Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13106


This item is only available as the following downloads:


Full Text
km ILVIil. NUMERO 129
PARA A CAPITAL'2 UfiJUS IDE RAO SI PASA POBTI.
Por trc mezas adiantado*.................
Por leu ditos idem...................
Por nm anno idam.. .............,, J
Otda montero ivolso .,,.,.,, .11
amo
- .
SEXTA FEIRX 7 DE JUMO DE I8il
-
PASA D1ITH0 I 1QU DA PSTCLL
Por tres mezei idianddl ,.........
Por leii ditos idam. ............
Por nova ditos idea .
Por nm uno idem
* .
<#7M
SOI*
Fropriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.

"*" AO A arara:
O Sn. Gerardo Antonio Alvos d Filhos, no Pari ; Gonfalve Pinto, no Maranhao ; Joaqnim Jote de OIivra dr Fiiho, no Cear ; Antonio de Lemos Braga, no Aracatj ; ioio Mara Jolio Cuires, no Asia ;
Pereira d'Almeida, em Mamangnape; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Peona; BtUrmino dos Santos Baldo, em Santo Antlo; Domingos Jos da Costa Braga.
*m Nazareth; Antonio Ferreira de Agniar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alageai; Alvos d C, na Baha; e Leite, Gerqninbo d C." no Ro de Janeiro.
AVISO
* Rogamos aos nossos assig-
nantes. que se ach m em a-
traso nos pagamentos res-
pectivos, que mandem saldar
seus debito?, afim de evita-
rem que lhes seja suspens
a remessa do Diario.
parte omciAi.
Co ver m> da provincia.
KX8DIEXT2 DO OA 14 DS UAIO g 1872.
Actos :
O viee-presiJente da provincia, attendendo
,iO que requereu Francolino Americo de Albuqucr-
uue Mello, eapitiio da 5' companhia do C'. Intft-
Ihio de infantaria da guarda nacional do muni-
cipio do Recife e a vista sade, da f de ofll-'io e do que informo-j o com-
mandante superior cm oicio n. 363 de 9 do cor-
rente, resulvc transferir o dito eapitiio para o ser-
viro da reserva, e mandar que se]a aggregado ao
"balalhao do mesmo servigo. Communicou-se
ao commandante superior do Recite.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereram os alferes da l* e '!' coinpa-
nhias do batalla o n. 37 de infantaria da guarda
nacional do municipio de Cimbres, Francisco Xa-
vier de Freitas e Francisco Manoe! de Pontes, e a
\ isla da inlormacSo do commandantc superior res-
pectivo cm oicio n. 12i de 8 de maio correne,
resolve. de confonnidade com o disposto no art.
O da lei n. 6'J2 de i'J de setemhro de lSli, trans-
feri-los para o servico da reserva, licindo aggre-
gados respectiva seccilo. Coinmunicou-se ao
commandante superior do Brejo e Cimbres.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que requereu o teneute Francisco Affonso Fer-
reira, que se achava aggregado ao Io batalho de
infantaria da guarda nacional da provincia do Pa-
ra, e que veio eon guia para esta provincia, e
vista do que informou o coininandante superior
deste municipio em olflcio n. 358, de 23 do niez
prximo passado, resolve mandar que o dito len-
te passe a servir na 6' companhia do i* batalho
de infantaria, a queja perleneen. Communicou-se
ao commandante superior do Recife.
O.Ticios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda. Au-
uuiudu ao quu solcito* o brigadeiro comuiaiidauto
das armas cm otflcio de liontem, sob n. 490, re-
ommendo a V. S. quu mande pagar, a vista do
recibo junto em duplcala, ao agente do conselbo
econmico do deposito de recrulas, tenente Hen-
rique Carnciro de Almeida, a quantia de 3000
que desp^ndeu com o carreto de objectos condu-
ziJos do arsenal de guerra para o quartel da Sol-
lade. Cominunicou-se jio brigadeiro comman-
dante das armas.
Ao inspector da thesouraria provincial, re-
iu ttendo as relaco s .1; mostra e prets em dup|i-
cata, remettidos pelo commandante superior de
Garanhuns, para que mande pagar os vencimentos
do destacamento da guarda nacional da povoa-
cao da Podra, do municipio de Buiquc, relativos
aos mezes de fevereiro e marco ltimos ; mandan-
do entrega-Ios a quem se aprsentar competente-
mente antorisado.
Ao r. chele de polica, transmiti a conta
jun'a que deixou de aoompanhar o oficio de
honlein.
Ao juiz d i comarca de Garanhuns. recom-
n.endando que informe sobre o q ie representa o
delegado de polica do termo do B>m Conseibo,
quanto evasio do preso, Jos Leandro da Costa.
Iguaes ao juiz municipal e promotor do Bom
Conselho.
Ao capitao do porto, declarando em resposta
-.! ii oIBcio de 2 do corrente. sob n 27, que deve
providenciar no sentido de ancorarem os navios,
(|ue forem chegando, uo funieadourj dos de guer-
ra ; urna vez que. segundo diz o Dr. inspector da
-ade publica cm oicio de i) de abril prximo
passado, necessaria cssa medida para evitar o
desenvolvimento da febre amarella que ltima-
mente Jcm atacado a tripolacao de diversas em-
barracojs aqui ancoradas. Communicou-se ao
O,', inspector da sade publica.
Ao juiz de paz mais votado do 1' districto da
fi eguezia do Buique, dizendo, em solugio as duvi-
das sobre consulta e.n oficio de 2G de Janeiro ul-
timo, que, segundo o aviso do ministerio da ]ust-
ca de 4 de outubro do anuo passado, so perdem o
lugar de juiz de pa individuos que estando em
ejercicio desse cargo forem nomeados ou promo-
vidos para algum posto da guarda nacional.Por-
tanto, si na qualidade de juiz de paz mais votado,
est impedido, deve o seu inmediato fazer a con-
vocacao da junta de quallcacao de votantes dessa
Ireguezia, para o qua- desiguada a segunda do-
minga do inez dejuluo prximo futuro, guarda-
dla as formalidades legaes. Communicou-se a
cunara municipal do Baiqne.
Aos agentes da companhia americana ebra-
,-ileiia de paquetes a vapor, dizendo que tomando
em consideragao a representacio do Sr. Osmn La-
poit, cnsul da Franca nesta provincia, pode o va-
iwr Meriimart; da mesma companhia, rebocar
at a Baha o vapor francez Sindh, urna vez que
ilahi nao resulte onus ou prejuizos ao Brazil.
EU'EDIENTE DO SECRTAlUO.
Offlcios :
Ao commandante super)r de Caruar, com-
muncando, de ordem de S. Exc. o Sr. vice-pre-
sidente da provincia, que o pagamento dos venci-
mentos do destacamento da guarda nacional exis-
tente nessa eidade, a contar de 16 de dezembro
do anno passado a 2i de fevereiro deste j foi
ordenado, a entregar-se a Morera A Braga, con-
forme solicitou o mesmo commandante superior
em oficio de 11 de margo ultimo ; pelo que de-
volvem-se-lhe as folhas, relagSes e prets annexos
ao seu offlcio de 2 do corrente.
Ao secretario da a sembla provincial,
ti ansmiltindo, de ordem do inesmo Exm. Sr., para
aeren presentes a mesma assembla as informa-
gOes prestadas pelo chefe da repartigao das obras
publicas, em offlcios de 17 de maio de 1870 sob
n. 135 e de 25 de abril ultimo sob n 152 acerca do
projecto n. 20 deste anno, mandando contratar com
loaquim Alvares dos Santos Souza ou com quem
memores vantagens offerecer, a illuminacie a gaz
das cidades de Goyanna c. Rio Formoso.
Ao Dr.-director geral da instruogo publica,
recommendando, de ordem do mesmo Exm. Sr.,
que remeta secretaria da presidencia a copia de
que trata o seu offlcio de 3 Jo corrente sob n.
161, a qual deixou de acompanhar o citado offl-
cio.
Ao juiz municipal de Garanhuns, remetiendo
de ordem do mesmo Exm. Sr., copia da sentenga
pela qual foram absblvidos Manoel Alexandrino
dos Santos e Francisco Leite, processados por esse
juizo pelo fado criminoso de tomada de recruta.
Ao baeharel Alonso Jos de Ohveira Filho,
aeeosandn, do ordem do mesmo Exm. Sr. a r^ep
cao do seu offlcio de 21 do mez passado, em qu
partecipa ter nessa data entrado no goso da lcen
ca de 3 mezes que lhe foi concedida por portara
de 20 do dito mez. -Communicou-se. ao inspector
da thesouraria de fazenda.
Ao mesmo, aeeusando do ordem do mesmo
Exm. Sr., a reeepgSo dos scus oficios de 18 de
margo c 4 de abril "ltimos, em que communica,
n'aquelle deixar o exercicio do cargo de juiz mu-
nicipal e de orphaos do termo de Sauto Aniao, por
ha ver completado o seu quatriennio, e neste ha-
ver reassumido o mesmo exercicio por ter sido re-
conduzido por -decreto de 13 de abril ultimo.
Communicou-se ao inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Ao bach re Jos Bonifac'o de S Pereira,
aecusaudo, de ordem do mesmo Exm. Sr., a re-
cepcao do seu oficio de 6 do corrente, em que
partecipa ter nesta data assumido o exercicio do
cargo de adjuncto do promotor publice, da comar-
ca de Palmares, no termo de Barreiros, para o
qual foi nomeado por portara de 3 de abril ultt-
mo. Communicou-se ao inspector da thesouraria
de fazenda.
A' Francisco Manoel Wandcrley Lins Jnior,
aeeusando, de ordem do mesmo Exm.Sr., a recep-
gao do seu offlcio de 8 do crreme, ein que par-
tecipa ter nessa data reassumido o exe.cicio do
cargo de promotor publico interino do termo de
Palmares.Communicou-se a ao inspecior da the-
souraria de fazenda.
Ao gerente da Companhia Pernambucana,
mandando, de oriem do mesmo Exm. Sr., dar urna
passagem de estado a r at a provincia das Ala-
gos no vapor de 15 do corrente, a Manoel Ro-
drigues Leite Iinbuzeiro.
Ao mesmo, mandando de ordem do mesmo
Exm. Sr., dar urna passagem de cftado a r at
Aracaj no mesma vapor a Mariano Alves de
Araujo.
EXPEOIiNlE P0 DA 15 DE MAIO DE 1872.
Actos :
O vice-presidente da provincia, nsanlo da attri-
boicao que lhe conlere o sr!. 7 da lei de 12 de
agosto de 1834, resolve prorogar at o dia 25 do
corrente a presente sesso da a9semb!a legislativa
proviocial.Commnniou-se ao inspector da the-
souiaria provincial.
O-vicepresidente da provincia, attendendo
ao que requerea a Sociedade Smu Uaiao, re-
solve, de eooformidade com o 5o do art. 29 do
decreto n. 2711 de 19 de dezembro de 1866, no-
mear Antonio Francisco Montsiro para o cargo de
presidente da mesma sociedad?.
Olli:ios :
Ao commandante das armas. Com a inclnsa
copii do aviso circular do ministerio da marinha
de 7 de abril de 1869 satisfago o que V. Exc. so-
licitou em offlcio de 14 do corrente relativa nenie
a inspecgo dos recrutas destinados armada.
A< inspector da tbesoararia de dizenila,
transmiltindo para os deviJos fias a. inclusas
contas documentadas di despesa feita pelo almo
xarifado do hospital militar, a contar de 9 de feve-
reiro a abril de-te auno, com os prepares nuces-
sarios a recepgo do SS. Saoramanlo levado em
proisso aos enfermos do dito hospital ; e beor
assim coai a iohumago doi cadveres de diver-
sas prag?, e com a compra de pejaeaos objectos,
tudo na importancia de i.">J,ii, como se v das
sobreditas contas.jommanicou-se ao commao-
daote das armas.
Ao mesmo, autorisanlo a mandar pagar a
Sebastiio Lopes Guimares a quantia de.....
1:006/600, proveniente das despezas feitas com a
conduego do carvo de psdra (onecido por Hetl,
Wilson & C, a diversos navios da armada du-
raole os mezes de fevereiro e margo deste anno,
como se vendas daas conta; juntas, remedidas
pelo inspector do arsenal de marinha.C cju-se ao inspector do arsenal de marioha.
Ao mesmo, traasraittinlo para os fio.3 con-
venientes as contas jautas de objectos qje pelo
arsenal de guerra foram foraecidos a diversas re-
pariigdas no trimestre de Janeiro a margo desie
auno, e correm por diOerentes ministerios, segundo
demostrara as mencionadas contas.Fizeram-se a>
necessarias communicagSes.
Ao impostor da mesouraria provincia', ap-
provando a airematagao feita pelo corooel Pedro
Pessoa de Siqueira Campos, perante a junta d'essi
thesouraria em sessao de 2 do corrente, para a \
execogao das obras da cadeia e casa da cmara
da villa de Flores, orgadas em 48:400/, com o
ab Mmenlo de 1 OjO no prego do orgamento.
Ao mesmo, transmiltindo o pret nominal
janto, anm de qne, estando em termos, mande
pagar os vsncitnentos relativos ao mez de abril
ultimo, dos gnardas naeionaes destacados na ci-
dide da Victoria, devendo esse pagamento ser
effectuaao ao baeharel Jos-Joaqaim de Almeida
Nobre, para isso indicado pelo commandante su-
perior do municipio de Santo Antlo.Coramnni-
ecuse ao referido commandante superior
Ao mesmo. En vista do attestado;.annexo ao
incluso requermen'.o, mande pagar a Jos Au-
gusto de Araujo a quantia de 3:730/272, prove-
niente da 3* preslago a qne se julga com direito,
na qualidade de arrematante das obras da ponte
do Aojo.
Ao mesmo, autorisando a proceder como [a*
di:a emsua infjrmago da 13 do corrente, com
referencia a da cornalona d'essa thesouraria,
acerca do pagamento que no incluso requerimento
solicita o capitao Gabriel Germano de Agniar Mon-
(arroyos, arrematante da obra da ponte dos Car-
valhos,
Ao mesmo, declarando, para os (ia3 conve-
Wen'.es, que ao contratante das obrai da ponte do
Caxang se raandau passar certificado, lavranlo-
se o respectivo termo de entrega denitiva. visto
acaarera-se ellas em estado de conservagao, como
ioformoa o eogsnheiro chefe da repartigao das
obras publicas em oficio de hootem, adra de qne
possa ter lugar o pagamento dos 10 0(0 queeslao
era deposito.
Ao mssmn, ma ndando entregar ao tbeson-
relro da repartigio das obras publicas a quantia
de 1:815/000 para occorrer as despezas cornos
reparos que vo ser execulados por administra-
gao na cadeia da villa de Pao d'Albo.Communi-
cou-s3 ao eogenbeiro chefe da repartigao das
obras publicas.
Ao ebefe de polica, remettendo por copia a
informagao, que sobre o aaanmpto de sen offlcio
de 18 do mez Gndo, prestoa o engenheiro ebefe
da repartigao das obras publicas.
Ao commandante superior da guarda nacie-
nal do Recife, dizendo em addttamento ao offlcio
de 13 do corrente, qne d as necessarias oriiens,
para que em lagar de nm batalho, seja postada
ama brigada no dia 19 do corrente, para acompa-
nhar a procisso de Divino Espirito Santo, accres-
centando que ao director do arsenal de guerra,
offletoa-se quanlo ao foroecimento do carlnxame.
Ao inspector do arsenal de marinha, dizendo
3ue Acara approvados os contratos que o conselho
e compras de marinha fez com Olympio da Silva,
a. Moara & C, para fornecimento de camisas de
bata azul, e de malos lengos de seda prlta aos
aprendizesarliflees.imperiaes marinheiros, e apren-
dizes ditos, no crranle trimestre.Communicou-
se ao inspector da thaaonraria de fazenda.
Ao rigario da fregaezia da Sarra Talluda,
dizenlo que fioa de posse de sen offi;io com data
da 16 de abril ultimo, ao qaal aeeasa a recepgao
dos offlcios e livros que Ibe foram remettilos por
esta presidencia ; e que se lhe enve o aviso cir-
cular do ministerio do ministerio da gricullnra,
cornraercio e obras pablica? de 23 dea dezembro
de acn? passado, como clicil.
A' cmara municipal de Olioda. Convm qne
a cmara maoicipal de Olinda preste com urgen-
cia as iaformagoes exigidas por esta presidencia
em offlcio de 27 de seiombra ultimo, com relacao
ao aforamento feito em 27 de outubro de 1869 a
Henrique Gybson do pantano dessa eidade e terre-
nos adj a cenes.
A' cmara munici pal de Agna-Preta, recommen-
dando qoe visto estar cora parte de doente o *
juiz de paz do 1* districto dessa villa, e acbar-se
anda sera juramento o 3* e 4* jnzes de paz d'a-
juelle districto, delira Ibes qaanto antes o compe-
tente juramento, afim de que na 3a dominga de
junho viodoaro, qne designo, tenha lugar a rea-
nio da juata de qualificagao da respectiva paro-
chia.
Ao juiz de paz em exercicio da parochia de
S. Jos d'Agaa Preta, mandando que faga a con-
vocagao de que tramo art. 4* da lei n. 387 de 19
de agoMo de 1846, ali-n de ter. lugar na 3' do
minga de junho vindouro a iastallagio da junta
de qualitkago de votantes dessa fregaezia, ob-
servadas as finalidades da le'.
Ao 1 juiz de paz da freguezia de Barreiro3,
Jizendo que, ioteirado do quante expoe ara offlcio
de 6 do corrente, com relago ao motivo porque
deixiu de ser feita em tempo a convocago da
junta de qnalifleagao de votantes dessa freguezia,
lica designada a 1* dominga do mez de julio vin
douro, para ter lugar a rennio da mesma junta,
guardando se para isso as formalidades legaes.
Communicou-se a cmara municipal de Barreiros.
Ao 4 juiz de paz da freguezia de Grvala,
declarando em resposta ao seu offlcio de 29 de
dezembro nltmo qne, se quaodo aceitoa o posto
de accesso na guarda nacional eslava em exercicio
de juiz de paz, perdea esse carg), segundo se evi
deneia do aviso do ministerio da justiga de 4 de
outubro do anno passado, e qne incompativel o
exercicio simultaneo dos dous cargos de juiz de
de paz e capitao da guarda nacional.Communi
cou-se ao i* juiz de paz da mesma freguezia.
Ao juiz de paz mais votado da freguez'ia de
S. S)bastia> de Ouricury, recommendando que
convoque para a 2a dominga de julbo vindouro os
eleitores e supplenies Jes ma do art. 4 da lei n. 387, de 19 de agosto de
1846, iem de compdr a respectiva junta de qualifi-
cago de votantes, visto nao ter sido feita em tem-
po proprio a devida convocago.Communicoase
a cmara municipal de Ouricury.
Ao commandante do corpo de polica, dizen
do qne ple eogajar no corpo de seu com mando,
se furem idneos, os paisanos Jlo Francisco dos
Santos e Manoel Raymando da Cunhi.
Ao vice-provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia, dizendo qne ple consentir que continuem
nos collegios de orphios os menores Francisco,
Marae Amelia, iulepenienle da contriouigao a
que eslava obrigado o fallecido Joo do Reg Fal-
ca o. pai dos mesmos menores, conforme requereu
Constancia Perpetna do Reg, a vista dos parece-
res annexos por copia ao sea offlcio de 3 do cor-
rente sob a. 449.
Ao engenheiro fiscal da companhia Pernam-
buco Street Railway, dizendo^que ficam approvadas
as alteragQes da tabella das viagsns dos carros des-
sa companhia, do modo porque declara o sea of-
flcio de 13 do correte.
EXPEDIENTE DO SECRETAniO.
Oficios:
Ao commandante do presidio de Fernando,
declarando de ordem de S. Exc. o Sr. vics-presi-
dente que por despacho de 7 do corrate, se con-
ceden a Josepha Mara da Conceigao, licenga para
regressar a esse presidio.
Ao 1 secretario da assembla legislativa
provincial, transmittindo, de ordem de S- Exc. o
Sr. vice-presidente para ebegar ao conbecimentd
dessa assembl, o offlcio e mais papis juntos por
copia, em o qual o inspector da thesouraria pro-
vincial solicita diverses crditos 3applemeaiares na
importancia de 10:100/911, para a continaagio
das despezas decretadas pelos | l* e 2* do art. 2
e 15 do art. 4 da lei do orgamento vigente.
Ao mesmo, commanicando para o mesmo
tim, qne o Exm. Sr. vice-presidente da provincia
usando da attribuigo que lhe coofere o art. 7* da
lei de 12 de agosto de 1834, resolven por acto
desta data prorogar at 25 do corrente a prsenle
sesso da mesma assembla.
EXPEDIENTE B0 DIA 16 DE MAIO DE 1872.
Actos:
O vice-presidente da provincia, attendendo a
proposta do commandante interino do batalho n.
27 da guarda nacional do municipio de Caruar,
e a vista da informagio do respectivo commandan-
te superior em offlcio de 2 do corrente, re-o!ve
de conformidade com o dispos'.o no art 48 da lei
n. 602 de 19 de setembro de 1850 noraear para o
dito batalho os offlciaes segninles:
Ia companhia. Capilao o tenente da 6a Fran-
cisco Rodrigues Porto; alferes os guardas Fran-
cisco Norberto de Souza e Aurelio da Silva Li-
meiro.
2a companhia.Tenente o alferes da 1' Caelano
Alves Florencio.
3a companhia. Capitao o tenente da 2a Joa-
qnim da Barros e Silva.
4a companhia. Tenente o alferes da 5a Joo
Francisco de Aievedo Silva; Alfares o guarda
Joo Paes de Lyra Brando.
5a companhia. Alferes os guardas, Frederico
de Barros Correa e Antonio Bezerra Maduro.
6* companhia. Tenente o alteres da Ia Aure-
liano de Barros Correa.
7' companhia. Capilao o tenente da 4a Jos
Clemente dos Santos ; tenente o alfares da reser-
va Silvano Romea Torres Gallindo; alferes os
guardas Felippe Moraee Bezerra de Andrade e
Jos Rodrigues de Sobral Campos.Communicoa-
ao coramandant o superior de Caruar.
O vice-presidente da provincia, attendendo
ao que reqnereu o alferes da 4a companhia do ba-
talho n. 23 de infantaria da guarda nacional do
municipio de Santo Anlo, Manoel Gomes d'As-
sumpgo Jnior, e a vista do qne Informoa o res*
pectivo commandante superior em offlcio de 21 de
abril prximo passado, resolve transferi-lo para a
5a companhia em qne ba vaga de igual posto.
Communicou-se ao commandante superior de San-
to Aotao.
O veie-presidente da provincia, attendendo ao
qne requeren o alferes da 7a companhia do bata-
lho n. 24 de infantaria da guarda nacional ao
municipio da Escada, Pedro Ferreira Lima, e a-vis-
ta do que ioformoa o commaniante superior res-
pectivo em offlcio de 25 de Janeiro ultimo, resolve
que de eonformidade com o art. 45 de decreto n.
1130 de 12 de margo de 1853 se Iba d a guia de
que trata o dito artigo para o municipio de Agua
Preta, aende actualmente reside.
O vice-pretidente da provincia, vista do
offlcio do Dr. ebefe de polica n. 823 de 14 do cor-
rente, resolve exonerar do cargo de 3* suppleote
do subdelegad do 1* districto do termo de Cim-
bres, Marcos Marcolino Jos de Oliveira, por nao
residir no districto.
O vice-presidenie di provincia, de confor-
midade com a proposta de Dr. chefe de polica
em offlelo n. 823 de 14 do corrente, resolve no-
mear o cdado Cemente da Silva Reg para o
cargo de 3* sapplente do subdelegado do 1* dis-
tricto do termo de Cimbres.Commanicou-se ao
Dr chefe de polica.
O vice-presidente c a provincia, asando da
antorisago qaa Ibe c'onf ir a lei n. 1043, datada
de hootem, resolve abr r diversos crditos supple-
mentares lei do orgamento vigente, aa impor-
tancia de 72:706/079 r., como abaixo :
Ao art. 3a f 899/316
* 4a . 616/890
6' 7 11 1:499/990
a 609/750
* 8 * 17:086/676
a 10 4 895/440
a 7* 739/810
14 2:623/540
i 9 U g 3j 12/000
a 8 11 4a 4a * 723/600
a ? 7a 116/000
a > > 14 4:951/161
1 15 658/380
a 7a 8 5.-905/900
a 10 > Ia 5:925/347
m . 5a 600/000
9' 10:766/676
> 11 (12:266/970
a 15 . (4:4084663
LommuQicuu se ao inspsetor da thesouraria
Francisco de Souza Chaves de ana trata n sen'
offlcio do I do correte; e quanto ao alferes Pedro a0^?^.^,^'^^? I""T"*w *'
Ferreira Lima mandou-se, por portara desta LT* ",!!"M,i! ."? *+, M*
data, dar a gua de r
n. 1130 de 12 de mar
aonde actualmente reside" *""" "*"" """' f(""lc",e Qae s quera fater, eonso'miodo eri
Ao 1.a ]niz de paz da freguezia de Nossa Senbora !^*.-Vr*d* *** ** (** *
da Conceigao de Nazareth, dizendo que, ioteirado,
undou-se, por porir.a desta '%T"'TZga a jK2 r"w' ""J
ie qoejrata o art 45 do itewto rLy.^f. *?* **?f-** g *f<
narco le 1853 Dar Aeua Prata Y-l e"era. Q6 el'e nao pactuava con a U'
, taT P gUa mu' Wt'tode qne se queri. faier. consomiodo cor-.
provincial.
O vice-presideote da provincia, atteDdendo
ao qne requeren Antonio Augusto da Foncaca, ad-
ministrador do cajniterio publico desta eidade, e
teodo em vista a Informagao da cmara munici-
pal do Recife de 8 do corrente, sob o. 60, resolve
conceler-lhe seis mezes de licenga com o respec
livo ordenada para tratar de sua saude oude lhe
convier.
Offlcios :
Ao commandante das armas, mandando por
em liberdade os recrutas, Jos Ignacio da Silva,
Satyro Antonio aTosu e Jos Joaquira de Sanf-
tAnna, visto terem sido julgados incapazes do
servigo.
Ao mesmo, idem o recrata Domingos Perei-
ra dos-Santos, visto ter provado isengao legal.
Ao inspector d thesouraria de fazenda, di-
zendo em resposta aa*arfflB*io de 22 de abril
pruximo liado, que, como expresan no aviso do
ministerio da agricultura, commereio e obra) pu-
blicas, sement aos filhos livres de murher escra-
va se refere a flxago do praso de 1 de junho
para a respectiva matricula, e que es^a flxago
entende-se com os municipios em qoe os trabalbos
da matricula nao lenbam comegado no Ia de abril,
praso estabelecido no art. [26 do regulamento n.
4835 do Ia djtembro do auno passado; a quanto
ao qne expSe no flaal do'mesmo offl:lo, 'parecen-
do rasoavel, vae-se sabmetter a consideragao do
goveroo imperial para resolver a respailo.
Ao me3rao, mandando pagar a Jos Pereira
de Alcntara do O' a qrtantia de 8119/030 rs., pro
veniente do retelhameoto do arsenal de guerra
e dos quarteis de artfices e menores do mesmo
arsenal.-Coinmanicou-se ao engenheiro enearre-
gado das obras militares.
Ao mesmo, transmittindo, para ser pago, o
pret dos vencimientos das pragas erapregadas no
deposito de recrnlas, relativo a Ia quinzeoa deste
mez.Communicou-se ao commandante das ar-
mas,
Ao mesmo, mandando providenciar no sen-
tido de ser pag* a emprexa de illuminago a ga?
d'estr eidade, a vista das coalas documentadas
anexas, a quantia de 1:299/600 rs., proveniente
do gaz consumido durante os mezes de Janeiro a
margo deste anno cora a illuminago dos quarteis
de cavallaria, Hospicio, Cinco Pontas e deposito
da Soledade.
Ao mesmo, recommendando, que a vista das
contas em duplcala annexas ao incluso requer-
meato, raanle pagar a empreza da illaminago
gaz d'esta eidade, a importancia de 423/000 rs.,
proveniente do gaz consumido cora a iltnmiaago
do hospital militar, nos msies de Janeiro a margo
d'este auno.
Ao mesmo, mandando pagar a Antonio Ce-
lestino da Fonceca ou ao sea procurador, Pedro
Paolo dos Santos, a vista da conta junta em du
plicata a quantia ds 87/291 em qua importa o for-
necimento de luz e agua ao quartel do destaca-
mento de Cimbres, a contar do 1.a de outubro do
anno pretrito a 31 de mare,o ultimo.Communi-
cou-se ao chefe de polica.
Ao mesmo, communieando ter por despacho
d'esta data concedido o praso de um mez ao al-
moxarife do arsenal de marinha Antonio Henrique
de Miranda, para presta n'essar thesouraria a res-
pectiva flaoga, afim de poder exercer aquello
lugar.
Ao mesmo, autorisando a mandar pagar ao
alferes Joaquira Corre i Brasil Jnior a quantia de
12/000 despendida com o fornecimento de diarias
ios recrutas do termo de Garanhuns, que vieram
para eaia capital com destino ao servigo do exer-
cito.
Ao inspector da thesouraria provincial, man-
dando providenciar no sentido de ser entregue ao
Ibesonreiro da repartigao das obras publicas a
quantia de 880/000, importancia doorganento dos
reparos que se mandou executar na ponte sobra o
rio Serinbem no lugar denominado Porto de Pe-
dras. Communicou-se ao engenheiro chefe da
repartigao daa obras publicas.
Ao mesmo, mandando pagar a Morera &
Braga, conforme solicitou o commandante superior
de Palmares, os vencimentos relativos ao mez de
abril nltimb, na importancia de 232/000. coos
tante do pret janto do destacamento da guara
nacional existente na villa de Barreiros.Commu-
nicoase ao commandante superior de Palmares.
- Ao mesmo, idem ao tenente do corpo de po-
lica Antonio Jos de Souza e Silva a quantia de
40/000, constante do recibo junto em duplcala,
de quatro mezes de aluguel da casa que no termo
de Bnique serve de quartel do respectivo desla-
mento.Communicon-se ao chefe de polica.
Ao mesmo, idem a Dinamerico Augusto do
Reg Rangel, em vista do recibo janto em dupl-
cala, a quantia de 17/500 proveniente de tres me-
zes e maio de aluguel da casa qas no termo de
Cabrob serve de cadeia, a contar do 1.a de Ja-
neiro a 15 de abril d'este auno.Commuuicoa-se
ao chefe de polica.
Ao mesmo, dem ao boticario Francisco Igna-
cio da Lima Cabral on ao seu procurador a quan-
tia de 39/000, despendida com o curativo dos pre-
sos pobres da cadeia do termo do Limoeiro.Com-
municeu se ao ebefe de polica.
Ao mesmo, transmiltindo a caria precatoria
annexa ao incluso requerimento, expedida pelo
juizo dos eicos da fazenda contra essa thesouraria
e a favor do baeharel Pedro Jorge de Sonsa, afim
de que, estando em termos, mande dar-lbe a devi-
da ezecacao.
Ao mesmo, mandando pagar a Jos Flix de
Araujo, 2.a sargento do corpo de polica, a vista da
conta annexa ao Incluso requerimento, a quantia
de 22/i00 em que Importa a despeza com o en-
terramiento do soldado d'aquelle corpo Jos de
Barros do Amor Divino, fallecido na .villa da Pa-
nellas.
Ao mesmo, idem ao bario do Livramento,
empreiteiro da obra da ponte de ferro do Caxaag,
a vista do certificado annexo ao inelnso requer-
meato, a quantia de 6:811/536, proveniente da
prestago dej responsabilidad, segundo indios o
mencionado certificado.
Ao ebefe de polica, communieando ter-se
mandado destacar em Gravat a disposigo do ros
'pectivo subdelegado 1 inferior e 6 pragas do corpo
de polica, e concedeu-se a aatorisagio para ser
alagada ama casa com as ^emmodidades sega-
ranga necessarias para servw de quartel e priso
em a dita localidade.Communicou se ao inspec-
tor da thesouraria provincial e ao commandante
do corpo de polica.
Ao commandante superior de S. Antao, de-
clarando que a 14 de fevereiro de 1870 foi inde-
farida a penlo do alfere9 secretara Jcaqc'm
. t irado e nao faenado
Ameagando a trrae mar e ornando.
pelo sea offlcio de 14 de feverere ultimo, do
motivo porque deixou de coavocar em lempo os
e.enores e supplenies d'essa pyocnia para a reu-
nio da junta de qnalifleagao de que trata o art.
4.a da lei o. 387 de 19 de agosto de 186. lica .
designada a priraeir dominga* de julbo v ndou o ySLTtiftSS "S" *
afim de ter fugara installago da mesma junta,,e an,es "el0 Cumrar, iD,sa
oittra)
Sentou-sa depois desse grande esforco, sosten-
qoal protestarj.
pelo cuntrario animara, bvorecendo-'
guarta-laVnSZ^%J^ \ ^"'J- PPO com o sea visto, .*.( -
se a cmara de Nazareih <*"* rido e cangado, consem dehiver pleoissimmeoi'-
desempeobado o sea dever ; mas um mi gsaao.
que pairava sobre sua grande cabega e| observa -
va alternamente, nao se podmdo por sais t?mp^
Ao engenheiro encarregado das obras milla-
res, dizendo que maode fazer os concertos preci -
sos na pharmacia do hospital militar com a con-
veniente diranuigo no respectivo orgamento, visto
ter-se de aproveiiar o soalho superior que est
sendo arrancado, como j se determinouem offlcio
de 10 do correte.Communicou-se ao comman-
dante das armas.
Ao mesmo, idem os concertos precisos era
tres candieiros da illuminago do hospital mi-
litar.
Ao director interino do arsenal de guerra,
recommendando, em additamenio ao offlcio de 13
do corrente, que mande fornecer irmandade do
Divino Espirito Santo, mediante indemnisago, o
cartnxame preciso pata tres descargas qne iem
da dar a brigada destinada a fazer as honras e
acompanhar a procisso do Padroeiro d'aquella
irmandaade no da 19 desie mez.
Ao engenheiro encarregido das obras mili-
lares, transmiltindo por copia o offlcio do briga-
deiro coramandnte das armas, de hontera seb
n. 495, afim de que providencie de modo a evitar
o que elle allude na uilima parte do citado
offlcio.
Ao promotor publico de Caruar, mandando
que informe sobre o facto de passear ioTpaoe-
mente aesse termo o criminoso Silvestre Rosa
Muniz, conbecido por Silvino.
Ao vice-provedor da Santa Casa de Mise-
ricordia, declarando para seu conhecimento qae
ficam approvados os orgamenUM da receila e des-
peza dos estabelecimentos de earidade, collegios
de orphos e azilo de mendicidade, qne tem de
vigorar no anno econmico de 1872 a 1373, de
que trata o sen offlcio de 3 do correte.
DESPACHOS DA PRESIDENCIA DE 5 DE JUNHO DE
1S7*.
Antonio Gonfalves dos Santos.a vista da in-
formagao nao tem lugar o que reqoer o suppli-
cante.
Bernardo Teixeira de Moura.Nao tem lugar o
qae requer o sapplicanle.
Candila Baplista de Azevedo Maia.Como re-
quer, obrigando-se'a supplicante a repor o caiga-
menta e reparar o caes no lagar em que tiver de
fazer a abertura para a sabida das aguas, asig-
nando previamente na repartigao das obras publi-
cas o competen termo de responsabllidade.
Emigdio de Assis Campos Cosden.Informe o
Sr. director do arsenal de guerra.
Irmandade de N. Senhora do Rosario da fregue-
zia da Boa-Vista.Deferido com offlcio desta data
dirigido a Ihessuraria provincial.
Tenente Jos Caetaoo de Souza Couceiro.De-
ferido com offlcio desta data, dirigido a thesoura-
ria de fazeuda.
Coronel Jos Cavalcante Ferraz de Azevedo.
Deferido com offlcio desta data dirigido a thesou-
raria provincial.
Joo Pires Ferreira.O supplicante ja foi alten
dido, pelo que nao ha qne deferir.
Alferes Jos Francisco Morera.Passe portara,
ua forma requerida.
Alferes Joaquim Nune3 do Val.Informe o Sr.
brigadeiro commandante das armas.
Baeharel Livino Pinto Brando.Fico expedidas
as convenientes orden no sentido que requer o
supplicante.
Dr. Manoel de Figaeiroa Faria.-Remettido ao Sr
inspector da thesouraria provincial pura mandar
pagar.
Tenente Manoel de Carvalao Pae3 de Andrade
Gouvin.Sim.
O mesmo.dem.
Minoel Joo de Azevedo Santos, N'apoleio Olim-
pio Prales.Ioforme o Sr, director do arseual de
guerra.
Capitao Paulo Cttvalcanli de Albuquerque.In-
forme o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Pedro Ralis de Inojosa Varejo.Nao tem logar
oque requer.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 6 de
junho de 1872.
O porteiro,
Stlvino A. Rodrigues.
DTEBIOR.
Correspondeueia do Alario de
Pernambuco.
RIO GRANDE DO NORTK.
Natal, i' de junho de 1812.
Pequeo espago de tempo ba decorrido depois
que lhe escrevi a minba ntida e entretanto
grandes e notaveis aconteemeotos reelamam j o
registro geral da imprensa para que, conmemo-
rados pela historia contempornea, sejam levados
aos scalos futuros, afim de sobre ellos deporem
as geragde.' por vir o justo preito de sua admira-
go, assim como nos j lhe comagramos a nossa I
Disse-lbe, em minba anterior, que os nossos So-
lons e Lycurgos, detxando os lares, o doce ninbo
e agasalbo da familia, estimulados pelo mais r-
deme e acrysolado amor da patria, tinham vindo,
fervorosos romeiros do progresso, de longincuos
sertdes, para com o fulgor de snas luzes, de sua
dedicago curar de legarem a provincia todos os
melboramentos moraes e matenaes que ella recla-
ma, que urgem por solngao e de que ella asss
credora. Pois bem, sabe o que succedeu ?
Conegaram no dia 22 do passado as sessdes
preparatorias para verificago de seus poderes ;
foram acelamados, no meio de certev- ruge ruge o
presideute a secretario, travaram-se discassoss
encandecemos, e eonsamio-se am da ioteiro, mui-
to caro, em para parda e sem se fazer nada de
til. As galeras en tendera m que tambera tinham
sido eleitas e entraram a dar frenticamente apar-
tes, bravos e apoiados, sem atlenderem a voz do
presidente da assembla, que com toda aorbani-
dade pedia e instava para que entrassem na or-
dem, se limitassem a sea papel de espectadores,
deixsndo a disonssio a cargo dos mandatarios da
provincia. Levantou-se a sesso quando j ia bas-
tante adiantatfa a obra.
No da 2J, reunidos vlnte e nm dos dlgnlsslmos,
abrio-se a sessio : o chefe... (Va l, ohomem gos-
ta que o chamem ebefe) o ehefa da dissenco, can-
sa, fon te, orlgem, principio de toda essa ba Ib ar-
da, pedio a palavra (silencio tumular na salaj-e
mediado de toda a altura de sua saben? os seus
adversarios, isto aquellos que a todas as suas
veleidades nao dao plena aeqaiescencia, os seas
amigos, o tro poco, abri a facundissima bocea e
tez fallacao grussa e massuda a ponto de deixar
pasmado e boqni aberto todo o conspicuo audito-
rio.... Blsse m
Em estyto graodeloqap e corrente
E sm versos divagidc? numerosos
contrr, l fas reg.-oas aereas, onde se aehava coi-
locado, deu, pondo as mo< as ilbargas para ni
arrebeotar, urna valente e homrica risada.
A platea, digo, as galeras, qae esta vara desau-
nadas e possessas, applandiram fstrepilosatavn
te : o orador foi enmprimentado, e snccedeu-lhe
na tnbona o Dr. Morera Brando, caja cansa, s*-
elle nao a limase raa, seria sympatbica.
Coraegoa sea discurso com aqaellt ifflanca d
estylo, fclidade e elevago com qae costas
fallar, prendendo sempre pelos rasgos oratorios 4*
sen genio, a atteogo de quantos o ouviam ; aaai
quaodo, como o coador dos Andes, se elevava en
arrojados vos, era para precipitar-se das aliara.
como ferido pela flecha de astuto caga lor, e vir
rastrar ao p, pedindo a complacencia do bind
de coreos, qae lhe esvoigira em torno na morando
o, e ao qual por sua ves val dispensa a 4o *hgo<
e caricias, e desafiando a platea, qnero dizer, as
galeras, para qne o applandissem, para qoe con
suas imprudentes e illegaes manifestagdes vtessertr
igualmente era seu auxilio, tanto qae, em vet 4
fallar dirigiido se a mesa como estylo, fllavt
sempre ao povo como na iribnno da praga pra-
blici, pouco seguro da jnsliga da causa que de
fenda.
Ora, o povo qoe applandira o sea eoialo, jm
loe fieara rauito aquem, e na athmospera da ier-
ra, como o nao faria a elle qne se bavia elevad >
ao tereeiro co ? (a expresso de nm gracko
correspondente do Jornal do Recife.) Dosca-
deon-se em furias, ameagador e terrlvel, sean la-
var em conta as advertencias do presidente, nei
o decoro do lagar, bavendo individuos verdadei
ros energmenos, qae queriam a todo o traer
se discutir, allegando direitos que nao ba lei qr
Ih'oa cooflr, e cajos nomes aqu nao declino, par-
que eston convencido que eiles hoja ho de estar
inteiraroenle corridos e envergonbados do rit/i.
simo papel que representaram das grotesca* ser
as em qae figuraran), como actores aeoapantu
dos de ridiculos comparsas.... Asira, tamalto-
sa foi toda a sessio, e anda nesse dia, estar1
mente gasio, nao se reconbeceram os podare* do-
depntados. Apodos, insultos, ameagas de penar
bago da ordem, foi todo quanto houve, tad
qnanto se fez.
No dia 2i estavam presentes os viole e deas &
potados, onze da velha guarda (creio que assn.
rae exprimo bem; daz dissideotes e am liben.
qae vai de braco dado com elles. Recrescea o fu
ror, a confuso, os gritos, era aquiflo nm verda-
deiro paodemouio.
O presidente da assembla j se bavia eatend;
do com o Exm. presidente da provincia, segnnd
ouvi dizer, afim de qae este prestare forga, pe
que receiava qne a ordem fosse perturbada. S.
Exc, qae resisti a esse pedido, finalmente a tf
qaisigo da mesa da assemM, resol vea manda
la, ordenando-Iba que se pozesse a disposgiod
presideute daquella corperago e ordenando igual
mente ao Dr. chefe de polica qne para all -
transportasse a ver se com ana presenga redn-
os desordeiros a obediencia da lei.
Ja antes dessa resclugao havu tmalo o pru-
dente alvilre de adiar para o dia 5 ae agosto fu-
turo a reuoio da mesma assembla, e foi no rato
ment em que comegou a leitura da portara J
adiameoto, qne mais se eofureceram os aiiaao.
as galeras transpuzerara as grades qae a* divi-
den) do recinto em qne funceionam os depntadoa,
quebraran) balaustrada, e se nao a preseaca S
forga e a do Dr. ebefe da polica, qae atas* sat-
nenlo chegaram, provavelmenle baveria algum
agua suja...
Felizmente, porra, e gragas a presenga dsqael-
le prndente e enrgico magistrado ea da forga, i-
cou ludo reduzido a esteris deaabafos e a dase-
jos sopitados.
O presidente da assembla, depois de lida a por-
tarla de adiameoto, levantou a sessio e procure i
retirar-se ; mas as dez ovelhas [tresmalhiias a a
outra qae entre ellas anda tambera perdida e des-
garrada, reconbeceodo que nao erara bastante lor-
ies na tragedia, lio bem ensalada, e qae essa, qm
mereeia ter sido solemnemente pateada, abortar:
entendern) qae podiam sahir-se melbor n c-
media, e um delles mais eslroioa, mais impaciea-
le e esturdio, gritou :
< Continnam ostrabalhos e aclamamos ooa->
presidente ao Sr.....que deve tomar assento,
o amphitrio acclamado, tomando com toda a
san lacn a cadeira presidencial, dissa eom
aquello desgarro e gravidade, propria do coeae-
diante que esta bem compenetrado do papel qu
representa : oomeio para Ia secretario o Sr.....
que gritn com toda a promptido e com voi km i
clara :.. E eu que aceito, textoaes palavraa, a
sisseotou-se a direia do presidente sem demora
recei oso de qae coasa Ibe eseapasse das mia*.
B... ia por diante a representagao, qnando. rin
do-se elles mesmos uns dos ontros pelo desfraei
qoe estavam dando, (oram-se esgneirando e dai-
xaram a casa deserta. Creio qae a moleeagem
inda pregn rabos de papel a algnns pelo mal aja
se houveram na eomedia on antes na desgracio* i
farga qae lio desgeitosanenie deeempeahana
Aqui chegaram os seus Diarios e os iwnmr
do Recife.
Era am dostes ltimos vea ama correspoaaaa-
ela contra o Exm. presidente da provincia, ao ta> -
to de ontras nliimarr.eote publicadas. O estafad"
escriptor della, sabiado d o serio aago coas xa-
nas columnas de sea jornal d'onde para all ;>.-
bildeou, teeia ootr'ora merecidos e justos enco-
mios a admisistragao, joga-lne hoje dominado i
pueril despeito insolso ridiculo na carencia n
factos pelos qoaes a possa acensar. Nao se res-
ponde a escriptos de tal jaez : ou ri-se a gaaot--
lendo-os, se elles provoesm o riso, oa te prodo-
zam o contrario effeito, joga se-os ao moniuro tnd-
s devem jasar.
Ea qaizera qae esse correspondente me Sisan
qae foi qae tanto o abespiohoa para mostrar--
por tal modo arrufado, transformando ea virodsa-
ta iracundia as pasudas blandicia'.
Examinemos se elle e aquellas a qnem corlai.
tem razio en ae affastarem do administrader a
provincia; se a opposicio que lhes fazem teta sos.
motivo nobre, nm motivo confessavel. J asaos*
ison S. Exc da trilha qne segaio at o da, aat
que se den a dissensio T J ferio eom deaissaV*
aeintosas os amigos do eorresponente. j as Bea-
tero nos favores da admnsiracao, j malaaraeri
os dnhairos pblicos esa proveito de affetcjaasTas.
deixou de concorrer, com esae zeloao aaagistra-
"do a quem to justamente loavaes, para a pene-
gnigap dos criminosos, jfleixou da oxorrer a
necessidades polticas, de auxiliar os mdigsatts e
desvalidos aecoamettldos das aXveaaai aasatV,
que tem solado a previne!* H;!b*"!






I
TJ32 biarw t rmbfic *- *?ext& feili *? i* Junho dt 1812
a^^r/braa pinlfcas T Nio, alo e nio. Chamaos-lo
<*e inerte hoja, e a unida accvmuia qte rhe (*-
res, souee loa de que outr'ora daris o nome de
pruoentia a Isso mesmo qaj enamaes iaerrU. A
negocios de certa transeedeacia, de cena, impor-
unca, que requeren) nais djialhido exame; mais
acarado estado, deraora-se ero dar Ibes expedien
te ; mas ni os deixa sem solacio, posto que na>
sej* omnisciente Como tj, e Ihe fallera o' devidos
auxiliares; quinto mais anodiamenie aesolve
grande numero de quesi&e.*.
Sois mjuMo, lamasiadameate injustos: a tos-a
opposico S ha de eiume de um homem que jal-
la ver Mimbra dianle de si, e que ne sendo sa-
efeito em nodos oaiseus caprichos, e ptnrtotniolhe
que ouiros ao olhadu- cora melhores olbes, rnval-
ia-se e sopra a discordia, e a prova temos no faci
de que essa disseasie apajrecca drpois que elle
jub eslava Mteute, chege s esta, cidade, pois.que,
atiieriorrneaae a esa chaflana oaafJido estava tu Jo
de um s aceordo, te 'amm HzeTanT-'?6 as eleicSes.
Os vossos amigos (isso ridi:olo, mas forcoso
dizer) em todas as oomeacdea que se bao feito,
quer para os cargos lucrativos, qner para os de
mera conflaoca, erafim em todo e por lado t iu
sido qaasi sempre melhor aquinhados, dn que es
que vos cbamaes adversarios. E' urna verdade que
nao podis deixir de confessar; mas um tacto
que do deve continuar.
Ciegon Ip'juca houtiro truento-tes a no-
ticia da dissoloco das cmaras, noticia que veio
anda alcanzar aqui os uossos espoladas, Drs.
Oetaviano e Gimes, que se preparavam para se-
guir no ultimo vap.r. Nao tomara, pois, encommodo
te irem' para rollarem dissolcidos, o que nao ha de
erboa consa. Agrra preparar para o grande
cerumen, que se vai abrr m vrtude desse grau
de golpe de estado. Sa le.
Au revoir.
PERNAMBUCO.
.REVISTA B.TJLMA.
AUTOMDXDE5 POLICIAES.-Por portari.is da
presidencia da ptoviocia, de 5 Jo correte, forarc
?orneado? :
Maooel Moreira Borges Uohfla, subdelegado do
(stricto de Abren de Ua.
Damtio Justiniaoo de Souza Leroo?, Francisco
Antonio Pereira de Mello, e Jo Machado Datra,
' I. le 3* sopplentes do subdegado do 3.* distric-
to de Birreiros.
Manuel Severioo Cabral de Arroda e Francisco
Maoricio da Mata Kibeiro, 1. e 2." sopplentes do
delegado do termo do Bom Jardim.
Joao Lones Delgdo Lsal, subdelegado do dis-
trito do Bom Jardim.
Francisco de Paula Gimes dos Santos, Taurino
l. Correa de Amorim 1 e 3. suoplentes do stib .
delegado do I. districto do Bom Jard m.
Siverino Barbosa da Silva e Jos Gordeiro de
Arroda, subdl-gado e 3.* supplente do subJe'e-
gado do listricto de Queimadas.
DIVISAD POLICIAL.Por portara da presiden
ca da provincia, de 3 do correte, (oi restabeleci-
da a divi?o dos oistricios policiaes do termo d
Birreiros, anterior portara de 21 de fevereiro
ultimo.
PROFESS01\ P JUCO.Por portara da presi-
dencia da provincia, df 3 do correle, foi noraea-
do Napoleio Marques Galvao para reger interna-
ineote a cadeira de primeiras leitras de Quipap.
ESPECTCULO EM BfiNEFI .1) DO JAIUHM
DA PR4.CA DO COMWT DEL.-Hoje tera lugar
este espectculo no ih-'atro de Santo Antonio era
erante parte dado pelo Sr. Julio Popoi, e eom a
seeros eoadjuvac/io do Sr. Muhlmano, io-ipne
rabequista. A msica do curpo de polica, por
obtequio da briosa ollicialidade do corpo ir tocar
as seis bora* da tarde ricas e novas pecas para
mais abrilbantar o esoectaculo. E' um meio de
vencer as grande.< difflcaladej ^a^ x\\ aiuda para
-e levar a eftVilo tas imponaote melhoramento pu-
blico, e aqoelle qui desejam vel-o realisado de-
vem concorrer cora sua pequea qoota.
IN?TiTUTO ARCHEOLOGICO E GBOG tAPIIl-
'.).Reunise liontera o instituto sob a presi-
'eneia do Exm. conselheiro monsenhor Moniz
Tarares e enm assistencia dos Srs. Drs, Soares de
Azevedo, Wilrnvio, Pinto Bandera, Bapteta Re-
.neira, Jaeintho de Sampalo, Soares Brandan, e os
Srs. coronel?, Leal Barros Falco, conego Rocbael,
i'a-Ire Lino do Monte Carmello, e majores, Codecei-
rae Salvador Heoriqne.
E' lida e approvada a aeta da antecedate.
O Sr. secreta: io perpetuo d conta do seguinte
expediente :
Um < libio da lrna. cmara municipal d< Reci-
fa, commu'iicando haver deliera'o conservar o
r,ome de Julo de Barros na estrada que vae da
Snledade a eocraiilhada de Belem, mudando o de
l'iolino Cmara para a ra da Camba do Carmo,
ra atteoco ao que n'este sentido Ibe fol solicitado
pelo instituto.[oteirado.
Oatro do Sr. Dr. Joaquim Barbosa Lima, acei
undo e agralecendo a sua eieicao de socio corres-
pondite. Inleirado.
Ojtr3d) Sr. capillo de fragata Stepple da Silva,
comunicando nao poder comparecer por doente a
presente sssso.ioteirado.
Outro de Sr. capito do porto, consaltando o
instlalo acerca da data em que foi construido o
pnarol da barra desta provincia. E' comeada
para eoiber informarles respeito urna comms-
-o composta dos Srs. coronis Leal e Barros Pal.
' o, e major Cndeceira.
O mesmo Sr. secretario perpetuo d conta das
rfnintes offertas:
Varios nmeros do Diario de Pernambuco, pelo
consocio Dr. Figasira ; alguns nuneros da Uniao
liberal, Assuense e Correio de Santo Anto pelas
respectivas redaccSes ; om exeroplar das Notfiet
l'Ofjrapwkas e administrativas da provincia de
.'filias, offertado pelo Sr. Dr. Fonceca o'Albuqoer
que. Todas eslas olleras sao recebidas com
agrado e mandara se archivsr.
O Sr. coronel Barros Falcao obtendo a palavra
pronuncia o seguinte discuto :
Exm. Sr. presidente e mais membros do ins-
ntnto.Commissonado pelo Exm. Sr. coD^elheiro
Tbeodoro Machado Freir Pereira da Silva, ex-
ministro da agricultura, para offertar a este insti-
tuto a peona com a qual a prineeza imperial ex-
regenle assignou a le de 23 de setembro de 1871;
veono cumprir esse dever ebeio das maisgrala'
emor;599.
Esta le, senhores, que melhor se aeha grava-
da nos corarles de todos os brasileiros que nao
descoram do futuro da patria, fazendo ardentes
votos.peto sen progresso real, records ama data
memoravel em sua historia, um faci eminente-
mete ebristao e humano, que elevando-a ao nivel
di cvlllsaco do seeulo, era que vitemos, d ao
mesmo tempo testemooho inequvoco do patrio
smo do governo qoe promolgou essa le, reo-
dendo dest arte justa homenagem a grande e le-
gitima aspiracao nacional para a liDertacao dos
captivos.
Certo, senhores, a obra nao est comp'ela: o
moostro da escravidio estnde anda as malbas
de sua rede por sobre o territorio da patria ; mas
ajei de 28 de setembro j uro ob.-taculc io-
vencivel a sen desenvolvimeoto ; o principio da
lux do sol da justica, que deepoou cm nossos ho-
rispotes; e aos raios desie sol, emblema purissimo
da Divindade, nao ba trevas knpeoetraveis.
Esta lei o fat da liberdade para esta porcao
de brasileiros, que aioda gemem sombra da
orna instituicao anaebronlca o direito de pro-
priedade do hornera sobre o homem.
Est, pois, travada a>luta ; a luz que se des-
prende desse foco loexngulvei aleado a 28 de
setembro de 1871, rae j espancaodo as negras
sombras desse espesso nevoeiro, qoe nos legaram
os nossos antepassados ; e qnando afinal os vn-
douros bonverem despido de todo, o riso jbo co
da nossa chara patria, d'eise triste veo que Unto
nosateia e amesquinha aos olhos do mnado civili-
sado; n'esse dia memoravel em qae se ba de
completar a mais nobre e genarosa conquista do
espirito americano, a le de 28 de setembro ser
o atiesado man sol.mne das tendencias liberaos
4a nossa epocha, justificando com a lgica dos
aeontecimentos abem merecida eonflaoca qae cs,
os presentes, depositamos naqoella qae um da ba
de ser chamada a reger os nossos destinos, e a
iuem o acaso da regencia proporeionoo lio bri-
llante estr na governacio do estado.
Gaardai, pois, senhores, entre as nossas re-
liquias preciosas esU peona, qoe tao latina-
mente se associa as nossas glorias, em coja eon-
guisU lam oka parte tomamos pelo orgo de lio
illnstre e benemrito comprovinciano o Exm. Sr.
conselheiro Tbeodoro Silva.
EsU peona, instrumento com qae se i ferio a
mairgrandiosa batalha em noeio paiz, dando-lhe
ama esplendida e merumia victoria ; e descolpai
ao Jjomilde orador qoe douco disse em tao bello
ssampk), Ja por sea oaiaral acaobameoto em ma-
terias desia ordem, como por aebar se sobre a
presio de diversos scffrimentcs.
Sala d-A% fufa do Uli-iMo 8 de japJlo de 187i.
-JnR t ftto Barros Vait Nao se acii.ndo prsenle o orador- do Instlalo,
j r. presidenta encarregou ao Sr. seffreiaro pur
peiuo de fater as anas veces, agrdecendo *o Sr.
conselheiro Tbeodoro Machado, na pessoa do Sr.
coronel Bsrros Falcao, que aqoi o represeolava, a
a offtcu patritica, qae acaba de realistr-se.
% Sr. secreurio perpetuo n'um feliz improviso
cumprio esta mio, os qual traen -salieotss es
relevsoiissimos servicos do Sr. conselheiro Theo-
emquanto minitro5dtagricaliura,
LOTERA.A qrie se cha a venia 7* a
ben rlcio da matriz de Grvala, que torre no dJ
1! do crranlo.
LEILAO.-Hije iffrdua oagDle Maitin* !
lio de ralodeta?, um cofres outres objectosans*
braio o. 1 da ra das Florea as 11 doras ho dia.
I.EILA0.H),e 7 do correte effectua o agen-
te Pinto em seo escriptorio a rna do Bom Jess
n. 43, e de conformidade com rs seus annuncio
inseridos n lng:ir competente desu Diario o tei-
lo de fazenda, de diversas qoajidadas de cfcapos,
couros e mata artigos annonejados ; para o que
doro Maehido,
e a flueza de confiar sua provincia represenmda Chama a aMencao dn seas aciMs a freguexae. WMm f*tJta^r estea, aflra de os poder reoolher;
aqnr em sna parte histrica, a reliquia recebida. .. nDWi diversas vezes na uecessidade de recor*
f Ha hoje 45- anuos, dote o orador, que eu tive
em miobas oaos no musen de Londres algasias
folrns de lonro ressequidas e mirradas, qae flze-
ram parte da coia, qae es Syoloilos eoltoemm 45
na cabeca d'Araio. qaando elle os libertara d'nma '% g*Dgeiros **'' 8!cr,CB
escravido verg-nhosa. A peona que luje nos
offerecida, e cora a qual a Augusta Prineeza as-
CASA DE DETEffCO.-M^Timenlo* do dU 3
de junto de 1872 :
Exisliam (presos) 305, ?nraram 4 sabiram 6,
existen 303, a siber : nconnfs 494, mulneres
s tur I
tal 303.
Alimentados a costa dos cofres pnicos 240.
Movimento da enfermara no da 5 de janho de
signoa o famoso decreto de 28 de setembro, ser' ":""
por ni guardada com muito rniis retigiio, que T.rara baixt
aquella cora que anda hoe se conserva a reli-
quia do Ilustre grrgo : a mo pequeoina e deli-
cada da formosa prineeza tornou se grande e
magnfica a assignar um documento que vem
abrir ao paii ama era da (rrosperrtade e de glo-
ria qae todos agoardavamos, etc., etc., ele
Nos jntarvallos dos discurses tncori na Mte sala'
hirmoniosas pecas a msica do 9* batalblo de ia
fantarla.
Vera a mesa e approvada unauimcm?me a
seguinte pfopcsta :
Prooorpos ao eonselhsiro Tbeodoro Machado
Freir Pereira da Silva, ex-ministro da agriculia-
ra, corrmercio e obra? publicas, para socio ho-
norario do Instituto, como lgoal de apreco em
que esta casa lera os relevantes servigos, presta-
dos ao paiz pv este cajpihiiro, e cono testemu;
olio de gratidio pela haeza, que acaba de fazer
sua provincia representada pelo Instituto em sua
parte histrica. Sala das se*sdes do Institato, 6
d9 jonho de 187-2 Saares de Azevedo.Barros
FjIcSo. Jaeintho de Savnjdro. IVifrurio Pinto
Bandra.Salvador Benrique Gomes Leil.
E' igualmente lida e approvada a seguinte pro-
posia :
. a Achando-se oesta cidade o Exm. Sr. conse-
lheiro Theodoro Silva, d.o.0 acaba de honrar este
(nsti ato eom o presente da penca, qae se a*ha
sobre a mesa, pro^onho que seja nomeada ama
commissao, que ao mesmo Exm. Sr. leve o diplo-
ma de socio honorario e a expressao de agrade-
cimento deste Iastituto. Sala das sess5es do Ins-
tituto, 6 de janho de 1872.Wilruoio Pinto flan-
deira. t>
Sao nomeados membros desta eommissao os
Sjs. Drs. Aprizin Gaimares, Witravlo, e coroaeis
Leal e Barros Falcao.
Eotra em discusso e approvado o projecto
de orcamento para o correte anno acalemico de
1872 a 1873.
Vem mesa tres propostas indicando varios
Srs. para soeios.=A' eommissao respectiva.
ASPliXIA Foi aate-hontera tirado dos man-
gues da camba dos Remedios, distrcto da Mag-
d.Vena, o calaver da prela Joaquina, de 60 annes
de idade, p meo mais ou menos; e havendo com-
parecido a auloridade que proceden a vistoria, foi
pelos peritas declarado ler sido a raorte por effeilo
de submersao.
PAGADOHIA DA THE3 URARIA DE FAZEN-
DA.Por esta repantcao pagara se hoje 7 aos na-
vios de guerra, A eompanhia de aprendizes mari-
nheiros, e a todas as pesso.s qae nao receberam
era seus das respectivos.
)
Manoel Olegario da Fonceca ((erimenio;.
baldo Lacrelo Lete (febre.)
Joao Freir dj Lima (feore,)
Tiveram alU : -' i
Antonio Gonlolf.
ESTABELECIMENTO DE CAR1DADE Movi-
mento do hospital de Nossa Seobora da Concei-
ci dos Lazaros, de t a 31 de malo de 1872.
Existan) 19 horneas e 16 raalheres ; entrou
I hornera, sahiram : 1 rnnaem e I mul9r, existem
19 horneas, lo mulheres.Total 34.
Advertencia. -
Foi visitado o esfnelecimenro pelo respectivo
medico, Dr. Silvio T^iquiaio Je ViUas-Boas, aos
diK.s 3, 7, U, 14, 17, 21, 5, e^O de maio.
Exisiem emprega los no eatabelecknento oito pes-
sdas, a saber: regentes 2, medico 1, capellao I,
cozioheiro 1, serventes 2.
O rrgenteJos Paulino da Silva.
VistoManoel Alves Barbosa.
PASSAGEIROS.A barca brazifeira S. Jos
levou par o Re da Praia.Jos Brum:kport.
THSOUR VRIA DE FAZEtNDA.
Dia 6 de junho.
Forana remettiaos ao Sr. theyareiro para
seren pagos :
OfDcios:
Da alfaodega remettando r.ontas de des-
pezas feilas com o expndieote interno e ex-
terno da raesma repartieap.
Do correio remettendo conta de despe-
zas feitas pelo respectivo thesoureiro.
Requeriroentos:
Da Francisco Baptista d'Almeida.
De Napoleao Atneric no da Silva Bar-
ges.
Foram igoalmente remettidos ao Sr. pa-
gador para cerern pagos:
OIBeio:
Da pre?idancia mandando pagar venci-
mentos da goarda nacionil de Pesqoeira na
importancia de 99040
K-iquerimento :
Do bactaarel Loiz Jos |da Silva.
Servindo de official-maior.
Manoel Jos Pinto.
BELLA DO RENDMENTO DA ALFANDEGA DE PERNAMBl'CO DO MEZ DE MAIO DE
187 CORRENTE ANNO F1NANCEIRO, COMPARADO OOM O DE 1GUAES MEZES DOS
DOUS ASNOS LTIMOS. _____________________________________
Importacao
Dreitos de constimo...................
Dito do augmento.de"tO ,', 34 O/o e 28 O/o..
Dito de dito div30 %. 2-S O/o e 21 O/o........
Ditos addconaes de 5 %.................
Expediento de 5 "/ dos geaeros livres de di-
reites de consnmo.. ..................
Armaerragem.........................
Despacho martimo
Aacoragcm.............................
Exportarao
Direitos de 15 % do pao b'rtsil.............
Ditos de 9 % ao exportacao...............
Dito? de 2 1/2 % dem....................
Ditos de I 1/2 % do ouro em barra.......
Ditos de 1 % dos diamantes...............
Expediente das capatazias................
Interior
Renda da typographia nacional............
! proporcional por A'erba......
fixo......................
adhesivo..................
Emolumentos ..........................
Imposto de transniissao de propriedade, a sa-
ber : de 5./' da venda de embarcajao...
Dito de 1% da arrematarlo de bens movis.
Erfrflorrf/nrtri'o
Receita e eventual.......................
Depsitos
Depsitos de diversas origens.............
Dizimos da provincia das lagas..........
Dito da provincia da Parahyba............
Dito da provincia do Rio Grande do Norte.
Contribuicao para casa de caridade.........
1871 1872
572:4915650
lah694035
3:059i6.5
107:003jG
2:301*17
l:073i612
6:521*250
235:7485885
25*550
OOOO
805*600
770*040
34G*o00
2*030
1-753*246
1,083:639*098
10.024*988
116*388
10:108*577
1:755*760
1.105:644*811
Alfandegade Pernambuco, 4 de janho de 1872.
1870 1871
398:007*638
129:468*047
1:164*595
70:374*371
2:828*056
11:763*488
4:509*100
103:861*924
874*361
61*340
019*600
509,5960
*477*0O0
5
648*314
717:202*804
535.5906
4:2865716
G:2I2924
895776
1:764*942
1869 1870
602:6325730
223:356*787
1:9835520
109:461*556
1:972*331
2:6005421
6.095*600
168:264*168
1:179*660
117*000
6*0; 0
104*400
1:154*400
92*230
816*626
240
935*244
1,120:777*913
37-087*247
8.820*811
9:898*654
23*241
724*338
730:093*067^
1,177:332*104
Servindo de chefe da 2* seccio
Anselmo Jos Pinto de Souza.
FUBCACOES k PEDIDO.
Pueri Iiidtiut.
Nem o publico insensato, e nem se deixa era-
bar : alen, de urna especie de inst.ncto sablim* tr0 mm ** ZZSZXZ
eom qae a Prcvideacia dotou os grandes povos,
elle tem sobeja illostracio para distinguir o vr-
dadeiro do falso, a lisura do mais calculado ar-
dil.
O negocio mais serio do que pensam os juga-
dores da pella.
O publico (n visto qnc, tendo le anonnciado o
Dr. R. M. Vianna, curador dos ttlrtitamentos da
urethra, pela electricidade e seu dor anda boje
nao apreseutou um s corado pela tal electriciaa-
de p sem dor; e que recorrendo ao Instrumento
de Miisobnenve, asss cochecido em Pernambu-
co, o tem empregado desazadameote, efra das
regra* presenpus por todos os pralicos do mando.
O pablico bem v qa?, tendo ea combalido a
electricidade, como meio lurstivo.e geralmente ad-
mitlido, contra os estreitamentos fibrosos da are-
ihra.e isto firmado na auloridade de Huette, e em
Tndoquaoto de melhor se pode encontrar as
obras de Civiale, Ne aton.Felippe, Legoueste.Jamin,
Voillemier e ontros, son por demais honrado des-
de qae, entre facecias, se aoresenton no Diario de
boniem o Dr. R. M. Vianna pondo-me de netcia
sobre os meios curativos das molestias das vs
ourioanas I
E a nao ser ama insaoia, manifestada por meio
de um rasgo infantil, como se explica qae o no-
tissimo eperador,leAo lido o mea artigo do 1* do
correte, insista em exigir de mira a ce utinuacao
de minhas analyses, para entao apparecer em pu-
blico com sna deeza?
Basta va ter en emiltido nma simples proposcao
contraria ao pomposo annuncio do Dr. R. M. Vian-
na, ama vez qoe fosse ella apoiada com a aulori-
dade de ara pralica respeiuvel, como uetle,
para qae pmssaroso corresse impreosa, e ao pa-
blico viesse dar toda expliccao possivel: quinto
mais tendo j ea deseavolvido a questao da elec-
tricidade qae nao a uiica de qae me tenho
oceupado e bei de anda oceupar- me como se
v no mea predilo artigo do 1* do cerrente.
Disse ea : A electricidade corando radical-
mente os estreitamentos fibrosos 1...
Alias, apenas lembrado por Wertemier, too ha
fados que sanccwnem na prtica a accao da elec-
tricidade, como meto cura'tt) dos estreitamentos
orgnicos, como muito beex disse Huette. Sendo
certa que em obra aigumadas mais antigs e mo-
demissimas, as de Ciwale, Nelaton, Felippe,
as dysurias (qnando a ourina corre, mas com
jacto muito fino) momentneas ou intermitentes,
por causas conlecidas oh nofiomprehende-st que o
fluido electrogeneo peder produzir algum effeito
salutar, quando se o queira empregar em falta de
Mas nos estreitamentos fibrosos orgnicos, nos es
treittmenlot cicatrieiaes prodnzidos ou nao por
jkrdas de substancias a electruacao localisada
(pelo methodo de M. Duchene de Boulogne) ja-
mis poder. ainda melhormente applicada, des-
truir as cicatnzes, os Uios fibrosos, que consti
tuem os estreitamentos difficeis. a
Nao foi todo qnanto ea dtss. Entre oatras
considerares acba-se mais o ?guinte : < E
comprehende se mais que, a nao ser rpida a accao
destruidor) do ueio electrogeneo, como nao nos
tenidos que constiiuem os estrtitaasenlos fibrosos;
a dar se outra acedo lenta e modificadora, esta
nao poderla produzir a cura rapuia como se tem
apregoado na maior gazeta desta cidade, face de
urna corporacao medica, digna certamente de me-
Inores attencoes do famoso operador. *
Ora, se ea ja tuo isso disse, a qae vem o Dr.
R. M. Vianna diier qae me nio responde sem
qae ea fiaalise as minhas considerarlas ? So-
bre cada ama dessas miaas palavras posso es-
erever at am artigo, se me aprouver, ainda de-
pois das presagiadas, mas nunca vndas resposUs
esmagadoras do reo de lesa seieneia I.....
Ceno estou de qae o Dr. R. M. Viama nao tem
mdo da vir imprensa. As trevas oceultam sos
olbos do peregrino os maiores e mais arriscados
tropeos. Maa qae o respeito ao pablico Ihe
impoo a obrigaeao de vir imprensa, tanto mais
por harer [dito em [nma deelaracao qae fes no
Diario de 23 de malo prximo passado : tque s
me responderla em attenco ao publico > logo sna
escusa iao a propria de am nobre carcter.
Aprsente, emflm, a caixinha de Pandora que ao
pablico maito interessa conhecer.
Dr. Cmxhno Frantisco i Lima Santos.
A* pablico.
Com qoanto ja teoha viudo ama vez ao Diario
jaslificar-me ou antes expdr certos faetos a qae ea
simplesmeate poda allribuir a demissao qae sof
fri do lugar de porteiro qoe exercia na alfandega
desta provincia, todava vejme agora obrigado a
vir ainc'a expor um fado qae. naqaella occasiao
nao me occorrea, ficto alias importante e ao qual
mais seriamente pde-se attnboir a miaba de-
missao.
A exposicao desse neto torna-se Unto mais im-
prtame, qnanto convra
_ qae en a respeito dalle
bedtllot, Jamtn, Vullimier e sutros se encentra jasliOque-me, destratado qaalquer opiniSo qae o
a electricidade como meio lembrado, quanto mais Sr". Sampalo Vianna (lenha formado) em mea des-
assignalado, contra as coarctocoet fibrosas da ure- abono.
nra- Antes de chegar alfandega a eommissao qoe
A nao ser talvez em um ou oulro cato de ettrei-1 para aqu veio em 18W. e da qnal era chete o Sr.
tomento ephemero ou espamoco, em que as fibras Sampalo Vianna, oramissaq que veio regular al
musculares da- urethra se contraiom as vezes servico e proeesso dos despachos de aceordo eom
enrgicamente, ao ponto de obstare aqu ou all a reforma qae entao hava sido feiu, acbava-ss na
a pussagem das ourinas, mas que ou iesappa-' inspectora da alfandega o distinti Dr. Luii de
recem em pouco, espontneamente, ou sob a accSo. Camino Paea de Andrade.
de algum medicamento antipamodivoy digj, que
r' phantostica a cura dos estreitamentos orgnicos,
nicamente pela eUctricido.de.
Era en lio praxe segatft all, os detpaeoanu
depois de pagoa oa despachos, os levarem ao ios
pector para dislribal-Jos e elles mesmos reetben -
do-ol do inspector m'os apreseotavam para tanca-
loa oo livro da porta, feio o qae, eu, depois d-t
fabrcalos, entrega vaos aos prtprloi despachao-
lea, ajulanies oa donas que m'os spreseolavaru :
snecedia, porm, que na maior parle nSo me era.it
apresenUdos, porqne eram logo levados porta
por onde dsvia ter logar a sabida isto sobrecar-
regava-rae de maior trabalho, pois qae ao da te
guinte quando oseoofereoles m'os rema'-n para
reeothe-lM ao archivo, o qae ea fazia por meio de
am protoeolln, traba o grande trabalho de se-
parar oa qne j esUvam laucados dos qae n3o o es
por
rsr ao Sr. inpeclor pedindo providencias qae -
zessem atoar aqnelle abato, o qne dea logar a
amas dona portaras que faraa intimadas aos eon-
ferentei para nao reeeberera despachos que nio
eslivessem rubricados por mira, o qoe prova va ha
verern Mo Uncidos no mea livre.
Entreunto ebegon a eommissao de qne fallei e
eatabeltcen qne os despachos depois de pagos fia-
sem levados da seccao da pagadoria ao inapeeior
por intermedio de cooiionos, e bem assim qae de-
pois de distribuidas me fossem levados umbem
por continuos para qae ea os maodasse aos coa
ferentes a quem eram distribuidos por meio do
protoeollos. EfTeetivameote assim proced.
Alteada se bem qu. esla medida era justamente
a qae por mais de ama vez f ra por rolm recla-
mada, e qae ea por coosegaioie deva ter tica Jo
satiffeito com ella.
Convm umbem notar qae o proeesso deste mo-
do estabelecido nao era lio summaro, como o era
entregando ea o despacho a propria pessoa qne
ra'o presentara. Isto dea lagar a reclamacSes
dos dono e despachantes e qnestSes qae se agi-
taran ante mim d'aqueltes qae qaenam com a
maior presteza ser servidos e dos que qneriam logo
saber a qaem eram distribuidos os seas despachos
Nao podendo ea ?ervir a todos a ura lempo como
qaeriam e na ditflealdade ds poder irabalhar, fji
ao Sr inspector reclamar contra aqafllo, expoado
o que bavia, e pedindo qae rizesse retirar aquello
grande nnmero de pessoas qae circaiava a miuln
mesa ioterrompeodo o mea trabalho. Nessa occa-
siao achava-se ao lado do iospector o Sr. Sampaio
Vianna, que enteodeu nao sei com.qne fundamen-
to, qne ea me oppaoha ao estanelecimento dos
protocolos e qae por eonseguinte frzia coro com
os despachantes, como S. S. teve oecisiao de dizer
a mim mesmo.
Nio del a menor importancia a isso, porqne
nanea me persaadi qae am homem de criterio e
bom senso, sem provocar a menor explicacao, exi-
gase por esse fado a minha demissao.
Mas a verdade [qae fai deraitt'do por ama
simplessupposicio do Sr. Sampaio Vianna, oa por
que nio tendo ea do camprimeaur a S. S. qaan-
do ebegou ioeorri oessa grande erime.
Nao tenho a menor tendencia para a snbsprvien-
co nem eonhBCo mesmo os modos de bjj o'ar,.p >r
consegninte nada tinha ea qae ver com o Sr.
Sampaio, senao no qae ios. e tendente ao servico
da alfaodega, e isto dentro da reparticv.
Tenbo anda nma circamsUoela a referir, a qual
de algum modo compromettedora dos bros do
Sr. Sampaio Vianna.
Ha de se lembrar S. S. qae pedindo-rae urna vez
os raeus livrose protocolos docoraeco de 1871 at
a data em que m'os pedio, ea os levei incontinen-
te. Disse me ento qne mais tarde m'os mandara
levar.
Efectivamente d'ahi a ama hora, se taoto, de-
volvenm'os, a excepcao do livro que e;iava em
andamento e mandoa-me chamar; inmediatamen-
te fai a sua presenca e S. 8. receben-me nestes
termos : primeramente folg) de dizer Ihe que eslou
muito satisfeito com os seus livros ; acho os Um
pos e bem escriptos, com boa letra etc.
Prrgantoa-me eolia porque eu nao lanciva os
despachos fazendo a numerado seguidamente.
Respoodi-lhe qae a commissSo, que esteve na al-
fandega em 1870 e da qual S. S. Hiera parte, ha-
via reformado aquel e systema qae i'.k entio era
o segaido e 3to prove com os livros qae se aeha-
vam assim escriptos at a data era qae all estive-
ra a eommissao.
Entio disse-me S. S. qae aquella reforma bavia
sido mal feita e qne en flzesse do 1* de marco em
diante a nameracao seguida. Observei essa sna
determioacao at o dia em qae fui demittido.
V o publico que tendo ea recebido un elogio
do Sr. Sampaio Vianna nao p dia esperar que a
minha demissao fosse exigida por aqnelle mesmo
que me havia elogiado.
Foi por isso qoe en disse qae agaardava desas-
sorpbrado o desfecho oa o resultado da vioda da
eommissao a esta provincia.
Bateodi ceaveoiente fazer ainda essa expo-
sico ao pablico para explicar-me a respeito da-
quelle faci que refer, e para que o mesmo pu-
blico aprecie o proeedimen'.o do Sr. Sampaio Vi
aana e cjbeca a injustici da demissao qae sof-
fri.
Recife 3 de janho de 1872.
Lydio Mariano de Albuquerque.
0 8r. Mahlmann, distintis-
simo rabequista.
E' hoje talvez a ultima vez qae o generoso po-
vo desu cidade tem de oavr e apreciar o mi-
moso e verdaderamente sublime artista o Sr.
Mahlmann, cujo talento superior descripeo
da mais hbil peana. O Sr. Mabhnann oa rea-
lidade ama celebridade musical, e se nao receias-
semos provocar susceptibilidades, diriamos qae,
oo sea genero, atada nio aportou is nossas pla-
gas arusu de tanto merecimeoto.
De certo que aqnelles qae apreeiam a arte di
vina, nanea se julgariara salisfeitos de ouvir as
vibracdes melodiosas e abundantes de primor, tira-
das por esse arco manejado por ama mao.que pa-
rece inspirada por ama iospiraeio superior.
Genio propiamente dito, o Sr. Mahlmaon com
roove aquellos qae o oavem, e nos seas cantos
eheios de expressao gosto e seotmento deixa
a todos extasiados I I E' at onde ple chegar
a natareza ajadada de estado de maitos aaaos,
presidido pelos melhores meslres) 1
O Sr. Mahlmaon rene ao sea bello e robusto
talento as mais delieadas qnalidades de cavalheira
e fin educacSo, de qae tem dado tao exuberan-
tes provas, qae o tem feito apreciado e eslimado
de todos qoe o tem commanicado, -principalmente
por nio ler o mesmo Sr. as preteoedes e artifi-
cios de qae asam maitos outro.-, ateas da muito
menor merecimeoto para se ioealearem de gran-
de cousa.
Por nossa parte desejamos que o Se. Mahlmann
na volta de son excureao as provincias do sul,
veuha nos obzeqniar segunda vez com os seas
8oas melodiosos e encantadores.
Nio podemos forlar-oos ao prazer de agrade-
cer ao Sr. Mublmaoo o obzeqaio qae nos faz de
se fazer oavr em beneficio de ara esubeleciraen-
to pablico qae tem neeessidade de ser coadj avado
por todos.

Alfandega de Pernambuco.
Abaixo publicamos a ceidlo de qae tratamos
em nosso artigo a 5 do corrate, e com a qnal
provamos qne o Sr. Pedro Lopes Rodrigues niu
fez parte da firma commerclal de Lopes & Irmaos
que existi Mata praca, e qoe em tempo algum
o sea nome tigarou, s, oa conectivamente em fir-
ma algtnaa eommereial oa mesma praca.
Meritiesmo tribunal do commercio. Antonio
Lopos Rodrigues, precisa qae esse respeitavel tri-
bunal determine qae se Ihe atieste o seguinte :
1.* Se Pedro Lopes Rodrigues fez parte em qual-
qaer tenpo da firma eommereial de Lopes & Ir-
maos que girou nesU praca.
2.* Se o mesmo Lopes Rodrigues em qualqaer
tempe fez parte, (, oo conectivamente de alguma
firma eommereial nesta praca. E. R. M. Per-
oaabaco, 8 de jalho de 1870.Antonio Lopes Ro-
drigues.
Cerilflqne-se.Tribunal do commercio da pro-
vincia de Pernambuco, 11 de jalho de 1870.A.
F. PerettiRom.Battoe.Miranda LeaL
Certifico en observancia ao despacho anpra,
qae dos livros competentes a cargo desta secreta
ria nio consta qne Pedro Lopes Rodrigues jamis
Osease parte da firma eommereial de Lopes & Ir
atine, nem qne em tejopo algam fhosse parte, s
en colleetivamenle de alguma firma eommereial:
o rafendo verdad.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
nambuco, 12 de jalho de 1870.Sobserevo e as-
signo, em-f de verdad*.
O offieial-mafor.Julio Augusto da Cunha Gui-
maraes. -
Companhia dos trilbo9 urbanos do Recife a
Olinda e Beberibe. '
Coraecaram na capella da povoacao de Beberi-
be aa Irezeoas do glorioso Santo Antonio.
Callo dos Deis, qae pressurosos devem render
homenagem u virtudes da lio ioelyto eseolhido
do Senbor; o esplendor de que os encarregados
tem procurado cercar a fesia; a docnr e ameni-
dada do canto le senioras, tus^nlendo as fadigas
e disiraccos do da, vao com iodo reeolhimento
ao templo do Senhjr eotuar hymof is glorias de
ura Saoto, cuj) no .'lie '.eru atravessado os seclos
cerCado de aitmirac> e triampho, principalmen-
te a Exroa. Sra. do Sr. Gibsoo, dotada de ama
voz cojos sons msviosos e eheios de harmona
diffuodindo se pelas i boba las do templo desper-
tara o'alma os sen limen tos de piedade e enierne-
cimeoto ; a amenidade do logar, qae iocootesta
velmente superior i dos mais suburbios da ci-
Ade; a resreacao qae podem as familias osofroir
por algamas horas era ura passeio feito por agr-
davois purageus; a facilidade de transporte a to-
das as borai; e a comraodidade,queofTerece ama
vtagem feita na liaba, frrea, coja gerencia nao
poapa esforeos para bem !erviraospassageiros;sio
motivos asss poderosos para arrastar at aquella
povoacao os que desoecupados dos trabalhos dia-
rios nao se esqueeem de era ama oh duas horas
da inoiiej approximarem-se dos lagares onda se
falla do co, suas galas e magnificencias.
A cornpaohia que actualmente dl-pSs de oovos
e asseiados wigoes, tem disposto o servico de mo-
do conlantar os passageiros, os qnaes podero
distrabir-se pela povoacao at as dez horas da
noite, e no> ltimos dias de fes:a al mais tarde,
se assim fr exigido.
No domingo a tardo preparara-se agradaveis
iverlimentos no largo da povoacao.
COMMERCIO.
Seguros contra-fogo
G0MPANHL4
NORTHERN.
Capital. .
?undo de reserva
. 20,000:000*00C
. 8,000:000*000
Agentes,
Mh Latkan & C.
Royal Iasurance Gompany.
Real compaahia de Lomlres e Liverpool.
CAPITAL
2,000,000 libras steroas
ou
20,000:000000
Com antorisacio do governo.
Segara cootra o risco de foso, cas^s, fazeadas,
e qualquer ouira especie de mercadoria.
O agente oesta proviocia .
J. O'C. DoyU.
38 Ra do Commercio 38
N. R. Para seguros de vida de pessoas lvres
qae s compaahia tomar em sna sae em Londres
oa Liverpool, o mesmo agente servir de corres-
poudente, recebe as propostas, reclamaces e pre-
mios dos segaros das pesioas aqui resideates para
transraittir companhia, e enfJffar aos segurados
so respectivos ltalos.
Oompanha Pheaix Pernam-
b cana.
Toma riscos martimos em mercadorias, fretes,
dinheiro riseo e Ocalmente de qaalquer nata-
reza, em vapores, navios a vella oa barcadas,
premios muito mdicos: rus do Commercio nu-
mero :ii.
PRACA D3 RECIFE 6 DE JUNHO
DE 1.S72.
4S 3 1/2 HORAS DA TAROI.
CotaQes olliciaes.
Fretede assacar daqui para Liverpool 30| sera
tapa,.
Fretede algodao daqa pira LWerpool 3|8 d. e 5
0,0.
r. i. Pinto,
Presidente.
Dabourcq,
SeereUrio.
ALFANDRGA
tendimeri do da i a I .
dem do dia 6 ,
232:6224129
70:88*4921
.03:5074050
DeSearregaro hoje 7 dn janho de 1872.
Vapor inglezCojnicvarios genero?.
Brigue austracoEnnfariaha de trigo.
Lugar portagueziu/i'ovarios geoeros.
Patacho inglezLa Cayenneilem.
CAPATAZIA DA
Rendiraento do di I a 5
dem do dia 6 .
ALFANDEGA
. 2:638480,")
. 6804994
3:3194799
SAHIDAS DE MERCADORIA?.
Volumes sabidos com fazenda
dem dem cera gneros diversos
Somrna
lii
330
492
Importaeo.
Vapor inglez C g.vac, vindo is. Liverpool, e
Lisboa, consignado a Saunders Brothers & C, rna-
mfeslou :
Carga de Lisboa.
Agurdenla 1 caixa a M. Teixeira Bastos.
Amendoas e conservas 21 caixas a Rabello. Ar-
cos 100 rodas ao mesmo, 50 a Aqniao Fonseca.
Batatis 100 meias caixas a Coo^alves Beltrio,
100 a Rodrigues Meles, 50 a Lima & Res, 50 a
Pereira Vianna, 59 i ordem.
Calcado 3 eaixas a Azevc lo Haia e Silva, 1 a
Porto 6\ Bastos. Ceblas 100 caixas a Rabello.
Cera em grummo 8 barricas a casimiro Jos da
Silva, 6 a Aquiao Foneeea. Dita em pies 8 far-
dos ao mesmo. Conservan 0 eaixas a Pereira Vi-
auna.
Fiores de peanas 1 caixa a Augusto Maoiz Ma-
chado.
1,000 a L. J. da Silva Gaimaraes. Livros 2
caixas a De Lailhacar, 1 a Antones Gaimaraes, 1
ao Dr. A. de V. Maoeze* da Drummond, i a Vieira
Ligo.
Mercurio 1 caixa a Izidoro Basto.
Prata em obra 2 caixas a Lebmaan Frres.
Toacnho 130 barra a RaDelio. 50 a Aquiao
Fonseca, 25 a Rodrigues Mendes.
Velas de cera 24 caixas a Prente Vianna, 20 a
Oliveira Pilboj.
Carga de Liverpool.
Ac 1 caixa a Cardozo & Irmaos. Arado e per-
tences 1 a Amerite Irmaos. Arrelos 3 eaixas a
Izidoro Basto. Arroz 100 saceos a Fernandas da
Costa, 20 a Silva Piolo Ferreira.
Bombas 3 volamos a M. dos Santos Villaca.
Calcado 9 eaixas ordem, 5 a Lyra & Vianna,
3 a Araujo 4 C, 3 a Porlo 4 Bastos, 2 a Oliveira
Sobrioho, 2 a Pereira Arantes, 1 a Costa Irmaos,
1 a D. Teixeira Bastos, 1 a Mendes Lodo.
Cerveja 80 barricas a Fernandes da CosU, 50
a Sonta Bastos, 33 a Simpson & C, 10 a Mills La
tham, 30 jarros ordem, 5 a A. J. de Mallos.
Cha 6 caixas a Martina de Barros & Filaos, 5 a
Mills Lalbam, 5 a Simpson 4 C, 65 meias caixas
a Fernandes da CosU, 53 a CosU Amorim, 1 a
Cunha 4 Manta, 1 a Power Johnston.
Chapeos 4 caixas a Aranjo 4 C, 3 a Monhard
Metiler, 3 a Monteiro Gregorio, 2 a Pewer Johns-
ton, 1 a Bobrea, 1 a Caoba 4 Mama, 1 a Faria Ir
mios, 1 a Goncalves Ferreira, 1 a Goncalves Ir-
mi. i a Cesar de Abreo, 1 a Pioto da Silva &
Caseao. Ditos de sol 3 eaixas a Adriano Castro, 2
a Cramer Frey, 1 a Alves Malheus. Cobre em fo
lhas 3 fexes a Gomes 4 Climaco, 6 a.Powar John -
ston. Cofres de ferro 2 ao mesmo. Coaros 2
caixas a Abren Macedo, 1 a Cunha 4 Manta, 1 a
Lemas 4 Garineau
Cdiilarias 9 caixas a Goncalves Ferreira, 2 a
E'arla Irmaos, 2. a, Power Johnston, 1 a D. Teixei-
ra Bastos, i barrica a Vaz 4 Leal.
Elsticos 1 caixa a M. Barroso de Mello, 1 a
Vx 4 Leal, 1 a Wld. Enxofre 10 barricas a
Power Johnston.,E3iopa 6 fardos a Okell Bin-
doiss.
Ferrafens 40 volumes a Power Johnston, 12
ordem, 6 aSnaw Hawkes, 5 a Aranjo <* C, 5 a
Prente Vanos, 3 a D. Teixeira Basio, 2 a Gon-
calves Ferreira, 1 a Linden WeidmSnn, 1 a Wild.
Fio 2 caixas a Araujo 4 C, 1 a Izidoro Basto.
Fumo 1 caixaa Arnaral Nabuco.
Gomma laca 3 volumes a Izidoro Basto. -
310, 5, 3 a Pereira Carneiro 4 C. Licores 1
caixa a A. J. de Azevedo. Lloha 20 eaixas a Vaz
4 Leal, 6 a Sa Leitio 4 Coimbr, 4 a Prente Vi
Machina* de costara 2 eaixas a Oliveira
brinh >. Haehinismo l caixa a 12 ecas-sm -
(malarios, 3S pecas a Puwaf JohnMot). Mattaifa
70 barra a Mills Laihsns, 90 a A. P. C >rga, 40 a
Prisco Barboza, 30 a Gutmaries 4 Aic-forado,
23 a J. M. Palmeira, 20 a J. L 4a CaaU, 1S a J. J.
Al*es.
Medicamentos 5 eaixas a Silva Ramos, I a
Caorn, 1 a Surr. Mindasas 10 caixas a Goeal-
ves Ferreira, 9 a D. T^xeira Basto, 8 Val Jo-
aior, 5 a Bohres, 5 a Vas 4 Leal, 4 a Aranjo 4 C,
4 a Bastos Oliveira, 4 a Paria lrm*o-, 2 a Aleo-
forado Vieira, i a Prenle Viaana, 2 a Wild, I a
Alves sr (1, 1 a Lopes Machado, 1 a Miodes Are-
vedo, 1 a lt. gord, 1 a Sooza e Sa.
Objectos para agua 200 pecas coropanaia a>
Santa Tbereza.
Ditos diversos 3 volumes a P< wer Jobaston. Di-
tos para jardim 125 volumes a pecas i presiden-
cia da proviocia. Ditos diversos 3 volumes a Po-
wer Johoston, 2 ordem, 1 a Siqoeira. Oleo A>
llnhaca 80 barris companhia Pernambncaoa.
PanelUi de ferro 100 a Pcwr Jobosioo. Papel
3 eaixas a D. Teixeira Basto. Perfumaras 3 eai
xas a Aranjo 4 C, 2 a Moreira Dias, 1 a ta*w
Oliveira. Pimen 10 saceos a Mills Lalhaa.
Pregos 1 caixa a Almeida 4 Vianna.
Presuntos 5 eaixas a M. I. Titooseo de Soozt, 2
a A. Ferreira de Carvaibo, I a Magalhie Ir-
raso
Salitre 100 barris a Power Johnston, 50 a Sa
L^itio Irrai'.s, 10 a Banholomen 4 C Sola 4
barricas companhia peroarabacana. Dita caus-
tica 30 latas a ordem.
Tecidos 159 ordem, 98 a K-ller, 99 a Craaaer
Frey, 84 a Siqoeira, 64 a Adnaoo Castro, 61 a
Mnnhard Meitler, 58 a Aleolorado Vieira, 54 a
Wili.W a Pereira de Mello, 36 a Linden Wei-
ramn, 35 a Simpson 4 C, 32 a Goncalves Irmi\i,
32 a S Iva ft Cardozo, 26 a CosU rmits, 25 a
Goncalves Ferreira, 22 a Okell Bindlosa, 20 a Bnr-
le, 19 n Carneiro 4 Nogneira, 19 a Carvaibo 4
Noguera, 18 a Rodrigues Irruios, 17 a Meada
Azevedo, 16 a Mili- f.Mhm, 16 a BrigaSoa, 15 a
Adamson llowie, 15 a Phipps Brothers, 14 a A. C
de Abreu, 10 a Bastos 4 Silva, 8 a Rabe Sebmet-
tau, 7 sos consiaaaUrios, 7 a Monteiro Gregorio.
6 a A. F. desOlitUr, 6 a Lege-, 5 a Jeffenr, 4 a
Cunha 4 Mana, 4 a Oliveira, S. Irioh.i, 3 a Pa-
rete Vtaana, 2 a Bohre*. 2 a Pinto da Silva 4
Ciscio, 2 a Santos Porto, 1 a cada am dos sega*-
tes : Caauliee. Rocha 4 C, I-idoro Basto, Silva
Maia, Sa Idilio 4 C imbra, Lopes Machado, G-'o-
galves da Silva.
Tinta 1 caixa i ordem. Tintas 35 barris com-
panhia pernambacaoa.
Despac-hos ie exportacao no dia 6 4*
junho de 1872.
Para oa portos do exterior.
No brigue inglez Herald, para o Rio da Pra-
ta, carregaram : P. Caro-iro 4 C 40 pipas em
19,200 litros de agurdente.
No navio porlugnez Ceres, para o Pono.
carregoa : J J. Goncalves Bellrao, 90 saccoe coai
6,750 Riles de assacar braoco.
No logar inglez Seuak Smilh, para vernoo.
carregaram : M. Lathan 4 C 1,930 saceos eom
146 250 kilos ile assnear masca vado
_ Na barca iogleza Eleonor, para o Canal, car-
regaram : Adamsoo llowie 4 (i 400 saceos com
30,000 kilos de assucar mas avado.
Na'borca hespanhola Anua, para MarstMIe.
carregou : P. M. Maary 500 saceos coa 37, "Wi
kilos de assacar mascavado.
Na barca fngleza MagdaU, para M jatreai.
carreRaram : Henry Fcrster 4 C 200 saceos esm
15,000 kilos de assacar mscatelo.
IIECEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DK PERNAMBUCO.
Rendimento do dia 1 a 5 6.722*2iU
Idemao diz 6...... 1:845*.T2*
8:5674831
CONSULADO PROVINCIAL.
Hendimento do dia 1 a 5 23 3134"K*:
dem do da 6...... 8:41ir:>
32:2544>'53
MOVIMENTO DO PORTO.
Natos sahidos nio dia 6.
Rio d? Janeiro Barca brasileira Rpida,
capito Carlos Eleves Alves, carga assa-
car e farello.
Rio da PrataBarca brasileira S. Jon\ ca-
pitulo Francisco Mirtina da Costa, carga
assacar e agurdente.
Rio Grande do SolBrigne escona braiilei-
ro Ojsn?, capitSo Jjs .Moaiein de Ai-
maid, carga .-issucar e oulros g n;ros.
Rio Grande do SulBrigue braaileiro Ar-
roio Mallo, capito Vidal Jos da Mofa.
carga assocar e agurdente.
Rio de JaneiroPatacho trasileiro Unl*i
Flor, capito Joaquim Caetano de Soaza.
carga carne, e 3 escravos a entregar
Oburvago.
N3o houve entradas.
EDITIS.
O Dootor Sebastio do Reg Barros de La"
cerda, joiz de direito especial do coaa-
mercio desta cilade do Recife de Per-
nambuco pnrS. Magestade o Imperador
qne Dea? Gaarde etc.
l'aQo saber pelo presente que aeha-se
aborta a fallencia do commercianla Jost
Antonio da Silva Machado, pela senteaca do
tbeor se^uiute :
Scntenfa.A vista da peticao de folbas
e balanco de folbas 3 a 5 com qoe se apra-
sentoa, declarando sna fallencia, Jos Aato-
nio da Silva Machado, commerciaote estabe-
lecido com loja de miodezas a roa do Ca-
bag n. 12 desta cidade, bei por declarada
a abertura da fallencia do mesmo, dataodo-a
de 3 i de maio Ando, dala em queapresen-
too a peticao.
Nomeio caradores fiscaes aos credorea
Lehmann Frres que prestarlo juramento ;
e immediatamente prcceer-se ba ao inventa
rio a:to em que nomearei qoem sirva de
f depositario ate que os credorea na forma do
artigo 812 do cdigo eommereial noaaeiaan
oatro, sendo para isso convocados para se
reuoirem no dia 13 do correte mex aa II
horas na sala das audiencias. Faca se pu-
blica esta sentenca por editaos. Pagas as
castas pela massa.
Recife 5 de janho de 1872. Sebutilo
do Reg Barros de Lacerda.
E nada mais secontinha em a dita senten-
ca e por torga da mesma o respectivo eacri-
vo fez pasear o presente edital, qoe sari
auado nos logares do costme e publica-
do pekj>rHaee.
Dado e passado nesta cidade do Recife aoc
6 dias do mez de janho de 1871.
Ea, Ernesto Machad Freir Pereira da
Silva, eserivlo o sobscrevi.
Sebastio do Reg Barros de Locera*.
O Illa. Sr. inspector da ilMi
cial manda fater pablico qne foi
o dia 10 de janho prximo vtndenro aun
do imposto de 24300 p r eaa{a da ajada
consumido no municipio do Recife, oreado i
mate em 67:1004.
Secretaria da theaonraria provincial de I
buco. 29 de mato de 1871
O oaHial atar
Mignel ABoneo Parralra.
Pola tbesooraria provincial aa faz
qae a arrematarlo do impasto de 20 */ < fsjmr
dente consumida as comarcas onMantiatam aei-
leetorias foi transferida para o dia 13 do correan*
mez.
i
Secretar i a da foesoararia provincial de Peroam
aoas, 3 a Bobres, 1 aFra Irmaos. Livros 1 buco, 2 de jaubo de 1672.
caixa a Raba Schraetlaa. Loaea i caixa a Car- O oalctal maior
neiro 4 Nogneira. i Mlgnal Alfolio Farraira.


jtaff* di Fernambofl -5 Sexta eira 7 ie Juaho U 1872
------- A
'
O procaralor fheit li tinsonrari* pmlneftl de
Peraaaauoe ddar ao* contribuimos do imposto
sobre carree, etfrooa e osentbas no exereieio de
1871 que Ibes tica mareado o praao.oe de 30 das
iraprorogavei, a contar da puhlicago deste na
eeaferntidadide 4a le n. 891, ari. 53. para solici-
taren! da atedio do contencioso as respectivas
(fes. aun de recalberera seo dbitos proveaiea-
(M do mesrao irapoito, eertoi de qae aio pagando
deairodesie praio, proceder-se-ha a cobranga ju
osalmenie, (aiaado para isto publicar .a relago
do davedores ahaixo weascripta.
Secgao do contencioso da tbesoararia provincial
de 1* ernambuco., 5 de junho de 1872.
O proeuioor fiscal,
Cypriano Fetulon G. Akoforado,
Deredores do imposto por carros, mnibus e car-
rocas.'
Antonio Machado Gomes da SI-
va, carrosa d. 297.
"dem, idem n. 293.
dem, dem o. 389
Adolpho Teixeira Lope, dem
n. 293
dem idem o. 391
Antonio Francisco Jos da Cu-
nba, idemo. 231
dem, i den n. 270
Anna Joaquina da Cooeeigo,
idem n. 401
llem, ideo a. 438
Antonio Prtalo Quelto, idem
a. 9
Agostioho Veilar, idem n. 16
Augusto Florentino Cesar, idem
n. 37
Antonio le Medeiros, ide a o.
78
Aatooio de Carvallio, idem n.
262
ALtonio Francisco Ferreiraidem
n. 80
Augusto Maciel, iiem n. 81
Uem, dem o. 82
Antonio da Silva Llns, idem n.
86
Antonio R lirones Vaqueiro,
dem n. i 12
Antonio Alves da Costa, iiem
n. 133
Antonio Proeopio de Soma Bar-
cellos, Idem n. 180
Antonio Corris da Costa, idem
o. 213
Antonio Francisco ds Soaza,
idem n. 802
Aotonio Pioto da Silva, idem
n. 211
.mi Mara da Conceicao, idam
n. 216
Uem, dem n. 217
Antonio Martin? Gongalves.idem
n.226
Antonio Ignacio Brandao, idem
n. 143
Actinio Elizio .4ntuoas Ferrei-
ra, idem n. 232
. Iiem, id ra n.2oo
Antonio Jo- Das, iiem n. 263
Antonio Jiaquim do Almeja
Cruz, idem n 276
Antonio Netto Ferreira, idem n.
275
Antonio Teixeira, idesi n. 278
Antonio Soares Naves, idem n.
284
Antonio Jos Craveiros, Idem n.
283
Anna J.-quina da Cunha Ca-
valerate, Cera n. 227
Alexandrino TVodoro de Bar-
ros, idem n. 328
dem, dem n. 329
Antonio Pereira Cavalcante de
Albaquero,fl<\ dem d. 3)9
Antonio Jos Pereira, idem n.
MI
Antonio Jos Martino, idem n.
371
Andr de Abreu Porto, idem
d. 401
Abe! da Kocha Pereira, idem o.
4 26
Antonio de Albuquerque Mello,
idea n. 428
Albino Jo- Ferreira d Costa,
dem n. 447
Aotonio Lias -da Cunha Wan-
derley, iaem n. 451
AutcDio Jaciutb Uezende, idem
a. 47
Antonio Jos Ferruco, idem n.
491
Aogdiao Pacheco da Co3ta,
idem a. 493
Antonio Jos da Molta, idem n.
501
Autuuio Grimes da Cunha, idem
n. 320
Idam, dem n. 1G3
Antonio da Silva Guilherme,
idem n. 400
Antomo Lins da Silva Martin?,
lera i. 333
Antonio da Silva Puntes, idem
n. 510
Antonio Frsderico Supra, idem
0. 532
Aana Fiorinda, idem n. 533
Antonio Manoel de Campos,
iiem n. 372
Antonio Gomes da Silva Cunba,
dem n. 575
Antonio Pedro Ferreira, ide
n. 382
Antonio Pinto Baptisla, idem n.
609
Anua Ricarda da Mello, idem n.
198
dem, dem n. 599
Antonio Botelho Pinto de Mes-
qaita, d;m n. 616
Apirodroiio Mara de Mallos,
idem n. 63J
Antonio Moreira da Silva, dem
n. 633
Antonio da Costa Reis, idem n.
748
Alexaodr'raa Claudina Lopes,
dem n. 749
Antonio dos Santos Mello, dem
n. 750
Antonio Jos Correia, idem o.
775
Or. Antonio Joaqaim de Moraes
e Si. va, ide & n. 698
. as
M
6# 510 lia 510 6* 540 191620
61 540 6* 54Q, 131080
6 540 6* 540 131030
6* 540 6* 510 / 131030
6* 540 6* 540 61510 61340
64 510 64510
6/ 540 61510
6* 510 61310
6* 510 61 540 6 540 64340 134030
6| 510 61310
64 510 63510
64 510 64310
64 510 61510
64 510 64310
64 510 61310
64 510 61310
61 510 64 510 61510 61510
64 540 61510
64 510 63510
64 510 6* 540 6* 510 133080 61310
64 510 6*540
64 510 6* 540 63340 61310
64 510 , , 63510
4 510 63510
6*^310 63540
64 510 ai 510 63540 63340
64 510 63340
64 510 64510
64 510 64310
14 440 64310
64 510 63310
64 540 61540
64 540 63510
64 510 63540
64 510 63540
64 510 63310
64 510 63510
64 540 63510
64 510 63 510 1340M
61 510 63310
64 510 6331)
64 540 63510
64 510 61 510 8*510 63310
64 540 03510
64 510 64510
64 510 61510
64 510 63510
61 510 61 510 131030
64 810 63510
64 510 64510
63 510 63540
64 510 63510
64 510 63540
65 540 63510
64 540 63510
61 540 (Contina 63510
junta, no da cima indicado pelo raeio di, e :om-
peteoieraente babil.tadas.
Secretaria da theiourarla provincial ds Pernaa-
buco 14 de majo de 1872.
O offlcial maior,
M. AftV.nfo Ferreira.
" Illm. Sr. inspector da thesouraria provincia
ero. cumprimento da ordera do Exm Sr. vicepre-
sidente da provincia de 7 do correte, manda t-
zer publico que vai nov ente a praga no da 8
de agosto prximo viodouro, para ser arrematada
a quem por meoor flser a obra do segundo lanco
da es'rada de Uaa a Capoeira', orgada em.....
22:0003000 e tob as clausulas abaixo copiadas.
As petada que se propoierem a essa arremata-
do comparegara na sala dis sessoes da referida
juota oo da cima raeacionado, pelo meio da e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn puplicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesoiiraria provincial de Pernam -
bnco, 10 de maio de 1872.
O offhial-maior,
Miguel Aflov$o Ferrara.
Clausulas espeeiaes.
i.*
O segando lanco ds. estrada de Uaa a Capoeiras
de 2202.90 metros de extengo na importancia de
22:0004000 ser execalado de conformidade com
o respectivo ornamento e desenhos junte, appro-
vados pelo presilente da provincia e instrneco
do eogenheiro eooarregado da flscaliaaco dos tra-
balhos.
2."
O arrematante dir cofliego -aos trabalhos no
prazo de trinta dias, e os concluir no de dezoilo
mozes, contados ambos da data do contrato.
3.-
O trabalbo ser executado a partir dos doas
pontos extremos para o centro.
4.'
Os pagamentos se-rao (aitos em seis prestacoes
igoaes, correspondente cada urna a nm sexto da
importancia total, qnando os trabalhos exeeulados
eorresponderem a essa qnamia.
5."
Em tudo o mais qae aqai nao vai etpeciflcado,
segair-se-na o que a respeito dispoe o regalamen-
to Zi 31 do julho de 1866.
Conforme,
Miguel Alfonso Ferreira.
' Para impenaes marlnheirere aoTTOdizes ditos.
Bunets de panno tul, carojjas de brim branco,
calcas de algodieazal, camcae de algodio azal,
calcas de panno azal, ditas de brim tranco, cami-
sas de baeta azul, teado o corpo 4 f|2 palmos de
gmprimenlo e 3 as mansas laelniive os panho.
ditas de baeta azal, tendo o corpo tres palmos de
coraprimento e 2 as nangas inclaaive os pnobos,
lardems de panno azul, laooot de eeda preta para
grvala?, sapainese aceo de Ion pan mariiW
gem. mt*
Para artiQees avoltoe.
. Blatas de panno azul, ditas de algodio azul,
calcasile brim brinco, ditas de panno azal, ditas
de algodo atol, caraisat de algodiozinbo, ciatos
de couro branco inverniudo.
Para marinbagem.
Caigas de brim. braneo, ditas da algodo azal,
camisas da brim branco, ditas de algodio azul,
ditas de baeta azal, tendo o corpo i 1|2 palmos de
comprimenlo e 3 as mangas inclusive os ounhos.
Sala das sessoes do conselho de compras de ma
rinha de Pernambaco 4 de junho de 1872.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjr,
O veleiro biate naeional Garibaldi segas para o
norte cima oestes dias coa a matar brevidade
possivel por, estar coa pacte do earregamento
promptn, para o reato traia-Moni Taeso I.-mies
A C. roa do Amoriit n. 37.
THEATRO
Babia,
PMU 0 POO
o patacho portuguez Liiador vai aabir breve ;
para carga e ncaageiros trataban com E. R. Ra-
bello &C, fiadoCiommercie<. 48.
Fara o Forto
Depois de pouca demora guir vlagem com destino qnelle, a veleira barca
portugueza Imperial, tem grande parte de sen ear-
regamento encajado ; e para o resto qae the taita
e passageiros, aos quaes cfferece muito boos com-
raodos, tratase com Soares Primos ra do VI-
ario d. 17.
Para t) Rio (irande do Sul
Para este porto pretende seguir com mnta
brevidade o brigoe nacional Amelia ; para o res-
to da carga que Ibe falla ti ata-se com os sena
consignatarios Aotonio Laiz de Oliveira Azevedo
& C ra do Bom J^snt n. 57.
O Illm. Sr. luapeoior cial manda fazer publico que no da 13 de junho
prximo vinlouro, peranle a junta desta tbesou-
raria se h\ de arrematar a quem por menos flzer
o foroecimento de alimentario e dietas aos presos
p.-bre da casa de detencao no trimestre que priu-
cipia no 1 de jalho viudoaro a 30 de setembro,
servindo de base arrematacio os presos segain*
tes:
Almoco e jan'.ar conforme a tabella.
Domingo
Segunda-eira-
T^rca-feira
u rrti-t-ira
Qainta-feira
Srxta-feira
Sabbado
380
380
380
360
330
310
310
COMPAW FRANGEZ4
Sexta-feira 7 de junlio
Espectculo extraordinario
EM BENEFICIO D3
tiardlin da praca do Conde d'Fn
Com o generoso concurso do primeiro rabe-
qaista o Sr. i. Mulmahm.
prograhema
Primeira parte.
Les deux souris
Comedia em um acto, peles artistas francezes.
Segunda parte.
1PHANTASIA executada no violino por Mr.
Mublman acompanbado por Mr. Poppe.
2.'ARIA por Mr. Gantbier.
3.-PtgA DE CONCERT por Mrs. Muh'.man
e Poppe.
4."POMMADA, canconeta por Mr. Hurbain,
,;. Terceira parte.
Jeanue qui pleure et Jean
/ qui rit.
Opereta em um acto de OfTembacb, representa-
da pelos artistas francezes.
O Iilm. Sr. inspector da thesou-ana provin-
cial, em comprimento da ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, manda fszir publico qae
no iia 13 de junho prximo vindouro, val nova-
mente a praca, peraule a junta desta thesonrana
pira ser arrematada por quem por menos
flzer a obra da ponte do Caxito, na estrada de
Nossa Senbora do O' de Ipojaca, cujo urcamento
foi auzm-ntao com mais 20 |0 por isto eleva-
do a 8:1004100 rs. e sob a* mesmas clausulas es-
peeiaes j annonciadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da tbesoararia provincial de Per-
nambuco, 23 da maio de 1878. -
O nfflcial-raaior, MigOei Aff'n"> Perreira.
A Ibasooraria provincial Cuuif.ou u luroe-
cimente dos objectos precisos para o fxpedieote
dM repartieses provinciaea oo exereicio de 1872
a 1873.
O cntralo ser (eito no da 20 de jaobo ao
meio dia, peranle a junta da mexma ib A licitaco ser feia em fraeo5*s ceuneimae-
da Importancia total dos objectos froecidos se-
gando as precos do orcamento, os quaes os coa-
correntes encontraro na secretaria da me ma
ihesouraria para examinar, assim como as coa-
dle9es eom que deve ser effeetaado o contracto.
Secretaria da thesourtu provincial de Pernam-
buco, 14 de maio de 1872.
O offlcial maior,
Miguel Affowo Perreira.
n
N.
N.
S.
Dietas.
1 380
2 400
3 610
4 400
N. 5 400
Alm do que est mencionado as tabellas ser
fornecido ceia aos presos, a qnal ser composta
de nm pao d 3 oocas. ou ama bolacha, urna oa-
5.1 de caf e duas de assucar, pelo mesmo prego
por qua for fornecido o alu ick
E para coastsr so mandeu publicar o pre-
sante.
Secretriada thflsouraria provincial de Pernam
buco 15 da maio de 1872.
O oflkial maior,
Miguel Affonso Ferreira.
1
OECURACOES.

Sagunda feira 10 do corrente pelas 12
horas da mioh3a ba reinij da directora
desta companhia: o qua ter lugar no res-
pectivo escriptorio raa da Cabog n. 16.
O secretario,
Jos"Honorio B. de Mmezn.
[nspeQQfto do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commissao, de peritcs exa
minando na fran dpterminala no1 regulampnto
annexo ao decreto n 1321 de 5 de fevereiro de 1834
os cascos, machina", calJeiras, apparelhjs, raas-
ireaceis', velames, amarras e ancoras dos vapores
(fraila e Parahyba da Compauhia Peroarabucana
de uaveagago costeir.i, achou todos esses ob
jeet'8 em estado de ooderej os vapores conli
nnar a navegar.
InspocQio do arsenal de marin'aa de Pernambu-
co 5 de junho do 1872.
Frauchco Romano Siepple da Silva,
Iopeotor
Ooasuiido proviucial.
Por esta reparlgao avia-se aosrespectivos
conlribuiutes jue cuineca no l9 do 111 z prximo
vindouro a coirer o praso legal para o recebi
meato sera dependencia de mull dos impostos da
deima urbana, 5 :),o sobre o rendimenio dos pra
dios de corporacoss de m) raorta, e 60 rs. por
litro ds aguardeute, relativos ao 2" semestre do
anno fioanceiro correte de 187172, iacorrendo
na multa de 6 0o aquellos que nao realisarem
esse pagamento dmlro do mesm>.
Consulado provincial, 23 de maio de 1872.
O administrador,
A. C Machado Rios.
Pela Inesouiaria provincial se faz publico
que fl:a transferida para o dia 10 do coirento a
arrematacio dos impostos provinciaes das eomar
cas onde nio exislem rollectorias.
Secretaria da tbe^ouraria provincial da Pernam-
bujo, 6 de junbo de 1572.
O offlcial-maior,
Mignel AII.nso Ferreira.
Amda vio a pra^a no da 7 do corrale os
bens penhorados's Manoel Pedro de Oiiveira, pe
rante o juiz de paz da Hoa-vi-ta.
Capitana do porto de Pernam-
buco 41 de j nao de 1899
Para sciencia dos ru uriculados nesta capitnia,
manda o Illm. Sr. capio de mar e guerra e eapi-
to do Porto declarar que as revistas mensaes
d'ora em diante s taro lugar as primeiras do-
mingas de cada mez, na coojfermidade do artigo
66 da regulamento de 19 de maio de 1846, leven-
do principiar as 9 horas da manbaa e terminar ao
meio da.
O secretario,
Detio de Aquino Ponseca.
= O llm. Sr. inspector da tbasouraria provin-
cial, em cumprimento da resolagao da juota da
azenda, manda fazer publico, que no dia 13 de
ionbo prximo roturo, perante a ae*raa junta, se
ni d> arramatar a quem por menos flzer, o torne-
mentnos oedleamenlos e atenis precisos i
enfermarla da casa de Datenoio, por lempo de nm
anno, acontar !?-* jotho do correnta anuo a
30*pjanhodel873.
^s pestoat qae se propoxerem a esta arremata-
cm, couipajei na sala di mtn da referid
Conselho de compras de ma-
rinha.
O conseibo uo dia 7 do andante mez contrata
sob as condiedes do estro e vista de propostas
recbidas al as 11 horas da manbla, o se-
guinte :
Por lempo de um anno, dado em junho de
1873.
Forneeimenlo de ambulancia aos navios da ar-
mada.
Servicas de barbeiro enfermara, bem como
de lavagem de roopa da mesma. e de ontros esta-
belecimentot de marinba.
Por tres metes, indos em setembro pr-
ximo vindouro.
Foroecimento das sogtuatet peca de farda-
meato :
Para aprendaos artiflees.
Bonelt do uniforme, ditos do aervico, blusas de
brim branjo, ditas de atiodo azul, ditas de pan
no azul, caicas de brim braneo, ditas de algodio
aznl, camisas de algodozinho, cobertores de la,
ditos de alflodo, notos de couro oranco inverni
sado, calcas de panno azal, coieboes de linbo
cheios de palht. fronhas de atgodaozinbo, lencos
de sda preta para grvalas, leoces de algodo-
zinho, sapatOes, stccen de gaardar roana, e Ira-
vesseiros de liahe ebeios de palba,
As 81|
llavera como da costume um trem para
eos e um bond para a Magdalena.
Apipa
THEATRO
GYMSIO DRAMTICO
Sabbado 8 dejuabo
A's 8 I l da no ule.
Primeira representado do importatissimo e
apparatoso drama clstico de grande espectculo
em 5 acto?, origioal portuguez do cooselheiro
Meaes Leal Jnior, intitulado :
0 HOMEM
DAS
Messegeries maritimes.
At o dia 10 do cor/enlo mez espera-se da Eu-
ropa o vapor francez Gironde, o qnal depois da
demora do costume segnir para liuenns-Ayre-
locando na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para condiedes, fretes e passagens irata-se na
agencia, rna do Commereio n. 9.
Porto por Lisboa
Para os indicados portos pretende sahir com a
possivel brevidade a barca portugueza Ceres, na-
vio de.l* classe, por ter a maior parte de sea ear-
regamento engajado, e para o qne Ibe falta, qae
recebe a frete commodo e passageiros, para os
qaaes lem aceiados commodo?, trat-se com o
consigoatario Josquim Jos Goncalves Beitrao
ra do Commereio n. 50.
-v.
Leilao
DE
20 duziag de bizerroe 48.cbapos am3io-
Das (coro avaria.l
HOJE
AO MEIO DIA.
O agente Pioto levar i'leilao por anlorisaeio do
censal de Franca, em pres'nc deseuchanceller
e per eonta e riseo de quem pertf acer 3 caixas
marea D P W A C n. 92 1|2 com bizerros avaha-
dos a bordo do logre francez Rio Grande, e orna
outra da mesma marea n. 906 com chapeos ave-
riados bordo do navio francez Joao Baptisla.
O leiiao ser tfl'eloado ao meio dia do dia 7 do
corrente, oo escriptorio da roa da Cruz n. 43.
LEILAO
DB *'!.
5 caixas eom liabas em novellos.
HOJE
Por intervenco do agente Pinto, em sea ar-
mazero, ra da Cruz n. 43
DE
Chapeos de o de da inglezes, casave-
qaes de seda preta, pannos faos, cose-
miras, baiSo, camisas de fl nella, da-
mate o de la, atc-alhados de liaba, prin
cezas, popelinas e gravatas.
no.fi:.
A's 10 horas.
Por intervenco de agente Pinto, em sen escrip-
torio roa da Craz n. 43.
CASA DA MTHU
Aoi 6:0001
Bilhetes garantidos.
1 roa Primeiro de Marco (omr'ora n
Creapo) n. 23 e casas do
Para'
O brigue nacional Victoria sabir com muita
brevidade ; pare o resto da carga trata-se com
Pereira Vianna & C. ra do Vigario n. 11, 1*
andar. .
I
DENOMINAgAO DOS ACTOS.
A." O Hosteiro.
2. As duas rivaes.
3. A vez do tmulo,
4." A sentenca.
!) Qaem fle salva-la I
Per-ooagens. Actores.
D. Antonio, prior do Crato Pinto.
Conde D. Alvaro De-Giovanni.
D. Fernando de Cordova Augusto Cesar.
D. Gongalo de Cordova Emiliano.
Antonio Buacho Fiorindo,
Rui Heodes Lessa.
D.ogo Boteibo Pontes,
Bispo da guarda Souza.
Conde de Vimiojo Pereira.
1.* juiz Senna.
a, dito Sanios.
Sachristo do J/oate de Saeta
Clara Oiiveira ,
Um sacerdote Santiago.
Um pagem Vieira.
Pregoeiro das justicia reaes Philadelpho
Porieiro do tribunal Silva.
Provincial dos Trinos Martius.
Sforza Orsina Olympio.
Bpnca de Cordova D, Doroiha.
Licuor D. I-abel.
II.m>eu3.e mulheres do povo, mascarados. araa
tos, res d'armas, cavalleiros portuguezes e eas-
lelhinos, guardas, pagens etc. etc.
A scena passa-se em Lisboa e Santarem no an-
uo de 8..
O vestuario a carcter, apropriado epocba.
No ultimo acto ver-se-ha passar no fuodo o
seguinte :
Na frente d'r.--ta o Araato de Castea levan
do aleada a banleira hespaohola, esqnerda o
Je Pirlugal empanhaodo a portugueza. Depois
03 Reis d'Arraas de ambos os reinos, na mesma
ordem, levando as espadas em pnnho. Ssgue-te
um troco de Allanardeiros. Dopois, Branca, de
veo cado, tendo do lado o sacerdote que a ex
horla e na frente o pregoeiro de roupas tallares,
com a sentenca n'uma das mos e na onira a vara
vermelha : aira?, o algoz Antonio Baracho com o
camello ao hombro, depois um trago de arcaba
zeiros, depois os jasticas etc. etc.
Esle drama ja (oi representado uesti capital, tu
muitos anuo, com geral applaaso.
Termiaar o espectculo com urna liada'
COMEUI1
Domingo 9 de junho
A's 6 horas da tarde
Representar-se-ha o mesmo espectacolo cima.
Prepara-se, com todo o apparato da primitiva'
o poDolarissimo e muito iesejado drama sacro
OS MILAGRES DE ANTO ANTONIO.
I*ARA O
Rio Grande do Sal
Seguir com a maior brevidade possivel
o brigue nacineal Pirangy, para carga e
fretes, trata-se com Fran:isco Ribeiro Pinto
Guimares, ra do Orom n. 9G.
fara o Rio de Janeiro
anda recebe resto de carga o patacho Helios. Tra
ta-se na ra do Vigario n. 19, com os consignata-
rios T. de Aqainojmceca \ C, successores.
LEILOES.
LEILAO
DE
Urna caisa marca A GC, eom faienda
a variada
HOJE
s 10 horas.
O agente Piolo far leilao por auterisagao do
cnsul de Franga, em prosenga de seu delegado e
por cOuta e risco de quem perleocer, da caixa
aci ma menciona la, constando de 30 pegas de cre-
mn* a '.triado d'agna salgada, bordo do vapor
francez Sindh. oa sua recente viagdin esle porto.
O lei o ser efTsctuado no dia e hora cima
mencionados.
No escriptorio do referido agente, ra da Cruz
n. 43.
LEM
DE
FAZEXDAS
log'ezas, francezas e allemas, e de um
grande sortimento de mindezas, todas
proprias deste mercado.
Segunda-fp'tra lOdejuubo
A'S 10 1|2 HORAS EM PONTO.
Ruado Bom*Jessn.3.
O agenta Oiiveira far leilao por intervengan de
sea preposta Paho B >rges, de um grande e com-
pleto soriimen'o de fazenda e mindezas, cn-i-
lindo em algoddesinbos, madapole, enia, cassa
brancas e << cores, cas-mira preta, camisas inl
gle'.a?, lencos de lioho branco, cambraia Victoria
ditas bispo, ccllarinhos de lioho, alpaca preta e
prineeta, brinsbraocos e de fOres, toalhados de
lioho, ditos de algori), extractos Anos, oleo, agua
deeoiogoe, lavas, coques, cam.s de ferro, chapeos
aveladados do altimo goito para senhoras, (lias
de seda, ditas de sarja e elsticas, bonets para
meniaos, chapeos de palba para nomens, tonca?
para criangas, euxovaes para baplisadus e outros
muitos artigos; assim emo na mesma occasio
vender-se-ba diversas fazendas avariada, bem
como seja algodio, madapoles, bros pardos, cas-
tores de cores muito booitas, etc, etc., tudo exis-
tente no seu muito conhecido escriptorio, ra do
Bom Jess n. 53, andar, (ouir'ora Cruz) onde
ser effeetnado o leiiao, para o qnal convidara a
concurrencia de spo freguez0".
Casa terrea da ra do Visconde de Goyan-
na n. 163, edificada m chSos proprios
f
Hoje
Ao meio dia
O agente Pinto legalmento aulnr^ado levar
leilao s 11 horas l > dia cima dito a casa terrea
da ra do Viscondo d Goyanoa n. 163 :
Em sao escriptorio a nu da Craz n. 43.
AVISOS MARTIMOS,
companhia
DE
Dos portos do norte esperado
at o dia 10 de coc/ente, o vapor
Cear, commandante Eustaquio,
oqual depoisda demora do cos-
tume segnir para os portos do
Para carga e passageiros trata-se na agencia.
Boxommendas de peqneoo valor, peso, medida e
tambera dinheiro recebera-se ate 1 hora da tarde
do dia de sua sahida : na agencia, rna do Com-
mereio n. 8.
As enoommenlas viadas por este vapor serio
eotregies al o dia da sabida do mesmo, no es-
criptorio da eompanhia, e despois deste termo ee-
ro recolhidas no trapiche Dantas.
W/. fj i
COJIPAJK0A
DE
Navegapo Brasileira
^^ At o din 8 do corrente
esperado dos portos do aul um
dos vaporea da companhia, o qnal
depois da demora do cosame
segnir para os partos do norte.
Para fretes e passageiros trata se na agencia.
Eocommendas de pequeo valor, peso,, medida
e tambera dinheiro, receben-te at a i hora 4a
tarde do da da sabida do Tapar.. Agencia raa do
Commereio n. 8.
At eocemmendas viadas por este vapor ser-
entregues af o da da sabida do mesmo, no es-
eriotorlo da companhia, depois deste ttrmo serio,
recolbidas no traplttbe do aaus
DE
MOVIS
Vidros, qaadros, l cofre, 1 sanctuario ri-
co e outros muitos objectos pertencentes
a um familia que mudou de residencia.
flje.
No sobrado o. 1 la raa das Flores, boje Ma-
thias de Albuquerque s 11 horas do dia : nesta
me-ma occassifro se trocar) diversa Imagens.
LEILAO
DE
Urna mobilia de Jacaranda com 9 cadeiras de
guarnilo, 2 ditas de balango, 1 sof, 2 consol-
los e mesa redonda com pedra, 1 candleiro
gaz, 1 par de jarros de porcelana, 1 dito peque-
o, 4 garrafas para viobo, 2 compoteiras, 10
caliese, 1 frasqaeira, 5 frueleiras de porcelana.
Um lavatorio com espelho, 1 guarda vertidos de
amarello, 1 cama traoceza de Jacaranda, 1 sof
de Jacaranda, 1 mesa elatica de ama'rello.
35 quadro de diversos tamauboa, 1 cofra e 1
santuario.
HOJE
O agente Martins far leiiao, por orlem de urna
familia que mudou de residencia, de lodos os mo-
tis cima, existentes no serondo da ra das Plo-
res o. 1, s U horas do dia.
Nesta mesma occasio sero trocadas diversas
imagens._______________________________
um
FAZENDAS
AVARIADAS
Constando de :
Madapoles, algodous e chitas.
Hoje
A'8 40 HORAS DA MANHA.
Por ioierveogo do agente Pinto, em sea escrip-
torio, ra da Craz n. 43.
Leilao
DB
Chapeos do Chile, de feltro, de manilba,
de massa, de palba, para hornea*, senho-
ras e meninas^ e bonets de diferentes
HOHL
A'S i i HORAS KM POMO.
Por aiervencio do agente Pioto.
Na raa do Bem lesos o. i3. andar, eatrada
pelo becc) LtngcU.
O abaixo astignado, tendo i
tiste bilhetes qnatro quartos n. 33 eom 5:(
um intelro o. 2,781 cora 100/1000, ontrat
le aOaOOO e 20J00O da Mena que ee
oou de extrahir (6*), convida ene
a virera reeeber na conformidade do eeeU
descont algnm.
Acham-ee a Tanda o bilbetee gtraaiine a
i' parte das loteras, a beaeOcio da reattiz
Grvala (7a) qne se extraala na qoartt-leir.
12 do corrente mez.
PRECOS.
Bilbete inteiro 6*000
Meio bilbete 3*000
Qaarto 1*060
Em porgo de 100/000 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilbete 2*750
Quarto 1*37*
Manoel Martins Finia.
GASA DA FORTUrU
RA 1' DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N 23.
Uaiea que pagti aa aorlc
Aos 20:000^00.
O abaixo asrignado tem sempre exposto feav
la os felizes bilbetes do Rio de Janeiro, pagana
oromptaraente, como costnraa, qualquer premio.
PRECOS.
Inteiro 21*000
Meio 12*009.
Qaarto :6*000-
______________Manoel Martina Plata._______
O Boaqnel das dunas, a roa 1.* de margo n
14 1. andar, scientilica ao respeilavel publico qn
caba de reeeber um bello toriimenta de perfu
marias nassobresahinlo entre eilat liadas cal-
xmhas proprias para presantes, booitas garrafas e>
lioo crisCl com agna de cologne, frascos cea o
ni li -re* extratos, ra goidos vaso donraot ecm
i- de arroz, a txceliente propria para mpar e c juservar o brilla o dot den-
u". Um tortimento ie c-covas para cabellos e
barba, com as costas merendadas de naadreperota.
leques d'osso muito bonilos a imitacao de aariai
ditos pr -tos seda, pnpi i..s para lato latee
pares do ligas para noivas, veos e grinaldat eV
flores de laraogeiras, lavas de peili-a branca, eV
cores e pretas para homens,s enhoras e meninas,
c llarinhos de linho da ullmu moda, lene de teda
para algibeiras p-lo barati.-timo prego de 1000.
100 e loOO cade um, collares e!e:tros para ere-
anga>-, franjis e gil3ss de seda preta e de core ;
um c mpli lo sor tunelo de fitas de sarja de bel-
las cores de ns. 1 at 80, e>las proprias para do-
ios ; peutes de tartaruga imeratru; liodisiima-
11 Tes artificiaos de diferentes matizes.
No mesmo esiabe!e;im-:-nl) cima encontrari
sempre nm grande sortme.ito de coques, cache
paioe, trangas e tapetes bem como o oecaetar'o
para o perneado das Exinas. Sras., uem a ven-
da, cumo de alnguel.
Transferencia
DE
Leilao
O leilao de 3 casas frreas aonunciado p !.
agente Martins, fica tran.-feriJo para terga feira
11 do corrente.
MI
Atteii^V)!
M

ENSINO SE'UN'D.^niO
O bjeharel A. R. d^ Torres Binlei-
ra profe-s r de geo-rapbia e histo-
ria in" lerna, d) Gy onasio de.-la pro-
vincia, tera aborto ni ca>a da ?aa resi-
dencia, ra d> Coronel Suvsuna (nti-
pi rna dos Martyrios) n lii, segundo |
andar, os eotam das diseipl'uas prepara-
lofiai seguinies :
Geog/apaia.
Ili.-loria.
Rheiorica e potica.
Phil sophia.
tregua nacional.
E contina a proporci:nar o entino d.-ta
iMigua, da franceza e de geojrrapr-.ia e
historia as senhoras, qne para tal fin o
qaizerem honrar com a sua coc.i.n.a.
DE
Tres predios as segoiotes ras, a ssber :
1 casa terrea na Caaiba co Crmo n. 2.
1 dita dita meia agoa na ra das Flores
n. 1.
i dita dita meia
das Fbres n.
prios.
TKC\-FEIU.\ 11 DO CORRENTE
O agento Manioi fara leilao, precedida com-
petente aaturi.-ago, dos predio? cima muito bem
localisados, podendo os prelendentes para iufor
magues se ealen'er ce ai o mesmo agente.
O ieilo ura lugar no armazem da roa do Ira
perador o. 48, s 11 bjias do da.
agoa na travessa da rea
1 ; todas em chaos pro-
Engenln
DO
Monte de Ouro
A' 18 de junho do corrente anno
Por mandado do Illm. Sr. Dr. jniz de direito es-
pecial do commereio o'e-ta eidade, requerimea-
to dos administradores da massa fallida de Siquei-
ra & Pereira, o agente 0!iveira, far l.ilo por
intervenga i de seu pr posto Pinho Borges, do en-
genho denominado M Me d'Ouro, sito m termo
de Ipojnca d'esta provincia, o qnal penborado por
execugo de ditos admiuistradore? a viuva e ber-
deiros do Dr. Ignacio Nery da Fuoceca e adjudi-
cado indcala massa.
Ao meio dia em ponto, no escriptorio do referido
agente, roa do Bom lesas (outr'or* Craz) Ia ao-
jar n. 53, onde os pretendemos podem haver as
informagSes necessarias.
AVISOS DIVERSOS
Grande revolu COUSAS DESTE ANNO.
Amda o anno passado por este lempo (queremos
dizer pelo temp> doi festejos a S rato Aatooio, S.
Jj 6 S. Pedro) lodos luiavara eom serias dilll
cuidadla para supprirem-se do que necessario
para taes festejos, principal mente no que diz res
peito aos bolos de S. Joo. Este ono nao acontece
o turo lano, porque temos nesta eidade urna con-
citara sita ra do Imperador n. 21, sob a deao
minago de
Coufeitaria do Campos
cojos proprietarios nao lera poupado esforcos para
qae este estabfleeimenio satisfaga cora promptido
e asseio qualquer encommenda tendente a elle, por
isso v o illastrado publico desta eidade e espe-
cialmente as Exma3. familias qne"est removida
essa diffieuldado, notndose que alm disso encon-
trar-se-ha naquelle eslabeleeiment o seguinte :
Papis rii*os pata sortes, sortes promptas, aaien-
dots doafeilada?, lugos jpouies e naeiooaat qae
se podem soltar nos '<5 s era erigo algum,
E Ma1^ MAIS E MAIS
Bolos de todas as quali lados, boiinhos para cha,
cha verde epreto, cbo^oiaie de diversas quaJida-
des, creraes, pastis, padins, empadss, noupatber,
gitbeanx de la reine, bou>- bocados, fiambres, sa
lames, conservas excitante* e alimenticias, cagas
fraoeeaas eom oa sem tubaras, figaras para bao-
deijas, caixinhas ricas para presentes e alada mais:
licores finos, vinhos. 'clurope* etc., etc.
TUDO ISTO
TU* eojBfeJtarla alo Campo*
Aos 5:01000.
BlEaetes garautidoa da pr-
Tiaca.
Exia do Ba!*ao da
Victoria.
Qutr'orariiG, Nova n. 63 ecasin
do costume.
O abaixo assigaado acaba e*e veadef n); ea>
muito felizes bi!h tes a i-.rie de 8(0* f ra qn tro
quartos le n. 1936 e qca'.ro quartos i* a. 181
c a a sorte de 100*, alem ie ou'ras n uif-
n. re.' de 40* e 20* da lotera ajM te
txirahir(t), eccuvid aot a v.rrm
reeeber, quo proruptamecc .-erao pagv.
O mesmo abaixo a*sigiado aMvMi ai> MaejaU-
vel pablieepara traeeea es ar.i'ecimentu com-
pral os multo felizes biib -te, qae nodelxar do
tirar quaiuer pren.i), como preva cora rte---
i.ioe aauu'jcijs.
Achara sea venda r? sin'to felites b'Ihelee -.
raatidos da 2' pafte das loteras a heaeMo da
igrt'ja matriz de Grvala, qae sera e:lrabida r.
da quarta-feira 12 d) crreme m.z.
PRECOS-
Inteiro 6^000
meios 3*OUO
uartos 1*500
De ICO^OOC para cicu
nteiro 5*600
Meios 2*750
Quartos 1*375
Joo Joaquira da Costa Ltita.
Solicitador.

AVISO.
O abaixo assigoado avisa ao Sr. teaeate-coro-
nel Galdioo Acciolv da Costa Villar, proprietano
do engenho Alviarta, termo da villa da Lsandra,
provincia da Parahyba do Norte ; que foi captu-
rado o seu escravo Matnens, e aeba-se recomido
a cadeia da eidede do Mi Pormoso.
2 de Jtabo de lS7i.
_______ Joe Antonio de Miranda.
Precisa se de um boi fsilor para eog^nho :
tratar na roa tai Triociwixaj a. 43, fabrica de
cia/rce,
O solicitador Joo Pampbilino Cavalcante ec-
carrega-se no furo de la cidada .!e cansas cri-
me., civeis e cemraerci.es, e das dos presos po-
bres gratuitamente: para o qae pode ser pro-
curado, das 9 horas da nuuhia as 3 da tarde, n i
ra do Imperador o. 4G, 1* andar, oa na tala da
audiencias.
Dr. Manoel Eueoino lleo Valitnc*
Uedii'O
lRa da Cara oa do Carino21
____________ andar._______________
Joo Jet de Carvalbo Moraes val ao Rio -
Janeiro, e durante sua ausencia deixi encarreaa-
dus de sens negocios a Moraes & Irraao, rna da
Madre de Dos n. 5.1* andar ; outro alai, aio leu-
do tido lempo de despedir se de todas ae aeeeou
de suas relagdas, pede-ibes de-culpa deesa falta
invcluntaria, e Ibes offerece os aeas seivicot aa-
quella eidade.___________________________
Precisa-se de um caixeiro para a taberna ca
Camb* do Carino n. 2 : a traur na mea.__
Precisa-se de nm moas bratileiri oo pello-
guez de idade 14 ou 15 aoais, Cio enuca d
laveroa e qae d fiador a soa conducta : tra-
tar a ra do Rosario da Boa-vista a. 11, eeejaiaa
do beco do Tambi.
__u abaixo a.-igaado declara, para evitar c-
vidat, qne nsnfru^tnario de toda a beraoca eja*-
deixoa sea to o Sr. Domingoi Rodrgaos di ne-
g, eos fllhes do mesmo abaixo tmiaeda, ejav<
consta na cartorio do estnvao Brito, etlte In-
cluidos oesta heranca diversos predios, tete en-
jam : tres casas terreas no Monk-iro e cena C
um andar n. 21 na ra na luperatr i. oaia
o abaixo assigoado. Etiete alada para
casa terrea e sitio no Montero : a trai
abaixo assigoado. Recife 6 ee jaDbo_
Jos RiHlnjo* do
ira eeaejar i
raur aaai
de 1871
Iimandade
de S. Francisco de Paola ea Cax:ogi.
Si) convidados oa aosioe irmiee para, i
em mesa geral no dia 9 do erreaie, ae
da manbii, procederem e eleici de
membros da mesa reaedora, qae aio aetaeatet tt
caraos ; eeado a eletco falta coaa a aaaaea da
ieaeioe preseniee, segunde o cinepaeho do Ulea. $'
Sovedor de apellas. C-xaafi 27 de teaie e
71 -~^
los Maweeto Oeacaleee SalfoaUa,
Bflgai


4
"Xfc ft f*v*S&m* Sexta feira 7 <1# Junho i 1872
_>"-TsagsMP
'-' -!:*-
-r^if
**>-
-C^c
-X,^.
C isa, de campo
Aloga-ie o $Wa hacen con n.-n casa e bix
i>ri capto, pastofTri gado, 'em b*nlu '"'
pmaribe dentro e, sitio e nio iut?ito ai cneu>;
u ra di teoAaSi n. 3. 3* *ndar.
:Flfs*S**S
1POWCA
Advogado.
O hachar! Joo Gouzaga Bacillar tem m
wcriptorio e residencia na villa do Cabo BJ
a roa Duqae de Caxias n. il. M
Eucarrega-se de causas civeis, crimes ff|
e cOtnarerclaes, bem como de efesas pe- aa
rante o Jury nos termos snpramenciona- 2
Mobihas
Na ra Duque de Caxias (ouir'ora das Cruze>)
b. Si, armazem de trastes, vende mobilias na
ckmaes e estraogeii as, assim como obras avul?as
ffir prego commod.
Typojpr&phia.
Vende se por prer,omdico a lypograpbis
Jo Corren fernatubucano, a qual est per-
fe lamente montada para se pu licar urna fo
Iba diaria, tendo recebido ltimamente um
completo sortimento de typoi novos: a tra
lar na ruajdo Imperador n. 2.
Prccisa-se le um caixeiro de idade de 14
a 15 annos para taverna, dando fiador a sua em
ducta, nao ae olba a ordenado : na rna Direita
dos Atojados n 60. .___
Precisa-se de um fetor para o sitio da Sote-
ladeo 29.
FOCOS ARTIFICIAES
Para festejar Manto Antonio, 8
JToao e 8. Pedro.
Souza & Guiaares, proprietarios da mnito
coonecida loja de ferragens ra do Barii da
Victoria n. 39, (outr'ora ra Nova) veem avisar
a seus fregueies e ao publico era feral, que ac*
bam de receber um lindo e variado sortimento
de fagos chmeies o mais (iodo possivel que se
pode desejar, assim como desde ja recebem en-
coinmendas para todas as qualtdades de fogos na-
cionaes para as melhores fabricas desta cidade.
Os aonnociautes envidarlo todos os meios para
melhor servir a todas as pessoas que se drgnarem
honrar sen estabeleciment om sua presenta.
URBANOS
DO
Beoife i Olinda
e Beberibe.
Na estaco da ra da Aurora compran-se
dormeutes deoilleica e sicoplra cosa 10 paimos de
comprlmeato, 8 polegadas de largura e 3lf2 ditas
de espessnra. Compra-se tambera alguna com 10
polegadas de largura.
O escriptuvarlo,
Sani'Anna.
MOFINA '
OlhaelIe.L k
Rota-se ao Ulna. Sr. I^cio V.eiri 4 Hallo, s-
irivao na cidade de. rtaaareth desta provinei. o
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a oonclnii
aquelle nefocio que V. S. se comprometa reali-
sar, pela terceira chamada deste jornal, din fin
de dexambro prximo pasado, e depois pan ja
ueiro, psssoa a fcmreiro e abril, e nada cnmpno
t por este motivo de aovo chamado para ditt
flm ; pois V. S. se deve lembrar que este negocie
4 de mais fe oito annos, e quando o senhor i
flho se aehava no es nesta cidade
AMAS
Precisa-se de urna prea escrava para o ser-
vico interno de urna casa de ponca familia e que
sama vender na ra: na ra do Nogoeira n. 19,
segundo andar. ___________
OGRANDE PURIFICADOR DO SANGUEI
Esta excelleate e admiravel medicina, e
preparada d'uma maneira a mais scientifi-
ca por Chimicos e Droguistas mui doutos e
d'uma instrucclo profunda, tendo tido mili-
tas annos de experiencia ao par d'uma Ion-
^a e laboriosa pratica.
k sua composicao n3o consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
composta d'extractos d'um numero de rai-
ces, hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
das ellas, sua virtude especial ou poder
m curar as molestias as quaes teem sede
ou essento, no sangue ou nos humores;
* estes differentes extractos vegetaes, acham-
e por urna tal forma combinados ponto
de consenarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
nos usamos nesta preparado, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
e estimam. Na composi?3o da Salsa-
parrilha de Brlstol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
aSo encerra em si cousa alguma, que pos-
a por leve ser perigosa ou injuriosa
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
diversa de todas essas mais preparaces,
as quaes debaixo do nome de Salsaparr-
lba, sao accondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
em frascos grandes, e assim por este modo,
dividimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcanzado por aquelles
que acondicionam sua preparado emjt
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
nossa Salsaparrha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual porcSo
contida naquellas garrafas pequeas, e alm
disso, possue anda muito mais forca e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
seis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tante mui natural, que aquelles, que se
acham oceupados em preparar e vender as
suas produeces, em garrafas pequeas,
murmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes proclamando, que a nossa Sal-
aparriiha de Bristol nao possue a
menor virtude ; porm quc effectivamen-
te sao elles postos etn silencio, quando indi-
namos, ou simplesmente referimo-nos para
'.om essas centenares de certidoes e tes
temunhos authenticos, por nos recebidos
de todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
differentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compem as nossas medicinas,
sao produzidas, que nos habilita exer-
cer aquelle constante cuidado e disvello na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por OHtro lado, nos n5c
nos poupamos nem dinheiro, nem dili-
gencias ; afim de alcncennos o melhor
e nicamente o melhorde cada um artigo
ou ingridiente que entra na sua composi-
3o; pois levados e compenetrados da
mais firme e persuasiva confianza; que po-
demos afoutamente dizer aos doentes de to-
das as nafes, e de todos os paizes, que na
alsaparrha de Bristol. possuem
um remedio mais efficaz e seguro; do que
nenhum outro, que vos tenha sido offere-
cido at hoje, e o qual por certo n5o hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
e effectiva cura das seguintes enfermidades:
Precisase de um coziobeiro na padaria da
ra do Rangel n. 9.
Na Praca da Independencia n. 33 se compra
ooro, prata e pedras preciosas, e tambem se vende
obras de igual especie.
Sr. Boaveotura Jos de Castro Aievedo
que re idio em Macei e actualmente aeha-se nes
u cidade, rogado a vir i roa do Amonrn n. 37,
ecriptorlo de Tasao Irmios & C, a negocio, ou
anonadar a sua residencia para ser procurado.>
Fugk) no ftm do mez de oovembro do anno de
i869, do engenho Gi, sito na comarca de Na
zareih, a escrava Tbereza, de 30 annos de idade
pouco mais ou menos, com os signa*s seguintes :
edr mulata bem clara, baixa e grossa do cor-
po, ro.-io redondo, oihos castanbos e grandes, na-
riz um tanto chato, bocea grande, denles grandes
e cangullos, cabellos'meios lonros e caxeados
para as ponas, bracos,e pernas grossas, ps cur-
ios e grossos, com algums cicatrizes de reino
as costa?.
Igualmente est fgido desde o dia 26 de fase-
re; ro do corrate anuo o escravo crioulo de no-
me agostioho, de 40 annos de idade pouco mais
ou menos, e os signaes seguintes : cor bem pre-
ta, alto e grosso do corpo, resto redondo e car-
nudo, o los pretos e grandes, nariz chato, boe-
ca grande, beicos grosso, representando dons
beicos do lado de cima, com falta de dentes na
frente, cabeca comprida e calva de diante para
traz, principiando a pintar tanto no cabello como
na barba, pernas finas, ps torios apalhetados,
com urna cicatriz em um dos regeitos dos ps,
Este escravo foi comprado a Pedro Garcia,
morador no serto do Sabogy, e j fez urna sabi-
da com deslino ao serio e foi preso em Bom
Jardim da comarca do Limceiro.
Rogase a todas as autoridades policiaes, ou
mesrao pessoas particulares, que os prender e con-
duzir ao referido engenho Goit, a serem entre-
gues a seu senhor o major Christovb de Hol-
landa Cavalcante de Albuquerque, ser por cada
um gratificado com 200|000 rs.
Dorante a resta que re faz em Beberibe em hon-
ra ao Santo Antonio, ha ver mais nm Irem as 9 e
20* da noite, da Encrmilhada para Beberibe,
d'onde voltar as 10 horas para o Recito, parando
em todos os pontos. Recito 1* de junho da 1872.
O escriptnrario,
Sint'Anna.
A directora resolvendo recolher todos os buhe-
tes que se acham em circnlacao, convida aos se-
nhores possnidores virem troca-los por dinheiro
no esenptorio da companhia s segundas e sextas-
feiras, at o flm deste mez, das (O < 12 horas da
manha. Findo este praso, os referidos brinetes
serlo aceitos somente em pagamento de passageus.
Escriplorio da companhia 5 de junho
de 4872.
O i' secretario,
________Laaranlino Jos de Miranda.
TOliTaT
baratas
Se mandardes fazer ama porta aqu com o di-
nheiro que vos ba de cnstir comprareis moitas
ponas americanas muito bem feitas, no armazem
da hola amarella no uito da secretaria de noticia.
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha,
Syphilis,ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidades do
^ Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral,
Febra e Malignas e
Febre e SezSes
Biliosas,
Tumores
Abscessos Apostemas,
Erupces,
Herpes,
Salsagem
impigens,
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Gntro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resaltado eperfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
lamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesmo
tempo das nossas mui valiosa punas
vegetaes assnearadas de Bristol.
tomadas em doses moderadas em connec-
c3o ou conjunctamentecoma Salsaparrilha;
lias fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e hu-
mores viciados que se desprendem e lile-
mente circulam esp alhados pelo systema
isto causado pelo utso da Salsaparrilha; e
por esta forma faciliar a volta e o exercicio
normal das operacoes fuaccionaes,
A qual preparada smente pelos nnicoi
Proparietaos,___________
Precisa-se de nm agente nesta cidade para
as machinas de costara de Howe (Howe
Sewing Machine) de Nova-York. Para mais
plenamformacio dirjase a W. E. Water-
man, agente geral di Howe Machi ae C)m
psny. Roa da QniUnda o. 06. Rio de Ja-
neiro,
0 Sr. Maooel Rodrigues Pinto, com taberna
no Poco da Panella, queira ter a bondade de
appsrecer no caes de Capibaribe n. 32, afim de
tratar do negocio que nao ignora
Preci.-a-se de nm criado
mero 7.
na ra Nova nu-
Est fgido o escravo Nazari. preto de 50 a
53 annos, om pouco achacado, cxo de ama per-
as, tem nmaferida que tem j carcomido toda a
unba de um dedo de um p, tem outra ferida en-
tre as ventas no lugar do sujo do tabaco que ella
toma ; fui escravo do Sr. Antonio Joaquina de
Aguiar, morador no lugar Lourianco em Bom
Jardim. Paga-se bem a quem o conduzir ao Re-
cito ra Nova loja n. 7, ou ao Honteiro casa
oa esquina do Laraarao.
O VERDADEIRO E O FALCO V1NH0
CHAMISSO.
Cunha Irmos & C. nicos recebeJores do v-
nho do Porto marca antiga e acreditada F. CHA-
MISSO FILHO & SILVA : encontrando a ven-
der se viuho era garrafas, com a marca CHA-
MISSO SUCCESSORES, importado de Hambnrgo,
imitando o verdadeiro, com O distico CHAMISSO
gravado as garrafas, e bem assim nos rtulos
etc., vem prevenir a,o commercio e a quem in
teressar possa, qtfe o verdadeiro tem nos realos
F. CHAMISSO F1LH0 & Silva, e vindo de liara-
burgo tem nos rotulos-CHAMISSO SUCCESSO-
RES ; nao lendo nada de commum um com o
outro, tanto que o verdadeiro j muito conheeido
e o outro precisa lomar a marca CHAMISSO para
se poder vender vinho toito, ignoramos de que,
por vinho toilo de UVA, prejudicando assim os
autores do tal vinho a repuiacao em que sempre
foi tido, e qne merece o verdadeiro vinho de F.
CHAMISSO FILHO & SILVA.
Precisase de um caixeiro portuguez de 12
a ii annos de idade, e que tenha alguma pra-
trea de venda : tratar no pateo do Terco n. 23.
AOS 6:000-5000
Kstao venda os tolizes bilhetes da lotera da
iania, na casa feliz do arco da Conceico, toja d
>orives no Recito.
Precisa-se alugar urna casa terrea cora bons
commodos e quintal, na Soledade cu Boa-vista : a
tratar na rna da Cadeia do Recito n. 55.
Aluga-se
urna casa terrea com estr baria, margem do rio,
sita no Manguinho ; a tratar na ra do Vigario
o. 31._________________________________
Sitio em Olinda
Aloga-se por preco
casa, commodos para
ptimo sitio, comeado
fructeiras e excellente agua potavel. O si-
tio sitaado na ra do Amparo e ao lado
direita da igreja. Pode ser visitado por
qoem o quizr alugar, sendo que ah mes-
mo achar-se-ha com quem tractar, o que
tan bem poder ser feito Da roa Duque de
Caxias, nesta typographia.
rasoavel urna boa
familia, e com um
muitas e variadas
i
SI
Precisa-se
De um menino para caixeiro de ama loja de
calcados: na travessa das Cruzes n. l.
$$ *& 0 **$**
C0N8ULTORIO HOMEOPATHICO
DO
Br. Santos Helio.
Consultas todos os dias das 10 boras
ao meio dia. Chamados a qualquer hora.
VACCINA.
A' este consultorio ebegou a verdadeira WL
lympha vaccicica da Inglaterra, e vacci- S
na-se s quintas feiras e domingos das JQr.
10 horas ao meio dia. Gratis aos pobres. 2
43-Roa do Bario da Victoria43. 9
****** ***** ***
SEGUROS
MARipMOS
CONTRI OGO.
A companhia Indemniudora, estabelecid
esta praca, toma seguros martimos aobra
lavios e aeoj carregamentoi e contra togo
jm edificios, mereadoriaa moKliaa: ni
ro do Vifurio n. 4, pavimento terreo.
Cosioheiro
No cal ebioez 4 roa larga do Rosarlo 0. 31,
precisa-se de na eoiinbeire,
Aluga-se
a casa terrea sita no povoado denominado Dnarte
Coelho em Olinda, que tem frente de azlelo com
bastantes commodos para familia, tendo 3 salas, 7
quano?, cosioha fra, casa para eseravos, galli-
oheiro, cacimba, quintal murado e porlo para o
fundo com terreno at a camoda : i tratar com
Domingas Henrique Mafra, no mesmo lugar. ____
Preci-a-se de nma escrav, b
coiioheira e ama livre para en
gommar e fazer o servici interno
de casa de familia, paga-se bem : na rna da Crm
do Recite n. 42, armazem, oa no Corredor do Bis-
po n. 23._____________________'_____________
Precisa-se alogar urna ama forra ou escrava
para cozinhar : na ra 8o Barao da Victoria, an-
tiga roa Nova, n. 11.________________________.
Precisa se de urna ama que compre e coz-
nbe : a tratar roa do Coronel Soassnna n. 123.
Precisa-se de urna ama,
prefrindo-se eserava, para
casa de peqaena familia, pa-
na ra estrella do Rosario n. 32, ter-
ga-se bem :
ceiro andar.

Ama de leite
Precis-se de urna ama de leite ; uo pafo do
Livramenlo n. 33, 2" andar.___________________
Precisa se da urna ama que
saiba bem cozinhar, preferind6-
se escrava : a tratar na rna do
rna do Hispido o. 50.
\ SI A
Escrava

Aatoalo .Jos Pcreira Bragagf
De ordem do presidente da
sociedadeLuzeiro da Ver-
dade convido a lodos os so-
cios da mesma sociedade
compareeerem no dia S do
correte pelas 7 horas da
manhaa afim de assislirem a missa que por alma
do finado consocio Antonio Jote Pereira Braga,
tem de celebrar-se na matriz de Santo Antonio.
Recito 2 de maio de 1872.!
O secretario
__________________Bellarmino Carnetro.
JoodaMotia Botelho, Antonio da
Motta Botelho e suas irrnas agra-
decen) eordiaimente todas as pes-
soai que se digoaram de, no dia i."
do corrente mez, assistir ao en-
terro de sua mu presada e sempre
durada mal, Maria Francisca Bo-
te' ho ; e pedem as mesmas pessoas e a todos os
seas prenles e amigos o caridozo obzeqnio de
assislirem no dia 7 do. corrente a missa de sti-
mo dia que dever ser celebrada na Igreja da
Ordem 3.* de S. Francisco as seis boras da ma
nh.______________________________________
Jos Antonio Fernandes Fradi-
que, tesiamenteiro da finada D.
Aurora Francisca Cavalcante Li-
ma, muito agradece a todos os
seas amigos e mais pessoas que se
digoaram acompaohar ao cemilerio
publico os restos mortaes daquella
finada ; e de novo as convida e a tedos os paren-
tes da dita finada, para assislirem a missa do s-
timo dia, que lera lugar na matriz de S. Fr. Pe-
dro Goncatves, pelas 7 horas do dia 8 da corrente
(sabbado).
loaqulin de Almeida Pinto.
vQ. Por alma deste finado
mandara os seas amigos
eropregados e amigos, Jo.
Marques Ferreira, e Ame-
rico Fortunato da Gama,
dizer orna missa na matriz
da Boa-vista s 8 boras
do dia 6 do corrente, aniversario do fallecimen-
to do mesmo Joaquim de Almeida Pinto, para a
qaal coovidam os seas pareotes e amigos.
Presisa-se alagar ama ama escrava que saiba co-
siohar e eogoinroar; traa se e paga-se bem; roa
de Vigario n. 16, andar.___________________
Do engenho Macauas&, termo da villa da
Eseada, ansenlon-se em das do mez de abril, do
anno 4e 1870, o escravo Procopio lendo os signaes
seguintes: aliara de 56 e 1|2 poliegadsa porto-
guezas, mulato claro, cabellos crespos, cara re-
donda, tendo as maraes do rosto altas, espada-
do, falta de dentes qaeixaes do lado direito, sen-
do os demats rombndos, limados os de cima, len-
do um da frente, e de baixo sabido, Presorae-se
achar-se o escravo cima referido na fazenda
Castanbio no termo da cidade da Rassia,
na provincia do Cear, no entretanto bem pode
succeder que se ache nos sertOes desta provincia,
pelo que* reccmraendamos captnra de seme-
Ihants escravo, ofterecendo 400*000 de gratn"
cacao, que ser entregue a quero eondozi-lo ao
engeoho cima referido, oa na cidade do Recito,
rna da Madre Deas ao Sr. Bernardino de Sena
Pontaal.___________________________________
Do engenho Ma ass
no termo da Eseada, do major Marcionillo da S 1 -
veira Lins, fartaram na noite de 3 para 4 do cr-
reme mez de maio om cavallo de sella com es
signaes seguintes : cor caslaoba, tendo-urna man-
cha branca no lado esqaerdo, ps e mos calca
dos, velbo, ferrado com letraM, frente toda
aberta, e anlador de baixo a meio. D-se 100* a
quem der noticia certa do referido cavallo e da
pessoa, em cojo poder ter elle encontrado, na roa
da Aurora o. 9, oa ao mesrao engenho.
Precisa-se de urna roz'nhei-
ra para casa de dua- pessoas:
tratar na ra da Moeda n.
39 das 9 a* 3 da tarde.
kV
Praia.
fc
Precisa se de urna ama pa
ra cozinhar : na ra de Pe-
dro Allomo n. 3, onir'ora da
AM
Precisa-re de
A Praia n. 40.
urna ama : na ra da
Precisa-se de nma ama
cisa de duas pessoas : a tratar
n. 29, armazem de movis.
para cozinhar em
na ra das Cruzes
Precisase de daas amas,
seodo ama exclusivamente
para eozinhar e outra pira
sorvico interno de casa de ponca familia : oa ra
Velha o. 28, sobrado.
fc
%>m
gjmmar
Precisa-se de urna ama pa-
ra casa de familia de duas
pessoas, para cozinhar e eu-
a tratar na rna Direita n. 3, andar.
Dr. R. Viantu
Medico operador e parttre,
temente chegado da Eurrpa, uide de-
dicon-se a eirorgia, partos e espaetal-
mente ss molestias e operacoes e rtaa
geno ominaras, tem o >e eoasiNo-
rio rna do Vigario n. I, segnido as*
dar, onde ( consnlu do lia dia as 2
horas, gratis aos p< bree.
Pode ser procurado a qaalqner hora
do dia oa da nouie.
Roa do Vigario n. I. 2* andar.
COSINBEIfO
Anda se prteisa de um bom coziobeiro qce
seja de conducta, paga-se bem : no caes 4
Apollo, armazem o. 7L______________________
I
mcNcto
Anda se continua a fornecer almoco e jantar
para fra na rna estrena do Rosario sobrado n.
35. As pessoas que quizerem dirijara-se mesma
casa que se dir os preces : manda-se levar em
casa dos assignantes e faz-se mais em coma do
que em ontra qqalquer parte e tudo cora aeio.
Attenpo
Na roa eslreita do Rosario n. 33, 1 andar, avi-
sa-se a todos os freguezes que todos os annos man-
dara fater bolos de Santo Antonio, S. Joao e S.
Pedro, e todas as pessoas que quizerem bolos ve-
abara fazer a encommenda tres dias antes, tem
bouqaels promptos para entoite de bolos, por todo
prego, e toda qualidade de flores para vender-se.
ATTEft0
Fugio no dia 15 do corrente mez do Ingar Pal-
ma do Orab, o escravinho Rufino, crioulo, cor
preta, com idade de 15 anno?, tendo ps signaes
seguintes: barrigudo, umbigado, ama perna com
algum.s verrugas, e outra, tendo menos, dentes
alvos, bastante loqaar, corpolento, nariz chato,
pernas finas, ps eompridos, parece ter na testa
nma peqaena cicatriz : roga-se, pois, a todas as
autoridades policiaes e capitaes de campo para ser
apprebendido dito escravinho, e restituido ao sea
senhor, morador no lugar sapra, termo do Carato
do Bom Jardim, que se dar recompensa com ge-
oerosidade.
Cozinheira.
Precisa-se de ama preta boa cozinheira :
tar na Capanga, ra do Lasserre n. 6, oa
do Trapiche n. 48.
a tra-
na roa
Atiendo
Urna peqaena familia sem bomem deseja alagar
metade de nma casa de alguma seabora viuva on
honesta, sendo no bairo do Recito : qoem qaiier
annancie para ser procurada.
NOTAS
Troca-se notas do banco do Brasil e de soai
Oliaes na ra do Bario da Victoria n. 63, amiga
roa Nova, loja de Joao Joaquim da CostaLeite
nico dopstto em Pernambaco dos chara-
tos 6. Schnorhnseh da Bahia, no eseriptorio de
Cunha & Manta : vende se de todas as marcas,
por preces estabelecidos, e em porcao de' 5,000
para cima se dar descomo : na ra do Mrquez
de Olinda n 40.
Ainda est por ?iugar a casa e sitio no Mon-
teiro, qne toi do Sr. Domingos Rodrigues do Pas-
so : a fallar na ra da Imperatriz n. 21.
ATTENCAO
9
Tendo-se perdido ara caderno contendo os no-
mes de algans devedores da casa de joias do
Annel de Onro, proprietarios Jos Joaqu.m Gon-
calves Barros & C ; vera por meio deste, pedir
a seus devedores, qne, nao paguem coma algu-
ma sem que sajara rubricadas pelos seus proprie-
tarios.
Aluga-se uina preta esera-
va que eozinba e lava: quem
pretender dirija-se a praca
do Conde d'Eu n. 5, 2* andar.
^18^
%a%V
Para familia pequesa e
pouco servico : ra da Ci'oz,
n. 4, armazem. ^^_^_
Offerece se urna ama portugueza : na roa
Direita n. 86, 2* andar.
4i Precisa-se de urna ama forra oa escrava,
que saiba engommar eom perfecto : na ra da
Aurora n. 49.
Precisa-se di urna ama ce lene que seja ra-
dia e robusta, qual paga-se bem : na casa de
Libanio Candido Aibeiro.
AMA
Precisa-se da urna ama
de Pedro AiTraso n. 58.
na ra
Precisa-se de urna ama para engemmar : na
rna da Uniio n. 61.
Ama de leite
Precisa-se de nma ama de leite sera filho : na
roa do Cotovello a. 129.
AMA
Precisa-se de ama ama para cozinhar:
oa ra do Coiovello n. 129.
Na ra da Gloria n. 106 precisa-se de urna
ama de leite que au tenha filho. _____
Cozlnhelro.
Precisa-se do um coziobeiro para casa de fami-
lia : na ra do Mrquez de OMnda n. 35.
Pharmacia e drogaria i
m de
81 Pedro Maurer & 0,
| O abaixo assignado partispa ao respei- lM
tavel publico que desde o dia 2 de abril I
S prximo passado pajsca a pertencer-lhe H
I o estabelecimento de Pedro Maurer & C. JS
I na ra do Barao da Victoria, outr'ora ra a
S Nova n. 25, comprehendendo-se lodo o 5
I activo e passivo da mesma casa. O aba- |
xo assignado qne desde mnitos annos tra- |
" balhava naquelle estabeleeirnento como
pharmaceatico e chimi:o promette e ga- |
rante ao publico em geral e aos senh ires 1
_ facnltativos em particular de servi-los S
I bem com a devida promplidSo e fideli- |
Hdade. A casa continuar a gyrar debai- Wt
m xo da firma Pedro Maurer & C S
i. Kirchbotor.
Precisa-se alugar nm creado escravo
oa livre para casa de familia : a tratar na
tbesooraria das loteras com Antonio Jos
Rodrigues de Souza, ou em seu sitio no
Monteiro.
Pepsina medicinal adocada
O melhor preparado para combater to-
das as molestias do estomago. Cada frasco
acompanha urna colher de prata, dse que
se deve tomar.
Deposito Pharmacia Americana de Ferrei
ra Maia dr C, ra Duque de Caxias n. 57.
Kefmadores
Precisa-se de refinadores na roa de D. Mana
Cesar, outr'ora Seozalla Nova n. 30.
O abaixo assignado avisa ao publico e eom es-
pecialidade ao respeitavel corpo do commercio,
qne tendo de fazer urna viagem para Europa, ei-
xa encarregado de seas aegocios aos Srs. Joo da
Silva Regadas, Castao Ciraco da Costa Moreira e
Joao Antonio da Costa Moreira ; jolga nada de-
ver nesta praip, porm se algnem se iulgar ere-
dor aprsente seos ttulos at o dia 22 do crreme
mez, a roa da Senzala-velha n. 90. Recito 11 de
maio.de 1871
Domingos Manoel^Martins,
Aluga-se o primeiro andar e o andar terreo
do sobrado n. 5, da ra Imperial; tratar na fa-
brica de vinagre.
Cosinheiro
O abaixo assignado, negociante na cidade de
Mossor, constaodo-lhe que alguem tem-se ser-
vido do seu nome na praca da Pernambaco, fal-
sificando sua firma eom o flm de obter dinhei-
ro de pessoas eom qoem tem relacoes eom
merciaes, ja tendo, segando Ibe consta, obtido por
tal meio algnmas quantias, vem pelo presente
declarar, e prevenir ao respeitavel publico, eom
especialidade ao eorpo commercial daquella pra-
ta, que nao s deixari de saUsfaxer qualquer
quantia qne at esta data tenha sido dada, como
nao se responsabilisa d'ora em diente pelas que
forem dadas, e protesta contra qualquer trans-
aeco toita em sea nome por-pessoa menos eom
pteme para isso, e previne aos Srs. a quem for
apresenlada qnalqaer ordem minba, que, cuida-
dosamente examine a miaba assignatura, afim de
nao se sujeitirera a perder qnalqaer quantia qae
por ventara deem. +
Mossor, 28 de maio del872..
Francisco Antonio Martina de Miranda.
Ajudaiite de com ha e caixeiro
Precisa-se de nm bom ajodaote de cosioha eom
pritlea para hotel ; precisa-se igualmente de om
caixeiro eom pratica para o sesmo hotel ; -i tra-
tar na roa Nova, loja n. 56.
Freeisa-se na roa do Mrquez de Oliada n.
para casa de familia.
33,
CRIADO
Precisa-se na roa do Mrquez de Olinda n. 35,
para o servlco interno e externo.
Criada.
Precisa-se de ama criada para servco interno e
externo de ama easa de ponca familia : a tratar
na rna de Santo Amaro o. Ii.
Veneravel ordem terceira de
8. Francisca.
Tendo esta veneravel ordem mandado vir da
Europa, em eamprimento do art 192 dos estatu-
ios, a fazenda propria para os hbitos dos irmaos
para a ceder pelo casto ; por isso convida aos
mesaos irmaos protossos e nevieei, a virem se
prover da mesma fazenda no consistorio da dita
ordem, todos os dias atis das 10 horas da manha
4a a da tarde.
Consistorio da veneravel ordem terceira de S.
Francisco 7 de jnnno de 1871
Genuino Jos da Rosa,
Secretario._________
-* Aluga-se o armazem do predio da roa da
Senzala-velha n. 68, para deposito de fatendas oa
qnalqaer outro fenero; a tratar na rtu Da que de
Caxias o. 43.
Precisa-se
de urna ama de leite : oa ra de S. Jorge (outr'o-
ra Pilar) n. 131, t andar.____________________
Precisase de urna ama para cozinhar e on-
tra para engommar : na ra do Corredor do Bis-
po n. 11. __________________________
Acba-se auzente de casa desJejlezembro de
anno passado o escravo Fiel, de naco, baixo e
lera pouca barba, os olhos quasi sempre muito
vermelho?, e muito palrador : quem delle sou-
ber ou der oolicia queira dirrgir-se roa Duque
de Caxias n. 43, ou Imperairiz n. 16, 2* andar,
que ser recompensado^______________________
Punas assnearadas de Bristol.
NAO CONTEN NEM CALOMELANOS NEM NENHl'M
OCTRO MINERAL.
A grande necessidade t falta de nm ca-
ihartico ou de urna medicina purgativa, ba
muito que tem sido sentida, tanto pelo pc-
vo, como mesmo por meio da faculdade
medica; e por isso, infinito o gosto e
prazer que sentimos, em pdennos c_
toda a confianca e seguridade, re.-ommendar
as pihuas vegetaes assucaradas de Bristol,
como urna excellente medicina purgativa, a
qual encerra em si todas as partes e mas
ingredientes essenciaes, tornando-se em ora
perfeito, seguro e agradavel cathartico de
familia. Este remedio nio composlo
dessas drogas ordinariamente usadas na
composic3o dessas pululas, que por ahi e
vendem, mas sim, sao preparadas com as
mais finas e superiores quididades de raizes
medicinaes, hervas e plantas, depois de se
ha ver chi nucamente extrahido e separado,
os principios activos, ou aquellas partes
que conteem o verdadeiro valor medicinal,
daqucllas porc5es fibrosas inertes e agres-
tes inteiramente destituidas da menor virtu-
de. Entre esses agontes activos ou ingre-
dientes especficos, podemos nomear a po-
iophgtiin, a qual segundo a experiencia
mm demonstrado, possue um poder o maia
2iaravlhoso possivel sobre as regioes do
figado, assim como sobre todas as secre-
tees biliosas. Isto de combinacao com o
leptandrin, e mais alguns extractos vege-
taes e drogas altamente valiosas, consb-
tuem e formam urna pilula purgativa, tor-
nando-se por isso muitissimo superior, i
qualquer urna outra medicina da mesma
natureza, que jamis fora apresentado ao
publico. As plalas vegetaes assucarad'it
ie Bristol, achar-se-h3o sempre om reme-
dio prompto, seguro e eminentemente effi-
caz, para a cura de molestias, taes como
sejam as seguintes.
Freciza-se.
Para pequea familia alugar om sitio na soledade
ou na estrada do arreial e que fique junto de
alguma estaca) da va terrea a tratar no largo do
Corpo Santo n. 19 1. andar.____________ ____
Gratuitamente
no Homeiro, sitio de Jo;
D-se barro cavado
Rodrigues de Souza.
Armazem de deposito
Recebem-se em deposito volamos de hiendas ou
qualquer eulro genero a prefi muito mdico : a
tratar na rna do Commercio n. 48.
Nao ia mais cabellos bran-
cos.
Tintara Japoneza.
S e nica approvada pela academia de scien-
cia, reconbecida superior a toda que tem appare-
cido at boje. Deposito principal roa da Cadeia
do Recite hoje Mrquez de Onda n. SI, an-
dar e em todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
Veiyhdeiras bixas ham-
burguezas
nico deposito em Pernambaco : n. 53 ra da
Cadeia n. 53, primeiro andar.
roa
pri-
Na travessa
das Cruzes n, 2,
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de onro, prata e brujan-
les, seja qaal for a qaan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesaos me-
taes e yedras.
AVISo
Previne-se a qualquer preteudente do engenho
Jos da Costa, sito na fregaezia de Agaa-Preta,
qae consta ter estado em negocio, quejo abaixo
assignado e sea enteado orpbio Miguel, tem no
mesmo engenho parte, na importancia de ris
7:0574137 e rendas de 10 annos, corresponden-
tes aquella qaantia a qne est sujeito o dito pre-
dio,
Engenho Dona, 28 de maio de 1872.
Jos Joaquim Ferreira.
Aluga-se nm sobradlnbo no largo da Penba
n. 12 : a fallar na rna das Cinco Pomas n. 31.
t0 abaixo assignado declara a qoem interessir
possa, qae* nada deve a pessoa alguma, excepto
frezentos e poneos mil ris de aluguel de nma
casa, que se aeha depositada em'sea poder., e se
algnem se julgar sea eredor, por" qnalqaer ltalo
creditorio dinia-se a easa de sua residencia no
praio de olto alas, para ser pago.
Povoado dos Montes, 6 de junbo de 1872.
Josqnim Goncalves de Albnqaerqoe Sooza,
Aloga-se um grande sitio na Capaoga, roa
das Pemambaeanas n. SILeoJa easa tem & salas,
9 quartos, cozinha, eoeheira e estribarla : qnem
nretender dirija se i rna da Aurora n. 15, oa i
roa Non n. 13, qae achara com qoem tratar.
Dspepsia, ou indi-
gestad,
astringencia, ou..
pris5o do ventre
habitual,
Azia do estomago
flatulencia,
Perda do apetite,
Cdtomago sujo,
Hydropesia dosmem-
bros ou do corpo,
AtTeccSes do figado,
Ictericia,
Hemorrodias,
Mau he>lite,.e irreg^
laridades do sexo
femenino.
Dores de cabeca.
Em todas as molestias qne derivam
sua origem da massa do sangue: a salsa-
parrilha de Bristol esse UM de todo
os purificadores deve ser tomado conjun
lamente com as piulas, pois que estas
suas medicinas, tendo sido expressamente
preparadas para obrarem de harmona urna
com a outra, quando fielmente assim se faz,
n5c nos resta a menor duvida em diier
que nomaior numero dos casos,' odemos4
afifiancar no s um grande alivio, como
tambem urna cura prompU e radical, isto
est bem visto, quando o doente nao &
ache n'um estado muito alm dos recursos
humanos.___________________________
CEMEMTO
A SSiOO
Roa da Madre de Dos o. 1.
Barricas com 12 arrobas.
Verdadeiro Porlland.
Caetano Ciraco da Costa Moreira, major C3onai
dame interino do 1' batalhao de infamarla 4a
guarda nacional do Recite e presideate do c>n-
selho de qualilicacao da parochia de Santo Aa-
tonio, etc. ele
Faz publico qae tem concluido os trabeikoe da
primeira reomao do conseiho de qailirleacao e flea
marcado o dia 15 do corrale mez, as 9 h Tas 4a
manha, para a eganda reoniio do conseibo de
cooformidade com a lei.
Sala das seaeSsi do conseiho de qaalieacio da
parsebia de Santo Antonio Ia de junho de 1872.
Caetano C. da C Moreira.
Para presente
Amara! & Nabaeo veodem os seguintes caje-
los, proprios para fazer se presentes :
Estojos para limpar dentes com todos os ferro!.
Ditos para limpar onhas.
Ditos para barba proprios de viagem.
Ditos para dita proprios para algibetra.
Diios para crochet.
Ditos para tesouras de costura e bordar
Ditos para coatara e eom msica.
Nesles o b je dos se ene mirar nio su a comino-
didade como a elegancia: vndese ao Basar Vic-
toria, roa do Barao da Victoria a. 2.
Vestidos de blonde.
Amaral Nabaeo & C Tendeas neos corss de
vestidos de blonde rom grinalda e floree da taraa-
geira e veos tambea de blenda bordadoa, edrav
de seda de cores a Balizados: ao Basar Vtetetle,
roa do Bario da Victoria a. 1
Baloes de papel
Amartl Nabaeo 4 C. vendem baldes
proprios para sali e 1 internas tambem de
para enfeites de Jardim, cima de meta, ete.,
tados de ricas paisagens e frmalos : aa
Victoria, rna do Bario da Victoria a. 2.
Escravo fgido
Aazenloo-se desde 13 de maio prximo
do o preto Alfredo, de trinu e taatoe
talara, alto e magro, oaos anadea a lea aa
geito no andar, perfeito eczinheiro e Coi weravo
do Srs. Adriano & Castro, e nlllaiaanaj U Sr.
Jos Joaquim Goncalves Bastos, coetaaa aaar
pela Capanga e Poco da PaaeUa, e enasta ana J
foi vista na cidade de Otinda ; estas sio at Bea-
tos aonde elle tem aodado : quea o pegar tra-
ga o a roa Daque de Caxias a. 91, leja da Uval
sem Segundo, qne ser bem gratificad.
Precisa-se de om eoxiaaeiro oa aniMaian Ier-
ra on eserava para ama easa de faaaa: Maar
na rna do Amorlm i. 37, oa aa S. Joe da laa-
COioho, sitio o, i.


PP*

Karis> d Fernambuco Sexta feira 7 4 Jtmho d 1872.


'
i
FABRICA DE MACHINAS
A'Ra doBarfco do Triumpho (ra do BrumJ n8.
100 104.
GARD0S0 ft IRMAO
AVI3M aos Srs. de eogenhos e ao publico em geral, que teera recebido da Europa,
grande sortimeoto de ferrageos para engenhos e para lavoara, e quaesquer ou'.ros ozos
e misteres da indcstria agrcola, o que todo vedem por precos razoaveis.
Foraas para assncar E.""6 alis'"de',isla-
Vfl.nni*PQ borizootaes e verlicaes j bera coohecidos nesta provincia e ora della,
w ayui to 08 meihores que team vindo a este mercado.
-ulUUIlUaS completas de diversos tamanhos, obra mnita forte e bem acabada.
Meias moedas
Taixas de forro de ferro fQnud0
liOQaS Q agua de diversos tamanhos.
Sodas dentadas
CotlPArf OQ Concertara cora promptidSo nualquer obra ou machina, para o qne
vUIlliOi uUS .eeDJ 8ua fabrica bem montada com grande e bom pessoal.
l^TlPOTTirdPTlHa^ Mandam vir por encommenda da Europa, qoalquer raa-
J^UI/UillulCilUcto cbinismo, para o que se corresponden! com orna respeita-
vel casa de Londres e com um dos melhores engenbeiros de Inglaterra; incuoibem-se
de mandar assentar ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalbo das mesraas.
RA 00 BftRAO DO TRIUMPHO NS. 101,102 E 104
FUNDICAO DE CARDOSO & IRMA O
para assentar em grades de madeira.
e batido de diversos tamauhos.
de diversos tamanbos e rjuadades.
m. w s a na
-.
1 quaiK
obra (
RIU DO RRUM N. 52
(Passando o chafariz)'
Annuncia aos senhores, de engenhos que por falta d'agua
ou mortes de animaes nao possam tirar suas safras, que est
prompto a assentar vapores dentro em 8 dias do pedido applican-
do elles as moendas ja existentes.
Tem em deposito variado sortimenlo de
MOTORES PARA DESCAROCAR aLGODaO
A vapor, agua ou animaes
inclusve alguns que nao precisam de obra alguma de carapina
pelo que podem funecionar logo que cheguem ao lugar.
FORMAS PARA ASSUCAR
Aquelles propiietarios quequizerem formas podem desde
j fazer suas encommendas, pois a casatm em viagein e j
chegado numero suficiente para suprir a todos quantos queiram
MACH1KISM0S DIVERSOS
nesta fabrica ha deposito de todos os aiachinismos empregados
na provincia, e acceita-se encommendas para fazer vir qual-
quer machinismo a vonlade do cliente.
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PEETA. que reparem nos botes e meios bote?,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pie!
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro ARE
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & O., e a desig-
nado de REA PRETA.
MEURON a C.

FOGO ARTIFICIAL
\o .irinazcui do Vapor
Francez, rna do Sa-
rao da victoria (011-
r ora rna \ova) n. 9.
Ao armszem do Vapor
francez, rna do Ba-
ro na Victoria (ou-
tr'ora rna IVova)a. 9
F0G0 CHINEZ DE SALDES
Para os festejos de Santo Antonio e S. Joao
Chegon grande porfo destes lindas fogoinhos japoneze?, francezes, e alleme?, de vista?
amito bonitos, fabricados especialmente para meninos e senhoras snltarern sem medo algum de se-
rem offendido*, alm destes foguinhos, lia muita pistola, craveiro, ti.mas e rodinhaa fabricadas no
paz por um dos mais a.'amados artistas ueste genero nesta eidade.
TRAQUES DA CHINA
Vende-se mais barato em caixas.
BALOES AEROSTTICOS
pequeos de 8 a 12 palmos de
papel de seda, de cores muito
bellos e facis de soltar se.
GLOBOS fe papel de cures
para illuminacoes e papis ar-
rendados proprios para ental-
lar bolos.
Xarope Hydrocotyla Az-t Pastilhas de Mannta
tica
A hydrocolyla aziatica orna planta que !
As pastilbas de Mannila s3o por certo a
medicina racional dos meninos, aos quaes
se acha muito a miudo em Mauricio. Borb'o, 18e ""'in com excellente resaltado
Singarope, Bomaaim, Madras, eontras prc-'f'l? f ,6? garganta, coqueluche e
vincias das Indias Orianiaca nnrla rlesrlA >aUa <*e aPel,te- Para elles n0 ba purgsn-
purg
le mais suave 0 que tomen com mais pra-
zer. Estas pastilbas previnam tambem as
convulses qoe resultan* dos accidentes da
denticSo, e tem ama acc3o maito poderosa
como o vern fago.
Deposito Pbarmacia Americana de Fer-
reira Maia 4 C roa Duque de Caxias n. 57.
incias das Indias Orientaes onde desde
moitos annos est empregada com a maior
tffi:acia contra as diversas molestias de
pelle, taes como o lichen, o eczema, o acn,
o prurido, o pemphigo, a lepra vulgar, a
elephantiasis, as ulceraees scrofulozas ou
syphilitic-is, assim como contra todas as
doencas cochee-idas debaixo do nome gen-
rico dartros. Experiencias numerosas feitas
pelos mdicos dos hospitaes de Paris, sobre- t
todo no hospital de Sm. Loiz, destinado es- '
pechlmenle ao tratarnento dos doentes deste
genero de molestias, provarao a efficacia
dessa planta nos casos signalados cima.
Deposito Pharmacia Americana deFerrei.
ra Maia <5r C, ra Doqae de Caxias n. 57-
Tintura da hina
bigode;
em
Ceme de Sob-nitrato de I "/"fe
restitui-llias a cor natura
1 minlos
Entre todos os preparados chimicos destinados
eolerisacio do cabello, de ve a Tinture da Chi
na, por aua uperioridade, oceupar ura dos mais
distinctos logares. Ella d ao cabello a cor que
se deseja, sero o damnificar, mais antes o conser-
LVAS DE PELLICA 2g
(francas e de cores para |
bomens e senhoras.
LEQUES para senboras {3
e meninas.
BRINCOS e pulceiras de m
ouro bom para senho- 35
ras e meninas.
$mnmnm&mw mmmmmmmmmm Rmmmmmmmm
SOTES FRANCEZAS, mai-
to interessanles contendo alm
da leitora, novidades qne fa
zem realzar mais o diverti-
raento as rennioes das non-
tes de Santo Antonio e S. Joao.
Calqado francez chegado de novo.
Maito boas boiioas para bomens, para senboras, meninos e meninas.
Quinquilharias e perfumaras
Brinqnedos para crianza
Noves soriimentos de nei
M mais resamidos que possivel, no armazem do Vapor Francez, ra do Birao
Nova n. 7.
sem numero deste artigo para entreter as crianess, todo a precos
da Victoria, outr'ora
L0JADEJ0IAS
Esquina da rna do Cabug n. 11
Confronte ao pateo da matriz de Santo Antonio
nm 4h!0 tt!S? imPrUnte eatabelecimento acaba de aformosea-Io, enriquecendo com
um granaee Deiio sortimento de ioias modernas, e de aparado gosto como seiam: Bo-
nai cacoieus e bnBcos de nix, brilbante e pedras preciosas, etc., continua a recebar
-JLr-' ?r n ?? P"9Mte8 novo sortimeoto, e encurega-se de mandar vir qoalqner
!?&' Co-!, awStaSTSooaro ?end-86 por precos mii ^ommodos, e garaate-ie a
Bismuto
O sob-nitrato de Bismutho um destes
raros medicamentos que podem-se qualidcar
de heroicos; com efleito se emprega com
um suenes o sempre assegurado contra to-
das as lezes das vias digestivas, taes-como
diarrhtas, dysenterias, gastritis, gastral-
gias, dores do estomago e da barriga, til-
ceraedes dos intestinos. Cada vidro acom-
panba urna colber qoe a doze.
Deposito Pharmacia Americana de Fer-
reira Maia & C, nw Duque de Caxias n. 57.
Joaquim Jos Gonpal-
ves Beltrao
Roa do Commercio n. 5 Io andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o
banco do Minho, em Braga, e sobre os se-
guintes lugares de Portugal.
Amarante.
Arcos de Val de Vez.
BarcellosJ
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilbi.
Faro.
Guarda.
GuimarSes.
Lamego.
Lisboa.
Mirandella.
Mon^So.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do Castalio.
Villa de Conde.
Villa Nova de Famalicao.
Villa Nova de Porlimlo.
Villa Real.
Vizeo.
Valenca. *
Figoeira."
Penafiel.
Regoa.
**************
* CONSULTORIO HOMEOPATHICO.
Deposito na pbarmacia amercana deFer-
reira Maia A C roa Duque de Caxias n. 57
Companhia Allianca
DE
seguros martimos e terrestres
estabelecida na Baha em 15
de Janeiro de 1870.
CAPITAL..Rs. 4,000:000/000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
a risco martimo em navio de vel'a e vapo-
res para dentro e fra do imperio, assim
como contra fogo sobre predios, gneros e
azendas. __________
E
Pomposa festa do glo-
rioso Santo Antonio
am Beberibe.
CMecaram no dia 3 do corrente as trezenas
deste glorioso Santo, com todo o brilhantismo, na
capelia de N. S. da Conceiclo, em Beberibe; sen-
do os versos cantados por senboras, qne de boa
vontaie a isso se prestaran), e acompanhados com
ama barmoniosa sorapbina; entrarlo sempre as
treienas as 7 l|2 horas da noite.
Todas as noltes, depols do acto, snbir aos ares
nm lindissimo balo.
Haver mais um trem que partir de Beberibe
as 10 boras da noite, tocando em todos os pontos.
COMPRA-S
moedas de-ouro epraia na loja da rna do M;r-
qnea de Olinda n. B8.
(Jompra-se
as'.es trnovos e usados: na ra do'Lnuera
dor n. 48, armazem.
'iompra-se ferro veiho, cobre e uieai s(lw :
no armazem junto ao trapicho Pelouriohe. toios
os das ntets, das 6 da mahhaa as 4 da t^rd^.
Compra-s plices
oa rna Nova n. 13, leja.
a ivia provincial
C'Jinpra-sb^
a obra em qnatra rolnmes o Thesoaro Pecioso
de oraches escolbidas para todas as necef.iidaiit-i"
da viJa chiila, pela Condena de Aodrlaw. revia-
t, corrata e angmntada por Mr. Mari t. aresois
podeTonrs: na'raa do Rao;f| n. i, tab-rm.
C'ompra-se urna esorav*,
Precia-se compra nma eserava que Ralba co
zinbar, eDgommar e fater compras, que ?fja na
taral desta eidade : na loja da ra da I r.peratriz
n. 26.
Fabrica de ft gao e treinta.
Compra se nm terreno, ou parte de pngeuho.
compreher-dendo grande cacbocira e a;oae para
fundacau da fabrica, naa proximidades Ha via ftr-
rea : tratar cora o emprezario, Silva Barroca.
roa do Marqez de Clinda n. 4.
Os senhores qne pretenderen! ac<;6>s desia em-
preza, queiram apparece". at o da 23 di corra-
le mez, quando ser fechada a cnbscripgo.
Pecbincha em Corti-
nados a 7$COO ra.
O l\\?.'\ compn o urna grande qoaoiidarle
dr forliqadns, delicadametile bordid-.i,
proprios para camas e jai ellas, qie vetde
lelos bara'os prfrf,s le 'Vi, RICO.
0^000, e 10(5 00 o p;r, seulo fazeada
que vale 50 atr ctnio mai. e veode-se par
ste preco, p\ r Icr se (Vilo urna granlo
compr* cm leilSo, umo ms f. sstm aa u-
dos, mas girsDi-fe. qoe pula peifeitny,
i>ta ra da Imperat'izo 00 loja de Pe. ei-
r da Sha ,v. <;.
CAMBRAIAS OORDiDAS A' OJCOO,
70l(i, e l(iKOO
O Pa>5o ien4e rinis^irca; carabrai brin-
cas ;om delicados btriados a lan n tr?,
teodo com buoit' s raminbes matiudos a
lpicos de cores, sen ;<> mudos 6 grandes
e vendomse a G0(X), ~iW e IOJ00O
por se terun com rado como tvamdos, m;s
garnte-se que e^tao prrfeius, itto a ra
da Imperairiz n 60 loja de Pe:eira da Si -
^a A. C.
CHITAS PRErAS AVARMDAS A*
3:5500
O Pjv3o venda cLitas pretas variadas
tecd-i 38 ciados cada pga, pelo barat-i
prego <\.i 3iJ.')00. garrnte-se que esto lor-
tes, portiinclM i ra di Imperatriz n. fio.
CASSAS I RETAS AVARUUVS A*
-_S:O
O P.^o vcn'ie ptfas de c* su pr;^>
avariadas linio 40 v*r.'s pelo buraio W*%
de o5vOO, ptchincbi ;i rna di laay:-
raria n. o.
CORTES DE C.'ZINKIiS COM ATARA
;'. l-r^O rt.
O P.ivJo v. t>-.le cm.' de c*zice4as da
qiriilriuhos pro. ; ,-j.a cjVjs e rt'T>;lps
de nuni.fis a < ;;*t)0 o corle de ralea ou *
tiO rs. o rifad'1, rendo 5 p/rrrs de lat -
gnra, e sendo es*a fienua taabasn reo
propria .'ira ro"pi i'h i>t,\:;S c vestid t
de p-v'j, ish roa da -nptra'rz n. <;
loja de IV'rtira da Si'v *. C.
CHITAS CO.M TOQUE DE AVARIA
:(iO rs.
O PavSo vnde ehRts d? cor fl as c m
um pequeo loqpM de a*s*ia 'O rs. o
covad", ,i roa da Impe: Iriz n oO.
PARA VESTIDO:; DE LOTO A fiO RS.
O Pd\lo vende meiir p:0lo crfesta!..
de pura I3n, proprio pirs \V,ndos de Kr..
el^m-em s"-rve pira rrupt* de h^tnens
meninos, por ser u e vende se 040 rs. o covade, [ or ter ri i
c)23prndj ccsjm vnrtt, ana ifnr.ra r*
queetl perfeiia, na laja de Pereira dailit-
va A. C ra di laaperatril n. t'.1.
Ohiti av'iada.
Ni loja do Patio tanda-M iapaiiai cLni
\*rde iisa e com tal p qnasw hMM de
atara, prlo baralia xo prrto de-..CU r>
o covaio, ou 00(00 a prja com 30 cov-
dos. E' grande pecbiadis ; na da Im-
peririz n. fiO.
Vende-se
jna i'ifj eosa btafiies ccirimotos psra famm
crave?, ctin mu pcaoeaa ito "Hrhasa a aw
c;do, teodo boa caeiriita, t.u i.t Boraaala d ..-
pipaeof. perto da ettato da ntka farraa ; a tra-
Mr Da I ja da ua do B rio da VlMtrta n. i
M!\
fMkiT-vt7
o esubeleeiflKMa lanaakaaaaa M Y b'TTCIXIT,
na rna ukou do K>>ar o n. li. sur n propia
urio preunder ratfrar-M p;.ra a Europa ; li.)
eabeteoitnento tan SMil.i co n. dos para f. m
lia t e'i.". bem frgn'.|n ; a irsiar o me.m
Oca Amonio IVreira de Oliveiea Mi la a-i-a a >m:<
rregaeaeqtM npt.i bares Imftim, entsjaan al
mmeme do P.rlo, nrfh'n laaMMft*, ccmeil -
fapatM de traoai de bosem, iffc.fi e r.p?r.
mo t icperl r ruli.iadi : na rea da Seala-
nnva n. I.
Vende-se
p- de laranJH de naaWaa da hlP3. [ pmi o rrastaaia.
Desappartceu no da 13 do selemuru de 1671,
do engenbo Artcagy, c:marca do Cabo, o escrav,
Je nome Pedro, crioulo, preto, alto, sec-o, p*s
grande?, pernas finas, olhos brancos, sem brba,
de 20 annos, tem falta de nm dente na frente, des-
confiase acbar-se nesta eidade, ou no termo de
Igaarassu', por ter sido do engeoho Tibiaga :
qaem o apprehender ple leva-I i ao dito cogenho
Aragagy, ou ra do.Impsrador n. 77, Io andar,
que sera recompensado.
Carta.
O Sr. Angosto Gennino de Figaeiredo tem ama
carta na rna do Imperador n. 28.
CAIXGERO
SI
DO
DR/CASAKOVA *
Wt Largo da matriz de Santo Antonio *
* n. 2. '
Consultas e visitas a toda a hora, ate
Sdicamentoa e carleiraa doa meibores fa
bricantes.
*************
Dinheiro joros
Preeisa-se da quantia de 3:000*000 rs. a juros
de nm e meio (. ao mez. com garanta e por ei-
pseo de nm anno, pagando-se as mesma occasiio
em qne recebar, os juros competente; qnem pre-
tender este negocio quein annunciar sua inoradla
para ser procurado, oa entao deixe carta feicba-
da nesta typograpbia cem as iniciaes C. e M.
Trocam-se
I ootas u caixas filase do baaeo do Srasii, com
Maoeno descont : ns loja da ras do Marqost de
Olinda n. 38.
Precisa se de nm qaa tenha pralica para ta-
verna : tratar na roa da Cruz n. 23, terceiro
indar. m
Santo Antonio, 8. JoaoeS.
Pedro
Algnidares, bacas, baledeiras vidrada?,
completo sortimeoto de loaeas; a ra da Impera-
tria n. 51, e do Rangel n. 16.
Carlos Mery, tendo de retirarse para o sal
no primeiro paquete qoe psssar, e nao podend),
como sen desejo, ir receber as ordens de seas
amigos e das pessoas qoe o bonraram com suas
visitas, devido a sen mi estado de sade, o faz
por este meio, pedindo atibares de deecnlpas.
Grande offlclna de metaes
BRAGA & PIMENTEL
Ra Nova n. 35.
Nesta offlclna trabalha-se em eocanamentos d'a-
gua, de latoeiro, caldeireiro, fonilelro, tem sorn-
ment de bombas de n. O a n. 8, alambiques, la-
xos, torneirai, vlvula?, tobos de chombo, sinos,
obras de rolha, bacas de ferro estanhadas, cobres
de engenbo, espumaderas, cadinho para rundicao,
todo por precos eommodos e promptidao para
qn.lqner trabalho.
PI ESPECIAL.
Pao especial e commnm todos oa diaa as 4 ho-
ras da Urde sabir do tono, podendo os fregu
zea eompra-lo anda quente, teado feito de farioha
especia I; na ras de Gervasio Pires o. 45, oova
paasrla americana. ______^___^_
Pharmacia de S. Jos'
Preeisa-se d'am servente qne ji lenha estado,
em botica; a roa de atircilio Olas a. 88,
' Precisa-se de um caixeiro d.j 12 a '.0 annos
de idade para a (averna da ra do Coronil Suas
sana n. 96, dando fiador de* sua conducta ;
tratar na mesma.
Aluga-sea casa n. 61 da roa do Moodego,
com eommodos para familia : tratar na mesma
roa, no sitio do portao n. 63.
VENDAS.
Fogos de artificio cinezes para
salos ejardins.
De effeitos maravilloso?, em caixinhas com va-
riado sortimento, no armazem de Tasso Irmaos &
C, no caes do Apollo.
Vende-se am cavado buui auJadur; par<
examinar na coebeira do caes do Apollo, do Sr.
Francisco Flix Gjncalves: a tratar o esripto
rio da ra da Moeda'o 4.
Salitre.
Salitre inglez maito superior, vende-se barslis-
simo para fechar factura: largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar, escriptorio de J. M. Pal
meira,_______________
Yende-se
ps de laranja de anibigo e da r hia, ps de sa-
poti e fraila pao; na Ponte o'Ucha n. 10.
Cunha Irmaos & C.
Rqa da Madre Deus n. 3i.
* Vendem:
Viohos do Porto, fiaos e de mesa, engarrafados
e em barra de todos os tamauhos, marcas antigs,
acreditadas e garantidas. v
Espeeialidade de vinho engarrafado, proprio pa
ra mimos oa pessoas doentes, oa que saibam apre-
ciar.
Viobo verde superior em barris de dcimo;
e oilavos. __________^_
Tinta lyrio navarrino.
Esta magnifica tinta de ascrever a mais fina,
mais forraoia e segara de todas at boje deseo-
bertas : mtntem-se sempre para, e nio uxyda a
peona, antes a esmalta e conserva. E' excessiva
mente subiil e parificada, a ponto de nuncaariar
borra, cresta ou bolor, Vende-se em frasco
polo prego de 1*000. anuamente para se tornar
conbecidi.
Balances decimaes
Moreira Dias avisa a leas freguezes qoe j re
ceben as balancas deeimaes de forca de 300, BOO e
1,000 kilo, tendo a altimas rodas de ferro : reo-
de em sen armazem roa da Gnu n, 26.
Wi.'ci II Wtf & u, v-.'uuetu no seu e.'ciipt -
rio :
COGNAC (loo. em BSisas de urna duzi> de car
rafw a SO* e i'.
VI.Ml ll.rleacx fiai>.-im.i, en caixas de urna
duzia u garrafas a VS
E n .^eas depsitos :
CARVAO de 1* juiiidaJe (oasanis e de vari:*
denominarais
COKK de iTgblerra.
Tudo por presos faaoasaai s asi teselada de II
arroba. ____________
nut m wm.
N. 63 A-ROA DA IMPERATRIZ-*!. 63 A.
Vecde-se espartiibos muit) b-.n.* f-ara seobora a
2*000, a ellea, antes qne se icattesa, assim coa-
botica* de cjrea e pretas i;r.i >-i hora. ehe|adas
no nllimo va^or inglez, a '300, 85, 5*300 e 6*.,
at 7 *, sendo astas maito bjas: :ccbo mais a di-
zer que s o Colar da Rainba ''e vender borze-
guins da trra para homem, obra maito bem fei:a
a 'i "OO. 5*. SjoOO 6' o px*, ende o propricta
rio desie esiabelecimeoto espera a ecncuireneii
de seas numerosos fregaeze* e regaetas.
Barriguda
No sitio n. 23 rna da Soledada < Boa vista), se
vende urna bonita macaca do P..r, uo chamados
Barrigudos e lambeta um vcado muito maao ;
prer.js convenientes : a tratar no escriptorio do I*
andar da rna do Commercio n. oa ao od
sitio._________^________________________
Fosos e sortes.
Amaral, Nabaco Si C avisara a seas amigo
fregaezes, qae acabara de receber ds Franca, e
Allemanha am variadisjima sortimento de f >goJ*
sortes de nova invencao, pr.prias para salas, e os
festejos das noite' de Santo Amonio, S. Joid e S.
Pedro, sendo papel farta-core, fugo de baaajals,
tourbeons, rodas, esirelinhaa, fcaunas, chava-
de fogo, quoriibit, e sortes era caixinhas prcpriai
para fuer-se presente : vende-se no Batar Vic-
toria o. 1
VENDE-SE
O ettabeleciroento de calcados aa travs*, da
ra das Crazes n. i A : i tratar ao
HOTEL.
Vende se um hotel bem afregoejao, na roa d
Brum n. 41, prximo eita;io dos bond : anata
o pretender dirija se ao mesma para ver e tratar
Calcado Pollak
A' ra da c adela naaaer* 44
Santos Falcao & C, i raa da Cadete a. 45, vec
dem superior ragalo Pollak para hornera, par
barato prego. Este calcado rtcorntaana se pela
especial qoahdade do cabedal a perfaieio, eos)
tambem pela elegancia e barateza.
AO CALCADO POLLAK I
BM
cus de Santos Falcio A Coraaaaaii
_______ Boa da Caaaata. 45.__________
WTEL
Veode-i o di ra d LarMieiri o. 30 *
iritar no roesmo.
X
cwmm



Uiaua d% i'flfatADaM Sexta leiru 7 O* Jkho I 1802
Ra do Bom Jess a. 55
Vendem
folhas prate^
4LTAS NO\iOADES El FAZENDAS tljljuq
Que se liquidam na loja
PAYAO
' A RA DA IMPERATRIZ N. 60
DE
FLIX PEREIBA DA SILVA
ac.
PARA. APBBAB DMHBIRO,
Neste importante estabelecimento encontrar o respeitavel publioo om avultado sor-
amento de faiendas, tanto de luxo como de primeira necessidade, as quaes se podem
vender mais barato do qoe em outra qualquer parte, attendendo as avajtadas compras
je faiendas, assim como por todos os vapores qoe cbegam d'Earopa se recebem novos
wrtimentos de fazendas de gosto e nma collecgao dos mais modernos figannos, as pes-
soas qoe negociam em pequea escala podem vir sorlir-se i este estabelecimento, qoe
ju Ibes vende pelos mesmos pregos, qne se compra nos armazens ioglezes, de todas as
Pendas se do amostras deixando ficar penhor. O estabelecimento do Pavao est
constantemente aberto das 6 boras da manba s 9 horas da noite.
Hambnrgo de pnro linbo tendo dos
nmeros mais baixos at aos
Lanzinhas com qoadrinbos de seda,
sendo de muito pbantasia, o co-
vadoa rs.......
Lanzinhas tecidas com seda, sendo
com booitos gostos inglezes
muio proprias para senhoras,
qaetemde viajar, o covado a rs.
Bonitas 13.ni o tus de cores, o co-
vado a rs. 320 e .
Poopeliaas de 15a, largas e lustro-
sas, o covado a rs.
Cambr.-t transparentes impe-
riaes. a peca......
OrganiyH tranco tanto de listras
como liso
FostBes brancas para vestidos e
roupas de meninos, o covado a
rs. 400, 8.0 e
Tarlatwa branca e de todas as co-
res, o metro a rs.
Filos br neos, lisos, de salpicns e
lavrados, o metro a rs. 700 e
Cortes de granadino de cores com
18 covados a 1-1-5 e
Cortes de medioa matbisados com
bonitas harras e muita phaota-
sia a i5i000 e
Gu;guroes oscuros muito encorpa-
dos pera roupas do meninos ten-
do msela de seda, o covado a rs
Para noivas
GorgurJo de soda branco muito
encorpado, o covado a
Grosdoaaple bronco muito alvo o
covado a ......
Dito !a'go muito encorpado, oco-
800
Ferro gavalnisa'do
ihu.
Leite condnsalo.
Cognac Martineau.
Vioho da Bordeo: em saixas
Tommard
Vormiy I
Hmi Paterna &
Peoillae
Vioho do Rbeno : SR
Scharlacbberger jfflj
Kislesheimer Berg T
Hochkeimer Berg
Marco Crumer tosiese m,
Kaueothaler Berg S
Steioberger Cabinet. W
Libras sterlinas.
Vende-se no armazem de faiendas de Angosta
?. de Ollveira C a mi ao Commerclu n. al

A MAGNOLIA
800
500
500
8,5000
40000
700,
960
16^000
200000
640
40500
20500
40000'
10280
140000
1500.0
100000
vado a
Setina branco muiu alvo, o cova-
do a25500e 30000
V.pacas brancas listradas iaita-
go do seda, o covado a .
P,;ojs rnellas com veis a .
C irtinid s para camas .
Coletos d* damasco de 13a, a imi-
iagl.5 de seda ....
0olcha3 de croch ....
FAZENDAS BRANCAS.
Pecas d'^odosinho america:o
35200. 4f, 50 e .
Bramante d'algodlo com 10 pai-
ra )s do largura e muito encor-
pauO. vara a.....
) d'j linbo muito encorpado
cora 10 pa'mos de largura, o
metro a 20000,20500 a .
Dito francez muito fino, o metro a
AlgOdosii.ho enfestadj p'ra len-
goes com 8 palmos de largura
e muito encorpado, o metro a rs
Dito trancado com a mesma lar-
gura e muito encorpado, o me-
iro a.......'
Atoalhirb de lioho adamascado
com 8 palmos de largura, o me-
tro a .......
Luto da a'godSo cora, a mestna lar-
gara, o raetr- a .
Dito leoehosdo fazenda d? moito
gosto cora 7 palmos de largara,
o metro a 13i0 o .
Dito t; ic$ado com 8 palmos de
largura, o metro a .
MAD.iPOLiO FRANCEZ A 70000.
Na toja do P.u3o vende se snperiur ma
potito franca! pe'o baralissimo prego do
70100 a peca o pechracha, ra da Imp3-
abril n. GO, luja do Pereira da Silva 4 C.
MADAPOLAO INGLEZ A 60000.
Na lo;a do Pavao vende-se madapolo ra-
do superior qu:-li>lade com 24 jardas
pelo barato orego de 60OCO a pega, grande
pechracha roa daltnperaliiz n. 60, loja
de Pereira da Silva.
Orculos delphicos
S:b este Mulo acabara de ser impressns cin-
cosata peguntas e re*postas para en'.reliroento
de reooi'Ps familiares as noules de Santo Anto-
nio, S- Julo p S. Pedro.
Essa* pergon'as e recpota9 inteiramente novas,-
sao interesHaotes e divertidas, sem que offendam
conveniencias on regra... de boa sosiedade.
Sem seren propriament o qne eolre nos se
chamara sones traum de desvenJar misterios e
segredos, olimos pensamentos e futuros succes-
sos.
S'rapre adequidas as respo.-tas expres^aro
dizer
30000
3050o
40000
I05ro
20COO
30000
10800
mais subidos que vm ao mer-
cado ......
Cobertores de 15o para camas ten
do de varias qualidades >
Ditos de algodao a .
Colchas de fust3o para camas,
tanto brancas como de cores.
PARA HOMENS,
Palilts de panno preto e de casemira de
cores sendo mais modernos o para todos os
pregos e qualidades.
Sobreca3acos de panno preto de
todas as qoalidades ."
Golletes de casemira preta e de
cores .......
Ditos de gurgurio de seda tanto
preto como de cores
Di ras de brim branco. .
Caigas de casemiras de cores ten-
do de 60000 a .
Ditas de dita preta de 60 at .
Ditas de brim branco de linho de
30500 a ......
Camisas finas cora peilo d'algodo
de 10600 at.....30000
Ditas com peito de linho tanto fran-
cezas como ioglezas, de 30500
at as mais finas que vem ao
mercado, tendo tambem borda-
das e em duia faz se grande
diilerenca em prego .
Ditas de chita franceza miudiuhas
fazenda de gosto a 20500 e .
Ditas de flaaella de cor a 20OCO,
30000 e ......
Ditas de meia de la muito finas a
Ditas de dita d'algodo a rs. 8U0,
10000 e ..... .
i fian Seroulas de panno de linho a .
t -snan! D'Us francezas de linho a 20800 e
' Ditas ditas de algodao a 10600 e
Collarinhos tanto de linho como
de algodao os mais modernos
que tem vindo ao mercado .
Puuhos de linhos o mais moder-
nos .......
Redes para dormir de d.ferentes
qualidades.....
Cbarabres de chita e de cretooe
Meias cruas francezas e inglezas
que se vendem a duzia a 30000,
at 8.>000 e.....
EXPLEND1D0 SODTI MENT DE GROSDENAPLE
NA LOJA DO PAVO
Brins d'Agola.
Mjntilhas li aseiras..
Granie pecbincJia era panno a 30000.
Saias bordadas a 40. 50 e 60000.
As 3:( 00 saias a 20OCO
GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE
Pereira da Silva & C. teem a honra de
participar ao respeitavel publico em geral,
e a seus numerosos freguezes, que no seo
esiabe'eciraeoto de fazendas, tem montado
orna magnifica ofcina de aifaiate, aoade
e manda fazer qualquer roupa de encom-
menda, tanto para boraens como para me-
ninos com a maior presteza e perfeigao, no
mesrao estabelecimento se encontra om
avnitado sortimento de todas as fazendas
para as mesmas obras de encoramenda, as-
sia como Dar qualquer luto: tambem na
mesma oficina se encontra o perito mestre
P^dro Celestino Soares de Carvalho, espe-
cial para fardas, tanto'dos Srs officiaes de
guarda nacional como de tropa de linba, os
quaes serao muito bem servidos por mdi-
co prego.
MADAPOLO A 30000 A PEQA
Vende-se superior madapolo inglez com
12 jardas a 35UOO a pega, grande pechin-
cba, na loja do Pavo ra da Imperatriz nr
60, de Pereira da Silva A C.
60000
10800
30000
30000
960
10200
30000
20000
20000
10600
100000
As floristas
A Magnolia receben pelo ultimo Tapor o qne
as senboras floristas pracisarem para fabricar flo-
res, como sejam :
Pestilbas de varias cores.
Bagas de vidros de diverses modellos e tama-
nbos.
Olhos para mal-me-queres e cravos.
Clices para rosas.
Bagas donradas para flores.
Polbas verdes, enceradas, prejas e de cores sor-
tidas em tamanho e teitio, e:c, etc.
Meias delata-
A Magnolia ra Doqoe de Caxias n. 45 rece-
ben dessas meias, muito boas, e vende por roeno
do que em outra qualquer parte : a ellas, antes
qoe se ac bem.
Candieleiros eeoaomlco3
Os eandieiros econmicos sJo na yerdade de
inveocao agradavel, priva a qaem dasejar embel
lesar urna sala de faier dnas despeas, pois que
tirando-selhe o deposito oode- se conserva o gaz.
tornase om lindo jarro para flores : qnem tem
a Magnolia ra Duque de Caxias n. 45, e vende
barato : a elle?, porque tem poneos.
Nao foi intilmente que a Magnolia roa Dut
qne de Caxias n. 45 fe escropulosa escolha
seus correspondentes as diversas partes da Eu-
ropa, porque agora lem a satisfaca de ir rece-
bendo seus pedidos, vinlo executados com tanto
esmero e gosto, que se ufana em expo-los apre-
ciacao dos amantes do bom, tendo a certeza de
serem pelos mesmos apreciaoos.
A Magnolia, nao est descontente com a fre-
guezia que tem adquerido em ao puco lempo, e
esforca se para muito mais; visto que tem con-
viccao de ser commoda nes pregos desuas mer-
cadorias, zeloza era bem servir a sua freguezia e
abominar a care>lia.
Ao bello sexo cora especialidade. a Magnolia
pede qne venha ve la pessoalmente agora que tem
recehido parte de suas encommendas, e pretende
ser razoavel nos precos tendo a certeza de que o
supprir do que bom e razoavel.
A Magnolia, se se tem esmerado em ter um
liodissimo sortimento do que ba de melhor no
mnndo das "nudas, porque nao desaja que sen-
freguezes sejam mal servidos em outra parte,
com objectos de mo gosto : e assim apressa-se
em mencionar alguns.
Bonitas golnhas e punhos, transparentes e la-
pdo, fazenda muito fina novidade.
Camisas, de linbo muito fino, bordadas e pro-
prias para noivos.
Chapeos de velludo e palba de Italia ultima mo-
da, para senbora e menica.
Chapellinas de eres e pretas, (novidade)
Ricos enf-iiies para senbora.
Bonitas fivelas de madrrpercla para pulceira.
Melos aderecos pretos, cacoletas, voltas, cruzes
brincos e rozetas de gosto moderno.
Variado sortrnento de capailas, bouquets e si-
po1 de botdes de flores de larangeira.
Flores de eres e pretas para chapeos e cabel-
l09- u- t
Liohas de todos os nmeros para croch e bor-
dado.
Chtpos de sol e bengallas com booitos eabos
de Qjarflm.
Bonitos chap"03 de sol para senbora.
Jarros transparentes para flores.
Ricos port Jotas, port cari5?s o port-money.
B mitas caixmbas com perfumara, propria para
presentes lando dsticos as tampas.
Ditas erm preparos para costura, ricamente en-
fetadas e com msica.
Bonecas, ricamente vestidas.
Lindas bolcinhas de velludo, com estojo para
costura e sera elle.
Albuos para retratos com com capa de madre
perola, marfira, sso e madeira. -p
Livros de iiissa, cam capa de nnRIreperol,
marlim, sso e tartaruga.
Carieiras de chagrn, com estojo para alg
beira.
Navalhas muito finas, com cabo de marnm e
ODILON DARTE
CABELLHP
N. 82 BA DA IMPERATEIZ N. 82
Esforgando-se para satisfazer ao illostrado publico no qoe relativo for o trabalboa
de sna profiss3o, com a maior promptidao, commodo, e esmero, resolver faxer rewr-
ma em seu estebelecimento e monir-se do qne nos mercados estrangeiroe ba de "Jbor
e do oltimo gosto mandando vir em direitura e por sna con-.a n5o s grande qaantldade
de cabellos de tolas as cores e tamanho como todos os preparados reconhecidos peas
sociedades bygienicas como os mais otis a conservagJo e embellezamento dos cabellos
naturaes sem prejui>o da sade. achando se assim habiliUdo a foroecer aos consumido-
res, por 20 / menos do qne ootro qualquer os objectos de pbantasia para sdoreo, s
seio e bygiene da cabega, in lispensaveis ao monde elegante e em geral a todos qoe o
dam de conservar a propria existencia, deixando de asar de leos, bubas e cosmeew
proscriptos pelos homens de sciencia como capazos de amortecer os bultos capilar**,
prodozir a calvice ou apressar o enbranqueciraento dos cabellos, e occasionar o appare-
cimento da cephalalgia, eclampsia, epilepsia e hysteria e ootras molesUas caUneas uer-
vosas.
pessoal do sea estabelecimento se acha montado com capricho a escolber dos
COSTURA
Chegaram ao Bazar Universal da roa No-
va n. 22, om sortimento de machinas para
costura, das meluores qualidades que existe
na America, das quaes muitas j sio bem
conbecidas pelos seus autores, como sejam;
Weller Wilson, Grover & Boka, Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
que com a vista deverao agradar aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalho que trinta costureiras podem
fazer diariamente e cozem com tanta per-
feigao como as mais permitas costareiras.
Garante-se a saa boa qualid.ide e ensina-se
a trabalhar com perfeigao em menos de urna
iiora. e os pregos sao lo commodos que
devem agradar aos pretenden'es.
_ para o qc, ----------r.....- ,
facilidade" e o gosto com que o Sr. Na^oleao executa os penteados mais diiceis lamo
histricos como de sua phanlasia autorisa a que se o considere como om genio nesta es-
pecialidade. .
Os empregados do sea estabelscimento sem excepgSo exclusivamente caoa om na
especialidade que mais amestrado .' ------
A casa recebe por todos os vapores os figurinos da nltima moda de penteaaos ao-
miltidos nos paizes civilisados entre os quaes prima o sumptuoso Paris.
O bello sexo encontrar no estabelecimento grande e variado sortitneoto de cofli**
de trancas, chinons, normanas, coques de cachos, cache peines, toupets, boucles^cretcen-
es do que ba de mais moderno e elegante neste genero, perfumaras d,s meib i fa-
bricantes como Lubio, John Gornell, Kimmell, Artikson, Legrand Ptter, Coudray etc..
etc., lindissimas fl res especiaes da ebega pos de ouro, de diamante para polvensar os
cabellos, finissimas escovas de dentes, pentes de tartaruga, e moitos ootros objectos m-
dispensaveis a om toilette de gosto.
Os seos collegas encoutraro a contento os ntencilios de soas profissoes, tbfsooras-
ferros para frizar, ferros para papel'ostes cardos etc., etc., quer em porc'so
talho ser5o vendidos.
a re'
Fariuha de rabudioca
Superior e muito propria pan mesa, era barr
ricas de farraha de trigo ; a lllU) rs. a barrica
nos armazens de Tas? Irmaos & '.__________^
Candieiros pora g sz
Vende-se lindos candieiros de bronxe, por pre
eos inferiores ao que custaram : ra dj Impe-
rador n. 31, esoripiorio da emnrfzs do gaz.
Padaria
Vende-se a padaria da Casa Forte, pertencente
a Gabriel O. Campo : para ver na mesma, e para
tratar com Tasso Irro3cs & C.______________
Era casa de Tisset freres, na ra do Com-
mercio n. 9 ha para vender :
Agua de Vichy das fontes Haubeiwe, Celestino,
Grande Grillo, Hospital e Mesdames, em caixas
de 50 garrafas.
Agua de Cbateldon, excellenle agua de meza,
em caixas d- 50 (-amia?.
Agua de Vals das tontos Presiensc, Magdaline,
Desire, Saote Jean, Rigolette e Donimique, em
caixas de i4 garrafas.
Ccgoac das marcas : Blanchy frres 4 C
Royer Guillet & C.
Mariel frres de Vtlros.
m
O Coraqao de Ouro liquida
de acabar o estabelecimento,
qao mesmo nos preqos das entradas.
N 2 D Ra do Cabug
m^mmmm^
suas jotas
ha grande
por ter
reduc-

N.2D

Kival
gfffaudo
sem Efi
Roa Duque de Gaixia n. 91, loja de miu-
dezas de Jj= Bigodinho contina a vender
h.io quanto tem em seo estabelecimento
pelos pregos abaixo declarados, a saber :
ESTRUME
O liquor de ammoniaco, das fabricas de gaz, '
nm dos Estrumes mais recommendavel para fer-
tilisr a trra. Ple-so obter na fabrica do gaz,
em S. Jos, que tem para vender, a 200 res a ca-
ada.
tartaruga.
Grampos coro flor de madreperola, novidade.
B.initas caixas de tartaruga para rap.
Sapatos de la, bordados era talagarca.
Camisas bordadas para hornera.
SO' NA
MAGNOLIA
45Ra Duque de Caxias45
DE
SA* LEITO. FONCEG\ 4 G#
Modernas e lindas casaquinhas
para senhoras
A aguia branca roa Dnque de Caxias n. SO
muUas vezes anillo que nao se atrevera a d.zer b peqaen.quantiJade de lindas casa-
anao8erembnnco.serv.nloooih.rouo modo quinbas de isbraaca primorosamente enfelladas
modernas
de dizer de dar Ihes torca necessaria para aquel-
es a quem sao dirigidos.
Cada baralbmbo costa 1*300 e achara se ven-
da na livrarit Ecooomiia ao p do arco do Santo
Antonio, e outras.
A SOMNMBULA
Novissimn livro d* sortes para as nonles de
Santo Antonio, S. Joao e"8. Pedro.
Ac '>i de ser publicado o livro cima, o qnal
con. oraa lioda coleccao de bonitas, inters-
sant-- > chitoss orles e Roalmente nma col-
eto, 'e recitativos compostos por grandes e
affai poetas desta epocba.
'. < m que este livro nm dos melbores in-
tret.- itos para as rennides familiares das tao
fas'.- a* e spreclaveis noules cima ditas.
Ac',1' se i. venia t 1*000 na livraria Econmi-
ca ao i' do arco de Santo Antonio, e em outras.
com setim de core?, obras essas to
qolo lindas. A provadessa verdade est no apre-
co qoe ihes esiao dando as Exmas. apreciadoras
do bom.
Collares Royer
A aguia branea, ma Duque de Caxias n. 50,
contina a rerpbpr por todos os vapores francezes
urna derminada quantidade desses ipreciaveis
collares, contra as convulsoss e a favor da denti-
ca das criancas.
Ra do Crespo n. 20 alpacas mescladas com bar-
ras a 500 rs. o covado dita lisa de tod a3 cores
a iO rs. o covado grande pechiacha loja de
Gnilberme C. da Cunha de C.
Fa inlia de niilho.
Vende-se farlnba de milho moida a vapor, dia-
riamente, pelos pregos segointes : grossa para
raogunz a 90 rs., dita para ang, pintos e passa-
rinhos a 100 rs., para cangica e pao de Proyeoca
a 120 rs., e para cuscus a 140 rs., em arrobas
mais barato : na ra do Cotovello n. 23.
Grande pei-hiutiha.
Golletes de casemira, muito boa fazenda e lin-
dos padrees 34, ditos de brim oranco superior a
la. pale'.its braneos de fnstlo a 4J : na ra do
Hario da Vietorla n. 14.
Vende-se
nm florado de dona andares, sito roa da Moda
n. 19, e os terrenas qne fleam aos fondos. Tem
frente para a travessa da Companhia Peraambn-
cana e capaeidade para deas armazens proprios
para recolhimento de algoio ou quips,juer on-
tros gneros, por ser porto do embarque: i tratar
em casa de Tasso Irmos & C.
Para aeabar
De um grande sortimento de chapjs de todas
n qoaiidadsie; na prtQa da .ladependeccia n.
n
Cerveja de Noruega.
Verdadeira o superior : venda nos armazens
de Tasso Irmos A C. ______________^
Ferro Sucia
Em barras de diversas largaras: vende Pereira
da Cunba Irruios, a ra do Mrquez de Olioda n.
21, andar,
A 4:000
Vende-ae estojos para viajen com OS hu par-
tenoes, tendo theionra, caivete, eieova, peste,
saboneta, ele^ pelo barato preco de 4^060. venia
ao Rival do ftsct& 99 A
MACHINAS
PARA
LfflR 1NPA
Moreira Das, roa da Cruz n. 26 avisa aos
seus freguezes que j receben as desejadas ma-
chinas para lavar roupa, tratando ellas desta vez
expremedor.
Estas machinas tem a vantagem sobre as ou-
tras de lavar e expremer em menos de cinco mi-
nutos para mal de cincoenta pesas de roupa;
sao muito proprias para ?s pessoas que se dedi-
cara a tomar roupa para lavar e engommar, visto
sabir a roupa do expremedor quasi que eoobnta,
trazendo a vantagem da economa de teropo qne
se espera a n de enchugir e poder-se engom-
mar ; o aonuneiante o nico agenta nesta praca
das referidas machinas, e por isso as vende por
preco muito commodo.
J. A. Moreira Das
tem constantemente em seu armazem ra da
da Cruz n. 26, e veade por preco- commodo o se-
guiote :
Graixa em boides N. 97.
Bataneas horisontaes .para cima de balcio.
Camas de ferro ceta colxio de molla proprio
para rapaz solteiro.
Aparelhos para chi do melbor metal do afama-
do fabricante Cbrystcde.
Ac de Milis ido.
Agna Florida venhderrs.
Maebinas para eopar cartas,
Cbaoiaes ds vidro para candioiro ft-sju,
Libras de laa para bordados a
Clisas com superiores gram-
pos francezes a rs.
Talberes para meninos a 240
rs. e
Libras de linha de novello de
a. 80 120 a
Leogos decassa com barra a rs
Varas da franja branca para
toalbas a rs.
Dozia de meias finas para se-
nhoras a
Misso de palito seguranca ars.
Navalhas fazenia superior a
Caixas com penoas d'ago a rs.
320, 400 e
Caixas com papel amizade a rs.
Dita, dita, dita beira doura-
da a rs.
Cairas" com eavelopes a rs.
50J, 000 e
Pessas de fita para coz com 10
varas a rs.
Duzia de linha frouxa para bor-
dar a rs. 400 e
Baralhos francezes muito fi-
os a rs.
Ditos de beira dourada a rs.
Buzia de agulhas pata machi-
na a
Libra de pregos francezes a rs.
Resmas de papel branco liso a
Ditas, ditas pautado a
Duzias de sabonetes muito fi-
aos a rs.
Duzia de linha de carritel
Alexndre a
Croza de botes madreperola
a rs.
CartSes de linha branca e pre-
ta a rs.
Thesooras muito finas para
unbas a rs.
Groza de botes de louga
i rs.
Pares de sapatos de couro
para meninos a
Caixas com 4 papis de
agolbas fondo dourado a rs.
Frascos de oleo Oriza supe-
rior qualidade a
Caixas de folba com palitos
de vella a rs.
Pessas de fita de la para de-
brum de todas as cores a rs.
Pessas de fita branca elstica
para debmm a rs. ^^
ITTEN&O
REDUCTO EM PRECOS
60000
ICO
400
1^500
100
120
40500
200
tfOUG
5)0
700
800
800
440
500
240
320
20000
240
30500
40000
700
10000
500
10
500
120
20000
240
10200
200
320
200
Na loja de fintonio Pedro de Seo Soares, na roa
Baiao da Vietoria n. 28, outr'ora ra Nova
E' BARATISSIMO
do
MIUDEZAS.
Caixa de liaba de marca ars. .
Duzias de pegas de trangas de cor-
do imperial a rs.....
Dnzia de pegas de trangas de cara-
col brancas a rs.....
dem idem lisas a rs.....
Dozia de carto33 do linha preta e
branca a rs.......
dem de pegas de fita de linho chi-
neza a ....*...
Resma de psp'-l pautado e liso a
3^000, 30500, 40000 e .
Caixa de papel amizade muito
superior a rs......
Mem idem de qoadrinbos a rs. .
Caixas do envelopos finos de por-
celana ais.......
dem idera a rs. 400 e .
dem de pennas a rs. 400, 500 e .
Abotoaduras para collete, grande
variedade a rs......
dem douradas para punhos a rs.
Dozia de baralhos francezes a. .
dem idem idm canto ajorado a
iT.inpannas a gaz a .
Duzia de talberes 2 botes a .
I iem idm 2 b jtes (com pequeo
toque) a.......
Grosa de botes de osso pretos
e braneos a rs......
Completo sortimento de fitas de
sarja, de todas as larjfcras, co-
res e pregos.......
MODAS.
Coqoes de trangas modernos a .
Diademas modernos a rs. 500,
tiie........
Grinaldas para casamentos a 30, e
Gales e trangas de seda de c&res,
a pega de 10000 a .
Mimosos leques de osso para se-
nhora a .......
Silio da Ipyranga.
Em Afogados
Vegde-se om com baixa de campim, coqueiros
de frnctos e novos. diversas frocteira, cwa de
taipa coberta de telba em mo estado ; tratar
oo Coraco de Ouro. ^__
SEDAS
Ricas ssdss para vestido do melbor gosto por
baratsimos precos : s o Trlumpho da Boa-vis-
turna da Imperatriz a. 20. (
Tloxovaes para baptisados
Hieos enchovaes nars baptisados pelo barailssi
mo Dreeo de 16^000 *eda om : rto rriumpbo
da Boa-vjsu, rna da Imperatrii n 20.
As 2,000 as.
Saias anas om babados frisasoai a 3*000, di-
tts no babaunkM bordados a 3*500: s se
aebaa oo Trmopoo da Boa-visU, roa d* Imps-
ratri n. 30,
dem idem da sndalo com lan-
280 tejoulas a.......WOO
dem idem a imiacSo a 20200
320 Luvas de pellica para homens e
senhoras, o par 5C0 rs. e 30OCK'
Transparentes cora paisagens para
janelasa.......I1JM6
Bico de seds preto e branco pega
de 2-3500 a......7#00o
Fita de seiim Ma o cscosseza lar-
ga, vara a......UDOO
Coarihos bordados para homem
duzia a.......UM
dem idem lisos a.....7ICO0
Temos de thesouraa ero raix'otos
oque ha de uas fioo a CJOOO e 0000*
Grande sortimento te eninmtios
e babados ta ^pa-
renles para toJus os presos. .
PEHFUMAKIAS
Garrafa de agua florida verda-
deira, a.......I03O-.
dem idem kananga doJapSoa 1030
Frasco de oleophilocomeverdadei-
ro i........10Of>
50501 Ide0u idem anl'Qje a rs- 40? e ^
11 sas com extracto a 1080
Frasco com extracto de 10000 a 40000
Magos de sabonetes inglezes muito
bons a rs........ 60i
Banha ingleza muito superior de
rs.500a....... 2J0O'
Duzia de sabonetes de anjinuo a 2000
dem idem de corag3o a 1#BC0
Pacotes com pos de arroz mui-
to fino a rs. 3C0, 400 e 500
Caixas com dito muito fino ka-
nanga a........1150
Frascos com agua de Colognea rs.
30000, 500, 10000 e.....1050
Garrafas com dita o que ha de me-
90000 Ibor a 30000 e.....40000
400
20C
120
10000
40200
700
640
800
50G
10000
200
500
2600
3-jGOD
1020*.
40300
200
50000
20000
50500
ESPELHOS DE MOLDURA
De todos os tamanhos e pregos, moldaras para qaidros, boneclas e brinqoedos para
criangas e ama ifinidade de objectos que se tornara longo mencionar.
N. 28 Ra do BarSo da Victoria N. 28
ATTENGAO
em cores e letras para senhoras,
Perfumara Boa, ingleza e franceza.
A imito afamada agua de colonia de Mara
Faria.
Diademas dourado) e de bfalo,
Pentes modernos para o cabello.
Grampos especiaes para o cabello.
Broches e brincos de madreperola.
PIons artitieiaes, a meiuores e mais bonitas
qoe se acha no mercauo.
Redes para coques grandes,
Coques a imitaco.
Em casa do cabellereiro Libanio, iravessa da
ra de Santo Amaro, ao fundo da loja da Norma
ra Nova.
Veoe-se
um grande "obrado em Oiiada eoatsads 3 salas d.
freate, 6 quaos, 1 dito para baatoo, sala par^
iaalar, cozimia. :t lojas, eom om aWo la cr**^
Lnvas de pellica, excellentes, frescas e sortidas ioo palmos de frente e 300 e taaSia da tat* ato
Mbaricno com frocterras, sapotiaeiroe,
ras, flgueiras, pinheiras, roangabelra, aaaafoain.
ara?azeiros, eajowros. superior agua, e nasa rica
cacimba, na roa da Maafabeira n. I: a tratar ia
rna da Hoeda n. 3t\ osi no aseemo no aos do-
mingos. _____^.^
Vende-se
terrenos em Oiiada, sWo da
redos de frocios e tambam aess aar arkorisaia, por
nrecos baratos; a tratar aa roa da Meada a. W.
oa no mwaw *" o* doawasjaa.
Tinta vilete
A Agua Branca i ra Duqne de Caxias n. 50.
recebea a superior tlnu violeta do acreffluao
fabricante Adrien Maurln, e como sempre, veade
baratissimo,
Ourot
bras startaa : vaaaa-se m roa da Apasto
20, escriptorlo. ^_^
Lehmann Frer
Yendom libras stsrliasu.
[

l


l'l tipil "
J

!'
Wwn. rmkiimc 'L 'Sexta flriTTW1!^^*!^
"
65

RA DO DUQUE DE CAXttS .
(Outr'ora do Quemado)
Ette. estabelecimento acaba de receber om importante sortimento de diversas (a-
iendas proprias para vestidos, sendo poupeflnas de seda, sedas, laas, percales, ditas coa
Barras proprias para babados, liadas cambraias croz, e em [ira urna infimdade d'arti-
gos de moda, tudo proprio para a festa, o que todo vender por precos inteiiarnenU
raioaveis, em conseqoencia de estarmos prestes ao fim do anno, e o 05 nao quer te;
grande trabalho com o sea balaoco, preferindo tomar diobeiro a fazendas, convida-st
portante ao respeitvel publico a virem sorlir-se na loja do 65 aonde comprarlo por pre
(Of qae Dio obterSo em ontro qualquer estabelecioento; em fim ver para crer
ROA DO DOE DE GXIAS
(Oatr'ora do Queimado)
Rival sem segundo
Hua Duque de Caixias a. 91, loja de
miadezas de Jos de Azevedo Maia e Silva,
conbecido por Jos Bigodioho, contina a
vender todo que tem por menos do que
em oatra qualquer loja, a saber :
Correales pretas de borraxa
para sentara a
Garrafas de agua Florida verda-
dera a
Gaixas com obreias de massa a
Frascos com macaca perola a
Pacotes com poz de arroz fa-
renda fina
Pares de botoes de osso
para panno a
Sabonetes de bolla muito lino
a 160 e
Cartas de alfiaetes de latSo
fazeada boa a rs.
Carriteis de retroz preto com
i oitavas a
Capacho de palba muito boni-
ta a 600 rs. e
Frascos coui oleo Philocome a
500 rs. e
Pares de sapatos de tranca
para menino a
Pessas de tiras bordadas a
500, 600, 800 rs. e
Frascos com agua de Colonba
muito boa a rs.
Gravatas pretas e de cores a rs
Pessas de trancas modernas
de todas as cores e todo o
preco
>. Libra de areia preta muito
boa a
No vellos de linba coa 400
jardas a rs.
Livros da misso abreviada a
Silabarios portuguezes a rs.
Cartas com 100 coatas im-
presas a
Caixas com 30 novellos de li-
nba gas branca a rs.
Gaitinhas para meninos a 40,
60 rs. e
Caixas con 12 frascos de
cbeiros a
Caixas com 6 sabonetes ami-
to fiaos a rs.
Pentes para segarar cabello
de menina a 200 rs. e
Chapeos brancos para bapti-
zados i 2.5500 e
Copiobos com superior banha
a 200 rs. e
Frascas com oleo para cabel-
lo fazenda fina a rs.
Frascos com oleo Baboza a
500 rs. e
Frascos e garrafinhas de agua
de Colonba a
Frascos com verdadeiro azeite
para machinas a rs.
Redes com contas para segu-
rar caballo a rs.
Latas com banha de Piver a
200 rs. e
Garrafas com agua Celeste
muito fina a
IfloOO
14300
40
200
500
200
240
80
600
700
10000
iJiiOO
15000
500
4C0
160
60
1,51500
400
1)5500
500
80
1^500
800
320
40000
3201
320
10500
500
400
320'
1
A 4^500 rs.
Vende-se sacos de muito bora milho : nos ar-
mazeos nu do Amorim e caes do Apollo, de
cssoa Irmos & C.
**$* **$*$* fttt**
4JP T.o" o- o r> e a>
5j*,3> c S?i 5
! S* o a 5 g


? 5 <=
-eS ,,B 3 g-na-
so SSS-g5*s _
?2.
sSSB
SS-o-SBSg^g ^
3? o 2 gfllg13
a S ptj o. 2 B =* g -
"S^gSgo- O
P2.o:* ogf l
m
P3
P
eo
Q*
O
*
m
v a
2. "
O
*
i
i
00 *OQ && ooo
Ra de Dnqne de Caxias n. 50
Receben :
Lindas caixinhas com os necessarlos para (mar-
car ronpa, sendo abcedano e nuroeracao, frascos
com tinta preta e encarnada, pinceis etc. etc. o
que de certo novidade em tal genero.
Novos coques grandes com bonitos desenhos
vindo entre elles alguns enfeitados com Cus e flo-
res ; assim como bonitos crespos.
Aderemos encaroados de raadrcperola.
Crnies pretas com enfeites domados e ontras
brancas de christal.
Casas de pedra e cal muito
baratas
Urna senhora viuva lendo de mudar-se para f-
ra desta cidade, vende urna casa terrea em terre-
no proprio, na rna Imperial, leodo dnas salla?, 2
qaartos e quintal, por urn cont e quinhentos
mil ris, cojo alogael de 15 a lf>*000 mensal,
e 12 meias-agua< urnbem na rna Imporial, na
trrvessa da Bandeira, igualmente em terreno pro-
prio, ten do cada nroa de 11 as nma perla e jaoella
na trente, a excepcao de orna que tem daas ja
nellas, e todas nma sala e dous quartos, dez das
q'uaes tem terreno atraz, qne abrindo-se nma
porta, ple ter o sea qaiatal; vende-se a 5001,
seo alnguel men nellas para 8#000 ; mas qnem quizer orna on
duas sero vendidas a razao de 600/000 e a de
daas janellas por 700000 t. Estas casas estao
edificadas na roa Imperial, bera perto donde ac-
tualmente param os bond?. J quem tiver pouco
diobeiro, pde-se chamar proprietario on morar
em casa propria. Os pretendemos dinjam se
rna das Triocheiras n. 48, a casa do Sr. solicitador
Burgos, o qual est antorisado a contratar, mes'
mo a praso com g?rantia idnea.
Smaocome
Tnica especial contra a calvlce
Com nm bello sortimento de perfumara que a
Aguia Branca acaba de receber reio tambera o
apreciadoSmaoconecujo proveitoso efleilo
j bem conbecido por quantos o tem asado e ser
ainda mais por aquelles que necessitam de sua
atilidade. O continuado nso do Smaucome d o
bom resaltado de impedir a queda dos cabellos,
faze les renascer e conservar o sea brilho natural
alm de que sea odor mais agradavel que d'ou-
tro qualquer tnico continaa a ser vendido nal oja
:da Aguia Branca.
Leite de rosas brancas
Excedente para acabar com as sardas, pannos e
espinbas no rosto.
Vende-se a l| o frasco, na leja da Aguia Branca
roa Duque de Caxias n. 50.
Bonitas caixas com perfumaras
proprias para presentes.
Vendem-se na loja d'Aguia Branca roa Duque
de Caxias n. 50.
Agua Florida.
Acaba de ebegar novamente a afamada agua
florida de Gaislaio para tingir de preto os ca-
bellos brancos. Como sabem os qne tem nsade
dessa apreciada agua, o sea efleitono instant-
neo porm seu resultado segaro e efflcaz. Che-
goa tambem a agua de Topasio para o roesmo fim,
e continuam a ser vftididas a 7 c frasco na loja
d'Aguia Branca ra do Duque de Caxias n. 50.
Molduras dour&das para qua-
dros.
Na loja d'Agaia Branea a ra Duque de Caxias
n. 50 vende-se moldaras doaradas com diflerentes
Moldes e larguras, e por pre;o commodo.
Peanas de aqo bico de lanqa.
Caixas com 100 penas a 400 rs. na loja d'Agaia
I Branca.
)! Bonitas capellas com veos para
noivas.
Vendem-se na loja d'Agaia Branea a ra Duque
de Caxias n. 50. Tambem se vendem separada-
mente bonitos veos ou mantas bordadas para noi-
vas, e veos de cores para cbapos.
Escumilha preta fina e larga.
Vende-se na loja d'Agaia Branca roa Duqu
de Caxias n 50.
Botoes
Cobertos de esguio proprios para carnizas, e por
sua duraco preferiveis nos de madreperola.
Vende-se na loja d'Aguia Branca.
Caixinhas com 3 sabonetes finos
a l, 14200 e 1*500 a caixa.
Vende se na loja d'Aguia Branca.
Talagarsa
Seda frouxa e torcal para bor-
dados.
Vende-so na loja d'Aenia Branca.
MDH?

DE JOIAS
ESMERALDA

GRANDE LIOUIDAQO
Fazendas e cbapos de sel de seda
Bazar Nacional
Ra da
n.
72
GUIMARES.
Imperatriz
DE
LOURENCO PEREIRA M.
Lqnida-se
Grande sortimento de cbapos de sol de seda, alpaca e merino
A SABER :
Cbapos de sol de alpaca a 30600 e 40000. Ditos de merino a 40500. Ditos fe
seda a 80, 80000 e 100000.
Vndese ora grande sortimento de cbapos de castor para bomeos e mmirjof.e
Acaba de ebegar a este estabelecimento um importante sortimento de joias de
ouro, do melbor gosto e qoaWade qne tem vindo neste genero, como cassoletas de
nix com lettras de diamantes e pinturas Anas, derecos e meios aderecos com pedras
finas, etc. etc.
Ra do Cabuga' d. 5.
Moreira Duarte & C.
de todos 01 tamanbos
e 30000.
RA DA
ROPA FEITA PRETA
Vende-se :
Calcas de casemira preta a 40000, 60000
e 80000.
Palitots de panno preto a 50000, 70000
e 100000.
Golletes de casemira preta a
e 40000.
Palitots de alpaca preta 30, 30500
40000.
a 20500, 30000, 30500 e 40000. Ditos de pello a 20 20500
IMPERATRIZ N. 7 2.
MADAPOLAO A 30000 A PECA
Vende-se :
Pecas de madapolio enfestado i 30Otv,
40OOO, 50000. 50500. 60000 e 80(00.
ALGODAO BARATO A 30OUO.
Vende se pecas de algodio a 30, 40, 50
30, 30500 e 60000.
CORTES DE BRIM 6e CORA 10500.
Vende-se:
Cortes de brim de cor parac*!;a a l|5O0
9 2000.
Ditos de gnga a 10000. D'tos 4* bria
pardo a I0OO, 10800 e i 0000.
CHALES DE UU A I0OOO.
Vende-se cbals de 12a em qnadroi a
10OOO. Ditos de merino estampados a 25.

3 a *
s
3.
B9
I ao o m O I o
11
Capricho.
Vende-se o engenbo Caprieno, distante da esta-
ci de Una urna on duas leguas, movido por
urna exceilenio machina vapor, e com optimes
terrenos para saffrejar quatro mil paes annuaes:
a tratar no mesmo engenbo com Joaqulm Jos de
Arla, ou nesta cidade com o sea correspondente
o Sr. Joaqaim Rodrigues Ttvares de Mello, com
eteriptorio praea 4o Corpo Santo n. 17, primeiro
andar.
AGURDENTE DE CA1SNA EXTRAFINA
EM GARRAFA.
Vnie-se tu rna do Encantamento n. 5, prl-
meiro andar. ______________________________
Arroz de casca
Superior em saceos muito grandes: nos arma-
unadeTasso Irmios C.
A verdodeira eervejt da Boviera, urea ban-
deira, de superior qoalidade : vendem Tasto Ir-
mi* k C. em sen armaiom da nu do Amorim
Queijos
Vende-se soperiores qneljos de manleiga e de
qtulna multo frescos : na roa da Madre de Daas
B. I.
Objcctos do Ferro.
Cadeira de balanco.
Camas para solteiro e casados.
Lavatorio ( completos )
Retretes o melhor que tem vindo at boje.
Cadeira?, Cameps para jardim,e ontros mnitos
ObjeCtOS.
Vende-se muito barato para acabar, na loja do
lonca da porta larga a rna Larga do Rosario n
26 de Joaqun Antonio Pereira & C *
Csndieiros Ba'&tos.
O sortimento mais completo que tem vn do a
este mercado ; acaba de receber, a moiio amiga
loja de louca da porta larga a rna Larga do Re-
sano n. 26 de Joaqnim Antonio Pereira & C.
Cera em velbS.
Cbegada ltimamente de Lisboa : vende Pereira
da Cunba Irmaos roa do Mrquez de Olinda
numero 21.
Fogos artifteiaes.
Allemes, em caixas bastantes sortidas : vnde-
te ra Mrquez de Olinda n. 21, 1* andar. -
Cemento portland
Em barra grandes : vende-se a ra do Mrquez
de Olinda n. 21, 1* andar.
Oleo de linhaqa
de boa qualidade, em barrie: vende-te a rna do
Mrquez de Olinda o. 21,1 andar.
MIAR M UH
N 63 A. Ra da Impe-
ratrsn. 63 A,
ARMAZEM DOS LEES
Rna Duque de Caxias n. 29.
Os proprietarios deste bem montado estabelecimento scientificam ao
respeitavel publico dista provincia qae se acham com um variado e completo sorti-
mento de movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escoluidos por nm dos
iosos qae se acha actualmente na Europa. O mesmo tem contractado com os melbores
fabricantes daquellecontinente as remessas das mais ricas mobilias feitas all.
Na offiema tem os mais habis artistas deste genero, e por isso pedem que ve-
nbam visitar o estabelecimento, aonde encontrarn a realidade do que acabam de expr'
ue se pode examinar; ricas e completas mobilias de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, a-
marello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao setirc, amarello, etc., etc., guarda
vestido de amarello, guarda louca de nogueira e de amarello com tampo de pedra, apa-
radores de dito dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amarello, pedra, secretarias de Jacaranda e mognocus tureiras ae mogno, san-
tuarios, thears para bordar, bercos, lavatorios com espelho, de pedra marmore e seus
pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e muitos ontros artigos que dehamos de
mencionar por sejtcrnar enadonbo
DE
STRA
DE
MANUFACTIIR1NG COMPANY
Grande reduepo de presos !!!
90^000. 90^000. 90^000
AVISO ESPECIAL
A alta repoiacao obtida pelas machinas fabricadas pelo
!
l t f
tem levado diversas pessoas a fabricar imitacoes que ellas vendem quasi sempre sob
pretexto de serem ellas fabricadas pelo systema Singer.
&NENHUMA MACHINA HIX-
CKR K' LECiiriMA SE
NAO LEVA ESTA MARCA FIXA
\Q BRAVO DA MACHINA.
PARA EVITAR tOilRA
FACCOES NOTEM-SE BEM^
TODOS OS DEVALHkS
MARC.
MARCA DA COMPaNHIA
A companhia, dse jando protegrseos amigse fregueses contra as imitacoes, tem
adoptado a marca cima representada.
- Previne-se ao publico de n9o comprar machinas que nao levem a marca da
companhia.
W- H. CHIPMM
NICO AGENTE
* N. 45 Ra do Imperador N. 45
Chitas a tOO rs. o cavado
Vende-se:
Chitas francezas largas a 200, 320 e 360
rs. o covado.
Riscadinbos de listras proprios para ves-
tidos e roopas para meninos a 320 e 3(50 rs. I IT^krJm
o covado. 3tfe4000
. .. Camfrrala lisa a
LAASINHAS A 160 RS. O COVADO
Vende-se:
Uasinbas para vestidos a 160, 200, 320
e 400 rs. o covado.
Alpacas de listras de cores para vestidos
a 500 e 640 rs. o covado.
Ditas em quadros de seda fwnU nova
a 800 rs. o covado.
SfOOO.
Vende-se pecas de cmbraia iisa par?
vestidos a 3;5, 4 e 5|j000.
Ditas de cambraia Victoria a 305O-"'.
4500 e i&0(0
BRAMANTE DS LIMIO A 250O
Vende-se bramante de linbo muito larg:
a 25500 o me'ro. E ontras muitas fazeoiM
\u se venda muilo barato.
Samuel Power Johns-
ton & C.
jRua do Apollo n. 38 e 40
Fazem sciente aos seas fregaezes que teem
modado o sea deposito de machinas a va-
por, mocadas e laxas da muito acreditada
fabrica de LowMoor para ra do Apollo n.
38 e 40, onde continuam a ter e mesmo sor-
timento do costme.
Fazem sciente tambem que teem feito um
arranjo eom a fundicao geral, pelo qae po-
dem offereeer-se para assentar qualquer
maehinismo e mesmo garant lo.
Os proprietarios da fuuJicao geral tari
scientes aos senborea de engenbo e man
pessoas, que teem eatabeleeido ama lundi-
cao de ferro e brouze a roa do Brum, jun-
to a estaco dos bonds, onda aprontxria
qualquer obra de encommenda eom peifei-
co e promptidao.
Os mesmos rogam as pessoas qae qaei-
ram otilisar se de seas servaos de de.xa-
rem as eneommendas em easa dos Srs. Sa-
muel Power Johnston & C a roa do Apol-
lo n. 38 e 40, ende acbarao pessoa habili-
tada com quem possam entenderse.
Apparelho para fabricar assucar, do systema.
WESTON CENTREFGAL
nicos agentes em Pernambnco a fuodicao geral.
Para tratar em sea escripiorio a ra do Apollo n. 38 40.
S o proprietario deste eslabeleeimento
vender ceqnes do nltimo gosto a> 3^800 cada'nm,
visto ler reeebido em direitura, s por iato pode
vender por menos do qae ontfo qaalqaer.
a easa da rna dos Guararapes n. ii : a tratar eom
o commeudador Taaao.
Moeda de ouro
Na roa do Apollo n $0 vende-se libras sterlinas.
-* Vend-e arinba moito boa da ierra em
saccoe de SO caas por 5*000 : na armawm do
Guerra,
AGUA DEUTRIFIGE
DO
DR. PIRRE.
a Agnia Branca ra do Duque de Caxias n.
50, receben essa apreciavel apa dentrlflce do Dr.
Fierre, caja soperionde bestinle eenhecida.
POBTAO
Vende-se om grande pertio de ferro de Loicas
novo eom 9 l\l palmos de altora e 10 de largara
por diminuto preco : tratar na rna do Conde
da Boa-vista n8,7, oatr'ora Esperaos..
"M rail TODOS
Todos devem cortar daqai este annuneio e tra-
ie-lo na carteira ou livro de lembranca, como cou-
sa de grande utlidade,
PORQUE ELLE
indica onde com certeza se pode encontrar on en-
commendar om bom presente que de improviso se
queira mandar a qualquer pessoa,
ASSIM COMO
Indica elle onde se poder encontrar nm fiambre
bem preparado, nma empada, om gatbeaox de la
reine, um maugetb, um pading, om bolo fino, am
podel s orna inflnidade de bolos e pastis di-
versos, proprios para lancha, sobre-mesas e mo-
nadas.
ALEM DISSO
ntica mais ende se encontrar sempre : fructas
do tempo tanto nicionaes como estraogeiras, dO:es
seceos e em calda nacionaes e esiraogelros, licores
e viahos finos, conservas alimenticias e excitantes,
bolaxinhas e bolinnos para cba e ontros mnitos
objectos qae se tornara por demais enfadonhe a
sua Inteira aiscripcao _____
E FINALMENTE
para que ae possa fazer nm iuizo aproximado
SO' INDO PESSOALMENTE
a confeitaria do Campos
Ra de Imperador n. 34.
Tome-se bem a cantella de qae, a frente deste
estabeledmentj te seba enllocado am lampeas qne
se conserva aceto noute, at s dea horas.
Vende-se fobn para S. Joao, fogn do ar a
I.MOO a ate pistolas de 8 balas a 1*500 a do-
ria, ditas de 4 balas a 1*280 a dnzia, ditas de 3
balas a 00 rs. a doria, rodiobas de salas 500
rs. a dnzia, fognelinhoa miados para meninos
IS83 r>. a datte : na ra Imperial o. zi.
Roa do Mrquez de Olinda n. 5o A,
Antiga di Cadei.
Tem para vender os aagu&tes objeetos abaix.
declarados, como sejam:
Carreteis de liona de 200 jardas a 60 r.-., tapa
paKohoa de lia para crianca a 240 rs., Utos Bao,
a 320 rs., sapatos para bomem e eeobora, avalo-
dados a 1400, ditos de irania a IA500, latas
com banha a 80 r., ditas fina a 160 abotoido-
ras para coletos fios a 320, ditos a 500, I #000.
e 1*500. doria de phorpboros de stgurooca a
200 rs. a dnzia, frascos de sndalo vertadeiro a
1*000 rs., ditos de agna divina a 1*200, dito*
agua de msdalene a 1*200, ditos de goa da ea-
logoe a 200 rs., ditee grandea a 900 n., entra-
meios a 600 rs. a peca, ditos mais fios a 800 n.
agu has a bailo a 40 re. o papel, eaniveV* fiaoe
a 400 rs., ditos a 500 rs. 1*000; ateo dealw oa-
jeclos ha m completo sortimeoto de audesas, o
qual se yende indo barato p;.ra acabar : tmAa
ao Rival do Reclfe n. 50 A.
Vndese o armazem de tenca fina e cr
ria da roa do Bario da Viciarte a. 49, oatr'ora
rna Nova, a dioheiro ou a praso eom garanta a
vootade do proprietario, veade-te toa aftas as
fundos ou com poneos. Vende aa tedas as tencas
existentes do dito estabelecitcento : ra^-.-rN-
qoidacio, por preco rsioavel, per m c-p.^arte*-
rio de fazer orna viagem pan oratar a soa aaa-
de : qoem pretender dirjala a dMa > ualu
com o proprietario los alaria Qoajgat.Bi Viair-
Gnlmaries.
aj Farinba i*A Idioca a til o sacw : m na
I da Madre de Daas u. 7.
-


8
Diario da Pernamfcuc* Sexta eira 7 de
Juana, da 187 i
_______i_________
7
UTTERATORA.
tuene fez o luilquo o pague,
Tjd historia participa do
romance.
T,di> o romanea participa
da historia.
Fabraquer.
('..'ontinuaglo)*
Perde me V. A., fo una laviandade,
disse Pascol, trenaendo eom medo.
Desde estd momaato s tu o correge-
dor de Savilba. O conde Herrera te entre-
gara a vara, symbolo da tua autoridade.
Daas cousas te recomraeodo, e a tua (jbe-
ca me responde pelo seu cumprfmenta.
Mas, senbor....
Nlo ha mas que valha: Jlo Pascoal,
o que disse, disse. A primeira coosa
abastecer a cidade, a segunda, adeude bem,
o castigo dos criminosos. 0 delinquente de
qualqoer crime deve ser pruso, julgado e
cisligado dentro de vinte e quatro horas.
Podem retirar se, senbores, tran quillizem-se
e tenbam conanga. no novo corregedor; e
tu, Velasq iez, segu me.
Os corarassionadas do pavo grtaram
Viva o rei I Viva o olvo corregedor! E sa-
biram.
Julo Paseoai ficoa s e meditabundo no
u\1. A digaidjde de orregedor, q-ja o
rei le conferir, na i ha agradara maito,
expunba a sua vjia a cada mumenlo e a
merc do rei por qualquer crime que se
coaimeitesse e se oa capturas e o delin
quonte. Amaldigoou as suas ideas ambicio-
sas e tudo quanto dissera era a noute ante-
rior ; mas agora nlo liaba remedio seno
fczer das tripas coragao.
A entrada de dous aguazis, que ira tra
ziam a vara, symbMo do podar, arrancouo
da mcditaglo.
Seobor corregidor, o rei determina
que liie entreguemos esta vara, Ihe disse
un delles.
E que ja" sabis do encargo, Ihe disse
o outro.
Est bem, responden Jlo Pascoal em
punhando a vara; que tremara os crimino-
sos e os monopolistas dos cereaes 1 A mi-
rilla justiga ser lo direita e to dura como
esta vara I Agora, vSo ter com os mercado-
res Gutirrez e de Bruigas, o judeu, e re
vistem Ibes at os ltimos cantos das casas,
e todo o trigo que bou ver evem-no para o
mercado, ralerveabam na sua venda por
prego razoavel e remettam-lhes logo o di-
nbiro; que nao haja falta de om s mar
ved;, pois que do contrari) mandos
enf orear.
E sabio d'alli seguido dos aguazis com
direccao praca.
O povo logo qaa o vio prorompeu em
acclam3Coes e em gritos de viva o rei, viva
Jlo Pascoal, nosso corregedor f
O rei, de ama das arabescas varandas do
alcagir, presenceava esta ;scena, e com ri-
sonbo semblante uisse ao duqae de Albu-
querque, que estava a sea lado :
Creio, querido duque, que desta vez
a vara de corregedor cabio em boas mos;
que Ibe parece ?
San da mesma opioia.
Esta noute bei de rondar pela cidade,
quero por mim proprio convencer-me das
miserias do povo; se quizer, duque, pode
acompanbar-me.
Terei essa bonra, senhor.
Adeo8, dnqae, at noute. Agora
voa trahalbar com o mea thesooreiro Sa-
muel L?vi. Acompanbe-me at ao quarto.
O duqae acompanbou o rei e dirigio-se
dopois casa de D. Leonor de Manrique.
VI
UMA VISITA INESPERADA.
Ao ecure:er, o rei, acompanhado do du-
que de Albaquerque, sabio do alcacar, indo
ambos envoltos em suas capas. O rei era
tamilo, mas igualmente amado pela povo.
Co preitar a opinilo sobre os seus decretos, ou
para visitar alguma dama. Atraves$arm a
praca do A cacar, dirigiram se para a-paarta
da cid ide, chamada da Triana, e entrarW
n'um ffiiseravel casebre que era a habita-
Cao de Velasqoez. Este achava-se rodeado
de algons amigos, a qnem referia a nomea-
i;So que o rei Azora de J jSo Pascoal para
corregedor de Se vi Iba.
J sabes que o rei nomeou a JoSo Pas-
coal corregedor ?
Foi feliz.
Elle nlo ambicioso, disse Jorge.
O rei deteve o duque de Albuquerque,
que ia levantar a aldraaa para entrar no
quarto, dizendo-ihe :
Escotemos.
Duas horas depois da sua nomeaglo,
disse Jorge, estava o mercado cheio de
trigo ; Broigas e o usurario Gatierrez foram
presos. Isto qae se chama ser correge-
dor, o povo ha de abaogoar-lbe o nome e o
do rei que o escolheo.
E oavista o preglo qae man Jan bo-
tar t
Nlo; mas se o ouviste, dizeo.
Manda que pela meia noute todos se
achem recolbidos em suas casas, sendo
presa; as pesoas que se encootrarem alm
d'aquella hora, pira assim evitar os nume-
rosos crimes qae sa commettem sombra
da noate. Isto qae governar. Nlo
temos c o conde Herrera, que era o pri
meiro a infringir as suas proprias ordens.
Muitas vazes qaando i a para casa o encon-
trei dabaao das varandas de Snzana, a fl-
ua do judeu Braigas.
Mas o pai, julgo, que nlo gosta d'esses
amores, nem qoer qae se fallem.
E* verdade, porra sombra dos taes
amores fez negocia. O conde Herrera, para
nlo desgostar Sazana, permiltio- Ihe mouo-
polisar o trigo, fazendo-se desentendido.
Essas tretas nlo ho de valer para
JoSo Pascoal, disse outro.
O qoe verdade a cidade acbar-se
j abastecida de trigo, e, se n3o fossem as
providencias do re, nao sei o qae seria ;
dara lado quanto possuo para que S. A
com 03 seas proprios olhos observasse as
miserias do povo. Nao ha qoem d um
jornal a ganbar, a nossa roopa est d'esle
modo, oihem vosss para as minhas calcas.
E o caso qae as de todos esto qua i do
meSmo estado ; nada digo das de Velasqoez
porque, olhem como estn queimadas, as
faiscas da foroaiba tem-as posto como om
ctivo.
O duqae de Albuquerque levantoa a al
draba e o rei precipitou-se no quarto; Jor
ge ficoa estapefacto com as calcas na mo ;
o seu companheiro cabio de joelhos seo
saber o qaa dissesse, nem o qae flzesse ;
6 Veiasqoes permanecen insensivel, sem
mover se, oes Ifrii IfeUHMOfci co-
r.uetii a fui lo
En bei de remediar os males do po-
vo. disse o rei, e a abundaocia ha de re-
leer n *mercados, J conbecem a na
ro/iaco acertada qae fiz para o lagar de
eorrflgedofH^e Savilba, qae nlo reeahio em
fldalgo algom ou rico bomem, mas n'um
honrado e obscuro lavrador. Para o rei
Ha vassallo o pobre como o rico, o fldal-
go como oplebeu. Ahi tens, disse a Jor-
ge, cora qua occorrer s toas necessidades
e s dos leus companheiros.
Velasqoez aproximouse ao rei e disse-
Ibe em voz baixa :
Dentro de urna hora partirei pira
Girmooa. os arebeiros eallo j promptos
e creio que o golpe nao ha de falhar.
Muito bem, Velasquez, sobretodo se
gradado. AmmbSa dir-me-has com exac-
t'.d i o que se passar esta noate.
Emougo-se na sua capa e desapparecea,
seguido do doque de Albuqaer jue.
Jorge mirava 6 remirava a bolsa qae ti-
nln as mos, julgava qae tudo fdra om
sonh\ e nSo podia comprebender a ineipe
rada visita do rei. Reoartiram religiosa-
mente entra si o dinbeiro qoe bavia na
bolsa ; .Velasqoez, porra, recusou a sia
parte, e disse.bes que se retirassem, pos
liaba que sabir.
Aquella oouta devia ser (ecwda em
aconteciraentos para o jovaa ferreiro. Logo
qae se vio a sos, despojoa-3e de seus m se-
raveis vestidos e ornoa-se com a farda de
capillo doj archeiro?, com tanto desemba-
razo cono se toda a saa vida a tivesse
usado.
Sabio de casa, dirigio-se porta da ci-
dade, onda encontroa varios arebeiros que
j o esperavara. Un delles segurava-lb o
cavallo' pelas redeas. Velasquez poz o p
no estribo, montn e tomou o caminbo de
Carmona.
VII
A PORTA DA IGREJA.
O capillo Velasquez caminhava, seguido
do3 arebeiros. para a villa de Carmona.
Era necessario sorprender os conjurados
e cumprir exactimenta as ordans do rei.
Todos os preparativos se Azarara com o
raaior sigillo.
Os cera arebeiros, de que se compunba
a sui companlua, dividirara-se era pequeos
grupos para nlo chamar tanto a attenclo,
qoe fizessa abortar o p an >.
A um signal do sea capillo deviam rea-
nir-se na porta da igreja.
Velasquez eotendeu que estas providen-
cias eram as mais apropriadas para o seu
plano ; aenbum dos arebeiros sabia o fin
para qae marebava, oas bouve urna pessoa
'jue observara todos os passos de Valasquez,
que o vira entrar para o p lacio com o cor-
regador, seguiodo-o quando sabio ; que ex
oionara a visita do rei soa casa, que o
espreitra, surprendendo as ordens qae
dava aos arebeiros, e que, vendo-o montar
a cavallo e dirigir-so. para Carmona, com-
prehendera o perigo em qoe se acbava D.
I'ra lique e os seus amigos.
Conheceu entao que necessitava p6r em
acglo toda a sua energa para os salvar,
recordou-se do signal qoe devia fazer na
porta da igreja em ca30 de perigo, e a pro-
messa que fizera ao conde de Tavira de ma-
tar Velasqoez.
Era Nuno, o escadeiro, que j conhece-
mos, quem fez estas reflexes.
Montoo a cavallo, eeste, como se com
prehendesse qae na velocidade eslava a
saivaclo da sen amo, largoa um galope viro
e cominuado. Com o escaro da noute, Nono
pareca um fantasma que fuga da cidade.
Em pouco terapo se adiantou a Velasquez
e ao* seus arebeiros. Estes tiveram que
affastir-se para o lado para nlo serena atro-
pellados.
Quem ser este cavalleiro. disse Ve-
lasquez a ura de seus arebeiros ? Vai lio
embugado que o nao pode conhecer ; ma3
se contina no mesmo passo, faz arrebentar
o cavallo.
Ser algum amante que vai tarde
entrevista?
Ou algara partidario dos bastardos
que teoha sorprendido o nosso segredo,
disse Velasquez. Se Ibe parece, piquemos
as cavalgaduras.
Mtteu esporas ao cavallo, que desfllou a
galope, seguido dos quatro archeiros mon-
tados, qae o acompaobavam.
Nano, passando avant9 de Velasqoez,
conheceu que, com a velocidade do sea ca-
vallo, salvara o conde D. Fradique.
Bem dapressa chegou s portas da Car-
mona, mas o seu cavallo cabio .fatigado,
quasi entrada da pra;a onde era situada a
igreja.
Nuno correo logo porta principal do
tenplo, puxou da adaga, e com ella fez
uma cruz n'um dos quarteires da mesma
porta, e, retirava-sa para ir casa do mos-
tr Romero, quando na praca appareceu o
capillo Velasquez, completamente s, sem
companbia alguma.
Mal foi visto por Nono, acreditou ter
chegado o momento opportuno de Hvrar-se
d'aquelle bomem ; le voa a mo ao punbo
da adaga e d.rigio-se para elle.
Quando Velasquez o vio aproximar parou,
e, levando tambem a mo espada, per-
guntou :
Quem vem l ?
Umfldalgo. Qaa Ihe importa?
E Nuno foi-se aproximando cada vez
mais.
Tem razio, senhor; mas acreditara
que se diriga para mim com roas ioten
ces.
Do mesmo modo, responden D. Nano,
e j qae oenbam de nos as tem, retirmo-
nos cada ao para sea lado. Guarde-vos
Deas, conlinaoa Nuno, saodando cortez-
menle a Velasqoez.
E a vos tambem, respandeu Velas-
qoez, retriboindo a saudac.o nos mesmos
termos.
Cada om seguio sea caminho. Nano
para o extremo da praca e Velasqoez para
a porta da igreja. ..
Nono vira qoe Velasqoez era inimigo a
quem se nao poda ferir de frente, e assim
teve qae abandonar o sea primeiro impeto,
e, fing n do qae se aflama va da praca, apro-
ximoa-se ao portal de orna casa contigua,
vigiando, sem qae (osse visto, o menor
movimento qae flzesse Velasqoez.
Este, julgando-se s, dirigio-se porta
da igreja, sendo grande o seu espanto ven-
d j feito o signal do perigo, conveociona-
do entre os inimigos, conhecendo qae om
adversario babil penetrara o sea wgredo,
e qae este nlo podia ser senlo Nano, qae
se apresentava em toda a parte como a soa
sombra.
A raiva e a desesperadlo pintavaavse-
Ibe no semblante.
Errtontraado-se com Nano deixara esca-
par o flKttenft riis oppottano para livrar-
se do inimigo qae to tenazmente o per-
segua.
Vendo perdido o seo primeiro projecto,
dirigio-se em buaca dos archeiroa para ai
tiar a casa de mestre Romero, aonde talvez
encontrasse os conjurados.
Qoaodo sabio da praca, dous embocado*
eatravam pelo lado opposto.
Eram o conde de Tavira e D. Fradhiae.
Cbegaram-se porta da igreja, e, obser-
vando o sigaal, disse o conde a D. Fradi-
que :
Estamos perdidos, seobor, Nono 'Oo
deve estar loage ; o signal da que. nos
atneca grandjperigo est na porta daigreja.
Fuja V. A. ; ora minuto de demora talvez
pouha em risco a nossa causa e talvez a
uossa vida.
Mas Nano devia apparecer ?
Senhor, o sigoal recente, e elle nlo
deve estar muito longe.
Tirn da soa bolsa om apito de prata e
dea tres assobios sardos e penetrantes,
imitando o grito das aves nocturnas.
-aqualle momento aproximou-se um
vulto negro que se dirigi para ellos: Ta-
vira recosbeceu qoe era D. Nuno.
Que ba de novo, Nuno ? Qae perigo
nos ameaca ? Dize depressa.
Sr. conde, estamos vendidos : mais
de cem archeiros cercam n'este momento a
villa; o maldito ferreiro que contave o
molim da Savilba quem os commanda.
Ha poaco estava na praca e talvez qae agora
ande reuniodo os archeiros para cahir da
improviso soore nos. D. Fradique tem
dous cavallos preparados jnnto ermida,
Hora da villa, necessario qae se ponha a
salvo. Baliro-me para seguir os passos a
Velasquez, e parece-me que esti noute o
poderei mimosaar com om golpe da miaba
adaga.
O conde D. Fradique e Tavira seguiram
os conselhos de Nano ; na ermida encon-
traram os dous cavallos. O bastardo mon-
tn um, e o escadeiro, bomem de toda a
sua conlianca.o outro, e ambos se dirigi-
ram a galope largo pela estrada de Cor-
dova.
D. Fradique estava salvo.
O conde de Tavira dirigio-se casa de
mestre Romero, para dar aviso aos ootros
conjorados que se acbavam all reunidos;
mas quando chegou porta vio-se violen-
tamente agarrado por doos archeiros.
03 oalros conjurados foram todos passa-
dos espada, sem qae as supplicas nem
as olleras zessem vacillar om momento
as temiveis espadas dos arebeiros de Ve-
lasquez.
Quando este se dirigi casa de Rimero
para exterminar os conjurados, depois de
dar as ordens convenientes aos archeiros
qoe a sitiavam, (o desacompanhado i parte
opposta atam de reconhecer se bavia alga
ra sabida secreta. De repente acommet-
tdo por ara bomem com om punbal na
mao.
Velasquez sorprendido, retrocedo dous
passos, lanca mo de sea paahal e prepa-
rare para cahir sobre quem to traigoeira-
mente o aggredia.
O sea inimigo, veado este movimento,
faz que retrocede, cahiodo de improviso so-
bre Velasqoez para cravar-lba o punbal as
costas. A foi ha rasgou os vestidos, mas
saltn feita em pedagos.
Traidor I Tens cotta de malha! va
remos se resistes m'nha espada.
Velasqoez imitou-o, desembainbando a
saa.
As dnas espadas crozaram-se e no en-
contr daspreadiam faiscas. A da Velas-
qoez fez-se em boceados.
Vendo se desarmado, arremes sa os co
pos ao cnlo, empunba a adaga, agarra-se
brago a braco ao sea inimigo e ambos ca-
am rolando no solo.
Velasquez cabio-lhe em cima, e, valendo-
se da occasilo, calca o joelbo no peito do
seu rival e enlerra-lbe a adaga na gargonta.
l'erdaa l exclamou elle, sentindo a
iri za do farro penetrar-llie na carne.
Para os assassinos nlo ba perdi,
responden Velasqoez inclina ado-se para
meibor reconhecer as feiges do sea inimigo.
Grande foi a suaadmiraclo reconhecendo
Nuuo, aquelle que jurara mata lo.
Mau bom escadeiro, disse com irona,
tinuas jurado matar-me e son eu qaem te
privo da vida. De ti e de todos os oatros
conj arados poaco tem a receiar o nosso
rei D. Pedro.
Limpou a sua adaga no vestido de Nano,
embainboa-a e foi reanir-se aos archeiros.
Na maohla seguinte toda a cidade oavio
sobresaltada a morte dos conjurados, admi-
rando o valor doj novo capillo dos archei-
ros, Velasqoez.
rei mandn chama-Io a palacio para
agradecer-lbe. e quando Velasquez sabio-do
palacio encontrou-se com o corregedor Jlo
Pascoal, qae. apertando-lhe a mo com
amizade, disse-lbe:
E's om bomem valente e leal. Tenho
orgalbo em chamar-te mea Bino. Mara
ama-te e ea doa-te a saa mi).
Obrigado, mea pai. D'hoja'm diante
nlo Ibe darei outro nome.
Naquelle momento ama triste e lgubre
comitiva atravessava a praca O pregoeiro,
qae ia na frente, dizia em alia voz :
f Por traidor e desleal foi este bomem
Lpondemoado pena ultima. Esta a jas-
tica qne manda fazer el-rei nosso senhor,
Qaem fez o mal que o pague.
Poneos momentos depois o corpo de
Tavira jazia sobre om tablado enlutado, se
parada a cabega pelo instrumento do ver
doge !
O rei n'ama noute fiara livre dos seas
mais temiveis e encamisados inimigos,
VIII
r0 C.VSAMENTO.
Depois da sangrenta execugo postboma,
o corregedor Jlo Pascoal, acompanhado
do capillo Velasquez, en tro u em saa casa,
aonde Mara os receben.
Jlo Pascaal a!>rgaou-i com moito amor,
coolando-lbe o qae se passara.
Moito obrigado, mea pai: Os desejos
do mea curaglo eatam preenebidos, disse
Mara, laogando-se-lhe nos bracos.
Jlo Pascoal chora va enternecido vendo
a commoclo de Mara com a noticia da saa
falicidade.
Velasqoez apenas poda comprimir as
palpitares do coraglo, o prazer embarga-
va-lbe a voz, nlo podando pronanciar senlo
estas palavras, cahiado de joelhos aos ps
de Jlo Pascoal.
Obrigado, mea pai I Obrigado I
Mara imtou o movimento do capitlo e
ajoelhou a seo lado.
(Continuar-$e-h9.)
VARIEDADE
LIVRO IMPORTANTE.Um dos maiores
acoateciment >s do anno que a poico fio-
dou, foi sem contestaclo no dominio da
zoologa, a pabli;ago da obra de Darwir:
da: Descendencia do Hoinem. Similbante
obra, que vai locar no fastigio da pbiloso-
phia natural, nao pode ser aqu aoalysada
nem mesmo resumidamente.
San examinar, porm, a obra, nlo ser
fra de proposito referir o qaa 03 criiieos
dizem a respeito da opportanidade da sua
appariclo. Este livro publica -se um pouco
tarde. E' evidente qoe j ba algn? ano s
se achava prompto para vir luz; todos
os traeos do systema em que se funda
apreseatam-se claramente definidos: e v
se que os seas argumentos esto ba moito
preparados. Se fosse publicado ba tres ou
quatro anao3. (aria mais profundi stnsagSo
na Europa; mas boje s serve para des-
oertir as iras do beatero, e tem quasi o
inconveniente de nlo ser novo para os bo-
rneas de sciencia:
Slo oonbecidas as lic5es da Hoxley sobre
a origain do bomem ; por isso os argomen
tos que o novo livro invoca em favor da
origem siraiana j deram lagar a dscissoas
intermraavais sobre se o maea:o era o ho-
rnera degenerado, ou o hornera, o macaco
aperfeicoado.
A historia natural da creado publicada era
1868, em jeaa pir Haeskel conliuba os
grandes tragos, ou as linbas prneipaes da
filiacio do bomem segundo o systema de
Oarwin. O aotor nao se conlentava como
Huxley com o procurar a origera do hornera
partindo do simius antbropomorpho ou o
mono propriamente dito, e de o levar at
o homo sapiens ; pelo contrario; segui-o
na serie dos lempos passados at aos mais
inferiores organismos donde elle tena
sabido.
Ora, geralmente sabido qua desde Cu-
vier os transformislas aiada nlo destruirn!
a objecclo do grande naturalista ; nlo teem
explicado a passagem das formas vivas de
uma ramifliaclo para a oatra, llavera li-
guas annos Kowalewsky, ziuhgieo rasso,
pareceu-lhe ter.dcbado a resolaclo do pro
blema; o intermediario entre a forma mol-
lusca, e a vertebrada. Tratava-se de am-
bryes, de ascidia simples, especie de mol-
luscos inteiramente inferiores, nos qaae
Kowalewsky julgou reconhecer os princi-
pies tragos que caracter'uam 03 vertebrados
no comego da existencia.
' nesle argamento que se apoia Hiec-
kel para do mollusio passar ao vertebrado
na serie da aDarfeigoamautos successivos,
respailando sempre as leis acluaes da erea-
go ; e tambem este mesmo argumeuto
que Darwin emprega boje a favor da mes-
ma causa. Mas oestes ltimos lempos le-
vantaram-se seras criticas contra a nter
pretaclo de Howalwsky.
Um dos zologos mais com petentes
em todo qae respeita historia dos mollus-
cos, LacazetDulhiers, mostroa pelo estado
de uma oscidia simples, a Molgula qae nlo
bavia passagem possivel sob o ponto de
vista zoolgico entre os molloscos e os ver
tebrades.
Alen do qae, ba bastante lempo quer os
j anatmicos, por outras razes liradas du
- carcter do3 tecidos de qae slo construidos
os animaos dos dous ramos, ebegaram s
mes mas coaclasoes.
Contudo o livro de Darwin, qae se acei-
tem, cu se coatestem as suas concluses,
deve-se-lhe dar um logar dstiacto, e digno
da sua importancia, entre as publicagoas
scienlieas do anno de 1871.
em que se perde o gasto pelo trajo, os ps,
principalmente as pessoai aff-itas gran-
des caminhalis, entram a desfigarar-se, to-
mando feiges poaco lisongeiras para a obra
do Creador, feita i sua imigem e seme-
Ibanga.
Agora bouve em Inglaterra om grande
baile dado pela rainba. Victoria, em honra
da iraperatriz Aogasla e do rei Leopoldo
>la Blgica. A fasta apresenlou a mais ex-
traordinaria magnificencia.
t As senhoras ostentavam maravilbosss
como tenis occasilo de ver. Limitro-
nos por isso a expor as seguales coosio-
t A mulher am ser livre intelligeole :
e portanto responsavel por seos actos do
mesmo modo que o bomem; e sendo as-
sim, necessario pela iostrnscio e indepen-
dencia, coiloca-la em condiges de lber da-
de, para que se desenvolv segundo as seas
faculdades. Ora, se molher impozermos
exclusivamente o trabalho domestico, sob-
mette-la-bemos dependencia do borneo.
toilettes, enfeitadas com preciossimas joias. como at boje, trando-lbe portanto a soa li-
Viam-se numerosas coras de rabi3, de es-
meraldas e de brilhantes, collocada9 so
bre o Cabello, maneira como usavam as
antigs castellaas.
f A'ra dos merabros da familia real de
Inglaterra, e seo squito, contavam-se 14
duqaczis, 16 marqoezas, 52 condeseas, 17
viscondessas, 1 baroneza, 117 ladies, 112
mistreses e mises, 3 arcebispos, 1 bilpo, 11
duqtes, 15 marquezes, 61 condes, 28 vis-
condes, 53 lords, 40 honorables, 8 sirs, 1
almirante comraandante da esquadra, 10
alrairan.es, 1 feld-m irechal, 14 geoenes,
i\ coronis, e 3 majares.
POGRESSO.Ji nao ha distancias. A
vagem ao Egypto faz se actualmente pela
Italia em pouco mais da dous dias. A da
ludia Europa far-se-ba tambem brevemen-
te por ierra, gragas s linbas de eamioh >s
,7,
da ferro
Peseteo.
rassas do Caoxaso e do golfo
OS MOS PAGADORES.Na cidade de
Cinciiiati, as Estados-Unidos, ba ama ins-
titaicao, nica no seu genero; uma so-
ciedade protectora dos commerciaotes por
mudo, que se en;arrega de cobrar as di-
vidas mal paradas. Para esse Tira, quando
um individuo recusa decididamente o paga-
mento da divida, a sociedade manda-lbe es-
tacionar porta um grande carro pintado
de vermelho, no qual se le em grandes ca-
racteres : Agencia protectora. Cobranca
de dividas mal paradas: Na almofada do
carro permaoecem sentado dous robustos
boraens, de prevenglo para que os devedo-
res nlo inlenfem pralicar alguma violen:ia.
E' raro que om devedor resista primeira
prova ; porra nlo ha um s exemplo de
que na suecumba terceira.
MODAS.Acerca das ultimas modas de
Pars, de 13 a 18 de maio, lemos no Jor-
nal do Commercio de Lisboa :
< Ha dnas especialidades que, segundo
madama E. Raimonl, Ilustre chrou.sta da
modas, representara a novade da moda
actual. A guipare de la de cor e as polo-
naises de cadargo Pompadour, sj boje
garalmeote'adoptadas para maitos usos era
que, anda bsrdjus annos, s se admittia o
velludo e a seda.
A guipare de lia de cor emprega-3e
maneira de guarnigla de costames e par-
dessus; escoibe-sa da mesan cor qae a fa-
zenda do vestido, ou eotlo mais escura;
por isso maito pou:o3 trajos da seda ou
crep de Osaka sa vem luje nos Campos
Elyseos e Basque de Bolonba, uo ser em
senhoras inglezas ou russas.
c Do mesmo cadargo apparecem boje as
eogragadas cabayas turcas, ou tnica aborta
ao lado e ebegando ao joelbo manaira
como osam as senhoras de Constantinopla;
o desenho da fazenda da pequeos ou
grandes ramos, ou grinaldas sobre fundo
de qualquer cor clara.
t Logo que apparecerara estas lindas fa-
zendas, cheias das mais formosas flores,
sabidas das mos de babilissimas estampa-
dores, bouve quem se lembrasse de fazer
reviver a moda dos vestidos ompridos, de
saia lisa, enfeitados, quando muito, com um
simples f:ho. J queriam algumas senho-
ras adiptar os corpos de cintura comprida,
entreabertos, sob a denominaglo de fichus
oa tengo de tres puntas, de cambraia trans-
parente; n'uma palavra, o trajo Mara
Antonet'a, tal como andavam vestidas nos-
sas avs. O uso, porm, do chamado cos-
tume resisti ao espirito de reacglo na mo-
da ; apenas des:e ensaio resaltou ama re-
forma no feitio dos colleles, que tendem
boje a dar nova configurago ao basto;
cooigorago que muito se approxima do
modo de vestir das saloias ; e que se funda
no preconceilo de qne o constrangimento e
o aperto conservan as gracas ao bello
sexo.
Principiara a tomar proporcas menos
exageradas os ponteados e os taces das
botinas, isto os ps e a cabega comegam
dando exemplos de moderaglo as suas
pretenedes sumpluarias. Um do3 graves
inconvenientes qoe se tem encontrado no
oso dos saltos maito altos, ... horror t...
a peona recasa-se a patentear semelbante
profanaclo f... o joanete qae ameagra
tornar-se a phyloxera vastatrix de mimosas
plantas cuidadosamente cultivadas por suas
donas.
t Uma especie de sociedade de temperan-
podo trajo, qoe desde a guerra franco-
proeiiana se formoa em Pars, publica ni
seoYornal La Mise, um grande artigo con-
tra o aso dos laceas altos qae desflgaram
os ps : o peso do corpo em logar de se
repartir por toda a planta, acta no osso
(Ponde sabe o pollegar, e determina uma
rossura qae vulgarmente se d o nome
e joaoete. Nos borneas, o calcado largo
no peno do p, produz o mesmo effew ;
por tato, desde qae se chegs i caita ld*de#
E.XTOSiCAO UNIVERSAL EM MVDRID.
Segundo refere o Imparcial, bouve ulti -
mmente no hotel de Pars, em Madrid,
uma reunlo de diversos depotados, joma-
listas, capitalistas e outras capacidades p >
liticas e litterarias da Hespanba, afira de se
tratar de levar effeita naquella capital uma
exposiglo universa!. O convite para esta
reunio (ora feito pelo Sr. Marcoartu, com
o pretexto de um banquete. A' sobremesa
levantou-se o Sr. Marcoar.u, propondo um
brinde pelo progresso ibrico, o qual foi
entusisticamente correspondido, depois
do que o orador priocipou a desenvolver o
peusaraeoto de se celebrar em Madrid um)
eaposglo universal, ampliando o pensamen
ta da exposgao nacional, iniciado pelo Sr.
Somalo ao seio da deputaglo provincial.
Disse que para levar effeito este pensa-
menta julgava oecessarios 100 milhas de
reales, para os qaaes a municipalidade e a
deputaglo estavam dispostos a coocorrer
com 15 milhes, esperanda que as provin-
cias ultramarioas oo contriOuiriam com
menos de 10 milhes. Acreditava que as
deputages provinciaes de toda a Hespanba,
uma subscripglo nacional e outros recursos
especiaos poderiam proporcionar 25 m-
Ibas, e 03 50 restantes estava certo que se
poderiam conseguir dos industriaos tanto
bespanbas como estrangeros. Expoz de-
pois a importancia do pensamento, e pedio
para elle a cooperaglo de todos os elemen-
tos sociaes, tributando um elogio ao Sr. S-
malo, iniciador da exposiglo nacional, assim
como ao presidente e alcaide popular de
Madrid. Seguio se ao Sr. Marcoartu o Sr.
ministro de estado, que se associou ao pen
samento daqnelle cavalbeiro, felicitando-a
pela sua iniciativa. Accrescenton que o go-
verno se occopava j deste assompto, qua
tem um projecto concebido nesse sentida e
at resonos para realisa-lo, offerecendo
pela sua parte toda a cooperaglo idea.
Pailn depois o Sr. Somalo, dizendo que o
cust) do palacio para a exposiglo nacional
estava calculado em 25 ou 30 milbes, e
que tinham sido teitos oTereciraentos de
terrenos tanto ao govarno como ao munici-
pio. Depois de usarem Ida palavra anda
diversos cavalheiros presentes, sendo todos
coacordes em se levar effeito aquelle
grande pensamento, o Sr. Marcoarta res-
pondes todas as observagas qae foram
feitas pelos oradores precedentes, resolveu
todas as davidas suscitadas e expoz com
samma clareza os meios de arbitrar recur-
sos para se realisar a exposiglo. Os dis-
cursos terminaran) por um brinde pela pro
xima exposiglo universal em Madrid, e pelo
amphitrilo, iniciador do pensamento.
A MULHERAnda nlo ha maitos das
qae em Inglaterra o parlamento tratan dos
direitos civis e da competencia da malber
para tomar parte em alguns dos encargos
geraes do estado.
Agora, o congrasso de Saragoga acaba de
approvar o parecer do conseibo federal so
bre a proposta do Sr. Fornells, de que l-
timamente teem tratado diversas folhas li-
beraos ; proposta apresentada no congresso
anterior, celebrada em Barcelona.
Aquello documento trata da emancipaglo
da mulber, em relaglo ao trabalho domesti-
co; e o conseibo federal exprime-se sobre
elle, pela maneira seguale:
c Na nossa opinilo esta proposta flba
de uma preoccupaglo; est inspirada por
um sentimentalismo tradicional, qua deve
desapparecer diants das observages e co-
nhecimentos com que, cada da, se enrique-
ce a sciencia social; porque antes de tudo
est a fatalidade econmica e a verdade.
c Os qne querera emaacipar do trabalho
a malber, para que se dedique exclusiva-
mente ao trafego domestico, e ao cuidado
da familia, sappoem qae esta a sua nica
misslo no mundo, aflirmando que ella tem
(acuidades especiaos que se conlrariam,
affastindo-a do seu centro.
Os qua affirmam islo suppera qua a
actual eenstituiglo da familia immodiflea-
vel oa imperecivel, sendo este o fundamento
principal da saa opinilo. Os factos, po-
rm, segando a logfca severa, independente
de todo o sentimentalismo, e d toda a
preoccupaglo, variando as condiges econ-
micas da sociedade, sobretodo a forma da
propredade, fazem tambem variar as insli-
toiges sociaes.
c Nlo entramos aqu na demonstraba
desti verdade, qae est feita a'outra parte,
bordado.
c Qual o meio de enllocar a molher
em condiges de liberdade ? NSo ba outro
senlo o trabalho. Dir-3C-ba porm: o tra-
balho da malber origera de grandes in-
moralidades ; causa a degenerado da raga,
a perturba as relagos entre o capital e o
trabalho, em prejozo dos trabajadores,
pela concurrencia qoe Ibes fazem as maihe-
res. A isto corresponderemos: A cansa
deises malas alo est no trabalho da mu-
lher, est oa monopolio que exerce a class
exploradora ; tr.nsforme-3e a propredade
industrial em collecliva, e ver-se-ba traos-
ormar todo.
A qaestlo da familia, e, por consegoin-
te, a dos deveres e direitos da mulber,
est to intimamente ligada com a do modo
de ser da propredade, que nos julgaao*
dispensados de trata-la aqoi. tendo ji feito
o seu estado em outro parecer, qoe stb-
raettemos vossa consideraclo.
Entretanto, eremos que o nosso traba-
lho em relaglo malber, faz-la entrar
no movimento obreiro, aflm de contribar
para a obra commum, para o triompbo da
nossa causa, e para a emancipaglo do pro-
let.riado ; porque, assim como nlo ha difie-
re nga de sexo perante a exploragio, assim
tambem nlo deve hav-la perautea jusca.
RIGORES DA DISCIPLINA.Uma das
penas disciplinares do cdigo militar da
Prussia consiste em metter no calaboofo o
soldado delinquente, e durante tres da?
successivos apenas o alimentara com ama
relo pequenissima de pi.
Ao quarto dia Iha ministrara um limtnt..
de maior peder para voltar ao mesmo snp-
plicio, iatervallado de vinte e quatro horas.
E' bem de ver qae este genero de castigo
altera a sade dos soldados, e por isso, sob
attestados dos mdicos o Recbstag, pedio a
revogaglo daquella parte da le militar.
Aas autores da proposta de nboliglo da
dita pena, redarguio o Sr. de Moltke oestas
palavras : Reconhego, senbores, a eiac-
lidlo dos factos relatados na proposgj qae
vos apresentada ; verdade qae a pan-
de carcerc duro altera algumas vezas a
sade dos soldados a ella condemnados.
porm as autoridades militares julgam ser
ella aecessaria ao bem do servido e sos-
tenlaglo da disciplina no exercito. Ora.
convm nao esquecer qoe, pelo servico do
estado e a susteotaclo da ordem n'om exer-
cito numeroso est justamente admittido
qoe os cbtfes militares tem o direito de pe-
dir a vida ao soldado, por maioria de razio
podem exigir a sua sade. Pego conse-
guintemente que ecta proposta nlo seja to-
mada em considrelo.
A vontade do Sr. de Molik-i prevaleceu,
como era de esperar.
ODIO DE CABELLEIREIRO NAO CAN-
CA.Certo cabelleireiro senta no peito to
das as furias da invej, ao ver qae o esu-
belecimento de um primo da mesma pro-
fisslofazia rpidos progressos, poacadi?-
tancia do seu.
D;pois de mil artiu .ios bildadameatc-
empregados para desconcetuar o sea com-
petidor, suggerio-lbe emfim o seu espirito
malvolo um expediente "que Ibe pareceu
enTaz. Informad da morada dos priaci-
paes fregaezes de sea primo, a todos, em
nome d'este, remetteu um boilo de poma-
da, que denomiooa crme-capillar, aflir-
mando ser excellente para evitar a perda
do cabella. Os fregaezes, despreciados
usaram d > prfida ingrediente, e em breve
lodos estavam redolidos mais completa
calviee. Ai victimas illudidas d'este ma-
lfico eogano correm casa do supposto
autor d'elle, e ahi as mais terrveis aceas
exprimem a indignagio dos prematuros
carocas. Quando o pobre cabeeireiro per-
cebe a a causa do inesperado e doloroso
transe por qae estava passando, correa
casa do seu desleal adversario, a ahi se
travou uma luta de secco e duro pugilato.
de que l?go foram vctimas todos os vidro<
e porcellaoas da laja, e que trminos em-
lira.^indo parar cadeia os doos bellige-
rantes.
FRATRICIDIO.No castellc de Xerss-
lano, na Bretanha, viva a condesas de Ker-
mel com seus dous Albos, qae ambos se
baviim balijo na campanha do Loira. Em
ura d'estes ltimos dias, depoja do almoco
foram os doos irmlos acompanhados pot
algons amigos jogar o buhar. De repente
e sem provocagio alguma, om dos irmlos
dispara sobre o ootro o seo rewolver, dei-
xando-o mortalmente ferido.
No meio da coofuslo geral cansada por
este incidente, o matador corre i cavalla-
riga, monta cavallo e vai apresenlar-s
como assassioo de sea irmio ab jaiz com-
petente. Ningoem sabe a causa verdade ira
do crime; sus; eitam algaas qae ambos os
irmlos amavam orna farmosa rapariga ; po-
rm, a maioria tribae o caso a om acta
de loucura, qae por desgraca berelitaria
na familia. Infeliz mli.
CONFLICTO RESOLVIDO.-NoMadagas-
car um commerciaote francs fra maltrata-
do. O com alindante da estago naval Aa
ilha da Rauniio navegan para alli a pedir
satisfagan. O goveroador e os ofliciaes
implicados no crime dos mos tratos pade-
cidos pelo frincer, foram exautorados, cot-
demnados grilbeta e ae pagamento a>
O.U JO francos de indemnsago.
Obtida esta reparaclo, o commaadaate
das forgas navaas francesas reititoio es
20,000 francos, e pedio o perdi Din c
goveroador, e a lemissao das penas impos-
tas aos ofliciaes.
Na escola da adrersidade vio os frsaee-
zes aprendendo a ser generosos com osaseis
fracos.
AMOR PELA INSTRUCCAO. A oaivar-
sidade de Strasbargo tem am oreaiaeejlo
de fr. 800,000 (300 conloa). Diz ama fo-
Iba franceza, commentando este fado, qoe
em Frang o orgamento de todos os estaM-
lecimentoa de instracclo saperior ale ex-
cede 220,741 fr. (pouco mais da qoatu
parte.)____________________________
TYr\ O LilAtU-lUA U.DB UA&U
n


1



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ET15EXCHI_I1ZT6C INGEST_TIME 2013-09-19T22:23:32Z PACKAGE AA00011611_13106
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES