Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13139


This item is only available as the following downloads:


Full Text

INNO XLV1I. NUMERO 264

%
l
'

\
/

fARA A CAPITAL E LUGARES OIDE IAO SE FACA PORTE.
Por trw aiues afliantadoa
Por seis ditos dem .
Por am auno dem.. .
Cada mamero avaiso.
6,5000
12)9000
timo
130
SABRADO 18 DE NOVEMBRO DE 1871.
PARA DEITRO I JORA DA PBQTISCIA.
Por tres mezes adiantadoi ,
Por seii ditos dem.....
Por nove ditos dem ....
Por am anoo dem ....
isnoo
somo
riooo-
DIARIO DE PERMMBUCO.
Propriedade de Manoel Fijpieira de Faria & Filhos.
AO ***: .
(Ja Sn. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para ; Gon$alvei & Pinto, no Maralo ; Joaqnim Jos* de Oytin Filho, no Caifa ; Antonio de Lemos Braga, no ArKttj ; Joto Mara Jolio Chavea, no Am ; Antonio Marqne da S\t, no NaUl; ot totO*
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ;Felippe Estrella & C, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Tula da Penha; Belammo dos Santos Bnlclo, era Santo Antio; Domingos Jos da Corta Braga,
em Nazareth; Antonio Ferreira de Agoiar, em Gojanna; Francino Tavares da Costo, em Alagoas ; Dr. Jos Martina Alves, na Bahia; e Leite, Serqninho & C. no Rio de Janeiro.
parte ornciAL.
Cirtverao da provincia.
RXPEDICNTE OQ DA li K .NOVEMBRO DE 1871.
Actos:
O presidente da provincia attendenlo ao que
requeren a mesa regedora da conlfaria d>s pa-
triarebas S. Chr9pira e S. Chrispioiano, erecta no
convenio de .Nossa Senhora do Carmo desta cida-
de, resoive, de conformidade com o 3* do artigo
27 do decreto n. 2711. de 19 de defembro de
1860, appruvar provisoriamente o coropromisso da
referida eonfmria.
Igual mniatis mutaniis approvando tan bem
provisoriamente o compromiso da irmandade de
Nossa Senhora do Bom Parto da igreja do urna-
mente na cidade da Victoria.
O presidenta da provincia, altendendo ao
qoe reqoereu o bacharel ingelo Jansen de Cas-
tro Albuquerque, promotor publico da comarca
de Garanhuns, resoive conceder Ihe dous mezes
de Ucenc i com vencimentos na forma da le para
tratar de sna saude.
O presidente da provincia attendenlo ao
q3 reqoereu J >o Jos Ribeiro, professor publico
de ustrucc/io primaria da povoajo de Grvala, e
teodo em vista a informaco do Dr. director geral
interino da instrucco publica de 9 do corrente,
sob n. 390, resoive eonceder-lhe um mez de uce-
la com veocimentos, para tratar de sua sande
nesta eidade.
Offlcios:
Ao Exm. presidente do Rio Grande do Sul ac-
cusando a recepco do oficio, em que participou
a 20 de outobro ultimo haver prestado juramento
e toteado posse do cargo de presidente d'aquella
provincia para o qual fqra nomeado por carta im-
perial de 27 de setembro de?te anoo.
ao brigadeiro commanlante das armas di-
zando flear inteirado de haver nomeado a 10 do
correte o lente-coronel reformado Antonio
Francisco de Magalbes para commandar interina-
mente a fortaleza de Itamarac, era substiluco
ao major tambera reformado Felippe Duarte Pe-
reira, que fallecer.Comrauoicou se a thesonria
de (azeoda.
Ao mesmo approvando a nomeaco que fex
do capitao reformado Manoel de Mello e Albuquer-
que, para fazer parte da commisso de exame do
material do exercito a cargo das fortifleac5es do
ittoral da previncia e do presidio de Fernando de
Ncrahja, em substituidlo do tenente coronel re-
formado Antonio Francisco de Sonta Magalnes.
loteirou se a tbesouraria de fazenda.
Ao desembargador procurador da corda, so-
berana e fazendi nacional solicitando a remessa,
com a possivel brevdade, da nforraaco, que pe-
dio-se a 2 de setembro ultimo, acerca dos autos
de posee, de que trata o incluso requerimento de
Jos Rufino de Jess.
Ao inspector da tbesouraria de fazenda para
qoe, em vista do que expde o brigadeiro comman-
dacte das armas, mande entregar a Jos Antonio
Floresta Bastos, na qualidade de procurador de
Francisco Antonio de Magalhes Carvalho aquan-
tia de 4:700iOUO, por qnanto air..rri.in n coverno
imperial o escravo Cosme, que se acba com praija
no 2* batalbo de infantana com o nome de Ma-
noel de Jess, e pertence ao meocionalo Carvalho,
aftm de pjder ser entregue ao referido escrivao a
saa carta de liberdade. Jommunicou-se ao pre-
dito brigadeiro.
Ao mesmo recomraen Jando a exped cao de
-ua ordens, para que na alfandega desta cidade
seja despachado livre de direitos o mostrador de
vi 1ro, que acaba de ebegar da Europa com desti-
no ao relogio do torreo do arsenal de marrana.
Scientlflcou se ao inspector d'aquelle arse-
nal.
Por essa tbesouraria mandouse pagar :
A' Jeronyrao Pereira Marios, ou a Evaristo Men-
desda Cunha Azevedo, os vencimentos, relativos
ao mez de outubro ultimo, do oficial e pracas da
guarda nacional destacados na villa do Brejo
Commanicou-se ao respectivo commaodante su-
perior.
Ao tenente Pedro Paulo dos Santos a impor-
tancia dos veocimentos correspondentes ao mez
prximo lindo, do oflcial e pravas da guarda na-
cional destacados na villa de Pe3queira.lnteirou-
se ao commandznle superior do municipio do
Brejo.
A' Manoel Antonio Teixeira a quantia de 70-5,
que se Ihe est a di-ver, por haver concertado o
porto de ferro do xadrez do 2a batalbo de io-
faataria de linba, e coiloeado 19 fechaduras e
ferrolbos oo quartel daqueHe batalbo.Commu-
nicou-se ao engenheiro encarregado das obras mi-
litares.
Ao inspector da thesonrarfa provincial para
mandar entregar ao presidente da sociedade dos
artistas mchameos e liberaos os dous eontos de
res votados pelo 3 do artigo 5 da lei do orna-
mento vigente como auxilio aquella sociedade.
Ao mesmo mandando pagar a professora de
instruceo primaria, da freguezia de Nossa Seoho-
ra da Luz, Hermila Lydia Gaedas Alcoforado os
seos veneimeotos correspondentes aos dias decor-
ridos de 10 a 25 de outubro ultimo. ,
Ao inspector do arsenal de marrana decla-
rando que segundo aviso da ministerio da mari-
nha de 30 de outubro ultimo deve ser remetldo
aquella secretarfsrd'estado o ornamento das obras
antortsadas pela presidencia nesse arsenal, nao
devenda proseguir se aellas sem autorisacao do
referido ministerio, salvo as de simples segu-
ranza.
Ao mesme, declarando nlo poder ser pre-
sentemente adoptado o melhoramento, que propoz,
pois qu, segundo aviso do ministerio da raarinba
de 31 de outubro ultimo, acerca dos pequeos ira-
balhos era execuco nesse arsenal, mais econ-
mica a serragem brac.il do que a proveniente de
apparelhos movidos vapor.Gommunicou-se
thesoraria de fazenda.
Ao engenhiro encarregado das obras milita-
res, dizendo, em resposta ao sea offlcio, que con
trete com Jos Antonio de Albuquerque Pedrosa
i execuco dos concertos necessaros na fortaleza
do Buraco coa o abate de 4004000 por elle ofTe-
recido, sobre a quantia de 3:166*270, em que ha-
viam silo oreados taes concertos, visto ser esta
medida mais vantajosa a fazenda nacional do que
o resaltado da arrematarlo, ltimamente effectua-
da, na qual somonte comparecen o referido Pedro-
sa, dando am par cento de abate sobre a mencio-
nada quantia de 3.1661270.
Ao juiz de direito dacomarca de Pao d'Alho
para informar se o escrivao do civel e erme desse
termo, Hyppolito Silva, tiroa o respectivo titulo, e
no caso negativo a razo de nao o ter solicitado, e
etn virtude do que er em exercicio.
Ao commandante do corpo de polica, para
que mande diariamente estacionar no matadonro
publico urna prac desse corpo, afim de fazer a
polica daqualle lugar. Commanicou-se cmara
municipal do Reclfe.
Ao conselho de compras do arsenal de guer-
ra, autorlsando-o promover a acejuisico de di-
versos objectos, precisos para provimento dos ar-
meos de almoxarijailo do mesmo Arsenal, e cons-
tantes do incluso pedido.Inoiroa se thesoura-
ria de fazenda.
Portaras :
Ao gerente da Companhia Peroaabacana,
mandando dar nma passagem de esAado r al
o Ceart, no vafor qao segu para, t bot^b, ao ba-
charel Lycar^o de Abnqaerqo.9 4a ~
promotor publico da comarca de Quixeiramobim
Despachos:
Bacharel Antonio Domngues Pinto Jnior.Pas-
se portara, coocedendo liceoca por dez dias, com
vencitnerjto-, na forma da lei.
Antonio Victoriano da .Silva Lopes.Eacami-
abe-se.
Aderio de S Brrelo. Informe o Sr. brigadeiro
commandante das armas.
Baeharel Angelo Jansen de Castro e Albuqaer-
qne. Passe portiria, concelendo dous mezes de
liceoca, c->ra veneimeotos.
Bernardino de Senna Muoiz.Remettido ao Sr.
director do arsenal de guerra, para manijar satis-
fazer.
Domingos Eleuterlo do Espirito Santo.Defer*
do, devendo o snpplicante dirigir-se ao Sr. inspec-
tor do arsenal de marinha.
Antonio de S Cavalcante de Albuquerque.
D-se.
Bacharel Ezequiel Franco de S.- Remettido ao
Sr. iu-pecer da thesouraria provincial para man-
dar' pagar.
Ernesto Augusto de Athayde.Iaforrne o Sr. Dr.
jofz de direito da Ia vara da capital, ou .iodo o
jniz municipal respectivo, quaoto ao ultimo dos
offlcios reqaeridos.
Francisco das Chagas Cordeiro Campo?.Passe
portara, coocedendo a licenca requerida.
Genesio Jeroncio Peixoto de Albuquerque.In-
forme e Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Hermilla Lydia Guedes Alcoforado.Deflrido
com offlcio desta data tbesouraria provincial.
Irmandade de S. Crispim e S. CrispinianoPasse
portara na forma requerida.
Irmandade de Nossa Senhora do Bom Parto da
igreja doLivrameoto da cidade da Victoria.-Passe
portara na forma requerida.
Joo Silvestre Francisco de Mello.Passe.
Jos Rodrigues Campello.Informe o Sr. inspec-
tor da thesmraria provincial.
Joo Baptista Alves de Sant'Anna.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jjo Pinto da Silva.Informe o Sr. engenheiro
encarregado das obras geraes.
Major Joio Manoel Pereira de Abren.Informe
o Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda.
Capito Leopoldo Borges Galvo Ucboa.Infor-
me o Sr. Dr. jniz de direito da Ia vara da capital,
onvindo o Dr. jniz municipal da Ia vara, quanto
ao segando dos offlcios requerido?.
Bacharel Manoel Gentil da Costa Alves.ao Sr.
inspector da tbesouraria de fazenda, para infor-
mar.
Capitao Manoel Accioli de Moura Gondm.In-
forme o Sr. Dr. juiz dos feitos da fazenda.
Pedro Panlo dos Santos.Como requer.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO.
Offlcio :
Ao gerente da Companhia Pemambucana,
para que, de ordem da presidencia, mande por
disposicao de.Antonio de S Cavalcante de Albu-
querque dnas passgeos r at a capital de Ala-
goas, no vapor que segu para o sul.
Repartido da polica
2.a seceo.Secretaria da polica de Pernambo-
co, 17 de novembro de 1871.
N. I3BI iiim, e Exra. Sr.Levo ao conbeci-
meoto de V. Exc. que, seguodo coDSta das part
cipaedes recebidas boje o'esta reparticao, foi
hontem recolhido casa de detenclo :
A' minha ordem, EmyJio Jos de Ges, aQm de
ser remettido para Baique.
Por offlcio de 3 do corrente commnnicou-me o
juiz municipal o ter mi de Ingazeira, que susten-
tara o despacho de pronuncia proferido contra
Manoel Lato, como incurso as penas do art. 201
do. cdigo criminal.
Segundo commnnicou-me o delegado do termo
de Panellas, por offlcio de 9 d'este mez, no dstric-
t j de Empop d'aquelle termo, fra encontrado o
cadver de um menino ja estrangulado pelos caes,
procedeu-se a vistoria verificando-se 3er filho de
Quitea Maria da Coneeigo, foi esta presa e vai
ser processada.
Dens guarde V. ExcIllm. e Exm. Sr. con-
selbeiro Joo Jos de OUveira Junqueira, presiden-
te da provincia.O chfe de polica, Hermogones
Scrates Tavares de Vasconcellos.
PARA'.
MUSEO PARAENSE.
Temos a satisfago de registrar novos e impor-
tantes donativos feitos ao Museo Paraense por mais
arguns generosos amigos deste estabelecimento
scientifleo.
As offertas recebidas no Museo durante a pri-
meira quinzena do corrente mez e que ora mui
corJealmente agradecemos, foram as seguintes.
cujas datas vo entre parentheses.
Pele Sr. Dr. Raymaudo A. de Almeida, depn-
tado assembla legislativa provincial :
16 moedas, sendo ama de oaro e s mais de co-
bre e bronze.
A de ouro parece-se com as moedas da. aotiga
companhia ingleza da Inlia ; sea valor (que di-
ve ser igual a 1/4 de dollar), a dala e mais le-
gendas sao escripias em caracteres orientaos.
As de bronze wTobre sao:
Urna de Buenos-Ayres, 1 real (1840.)
Umajfermanica, de 1 konpeka (1855.)
Tres, cujas datas e valores sao representa-
dos por emeteres orientaos, que nao conbe-
cemos.
Urna portuguezi de XX (1819.)
Urna pontificia ou roinina de 1/2 baiocco (18i>0)
Duas hannoverianas : sendo um de tres pfen-
nige de 120 ao thaler (1842) e outra de 2 pfennige
(1863.)
Urna grega (Baslacoo tes E'lladosL de 1 lepton
(1851.)
Urna de am decime, da repblica franceza, do
lempo da grando revolacao. (Nao se distingue
bera a data.)
Urna ingleza de 1/4 penny (1842.) E' especial
para a cidade de Gibraltar, trazendo este urme e
a ligara das torres da praga.
Urna austraca, especial para a repblica de
Bremen (1757), reinado de Francisco I, imperador
da Allemanha.
Duas austracas de am a tres centesimi, esp*
ciaes para o chamado Regno Lombardo-Ventto,
sendo ambas cpnbadas em Milao (1852.)
Pelo Sr. M. da C. Barros, encarregado do expe-
diente da Companhia do Amazonas :
Urna moeda portogueza, de prata, valor de 200
ris fortes (1687, reinado de Pedro II de Por-
tugal. \
Esta moeda, boje-rara e por conseguate, esti-
mada, apezar dos seas 184 anoos de idade, acha-
se ainda em perfeito estado, tanto as legendas
como no escodo, na craz e na corda.
Pelo Sr. J. M. Mancebo, 1 teoente da marinha
imperial e membro do conselho administrativo do
Museo : .
Urna moeda peruana, de prata nm sol, va-
lor correspondente a moeda brasileira de 2#ow
(1868.)
Pelo SrJos Beoto da Silva, antgo oommercian-
te do Patfi : .*.
Urna oioeda de prata, portugueza, de w Mis
(1766i ..n
Hma dita tambem portogueza e de prau,_ us 120
ri*. NSo e distingue bem o anno, mas, o rei-
ffwimento,lv.do deloao V. / '.'
Urna nota ( papel moeda ) do thesouro nacional
do Paraguay, representando o valor de 10 pesos.
Um dos signatarios o Sr. Valenii Bedoya.
Pelo Sr. Viclor Antonio de Moraes Rocha foram
offerecida duas notas { papel moeda ) dos estados
confederados que tentaram separar-se dos Esta-
dos- Unidos da America do Norte.
Dstas-dttts notas, quB hoje aio obiectos de ca-
riosidade pare os Mseos, ama de SO dollars, e
outra de 10, ambas com a promessa de pagaveis
Idus annos depois da ractifica^o do tratado de
paz entre os belligerantes.
Pelo Sr. Ulr. Freid. Hahn, honrado commer-
clante desta praca, foi offjrecida nma medalba da
Cruz de Frro, prnssiana, feita de estilbacos de
ranadas encontrados no campo das batalbas em
ranea em 1870.
Entre as legendas da medalha ha duas mui sig-
nificativas.
N'oraa das faces vem no centro da eruz a effl-
gie do imperador Guilherme I, e as soas quatro
extremidades estas palavras victoriosas :
Se dan
Strassb. Metz. ,
Pars.
Na race opposta traz no alto da era: as iniciaos
de Frederico Guilherme, 1788 a 1818, e e:n baixo a do actual imperador,
Guilherme I. No braco esquerdo a date 181.'!. c
no direito 1870; no centro estao duas maos aper-
tando-se reciprocamente.
Uto, no nosso modo de entender, significa :
O rei Frelenco Guilherme, da Prussia, ven-*
eedor do Francezes em 1813 ni lamosa baiilha
de Lipsia, faz os mais aHecluosos cumprimentos ao
sen Hito o imperador Guilherme I, vencedor dos
Francezes na Franca em 1870. >
Pelo Sr. Paulo Maria Perdigo, qm- tem sido
um dos mais activos e generosos contribuimos do
Maseo, foram offerecidos 3 vasos com alcool con-
teni :
Um peixe agaiba.
Uo dito piraira.
Tres especies de centopai<.
Quatro insectos, dous dos qaaes pertencem fa-
milia dos Bombyeideas.
Um reptil da familia laurteana.
Pelo Sr. Dr. Quadros, medieo da capital foram
offerecidos dous ossos articulados em annel que,
segundo Ibe ioformaram, sao do peixe gorijuba.
Parece pertencerem seceo da dorsal. E' ob-
jecto que est em estado.
Pelo Sr. Jo3 Alberto dos Santos Saropayo foi
offerecido um reptil ophidiano. E' orna especie
de trigonocephalas que parece nova e formidavel
pela violencia do sea veneno.
Pelo Sr. J. Leyland, naturalista inglez em va
gem nesta provincia, foram offerecidos doas rep-
tis da familia dos lagartos, 1 coleptero do genero
galolta, e de especie nova.
Pelo Sr. capitao do imperial corpo de engenhei-
ros Dr. J. X. de Otfveira Pimental foram offereci-
das varias amostras de Turba, das visinhanQas de
Tabatinf, onde actualmente se acha em commis-
slo do- goverao imperial, e dous speclmens de um
mineral das margeos do Baixo-Tapajdj que o I-
lustrado offeriante er ser marmore fioissimo.
Pelo Sr.' Dr. Sieere, naturalista americano que
tem j feito ao Museo varios donativos importan-
te, fpram effareeidet lguns spacimens de plantes
da fnnilia das fflieaceas, e varios minraes da
Escama, perto de Obidos.
Bste zeloso e In^ansavel investigador da nalu-
portngneza de prata," "vox.4e 80 reA promette-nos novas remessas de productos
"qTUser-em duplicsta.
PeJd Sr. J. M. de Souza Franco, commerciante
de Camela, foram oflbrecidas varias amostras de
argila das margens do "focantios.
Pelo Sr. Dr. A. M. Gonsaivs Tocant'ras, que ha
pouco foi em commisso ao Xing, faram remetli-
das ao Maseo varias pedras da cacboeiras deste
rio e amostras de argila refractoria que o Ilus-
trado offertante er poder ser utilmente emprega-
da eomo cimento.
Pele Sr. A. J. de Boofa Martin3, cujo nome ja
tivemos a salisfaco de citar duas vezes nesta re-
laco, foram remettidas ao Museo daas pedras
( conglomirados ) com incruslacoes de pequeos
moluscos, encontradas no lejo do Tocantins.
Alm das offertas cima referidas, o Museo re-
ceben outras, cuja relaco publicaremos no prin-
cipio do mez prximo. Qnasi todas constara de
moedas e medalhas.
As offartas sao entre outras as seguintes :
Duas moedas estrangeiras, de coare, offerecidas
pelo Sr. J. Alberto dos Santos Sampayo.
Urna dita de 1/2 dime, americana, offerecida por
um anonymo. '
Cento e vinte e quatro moedas de cobre ja rora
medalhas e ca-
offerecidas
Pelo Sr. tenente-coronel Jos do O' de Al-
meida, deputado assembla legislativa provin-
cial :
Dezesete moedas de prata, e 7 de cobre, 1 me
dalha de prala donrada e am caobo de estanbo,
a saber :
Moedas de prata.Urna franceza, de 1/4 frene.
(1844)
Duas brasileiras, de 200 ris (1865, 1867.)
Duas peruanas, de 1/2 sol (1864) e de 2 reales,
cuohada em cuzco (1857.)
Duas americanas, de 50 cents. (1826) e de 1/4
dollar (1853.)
Duas bolivianas, de 1 S. (1830 e de 4 S (1836.)
Urna de Nueva-Granada, cujo valor se nao dis-
tingue, mas deve ser de 1/2 real (1837.)
Q atro ingleza*, de 1 shilling, dos reinados de
Jorge III (1816 e 1820), Guilberne IV (1836) e
do actual (1867./
Urna dita del II .ria (1853.)
Urna portugueza de 100 res (1861.)
' Urna hespaohola, cajo valor ja se nao distingue,
mas deve ser de 2 reales. Nao se distingue tam-
ben) a dala, mas deixa ver o nome de Philippus
que indica ser a moeda da primeira metade do se-
culo passado. Refere-se sem duvida Felippe V,
2 principe eslraogeiro que reinou na Hespaoha.
Este principe foi tambera o 1 rei bespanhsl da
familia Bourbon cuja, dynastia nelle comecou e
veio acabar na ex-rainha Isabel II.
Era um francez conhecido ao principio eom o
titulo de duque de Aojoa, neto de Luiz XIV, por
cuja influencia poderosa subi ao ihrono bes-
panhol em 1700, reinando at 1746 em que fal-
lecen.
Urna madalha de prata dourada, cunhada em
Bremen, da sociedade dos atiradores (1855.)
Um cunti de estanbo, da companhia da pesca-
ra paraense, com o algarismo de 20.
As moedas de cobre sao :
Urna americana de 5 cents (1866.)
Urna brasileira de 80 ris puncada em 40 (1832.)
Cinco laso-brasileiras, sendo 3 de XL (1762,
90, 95) e duas de XX (1715, 17775) todas pan ja-
das pala metade.
Pelo Sr. Benrique Fouke, guarda livros do ban-
co Man & C, e' da gerencia da Companhia do
Amazonas :
Tres medalhas de prata a saber :
Duas inglezas, sendo ama de 1 schilling (1857)
e outra de 6 pences (1839.)
Urna franceza de 1 franco, cunhada em 1811
sob o imperio de Napoleo I, ora a efflgie deste
homem, nico nos seculos modernos qua merece
verda tetramente o nome de Grande.
Pelo Sr. Antonio Goncalves Esleve, honrado
commerciante desta praca; 8 moedas a saber :
De prala : Urna hespanhola de 4 reales (1710)
reinado de Carlos III.
Urna belga de 20 cntimos (1861.) 1
Urna americana de 3 cents. (1867.).
Urna dinamarqueza de 4 skilling (1856.)
De cobre e semelbantes :
Urna americana de 1 cent. (1864.)
Urna poraana de 1 centavo (1863.)
Urna argentina de 1 real (1840.)
Urna portugueza de V (1761.)
Esta ultima moeda j um tanto rara no Bra-
sil, sendo ella a primeira cunhada ne reinado de
Jos I.
Pelo Sr. Heoriqae U.1S. S. Calbelros, guar-
da livros de ama hoorada2:ia commercial desta:
praca :
Urna moeda
ris fortes (1790,) reinado de Mara I.
Mais 7 moedas de eobre seguintes:
Qaatro portuguezas, de 40, XX,X,V ris (1820,
47, 43,86.)
Uaoa franceza, de 5 cntimos (1854)
Urna de 2 1/2 cntimos de escudo (1867).
Urna ingleza de penny (1862.)
Pelo Sr. A. J. de Souza Marlins, pharraaceulico
desta cidade :
Quarenta e urna moedas, sendo 1 de ouro, 2*
de prala, 14 de bronze e cobre e l medalha. A
de ouro americana (1852) de 1 dollar.
As de prala sao :
Qaatro americanas de 3 cents. 1/2 dime, 1 di-
me e 1/4 dollar (1853, 57, 49, 58.)
Urna helvtica de 20 cntimos (1850.)
Urna de 1/2 real, da Nova Granada (1846).
Duas peruanas de 1/5 de sol (1867) e de 1 di-
nero (1856.)
Duas franeezas. sendo 1 de 1 franco (1829) rei-
nado de Carlos X, e outra de 50 cntimos (1865.)
Duas inglezas, sendo 1 de 1 skilling (1825) e
outra de 3 pence (1864.)
Quatro ln=o-brasileiras, de 640, 80, 160 e 80
ris (1780, 82, 90 96).
Tres portuguezas de 500, 200 e 50 ris ( 1865,
60, 61).
Urna hamburgueza de 1 sebelling (1865 ).
Duas bolivianas de 2 s. (1830).
Quatro bespaoboUs, sendo ama de 2 reales
(|1786), outra cuja data e valor se nao distingue,
mas qne deve ser de 2 reales, sendo, como a an-
tecedente, do reinado de Carlos III; e 2 columna-
res, de 1 real ( 1794 ) e de 2 reales (1795 ) am-
bas do reinado de Carlos IV.
De cobre e semelbantes :
Urna peruana de 1 centavo (1862 ).
Urna americana de 1 cent. ( 1863 ).
Urna portugueza de X ris ( 1819 ).
Cinco laso-brasileiras de XL, XL,
puntadas ( 1760, 86, 81, 76 ) e de X
e 1791). i
Quatro brasileiras, de 40 e 20 ris, puntadas
em 20 e 10 ris, tolas do reinado do pnmeiro im-
perador.
Urna medalba de bronze, na qual s se distin-
gue o numero de 129, segolndo-se-Ibe urna fi-
gura que parece ser am 9, o que dara 1729. o
reverso traz o chamado signo de Salomo.
Pelo Sr. Joa 3 Paulo dos SnHos Firmo, 8 moedas
de cobre, a saber : \*v.
Urna lusn-brasileira de XX ris do reinado de
Joo V( 1729).
Urna dita de X ris (1819 ).
Urna portugueza de X ris (1852 >.
Urna de 20 centesimos da repblica oriental do
Uruguay (1857 >.
Urna americana de 1 cent. (1851).
Duas franeezas de 5 centesimos, sendo urna de
1829, reinado de Carlos X ; e outra de 1855.
Urna ingleza, 1/2 penny ( 1862 ).
Pelo Sr. J. A. Carneiro Queiroz, quem j tive-
mos occasio de agradecer outras moedas doadas
ao Maseo, foram maii offerecidas as seguintes de
cobre e bronze :
Duas francesas de 5. cntimos ( 1856 e 1862).
Urna portugueza de 111 ris, do actual reinado
( 1862). '
Urna sarda de a centesimi, ( 1826 ) reinado de
Cario Feli, rei da Sardenna, Chipre e Jerusalm.
Urna americana de 1 cent. (1823 ).
Urna belga de 2 cent. ( 1832 ).
Urna sueca de 1/2 skilling (1825), reinado do
celebre Bernadotte ou Carlos XIV.
Pelo Sr. major Carlos Frederico Ribeiro, phar-
maeeutico desta capital, foi offereeida ama patele
da tenante segando do exercito paraguayo, passa-
da em pergamioho pelo defunio Francisco Solano
Lpez, presidente da repblica do Paraguay am
sub tenente.
Bste documento, qae tem hoje am mteresse de
actualidade e de cariosidade, foi assignado em
1865, em Humayt, e traz no verso a nota de ja-
ramento do offlcUI, laucada, pelo celebre Estigar-
ribla.
Pelo Sr, A. J. de Souza Mairins, a quem j em
oatro. lugar nos referimos;
Em geometra :
.oaquim Anselmo de Hollanda Cavalcante.Pleno-
mente.
Mantel Clementino de Oliveira Eseorel.dem.
Antonio Alves Barbosa Primo.Simplesmente.
O ADEUS DA ESCRAVIDAOCom este titulo
o festejado poeta, o Sr. Victoriano Palharn, acaba
de escrever um lindo poemeto, qoe j foi dado ao
prlo e qae brevemente ser apreciado pelos nos-
sos leilores.
Quem conbece as mimosas prodcelas do talen-
toso litterato, nao deixar certameoie passar esta
oova occasio de possoir mais um bello tivro, sa-
bido da peona do inspirado poeta pernarabneano.
Acha-se aberla ama asslgnatura da obra na
Livraria Franceza, 1J000 cada exem'plar.
VIA FRREA DE OLINDA.A nova directora
dessa empreza escolbeu para superintendente e
engenheiro da companhia o Sr. Dr. Gervasio Ro-
drigues Campello, que, sendo consultado, aceitn
o cooviie, e ante-iiontem entrou em exercicio de
snas novas funcedes.
Applaudimos o acto da nova directora porque
Reg Rangel, cooMnooicando qne por su aenar
doente deixava de comparecer repartilo.O
tribuna? flcou inteirado.
Foraro distribuidos os seguintes livros :
i Copiador de Tnonwi da Aquinu Fonceca- & Filbo,
snecessores, dito de Sehaffeitlin & C, Diario e Co-
piador de Silva & Soagey. .
DESMCHOS.
Requerimento do tenente coronel Araeriec* Neiti
Firmiano 4 Moraes-, pedindo que se mande-juntar
aos papis de sua petico ao offlcio de corretor da
praca de ifaceib o processo da Manga que pres-
tara na forma da lei.Gomo reqoer.
De Joo Christiani, eomo procurador basante
de Diego Jos d Silva, do Cetra, requerendo par
que se admita a registro a nomeaco do eaixerro
que aprsenla, dada por seo constituiote a Jo3 ?
Luiz Dias de Carvalho.Deferido.
De Carlos da Srlva Araujo, preposto do agenta-
de leudes Francisco Antonio Powoal, apresenund
o conbecimeoto do respectivo imposto com relaci
ao pnmeiro semestre do actual exercicio D.g*
a secretaria se foi apresentadti em tempo o eonbe-
estamos convencidos de que nova phase tomarlo cimento junio, e se os outro agentes de leilo
XX e X,
e V .(1796
do cursi, comprehendidas varias
nhos particulares do mesmo metal,
pelo Sr. Baraquira, naturalista horticultor.
Entre estas moedas ha 2 do tempo do impera-
dor Carlos V, e muilas do reinado de Luiz XIV.
Pelo honrado commerciante desta praca o Sr.
Samuel J. 0. e Silva foram offdreeidas 15 moedas
de prata e 3 de cobre. ,
( Do Diario de Belim.)
REVISTA DIABIA.
FACULDADE DE DIREITO. Hontem flzerara
acto os seguintes alomos.
2a anno.
Frederico da Rocha Vieira.Simples-
Francisco
mente.
Alfredo Alves Malheus.Plenamente.
Luz Baplisla de Sooza.dem.
Carlos Frederico da Co9ta Ferreira.llem.
Jos Domingues Port Netto.Simplesmente
Um reprovado.
> anno.
Jos da Cnnha Teixeira.Plenamente.
Francisco Leal de Miranda.dem.
Barcinio Paes Brrelo.dem.
Eugenio de Atabyde Lobo Moscoso.dem,
joo Coelbo Monteiro da Franca.dem.
Joo Goncalves de Azevedo.dem.
4.a anno.
Francisco da Silva Saldanha.Simplesmente.
Jos Alves Lima Jnior.Plenamente.
Joo Pereira Lago Jnior.dem.
Joaquina Moreira de Barros Oliveira Lima.dem.
Alexandre Rodrigues dos Aojos.Simplesmente.
Jos de Aranjo Vianna e Almeida.dem.
8.* anno.
Joaquim Lopes de Abantara Bilhar.Plenamente.
Manoel Ventura de Barros Leite Sampaio.Com
dislincco.
Manoel Cardos 3 Vieira de Mello.Plenamente.
Geroncio Dias de Arroda Falcio.dem.
Pedro Antonio de Oliveira Ribeiro Jnior.dem
Lourengo Freir de Mosquita Dantas.dem.
GYMNASIO PROVINCIAL. Termioaram hon-
tem os exames de lingoas e sciencias, sendo exa-
minados os seguintes alumnos, qae tiverarn em
resallado:
Em geographia :
Beoto Manoel Carneiro Monteiro.Destincco.
Andr Dias de Araujo.dem.
Manoel Celestino Pereira.Pleoamante.
Em arithruetica:
Joaquim Aaselrao de Hollanda Cavaloantr.Plena-
mente*
Manoel Clementino de Oliveira Esoorel.-Idem.
Antoaio Alves Barbosa Primo.Simplesmente.,
os negocios dessa estrada de ferro, tendo a sua
frente um eogenbeiro Ilustrado e probo, e j bem
conhecido entre nos.
FKSTa EM OLINDA.Amanha tem lugar, no
convento dos religiosos franciscanos de Olinda, a
festividade de S. Benedicto, havendo procissSo,
tarde. Prega ao evangelho o Rvd. Francisco Ve-
rissimo llandeira, e ao Te-Denm o Rvd.- conego
Marcoiino P. do Amaral.
NOVA PUBLlCAQO A' livraria franceza,
na ra Primeiro de Marco n. 9, acabara de che-
gar alguns exemplares da Aristocracia d genio e
da belleza femenil na antiguade, obra publicada
em Coirabra, j em segunda ediSo, por se ter
extinguido a primeira dentro de pouco tempo. O
seu autor teve en vistas tarnar conhecidos do se-
cuto presente alguns dos genios feminis que bri-
Ibaram no co do paganismo, e responder indi-
rectamente quelles qae encararan) a mulber nos
seculos idos como simples machinas da procrea-
gao. Recommendamos esse trabalho aos aprecia-
dores dos genios.
SANTO AMARO DAS SALINAS. Proseguem
amanha, na capella de Santo Amaro, os trba-
nos da commisso eocarregada de concloir as
obras dessa templo, aflm de tratar especialmente
de arranjar os meios necessaros ao pagamento
do debito contrahido com o ex-proprietario.
CADVER. No districto de Qoipap, termo
de Panellas, fra encontrado no da 9 do corrente,
estrangulado pelos caes o cadver de ara menino,
qae se pode ainda reconhecer ser filbo de Quite-
ra Mara da Cinclelo.
A autoridade fe-la prender e trata de proces-
sa-la.
PRONUNCIA Pelo juiz i municipal do termo
de Iagazeira fra sustentada a pronuncia proferi-
da contra Manoel Leilo, como incurso as penas
do art. 201 do cdigo criminal.
MONTE PI POPULAR. Amanha celebra es-
ta sociedade urna sesso magna pelo 15.* aniver-
sario da saa installacjio, no palacete do largo de
S. Pedro, precedendo e3ta acto nma missa solem-
ne na igreja do Espirito Santo.
FESTIVIDADE RELIJIOSA.- Na matriz de S.
Fre Pedro Goncalves celebra-* amanha, com
todo o esplendor, a festa do Senhor Bom Jess dos
Passos, orando ao evangelho o Rvm. Manoel Mo-
reira da Gama e ao Te-Deum o Rvm. Jos Esteves
Viaona. A masica dos actos nova, de compo-
sico do maestro Picehe, e ser executada sob a
regencia do Sr. professor Smoltz, cantando os so-
los da festa algumas Sras. e cavalbeiros.
SOCIEDADE DOS HENRIQUES. Tolos os ho-
mens prelos, descendentes do valente Hennque
Dias, sao convidados para amanha, s 10 horas
do da, assHirem ;installaco da Sociedade dos
Hennques, que se destina a beneficiar os seus so-
cios, a a commemorar annaalmenle os feitos da-
quelle denodada carapeo da restaurado de Per-
nambuco. A reunio deve ter logar na imperial
capella de Nossa Senlora das Fronteiras, na Es-
tancia.
LOTERA.A que se a;ha veoda a 215* a
beoefieio da Sinta Casa da Misericordia do Recite,
a qual corre no dia 22. v \__
CASA DE DETENCAO.-Movroent do dia lo dfXJ
novembro de 1871:
Existiam (presos) 339, eotraram 2, sahiram 7,
existem 334.
A saber :
Nacionaes 241, mulheres 7, eslrangeiros 40,
escravos 42, escravas 4.
Alimentados justa dos cofres pblicos 269.
Movimento da enfermara, do mesmo dia :
Tiveram baixa :
Thom Rodrigues, gastrite.
Jos Tavares de Oliveira, asthma.
Tiveram alta :
Aotooio Jos Ferreira.
Amancio Alves Pereira.
Manoel Osear Villa-Mar.
PASSAGEIROS. Sabidos para os porlos do
norte no vapor nacional Mandak :
Dr. Antonio Serrano G. Aadrade, Ignacio Pinto
de Carvalho, Avelino T. Oliveira, Manoel Joaqom
Lemos, Joo Jos E. Bandeira e Antonio Baptista
Delbun.
UEMITERIO PUBLICO.Obituario do dia 15 de
novembro.
Jospha Joaquina Ramos, branca, Pernatnboco,
22 anoos, solteira, Boa Vista; hydrooeraia.
Josepba Mara da Conceico, parda, Pernamba-
co, 22 annos, solteira, Boa Vista ; tubrculo pul-
monar.
Manoel, pardo, Pernambuco, 2 mezes, S. Jos ;
c*ovulsSes.
Cosma, parda, Pernambuco, 1 mez, Santo Anto-
nio ; febre iolermittente.
Rufina, escrava, preta, Pernambuco, 3 annos,
solteira, Boa Vista ; bexigas.
Joo, pardo, Pernambuco, 2 annos, S. Jos; es-
pasmo.
Adelaide Gailhermina de Mello Albuquerque,
branca, Pernambuco, 29 anuos, solteira, Boa Vis-
ta ; metrolagia.
Auna Maria Ferreira, branca, Pernamboco, 69
annos, viuva. Boa Vista ; lubercalo pulmonar.
Joo Jos de Almeida, pardo, Bahia, 37 annos,
casado, Boa Vista ; berberi.
Claudino Gomes dos Santos, preto.
co, 49 annos, viuvo, Boa Vista
bem assira os correteros apreseotarara em lemp
os conhecimentos qoe Ibes dizem respeite.
De Pinheiro 4r Chaves, estabefecioV>s com loja d*>
miudezas ra da-Inperatnz n. 5$ A, snbmetten-
do a registro a nomeaco que der&m a Francisco-
Cavalcanti de Andrade para caixeiro de dito esta-
belecimento.Como pedem.
De Candido Alberto Sodr da Molla & C, snb-
mettendo tarobem a registro a nomeaco de seu>
eaixeiros Candido Alberto Sodr da Motta Jnnior.
Delphioo de Azevedo Villarouco, Frederico Sodr
da Cunha Motia, Domingos Antonio da Silva e Tito-
Pedro Alves Pequeo.Regislre-se.
De Claalio Dubeux, pedindo qae se Ihe certifi-
que se est rehabilitado oeste tribunal.Sim.
De Joaquim Antonio de Car ralbo, pedindo certi-
do de ser ou nao seo eaixeiro Antonio Manoel
Soares.Passe-se a certidao requerida.
De Jos da Silva Nones, submettendo a registro
o papel de arrendamento qae lizera da casa terrea
n. 41 sita rna do Brora perlencente a Antonio
Alves Barbosa.Seja registrada.
Da Francisco Gomes de Oliveira S.brkiho, pe-
dindo que por novos termos se Ihe faca transfe-
rencia do livro Diario que se acha em brarco e
2ae pertencra casa commercial de Joo Ant ra.>
e Araujo A C, visto l-lo eomprado.Na forma
requerida.
De Adclpho Birl, pedindo o registro de urna
procuracao bastante.Seja effectuado o registro
pedido.
Do mesmo Adolpho Birl-, apresentando a regis-
tro nm contrato feito entre elle e R. Hyvernat A
C, representados por Ferdinand Laboriao.Vista
ao Sr. desembargador fiscal.
Do agente de leudes Francisco Gomes de Oli-
veira, pedindo que os documentos que junta sejam
appensos petico era que pede licenea para tra-
tar de sua sadle, cujo despachovista ao Sr. des-
embargador flcalnao teve ainda execucao.
Sejam appensos.
Do Sr. Dr. oflcial-maior, pedindo providencias
no sentido de ser designado oatro empregado para
escrivao no processo de rehabilitaco de Antooio
JoaquinTSeve, visto estar com parte de doente o
oficial i>f|*> B-gt1- pu*- dignado o bacharel
Villares.
COM PARBCBR 00 SR. DESUMBARGADOR FISCAL
Petico de Francisco Garrido e Manoel Garrido,
contrato social.Registre se na forma do decreto
n. 4394.
De Joaquim Antonio Rodrigues, carta de registro
para o hyate Ofindo.Como pede.
Reabilitacao de Mariano Machade Freir Satis-
faca o impetrante a 2.a e 3.a exigencias do parecer
fiscal a fls. 31-
Oiflcio da junta dos corretores (adiado na sessaj
prxima passada.Cootioa adiado.)
Nada mais havendo a despachar, o Exm. Be.
conselheiro presidente eoeerrou a sesso as ti
horas e meia do dia.
SESSO JUDICIARIA, EM 16 DE NOVEMBRO
DE 1871.
BSUJIICIA DO BXM. SB. C0NSEI.HEIR0 K. t. PB"
m
Scrfano Julio Guimaraes.
Ao meio dia declaroo-se aberla a
estando reunidos os Srs. desembargadoree ,
Guimares, Rail e Silva e Accioli, e os Srs. depn-
uVom Miranda Leal, Candido Alcof-sradc, (
BaSl03>*;S&RDX0* ASSIONAOOS.
9MaoSR*L i
i
v*
Appellante
?Ve Mello ; appellante*
Pernamba-
palmonia.
fcebia Maria da Conceico, preta, Pernambu-
co 30 annos, casada, S. Jos ; escrfulas.
Severrao Baptista Ferreira Chaves, pardo, Per-
nambuco, 26 annos, casado, Boa Vista ; enoepha-
lite.
CHRONICA JUDICIARIA.
Tribunal do eBi-ercl.
ACTA DA SESSO ADMINISTRATIVA DE 16 DE
NOVEMBRO DE 1871.
RBSroRNCU DO KM. SR, CONSRLHKIRO ANSBU10
FRANCISCO PBRBTTI.
As 10 horas da maoha, reunidos os Srs. depn
lados secretario Miraoda Leal, Olinto Bastos, Can-
dido Alcoforado e Alvaro de Almeida, S. Hxe. o
Sr. conselheiro presidente deelarou abena a
3eFoida e approvada a acia da sesso de 13.
, KXTKDIBNTB.
Oficio do escripturario Dioamenco Augruto do
sepha Joaquioa Bezerra ^ deros de Henry
Tasso Irmaos, appellados os WE-* p -
Gibson ; embargante Andr de A^0: e
bargados Ferreira & Marlins em liquiw -,;,.,,
bargante D Cezaria Candida Nobre de .
embargado Manoel Pires Ferreira ; appellante- raiu
Blum, appellados Jos Alves Barbosa e outro.
JOLOAUUNTOS.
Juizo municipal e do commarcio da cidade
da Fortaleza ; appellantes autores Antonio Severi
no de Vasconcellos 4 Irmo, appellado reo Manoel
Jos de Oliveira Pigoeiredo ; iuizes os Srs. Silva
Guiraaras, Accioli, Alvaro e Candido Alcoforado.
Foi reformada a sentenca appellada, sendo vote
vencido o Sr. desembargador Silva Guiroiraes..|
A pedido dos Srs. deputados adiaram-se os jul-
gamentos dos seguintes feitos, entre parles appei-
lanie o carador fiscal da massa fallida de I-ernan- #
do Steppie da Silva, appellado o Dr. Gustavo A.
Walbaum: appellante Jos Francisco do Reg>
Mello, appellados SimpsonBroad 4 C._; appellaote
Joaquim da Silva Cosa, appellado Joao Rodrigue
Os Srs! Olinto Bastos e Candido Alcoforado na
apreseotarara os feitos adiados oa sesso passada
eotre partes, embargante Augusto Frederico do
Oliveira, embargados Augusto Octaviano de Souza
4C. : appellante Jos Joapuira Salgado, appellad.
Joo Baptista Fernandes.
PASSAGKHS.
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appellante Antonio
Joaquim Machado,- appellado Antonio Fernando.-^
Ramos de Oliveira. .. .
Do Sr. desembargador Silva Guimares ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appellante Antn >
VaTeotlrada Silva Barroca, appellante appellado o
administrador da massa fallida de Sebastiao Jo. >.
da Silva.
DlSTRIBUigOES, ,
Ao Sr. desembargador Silva Guimares : ap-
pellante Manoel Marques de Oliveira, appellado o
ario de Campo-Verde.
Ao Sr. desembargador Reis e Silva : appellant..
Tasso Irmaos, appellado Jos Goocalves da Sitia,
Ao Sr. desembargador Accioli : apj>ella.u,tv
Antonio Alves Pinto Tartaruga, appellado M&auot
Pinto de Araujo. .. ._.
Eadeerrou-se a sesso urna hora da Urde.
I
PUBLICACOES A PEDIDO.
A qnesto do eonvat da
Ajnia.
Ha perto de doas aoaos qae calculadamente es-
toa arredado das lulas da imprawa. clonava
permanecer nesse proposito, moBCianaM de bom
grado os loaros qae nella u podem eoftuir, leal .
entreunto, em mea .favor a vaatagem de poop-u-
me as asperezas dos espinbos, qne fcrem ) molea-
Hfa*a


m
Diario de Peraambuco. Sabbido 18 de Novembro de 187 \
i
B
>
3fe
tam aos que de cjnvicgao se empcafiain asases
certamen*.
A questio, porrn, do son unto da Ajada veto
tirar-me dease silenci >, qae me havia conlera-
oado.
E*sa (rila deacortpassada, essas aggresas ma-
lvolas, raaa violeneia as arguigoas, essa excesso
de linguagem, esse desprezo di todus 09 princi-
pios da pjuJeocia e moderagao que devera cirac-
torisar os sinceros prepugaadores da verdade ;
tndo isio qae se lera dito e mentado ceir S.
Exc. Rvma. o Sr. D- Pedro Maria de Lacerda tem
eoaeorrido apenas para denunciar essa tendencia
- impa e melueipnana porque se deixam arrastar
spirKos menos redactados e mal inieBeiooados, e
para dar-nos a trate eonviegao de que vamos aira
vessando um periodo reacciooario, era que se qoer
tudo, menos a religiio, era queae pretende ludo,
meaos a orden), em que tudo se .exige, menos o
cumpriraeolo da le, em que tod? serve de norma
menos os principios de Justina, e em que a mesma
verdade sacrificada aos Ialus exagerados di
falso iitoresse e da vaidade arrogante e iacoot-
sent I
Essa tendencia manifest e evidente.
Esses ymptomas de desorgauisag'io moral e re-
ligiosa ha icu.io que se Mem'stour entre do* ,.e
cstou certo de que nao terao escapado a observa-
do e criiene dos espiritas adalos, rectos e cir-
cunspecto. So sa poderla illudir com esa*
mentirosas app'arencias de falso zelo e de estodada
orthodoxia os qae nao attenurem rt II ie idamente
para a ieicao caraelerislrc 1 desses apostlos roas-
earados dos direitos da religiio e da buoaaidade,
de quem se inculcara def-nsore*, para a seu sa'vo
poder^ra anlqoill.tr e< seas principios, nultificir a
sua iQtenca e esvara-los co peso da oppres-
sao a aus cruel e enrarao.-a.
Rarissiraas veies ai iui nigis enearnigidos da re
li'io catholiea teem ousado ataca-la de frente,
combatendo a grandeza de seus dogm is, a excel-
encia de sua disciplina, a pureza de sua drairioa
a suavidade de sua? leis e a retido e saotulade de
sua moral. O sea alvo ouiro.
Principara p9r mtcular o< seu ministros, eba
mando sobra elles a ol >-idaie e descrdito pbli-
cos, e contando cora os ap lius is de u na opioia
que se forma falsa e irrelT;ciiJa, pela motilagao
da verdade levantara sobre ai tuinas de urna fac-
ticia desmordlsacio o pedestal inglorio de sua-
conquistas era a apparatjsa inscripto de seu
triunpho anda mais inglorio'
Tremo pelo futuro de ura pai-, era que era cada
canto e a cada passo se filia da pub cas lber da-
des de conces-Ss ao espirito democrtico de ana-
chronismo de iaslluiguas caducas, de <*xcassis d
aatoridade, de jnstica venal ecirrompila, de ex-
tra nontanisrao, de poter p'e-sial, de prepotencia,
de leis iniquas e oppressoras, de civiliaaga o, do
progresap dj luies do secuto, de desacata opiniao
publica e de tudo quanto a Torc ai phantasia e
da imaginacao exaltadas p de crear e suggerir I
Nes-e paiz ou os falsos aranlos das aspiragois
e franquezas nacionaas se preparam para se coas-
tituirem os verdugos da sociedide, quando na in
vest dura do poder ou eulo as ma mal inspiradas e vidas de dtspojos opimos, esto
prestes a se langarem nos horrores da com
mua !
Nam. sempre os que mais fallam, ou que mai?
grilam, os que nais se queixam e su reveUm
possuidos de santa iodigoago, sao es que toera
mais razao, mais criterio e mais direito a que in-
vistas sejara udssomo licitas, suas ialengfias cuno
puras, e como sinceros seus senlimeitos I
A verdade e a justig nao se faiam acompauuar
de um cortejo Je tamboree que vo despertando a
curiosidade publica para admira-las am sua passa
gem : itteslem a sua f irga e o seu prestigi 1 ;i luz
qae resplendem e o iniTjxobeue(i:o que diffaodera
ni seio da humanidade.
Assim a religiio, D-iScanilii dos q.\c desalara
a plenitade de sua grandeza moral, a clcacia de
iiillieacia, o imperio de sua doutriua, quando re
clamara a reforma de suas Iris exigem a condes-
cendencia de seus ministro* para ageita-los a seus
caprichos no interese de seps calculo e de suas
paixSis. Disconiiii desse3 f;rvorosos deftn-ores
da terdadeira religiae, quando atroara c e tsr-
ra com os gritos de sua sania colera, doauuci.mdo
as fraqueza? e misaras dos ministros de ruisio a
prepotencia dos prelados, a niquidade de suas-de-
cisGes, o arbitrio e o excesso de sua autoridade !
Descondai dasse santo z;h, porque o prelado
1 injiri o seu daver e nao transigi com as exi-
gencias impertinentes do espirito iot- loraoteo pro-
meandista I
Fji arrasiado a esas con-daracoas a proposito
da questaoque se agua na irapreosa sobre o coa-
v nt) da Ajuda.
O Sr. Jos Ribairo'Franco, civalhein que nao
lenho a honra de conhecer. jalg-ndo se forido na
susceptibilidade dos sentiraentos d.s irmao, lera es
ligmatisade o acto do S:. bis jo 0. I'o.lro Maria de
Lacerda, nao consentiudo que a mi de sror Ma
na e Je3us ,, utira.e no recinto do claustro para
iislir aos uliioios m-'-nenin* do sin fiiha pespe-
rfl-j se ada u uuia extrema.
Fallando se ao3 seBtimentos, tomando se por nor-
ma os seus impulsos uatura's e vehementes, de
menos avisados deveriio encher de razao o Sr.
Fraoco quando se quoixa axarcamente do acto da
prohibir). Mas desde .ju S. S. excedessena sua
aceusa^o, aventurando j'iizos, j nao digo teme-
nrios, mas inleramente malevotos e com o '.ira
claro e manifest de desenuceiluar sena) liiicula-
risar a aatoridadeeccle33iasti:a, perdeu nao i o
direito de ser acreditado, como tambera o ds ser
TV-;.- Hado em suas qaeixae.
.Nada sel do qae sapa3sou entra o Sr. pispo e
m^i da religiosa. Ace:o, por, o facto tal qual
narrado pelo Sr. Franco. t
Pietendo discutir a quesUio i luz dos principios
eem face das leis orgnicas do claustro : e ver-
te lia ento se S. Exc Rvon. cumprio ou n) o
?eu dever ; obedecenda ios impulsos e escrpulos
de subconsciencia de primeiro execu or das leis
ecclea^ticas da dioce-e.
EstaFl?';.;,;os a (|uesio nesles termos :
t)Sr. bispo poda, em vista da regra do conven-
11 dar a licenca pelida sem que livesss iofringido
a ir ma regra ? -
Era oatro artigo respond. re a esta nlcrrogacao
dando-lhao necessario des-'nvo'.vioieno.
Padre Jlo Manoel.
(Di Diario do RioJ.
havia referido o facto cira ni .s as suas circams-
tancias, asaim cima noir.is posaras nS < em mi
nha preseas 1 com) umb?m ita do Sr. Gas, pelo
que nenbama responsabilidad a me cabia, e q ie
pelo contrario Tormava-mos de S. S. o melhor coa
ceito.
Neste aterir tratoa-se novaraente do indi vi loo
que leve, seguido diz S. S, a audacia de euua-
cla-lo; ofereeeaseme ntq o ensej> da diter-
Ihe qae o denunciante ma tuv.a declarado qu
era chegado o lempo de S. S. pagar iba os lO'XJO
qae sea sai recebara para ni) o retratar, a qae
a deseeito mesmo de ser S. S. Embolcado aquel-
la quaitia, das depois Ihe cercoa a easa cota.o
lira de fazer effectiva a sua prisao, toado por islo
vagado as maltas de Gapoeiras 18 mezes al qae
se lermlnoa a gaerra do Paraguay |*
Rectificado poi<, a ioexactidao do facto attribui-
da pelo Sr. Capitao Galdino A Birbosa' ao digno
Sr.fir.G4i8 Civalcanti, pergaola-ae: devia ou
nao o juiz municipal do Baa D deferir juramento
ao individuo qae denun;iou do Sr. capitio Galdi-
no pelo crime da furto de cavallos, nao declaran-
do como effeclivameote nao declaroa ta occaslio
de prestar o juramento, que dava sua denuncia,
sem ser par odio ou desaffeicie ?... E, tendo re
cebado, como rigorosamanie era obrigaOo afaz
lo, ple ser considerad) esse proceJimanlo como
perseguigao ? 1 bono que isso succeda ao mes-
mo doutor, para nao se encoramodar, prestando
consideraco a S. S., qae porteas actos f vale
desprezo.
Enireunio nao enteoda S. S. que ea e^toa dis
posto a continuar a vir a imprensa rectificar suas
inexaetiides, nao; se i-to U(> lio someQte em
atteocao a ililbada reputacao do Sr. Dr. Jos F.
de Gis Cavalcanti, qae S. S. nao vaciln em
querer capsrasamente marcar.
Hecife, ltj de novembro de.1871.
Jos Cypriano Beztrra de Utllo.
nenias aceisiJaies da polieia, por iss) jnl|u|Hs otra. 16,856 kilos de algodao
fiter ara sartic 1 aedindo exoneraja da delefa-ries & C. 53 di'as om 17 22
ela, exonereijio qua pelos tn,-tivi ditos Ibe foi fianry Willmer 366 saccas com
concedida. algxio.
As peesoas mais distiactas daqaelle termo foram
era lembrar o eidadit J0X0 Leodegano
EleicSo
Ao distingt corpo ele.toral do
_____/ 3o difctrcto.
Approximando-se o dia em que teem de ;er elei-
im 03 membros di assembla provincial para a
legislatura de 1872 a 187), apreseuto-me candida-
to essa eleicii. A maneira porque cumpri o no-
bra mandato que me foi confiado no biennio findo
o titulo nico que me anima a solicitar novan en-
te essa hjnra, qae espero raerecsr do disiincto
eorpo eleitoral do terceiro disiricto, a quem byp)-
Iheco conectivamente a minha eterna gratidao.
Racife, 16 de novembro de 1871.
Joaquim Francisco Paei Borrello.
A DOS
J(.M7.eS, JIZAS, RSCRIVGS, THKSOUREIRO .E
PROCURAD.RES,.QUE HO DE FESTEJAR NO
ANN ) DE 1872 A NOSSA SENHORA DO ROSA-
UJ EM SUA CAPELLA NESTA VILLA DO CABO.
Juiz por eleica.
O Illa). Sr. Guilhrmiao Joaqun) do Reg) Br-
relo.
Juiza por eleico.
A Illma. e Exma. Sra. D. Sophia Pires Faleao.
Juiz por davocao.
O 11 Ira. Sr. Dr. Joo Francisco da Arruda Fal
ci. .
Juiza pordevoco.
A I Ima. e Exma. Sra. D. Mirla do Carmo Car-
neiro L?ao.
Juizes protect. r.'S.
Os Illms. Srs. :
Teneota-coronel Joa) Paulo Caraeiro de Souza
Bandeira.
Francisco Jos de Souza.
Capitao Maooei Olynpi) Garneiro L"5o.
Teuente Antonio Metto Carneiro Ceao.
Dr. Felippe de Souta Leao.
Jos Thomaz de Agniar JanDr.
J'-aqnim Cirneiro La).
Amonio Fernandes de Birros Lyra.
J laqnim Manoel do Reg (iarreto.
i fjres Gandido Jo.- Lopes de Miranda.
Alfi.res Manoel de Oliveira Lia*.
Alfares Manoel r ope do Espirito-Santo.
Alferes Bartholoreu Caelaoo Gomes.
Alfares Jos Gomes de Mora s
Alferes Francisco Manoel de Moraes.
Alfares Joaquina Domingas da Costa.
Alferes Jos !jaquira di Silva.
Juizas protecl;ra).
As Exmas. Sras.:
D. Aon Garneiro Lios e Mella.
D. Maria da Paz TVix-'ira.
. Maria do O' de Jess Brrelo.
A e.po?a de Illm. Sr. capillo Francisco Carneiro
Rodrigues Garapello.
A esposa do Illm. Sr. maj >r Luiz da Casta Porto
Carreiro.
A esposa do lilm. Sr. Antonio Baptista Teixeira.
A esposa do Sr. Manoel Pedro do Reg.
A esposa do Illm. Sr. alferes Jos Coelno de Albu-
querque Souza.
A esposa do Illm. alferes Antonio Pereira Mendos
de Carvalho.
A espisa do Illm. Sr. Vicente Fraaciso Mendos
das Cbagas.
A esposa do (Um.
A esposa do Illm.
p s.
A esposa do Illm.
Silva.
A espo-a do Illm. Sr. Felippe Santyajo de Mau-
ra.
A esposa do Ilim. Sr. Antonio Jacinlho de Medei-
ros.
A sposa do liten. Sr. Mjoo'I Mendes i",uuiaha.
A espj-a do Illm. Sr. Vasco Vaz da Silva.
A e-posa do Illm. Sr. Gauencio Rodrigues da
Cruz.
A esposa do Illm. Sr. negociante Conrado Pereira
de Souza.
Escrivao por eleicao.
O Illm.-Sr. lenla Julio Fernandino da Silva e
Mello.
Escrivaa por eleicao.
A esposa do Illm Sr. Jos EJuardo dos Passo?.
Escrivao por devogao.
O Llm. Sr. tenante Taciano Leopoldo Mavignier e
Araujo.
Escrivaa por devoco. /
A esposa do'Illm. Sr. Jos Antonio de Sani^fltia.
Thesoureiro.
Olilm. Sr. Firmino Pomposo de.Malld^FalcaD.
Procarador gafl.
O Illm. Sr. Alferes Firmino Evaristo Ribairo Va-
rejao.
Procurad )res.
O Illm. Sr?.:
Golombo Satyro Vieira de Sonza.
JonS Fidelis Bezerra.
Loureoco Marques dos Santos.
Joao Baptista Alves.
liotilio Tolentino deFigueiredo Lima.
O vigario,
Joj Luiz Pereira de Qneiroz
Sr. Antonio Pereira do Monte.
Sr. Manoel Fernanies Cara-
Sr. Joao Xavier Mande da
unnimes em lemorar o eiaaaa
para sabstitnir ao Dr. Rufino R. Vianna, corao o ho.
raem mus apto pira tao ardua e arriseada tar-fa,
qual a de faier respeitar a lei naquella loealidade,
e perssgair com promptidio energa 03 grupos
am poaeo numerosos de ladrO e assassiuos, que
pereorrera o termo da Cimbreseamaacam as pro-
priedades ruraes all existentes.
Infirma Jo o Dr. chefa de polica de todas estas
occarrencia, e do bom onceito em qae tido e
Sr. J>IaLM*jgri. nio poz da vida em propo-lo
ao Exm. presdanle da provincia para o cargo de
d.-legad) de polica daqaelle termo, em cajo exer
ciclo leca f, prestara elle relevantissimos serv-
eos aos Habitantes dos dislrictos de sua juris-
difjao.
O artioalista do Liberal deixavdo.se levar per
falsas informaedas, e pelo espirito da poltica faz
acres censuras ao Exm. presiiente da provincia,
eonsideraado at como niitracoa approvaoio de ama proposta do Dr.
chrfi u> polieia pa-a'ura cargo de delegado de
polieia t!
Ao Dr. chafe de polica compite a altribnieio de
propor os individuos qae deven exeresr os cargos
poli;iaes, e desde que esta aatoridade proceder
com o criterio que ai hoja lera procedido o Sr.
Dr. Harmogenes, desde qae cintra o propaslo nv
nhum ficto provado e taima allegado, nao ple
merecer censaras u E< n. presidenta da provincia
pelo facto de hvvor approvalo ama proposta dasta
autoridade.
O articulista, do* Ltb.ral esereve longe do
tbeatrodos acooleeimeolo's, so1)o imperio das pai-
xSes partaariaa ; nao p.dc por tanto ernittir juizo
imparcial: ba de ver sempre os tactos pelo pris-
ma da prevenei), ha de sempre fallar por inf >r
uaaQss alheias o sospeitas.
To spero as suas censuras limitnn-se apenas
era aceusar o S Joai Leilegirio por ler>se ma
irado empeohaio na defeza de-ura sea parale,
aceusado de um erime t
Onde a prova de sua assercao ?
E quando este facto seja verdaieiro, ser bas-
tante para inolilisar o Sr. Jjo Leodegario para um
cacito de polica?
Adnira-se tambera o articulista de que o Exm.
cooselheiro pre -idate dt proincia se tveste dei-
xado tesar de informales inexatas, ou de lo est-
lida exigencia.
Qiem dea informacoss contra o mraeado.qnem
*e oppoz a sua noneac > 1 Feria sido o rtica 5-
(a ? Q lando e porque modo o fez ?
Sua Exc. o Sr. cooselliein Junqueira, qae pon-
eos das consta de administrado, extranho inle-
ramente as latas dos partidos nesta provincia, da
qual tem estado auzenlt ha muitos annos, nao
ple merecer as censuras do articulista do Liberal,
lllbas to smente da ioiranade qae vota a um ad-
versaria polnieo, iiimisade qae se torna bem ela
ra pelas pataavras insultuosas com que o artiealista
o mimo-eou.
Articule o Cmbreme fictos contra o Sr. J .ao
l.ndegarii, actmpaohe-os di competente prova,
e se nao for attendido entio levante as suas quei-
xas contra as primeiras autoridades da provin-
cia se conservaren) no exercicio da suas ronc
I.-09S urna autoridade criminosa, oa pravarica-
dora.
Aotes disto loncnra estar a fazer censuras sem
razio, sem fundamento plausivel.
Recite 17 de novembro de 1871.

N. 314. OBLIGAD AL PELO O0MMI I
Debajo de calis superficial de una cabeza casi
calva existen cantidades de grmenes de pele que
solamente requieren el estimulo necesario para ha-
cer los productivos.
Para activar estos elementos ierte-, v ayu-
darles hacer crecer al pelo soore el crneo, el
mejor articulo qiie la qumica ha dado al mundo
es el Tiico Oriental tan justamente celebrado ea
la A mi-rica E-pa >la por sus propiedades de pro-
ducir y hermosear el pelo.
Como preparacin para el cabello es infinita-
mente preferib'e lo aeaites y pomadas qae
Heoan los poros del cutis, y volvindose raa
cios coa el calor actualmente envenenan y malas
el pelo.
; Thomaz JrRe-
ditos d dito -
27,016 k.loi da
No brgue pirtognez Triumpko, para o Por-
to, earregaram : Manoel Fernanies da Cosa & C.
Id saceas com 787 kilos de algodao ; Caoba I-
mios & C. 450 sacco om 33,730 diDs de assucar
maseavado.
No patacho nacional Jaboatao, para New-
York, carregara-n .- Haury Forster & C 433 aac
eos oom 323,919 kilos da asnear maseavado.
N)Mnrio hamburgoez Bertke, para New
York, carrogaram : Milu Lathan & C. I.MO sac-
ee cora 90JJ00 kilos de assucar maseavado.
No brtgae porlnguez Encantador, para o Rio
da Prata, earregou : Joaiuim los Goacalves Bel-
trao 700 barricas com 7i,7i9 kilos de assucar
e 501 conws seceos com'6,611 kilos.
Na barca partugueaa Af para Lisboa, earregou : Jas VctoriBO de Rezende
55 eoaros espiebados com 496 kilos.
Para os portas do interior.
Na bareaes Hayie, para Mwsoi. earregou :
los Frirretra Pinto Magaibaes 5 1|2 barricas cora
1,31o kilo i de assucar branco e 1 dita com 100
kilos de doce.
No vapor arganlno Diaman'.e, para o Para,
carregoa : Joa^aim Jo GonQalves Beltrio 70
barricas com 4-.470 kilos de assucar branco.
RSCEBBDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBJCO.
Raadmeulo do dial a 16. 34:3i8|V7*
Idam do dia 17......" 3.463*733
27:812*207
CONSULADO PROVINCIAL."
Condimento do dia la 16.
(dem do dia 17. .
36.866*461
5.194*677
42:061*133
MOVIMENTO 00 PORTO.
Naviios entrados nn dia 17.
Mo>*or 2 Vi dias, vapor nacional Parahgba, de
104 toneladas, cninmandante Jos Antonio Fer-
naodee, equipagem 15, carga .">' W farMos de al-
godio ; i co npaobia P-ruamboeana.
Jiiide Janeiro20 das, barca portuguera Grati-
dao, de 35S toneladas, capitio Antonio Pereira
Borges Pestaa, eqaipa;em 12, carga farinha de
trigo e lastro; a E. R. Rbello de C.
ObservacSo.
Nio h uve sahidas.
EDITAES
COMMFBCIO.
THE ALLIANCE BRITISH 4 FOREW^.
Life and Pire Assurance Company estabelecida
m 1824^0^! 5,000,000
Os agentes desta eorapaahia tomam seguro
contra logo sobre predios, gneros e fazendas <
jagam aqoi prejujzos devidamenteiprovados.
JRabo Sctmeltau 4
Corpo Santo a 15.
\
b Hr.
AI ves
capio Caldiao
Barbosa.
AchnJo-me nests cidade, e deoarando com ura
eommunicado inserido no Jrnal do Bectfe de (4
do correte mez, sob a epigrapbe o capitao Gal-
dino A!ves Birbosa ao publico, nio posso de-
xar passar inclume a rmpataeao, que, no com*
municado a que alinde, dirig la ao digno juiz
municipal do Bonito, Dr. Jos F. de Gjs Caval-
nti.
Diz o Sr. capitio Gildino, depois de algamas al-
lasoes malignas, e da querer se inculcar como
victima de peraeguicao pele ficta de estar seo lo
sunmariado pela erime de furto de ea vatios o se-
guate :
O pobre a quem obpgavara a servir de ios
trumento contra raim declaroa o juiz municipal,
Dr. GOx, confrmeosle narrou em miaba presen
ca, do Dr. G tirana, do capitio Goraoo e oulro
que tioli deniociado-me para so viagar de ter
estado escondido doas anuos no lempo da aerra
do Paraguay, para nio ser por mim reeralado.
Eotretanto foi aceito o juramento desse horaen
ie qae nao era levado per odio oh desoffeicdo I i
Primeramente foi S. S. inexacto em sua oarracac
cima transcripta, por Isso qne new foi o Sr. Dr.
Gas Cavalcanti, que fez a referencia, e si* eu,
-em o faci se dea tal qual est narrado, teado eu
refer do, o a S. S. pelo modo segainte :
Depois de ama audiencia que avia dado o Sr.
Dr. Gas em sua propria casa, se aehava S. S. e
ignalraent. os Sr*. Dr. GiPea** eeapio Qvati
i : por occasiio de se tratar sobra os negoeios
de Capoeiras, appareeeu o da denuncia, qua, 0
dia aotecedAnta hiviam offareeid) ctra 3. S.
Nessa mesma occaslSj procarou S. S. arralar A"
ti a imputaeao do f .cu criminoso e par dar maior
for<;5 ao sen arghmentolrouxe nm butro fado da
compra qua (ez de um cayado pela quintia de..'.
12*500, dizendo mais S. S. que eu islo havia dito,
e procurou de mim saber qual a fohe d'onle eraa-
nava aquella noticia, alias sem razio de ser; ao
qae respond que o Sr. Valpiano Jos de Mello,
suppkme dj subdelegado de Capoeiiu foi q\isca
Ao digno corpo eleito-
ral do Io circulo.
Approximando-se o dia em qne devem sereieitos
03 deputados a assembla provincial, convm qne
o eleitorado desla provincia proceda cora o maior
escrpulo na escolha dos seas representante0, e o
1 eirculoonle affliie grande numero de candida-
tos deve, por islo, e^rrar a sui votacio U3quelles|
que mai> garantas efldtpeeam, pelos servicos ao
partido e pela dedicaban aos ioteresses da provin-
cia ; nao deveado ser esquecidos tambera aquelles
que, em conmissoes de conflanr;a, se acharem re
tiradas d'entre nos. E assim cerlos de qae ser-
esta a opiniao da maioria eleitoral do 1 circulo,
apreieotam s os seguintes candidatos:
Senador Francisco do llego Barros Barretto.
Bario de Maribeca.
De. Manoel do Reg Barras Soasa Leao.
Dr. Manoel Arthur da H llanda Cavalcaute.
Dr. Felippe de Figueira Farias.
Dr. Frsncisco Teixeira do S.
Dr. Antonio Domiogues Piolo.
Dr. Jos Bernardo Galvio Alcoforado Jnior.
Dr. Jos Nicolu T ilentino de Carvalho.
Algu.vs Eleitorks.
SEGURO CONTRA FOGO
The Liverpool A Loo don A^tob *
Insarance CoruHiTy.
Ufantes :
,. Snaers Brothers dr C.
11Corpo Santo11.
IMPERIAL
Compaahia, de segaros contra
fogo.
^AGENTES
S. P. JOIfiiSTON & C;
lina da Senzala-noTa u. 4t.
Seguros contra-fogo
COMPANHIA
NORTHERN.
O inspector da alfandega faz publico que
sabbado 18 do correte, depois de meto dia e
porta da mesma reparticio, serio levadas hasta
publica, livre de direitos ao arrematante, as mer-
caduras :.b ixo declaradas, viudas de Havre o
navio fraocez Bertha, entrad) em 22 de julho ul-
timo, as quaes toram empugnadas em factura de
Monteiro Gregorio & C. pelo f corferenta Manoel
Soares Fortuna, na importancia de 86t* a saber :
oito caixas da marca MC& us. 3i a 1441, coc-
iendo 96 espelhos com molduras douradas de 54
a 75 centmetros de comprimen! 1, valor de um 9*,
total 861*
Alfandega de Pernambnco 15 de novembro de
1871.
Emilio Xavier Sobreira de Mello.
O Illm. Sr. inspector da thesnurana provrn
cial em cumprmento da ordem do Exm. Sr. vj-
ce-pre.-idente da provincia de 17 do agosto pro
ximo fraJo manda fazer publico que a mesma ihe-
souraria vende 500 apoliees da divida provincial
no valor de 100* cada urna, vencendo o. juro de
8 0|0 ao anuo pagos por semestre na segunda
quiotena dos mezes de jaita e Janeiro, e deven k
3er rescatadas na qurazena desle ultimo mez, ob-
servando-feo nqraeracio seenida e tantas qoan-
tas permHtirem os crditos votados annualmente
preeedeodo annnnctos. Os pretndeme* compa-
recam na mesma thesouraria no praso de 30 das,
a contar da data deste E para constar se man-
dn publicar o presente pelo jornal.
S":retarta da thesonrarra provincial de Pernam
buco 5 de ontubro de 1871.
Conforme.Servndo de offleial-maior,
Landelinn de Lnna Freir. "
DECLARADOR
Conselho de compras de ma-
rinha.
O conselh) promove ao dia 18 do crreme mez
sob as condiede do eatylo e vista de propostas
recebidas at as 11 hiras da raanhaa a compra
do objec'o* do material da armada seguintes :
10 baldeadeiras de folha, 6 torneiras de ferro de
3 i|2 a 3 3|4 polegadas e 16 pds de comprimento,
1 lene al de ferro de 4|8 de grossura oom 13 pal-
mos de comprimento 8 de-largo, 1 lenrol de fer-
ro de 3|8 de grossura com iS palmos de cjmoii-
mento e 8 de largo, 3 lencoes de ferro de i|8 de
grossnra, 3 lencoes de ferro de 6|8 de grossura,
10 pranehes de araarello, sicuplra, peroba oa sa
pocaia ora 30 a 33 palmos de comprimento, 10 a
ii polegadas de largo e 3 a 5 de grossura, 2 paos
de 80 palmos de comprimento e 8 a 10 polegadas
de hce, 5 qointaes de rebita: de 5|8 de dimetro
e 1 t|! polegada de comprimento, 20 travs de 40
a 4$ palmos de comprimento e 8 a 10 polegadas
de laca, 6 diuias de iab)a de pao carga de i po-
legada, 6 duiias de taboas da po-carga de 2 po-
legadas, 4 duzias de taboas da pidrga de 3 po-
legada?, 6 duza3 de taboas de po-carga de 34 de
polegada, e 4 torno pequeo-de 6 polegadas.
Sala das-sessoes do conselho de compras de raa
rinha de Pernambuco 14 de novembro de 1871.
O secretario,
__________Alexandre Rodrigues dos Aojos
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade, se faz publico pira conhecimento dos iol-
ressados, que nao tendo/sid 1 efectuada a arreraa-
tacio do servio da lirapeza da fregoezia de Sanio
Aotonra. oreada na qnantia de 200*. como foi an-
nnnciada, de novo sio convidados aos mesmos
a comparecerem no da 20 do crranle munido;
de nanea.
Secretaria da cmara municipal do Recife, 17 de
novembro de 1871.
O secretario
_______Lonren^o Bezerra Carneiro da Cunha.
Uoasu'ado de Franci em
Pernambuco
Previoe-se aos ere-lores da snecessio do Sr An-
glade (Achilk) relojoeiro da ra do I nperador,
que seos ttulos deverio ser apresentados no con-
sulado de Franca at o i- de dezembro prximo
vindouro, e passando deste praso nanhuma recia-
maco ser attend'da. Recife 16 de n)vembro d>.
1871.____________________
Arremattclo de umi caiT
em Olioda
Pelo juiz) municipal do termo da cidade de
Olinda vai novamonie praca no dia 18 do cor-
rente (sabbado) a 1 hora da tarde, a casa terrea,
sita no largo do Amparo da mesma cidade, em
chao Droprio, eom 2 boas salas, 4 quartos, e cozt-
oha fi'ra, avahada por 900*.
^
opera
OBPHEO NOS IfflOS
Persona ge os.
Thaaeu, vendedor de me] de
abelbas.
Manoel Joao, e*crivlo do juiz
de paz. ( Na opera Aris-
Actores.
Da-Giovanui.
I
Silva.
Emiliano.
Phladilpbo.
Ayrosa.
Paiva.
Braga.
Lyra.
D. Jesuioa.
D. IlenriqtirU.
Da ordem do llloa. Sr. eooeitieiro iu?|iecior
da ibesoor'ara de fazenda desta provincia se faz
publica que no dia 25 do oorrmte mez, perante a
o da mesma thesonraria, pelas 2 garas da tar-
de, iza praca para sefc"""''*' ^utm mais
offerecaro terreno que mVQ da quintal ao quar-
tel do Hospicio, com aadraetros de frente e 30de
fando, que f t>^rie do terreno cedido para cun-
'fR9rln da abertura da.ra. nova do bairro da
Boa-vista de.-ia capital, que parlindo do proionga-
raento da ra do Principe vai ler a da Conceiga,
atravessando o sobredito quintal.
Secretaria da thasouraria de fazenda de Pernam-
buco 14 de novembro de 1871.
Servndo de tfflcal-miior,
Manoel Jos Pinto.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A junta administrativa da santa casa precisa
contratar com qnalquer selicitador a prestajao dos
seus servicos no foro da cidade de Olinda.
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife 17 de novembro de 1871.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Sonza
Administrarlo dos correios de Pernambuco
18 de novembro de 1871.
Malas para o Maranhaie Cear.
A correspondencia qno tem de ser expedida hoje
(18) para os portot cima mencionado* pnh trans-
ite guerra Marcio Das ser receida pela ma
neira seguinte :
Mac is de jornaes, irapresso* de qualqner natn
reza, e cartas a registrar ata 10 horas da manhia,
e orlas ordinarias al II hora*.
O administrador,
Affonso do Reg Barros,
Capital. ...
?uudo de reserva
. 20,000:000*000
.... 8,000:000*000
Agentes,
Mills Lathan C.
ALFANDEGA
ftaniimeoto do dia 1 a 16. ,
dem do dia 17. .... ,
O novo delegado de polica de
Cimbre, e o conmnaicaute
do Liberal-
A nomeacio do Sr. Joao Leodegario de Farias
Barbosa para delegado do termo de Cimbres, va-
go pela exoneracao, pedido do Dr. R'bero Vian-
na, foi mal apreciada pelo articulista do Liberal
de 16 do correnta em um oramniiea-o sob a as-
signatura Um Cimbreo.
O olio polaco nao consenta que o articulista
com imparcialidad-) julgasse o s.u adversario, e
mntto menos apreeiasse cora justica o acto da
aatoridade, qne noraeou aquella cid idio para o
arduo e espinhoso cargo de delegado de polica
daquelle termo.
As circumtanaas xcepcijoaes em qua ltima-
mente se tem acbado o termo de Cimbres, infesta-
do por alguns grupos d) criauoLS.!*, que tem
lanoadfl o susto na populaeio laboriosa da v.ila, e
de seus subarbiiis, exigiarn que o lugar da de-
legado de policio f)sse ix'jcilj por ura liotnem
pradeule, por n enrgico, aciivo, e capaz d^,
quakjuer momento, pr-se no encalca dos crirai-
rfojos e evitar as suas depredabas, j comeadas
em algans pontos daquelle termo.
O dwlioato juiz maoicipal e de arpUSos o Dr.
Rib;)iro Vianna, que tanibem ex'ru;a o cargo de
delegado de polica, por encommodos de saiila, e
pelo3 .uuitos trabalhosJuhereitas aoi dous priraei-
ro ar0, oio poda de prurupto acciiir as ur-
PRACA DO REQFH 17 DE NOVEMBRO.
DE 1871.
as 3 1/2 BOBAS DA "ARD.
Cotaeoes officiaes.
llgodioda Paraliyb 1* sorte 599 rs. por kilo
posto a bordo a frete de 1 d. e 3 0|0
henea;
Cambiosobre Lonires a 90 div M d. por 1*000,
hootem.
Ditosobre dito a 93 dv. 23 1|8 d. por 1*000,
boniem.
a. G. Stepple,
Presidente.
P. J. Pinto,
. Secretario.
616:647*874
52:533*680
699:233*554
HoTlaaeato da alfandega
Voluraes entrados
Volumes saludos
com fazendas
com gneros
com
eom
fazendas
gneros
516
481
199
1,083
1,997
i/M
Descarregam boje 18 de novembro.
Sscuna diuamarquanAnna -varios gneros,
Brigna portuguez Silxranoarios gneros.
Brigue inglezflowz varios gneros.
Vapor oglezCrezalantidem.
Barca portuguezaSnpAiro dem.
Barca portuguezGnii/Joidenj-
Brigue nglexRoztluidam.
Brigue portufuez=CiMecantara.
Despacho ir, exportaco no dia 16 de
iiotwaiVo.
Para os portos do exterior.
Na barca ingiera Sulla para Himbarg, ear-
regaram : Kaller & C 109 saceas com 7,iGi
kilos de algodao.
Na galera-ranieza Peiropoles, para o Canal,
earregaram : Raba Scharaeiteau & C 225 aaccas
com 16,185 kilos da algudo.
Na barca inglesa. Imogene, para Liverpool,
jarregiram : Smaders Brcitw 4 C. IvS saceas
com 15.600 kilos de algodio.
-n No vapor iagi* C1U0UU, para Lh'erpooL
earregaram: Eduardo da Cj Oliveira 105 tu
O Dr. Paulino Rodrigues Fernandes Cnaves, juiz
municipal da 1*. vara desla cidade do Recife,
capital da provincia de Pernambuco por S. U.
Imperial e constitucional o Sr. D. Pedro II,
quem Deus guarde etc.
Fago saber aos que o presente edirat vrem e
d'elle noticia tiverem, que D. Aona Joaquina do
Reg e Albaquerque rae dirigi a peiirciQ do theor
seguinte:
Illm. Sr. Dr. juiz municipal da Ia vara.Diz D.
Anna Joaquina do R go e Albnquerqaa, que ha-
vendo seu mando o tenente-eoronel Manoel Joa-
quim do Rego^ e Albuquerque oblido deste juizo
Escrivao Saraiva obs e subsreptieiamente, urna au-
tarisacio cooceieodo Ibe alvar para vender baos
at a quaoiia de 20:000*, e aforar terrenos per-
tance)ies ao casal do supplieanta sem ser ella ou-
vida, coma prova com o documento junto, sendo
aisim prejudicada a supplieante, e aeonteeendo
que nao s o memo seu marido tenha vendido
bjos na importancia superior a 40:000i, o dnplo
d'aqoella autorisacao, como que procura anda
realizar outraj vendas prejudicanlo assim inda
mais a supplieante. t
Nestes termos a supplieante reqnar a V. S. que
se digne mandar intimar ao mesmo seu marido
para que nao mais disp raba de bn* alguns, qaer
por venda ou como aforamento.'Tecolheado ao
cartorio o referido alvar era continente, que
Ibe seja intimado; e para que dentro da '
declare' note juizo quaes os bens que tem Jddid>
e aforado em virtude da referida autorisamio, por
que pregas e em que tem applicado o producto
dos mssmss be as, exhibindo logo documentos
comprobatorios das declararles que heste sen-
tido zar e caso o mesmo supplicado deixe de
fazer as declarares exigidas, se digas V. S.
mandar passar editaos para serem publicados,
pelos quae3 se d sciencia a todos de que elle nio
pode vender mais bens de seu easal em virtude
da alludida antorisacao; pelo que peda a V. S.
deferimento.E. R. M.
Recifa, 15 de novembro de 1870.Aqniao Fon-
seca.
Daspaeho.Intime o eservao ao Sr. tenente-eo-
ronel Manoel Joaquim do Reg e Albaiuerque,
para que na prlmeira anuencia desle juizo, a este
despacho, eompareca aflm de dar cartas'explica-
C$)S.
Recite, 28 de novembro de 1870. Paulino
Chaves.
E sendo as'igoado o termo de urna audiencia
para o reo supplrcao satrsfazer o despaeh) supra,
e como nio o tivesse felto, fjra o mesmo suppli-
cado langado, cujo langamento foi julgado pela
sentenca seguiate:
Julgo por sentenca o laucimento folhas, para
qua em direito produza os aefidos effaitos, pagas
at costas pelo laucado.
Recife, 2i de ontubro de 1871.-Paa|ino Rodri-
gues Fernandes Chaves.
Em comprimento do raeu despicho e. do que foi
requerido pela uppliciole, o escrivao fez passar o
presente, pira q'n chegando ao conhecimento de
todos, ninguam faga negocio com o tenente-eoroj
nel Manoel Joaquim do Reg e Albuqoerqua, em
oumprimenii) de um alvar por este juizo conce
ddo para vender bens al a quantia de 20:000*,
visto j ter o supplicado vendido ben- muito su-
psnorea a qnantia concedida pelo alvar.
E para que chage ao conheeiraento de todos
mandel passar o presente edlal que iier aJRxalo
aos Jugares do.eostume e publcalo pelos jornaes.
Dada passado nena cidade do Recife de Par-
rumboso aos 13 de novembro de 1871.
Subscrevo e asslgue.o escrivao iaterao, An-
ttmlo Mdburges Saraiva Galeno.
CORREIO GERAL
Relaco dos objectos registra-
dos existente na adminlstra-
e do crrelo desta provin-
cia, para as pessoas abaixo
laaelaradas :
Aguida Sanhoroha Pereira (2), Anna Rosa de
Barros, Augusto Pacheco de Farias, BazUio Anto-
nio Carneiro, Catharin* dos Santos Coelho, Do-
mingos Antune) Villaga, Eluard J. Carrnnll. P
liciano Rodrigue? Pereira, Francisco Amintbas de
ca'rvaiho Moora, Francisco da Suva Reg, Fran-
cisco Marlnho Cfvalcante de Albaquerque, Gui-
Iherrr.e de Sjuza Camoos, Hanrique Clorndo Tay
lor, Justino da Silva Cardoso, Joaquim Gomes Pes
so., Joaquim Lopes Bastos, Ji- Joaquim de Sou-
za, Jos Leandro de Sonto, Joao Ernesto Veriato
de Medeiros, Manoel Francisco, Malaqoias Antonio
Gongalves, Mauricio Francisco Ferreira da Silva
()), Manoel Julio da Silva, Manoel Joaquim da Mi-
randa e S)uza, Manoel Moreira da Gama, Rodil-
pho Joao Barata de Alraeida, Pedro Ferreira
Brandi).
Administragio do correio da Pernambuco 14 de
novembro de 1871.
O encarregado do registro,
A. Gomes da Silva Ramos.
THEATRO
GYJMAyO M.IM4TIG0
HOJE
Beneficio da aelor
SXQJMft*i b R A&A
Qoarta e ultima represenugae do sempre ap-
plaudido drama em 4 actos, original portuguez,
intitulado :
na paz.
ten)
Macrobio de S raza, juiz de pal
da fregnezi. (Na opera Ju- "
_ /.fi-r,) Ptnaite.
Zefenno Rabees, barbeiro da
freguezia. (\a opera Orpheo.) Peregrino.
Joao, idiota, que- foi imperador
do Divio Espirito Snto, em
creanga, feilor de Manoel
Joo. (Na opera Jhon Slyx.) Tboaaz.
Constantino, compadre de Ma-
crobio. (Na opera Mercurio.) Floricdo.
Um nglez, e?emprepado da es-
traa de ferro. ( Na ODera
ra Baccho)
Jos Nuno, pescador d'agna do-
ce. (Na opera Nepluno. )
Antonio Marques, capitio refor-
mado. {Na opera Marte.)
Joaquim Pregniga, ( Na opera
Morpheo)
Antonio Faquista. (Na opera
Hercules.)
m pedestre. (Na opera Opiniao
publica.)
Quinquim das Magas. ( Na ope-
ra Capillo.)
Brgida, mulber deZaferino (Na
opera Eurgdice)
Anna, com a mana ds apanhar
gambas, (Na opera Diana.)
Engracia de Souza, mulber de
Macrobio, (Xa opera Juno.) D. Oiympa.
Daolioda, irma de Macrobio.
(Naop ra Venus) D.Joaquina.
Mugs e mogos amigos da casa, moieque?, ne-
gras e criangas. (Na opera Deuses e Densas,)
Denominaco dos actas
1. acto.
O rapto de Brgida. (Xa opera Morte de En-
rydice.-) .
2 acto.
Audiencia em easa do juiz de paz. ( Na opera
O Olympo.)
3. acto.
Um imperador da Divino Espirit Santo. (Can-
cao Bachica) O juiz de paz transformado em gal-
lo. ( Na opera Um re da Bsoccia.)
4. acto.
Noite de S. Joao em casa de Manoel Joao. ( Na
opera Os Infernos.)
A aegao passa se na roga, na provincia do Rio
ie Janeiro em 18..
A msica, foi ensatada e ntrnmentada a capri-
cho pelo maestro Colas ; devendo-se, ao sen re-
corriendo talento e grandios >s esforcos, ajudadoe
pela for r v. de vontade dos artistas, a boa exrcu-
gao do importante irabalho vocal, que a eompa-
nhia dramtica tem de exhibir.
No 4. acto toda a companhia cantara e dansa-
r o original e arrebatador fado brasitetro, deno-
minado :
0 C4TEBETE
Ao respeitavel publico.
Attandendo, extraordinaria dtfflenldade com
que se lutou, para preparar sa 0 Orpheo na Roca,
que 5be scena, depois de um mes de anidaos
ensaios; e bem a raraantos feilos no theairo, o que tem acarretado
enormes dispendios ; a direego resolveu fazer
um pequeo augmento nos pregos dos bilbetes,
tnicamente as representac3s da referida peca,
o que em nada prejudea aos amantes da arte
dramtica, purm que eoncorre bastante para fa-
cilitar 03 meios de desembaraca-la dos onerosos
compromisos qua contrahio para proporcionar
espectculos condignos do apnrado gosta da illu-
trado povo pernambo '.ano, de quem ttperi con-
tinuar a merecer a necesaria codjuvar>.
Os bilheles aeliam-se do-de j no theairo, pelos
pregos seguintes:
Camarote de 1* ordt>m i*.nra 5 entradas
Dito de 2- de n. 1 a 7 e de 14 a 20,
cora 5 entrada .
D:io de dita de n. 8 a 13 eom 3 ditas
Cadeira numerada
Platea
N. B.Roga se aos Srs. que encommendaram
bilhetes, a hondada de manda-Ios buscar com to-
da a antecedencia.
Principiar as 8 1/4.

'<
(
10*000
i2*eoo
i:;*ooo
3*000
1*900
AVISOS MARTIMOS.
COMPA1HIA
DE
Navegapao Brasileira
sN
^L
MM*
Terminar o espectculo com a espirituosa e
muito applaudida comedia em 1 acto, ornada de
id:
O beneficiado conta com a valiosa proteoao do
Ilstralo povo pernambncano.
O-resto dos bilhetes acha-se no eseriptori) do
theairo.
Principiara s 8 1|4.
CIRCO ECUESTRE
COMPANHIA BRASILEIRA
Director e artista
Antonio Carlos do aCrin-.
Tem a honra de comraunicar ao Ilustrado pu-
blico da villa da Etcada; que
vSABBAD0 18 do CORRENTE
dar o primeiro espectculo com um escolhtdo e
variado progrmala.
Entrada geral para todos 1*000.
Principiar as 7 horas da noite.
D3MINGO 19 DE NOVEMBRO
Segundo espectculo
O director espera toda a prolecgai do generoso
puDiico desta villa e seu termo.
THEATRO
GYMPASIO DRAMTICO
Grande novidade
Qaiata-feira 23 de novembro
Prmeira representagao da muito graciosa co-
madla em 4 actos, ornada de msica e daoga, a
qual foi exhibida no Rio de Janeiro, oais de da-
zeotas vezes, Intitulada :
At o dia 22 de novembro, espe-
rado dos portos. do su I o va-
por Cruzeirodo Sul, commaa tante
Cardozo, o qual depois da demo-
ra do costume seguir para os
portos do norte.
Desde j reeebem-se passageiros e engaja-s a
carga que o vapor poder conduzir, a qual dever
ser embarcada no da de sua ebegada, eoeom-
nendas e dinbeiro a frete aj ao m io dia de su
sabida.
Nao se recebera como encomroendas seno ob-
j actos de pequeo valor, e que nao excedam a 1
arrobas de peso ou oi.to palmos cbicos de medi-
go. Tudo que passar destes limites devera ser
embarcado como carga.
Prerine-se aos senhores passageiros que suas
passagens s se recebem na agencia, roa do Coto-
mere o n 8._________________________________
liba de S. Miguel
F.' esperado at o dia 25 do crrante o hiato
portoguez Rivoli, Uta quasi complet o seu car--
regaxenio, e com pouca demora seguir para o
porto cima : para o resto da carga e pasaagei-
ro trata-se na roa do Apollo n. 4._______.
Para Lisboa
A barca portugueza Saphira segu cm* poneos
das, por Ihe faltar apenas carga para aborrolar.
Taata-se na ra do Vigarjo n. 19, com os consig-
natarios T. de Aquino Fonceca & C, successores,
ou com o capitao Cunha.
Rio de Janeiro
Esrera-se a lodo o momento o brgue nacional
Isabel, o qual seguir com brevldade para o porto
aeima, tem parte da carga j engajada: para o
resto gue Ihe falta trata-se com os consignatarios
Antonie Luiz da Oliveira Azevedo dt C, ra do
Bom Ji'sus n. 87,.1 and;r.
ARACATY
Pretende seguir com poueos dias de lemora
para o indicado porto 6 novo e lindo hiate nacio-
nal Olindt, da priraeira. vlagem e de excedente
constrnego, por ter grande parle da carga enga-
jada, e para o resto que Ihe falta trata-se eom o
consignatario Joaquim Jos Gonealves Beltro
ra do C.mmercio n. S.
Eebocador Pacifico'.
AgenciaWiUons lletPra-
ca do Comoierclo n. i 4.
At novo aviso, qualquer navio, at 400 torjila-
das de lolsgao, sei rebocado pejo vapor Pacifico,
quer para dentro ou fra deste porto, por 18JRW
em circomstaneias ordinarias e lempo modralo.
Em circunstancias diversas, e para navios de
maior tonelagaro, prcceder-e-ba a ajusto previo.
Lisboa e Porto
Para o* porios cima aove seguir maito breve
a galera porlugui'z Lisboa, receba carga e pas-
sageiros : a tratar tpm Soares Primos a roa i*>
Vigario n. 17.
I MOTIUDO


"V-r-*
Jiario da Pernanibaco
Sabbado
18 de Novembro de 1871.
,
\

t
M iTaH&fto
Segoe em poneos das para o porto cima o pa-
itbate Joven Atkmr, para o resto da carita que
lbe falta trata 9e com AotoDio Luii de Oiiveira
Aievedo & a, ra de Hora Jess o. 57, primei-
ro andar _______________
L
Segu coro a maior brevidade o benfconhecldo
brigue portuguei Laia I, para o que teca a malor
parle da carga prompla : quero no mesrao quizer
arregar ou r de passagera trate coin os consig-
natarios T. de A quino Fonceca & C successores,
ra do Vigario o. 19. 1* andar, ou cora o capitae
do meamo o Sr. Vieira.
110 DE JANEIRO
Segui era poucos diaj o uiigne S. Paulo, so-
bre e frete do resto da carga trala-se na ra do
Vigario n. U, t* an nu o mn
Com muito ponea demora neste porto, seguir
liagesa cora destBO aquellp, o brigue portuguez
Triumpho. Recebe carga e passagekos : tratar
com Soares. Primo, ra do Vjgario n. 17._______
Galera portugueza Nova Am
zade.
E' esperado al 15 do corrate do Kio de Janei-
ro este veleiro navio, e recebe carga para o indi-
cado porto nos pouco? das que tem de demorar
se aqai : a tratar com Miguel Jos Alves, ra da
Cruz n. 19, 1* andar. ________________
Rio de Janeiro
A. barca portugueza Molla Ribeiro, capito Ja
Baptista de Lima, vai sahtr nc da 2o do corrate
por ter j qua>i todo o sea earregamento engaja-
do ; recebe anda alguraa carga niiuda : (rata-se
com E. R. Rabello &C., ra do Comraercio nuroe
ro48._________________________________
Para o Para
Vai seguir com breviJade a escuna portugneza
Aguia, capitao Pedro Augu-to da Fuoceca, anda,
tem urna pequea praca para carga : trata-se
com E. R. Hibillo & C, ra do Comraercio nu
mero 48._____________________________
Para Lisboa
Barca Alexnndre Herculano, capitao Avellar.
Brigue Bella Figueirense, capi) Carvalho Sobri
nho. Brigue Ctele, capitao Costa. Brigue Sobe
rano, capitao Bug'gauga. Todos estes navios vio
ser dentro ero pencos da=, por ter mais da 3|3 de
carga, recenem ainda alguma e passageiros : tra
ta-sa cora E. R. Rabello 4 C., ra do Comraercio
n. 48.
LE1L0ES.
Leilao
DE
Gigcs com balalas muito novas, desembar-
cadas
HOJE
A'S II HORAS DA MANHAA
O agente Pestaa, fara Icllo por conla e nsc
de quera perteccer, de gigos cora excelentes bata-
tas, era lotes vontade dos compradores, no ar-
roazero do Aunes defronte .da alfandf ga.__
Leilfto
DE
Miudezas, perfumaras, uteias e outros mu-
t'js artigos, tudo para fechar cuntas.
Segunda-feira 20 do corrente
Merlo' Lo S C, far leilao por intervenido do
agente Pe-lana, de um compietfl' scrtimeulo de
Diu(i<>, farragao e mu^lbs oatros arligos, que
nao i possivel aqu enaumera-lo, no dia cima
dito em sea arraazem ra doBra Jssus n. 63,
? 10 horas.da marjia em ponto.
Movis elouc
Sendo l mobilia de f.iia com 12 cadeiras de guar-
g .ao, 2 ditas de bracos, 1 sof, 2 consollos com
pedra mirmore, 2 ditos de mogno tambem com
pedra, 1 secretaria de amarello, 1 mesa para
ejcriptorio, 1 relogio de cima de mesa, 2 ser-
pentinas para gaz, i candiairo de dito, 1 mesa
elstica com 7 taboas, 2 consollos de Jacaranda
com pedra, 2 apparadores, 1 quarlrahena do
amarello, 1 cabtde de dito, 5*cadeiras de jaca-
riul, 4 ditas de pao d'Oleo, i lavatorio de
amarello, 1 ber; pira menino, 1 marqueza de
3.mre lo, 1 lavatorio com espelho, 1 sof gran-
de de Jacaranda, 1 dito pequeo, vinho Bor-
uVaux e do Porto, mesa de cosinha, .2 cadeiraj
de balan?', camas de vento, louga de porcelana,
ruritil. garrafas, copos, salvas de metal, cafetei-
ra, bandejas e oatros muitos objeclos do aso de
i familia que se reiirou desta provincia
TEUCl-FEIlU 21 DO CORRATE.
O agente Miriins f ir leilao, autorisado por
urna familia que se r tiroa para fra da provincia,
di tedo os movis, louc.a e vinhos existentes no
l1 aadar do sobrado
N. o7 da ra Augusta, hoje Coronel Suassuna, as
10 horas do dia cima.
nu, vender por conta de quem psrlencer, 200 to-
neladas de carvao, entregar 'no porto da cidade
do Natal provincia do Rio Grande do Norte. O car-
vio est desembarcado e deportado margem do
porto jnnto ao trapixe, e ser vendido no dia ci-
ma quarta-feirat? do corrente, 1 hora da tarde
na porta da AssociacSo Comraercial.
IEIIAO
DE
Portas almofadadas e cabos de lnho.
No dia 23 do corrente mez, 1 hora da Urde
no trapixe Dantas, o agente Pestaa, vender por
cqpta de quera pertencer, 80 portas de pinho al-
mofadadas e cerca de 121 arrobas de cabo de l-
nho asado, e serio Vendidos ao dia e hora cima
ditos, no trapixe Dantas, caes da Corapanbia Per-
nambuana.
VISOS DIVERSOS
Monte-Pio Popular Pernam-
bucano
Devendo ter lagar domingo 19 do corrate a ce-
lebracao do 15. anniversario da installaco desta
sociedi.de, convido a todos os socios efactivos, e
honorarios, a compareceris na igreja do Divino
Espirito Santo, as 10 horas da manhia, afim de
assistirera a solemntdade religiosa, e em seguida
a sessao magna no palacete do largo de S. Pedro
n. 2.
Secretaria do Monte-Pio Popular P.rnambu-
cano, 15 de novembro de 1871.
O 1.* secretario,
Joaquim Goncalves Aleixo.
i. v rw.
Jos Alves da Silv* Reg.
Kiiria Backs da Silva Reg, Auna Francisca do
Reg Cysneiro, Amalia Tnereza da Silva liego,
Mara Frincisca da Silva Reg, Fraacisca Victo-
ria Morena do Reg, Eduarto Frederico Bank',
Vicente Poutes de Oliveira (ausente) Manoel Jos
de Bastos Mello, Mara Adelaide de Moraes Mello
e Lourenco de Meaezes Cysneiro Bandtira de Mel-
lo, cordealmente agradecem a todas as pessoas
que se Jigoaram acompaohar ao cemiterio pu-
blico o restos mortaes de seu prezado marido,
pai, cuchado, lio e sogro Jos Alvos da Silva Re-
g, e novaraonte convidan) as mesmas pessoas,
parentes e amigos do 'mesno finado para assiUT
rem a missa que mand.am resar na igreja do Di
vino Espirito Santo, segunda fein 20 do correu-
te, 7 dia de 3ea passaraento, s 6 horas da ma-
nha. ____ _____-.__.
do kSenhor Bom Jess dos
Passos na matriz de S. Fr.
Pedro (iongalves do Re-
cife.
As 11 hora3 da manha de domingo W do cor-
rente entrara a festa desta mi agrosa imagem,
sendo o celebrante e Rvra. vigario Anioolo Maaoel
d'Assumpo, e orador o Rvra. padre Manoel Mo-
r-ira da Gama.
A missa ser a grande orchetra (pela primeira
vez ne.-ta cidada) do maestro Picehe, e dirigida
pelo r.ae tro Ianoccncio Smoltz, que obsequiosa-
mente =e presta, sendo os principaessolos e con-
certante* exhibidos por seohoras e alguna .eaval-
leiros que de bom grado dignarara prestar-se.
Antes do eloquenle orador subir ao pulpito a
orebestra se far ouvir em urna bnllunte peca de
concert obrigada a fliata, cUrineta, trompo, pis-
tn e tromboae, ex culada por artistas'dos ma ?
notaveis desta capital.
Ao Te-Deum tora lugar a composicio do Sr.
Colas, a qual foi cantada em acglo de gracas na
grande festa em regosijo pela termina(o da guer-
ra contra o Paraguay. Ojcupar a tribuna sagra
da o Rvra padre Manoel Jos Esteves Vianna.
Pede-se aos nossos charos irmos, irmas e
mait fiis a sua concarrencia a lao religioso e res-
peitavel acto. Recife'16 de novembro de 1871.
O escrivao,
Thomaz Fernandes da Cunha.
Urna ser. li ra viuva capaz com todas as habili
dades necessanas olfarece-se para tomar o cargo
inteiro de urna casa de hopoem solteiro -ou viuyo,
sendo fra da Ruca melhor ser ; prefere se Btsa
estrangeira : quem a pretender dirija-se a ra
estreita do Rosario, seguudo andar n 38, a tratar.
LEILAO
DA
Armar;o, fazen Jas, otencios commerciaes
dj -eacadernaci) Pdriiiense da ra do
Imperador n. 71, urna quarta parte da
casa o. lO'i da ra do Coronel Suassuna
(autiga Augusta), orna- pitavsr parte da
casa n. 82 da ra de Marcilio Das Canti-
ga ra Diretia) e 17:0021529 rs. em di-
vidas.
Segunda feira 20 do corrente.
O agente Mirns, far Isilo rejueriraento do
D'. iavenlariante dos bens deixados pelo finado
Eraclio Conlantino de Paula Monleiro, e por man-
dado do Illm. Sr. Dr. juiz deorphaos, dos bens
cima, pertt-neentes ao espolio do dito finado.
A's 11 horas do da na mesma encaiernagao
Parisiense, ra do Imperador n. 71.
Cozinha
No hotel da ra lrga do Rosario n. 29. precisa-
se de um ajudaule de cozinha : paga-sebem.
IBIIWHMILIPma i IIMUIIILAtbiWHkilinilll Pll K?.
D. Joaoun Baptista de Souza
Belmiro Baptista de Souza, IdaJina de
Souza Moutnho, Mircona Ferreira CatSo,
Fraocena Ferreira Martins, Guilbermina
Mayor de Sotiza, Jo5o Pereira Moutnho,
Antonio Jos Pedro Gonca ves e Dr. Alfre-
do da Ganba Martins (ausente) cordial-
men'.e agradecem as pessoas que tveram a
bondade de no cemiterio publico assistirem
ao enterro de sua presada mai e sogra D.
Joasna Baptista de Souza, e de novo rogam
aos seus parentes e amigo3 o cardi so obse-
quio de assistirem a missa do 7. dia de
seu passamenlo que pelo eterno repouzo
de sua alma mandam rezar na igreja matriz
do Gorpo Santo s 7 horas do dia terc>
feira 21 do corrente pelo que desde ja se
cenfessam gratos.
Bazar Universal
RA DO BAUO DA VICTORIA
(Oatr'ora Nova) n. 22
Acaba do ser despachado para este estabeleci-
mento um granIjye variado sortiment da brin-
quedos pata eriancas, muitos do} quaes ainda
Bao vistos nesta cidade, e recommendaveis por
snas elegancias e exqaisitiees :
Bem como enconira-se no mesmo estabaleci-
ment um completo sorttmento de machinas para
costura, de todos os autores condecidos e por
mdicos preces. Cadeiras de virue para homens,
seohoras e meninos : Esleirs para forrar salas,
sendo brancas e encarnadas, camas de ferro do
todas as qnlidades e preco?. Cadeiras america-
nas para reoni-o, espelhos de todos os tamanhos
para ornatos de salas ; e muitos outros arligos.
Movis, looca e crystaes
A S A B E R :
Um excallente piano novo e forte, 1 mobilia de
Jacaranda com 1 sof, 1 jardineira, 2 consollos,
2 cadeiras de bravos, 2 ditas de balance e 12
Je guarairao, jarros para flore?, 2 escarradel-
ras e tapetes.
t'asa mesa elstica. 1 guarda-looja, 2 apparadores,
12 cadeiras, apparelho p'ara jautar, 1 dito para
ca, 2 Jarros, quartinha?, copos, clices, garra-
fas, 1 lavatorio cora pedra e espelho, camas,
marqaezas, 1 coramoda e muitos oatros objec-
los to mui bom estado ,
Terca-feixa 21 du corrente.
NA RA DO HOSPICIO CASA N. 48.
O agento Pinto, levar leilao por conta e or-
dem de urna familia que se retira. desta provioaia,
os movis e mais objectos cima mencionados, que
serao transportados para a casa da ra do Hospi-
cio n. 46, aonde se effectuar o leilao no dia ci-
ma ditp, o qual ter principio is 10 horas.
Leilo
DE
Canrflo para vapor.
A' porta da Associajao Comraercial, 1 bora da
tarde do da 22 i corrente mez, o agenta Pesta-
A W A Prcisa-ae de ama ama que eigouime
a.axx e coziahe com pwleic^o : a tratar na
ra de Crespo n. 10.
Hospital Portugaez de Keneeen-
cia coi Peniambuco.
De conforrailade com o que dispos a primeira
parle do artigo 48 dos asumios, sao convidados os
socios efleclivos a reuairem-se em assembla geral
no domingo 3 de dezembro prximo, ao meio dia,
na secretaria desta hospital, com o Hu de ser
eleiu a junta administrativa e a corami>sao de
contas quo tem defunecionar no prximo anno de
1872.
Hospital PJrtuguez de Beneficencia em Pernam-
buco 16 de novembro de 1871.
Luiz Daprat,
Secretario.
Precisa-se de um que tenha alguma pratica
na ra larga do Rosarlo n. 29, hotel.
Amostras"
Pede-se a quera por esquectraeuto deixoa de
entregar um livro de amostras da toja.do Mercu-
ri", por favor o mandem levar na dita loja do
Mercurio n. 86, a raa da Iraperatriz n. 86, que
se Ihe ficar agradecido por tal favor; assim co-
mo, na mesma toja ha para vender um completo
sortimenlo* de botinas francezas para homem, e
outros muitos nhjc o de gosto.
Gelindro
Vende-.!e um celindro inglez bom, Dor commo-
do prefo ; na ra dos Pescadores n. 1.
CONVITE
Pelo presente, sao convidados todos os briosos
descendemos de Henriques Das, para qoe ao
prximo domingo, 19 do corrente; bajam de com-
parecer pelas 10 horas da manhaa, na igreja de
Nossa Se ahora da AssampcSo da Estancia, afim
de, era solemne re.uniao, inslallar-se a Sociedad/
dos Henriques, caja misso patritica atea da-
humanitaria, commemorar os feitos daquelle qoe
no servido militar da resta tira ci de sua patria,
soube por sua; acedes e denodo nobilitar sea no-
rae.
Espera-se a maior concurrencia, porque pare-
ce que nao havei um homem de cor prefa, nas-
cide em Pernarabaco, que se nao enlhusiasme
com os nobres feitos de Henriques Das, a quem
tolos devemos o pagamento de ama divida sa-
grada.
Urna parda de 40 auno?, que sabe coztr, la
var, engomraar e coz nhar, deseja achar ama pes
soa que Ihe empreste a quanlU de 500 rs. a
qual se sujeita a pagar cora servicos conforme
tratar : quem quizer annuncie.
Para p^ssar a festa.
Alnga-se por prtco coraraodo, a casa do Barba-
Iho a margem do rio, e defroote da povoacao do
Monleiro, tem commud03 para daas familias, bom
i ;: 1.1, sitio muito grande e coqueiros para ti-
rar-se palbas para ara grande banheiro : tratar
nn na Augusta n. 6i.
Os aduiinislradores da massa fallida de Cusa
& Castro tendo de cumprir o que'determina o ari.
839 do cdigo comraercial convidara aos Srs. ere-
dores da massa a exhibirem os seas ttulos res-
peciivos no prasode oito das contados desta da-
ta, devendo ditos ttulos serera entregues no es-
riptorio de Car.neiro & Nogueim, na ra do Bom
Jess n. 49, ou no de Lindem, Widmann & C, no
largo do-Corpo Santo n. 13.
Itecifo. 12 de novambro de 1871.
Caixeiro
Precisa se de ura que tenha pratica de taberna:
ni rna dos Pescadores n. 1, padana.
Precisa-se de ara ama joara cozinhar para
iiti;.s pessoas : na ra larga do Rosario o. 31,
loja.
Pecisa se de urna ama para cozinhar e com-
prar : n ra de H iras n. 1. ________
IMA
n. 50,
Precisa sede urna
engomraar : na ra
1 andar.
ama para lavar e
Duque da Casia
Precisase de ura caixeiro de 14 a 16 anuos,
que letiha pratica de taberna: na ra le S. Jos
numero 2.
Constando ao abatxo assignado que um seu
mu .tinho de nome Antonio, ausente de sua casa
ha 22 das, procura empregar se como criado,
roga s pessoas a quem elle offerecer-se o obse-
quio de o mandar recolber Deteno, respousa-
bili-anio-se por qaalqasr despsza que possam
fazer. Recife 16 de novembro de 1871.
Luiz de M>raes <>mes Fe reir.
VILLA DA ESCUDA
Riga se encarecidamente ao Sr. fiscal da villa
da Escada, que lance as suas piadosas vistas, pa-
ra o acougue desia villa, afino de que o povo
deste lugar, nao c ntioj a ser obrigado a comer
carne ptrida, era detrimento de soa saade, e do
dmhciro que por elle paga. JS-peramos que S. S.
nao permitir, que semelbaute mal continu, sem
que ura escaadalo to revoltante, seja pelos mar
chame:-, i.upo-to ao povo era geral. Confiando
poiS no zelo e boa vontade do Sr. li col, presum
raos, que nao qaerer imitar a ontros, que s de-
sejara exercer o lugar, para xtoL-amente ter ja?
ao li a do mez, ao recebimeolo do sea ordenado,
O sachristao da motriz
ESTRADA DO POHBAL
Alnga-se urna ptima casa com duas salas, tres
qaartos, coziuha fra, caiada e pintada de novo,
com estribara para qaatro cavallos, com bom ter
reno cercado e excellente para plantar.de, diver-
sas fruteras, cacimba, banheiro etc. ele.; torna-
se recommendavel por ser perto da cidade : fra-
ta-se no Bazar da moda ra do Birlo da Vic
loria n. 50 com Jos de Souza Soares.
Precisase de urna engommadeira : na ra
do Imperador n. 57, 2* andar, entrada pelo lado
da ponte 7 de setembro.
#
%IMIB %YfcJL IIQUIA$AO
SEM LIMITES
IMPERIAL FABRfGA DE GWAMROS
DE
S. JoAO DE NlTHKROHY.
Um dps problemas que mais lera preocenpade
sttengao dos legisladores e dos eeonomlsus mo-
leroos, particalarmente na Inglaterra e na Fran-
sa, e acerca do qual, ainda em 1868, L. Wolowki
ez ra profundo e nota,veI discurso, o qne trata
le definir e regularisar, maniendo o equilibrio
ootre o iDlaresse e a humaoidade, o trabalho das
:runc>s as manutacturas.
a ?a^sl*(> 8rave e meiuadrfsa, coroeca a ser
mire nos de alguma importancia, e merece que a
aminemos com criterio, tanto mais que forcosa-
ente aa.substiio.icao do elemento servil ter ejja
la ccnsia>rar-se efflcacUsima para o futuro des-
nvolviaento de nossas iadnstria.
f Recordando com o celebre ecooomista de qne
.aliamos o profund pensmeoto do poeU ingle
loe du :r=A criaQa o pai 4o homem part-
hamos tan: bem os seus generosos sen lmenlos re
lativamente essas frageis e delicadas creataras.
ine arada na primeira miciao da vida presUn:
ja tao importantes servicos i sociedade.
Qualquer que seja o ensino ou o labor em que
se exercilem as for?as ainda debis dessas iracas
sxislencias, deve presidir o maior escrpulo sua
Ir C^k' 3 maior ''K"1*116'1 e cuidado no empreg"
s distnbaijlo do tempo, porque do seu resultado
lepende a aciividade e a energa das aovas gera-
joes, e d'eslas as grandes conquisUs do futuro e o
orogresatvo aperfeicoamento social.
Nos seclos anteriores as industrias oecupavam-
te mais com os productores. Ao scalo XIX com-
pele a gloria nao s de memorar o fabrico dos
productos, tornando-os mais perleitos e mais ac-
:essitEii pre?o como a sorle a condico, a existencia do
.rabalhador, do bomeni.
^ Wolowki cita a este respeiio as palavras de
Sladstone, que, em ama reuoiao de operarios in-
jiezes, fa lando-Ihes Unto em seus direitos, come
Bm seus devere, disse : tO nosso scalo o se-
cuto do operario : e accrescenta que esta phrase
nao sahio de bocea suspeita, pois Gladstone nao
penen je ao numero daquelles que lisongeam em
ez de servir ao pcvb.
O homem, d'esle.modo encarado como bem
primordial da produccao do bem; e u notavel aa-
ter i que aos referimos enleude comnusco que a
berdade que elle ceaquistou tira toda a sea torga
la energa da alma associada saode do corpo,
la elevaco do espirito que proporciona o desen-
'olvimento progressivo da babilidade peasoal.
Foi baseados n'esta allianca qne os legisladores
inglezes comprehenderam qoe o lostrurtento acti-
vo, o operario, obedeca a outras e diversas neces-
idades que as que sao partilha do instrumento
material.
For por este motivo que se marearan) e regala-
ojentaram a< horas do trabalho as maoufacturas, res a 150 rs. O COVado.
se atienden sobretudo a qne as eriancas rece- alpacas de Cres lisas e lavradas fazenda
oessem a um tempo o ensino da fabrica e o ensino ., An 0n ..j
la escola. F -de muito gosto a 500 e 800 rs. o covado.
N*
LOJA E ARMAZEM
DO
PAVAO
DE
FLIX PEREIBA DA SILVA & &
NA BA DA IMPERATEIZ N. 60-
S a dinheiFO vista
Os proprietarios deste estabelecimento tendo graodo necessrdada de dimioair o in-
menso deposito qae tem de fazendas e grande orgeocia de apuraren! dinbeiro, tem re-
solvido fazer urna verdadeira liquidaco com grandes batimentos nos preces de odoa
os seas artigos: para o qoe convidara ao respeitavel pnblico desta espita! a vir sortir-sa
pois ltie garantem qae em parte algama poderlo encontrar t3o grande sortimettoe mes
mo nao comprarlo pelos precos que se bes pode vender na loja de Pavao ; porE ad-
virtindo-se qae s se vende a dinbeiro vista. Os mesraos proprietarios deste estabe-
lecimento rogam a todos os seas devedores des prara o favor de virem saldar seos d-
bitos, e todos aquelles qae estiverem devendo cooias antigs e o uio Bzerem lerao 9
ser encommodados judicialmente.
LSasianas baratao do Paro.
Alsacianas com lindas liatras de seda a
1)5000 o covado.
Ditas lisas com muito brilho a 1 > o covado
Allantas, fazenda de muito gosto tecida
com seda a 720 rs. o covado.
Ditas com quadros de seda e cores muito
delicadas a 6i.
Puil de cbvre, d'uma s cor com muito
brilbo a 500 rs. o covado.
Merinos escossezes fazenda de muito gosto
para vestidos bornus e roupas de menino
a 640 rs. o covado.
Gargarao muito bonito, tendo de todas
as cores a 400 rs. o covado.
Loja do Pavo
SAIAS BRANCAS BARATAS
a 20500 e 35O0f>.
O Pavlo vende cortes de boa fazenda
branca com bonitas barras de pregas, pelo
baratisrimo preco de 23500 e 30000 cada
orna, grande pechincha n3 ra da Impera-
triz ri. 60, loja do Pavlo.
MODERNAS BAREGES COM USTRAS DB
SEDA E FRANJA AO LADO,
a 800 rs o covado.
Chegoo para a loja do Pavlo, ra da
Imperatriz n. 60, um elegante sortimeoto
das mais lindas bareges modernas e tendo
Llis nhas nodernas com differentes gos- ao lado boni'.as listras asselinadas e franjas
tos a 400 e 500 rs. o covado.
Ditas ditas a 280 e 320 rs. o covado.
para os enftites, as quaes se vendem pelo
baraiistimo preco de 800 rs. o covado, per
Bareges transparentes com differentes c- bavr um gratde sorlimento desta nova fa-
zenda ; assim como delicadsimas baregea
com lindas listras de seda, sendo fazenda da
muila jiliantasia a Gi rs. grande pechin-
Na ra Nova n. 40, 2o andar, b para alugar-
se urna escrava com bastante pratica de ama de
casa-de familia.
s

ENSl.N DE PRPARAT0HI03 SEGUN-
DO O NOVO PROGRAMMA PARA
R feXAMES.
O protessor Torre Bauieira tem resol-
H vido abrir, para os mocos qae se prepa-
I ram par.i a Facaldada de Direito, alm
dos corsos de philosophia, de retborica e
m potica, e de geographia e historia, ara
| curso espe:ial de linsaa portugueza ; e,
era relai-ao s senhoras, a cajo easino
^ tambera se dedica, igualmente se propoe
B dar lC^e;t de lingua portugueza, de lia-
gua franceza e ae geographia.
, MORA A' RA DOS MARTIRIOS N. 2,
K 2.* ANDAR.
k rVT A Precisa-se de ama para casa de pou-
alu.il ca familia, qae saiba engommar e tra-
tar de eriancas. Prefere se eslrangaira. Ruado
Vigario o. 26 f andar.____________________
Qs a,baixo,assignados faiem sciente ao res-
peitavel publico e com especialidade ao respoita-
vel corpo do ommercis, que nesla data djssolve-
ram amrgaveltaenie a sociedade que Uakn na ta-
berna cita no largo do Carino n. 13, a qual gtrava
debaijo da flrraa social de Jlo Gongalves Ferrei-
ra c C, flcan(o a cargo do socio Julo Goncalves
Ferreira, teda o activo e passivo do dito estbale
cimento.'
Recife 10 i* novembro de 1871.
Jo da Silva Reg Braga.
Jlo Gonsalves Ferreira.
CLUB DO NHNTEIR
No segrate mez de dezembro principia func-
cionar o dito Ciab, as pessoas que quizerem to-
mar assignaturas por 3 mezes de dezembro a fe-
vereiro, pagarlo 304000 adiantadoe pira o qu> se
entenderlo com o abaixo assignado.
Recife, 18 de novembro de 1871.
__________ ______P. I. L*yme.
V, PALHARES
O adeus da escravido
. POEMETO
Assigna-se na Livraria Franceza : a IjOOO o
exemplar.
Sociedade Beneficente
Luso-Brasileira
Sao convidados todos os associados e prrpostos
qce j tiveram commuoicacao de suas approva-
c5es, a comparecerem, amannla domingo 19 do
correte na sala de nossas sessdes, raa Nova de
Santa Rita o. 1. A directora provisoria, espera
o comparecimento de todos, as 11 horas da ma-
nhaa.
Secretara da Sociedade Luso-Brasileira, 18 de
ooveuibro de 1871.
O 1* secretario interino, -
Bento de Souza Moraes.
Era 1862, diz ainda Wolowki; sanecioncu-se
aa Inglaterra a prole, a vigilancia penetrou no
seio das vastas communas indnstriaes, formadas
aoje em roda da machina de vapor, dessas vastas
oramuoas povoadas por miihares de operarios.
V toi de 1802 flxon a idade era que as eriancas
podiam entrar para as manufacturas e limtou a
iuracjtu do trabalho.
Pois bem. Este grave e humanitario problema
jueHevou qua>i meio secuto a resolver, e preoc-
*npou a alienlo de tantos homens de estados
eminentes, como foram Roberto Peel Lord Aslhey,
boje Conde de Chattsbuago, genro de Palmerston,
'5 muitos oatros, assignalando urna pagina honrosa
aa historia da eivilisaclo moderna, acba-se reali-
zado, e dando salutares resultados entre nos na
fabrica de cigarros de S. Jlo Nuherohy, da qual
ao proprietarios os Srs. Souza e Novaes.
Ja livemos occasiso o anno passado, de escre-
.'er algumasjinhas acerca deste iraporlante esta
belecimento, e hoje, depois de urna visita que
lemas ao novo edificio ampliaremos aquello nosso
trabalho'.
A casa onde actualmente est estabeleeida a'fa-
brica sera duvida ura dos mulhores predhs da ca-
pital.
Alera das espacosas accoramodacSes interiores
jvremente arejada corao-convtn a to numerosa
f~itgldmo*fccao de pesaos?,-o predia exterrormen-
le de ama arclutcctun simples e elegante, e Oca
i p;ucas bragas do mar, onde.com auxilio de urna
ponte os productos sao com facilidade embarcados
9 conduzidos para os mercada.
Cerca de duzentos meninos ah recebem o ensi-
lo manual, intelectual religioso e mcral.
A mais perfeita ordem, sem a severidade de urna
rade disciplina, mas antes aconseloada pelos pre-
citos praticos da autoridade, d um aspecto agr-
lavel a esta afanosa commnna de pequeuos ope-
rarios e eiperaocoso ncleo de futuros e morlisa-
los cidadaos.
Em um vasto sallo das 7 s 9 horas da tarde
lepois do trabalho e do descanso aprendem os me-
linos os primeiros elementos da leitura da escrip-
ia e da contabilidade. Dissemos primeiros ele-
mentos porque acreditamos que as nocSes rudi-
mentaes da escola nra sao outra cousa mais que c
.nslrumeoto com que mais tarde se deve concluir
3 aperfeicoar a educajaj. Nao custa- saber 1er c
jssencial e fazer uso discreto e aproveitavel
lesse poderoso .motor do nosso apereicoamentc
iicral.
Depois do trabalho manual e do ensino da es-
:ola depois me-mo de algumas horas consagradas
jo recreio en preciso ameoisar com o '.estado de
ilguns dos ramos das bellas-arte3 as trelas in-
antis.
Neste intuito foi creada urna aula de muzica di-
rigida por hbil professor.
Com pouco lempo de exercicio e o ardor pro-
orio da roocidade j alguns dos alumnos tocare
xa verdadeiro adiantamento os instrumentos que
jscolheram, e pode dizer-se que a fabrica tem
loje urna bauda de msica sua disposiclo, o que
Um da accrescentar urna agradavel prenda
jducacao dos aprendizes, dispensa das festivos de
stabelecmento, o concurso dos msicos estra-
ahos.
Ora, o grinde resultado colhido por este duplc
lystema do ensino manual e siraullaneamente in-
iellectual, que os productos da fabrica de S. Joc
le N tberohy, redobraadd de valor pela qualidade
i perfei(lo augmentara tambera a sua procura no
mercado s naturalmente os avallados inUresses
ios productos.
Estabeleeida assim cora os outros estabeleciroen-
ios do mesmo genero a luta da concurrencia, que,
ao dizer de um notavel economista, nao outra
ioasa mais que a manifestaclo pratica, a face
material da berdade. claro est que as condiQoes
io trabalho livre comecam j a ser assentadas, en-
tre nos em bases sensatas e de consecuencias pro-
3 coas.
Ligamos um alto aprese s tentativas e aos re-
rallados desta ordem.
O Brasil precisa empregar todos os seus estor-
bos na propaganda industrial, nao; esquecendo
aunca que a quantidade dos productos nada re-
presenta, si ella se nlo tornar ao mesmo temp
recommendavel pela sua qualidade, e que esta ti
ie obtem com auxilio efflcaz dos productores ha-
bis e iotelligento?.
Acreditamos, pois, que os Srs. Souza e Novaes
orestam um importante serviqo ao paiz e leraos
lempre prazer em mencionar os estabelecimentos
lesla natureza, nao s em referencia a esta fabri
a como a todas qne estiverem fundadas ou se
fudem d'aquiem diante as mesmas circums-
tancias.
O nico deposito nesta cidade 410 escriptorio
ie Domingos Alves Matheus, raa do Viga-
rio n. 21.
A. Zaluar.
Attenpao
Be ordem da admiaistraelo da Sociedade Emao
eipadora convido todos .os socios para reun ao ge
ral. que ter lugar no dia 25 do corrente as 11
oras no Clab Peroambucano, na qual ter la-
gar a laitura do relatoro, e eleiclo da nova ad
ministraclo, pelo que instamos e ropamos a todos
os soeios se dignera. comparecer.
Reee, 16 de nowmbro de 1871.
Ferreira Jocobina,
i" secretario.
escuna
Alaga-Be ama
casa : na ruaDiieita o. 137,
para o seviQo
das 6 as 9 horas.
de
O abaixo assignado, lefido de acabar com o sea
negocio, roga aos seus muitos e numerosos fre-
guezes que lbe esto devendo em soa loja de cal-
cado ra da Iraperatriz o. 10, de vir ou mandar-
me pagar seu debito at o fim de dezembro do
correte auno, pon do contrario ver-se ha obriga-
do, e bem contra soa vontade, entregaras con-
tas a sen procurador, para elle receber amigavel
oa judicialmente, o qoe o abaixo assignado eraera
dos seas boas fregueses isso nlo ser necessarlo.
Recife 31 de outubro de 1871.
___________Aotooio Rodrigues Ploto.
Precisa-se de urna ama qae
cozinhe e engemme muito
bem, para urna pequea fa-
milia : a tratar no largo do Corpo Santo n. 4 i
andar, das 10 hora da manhaa as i da larde.
%>m
Cassas do Pavao.
Gassas inglezas com bonitos gostos a 200
e 240 rs. o covado.
Ditas Snissimas a 300 rs. o covado.
Ditas francezas de muita phanUsia a 400
rs. o covado.
Cortes de cassas com 7 varas fazenda
muito Qna e bonita a 20500 e 30000.
Ditas d'orga.ndy branco e de cores a
20500.
CORTES D'OBGANDY A 40000.
O Pavlo tem corles de organdy branco
com 8 I/i varas que vende pelo barato pre-
co de 4000, assim como Bnissimo organdy
branco com lislrinhas e quadrinhos o me-
Ibor que tem vindo ao mercado e vende
pelo barato preco de 720 rs. a vara.
Poupelinas de seda a S$009.
O Pavlo tem um elegante sortimento de
poupelinas de s. da tanto lisas como lavra-
das as mais modernas que tem vindo ao
mercado e vendp a 20000 o covado.
GAMBftAIAS LARGAS A 800 RS. A VARA.
O Pavlo tem esmbraia branca transpa-
reote de boa qoalidade, com 8 palmos de
largura, que apenas precisa 4 varas para
um vestido e vende a 800 rs. a vara, dita
Qnissima da Escossia tendo a mesma largu-
ra, qoe vende a 10600.
CAMBRAIAS BRANCAS A 40000 E 40500
O Pavlo tem pegas de cambraia branca
transparentes com 8 1/2 varas qne vende
pelo barato preco de 45000 e 40500, ten-
do tambem muilo finas de 50000 at
100000.
Ditas tapadas ou Victorias tendo de 30500
a peca at a mais fina que vem ao mer-
cado.
Crosdenaples prelo e de cores.
O Pavlo tem um grande sorlimeatp de
grosdenaples e gurgorao preto para vestidos
tendo de 10600 o covado al ao mais su
perior que costuma vir ao mercado, assim
como um grande sorlimento de ditos de
todas as cores e branco e um bonito sorti-
mento de setins branco e de cores que ven-
de por precos muito em conta.
ESPARTILHOS A 40000
CACHENEZ a 40, 50 e 60000.
O Pavlo vende espartilhos de todos os ta-
manbos a 40 e 50000, cachenez parisiense
com delicado ponto e de cores, a 4$, 50,
e 60000.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS.
a 80, 100, 120 e 10OOO.
O Pavlo tem um grande sortimento de
cortinados ricamente bordados, proprios
para camas e janellas que vende de 80 at
160000 o par.
Pegas de cambraia adamascada com 20
varas a 100000. crochet ricamente bordado
para cortinadosal05OOometro. Assim como
ricos damascos com 6 e 8 palmos de largu-
ra proprios para colchas de camas e tam-
bem ricas cjlchas de damasco a imaclo de
seda e ditas de crochet as mais lindas que
tem vindo ao mercado.
MSSELINAS DE CORES A 400 RS. O
COVADO.
O Pavlo tem um bonito sortimento de
musselinas de cores, padres nteiramente
novos e cores fixas, que vende a 40J rs. o
covado. Ditas brancas muio finas a 400
e 500 rs: Metim branco da India muito fino
para vestidos e roupas de meninos a 720 rs.
o covado. Cretones de, cores muito encor-
nados para vestidos a 600 rs: o covado;
ROUPA POR MEDIDA NA LOJA DO
PAVO.
O Pavlo tem urna bem montada officina de
allaiate, administrada por um hbil me-tre
nacional, aonde se manda fazer qoalqner
obra de encommenda, tanto para homens
como para meninos, garanlindo-se a promp-
tidlo e aceio em todo o trabalho, e no mes-
mo estabelecimentojeacontraro 03 respeita-
veis freguezes todas as fazendas proprias
orno sejam pannos de todas as cores qua-
diades e precos, novas casemiras 4b gosto,
re ns brancos e de cores, assim como todas
asfazendas proprias para fatos de lato.
CASAQUINHOS A 150,180 E 200000.
O Pavlo tem um grande sortimento de
ricos casaquinhos de seda preta muito bem
enfeitados e modernos que vende a 150,
180 e 200000. sendo fazenda de muito
mais valor, assim como ricos chales pretos
bordados com franjas largas de ratroz a
100 e 20OO.
A loja do PavSo acha-se constaxitemenie aberta d
horasda noite, raa da Iraperatriz n. 60.
cha, no armazem do Pavo.
Pazeatla para luto.
O Pavao tem um grande sortimento do
f.izeBdas pretas para luto, como sejam :
Merino preto com 6 palmos de Urgnra
para vestidos a 20000 e 2o00 o covado.
Merinos pretos e de cordao para todos
os precos e differentes qualiddes.
Bombssinba3 para todos os precos.
Cantdes e lpicas pretas. Laasinhas pre-
tas ou cassas de laa de 360 al 500 rs. o
covado.
Cassas pretas francezas e inglezas de to-
das as qualiddes.
C'iitas pretas francezas e inglezas de 200
rs. para cima.
Crep preto para veos.
CASEMIHAS PARA CALCAS A 45, 50, 60,
70 E 8*'00.
O Pavao tem um grande sorlimento do
cortes de casemiras de cores para calcas,
sendo os mais modernos que tem vindo ao
mercado e vende-se de 40 al 100000 o
corte, ditas em pecas francezas e inglezas
para ca'cas.-palitots e colletes que vende da
10800 al 60000 o covado, ditas" escuras a
prova d'agoa que vende a 50 o corte ou a
30 o covado, sendo estas casemiras muilc
proprias para meninos de escola por serem
es:uras e de moita dorado.
NOVOS VESTIDOS A 50OCO.
O Pavo tem lindos cortes de testido de
linissimas camb'aias com bonitos bordador
de cores e tambem iodos bordados biaocc
que vende pelo baratissimopreCo de BjSflOC
cada corte, grande pechincha.
PANNOS DE ClO -HE PARA CADEIRAS Ef
SOPHS.
O Pavao tem um grande sortimento d-
pannos de 1 roch pruprios para encost d
cadeiras e da sphs, assim como um rico
sortimento de tapetes de todos os tamanbo*
proprios para salas.
MADAPOLO BARATO A 40, 45500 E 50.
O Pavao tem pcas de raadapolao com 24
jardas ou 20 varas que vende a 40 e 40500
a peca, dito muito fino e largo de 60 para
cima, dito francs do melhor que tem vindo
ao mercado, assim como dito finissimo em
pecas de 40 jardas.
Cortes de chitas.
a 106O, 20000 e 20800. .
O Pavo tem cortes de chitas francezas
com 10 covado, que vende pelo barato pre-
co de 10600 e 20000, ditas que vende a
160, 200 e 280 rs. o covado, tambem tem
um grande sortimento de ditas finas clara*
e escaras que vende a 280 e 320 rs. o co-
vado e fioissimas percales miudinhas propri-
as para camisas, vestidos 6 roupas para me
ainos qae se vende a 360 o 400 rs.
LENCOS BRANCOS.
O Pavo tem lencos brancos abanhado*
quo se vende 20400 e 30. a duzia, dito
grandos de murim sem ser abanhados a
30200 rs. a duzia; assim como bonitos len-
cos bordados para mos.
ROUPA PARA HOMENS.
Sobrecasacos de panno preto fino send
muito bem feitos de 420 at 400000.
Palitos de panno preto fraques e scco*
de 80 at 120000!
Ditos de casemira de cor de 60 at 120.
Ditos de alpaca preta fina de 40 a 6000.
Ditos de dita branca e de cores 60000,
Ditos de brim de nho trancado a 60000.
Calcas de casemira preta de 60000 at
120COO.
Ditas de brim branco de nho de 40000
at 80000.
Ditas de brim de linho de cor para todo
os precos e qualiddes. .
Camisas francezas e inglezas com peitos
d'algodo de 10600 at 50, em duzia ven-
de-se mais barato.
Ditas de meia de 800 rs. para cima.
Ceroulas de linho e algodao, francezas ft
feitas na trra.
Collarinhos de papel, algodo e linho
que se vende muito barato para liquidar.
Para noivas.
O Pavo tem rico gurgorao de seda, bran-
co. Grosdenaple branco muito encorpado.
Agraciannas brancas com listras de seda.
Poupelinas brancas de seda lisas e lavra-
das. Sedas brancas, lavradas e lisas. Ca-
pellas com palma de flor de laranga com
ricos veos bordados,-qoe lado se vende mais
barato dp qae em outra qoalqner parte.
6 horas da manha at aa d
U.EGHEL
^

i.


Diaria da Femarubaca Sabbado 18 i* Novembro Ja \fi\.

r
4
PILMAS TUTUS GATCHARTIAS
DO
Nio ha necess id ademis
geral em todos os paizes
do que a de um purgante
que seja ao mesmo lempo
innoceote, efficaz e digno
de toda a confianca.
As pilotas que ora olere-
cemos ao publico preeu-
cbem estas condigoes; pois
Ipodem ser tomadas pelas
Ipessoas mais iracas sera
perigo algum, nao tendo
lem sua composigao mer-
Icurio nem outro ingredien-
te nocivo sade, mas
sendo composto de agentes vegetaes mu
fortes, sao bastante eficientes e activos
para purificar os corpos mais robustos.
Quantos s3o os males que,, se no seo
principio fossem combatidos enrgicamente
com era simples porgativo, nao seriam d
tuna vez vencidos ? Grande numero das
molestias qae estamos sojeitos se deve a
um estado sojo e irregular do estomago,
DR. AYER
que podemos recommendar ao publico b5o
as P1LULAS DE AYER que exploram e pu-
rificam toda a extenso do canal alimenti-
cio, e dao vigor a todas as partes do orga-
nismo, corrigindo sua acc3o \ ciada e fa-
zendo recuperar sua vitalidade. E' um re-
medio inestimavel contra dr de cabeco
nervosa, enxaqueca, priso do ventre, he-
morrhoidas, molestias do figado, febre gas-
tro heptica, e todas as molestias biliosas
que teem suaorigem no entorpecimento do
ligado que causa a escassez da bilis na in-
flammac5o deste orgao que produz derra-
mamento da bilis no estomago ou em um
desarranjo geral dos orgaos digestivos.
A ICTERICIA produzida pela absorp-
c3o da bilis no sangue, dando pelle|e aos
olbos urna cor amarellenta; n > e someote
dolorosa por si, porm condui aos mais se-
rios soffrimentos. Para cura-la toma-se de
urna a cinco pillas todas as manhaas, feto
bastante para mover o ventre suavemente
al que se recupere a ac?.3o sa do sys-
tema.
A dyspesialon indigstelo, tem sido tan-
tas vetes curada com estas pilulas, que n3o
duvidamos em dizer qae soberano reme-
dio para este incommodo. Emqoanto o
vermes, vejam o que diz o Metical Expo
sitor de Nova-York: t as pillas doDr
Ayer temos acbado um dos melhores reme-
dios para os vermes, biebas e lombrigas .
Nao podemos ennumerar aqui todos os ca-
sos em que sao vantajosas estas pilulas,
taolas sao as molestias que se podem com-
bater com o-emprego de um bom purgati-
o como sao ellas.
Em falta de appetite, sao excellentes;
como digestivo para a comida, nao ha coasa
melbor. Nao se tem poupado trabalbo
nem despeza para levar estas pilulas a um
grao de perfeicSo tal, que nada deixa a
desejar ; sao o resultado de anuos de esta-
dos laboriosos e constantes. Para alcancar
todas as vanlagens que resoltara de oso de
catbarticos, tem-se combinado somonte as
virtudes curativas das plantas que sao em-
pregadas na confeceo das pilulas. Sua
composico tal, que as enfermidades que
esli-ao alcance de sua acc3o, raras vezes
podem resisti-las ou evad las.
Roia-Maonim.Sr.IgniiCioY.eira da Mello,
srivo na eidaa asNaiareth desta provincia,
favor de vfr k roa do Imperador n. 18 a conclu
melle negocio que V. S. se eomprometteu reali-
sar, pela tereeira chamada deste jornal, em fin
de dexembro prximo passado, e depois para ja-
aeiro, passou a tevereiro e abril, e na4a cumprio,
e por este motivo 6 de novo chamado para dito
Bm ; pois V. S. se deve lembrar que este negocie
de mais de oito annos, e quando, o senhor mi
flho se achava no es nesta cidade
ligado ou ventre.
hor purgativo que conbecemos e
Vende-se em todas as pharm&cias e drogaras do imperio
W.R. Casscls&C,
Agentes geraes.
Aloga-se o 2 anAar da roa do Padre Florfano
com 3 quartos, 2 salas e cozinba fra, maito fres-
co : a tratar aa ra larga do Rosario n. 22.
Aluga se um escravo
carroieiro e feitor de sitio
Imperador d. 41.________
de meia idade, bom
tratase na ra do
Para festa.
.Aluga-se urna excellente casa na Boa-viagem.
cuito fresca e com commodos para grande fami-
lia : tratar ra larga do Rosario n. 34
AMA
35, primeiro andar.
?rtcsa-se de urna ama
para caa de pouca fa-
milia e que saiba cozi-
nhar: tratar na ra
do Duque de Caxias. ou-
tr'ora Cruzes, sobrado n.
ALUGA-SE.
Duas casas terreas na Ladeira da Misericordia
e na ra de MaihiasFer reir em Olinda, perto dos
Banhos, e primeira com 5 quartos, 3 sallas, cosi-
nna tora a bom quintal, com terrado adiante e
alraz, muito fresca, e urna vista inteiramente agr-
davel tanto pela frente como pela parte de detraz,
e a segunda com duas salas, 4 quartos, e quintal
cercado : tratar na ra do Cabug n. 16, 2o
andar.
m\
A TDSIIU H010
E 0 PROGBESSO
SALDES DE CABELLEIREIRO
1.1 U 1 no It OCB DE CAXIAS SU
E
Primeiro de Margo n. 7 A primeiro andar.
DELSC, cabelleireiro de Paris, participa aos seus innmeros freguezes e ao pu-
blico em geral, que acaba de contratar peritos officiaes francezes para todas as especia-
lidades ; sendo nestes dous estabelecimentos cima onde o respeiiavel publico poder
encontrar' a delicadeza e ligeireza que neste genero de trabalbo tanto se exige em Pa-
rs.
DELSUC nada tem poupado para que o publico desta cidade. que lano lhe tem pro-
digalisado a sua benevolencia, continu a frequentar os seus SALOES MODELO, fleando
certo o mesmo pubco que nelles encontrar agrado e perfeicSo.
Empreados dos saloes
12 officiaes para barbear. -
6 ditos para cortar cabellos.
3 ditos para o poslico.
Dekuc para o penteado do bello seo.
aos banhos no Monteiro
Aluga-se por Testa a casa n. 3 que tem urna
pitombeira na porta, na travessa da Levada no
Monteiro, tem junto nao s os banhos do ri
como os da levada : i tratar na esquina do Lama-
rao casa nova antes de chegar ao Monteiro, ou
no Recite, i ra Nova n. 7.
Companhia do gaz.
PERNAMBUCO
Chamamos respetosamente a atteneao dos con-
sumidores de gaz para o seguate :
- As ms luxes sao geralmeote occasionadas por
i igura defeito nos bicos, ou obstruccio nos ap-
parelhos. Aoode existir semelhautes defailos a
companhia ter prazer em remedia-los sem des-
pea ao consumador.
Para assegarar urna loa boa, os bicos devem ser
o adidos pelo menos, de seis em seis mezes Um
bico bom dar 20 ate SO por cento maisvloz (gas-
lando a mesma quantiJade) de que um bico de-
feituoso e do mesmo tamanbo.
A companhia tem sempre um grande sortimen-
to de bicos, dos me I hores fabricantes, os quaes
vende aos consumidores pelo custo.
Qualquer qoeixa dirigida ao abaixo assignado
na fabrica do gaz em S. Jos, ou no escriptorio da
companhia ra do Imperador, ser prompta-
mente attendida'
Fabrica do gaz 23 de Outubro de 1871.
Thos. Newbigging.
Engenbeiro.
O abaixo assignado roga a todos os seos fregue-
zes que se acham devendo importancias de fazen-
das ao sen estabelecimento silo roa da Impera-
triz n. 2, terem a bondade de. vir ou mandar sa-
tisfazer seus dbitos al 30 de dezembro prximo
futuro, aflm de nao se ver obrigado, contra a sua
bondade, laucar mi dos meios qne a lei lhe con-
cede. Recite 1* de novembro de 1871.
Joio Luiz Ferreira fiibeiro.
Precisa-se alogar urna escava para coz-
nhar e fazer o mais servico de casa : a tratar na
rna do Crespo n. 7. ._______
Mudanpa.
T dia 10 do correte em diante estar mudado
para a ra do Imperador o. 48, 1* andar, o gabi-
nete de cirurgia dentaria de F. Maia.o qual dessa
data em diante ser ahi encontrado todos os dias
a qualquer hora. O mesmo, como at aqui, con-
tina a prestar-se a chamados.
Aluga se
o segundo andar do sobrado da rna Nova n. 38
a tratar na loja.
ADVOCACIA.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado
Portella contina a advogar e pode ser
procurado no seu escriptorio rna do Im-
perador n. 83,1* andar.
NOTAS
Troca-se notas do banco do Brasil e de snas
filiaos na ra do aro da Victoria n. 63, antiga
roa Nova, loja de Joo Joaquim da Costa Leite.
Casas no Popo da
Panella.
ALUGA-SE
Por 600*000.
Urna excellente casa na rna do Rio n. 35, da-
quelle povoado com duas salas, qnatro qoartoi,
cozinba, coxeira, quartos para creados, estribara
o mais duas meias-aguas separadas.
Aluga-se
Por 300*000.
Outra casa ao p da mesma o. 33, com duas
salas, tres quartts, estribarla, bom qnintal tode
murado, grande copiar ao lado, etc.: tratar
com o ccmmendador Tasso.
Precisa-se de costoreiras
Pastor, rna da Imneratnz n. 3.
na loja do Bom
AMASSADOR
Contratase um bom amansador que saiba cor-
tar bolachas, p-ra urna padaria eoi Natal, capi-
tal do Rio-Grande do Norte : na rna do Mrquez
de Olinda n. 40, 1* andar._________________
Para a festa
Aluga-se urna excellente casa na Boa-viagem,
muito fresca, com commodos para grande familia:
tratar rna larga do Rosario n. 34-_________
AMA DELEITE
Precisa-se de nma ama de leite : a tratar na
ra do Fogo n. 44.
*%%
Precisa-se alugar
para casa de familia ; a
p andar.
urna cosinheira escrava,
tratar na ra Nova n. 30
Precisa-?e de urna ama que cosinhe e compre :
na ra de Hurtas sobrado u. 13. Se agradar, pa-
ga se bem.
i*"
ADYOGADO
Dr. Joaquim Correa de Araujo
67Rla do Imperador67
Dsseja-ie alujar urna casa com bons com-
rood3s e cora hora quintal oa freguezia da Ba-
Vi.-ia, preferindo-se Soledade, Camiohb Novo, Mon-
dego ou De-tas proximidades : a tratar na ra da
Cad-ia do Itecife armazem n. 1.
"#$!88!
su
m
MACHINAS
PARA mw ,
De 10 a 40 sorras.
VAPOR
para mover as machinas.
Aluga se urna preta para lavar e eogommar: *
fallar no armaze-n n. 22, ra do Commercio.
Sociedade Emanci-
padora
De ordem do presidente da direecjb o Ilim.
Sr. Jos Matheus Ferreira, convido todos os raem-
bros itora6 da noute no Ciub Pernambucano.
Reclfe li de n^vembro de 1871. v
Ferreira JaccbiDa,
Io secretario.
Precisase de ama ama para casa de fa-
milia : na ra do AragSu n. 10, fabri-
ca de charutos.___________________________
Precisa-se de urna ama para cozinbar
nn ra do Camarao n. 13.
AMA
AMA
i>'>
-;-iGa>@i
Em casa dos importadores I Ra
Siiaw Hawkes & C. |
Kg%sfc} &
Monteiro
Aluga-se urna casa na povoaclo do Monteiro: a
tratar na taberna do Sr. Nicolao Machado Freir,
no mesmo lagar
Peraambuco Street Railway
Company.
De ordem da directora d'esta companhia, con-
vida-se aos senhores accionistas a realisarem a ul-
tima prestacao de 30 por eento do valor das suas
accoes at o dia 14 de novembro prximo futiro,
no escripto, travessa do Brum n. li. N'esta oc-
casio sero os recibos trocados por certid5es das
accSes.
Recife 25 de ontubro de 1871.
H. H. Swift.
. Asst Ireasorer._______
Casa de Campo
Aluga-se por 3 annos urna grande casa da cam-
po do poco da Panella em que resida o Sr. W.
Rawlinson, na qual dever ter lugar quinta-feira
16 do corrente um grande leilao de movis, louca,
chrystaes, carros e cavallos. Os prelendentes po-
derao desde ja se entenderem com o agente de
IeilSes F. J. Pinto, rna da Croz n. 38._________
Com urgencia
Precisa-se de urna ama de leite, que te-
cha bom e abuodaote, paga-se bem : nesta
typographia.______________________
ALUGA-SE
na cidade de Olinda, roa de S. Pedro Apos-
tlo, duas casas terreas ns. 13 e 14 : a
tratar do Recife, ra da Cadeia-velha, ar-
mazem de fazendas n. 6.
Precisa-se de nma ama
qae saiba cozlnhar bem : na
ra do Duque de Caxias, on-
tr'or a rna das Cruzes n. 22. segundo andar.
\luga-se o andar terreo da casa n. 41, ra
do Rangel, propria para algum estabelecimento,
assim como nma escrava : tratar na loja n. 2,
ra do Queimado.
Na travessa da roa
das Cruzes n, % pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de onro, prala e brilhan-
tes, seja qnal for aqnan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesraos me-
taes e pedras.
Na retinac.o da ra Direita n. 22 precisa se
de trabajadores que enlendam do setvic/) da mes-
ma.
Attenpo
8
8
Retallia se vontade dos compradores algn
lotes de terreno que restara do sitio Aguaitaba, no
Porto da Madeira de Beberibe por precos razoa-
veis. A sitaacao topograpbica do terreno.v sua
dupla qualidade para plantacao e edificado, como
se poder ver dos sitios nelle ediBcados, maito o
recommendam, sobre tulo por flear prximo da
estacao da via-ferrea : os pretendemos encontra-
rlo no mesmo sitio aos domingos e dias santifica-
dos pela manbaa pessoa habilitada para qualquer
informacao, e para negocio ra do Crespo n. 12,
y aniar.
ATTENCAO
Vende-se por barato prec.o nma propriedade a
margem da camb6a dos Remedios, fazendo-se
toda vantagem ao comprador, recebendo-se parte
em dinbeiro e parte em letras ou obyectos de
prompta venda ; coja propriedade contera nma
grande olaria de pedra e cal qae lastra 16,000
tijo'os de alvenaria grossa e forno que comporta
25,000, com mais um forno e lastro para fazer-se
telbas, ladrilbos, canos e lonca, com excellente
barro para qnalquer obra, com dous excellentes
rveiros de peixe e com casa de vvenla para
grande familia, torna-se recommendavel por pas-
sar perto a linha dos bonds : as pessoas que pre-
tenderen) dirijam-se dita propriedade a entender-
se com o capitao Delfira Lins Cavalcante Pessoa.
s
Cruz n 18, 3* andar.
Precisa se de orna ama pa-
ra o servlco de urna casa de
pouca familia : na' ra da
do Bom-Jesus c
outr'ora Cruz.
B9 tS9
Ra Duque de Caxias n. 82
(ANTIGA DO QUEIMADO)
Faria & Gomes, estabelecidos ra que tfe Caxias n
Kival Sem -segundo 82, pretendendo realisar a mudanqa de seu e^abelecimeato
Kiia Duque de Caxias n. 91 ,,,.
Jos de Aiavedo Maia eSilva, em sua lo- para a ra do Livramenio D. 20, ate di de dezeiiiDiro do corieu-
te anuo, resolveni fazer urna liquidaqo geral das fazendas exis-
tentes em seu citado estabelecimento, expondo-as desde hoje
oncorrencia publica, mediante pre<^>s os mais resumidos pos-
] ade hiude?as continua a vender todc
por baratos (recos que s todos admira
Libra de la para bordar a melbor
que ba.
Caixas coja superiores grampos fran-
cezes a
Duzias de facas e garfos de um e
dous Dotoes a
Talberes pare meninos a 240 e
Libras de linha de novello, a melbor
passivel.
Duzia de iencos de caasa com barra.
Caixas de liabas com 30 aovellos a
Vara a franja branca para toalhas
6*000
160
40000
400
13500
15000
500
160
31600
Duzig de meas cri.s muito boas a
Duztas se meiaJs finas para senbo-
ras j 4,1000
Ka alnas maito fioas, para fazer a
barba a 13000
Caixas com peonas de ac com lo-
- qne a 320
Caixas coro peooas de Perry (azeo-
Ja fina a 800
Di las de dita dito verdadeiras a 15200
axas com 9 cadernos papel ami-
Zide a 700
Feftr de fitas para coz com 10
vara* a 500
Tecas ce tranja lisa de todas as
crep a 40
Duzms de buba frooxa para bordar
a 400 e 500
Pares de sapatos de traoca a 1^800
l)u.ias de baralbos maito finos a
id4O0 e 23800
Ditas de ag ulnas para machina a 23000
Bt.vasas Ditas de dito praiado o melbor a 43000
-^*rr teis a llolia A'exandre a 100
Gratatas decores mnito finas a 500
0HM prelas pontas bordadas a 600
it'jU^ de botes de madrvperola
i/a camiha a 50$
(abflhi branca, 400 jardas 60
Doi d e.nUs de linha branca e
pceu t ia cores a^ "120,
Tb*60iir. s para nnbas
K ..... a 00.
stveie.
Fazer a descripqo minuciosa dos valores e qualidades de
todas a fazendas que existem no estabelecimento, sobre ser fas-
tidioso seria eufadonho/por isso, pedem os annunciantesatpdos
quantos estiverem na carencia de fazendas boas, bonitas e ba-
ratas, o favor deapparecerem em sua loja ra Duque de Ca
xias n. 82,. na intenq&o de comprarem qualquer fazenda por
metade de seus primitivos valores, e na religiosa certeza de que
sero bem servidos, apezai de noserem aqui annuciadas em
esty'.o seductor e faito ss vantagens que desta liquidacjao devero
resultar, nointeresse de todos quantos quiereui comprar, por
pouco dinheiro, boas e excellentes fazendas.
RA DUQUE DE CAXIAS H. 82
Grande hotel central.
Manoel Garrido seientiflea a em amigos e bops
freguezes, qae tend) se associado a sea irmo
Francisco, aotualmante em viagem.para o Rio da
Prata, e seado o nico gerente do estabdecimen-
to, lhe* otfereeem coaimoda hospeagem, boa
mesa, fregeos Banhos, e tudo qaanto ba de con-
fortavel : ca raa larga do Rosario a?. 35 e 37,
defronte da igreja.
declarados sao rogad >s a
ao eserplono des! Diario
O Sr*. abaixo
candaran ou virem
i negocio : *. '
i'M Fraociico Rileiro de >on*a, 'done io col-
i do Santo Amaro
Novas machinas
i I hoz,
bor
7IOe|SB9 Jo Rabillo
americanas para cazear, fazer
dados e costuras.
Esta aova macbina de ama simplicidade extre-
ma, faz por ama maoeira perfeita todos os gne-
ros da trabalho das machinas eochecidas at boje,
anda mais caza, faz ilbor, bordados e franzidos,
com ama regalandade e presteza maraviihosa.
isto qae' tem valido um suecesso rpido e conti-
nuado nos Estadds-Uoidcs, garanle-se salisfanao
e economa, os pregas l) razoaveis para todo o
mando : o eotiorea ecmuierciantes sao convida
do virem examinar no hotel do Universo, se-
guodo ao*ar, qaarto n. 6, eom H. Roullier.
-^ Precisa se de ama arpa pari"fK"j*9 familia :
Ba rnj ^j Roda n. 16, 1
Precisa-se de urna ama que
cozinhe e engomme, para ca-
sa de familia : a tratar na
ra do Queimado n. 28, loja de ferragens.
Faz-se negocio
~ Com a ant'ga e bem afregaezoda loja de caiga-
do francez a rna da Im;>erairz n. 10, livre e des
sembaraQada de qualquer cnus ; faz-se negocio
a dinheiro (u a praso conforme se cenvencionar;
sendo um bom negocio para queco quizer conti-
nuar, e s se vende por ter o dono de se retirar
para a Europa. tratar de saa saude._________
. Aluga-se
o segando andar e s< '.a da casa n. i9 da ra do
Imperador, com niuitoa commodos : tratar na
ra do Sarao da Victoria (oatr'ora Nova) n. 33.
Alaga-se duas casas em Apipacos, tendo ce
da urna oicommojjs seguietes: 2 sala?, 4 qa.ir
tos, cozinha fra e qaarto para criado : a tratar
na raa Sete de Selembco n. 1 (amiga travesa dos
Ferreiros). "
S.nta casa da misericorcla,
No hospital dos lasaros necessilase da um co-
dnheiro, daalo se ordenado, casa para inorar e
comida: a ti atar no mesmo hospital com o re-
gente.________________________________-
Sustento restaurativo da
saude
PELA VERDADEIRA FARI.NHA
A, Da Barry d'Arahia
Os abaixo asssignados fazem sciente a seas fre-
gaezes, qae pelo vapor inglez La-Plata receberam
Jeganda remes*a d'essa exeellente farinha, caje-
aso muito se recommeada para as crianzas, pes-
soas debis e convalescentes, applicada com reco-
obecida vantagem as constipares, diarrheas.
nausea do estomago, tosse, escarro de sangae,
phthysic, etc. etc. Preferida ainda pelo agradave!
sabor.Uniricoa outra qualquer.
Companhia Allian$a
DE
seguros martimos estabelecida
na Bahiaem 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 2,000:000*000.
Toma seguro de mercadorias e dinbeiro a riscc
naritimo em navios t vella e vapores para den-
lo e fra do Imperio. Agencia roa do Gom-
nercio n 5, escriptorio de Joaquim Jos Gon-
;alves Beltro.
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltro
Roa do Trapiche n, 5, 1 andar.
Sacca por lodos os paquetes sobre o banco di
inho, em Braga, e sobre os segointes lugares en
?or:ugal:
Lisbsa.
Porto.
Valeuca.
Guimaraes.
Coimbra.
Chave S.
Viseo.
Villa do Gcnde.
Arcos de Val de Vez.
Vianna. do Castalio.
Ponte do Lima.
Villa ReaL
Villa-Nova de Famelicao.
Lamego.
Lanos.
Covilh'a.
Vascal ("Valpasso).
Hirandella.
Beja.
Barcellos.
Tendo vindo de Antuerpia o navio norte-atle
mi ZevaFGebruder a nossa censignafo, e tendo
diversas marcas, abaixo mencionadas a ordem,
pedimos a quem se acbar com direito dita mer-
cadera vir no>sa casa para podermos tirar o
competente fre:e. Marca M 4 C 721|26-732|33-
701 C">35-triaDgulo C T i C 1|17 M FF, Per-
pambuco, U|o3._______________________
Precisa-se ai-jgar urna ama forra : oa raa
do Cabug n. 2 8,
Q Medico operador e par-
telro.
J5 Dr. Francisco Jacintho Pereira da Mot-
0 la, a qualqu?r hora do dia ou da noite.
"fi o. 5, Io andar, praca do Conde d'Eu,
^25 oa'.r'ora da Boa-Vista.
CONSULTAS GRATIS AOS POBRES.
0
-0
Wi
Na ra estreita de Rosario n. 3o, primeiro aa-
dar, faz-se bollos para casamento?,, bailes e pre-
sentes, bandejas rmalas com todo gosto com
boaqaetes e Atas bordadas com letreiros e com
ligaras; faz-se boaqaets para enfeites de bollos
e para offerlas de cravos naturaes com laco de fi-
ta bordada a vidro e bouquets de flores artiticiaes
sendo de cera, de papel e de panno com todj
gosto. Dores para senhoras e para meninas,
capellas e enfeites para cabeca, flores para igre-
jas, sendo festOes, palmas roxas, arcos, capellas
e palmas para imagen?, capellas para pasteras,
com todo gosto, tudo por barato preco, bouqaels
para pasteras e coras, iodo com gosto.
ATTENCAO
Precisa-se de nma ama para comprar e
cozinbar para casa de urna familia composta
de duas pessoas : nesta typographia se
dir.
SOCIEDADE MONTE PI SANTA
CRUZ.
Por ordem do nosso digno presidente da paro-
cliia de S. Jos, sao convidados todo os irmos
da mesma paroebia para se acharem na sala de
oossas sessoes aOm de assistirmos a ama sessao
extraordinaria, qae ter lagar no sabbado pr-
ximo.
Secretaria da sociedade Monte Pi Santa Cruz
17 de novembro ne 187!.
0 secretario,
Ladislao Rodolpbo de Araujo Cesar
Attencao
Rog.i-se o especial obsequio do Sr. Jos Lua de
Seuza, caferente do consolado provincial, de vir
ou mandar roa do Bario da Victoria o. 5l, a
negocio de sea loteresse.
Vicente Ferreira Barbosa.
Joanna Mara da Conceiclo Barbosa, Candida
Francisca Xavier dos Reis, Raalino Ferreira Bar-
bosa, Mara Francisca da Cooceicao Costa, Can-
dida Diomira da Costa, Jos Ferreira da Costa,
Joaqnim Bernardo des Reis, Joaquim Ferreira da
Costa, Aogela Mara da Cooceicao Barbosa, mu-
Iber. Jlho?, geros, ora e neto do (loado Vicen-
te Ferreira barbosa, agradecem a todas as pes-
soas que acompanbaram ao cemeterio publico
os restos mortaes de sea presado marido, pai,
genro e av ; e de novo roga-se as pessoas que
queirm assistir as missas do stimo dia que
pelo etsroo repooso da alma do finado se celebra-
r s 6 hora da manha do dia 18 na ma-
triz da freguezia da Varzea.___________^__
Caixeiro
Precisase de um caixeiro de 12 a 14 annos e
que tenba pratica de taberna : no pateo da Pe-
nba n. 6.
Caita de Macei.
0 Sr. Dr. Olavo Adelino Carneiro da Cunha.tem 1
carta oo escriptorio da Companhia Peroambacana.
Retrato* em grupos
Tiram-ee grupos de 3 a 100 pessoas, a precos
raui redolidos e fornece-se o numero de exempa-
res qae se pedir; na roa do Cabug o. 18, Pltotogra
phta Imperta!. No mesmo estabelecimento se en-
contram espeeimena de grupo: -de 5 a 140 pessoas.
Os trab ihes dula photographia sao bem conbeci-
dos e apreciados do publico desta cidade.
Mercese ama senhora de idade para casa
de homem ,.teiro, ou ;asa de familia estrangeira:
'qne.ti preci*xr dirija se a ra da Semilla Nova
D-. 13.
GASA. DA FORTM
RA 1 DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N 23.
Aos 20:000^000.
O abaixo assignado tem sempre exposto ven-
ia os fezes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
oromp'.amente, como costama, qualquer premio.
PRECOS.
Inteiro 241000
Meio 12*009.
Qaarto 6*000..
Manoel Martina Fiuzs.
AOS 5:0004000
Esto venda,us fezes bilhetes da lotera da
uhia. na. cisateuido arco da Conceico, oja de
orives no Recifp.
a mpv a Precisa-se de urna ama para ca-
jM.JM.3L. sa de pouca familia : na roa Di-
reita n. 68, 1 andar.
Consultorio homeopa-
tbico
DO DR. SANTOS MELLO.
Ra do Baro da Vtcloria n. 43.
VACCINA.
Todos es domingos -e quintas-reirs, pe-
las 9 horas s 10 da manbaa vaceina-se
por preco mdico, para o que ba maito
bom pnz vaccnico.
ecebem-se chamadas para vaccinar em
qualquer casa.
Consultas medicas todos os dias pela
manlia.
Chamados a qualquer hora do dia e da
noute.
Gratis a parte medica aos pobres.
MARTIMOS
E
DOOTRA FOGO
A. companhia Indemnisadora, estabelecida
lesta pra^a, toma segaros martimos sobre
avios e seus carregamentos e contra togo
am edificios, mjrcadorias e mobilias: di
rna do Vigario n. 4, pavimento terreo.
Aluga-se
Urna casa terrea com soto e boas accomrat-
dacoes, concertada- e pintada recentemente, na
[Iba do Retiro, Passagem da Magalena : trata-se
aa raa do Vigario n. 4.
CASADO P
Aos 5:0C0#OO.
Bilhetes garantidos da pro-
vincia.
Ba do Baro da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e casas
do costume.
O abaixo assignado acaba de vender entre
seus maito fezes bilhetes a sorte de 3:0OO#00O
em dous quartos de n. -1,031, a sorte de 8064 em
um meio bilhete de o. 283, e a sorte de 100< em
uro bilhete inteiro de n. 496, alm de outras sortoa
menores de 10*000 e 20*000 da leteria que ss
acabou de extrabir (214), podando seos possui-
dores virem recebar, que promptamente serio
O mesmo abano assignado convida ao respei-
iavel publico para virem ao sen estabelecimento
compra; os felizes bilhetes garantidos, que nao
deixari de tirar qualquer premio como prova pelos
meamos annuncios.
Aeham-se venda os maito ellxes Mlhstes ga-
rantidos da 8 parte das lotera sm baoacM os
santa casa da misericordia, qfl? srt sxtrahiaa Df>
da qaarta-feira 22 do corrente mer. ^t
PRECOS. '=,'.
Inteiro 64000
meio ?*2SS M
Quartos WoOO r_'
De lOOjOOO para cima.
Inteiro 54660
Metos 2*7SO '*-' I
Quartos 1*375
Joio Joaquim da Costa Lrtsv
(
m
\



Daro de Pernambuco SabbaJo 18 de Novembro de 1871.
i

>

i.
I
%
i
|P D. W. BOWMAN
Engenheiro com
FUNDIDO
5* RIJA DO BUM 59
PASSAHDO 0 CHAFARE
Pede oe senhores de engenho e oatros agricultores, e empregadores de ma-
chinismo o favor de orna visita a seu estabelecimento, para verem o novo sortimentc
completo que ah tem; pois sendo tudo muito mais barato otn preco do que jamis te-
una vendido, est anda superior em qaalidade e forlidao ; o que com a inspecc3o pes-
oal pode-se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO A NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICO
VflnnrAQ a rnrlflQ ('filma dos mais modernos pytemas e en
OJJUI OS o 1 Ulula U ag ua jamanhos convenientes para as di-
versas circunstancias dos senhores proprietarios e para descarocar algodao.
Moendas de canna JJJ?os tamanh08'as melhorea qDeaqoi
tCOdaS dentadas para animaos, agua e vapor.
Tazas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Manhnamne Para mandioca e algodao,
m.tU/Umi91ilU9 e para 8errar madeira
iSOmDaS e patente, garantidas............
TOaS aS maCninaS e pecas de que se costoma precisar.
FaZ qualquer COnCertO de machinismo, a preco mni resumido.
1?A1*mfl.ft Ta ffirm tem as melnores e mais baratas existentes no mer-
T?fiAmmi*Tiilac_*ncambe-se ^e man(^ar v'r qnalquer machioismo 4 vonta
JCiiiUUIIllIlt/llUaS mas compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qualquer necessidade pode
lhes prestar auxilio.
AradOS ameriCanOS e instrumentos agrcolas.
Podendo todos
ser movido? a m3o
por agna, vapor,
ou animaes.
GRANDE LIIIMfO
DE
ROUPA FEITA
NA
Ra do Crespo n. 20.
Tendo resolvido n3o continuar a ter grande deposito de roopa eita, offerece ao
respeitavel publico, e aos negociantes de fra, um grande sortimento, por precos bara-
tissimos para acabar.
Palitts sobrecasacos de panno fino de
'.5 a 305000.
Ditos saceos e refranqueados de casimira
de cor de 2$0d a 9#000.
Ditos, ditos e ditos de panno preto de d>
a 12500O.
Ditos, ditos e ditos de alpaca preta de
2#00 a 3000.
Ditos, ditos e ditos de alpaca branca e
de cor a 20500.
Ditos, ditos e ditos de bramante de lioho
a 20SOO.
Ditos, ditos e ditos de bramante pa*do a
2 Ditas ditas preta de o>00 a 90000.
Ditas de brim braoco de linho de 24(000
a 40OOO,
Ditas de brim branco de algodao a.....
l20O.
Ditas -de brim dec&rde 10600 a 3000.
Ditas de castor de 10000 a 2*300.
Ditas de brim pardo de 10000 a 20500
Camisas de flanella, grandes a 30000.
Ditas de algodao, muito boas a 20000.
D.tas de linho muito boas a 30500.
Ceroulas de 'bramante a 10GOO.
Cobertas de chita a 10300.
Lencos de iiaho abainhados a 10000.
Caifas de casemira de cf de 30300 a 90- i
E outros muito? artigos per presos baratsimo para acabar, n3 loja de Guilherme
Carneiro da Conha.
i"---
fe
gs9

_* JB ilU
Lindas bareges lisas, de quadrinhos e de listas para vestidos a 360
rs. o ovado.
**-' Superiores alpacas de cores, de Acres e de lisuras a 300 ris e co-
"->* vado. -
fj Poil de cbevre com lindas cures-e de sapwiores qaalidadas a -040
j ris o covado.
Na loja dss coilumnas, de Antonio Correia'de Vasconcelos, ra Pri- -y^j
LIQIDACAO
DE
' ZPID1S

/.?
* meiro de Marco, outr'ora do Crespo n. 43,
LIQIDACAO
Ra da Imperatriz^n* 40
-
Retrato 3 Timbre-post
Exedlentej para circo lares,, convites, oo sim-
plesmenle para carias a amigos, comraittente,
correspondentes ele. ele.
100 fo'has do papel de peso pautado on nao
com retrato em cada ama 304000
30 ditas dito etc. 15*000
25 ditas dito etc. 10*000
Specimens na livraria francea i rna do Crespo.
Recebem-fe eocommeodas e fatemse es re-
iralos na Photographia Imperial a roa do Cabnga
o. 18, nico estabelecimento pbotographico desla
cidade que tem todos os apparelbos necessanos
pira este trabaiho. __________
Precisase de urna ama : na ra Di-
reila n. 61, loja de chapeo. .
O Sr. Joaquim Joi de Azevedo morador no
engenho Genipapo, qneira Yira ra das Cruxea n-
22 para receber orna carta viada de Portugal.

AMA
m
mm\
14i
V^fif
J
Mlle. Marie Lavergne, modista em
cabellos, recentemente ebegada de Pa-
rs, tendo comprado ao Sr. Joio Godo-
fredo Pinto, o sen estabelecimento de
cabellereiro a ra Primiro de Marco .j
n. 14 (antiga do Crespo) offerece os
seus servidos s Exmas. Sras. desta
bella cidado para os misteres de sua
arle ; o seu estabelecimento est provi- ,_
do de habis artistas para a boa exe- ^
cucao de qualquer obra e corte de f
cabellos. Faz os perneados em seu '5*
etanelecimento por metade do prego
do que esta estipulado para quando
for chamada a residencia das Exmas.
senhoras.
O respeitavel publico encontrar em
seu retendo esiabelecin ento um bello
sortimento de perfumaras francesas
e inglezas dos mais acreditados fabri-
i. cantes, assim como flores artifciaes,
objectos de phantasia, modas, etc. ele.
>rv e vende tudo por presos commodos,
'?S' pois reetbe directamente da Europa.
^& O sea estabelecimento acba- se aberto
yg) das 6 horas da manhaa as 9 da noute.
s
&
AVISO
Jos de Sorna Soares & C. scientifleam ao pu-
blico e, com especialidade, ao comraercio, que
Francisio de Sorna Freitas deixou de ser sea cal-
xeiro desde o da 16 do corrate mez.
COMPRAS.
Compra-se ama prensa que sirva para es-
preraer caj: na roa do Capibaribe o. 32| flB
___
VENDAS.
CEMENTO
O verdadeiro Portland : s se vende na
roa da Madre Dos n. 22, armazem de Joo
Marlios de Barros.
bom emprego d capital
Por motivos que se deram, vendem-se 150 ac-
edes (todas ou parte vontade dos pretendenles)
da companbia Fluvial de Navegado a Vapsr no
Maranhao. Esta companbia adiase em prospero
estado, e tem j um fondo de reserva de 500:000/;.
D5o-se outros esclarecimentos e fornecem -se os
ullimosrelatorios a qaem os qaixer examinar:
trata-se na ra do Vigario n. 16, 1 andar, escrip-
torio de Joaquim Gerardo de Bastos.
W
m

AVISO.
Previne-se aos reetbednres de gneros pela Sa-
pkira, do Porto entrada a 10, para os despachar
immediatamente, porque na falta disto vo ser ar-
mazenados por conta da faienda.
G.I8A DA FORTUNA
Aos 5:0001
Bilketes garantidos.
I roa Primiro de Marco (outr'ora rna dt
Crespo) n. 23 e casas do costme.
O abaixo assignado, tendo vendido nos seos !
lizes bilhetas um quarto n. 1031 cora o:000000,
um raeio n. 1523 com 300*000, ura inleiro n.
1717 coa 100*000, 8 outras sortes de 40* e20*
da lotera qna se acabou de extrahir (214*), con-
vida aes possuidores a virem reeeber na con-
(orinidade d: coetame sem descont ilgum.
Acfenm-se a venen os hilhetes garantidos da
8.' parte da lotera, a beneficio da Santa Casa de
Misericordia (213"), que se extrahir quarta-fei-
ra, 22 do corrente mez.
PRECOS. '
B',he;e inteiro 6*000
Meio rinete 3*000
Qaarto 1*500
2m porjao de 100*000 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
Manoel Uartins Finia.
Gouffaria de N. S. da Soledade erecta na
igreja da mesma Sohora, em '-i de no
\embro de 1871.
Tendo de proceder se a eleicao dos raembro
que hab e re'gcr esta cnfraria'no anno de 1872J
convido, na forma do compretnisso a todos oi
nossos irmaos coniparecerem no consistorio da
igreja da me?ma confrana, no dia 3 de dozembro
prximo vindouro, pelas 9 horas da manhaa, para
o lira indicado, bem como para- assistirm missa
votiva, qs devera t?r lugar antes da eleicio.
<) ecrivao,
Mnoel Barbosa de Araujo.
Vende-se
ama casa de taina em perfeilo estado com nm
sitio contendo 2O0~palmos de frente e 300 de fun
do, com arvoredos de tracto, na antiga estrada de
Agua-Fra, fleando perlo da estacao do mesmo
nome : a tratar na raa larga do Rosario n. 14,
fabrica de cigarros. ______
COQUES
Chegarara os coques grandes da moda vindos
pelo ultimo vapor da Europa : ao Bazar do Be-
cife, roa da Cadeia n. 11._______________
Sitio para vender.
Vende-se nm sitio no Porto da Madeira em Be-
beribe n 7, tendo ama casa terrea com daas salas,
quatro quartos, cosinha fra, cocheira. estribara
em bom e.-tadu e cacimba propria com bomba. O
sitio murado na frente, cem portao novo de ferro.
Tem 140 palmos de frente, inclusive a largura da
casa e 435 de fondo, com ama pequea baixa de
capim e algumas arvores fructferas, senda algumas
larangeiras novas, sollo proprio. Pi>ra informacoes
dirijam se ra do Duque de Caxias, ao Sr. Julio
da Cota Ribeiro, loja de fazendas. _______
Candida Rosa dn Caneeicao
Rpiso
Um amigo de Joo do Amaral Raposo grato
saud. sa d.eniria de sua prezada esposa D. Cin-
di'ia Rcsa da Conceicso Raposo, manda resa.* al-
gumas missfs na matriz de S.Jos, segonda-feira
20 do crrante, as 6 ir2 horas da manhaa, para o
que convida a Illa a. faoi'ia e mais amig;, pelo
que o annvncianls lieir surnmamente agrade-
cido.
MarcebnoJos Lopes lUbfiro faz sciente ao
respeitavel publico e cora espeeialidade ao corpo
do cctr.mtTcio, que vendea ao Sr. Manoel Jos de
Ajrnoj pi e botacha%sto ra
de Santa Amaro :: C, livre e desemnara^-ado de
debito", e de com direto a qualquer relamca dirija-se ao
mesmo deposlt", ou padaria da ra da Santa
Crui n. t, do ;iraso d* tres dias.
Os proprietarijs da loja do Papagaia fazem.ciente ao respeitavel publico, e espe
cY:aenl s Exmas. familias, (amigas da economa domestica) qne at ao m do anno
ratam de liquidar pelo maior preco que derem as fazendas seguintes :
Um grande deposito de ronpas feitas de todas as quadades e tatnaahos, tanto para
meninos como para homens.
Urna grande poro de lazinas, bareges alpacas isas e lavrada de tod8 as
c6re?, e vendem-se muilo b3ratas para acabar.
Urna grande porejo de eassas le cores, e organdys, t?nio miadinbu como gra-
das, muil? fixas em cores e muito fins, e vendem-se por preco barato pa-a acabar.
Bonita serlimenlo de edinbas lavradas de cores, e poapenas, setim branco, pon-
elina branca lavrada, gorguro de sola de cor para vestido?, azul claro e cor de
iza.
Urna grande quantidade de lencos de esguio j abainhados, maicres e pequeos.
pelo me3mo preco dos de algodao.
Urna porr-.So de costemes para meninos de i, 5 e 6 annos, de alpaca mu:to fina.
todos forrados, e delicadamente eui'eitados por preco muito barato.
Grosdenaples preto em quantidade de 600 para cima.
tima grande quantidade de camisas de linho para homens e para meninos, tan'.o in-
g'.ezas como francezas, com colla'rinho e sem elle, -aberturas bordadas, collarinhos. pu-
chos, e uma grande porejo de grvalas e mantas de todos os prteps, coaricbps de pa-
el para memoos e homens, tudo por preco baralissimo.
Podemos asseverar que temos am completo sortimento detodas i quadades de
aeodas, & nao especificamos toda?, para nao lomar o anoucio enadonbo.
A VISTA FAZ FE "
, Ra da-emperatriz n, 40.
I'E
MENDES & CARVALHO
Para a-festa.
AJoft-se nm jUj no lugar da Torre com boa
casa e br.nho no rio fr?nte da mesma; tratar
ra do Gervasio Pires n. 28.
Pilaran, cia
Preeisa-ae de um eaixeiro que tenha bastante
pratica dcpliarraacia : na ra Duque de Caxias
numero 8).
A compauhia Rscife Drainago precisa de um
bom ferreiro : a tratar em suas obras, as Cinio
Pontas, eom o Sr. Carey.
MaJaaesella Marie Lavergne, successora do
Sr. Godofredo, teD esUbeteeJ'lo a s?guinte tabella
para oj pyjteadoe : preco de iOOO por cada um,
sendo feilj na residencia das Exmas. enhoras 6
11 eu seu eitabeledmento ; monsalidade de I00
para penteado dir;.? na residencia de suas Exmas.
clientes e de 30f em seu estabelecimento. Os
pi ntead-js de ojiva ser pelo preco que se coa-
ven:ionar. Por cada co.jua que Ihe for entregue
para ;er penteado rece!er:i 1.3300 de seu traba-
iho, qae aera ixecutado ejra tola a perfeicio e
presteza : na ra 1 de M;reo n. H, ant'ja do
Crespo.
Vende-ss, e recebe-te em pagamento apolices
da divida publica, um sobrado de doas andares
tendo 34 janellas com vidraca, 8 portas almofada-
das tambem com vidraca, 3 varandas de ferro, 5
portas para a rna, quintal morado, cacimba, ba-
nbeiro, 1 portao de ferro e outro de madeira, 5
salas, sendo 2 forradas a papel e coberto o soalho
com esleir, 2 gabinetes ta bem forrados a papel
e o soalho coberto a esleir, 6 qoartos, mais 3 sa-
las e 1 gabinete no pavimento terreo, sito roa da
aifaadega na capital do Rio Grande do Norte : a
tratar com o propretario Domingos Henrique de
Oliveira nesla praca ra do Crespo o. 13.
A declarada casa acha-se alugada ao governo
imperial e serve de palacio do Exm. presidente
daqaella provincia, alagada a razio de 2:0001
por anno pagos mensalmente e com as condicoes
de vigorar o contrato at quando se construir ca-
sa especialmente para palacio da presidencia, ou
seja modada a capital; fazendo entretanto o go
verao sua casta todas as obras de augmento,
conservacao e asseio de que precisar o edificio,
contrato qua foi approvado pelo ministerio dos ne-
gocios do imperio, aviso de 13 de dezembro de
1870, abaixo transcripto.
o' seceoMinisterio dos negocios do imperio-
Rio de Jaueiro 15 de dozembro de 1870. Illm.
Exm. Sr.Communico V. Exc. para os devdos
efifeilos, que foi apprcvado o contrato de arrenda-
endu preaio qne serve de palacio dessa pre-
stdema, celebrado pelo antecessor de V. Exc. em
data de 23 de maio de 1869, tendo j sido posto
dSposicao de V. Exc. o necessario crdito para
odeorrer ai pagamento dos respecivos alugue8
no corrente exercicio.
Dos guarde V. Ex:,Joao Alfredo Correia de
OliveiraSr. presidente da provincia do Rio Gran-
de do Norte.____________________________
AlRHDO.
Chitas finas escuras com tcque de avaria a 6
e 11 rs. a peca oa 200 rs. o covado : na ra 1*
de Maro n. 20, ioja de Gailherme Carneiro da
Cunba."
Machinas de costura.
Chegaram ao Bizar Universal da ra
Nova n. 1t, um sortimento de! machinas
pira costura, das melhores quahdades qne
existe na america, das qnaes minias ] sao
bem conhecid.'s pelns seus autores, feomo
seja : Weller Wilson, Grover & Beka,
Silenciosas, WeeJ e Impenaes e outras
muitas que com a vista devero agradar aos
compradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabaiho que trila costureiras podem
fazer diariamente e eczem com tanta per-
ft-icSo como as mais perfeitas costureiras.
Garante-se a sua boa qualidade e ensina-se
a trabalbar com perfeigao em menos de uma
hora, e rs precos s3o 13o commodos que
devem agradar aos preteudentes,
A revalesciere du Barry de
Londres
Toda a deenc,a cede a Revalesciere dn Barry,
que d sade, energa, appetite, digesto e des
canso. Ella cura as dispepsias, ga3trites, humo-
res, acidez pituita, flato, enjps, vmitos depois
da comida e gravidez, conuipagoes.t).'' asthma,
affeccSes nulmonare?, bexiga, flga' ^erebro e
sangue ; 60,000 curas, incluindo muuas deilas no
Brasil.
A revalesciere chocolatada du Barry
em p,
Delicioso alimento para almoco e ceia, ranitc
nutritivo, fortificando os ervos do estomago sea
causar o menor peso neta dr de caneca, era ir
rita cao.
nico deposit para o Brasil em Pemambuc
na pnarmacia americana de Ferreira ii.ua & C.
raa do Duque de Caxias n. 37. (Todo cuidadi
com as falsiflcacoes.) ___________
Aos, genhores fonileiros
Vende-se em porcao e a aixas de folna
de FUndres eestanho, lulo de rnuilo bea qaalida-
de e pre?o eommcdo : na ra Xarcilio Dial a.
31, antiga ra Direita, anra?fm.
Xarope de fedegoso
E' de ufna effl^acia wrdadoiraoente maravt-
fhosa como calmante do sy.-terra nervoso e ap-
plicado conira a paralisia, astbma, tosse convalsa
on coqueluche, to?se recente ou aitiga, sulToca-
f.8e, caiarrhj?, bronchites, etc., e era geral con-
tra todos os seftr mentts das vas respiratorias, e
oa phtislca pulmonar, sua virtude contra o ttano
ou espasmo?, e convolfdes iocontestavel, a nin-
guem ba que a desconheca.
DEPOSITO
Pharmacia de Ferreira & C.
SUCCESSOBES DE J. A. PINTO.
10-RUA LARGA DO ROSARIO-10
(Junto ao qtiartel in pulici.)____^^
CHITAS
A 240. 260 e 280
Chitas claras e escoras a 240, 260 e 2S0 a eo-
vado, cambraias de cores a 240 o covado : na
loja de Guilbermo Carneiro da Cunta, ra do
Crespo o. 23. _____
Engenho
Vende-se nm engenho d'agua em ponto peque-
no, novo, com taxss de ferro batid'), em terra<
proprias demarcadas no Ingar denominado Pedra
Redonda, distante da esta cao de Una cinco leguas:
quom pretender dirija-te a este lugar que achara.
com qaem trai?r. "__________
Joaquim Jos Goncalves lieltrau tem para
vender no seu escriptorio ra do C'inmercio n.
3, os gneros abaixo notados, que vende mais ba-
rato do que em outra qualquer parle :
Azetoos em ancorlas.
Araendoas em barricas.
Cat muido e:; massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qualidade.
Cognac marca marte! frres.
Enxadas.
Farinha do mandioca de Santa Catharica, sr.c-
eos de 3 e 2 al(ueires.
Dila da Bahia ero saceos trancos.
Dita de dita em barricas, proprias para casas
particulares.
Fio de algodao da Bahia em novellos.
Fooees.
Maxados.
Nozes.
Obras de palhetas. \
Papel proprio para cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para denles.
Pregos sonidos.
Panno de algodao da fabrica de Todos os Santos
Pairan nde a Bahia.
Rolhar.
Rap popular da Baha.
Botim em fardos.
Retroz dos melhores fabricncies do Porto-
Tapioca do Maranhao.
Tabaco simonle da Bahia.
Verniz copal.
Vinho do Porto engarrafado, caixa de 12 gar-
rafa.
Dito de dito em barr?, proprio para engarrafir.
Dito musoatel, verdadeiro de Setubal.
Dito Bordeaux em caixas de uma duza.
Dito de caj era caixas de r.rrrt duzia.
Oabriolet
Vende-se nm excellente mbriolet de 4 rodas por
precj comando : na ra da Flr.rentioa n. 14.
Vende-se ama casa terrea de pedra e cal sita
na raa das Cinco Pontas n. 7 (pateo do Terco da
nidada do Recite) : quera pretender dirija-se
cidade de Olinda a tratar com Acendino Goncalves
Rodrigues Franca, morador na ladeira da Miseri-
cordia da mesma cidade.
Vende-se um braco de baianca grande e um
dito de batanea pequea, e jumamente nm marco
de pesos de metal, sendo o peso maior de 5 kilo-
grammas, e o mais pequeo de 1 gramraa : a tra-
tar na ra di Santa Cruz n. 1.
Vende-se a loja de livres n, 07 da ra db
I-operador, cora armacao e seus competentes ar-
rnjos: quera quizer tratar dirija-se mesma loja.
JOBS
gQaanta agua- florida falsa e aborrecida 11 !
quauta agoa divina que mais parece infernal I I 1
mas a nova Esperanza, que nao consonte que os
amantes do xiqae gastem seu dinheiro nessas
aguas, que nao passam de ser dos chafarizes es-
trangeiros, oa mesmo nacionaes, mandou vir do
afamado fabricante Rigaud, a sua excellenle ka-
nanga do Japao, a qual est superior a todas as
outras; j pelo agradavei cheiro que deixa esca-
par, j por suas benficas quadades, visto que
inteiramente vegetal Cassim o diz o sincero fabri-
cante) para a conservacaj da pelle e do rosio.
agua de kaoanga deitada na quantidade d'agua
necessana para o toucador, branqueia a pelle, tor-
oaodo-a soave e avelludada, evita e ditsipi as es-
pichas, communiondo pelle uma cor de rosa
transparente, o'que maiio bonito..... alera disto
um agradave! chairo para o leoe.%
Pomada alpaka
E' muito conhecida esta pomada e muilu
apreciada por sua finissima qualidade, a Novf
Esperaba quem tem.
Jarros de porcellana.
Um completo sortimento de lindos Jarro:
de porcellana (do afamado Bacar) existe no
Nova Espern;a, ra Duque de Oaxias
o. 63.
Jos de Souza Soares & C, vendera em seu Ba-
zar a roa do Bario da Victoria n. 30, am especial
aortiratnto de j iis de ouro pir resumidos precos.
Recommndamo-las ao bello sexo pernambucano.
Aiuga-se p-jr counnodo pre;-) o Io andar dJ
sobrado da ra do Commersi j n". 17, o qaal tor-
na-se recommendivel para escriptorio ou outn
qualquer etab=lecimenlo pela \xa localidade e
bo35 accommodacSes: a tratar na ra da Madre
de Dos r. 28.
Precisa-sa de una ama para pequea fami-
lia e que compre e coliche : na ra do Padre
Tloriano n. 7, sobrado.
@ Jo naes dsi Europa <
A ASS15NaTURASPAR.\ 187i. Jfc
v PoiiticaLlerjfura-lllustraQoji v/-
ffb, DireitoRe.f;.-MJicnaPharmacia >j^\
%1 Mcdas para senhcias, alMcte? cabe!- w--
rj^. e corfd'COes di< jssignaiuras
'$%/) i.iviiAitu i-ian;i;/.\
,sa o.
ar coro I. 1. de.M. l\eg?..
A luga- se
Pasesgem da Wglateaa
;ra-
FOLHINHAS
PARA
0 WO M1872
As festividades sao indicadas para o bispado de
Pernaubuco. As horas das mares, o nascer do
sol, eclipce?, etc. (60 pag.), sao exactamente cal-
culadas para Pernambuco : Iniicac.033 estas, qne
nao se encontrara as fol'ainbai impressas no Rio
de laoeiro.
O PRECO E' DE 400 RS. CADA UWA.
Constara das seguintes variedades :
ANEDOTICA
Conta de cincoenla ancdotas nadita, Ilustra-
das cera oomerosas eslampas.
COMMEBCIAL
GUEBBA FRANCO-PRUSSIANA
GUERRA DO PARAGUAY
RELIGIOSA
FOLHIilHADE PORTA
Rs. 160
Uma folha contendo a folbinha e o (calenda; io.
Um
pre^o
r.::c
iDDO.
Ou memento diario para 1872.
benito volme eocadernado pe* mdico
de
Rs.
felba
cera
em
2000
branco pira cada dia do
L!vrar|a raacea
L\
W\
Precisa-staJagtr urna ama
iicrayj ru jouiprr eco-
ziai-.- a ififjj pa rm do
I'nperai" ?, ii. -j- adiar.
VENDE-SE
raunicao a relalhn, quajquer 21*
i Chambo de
com dSJont\
Qer em vela;, s. UiOO por libra.
Lbiha lo rorii e ratTM.
la Qo V frb n. 19.
Todo este annuncio annuncio especialmente
dirigido aos amantes do bom, elles devem diri
gir se a confeitaria ito^aiipos a ra di Imperador
n. 24, onde encon'.rrao ssmpre acepipss de inn-
meras quadades
Assim como: '
h da India o mais superior.
Chocolate em p e ero pao.
Amendoas confeitadas e confeitr.?.
(ticas caixiuhas c-.i das proprias para presen-
tes
Pastelaria a todas as oras, etc.
Fiambres inteiros e s libras.
Emfjra para se podor saber o que acabamos de
dizer s indo pessoalmente
Confeitaria do Campos.
Botica
Ver.de-se a botica da ra de S. B-r.to, na
de de Olinda : Halar na mesma.
cda-
4 Kua do Apollo 4
Joao do Reg Lima & Filio lera para vender, 50
00 menos que em outra loalquer pille, o ?-
guinte :
Linguc,as -ias libas cm latas.
Alcalrao en barris.
Vinho do Porto lino era Ciixas.
Dito Bordeaux dito d:t>.
Relogios de pareao e cin:?. do p -1.
fia A na do Cororaerao u. 10. escripta-
gS rio de J:'f, cn-
3K contra-s pra vender p.-r
SBi preces :
55 Azulejos bespaabe".
88" Felbas de ferro g nizatli para telha-
SEl do de diversos tan.:ni: .
S Di'as de. dito dito V: .
M Bieas de ferio ga!v:-.. -ado.
f^3 Camieiras dito.
' Portadas c nt| alas i Diaria.
m LadnlboB.
. '*
OapsL.s rpqaim
A'capsulas do r?qoim i i eom i.
facilidade, e n?, i.- as,
o imago. E' o medicar ...: c niafs saloiar e-
telto aafoacrrhe:is clii jic. cu recen?. -
DEPOSITO
Pharmacia de Ferreira A C, '
SUCCKSSORES DE J A. PINTO
10-RUA LARGAD01SG;AIUO-10
(Juilo ao quariel de polica.) -
B
Bazar Universal
Ra do Bario da Victoria u,
22,.otr'ora ra Nova
Acaba de chepar para e*ie grande estabeleci-
mento nm c mpl"o sortimento le machinas de
costura de todos os autnores conliecidos, os quae-
garanteru por anuos as ditas machinas, e se ven-
dem por precos tii rasoaveis que a todos agrada-
r, cojos pregos s5o o? seguintes : 10J, 60^,
80, 1001, IM#, I30|, OJ, 160*, 1803, 200,
220, 230/ e 300 r;. i>3rante-se aos compra-
dores a ba qualida-le ao trabaiho e obriga-se
a ensinar tantas vezos quantas stj;iu precisa>
para bero corapr-mender-se. Vende se tambem
pecas e mais perten:?s de cobrecilentes para
asmesmas machinas. Previne-P aesde j qof
s se vai ao ch imado para cons'-rto ensino de
maehinaa das qne forera eompr&oi neste esta
belecimento.
Libras sterjiias
Vende Joaquim Jof Ramoi ra o Dom Jesa
. 8, i andar.
Vender ara cavallo Cira auJidop. a'triar na
fabrica de saho era Pora de Port^?-.
R^ DO MAROEZ DE OLINDA N
E. A. Deouclre acaba de receber om
grande soriimento de ocolos e pmcenez de
todas as quadades, e vicros de todas as
Qumeratoes.
Na mesma casa tem grande sortimento
de relogios de todas as qolid; dem-se muito baratos. -_____________
Soares Primos
no seu escriptorio ra do Vigario n. 17, venJ-2-
se o >eguinte por preco eomtnodo :
Chapeos de villirdo para senhera.
Unos iie maia pan bomem.
Dilos amazonas para senbora.
Camas fraoceas di araarello.
Cartia! pequeas para mesioo.
Galo.'s e obras Je painel*,
I-Liaba de I'.orii era magos.
Ili-.troi preto e d:i e res.
Uma mobiiia de M gao.
Vinho fino d; Pon. tra ancoretjs.
Dito d.to rm canas
Xarope peitorai de Jame
TJni-3 de;i.osi! i na ph3rraacia amcr cana de tdT
reir Maia (i, 67 ra do Duque da Caitas nu-
mero o^_____________^________________.i
~ PKCHIIVGB1
A3000
Pqlet*iti efe alpaa lisa.
Est em hqnidacao uma pequea poreio de pa-
le'vt? do '. ; o de todas as cores e de diversos
feio?, c rende*sa a e.-colher a 3| cada nm para
liquilar : na lojo do Papagalo roa da Impera-
triz o. 10.
t*u ***** rl
Vende-se o verdadeiro alcalrao da Saecia pro-
prio para enserados : no arraarem bolla amarella
no otSo da secretaria da poeia. ^__^
Vende-se a ul-arna da ru d Viscond* deG.y-
anna. anga di M I ria para
uro priucipjante, ;f BOtl
vo aa veoda se 1i- r t oa
afsma.
Verd-i e trts casas na povoafii do alantes
tn 1 uma quatro portas, lita no largo d*
'eir, e a- outras duas portas cada urna, na ni*
Borla, proX'ma a? dito lrgo : os preteudentes po-
dem jiig se rn do Imperador n. 41, i
acbsrS com quem tratar._________^________
Yride-se uma uorc:i i de caihro pura ID-
daimes por pifQo eommodj : a iralsr n.
Raraos, arm'zen n v.s.
1


f
Oiaiio de Fernamouc* Sabbado 18 de No?embro le 1871.
i
,
' "l.
v-

l&
A' AGUIA BRANCA
RA DUQUE DE CAXIAS R 52
(Outr'ora Queimado n. 8.)
A Agaia Branca tendo j recebido parte de snas I
antigs eneommendjs, ecn seguimento acaba ago-
ra mesmo de receber outras; algomas das quacs
se toroavam esencialmente preisas, e dntras se
tkiem preciadas p ir seas goslos e qualidades,
eoiro sejam : .
Meias de (o d'escocia, abortas para senhoras
meninas.
Ditas idem eom listas tamben para- senhoras
menina*.
D:'.as idem mnito b.>nitas-ao gosto esjocez.
Ditas idem idem brancas e com listas para me
alnas. .
Ditas idem dsm para bnptisaaos.
Ditas de algodao compridas' e com Iistras para
meniuas.
l.uvas pretas de seda, para senhora.
Ditas de lr<\ e de seda para meninas.
Bonitas camisinhas bordadas para senhoras.
Filuda seda, braceo e preto com flores miadas.
Dito de algodao, liso e com flores.
Tonquinhas'b Tdtidas pa:a crianzas.
Lindos e modreos cliaposinbos de fuslo para
litas.
Peni33 de tartaruga para desembarazar ou pen-
ear.
Ditos de dita travo-so* para meninas.
Ditos de borracha para ditas.
Ditos de tartaruga, pequeos, para segurar o
amarradilho aos cabellos de senhoras.
Grande sortimentq do enfeites de seda para ves- qk rosto
tidos.
Fivellas de madreperola e de tartaruga para
pulceira e taco para o cabello.
Benitas b Icinhas para meninas.
NOVO SORTIMENTO DE EXCHOVAES PARA
BAPTISADOS
A aguia branca acaba de receber novo sorti-
mento de linios e completos enchovaes para bap-
tisados, e bem usina separadamente camisinhas
para dito lindos chapeosinhos de setim branco
bordados, ootros ditos cora fundo de velludo, obra
de rciio goto, e que servem tambera para pas-
seio, sapatinhos de fe im para o mesmo flm.
MODERNOS EflFEITES DE FLORES,
ornados com bicos de seda, fitas de setimje flvella
de madreperola ao ultimo go.-to, e proprios para
bailes, casamento?, etc., etc.
n.
FLORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Agaia Branca recebeu lindes ramos de flore
finas, tanto para cabeca como para chapeos,
bem assim :
Papel verde liso e com listas para folhas.
Dito de cores para flores.
Folhs de diversas qualidades para rosas.
Ditas verdes e lustrosas, obra nc va e pela pri
meira vez vindae como amostra.
Franjas pretas de diversas largaras para en-
feilar vestidos,
COQUES DE TRANCAS E DE OUTROS
MOLDES.
A Agnia Branca acaba de receber ama peque-
a porgao dos bonitos e modernos coques grai-
les de tranca e outros moldes.
Hfto ha aballo forneos.
Timara, jafonait.
.86 e nica-jippiovada pelas, as academias dt
.ciencia, reconliecida superior a toda, que teai ap-
arecido at hoje. Deposito principar i ra da
'jdeia do Recife n. 51, aniar, em todas as bo-
iras e casa de cabelleireiro.
KC?0 SORTIMEHTO
DE
BOLECAS
A aguia branca, a roa do Duque de Caxias n.
5i, outr'ora do Queimado n. 8, acaba de receber
urajiovo e bello sortimento de bonecas de diver-
sas qualidades e tamanbos, sendo :
Com rosto de seda, das que chorara, e outrai
raaos, e ps de porcelana, e* pro-
prias para vstir-se.
Obras de porcelana
A aguia branca ten outro sortimento.de diver-
sas obras de porcelana, sendo:
Bonitos e ricos vasos para pos de arroz.
Outros para joias.
Ootros para sibonetes.
Outros para enfeites de mesa.
Pequeas e bonitas pias para agua benta.
Pequeos jarros para santuarios..
Outros maiores para mesas.
Bonitos port relogios.
Lindas cerrabas tambero de poreellana.
Escrivanias de dita.
E muitos outros objeetos para enfeites de mesa.
M MAOS A C,
feos venda m seas armaiens, alera de ootros
irrigo de sea neg io regalar, os seguintee, que
fendem por preces mais mdicos que em ou-
tra qualquer parte :
PORTAS de pinho almofadadas.
PORTEIRAS de Ierro para cercas.
SALITRE mgler.
ESfEIRAS da India para cama e forrar ala*.
CANOS de barro francez para esgoto.
GESSO superior em porcSes e a contento.
CEMENTO de todas as qualidades.
MACHINAS de descaroear algodao.
LONAS e brinzoes da'Rassia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
POGOES americanos nito boas e econmicos.
VDEO de Bordeaux.
COGNAC superior de Gautier Freres.
fARELLO em sacos grandes a 3J500.
AGUA florida legitima.
BALANCAS deciraaes.
CADEIRAS americanas.
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.____________
Contra a tosse
pastlhasVeitoraes.
de
Gomma simples crystalisada.
Ditas de angico <
Naff d'Arabia. ...
Seve de pinbo martimo de Lagasse.
E outras maitas que mnito se recomendara pe
las'saas excellentes qualidades.
Vende na
PHARMACIA E DROGARA
DE
Bartholoraeo & C
34-RUA LARGA DO ROSARIA-34
DE OURO
10Rua do Crespo10
Pecas de algodao com 20 jardas a i J, 4J3O0
M8u* de madapolao a M, W, 5/500,' 6J, e
6/500.
Ditas de dito infestado, francez superior a
10*000.
Chitas francezas de todas as qualidades a 240,
280, 300, 310 e 380 o covado.
Cambraias de cores a 240 e 280 rs. o covado.
Dita lisa de cor a 320 rs. o covado.
Ditas pretas para luto a 640 rs. a vara.
Pecas de cambraia lisa transparente a 3*, 350
5*000.
Ditas do dita tapada Victoria, a 4*, 4*500, 5*
7|.
Ditas de dita transparente, suissa mnito fina
oom 17 vatas, 14*.
Ditas de dita bordada com 10 jardas a 7* e
%&0.
Organdy branco fino a 700 rs. a vara:
Bnlhanlaa branca infestada a 410 e 500 rs. o
co\ado.
* Bretanha de linho com 25 varas a 20*000 e
25*000.
Dita de dlto'infestada com 30 varas a 27*.
Bramante de linho com 10 palmos de largura i
2 i 500 a vara.
Dito de algodao a 1*500 a vara.
Atoalbado de dito e de linho com 10 palmos de
rguraa l*500e 3*.
Toalhas alcochoadas para roste a 7* a duza.
Ditas de linho do Porto felpudas a 10*000 z
duna
Guardanap'
Cuberas de chita a 2* e 2*500.
Guardanios de linho a 3* e 4* a duzla.
E' este o distintivo de urna nova e lem montada
, loja de joias, sita a nra larga do
Rosado n. 24 A.
Os proprietarios deste elegante estabelecimento tendo em vista 09 esforcon que
flzeram para o collocarem as condicc5es de orna grande clientella, faltariam ao mais
rigoroso principio ae olo viessem as eollumnas de Jornal scientiflear ao respwitavel pu-
blico, que no rae.-mo estabelecimento encontraras sempre o mais completo Hortimento
la joias, como sejam : brincos os mais moderno, para adornarem as delicadas iva-
Ibas do bello sexo, e que se vendan a 8, 9 e 10* o per, ditas para meninas a 4, 3 e *,
ditas de-oral, obra de apurado gato a 3 e 4*. Votabas de coral eom cruzett de ouro
a 5*, broches modernos de 3 a 13*, ditos com pedras e era snas devidas caiiinhas a
10. 14, 16 e 20*. rosetas lisas, porm bem trabalbadas, de 2*500 a 9*, ditas com
pedras de 4 a 15*, caplelas a 4*. ditas com Inscripcdes a 5*300, aoneis de diversos
gesto?, e com bonitas pedras a 2, 3 e k>, ditas de perolas, esmeraldas o rubins a 61,
ricas crazes de esmeralda e rubim a 12, 14 e 16*, ditas de ouro e coral com vinas pao*
tographicas a 3, 4, 3, 6 e 7*, figas de coral a 2*, cadeias para relogios a 20*, dinas a
6*500 a oitava, guarniepes com tres botdes para aberturas a 4*, ditos de pedrlabas a3*50t)
o par, ditos*para ponhos os mais modernos a 7 e 8*; alm de um variadsimo sortimen-
to de joias de aparado goslo que recebera por todos os vapores da Europa, corao-
sejam : brincos, braceletes, alfinetes, aderemos completos, cruzes, rozetas, anueis de |
brilhantes, esmeraldas, perolas e rubins. Medalboes, Voltas, traucelins, aoaeis com lea-
tras e de diversos modelos, oculos e pencinez de ouro e {trata dourada, relogios de ou-
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamaohos, ricos painel*
ros e faqueiros, colheres para cha e sopa, maracas para criancas, e urna inflnidade de
objeetos que seria enfadonho mencin a r-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garantem vender mais barato que em outra
qualquer parte, para qne estar abena o estabelecimento das 6 horas da manb as 8 da
noute.

RA DIQUE DE CAXIAS N. 29
Os propriiarios deste^" grande e bem montnio estabelecimento scientificam ac
resieibvel publico ilesta provincia, que se acbatn c^m um variado.e completa sortimento
de Btovc-iSi tanto hacionaes como estrangeiros, se^do estes escolhidos capricho, por
um dos socios qtiese acba actualmente na Europa, e por isso os podem vender mais
baratos 0% menos de que em outra qualquer. parte. O mesmo tem contratado com
os melcores fabricantes daquelle continente as remessas das mais ricas mobilias feitas
all. Na ofcina t^a os mais habis artistas (leste genero, e por isso aptos a fornecerem
mobias as mais ayerfeigoadas para as casas da provincia consideradas de primeir
ordem. Pedem, portyito, que venhara visitar dito estabelecimento, onde encontrarlo
3 reafa'd ida do que acabara de expfir, passandoa exiiinarem : ricas e completas mobilias
de ja::ar;:nd, mogno, f.-. i a, carvalbo, amare41o, etc. etc., ricas e elegantes camas de
Jacaranda, po-setim, amareHo, trc. etc., goarda-ves'idos do amarello, guardalooca de
DOgoeira, amarillo, com lampo de pedra, aparadoras de dita, dito, com dita, petit
tciivit s, especialmente para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com pedra.
e mailos outros aitigos de gosto, que para se no tornar enfadonho prescindimos de
7.3r encao deljes, o que s cora a vista poderSo apreciar.
Xarope sedativo
DE
Gasea de laranjas amargas
COM
BROMURETO DE POTASSIUM
DE
Este aovo preparado aprovado pela academia
imperial de medicina, muito se recommenda pela
sua accao sedativa e calmante, sobre o systema
nervoso, o bromureto de ptassium, nao deua de
lar os mais certos resallados as diversas affec-
,oes do organismo e principalmente as molestias
lo coracao, das vas digestivas da respiracio, das
vias genito-urinarias, na epilepsia, oas molestias
nervosas da prenhez, na insomnia das criancas
dorante o periodo da denticao etc. etc.
Vende-se Da i harmacia e drogara
de
Bartholomeu & G.
34RA LAR3A DQROSAjRIO 34
PiBA WOIVA
Lindas grinaldas com flores e bolpas de
larangeiras com vivos e sem elles, vendem-
se na Nova Esperanza roa Duque de Caxias
n. 63.
Oleo para machinas
Vende-se na Nova Esperanca roa Duque
de Caxias n. 63.
-\o baver convalides.
As criancas que usarem dos collares ano-
dinos, que se vendem na Nova Esperanza,
es'.!rao isentos de convulses; pois sao os
verdadeiros recebidos directamente.
1111 BllUvJ-Jil IJ
A loja dos Arcos de Alvaro Augusto d'Almeida C. ra do Crespo n, 20 A acab;
ie receber pelo n'tijjo vapor francez Amazonas, alguns aitigos proprios para enxovaes
de noivas, e de rtoias para grande toi ette como sejam :
Biqmssirao cortes de vestidos de blonda para casamento.
Ditos de tarlatana bordados seda para casamentos.
Cortes de seda de bonitos gostos e superior qaalidade.
Colx.is de seda, 13a, e la e seda.
Capellas com mantas de bloDdepara noivas.
Camsas deesgnio bordadas para aoivas.
Fronhas d esgollo bordadas.
Lencos da cambraia de linho e labyriutho.
Superiores leques de madreperola.
Cortinados bordados de differentes precos e qualidades.
Sedas de cores de bonitos pad.oes.
Ditas escocezas para vestidos, roupas de menino, enfeites, etc.
Basquinas do gorguti, superior qualidade.
Borns de ISa o seda pm senhora.
Manlihas braseira de fil da seda bordado. .
Ch'cbeaez di l5a e seda.
Chapenas de s la branca, e de crpe preto para loto.
Chapeos enfeitad')s para senhoras e meninas modelo inteiramente jiovo.
Corles de cambraia de cor, e brancos bordados.
L ni s cortes de baptis'.a Fru-Frou.
To,I di voyage fazenda de'gost> para vestidos.
A'm deitea riigos que se vindera por presos razoaveis tem outros que sao pe-
cbifi'zas extraordinr-rias, como sejam :
Damasco de 13a com 9 p .Irnos de largara a 1,5500 o covado.
Cortes de 15a Victoria com 20 covados por 100000.
L5as cem Iistras de seda a 403 rs. o covado.
Ditas mecadas muito boa qaalidade a 3 iO rs. o covado.
Cassas de edr a 240 e 280 rs. o covado.
Alpacas largas bonitos padrees a 500 rs. o covado.
Len?os de esgoiSo muito finos a 35 e 4^000 a duzia.
Esleir da India, millas para vigem, transparentes, etc etc,
Superiores cigarres do Rio
de Joneii'O.
VNDESE
Domingos Alves Matheus, nico agente nesta
provincia da fabrica imperial de cigarros de S.
Joao de itherohy, e.-tioelscida no Rio de Janeiro,
lem sempre um completo sortimento da todos os
cigarros, fumo picado e eu lata. Tem igualmente
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag
nifleo papel de palha de milho e fumo superior
Para governo de seas freguezes, que tem estabele-
cio deposjs filiaos, as casas dos Srs. Thomai
Francisco de Salles Rjsa e Manoel de Souza Cor-
deiro Simoes Jnior, no bairro do Recife, e todo
quaom for vendido era outras casas com a firma
de Sooza Novaes & C sSo falsificados.
OLEO PURO DE FIGADO DE BACALIIAOi
DA| .
TERRA NOVA
DE
H. LACOMBE
Este oleo que tao boa anceitacao tenr merecido,
omito se r-commenda por ?er o mais parificado
oe at boje lem viudo, e anda pelo bota paladar,
superior a entro qualquer : vende-se no deposito
especial de Bartholomeu dt G.: ra Larga do Ro-
lara 34.
No eseriploro de Mguel Jos Alves, ra i
Cr\iz n. 19, primeiro andar, o segaiote :
Salsa parnlha muito nova.
Chapees do Chile.
Rorrachinbas de todos os tamanbos.
Verdiz copal
Colla de boa qualidade. -
Fecbaduras de broca, sortidas, do Porto.
Todo por pregos rao Jicos pira ultimar conta.
MI DE VICIIV
'Chegoa pelo Granvilk um completo sortimento
em c?a de Tssft Freres, ra do Coramercio n. 9.
Manteigd ingleza.
Vende a i 800 rs. a libra e~i760 o kilo : na
lia de Pedro Affoora n. I, antiga ra da Praia.
TAO BARATO
E de tanta ulilidade
O aleatrao de verniz do gar, serve para- matar
form'gas, applicado as madeiras preserva-as do
caplm, da aecio do tempo e da humidade do cbo
e duplica tambera a dnracao das mermas madei-
ras dentro d'agua, e no ferro conserva-o annos
como nova, vende se a 700 rs. a caada, preco
justamente da fabri;a : no armazem da bolla ama-
relia, no oitao da secretaria de polica.
RIVAL SEM SEGUNDO
RA DUQUE DE CAXIAS N. 9.
Jos Bigodinho, com loja da miuezM,
visa a todos os os sea fregaezes qo# est
torraodo todo pelo preco, a vista da fazen-
da, para todos admirar, a saber:
Thesouras grandes e pequeas o
mais fino que ba a 40000 e i50C
Pecas de tranca de 13a e algodao as
. triis modernas a 160
Frascos com agua de colonia muita
fina a 400 e ~ 300
Frascos com agua de colonia ver-
dadera a 800 rs. e 1*500
Cbapos brancos para baptisados o
melbor que ba a 30000 e 50000
uzias devbotes cobertos de seda
para vestidos por todo o preco
. para acabar.
Libra de areta preta a 160
Grosas c'e botes de louca branca a lO
Caixs com 100 onveJopes fazenda
fina a 5Q0, 6C0 e 800
spelhos de moldura dourada a
800 e 10000
Pentes pretos volteados para me- ,
ninas a 240
Tinteiros com tinta preta a 80 e 10G
Pecas de fita elstica muito fina a 20G
Latas com superior banba 60,100 e 200
Latas grandes com srjperiortanha a 320
Frascos com cleo de Pbrlocome a
500 e 800
Frascos com macass {Perula a 240
Frascos eom agua de Colonia verda- .
deira a 10000
Ditos com oleo de ba osa suderior a 320
Carriteis de retroi preto com 2
oitavas a 600
Caixas com agulhas francezas a 160
160 240
Pecas de ttras bordadas a 500, 600
800 e 10000
Garrafas com a verdadeire agua .
florida a 10300
Cartilbas da Doutrina Christaa as
mais modernas a 400
Escovas muito finas para limpar os
denles a______________________240
Alcatro de guyat
LICOR CONCENTRADO E TITUUDO
E' um poderoso remedio contra as segrate*
molestias: bronebites, catarrhos pulmonares, tos-
se, rebeldes defluxos, irritacao de peite, males da
garganta, phtisica pulmonar, devis pesia, catar
rho de baziga, molestia de peile, perda de-cabel-
los, purgares antigs e recentes, etc., etc.
DEPOSITO
Pharmacia de Ferreira < C.
SUCCESSORES DE J. A. PINTO
10-RUA LARGA DO ROSARIO-10
Dits de ctla adamascada forradas, 4, 4*300
e 5J00O.
Colchas de damasco de cores a i 0*.
Ditas de fustao alcochoadas a 5f.
Cobertas de la escuras a if.
Ditas de algodao brancas a 1/400.
Cotitirinhos de linho a 500 rs.
Chales de merino lisos pretos e de cores 2*000
e 3u00.
Ditos estampados de meta casemira a 2/ e
2*300.
Damascos de cores a (mO rs.
Lencos brancos de ca-sa finos, 2*, 2*500 e 3*
a duzia.
Ditos ditos, e de cor abaiohado largo a 3* e
3*?>O0 a duzia.
Ditos ditos de cambria de l.nho finos a 6* a
duza.
Ditos de e?guiao de Hubo, a 4*. 4*500, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a 6i0, 8 0 e 1*000 o corado.
Bros de linho de cflrs a 30'J rs. o covado.
Cortes de meia ca-ii.-ira para caiga a 1*200 e
Ditos de casemira para calca a 3*500, 4*500
5*500. v
Casemiras de cores de duas larguras, 2*, 2*ot)
e 3* o covado.
Ditas pretas, duas larguras a 2*500 o covado.
Pao fino preto e azul a 2*, 2*500, 3*000
3*500.
Dito dito muito fino superior a 5*, 6* e 7*
COV3 dO.
Lans e alpacas de cores para vestidos a 400
500, 600,700, 800 e i* o covado.
Toalhas com labyriotos para bandejas e para
rosto a 8*, 10* e 15*.
Camisas de fknella branca, e de cores 2*,
2*500, 3*, 3*500 e 4*5C0. *
Grosdenapoles preto e de cores 2*, 3* e 4* o
covado.
Dio-se amostras com penbor.
Vende-se tambera grande quantidade de roupa
feita e por medida por precos muito reduzidus.
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopean
Essa pomada que to bons resultados tem colhi-
du as pesseas que della tem feito uso acaba de.
chegar para o .seo deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Bartholomeu & C. ra larga do Rosario nu-
mpro 34-
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora de Queimado)
Teodo-se resolvido d'ora avante venderse neste estabelecimento todas aa ratea-
das existentes no mesmo, por precos qae todos admirarao, acho d mea dever partici-
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, am de virem visitar este estabelecimento
ou mandarem bascar amostras, garantindo-se-lhes um bom sortimento de fazendas de
algodao, la, linho, e seda, emfim urna inflnidade de artigos de moda mandando-se i
casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qualquer fatendpara ver
oa escolherem.
As pessas que vendem em menor escala poderfo bem sortirem-se neste estabe-
lecimento qae vender pelos mesmos pregos qae em qualquer casa importadora, tendo
a facilidade de comprar qualquer porcSo.
O 65 tem uro completo sortimento de roupas bem acabadas o qae vende por
presos maitissimo commodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obra
qae os concarrentes desejarem para "o que tem um dos mais habilitadissimo Diestra
alfaiate, cortando por um systema inteiramente novo.
Os annuncios nesta praca $So e por certo devem estar desacreditadissimos, poii
qae ha casas qae annanciam aqoillo qae n5o teem, o que o 65 garante nanea ar-se en
sea estabelecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganhar
grande nomada em todo o mundo.
O 65 acha desnecessario mencionar os precos de snas fazendas pois que isso tor-
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sea an-
nuncio, e mesm> para se tornar menos despendioso; pois que vendendo muito e mnito
barato mister encartar suas despezas. A sinceridade dos tratos do 65 jolgo qae ji o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cumprido com aquillo que anuencia,
nao verdade ?
E' INTIL, NAO SE CANCEM, COM O 65 NINGUEM PODE COMPETIR
r
J. 0. u Doyle tem em mi
armazem para vender
O SEGUINrE :
COGNAK IIENNESS.
V1MHO XEREZ..
DITO DE LISBOA,
FILTRADEIRAS. s
BITTER
A' roa do Commercio n. 38.
FABRICA
DE
Papel de linho para cigarros, marca martello,
urna resma 54500 : em easa de Bourgard & C,
ra do Maronet de Olioda n. 15.
Cabelleireiro
Recebeu um grande e variado sortimento de
coques de trincas e ciehpaines qae vende pelo
baratissimo preco de Of, l$f, 304 e 35#, chega-
dos pelo ultimo vapor: na ra da Imperatriz nu-
mero 81 __________________
Cal de Lisboa
Cal nova chegda hoje pelo Laia I, vende Joa-
quim Rodrigues Tavares de Mello, praca do Cor-
po Santo n. 17, l andar.
SCflAPEOS
DE
Todas as qualidades
I i, Vi ju larga do Rosa-
rio n. 24,1. andar
Se o desejo dos proprietarios desla fa-
I brica fosse nicamente illadjr a f pu-
I blica, ha muito que teriam aocunciado
sj os seus productos, mas para correspon-
Hderem mais dignamente confianza nel-
les depositada, esperaran receber os
1 objeetos' e pssscal, que acabam de che- j
gar-lhes.
Hoje, pois, que a sua fabrica so acha .
I montada com as mais aperfeicoadas raa-
B chinas, com os melhores peirechos e ser-
I vida dos mais peritos oDkiaes europeos,
B podem os seus numerosos freguezes e j
S o publico em geral encontrar desde j. ,
Chapees de seda da ultima moda, sen- I
n[ do altos e baixos.
Ditos de castor de todas as cores, era
I formatos inglezes e amburguezes.
Ditos de feltro de todas as qualidades i
3 e feities, tanto para hornera como para
I crianzas.
S Ditos de velludo para senhora. ,
Ditos para eeclesiasticos, redondos, tri- ,
angulares e a romana.
Ditos armados para militares.
Ditos de pasta.
Coneerta-se toda a especie de chapeos j
1 quer de hornera quer de senhori, com a
B maior pericia e mais barato que em qnal-
| quer outra parte, assim como se rece- j
I bem encommendas tanto para a previo-
S cia como para fura.
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
D. nna Francisca da Fonceca Pimenta pre
tende vender a olaria denominada Taquary, no
lodo ou retilhando o terreno ; assim pois qoem
pretender dirjanse a annunciante na estrada no
va do Caxang para contratar, sflm de que com
dados certoi possa cbter licenca do juiz de or-
phaos para dir renda, visto ter sua li:ha menor,
paite em dita olaria.
CIUPS M CHILE
Vende-fe, pira acabar, por menos preco; do
qae em outra qualquer parte : raa do Vigario
n. 16, primeiro andar, esciiploro de Joajuira
Gerardo de Bastos.
Sement port'aad
o mais novo qne ha neste -mercado, em barricas
grandes de 12 arrobas, arrutadas de ferro e bem
acondicionadas : no trapiche Guerra no Recife.
Libras sterlinas.
Vende-se no armazem de fazendas de Angosto
y. de Otiveira & C. roa lo Coramarciu n. 41
fel metade
de sea valor vende-se um bonito cavallo rodado
apataeadb, mnito novo, andador de baixo meio;
no caes do Ramos n. 30.
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
ddo pelos grandes depsitos e bons sortimeotos com qae sempre prima em ter dai
melhoras, mais acreditadas e verdadeiras machina americanas para algc-
1S9, desde 10 60 serras, e haveodo em todos os tamaohos diversidades de siste-
mas e melhoramentos para perfeito e rpido descat-i camenlo; tornam-se dignas i*
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os qaaes, alm disto, encontrara^
tambem mais:
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padariai.
Pertences avalsos para machinas.
Salitre refinado.
Brea soperior.
Moinhos de diversos fabricantes pan
milho. e caf.
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacete para mactinai.
Camas de Ierro.
Bembas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chambo.
Ditos de borracha.
Folies para ferr i ros.
Aparados vapores logomoveis, de forja
de 3 4 cavallos, e perteoces.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de mo para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guardas comidas.
Tampas para cobrir pratos. .
Tarrachas para fazer parafusos de ferro.
Ditas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.-
Emfim muitos ootros'artigos, qae
examinados.
s avista e neste estabelecimento poderlo ter
ERNESTO & LEOPOLDO
N.2D Ba do Cabug N. 2 D
Acha-se moudo de forma tal este estabelecimento de joias qae pode
vender aos seas numerosos fregaezes em grosso e a retalho e por precos
mai resumidos visto qae recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desenho de-suas joias o mais lindo do patz das
modas, ouro de lei, brilhantea verdadeiros,- esmeraldas, robu, perous,
torquezas, saphiras, coral rosa te. te. Obras de prata do porto tanto
para igreja como para servico domesco. Convidamos as Exmas. familias
a visitaren o dito estabelecimento todos os dias at 9 horas di notte.
Compra.se onro, prata e peoras precilas em obras venus.

.--v/v.
ra
\



tttari da Prnami>uoo Sabbado 18 de Novembro V

I
DO
CYSNE
FIGEIREDO ft LOPES.
64 RA DA 1PERATR1Z X 64
us propietarios deste importante e sympathico estabelecimento de fazendas Onas,
^?wpMrK sPeitavel Publico e particaiarmente a sua numerosa regoezia, qne o
LibiNb acaba de sortir-se de todo qaanto ha de costo e moderno em fazendas tanto
para nomeos como para senhoras.
E* ocioso car qae os proprietarios da loja do CYSNE natoralmente previdentes e
id espirito altamente conciliador dos nteresses alheios com os seas, teem sempre
seguido o magnifico systoma de offerecer venda fazendas de todas as qualidades e pre-
cesirelativos de forma qne fcilmente podem fornecer artigos desna casaaccommodados
a todas as fortunas e meios.
E sobre todas, as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
qwncia da stnceridade e barateza com qae negociam os seas proprietarios.
No loavavel erapenbo de justificar m suas opefracas convidara as Exmas. familias
i visitar a gympathica loja do CYSNE chamando s attencSes do pnbnco em geral para
U seguintes especialidades e presos.
PARA NOIVAS.
Veos, capellas, sedas e popelinas Draocas
a de cores, gollas, penhos e camisas bor-
dadas, todo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CHETONE BAPTISTE.
Fazenda lisa de ama so cor, de cores di-
versas, para vestidos e tambem propria para
sombras.
CAMBRAIAS
Transparentes de 8 i/i taras desde
15500 at 8$ a peca. Victorias muito finas
de 40 at 8^000.
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
aixo presos acompanhada do competente
tfnrino.
LAS
Variadsimo e rico sortimento desde a
Ha lisa "barata de 40 al a de listras de seda
mais cara qoe pelo preco que vendemos
por assim dizer de graca vista do gosto
qualidade.
BAREJES
Lindos padres aos precos de 360 e...
400 rs. o covado.
SAIAS BORDADAS
As qae o CYSNE vende sao bellas e su-
periores.
LUVAS
As meihores e mais procuradas luvas de
Jonvin, brancas e de cores sao as que o
CYSNE expe a venda.
balOes
De crotones com babado e bordado, di-
tos de arcos a 10500, pechincba sem rival
no genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimento de todos
ts presos de padrrjos modernos e cores fi-
tas.
GROSDENAPLES
Finos de todos os presos e larguras so
CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at i 0300
s covado.
ALPVCAS
Lavradas de 500 rs. a 10OCO o covado,
especia lidade do CYSNE qae nSo conta com-
petidor.
MADVPOLES
Francez de 24-jardas de 80 at 100000.
iglez de 50 at 80000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito estreito.
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os tama-
nbos, cambraia para o mesmo fim de 20
varas a 10(5 a peca.
ATOALHADO
Da linho adamascado, dito de algodJo
muito finos, bramante entrancado e liso, e
barato so o CYSNE vende.
GUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os precos e diversos pa-
dres.
PARA NOIVAS
Camisas bordadas, peitos colarinho e
ponbos lisos.
PARA LUTO.
Merinos, princezas, alpacas, canto, bom-
basinas, chitas, cambraias etc., etc., por
precos qoe s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 10 e 10500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para homens e senhoras dos meihores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linho, pretos e bran-
eos e mais baratos qoe em outras loja.
MEIAS
Para todos os tamanhos e qualidades.
CHALES
De merino lisos e estampados, pretos com
franja de seda, ditos com franja de 15a es-
pecialidadedo CYSNE.
---------- 1/Vl/IUIItlU^UU U I Ui'U.
Desculpem os nossos freguezes termos siao um pooco extenso na narracSo de al
fainas novidades pois com quanto seja uosso iuteresse tambem o 6 dos nossos fregu
tes que querem e gosffm andar na moda.
Ra 'la Imperatriz n. 64.
MIDO k LOPES.
JOAQUIM
LOPES '
AMACHADO a C.
*
*J*tC- .-*.
Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de mao para conduzir fazendas.
Machinas para descarocar algodo.
Polias de diversos tamanhos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
namento d'agua.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para guarda-chova de carro.
Dito de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de lanca.
GalSes de seda para o forro de dito, es-
treitos e largos.
Pregos de cabeca de marCm.
Escovas para dar graxa.
J
19 Ra PHmeiro de Mar^o 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em que teem o seo es-
tabelecimento,
19=-A ra Primeiro de lar^o19
com aquelle asseio e elegancia deejave, acham-se agora prvidos do mais
explendido sortimentoJle fazendas finas e modernas
SEDA, LAA, LINHO E"AEGrODAOf
todas do ultimo gosto, e continuara a ter tomo sempre, diversos
RTICOS ESPECIAES DE SAICASA
Garantem, com toda
a 8in;eridade, vender
por menos que qaal-
qaer oulro, porque
recebem era direitura
a maior parte de suas
fazendas.
19 RA I." DE MARCO 19
(Artiga ra d* Crespo).
Popelina d3 seda e
laa.
. Fazenda nteiramente novaNno mercado
com padroes amito delicados, 4 fazenda de
um effeito surprehendente em vestidos, e
vndese por 10280:rs. o covado, na loja*
da Papagaio, ra da Imperatriz n. 40, de
Mendes Carvalbo,
GASAS.
i-
7 da roa de Hartas,
2ES2. W0/ Dor 3:000 e o sobrado de i
B. 18, do pateo do P^raizo por 3:500*000:
.yAt*LB*.Pra^ V**ependencia n. 33. Estas
<** ", bom roduate o dono s a tanda
por Mr de se retirar para fra taTovineia
Para noivados.
Fitas especiaos e preparadas para laeos de cor-
tinados de cama: receben a Nova Esperanza,
roa Duque de Caxias u. 63 : a lias antes que se
aoabero, pois vieram somente sei-, e sao liodis.ii-
mos.
Gaz economice para os can-
dieiroa de porcelana.
Af aba de chegar ests j bem conbecido eom-
jostivel, como o mata barato, prempto e saciado
ae toaos at hye conbecidos, e se encentra tan-
da no orneo deposito, ra larga do Rosario-na
mero 34.

i
i" Y1 FALO 11
N'ESTA ANTIGA E CREDITATA
FABRICA
MC0IT.I1 II CII1TARTIIIITI ICI COIrLITO S0ITI1IRTI II
CHAPEOS BE Itii
Be toda as qualidades I
De todos os feitioi t
De todas os precos I
RA DO CRESPO N' 4
3

ce
I
O
o
n
!
so %*
a, o
CD

o *o
g* 3
* p > p a w
Cofres de ferro de Ml,aers e oatros
i r6IlQSS para f0p,r canas.
BalailpaS dO peSa^ Dedmaee, Romanas, etc.
Tachas de ferro, cslanLld0.
Arados Americanos
IrradeS, p3ra agricultura. .
Carrinhos de mao.
Machinas a Vapor
JJLaCinaS de descarocar algod5o, de 10 al 40 serras.
vUapaS e ierrO galvanisadas para cobrir casas etc.,
Estes artigos vendem-se em
casa dos importadores. .
Shaw, Hawkes A C,
!. 4 ROA DO BOJ! JESS.
(outr'ora ROA DA. ChCZ )


yojoo
90*000
90*000
90*000
I4CHI1S M COSTURA
DE
___Singer Manulacliiriiig C.
Mactliuas
Hacbinas
Machinas
Mdcbinas
Para
Para
Para
Para
100^0(0
100*000
100*000
100*000
Familias
Familias
Familias
Familias
Ditas
Ditas
Ditas
Ditas
105*000
109*000
105*000
105*000
Cora
Com
Com
Com
Brasileiras
Brasileiras
Brasileiras
Brasileiras
. Toda
Toda
Toda
Toda
Tampa
Tampa
Tampa
Tampa
Mo billa barata.
Vende-se-oraa tnobilia deamarelln em' perfeao
esjado na r^d Imperatffc b. 75, oa nj^boiica
y
Auca se vio ora processojmais perfeito e flu'e at-
.aja da tal forma a satisfaier as exigencias mais
varas daescripturacao.
A na cor c lindissima e nao precisa de cuida-
o sigam para se conservar no tinteiro sempre
om a mesma cCr, sem borra, crsta, botr on sem
odas estas mazellas inherentes todas as tintas
t agora coDhectdas, ainda mesmo dos meihores
torea estrangeiros.
Scbre'.udo, este estimavel producto nao ataca as
'uus de ac, antes pelo contrario, a peona
dqnire um esmalte dourado qne, sendo inters-
ate, asss prove'itoso. __'
Eata tinta, nao sendo especialmente para cohar
comtndo duas, (res, oa mais copias un mez
'poi de escripia ; preciso, porm, deiiar-Ihe
' papel bem molhado sem o enxunar com o mata-
r*o, porque nao ha o rwco de borrar. Para se
irar dms de- on copia, nao se aiiglomerun tan-
ta tomas quantas copias ae qaerem tirar mas
u 39 como original tirir ama- tantas qnant;
itdeaejam, sem que o original fique prejudicado
tn extraow.
Occorre aqui diter qne, para copiar importa
cita intelligencia e habilidade, sem e qoe aw
icr tinte nao satisfaa, e.e defeilo recae sempre
cfcr< & tinta, qae muitas vejes quem menos
tipa tem.
A dnpla qualidade desta tinta 6 extremamente
icrecavel, pois qae evita qoe em qualqaer es-
rio baja mais do qae urna Unta para oa di-
mos fusteros.
tqnanto saa durabilidade, nao ha a oppr
jHMtor davida poli qae MU tinu dspoia do *
cripta soffre o choque de cidos fortissimos, sem
se decompor; ora, se os cidos nao tem accao so-
bre ella, multe menos a accao do tompo a pode
destruir; isto plaosivel.
Nao s ao commercio qae este mea producto
Velo ser til; os professores dos collegios, Investi-
gando todos os meios para o adiantamento dos
seas discpulos, tem approveitado esta tinta, qae
com razo a acharara apta para desenvolver o
gosto nos educandos, em consequencia da beleza
da cor e facilidade de correr na pequea pela sua
liquidez. Ha exemplos de truncas qae havia
{oaito lempo trabara ama repugnancia extrema
para a escripta, logo qae (oi admittida esta tinu
no coliegio, apoderou-se delias a curiosidade e o
gosto, e poaco tempo depoia o sen adiantamento
era mantalo.
Esta tinta, i par de tantas vanugens, tem um
unfeo inconveniente, *etertota-se ao oonucto de
oatra qualqaer; centm p"etela emihrfeiro
iseotos do menor vislumbre d outra tinu, e evi-
tar escrever com a penna suja de urna preparaco
differente e incompativet; verificando isto, nao ha
razio para se osar de tinta que nao seja a VIO-
LETA EXTRA-FINA DE MuNTEIR.
Observado.
Diversas falsiflcae&es e seoelhancas um sopa-
recido, caja dorabi lidade duvidosa. Os Srs.
compradores podem evitar o engao dirigindo-se
casas circtfmspectas/.e pedindo a tinu que en
fabrk
A. MotUeiro.
100*000
10(1 OTO
100*000
100*000
Costura
Costura
Costura
Costura
Machinas
Machinas
Hacbinas
Machioas.
de
de
de
de
Manivelta
Manivella
Mamvella
Manivella
lld*UUO 115*000 115*000 115*000 - Machioas Machinas Machinas Machinas Para Para Para Para - Aifaiates Alfaiates AMalates Airaiates
113*000 115*000 115*000 115*000 Machinas Machinas Machinas Machioas Para Para Para Para Sapateirs Sapateiros Sapateiros Sapateiros
li5*000 145*000 lib*000 145*000 Machioas achinas Machinas Machinas mesa de mesa de mesa de mesa de ^ Exteocao Extenco Extenco Extenco
130*000 130*000 130*000 130*000 Ma-hioas Machinas Mecbinas Machinan Para Para Para Para Chapelleiros Chapelleiros Chapelleiros Chsnelleiros

Note-se bem
ao numer
tnico agente
) W. H, Chapman.

Note-se bem
ao ncmero
)
29 RA DO IMPERADOR 29
LUXO E ECONOMA
55 Ra do Dnque de Caxias 55
Neste estabelecimento encontrar-se-ha quantidade de marmores artiflJiaes, com bonitos"
desechos, por tanto prevenimos aos nessos freguezes, que temos sortimento, tanto para igrejas como
para obras publicas, ou casas .particulares, que se queiram ntilisar deste nevo pierna de marmore
artificial, que rivalisa com todo quanto at o presente se tem fabricado, pela belleza, economa, e
daracao, reconhecidas por todos os homens scientiaeos.
I
HEtiH
I


Diaria, d rrnambuc# Sabbatlo 18 d% Novembro m 187)
1

IMERATOA.
:>IOM.\ SOtfRE 0 ANTIGO VINCULO DA CAPEL
LA DE PARAN'., LIDA EU SESSO DO INS-
TITUTO ARCHEOLOGICO E (EOGRAPHICO PER-
NAMBUCANJ DE 20 DE JUI.1I) DESTG ANNO,
PELO SR. MAJOR SALVADOR HKNRIQUK DE AL-
BiQEnQUE.
I
No momento em que rodeado de carn
chosos manuscriptos, prornravacom a maior
pacien-ia e soeitide, ri) silancio do gabi-
nete, investigar e- conhecjr a> circumslan-
cias do fado que pretendo relatar; recor-
dava-me de que outros a essa mesma hora
estavam eolregues smenle ao tr:balho de
promover cora entusiasmo os melhorameo-
tos materiaes do paiz; como se orna na ;5o
possa s vi ver do progresso materia', es-
quecendo o inteilectual e moral, que a
base mals slida da felicidade dos povos.
Nesse mesmo instante vinba-me a idea as
fjuanuas fabulosas esbanjadas se'm p'oveito
publico"e s*para o individual arranjo dos
afilhados do poder, e a eseassez de recursos
com que lata o nosso Instituto, com mani-
fest atrazo no desenvolvimenlo de seus no-
Ores tins.
Com esses volveres do pensamento e 01-
tros anda mais tiistcs, o meu espirito pun
giio nao me abandonou, sent me animad
para a empreza; cons Jerei que o ltalo d;
socio effectivo impunha me deveres "que nlo
. devia declinar, a com a maior f no futuro,
ai* n3o ser to estril como o presen'.e,
continq?i o meu trabalho.
E' mister persa idir ao3 indfferentes ;
aquelles qae somante ss movera pelo inte
resss positivo e material; qae urna institu-
co desta ordem, sendo o repositorio das
tradices nacionaes; a explorado dis-noi-
sas antiguidades. augmentado cada vez mu
a sua importancia e o cabedal de gloria que
deve caber-Ibes, a si e a patria.
c Sejam 03 nosos trabalbos e as nossas
vigilias, como disso o dosso erudito secreta-
rio perpetuo em seu ultima relatorio ; ama
grave hco para todos, e como urna das
mais farinosas paginas de amor da pan i a
que a historia de Pernambuco ba de regis-
trar.
E acompanhanlo a phrase deste nosso
lustrado consocio, anda digo: se algum
dia, os poucos operarios que sastenlam este
modesto edificio, extenuados de forcas ea-
birem pela morte. sem que ninguem conti-
nu tifo nobre c imo civilizador empenho ;
abi ficam as paredes deste salo histrico
que sero com o seu silencio, ora prote to
vivo do commettimento daqaelles que acre-
iitaram que o amor da patria e o cenme
do seu paiz dewim estar cima de todos
os calclos do nteresse material. Entre-
mos no assampto.
II
A pequea povoacSo de Paralibe, sitaada
margem meridional do rio qae lhe deu
este nome, o qual na lingua indgena, segun-
do o Dr. Carlos Martins, significa : jazigo
do mar, est pouco mus on menos, quatro
leguas ao norte do Recife e urna legua lon-
go da costa.
A nascente ou origera desse ro fica em
trras do engenho Massiape. Da fralda de
ara pequeo monte principia elle mu fraco
e quasi imperceptivel, e fazendo mil voltas
por entre as maltas, passa por varios sitios
i pelo antigo Catuc, celebre pelo qoilom-
bo que i poucos annos all existi e foi de-
pon de alguratrabalho extincto, com a mor
te de uns e a priso de outros escravos all
refugiados. '
O volume das aguas do Paralibe aug-
mentado ponco a pouco por differenles re-
gatos, alimentados por pantanos ou alaga.Ji-
eoa nuil ou menos extensos, que de dis
tanda em distancia, como seas tributarios
vio nelle despejar.
Este bello e ameno rio offerece em suas
margena terrenos de urna ferlildade admi-
ravel e proprios para a siluagio de estabe-
lecimentos niraes de subido valor.
As agaas de:te rio, recommendaveis por
sua salubridade, s3o mui fras e claras e o
fundo renos) e limpo ; em todo elle n5o
lia profundidade maior de tres metros q era
menor de tres decmetros.
Nao se prestando a navegado de barcos
ou canoas pelas muitas sinuosidades e sua
ponca largura sempre variaveis, nao deixa
todava de ser apreciavel e de ter outros
muitos prestimos para industrias diversas.
Com as suas aguas mem actualmente
dous engenhos, Jardim e Paulista; e se-
gurado este rio o seu curso em direcgo so
littoral, vai na distancia de cinco a seis le-
FOLHETIH
gaas, lascarse ao mar,no lugar danomioa-
do passagem do Uto-Doce.
III
Depois da ondacio de O'nda por Dmrte
Coelho, pnmeiro d malario de Pernambuco,
tea cunhalo Jeronymo de Albuquerque, ob-
teve como em remunerac5o da seus rele-
vantes servicos, ama data de trras em Pa-
ralibe, urna legui margem do Capibaride
e oatras em Serinhem.
O me*mo Jiroriymi di Albuquerque, ca-
sando Goncalo tiendes Leitao ora sua filba
i). Antonia de Albuquerque, deu-lhe em
conta de sea dote as trra de Paratibe,
que naque le lempo, 15)3, compreheniiam
toda a zona da actual .'reguezia de Maran-
guape e tamoem as trras de Missiape, se
gando consta de un< autos antigos (1).
Esta D. Antoaia de Albuquerque era a 4*
filba de Jerooymo de Alouquerqoe com a
india D. Maria do Espirito Santo Arco Ver-
de ; eGonciIo Mendes Litao sea marido,
era irm3o do 2' bspo do Brasil D. Pe 1ro
L^tSo, como consta da Nobiliarchia Pernam
bacana.
G >nraIo Mandes fundou o primeiro enge-
nho d'agua era Paraiibe e com elle urna
lapella consagrada a SinU Antonio; edifi-
cou un grande sobrado para si e fez nutras
obras indisponsaveis em semelbantes Bsta-
belecimentos; denominando a sua proprie-
dade Paralibe, que depois chamou se Para
tibe de cima.
O fado notavel que agora passoa regis
trar nes(a memoria, por sua originalidade,
parece-me digno de menco especial.
Aportando em Pernambuco, em 1559,
um navio portugaez; espalhou-se logo a
noticia de qae seu bordo vinham tres ir-
m3os na hierarcaia ecclesiastica Eramtres
prelados diocesanos, irmos da Goncalo
tiendes Leilao.
E' fie I de ajuizar qnal serte o alvoroco
daquelle povo eminentemente religioso e o
contentamento da Goncalo Men les, que ia
ter o prazer de hospedar era sua nova pro-
priedade .iquellesqoe por ma3 de um lit-
lo raralhe tai caros.
O manjo-cripto iaedito que me forne:eu
esta ot'cia, nao d o daino de doas des-
ses'bispos, nem decan seos nomes, o que
para sentir; diz t3o srnenio que /um
deiles era o bispo d > Brasil D. Pedro
Leilao, que daqi; sfguij para a Babii e era
dezembro desse raesrao anno toinou posse
do bispado; o que v Com a demora desses tres bispos em Pa-
ralibe, onde foram passar algons dias com
seu irmao, teve lugar a benc3o e sagracSo
solemne da capaila de Santo Antonio daquelle
engenho.
Jeronymo de Albuquerque, .ogro de Gon-
calo Mendes; varios propietarios, prln:i-
paes de Olinda e dos lugares crcomvizin-
hos, assistiram aquella festa, que pela no-
vidade e pelo lugar tornou se com effeito,
urna casualjdade pouco vista.
Goncalo Mritdes e sua mu'.her tiveram
lagi descendencia e anda all vveram
muitos aanos; mas D. Antonia de Albuquer-
que, ja viuva, vendeu algamas trras de Pa
ralibe, como consta de antigs escriptu-
ras.
Esta importante propriedade, depois da
morte da viuva, passon, ao dominio dos fi-
los ; sendo que foi um deiles qaem levan-
to u o engenho Paratibe de Baixo.
IV
O dcimo ssxto seclo bavia completado
(I) Da um dos livrosda Nibiliarchia Per-
nambucana, qae existem no archivo do mos-
tero de S. Bento de Olinda, consta qu3 Gon-
calo Mendes Leitao, irmlo do 2o bispo do
Brasil, fra casado com D. Antonia de Albu-
querque, Giba de Jerooymo de Albuquer-
que, o Torto, cunhado* de Doarte Coelho,
Ia donatario de Pernambuco.
Do un) autos antigos constava a data de
trras de Massiape concedida ao referido
Gongalo Mendes; o qae prova que antiga
mente as trras de Massiape confinavam
com as de Paratib3, e que tanto urnas como
outras baviam pertencido ao mesmo senho-
rio.
Da um apootam?nto manuscripto consta
qae nos ttulos da anliga greja de Paratibe
qua nao sabemos onde param, vem a histo-
ria da sua fundaco por Goncalo Mendes
Leitao, que tambem all fundou o primeiro
engenho d'agua.
Do outro manuscripto tambem consta que
Fe Bernardo, D. abbada da S. Bento de
Olinda, era neto de Goncalo Mondes Leitao ;
pois que era 6 bo da sua filba D. Maria de
Albuquerque que casou com Loiz de Almei-
da Homem.
a sua currera com a morte desse feliz ca-
sal ; mas- a maior parte de seos filhos
tiobam-se eatabelecido peqoenasdistancias
do lar paterno, cujas delicias e praieres di
infancia 0; fazia como que attrahir e doler
por aquellas circurvisinbancas.
Da um tronco t5o fecundo como abencoa-
do deviam brotar frondosos ramos, e des-
tes os sazonados froclos que a oppriinida
patria tinhi de colber.
Entre as espadas qae cortaram aa cerra-
das fileiras do invasor Hollandez, muitas
foram empunhadas por geerreiros qae o
illusire nome de Leitao as fazia distin-
guir.
A' testa da valente companhia de Para-
tibe, qne tai temivol fui ao inimigo,' eslava
o capito Paulo Leitao; o commandoda de
Iguarass, nao menos formidavel, tioha sido
confiad i ao capito Pedro da Rocha Leilao ;
e oess luta de pundoaor e de amor pa-
ri, figuraran) muitos 01 tros descendentes
daquelle nobre tronco.
O domaio Hollandez no decorso Atvinte
e quatro annos, n3o teve o poder de sallo-
car os impulsos do mais dedicado patrio-
tismo : ah temos os nossos anoaes que o
paclamam as suas mais bri hantes e dou-
radas paginas.
03 que em 1630 achavam-se na infancia
ou linbama pooconascido ; aprendern) as
emboscadas ou em campo limpo, a fazer a
guerra ao invasor; e em 1654, grande
parte "dos nossos guerreiros liona si.1o.edu-
da no meii das privaces e dos continua-
dos rnovirnentos daqaella gigantesca e pe-
nosa lula.
V
O tem io, diz o conselheiro Bastos,
para nos como a marjjem de nm rio em
que navegamos: porqie julgando qie ella
foge, somos nj os que-passamos.
Elle fiz a sua revoluto acompanbada le
mudancas qae se ob ervam em todos os
lugares.
Aqu, j n3o e.vstem uns porque a mo te
arrebi.ioi; alli, dosappareceram outros, le-
vados pela torrente de orenrastancias da
vida. Deste modo que ?e succedem a<
repelidas tran'formagoes das cuusas e das
pessoas, ou para o progresso de certai lo-
calidades, ou para a sua completa deca-
dencia.
Foi assim que pouco e pouco, aquella
propriedade de urna s fa ilia, passou'
diversos dmos:
O coronel Francisco Berenguer de An-
drada, irmao deD. Mara Cezar e cunhado
deJj3o Fernandos Vieira. comprou em
1692 a Miijuet Leitao de Albuquerque po-
i;o de torras em Paratibe de cima que iam
at o riacho Lava-tripas, como consta da es-
criptnra de venda que se acba em nosso
archivo sob n. 2 1, caixa-n. 12.
Por este mesmo tempe vou pouco antes
Antonia de Albuquerque, viava de Gon-
calo Mendes Leitao, tiaha vendido trras
de Paratibe.
Essa mesma viava ou algnos dos seus
berdei'os vendeu a Jo3o Fernandos Vieira o
engenho Paratibe de baixo e de toda a
propriedade dos Maranguapes, onde o mes
mo Vieira em 1674 fez o sea tes/amento
fallecendo depois em 1681. (2)
O coronel Francisco Berenguer, testa-
mntelo de sua irm3i D. Maria Cezar, fal-
lecida em agosto de 1689; para satisfacode
a'gans legados, entre outras proprieVades,
venden ao mestre de campo Manoeltylm
de Moraes Navarro, pelos annos de 1600 a
1692 o referido eogenho Paratibe de baixo,
qie d'abi em diante ficou conhecido por
engenho de Paulista, por ser o sea novo
AILM DO FOGO
ROMANCE
POR
ALEXANBRE DOMAS
xxiit
Os clgaaos do mar.
(Continuaco do n. 263)
Continuei a minha carreira qaasi deses-
perada, masa fera n3o tardoa em dar-me
caca, e ti ve de sacrificar outro filho ; e se
o grande rio Tjiliwong o3o se encontrasse
no mesmo caminbo, nem mesmo abando-
nando Mana, qae era o ultimo dos peqoe-
cos, me ivraria da vinganca da m3.
E, agora, cuidas que algumas moeda
de oaro me recompensara tantas fadigas e
que nao tenho diroito para dizer-le: nao
mates esse pobre animal, cuja conquista es-
leve ponto de me custar a vida ?
Seodinheiro qae entSo te dei n3o te
parece sufficiente, fiza o prego e pagar-
te-bei.
Os filhos dos Soesoenana nao querem
uever nada ninguem.
Pois bem, o pre?o a vida de Maha.
N50.
Thsermai, ta deste-mo no rosto com
o tea latego, -e bem sabes que nao' sou
d'esses javanezes tmidos e cobardes ; sou
cm Afeo de Ormud, iodepeadente e livre.
Perioa Maha, e esquecere a chicotada.
Nao, replicn o principe; Maha ferio
o sea Sr. e preciso que morra, e morre-
r; assim o jaro, pelo tuma'.o do pro-
pheta.
Maha, disse Harruch meia voz,
n3o fez mais do qae arranhar-te a cara, e
bem podas reservar a toa ira para o qae
se cimpraz em ferir o teucorac3o de om
modo bem mais profundo.
Thsermai franzia as sobrancelhas de um
modo terrvel; fez nm sigoal aos criados
que sa retiraram, e exclamou :
Fallas de Nungal ?
E de quera, seno d'elle poderia fal
lar-te ?
=> E' verdade : vollou hoje como tinba
convencionado ; e voltoo mais arrogante e
ameaoador do que nunej. Era balde Ihe
offereci quanto me resta das riquezas dos
meus av3. De3denhou os meas offereci-
.mentos; quer qae lhe d a flor do" meu
harem.
E Thsermai, fiel observador da f jn-
rada, far o qae Naogal pede,. e consentir
que lhe reai a perola do lodosto ?
Talvez, respondeu como que reflee-
tindo.
Dapois accrescntou :
Harrucb, disseste-me que esse bo-
mem, que se chama agora Nungal e qae
manda os ciganos do mar, um barka-
sahams, iso um d'esse3 espritos impa-
ros ; que com o auxilio do demonio, arre-
bataran! ao Ser Sapremo am raio do sea
poder ; am d'esses vampiros, que como
sangue das saas vidimas alcancam a ter
nidada da existencia, que consagran ao
mal; d33este-me que a forga junta as -
lucia poda sobre-pdr-se ao barkasabams.
Harruch, qaeres ajudar-rne n'essa em-
preza ?
Ta odeias Nungal, ma8 tens medo
d'elle e o medo tra-te a forca.
N5o, ea n3o tenho medo d'elle. Ape-
zar das saas ameacas, viste que nao conse-
guio o qae pretende.
E qae importa isso Nungal ? Bem
sabe elle qqe se boje Ibe dizes que n3o,
rnaabSalhe supplicars que aceite oque
boje lhe oegas. O chefe do3 ciganos do
mar Um sua disposicSo o tempo.
O somblanta de TWermai fez-so lvido ; o
principe exclamou :
' Nao conseguir nunca o que pede.
Antes qaereria ver Arroa mora aos meas
ps.
(2) O padre Manoel Fernandos Vieira,
vigario de itamarac e senhor do engenho
Inhaman, iostituio o vinculo de S. Miguel
nesse mesmo engenho e em outros bens
qne possuia ; mas facultando a transferen-
cia do vinculo para ontra qualquer proprie-
dade mais rendosa, o seu testamntelo e
cunhado o capito-mr Jeronymo Cezar de
Mello em 1625, conseguio do juizo respec-
tivo e3sa transferencia para a propriedade
dos Maranguapes, que desde 1686, j Iha
pertencia por dote de sua mulber Marta
Joanna Cezar, filba de Jo3o Fernandes
Vieira.
Esta propriedade, como consta da cerli-
do que se acha no archivo do Instituto,
sob n. 196, caixa n. 12, limitava ao norte
com trras do engenho Jaguaribe, compre-
hendendo d'ali para o sul as praias de Po-
Amarello, Jang at Rio-Doce, Salinas,
Forno da cal, Pesqueiras, os curraes de
peixes e Coqueirs.
dono, natural de S. Paulo. Veja-se a fle-
viita do Instituto tom. Io pag. 114,
VI
O coronel Francisco Berengu9r de An-
drada foi instituidor do vinculo de Parati-
be, qae comprehendia os torreaos: Cova
da Onca, sitios do Yianni e Ferraz, Mi-
rueira, e da estrada publica at Agoa do
curial, como con'd dos autos qae se
acham em nosso archivo com o numero
|7d, caixa n. 12.
Fran:isco Berengaer fez dodco de parte
dessa propriedade para purimomo de Santo
Antonio, orago da capella ; e a oulra parte
onde existia ama casa-de sobrado, deu en
dote a sua filba I). Isabel por occasi3o do
eu casamento com Ignacio de Souto.
A capella de Santo Antonio de Paral be,
fundada por Goncalo Mandes,foi redificada
em 1731, depois de cento e setenta e dous
annos de existencia, e segando o testemu-
nho do Padre Antonio Goncalves Sibreira,
antigo morador daquelle logar; a nova ca-
paila, Tjue anda alli existe- -veo a fi:ar
mais na frente da antiga.
O primeiro engenho Paratibe de cima,
levantado por G incalo Mendes e que mota
com agoa, dei'xoo de existir, moiios annos
depo.s da sua morte, sendo substituido
por ootro que moia com animies, o qual
tambem n 1 existe.
Desta succinta exposico v-se as diffe-
renles phises porque lera passado aquella
importante propriedade, urna das mais an-
tigs da provincia, n) existindo mais do
qae a triste memoria da amiga po'oaclo da
Paratibe. cojos vestigios a or5o da pren-
tenla, por interesse proprio, tratoa ae
apagar.
O rgimen fendal em todos os tempos e
logares obston o desenyoivimant) dos.po-
voados; o como este rgimen ainla me-
lizinente continua, apezir di extincSo dos
vnculos e morgados, p de considerar-se
aniquilado em Paratibe o ger nea de urna
futura cidade, com acontece era ou-
tros muitos ponto 1 do paiz, caja prospe-
ridade e bem mtflico de que menos tem
cuidado os nossos governadores.
A capella de Sinlj Antonio, q 10 como a
cima fica dito, tinba seu patrimonio feito
pelo coronel Francisco Berenguer, acha-se
encorralada pelo cercado do engenho Jar-
dim, sem oreslar-se ao culto publico.
VII.
O nosso fallecido consocio majar Salva-
dor Coelho de Drumond e Albuquerque, foi
o ultimo administrador do vinculo das tr-
ras de Paralibe, no qual succedeu como
prente mais prximo, D. Ama Maria do
e Mello, que no deixou descendencia.
Esta D. Anna Maria do e Mello era
filba de Jos de Mello Cesar e Andrade,
ajudante de ordens- que foi dos governado-
res de Pernambuco, e viuva do capit3o-mr
Francisco Camello Pessoa. (3)
Ne-ta propriedade e no lugar Cova da
Onca, mandoa o goveroo installar em 1829,
urna colonia de allemies, com o nome de
Santa Amelia, afim de povoar aquellas ma
tas, afogentando os negros escravos que
alli podiara formar aovo quilombo.
Esta colonia, por mal administrada ou
por motivos outros, veio a debandar-se.
Disirahirara-se os colonos de seus trabalbos
agrijolase entregiram-se a destruigao das
matas, que derrabavam para reduzir a car-
v3o e lenba, no qae prova /mente, achavam
maiores lacros.
A redaraacSo do adro nistrador do vincu-
lo, proprietario daqaellas trras feita ao
governo foi desatteodida; e recorreodo elle
para os trib inaes, teve por lim de pagar as
costas da acci que iojustamen'.e perdeu
em juizo.
Eis am exemplo bem patente da confian-
za que nos deve inspirar o direito de pro-
priedade to garantido pelas oossas leis !
Seriarnos feize? se fosse este o nico
fado desta orJem que ti ve sernos de re-
gistrar! '
VIII-
Muito mus da tres seclos decorridos,
( 3) Eite capit3o-m6r Francisco Camello
Pessoa, em 1798 poz em juizo urna accao
de forca nova, contra Francisco Xavier de
Moraes Uns, senhor do engenho Jaguaribe,
por ter Moraes Lins invadido as trras do
vinculo dos Maranguapes pelo lado do sitio
das salinas grandes ; violo afinal o referi-
do Camello Pessoa, a obter sentenca seu
favor no seguinte anna de 1799.
A fregaezia de Miraogoape foi elevad 1 a
essa cathegoria era 17 de Janeiro de 178i
cento e cinc aanos dopois da morte de
Jo3o Feraandes Vieira.
ebeios de acontecimentos importantes; vas-
tissim) terrilorio a explorar, tanto em sua
superficie como as saas profundezas; g-
racas q le variivam pela forma e pelos
costames ; oatras qae succederan pela con-
quista e qne com ellas se misturaran); ri-
quezas nunca vistas em todos os reinos da
natoreza; campos incultos e cerradas flo-
restas em qne o rodar da civilisacSo se vai
constantemente ouvinio ; tradir5es que se
agrupara em roda dos campanarios dospo-
voados, e mil oatras cousas que com estas
se entrelacam, todo se torna digno di mais
serio o paciente estado.
O nosso futuro destino priile-je estrei-
Um.nle- ao b;rco ; deste no3 veio a erenca
religiosi, os sentimentos morae3, a3 inspi-
racbes artsticas, oi vftos scientificos, os
brios m litares e todo quinto p5da fazer a
gloria e a forca de ama nacSo.
Rjmontar-ao3 ao nosso barco, para oco-
abecermos a fundo, preparar-nos para
grandes destinos no futuro.
As virtudes pitritfchaes deno3303pri-
meiros tempis ergaem-3e de distancia om
distancia para nos altest ir a iodole da po-
cas da mais apreciavel ragenaiJ.de.
O estado das antiguidades relativamente
a qualquer psiz, recommend-ia e conc:-
derado comiiodispensavel; sem elle a his-
toria fica incompleta.
Todo o que respaila aos uso', costuraos
e muitos outroi coihecimentos curiosos
que ornam o espirito de um pivo, precisa
ser estudado.*
Colligi-, verificar e publicar os dmen-
los, m momentos e tradicoas histricas das
localidades-respectivas conc rrer podero-
samente para que se desenvolva o sentimen-
10 nacional.
A este lidar constante, nos os membros
do Instituto, somos todos obrigados.
Resta-De, senhores, agradecer-vos a be-
nigna attenc'io com qne maouvistes. D;.-
culpai as miabas faltas, alteadendo aos meus
bons desejos.
Sala das sessas do Instituto Ar:heologi-
co e Gaographico Parnambncano, 20 de
julho de 1871.
Salvador He.nuioue o Albuquerque.
\'
Ao pronunciar o nome de Arroa oavio-se
um ligeiro ruido na jaula que eslava junta
da pantbera.
Qaem fazia aquello raido era Argalenka,
que levantava a cabera quasi desmaiado
pela abstinencia que se condemnra.
Ajada-me na empreza, Harrach ;
enviemos Nongal para o paiz dos espiritos
immundos, o'onde procede, e farei de ti
um poderoso Sr.
Nos labios de gnebra apparecea um sor-
riso indetinivel.
Nao, disse com expre-s3o sarcastica ;
ea nao quero atacar Nungal. E' demasia-
do poderoso n'este e no outro mundo, e
Harrach nlo mais do qae um insecto,
qae se arrasta pelo ch3o. O barkasabams
pode mata lo com ama pisada.
Digo-te que triampharemos, bradou
Thsermai.
N3o, porque Ormud cegoa Thsermai.
Que qaeres dizer ?
Que na occasi3o de combater arremes-
sas as nicas armas qae nos podem dar
victoria.
N3o te comprehendo.
- NSo acabas de jurar qae boje seria o
ni ti rao dia da pobre Maha 1
Sim, e depois ?
Depois, a virgera negra a nica que
pode prevalecer contra o filho da noute.
Em balde ferir is o peito de am barkasa-
bams ; em balde tentars envenenadlo com
todo o bohon-opas da ilha ; em balde o
despenbars por cima dos rochedos e o
enterrars, cem bracas abaixo da Ierra : o
tea punbal embotar-se-ha no peito d'elle. o
veneno perder a virtade, as pedras con-
verter-se-bo em brando e fofo leito, e a
trra arremessar de si o deposito qae lhe
confias como o valcSo arroja as ardentes
lavas.
E ento...
Aqui, aqoi, accrescentoa Harrach
acariciando a pantbera, qne se ipproximra
do guebra; aqoi, aqui est o sepulcro qae
Ormud designon aos entes malditos.
Obrigado, obligado, Harrach, respon-
den Thsermai com ama alegra qae se rev
lava em toda a sua physionomia; agora n3o
mudar Arroa de Sr.. Enterra com Cuidado
Maha. Vou boscar as miabas armas, vou
ordenar qua apparelbem cavallos,. e vou
seguir Nungal.
E os teas juramentos ?
Tnsermai dea aos hombros e entrou no
palacio.
Harrach vio-o desappirecer. Depois
cbamon Maha, que se tornara a deitar na
jaula.
Maha acudi voz do seu antigo dono.
A minha revelacao ser-te-ha intil,
murmuron Harrach ; qaando voltares pela
panthera j nao a encontrars.
Aqoi, Maha.
Depois tirou da algibeira amas moedas
de onro, contou-as e accrescenton :
Ahi tens oque me deste por Maha,
disse, e tirou o dinbeiro para a jaula.
Ifj para sahir qaando ouvio que o cha-
mavdm
Era Argalenka.
IrmSo, irmSo, exclamou o velbo ; n3o
sei se a abstinencia me perturba, mas ouvi
fallar de morte e da Arroa. Dize-me se o
ameaca-a algum perigo. Eu sou velho e
fraco ; tu que s moco e vigoroso, defen
de-a ; salva Arroa, e serei leo escravo.
Argalenka, nos vamos por camioho
difireme; en trabaihando na minha obra
sangrenta e t resignado na toa dftr ; mas
Ormud leva-nos para um mesmo fim. O
dia da minha vinganca approxima se e em
breve abracars la filha.
Minha Alba, miaba filba I
EsU noute ve-la has.
Queres cacoar do meu amor paterno ?
Ob l Nao me engaes, Harruch. A mioba
pobre cabeca perde-se ; o jejum debiliton-
me. Como sabes que ainda posso abracar
miaba filba 1
O que sabe oovir, sabe aprender. O
escorpiSo, qae se occalta por baixo dos
donrados arrebiqaes do palacio imperial,
sorprende os segredos dos solides.
Mas se mioba filha nlo me ama, nem
seaaer ao menos conhece o qae lhe dea
ser...
VARIEDADE
IN3TRUCGA0 NOS ESTADOS-UNIDOS.
No anno passado. o Sr. Mundella, mm-
bro do p rlamento ioglez, embarcou para
os Estados-Unidos, afn de ir estudar o
systema das foee schools, ou escolas gra-
tuitas.
O honrado membro do parlamento in-
glez declara que ni existe paiz algum onde
os edificios pira escalas sejam melhores e
mais espacosos; onde taes estabelecimea-
tos se achem mais liberalmente dotados; e
a ins!rucc3o se encontr mais generosamen-
te distribuida, e mais accessivel, do qae na
America do Norte.
Alera deste donativo, as escolas, em
virtude de um recente decreto de congres-
so, recebem outro, que consiste na proprie-
de de urna decima terceira parte de todo
o te t torio da nova commnna; de mane i-
ra que, logo no comeco, cada nova esco -
la acha-se de posse de 1,280- acres de
terreno.
Os estados e territorios j por essa ma-
neira receberam mais de 68 milbes de
aeres, para as saas escolas publicas. O
congresso concedeu-lhes mm 1:032:880
de acres para ajudar a creac3o de escolas
de artes e officos; isto : o goveroo nacio-
nal em favor dos estabelecfmentos de ins-
trumentos interessados.
Quanto mais escolas existem n'nra dis-
trido, mais creancas freqoenlam os esta-
dos, e mais consideravet se torna a soraraa
qua as escolas teem que levantar dos fun-
dos commons. As escolas seguem a sorte
dos alumnos adultos quando ellas vo fi-
xar-3e n'ootras paragens: cada novo est-
belecimento formado n'algum districto,
implica, por isso- mesmo, a cre-cfo de
ama escola, e do direito qae elle tem a do-
lelo.
Comtudo, o Sr. Maodella ainda encon-
trou alguns defeitos ua free schools, pelo
qae respaila aos metbodos de ensino : os
mestres ciogem-se muito lettra, e nao
bastantemente ao espirito dis materias na
maneira de lecci mar; carregam da m lis a
memoria dos discpulos, en3o lhes deixam
tempo para reflexionar. v
Pelo qae respeila ao ensino snparior,
acha-se elle ainda iaperfeito nos Estados -
Unidos: faltam as gran Jes universidades
pelo modelo das que existem n'alguns
paizes di Europa; e sobretodo escolas da
bellas artes, polytechnicas, e de minas. Em
gerai, a cuitara das ledras, das scieocias e
das artes, acha-se atrazada re tivameote a
Europa; todo leva a crr. porm, segando
observa o Sr. Mundella, qne similbaote in-
feri ridade nlo ser de longa duracSo. A
civilisacSo europea tem scalos de existen-
cia ; e a repblica americana vio-se obriga-
da at boje a concentrar todos .os esforcos
na feriiliSac3o de seu immenso territorio,
que se estaude de am a outro mar.
Os hqmens e as malheres qae na Ame-
na se destinara para educar a mocidade,
preparam-ss para a sua vocaco em 81 es-
colas normaos; a experiencia porm tem
provado que, em materia de inslrocclo, a
de educac5o dos dous sexos, sobretodo as
classes inferiores, as mulberes mostrara
mais aptidao de qui os borneas.
O pequeo estado deMissiebissets con-
ta 5.510 mestras para as escolas grataitas,
e 497 mestres. O salario desla varia se-
gundo a importancia das aulas, e das cida-
des, oa districtos. -No ensino superior e
as cidades o salario muito elevado. To-
man lo a medida entre a Uxa maior e a
menor, ach se o algarismo de 63 dollar
de orden do mensal para cada mestre.
O qua muito conlribue para o progresso
da instrueco s3o as associacSes dos pro-
fesores Coraprebeodendo a grande im-
portancia da assoc ac3o, os mestres fazem
reunies e c inferencias, onda trocara reci-
orocaraente as suas ideas, a os Irados di
experiencia, discuti lo, e adoptando os me-
Iho.ameotos que lhes parecem necessarios
ao eosino publico. Tambem ha muitos pe-
ridicos especiaos que trabalham para o
mesmo (ira.
Comtudo, apezar do grande numero do
escolas primarias gratuitas, ainda nos Esla-
dos-Uidos ba om ceno numero de indivi-
duos que nio-sanera lr nem escrever. O
recenseamento d 1870 n3o est terminado,
por isso nao poieremos dizer o numero
exac.o dos analphibetos. colcula-se porm
desde j em 9 por 0/0 da populac5o ; mas
sao quasi lodos, seno todos, perteocentes
populaco negra dos Estados do Spl.
geralmente sabido que Dessa parte da
America, emquanto durou a escravatora,
eslava prohibido, sob as mais severas pe-
nas, instruir os pretos. O numero de es-
cravos era, pouco mais ou menos, de qua-
tro milhoes. Dtpois da emancipafao e do
fim da guerra, fuodaram-se numerosas es-
colas para os pretos; mas at hoje 03 Es-
tados do Sul nao se tem mostrado muito
solcitos em instruir oa escravos livres ; ci-
tain-se al alguns estados que arada nao
teem escola destinada rara de cor, &i
quaes sao : o Kentucky, a Carolina do Nor-
te, o Tennessee, e o Texas.
Como os estados tem direito de repell*
toda a interveoco do goveroo nacional nos
seus negocios particulares, n3o baver ootro
raeio para remediar o mal sen3o am acto
do coagresso qae applique aos negros do
sal o systema das free schools, tornando-
Ibes assim accessiveis etses estabelecimen-
tos de instrueco primaria.
A cid?de de Washington j possue, desde
1867, a uoiversdade denominada de
Howard, creada expressamente pan os ne-
gros, magnifico edificio dividido em tres
secces: escola elementar, escola de grao
superior, oa preparatorios para a aniversi-
dade. e corsos e^pecj^s de direito, medi-
cina, tbeologia, ele. 9m correspondente de
um jornal alemo que ltimamente assistio
aos exames em Howard,, ficou maravilbado
om resaltados que se tem obtido daqaella
instituirlo.- Os negros alli formados s3o,
pela maior parte, destinados para as tune-
ces de professores nos Estados do Sul.
Terminaremos este resumo a presentando
os algarismos estatisticos dosestabeleciraen
tos de ensino superior, nos Esiadi --Unidos.
Segundo ailirma o Sr. Mundella, existem
^69 collegios (gymnasios) dos quaes 259
sao fundados por diversas confissoes oa sei-
tas religiosas, com donativos particulares ;
47 d'esses collegios sao catbolicos; 93 se-
minarios dos quaes sao catbolicos 50;
88 institutos de medicina, bavendo entre
tilles sete homcepathicos e 19 escolas de
pharmacia. Contam-se miis 2B cllegics
para estado de jurisprudencia; 26 escolas
de agricultura e de artes e cilicios; 26 es-
colas de commercio; i escola militar ; e i
de ma'rinha. Finalmente os estabelecimeo-
tos de caridad acbam-se representados por
58 inslituces para surdos-mudos, 6) hos-
pitaes para alienados, e 2 para cura de
embriaguez.
E que te importa ? Sempre que ap-
prente amar-te e recoahecer-te, ters a
apparencia da felicdade. Aceita o qae
Deas te enva como se aceita o sonho, sem
te importar se verdade on nao.
Oh 1 minha querida filba! Porque
motivo nos deixiu Badajmerc do espirito
das trevas ?
. Alimntale para que recuperes as
forcas, porque esta ooute ters de ptvr-te
caminbo e a jornada ser coraprida.
Comtninha fijoa ?
Com ttaittna. Amtes da ter a la
ebegado terca parte da sna carreira, es-
tar Arroa nos teas bracos.
Oh I Harrach obrigado, obrigado I
NSo, n3o a mim que deves agrade
cer ; nao soa eu que l'a restitno.
__EotSo qaem ? Dize-me o aome,
para ea poder arrojarme aos seas pos.
__Se ea te dissesse o aome do qae
salva toa filha, estremeceras de horror, e
em vez de o olhares com reconhecimento
amaldicoa-lo-bias.
Eoganas-te, guebra ; ea nao amal-
dicoo ninguem, nem esse mesmo cojos
maleficios converteram minha filha n'nma
creatura detestavel. S Buda pode amal-
dicoar.
E de que me servira dizer-te o seo
oome ? redarguio Harrach com profaodo
desdem ; vos outros, qae vindes das mar-
geos do Gaoges, fezvos Daos tmidos e
fracos como as mulberes. Chora e roga
em silencio como se fras malher. O que
tu jalgas de-ver esse homem negocio
mea, e paga lo-bei quando ajuslar as mi-
abas contas.
Harruch afastou-se.
Penco depois ebegou ao palacio orna qua-
drilha de gente exquisita, que pareca gente
do mar e malaios frente d'elles appasecia
Nongal.
Aqoillofoi n'um abrir e fechar de olhos:
n'um momento se vio em chammas o pa-
lacio de Thsermai, e os criados sahiara sol
tando em altos brados a voz de fogo.
Argalenka vio aqalllo lodo cora assom
bro ; um malaio Ibe foi abrir dcilmente a
porta.
Argalenka precipitoo-s fra da jaula,
mas em vez de se dirigir para o lado das.
montanhas, adiaotou-se para o palacio.
O incendio linha-se es tendida com pro-
digiosa rapidez. Os piratas sahiam e en-
travam por todos os lados, carregados com
o que podiam roubar, levando comsigo as
mulberes; e quando Argalenka apparecea
n'uma das portas, toda aquella parte desa-
bou com espantoso ruido.
O beduino cabio de joelhos, cobrado a
cara com ambas as mos.
Nongal foi levanta-lo diz en do :
O beduino esta doudo. Nao ouvio
que soa filha se dirige n'este instante para
o monte Sadjiva ? Qaer que n'iquelle de-v
serto, s e abandonada, seja pasto de ti-
gres e panlheras ? J Argalenka nao ama
sua filba ?
A commocio do pobre velbo era tal, qne
nao pode responder : ergoea-se vacilante
e encamiobou-se para a banda que Nungal
Ibe indiciva.
malaio voltoo-se para o principe, que
contemplava silencioso as ruinas do sen
palacio.
Ea to, radjah, disse-lhe elle, j vs
qae nao te enganei ; nao era nm estupido
amor o qae presidia minha determinacio,
quando te ped a escrava. Deixa comprir
Argalenka a mlsso que lhe confio, e em
breve, se nao desappareceuj o tea capri-
cho, a tornars a ver no ten palacio.
No meo palacio I respondeu Thsermai
com amarga irona, aponUodo para o in-
cendio. _
O palacio dos soberanos de Java nao
pode ser senSo o que hoje habitan .os do-
minadores da ilha. Quando entrares tn-
amphante em Buitemorg, eot5o me agrade-
cers o terte livrado d'esU baiuca.
E Nongal tocou ama especie de apilo, e
os piratas priocipiaram a jantar-se roda
do seo chefe.
(Conlinuar-u-h.
ft?. 00 DUWlh-ftU. DQ UUQS M C**1*



J
\
s"
r
V



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZ90P0LGB_FPPXYT INGEST_TIME 2013-09-19T20:58:21Z PACKAGE AA00011611_13139
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES