^ leiasse a
pzohreidet~ a a
Apresentoiz'ta.i. Q 1 4unistradoi Y
do Iogradouro, a ixi no. goso
da licenga do 20cneed"daI' oL
offietiodo-medico do am eo uicnando qu
mandou inutilisar as 'caus-e urena rez, perten-
ceate a Manoel tdeBarms, Ior imtprestaveis para
alimentao publics, assim como o mappa do aba-
Stimento de rezes para consuho no matadouro da
fregaezia do Pogo dt Panella.
A Camera ficou de tado iateirada.
Petito dJo tenente-ooronel Jos6 de Oliveira.
Catro, fidor do finsado Jos6 Augusto de Carvalho
MedeiioiN-wremataate que foi da demoliho e re-
otrrao das obras do obra4o n. 1 da rua dm.
Pilesdijdo para asumk% toa4 a reoponsabNi-
dad do eetrwte de sea afianado, fazendo par.
isto pouduaeerm asees da obra.
Postaem dis ,suIo & material, resolveu-se pelo
deferimonto de sua petigao.
Dada a hera foi levantada a sessao, send desig-
nado o dia 20 do correate para a seguintc.
De tudo se lavtou a present acted, que eu Pedro
Gaudianw de Ratis e Silva, secretario, escrevi.
Joad Coadido de Moraes, presidente.- Jos8 Pe-
dro eaw evem-Manoel Antonio Viegas.-Padre
A tmiorWfelUo e Albuquerque.-Decio de Aqwin :
'bnmeca.- de4Xrac -4 deGodes Cavalcante.--
JAsA Osorio de Cer a6----Alosdo doa SiUva Ne-..
ves.-Mawoel Francisc .e BaOMoa SBgo.- I~n-
cico de Pau" Coreia :4r o.S--AugustQ Ott-
vian de Souwa.-Dr. JAW, Aqoto do Rego Ba*r*.



IZliSTA DikUill
,srLando de Noronha.-A VominisS&.
aneate nomeada para syndicar nos'negoeic^
RAi'AUa k de opresentar o sea elatorio
V-. r .-49s6mbai'galor president, da proof,
4 t d eoou coMpAnharo officio segainte:
Recite, 26 de agosto de 1884.--im. e Exm.
Sr.-Designados per V. Exc., por actor de 15 de
maio do corrente anno, para em commissao proce-
der no presidio de Fernando de Noronha, a ins-
pecko de que tracta o art. 38 do Regulamento que
baixou con o Decreto n. 3403, de 11 de fevereiro
de 1865 e de accord corn as instrucqbes expedidas-
por essa presidencia; tn oa abaixo assignados a
honra de apresentar a V. Exa. o resultado de suns
indagagoes feitas em sua m6r part n'aquelle pre-
sidio e algumas j A n'esta-capital.
a Par& hauer algun method em sua explicaao,
a commissio procurara tanto quanto for possivel
obedecer a mesma ordem adoptada naquellas ins-
truccoes, adicionando-lhe entretanto informauoes
sobre outros assumptos, que embora nao exigidan
p r :eIlas, todavia parecem idispensaveis per so
pren'derem igualmente a economia e discipline do
presidio.
a Se a commission per ventura nao tivess3 a
convic$ao de que sincere o empenho de V. Exe.
de cbnseguir do Gjverno Imperial melhorar as
condioes do presidio de Fernando, e acabar corn
os abuses de toda sorted que alli se t~m enthronisa-
do facil e agradavel teria side a sua missao n'a-
quella ilha, limitando-so per fim a apresentar uma
relatorio cheio de ideas humanitarias e philosophi-
eas, de elegies e agradecimaentos, e nao se teria
dado ao ingrate trabaiho a quese sentregoe de ho-
rs a hora, durante todo o tempo em que aili per-
maneceu, afim de exp6r eom toda a lealdade a V.
IExc. tudo o que vio e observou e corn inteira isen-
co de espirito, sem obedecer a sentimento de odiG
ou desaffeivao, que alias nao nutre contra nenhum
dos empregad3s do presidio, nem tambem se deixa
levar por amisade ou affeicao, sentimentos qUeo


eollectivamente desconhece.
a Convicta, pois, come esta a commission de que
o seutrabalho nao te'ra side em pura perda, que
d'elle advirA alguma utilidade para o Estado e
algum beneficio parm os deagranados sentenciados,
terminal pedindo today a benevolencia de V. Exe.
pare as faltas e lapses qae sem davidas se encon-
trarlo em seu relatorio, devidas antes a suna reeo-
nhe~ida incompetencia para tractar de certas ma-
terias de que Ihe fallecem conhecimentos especiaes,
do que A talta de boa vontade e esforgos que em-
pregon no intuit de corresponder A confianga eo?
que foi honrada per V. Exc. Deus guarde a V.
Exe.-Ilim. e Exm. Sr. desembargador Jose Me-
noel do Freitas, dignissimo president da provin-
cia.-Jeeniew oMaterno Pereira de Carvalho-
Captti:o io f sancico da Costa-Antnwio J Tosw4
da Silva rBn (0oi- -
A heora om &i -0 Sr. P. Shares did-
gio-nos hontem a segainte carte:
Reeife, 26 do agosto de 188
1lm. 9r. Redactor.-Quando era ainds presi-
dente da Awoeiae$ Commercial o honrado nege-
ciats desta praM, o Ilm. Sr. Theodoro Chris-
tjinmvein f r-e afim de obter da directoda
Ioe1 do. telographos, a colHWea*o do ud n relogia
us fionte doedifidio desta esiteo, pare daran
commercio de Permnambuco a hera oi=l, vito
& t grades irregutrdades e fotes dif&freW-
dos priucaipaes Melgios desta capital.
SCreio seeMo que aqulle 1honriao ceavellei
eig se e respeit4lrecotria dos telegra-
pho pos reebi ordem dol Dr. Pragoso do In-
dmoatlo chefe sdeste district, pare Mentaw
m aiAwni nt fa thA1t A &Afot e dAr a oeft offi-


ii'















4

















































Sob WFoposta do Sr. Dr. Ayres Gama, logo ap6s
a leitut do expediente, foram suspense os s tra-
balhos em demonastrago do pear pelo fallecimen-
to do soci0 JoAo Manoel Po ttal, sendo narcada
nova reunlio para o hdia te tewra 2 de stembro.
e nomeados os Srs. socios 6inel Marcionillo da
Silveira Lins, commendador Jos6 Pereira de Arau-
jo e Dr. Aquilino Gomes Porto, para representa-
rem a sociedade na sesslo funebre que a.O Club da
Lavoura da Escada pretend celebrar usna mesma
-idade no dia lode setembro em memorial do il-
lustre finado.
IlW1leuW mneabciepaes-0 Sr. Viegas,
fimael J d ar Vista, em c(Art qua nos dirigio, eon
teatou em parte a noticia que nos dea o Sr Theo-
doro Just A respeito do moaturo fronatero ao pra-
die u. 8 da rua do Visconde de Gyanna.
Diz erlle que o que houve foi unum peuen entulho
de residues de papel, cinza e folha, que manda-
ram atirar na rua dup1is que a c)mpinauh'a Drai-
nage deixou de receber dos estabelecimentos.
Assim, 6 claro qe houve mouturo no lugar in-
dicado, e a sna niturez.i, se bOn modifique a cri-
-tiea quanto A nocividade pars a saude pablica, nro
a destroe no todo, per qua a fiscalisacio municipal
tern o ever de verificar que a limpesa das ruas
se faga corn regularidade.
Theatre Santa Isabel-Chegas hoje dos
p)rt-s do satul no p.iquete national Oernambuco, a
companhis da aetriz Emilia Adelaide, e hoje mes.-
mo estre-ri no theatre Santa Isabel corn o drama
de Pinheiro Chagas Magdalena.
Segundo o respective annuncio, a companhia so
dari aqui 6 espectaculos.
Sant'Anna da Santa Cruz-A irmauda-
de de Saut'Anna erects na igreja da Santa Cruz,
reune-se hoje, As 6 horas da tarde, para eleigio do
respective secretario.
Musical VS de Setemnbro-Em assem-
bl6a geral reuse-se hojj costa sociedade, is 6 boras
da tarde, na respeetiva s6de.
ecire Drainage Company-Esta com-
panhia, de hoje em diante, comeca o serving da
remonio do lixo das casas as 6 horas da manUh,
na forms do seu contract, isto 6, duas vezes per
semana, nos dias ji designados pars os diversos
qaarteiroes da cidade.
Urge, entretanto, que a Camara Municipal, ou
a sua commission incumbida do saneamento provi-
dencie para tornar diario aquelle servico para to-
'das as ruas e predios.
Mas visinhaso -Recommendamos so Sr. sub-
delegado da parochia de S. Frei Pedro Gongalves
do Recipe que preste alguma attenqio A umas ca-
melias que habitam unjardim do lado dos nume-
ros impares da rua do Vigario Tenorio. Seo tao
fortes os perfumes que e dilam essas camelias que
incommodam a visinhanma e prejudicam a hygieane
moial.
Larapios-Na madrugada de segunda-feira
ultima, estes industriosos conseguiram entrar, per
um terra da casa, no interior do predio n. 23 da
rua de Marcilio Dias, onde reside o Sr. Manoel
Fernandes iiascarenhas, estabelecido no pavimen-
to terreo do mesmo predio ; e d'ahi conseguiram
leVyar um relogio e cadeia de ouro e cereal de
2:000$000 em sedulas, que estavam n'nma cartei-
ra, que abriram.
0 Sr. Mascarenhas s6 deu pelo roubo pelo ma-
uhh, tio subtilmento foi feito o servico
Vapor do sut-l--Hoje. deverA chegar dos per-
toea do sul o paquete unacional Pernanbuco, pois
hontom A tarde sahio do porto de Mac ei6 eom des-
inc aos do norte.
Gremno.4 dos Professores Prima-
rios-Distribuio-se hontem o n. 15 deste quinze-
nario, orgaoe da associacao do memo nome.
Libertacao-Os Srs. CursyJuvenal do Rego,
capital Theolindo Augusto do Rego, major Mi-
guel Francisco de Souza Rego e Modesto Coelho
do Rego, acabam de libertar, sem onus de espccie
algma, a su a escrava de nome Catharina, parda
e de 29 annos de idade.
Felieitamol-os pela b6a acgio que pratica-
" fam;t
Porcos em quintaes.-Moradores da raa
da Imperatrz pedem-nos pars chatar a attenvio
da autoridade respective par a dois quintaes de
casas d'alli, em que ha porcos, os quaes fazem
grande lamaeeira, donde se exhalam insupporta-
veis miasmas.
Or quintaes sao de d asas do lade dos numerous
pares, no tim da rua quasi.
Saneamento da cidade.-Remetteram-
lro3 o soguinte parecer dado em 1874 a Camara
Municipal, e contend medidas que ainda hoje po-
dem sem adoptadas :
Parecer da Camara.--A commission de sanide
paEma satisfazer o que foi ordenado na circular do
Exm. Sr. president da provincia, de 30 de dezem-
bro do anno proximo pessado, tern a informer que
as epidemias que consta telrm reinado durante o
anno findo n'este municipio, foram as de bexigas
e de febre amarella, das quakes passari a fazer
urna succinta resenha.
A febre amarella roinou durante todo o anne
n'esta cidade e sen port, comae se pdde ver dos
mappas juntos, sendo corn maior intensidado nos
priseiros mezes do annoy e deereoendo progressi-
vamente ate o ma~da|tt.ho em qoe apouas houve
um caso de falicnneunte.I D'ahr em diante oner-


Svon-se corn paquena eterV oes ate o mez de de.
zembro,'eam que, appareeodo nova invaAo, ape ai
q*- comr b-tigno erawtler, odeo -o nuemo4ae -6
mortos, que foramx a eptaddo in Cemteio6 il
co e 10 no Coie u..rtesahite.
4 c A-epidsmi& dr beivas tern reinadd, coren in-
tewsidade e duraio talve~nanua vista a'esta ci-
dade e todW ptsaeBtbutsi~adde0 .quo spparmee
sajvaccin* 4awo*'w conterw Publie e o eeso6-
4: ,- tj eon e.it .i .

'.Imperio ome om .tp.ri.a e al p"
| 1,11^ *S qiii^^A^ '


to sae, laconopOM cjwaqa dy
cuzmstancias as' pastta hs tnam-8o'ee~ov
0m, tod6 os seas earaoteieA propwio ate Certoa
pont e d'ahi em d piat im toida for, devi-
ta de aliienta1 e mnfatrs e tado aos m*Aos tratee
qu s6ffriam no lugar onde-estavamngoaidaas.
Que o governO fioAn atisfeito c'6td esi res-
posta e mais nenhuma provideacia deu talt res-
peito, continuando por conseguinte as meftas rta-
ticas.
a Qu -em um pait m que tanto se Wdam- d
todos 03 angul6s coetra a falta de biago e tanUtos
sacrificios se tern felte pare obter una pequeninha
e improficua imnuigraco 6 penna quo nio seem-
preganem tambem algans pequenos cpitaes par"
protege a populao indigenas dMs caua destriu
doras do organismo e muito picpaentea-
Squellas pare as quakes' hbd r6diodi c eeidosi c-
" mo a bexiga, a syphlfts e otdeftt h que p'le eon*-
ariA6'tefha de s6 voe o tistie e desanimaalor es
peetaculo dea capital de uIema dasprincipaes pro-
viucias do Impemo apresentar.so em um anno a
bortenda mortandade de.... bexigieotoS.
SA comamissito babieada nas prerogatiVas que
e6nfere aaCamaras Municipaes a lei do 1.* de od-
tubro de 1818 anima-se a lembrar que pare a deS-
traiAo do genero humane, ou pelo menos pare seu
enfraquecimento muitas outras causes coneorram
e entire ellas predomina a mi ou fraeca alimentaoio,
a faltas de roupa, a falta de ar pare e sempre reno-
vado e al6m de tudo issue a falta de edutcagA6, qae
6 a matis terrivel de todas, sendo incontestavel que,
para ter individuos fortes e prcstimozos,6 pieciso
creal-os corn os maiores desvelos, nltil.-os muito
bern e dar-fie em profdso ales prinoipios ele-
mentares da vida send portanto neaessario trae-
tar nao s6 da educacqb come taibem e muito
principalmente da destruiio das causes que ar-
ruinam a saude porque de nada apptoveitari a
educaVio em um corpo cachetico e careomide pela
escrdphula, pela syphilis ou per essas diatheses
que so reproduzem de individuos a individuos,
gerando entes cada vez mais imperfeitos e conse-
guintemente que em vez de serem uteis a si e A
sociedade so antes umn encargo e peso para ella;
o que hoje ja nao se occupam tanto os grande
centres de civilisacao de curar somente as enfer-
midades e sim e principalmento de prevenir que
haja muitos doentes; e 6 cartamente afiastando to-
das as causes que podem prejudicar e damnificear
a saude public purificando o ar atmospheric,
tornando-o apto A regeneracyo do sangue, pro-
vendo as populates de boa e abundante agua
para beber e para todos os usos do aceio e limpe.
za, dando sans e nutritivas substancias alimenta-
res, fornecendo habitagoes arejadas e estanques da
humidade,poderosa causa daalteraglo dasadde que
se p6de diminuir o numerd dos doentes e augmenn-
tar os dos validos que trabalham para si e para a
sustentaclo do Estado.
( Qae esta cidade e hoje victim da mais he-
dionda de todas as calamidades, e ameagadaa ca-
da memento de uma peste que devore a maior
part de sua populaqfo, e e a consequencia dos
pessimos aparelhos collocados pela empreza Re-
cife Drainage que compromettendo.se a fornecer
e assentar apparelhos inodoros e iguaes aos me-
Ihores de Londres, provides de abundante supp-i
meont d'agua, reduzio cada habitagio a um pe-
rene e inamovivel foco do infeeglo, podendo-se ve-
.rifioar a certeza desta proposiolo nos paincip ea
estabelecimentos publicos, come sejam as The-
sourarias geral e provineiae a secretariat do gover-
no, e principalmente esta mesma camera que ten-
do gasto grande somma de dinheiro na cormnpra do
seu Paco e em seu adereeo, v6-se hoje na triste
colisoo de seuo empregados e quaesquer individuos
que o procuram correrem o rise de morrer asphy-
xiadas corn o cheiro putrido e pestilencial que se
desenvolve do malfadado apparelho da companhia
ingleza Recife Drainage, e que, apezar dasrepeti-
das reclemnaqes que tern feito ao Exm. Sr. presi-
dente da provinucia, ate hoje nemo a repartiglo das
Obras Publicas, sob cuja fiscalisaeo esti ssa
malfaseja companhia, nemo esta mesma tern dado a
minima providencia, no sentido de melhorar o
fedorento e mortifero apparelho, o qual ainda urna
s6 vez, desde que fol collocado, deoe uma gotta d'a-
gua.
a Que o grande proveito queo a capital de Per-
nambuco devia esperar da cessao do uso antigo
e incommode de se derramarem em today part e a
todas as hor0s as materiaS feeaes e as aguas ser-
vidas a muitos dias guardadase emncasa e me vasi-
lhas improprias, ficon reduzido soniente as paga-
mento de um preco enorme per un apparelho de
baixa qualidade, urna anurdade pesada per um ser-
vico que nrd recebe, e a bern disso a urea condem-
na^gi maia horrivel que o supplieio 4e Prometheo
o qual pteso a turo rochedo do Caucaso, mas respi-
rando ar puro e saudavel, Ihe era devorado o fi-
gado per urna Aguis: porerm, corn admiravel e
heroic coragem soffreu per muito tempo ease tor-
mento, convencido de que algum dia elle teria fim
at6 qne corn effeito tove a ventura de sor soccer-
rido por Hercules que, matando a aguia, poz ter-
me a seu supplicio; a populaco desta capital, po-
rem, carta de que, Hercules pertence a fabula e
nao pode estancar a fonto de seos males, nio tern
remedro senio esperar pelos favors da Divina
J'rovidencia, visto come nio ha forces humans
tue obriguem a companhia Drainage a tirar o pu-
trido e incommode fedor das habitaoes.


ccA I l aTocaaida11ete9~ lon~ttli S~rvI^U^
pete Revb. aicipeste vioaio JX6 A- m*aio
de0 iqnwir Trn es,' que 'ad d trot4ns
SsaraiAnento da- cdhnnail ad a 2-5 t sw in-
dltntvo 612, clrteiandas nae cs!eldia 1ii d4 Yam-
iea Grande da ppropriedakde dI apMOww 1rtsiieo
do Qaeiros Amaral
SS. Rvdi.s. -,I, t)mL aMi, foi p", psote
rocebido, bern aeo-pansd petis grades
oessoas dafreguozia, iepelo pwlvdqne dowUor Sas
vet,1provas irrecupaVeis de respeito e da as ym-
pathias a tAo illustrado e virtuoso seerdote6
Por duas vesee o pel^ ar eipree*ts
a tribunal sagrada. na quL illustrando-a, rev

4idArn.d, afalt-, a tdos0e fca o a o vbi&tfrei ciii-
p imento de devereas para co' De,safl-f lgrteja e
a humanidade em: geral; mstjtdo mais corn
abundant profis9ienik, na su am&ade de tao
meiindroso assumpt qut. conheedM, das
preciosas lettras evaigeliceas e da moral, asseguz
random finalimente, que is obseraddres d'etas
garantia o mesmo Denas uina veituresa existencia,
4a eternidade, etc., etc.'*
cc S. Rvdma. retirou se na tarde de 12 do eor-
rouente mez aconmpanhado, novamente, por'grande
numero de cavalleiros. Fazemos votes a Pfirovi-
dencia para que se recolha em paz' A sua fregne-
zia.
a Hontem 17, foi barbaramnente espaneada uma
infeliz mulher de vida equivdea, chamada Mkaia de
tal, quando em sua pebre casa, descanav9'1 neite
as fadigas do dia, send para lastimar que seu ii.
nocente filhinho, de mezes de idade, e que dormia
annex a sua infeliz mai, foese tamnbim victim do
faganhudo espaneador, recebendopancadas tdo for-
tes que a pobre crianca arrisca-se a morrer, caso
nilo venha em soeu auxilio algumta md caridosa !...
Ate agora nio se fez corpo de delicto, nerM so deu
a meanor previdencia, a6 passe que o fact Sepas-
sou em uma casa annexa a esta villa, dizendo-'se
mais que fOra seu author um seitenciado a 4 aamos
e 8 meses que ahi ands tranquilleo e protegidol .
o Ss. Excs. os Srs. desembargador president da
provincial e Dr. chefo de polieia attendam para
este facto heorroroso praticado em pessoas desva-
lidas afim de que se respeite a justina, a lei d a
moral public, nesta feitorisada terra.
(( Convidamos tambem ao llm. Sr. Dr. juiz de
direito da comarca para lancar suas 'vistas para o
facto que flea narrado, e par a nos preserver da
chusma de assassins e eriminosos que abundam
neste term sob a proteccao de um juiz supplente,
que a todo custom quer ser trumpho aqui. -
Chartreuse ( verde e branch) -Licoe fda
Cartucha e dos cartuchos. Feito corn muitos aro-
mas fortes, e quando 6 muito velho e na verdade
feito pelos grades que lhe deram o baptism, 6 urn
dos licores mais hygienicos. Tern pobre a sua
consciencia muito bemrn e muito mal, tern curadd
muitas indigestoes, e tern amenisado muitas horas
depois do jantar ; mas ai de mim tern feito corm-
metter muitos peccados conitra o sexto mandamen-
to. NO commercio e na maior part dos caf06s' so
vende a Chartreuse que jamais conheeen mosteird
algum de cartuchos, mas que sahiu do obscure
pandemonio de drogaistas negligentes e de po -
macotiecos birboni.
Bitter Magenbitter-Duas palavraste-
descas que significam amargo, amargo de estomago e
que servem para indicar di versos licores, que teem
verdadeiramente o character commum de serem
muito amargosos. 0 bitter d'Hollanda 6 um dos
mais famoeses e 6 urma tintura- de curagio calamo
aromatic e de pAu campeche, ao qual se ajunta
um ponce de padra hume. Outros bitter slo tin-
turas de quassia, baunilha ou d'outras raises e
pAos amargos.
0 exercielo do passeio-Um dos exer-
cicios mais deliciosos dos museulos 6 o passei6.
Comtudo, quantos imqrtaes neste baixo mundo no
passeiam jamais, pois que o trazer as pernas uma
atraz da outra, da reparticao ou da loja ao cafe e
do cafe a casa, ,-io passeiar?
Muitos nao passeiam, muitissimos passeiam mil.
Em alguns a inercia ,6 to prepotente, que so
per si occupa todo o horisonte da vida : inertes
pars pensarem e moverem-se, inertes paras decidi-
remn qualquer mudanga nos habits que adqueri-
ram casualmente ou-que oram instigados pela fa-
cil imita.o dos visinhos. Ha algumas tartaruges
humanas, tao imimigas do movimento, que 6-se
tentado a atirtr-ihes o verso do poets satyrico :

... E nro se teria movido nero mesmo pars sal-
vat' o seu pruprio pai da force.

Nas grandos cidades as distaneias de u m lugur
ao outrn serviam, st6 um certo point de contra-
veneno ao ar infecto ou a vida sedentaria ; porem
vieram os bonds e corn dous tostoes se fazem de
muito boa voutade descancar as pernas; as pernas
que nao teem jamais trabalhado !
Alguns outros dio is suns pemmas algumas ra-
coes de movimento; mas passeiam tco real, que A
qualquer d'elles se p6de dizer que camiaha
com'u'omo ehe vd, nm sa dove riesca;


Pdo ag'te riAf10, 4 11 lhiras, na rua do Irn-
perdor a:24, da bareaa MarZa Magda .
Sexta-feorac.
Pelo agenre Birkmaqti, As A11 horus, na rna
do Imperador n. 22, de predio. I
Minnsas ftebren--Serlo celebradas :
Hoje: 4 a h8oras. nHajitriz de Santo An-
torio, per alma dI Jos. August. do Rego Bar-
ros ; is 7 1/2, ni Ordem T7r6eira de S. Fran-
ciseo, per alma de Joaquimi Josi6 de Oliveira Ta-
vares ; as 7;horas, nst grja da Santa Cruz, per
alme 'de D. Anna JanuaJia Tenoria Peniche.
Amanha: Ls 8A hdras, na igreja do Car-
mo e na capuila do eogeihe P6So, da tregdezna da
Luz, pela alina ds Beim6nt. Cesar Camerird da
Cunha; As 8 hbdras n rdedp Terceira de S. Fran-
cisco, pOr alma de' Js6e'Antohio da Silva; is 8 e
1/2 horase, na matrizes da'Bes-'Vista e S. Lou-
reino da Mafta, per almo a deD. Candida Rosa de
Barros Pessoa.
Sexta-frira: is 7 'horas, na matriz do Cabo, per
alma de D. Ainna Elisa Teixeira Cavalcante.
LiteiAa da piroAicita Sexta-feira, 29
do corrente, s6eiAet ahida a loteria 66:, embe-
neficio d4a ptriz de. Quipa,pm, no consistent da
igreja de Nose Senliera di Coneeico dos Miltta-
res, onde se acharo expostW as urnas e esphe-
ras arrumadaa em ordem numerica A apreciaglo
do PIblicb.
Z.otera do'Rii de au&nelro-A loteria,
n. 34% B do Rio, de 20:0005000 sera extahida
no dia '28do correoite.
B1lhete A. vehda na Casa da Fortuna, A rua 1
de Margo n. 23.
]roteria de Macei6 Corre impreteri-
velmente no dia 15 de setembro.
Bilhetei a veida na Casa Feliz A praga da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Grande loteria e 50@ 4N0 50000-
Felsta extraordipara. lotreui serm extrahida no dia
3 de outUbropro a me vindouro.
Os bilhtes acham-se vrnda na Cas & da
Portuna, A ruIa de Marco n. 23.
Literia--A de n. 157 B, do Rio de Janeiro
ft -256:0W0#000 so -eftxahida no dia 1 de setem-
13ro.
Bilhetes A venda nas Casa da Fortuna, rua 1o
de Marco n. 23.
loteria de 2500S 0 -A loteria 157a
se6rie B, do Rio de Janeiro, corre no dia 1 de se-
bro.
Bilhete A vend a na Casa Feliz A praca da In-
depodeneia ns,.P7 e 39.
Mercado rnjW A t pnl dWe 4 .Jos' 0
movimento deste estabelecniento no dia 25 de
agosto fbi o seguninte:
Entrare para seremvendidos : 43 bois,pesan-
do 492 kilos..
No memo dia entraram pars o mesnimo es-
ikbeleeinento:
e, 223 kilos.
Sari"ha, riko c feij o, 47 1/2 cargas.
Fructas diversas, 28 ditas.
Snos, 2.
SCameiros, 2.
Pre toes da ias:
Came verde de 480 atW 400 r6is o kio.
Suino a 640 r6is o kilo.
Carneiro a 1I idem.
Fariha de 500, 400 a 280 r6is a cuia.
Mile do48, a 360 r6is.a eia.
Feo dei 15200, e 0640 rs. idem.
pormao oeepados:
61 talhos de came verde.
12 ditos dte suiho.
12 ditos de fressuras.
62 compartimentos de legumes.
38idem de farinha e coidas.
Deveter siddAmreoadada neste dia a impor-
tan-ca do 201,460.
Fol casnadastlcengaparTa o exerieio de su
profisao ao tillador Fransiseo de Paula dos San-
tos, reincidente em infiaico regulamentar .do
Menia&W Mniattpal, de,- c onforitiaad come artigo
lo da posture previsoria do 24 de setembro do
1889, embina om 0Cot darigo 15 2 2o da lei n,.
1,850- d-6 de o are &o 1879.
-Foi multedo em 105909 e suspenaso por 8 dias o
talst"r OSn=eS Damiaadqs Sautde, por inumeio
do artigo lo 20 da posture provisoria de 24 de
setlbubo do 1883.
-matlkdaro-Fonam abatidas no Matadouro
dis Gebanga, pera consoumo do dia 27 do corrente

0rnui~le'.S4.ttaqo.-Moviment. do3 pro-

EiahEamt pesos 858, entramam 3, asahram 8,
&&853% ^ai^ 5s M ac~ien^6s^l, nrnlifrero
73, ^ttfVz .- ,eoawro2.Tels85g.. -
Alinbw 310 doeates 10.


iAp lacao crime
D`Akeia-=Appeo** jahzr; appdiado Caui-
dido Rodrigei'da' Silva.
Cown vista ao Dr. curador geral e ao Sr. con-
e ire pocuradorda cor&a :
lawe -te ApAl* o civel
Appeaht Fracico Gomes Marques da Pon-
se*, appdllado Dr Dario omeibi daiSveira.
Embargo infringentes
Embargante Josquimri Francisco Ribeiro, em-
bargado Albino da Silva LeaL
DMISTRIBUIOES
Recursos eleitorae s
Ao 9r. conselheiro Queiroz Barros:
D'Areia-Reeorrente o juizo, recorrido Jos6
Beorikrdo de Oliveira.
D'Areia-Recorrente o juizo, recorrido Jos6
Freire.Barbosa.
A9 Sr. desembargador Buarque Lima:
D'Areia-Reeorrente o juizo, recorrido Jo!6
de Farias Brbosa.
Ad Sr. desembargador Toscano'Barreto:
D'Areia-Recorriente o juizo, recorrindd Joaquim
Perreira Passds.
Ao Sr. desembargador Oliveira Maciol:
D'Areia-Recorrente o juizo, recorrido Silvino
Gomes'Cerreia de Mello.
Ao Sr. desembargador Pires Ferreira:
D'Areia-Recorrente o juizo, recorrido Pedro
Antonio dos Santos.
Ao Sr. desembargador Pires Gongalves:
D'Areia-Recorrente o juizo, recorrido Dioni-
zio Duarte de Moraes.
Ao Sr. conselhieiro Freitas Henriques:
D'Areia -RBecorrente ojuizo, recorrido Joaquim
Vicento Rodrigues.
Ao Sr. conselheiro' Ariuj0 Jorge:
D'Areia-Recorrente'6 jufiz, -eionirdo Joaquim
Victorio do Nascimento.
Ag ravos de peti o
Ao Sr. conselheiro Araujo Jorge:
Do commercio do jRecife-Aggravanto Antonio
da Silva Pontes Guimarlaes, aggravado Jorge
Tasso.
A4&Sr. conselheiro Queiroz Barros:
biommereio do Reifk.--Aggravante Antonio
da Silva Pontes QGuinaxres, aggravado Jorge
Tasso.
Ao Sr. desembargador Buarque Lima:
Do juizo de orphaos d3 Recife Aggravante
Antonio dos Santos Vital, aggravados os herdci-
ros de Guilherme Jorge da Motta.
Ao Sr. desembaigador Toseao, farretW
Do civel do Recife-Aggravantes Jos6 Bernar-
do da Costa e outro, aggravado Sidronfo JoS6 do
Mello.
Aggravo de instrument
Ao Sr. desembaegador Pires Gonalves :
De Palmares Aggravante Jos6 Felicio de
Souza Guido, aggravado Gustavo Leziazeno Fur-
.ado de Mendonca.
Ao Sr. coaselheiro Freitas Henriques :
Da Escada-Aggravantes Jos6 Esnat e Alfre-
o Alves Rodrigues, aggravadod Jos6 Antonio de
Appellaqoes eivais
Ad Sr. dseim.bargelor Oiveira Maeiel:
De Macei6; -Appellanto juizo, appollada Ma-
isi Felippaq escrava de D. A-utdia Rodrigues da
Rilva.
.Ao Sr. desembargadr Pires Ferreira:
SDo Recife-Appellante a Camara Municipal,
ippellado efI & C.
SAo Sr. desembatgador Pires Gonalves:
Do Recife-Appe'lfanto Affonso de Freitas das
mg-as, appellado Joaquim- Bernardino de Castro
Rios.
Appellaao commercial
SAo Sr. desembargador Toscano Barreto:
SDe Palmares-Appelaite Dative Aatunes Cor-
*eis appellados Jos6 Pereira de Carvalho & C.
SEcerrou-se a sess o as ior s da tarde.
I IMl k i-, --ES UTEIS


vezes per semana, senido as quarta-feira o
sabbados. Esperam continuar a e-
cerem a proteglo publics, pars tSo singa-
|ar especialidade.



PUBLIC BES A PEDIDO

Nalas de estallo
(Gazeta de Noticias, da c6rto, de 14 de
agosto)
Eu sempre suppuz que aquelle Sr. Beltrio, ex-
deputado geral, era urn aboliciqnista de paper ama-
rollo como o tucano do imperial peseoo.
Suppuz isto sem conhecer o illustre parlamen-
tar das loealidades pernambucanas pura e simfles-
mente por ter lido e' sabidd a posiqAb franca que
S. Exe. assumio naquelles tempos, quando o pro,
jecto Nabuco andava engatilhado e prompt para
ser descarregado em plena camera que fugia dellIe
como o drabo foge da cruz, apparentando o sen
temor pela graciosa concessao de urgencias para
apresentacao da dita bomba em dias de ante mlo
determinados para nio haver seasso.
Acreditando isto, porem, eu engulia maior ca-
rapetao do quo se me viessem dizer que o Aposto-
lo estava atacando o Syllabus em artigo de fundo,
6u que o Sr. Malvino Reis desistira modestamen-
te de quantas cemmendas passadas, presented e
futures possue e houver de possuir.
Em todo o caso, a minha ingenuidade nao era
tanauha que fosse assim firmando uma convieao
por di ci aquella palha, sem um facto qualquer
que Ihe servisse de base oa de esteio. TAo tolo
nao era e n1b sou en.
Na sesso6 do 24 de agosto de 18800 Sr. Joa-
quim N~aibuco pedio e a camera Ihe concedeuf ur-
goncia para, na sexta-feira proxima, apreseatar
Sumrn project de lei que tern por fim a complete
extincgo da escravidio do Brasil.
A historic parecia de m&o agouro: urgencia
pedida no dia aziago do S. Bartholoameu ou de St.
Barthelemy, para um project ser apresentado,
n'uma sexta-feira, que 6 o dia em que o diabo an-
da As soltas fazendo das suas, e mesmo cousa para
arripiar os cabellos ; par isto, ou por outra qual-
quer cousa n~o houve sessao por falta de nu-
mero.
Passou-se algum tempo e no dia 30 do ji refe-
ride mez, depois de questoes de ordem na assem-
blea? o meu amigo Beltrio requereu urgencia pare
apresentar immediatamente o sobredite project
que almejava a complete extincclo da escravatu-
ra no Brasii.
Rejeitada essa urgencia, nao teve tempo o Sr.
Beltrio de deitar verbiage, illustrando-se a si'e
ao iriome, e assim nao p6de ser conaidefado Mes-
ias precursor de cousa alguma, quanto mais doa
direitos inauferiveis e absolutes do home.
Estes teitos todos davam a gente algum que
para pensar o que eu pensei do supracitado Bel-
trao. Roseso, porem, o mea maxima culpd de mios
aos peitos e compostura mistioa, vendo o men
grande error, quando tal suppunha, erro cujas tre-
vas espaneam as luzes do discurso do mesmissimo
Beltrio, no congress agricola de P rnanabcbc
come representante do Club da Lavoura de Santo
Anti.
Eis como pensa em 1883 o que pensava em
1880:
0 Sr. Bdtrao-... o senhor, alum do mal
congenito so facto, soffre em sua tortuna, em sua
seguranca, na paz domestic do sen lar, no seu
ereditob; e, na vida aventureira, em que o collo-
earn as condiges territories e policies do paiz,
v arriseadas no turbilhao de todas as paisOes que
so dispertam no peito rude da horda servil, a sua
tratiquillidade, a sua honra! (Muito bem).
E depois de econsignar o estado a que chegariam
Smiilhares de families brasileiras que tem todo o
frceto do sen trabaiho e a heran~a de seas pais, o
sen eapit, o sustnto, a cducae e o frttaro de
sets filhos em maior ou menor nunero de escra-
vos, sem que meregam por isto censura, porque
tal era o meio social que encontraram e as cir-
eumstancias do paiz lhe impunham cmo uma ner-
eessidade, e as lois c os costumes Ihes garantiamn,
o orador affirma qne, no diu iminedidto i eman-
cipaco, de chotre esta ptecueSa parte'da popu'a.
cao do imperie estari reduzida a sorte mais infe-
liz e preearia do> que a que traz hoje o proprio
escravo, e brad dolorosamente :
Ist, po r into preoccupa os imupcientes !
B~saaS Eaaa hoaeham eco em sous c-riioes !...,,
terminando c ess franqnessfranes:
Mas, senhores, aecito sem testricg~es o pro-
jecto ,do represeint!tg da b~nemorita 8oeiedade
Anxrlisdors da Agrieultnrs; e em nome do Club da
Lavoura de Santo Aao 't adhesgo ao conve-
nio d elu]be'a lalasoa^ a' d itrvieia.
( -bzsr maitd bemiiinito beni bravo s e viv-s
fto orador', quoe e~o^mriietr&
Deoi quo en Il i~d fite aslr' om qer
vonoido da muinha telt de'
BTOKplicS~ do ,perdio~pelOp 1 p6 e do?^^.I1

^^%B-a~t^^fct 1 e omo <1t~b1 ^ ^1"^/"* u 1 L' 1 *































fmUG Go major Manoel lonorao de(-1*sWEU
A. chegar a mitiva j aeha
vam o m, orManoftOBDde- & rroao, "agenro
Manoel amsrdino Vieira Cavaleai, ua Exa.
famuia. o.t#broa amigos a espera,e. e su
Exma. faiia* pars abragar o a0igo 44icao e de
todos os rtomentos; detiado uka vaco imprnu
*ivo1 pwar. aqueUes^He'o..ftemrn et.
Na ooeajt do almoo tforamn a os diver-
sos :brjads ao Sr. Dr. Ualdas tto e sua
Exmrn. =fmUia; nests occassio S. 8. iz-se ouvir
corn aquellapalhvrafacil e sinpra de que 6 dotado
e que-Aeoahia (HBo digo doslabios porque seria
-uegar a yerdade) o asim do eoragko o 1qu 4 via-as
4qjuej|_am Oa*|Va8ao4. umcorage uincero e puro
-jpmoA o: 4e &E8.
L e 4 ;hom -40 $ fixervido unigatio jaitar
46 ai ailnda novos brindes toranmevainaitads aSr.
Dr. Caldas Barretto e a sua Exma. familia ; dee-
tacando-se entire elles urn que foilevantado polo
Sr. major Mauoel Honorato, ao Sr. Dr. Galdas Bar-
retto e, sua Emarns.. familia.
Este bride pela maneira porque foi feito 6 de
uma s oignificavao extraordinaria e nao podia passer
desapercebido; o Sr. major ao fazer este bhrinde
commoveu a todosos os preseftes tanto pelas pala-
vras sentimentaes por ellie pronunciadas eomo
polas lagrimas que vertia pois, parecia or mais
-a separa.o de um pai para corn umn filho extre-
moso do qu6 de dous amigos que se estimam e que
'depois de, muito tempo so separam. 0 Sr. Dr.
CalJas Barretto nio tinha palavras pars agrade-
cer a este brinde; a palavra f&il de que 6 dotado
S. S. naquelle memento tornava-se um impossivel,
S. S. ficou mudo e silencioso diante de urma prova
de tanta amizade e em vao procurava na sua vas-
tissima intelligencia e nos seus vastos conheci-
mentos, palavras e phrases e nao -as encontrava;
S. S. agradeeeu corn as unicas e as verdadeiras pa-
Iavras para estas occasioes e que exprimem mais
do que as pronunciadas e estas foram as lagri-
8as.
No outro dia As 6 horas da manhi S. S. sua
Vxma. familiar e mais alguns amigos que s6 pre-
tendiam dizer o ultimo adeus nesta cidade o acom-
.pauharam.
Ao chegar S. S. na villa de Gamelleira foi em
companhia do filho do Exm. Sr. Bargo de Aragagy
hospedarcm-se em casa do Sr. Jolo B. da Rocha
Baixa Lins onde almocaram; o Sr. Dr. Caldas
Barretto agradeceu ao Sr. Baixa Lins e sua Exma.
familia o born acolhimento corn que o recebe-
ram.
Approximando-se a hori do trem dirigiram-se
para a estate o corn os amigos que ainda o acom-
panhavam ahi tomaram o trem e vieram para esta
cidade indo hospedarem-se durante os 8 dias que
aqui estiveram em casa do Exm. Sr. Bargo de
Aracagy de quern e um dos mais dedicados e sin-
ceros amigo.
No dia 23 foi S. S. e bua Exma. familiar acorn-
panhados at6 a bordo por diversos amigos que fo-
ram dar o ultimo abrago de despedida.
Que bons ventos os conduzam ao porto de seu
destine e que a sua Exma. senhora se restabelega
o mais breve possivel, afim de S. S. voltar para o
0io dos amigos que o estimam e o apreciam.
Recife, 26 de agoato do 1884.
F. C.

N ogio Plaos Barroto ao0Dbli0co d
Sob o titulo -Caso grave-o Jornal do Recife,
de 23 do corrente, noticia que o individuo Antonio
Agostinho de S. Anna, moraloi no engenho Tim-
b6, fora por mim gravemente ferido.
Tal noticia 6 urn aleive, uma falsidade que s6-
mente podia partir de algurn ex-suicida, despido
de character e que assim procede, na realisagao de
algum piano occulto.
0 que occorreu, foi o seguinte:
Sant'Anna trabalhava, como carpina, na fabri-
ea1 o de dormentes parsa a estrada de ferro de Ca-
ruaru; e, como nao os fizesse regularmente, foi
despedido por mirm, que auxilio em tal serving ;
ao respectivo fornecedor-Francisco Theophilo da
Roeha Bezerra.
Tanto bastou para que Sant'Anna se inimisas-
se commigo' porque nao o conservei em o traba-
Iho, para o qual se mostrAra inhabil.
Hornem violent, em umrn dos dias deste mez foi
a venda do italiano Raphael, em Maricota e alli,
entrando para dentro do balcao, taes cousas pra-
ticou, que obrigou o pobre vendelhbo a occultar-
se para nao ser victim de algum desatino.
No dia 19 do corrente, Sant'Anna, depois de ha-
ver-mne procurado, no lugar onde eu estava tra-
balhando, dirigio-se a venda de Pedro Alpiniano I
Marinho Palcao e comecou a insultar ao donor do
estabelecimento e as mais pessoas presents, em o a
nurnero superior a 20, acerescentando que nao
pagaria o que devia a Alpiniano, que em Timb6, t
s6 havia ladroes, e outros insultos semelhantes.

cIt irI


EF_


Iernamwucuno todo o 0 ebotoi enro ep o ae
laes^o co- mu.+ e or.. .,--1* ''- ...... : *::^

a IOU&afar 0 oSOO .
Declaro que do iHoI j& or parts desteo*1uib,
Pretondo vir & imppe* 4iarar o motive quo
levou-me a tomar eata resoluago. Recife, 26 de
agosto de 1L84.
Deald-de, sAoida Maia.


Va *u-*was i.#rsn .
Ilm. Sr. Antonio Peris 4- Cunha.-Em honra
de sea inventor e corn especialidade a benafl(o da
humanidade pego-lhe fIga conhecido mais o se-
guinte :
Attedatoque tendo soffrido eu de meletia de pole
e minha mulher a 16 annos de ereaipela, fizemos
uzo do Cajurubeba; esta estA completamente res-
tabelecida, e eu que me acho nas mesrnas eondig5es
restandoapenas urmsa sarna n'urna as pers.
E' paois hum poderossimo remedio o Cajurubeba
de que. muito aproveita a humanidade, pois sao
serm numero os cases approvados nestsa freguezia.
E sou come estima, de V. amigo attencioso ve-
nerador e criado.
Villa de Serinhaem, ,20 de Agosto de 1884.
Januario Gonalves Ferreira Pcixoto.
Reconhego verdadeira assignatura supra.
Recife, 25 de agosto de 1884.
Em testemnunho de verdade, o tabelilo public.
-Jose Bonifacio dos Santos Mergultgo.
Cluft Aoilcioa

Do ordem do Sr. Dr. president, con-
vido a todos os membros das sociedades
abolieionistas desta cidade, a compare-
cerem A sessao cxtraordinaria deste Culb,
que terA lugar domingo 31 do corrente, As
11 horas do dia, na s6de da Sociedade
Nova Emancipadora, para tratar-se da
attitude que devem tomar os abolieionis-
tas na eleiggo geral, s6 tendo a palavra a-
quelles que so inscreverem atW a vespera
desse dia na secretaria do club, rua da
Matriz n. 44, segundo andar.
Secretaria do Club Abolicionista, Reci-
fe, 26 de agosto de 1884,
Antonio Faria,
V secretario.


1)enlista
Jos6 Basilisco da Silva Santos, cirurgiAo
dentist e pharmaceutico pela Faculdade
de Medicine do Rio de Janeiro, participa
ao publieo e especialmente aos seus ami-
gos que abrio o sea gabinete na rua do
Visconde de Albuquerque (outr'ora rua da
Matriz da Boa-Vista) n. 24, onde pode ser
procurado para qualquer trabalho relative
A arte dentaria das 9 as 4 horas.


Aviso

D. Clementina Theodora da
Silva, viuva do commendador .a.
noel Gonpales da Silva, tend se
tornado cessionaria de lodos os
credits de seu finado filho, o


CIO
ro r ^ial, ^lPSu 4a


J.


mente montado e

: .. ..s. m a.i .1 ;

gthorn iaft-illBf., n aa nimm
Ihorese egaew e-+

tos desse genero da

principals capitaes

d'Europa.
Recebe por todos
os vapores products

simples, chimicos e
preparados pharma-
ceuticos, dos melho-
res, mais conheoidos,
e acreditados fabri-
cantes d'Europa; pelo
que se acha habilita-

dos a fazeruma reduc-


Rao sensltvel nos pro-
gos ja conhecidos. Fa-
zem tambem sciente
que sao depositarios

dos medicamentos do-
simetricos do doutor

Bourgraeve, S e d litz
chanteaud, cha preto
de Hornunan e das

perfumarias de Gos-
nell.


~I~mae~umeIa


Aizidd lt4ca sl t4 nJa to'eOas urn obul1,
pobro vO iftbeeeo doteuad a. 51.


SDr. ettenieourt
SOperaies, fistulas, vias urinarias, mo-
Sleotias de senhoras e criauas. Estreita-
mentos da urethra tratadim pela'dekcto-
lysesem dor. Affbee depoHele eSy.
philis. Molestias do-peito e dagarga t..
Embalsamamentos. Marquez dcOlinda
D 84;das1l2As3.

YB llTkLIHi IIPER LL

Remiedlo Infallivel contra mor-
deduras de cobras e outros
lnseetos venenosos
AUTORISADO PELO GOVERNOR IMPERIAL
COM A APPROVA9XO DA EXMA. JUNTA CEN-
TRAL DE HYGIENE PUBLIC,
E PREPARADO SEGUNDO A FOrPMULA
ESPECIAL DO SEU INVENTOR
Emigdio Antonio Iaehado
NMo se contar umn s6 case perdido toda
vez que so observe a direc$go para o
uso do medicamento, que 6 facilcmo, on-
forme o libreto que acompanha o vidro'
A sua applicaglo 6 internal e externamen-
to, acha-se ao alance de todos o nao offo-
rece perigo algum.
Unco depoito nesta cidade -

Rua do Bispo Sardlnha, 20, 1.0 andar.

MOINHOS EXCELSIOR, para moer qualquer
material prima, caf6 torrado, milho, etc.
" ARTI(OS DE FERRO FUNDIDO ENDU-
RECIDO, como rodas para carros de caminho de
ferro de toda especie, cylindros, peas de machi-
nismo, trilhos e cruzamentos, simples e de patente.
REGULADORES COSINUS para machines a
vapor.
MACHINES PARA QUEBRAR PEDRAS.
CRIVA(OES DE PATENTE e muitos outros
artigos de ferro batido, fundido e endurecido.
H. Gruson
Buekau-Magdeburg
T'H-KG. JrTYsT
17--- CORPO SANTO- -17
Unleo agente


EDITAES


Esta limpeza per fat a e, ss da nu*e1i-
palidade nos qutaes, das caisas habudaa jpok
pesos unieamqt8 pores.
Art. 15. Niaguem podera langar das jauellas e
varandas agua nas ruas; os insaetores pagaro
a multade. 10:000. ,
ArtL 5j. JD'oskaem diante a6mente 6 pernittido
ter cavallit eL : a4uguel em eaass espa"oas,
Jadrilhada.e cjas frdn2 tesham mas de 20
palmos, coin canos de eagotouaPIT i...
dos, largo lageado te do pofadoque ja .fT
pela agua do mar ou rioimtodaas m hres Aeia
ou sumidoro corn 2 palmos de guas iaturanlmte ;
nio podendo admittir-se nas cavallariwss seaio um
numero de cavallos, proporcionado ao espao, e
havendo o alojamento para ecada um cavallo ter 1
metro e 10 centimetres de largura.
Os sumidores series fechados em abobadas e nio
receberlo as aguas das chuvas.
Art. 55. Os alojamentos serao limpos a vas-
sonra, ao menos duas vezes per dia e diariamente
serbo tiradas as varreduras depesitadas.
Art. 566. Para factura dos canes ou sumidouros
e mais arranjos necessarios nas cavallaricas exis-


tents, que estivessem eollocados ema predios com
as condiC5es do art. lo 1 marcado o praso improro-
gavel de 2 mezes.
Art. 57. 0 alojamento para 1 atI 4 cavallos de
uso particular poderA ser contiguo A habita9ao,
observadas (no que for applicavel as disposi95es
dos artigos antecedents!
Art. 201. Os portos de embarque sa econservario
limpos e sem embargo que encommode a concur-
rencia das pessoas que se destinarem aos embar-
ques, sob pena de pagar o administrator ou capa-
taz do port a multa de 2X000.
Art. 3o Ninguem poderA deitar nas ruas cisco e
objects sem serventia, nem eousa alguma, que
prejndique o aceio e limpeza das mesmas.
Art. 4 Os proprietaries ou moradores, nas por-
tas ou frente de cujas casas for encontrado qual-
quer object d'essa qualidade serio multados em
10A000 e no dobromna reincidencia.
Pago da Camara Municipal do Recife, 23 de
agosto de 1884.
Tos Candido de Moraes,
President.
Leoncio Quintino de Castro Leao,
Amanuense servindo de secretario.
Edital n.11
Primeira praca
De ordem do IIm. Sr. inspector, se fasz public
que as 11 horas do dia 29 do corrente mez, serao
vendidas em leillo, no trapiche Conceiao, as
mercadopias abaixe declaradas :
Armazem n. 7
Marca M, 1 sacco vindo de Hamburgo no navio
allemao Ane Catherine entrado em julhn ultimo,
contend 2 kilogrammas de corticas ou rolhas,
abandonados aos direitos por Macedo Lopes &
Coinpanhia.
Marca M, 1 caixa idem idem idem, contend 37
kilogrammas, peso liquid legal, de rolhas de vi-
dro, idem idem.
Terceira secclo da Alfandega de Pernambu-
co, 26 de agosto de 1884.
0 chefe,
Cicero Brasileiro de Mello.
Secretaria da Presidencia de Pernambuco em 25
de agosto de 1884.
2.a seecao.-Por esta secretaria se faz public,
de conformidade corn o art. 11 do decreto n. 817
de 30 de agosto de 1851, o edital abaixo trans-
cripto, pondo em concurso corn o prazo de 60 dias,
os officious de contador e partidor da comarca de
Iguarassud.


m ate


Quinta-reira 29 do qonr ntb a peiod*'
-trop #iehado wA um trabalo <
m 5., eobre, usia cart, 4,
ltre 1iShro iaN*, ripta de Pari
18S9, dp4ssoa quekfigurou aoAvameste na plit Z
d la poca.
eeretaria do Instituto, 27 de agostode 84. L
o Ia iecretaxio,
Baptista, :g v

Juizodeausetes
Proc ndo-se por este juizo a arreeadgo I
espolo&4.auciiesMarting deAniorim, faUel'
do a;-.iutestdo esto cidade, e sem herdeiro. s O
nhecidos, s, nelo0 Pwesente e por despaceho &d
ilm. Sr. Dr.jisz deo sentes, a requerimento d&
Dr. curador geral de ausentes, Chamado0 os her.
deiros successores do mesmo finado, e todos Ox
que direito teirham A sua heranca, a virem habi-
litar-se na f6rma do art. 32 do regulamento n-.
2433 de 15 de junho de 1859. Recife, 30 de julho
de 1884.-O0 escrivao,
Luiz da Veiga Pessoa.
CLUB CEARA'
LIVRN
De ordem da pre-
sidencia deste club,
fajo sciente que, ate o,


dia 10 do mez


tembro,


de


os escravos


que, para sua liberta- j
iao precisarem so- w

mente da quantia de '

504000, podem-se diy r
rigir ao thesoureiro

do Club, na rua da
Imperatriz n. 84.

0 1 scretario,
Fernando de Castro,'.

A Camara Municipal do Recife taz constar, lj
polo present que em virtude da plants levantada. -
polo seu engenheiro e approvada polo Exm. SS. o
president da provincia, fica restabelecida a an- --!
tiga esfrada do Luca, quo vai em paralello a nova
do CaxangA, corn a denomina Ao de estrada do i
Bongy, pela qual devero ser feito o transit pu- i
blico
E pars que chegue ao conhecimento de todos .!
dita resoluugo se mandou lavrar o present edital ...
que sera publicado pela imprensa.
Pa~o da Camara Municipal, do Recife, 9 de o
agosto de 1884.
Jos6 Candido de Moraes, :
President. i
Pedro Gaudiano de Ratis e Silva ,
Secretario. .


rl


se.



































27 DE AGOS- T6 -O.1884
t: 1.; recita dasss deprku a
Primeira represenitaglo do applaudidissimo drama em 4 actos oir%
-PINHEIRO CHAGAS '



-Rma que os principles papeis s-io confiados a distinct actriz

SEMILIA ADELAIDE


ALVARO FERREIRA


Bonds para todas as ln'xos e trem at6 Apipucos.
Bilhetcs no escripto do Theatro.
Cometara as 8 horas


AXVISO AO PUBLIC
A companhia EMILIA ADELAIDE


, em -Vista do pouco tempo de que dispoe
A u ._


i razao da maior parte dos


em


seus artists terem


que se retirar pasa Lisb6a, a fim de cumprirem
seus contratos nos differences theatres d'a-


quella cidade, s6 dara 6 espectaculos, corn
melhliores dramas do seu repertorio.


COAPA'fIA A AMPHITRITE
de
Rolun'sO imaritimIo 0 tulo toro
N. 9--Praca po Corpo Santo-N. 9
iNDE IIMSADORA
Toma esaasro% anariti2nos e contra
FOGO.I
LARGO DO CORPO SANTO
aOIVPANIIA BE 811111R08
CONTUIA FOGO
North British & Mercantile
CAPITAL
2:000,000 de libras sterlinas
A GENTES
Admson iowie & C.
RUA DO COMMERCIO N. 3.


SE cUROS
MARITIMOS CONTRA FOGO
Companhia Phenix Per-
nambucana
Rua do Commercio n. 34.


OS


se far A pagamento no Arsenal de Guerra ais cos-
tureiras de pegas de fardamento do nesmo Arse-
nal, relativamente a primeira quinzena deste mez.
Thesouraria de Fazenda de Pernambuco, 25
agosto de 1884.-0O secretario da junta,
F. A. de Oliveira e Silva.

NoN Mtasical 28 de ogetefmbr
De ordem do Sr. president convido os Srs. so-
cios a comparecerem na ssde social, quarta-feira
27 do corrente, as 6 horas da tarde, para em as-
3emblea geral, tractar-se de assumptos urgentes.
Recife, 23 de agosto de 1884.
0 1" secretario interinc,
F. Vieira.
VENERAVEL IRMANDADE
DE
SantA'nna daigreja da Santa Cruz
De ordem da mesa regedora, convido a todos os
nossos irmaos A comparecerem em nosso consisto-
rio quarta-feira 27 do corrente, pelas 6 horas da
tarde, afirm de reunidos em mesa geral, proceder-
se a eleiclo do secretario da future mesa regede-
ra, visto ter fallecido o irmlo eleito.
Consistorio da irmandade de Sant'Anna da
Santa Cruz, em 24 de agosto de 1884.
0 aecretario,
Antonio Alves Vilella.
The New London and BraslHan
Bank Limited
Rua do Commerci n. 32
Sacca por todos os vapores sobre as cai-
1 3 > I- T _1 -I


xas UU JJoi iW aiuu em it -ortugai, seoUUU
Sem Lisboa, rua dos -Capellistas n. 75. oN
CONTRA FOGO Po, rtorua dos Inglezee

The Liverpool & London & Glob ARITIMOS

INSURANCE COMPANY United- es as ail8s.8 C.
AGENTS 0OVAPOR
bhnnmdo lbpnthnpq.l n Advance -


UUIIUUL UJIULIululIUl U.
l--CORPO &-ANTO.--11








EXIIANIIIA BRIS'
CONITRA

| 1 '' '"
K )


% Espera-se deeNew-Port:News
at o disa12 dsetemire La-
guindo depois dademora no-
sarisalura ,

]aWia e Rio de Janero
Pelos vapor dest eompa"uia dao-ae ppuss-
ma para L-verpoolsao preco de donlAtra; o
adem ewYork tea a
stia a pmsapgensundo Iheolp--,
mover por vaporeade la ordem. -
ft^ f VsINm ^ wl~ vlrI
=U-el B^sm of ^;


IINHA MENSSAL
O paquete
Gironde
Commandante Jacques
Espera-se da Eu-
rops atW odia 4.de
soetembro, segum-
do depois da do-
mrarsdo costu-
me para Buenos-


Ayres, tocando na
Bahia, Rio de Janeiro e Monte-
tevidto
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta agen-
cia, que podem tomar em qualquer tempo.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete: tracta-se corn o
AGENT
Auguste Labille
9-RUA DO COMMERCIO -9

Para Lisboa
Pataeho portuguez
Fratermnidade )
Recebe carga a frete medico : a tratar corn
Amorim Irmaos & C.
Conipanhia Braslleira de Nave-
gapio a Vapor
PORTOS DO SUL
0 vapor
Espirito-Santo
Commandante Jouo Maria Pessoa
E' esperadodos-portosdo nor-,
tte at o dia 2 de setembro e
seguiri depois da demork
do costume para os portosde
faul.
Recebe tambem carga pars Santos oe Rio Grm
de, frtee medico.
Para carga, passagens, eneommeudam e valores,
tracta-se na agencia
46 RUDO A COMIIMERCIO 46


?aeific Steam Navigation Compqai
STRAITS OF MAGELLAN LINE
0 vapor
Cordillera
Espera-se daEu-
ropa at6 o dia 31
de- agosto e segmi-
ri para o sul de-
pois da deinora do
costume.
Para carga, passagens, encommendas e dinheiro
afrete: tracta-se comes
Consignatarios
Wilson sons oa C., Limited
N. 14-RUA DO COMMERCtIO-N. 14
0 vapor
Galicia.
,q it Espera-,se, dos. postos
~do~sul at~to-dia28 do
avgooto, seguikdo, para,
a.roadepois da de-
roe costume.

Para cars, passagens, enomendaa e dinheiro
a free; traeta-se eomos
Conaigiatarios
Wlson Sos d
N 14-." Th)O*xR.i...114


I


i INTE TrhqAO DO AENTE

hSN

De bons moves, classes e baneos pars es-
cripta, objects de ouro e prata
Se do:
u1.a important cama franceza de jacaranda,
cupola e coruinados, 1 toilette e suas pertengas, 1
sofaul de jacaranda, 1 solid mesa elastic de qua-
tro taboas, 1 bonito aparador com tampo de pedra
marmpre, 1 cadeira para descango, 1 perfeita ma-
china de costura e banca, 4 classes de amarello
para scripta e 5 bancos de palhinha, 18 cadeiras
de amirello, 1 terno de bandejas, 1 relogio de pa-
rede, 10 quadros pretos, 10 ditos de urnarello, 3
cabide 1 candieiro de 3 bragos, 2 badus de fo-
lha, 4 cistigaes de vidro, 1 trinchante corn cabo
de marfin, louga, galheteira, 1 tacho de cobre e 4
arrafas pars vinho.
Um rdogio de ouro rcmontoir, 1 cadeia para
relogio,. 1 pulseira de ouro, 1 annellao, diversos
anneis, bricos e argolhes.'
Colheres de prata para s6pa, ditas pars cha,
salva, paliieiro, casticies, tesoura e bandeja, 1
bolsaparadinheiro, tudo de prata, 1 apparelho
de clectro-plate pars ehA.
nn a-foil ir '28, do colr nto
A's 11 horas
No segundn andar do- o obwade a -do Cabug
1 "' n ^ U.; 1 : "
O gentlee Martins, competintemente autorisa do
far& 'leilAo dos moves, oura e prata acima des-
criptcls, e se acham muito bern conservados.

Agent Burlaimaqui

Leilao
De mnoveis, vidros e de urnm ea-
briolet amerleano de quatro
Woas e arrelos.
S nta-ftira, Oftr (Inipit

A's! H horas em onto
No 22. andar do sobrado A rua -Duque de
Caxias n. 6, outr'ora runa das Cruzes
0 agent acima autorisado per urma familiha
que vai residir no Rio de Janeiro, levara a leillo
uma mobilia de iacarandA corn tampo de pedra, e
complete, uma dita, dita de junco complete, espe-
jhos, guarda-roupa, guarda-loua,- mesa elastic,
cdeiras, eamas, meaOs, cadeihas avulsas, appara-
dores, e miitos ouqtros artigos que serlo tra-sper-
tados de ,Oinda par oOdito ssobrado acims men-
cionado, onde espera o mesmo agents os- Srs. prq-
ende s. "t .
,4gente ,Pestana


l'-30 eaixasceom cerveja allem' mares Ger-
man Pdle Alle. .
SDe 10 eaixas corn 9rveja marca Lager Bier.
-2 fard Qg deg -o. 7h "do joaroie, eaix5ea
cow, phosphws p6 do vidri, caixas corn superior
y*4 do Porto, m4 eIk4 tahineald m *A


ATi i0
I`4 7''
^'aorta dS^


. Alnest0


0 agent acima, legalmente autorisado levara a
leilL)Ja important prepriedade e grande olaria,
eitadem rendimento f sblos, e' na da venei-
mento as encommendas -.que tern, p er era c
no lugar Floresta, 'na d A; Ga4etpp n. 28, etra-
da do S. Sebasti&o eim ohida. -
Os Srs. preteu A6tes desde jA podarlo
entender-se cornm o mesmo agonte, quao dar-
lhes-ha a explicagio necessaria.,

Leil o
Da armavao, mercadorias, utencilios e dividas
activas da loja de ferragens sita a rua Duque ;de
Caxias n. 111, pertencentes a massa fallida. de
Mala, Ramos & Santos, sondo as.dividas no valor
de 40:0001000 e as mercadorias ivaliadas em...
7:3471651.
Sabbado 30 de agosto
A'S 11 HORAS
O0 agent Gusmnao autorisado por mando do Exm.
S1. Dr. juiz de direito do commercio fara leildo
corn assistencia do mesmojuiz, a rcquerimento do
Dr. curador fiscal, c depositaries da massa sacima
menccionada das mercadorias e dividas acima re-
feridas.
Podendo os pretendentes examinarem as rela-
coes das dividas e mercadorias que se acham em
hoder do agent.

AVISOS DIVERSOS


Ainga-se-uma- griae"sca-e cm Santo Ama-
ro, rua Lembrana do Qomes n. 4, muito fresea
corn grande sotao, corn dous grande qnifitae"
murados e corn boa penna d'agua : a tratar na
rua da Imperatriz n. 32, segundo andar
Aluga se a casa do pateo de S. Pedro, em
Olinda a. 2, corn agua a gaz, quintal murado e
arborisado de sapoteiras, sisterna, e commodos
pars grande familiar : a tratar no Cammho Novo
n. 128. Na mesma -easa se dirA quem vende a
easa da rua do Carmo n. 2, e urna part da casa
Srua da Imperatriz, lugar de ecommercio, que esta
sempre alugado.
Cactand Ciriacoda Cost ,Moreira & r. mu-
daram o seu c etabelecimento de massames do ar-
mazem n. 13 do largo do Corpo Santo, para o de
n. 7 da runa do Vigario.

dice Alphabetico eRes

versivo
Da lei da Beformia ypothecal
ri' e respective regulamento
p~I~baearel

-L1JI DE ALBllQllIR. JE lInR


Natural do.Recife e juiz de
dhreto da coifarca de Alcantara
no Iranhio.

Ksta"l no ,- e sahir* bbm


Usipoae noea.polh pio dot

'U I-
Dario e no.-~ damFldo Iorle*.
V'"S^*^'-S~ ''10 A t _M ;-'1 '1 .5:-"** *'i i'*


0 alaixo assiguado acaba do vender
am seus felizes bilhetes quatro quartos
de n. 3,024 corn sorte de 200C09, e
diversos premios de 324000, 16# a 8#000.
O mesmo abaixo assignado wonvida aos
poasuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem desconto algum. -
Acham-se A venda os felizea bilhetes
garanmtidos da 2.- part das loteriaa a
beaeflcio da matriz do Quipapa (66.a), que
se extrahira& na aexta-feira, 29 do corrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
gim pornio
Inteiro
Meio
Quarto


4#000
W#ooo
2#000
1#000
de 100o000 para
elma
3#500
18750
6875


Jo& Jfaquim da Costa Leite.

AVENTURQ&Xi


Aos4:000$000

BILIT ARGANTIUOS
16-Rua do Cabuga-16
0 abaixo assignado vendeu nos seus
venturosos bilhetes garantidos os premiou
eg'.iintes: 1 me.io comn a sort de 1004
no -." 226, al'm de outras mais de 32#,
16# e 8, da lotcria n. 65.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem desconto algum.
Acham-se A venda os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 66 em beneficio
da matriz de Quipapa quo se extrahirA
sexta-feira, 29 do corrente.
PIECOS
Intefro 4A:000
Melo 2:000
Quarto 1:000
Sendo quantildade superior
a 100:000
Inteiro 3:500
Heio 1:750
Quarto ,92
Joaquhn Pires da Silva.


gAA F LELIZ
AOS 4:000000
BILIETEK GARANTIDOM
Praa da Independen-
cia ns. 37 e 39


S0 abaixo assignado vendcu entree c %eo g
elizes bilbetes garatiHos a sorle de 8Uo#
em, 2 meios. ns. 3806, a do 100#..em
1 iiteiro ns. 3754, al6m de outras sor-
tes d632#16#e80.
Convida oipossuidores a virem receber
serm desconto a.lgumn.
0. abaixo assignado tern exposto
venda os seus felizes bilhetes garantidos d-a
loteria 66a a betieficio da matriz deQui-
papa, qUeo Be extrahirA sexta-feira, 29 dao
corrente:
Preeos
Bifiete iateWiro. 400

N tpo ~do it oJoo I para
||{|^g 'elm"
illllllit^^^^^^ [.:i* 147-00.tS
^-LS-i'^^'^'^^^lCT^^^*C oz''^ ^ -''" r"-' ., *r~~e


raw vywyw.^^^



'\ i:". 1*, ,;' .SO.-'^ ^
b~o ^ -^,1r -


fy'Sf



















A DamarwS Manicipal dia X4 ad liftds Cole
'brar a1guu~m islsas por aim de 4e u
mjor Joo Manoel, no di1a19dse ti jI
...o de seau infausto passamento, na tzt, ,4
1O hora. da manh I e ara asslter a ease
tct, conid a mesmn ainaars., 06 puwe*u a
m d 6 g don ado
D. Cawdlsi fe U ms
'.. IPe~lllao :
Felinto do Rego Barros Pessoa e ses filbos,
tendo de mandir celebrar missas por alma de ana
presada mulher e mli, no dia 28 do corrente, se-
timo de seu fallecimento, pedem aos seus parents
e amigos para assistirem a ew e acto de oaridade
e relgio, que terA lugar nas matrizes da Boa
Vista e S. Lourengo da Matta. as 8 1/2 horas da
manhl ; pelo que muito agradecidos ficario do
memo, que reconhecidos, se confessam agora a
todos aquelles que se dignaram aeompanhal-a uo
cemiterio.


Jo06 Antonio da tlIva
D. Carolina Maria de Almeida Nogueira, coma-
dre do finado Jose Antonio da. Sila, fallecido em
Portugal, manda celebrar no dia 28 do eorrente
mez trigesimo do passamento do- mesmo, As 8
horas da manh_, algumas missas pelo seu cterno


[ nhas e cam co~larhinhs e "PSjiA ht
/ decade n. 36 A 4& ::: +:: :: l :++ :+
Camisas paua momuos des& a. 281&-35; gem
laxinhos, de a. 32 95. .
Camisas, saias, penteadores, ealas, goll0s e
nhos para senhora.
Gravatas, grande variedade.
Meias cruai, braneas, de cores e pretax.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, boloas, v]
dilhos, brings brancos e de cores, luvas, pei
mariais, etc., etc.
AM.


Papoula. l .
18 lna do CabiA i9
Em frente a matrix de Santo Antonio

Bilhares
Vende-se ou aluga-se douis bilhares francezses
corn todas as suas pertengas : a tratar na rua
Duque de Caxias n. 8.
Precia-se de ufn empregado para servigo
bracal : na rua do Araglo n. 37.


repouso, na ordem terceira de S. Fnaneisej. Con- 0
vida, pois, os parents e amigos para assistirem a Para negoeioU
este aeto de piedade, o que desde jA Ihes agra. Aluga-se a loja do -sobrado n. 33 ruma do
dece. Ma-quez do Herval, com ura boa armao pro-
pnia para qualquer estabelecimento de molhados
Alugam-se as casas da rua da Amizade ou outro mister : a tratar na rua larga do Rosa-
(Capunga) ns. 28 e 32 ; as de ns. 20 e 5 Bas rio n. 34, botica.
travessas do Corpo Santo e da Pyndoba (Recife) :
a tratar na rua da Afegria n. 42.
....r.-.I i a ItsaIBN lh.


,,It A-,,AW, qJ:'U-
de Barry,
Innnte-sQt' cnz
9,~ 1.IZVc reSe ~e r o,
i/i. B E L L 0
aihda. inesino I ;.s ei-n ico
mals czlvas, beni ccznio- -io
Scura radicahiser.
Sa TI,:HA o a a ASPA.
Positianiante impede+ a
n net e o ernrVqneuinto
Sdo CA3EoLL0 o rm tedc. os ca-
sos o torna invariavethnentA
*M' co., Maci, L-,iliante, Fo'emczo a
i Abunaanta
r Ein uio hamais d.icpitentanrnnos
N e ten) n'ic r Xvflt;'. (11Iio ii huxi
.j out-'ir, parado 1 uLavcabcllo ctin
toui niundo.
Agua Florida
(j8^ de Barry.
DUPLA.
-'!'' rom .rsda segur-to a foriula"
4,1,,, c. nia!nalusada pclo inventor no
aW:o de 1529.
Tomen d.as vezes mais Fragrancia
que tua'qucr oLUtra.
Dura dc.t v._zes nais tempo.
E'muito tn,'i3 rica doe perfume e
mais cuave.
E'V uito rnai t nna o DcI~cnda.
Tern dobrada forca Refrescativa e
Tonica ro i t.o.
Fortaiecc ao Eebile no Concado.
Cur3 as Doros de cabeca e os des-.
mrnaioeC.
E'rnuitii-mo r.uperior a todas as
OUtkis l ,Aguas F oiridas Actual-
men to a a r c:a.
D e-ccbcrta -f Imp0tauatiSSiama
Pur B3 Figado L
B Dy 1TO D E F.FE O.I
DE
Barciay & Companhia.1





era rdicalme"nte e comsegurar.a os scores caen"
die Phthiicn,. Escrofilas, Rhenmtismo, r.s doc'>,i(s.
da Espinha Dorsal, dos Qiiadris e dos Ossos, as in-
llammnnaycs do Fiiado. do Ba, o e do Utero, etc., etc.,
c restituie o corpo enfracinecido e fatig.do o .cu pri-
ioitivo vigor arredoadado dos contornos. E' certa-
iaente unita grande ciescoberta o Puro Oleco deo
Aiado do BIcanhtao tosa lodureto de I
Forro-do Parelay & Ca., New York. 4
Xerope do Vidalj
de Beuter No. 1.


DE





Este remedio precioso tern gozado da acceita-
94o public durante cincoenta e sete annos, com-
egando-se a sua manufacture e venda em 1827.
Sua popularidade e venda nunca fordo tdo exten-
sas como ao present; e isto, por si mesmo,
offerece a melhor prova da sua efficacia maravil-
hosa.
Ndo hesitamos a dizer que nao tern deixado
cm caso algum de extirpar os vermes, quer em
creangas quer em adults, que se acharlo afflic-
tos destes inimigos da vida humana.
Nao deixamos de receber constantemente
attesta$6es de medicos em favor da sua efficacia
admiraveL A causa do success obtido por este
remedio, tern apparecido varias falsificag5es, de
sorte que deve o comprador ter muito cuidado,
examinando b nome inteiro, quo devia ser
y11iii oad B.A. FAHINESTOC .


o0i Emiaaraa ims. famillau
Fazendas brancas
Na loja dos barateiros
da Boa-Vista
4O-Rua da Imperatriz -43
VENDE-SE
Madapolao, pe-as de madapolao francez
enfestado corn 12 jardas a 300t
Dito muito largo corn 20 varas a 4 ,000 e 5A00(
Dito, fazenda muito encorpada que pa-
reee cretone, corn 20 varas a 5500,
6000e 6;50(
Dito francez, americano, fazenda muito
fiaa e encorpada de 7& atW 12A(XW
Algodao enfestado corn m9 palmos de lar-
gura para razer len(,6es de um s6o pan-
no, metro a
Dito trancado corn a mesma larguara,
proprio para len6es e toalhas do
mesa, metro a 1520W
Bramante de algodilo corn 10 palmos de
largura, proprio para fazer lenV6es de
um so panno, rnetro 128(-
Dito francez, send de llnho, metro a
158000 e -OW
Dito inglez de quatro larguras, sendo
de linho, metro a 26500 e 2,800
Lreguellas proprias para len6,es, to-
lhas, ceroulas, sendo fazenda muito
encorpada, cada pea corn 20 varaa
per 10800 e em vara a 50(
Dit&s corn a mesa media a 800 re., ou
vara a 401
Ato&lhado adamascado para toalhas de
mesa, tendo 8 palmos do largura, me-
tro a 1180(
Assius como um complete sortimento de
pegas de algediozinho americano e
inglez, clue se. vende por pega de 30 ate 61000,
Isto ua loja da esquins do becco dos Ferreiro
Casemniras de cores
We *:e* a"te rs.


Vitoria-N.


n.cticto.
I errand


SCOIO
assei!":


tes nos ee 's 8 -eW e; M a
meio appareil-ho^ ong-en.. .e
LINAS a vapor 0sto
o fogo do assef iitam^ to, pode|r.

das as que foram assentes .nosegehosB1
lem, em Timbassu', Cuca, em Gamelleira,
iamante em Goyanna, Pao Amarello, Ca-
mara e Lages em Itambe, Vidraio em Paio
d'Alho, e outros no Rio Grande (1do Norte e
Parahyba.
Chamam a attencao dos Srs. agricultores


- A 1 1 I


para os novos vapores que tem rece mo 1o
acreditado fabricante Robey, que se recom-
mendam pela facilidade de conducao, assen-
tamento e economic de combustivel, deixand6
de mencionar os engenhos em que os tern col-
locado, porja terem vendido 85 para diversos
luzares, e por isso ia devem ser bern conhe-


cidos.


r 1-


Sao os nnicos recebedores de trilhos porta-


teis de Fowler que se tornam rec
veis pela facilidade da collocaio
dura"io.


ommenda-


e por


sua


Quanto 'a moendas, rodas d'agua, taxas ba-
tidas e fundidas, e todas as mais ferragens pre-
cisas a agricultura, tern sempre grande depo-
sito, sendo tudo da melhor qualidade.
Vendem a prazo ou a diiaheiro com des-
conto.




FUNDICAO DO BOWMAN

RUA DO BRIM N. 52

PASSANDO 0 CHAFARIZ
Offerece vantagens para as encomnimendas
de apparelhos aperfeicoados de fazer assn-
car, pelas suas relaVes directas, e pelo born
exito dos apparelhos que tern montado nos
engenhos UIJussu', SfioSalvador, Maciape e
Mussu', onde, comn um dispendio tanto menor
que nem see compara corn al uns dos que por

akse trni feito, tem-se obtid, resultadosiguaes
senao superiores, em vulto de produao, qua-
lidade, e prevo d, venda.
Ch.maaa.atteuio aos emllioraimentos para
e. H*4msara
mn *1 wtl quo er tii-- duzid0

ivrefrmuha,- Ar'a e Ori desta
]%-a-.!I ista de araguado, :d
cornm 0 fgog assentaeato seprodu va Va-
*.* 1*'-'. ^ .^ ..* -,: l/ < ;'. ]]^.^ :-'*; .vi''- .\- ^:' .i 1 -' *'* 1 .- *.*'S ^ "*' .;'" c '*- i"1 "


K'IUSE a C.-


Aa .dr ro seu Jl hem conhecido
_ue mtarehon, t.4 m rua to
;:Jrnarfo ii. 6| c inmais


uR salse 1 andar luxOsamienle pepar.
ra 0 pyido de mNi expose:


. del o Sde prata do Porto


0

U


c elecfro.plale


dos mais afamaado foabrieates do


S mnUiiNo ipleiro.
Convida, pois, as Ehaas. famiilas, ses 1ilnme-
rosos amigos e freguezes a xisilarem
o seu estabeecinmnto, afirm de
apreciareni a grandeza e born gosto com qae
o obstale a grande
despeza,- o adoriaram, em t ra
desta proiincia.
AGIHA-S ABERTO DAS 7A'S8 DA Ni1


Ur-Ar r; zR-o" B


Ii
~LU


0s Celebres Schnapps Aromatieos de Seliedam de Udolpho Wo e s o fabr!ecados s g os
de Cevada da pnimeira qualidade, cuidadozameua; crcolhida dos ir.d'ares products dos districto-
mais afamados pela qualidade do grAo, conio taminbern do fi-rcto do fragrant Enacbro, c sdo puri':ados por pro-
cesso especial que expurga do esprito todas as pardculas acres.
Como meio de evitar e corrigiros effeitos desagradavcis e muitas vezcs pergosos produzidoc no estomago e
nos intestines por aguas estanhas, o que acontece aos viajar.t:s e 6s pessoas n&o acclimawadas,
OS "SCHNAPPS'- AROMATICS, DE SCHiEDANM
acham-se absolutamente IFALLIVE. I S; e nros casos do TY!U-OPSZA, PS aal, OaST1UJC.
CXO nos IENS, MOLESTIA da B;-l=GA, EST3ICTURA, DYiSPEPSTA e E'BXI.-
DADE GEtAL sao recommendados cam instancia ptlos cncnabros mas dist'nrt3s di p;ftito riedicai.
Sio preparados em garrfas de meio e do quarto, encaixotadas cornm o rnaomc do abaixo asign ado em cada
garrafa e corn a mares da fabrica e uresa 3a-sinai1 da zac assiguatura n, etiqueta ou ,otulo.
Vendem-se em todas as Phan-a.as e Iojas ,do Canipo. Tc;a sndo sugeitos i anayse dis
imicos as mais afamados e por elles foam declardos ser o mais pura enirito jan..is fabricado.
Tendo assim vereficado sua pureza e suas propriedades enviou-se anatr.-- a. dz rail med cos, idcuindo
todos os mais celebres dinicos dos Estados Unido ;' fi.u dc que elks a expericraI., "-=em.
Ura circular pedindo urans rigorosa prova e urea informnalo e..a:ta do reultado, acc-: :narbava cada
amosu.a, Quatro mil dos clinicos mais eninenes dos Estados Uuidos preniptatmente responde'ra-n. Sua
opiniAo do artigo era munanimemente favoravwl. Tal prcpnra-o, d ziam dees, ha muito qn.e se f-zia -ah solu-a-
mente necessarna porque nemhum confian-a se podi.i d.-pcsitarnos p:-:dndc:o3 cr,_mniruy'+i cc...niclcitr, odos
mais ou menos adulterados e por tanto inu-t-is para os propc:itos, Litf-SA. A e'.-clc--cia p!-ctl-ar ,:' -)
oleo do Enebro quo 6 urn dos ingredients p -incip.. dcstis "S cti-'-as "0imn.ame-:te corn p-rom coaoi
d5o-lhe na opinido dos medicos notavel supecricridada sobre todos os cstimu ,nttes cCmo clurctiD, toi,,;co
e restorativo.
Esta Bebida Medicinal 6 fabricada pelos p-oprieta-ios ca scu eni-;ho de disila'o cm EchicdaT, tiij'n+a,
expressamente para os usos medicdnaes.
UDOIFPH0 WOLFE'S ON &0- CO., 9 BSA-vL0 2 Tl.9BT
EW-Yl T, E, U. A,





M.AD"AP.L, S 'v iJ ,,Q3.


.41i~


.s


A300O


Cm e



OWNa
Peca cii 2 varas
Aos Barateiros dar ia io de M.ir 2i0


ALLAN PATERISON ft
N. 4-.Rua do Brum-N. 44
S_ JUNTO 4A ESTAVAO DOS BONDS


iv,


25


Nd



4


a























- ~1'2->
trW
i.e







i.5


as
a,,


C


j


a













































4 -II


SCAJTJRUTBEBA

0 MAIS PRECONISADO DEPURATIVO DO
SANGUE DA ACTUALIDADE.


COM POSICAO
VE
Firmino Candido de Figueiredo.

PROPAGADOR


A.j.it:OlliO iPereira


VF"?,, DE-SE


da Cunha.


NA DROGARIA


2 3 RLUA DO ARQUEZ DE OLINDA 23


retalho pelos precos do Deposito Central.


C~IGEIL WOtE1L & CG
Offerce ao eSpe-l
tavelpMIeo mn gra|
de e variado sorTimen-4
to de relogiosdos mais
acreditados fabrican- ji
tes, e se acham habili- ,.
tados a vender mais I 7
barato do que outro :i |at
n iii
qualquer, visto rece- ,
berm directamente.
Todos os relogios
vendidos n'esta casa
sao garantidos.
JP ,^, / A auina
Uno tft ohnfd n s incipios d
Rla O Imgo i ]Mgn 4 agradavel,<
e xaropes
mentodoas f
n i Ido estoxagc
S6 se vendo dL I
Vende se barato cinco moradas de casas em
Olinda, sendo uma na rua de S. Bento n. 23 ; ou-
tra na rua do Barilo da Vera Crua n. 34; outra
na traveesa do Commercio n. 1, e duas na rua do
Amparons.1 e 12; ada rua do Amparo n. 16
propria para negocio por estar bern localisada e
ja ter armacao ; assim como se vende os generous
e mais utensilios existentes na mesma casa, por T
preCo commodo per seu dono Ihe ser prociso :reti- T
rar-se : a tratar na.mesma casa da rua do Am-
paro n. 1, corn Antonio da Cruz Ledo. s m-
w,,~~~,,I:Ko AFI
-6peuSoaia C *,qa wpoijmua'sagap un'a ',,ia'SraVa WAR RlEAS,
NI13OflVA Op viSvd 0 3dOYX
(eGhIukIe7 'eqonjenboo 'soJJeEo 's oxnOoaa)
VILIV9jWv9 ep SOeIH)I'IOM1 sop SVIMSION Vtdat
X~atXXX~itfiCX'^y~ym~~gXX. \Dewe-se exl(?li

k, A.ALL



UNICO |F






so extracto de 6 1o"
go# -ew e gi f
fgado de Bacalha C w
dcujo uzo a'ni
p~roduz=

us mesmos rezultaco a
que d de ^

OLEO DE FtADOlZAO-


BACAfLHA!! ^^^^|
*:E l' '1'1**'* ^ "
1 .' .*. 1 f^ *l


g /,5 .+ I


b R-a T mvle. PARIS

Esta Agua extrahida das fl6res do Pir
Japonica, pela sua suavidade e suas propri
dades beneflcas, excede os cosmetics ma
celebres; tendo sido adoptada pr toda
adiedade elegant. -
Usada no banho, d de um perfume deliciog
consolids -s carries faz desapparecer
espinhas, comich5.s e efflorescercias da pell

S16. 600 ROMPEffSANACIONAL-iR-RgO


- 1 a5 ^>' ELIXlRVINOSO'"4 U '
L-Laroche contemn todos os o MESMO FERR
laquina, ltemurnum gosto muito ELIXI E U
e superior aos outros vinhos 6 a feliz combinagao de
de quina; contra o descai- corn a quina. E' recomn
"orfas e da energia, as aff'ecf6es a pobreza do scangiie a ch
o, as febres iMveieradas, etc. 6onsequencias do parto, e
Paris, 22, rue Drouot, e nas principaes Pharmacias do Mum
WWNW^S~~ftf~i|^>1^^A^ftff "I
,IXLR; I d



ROUETTE-P ERR
de PAPAINA (Pepsina vegetal)
ais poderosos digestivos conhecidos ate agora, pa-ra
FEC90ES DO ESTOMAGO: GASTRITES, G&STH
VOMITOS, PESO NO ESTONAGO, MA DIPOB
i LOGO DEPOIS DA COMIDA BASTA PARA CURAi OS CASOS I
& venda nas principles Pharmacias e Drogarias.
en grosso em Paris :TROUETTE-PERRET, rua Saints-
SBelUo do Governo Wrameez sobre os Frascos para evitar
DOpositarios em Pernambuco : FRAN" M. da SILVA I&


L Iks' otioIu sn.4 4O t

S.lube dtavoura da
O.hibeira, patando-A
Z.: na rna D~uqu de Cix~is .
Snam Dsuede A directorial dit- Club resolve em
sedo de 16 de agOsto convidar a todoo os
B BlSais B-. ... eus. m abros pata, no dia i do Swteombro
1 d d. OOnteaD an 1or e as a w
'*"^~ i1 'ftf 4e aassisiron* a urn aesei funiebro em
home.nagem ameemoria do seu fallecido
president, .najor Joo Manoel "Potual,
Z + precedendo uma misaa na matiiz da uMes-
wma cidade.
Francisco Dias de Arruda Folac.
2o secretario.
-Precisa.a-se de criados, A rua da Imperatriz
e .n. 15.



,CD Belmonte Cesar Carnefro da
-) Jos6 Mendes Carneiro da Cunha, irmaos e so-
i brinhos, agradecem do intimo d'alma As pessoas
. que se dignaram acompanhar os rebtos mortaes
de eeu irmao e tio ; e de novo eonvidam os paren-
tea e amigos do finado 6, assistirem as missas que
Sport alna do mesmo finado -mandam celebrar na
quinta-feira 28, As 8 h9rag-da manha, na igreja
de N. S. do Carmo e na capella do engenho Pogo,
freguezia de N. S. da Luz.


GINOSO
uin sal do ferro
nendado contra
Uloro-anemia, as
tej Jdos6 de Paiva Ferreira e Silva
ndo. Antonio de Paiva Ferreira e sua familiar, e a,
00600~4_0 ,i- viuva D. Josephina Francisca Ferreira e Silva-
r-7 .W s(ausente), Antonio Casimiro de Gouveia e sua
sfamilia, Adolpho Ferreira da Silva, tendo rece-
bido a infausta noticia do follecimento de sean es-
timado mano, esposo, cunhado e tio, resident em
bPortugal, convido a todos os seus parents e
am.i{os, e amiges do finado, para assistirem as
mis sa que pelo eterno repouso de sua alma man-
E T SLdam ceebrar na igreja do convento do N. S. do
Qarmo, no dia 28 do corrente, t.igesimo dia do
seu fallecimento, pelas 6 horns da manhil; pelo
que desde jd se confessam eternamente gratos.
SCGmloat&l Ms ^- ^.
-.SA D. Anna Luiza Teixeira Caval-
AtLGIAS cante tde Mello
iu. ETC., ETJ Rotilio Tolentino de Figueircdo Lima manda
EAS R ETBD,s dizer'no dia 27 do corrente, ais 7 horas da manha,
Sna igreja matriz desta cidade, uma missa por
alma de sua comadre D. Anna Luiza Teixeira
af#ao3I9, 4U Cavalcante de Mello, e convida seus parents e
as rals 9e"Ge& amigos para aseistirem. Cabo, 23 de agosto de
C 1884.




I Anna januaria 'enoria Peniche
Jos6 Bernardo Peniehe, Maria do Carmao Peni-
S che, Amelia Eduarda Penche, Lu Pereira de
Luna, Hermelinda Emilia Perp a e mais paren-
t tea, agradecem do intimo d'alna as pessoas que
ise dignaram acompanhar os restos mortaes de sua
RRGf presada eaposa, mii, filha e cunhada, ao Cemiterio
Public, e de novo as coavidam para assistirem
rmilAcw^So % as missas que mandam resar na igreja da Santa
.Cruz, quarta-feira, 27 do corrente, As 7 horas da
manha, 7o dia do sou passamento, pelo que desde
-'*"p ji antecipam os seus sinceios agradecnientos.


cnaideradopm a 1


II A


~i9~ '0.23 C


I


8






























































Precisa-se de ainma eosinheira maito boa : na
,rua do Riachueillo n. 11, ou Corredor do Bispe
mumero 2.

Jardim das plautas
RUa do ondego n. 90
Sapotiseiros e sapoteiros muito Prandes e co-
pados, dando fructo, a 4A e a 3$, segundo o ta-
mianho, e descendo aWt I, corn seis palms. Com-
prando-se mais de dez faz-se abatimento. Ha
outras tmuitas plants tambem para promos corm-
,mnodos.
Olleredmento
Off eremuet
Urna pessaa habilitada ,em servibos de asgriiul-
tura, offereoe seus servi~os wediante paga razoa-
vel, para adinnistrar engenhos ou sitios de plan-
taeka : quern precisar dirija-se a rua do Noguei-
ra n. 19, primerr) andar.


Jle :. A-
,do peak Junta eiftral' do &*g II E -_______
se iro.ee m
,Pr* wr*,I eie ros, qp r~f it as
Uaic06depositooralem Perndaimb ydea mod$ ad i deja-
: AN ia4 tX cdi b t aios de
........ io, deacicuia, a 106O. r etratir A rua
--d doRe J st- n. 10.


Prego detcada frascoparu cancros 64000 urn e-ylindro americano ; io patee do Tergo n.
Formulaespecial pafA ulceraoes e gra- 40, padaris.
nulaqiM no collo do utero ,e cancros cm
^phi^ wwAttenqeao
Para calos 2000 Cane ,do artao .superilguia. e came de
Cada frasco leva o retrato do bacharel GitHana cameiro secca, especial: vende-se Bell Au-
Cota e .asignatura de pprio paaho e rubies de orsa, praSa d Conde d'Eu ia. 2.
No&a Pompilo corn tinta enaucmada. 7_ -__


hi~srucf~.prihwiia
,mahie pArleixam-
Uma pessoa, competenteaente kabilitadai, me
effereee para ensinar, eom aproveitamento, a
eriangas de ambos os sexes, nesta eidade e em
seas arrabaldes podendo iglmnente ensinar em
engenhos : a tratar na rua da Alegria n. 8,


Darea a
Vende-se uha barcaga de 400 sacos : a tra-
ar ma rus do Ran gel n. 58.

Trastes
A' ra do Imperador n. 16 eompra-se, vende-se
aluga-se e troca-se nov's e saudoe.


RenumHinada Aurora
Estai em exposilo A ru do Barao da Victoria
u. 30, loja de Antonio Pedro de Souza Soares &
C., a nova maebina ; eose cox dous carreteis de
inha, podcndo oer de 500 jard4 cada urn,
firma os dous pospontos como se fosse de lanIa-
-deira, 6 de grade vantagem. No mesmo estabe-
lecimento tern constantemente um grande sorti-
mento das mehores maelinas de costura do todos
OB principaesfabrante, vendem em pomio e a
r stalbo 5empO p por reo muito razoavew ; na
a do Barao da Victoria n. 80.

AlmInak de lemnbran-

V As

LusolRrasmileiro
ipara 18S5
J4 se acha 4 venda na livraria Parisiense n.
SA, A rua Pwmeiro de Margo.


Fazendas avaritadtas! I!
6w Imuque de tkiak-58
Madapoltes fraxe=a e americaios oiiL peq(oe-
no toque a 5A500 e 6A600} 6 fazenda de 10000.
Algodaes superiores e largos a 45000 a peca!
Cretones muito encorpados a 240 reis o covado !
Bramante trancado para toalhas e lengoes a 500
o metro !
Carneiro da Cmnha & C.
59-RUA DUQUE DE CAXIAS- 59


La kaiguda
A 700 rs. o kilo, e 81 per 15 kilos,
vende-se na rua de Pedro Affonso n.
*zeon.


em sacco:
68, arma-


FarinliaLact e
Nos primeiros mees a alimita^o Mi
natural e apropriadapara alimeiitaratr
a& d6 peito 6 o proio leite n iatei*66 quaf
em caso de necessidade deve ser uibtitUi-
do pela
FARINHA LAUTEA DO DR.
FRERICHS!
A sciencia e a pratica adoptaram a fa-i-
nha Lactea como poderoso elemelto nu-
trictivo para a infancia e districts media.
cos do Brasil e da Europa reconheeeram
ser A do Dr. FRERICHS a melhor n'sets
genero.
Deve-se pois e'vitar confiar o filhinho
unra pessoa estranha e de comportamenth
nto conihecido muitas vezes o germen
nvnerosa molestias.
Vende-se a verdadeira fariaha Lactes
do Dr. Frerichs:
55- RUA DO IMPERADOR 55
Estdabeledimento de musicas e piano de Vw
tor Pr&ia e

Cambraias transparen-
tes a 3
E' pechincha
Na loja da rua da Imperatriz n. 40, & esquina
do becco dos Ferrciros, vende-se peas de cam-
braia branca transparent, sendo azuladinhas,
para vestidos a 3A a pca ; silo muito baratas.


L IS T A N. B. 0 premio prescrever
DOS' uB D2 PT DS LS CA P L Nm.16D anno depois da extracSo.

DOS PREMIOS DA 202, PARTE DAS LOTEIAS CONCEDIDAS FOR LEI PROVINCIAL N. 1563, ASBEEFICIO DA SANTA CASA DA MISERICORDIA DQ RECIFE, EXTRAHIDA E


:6SB

.M 26 DE AGOSTO DE 1884


NS. PERMS. INS. PREMS.


4
13
17
31
33
45
47
49
53
56
58
59
67
73
88
99
105
8
9
13
15
25
37
39
41
43
47
50
55
S65
72
73
80
87


96
211
1 : "

.I: 11 .< > f1


84
45




8*
4,8


32*
45







o _


257
63
66
68
69
71
81
82
84
88
90
96
99
301
3
13
15
17
19
21
32
37
41
53
56
58
64
66
69
7O
71

1/82

92

74
80
92
^4.^


4A


84
45


NS. PREMS.


512
19
24
26
30
31
32
33
46
51
52
53
54
63
67
75
76
80
81
83
86
91
96
606
14
15
22
30
34
40
43
46
54
57
6&
85'


84
45


NS.


PREMS.


748
56
64
66
84
86
88
89
91
97
800
1
2
7
16
23
33
40
47
49
51
66
68
70
71
74
76
81
82
86
97
900
t
8
015
20
28
33
38
jib-1^


84
44'


4'


NS.


PREMS.


1011
21
31
32
36
37
38
48
50
54
57
62
68
73
77
82
89
92
99
1127
29
32
35
37
42
43
-49
M
67
57
61
67
69

80


NS. PREMS.

1233 4#
34 -
37 -
39 -
41
43 -
64 -
69 -
70 -
73 -
83 -
86 -
87 -
89 ,-
90 -
1300 -
3 -
4 -
13
15 -
17 -
18 -
19 -
20 -
21 -
216-
'26
27 -
29 -
32 -
33 -

'37 --
46
47 -


1427
29
31
34
43
47
50
64
66
68
72
73
84
91
93
94
95
98
99
1503
4
5
7
9
14
16
18
22
26
28
30
37
38
41.


- 44
- 45
- 53
- 55
- 58
- 59
- 61
4 70
4# 71
- 86
- 87


33
36
38
40
47
48
51
54
59
60
*62T
75
, 7
S77
89
93
96-


NS F

1889
91
1900
1
13
20
21
24
28
29
I81
35
36
41
42
45
57
59
61
67
68
70
80
87
88
92,
93
99
2003
10

19
25-
26,


DI11


REMSS.


Ems. Ns. F

45 2121
8* 27
44 34
-= 36
-42
45
49
-_ 62
.- 71
73
89
90
91
99
-2200
2
21
22
26
32
47
53
54
57
L.$ 59
4#' 64
70
-- 74
m- 76
80
82
S# 84
4#5 86
'N '1^


8~
44


44,
76,i


NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.

2367 4# 2564 4 2819 46
68 67 23 -
69 69 -- 28 -
81 75 30 -
82 76 32 -
85 80 33 -
87 81 40 -
88 84 41 -
91 -86 45 -
95 90 52 -
99 98 57 -
2402 -2608 58 -
9 25 59 -
12 26 -62 -
15 28 II 69 -
18 30 4 72 -
19 35 73 -
24 38 75 -
25 39 77 -
26 56 90 -
28 59 94 -
41 61 95 -
51 64 96 -
55 67 2900 -
56 80 -12 -
568 82 14 -
65 -85 16 -
66 88 20 -
71 8 99 27 -
74 4#52706 32- -
S79 7 -'38 -
82,s --- ,39-
86 -12 43 -
-35 -344
.95 .-- 41 47- -
,96 ~-47,


NS.

3017
24
27
28
46
71
72
74
78
80
82
97
3106
9
10
12
18
20
42
50
56
62
64
66
70
81
82
83
84
90
93
96
3201
6
9
11


PREMS. NS.

4# 3288
9.00 90
4# 91
-3306
9
13
17
25
_- 28
S35
44
S45
48
49
^ 50
53
66
68
72
75
82
__ 86
-o 88
4 93
97
3401
13
17
19
20
28
33
841i 35
4136
.,. 42

r 52
56
5T
;.1::-,. 1;1:11 6 4"15


PREMS. NS. P

4- 3515
22
26
30
45
48
50
57
61
62
69
74
75
80
85
87
92
3600
4
11
26
28
41
-- 43
50
57
61
8* 63
4# 64
8@ 69
380 73
4A 75&
-- 77
79
-- 82
-- 87
90
-93
-97.
.-- l;.9ff-l

..... .-- _98


4,


too$
4#















soo
45


3
6
8
20
22
29
44
S46
60
S64
78
83
84
S3903
5
7
8
10
16
17
S23
25
28
S 33
S 35
40
. -,. 4 7,I I


I


. LTci Ir,


tj














































A diff'renca estA em que n'um dos ca-
sos o nosso instincto adverto-nos do pern-
go, emquanto no outro o nao faz. Os bi
cos de gaz temn plena liberdade para ins-
tallar os sens venonos sein suspeitas e dar
origom a milhares de formas do doenogas
e incommodos que nuaca sao attribuidos
ao verdadeiro malfeitor.
Ar puru 6 o que procuramos indo pars
as prias ou para o cimno das montanhas
nos tempos do doenca. Quao important
seria, pois, que tivessemos ar puro em
nossas c isas. A n cessidade que nos obri-
ga a viver nas cidades, obriga-nos ao
mesmo tempo a viver em urma athmosphera
mais ou monos viciada: 0 simples facto
da reunuiMto de tantos series vivos accumu-
lados 6 por si so sufficionte para deteriorar
a athlimosphera. Nao .6, corn certeza de-
sejavel que a propria luz de que nos ser-
vimos vicie tambem o ar. Ar e luz puros
sao essenciaes a urma boa saude; mas em
escriptorios de cidade, fechados e mal ven-
tilados e em milhares de casas e officinas
qua, perspective do ar puro existed, quando
as luzes que ardem As'vezes metade dodia
confribuem principalmento para a vicia-
.ao ?
Por quanto nao s6 a charmma da vela,
do azeite ou do gaz consomine o exigenio
do ar, e assimn Ihe furta as suas proprieda-
desvivificantes, mas de facto o enquina de
vapors nocivos-os prodiutos da combus-
to. E-stcs sio principalmente vapor de
agaa e acido carbonico; mas tambem se
involve p6 de carvao ou fuligem e, no
easo do gaz, acido sulfuroso.
ara 0 expllcarmos mais particularmen-
te, tomaremos um bico de gaz coinmum.
A comnposigco chimica do um gaz illumi-
nante, 6 em media, segundo Roscoe:


Ilyd'og'nUo
Gaz dus pan
tanos
HIydro car-
boretos fi-
xns iguaes
a 'zoli-
f c a n t e
6,97
Oxido do
car!-Zono


47,60 % em volume do gaz


41,53


p 5


3,05

7.82

100,00


Q-r-.'.), p3r ianto, abriins um n bico do
g'z or.-.n.rio diT.'.ta-sj no quarto esta
rist,,IM-a vencaoza, na rasto do cerca de
180 litros por hora.
A pI*pl,-ioiAo de urn phosphoro access
ministra a temperatura n cessaria para de-
tcrminar 'a combvwci chimeica do hydIro-
geumo do gaz co-n o cxyg-nio do ar. Em
cada cinco metros i:&biicos do ardo quarto,
c-irto uru metro cubicoIle oxyg, mio e qua-
tr') .' azAt. Apeuc. oxygea"fo, qu2 pa-
deria al';icnt, a vIJa a'iiiual, uneso ao
,u g. du a-o g.di d h.iha para fow-.mr
a'-Ia (I'O) e o,,ido carbeni,.'o (Co2). Pos.
to qd, o n.io inliquo a analyci ainI.,v rc-
fcri. i, s b,. i- .' qTr' Z, z.Ubst:acias :ahi inli-
caviam a(-:cres-' 1= maor p1)arLc dos gazes
i-'": ;.nt'-s dca hiilha o sulpiiurcto d% iay-
di,.--riioc c c bisilphuruto do cal-bIno.

FOLIIETIM


0 GL E T T A

0GRILHETA


POR


G. PRADEL


-RIgNllA PART!


(Continuaago do n. 190)


XVII


A dentlada
..-
Qitm eras aquelle hoplw
Er aquc!., &A procura doq
dicauo tuda a sua vid s?
..Bra '40'n o oiar qss 4 ids. 9
prtegfart m caapV de t

set-*'w^q^sWS'J_^^'.ri^?*3?


Calor produzido
computado em
o -1 00 CO W M WW C--Io libras de agua
W" 010 ,, O OC elevada a 10'
Fahr

A unidade em que 6 express a quanti-
diae do calor gerado, 6 a quantidade de
calor necesearia para elevar uina libra de
agua do 10" de temperature no termome-
tro Fahrenheit.
E' uma tabelmla muito instructive e al
guns dos numerous comparados corn as expe-
riencias mais rocentes do Sr. Ferd, chimi-
co alemlao, concordam completamente.
Aceitando a tabella do Dr. Tidy como
send correct, e os seus erros nao serao,
provavelmente, grandes, acha se quQ o gaz
de cannel cool da illuminao de Glasgow
6 o melhor.
0 gaz commum 6, todavia, o que deve-
mos considerar send, como 6, o quo mais
geralmente so emprega.
0 gaz ordinario dA uma luz de cerca de
140 libras de ga por hora; produzindo,
por6m, os melhores bicos, uma luz de pro-
ximamente 15 velas do espermacete. Da
tabella so deduz que cads bico do gaz
console em um quarto cerca do 154 litros
de oxigenio por hora, isto 6: privacomple-
tamonte 770 litros do ar do seu oxigenio
em cada hora.
Urn quarto do 5 metros de comprimen
to 'por 3 de largura e 3 de altura contem
45 mronos cubicos do ar, ou 45:000 litros;
um bico de gaz absorveria todo o seu oxi-
genio em menos de 58 horas, se se nto
ldmitisse ar do exteriori ou a deoirna par-
em perto de 6 horas.
VW-se do quanta importancia 6 a b6a
ventilaqo do uma casa em que arda um
bico de gaz.
Ar serm oxiganio 6 irrespiravel e na-o po-
do sustontar a vida.
0 azote 6 uma substancia inete e ex-
tingue taunto a combustlo como a vida, na
ausmncia do oxigonio. No ar serve para di-
lair o oxigenio e moderar a acg'o' d'este
sobre a comnbustao e o sangue no acto da
inspirac.o nos pulImes.
Mas o gaz e as outras luzes prodauzidas
pel combustlo, nhko s6 privam o ar do seo
saluter oxigenio, mas adulteram o que flea.
o gaz acido carbonico fornecido A atmos-
phera pela chamma 6 um veneno fatal A vi-
da animal. E' o que os mineiros inglezas
h-ia.am Coke damnp e apezar da sua
cx.tn'ia em quantidades pequenas na at-
in )sphir, torna-se perigoso quando em ex-
cosso. No ar expellido dos pulhnes existed
e'lo na proporgao de 4 por cento e o ar qu,
coat.ru esta quantilade relativa 6 irrespira-
vel.
Os scguintes dados da u physiographia
de professor fluHnxby mostam a porepnta-


encostados A mjsa, a!)J recusa por certe
um copo do champagne. 0 champagne 6
amigo do home, exactamento como o la-
garto, pore6m 6 mais, doce,e ner lm Ihe farA
mal.
Obrigado, replicou Aline, nao bebo
vinho, tomoa um copo corn agua, e ficar-
ihe-ho i muito roconhecida se abreviar esta
eutrovista, e se me disser as condig5es que
exige para me entregar aquellas desgraga-
gadas cartas.
Espere umrn p;uco-e continuous a en-
ch.r copo e champagne-nao tenha
prcssa. Em primino uIgar gosto do a
voer; e deve comprokder qneo U in-
coinmodei, que ao tIe6l podi par-vir-"qui
busear fogo. Devo prevemil-a e piscou
os olhos, dando eom ummArnso u& ag.a-
fleaglo ignobil As muas palavras-.de6"pre-
v5nil-a de que oeu seriia muite totlo se fosse
dmude-as asif sem mais nem mais. Beta
diahoiro as*o sae 9.a ,nadia. Quanado
digo dinb*.,'66 n smeire de faMr,

Ao ua e .' / ... "*'- :% =-'-..;
"la -" s.: 8.i
_/ ,, .ir ,... i ,
AlinaSA ......
-;-gLL


,P 4,' ,.40w" --_ ] .. ,
Uwo-dtblo i84. 1 der4u I^ A do Tor-q
p arOtO do aieA carbdqicono-x
nd po w, pro-
duz incommodo, affirmaao quo a4eri- rags hebrea, sate im nh -es,- qua ifastava
encia em C(ansery-eourts o nrio c a de do paiz tantos hoins utius6imos, qoa
ferro subterranoo a Mniufotet on -. tam opulentar o uao qe oacMIha-
Na verdade fazer ua v ngwue pta li- sem ; D. Joo II, espirito elevado e per-
nhba simplesmante submeoter-seoa -gente picaZ, receb os judeIus em Portugal, con-
a uma envenenamento lento per u 4 citn tra m"mog to' iilo dos do seu conselho,
tempo e a vida dos empregados A eami- opinila qs raepitou, e que aosouvil a, no
nho de feiro que servem nos trensajodo o deixaria de os6rAr desdoehosamente, do es
dia, ha de ser sensivelmente abrev'sa, do pirito tacaabo de seas conselheiros.
mesmo mudo que o ao as dos amieais que Urn homem-- deste quilate, um home
trabaliam soh o aolo. > quo 6 escoid eatre os a mais soberanos
0 ar que contem 2 per cento 4e aci- da Euro.paj ara decidir pleitos importan-
do earbonico 6. decid idamente perigoso tes entrejovernos, nio s deve, co.nu jA
e, segundo o Dr. Tidy 0,1 por c;fto, ou dissemo4 julgar por um aoC. menos con-
urn pouco maie, como so acha em u* thea- former jtia e A conscienciaxmas aim
tro em noite de enchente, p6de considerar- por todos welfes, que tenha praticado ; e
se come ura forte viciacgo. So, jorel, 6 ento qeuo o pederemos deprimir, ou
recorremos a tabella do Dr. Tidydedu- exaltar A luz da historic.
ziremos que cada bico degaz no f ti do 1 D. AJolo IIf foi pequeno na sua repress-
hora tern fornecido ao ar em uam iaa 91 lia contra a nobreza, mas foi grande como
litros de acido carboiico, o que em una rei, e come continuador dos feitos do in-
sala de 45 metros eubicos corresponded a fante D. Henriaue, nas descobertas mari-
0,2 por cento. No Amt de meia hore attin- timas.
gir-se-ha o limited (0,1 por cento) enoquo o Ao baixar ao tumulo, D. Jolo II legava
acido carbonico se torna incomnimodoo, s a seu successor o encargo do proseguir
nao houver ventilaglo que introdipa ar nos descobrimentos, que cite tinna empre-
fresco oe love o viciado. Ao fim de _e nos hendido corn animo verdadeiramente real;
de vinte horas attingir-se-ha o limited da ir- e que, se nao lograra por-lhe o remate, os
respirabilidade, ou 4 por cento. deixava adiantados, e dispostos a prepara-
tivos, para que uma nova armada, dobran-
Vasco da CGama x do do novo o temeroso cabo, aproasse a
-8U PDlevante, fazendo tremular no indicooceano,
SUA PRIMEIEA VIAGEX A's IND I ENa o pendlo dos quinas.
TAES -./ (Cont.ina).
SOARIES RoMu JuMxo.
(Commeaco de Prtuga) ____ _______

LITTERIATRA


Em 7 de maio de 1484, ainda D. Joa'o
I[ mandavaJolo Porero do Covilhk e Af-
fonso de Paiva, per tear, a descobrir a
Abyssinia, ou as terras do celebre Prestos
Jolo das Indias. Era um continuuolidar,
e A custa de perigos e do cabedaes, para
entregar o sceptro dos mares e do grande
commercio oriental, nas mlos da formosa
rainha do Tejo.
Veneza, a querida do Adriatico, sentia-
so entao estremecer, porque 1A no extreme
do occidente, seguia-lhe uma suna irma, a
qunem o destiny ordenava quo fosse, sua
rival victoriosa.
Lisboa, a capital de um modosto reino,
fundado A custa de milhares de sacrificias
por um povo pequeno, mas valente ., he-
roico, preparava-se para ser so br-eve a
primeira, centre ais primeiras cidades da
Europa.
E essa future grandeza da patrig', a ti-
nha preparado e adiantado nos seas inicios,
o immortal infante D. Henrique, no sou
vasto promontorio de Sagres; e, herdeito
das suans tradi95es, D. Jolo II, o grande,
dera-lhe valento impulse, nao podendo,
como seu illustre tia, colher o fructo do
seus constantes esforgos.
D. Henrique orgulha-se ao ver passar
as suas caravellas, commandadas per Gil
Eannes, o cabo Bojador; rnas naoTo he 6
dado, depois vl61-as continuar alem do 8
grAos septentrionaes. D. Joao It enviando
Bartholomeu Cias A. procura do oabo da
Boa Esperanaa, tern, a supreme ventara
de o .ver dobrado pelo insigne capital ;
mas como D. Henrique, a morte o arreba-
tou para o sepulchro em 1495, sem que as
quilhas do seus gallaescortassem impavidas
as aguas dos mares da India.
Essa gloria estava reservada pars D.
Manoel, cuja coroa so esmaltou de finissi-
mas perolas, colhidas pelos esforgos de nos-
sos navogadores ein terras d'Afric, e
d'Asia; mas a Gloria que esmalta o ra pa-
do do duque de Beja, desse principle t4u-
rose, reflected, em primeiro lugar, no.i
de vulto do sabio infante D. HenrifteI
Sno do illastradissimo coutinuador djIuaI
grande obra, el-rei D. Jolo II. i '
Parece que se estA mais acostunm a
avalar o filho de Affonso V, polo d coso
pagne. Olh7e, o champagne, a se oKa
noa sabe d'estas cousas, facility as -ila-
90es.
Corn a cabeoga fez signal que ainda fneu-
sava, e agente acalmou-se, tomando ain-
da paciencia, dizendo que o momentWnaoa
tinha ainda chegado. .
Ha de me dar licenga que co4 erm
sua presenga, disse as, visto nao qtqrer
sentar-se na mes tommigo. 0 g4 4
minuito mal feito. Oh! eu cAe nio s o-
me eases nanorados que no le comem. -M o
posso viver de amor e agaa fria. -i
E poz-se ajantar glanmmmurente, -
do para beber e para devoral-a I..- o
olhar,, que cada veo se tornava m ,
dente..
Aline nao pdi. ; um s6 dos seus
aam o o ', v /T
A mesa estaft entre os down. :-
ENa observava-o., eo ome Samos
fers naes. aroe~o 'fl ll
anwpwut .Eni ,aer aiw^^ fnq


VIDOCQ

UM EPISODIO DA SUA VIDA
POR
PAULO MAKALIN


Primeira parte
0 ASSASINATO DA RUA DOS MAVONS
(Continuao)
VI
NEGOCIOS DE FAMILIAR
0 celebreodesembriuhador effectiava, corn
effeito,'a sua entrada, seguido de Coco
Bacour. Ainda no tinhapassado o limniar
e ja- o official do paz Yvrier o apostropha-
va em torn arrogant:
Emfim, chegou meubrejoiro! .. .-E'
uma felicidade! .. 0 senhor faz-so dose-
jado !... Diverto-se!... Tagarella!...
Entretanto, n6s outros, ja comecamos o
nosso trabalho de inquirigao.
O official dirigio ao seu superior um com-
primento de respeito ironi.o.
-E eu, replieou elle sorrido-se, estimo
muito poder dizer-ihe quo jA quasi aeabsi
o meu.
'O papai Yvrier era um hornem gordo
apopletico, nutria pars corn Vidocq um ran-
cor cujos effeitos nunca deixava de mani-
festar-l he. Esse rancor datava da estr6a
do detective popular, cujos servings e suc-
cessos o tinhamn.-langado na sombra.
O tempo nfo tinha mitigado o mAo hu-
mor do Yvrier, notando o disfaree do Vi-
docq
-- 0 quo significa esse earnaval, per
guntou elle, resmungandd. JA estamos era
turva-feira gorda ou 6 alguma moda nova
que os Joven Franga da brigada adopta-
ram do Marquez de Carabas, quando .os
magistrados Ihe fazem a honra de recor-
rer aos seus services ?
O policial curvou-se ; mas mordeu semr
ladrar.
-- Perdlo, disse ole honildemente, hou-
ddizentos ntl papeis vethoa. I nao 6ca-
ro, valim mito mais. Oh! nao fizemoas
as cousas no ar, tomamos as nossas infor-
ma95es. E' quo o marido aeo se accom-
moda muito e -seria capaz de Ihe torcer o
pescogo, como a um frango. Polo que, ha
de escarrar os duzentos mil; estA nas suas
forgas, ella os tern.
Aline nao se lembrou de interrompel-o.
As palavras do miseravel resoavam-lhe co-
mo um rugido aos ouiidim. Continauara a
olhar fixamcate para eE.-
As caras aqat Sto-e Clsol tirou
do boise tnt pseot c ismad art-
redo. Nb I-ta-aeu nia. -
Alin. dosteidku a urito pana pe -lbsa.
XM 4Wfr^l1 e6agpc#sUauB


ate!. ~Jt Ihe diuse, dat ot, tome 1I. Vao
es, combmareios b d'a ui" hapon .
4- Po o aotem b irns d & s, ia ael--
R i&e ds ,_ -d __;;... ; *-


.'0.



dra -ram. terivet
que amso-po nat qorto, bor cma rtaso
^Xitfifcaaafecdidbeom a om if asa i


diYemas cfrtumstmtascl quoe opreocderam,
acompnharam e seguiram. E' trabaleW
ranto do intuigo come do observaglo.
Qa er, para iso ver os8 pnweiros elementos
d processoa: o interrsgatorio dos criados,
a dclaraglo do medico, as notas fornoci-
da poles familiares da casa e os depoi-
mentos da toastemunhas, quant o amode
pr que o crime foi descoberto ? 0 escrivio
p6de-lhe mostrar os autos.
Vidocq abanou a cabe9a.
-- E' inutil. Eu sei tudo isso... Mas...
SMas?
Empregarei todo o meu zelo para
chegar eonde quer a justigaj mas receio
que isso me seja difficil.
Difficil? Porque? .z
Porque muita gento tern entrado hoje
neste quart.
No sei bemrn...
0 Sr. procurador do rei permitted que.,
Ihe faga uama pergunta ?
Faga.
0 Sr. cagador ?
Um pouco.
Pois bemrn, continuous Vidocq, entao
deve eomprehcnder isto: quando os rastos
de today a qualidade do caga crauzam-se nos
campos, o melhor nao pode, no primeiro
moment, escolher o da caga que procura,
nesse dedolo de pistas. -. So eu tivesse che-
gado aqui logo no principio, eu teria ins-
tantemente pedido aos senhores magistra-
dos que nao deixassem ninguem entrar nested
quarto senlo eu. Comquanto o assassino
tfivesse sahido daqau quatro ou cinco horas
antes, o quarto ainda estava cheio ddelle,
come a cama do jav-ali flea quente e im-
pregnada do seu cheiro, comquantoeUle to-
nha sahido della ha muito tempo.A entio
facil, por poanco faro que so tenha, se.
guil-o e soltar a matilha no sea rastro...
Mas abriram as janollas ; muita gente en-
trou e sahio; correntes de estranhos inter-
puzeram-se; o assassino evaporou-se. 0
fio estA cortado. SorA precise um certo
tempo para achar alpista, e certo trabalho
para reatar o fie, bern como muita pacien-
cia e muita habilidade, para desencavar o
javali das profundezas do desconhecido em
que esti agora mergulhado.
Sr. Vidocq, disse o procurador do rei,
n6s s6i lhe pedimos probabilidades. Sabe-
moo que soria absurdo cxigir certeza.
0 policial sorrio-se.
Entretanto, 6 a eertea qd6 ebPert
dar-lbe-, disse elle claramente.
Yvrier resmoneava:
Fallador !... Gabolas!... E' a ea-
cola modern !... -
Vidocq comprimentou-o amigavelmente:
Cada um no seu genero, papai, cada
terra- tern seu us. Em Franga, n6s insis-
timos pela prays physics, viva, so use
dizel-o. Na Inglaterra, precede-so pela lo-
gics da inducto ou dadeduecgo. Eu fundi
os dous methods.
Depdis, dirigio-se so- S-. Bergonde corn
uma bonimria, que nao estava isenta de
orgulho:
Men DBus, ea sou assim, 4 verda-
de; nas expedi95es em queo eu tenho sido
ompregado, a difficuldade aguga as minhas
faculdades, exaltaudO-as, duplica as. De-
pois, emnegocios do genero deste, canto sem-
pro urn auxiliar quo nunca me falta, um au-
xiliar maim poderoso do qu6 todas as infor-
mages que a senhor ou eu podemos reu-
nir: mais poderoso do quo todos os indi-
cios que nos ha de trazer o exame a que


you proceder; mas poderoso do que todas
as qualidades de intelligencia e do expe-
riencia, de tenacidade e dc actividade de
que os meus superiors, e mesmo o Sr
profeito, dignaram-se muitas vezes do fou-
var...
(Continua)


--vinho, a violencia do desejo, o sangue
que Ihe batia nas fontes, tudo o desaospe-
ravays, o irritava.
Ouaga, disse elle, dirigindo-se para Ali-
ne, as cartas estio aqui e s3lo suas se me
der urn beijo.
Dizendo estas palavras, deu um pulo e
agarrou-a pelos bragos. Aline debatia-se
corn as duas mlos, empurrando-Ihe o ros-
to. Afastando a barba, ao long da face,
vio um risco vefmelho. Uma cicatriz. Era
realmeWoll! Qaiszgritr; man Os bra-
95 de- NsI C coma duaw- teIzes, aperta-
vam.lho.a gargiart,tirando-lhe a palavra,
Ohl rug io el cornm uma voz rouea,
'mdi ae ceremas, timinlk has ad "er
S ento, Aline setio s obre o -ca,&o ros-
to os. baio do miseravel- qt..e 10e- ui-
,avaa a fie omo .urn ferte rj bfms. 0
huiundo iumulta dstd he tifat fbt9R jofve-
Iumana. pucbf a cabep, a ^Bu


0 Chico, que esta a banhos em Pedrou-
gos, gritava urma manhi d'estas para o
criado que o levava ao banho:
Mas para diante, mais para diante.
Pars diante ?
Sim para dentro do mar ?
Entae porque, meaino ?
Porque a agua deve la star mais
quente.
Porque razio?
Entao neo sabes que por exemplo a
sopa estA mais fria nas bordas do prato!
*

Pensamento do um sceptico;
Ha duas classes de mulheres: as *
mais e... as peiores.
*
.5

Um estatistico profundo, exact e metic-
loso, depois de trez annos de investigaqoes
calculou quo a distancia kilometrica quo for-
mam os cabellos do todos os homes e mu-
heroes cotlocadoe uns atraz dos outrns, 6 a
seguinte:
Oito milh5oes de milhares de milhoes de
miriadas, scis kilometers, doze metros, trez
decimetres-, seis millimetros e um quarto.
Depois de feita a somma e em vista do
total, o sabio duvida e exclama:
SorA isto exacto noB fim de contas.
Podemos asseverar quo nato; porque sd
ao individuo que isto escrevo tern caido
estes ultilmos dias urma porglo enorme de
cabello.

Calino feomn estado doente; e, come
se sentisse emnagrecida, resolve pesar-se.
PNe-se em cisna da balanga, mas do repon-
to exclamou :
Que tolice! assim pesava muito
mais.
E tirando o chap6o da cabeba pol-o de-
baixo do brago.


N'um jantar do nupeias:
0' fulano ?'nro reparas
nl) abre A bocca senao para
Oh meu caro amigo 1:
does smo mudas !


quo o noivo
comer ?
As gr.mades


SEntre amigos :
Corn quo entao casas-te segunda vze.
Nuanca imagine !
.-- Caso sirn ; mas 6 cow a minha cu-
nhada.
Mas isso que importa ?
lmp rta muito, meii caro amigo-
Parece-to entlo pequena vantage-in to um
sujeito duas mulheres distinctas. e uma
s6 sogra verdadeira ?


Raios to partam bramio o forgado,
vendo-so reconhecido. Vais acabar de
rir, minha filha!
Corn um esforgo saltou por cima da me-
sa, atirando-a ao chlo, centre ella e elle,
corn uma das milaos apagou o gaz e corn a
outra, tirando um punhal do bolso, sahio
pars f6ra do gabinete.
Aline gritava:
Soccorro, Martin t
Paloque, ao sahir fo' do encontro an
Dorado, que estava A espreita; o infelia
grumete era muito fraco para tieo rude ad-
versaii): rolou ferido comn urma punhalada
no meio do peito.
0 tio Cinard, entretant, long de so oc-
cupar de Bemrnardo Paloque, dirigio-se cornm
os se= criados para a entrada do restau-
ra-e. Tentaram oppOr-se a invasAo de
Jairas. A boda tinha sahido, tomando-se
assim mais atA vontade. No. meio d'aquella
balbuardia Paloque conseguio evadir-se.
Quando Martin, depois de ter empurra-
4 teda aqueUl oasisiha, chogou jnnto de
ROO.ecottrou-a a amparar a cabegs do
= ds^Si ,o.rao.
s-ali, menina, disse elk, coru vs


9% one, fl~ ugio pelo to%&d.
frO%4ijunde tuna ports quo in -



*r ;.sf '.. %, -' .. ."'* "
,l.i :, = .s ,' .. "-9, *'
,;. ,..-. ... I ....* .. _! .. -.*"
,^ '.:. -.:. \ a'-'- .'.. ,* -; *-<
L %/. ",'a' '"","-...

"2,' .. ..


. 11




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EOBNRO25K_U7M499 INGEST_TIME 2014-05-03T19:50:28Z PACKAGE AA00011611_13202
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES