Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13131


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANDO XLVil. NUIHIERG 256
>'
--------,
9*
S
?AKA A CAPITAL E IU&A1ES OlfDB IAO SI PASA POBTI.
Por trac awres aiiiantdos................. $|OO
Por sais diU* iddia.........,,'........ 124000
Por om aooo Mea.......'i'WP?/; i;v....... 144000
Cad MMN TOiSO................., o
QUINTA FEIRA 9 0 NOVEMBRO D 1871.
"i OsiO 11
ai ,tmn
il (.i K-.. .U..
i
Propriedade de Manoel
PA1A DIITBO I rOlA DA E07UGIA.
Por tres mus aanudoi *.........
Por teif ditos dem......... ;.......
Por nove ditos dem............v ',
Por om mo dem............". .^K> .
fWt
1S00O
I7KWO
a de Paria & Filhos.



O Sri. Gerardo Antonio Alvo. Filhos, no Fui ; Gonces 4 Pinto, no Maralo ; Joaqmm Jos de QHvafei d Filho, no Cear ; Antonio de Lemos fe** no Aracst/ ; Jlo Alaria JoJio Chaves, no Asea ; Antonio Alargues da Suva, no Natal; ios* Jo**
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ;Fe!ippe Estrella & C, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Baldo, em Santo Anao; Domingos Jos da Costa Braga,
*m NaMreth Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da COsta, em Alagoas; Dr. Jos Alartins Alves. na Babia ; e Leite, Serqoinho C. no Rio de Janeiro.
i ii. i .ii

PABTE OmCIAL

overao 4a provincia.
CXMDIE.VT8 DO DA \ Di'NOVKMDgO DE 1871.
Actos :
O presidente di provincia resolve remover
o promotor publico di eorairca de Fiores, hacha-
re! Mmoel Antonio de Millo e Silva, para igual
cargo na da Boa Vista.
O presidente 4a proviocia, attendendo ao que
retjaerea Ivo Pinto de Minla, profassor publico
ds primiras lauras de Aguis Billas, resolve no-
matr o Or. Sihrio Tanjaiolo VitUs-Bas para com
o Dr. Pedro de Attiayde Lab) Moscoso, iaspaccio
na-lo no exame, qre tera o mesmo de sajcitar-sa
para oflni de poder oblar saa Jubilacjio.-Exped-
ram-se as necessarias eommuolcaees.
Offlcios :
Ao Exm. presi lenta do imperial Instituto
peruamhacauo di agricultura, pondo sua disposi-
rao a qnaoti lada que quizer, das sanenles de eaa-
ni de assuear, que remenea pira esta capital o
ministerio da agricaltara.
Ao*]ftiz manicjpal d) termo lo Oilndi, res-
pondando eom ama copia da ioformaeo do ins-
pector da thesourara da fazeoda o sea officio,
acarea do levantamento de dinbeiros pertencentes
a orphlos desst termo.
Ao do termo do RbPormosa, declaranlo era
resposta ao seu ulflcio que, segundo o exame a
qaa se procedsa na thasoararia de fazenda, To-
ram consideradas verdadeira* as cinco notas que
devolve, de coco mil ris da T sstarapa, as quaes
navam sido apprebendOdidas nesse termo como
falsas.
Despachos
AogeWoo Fjrjaz Corro Ce-ar-Informe o Sr.
Jirigadeiro eommaodante das armis.
AUgslo da Forju Corroa Cosar.Ioform-3 o Sr.
brigadeiro commandante das armas.
Hanrique Augusto Millet.InJefirido.
Ivo Pinto de Miranda.Njnwiese o Dr. Silvio
Tarquiaio ViilasBis.
Ignacio Beato de Loyola.Informe o Sr. nspec
tor da tbesouraria provincial.
J)3 Pires Campetlo da Almeida. -Informe o Sr.
r. jaiz da direito di 1* vara da capital.
Joao Maria de Atbnqaerqae Oiiveira Filho.In-
l.rme o Sr. comoiaadante superior da guarda na-
cional do municipio da capital.
Jos Pedro das iS'evej.Informe o Sr. Dr. jaiz
de direito da 1' vara da capital.
Bacharel Luiz Cirios de Magalhles Breve.In-
forme o Sr. director da Facnldade de direito.
Maaoel Amonio Bezerra.Informe o Sr. capitSe
do porto.
Manoel do Nascimento Rodrigues Franja.Jan
to ao anterior, seja remettido ao Sr. inspector da
thesouraria de fazenda para informar.
EXTDIENTE DO SECRETARIO.
(jJieios :
Ao inspector da thesoarria provincial oom-
munlcando, de ordem da presidencia, e para os
Bns convenientes, que tendo o arrematante da
ponte sobre o rio Pirapama, no engenbo desse no-
me, concluido as obras do seu conrr,ato, o chefe da
reprticio das obras publicas mandos lavrar o
respectivo termo de entrega provisoria de taes
obras e passar o competeote certificado.
Ao Dr. chela de polica enviando, de ordem
da presidencia, os passes qae solicitou, para poder
o subdelegado da freguezia de Nossa Senhora da
Graea transitar nos treas das companhias de tri-
lhos urbanos do Recife Caxang e do Recife
Beberibe.
DIARIO DEPEBNAMBUCn
RECIFE, 9 DE NOVEMBRO DE 1871
Viagem de $s. HH. Imperiaes.
Achavam-seem Milo os Augustos Imperantes
Jo Brasil, onde pou:o se demorariam, seguindo
para Turim, Florencia, Bima e aples. D'ahi
p&sslrao SS. SiM para o Egypto, aiim de visitaren)
o sthmo de Suez, Jemoiaudo-sa abi parte do in-
vern, t
Acerca da estada de S3. MM. II. em Vienna da
Austria temos o seguinte no Jornal do Commercio,
de Lisboa :
< Sabe-se que os augustos viajantes brasileiros
saturan) de Vienna d'Austria para Trieste no dia
9 do correle da maohi. Siguado se v em urna
correaponlenc'a da Vianaa, o imperador promet-
ida tornar a voltar aquella capital em 1872 para
visitar a exposicao industrial. Tda a gente ticou
rdmirada da sua extrema affabilidade, e da sim-
plicidade dos seus costumes.
< Oflerece-ee-aos aqu reciiQcar a data da cne-
gada de saa magastade imperial a Vienna, segn
do a nossa noticia de domingo pausado. Foi no
dia 1 do corrate e nao 8, que cnegou a Vieana,
sabio dahi no dia 6 para Pasih, d'oade regresso
a Vienna.
Xi correspondencia de um jornal italiano da-
tada de 9 do corrate de Vienna, se noticia que
S. M. o Imperador do Brasil, na larda de domiago
8 do correnteYecebeu a visila do director geral da
exposicao internacional, do director geral das
construccSes o Sr. Cari Hasemanor, bem como a
dos arenuectos executantes os Srs. Gugity e Ka-
rompay, e inspeccin ju com o maior interes-
se os planos qua estes senhores ltie apreses* i
taram. |
< Saa magastade dignou-se prometter ao barao
de Schwarz nao solate a mais viva e digna par-
;ecipacao do Brasil para a exposicao de 1873, mas
tambem de dar Iha a esperan^ de ama nova via-
gem a Vienna, em companhia de saa magastade a
imparatrii, aflm de visitarem a exposigaj. No d.a
9 do corrente s 11 horas da noute chegaram a
Trieste, continuando a viajar debaixo do mais ri-
goroso ioeegaito sob o titulo de coada e condessa
de Alcntara.
No dia seguale de manha o augusto viajante
andoa visitando Trieste acompannado pelo baro
Marco Morpurgo, cnsul imperial brasileiro, e de-
uois do meio dia saas mageslades foram a Miramar
onde foi a residencia da infeliz imperatriz Carlota,
do Mxico. .
i No da.l de oatubro, as 3 horas e 33 minu-
tos chegaram a Veneza suas mageslades impe-
riaes. '"
Foram parados na estaco do caminno de
ferro pelo prefeito, o conselheiro delegado, cava-
lbeiro Bi anchi, pelo cnsul geral rosi lente em Ge-
nova, commendador Perseani, e pelo cnsul em
Veneza o advogado do Bino. Saas majestades
acompanhados por 8 pessoas do sea sequilo, hos-
pedaram-se no botel Danieli. >
Metlelas da Europa.
HoDtem s 4 boras da tarde fundeou ao lamaro
o vapor francez Sinik, trazeodo datas: de Ham-
borgo 10, de Londres 31. de Pars 23 e de Lisboa
27 de oatubro. Eis o qae colbemos de jornaes e
cartas.:
ALLEMANHA.
O imperador da Aliemanha, Guilherme, pro-
auiewtt o seguinte discurso na abertura do rei-
cnstaff:
Honrados senhores: Qaando em marc.o pas-
sado vos di pela primeira as boas vndas, os tra-
balboa prelisaiaares para alecislafao regalar sof
freratn demoris e interrnpcSes por causa de
fMrra.
A vossa actividaledevia empregar-se princi-
palmente as questois que derivavam imma-
dialamenle da nova coastituico da Aliara iota.
Actualmente o exame do orcamento do imperio
ser a vossa priniipal tarefa.
t Traa-se de em pregar urai parte dos recursos
que devenios ais saceessos da guerra em satisfa-
ler aos estados federaos os adiantamentos que ti-
veram que fazer a favor do imparlo, e, por este
meio, de estabelecer um- relaco normal entre o
ornamento do imperio e o orcamento dos seus
membros.
c Tra'a se de introduz'r no orcamento do impe-
rio os territorios adquiridos pela Aleminha, doian-
do-os de instituicdit qae Ibes sejam communs com
o imperio ou que Iba sejam garantidas por esie ul-
timo.
c Trata-.-i de velar porque a siaacao exterior
(material) dos funecionarus do imperio correspoa-
d as exigencias que devem ser-Ibes impostas no
inturesse pub'io.
< Eu esperara que seria possivel apresenlar-vos
lamliem um orcamento para administradlo Jdo
exenita allamo, orcamento qua satisflzesse devi-
damente as n-tces-iddis do exercito ; mis os cui-
dados da guerra e mesmo depois dalla, e a obra
de reorganisaco em qae est empeorada ma
partedo exercito, impediram de formar esse orca-
mento em tempo til.
t Por consagninte vejo-ma na nscessidade de pe-
dir a vossa adheso a urna medida qae tem por lira
prorogar at o prximo anno o periodo de transi-
gi que a constituir) do imperio fixa para o er-
Qiraealo militar.
O or(imento que vos ser apresenlado nao
pede aos esiados federaos ontribui{5es para
o imperio mais elevadas que as qua j exis-
ten).
< O orcamento do anno de 1870 leve apezar da
guerra, um excedente para o emprego do qual vos
ser apreseotado um projeclo deJei.
A resolucao da queslo monetaria, que a cons-
tituir j coulii ao imperio, tem merecido a solicita-
da dos governos e o interesse dos povos. Julgo
chegado o momento de lanzar os fundamentos des-
la organisaco rist > qae se torna possivel urna re-
forma que abrace toda a Allemanha e que a situa-
rlo econmica nunca foi to favoravel como
noje.
< O cooselho federal o-eopa-se da deliberaclo
de um projeclo de le qae deve primero crear
urna moeda de ouro susceptivel de ser posta
em circulacao e lancar as bases de urna orga-
ganisaco monetaria commura a toda a Alle-
manha.
A eventaalidade assegurada de ama commu-
nieavo frrea entre a Atenuaba e a Italia pela
Jeissa, qae j foi objecto de urna deciso do re
ohstag da Allemanha do Norte no anno passado,
ser submeltida s vossas deliberacoes. Os gover-
nos e os parlamentos de Italia e da Suissa deram
um apoio tranco execuco desla grande empre-
za. Tanbo certeza de que os intereses econmicos
P.t*oo qo olla eslo ligados "nao seraq nie-
nos apreciados pelos goveruos aueiuaes e pelo Tei-
clistag ailemo do qae o foram pjr a jueties dous
paizes.
c Espero que o projecto de le relativo aos
fanceionarios do imperio poder ser-vos apresen-
tado.
c A indemnisaco de guerra, paga pela Franca
at hoje e a pagar nos primeiros mezes do anno
proxi.no, ser applicada, em grande parte, na ex-
tineco dos empreslimes que a Coafederacao da
Alomadla do Norte, tinha contrahido para fazer
tace as despezas da guerra. Ser-vos-ha apreseotado
o respectivo projecto de le. i
Confiando no desenvolvimento dura vel da si-
aacao interna da Franca no sentido do apasigaa-
mento e da consolidacao julguei possivel fazer pro-
ceder desde ja a evacnacao dos departamentos,
cuja oceupacao nos termos das ondicoes de paz
devia prolongar se at o mez de maio do prximo
anno.
Veris, p-la convenci concluida a este res-
peilo no dia 12 do corrente, as garantas qae subs
tituem o penhor abandonado Juntamente com
esta convenci ser snbmettida ao vosso exame e
approvacao constitucional, outra convencao relativa
s concess5es que deverao ser feitas pela Alemanba
afim de assegurar certas facnldades a industria da
Alsacia-Lorena.
t No terreno da poltica eslrangeira a minha
attenco pode dirigir-se lano mais exclusivamente
para o complemento e a consolidacao da paz cin-
cluida com ajFraoga que as relaedes da Allemanha
com tolos os goveruos estrangeiros sao pacificas
e teem o cunho de urna benevolencia reciproca.
Os meus esforcos coniinuaro a ter por lira fortifi-
car a conflanca legitima de que o novo imperio ai-
lemo quer ser um serio asyia de paz. Nesta di-
recelo, ia.-umbe-me a tarefa particularmente im-
portante, mas ao mesmo tempo agradavel de man-
ter com os visinhos immedatos da Allemanha, com
os soberanos dos poderosos imperios, qae com ella
confiaam desde o Bltico at o lago de Constanza,
relaedes amiga veis de tal natureza, qae a sua so-
lidez esteja ao abrigo de toda a espscie da duvida
al na opima> publica.
O peasaraento das entrevistas que Uve este es-
to com os monarchas deases imperios, fortificando
a coofianji universal n'ura futuro pacifico da Eu-
ropa, sera til realisacao de um tal futuro. Este
peosimeoto particularmente agradavel ao meu
coraco.
O imperio ailemo e o estado imperial austro-
hngaro, pela saa siluaco geographica e pelo sen
desenv Ivimento histrico, sao lio imperiosamente
chamados a manter relaces de ba vizinhangas
que a desapparicao de todo o vestigio de antigos
antagonismos dar a todo o povo germnico ama
siocera satisfacao.
c Semelhaote satisfacao ser experimenttda pela
grande maioria da nacao em presenta do desen-
volvimento colleelivo do imperio ailemo. Prova-o
o cordeal acolbimento qae recebi na qaalidade de
representante do imperio, em todos os pontos da
nossa grande patria. Este acoln rae oto encheu-me
de alegra; roas, em primero lugar, penetroa-me
de reeonbeciment para com Deas pelas suas
heneaos, que espero nao me faltarlo no futuro
aura de secundar os nossos communs e leaes es-
treos. >
4Este discurso foi muito applaudido, principal-
mente na parte relativa Austria.
O reichstag eseolhea para presidente o Sr Sim-
sons quasi unnimemente; os dous vice-presiden-
tes jao o principe de Hohenloe e o Sr. Weber.
O conselho federal regeilou por unanimidade
o projeclo de lei para se conceder subsidio aos de-
putados.
O principe de Bismark nunca consentio em que.
se Ihe dsse subsidio para affastar da cmara
quem nao tiver meios de viver decentemente em
Berln..
O principe de Bismark informou o conserao
leleral de qae o governo do imperio resolver as
sociar-se com a Suissa e com a Italia, para levar
a cabo o innoel de S. Gothard.
A convencao foi feita a 15 de outubro. A.Alle-
manha contribue com vinle milhSes.
esperado nos flns de oulnbro em Berln o
imperador d'Austria que vai pa^-.r ao imperador
da Allemanha a visita qae este Ihe (ez em Gas-
tein.
A Qozeta OIKctal da Allemanha desmente as
assercoes do Sr. Beneditti relativas Blgica, e diz
que o governo possue os documentos offlelaes a
tal respeito.
As negociacSes relativas Blgica eoraecaran.
a 10 de agosto de 1866.
Na cmara dos depulados da Baviera,
o ministro dos eolios disse qae o estado li-
aba direito da modificar as relaedes legaes
com a igreja qaando esta destrua tases desse
acedrdo; qae a doutrina dogmtica da igreja (ora
alterada, e que o concilio ultimo adoptara rasla-
odas perig*a* par* -o Miad, e que. o governo
cwtdera catholicos os adversarios da infallibili-
dade, e proteger as associaco;s que formrem
coacedendo litas os diretos qae linham todos os
catholicos na Baviera antes de 17 de julbo de
1870; data do novo dogma.
Accrescentoa que a governo est disposto a pro-
mover a promulgado de lea que assegarem tanto
a independencia do estado como a da igreja.
O treebispj da Munich, em orna pastoral,
chama sacrilegos aos padres psrteaoeates ao gre-
mio dos vel bes catholicos.
Os valbos catholicos pedem ao reichstag aile-
mo que os padres que adherirn) ao dogma da
infallibilidade, sejtra processados e percam os or-
damnados, beaaficios de prebendas I
Foi nomeado ministro da fazenda de Baviera
o director geral o 3:. Hicheter; o sea antecessor
foi mandado ministro para Berlira.
O parlamento bavaro foi adliado sem a po-
ca fixa.
O partido progresista da Baviera qaer ara im-
posto nico e progressivo sobre o rendimento, e a
abolico dos impostos indirectos pira beneficio das
classes pobres.
No dia 20. de ontubro houve em Breslau um
meeting de mais de tres mil cidados reunidos com
o fim de minifestarem syrapatbia aos altamas
austracos na resistencia as pretenjoas dos tch-
ques.
A assembla voloa por unanimilade homena-
gens a oppoiifao viril da Austria Allema, ao mj-
nls'.ro austraco H)heawan, e a cirapanha que el-
le abri cooKa os allemei.
Na Aastna nao p dem ser agradaveis estas ma-
nifestagojs as reg os goveroativas.
Foi chamado a Vienna o conde de Andrassy,
ministro da Hungra para ser uu vi lo sobre os ne-
gocios da Bohemia.
Assira qae chegou leve o conde de Andrassy
ama conferencia com o conde de Beust, e em se
guida ontra com o imperador Francisco Jos, a
que tambem assstio o conde da Beust.
A (firma se qne o conde de Beust dra a sna de-
misso no easo de seren aceilis todos os pedidos
dos tcheques. Parece que a Hungra aproveilan-
do as divergencias actuaos se quer separar anda
raaii da Austria, e que se o federalismo fr geral-
mente aloptado, o imperio da Austria Mear com
a Suzerania dos estados indepenlentes, e mais
nada.
Positivamente nada se sabe da demissao dos mi-
nistros, a cris-e inMIivel; succedem se os con-
selhos de ministro-, mas eomo a queslo de mu
danca de poltica, ser o imperador quem b> de
resolv-Ias, maniendo uns ministros e deraitlindu os
o otros. _J -^
r\ n r..vu <|UO erTwuoui (**V BB*** "
York, que era accasado de delapllappkfn % ab-
solvido no sea processx
FRANQA.
Foram trocadas no dia 20 em Verstiles as rati-
flcaQoes do cenvenio franco-ailemo, entre o mi-
nistro dos negocios eitrangeiros da repblica fran-
ceza, e o Sr. d'Arnim ministro plenipotenciario da
Allemanha.^
Em consequencia da troca das ratificacojs a
evacnaeo dos seis departamentos ficar concluida
no dia 4 de novembro prximo.
Pala convenci sao declarados neutros os de-
partamentos qae forem evacuados. As tropas
francesas nao poderlo occapa-los antes do paga-
mento da 4' prestacao de mil milhoes de fran-
cos.
Nao se considera grave a crise monetaria pro-
vocada pela especulacao. Todos os dias deposi-
tado muito ouro no banco de Inglaterra. Este
banco resolveu prescindir do descont na troca a
ouro de ontros valores.
O Journal Oflicial, publica urna nota refutanlo
coro vehemencia as calumnias dos jornaes bona-
partistas, qae teem dito que o Sr. Thiers exige
qae se Ihe pague em ouro o sea ordenado para
aproveitar o premio qne paga o thesouro.
Hi raotins na Corsega, que segundo parece,
se redozem a algumas manifestares bonapartis-
tas em daas povoa(5es. A esquadra couraeada
sabio do golpho Jean, em direcelo Corsega. Os
autores da molla vao ser perseguidos.
O governo francez deu licenca ao principe
Napoleao para atravessar a Franca e ir a Corse-
ga; nao Ib'a poda negar, mas preveoio-o de que
se bouvesse alguma desordem, tomara o governo
as medidas qua julgasse necesarias a bem da
ordem.
O principe foi a Ajacio, e o governo mandn o
prefeito de Sadae et Loire o Sr. Ferai para
Ajacio.
O principe Napoleao j est em liaba.
Os jornaes censurara speramente as pala-
vras do ex imperador Napoleao qae pabli-a o
Times, em que mantm os seus diretos sobre a
Franca al qae am novo plebiscito >o lenha deter-
minado.
Napoleao est de novo em Ghiselliarst; nega
qoanto refere Osear Lessioes a respeito da Blgi-
ca e diz que nao considera solido o actual gover-
no francez.
O duque de Aumale foi eleito presidente do
conselho geral do departamento de Oise.
A maior parta dos conselnos geraes depar-
tamentaes foi eleito entre os partidarios do actual
governo.
O Sr. Thiers receben de sna santdade. a
bulla que o nomea na qaalidade de dux-franco-
rum conego de S. Joio de Latrao; graQi que
compete ao chefe do gremio franceze pela qual
a Franca tem pago a esmola de 24 mil francos
annuaes ao cabido daqaella cathedral. Este pa-
gamento foi suspenso por Luiz Felippe e renovado
no tempo de Napoleao III, e continua sob a presi-
dencia do Sr. Tniers.
O governo pontificio nao conceden ao Sr. Thiers
o titulo de presidente da repblica mas o de dux-
francorum.
At o dia 16 de outubro foram postos em
llberdade 8,910 prisioneiros qae tornaran) parte
na insnrreicao de Paris.
Confirma-se oficialmente a noticia de que o
general La Croix aleaocoa vantagens sobre os in-
surgentes argellinos, aprlsionando-lhes muitos che-
les.
BLGICA.
belecer um campo onde aonaalmente se facam
manobras eteitoraes.
ITALIA E ROMA.
; Devia reunir-sa no dia 17 de outubro o con-
sistofv.) secreto, mas foi prerogado em coasequen -
i varias difliculdadas a respeito da coafirraa-
hspos.
iz-se que o suramo ponlifice, mandara um
OTP na a que o futuro concava se reanissa fra da
Uatia, em qaalquer cidaile da Franca ou de outro
- Parece qae o imperador Guilherme convidou o
etnissario eolender-se eom o principe de Bis-
mark que ias dea ratpvetas evandas.
O imperalor Guilherme escreveu urna carta au-
tbographa ao papa.
j Eotra os motivos da retirada do embaixid n
francez junto a Sua Sautidade segundo se diz,
por ter querido o Vaticano infringir a concordata
na nomeacao dos bispos para as dioceses de
anca.
E' esperado em Roma nos fias de oatubro o
principe H xberto com a princez* Mirgarida.
O congresso prabistoxico de Bolonha resol-
veu, ao encerrar-se, que a prxima sessao seria
na Blgica. Durante a sessao foi recebi lo pelo
congresso ara telgrafo na do governo belga agra-
decendo ata de :isao.
- AUrio-se o 5* congresso medico, em Rorui.
, O t'jael do monte Genis entrou era eipl.ua-
aao no da 16 de outubro.
As sociedades operaras de Rima nao que-
ram lomar parte no congresso oparario era no-
vambro, porque e progrmala favorece a interna-
I.NGLATkatU.
A ranha Victoria esta lsate ponto da nao
poder voltar a Wiodsor no da 3 de novembro
como eslava determnalo.
J a nao servem senao a> damas da honor ; cas-
son o servico dos pageos.
Teem sid) recabidos quasi ofUcialmeote pela
raunicipalidads de Londres o prefeito de Pars o
Sr. Lion Say e o presidenta do consellu municipal
di raesraa cidade o Sr. Vaurin. .
Teem se fallado muito da negociabas entre
os operarios e es lords do partido tory, mas pare*
ce que esta ailiaoca singular se nao rea'isa. Os
operarios fizara guerra,ao governo.e eoteadera qae
elle nao attende sufllcjeoieraenti s necesidades
d'aquella classe, mas nao adm'ittem commanhao
poltica com os lories. Uaem-se para a guerra,
como em outros paize o fazen faceras polticas
mais oppostas, tem saberes como hao de censtl-
tor goverao quanlo chegir a occasio de gover-
nar.
Os exemplos de New Castle vo se propa-
gando. Eu Leeds as patrdes concordaram com o
pedido dos operarios reduzmdo a nove as boras
do trabaiho diario. Os opsi^os ioglezes tratam
mal os operarios estrange"
^BV^iaiaia igreja a 4o
iaajloxoj pudo
Continaara as de-intelligenciaa entrf os opera-
rios e os patrSes em Loavierf, Sart, Lonschamps
Bois, Dulue e Pronne. Os operarios pedem di-
minuirlo das horas de irabalho. Em Gand tre-
zentos operarios machinisus pedem a reduegao
do trabaiho a 10 horas por dia, sem diminuico
de salarios, e com paga dobrada pelas horas sop-
plemeniares. Ideticas exigencias flzeram mais
de irezenios operarios das fabricas da liacao.
Esto se publicando os documentos das re-
laedes do ex-imperador Napoleao, com um joma-
lista belga, que tinham por fim fazer obter Ido
imperador a corda da blgica 1
SUECIA E DINAMARCA.
O ministro dos negocios estrangeiros da Saecia
o conde de Wachtoueister, cahio no dia 14 em
urna das mas de Stockolmo, ferido por urna apo-
plexia fulminante que Ihe causn a morte inme-
diata.
= O ministro da guerra da Dinamarca apre-
sentou ao Rigilaz um projecto,de Wpararse esta-
la. e_
maift*!*vrrepreseata as aspiraces de Paris.
Os cheles e delegados das sociedades demo-
crticas de operarios reuuirara-.se em meeting no
dia 16 em Londres, e declararan) que trabara con-
fia Dr a ioteira na poltica do Sr. Gladstone.
O Sr. Gladstone declarou que nlo polla man-
dar soltar os presos fenianos, porque eslavam pre-
sos por crimes que nlo eram poluios.
O marqaez de Losoe, o conde de Derbey e
de Canarvon e o Sr. Gathorne Hardy, anligo mi
oistro do interior, escreveram aos jornaes des-
mentindo o boato da accordo entre os tories e os
operarios.
O Sr. Odda Roussell, foi nomeado embaixador
para Berlm, o Sr. Andrew Buchanan para Vieana
e lord Loftus para S. Petersburgo.
O representaste do Brasil em Paris foi no-
meado pelo sea goverao para tomar parta nos
trabalhos da commisslo arbitral que deve resolver
aqaestodo Alabama.
RUS3IA.
Dizem de S. Petersburgo qae a Russia permitte
aos emigrados polacos nio compromettidos em
questoes graves que voltem Polonia.
O miaistro portugaez em S. Petersburgo,
faz urna viagem no interior do imperio at oCau-
caso. Estava de volta em S. Petersburgo no da
23 de selembro. .
O principe Milau da Servia parti para a Cn
mea para cudprimentar o Czar.
TUBQUIA.
Foram degradados para a ilha de Chypre, Hus-
sein Pacha que foi minis'.ro da guerra ; Hassin-
Pach que to ministro da polica, e Emiz Bey, que
foi secretario do sullao.
Volta a Turqua aos antigos tempos, e dentro
em pouco ficar destruida a obra de Aali-Pach.
Cintiniii o cholera em Coostantiuopla I O
bairro mais atacado o de Khassani-Pach, que
o mais inmundo da cidade. O numero de fal-
lecimentos tem sido de nove por dia.
HESPANHA.
Comecou no da 16 no congresso a interpellaclo
sobre a Internacional. Falln o Sr. Jove y Havia
acerca do manifest publicado por aqaella asso-
ciacio, dzendo que o combata em nome e em de-
feta das classes operaras; mostrou que os co-
nhecidos desejas da internacional sao fazer des-
apparecera familia a nacao e o exereiio, e que
por isso tal associacao devia ser declarada fra da
lei. O erader disse que a Internacional inimiga
dos direifos e da liberdade e que por is30 a com-
bata, cumprinlo os preceitos constitucionaes.
Responden o ministro e replicn o Sr. Salme-
rn que propo?. um voto de censura ao ministro do
reino, pelo discurso que havia pronunciado no
congresso estabelecendo solucSes inconstitucio-
Daes, e usnrpagao de attribuiQoes do poder judi-
cial, ao declarar que a Internacional est fra da
lei e dentro'do cdigo penal.
O ministro da fazenda j devolveu com-
mssario parlamentar os onjamentos apresentados
pelo ministerio Zorrilla e nao Ihe fez a mnima al-
tera cao.
O Sr. Marcoart propoz ao congresso presidido
por Sir John Pactrigton que a Inglaterra e a Has-
panha celebrem ara tratado de paz e concordia
para resolver por meio de arbragem internacio-
nal todas as questoes qae possam saseitar-se ; qae
se faca ama nova convencao postal : e qu) a In-
glaterra diminua os diretos sobre os vinhos hes
panhes e portugaezes. Esta proposta foi apoi-
da pelo Sr. Mundella, membro do parlamento, e
approvada com applausos.
Picoa sem eHeito a noraea5lo do general Mi-
lans del Bosch para capillo general Interino de
Madrid, continuando a exercer esse lugar o gene
ral Peralta.
O manifest do partido progressista demo-
crtico fai redigido pelo Sr. Revero.
As fl)res de Tiz das armas hespanholas (Bour-
bon) vio ser substituidas pela ernz de Saboia.
O general Espartero escreveu. aos amigo de
Sagasla e Zorrilla deplorando a divlslo do partido,
progressista que qnalifiea de funesta para a pa-
trie e para a liberdale.
O Sr. Emilio Castellar na sesslo de 18 cam-
bateu o voto de conflanca qae aSJavia proposto
para o governo ; resella toda^flBlariedadc dos
republicanos com a Internaciona, mas que sus-
tentar a legalldade da propaganda e da organi-
saco internacional.
O Sr. D. Manuel Becerra apresenton. as cortes
urna proposta de lei para que qoalquer hespanhol
de maior idade possa defender-se ou ser parte as
cansas cr.raes sem neeessidade de se fuer repre-
sentar por procurador eo ser defeaddo por advo-
gado.
A aoliga rainba mai D. Maria Christina renun-
cia tatella de sea neto que Ihe fra confiada pe-
los moderados na intima renaiao qae houve em
Paria.
A Sra. duijuera da Pnm eseolhea o Sr. D.
Chiisliao Martos, para, tan representante e advo-
gado no proceiso instaurada contra os assassinos
daqaeJIe general.
- MI em Geoebra o duque de Montpeasier.
Os operarios de Bator estao em grve ; tem
havjdo desordeos entre ellas e a polica. Os fun-
didores de Valencia tambem esli eos grve ; re-
solvern] abrir am* officins por as unta.
PORTUGAL.
Em 27 de oatubro escreva nos correspon-
dente de Lisboa :
< Pouco ba que dizer. As cortes fachadas; os
projectos do novo ministerio anda ignorados no
paiz, tranquilidade invejavel ; muita gente anda
ba poneos dias as praias; relacoes externas sem-
pro as mesmas ; a.folba oflicial sem nina peca im-
portante ; os jornaes de polmica, vivando de re
taliaedes; os noticiosos da pequea ebaaaiea ;
muitos dos jombalas, em Madrid otee foxam vi-
sitar a exposicao de hallas-artes bispaao-lu-ilana ;
assira realmente d.fflcil achar qne atzer mesmo
para ama folha de Lisboa ou para aai jornal de
provincia, quanto mais pira exportar I
< O governo compe-se de alguna borneas emi
nenies e muito experimentados, e outros de talen-
to a saber a todi pruva, mas novo', eomtalo, an-
da nao manifestaran) a saa iniciativa ; suppe-se
todava que meditara nos projacios que deverao
ser apresentados ao parlamento para jaaeiro ;
transpira um ou outro boato, e lica tu lo por ora
oo consta e no parece que...
A revolta da India com que meio Portugal se
alvoracoa em setemaro, porque a outra metade
ce n deu por isso, creio bem, pareca ter aborta
do, sendo nacilicada la mesmo.
Dos corpos expedicionarios, o de Ia liaba (caca-
dores n. 1 qae devia partir) teve contra ordem,
Qcando, purera, de sobre aviso ; o qae se havia de
organisar de novo tem commandante, tem major,
tem os ofilciaes todos, sem Ihe faltar am so, mas
alada ha psacos das nao tinha os dous tercos dos
sol da-lea de qae precisa va para completar-se. O
offlcial da armada qae foi a Inglaterra comprar
aa vapor transporte anda o nlo comproa, e a
tropa que ha de ir para a India nao se sabe an-
da qaando ir, anda que j se afflrma ser o dia
4 de novembro o aprazado para a partida.
A corveta Eslephania come sabio barra em fra,
logo" logo, que nlo tardar a chegar a Ga. As
ultimas noticias daquelle navio foram j de Port-
Said.
i Pela mala recebida hornera da India, mais
desenvolv Jmente (abamos o qie os apparatosos
lelegrammas do visconde de S. Janaaro nos ti-
tbam dito.
. Bo raaiiHj, u qne <\a varias corresponden
Cas consta o o segrate, eom que (fosco atentare-
algamas* parlicipaedes e'mcTaes que Uem mais
luz aos acontec meo los.
t Tomando como pretexto a exguidade do sold
e a consideravel redcelo no namero de pracis
do exercito da India, revoltaram-se segaidamsote,
de combinadlo, nos das 21, 23 e 24 de setembro,
os batalhss de infantina 3, de infamara 2, e de
eaeadores 1. O batalhlo de infamara 3 estaciona-
do em Bicholm dea o grito de alarma prendando
0 sea commandante e marchando na manba de
22 para a velha Goa, onde foi esperar o batalhlo
de infantera 2 estacionado em Ponda e eaeadores
1 de Marglo. O batelhlo de infartara 3 prendeu
o commandante por nao querer adherir re-
volta.
t O governador nao raarchou con'.ra os revol-
tosos para os obrigar pela forca obediencia por
ser muito dimroata a forca disponivel dos dous
corpos da guarnilo da capital, arlilharia e guar-
da municipal, uracos qae pareciam cooservar-se
fiis ao governo, aom qoanto muita gente estivesse
persuadida de que os corpos da capital eram mais
dos revoltosos do que do governo, e que e'tavam
esperando nicamente a occasio para passarem
para os revoltosos. Ao todo eram 230 pravas, ten-
do o regiment) de arlilharia apenas 4 pagas. Eu-
ropeus apenas havia 28.
t Eis a proclamadlo do Sr. visconde de S. Ja-
nuario aos revoltosos :
t Hibitantes da India Portugaeza.Pelas 11
hora3 da noita de 21 do correte o batalhlo de
infifltaria n- 3 estacionado em Bicholira ievantou
o grito de revolta, prendendo o sea commandante
e marchando aa madrugado do dia 22 para a velha
Goa, onde foi esperar o batalhlo de infamara n.
2, estacionado em Ponda, e cagadores n. 1, Je Mar-
gao, dos qnae3 o 1. se revolucionou no dia 23
pelas 6 horas da larde e o 2.* no dia 24 pelas 8
oras da manbaa, marchando ambos eom destino
de fazer jaocelo com o 3." qne os esper&va ; o
que indo denuncia um piano premeditado.
t Percorreu a notieia d'este acontecimento o
paiz ioteiro, deixando nlo s o pasmo mas a re-
provaclo na sna passagem. Ninguem sabia, nin-
gueaa sabe, ninguem imagina sequr o motivo de
semelhante commetliaaento, e quando mais tarde
os revoltosos ousarem dizer o pretexto, que os fez
desviar dos seus mais sagrados deveres, para com
o governo, de quem sao subordinados e para
com a sociedade, de quem devem ser salva-guar-
das, teremos de lamentar a sua cegneira. Urna es-
peranca rae resta :que a propria consciencia
os levara ao caminho da cordura, nico onde po-
derao encontrar a clemencia de sua magestade.
Deseanse o paiz do sobresalto qne o tomn e
confie que hei de empro^ar todos os meios para
manter illeso e digno o principio da autondada._
t Confie em que por seraelhantes meios nao
farei concessoes, eo, que me preso de ter sido e
ser o amigo do exercito, de ter advogado os s?us
justos interesses, de Ihe ter abarlo novas carreiras
e borisontes e de Ihe ter sempre feito Justina, tra-
tndolo com paternal solllcitnde.
t Mais alto qne a voz ronca da rebellilo falla a
voz da coosciencia : diga o paiz, diga o proprio
exercito da India portugaeza, se nao urna fla-
grante ingratidao o alternado inaudito e iasohto
que se est preseociando.
< Para onde caraiaha a rebellilo ? Tentara por-
ventura escrever era volta das quinas gloriosas da
sua bandeira algum nome pioprio por divisa f
escreva um principio e levante-a I nlo amesqui-
nhe o vendi que foi saudado cora respeito, e ara-
do hoje o com amor, em todos esses raarese
em muitas dessas fortalezas. Eu nlo, qae o nao
arrastarei palo p imparo do mesquinhas ambi-
cies. Immaculada m'o entrejou sua magestade
fidelssima, iraraacalado se alo victorioso, Iho
quero restituir. Sa algumas oadoas Ihe alterarem
a alvura nlo serlo nodoas que o deshonren) serao
dos seas neis, qae rnorrerao abracado o, impol-
latos como elle. -
c Nem esta trra consentirla qae eu viesse des-
lustrar glorias que lodos os povos nvejam.
c Pois qae a revolta veio, falle a revolta 1
leocia. IIi de-sustentar desasaorabrado o princi-
pio da autoridad*, qae est defendida aqu por
raeia daziade bravos dos dons pequeos corpos-da
capital, decidida a mostrar que mais vale a forc
do direito, do que o direito da forca.
a Tenho por mor o apoio do paiz, ellas teem.
nao por si, mas do goa, o terreno ejoo mgiw,
Compran) as autoridades o seu devBr I ajode-m
a opinio publica I e nao receie o paiz, Jhtdo
na minha inquabrantavel determinara., m> poder
da Justina o at na coosciencia dos desvSMes.
Palacio do governo geral em Nova Goaj' 15 di-
smembro de 18710 governadir geral, fitcondr
de S. Janmarid.t
i O Diaria 4o Governo de hoDtem nem meia
palavra a tal respeito I
Se a revolta effectivamenie merece tanta rheto-
rica, on se as revoltas na India Ponagueza nao
passam das lllipuiianas proporeoes que Ibe di o
ultimo numero das Farpas, nao o sei. Se s> ape-
nas babad que este chistoso parapbleto Masai
descreve, limila-se a cousa a bera psueo, ando
para deplorar, o multo qne o governo ceairil tem
deixado de atiander s amigas e sueeesetaa re-
clamaQdes dos governadores da India, afaipoot.
que o visconde de S. Jaauario apenas tinha Junto
a si 23 europeos I
t Urna carta de Nova Ga de 23 deaelWBbro,
de que o Jornal da Norte dava bontem extractos,
resa assim :
< Tenho pena do visconde de S. Jaouario. Fez
quanto pode para obter meias de governar. Nao
In'os deram. Agora lem na frente urna revolta
cujas teneres ignora, e nlo possue o mnimo ele-
mento de forca para sustentar a sua antondade.
Se os revoltosos marcharen) aniaobaa sibr a ca-
pital, a gaarnicao fiel insubordina se e capar de-
dar cabo do governador e das aaioridades. E lem-
brar-se a gente qne para evitar esta desorden), e
os prejaizos resaltantes d'ella, bastava qae o ap-
verno portaguez tiveste dispensado de acorapanbar
as procissoes do reino 200 soldados e os houvesse
mandado pira cal*
N'onlra da mesma dita l-se o periodo se-
guinte :
t E' geral a indignarlo contra o governo da
meiropole, ao qual se pediram todas as providen-
cias que melhoranam a provincia e qne impedi-
ran) a revolta. O governo resisti a todas as sol-
hcitacoes, s mandn para c resolvido o grave
negocio substituir as eleices de deputados u Sr.
D, Luiz da Cmara pelo Sr. Jos Maria Lobo
d' Avila.
c E' notavel tambem o que se l n'ontra da
mesma data :
f Estamos em plena revolta e somos aqu 28
earopeos. Assim mesmo orgaDisamoe a defeza,
j temos barricadas, e preparamo-nos para vender
cara a vida. Os corpos da capital sao mais da re-
volta que do governo, e possivel que no momen-
to do perigo nos desamparem. Sao no todo 200 a
230 pracu. O regiment de arti baria tem qnatro
pecas I Como os governos de Portugal tratara da
India I.
cao publica durante esta quinzena, senao qaando,
rebenta bontem da tarde a inesperada noticia de
que o governador geral da India telegraphra no-
vamenie ao governo nos seguintes termos :
Intentan resoltarse outra vez; estou pre-
parado.
O Jornal da Noite ac rescentava que o goverao
vai tomar todas as providencias para apressar os
soccorros que devem por a India ao abrigo de ae-
melhantes tentativas, as quaes merecem exemplar
castigo.
e A maior aclividade, pois, se tem empreg id >
para apressar a sahida do batalhlo expedicionario,
de qae commandante o major de infamara (pro-
movido a tenente-coronel) Domingos Antonio Go-
mes, que servio alguns annos no ultramar.
i Telegraphou-se lego para Londres ao Sr. Car-
los Testa, distracto offlcial da armada que fra
comprar am vapor transparte, afira de terminar
quanto antes a dita compra.
c D'esta vez, de crer que aos brados da lo lia
afilela se Ihe acuda com a mxima promptido
A energa do goverao em setembro, por o*,casilo
dos primeiros telegrammas do visconde de S. Ja-
naaro, foram louvadas sem discrepancia. O mes-
mo nlo succeieu ao nacionalisimo repoaso com
que afrouxoa, depois dos segundos telegrammas.
Serenada ou nao a revolta na India por pro-
messas de amnista ou por outros quaesquer moti-
vos, enmpria que se zesse marchar lmm>-dia-
tamente urna torca respeitavel de primeira l oh..
A organisaco de corpos expedicionarios para o
ultramar demorada, e nio tem dado bons resul-
tados. Sio compostos de pracas que nio so co-
nbecem, e em geral das peiores pracas de todos
os corpos, cujos commandaotes aproveilam o en-
sejo de expnrgarem o corpos dos disculos e in-
subordinados.
< A disciplina em taes corpos improvisados obe-
la a ser um milagro, porque os officiies nao lem
all tradicoes, sao tudo elementos heterogneos.
Mas sobreiudo as demoras indispeasaveis.
Agora, de crer que se aproveite o offereci-
manto de S. A. o infante D. Angosto.
c Mal parecera ficar o principe ero Portugal
depois de lio aperladas se mostraren) as circuns-
tancias.
c Do mais que fr occorrendo, verei se posao
informar os nossos leitores pela mala do Chrysote,
de Liverpool, qae deve chegar amanhia oa de-
pois.
i A corveta Infante D. Joao e3la ara Ja em con-
cert?, e o ministro da marraba pretende que elle
saia barra a 15 de novembro prximo, mas
para esse tempo anda nio de crer que estejam
coocluidas as reparaces. E' commaodante Ja
corveta o valente capillo de fregala Viegas do O'.
Ir Ga render a islgeaatia, devendo esta se-
guir entao para Maco.
c Ha dias o Diario ie Noticias publicava as se-
guales liabas que deram que.pensar e que hcis
mar a muita gente :
c Diz-se ha das com certa reserva que str
dentro em pouco reconhecido offlcialmente o con-
sorcio de sua magestade el-rei o Sr. D. Fernand-.
com a senhora condessa de Edla, e quo apena*
seja publicado na folha offlcial o documento res-
pectivo, sna magestade far a todas as cortes a
partcipacao em forma, sendo dahi por dianta. a
senhora conlessa recebida no paco cerno esposi
do pal de el-rei, e oceupando o lugar da etiqueta
as sol unidades. >
A correspondencia diaria de Lisboa para o
Commercio do Porto, centava o boato por esta
forma : ,
c Diz-seem algans circuios, anda qne eom cer-
ta reserva, qne um dos ministros por mais de urna
vez tem mostrado aos seus collegas a convenien-
cia de ser reconhecido offlcialmente o oasamentu
de el-rei D. Fernando com a senhora condessa de
Edla, e qne d'este assnmpto se tem tratado em
conselho de mioistros.
c Como todos sabem a senhora condessa tem
entrada no paco e convive fmiliarmente coro e:
esposa, mas por '*"
Isir-
entre de novo nos seas qaartes qae sio os pala-1 re D. Luiz e na.*fa*l*il-
cros de honra do militar; as enernzilhadas e os qae o casamento nao fo arada rojeado oO-w
desvos nio sio para soldados portugueses. mente a senhora n*^^^*00^,.
Repare be a revolta qae obriga o com-marola real, nem,nas grandes^^J?^0,",:
mercio a fogir espavorido ; a agricultura a as- aluda se nao ^erlflcou a sua apresemaio em tor
conder-se ; as coHieitas a mallograrem se; as aa- roa. Accresce, que el-rei D. Percal ,,
las a fechrera-se, tudo oaatfo vida, alegra,! panbo em qne o W fw10 % jS?L
ventara, a vestirlo de loto a n desapparecer. nas diversas cortes da f^^^J^^
bem que coatnsta- reconhecimeoto offleial que o re uu mnuj..
n A de eslvlo '
Era nalaralisslmo qne tal noticia dada auim
.
m
. Espero serena e firme, su __
do, o desferh d'este desviraraento que oao alte-; como e de estyio.
rara a minha justie. nem raesmo a m'nha benevo-
MUTILADO


&

20=
Diario
AYimn -
de Penwmbnco Quinta fera 9 de Novembro de Ib-


e con lt logia doaamoMdt, M**ttUuM
iee>pe;ada e abstraa ue ora a todoi os animoi.
O caso era reno para o qaa emenda, qae na de
realeza, embora constitucin il; nao pura cerne-
da, citarla ros se pe/saalem ...
CiiaoiaVm eia* n itci.is coa) o ssf ainte au-
nuncio o* qaa/u pagina da lodos os Jornaes :
c Joao Amonio dos Sanies Mooteiro Lacerda;
declara peranle o publico, todas.' atoridadaa
-que deixoo de ser edictor re" .<4 dos pam
phletos pelo aator da,Xd' V-v
- tes termos : Mr ^
O Sr. loio^ ,,o d<* Saatos Moateiro da
Lacerda, jais elVw da fragata! da S, exou de
ser edletor responeavel due pimphletos qus sahiam
pelo autor da Linterna.
O Sr. Lacerta bem te era deixir deaer edic-
tor responsavd do laes folletos, por fax* Me (em
dado grandes eoooaraodos, e jae lio podan] cau-
tar serias eonseqaea cias.
Dias depois o viturio de. NMttia$ cantara
a palinodia assim :
c Informales 1 temos por (idelignas nos as-
segurara Dio ser verdaleiro o boato que lia dias
circula, de que bonlm (hemos raeneie, c que tam-
teaa- vae MgMrad aaalo -4eaavoiiro8PU>
na excedente correspondencia do Commercio do
Porto sobre o ir-se em breve cuidar do reonha-
cimeuio pfiial d> consorcio de el-rei o Sr. D Eer
naedo. Nad se tratou tanteen a tal respailo e
coaselbo Je mioistros, coiro ainla accrjjcen'.ava,
o boato, que nao obstante, continua a circular, i
t Ao qae Iha respjndia sera perla de lera^p o
Di ir i i Popular :
P*reca jua Sr, Foata* v'4a d*> f imt re-
conhecer o calamento do Sr. Fernn lo com a
sennora condessa de filia, mar que se vio obriga-
do a recuar em vista do desfajar cira qae a noti-
cia do sea proposito oiraeabidiBolo p:iii.
< Apeiar de advers.irhs do Sr. Fumas julgamir
desculpavel esta sua tentativa Tola a gente sabe
que o Sr. Ftiles deve es^a favor po p^co a a
IIjuncia do palacio da Nac*s Jales s bre o d.
Ajada. S. Kxc. matufasland-se reconhecido, pro-
va orna boa qudlid.ide, o que deve ter-lhe levado
em con la.
Mas nao repita a tentativa para jue nao o jul-
goem.trapeoit.mte, apozar das ligues di historia
com que lu tur apr^veitalo
A Revoluplt>, folha ministerial dea qua tro eos
tadoe e orgao sa-ni-oioial entrava muiconversp
com estas simples palavras : at a al
Podemos asegurar que coraulelameae falso
e destituido de qual juer uudamaato, o boato re-
produzido por al'uo* jornaes a papo i i lo eaaa-
raento de sua magestada el-rei o Sr. I). Fer-
^ftn'd
ada que um tan:o longa, digna de irans-
criscSo respaila do Diario .Popular :
Meditemos. A essencia d'esle artigo e a sua
forma impoem med lacio.
A lurraa prova que o artigo de origem ofll -
jal. Foi o governo qae collocou a Reooluclo dr
SeUmbro em eoasicdas de poder assegurar. Se a
Revotuqdo pile assegurar e porque oministeri)
Ibe comraunicou o nocessario para ella poder os
segurar. 1) roo Jo que a noticia netessariara-n-
te de origem ministeria'.
< Seods de or gera ministerial cresce a v male
de meditarme.
O ministerio julgou necessario desmentir o
de tae eeheidaeeiaa e ee ues r>t4<,-< etepara-i-ierw, Wte couba porm^rtede sua desventara

i
roa-se para admirar e apj'laudx o resto 4i espec-
ucul,
< Agora, nm poeeo tarde, acode*-Iba cora estas
Qaliaodias, guando ialvez nao p'fJltnHii^MUloh toClpan-se brevemente em
trigoita palaciana a revelacjo desses aoabieHSdi i##l*ii> ex-irap;ratriz de
planos
< Ha dias ama folha ta Setofeil'dan eotleia de
que o titulo.de duqaeza da Cintra -ia ser dado par
el-rei sua madrasta,
< Eis o que hi, era mais neto menos. JT o
toe se diz, a que se tera eaattpt >, e o que aftaas
consta.
t Nao repit > ama s asa queala sej da e-
mioio pubKco.
Fa;a Ibe cada nm os seos eomioeptanos, pois
alo sarei eu que ennegreca o quidr >, n -n prive
o discreto leitor de juigar em prteira mao sobre
o aasuopto.
Parece que esta.) ajrera am jofJhar p.,aa nns-
sas relas cora eeariairoauH talvez,no seja
*feiso quf aaUlu dn^PliuuiiT'ifcMaiaepara
remover as diffleildades qus se teera apreseatado
para a conflrmacSo do alguns bispos uliiuiamente
eleitos pelo governo de Portugal. "-
< O Ilustre nialgo que tinba vinlo Lisboa
ato-dj*4afaia para Boma! ja rogroaaoe aaa eaa]-4'H.
da lina D. Uaudiaa AdelaiJe Gutmari-*, espo-
sa qae foi de Vuira de Castro, acaalnaole eam-
prindo degredo na frica Occidental,
Lisboa, de volta
*. E-t cerrendo conearso de 6^iV-para 0'
preenchirnenm de um lugar de socio tffectiva na
t elMseda Academia real das setnelas de Lis-
boa, na seceio de historia e antiguidades, -endo
considerados candidatos tolos os aoao curres-
ponleoiea.
Uulge tar-lhe dita qae o govesao inglesapre-
sentara, ha pnuco tempo, ama raclatnacao acer-
ca ilc diversos territorios na kahla de Loorena
Marfuw. Fuadamon*a-se a reclama^Lo eos se*
guiutes pontoB : O governe iagsac pretende
sustentar o diaeito qup suppSj ler a as teHtrios
e rio de Terntiy, Mopai e lolna, a iifca Iulia
ea edee Elephaotes, e contesta a uosso dkToito
ao rio Molli ce. >
Fallecea a Sra. condessa Tle Ponte -flojri.D.
Maria Jos de Tovar e C>sta, em Caxias, ea easa
de,leu g :nro o viseonda de Ovar. ra -
viVaate caada 4 Foete N iva qae eomm
I* divisao militar depcis dos aconiecimea
dtado Hie aquella ama patida-tn csndieiro e dt*r-
raaando-se o petrleo inflara nado pelo pavimento
de aaddi;a, propagndose d'abi o incendio ca-
sa e as resto da eidade. A excitic^o do povo n-
tea dos progressos das cbaramas Hiegau ao seu
cmalo. Foram presos diversos individuos qae
m sappaohi serem os iacendiartos e e povo que-
na fazila-los ou enforca-los. O numero depw-
soas moras calculava-se on Sn, e as pardas
materiaes em 300 milhSos de pesos. O incendio
e*Uacompletamente liad. Pitrulhaaajtia)*-
*** liltinham a ordem. Cbegavacn auxilio e
prov.-in com abundancia e tieaa-se aserto
jjofferas n3) abnngijm seifflo ama parte da
repob'ica. Receiava-se pelo resto.
para soecorrer as vhtimas. Nume
As da camiaoka dar* abrigo mal
ote qae tinha flaade aam casa.
despacho desea eidade, de te, diz qae
o para alRviaf asdatfracaaprolozida~
io de Chicagoj j se aevava a 500:000
de Thomar.
t Fo nomeido embalxador de Portugal era Ma-
in! o Sr. Meale- L?al, que nao acceitoa.do part
d> regenerada* t3o henros misslo sera ounr a
opiaiao Iqs ira.ambw rqaicoospjcup dojoarUd'
histrico, i qne nsrlnce. A noraitfio fof af>plau-
da por grecos e trvanos, .fira tlecraraoia de
adrid eonst qa esta nra^io foi lii rauilo
oom rajaaida.
Parece qae o Sr Sant'Anua e Vasconceos,
amigo deputado 'cortes, est noraealo cnsul de
Purlugal em Brislol.
'Segando o retatorio da companhia das aguas
(le Lisboa^ qa* ha de ser diseatlido em ssembla
eral de 30 do correte, devem comecar breve-
menta as obras da canal saco do rio Alviella. O
cuito total dessas obras est oreado em 3,f8JKKX)|
sendo -.obras de LirtMa, eomprehodendo raser
vatorio em chagadalfira 11:000 metros fceohaos,
tres machioas da forca de 80 cavallos, redfeio
respectivo e accaasorio, eaaallaa^io de ferro paraj
a elavee>1o da agua, a 'leer anecio na red- geral-^
tSOdonMtXik.
< Priaitara saer.vi do eaaal de Li-b> s O'.ta
(i!).6m* anatiweorren'e-) raMal at aos o'nis
d'agua de Otta, capetagem l:17i contos.
A cliraeco sappo> qae ni* .era preciso che
gar fiz;r todas esias obras para recorrer s ne-
i:.i-sidides de consumo, e que anda raas'mo que
seja mistar fazo-las, aio tora de gastar tanto Cira
ellas, porque os orcanientos eetao elevall-eimos.
O cusi do canal por kilome.ro da VHO^aSiS,
o i-ie i \ le oprec dos caeaas deBird)s, de
It niis do 1! inne, uenhum dos qaaes ax*ede a 21
SV urea abra coDossal esta se se chefir a con-
eloir; maa bi qaera pense qae a pmpanhia tal-
vez poJetee abastecer di agua a capital sera ser
f reata aqaeKe grande sacriSco. Se istt tem
fundamento, erfa prud.mt-, diz um folha que
teoho i vista, -qae a comoanhia represeotas'e ao
parlamento pedila rflteraca no c nirato primitiva
eeqaitativ cooess n'sse leaHdo!
c Acaba de -er pealiorada a in'S.I do Sr. Mi-
noel da Saeta e Silva, ex-iriurl livro do WMeiia
boato do rejonhecimento ofcial do casamento do I conde de Farrobo, por execacj que Ihe promo-
r. O. Fernando com a senliora coniessa d-E 1.a. | vita rm coi)SH|ieocia de leltras qae assigara
Por que ? Por conveniencia do Sr. 1). Fernando
por conveniencia da seuhora conde-sa d por conveoieacia do proprio miai-t-sri f
A pnmeira bypothese nao admiiHivel. 0 S'.
D. Fernando nao pola deixar de desjar o reco-
nbeeiment offl;ial do seu casamento, visto codo
a falta de r-'conbeciraento oflJoial, quasi urna re-
provaco ofllcial. Por que foi recusada a Uflaag
regia ao casamento do fallecido ronde de Farro-
bo I A recusa nao "foi approva^o, mas reprt-
vacio. Oa e-a racusa e juivale a fdita de reco-
nbecimento (fflcial.
Uo mesrao molo e por ideticos motivos, lam-
aem a segunda Iiyjutheflo nao pJe aer aomsii
arel.
Assim saraos levados fatalmente a aceitar a
tereeira, por que nao ha mais. O ministeilo raan
dou desmentir o boat., por que Ihe conveio a elle.
Mas por que Ihe eouveio ?
Aqu a resposta fcil. Ao ministerio nao
c raveio qne Ibe atlribuissem a idea e raounliscer
offlcialmenie o caaamanto do Sr. D. Fcraaolu,
exactamente pelo mesmo motivo por aue uo iba
a 'Qviria qne Ihe aitribuissem a i lea da resuacitar
as manobras de Teos ou qualqoer dos erras e
eseaoJalos da i8t e 1S67. Q ler dizer, o miois-
tario repelle a iaea de reeouhecer offloialmente
Cuuniio seria um acto inconvenieate, errado, im
popular. Esta conclusao parece-nos lgicamente
deluzida.
< A nossa longanimidde grande, r-'o repre-
hendemos o ministerio, por que galge o recooh'd
.ment inconveniente, errado, impopular, como nao
o reprehenderamos se o julgasse conveniente,
acertado e popular. Respeitaraos a opiniio e a
eou-cieacia dos ouiros, como pretenlemos que ros-
peitem as nossas.
Mas condemnamos o governo por ter dalo a
publico o sea parecer, por que praticou urna ac-
?o mi.
O Sr. Fontes, honrado cora a amsade adrnit-
tido nos jamares do Sr. D. Femando e as reu
oioas intimas das Necessidades e de Cinira, levad.
ao poder pela illjencla dopado das Necessida le-:
"obre o da Ajuda, nao devia vir declarar sami-of
ii :ijlmente no seu jornal, que el-rei pratieiria um
c(o inconvenient-, errado e impopular, reeonho-
eeala oficialmente, approvanlo, o camnenlo da-
inellea qne o reeebem em sua casa, que o tem fa
vorecido e protegido- Feia accao ?
Que etusa o obrigoa a pratica-la? O sea in-
ISMate, a convenieneia do ministerio, o iniecessf
da sua conservaijao no poder. Faissimo motivo I
Mas feia accio e feissirao mciivc, que bem re
velam o dedo da Providencia castigan io os erros
e as colpas, u Sr. Fontes valea-se de mlriogas
paiaeuoas para ganhar o poder; v, por isso, sor
t-'irem, nao sem razio, boatos qae tom de repeilir
i casia dos sentimentos do sea corceo. O Sr. D.
Fernando tem protegido excessivamente o Sr. Fon-
les; pago mu iogratidao a de-gcstos. Triste
tempo, tris'e paiz e tristes coasas I
O Jornal do Commercio tan-bem dis3e alguuia
cousa sobre o assampto : mas onde se alongou
ir ais, foi em um artigo de hontem, em qae con-
taya que sejam quaes torean as conveniencias po-
ltica, dever da iroprensa conservar longa da
liscnsfo pesseas qae se devem figurar, as pola-
mieas polticas por actos determinados, notorios
on pblicos.
Quando dous jornaes, diz este, qne parecem
bem informados das coasas da corte, deram a no-
ticia de ser rconhecido offlcialmenle o consorcio
te el re D. Fernando, ama senhora condena de
Eldla, e que uessa fado se emoenhava ara minis-
tro da coros, era fcil acreditar a noticia e combi-
na la cora os boatos que proiedorara a organisa
Cao do actual gabinete.
Porm -juando vimos em no daqaelle? jornaes
que informarlas fidedignas desmentan a noticia
quedera, sem duvila baseado tambera em iufor-
rnaoes fidedigna', e quando o vimos alBrraar que
aera embarga, o boato continnava a ereular, logo
snppuzeraos qne havia mysterio ea noticia, e que
eolio campria esperar por novas informacoes fi-
dedignas que esclareeessem o publico.
Gratioi asseverando qae em lado isto andoa
enredo poltico, qae a democracia nao carece de
rnetter-se por atalbos para assegurar o sea Infalli-
vel triarapho, pois combale de faca descoberta e
encara os thronos com desassombro na boa ou m
fortuna.
Conclue lastimando qne se pretenda com-
prommetler sem neeessdade e at deslealmente
pessoas queeslao longe do bulbio potico.e que
de certo preferera a trano,ui!dade de sea vlver,
s aventaras que ibes grangelam dissabores e
desgostos, e a ambicSes que Ibes seriara caust
de profunda perturbaclo no remanso da paz em
< que vivera. >
Ora a opiaiao de muiu gante boa qne o boa
soma saccador, para obssqaiar o dito conde.
Cmiina a apparecer em todas as felhas de
Liboa um enxirne de listas para a vereacio mu
oicipal que tem de ser elsita prximamente.
t O governo nomeon para subdelegado na con-
ferencia telfgraphiea que deve reunir se este au-
no em Rom1, para a revisa> da convenci inter-
nacional, o Sr. Valenlim Evari-lo do Reg, iaspec'
tor dos lelegraphos e phar'S
O co uraissariogeral da polica era Lisboa pa
Wicoa hontem ama or-Jera tendente cohibirWlo>
leraveis abasos que as pracw dapol.fila elvd tara
cammettaiido arbitrariamente cad vexame dos ei-
didfios desta capital.
O Aovo governador civil Ca da Co-ta tera se
ocoupado acuvaiiente em.melliorar este ramo de
servico. O Sr. Candi lo Costa vai dar pdMoldaae
em boletias diarios i tolos o* actos do governo
civil de Lisboa.
Aoba se Uvre de perig> o Dr. Tnomaz de
Carvalho, que esteve s portas da morte com urna
peritonite aqoda.
t O lia Vi do correte M a destinado para se
abrirem as cartas de conearso para a navega jao
da frica, Concurreram. tendo frito o deposito
previo, a Emnriia i.oitna, e os Srs. Kaowie
& C. com i rapreseniantes das compaas do* pa
4uuu> injrl-io pira frica, ladta e Clin. A
Empresa Lutilana iffreceu eoatinuar o servico
por oito raezes al ao lia de jaoho de 1S72 pe-
lo prco da 5 cantos da tis mensaes de subsi
dio
Cmomia a vagar o pansamento
qae a prxima exposiclo agricolajse r
lacio de cry.-tal no Pirto, toruaado-aejueaeiva aos
prodaetos intastriaes dos dous povos da Peninsn
la, e aos das colonias de andns ellas.
Tem euaJo era LlstOi o coramendador Cortes.
pescoa muto .ullwate-d3>rpi, qie vem por
parte dos prncpaes caVaraairos daqnella villa,
tratar com e-^wrjjadir *t ^oest d direei.mw
qda deve seguir a fu f-rrea do Gaadiaaa al en-
troncar era Haspaie*. U na reflraiio dos notaveis
-de Serpa optoupelos estulos feitos pela cimpa-
nliia ingleza.
t Tara-se reaaldo e trabilba a ejmmissio de
ioquento parliraeetar.
Foi norasado ministro portuguez parafBra-
xellaso Sr. D.ntat.
O Sr. Galves enviado extraordinario laTepu-
blica do Pard foi recebdo ha dias pelo minstru
dos negocios estrangeiras.
t Foi dado o tKelo de visooade da Arrieg. ao
Sr. loajuira Pinto 1a Migalhies.
Forera indeferidos os raqaerimaotos do Sr.
Peixoto, brasleiro qBe se aha preso na eadeia do
L'moer i em-Lisboa. Pretenda elle, que o pro-
eesse e mais docoraentos relativos i so prfsjia,
era virtula da reslaraacii faia pelo ministro ^o
Brasil, voltassam ao prjurador geral dacorae
fazeih, pwa eeren d'elles lir novo pareeer.
Falla-se era qio prximamente haver nm
comft-tio de recreio a precos reazidos de Lisboa
a Paris; O prego sari da i libras por ida a volta.
A's 11 horas e mia da maibaa dasse dia
accrcenta o nossU enrresponiente:
O talegrsmna ltimo do givernador geni da
India de dia 25 do correte i< 5 rnras da ta'le.
Diz assim-i.lo Sr. ministro ia minnhilaten-
I im reooH>tr-se out'fi vl. Bttnu prepiraio Qae
ifUicios ha da Estepltanta t Governadir peral.
Oeiladi ta, de qae fallava com misteTff} orna
fo'hi miolsteriai, e a quera vai ser da# rrrbjii-
xala portuguza da Ailemanha do Norte '8 o'Br,
Casal Ribeir. (conda de Ca*el.) *
Fii pasado dispDnibilidada o oonde devHIa
Frinea (O. PaJro da Cesta de Maeedo) que era
oisso ministro em MiIri I, para onde vai o Sr,
Mendos Leal. Os decretos forana haatem assig-
natura regia.
o Tambera fof assfgnado o deereto nomeando
nosso representante junto corte de Vieaaa da
Austria o Sr. Coelho d*Almeida.
< A reforma administrativa projr-ctada pelo mi-
nistro do reino, obedeee ao priqeipio da' desem-
trasaclo, e tenle a estabelece-to. deflaitivaraeiite,
deratcd do podef ceairal para as lioesliflades
c rio numero da emetrg)*, 'ponlj Ihs as garan-
ta', ra ios e regaifa corres ponderes, rhas silva
os eas*>s qae urna syodleieia otB.rlal deraeastra
existlrem era humero deBooTjiadjp, wn qne aio
hija as localidades cfddios a?a? habiHtados
pira corresponder ao peasamento da dseentrali-
sac;ao na gerencia dos ipteresses mais importantes
da vila local. O desenvolvlmento da instrnecao
popu'ar, suhiljaJa m boa parle pelas muaicipa-
li lades, licando i estas o direito da escolaarera os
profossoiras de sntreos que o giverno hiblila Bis
escola' normaes, seria um dos pontos que ais
eharriava a attencio do ministro.
t E' o Diario de Notichi que hoje levanta esta
poota do veo.
Foi pas alo epoai'iliilade o bario da Santa
naso mlDJalro.ejD%V'''',"''^''Va3-
nrgeicla eTC
lios dos
msis" e^5TX)0 pess
100 milbdas de pe:
O-
ds-Uaidfs.
ies t-y Norte perecera
os prejalos elevam-se a
traaam psjjpj>aa des Esta-
lusaeMre s
Quiteria.qje era
t> se fez corrar para apalpar a opiniio; que se
desmentir qoaodo se conbacau que a opiniio Ihe
Bao era favoravel; e que todas estas palinadias
sao emolientes ou cataplasmas sedativas appbcadas
sobre a viva iuipressao que laes boalos deixaram
oo publico, qae na dez anaos comprava, por uns
untos tostSas i porta do theatro de S. Carlos de
Lisboa, on de S. Joao, no Porto, o direito de ap-
plaudir ou de mostrar o seu desagrado Sra. E isa
Ileosler, (hoje condessa da Edil, e esposa do Sr
D Fernando) admirando Ibe o g?.ibo e a curio-Id
de no famosa papal de pagera de Un Uo in mas
ckera! I)
E como se vk acabar t Lanlerm rairaado s^
as flaneas ao tal editor qne est preso para retpon-
der por ama enchente de querellas qne o esmag
rara, como se fio partir de Lisboa la quinze djts
para a Amertea a iadMidao que, segundo mz
publica redigia a Lanterna, indo bem recommen
dado para dirigir ama empreza commercial, o pU-
buso detona dos ares mysterioaa de laes boatos,
O Sr. Koowles declaroo, que o seu. deposito
so tii:lia por fim assegurar as proposUs aoti-
riormaate feitas do servico gratoito para as. ma-
las, sob baodeira iagleza, conjunctamenia com
as malas britaaaicai.
< O governo portuguez pagava para a sustos-
tagao reular da carreira da Al'rica -167:300^
apuuaes. passando o subsidio a. rer uairgraente
ciaco contos de tis por mes, est na proporicio
de 60 contos annuaes, ou manos 107:o0000).
< Parece que o Sr. Koowles mandn imprimir
urna longa carta enderezada ao presidente, do
coaselho de ministro', o Sr. Fontes, narrando "m
auciosamente as negociabas que boaye entre
elle e o goverao pissado acarea da empreza de
navegagao para frica oocilenlal e prjental, e
sustentando a &onveuiencia das suas propo-tae
nao so para o thesouro, mas para o desenvolv-
meato do commercio das provincias ultramarinas
e eonservacio da marinha mercante nacional.
t Dave apparecer anda esta semana q decre-
te determinando o dia das eleicfhs suppfemeuta-
res, e o'um dos dias da semana prxima ser
flxado o das elcicis camararias.
i Pelo circulo de Coirabra inligilarase pira
deputado s cortes o nomes dos Srs. Drs. Jar-
dira e Mamede, amos laatea na Uaivorsida*?. O
Sr. Joaquim Pinto de Magalbias, candidato go-
vernamental pelo circulo Je Ma^lo de Cavallei-
ros; e oSr. Giaeroie Qaintino de Ma:eJo, pelo
arclo de M.randella.
i Faiava-se em qae o lagar de aio dos prin-
cipes ser dado ao visconde de Seixal.
O wade de casal (casal Ribeir.-) e>t no raea-\
do ministro de Portugal em Paris.
Nega o Partid) Constituin'.e que o lugar de
ministro de Portugal em Rarlim seja dado ao Sr-
Jos Das Furreira, chefa daquelle gremio pilil-
co, e a este respeito lia-se hoja u'uma folia mi-
nisterial que i a legacao da Alienunha, hoje a
t mais importante da Europa, ter dada a um
t dos mais notaveis qomena pblicos de P.^rlu
gal, que pela sua riqaieza role exercer aquel-
las fuoocs em qaa o governo f.-ca os sa-
i enfioios necessarios ^ara que a nosaa repre-
( seu.ac3o alli seja digna daquella crte. a
Esi nomeado ministro de Portugal em Was-
hington oSr. Sousa Lobo.
e O z o Commercio do Porto que naque.lla da-
de est a Sra. condessa de Espoz y Mina, duqne-
za daCarilade, viuva do general daquelle o-
ras o camareiro mor da raipa D. Mara Victo-
ria. NE' dama da conraisso de Santa Izabel. Tem
visitado os estabelecimentos pws daquella eidade
e nscreveu se irma.da ordm tereeira daSan-
tissima_ Trindade.
Estio se ja f irmaado coraraisspes em diver-
sos pontos de Lisboa para rastajr'com'siileauti.
dad) o dia i" da detembro, 231 aDoivej:sariq da,
nossa iadepeodencia.
< N'upia das ultimas sessSes.. da commitiio
central 1 de Dezembro de 1640 foj Borneada juoia'
commissio para promover o Ladreo-arel .ac-J
cordo oom a vereacao municipal para o arra,njo
la praga e erecgi d) inonaa\ento.aos, restaura-
dores da 1610, o que davera effciaar.-se no i*,
de dezembro prximo.
< Afflrma-se .agora qae por parta do marq:M
da Niza, nao houva impemenlo. alam na tris-'
ladago d^s r>si de Vasco da Gama. O a,brf
raamuiri !asutio di^asso e radjc?ag dp, pro-,'
gramoia em qae se marcan o dia da traslada
cao, sendo entregue,esse docaroeato ao raffiuez
i Avila, que nada resolyeu. O actual uini-lrg dio
reino (> ir. Aatoiiio Rodrigues paipai.').tom a
melbor vontade de dar andamento prt-.
jecto, que depende de ama oonfarencia, en'.re oUpuaciando que o fogo
mesmo actual miiiro do reino e q mar juez de part's norte da eidade,
N:za.
Fallecen era Ce'-ra a Sra.
Talles e Meneaos, do Funelk.
Pedio escusa da niered de visconde de Porto'
da Cruz, o Sr. Valantim.de Frejus ,.Laal." .pre-
pnetario do Fancaoi. Esto exemplo .tj,1;ui-
vo e dos mais raros noste paiz .em qu'. o nu-
mero doi viscouJes tem asaumUo espantosa^
praporcSej oestes ltimos lampos.
O Sr. Tumaz Jos Parera A Filho te.p des
tribu la por diversos estabelocimentos' pos, a
qnantia de 2'600*, parte de heraoea qde se-
nbora D. Aooa Maria Gaimaraes, do, Rio de Ja-
Vai ?er mandado com
t para a Inl'a.
A impreosa portngooza encarece cTJm'Ms'raais
altos loavorese nobre resolugio do senado bras.-
eiro era relami ao elemento servil, eomo ama das
mais honrosas para essa (brscente Imperio. Cor-
re_spond?ncia erreumstanciadas do Rio de Janeiro
nos- contara o jubilo e enthuiiasrao patritico com
qae a populacho flimioense reeebeu aquelle acto
hnmanilario e altamente civilisador.
Foi tambem muto approvada a attitade qae to-
mn o Sr. con-elheiro Ma:hias de Carvalho e Vas-
concellos, nosso representante na corte do Brasil,
saadando em norae do rei e da nacao que repre-
senta un acoitteciraeolo de lio elvalo alcance.
E;s os ltimos telegraramas polticos aqu re-
cebidos:
Madrid, 26. Hajoia a probabilidade da se
realisar a reconciliac.ao entre os Srs. Sagasta e
Z.rrila. .
* Madrid 2o. -Os jornaes El Debateo El Argos
confirmara a noticia dada por El Tiempo de ter
o m.iaistro da fazenda annunclalo commissio
le oramenos que propor que seja elevado a
18 0/0 o imposto sobre a divida publica Interna e
externa e oatros valores. Accreieentam que di-
minuto a avaliacao de certas receitas, consideran-
do as exageradas. A Correspondencia diz que
segando as modificarles introduzcas no3 orca-
mentos sobera as receitas a l,05i*500 pesetas.
As sociedades operarlas de Roma nio lomarao
parte no congresso operario em novembro porque
o programma favorece a Internacional. O principe
Napoleo chegou a Italia,
Madrid, 26.Dizem de Corsega qne foi a'li
ante-honiem tempestuosa a sessio do eonselho
geral. Os partidarios do principe Napoleio, pro
tesunlo qae as elei^es nao foram livres, tenta-
ram coovocar o povo, o qaa I nao respondeu ao
chamaraento. Dizem de Paris que a casa'da race
da entregon ao barreo, quatro muhSis em nume-
rario, os qases foram logo postes era eircolcio.
t Londres,-25.-O representante do Brasil em
Pars qaem resolver a questo do Alabama.
Berln, 25.O reicbstag approvou em prmei
ra e segunda leitura a convenci celebra la com
a Franja.
ncn, "
ma
vsqaadeasa d
Vcclas da America do Norte.
Por via de Lisboa recebemos notias dos Es-
tadoa-Unidcs e du Mxico.
ESTADttS-UNIOOS.
. Nodia 8 de cutubro rebeatou, aparte meri-
dional do Chicago, am terrivel pcenio. Foi des-
truida ama rauitido de edificios, entre elles todos
os bancos, os depsitos dos caminhos de farro, -a
obras hydraulieas, e ana porcao de casas parli
cularbs.
No centro da eidade, os prelics sao de pedra,
mas nos outros baitrot qua-i todos sao de madei-
ra, como tambera o pavimento das ras. Nio ba
yia agua.para apagar o incendio e os bombaros
nada poiam fazer, matada da eidade anda arda
a data d is ltimos U-h-grammas. Tentara se ata-
Ibar ao figo fazendo voar os eJifljios por meio da
plvora, ma3 nenhura resultado se conseauio com
Isso. As perdas calculam-se J em 503 mlbois de
pesos. O fogo eslenca se era. duaa milha3 qua-
icadas dentro da povoacao.
.. .Vo dia 9, de tarde, com os auxilios que foram
ovijidados de Cincinati, S. Lniz, Miiwankee e De-
U;oit, JiAtum se comido os progressos do fogo pelo
.suj e.occidento. Mais da 100,000 pa-s5as fTairam
sera Srigo e raorrerara muitas.
' m telegramraa do Philadelphia de 10 diz
.que se julgava exiinelo o incendio de Chioago em
coosequeocia da copiosa chava que cahuana nou-
te Antecdeme, mas qae nao fcavia noticias diree-
tas era conseqaencia de se leram quebrado os
(ios do telegrapho.
As notinias viuham de S. Lulz. Durante o
dia reesbeu-sa no telegramma de Chicago an-
- durara toda a nute na
. mas que eslava dominado
,na do Maiodia.
O geaeral Sheridan telegraphoa daqaetla eida-
de dizendo qu as chammas tinham desiraido
quasi lulo o o.ue havia de valor nell e qae con-
toaaVa, cbovaadn .Nos mercadas e circuios met-
Jante* de, ljXrk havia graade pnico em
queaeia das perdas qae se nhara dalo'
a:cioutas das compaohiae de segaros es-
tavm na niaior anciedaae. Par noticias poste-
riores ohega.las da Pboladalpbia pelo cabo, saba
se qus O figo principiara no domingo em am es-
bulo onde havia au acca, da qual se aproxi-
i" fia rapaz'com aaaa laz, para Ibe tirar lelte,
e gtetrae lumaile si) her-
rorosos. O fogo devastiq completaraeote ama ex-
frasao de terrlt'Ji lu da arat3 de mtt leguas qtradra--
O bosques que forneciam as melhor-'s maderas
do tnuadj,io^ra reJuzidoj. a cinta; as colbeitas
fleaTam Intelriraote arruinadas; magoifleos pes-
Jos de camjnlias de ferro foram destruilos ; oin-
coetrta povoac.8.'s, entra ellas afgumas da Dastante
impjrtaoea, sy bote leoninas da rumas.
Bt toda a parle reiaa o mais horrivel pnico;
eatw de farntHa* *em residencia refogiaram-se
aos estados visinhis, aoade encratrara toda a os-
pide de auxilie. O governo, a todas as classea
da soeieojide mostrara graoda Interesse pelos po
eres a Betos, eaviaudi-lltes tola a dasse da re-
eprs'is, ea qtwes, ss nao bastara para cobrir a<
gran le perdas experimntalas, tornara menos
tri->tt> e seastvel a sitaae;i> de tan'a* desgracas.
O Jafnml do Commerca, de L:snfla. aceres-
ceoia :
De Phlladelphla annanciam que a parte'des-
truida pehts cbamraas em Chicago oceupa cerca
de amas nove milhas quadradas.
t Q lano se manfestoo o ioeendio, forara pre
sos multo ladrois e locenliarios, os quass fo
rara snmmarlaraenta j igalos ; aflial, restaba
lecease a ordera. Nis priraeiras eicavapS^s eu-
contraram-se eem eadaveres. De Pbibdalpbia e
N*va-Y*rk foram maulados soesorros.
a As subscripta amarieaaas elevavara se ni
altima data a tres milh5as de pesos. Calcula se
era 78:600 o numero de pessoas qae ter de pas-
sar o invern seco residencia.
A-povoaeao de Chicago mostrava extraorli
daila energa. Ji se tinham trnalo a publicar
os joroaes; os negoc!o3 reanimavam-se, e as la-
jas e estabelaelmentos come?aTam a abrlr-3e no
vameate.
Km qaanto isio succedia em Chicago, rehn
tava nos estados do nordesto um voraz iQceolio,
o qual durante algamas semanas consamiu im
mensos bosqaes em Michigan e Wt-consin. Fct-
ram queimadas muitas milbas qualraJa*, Qcan-
do dfS-j-oldas agamas alaeta?. Parecerarn muitas
pessoas, cujo numero se calcula na, ser inferior
a 400. P^ra o lago Harn raaolaram se vapora:
pira tratar de salrar os qae estivessera era pa-
ngo.
c Por paTticipacSes recebilas do Canad cons-
ta que tinna havdo ama nsva invasao de feni-
nos. O governo receben aviso de que um corpa
iua nao era numeroso, d9 fenianos, procedente
de Minnesota, sob o comraaoJo d: genanl O'Neiil
linha passado a frootera por Perabioi, apoderaa-
sose do porto da alfaadeg caaadiaua Os fenia
nos foram atacados palas tropai amarieaaas, li-
caodo prifiooairo o general O'Nei I.
O governo caaadiaiao tlnhi maulado tropas
para Mmitola, arlra de reforcar as companbiis
locaes. >
0 ip eolio que devorou arai gran le parte da
opuleuct* e popal isa eidade de Chicago produzio,
tanto na Europa eomi ai Ara r:a, viva imiris,..
Di tola a parta afiliara soecorros e iapitaes
ao lugar do desasir, e os habltautas, coai essa
viril rasulucio que caraclerisa os horneas da ra-
ya americana, j comecaram a reconstruir as euas
casas sobre os destrojis alada qaentes.
t Por iofeJiciade, o cabo transatlntico auaun
ca novas desgracas naquellas castigadas regSas;
outra diada, Malaster, no estado de Mchican,
M devstala pelo fjgo, rderam duzentas casas
e seis graodas fabricas; 'as per4as calculara se
em milho e meio de Jollars.
las aldaias, e quiahantas pasoas pereceram n*
quetfes desastres. N'outro estado do nir;e foi
comolstamente devorada pelas ehammas a eidade
de Wiadsor. EmQai 03 incendios tem sido mu
numerosos nos bosques. A causa da tao repeti-
dos e terriveis desastres aiola un mysterio,
mas este ura a33unpto qua merece bem ser
investigado.
As deiQSas de aovembro crranle nos Es
dos-Uaidos pfomettem ser reahidas, a juigar
pelo que ditera os jornaes de Nava York.
Os republicanos e os demcratas preparara-se
para a lacia, e nao fcil prever por emjuanto,
qual dquelles part Jos conseguir a victoria ua
contend.
O NeioYork Herald annun;ia qae os rspabli-
canos de Musachussetl aguardara com tranqui
lidade os accordos que vai tomar a convenga j d
Washiogton para depois activar o maviieao em
favor dos seas candidatos. Batter coata por ora
com os votos da maior parte dos delegados mas
ignorase se aflaal vjn:er, porqua muitas po-
voacfas receberam o sea aoraa com iudiffsraogi.
Mr. Suramer e os seas dedicados,' qae se op-
poara a canJiditura de Batter, tratara de orga
nisar urna resisteocia enrgica, mas jolga se que
os sens plaoos aio tero granle xito, J porque
se confia na habilidtde dos aeus adversarios, ja
porque nao eacootram apoio unnime no paiz.
MtXICO.
V.illclns do sal do Imperio
Hontem pela mjnhaa rJjegon do Rio de Janeiro
e Baha o vapor argentino Diamante, sabido do
pnmairo porto a 30 de ontubro e da Babia a 5 do
crrante. **1WJP W "
Apezar de ter sabido la c* te Wat. e iu.tr. ho
ras antes da anonaeada paca a aertida de Pre
iente da compaabia-BrteSa,Xfroo. ?
manle mala, par calpa daaimiaiaUMcioMral dos
nio.sabia efectivamente ao dia |/do eoraente,
^t'L'n(i?OU,.4J!OEno' VP5* algoaaM pes-
soas, visca tar elle de ser substituido na presente
.',''* ? '"'V** JSeeisatio com-
menlar seraelhante falta.
Dos nmeros do Diario da Bahia, de 31 de en-
tiaroi 6 do crrante, iranscrevemos as noticias
qne ene Tor sua vaz copin do Jornal do Commer-
cio, aa corte, da 7 a. M demaasado, que Ihe foi
obseqalosaraenie pre.-udo. ^^
BIO DA PRATA.
Alcap;ara a 19 da outubro as noticias reee
bidas na corte pelo vapor nglez Lacudon.
Nenbuma noticia trazsm de impanancia politiea,.
(jorrara em Montevideo o boato de orna batslha
entre blancos e colorado.) ao norte do Kio Negro :
a ultima hora, porn, por urna carta dirigida ao
presidente Bottle, e publicada na Tribunado 19
sabia-se que todo se reentra a haverem-se avis-
tado algasias partidas, esquivando os Waiicaj
encontr.
Fallecer D. Candido Bustamante, nierebw da
importante familia oriental qtu usa deste appel-
Urna correspondanoia da Asaarapeio refera que
e tal o enadi Je anarebia, que a posicaa dos ho-
rneas curalos, e pru:ipalaiente a dos estrangei
ros toroar-se-ba iotoleravel ee por ventora ae re-
tlraasem as forcis .Iludas da oceupaca.;.
ram fSlas^ife"*' '* "^ ^^ Vie"
Era nenbuma das duas reoublicas pininas oc-
oorrera facto nota vel ; na Assomico, porm, ti-
uham-so passado successos dasagradaveis, assim
ezpostoj p^to Standard da Buenos-Ayres.
Ha lempos que o estado dos oegoclos no Pa-
ragu.y so ton tornado grave, achando-ae o presl-
deata Hivarla em aniagooismo com a maioria do
congresso, qae se declaroa lio reeeiosa dos acto,
arbitrarios do goveroo, qua os seus membros nao
lacerara retirar-se para suas casas, conservndo-
se tres das encerrados no edificio das eamaras.
AliQjl o presideote resolvau tomar a ioicialiva, e
preadeu 23 diputados na masroa sala das sesadas,
ao intuito de deporta-los para Buenos-Ayres.
* A Voz del Pueblo refere que no trajelo palas
ras o presidente era seguilo da orna mnltidio de
ebrios, a quera elle diriga a palavra, ponlerand.
a nacas idado de reprimu- os dmenlos da desor-
den), ao que aliadla s cmara*.
i_p'jpresai se raulliplicarara as prisioes por toda
eidade ; e en-re os deios mais notaveis, alera
dosi deputados, contara-se o general Cabalero, os
padres Maz, Duarle, c.
o Eatratantoa minora do congresso pnblicava
ara maoife.to, declarando que aio voltaria ca
mar, visto ter-se tornado a maioria ura faejioso
club poltico, pengoso para o governo e para a paz
publica. O presdeme enviou tambera orna nota
aos generaos alba los e publicou urna proclama-
cao a> povo, expicaodo as dasagradaveis oc.rur-
reucias qua se eslavam daoio. O geoeral Cabal-
lero, mmidro da guerra, era, dizia elle, ura dos
prioepa.es traidores, favoracsnlo a conspirado
Jos padres Man e Duarle, que qaeriara absorver
0 pojar. A nniona do cangresso p;z-se eolio ao
lado dastes carrascos, e envin Caballero a fo-
mentar urna revo'uco as ci-iades provinciaes.
Ura taas eircum^tncia-; curapria o governo obrar
cora energa, e o presidepte cooflava que om dia
o povo oaboocoaria pela sua lirmeza era suTocar
a revolucao.
A primeira luta do presid ate com o congras
so paracajer silo por eau zenda, Joao B. G II, oidemoado pelo mesmo con
gresso como malversador. O presidente devdven
a seateoca para ser reconsidrala, ao que as ea-
raaras se recusarara paremDtoriaiieote. Ealiixs
ministros Dacoud e Ciballero resigoarara as suas
pastas, eo presidenta asiam.o logo a posicio de
lictalor. Os geueraes do exercito alliado de oc-
cap cao mantiveram-se como espectadores trao-
-ftuM^r,^v,^nl silo periirhd P r..bi.o.
Tfjmimta tivarora v.fl.sa Cum as mios livres
e levou as causas i valentona, ura pouco moda
da Francia, Lpez ou Luiz Napoleao nos s'us di
versos galpet de estado.
Reata var cerno as piteosias adiadas
o I icto da dictadura da Rivaro
plioar os arranjw para a cono.'asao'o' ratadode
Qaitivj da limites entre o Paragaay, o Brasil e a
repub.ica Argeatioa.
Consta que o Dr. Qjiolan, pleoipoteociario
argn uno, adua a sua partida para Assaraacio, e
de uelo pouca duvila soir;-e qua esta nova phae
Ja historia paraguaya proloogar indefiidamenie
a questao pendenle qae, depois de ama demora de
l mezas, pareca ag^ra a ponto de resolver-se sa-
tisfactoriamente. >
lora ario
ii, que ple com
coronel do corpo de estade-maior de arlilharii,
riman Vieira Peante,
Para o 5* batalhio de artilbaria. O major do
corpo de eslado-maior dido Salazar.
Por portarla de 26 do paitado foi nomeado
Saturnino Cardse Viaaaa da Barro pira servir
inierina/neqta da |ii pania bservacao, e encarregado do ponto doa alomos
na anla pralica de astronojniada escola central,
01 os veOBBlbs ajBjTpalMKa como procura-
do otxerTSIerio aatfonctadeo.
Por deemae n. U|7 da 13 de ouiubro pai-
dado (oi pt raailtido ajea se eatabele(.a oa corte 3cb
a deoenoinacio vajVapular Fia mnense um
agencia liii.ildas ciedne La Popular Ar/entina
iaati'.uiili eia Bttenos-Ayrc.
As operariias dista aaciedada tenlera a facilitar
a ereacio ilacapitaet e rendaa por meio de pres-
ttcoes uuica, annu.es cu seaaettraes, mas sim-
te por um peesu de craco, Jet, -v|uioze, viole eu
vinte e cinco annas.
Era 36 do passado commnnicoo-se ao minis-
terio da fateoda que fu ram loiados em 5004 ot
emolumentos do juizo municipal e de orpbios des
termas reunidas do Vie aaa a P.*rta Alagae. a aade.-
zilo a 403* os do juiz municipal e de orphos
do termo da Caravellos, oa provincia da Babia ;
competindo a este a gratiflca;ao de 800J e iqoe.'-
le a de 760<.-D te da Bahia.
Par decreto de 26 do outubro foi declarado
vago o lugar de juiz municipal e de orpbios Jo
erran da Estrella, na provincia do Rio de Janeiro*
e de neahuin elleito o de 21 de j"'ho. qm n"f*t"*i
para aqu-lln cargo o bichare! Joaquina fle~2Ktis
Oliveira ttirgae. -j fjrr. ff a ff
Aaienfo JSa^Btnr desdamos patrlo'-n.T do arse-
nal de maana da" Teman buco, determinando
outro decreto da aapa data qua ileaaid sera'ef-
feito-o de 12 da agosto u limo, que conceder
igual nrnea?5o a Jos Alves, visto nio ter este
aceitado o emprego.
Por outro decreto de igual data S. A. a prin-
ceza imperial regente, usaodo da facn!dade confe-
rida pelo | 8 do ari. 181 da coasUtu o">, nvandn
computar no prazi da pena irapo-ta pelo cin-elho
supremo miliUr de justici ao 2* leame AHouo
Augusto Rodrigue de Vasconcellos o lempo.de
prisao qu sofreu anieriormenie a ne*ma peca.
No d.i 19 inaugurou-se a liuba da minos
urbioos ltimamente creaja na capital do Biodi)
Janeiro, cora astisieocia de 5. ATlmpenal a re-
geote e seu augusto esposo.
baha.
~ Fallecen no dia i do correle, na capital, o
engeulieiro Dr. Jos Carneiro da Rocha, une /ai
ajadauo do enzeulieiro fiscal da o>trada d f rr
do Recife a S. Francisco, victima de padedmenios
agudos, na idade da 33 annos.
O primeiro vice-presidente da previnda^des-
embargador Almeida C-mio, apenas astnmio as i-
deas da administr(;ao da provincia, Dullificou di-
versos aeips do seu antecessor o Sr. Dr. Francisco
lo. da Rocha, propietario do Jornal da Baba,
ra^cindi o couiraio da publicacao dos, actos eflf-
ciaes celebrado cm ag ,sio de i."63 entre o ijxo.
Sr. bario da S Loureogo, e o dito Dr. Rocha, bt m
eomo_domi:tio este Dr. de director geral da ins-
truccio publica, sem que para isso hoavesse mi-
tvo conhecldo, uio ser satisfazer as exigencias
do grupo disidente Jo partido conservador.
O Diario da Bahia, bem que orgao da oppo-
sicao liberal, pronunciara-se contra esses actos
extemporneos do primeiro vice-presidente, prati-
cados uas vesperas de passar a aimin slra$ao da
provincia ao presidente effcclivo o Exm. SrTd-
embargador Frailas 11-mriqiies.
O transporta de guerra brasleiro Uarsiho
Dias, em viagem do Rio de Janeiro para o Para,
por via de Sanios, lio iva no porto da B^hia, aCm
de tomsr earvio e refrescos. Acba se sea bor-
do a commissio de limites entre o Brasil e o
Per.
0 Exm. e
V
PARAN.
, A' SI de oulubio falleeeu o Rvm. vgaro Ja
freguezia de Tibagy, fre Gaueocio de Genova.
GOYAZ.
A' 23 de setembro fallecen o teaente-coro-
neUMfouso Ludovijo de Almeida.
BIO DE JANEIRO.
Do Mxico temos noticias importan-
tes por via de Nova-York. O presidente
reeleitu Benito Juarea tomou pos&e do car-
go no dia 20 de setembro no meio da maior
anciedade do publico. Receiava-se um
proDUDciamento. N'aigumag provincias ii-
nha j ermecado a agitago revolucionaria;
os descontentes da actual ordem de coasas
trabalhavam para pronover desordens.
Pedro Mirtiaez, frente de novos insor
gentes, pronunciou-se contra o goveroo,
oroximo de -Galiano, no districto de Tema-
Ion ; o mesmo tinhm praticado ouiros ca-
beclhas em Cesalea.
Os generaes Marques, Porro e Greapero,
auxiliados por alguns chefes, rebellaram te
tambera em Sinaioa, contra o presidente
Jurez.
Na capital havij completa tranqoillidade,
o que nao para admirar, ttendenio a qae
a. manicipalidade e o congresso sio com-
postos de partidarios de Jurez. A menga-
gem do presidente ao corpo legislativo
conciliadora na forma, mas firme e enrgi-
ca no fundo, relativamente conservac-o
da ordem publica, e ao comp imento das
leis. Jaarez conta cora orna consideravel
aioria na cmara ; mas apezar disso s-
peram-se graves e importantes acuntecimen-
tos naqoella repblica.
Telegraramas de Matamoros, de 2 de Ou-
tubro, dizem qua aquella parte da repbli-
ca eslava em pteoa-Mvalato. Os generaes
Pedro Mtrtinez, Jernimo e Trevino, e o
goveroadof re Lori, capilaneavam o movi-
raento, secundados, por nm grande numeio
de partidos e afguns. batalboes do exerci-
to. Com estas forcas avaocavam em enar-
enas toreadas ptra Camargo e MaUmoros,
cxn o ifilwto Je se apoderaren daquellas
cidades.
Nio ae pode isggnrar o resoltado desta
rewoaow, uas diztt so que entre os juana-
las reiMva (pande coosteroacio, em conse
qoencia de er mnito provavel que os esta-
dos -visirOios. se gnissem aos sublevados, e
da desconfianza que iospiram os geoeraes
do goveroo.
ls tropai preparavam-se para a loia ;
em Matamoros mprehendam-se grandes
preparativos para a defeza, e em toda a re-
pblica reinava om pasico extraordinario.
O telegrapho estava ioterrompido, e as
Por decreto de 27 do passado forara promo-
vidos para os d:Trentes coros da arma de arti-
lbaria cinundo aotiguidade de 13 de maio prxi-
mo passado, os siguiles officiaes:
Corpo de eslado-maior de artilhara.-Para te
nente-coronel o tenenle-coronel graduado do mes-
mo corpo, Joio Evangelista Nery da Fonceea. por
antiguidade.
Para majoraa oj capilies do mesmo corpo Fran-
cisco Carluj da Lu, por raerecimento, Joaquim de
Sonza Mana, dem.
Para eapitio o capitao graduado do 9 bttalho
de artilbaria a p Manoel Peixoto Carsino de Ama-
rante, por antiguiuade.
1 regiment do artilhara a cavallo.Para ca-
puaes os 1" teaen'esda "' batilhao a p Gasario
de Almeida Nobre de Gusmao, para a 1" batera
por antiguidade.
Do i dito M guel Mara Girard, para a 3' bate-
ra, idem.
2* batalhio de artilhara a p.Para caprtio o
Io lenaate do mesmo batalhio Francisco de Pau
la Parelra Fortes, para a 3* companhia por aoti-
guidade.
3*bat'lbiode artilbaria a pPara major o
major graduado do mesmo batid nao Joaqaim Jof
Pereira, por aotiguidade
Para capitao o capitao graduado do mesmo ba-
talhio Erico Rodrigues da CosU, para a i" com-
panhia, por aotiguidade.
Do 5* dito Feliciano Anl9nio Benjamn, para a
3o companhia, idem.
4o batalbo de artilharia a p.Para majer, o
major graiuado do corpo do estado-maior de arti-
lharia, Joaquim Antonio Farreira da Caoba, por
aotiguidade.
Para capitaes os eapities graduados :
Do 2 baUlbio a p Juliano Jos de Amorim
Gomes, para a i* companhia, por antigaidade.
Do 9 dito Euiygdio Cavalcanti de Mello, para a
8* companhia, idem.
5 batalhio de artilbaria a p.Para lente-
coronel commandante o teoente-coronel graduado
do 4 dito, Jos Clariodo de Qaeiioz, por merec-
meato.
Para capitao o capitao graduado do dito.
Francisco Ramos de Olireir Guimaries, para 8*
companhia, por aotiguidade.
Por decreto de igual data, foram promovi-
dos no carpos de eogeoheiros a ui armas de ar-
tilbaria, e infamara na eonformidade doarL 44 !
2; da le o. 585 de 6 de setembro de 1850, os se-
grales cfDiiaes :
Corpo de engenlipiros. Para coronel graduado
o tenenle-corouei Antonio Pialo da Figueiredu
Meadas Aulas.
Arma de artilbaria.Para leoente-coronal gra
-arii-
dnado, o major do corpo de eslado-maioi' de art;
(baria, Antonio Jos do Amara!.
Arma de infaeiaria. Pra coronel graiuado, o
tenente-eoronel Jnaode Souza Fa gandes.
Por decreto da mesma data foram tran.-feri-
dos de uas para outros c rpos da arma de arti
Ibaria os sgainies i fflciaes :
P.ra o corpn.;VestaJ'A-Baior d.) artilJiaria.-0
major do 3 batatnao. Adriano Xviar da Oliveira
Pimente', o major graduado do 1 regiment An
ionio Jos Mana P/o Juniar,.,Q eauiao do mesmo
reg manto Alfredo d'E-icragaole Taanay
Para o 2 baulhao de atilhara.- corpo de estado-maior de artilharia, Antonio Jote
da Costa.
Para o 3 batalhio de artilharia.O teneate
Iivni Sr. bispo devia oar'.ir. fn
visita pa.-t nal a provincia de Sergipe, no da o Jo
correte, deixaodo encarregado do expediente d9
arcebispado o Rvm. conegj provisor Pedro Anto-
nio de Campos.
A cmara municipal da capital, na sessio de
17 de outubro, noraeou tima cuiuoiU-o coreposta
dos Exm<. Srs. coose haros bario de Moni Sarrat,
loaqum M .r>l;in ,1 Britm, Manoel Messias de
Leo, desembrgadur Caelano Vicente de Almei-
da e Dr. loaqnira Montur Caminhoi, {ara felici-
tar a sua alteza a Sra. princeza imperial regeote,
e o governo imperial pala promalgacio da lei so-
bre o elemento servil.
., Na eidade da tychoeira fallecer o capliao
Manuel Ignacio de fledriro?. ',
No dia 30 do correte reunio-se a coogre-
gaijo da F-culdade de M.dic'na, e designou para
examinadores :
!. anno medico. Dr'. Magalhef, Ro^rigne?,
Marlips.
?." auno.Drs. Cerqueira Tmlo, Bomfim.Gor-
diltu.
1* anno.Drs. Pedrosa, Ges, Sodr.
4. anno.-Drs. Aranha, Sarap^y, Deroelrio.
5.' anno.Drs. Freius, Demetrio, Claadem ro.
0.' anno.Dri. Souto, Seixas, Rozendo.
C'iolca.-Drs. Para, Miura, Egas.
1." anuo pharmaceuiico.Drs. Magalhies, Ro-
drigues, Virgilio..- --,
2. anno. Dra. Cera.oeira Pinto, Rodrigaft
Bnmam.
3 anao.-Drs. Rozando, BifflSm, Claudamiro.
Exama pralico de pharmacia. Drs. Bomfim,
Rozendo, Virgilio.
Lraos no Diario :
* A' 30 de oniubro, ao encerrar o Dr. Deroelrio
flyriaco Tournno o curso de pathologia interna na
Facaldada de Medielna, os alumoos do 4o e 5 an-
no elTereeeram-ibe um rico albam e ama peona
de ouro, com prova do aprego e censideraoio
era qoe teero seu illustre mestre.
Prapararam os acadmicos dos dous annos
urna verdadaira feta litteraria.
t No amphitheatro achavam-se qnasi todos os
acadmicos dos diversos anno=. A cadeira do pro-
fessor eslava cheia de grinaldas, e sobre a mesa
lamben ch-ia de fl res estava ama salva de prata
contendo o lbum e a peona.
Depois de nm breve e primoroso discurso
com qae o Dr. D metrio se despedio de sen
alumnos e fez a resanha das materias esta Jadas
os acadmicos d-i 5o armo Brrelo Sampayo e Cba-
gas Rosa, e do 4" son Pedro Moreira pediram li-
eeoca pora dirigir algumas palavra9 a sra profes-
ar e pronunciaran! allococSes eheias de muto
entlmsiasmo relativas ao acto, era obrases elo-
qasotee e allasivas w concurso pelo qual o Dr.
Demetrio se elevara cadeira de profassor.
f Estes discursos arrancaran) immeosos e pro-
longados appiausos ao numereso auditorio.
a Tivemos oecasiao de ver a preciosa oflarta :
o lbum da vel uio verde cora frisos donrados ;
a penoa de ora lavar multo delicado.
< a primeira pagina do lbum l-se a segua-
te e muito expresiva dedicatoria :
a Ao disncto professor de pathologia interna
da Faealdade da Medicina da BabiaDr. Demetrio
Cyriaeo Tourinho'.A vossos profundos enhec<-
mentos devemns milita luz na scieftcia. Ccnsenti
que modesiamenie vos demonstremos o neswmais
extremoso afraeto.
c Aeeiai e.-ie lbum. Elle vos (florecido pe-
los coracoes de vossos discpulos de pathologia in-
terna, que soobestes lomar vossos amigos.
i Vosso nome saberemos todos gaardar. Kio
morrer vosso saber : a sement qne to aabia-
meate serr-eiastes do espirito dos mocos ba 4e ger-
minar, e, bem sabis, a moedade a seniioella do
fnloro.
< (Segnpm-8) 60 assignatoras dos alonos.)
O Dr. Demetrio, sabemos, gosa entre oa acnt
collegas da Faealdade e os acalemieos de mnito
subido eonceto.
i Dao Iba direito a eslima e considera^ao de
uns e ouiros suas mane.-as eheias de bondade e
seu merecimento scientillco.
i Tendo-se prpceiilo eleirao para o conseibo
administrativo da scciedade doa Veteranos da In-
dependencia, furam Borneados os Srs.:
< Preidente.
Chefe de divsao Augusto Wenceslao da Sil-
va Lisboa.
Vice-presidente.
Joao Pedro da Cjnnha Valle.
1-'.secretario.
Antonio Gentil Ibirapiunga.
2dita.
Alfares Simplicio da Sil a Res Jorge Gomes.
f Theeoareiro.
> Manoel Flix Pereira da Araui>.
t Vogaes.
Capitao Manoel Joaquim Xavier.
< Man vi Joaquina.ilagalhaes.
Prensor Mauoei Pedro da Costa Gime.
a Andrpiago VaiMotam. ___
Francisco Eroesio Ribeiro. ^ ''
Major Joaquim Baptisia Jmburana. ,
< Cuuego Joaquim Cajueiro de Camillas.
f Comuaoaote superior Joaqun Antonio dao
Silva Carvilhal. o
c No da i 3 de oulabro oa povoacao de Itaiaata

Aj

1 iiimii i
L^L^Htw


--
\
*

r

1
V
da vflfa da OMveeca foi brbaramente atiav
AQ'.onio Manoel' de Assumpela, pardo da oitenta
anuos, pelo crioolo MattM Antonio doi Santo,
daudo-Ue urna fcca,la na boca d ertamago,e
una grande cuidada no ffto di eabi. alera de
d;fTernt9,!golpe(for t|o ,fwjt guindo o
assassino evadirse, anejar das diligencias em-
bregadas pelas aacrri*', a.oe nada poderara
consegar par falla de tarja qu auxillasse.
* iaitauMO-aa o compatopte ureeesao contra o
criminosa que se procura caplur^r. >
A al talega reode no mez do outubro....
1 001:898^818,
O cambia regalava : sobre Londres 24 3/$
REVISTA DIABTA-
WMMANOO DAS ARMAS.-Por decreta de
da'ootobro loi exonerada do coomando das armas
dfata provincia Uxm. Sf. brigadero Luiz Jj
T\>reira de CarvaHio, sendo normada para o sub-
Un)r o Exai. Sr. brig3deiro Emilio Lili Mallet.
Ja Sx-n. Sr. b.-irrdeiro C.rvilh'> f >i dada a im-
pflfcnte corrmls ai de comraandar a fronteira de
Bag, na provincia do Ra Grande do Sal.
MONTE PI SANTA CRUZ. Por portarla te
ptaaidencia da provincia, de 1 do carrele, furam
approvadf.j os estatutos desla sociedaJe.
COMARCA DE GARANHUNS. Segundo cor-
roiaoiaaco do delegad-) o> polica da lerioo de Ga-
rmhans, conlandc-lha aehar-se boinisiado no dis-
tncto de Palmeira desse termo am grupo do cri-
minoso, qu-' poneos das antes b-viam ass'sina-
de a A*i lo Pereira, n# Jiatnciu de jipap, do
ierra te Paneil i, raco#naj|ti lra a ansio dalles
ao smielrgaJa te Pjlmaira ; que essa autorida-
de cPflrV* a casa onl se aehavam ditas erlmiaosos,
nsqnaes reslstiramdora eoeagia fuafrand" no can-
il co o criminoso Maneel J wquiin, e sendo captu-
rados os (lemn Severrau Gtr?nv*a dos Santas e
seas Albos J^ e Viet>rio,.c>nfessando e:tes terem
sil. os amores te asaa^iaato cima,
DKLEGACIA LITTERARIA. Por portara da
presidencia, de 6 do crrante, foi ere-da urna dete-
gacia rhiprarla na povraeSo de' Belrnote, da tei*-
mo de Villa-B-lla, eom os limites do jnixao de paz
desea povwfao.
DELEGADO LITTERAR-O. Par portarla da
pre-idec4a da provincia, de 6 djeoirenie, foi no-
meado los A u ra|ln# d Sauzg Lei:e, delegado
lil erario de Rel.boaie.
ADMINISTRAGAO DO COgRO.-Esla reparti-
do arrecadou no mea fle otilara ultimo......
"i: 537*965, senda :
Desello'. '** f 1-.390J480
De carta. 2:0751510
Da asignaturas. 10*000
Da* agencia. 196*373
De multas. 30*0,0
De premio?. ISildOO
Da moviraento d8 fonda). 927*000
PRAGA DO RIO DE JANEIRO. Un carta
commercial da edite diz o seguate, om 30 de cu-
tubro :
t O cambio regulava sobre Londres 23 3ji a 24
I [4 d. por 1*900 (banjari i), de 24 \fi a 24 3|8 d.
(particular), ambos muita Irmes; as apaljoes de
0(0 vendem- a 99 3,4 ; os soberanos (6) vea-
dem-e de 10*360 a 10J50 segundo o prato de
estrega. i
BONDS.Para a cjmpanhia de carris de frro
na eidade vieram hanlem 106 burros.
CURVETA BAHlA.V.t. Faudaau honium em
nossu porto este navio da armada brasileira, sal-
vando a trra.
SOCIEDADE DOUS DE JUL1IO. A sociedae
patritica Daos de Julho elegen no dia 4 do cor-
rente : para sen presidenta o Sr. Pedro Oiorlo de
Gerqueira, em ubstilui(t) ao Sr. desembargada
Fteitas Becriqa- s; para ihejoureiro o Sr. Dr. Sil-
vio Tarquinio Villas-Boas; e pira directar o Sr.
coronel Domingos AWes Maihcus.
THEATRO SANIO ANTOMO O espectculo,
em beneli:ia do Sr. Eduardo Firmino da Silva, deve
ler logar no dia 17 do crrente.
GYMNASIO PROVINCIAL. Proseguiram bau-
lera os exames de lalm do Io anna do estadio do
gymnaio pravinciil, sendo approvados os seguin-
ts alurrnog :
Diogo Velho Cava I a. ate Pes=oa.Pen ira,n'e.
Manoel Barnardino de Azevedo. "leir.
Antonio Manoel do llega Bjrros.Siraplesmente.
J-r-inyao Acciali Lies.Dtinc;ao.
Joo J >*e de Araujo Livramento. Plenamente.
Jj.' Antonio de Araujo Livramento.dem.
Jaaqnim Damiclo Leopoiamo Ferretra.dem.
Leocadio Leopoldino d* Silva.Siraplesmente.
Leopoldina da Silva.Plenamente.
Augusto Feruandes da Silva Manta. Simples-
mente.
Sebastiao Aotonio Pyrrhc.-Idem.
GABINETE PORrUGEZ DE LEITURA.-Teye
ligar na segonJa-feira ulii na a passe da nova di-
rectora, qae acba-se constituida ptla forma se-
guate :
Director-Manoel Trixeira Basto.
Vico-director Augusta Fredjrico dos Santos
P.rto.
1 secretarioJo.iqaim Xavier Vieira Ligo.
2* secretariaMmaol Marcelino Manteiro.
TheioureiroJjs Peres da Cruz.
MISSA. Hjje trigsimo dia do allecimenlo do
bichare! Autonio Silvio Ferreira da '.arvalho, ce-
le.bra-se urna missa na igreja da S. Podio, s 7
b)ras.
OPFICIO FSE3RE.-Ni dii 2 da correte leve
lugar, na matriz de Tracunliaem, um lBJ a solem
ne, que a Iraiandade das almas co dar celebrar. Foi extraordinaria a coaenrreucia
das Qe;3 nSo dajuea como do outras fregu
zist, reinanio entres riles a melbor ordem.
Terminada o olli; >, em qua (jnciooon o Rvm.
vigurio da freguezia, padre Batiiio, oceupou o tri
buna sagrada o Rvm eonego de Jerusalem e vi-
gario de Naare.h r. Peliraca.
Ultimado a discurso, houve a b.'ulv^u da t-
mulo, con o qne terimnon toda acta des-e dia
VAPOR SINDILH te ao meio dia fecha o cr-
ralo a mala que, para os porlos do sul do imperio,
deve levar o vapor francez Sindh, ebegado bou-
tara la/te di Europa.
l'ELEGRAMM iS CQMM3IICIAE3. Em 28 de
cutalro s 7 hars e meia da ooute expdiram os
Srs Kaowles A ?oster e Piolo Lile 4 Sabrinho-
telegrammi3 para Lisboa, ca.n as seguintes noti-
cias :
e O algodao fl-.a regular com baixa da I|3 nos
preQjs: da 8 3|i a 11 d. o do Pernambuco, de 8
1,2 a 9 l|i o la Parahyba, de 8 31 a 9 5(8 o de Ma-
Cai, de 9 a II o do Maranuaa, de 8 1|2 a 9 1|4 o
do Rio Grande da nora, e a 9 3ii o do Cear.
< O as-atar nrma com aW;i de 3 pences nos
prQos". da 7mj' a 28,0 o branca, de 25|6 a 26| o
uro.e de 2| a i3| o raissavarto.
* caf anilla nn, de S8| a 6i| segando a
qialidai'.
c A borracha do Para frouxa, om tendencia de
descer.
t O descont no Banco de Inglaterra contina a
ser de 5 0|0, mas espera-se qne desea. O nume-
rario bnsfderavel era Londres e os deseamos fi-
ctas ab..x > iaquella data"
FUNDOS'BRASILEIROS.E'arn a^sim colados
era Landres a 26 de outubra : 5 0,0 Ja 1863 de
93 a 91, 3 OO de 1871 de 89 12 a 90, e 4 1^2 010
de 1963 de 83 a 85.
EST.ABELEC1ME.NT03 DE CAIUDADE.-Mappa
do movimento do collegio dos orpaos na mez de
cutubro.
Exi-liam 88
Entraram i
Sabio 1
Existem 89
Mappa do movimento do ollegio das orphaas
teu ontubra flada.
Exiliara 147
Batraram 3
Exittem 150
LEILO.-O leilo da taberna da ra Imperial
n. 49, annuocialo pira h-intem lera lagar deflniti-
vameoie h-ije fia raes i a taberna, pelo agente Mar-
lias i? II h ras da mantiSa.
LOTERA.-A q.ue se a:ha i venda a 214' i
beneficio da matriz da Capunga, a qual corre no
dia R.
CASA DE BBTNgAO.-!-*lortraio do dia 7 de
novembro de 1871:
Existan (presos) 338, entraram 14, sahfrara 17,
existen 332.
A saber :
aaSotete PW. ulbews 20, estrangeiros 42,
era* U,j*tuvas 4.
Alimeoiates i costa dos cofres publico* 2J5.
xa:
Aat" rrelra (iadjgetio).
FloTlaio Framlsco Mende (febre).
ADdr Victorino dos Santos (gastralgia).
J>s Iguacia da Espirita Santo (iodigestio).
Tiveram alta :
jjio Manoel Fernandes.
k ao Francisco de Andrade.
Drtee Mara do Rosario.
Joio Antonio da Silva.
Sabino (escravo) de Jaaqnim Caodido te Cruz.
PASS1 StflS-0 vapor fndcezSi'lfc, troaxe
os seguintes:
Bernazet Vidorine, Caoro Aoguste, Cals Haari,
Lesteboudois Ernest, Rhegas Joseab, Fraucisco de
Slqneira, Antonio te Sigoeira, Gaezi Henri, Bou-
rasset Chales, Lervauzi Augusto, Aaguste Aurelle;
BVt\eo Jabar, Pietro Carn, Joaa da Rocha e Silva-
Olivo Adeho Carn iro da Cunha. Antonio Ferrei-
ra Alves, Jaaquim Antonio da Slva, J)aquira los
de Barros Lima, Sergio 0. C. de Siqaeira'D,, Julio
Sasree da Silva, Mareos Gorreia da Cmara e sua
mnlher, Manoel Jo: Rama, Friocisco Moreira T.,
Bernardino da Costa Ferreira, Joaquim de Mattos
Vieira, Jos Cardojo dv Silva Santos, Jaaquim
Lniz Vieira, Zeferioo Luir. Perreira, Fraacisjo da
Silva Ferreira, Antonio Mara dos Santos, Jiaa
Bautista Prez y Parez, Antonio Vaz, Antonio de
Souza Neves, Latios Margaarile, Luigi Olivieri.
PUBLICACOES A PEDIDO.
Chama-se a a;tenr;ao da polica para eerto ia-
dividuo qne habita om quarto de ama das I jas
do pateo do Carmo. Esse individuo affronta a
moralidade publica praticando actos indecentes e
vivenda em conenbinata escandaloso eom ama
mulher casada.
A poucos diaa essa raesmo individuo ousoa ag
redir, por motivo frivolo, ao caixeiro de u na ta-
berna, conlra o qual se lancou eom n-n caivete
da mola, e o f.-nria por ceno, se nao (osee elle
defendido por sea patrio.
O offsndidi.
% I* frrea do Uecife Oliuila
Chamaiops altelo da di'eclna desta
va frrea para os abusos constante meo te
praicado^,; ut dia 7 do corripta, o trem
que liavia de.descer de O.ioda as 9 Vi da
oouie, sahio Too minutos aateg da hora,
ri3j OiaStaote USO ter dado nsdF7 yi nntns
do esiyllo marcado pelus Estatuios dasta
compantii, isti com granie eQComraojn
aos passa^airos que tivejam dp esperar at
as 10 ifi horas da noute que decesse
uai trera para o U,ecife.
Imploramos a sua Cxc. o Sr. presi ente da
provincia, que lan:e suas vistas para estes
abuzos ? ? ?
Recife, 8 de novembro d3 1871.
Na barca nciaaal S. Juti, par o
Prata, oarregaram : Jos da $tin Loyo rimo
200 barricas com 23.53 kilos de assacar branco-
Para os portos do interior.
Ho ipar Parahyba, para M issor, canegoa:
Jos Barbosa de Carvalha 4 malas barricas com
268 kilos de assucar refinado.
Ha barcaoa Prui acia, para Miauogtepa.
carregarara: Braga Gomes tul barris com 181
litrjs de arnarlenie e 3 barricas cam 199 kilos
de assacar branco.
Sj.brigue nacional S. Pauto, para o Rio^e
Janeiro, carragaram : Carvalho 4 Sogaeira 300
saceos com 2io00 lulas te aasaear btauco.
-i- No Male fttr io Rio Grande, para o Ara-
caty, earregoa : Manoel F. Martif 4 carris eom
384 litros te viaagre.
Na barcaea T*tadra, para a villa da Pa-
ola, earrafoo : Joaqaim Soare New 1 oarriea
com 60 kilos de asquear-branco.
No patacho nacional S. Barthotemeu, para o
Rio Grande da Sal, carregoo : Jaacfotm Soare
Neves 30 pipas Cm 1.440 litros de aiqaMele.
No vaaor Prikkntt, piara o |%flC Arrega-
ram : Amorim ttQ.1 buricas te 130 kilos de
assacar branca.
No bule Joo Vallt, para Maco, carregou .
Joo Jas Roirigae Meades 4 pipis cosa 1,920
litros de agurdente.
REGEBEDOWA. DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUG.
Rendimento do dra 1 a 7 8:61*I39
tem do a 8 .s I:i43ilfl0
Alguns passageiros.
llcspo.la ao calumniado;* da
rilla do iloiu Pardlui.
Lenda o Liberal de boje n. 241, deparei eom
um pasquira ua aranzel cintra o actual delegado
d'aquella villa Jaai Feliape de Mello, e o actual
subdelegado da masraa Nicolao Antonio Duarte.
A estima e can d gnos cidados, na s naqueile municipio como
em toda a comarca, por gregos e iroyanos, os tem
collocada em lio grande altara, que ola a baba
venenosa de am vil ecovarde calumniador capaz
de la-.'.ir o mrito de homens sem nota, e de re-
putares e enneaitas tao bem adquiridos era lod.'>
comarca, e fra d'ella ; mus pira so dar resposta
cabal nao a lio indgno e infame ciluraaiadar, que
s beranaracnle despresara, poraa sim ao pablio,
a quem respeitam, desde j desafio a este pique-
nio calumaiaJar de repulagaes aiheias, para que
appareci do viseira ergu da e ame dtscoberto, a
nao qcerer passar por um traicoeiro assas.-ioa, e
pasquin-mr de esquina, coma uzeiro mastra
ser de caracteres distinclos.
Csxag, 8 de novembro de 1871.
B.L S.
Ao raui digno coi-po dei-
torl.
Cidade da Fortaleza na Ce.ir, 20 de outubro
de 1871.
E.-tanda dasigaado o dia da eleifib para depu-
!ados provinciaos apresso ma era dingir-aae a V.
; ara rogar-lbe qae se digne nejar mc-u obscuro
nome na saa lista pelo dlsiricto.
Erabara me falieraam titulas para merecer to
subida honra confio na extrema bondade de V.
le cbter benvola aiclhiraent), mais apraciavd
anda em razo de minha ausencia nesta provin-
cia do Cear, onde estou exer^enlo o lugar do
secretario do governo, e carao prava de nao ser
esauecid* por amigos e correligionarias.
De V.
Patricio e amiga muilo obrgalo e criado,
Jos Bernardo Galva Alcofarado Jnior.
9:7591329
CONSULADO PROVINCIAL.
Rendimenlo do dia 1 a 7 16.813*425
!dem do dia 8....... 2.977*4?!
. 19:800*876
MOVIMENTO DO PORTOT
I^Krecta das linguas ngleza e fi
^^raos da nltima : principios ge
"PO'a e historia do Brasil; algebra
Icos do f> grao ; as applicaeiies di
eommereio, eom especiaUdada a rt]
das, pesos e medidas, em|^H
simples e eompostos, theoria de
app!icaj5es; e fiaalmente pir**
orem empregados, pratica da
cao em que eaiiverero servindo.
rem empregados pblicos dtver
pectivos reqaerimentos para a a
;urso doeafajrnios que provem
pleta de 18 anuos, pelo meos, e
to. Previne se a quem inieressai
falta de seis pralieantes ao con
pessoas estranhas ao servico da
didatos aos lagares de 3* esenp
qae se sujeiiem ao exame das de
Secretaria da thesooraria de la
baja em 17 de outubro de 1871
Servindo de offli
__________Manoel
Pela secretaria aa cauaara
cife sa (az publico para eonbeci
sadof, que a arrematacio di 3.
da freguezia de Santa Antonio
da 10 do correte, e avallado de
semanalmente.
,.PUSP flaiier arrematar campareea em o rea-
< de tiini,M.
amara luuajcpal do Recie 8 ie
o Beietra Carneiro daCulbjJ,
*crelari
VISOS MARTIMOS.
Lisboa e Porto
seguir multo breve
recebe carga e pas-
Saares Primos ra do
aciildade de Di
Rio
Nanos entrados no dia 8.
de Janeiro pela Biniavapor ar
{entino
Diamante, de 3G toneladas commandan-
te Paes Leme, equipagem 31, carga ani-
ma s; Hory Forster 4 C.
Ass9 das, bi%te nacional D. Ltriza, de
159 toneladas, capitJo Miooel d' Carva-
lho Pcssoa, equipagem 6, carga sal o pa-
lba; Goraes de Mallos Irados.
Bordeaox e portos intermedios 15 dias,
vapor francez Sindh, da 1903 toneladas*,
commiodante Massenet, equipagem ll*>,
carga fazendas e ontros gneros; Tis-
set Frere.
Navios sahidos no memo da.
Bab'a Patacho norte al!emo'2io Gebru-
der, capillo G Uflcen, carga parte da
qae trouxe do Autuerpia.
PortoBarca portogoeza Clementina, ca-
pillo Minoel d'Santos Silva, carga dif-
ferentea gneros.
LiverpoolBarca iogleza John Peile, capitio
E. A. Jones, carga algodo.
Rio Grande do NorteHiate nacond Flui-
do Rio Grande, catito Jos Uanoel da
P.ixo, carga differentes gneros.
EDITAES.
Lei n. 101*.O Dr. Mnoei do Nascimento Ma-
chaco Parlela, vine-presidenta da provincia da
Peruambucs.
Fa^o saber a lodos os seas habitantes, qae a
asserabl^a legislativa provincial sob propasia da
cambra municipal do Recife, decretou a segainte
postura addicional:
Art. 1.* Ficara prohibidas no centro desta cidale
armazes d. doposita de kerezene.
Art. A carar municipal designar por rdi-
tal os lagares para que em cala ama das quatro
freguezias da capital devara ser transferidos dentro
do prazo de 90 dias.
Art, 3 Os caotravaotares sera multadas era
30*, e na reincidencia stfrerao o dapfo e 3 dias
de prisio. ____y
Ar!. 4." O- donas de estabeleiinpeotos qa ven-
dem kerozene para o consumo, nao poilerao ler
mais para este i ai Jo que 10 latas.
Art. 5." Os contraventores serao multadas em
10000 e na reincidencia na duplo e % dias de
priso.
Art. C. F.cam revagadas as dispas)(Se.s ero con
trario.
Mani portanta, a todas as autoridades a quem
o eauh'>cimento e exeeuga da prsenle reoluQ^o
oeriencer, que a enrapram e fagain cumprir laa
inteiraraente coma nella se contm.
O secretario da pre-idencia fa.}i imprimir, pu-
blicar e correr,
Palacio da presidencia de Peroarabaeo, 13 de
juabo de 1871. Qainqoage-imo da Independencia
e do Imperio. O Dr.'Manael do tigcJmentO Ma-
chado Porlella.
Sellada e publicada a presente resoliiQa nesta
N. 433.-GRAXDE5 VERDADES DENTRO DE
UM PEQUEO COMPASSO.-A substancia Je vo-
luraes decoosflhos melicus, podara fcilmente sor
cindensados em urna senienca, S2bsr : Can-
serve-se o apparelbo digestivo n'ura estada v'giro-
so, o ventre Iwre e desempachado, e o Ajado n'uaa
estado de pereili ac$io. Porm a questa est
de que maneira se ba de conseguir ista ? Embo-
ra difflcil e embaragada que pareca a resposta, ^reiaria da prestencia'de Pernambuco", aos 13
cara ludo, qualquer hornera ou mulhar queconbe-
cs as virluds das piulas aa-ucxradas da Bri-tol,
pode vos infarmar promplamenlo. As suas ex
iraordmarias vinales mediciones abrangem una-
as enfermidades. Est o estomaga fraco e apithi-
co ? Ellas i lie do vigar e aclividade. Acba-se
o ventre n'ura estala constriclo ? Ellas o rea
xam e o lornam regular. Acha se o ligado inerte
ou n'uiii estalo congestivo ? Ellas promptamen:e
promoveai a sua actividad; natural. A sua prin-
cipal oorigajra de restituir o systema nm esta
do natural, sem ecupregar ou usar desnjcessaria
for;a, sem causar as mnimas dores, ou nau-eas
revoltantes ; e tuda is'.o ellas fazera, e muilo
mais anda. Era todas os casos de molestias d'uma
ualurez* complicada e que afl-.-c'.aia a pelle, os
mscalos, a carne e as glao lulas, em tacs casos
dever-se-ha tomar ese grande desubstruent", a
Salsaparrilhade Bristol, a qual juntamente cora a
(lulas promovem e acceierara urna prompta cura.
As pilulas ia mettidas dentro de vidranos, e
por isso a sua conservacao duradoura em todo>
os chuiaj.
ireito
De orden do Ixro. Sr. dtactor e de confurrai-
dade com oart.il* do rgnjauealo cumiAmea-
tar se reptte o adital iafra, relativo ao concurso,
caja inscripr^ao fleveri ser encerrada no dia 15 do
correte as i horas da larde.
De ordem do Exn. Sr. conselba.ro, vice-dirc-
tor,- faga public i qae tica marcadt) o praso de 6
mere*, cootwlos da data dente,, p*ra a iascripeSe
dos que preteoderem conrorrer ao lugar de tente
substituto desta Faculdade, vago pelo accessa do
substituto Dr. Antonio da Vasconcellos eneres
d-TjTammond i cadelrAd que. era pibprielario o
cooselheiro Lourenjo Trigo de Liureiro.
Pelo (fue todos os pretndanles ao dito luga-
podera apresentar se desde j a secretaria desr
ta Faculdade para assignar seus noraes no livr-
cempetente o que Ibes permittido fazer por prco
carador, se d.-tiverem a mais de 20 leguas'desta
cidade, ou tiverera justo impediraento.
Devendo outro sim apresentar documentos que
mostrem aua qualidada da cidaaao brasileiro,' e
Je que esto no goso de seus direltos civis e po-
lticos, iso certidao de baptismn, fotha corrida
do Ingsr'de seas domicilios, e mais o diplcraa de
doukr por urna da; Facnldades de Direito do Im-
perio, ou pblica tojf'qta, uslillcaoVl impossibi
lidade da aprasentacaj d original, e na mtm:
occasiai pode;ao eulregar quaesquer documentos
qae jalgarem conveoientes, ou como titulo doha-
bilttae^es.^tt eomo yrovas de servaos prestados
ao estado, buraanidade ou sciencia, dos quajs
se l.hes passar recibo : tuflo de confarmidade
com as arts. U e 37 do decreto n. 1286 de 28 de
abril de 1854. e 111 e seguintes do den. 1568
de 24 de fevereiro de 1855
E pira qae chegae ao embecimento de todos,
mandou o Exm. Sf. vice-directur afflzar o pro
sent, que ser publicado as fallas desta cidade
a as da corle.
Secretaria Ua Faculdade de Direito do Recife,
15 de maio de 1871.
O secretaria,
Wi Honorio U.-zerra di Menezes.
Secretaria da Ficullade de Diieito d) Recife,
7 de novembro de 1871.
O secretario,
Jo^ Honorio Beiarra de Menezes.
brevidade o bem conbeeido
/a /, para o qae tem a raalor
pa : quem no mesrao qoizer
passagem trate com os consig-
no Foneeca & C successorw,
19. 1* andar, ou com o capilla
eir.
dias para o indicado
ttnithas: quera no mes-
poder tratar con o seu con
eseriptorio de
DAS
Ms$egeries mtitimes.
No lia 11 do corrate mez espera-se dos por-
os do sul o vapor fraocez Amazone, coramandante
Joret; o ipnt depriig'-ta demora do eustuui'W
gaira para Bordb, locando em Dakar (Gore)
i Lisboa.
Para condieos, (retes e passagens, trala-se na
agencia, ra' do Coraraercio n. .
Baha.
Para o porto cima segu com a maior brevi
dade' po'Sfvel, o pathabote nacloaat fanhaldi, ca-
p to Casto lo Jos Vianna, por estar cora parle
da carga qngajada, para o reno traia-se eom
Tasso Irmids 4 C, ra do Amorim .37.'.
rmo
Com maifo poaca demora ueste porto, seguir
viagem eom deSlino aqaelle, o brigue porlogaez
Triumpho. Recebe carga e passageiros : a tratar
com Soares Primo, raa do Vigario n. 17.
RO DE JANEIRO
Seguir m poneos d>as o brigne S. Paulo, so-
bre o (rete do resto da earga trata-se na ra do
Vigario n. 11, anrar.
COHPAKHIA PERNAMBBGANA
u
NwM/agdo cstetrttpor vapor
Macei, eicalas, Penedo ,e Ancap.
O vapor 0fid,, WiaMtf
Gurtbarai*, seguir o adu no dU U dfjaaiiWM
iro a frota ata aa 1 han da.
aiptario aoFtha 4
X
maoow, acal
jaaaageo^eDne
tarda do dia 4a sabida
taUos n. 11
LEILOES.
LEILiO
DA
Arma?3o, gaz e gneros da taberna da roa
Imperial n. 49, en om oa mais'l. te*
O agente Martin3, far leilo compelenternDfi'
antoriSdo, da taberna da na Imperta! n. 49, eni
um ou mais lotes ernforme a vontda dos com-
pradores, sendo a dita taberna rauito afreguetad*
e bem localisada '
A's II acras do dia na asma taberna, roa
Imperial n. 49. "mm '
FAZENDAS
HOJE
9
do correle.
A. C de Abreu continuar por intervenco do
agente Pestaa, o seu leilo de um ma jaifleo aor-
(imento de fazenias ioglezas, todas propras do
mercado, hoje quinta-fe'ra 9 do torrente, s 11
horas da manhla m sea armzem ra doMar-
qo"! de Otinda. ^ '
.
um relogio de marinare preto para cima dstttesa,
boro regulador Ooia corda para quioze dias.
. Quinla-feira i) to corrente
No prjmeiro'andar do sobrado da roa do Vig;>-
rlo n. 5, par oecasia-a da lerlo de movis, por in-
tervenjo do agente Pratrn______"

Diz Albert H. Burn?, capitao da barca ing'eza
Woodteni, condemaada neste parto, precisa tomar
a lisco mirrtimo cerca de 6:0001 sobre a c.irga
embarcada a borda da barcl nacional fapida : w
preleadeates spresentarai suas propostas em car-
tas-fechadas oo consulado iaglez raa da Com-
mercia o. 11.
O r.-Fr.aacisao-de Garvalbo Soares Branlo, jun
de oryb'osf i
Recife e
que Dens-1
PRACA DO RECIFR 8 DE NOVEMBRO-J
08 1871.
18 3 1/2 HOSAS DA TAEDI.
GotagSes offlciaes.
Algalia do Rio Grande do Norte620 rs. por kilo
posto a bordo a frete de 1 d. e 5 0,0.
'arabio sobre Leares 90 d/v 24 7j8 d., e du
banco 24 5(8 por 11.
Algoaio de Macei l*. sorte667 rs. por kilo pristo
a bordo a frete de 7t8 d. e 5 0|0 (anle-hontem).
p. J. Pinto,
Pelo presidente.
Dubourcq,
Pelo secretarlo.
de juaho de 1871.
O secretario
Elias Ficderico de Almeiia Albuquerque.
A cmara municipal do R c fa tendo era vis-
ta a execucao das pasturas aprovadas pela lei
cima indicadas, tem marcado os lugares abaixo
declaradas, para que ntllss se estabalecam os de-
psitos de gaz kerozene' que seive a iiluminaco,
cuja; posturas comer;aa a cont'ar do 1 de ouiu-
bio ultimo, o temao selle permittida.
Fregaezia do Racife.
Larga da praga do chafariz no lado do norte,
ra do Brura, da fabrica do Bownan em diaote,
e a margem do mar no arealque (lea entre o ar-
senal de marinha e a fortaleza do BrCtm, guarda-
da a di.-taacia de 50 palmos.
Freguezia de S. Jos.
Hua Imperial e toda o terreno a margem do Ca-
pibaribe, guardada a distancia.
Freguezia da Boa Vista.
Nos Caelbos margem do rio, estrada de Olio-
da, de Santo Amaro era dianle, na Capuoga mar
gem do rio no porto Jacobina, Campo Grande e
estrada nova de Beberibe.
Afogados.
Remedios, enrada de Motocolomb, Torre i
raargem do rio, e estrada do Caxang.
Pega da Panel la.
Chacn margem da rio ; estradas de Muribe-
ca, Jaboa>o e S. Lourenco, urna vez que se gnir-
dem as distancias exigidas e que sejam fra dos
p ovo a dos.
Paco da cmara municipal do Recife, 8 de no
vembro de 1871.
Ignacio Joaqui n de Sonza Leo.
pro-presidente,
Lourenco Bizerra Carneiro da Caoba.
Secretario.
e anuentes di ci luda di
s&i taimo, pir S. M. o Iiperador,
Riiird*, ets \ 9
Faca saber aos que o preseute eJital vjrem, e
delle noticia tiverem, que se acha em concurso
cora o praso de 60 dias, a contar -desta data, para
proviraento definitivo o offlclo deseandoescrivao'
de orphioa. creada pelo art. Io da lei provincial n.
335 de 26 de abril de W.A, o qual Qcara vago por
fillcciupnto do respeaivo' serventuario vitalicio
Joo Fifeundes da Silva Guimares.
Os preteoiiraies ao mesmo iCQcio devero ne
referidofpraso apresentar afcs reqaerimenlos oom
pe^r-mef instru d.s da" confarmidade ebra o
Lada'.i o decreto o. 817 da 39 de'aposto de 1837,
avis^ o. 2'2 de 30 de dezemaro de 1834, e decreto
n. 466ide 5 de Janeiro do corrente anuo,.
E para que ebegu ao conhecimeoto de todos
mandei passar o presente eJital que ser afufado
nos lugares do costurae e publicado pelos joruaes.
En, PKriano Correa de Brito, eserh-o o&i cs-
crever e subscrevo.
Recifa, 6 de novembro d871.
Francisco de Carvalo Soare3 Brando
OECLARACOES.
Consulados dt Fraoca e da
SllSS:\
A'gumas pessoas deotra aquellas que se apre-
sentaraoi para conprar a pharmacia Muurer, lendo
pedido ama prorogaejio do praso, para esiabelecer
os seas clculos e realisar as propanas, previne-se
Eebocador 'Pacifico*.
AgenciaWilsons A lletlra-
ca do Couiiacrclo n. 14.
At novo aviso, quilquer navio, at 400 tonela-
das de lotaco, ser rebocado polo vapor Pacifico,
qoer para dentro ou fra deste porlo, por I5J0O0
em cireumstaocias ordinarias e tempo moderado.
Em cireumstaocias diversa, e para navios de
maior lonelagem, prcceder-e-ha a ajusto previo.
ARACMY
Vinbo Bordean*, crystaes, porcellana, moi-
tcs e dilTcreutes movis, em coopet e
om carro americano.
A SABER :
1 pianrao francez, 2 mobilias de Jacaranda eom
lampos da pedra, seado.uraa moderna e outra aa-
lga, castic..ies e mangas, jarros para flores, qua-
dros estampas e candieiros gaz.
1 eama franeeza. 2 guarda-vestidos, 2 comino-
das, 2 lavatorios e 2 marqaezas
1 machina de costura, 1 mesa elstica, 1 appa-
radov com armario, 2 guardalourjas envidrba-
los (iguaes) 5 apparadores do ts torneados, 12
cadeiras para sa|a de jintar, loca para cb e
janlar, copos, clices, compoteiras, garrafas, gar-
fus e facas e muilos outros objec'os de casa de fa-
milia. 1 coupet e um carro americano.
Sexta-feira 10 de novembro
\o Io andar do sobrado da raa do Vigario
n. 5.
0 agente Pinto, autorizado por nma familia qua
-nudou de residencia, far leilo dos movis e
mais ohjectos cima descript ?, existentes ao L*
andar do sobrado da ra do Vigario n. 5.
O leilo principiar s 10 horas, por serena nvii-
tos os lotes.
Pretende ifguir eom poneos dias de demora
para o indicSdo porto o novo e linio hiate nacio-
nal Olindt*, de primeira viagem e da expeliente
:oostracco, por ter grande parte da carga enga-
jada, e para o reto que Ibe falta trata-se cora o
consignatario Joaquim Jas Goncalves Beltro
ra do Commareia o. 5.___________________
P ra Lisboa
Vai sabir com brevidade o tripue portuguez
Bella Fiqueircnte, capitao Ju de Carvalha Sobri-
nao; reaebe somante passageiros : trata-se com E.
R. Rabello \ C. roa do Commercio n. 48.
PARA O
RIO DE JSNEIRO ,
A barca.portugaeza 3fo//a Rileiro, capitao Joao
Baptista de Limas val sabir breve por ter parte da
carga engajadav. para carga trata-se com E. R.
Rabello a c. i ra do Crairaeraio n. 48.
ALFANDEGA
ren lmenlo do da 1 a 7 .. ,
dem da dia 8......
327:356*887
41:274*448
368:631*335
novlineuto da alfudega.
VolarJDea entrados com fazendas
com gneros 87
Volumes sabidos com
i com
fazendas 250
genero* 613
Da*carregam hoje 9 de novembro.
Escuna americanaEra Mayvarias gneros.
Patacho norte-alftnlPa/wartdem.
Lagar inglezSewetfJme carvSo e ferro.
Brigue lOgleOfaaeo?pedra.
Barca nglezaImaginemercadorias.
Patcbo 8gli!-8o/#snafarinha de trigo.
87
63
Despachas de exportacio no- dia T ir'
novembro.
l'ara os portos do exterior.
No patacho inglez Porfa, para New-York,
carregaram : Sanaders Brothers & C. 3,600 sac-
eos com 170,000 k los de assacar mascavado.
Na barca portugaeza Alexandre Herculaao,
para Lisboa, carregaram : E. R. Rabello C-
1,700 saceos com I27.?0f> kilos de assaar mas-
Cavado.
O Itlm. Sr. inspector da thesouraria provjt-
oial em cumprimento da ordem do Exm. Sr. la-
ce-presidente da provincia de 17 de agosto pro
ximo fiado manda fazer publico que a mesraa the-
sonrana vende 500 apolices da divida provincial
no valor de 100* cada urna, vencendo o juto de
8 0|0 ao anoo pagos por semestre na segunda
quinzena dos mezes de julho e Janeiro, e devendo
ser re?g3tadas na quinzena deste ultimo mez, ob-
servando-se a nuroeraclo seguida e tantas quan-
tas permiltirem os crditos votados annualraeate
preeedendo annuncios. Os prelendentes compa-
recam na mesraa thesouraria do prao da 30 dias,
a coatar da data deste. E para constar se man
dou publicar o prvate pelo jornal.
Secretaria da ihesQoraria provincial de Pernam
boto 5 de outubro de 187!.
Conforme.Serrindo de ofJBcial-maior,
Landelin de Lana freir.
Olitm. Sr. cooselheiro inspector da mesau
raria de faaeola detta provincia miada fazer pu
bllco que tem marcada o dia 27 de novembro
prximo vindonro para o concurso qae tem de
abrir, n virtude da ordem do thesoaro n. 148 de
10 de agosto prximo Onda, para preen.'bimeato
das vagas nelfa existentes de 6 pi-aticantes e 4 3M
eerjafirarios. Versarlo os exames pira praliean-
tes srjUrB as manftnrue que Trata o art.'' e>
daereto o. 4183. de,6 d abril de 1868; a ,at -r :
paecimento pefeift da gramautiea e lingua
I, e da arilbmetiea at a theoria das pro,
inclusivamente, reanindo o candidato a es
iiacdei-boa letra, pira terceiros escrptura-
rioi as raesmas materias exigidas para praticaoaas
e mais as -
mercantil
appcHWi
publico, que as propostas da compra di dita
pbarmagia, sera ainda admittidas at o dia 25 d
crreme mez. P^ssado esta dia nennum concor
rente poder ser mais adrailtido.
As infarmacss tlcara depositadas no consulado
de Franca, aon le ellas podera ser examinadas todos
os dias das 9 h ras da manba as 3 da tarde.
THEATRO
Para Lisboa
A toarea- portuguera Alexandre Herculano. ca-
pillo Avellar, "vai fahir com brevidade ; para car-
ga e passageiros trata-se com E. B. Rabello & C
raadoCeanmercion. 48. _____
Barca Clementina.
Segu com a maior brevidade para o Porto este
navio por ter j aua maior parle da carga promp
ta : para o resto e passageiros trata-se com os
consignatarios Thomaz de Aquino Fansca dt C.
Successores, na ra do Vigario o. 19-
Recita extraordinaria
EM BENEFICIO DAS
DOMINGO 12 DO CORRENTE.
Lgo que a orebesira dirigida pelo disuado
maestro Mr. Julio Poppe liver execatado ama das
suas melhores sympbonias, subir scena o mui-
lo lindo e variado espectculo, da segunte forma:
L* A muilo chistosa comedia era 1 acto, nova
nesta cidade, do Sr. Augusto da Silva Carvalha
REPUuLICHOMML
Persnagens.
Augusto Cesar Sr. Gaorreiro
Sophia da Cuaba D. Eufrazia.
Romo Sr. Lessa.
Mana D. Filonilla.
2 El do de tenor e ivple'da rarzuella
DOMIN AZUL
Pelas beneficiadas.
3.* a liada comedia em 1
francez
acto tradueco do
samas materias exigidas para praticank
GOMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Savegacdo costea por vapor
Mamangnape.
O vap( r Coruripe, com
mandante Silva, seguir
para o porto cima- nc
dia i I do correte as l
horas da tarde.
Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e dinheiro a frete al as i
horas da-tarde do-dia de sua subida : escriptoric
ao Forte de Manos n. 12.
DE
Urna casa de tfipa em Beberibe, de baixo
no lugar denominado Fn5o. terreno
proprio.
O agente Martins far leilo (por auth Tisaco)
de urna casa de taipa com 26 palmos de frsnle e
50 de fundo, tendo 2 sala?, 3 quartas, cosinha lo-
ra, sendo a casa edificada em terreno proprio. o
qual tem 50 palmos de frente e 250 de fundo, tor-
na-se recommeniavel a dita por ser muito fresca.
Saxta-eira 10 do corttDta.
A's II horas do d.a, no armazem da ra do Im-
perador n. 48.
mobilia. novas e usadas, machinas de costara, re-
logias de parede e algibeira, mesas, loica o
muilas outros obje:tas qua estara exposlos pa-
ra serem examioados pelos pretendeotes.
Sext'-feira 10 do corrente
Pelo agente Minios, na ra do Imperador n.
18 as II bora3 da dia.
COMPAWUA PEKxN^MSUCAiNA
DI
UaTcga^o cotcira por vapor
Parabybi Nftal, Maco, Mossor, Ara-
caty, Cear, Mandah, Acaracti e
Granja.
O vapor Pirapama comman
dante Azevedo, seguir para
os postos cima no dia 15 ii
corrale as i- horas da tarde
Recibe carga at o dia 14,
encorauendas, passagens e di
uheird t fftte" at st 1iras da tard -do dia df
sabida : tto> eseriotorto do Forte do Mattos n. 12.
COMPAKHIA
DE
Navegapo Brasileira
i l At o dia 11 do corrente es-
B';3iR
At o dia
perado doa portos do norte o
vapor S. Jacintho, comman-
e Atkin?, 9 qQ! ^ff10'8 i
ota costme s|ir pa-
raos, do ul. ,.
I>daairecefcaBrSe pasaaeiros e angaja-se a
eaia qooo vapor poder conduzr, a qual devera
ser ttobarcaiano dia de sua chegada. E^commen
da* e dinheiro arete at as 12 horas do Ola
LM/ejsakameoaao eacomntendaa senio ot-
mmewiakiTequeuoexcedam a duas
mv. aeo*a 8 palmos cbicos de medicic
4W*aaaaar. desloa limites dever ser embar-
cado como earga.
Piwm ao aoaaaphara paaaageaos qua suas
passagens s se o, ra di
mercto n- 8.
um marquezai de amarello, um sof de dito, am
bah com roana usada, um selim velho e.....
6:086*020 em dividas.
O agente Mana; far leilo por ordem da Illm.
Sr. Dr. consol poituguez, dos movis, roupa e di-
vidas cima pertencentes ao espolio de Antonio
Luiz Dias.
Sextaeira 10 do cerrente.
As II horas do dia no armazem n. 48 da ra d>
imperador.
As pragas do capitao
Pelo Sr. Guerreiro e a Sra, D. Eafrazia.
4.a A engracadissima comeda em 1 acto, nova
nesta cidade.
0 BAILE A BOFETADA
Perionagea
Bdiv* Sr. tracbado.
dfiaado Sr. tutrrafra.
Mittania D. Carolina.
Francisca D. Paulina.
S.* e ulna**. A Hada parodia do orpbeu en i
acto ornada df masie e dansa, pelas beneflciadav
Mltatada
os nous wum
Principiara s 8 l|l. Cora, deeao a Babia sagoa brevemente o vel-
A,s beotfiaiadas paem a proteccio da iflasAiA*. ieiro. g*iMr4ei\ toma carga para aquaifa por-
do publico pernambucaoo. to ;, fmrA W*,d* CiBz, com Kller &. C, u. W,
-------- consignatarios, armuem
DE
Urna malla, 2 macas de viagem com rou-
pa da uso e ontros objectos pertencentes
ao espolio do finado subdito francez
Gueria.
Sexta-feira 10 do correle.
A' 1 1/2 HURA DA TARDE
No 1* andar do sobrado da ra da Vigario n. >.
Por intervenga! do agente Pinto, por aatorlsa-
cao da cnsul de Franca, em preseuraa de sea
chaneeller e por copla e risco de quem pertencer.
"LEILO "
DE
Urna caixa com jogos de visporas, paisa
para lentos e ontros objectes
Sej'-feir 10 do corrente.
A' 1 HORA DA TARDE.
0 agente Pialo levar lefio, requerimaota
de Rocha & C, por autor?acIo do cnsul de Fran-
ca, era presenca do seu chancellar e por conta <.
risco de quem pertencer, da eaixa marca B S & C.
n. 534, avariada, bordo do navio francez Santo
Atiere, na saa nltima viagem ate porto ; o leilo
sera cffectuado 1 hora da tarde do da aeima dito,
no 1* andar do sobrado da ra do Vigario n. 5.
AJ frete.
BE MOVIS
tonca,'vidr'M, crystaes, vinbos, cm cano
americano, arfeios e 3 cavallos,
OainUrfeira" 16 de Miembro, no Poco da
iW tmmio de



inri Duas roobllas de Jacaranda com lampos de po-
dra, utn piano Jte oovo de Erard, castices e
mangas, candieiros a fas, Jarros para flores, lape-
es b urna estante pan msica.
Urna mobilia de fala branca, 2 secretaras, i es-
tanta par Ittos, 1 machina para eostara"fperfei-
la), eedeiras de balaceo.
amas Jrancezai de Jacaranda, guarda-vestidos.
ZMitfa-roapzs, eommod-s, toucadores, to lets, la-
Tatorloa e looca para toileis.
Usa mobilia de pi d'oleo, 1 mesa elstica, I
-nxeeUeutejaarda-louca, i apparadores, 2 ditos ps
torteado, tonca para cha e jantar, fiaos eastices,
garios, facas e eolberes, machina de limpar ficas,
vinhoe de differentes qaalidades e mnilos entros
fiMMVfl.
v-fl Tro americano de i rodas, assentos para
quaifo pessoas, arreios, e 3 cavallos
Qdlnta-fera 16 do corrente.
Wo. Raiwlinson, tendo de retirar-se para a bu-
ropa, levar le lio por iniervenco do agente
Pinto os motis e mais objeclos cima descriptos,
em casa de sua residencia, do Poco da Panella.
A's 10 horas em ponto partir da estacao do Re-
cife do arco de Santo Antonio Dm trem especial
para conduzir gratis os concurrentes ao referido
eiien.
Em terapo. 0 mesmo agente est desde i auto-
risado a alagar a casa de sobrado em que se
achato os referidos movis, seudo que dita casa
tem accommodacoes para grande familia.
VISOS DIVERSOS
KSTITITO AICBOLOGICO E GEOGRAPHI-
CO PERNAHBLGANO
llavera sessao ordinaria quiota-feira, 9
do correte novembro, pelas H horas da
manbia.
ORDEM DO DA.
4* Pareceres e mais trabalbos de com-
misses;
2. Palestra Iliteraria sobre o seguate
problema, proposto pe o Sr. Dr. Fonseca
d'Albuquerque: A restaurando das provin-
cias brasileiras do jugo hollandez seria um
fado de prosperidade futura para o Brasil,
cu seria antes preferivel o dominio hollan-
dez.
Secretaria do Instituto, 6 de novembro
de 1871.
J. Soares d'Azevedo.
Secretario perpetuo.
brado n. 28.
Precisa-se de urna ama boa
eogommadeir, f rra ou es-
crava: na ra do Pires, so-
AMA
iNa ma do Pires, sobrado n. 28,
precisa-se de ama boa cozinbeira,
forra on escrava._____________________________
Arreuda-se para passar a festa a osa do
sil.o da enlacio do mnibus da Vanea, com com-
modos para familia, ptimo banbo no Capibaribe,
que passa no mesmo sitio, da-se caala e pintada:
quem pretender va roa do Imperador o. 73, loja,
a fallar ao Sr. Mederos.
Aluga-se
a casa terrea, grande, para familia, na estrada de
Joio de Barros, atrs do sitio do Sr. Dr. Deodorio:
a tratar na estrada de Joo Fernandes Vieira n.
16, tabf rna.
O abaixo asignado re ga encarecidamente a
todas as pessoas que te dignaram aceitar o sea
convite para a organisaeie de urna sociedade be-
neeente de soccorros aos desvalidos, de se acha-
ren) no domingo 5 de novembro prozimo em sua
casa na ruado Bom-Fira jinlo a igreja, aQm de
ser neste da insultada a mesma sociedade.
Olinda 31 de ouiubro de 1871.
________________Dr. J. F. Xavier Paes Brrelo.
Precisa-se de urna ama
que saiba cozlohar bem : na
ra do Duqne de Caxias, ou-
tr'oi roa das Cruzes n. 22, sigundo andar.
V
Faz-se negocio
Com a antiga e bem afregnezada loja de calca
do francez a roa da imperatriz o. 10, livre e des
embarazada de qualquer tonas ; faz se negocie 8
iioheiro ou a praso, conforme se conveojiooar ;
senda um bom negocio para quem quizercouti-
iuar, e > se veude por ter o dono de se retirar
para a Europa tratar de sua saude.
Aluga-se
L'ma casa terrea com solio e boas accommo-
diques, concertada e pintada recntenteme, na
liba do Retiro, Passagera da Magdalena : traa-se
na rna do Vigaria n. 4.____________
Precisa-se de urna ama livre cu escrava
para o stvco de urna casa de pouca familia :
na ra do Baro da Victoria, antiga ra Nova
B. M, andar. _________________
declarados sao rogad 19 a
ao escriptono deste Diario
Os Srs. ibaixo
mandarem ou virem
a negocio :
Jos Francisco Ribero de Sonsa, (dono do col-
iegio de Samo Amaro
Francisco Jos Rabello___________________
Precisa-se de urna ama para casa
de pouca familia, prefere-se escrava :
na ra da Aurora n. 5, 2 andar.
AMA
Antonio Jos Vieira de
aos seos amigos e aqoelles
gocios que se mudoa para a
reza, casa terrea n- 28.
Souza, faz sciente
com quem tem ne-
ma de Santa The-
Traspalase o:ua hypotbeca no valor de
4.000*000 sita nos Remedios, fregaezia de Afoga-
dos com duas casas de pedra e cal, olaria de pedra
e cal, viveiro, arvoredo de frnctas de diversas
qaalidades, e barro para lijlos e lenca : i tratar
na ra de Hurlas o. 94 1 andar._________________
Urna pessoa habilitada para criado eflorece-
se a quem precisar : na roa da Roda n. 62 ao
collar para o largo do capim 3' porta.
Aluga-se a casa n. 3 do becco da matriz :
tbesouraria das loteras.
na
ATTENCAO
o
Precisa-se de-orna ama para comprar e
cozinbar para casa de urna familia composta
de duas pessoas : nesta typographia se
dir.
Aloga-se o sitio na ladeira dos Mudos, no
Arraial: a tratar no mesmo sitio, ou na ra do
Crespo b. 16. 1* andar.________________________
AO PUBLICO
Francisco de Araujo Caldas Lima assigna-se
deta data em diante por sea verdadeiro nome
de sua familia Francisco de Araujo Callas Los.
Precisa-se de urna ama que se encarregue
4a todo servico de orea casa de pouca familia :
tratar na ,'regutzia da Boa-vista, beco do Quia-
1)0 n 6. ____________^ ___
- Manoel Fructuoso da Silva, morador ra
do Hospicio o. tS, faz ver ao respeilavel publico
qoe nao se respoosabisa por qualquer debito
contrabido em sea nome por qualquer pessoa que
neja, de fura ou de sua casa, e s sim levando o
portador escripto assignado por elle
Bom cozinheifo.
Precisa-se de um, no Hospital Portuguez de Be-
neficencia : tratar na roa da Madre de Deas
a. 28.
MACHINAS DE COSTURA
DE
Singer Manufactoring C
90*000 Macbuas Para Familias
90*000 Machinas Para Familias
90*000 Machinas .Para Familias
90*000 Machinas Par Familias
100*1X0 Ditas Com Tampa
100*000 Ditas Com Tampa
100*000 Ditas Com Tampa
100*000 Ditas Com Tampa
105*000 Brasileiras Toda Costara
105*000 Brasileiras Toda Costara
105*000 Bra-ileiras Toda Costura
105*000 Brasileiras Toda Costara
100*000 Machinas de Manivella
100*000 Machinas de Manivella
100*000 Machinas de Manivella
100*000 Machinas de Manivella
115*000 Machinas Par Atraales
115*000 Machinas Para Alfaiates
115*000 Machinas Para Alfalates
115*000 Machinas Para Alfaiates
115*000 Machinas Para Sapateiros
115*000 Machinas Para Sapa tei ros
115*000 Machinas Para Sapateiros
115*000 Machinas Para Sapateiros
115*000 Macuicas mesa de 1 Extencao
145*000 Machinas mesada Extencio
115*000 Machinas mesa de Extencao
145*000 Machinas mesa de Extencao
130*000 Maenioas Para Chapelleiros
130*000 Machinas Para Chapelleiros
130*000 Mecbinas Para Chapelleiros
130*000 Machina Para Chapelleiros
(
Ntese bem
ao numero
nico agente
W. H. Chapman.
Ntese bem\
ao numero /
) W. H. Chapman. (
29 RA DO IMPERADOR 29
SOFFRIMENTQS D'ESTOMAGO, CONSTIPAQO.
Cara em poucos das pelo carvo de belloc em p ou em pastilhas.
ENXAQUECAS; NEVRALGIAS. Essaa arrece* s*> dis-
ipadas rpidamente pelas perol dtthe SI' CtRTM.
ANEMIA, -A PALLIDEZ e wAneotos que necessitamdo
tmprego dos ferruginosos so sempre combatidos com o melbor resultado
pelas PILULAS DE VALLET. Cada Pilula tem incravado o nome YiLLIT.
P DE ROG. Basta dissolver um frasco d'este p en malo
garrafa d'agua para se obtr urna limonada agradavel que purga em fa-
zcr clicas.
VINHO DE QUINIUM de Labarrofiu. Este vinho, um dos
poueos cuja composiSo garantida constante, urna das mdliores pre-
paraefies de (niiiiino, sem ac(o notavel sobre os convalesoentes, danrio-
lbes torcas e apressando volta a saude. Onra as febres antigs que re-
sisiao ao sulfato de quinino.
MOLESTIAS DA BEXIGA. A nuior parte d'estu mol
tLi, como as sciaticas, lombagos, catarros, e todas as dores nervosas em
geral sao curadas pelas PEROLAS DE ESSENCIA DE therebentin do
Dr. Clertan. 0 professor Trousseau em sen Tratado de therapetuict acon-
selha as para serem tomadas na occasio do jantar, na dse de 4 i H,
OLEO DE FIGADO DE BACALHAO DE BERTH-
Garantido puro e de primeira qualidade, um dos poucos aprovtdos pela
Academia de medicina.
AVISO. Todot estes medicamentos foram aprovades pela Academ*
imperial de medicina de Parit.
L
P.io-Janeirt.
Babia..
m Par,
dotonchellk j
Tesbobi-h.
Hass et C-.
EP0S1T0
X.. FRERE, 1, roe Jacob
Hiuhhr i Pernambuco. ttmm et O.
C^ara.....Mubj
I
Fara a festa.
Aloga-se um sitio no lugar da Torre com b:a
casa e banho no rio frente da mesma; tratar
rna de Gervasio Pires n. 26.___________________
Alaga-se nma boa casa defrente da estac.au
dos Arrombados, caiada e pintada de novo, com i
salas, 3 qaartos, cozioha fra e quintal morado,
propria para passar a festa : na ra Direita nu-
mero 28.
Humanitirii realidade
Pede-se por favor a quem foi entregue por en-
gao 4G0 manifestos da sociedade Humanitaria
Kealidade de mndalos entregar na typographia
Mercantil de Carlos Eduardo MulnenA C., 00 Fle-
cife roa do Torres n. 10, para o que se Qcar bas-
tante agradecido.
IHMANDADE
das Almas, erecta na matriz do Santissimo
Sacramento da Boa-vista.
De ordem da mesa rege de ra co vido a todos
os nossos irmo3 para compareeerem era nssso
consistorio da mesma rcariz no domingo 12 do
correte pelas 10 horas da maohaa, aflm de que
possamos funcionar em mesa geral, para diseo-
tirmos e aprovarmos o novo compromisso que se
acha organizado.
Consistario da irmandade das Almas da matriz
da Boa-vista, 6 de nevembro de 1871.
O esenvao,
Jos Affooso Monteiro.
MOFINA
Rofa-se ao Illm. Sr. Iguacio V.elra da Mello,
erivio na cldade dalfaxareth ietU prervincia.
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a concla
aqnelle nefodo que V. S. te comprometteu raafl-
sar, pela terceira chamada deste jornal, em fin
da deiembro prximo pastado, e depols pan ja
aeiro, passon a tevereiro o abril, e nada camprio,
e por este motivo 6 de novo chamado pan ditc
dm ; poia V. S. se deve lembrar que este negocit
i de mab de wto anace, e qnanao o seahor mi
Oho se acta va no es nesta cidade
aos banhps no Monteiro
Aloga-se por festa a casa n. 3 qne tem ama
pitembeira na porta, na travesa da Levada no
Monteiro, tem junto nao s os banhos do rio
como os da levada : i tratar na esquina do Lama-
rio casa nova astea de diegar ao Monteiro, 00
no Reafe, ra Nova. 7.
Companhia do gaz.
PERNAMBUCO
Chamamos respeitosamenle a alinelo dos con
snmidores de gaz para a segainte :
As ms luzes sio geralmecte oecasionadas por
t lgum defeito nos bicos, ou obstroccio nos ap-
parelhos. Aonde eiistir semelhantes defeitos a
companhia ter prner em remedia-los sem des-
pera ao consumidor.
Para assegurar urna lot boa, os bicos devem ser
mudados pelo menos, de seis em seis mezes Um
bico bom dar 20 ate 50 por cento mais Inz (gas-
tando a mesma qoantidade) de que um bico de-
feituoso e do mesmo tamanbo.
A companhia um sempre ura grande sortimen-
to de bicos, dos melhores fabricantes, os qnaes
vende aos consumidores pelo costo.
Qualquer queiza dirigida ao abaixo assignado
na fabricado gaz em S. Jos, on do escriptono da
companhia i roa do Imperador, ser prompta-
mente attendida;
Fabrica do gaz 23 de Ontubro de 1871.
Thos. Newbigging.
Eogenrteiro.
Aluga se
o segando andar do sobrade da roa Nova n. 38 :
a tratar na loja. ____________________
Precisa-Be alngar
para casa de familia ; a
! andar.
ama cosinbeira escrava
tratar na roa Nova n. 50
Monteiro
Aloga-se urna casa na povoaeo do Monteiro : a
tratar na taberna do Sr. Nicolao Maehado Freir,
no mesmo Ingar
Pernambuco Street Kailway
Gompany
De ordem da directora d'esta companhia, con-
vida-se aossenhores accionistas a realisarem a ul-
tima prestado de 30 por cento do valor das snas
aceces at o dia 14 de novembro prximo futiro,
no escripto, travs? do Brum d. 22. N'esta oc-
casio serio os recibos trocados por cerliddes da
acedes.
Recife 25 de outubro de 1871.
H. H. Swift.
Asst Ireasurer.
Precisa-se de um
nhar, lavar e eogommar
sario da Boa-Vista 18.
mulher livre para cozi
a tallar na ra do Ro
Alaga-se urna escrava para todo servico de
casa : tratar na ra Direita n. 137. das 6 as 9.
Aluga se a casa terrea n. 83 da rna de Lom
bas Valentinas, outr'ora ra de Agnas Verdes:
tratar na roa do Imperador n. 83, 2* andar.
Fiea sem effeito a sociedade dos tres R.
Aluga-se o 2* andar do sobrado sito na ra
de Lombas Valentinas n. 86, com os commodos
seguintes : tres quartos grandes, duas salas bas-
tante frescas, cosiDha fra, quintal com porlSj
para a roa de lionas, e cacimba : tratar na
roa Nova p. 17, loja,__________________
Precisa-se de urna ama para casa de homem
solteiro : na ra Precisa-se da qaaaa de 1:0004 a premio,
dando-se por sagaraoca urna escrava, pelo tempo
que se convenc, nar : a quera convier este ne
gocio, annuncie para ser procurado.
Casa de Uampo
Alnga-se por 3 annos ama grande casa da cam-
po do poco da Paoella em que resida o Sr. W.
Rawlinson, na qual dever ter Ingar quinla-feira
16 do corrente um grande leilao de movis, Iouqs,
chrptaes, carros e cavallos. Os pretendootes po-
derao desde j se entenderem com o agente de
leil5es F. J. Pinto, ra da "Cruz u. 38.
Caixeiro
Offerece-se ura pessoa com
trapiche de algodo on prensa,
pralica de caixeiro despachante
curado na ra da- Palma n. 39,
sua conducta.
habililacoes de
e tambero tem
pode ser pro-
d fiador sobre
Aluga se una preta para lavar e engommar:
fallar no arraazem n. 22, ra do Commercn,.
lili
mero 33.
Precisa-se de ama ama para casa de
pouca familia para o servico de casa, e
um menino para fazer algnmas com-
pras e recados : na ra do Vigario nu-
Precisa se urna ama de boa conducta para
casa estrangeira de tres pessoas : na ra rape-
ratriz n. 9 loja.
AJH4 DElEITE
Precisa-se de urna ama que teoha bom
sem Albos : roa do Duqne de Casias o.
ja do rival sem segando.
ieile
97, lo-
NOTAS
Traca-se notas do banco do Bras.il e de suas
Qlaes na roa do Bario da Victoria n. 63, antiga
rna Nova, loja de Joo Joaqoim da Costa Leite.
AMA
Precisa-se ue urna ama para eozinhar
e comprar: na ra Nova n. 21.
A Tnva do finado Maaoel Francisco Alves, seas
attkos e genro, conviden aos prenles e amigos
4I0 BDettBO a assistrem a mi.;a do tetimo dia, que
Ser logar no dia 11 do correte, o ecuvento de
& Francisco rieras 7 oras da machia, pelo que
eonlwaam eiernament graini._______________
mnibus para Jakalo
Alm dos mnibus do costme, haver para
Jaboaiao um nos domingos e das santificados,
que partir d'aqni s 6 horas da manbia e, na
volta, partir de Jaboatio as 6 da tarde.
Nos sabbados tarde, alm do mnibus qne
segu para Jaboatio, haver um o otro para Ti-
gipi, partindo ambos d'aqni s 4 horas da tarde.
as segundas-feiras, alm dj omnibns qne vem
de laboatao as 7 horas da manhi, haver on
outro de Ti gipi pan ei qne partiri as 9 horas-
da m,ptaa-----------------------------------------
%!.%.
do andar.
Precisa-se de urna ama pa-
ra servir a urna s pessoa :
na roa Direita n. 13, segan-
Precisa-se do orna ama para casa de pouca
familia : a tritar na ra estrella do Rosario n.27,
loja.
Precisa se da urna de leite :
da Palma n. 76.
a tratar na ra
AMA
Precisa-se de urna ama
gusta o. 66.
na ra Au-
CAIXEIRO

Na padaria de Jostrao Modri) nos AoVgados,
precisa se de una eaixei.'P, que-Wha pratica, as-
sim cecao, umbem se aluga on ascravo.oo mas-
rao o m mol que. ____________
Precisa-w de aos ama o rjw Dirrt n 61.
Monte pi popniar pernam-
bucano.
De ordem da directora convido os senhores so-
cios a compareeerem na casa de nossas sesses,
domingo 12 do corrente, as 10 horas da manhaa,
para, em sassio de assembla geral, assistirem a
pose do conselho que tem de fuocconar no d-
cimo sexto apno social de 1871 a 1872.
Secretaria da sociedade monte pi popular per-
nambucano 8 de nivembro de 1871.
O 1 secretario,
jf^ago X. Machado Antones.
fl
:
Eu abaixo asstfMdo declaro que deixei de
fazer parte da firmante Aroorim k Souza, ficando
o .ctivo e p*8s#w a carge da firma, de Nogueira di
Soaza. como coosta da qnita;ja. une lenbo em
Eoder ; declaro, que nesMl data jtlfo nada dever
en neita-vnc*. e qm> fra. dalla, tasto da firma
kjnwi como pirticular, se alguem ne jnlgar sen
rdor aprsente anas coalas roa de Vidal de
)* a. tostara era eoBferidas e pagas-
da 8'lva Amor i m
F1BIHIA
DE
CHAPEOS
DE
Todas s qualidades
\ U roa larga do Rosa-
rio n. 24,1/ andar
Se o desejo dos proprietarios desta fa-
brica fosse onicamente illudir a f pu-
blica, ha muito que teriam annunciado
os seus productos, mas para correspon-
derem mais dignamente confianca nel-
les depositada, esperaram receber os
objectos e pessoal, que acabam de che-
gar-lhes.
Hoje, pois, que a sua fabrica se acha
montada com as mais aperfeicoadas ma-
chinas, com os melhores petrechos e ser-
vida dos mais peritos offkiaes europeos,
podem os seos numerosos freguezes e
o publico em geral encentrar desde j.
Chapeos de seda da ultima moda, sea-
do altos e baixos. ,
Ditos de castor de todas as cores, em
formatos ioglezes e amborguezes.
Ditos de feltro de todas as qualidades
e feitios, tanto para homem corno para
criaocas.
Ditos de velludo para senbora.
Ditos para ecclesiasticos, redoudos, tri-
angulares e a romana.
Ditos armados para militares.
Ditos de pasta.
Coneerta-se toda a especie de chapeos
quer de homem qoer de senbora, com a
maior pericia e mais barato que em qual-
quer oulra parte, assim como se rece-
bem encoramendas tanto para a provin-
cia como para fra.
s
s
*KttttMi
Ao cominercio
O abaixo assignado tem justo a compra da ta-
berna sita ra da Senzala-nova n. 22, com o Sr.
Antonio Victorino da Rocha, livre e desembarca-
da : se alguem se jolgar com direilo a mesma por
qnalqner ltalo se aprsente no praso de tres
das, nodos os quaes nao se atiende a reclamac.io
alguna. Reeife 6 Je noiembro de 1871.
A,_____ Oliveira Croz 4 C.
^m:
Precisa-se de nma ama
para comprar e cosmhar :' i
'tratar na na da Alegra n. 5.
Precisa-se de urna ama para o servico de
urna casa de familia : no Caes 22 de novembro. n.
30 1 aodar.___________________________________
Padaria e venda
Pan quem com economa desejar montar dona
esiabeieclmeotos juntos, visto ter a casa da pa-
daria seas ulencilios, e um armacio db venda,
ludo em muito bom estado, pertencendo-lhe um
grande sitio junto, com muilaa arvocea du (roclo,
excellente cacimba e baixa de capim al nesmo
em tempo de secca, na Encruiilhada da Taroari-
neira d. 3, ende vai fiear a estacan des Irilhos
urbanos, queja Ibe pacam junto, lazendo-se ne-
gocio em condicgdes favoraveis a quem preten
der alagar e tambem se vende q sitio: tratar
na ra da Madre de Deas o. 30.
O abaixo assignado roga a todos os seos 'regue-
zes qne se acham devendo importancias de fazen-
das ao sea estabelecimeoto sito ra da Impera-
triz n. 2, terem a bondade de vir on mandar sa-
tisfazer seus dbitos at 30 de dezembro prximo
futuro, aQm de nao se ver obligado, contra a sua
bondade, laucar mao dos meios que a le lhe con-
cede. Recife 1* de novembro de 1871.
Joao Luiz Ferreira Ribeiro.
Companhia Allian^a
DE
leguros martimos estabelecida
na Bahia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL.. Rs. 1,000:0004000.
Toma seguro de mercaderas e dinbeiro a riseo
naritimo em navios de relia e npores para dea
xo fon do Imperio. Agencia rn do Com-
nereio n 5, escriptorio de Joaqoim Jos Gon-
tttfm Beltrio.
10SH *
I Consultorio homeop.- 1
thico
DO DR. SANTOS MELLO.
Ra do Bario da Victoria n. 13.
VACCINA. ,
Todos os domingos e qointaa-feira, pe-
las 9 boras s 10 da manhaa vacciaase
por preco mdico, para o que na muito
bom pnz vaccinieo.
Recebem-se chamad.s para vaecinar em
qualquer casa.
Consaltas medicas todos os dias pela
manbia.
Chamados a qualquer hora do dia a da
noote.
Gratis a parte medica aos pobres.
Precisa-se.
Alagar urna escrava de boa conducta que sal
ba cozinbar e engommar para urna peqnena fa-
milia de 3 pessoas ; tambem se precisa um mole-
que de 12 annos, para algnus servicos leves e pa-
ra vender fruetaz. Para tallar em Olinda, oiiio
do Amparo, no sitio da viava do commeodador
Faria.
AMA
Preasa-se de ama ama
escrava que saiba eozi-
nhar e engommar: tra-
tar a roa do Mrquez de
Olinda, 2* andar do so-
brad i d. 34.
AMA
Precisa-se de urna ama
para cosiobar para urna
familia de duas pessoas:
a tratar Da ra Nova de
Santa Rita, serrara a va-
por, n. 49.
Gamboa do
Frecisa-se para o servico do urna
casa de duas pessoas : na roa da
Carrao n. II.
Aos Senhores de engenho
Aluga-se o grande sitie da estrada do Rosan-
oho o. 10, com urna casa boa para numerosa
famili?, tem boa agaa, bem como coxeira para
seis cavallos e logar para carro, grande qaanti
dade de amores, fructiferaa, recommendanio-se
muito a excellente laranja de umbigo e da China,
urna grande baixa de capim capaz de sustentar
porciode vaccas e cavallos todo anno, sem que
sinta falta de pasto anda me.-mo na maior forca
da secca, tem -alm das sercas em volta ouiros
cercados pelo centro e muita lenba, plantarlo de
mandioca, mangueiras e jaqueiras em quanlida-
de, e portanto quem pretender aproveite, porque
nem sempre encontrarlo um sitio nestas eondic-
coes, gastando se apenas de cinco a seis mioutos
para qualquer das estacos, da Encrnzilhada de
Belm, ou Tamarineira ; qualquer senhor de en-
genho qne deseje madar-se para junto da praca
se torna esta propriedide muito reeommendavel,
por ter all em ane empregue junto de si, as
suas pessoas de trabalho, e grande largueza para
seus animaes, sendo para all o costo da viagem
no trem, 200 ris, garante-se conservar o inquil no
alguns annos por meio de um arreodamento, e
tambem se vende ou permota-se por casa ou ca
sas na praca : tratar na ra da Madre de Den3
n 30._________________________________
Precisase alugar urna esclava para eozi-
nhar e fazer o mais servico de ca;a : a tratar na
ra do Crespo n. 7.
Aluga-se o 1 andar, soto e loja da ra da
Guia o. 06 : tratar na padaria junto-
Urna familia se offerece para coser loda a
qualidade de roupa de carregacao, bem como de
a faiate para loja e por mais commodo preco que
em oulra qualquer parle : quem precisar poder
annunciar por este Diario que se ir procurar.
Afflanga se toda a seguranza e proraptidae, res-
ponsabillsando-se por qnalqner falta.
Precisa se alugar urna casa bem mebilbada
para uns estraogeiros, que seja nos bairros da
Boa-Vista ou Santo Antraio, paga-sebem : a tra-
tar oa rna do Vigario n. 10.
SEGUROS
MARTIMOS
E
CONTRI FOGO
A companhia Indemnisadora, estabelecida
esta praca, toma segaros martimos sobre
navios e seas carregamentos e contra togo
?m edificios, m^rcadoras e mobilias: na
ras do Vigario n. 4, pavimento terreo.
O abaixo assignado, tendo de acabar com o sea
negocio, roga aos seus mntes e numerosos fre-
guezes que lhe estao devendo em sua loja de cal-
cado a ra da Imperatriz n. 10, de vir ou mandar-
me pagar sen debito at o fim de dezembro do
corrente anno, pois do contrario ver-se ha obriga-
do, e bem contra sua voutade, entregar as coti-
las a sen procurador, para elle receber amigavel
oa judicialmente, o que o abaixo assignado espera
dos saos bons freguezes isso nao ser necossarlo.
Recife 31 de ontubro de 1871.
__________________Antonio Rodrigues Pinto.
Preeisa-se Je urna criada qne saiba engom-
mar e encrespar, na casa de ama pessoa es-
trangeira, ra do Duque de Caxias n. 46, 2*
andar, entrada pela travessa do Peixe Frito. Na
mesma casa tambem se precisa de urna criada
para todo servico de casa e andar em recados.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro de 14 a 18 annos, com
algnma pratica de taberna ; a tratar na ra dos
Pescadores n. 1, padaria.
AVISO.
O Sr. Jo do Reg Mello rogado a vir ra
la Croz D. 52, 1* aodar.
Mudanqa.
Di lia- !0 do corrente em diante estar mudado
para a ra io Imperador d. 48, 1* aodar, o gabi-
nete de cirurgia dentaria de F. Maia.o qual dessj
data em diantc ser ahi encontrado todos os dias
aqual^oer hora. O mesmo, como at aqo, con-
tina a pres:ar-se ;i chamados.

Precisa se de urna ama pa-
ra cozinbar, ;omprar e en-
gommar : na ra das Trin-
cheira* n. 4i, 1 andar.
rara passar a festa.
A'uga-se pan passar a fest nma boa casa na
Boa-v:agem com tres quartos, um gabinete, co-
zioha fra, copiar e quintal com cacimba : tra-
tar na pra^a da Independencia n. 17.
ADVOCACIA.
O Dr. Manoel do Nascimento Machado
Portella contina a advogar e pode ser
procurado no seu escriptono ra do Im-
perador n. 83, andar.
soas, paga-;e bem :
Precisa se de urna ama que
engomme e costure com per-
feicao para casa de duas oes-
a tratar na ra Nova n. 22.
Precisa-se de urna ama forra ou escrava pa-
ra todo o servico de ama familia composta de tres
pessoas : na ra das Fiares n. 37.
O Sr. Joio Manoel da Costa Figueira queira
apparecer nesta typegrapbia a negocio aeu.______
JMHMM MHMl
AM A Na na "do Hospicio n.
"'** de orna ama qne engomrr
39 prees%-se
qne eagomme e-jm pvfe-
Bio para casa de pouca fe eili.
Scienciai.. Soieaeia I..
Afl....4h.., Ab.
. s3 HMIM HtmilRr
Os abaixo assiguados avisam ao respeitavel pu-
blico e mu especialmente ao corpo commercial
desta praca, que de comruura accordo dlssolveram
a sociedade que tinbam no esiabelecimento de pa
dara sito nesta cidade ra do Livramento o. 32,
sob a firma de Beirio 4 Sobrinho, a datar do dia
31 de jnlho prximo passadi, retirando-se o so:io
Manoel Joaquim Nunes B-irio, e Bcando o activo
e passivo a sargo do socio Joao Goncalves de Soa-
za Beirio. Recile 8 de novembro de 1871.
P. P. de Maaoel Joaquim Nones Beirio,
Manoel Ribeiro Fernaode.
Joio GooQalves de Sonza Beirio.
Sement port'and
o mais novo que ha neste mercado, em barricas
grandes de 12 arrobas, anotadas de ferro e bem
acondicionadas : no trapiche Guerra no Recife.
Aluga-se urna negra e um moleque de 14
annos de liad?, peritos no servico domestico : a
tratar oa ma da Imperatriz n. 14, 3" andar.
Gabinete portuguez
de leitura.
De ordem do Illm. Sr. presidente do onselho
deliberativo convido aos membros do mesmo con-
selho a reonirem se em sessio ordinaria na aala
das respe :ti vas seasdes, sabbado 11 do corrente,
as 6 boras da tarde.
Secretaria do conseibo deliberativo do gabinete
port jguoz de leitura em Pernambuco, 8 Je no-
vembro do 1871.
Antonio Augusto dos Santos Porto,
_________________________1* seeretaro.
Precisa-se de ama ama psra coziohir e com-
prar para duas pessoas, pg-se bem, s-jrvmdo :
a tratar na rna Jo Atecrim a. li, prefere-se es-
crava.
CASA. DA FORTUNA
RA 1 DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N 23.
Aos 20:000^000.
O abaixo assignado tem sempre exposto ven-
ia os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
iromptamente, como costuma, qualquer premio.
PRECOS.
Inteiro 24*000
Meio 12*009.
ynarto 6#OO0~
Manoel Marns Fiuza.
ATTENCAO

Vende-se por barato preco urna propriedade a
margem da camba dos Remedios, fazendo-se
toda vantagem ao comprador, recebendo-se parle
em dinheiro e parte em letras ou objectos dn
prompta veuda ; cuja propriedade contm urna
grande olaria de pedra e cal qne lastra 16,000
lijlos de alvenaria grossa e forno que comporta
2o,000, com mais um forno e lastro para fazer-se
tenas, ladrilhos, canos e louca, com excellente
barro para qnalqner obra, com dous excelhnus
viveiros de peixe e coco casa de vvenla para
grande familia, torna-se reeommendavel por pas-
sar perto a lu ha dos bonds: as pessoas que pro-
tenderem dirijam-se dita propriedade a entender-
se com o capilao Deilim Lio Cavaleante Pessoa.
Sustento restaurativo ST
snude
PELA VERDADEIRA FARINHA
A, Du Barry d'Arabia
Os abaixo asssignados fazem sciente a seus fre-
guezes, que pelo vapor inglez La-Plata receberam
egunda remes-a d'essa excellente farinha. cojo
uso muito se recommenda para as crianzas, pes-
soas debis e convalescentes, applcada com reco-
nbecida vanlagem as conslipacoes, diarrbeas,
nausea do estomago, tosse, escarro de sangue,
phtbysica, ele. etc. Preferida ainda pelo agradavel
sabor.Uniricoa oulra qualquer.
CASA NO CAMPO
Para passar a festa.
Aluga se urna grande casa na freguezia do Poco
modos, com grande gabioete, copia, cozioha fra e
iuinlal todo murado, muito propria para passar a
uta por estar defronte do banho : a tratar na
roa da Imperatriz n. 60, loja do Pavo. ___
Offerece-se um mogo portuguez para caixei-
ro, eom pratica para o commercio, dando fiador
4i sua conducta : quem precisar dirija-se ra
do Visconde de Goyanna o. 145, outr'ora Mondagx
Precisase de urna ama que saiba engom-
mar para casa de portea familia : a roa do Hos-
pi.-.io d. 39.
Aluga -se para passar a festa, oa por anno
a casa terrea em Olinda, ra da Boa Hora n. 2 :
a tratar no Recife, rna da Cadeia o. 17._________
Precisa-se de urna ama, pira comprar e
coz.nbar : na rna das Croses n. 24, taborna.
Gabinete portuguez de
leitura.
Pela se retara deste estabelecimeoto seientili-
ca-su aos senbores ass3ciados e a quem possa in-
teressar, que as ses>5es ordinarias da directora
serio Das seguadas-feiras as 6 boras da tarde.
O 1* secretario,
t ________________J. X. Vieira Ligo.
Irmandade doSaoaor Bom Josas dos'Pas-
sos erecta na matriz do Corpo Santo.
A respectiva mesa regadora scientitca aos sean
amados irmios que no dia 12 do corrente raez a.<
7 horas da noite, tera principio es setenarios do
Nosso Senhor Bom Jess dos Passos, e para cojo
acto roga suas assistencias. Recife 8 de novem-
bro de 1871.
O escrivio,
Thomiz Fernandos da Cnnha.
Tr^bilbadores
Precsase de trabalhadora mocas: na tintan-
ra francezj, ra ) I operador a. 55, prefers-s&
e scravos^______________________________________-
I>recisa-se alugar umi eseran% Iba eo-
zinhar e lavar para o servico de penes familia : *
tratar oa roa da Maogoeira o. 3. on afnele.
A pessoa qae precisar de um cozlohe'ro, di -
rija-se i ra de Santa Rila Velha n. 27, prlmeir>
andar.
V
- V

V -
^
>
"V -r
-



y
'
\^*
i
r
<
* r
-?
I

r
t*.
Darlo de Peraambuco Quinta.Jeira 9 de Novembro de 1871.
D. W. BOWMAN
Engenheiro com
I FUNDigO
5* RA DO BRUM 53
PASSANDO 0 CHAFARIZ
Pede ios teabores de engenho e oatros agricultores, e enapregadores de ma-
chuimo o favor de ana visita a sea estabelecimento, para verera o novo sortimeatc
completo aae ahi tem ; pois sendo tudo rouito mais barato era preco do que jamail te-
ana vendido, esta anda superior em qaalidade e fortidJo; o que com a inspecclo pe-
loal pode-se verificar.
PEDE ESPECIAL ATTENCO AU NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDFCO
Vaporee e rodas d'agna ttt?S3%?T
versas circumstancias dos senhores proprietarios e para descarocar algodo.
I06H(I&S dP PATinl ^e-todos os tamanhos' a* melboreg que aqai
Rodas dentadas para ZQime6t agua e vapor.
Taxas de ferro fundido batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
para mandioca o algodo,
e para serrar madeira
Podendo todos
ser movidos a mo
por agua, vapor,
oa aoimaes.
de patente, garantidas..........
1 OaaS aS maCninaS e pecas de que se costuma precisar.
JfaZ qualqUOr COnCertO de machinismo, a preco mui resumido.
FonaS dG forro tem as melhores e mais baratas existentes no mer-
ln PniTimPTlfli ,ncnm*ie"s9 ^9 man,-ar vir qualquer machinismo vonta
ciUWUlUlOUUaB ,je ,j09 cipotes, lembrando-lhes a vaotagem de fazerem
as compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qualquer necessidade pode
lhes prestar anxilio.
AradOS ameriCanOS e instrumentos agrcolas.
GASA DA FORTUiU
Aos 5:0061
Bilhetee garantidos.
1 roa Primairo de Marco (outr'ora me A
Crespo) n. 33 e casas do coate*.
O abaixo astignado, tendo vendido nos no to
'.lies bHhetes oro qnarto n 951 wm 8OO#9O0.
qutro qaartoa o. 1949 coro 106*000, oatrms
sortes de 40* eoi da loterii qae se acaben 4
extrahir (113'), convida aos poMuidorea a wam
receber na conformidade do costuma sem dea-
conto ilgam.
Acham-se i yenda oa bilbetes garantido* da
3. parte da lotera, a beneficio matriz da Ca-
panga (214-), que se extrahlr terca-eira, i4 do
correte mez.
PRESOS.
Bilhete ioteiro 000
Hek> bilhete 3*000
Quarto 1*500
Km poreio de 100*000 pan cana.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 1*750
Quarto 1*375
Mano*! Martina Plnn.
SITIO.
Aluga-se o sitio da travessa do Caldeireiro u. 4
prximo a eslacao : a tratar na pbarmacia de Fer-
reira & C, ra larga do Rosario o. 10.
BURROS
I
DE
ROUPA FEITA
NA
Ba do Crespo n. 20.
Tendo resolvido nao continuar a ter grande deposito de roopa (eita, offerece ao
respeitavel pnb:ico, e aos negociantes de fra, nm grande sortimento, por precos bara-
jissimos para acabar.
Palitts sobrecasacos de panno fino do
IH a 30000.
Ditos saceos e refranqueados de casimira
de cor de 50500 a 90000.
Ditos, ditos e ditos de panno preto de 50
a 120000.
Ditos, ditos e ditos de alpaca preta de
4500 a 50000.
Ditos, ditos e dito} de alpaca branca e
de cer a 0500.
Ditos, d tos e ditos de bramante de linho
a 20500.
Ditos, ditos e ditos de bramante pardo a
20500.
Caifas de casemira de cor de 50500 a 9.0.
Ditas ditas preta de 50500 a 90000.
Ditas de brim branco de linho de 20000
a 40000.
Ditas de brim branco de algodo a.....
10200.
Ditas de brim de cor de 10600 a 30000.
Ditas de castor de 10000 a 20500.
Ditas de brim pardo de 10000 a 20500
Camisas de flanella, grandes a 30000.
Dilas de algodo, moito boas a 20000.
D tas de linho muito boas a 30500.
Ceroulas de bramante a 10600.
Cobertas de chita a 10500.
Lencos de linho abainhados a 40000.
E outros muitos artigos por precos baratissirao para acabar, na loja de Goilherme
Carneiro da Conha.
GsBBHSr
F
LIQUIDACO
ZMD.4S' BARITA
Lindas bareges lisas, de quadrinhos e de listas para retidos a 3G0
rs. o covado.
Superiores alpacas de cores, de bres e de listras a 500 ris o co-
vado.
Poil de chevre com Indas cores e de supriores qoalidades a 640
ris o covado.
Na loja das coHnmnas, de Antonio Correia de Vasconcellos, ra Pri-
meiro de Marco, outr'ura do Crespo n. 13,
3&
t
De ordem do Sr. Pedro Pedreira Sampaio fila-
mos publico que o mesmo Sr. tem resolvido sabir
da Bahia no principio do correte mea com ama
tropa de burros em numero de 400, mansos e
brahos, e que pretende aqu estar do Qm de de-
zembro oa comeco de janoiro prximo futuro,
sendo bons os animaes e o preco commod).
Leal & Irmos.
AMA
brado.
Preeisa-se de nma ama para todo o
servido : na ra de Hortas n. 30, so-
TRILHOS URBANOS
DO
Recife Olinda
e Beberibe.
Por ordem do Sr. presidente da assembla se-
ra 1 e em virtude de pedidos de diversos senhores
accionistas por cansa da ch"gada do vapor da
Europa, participo que a reunio marcada para
sexta-feira 10 dj torrente effeemar-se-ha as 4
horas da tarde, na sala da eslacao da ra da
Aurora.
Recife 6 de novembro de 1871.
0 l* secretario,
J. A. de Almeida Cunba.
tom einprego de c ipital
Por motivos que se deram, vendem-se 150 ac-
cSes (todas ou parte vontade dos pretndeme-)
da corcpanbia Pluvial de Navegaeo a Vapor no
Maranbao. Esta companbia acha se em prospero
estado, e tem j um fundo de reserva de 5O0:0GO*.
Dao-se outros esclarecimeotos e fornecem se os
ltimos relatnos a quem os quizer examinar :
trata-se na rna jo Vigario n. 16, 1 andar, escrip-
torio de Joaqnim Geftrdo de Bastos.__________
Ra da Madre
Precisa se alagar um
com carro, paga-se bem, servlndo elle.
ueus n. 7
escravo para trabalbar
!. INDAR.
Aiuga-se o 2* andar do sobrado da ra do Pa-
dre Pioriano, e urna casa terrea na Vanea para
pasar a festa, junto ao rio : a tratar na ra largs
do Rosario n. 22.
Aluga-se duas casas em Apipucos, tendo ca-
da urna o< commodos seguales : 2 salas, i quu-
tos, cozioha fra e quarto para criado : a tratar
na ra Sete de Set3ibro n. 1 (anliga travs; dos
Ferreiros).______________________________
Precisase de u:Ba ama para cozi-
nhar, livre ou escrava, agradan lo pa-
ga-se bem : na fabrica a vapor de ci-
garros, n ra larga do Rnsario n 21.
m K| a Precisa-se de uaii ama para o
,HLJ!fH.;m. -ervico de urna casa do pooca fa-
milia, dndose preferencia a escrava : na ra do?
Coellns d. 2i.
Contrata se um bom amansador qae saiba cor-
tar bolachas, pira urna padaria em Natal, capi-
tal do Rio-Grande do Norte : na ra do Mrquez
de Olinda o. 40, andar.
&3I
LIQUIDACO
NA
LOJA DO PAPAGAIO
Ba da Imperatriz n. 40
Os proprietarios da loja do Papagaio fazem sciente ao respeitavel publico, e espe
clmente s Esmas. familias, (amigas da economa domestica) que at ao fnn do auno
ratam de liquidar pelo maior preco qae derem as f a zondas seguitites :
Um grande deposito de roupas feilas de todas as qoalidades e tamanhos, tanto para
meoinos como para homens.
Urna grande porgio de lazinhas, bareges alpacas lisas e lavradas de todas as
cores, e vendem-se muito baratas para acabar.
Urna grande porejo de cassas de c6res, e organdys, tinto raiudinbas como grvi-
das, muito fixas em cores e moito finas, e vendem-se por preco barato para acabar.
Bonito sodimenlo de sedinhas lavradas de cores, e poopelinas, setira branco, pon-
pelma branca lavrada, gorgarSo de seda de cor para vestidos, azul claro e cor de
cinza.
Orna grande quaDlidade de lencos de esguiao j abaiobados, maiores e pequeoos,
pelo mesmo proco dos de algodo
Urna por?3o de costones para meninos de 4, 5 e 6 annos, de alpa:a muito fioa,
lodos forrados, e delicadamente enfeitados por preco muito barato.
Grosdenaples preto em quamidade de 1600 para cima.
Urna grande quandade de camisas de linho para homens e para meninos, tanto in-
gleas como fraocezas, com collarioho e sem elle, abertaras bordadas, collarinhos. pu-
nbos, e urna grande porfo de gravatas e mantas de todos os precos, collarinhos de pa-
pel para menicos e homens, tudo por pre?o baralissimo.
Podemos aseeverar qoe temos um completo sortimento detodas as qualidades de
azenda?, e d3o espeerfleamos todas, para n3o tornar o anoucio enfadonbo.
A VISTA FAX JF
Ra da imperatriz 40.
DE
MENDES &CARVALHO
Aos 5:000^000.
BlUietM garawtMM ?taela.
Bna do Barao da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e casat
do costume.
O abaixo assignado acaba de vender entre w
mu muito fetftes bilbetes a sorte de 5:OOMOO0
em um meio bilhete de n. 1,878, a sorte de U&i
em neto Wlbete de d. 1,585, alm de oatras sortes
menores de 10*000 e SOOOO da letoria que se
cbon de extmhir (113), podendo sena possni-
4orti virem receber, que promptamente serlo
mesme abaixo assignado convida ao respei-
tavel publico para vireo osen estabelecmenu
Mmprtr o felues bilbetes garantidos, que ole
Jeixara de tirar qualquer premio como prova peloi
mesmoa annnncios.
A^iaun-se i venda os moito felizea bilbetes ga
. r\i\? P*"8 d" 'o6"1 m beneficio da
matriz da Capunga, que sert extrablda do dia
lrca-feira 14 do crreme mer.
PREgOS.
. Inteiro 6*000
Qaartos 1*500 iO\J
Da 1004000 paja cima.
Inteiro 5*300
Meios 9*750
Qaartos 1*375
_____ Joio Joaqnim da Costa Leite.
4 Ruado Apollo4
Jlo do Reg Lima & Fiiho tem para vender,
0|0 menos que em otilra qualquer parte, o
mote :
Alcatr
V ilin do Porto flno em caixas.
NjJrtfl BordCNx dftu dito.
08 de parene uma.de mesa.
fas as lirias em latas,
trine barra.
o LommeBoT WHBFS
Juaqnim da Cos U, n.
A' ru do"
rio de Jote Joaqoim
contra-ao para vender por commod*
precos: ^%
Azulejos bespanhes. ~-
Flhas de ferro galvanizado para telha-
do de diversos tamanbos.
Dilas de dito dito lizas.
Bicas de ferro galvanizado.
Cumieiras dito.
Tortadas completas para cantara.
Ladriihos.
Na raa estreita de Rotarlo o. 35, primeiro an-
dar, faz-se bollos para casamentos,, bailes e pre-
sentes, bandejas rmalas ora todo gosto com
bouquetes e fitas bordadas cem letreiros e com
ligaras; faz-se booquets para eofeitee de bollos
e para offertas de cravos nataraea com laco de fi-
ta bordada a vidro e bouquets da flores articiaes
sendo de cera, de papel e de panno com tod)
gosto. llores para senboraa e para meninas,
capeas e enfettes para cabeca, flores para igre-
]as, sendo festSes, palmas roxas, arcos, eapellas
e palmas para imagens, eapellas para pasteras,
com todo gosto, tndo por barato preco, bouquets
para pastoras e coraa, todo com gosto.________
Muga-se o andar terreo da casa n. 41, ra
do Rangel, propria para algum estabelecimento,
assim como nma escrava : tratar na loja n. i,
roa do Qaeimado.
Aluga-se para pas-ar a testa, oa por auno,
urna casa com sitio, no Ingar do Barro, fregu-
zia dos Ahogados, rectificada de novo, 3 qaartos
S:r andes, 2 salas, cosi ha fora e cora bastantes
rnteiras : a tratar no pateo do Carino, esqnina
da roa de Hortas, armazem n. 1.
VENDAS.
Wilsons i Hett
teem para vender no seu escriptorio o seguinte
todo de prlmeira qaalidade e preco muito razoa-
vel:
Vinho Bordeanx, marca Fabrtzan, em caixa de
nma dazia de garrafas.
Fio de vela em fardos pequeos.
Cognac, marca Joles Robn & C.
Carvo de coke.
Praca do Commercio n. li.
CEMENTO
O verdadeiro Portland : so se vende oa
roa da Madre Dos n. 22, armazem de Jo3o
Martins de Barros.
Libras sterliaas.
Vecia-se no armazem de fazendas de Angnsto
P. d^pltreira A C, roa lo Conimerciocn. ii.
Cemento verdadeiro Fortand.
Vende Jlo Ignacio da Costa, em "barrica?, por
barato prego: no armazem da escadidia da altan-
dega n. 5.
Vende se nma casa terrea ra da Santa
Cruz o. 30, e na praga do Conde d'Eu n. 8.
Salsa-parrilha
A melbor,
A mais nova,
E a mais barata
que ba no mercado, em relacao a >ua excelleote
qualidade : vndese no escriptorio de Joaqun)
GerardJ de Bistos ra d) Vigario n. 16, pri-
meiro andar.
Vende se a taberna cita a ra da Moeda n.
29 : tratar na mesma.
D. Mara Cardoso Ayres da Silva, e seus fllho?,
tendo recebdo a iufiusla noticia do fallecimento
de seu genro e cunhado o Dr. Jo- Carneiro da
Rocha, na capital da Babia, mandara celebrar nvs-
sas na matriz da Boa-vista, as 8 horas da macha
Jd da 9 do correte e esperara qae seas parentes
e amigos eumparfcam neste acto de piedade.
y .
O Dr. Manoel Clemcntmo Carneiio da Cunha,
Flix Wandei ley Pereira Lins e Antonio Wan-
derley Pereira Lins, veera pelo prseme manifes-
tar seu eterno reconheclmento e profunda grati-
dao a todas as pessoas que se dtgnaram assistir
no dia o do corrate, ao enterro do seu presado
cunhado Antonio Jos Vieira da Cacha, e ao mes-
mo tempo solllcitar o comparecimenlo dos pren-
les e amigos do fallecido para assistirem no sab-
bado 11 deMe mez pelas 7 horas da manbaa a
missa do stimo dia que ter lugar na igreja lo
convento de S. Francisco,
'Vendd-se ama machina de costura em b m
estado : quem a pretender dirija-se ra do Pa
dre Fioriano n. 53.____________________
CASAS EM mk
Vndese urna casa de pedra e cal no povoado
dos Montes, sita roa Bella n. 5o, bem como 2
meias aguas nos fundos das mesmas as quaes
tem frente para o largo da Bomba.
A exeeileuta sitoacao desses predios e sea
bello acabado, faz coro que nada deixe a desojar
para o estabelecimeato de urna boa casa de nego-
cio.
O* prelendeotes queiro dirigirse a roa do
Mrquez de Olinda n. 21, Io andar.________
Machinas de costura.
Chegaram ao Bazar Universal da roa
Nova n. 2, um sortimento dej machinas
para costera, das melhores qualidades que
existe na america, das quaes muilas j sSo
bem conhecids pslos seos autores, feomo
sejaa: Weller & Wilson, Grover & Boka,
S.lenciosas, Weed e Impenaes e ootras
muitas qae com a vista deverio agradar aos
compradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalho que trinta costureiras podem
fazer diariamente e ctzem com tanta per-
frigio como as mais perfeitas costureiras.
Garante-se a sua boa qualade e ensina-se
a trabalbar com perfeicjioem menos de urna
hora, e os presos s'io to commodos que
devem agradar aos pretendentes,
A revulesciere du Barry de
Londres
Toda a daenca cede a Revalesciere da Barry,
qae d sade, energa, appetite, digestio e des-
canso. Ella cura as dispepsias, gastrites, hamo-
res, acidez pituita, flato, enjps, vmitos depois
da comida e gravidez, con 4ipac5es,t) '' asthma,
affeccSes pulmonares, bexiga, flga' erebro e
mangue ; 60,000 curas, incluindo mimas dellas no
Brasil.
A revalesciere chocolatada da Barry
em p,
Delicioso alimento para almoco e ceia, moiic
nutritivo, fortificando os ervos do estomago sen
cansar o menor peso nem dr de cabeca, nem ir-
rita cao.
Unfco deposito para o Brasil era Pernamba
na pbarmacia americana de Ferreira M ia & C.
ra do Duque de Caxias n. 57. (Todo cuidadi
com as falsifica cSes.)
Pomada alpaka
E' muito coobecida esta pomada e muito
apreciada por sua finissimaqualidade, a Nov?
Esperaoca quem tem.
Jarros de porcellana.
Um completo sortimento de lidos* Jarro;
de porcellana (do afamado Bacar) existe na
Nova Esprenla, ra Duqoe de Caxias
n. 63.
OLEO PURO DE FIGADO DE BACALHAO
DA
TERRA NOVA
DE
II. LACOMBE
Este oleo qae to boa accetacao tem merecido,
muito se recommenda por ser o mais turificado
que at boje tem vinJo, e anda pelo bou? paladar,
superior a cutro qualquer : vende-se no deposito
special de Bartholomea 4 C. : ra Larga do lio
aria 31.
Capsulas raquim
As capsulas do r?qum tomam se C3m a maicr
facilidade, e nao cansam a menor iadiaposicio 1
estomago. E* o medicamento do mais saloiar f-
feito as gonorrqeas ehronicas oa recentes.
[DEPOSITO
Pharmacia de Ferreira & C.
SCCESSORES DE JA. PINTO
10-RUA LARGA DO ROSARIO-10
______(Junto ao quaricl de polica.)
Tinta violeta extra-fiia de
Moateiro
Meias botijas
Quarloi
Uilav.s
t/500
tUOO
6(0
Fo enes preeoa s en casa de Bouicard & C
rna do Mrquez de Olinda n. 15.
B!M DO MRQUEZ DE OLINDA N 49
E. A. Deouche caba de receber um
grande sorti.nento de o;u o> e pincentz de
todas as quidades, e vioros de todas as
numeragoes.
Ni mesma casa tem grande sr de relogios de todas as qualidades que ven-
dem-se muito baratos.
Libras sterlinas
Vende Joaqaim Jos Ramos a ra do Bom Jess
o. 8, andar.
Quanla agua florida falsa e aborrecida I I
quanla agua divina que mais parece infernal 111
mas a nova Esperarlo, que neo congenie que os
amantes do xiqne gsstera seu dinheiro nessas
aguas, que nao passm de ser dos chafarizes es- i' ci'ad8 e iros tobnrbio?, iu
Todo e;te annuncio anonnco especialmente
dirigido aos amantes do boro, el les devem diri-
gir fe a confeitaria doCaoopo? a ra do Imperador
n. 2i, onde enconiraro sempre acepipis de iunu-
raeras qualidades
Assim como :
cha da India o mais superior.
Chocolate era p e era pao.
Amendoas conftiladas e confeito?.
Kicss caixinhas cora ditas proprias para presen-
tes.
Pastelaria a todas as horas, etc.
fiambres nieiros e libras.
Emfim para se poder saber o que acabamos de
diter indo pestoalmenle
Confeiiaria do Campos.
Ve!id.-;e a ca^a terrea d. 23 ra dos Pes-
cadores, com trea quarto? grandes, doas >ala--,
cosinlia lora, quintal murado, carimba e por.-r.j
que deita para a ra da Tra'a de S. Jo : a !.-.-.
lar rua do Mrquez de Olinda c. 40.
O compendio elementar do tynWHM mtrico
decimal organaado por J. G. d >s S..atos e.-r veo
da as hvrariai dus Srs. e belhaiew & C, >"
gujira A Medeiroi rna Io de Marco (antig-
'.respo) n. a 9, J. W. de Me Mroi a ra d
peraJur n.7*, MancelCardi'so A)es a ra 6
na fregaezla de S. Frai Pedr.i loncalves.
do
j Irn-
.a Jra:
Com o devido respe
Sim, com o devido respeitu qoe
rus da Confeiiaria do Campos, al
parador n. 2i, a cuja fente se'
um grande lamppo qae tu, que vem sciealiflear ao illu
trangeiros, ou mesmo nacionaes, mandou vir do
afamado fabricante Rigaud, a sua excellenle Ka-
nanga do Japao, a qoal est superior a todas as
outras ; j pelo agradavel cheiro que deixa esca-
par, j por suas beneJhas qualidades. visto que
inteiraraente vegetal (assim o diz o sincero fabri-
cante) para a conservadlo da pella e do rosto,
agua de kananga deitada na quantidade d'agna
necessana para o toucadT, branqneia a -pelle, tor-
nando-a suave e aveiludada, evita e di'sipa as es-
pinba?, communicando pelle urna cor de rosa
transparente, o que muito bonito...... alera disto
um sgndavel cheiro para o lenco.
ito
m reprieta-
ra do Io-
icha ce Mocado
. a.?rso & B0B-"
.r lu publico de;-
iali fe enti'i'trara
e a* libras
dut.
Vende-se
doas tomaos com 110 palmos de frente e 130 de
fundo, cada ora por beneficiar, silos s roas da
Deteocao e Gaz : a tratar na rna do Qaeimado m
2i, loja de miudezas jnnto a fabrica de chapeos
de sel.
Mari* Joaquina Ferreira Viilaca ve pelo pre-
sente agradecer aos prenos e amigos do seu ti-
nado mamo Manoel Ferreira A. Vulaca o earido-
so obseqalo que fiierara em assistir aos ultimes
suOVagios fios quelle seu sempre praa'.eado es-
poso ; ) de novo os taov4da para as^stirem a
missa do stli.no dia, ijue uiaoda resar ae 6 horas
da manba do dia 10 do correte, na igreja da
ordem lerceira de S. Francisco.
O Dr. Baarque de Jdaeedo r. ga encareeidimen-
te aos seu* amigos e aos parentes e amigos do sen
charo amigo D Jos Carneiro da ltjcha a cari Ja-
do de assistirem a ama missa de iuuum que por
alma do mesmo Dr. manda celebrar no dia 10 do
corrente, as 8 horas da man^Sa, na matriz 3a
Boa-Vista. \g
Ca.a ni Oiuida
?a rna da SkuW, oo Piaa, *x; rdo
B. 3^ cjm bstanlos cotquJ'jos Unto no terreo
tomo no 4odr, <-- T3 os baobos salga
do1, que neain i
p?'o quintal nsri hvor
snbrado JjqI, e fraiar
Oif a e.ta^ido algai::
Manteiga ingleza lina
Vende-se em casa de Mills Latban & C, rna da
Cruz n. 38, manteiga ingleza superi r em potes de
40 libras a U por libra.
4KHEI0S
Na roa Direita n. 6i, vende-se arreios para os
esquadrSes de cavallana, assim como i tcebem-se
eneemmendas para os mesos : na mesma casa
ha ara faldamento completo em perfeito estado
para guarda do Ia e-quadrao. tudo por commodo
preco
O proprietano da amiga relioacao do largo do
Paraito o. i, pelo presente partecipa aos respe
taveis fregaezes que outr'ora comprarara assncar
refiaado na mesma, que lem exposto a venda as-
sucares dos melhores qae existe no mercado, o*
quaes vende por mdico pre^o afim de que avista
das boas qualidades e pre$o aio deixaro os boos
fregneies de comprar, e por isso convida aos res
peilaveis fregnezes a virern examinar para que fl
quero aleirados da verdade. Outro sim, tambem
se eacarrega de mandar levar e despachar qual-
qoer porcao as ettac/jes.daa viaa ferreas.
0LIVD4
Vende se a armario e gneros da taberna da
ladeira Jo Varadouro, propria para principiante :
a tratar na mesma.
VENDE-SE
os banbos salga
'afido se
No esariptoro de Miguel Jos Atve?, roa da
Craz n. 19, primeiro audar, o seguinte :
Salsa parnlha muito n' Chapeos do Chile.
BorrfChlobij d< tolos os tibwnbcs.
Verdii copal
iColla de boa qua^dade.
luras d? b
Tuh por preaoi pra" ujtimar coaUj
a, sac-
Joaquira Jos Goncalves Beltrao tora para
vender na sea escriptorio ra do Comroer^d d.
o, os gneros abaixo notados, que vende mais b-
rato do que era oatra qualquer parte :
Azeitonas em ancoretas.
Amendoas em barricas.
Caf muido em massos de 1 libra.
Chapeos do Chile de boa qualidade.
Cognac marca martel frres.
taladas.
Farinha de mandioca de Santa Calharir
eos de 3 e 2 alqaeires.
- Dita da Bahia ent saceos brancos.
Dita de dita era barricas, proprias v,ara tt9U
particulares.
Fio de algodio da Bahia em n^veilos.
F0UCC3.
Maxados.
Nozes.
Obras de pal helas.
Papel proprio p?.ra cigarros.
Dito azul para botica.
Palitos para denles.
Pregos sortidos.
Panno de algodo da fabrica de Todos os S mtos
Pedroso nde a Bahia.
Haftas.
Rap popular da Baha.
Botim em fardo'.
Bctroz doe melhores fabricantes do Porto-
Tapioca do Maranhao.
Tabaco simonte da Bahia.
Verniz copal.
Vinho do Porto engarrafado, caixa de t? gar-
rafas.
Dito de dito em barris, proprio para engarrafar, i
Dito moscatel, verdadeiro de Setnbal.
Dito Bordeaos em caixas de ama dazia.
Dito de rain em caixas d nma dazia.
enflauten cite o seguinte :
fiambres promptos tnteiros
Puddings de diversos taro.*
lilos iug'en'i'e francez'
Pcsdo l. d-
Pastis felfeadas de fr> .
Bmpadas de diverw f* J:sU "te-
Odee erystahado, J >B,tBh2!1S Q*"?ad^-
?a Amealoas eonf. P|me->-
Cndilos, per' J,"A*: Ciiii e eacascadas.
Bolnhosser e boobons. .
Lanches d: -'0!, Par ci,a-
r>rveu r-os.
J~ .-h.rri"gn<, vinho, lia-res e cognac.
. ASSIM GOM:
?P oraptsm qualquer encommeoda de bolos e
, ." .do, pois para i-so tetm urna bem modada
jrica.
E convidamos a? Exmas. famrlias virem visi-
tar o nosso estabelecimento, pois ne le encentra-
rao sempre agrado e sinceridad. __________
Bazar Universal
Ra do B ro da Victoria n.
22, oidora ra Nova
Acaba de chegar para este grande estabeleci-
mento um eeiupltto sortimento ie machinas de
costara de lodos es autnores conhecidos, os qnaes
garantera por aonos as ditas machinas, e se ven-
dem p-T preco* lao rasoaveis que a todos agradft-
r, cnjo< precos sao os segniotes : 40^. 60,
80J. 10)3. 120, 130J, liO, I60, 80S, 2C0,
i20, 2oOi e 300J rs. G3rante-se aos compra-
dores a bja qaalidade do trabalbo e obriga-se
a ensinar tantas vezes quantas sejam precisas
para bem comprehender-se. Vende-se tambem
pecas e imis pertences de so'brenalentes para
as mesmas machinas. Previne-se desde j qae
m se vai ;.i ci)miado para conserlo e ensino de
machinas iias que fofera compradas neste esta-
belecimenio.
Cabriolet
Vende-se am excellenle cabriolet de i rodas por
preco commodo : na ra da Florentina n. (i.
BAZAR .VICTORIA"
2=Mitiga ra Nova=2
Amaral N,buco C, propre'arios desto'estabe-
lecimento, acabara de receber um sortinenio de
vestidos de tari ataa matizados de cores, ditos d-
fij de seda tambem roatisados de eore3, diios d:
iaa coro lislras de seda, ditos de eda de cores,
basquinas de seda frea rijmenle enfoiud., lado
por pKg.8 jommodu?'.
o ion"
Na qjaiia da roa do MooJogj o. 03 4i Sr. rna
or MaKelino Jj Lofe?, vend'1->e nvteriafs d?
melijor que lia e par preco tal que ocpaMa ao
ro*il< e.'.onmico freguez.
I H VlG^tl S. ti'
teois-.'-e tiuhjA d. Pino fi'firrrfado?, t io e3]
Dan:- ^ ,'onas E
velas e liogias de :era.
Popelina de seda e
laa.
Fazr-n la nteirarueiite nova no mercado-
com padios muito delicados, azenda de
ura fclleito su-prebendante em vestidos, e
vende so por lJ280 rs. o covado, na loia
do Papagaii, ra da Imp;ratriz n. 40, de
Meoiles A Carvallio,
No escriptorio
de Joaquirn Gerardo de Bastos i rna do Vigario
n. 16, I andar, ha para vender o seguinte :
Arroz d In i de boa qaalidade.
Caf do Rio de Jannro.
Chapeos finos do chile.
Clin utos da Bahia.
Cognac AhrleH.
Eradas ngleas de 2 l,j, 3, 3 1,2 e 4 libras.
Gencbr; Ol Tora.
Gaarar.
Scb-tt: ,,-a descaror alodio.
Manteiii? 'ranes-j.
y^nielg. ingleza.
'."biaa de filela, do Porto.
Salsa-parilha de Sanjarem.
Sardinhas de Sanies em qaartos de lata.
Tapioca, do P*r.
Tildo por preco % mais mdicos do qoe em ootca
M casa s vende uuj i
-ciiie rlirenctattra : na ru do Vigario o. 16.

r
*


Oaiio de rernftiiiDuoo Quinta feira 9 Je Novembro le 1871.

A' AGUIA BRANCA
RA DUQUE DE CAXIAS N. 52
CQufr'ora dueimado n. 8.)

.
A Agola Rfsnca tendo j recebidoyjjarte de ?uis
aniigasaar/oraraendj?. era segoimebto acaba ago-
ra-reamo de receber ouiran, algomas das quaes
r tornavam esseneialmenJe precisa, e outras se
Uzem apreciadas p >r Veas gostos e qaahdades,
covo sejam :
Mms d* fio d'escoeia, abortas para senboras
taenra:j.
Hilas ideai eom listas tambera para senhoras
e menina;.
Ditas idam maitc bonitas ao gesto escocez.
DUs ideri i-Jem brancas e cora listas pira rae
ninas.
.Ditas dem idem para baptizados.
Ditas de algodo corapridas e cora tetras para
morunas.
Lavas pretas de seda, para senhora.
' Ditas da turbal e da seda pan meninas.
Bonitas camisinbas bordadas para senhoras.
Pil de seda, branco e preto cura Ocres miadas.
Dito de algodo, liso e cora flores.
Tooquir.has bordadas para criancas.
Lindos e moderaos chap'>siubos de fustao para
ditas.
Pentes de tartaruga para deserabaracar oa pen-
car.
Ditos dita travesos pira meninas.
Ditos de borracha para ditas.
Ditos de tartaruga, pequeos, para segurar o
amarradilho aos cabellos de senboras.
Grande sortimento de enfeites e seda para ves-
tidos.
Fivellas de madreperola e de tartaruga para
pulceira e lsco para o cabello.
li Ditas b Icinhas para meninas.
NOVO SORTIMENTO DE E.NCHOVAES PARA
BAF'TISADS
A aguia branca acJrsi, d feaBsr novo sorti-
mento de linios e compNoi eneho^es para bap-
tisados, e bem anmr separadTrtrrenie caralsinhas
para dito-, lindos ebapeoslnbos aaeiim branco
bordados, oalros JitSs com fund de vaJWde, obra
de maito gasto, e qa servan tamben paratms-
seo,-flapatrnhos de ?e"fm para-ojjiesmo Stm.
MODERNOS EXKEITES DE FLOItES,
ornado* com b^jadeseda, tilas de setifl flvtira
de madreperla ao cltimo go.-to, e proprios par
bailes, casaraentos, etc., etc.
"LORES E PREPAROS PARA ELLAS
A Agnia Branca receben lindos ramos da flor:
Anas, tanto para cabera como para chapeos, -
bem assim :
Papel verde uso eom listas para folbw.
Dito de corea para flore*.
Foibas de diversas qualiJades para rosas.
Ditas verdea e lustrosas, obra neva e pela pri
meira ver viadas como amostra.
Franjas pretas 0 de diversas largaras para n
feitar ve.-tidos,
COQUES DE TRANgAS E DE OUTR08
MOLDES.
A Agaia Branca acaba de receber nma peque-
a porcio d.is bonitos e modernos coques gran-
des de tranca e ontros moldes.
nOYO SORTIMENTO
DE
A agnia branca, s roa do Duque de Caxias n.
51, outr'ora de Queiraado n. 8, acaba de receber
um novo e bello sortimento de nonecas de diver-
sas qualidades e tamanbos, sendo :
Com rosto de seda, das que choram, e outra.'
que fallam.
Com rosto, mos, e ps de porcelana, e pro-
prias para vestir-se.
Obras de porcelana *
A agnia branca tera outro sortimento de diver-
sa? obras de porcelana, sendo :
Bonitos e ricos vasos para pos de arroz.
Outros para joias.
Outros para bonetes.
Outros para enfeites de mesa.
'Pequeas e bonita? pias para agua benta.
Pequeos Jarra para santuarios.
Outros maiores para mesas.
Bonitos port relogios.
Lindas costinhas tambera de porcellana.
Escrivanias de dita.
E moos ootros objectos para enfeites de mesa.

RA DUQUE DE CAXIAS N. 29
Os proprietarios deste.' grande e bem moudo estabelocimento scientificam ai
respeitavel publico 'esta provincia, que se acbam c/>m um variado e completo sortimento
d?. motis, tanto aaciooaes como estrangeiros, se^do este3 escocidos capricho por
um des s idos uwe-e acha actualmente na Europa, e por isso os podem vender mai*
baratos 20 7o menos da quo em outra qualquer parte. O mesan tem contratado com
os melbores fabricantes daqoelle coniinente as remessas das mais ricas mobilias feitas
lili, Ni olliciria tem os mais habis artistas deste genero, e por is:o aptos a fornecereno
mobi'i3s as mtiJ aperfeicoadas para as casas da provincia consideradas de primeirs
Orden Pedeai, portioto, qits venham visitar dito eslabekcimento, onde encontrarto
a r :i J d.. do q j-i aoabam de expr, passando a examinarem : ricas e completas mobilias
do Jacaranda, mogoo, f.iia, carvaiho, amarello, etc. etc., ricas e elegantes camas de
jacareada, po-setlm, annrello, etc. etc., guarda-vestidos de amarello, guarda lonc* de
Blrj amarillo, com lampo de pedra, aparadores do dila, dito, com dita, petiti
toilctl- s, especihlmewe para fazer barba, toilettes de Jacaranda e amarello, com padra,
e mat5s antros ailigos de gosto, que para se n'o tornar enfadonho prescindimos de
azar mecSo dalles, o qne s com a vista poderao apreciar.
A loj* dos Arcos de Alvaro Augusto d'Almeida 4 C. ra do Crespo n. 20 A acab
le recetor pulo nltir.o vapor francez Amazonas, alguns aitigo3 proprios para enxovaes
ie ooivas, e da olas para grande toi'ette como sejam :
Riqnssimo cuites de vp.-tcs de b!onde para casamento.
Ditos de larlatana bordados seda para casamentos.
Cortes de seda da bonitos gostos e superior qaalida Je.
Colxas de seda, la, e la e seda.
Capella com manas de blondepara ncivas.
Canrsas de esguio bordadas para noivas.
Fronhaa de esgniao bordadr.s.
Lencos Ai cimbris de linho e labyrintbo.
Superiores U-ques de madreperola.
Cortinados bordados de differentes precos e qualidades.
Seda? de cores de bonitos padies.
Ditas escoces para ve.-tidos, roopas de menino, enfeites, etc.
Basquinas de gorgoiSo, superior qualidaje.
''.urtis de 153 e seia p.^ra senbora.
Mnntilbas br?si'cira de filide teda bordado.
Cu cheoei d i lia a seda.
Chipe!ina3 de s!a bnnc, e de crpe preto para loto.
Chapeo* enfeitad n t >ia senhwaa e meninas modelo inteiramente novo.
Cartea d cambraia dt cor, e brancos bordados.
I S COfbM de baplilo i Fr> u-Frou.
Coi! (i v pge fazenda de gosto para vestidos.
Alm de; les arligos qae S9 vndem por presos razoave3 tem ootros que sope-
cbinbas extrao.dioirias, Ci.mo sejam :
Damasco de 15a cora 9 p timos de largara a 10500 o covado.
Ctt s de lia Victoria cora 20 covados por 101000.
1.5. -tras de seda a 40J rs. o covado.
Ditas macadas muito boa qaalidade a 3O rs. o covade.
Cascas de cr a 240 e 280 rs. o covado.
Alpacas largas bonitos padrees a 500 rs. o covado.
Lencos de esgiiiio maito finos a 30 e 40000 a duzia.
Esleir ta ludia, millas para viagem, transparentes, ele, etc,
SupiiorHs cigarras do Rio,
de Jineiro.
DomiagoJ Alves Matheas, nico agente oesta ;
iroviacia da fabrica imperial de cigarros de S.
oio de Nilberohy, estibelacida no Rio de Janeiro, j
tsm sempre um completo sortimento da lodoso;
cigarro-, fumo picado e en latas. Tem igualmente '
os afamados cigarros Conde d'Eu, feitos com mag ]
Difleo papel de paiba de milho e fumo superior i
Para gsvtrno de sea fr.guezes, qne tem estabele- I
cido depsitos flaes, as casas dos Srs. Thomai
Francisco da Salles Bisa e Manoel de Souza Cor-
deiro SimSes Junior. oo barro do Recife, e todo
(panto f >r vindido em ontras casas com a firma
da Souza Kovaes & a sao falsificado'.
Vende- e pnr metade de sen v;lor, islo pelos
readimentos de dez anuos um terreno foreiro, on
de se ach ediflcada parte da ciJade do R'o For-
moso : a tratar cora o barharel Marcolino Ferrii-
ra Lima, na sobredita ciiade
Machinas para de8caroc.ar
algodo.
Ven le se no escripte rio de Joaquim Gerardo de
HASSA e X.4R0PE
OECODEINADEBERTHl
Proconlsados por todos os mdicos contra o I
DEFLUXOS, CATHARROS, E TODAS ASI
RRITAQOES DO PE1T0.
X. B. O Xaropt de Coieina que mereci a ]
honra, alta* bem rara entre ut ileilieameniotl
nonoi, de ser regiitradc como um dos medica-1
memos efliciees do Imperio Francs dispensa]
quatquer elogio.
AVISO. Pof cama da repretawiYel ftlrf-j
Acacio que tem suscitado o feliz resultado do!
Xarope e massa de Berih somos Toreados aj
lembrar q.ieesies medicamentos ta jostamcnti
conxeltuacos s se
tendem era caiiin-
base frascos lerando
a asignatura em
frente.
46, Fue des coles, t na Pharmacia Central I
de Franca, 7, Rne de Jony, em Par'u, e em]
todas as Puai lacias procipacs do Brasil.
iSo ka mala cabello braneos
ifon,a.
S nnle Jprovada pelas as academias dt
iancia, reobfc*ei4a supwiar a todaoue tem ap-
oareudo at boje. Deposito principal a. .roa*.da
ada 4k Mif i. W> aadar, ett tota ts to-
tea* casa de cabeUairairo.
Tam i veoda em sens armazens. alm de outros
tita 4a sea negocio raiiiar, a* K*m*^
raodem por presos mala mdicos qae *m oa-
ti qnalqner pirte:
PORTAS, da piobo almoadadas.
PQRTE1RAS de ferro para cercas. -M
SALITRE mglez. ZjiH M M
ESTEIRAS da India pan cama e torrar uIm. ,
CANOS de barro fraacez para eegoto. ..
Q8SS0 superior em porrjoas a comento.
CIMENTO de todas as qualidades.
MACHINAS de escarolar algodSo. ^,
LONAS e brinzoe* da Russia.
OLEADOS americanos para forro de canos.
FOGOES americanos muito bous econmicos.
VINHO de Bordeanx.
COGNAC superior de Gautler Frerea.
FARKLLO em saceos grandes a 3,1900.
AGUA florida legitima.
BALANQAS dacirnaa.
CADEIRAS americanas.
RHUM da Jamaica.
AZULEJOS de Lisboa.___________________
Contra a tosse
PAfiTILHASPEITORAES.
de
Gomma simples crystalisada.
Ditas de angieo <
NaM d'Arabia. ___________
Seve de piobo martimo de Lagasse.
E outras mokas qne muito se reeomendam pe
las'suas excelleates qualidades.
Vnde na
PHARMACIA E DROGARA
DB
Barthoromeu & C
84-RA LARGA DO ROSARIA-34
Xarope sedativo
DE
Casca de laranjas amargas
COM
BROMURETO OE POTASSIM
DB
KiAROKE
Este ora preparado aprovado pela academia
mperial de medicina, muito se recommenda pela
ta' accio aaattta t calmante, sobre o systerpa
nervoso, o bromureto de petasainm, nlo uca 'de
lar os mais crios resultados as diversaa affec-
:5es do organismo e principalmente as molestias
lo corafao, das vias digestivas da respiracao, as
?ias genilo-urinarias, na epilepsia, as molestias
oervosas da prenhez, na insomnia das criancas
tarante o periodo da dontito etc. etc.
Vende-e na tharmacia e drogara
fle
Rarthoioraeu di C
3i RITA LAR3A DOBOSARIO-3
PJ1BA ^OIT
Lindas grinfcldas com flores e botos de
laraugeiras com vivos e sem tiles, venem-
se na Nova Esperanza raa Duque de Caxias
n. 63.
Oleo para machinas
Vende-se na Nova Esperanza rna Duque
de Caxi3S n. 63.
J&'fto haver convul^cs. .
As criao^as que usaren dos collares ano-
dinos, qua se vebdem na Kova Esperanza,
est.ro iseotos de convulaSs; pois s5o os
verdadeiros recebidos directamente.
RIVAL SEM SEGUNDil
RA DUQUE DE CAXL^S N. SI.
Jos Bigodinbo, com leja de riacezas,
ivisa a tedos os os tcus fregaezos qat est
torrando todo pelo -oreco, a vista da t^zea-
da, para todos'admirar, a saber:
Pecas de fitas bordadas milito fio?.a l^SOO
Thesouras grandes e pequeas o
mais fino qne La a 10OOOe .1(5500
Caixas com SO quadernos de papel
liso, amisade a rs. 500
Pecas de tranca de 13a e algodao as
mais modernas a 160
Frascos com agria de colonia muita
fioa a 400 e > 500
Frasco3 com agua de colonia ver-'
dadeira a 800 rs. e 14500
Chapeos brancos para baptisados o
melhor que ha a 3,JrOOG e 50000
Duzias de butoes cobertos de seda
para vestidos por todo o preco
para acabar.
[Jbra de areia preta a 160
Grosas c"e botes de louca branca a 12C
Caixas com 100 envelopes fazenda
fina a 500, 6C0 e 800
spelbos de moldura dourada a
800 e 14000
Pentes pretos volteados para me-
ninas a 240
Tinieiros com tinta preta a 80 e 10C
Pecas de fita elstica maito fina a 20C
Latas com superior banha 60,100 e 2<'0
Latas grandes com superior banha a 320
Frascos com oleo de Philocome a
500e 800
Frascos com macass {Peruta a 240
Frascos eom agna de Colonia verda-
dera a 1,5000
Ditos com oleo de ba Josa suderior a 320
Carritels de retroz preto com 2
oitavas a 600
Caixas com agalhasfrancezas a 160
160 240
Pecas de tiras bordadas a 500, 600
800 e 1,5000
carrafas com a verdadeiri agna
florida a 14300
Cartilhis da Dootria ChristSa as
mais modernas a 400
Parares com 3 sabonetes inglezes
fazenda fina a
*
10Eua do Crespo10
de alodio com ST Jardas a f, 4,1500
madapotao a 4, 5|, 3*300, 6/, e
dito infestado, Irancet superior a
Chita francetas de todas as quahdades a SiO
m, 300, 3 e 30 o cavado.
Cambraias de c6res.a40.e 280 rs. o ctmdV).
DiU lisa de cor a 380 r o covado.
Ditas pret.'B para luto a SVO rs. a rafa.
Pe-cas de oamfceaia lisa transparente a 3*, 3*304
Ditas 'de dita tepala-Yielorfc, a 4*. 4*300, Si
e 7*.
Ditas de dita fransparenl, suissa multo fina
cora 17 varas, 44*.
Ditas dHa bordada eom 10 ardas a 71 e
9*300. ,
Organdy branco fino a 7|0 r. a vara.
: Bnlbantina branca infestada>a 440 e 300 rs. o
eo\ado.
i Breucha de linho com 25 varas a 20*000 e
ttrtOO.
Dita de dito" Infestada cora 30 varas a 27*.
Bramante de linho com 10 palmos de larcura a
2; 500 a vara.
Dito de alfad ao a 1*600 a vara.
Atoalhado 4e dito e de linho com 10 palmos de
largura a loOOe 3*.
Toalhas aleochoadas para rosto a 7* a duzia.
Ditas de linho do Porto felpudas a 10*000 a
doria.
Gnardanapos de linho a 3* e 4* a dazia.
Cobertas de chita a 2* e 2*500.
DiUs de chita adaraaseada forradas, i*. 4*300
e 5*000.
Colchas de damasco de eorts a 4* d*.
Ditas de fusiao alcochoadss a 5*.
C>brtasde La escuras a 2*.
Diasde algodao bramas a i400.
Colteirinhos de linho a 500 rs.
Chales demerre iso3 pretos e de cores 2*000
e 3*000.
Ditos eslampados de meta casemira a 2* e
2*500.
Damascos de core* a 640 rs.
Leos brancos ie cassa no, 2*, 2*j00 e 3*
a duzia.
Ditos ditos 6 de cor abaraado largo a 3* e
3*300 a duzia.
Ditos ditos de carr.L: : de linno finos a 6* a
duzia. *H
Ditos do esgniao de li-hq a 4*, 4*300, 5* e 6*
a duzia.
Bnm Angola a CO, 8 X) f*000 o covado.
Bros de linho de coi,,- a 30J rs. o covado.
Corles de meia casemira para calca a I*2iX) e
1*400.
Ditos de casemira pma calca a 3*500, .4*300
5*500.
Catemiras de cores de duas larguras, 2*, 2*50
e 3* o covado.
Ditas pretss, duas largaras a 2*300 o covado.
Pao Quo preto e azul a 2*, 2*500, 3*000
3*500.
Dito dito muito fino superior a 5*, 6*. e 7*
covado.
Lans e alpacas de cores para vestidos a 40
300, 600, 7C0, 800 e 1* o covado.
TaHiiS com labyrinlos para bandejas e para
rosto a 85, 10* e 13*.
Crnicas de Amella branca, e de cores 2*,
2*500, 3*, 3*500 e 4*500.
Grosdeuapoles prelo e de cores 2*. 3* e 4* o
covado.
DIo-se amostra? edm penhor.
Vende-se tambem grande qnantidade de roupa
feita e por medida por precos muito rednzidos.
Cura rpida e radical dos
callos
pela pomada Galopau
Es?a pomada qne to bops resultados tem colhi-
du as pessoas que della tem feito uso aeaba de
ehegar para o seu deposito especial..
NA
Pharmacia e drogara
DE
Bartholomeu 4 C. rna larga do Rosario nu-
mero 34-
J. 0. 0. Doyle tt-m em seu
armazem para vender
O SEGUINTE :
COGNAK HENNESSA.
V1MHO XEREZ.
DITO DE LISUOA,
FILTRADE1RAS.
BITTER
A* ra do Commercio n. 38.
A FLOR DE OURO
E' este o distintivo d^aiiwivii e bem montada
lojadejoi.CTt a ruaiarga do
S W Bfceario n. 24 A,

>.*.
Os proprietarios esta elegante esUbelecimonw leudo em vista os esforcos qne
fizeram para o collocarem as condlecdes de ama. grande clientalla, filiariam ao mais
rigoroso principio u nlo vtessan a* abllumas cts jtrnal seteauBOr ao respeitavel pn-
blico, qne no me.mo esubeiecimeuto encontrarle sempre o mais completo sortimento
da joias, como sejam : brincos os mata modernos, para adornaren as Delicada! ora-
Ibis do bello sexo, e qne m vendem a i, 9 e 10* o par, dt tas para meninas a 4, 3 e 6*,
ditas de coral, obra de apurado go>to a 3 e 4*. Voliinhas de coral eom cruze* de ova
a 5*, broches modernos de 3 a 13*, ditos cora pedra? e em suas dovidas caixinbaa a
l#. II, t e 20*, rosetHS lisas, porm bew trabalhadas, de *3O0 a 9*. ditas com
pedras de 4 a 15*, cacoletas a 4*. ditas cora InscripcSes a 5*5C0, sonis diversos
gostos, e com benitas pedras a 2, 3 e 4, ditas de perolas, esmeraldas e rubras a *,
ricas crozes de esmeralda e rubim a 12, 14 e 16*, di'as de ouro e coral com vistas pho-
tographlcas a 3, 4, 5, 6 i 7*, ligas de coral a 2*, cadeias para relogios a 20*, dittss a
6*500 a oitava, guaroieSf s com tres botoes para aberturas a 4*, dito3 de pedrlubas a3*fiO
o par, ditos para ponbos os mais modernos a 7 e 8*; alm de nm variadissimo sortimen- '
to de joias de aparado gosto que receben) por todos os vapores da Europa ; como
sejam : brincos, braceletes, alfiueles, adereces completos, ertues, rselas,''anoefs Aa I
brjlbantes, esmeraldas, perolas e robins. Medalboes, voltas, irancelios, aunis com leu
tras e de diversos modelos, ocnlos e pencinez de onro e prata dourada, relogios e ou-
ro e prata de afamados fabricantes, salvas de prata de diversos tamanbos, ricos palttei*
ros e faqueiros, colberes para cha e sopa, maracas para criaujas, e auna innnidade da,
objectos que seria anfailonbo mencionar-se.
Os proprietarios da Flor de Ouro garantem vender mais barato que em outra
qualquer parte, para qne estar aborto o eetabetecimento das 6 horas da matki aa e
noute.
AO 65
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Tendo-se resolvido d'ura avante vender-se neste estabelecimento todas as fazen
das existentes no mesmo, por precos qae lodos admirarlo, acho de meo dever partict-
pa-lo a todas as Exmas. familias em geral, afim de virem visitar este estabelecimenU
on mandarem bascar amostras, garantindo-se-lhes um bom sortimento de fazendas
algodao, la, linho, e seda, emfitn urna infinidade de artigos de meda maadando-se ii
casas das Exmas, familias, por empregado da casa, toda e qualquer fazenda para veris
oa escolherem.
As pessas que vendem em menor escala podero bem sortirem-se neste estaba-
lecimento que vender pelos mesmos presos que em qualquer casa importadora, tenit
a facilidade de comprar qualquer portjSo.
O 65 tem um completo sortimento de roupas bem acabadas o que vende pot
presos muitissimo commodos, mandando tambem fazer por medida toda e qualquer obrs
que os concurrentes destjarem para o que tem um dos mais habilitadsimo mestra
alfaiate, corlando por um systema inteiramente novo.
Os annuQcios nesta praga esiSo e por certo devem estar desacreditadissimos, poi
que ha casas que annurciam aquillo que nSo teem, o que o 65 garante nunca dar-se em
seu estabeiecimento, pois que s deseja bem servir ao publico em geral, para ganbar
grande nomeada em todo o mundo.
O 65 acha desnecessario mencionar os precos de suas fazendas pois que isso tor
naria-se demasiado macante para os leitores, por ter de ser demasiado extenso sea m-
nuncio, e mesmo para se tornar menos desendioso, pois qne vendendo muito e mttitc
barato mister encurtar suas despezas. A s/nceridade dos tratos do 65 jolgo qne jli o
publico conhece demasiado, pois que sempre tem cnniprido'com aquillo que annunci
nao verdade ?
E' INTIL, NAO SE CANCEM, COM O 65 NINGUEM PODE COMPETIR
RA DO, DQE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)

K ?
DO
Escovas muito finas para limpar os
denles a
600
240
nos do que em outra qualquer parte.
Venda de preiios
Vcnde-se a terca parte da casa n. 92, da roa
Angusla, com duas grandes salas, corredor ao
lado, seis quartos grandes, eoznna fora, quintal
murado, cacimba com boa agua, e sabida para a
Alcatrao de guyat
LICOR'CONCENTRADO E TITULADO
E' um poderoso remedio contra a seguintes
molestias: bronchites, caurrhos pulmonares, tos-
se, rebeldes dtfluxos, irrUco de peito, males da
garganta, phtisica pulmonar, deyts pesia, catar
rho de bexiga, molestia de pelle, pdrda de cabel
los, purgares antigs e recentes, etc., etc.
DEPOSITO
Pharmacia de Ferreira & C.
SUCCESSORES DE J. A. PINTO
10-RA LARGA DO ROSARlO-iO
GALLO VIGILANTE
Ra do Crespo n. 9
Acaba de chegr pelo ultimo vapor diversos ar
t'gos de novidade, como sejam :
Lindas touquinbas enfeitadas para baptizado ;
assim como ehaposinhos.
Sapatiuhes da seda e de merino.
Meias de seda e flo de Escocia de 1 a 12 annos
de idade.
Ricos Jeques de madreperola todos abortos, o
raelbor que ha neste genero ; assira como ou-
tros de madreperola com seda, fazenda requissi-
ma ; tambem receben grande sortimento de la-
ques de sso ingindo marflm sndalo e madeira,
tanto para senho-a como para meninas.
Superiores ligas de seda para segurar meias.
Meias de borracha para quem soffre de inxagSes
ou erysipala.
Seda frouxa para bordar todas as cres.
Froco de seda para o mesmo tim.
Retroz prelo e de cores em carritis.
Fitas para cartas de bactureis.
Quadros pira retratos.
Luvas de pellica, e de seda, branca pretas e de
lindas cores.
Superiores capellas para noivas.
Lindos alQuetcs de madreperola para peitos de
senboras.
Lindas abotuaduras para colletes.
Laa de todas as cores para bardar.
Superiores pencenez de ac.
Muito finas thesouras para costara, unhas e
para cortar cabellos.
Superiores pentes de tartaruga para arregacar
cabellos.
Tintura ingleza para Ungir cabellos, a verda-
deira.
Grande sortimento de franjas pretas, largas e
estreitas e lindos paJxde?.
Lindos bsbadinlios e ntremeles bordados, tapa-
dos e transparentes.
56 ARa do Mrquez de Olinda56A
outr'ora ra da Cadeia.
LOJA DAS MACHINAS .
Sendo este antigo estabelec melo assaz conhecido como principal e recomnierj-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimeotos cora que sempre prima em ter dai
trelboras, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo-
dSo, desde 10 60 serras, e bavendo em todos os tamanbos diversidades de syste-
mas e melhoramenios para perfoito e rpido descarecamento; tornara se dignas da
serem vistas e apreciadas peros Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontrarlo
tambem mais:
tlati i mi A-. Vovfo n ir i. ,.j.. ~ uiauu, wiciiuua com uo Miua, o aaaiua para a
lllT^\t^LVLKr^ Vtm- E*fe ra do Apollo o. 3*, segundo andar.
Xarope de fedegoso
E' de ama editada vot dadeira mente maravi-
fnosa como calmante do systema nervoso e ap
plieado contra a paralisa, a.-ibma, tosse convulsa
ou coqueluche, tosse recente ou antiga, suffoci-
'.de, caiarrb, bronehftes, etc., e era geral con
tra todos os soflr ment das vias respiratorias, e
na phtisica pulmonar, toa virtade contra o ttano
ou espasmos, e convulsoes incontestavel, a nin-
guem ba que a deseonheca.
DEPOSITO
Pharmacia de Ferreira & C.
SUCCESSOiES DE J. A. PINTO.
iO-RA LARGA DO ROSARlO-iO
________(Jnato ao anartel da potieia.)
."ZJ???'1! ?* *w>cjto e algaos pertaaMi
na roa m 8. Joto n. 19.
D. Anna Francisca da Fonceca Piraenta pre-
tende vender a otaria denominada Taquary, no
todo ou renlhando o terreno ; assim pois quem
pretender drija-se a anuunciante na estrada no
va do Casanga para contratar, afim de que com
dados certoj possa cbter licenca do juiz d or-
pbaos para dita venda, visto ter sua fi.ha menor,
paite em dita olaria."
Vende-se um piano de mesa quasl novo e
muito proprio para qualquer principiante, garn-
tase o bom estado do piano : a tratar na ra Do-
que de Caxias n. 6, autiga das Crnzes.
ATTENCAO
Veude-se a Uberna da ra da Senzalla-Nova
n. o n, ora poneos fundos : tratar na mas
ma.
Apurados vapores loromoveis, de orca
de 3 4 catallos, e pertences.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e la-
deira.
Carros de mo para atierros.
Tinas de madeira.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanbade.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Dites de madeira para compras.
Apparelbos para jardins.
Guardas comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarracbas para fazer parafosos de ferro.
Dtlas dita ditos de madeira.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
Emfim muitos ootros artigos, que
examinados.
Correnies \ ara arrastar madeira.
Cylindros americanos para padariaa.
Pertences avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breo superior.
Moinhos de diversos fabricantes pan
milbo e ca'.
Debulbadores para milbo.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Canos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chombo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
>
s avista e neste estabeiecimento poderio aar
Ven le-se
orna machina nova da costura, qae tatbalha com
duas agulhas e ponto fino e grosso : na ra de
Hortas, casa tarrea n. 82.
Aos senhores funileiros
Vende-se em porcio e a retalho caixas de folha
de Flandres etstanbo, lado de muito bes qaalida-
de e a preco eoramodo : na ra Marcilio Das n.
31, amiga roa Direita, armazem.
ERNESTO & LEOPOLDO
N.2D Ba do Cabug N.2 D
Acba-sa montado de forma tal este esUbelecimeoto de joias que pode
vender aos seus numerosos freguezes em grosso e a retalho e por precos
mui resumidos visto que recebe de conta propria por todos os vapores de
Europa. O gosto de desecho de suas joias o mais lindo do paiz das
modas, onro aelei, brilhantes verdadeiros, esmeraldas, robins, perolas,
turquezas, saphiras, coral rosa etc. etc. Obras de prata do porto tanto
para igreja cerno para servico domestico. Convidamos aa Exmas. familias
a visitaren o dito sstabelecimento todos os alias ato 0 horas; l noite.
Comsraue onro, prata e pedras preciosas em obras velhas.
MllllAH) f
iitpiui
llthl u


Diario *oa QuiiU ieira, 9 da>, ftkflembron fe

I
\

i
-

1
,*
.
I
i

00
CYSNE
DK
64
FIGEIREDO ft LOPES.
RIJA DA IMPERATRIZ N. 64
Osproprieiarios deste importante 0 sympatbieo estabeiecimento de fazendas finas;
em avisar, ao raspeitavel publico e particularmente a soa numerosa regoeria, que o
CYSNE acaba da ortir-se de todo qoioto ha de gosto e moderno m izendas tanto
para horneas como para seahoras.
E' ocioso c;ar que os propietarios da loja do CYSNE naturalmente prevldentes e
"os* espirito altamente conciliador dos interesses alheios cora os seas, teem sempre
aegwdo o magnifico ijstoma de offerecer venda fazendas de todas as qnalidades e pre-
sos relativos de forma que fcilmente podem fornecer rtigos de sua casa accommodados
a todas as fortunas e meios.
E-sobre todas as conveniencias e meios preferivel comprar no CYSNE em con-
ecraencia da siuceridade e barateza com que negociam es seus proprieiarios.
No bivavel eraponho de jostificaras suas operares oonvidam as Exmas. familias
1 visitar a svmpathica loja do CYSNE chamando as attencBes do publico em geral para
u aeguintes especialidades e precos,
PARA MOIVAS.
Veos, capelas, sedas e popelinas nraocas
de cores, gilas, pcobos e camisas bor-
dadas, tudo caprichosamente escolhido e
para varios precos.
CRETONE BAPT1STE.
Fazenda lisa de urna s cor, de cores di-
versas, para vesiidos e tambera propria para
sombras.
CAMBIU1AS
Transparentes de 8 1/2 aras desde
S05OO at 80 a peca. Victorias muito finas
CORTES BORDADOS
Fazenda branca de delicado bordado
baos precos acompaohada do competente
tgarino.
LAS
Viriidissimo e rico sorltaenio desde a
la Usa barata de 4-5 at a de listras de seda
nais cara qae pelo preco qoe vendemos
por isska direr de grsca vista do gosto
qnadade.
BAREJES
Lindos padroes aos precos de 360 e.. .
iOO rs. o covado.
SAIAS BORDADAS
As qoe o CffSNE vende sSo bellas e su-
periores.
LVAS
As melhores e mais procuradas luvas de
onvin, brancas e de cores sao as qoe o
CYSNE eipoe a venda.
BALOES
De cretones com babado e bordado, di-
tos de arcos a 10500, pecbincba sera rival
ao genero.
CHITAS.
Completo e grande sortimeDto de lodos
s precos de padrSes modernos e cores fl-
IM!
GROSDENAPLES
Fiaos de todos os precos e larguras s
CYSNE pode vender barato-
FLANELLAS
De cores e brancas de 500 rs. at 103001
covado.
I
//1 l--FUMI
I t-os 8fc hce b ni
N'ESTA ANT!4r*<4ftEirm
1 HU WKM IHO *
J FABRICA

iWS
tan na
INCflIIll II CHST1IHIIITI IBI CI1FLITI MlilBllT, II
CHAPia BE I,,
De toda as qualidadca I

ALP\CAS
Lavradas de 800 rs. 10OCO o tovado,
e8pecialidade do CYSNE que n5o conta com-
petidor.
MAD \POL0ES
Francez de 24 jardas do 80 at 100000,
inglez de 50 at 80000, e muito fino.
DAMASCO
Com 8 palmos de largura, dito esfreito.
CORTINADOS
Para camas e janellas de todos os tama-
nbos, cambra/a para o mesmo fim de 10
varas a 100 a peca.
ATOALHADO
Da linbo adamascado, dito de agodo
muto finos, bramante cntrancado e lisj, e
barato s o CYSNE vende.
CUARDANAPOS
Grandes e pequeos.
SETINS
Para todos os pfteos e diversos pa-
droes.
PARA N01VAS
Camisas bordadas, peitos colarinbo
punbos lisos.
PARA HITO.
Merinos, princezas, alpacas, canto, bom-
basinas, chitas, camhraias etc., etc., por
precos que s o CYSNE vende.
PARA HOMENS E MEEINOS.
Brim pardo a 640, 840 rs., 10 6 10500
o metro, gangas de 400 e 440 rs. o cova-
do, e tambem temos o afamado brim de
angola.
CHAPEOS DE SOL
Para homens e senhoras dos melhores
fabricantes da Europa.
FILOS
De seda, ditos de linbo, pretos e bran-
cas e mais baratos que em ootras loja.
MEIAS
Para todos os tamaohos e qnalidades.
CHALES
De merino lisos e estampados, pretos com
franja de soda, ditos com franja de 13a es-
, pecialidadedo CYSNE.
Desculpem os nossos reguezes termos'siao um pouco extenso na narraco de al
tamas novidade* pois com quanto seja nosso interesse tambem o dos dossob fregue-
ses que querem e gostam andar na moda.
Ra la Imperatriz n. 64.

Imperatriz n. 64.
UOPE;

JOAQUIM
LOPES
MACHADO a C.
.
.. mmtm

Travessa do Corpo-Santo n. 25
ARTIGOS AMERICANOS
Cylindros para padaria.
Carros de mo para conduzir fazendas.
Machinas para descansar algodo.
Polias de diversos tamanbos.
Canos de ferro galvanisados para enca-
aamento d'agua.
OBJECTOS PARA CARRO
Oleado preto para guarda-chova de carro.
DHo de cores para forro de dito.
Chicotes para dito.
Pontas de lanca.
Gales de seda para o forro de dito, es-
treitos e largos. .
Pregos de caneca de marSm.
Escovas para dar graxa.
19 Ra Piimeiro de Marco 19
Tendo renovado completamente a loja do predio, em que. teem oscu es-
tabelecimento, /
19==A ra Primeiro de ar^oid
com aquelle asseio e elegancia desejave*, acham-sa agora prvidos do mais
esplendido sortimento de fazendas finas e moderna; de
SEDA, LA, LINHO E ALGODAO
todas do ultimo gosto, e eontrauam a ter como "sempre, diversos
ARTIGOS ESPECIAES DE SUA CASA
Garanlem, com toda
a sinseridade, vender (
por meos que qual-
,quer outro, porque
recebera fin direitura
a maior parte de suas
.fazendas.
I'. DEMARfjO 19
(Anliga roa da Crespo).
100 milheiros
BotMfeas e tijollo* de todas as qnalidades, ven-
de-se por menos 5JG00 em raiiheiro do ^ae em
ootea -
teres
qaalijaer parle : na olaxia da ra dos Pra-
n. 9i ie Jos Caraelro da Canba.
VEOTESE
Faz-se negocio
O dono do grande e acreditado estabeiecimento
de fazendas silo tna da Iiopej-atriz n. 2, com a
denoroinacoPavilhlD da Auroraresol ven ven-
der o dito tetffbclecimenko por motivo qoe dir ao
comprador, ojmal se venda lifre e iesembaracado
de qnaljner oi,os, x pra=o on a dinheiro, conforme
se convenelo'nar : a tratar no mesmo estabeieci-
mento.
BAZAR ACADSMI
13 RA DA 1MPEBATR1Z 13
DE ^S. ^hw*. .
ULYSSES i IRMlO >
Neste bem conhecido e acreditado es'abelecimento, encontrarib*>osso amio e fre-
gu/es cigarros de palba e de popel de diversos ttulos e ds melborbi^ qd^Uu'ades <
fumo. Charutos dos mais acreditados fabricantes da Baha e do ftiode Jadro ; eben
assim, ponteiras para chirutos e cigarros, cachimbos de espuma, de porcellaba. de roa-
deira de diversas qnalidades, de louca e p de gallinbas muito finos a 2(5*600 a duaia,
muitos outros rticos que d xr-raos de mencionar.
Fabrica de cigarros.
Bem attesta a supericridade dos cigarros de nossa fabr.ca o grande consumo ene
delles tm havido no intfrior e as provincias do norte. Com presteza apromptamoa
qoalquer enccmmpnda, renrettecdo-a ao seu destino.
BAZAR ACADMICO
13RA DA IMPERATRIZ-13
Ulysses & Irinao
i
i


LUGA EVIDROS
NO

15 Ra da
Imperatriz
DE
15
ULYSSES & mo
I
Tendo de chegar om novo sortimento, e teodo de s^ffrer urna ref jrma o svsfema
de negoof deste estbelecimenlo, seus proprieiarios resolvenm expor em liqaidacao,
granda'quBntidade c" pratos de lou?a, \ijeltas, apparelhos de louca para janlar e
almob, etc.
iie
os e cros brancas: a travessa
^qo4 cja. a beira. do Rio.
Farinha
cana de chegar
do pau*t ^k u
se
rneeoM navio. Para
Renaa te, i raa
andioca
Ibarina, a bordo
?erior farinha
La borlo do
Victorino de
de Oinda, oa-
Para noivadoa.
Fitas espeeiae e preparadas pai,
tinados de cama : reeenen a Nova1
rna Duque de Coilas n. 63 : a edt*
acabem, pois vieram lmeme ses.a

VELASDBCgaA
pelo menor preci poiivel: oa roa do Vitarlo
Damero 19.
/ac se vio um processo.'mai perfeiio e que at-
aja de tal forma a satisfaxer as exigencias maja
veras da escriptnracao.
k ana cor lindissima e nao precisa de cnida-
o jlgum para se conservar no tinteiro sempre
om a mesma cor, aem borra, crsta, bolr oa aem
idas estas mazellas inherentes todas as tintas
te ajara conheoidas, anda mesmo dos melbores
stores estrangeiros.
Sobretodo, este estimavel producto nao altea as
innas de ac, antes pelo contrario, a peona
dqnire om esmalte doaradp qae, sendo interas-
tete, asss provtitoso.
lata tinta,nao sendo especialmeniepara copiar,
i comtndo daas, tres, oa mais copias ura 'mei
pois de escripia ; preciso, porm, deixar-lue
cpapel bem molhado sem o enxoga* eom o aaat*-
irao, porqae nao ha o risco de borrar. Para se
irar inais de ama copa, nao se agajomeram tan-
Ibtta qmmtas cptaa se qaerem tirar, as
ae-aa como original tirar ama taMas quntas
tcdaMiam, sem qoe o or%ini,fique prejadioado
eiaa xirayoes.
Occorre aqu dizer que. para copia/ impera
tUa inteligencia e habilidade, sem e qoe a nw-
cr finta nao satisfaz, e o deleito recae sempre
otar* a tinta, que tnottas vetea qnem menos
tipa tem.
i dopla qualidade desta tinta exiatmameate
prtciaveL pois qoe evita qq em quatquer es-
iriptcrff baja mais do qae ama tinta para oa &
traat mistaras.
Imqoanto i sua dnrabilidade, we ha a ofDAr
ilvatnr duTida pou qas tata Unta ikpcUdew-
cripta eoftre o choque de acidoa fortissimoa, sem
se decompdr; ora, se os cidos nao tem accao so-
bre ella, muita menos a accao do totopo a pode
destruir; isto plaasivel.
JfBo s ao commercio qae este mea prodacto
veio ser ata; ot professores dos coHeftos, Investi-
gando todos os meios para o adiantamento dos
seos discpulos, tem approvejlado esta tinta, que
com raza a acharara apta para desenvolver o
gosto nos Idocandos, em conseqoencia dabelexa
da cpr e faoifdaaa de omTer na peqaena pela soa
liquidez. Ha exemplos de cr.incas qoe havia
tnnito lempo tinhaip naja repugnancia extrema
para a ewrlpta .logo tme fdf amitMa esta tinu
no coBefio, apoderoa-ee Mu ariesMade e o
gqsa^epoaeo ttmpo depoie o aro adiaotameato
U. i! *iJM 4a unas vaujajsM, Um um
pnto MoavtmenU, daieriorajaa ao coaoeto de
ualqaer; ctnvm poistt^etnteiro
U> menor vislumfere de otra tinta, e evi-
eterever com a penna saja de urna prepaiacfe
s emmwv4l:^rit)Wdeiau>,naeaa
Observacjo.
^l^Hk ds%!
Diversas falsiflcacoes a
recido, cuja dorabilidade
compradoraa paitas evitar o tngaao >dlrlgiiiioe
caauorcuaMveeua,!.* PHado a taaU qnern
i. C $mfrot
Grande quantidade de copos de vidro f-
aos para agua a 4d0, %#500 e 'i800 a
duzia, clices de vidro finos para licor a
35000 a duzia, ditos de cor para vinho a
20500 a duzia, garrafaa finas de vidro ba-
carat para vino a 50500, 60, 60500, 70
e 70500 o par, bonitas compoteras de vi-
dro a 60500, 70500 e 80500 o par, gran-
de e variado sortimento de jarres finos para
flores a 80, 40, 50, 60, 70, 80, 90, 100,
110, 120, 130, 140. 150, 160 e 180000 o
par, cbamins americanos'para candieiro a
0200 e 204CO a duzia, escarradeiras de
vidro a 30500 o par, globos para can di o-
ros de 10500 a 20000 cada om, lampari-
sta com vidro para cima de meza, parede
aependurar a 10500. 10700, 20 e-20200
c-dila urna, bonitas qaartinhas hambarguezas
40500 e 50000 o par, lindos paliteiros
ce porcelana branca de 10OO a 30 cada
dm, bonitas esnecas de porcelana com frizo
a esmaltadas para cal a 60OGO a duzia,
escarradeiras e copo de crystal de cor para
eavatorio por 30000, pratinhos de vidro
(para copo a 320, 400 e 500 rs. cada um),
--extiabas vidro para passas, figos, etc.
etc. a 800 rs. cada urna, compoteiras de
vidro para doce secco a 20 e 20500 cada
urna, casiicaes de vidro s para vela a...
10200, canecas de porcelana com tampa a
320 rs. cada urna, galbeitas de vidro para
missa a 800 rs. o par, candieiros de vidro
com globos a 50, 140 e 160GOO cada om.
E outros artigos que deixamos de men-
cionar ; e prevenimos a quemprecisar com-
prar algum destes objectos que approvei-
tem a occasiap de cumprar-los por menos
20 % em razao de termos de liqaidal-os o
mais breve possivel. Roa da Imperatriz
n. 15.
OLEADOS E CASEMIRAS PARA FORRO
DE CARROS.
Vendase oleado preto grosso a 20200
o covado. D.to cor de cinza a 10OO e
cor de caf, verde e preto a 10400 o cova-
do, para acabar.
Panno fino azul escuro a 30700 o covado.
Flanella branca ingleza a 0JOO o cova-
do. Dita muito fina azul com duas largu-
ras a 20300 o covado.
Casemiras escuras claras de doas lar-
guras a 20400, 20600, 20800 e 30000 o
covado, as quaes servem tambem para pa-
litot. No Emporio Commercial ra da Im-
peratriz n. 15.
CHAPEOS DE PELLO PRETO A 90000.
O Emporio Commercial est venciendo
chapeos de pello preto para bomens a 90.
Ditos de castor branco a 100. Ditos de
palba e feltro tanto para homem como para
crianca. Bonets de cooro da Russia para
meninos a 10500 cada um. Cbapelinas de
seda para baptisados de crianca a 20500,
30 e 30500. Bonitas touquinhas francezas
de la para crianca a 800 rs. cada urna.
Cbapelinas enfeitadas para senbora a 50,
60 e 70000 cada urna. Chapeos de sold
seda tanto para bomem como para se-
nbora. Na rna da Imperatriz n. 15.
GRANDE ARMAZEM DE VARIEDADES
EMPORIO COMMERCIAL RA DA IM-
PERATRIZ N. 15, DE ULYSSES A IR-
MAO.
Este novo e grande estabeiecimento con-
tina sempre firme em vender barato para
vender nmito, e em conseqoencia de nao
baver anda ebegado algnmas encommendas
qoe temos feito, e escasso como se acha o
nosso mercado de artigos de grsto vende-
mos por mdicos precos os qae se segu.
Superior panno preto PII a 60 o covado.
Dito dito Brasil a 50500.
Superiores casemiras escuras e claras
para palitojs, calcas e eollete.
Brins brancos de linho de 103(0 a 20600
a vara.
Brim pardo a 300 e 560 rs. o covsdo.
MadapolSo francez e inglez de 50100 a
150 a peca.
Corte* con 17 ovados de chaliz a 50000
a 43500.
Cobert -^s de la escossezes.
Cilxas de^lfiodao branca e de cores de
30UOOa 409OON.
Sedioha preta a 590rs- cov3do.
DiU branca a 6'O rs?oNva(lo.
Cites com 21 covados w -jedinna de
Metra por 2501000. >-
Fronbas de crvo a 600 rs.
Alpaca preta sarjada a 5U0 rs. o covado.
dem branca a 500 rs. o covado.
Guardanapos de linho para cha a 20GOO
e 30000 a duzia.
Ditos para jan.ar a 70500 a duzia.
.Cimisohas bordadas para senhora a...
25OOe30'CO.
Lindas cambraias Imperatriz cortes de
10 jardas por 90 00.
Cortes de cambraia de salpico com 8
varas por 50500.
Tapetes grandes e pequeos.
Lencos de cassas para enancas a 10100
a duzia.
AigodSo branco ede lista.
Peitos de esgoiao de linho para carni-
za a 10
Punhos o par a 800
Collarir.hos "finos a 500 e 600
Espartilhos bordados finos para senho-
ras a 50
Meias finas para homem, senhora, e
criancas.
l.'a fina para bordar libra a 60
Carreteis de linha Alexandre a 80
Bfa-m-ritmrr1)if> -------------------
Abotuadura para eollete a 120, 200 300
500
Ditas para pnnbos a 300 e 10
Papel de pezo, almaco e peqaeno d
cores em caisinha.
Latinbas de. banba a 80 rs. e em du-
zia a 900
Brincos pretos de borracha e a'.finete a
800
B loes de duraque preto para pauto
groza a 1800
Grande variedade de botoes para palito!
e eollete que se vende barato,
Caixa3 com dez novellos grandes de
nba a 440
Ditas com 50 dt s a 650
50 pecas cord5o de vestido 600
Peca de fita para coz 4i0
Sabonetes transparantes finos duzia 600
Colleres de metal fino para cha, duzia
20000
Ditas para soa a 40
Talbares de faccas duzia 50, 60 70 80
e 90000
Temos de bandeas ovaes a 100
Ditos lizas a (0
Sabonetes finos e iguaes duzia a 10200,
10500 e20
Caixas de botoes de osso para caiga a
200
Sutaes branco, duzia a 280
Tranca de 13a e branca de caracol dazia
a 560
Retroz preto e de cores, oitava 240
Carnizas de meia croa muito loas a 10
Sitineta de algodSo de cores para roupa
de montara, e de enanca covado a 500
Merino preto trancado a covado a 30300
Leucos de linho em bonitas caiiinhas da-
zia 50800
Lindas cambraias bordadas de 12a vara
10060
Cotias de pello de lontra com daas vis-
tas a 140000
Cretone matisado para cobarta covado a
700
Grande sortimentos de perfumaras; um
bonito toyalet de viDhatico com pedra mar-
more e vidro oval, om guarda roopa de
amarello ; seis cadeiras de guarapo, 2 de
ditas de bracos e doas de balanco, tudo
de Jacaranda massico, proprio para om
gabinete e vendem-se por mdico preco
por ser resto. N5o ser mo vender no
r

^
EMPORIO COMMERCIAL
SU> Ra da Imperatriz 15
Ulysses & Irmdo. ^^^^
--------_
Ghega
todos
para
Presento di Lamego de superior qnaliade a
40 rs. a libra e 880 rs. 6 klllo : era casa de Po-
cas A C, raa BstreiU do Rosario n. 9, junto a
igreja.
-------------'--------------------------------------rr
Botina* pretas para senho ^
rae.
Vende-te por diminuto preco : i ao Collar da
Baioha a raa da Imperatriz o. 63.
Gaz econmico para os can-
dieiroa de porcelana.
Araba de efeegar eU j bem conbeeido com-
jQiivel, como o mais barato, p rompi e asseiado
de todos at h)je eonneeidds. e se encontra .ren-
da no aaieo deposito, i roa Urja do Rosario an-
al.
Manteiga ingleza.
Vende se a 800 rs. a libra e 1*760 o kilo : na.
roa 4e Pedro Aftiuo a. t, anga raa da Praia.
I BTIUtB l



0Muri* m rrnambuc* Quinta (eir 9 da Novembro da 1871
I'
UTTEMTRA,
lima natte de l:ar.
Qaem t, ah', que lia tenua, ama vh-
ao menos em soa vi.ia, contemplado, me-
lanclico, a In'prao qoerendo, *jevnbar-
lhe .01 ntenos ?
Qem ha, qne, encosa*i0 t0 balean de
stJaJanela, em noite r^ |oa inmin, e
a taoR* em J* '" jo e silencio e qnietacjo,
n5o tenl/a senii.io apnssar-se da alma un-
como doce melancola que far vaguear e
pesamenio por regios desconhecidas ?
Nessas ditosas horas de meditarlo ?m
que a alma parece ter se sollado de seo in-
volucro carnal, elevando se al ao Creador,
9, d'ahi, sondado aimmensidade do wcoo.
o numero infinito de astros, as espines
continuas qae cada um delles detcreve gy
rando sobre si mesmo, o bomem, esque-
cido das mesquinhai miserias da trra,
verdaderamente feliz.
Esta .'elicidade, porm, pouco duradou
ra e difiere com as idades.
O joven que vela, contemplando o glo''o
de prata que se eleva magestoso em fondo
de azul escaro, emquanto que lodos em
casa ha ina lo se enlregaram ao somno,
peosa, por ceno, naquella qne ama, oo, si
ainda n3o amoo, abraca se com o ideal que.
em seus sonaos de amor ou em seus deli-
rios de poetj, creou.
O anciao, porm, que, contra o sen cos-
tme, esqueceu que o corpo pedia desca. -.>
embevecido como eslava em profundo me-
ditar, ao apootar da la pallida e fulguraute
por delraz do monte prximo, cometa rr-
cordando os passados e felizes tempos da
mocidade, que se esvaio lio impercepdvel-
ment, como as ultimas sombras da noia
aos primeiros alvores da madrugada, e in-
terroga a si proprio o que elle, para
que veio ao mando, e para onde ir depois
da morte ?
O primeiro sanha ainda com as Iluso. s
deste mundo ; o segn Jo desci dellas e
approxima-se mais do infjnilo.
Aquelle poeta, devaneia ; este expe
riente, medita.
E ambas s3o felizes: ora, porque se
abraca com o aojo cujo amor o santifica ;
outro, porque busca penetrar ? Verdade
que o eleva at Deas. y
Abandonai, porm, a/cidade cujas mes-
quinhas moradas Q^taanas e atavos da ci-
viUsacao nao ^Pfnlttera alma o expandir-
se. ApprQ$Hhai-vos do campo por orna
beil? yite de loar.
All s reina a natureza, e os mil myste-
ri080s sussurros desta aparlaro para looge
de vos a tristeza e dar3o lugar mais sua-
ve tranquillidade.
Aqu, ailrahe vossa attenclo o zumbido
moQOlono, roas agradavel, de insensivel in-
secto ; alli, o ciciar di brisa por entre.as
folhas das paimeiras; acola, o murmurio
do no cujas aguas parecem prateadas pelo
reflexo da loa.
E todo este conjuncto, toda esta sceoa
deliciosa impressiona os sentidos e convda-
nos a admira-la.
Oh! quanto bello a.lmrar a natureza
que parece entoar um cntico de harmona.
Tudo nos enternece : os zumbidos diversos,
as folhas das arvores que se agiiam, o som
da agua que esca, as sombras dos objec-
tos que se debuxam no slo, e sobretodo o
gozo que sentimos ao aspirarmos fortemen-
te a brisa balsmica.
Ditoso o poeta que, enlevando-se na
contemplado da magestade e barmonia da
natureza, csquece, por assim dizer, que
a;n 11 pisa osle mundo de ludibrios.
Caminbando &ibre a relva e Bxando o
"ssIrrTtjelio da noite, jolgi-se transportado
as, U'gifrf qne idoalisou, ao lado daquella
"!vi idolatra, daquella que o inspira, do arijo
que lhe faz esquecer que bomem e que
tem de soffrer.
Mas, es jae, elle ja avistou a-vivenda
solada rh a amada, escindida entre a ra-
mag.im oiolhareiidijcwto, a debrigada
loara o rio que a aiis ps deslisa.
A ua Irte alvej as paredes qui m*l se
defxam encbergar atravz dos arvoredos e
tinge o cuma dostescojxtpaludos toques de
urna clarid jde baca: do chao claro proj-.c
tam-se g g>.ntescas sombras.
O peeti *tfroxma-se o internare na-
quelle missi?) de arvores, tSo copadas que
a Ina a cosi pode colar seos raios.
Um vulto branco, por certo feminioo, se
divisa em urna das jancllas da,casa, p-?rto
do chao.
Sara sermos indiscretos spproximemos-
nos com o poeta.
E' eieciivammie urna mulher, o vallo
da janelia; mas u na mulher bella.
A posiura meditiva. O cotov.llo es-
querdo firma-se no parapeito da janelia e a
mi sustenta a sai linda caneca suavemente
reclinada; o ootro braco pende inerte. A
la reflecte-se em cheio no rosto e o torna
de ama pallidez poeiica; bastos cabellos
negros lhe moldoram as faces.
Naquella posicjfo divinal, com os olhos
errantes pela abobada celeste, aquella mu
Iber, aquella hora encaixilhada, por assim
dizer, naquella janelia, tal ora a sua immo-
bilidade, tornavam ainda mais poeti ;o aqaelle
quadro
To profundo era o seo meditar que n3o
sentio approxiaaaf s o poeta.
Este achegou-se de mansinh > e depoz na
face anglica da moga nm tscolo de arden-
te amor.
Quanios, como este, nao segredam a
suas amadas escandecentes phrases de
amor, que s5o correspondidas por ternsi-
mos e enebrianies sculos, hora em que
a la campeia no espago ?
Oh! la, la... porque deixarei eu de
amar?
De quantos mysterios de amor tu s mu-
da teste munha.? ^^.
Quanto us amanees le adoram .os poe-
tas te cantan)-! \
Muitgs vezes tu me mergnlhas em fX^a-
si? iexplicaveis e rae fazes esquecer esta
mundo ue illuses ; umitas vezas me incu-
tes urna to doce melancola que me obriga
a amar-te.
A norte exprime o mysterio e d aos cor-
pos aspecto diverso do que realmenie lem.
A claridade baga do reflexo da luaconiri-
boe para esta illusao, que nos to agra-
davel.
Em urna noile linda de luar, comoaqoellas
que os poetas soem caniar, eu illudomeu
proprio soffrer, que a realidade do da fai
voltar.
E' por isso, principalmente, que en amo
a la, e Ibe tributo uomeoagem, dedicando-
Ihe estas mal alinhavadas licas.
Setembro de 1871.
Pedro d'Ahle.
toga que uuusllluicjo
a natura
isso
das materias
rimas
ondas d
medica remante elsorle de embrutecimenio.
ll exteatei leoy^iam i
Emfim ellos se
miasma elevam
sedMM,
leste, dan
iestias infi
os proprii
bem vicli
nocivos a
essa ordem
?i*fecc5o ao oceane e ^mo.
enj^fam a -tod.s as caada de molestias,
Tjqtie Si cercf)|. com mi aobmissao orna
i falaldade superior taes, que parece idio-
icis, Mazarioo, Toricelli, III iai,
i, Gallo j, Aro!i, DonizelU,

i
FOLHETII
AILH4 DO FOGO
iionixci:
POR
ALEXAXDRE OLMAS
(Continuaco do n. 255)
XVIII
O Dr. indio.
Eazebio voltou para casa n'um estado de
completo abatimento.
Inquietava-o profundamente a situagi
em que tinha deixado Ester.
Evocou as suas recordages mais cari-
nhosas, mas nada Ibe corra mente.
No meio do sea abatimento, no meio das
soas dores, preoccupava-o moito a perda
qae tivera na soa fortuna.
Debalde qaiz expulsar da maginac3o taes
pensamentos, nao muito em barmoaia com
as circumstancias especiaos em que eslava.
Perseguia-o esta idea.
Nao poda repel i-la ; mar ty risa va-o bor-
rivelmente.
Gomo a maior parte das magnificas casas
de Weltebrede, a de Eazebio era cercada
por am precioso jardim ioglez com pavlhoas
caprichosos. N'um d'estes vio am bomem.
Eazebio conhaceu Harrach e encaminhoa-
se pira elle, tirando-o do letbargo em qne
estava sumido.
Qae qaeres ? que procuras ? dissa-
Ihe.
N'aqaelle instante lembrou-se do convite
qae tinha feito ao domador de serpentea,
quando pela primeira vez o vio em Meester-
Cornetis. Nao obstante, porm, disse-lhe v
Nao posso fallar-te boje; volta c ou-
tro dia.
A poeira do caminho e a distancia
que percorreu fatigaram o pobre Harrach.
As pe iras chagaram-lhe o ps, e s horas
em que o sol se esconde nao poda por-se
caminho, porque nao pode lutar nem fugir
s garras do tigre se por elle for encontra-
do no bosque. Deixa-me passar a noute
no vestbulo do tea palacio. Deem-me urna
pouca d'agoa, e amanhaa te livrarei da mi
nba presenca.
Todo quanto lhe lembrava a noute do to
Cometi era para Eazebio insupportavel, e
com quanto recordasse as palavras qaa em
forma parablica lhe tioba dirigido Harrach,
nida provava qoe nSo boovesae entrado na
amosca preparada por Thsermai. Esta
observarlo foi a causa da repugnancia que
Euzebio sentio ao ver o indgena. Em
Algumas palavras acerca da no-
civa Influencia, une os panta-
nos e&ereem sobre o physlco
e moral dohontem. Pelo Dr.
Anterlco Airares ulmarfics.
i Oade impera a aeeai dos
miasmas, se nao ri sobre o
bei(o de qaem nasce, e se nao
chora sobre o ferelro de qjiem
fenece.
Motar.
(Conclus3o)
II
Um mesmo pantano, oa foco de inlec-
<,ao, segando a diversidade de substancias
nelle em decomposigio, conforme as va-
rias modificages climatricas, meteorol-
gicas, pode engendrar principios mrbidos
mu variados em natureza: pode delle
originar se o musan productor das febres
intermitientes, assim como os da febre
araarella, dysenteria, cholera-morbus, etc.,


ongem a toda a aorta de mo-
uosa^fi/i r*Wlrg ^bjMr^r-ia
animaos irraciooaea serem tam-
s dellas: a acgao twi
tos estende-se igarme
animaes. Epizootias vasta
has rac b^vina^ivallajxJ^linaj ovelhuai,
caoia,- ai ,efint>riaa,
potros, nem s as circnmvisinnangas
Roma, e dofjptfuw, -WWlWfenf >|ai|
tria illustraria por Tureone, Laplace, Rous
seau, Arago, Cbaleaubriand," oituti, es-
carie?, PerouseyMoatesqaieu. Lamartine,
Stael, M-rabeau, 4Cojiaire, Rcine, Bjta-
parte, e tastos outros estatuarios da gran-
deza francela, e no paiz onda tanto tem
fljrescido Is bellas-artes, e que proluzo
os celebre! Colombo, Raphael, Arloato,
Tasso, Me
Burlamaqo
Vespucio a II tller.
Similhaotes substancias mephitica?, to
ililereotes em soa composigSo; obram mu
diversamente sobre a economa liaratm
Oraataeam primeiraaaeota o systema san-
guneo, e eis qne todos os seus elementos
plsticos, como a caseiua, a fibrina, a al*
bumina e globulina sao evidentemente dam
niiicads, e p isteri rmente os orgaos vas-
culares, especialmente os qaay- aaapafam
para a importantissima lQcgaoda digesta >,
como o bago, fijado, etc. Ora o syite
ma nervoso o primeiro que reier.te se do
mal, e oeste caso as fuucges do appare-
Ibo cerebro spinal mo.-tram-se affectadas,
e as vezes profundamente alteradas. Eo-
tretanto, de qualquer modo que se p^re
essa iotoxicago miasmtica no organismo,
vem final ambos esses systemas so -
frer promiscuamente, desenbando-se as
rniserdS pessoas, em que exisie esse ira-
balho morbidd, umi cor amarello-terrosa
da pelle, qoe apparentemente fi:a mais del-
gaila, mais elastrca e transparente.
Nao sao easas tristissimas modiricagoos
pbyiicas as nicas, que se observara nos
individuos sojeitos deleteria acgao Ao-
foos miasmasticos, n5o; essa pernicosida
de vai "olteriormeote perturbar profun la-
mente o estado moral da pessoa, da fami-
lia e da nagio.
Para esbogar com clareza as alteracoes
moraes; que se patenleam nos individoos
aflectoa principios 15) insal ibres, eu me
utiliaarei das seguin'es phrases textaaes
d'um medicopbHosopbo contemporneo
descrevondo o aspecto moral dos entes hu-
manos, qoe vvem em urna atmosphera
impregnada de elementos paludosos.
t O individuos nesses logares s5o de
carcter triste, melanclico, apat'dco,
por isso gostam da solideo, da indolencia
caidam poaco em o sea destino: sao
i raorantes e supersticiosos, e portanto ti-
moratos, mizeraveis, poaco iudustriosos e
rutineiros: a insensibilidade moral lhes
maior do que a physica, e isto a origem
de tratarem suas familias com indiderenga,
e nao apreciarem devidamente a honra.
Pouco capazos das paix5es motivadas pela
falta d'execucao das virtudes, commettem
crimes com premeditacab, perfidia e todos
aquelles actos nefandos, s proprios das
almas fracas e cobardes. Ainda nellV; se
observa rnoita devastido e liberlinagem,
muitos abortos e iofanticidios, e p juca f
conjugal: as maos assassinas do sicario
ameagam frecuentemente a moral e a hon-
ra. A impossibililade de sentirem as m-
presses grandes e nobres que abalam as
almas magnnimas retracta-se em o sea
carcter: o habito de soffrer, e o de ver
padecer os outros os familiarisa com sua
triste existencia, d'ahi sem dovida essa
A' vista dsse feto e sombro quadro,
|]iaspnfiado con cores '13o fcarregadas, que
muito se assemelhim s nwraes, lodos os
oi0*3ieveraa afastir de sir remover ^ara
looge, occopar-se meanto em aniqui-
lar todos esses elementos m-phiti:os, que
nascem e se desprendem dase logares
a| andancia existe em lo loe oa paires,
mo mente quando elles se acham sob o
infljixo do limas, quanlee. E nao ser
fra d prop ;sit) referir agora o que tal
rospW hse am eloqaente medico* na*
da de mais interessaate ao medico, nada
de mais importante digao das meditabas
je *M do governaaor, "do qse a infl encia,
que os focos de miasmas exercem sobre o
]hyjico e moral dos pov>s.
Laogando aqui as ultimas expressjs so-
ttre oQrflenle^i^jppt diri, que, pqbli-
Mado-b, w liveem mira aproximaf-me
grande verdade desta memoravel mxima
do profundo Locke :
A vitkide nao na homem. sinao o
cunhefimeato per feito dt seta deoeers, c o
h.bito de 09 cumprir.
JunhoS, do 1871
es

VARIEDAD
summa, nao poda negar-se aquella justo e
simples pedido, e respondeu lhe :
Tens razao ; vou ordenar que caidem
de ti e le deem o que precisares. Tambem
te mandarei o presente que prometti.
Harrach tornoa a assentar-se sem res-
ponder. Conhecia-se que estava bastante
fatigado. Eazebio entrn em casa e diri-
go-se para o quarto de Es er.
Achoa tudo na maior desordem ; s se
ouviam suspiros e solacos. A enferma,
longe de ter melhorado, estava peior.
Os enrgicos estimolantes qne lhe tinham
ministrado nao produziram resultado, e o
medico declarou que nao responda por
coasa alguma.
Quando Eazebio vio sua molher em seme-
jante estado, fui sem limites o seu deses-
pero.
Pela vida de Ester havia renunciado ao
repouso da existencia, e nao obstante, ia
ser a causa da sua morte.
Perguntava si mesmo se tal fim nao
seria o desenlace que o Dr. Bazilio prophe-
tisra acerca da eternidade do seu amor.
E examinava a sua consciencia, as suas
recordages, e violentava a memoria, para
averiguar se algum impeto amaldigora o
salvador de soa mulher.
Mas nada ; nao se lembrava de acgo ou
palavra que o aecusasse ; senta o mesmo
amor profundo e aosoluto, desejava at qae
fosse maior ainda, chorava como ama criaa-
ga, e deitava as culpas ao ente diablico,
ao influxo do qual att ibuia lado quanto se
passava.
Assim esteva muito tempo.
J era alta noute quando o medico voltou.
O pulso de Ester mal se parcebia, e o Dr.
muito consternado, chamou Eozebio e de-
clarar-lhe qae estava perdida toda a espe-
ranza de salvagao, e qoe os seas esforces
se limilariam a conservar os lias da enanca.
Euzebio rebeloa-se contra o prognoslico
do medico ; este nao pude convencer o
mogo e de^pedio-se.
Quando Eazebio o vio sabir, atirou-se so-
bre o corpo, quasi inaoMiado, de soa mu-
lher, jurando nao Iba sobreviver.
Mas no aiesmo instante se abri a porta
e apparecen Harrach.
Ao ver semelbante homem cobarto de
andrajos, recaaram espantadas as criadas de
Ester.
Eazebio levanto a a cabega para ver qaem
era ; mas eslava to entregue sol dr,
qae nao dirigi ao indgena palavra alguma
de reprbeoslo pela soa aadacia ; ao con-
trario, Iba pareceu natorai que toda a-gen-
te qainboasse da sua angustia.
Os grandes pezares sao niveladores; con-
fondera as lagrimas do rico com as do po-
bre.
Mas Harrach nao fra alli para chorar.
Encaminboa-se para a cama e tocoa leve-
mente no hombro de Eazebio.
EXGCUCVO. Di France extrahimoe a
segrale noticia:
t No dia 12 do correte effectuou se na
esplaoada da1 fortaleza da Vilriolerie, em
fTyo, b eticuei de um iodividuo por no-
e Ba!!as, de 21 ano es de id ida, condene-
jdo a peni de morte, d*k ser reconhecido
como cumpl e no asassinalo do comman-
daite Ar.iaud. As 4 horas di raanhai.o
carcereiro das pri>o.'s do Rbodano dirigi-
la celia de Billas para ibe annunciar que
fo fra attendid > o seu recurso. Alguns
minutos depo's entrn o ;apeliao, que en-
coutroo o preso em am estado de abati-
mento quasi cmplelo; e.-le rcebeu as
nitimaa consolares da religio com socego,
ouviotnissa e recebeu a sagrada commu-
nbo com muito recolhimento, depois do
qoe subi corajosamente para urna carreta
de artheria aeompanbado pelo capello e
per dous gendarmes. Cbegado fortalesa
da Vilriolerie, Batial foi eollocar-se, sem o
auxilio de ninguem, a distancia do peloto,
liroa a jaquela, palio para Qoar de p, re-
cnsou vendarem-ibe os olhos, e levantando
o braco direito para o ar, exclamoa :
c Mandai atirar ; compri com o vosso de-
ver, Um instante' depois ouvio-se ama
detonlo e a justiga dos horneas estava
satisfeita. >
FALLEGIMENTO DE LAMBRECHT.
Como j noticin o telegrapho, morreo re-
pentinamente o Sr. Limbrecbt, ministro do
interior em Franga, sendo a sua morie re-
saltada da raptara de ama aneurisma ao
momelo em que acabava de levanlar-se s
8 horas da manha do dia 8 do correte.
Acommettido de urna sullocagao, apenas
leve tempo para pronunciar as segnintes
palavras dirigidas a sua esposa : Minha
amiga, v como se abandona a vida! E
expirava quasi no mesmo momento. Havia
algumas semanas qae se notava n'elle urna
fraqueza gradual e ama especie de abor-
recimiento por tudo. O finado contava 50
annos de idade.
CASIMIRO PERIER O Journal de
Pars publica os seguintes apontameotos
biographicos relativos ao novo ministro fran-
cez Casimiro Prier:
< O novo ministro do interior nasceu em
Qae qaeres ? perguntoa-lbe este.
Harrach, por nica resposta, apontou para
Ester.
Euzebio enganou-se acerca do intuito de
Harrach, e at le parecen ver o espectro
de Bazilio.
Leva-la ?l Isso nunca! Morta on
viva, minha esta mulher.
- Eu n5o venho buscc la, veaho salva-la.
Ta I respondeu esm um olhar de as-
sombro desdenhoso.
Sim, ea : a pobre herva que os via-
jantes calcam aos ps tem virtudes que a
pem cima de todas as riquezas.
Eotao, replicou Eazebio com riso ner-
voso, ento ta tambem poras prego ao ser-
vico ? Vamos, qae qae queres ? Dize
mas s modesto nos teus desejos, porque se
quizeres a minha vida nao t'a poderei dar,
porque j a dei ao tea amigo Bazilio.
Esse qae citaste nunca foi amigo mea;
n3o quero nenhuma recompensa por salvar
toa mulher, porque nm crime por prego
existencia humana. O sol que nos d a
vida, pe prego aos seus raios bemfeitores ?
Nao, reJarguio Eazebio desanimando.
Tenho j sobre mim muitos sortilegios e
maleficios, e n3o quero mais ootro. A des
graga entrou n'esta casa por obra do diabo.
J estu cansado. Quero ames que a alma
de Estere a minha saiam juntas d'este man-
do, do qae pedir soiencia fatal dos mios
espiritos qae faga um dos seus milagros.
Porqae motivo nao tens sido sempre
to sabio e resigoado ? Mas socega, eu
nao sou dos que repellem o sal, symbolo da
sabedoria e da immortalidade. A minha'
sciencia d'este mundo, e quer seja pari
bem quer seja para o mal, sobra-rae o qae
sei. .. i
Pronuncioa estas palavras fitando em Ea-
zebio um olhar to cheio de odio, que aug-
mente u a repugnancia com qae Eozebio o
encarava.
N3o, diase-lbe o moco, nJo qaero os
teus servigos.
Nio teas o direito da Me despedir.
E porqaa ?
Porque o bomem pode corlar o p
de ama flor que s deixa aps si nm leve
que o ar dispersa ; mas nao deve cortar a
arvore, quando se dobra sob o peso da ra-
mada j prestes s dar fructos atis e ma-
nidos. Seria nm crime.
A verdade d'esta inagem maravilhou Eo-
zebio.
As criadas, cojo terror se havia dissipa-
do, e que j esta vam ao p do leito, nSo vi-
ram em Harrach mais do que um d'esses
mdicos indgenas, qae alcancam grande po-
pular ida de em Java, e qoe alo chamados
at pelos colonos ricos.
Logo se pozeram pelo sea lado, e roga-
ram 4 Eosebio qoe o deixasse corar a
doente, citando em apoio do pedido' osara-
vilhosos templos.
1811 e tem portanto 60 annos. E' o filbo
mais velho do grande ministro da monar-
cbia de Jjlho e o neto de Claudio Perier.
em casa do qual se rean>ram, no castalio de
Vizille, no comego da revoluto fraaceza,
os membros da aaaembla provincial do
Ddlfioado. para redamarem a convojaclo
dos Estados-Geraes. Esta histrico castalio,
qae deixara de parteneer su i fimirla, foi
comprado ontra m por ella ha poucos
annos. Entrou aos 20 annos na carreira
diplomtica e foi adjunto embixada de
Londres, no lempo de Talleyrand, em 1831.
Um anoo depoi--,* elle diriga con seu irmSo
os unerae8 de sea pai morto em 1838. No ministerio de Gajtet foi pri
meiro secretario da embaixada em S. Pe-
tersburgo na occasiJo em qae se dea entre
a Franca e a Russia essa desintelligencia
que tanto barulto fea nessa poca,.e de
que Guizot falla' largamente as suas memo
nas. O embaixador, Baraote, pedir urna
licenga, ficando portanto Casimiro Perier
encarregaio dos negocios. A siiuagao era
bastante diffkil e sabio delta com dgnidad,
gragas aotoridade pessoal que soubera
adquirir na corte e na alta sociedade de S.
Petersborgo. D'alli passou paia a corte
do Hmover como miuUtro plenipotenciario.
Eleita depotado pelo 1. barro de P^ris,
deix >u a carreira diplomtica para vir to-
mar assento na cmara. O seu discurso de
estreia .yersou sobre a entao famosa questao
do Sonderbuod. Cbmbateu por essa occa
sio a poltica de Tbiers.
Na revolugio de fevereiro entrou na
vida privada. Nao fez parle da asaemblca
consluiute, mas em 1849 os eleiiores do
Aube, onde possuia algumas propriedades,
eiegeram-o para a assembla legislativa.
Tomou um logir importante na miioria e
foi memoro da commiso de permanencia.
Quando se deram os desaccordos entre o
presidente e a maioria, cou do lado desta
sustentando comtudo sempre urna poltica
de coociliagau. Volou a favor da revisao
da consiituigao, esperando com iso poder
evitar a crise. Quando porem .< .esideo-
te organismo o ultimo ministerio depois do
golpe de estalo, rompeu defin ivamente
com elle. Proiestou contra o goipe de es-
tado, foi preso e coaduzido ao Monte-Vale-
riano.
Entrou pela segunda vez na vida pri-
vada e enlregou-se activamente i agricultu-
ra. Em 1861 os elcitores do Aube foram
aiuda pela segundi vez procura-lo na sua
solido e nomearamo memoro do conselh)
geral candidato nas eleigoes legislativas,
pelo Isre em 1863 e pelo Aube em 1869,
nao seloroou nolavel napias duas occasies
sena o por um pequeo numero de votos e
pela descalpa que deu a urna pressao enor-
me e.xercida pela administrago. Durante
a invasao estrangeira foi preso pelos pros-
sianos e encerrado na casa de detengo de
Troyes. Nas eleigbes de fevereiro foi elei-
to para a assembla nacional por tres de-
partamentos ao mesmo tempo : do Aube,
e do Isre e o das Boceas do Rhodano.
Casimiro Perier grande offLial da Leg3o
de lloara e membro livre da academia das
sciencias moraes e polticas. Publicou mui-
tos escriptos importaotes consagrados pela
maior parte s queslSes constituciones, eco
nomicas e financeiras. Alm do castello
de Vizille propietario de um outro do-
minio histrico, as trras de Pont-snr-Seine,
que pertenceram a madama Loetilia Bona-
parte, mi de Napoleo I e que foi devasta-
da pelos prussianos em 1814. Quanto ao
castello de Vizille sabido que pertenceu
ao marechal de Lesdigoieres.
VENGIMENTO DE ALGUNS EMBAUCA-
DORES.Segundo a Gazeta de Colonia, os
embaixidores prussianos vencem 32,000
thalers em Pars e em Londres, 30,000 iba-
lers em Vienna e 40,000 thalers em S. Pe-
tersburgo. Os representantes de govarno
Pois bem, dissa Euzebio, concedo
mas como nao quero que esse bomem se
valha de outros meios altn dos que minis-
tra a sciencia natureza, quero que ap-
plique os seus remedios em presenga do
medico europea.
Asonadas, qiesaibam com que repug-
nancia os mdicos indignas olbavam os Drs.
europeas, fie*ram assombradas ao vr que
Harrach consenta na clausula de Euzebio.
Urna foi logo em busca do Dr. bollan-
do?, que eocolbeu desdenbosamenie os
hombros quando soube o que queriam. To-
dava, na situagao desesperada em que a
doente estava julgoa qoe bem poda permit-
tir ama experiencia, qae suppuaba intil.
Harrach, que em quant) dbraram seme-
jantes preliminares tiaha conservado o es-
pecio fro e digno, dea urna relagao das
plantas mediciaaes de que precisava.
Foram busca-las, mas Hrruch oem sequer
tratou de as preparar elle mesmo. Deu as
snas ins'.rncgoes, e, depois de faita a bebe
ragem, ordenou qaa abrissem a bocea da
doente com dais colberes de prata, e qae
lhe dssem o remedio.
Qaado vio que Ester j tinha tomado
urna dse sufficienle, sabio do quarto im-
passivaj e satisfeito, como se estivesse se-
guro do xito, e tornoo a sentar-je no ves-
tbulo.
Com grande alegra de Eazebio e assom-
bro do medico, oa.effeitos do remedio fo-
ram t3o rpidos como decisivos.
Passados poucos instantes, abri a doente
os olhos e volveu em si, sem se Ibe notar na
pbysionomia vestigios do ataque porqae
pjssra.
Procuroa com a vista Eazebio, e estn-
deu-lhe os bracos.
E' Dscassano confessa lo : Euzebio rece
ben com profunda alegra a noticia dada
pelo medico de qae .sua mulher eslava fra
da perigo.
Poaco depois adormeceo Ester, Eazebio
passou a noute cabeceira da cama, con-
templando a sempre.
Era j muito da, e qaando Euzebio com-
prehenden qoe a scena da cura nada tiaha de
diablico e qae nao havia que receiar acerca
da convaJesceaga, Bcon-se no mesmo estado
de tranquillidade em qae se acbava ao dia
antecedente ao separarse do tabeiliS?.
A reatgSo foi proporcionada robre-exci-
tago, e, atteatando em Ester e apartndo-
los as mos, esqueceo-se de todos os pon-
gos e at do novo milagre que pela segunda
vez Ibe conservava a esposa.
S s lembrou da consideravel perda dos
seisceatos mil dorios, perda qae n3o po-
da resignar-se.
Pensando aos meios de a reparar, man-
dn por o trem e dirigi se soa casa de
commercio, sem lhe occorrer se quer o per-
gantar por Harrucb.
E no leve de qae arrepender- se por ir
ioglez recebara am Pars 280,000 francos,
em Vienoi e em S. Petersborgo 230,000
francos. Os embaixadores francezes parce-
bem 300.000 francos em Londres e em S.
Petarsbargo', 200,000 francos em Vienna.
A Aaalrii d 213*000 francos ao seo em-
baixador em Pars, 195,000 francos aoque
" representa em Londres e 142,000 fran-
cos ao aaa embaixador em S. Petersborgo.
A Russia d 233 000 francos ao sea em
baixador era Londres, 210,000 francos ao
de Pars c 131,000' francos ao de Veras.
A FORTUNA DO IMPERADr)R**-0 f-
garo d, segando una noticia publicada
pelo Chrotmta de Francfort, es seguintes
pormenores sobre o estado d fortuna do
ex imperador dos Francezes. Se elles sao
exactos, accrescenta o Figuro, ben pode a
conspirado bonapartista deixar de prose.-
goir no sen empeobo.
NapoleSo no teri mais do |oe 125,000
francos (22:5000) de reodiraento. A im-
peratriz, pela soa parte, fui a Hespanha
para vender as sues propriedades maia
productivas, o que, com a venda di diver-
sas joms, far subir os seos rendimentos a
om total de 400,000 francos (72:000/J). O
pessoal, qae j foi redozido, eleva-se ainda
a 25 pessoas e foi necessario tambem faze-
rem-se gran les economas. Assim, por
exemplo, nao teem carruagens nem caval-
los, e quaodo o imperador ou a imperatriz
qoerem sabir, alogam om trem. Napoleo
sab.o de Cbisleburts, por lhe costar o alu-
guel 30,000 francos. Ooviram-o dizer que
o propietario d3o quiz diminirlr ao prego
da casa, e qoe como esta somma era de-
masiada para que elle a podesse pagar, nao
querendo a rc disso recebar presentes, ia
procurar orna ontra casa em Londres oa
nos arre lores da cidade. A imperatriz j
dorante o invern vira-se obrigadi a desfa-
zer-se de algumas preciosas polseiras. *
BARB.VRIDADE.-O Chronicle, da Prth-
burg d noticia do segrate caso succedido
na pequea cidade de Cdiz de Estado de
Obio :
Um rapaz chamado Eduardo Hagward,
natural de YVsrt-Truy, no Estado da Nova-
York, fui ltimamente atacado de bexigas
em una hospedara de Gsdix, e em conse-
quen:ia disso transportaram-o para am dos
:c lares superiores da casa. Os habitantes
da cidade logo que tiveram conhecimento
do successo, ficaram tao atterrados que cor-
rendo hospedara, subiram ao quarto do
doente, apoderaram-se delle, cobriram-o
com um cobertor da la e fizera-o descer
pala janelia, por meio de urna escada. Cho-
via ente muito e apesar disso cellocaramo
dentro de urna carraagem e conduziram-o
para um casubre deshabitado, deixando-o
entregue aos cuidados de om velbo negro
que alugaram para esse fim por 10 dol-
lars. Escuzado ser dizer que o pobre ra-
paz morrea. E sabam o que zeram?
Em vez de lhe darem urna sepultura de-
cente, fizeram urna cova em um campo- de-
voluto e enterraram-o nella. Emquanto se
fazia esla operagao, outros da cidade, que
se tinham collocado nas colimas visinbas,
disparavam tiros de espingardas sobre os
qne faziara o enterramento do cadver.
Quanto ao negro, que tracloo do doente,
fizeram lhe nma tal montara, que se vio
obrigado a fugir da cidade fiara nao ser fuzi-
lado como o ameacaram
CONCESSO AOS GOMMUNISTAS.-
Diz am diario francaz, qae per ordem ex-
pressa do Sr. Thiers foi permitlido aos
condemnados pelos conselhos de guerra o
receberem a visita de suas familas. Alguns
amigos dos presos poO.ero tambem vista-
los pedindo urna licenga especial autori-
dade militar.
1

ao seu estabelecimento mercantil. Os ne
gocios apresentavara se pela primeira vez
sob aspecto mais favoravei.
.Pela primeira vez soube que as transac
goes eslava m dando considera veis banefi-
cios.
Voltou para casa alegre e contente.
Era tambem a vez primeira, que sabo-
reava essa embriaguez do ganbo, que se
sobrepe natureza e ao carcter mais
forte, qoe perturba at o joizo dos bons.
Euzebio, entrando em casa, encontrou
Ester muito jubilosa; mas esta, ao vero
marido, e, fiogiodo certo enfado, qae lhe
dava ainda mais encanto, disse :
Mea amigaiabo, tenbo de te fazer al-
gumas reprehenses.
E eu recebe-las-hei rasignado. Bas-
tante me costar, porque a tua cura mar-
vilhosa d-me alegra tal, que assombra,
exclamou Euzebio, esquecendo-sa at dos
lucros que o tinham posto de tao bom hu-
ra, r.
= Se fosse a dizer te tudo o qqesinto,
nao acabara nunca; mas quer-me parecer
qae n'um dia como e^te nao te deves arre-
dar de ao p de mim.
E pago a multa, respondeu Euzebio
beijauio-a.
E depois, como qae nao te lembras-
te d'esse pobre bomem, que com algumas
hervas, que vos outros chamaes remedios
de curandeiros, me salvoo urna vida que
toa ?
Santo Deas I E' verdade! Esqaeci-
me completamente d'elie I Aonde est ?
Foi-se.
Foi se, sem lhe eu ter agradecido I
Sem ter ao menos recompensado o desin-
leresse dos seos servigos I
Quando me contaram o qae se tinha
dassado, como ta c nao eslavas, pareceu-
me qae deveria fazer as toas vezes, e man-
pei cha mi lo.
Para aqui ? disse Euzebio, envergo-
nbado, com receio de qae o domador de
serpentea tivesse fallado Ester da orgia.
E qae te diese 1
Poaco oa nada s miabas demonstra-
ges de agradecimento, e om redoado nao,
quando lhe fallei de recompensa.
E' singular.
E tanto mais singular, qaa, excepglo
de ama gota d'agaa, nem aceitn a comida
qae lhe offereceram, nem sabio do vestbu-
lo, onde passoa a noute.
Nao te d cuidado, eu traUre de o
mandar procurar, e emo Ibe darei boas
pravas do nosso agradecimento.
Mas ainda nao acabei.
Ainda tens mais de qae me censurar?
E multo, porqae depois de te ter dado
o mais formoso menino qae nm pai pode
sonhar, nm cheradira 13o lindo, tao fresco
e to rosado, deisa-lo morrer de fome.
Que qaeres ta dher ?

',
Que quefo dizer ? repeli a partu-
riente, com as lagrimas nos olhos. Bem
sabes que o co me recusou o alimento que
deveria dar meu filbo, e qoe me vejo no
doloroso caso de o confiar uaaa ama.
Ai, meu Deus E' verdade, Dos
me perdoe; andava esta manha tao fra de
mim, que nem sabia o que fazia.
Ests perdoado, e mais que perdoado,
porque o teu esquecimenlo proporcionou-
nos a ama mais encantadora do mando
todo.
Ah I E quem se encarregou de a ar-
ranjar ?
Quem bavia de ser I.. A nossa Pro-
videncia.
Nao entendo.
Pois eu explico-me com bastante cla-
reza. A nossa Providencia no esse bo-
mem que em toda a sua simpleza, foi mais
sabio do que o medico ?
Harrucb! Herruch qae trouxe a
ama ? N3o obstante, preciso saber-se
quem e de onde vem
Ora adeas 1 Nao vas agora acreditar
que o homem qaa me salvou queira envene-
nar o menino. O medico examinon-a, e
approva a escoiha. Se queres v-la, olba.
E Ester levantou urna cortina da cama e
apontou para' urna mulher, que tinha a
creaacinha nos bragos.
Era ama preta de seas dezeseis anuos,
mas de ama belleza tao nolavel, qua apezar
da cor de bano, cbamava todas as atien-
ges.
Cara oval, nariz aquilino, levem ente en-
cunado, bocea peqoena, latios encarnados
como a flor da romeira, e trabas que pare-
ciam da estatuaria grega. Tal o ligeiro
esbogo d'aqoelle original, caja belleza per-
feita inexplicavel.
Euzebio fleoo indiferente ao ve-la.
Nao recordava te-la visto em parte algu-
ma, nem ella Ibe inspirava receio.
O estado favoravei dos seas negocios
commerciaes contribuir muito para o tran-
quillisar.
O bom xito nas operagoas raercanlis
tem virtude de inspirar aos negociantes
ama confianga absoluta no qae cbamam a
sua boa estrella.
Mas, voltando a ama : com quanto n3o se
explicasse como que o domador de ser-
pentes tinha relagoea na colonia ponto de
haver ajustado a joven negra em nome de
Ester, como, esta parecen bem e como o
medico tinha approvado escoiha, o8o op-
poz reparo algom nem tornoa a tratar
talassumpto. caJ&. h'-ii'
f

%

1
e
TYP. DO D
ti*uar'se-h.
JQUE Dt CAXlA
MUTILADO
|___lubflfl
i L i ii


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ECDQ07MDE_11HKOZ INGEST_TIME 2013-09-19T22:58:25Z PACKAGE AA00011611_13131
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES