Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13187


This item is only available as the following downloads:


Full Text












4 9

m.~ia.

-


* 0 0 ..~(. 4*~
* $ 4 0 q~.
4 i


11


TELEGRAMMAS



SS57:S3 ?&5nC^3 fl BAI

RIO DE JAN'IRO, 1.0 de janeiro, As
12 horas e 15 linnutos da tarde. -(Rece-
bido As 3 horas e 12 minutes, pela linmha
turrestre.)

Forama eleitos deputados Igeraes,
em 2.0 -scrutinio. pela provincia de
S. Paulo:
I. districto0 2Dr. Antonio da Silva
Prado (C) :
9.0 district, Dr. ]lanoel Ferraz de
Campos Salles (R).
Pelo G.* diNtricto do Mlaranhao,
se3undiio telegramna d'alli, sabe-se
que entrain em 2.0 escrutinio os Drs.
Manoel Jo*.e Ribeiro da Cunha (C) e
Jose Vianna Vaz (L).
Foi concedida a exoneracfio pedi-
da pelo conselheiro Tito de Mattos
do cargo de cihefe de policia da car-
te. e nomneado para substituil-o o Dr.
Joe Antonio Gomes.
Foi tambem uomeado chefe de
policia da provincia do Rio de Janei-
to, o Dr. Ventura Josu de Freitas Al-
buquerque.
Foram concedidas as exonera-
c6es pedidas pelos actuaes delega-
dos da corte.
Consta que foi eleito em .0 ex-
crutinio pelo 2.o district da provin-
cia de Minas Geraes, o Dr.* Manoel
Fulgencio Alves Pereira (C), que com-
petia com o Dr. Affonso Celso Ju-
niior.


SSradvgo ni aBsnS ILVA I

(Especial para o Diario)

MADRID, 31 de dezembro.

Awalia-he em 2.000 o numero dan
victima, quer hoterradas nas rui-
nas do terremoto da Andalusia, quer
anortas emconsequencia desse aeon-
tecimento.

BERLIN, 1. de janeiro.

Urna ordem de nao proseguir aca-
ba de ser proterida em favor do Sr.
Anthoine, deputado de Mletz, perne-
guido pelo crime de aita traicAo.

PARIS, 1. de janeiro.

Aseguura-se que 1. IM. o Rei dos Bel-
gas terft a noberania sobre o Congo.

LONDRES, 1.0 de janeiro.

A Princeza Beatril esta contracta-
da em casamenvio corn o Principe
Menrique de Battemberg.

Agencia Havas, tiial em Pernambuco,
2 de janeiro da 1885.


INSTRUCCIO POPULAR


PHOTOGRAPHIA
(Extrahida)


?ARTE I
Hixtoria da photographia
CAPITULO IV
DAGUERREOTYPe
(Cortinuagdo)
Em 1838 abrio-se em Paris urma subscripcao pu-
blica para custear aquelle iuvento, subscripgao a
que nao concorreram capitaes sufficientes; e por
isso foi necessario eeoder ao Estado o invent, me-
S diante uia pensao annual de seis mil francs para
Daguerre e de quatro mil para. Nipece (filho).
E no dia 10 de agosto de 1839 fasia Daguerre
uma couferencia no Institute de Franga para en-
sinar os seus processos e expor os resultados ob-
.. tides.
Dentro em ponce tempo era o daguerreotype ap-
plicado em todas as parties da Franga, e ainda
asmo na Ingiaterra, na Allemanha, em quasi
toda a Europ% e at6 na America.
rocersso de Daguerre, apezar 4e samples, ne-
cessitovas comtudo de urma certa pratica.
Eram quatro as operacoes necessarias:
1-lodar a chapa;
2a--Exposi9o na camara escura; -
ik-&evelacapelomerenio
O--- Fixaoe pelo 5ypORlphito de sodia.
S j nos demortr o em e dpficer Ada
Weiss'opmw a, poi que esto proemso ohoe
:11';.11ape"SavatioocomeALM Am tokkit;rieo. ".
: ~~-1 AM-^ 1^! ^


uma provawe atkajpar servir de base i produc-
cao das positi-v ,; deve, poia, o sen nome ser col-
locado a par 4os de Daguerre o de Niepce.
Blanquart foi, porem, querm primeiramente con-
seguio tirar quareuta provas positivas corn urma
unica negativa,-e por isso nao deve este nome fi-
car esquecido na historic da Photographia.
Descobrio meios engeuhosos de dar ton as som-
bras e colorido A. prova definitive, misturando al
gumas substancias chimicas nos reagentes ate en-
tao empregados.
iCfontinua).


PARTE OFFrICIAL
Governo da Provineia
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DO DIA 31 DE
DEZEMBRO DE 1884.
Capitlio Adolpho Pereira Moutinho.-Informe o
Sr. commandant superior da guard national do
municipio do Recife.
Erminelinda Carolina dos Santos.--Entreguem-se
os documents somente, passandc recibo.
Dr. Joaquim de Albuquerque Barros Guima-
raes.-Deferido corn o officio de hoje a. Thesoura-
ria de Fazenda.
Professor Martinho Jos( de Jesus.- Informe o
Sr. inspector do Thesouro Provincial.
Secretaria da Presidencia de Pernambu-
co, 2 de janeiro de 1885.
0 porteiro,
J L. Viggas.

Commando das Armas
QUARTEL GENERAL DO COMMANDO DAS AR-
MAS DE PERNAMBUCO, 2 DE JANEIRO
DE 1885.
Ordem do dia n. 1,498
Fao constar A guarniAo, quo approve o enga-
iamnento que emin 5 de dezembro ultino contrahio
para servir por mais 6 annos, no 2, batalhao de in
fantaria, o anspe(ada do mesmo batalhao Joa-
quirn Vieira Dias, que cm inspeccsa de sadde a
que foi submettido, foi julgado apto para conti-
nuar a servir, confiorme tudo communicou o Sr.
tenente-coronel commandant do referido bata-
lhao, em officio n. 688 de 30 do referido mez.
(Assignado).-Antonio Tiburcio Ferreira de
Souza, brigadeiro commandant das armas.
Conforme. 0 tenente Joaquim Jorge de MeZlo
Jiilho, ajudante de ordens, encarregado do deta-
lhe.

Repartloio da Policia
Secqao 2.3-N. 1. Secretaria da
Policia de Pernambuco, 2 de janeiro
de 1885.-lim. e Exm. Sr. Participo a
V. Exc. que no dia 31 do mez findo fob-
ram recolhidos A Casa deiDetenqlo os in-
dividuos Floriano Ignacio dos Santos, Pe-
dro Jose Lopes de Lima, Miguel Candido
de Oliveira, Thereza Maria da Conceigio
e Joaquim Baptista da Silva, os dous pri-
meiros por disturbios, a ordem do subde-
legado da freguezia de Santo Antonio, e
os ultimos tambem por disturbios, a ordem
do subdelegado do 10 distrioto de S. Jose
Hontem, 1 do corrente, foram igual-
monte recolhidos naquelle estabelecimento
os individuos de nomes Candido da Costa
Santos, por disturbios, A ordem do subde-
legado do 0lo district da Boa-Vista; e
Anastacio Jose de Assumpgo, Francisco
Antonio da Trindade, Gervasio Pires Fer-
reira e Faustino Miguel dos Anjos, tam-
bern por disturbios, a ordem do subdele-
gado do 20 district da Boa-Vista.
Dens guard a V. Exc. Imm. e Exm.
Sr. Dr. Sancho de Barros Pimentel, muito
digno president da provincia. -O chefe de
policia, Manoel Ventura de Barros Leite
Sampaio.

Thesouro Provincial
DESPACHOS DO DIA 31 DE DEZEMBRO DE
1884
Wilson Brother & C. Deferido, send
eliminado o debiao do deposit de carvgo
de pedra a rma da Ilha do Carvalho ns.
42 a 48, relative ao exercicio do 1875-76
e posterior sob a firma dos supplicantes,
visto que provam ter desoccupado o mesmo
deposit em dezembro de 1874, nos terms
das informa~5es.
Manoel Nunes Correia de Mattos e Fran-


cisco de Figueiroa Faria. Restitua-se, nos
terinos das informagoes da Contadoria.
Antonio da Silva Ferreira.--Deferido,
ficando irrespousavel do debito anterior
quem estabelecer-se no armazem n. 10 a
rua da Ponte-Velha, visto provar-se estar
fechado o desoccupado.
Antonio da Silva Duarte.--Indeferido, a
vista das informaqoes porque dos documen-
tos exhibidos nao results duplicate do pa-
gamento, mas samples quitagAo da decima
da casa n. 8 a travessa da Casa Forte nos
annos de 78-79 e 79-80 e do imposto
additional A mesma decimas relative a casa
n. 91 a rua de Santa Rita nos primeiros
semnestres de 79 -80 e 80 81.
David da Silva Maia. Indeferido a vis-
ta das intorma9oes do Consulado.
Maria Rutina do Nascimento. Deferi
do, para ser eliminado o debito da casa n
7 ao becco do S. Goncalo, retferente ao
oxercicio do 1881 -82, a que interests o
disposto na lei n. 1,544 immediatinente,
iUiia vez qu) corn reelao aos posteriores
jA foi attendida a supplicante pelo Consu-
ldo.
Irmandade do Santissimo 8-eramnento de
Santo. Antonio. -Deferido quunto as as
as. 16 a 20a travel dos Qartei por
ach.remse sujeitas A decimI inferior A
13#i00, ub4istfnJo por6m a psp mst ili-
dade da casa n. 7 arua dos P4os As 4 U
nu4eda Recife Draoain visto q, e BO
ex&& d 1882-83 foi sjta ..i
inun~rin Audwe limits dai isunda f asitim


Francisco Paulo de Albuquerque, Jos6
Joaquim Goncalves de Barros & C., Ro-
drigues & C., Carlos Sinden, Jos6 Ferres-
ra & C., Antonio Dias & C., Manoel Col-
lago & C., Augusto Fernandes & C., Al-
fredo Ducasble, Vicente Jose da Silva,
idem, idem, Moreira e Braga, Ferreira
.Lima & Braga, Manoel Joaquim Pereira
dos Rein, Eugenio Goetich e Henry Fors-
ter & C.-Sim.
Joao Christiansen & C. e Manoel Jose
Gongalves Braga. Indeferido, em vista
das informages.
Eneas Americo do Medeiros. -- Deferido,
corn relateao a tempo em que negociou.

Camara Municipal
DESPACHOS DO DIA 31 DE DEZEMBRO
Pdlo Sr. Dr. Goes Cavalcante, commnin-
sarito de peicia:
AuguKto F. de Oliveira & C., pedindo restitai-
nk~o do zeaent d ommafr ^imna wBrfa4fft tfA &na ap ** a An


4
I~e kria & JiUjo~


!'~ ~~ ~ "'. !^ i il' .,
prie~aN% ^.c
I, ,, I I it .. ...I" i j e ll
"A t* 10" f- AovO

lIas existentes nestsa rapartio, evolveU,
do estes papeis opportunamaente.
JoIo Guilherme & Sobri h. Deferido,
tomando-se por termoB r_ fianga offereoida.i
Pret do Corpo de Policia. -Pague so.
Francisc* Evsristo Ribeiro Varej&a,
thesoureiro das Obras Publicas e Antonio
Augusto da Fonseca. Haja vista o Sr.1
Dr. procurador-fiscal ..
Carolina JosephinaPorcia Paes de MeA-
donga. Certifiquqe:se.
Jos6 Adolpho do Oliveira Lima. -Defe-
rido, tomando-se por termo a fianga offere-
cida, depiots de recolhidas as aces a qUq
so refere.
Francisco Lucio da Castro. Registre-se
e fagam-se os devidos assentamentos.
Manoel Felix do Nascimento. > Informe
o Sr. contador.
Francisco Ferreira Baltar. Junto co-
nhecimento de decirna do ultimo semestre.
Jose Elias do Oliveira. Informie o Sr.
contador.
DESPACHOS DO DIA 2 DE JANEIRO DE
1885
Maioel Fernandes Velloso. -Entregue-
se pela porta.
Jose( Gomes Ferreira Junior e Manool
Francisco Maciel e outros.-Haja vista o
Sr. Dr. procurador fiscal.
Pontos da Secretaria do Governo e da
Bibliotheca.-Ao Sr. thesoureiro pars os
devidos fins.
Thesoureiro das loterias de emancipa-
gao.-Informe o Sr. contador.
Manoel Ferreira e Antonio Joaquim Vi-
nhas Maia. Certifique-se.
Augusto Octaviano de Souza.-Informe
o Contencioso.
Ponto da Escola Normal. -Ao Sr. the-
soureiro para os devidos fins.
Pret e folhas do Corpo de Policia. Exa-
minem-se.
Martiniano Jose de Jesus.-Informe o
Sr. contador.
Jose Adolpho de Oliveira Lima, Wilson
Brothers & C., Maria Rufina do Nasci-
mento, e Antonio fia Silva Ferreira.-Ao
Contencioso para os devidos tins.
Irmandade do Santissimo Sacramento do
Santo Antonio.-Ao Sr. Dr. administrator
do Consulo para cumprir o despacho da
junta.
Joaquim da Silva Duarte e David da
Silva Maia. Entregue se pela porta.
Joao Guilherme & Sobrinho.-A' secgao
do Contencioso parsa os aevido fins.
Manoel Jose Bello.-Volte ao Sr. con-
tador.
Antonio Bertholdo Galvlo.-Informe o
Sr. contador.

Consulado Provincial
DESPACHOS DO DIA 2 DO CORRENTE
Augusto Carneiro Monteiro. Certifi-
que-se.
Ferreira Cascao & Filho. -Sim de ac-
cordo corn a informaoo.
Luiz de Albuquerque & C., Jose Fer-
rpira d& C., Joo Francisco Ferreira Ju-
nior, Zeferino Valente & C., Gr. Laporte
& C., Jos6 Bernardino Ferreira, Moreira
& Duarte, Damiao Aderito Ferreira Lima,
Scares Fernandes de Oliveira & C., Lou-
rengo Ribeiro da Cunha Oliveira, Manoel
Lourengo Podrosa, Albuquerque & C.,
Antonio da Silva Junior, Antonio Bento
de Campos, Jose Antonio dos Santos Car-
noiro, Julio Fuerstemberg, Hermina Cos-
ta & C., Arthur & Deziderio, Themaz de
Carvalho & C., Arruda Lustosa & C.,
Sampaio Co9lho & C., Francisco Antonio
de Albuquerque Mello, Antonio Domin-
gues de Lima & C., Antonio Francisco
Pra9a da Silva, Ramos Oliveira- & C., Pe-
dro Maia & C. e Antonio Espinola F. de
Oliveira. -Sicm.


,.o de suas critics. E come o destine individual
e collective, dadas certas circunstancias, depend
mais do que somos do que das formulas political
de que usamos; come, depois da reform constitu-
cional, ficasemos'sendo todos aproximadamente o
que eramos antes delia, a consequencia sera a ne-
nhuma transformagao do estado dos negocioa pu-
blicos, caso nao fiquemos um ponco mais deseon-
tentes e irritados uns corn os outros.
Talvez a falta de interesse que ana.Ao manifes-
tou pela reforms constitucional, a o tempo da de-
claraCAo do Sr. Ferry, tosse o principal motive do
mode de proceder desse estadista. Essa reforms
teria, mais tarde ou mais cede, de occupar a soena
parlamentar. A rethorica, a oratoria declamadora
nuaea perderia inteiramente de vista material tao
propricia(ws uas expauies. De mais, a constitui-
jIJ ~U4'0AW U~0~ iodo 87 tiba esient n essdao Geomn


tabelecimento site a rna do Commercio n. 42. Vo de 1875ia ealmote neeidadedeemen-
Attendidos. das, que podiagi corn certeza sor addiadas ainda
B mnto Monteiro da Silva, pedindo licenga par per muito tempo, e sem o minimo inconvenient,
ca.salisar agua pars o predib n. 16 a praga do a alo absoutamente repellidas. Ora se o go-
Conde d'SCu.-Como requer.m pea o"i"po emdi
Bjrges C., para abri um eastabelecimoeto d* wintesperasse quo o pail lh'as imposesseur (i
aeeco. e moihados site & ru" de Pedro Afibfonao as dilaolo, nao 6 provavel que a camera dos deo.
8.-S-im, pagando o imposto do -exercicio cor- d.. ou unm grawnde parte della. aproveitasse
Xmilio Adelaide da Foasee. pan abrir n= #qasleo snaisr a. rtav
c. de barbeiro nas ra. das T WiaiWs n. 1.- 4 o quoaeAqaique o iisterio prjectava
Coumo requer, pagando, o impoato competent. aomi hado pes cirecustacias ?
SJoaquim Coelho Barbosa, pediado qo 'iunfei| o. s s elei5es geraes aprximavamse, eera
tos oa devidos lanusmeatosno.aetido dter ans ti a a r ..a gn
ferid. da cams n. ItI a travels. da b- doe Pe, ur.e. t inutisar urn arma que on intingotes
d41w Is para A rua do BarR. do T Wimju&o o. 69,o 0e *a mouarchhtea nao deixariam de braidit contra
B t eaimeoto d04e 4mo rfquer. i-fA "aiariam
-MauB Sies da4 M*tts. ed doeu a n te 0sewi a


- ri^^0o onde teni astil &ecimento de ho.
'. Dr. Jose co0missar
-4 8ro, oilai
Tgi~adedo, pedindo licenga parsa
4. a- ui. 10 Arua de S.
0enlo ,en ud6 as 1aguassele-
Simpl to- aturase
etali H Camara Municipal do Re-

'*"'^f :~ ~~ "p''^ orteiro,
L1 e opolin ;A.P "i Si .




R^iIE, I.e DErJANEIRO DE 1885
Retrospeeto Poeltlco do
anno de t.84
(Continuateo)
A-'folha citada, apesar de seu character governis-
ta, niAo deixou de. considerar intempestiva o a cer-
tas respeitos pericosa a declaraggo do Sr. Julio
Perry.
Effectivamente, a reforms das leis constitucio-
nusaes nao era n'aquelle moment urma profunda as-
piraeao da nacionalidade franeeza, que parece ate
haver-the tornado medo, depois que cm 1882 a vio
servir de pretexto A queds de um ministerio presi-
dido polo cidadio que, neste seculo, foi o mais jus-
tamcnte popular e amado no paiz.
A propagandai dos radicaes nao tinha por esse
lade produzido o minimo effeito.
Alm dlsso, 6 incontestavel que em political sao
extremamente arriscados os promattimentos a
longo-prazo. Estabelecem desde logo urma impa-
cieneia e agitavlo do espirito public, da qual, no
melhor dos casos, results polo menos a preteri-
9ao ou esquecimento de todos os mais negQoios
de positive interesse national.
A ninguem 6 dado prover exactamente o future
e bern pode dar -so que a variabilidade das circuns-
tancias torne amanbA impossiavel o' cumprimen-
to da promessa que hoje se tinha feito na me-
lhor fM e corn o mats decidido animo de satiotazel-
a. E nessa hyppothese, como o complex das con-
diges sociaes e politicas nao se retract sempre
claro e definido na mente de todos, ado 6maravilha
acontecer que da espectativa burlada, das espe-
rancas desfeitas se originem as mats temerosas
perturbag9es.
A Franga laboriosa, porigual amante do progress.
so e da ordem, tinha razao para se nao preoccupar
em demasia corn a reform, constitutional, these
corn que certos politicos intrigantes havisam em
tempo procurado especular grosseiramente.
Acreditava ella que os debates parlamenta-
res sobre tal reforms, quando nao fossem desorde-
nados c violentos, seriam pelo menos estereis e
prejudiciaes A soluao de outros negoclos, para os
quaes a sua attengio anda a muito exclusivamente
voltada. A situaqAoecouomica e finaneira, o estado
agricola e industrial, o desenvolvimento do ensino
public, as reforms militares, a regularisaoo do
di.-eito de associagao, o mat star das classes pro-
letarias etc., pareciam lhe assumptos mais digno
do estudo e actividade parlamentar do que as con-
cep 'es mais originals e engenhosas, acerca da
melhor das constittuies. Os debates no pure do
minio das theonas arbitrarias excitam por certoa
eloquencia dos deputados, mas, como disse alguem
um grao de milho vale as vezes muito mais que um
milhbo de bellas phrases.
E' ainda para notar, escrevia um jornalista
parsiense, que today a discussion constitucional,
por que faz nascer esperanyas excessivas, conduz
necessariamente a urna deceploo; porque nso visa
o ponto em que a enfermide reside, s6 aconselha
remedies inefficases, s6 produz illusoes. Cads era-
dor denuunea no texto que refuta a origem unica
de todos os males conhecidos, ao passe que faz de-
pender uma era de felicidade universal da acceita-


honrado Sr. Freycinet dizia alguns dias depois, na
sessao de 6 de fevereiro, que tendo ido corn a ma-
xima attenao todos os debates que a tal proposito
se tinham dade nesta Camara, estava convict de
que nao era possivel determinar qual a opiniio da
maioria relativamente ao assumpto de que se
trata. ,
SEsta apreciagao parece-nos ainda hoje tio
incontestavel come outr'ora, e 6 per isso que so-
licitamos de v6s um neovo exame e urma solugao
dcfinitiva.
a onvidand6-vos para decidirdes um ponto de
direito, e antes de tudo um acto de political prati-
ca qae de v6s esperamos obter.
A smaioria republicans, que tern sem duvida
em si todas as prerogativas, e particularmente a
de limiter o seu proprio poder, deve,e n6s o pepdi-
moe e esperamos, determinar voluutariamente o
seu direito de coastituinte, obrigando-se a este
respeitoe por um voto formal. Estamos certos de
que urma vez contrahida ta l obrigao, ninguem
duvidari que ella seja leal e exactamente eum-
prida..
Eramn estes os artigos e paragraphos parsa cja
revise" o project pedio autorisasa a cemara :


W40idoPropriamente por causa dreforma consti-
tucional, maBsamAnbeno podia esquecer-se da
profunda ve d o proferira o S. reyciiet,
quaido, como presidente do& eonselo, delarou,
semr ser c ntestado, qie opprlraeato ainda nao
tinla dade a conhecer de modo dlare qual o soeu
pensamento acerca da natureza de gsomehante re,-
fcrma. 0 aetualdirector da politics franeeza ti-
nha por consequencia diante de si4o desconhecido,
o incerto, convict, como deavi estar, de que todas
as pioTnbina'9es preliminares corn a 'naioria da C-
mars podiam falhar A ultima hora.. Mas ainda
quando o project que o governor tivesse de apre-
Sentar fosse integrlmente approvado nas duas ca-
5as do panlamenteo as suns disposig5es podiam tor-
nar-se apenas urm. indice de materials, a respeito
das quaes o congress fieiaria corn liberdade de
admittir todas as modificacoes e suppresses ima-
ginaveis.
0 journal Republica Franceza declarou, poacos
dias antes da apresentagiao do project, quoe o go-
verno empenhava a su a existencia na aceitac.Ao da
reform constitucional,t nos limits e pela forma
porque a havia imaginado; que podia A Camara
que o auxiliasse a obter do Senado as indispensa-
veis concessoes pars realisar-se a reuni.o do con-
gTesso, promettendo garantir ao Senado, que a
maioria da Camara, urma vez congregada, obscr-
varia restrictamente tudo quanto anteriormente fi-
casse convencionado.
Confia-se ou nao soe confia no ministerio-in-
terrogava a falha citada ?-A questao flea total-
monte reduzida a estes simples terms. v Mas
per maior que fosse a confianga inspirada polo go-
verno, desde que a Camara s6 tinha de votar quanto
aos limits da reform e nao quanto As solu5es,
essa confianca teria em todo o case urma influen-
cia mediocre. 86 perante o congress 6 que a in-
tervenqao governativa podia tornar-se efficaz. In-
felizmente, nio tend o ministerio responsabilidade
perante, semelhante Assembl6a, tambem nao Ihe
era licito fazer question de confianca quanto As res-
pectivas delibera5es. Os ministros poderiam in-
tervir corn a sua eloquencia, corn a sua aetividade,
mans sem a foroa que lhes poderia advir de urma
amea~a de retirada, no caso de nao obterem ap6io.
Nio obstante today a gravidade dessas conside-
raoes, o Sr. Julio Ferry apresentou o seu project
de reform constitutional na sessiLo da Camara dos
Deputados de 24 de maeio do unno proximo findo.
O habit ministry depois de haver explicado elo-
quentemente os motives que o levaram a promoter.
mais cede que se esperava, a reforms em questio,
terminou o seu discurso, aconselhando A Camara a
maior prudencia e moderacao no delicado assumpto
de que se tractava.
S Omisisterio pede-vos a repulsa da theoria revo-
ucionaria, que consiste em affirmar a necessidade
de urma assemnhle6sa constituinte, perante a qual en-
trem em discussao todas as instituaies, sob cuja
proteegio se abrigaai o trabalho e a riqueoa deste
grande paiz e atW esta mesa Republicsa, tao diffi-
eil e penosamente conquistada polo firme criteria
do suffragio universal. Roga-vos o governor igual-
monte quc ye vos exprimais corn today a clareza e des-
assombro, acerca das doutrinas fluctuantes, ineor-
rectas, e nao menos perigosas, que se apoderam do
art. 8 da lel de 25 de fevereiro de 1875, para obs
curecer lhe a lettra e o espirito, theorias que se de-
finitivamente triumphassem, fariam da reuniao do
congress o mais terrivcl dos commettimentos.
Temos para n6s que a resolucibo tomada pela Ca-
mara ena 26 de janeiro de 1882 nao fixou, per mais
que se digs, a doutriua da maioria republican
nesse ponto capital. Para aquclles que nao es-
queceram ainda essa recent historia, tal resolucao
teve 'apeoas o earacter e autoridade de um vote
politico : nunca foi considerada como a solutio ju-
ridic?. e serena de um ponto de direito constitucio-
nal. A sua popria formula 6 incerta, e a dis-
,tussao complicada corn a questabo de confianca, nao
a esclareceu sufficientemente. E e por isso que o


Cidade capital, sede do governor, Pariz coihe os
lucros e paga o onus dessa situasAo excepcbinal.
E' verdadeiramente superflnuo explicar e justifi-
car eases precelentes.
Hoje, como no passado, os3 poderes publicos es-
tAo resolvidos a manner, entire Pariz e as outras
communas da Franca, urma distinegao fundada era
motives de ordem e no proprio interesse da grande
cidade.
Essa resolu*ao odera ser abaladsa pela ex-
periencia da legisla*ao liberal que data de 1871?,,''.-
0 suffragio universal deu resultado que sao de
datureza a recommendar a extension das attribui-
96es concedidas ao conselho municipal?
E', infelizmente muito facil responder a esta
dupla pergunta.
As deliberagoes e as 'votac4es do conselho muni-
cipal ahi estAo parsa attestar qae easse conselho
tern a pretengo de ser, antes de tudo, um econ-
selho politico, e que, em variaas occaaes, a pai-
xao arrasta-o para t6ra do dominie parameate
administration.
Houve quatro eleio5es desde 1871: em cada
eleigo o character politico do conaelho cads vez
accentuou-se mais. A assemble, quoe toern su
s6de no Hotel de Ville, nio 6 um comeulho mBuci-
pal, 6 e quer ser antes um segundo ]erlaento, e,
per conseguinte, proeede nesse sentido A usur-
paoo 6 flagrante. Associe-se ou no a s theories
politicaA, econoumicas ou outras que inspiranm as
doutrinas do conselho, nao pade haver contesta*o
sobre este ponto. Por outra parte, ae examina-se
a composigo, do conselho municipal, p6de soe jul-
gar a a applicasio'dalei de 1871 deu a Pa4ri a
repreaentao A qual teris o direito de pretender
pars a direegao de sons interoe 0 suffrgio
universal n-o teria seao o embao d. eaolUa
pars designer entire a gene lhrds -o4iodade,
os 80 cidadlos que, por 'nsu exp e su-
perioridade reconhecida de se a eon
siderago universal de que gosooiti ioreme-
sem _er chamados adilt cio da
SB rk sasim que aseases
Statestlow a lisftsdos
uloips, d#


Por tr*

PC oadc
Cad&


4


L


lIho. A".peito do primeiro, di" 0 o Sr. Juho Fer-

Qo notti|t efm ver desappareccr, por ujeio
de uarns dispouiT clarn'e formal, um equiroeo de
long. data, 4 que o governor se dehberava a sub-
metter A revislo do congress o art. 8 da lei de
25 de fevereiro de 1875, no quo era inspirado
1pela neeossirladde urea norma a adoptar-se' na
reforms das leis constitucionaes ; que a lei apon-
tada naIo quiz affirmar, noem negar que o process
de revislo estabelecido pelo art. 8 podesse ser ap-
plicado, nao s6 a todos os artigos das leis consati-
tucionae,, mas 6 propria instituicao que 6 dessas
leis a eassencia e o fundamento, a forms republi-
cansa do governor ; que nueste ponto a conatituico
ficou calculadamente obacura ; que se fosse mis-
ter aceitar como doutrina coiatitueional que a to-
dos os moments, em qualquer urma das duas ca-
maras podesse dar-se urma discussio regular sobre
a form do governor, a constituiao tranceza seria
different de todas as mais: ella mesma teria
nesse caso proclamado a sua incuravel insubsis-
tencia, nao desempenhando e officio fundamental
que e a razao de, er de toda a constituigao, nem o
fim visado por todos os regimens em todos os pai-
zes e em todas as epoc"s, que consist em obstar
um estado revolucionario, em dar aos cidadaos,
tanto quanto o permitted a fragilidade das cousas
hamanas, a maior somma de seguranga moral e
de fM no porvir; que se a Franca amante do tra-
balho e da paz applaudio e ratificou brilhante-
monte a elaboracao constitutional do mez de fe-
vereiro de 1875, foi porque via n'isso o fim do es-
tado provisorio e de incerteza e o estabelecimento
de umia republican definitive ; que o paiz nunca
imaginou que a ultima palavra dessa evolucao tao
laboriosa podesse dar em resultado nas duas ca-
maras a permannenc a de urma situagao revolucio-
naria ; que era de interesse da paz public e da
dignidade do governor republican a rectificaao
de urma formula, que, se nao punha a republiea em
poerigo, prestava-se comtudo aos sonhos facciosos,
servindo de pretexto legal a inuteis agitacoes;
que o gabiaete podia ao congress parsa que a re-
visio a operar nao podesse em caso algum admit-
tir debates Acerca da form republican do go-
verno.
(Contin6a,)


EXTERIOR
A admilnistraio muelacipal de
Pariz
(Condclusao)
A Camara dos deputados ja rejeitou, em urma
discussag.) recente; a instituicio da ( communal
autonomy.
Prescindindo de qualquer consideracio de prin-
cipios, bastou evocar a lembranga da communa
de 1793 e da communal de 1871 para fazer arredar
temelhante combinaqlo, que daria possibilidade a
um movimento revolueionario, impondo-se nova-
monte pela forca e polo terror.
A erganisacao independent dos vintes distric-
tos para a gerencia dos negocios communaes, ppre-
cer., sem duvida, digna de ser discutida; apresen-
tarias, talvez, certas vantagens; mas, quando se
chegar ao exame dos detalhes de applicado, 6 de
receiar que o legislator seja retido pela impossi-
bilidade absolute de destruir o organismo, pa-
riziense, de supprimir os oreamentos, os recursos
e as despezaj, aniquilando Pariz. Nada prova
que se acautelaria assim o perigo politico, e 6
quasi certo que, sob o ponto de vista puramente
administrative, a popuiacao nao ganharia..
0 debate util s6 se estabelecera, sobre a fixa-
9.o nova das disposicoes respectivas do poder mu-
nicipal e da autondade central, sobre a media
dos direitos que convira repartir entree o conseiho
eleito e o governo. E' urea questao de deualhes
antes do que urna questalo de direito, e, pars a
decisao, os factos e os interesses prevalecerao so-
bre principios.
Ha uma coups certa, e e que, em todos os regi-
mens politicos, julgeu-se necessario organisar para
a cidade da Pariz urna administrasao especial.
Pariz nunca foi tratado como uma commune or-
dinaria.


*., I;1







"7 ;;.i. w r >- I-- --
., '"--
.. .I. -\ .


braado.4~lMp 5tod e o sats1 Scta iam au-
totladoe a moru qseaveasse eonafrmami
ao nmad e reeeberam doe eleitores.
Nos din s projeetos quo foram submettido e4A
discussao dos depatados para a reviamo da lei de
1871, tratava-es deadifioarae igoa..slata--.
raes. Procura- kair fMl" in e .m.*
minal por quarWft ea rauS b d a i
tricto, reunir r iamaaw u o r btt1ins-
trictos part o W Noimeu f lo d.f ceases
mo de fazer d-eu l= n s6 col6 1 el-'ral
nomeando conjpmanroisa 80jmeiMa d&- eon-
Who. .
Basta apenaaAkarwqwckjunl r tad ppWWdO
que proe5e umaa oldesuf totta tui-
da, antes de tuadAe a niapiae vubde mada.
tornal-o mais politiammate tavoraMvel a si.
0 partido que se chama iutransigente-ou auto-
nomista, desejaria afogar em uma a6e mesma urnsa
os candidates qualificados de opportunist que Ihe
sdo obstaculoe e os raros candidates monarehistas.
0 partido do governor espera que corn urma sub-
divisni bemL comproehadida e iamraia Boma..-r
crutimc de list temperado, Conseguiria desfechar,
*thi pJo dimple na eautonomimbas e moa-monarchix-
tas. Ningaem deve confiar ua virtude destas coem-
binaoes political ec ehimicas, per meio da4 quaeo
4e proura ,sanalgamar e accommunodar, par a eate
ow-wpqel"e'.fim, aaat oriaeleitol.
Subdividido-se ou nago, corn o voto uniaominl
oua corn o escratinio de list, o sffraio, tal como
existe ema Paris, ha deconmrter-se em eleiwoes
politics, e inacapaz do prodmzir uaa-e& eieo mu-
nicipal, no verdadeiro sentido da palavra.
3'N b stacar o sitffragio universal procurar o
S madoledapplicaqbo que coevirA meihor, segundo
as circumstancias e os lugares oinde 6 chamado a
exprimir-se, segundo o character das deeisnes qae
meihwe pede.
Ta sbemos 4partidariosedate principle potico
estlo longer de concordar nos pontos mais essen-
taines. Independentemente do debate sempre aber-
iwobrao eecrutinio minominal e o eserutisioide
lijta, diacute-se a question de sabex si o suffragio
deve ser directo ou indirect, a durago mais on
.-mea- sIonga do.mandato e o plebiscite.
E', i.is, permuittido eonsiderar que o suffragio
universal nao deva ser organisado pelo mesoam
modo para as eleic9es legislativas; per outro lsdo,
'kti demoastrar que em Paris especialmeste,
so ,el-meatos do corpo eleitoral si9 iLeapaeso de
fornecer uma representago exacta dos interesses
da comunina.
Non Estados-Unidos a opiaiLo paublia comamo-
xveu-se, desde alguns annos, corn a mA administra-
$o das principals cidades, e attribute esse estacdo
de coas a que os coaselhos encarregados de ge-
rir os aegocios communasest estao ios de politi-
tdens, que cortejam e exploram ) suffragio univer-
sal. Os impostos tornaram-se esmagadores, as di-
.vidas Dao deixaram de augmentar e jA chegam a
um total excessive. Ospoliticiens que sabem que o
seu reinado serA curto e que sua popalaridade
ephemera, batida na brecha pelos seus colleges do
prtido adverse, gerem prodigamseate os reeursos
da communal, oneram a proriedade e o capital,
eomo tin unico de agradar a multidlo que os ele-
geu. Tambemn emineates publicists, muitto demo-
rateas, nao hesitam em deaunciar a organisaa9o
viciosa de um system de voto que produz taes re-
-ettados, e a reviseo do suffragio universal, em
tmateriaamunicipal, estA na ordem do dia. Hekve
ate, a eote respeito, inqueritos ordenados em various
estadus da Unibe, principalmente no esta de New -

0,iqgpinaento sobre o qual apoiam-se para jas-
tificar as reformas consiste na distinaQio existent
'e entire os aegoeios do estadoe e os negoeios da
(OKuim a. Entre as medidas figmiram e s6 cow-
binagCia, mais ou menos engenhosas, para garan-
tir aos contribuintes uma part da votagio que
eorresponda os encargos qu e supprtam, como
taWmbem ,projeetos nao disfarcados que tmdemoa .a
estabelecer certas condicoes de censo.
Eis o-que se dispute abertamente nos Bstados.
Uoiids.
Eu houtros paizes lives, na Inglaterra, na Italia,
nat c6lonias australianas, a eleigAo para os con-i
selhos loXeas mais restricta do que para as as-:
semblias inaei es. A distinocao 6 admittida,
como principle e combira corn a doutrina demo.
arat ica.
Quanto A cidade de Paris a diatincio rmpoe-sen
per si, em razx aoc&Bdicaiesaiteiramente excep.
croaaese e, pode-se mesmo dizer unicas, corn qu
se expnime o suffrsgio universal-
-Nai4M ams *ade n0 -nande-qoe contum-ihl-
garimo tio cousidemavel tie habitantes nascidoe
i6ra do seu rescrato.
A estatistica d'a omans um parisiense per tres
habitantes.


K .--W|WU w- HPo ~ fiB nii Ae~~i inue*n-
p~laf. .zsepokinaL 1.6 am .uqd^|mx -do

as pweas. Us parsas a .a a am condigOen tio
pritiliadas manito perigoe anxt homra.
Arresar o perigo ranuado Paris do amplex.
revolucionario e oolocando-o sob o patrocinio do
p inteii.a.sLp ece o r a slo-
fl aIi P pat~-. io gpsmma orp0M -
q^-ip" aI -recwie do seaqpifdo;

SdnV 'E' u S ama 1Me ABrK







Vlageut de 88. Altezas
( boad rdo)
P-11e~, E ute-sm~F41s- us4dGh~





Sias Altexas patir~n da PAlmeiramsate-hontem.
tfs 7 horas da manh csam destine cidade da





Laps. A viagem & teita tedal nos eampos, euj~o
W emo, memos a ts lan* nvesondwa-
es. 0 home sonte--se verdadeiramente peq'ueno
tC JLewlU~e.








diante daquella grandeza. Alteza
(Jernal do Cornmercio)
Co~itfus, II &'dumbau.,6 -burre turd..


S ass Aitesas rprtiegaram & d LPaoiiaant2horas
da tarde, hoas da sdah cm destiny do a cida d


Campos Geraes, sogro do eonselheiro Alves de
Lapa. A viagem 6 etna tdpaf no nitampo, houe
oeneso, mes alveas, t aves poaasrus.-
*on. 0 hornem sonte-no vordadeiarnmente pequnen


diante daquellS.a grineza Imperial regressar para
Sass Attests ehegasam A Laps An 2 horns


daqui. SrdA. o S.peCdo-snde d'E aa do Barnha dodo


wA sea eario o master Oliveira Santos, enge-
nbmpoiro Henriger e egro do onselheiro Alves deArajo,
Araujo. A rcep a villa Lapdo Rio Negro, sita, dauve



magmdireita do Rio Negro, affluehatt do
foguse, salvas, pvegao naW as oPorto da Us.
Su'Hon Altem Suza pretende contisituar sua viagempatri a-
tesindo dS. A. villa Pdo Rio Nea Imperial regressar parde
Squi. ABento, d'ode Sr. eguiCondr d'Eupa aEompanilhado dosi-
nazi seoretsrio e mater Olivoira Santos, engo-


ntire Haneaenre as naprovincias.lves d Aajo,



a+ Da Encruzilhada Sun Alteza iriA cidade de
partJoinville parospera la do Rio Ntegr, situnada simar-
argem direit do hoera, a pequena distaneia doma-
gestoso porto de S.navegado at nco portSul. Joinvile
Sua Altoxa protondo continuar sua viagem. par-


tindo centrda villa do Rio Negro parncsa que seramuitdo



desenvolvida.
& A villa t, d'nde Joinville foi rsa Enouzr lei pro-
tuvi racial n. 566 de 15 ude ms provincias.rgo de 866. A is-
Sallao da Ecruzilaa mSunia ipal effectuou-sza ir cidade a d7
de janei, prodspe 1869. Foi a viletuevada mar-
gem do ria de cidade, a leproquovna distaneia n. 842 dema-
gestoso port da S. Francisco do Sal. Joinvillo


de macentr de 1877 ena F6 o ancmporio da colonia Dmuit
dosanvolvids.


nc A villa dqe Joinvill foi ituada no 26 de la.ei pro-id.,
vnfincialndo. 566 do 15 demia do. Pr866. A ins-ter-
rento da capropriedade de SS. AA. RR. o Prin-se a 7
dcipe e a Prineezroa de 1869. Foinville, e a colonia foi fdaAen-
tgoia dpelSo ideade pColoeisadora do Hambargo. 842 d
de 18a9 e colonisada desde o di da de margo de


1851.
,a nAcidade de Joinville tem ao 26 do 1st popuriaod.,
continande corn a proviaceia do Parana.- Otar-


20e eralma, ur igeja md d AA. Rda. o Pr2de de-
ciepo o a Princexa do Joinvilla, e a colonis foi fun-
dada pelti Soele lade Colonisadora do Hamburgo
em 1849 a colonisada deado o dis 7 do amaro do
1851.
a A cidada do Joinviloe tern urns pepulncae do
2-060 san.a, uslo igroja, matrix, fuadada a 2 4e de-
aombro de 1857 e consagrada a 8 de dezembro de
1867, e unma igreja evangelica fundada a 1 de ju-
nho de 1857 e coasagrada a 30 de setembro -de
1863. E' do port, de S. Francisco do Sul.que so
rojecta fazer partir a estrada de ferro D. Pedro
I, a qual, passartA pels productivos terrenos das
eolnias.D. Francisca e Blumenau.
S 8. A. a Princzas Imperial4 acompanhadadq
sui comitiva, partindio da Lapa as 7 horas d 4
manha, parou no lnrar denominado Mato do
Beira para aesitar ,o slo eo offerecido pel BarAo
dos Campos Gerasw. D'aht a viagem continuous
sem novidade atW a prospera colonial Thomai
oeho, situada a 17 kilometrosda capital. Foi
fundada em 1876 e coata hoje urna populagio dq
cerea de 2,000 habitantes que cultivam trigo,
centeio, fumo e diversos eereaes. Sun Alteza
chegou aqui as 7 has da tarde, panoo antes ds
chuva.
SAntes de fechar esta carta devo fallar da
estrada de ferro do Paiank, eujas obras foram
eraaazgdas hautem no kilemetre 107, AO.u,e
tires kilometros aperas distant da estaao-de|
Coertiba. t
a' 0 Dr. Saroes, que estava tinteressadisisHa4
em termimor ooleito st6 aqai, pan que as. Al-
teza a Princeza Imperial pdesse tomar o trem1
evitaudo asim a viagem de artro, come acon-
'toeas qeundo ohegoi, tev o penr do vroe:
seu trabaiho ,perdid, ,per eguaa dasae obapgo,
qup ndo tern razao de ser, ao que parece.
Vejamos. A' estrada de terro tel doado nI!!
terreno para alli so construirmua-eatapio -o Iftis
denendencias Existindo nesse terreno nm nan-


t,-A popie'de.elemento nativonas eoleioes,nao tu-ne-ta banhado, aemnamara muielipal interessou--
attianga tera parte. Ie .maito para que-sse levautada a eaWaoao
0 parnsiense fixado no solo, o parisiense-queqtemn I ugr em que esti. A companhia, querendo ser
aisua& eidade natal interesses de propriedade, deo agradavel A camera, abandonou a sua primeira
w c=mnio, de industrial, de trabalho, o parisiense idea -de faer aestacio dentro da eidade eaceiton
mneieipal, esta em -infima minoria. o ta reaeo.
Un avtotaindigena sabre tires repetiremos, nao se ; Gasto a companhia 120:000 ( em aterros e
eawnted-ea part algana. r ontras obras, aFm de levantar a estarIoe e agora
E pretende-se que o contribuinte-de Paris 6exac- Iembarga-se -o assentamento dos triliao iifaas.
tmuaie represeatado e reguiarmente administrado Faliam em prolongamento, quasuo nem mesmo
pw--amwaobelho-que.prwe ededetuna elei*o assim! querem que a estrada chegue A capital da pro-
O tgav d&! !vrciar !
-twOmplho municipal represent e administa,; cSua Alte! a pio hoje de manha d
so miwa.-nas duas tercas parties, flamengos nor-' earro corn seas filhos e comitiva pelas arredores
iwpaM,- betbs, gaseaes, etc., exeollentes comnpa- da cidade, e foi ate ao lugar chamado Bareguy,
tqttmque rentmibuem certamente para a fortune dlonde 4e d sscortina umlindo :panorama. On-
eorandeza de Paris, mas que ndo podem ter nem ira msa pr alma de um pareute, ao que
*9interesne nem a affeiao ao solo, nada em amUi me dizem, e a tarde foi Sua Alteza ver a coude-
palarvadoque constitu eo saentimento communal, laria de Bacachery, onde ha bonitos animaes de
.Para oaeseratinios politicos, admittimosque asess ragao a
eleitores.wotemaem Parnse, mas, parasol esor-tiuios, Coritiba, 12 de deznembro, meia-noite S. A. a
qusd sose rerefeew a communa, a promiEcuidade Princeza Imperial, acompanhada de seus filhos e
doaeteitove,; quando existed nesse ponto, tira ,A de sua omitiva, foi A colonia Pilarzinho, ftundada
eliuo o character de uma representagio municipal. ci 1870. em terras da mauicipalidade da capital,
Portaato, corn o regimen actual, Paris nao 6 uma 'onde dista urma legua.
coiniuna, eoconselho que funciona no Hotel de ((Sobmaco ini sta proiacia, rocebi
Vilhe ndo 6 o conselho municipal de Paris. h Sobre d oonar o desta provincia, recebi
-Estabelecidos estes pontos, como resolver-se a hoje do Sr. Henri Duquenne, vice-consul da Bel
difficuldade ? zica aqui, uma carta de qua extraio as segaintes
O,.meio qup, a primeira vista, parece tnmais ramoa- linhas : t n
vel, .seria modificar a ici eleitoral, decretando, per ,( Mu ito me regosijo corn a sua chegada a Cor-
exemplo, para os eleitores e para os candidates, tiba, lastimando ter tAo poucos moments para po-
una duraV&o mais long de resideacia, de modo dermos conversar largamente sobre as quest6es
que o element parisiense nao encontrasse mais no do dia, princip.lmente a colonisacio. Bern sabe
escratinio a conourrencia esmagadora do element quo, apezar do estrangeiro, interesso-me muito
provincial, e que Paris pertenaesse como se deseja Ploe future deste grade e xico paiz, e quanto me
aos parisienses. fr possivel1 trabaiharei corn esfmoro para seu des-
Do mesmo modo, sem recorrer As praticas censi- envolvimento. Nao careoo dizer.lhe em que con-
tanas, seria possivel. encontrar, para as eleie5es diW5es se acha actualmente o Brazil relativamen-
municipaes, certas condicbes que tivessem por final te A colonisaglo. Na provincia do Parania ella A
tostar e garantir que o eleitor, ou ao menos o eiei- riasficieate e nao pide dar resultado satsfacto-
th,,totne directamente interessado na boa adminis- rio neo par aprovincia nempara o cotono. De-
trayAo da communal. vo notar, todavia, que estes fizeram tudo quanto
Ma s do. conv6m dissimular que, no estado em podiam para tornar fertil um chilo pouco favore-
quo se acha a opipiAo, esses processes se arrisca- cido pela natureza. Estes colonos aos quakes me
riarn a no ser acolhidos. refiro sdo estabelecidos ao redor de Coriuaba, pos-
Vr-s-in, ainda qua injustante, ma sgun- suem eatradaa de rodagem para vir A capital ven-
Ver-se-hia, ainda que ijustamente, ureasegun- der seus diminutos pro-ductos. Outros mais favo-
da ediao da lei de 31 de maio, e esta lembranca don nund to i te prodrctos. Outren uaiaam-
kitnni pa Paraprorocar ardentos protantos da -do-arecidos, quanto ao terreno, vivem na abundancia,
araa para provopar ardentes protests da de- m n go teem estrada de rodagem, e estio em
mocracia parisis ,iar distant da capital e do itoral, quae so os
Desde entio, acreditamos, seria nutrir-se de il- iunicos mercados consumidores onde poderiam ven
lusoes e nio proeurar remedio em urnma reform der suas mercadorias. Nestas condieSes o prego
electoral que, demais, nio seriatalvez, muito eficaz do transport aus)rve muitas vezes o que a mer-
em Paris. cadoria poderia alcancar. Todos estes colonos sago
Falhando semelhante process, somente cumpre bons, trabalham corn afinco, lutam corn coragem
reformar as attribuicoes e a competenciado coasoe- e -perseveranna, e deve-se reconheeer que por cau
iho municipal eleito, c 6, realmente, nesta ordem asa da mA direo.Ao A que ndo se alcanna o fim que
de id'as que o governor parece estudar uma legis- se almeja.


MOW nova.
A administration de Paris. capital da Franca,
interessa a seguranga do paiz inteiro o compro
mette politicamente a responsabilidade dos poderes
publieos.
"E' sobre este ponto que, em differences occasiSes
--agitou-se a question de saber si Into conviria rear
um .mininsterio da cidade de Paris. 0 use e o abu-
so que, desdce 1871, o conselho municipal de Paris
teofeito de d uas attribuices, as mitas faltas de
Iegalidade em que tern incorrido, su a attitude hos-
tillpara corn os representantes da autoridade con-
trIn,,suas resolnuoaes e tendencies que, sob pre-
texionde autonomia, implieam corn a rehabilitage
das tiotrias da commune, trdo iato fornece pide-
mftt aSgumentos em apoio de, umra reform que
restringisp a competenia do conselho e nao dei-
ruse a eote utimo'senao um direito de superinten-
dencia adinistrativa suaffiiente par garantia lios

d!eontripnit.,. ( "''n
...' ? rroduuide ara:5 os ,nds a

Sjk3SaK$a 96 ha dua.asi das :
46itk~eaonuho-muicipat astbasituidojw
rt eom-nitto on a mestqurngio aWnpuua.

*..b flut'u-t.Pf<*fnl
*j1^>e~liutf^^^em~o;fill t


R*e am de ssaios1114*s
noadspuolitu$ a .

*&a qu repueanotam o future da p i
"af Mr nqee teumeos 1ct1mrtO 0F
?adeorg. iles, hoje irnpreduottfves
I0
[centriiair pftderosamente lara lever o Parmaa A-'
pr pemridade a que chegaram JA alguas de bas
irmm mais favoroedas. Pars ao s6 ha um meio,lI
entadas dinkes it qpuaa n~fttluanin -wga

deseo" 1-a M i -



euidos MeeaMbue_ a l i n .pros-.
iperufiMdmemb. e SaS D^ s-we~li-AverT
o, piaddo wMsabt w-B I aixM 1flasli-
tades onde a cultural do tr incerta e ate im-
possivel. E' por isso preferido nos paizes do nor-
te e sobre elevadas saontanhas. 0 centeio pros
pera em terreno os s mais desfavoraveis.- Di, eorm-
tudo, colheitas pouco abundantes nos terMenos eom--
postos de argila compact, sendo-lhe a humidade
Sw^ SaodaetM&&upiywa* -t < f
,p6de medrar no mesmo terreno, no deounso do um
certo numero de annos, sem desmoeeceras quail-
dads, nem diminuirem as colheitas. Orenadimen-
to do centeio 6 superior ao do trigo. Termo m-
die, produz elle per hectare mais de ,3,9 kilo-
grammas de palha, e 22 hectolitres de grtn, eujo
peso 4 de. 72 kilog ammas ios pame de clima toem-
perado. 0 eenteiot ocapa o segundo lugar entire
os eereaes, sendo talvez ts o nutritive oome o tri-
go: faz-se corn elle pao saboreso, quese e onner-
va fresco per muito tempo. Misturado corn semen -
tes de plants legaminosas, serve par engordar
o gado.
,, As immediaoes de Coritiba prestam-se per-
feitamente A eultura do centeio. Para protege
esta cuitura e provocar o sea desenvolvimento
devoria u govern o stitair reeompeaw para os
coltoa quo Main ne dedieassmA sea:cotfia, eque
melhores predwtos sbtivessem'
Paranagud, 16 de deembro. Suas Altezas
partiram as 7 hboras da manh de 13 de Coritiba
para esta cidade.
Ao iretirar-me da ,capital da previncia ndo
posso deixar de.agradecer aos seus dignos mora-
dores em germa e-em particular ao Sr. Paul Ble.
nert, chef e da c3o tabldade da estradla de fterro
do .araA, os insumeras obsequies do que lhes sou
devedor.
Sua Alteza dirigio-se de carro corn sua comi-
tiva para a ponta des trilhos, a 2 kilomnetros da
esta9ao. Numeroso concurso de povo jA o eosperava
na plataf6rma mandada fazer pela estrada, cujo
engenheiro chefe, Dr. Joao Soareas, acompanhado
do peosoal technico compostodo 1- oeagenheiro Dr.
Guilherme Benjamim Weinsehenck, os engenhei-
ros Drs. Luiz Arnaud Ferreira de Mattes, Caeta-
no Cesar de Campos, Arthur Cesar, Augusto Coe-
Ihoda Silva, Jorge Benedieto Ottoni, Augusto
Carlos Legendre, Manoel Francisco Correia Ju-
nior, alli esperava S. Alteza. 0 trem parties As 7
1/2 da manh, e chegou ao valle do Ypirauga on-
de comepam as innumeras bellezas d'aquella gi-
gantesca obra.
No lugar denominado Cadendo o Dr. Soares e
o pesaoal superior da estrada, em some della, of-
fereeerain a Sua Alteza e comitiva delicado aLmo-
co find o qual o president da provincial levantou
um brinde a Sua Alteza em amea da provincia do
Pa-ani e da estrada de ferro; 0 Sr. Dr. Leto Vol.
-loso Filho, chefe de policia, levantou .viva% a S,
A. a Princeza Imperial, a seus filhos e a S. A. o
Sr.-Oonde d'Eu.
,, Sua Alteza chegou a Paranagna lis 5 horas
da tarde e hospedou-se em casa do Visconde do
'Nacar come da outra vez.
a Sua Alteza ouvio missa. o dia 14 na igreja
da ordem de S. Francisco de Assis e depois em
barcou no paquete RBio-Graude e seguio para An-
tonimn. A povoa eaque estaa oidate de An-
toaiap, foiunadda 1 LuZZ Am"at em quae rcam au
torisan'o do bispo do Rio de Janeiro D. Praaciseo
de S: Jeronymo, se construio urmas- capela na fa-
studa do sargento-m6r liaoil do -Vile Ppteo,
4euuaina mraciosa. 'Foi elevadA a. villa erM.6
de novembro de 1797 cpm o titulo de Antonina,
em meforia de D. Antonte, principe do Portugal.
Tewe-cathegoria de eidaodeplga ln i n."A4-deo;te
janeiro de 1857 e pela lein. 308 de 3 4. abril de
1872 foi creada comarca de 1a entrancia. Autoni-
uamea situadw a, Jp9 fu adabaie:4 Praaguk,
corn born porto e aneoradoiirouars navibs de gran-
'de olado.: 'AhrSta 'Alteaa ^il6 ffTt od no taons
aoorxpsnhade it snuam ocoacmos, ,dx pOifeM
,mntri tamer er5$Q wltq^ por iftero.Re~row
para o caes, e tomaride de novo e vapor dirigio-se
A ilha da Gtmimiraga, utusik a-eertsa de 20 mi-
Ihua da o14d4deoe'riamaag, pcaa vrn a tbm fal-
ladcs omuhaquis, de .4ge ja me ,ceupei na carta
de Coritiba palficada 2l'-do 0oor-ntk. 'Do paque-
te pauses-se paras o -vaporpopquoe~, deet paras-o
shoeres a osBte&&wpiamft*'papww 4qkA1aa das il;.
D'ahi a pauseiata foi a pA um quarto de legua ate
ao lugar dos sanmbaquis.
c Sambasqi im Iisgan rem in4igenquar diner
ostreira. A, mais extensa das quo aSo :conhecidas
nas margens da bahia de Paranagui e dis desrios


quoe allidesaguam 6-a do -rio Sagrado's que Mdi
-mnlgnsente o nsme de Saubaqm-gwaoau (ontrei-
ra grande). Tern corca de 300 braxa de compri-
mento e outro tanto de largura, e aflea a 50 da
margem do rio.
Alnmdeana a aoutras mewnorns fprqadoentre
estas a da Guamiranga ou Uvamiranda, visitada
per Sua Alteza ante-hontem.:
Na voltas para Paransagua foi avistada urma
ilha ehamada dos Beguzs, nome tirade dos pas-
saros que a frequentam. E' ella mais ou menos
do tamaiho tda itlha dos Ratos (hoje ilha Fiscal)
na bahia de Guanabara, pedregsa, vendo-so.ao-
bre as pedras pequena vegeta9&o; em cada ramo
de arvore v-sen am beguiipousado balangando-se
ao sopro do vento que.aoita. a.ilha.completamean-
te desabrigada- Os beguas alimentam-se de peixe
e vivem em bandos.
Sua Aiteza doeaembarcoa -As 8 1/2 horas .da
noite em Paranagua, reeolheado-se logo A casa de
sua residencia.
cc Hontem as 7 horas da manhi seguiram Sua
Alteza e sun comitiva paras- a ilha das Cobras, no-
tavel pela sua excellent pedra de cantaria, e alli
entregou-se ao divertimento da pesca durante
longas horas e bern assir a na ilha da Cutinga, no-
tavel per haverem nella aportado os primeiros po-
vaadores vindos de Caanan6a ; nella se fizeram os
primeiros estabeleeimentos. Tern um rio de boa
agua que desce de seu pico mais alto, sendo ella
a preferida para as aguadas das embareagoaes.
Teve outr'ora uma capella sob a invocaugo de Nos-
sa Senhora das Meers, a qual tendo side edifi-
cada em 1677 foi demolida em 1699. Em uma de
suas enseadas naufragou em 1"718 um corsario
francez e encalhou o vapor national Salvador em
1839. Possue um born neoradouro conhecido polo
nome de porto Ne Nossa Senhora, o qual emtfrenta
para a cidade. Mede duns leguas de coaprimento
sobre uma milha de largura.
Da ilha da Cutinga Suns Altezas dirigiram-
se para o rio dos Almeidas para ver os samba-
qus, quae ali se vmein em montes.
,, Suna Alteza ainda visitou A neite a camera
municipal e o Club Litterario, dignando-se assi
gnar seu nome no livro dos visitantes deste ul-
timo.
a Hoje As 7 horas da manha Sua Alteza tom,:t
o trem da estrada de ferro do. Parana at o pocto
D. Pedro H e d'ahi seguio para a igreja do Rocio.


c Possue a provincia algamus estradas, nas onde ouvio missa, emo acso de gragas pela via-
quaes se p6de transitar a carro, mas grande part gem .ao sul. Esta igreja assim denominada por
dos terrenos que ellas atravoessam nao se prestam star a capella sobre a invocacao de Nossa Se-
a todos os geueros de cultural, ao passe que outros ahora do Rosario do Roeio, 6 aituada em terrenos
lugares privados de ecommunicagoes se acham em pertencentes ao parimonio ,da camara. Faz-se
mnelhores eondiqeos de fertilidade. 0 colono deve alli deslumbrante festa annual, onde ha grande
ser eollocado em condicao de poder dibpor de seus coneurrencia de cavalleiros, ehamando-se ella per
produetos sem perder tempo e de mode quoe o trans- isso a festa da cavallaria. Em frente desta ea-
Sporte naio he seja oneroso. Nio send assim, elle pella ha a babia de ParanaguA que tern urmsa legua
term de ponder o fracto do seu trabalho. 6 uma de largura.
estrada de ferro p6de proporcionar-lhe este rsa'il- ,, S. A. o Sr. Condo d'Eu encarregou os seus
tade ea prego medico transportar a grande distan ajadantes de burdens capitaes Hermes da Ponseca
cia ofrueto do e sea trbalho. e o Agricola Pinto de examiner a ilha do Mel, si-
I iP orque motive aol. segue o Brazil -o exemplo tuada A entrada da barra de Paranagun. Esta
dos americanos do norte, exemplo que imitaram os ilha 6 montanhosa pelo lade do eceano e baixa
argentinos que tAo bonds resultados teem tirado? pelo lade de terra; tern 2'leguas de comprimento
Pecvesatra sauns terras produsem mais que as do sobre urma de lJargura. Era fartil pars as planta-
Brazil? Be.oertoaquen. Os argentinos, qua7- $as dP mandioca e varies lpgumes,.,senado.hqjeaua
rendo povoar o territorio, lanugram mio do meio eulturt quasi nenhuma per cause das formigas.
mais simplesa e mais rapido, que 6 o de eetabeleeeIr NIla COremtlgua rios;cuja auas edo vem q
asteadas de fdtro ligandoenteasios ,centroa Cole- lha%, o.qae s atMbbua aaodeafolhmeato dos. man-
niaes. Depois, couforme a extensa existenute en- guess que bordam as margeos. Na fralda de um
tre estes eros, tratam de fundar colonial de ca-o morro que icta na pouts septno trienal e'fronteiro
daadd ta rma,,de de O at embyo aanal e oSt edlificada a mortal quo hi eita
.e .a vqtVT-x f ffut&d e Neg-I ksob oA .asupios dAO ,wnap .da -aniA o
tstu eondies o colono np preoia preoccupar-se morgao4 de Matheus 'D. Lniz Antomnio e Sotza
o omoe meiwo do, *anpote -avw x colkeitas. Betdlhoe ot dfreae de 'seu ajudante doe oide
A ',lhMiU aishfi (prie) n.-Icmaradwoe 4!t0, ie aaft&Mlm, ga o a a eow

*smasfertisi do Paran o se acham 'tar.


s da l eera de 6 lguo pela
,14 40 immrOzxift urMs beilieama praia que vaS
twmlns .o 'Otnueipio do Guantuba.
w Antes de feoear eata oart, a setima que es.-
Wevo da prerincia do PrAnil devo noticiar qua
a dim aquio no eirealos be. informiados qua 88.
MM. Imperiaes so esperadas nesta cid1de onde
at- wantrar-se eon8m Sum AtoezaM qu easm.
pi*swa gar no dia 1B. 4 Sewiro .tan w pro.
Jflturo, de volta&b prwasrmade
aD'aqui sneguai tb & s impimperial
itiba, iuaugurfsnt4 Mta ia*esflns de
PWaranA corn tods a^Se aM de. JAseo s
M awi em, grand.sieaw treeber 8W. Kai.
rmino cdando Wta d dlaortNuS pwoor
ritSas excurs5oes feitana pirinein. do PwNA:
Ca1lih a ParanagiO @k e volta) 21k T72 ;
Coritiba a Campo-Largo 33 k ; Campo Largo a
Palmeira 59 k 400 mr; Palmeira a Lapa 66 k ; La.
iPs .a C0ritiba 85k-SO08 ; Lapa ao Rio-Negro
T9 k 400w ;-Rio-Ngro a Encruzilhada 79 k 200%;
total 603 kilometros ou 91 leguas, isto em 14 dias.
At6 outra na eidade do Desterro..
P.. l~owM aaasapmimiacM de8. Paulio,
ass Altezas distriburam nest a provincia alga-
mas esmolas. *


REVISIt m.Um
flhesoaro Prowvincial-Por portaria da
prmedenciade 2de janeiro do corrente, foi no-
mecade o cidadao Martinho Jogo Torres Rolim,
para o lugar de continue do Thesouro Provincial,
rage pelo fallecimento de Antonio da Silva Araujo
Aleoforado.
Franquia dos por*osbroasllelros-
0 Sr. Dr. inspector da Saude Publica recebeu
hontem o seguiate telegramma do Rio de Ja-
noiro:
Urgente.-Ministerio do Imperio ao Sr.-ins-
pector da Saude do Porto.
Repita telegamma anterior per fattae de res-
posta sua. Goveruo decidWj navies sahides dos
portos franceezes Edepois dia 20 dezemhro serao
reeebidos todos portos imperio fazendo at6 se-
gunda ordema 24 horas observaqoes e design
.fecces. .
S( Igualmenfe navios vindos portos iaglezes e
wa do norte. Navies vindus Itaha e Costa
Oriental, Hespanha, 24 dias depois ultimo o ditr
porto de procedencia admittidos livre pratica ; 0os
qe bhoerem sahitdo rates de decorrido este
praso fargo 24 horns oh-ervanAo e desinfeecoes.
a Navies corn infqclo a ,bordp serao recu-
sados. Accuse reeepkAo deste.
a Assignado.-Dr. Nunode Andrade. Inspector.
Rio. .
*Conforme.-Dr. Lobe Moscoso.-Conforme.-E.
Tamborim.-Conforme.- Brechenfold. ,
Pal lecinpento -Segundo telegramma parti-
cular, de que anos deram scieneia, fallecou em S.
(Paulo, na idade de 35 annos, o-Dr. AntomojPeorei-
ra da Silva Barros, digno irmAo do Exm. prelado
deOlinda.
Era home estimavel peip suns qualidades e
respeitavel pelo ae talen*o; e, post que moeo
ainda, jA goeava d4e um none feito cuta, de mui-
to esforno intellectual e die nmita dediea;io e
hopradez.
Dames pezames ao verando bispo de OOinda por
esse golpe que o ferio.
-Na pioxima seguadafeira, pelas 7 horas da
manha, diversos*eerdotes eelehrarb misaas por
alma do illuatm finado, depois dellas aerA cantado
urn' memento, na matri da Boa-Vista.
Ontro -Hontem As 2 horas da madrugada,
.sueoumarn a ulana ffeoeaeoeadiaca,o alferee da
guard national, Gabino Jose6 Baptisti; escrivo
da dgacia dp 1. d. istieto, dest.a capitAl e do
jubddtegpdo do lo 4iitrietw da freguezia da Boa-i
Vita.
ira*offaMexio ,astaral destaproviscia, coatava
40 annos de.idad ue, ;jo,
Homem dota4o de boas qualidades c suWna-
mente trabalthador,, morreu pobre.
S0w set eaver-ibi bootem sepultado no cemite-
1x10kbliqio,
Suicidlo-Na noite de 23 para 24 de deaen-
honorotltno fiUdo, sucidou~se per estaangulamen-
to, dependsapdoqqe deo rmna +ar-,ore per-ams em'-
da no teymo dalloeia de;Goit4, Qhrietiano Bar-
ro-o 'de (karvaho, -padtasto do Revm. vigaro da
freguezia-dd (oriia.
'4biif~iwaai(idapque ethulia 65 fluno ie Miade
e era natural as provincia da Parahyba, deole ,ai-
.um teopo queo dava dohiojwr.quQll une-
'rasa, pois queo hbt-aove mzaes, tentou envene-
nar se, e sempre fallava em matar-se, daddo ceorn
causa cs seus padecimentos physics, que, segun-
do non iqatf zmamjea nta qsceol e lhe neo
davsm mpq+iso,
Para'sevtat o leafino, o Hevd. vigario da Glo--
riazqbamou-o spars Oun coniahia, e ells coi ef-
feito pareceu poueco depois mais caimo, como jue
procuaando iltudir a vigilancia sobre cre nexeo da.
No dia 21 sahio em djreccao 0o sitio ended dsan-


tes residia, promettendb voltat no dia 224 para
pattsn ssta tim eantiado; mae, aproveitndo
onsejo aJ aaseoca, altirealibou o seuintuito,
coqn fic dite, levando a consternagio ao seio de:
su$ faZtlia, A'qual ppresentamos nossas condolen-

I Unam e s d e.leucata=WNo -dia 10 do mez
iWAuro, abrir-oaha aa Faeuldada de Direito a;
h psent~o para os, xames de sciencias, .e continua-
r sat6,' dia.22.
Emoutra sec* publicamos o respectivo annun-
eio.
Wbirbulen$ps-Ante-hontem poer volta dasl
6 horas da tarde' na nus Estreita ddo Rosario foil
pseso.um indviidu, que aumasdo dAi uma nTaoa deo
ponta oembriwado praticava ditur,4ioe.
Foi coriduzido corn bastante trabalhp pars a laj
estao da ganarda divica e depeis remettido para 0
seu quarter por ser ter reconhecido ser praga do
exarcito.
Resistio.A prison que foi mantida, .no obstante
term rouitas pessoad do povore que o acompanha-
vam atirado pedras sobre a guard civic que ef-,
fectuou a prison de diversos apedrejadores, um dos
quaes atirou-se no ,rio Capibaribe.
0 Sr. sub ielegado de Santo Antonio tomou con-
hecimento do facto e communicou o occorrido as
autoridades compotentes.
Bstatistica mortuaria- No Cemiterino
Public de Santo Amaro foram seopultados em
dezembro:
De 1884 286 cadaveres
De 1883 284
De 1882 258
A media diaria dos enterramentos em dezembro
find foi de 9,26 cadaveres.
Os dias de menor numero de enterramentos
toram: 12 e 19 em que houveram quatro sepulta-
mentos; 3, 6 e 22 em que houveram cinco; e 14 e
21, em que houveram seis.
Osdias de maior numero de enterramentos foram:
16 em que houveram dezoito; 26 e 29 em que hou-
veram quinze; e 11, em que houveram quatorze
No proximo find anno de 1884 foram sepul
tados no refendo Cemiterio 3,555 eadaveres, assim
descriminados per mezes.


Janeiro .
Fevereiro. .
Mar9o ..
Abril ..
Maio e .
Junho .. ..-
Julho-. .. .
Agosto .
Setembro. .
O0tubro .
Novembro
Dezembro .
No aono .. -. .

em 1883 .....

emlSa2


a

323
270
313
281
343
390
,333
281
239
268
228
286

3,555

3.....

7i95


10,41
9,31
10,09
9,37
11,12
13,00

9416
7,96
8,64
7,60
9,26

9,,74


movimemao 4o port do Recitfe-N;
proximo .ndo mez deo dezembro foi este o movi-
mento do port do'Recife:
fraraes do exterwo
14 vapores lotando 22,045 tondas
45 havibsndevel& a T t *
,E -aI _mod ports oip o
t aor$. *, lotado 19136 ttoielads
20 naviosdevela vd,6/5 I '
LD And.#tote adh'1,1 etu
l9twdeo istim fla&8p
To navifosbvd 22,645


SAt'acPrast 8rs or porte do imperio
22 vapors.
80 navios de vela
Dando pra total das saaidas
30 vapores.
74 navios de vela.
W. B. Nas etradas comprehends-se 2 vapores
de guerra, m do exterim e outro dojaieuor; e
nas sahidam 2 varp s det -rras pwa o exterior.
reius UW4rSL- 4a.ma -A lppositoo
do que dieme W .te-emb esos.brica,.t
dirigio-nos o S-r. SB o deAbtrolim a.jt 'intes,
linabs, Qoeorrnfciina a aotiub (hc mahe
paquete JW rito.Awo plicnas afoiaot do
regresso w ao w port 4pamts A s ua
Coapmatia s O&lsrA*CI eujVapowe
-Corn refrmescioa w is n mV Vs. .
Dianro de hotbaoeg nsob Airfq Fpi
to, cumpre-me dizer o seguinte:
a Quando chegon-me a noticia de haver aquelle
vapvr encalhado pouce adiante do Part, veio
tambemn a de qne o vapor Pernambuco voltaria
d'aqnelle porto, e per esta razdo foi este vapor
aununceiado,; e, aoguada tebgrmwua do -Cosar,
hegab elt le aqui no domingo4 do corrente. Re-
cife, 2 dejaneiro de 1882. Baro de Petrolina,
agent.
Pest. do Senbor Bo m Jesus dos
,Passos na eapeila de S. uJos do
Manguianho Effectar -se- ha ,amanha a fests
do Scnhor Bomrn Jesuans dos Passes, promovida pela
commission encarregada da mesma.
Nomeamo dia polas 11 horas da manhi, en-
trarA, a festa offleiando o Revm. vigario da Gra5a
e fazendo a oramAo panegyrica o Revm. padre
Leonarlo Joao (irego.
A musiea s6 do maestro Santos Pinto, sendo en-
'augpd. dasorohestra o prefesesr Lydio at Ohi-
veira.
Na noite de hqje sera quoeisado uram lindo fogo
offerecido perl-dous devotes; na de armanha ha -
verA numa ladainha, find a qual queimar-se-ha
outro fogo deartifieio.
VilNo do Para-0- conselho de inquerito qus
se reunion no escripforio da Inscripcao Maritima
do Havre para apreciar o procedimento de Mr.
Laperdrix, cominuaadante do vapar Ville de Part,
por oceasiAo do nauftragio deste vapor, manteve
A esse commandant a autorisan o de comomandar
vapwo, maisim rehabilitaudo-.o.
lamnumddeia Moradoi-es da rai do Socego
do qaurteiraD fronteiro ao cortigo do Padre Anto-
nio, pedem-nos que reelamermos as vistas do Sr.
fiscal da Boa-Vista para a immundicii que ali ha
em continuaso aquella rua, porquanto as abelhas
daquelle cortiafazem alli deposito de cisco e de
peiores-cwsas o qu .6 insupportavel As narmas
dos moradores daquella rua.
Pontllhao-EstFA em perigoso estado e bas-
tante deteriorado o ponti'lho que existed no cases
Capibaribe e qune communica para os Coelhos.
Tern o seu lastro traneAs abertas promptas a que-
brar a perua do primeiro tranwounte que a' noite
por alli transitam.
Onmpre A-Camara Munieipal prevenir quants
,antes q.ualqner desgraa .q.e se possa darm, tan-
dando fazer os reparos precisos.
EstradA de ferro do Reeife ao S.
Francisco-Durante o mez de novembro pro
ximo fiado o;numero dos trend, corn o seu respec-
tive percurso foi o seguinte:
170 trens de, passageiros pereoronrendo 15,611,k950
194 trensdecarga pereorrendo 10746070
8 teas especiaes peroorrendo 34bk370
130 trons de lastro percwremado 2,00,100

02 trmws percorreudo 28,703,0390
ViajaramI na huha:
1,91 pamsageiros. de 1a classes
1,720:1/2 2 a c
13 71/2 c 4 3a c

16,913 passageiros das 3 classes.
Foram conduzidos 4,863 volumes de bagagem
pesande 8f4 M iogranmas.
Desapeharam 383 animaes.
TForem tiansportados 9.512,732 kilogramunas de
-merea4orias, centre os quakes figuram 302,994 por
cont 4-o g -verom1e l'28/l0 per eonta da empreaa
(4e Proboigaineato.
:Dos 94Q)1,519 kilografmas reatten foram
tzqnspoetagos 2.291,547 da capital para o in-;
te'or, senuo 19%,562 pan a estacao doPr.longa-
molot, 6. 4941 do interior pa- a p apil e .slp ndo
4)78,674 vindo. do Proloa~meutoQ,>a331 54m
tae o.intermaedo, onde fgaz:19Al -o mnepo Prolonganento. ;
A. Kme9itaimpoutou epa 10:IL7QAWO prmoveiun-
teaj~ seun tieaNvfrWEs ^ --, .


i'ansapeiron
BagAgem

Trets eapeciaes
'Mrcadorus
Tramnporte per conta
4o govazex
,Tnaspgf. p,enta
dp prolongameuto ,
Armazenagem
Telegrapho
Venda. die rateaial
velho


aecriaW
20r2180610
-9384900

84,36950
77:1806760
,T840680

4685220
249;820
'794280


r-preenutgwn
1.%220
-J745
Q^18
0,802
73,386
,. 0,755


0,755


20"00 0,0021


1051:/0880 100,o000%
A deopeza na importaneia de 44.-6391352 resul-
-fi cxd n ..inte- f .- -


Conservacio
Tra-io
Reparo de carries e
vag5es
Trafego
Administr&Aco
Telegrapho
Despesa a sanitarias


PDespeza
15:9015163
13:553,285

2:1MAW64SL
9:87617744
1:1620334
1;3975355
135800


Porcatagm
.35,621
30,362
6,128
82,126
2,604
3,1301
0,0311


44:639;352 100,000o/.
Receita per linha kilometre 8435127!
Receita per locomotivakilometro 346641
Despeza por p inha de 3574862i
Despeza per locomotiva 156555i
Praoprcionalidade entire a receita e
despeza 42,445 o/
Foi verificado uam saldo de 60:531I528'i
Foi recolhida A Thezouraria de Fazenda a im-
portanciade 220195250, proveniente do imposto'
sobre passagenseffectuadas nesta via ferrea du-I
rante o mez de novembro ultimo.
Repartigio fiscal em 31 de dezembro de 1884. I
Oltnda-Escrevem-nos em data de hontem :
Desejo-lhes boat entradas do novero anne, taoi
boas come as que teve a Compaubia dos Triihos, al
julgar pelos seus trens que andaram repletos de
passageiros. i
( Realisou-se hontem o espectaculo ao ar-"ivre
annunciado pelo Sr. Virgilio e. -. o encarregadol
dos divertimeaos. Estever om, mas... duroul
poace; emfim come o que 6 bomrn dura pounce! ..
E' escasado Ihe dizerque nio houve quem quizes-I
se-ser engulido, apesar de haver tanta gente no
largo ralmente a cousanio 6 das mais agrada-i
veis. 0 Sr. Virgilio de Oliveira deu conta ao pu-
blico de sua propostaa; appareceu um sujeito quell
a aceitou, mas que comegou a se incommodar ael
ver o Sr. Virgilio, comn ar de antropophago, a ar-
rumar o seu arsenal, e como esse declaranse queI
para engulir era precise mastigar, e pIspegasse
no paciente uma dentada no brago, elle nao eatevo|
pelos.., autos; e.,. pernas para quo te quero;{
correu e saltou fora do pavilhbo sem eneontrar
imitadores... antes qne o Sr. Virgilio continuasse.
<(:A music executou variadas peas do seu re-
pertorio naturalmente c gosto de muitos.. pala-
dares; paladares e nao palradores, come per en-
gano compuzeram na minha passada missiva; poqis
nao ouvimos at6 agora reelamagZes nesse sentido5
tambem come nito era ella o principal da festa. I
SNAo vi .w pomeoo do espectaculo o homem del
quemn Ihes tenho fallado; pensei que tinha ido as-:
sistir ao divertimento annunciado para a festa dai,
Tamarimeira; mas, come nem tudo que se pensa
6 rsal, eu, o vi depots... estava. junto de urma das
garapa, isto 6, e unm dos bances .de .volta do
pavaib. 4le applaudio a gymnastifa do Yir-
gilio. ..
Op lat&oes afo prdiearam novas faganhas;
tambeai coma' luaqu'Am havido I... lo 0Is -e
osdivertimentoe,os earr lansantes nas aw
particufares quefazem da velha eidade, da minha
estimada Olinda, am paraisoi.... desculpq-me, por
qu. eu reto dos raeos, isto A dai susS aventu-

L jrppoit),340o .qris Mhq qo 1.pedisstM],B


SVi aiuds mas. Fimo largo dina do e-
peael monqi; m Dam ex-jt vai tW uongasI... e
dpoi.s, eu reconhego, &o precias pe me diam, a
mmha rebea 6 urn pouno deafinada... EmfiUm
ta.bemrpo o pe j t4 iB, o... OsS rteW
visto as oma featas de arrabjdes, ndo 6 assim?
lmInagim, on m ae episodioo, o mesmos mode,
a mesa gente... Corn urma unmica different, ha
mais vid nesas feta 4e Olinda! Como quo o
lUag d M f mj ldoaia, vivifiea ecor.
-vbra unma.jMM S0---tju-a R delleq unan ou
j ilo I re ,, fi biagora pensar que eu
I fseuhn a viaAnsw me... disfarpzr.
a Z para M o jlgem-me iago aqui
fPPifft* owasascAo do gosto
4 4Wdo r-- .Nm divernsos paizes dif-
mAb 6 o i.i d'apo ta, diersos do os gostos
wsifmo m prazem. A few vorazs dos Lapo-
wosr 6AluMqu^lr u hnptuosidade enormes
pedaw de toucinho e chavenas de aguardente,
omquanto que o Arabe se content por muitos dias
corn urn pequeno sacco de tamnaras. Os povos do
norte da Europa associando a delicadeza da arte
ao appetite o mais inaciavel, gosam mais do que
outra qualquer naglo dos prazeres do gosto ; e o
mains paleo hespanhol pode apenas corn um suspiro
profundo de impotencia e hnveja pensar aos fabu-
loses estomnagos de Vienna e S. Peteraburgo.
Em geral, a necessidade da comida e os praze-
resa do gosto Edo talvez modificalos pela raga mais
do que pelo clima. Na America Meridional os ha-
bitantes do Rio de-Janeiro s.o muito mais come-
15es de que os de auenos-Ayres e de Montevid6o,
comquanto estes ultimos vivam em paiz muito
menos quente do que aquelles. Tern se visto in-
glezes e os Tedescos conservar quasi sempre os
seus habitos devoradores tambem no Paraguay e
debaixo da linha. OusamoW atL dizer que na es-
cala dos prazeres da garganta na Europa, os Loin
bardos e os francezes estfo superiores aoa outros,
emquanto que o zero serA assignalado pelos hes-
panhoes.
Instil 6 dizer come o pobre gosa menos do que
o rico. Este ultimo, por6n, tern necessidade de
grande estudo e de tenaz vontade para conaservar
illeso o appetite intermediado As batalhas conti-
nuns 1ue lhe da a sua cozinha. Mais de uma vez
abusando d'estes prazeres consegue causar inveja
ao operario que, apotado i uma columua, e vendo
aquelle de carruagem, devora corn soberana corn.
placencia o seu pao secco de milho.
0 trabalho Qual 6 ohomem mais feliz?
Quaes as palavras que se leem sobre a porta do
home que trabalha! Kant viveu quasi um se-
culo, sdb de eorpo e de espirito, nAo cessando ja-
mais de trabalbar e estudar veio a ser o pai da
philosophia modern na Germania; es seus ta-
balhos sao immensos, e a sua fama grande como o
mundo. -
Cada tarde deitando-se e embrulhando-se me-
thodicamente na sua coberta, repe"a sempre eo-
migo mesmo: Ha algnem quern viva methor que
en?
Pois bemrn todo home que passou o dia traba-
lhando, pode ao deitar-se repetir a si mesmo a
pergunta de Kant. E queon mais feliz de qae o
home.n que tern gasto pela uaiformidade da sua
vida no dasenvolvimento das torgas que a nature-
za Ike des?
As procellas passam-lhe sobre a cabeva mas nao
o espantam; emprega a vida no melhor modo que
concedido ao homemn, evita todos os males phy-
sicos e moxaes contra os quaes pdderi fazer ou
melhor desejar?
Fasei a bern e alegra-te : fazei o ben e Dens serd
camtigo; escreveu Linneo sobre a ports da aua
casa, e squellas palavras escriptas ou invisiveis
se acham sobre a port de todo home que traba-
lha.
Satde e coatentamento ao home quo, trabaha,
quebrando os torroes da terra ou diffundindo a luz
da verdado entre os homens, enriqueeendo o pa-
trimonio;des cousaas uteis ou o theaouro daes cou-
sas bellas. Sobre a cabeya delle o c6o 6 sempre
serene; e brilha o sol ou scintillam as estrellas, e
a atmosphere que o cerca esta emrabalsamada do
perfume de tedas as benglos. Saude e jubilo ao
home mais feliz da terra!
Emiceltanea-Shurmann, o empresario da
J'idie, qucixa-se muito amargamente ao kigaro
das desgragas que Ihe succederam no fim da sua
tournde en Espagne.
Entre outras cousas refeoe o pobre homem que,
depots do ter passado um dia inteiro, muito pouco
divertido, no commnssario de policia do Barcelona,
fbra conduzido A noite, centre dous gendarmes,
pelas ruas da cidade para a prison, endo o encer-
iJArW puma soalaubeo infepw, near arner Iluz,
tiendo pr leito ura zadeira e per companheiros
"dons individuos accusados de falsificadores de
xtkdp~.datistsdo.
N'eatat estuaao permaoneeu per quatro dias seat
se ioder lavar neor mudar de camisa Per firs
exigira m-lhe vinte mil francos de ianpa para o
soltarem. Shurmaun, n'um accosso de indigna-
cao e furor, declarou terminautemente que vai
exigir uma indemnizaco de cincoenta mil fran-
ces per perdas e dan.nos.
Asita-ae activamepte aquestAo da federal.
gHo dns colonias inglezas. .Em Londres houve
aura reuaifto des principles homes politicos, pre-
-dida pot Jfr,. awet,. a~ora, -atlecido, adoptan-


do-s e Awegite. reaoluofis :
1.0 Fundar-se-ha urma sciedade que tenha per
titulo-Liga da Federaeao imperial ;
2.0 0 proposito da Liga 6.formar pela foderas*
dos diversos pontos do paiz a unidade permanent
do imperio ;
3.o Qualquer que seja o proijecto de federato
soe dvera ella restriugir em cousa alguma As
attrnbui9es dos parlamentos locaes, no que diz
respeito aos seus negocios loeaes ;
4.0 Qualquer project de confederaieo deveri
estipular que os recursos de todo o imperio teem
de ser resultado de contribuiao, em propoicao
equitattva, para a deteza dos interesses e dos di-
reites commune.
Apesar de nas colenias inglezas a ida encon-
trar adherents, nao deixa tambem de encontrar
grande numero de contraries.
0 romaneista hungaro Mauricio Jokay es-
creveu um cempendio da historic da Hungria.
Este livro teve a desgraga de desagradar aos es-
tudantes de Pesth, os quaes julgaram ver janelle
pouco patriotism e resolveram fazer d'aqella
historic urma exeeunao public &A maneira da ida-
de media.
No dia do anniversario natalicio de Jokay, re-
uniram-se os estudantes em frente da sua casa,
fizeram urma fogueira e queimaram corn toda a so-
lemnidade o hvro abomminado. A policia chegou
demasiado tarde para impedir este auto de f6.
0 Bidlianist da interessantes pormenores so-
bre um novo process que absorverra quantidades
consideraveis de cobre e daria lugar i enorme
procura, alli ended o consume ate agora tern side
nullo. E este nosso college escreve o seguinte:
4 Diz que vai dar-se provavelmeate iumarepri-
se na industrial do cobre, e Swancea estremece
corn tal ruido. A introduccao dos navies de ferro
e ago paralysou a industrial do cobre ; mas agora
trata-se de applicar As places uma camada de
gutta percha, que se cobriria comrn uma capa de
cobre per meio de um process privilegiado ; as
places de cobre seriam, pois, fixas de maneira
quo podcriam resistir ao use. 0 process estt
actualmente em estudo no almirantado inglez, e
se o resultade dam experiencias for favoravel, a
s6de da'industria do cobre do mundo tornar-se-ha
de novo, provavelmente, muito prosper.
Leil6es-Effectuar-se-ho :
Hoje:
Pele agent Carmo e Silva, ao meio dia, na tra-
vessa do Corpo Santo n. 27, de predios.
Pele agent Pinto, as 11 horas, A rua do Born
Jesus n. 43, de predio.
Peloe agent Gumio, As 11 horas, na rua de
Marcilio Dins a. 32, de moves, louga, vidros, etc.
Pelo agent Britto, As 101/2 horas, A rua da
Aurora n. 149, de moves e mais objects.
Elsuan fnaebrem-Serio celebradas :
Hoje :
A's 8 horas, na matriz do Rio Formoso, per al-
ma de D. Idalina Regueira U. Cavalcante ; a. 7
horas, na matriz da Boa-Vista, por almsa de Modes-
to Leopoldo Xavier Bustorff; ias 7 1/2, nas matr
la Boa-Vista, per alma ae D. Idahulina. Begoira
Uchoa Cavalcantoe; As 8 horas, na igroja da ,i-
nha, per alma de D. Canwida Maria Ferrirs.
Segunda-feira,:
A's 8h na greja do Paraizo, por alma de
D. Anna.Coutiho ra de Melp.i. s
na do To*, id D.,
Pae Bai eto.
Tome*a 4f SfS1 Sabe-ne or
tlra~ua rewebidb pla Cf a Fix, tm, a
teria16&A,oettrhlUiO dia 31 do cormute.ior-
tfi r i*osa iegdiun iO m


.
-- -"t e- ",- .

,,+ ,., ---"-- .,


i *I .- .o


- -- .t "
----.-"'+-,C--- ,


-~~k--'~..


-. a. -:


-I it,




i -4-- ~Accas.a-i ~4p'


I LOU UD f .rgu ,m ; ,
























Se c.harai e.xp<. a.s nero .Uw l rU- -
madas -am:em uwile s- >ifSS Pa
M&Srapde lti#"wa da ~4e d0......
dimee -Corn novo pino ROuit! van-
.ta bilhetess achar-se A venda 4C a da For-
t"aYrua do Creipo-n. 23, osbilhetea dostalote-
taramde loterla da torte-EBta grande
lotea, eujo preraio grande 6 de 500:0001000,.
sey extrahida revemente.
Os bilhetes achain-se A venda na Casa Feliz,a
praqa da Indepeadencia os. 37 e 39.
Loteria& d o19o de Janeiro -A loteria
n. 349 A, do Rio, de 20:000,000 sera extrahida
no diado conmente.
O9r"to4ds billheea ti Qasa dax4 frtqa, run
1" do Mrco n. 23.
Loteria de 4 :00s 0O"000-Ejta gran-
de loteria do ieio de Janeiro, scra extrahida no dia
5 dejfneito pboxrmsn vindouro.
Bilhetes A vend nas Caia Feli -A praca da In-
dependencia ns. 37 e 39.
Grande loteria de Nitlaeroy-Esta lo-
teria, cujo premio grande 6 de 400:0005000, serA
extrahida no dia 5 dejaneiro proaimo vindouro.
Billihetes A ieada na Casa da Fortuna, A runa 1o
Ie MarVo n. 23.
*a giraude 1oteria da Ypirang---Es-
ta .lateria,*ujo capital 6 de 2,000:0004000,divili-
daeiem,srteios, sendo 100:0004000 O premnios
najiores de cada serie, serA extrahida no dia 10 de
janeiro prosimo vindowo.
Bilhetes A venda na Casa da Fortuna L rua 10
1e Marco n. 23.
Loteria 4le Macei6 Esta loteria cujo
-nxi.ior. preutio 6 4:0003, corre impreterivelmente
no dia 10 de janeiro.
Bilhetes garantidos A venda, na Casa Feliz, A
pracar da Independencia ns. 37 e 59.
Mercado Municipal de S. J0ose 0
movinaento deste estabeleeimento no dia 1 de
janeirofoi o seguinte:
Entraram para serein vendidos : 38 bois, pesan-
do 41792 kilos.
No mesmno dia entraram para o memo es-
tabel icuncnto:
Peixe, 21 kilos.
Farinha, inilho c feijtio, 40 cargas.
Fructas diversas, 24 ditais.
Suinos, 11.
Carneiros, 10.
Precos dos dinas :
Came verde a 569, e 480 reis o kilo.
Suino a 600 reis o kilo.
Carueiro a I A idem.
F'arinha de 500, 400, at6 280 reis a cuia.
Milho de 4'0g a 320 reis a cuia.
Feijao de 800, e 500 re. idem.
Forarnm occupados:
53 talhos de carne verde.
18 ditos de suiuo.
10 ditos de fressuras.
35 coinpartimnentos de farmnha e comidas.
70 idum de legumes.
Dove ter sido arrecadada ucate dia a inpor-
taijuoia de 1851620.
Foi multado em 2S000 o pombeiro Raymundo
Guabiraba, por infracyao do regulamento do Mer-
cado.
Matadiouro public Foram abatidas
no matadouro public da Cabanga, para consume
do dia 3 de janeiro, 76 rezes.
Ca.a de Detencato-Movimento dos pro-
sos no dia 1 de janeiro :
Exiitiam press 396, eutraram 5, sahiram 3,
existem 398.
A saber:
Nacionaes 360, mulheres 8, estrangei',s 14,
escravos 16. -Total 396.
Arracoados 365, sendo : bonds 350, doentes 15.
-Total 365.
Cemiterio public Obtuario do dia 30
de dezembro :
Jolo Manoel Ferreira, Pernambuco, 31 annos,
solteiro, Boa-Vista ; infiltraao urinosa.
Victorino B. Marques de Athayde, Pernambu-
co, 24 annos, casado, Boa-Vista ; tuberculos pul-
monares.
Lino Braz Bezerra Monteiro, Pernambuco, 70
annos, solteiro, Boa-Vista ; bronchite.
Maria Joaquina da Conceico, Pernambuco, 26
annos, solteira, Boa-Vista ; tubereulos pulmonares.
Antonio Joaquim Vieira, Pernambuco, 25 an-
nos, viuvo, Boa.Vista ; ferimento arma de fogo.
Anna Felicia de Jesus Lemos, Pernamnbuco, 74
asnos, viuva, Boa-Vista; febre palustre.
Elviro, Pernambuco, 2 annos, Graca ; febre ty-
phica.
Gerino Francisco Rosa, Peruambuco, 44 annos,
casado, Santo Antonio ; congest~o pulmonar.
Anna Coutinho Bezerra de Mello, Pernambuco,
40 annos, casada, Poco; tuberculos pulmonares.
Clothilde, Pernambuco, 2 annos, Boa-Vista;
ompgaborrhagia.
3 pela caridade.
31 -
Sabino, Pernamnbuco, 5 horas, Graca ; fraqueza
congenita.
Alberto, Pernambuco, 2 asnos, S. Jos6 ; vario-
las.
Fausta Maria da Conceizao, Pernambuco, 44
annos, casada, S. Jos4; tuberculos pulmonares.
Rosa, Pernambuco, 40 annos, solteira, Graga ;


febre palustre.
Marcolina Severa Pessoa, Ceara, 23 annos, sol-
teira, Boa-Vista; tuberculcs pulmonares.
Manoel Bernardino de Freitas, Pernambuco, 20
annos, solteiro, Boa-Vista; tuberculos pulmona-
res.
Manoel da Silva Ribeiro, Pernambuco, 22 an-
nos, S. Jos6; variolas.
Manoel, Pernambucs, 7 dias, S. Jos6; tetano.
Uma recemnascida, Pernambuco; nascea morta.
Donta Maria da Annunciagao, Pernambuco, 70
anuos, S. Jose; tysica pulmonar.
4 pela caridade.
P de janeiro -
Francisca, Pernambuco, 1 mez, Boa-Vista ; te-
tano.
Clothilde, Pernambuco, 6 mezes, S. Jos6 ; con-
vulsSes.
Maria, Pernambuco, 45 dias, Boa- Vista; tossed
convulsa.


CHRONICiA JUDICILRI


Tribunal da Relaeao
SESSAO EXTRAORDINARIA EM 2 DE JA-
NEIRO DE 1885
PRESIHDENCIA DO EXM. SR. CONSELHEIRO
QUnINTIO DE MIRANDA ,
Seeretario Dr. Vzrgilio Ooe&o.
As horns do costume prosentes os Srs. desem-
bargadores em numero legal, foi aberta a sesso,
depois de lida e approvada a aeta da antecedente.
Distribuidos e passados os feitos deram-se os
seguintes
JULGAMENTOS
-Habeas corpus
Paeientes :
Joauim Antonio Moreira Junior. Conceenu-
se a slara, contra o vote do Sr. descmbargador
Pires Gonoalves, votando o Sr. desembargador
Pires Ferreira pela responsabildade d eloga
de policia da capital.
Caetano Soares da Silva. go-se a soltura,
-A nionente, decretando-se ao Or, chef. delpo
A m propta remema do paciente W&e oj ti
o Fancico B OvrMaudon as o;*


eDa Parabyha B Rcorr u n te H-ere, gildo e r
*oei o wIait~engaB~~te 9*09 teel A11kx4a",





reira DE ,,reeoMrrdo, o jSiso. B61A.r 0, .dten-
mborgadorv Pis Ac el Negoa-se provi-eto



mnento ao roomo-unalaizmmente..
SDoe 'rimsbai -Reent 0 jaiso rocorrido
os6 Velloso Caar Foire.' Be!a.or o Sr. desem..
bargador Ale Ribeiro.-De-ae. provimento ao
o reurso, nanuaximmeente.




DI8TR1IBUII9_,8
Reee rsos eleitoraes
moqim Francisco de Saithifgm 1 Bef*tr Ip r




Ao Sr. deser bagFerioPirei.s FeCavraus e o





Da Nimeira dos IadioaRocoi-eate Dotiw-
gosCamento eme digencAbuia.erqu remd jui
DN Cabrob- -Recorrente o tenrmene-ildo PerJ





s6 Shares de Mello Avelina, roc~z'rdo Dornicuano
Paator3Ferreira Limna.
Ao St, deseusbarg;ador Pires Gonu~aires :
Do Brejo-,Recorrenite Franeisco Elias Quiiri-
no, recorrido ojicla zo. jizo OA S -
borgDe Taquaretinga-vRecorrente MNgodel Thom -
-inento so eue uatiair.






de TiMoura, r e orrido o juizo. ja reeorrido
Ca `elooGtar PFreire; -."$;i o Sr. desein-
Dlrgaoir levoo Uibteir60om- mt'e provimneato so
rueurso, aunaimemeate.:

Reearsies elaitofaes




Ao Sr. desembargador APires Ribeiro :
Do BrejPl-Recorrente Octavianoe doe Araujo im-
goCavalAlbuquerque, recorrido o juizo.
De Taquaretinga cute o teente Pauline Jos
6 STorres, recorrido Melo iAveuizo, rerdo Domiia
OastoralFerreira Limia.



Ao Sr. conseebaheir o Freitas Henriques:
De Taquaretiga-orrente oranisc Joo JoElias Quiri-
d Sant'Anna, reorricorrido o juio.
Do Taquaretinga- Recorrente Janoel Tho m gnae
de MBarbosura, reeorrido o juizo.
Ao Sr. condeseheibargador Alveiroz Breiro :
Do PBrahyba-Recorrente Bernardo de Araujo es d.
Souza Carvaqueho, recorrido o juizo.




Ao Sr. desembargador Bunrque Lima :
De Taquaretinga ob--Reorrente Joote Paulino Josr-
Torres, reeorrido o juizo.
Ao Sr. deonsembalheiro Freitas Henriquesto :
De Taquaretiga-Rcorrent o tenente J-oronel Joaquim-
sde Soares de Melo Avelino, reorrido Januari.




da Costa Agra.
Ao Sr. deonselheiro mbargador Oliveira Macielge :
De Tabrob-Recorrente o tenente-c Joo Ignaio-
Barbosa, reeorrido o juizo.
Ao Sr. conselheiro Queiroz Barros :
Da Parahyba-Recorreate Bernardo Alves d>!



so Soarvaes d Mello Avelins, reorrido o juizModestoo.
Ao Sr. desembargador Buarque Lima
De Cabrobo-Recorrente Joao Gongalves Tor-


res, reeorris do o Araujuizo.
Ao Sr. desenabargador Toscauo Barreto
De Cabrobo-Recorrente o tenente-coronel Jo-


Ese Soares de MelloAesso a I hno, r e 45 mido Januts dario
da Costa Agra.rde.
Ao Sr. desePbargador Oliveira Maciel
D~e Cabrobo -Recorrente o tenente-coronel Jo-
se Soares de Mello Avelins, recorrido Modesto
Mendes de Araujo.
Encerrou -sc a sesslo a I hora e 45 miaintos da
tarde.


PUBLICAIOES I PEDIDO


Primeiro district eleiloral
Auto de perguntas fellas a Jo6 Au
tonio de Oliveira e iliva, em o 1.0
de dezembro, pelo subdelegado dL.
policia aJuvencio Aareliano da Cu-
nlia Cesar.
Pcrguntado : qual ea nine, idade, filiaIlo,
e etc. ?
Responded: clhminar-se Jose Antonio de Oli-
veira e Silva, 3J aunos de idade, solteiro, natural
de Pernambuco, filho dp outro, caixeiro, morador A
rua Imperial n. 236, sabe ler e escrever.
Perguntado : se conhece quem o forioe ?
Responded que sirm, sendo urn tal NicolAo ; que
elle respondente recebeu os ferimentos dentro do
consistorio da igr-ja, sendo urn no estomago e ou-
tro no lado esquerdo.
E nada mais disse e nao lhe sendo perguntado,
etc., etc.
Auto de perguntas feitas a Erestino Ca-
valcante de Albuquerque, no dia 4 de de-
zembro, pelo subdelegado de policia Ju-
vencio Aureliano da Cunha Cesar.
Perguntado : como se den o facto de ter sido
ferido na tarde do dia 1" do corrente na igreja
matriz de S. Jos6 quando alit se procedia A elei-
io ?
Responded que cerca de duas para trees horas
da tarde, chegando alli os Drs. J ose Marianne e
Jos6 Maria acompanhados do tenente-coronel The-
maz de Carvalho Soares Brandio, e urn seu filho
menor, o juiz de paz president da mesa dirigin-
do-se ao Dr. Jose Maria consaitara o se havia
razo n'umrn proteato que apresentou ao mesmoa Dr.
assignado pelo mesario Joao Carolino;
SQuo elle respcndente nao se record que o re-
terido Dr. Jose Maria dcsse sun opinia'o a respeito
do protest, mas que o Dr. Jos6 Marianne dissera
que em urea das seccoes do 2.- district, appare-
cendo case identico, f6ra o vote tornado em scpa-
rado ;
Que retirando-se os referidos doutores e sou
companheiro coronel, nao sabe elle respondente-se
ainda estariam ellas dentro da igreja ou fora
d'ella, quando ouvio um grande rumor corn viva
ao Dr. Jos6 Marianne ;
Que julgou elle respondennte ser saudaco pelo
regosijo das eleigSes da Boa-Vista, mas que de
memento vie oelle respondente approximar-se ao
lugar onde funccionava a secio um grupo gran-
de capitaneado ou tendo A frente o capitAo volun-
tario da patria Fulano de tal Paes Barreto
Que vendo nao sa elle respondente come os me-
sarios e pessoas presents, trataram de fechar a
port qne da entrada para o consistorio da igreja
onde funccionara a primeira secio eleitoral;
Que em vista d'isto o grapo avannou e, forcau-
do a port, conseguiram-na abrir per meio de ar-
rombamento, disparaudo-se n'essa occasia'o tiros
de revolver sobre aquelles que estavam no consis-
torioe, send que s6 tinham armas o major Eateves
e sea sobrinho, os quakes ficaram logo f6ra da ac-
cio per se acharem o sobrinho do referido major
R iteves morto e cste fetido mortalmente ;
Quoe tratando elle respondente e as outras pes-
soas que estavamrn no consistorio de fecharem de
nove a port, foram surprendidos per um outro
grupo que, dirigindo-se sobre todeos aquelles que
estavam no referido consistorio e desarmados, fo
ram levados a tiros, ferro e pAo, sahindo n'essa
occasion todos que alli estavam no consistorio
mais ou menos feridos, exeeptiamdo-se o mesario
Joaquim Teixeira EBauss e o'esivao Jos6 Gon-
alvos de S, que evadiramn-se pela port do ca-
mainim, fechando esta apds suas sahidas;
Que elle respondente veado Jolo Mathias Ro-
drigues Franga pedir-lhe que o protegesse e quan-
do oIle Franca questionava a reapeito, p6de eide
respoadente escafeder-se, enoontraado na.sahida
da i.'reja o Dr. Jos6 Maria, Eugenio Fonseca e
Maurieio Borges, qeuo deram-lbe os bragos e trou-
xeramn elle respondente para sun casa todo en
sanguentado corn tree ferimentos na cabega e uma
facada na mio eaquerda; .
Qo osh livros. mvio elle respondente dizer qo
o mesario Teixeira Bastes e o eacrivao S i 6 quet
podiam saber d'elles
E cotmn nada mais dise nemr Ihe send pergun-
Uado, et-., etc.


Manarmt dito quoe foAaw-sipbiMc p |qu}ul[
tes tiveserm-se retirado 4ehoOrrf dgsieria.
nada sabendo mamis referjior haYer se r etirado
como aeima diese. "
SComo nada mais dise", nemAo sendo pergun-
jado, etc., etc. '-



bro, pe Ivae pblkftt cwbmcio
Aurdiano da & nha t ,C.ear
SPerguntadc: >,, aoi nso dou a 4.*tode tar side
inutilisados OB triall 4afiltr&ia ueco elei-
toral desta freguezia ?
; Respondeu: que na qualidade de esc-ivao de
jui d paz d*a fre&gaia, foraachami, TMMaa-no
dia- W" di& oorreate, a volta & nmat ,wz heo
da tarde, pouco mais ou menos, par transcrever a
acta di eleigo qBei-w m eia'.W a-mesmo
dia, no consistorio dairepei matr ;
Que alli chegando elle respondtfnte com o sea
livrao ainda nao estavaz proopta..aeta,por isso
que o secretario da me&inammeaw elitoral Aprigio
Jos6 da Silva, ainda estava lavraado a masma
acta;
Que elle respondents para adiantamlrvico (co-
piar para sen livro umas quatro ou cin cinhido
eabegario da mesma acta) nrbp e'j cotintar-par.
qua o respective secretario virando a folha do li-
vvod'melle, esta cireuCnstanenw iv el*e sespon-
dente de acomrpanhar a transeripgao referida;
Que nosta.occasiao suscitou-se urma qestao de
urn protest qne apresentamr o-mesario Jeao Caro-
line do Naseimento, 0 president da mesa allegara;
que este protest nao tinha rakao desear, pois que
a mesa eleitoral tinha procedido regularmente a
ponto de uma ch"pa, que apenas Utnha. o nome -
Dr. Nabuco-havia side apurada; ao q e eapon-
deu o referido'Joio Carolino, que nada tinhacomn
isto ;
Que Joao Carolino querma que seu protest fosse
aceito, eis quando lido o protest se verificou que
estava redigido de mode queo parecia que eram
mais de um os protestantes, e que per tante, elle
JoAo Carolino houvesse de fazer outra -redae,
singularmente;
Que quando se estava nisto ouve-se, un grande.
barulho, parecendo gente que vinhassubindb da
igreja para o consistorio;
Que as pessoas quo est*am em cima no dito
consistorio foram se encaminhado polo corredor
que da para a escada do coro e alli ouvio elle res-
pondente gritaria e algums tiros pelo que elle res-
pondente corn o mesarie Bastos suminmamente inti-
midadosie-&tordoados tratarain de fugir pela esca-
da do camrianm da eapella-mor, e descendo o me-
:sario Bastes, abrio uma porta que da para o muro
da rua do nascente e o galgando, fugiram;
Que o livro, elle respondente guardou-o n'um
canto da capella-mdr, segundo pareee a elle res-
pondents; e o do nesario tambem elle responden-
te nao sabe qual o destine que tivera ;
Que elle respondente nilu vie quem fechou a
porta qse dA entrada para o consistorio.
E come nada mais disse nem Ihe sondo pergun-
tado, etc., etc.

Auto de perguntas feitas a Dionisio Fernan-
des Dias da Silva, official de Justig, no
dia 5 de dezembro, pelo stbdelegado de
policia Juvencio Aurelzano da Cunha Ce-
sar.
Perguntado : se sabe come se deu o facto do
dia 10 do corrente, na igreja matriz dc S. Jos6,
quando alli se procedia a eleiao ?
Responded : que estando de serving come offi-
cial de justica, n'aquella igreja, per occasiao de
proceder-se a eleigio para depitado geral e depois
de concluidos. os trabalhos, vio elle reapondente
entrarem alli s Drs. Jos6 Marianno, Jose Maria
e o tenente-coronel Soares Brandgio e um filho me-
nor d'este ;
Que dirigindo-se o juiz de paz president A
aquelles doutores, fallou-lhes, nao sabendo elle
respondente sobre que assumpto; que tendo se re-]
tirade aquelles senhores, elle respondente foi ao
crmarim fazer uma refeicao, quando de subito,
ouve grande vozeria, e um individuo aproximar-se
d'elle respondente e logo descarregcu4he urea ca-
cetada sobre o ouvido esquerdo e mais outra que
o prostara ao chilo, nao conhecendo die respon-
dente ease individuo e que nada mais sabe que
possa relatar per ter ficado sere sentidos.
E come nada mais dime nem Ihe tot perguntado,
etc., etc.
A caspa e ontros males que afl~igem o
cmaneo inevitavelmeute destroem a vitalidade dos
cabellos. 0 rermedio soberano contra. estes flagel-
los 6 o Tonico Oriental, o qual, come per encanto,
promptamente os faz desapparecer.
Porem isto ainda neo 6 tudo, vigorisa e da tom
A cuticula per tal t6rma, que neo 6 possivwl poder-
se reproduair, a nao ser que o seu use seja conti-
nuado.


A transpiraio obstruida causada polo entorpe-
cimento da membrana exterior, 6 a orfgem de mui-
tas das sffeegces e enfermidades dos cabellos, e
este entorpeci nento nio p6de existir, quando os
vases superficiaes recebem sun maior fecundidade
mediante a poderosa accao e auxilio deste rare
vigorador vegetal.


Pharnmeia Pernambu na
DE

Antonio M. Veras
PHA-RMAOEUTICO
Runa do Cabugha n. I
Despacharam-se em dezembro findo, 569 recei-
tas dos illustres medicos seguintes:
Barros Carneiro, 91; Carneiro da Canha, 85;
Adriao, 36; MeUj Gomes, 37; Andrade Lima, 30;
Matheus Vaz, 27; Themudi, 27; Malaquias, 20;
Pontual, J8; Loureiro, 15; Main, 13; Teixeira,
13; C. Leite, 12; Santa Rosa, 10; A. Velloso,
10; Silva Ferreira 94 Jos6 Felix, 8; Curio, 8;
E. Coutiaho, 8; SA Pereira, 7; Barreto Sampaio,
7; Argollo; Berardo, 6; Nereu, 5; Velloso, 5;
C. Beltrao 5; A. Seraphim 5; C.Le o, 5; Cysne-
ro. 4; A Beltrmo, 4; Bandeira, 4; Bittencourt, 3;
BarrosSobrinho, 3; E. Cavaleante, 3; Ferrfira
Alves 3; J. Raymundo 3; V. da unha, 2; Si-
ioses Barbosa, 2; Balthsar 2; Moscoso, 2; H.
de Carv.lho, 2,; Eaoavo, 1; Caandba,a 2; Numa
Pompilio, dentistt, 1.
* Total 569.
NeMste estabeleeimento pswtifica-se quaiquer
reeeitaicom a inaaiqma fidelidad,.

Aula partUular de primeimras
SAntonio esmtioMoreira'iasJunior tern aber-
Ao, A run daas ymphas n. 2, uma aula de primei-
ms letters quaeiro a neoar no di '8.&
'mez de janeiro viai", .


S Quiot ternm a vida qeo pass
48 ode A. mortwiemmdr,
P ?ds, a motme nig assusta
S A quem, estA 4nmpre a meatt.

Infeliszeunvimmtao*WUd
SInfetis mui ao naseer,
Infeli teho viido
Infeli hei-do morrer.
Pouae tempo fai feliz
Em goz2 na amisade,
Em p de amr me dates
A m ea s -careldadef.
Ja Ua se passou o tempo
! Em que me tinhas amor,
Hoje wte mereVo
0 desprezo e o rigor.

N1o posso gozar jAnmis
Das delicias que ja gozei,
Come nasci sem ventura
Sem ventura acabarei.
No livro dos infelizes
0 meu nome escripto achei,
Corn tristes letras dizendo
Sem ventura acabarei.
X. Ramos. '

Uofle
Quem ama e nio 6 amado,
N.e p6de alegre viver
Glosa
Passa noites acordado
Pedindo a Deus sempre a more,
SConsidera-se serm sorte
Quern ama e neo 6 amado;
Faz-se per si dispresado,
Nao tern na vida um prazer,
Vive smpre n'um soffrer
Como nm enter real fadado,
E cuinwriudo aseim set fade,
Naoi p6de alegre viver.
Recife, 29 de dezerebro de 1884.
THcODORO RAMOS.

COLLEGIO

N. S. das Gramas
Este estabelecimento de iustruccIo pri-
maria e secundaria para o sexo femenino,
tern a sun s6de era urma confortavel chaca-
ra,. na ponte de Uch6a n, 10.
As materials ensinadas no Collegio sao
as seguintes. Religizo, portuguez, francez,
inglez, allemno, historic e geographia, pia-
no, desenho e pintura, danga, bordados e
flores.
As linguas falladas no Oollegio sgo a fran-
ceza, ingleza e alleml, para as quaes tmn
mestras quo residem no Collegio.
A director encarrega so segundo a von-
tade dos pais, de preparar as alumnas para
fazer exames na Academia, come fez este
anno corn brilhante resultado a collegial
Maria Eugenia de Mattes, obtendo distinc-
'U0 ed francez, inglez e portuguez.
Resultado dos exames feitos no collegio no
dia 30 de novemnbro de 1884.
1A dasse
Portuguez, analyse logical.
Maria Eugenia de Mattes, distincceo.
Laura de Oliveira, idem.
Maria Pinheiro, idem.
Eiysa de Oliveira, idem.
Flavia Catao, plenameute.
Eugenia de Oliveira, idem.
Maria Monteiro, idem.
2' classes
Notas da analyse grammatical.
Francisca Pinheiro, optima.
Edmunda de.Oliveira, idem,
M. Francisca de Salles Abreu, idem.
Francisca de Araujo, idem.
FRANCEZ
P dasse
Fabulas de La Fontaine
Maria Eugenia de Mattes, distincao.
Laura de Oliveira, idem.
Flavia Catlo, plenamentc.
2' drasse
Charles XII
Elysa de Oliveira, distincco.
Maria Monteiro, distinc~ao, idem.


Eugenio de Oliveira, idem.
Maria Pinheiro, idem.
Francisca Pinheiro, plenamente.
3a dasse
Charles XII
Edmunda de Oliveira, plenamente.
Maria Francisca de SaUes Abreu, idom.
Francisca de Arauio, approvada.
INMHEZ
1 dasse
Evangeline
Maria Eugenia de Mattos, distinc9o.
Laura de Oliveira, ideam.
2 clause
Vicar of Wakefield
Elysa de Oliveira, distineglo.
Maria Monteiro, plenamente.
SMaria Piaheiro, idem.
Francisca Pinheiro, idem.
Historia a ,iga, media do Brasil.
Maria Eugenia de Mattos, distincco.
Laura de Oliveira, idem.
Eugenia de Oliveira, idem.
Geographia e ,Comographia
Maria Eug6Bftr do Mattos, distincgao.
Laura dc Oliveira, idem.
Eugenia de Oliveira (geographlia), idem.
2& iasue
Elysa de Oliveirsa, diatinclo.
Maria Monteiro, idem.
Maria Pinceiroid~eas.
Edmunda d O: veira, idem.
MiLraneisca SalUa Abreu, plenamente-
SFrancisuAregjo, iaB.
: No & di^.1 4.&je ro houve o concer-
to t usibal '' a di.v0 do inside uaaa-


re A a lD s a Sa mUlho por MWes. o


icaW*wis o -w ahep o a wir s 4a0i,







Etoile d'or-por Maria e Francisca
Araujo.
Namesma nsite eatavam expa tos no
salls de estudo, grande numeroe, de pintu-
ras A oleo e aqaI aA -crayon,
que pela' perfeig' w db traba&o mootravam
o born method de ensino do digno profes-
sor Mr. Gadault.
No meoo da sala havia uma grande me-
sa cobertsa de bordados de todas as quail-
dlades e fires artificiaes.
30 deo dezembro de 1884.
Diretora,
Anna Carroll.


Collegio de N. S. das


Grapas
Este estabelecimento de instrucqao primaria e
secundaria para o sexo femenino tern a sun sWde
em urea contortavel chacara na Ponte d'Uch6a n.
10.
As materials ensinadas no collegio sao as se-
guintes : Relig-So, portuguez, francez, inglez, alle-
mao, historic, geographia, piano, desenho e pintu-
ra, bordados e flores.
As linguas falladas no collegio sao as franceza,
ingleza e allema, para as quaes tern mestras que
residem no collegio
A director encarrega-se seguudo a vontade dos
paes, dc preparar as alumnas para fazer exames na
Academia, come fez este anno corn bvilhante re-
sultado a collegial Maria Eugenia de Mattes, ob-
tendo distincgao em francez, inglez e portuguez.
Director,
Anna Carroll.


Instiluto Philomnatico
33-RUA DO VISCONDE DE AL-
BUQUERQUE-33

Cnrso de instruq io primaria e
secundaria
DIRECTOR
BACHAREL OLINTHO
VICTOR


Internato


e externato


As aulas deste estabelecimento' de instruccAo e
educabio estario abertas do dia 7 do corrente em
diante.


Externato

Sexo femenino
Run do Visconde de Goyanna (antiga
do Cotovello) n. 139
Abrir-se-htio no dia 7 de janeiro proximo vin-
douro as aulas do estabelecimento acima.
As materials leccionadas constam de : Primeiras
Lettras, P6rtuguez, Francez, Geographia, Pia-
no, Desenho, Pintura, Flores e todas as" diversas
eapecies de trabalhos de aguiha inchlusive borda-
dos a ouro, a cera a froco, etc. As materials supra
sao leccionadas per professores legalmente habi-
litados. Recebe se tambem alumnos do sexo mas-
colino ate a idade do 9 annos. Ha duas classes
de alumnos, meioe pensionistas e externos.
Clementina de Carvaiho Soares.

Jos6 Joaquim Dou-

rado, assignar-se-ha

desta data em diante

Jose Ferreira Dou-

rado.

Recife, 30 de de-

zembro de 1884.


Aula particular
Thereza d'Assumpelo Pessoa e Sonza faz scieo..
te aos pais de suas alumnas e ao respeitavel pu-
blico, que sun aula aeha-se aberta no dia 9 de
janeiro proximo vindauro A rnu do Padre Floriano
n. 9; consta o ensino de primeiras lettras e tra#'
balboa de agnlhado e differentes qualidades.
Pregos raseaveis.

Dr, Crqquira Leite

Iedico e operadr
De volta de suan viagem A Europa eonde frequen-
tou os hospitaes de Paris, tendo feito um curso e-
pecial de partos e molestias de seahoras, di con-
suitas no sen antigo consultorio A rua Duque de
Caxias n. 48, do meio di a s 2 horas.
Especialidade : molestias de criannas e de se-
nhoras.
Recebe charuados por escripto ou no seu consul -
torioe, ou em sun resideneia A run do Barae de S.
Borija n. 30.


Si(egio il I1
Caes do Ramos nm 82
As aulas deste Aemtbel ae priipianlo a
funcionar no dis 7 do oreute Riecembem-se
alumnos interns, meio-pensiobistas e extetnos.


Esecrlpturio ial, em Paris,
Avenue de l'Opra m. 36 .
E rlptorlfbllal, em Eamburge
.Neweberg n. 33
EtmelptrtimI, aem ADRID,
Carmen a. 3S
e em todas as prinelpaes
capitaes da Europa e da Ame-
rica Septentrional e Eerldlonal



Durante o semestre decorrido de 1 de janeiro at6
30 de junho proxmno-pasmado, pagou esta compa-
nhiador 38 8 simstros (mortes) a importancisto-
tal de 1,827,217 dollars ouro dos Estados-Unidos,
on em moeda brasileira cerca de 4,600:0004, sen-
do:
Em Janeiro por 60 sinistros 268,925
S fevereiro per 50 a A 209,615
marco per 75 a 252,186
abril por 84 V 396,261
maio por 61 V 409,595
Sjunho por 58 a 19 290,635
Simhstros na importancia
Tocarlo A Inglaterra 6 de S 19,125
A Escossia 5 A 5 10,000
S A Imlanda 2 i 22,500
S ao CanadA 8 i 30,000
AsIndias Occid. 10 a 87,000
A Franqa 2. 4 12,000
A Allemanha 2 5 5,680
A Hespanha 6 n 5s 30,000
A & Suissa 1 5 7,000
ao Chile 3-1 A 17,000
ao Mexico 6 1 9 28,000
aos Estados-Unic. 337 a 1,558,912


Total


Durante o mesmo period
em 1883:
Em janeiro por 56 sinistros
Stevereiro 55 ,
marvo 75 ,
abril 54
, maeio 65 ,
Sjunho 64 ,
Total per 369 ,


3


88 5 1,827,217
pagou a companhia
S 199,900
S5 22'',112,
5 255,64'
232,205
S365,358
1 227,370
S. 1,500,599


0 rateio da mortalidade sobre os seguros vigen-
tes era em 1883 de 1 10/100.
0 total page pela companbia nos ultimos 25
annos, por sinistros, dividends, annuidades e
liquidag5es de aplices, era em 31 de dezembro
proximo passado ; 83.877,699 51/ ou r/In........
200.000:0004000.
O total dos haveres da companhia em 1 de ja-
neiro de 1884 era A 53,030.582.00; o total de suns
responsabilidades conforme a taxa de 4 1/2 0/J
(padrio do Estado de Nova-York) S 40.020825.004
deixando o enorme surplus, fund de reserve, a di-
vidir-se centre os mutuarios (possuidores de apoli-
ces de 12.109.757.00 ou cerca de 30.000.0005000.
0 rateio dos haveres da companhia per cada,
A 100 de sun responsabilidade 6 de S 129.
(Extrahido dos Relatorios Officiaes).
As listas detalhadas e relatorios officials podem
ser vistas no escriptorio do Srs. Henry Forster &
C, na rua do Commercio n. 8, correspondents da
coinpanhia, onde tarmbemn pode ser encontrado o
Sr. Theodoro Simon, o agent geral neste Impe-
rio; todos os dias, das 10 horas da manhil at6 As
3 horas da tarde, durante a sun estada nesta ci-
dade.
Recife 24 de outubro de 1884.


Escola particular

Rha Io MargaIo e llevn L. '
(ANTIGA DO BVZ)
Anna Theodora SimSes, avisa ao respeitavel
public e aes pals de suns alumnae, quneno dial7
de janeiro proximo vmindouro, principiarz os tra-
balhos lectivos do seu estabelecimento de instruc-
cAo primaria, continuando a receber alunmas-in-
ternas, meio-pensionistas e externas, esperando
dos mesmos e acolhimento e protecio que sempre
lhe dispensaram, certo de que empregarA todo o
esmero no adiantamento de suns alumnus.


Cajurubeba

Uma cura rapida!
hIm. Sr. Antonio Pereira da Cunha. Taquare-
tinga, 22 de dezermbro de 1884.-Nao precisa o
seu famoso Cajurubeba que se Ilhe faca o favor de
o exaltar; 6por6mn de toda a equida&- qe -e pa-
tentei e as milagrosais curas que elle faz, isso pars
proveito da humanidade. Haver& cousa de cinco
mezes cle pernoitou nesta sun casa o meu amigo
Sr. cap$tBoA. da S. Ramos, o qual vendo o estado
soffiredor-de uma mana minha, senhora de 74 an-
nose, e que scffria horrivelmente dae rheumatismo
ha mais de 20 annos, a ponto de n iopeder andar
sem apoio, Ihe aconselhou que usasse o Cajurubeba
e elle mesmo Ihe forneeeu um frasco.
Nos primeiros trez dias, as does dobraram de
intensidade, e ella deixou de o usar; poredn a ins-
tancias minhas ccntinuou, e antes do liquid se
findar, sentia-se completamente restabelecida.
Para que pois, quem se achar em identicas'cir-
cumstancias As de minha irmi use de um tilo mi-
lagroso medieamento, peco a V. S. que d& publi-
cidade a esta minha dedlaragio.
Disponha do pequeno prestimo de sen criado e
obrigado, vigario-Renovato Pereira Tejo.
Reconhego verdadeira a assignatura supra e
dois fA.
Recife, 27 de dezembro de 1884. Em testemu-
aho de verdade, o tahelliio publico.-Josg Boni-
facio dos Santos Mergulhao.

Collegior da limaculada Cw


Rua do4, I Joei n. "1
As aueas deste cohlegio abnir se-hi6 a 15F deja-
nero, continuando a ter aulas diaries para todos
os prepaatgrion e urn'corpo doeente do- mais re-
Ionhecido merito.
Admittem-ealumanas intermas, mei pensionis-
tas e extoma.




























M(ANTIr~tA A- .7
EBPte estabeleclmen';toAeauoO rA ... a O0i .em 1880, funeciona a lntuet m uln preI o d&
Cvastas acco odaees, o s :egio dos-ro antes de aUa mua9a par a Colonia Isabel.
vastas accommod&P~es,.. onde-esteVio* 09 < '
Os melhamealoque acabam de ser exeeutdps lo d grie leauice para a boa diseiplina e condi9es hygnicas do
estabeleimento, cor Mna l -casa de bailiosormitorios gr a o Arejados, excellent roupana, etc.
Os interessados podem visitor e collegio a qualque her, das 9 d& mauhi As 6 da tarde.

wEIDCAVAO

Fundada nos principios dareligilo catholica, comprehende o ensino do cathecismo, regras de civilidade e pratiea dos bons
costumes.INTUCA
INSTRUC(AO '

Comprehend as'primeiras lettras, portuguez, francez, inglez, latim, geographia, historic, philosophia, rhetoric, arithme
tica, geometria e algebra. ..
Ha tambem ensino de music, piano e danga, mediante paga especial.
0 corpo docent compoe-se de professors convenientemente habilitados e do vocaoo experimentada.
Ha no collegio urma sociedade litteraria compost dos alumnos mais dedicados As lettras, a equal possue ura pequena bi-
bliotheca e celebra suas sessoes ordinarias nas sextas-feiras, constituindo assim urma especie do aula pratica de declamagIo.

CONDIVOES

Admitte-se somente alumnus interns e externos. o
Os interns pagarao por trimestre adiantado 1506000 ; os externos, 20#000 por cada aula. Os primeiros pagarao tam-
bern 20#000 por trimestre para a roupa lavada e engommada, ficando esta a cargo do collegio, e 506000 de joia no acto de sua
entrada. Vns e outros sao respousaveis pelos damnos e prejuizos que causarem nos objects do collegio.
Nao se farA desconto de f6rias, nemdo faltas dadas pelos alumnos; e, somente no caso de expulsAo, serA restituido o
que faltar para o vencimento do trimestre pago.
Para informapOes, os Srs.: Commendador Jos6 Antonio Pinto e Henriqu-. Xavier do Araujo Saraiva e Mello,
Recife; Dr. Bellarmino Cesar Gondim, Jaboatlo; Dr. Francisco Gomes Leopoldo de Araujo, Nazareth; Bernardo Pinto de
Abreu, Goyanna; Jose Clementino Bezerra de Mello, Limoeiro ; Dr. Antonio Alves Pereira de Lyra, Caruaru'; Dr. Joao Ca-
valcante de Albuquerque, Parahyba.

Resultado dos exames officials prestados pelos alumnus deste

collegio durante o anno de 1884


Portuguez
Joao Alfred de Oliveira, approvado comn distincco
Francisco Gomes doAraujo, approvado plenamente
Fausto Anelio Fernandes Pinienta, idem.
Joao Emiliano da Costa e Albuquerque, idem.
Joaquim Hyppolito Fernandes Pimenta, idem.
Jose Antonio Pinto Junior, idem.
Jose Bonifacio Pessoa de Mellkicm-.
Manoel Barbosa de Freitas Cordeiro, idem.
Manoel Correia Pessoa de Mello, idem.
Manoel Peixoto de Alencar, idem.
Miguel Archanjo Fernandes Pimento, idem.
Luiz Jose da Silva, idem.
Jouo Jose de Figueiredo, approvado.
Francez
Francisco Pinto de Abreu, approvado plenamentp.
Jos6 Agapito Maciel, idem.
Joao Pinto de Abreu, approvado.
13 faltaram A prova oral.
Latim

Joao Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Francisco Pinto de Abreu, idem.
Manoel Peixotoe de Alencar, idem.
Joao Pinto de Abreu, approvado.
Jose Bonifacio Pessoa de Mello, idem.
Joaquim Hippolyto Fernandes Pimenta, idem.
Inglez
JoiLo Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Alberto Furtado de Mendonqa, approvado.
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque Filho,
Joaquim Hippolyto Fernandes Pimenta, idem.
4 repiovados.
Arithmetica
Olympio Bonald da Cunha Pedrosa, approvado.
Antonio Joaquim de Albuquerque Mello, idem.

Curso Minerva

Internato e exiernato
Rua do Imperador a. 6 12 andar
0 director deste novo curse, declare ao public
em geral e especialmente aos pals de familia,que
os trabalhos deste estabelecimento comegarlo no
dia 7 de janeiro, e que tern empregado todos os
esforcos para adoptarem seu curso o method ame-
ricano, quer no ensino preparatorio, quer no ensi
no primario, e eis o programma que pretend es-
tabelecer : o curso primario e aividido em dous
annos, constando o primeiro de rudimentos prima-
rios e ensino de cousas, method muito adoptado
em todos os paizes cultos. 0 segundo anne cons-
tara de leitura correct de prosa e verso, elemen-
tos de moral, de arthmetica, de grammatiea na-
cional, de geographic analyse grammatical e lo-


CONIE-IcIO,


Praea do Recife, U de janeiro
de 1885
As tries horas da tarde
Cotafoeft fficdae.
Cambio sobre o JWto de Janeiro, 60 d/v. eomn 11/4
0/0 de desconto.
A. Leonardo Rodrigues,
President.
M.IJ.daMotta,
ieenctanio.
RENDIMENTOS PUBLICOS
Mez de janeiro de 1885
&.ADnGA=DeI) 2 28:780A159


Geometria
Manoel Gonqalvcs da Silva Pinto, approvado plenamente.
Geraldo das Mcrces de Souza Landim, approvado.
Geographia
Joao Alfredo de Oliveira, approvado plenamente.
Francisco Xavier Carneiro de Albuquerque, idem.
Albtrto Furtado de Mendonca, approvado.
Manoel Gongalves da Silva Pinto, idem.
Janucio Salustiano da Nobrega, idem.
Francisco Gomes de Araujo Sobrinho, idem.
Antonio Guedes Gondim, idem.
Joao Gomes de Mattos, idem.
1 reprovado.
HilIoria .
Manoel Goncalvcs da Silva Pinto, approvado plenamente.
Pedro Secundino de Souza Landimn, approvado.
Philosophia
Manoel Goncalvcs da Silva Pinto, approvado corn distinc4ao.
ihetorica
Jose Agapito Maciel, approvado.
RESUME


Distinccao .
Pienamente.
Approvados
Reprovados
Faltaram ;A prova oral
Total .


S2
S 21
19
5
13
S 60


Por este resume ve-se que, dos 60 examnes, 42 forain bem succe-
didos.
gica, exercicios do reda~uglo, continuando aindaeoaAula particular para meninas
esinodocouas Aula particular para memnifas
CURSO PREPARATORIO Vidal de Negreiros n. 12
Este curso consta das materias adoptadas para Carohlina Leopoldina Cuelho de Araujo, participa
a admissao dos cursos superiores, havendo espe- aos pais d familia qae de fevereiro em diante
cialidade no ensino de linguas, pois temos profes- star aberta sua aula particular para meninas, A
sores contractados para o ensino pratico de fran- rua Vidal de Negreiros cez e inglez. andar, onde a mesma leccionarA primeiras let-
Jod Calasanre Asis. tras, traneez, piano e diversos trabaihos de agalhlia.
J684 Calasans de Asss.


Escola particular
Rua Vidal de Negreiromn. 196
Maria do Carmo Rodrigues de Almeida, faz
science aos pais de suas alumnus e ao respeitavel
public, que sua aula acha-se aberta no dia 7 de
janeiro proximo vindouro: o ensino consta de pri-
meiras lettras, trabalhos de agulha de differentes
qualidades, flores, music e piano : recebe algumas
alumnus internal.
Para New-York, J. Pater & C. 10 saccos corn
60) kilos de earnghba.
No brigue portuguez Tito, carregou :
Para o Porte, M. J. Ramos 2 barris corn 160
litros de aguardente ; F. Rosas 4 barricas corn
443 kilos de assucar branco.
Para o interior
Na escuna allem, Henriette, carregou :
Para Pelotas, Amorim Irmlos & C. bO saccos
eom 8,750 kilos de assucar mascavado.
No brigue ingles Inaisfdllen, earregeu :
Para Santos, P. Carneiro & C. 500 saccos corn
80,000 kilos de assucar branco.
No vapor inglez Cearense, carregon:
Par o Parai, J. de Oiiveira 450 barricas com
27,989 ilos, de assuear branch.
-- No hiate national Apody, carregou :
P 'ra Mossoro, F. de Moraes 6 bars corn 270
litros de aguardente.

-Dia 31-
Para o exterior
No vapor inglez Warrior, carregom:
V.. J-_,T -.- 1, A(. 1 R -aanAnansi P


EXPOSICAO

BIE MNiCTOS BBus612s
Achando-se nomeada pela Associagao Commer-
cial Beneficente, a commissAo abaixo assignada,
para agenciar products e todos outros artigos de
manufacture desta provincial paraexpos a quiec"o'
vai ter lugar em Antuerpia (oelgica), tern immen-
Para o intertor
No brngue inglez Iunisfallen, carregou :
Pars Santos, P. Carneiro & C. 100 saccos corn
d',000 kilos de assucar mascavado.
No vapor inglez "earenme, carregou :
Para o Para, F. de Souza Martins 200 barricas
corn 14,914 kilos de assucar branch ; V. da Sil-
veira 150 ditas corn 9,748 ditos de dito.

MOVIMENTO DO PORTO
Navios entrados no dia 1
Terra-Nova-36 dias, ldgar inglez May Cory,
de 163 toneladas, capitio Joseph Goes, equipa-
gem 8, carga bacalh"o; a Saunders Brothers
& C.
Rio Grande do Sul-21 dias, brigue inglez Regu-
lator, de 205 toneladas, capitol John Drewd,
equipagem 8, em lastro; 4 ordem.
Said no memo dia
New-York por escalas-Vapor iuglez Cearense,
commandant John Jellard, carga various ge-
neros.


COLLEGIO






segund.. audares
Os trabaihos deste

collegio comeqar o a

12 de janeiro.
As disciplinas ensi-

nadas so: primeiras
letras, portuguez,


francez, inglez, alle-
maiao, geographic, his-

toria, musica, piano,

desenho, costuras,

bordados, etc.

Admittem-se alum-

nas internal, meio-


pensionistas


e exter-


nas.


OCULISTA
0 Dr. Barretto Sampalo, medico
oculista ex-chefe de clinic do Dr. de We
eker, de volta de sua viagem ao Ceara,
continia a dar consultas A rua do Barao da
Victoria n. 45, segundo andar, de 1 as 4
horas da tarde, except nos domingos e
dias santificados. Chamados em seu con-
sdIltorio ou em casa de sua residencia a
rua d& Ria-huelo n. 17, canto da rua dos
Pires.
COLLEGIO

De Nossa Senhora de Lourdes
PARA 0 SEXO FEMININO
NA CAPUNGA, RUA DAS CREOULAS N. 26
Sob a direcgao de D. Maria Luduvina C.
de Albuquerque, auxilia&t por suas flihas
No dia 7 de janeiro proximno, ab'rir -so-ha este
collegio, sito em urma chacara magnifica, arbori-
sada e corn todus as condiVoes hyguenicas.
Ensina-se a par dos primeiros conhecimentos-
portuguea, francez, geographia, piano, flores e
bordados do todas as qualidades.
Para informaces a rua do Imperador n. 3110
andar.

Inslilution franpaise de demoil
selles.
Rua do Barao de S. Borja (antiga do
Sebo) n. 50
0 anno lectivo deste collegio comecara em 7 de
janeiro de 1885. Recebe-se alumnae internal,
senmi-internas e externas.-A director,
I. Adour.


Instiltulo vaccinico
Bua Larga do Rowari6 n. 6 I .* a S day
Funciona todos os dias uteis d 10 as 12 horas
0 director
Dr. Arruda Beltrdo.


Isititto Deziova de Abril
Curso de ferias
Abrangecdo as materials para exames em marno
de 1885.
Rua do Barfo de ft. Borja n. 4
Direcxao de Luiz Porto Carreiro

M EDICO E PAP.TEIRO)

Dr. Joaquim Loureire
tKonsultorio rua Duque 0e Caxias n 39,
defrionte do DIARI) DE PERNAM.,
BUCO, ondeda consults das 12 as 3 ho
ras da tarde. Reside temporariamente n
Monteiro,


Collegio Nossa Senho-

ra das Victorias
RUA DO HOSPICIO N. 10
$ste collegio continual durante o0aUno le'tivo
de 1885, abrindo suas aulas no dia 10 de janeio
Admitted alumnas internal, semni-internas e ex-
teomna -


Edital .-
0 admirietrador Conulado Provincial avisa
aos contribuintes do imposto de repartieo por
classes, sobre industrias e profises, a que se re-
fere o 26 do art. 1- da lei nm 1810 (orgamento
vigente) que nesta repartiao comeca no dia 1-
de janeiro proximo future a cobran'a A bocca do
core, do mesmo imposto, relative ao 1 semestre
do exerci~io corrente (1884 A 1885), devendo esta
terminar improrogavelmnote no trigesimo dia atil
nos eruwoedoart. 42 do regulamento de 4 deju-
1k. 4|17%.
(bsaulado Provincial de Pernambuco, 24 de de-
zembro de 84.
Francisco A. de Carvalho Moura.

Eital 1n.34
la praca
De ordem do Ilhn. Sr. inspector se faz public,
que as 11 horas do dia 3 d, mez dejaneiro vin-
douro, seruo vendidas emleil.o, no trapiche Con-
ceieo, as mercadgria abaixo declaradas:
Armazem n. 1
Marca OR, 2 caixas as. 26 e 27, vindas do Ha.,
vre no vapor francez ViMe de Pernambuco, entr%
do em 7 deoutubro docorrente anno, contend
pedras marmores, quebradas, abandonadas aos
direites per 0. Killer.
Armazem n. I
Marea M&C e contramarca P, 1 caixa n. 12,
vinda do Havre no v-ipor francez Ville do Ceard,
ei,trado em 7 de novembro ultimo, contenudo 120
kilos de rotulos impressos em una s6 c6r, aban-
denada aos direitos por Meuron & C.
3a Secao oaa Alfandega de Pernamnbuco, 30 de
dezembro de 1884.
0 chefe,
C'icero B. de Mello.


A Camara Municiual da cidade do Recife
convida aos donos (los estabeiecimentos commer-
ciaes das traguezias da Graqa, Poeo da Panella
e S. Lonreuco da Matti, para virei A tecqao
competent aferiremn os pesos, m(-didas e balkn(as
aos.mesmos,, no proximo micz de jancir:, sob peia
da lei.
Pago da Camara Municipal do Recife, 30 dc
dezembro de 1884.
Jose Candido de Moraes,
Presidente.
P. G. de Ratis e Silva,
Secretario.

Classical o e a oscravos
A junta classificadora dos escravos do munici-
pio do Rfcite, cm cumprimento a circular do Exin
Sr. president da provincial, recebida em 26 do
corrente mez, faz saber As pessoas que apresenta-
ram A mnesmi, junta as notas dos escravos que
teem de sr cl.issifi-ados, que Ihes fica marcado o
prazo de dez dias, a contar desta data, afim de
instruil a c)m a respective matricula especial ou
averbanoes, certido de baptismo dos filhos escra
vos e certidao de casamento dos escravos que fo
rem casados ; visto comno a int.enqao da lei e que
nao se aceitem declarac5es algumas sem que os
interessados proved por meios regulares as alle-
gacoes que possam constituir.direitos de preferen-
cia aos mesmos escravos.
Paco da Camara Municipal do Recife, 30 de de-
zeu bro de 1884.-Subscrevou e assigno.--O escri-
vio, Coriolano de Abrmu.
Jose Candido de Moraes.
Manoel Jos Soares de Avellar.
Henriqne Milet.


FRobi bgoDiroiloo
Deordem do Exm. Sr. conselheiro director faqo
public que a inscripcao paia os erames de scien-
cias, no proximo mnez dc fevercira, se abrira no dia
10 do corrente, e continuara ate o dia 22.
0 que pretender inscrever-se dove fazel-o nesta
secretaria pnr m io de requerimento ao mesmo Exm.
Sr. conselheiro director, edeclarar uao s6 a materim
em que se tern de inscrever, mas tambenm :quella
ou squellks emrn que jat tiver sido appiovado, a fi
liaco ie respeetiva naturalildade assim comino exhi-
bit. attestado do director do collegio ou professor
(legalmente autorisado para isso ) que certificarA
a babilitsAo do examinando e se sao do proprio
punho deste a lettra e assignatura do requerimen
to, tudo deconformidade corn os arts. 1 e 2 das ins-
trueSes baixadas corn o decreto n'. 4400 de 30 de
outubro de 1872.
Outro aim se taz public que dove ser competen-
temente reconhecida a astignatura do director do
collegio ou professor quo passar o attestado de ha-
bilitanao.
Seefetanria da Faicul'lrl de Direito do Recife,
2 de janeiro de 1S85.
0 secretario,
Jose Honorio Bcze'ra de Menezes.
Edital n. .69
Em \irtude tie determinacao da presidle:icia da
proviicia e de ordoin do inspector geral da ius-
trucqAo public, sL 'celara que tendo de ser pro-
vida por access a eadeira 'de ensino primario do
.lexo feniimno da villa de Pctroliuii, dcveria os
professors de I* entrancia que pretend em o
aceceso, enviar a esta repartieao suas'petiCoes
por.,intermedio do delegado lIitterario, no prazo de
40 dias, a contar desta dala.
Secretaria da Instraccao Publica de Pernam-
buco, 11 de dezembro de 84.-0 secretario,
P. S. de Araujo GalvAo.


DECLARE OES


Caiarm a iWcipal
Pela secretariat d& Camara Municipal da cidade
do Recife se faz pnblice a quem interessar p.-ssa
o art. 8- da lei n. 1129 de 26 de junho de 1873.
Art. 80 Nos primeiros oito dius do mez de ja-
neiro de cada anno, todos os medicos, cirurgioes,
phamaceelitieos, droguistas. partiros, sangrado-
res dentistas e veterinarios, m ndarao a Camara
Muncipalt declarae~o de sens nomes, natunali-
daies e maradas, afim de que ella possa maudar
lihtlcan a lista de todas as pessoas : os infracto-
..z p ~rao multados em 10L
$lcretari da C'amara Municipal do Recife, 80
de dezembro doe84.
: Pedro G. de Ratis e Silva,
SSecietario.


OMPAII ASTA TABRRA
DE
Abasteelmento d'agua e luz el-
dade de Olinda
Aviso
Pelo regulamento da Companhia esti estlpu-
lado:
I Que quaesqucr reclamac5es acerca do ser-
vigo public ou portieular, quer do fornecimento
d'agua quer relative a illuminaao, para aerem
attendidas devem ser feitas POR ESCRIPTOS DATADOS
a ASSIGNADOS, dirigidas, ao escriptorio da Com-
panhia kofficinas de gaz now Milagres) diaria-
mente;
Ui Que sao reaponsaveis per semelhantes recla-
maeoes os seus signatarios, no caso em quo as
despezas nao s-jain- *da competencia da Compa-
nhia (eanali'sa<5es no solo das ruas por onde pas-
sam os encanamnentos) ; o
III Que a Comnpanhia reserve para si o dirvitb
de fechar a communicacw do gaz on agua de qual-
quer casa ou estabelecimento, cujo DONO nao pa-
gar corn promptidao suas contas de consume, as
quakes deverao ser pagas em Olinda.
Publicando estes artigos para pleno conheci-
mento do public aproveito a opp.)rtunidade para
declarar que qualquer conta de consumo ou con-
certo d'agna ou gaz s6 deve ser pago mediate
recibo e estando por mirn rubricado.
Escriptorio da Coinpanhia, 1 de janeiro do
1875.
A. P. Simneas,
gerente.
IRMANDADE
DE
Santo Amaro das Salinas
Mesa geral de eleifcao
De ordem do nesso irmiao juiz, coavido a todos
os nossos irmAos para compareferem em nosso
consistorio da memtna igreja domingo 4 do corren-
te mez, pelas 10 horas da manha', afim de reunir-
mos em numero legal, como terminal o art. 24 do
compiomisio que nos rege, proceder-se a eleigio
da nova mesa regedora que tern de reger a mps-
ma irmandade no anno compromissal de 1885 1
1886, como terminal os arts. 26 A 35 do mesnmo
compromisso.
Consistorio da irmandade de Santo Amaro das
Salinas, 1 de janeiro de 1885.
0 escrivio,
M. D. da Silva.

Great W storno fBrasil Ralway
AVISO
Do 'lo de jneiro de 1885 cm diante o servigo
dos trenis de passageiros se fara conbforme o hora-
I io seguinte :
Ulnha principal


PARA 0 INTERLOR


Recifc ......
Encrusilhada.
Arraiaf.....
Macacos ....
Camaiagibe.
S. Lourenco.
Tiuma ......
S. Rita .....
P. d'Alho ...
arpina.....
L. do Carro.
C. Grande ..
Limoeiro ....


Lirmn
C. (
L. d
Carl
P. (i
S. R
Tiu
S. I
Cain
Mac
Arr
Enc
Reei


part.








chieg


DIAS UTEIS


Manha Tarde


7.421 2.37
7 50 2.45
7.57 2 52
8.12 3. 8
8.25 3.20
8.49 13.39
9.03 3.49
9.23 4. 9
9.53 4.39
10.30 5 16
10 48 5.34
11.05 5.51
11 24 6.10


DOMINGOS


Manha Tarde


8.45
8.52
9. 0
9.14
9.26
9.45
9.56
10.13
10.41
ti. 9
11.24
11.39
11.58


6 DIAS UTEIS DOMINOOS, ETC.
DO INTERIOR -- -
Manhll T;>rdc Mlanha liairde


ociro ... part.i 6.1; 2 31 2.30
Irande .. I G.35i 2.25 1 2.50
lo Carro 6.54!1 2.44| 3. 5
pia .... 7.1) 3.2;
'Alho .... 7.52i 3.43 3.55
lita.... P;.( 4. 7j 4.1;
ma ..... .33 4.27i 4:33
Loureno. S.52'; 4.47! 4.48
uaragibe c. 1 10 5. 3
5)"" 181j 5.15.
tacos .... 2 5 1 15
l .... t.... 5.32! 5.29
ruzilhada |9.43 5.39 5.37
ife ...... cheg 9.50 5.461 5 43


Eamal de Nasareth


Carpma..... part. 10.40 5.26 11.15 3.30
Tracunhaem. 11. 0 5.46 11.32 3-47
Nazareth.... chog 11.12 5.58 11.44 3.59)

Nazareth .. part. 6.20. 2.10 10.20 2.40
Tracnnhaem. n 6.361 2.26 10 33 2.53
Carpina....-. cheg 6.56 2.46 10.50 3.10


gTC.


I


I .


)










I'-'.




[


namibuco
N:', so' temldo reunido no dia 22 do corrente nu-
iWro h'ial d' assoi'i;dus. szo tde novo convidados
',li its a, scios deste Institutito a se reunirem as
10 hi.iris '1 diai 3 tojai1ir,. anlim de. constituida
: as-seil'l,-';c gral, eleger-se o conselho adminis-
:rativo l e.' tl,-m m' dijijir io Instituto no anno de
I 5,'t).,sa w.t z funcioiiari a minesmna assembly
,in 11 n110'r1" Tii e ct0mnparc'cr. Recite, 30 de de-
i, S4-). ()2 *- :r etario, servindo de 1 ,
l',r)UIitti La lirt'tino Ferreira de Mello.

(1aalictc P ortutnez de

Leitura
.ASSEMIL!'LEA GEL L
I i, Exmii. Sr. presideite.' do *.,ii ,.l ,.
*ri\ ,. ii vi,-c i ,,i s> 'iii)!'s so,'ii 'os ;i 'IICuji-
. u n -," ii a-s~Cmub'n',i g,,' r:-il u ... ik,,iin2;,, 1 de ja-
eiri., ;is 11 hi .ras da imanlia:, atim de proceder.-se
:- lroao de ailgmns membros da directoria, em
irtude do terein rociusado os seus cargos os ulti-
!:i.}s elcitos.
S i'cetaria do Gabinete Portuguez de Leitura,
.1 Perunambuco, 29 de dezemnibro de 84.
Jose da Silva Roirigues,
1 seeretario.
Pela seeretaria da Camara Municipal da ci-
ii le ilo Recifr se faz public que em virtude de
* 's,)iil,:i dta lllma. Camara, tomada cm sessao de
1 7 do corrente, foi eoncedido o prazo de 30 dias,
mma os propri-ietarios dos estabelecimentos aa fre-
m11ziai de S .Jos6 mandarernm seclo competent
.icrircil. us pesos, medidas e balances de se'us
'-stabelcIinueatos.
Senrptaria da Camara Municipal do Recife, 19
i dezealbro de 1884:.
0) ananuense, servindo de seeretario,
Leoncio Quintino de Castro LeAo.
A oi'ma-ra municipal do Recife faz sciente
i ue\ iti'cnssar possa, que em virtude da reselu-
m i, tominad., em sessao de 17 do corrente, ftbi pro-
I'iL;:, ,> prazo de trinta dias, para dentro delle
I'-'i 1(11 r'c'bidas propostas para a factura do novo
:trcad.i) da Boa-Vista; devendo ditas propostas
r e'lil (1nt roguies em sesso).
PaWo di:t eamara municipal da Recift 19 de de-
nimbro deiV 181.
Jos( Candido de Moraes.
Prn'sidente
Loon mo Quint'no de Castro Lezio.
Ammnunsmiolseo Srvindo de secretario.

Irmandade
1) `is
Almas nita matriz do

Corpo Santo
A actual mesa regedora. que foi impossada pelo
lhlm. Sr. Dr. juiz de capellas em 15 do corrente,
tendo d proceder a cobran~a de todos aquelles
lue se aceain em debito corn a referida irmanda-
;le, e alguns em grande atraso, vem disto dar sci
,,icia nao s6 aos locatarios como fiadores dos pre-
dios, e que o encarregado deste service) o irmilo
cobrador Jose Fernandes de Mello, que j exerceu
outr'ora o dito lugar, e e bern conhecido de todos
"s irmaos.
Consistorio, em 23 de dezembro de 84.
0 eserivao,
Joao Facundo de Castro Menezes.


~ -? _- .:
- .- t, i..- 5 ""9-4.. .
'."'' "~A l.
--.A -


cis'oIoda8I Campos "
auo de $O&a Monteiro
slio C~ft&
jf.>oaventura &.C.
, ltitlthax de Bntto Magalhies
B 'ento de PoFreitas Guimarles
Oosta & Medeiros
Braga & Si
Eduardo Migucl d* Costa
Eugjnio Guedes de Araujo
Francisco B. de Albuquerque
Fernandes da Costa & C.
Francis,.o F. de Souza
Francisco Jose da Silva
Frauncisco Joaquimn de Barros Junior
Fcrnando Leal & C.
Francisco M randa
Fornandes Peixoto & C.
Ferreira Rehia -. C.
Praneiseo Silva
Francisco Zacharias da Costa Silva
Galdin )Pimtentel
Guimarmes Rocha & C.
Guilhermino da Silva Figueiredo
Herique Gomes Loureiro
Hermann Lundgren
H. Peterson & C.
Ignacio de Carvalho M.
Jose Alexandre Pereira
Joaquim Arthur dos Santos
Jos6 Antonio de Barros
Jose Augusto Vieira da Cunlia
Jose Alv(s do Vaile
Jogao A. da Cruz & C.
Julio Bantt Jos6 Ctunha
Joss Domningues de Oliveira
Jos6 de Figuemrelo Castro
Jos6 Francisco (da Silva
Jose Fernandes dos Siantos Bastos.
Justo Ferreira &, C
Jose de Figueiredo &z Castro
Jose Guilherme Guimarites
Jose Guihllwrny
,oa(luimn Luiz Ribeiro
.Jo-qun i.i iia Solurihlio
JOU d(le MUaCC1,)
Jose Martins Ferrcira
Jolo Manool de Franca
Joaquim Rodrigues
Jose dt Souza
Jose de Souza Costa
Joaquim da Silva
Jose da Silva Vioira
Joaiiinm Saitos
Joao Victor Alves Malhlieu C.
L.cjuiaril Livra
lS-opi dlo o irijiuits de .\5sunpcit,)
\ i, Ak. Ila Silva
Mlaii,.rf i I iiiu is
.\Iai ,'i A-lv,,,- Il;arbosa Siicecsyo
M~igucil 1 in Iusri)
'M:>mirc dci Si Ivw & C.
.Morom'c ^.C.
Mlan,l la (Cun.lia
Menides ,i1 Ctnhlmi & C.
M:ino 3Miguel J,,K' l''rreira
Manoel Joaqiiii da Silva
Alitiwol .Joaiuim Dias
MVIiliucl I ,o:se d' Souza
aIimrel Lopi, s & C.
M:iaced Li,.cs t C.
Modesto IIj'S V C.
Midnocil .1,,r<,ir~t (';nnp,,s
Man,'I M-Meirra & C.
Manta(.] M. llibeiro
Man, .i li. s. '
M Ik;l MIF)IS.
M11;1110C) di] Silva;I
Morei .i' ii \ivi. & C.
.IM th'ui- *lti Silva)
5Ianocl >..;rs d:1 Silva
M c'.i \X'!-, 1ulii).
N'tto (a'ipos & C.
Neveri ,. S:i!^;ido
)Olynth, Jardin ,v C'.
!_dr, A \utntti is C.
('l, ,) .( )'1 0 o (d i C It', M. i Cost:t trcgo
;^,l,],]pll,) (.';l;-cSantos
.lrr.'- d lii Santos
l .ii ,',i; Silva lh'g;iga
*, ;.,*: ,* i!.t ': l I riiiuOS
'-*,''i;isti:L t't~ nlbftnub
',"ir.ili i l. tcedo
"- '. S, '.tci ,) i d dczciibro d: 1 -a .
0) cluotfi
Aliuuoel iyeciri, da Cash/t.
.- C iJ nna'a Municii,.tl da cidade do Recite
tl\'i',i i mii io LI1-;1- dts cstalm )leeitI mtO s commer-
eiacs dts trt'fuczias dti Afogados e Varzea, para
vireoli a ec5aio competente aferir os pesos. medi-
*;is e haail1n/as dos mesmos, no inroximo mez de
ez.imiri,, si,)b tena da, lei.
I.'-- .I:i Caunarm' Mnnicipll do Recife, 29 d'
.-ovomiiruj do 1884.
.Jes, Ca(dido de Moraes,
Presidente.
Pedro Gadiano de Rati.s e Silva,
Se.rctario.

Inslitilo dos Professores de Per.


SANTO ANTONIO

SOci6l9lRo Rocroio Pastril
Grande e explendido sueeesso!!
Dois attrahendes e magnificos espectaculos PAS-
TORIS, nas notes de
SABBADO 3 E DOMINGO 4 DO
CORRENTE
A's 8.1/2 horas.
Depois que a orchestra tivcr executado uma das
melhores peas do seu escolhido repertorio, subirA
a scena o imrnlortantc muito applauidido drama
sacro pastoril ern 4 actos e 8 quadros, ornado de
dancas, togos cambiantes etc., etc.

Gabriel e Lusbel
ou
0 Anjo Bom e o Anjo Mau
PEReONAGENS :
Gabriel
Lusbel
Herodes
Religion
FP6
E;piranea
Caridade
Monge
Seduzida
1. PastIra
Dianna
Past6ras
Soldados
i ganos, etc.
DENOMINAC'.O DOS (Q.UADROS
1. Canto dio anjo.
2.o 0 sonhu idas past6ras.
3.o A seducnco.
4. Nascimento do Messias.
5.n Desespero do Luabel.
i6.o Herd es p'rseguindo as pastdras.
7.o A estrella do Oriente.
8. Quadro vivo.

A sociedadei ni-o sc tern poupado i despezas afirn
de aprio-eiitar 10o illustrado public desta capital
inn divertiinmito digit) do ser apreciado pelo es-
Imn'ro e elgmaneia coin (iue esto post a em scina esta
innavrrica produce-o do consocio CANTIDIO C.
NEVES.
A' RAPASIIiDA
Saio lindos os d'inmados
Sao ineigos os cantos
()Os puilos das walsas
Nos enchemLin de encantos.
A inmita liarmionia
Na viz e na orclhestra
As fiores e as uizes
Nos mostra urnia fe.stta.
Principia o espectaeulo
Logo ao subir do panno,
Pois duirart esta funecio
D)'umn a outro anno!


Billhetes no Thcatro.
PrincipiarA as 8 1/2 horas


da noite.


Grande Circo


OMPANHIA EUROPIA
Equesire gymnaslica e acrobatica
DE

PAUL SE NO
Largo do Arsenal de Guerra

Hoje, sabbado, hoje

Noile de maravilhas!

Irr rocligahl! Sob rio!!
Festival artistic

P STORIL
Sob ;t dir-eceio ,L I inisigue


ID. ADELAIDiE



Attrahente novidade!

OA A O AAOB
Lindo dueto escripto para ser cantado pela dis-
tincta MESTRA e pela sympatlhica DIANNA,
acomnpanliamento de c6ro music da popular
camn.oneta

BUVON SEC!
Novas jornadas e arias
Musicas das minais applaudidas operetas

10 CIRCO! NO CIRCO!

Rendezonis Pastoril!
A's 8 1/2 horas


IARITIMOS


Companhia Bahiana de Navega-
Vio a Vapor
Macei6, Villa Nova, Penedo, AracajA,
Estancia e Bahia
O vapor
1Marinho Visconde
Comminandante J. J. Coelho
E' esperado dos portos aci.
ma at6 odia 5 de janciro,
e regressarA para os mes-
mos, depois da demora do cos-
tume.
Pars carga, passagens, encommendas e dinheiro
a frete tracta-se na
AGENCIA
7-Rua do Vigario---7
I)omiingos Alves Matheus


STRAITS O GELLAN LINE

Patagonia
Espera-se dos
tos da Europa
atdia 18 de ja-
neiro e seguirf.
para os do sule
4i a ir--do Pacifico depois
da demora do costume.
Para carga, passages, encommendas e dinheiro
: frete: tracta-secomos
Consignatarios
iVllson Sons t& C., Limited
N. 14 RUA DO COMMERCIO-- N. 14


ELEIVAO
Nao ae tendo reunid uumero legal em assem-
blea geral de 28 do corrate conforme toi convo-
cada, de novo convido dom rdem do Sr. presidetn-
te aos Srs. socios para comparecerem no proximo
domingo 4 de janeiro ao meie dia no recinmbo des-
ta associaoo: afirm ae se proceder a eleigio dos
funecionarios para o amno social de 1885, reuaiao
esta de accordo corn a ulti part do art. 35 dos
estatutos em vigor.
Seeretaria da assemble geral aos 31 de de-
z.'mbro de 1884.
Ramiro Costa,
Sccretario.


THEATRE


F ira carga, passages, encommendas e dinheiro
a frete; tracta-se comos
Consignatarios
Wilson Sons 4k C., Limited
N. 14- DO COMMERCIO N. 14

CilARGEURS REUNIS
Companhia Franeeza de Navega-
Ao a Vapor
Linha quinzenal entire o Havre, Lis
ooa, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro
Santos
Steamer
Ville de Kaceio
G E' esperado da Euro-
r---. J-; \ pamaate dia i12 de ja-
.rs-..^ -. "---. neiro, seoguindo de-
pois da indispensavel
_demora para a BLa-
limia, JIio de Ja-
neizo e, Santo%.
Roga-se ats Srs. importadores de carga pelos
vapores dcesta linha,queiram apresentar dentro de 6
dias, a contar do da descarga das alvarengas, qual-
quer reclama'ao coneernente a volumes, que por-
ventura tenham seguido para os portos do sul, afim
desse podereinmdar a tempo as providencias necessa
rias.
Expirado o referido pramso a companhia naao s--
responsabilisa por extravioi.
Recebe carga, encommedas e passageiros, parn
os quaes tern excellentes accommodacSes.
Steamer
Ville de MIaranhao

S-.- Espera-se dos portos
do sul ate o dia 3 de
:. m janeiro, seguindo d;-
.... .- ." pis d' indispensa-
.' vel dem3rapara o Ha-
.vre, com escala por


Os vapores desta companhia entrain no port,
ancorando em frente ao etes da prama do Cominer-
cio sendo iumito incommodo o embarque dos pas-
sageiros no fuindeladouro das paquetes transatlan-
ticos, no Lamanrmo e denmais devendo todos aportar
ao Havre, que o o porto mais visinho de Paris, o
def6ra duvida que hia grande vantagemin para quem
quizer ir a Europa em aproveitar-se dos ditos va-
pores tanto mais quanto, al/in de serein os preoo-
das passages inais modicos, as despezas do embar-
que aqui e as do transported do Havre a Paris, s'ao
muito menores do que as que demandam as viagens
nos paquetes das outras linhas.
Conduzem medico a bordo, sao de march rapida
e offcrecem exeellentes cornmodos e optimo passa-
dio"
As passages poderao ser tomadas de antemio.
Recebe carga, encommendas c passageiros, para
os quaes tern excellentes accommodates.
AGENTS
Augusto F. de Oliveira

&C.
42 -RUA DO COMMER0IO 42
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
%avegacA1o Costeira por Vapor
PORTOS DO NORTE
Parahyhbo, Natal, Macdo, Mlossorj, Ara-
caty e Ceard
C I' Segue no dia 5 deja-
Sa '-- tmneiro o vapor Pirapa-
a, commandonte Car-
valho, as 5 horas ida
-Roebde.


dia 3.
Encommendas, passages e dmnheiro a frete atW
is 3 horas da tade do dia da sahida.
ESCRIPTORIO
Caes da Companhia Pernambnu
caua n. 12
COMPANHIE DENE MESSAGE-
RIES: MARITIMES
LINIA MENSAL
0 paquete

Niger
Commandant Baule
Espera-se da Eu-
ropa at6(o dia G6 de
j aneiro, seguin-
do depois da de-
mora do costu-
n mepara Buenos-
Ayres, tocando na
Bahia, Rio de Janeiro e lonte-
tevideo
Lembra-se aos Srs. passageiros de todas as
classes que ha lugares reservados para esta agen-
cia, que podem tomar em qualquer tempo.
Para carga, passagens, encommendas e dinheir,
a frete: tracta-se corn o
AGENT
Augusle Labille
9 RUA DO COMMERCIO--9


J. H. Krak, capital do lugre hollandez fpe
lpeas, arribado n'este porto corn agua aberta
em viagem do Rio Grande do Sul para Runcar
corn um carregamento cinsistindo de 220 tonela-
das de cinza do ossos, 79,000 chifres e 16,028 sa-
bugos, precise contratar a desearga, armazem e
reembarque da dita carga, para qual fim recebe
propostas em carta fechada no consulado dos Pai-
zes Ba.ixos desta cidade at6 ao meio dia do dia 3
de janeiro proximo vindouro.


ROYAL MAIL STEAM PACKET

COMPANY
Grande reduceAo nos preios da*
passagens
Itinerario
IDA


lahida
Chegada


S'


Southampton
Bordeaux
Vigo
Lisbia
S. Vicente
Pernambuco
Macei6
Bahia
Rio de Janiri


1 9 24
4
-. 21
7 13 29)


Sahdau

Cegada
Chegada


$antos .5
Montevid6o
Buows-Ayme
B VOLTA
BuenosAyres
Montevideo S
Santos we"
Rio de Janeiro B"
Bahia
Macei6 c
Pernambuco = o
S. Vicente .5
Lisboa o
Vigo
Southampton P


'6
7
17
18
24
27
29
ii
1 5


(S) 86 tocari se precisar carvio.
Para passagens, fretes, etc., tracta-se corn os
CONSIGNATARIOS
Adamson lowie & C.
3-Rua do Comnimerelo--3
Compaahia Brasileira de Nave-
ga~io a Vapor
PORTOS DO NORTE
S0 vapor
Bahia
Commandant: 1- tenente Aureliano Izaac
E' esperado dos portos do sul
ate o dia 6 de janeiro e
seguirA depois da demora in-
S dispensavel, para os portos
Sdo norte atW Manaos.
Para carga, passagens, encommendas e valores
cracta-se na ageneia
46 RUTJA DO COMMERCIO 46

PGRTOS DO SUL
O vapor

Pernambuco
Commnfandan, o capitao de fragata Pedro
H. Duarte
S E' esperado dos portos do nor-
te at6 o dia 4 de janeiro e
AseguirA depois da demora
do costume para os portosdo

Recebe tambem carga para Santos e Rio Gran
de, frete modico.
Para carga, passages, encommendak valores,
tracta-se na agencia
46 RUA DO COMMERCIO 46

United States & Brasi iiail S. S. C.
S0 vapor
Finance

AE' esperado dos portos do
sul no dia 6 de janeiro, e
I depois da demora necessaria
seguir para o
Para. Maranhioo, S. Thomaz e
New-York
Para carga, passagens, e eneommen las, tracta-
se corn os


AGENTS
Henry Forster


& C.


N. 8 RUA DO COMMERCIO N. b
1." andar

0 vapor

Merrimac

Espera-se de, New-Port-News
at6 o dia 19 de janeiro,
Vseguindo depois da demora
necessaria para
Bahia e Rio de Janeiro
Pelos vapores desta companhia duo-se passa-
gens para Liverpool ao preQo de 200 dollars ; o
passageiro desernbarcaado em New-York tern ga-
rantia a passagens para Liverpool quando Ihe ap-
t1rouver por vapores de la ordem.
Para carga, passagens, encommendas e valores
tracta-se corn os
AGENTS
Henry Forsler & C.
N. 8 RUADOCUMjyta-CiO N. 8
1.'andar

EILOES"

Leilao


Das casas terreea sitsa a rua da Soledade
22.


n. 20 e


Sabbado 3 de janeiro
AO MEIO DIA
Carmo e Silva conipetentemente autorisado faz
leila'o das casas teneas n. 20 e 22 sits a rua da
Soledade solo proprio corn grandes quintaes com
mais dc 300 palmos de fundo, corn cacimba, boa
agua, local muito saudavel.
Sabbado 3 de Janeiro ao meio dia em ponto n.
27 na travessa do Corpo Santo agencia.


HO.9JE!


Leilao
HOJEI
Agente Britto


ROJE!!


Em continuaeAo do de hontem, espolio de Anto-
nio da Silva Pontes Guimarles.
0 -gente acirna, a mandado do Exm. Sr. Dr.
juiz de direito e de orphAos e ausentes e a reque-
rimento do Him. Sr. Dr. curator geral, venderA as
correr do martello os moveis e mais objects ex-
istentes na casa da rua da Aurora n. 149.
A'S 10 1/2 HORAS

Leilao

Sabbado, 5 do corrente
As 11 horas da manha em ponto
Mobilias novas e usadas, piano, guarda-vestidos,
guard louga, mesa elastica, apparador, commo-
das, estantes, espelhos, quadros, jarros, candiei-
ros, loucas, vidros, machines, bombas, fazendas,
miudezas, ferragens, joias de ouro e prata, relogios,
oculos e outros muitos objects que serao vendi-
dos sern reserve de preWo, ao correr do martello.
CARMO E SILVA
N. 27 na agencia t avessa do Corpo Santo n" 27


Leilao
De moveis : constando de 1 mobilia antiga, 4
quadros, 1 relogio de parede, 1 guarda-veetidos,
1 conimoda, 1 santuario, 1 cama franceza, 1 mar-
quezao e colehao, 2 marquezas, 1 bergo, 1 secreta-
ria, 1 machine de costura, 1 eostureira de moguo,
1 mesa elastica, 1 artario, 2 eadeiras de balango,
cadeiras de guarnicao, consolos, loucas, vidros e
muitis outros objects de uso domestic.
SABBADO, 3 DE JANEIRO DE 1885
A's 11 horas
No 10 andar do sobrado sito a rua Direita
n. 32
0 agent Gusmao competentemente autorisado
farA leilAo dos moveis acima mencionados os qiiaes
serao vendidlsn an crre- I,, martello.


Leilao
De movris pertencoutes a massa fallida de Maia
Ramos & S4utols, coustaudo de 12 cadeiras de


touw1 m^rqqd. w^^XK -^
ds, 2 aparpldorea, 1 lvavtorzo, 1 iri t^^*ho 1
baIea de amwwello e I q batmeira. ,
SABBADO, 31flJANE1RO
A'l lASpra
0 agents GuamAo autbrsudo por mindado do
Exm. Sr. Dr. juiz do commercio, fara leillo dos
meveis acima mencionades, transferidos para o 1I
andar do sobrado n. 32 da rua de Marcilio Dias,
cujos models slo vendidos a requerimento do ad-
ministrador da mencionada massa fallida de Maia
Ramos & Santos, pqr occaailo do leilao de outros
moveis existentes na referida casa.


Leilao


100 rdis eada ur, taOA

to no nosso escripto-

rio, como nos pontos

jA conhecidos.


A Esta ao


da easa terrea sita a ma de -iP- Corpraso dous numerous d'esse journal
p -eos n. 6 (porta dagia)- de moda publicado no Rio deo Janeiro; so
Sq. *de30 de outubro e 15 de novembro do
Sabbado 3 de janeir corrente anno. A tratar n'esta typogra-
A's .I horas phia corn o administrator, no l.a andar.
Na rua do Born Jesus n. 43 ......
0 agent [into levar'! a leilaIo, por mandado Os abaixo assignados scientificam ao
do 1lm Sr. Dr. juiz substitute dos feitos da fa- public e especialmente ao corpo do conm-
zenda, a casa terrea sits a rua de Apipucos n.
26, lugar Levada, cdificada em terreno arrendado mercio que, a contar de 1 de outubro pro-
a Symphronio Olympio do Queroga, servwndo de ximo passalo o sob a firm de Francisco
base a quantia de 168A. A refemida casa pertence
a Florencio Jos6 Carneiro Monteiro, c penhorada Ribeiro Pinto Guimarles & C., consti-
A fazenda provincial.Ituiram uma sociedade para a contiuuacao


~~'******"--w. -,-- 1dos negocios da casa commercial do pri-
AVISOSU DIVERSOSl meiro signatario, o activo e passive da
qual toma a si a referida firm.
Recife, 2 de janeiro de 1884.
Avisoo o ,o
jL- vFrancisco Ribeiro Pinto Gaimarres.
Francisco de, Paulu Goncalves Ferr-eina.
A' quem interessar Z,,acliv
SJulio Soares da Smlva,

possa avisa'os q Iraustere-se a rifa de uma armagaiode ta-
possa avlsamos que ouaamaoe
Si rnaa para a ultima loteria da provincia do mez
os numerous avulsos ed evereiro vindouro de 1885.
Aluga-se o sobrado recentemente recons-
do truido da i-ua do Marquez do Herval n. 33, corn
do ( Mario de Per todos os melhoramentos, prompto a ser habitade,
corn cummodos para grande familiar : a tratar corn
namhunc de 1Ial Pedro Jose Pinto, na praea do commercial, ou em
m uc ) d u l seuescriptorio A rua do Born Jesus n. 43.





CAJURUBEBA
PREPARADO VINOSO DEPURATIVO
IPPROVADO PELA JUNTA DE HYGIENE PUBLIC DA O'TE


AU013D m~l mmT IMPEIA DE 20 BE JUmH BE 1803

COMPOSICAO DE FIRMINO C. DE FIGUEIREDO
Empregado corn a miaior efficacia no rheumatismo
de qualquer natureza, emi todas as molestias da pellet, nas leuchorr6as ou
flres b'anicas, nos soffrimentos occasionados pela
impureza do sangue, e tinalmiente nas differences f6rmnas da syphilis.

Propagador-A. P. da Cunha


As importantes curas, que este poderoso medicamento tern produ-
zido, attestadas por pessoas de elevada posigao social, fazem corn
que de toda parte seja elle procurado, como o melhor e mais ener-
gico depurativo do sangue.
Depurar o sangue, como condigao de urma circulagao benefica e effi-
caz, eis em que consiste principalmente o meio mais seguro >e
conservar a saide e de curar as molestias que a impureza do sangue
occasion.
0 Cajiirubgba pela sua acqdo tonica e energicamente depurativa,
6 o medicamento que actualmente p6de conseguir esse resultado
sem prejudicar, nem alterar as func5es do estomago e dos intesti-
nos, porque nao contem substancias nocivas, apezar do vigor dlepu-
rativo dos products que constituem a base principal desse medica-
mento.
D'entre as muitas curas que tem feito, citamos as seguintes. corn-
provadas pelo testemunho dos distinctos e conhecidos cavalheiros
que firmam os attestados.
Alem dessas, alias irrecusaveis provas, offerecemos mnais, como
garantia de nossas asseverag5es, o testemunho dos illustres medi-
cos, Drs. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Praxedes de Souza Pi-
tanga, e Joao da Silva Ramos, que em sua clinic tem conseguido
os mais brilhantes resultados corn o emprego do Cajirubeba.


Pedro de Attahyde Lobo Moscoso, Doutor
pela Faculdade de Medicina da Bahia, Ci-
rurgiao M6r do Commando Superior da
(Ouarda Nacional do municipio do Recife,
1" Cirurgiao Honorario do Corpo de Sadde
do Exercito, Official e Commendador da
Imperial Ordem da Rosa, Inspector de safi-
de public e do porto de Pernambuco, Com-
mendador da Imperial Ordem de N. S. Je-
sus Christo, Membro do Instituto Medico
Pernamnbucano, Medico do grande Hospital
Pedro II. Socio da Propagadora da Instruc-
cio Publica e de muitas outras sociedades
scientiiicas e humanitarias, etc.
Attesto que tenho experimentado em mo-
lestias chronicas da pelle e rhleumatismos o
Caj'rubeba do Sr. Antonio Pereira da Cunha,
e tirado born resultado.
0 referido affirmo in fide mei gradu.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
S Dr. Pedro de Attahyde Lobo Moscoso.
Praxedes Gomes de Souza Pitanga, Doutor
em Medicine pela Faculdade da Bahia,
Commendador da Real Ordem de Christo,
Cavalheiro da Coroa de Ferro da Italia, 1
Cirurgiao refonuado do Corpo de Safide do
Exercito, condecorado corn as medalhas de
passador de ouro da Campanha do Paraguay
e de prata do Uruguay, Deputado A Assem-
blWa Provincial, medico do Real Hospital
Beneficente Portuguez, membro de diversas
sociedades litteramias, etc., etc.
Attesto que appliques o elixir Cajurubeba
em casos de rheumatismos agudos, e obtive
excellentes resultados, send que por isso o
tenho preferido ao xarope de Ricord iodure-
tado.
0 referido e verdade, que affirmo em fe de
meu grao.
Recife, 29 de Agosto de 1884.
Dr. Praxzee Gome s de Sousa Pitanga.
Recife, 17 de Maio de 1884.-nIlm. Sr. Fir-
mino Candido de Figueiredo.-Cabe-me a sa-
tisfa@&o de communicar-lhe o benefico resul-
tado obtido pelo seu preparado Cajrub bano
tratamento da enfermidade de que estava sof-
frendo meu filho, menor de 4 annos e meio
de idade,
Sobrevindo neste, ap6s dous annos de sof-
frimentos, resultantes da deslocaqio da espi-
nha dorsal, um formidavel tumor na perna
direita, do qual originou-se urma fistula corn
grande e incessante derramanfnto de pfis, a
sua safide, a juizo de alguns facultativos,
tornou-se seriamente compromettida, sendo
que mais me constrangia dizerem estes, antes
e depois da appariqio do mesmo tumor, que
meu filho j~mais poderia andar. Eis quando
um parent, pela proficua experiencia que
tinha do Cew-rub6a, aconselhou-me o em-
prego de tAo important remedio.
Effectivamente o fiz e corn tao feliz resul-
Stado qu em meio do primeiro frasco acha-
va-se a crianga corn tamanha robustez a ponto
de andar a casa today, nio sentindo mais as
dores na espinha, 'que tanto a torturavam; a
fistula cessou de tanto suppurar e apenas ma-
rejava uma agua esbranquicada, devendo-se
supper proveniente, segundo o citado juizo,
de haver osso cariado.
Emfim, e tal o vigor de que gosa hoje meu
filho que, parece-me, corn o uso do terceiro
frasco do Caqjiwbba conseguirei a eura radi-
cal da fistula, muito embora o cariamento do
osso; sendo para notar que o Cajurubba teve
a forga de destruir sem a menor operacqa as
carnes esponjosas geradas nas bordas da refe-
rida fistula.
E pars que Vmc. possa fazer o uso que ihe
appouver desta minh declaraqo escripta,
por verdade subscrevo-me deoVi.e attencioso
venerador e criado, MA' Fd 'fdreio de Mo-
rae Pires (Empregado na Thesouraria de
Fazenda


Joio da Silva Ramos, Medico pela Univorsi-
dade de Coimbra, Cavalheiro da Imperial
Ordem da Rosa, Commend-dor das Ordens
portuguezas de N. S. Jesus Christo e N. S.
da Conceicao de Villa Viqosa, Fidalgo Ca-
valheiro da Casa Real Portugueza, Moqo
Fidalgo corn exercicio no Paco Imperial do
Brasil, Socio Correspondente da Sociedade
das Sciencias medical de Lisbta e da de
Medicine de Paris, etc,, etc.
Attesto que tendo empregado em meus do-
entes, durante trinta annos que exero a cli-
nics, todos os depurativos conhecidos, qurc
nacionaes, qugr estrangeiros, de nenhumin irei
tao prompto e efficaz resultado no rhetmna-
tismo, na syphilis, e nas moleotias da pi-lie
como do C'ajurubba do Sr. Antonio Pen-lira
da Cunha, ao qual devo o restabelecin' -uto
de various doentes, de cuja cura en tinrli ildsa-
nimado corn o emprego dos outros cdeu-
rantes.
0 que fica dito 6 verdade, que confirmarei,
se preciso for, corn o juramiento de meu grao.
Recife, 22 de Junhio de 1884.
Dr. Jodo da Si('a amca;ns. "
Attesto, poriue vi e observed, que a preta
Escolastica nio andava a quasi 8 annos, tendo
as pernas completamente chagadas, e corn o
emprego do Cajmrubgba desappareceram as
chagas e comeqou a andar. Recife, 6 de
Agosto de 1883. Gervasiio (ampcllo 1'ires
Ferreira (Desembargador da Relaqio de Per-
nambuco). -
Recife, 22 de Abril de 1883.- Ilhm. Sr. Fir-
mino Candido de Figueiredo. toT- Cuietano
de Medeiros, Tenente-Coronel da (iuarda Na-
cional e Cavalheiro da Ordein de Christo. -
Declaro que o seu preparado eajrubeba e um
prodigio! Meu filho Cleofas soffria de dartros
a ponto de se ir tornando urma molestia seria;
depois de se ter tratado homeopathicanmente
e corn mais outros remedies, sem que melho-
rasse, usou do seu Cajirub~ba, e antes de
acabar um frasco desappareceramni como por
mnilagre.-Um outro meu filho soffria de urma
ferida na perna, e depois de tomar a Salsa e
Caroba por alguns mezes, sem que a molestia
obedecesse, corn o uso do seu milagroso Caju-
rubdba ficou perfeitamente cumrado.-Uma mi-
nha neta, soffrendo de flores brancas, recor-
reu ao seu preparado, e em poucos dias iicou
ba. A' vista disto nio devo occultar tao pro-
digioso medicamento, nao s6 para animal-o
em seu trabalho, como para ensinar aos sof-
fredores a taboa da salvaqIo. Jose Caetano
de Mededros,
Parahyba, 8 de Mario de 1884. Snr. Ro-
gaciano Olympio de Oliveira.--Sendo eu nes-
ta provincial o agent encarregado da venda
do medicamento Caqjrubba, e tendo Vmc.
feito uso do mesmo, rogo-lhe se digne de in-
formar-me corn franquoza o estado em que se
achava, e o resultadoque tirou cornm o memo
medicamento, podendo eu fazer uso d4 sua
resposta.- Sou corn estima deVmc., .?altoel
Pereira da Oauha...
Sr. Manoel Pereira da Cunhla.-Tendo com-
prado em sua fabric Apollo o preparado vi-
noso, denqminado Caj4rubeba, para meu pai,
que se achava soffrendo de uma erysipela no
p6 direito a mais de dois annos, reapparecen-
do-lhe corn periods de mezes, e fazendo elle
uso do Cajiruba, corn oito dias sentio gran-
de melhora e hoje acha-se curado.
Outros incommodos que tambem soffria,
como ua "imnamnma- o no estomago e umna
empigem, desappareceram cornm o uso do Ca-
jilmrbd. Desta min]a resposta pode fazer
o uso quo lhe convier.-De V. S. amigo, at-
tento e erlado, Rogaiano Olympio d Oveira
(Despacdamte da Alfandega).

Acham-se devidamente recmheeidas todas
as firms doe attestado por tabellies pu-
bliO


.41
.4 -
I
- ~ a
:z~-.4.. I -, A.-


--a,
('4
~ -- --


O VAPOR
Jotopazi
S Espera-se dos portos
_- '^ dosul ate odia 5 de
l janeiro, seguindo para
fi4 a Europa depois da
demora do costume.


DEPOSITO CENTRAL-FPabrioa Apollo. Buna do Hospioio ?,*,RN.AMBUCO.
A' v.ada..d.pooik .dm.n mfabrim-.u.dp.Mqu ia I Irs do CabugI
i .. .A s


1. -- -
'I-
5


.7',


I







Diario de Pernambug -Sabbado 3, 4. .Jau.do ti:.. 8.


* uu:u~


/^/^ /
ilod








zv
/^ :^












Vende-se um estabelecimento constando de
3 earros de 4 rodas, 4 bois muito bons de trabalho
e mais algumas rodas de sobresalqntes, aassim
como encerados, 2 camboes para 2 Bois ; quem
pretender dirija-se a rua do Marquez do HervAl
a. 96, na fabric de cigarros.


Atten ao
Lava-se e engomma-se na rua de Santa CecWlia
n. 4, pelos segUintes preqos :
Vestido de cbita,'de senhoras 400 rs.
Vestido de fustlo 1$50
Vestido branco 100 is.
Camisa de chita, de home 120
Camisa branca 160
Camisa de venhora, pasada a ferro 60
Coberta de gang 80
Certinado 1;500
Toalha de mesa 160 rs.
Saia branea, lisa 240
Saia de bordados 320
Paletot branco 240
Paletot pardo 320
Calqa branoa 240
Callia parda 160
Cala parda Contrata-se por mez. 160

Registros de S. Miguel
Qucm tiver os ns. 661, 244, 1181, 685, 3410 e
3995 e houver pago ate a vespera da extraceio da
leteria da proviucia n. 97 de 31 de dezembro ulti-
mo, p6de vir ou mandar receber os premios que
Ihe sahiram por sorte, conforme a ultima decla.
racao que fiz por este Dirrio ; e perderA o direito
findo o 1, trimestre. Afogados, 1' de janeiro de
1885.
Vigario Pedrosa.





D. Anna Contfilto Bezerra de
Mello
Joao Bezerra de Mello manda resar missas por
alma de sua esposa, na igreja do Paraizo, As 8
horas da manh do dia 5.
Maria Bertina Paes Barreto
Fejnando de Castro Paes Barreto, Jose de Cas-
tro Paes Barreto e Manoel Lins Paes Barreto, ir*
maos e tutor de Maria Bertina Paes Barreto, fal-
lecida no dia 29 de dezpmbro, convidam seus pa-
rentes e amigos para assistirem uma missa que
mandar'iot resar no dia 5 (serunda-feira) As 7 ho-


&"-IX ras da manha, na igreja do Terco. ,

10 coimmero|
0 abaixo assignado pelo present deelara que
nesta data vendeu as Sr. Jose Maria Soares a sua
padaria intitulada da Victoria, siia A rua Impe-
rial n. 208, livre e desembaracada de qualquer
onus. Recife, 31 de dezombro de 1885.
Jos6 Emigdio Ferreira Lima.

Ama
Precisa-se de uma ama para cosinhar e com-
prar m na rua da Penha n. 7.
Loteria de 4001000A
Esta grande loteria do Rio de Janeiro serA
extrahida no dia 5 do eorrente. Bilhetes a venda
na Venturosa A run do Cabuga n. i6.
Pianista,
P6de ser procurado para reunisea familiaites,
na rua da Mangueira n. 14.
Cobrador
Necessita de urn cobrador a sociedade Ave Li-
bertas : na rua larga do Rosario n. 22.
Precisa-se de uma cosinheira, para casat de
familiar, paga-se bern : a tritar na rua do Barie
da Victoria n. 39, loja.
Aluga-se o 2- andar do sobradeo n. 28 A rua
do Visconde de Albuquerque, muito fresco, pinta-
do ha pouco tempo, corn agua e banheiro ; na rua
Velha n. 28.
FRANCFORTS/IMEIN
PARIS LONDRES
15RuedeiGchiquier 54-Aldermafnt'vEC.



0 ir




&i conhecido do mundo inteiro
como o melhor 6 mais perfeito
i de todos os sabaos de toilette.
Especiaiidade.
SEstractos 6 esseincia triples
de cheiros. Agua de C&lonia. M
i Vinagres de toilslt&. Pus d'ar-
Sroz. Pommad.s. A2eitcs to- .
Sdas elasesdeperfamaiia-finas.,
SSB iores qlWal s.
Deposits nas pri:ioipaes Per-
t fumarias, Pharmacias W Cabel- <.
p3 lei4eirc. f .. ''. i [






IS I
Medalha de Progrcsz d.eana 1873o ,)|











'.- .. .,.
'.. ".'" .. .. ... '.' '"-^ "' ... ": \ i
; '-
^SBrle fn~.. 'a+ ,:, -. .-c ... i' v f
l I v.I, ..+^^ ^ ^ i i


., .. ... '.:, :;-.^ wS. ': .... **:..


~ :,.
-
/ .* ^\.


'. ',* ,^ ^ *


Aluga-s, ou vende-se o.aitio do Cuimbe em
Beberibe, ozided reaidio o Sr. Vallenga, achando-
se a casa limpa, o sitio bern plantade de ar e
fructiferas, o qual confinda corn o rio dese nome,
onde tm htg parpaa o agradavel banho ; corn 4
quartos, 2 sala, copiar, osmhiba f6ra, quarto para
criado, etc. Para iuformaoes, neose lugar, ta-
verna do Sr. Jacintho, junto, a eataaot ou corn o
piroprietario rua do Bemfite iu. 5.
Aluga-se a casa da rua da Uniao n. 67.
tern commodes para familiar, agua encanada, gaz
e grande quintal : a tratar na rua/ do Apollo n,
22,. armazem.

e c ic o og pAmis lm&s
IORA e s OO]$ RUMO
Cura A@f A
de Aa

I tumW &a P MwigreeU


t LERO|
!4%ddo oa UL f P:Ui-l^
B e remedlo mais antigo e o0
i rsts universalmeate empe-
I gado contra todas as molestlas
1i ejidemlcas ou outras, causadas
Spela alterapdo dos humores.
SA prepare excaivaain* na Planneaoia
uCC TTIN Geineo do LE ROY
R ua do Seine, 51, emParis
L "iirw iiiiiii ^ ^ i ^ g


"isi" -hr. ekeascis. ..t "
^cifa^Bi ^oibw :* iM i.

CHOCOLATE om SANTONINA &
BMWQxe a b1mam3* b: d


SExigir a aislgnatura:
? arshbWlEZM!B4AAfiL lhrH,3hhu,FAmV~~.UP
IROLESTIAS dos BRONCHIOS e da GARGANTA
(Defiuxos, Catarros, Coqueluche, LarhnI t)
XAROPE e PASTA de VA EN
PARIS, Pha, 31, ruma de Clery, e em todas PhIM' erognria.

A

'cmm CONT oAsOA As
^ :^LE~TiASdaaVIAS flIiRI'AHI ?
BAPLCI giffWTB I
aitrre chronico do hexia,
rlWt^u4 do Canal doa uretrs
48'r^;stta3 aa /rosrtate,
^ ioviu,'46ncia da Urlna. >
Arela ne. urtau, etc.
7N y.N, PharTaceuticc-Chila,,
.',iii4. W.L. a& 4'.MUG,-ONE, ~,JPAS1Sj


jHEMlO rRHOl OAS ft Allivio immediate c Cara com ag
gncmuHnH~lUAS- : P OMAD ROYER t1
ssh a do A-.2nos fRua Saint-Mertt, 8'i5, PARE8.
______ fRA& gV. -& &.:
OPPRESSAO jf N-LGiS
CATARBU -DEFLUIO i lols CI6AOS oneC Yi 11
l Mg pira-se a fumaca que penetra no peito acalla o symptoma nervoao. falta
a wTpetoracaao e fdvorisa as funccoes dos organs resplri'.oric,-
n"B em aleado em caM de oJ. ESPI(L T,2 rua St-La.av. 6m ?aMis UII
.__epwsttarfosem P wsambu NC-MA do Z S VA


*. -, ,. *.
.K ?* :,t : 7iNHESRO MARITIMO r. /,.
--i--.1r.rnaccutico em Eordens ''
.".,.. "....do _:c ,,.a central de oiygiene do BrzaiL
--'";, ..... .... ... '. .' Uqe castao aco llom ,i!;'s rio T ,
.' r :. 1' *. i;: ,.', :, 13 ronc/ites. R on, ',.i, '. C rtiat co drz
.- :.. .' :... ; ,:- t -i.,- ,e;: ; ade encontrar um p'o::!, allivio, e Con--
i- g F,.- 1ie,; i..;i-.; I c':inplela comn c us o dos principis I alsamricos de p ilh
a'"'" ...... -7ano,- '.oi.I'nti';rns o)n Xaropl e na assa de seiva do plbhciro t.
, :.ir .';.2-o "r e La'-asse. ',
aa" b* trasao ieva a marca de fabric, a lrma S
sello do GRIMAULT & C.
ftL PARIS, 8, RUA VIVIENNE E NAS PRINCI-AES PHARMACIAS


a,.
.? '.*


i"3



I-


VINHO -GILBERT SEGUIN
1 8IFUGO FO71FICAMTE approvado p. AcaAdenmia 4& Ahd6 4. f As
Sea"Wta aUm os de 4 xpediono&
eo9 bom r*o tm dmoisrado a efcacia Incontestave l deste Vi!r.O, quer come ent.
leea w as .eba. d evJtar o seu reappan.caento, qurpow frtifclaneM, gl
OftB Mcftsie, tnfermiiddes nervous, ebudade c p edade *ou per excems-i,
fi ft ihoe, qua cont6m mals prinulpios activos W'do que o preparpaitfNAMres, Found* .-or 0 1 .3U mt
lpoloo males elevydo.-Ndo a3 dea abje_'tar contra o prec6 em We bda neonhlsda effcaca sdo medloamcr'=4o.
AbPhrnaoia 4C31r. 9^01M XJTCKTX1W 378, rua SatntrHonor6, PARIS
down, .......Low ama 3Pe -x-, -a -o 3 r "A& dA. S X---.. .A.. 5k -1-


FERRO GIRABD
|t Apprvado pela Academia de Medicina de Paris.
Aplo do pela Junta Central de Hygiene publal do Bral.3 jl
0 WfPtsr Mtirmrd encarregado do Releatorio i Academia demons-rou
." q*ftw'Blmente -oceito peios doentes, bim tolWado -pelo estoma'.9o,
f reSWttU't s ftdras'e oura a cizhloroanemria; que o que distingute p.i- j
S, cuarpmeie esie ndvo sal de ferro, e que nao causa priaio de vrere
a-mwn e, e elevamlo-se a dose, ob.im-se de.fechbes numwr saas.
S0 tRO'GIRARD curm anemia, c6res palli nthWgb.,-g-Mj6recitento do sangue; forifioa os temperamne. itos fracos, i
SeI t t'e ~*^gulartya as revras e comb.ate i- esteriUjdpeS.
Tv p.,sito eroa Paris, 3, rua Vivienne e ,napnowCw ':, r ?. "-:;. .



EffifiS'VAS DR PalGET^|
d o OEFRESNE'
IS 4 Cia,, Fomesuor ais "epseau 1 PaMve
i_ T empregada nos hoiitMta se Pttsg a e m as po.e-.-
lbO 9Bcmheva, visto Como ta m p ipiittid* e dwlgeri" >e
Mms-idi0WnxtI.u6meate a ORBM e of 6G pos gatdis~ae ma
aib o io d o as feoulas. -
!w ea Owsa da intolem 'itlos amS, aliftrwko, ouI,
4P sU agtrl) iffammaQ&f a da
,P .dbore3 0 Fpi"i.gMR..do-.,,.
*j" i~^ .....doB^Baoorlir'w' riptas @
JN^*ig~~t~tF.I !lki* r ^,


s~4~ -
4,


4,


0- *


~1NEEft! ~IXUft


~1IiE I[


Em prestages






18000


Por


semaina


Pode adquirir-se as verdadeiras machinas de

SINGER

Quem ndo deixara/de comprar agora uma destas afamadas machi-
nas?
Venham a succursal da companhia Singel na


RUA DO CABUGA N. IA
N. B...-Vendemos tambem linha superior, retroz em carreteis,
agulhas, oleo, linha de crochet, peas avulsas para as machines,
tudo de superior qualidade e por prepos sem competencia.


RECLAME
Os baraleiros da rua Primeiro de llarpo n. 20, sempre na faina
de vender baralo as suas mercadorias exp6em a apreciaio
public alguns artigos, cujos prepos ndo receiam compe-
tencia, como sejam:
FUSTOES de c6res de variados e mimosos padres, a 240 rs. o covado
CASIMIRAS do algodao a 400 e 500 rs. o covado, que pechincha!
LENOES de bramante a 26200 urn, convem !
COBERTAS de ganga torradas, a 24S00 iuma, sao bern boas
BRIM pardo liso, 320 rs. o covado!
BORDADOS tapados, a 1, 1500 e 2000 a peca!
COSTUMES de banho do nar, bemrn costurados, sendo para senhora 106000,
para home 86000 e para creanca i .000, um !
CRETONETTES claros, 240 rs. o covado, que pechincha!
CAMISAS de linho superi.res, a 45#000 a duzia!
CORTES de casimira, a .5500 um !
SAIAS bordadas, a 30 00 ama!
POUPELINAS e las, para i quidar, a 240, 280 e 320 rs. o covado!
MERINO' preto, fino, a 14000 o covado, aproveitem !
CORTES do ustAo par facollete, especialidaden'esse genero, a 2 e 46000 o
c6rte ?
MEIAS cruas, para home, a 46500 a duzia I
CASIMIRA preta alcochoada, a 2,6200 o covado!
CEROULAS de bramantes a 16000 a duzia!
SETINETAS de cores, a 500 rs. o covado !
CORTES do brim d'Angola para calga, a 1800 um
DITOS de algodlo a 1000 um!
ENTERTELA para camisas, a 800 rs. o metro !
E muitos outros artigos aproveitaveis.
N. B.-,-Fi rmado nos prineipios economics, contamos coi-
plela annuencia ao nosso RECL4ME.


A4S BARATEIROS
Na rua Primeiro de Marco n. 20.


FUND ICAO


SERIAL


ALLAN PATERSON I
N. 4-Rua do Brunm-N. 44
JUNTO 4A ESTAVAO DOS 'BONS


(


Tem-para vender, por preges medicos, as seu'intes ferragens:
Tachas fundidas e baildas.
Crivaqes de diversos tamanihos.
Rodas de espora, idem, idem.
Ditas angulares, idem, idem.
Varandas de frr boatidp.
Ditas de cito fundid&, de lindos models.
Portas de fornalha.
Bancos deferro corn serra circular.
Gradeamento para jatdim.
Vapores de forga de 3, 4, 5, 6 6 8 caiaUi
Medas de 10 a 40 polegadas dcpanadura.
Rod" d'agua, system Leandro.
Encarregam-se de quLalqer cpr.ertos, asentameao machinimos e
quer trabalho com perfeiglo euprestema.


I


xsWt *St


Car







quar.


P.. .
. # :.-


Idalina Rigueira Cavalcante
Francisco Teixeira de SA' e sua mulher convi-
dam seus parents, e amigos para assistirem A
missa que por alma de sua mui presada cunhada
Idalina Rigueira Cavalcante, mandam celebrar
na matriz do Cabo, no dia 3 do corrente As 8 ho-
ras da manhi.
Os empregadus da reparticao da Instrucao
Public, em 'lemonstra4o de pesar pelo falleci-
mento da mui digna consort do Sr. inspector
geral da mesma r-particao, Dr. Joao Barbalho
Uchoa Cavalcante, D. Idalina Regueira Uchoa
Cavalcante, mandam celebrar uma missa em suf-
fragio de sua alma no dia 3 de janeiro future.
pelas 7 1/2 horas da manha, na matriz da Boa-
Vi ta, convidam para assistil-a os parents e
amigos da familiar.
Os empregados da repartiao da Instruqcao
Public, em demons;racao de pesar pelo falleci-
mento de seu college Modesto Leopoldo Xavier
Bustorf',mandam celebrar uma miss em suffragio
de sua alma, no di i 3 de janeiro, As 7 horas da
manha, na matriz &i, B 1 .Vista, e convidam os
parents e amigos (to iizado a fazerem o favor de
assistil a.
D. Candida IMairia Ferreira
Olegario Saraiva de Carvalho Neiva convida
aos parents e amigos da finada D. Candida Ma-
ria Ferreira para assistirem a missa que manda
celebrar por alma da mesma, na igreja de N. S.
da Penha, no dia 3 de janeiro corrente, As 8 ho-
ras da manha.


Candida Malria Ferreira
Francisco Gomes da Silva Saraiva, Joaquim
Rodiigues de Amorim, Amelia Ferreira Saraiva
de Amorim, Maria d'Assumnpco Ferreira Saraiva,
sobrinhos e sobrinhas da finada, convidam as pes-
soas de sun amizade para assistirem as missas de
seu setimo dia, que serao- resadas na igreja de N.
S. du Penha, sabbado, pelas 4 1/2 e 6 horas da
manha


Transferencia
Em razAo de nao ter sido distribuido grande
numero de registros de N. S. do Livramento da
freguezia da Varzea, fica transferida da ultima
loteria provincial do mez de dezembro do cor-
rente anno, para a ultima do mez de fevereiro de
1885.
Trocam-se as apolices provinciaes de 100j
comrn pequeno desconto: na run do Born Jesus,
antiga da Cruz n. 60, loja de cera.
Aluga-se para s'fiia'o primeiro e segundo
andares do sobrado A rua Jo Baira da Victoria
n. 14 por 504, todo pintado : a tratar na loja do
memo.
Aluga -se o 2 andar do predio n. 51 A run
deo Imperador corn grandes e excellentes commo-
dos para familiar, tern agua e gaz; tracta-se no pa-
vimento terreo do predio n. 10 A rus do Commer-
cio.
Aluga-se a casa assobradada n. 19 da rua
da Ventura (na Capunga), propriedade do Dr.
Joao de SA e Aibuquerquc, a qual tern exeellentes
commodos e grande sitio : a tratar na run Pri-
meiro de Marco n. 13.
Precisa-se de uma ama que saiba cosiuhar :
na run Nova n. 61, 1- andar.
Aluga-i 9. loja do sobrado n. A' I run do
Livrament-, a qunl se acha perfeitamente asseia-
da para una tabacaria ou loja de cabelleireiro :
a tratar na rua Duque de Caxias n. 53.
Alugam-se o 1- andar da casa n. 18, o 20 da
de n. 66 A run Direita; o lo, 2 c 3L da de n. 3 !
rua da Penha; o 2 da de n. 25 a rua de Santa
Rita ; o 1o da de n. 34 A rua do Rosario Estreita;
a tratar na rua do Hospicio n. .


Aluga-se a grande casa n. 15 9 A rua Impe-
rial, de azulejo, corn porta c duas janellas de
frente, estucada e ladrilho de mosaico, coatendo
2 salas, 1 gabinete, 5 quartos, cosinha fora, quin-
tal e muitas quartos no quintal, que e murado,
tendo portao para a estrada de ferro de S. Fran-
cisco, cacimba corn muito boa agua : a tratar no
escriptorio n. 54, primeird andar, A run Duque
de Caxias.
Aluga.-se na ru Imperial du is casas, uma
de padaria, corn forno e utensilios, c oitra de moo
radia. ns. 198 e 199, por pre"o muito commodo e
a fallar corn Jose Feliciano de Nazareth. A rua
de Pedro Afbfonso (ontrvora ria da Praia), arma-
zerm n. 20.
Por festa ou por anno, corn pagaimento adi-
antado ou fianga deoaea equivalent, aluga-se o
pequeno sitio da travesa da rua daii Mangueira,
que-foi do fallecido Joio Francisco Curuciro Mon-
teiro. Alem demuitas arvoree fiuetiferas, tan-
ques e caeimba corn excelleute agua pot-i vel, e se
aehar tiurado, tern casa de habifaclo em bom n -
ta4to, comn 2 salas, 3 quartos, 1 despensa, weinhai
e urn quarto f6ra part eriado ou feiter, aeaoea.
do we esse sitio muito proximo ao rio C0 iboi
e as dues estae5es da Casa Forte e I(Oieael*-
da lihha ferrea do Recife ao CaxangA-e : -
pretender p6de enteaider-se corn a faainl IHM r.
Manolei Mirada ou com o Sr. major J-: CM.i -.
lo do Hig Barrns na mesa travesEa ,;fti r 4&
iangueira, que Ihe mandarao mostrar ,. omtrio
das as inia-mnlcte *e esawria, ow corn' ith)..
Pinto Junior, i va Veiha n. 59.








/ .... : + *<-*. .


PS--


AS

ferDMudade Secretas
*LENORRHA*IAW
GONORRH4Al
PLORE BDANOAS
CORRIMENT0S
axoentes eo antigos slo curades em
Ipuoo dias em secret, son regi-
Siganem tisanas, sem cansar alemn
sloistar os organos digestivos, pelas

0 injecoo de



DO DOUrft "?KIOO1W
PAJU t,. fV&P 1fta J dA Ift- AtedUMdm


CIAPELINAS E CHAPEOS
NA

Prafa da Independneia ns. 36 40
DE
J. da Sliva Carvalho e C.e
Urn lindo sortimento em chapellinras e chap6os para se-
ahoras em todas as cores, ultimos modellos
Nesta casa tern sempre urn complete sortimento em artigos de
chapellaa, tanto para homes, senhoras e crianas, s recebe
mensalmente das principals modistas de Paris o qaeha de mlai
alta novidade em chapeos e chapellinas.
Garante-se sinceridado e pregos atodlcos.


DEPOSIT GERAL
13-Run PrImeiro de Marco-18
Rio de Janeiro
Unico agent em Pernambuco
ADAMSQN HOWVIE & C.
N. 8 == Rua do Commercio = N. 3
A venda em todas as boticas e drogarias
Alugapse barato
S2_', nciar'da ru s do Born Jesus (Recife).
Armazem da travessa do Campello n. 1. Recife
Casa terrea da rua da Ponte Velha n, 22.
A casa terrea na rua da Palma n. 1U
k casa A rua do Visconde de Goyanna n. 79,
A casa terra da Baixa Verde n. 1 B.
A tr tar no largo do Corpo Santn. 19, primeiu?
audar-
"-" .... .... -. : .. .. ..... ":; -+' ; a





Idalina Rigueira Cavalcante
Gaspar Rigueira Costa, Candida Camilla Ri-
gueira Costa, Jose NicolAo Rigieira Costa, irmas
e cunhada de D. Idalina Rigueira Cavalcante,
mandam celebrar no sabbado 3 de janeiro, na ma-
triz do Rio Formoso, pelas 8 horns da manha,
missas em repouso d'alma daquella finada, e con
vidam para assistil-as os seas parents e amigos,
confessando-se desde jA agradecidos por esse acto
de caridade.


















peitavel public, que
eontinuam ter um sor-
timento de joias das


mais modernas


dos


mais apurados gostos.
Compromettem-se
a vender mais barato

do que em outra qual-
quer part.

Rua Io b 4

Luzbrilhanle sem funic

Oleo aromatico
HYGIENICO E ECCUNOMIC

Paa lam ar as


Martins & Bastes
Pernambuco


Namero telephone


n. 33


0 Pin9Killer vOetal Pe i Dais
Matador da dor
Um amigo dos pobres, economicoe de
facial applieagao, 40 annos do successo,es-
pantoso.
Nenhuma familiar 4ve estardesprovida
deste remedio.
Externamente cura: furunculos pana,
ricios e outros tumors torooer dp ten4
dies intumecencias das artic,-%Wqes -do-
res de dentes nevralgias- rheumatismo
-queimaduras-golpes, etc., etc., te.
Internamente cura: cholera, molestias
do figado, 4Uspepsias, ulcers doengas de
garganta, tosses, etc., etc., etc.
Acautelar-se contra as initWges.
Agents em Pernambuco, J. 7. Levy
&C.
DROGARIA E FHARMACIA
Rua do Baroieda vietorlan. O


PBE^OS
Frascos grandes
Pequenos
Duaia de fracos grandes
Pequeno


1#500
1#000
12#006
96000


.-- Aluga-se a casa da rua do
Fogo n. 50, a tratar na Ma do
Bario da Victoria n. 14.

LINHA COATS
SLiustrosa x para machine, e a Macia de 6
fos a tanto para machine como para cower a mdo.
-Nao se usa mais linha em novello-
Pede lin4a em earretel corn o nrone
J.&P.COATS -
Feitor
Precisa se de um feitor para cuidar de um sitio,
prefere--se portuguez : a tratar em Beberibe corn
Manoel Elias de Moura.


Precisa-se de uma ama para cosinhar e engom.
mar, para casa de familiar de duas pesoas : na
rua Duque de Caxisa n. 86.

Para comprar e cosinhar precisa-se : narur
doRarao da Victoria n. 48-A.
Canoas pequenas
Alugam-se canoas pequenas : a ver e tratar na
rua Imperial, olaria da Casa Amarella.


Kun d Datie Iw Verhl u.4
Ra o Bamaod/lora I. etu
eanado mt~ufte *, -, -
0 abaixo assigiado acabA .4e vender
em seus felizes bilhetes quatro, quartos de
n. 4,118 corn a sorte de 1000000 e diver-
moa prenmios de 3000, 166 000 e 8000.
0 memo abaixo asaignadoa onvida aos
possuidores A virem receber na conformi-
dade do costume, sem desconto algum.
Acham-nae A venda os felizes -bilhetes
garantidos da 1.a* part das loterias a be-
neficio da Irmandade das Almas da B6a-
Vista, (98.&), que se extrahirira. na segunda-
feira, 5 do corrente.
PBE OS


Inteiro
Meio
Quarto
am porplo
Inteiro
Meio
Quarto


4#000
26000
1#000
de 100000 para
elma


Jobo Joaquimda Cna


36500
1750 .
6875
Bta Leite.


CAN F IELIZ

AOS 4:000000
E
2:0008000
BDIJEBTES GARANTIDOS
Praa da Independen-
cia ns. 37 e 39
0 abaixo assignado vendeu entire os seur
telizes bilhetes garantidos da 97a loteria,
a sort de 2:000#000 em 4 quartos n. 1181,
a sort de 100#000 em 4 quartos n. 685,
al6m de outras muitas de 3'2#, 16# e 8#.
Convida os possuidores a virem receber
sem desconto algum.
0 abaixo assignado tern exposto A
venda os seus felizes bilhetes garantidos da
la parteem beneficio da irmandade das
Almas da Boa-Vista, 98a, quo se extra,
hirA segunda-feira 5 do corrente.
Prepos
Bilhete inteiro 4#000
Meio 2#000
Quarto 1#000
Em pornio de 1006000 para
alma
olnia
Bilhete inteiro 3#500
Meio 1#750
Quarto #875
Antonio Augusto dos Santos Porto.


CASA BAFORTUA

Aos 4:000000

LHZE mN~DiDos
Aga Primeiro de hlaro n. 23
0 absixo assignado tend vendido no*
sens afortunados bilhetes garantidos 1
quarto n. 244 corn a sorte de 100000,
.lem de outras sortes de 32#, 16# e 8#, da
lteria (97.&), que se acabou de extrahir,
convida aos possuidores a virem receber
na-conformidade do costume sem desconto
alguro.
Aoham-se A venda os seus afortunados
bilhetes garantidos da 1.a part das lote-
rias em beneficio da Irmandade das Almas
da Boa-Vista, (98,8) que se extrahira na
segunda-teira, 5 do eorrente.
PRECOS


Inteiro
Meio
Quarto
Em quant
Inteir(
mio
Quarto


S46000
24000
0 1#000
tldde manor de 100o
D 3#500
1#750
0 #875
Manoeld Martins-. Fiuza'


A VENUTROSA

Los4:OOO$O0

BILHETES ANTmS8
16-Rua do Cabugi-16
0 abaixo assignado vendeu nos sens
venturosos bilhetes garantidos os premioij se-
guintes: 1 inteiro em quatro quartos corn
a sorte do 100# no n. 3410 alem de
outras mais de 326, 166 e 8#, da loteria
n. 97.
Convida aos possuidores a virem rece-
ber sem deseonto algum.
Acham-se A vend& os venturosos bilhe-
tes garantidos da loteria n. 98 em beneficio
da irmandade das almas da Boa-Vista que
se extrahirA na segunda feira 5 de janeiro.
PBECOS


Inteiro
Meio


4#000
2oo000


Quarto 1000
Send quantldade uperlor
a 00:00*0
Inteiro 3500
Meio 1671
Quarto |75&.
JoaquiM F*ie. 4a


Veede como specialidade
Gwmna de araruta e matarena, preparada por
D. Jeronyma Coneseiro.
Vinho do Porto. qualidades finas.
iDito branco, superior.
Licores finos, divciaa aquahlidades.
Supernor chA preto.
Fino chi verde imperial.
Bonitas cainhas corn bisceutos e bolinhos.
Lindas cakiunhas cornm passes finas, proprias
par presents.,
Queijos de Minas erequeijoes.
PAma de leite
Precisa-se corn toda urgencia de uma ama de
leite para Olinda, casa de fiuamilia eqnhecida : a
tratar na rua Duque dc Caxias (Recife) n. 30, 1-
andar, de 9 da manh! As 3 da tarde.
XAROPE


ilAT


-IATA


Matia-MatA (lecythis idatimon) corn o qual s0
prepare este xarope 6 urn vegetal da flora brasi-
leira.
E' um agent therapeutic poderosissimo contra
as moleatias do peito e da asthma.
Os numerosos affectados que delle tern feito uso,
conseguiram um resultado muito satisfactorio, aca-
bando por se reconhecer que 6, atW hoje o melhor
preparado para a cura da asthma, bronchite asth-
matica e antiga, e oppresses; dispensando o em-
prege do arsenico, folhas de estramonio e plants
narcotics que acabam quasi sempre pelo abuso
que delle se faz e mesmo pelo uso pr6longado por
produzir effeitos desastrosas sobre a saude e em
geral entorpecimento do cerebro.
VENDE-SE NA
Botlea Franeeza de Rouquayrol
Fr6res
sueceessores de A. Caors
22==Rua da (mruz=22 RECIEE

Aluga.se
uma grande casa, sita A rua da Aurora n. 167,
pintada e caiada de novo, corn grande sotio, pro-
pria para grande familiar, corn canalisaeio para
gaz, corn agua, quintal, todo murado : a tratar
na rua do Visconde de Goyanna n. 100, Entron-
camento, Manguinho

Doce de caju em calda
Sem competencla
Aceita-se encommendas A rua Imperial n. 134,
ou rua de Hortas n. 1, taverna, onde encontrargo
os pretendentes a mostra. Aceita-se encommen-
das para embarquc.


Sitlo
Aluga-se um sitio corn casa, tendo esta bastan-
tes commodos para familiar, na rua das Crioulas
n. 59 (Capunga) : a tratar na rua do Amorimn n.
10, escnriptorio da viuva Lages.

Cozinheira
Naprapa da Inde.
pendencia n. 38 a 40

se dirt quem precisa
de uma mnul1er forra
ou escrava para co-
zinheira de casa de
famflia.




,0 COIIERCIO

Viagens ao0 centre
De W "iLAlItabayannupor Igua
-I-- piQ anaI e Itamb6
Todop os sabbados, As 4 boras da tarde: passa-
gens tomati-se A rua Primeiro de Margo n. 1,
loja.
De Itabayanna A Olinda por Itam-
b]1, Goyanna e IguaraxnA
Todas as tergas-feiras, is 4 boras da tarae :
*assagens A tratar corn Lourengo Pereira d'Amo-
rim, em ItambA.
Viagens avulsas para qualquer part e em qual-
quer die, partindo do ponto que se convencionar e
a preofs commodos. Essas contratam-se a rua da
Companhia Peruambucona n. 4. Encarrega-se das
bagpgens que nao podezem ir nas diligencias.
Pomnda vegetal Delsue de base de
mulamba
A unica que cure a calvice, a queda dos "abel.
los, as caspas, e ao mesmo tempo excellent espe-
eifieo para nervalgias na cabepa, como se prova
corn os attestados dos lentes da faculdade medico
da Bahia. Umco deposit em Pernambuco, Odi.
Ion Duarte & Innmo, cabelleireiros, rua da Impe-
ratriz n. 60.

R. DE DRUSINA & C.


Ru bo Bol-kas nl18
(ANTIGA DA CRUZ)
Casa de eommissoes
Grande e variado sortimento de amos-
tras e catalogos de produces da Allema-
nha, Franoa, Inglatera, Austria, Hespanha,
Italia e Estado-Unidos.
N. B.--Informaoes sobre machinismos
bioemp ditas para engenhos centraes,
bdtnba8, 'etc. par* inoendios e ofra ma-
chinas eutensilios.


GUELWOLFF & C.
Offerecem ao respei-
tavel public Vagran-
de e vanado sortimen-
to de vrelogiosdos mais
||reditados fabrican-
tes, ese acham habili-

tados a vender mais
barato do que outro
qualquer, visto rece-
berm directamente.


Todos


_ 1 1


OS


- I


venairos nesta casa


sao


garantidos.

Dig doe Oab.0II.


AMA
Precisa-se de uma
perfeita cosinheira pa-
ra casa de pequena ta-
milia, que compre e nao
durma t6ra:, a tratar na
rua das Cruzes n. 39,
1. andar, de 11 as 2
da manh&.

Trastes
A' rua do Imperadorn. 16 compra-se, vende-st
luga-oe e troca-se nowevs e usdos.

VENDAS
Vende-ee por 2:800/000, quantia em que
estia avaliada, uman parte do engenho S. Francis-
co, no term de Serinhaem, distante duas legoas
da estaeo de Gameileira : a tratar coin Antonio
Franco da Silveira Lins Filho, do engenho Santa
Catharina, no term de Porto Calvo.
Vende-se duas moradas de casas para urma
pequena familiar, sits no Porto da Madeira : a
tratar na ruados Guararapes n. 10.
Carrota papa earneiro
Vende-se unma ba carroca pars carneiro, a ver
e tratar na rua do Born Jesus n. 61, agencia de
eiltes.
Vende-se a bemrn conheeida propriedade Tra.,
picheira, distant da eidade de Olinda uma mi-
Iha : a fratar na rua do Imperador n. 16, loja de
trastes.

Orgao
Um orglo quasi novo, win 2 manuals. 1 podl
e 28 registros, d'um som, muito forte, prestando'
setambem para igreja, estA A venda per metad
do preo : na rua Nova n. 52.
0 Ihlesouro dos denies
Pos dentrificios sem igual; vende-se na praea
do Conde d'Eu n. 22, pharmacia. Prego de cad
caiza 500 rs. ___________

Papedaria
Papel e enveloppes de alta phantasiapara es.
crever, de cores e branco par quaesaquer miste-
res, de impressao de differences fomatos, de seda
para flores e folhas. Tintas de impressed, de eso
crever e copier, dos melhores fabri antes conher
cidos. Deposit da afamada TINTA'SARDINHA
do Rio de Janeiro. A unica easa aonde se pw6d
encontrar um complete sortimento de papel e ob,
jectos de escriptorio 6 na

Pari OsI11Ir sOS
Os verdadeiros anneis etectricos encontra-se na
loja do Pedro Antunes & C., A rua Duque de Ca-
xias n. 63.
Como sao lindas!!!
Bonitas e elegantes bonecas, 6 o Pedro Antu-
nes & C. quern tern, torna-se indispensavel entre-
ter o espirito das interessantes crianas, polo que
os proprietarios da Nova Esperanea nao poupam
exforcos; rua Duque de Caxias n. 63.
10,000 olas de borracha
Especialidade para fazer presents As criangas,
o Pedro Antunes & C. distribue gratis aos seus
freguezes ; Nova Esperanca n. 63, A ruma Duque
de Caxias.
Cabelios brancos 6 tern quem
quer
A verdadeira e especial preparacao, vende o
Pedro Antunes & C., pela quantidade que vende
prova a sua especial qualidade ; na rua Duque de
Caxias n. 63.
Sro bonitas
as luvas de seda abertas, eapno alto, que aecaba
de receber o Pedro Antunes & C., A rua Duque
de Caxias n. 63. __


Para os banhos salgados recebeu o Pedro
Antunes sortimento de :apatos especiaes ; rua
Duque de Caxies n. 63.
Sapatees Dapolitaos, especiaes, para o tra-
balho do camipo, tom o Pedro Antunes & C., e
estaI liquidando pars fechar faeotura ; ru Duque
de Caxis n. 6-. E'- a ova Esperauga.


40-Run da Ipnratrtz-te
VENDE-SE
Madapollo muito largo com 20 vamso*4 e 55000
Dito, fazenda multo encorpada quepim-
r&o e cop, corn 20 var a 5M500, ,
Dito francez, americano, fazenda muito
, a eoneorpad, de 70 ate 12000
Algo&e eafestade cam 9 palmos de lar-
gum para tazer leng6es de um s6 pan-
no, metro a
Dito trangad -om a mesmas largura,
preprio para lenc6es e toalhas de
mesa, metro a 1,200
Bramante de algodo com 10 almost de
largura, proprio para fazer lencqes de
umn s6 panno, metro 1,928(.
SDito francez, sendo de linho, metro a
1;800 e 2j9000
Dito inglez de quatro larguras, sendo
de linheo, metro a 20S0 e 21800
Lreguellas proprias para leng6es, toa-
thas, eeroulas, send fazenda muito
encorpada, cada peg&a corn 20 varas
por 10JI800 e em vara a 500
Ditas corn a mesa media a 800 rs., ou
vara a 400


Wl t Ai Atoalhado adaimascado pare toalhas de
re lo os mesa, tendo 8 palmos de largura, me-
I tro a


1,800


Assim come um ecompleto sortimento de
peas de algedaozinho americano e
inglez, qclue se vende por pega de 30 atA 6,5000
Iste ia loja da esquina do becco dos Ferreiros
Casemiras de cores
Be :000M at6 0OOO rs,
EImInpa Dor moiia
Alheiro & Silva A rua da Imperatriz n. 40, tern
um immense sortimento de casemira de cores,
tanto claims como eseuras, que vendem a 25000,
21500, atW 6, o covado, e das mesmas mandam
fazer qualqucr pqqa d'obra ou costumes, por pre-
gos muito rai oaveis, assim como tern tambem um
explendido sortimento de casemiras e pannos pro-
tos atA ao mais fino sedA que vemi ao mereado, e
doe mesmos tambem se encarregam de mandnr
fazer qualquer pega de roupa A vontale do fre-
guez e corn today a perfeigbo e presteza : isto na
loja dos barateiros da Boa-Vista, na esquina de
becco dos Ferreiros.
Liioesa 160 rfis
Os Barateiros da Boa-Vista vendem muito bo-
nitos linhos de uma s6 c6or e de listrinhas Da
vestidos, send a 160 reis o covado e de dcores a
isto na rua da Imperatriz n. 40, esquina do beceo
dos Ferreiros.
Espartilhos
a 46, e 56000
Na loja da rua da Imperatriz n. L*v venae-s
muitos bonds espartilhos paxe senhoras a 5a000,
sntos para meninas a 45000, assim como umn be,
dito sortimento de fichuse a 3,5000; isto na loja' d
qeiuina do becco dos Ferreiros.
Para festa
Vende se

Roupas para homiens


Pre os baratissiMu
Rua da Imperatriz n. 40
LOJA DOS BARATEIROS
Paletots de casemiras de quadrinhos, fa-
zenda qu e so lava 6A
Ditos de panno preto fine, fazenda muito
boa 7
Ditos de casemmira de quadrinhes e listri-
nhas, forrados 8J
Ditos de casemira escura, de cordao, for-


rados
Ditos de flanella azul, torrados, sendo fa-
zen la que no o desbota


8,5(101
10,50~


Ditos de casemiras de cores claras e es-
curas 10 00%
Ditos dc pasao preto fino, forradOs a1900
Ditos d3 cuemra preta de eordao 10 e 12/00M
Calqas de casemira corn differentespa-
dr5es, de 6-5500, 6,500, 8, e 1000m.
Ditas de caemira preta sedan a 80 e 104"00(
Ditas de casemira de cradle 6,50(
Ditas de easenrpreta
Seronlas de cregueua, obra muito bemrn
feita a 1,200e 10600
Ditas de Hamburgo de linho a 1,800 6 25000
Colleotinhos para dountro, sendo de ere-
guellae multo bern feitos a 800 e 1o00
o)amimaszgrande sortimento de camisas
braneas, tanto iraneezas soumoglems,
tantode linho como de alged&p, emnde
de 2,, 29500, 3, at 6,5000
Ditas de cretone de cor de 2,, 2500 e 330,m
Meis, grande sortimento de meias cruas
para homes, de 320 rs. o pu, at 50'
Couarh gr e uontirnoto e celia-
rinhos, tendo de 56, a duzias at- 8000
Tobalhas, grande sertimento deptoalas,
tanto para rosto como pare banho, que
se vendem por pregos muito razoaveis.
Tudo isto 6 eom grande redAo de pregoos : ,
loja da esquina do becan dos Ferreiros.

Mana
Vinho pure da uva, e fino da FIgueira, vende p
Maia na rua da Concordia n. 165, a 00 ro, a gar-
rafta!?

Papel jitado
para forrar salas de visit o, jaatar, quartos, al-1
covas, corredo'es, etc. Granoe e vanado sorti-
mento por pregos extremamente *uidoos
SEM COKPETIIR|
acaba de chegar para
Livraria Indmstw a
A rua do Baro da Victoria n. 7.

Engel.
Vende-se o engenho Mauni a* gfi ln
comarca de Pa&lMrs, promI'o de mt ;
sifrejar 4,t 00 pes: os .. "
vel-o e admirar a fertilidd-o do ase*ere AO
memos so d a raa0 pqe em ad. e tta-
ocomn L. G- da Silvainto, no Rem!. ouno
meoso engenho corn J. Ma us rre .

Rua do Barao da m V i 7 .

Livros s


Este 6 o numero de uma acreditada casa A rua
Duque de Caxias, cuje aistema tern sido, vender
as amuas fazendaa pr pre" bq'mos, on
seus propnetarios qterendo provt. veracidade
do que flea dito, apreseftin urmea i-t do. prego
dos seguintes artigps, os quaes S psra admirer,
como sejam :
Nova remessa de popelinas de quadrinhos a 16C
rs. o eovado !
Lindos padres em eretones clams e esenros a
240e 280 rs. o dito !
otaito sortimento de fust5es de cores a 240 ra.
o dito! bornverem.
Brims de cores pare roupas de meninos a 240 s.
dito I
Idem pardo, lona superior, a 820 rs. o di4 I
SIdem corn quasi um metro de largus a 440 rs.
0 06 1
Caseairas ingleas de cores, duas largmas, a
M200 e ;OW 0odito!
SIdem protas diagonal a 2A400 o dito I
Pannos para mesas, bonitas cores, a 600 ri
1400 e 1/800 e dito I
Eaplendido sortimento de laes para vestidosa
200 e 500 rs. o covado! 6 para acabar.
Setinetas franeezas a 360 rs. o oovadq !
Setim macao bronco para as Exmas. nhivas
1;200 o dito !
Idem de todas as cores a 1,400!
Merin6s de duas larguras e de todas as cores a
1I200, fazenda de 2;000!
Idem preto superior a 1;200 e 1;500 o dito!
Bramantes pare lengoes a 500 rs. o metro, 6
trangado. i
Idem de quatro larguras a 1;200 o dito !
Cobertm de gaga para eama de casala 3;!
Lece es de bramante idem a 21000 !
Cobertores de l1, grande, a 219.
Seroulas de bramante bordadas a 164 a duzia I
Meias inglezas corn boca de cor a 3/500 adita !
Camisas francezas finas a 30; a dita!
Lengos broncos sabauhados a 2; e 1% a dita I
Madapolao boa vista, 24jardas, a 6;' a pege !
Algodio largo superior a 34800 e 44 a dita!
Cambraia victoria e transparente a 3;500 a
dita !
Espartilhos modernos a 4800 e 55 umn !
Riquissimas toalhas de labyrinth, propeas
para baptisados.
Enxovaes para ditos a 15 (6 22;000 em outr
parte.
Guarni95es de crochet, o que ha de melhor, por
20%000 se,'rpre ee venderam por 80/1.
Idem avulsas a 1;200, para sofA a 3M, !
Colchas de dito a 10; sao liudas.
Cortinados, novos gostos em bordados, a 7000
o par!
Fichus e sahidas de baile a 4$1 e. Aam.
Superiors rodes da Bahia (sao de 4 punhos) a
154000!
GranOe sortimento de roupas, bern ceomo de
outros artigos : gravatas, coltarinhos modernost
punhos, saias bordadas, chales, etc.; temos de-
posito de fasencas proprias para os seanhores no-
gociantes do centre, e as veudos em grosso da-
mos descontos.
59-RUA DUQUE DE CAXIAS-59
Loja de .
Carneiro d W CnIa a C.

Moendo
Vende-se uma moenda em 'perfeito estad pe
quaint part deseu v.alor, tndo 8I.pllegadas do
panadura e 40 de grssura : na ruaeliga do Ro-
sario n. 22, lojia.


Liqutdaoao

Para acabar
Pipelines lisas, de listras e lavradas.
Las de qtadros, escossezas e lavrads.
Alpacas lias e de listras.
Grenadines de cores e pretas.
Cambraias bordadas e abertas.
Vestuarios para meninos.
Leques.
Ghap6es para senhora.
tjtasa l.sas e de cores.
Fichus de seda e de la
Capas de malha de iL
*- tP contlnuar
OlldriauI^, e punhos pare senhere e home., di-
versos feitios
nsar ses .leimlarinos e sea purobos, corn pa-
nlos"* tfd &irrt~ (punihos para lbCin
desde o.i."5 4B.
Caminas paek mpnop 4qu4l a. 28 A 85; sem col-
,u1 rinam s, d n. 32 A :
e!airffiii,'saiss, pent~itdtires, Osigas, gollss 0 pu-
pars mBlkora.
Gravatap 4gunde varidedade.
Meias crueas, brancasde cores e pretas.
Capachos, tapetes, malas, esteiras, bolsas, velludi-
Ihk/br;ins brucos e de cores, luvas, perfum,-
rias eto.et. j,,
Papoula & C.
I -Rua do CabBSA-I
Em frente a matriz de Santo Antonio


Nova"s setinas karaa a S0O
Chogou para*alO a dos Ba ateiroda Boa-Vista,
rua da Imperatriz um grande sortimento dam
a ilindas setinetas lavradas, tendo de todas as
c ores mais nov vinA o mercade, inda-
sivamente pre lw tmais bonita qoe
tern vindo pars a fsta. e venae-e a 500 rs. o co-
vado, isto na loja da esquina do becco dos Ferre-
ros.
izenfira^ inglezas a: *00 e
2leoO


Na loja des Barateiros da Boa Vista, vende-se
um elegant aortimenuto de cazemniras de duas lar-
guras, sendo- ingieas e corn bonitas cores que m
vendem a 215W000 e 800 o co~ado, sendo muits
proprias para coftumes, e das mesmas tambem n
mandam faier costumftes rmuito bern feito de cal"a
paelitot e collUete por 30 e 35,5, A grande pecineiha
na loja d(a ?R*dqaatpateriz, n.tO a esquina do
becco los Ferreires.
fssAs a 400, e 640
Os Barateiros da BoaVista, A rua da Impera-
triz n. 40, vendem vmt kg*fide sortimentdo de fi.
t5es branches, proprios para vestidos e roupas de
creancgas polos pregos acimena indicados; isto na es-
quina do becco dos Frreiros.
Lisimhas pn-a vestidos
Alheiro & Suva ,& a a da Inporatiz a. 40 act-
barn de receber uum-- e satmento daa mals
bonitas lansinhas par vestidos, sendo alpm
-a--n na. o covadi&0
tMods ae cores a '60
rs. e dito& o F com bi lhodde eda a 800 m.
todas estas Wibns ale inteiramente moernas, e
,vende-se na lja daa ru da Imperatriz n. 40 a eg-
quina doO beOo doFreira.


natwd lri'o-aig aiientar a Otm
eadtftei 4 0 RMAtei a ftob*
ijc- A 'W''1 0,1''^''* ]W 4Wl*" S h t 0'11.'11


I


!oa
*OOX
AM0












,F.l-


Viste tainbein o tal tieo?
Ouva o senhor per sou turn. Tam-
bem cu dous dias antes do senior fui a
Megin. A execuio dos incendiaries do
Orgdros, quto me hiavia indicado, pars a
9casiao ain qaue ea tinha de o segair esta-
va fixaL. para o dia imnnediato. Quiz por
isso ir d esp'ti'-me d'aquella quo havia side
tib bo.i para maima. Seguado e men costu-
me, penetrei polo jardim atraves d_ um
buraco praticado na erca. Esto meio ha-
via-me sidoe indicado per Aunita qae tre-
mia sempre, vendo-me chegar pela estrada,
que eu esbarrasso corn o pai, o supposto
alquilador Auge, que dea um memento pa
ra outre podia regressar da viagem.
Paisei polo deposit da6s forragens, de
quo jiA lhie fallen, quandodoo outro lado
da parede uma voz que me chegou aos ou-
vidos pela fresta da parede me fez parar.
0 pai tinha voltado. Approximei-me corn
todo o cuidado da fresta e olhei. Vi um he
mem feio, cabelludo, uria especie de urso
que disse a Gervasia:


A La em baixo em iSabit-Florent-le 'Viell,
pars onde yvou conduzil-a, seu pai vira pro-
cural-a e marearA depois urna ultima par
tida. Pars quo me acompanhasse soin re
ceio, escreveu-lhe aquella carta que ja the
entreguei. Corme lhe diz elle n'essa carta.
Qou seu tie per part de sua mab. E' preci-
so que me aceompanhe, minha filha.,
Vasseur interrompei Bernabt.
Doublet previu sua sorte, disse elle.
Aquella carta foi escripta anteriormente parr
levar sua filha para long no case de ser
proseso antes de powder fugir.
Come disse, men teoente, continuous o
Vira Tripas. Pars mim, que so shbria a
verotade no dia seguinte, reconhecendo Dou
blet ao ecadafalso, aquella carta s6 signifies
va quo o alquilador Aug6, nno querendo ir
a Beauc, encarregara o soeu cunhado de
vir buscar Gervasia. Tern urma voz bastan
to rouca, aquello home vii. Paroce-me
portanto que a suavisou quando accrescen-
tou :

FOLHETIE



0 FILHO DE ANTONY
POR

ALEXIS BOUVIER


QUARTA PART

Pertenees-me como o home
desgra a



(Continua9ie do n. )

CAPITULO HI

Quem nunca giver peccade que ati-
re a primetra pedra


prehendeu que estava vencila. 0 amor pros-
trou-a a meus p6s. Per isso tive pen a d'ella.
Dei-lhe a minha mto.


Corn a emnoAoe de raiva que Ihe subia ao
cercbro ao saber quo Gervasia estava em
poder c1o Belle Francisco, o tenente apaixo-
na1do foi injusto pars corn o Vira Tr-ipas.
Levanton se bruscamente da mesa dizendo :
Como! imbecil! ha urma hora que tu
me fazes perder a escutar, tempo que eu
podia emnpregar em perseguir o bandido!
0 Vira- Iripas abanou a cabeta e res-
pondeu tranquillamcnte.
Perseguil-o? para qu'i ? Isso era o
q.c queria o Bello Francisco, que na mi-
nha opinion, long de se ter afastado, dove
star aqui per porto, mettido em algum es-
condrijo, d'onde esproita a nossa partida
pars tomar em seguida a d(ireccao que Ihe
convie.r.
EntAte, pars corroborar o que dizia o
Vira-Tripas, contou os factos a que tinha
assistido, isto 6, a torcida mettida debaixo
dos anrreios do) cavallo da carruagem, para
que o animal, desesperado pela dur, levas
se o Mareassin a perseguil-o em direccao
ipposta Aqiuella que o incendiario proton-
dia tomar.-
Ouvindo contar qu 0os tires cavaIllos ha-
viam side estropiados na estribaria, o to-
noento ficou adinirado.
Porque, pelo contrario, nao s e servio
d'elles pars fugir? perguntou elle.
Ahi 6 que estA o mysterio, disse o
Vira-Tripas. Se Gervasia nao estivesse
desmaiada, o nossoe patife teria side obri-
gado a amarral-a em cimna de um dos ca-
vallos, e, no case de desmaio, a leval-a
atravessada na sua sella.
Nao poderia ir long assim, mas teria
ganho tcnrreno. Pars que o Bello Francis-
co desprezasse este meio de fuga, 6 que
urma forte razao se oppunha a isso. Alid
e que estai o mysterio, repito.
Cortando os artelhos dos cavallos,
quiz impedir que se servissemn no seu en-
cal9o, ponderou Vasseur.
De Croumissy parocia abalado para afastar
os mAos pensamentos que o atormentavam
e disse:
Tens razeao.... Queres.... assim o


S3


-as
as


se

m(
gu

qu
mi

di,
tal

ese
qu
IeN
me
Es
du
reo


~.


devastam o Mayenne, o Sarthe e o Baixo
Maine. Corn certeza Doublet mandava o
Belle Francisco come m recruta ao Corta-
Cabegas.
0 Vira -Tripas nao se contentava em sa-
ber s6 a metade: apressou se em per
ganta :
Qual 6 a outra informinaAo que tanm-
bern comprohendeu ?
pars isto, a verdade e que o meu general
m'n havia ordenado, o sou adversario era
um mimigo, e quando proaunciei o sou
nome...


Ja I -.. O.nome de quoern?
Obrigado, disse Fclippe, apertando-lhe- De Antony, eu disse : 0 Sr. Felippe
maos. ha de matar aquelo miseravel, aquelle pa-
0 Mocinho, depois de ver as horas no tife do Antony...- Ahi! entIto fiquei com-
u relogio, disse : pletamente transtornado... A Sra. bare-
- E' jA bastante tarde paras terminar- neza recommrendou-me que fallasse corn
os esta tarde. Somoeines obrigados agora a mais respeito d'aquelle miseravel.
Lardar este negocio pars amanha. Que me dizes ? disse Felippe.
- Nio per nmeu gosto, mas urma vez A verdade, senhor, mas ainda nio 6
ie nio p6de ser, iagam corn cque so ter tudo: ouvi a Sra. baroneza dizer quo ia
inme amanha poela manh. voltar A casa do condo de Saucy.
Ficar a tude combinado esta noite, Minha mi esteve em caa n ido conde
sse de Croissy. Umar vez que tu acei- de Saucy I extdamou o rmancebob, que so;
s, nao voltaremos a vcr-te, fez pallido.
CombQnemos tudo definitivamente Sim, Sr. Felippe.
ta noite, replicou de Croissy. Uma vez 0 que foi IA fazer"? 4
.o aceitas, s6 nos tornaremos a vor para Nao sei, mas desconfio que r 1 i4.
var te ao lugar do combat. Amanhia pela pedir o duello. tJ- :.-4
inlhit. terminaremos corn as testemunhas. Oh! mas i6 atroz in .a i era
itA As onze horas no Brobant; come o casa d'aquello miseravel! Qdoae acolfitc -
eleo s6 se p6de realisar a tarde, almoga- to Iho teria olle feito ? tel-a-hi a pcebi-
rueos iuntos. do ?


Perfeitamente ; Ais onzo horas no
Brebant.
Quando sabhir d'aqui, disso o Moci-
nho, pass pelo. alub, onde devo encontrar
0 medico,4 e amrvar4he-hei a entrevista ;
aimo*s comoseco.
Perf "eitaigente.
S.Ate6 amafhl, deita-te, descanga para
amniah, estates bem disposto.
Tranquiluia-te, estarei calwo e frio.
Apert-u as .i ia oa. '
Fefippe accomticahou os knuS ami L," e
ve* te, com,.Vernet, que, todo treHmuf, o
elpe:ava no salao.' A
,Apands. Apea -r. ,i '. ,
d o duo
Ce t%73V4



ic)


__ ras yAaiiw uuuuuqiwwnu.wun
^ V TBTO IX fl mava& s j*
O Pearosa-to para a partida.
Bugg-geO C AVETT .Ma, objectoa Gervasia, e a minhs
l n O CUAVET I boa Annita?
T == Annita acompanha-nos at6 Mans. Ella
PRIMEIRA PARTE d'esta cidada; deixal-a-hemos na nossa
.... passafrn.
0 VIBA-TBIPAS y
0 VIRA-TRIPAS AcreOl per isso que a. partida neo fos-
( Continue glo ) setao proxima.
Todas as manhis, G3rvasia tinha per ha-
VI bite regard as flares do seujardim.
Retirei-me ontao, tencionando voltar no
--Pois bem, n'esso caso, podo dizer-mo dia soguihte para dizer adeus A moea- a
porque motive certo tenente do sea conho- heora em que ella costumava vir ao jardim.
cimento me abra9gou coin transports de Infelizinmente! quando cheguijAi era tarde.
alogria quando, depois de Ihe ter eu con- Gervasia partira do madrugada. Mas dois
tado come havia conhecido urma certa me- nomes ficaram-me gravados na memnoria.
nina Gervasia, aecrescentei quo sabia on- 0 nine da cidade Saint-Florent-le-Vieil
do ostava essa moga, que subitamente ha- e o none ou ants o alcuuha Porco Montez.,
via desapparecido da sua casa de Ma- Reconhecerias este tio ? perguntou
gin ? Vasseur.
Dizendo isto, o Vira-Tripas olhava pa- Certamente, tanto mais que jA o vi
ra Vasseur corn um sorriso tGo franc e j soegunda vez.
tao dedicado, quo o tenente nao poude Quando ?
resistir aquelle apello ; su a confian9a. Hoje mesmo, n'esta estalagem.
Adore Goervasia! confessou elle. 0 Vira Tripas hesitou um pouco antes
E corn aquella necessidlade commumL a de continuar, mas era d'aquelles que pensa-
todos os namorados, de fallar do object vj que nma ma noticia s6 produz um mau
amado, Vassuer contour tudo. I ffeito.
Como ihavia descoborto Gervasia coin E continuous corn voz grave:
auxilio do cavallo de Doablet, que havia Foi a ptoposito do Porco Montez que
envenenado cim segailda, pars que nenha- m servi da espingarda.
ma outra pessoa fosse tirar :1 moeada ignorant -i Mataste-o? disse vivamente Vasseur.
cia em que estava a respeito de seu pai. Nal, tratava-se de salvar Gervaia.
Qaal a austucia que t;nha empregado para 0 tenente empallideceu, oavindo estas
ser admittido na cast. Os esfor90s que I palavras. Sua voz estava tremula quando
havia tentado pars arranr'ar Doublet ao ea- perguntou:
dafalso. Finalmonte qual tinha side o soun -t l coroeu algumn prigo ?
desespero quando, tendo id.) pars ver Ger- JA tinha cahido n'elle, pronunciou Ber-
vasia ainda urma vez antes de se par a ca- nab6.
minho A a caa do Belle Francisco, oen.-on- E brutalmente talvez, mas comn a con-
trara a casa fechada. viccao de que tudo so devo dizer a um he-
Per um tiponez quo passava sou- mcr da tempera do tenente, continuous:
be que Gervasia tinIa aeornpanhado um Gorvasia eqta empoder do Bello Fran-
tio que a viera buscar com uma carta do! cisco h, muais de urna ora.
pai aumn tie qua parocia um urso c aima- N'esto mnomennto, na outra mesa o Paio
vel come u-mn cao de filaD disse-me o coin- e pi dizia, arrastando um pDuco a lingua
ponez que me deu as informacoes, coucluiu poe effeito do vinho :
Vasoseu. A minha Leocadia era um model da
-- La isso 6 vrIldade, disso Beranabs6. virtudes. Via-me e iinnmmediatamente corn-


pars noa, quo dsobu w ep eex-
trordinario do Belle A4 a 3.
Cmusa quo sea drnida ora tambem
desconhecida' do Porco Montez, quo, nAi
tondo, come tu, a deseonfianca de que o
o incendiario nao fosse para longer, poz se
A caga do sacripante.
Eh! on! repetio o Vira-Tripas.
-- Nlo cres ?
0 Porco Montez pareceu-me urn gran-
de espertalhao, quo nao deixa percober to-
daa sua malicia. Quem sebe se em vez
de fazer-so ao largo, nho ficou A esproita,
aqui per porto ?
E o Vira-fripas, que tinha per habit
ater-se As suas ideas, tomnou-se pensafivo o
m urmurou:
Que motive poderia doter a fugag do
Bello Francisco? .
De repent batcu na test come que'rn
so lembra.
Oh I Oh! disse elle sorrindo.
0- 0 que ? disse o tenente.
Lembro-me agora do uma cousa.
Quando acompanhei o Marcassin na sua
visit aos quartos deserts, e oelle comeou
per dizer: Desappareceram I depois olhou
pars um canto do um dos quartos, e ac-
creseentou: E o dinheiro tambem.
Muito satisfeito, o Vira-Tripas disse es-
fregando as mnios:
Olhe! olhe! 0 ouro tambem ,
Seria isso per acaso quo amarrou urma
cords aos pes do Bello Francisco e que o
impedio de fugir a cavallo ?
Depois, admirado:
( 0 outro tambem! ) repetio lenta-
monte: era precise, portanta.), que fosse
urma grande porgao!
De tudan quanto se acabava do saber
resurgia pars o apaixonado tenente urma
inquieta9gao immensa-
0 que serA feito a esta horas da mi-
nha pobre Gervasia? suspirou ell e.
Um receio que Ihe atravessou o espirito,
fel-o estremecer.
0 Bell: Francisco vai leval-a para
a quadrilha do Corta-Cabecas, accreseen-
tea elle.
Ouvindo este nome, o Vira-Trip*w'arre-
galou os olhos. A sua physionomia podia
urna explica9gRo.
Vasseur, que o comprehendeu, tirou de
um dos bolsos urn peque 1o papel amarella-
lade que comerou a desdobrar, dizendo:
Aqui estA o bilhete-escripto por Dou-
blet, quo encontrei da golla do casaco
abandonado polo Belle Francisco, na nouate
to da sua evasiao. 0 pai de Gervasia dei-
xou estupidamente quo Ihe cortassem o
pescoco, recusando-se a explicar-me o sen-
tide d'esta carts, da qual, hoje, gragas a
ti em grande parte, tenho complete expli-
calao. Nos p6s do cadafalso, quando fal-
lei d'ella a Doublet, s6 havia n'aquella tra-
palhada duas informaioes quo eu compre-
henoia. Olha, escuta :
E o tenente poz-se a lei:
S- Corta-Cabecas, Jehu 24. S. F. le
Vied. A Ventoinha. 0 Porco-Montez.
Quemn anda d chuva molhcc-se. Sete e quatro
fazem nove. 0 fracto da faia cahio. s
Era urn guia feito per Doublet pars
servir ao Belle Francisco depois da sua
evasio, proseguio o tenente depois da l-i.
tura.
E' exaco, disse Bernab6. E sou
capaz de jurar quo devia ter side potiu-
eondiario, quo nada perncbeu da sun mis-
sae, quo Doublet mandou prevenir o Porco
Montez para quo fosse buscar a filha.
Pars mib, este bilhote, proseguio
Vasseur, era completamronte obscure tienoa
em dous pontos. Em primeiro lugar, este
nome Corta- Cabewas quo eu sabia ser o ap-
pellido do chefe da mais terrivel quadri-
lha de pseudo-realistas que, actualmente,


U"rns^^ w^ -- ^
', ,'" ^ o '"."" ..."i"ee -dia-

,.- NI,e e ; gtpe. foi grande
so ver quo era. e-uhtooid pelo. inaesdia-
rios. Para compOfteheder. fasto, foi pro-
e4so reordar-me .q it Doublet, quando nin-
guom deseonfiava d'lle., estava nas me-
Ihores relagces corn as autoridades do
Chartres, quo muitas vezes iam As escon-
diadas, fazer as suas Q.scaptflas Fa sUt es-
talagem.
Mas entao, de quernm 6 esse Jehu 21,
palavra du passe? insistiu Bernab6.
E' a palavra de passe por meio da
qual se dao a conhecer entire si as ancto-
ridades policies que o ministo Fouch6 en-
viou para as provineias *para langar a
redo que ha de apanhar todas as quadri-
lhas.
E sao muito espertos os takes agents
de policia?
0 que ha de mais fino. Entre ellos,
dizem quo ha ium que vale mais que todos
elles.
Vasseur foi interronapido peole Paio em
pe, que gritava pars Fichet.
Dez, onzo, doze, cidadao jA ostas
na doudecima canoesa, e chegou o memen-
to de provares tude quanto tens estado a
dizer
Fichet, que tinha conseguid) os seous
fins isto 6, beber de mnia cars, levantou-
se de um salto, dizendo corn uma voz em
que nio havia o menoes voslumrubre de gra-

Qainem te.n a potulancia de davidar da
minha palavra ?
SE estava corn uns areas taio amea9adores,
que o Paio em pd, assustado, apressou-se
em dizer :
Acredito na tua palavra, cidadao.
Se o estalajadeiro nao entendeu as suas
desculpas, foi per ter side interrompido
pela chegada dos barqneiros d(a Jalieta, que
ia final larger.
Antes de partir, viaham beber mais urn
caneco do vinho, ao feliz exit da sua via-
geim.
Pensando ern Gervasia, o tenente nao so
podia center. Apezar de tudo quanto Ihe
tinha dito Beraab6., queria por se no encal-
co do Bello Froncisco.
A c;tninho! ordenou elle aos seas
homes.
Per muito estapido que tosse o Paio em
pe, era antes de tudo estalajadeiro, isto 6,
agarrava-se facilinente aos seas freguezes,
e naio os deixava sahir. A sna voz tor-
nouse immediatarnment- humilde, excla-
mando:
Como! a caminho? Pois querem
partir aoanoitecer? exactamente no mo-
mento em que 6 costume deocangar a gentle
era urna boa cams, coin uns bons lencoes
do linho?
-- A caminho repetiu o tenente, so :a
prestar attenCtio a estas observagoes.
No, nilo ; o sonhor nao me farA a
injuria de desprezar as camas fofinhas da
Corca Branca, reospondeu, dolorosamente o
rotundo estalajadeiro, dirigindo-se corn as
maos postas para o tnennte.
E quando chegou bemrn junto de Vasseur,
segredou-lhe As proessas:
JEHU 24:.
A estas palavras, quo Ihe davamn a co-
nheoer am dos fameses agontes expedidos
pelo ministro da policia, descobrindo-o, o
roster de Vasseur nio trahiu o immensa ad-
miraciio quo so apoderou d'elle.
O heomem eatis asl diante d'olle, corn
urna apparencia de polichinello ridicule,
corn os sens gostos ridicules.

Mas, no meio d'aquella figuna burlesca,
olhos brilharam de repente intelligentes
J resolutos.
Fique, disse-lhe baixo o agento.
E immodiatamente, voltando A sus po-
sicio burltsca e a sua voz fanhosa disse :


'bosc' -.As
boscada, apan


,w ^ '^ '. b, a / '
H HB ,'*- *5 .*" t .' "
** ^ .. r ':...
*n-teito e. ... ...
haire aafla~xArn


.yyria.Saae B-zr M i~a1fi -0,

bo trrM ini` aoveuioeate mais urma
noite passada na estilaom da Core Branca
disse Vassenr, diapondo-so a coder.
As poncas palavras ditas polo eatalaja-
doiro ao tenente lao forai notadas pelo
Vira-Tripas. Acraditou queVasseur tica-
va devido ao conselho que Ihe dera do n.)
so afastar.
Aindabein, disso elle.
Depois, comsigo mesbo, accrescentou:
Desconfi6 que nUao ser das mais
tranquillas anoito que vamos passar na
Oorca. Branca.
Entretanto acabavam do beer.
Vamos partir. 86 esperamos polo
senior, men caro establjadeiro, disse o pa-
trao da Julieta dirigindo-se ao Paio emn pe.
Este ultimo olhou p.ara elle corn ar apa-
lermado e sorprendido:
Porque s6 espei'a per mim ? pargun-
tou elle.
Para vir para bordo. Esqu-ce-te
que devemos na nossa passagern dlixar-
te nas forragens de Comi6res?
0 homuculo, disse gritando:
E' vcrdrde, tinha-me oesquecido de
dizer-lho que eu ja nho parto... E' inuite
tarde, minha mulher esta doente, e domain
seria inutil, uma vez pue meu filho tern
cabeca.
E corn sua voz medonha, dirigindo-so a
Fichet, disse :
Sim, por um memento tive modedo ci-
dadio, de ter umn filho serm caboea, nao 6
verdade ?
Antes isso do que ter urma cabepa
scM ftilho.
Sabendo que o estalajadeiro nao fazia a
viagern, o patrrio trocou corn os seas hoe.
me.ns um rapid olhar, que sorprdndeu o
Vira Tripas.
Entao pars que foster ha poue o pedir
pars ver a Jdulieta? Pars saberes onde ha-
vias de dormir esta noite? gaguejou o pa-
trAo.
Atrav6z do toin ironico (do chefe trans-
parecia urna ponta de descontentamento
uqo impressionou Bernabe.
EhI eh disse i elle comsigo, parece
que-t nio ficou muito content corn esta re-
solu9ago.
Se u!n canQco de meu melhor vi-
nho pode indernnizar-te deste desarranjo,
terci muito prazer e:n t'o offerecer a ti r
aos teas hornens, propoz hurnildemoente o
ostalaj ideiro.
Aara d'ahi, vai buascail-o, grande
phoca! concordou o patra'o, que parocia
niuo ter mais rancor.
(Continuar-se-ha)


VARIEDADES __

0 eachlmbo do tenente Roque

(Extrahido)


Porem umn acontecimento preocipitou as
aousas.
Roque tinha partido corn um official, um
tambor e trinta homes pars rodear urma
partida inimiga qu e inquietava o ascamps-
monte.
Avanuavam em silencio, quando de re-
pente um tiro de fuzil, depois corn outros,
segaidos do gritos espantosos resoaram de
todas as parties.
Havianm ecahido em uma emboscada.
O official e o tambor tinham side mor-
tos de um golpe.
Os soldados vacillamam. Promptu come
o raioe, Roque, convertido cm chefe, jalgou
da situacIo ; atirou pars um la~o o seu
fazit, tomou a caixa, indicando jA o cami-
nho que devia seguir-se e marchou na fren-
to batendo A carregar.
Regressou ao acampamento corn cem
prisioneiros e um important desejoso.
Porem isso n-o era tudo.
Soube quo, per outre lado, urna bala que
levou ao tinbor maier o capacete, tinha
arrastado a cabega desde que morrcu de
um golpe.
Roque se dirigio immediatamente ondo
estava o coronet, que ficou muite sorpren-
dido da petigao desse sargento que at6
enta'o se tinha contentado corn bater-se
bern e nun-a tinha pedido nada.
0 chefe prometteu para quando passa-
sem a part ao general das operavoes da
noite. Roque nao dormio ; tAo ponce as se-
gaintes.
Esperava corn urma impaciencia...
Se via, cada noite, mettido em um ta-
lia de ouro de urma largura fabulous ; de-
pois sou coronel lheo levava gigantescu has-
too e o capacete cujos pellos Ihe acaricia-
vam suavemeronte as palpebras.
Deliecioso somno
Emfim soou a hera.
So mandou former e o mesmo general
foi distribuir as recomponsas na frente do
regimento.
Roque foi chamado.
Sableo das filas, diroito, erguido, mais
alto todavia pela emroglo.
Ao passar dianto do pelotlo de tambo-
res, que careciam de chefe, Ihe deitou pela
primeira vez desde que tinha sahido delle,
uma mirada, porem que mirada!
Emfim faz alto militarmente, levou a
mrao A visoira da barretina e esperou.


(ContinWa)


duello nao teri logar amanhi pela an,
elles battem-se A pistol.
Bern, amanhai pela mauhiA, a pessoa
que sabes dove estar de volta corn Rachel,
e precisamos absolutamente saber qual 6
o logar em que so effectua o duello; igno-
re a hera em que ellas chegam. Talvez
tenhamos unicamente -o tempo necessario
para chegar ao logar do duello e impedir
eatadesgraga. So for-preciso, lovevo alguns
dos meus criados para o ajudar. Quanto
ao senhor, conservalkas-ha perto da ports
do palacio do condeode Sancy; quero ser
informada do tudo. -
Sra. viscondess,, ella tern eerteza
quo a pessoa foi trataru Mlle. Riohel ? ^
Assim meafirmou. Neste.momento
dovem star corn Rachel,, e so jA nl eos-
tio em camiuho, devem bhegar amania
pela manhi a Pariz em am dos primeiros
trends.
Chegarlo a tempo.
Assim 6 preciso.
Comprehendes que vendo a hesitaglo de
Mme. Lancy emr fazer ,oom quo a al
fosse a casa .d'le, on devia wanr eossa
resolsuao, prevendo o qno asonteoeu, que-
ro dizor, quo o duello tivmae logar ma-
nhS. 0 conde, reoauaudo-se a recober-nos
pelsa mu.ha, ontiuava a proceder do
memo IU que coWgo i a sa a promes-
fta 4e r p a .aiifsta a tarde s6
sfpM pa ts ^ W d'ess& forms
*#.fvss de poder im-
-g^a~te O"Gowaro^-O. *4 ,
Deixando __ad_" cmcy, maudoi a
minia criads, que-or o0 .spert, wa-
"..A-a, -

lA&Wde "era pMr-
A* ,W

k6,- !


persistente. .
0 detevo no leito durant aseis =aes.
Quando se lovanto ,houve grito geral
de sorpreza, tinha qrescido seis pollegadas.
Se tinha deitado poquono; so levantava
gigante, grande, mais alto que o tambor-
a6r, queo de dospeito deixou cahir o seu
bastio.
SA primeira consequeocia desta infracgleo,
ao regulamento -que mamra a estatura dos
senhores tambores -foi tel quo tiraram-1he a
caixa. Roque passou a setr soldado raso
em urma comphnhia.
0 que humilhou muito ao tambor.
Passeava no quarter come urma galinha
em busea do soen Ovo, nao sabondo que fa-
zer corn os brasos.
Emfim, de raiva, elle, que jAmrais at6
entlo tinha podido distinguir urn A de umr
B atacou o abecadario. Um mnez mais tar-
do lia come urma cura, dons mozes mais,
eserevia come urn marechal de Fran9a.
0 fizeram cable.
No anne segainte era sargento.
Apezar dessas honras, uma magua ne-
gra Ihe desgarrava a alma. Se lembrava e
sentia a falta de sua caixa.. E As vezes,
nas fileiras, violava a lei do silencio sol-
t:rdo um formidavel juramento contra um
tambor que tinha feio um fia em lugar de
umn rra.
Entretanto urma esperanaa o alimentava.
O tambor maior, seu igual em grAo, de-
via retirar-se dentro de dez aunos. Roque
pediria seu bast'ao.
Isto o trazia pensativo.


Duvido que em Mans para onde vais,
cidadaos, enuontres molhoreos camas nom
tio born vinho... Naoe6 verdade, meus se-
nhores ?
Tern razi-to. Tea viaho escorrega
que 6 ur gosto, confirmou o patrio da
Julieta, que bebia corn os seus homes.
Fichet, em reconhecimento As garrafas
que tinham b-'bido gratuitam itnleonu
Nlo, nuo. Elie dirfa qtu- o quero as-
sassinar. Anda, Vernet, vein.
E Felippe sahio rapidamente do palacio,
seguido pelo seu fiel hussard.
Quando chegou A rua chamou um carroe
e entrou.
Verouet subio pars a almofada e sentou-
se porto do cocheiro, a quem deu a mora-
da do condo.
Quando o carro parou na ports do pa-
lacio do condo do Saucy, Vernet saltou da
almofada, para abrir a porta a sea amo.
Mas Felippe, quo ardia o'r feobre e es-
torcia-se corn impaciencia desde que sahio
de easa, ji tinha sahido do carro.
0 porteiro ia aespedil.o, quando veio uam
criado-dizer quo o condo tinha dade ordom
para quo fizessornm' ntrar hnmediatamente
a qucaiH viessa procural-o.
quo easoeqBirao enttar, men se-
nuh r. o ,-
Qajizlb o eri 0 s.isita dosappartea-
ram no' vbtlibOak & gtda-pbrtilo, resmun.
gandqi reio .',oa sr-ae no -nmgulo da por-
ta, parsa ztur o ar da noite. O ihava
par& os ecartos que esperava na
porta. NNr "d'elleo ostava encostado "y
net,q A". d mni -owsigo, fturioso, path'
1- i b :os ow ao s. qjizesse fethar
* 69c0~1 A4e iuar a praguejar e a
aeaa alm aae m 4' a mode provocador
qele considerOay
aj~ -Aqe

autto d*"orukr/I


W.' M


Q.


Chamava-se Roque.
Era um desses homes vindes nab sabe
donde e que ficam onde a casualidade os
ha levado, pel.a razo de queo nenhumrn mo-
tive os chamaria aqui melhor que alli.
. Os que mais sabiain delle o julgavam
alsaciano.
Tiaha chegado a Blidacl e dia meanos
pensado, so dirigira A rosidencia do caro-
nel, que -por folta de estatura-o t nha
eaviado ao tarvbor-m6r. Um anno depois,
Roque era o melhor dos quarenta tambo-
res.
Tudo marchou bern durante algum
tempo.
Roque quo nio fallava sena-o mui
rara vez e que nao recebia nem enviava
eartas. que nuaca mirava o horisonte come
os quo IA na America pensam em seu paiz
natal-Roque tinha entrotauto urma paixao,
porem urma verdadeira paixao.
Amava sua caixa.
Era urma paixao de artist. E ficava
mais orgulhoso depois de um rufo correto
corn seus fortes e sous pianos que Liszt
e Thalberg depois de suas phantasias mais
brilhantes.
0 desonhecido torminou a phrase coin
um grito seguido de am outro que soltara
o guard portto.
O velho hussard atirara-se sobre elle e
dera-lho um valenta socco nas costas, a
urn outro no guarda-portfo, qua o fez ro-
lar polo pateo do palacio.
0 vwlho hussard esbordoava os dous
homes e on cochoiros quo ostavam na
port tiveram de saltar das almofadas
parn se precipitarenm sobre Vernet.
O guarda-portlo, assim que se levantou,
deitou a corner precipitadamente pars o
lade do Palacio Bourbon. Leclaqu6, por-
quoe era elle, osguoeirava-so pelo mnure para
fugir. -
Corria, offegante, mas sen4o*Menos for-
te que o velho hussard, quo seguio no seu
enealgo. perdia terreno, por j ITheo faltarem
as forgas, quando ostacou dianto de um
grupo do homes quo vinham oem direcglo
-a etie. Estavs qo meio do um grupo do
policies quo tiuhamn aeudido ao chamado
do gaarda-portlo do palbcio do condo do
Sancy
.( portoiro, dasigaaado Vornot aos poli-
cias, "fe "lhes:
-- rdam-noi e 1 6 e estee o assas-
sinoe in
quait LeeIqu6 voltou para casa da
visconcht e Sirva, eola exdlmuou :
4t.- t-s, L.l..qa06, em quo i
estadooet-sil fti "? 0 oque aeon-a




-.^ dn 44M'U6 do Wai de
..... ...... .
,amc-^tl oI4Itaso.&i-a~od^wndttljO

&.^nt^_j(':^ats


I .




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKQV342WD_0M4ORY INGEST_TIME 2014-05-02T22:41:51Z PACKAGE AA00011611_13187
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES