Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13105


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLVIII. HUMERO' 128
MA A CAPITAL C LCABiS OISI IAO SI PACA POITL

i

Por tret Mita frotado*
i'or Mil ditos dem .
?of oiq ano dem.. ,
. ada mamero avulso
WOOO
i 24000
14,1000
MO
QUINTA FEIRA 6 DE JUNHO DE 1872.
_J5 paia oimo i rou da piotucia.
Por tf M mm adiantidoi ,............
Por sea ditos idea.......4 .........
Por m dlioi idea.......,........
Por a nao idea.......
l#7M
itim
DIARIO DE PERIVAMBUCO.
Fropredade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
----------------,---------------------------2L--------------------------
AO AB
m
O Srf. Gerardo Antonio Alves 4 Filhos, no Pari ; Gonoalves < Pinto, no Maranhio ; Joaqnim Joe do Oliv ira A Filho, no Cear ; Antonio de Lemoe Braja, no Aracaty ; Jlo Alaria Jno Chavea, no Amo ; Antonio Marques da Suva, no Natal; Jos
Pereira d'Almeida, em Mamangnape; Angosto Gomes da Silva, na Parahyba; Antonio Jos Gomes, na Villa da Peina; Belarmino doi Santos Baldo, em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth ; Antonio Ferreira de Agoiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagoas; Alvos & C, na Baha; o Leite, Cerqninho & G. no Rio de Janeiro.
;--------------------- ----------------:---------1
AVISO
. Rogamos aos nossos assig-
nantes. que se acham em a-
traso nos pagamentos res-
pectivos, que mandem saldar
sens dbitos; efim de evita-
rem que lhes seja. suspensu
a remessa do Diario.
parte orncTjT
loverno da provincia.
DESPACHOS DA PRKSIDENCIA DE 3 DE JUNHO DE
1872.
Abaiio assigoados, comm arelantes da carnes
verdes.Remetti lo a cmara municipal do Recite,
para providenciar, coms no caso couber.
An'.onio Jas da Silva.Seja posto em liber-
dade>.
Antonio Joaquina de Moraes.Informe o Sr. bri
gjdeiro commandante das armas.
Amelia Antonia de Pava LuyoHa.Informe o Sr.
regedor do gyranasio provincial.
Bario do L'vramento.Deferido com offlcio dis-
ta data d rgido a thesouraria provincial.
Bario de Bemfica.Deferido com offlcio desta
data dirigido a ibesooraiia provincial.
Bacbarel Chrislovio Xivier Lopes.Ileqaeira o
supplicaote ao respectivo jniz commissario a avi-
vantagao da demarcagio da sesraana de que trata
a presente patigao.
Celecina Mara de Siqueira Varejio.Passe por-
tara concedendo nm mez de liceo^a cem os
seas venc meatos
Francisco Jlo de Barros Jnior. Certifl-
qne-se.
Francisco de Miranda Leal Sava.Pas3e por-
tara.
Godofredo Henriques de Miranda.Nao tem lu-
gar o que requer.
Jos Joaqnim Ferreira da Camino.Est pre-
encbido o lugar requerido.
Capitn Joaqnim Pedro do Raga Barros.Infor-
ma o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Jos Maria Ildefonso Jacome da Veiga Pessoa e
Mello.Foroeca-se.
O mesmo.rornega-si.
Joo do Reg Barros Faleio.Fornega-se.
O mesmo. dem.
Luiz Francisco de Paula d'Albuquerque Mar-
auo.Passe portara na forma requerida.
Manoel de Figasira Parias 4 Filhos.Deferido
com offlcio desta data ao Sr. inspector da thesou-
raria provincial.
Maria da Gooeeigio.Sim.
Pacifico Paulino Malaquias. Nao tem lugar o
que requer o suppiieante.
Rosa Maria de Barros.informe o Sr. proveior
da Santa Casa de Misericordia.
Tnente Sizenando Pereira Mattoso.Informe o
Sr. commandante superior da guarda nacional do
municipio da villa do Cabo.
sabastio Jos Basilio Pyrao.Fornega-se.
Fielden Brothers.Informe o Sr. commandante
do corpo de polica.
Virginia Falque.Informe o Sr. inspector da
thesouraria provincial.
Capito Manoel Joaquim Bello. Passe portara
na forma requerida.
Anna Clandina de Aguiar Wanderley. Infor-
ma o Sr. Dr. director geral da instrucgao pu-
blica.
Amelia Augusta de Mello e Albuquerque.De-
ferida com offlcio desta data a Santa Casa de Mi-
sericordia.
Abaixo assignados, moradores das casas novas
da raa de Sete de Satembro.Informe o Sr. enge-
nheiro chela da repartigai das obras publicas.
Companhia de segaros Utilidade Publica.En-
trajue-se mediante recibe.
Domingos Martins Gomes. Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria provincial.
Emilia Constanza de Moraes Ferreira. -Informe
o Sr. Dr. ehefe de polica.
Fielden Brothers. Deferido com offlcio desta
data dirigido a thesouraria de fazenia.
francisco Silverio de Farias Jnior.Informe o
Sr. director geral da instrucgio publica.
Teneute Francisco Pachaco Soares. Seja dis-
pensado e snpplicante do lapso do lempo em que
incorrera para apostilar a sua patente, e que deve-
ra fazer dentro de quarenta e cinco das.
Guilhermina Baselissa de Oliveirae Silva.Pas-
se portarla, oncedend) dous mezes de lieenca Da
forma reqnenda.
Getrndes Maria da Conceigio. Seja posto em
liberdade.
Herdeiros do finado Joao Francisco Teixeira.
Informe o Sr inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Joao Alvos Guerra.Informe o Sr. inspector da
thasonraria de fazenda.
Jos Conegnndes da Silva. Entregele me-
diante recibo.
Major Joao Manoel Pontual Jonior.Sim.
Jos Joaqnim Ferreira de Carvalho.Entrege-
se mediante recibo.
Coronel Joio Vieira de Mello e Silva.Informe
o Sr. engenheiro chele da repartido das obras
publicas.
Bacbarel Jos Antonio de Almeida Cunha.In-
forme o Sr. inspector da thesouraria provincial.
Lniz Antonio dos Santos.Seja posto em liber-
dade.
Padre Miguel Amerieo Pereira de Sonza.Sim.
l'mbelina Rosa de Lima Pinho.Certifique.
Vicente de Mello Wanderley Maciel Pinheiro.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Secretaria da presidencia de Pernambaco, 5 de
junho de.1872.
O porteiro,
Sdvino A. Rodrigues.
(ominando da*
QAItTEL GENERAL DO COMMAN'DO DAS ARMAS
NA PROVINCIA DE PERNAMBUCO 5 DE JUNHO
DE 1872.
ORDE.M DO DI A N. 628.
Chafando ao eonhecimento do brigadeiro com
mandante das armas, que pragas invalidas inc.ui-
das oo deposito de recrntas, aguardando decisao
do governo, sobre soas baixas on reformas, esli
afeitas a pratiearem disturbios pelas imcnediacoas
do respectivo quartel, com espectalidade do logar
denominado Cisco ; determina ao Sr. commandan-
le da referido deposito que exerca sobre estas
pravas a maior vigilancia,-* qat logo que tenba
ciencia da qoe qualqaer dess pragas invalidas
se achem envolvidas em deaordem, oo qoe as te-
otum praticado, oo qoe eommettam actos offansi-
as leis e moral publica, taga-es immediatamente
prender a ordera do mesmo br igadeiro, dando
Darte eirenmstawiad dn oneorrldo para se pro-
venientes, que a presidencia, concedeu por porta-
ra de 3 do corrente, dous mezes de licenga para
tratar de suaU le nesfa provioeia.com os venei
montos do art 5 ( do decreto n. 3579 de 3 de
Janeiro de 1866, ao Sr. capitio do batalhio ti de
infamara Manoel Joaqnim Bello.
Assignado). fmilio Luiz ilatlet.
(Est conforme). Benlo Luiz da Gama, majcr
graduado.
Repartido da polica.
t* seccao.Secretara da polica de Pernambu-
o, 6 de junho de 1872.
N. 946. III ai, e Exra. Sr. Levo ao eonheci-
mento de V. Exc. que, segundo consta das partici-
pacSes recebidas nesta repartcao, foram nontem
recoibidos, a casa de detenc,ao os seguintes iudiv-
daos :
A' ordem do subdelegado do Recfe, Jca\ es
cravo de Roberto Gomes Fraga, requermento
deste
A' ordem do de S. Jo;, Francisco Pedro de Li-
ma e Joaquim Jos RoJrigues, por disturbios.
A' orJem do da Cipunga, Manoel Olegario da
Fjnceca, por embriaguez e desordena.
O subdelegado da freguezia da Boa-Vista, por
offlcio de<)ta data, me communicou que na noute
de hontem os laJio's penetral am na taverna de
Domingos Alves da Costa, sita a'rua da Umao, da-
quella freguezia, conseguindo apenas roubar al-
guns gneros: e que a tal rcspeito procede-se as
necessarias diligencias.
O delegado de polica do termo do Cabo, por of-
ficio de bontem datado, me par;icipou que, no lu-
gar denominadoCutriradaquelle termo, o trem
da e.-trada de ferro do Becife S. Francisco, que
descia do interior, esmagara nm individuo (sujo
nomo nio declara) oqual fallaceu immediata men-
te ; e que acerca de semelbante facto prosegue-
se nos termes da lei.
Dens guarde a V. Exc Illm. e Exm. Sr. Ma-
noel do Nascimento Mchalo Porteila, digno vice-
presidente da provincia. O chefe de polica, Do-
mingos Monlciio Peixolo.
PIMO DE PERNAHIBUCfi
i i
BECIFE, 6 DE JUNHO DE 1872.
Noticias da Europa.
Amaohecen hontem em nosso porto o vapor in-
glez Cognac, procedente de Liverpool por Lisboa,
trazendo datas deste pono at 18 do corrente. Dos
jornaes e das canas extrabimos o segninte :
GIlAA-UnETAM A.
O Sr. Gladstone p-omeiteo no da 7 apreseotar
ao parlamento, antes das ferias de Pentecosts,
urna exposigao completa e exacta das negociares
relativas ao Alabama.
Lord Granville aceitoo a proposta dos Estados-
Unidos para ser proclamado o principio de que os
estados neutros nao polem ser responsaveis pelos
prejuizos indirecto.' causados em lempo de guer-
ra aos belligeranles por fados que escapam sua
accio.
O presidente dos Estados-Unidos o general
Gram, considerando que indispansavel para nma
soIuqo c mpleta para a Inglaterra ,qoe o senado
ade a diseusso da questao, prepara om artigo
adicional exclaindo a responsabilidade por perdas
indirectas. O senado americano est discutindo
secretamente o artigo.
Na cmara iogloza lord Rossell, qoe fizera orna
raocio prohibindo Inglaterra que se fizesse re-
presentar no tribunal de Genebra, adion a sna
proposta, para naoestrvar o andamento das dis-
cussSes, visto ter lord Granville declarado que a
Inglaterra nao prescindira da nenhum dosdirei-
tos que Ihe reconheceu o tratado de Washington,
tal qual o entende o governo britannieo.
Um telegramma de Washington do 13 de abril
diz qne provavel qae se assigne um tratado
supplementar entre a Inglaterra e a America, em
que se estabelega, que para o futuro nenhuma das
duas potencias fiqae rasponsaval pelas perdis in-
directas.
As cmaras inglezas vio ser adiadas.
A ralnba Victoria conceden imperalriz Au-
gusta da Allemanba a ordem de Victoria e Alber-
to de primeira clas?e. O rei e rainha dos Delgas
aceitaram nm janlar em casa do embaixador da
Austria conde de Beust; jantaram tambsm com
a imperalriz da Ailemanba em Laeken. A impe-
ralriz teneionava partir para Berlina no da 13.
O duque de Broglie aprsenleu as suas recre-
denciaes.
O governo inglez pedio explicacoes Hespanba
acerca da deteocao do navio Lark e da pri.ao do
seo proprietario, de om passageiro e da equipa-
gem pelas autoridades de Meuzaoilla.
A associacap iliteraria de Londres, que conta no
seo gremio todas as illastraQoes polticas e ilite-
rarias da Inglaterra, celebran no dia 8 o seo ban-
quete annual, sob a presidencia do rei dos belgas.
O Sr. Disraeli fez o elogio da Blgica, e o duque
de Cambridge-fez um brinde ao rei Leopoldo II.
O Times e os principaes jornaes afrmavam
no da 13 qoe a renuncia dos prejuizos indirectos
lora aceita em principio pelo governo de Was-
hington.
Ni cmara dos commnns foi approvada em
terceira leitura, por 183 votoscontra 168, orna
emenda do Sr. Forster ao bil sobre o escrutinio
secreto, segundo o qual todo o votante, que apo-
sentar om atlestado de que nio sabe ler, poder
pedir pessa encarregada de recebar os votos
que Ihe escreva a sua lista eleilorai.
nUBOA.
Ja comec,aram a apresentar-se algans relatnos
parciaes acerca dos contratos teitos pelo governo
de & de setembro e pelas suas delegagoes. ,
O duque de Andiffret-Pasquier annuncion a as-
sembla qne a eommissio ia mandar-lhe o rea-
torio geral, e qoe a respeilo delle principiara im-
mediatamente a discussao. Gambelta concordou
com islo e disse mais que elle e os seus amigos
destjavam que se maoifestasse plenamente a ver-
dade oeste assnmpto, e qoe ae houve fraquezas,
crines e ronbos, nao impediriam que a jusilla
persegoisse os aecosados por mais elevada qoe
possa ser a posicio dalles.
Continoam es preparativos para o conselho
de guerra do genaral Bazaine. A eommissio das
capitulabas accosa-o :
i.* De nao terem sido serias as sorlidas de 26
a 30 de agosto, pelo qoe Ibe cabe a resoonsabili-
dade dos desastres soccedidos ao exercito de
Chalos.
1* De ter sido causa de se perder om exercito
de 150 mil borneas e a praca de Metz, por nao
cumprir os seos deveres militares.
3.* De abrir com o inimigo relacoas que fina-
lisaram por ama capitoiacio sem exemplo na his-
toria.
i.* De ter entregado o material de guerra em
vez de o destruir.
9? De nio se ler esforzado em melhorar a sor-
te dos soldados na capitulagao, e estipulado para
os feridos e doentes todas as clausulas favora-
veis.
6* Da ter entregado ao inimigo as bandelras
qoe poiia e devia anniquilar, augmentando as-
alto a bamhaciodos valste soldados,coja hon-
ra era sua obrigaejio defender.
Sao estas u cooclusSas do rotatorio, e como se
v si) gravea ai acensares.
Falla-se da demissio do ministerio da guerra ;
zaine, de quera ntimo amigo. Parece qoe ser
substituido pelo general Chanzy, ebefe do centro
esquerdo, o que tinha grandel signicajo as
actnaes circunstancias ; outro' afflrmam qoe ser
nomeado o general Valaz, commandante da se-
gunda divisio militar em Ronsn.
O general Chanzy ao tomar conta da presiden-
cia do centro esquerdo fez um dis:urso franca-
mente republicano no sentido da repblica mode-
rada a que est preaidindo o Sr. Tbiers.
O marecbai Bazaina, dnrante o conselho de
guerra, conservar-se-ha preso n'uma aasa situada
na colima Picardie, na exiremidade da avenida de
S. Clona* ; haver para o guardar urna fon;a com-
posta de um ou meio bata!ba\
Foi oomeado instrutlor do processo de Ba-
zaiue o general de brigada de Rivire, offlcial de
subido mrito ; commissario do governo, o gene
ral de divisao Pourcet, que commxuda em Tolosa,
e para o coadjnvar o commandante Martin. Ser-
vir de escrivo o Sr. All.
O general Bazaloe ctou para defeza dous ge
neraes prussianos.
O Sr. Tbiers tem tido algumas conferencias
com o Sr. Chasseloup Laubat, relator no projecto
de lei para a organisagao do exercito. As diver-
gencias estio quasi dissipida-.
E' da maior importancia este acord, porque
este assumpto um do< mais graves, e onde se
antevia nm conflicto entre a assembla e o poder
bxecutivo.
A eommissio do orcamanto trabalha com todo o
afflaco, mas parece que anda nao descobrio meio
fcil e aceitavel de substituir o imposto sobre as
materias primas.
A assembla contioa a discutir a lei org-
nica da magistratura judicial. Tambem vai dis-
cutir o projeclo que Ihe foi apresentado pelo mi-
nistro da guerra, para modificar o cdigo de jus-
lica militar, na parte relativa aos conselbos de
guerra, perante os quaes hajam de responder os
marechaes de Franca.
A lei manda que sejam compostos de qnatro
marechaes, presidindo nm dalles, e de tres gene-
raes de divisio, podando os almirantes supprir a
falta dos marechaes; porm nsle caso og mare-
sio quasi todos testemuohas, e nao podara ao mes-
mo lempo ser julzes; o mesmo acontece aos almi-
rantes.
O governo Dropoa que, na falta de marechaes,
se chamera officaes geaeraes que tenhara exerci-
do o eomraando em chefe, em frente do inimigo,
de um exercito, ou mesmo de um corpo de exer-
eil) formado de divisoes, de todas as armas, oo
que lenham cnmmandalo as armas de artilharia
on de engenharia, em om exercito composto de
varios corpos.
E' difflcil encontrar offlciaes generaes qne pos-
sam ser juizes em um processo em que mais ou
monos* todos sao partes.
O conselh."> de inqnerito as capitulares de
claroa-se incompetente para estatuir sobre a de
Pars, Dor nio ter sido o general Trocho, on o ge-
neral Vmoy qoem a negocion, mas sim o governo
da defesa nacional, representado pelo Sr. Julio
Favre.
O epatado HaeoJjsas apresenUa assem- ci>..apalttad
b!a nacional nma proposta para qne a commis-
so de inqnerito examine tambem capitulagao
de Paris. A proposta foi approvada por grande
maioria.
J foi destribuido o Livro Amarello : co-
leto os documentos relativos ao tratado de eom-
mereio com a Inglaterra ; sao 37, comegira e a
jnlho de 1871 e terminam em abril deste anno.
Foi adoptada a convengio postal com a Al-
ternan ha.
A folba Pili;al publica as seguintes nomea
g5es para o corpo diplomtico : Da Noilles, para
ministro era IKashington ; Da Ferry, ministro em
Alhenas; Da Gobmeau, miaistro em Stockolmo :
e de Gobriac, ministro na Hollanda.
O ctlebre Rcchefort est multa doeote, e nao
pode ser transportado sem perigo de vida. Falla-
se em remove-lo para as libas de Santa Margari-
da, porque no forte Bayard o ar demasia-
damente fino.
O enraman hnte de Phalsborg.cnj) compor-
taraento na uitima guerra loi digno de iodo o elo-
gio, foi nomeado commendador da Leglo de Hon-
ra e promovido ao posto da coronel.
A eommissio anda nao deu o sea parecer a
respeito da defesa heroica da Strasburgo.
A eommissio aomeada para estudar os raeios
de completar aos allemies o pagamento da indem-
nsagao de guerra, comegou os seas trabaihos ;
discute tres alvitres :. |\ emssio de am empresti-
mo em ttulos de 5 u0 ; ~.t emssio, de obriga-
coes com amortisagio em am periodo de 15 a 30
annos ; 3, emissao do emprestimo em ltalos de
5 0|0 com amortisagio.
St'ISSA..
Est aberto o escrutinio para approvar ou rejei-
tar a reforma da coostitaigio.
Como sa sabe, o novo cdigo poltico transforma
era repblica helvtica a coofaderagao suissa e
destre a autonoma dos cantdas para centralisar
e tornar oniario o pode*. E'obra da influencia
allemaa, eple ser elemento par dispdr a Suissa
em caso de perturbagoss europeas a incorporar-
se no imperio da Allemanha.
A votagio comegou no dia 12.
O grande conseibo de estado de Genebra, cla-
ramente opposto a nova coastituigio ; qoe mnito
combatem os Srs. Jaous Fary e Carlos Vogt, cele-
bre naturalista aemao e cidadiA suisso.
O telegramma que publicamos, d a eonsti-
tnigio como regeitada, mas anda nao sabemos
com certeza o resnltado do escrutinio. Dizem de
Berne qoe fora approvada por pequea maioria;
mts como nio basta e maioria de votos, e ne-
cessario o numera de cantoas, e como parece qoe
trezc canioes votara contra ella, de acreditar
qoe o telegramma venha a ser confirmado.
Tl'RQUIA.
No dia 11 a nonte parti de Constantinopla para
Alhenas a rainha Olga de Wartemberg. Esta va-
geno da antiga archidaqoeza Olga muito sns-
peita de ter por fias plaaos di curte de S. Peters-
bargo.
Cbegoa no mesmo dia de Broasse o archiduque
Carlos.
Continoam as desinlelligencias religiosas do sy-
nodo grego.
BBLCIQ.A
O conselho municipal de Brnxeas represen-
tonao parlamento contra o projecto de-polica.
) clericaes belgas entregaram ao conde de
Chambord a felieitagao cuja assignatara promo-
viam.
O principe agradecen, accrasesntando qae nio
hesitara em se aproveilar da hospttalidade belga,
qaaodo Ihe* tosse oacassario, e que partir da Bl-
gica com as mais gratas recordares.
Foi ns~dia 11 condemnado reveiia a dez
anaos de reclnsio, o banqaeire Langrand Damon
ceau, causa indirecta da queda do gabinete Ane<
tham.
Foi jaigado o processo relativo ao hospital
de doidos de Evre. O direc:or (oi condemnado
a dous annos de prisao, assim aomo o;goarda Spel-
lekens; Vanlaeuw filho a Tinte mezes ; e o don-
tor Holsbeek a 18 mezas de prisao e doas mil
francos da malta.
DINAMARCA.
Babentou ama crise ministaiial na Dinamarca.
O ministro da fazenda apresentara cmara dos
depaiados am projecto de imposto sobre os readl
Havia om anno que principiara aa Dinamar-
ca a propagaoM da Internacional, mas cora poa-
co resaltado anxar da plena liberdade de reooiio
e de irapreosayle qne ae gasa all
O agente prtaipal era o Sr. Po, amigo empre-
gado di corruttdemiltido por abuso de coofhaca.
Constituiam Iba eatadomaior o Sr. Brix. redactor
em chefe do Uteiatiste, homem vilenlo e insensa
lo, o Sr fieleff, jornalista mui vulgar, e os Srs.
Goen, Wurz, rmjmdal e Mundberg, eammercian
tes fallidos e avogados sem crdito, todos dina-
raaqnezes.
Os operarios'aio lhes ohedsciam, porm, afna!
os agentes da Internacional sempre conseguirn)
por em grvi os pedreiros de Copenhague. Ao ea-
bo de um mez ja a eaixa da agencia ni) tinha
dinheiro para soccorrer, e le Londres nio man-
davara neohons soccorros. Os chefes resolvern)
ento recorrer aos raaitings~B tumattos. e coovi
daram todos os,operarios a reuairem-se no da 5
de raaio no Campo de Marte.
No da 3 o pmfeit) de polica prohibi o mee-
tBg. Pi e Brix foram quaixir-se ao principa
real que lhes mandn re-pooder que a resolngao
fura do c n-ielbe de estado e que a nio poda ro
vogar. Fora d'alli ao prafeito de poliQia d;zar
Ihe que mantida a prohibigia, nio respondiam palo
qne suecelesse. Pois respmd) eu, replicn o
prefeito despedindo-os.
Houve duvida entre os internacin es sobre a
conveniencia de fazer o raeeting, porm no dia 5
reunio-se no Campo de M trie grande multidao em
que entraran) osunos curiosos. A praca eslava
guardada por artilharia, e'squadr59s de hussares
e polica civil. A esse lempo ja estavam presos
Gio e Brfx.
A autoridad intimon o povo para se dispersar,
e depois do terceiro rufo do tambor, mandoo car-
regar, havendo feridos de ambos os lados e sendo
presos uus vinie desordeiro*.
Foi restablecida a ordem, e a justiga est pro-
eessaitdo os culpados.
RUSSIA.
A folha offlcial publicou o tratado de atsisade
celebrado no fia do aono passado entre os gver-
nos da China f do Japio.
Vae passar'6 verio Crimea a imperatriz. O
imperador acoUpanha-a at Oiessa.
Foi nomeado-presidente de conselho da minis-
tros o general [gnatief, presidente da eommissio
de petigss.
turqu v.
O soltio fez oo dia 7 ama visita rainha Olga
do Wartemberg qae est alojada no palacio da
embaixada rosta en Constantinopla.
Esta visita, de pora corteja, cousa inaudita
no Oneate ; demonstra melbor qae oatros fados
mais graves a transformado qae se opera oes
costumes e insltuijoes ottoraanas.
Alm desta visita, coala-se qae a rilnba Olga,
a princeza Vera, sna sobrinha, o general Ignalief
e sua esposa, e o conde e condsssa de Radowitz
aimogaram coa o sultao.
A rainlia Olga visitn a sultana Valide. "
LLBSIANHA.
O Monitor do Imperio Allmo desmente a noU-
pposta iarefjreacSo diplomtica'do gabralleoe
Berlim no negoeo das fortalezas ssrvias, a favor
das reclamares da Servia contra a Tnrqnia.
Est enfermo o principe de Bismark e era-
se que tem algama gravidade a doenga. Os m-
dicos aconselbam muito socego. O cbanceller do
imperio vai para Varzin passar algumas sema-
nas, e depois ir tomar binaos as costas do Bl-
tico. ,
O imperador parte para Ems nos principios de
maio.
A recosa da Santa-S era receber como em
baixador da Allemanba o cardaal Hoheolohs, tem
causado grande irapressio. O governo mostra
bstanla sentimento por esta facto, o que seria
estabele:er relaces sobre confung reciproca.
Os jornaes allemies dio a entender qae nio sea-
do aceito o cardeal de Hobenlohe como embaixa-
dor, o governo allemo nio escolher oatro.
Parte da imprensa allema folga cem esta reco-
sa, donde resoltar a consequencia mmediata de
tornar impossivel a creagio em Berlim da urna
nunciatura, qae nio poda deixar de servir de
centro s agitagoes clericaes e autioaconaes, se-
gundo se expressam.
Continua na ordem do dia, ou regias parla-
mentares, a questioda snpressio uos jesutas. No
dia 8 foi approvada pela eommissio respectiva
urna proposta do Sr- Gueist, para ser prohibida
por lei e punida cora as penalidades que se deter-
minaren) a residencia na Allemanha dos jesutas
e de congregagoes liliae-, ni caso de nao terem
sido authorsadas pelo governo.
A imprensa italiana tambem se oceupa da
questio di embaixada allema, junto Santa S ;
diz que foram os jesutas, de aecordo com. os ul-
tramontanas de Franga, e em opposigio aos con-
selbos do cardeal Antonelli; qne influiram no
animo do Papa pira este nio acceilar o embai-
xador allamao.
A Opmione en> nm artigo intitulado : O corpo
diplomtico no Vaticano diz qne o principe de
Bismark, nomeando o cardeal de Hohenloha emba
xador da Allemanha junto da Santa S, odie u as
ootras potencias um aovo camiobo, no qae diz
respeito is soas relagdes com o Vaticaoo.
Sao esperados em Berlim o prncipe real da
Italia e a princeza Marganda para assistirem ao
baptlsado da filha do principe imperial. Diz-se
qae o principe Humberto ser am dos padri-
ohos.
O parlamento allemio approvou em 1.' e 2.'
leitura os tratados pesias como Hespanba e a
Franga.
O orgimanto da marinha enorme ; do di-
nheiro da indemnisagio franeaza se destinar para
constraegdes navaes 150 milbfcs de trancos.
Ha quinze oo viaje mil operarios sem tra-
balbo era Berlim. Pediram augmento de salario e
os patross despediram-os. O governo at agora
nio interveio.
No dia 10 renntram-se os mestres pedreiros e
carpinteiros, para fixarera de comraam aecordo
as horas de trabalho eo salario mediante os quaes
devem acabar as grves. Resolveu-se por uoa-
nimidade qae fosse de dez horas o trabalho e de
thaler e meio, at o minimo de 1 1/3 tbaler o sala-
rio ; e qne com estas condigdea continnassem a
irab ikhar.
AUSTRO-HUNGRA.
Reonin-se no dia 7 o Reiehsralh de Vieona. O
governo dispSe de 119 votos, inclninda os dos de-
potados do Bohemia, e tem por eonseguinte a
maioria dos dois tergos de votos necessara para
qualquer fflOdifieagio na oostitoigo.
Nio parees que deva tratar-se e por em quaoto
da reforma eitoral, estando por tanto redolida a
mi sao principal do reiehsralh ao compromisso com
a Gallitzia e i eacolha da delegacao cisleitana.
O conselho municipal de Vienna cuthorgoo
o ttulo de eidadio honorario ao Sr. Kadlfch, qne
em 1818 tomn a iniciativa, como membro da
assembli eenstituinte, da aboligio da servidio
dos campoaeees.
Eiu deeisio todavia nio agredn ao governo
da baixa Austria, qae a annullou em consequencia
do Sr. Kudlieh ser eidadio americano.
O Sr. Kudlieh eiteve emigrado mnito lempo nos
feudos-l'nidos, e voliou agora so sea paii natal
onde objecio de vagdes populares.
Nio hoave desaecordo algum com o gover
melos, e fizera qesto ministerial da apprevagio jo rasso acere* da Gallitzia. Se o ministro, da
da dieta hngara pelo imperador Francisco Jos
J principiaran) em Praga as eleigSes dos
grandes proprietarios para a dieta. Dona grupos
nooaeiram depotados amigos do governo.' A op-
possgio protesta e declara qoe nio vota.'
Reuotu-se a 2' de abril a oova dieta da
Boemia. A sesso foi aberta pelo marechal do
remo, principe do Auerspers, e termioou por ac-
claaugao ao imperador Francisco Jos, a impera-
lriz e a noiva do principe Leopoldo da Baviera.
Os deputados do partido tebeque abtiveram-se
de comparecer na dieta, e por consequencia o
governo nio ter all opposigao.
Actualmente a tarefa a'aquella assembla re-
some-se na eleigo de deputah que ho de re-
presentar a Bohemia no reiehsralh de Vienna e em
constituir urna nova depntagao permanente para
genr a admioisiragio interna do reino.
A mooirchia austro hngara ae ser represen-
tada junto da Santa S por um embaixador extra-
ordinario, d z a Gi:/'i de Vienna que o impera-
dor oomeoupara este lugar o bario de Kabeck
O processo raonstro de Pasto, em que estavam
implicados 29 operarios, presos ba cinw mezes
coma socialistas e merabros da Internacional,
termmon pela absolvigj de todos os reus, excepto
um que f.i condemnado a alguna mezes de pnso
por ultrajes contra a pessoa do imperador.
O* bispos aosiriacos e hngaros reuniram-se
em conferencia, e apresantaram ao governo om
papel cootendo o resultado das snas dalioarages,
qae foram coociliadoars em relagio ao giverno e
principalmente a respeito do augmento de subsi-
dio ao clero inferior.
ITALIA.
Estao quasi terminadas as ncgoeiaces para
o tratado do commercio e navegagao da Italia
com Portugal.
A bandeira ilal'ana gosar ns portos e colo-
nias partuguezas das van agens que pertcinrem
bandeira nacional.
O rei Vistor Manoel recobcu no dia 12 a
embaixada do rei dos Birmans.
O conde de Harcourt j ob'eve de Sua San-
tidade a sua audiencia de despedida, nesse dia fe-
licitou Sua Santdadn da parte do Sr. Tbiers em
ronsequencia de completar nesse d o Summo
I'ontiflce 80 annos.
O ministro da instruegao publica propoz e o
governo italiano nomeou senadores ao maestro
Verdi e ao professor Palmieri, que se tornou be-
nemrito da sciencia pela sua corajosa perma-
nencia no observatorio do Vesuvio durante as ul-
timas erupres.
Chegou Roqja" o Sr. de B embaixador de Franga, junto da Santa S.
O papa concedeu a gra-cruz de Pi IX ao
conde de Harcourt.
Diz-se que vai ser concedida ao cardeal de
Hohenlohe a dignidade de cardeal da igreja io-
mana, em recomponsa de haver recusado a mis-
sao diplomtica que Ihe dava o imperador da Al-
lemanha.
Dizia-se que o duque de Parma fora a Roma
solicitar do papa urna declaragio em favor de D.
Carlos. A Telegraphia Huas desmenle esta no-
ticia, e mustra-se autorisada a explicar os intuitos
do PontihYe que, segando eHa diz, de nenhum
modo confunde as questSes religiosas com as
questoes polticas.
O motivo da viagem a Roma do duque de Par-
ma foi nicamente visitar Sua Santidade.
Est em Brindsi urna embaixada do rei dos
Birmans, composta de quatro personagens ; ir a
aples onde ser rocebida pelo rei, tendo j ido
a Boma onde visitn o ministro dos estrangeiros.
A embaixada birmanira visitar varias cidades,
c ir a Londres em inissao junto da rainha Vic-
toria.
El quasi terminada a grande erupgio do
Vesuvio, loado causado serios prejuizos, e bas-
tantes perdas de vidas. Em aples tem havido
alguns tremores de trra, tendo os navios anco-
rados no golpho experimentado fortes abalos.
IIKSP.ANIIA.
Acerca deste reino escreve no-so correspon-
dente de Lisboa :
Vai diminuiudo a insurreigTo progressiva-
mente.
A importancia della cada vez niefl e nao
lardar o desenlace, em virtude do ataque que de-
vem einprehender ua Byscaia as forras do gene-
ral em chefe.
Nao foi ainda possivel averiguar-se onde para
D. Carlos. Todos em Madrid se perdem em con-
jencturas a este respeito. Acerca da mysleriosa
desappanrio do iiretendento, nem o governo, nem
a imprensa carlista, nem os partidarios, nem os
inimigos da insuiTeigao, sabem cousa alguma de
positivo.
A grrima do cura Quintanilha foi batida
pela forga de eagadores de Bejar depois de una
hora de logo na Serra Preta em Despenahevros.
O cura vesta o uniforme de corone! carlista Hou-
ve um homem niorto, 2 feridos e 18 prisioneiros,
entre elles o chefe, sendo aprehendidos 9 caval-
los e armamentos.
tO general Moones persegueria, entretanto, os
restos da fraego Carasa, nica que existe em
Navarr-, segundo as noticias offlciaes. O bando
era do 500 homens. Evitou combate tomando a
direcgo de Tranacla Ibrica a Pena de Lamia-
zar.
Em Ceruera (Patencia) a guerra civil dispar*
sou um bando de 10 homens bein montados.
Pessoas que presenciaran) a aegao de Oro-
quieta dizem que o caudilho Aguirre, que pelejou
cora Zumallac Carnegui. foi quem salvou D. Car-
los de cahir as maos das tropas, batendo-so va-
loromente e dando tempo com a sua resistencia
a que o pretondente se salvasse com o grosso das
torgas.
t Foram solicitados das autoridades francezas
os petrechos, cavallos e armas dos insurgentes
que entram na fronteira.
Em Navarra dizem permanecer 10:000 ho-
mens at que termine a insurreigao.
t De Madrid vcio um telegramma a 16, dizen-
do que o general Serrano anegara a Lerhoza sem
encontrar resistencia. Que eslava dissolvida a
guerrilla Pinol.
< Algama agitagao na provincia de Badajoz.
t Diz-se que D. Carlos vai publicar um mani-
fest naci desmascarando os traidores. D. Car
los contava ( ao decidir-se pela guerra civil) com
seis Datalhes e com as pragas Pamplona, Morella
Bibao e S. Sebast io. A Epoc cita o seguinte
boato que encontra as suas correspondencias de
Paris :cque eslava comprada, por urna quantia
consideravel, urna pessoa da intimidade de D.
Carlos, afim de vende-lo, e que s por milagre es-
capou da rede que I'i9 estava armada.
i Em Londres celebrou-se um meetinq de in-
glezes amigos, da Hespanha, em numero de mais
de 3:000 e approvaram um voto de apoio ao go-
verno contra os carlistas.
E' digno de attencao o que acerca da ques-
tao linanceira em Hespanha se te n'uma corres-
pondencia de Madrid de 2 de maio urna folha de
Lisboa :
f A' hora a que hontem lhes estava escrevendo
apresentava o ministro da fazenda no congresso
os orgamentos para 1872-73 que, como j tiveoc-
casiio de dizer-lhes, aprsenla um desequilibrio de
mais de 114 miihoes de pesetas ent^e a despeza,
que est flxada em 662 miihoes e a receita, que
calculada em 5i8 miihoes. ....
e A este dficit ha que aeerescentar a divida
ictuanle que, em 60 d junhd prximo, deve
flurtuante que, em i

situaeJio econmica, prop o governo dous prn-
jectos de lei, um para extinguir o dficit e outr >
liara pagar a divida flutuante.
j O primeira consiste em rcduzir s duas tur-
i gasTiartos os juros da divida publi.-a, < s quaes s*-
rao pagos, desde 30 de junho de 1872 al igual
dia e anno de 1879, duas tercas partes em
i metal e urna em panol, que vencer 5 p. c de ju-
ro e ter 1 p. c. de amorlisacao. Ficaoi sujeilo-
| a esta reduegao os juros da divida consolid id.
das acgOes do caminhn de ferro, etc. ISto quan-
lo divida interna, sobre a qual j pesa urna <*on-
> tribuigio de 5 p. c.
Quauto a divida externa, o governo far com <>
I credores estrangeiros idntica coinbinaco, n-
mindo-os todavia de qiiatgH'r imposto. Pica n\-
, ceptuada de todas as medidas proitoslas a divida
j dos Estados Unidos e oulros ttulos de divida, de-
pendentes detratades com potencias >tr:uigeira-
em quanto nao passaram das ir. ios d> govern
para as dos particulares.!
PBTCGAL.
Em 17 de maio escreve nos o corresponden-
te de Lisboa :
Das modificagoa? ministeriaes em qne lhes
faliei, nenhu na por ora se realisou t-xcepeo da
snbstitaigio interina do Sr. Jayraa Mmiz na pasu
da marioba e ultramir pslo Sr. Andrade Corvo,
ministro dos negocios estrangeiros. O Sr. Javas
foi contallescer para Queloz.
Parees qae os assamptos a qae o minist*r:
dedicar a snaaitenrao, durante o loago iMearagaa
parlamentar ( que vai d'aqoi i Janeiro de I87i ,
serio principalmente : a reorganisa;ir do exern-
ta ; a reforma administrativa ; a engenharia As-
tricta I; a viagio ordinaria e accelarala ; a eonso-
lidagio da divida flacluaole e arevisio das leis re-
galadoras de diversos servicos publieos.
Foi ao Porto o Sr. Cardse nveliao, mini-tr)
das obras publicas, para satisfarer a encargos in-
herentes s suas obrigagdeSi send) om delles faaer
algumas averignagdas a cerca da ponte da hadu
frrea sobre o Douro.
i Est em Cintra o presidenta do eonsetho ( >
Sr. Fontes Pereira de Mello ).
t Maltas pessoas ent-nderam qoe a tfitads
geral ftnanceira e agrcola di Portugal, is o*
lhes dsi noticis *>slo ultimo paquete, tena o meso*
peosaraento e intoitss da Sociedad! crdito o pro-
gresso agrcola em Portugil, exploradora de tar-
reos iucuiios, de qae tanto se tero ocenpaso a
imprensa, s cujos foodanentos se devem princi-
palmente ao Sr. Ayres de S Nogneira. Nio 4 as-
sim ; sao ds ndole diveril as duas sociedades ;
pois a base das operagdss da primeira ser raavts
desigoadamecte operag&si financeiras. Nis asta.
porem, abandonad) o pensaraento da Sociedad*
crdito e progresso agrcola em Portugal, destina-
da a explorar e colonisar os terrenoi incali?, s
a auxiliar a agricultura nacional inleresiaodo os
pequeos capitaes nos seos lucros, por meso >
ac^es de dez libras, pagas em prestaefci facis,
para qae possam lie ir inleressadoa am empresa
tao porlugueza o maior numero postlvsi ds enla-
jaos detie paiz. Tratase activamente de consii
tml-a. Homens de mmla energa e de importan-
cia social se acham eoapenhaos Bfji patrite.
peosimnT5.
< Toma cada vez maii coasist. ncia o boato d >
prximo casamento de S. A. o Infante D. Angosto
com a jo veo condeisa.vinva di Girgenii, Giba da
ex-rainba de Hespenba D. (xabel.
< Como sabido, o conde de Girgenti suicidara-
se n'nm acto ds desespero, por causa dos repeti-
dos ataques epilpticos de que soffru.
Fallecen em Pizza a inierossante do Sr. coa-
sellieiro Miguel Maria L'sbda, ministro do Bras
em Portugal. Por conselho dos mdicos tinha id
para aquella cidade, a Infeliz menina procurar ali-
vios sna j adiantada enfermi lide. O afilie:
pai esperado em Lisboa a 22 deste rae*.
Os meus psames a S. Exc.
Os dootores Corte Real, Silva Rocha e Sin "!
de Castro, vio publicar em Coimbra om livro com
o titulo de Viagem dos Imperadores do Brazil em
Portugal.
i Vai partir prximamente para o ojmaxu<>
provincial de Pernambaco, na qualidade es repe-
tidor o Sr. Jos Ferreira, professor qne foi no an-
tigo eUlegio de Humanidad.*, fundado em Lsb)
pelo Doutor Cwouro.
E' om mogo muito sympaih'co e asss habilita-
do para o lugar qae vai alliexsrcer.
Vierara instrucgdes legigio brasileira nesta
corte para contratar o Sr. Ferreira Celebra-se o
contracto no dia 20. As meihoras ioformagoei ^uaa
to a comportamento, aptidao didctica s moraMa-
de, abonam o novo repetidor do gymnasio protin-
cial, qae julg) ter feito neile ama ptima acqnisi-
gaa, pela experiencia que tem do ensino.
Deve partir a 27 ro paquete francez
< Cnegou a Lisboa, e anda est de qaarenteni
o Sr. Dr. Miguel de Figasira Faria, no e collega na radaegao do Diario de Pernimbun
Vem com sua esposa, fl.his e canhada.
c O nosso bom amigo vm Europa tratar da
sua saude. Sairio do Luareto oo da tt do cor-
rente. '
< O Diario do Governo vai publicando as cartas
de lei votadas as cortes : appareceram a 16 lo
correnta as seguintes;
Regulando o sello das acgdes de companhia.'
ou associagdes mercante, e o dos pertences esa
aegdes ou ttulos de bancos e daa ditas cempa-
nhi s ou associac-s ;
< Sub-tiiuindo'a cootribnigie pessoal por Sais
coutribnig9es denominadas contribaigao de reod
ds casas e contrioaigio sumpriMria, s regalando
o methodo de langamento oestas contribnigoes ;
Sobstituindo os direitos flxaoos na pauta fe-
ral das alfaodegas para os gneros mencionado
oa tabella que acompaoba a mesma carta dn le
e determinando qoe a referida pauta seja apptica
da do mesmo modo em todas aa alfanlegas do
continente e ilhas.
Reuoiu-se cff.-tivameme no dia 10 do correal.
e no ministerio das obras publicas, a commis?i
parlamentar crsada em sessio de 3 do crrante
para estudar os meios ds obriar'a emigragao ds
queja dei noticia oeste lagar. Etiveram prsenles
moitos deputados, ficando a eommissio comporta
da seguiote maoeira: presiiente, Sr. Carlos Beato,
vice-presidente, Sr. Mamede ; secretario, Sr. Ma-
riano de Carvalho, vice-secretario, Sr. Candiso As
Moraes. Resolveu-se formular nm qoestionario qat
ser proposto na primeira reaniio, e entretanto ir
solicitando pelas repartico! competentes, os ns-
elareeimentos precises pars os sens trabaihos A
eommissio resolvea convidar aa pessoas qoe jol-
gar competentes para dar esclarecisemos sohn
aquella assumpto, e isto depois da apresentado o
formnlirio.
c Por determinagio do ministerio da guerra, foi
lida a todos os corpos do exercito, formados em
parada geral, a seguiote portara de lonvor :
t Secretarla de estado dos ntfogios da goerra
Repartigio do gabinete.Os ac loteeimeates as
nos fins do anno prximo pasudo psrtnrhertm a
ordem na India portogaeza, reciamuam a presan-
gi immediata neste estado, ds ama foread* infan-
tina, qne anxiliasse o aen gover nadar a asanter
o imperio da lei o o rsspeito autoridad*, aenot-
presados varias vezas pela indisciplina ds asgas
corpos indgenas. Ser enemigado de senMlhsms*
missio era orna honra, e son agestado el-r*.
nio qaerando cooferl-a a quslftsr corpo pala ss-
colha, por qua confia igual mele noi bros, !*-
cago e valora todos, rsaolvso soptar a r
nnnwril1 <> aA f M A~mt*'A% -
I.

#


fiar
xxrsz
i rra&n*>nc Quinta Teirn 6 de Junlio da 16"t2
viagem para GovSua-MaaasUde aous vi coa4favi, intima saiisfacieo enthusiasmo de q-ia esta b*-[serva-i**, o qae tuds-, coinanedidosj)or che- ,j po^ ctit?ada heoMb
Ihao estava animado a> partir para o sen destia;; f--s escolaios,
(.
e foi informado do bom servigo quo fox, e fluu
emplar diseipliuaaaMaa que ae houve darme as
Yiagens a o lempo qae permanecen no estado da
India. O mesmo augusto soaaor, apreciadlo vi-
damente estes faetos, que 5o altrtnedtt hoorosos
nao para o corpo que os praiicon como para
todo o exercito, raandi pela secretaria de estado
los negnos da guerra, que m seti rea: nome
o eommaudaote da 1.' di vais militar transrail a
os Mas louvores ao batainio da cardadores n. t;
e, para que estes louvores tenhtm a roaior ps-
blicidade, outrosim determina qie a presente por-
tara seja publcala em erdem do exercito, e lida
a cada regiment, batalhae, compaohia destacada
oa destacamento, frmalos-em parada geral. Paco
m 1 de maio de 1871JMenio Mara d t-'imle*
Pereira de Millo .
%e taz naa mr*oka- estrao
i Coco a solemnldade determinada se verfieou
eo dia 9 do correte a abertura da expsito da
aociedade promotora das ellas artes. Um poni
antes das 2 airas ebegou el re o Sr. I) Fernando
e o Sr. oante D. Angosto ; asa) 1/2 sua mages-
tade el-rti e sna magestade;a rainba, acompanba-J
dos de seas camaristas e ^Jalantes do ordena,
sendo reeebidos a pona da academia pelos Srs
presidente de ministros, ministro do reino, mar-
quez de S ii, presidente da sociedale, Loaren^o
da Fonseca, thesnareira, e Joaquim Pedro de Sou-
za secretario. Chegados i sala di xpo-ico onde
j estava- noroerosas lamilias d n socios e roaitas
pessoas convidadas, snas mage^tades tomoram o
lugar do costme e logo em seguida o secretarlo
da soctedade loo Otn extracto da acia da seJi do
jury que eoaferio os premios na ultima expsito,
depois dique tez a chamada do* premiados que
se acbavam presentes que foram :
As Sras. D. Mara Guilbermina Silva Reis, D.
Mara Ji- de S Pamplona, D. Mara Emilia G>n-
tjalves Gnilbon, e os Srs. Alnerto Nanas Ferreira
Chaves, Looel Marques Pereira e Manoel alaria
Brdalo Piuheiro.
c Fot sua magestade a rainba qnem distribuio
as raedaHns que Ira foi eotregoodo o Sr. marquez
<1a Siuza, e saa magestade el-rei os diplomas que
i'-cet'ia des mos Jo Sr. Francisej da Silveira
Vuona, vogal do conselho administrativo da so
ciedade.
t Terminada esta ceremonia, snas mage'tades
comecaram a percorrtr a sala para examinare
as obras d'arte exposiis prestando a algnmas del-
tas mais particular aitencao.
O Sr. marqusz de Souza apreseuteu o bovo
es:alptor o Sr. Simdes de Almeida lanior, autor
de ama das estatuas que se achuru expostas e que
suas magestade* observaram cora atleacao. Com
o Sr. Alberto Nanea se enlreteve tambera o Sr.
D. Fernando, conversando ara poaeo a cerca da
sua estatua collossal; < otros diversos ariistas fo-
ram reeebidos p;lo msate aagu-to Sr. com aquel-
la tamfiaridade pn [fia de qoem sabe apreciar
os que cultivara as bellas artes, e assim tcrminoa
a ceremonia da abertura, passaDd) depois suas
raagestades a visitar a galera de pinturas para
verem a estatua em raarmore do Sr. Simoes do
Almeida ; algam lempo se demoranm aiada a ver
os qaadros e siirara sendo 3 e 1/2 hora-.
A asserobla geral dos Srs. sab-criptores da
srciedide das casas de asy'o da infancia desvalida
de Lisboa reunio-se no da 12 pela 1 hora da lar-
de na sala do risco do arsenal de marinba.
Conforme dispSera os artigos 11* e 12* dos
estatuios foram presentes assexbla geral para
0 respectivo exame, o relaiorio e cootas do armo
de 1871, proceoendo-se em seguida nomeacao
do novo conselho de direcelo que se compre de
presidente, vice presidente, oito senhores directa-
ras, thesoureiro, e dous secretarios, e da commis-
so de examade coc'.a3 que se compSa da tres
memrr s.
t Pez-^e tamb?m nesta occasiao a dislriba:g3o
dis premios dos ahrnu is me dorado o anno mais
se distinguirn) pela sua freqoencia e bem cora-
portamrnto.
Pela 3 a iras da tarda du dia 12 do corrate
celebrou se solemna Te Deum por mmica vjeal e
instrumental na igreja da Cunceigio Velha em ac-
ao de graeas pjlo feliz reresso da expedifo a
ladia, con asalsteacia de san raagestades e de
sua allega o infante I). Augusto.
OUlvoo S-. puriarcha coadjuvado pelo dea
da S a o Sr. D. Jas de Lcenla, chantre, o Sr.
Dr. Ciconr, conegos C3bral c Meneze- e seis beae-
1 vados.
Todo o eerlmoolal foi dirijidj pelo mestre de
ceremonias do solio pairiarchal.
Fui convidado o ministerio, cmara municipal,
comuiandanfs dos eorpos, autoridades civis e
militares, imprensa, contingentes da marranearos
militares, parte das gaarn;coes da corveta Esle-
pkinla e vapir India. Assistiram as irmauda-
des do Santissimo da S e oatras. Fez a guara di
nooracaladores o. 1. Na capaila hivia dous so-
lios cora cadeiras para sua9 raagestades e altezas
e para o patriarcha.
A senrpra pondssa d'Eila tambsm asistio
a esta fesiividade, para a qual foram mailas llores
i- jirdius da Estrella, S. Pedro de A'cintara e
Hiiros.
A commissao empenhou-se par. qua a festi-
vidade so fizesse cora o maior apparato e pompa,
A rchestra era cora posta do iO professores, e re-
f .1 pelo Sr. Bara:3. Execatia-se a msica da
Marco i Portugal.
A inaugur-ean do caminho de fjrro america
no entre o Porto, Foz e Mattosinbos f j hontem,16.
OSr. Jos Dionisio da Mallo e Faro parti pa-
ta ali oo da 14. A empreza fez alguna con viles.
Esperava-se grande co.icorrencia. E' um dia
de gala no Porto; porqae o caminho de bstan-
le utidade. Fesias deslas devem ser a alegra
dos povos.
Nao se verifica, por orajcoaio Ihe disse, a vis'ti
de-na mjgeslade a raicha da Suecia. Su3 ma
g->-tade adiou a sna viagem, em cooseqnencia de
Ihe haver adoecido urna lha. A sua alteza o Sr.
icfjnie D. Angasto foi offerecida ama collecgao de
e iMames indianos, em figuras fechadas n'uraa ca
m de san I-I o Cura urna lampa marchitada de mar-
li n, tendo no centro as armas reaes portuguezas.
O cff-rente foi o Sr. Miguel Rosario de Qua-
dros, do Bombaim D.zem ser nm presente r-
ulssimo. Por proposta do Sr. Augusto Sorcme-
nao socio da academia real as sciencias, tinha
esolvido a .' classe da academia celebrar sessoas
l iteraras, e tendo designado para a primeira rao-
niao a noute de 10 do crreme, escolhera para
--nm'' da discusso o soguinte : se antes da
undaQo da esc ta de Bolonka se notain em Por-
tugal vestigios da influencia da legislacao romana
t donde protm ?
As 8 horas da noile congregaram-se sob a
presidencia do Sr. marquez d'Avila e Btame, dif-
erentes socio, entre elle-, o Sr. visconde de Cas-
tllbo, lonoceneio Francisco da Silva, Jas Silves-
tre Ribeiro. O Sr. Siromeoho subindo Iribuea
expoi o sentido da ibese, as duvidas que a res
neito della Ihe occorreram ao estadal-a e a opi
nio que Ibe pareca mais rasoavel.
t O illustre acadmico expoz de nm modo ele
vdo a dootrina que h: canpna tratar, e nao pj-
demos deixar de izer que ge houve com bastante
acert no modo como indicou os elementos da
apreciarlo, resalanles doexaoia des formulan,s
dos uot.'.rios, e d'oairGS documentos da p.ca a
que se refer?, manifestando ama critica apurada
na analyse, eapre^entando urna serie de arguaoen
los com que pretenden mostrar qua a tradico de
flecesviniho se conservara, lalvez pela convenien
ca do clero eoi sasteniar o direito de Jasiimaao
fio favoravel a igreja, e porqae os sacerdotes po
deram, mais fcilmente que oulra qualquer cla-se,
manter a heraoca doa tempos anteriores. Tevt
depois a palavra o Sr. visconde de Paiva Mauro,
que tributan os devdos louvores ao Sr. Sorome-
nbo e 2a elasse, por lerem promovido aquellas
diseu9s6"as, citan lo escriptos do diversas autores
acerca da introduccao do diretto romano em Por-
tugal depois da conslimida a monarchia. Depois
de varias reflexoes fe Us com mnita lucidez e tx-
cellenle deduccao, declarou que adduzira taes opi-
nioes corro inlormaijao acerca do assumpto, mas
que se conformara com a opinio do Sr. Sorome-
nbo. Estando adianlada a hora o Sr. presidente
adioo para outra se-so o prosegnimento desle
debate, que dizia respailo especialmente 2' classe
da academia.
Trata se agora de tornar punlic estas ses-
soes.
< No dia 9 do correte entrn a corveta Este-
phania. Veona bem; bom cooservarmos meia
duzia de corvetas de systemt mixto para servirem
da capitana das estaedes navaes, qae deveriam
ser qualrourna no atlntico do norte com canho
Deiras na Madeira, Acores, e Cabo-Verde ; ootra
no atlntico do snl, dando eannoneiras para Ango-
la e ilbas de S. Th o Brasil e Rio da Prata ; teree.ra na Asia, desta-
cando navios para Mozambique; quarta ni China,
com destacamentos na Oceania e Japo. Se as
instancias por onde estes negocios correm houver
vootade firme de levar i pratica esta idea, que
nao s miaba, porque de todos qua team lido
os relatorios dos ministros de marrana, de eerto que,
son ot ibows de que podemos dispon, te couse-
cetras.
c O Sr. Marques, eogenhwro cetslractor, w
mudado da Inglaterra diffarentes machinas para
as officinas do arsenal de marlnha. Vo-se com-
prar os taares roec^ianicos, calaidra, machina de
vapor, carro de cora e machiaismo de fazer ma-
no-. O India, depois de vedar a agua que eafra no
porao, calafetar, coocertar os tubos e arranjar a
lampa de ni dos eyllodres, Ir a Inglaterra me-
ter as chatas abarrotar de carvao. Activara se
as obras do Zarco ; esta orompta a MarUnHo de
Helio ; apparelhou-se o Srtholomtu Das, traba-
iha-se oes mastros da fragata, a qual deve estar a
canlu e car um distiaciivo da general, porqae
o porte de Lisboa erees chofe dessa caibe-
goria.
A Terceira sarita oo dia 11 para Angola, anra
de re.oder a D. IIe*r*qut que regressa a Metrpo-
li Me qoerem em Loan da 2 navios daqneMe lele,
v;sio que o governo da provincia conta acabar
qnestao dos DenthtG com os raeios que posstie.
i que teem visitado a corveta comparad na
a navio de guerra Ingles. O capitio de mar e guer-
ra Oliveira nm distmeto offieial e o sea imme
dalo Gomes aetivissimo. No arsenal da marlnha
upsriutende um ofikial general, o Sr. Pialo, que
con amis restricta eeouomia lera conseguido apu-
rar os arranjos internos dos navios de goerra, de
forma que, arada hoje, no estado de progresso a
que tuda lem ch'gado, nenhum delles nos enver-
gonha.
i As ultimas noticias agrcolas do Minho sao
satisfactorias. O e.-ta.lo do gado lisoogairc.
Teem continaado os trabalhoi do enxoframen
to das vichis, qae mais oa menos teem sido
atacadas do mal dominante. Era algons pon-
tos do Doure leem apparecido o oiiimtta ; po-
rmqneixam-se os lavradores do paiz vincola
l'uraa nova d)ea?a as viohas qua prodaz os se-
guales rffaitos: no l'anai as cepas dsfiabarh-se
e do urna diminuta produccio, e no 2* ou 3* mor-
rem. Nao ss sabe qual a cansa ; porra soppda-
sa ser deviia mil lencia parnicios da ptoloxera
vaslrutrix.
Eotretaato as oliveiras apreseotam urna boni-
ta Horacio, prometiendo ama boa colhia. as
feiras e mrcalos pecuarios, o prego do gado bo-
vioo da corte tem-sacoa-ervado eslaciooario, ha-
vendo baixido algum tanto o do gado de soga.
Em todo o distrieio do Alemtejo o lempo lem cor-
rido favoravel. As ierras teem ido beneficiadas
por ama chuva branda, da modo que as paslagens
esto boas, e os olivaos promettem ama abundante
colheita. Tam-se vendido o gado bovino por bom
prego.
o 0 delegado especial do governo portuguez, o
Sr. Nogueira Soares, comedn ja a gestionar de
accordo com a no-.-a legado na corle de Londres,
no sentido da realar as negociacin com o gabine-
te da rainha Victoria para a modificacao da osa-
la alcoolica. Os 135 dorumanlo3 que eonslituem
o terceiro lomo do firro bronco, e que o ministro
dos estraogeiros preceden de uro relaiorio elucida-
tivo, refurem-se exclusivamente aos irabalhos di-
plomticos que desde 186S, o governo portuguez
realisou-para cDieguir a moduicjcio da escala,
que se estabelecen para regular os direlos dos vi-
nhos as alfaadegas ingleza-, em conseqaencia do
tratado de commercio com a Franca em 1860, e
jue esta naco i agora denuaciou, isto pretende
oz:r rever e alterar. Estabelece a eseola o direit)
de um sehillrag por gilao sobre os v!nhos que con-
tera at 26 graos de espirito da provas.e de 2 schil-
lings e 6 pence sobre os vanos ds 26 a 42 graos,
Esta torca calculada pelo bydrometr de S-kas.
Sao os viohos partuguezas, nao menos que os bes-
panboes, naturalmeoie ricos em alcool, e costu-
mam os vinicultores alcool'.'a-los mais para Ihes
augraeotarem as conlic/o'es de cooservao, coo-
tendo geralmenta mais 26 g os.
A manir parte dos viabos frjncezes teera me-
nos de 26, e [or e-la razio nao podem os nossos
competir com elle- oaqaelle grande mercado, pois
a dffrenca do direito da cerca de 150 por
cento !
Desde 1%6 que o governo portuguez, sendo
ministro- dos tsitaageiros o coade de Castro, re
sulvea encelar ngociaj3es para ver se conseguia
a alterado daquelle systeuia de fisealisacAo de
direitos, qua tanto prejndica o paiz no ramo mais
importante da sua producci) agrcola, negoeia-
Qdes iju- foram suceessivamente continuadas, e
com milita habilidade dirigidas com o inlelligeote
auxilio de nossa legacao em Londres, pelos minis-
tros Casal Ribeiro, marquez de S, Mandes Leal,
dujue da Saldaoha, marquez da Avila e de Bola
ma e Andrada Corvo. Offercceram Inglaterra
todas as vantagens compativeis com a dignidade e
com os interesses econmicos da nacao; propo-
zeram-se largas compensac,i5es as paulas; urna
ou outra vez o governo de S. James se moslrou
disposto a acceder aos nossos desejos, qae erara
fundados as lea da ju-tica relativa, mas por tira,
resistiram tenazmente todos os ministros a quam
s nossos delegados se dirlgiram, chegando a af-
frqniar a opioio do corpo de c)mav;rcio irglez,
manifestada solemnemente a nosso favor pela a3
ociarlo das cmaras do commercio do Reino
Unido.
c Era oatubro do 1871 lord Granville declaren
terminantemente ao duque de Saldaoha que
senta ter de Ihe declarar em noin? dos seus col
legas, que o governo entenda nao dever continuar
as negociares pendentes, e que Gladstone e Lowe
nada queriam ouvir a respe/lo de tal aisumpto. >
Intermmperam-se pois as negociacoes marcadas no
Uvro branco. A denunciacao.do tratado de com-
mercio 6m Franca, que fra o que dra causa es-
cala alcoolica, aconselhou cjgoverno a bascar enta-
bola-Us, e n'isso qae ao presente se cuida. Oxa
l que a voz da razo e da jusiica se tacam oovir
do governo inglez, cuja resistencia em acceder aos
desejos do da Pontrgal n'ura ponto i5> importan-
te para a prosperidade desta naci, '.de quero
aquella se diz alliada, leal e afectoosa, nao lem
explicarlo satisfactoria, visto que se Iha evi
denciou as negociacoes qae a modiflcacao reque-
rida nao prpjulica, aates jle fvorecer, a recei-
ta publica d'aquelle eslado.
A' 10 do correte todos os alomaos do asylo
de infancia da rdade d'Elvas foram igreja da
Misericordia ouvir urna roissa por alma de D.
Claudica Adelaide Guimaraea Vieira de Castro, e
dirigiram fervorosas preces pela conservarlo da
vida e saude da mai da lioada, a Sra. D. Anna
Maria Guimaraes, protectora d'quella pi eslabete-
eimento.
i Ha das poblicaram osjornaes de Lisboa urna
carta de Vieira de Castro (legradado em Angola
por Matonea dos tribunaes) ;agradecendo pes-
soas que para elle solicitaran ao poder modera-
dor o perdi. E' um escripto notavel na sua pro-
pria concitar?.
A pe icio destribnira se tmpressa em folba
volante. E' acompaohada da carta a qae me re-
dro, e qae transcrevo d'ura exemplar que tenbo
vista
c Meu querido Urbano.Beijo a tua mao e a de
tedos os horneas que puzeram o sen nome debaixo
desse documento que mandaste para Lisboa, e ha
pouco me leste : documento que vale tanto qae
ebega bem para esperar, coro elle, a morte, tran-
quilla e serenamente !
Comtudo enlende-me bam, amigo, e faze-ma
entendido d'as-as boas trozonlis almas de Loinda.
0 perdi qae ahi peds para miro simplesmente
ama ninbara. En at o tive sempre por um aira-
ge, mis nao poda agora, sem crime grave contra
vos, coneeitua-lo assim.
c Nioharia Por indo 1 por todo, roas princi-
palmente porqae os perdoes extiogaem penas, nao
desfaxem senteocas, e os delinquentee como en
prefessam pelas primeiras a ma3 profanda de to-
das as in lifferencas.
Agora o grito unnime das vossas cooscien-
cias, a bencao solacantes das vossas almas, adra-
da para cima do men corpo amortalhado. essa
sim, essa a que nao desdenharia nenbam cidadio
do mundo, essa a que me poe de joelhos diante de
vos como eo estara diante de Deus na hora em
que o sea immenso amor se digoasse collocar so-
bre i minba cabeca a absolvilo das miabas cal-
oas.
E pena nao valer eu melado siquer de que
vos a Ivogaes por mim, e por que modo !como
se advoga.sseio por Piudaro, e a maneira de Pin-
daro I porem extremamente consoladora a
eerteza de baver conqni-tado urna lio enorme es-
lima qae prodaz ama lio monstruosa illaso I
Amigo, aproveito ama iotermilteneia da febre
com qae la ha pouco, e o doalor, me deixaram,
para nao adiar d'hoja o beijo que ponho as vossas
mios.
< Loanda, 3 de marco de 1872.reu, Vieira de
Castro.
A' 18 s 2 horas Urde accreicenta o,
qosso corregpoodele:
Contiuna o ma tempf);hoje s 5 1/2
da maobaa que entroi a barra o vapor
Cognac, de Liverpool, por oode lbe remet-
i eiia. Creio qae vai etn lagar do Olinda
qno (oi primeinneate aonoaeiads.
a nouie, qae
rmrv-om,co3flict) desro da frontf> por-
togoeza ntre algoma* guerrillas cafrist' a cava-He qae eatraratn no nosso territorio
por Ment legre, e as forjas pertogaezas
qoe gearneeiam fuelle lado da (rMteira.
Os gaerrilbeiros Yoram bitidos, eeto apri-
sionad is qailre, fliOTdo am niotto ferido.
Eaooolra-se as Vascongadas a insorre.-
?lo carlista de Hespanha, tendo em Guipos-
coa a saa sido principal. Dii-se qae es-
lo nesta provincia e na Byscaia as vate
rail carlistas. Urna correspondencia de Roma
a Sasiom- de Florera, e poblicada em Las
Neredades, assegora qoe a actual iasurreico
foi combinada e ardida no convento hespa-
ohel dos Mercenarios na vi a Fraltina, em
Roma, donde sairam instrueces, excitac^es
e itinheiro, e qoe o geral desse convento,
Martnez, era, bavia muilo, represeniante de
D. Garlos junto da Saote S.
c Um despacho telegraphico de Madrid,
datado de 17 (bontem) dia qae o gene-
ral Latona biteu 5000 carlistas, ma-
iando-lhes 21 ; que as tropas tiveram 1
morto e 50 feridos. O graso dos insur-
gentes dirigio-se para Gaiposcoa.
Accresceotava qoe os radicaos adiaram
a sua deciso a respeito da saa retirada
do coogresso.
Diiiase em Bayona qae D. Carlos devia esiar
em alguraa casa isolada de Navarra, attribuio-
do-sei. tooacidade da faccio Carasa em nao snb
raetter-seao intuito de disirahir a atteocodas au-
toridades para favorecer a faga do preteodeote.
t E'perava-se era Madrid, de nm raaoaeoto pa-
ra o outro, um golpe decisivo contra asguerrilnas
de Byscaia.
i .Nada mais Ibes posso adiantar sobre a usar
reicio carlista.
lija reune-se em Lisboa, pela segonda vez, 8
commissio parlamentar enearregada da estudar
as cansa; da emigracio e de propor as providen-
cias mais adeqaadas para a desviar.
t Sabera do (azrelo oa terca -fera 21 os passa-
geiros (ioJ) de lio -uo-Ayres e partes do Brasil,
vinlos no Btyne.
< No dia l'J sabera os 63 que vieram de Bae-
nos-Ayres, Rio e mais portos no vapor Kepl-r ; e
no dia 20 salero os 125 qae vieram de Vaiparaizo
a II o da Janeiro no vapor Cuzco.
f Comeca no da 20 a vigorar a nova tabella
pantal que eleva os direitos da stearioa, petrleo,
espaciaras ele. Os importadores deslas artigos
lera despachado oestes ltimos dias importantes
partidas para pagarem o menor direito.
< E' lisongeira a cotacio dos nouos fundos em
Londres. Ficaram bontem a 41 3/4 Em Lisboa,
cutsram-se, ao fechar da praca, bontem a 44,20, e
nos cambios, pedam a 44,60.
i Poi publicado na folha offieial o regoiamento
para a expo.-icao internacional de sericicultura qae
hi de realisar-se em Revento a 15 de seiembro
prximo.
c Diram se hontem a sepultara os restos mor-
laes de Joao Lioo, vice-inspecior dos incendios em
Lisboa. Tinha sido mu.tas vezes eoodecorado pe
la heroicidade e bravura com qua prestou servicos
valiosos na salvacao de pessoas e fazeodas o'um
perodo de rouitos auno-. Conheci-o de perto e
presava-me de sua amizade. Acamara municipal
de Liba, os bombeiros voluuiarios, muitos indus-
tries e fuoccionaros, pessoas em lim de todas as
classes, fortunas e condiccSos, foram ao cesilerio
occidental pagar a derradeira bomeaagem d res
peito ao valente sub-inspector que tantas vezes A-
frontra a morte com o maior aenodo e abnsgacio
para ser til ao seu semelhinte Era um ptimo
carcter, leal e franco, o de Joao Lioo. Uxal que
todas as companhias de segaros cumpri-sed o ssu
dever, que era nesle caso, cotlisaram-se para dar
urna sabvenco familia desle bomem corajoso e
desinleressado, aOm de mnorar-lbe o consirangi
ment em que devota ttcar por morle do seu Ilus-
tre chefa.
Iodo o corpo de bombeiras cem a banda de mu
sica esperava o fuasral no cemiterio.
Contina o Diario do Governo a publicar as leis
qae foram assompto da accao legislativa das cor-
tas na sessio recem liada.
Hontem vinbam publicadas as segoin-
tes:abolindo os privilegios de isenco de
tmpostos concedidos a estabelecimentos ban-
carios; exliogaindo o imposto especial so
bre o embarque e desembarque de merca-
dorias na Barca d'Alva; prorogando o pra-
zo concedido ao marechal Sddanba para a
admissSo do material para o caminho de fer-
ro Larmanjat; e cando a contribni(So pre-
dial no continente na qaantia de........
4,649:211^000, A saber:
t Aveiro........... 64:62I00
t Heja............. 59:8140400
Braga............ 107:861,J000
Casteilo Branco.... 49:3135000
Coimbra............ 79:5595000
Evora........... 86:0283ti00
f Faro............ 6I:02(J000
Guarda........... 55:4850000
Leiria........... 49:6*50)00
Lisboa.......... 410:3930070
Portaiegre........ 75:9010000
Porto............ i5::33O0OOO
Saotarem........ 119 7340530
Vianoa.......... 67:2270000
Villa Real........ 65:2430 00
Vizea.......... 91:1560000
A' requisito do consol hespanb I, nes-
ta corte, se fez hontem urna priso por cau-
sa d'ama faIsificac5o d'um cheque de 1000
libras sterlioas d'uma casa ^commercial de
Madrid.
t Parece qoe S. A. o infante D. Alfonso
Henriques vai assentar pra?a na armada
real
Por ora urna brinca Jeira, como tambera
sao estas promocoes dos principes aoe pos*
tos superiores do exercito sem antigaidade,
sem fetos d'armas, sem habilitarles espe-
ciaos etc., vestigios do privilegio e do an
tigo rgimen que se deixam enferrojando o
systema constitucional.
A proposito : S. A. o infante D. Augus-
to vai ser promovido ao posto de general
de divisio.
< Tiveram a comineada d'Aviz o capito
de fragata Joo Euzebio d'Oliveira, comman-
dante da corveta Infante D. Joao, e o Sr,
Francisco Jos da Silva, tenente-coronel
commandante do balalnio de catadores n.
1 (qae regressoo agora da India)' e com a
commenda da orden de Gbri&to foi agracia-
do o Sr. Jos Ignacio d'Oliveira, major do
mesmo batalbao, ambos pelos servidos qoe
prestaram na recente expedirlo aos Estados
da India.
c O negociante Joaqaim de Mattos foi en-
contrado morto na praia jonto Torre de
S. Juliio. Tioba-se dirigido do trem para
aqnelles sitios; mandou a cadeia do relogio
pelo cocheiro para servir de signal para ot
seas socios lbe mandarem 5000000, e qoao-
do foram em procara desle infeliz, foi en-
contrado o cadver dellejntre os penedos.
Sepnlta-se boje. A saa mrtana prca pdt
ans trala contos. >
Janeiro, (oiha.fti ama cearmijss) para promover jentre as
Modelas do norte do Imperio.
Tambem chegoa hontem pela manhaa, do
Acarac e escallas, o vapor Pirapaim, tra-
zeodo datas: do Gear 28 de maio, do Rio
Grande 2 e da Parahyba 4 do correte.
CEARl.
Lemos na Constituico :
c A soctedade benefleente portagaess
Dous de Feoereiro projecta ama exposicio
de productos, qoe lera lagar nesta c dada,
nos dita 5 e 6 de Janeiro da 1873, son o
tlto\Q Bazar Expositor Carme4, foi nomw-
187
185
183
181
177
168
167
160
153
151
m
137
votos
409
408
407
406
405
4C4
cearensea donativos para essa (esta de ca-
ndado ai qae se consorciaa oas p iv.is
irmles, composta das Exaus. Sras. Biro-
oeza do Aquiraz, D. Joaqutaa Mondes, da
Roche, D. Carlota de Almeida Sonto, D.
Mara Tbeopbilo de Castro e Silva, D. Cor-
nelia Allioa-de Siuza Pereira, D. Paulina
Moreira da Rocha, D. Antonia Machado da
Fonseca, D. Anglica Mendes F. Bastos e
D. Mara Borges da Cuaba.
< A exposicio ser dividida em doas
classes: l.1 dos objectos que forem offe-
cidos a sociedade ; 2.* dos que forem ex-
postos de propriedade do expositor, qoe,
finda a festa, poder retirar ou vender.
A commissio qoe tem de dirigir o
Bazar Expositor Cearensecoa compon-
a dos Srs., commeodador Luis Ribeiro da
Caoba, presidente ; Francisco Joaqaim da
Bocha, vice-presidente; Aotonio Pereira da
Motta, presidente do conselho ; Berdardino
Placido de Carvalho, secretario ; Antonio
Fernandos de Farias, thesoureiro. >
RIO GRANDE.
Nada occorrea digno de meac3o.
PARAHYBA
Do Jornal da Parahyba extrahimos o
seguinte :
< Eis o resaltado da apuraco feita pela
cmara municipal da cidade de Pombal, das
aotbent cas dos differentes collegios do 2.c
districto desta provincia para deputados
assembla legislativa provincial
Dr. Villar de Carvalho .
Capitio Jo3o Bodolpbo .
D.\ Bento ViauDa....
Porfirio Aranha ,
D.*. Augusto garlos .
Capito Maooel Carlos .
Padre Jos Ambrosio .
Dr. Metra Sobrinho .
V.gario Tejo .
Dr. Cesar Loureiro .
Dr. Samuel Hardmaa .
Meodes Bibeiro ....
Teve lagar oo dia 6 do corrate, como
havia sido determinado pela presidencia, a
eleigo de vereadores do novo municipio
de Santa Luzia do Sabugy, cojo resultado
foi o seguinte :
Capito Maooel Alexandre d'Araa-
jo Guerra.......410
Marcelino Gomes de Al neida .
Minoel Salosliano Donta3 .
Clementino Jos Damasceno
Aaisio Liborio da Nobrega .
Antonio Yaldivino de Figueiredo
Francisco Vicente de Araojo
c Cscrevem-nos da villa de Paitos em da-
ta de 12 do correte o seguinte:
< Ha poneos dias dous filbos menores do
finado teoente-coronel Ildefonso, um de
nome Pompau, e ootro Frederico, qoe esta-
vam recebendo nstrocfSo primaria em urna
aula particular nopovoadoMaltado ter-
mo de Pombal,.sob a directo do profes-
sor de nom Jo3o Fernandos da Silva, ten-
do este declarado-Ibes que, a continu3rem
a dar ms cootas de suas obrigacj esco-
lsticas, loria de infligir Ibas algum cast<-
go, declararam-lbe qoe nao o aceitariam de
naturezi alguma; pelo qie teve o dito pro-
fessor de observar-lhes que nestas condics
nao voltassem mais sua anla, at que com-
municasse o occorrido a quem all os havia
botado.
No entretanto no dia seguinte s 7 ho-
ras da manhia, estando o mesmo professor
tirando leite de urnas vaccas no corral, rece
bea am tiro pelas costas, qoe o ferio gra-
vemente, dado pelo primeiro daqaolles seus
discpulos, conservando-se de emboscada o
segando.
Fogiram ambos a pe para av fazenda
Antonicade sua residencia em distancia
de 6 leguas.
Lastimamos profundamente que se
dsse semelbante acooiecimento.
Consta-nos que as autoridades prose-
guem na formacio do respectivo summario
contra os criminosos, dos quaes um j cun-
ta a idade de 16 annos, sendo o ouiro
maior de 14.
< Eis mais ontro Tacto, ainda relativo
fazendaAntonica :
t Um dos guarda-costas all estacionados,
de nome Jos Igoacio de Moraes, toado
urna pequea desavenca com um escravo de
nome Raymundo, da mesma fazenda, dra-
Ihe am tiro abaixo do peito direito, .qoe o
ferio mortalmente, acbando-se ainda vivo
at a hora em que tragamos estas linbas.
c O assassioo foi perseguido al as imme-
diacSes desta villa por 6 outros do mesmo
seqoito, tendo apenas soffrido algumascon-
tusoes.
Constando ao alferes Barros tal fado,
hoje pela maoba fez seguir ama escolta
que capturou o criminoso meia legua dis-
tante d'aqui, sendo que acba se recolbido
cada disposicjo do respectivo jaiz muni-
cipal >
Hontem (!) prestou juramento e en-
trn em exercicio da cargo de ebefe de po-
lica da provincia o Sr. Dr. Manoel da Silva
Reg, chegado do Recife, no vapor costeiro
antehontem, para cojo cargo fra nomeado
em data anterior, Fe lie i tamo lo por sua
boa viageme desejamoslbe orna feliz admi
nistrajo. E' digno de encomios o nosso
amigo Sr. Dr. Francisco Jos Meira pelos
bons servaos qae prestou provincia na
interinidade do mesmo cargo. >
c Gbegoa hontem uo referido vapor o
nosso amigo Sr. Dr. Santino de Assis Pe
reir Bocha, reassamindo bontem o exerci-
cio de sea emprego.
< Anda o vapor costeiro tronxe a sen
bordo o Sr. Dr. Joaqaim Jos de Almeida
Pernambuco, engenheiro nomeado para esta
provincia, o qual entrn hontem no exerci-
cio de seu cargo.
c Em a noute de 25 do corrente, pelas
9 horas pouco mais oa menos, dea-so o
seguinte lamenUvel acontecimiento na villa
do Inga :
c Joaqoim Roberto de Mello, conhecido
por Bingo, invadi a casa do vigario da fre-
guezia, padre Beato Jos de Barros Mencin-
ca, o indo-lbe cosinba, poz-se a espancar
am escravo do mesmo vigario, o qual, ac-
diado aos gritos da victima, procoroo livra*
la das mos do sea oensor. Este, entre
tanto, larga o referido escravo o atira-se ao
vigario, deita-o por torra o di-Iho oito pa-
nbaladas, algomas daa quaes, posto qae
pouco profundas, sao bastante perigoxas.
Em vista de semelbante aggresso, esforza-
se ama escrava do Rvm. padre Bento em
soccorre-lo, mas por sua vez accommetti-
da pelo assassioo, qae descarrega lbe qaa-
tro golpes que a prostaram; depois do que
evade-sa pelo quintal da casa.
c Reune-se grande conenrso de pessoas
e persajuem-o em sna precipitada fuga,
encontra am escravo da Joaqaim Cerdoso
de Almeida e fereo gravemoct.
Persegaido seopre pelas autoridades
l-acaes e ptriicn'sres, aconta^se as mattas
prximas villa, onde, sorprehendeol i
om ofGcial de jostra qae (ih parte da
for?a que o pe/seguia, toma the orna arma
de fogo com qne estara, adianto atira se a
um soldado de polica, com o m tambem
de apoderar-se da arma, luta e fere o, sem
comtudo conseguir seus intentos. Depois
foge, apezar das maiores diligencias para
sua captura.
t Fizeram se os devi ios eorpos de de-
licio e as autoridades locaes envidam todos
os esforos para a prisSo de tio aodacioso
scelerado.
Posto que graves, todava os diversos
ferimentos do Rvm. vigario Bento de Mon-
donga e das ootras victimas parecem n3o
ser mortaes. Todos os feridos acbam-se
por ora sem perigo de vida *
PEENAMBUCO.
SEXISTA DIABIA.
AS3EMBLEA PROVINCIAL.Hootem brlo-se
a sessao achaodo se preseates 22 Srs. depntado?.
O Sr. 1 secretario leu as redactes de diversos
project'S, qae foram approvalos.
O Sr. presideate desigoa para a eommlssie qae
tem apreaeatar actos leg*lolvos saocrao os Srs.
H. Mmele, Freir Gimeiro e Piflta Juaior.
OIIDEM DO da.
3 discusso do projecto o. Uo leste aoQo, alte-
raodo a divisio dos disirictos de Paz d Pao
d'Alh).Foi approvado.
3 discusso do projecto n. i\ deste aano, mon-
dando restituir aos proprietarios de caouas e al-
vareogas emprego Ih ao trafago do porto desta
cidade aove decimas panes do impasto 8qae paga
ram uo exercicio de 1870 a 1871. Foi appro-
valo.
3' diseussao do projecto o. 40 deste aooo, rega
ludo as aposeotadorias dos empregados que coo-
tarem mais de 33 anuos de servido. Foi appro-
vado
3* discusso do projecto n. 82 deate anno, aa-
torisaado o presideate da proviacia a conceder ao
Dr. Fraocisco Pioto Poasoa, pr&fessor addido ao
gymoasio, um auno de tijeng sem veocimeotos.
Foi approvado.
3* dtscassao do projecto d. 82 deste anno, ele-
vando a 800 o ordenado do soliciladcr da fajea-
da provmcial.Foi adiado pita a futura sesso.
A' re pierimeoto do Sr. Piato Juaior, so lidas e
approvadas as reda^oes dos projectos approva-
dos na preseote sessao.
L fe e approvada a acta d i sesso, e o Sr.
presidente declara encerrados os irabalhos legisla-
tivos.
CADVER.Hootem, por volta das 2 horas da
tarde, appareceu ooiaolo oas asruas do rio Cap-
baribe, juoto rampa do caes do Caoapo das Prio
cexas, do lado de Leste, o cadver de um li imem
de edr branca, represeataodo ter cerca de 31 an-
nos e de oacionalidale e-trangeira. Foi lirado das
aguas pela polica e mandado sepultar depois dos
exames medico-legoes requeridos em-Uesocci-
siSes. O cadver e*lm em adiaolaJo e:tado de
putref ire'i j e j bastante devorado pelos peixas.
ROUBO.Na noite de 4 do correte peneiraram
os ladros oa taberui do Sr. Doniogos Alves da
Co la, sita a ra da Uoia.i da freiiuezia da Boa-vis-
ta, rouDando apenas algons geoeros.
DESASTRE.No lugar Culn'w, do termo do
Cabo, foi esm.igado pelo trem da va frrea di
Recife ao S. Francisco, um individuo cujo nome
se ignora
S3. CORACAO DE JESUS.-Hoja dia em qae a
igreja solemuisa esta fesiivididide, aotes da oiissa
caotada que as 8 horas di maoha tem de cele
brar-se ai igrej de S. Jo.'. do Maaguiaho, hiver
as 7 horas a locante e edlflcaole ceremonia da
primeira commuaho dos meainos, que ser feila
com lodo o brilhiaiismo.
SOCIEDADE LUSO B3ASILEIRA. Fancciona
exta-feira 7 do correte, s 7 horas da ooite, em
sesso extraordiaaria, para a qual sao convidados
todos os socios a comparecerem a ra Nova de
Saata Rita o. 1.
PASSAMENrO.Aps longos soffriraentos den
hontem a alma ao Creador, oesta cidade, a Exma.
cosorio do Sr. Antonio Jos Silva do Brasil, dei-
xaodo um peahor do seu consorcio. A illusire li
oda era seahora de qaalidales dislioclas.Ide tra
to ameuo e jovial, e de boadade extrema da cora-
cao. E do Sr. Silva Brasil era fllha obediente, mai can-
nho'a e smcera affeigoada quelles que as horas
da dor procuravam jaato a ella lenitivo 9eus
males.
A' seus iacoa3olaveis esposo e paes nossos sin-
ceros pezames.
ABALROAMENTO.Hontem ao sahir do nosso
porto a escuoa iugleza Echo, e o lugar tambero
inglez Frei E. Scammell, acontecen que, teodo
esta de virar de bordo, fosse de eocoalro a aquel-
la, resultando do choque perder a escuna o pao
da bajarroaa e gurups, alem de oatras avarias,
que obrigirara-a a retroceder para repara-los ; se-
guindo este seu destino sem a menor leso.
PAGADORIA DATHESOUR\RIA DE FAZEN-
DA.Por esta repartico pagam-se hoja as seguin-
tes folhas: arsenal de marioba, capitana do por-
to, aprendizes artfices, guarda nacional e pensio
nistas d" estado. As pessoas comprehendidas na-
quellas folhas que nSo comparecerem s serio
pagos depois do sexlo dia nlil do dito mez em
diante,
DINHEIRO.O vapor Ptrapama Irouxe para :
Joo Fernandes Lodos 2:6I7000
Jos da Conesicao de 0. Figueiredo tOOOJioeO
Uooteiro Jnior & Fernandes I:9u0rj00
Cunha A Mana l.lOOfJOO
Fraga & Rocha 1:081*000
Maooel Gomes de Oliveira e Silva 1.900*000
Perdigio, Oliveira & C. 1:000*000
Loiz Aoioaio Stqaeira 9i6OO'J
Moraes A Irmo 800*000
Jos Rodrigues de Sooza 800*000
Dr. Joo da Silva Ramas 784*000
Joao Pereira Montiubo 780*600
Joaquim Jos d- Azevedo 440*700
Joaquim Soares Pinho 150*000
FESTA EM BEBERI8E. Comecaram a 3 do
corrate as noveuas da Santo Aolooio, na eapella
da Coocsi(o da povoaco de Beberibe, sendo os
versos entoalos por diversas seobora9, qae a isso
se prestaram obseqaiosameole.
Todas as noutes ha trem expresso de Baberibe
para o Recife, parti Jo d'abi as 10 oras.
BOMBO ALLEMO. Pelem-nos a seguinte
pnblicacao:
c A respeito de-ta noticia, qae fra dada no
Diario Popular de Lisboa, e transcripta oa gazeti
Iba do Jornal do R'dfe, sob a epigraphe cima,
diz o coneeitaado jornal Bem Publico de Lisboa :
Tres calumnias escreven (copiando e resu-
minio) o Diario Popular, no pruprio dia em qne
j por va d'Inglaterra, tinha ebegado o desmen
(ido (talvez d'elie mesmo qoe o fai) s calamoias
levntalas em Berlim contra este sabio ecelesias-
tico, (conego Kosmaio) honrado cosa o odio do Sr.
da Bismark e da sua matiiha.
O conego Dio foi a Ihmburgo, mas reco'heodo
de Heidelberg, passon por Hambnrgo, onde se de-
morn algunas boras. Nao ia a Roma, e nao po-
da, poriaoto, ser eocarregado de levar all nenbn
mas sommas do dioheiro de S. Pedro ; e o aree-
bispo da dioeese deelaron qne nio lbe tinha con-
dado oenbnm dioheiro daqnella procedencia, oa
de qaalqaer outra, pois tinha j mandado anterior-
mente 1834 libras sierlinas qae o Santo Padre
bavia reesbido e o conego nio ia a Roma.
< O arcebispo nio demittio o conego, mas sns-
pendeo-e do exercicio de primeiro cooselbeiro da
caria areniepiscopal, emqnanto se preceda a um
rigoroso inquerito, qne mandocr mmediataraeote
fazer em Hambnrgo mesmo ; e all foi grande a
indigaacao qae sascitaram ts calamoias amaja-
das pelos espides do Sr. de Bisjnark.
E' tambem sabido qne o conego pessoalmente
mu rico, e a saa lamida das mais opulentas de
Posen, onde todos o estiman pela sciencia e seve-
ridade de costumes; de sorte que ludo se rene
para destruir as calumnias e envergonhar o prio-
eipe seo inimigo.
E, a vista disto, peguntaremos: para qne
publicar as ootieias qoe deprimen) da igreja e seas
ministros e deixar eu sileneio o que publicara as
Mbas verdadeiramete catholicasT Saiba-se um-
bem o que dizem estas. >
LOTERAA qoe te aeha a venda a 7* a
beoefleio da matriz de Grvala, qne corre no eis
11 do correle.
LEILAO.Hoje efficuu o agiatt Marlins nm
ieiio de movis e objectoi d> curo ae correr4*
marleo, no armazem da rea de impender i. M,
as il horas do da.
CASA E DSTSNGAO.M;ii-avieu> *)4U l
de junho de 1873 :
Existiam (presos) 351, entraran 4. sabiram ht,
existem 305, a siber : naeiooies I9i\ mnifeerat
10, esiraogeiros 45, escravos 81, tscravaa 4, to-
tal 305.
Alimentados a casta dos cofrts pubicoi J8j.
Movimeato da eofermaria no da 4 4* jaobi de
1872 :
Tiverim baixs :
Jas Barbosa de Oliveira (bronebilr).
Miguel Primo dos Aojos (ophulmiai.
Tiveram alia :
Maooel Cardoso.
SeraBm Bezerra dos Santos.
Francisco Rodrigues LeOe.
-PASSAGEIROS. O vapor nacional tirapo**,
troaxe dos portos do norte os segaiates:
D. Aqoilioa Placida da Caoba e 1 eserava, O.
Isabel Placida da Caoba, Aatonio Pioheiro Lobo
de Meaezes, Aatonio Miguel, Pirmioo Caali4o de
Figueiredo, saa seohora e am criado, Kaooel Ja-
ouario de Moura, Joao Rodrigues Bol eza. Gai-
do Jos da Coala, Miosrviao Joaqaim Dias, Ma-
ooel Ferreira Baptists, Fraoeisco J-.- das Cha-
gas, Francisco Rodrigues, Maooel Francisco da
Azevedo, Marcolioo M da Silva, Joaqaim de Soa-
sa Ribeiro, Cyoriano Lopes Pcueoo Jnior, Aa-
tonio de Souza Ribeiro, Cicero T. F. Chaves, Joo
Caetaoo Gomes, Antonio Joaquim St-ve, saa e-
ohora, 3 filbos, 1 criado e 3 escravus, Joo Cor-
rea da Amerim, Joaquim Etelv.no H. da Canoa,
Luiz Francisco Jacome, Joao Luiz Ferreira Ri-
beiro, Jos Joaquim de Saoi'Anoa, Jalio Barbosa
do Souza, Lanrsnlino M. Fernandes de Souza, Ja-
venal Macedo Cabral, Maooel Gomes de Aranjo.
Jos Fraacisco da Rocha, Fraoeisco lialiaaa, Ju>
Joaquim de Miura e Silva, Jovaocio Freir Man
abo, Latinado Pereira Simoes, Dr. Francisco Go-
mes da Silva, Dr. Alfredo B. V. de Oliveira e t
criado, Felippe Leonardo, D. Fd.s toa A. de AD-
drade B., Francisco Jos Gomes, Jote Paaliao d>
C. Medeirns, Gustavo O. Goocalves Los, Felialo
E. da Albuquerqoe Medeiros, igoacio Bezerra.
Francisco Civalcante de Andrade, S-bastio Ma-
riabo, 5 escravos a eotregar, Fraoeisco Antonio le
Vascoocellos, Dr. Maooel Jaoaario B. Moaieocgro,
Jerooymo Francisco Veleiro, F.-aoci-co Antonio
tiarbalho, Aoionio Francisco Pestaa, Antonio Juie
de Barros Moreira. .
CEMITERIO PUBLICO.-Obituario do dia 4 do
janho de 1872.
Firmina, parda, Pernambuco, i annos, S. Isa!
espasmo.
Sabino Hercalano de Sooza Mello, tarde, Ptr-
nambeo, 21 anuos, aolleiro, Sanio Aaluoic, :nber-
culos polmonares.
Theodora Julia da Conceicao, preu. Percamba-
co, Ti annos, solleira, Recife ; apcplexia polmo-
nar.
Joo Maia, branco, Portugal, 24 anacs, foltelr?.
Boa-vista ; f-bre amarella.
Joaqaim Lopes da Silva, pardo, Rio-Grande do
Norte, 60 annos, Grara ; febre comoltso.
Eduardo, branco, Pernambuco, 7 annos. S.eu,
Antonio; tetaoo traumtico.
Manoel, branco, Pernambuco, 1 d?, Bca-vista .
tatano.
TIIESOURARIA DE FA2CNDA
Dia 5 de junko.
Foram remeitld is ao Sr. ibesoureiro pira ai-
rea pagos:
OQicio :
Do arsenal de marinha remeltnndo ronta* +
Bernardina da Costa Paula Moras.
Requerimentos :
De Braga A Pimentel.
Da Cumpanhia Peruamburana.
Do Elias Mariiilio Falco de Albtiqutrqae Ma-
ranho.
Do Ernesto Jos1 do Menezes.
Do Jos Pereira d<- Alcntara do O'.
De Joaquim Francisco de .M'il-.r>..
De Joo Carlos Lumarhi.
De Jos Vicente Godinho.
D.? Joo da Silva Furia & Irma
De Joaquim Moreira da Silva.
Do Joaquim Alves da Silva Sanios.
Do Joo Roberto Augusto da Silva
Do loacharel Lourenco Francisco d: Uat
Calanho.
De Manool Joaquim Ferreira Estoves.
Do Vicente Forroira do Alhuqucniue Nascn'i-i!-
to.
Foram igualmente remettidos ao Sr. paojaaVir
para serem pagos :
Requerimentos :
Do bacuarel Domingos Monteiro Pexabi.
De Frederico Alves Pereira Pinto.
De Henrique Eduardo Costa Gaan
De Jos Goncalves de MaoatMB.
Servio lu de i li:ial-ii r,
Manoel Jos Piulo.
COMMUNICADOS.
Deelara^o necessarfa
Em nm artigo datado de 3 e pablicaJo oo Dia-
rio de 4 do correte, o Sr. Dr. luy.nunJo eadV
Vianoa julgou dever dizer ao pablioo qae o Sr.
Dr. Carulioo Francisco de Lima Sau!?s l.'.j ta-
gava a pnblicacao dos seas artigos no ana o
Diario.
Aos proprietarios do Diario escapa a razio por-
qae o Sr. Dr. Vianoa emenden ser-lhe preeUe
fazer essa declaraco, alias veMadeira; mas, cerne
qner que possa ella ser interpretada menos iion-
geiramenie ao Sr. Dr. droliao, apressam-se esa
declarar por sna vez qae procedendo, como diese a
Sr. Dr. Vianns, nio fazem seno camprir na de-
ver de gratidao, que de outro modo nao ibes tem
sido possivel manifestar.
Desle longa data o Sr. Dr. Circlino presa es
seus valiosos servicos mlicos tanto aos proprieU-
not do Diario como suas respectivas familiar :
e por esses servicos, sempre feitos de ba voataiJe
e com verdadeiros e atleoeiosos cudalos, jamis
esse digno medico quiz aceitar honorario algum.
Em taes condicoes seria mal soaoie qae os
propriatarioi do Diario reeeb:ssem paga por bu
insignidcante servio qae prestam ao Sr. Dr. Ca-
rolino, franqneandolha as colamnas desea joras.,
servigo este que de oeabam modo pode ser equi-
parado s relevantes provas de amisade qae teas
recebido do mesmo doutor.
Fozeudo essa nece.-saria dclaraco enea os
proprietarios do Diario nio offeader a modesta
do Sr. Dr. Caroiino, quem entretanto padaa do-
culpa.
Recife, 5 de janho de 1872.
Os proprietarios do Diario de Pern:>xbn.
PUBLICACOES A PEQIPt.
Ao {"Mr. Dr. caroiino Fraudte*
de l-.iuia Naa tas.
Pelo seu commuQicado de boje lp qo
S. S. nao quiz absolutamente compreoflader
o fin qae tive com a minba ultima pabtieav
Clo, o qoaL era obrigar S. S. a tratar da
demoDstracio de sua preteociosa iktst, oa
< a cura dos estreitameutos d'uretbra por
msio da electricidade nio passa de na
mero sonho, ou de um problema a resolver,
provavelmente pela negativa > I E espero
pois que o faca quanto antas sob pena os
ser com toda a jas tifa considerado cono
completamente nescio em semelbaote mata-
ra, como estoa cario qae .
Cono prometli, aguardo apenas qcs S.
S. della trate terminando a sua serio de
artigas para dar-lhe conveniente resposta;
o se assim o fago para evitar a cooosso
que S. S. Unto procura e desoja, codo
nica taboa de salvacao.
Recife,,5 de janho de 1872.
Dr. A. Ai- Vianna.
Ao publico.
Joto d E. Cravo de Almeida mus
xeinraos Srs. Rocha Leal & C desde o
maio prximo passade, nio por tatu
mo commetlease no eattbeleeiaenlo *
res, como sa depreheode das
meamos teem publicado por i
simples faci de ler Sr. Antonio F. da Roena Leal, i
dito estabeleeimento, qoe e asase _.
esse sabir nesse mesmo dia para Mr
ontrem. Reeife 4 de janho de 1871
Jos da E. Cravo e
Aeaif
ea I
ese*

an os
S i


aW



-,-
a -)
dfkrim
*< 3
COMMERCIO,
Segaros contra-fojo
COJPANHIA
NORTHERN.
Capital.......-. 20,000:006*000
fondo de reserva .... 8,000:000*000
Alantes,
Mills Lothan C.
Boyal Iasurance Company.
Real eompaahia do segaros
d Londres e Liverpool.
CAPITAL
2,000,000 libras sterlinas
OD
20.000:000*000
Cim aotorisagio do governo.
y Segara contra o risco de fogo, cas-s, fazendas,
e qualquer outra especie de mercaiona.
O agente nesta provincia
J. ac. Doyle.
38 Ra do Commercio 38
N. B. Para seguros de vida da pessoas livres
que a compantaia tomar ero saa sae ero Londres
oa Liverpool, o mes no agente servir de corres-
pondente, recebe as propostas, reclamares e pre-
mios dos seguros das pes%oas aqni residentes pira
transmittir companbia, e entregar aos segurados
so respectivos ttulos.
Oompanha Phenix Peraam-
bacana.
Toma riscos martimo) era mercadorias, fretes,
dmlieiro riseo e fina I mente de qualqaer natn-
rexa, era vapores, navios a veda oa barca gas,
premios uiaito mdicos: ra do Commeccio nu-
mero 34.

PRAC4 DO RBCira 5 DE JUNHO.
DE 1872.
S 3 1/2 HORAS DA TABOI.
Cotages officiaes.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 2i 1|4 i. por
1*000.
F.J. Pinto,
iPresidente.
Dnbonrcq,
Secretario.
B3rbad5agLtJg^r ioglez Frtd E. Scam-
met, capitao 0. D. Birberi, oa lastro.
EDITAES,
ALFANDEQA
Kendirntato do da t a 4 .
dem do dia 0 .
189:38il28
43:23300l
232:622*129
Descarregara boj 6 Ja juoho de 1872.
Brigue austracoEnn farinba de trigo.
Vapor inglezCoonac varios genero?.
Lugar portuguez/u'o varios gneros.
Patacho iogUz-Li Cayenne ilem.
Barca ingleza Witck o Ihe Teign idem.
CAPATAZIA DA ALFANDF.GA
Hendimento do da 1 a 4 2:033*689
dem do da 5........ 603*118
2:038*807
SAH1DAS DE MERCADURAS.
Voluntes sahidos cora fazeuda 136
dem idem cea gneros diversos 647
Somina 783
I:aportacio.
Vapor brasileiro pirapama, vinio de
Granja e esecillas minifeslou ;
Algoiao 31 saccas a J. P. Moulinho, 539
a S Leito & Irmos, 26 a Perdigo 0!i-
veira & C ., 22 a Brag t Costa.
Carne secci 2 garajos a Maraes & Ir-
mos, 7 a Cualia Irmos < C. Caf 10 sac
eos a Cuo.ha & Maula. Couros salgados 200
a J. B. d Oiiveira, 102 a Oliveira Filhos
& C, 8 a Fernandas Irmos, 54 a S Leilao
<& Irmos. Cjuriuhos 358 a Antonio Cam
pos da Suva.
Fazendas I caixa a Paredus Porto. "
Gamma lo saceos a S LiUaa & Ir-
mos.
Machina 1 a Luiz A. Siqueira.
Queips I ci xa a Fernandos & Irmos,
:{ a Gomes iJe Mattos, 3 e 2 barricas a or-
dem.
Sola 11-2 meios a S Leito & Irm>s,
117 a Antonio Campos da Silva.
Despachos de exportaeo no dia 4 it
junho de 1872.
Para os portos do exterior.
Na barca austraca Frediric B, para o Ca-
nal, carreg.ram : Rabo Scbmettau & C. 3C3 sac-
cas com 45,410 kilos de algodo.
No navio ioglez Dolphim, para o Canal, car
regaram : Kelier & C. 300 saccas com 22,139
kilos de alo 13 i.
Ni brigue portuguez Cotttc, para Lisboa,
carregaram : Farreira Vianna & C. 100 saceos
cono 7,300 kilos da assnear branco.
- No brigae inglez Herald, para o Rio da Pra
ta, carregaram : P. Caroeiro 4 C. 530 barricas
com 38.776 kilos de assnear branco.
Na escuai norla-allema Adelina, para o Rio
da Prata, carrigaram : J. da S. Loyo A Filho 478
barricas com 47,240 kiloi de assnear branco.
Na barca ingleza Eleonor, para o Canal, car-
regaram : Adimson Hiwie & C. 370 saceos com
27,730 kilo3 de assucar mas:avado.
No navio portuguez Cere, para o Porto,
carregou : J J. Gongalves Beltrao, 400 saceos
com 30,000 (viles de acucar branco.
Na barca ingleza Magdala, para Mintreal,
carregaram : Henry Ferster & C. 2,700 saceos com
202,509 kilos de aatncar mascavado.
'ara os portos do interior.
Na barcaga" Ursulina, para Maco, carre-
goa : Jalio Mandes de Oliveira 2 pipas com 960
litros de agurdente.
Na barcada Riachuello, para Maco, carre-
goa : M. Marques Pinto 9 pipas com 1,440 litros
de agnardeate.
Na barcaca Asolcina, para Maco, carregoa :
J. Meades de OliVeira 14 barricas com 1,740 kilos
de assucar branco.
Na barcada Concfao, para o Natal, carre-
iram : Balihar & Oliveira 14 barris com 1,632
los de acucar branco.
KfiCEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBCO.
Hendimento do dia 1 a 4 6:006*281
dem no dia 5...... 715*203
6:722*203
CONSULADO PROVINCIAL.
Hendimento do dia 1 a i 19:463*755
dem do dia 5 3:8i9*327
23.313*082
MOVIMENTO DO PORTO.
Navios entrados no dia 5.,
Granja e portos intermedios8 dia*, vapor
brasileiro Pirapama, de 312 toneladas,
commandante Azevedo, eqaipagem 27,
carga differentes gneros; i companbia
Pernambocana
Liverpool por Lisboa 24 dias, sendo do
olumo porto 17, vapor ioglez Cognac, de
*#* (Meladas, commandante Roben
*eig, eqaiptgem 22, carga diffareotes
gneros ; Sinnders Brothera A C.
Navios Mhiios no memo dia.
Aface Patacho diaamarqaez Arved, capi-
tio Srarrer, em Uatro.
Rio Grande do 6ol-Paiacbo brasileiro Sin-
gular, capitao Jos Marqaea Cirepa.
carga assucar e agurdeme.
Pela tbesonraria provincial se faz publico que
nos dias 3 e 6 de jnnbo prozimo vindonro baver
?e!so da junta da fuenda, e aellas se tratar
das babilitac5e3 para ^i arrematscSi anaun-
ciadas.
Secretara da thesourara provincial de Pernam-
bneo, 29 de maio de 1872'
O offljial-maior
1 ,__________ Miguel Alfonso Farreira.
.. Pala thesourara provincial sa taz publico
que a arrematara) o imposto de 23 % de agur-
dente consumida as comar :a? onde existem col-
lectoras foi transferida para o dia 13 do crreme
ton.
Secretaria da thesourara provincial dePeroam-
baco, 2 de januo de 1872.
Ooffleial maior
________________M cual Alimn Farreira.
O lllm. Sr. inspector da thesourara pro-
vincial em comprimento da ordem do Exm.
Sr. Presdeme di Provincia de 13 do cor-
rente moz, manda fizer publico que no dia
6 de juoho prximo viadouro, se La de ar-
rematar pe ante a junta desta thesourara,
a quera tmis der, os impostos provinciaes
(menos o disimo do gado v-aecum) as co-
marcas em que nao existem collectorias, e
pelos pregos annuaes, abaixo declarados.
Boa-Vista*................ 7350000
Cibrob.................. 733,5000
Tacarat .,................ -733^000
Bonito................... 3:627^000
Caruar.................. 3:62^000
Brejo.................. 3:253^1000
Flores................... 3:0555000
Garanhuns................ 2:750^000
Buique...-............... 2:750^000
As arrematagoas, sero feitas por tempo
de I annos a contar do 1. da julbo do
correte anno a 30 de junho de 1873.
As pessoas, que se proposerem a estas
arrematarles compareco na salas das
sessoes da referida junta no dia acina men-
cionado, pe!o meio da, e competentemen-
te habilitadas.
E para constar se mandou publicar o pre-
sente peljornal.Secretaria da thesourara
provincial de Pernambuco, 14 de Maio de
1872.O oflicial maiorMiguel Affonso
Ferreira.
Pela thesonraria provincial se faz publico que
Toi transferida para o da 6 de janbo prximo vio-
doaroa arrematadlo do pedagio da barreira*de
Morenos, orfada annualmenta em 1:512*. '
Secretaria da ibesonraria provincial de Pernam-
buco, 29 de maiojde 1872.
O ofBcial maior
Miguel AITituo Ferreira..
- O lllm. Sr. inspector da thesourara provin-
cial manda fuer publico que foi transferida para
o dia 10 de jnnho prximo vindonro a arrematado
do imposto de 2*500 r> r cabeci de gado vaceum
consum la no municipio do Recife, oreado annual-
mente em 67:100*.
Secretaria da ibasonraria provincial de Pernam-
hnco, 29 de maio da 1872.
O offleial-maior
Mignl Affjn O [lio. Sf. io cial, em cumpriraento da ordem do Exm. Sr. vi-
ce-pre-idante da provincia da 13 d) crrante raez,
manda fazer pnblico quo no dia 6 de junho pr-
ximo vindouro se ha de arrematar peracte a jun-
ta da raesma thesourara a quem mais der o ira-
posto de 57 rs. por litro de aguardento da pro-
vincia consumido as comarcas em que existem
collectorias, pelos prerjos annuaes abaixo decla-
rados :
Olioda.....532*000
Rio Formoso. 302*000
Limoeiro.....337*000
Goianna.....631*000
Pao d'Alho. 30-2*0J0
Palmare?. 302*000
Iguarass. 241*000
Cabo......293*000
Sintj Antao. 6584000
Naaaretb.....450*000
Itamb .... 363*000
As arrematajSes serao faitaj por tres annos i
contar do 1 de jalho do corrate anno a 30 de
junho de 1873.
As pessoas qae se propozerera aasta* arremata
c5es comparecam na sala das sasso3s da referida
junta no dia cima indicado pelo meio dia e com-
petentemente habilitadas.
Secretaria da ihesouraria provincial de Per-
nambu:o 14 do maio de 1872.
O offi:ial maior,
Miguel Alfonso Ferreira.
O Iilm. Sr. inspector da thesourara provm-
sial, em camprimento da ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, manda fazar publico qne
no dia 13 de junho prximo vindouro, val nova-
mente a praija, peranle a junta desta thesourara
pira ser arrematada por quem por menos
fizer a obra da ponte do Caxito, na estrada de
Nossa Seohora do O' de Ipojuea, cujo ligamento
foi auzm ntaio com mais 20 j. por isto eleva-
do a 8:100*100 rs. e sub as mesmas clausulai es-
peciaes j annunciadas.
E para constar se raandeu publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da tlie;,erara provincial de Per-
namtweo, 23 de maio de 1873.
O offlcal-raaior, Miguel Affonso Ferreira.
A ihasouraria provincial contracta o forne-
cimento dos objacios precisos para o expediente
das repartieses provinciaes no exercicio de 1872
a 1873.
O c intrato ser feto no dia 20 de juoho ao
meio dia, peranta a junta da mesma thesonraria.
A licitacao ser foi:a em fras;5a3 ceotielmaes
da importancia total dos objectos fomecidos se-
gando os presos do orcameato, os quaes os con-
correntes encontrarlo ua secretaria da rae-tna
thesonraria para examinar, assira como as con-
dic5e3 com qne deve ser effectuado o contrete
Secretaria da thesoanria provincial de Peraam-
buco, 14 de maio de 1872.
O offlcial maior,
Miguel Alfonso Fecreira.
= O lllm. Sr. inspector da thesourara provin-
cial, em cumphmeoto da resolacao da junta da
fazenda, manda fazer publico, que no dia 13 de
junho prximo futuro, peraate a mesma junta, se
ha de arrematar a quem por menos fizer, o forne-
cimento dos medicamentos e atenis precisos
enfermara da casa de Ditengo, por tempo de um
anno, a contar do 1* de julho do corrente anno a
30 da junho de 1873.
As pessoas qae se propozerem a esta arremata-
cao, comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima indicado pelo meio dia, e ;om-
patentemente habilitadas.
Secretaria da thesonraria provincial de Pernam-
buco 14 de maio de 1872.
O offlcial maior,
M. Affonso Ferreira.
DECLARACOES.
Capitana do porto de Pernam-
luaco 4 de junho de 18
Pari sciencia dos matriculados nesta capitana,
manda o lllm. Sr. capitao de mar e guerra e capi-
tao do Porto declarar qae as revistas mensaes
d'ora em diante so lero lugar as primeiras do-
mingas de cada mea, na eonformidade do artigo
66 do regalamento de 19 de maio de 1846, Reven-
do principiar as 9 horas da manbaa e terminar ao
meio da.
O secretario,
Decio de Aquino Fonseea.
TRIBUNAL DO COMMERCIO.
Esta secretaria faz pciblieo para conbecimento.
dos interessados qae nesta data foi inscripta no
competente livro a escriptara antenupcial de dote,
oelebrMa psra o consorcio de Alfredo Martins de
Barros eom D. Thereza Carolina da Foneeca, na
qoal se estipnlea qae a conjage, entrando para o
cazal eom a somma de 80:632*441 rs. qae Ihe
conbe m partllbi dos bens de seas fiaados pais, o
oasnendador Tbomaz de Aqnino Foneeca 0.
Leopoldina Carolina da Foneeca, alem da qne an-
da Iba viesa a caber oa sobre partilba qae se
tem de proceder, reserva va para ten dote a me-
lada da qoanlia liquida e pir liquidarse, qoal
nio entrara para a eommonhao dos bern coa-
jugaes, qaer-ella conjage tivesse Albos quer
nio, e qne per snt morte os bens dotaes passa-
riam para seas berdeiros legtimos, se nio os bou
vesse testado em favor da outrem.
Secretara do meritisjimo tribunal do commer-
cio de Pernambuco, 3 de janbo de 1872.
O offlcial maior Interino,
nnoctncio Antunes de Farias Torres._______
Gonselho de compras de ma-
O eonselho no dia 7 do andante mez contrata
sob as condiedes do estylo e vista de propostas
recebldas at as 11 horas da manbaa, o se-
guate :
Por tempo de um anno, fiado em ianho de
1873.
Fornecimento de ambulancia aos navios da ar-
mada.
Servicos de barbeiro enfermara, bem eomo
de lavagem de ronpa da mesmt. e de ontros esta-
belecimentos de marinha.
Por tres mezes, fiados em setembro pr-
ximo vindonro.
Fornecimento das segaintes peqa de farda-
meato :
Para aprendizes artfices.
Boaets do uniforme, ditos do servico, blusas de
brim branco,ditas de algoiao azul, ditas de pan-
no aznl, cairas de brim branco, ditas de algodo
azol, camisas de algodaoziobo, cobertores de las,
ditos de algodo, cintos de couro branco inverni-
sa4o, calas de panno azul, eoleboes de linbo
ebeios de palbs. fronbas de algodozinno. lencos
de seda preta para grvalas, Iances de algodo-
zioho, sapatdes, saceos de guardar roupa, e tra-
vesseiros de linbo ebeios de palba.
Para impenaes marinheiros e aprendizes ditos.
Bonets de panno azul, camisas de brim branco,
calcas de algodo azul, camisas de algodo aznl,
caigas de panno azul, ditas de brim branco, cami-
sas da baeta azul, tendo o corpo 4 1|2 .palmos de
camprimento e 3 as mangas inclusive os pnnhos.
ditas de baata azul, tendo o eorpo tres palmos de
comprimento e 2 as mangas inclusive os pnnhos,
fardel is de panno azul, laucos de seda preta para
gravatas, sapatoes e saceos de loaa para marinha-
gem.
Para artfices avalsos.
Blusas de panno azul, ditas da algodo azol,
caigas de brim brinco, ditas de panno aznl, ditas
de algodo aznl, camisas de algodozinno, e cintos
de couro branco iovernisado.
Para marinhagem.
Caigas de brim branco, ditas de algodo azul,
camisas da brim branco, ditas de algodo aznl,
ditas de baeta azul, tendo o corpo 4 1|2 palmos de
comprimento e 3 as mangas inclusive os dudos.
Sala das sessoes do eonselho de compras de ma
rinha de Pernambuco 4 de junbo de 1872.
O secretario,
Alexandre Rodrigues dos Anjo?,
Fago constar a qaem convier que o lllm. Sr.
Dr. director geral interino da ins'.rucgo publica,
tem marcado o praso de 30 dias, a contar desta
data, para nesla secretaria se inscreverem e hab-
litarem-se na forma das disposigdes'da lei n. 369
de 14 de maio de 1835, e iostruegoes de 11 de ja-
nho de 1859 ; as senhoras que qaizerem fazer
exame de venfleago de capacidade para o magis-
terio primario, que dever ter lugar nesta secre
taria no da 25 de juuho prximo vndoaao, pe
las 10 horas da manha.
Secretaria da iostruegao publica de Pernambu-
buco 25 de maio de 1572.
O secretario,
Anreliano A. P. de Carvalho.
SANTA' CASA DA MISERICORDIA DO RECIPE
A lllm, junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recite, manda fazer publico que
na sala de suas sess5es, no dia 6 do mez de
junho pelas 3 horas .da tarde, tem de ser arrema-
lados a quem mais vantagens offerecer, palo
tempo de um a tres annos, a rendas dos predios
am seguida declarados.
ESTABELECIME.N'TOS DE CARfDADE.
Raa doCordoniz.
Casa terrea n. 3.........600*000
Largo da Campia.
Meia agua n. 3....... 95*000
Roa da Soledade.
Casa terrea n. 72. ...... 96*000
Ra de S. Jorge.
Casa terrea n. 103........206*000
Sobrado n. 20......... 2i0*00i
Ra do Baro da Victoria.
Sobrado de um addar n. 37. 2:000*000
Roa do Gabag.
Sobrado de tres aodares n. 3. 1:900*000
Ra larga do Rosario.
Tercero andar, n. 2i A.....244*000
Terceiro andar n. 24 ,.....244*000
{PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra de Rangel.
Casa terrea n. 56-......401*000
Sitio do Forte......... 18*000
Os pretenderes deverao apresentar no acto da
orrematago as soas fiangas, oa comparecererx
icompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Saota Casa de Misericordia do Re
ife, 31 de mato de 1872.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souza.
THEATBO
C0MPA1IA MMIM
Sexta-feira 7 de junho
Espectculo extraordinario
EM BENEFICIO DO
Jardim da pra Com o generoso concurso do primeiro rabe-
quista o Sr. J. Malmahm.
PROGRAlIiUA
Primeira parte.
Les deiix souris
Comedia em um acto, peles artistas francezes.
Segunda parte.
1.PHANTASA execatada no violino por Mr.
Mahlman acompanhado por Mr. Poppe.
2.'-ARIA por Mr. Gaother.
3.--PECA DE CONCERT por Mrs, Mahlman
e Poppe.
4.-POMMADA, canconeta por Mr. Hurbain,
Terceira parte.
Jeanue qui pleure et Jean
qui rt.
Opereta em um acto de Offembach, representa-
da pelos artistas francezes.
A's 8 l|
llavera como de eostume nm trem. nara Apipa-
eos e am bond para a Magdalena. *
THEATRO
GYHN4SI0 DRAMTICO
Sabbado 8 de junho
A's 8 i i da nonte,
Primeira representaglo do Importanssimo e
apparatoso drama claasico de granda espectculo
em 5 actos, originar portugaez.do oonaemeiro
Meades Leal Jnior, intitalado :
OHOMEM
carregameoto ; e para 9 setos, o consignatario Joaqun) J. G. BfeKtio i
roa dftCommercto-n. 5.
09CPAlflIA
jj^.
sul.
Dos portos do norte esperado
at o dia-10 do correle, o vapor
Ceardc, conmetdtnte Eastaqoio,
o qual depois da demora do cos-
tme seguir para os portos do
Para carga e passageiros trau-se aa agencia.
Eneommendas de peqfeno valor, peso, medida e
tambara dioheiro recebem-se at 1 hora da tarde
do dia de sua sahida : na agencia, roa do Com-
mercio n. 8.
As eojommenias viudas por este vapor serio
entregues at o dia da sabida do mesmo, no es-
criptorio da companhia, e despois deste termo se-
rao reeolhidas no trapiche Dantas.
COJIPAXIIIA
DE
Nav^apao Brasil^ira
B P
At o dia 8 do corrente
esperado dos portos do sal nm
dos vaporeada companbia, o qual
depois da demora do eostume
seguir para os portos do norte.
Para fretes e passageiros tratase na agencia.
Eneommendas de pequeo valor, peso, medida
a tambera dioheiro, reeebem se at a 1 hora da
tarde do da da sabida do vapor. Ageneia ra do
Commercio n. 8.
As eoc9mmendas viadas por este vapor ser-
entregaos at o dia da sahida do mesmo, no es-
criotorioda eompaahia, depois desse termo stro
reeolhidas no trapiche do Dantas _
PARA 0 PORTO
o patacho portnguez Lidador vai sahir breve ;
para eargs e passageiros trata-se cora E. R. Ra-
helio St C,., roa do Comnmreio n. 48.
fara o torto
Depois de pouca demora nesta porto dever se-
guir vngem com destino quelle, a veleira barca
porlugueza Imperial, tem grande parte de sea car-
regameoto engajado ; e para e resto qne Ihe (alta
a passageiros, aos quaes cfferer.e mnito boos com-
modos, tratase com Soares Primos raa do Vi-
ario o. 17.
Para o Kio Grande do 8ul
Para este porto pretende seguir com mnita
brevdaie o brigoe nacional Amelia ; para o res-
to da carga qae Ihe falta tiata.se eora os seus
consignatarios Antonio Luiz de Oliveira Azevedo
& C. roa do Bom J^sus o. 57.
COMPAIMMJl
DAS
Messegeries maritimes.
At o dia 10. do corrente mez espera-so da Eu-
ropa o vapor francez Gironie, o qual depois da
demora do eostume seguir para Buenos-Ayres.
locaudo na Baha, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para condignas, fretes e passagens trata-se na
agencia, rus do Commercio n. 9.
Porto por Lisboa
Para os iniieados portos pretende sahir com a
possivel brevidade a barca portugaeza Ceres, na-
vio de Ia classe, por ter a maior parte de sea car-
regameoto engajado, e para o qae Ibe falta, qae
recebe a frete "commodo e passageiros, para os
qaaes tara aceiados commodo?, trat-te eora o
consignatario Joaquim Jos Gongalves Baitro
ma do Commercio n. 50.
"Par
Qbrigne nacional Victoria sahir com rxuita
brerrdade ; para o resto da .Carita trata-se cora
Pereira Vianna & C. ra do Vigario n. 11, 1*
andar.
PARA O
Rio Grande do Sal
Seguir com a maior brevidade possivel
o brigue nacional Pirangy, para carga e
fretes, trata-se com Francisco Ribero Pinto
Guimares, raa do Brom n. 96.
Para o Rio de Janeiro
anda recebe resto de carga o patacho Helios. Ira
ta-se na ra do Vigario n. 19, eom os consignata-
rios T. da Aouino Foneeca 4 C, succssores.
LEILOES.
E MOVIS
Objectos de ouro e prata, 2 relogios paten-
te inglez e 2 ditos para cima de mesa
Urna mobilia de Jacaranda em bom estado, cons-
tando de 18 cadeiras de guarnigo, 2 ditas de bra-
cos, 2 consollos, jardioeira. com pe-dra e 1 ssf, 1
dita de amarello muito solida, 1 guarda louga de
amarello, 1 guarda vestidos de amarello, 1 cora-
moda de Jacaranda, meia dita, 1 cama franceza
de Jacaranda, 2 apparadores de amarello, 2 ditos
menores, 2 carteiras, sendo nma menor e ontra
maior, 12 cadeiras de faia usadas, 1 marquezo, 2
marquezas, 2 cadeiras proprias para viagem, 2
espelbos, sendo um com moldura dourada, 1 can-
delabro, 2 serpentinas, diversos objectos de ouro
e prata, 2 relogios patente inglez, 2 ditos para ci-
ma de meza, e outros muios objectos que sero
vendidos ao correr do martello.
hoje
Pelo agente Martins, no armazem da ra do Im-
perador n. 48.
AS 11 HORAS DA MANHA.
Leilao
DE
30 barricas com manteiga ingleza e 20 ca-
xas com albos.
HOJE.
O agente Pestaa far leilao por conta e risco
de qnem pertencer das mercadorias cima men-
cionadas, boje quinta-feira 6 do correte, s 11
horas da manbaa.
Na armazem do Aunes de fronte da alfandega
LEILAO
N-, B.Os prnaet de amachas annuncllrio, de-
talladamente, o programa do espectculo,
AVISOS MARTIMA. "
Para
Segu para o referido porte eom malta
de o biate OUnda, por ter a ufer paro 1
DE
Urna caixa marca A CdC, eom fazenda
a variada
SEXTA-FEIRA 7 DE JUNHO
A. > _Jr* s ^b horas.
O agentei^nto far leilao por autensago do
consol de Franca, em preseoga de sea delegado e
por cesta e riseo de qnem pertencer, da caixa
cima mencionada, con.-tando de 30 pegas de ere-
tee avadado d'agua salgada, bordo do vapor
francez Sindh, na toa recente viagem este porto.
O letlio ser effactuldo no dia e hora cima
mencionsdos.
No escriptorio do referido agente, rna da Cruz
u. 43 m n mm n a jm> 1
Casa terrea da rna do Yiscoade de Goyan-
na d. 183, edificada em cbJos proprioa
Sexta-fcira 7 do evtente
Aoneio
O* asente Pinto legalmenre* wrorisado levar
leilao as 11 horas do dta-acimv dito a casa terrea
da roa do Viscoade de Goyanoar n. 183 :
Em sen escriptorio a roa da Crna n. 43.
LELAO
DE
MOVIS
Vidros, qoadros, 1 cofre, 1 eanctuirio ri-
co e outros muitos objectos pertencentes
a'om familia que mudou de residencia.
SEXTA FEIRA 7 DO CORRENTE.
No sobrado o. 1 da rna das Flores, boje Ma-
thias de Albuqnerqae, s f i horas do dia : nesta
mesma occassiSo se troearo diversas imanaos.
Leito
DE
FAZENDAS
A VARIA DAS
Constando de :
Midapoloes, algodoes e chitas.
Sexta-feira 7 do corrente.
A'S 10 HORAS DA MANHA.
Por intervengo do agente Pinto, em seu e3eru>
torio, na da Cruz n. 43.
Leilao
DE
O duzias de bizerro e 48 cbapos amazo-
nas (com avaria.)
Sexta-feira 7 do corrente.
AO MEIO DIA.
O agente Pinto levar leilao por autorisago do
cnsul de Franc.', em presenga de seu chancellar
e por conta e risco de quem pertencer 3 caixas
marca D P W & C. n. 92 1(2 com bizerrs avara-
dos a bordo do logre francez Rio Grande, e urna
ontra da raesma marca n. 906 com chapeos ava-
riados bordo do navio francez Joo Baptisla.
O leilao ser tffectoado ao meio dia do dia 7 do
corrente, no escriptorio da ra da Crnz n. 43.

DE
Chapeos do Chile, de feltro, de manilha,
de massa, de palba, para homen*. seobo-
ras e meninas, e bonets de differentes
qoalidades.
SEXTA-FEIRA 7 DO CORRENTE
A'S 11 HORAS EM PONTO.
Por intervengo do agente Pinto.
Xa ra do Bom Jess n. 43, 1* andar, ectrada
pelo boceo da Lingrta.
ISSTITLTO ARfflBOlMfe E GEOCRPBLi-
CO PER W.B0CASO
llavera sessSo ordinaria quinta feira
do corrente jonho, pelas II horas da bm-
uhJa. >
ORDEU DO DIA
1 Mensagem do Sr. coronel Jlo de Bar-
ros Falcao, por parte do Sr. coaielh
Tbeodoro Machado Freir Pereira da Silva,
offerecendo ao Instlalo a peona ota qie
S. A. I. a Sra. princeza D. liabel, oa qoa-
lidade de regente do iaperi >, aaaiftpa o
decreto de 28 de teteubro de 1871, abo-
lindo a e?cravi lao no Brasil; .
2o Discuaejo do orcmento para i anao
social oe l&a{873;
3 Pareceres emaistrabalhos decommt-
soes;
Secretaria do Instituto, 3 de jubo do
1872.
i. Soaru d'Autkoo
Secretario perpetuo.
CASA DA rOMTOIU
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
4 rea Primeiro o Marco (oatr'ora roa *
Crespo) n. 23 e casas do coatoaso.
O abaixo assignado, tendo vendido nos tesa 1
.es bilhetes quatro qoartos n. 33 eom 9:0004.
um iutelro n. 2,78) cim 1001000, oatraa aortes
de 40*000 e 20*000 da lotera que as ac
boa de extrabir (6'), convida nos posraidores
a vrem reeeber na cmformidale di* cjitame sea
descont algum.
Acham-se a venda os bilhetes g-iraatior da
2' parta das loteras, a beneficio da matriz da
Grvala (7') qne st extrahi; na oaarta-fer*.
12 do correte mez.
PRECOS.
Rilhete inteiro 00
Meio bilbete WOW
Qaarto i<500
Era pcr-;ao de lOO^OJO para cima.
Buhte inteiro 5XCO0
Meio bilhete 2*780
Qnarto 1*375
Manoal Martins Piata.
IiEIIiAO
DE
5 caixas om liobas em novellos.
SEXTA-FEIRA 7 DO CORRENTE.
Por intervengo do agente Pinto, em seu ar-
mazem, ra da Cruz n. 43

Tres predios as segointss mas, a saber :
1 casa terrea na Camba (o Cirmo n. 2.
1 dita dita meia agrja na ra das Flores
D. 1.
i dita dita meia agna na travessa da roa
das Flores n. 1 ; todas em chaos pro-
prios.
Sexta-feira 7 do corrente.
O agente Martin) fara leiio, precedida com-
petente aulorisago, dos predios cima ranto bem
ocalisados, podendo 03 pretendentcs para iufor
magSes se entender eom o mesmo agente.
O leilao t?r lugar no armazem da ra do Ira
perador n. 48, s 11 horas do da.
L^
DS
Chapeos de tol de ;da inglezes, casave-
qoes de seda preta, pannos finos, cose-
miras, balao, camisas de flnella, da-
masco de laa, atoalhados de linbo, prin
cezas, popelinas e gravatas.
Sexta feira 9 (do corrente
A's 10 horas.
Por Intervengo do agente Pinto, em seu escrip-
torio ra da Cruz n. 43.
LEILAO
DE
Ing'ezas, francezas e allemas, e de um
grande sortimento de miudezas, todas
proprias deste mercado.
Segunda-feira 10 de janbo
A'S 10 1|2 HORAS EM PONTO.
Ra do Bom Jess n. 3.
O agente Oiiveira far leilao por intervengo de
sea preposto P.nho Borges, de am grande e com-
pleto sortmen'o de fazendas e madezas, cousis-
tindo era algodoasinhos, madapoloes, chitas, ca-sa-
brancas e Da cores, casemira preta, camisas iul
glesas, lengos de linho branco, cambraia Victoria
ditas bispo, collarinbos de linbo, alpaca preta e
prioeeia, brins brancos e de cores, atoalhados de
linho, (Titos de algod), extractos Anos, oleo, agua
decologne, luvas, coques, cams de ferro, chapeos
aveludados do ultimo gasto para seohora?, Titas
de seda, ditas de sarja e elstica?, bonets para
meninos, chapeos de palha para bomens, toucas
para eriangas, enxovaes para baptsados e outros
muilos artigas; assim corao na mesma occasio
vender-se-ha diversas fazendas avariadas, bem
eomo seja algodo, madapoloes, bros pardos, cas-
tores de cores mnito bonitas, etc., etc., indo exis-
tente no seu mnito conhecido escriptorio, roa do
B>m Jess n. 53,1 andar, (outr'ora Cruz) onde
ser effeetnado o leilao, para o qual convidam a
concurrencia de seus freguezes.
Engento Monte de Ouro
A' 18 de junho do corrente anno
Por mandado do lllm. Sr. Dr. jniz de direito es-
pecial do commercio d'esta cidade, requerimen-
to dos administradores da massa fallida de Siquei-
ra dt Pereira, o agente Oliveira, far leilao por
intervengo de seu preposto Picho Borges, do en-
Senbo denominado Monte d'Ouro, sito no termo
e Ipojuea d'esta provincia, o qual penborado por
exeengo de ditos administradores a vinva e ber-
deiros do Dr. Ignacio Nery da Foneeca e adjudi-
cado indicada massa.
Ao meio da era ponto, no escriptorio do referido
agente, ra do Bom Jesas (outr'ora Cruz) an-
dar n. 83, onde os pretendentes podem baver as
oformacSes neesssarias.
GASA DA FORTUNA
RDA 1* DE MARCO OITK'ORA DO
CRESPJ N 23.
Lulea que paga as sortea
A.os 20:000*000.
O abaixo assignado tem seo.pre exposto i ven-
ia os felices bilhetes do Kio de Janeiro, |>afaBd;
aromptamente, como costuma, qualqaer premio.
PRECOS.
Inteiro 000
Meio 111009.
Qyarto "6j|O00..
Manoel Isartins Fan.
O Buqaet das dama-, a ro.i i de marco u.
l'i I." andar, Mieatfea ao respeiiavel publico qne
fcaba de reeeber am bello soniraento de perfa-
mirias finas sobresabinlo entr? e hs lindas cai-
xmhas propriaa para presantes, nooita? garrafas de
(loo cristal cora agua de cologne, frascos eom es
me'.h>res extratos, m giificos vasos Jnarados cera
pos de arroz, a cxcelleote gu=. do Botot a mais
propria para impar e caoservaro brilao dos den
te. Um soniraento le me vas para cabellos t
barba, com as costas marebetadas de madreperola.
leques d'osso muitj bonitos a iin.lago-de marlioi
ditos pratos d se la, propriub para lato, lindos
pares de ligas para norvas, veos e gflnaldas de
flores de larangeiras, luvas de pellica branca, de
crese prelas para hora*ns,s minora* e meninas,
c llarinbos de linho da ultima aw I?, lencos de seda
para algibeiras polo barati^sirr.o prego de 1003.
1200 e liWO cade um, collares eteetfM para cre-
anga;, franjas e galoas de seda preta e de cores .
nm completo sortimento de litas de sarja de bel-
las cures de ns. 1 at 80, estas proprias para cin-
tos ; pentes de tartrica imeratrU; lindissimas
l res artifi:iae3 de liturentes matizes.
No mesmo estabele:imenlo cima encontrar-i
sempre um grande sorliliento de coques, cache
paioe, traogas e tapete?, bem como o neeossario
para o perneado das Eternas. Sra?., nem toa ven-
da, como de slugnel.
Dever de gratidSo.
Reconhecdo a todas aquellas pessoas qae uve-
ra ra a bradade de annar a m^u convite, e pres-
taram sua assistencia s missas e memento qo1
foram celebradas oa orden terceira do Cirrao, no
dia 4 do presento mez, trigsimo dia do fallec-
ment de minha sempre iembrada mi, Joanna
Lima-da Conceigo, me c-nfe.-so summamenie
agradecido a todas ellas, bem como as illnstres
sociedades Conciligo < Lu^o-Bra-iieira. Por
mais esta prova de ewosideracio que se diguaram
prodigalsar-me, recebara o riacero reeonhecimen-
to de gratiio que Ihes vota
J.:; Joaquim Lima latjfo.
mmmm^mmm
Attenono!
EN5INO PECUXDaRIO
O bichare! A. It. d- Torres Bandei- 1
ra profess-r de geographia e histi- S
ria moderna, do Gynnasio desta pro- B
vincia, tem aberl/ na casa de sua resi- B
dencia, ra di Coronel Sua-snna i mi-
ga roa dos Hartyrir.s) n. 114, segando
andar, es ursos das disciplinas prepara-
torias segnintes :
Geogra pitia.
Historia.
Rheionca e potica.
Pbildsopbia.
Lingua nacional.
E contina a prop rciocar o ensino desta
lingua, da franceza e de geographia e
historia s senhoras, q:e para tal flm o
quizerem honrar com a sua conflanja.
Aos 5:000^000.
Bilhetes garantidos da pr-
Tinela.
Ba do Ba>*ao da
Victoria,
AVISOS DIVERSOS
Ajad ante de cosinha e caixeiro
Preeisa-se de nm bom sjadante de cosinha eom
arattea para hotel ; -preersa-se igualmente de am
caixeiro eom ptaca para o mesmo betel ; ta-
lar na rna Novt, toja n. 80.
Outr'ora ra Nova n. 63 6 casas
do eostume.
O abaixo assignado acaba de vender sea seus
muito feliies bilhetes a sorte de 800/ en quatro
quartos Je n. 1986. e quatro quartos de n. 181
com a sorte de lOOi, alem de outras sortea me-
nores de 404 e 20 da lotera qae se aeaboa de
extrabir (6a), e convida aos possaidores a vrem
reeeber, que promptamente sero pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para ir ao sea es abelecimerato com-
prar os mnito feliies bilhetes, que noexar de
tirar quaiiner premio, eomo prova eom es mea-
mos aaauncios.
Acham-se venda os mnito feliies billetes p-
rantidos da 2a parta das loteras a beneficio da
Igreja matriz de Grvala, qae ser extrahida no
dia quarta-feira 12 do corrento mez.
PRECOS.
Inteiro 6*000
meios 3#0W
uartos 1*110
De iOOJKMO para eiaa.
Inteiro 1*500
. Meios 5*750
Quartos 1*375
Joao Joaqnim da Costa
PreeisMe-ttaa caixeiro de 12 a 20 annos
de dado'para (averna a raa do Coronel Snas-
snna n. 296, dando laier a nh Multa; i
tratar aa mwma,
Solicitador.
O solicitador Jlo PampMNso Ca vafeante en-
carrega-se no ro de-la cidads de oasaao ert-
mes, eiveis e ccmmerciaes, e das dos preaoa po-
bres gratuitamente :' liara o que pode ser pro-
curado, das 9 horas da maobla as 3 da tarde, na
rna do Imperador n. 4f-, 1* andar, ou ai ala daa
aalienciis.

-----------_.


-


1
Cosinbeiro
Precisa-se da um eozinheiro oo cozinheira f>r-
r ou eran para ama casa de familia : Ira lar
a roa do Amorlm o. 37, ou ero S. Jos do Man-
guiuho, sitio n. 4.
Escravo fgido
Anleulon-se desde 13 de maio prximo passa-
4o o prelo Alfredo, de trila e taotoa anuos, es
(atora, alio e magro, olhos grandes e tem nm
(cito no indar, perfeito c linbeiro e foi eseravo
4o Srs. Adriano A- Castro, e rjltims mente do Sr.
Jos Joaqaim Goocalves Basles, costuma andar
pela Capunga e Poco da Panella, e consta que j
foi visto na cidade de lin 'a ; esle sao os pon-
as atonde elle tem andado : qoem o pegar tra-
ga o a rna Duque de Caxias o. 91, I'ja do Rival
sem Segnndo, que ser bem gratifleado,
Casa de campo
Aloga-se o sitio Chacn, com boa casa e baixa
pan capim, pasto para gado, tem baoho do Ca-
pmaribe dentro do sitio e nao tojeilo s chelas:
na ra da Imperariz n. 39. 3a andar.
CABU 1P0JCA E ESCATDA.
' Advogado.
O bachartl Joao Gjniaga Bacallar lem fi
escriptorio e residencia na villa do Cabo M
roa Daqoe de Caxias n. 21.
Eocarrega-se de cansas civeis, erimes jR
| e commerciaes, bem como de defesas pe- m
I rante o jnry nos termos snpramenciooa- SE
Mobihas
Na ra Daqoe de Caxias (oatr'ora das Cnize-)
n. 23, armazem de trastes, vende se mobihas na
ciooaes e eslraogeiras, assim como obras avuL-as
por pree commodn.
O abaixo a*f ignado tai vtt o pnMco, com
especialidade ao corpo do ooomierci-s qie venden
aos Srs. Uartins & Conha, toa taberna sita na
roa Marcilio Dias n. 4, ouir'ori raa Direita, ltr
e desembarazada de qunlqoer debit >, coro a cjo-
dielo des mesmos seolioies pagaran aos meas
credores de eoooraiidade com a proposla que os
meamos seobores garanliram ; obrigando-toe en
attender a qoalqoer envida que possa apparecer,
nio chegaodo para aen pagamento os gneros
existeniee na dita taberna.
Recife, 4 de juoho de 1872.
tfaooel Jos de Oliveira Ranos.
Moral publica
Pedeee a om moco casado, que mora oa roa
a Lmgueta, qne nao continu a chegar a va-
randa, de camisa e ceroulas, feto om oegre de
assnear pelo eonirario, sa continuar declioarei;
sen nome.
A Fonce.
Oosiaheiro
No cal cbinez rna larga do Rosario
preefea-se de nm coxinbeiro,
D. 31,
Precisa-se de om eitor para o sitio da Sole-
dade n. 29.
grande
E
Pomposa festa do glo-
rioso Santo Antonio
am Beberibe.
Coroecaram no da 3 do cerrente as trezenas
leste glorioso Santo, com todo o bn hantismo, na
apella de N. S. da Conceicao, em Beberibe ; seo-
do os versos cantados por seohoras, que de boa
vontale a isso se prestaram, e acoropanhados com
orna barmoniosa sorapbina; entrarlo sempre as
trecenas as 7 l|2 horas da noite.
Todas as nones, depols do acto, subir aos ares
um liodissimo balo.
Hatera mais om trem que partir de Beberibe
as 10 horas da noite, tocaodo em todos os pontos.
Perguna
Pergnota-se a nm tereeiro e-cripiurario da tbe-
sonraria de fazenda, cm qoe ordem anda pelas
roas acompanhado de doas pracas aSm de recru-
tar ; e na o :ca.-i;io em que procarava dizia qoe
quera fazer-me dar om passeio al a curie;
qoem 6 essa autoridade qoe a pedido do suppli
cante exerce semelbante absolutismo ; isso gra-
ca ana : mesmo porque o sapplicanle estando no
caso de ser recruiado, nao pode recroiar. Pois
mea amigo, tenho direito a urna estre'la, cousa
que voc nio o tem, e parlicipo-lhe que em vista
dos dse jos bem intencionados qoe tem para com
migo, declaro-lbe, qoe tenho pooca vontade de
sujeitr-me aos seos caprichos, porque nao o co-
nheco como cousa alguma.
Cont commigo e sigamos para ditnte.
9 apreciador.
Oarta.
O Sr. Augusto Geouioo de Figueiredo tem orna
carta na rna do Imperador n. 28.
CAIXBIRO
Precisa se de um que tenha pratc para la
*.erna : tratar na ra da Cruz n. 23, tereeiro
aadar.
Santo Antonio, S. JoaoeS.
Pedro
Alguidares, bacas, batedeiras vdradas, e nm
completo sortimento de toacas; a raa da Impera-
iriz n. SI, e do Rangel n. 16.
Carlos l\eiy, leodo de retirar se para o sol
noprimeiro paquete qoe pasar, e nao podend),
como sen desejo, ir receber is ordens deseas
amigos e das pessoas que o honraram com snas
visitas, devido a seo mao estado de saJe, o faz
por este meio, pediodo militares de descolpas.
Dinheiro
juros
Precisa-se da qaantia de 3:iOO000 rs. a juros
de nm e meio ao mez, com garanta e por es-
paco de uro anuo, pagando-se na roesma cccasio
em qne receber, os juros competente; quem pre
tender este negocio qeira anuonciar saa moradia
para ser procurado, ou ento deixe carta Lidia-
da nesia typographia com ai iniciaes C. e M.
Trocam-se
notas das caixas filiaes do banco d 3 rasil, coro
pequeo descont : na luja da ra do Mrquez de
Olinda n 58.
Grande of(tena de uietaes
BRAGA & PIMENTEL
Ra Nova o. 35.
Nesta offlclna trabalha-se em eocanamentos d'a-
goa, de latoeiro, caldeireiro, faoileiro, tero sorti-
mento de bombas de o. O a n. 8, alambiques, la-
xot, toroeiras, vlvulas, tubos de chumbo, sinos,
obras de folba, bacas de ferro estanbadas, cobres
de engenfao, espnmadeiras, cadinho para ruodicao,
todo por presos commodos e promptido para
(Ualqaer (rabalbo.
**** #* ******
1 CONSULTORIO HOMEOPATHICO &
no S
Dr. ant.ta Helio.
Consoitu todos os das das 10 horas *
ao meio da. Chamados a qoalqoer hora. X
TACCINA. JR
fA' este consultorio ebegou a verdadeira X&
lympba vaecieica da Inglaterra, e vacci- 5
na se s quintas feras e domingos das &
JjOK 10 horas ao meio da. Q
S Gratis aos pobres. 2
43 -Ra do Baro da Victoriai3. W
ttAAttlK *** ^t ** -*m **. JGfcik'lCt
WWliVIaTW **** Jal WWW
SEGUROS
MARTIMOS
E
~ CONTRA FOCO.
k compinhii Indemnisadora, esUblecid
prata, toma segaros maritimos sobre
i e atas carregameotos e contra toge
edificios, morcadoras e mobilias
do Vicario n. 4, pavimento terreo.
Typographia.
Vende-se por preco mdico a typographia
do Comi Pernambucano, a qaal est per-
feitamente montada para se po: licar ama fo-
lba diaria, tendo recebido ltimamente um
completo sortimento de typos dovos : a tra-
tar na ra do Imperador o. 2.
Da-se o echado
Quero achou urna poleeira de ouro esmaltada
de atol, perdida na manhaa da dia 31 de maio no
convfote de S. Francisco por occasiio da missa
do mez de maio, oo do convento a ra Duque de
Caxias, qoereodo restitui-la leve na praca da In
dependencia n. 7 e 9.
Apreseotapo
Nos, os proprietarios da eonfeitaria do Campos
a rna do Imperador a. 24, vimos apresentar o
nosso eslabelecimento com ama fabrica capaz de
loroecer bolos para as ooutes de Sanio Antonio,
S. Joao e S. Pedro, e por isso pedimos aos'amantes
das folias das mencionadas neutes qoe venbam
antecipar soas encommendas aura de evitar atro-
pellos tao commons nessas oocasioes. Alem disso
o nosso estabelecinento est tambem mnito sor
lido de sortes finas, assim como preparos ricos
para as mismas, pois para isso nio temos pou-
pado esforcos a nosso alcance. E : com urna
visita a eonfeitaria do Campos se poder fazer
urna idea do sen bom sortimento.
Precisa-se le um caixeiro de idade de 14
a 13 anuos para tavema, dando Gador a sna cen
ducta, nao se olba a ordenado : na raa Direita
dos Afopad s n 60.
FOGOS ARTIFICIAES
Para festejar Manto % nio nio. S.
Joo e 8 Pedro.
Souza & Guimares, proprietarios da j moito
coohecida loja de ferrageos ra do Barida
Victoria o. 39, (outr'ora rna Nova) veem avisar
a seus fregaezes e ao publico em geral, qoe ac-
ba ni de receber um liado e variado sortimento
de fogos cbmezes o mais lindo possivel qne se
pode desejar, assim como desde j recebem en-
commendas para todas as qualidades de fagos na-
cionaes para as meihores fabricas desta cidade.
Os aonuncianles envidaro todos os meios para
melhor servir a todas as pessoas que se dignarem
honrar sea eslabelecimento coro sna presenca.
Precisa-se de urna preta escrava para o ser-
vico interno de ama casa de ponca familia e que
saiba vender na ra : na'rua do Nogoeira n. 19,
segundo andar.
Precisa-se de um cozinbeiro : na padana da
ra do Rangel n. 9.
Na Pra{a da Iodependencia n. 33 se compra
ouro, prata e pedras preciosas, e tambem se vend
obras de igual especie.
Fugio no lim do mez de novembro do anno de
1869, do eogenbo Goit, sito na comarca de Na-
zareth, a escrava Tbereza. de 30 aonos de idade
pouco mais ou menos, com os signacs segaiBtes :
cor mulata bem clara, baixa e grossa do cor-
po, ro.-io redondo, olbos casiaobos e grandes, na-
riz uro tanto chato, bocea grande, denles grandes
e cangullos, cabellos meios loaros e caxealos
para as ponas, bracos e pernas grossas, ps cur-
tos e grossos, com algums cicalrizes de reino
as costas.
Igualmente est fngido desde o dia 26 de feve-
reiro do correle anuo o escravo crioulo de no-
me agostioho, de 40 annos de idade pouco mais
ou menos, e os signaes seguintes : cOr bem pre-
la, alto e grosso do corpo, resto redondo e car-
nudo, o'.hos pretos e grandes, nariz chato, boc-
ea grande, beicos grossos, representando dous
beicos do lado de cima, com falta de dentes na
frente, cabeca comprida e calva de diante para
traz, principiando a pintar tanto no cabello como
na barba, pernas Ibas, ps torios apalhetados,
com urna cicatriz em nm dos regeilos dos ps,
Este escravo foi comprado a Pedro Garca,
morador no serto do Sabogy, e j fez urna sah
* com destino ao serto e foi preso em Bom
da
Jardim da comarca do Limoeiro.
Rogase a todas as autoridades policiaes, oo
mesmo pessoas particulares, que os prender e con-
duzir ao referido engenho Goit, a serem entre-
gues a seu senbor o major Chrislovo de llol-
landa Cavalcante de Alboqaerqae, ser por cada
um gratiikado com 200000 rs.
O Sr. Maaoel Rodrigues Pinto, coro taberna
no Poco da Panella, qoeira ter a bondade de
apparecer no caes de Capibaribe n. 32, aflm de
tratar do negocio qoe nao ignora
Precisa-se de um criado
mero 7.
na roa Nova nu
Esi fgido o escravo iNazario, preio oe &u a
55 annos, om pouco achacado, coxo de urna per-
na, ttm uroaferida qoe tem j carcomido toda a
uuha de om dedo de om p, tem outra ferida en-
tre as ventas no lugar do sajo do tabaco que ella
loma ; foi escravo do Sr. Antonio Joaqoim de
Aguiar, morador no lugar Loariaono em Bom
lardim. Paga-se bem a qoem o condnzir ao Re-
cife ra Neva loja c. 7, oa ao Honteiro casa
oa esquina do Lamarao.
O VERDADEIR E O FALCO VINHO
CHAMISSO.
Cunha Irmaos & C. uaicos recebedores do vi-
nbo do Porto marca amiga e acreditada P. CHA
MISSO FILHO & SILVA : enconando a ven-
der se vinho em garrafas, com a marca CHA-
MISSO SUCCESSORES, importado de Harobnrgo,
imitando o verdadeiro, com o distico CHAMISSO
gravado as garrafas, e bem assim nos rollos
etc., vem prevenir ao commercio e a quem in
teressar possa, qoe o verdadeiro tem nos retalos
F. CHAMISSO FILHO & Silva, e vindo de liara-
burgo tem nos rotolos-CHAMISSO SUCCESSO-
RES ; nao tendo nada de commum nm com o
ontro, laolo qoe o verdadeiro j moito eonbeeido
e o ouiro precisa lomar a marca CHaMISSO para
se poder vender vinho feito, ignoramos de qne,
por vinho feito de UVA, prejudicando assim os
aotores do tal vinbo a repalacio em qoe sempre
foi tido, e qoe merece o verdadeiro vinbo de F.
CHAMISSO FILHO A SILVA.
Precisa se de um caixeiro ponoguez de 12
a 14 annr.s de idade, e qoe lecha algnma pra-
lica de venda : tratar no pateo do Terco n. 23.
AOS 6.O004000
Satio venda os felizea bilhetes da lotera da
lauta, na casa feliz do arco da Conceicao, loja da
>orfvg no Reeife.
n>
Precisa-se alagar orna casa terrea com Duns
commodos e quintal, na Soledade ou Boa-visla : a
tratar na rns da Cadeia do Recife n. 85.
Aluga-se
Precisa-se de om agente nesta cidade para
as machinas" de costara de Howe (Howe
Setriog Machine) de Nova-York. Para mais
plena ioformacio dirija-se a W. E. Water-
SBao, agente geral da Howe Machine Cjm
panj. Roa da Qoitanda o. 66. Rio de Ja-
Miro.
ama casa terrea cora estr baria, margem do rio,
sita oo Haogolnho ; a tratar na ra do Vigario
n.31.____________________________^^
Sitio em Olinda
Aloga-se por preco rasoavel orna boa
casa, commodos para familia, e com om
ptimo sitio, cooiendo umitas e variadas
fructeiras e excellente sgoa potavel. O si-
tio situado na roa do Amparo e ao lado
direito da igreja. Pode ser visitado por
qoem o qnizer alagar, sendo que abi mes-
mo acharse ba com qoem tractar, o que
tao bem poder ser feito oa raa Daqoe de
Caiiat, nesta typofrapbia.
frgg&TFttliR
StX*.
TRILHOS URBANOS
Recife Olinda
e Beberibe.
Na estacao da rna da Aurora compram-se
dormentes deoitleca e sienplra com 10 pairaos de
comprimeato, 8 polegada? de largara e 3 1|2 ditas
de espesinra Compra-se tambem alguns com 10
polegadas de largura.
O escriturarlo,
Saot'Aona.
Durante a festa que se faz em Beberibe em bon-
ra ao Santo Aolonio, haver mais uro trera as 9 e
20' da noile, da Encrniilhada para Beberibe,
d'onde voltara as 10 horas para o Recife, parando
em todos os pontos. Reeife t* de junno de 1872.
O escripturario,
Sint'Anua.
A directoria resolvendo recolher toles os bilhe-
tes que se aebam em eirculacao, convida aos se-
ohores possuidores i virem troca-los por dinheiro
no etcriptorio da eompanbia s segunda* e sextas-
feiras, at o lira deste mea, das 10 s 12 horas da
manhaa. Findo este praso, os referidos bilhetes
serlo aceitos somante em pagamento de passageus.
Escriptorio da compaobia 5 de iunho
de 1872. K
O 1' secretario,
Laorentioo Jos de Miranda.
MOFINA
Olha *l!e L
PORTAS
baratas
Se mandardes fazer urna porta aqui com o di-
nheiro que vos ba de costar comprareis moilas
portas americanas moito bem feitas, no armazem
da bola amarella oo oitio da secretaria de oolicia.
Joao da Motta Bolelbo, Anwnio
da Motta Botelbo e snas irroas,
agradjeem cordialmente todas as
pessoas que se digaaram de, no
da 1* do correle mez, assistir ao
enterro de sua mui presada e sera-
chorada mai, Mara Francisca Bo-
telbo ; e pedem as mesmas pessoas e a todos os
seos parentes e amigos o caridoso obsequio de
a asistir ni no da 7 do correte a missa do s-
timo dia qoe dever ser celbrala na igreja da
Ordem Terceira de S. Francisco, as seis horas da
maohaa- ___________
Antonio Jos Percira Ilragag
De ordem do presidente da
socedadeLozeiro da Ver-
dade convido a lodos os so-
cios da mesroa socedade
compareeerem no dia 5 do
correte pelas 7 horas da
manba aflm de assistirem a missa que por alma
do finado consocio Antonio lote Pereira Braga,
tem de celebrar-se na matriz de Santo Antonio.
Recife 2 de maio de 1872.]
O secretario
BellaitniHO Carnetro.
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
irivo na eidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir a rna do Imperador n. 18 a condol
uraelle negocio que V. 8. se comprometteu rsali-
saz; pela terceira chamada deste jornal, em fin
le dezembro prximo passado, e depois pan ja
oeiro, passon a (evereiro e abril, e nada enmprio
s por este motivo de novo chamado para ditc
ttm ; pois V. S. se deve lembrar que este negocie
i da mais de oito annos, quanao o senhor isi
Sho se acbava no es nesta cidade
oo da

Joo da Mota Botelbo, Aotooio da
Motta Botelbo e snas irms agra-
decen} cordialmente todas as pes-
soas qne se digaaram de, oo dia 1.*
do correle mez, assistir ao en-
terro de soa mu presada e sempre
chorada mal, Mara Francisca Bo-
te'ho; e pedem as mesmas pessoas e a todos os
seos prenles e amigos o caridozo obzequio de
assistirem oo dia 7 do correte a missa de sti-
mo dia que dever ser celebrada na Igreja da
Ordem 3.a de S. Francisco as seis horas da ma
ohi.
Jos Antonio Fernaodes Fradi-
qoe, testameoteiro di finada D.
Aorora Francisca Cavalcante Li-
ma, mnito agradece a iodos os
seus amigos e mais pessoas que se
digoaram acompanhar ao cemiterio
publico os restos morlaes daquella
finada ; e de novo as convida e a ledos os paren-
tes da dita finada, para assistirem a missa do s-
timo dia, que lera lagar na matriz de S. Fr. Pe-
dro Goocalves, pelas 7 horas do dia 7 de crreme
(sabbado).
Joaquina de Almeida Pinto.
>a Por alma deste finado
maodam os seos amigos
empregados e amigos, Jo
Marqoes Ferreira, e Ame-
rico Fortooalo da Gama,
dizer ama missa na matriz
da Boa-vista s 8 horas
do dia 6 do eorrente, anniversario de tallecimen-
to do mesmo Joaqoim de Almeida Pinto, para a
qaal coovidam os seos pareles e amigos
Attenpao
Na rna estreita do Rosario n. 35, 1" andar, avi-
sa-se a todos os fregaezes que todos os annos man-
dara fazer bolos de Sanio Antonio, S. Joao e S.
Pedro, e lodas as pessoas que qoizerem bolos ve-
nbam fazer a eneommeoda tres dias antes, tem
bonqoets promptos para eofeite de bolos, por todo
preco, e toda qualidade de flores para veoder-se.
Desapparecea no dia Id de maio prximo
passado da fabrica de sabo dos Af (gados o es-
cravo crioulo de nome Ivo. de 22 annos de idade
altara regalar, reforcado do eorpo, est bocmdo,
anda todo de branco, chapeo do chile, desconfa se
andar por esses arrabaldes oa ter seguido para
Mar i beca, d'onde filho : roga-se s aotoridades
policiaes e capiles de campo a saa captara e le-
va-lo roa de Mara de Souza, outr'ora travessa
das Crcelas n. 3, qne serio bem gratificados.
Fogio no dia 15 do correte mez do lugar Pal-
ma do Orab, o escravinbo Rufino, crioulo, cor
preta, com idade de 15 aooos, tando os signaes
segoiotes: barrigudo, umbigudo, ama perna com
algams verrugas, e oolra, tendo meos, dentes
alvos, bastante loqua?, corpulento, nariz chato,
pernas finas, ps eompridos, parece ter na testa
nma pequea cicatriz : roga-se, pois, todas as
aotoridades policiaes e capiles de campo para ser
appreheodido dito escravinbo, e restituido ao sen
setihar, morador no Ingar supra, termo do Carato
do Bom Jardim, que se dar recompensa com ge-
nerosidade.
Cozinheira.
Precisa-se de nma preta boa cozinheira: a tra-
tar na Capunga, rna do Lasserre n. 6, ou na rna
do Trapiche n. 48.
Atiendo
Urna pequea familia sen hornera desoja alagar
metade de orna easa de algnma seohora viova oo
houesta, sendo no bairo do Recife : qoem quizer
anonade para ser procurada.
NOTAS
Troca-se notas do banco do Brasil e de anai
filiaes oa ra do Bario da Victoria o. 63, amiga
roa Nova, loja de Joao Joaquina da CoeULeita
Frecisa-se
De nm aniso para eatxehro de ana toja de
calcados: na traveasl as Ornes n, .14.
nico doposito em Pernambuco dos charu-
tos G. Schnorhusch da Baha, no escriptorio de
Cunha & llanta : vende se de todas as mareas,
por procos estabelecidos, e em porcao de 5,000
para cima se dar descont : na roa do Mrquez
de Olinda n. 40.
PAO ESPECIAL.
Pi especial e eoamnm lodos oa dias as 4 ho-
ras da larde sauir do forno, podendo os frene
zea compra-lo anda ante, sendo feito de farlDha
espeeial: na roa de Gervasio Pires o. 48, novi
MdatnaaieHeaMi
Alada etti nortlua}*A casa e sitio no Moa-
telro, qne foi do Sr. Domingos Rodrigue do Pas-
so ; a faUar pa roa k Snjfentrlz aTil.
O Sr. Bnaveotura Jos de Castro Azevedo
que re idio em Macei e actualmente acba-se oes
ta cidade, rogado a vir rna do Amorim n. 3f,
escriptorio de Tasso Irmaos A C, a negocio, on
aoounciar a sua residencia para ser procurado.!
Aluga-se
a casa terrea sita no povoado deoomioado Doarte-
Coolbo em Olinda, que tem frente de aztelo com
bastantes commodos para familia, leodo 3 salas, 7
qoartos, cosioha fra, casa para escravos, gslli-
nbeiro, cacimba, qpinlal morado e portlo para o
fundo eom terreno at a eambOa : tratar com
Domingas Henrique Mafra, no mesmo logar..
Escrava
Presisa-se alagar urna ama escrava que saiba co-
siohar e eogommar; tratase e paga-se bem; roa
de Vigario n. 16, 2.a andar.
Do engenho Macauass, termo da villa da
Eseada, ausentou-se em das do mez de abril, do
anno de 1870, o escravo Pro:opio leudo os signaes
segsintes : altera de 56 e 1|2 pollegadas nortu-
nezas, mulato claro, cabellos crespos, cara re-
onda, tendo as maces do rosto altas, espada-
do, falta de dentes queixaes do lado direito, sen-
do os demais rombndos, limados os de cima, ten-
do um da frente, e de baixo sabido, Presume-se
achar-se o escravo cima referido oa fazeoda
Castanho no termo da cidade da- Russia,
na provincia do Cear, no entretanto bem pode
succeder que se ache nos tendea desta provincia,
pelo que recommendamos captura de seme-
ibaote escravo, oflereeendo 4001000 de gratn-
cacao, que ser entregue a quem conduzi-lo ao
engenho cima referido, oo na cidade do Recife,
roa da Madre Dos ao Sr. Bernardino de Sena
Pootual.
Precisa-se alugar urna pequea easa, eu lo-
ja, no Boa-vista : quem tiver aonuoeie. Paga-
se bem.
Do engenho Mapau-
ass
oo termo da Eseada, do major Marcionillo da Sil -
veira Lns, furtaram na noite de 3 para 4 do cor
reate mez de maio um eavallo de sella com os
sigoaes segoiotes : cor caslanha, tendo ama man-
cha branca no lado esquerdo, ps e mos calca
dos, velbo, ferrado com letraM, freote toda
a berta, e aolador de baixo a meio. D-se 100 a
quem der noticia certa do referido eavallo e da
pessoa, em cojo poder for elle encontrado, na ra
da Aurora o. 9, ou no mesmo engenho.
ATTENGiiO
Anda te cootioua a foroecer almoco e jamar
para fra na raa estreita do Rosario sobrado n.
35. As pessoas qae quizerera dirijam-se mesma
casa que se dir os precos : manda-se levar em
casa dos assignantes e faz-se mais em eoota do
qoe eu outra qualquer parte e tudo com aeio.
ATTENCAO
o
Tendo-se perdido nm caderoo conteodo os no
mes de alguns devedores da casa de joias do
Aooel de Ouro, proprietarios Jos Joaqu.m Goo-
Qalves Barros & C ; vem por meio deste, pedir
a teus devedores, que, nao paguem eoota algn-
ma sem qoe sejam rubricadas pelos seas proprie-
tarios.
Cozinhelro.
Precisa-se do um eozinheiro para casa de fami-
lia : na raa do Mrquez de Onda n. 35.
s
Pharmacia e drogaria
DE
Pedro Maurer & C,
O abaixo assignado partieipa ao respei- ]
tavel publico qae desde o dia 2 de abril
prximo passado passon a pertencer-lhe.
o eslabelecimento de Pedro Maurer & C. ;
da ra do Bario da Victoria, outr'ora rna
Nova o. 25, comprebendeodo-se lodo o
activo e passivo da mesma casa. O abai- ]
xo assignado qoe desde amitos annos ira- I
balhava naquelle eslabelecimento como
pharmaceulico e cbimi:o promette e ga- j
rante ao publico em geral e aos seoh ires
facultativos em particular de servi-los
beta com a devida promptido e fideli- j
dade. A casa continuar a gyrar debai-
xo da firma Pedro Maurer & C.
J. Kircbhofer.
Precisa-se alogar nm creado escravo
on livre para casa de familia : a tratar na
tbesonraria das loteras com Antonio Jos
Rodrigues de Souza, ou em seu sitio no
MoDteiro.
Pepsina medicinal adobada
O melbor preparado para combater to-
das as molestias do estomago. Cada frasco
accmpanlia urna colber de prata, dse que
se deve tomar.
Deposito Pbarmacia Americana de Ferrei-
ra Maia & C, ra Duque de Caxias n. 57.
Kefiaudores
Precisa-se de refinadores na roa de D.
Cesar, outr'ora Seozalla Nova n. 30.
Mana
O abaixo assignado avisa ao publico e eom es-
pecialidade ao respeitavel corpo do commercio,
qae tendo de fazer ama viagem para Europa, dei-
xa encarregado de seos negocios aos Srs. Joao da
Silva Regadas, Caetaoo Ciraco da Costa Moreira e
Joao Antonio da Costa Moreira ; julga nada de-
ver nesta praca, porm se alguem se julgar ere-
dor aprsente seus ttulos at o da 22 do correte
mez, roa da Senzala-velba n. 90. Recife 11 de
maio de 1872.
^_______Dom iagos Manoel^Martlos,
- Os abaixo assigeados lazem vr ao publico
e com espeeilidade ao corpo do commercio, qoe
compraran! ao Sr. Maooel Jos de Oliveira Ramos
a saa taberna sita na roa Marcilio Das n. 4, oa-
tr'ora rna Direita, livre e desembarazada de qual-
quer debito; fieaodo nos responcaveis para com
os credores do mesmo Sr. Oliveira Ramas de sea
debito de cooformidade com a proposta qae os
meamos seobores credores assigoaram ; e se al -
goem se julgar com direito a mesma o aprsenle
no praso de tres das, (iodos os qaaes nio atten-
derao a reclamacao alguna.
Reeife, 4 de junbo de 1871
Martins & Cunba.
Aluga-se o primeiro andar e o andar terreo
do sobrado n. 5, da roa Imperial; i tratar na fa-
briea de vinagre. ____
Oosinheiro
Fredsa-se na raa do Mrquez de Olinda o. 35,
para casa de familia.
r iti% no
Preeisa- pan o servico interno O externo.
Criada.
Precisase de ama criada para servico interno e
eflerao de una easa de ponen faaliia : a tratar
na raa de Santo Amaro o. 14,
Pharmacia de 8. Jos'
Precisa-se d'atn srvenle qae ji tenna estado,
m botiea; raa de aUrcilio Dias a. 88.
i liff A O Precisa-fe de nma escrava, bda
\ jl I \ ^ coiinbeira e nma livre para en
iItAIlL/ goramar e fazer o servido interno
de casa de familia, paga-so bem : na roa da Croz
do Reeife n. 42, armazem, ou oo Corredor do Ris-
po o. 23. ______________________
Precisa-se alugar ama ama forra oa escrava
para cozinhar : na roa do Baro da Victoria, an-
llga roa Nova, o. II.
AMAS
ceiro andar.
Precisase de doas, urna
para eogommado, e ouira
para eosinbar: tratar i
rna do Vigario n. 5, ter-
Precisa-se de orna ama nicamente para
cozinhar : oa ra Tliom de Souza n. 4, outr'ora
ra da Lingoeta.
Precisa se de urna ama qae compre e eczi-
nhe : a tratar rna do Coronel Suassona n. 125.
AMA Offerece-se urna para servico imern^
(UtaA de casa de horaem soliiero ; wettr"
na roa Aognsla o. 165._________________
Ama de leite
Precisa-se de nma qoe tenha bom leite, seja
sadia e com bom comportameoto : na raa do
Mrquez de Olio la o. 35.
Precisa-se de urna ama,
preferiodo-se escrava, para
casa de pequea lamilia, pa-
ga-se bem : oa roa estrella do Rosario o. 32, ter-
eeiro andar.
%m
Escravo fgido
No Ka i 9 do cor renta .usaaion do engenho
Boaeija do lerroo de Ipojuca, o eieravj Silvestre,
de idade 35 annos, coro os rignaes seguiotes : al-
tura regolar, pernas linas e m-ia lorias, falla de
denles oo queixo suoerior, regnsla e cortes no
fallar : quem o capturar enlregue-o no referido
engenho, oo raa do Boro lesos o. 51, qoe ser
bem gratificado.
Ama 4e leite
Precis-se de nma ama de leite ; ao pat?o do
Livrameoto n. 33, 2 andar.
Precisa se de urna ama qoe
saiba bem cozinhar, preferios-
se escrava : a tratar oa roa do
ra do Hospicio o. 50.
AMA
*>HA
2* aodar.
Precisase de orna ama
para eogommar: a tratar na
roa larga do Rosario o. 22,
AMA
i
Norma.
Precisa so de orna ama para
cozinhar e comprar : rna do
Baro da Victoria n. 48, loja da
Precisa-se de urna cozinhei-
ra para easa de duas pessoas:
_ tratar oa roa da Moeda n.
39 das 9 as 3 da tarde.
^^^
Wl^
Prala.
Precisase de urna ama pa
ra cozinhar : oa roa de Pe-
dro Alfonso o. 3, oatr'ora da
AMa
Precisa-se de urna ama : na ra da
Praia n. 40.
Precisa-se de urna ama para cozinhar em
casa de daas pessoas: a tratar na raa das Crozes
n. 29, armazem de movis. ______________
Precisa-se de urna ama para casa de pouea
familia, paga-se bem agradando : a tratar no pa-
teo da ribeira n. 1, entrada pela ra de Saota
Rita.
tratar oa roa nova
vapor.
Precisase de ama ama pa-
ra cozinhar em casa de fa-
milia de duas pessoas: a
de Santa Rita n. 49, serrara a
Precisase de doas amas,
seodo ama exclusivamente
para cozinhar e outra para
sarvQo interno de casa de poaca familia : oa roa
Velha o. 28, sobrado.
fe**
%^
gommar
Precisa-se de urna ama pa
ra casa de familia de doas
pessoas, para cozinhar e eo-
acatar oa roa Direita n. 3, 1* andar.
Aluga-se nma preta escra-
va que cozinba e lava: qoem
pretender dirija-se a praca
do Conde d'Ea n. 5, i* andar.
fem
v**
Para familia pequea e
pooco tervice : raa da Croz,
d. 4, armazem.
Offerece se
Direita o. 86. 2*
orna ana
aodar.
portugueza: oa roa
Precisare de urna ama forra oa escrava,
que saiba eogommar com pereicio : oa ra da
Aurora o. 49.
Precisa-se da urna ama de lene que seja sa-
dia e robusta, quai paga-se bem : na casa de
Libanio Candido Ribeiro.
AMA
Precsa-se da ama ama
de Pedro Affjoso o. 58.
na ra
Precisase de orna ama para eogommar
roa da Uoiao o. 61.
na
Acba-se auzeote de casa desJe dezembro de
anno passado o escravo Fiel, de narao, baixo e
lem poaca barba, os olhos quasi sempre muito
vermelbos, e muito palrador : quem delle sou-
ber oa der noticia qoeira dirigir-so roa Duque
de Caxias n. 43, oa Imperairiz n. 16, 2* andar,
qne sera recompensado.
Preciza-se.
Para pequea familia alugar um sitio na soledade
ou na estrada do arreial e qae fique junto de
algoma estaca) da va frrea a tratar no largo do
Corpo Santo n. 19 1. andar._________________
Gratuitamente
D-se barro cavado : no Monteiro, sitio de Jos
Rodrigues de Sooza._______________________
Armazem de deposito
Reoebem-se em deposito volumes de fazendas ou
qualquer ootro genero a prego moito mdico : a
tratar na roa do Commercio o. 48.
Nao U mais cabellos bran-
cos.
Timara Japoneza.
S e nica approvada pela academia de scieo-
cia, recoohecida superior a toda qoe tem appare-
cido at boje. Deposito principal ra da Cadeia
do Recife hoje Mrquez de Olinda o. 51, 1* aa-
dar e em todas as boticas e casas de cabelle!-
reiro.
Verdadeiras bixas ham-
burguezas
nico deposito em Pernambuco : n. 53 roa da
Cadeia o. 53, primeiro aodar.
travessa da na
das Crozes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penhores
de oiro, prata e brilhan-
tes, seja qaal for a qaan-
tia. Na mesma casa com-
pram-se os mesaos me-
taes e pedras.
AVISu
Prevne-se a qoalqoer preleodente do engenho
Jos da Costa, silo na freguezia de Agua-Preta,
qae consta ter estado em negocio, quejo abaixo
assignado e sen enteado orpoio Miguel, tem no
mesmo engenho parte, na Importancia da rls
7:057* 137 e rendas de 10 annos. corresponden-
tes aquella qaantia a qae est sojeito o dito pre-
dio,
Eogenbo Dona, 28 de maio de. 1671
Jos Joaqoim Pernera.
B
Dr. R. Vianna
Medico operador e parteiro, recen-
temente chegado da Europa, onde de-
dicou-se a cirurgia, parios e especial-
mente as molestias e operaeSet de vias
gento ourmartas, tem o seu consulto-
rio ra do Vigario n. I, segando an-
dar, onde ti consultas do 1|2 dia as S
horas, gratis aos pebres.
Pode ser procura lo a qualquer hora
do dia ou da noute.
Roa do Vigario o. 1. 2* andar.
Escravo fgido
Desapparecen no dia 25 de marco de-te anno
do Engenho Sanio Aodr, freguezia de Una, do
termo do Rio Formozo, o eseravo cabra de nome
Jos, carreiro, 25 aooos de idade, sem barba, ca-
bellos carapiotns, falla om unto nazal e poneo
espresslvo, boa phisionoroia, altura regalar, so-
co do eorpo, eosiuma guardar a saliva, como
quem masca fumo, bocea nm tanto grande, e
seodo pooco desembarazado, tem pareles en
S. Jos termo do Porte Calvo, e mi no engenho
Cravai no termo de Agua Preta ; coasta que es-
.-e eseravo procara asseolar praca, e eom esse
destino seguir para Masei. O abaixo assignado
a qoem perteoee o dito escravo, pede as autori-
des policiaes e capiles de campo a a; prebeosao
do mesmo escravo, e promette boa graMleacao.
Paulo de Amonm Salgado Jnoinr.
C0.SIMIH0
Anda se precisa de nm bom eozinheiro que
seja de conduca, paga-se bem : no caes do
Apollo, armazem n. 71.
Actu-se abena .a aula particular para me-
ninas, de priroeiras leitras, costuras e bordado ;
oa roa de D. Mara Cesar outr'ora Seozala Nova
n. 30 2* aodar.
Irmandade
de S. Francisco de Paula em Cax ng.
Sa i convidados os oosst>s irmaos para, reunidos
em mesa geral no dia 9 do crreme, as 10 horas
da manba, procederem a eleicao de diversos
membros da mesa regedora, que nao aeeilaram os
cargos ; seodo a eleicao feita com o nomero de
irmaos prsenles, segando o despacho do Illm. Sr.
provedor de capellas. Caxang 27 de maio de
1872.
Jos Marcelino Goocalves Salgaeiro,
Escrivio.
COMPRAS.
COMPRASE
moedas de ouro e prata na loja da ra do Mr-
quez de Olinda n. 58.
(jompra-se
astes trnovos e asados: oa roa do Impera-
dor n. 48, armazem.
Compra-se ferro velho, cobre e metal velho :
no armazem junto ao trapicho Pelooriobo. lodos
os das otis, das 6 da manhaa as i da tarde.
Compra-se plices da divida provincial
na ra Nova n. 23, loja.
Compra-se
a obra ero qoaire volumes o Tbesooro Precioso
de oracoes escolbidas para lodas as necessidades
da vida chrisla, pela Condeca de ndela w, revis-
ta, crrela e augmentada por Mr. Mario!, arcebis-
po de Tonrs : na rna do Rangel o. 1, taberna.
lompra-se urna escrava,
Precisa-se comprar ama escrava qae saiba co-
zinhar, engoromar e fazer compras, que seja na-
tural desta cidade : oa loja da roa da Imperatriz
o. 26._______________[___
Fabrica de fhc&o e tecidos.
Compra se um terreno, ou parle de engenho,
comprehesdendo grande cachoeira e acule para
fundaco da fabrica, nis pr- xiDidmie; da via fr-
rea : tratar com o euiprezano. Silva Barroca,
ra do Marqez de Olinda n. 4.
Os senbores que pretenderen] acees desta em-
preza, queiram appareeer al o dia 25 1, corre-
le mez, quando ser fechada a sobscripcio.
VrNDAS.
HOTEL
Ve.de-se o da ra da Laranjeira n. 30
iratar no mesmo.______________________
Fogos de artificio chinezes para
salos e jardins.
De effeitos maravilbosos, em caixiohas com va-
riado sortimento, no armazem de Tasso Irmaos 4
C, no caes do Apollo. _________________
Vende-se um eavallo bom andador ; para
examinar na eoeheira do caes do Apollo, do Sr.
Francisco Flix Goocalves: a tratar no eseripto-
rio da rna da Moeda n. 4.__________________
Vende-se farinha moito boa da trra em
saceos de 20 caas por 5*000 : na armazem do
Guerra.
Na roa do Apollo n. 20 vende-se libras Merlinas.
Moeda de ouro
i Apollo o 20 vende se libra
VENDE-SE
O eslabelecimento de calcados da travessa da
roa das Crozes n. i A : tratar no mesmo.
Salitre.
Salitre ioglez muito superior, vende-se barat-
simo para fechar factura: largo do Corpo Santo
n. 4, primeiro andar, escriptorio de J. M. Pal-
meira,
Vende-se
ps de laranja de nmbigo a da rhiaa, ps de sa-
poti e fru ta pi; na Ponte 'Ocnoa n. 10.
Cunha Irmaos & C.
Raa da Madre Dos o. 34.
Venden:
Viohos do Porto, finos e de mesa, engarrotadas
e em barris de todos os lmannos, mareas aafaf,
acreditadas e garantidas.
Especialidade de vinbo engarrafado, proprio pe-
ra mimes eo pessoas doentes, oa qae sainaos apre-
ciar,
Vinho verde superior em harris de Mnan
e oitavos. __________________^
Tinta lyrio aavamno.
Esta magnifica tiata de eserover a maia nata,
mais formo a segn de todas al bofe deseo
bertas : maotem-ss aempre pora, e Ue .xyia a
peona, antes a esmalta e conserva. sT exeeesin-
roente snbtil e parificada, P aatea orlar
borra, cresta on bolor, Vendo-so oaa frasees
pelo preco de laOOO. uaieameale ora so r-
coohecida.__________________
Aioga-se om sobradUtno no largo da Peona |
n 1S; a Tallar na ra das Ciaco Poetas n. 31.
Calpado Pollak
A' rawa la Casidct mbmbT 4
Santos Fatcao <* C i raa da (Motos. 4*.
demsoperior calcado PoMak para Isas asi,
barato preco. Bate calcado raeaiinio M
especial qualidade do eabeaai o nerlltcio, l
tambem pela etofinela o oaraieu.
AO CALCADO POLLAK I f
Uta de Santos Faleio _
Roa da Cade a. 48.
I


.Oiarj

m
AO
65
RA DO DUQUE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Este estabelecimento acaba de recebr am importante sortimento de diversas la-
teadas proprias para vestidos, sendo poupelmas de seda, sedas, lias, percales, ditas coa
barras proprias para babados, liadas cambraias croz, e em flm urna inflmdade d'arti-
gos de moda, todo proprio para a festa, o qoe todo vender por precos ibieirameott
razoaveis, em consequencia de estarmos prestes ao fim do anno, e o 05 nao quer te>
grande trabalho com o sea bataneo, preeriodo tomar dinbeiro a azendas, convida-st
portanto ao respeitvel publico a virem sortir-se na loja do 65 aonde comprarSo por prt
eos qae nio obterJo em oatro qualqaer eslabelecimeato; em fim ver para crer
RA DO DOE DE CAXIAS
(Outr'ora do Queimado)
Rival fem segundo
Raa Duque de Gaizias n. 91, loja de
miudezas de Jas de Azevedo Maia e Silva,
conbeci lo por Jos Bigodinbo, contina a
vender todo que tetn por meos do qae
em outra qaalquer loja, a saber:
Correales pretas de borraxa
para seno-ora a 15300
Garrafas de agua Florida verda-
dera a 10300
Gaixas com obreias de massa a 40
Frascos com macaca perola a 200
Pscotes com poz de arroz f-
mula fina 500
Pares de botoes de osso
para panno a 200
Sabooetes de bolla muito fino
a 160 e 240
Cartas de alfioetes de lato
fazenda boa a rs. 80
Garriteis de retroz preto com
2 oitavas a 600
Capacho de palba muito boni-
ta a 600 rs. e 700
Frascos com oleo Pbilocome a
500 rs. e 10000
Pares de sapatos de traeca
para menino a 10500
Pessas de tiras bordadas a
500, 600, 800 rs. o 10000
Frascos com agua de Colonba
muito boa a rs. 500
Gravatas pretas e de cores a rs 4( O
Pessas de trancas modernas
de todas as cores e todo o
preco
fe. Libra de areia preta muito
boa a 160
Novellos de linba com 400
jardas a rs. 60
Livros da missao abreviada a 10500
*SSilabarios portuguezes a rs. 400
Cartas com 100 coatas im-
presas a 10500
Caixas com 30 novellos de li-
nba gaz branca a rs. 500
Gaitinbas para meninos a 40,
60 rs. e 80
Caixas com 12 frascos de
ebeiros a 10500
Caixas com 6 sabooetes mui-
to finos a rs. 800
Pentes para segurar cabello
de menina a 200 rs. e 320
Cbapos brancos para bapti-
zados a 20500 e 40000
Copinbos com superior banba
a 200 rs. e 320
Frascos com oleo para cabel-
lo fazenda una a rs. 320
Frascos com oleo Baboza a
500 rs. e
Frascos e garrafiohas de agaa
de Colonba a 10500
Frascos com verJaJeiro azeite
para machinas a rs. 500
Redes cum contas para segu-
rar cabello a rs. 400
Latas com banha de Piver a
200 rs. e 320
Garrafas com agua Celeste
muito fina a 10500
A ACHIA mn\
A 4/500 rs.
Vende-fe sacos de multo bom milbo : nos ar-
mazens raa do Amorim o caes do Apollo, de
cisoa Irmos & G.
$*&$ $$&-$&$ 0000
5*
sirle igs m
8?sglllIII

*
*

%9I B
=
B

O
ScBE
3
a
o
*
*
*
SBT,"'"~
ats" as-a o
o-2 jrB a?
.B S-o. *
o-=.<
,3.a a
* r
a3.3
s-SS&jsg-ai?.
! =-'5
o
2 "S
B
o
i
0
0 000 000-000 0000
I ce
O ca
I O
Ullllll
Capricho.
Vende-se o engenho Capricho, distante da esta-
co de Una ama oa dais leguas, movido por
urna excellente machina vapor, e com oplimes
terrenos para saffrejar quairo mil paes aonuaes:
tratar no mesmo engenho eom Joaqaim Jos de
Arla, oa oesta cidade com o sea correspondente
o Sr. Joaqaim Rodrgaos lavares de Mello, eom
escriptorio a praca do Corpo Santo n. 17, primeiro
andar.
AGURDENTE DE CANNA EXTRAFINA
EM GARRAFA.
Vende-6e oa raa do Encantamento n. 5, pri-
meiro andar.
Ra de Daqne de Casias n. 50
Recebeo :
Lindas caixinhas com os necessario* para [mar-
car roupa, sendo abeedano e noroeracao, frascos
com tinta preta e encarnada, pioceis etc. etc. o
qae de certo novidade em tal genero.
Novos coques grandes com bonitos desenhos
vindo entre elles alpina enfeitados com Otas e flo-
res ; assim como bonitos crespos.
Aderecos encamados do madreperob.
Cruzes pretas com enfeites doorados e ontras
brancas de christal.
Casas de pedra e cal muito
karatas
Urna senhora viava tendo de mudar-se para fo-
fa des cidade, vende ama casa terrea em terre-
no proprio, na raa Imperial, leudo duas sallas, 2
qaartos e quintal, por am cont e quinbentos
mil ris, enjo alngael de 13 a 164000 mensal,
e la meias-agua* turbera na roa Imperial, na
trrvessa da Bandeira, igualmente era terreno pro-
prio, tendo cada nma dellas nina perta e jaoella
na frente, a excepcao de urna que tem duas ja
nellas, e todas ama sala e dous quartos, drz das
quaes tem terreno atraz, que abrindo?e nma
porta, pode ter o sea qaintal ; vende-se a 5O05,
sea alagael mensal para 7000 e a de duas ja-
nellas para 84000 ; mas qnem qaizer ama oa
duas serio vendidas a razio de 600000 e a de
duas janellas por 7004000 rs. Estas casas esli
edificadas na roa Imperial, bem perto donde ac-
tualmente parara os bonds. J quem tiver ponco
dinbeiro, pde-se chamar proprieiario oa morar
em casa propria. Os pretendenies dinjam-se
raa das Triucheiras n. 48, a casa do Sr. solicitador
Burgos, o qual ett autorisado a contratar, mes-
mo a praso com garanta idnea.
Smaocome
Tnico especial contra a calvlce
Com am bello sortimento de perfumara qae a
Aguia Branca acaba de receber veio tambera o
apreciadoSmaoconecujo proveitoso effeilo
j bem conbeeido por quantos o tem osado e ser
ainda mais por aquellas qae necessitam de sua
ntilidada. O continuado aso do Smaocome d o
bom resaltado de impedir a queda dos cabellos,
faze los renascer e conservar o seu brilho natural
alm de qae sea odor mais agradavel qae d'ou-
tro qaalquer tnico continua a ser vendido na! oja
:da Aguia Branca.
Leite de rosas brancas
Excellente para acabar com as sardas, pannos e
espmbas no rosto.
Vende-se a 2/ o frasco, oa leja da Aguia Branca
ra Duque de Caxias n. 50.
Bonitas caixas com perfumaras
proprias para presentes
Vendem-se na loja 'Aguia Branca roa Duque
de Caxias n. 50.
Agua Florida.
Acaba de chegar novamente a afamada agua
florida de Guislain para tingir de preto os ca-
bellos brancos. Como sabem os qne tem osado
dessa apreciada agua, o sea eiTeitonio instant-
neo porra seu resultado segiro e efflcaz. Che-
gou tamben! a agaa de Topasio para o mesmo fim,
e continuara a ser vendidas a 74 r frasco na loja
d'Aguia Branca ra do Duque de Caxias n. 50.
Molduras dour&das para qua-
dros.
Na loja d'Aguia Branca a ra Duque de Caxias
n. 50 vende-se molduras douradas com dilTerentes
Moldes e larguras, e por preco commodo.
Peonas de aqo bico de lanqa.
Caixas com 100 penas a 400 rs. na toja d'Aguia
Branca.
Bonitas capellas com veos para
noivas.
Vendem-se na loja d'Aguia Branca a ra Duque
de Caxias n. 50. fmbem se vendem separada-
mente bonitos veos ou mantas bordadas para noi-
vas, e veos de cures para cbapos.
Escumilha preta fina e larga.
Vende-se na loja d'Aguia Brauca ra Duqa
de Caxias n 50.
Botdes
Cobertos de engallo proprios pira carnizas, e por
sua daracao preferiveis aos de madreperola.
Vende-se na loja d'Aguia Branca.
Caixinhas com 3 sabonetes finos
a 1J, 13200 e 1*500 a caixa.
Vende se na loja d'Aguia Branca.
Talagarsa
Seda irona e torcal para bor-
dados.
Vende-se na loja d'Asuia Branca.
LOJA DE JOIAS
ESMERALDA
Acaba de chegar a este estabeleciment um importante sortimento de joias de
ouro, do melhor gosto e qoalidade que tem viudo neste genero, como cassoletas de
nix cofa lettras de diamantes e pinturas finas, aderecos e meios aderemos com pedras
finas, etc. etc.
Ra do Gabuga* n. 5.
Moreira Duarte & C.
A 3J000 A PBCa
Objcctos de Ferro.
Cadeira de bajante.
Camas para solteiro e casados.
Lavatorio ( completos )
Retretes o melhor que tem viudo al boje.
Cadeiras, Cameps para jardim.e outros amitos
objcctos.
Vende-se maito barato para acabar, na loja do
louca da porta larga a ra Larga do Rosario n
26 de Joaqoim Antonio Pereira & C *
Candieiro8 Baratos.
O sortimento mais completo qae tem vin do a
este mercado ; acaba de receber, a moito ann'ea
loja de louca da porta larga a roa Larga do Re-
sano n. 26 de Joaqaim Antonio Pereira & C.
ARMAZEH DOS LEES
Ra Daqne de Caxias n. 29.
Os propietarios deste bem montado estabelecimeoto scientificam ao
respeitavel publico desta provincia qae se acham com um variado e completo sorti-
mento de movis, tanto nacionaes como estrangeiros, sendo estes escomidos por um dos
aosios que se acba actualmente na Europa. 0 mesmo tem contractado com os memores
fabricantes daquellecontinente as remessas das mais ricas mobilias feitas alli.
Na officina tem os mais habis artistas deste genero, e por isso pedem qae ve-
nham visitar o estabeleci ment, aonde encontrarlo a realidade do qne acabam de expr'
uo se pode examinar; ricas e completas mobilias de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, a*
marello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao setim, ama re I lo, etc., etc., guarda
vestido de amarello, guarda louca de nogueira e de amarello com tampo de pedra, apa-
radores de d to dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amreo, pedra, secretarias do jacaraad e mognocas tureiraa ae- mogno, san-
tuarios, thears para bordar, bercos, lavatorios com espelho, db pedra marmore e seas
pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e muitos ontros artigos qae deixamos de
mencionar por se]tcrnar enfadonbo
MACHINAS ~
DE
COSTURA
DE
SINGER MANUFACTURING COMPANY
Grande rednepo de presos !!!
'.!! 90^000. 90^000. 90^000 !!!
AVISO ESPECIAL
A alta reputatao obta pelas machinas fabricadas pelo
SB MTM'BBG COIIPWI
tem levado diversas pessoas a fabricar imiiages qae ellas vendem quasi sempre sob
pretexto de serem ellas fabricadas pelo systema Singer.
SNENHUMA MACHINA Hl\- /V-s(^ PARA EVITAR COSTRA
Arroz de casca
Superior em saceos maito grandes: nes rma-
teos de Taaao Irmlos & C.
A verdaiira eerveja da fiaviera, marca ban-
Mra, de superior qoalidade : vendem Tasso Ir
mi* fc C em sen woutem da roa do Amorim
B. 37.
Queijog
Vetde-ie inperfore ejoaijoi de naniei
qualtu auito fresco: na ra a Madre
a-i.
a e de
Cera em velas.
Chegada oltimamente de Lisboa : vende Pereira
da Conba Irmos roa do Marque: de Olinda
numero 21.
Fogos artifciaes.
AllemSes, em caixas bastantes sortidas : vende-
se raa Mrquez de Olinda n. 21, 1* andar.
Cemento portland
Em barris grandes : vende-se a roa do Mrquez
de Olinda n. 21, andar.
Oleo de linhaga
de boa qoalidade, em barris: vende-se roa do
Marqmz de Oltoda n. 21, I* andar.
DA
N 63 A. Ba da Impe-
ratr8 n. 63 A.
So o proprieiario late esubelecianto pode
veBder ce-raes do oltmo gosto a"3#00 eada am,
visto lar reeebio am direitura, 16 por Isto pode
Teodir por dwo 4o qae oatro fsalgtur.

cer e' i.i:<-iriti\ se
NAO LEVA ESTA MARCA FIXA
VQ BRACO DA MACHINA.
FACCOES NOTEM-SE BEM
TODOS OS l>i:i Al iil.s
M.4RC%.
MARCA DA COMPANHIA
A companhia, desejando proteger seas amigos e frguezes contra as imitaces, tem
adoptado a marca cima representada.
Previoe-sa ao poblico de n3o comprar machinas qae n5o levem a marca da
companbn.
_, W- H. CHtPMH
MICO AGENTE
N. 45 Ra do Imperador N. 45
GRANDE LIQUIDADO
Fazends e chapeos de so! de seda
NO
B&zar Nacional
Ra da Imperatriz n 72
De
LOURENCO PEREIRA M. GUIMARAES.
Lqnida-se
Grande sortimento de chapis de soi de seda, alpaca e mehi.
A SABER :
Cbapos de sol de alpaca a 3G0O e 400l>. Ditos de merino a *3Ul DsM*
seda a S4, 8^000 e 100000.
Vende se nm grande sortimento de chapeos de castor para Lcment n de todos os tamaohos a 20500, 30000 305CU e 4000.'. Ditos de wllo a H
30000.
RA DA IMPERATRIZ N. 7 2.
MADAPOLAO
Vende-se :
Pecas de mailapilSo fnfesiado a ?s&M,
0OOO, 50OCO 35C0. JMW e 8#tfllL
ALGODAO BARATO A 340UO.
Venle se pecas de algodo a 30, V#, 51
e 60000.
CORTES DE 11IIIM DE COR A ifJBO.
Ven-K-.e:
Girt-a de.brim de cor paracai^a*
9 25000.
D.tos de jMign a I0(K>O. Ditoi I
'pardo a I0(K>. lPOO e :OO.
CHALES DE LA A A 10066.
Vrndt-.-e chai s de !a en qcwlrw*
I 00. Ditos de merino estampaba a 2*,
30 e 40000.
Carahrali lisa a &6%Q%.
Ytiilc-sa MSS de i:1 un raa t #;#
vestidos a. 30, 40 e 50000. ____
D.las de carr>biMa Victoria a 3JTMI,
40JOD e.5#0t0.
BRAMANTE Di IJllO A W
Vende-se bramante de icbo muito lajajg
'a 2fJ500 omero. Eontrai mnilasai
que se vende muilo banlo.
ROUPA FEITA PRETA
Vende te :
Caifas de casemira preta a 40000. (iiCOO
e 80OCO.
Palilots de panno preto a 50000, 70OCO
e 100000.
Colletes de casemira preta a 30, 30500
e40OOO.
Palilots de alpaca preta 30, 30500 e
40000.
Chitas a tOO rs. o cavado
Vende-se:
CBitas francezas largas a 200, 320 e 3ri0
rs. ocoVado.
RiscadinbS de listras proprios para ves-
tidos e roopas para meninos a 320 e 3(i0 rs.
o covado.
LASINHAS A ICO RS. O COVADO
Vende-se:
LSasinhas para vestidos a 160, 200, 320
e 400 rs. o covado.
Alpacas de listras de cores para ves dos
a 500 e .640 rs. o covado.
Ditas em qaadros de seda fazenda nova
a 800 rs. o covado.
Samuel Power Johus-
ton & C.
SRua do Apollo n. 38 e 40
Fazem scieote aos seus iregaezes qae teem
modado o sea deposito de machinas a va-
por, moendas e taxas da muito acreditada
fabrica de LowMoor para roa do Apello n.
38 e 40, onde continan) a ter o mesmo sor-
timento do cottume.
Fazem seienie lambem que teem feito am
arraajo com a fuudicao geral, pelo qae po-
dem offerecer-se para assentar qualqaer
machinismo e mesmo garant lo.
ll
Os proprAiarioa da fonJicio geral faiem
scientes aos senhores de eogecho e man
pessoas, qae teem eslabeleeido orna luna-
rio de Trro e brouze a roa do Brum, joo-
lo a e'ta^ii) dos bonds, onde arrootariM
qualqaer ebra de encommenda c m perlei-
c.o e promptidSo.
Os meamos rogam as pessoas qoe qo r.-m utilizar se de seas ser*ico< de deia-
rem as eocommeodas em casa dos Srs. a-
muel P. \vi r Ji hosi n A C a roa do Apat
o D. 38 e 40, onde acbarao pe-soa tabil-
tada com qaem possam entesder-M.
Apparelho para fabricar assurar, do systraa.
WESTON CE.MtEFGAL
nicos agentes em Pernambueo a fuodicao geral.
Para tratar em sea escriptorio a ra do Apollo o. 38 e 40.
a tratar com
a casa da ra doi Guararapea o. 11
o commeodador Taaao.
Vende-se ama casa me i a agaa, uta na f re-
gocija da Boa-vista, eom frente para a roa da ca-
cimba a para a roa dos Prazerei. nos Coeibo, a
qnal nova e bem eonitraida, tem dot quarto,
urna lato e coxinba fora, qnntal e eaeimb msiel-
ra, a mesma rend doze mil ris meoaaet: i tra-
tar ra da Ponte Vdfc n, 43, TeST
AfiA DfTRIFICE
DR. P1ERRE.
A Aguia Branca i ra do Duque de Caziaa n.
50, recebeo em apreciavel agua dtotriSee do Dr.
Pierre, coja soperlonde bastante conbecida.
NOTA Pili T090S
Todos devem cortar daqai este annancio e tra-
zo-lo na carteira oa livro de lembranca, como cou-
9a de grande utildade,
PORQUE ;elle
indica onde com certeza se pode encontrar ou en-
commendar nm bom presente que de improviso se
queira mandar a qnalquer pessoa,
ASSIM COMO
indica elle onde se poderi encontrar, um fiarrbre
bem preparado, urna empada, um gatheaox de la
reine, um maugetb, um puding, nm bolo fino, am
pao de-lo e nma inflnidade de bolos e pastis di-
versos, proprios para lanche, sobre-mesas e me-
reodas
ALEM DISSO
iniiea mais onde se eocontrar sempre : fructas
do lempo tanto nacionaes como esiraogeiras, d:es
seceos e em calda nacionaes e estrangeiros, licores
e vinbos lios, conservas alimenticias e excitantes, 4oo7 ditos a 500 rs
bolaxnbase boiiohos para cha e cutroe moitosljectos ha m completo torUBw objectos qae se tornara por demais enudoabo a, ,iaj| ,e ye0jt la0 barato oaxa aaatsr
sua lateira discripci '
E FINALMENTE
para que ae possa fazer nm iuizo aproximado
SO" INDO PESSOALMENTB
a confeitaria do Campos
Ra de Imperador o. 34.
Tome-se bem a cautelia de que, a frente deste
estibelecimentJ se acba collocado um tompeao que
u conserva aeeao i noate, at s dea horas.
Raa do Mrquez de Olinda n. 50 A.
Amiga da Cadew.
Tem para vender oa segurles otjeetcs .
declarados, como sejam:
Carreteis de liana de 200 jardas a 90 rs.,
patiohos de lia para enanca a S40rs., tee I
a 3i0 rs., sapatos para bomem seobera, ai
dados a 15400, ditos de tranca a tJoOQ,
com banha a 80 r, ditas fina a i60 afc,
ras para coletea fiaos a 310, itoe a 900, Ifttt,
e tiSOO. duzia de t horpboros e segur sea a
200 rs. a dozia, frascos e sanalo ratira a
J 000 rs ditos de agaa divina a IJlOO, Sm *
agua de madaiene a I#200, ditos a agaa aa aa-
logne a 2X0 rs., ditos gandes a !0 r, atn
meios a 600 rs. a peca, ditos mais taoa a JOt ra.
agalbas a balao a 40 rs. o papel, eaaiv
ao Rival do Reoife p, 50 A,
POBTAO .
Vende-se am grande pertio de ferro de Loicas
novo com 9 i|2 palmos de altura e 10 de largara
por diminuto preco : i tratar na raa do Conde
a Boa-fisto rti7, outr'ora Eaperanca,.
. .7^VenJ?,a',aa 0*> p*r* s- Jo5s. fogo do ar a
1*600 a dada, pistolas de 5 balas a 14500 a da-
zia, ditas de 4 balas a 14280 a duzia, ditas de 3
balas a 800 ra. a dula, rodlobas de salas a 500
rs. a doria, fogue'nhoe mialos para meninos
i n. a doria: na raa Imperial n. 249.
Vende se o arauum da loaca lata aaftaa-
ia da raa do Bario da Victoria n. 49, aaar*ata
ra Nova, a Ainfielro oa a praso coa
vontada do proprieiario. vas"
fondos oa com pooeaa. Vaad
existentes ao dito nitihiliiiaiaaio
emidacio, por preco ratoavei, par tero
rio de fazer ama viagem para BMW
de : neta prinadsr rito ae a la em a I
eom o proprieiario Joa Mara
Gaimaiiea.
a! Parinha de maadjoca a 24 a
'daM
. Madre de Daos n. 7.


UaB d Jtonamoaa Quinta Jaste 6 0 Juihc U 1812
,**8fiO****
ALTAS 1VIDADES EM FAZENDAS finaffTI
fina sa linniHom no lnia fc i u__i^.,-_ e^'S
Que se liqaidam na loja
DO
PAVAO
A RA DA IMPERATRIZ N. 60
DE
FLIX* PEREIBA DA SILVA & C.
PAR APURAR DOHEIRO
Neste importante estabelecimento encontrar o respeitavel publico ora avultado sor-
tinento de fazendas, tanto de laxo como de primeira necessidade, as qoaes se podem
Sidcr mais barato do qqe em ootra qaalqaer parte, attendeodo as avaltadas compras
bzendas, assim como por todos os vapores qoe chegam d'Earopa se recebem novos
Mrtiaentos da fazendas de gosto fl ama coecfo dos mais modernos Agricos, as pes-
aras qoe negociam em peqneoa escala podem vir sorlir-se este estabelecimento, qoe
m bes vende pelos meamos presos, que se compra nos armazens ioglezes, de todas as
frondas se dSo amostras deixando ficar penhor. O estabelecimento do Pav5o est
constantemente aberio das 6 boras da manba s 9 horas da noite.
800
lananhas com qaadrinbos deseda,
sendo de maito pbaotasia, o co-
ado a rs.......
iaozinbas tecidas com seda, sendo
coca bonitos gostos inglezes
aoito proprias para senboras,
qoe tenida viajar, o covado a rs.
Ivoitas liatiohas de cores, o ce-
vado a rs. 320 e .
Foopeliaas de 13a, largas e lustro-
sas, o covado a rs. .
sjBbraias transparentes impe-
jiaes, a peca. ... .
Grgan I js branco tanto de listras
como liso......
Fasles brancos para vestidos e
/upas de meninos, o covado a
rs. 400, 800 e .
Tailatina branca e de todas as co-
res, o metro a rs. .
filos br neos, lisos, de salpicos e
tavrados, o metro a rs. 700 e
Cortes de granadino de cores com
48 covados a i-& e .
Cortes de medina matbisados com
bon.:as carras e maita phanta-
si3 a 5d000 e .
-nrguroes escaros maito encorpa-
dos p0ra roupas de meninos ten-
da msela de seda, o covado a rs
Para noivas
Curgnro de seda branco muito
encorpado, o covado a .
Grosdcnaple branco maito alvo o
covado a......
Dito largo moio encorpado, o co-
vado a......
Setica branco maito alvo, o cova-
do a 2500e.....3^000
A!f*cas brancas listradas i'aita-
?3o do seda, o covado a .
iaas capellas com vjs a .
Cortinados para camas .
Colchas de damasco de 13a, a imi-
taco de seda ....
Colchas de croch ....
FAZENDAS BRANCAS.
Picas d'aleodosinho americano
a3.$00. 4$, 50e .
Srsmas'te d'algodo com 10 pal-
os de largura o muito encor-
pado. vara a .....
Orto de linho maito encorpado
com 10 palmos de largara, o
metro a 2^000,2^u00a .
fttofrancez maito fino, o metro a
Mgodosinho enfestado para len-
eoes cora 8 palmos de largura
e mnito encorpafo, o metro a rs
Dito trancado cora a mesma lar-
gura e muito encorpado, o me-
tro a ......- .
Moaiharlo de linbo adamascado
cora 8 palmos de largura, o me-
tro a .......
fto da algodo com a mesraa lar-
gnra, o metro a .
Dito*icocboado fazenda de mnilo
gosfo com 7 palmos de largura,
o metro a 1800 e .
ffito trancado com 8 palmoe de
largura, o metro a .
MADAPOLAO FRANCEZ A 7^000.
Na loja do Pjvo vende se superior ma-
isjsotio rancez pelo baratissimo preco de
7jJ(00 a peca pechincba, roa da Impe-
nlriz n. 00, loja de Pereira da Silva & C.
MADAPOLAO INGLEZ A 60000.
"fa loja doPavo vende-se madapolo in-
gtezdo superior quflidada com 24 jardas
pelo barato preco deOiJOCO a peca, grande
pechincba ra da Imperalriz n. 69, loja
e Pereira da Silva.
KuadoBom Jess ti. 55
Vendem
Ferro gavaloisado em fothas para te
Ibas.
Leite condnsalo.
Cognac Msrtineau.
Viiho de Bordeo em caixas :
Teaamard
Volmay I
Haut Fleme
Penillac
Viobo do Rheno :.
SSeharlacnberger
Kisdesbetmer Berg
Hoehkeimer Berg
Marco Cramer asiese
2 Kaatwhaler Berg
9 Sleinberfer Cabinet.
Libras sterliaas.
Vende-se no armaiem de fazendas de Angosta
V. de Oltveira & C, i rna lo Commerctu n. 45.
500
500
80000
10000
700
960
160000
200000
640
40500
20500
40000
10603
150000
Hamburgo de paro linbo tendo dos
nameros mais baizos at aos
mais subidos que vera ao mer-
cado .......
Cobertores de lo para camas ten-
do de varias qualidades .
800 Ditos de algodo a 10280
^Colchas de fusto para camas,
tanto brancas como de cores.
PARA HOMENS,
Palitls de panno preto e de casemira de
cores sendo mais modernos e para todos os
presos e qualidades.
Sobrecasacos de panno preto de
todas as qaalidades .
Golletes de casemira preta e de
cores .......
Ditos de garguro de seda tanto
preto como de cores .
Di os de brim branco. .
Calcas de casemiras de cores ten-
. do de 60000 a 140000
Ditas de dita preta de 60 at 150000
Ditas de brim branco de linbo de
30500 a......100000
Camisas tinas com peito d'algodo
de 10-5UO at.....30000
Ditas com peito de linbo tanto fran-
cezas como inglezas, de 30500
at as mais finas que vem ao
mercado, temo tambem borda-
das e em duzia faz se grande
differenca em preco .
Ditas de cbita franceza miodiohas
fazenda de gosto a 20500 e 30000
Ditas de flanella de cor a 20OCO,
30000 e......3050o
Ditas de mela de la maito finas a 40000
Ditas de dita d'algodo a rs. 800,
10000 e......105OO
Seroulas de panno de linbo a 20GOO
Ditas francezas de linbo a 208OO e 30000
Ditas ditas de algodSo a 10600 e 10800
Collariuhos tanto de linho como ,
de algodo os mais modernos
que lem viudo ao mercado .
Punbos de linbos os mais moder-
os .......
Redes para dormir de differenfes
.. qualidades.....
Chambres de cbita e de cretone
Meias croas francezas e inglezas
que se vpodem a duzia a 30000,
at 85000 e.....100000
EXPLE.ND1DO SORTIMENTO DE OROSDENAPLE
NA LOJA DO PAVAO
Brins d'Angola.
Mantilbas Brasileiras.
Granle pechincba era panno a 30000.
n Saias bordadas a 40. 50 e 60000.'
As 3:000 saias a 20000
GRANDE OFFICINA DE ALFAIATE
Pereira da Silva & C. teem a honra de
participar ao respeitavel publico em geral,
e a seus numerosos fregaeze?, que no sea
estabelecimento de fazendas, tem montado
urna magnifica ofDcina de alfaiate, aonde
=e manda fazer qaalqaer roapa de encom-
menda, tanto para boraens como para me-
ninos com a maior presteza e perfeico, no
mesmo estabelecimento se encontra um
avultado sortimento de todas as fazandas
para as mesraas obras de encommenda, as-
sim como para qualqaer luto: tambem na
mesma ofGcma se encontra o perito mestre
Pedro Celestino Soares de Carvalho, espe-
cial para fardas, tanto dos Srs ofciaes de
guarda nacional como de tropa de linba, os
quaes sero maito bera servidos por mdi-
co pre?o.
MADAPOLAO A 30COO A PECA
Vende-se superior madapolo inglez com
12 jardas a 30000 a peca, grande pechin-
cba, na loja do Pavo ra da Imperatriz nr
60, de Pereira da Silva & C.
A MAGNOLIA
4o rce-
menos
antes
60000
10800
30000
30000
960
10200
30000
20000
20000
10600
As floristas
A Magnolia receben pelo ultimo vapor o
as senhoras fhristas preeisarem para fabricar
res, como se}am :
Pe3tilbu de vanas eores.
Bagas de vidros de diversos modellos e tamj^j
nhos.
OlhDs para mal me-qneres e cravos.
Clices para rosas.
Bagas donradas para flores.
Folnas verdes, encoradas, prejas e de eores sor-
tidas em tamanho o fcitio, ele., etc.
Metas delali
A Magnolia roa Doqne de Casias n.
boa dessas meias, mnito boas, e vende por
do que em outra qaalqaer parte ; a ellas,
que se cabera.
Candieielros econmicos
Os caodieiros econmicos sio na verdade de
invenci agradavel, priva a qaem desejar embel-
lesar uma sala de fazer duas daspezas, pois qne
tirando-se-lbe o deposito onde se conserva o gaz.
torna se am lindo jarro para flores : qaem tem
a Magnolia ra Duque de Caxias n. 45, e vende
barato : a elle?, porque tem poacos.
Nao fot intilmente qne a Magnolia roa Du-
que de Caxias n. 45 fez escrepnlosa eecolba
seas correspondentes as diversas partes da Eu-
ropa, porque agora tem a satisfaci de ir rece-
bendo seas pedidos, vinlo ejecutados com tanto
esmero e gosto, que se afana em expo-los apre-
ciado dos amantes do bom, tendo a certeza de
serem pelos mesmos apreciaaos.
A Magnolia, nao est descontente com a fre-
guezia que tem adquerido em to ponco tempo, e
esforga se para maito mais; visto que tem con-
vicc.au de ser commoda nes procos de suas mer-
caduras, zeloza em bem servir a saa freguezia e
abominar a caresta.
Ao bello sexo com especialidade. a Magnolia
pede que venba ve la pessoalmente agora qne tem
recebido parte de suas encommenda, e pretende
ser razoavel nos presos tendo a certeza de que o
sapprir do qoe bom e razoavel.
A Magnolia, se se tem esmerado em ter um
lindissimo sortimento do que ba de melhor no
mondo das modas, porqne nao deseja qne seas
| freguezes sejam mal servidos em outra parte,
com objectos de mo gosto : e assim apressa-se
em mencionar alguns.
Bonitas golnbas e pannos, transparentes e ta-
pado?, fazenda maito fina novidade.
Camisas, de linbo multo fino, bordadas e pro-
prias para noivos.
Chapeos de velludo e palba de Italia ultima mo-
da, para senhora e menina.
Chapellinas de cores e pretas, (novidade)
Ricos enfeites para senhora.
Bonitas fivelas de madreperola para pulceira.
Melos adereces pretos, cacoletas, voitas, cruaes
brincos e rozetas de gosto moderno.
Variado sortimento de capellas, bouquets e si-
pos de botos de flores de larangeira.
Flores de cores e pretas para chapeos e cabel-
los.
Linhas de todos os nmeros para croch e bor-
dado.
Chpeos de sel e bengallas com bonitos cabos
de marflm.
Bonitos chapo3 de sol para senhora.
Jarros transparentes para flores.
Ricos port Joias, port cartoes e porl-money.
Bonitas calimbas com perfumara, propria para
presentes tendo disticos as tampas.
Ditas com prepares para costara, ricamente en-
tenadas e com msica.
Bonecas, ricamente vestidas.
Lindas bokinhas de velludo, com estojo para
costara e sem elle.
Albuns para retratos com com capa de madre-
perola, marfim, dsso e madeira.
Livros de missa, cam capa de madreperoh,
marflm, dsso e tartaruga.
Carteiras de chagrn, com' estojo para algi-
beira.
Navalhas mnito finas, com cabo de marflm e
tartaruga.
Grampos com flor de madreperola, novidade.
Bonitas caixas de tartaruga para rap.
Sapatos de laa, bordados em talagarca.
Camisas bordadas para homem.
SO" NA
MAGNOLIA
45Ra Duque de Caxias45
DE
SA' LEITO, FONCEC\ 4 C.
MACHINAS
DE
COSTURA
Cbegaram ao Bazar Universal da roa No-
va n..22, am sortimento de machinas para
costura, das melhores qualidades que existe
na America, das quaes muitas j sao bem
conhecidas pelos seas autores, como sejam;
Weller & Wilson, Grover & Bjka, Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
qoe com a vista deverao agradar aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalbo que trinta costureiras podem
fazer diariamente e cozem com tanta per-
feicSo como a3 mais perfeitas costureiras.
Garante-ye a sua boa qualidade e ensina-se
a trabalbar com perfeico em menos de ama
hora, e os precos sao ii > commudos que
devem agradar aos pretndanles,
Orculos delphicos
Sob este titulo acabam de ser imprecas cin-
seesata p?rguoias e respostaa para entreliraento
ie reanimes familiares as noules de Santo Anto-
to, S- Jalo e S. Pedro.
9sas pergnntas e respostas interamente novas,
.mi ioteressantes e divertidas, sem qne offendam
iDveniencias on regras... de boa sociedad?.
Sem serem propriamente o qne entre nos se
skamam sones tratam de desvendar misterios e
wgredos, ntimos pensamentos e futuros soeces-
Ssmpre adequidas as respostas expressaro
saltas vezes aquillo qoe nao se atrevera a dizer
i sio ser em brinco, servalo o olhar ou o modo
ir dizer de dar-lhes forra necessaria para aquel-
es a quem sao dirigidos.
Cada baralhinho casta 1*500 e achara se ven-
3a ci llvraria Economi:a ao p do arco de Santo
Satonio, e outras.
A SOMNMBULA
ovissimo livro de sortes para as noates de
Swjw Antonio, S. Jo5o e S. Pedro.
Aeaba de ser publicado o livro cima, o qual
(satru nma linda collecco de bonitas, nteres-
Mates e chistosas sortes e igualmente nma col-
*c5o de recitativo?, compostos por grandes e
jfcmados poetas degta epoena.
Oremos que este livro am dos melhores in-
UrsUojeotos para as reanimes familiares das to
!Mejidas e apreciaveis noates cima ditas.
Aeba se venda a 1*000 na livraria Economi-
o ao p do arco de Santo Antonio, e em outras.
ESTRUME
O liquor de ammoniaco, das fabricas de gaz, r
am dos Estrumes mais recommendavel para fer-
tilisar a trra. Pde-se obter na fabrica do gaz,
em S. Jos, que tem para vender, a* 200 res a ca-
nada. _______________________________
Modernas e lindas casaquinhas
para senhoras
A agaia branca ra Duque de Caxias n. 50
receben ama pequea qnantidade de lindas casa-
quinhas de lia branca primorosamente enfeitadas
com setim de cores, coras essas lo modernas
quo lindas. A provadessa verdade est no apre-
S) que hes esiao dando as Exmas. apreciadoras
o bom.
Collares Royer
A agnia braia, roa Dnqne de Caxias n. 60,
contina a receber por todos os vapores francezes
ama determinada qnantidade desses apreciaveis
collares, contra as convulsoes e a favor da denti-
ca das crianzas.
Grade pechincha.
Colletes de casemira, maito boa fazenda e lio-
As padrSee a 3,8, ditos de brim branco superior a
3f, pileijt? brancos de fusto a ai; u ra do
lulo da Victoria n. 14.
CHANDE LHMCIO
Para acabar
Be am gratrte sortimento de chap js de todas
a /niida4ale, m prac. da .ladepeudeccia n.
Vende-se
am sorado de doas andares, sito raa da Hoda
n. 19, e os terrenas qne ficam nos fondos. Tem
frente para a travessa da Companbia Pernambu-
eana e capacidade para deas armazens proprios
para recolhmento de algodo ou quaesqaer ou-
tros gneros, por ser perto do embarque: tratar
em casa de Tasso Irmos & C.
Cerveja de Noruega.
Verdadeira e superior : i venda nos armazens
de Tasso Irmos & C.
Ferro Suecia
Em barras de diversas largaras : vende Pereira
da Cunta Irmos, raa do Mrquez de Olinda n.
*1, 1* andar,
A 4:000
Vende-se estojos para viagem com os sras per
tences, sendo thesoura, caivete, escova, pente,
sabonete, etcM pelo barato precq d.6 W060, Teah
ao Rival do Rtctfe n 80 A,
Raa do Crespo n. 20 alpacas mescladas com bar-
ras a 500 rs. o covado dita lisa de todas as cores
a 440 rs. o covado grande pechincba loja de
Gailberme C. da Caoba & C
Fftnha de milho.
Vende-se farinba de milho moida a vapor, dia-
riamente, pelos precos segointes : grossa para
mogunz a 90 rs., dita para ang, pintos e passa-
nnhos a 100 rs., para eangica e pi de Provenga
a 120 rs., e para cascus a 140 rs., em arrobas
mais barato : na roa do Cotovello n. 23.
MACHINAS
PAR\
UM MU
Moreira Das, raa da Cruz n. 26 avisa aos
seas freguezes qne j receben as desojadas ma-
chinas para lavar roapa, trazando ellas desta vez
expremedor.
Estas machinas tem a vantagem sobre as ou-
tras de lavar e expremer em menos de cinco mi-
natos para Mis de cincoenta pecas de roapa;
sao maito proprias para as pessoas que se dedi-
can) a tomar roopa para lavar e engommar, visto
sabir a roapa do expremedor quasi qne enchuta,
trazendo a vantagem da econetnia de tempo que
se espera aflm de enchagar e poder-se engom-
mar ; o annunciante o nico agente nesta praca
das referidas machinas, e por fsso as vende por
prego maito commodo.
J. A. Moreira Dias
tem constantemente em sen armaiem roa da
da Craz n. >6, e vende por ptteo commodo o se-
guate :
Graixa em boides N. 97.
Balancia horisontaes para cima de balco.
Camas de ferro cem eolxio de molla proprio
para rapaz solteiro.
Aparemos para cha do melhor metal do afama-
4o fabrfcantf Cbrystofle.
Ac de afilio sonido.
Agua Florida verdadalra.
Machinas para copiar cartas,
Chamines da vidro para caadieiro caz,
Farinha de maiidioca
Superior e muito propria para "esa, em barr
ricas de farinha de trigo ; a 11(0 0 rs. a barrica
nos armazens de Tasso Irmios A C.
ODILON DARTE
CABLLEIREIKO
N. 82 RA DA IMPERATRIZ N. 82
Esforcando-se para satisfazer ao illostrado publico no qoe relativo for aot Irabaiboa
de sna profiss5o, com a maior promptidSo, commodo, e esmero, resolver faxer rtfcr-
ma em sea estebelecimento e mnnir-se do que nos mercados estrangeiros ba aieJhar
e do ultimo gosto mandando vir em direitora e por saa con'.a nlo s grande quntklad*
de cabellos de tolas as cores e tamanrw como todos os preparados reconhecidoi ptln
sociedades hygienicas como os mais uteis a conservacSa e embellezamento doi cabaflo*
naturaes sem prejui. o da sade. acbando se assim habilitado a fornecer aos conaonido-
res, por 20 / tcenos* do qae ootro qaalqaer os objectos de pbaotasia para adorao, aav
seio e bygiene da cabera, inlispensaveis ao mundo elegante e em geral a todoa qw e-
dam de conservar a propria existencia, deixando de usar de leos, binhas e cosmticos
proscriptos pelos borneas de sciencia como capazos de amortecer os bullos capillarea,
prodozir'a calvic9 ou apressar o enbranqaecimento dos cabellos, e occasionar o appara-
cimeoto da cepbalalgia, eclampsia, epilepsia e hysteria e onlraaaioleaUaaciUaeaa ner-
vosas.
O pessoal do sea estabelecimento se acba montado com capricho a escolher M -
Ibores artistas naturaes e estrangeiros havidos na provincia entre os qoaes se distingue
Mr. Alfred Belpeche e o Sr. NapoleSo especialmente destinados aos peoleados das at-
nhoras para o que ha demonstrado pericia inimitavel por oulrem entre no* bavido, A
facilidade e o gosto com que o Sr. Na^oleo execota os penteados mais difficeis taolo
histricos como de saa phanlaia aotorisa a qne se o considere como am genio nesta es-
pecialidade.
Os empregados do sea estabelecimento sem excepcio exclusivamente cada nm u
especialidade que mais amestrado
A casa recebe por todos os vapores os gorinos da ultima moda de penteados ad-
miltidos nos paizes civiiisados entre os quaes prima o sumplooso Paria.
O bello sexo encontrar no etabelecimento grande e variado sornenlo it coquet
de trancas, chinons, normanas, coques de cachos, cache peines, toupett.bomcies, crecen-
tes do qae ba de mais moderno e elegante neste genero, perfumara dea melhores fa-
bricantes como Labin, Jobn Gornell, Rimmell, Artinkson, le grana Piver, Coudray etc.,
etc., lindissimas Aires especiae9 da cr.beca pos de ouro, de diamante para pulveiisar os
cabellos, finissimas escovas do denles, pentes de tattaroga, e muitoaoulroe objectos in-
dispensaveis a om toilette de gosto.
Os seus collegas encontraran a contento os utentilios de suas profissbjes, tbesooras-
ferros para frizar, ferrojapara papellostes cardos etc., etc., quer em porc"-o qoer a re'
taino sero vendidos.
Candieiros para
g'z
Vende-se lindos candieiros de brome, por pre
eos inferiores ao que custaram : ra d) Impe-
rador n. 31, escriptorio da eim.r. 71 do caz.
Fdaria
Vende-se a padaria da Casa Forte, pertenceote
a Gabriel O. Campo : para ver na mesma, e para
tratar com Tasso Irmos & C.
Em casa de Tisset freres, na ra do Com-
mercio n. 9 ba para vender :
Agua de Vichy das fontes Haobeiwe, Cejestins,
Grande Grillo, Hospital e Mesdame?, em caixas
de 90 garrafas.
Agua de Chateldon, excellenle agua de meza,
em caixas d-< SO carrafas.
Agua de Vals das tootes Presense, Magdaline,
Desire, Sante Jean, Rigolette e Donimique, em
caixas de 24 garrafas.
Ccgnac das marcas: flancby frres & C.
Royer Guillet A C.
Martel frres de Velros.

BE JflUS
S

O CoraqSo de Ouro liquida suas joias por ter
de acabar o estabelecimento, ha grande redac-
qao mesmo nos preqos das entradas.
N.2D Ra do Cabug N.2 D
pff'ia"?"-' ^
GRANDE
EM PRECOS
Eival sem segundo
Roa Duque de Gaixia n. 91, loja de miu-
dezas de Jj= Rigodinbo contina a vender
tudo quanto tem em sea estabelecimento
pelos precos abaixo declarados, a saber :
Libras de la para bordados a GuC0
Garzas com superiores gram-
pos franceze3 a rs. ICO
Talberes para meninos a 240
rs. e 400
Libras de linba de novello de
n. 80 120 a i^oOO
Leacos de cassa com barra a rs 100
Varas de franja branca para
toalhas a rs. 120
Dozia de meias finas para se-
nhoras a 4)5500
Masso de palito seguranfa a rs. m 200
Navalhas fazenda superior a wl)}000
Caixas com penaas d'aco a rs.
320, 400 e 500
Caixas com papel amizade a rs. 700
Dita, dita, dita beira doura-
da a rs. 800
Caixas com envelopes a rs.
500, 600 e 800
Pessas de uta para coz com 10
varas a rs. 440
Duzia de nha frouxa para bor-
dar a rs. 400 e 500
Raralbos francezes muito fi-
nos a rs. 240
Ditos de beira dourada a rs. 320
Duzia de agulbas para machi-
na a 2000
Libra de pregos francezes a rs. 240
Resmas de papel branco liso a 3(5500
Ditas, ditas pautado a 40OOO
Duzias de sabonetes muito fi-
nos a rs. 700
Duzia de liaba de carritel
Alexandre a 1)5000
Grgza de botes madreperola
a rs. 500
Cartoes de linha branca e pre-
ta a rs. 10
Thesooras muito finas para
unlias a rs.
Groza de botes de louca
a rs.
Pares de sapatos de couro
para meninos a 2*5000
Caixas com 4 papis de
igulbas fondo dourado a rs. 240
Frascos de oleo Oriza supe-
rior qualidade a 1(5200
Caixas de folba com palitos
de vella a rs. 200
Peasas de fita de lia para de-
brum de todas as cores a rs. 320
Pessas de fita branca elstica
para debrum a rs. 200
Na loja.de Antouio Pedro de Souza Soares, na ma d
Barao da Victoria n. 28, outr'ora ra Nova
MITA ATTENGO
Completo sortimento de fitas de
sarja, de todas a3 larguras, co-
res e precos.......
Redes enfeitadas para senhora?.
Coques de trancas o que tem vin-
do de mais go:.-to a .
Diademas modernos a rs. 300,
; dem idem de quadriubos a rs. .
Caixas do envelopes finos de por-
celana ars.......
I dem idem a rs. 400 e .
dem de pennas a rs. 500, 800 e .
5-5003 lAbotoaduras para collete, grande
variedade ars......
640 e.......'. 25O0OI dem douradas para pnnhos a rs.
Duzia de baralhos francezes bei-
ra dourada a ......
3?000
9^000
Sitio da Ipyranga
Em Afogados
Vende-se um com baixa de campim, coqueiros
da fructos e novos, diversas fructeiras, casa de
taipa coberta de tena e em mo estado ; tratar
no Coracao de Oaro.
SEDAS
Ricas sedas para vestido do raelb,or gosto por
baratsimos precos : s o Trltnnpho da Boa-vis-
ta, ra da Imperatriz a. 20.
Eaxovaes para baptisados
Ricos eocbovaes para baptisados pelo baratissi-
mo preco de 16*000 cada nm : s o Triumpbo
da Boa-vjau, roa da Imparatria n. 30.
As 2,000 saias.
Saias finas com baados frisados a 31000, di-
ti com babaiinbos bordados a 3/500: s se
aeham do Triompoo da Boa-vista, raa da Impe-
rtrix Q. 30,
Grinaldas para casamientos a 3/5, e
Gdles e trancas de seda de cores,
a peca de l000 a ....
Mi.nosos leques de osso para se-
nhora a.......
dem idem de sndalo com lan-
tejoulas a.......50C0
dem idem a imitaco a 2200.
Luvas de pellica para hemens e
senboras, o par 500 rs. e 30OCO
Transparentes com paisagens para
janellas a.......I2?0C0
Bico de seda proto e branco peca
de 25500 a......- 7000
Fita de setim Maco escosseza lar-
ga, vara a......
Gollariohos bordados para homem
duzia a.......
dem idem lisos a.....
Guarnieres de marOm e madrepe-
rola a.......
Terno3 de thesouras em elegan-
tes caixinbas a 60000 o .
MIUDEZAS
Duzia de pecas de cordo impe-
riaes a rs. ; .
Duzia de pecas de trancas de cara-
col a rs........
dem idem lisas a rs.....
Duzia de cartoes de linha preta e
. branca a.......
Groza de grampas cabeca de vi-
dro a ........
Resma de papel pautado e liso a
40000 e.......40500
Caixa de papel amizade maito
superior a rs...... 700
640
800
50
1*000
20)
500
3|600
1*2C;
35000
8d000
7,5000
2,5000
90000
320
400
20C
120
15000
Limparinas a gaz a .
Duzia de talberes cem cabo de
osso 2 botes a.....UM
Dita de ditos cravados ( baratis-
simo) a.......2(5604.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a lOOt>
PERFUMARAS
Garrafa de agua florida verda-
deira, a.......1#20(
dem idem kananga doJapaoa 14200
Frasco com oleo oriza ver da deiro a 1 <520(
dem de otoo philocome verdadei-
ro a r3. 400. 50u e 1(5000
Rosas com extracto a 1#800
Frasco com extracto inglez muito
superior a......1JO00
dem com dito kananga muito su-
perior a.......l*00(i
Banba ingleza em frascos e potea
de porcellana a rs. 500, 1* 6 2J00O
Macos de sabonetes inglezes muito
bons a rs........ 600
Sabonetes de amendoa supe-
riores ais....... 300
Cosmetiqoe de cores finas a rs.
100, 640 e......IJOOO
Pacotes com pos de arroz fino
a rs. 300, 400 e ... 500
Caixas com dito muito fino ka-
nanga a........ 1*500
Frascos com agua de Colognea n.
500, 1(5000 e.....1*50C
Garrafas com dita o qae ha de me-
lhor a 30000 e.....400C
ESPELHOS DE MOLDURA
De todos os tamanhos e de todos os precos moldaras para quadros, bonec'as de
cera, brinquedos para criancas, candieiros a gaz, chamines e globos, sapatos de tranca
e casemira preta, e ama enfenidado de miudezas qae se vendem por precos resa
midos,
N. 28 Ru do Barao da Victoria N. 28
ATTENCAO
Lavas de pellica, excedentes, frescas e sdrtidas
em cores e letras para senboras,
Perfumara fina, inglesa e franceza.
A rxuito afamada agua de colonia de Maria
Faria.
Diademas donrados e de bfalo,
Pentes moderos para o cabello.
Grampos especiaos para o cabello.
Broches e brincos de madreperola.
Plores artificiaos, as melhores e mais bonitas
que se acha no mercado.
Redes para coquea grandes,
Coques a imitaeao.
Em easa do caballereiro Libanio, travessa da
raa de Santo Amaro, ao fondo da loja da Norma
raa Nova.
Vende-se
um grande sobrado em Olala coot4 i mtm 4a
frente, 6 quartos, 1 dito jara baabo, sata aara
jaatar, coiinha, 3 tojas, cora om sitio 4o
400 palmos de frente e 300 o tantos 4a
arbtfisado com frncteiras, saptieroS|
ras, figneiras, pinherras, naafaawiras, i
aracaieiros, cajaeiros, superior ana,
cacimba, na ra da Manfaboira a. 1 : a
roa da loada n. 3, on w aaesmo ato aaa
mingos. .
riea
Tiuta vilete
A gata Branca 4 ra Duque da Caxias a.'30.
recebao a aporior tinta vilete do aeratado
fabricante Adrien Maurin, e como sempra. vende
baraUsaimo.
Vende-se
(errnos em Olinda, sitio 4a Manfabara, esaa ama-
rodos de fructos o tasaban tem ser arfcariaaa*, par
precos baratas ; a tratar na raa 4a Moaan u. J4,
on no mesmo sitio nos doanagoa.
T04
Libras sterlinas : venaa-se na ma 4a AaaAo
SO, eacrtptorto.
Lehmann Frtrea
Vendom libras stertnaa.


ftano do yTda)uc9 Quinta feira 6 da Junho da 1872
MEURON &C
A. VISA *
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PBETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor. eujo desenlio se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores qne qaizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao seren engaados ver qne
os botes tragam o nome de MEURON & C. e a desig-
nado de REA PRETA.
. de meninos 10280 o orle de calca oo a
'610 r9. o ovado, leudo 6 palmos de lar*
gora, e sendo esta fazenda tarobem mallo
propria para roopa de escravos e vestido*
de prtas, islo roa da Imperatriz d. 60,
loja de Peraira da Silva C.
CHITAS COM, TOQUE DE A VARIA
200 rs.
O Pav3o vende chitas de cor finas com
una pequeo toque de alafia 200 ra. o
covado, roa da Imper Iriz n. 60.
PARA VESTIDOS DE LUTO A1 640 RS.
O Pavao vende merino prto entestado,
de pora I3n, proprio para vestidos de loto
e tambem serve para roupas de homens e
meninos, por ser urna fazenda moito leve
e vndese 6.0 rs. o covado, por ter sido
comprada como avariada, mas afianca-se
que est perfeita, na loja de Pereira da Sil-
va &. C roa da-Impar atriz n.-60.
Chita avariada.
Na loja do Pavao vende-se superior chita
verde lisa e com om pequeo toque de
a varia, pelo baratsimo prego de 200 ris
o covado, oo 6^000 a peca com 36 cova-
dos. E' grande pechincha ; roa da Im-
peratriz n. 60.
Vende-se
orna casa com bastantes eommodos pira famiti a
escravos, com um pequeo sillo arborisado e cer-
cado, tendo boa cacimba, sita na pnvoacao de A
pipncos, perto da estacao da linha frrea ; a tra-
tar na loja da ra do Barao da Victoria n. 2.
VENDE-SE
o esubelecimento denominado ROY D'YVETOT,
na roa estreita do Rotar o n. 14, por sea proprie-
tario pretender retirar-se para a Europa ; o dito
e?tabelecimento tem maita cotmodos para fami-
Ha e esta bem afregoeado ; tratar no me.-mo.
Vende-se uroa
prior
FOGO ARTIFICIAL
Ao armazem do Vapor
Francs, ra do Ba-
rio da Victoria (cn-
lr ora ra \ova) n. 9.
Ao araaazeaa do Ta
fraoccar. rata do I
rio Victoria (
FOGO CHINEZ DE SALDES
Para os festejos de Santo Antonio e S. Joao
Cbegon grande porcao deste* lindas fog nichos japoneie.*, franceies, e illmlii, 4* utas
muito bonitos, fabricados especialmente para meninos e sanboras snltarem sea medo algom U Ha-
rem offeadidor, alm destes foguinhos, ba maita pistola, era rer), flmas e radiabas fabrieaoa aa
pan por om dos mals afamados artistas oeste genero oetta eidade.
TRAQUES DA CHINA
Vende-se mais barato em caixas.
s
BALES AEROSTTICOS
paqueos de 8 a 12 palmos de
papel de seda, de cores moito
bellos e facis de soltar-se.
GLOBOS de papel de cores
para illomioac5es e papis ar-
rendados proprios para eofai-
tar bolos.
SOTES FRANCEZAS, mui-
to Interessantes poniendo alm
da leitora, novidades que fa
zem realzar mais o diverli-
meoto as reonies das non-
tes de Santo Antonio e S. Joo.
nana
I PRUJCi 1
LUVAS DE PELLICA
brancas e de cores para
borneo e senhora?.
LEQUES para ecbora
c m'-nin. s.
BRINCOS e pulceim 4*
curo bom para senio-
ras e meninas.
i
- casa terrea em cbos pro-
. sita em Olinda, roa de Maibias Perreira o.
23 : a tratar na roa do Lima em Santo Amaro
o. 10.
IfttfMttSfigl MSMKH^ JUIIMS l
Calqado francez chegado de novo.
Moito boas botinas para nenien?, para seuhora?, ajenios e menina.
Quinquilharias e perfumaras
Brinqnedos para crianca
Novos sortimeotos de om sem numero deste artigo para entreter as enancas, todo a pnr x
os mais resumidos que possivel, no armazem do Vapor Francez, raa do Birlj da Victoria, )atr''.:
Nova n. 7.
Cacado do forto
Antonio Pereira de Oliveira Maia avisa a scus
fregoezes qoe pela barca Imperial, ebegada clti-
mmente do Porto, receben tamancos, cbinellas e
f apatos de (ranea de homem, senhora e rapa,
ludo de superior qaalidade : na ra da Senzala
nova u 1.
MEURON a C.
RU K DO RRUM N. 52
(Passando o chafariz)
Aimuiicia aos senhores, de engenhos que por falta d'agua
ou mortes de animaes nao possam tirar suas safras,,que est
prompto a assentar vapores dentro em 8 dias do pedido applican-
do elles as moendas ja existentes.
Tem em deposito variado sortimenlo de
MOTORES PARA DESGAROGAR aLGODaO
A vapor, agua on animaes
inclusve alguns que nao precisam de obra alguma de carapina
pelo que podem funecionar logo que cheguem ao lugar.
FORMAS PARA ASSIJCAR
Aquellas propiietarios quequizerem formas podem desde
j fazer suas encommendas, pois a casatm em viagem e j
chegado numero suficiente para suprir a todos quantos queiram.
HAGHMISHOS DIVERSOS
nesta fabrica ha deposito de todos os .s.achinismos empregados
na provincia, e acceita-se encommendas para fazer vir qual-
quer machinismo a vontade do cliente.
Pechincha em Corti-
nados a 7$C00 rs.
O Pavao comproD orna graDde qoantidade
de cortinados, delicadamente bordados,
proprios para camas e ja celia?, qoe vende
pelos baratos preces de 70000, 8(J000,
95000, e IO0COO o par, sendo fazenda
que vale 50 por cento mais, e vende-se por
este preco, por ter-se feito urna grande
compra em leil"o, como se fossem a vana-
dos, mas garant-r-se, qoe eslao perfeitos,
isto ra da Imperatriz n. 60 loja de Perei-
ra da S Iva dr. C.
CAMBRAIAS BORDADAS A' 6)5000,
70CO, e 10,0000
O Pavo vende finissimas cambraias bran-
cas com delicados bordados a lan de cores,
tendo com bonitos raminbos matisados e
salpicos de cores, sendo miados e grandes
e vendem se a 60000, 70 por se terem comprado como a variados, mas
garante-se que est5o perfeilas, isto roa
da Imperatriz n. 60 loja de Pereira da Sil-
va &. C.
CHITAS PRETAS AVARIADAS A'
30500
O Pavao vende chitas pretas avariadas
tendo 38 cavados cada peca, pelo barato
preco de 30500, garante-se que est3o for-
tes, pechincha roa da Imperatriz n. 60.
CASSAS PRETAS AVARIADAS A'
50000
O Pavo vende pecas de cassas prtas
avariadas tendo 40 varas pelo barato preco
de 50000, pechincha roa di Impe-
ratriz n. 60.
CORTES DE CAZINETAS COM AVARIA
10200 rs.
O Pavlo vende corles de cazioetas de
qaadrinhos proprios para calcas e rorjpas
Vende-se
ps de laranja de nuibigo e da china, pos de sa-
pot e fructapo.
_ WiIsoq Huwe dt (1 vendem oo sen escripto
COGNAC fino, em calas de ama duna de car
rafas a 204 e 244.
VINHO Burieaux floissimo, em caixas de ama
dozia de garrafas a 10*.
E nos ens depsitos :
CARVAO de I1 qaalidade somente e de varias
denominares.
COKE de Ioglaterra.
Todo por presos moaveis e por tonelada de 70
arrobas.__________
Vende-se doas casas de taipa coberus de
telha, chaos proprios, tendo 45 palmos de frente e
26 bragas de fundo, com bastantes rructeiras, Joo
povoado de Tygipi jooto a igreja : para tratar na
roa da Senrala-velba o. 80.
MJl M RilVlA.
N. 63 A-RA DA IMPERATRIZ-N. 63 A.
Vende-se espartilhos moito boos para seohora a
2/000, a elles, antes qoe se acabem, assim como
botinas de cores e pretas para senhora, chegadas
oo ultimo vapor ioglez, a 4*500, 5*, 5*500 e 65,
al 7*, sendo estas muito boas; leobo mais a di-
zer qne o Colar da Raioba pode vender borze-
guins da trra para bomem, obra moito bem feita
a 4*500, 5*, 5*500 6* o par, onde o proprieta-
rio de;te estabelecimento espera a concurrencia
de seas numerosos freguezes e fregoexas.
Barriguda
No sitio n. 23 roa da Soledade (Boa-vista), se
vende orna bonita macaca do Para, dos chamados
Barrigudos e tambem om veado moito uoso ;
pregas convenientes: a tratar oo escriptorio do i*
andar da roa do Commerclo n. 24, oo no dito
sitio.
Fogos e sortes.
Amaral, N'abuco & C. avisara a seas amigos e
freguezes, que acabam de recebar de Franca e
Allemanha um variadsimo sortimenlo de fjgoe
sortes de nova invencao, proprias para salas, e os
festejos das noites de Santo Antonia, S. Joao e S.
Pedro, sendo papel furta-core?, fogos debeDgila,
toorbelions, rodas, estrelinhas, fontanas, chovas
de fogo, qoorlibit, e sortes em caixiohas proprias
para fazer-se presente : vende-se no Bazar Vic-
toria n. 2.
Balances decimaes
Horeira Das avisa a seos fregoezes qoe j re
ceben as bataneas decimaes de furca de 300,500 a
1,000 kilos, tendo as ultimas rodas de ferro : ven-
de em sen armazem roa da Cruz n. 26.
BEMABT1
LOJA DE MAS
Esquina da ra do Cabuga n. 11
Confronte ao pateo da matriz de Santo Antonio
0 dono deste importante estabelecimento acaba de aformosea-lo, emiquecendo x
om grande e bello sortimento de joias modernas, e de apurado gosto como sejam Uc-
nitas cazoletas e brincos de nix, brilhante e pedras preciosas, etc.. continua a receber
de Parts, por todos os paqaetes novo sortimento, e encarrega-se de mandar vir qualqoei
encommenda. Convida-se as Exmas. familias visitaren o dito es tabt le tinento, o qcai
estar aberto noite at 8 horas. Vende-se por prejos raui csmmou'os, e garante-se *
qaalidade do ooro.
FABRICA DE MACHINAS
A' Ra do Barao do Triumpho ns. 100 104
OCTRORA BRUIH
Carduzo & Irnio
* OrmoS para parjg ,je assucar, pintadas e galvanisadas de diversos Umaobos.
AVISAM aos Srs. de eegenhos e ao publico em geral, qae teem recebido da Earcpi
grande sortimento de ferragens para engenhos e para lavoora, e qoaesquer oulros uio
e misteres da industria agrcola, o que tndo vendem por presos razoaveis.
VAPORES horizontaes e verticaesj bem conhecidos nesta provincia e lora dalli,
os melhores qoe teem vindo a este mercado.
MOENDAS completas de diversos tamanhos, obra moita forte e bem acabada.
MEIAS MOENDAS para assentar em grades de madeira.
TAXAS de ferro fondido e batido de diversos tamanhos.
RODAS D'AGUA de diversos tamanhos.
RODAS DENTADAS de diversos tamanhos e qnalidades.
CONCERTOS.Concertara com promptidSo qnalqaer obra oh machina, para o 'dt
teem sua fabrica bem montada com grande e bom pessoal.
ENCOMMENDAS.Mandara vir por encommenda da Europa, qoalquer macbinis-
mo, para o qne se corresponden! com ama respeitavel casa de Londres e com um de
melhores engenheiros de Inglaterra; iocumbem-se de mandar assentar ditas machinas,
e se respoDsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
AUA DO BARAO DO TRIUMPHO NS. 101,102 E 104
FUNDICAO DE CARDOSO IRMO
3.
LISTA GERAL
6.
a
DOS PREMIOS DA U. PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDA POR LE PROVINCIAL N. 593, A BENEFICIO DA ISREJA DE NOSSA SENHORA DO MONTE DE OLINDA, EXTRAHIDA EM 5 DE JUNHO DE 1872.
NS. PREMS.
6*
8
10
14
17 A
M -
; 15,000*
36 6#
37 -
43 -
63 -
MI
61
/
66
84
88
M
91
91
96 -
101 -
6 -
8
18 -
SS -
35 -
38
S :
46 _
47 -
48 _
53 _
W -
M
68 -
6*
66 -
71
NS. PHEMS.
181 ioo
82 64
89
90
93
94
99
200
7 ie#
12 64
17
31
32
37
38
40
46
48
52
54 . ^^
58
64
71
72
75
82
86
87
88 to*
92 64
97
98
300 .
7 a
12 __
16
21 104
st 64
324
30
34
36
39
45
47
49
53
55
65
67
69
72
73
80
87
92
96
401
3
8
18
25
26
28
29
44
46
50
64
65
70
73
74
80
83
84
:ms. -NS. PREMS.
64 487 64
93
96
97
500 104
~ 3 64
10
22 mm
104 24 _
64 28
41
44
48
51
55
63
as 66
67
79
M. 84 _
NS. PREMS.
64
104
64
86
95
98
99
601
4
8
11
19
20
22
24
31
44
48
53
54
N
658
60
62
68
72
76
81
86
88
90
97
704
14 -
17 -
20 -
24
29 -
43
55
63
65
72 -
82
83 -
86 -
95 -
800
13
17
23
27
31
33
34 -
43 _
44
55 -
104
64
NS. PREMS. NS. PREMS
860
61
66
68
71
72
73
75
79
83
84
85
97
SOI
3
8
19
22
40
41
47
52
56
61
68
70
91
1014
12
24
27
30
36
64
04
64
51
59 -
67 -
74 -
78 -
1098 64
99
1100 104
11 64
16
20 -
22 -
28
31
38 -
41
48 -
50
1 -
53
55
98
1201
4
6 204
64
8
9
19
12
23
24
25
28
34
40
42
43
61
59
64
65
8$ V -
NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. ns. p: *EMS. NS. PREMS.
1288 64 1502 64 1712 64 1883 64 2090 64 2319 64 2484 64
92 5 1 14 84 . 95 24 Mg 94
1307 11 16 l4 97 2114 39 64 2500
10 ^^ 21 20 64 1910 _ 17 40 1
14 ^ 25 21 11 M 19 - 42 3
21 29 28 18 _* 25 49 4
22 ^^ 36 34 26 35 50 26
23 44 35 31 --- 47 52 29
31. ^ 47 t04 43 35 61 54 34
32 ^ 48 64 44 36 53 104 59 36
44 mm 51 63 39 59 64 60 __ 41
48 104 55 66 43 61 62 45
50 64 68 68 ^B 48 " 65 63 46 -
53 83 73 ^_ 49 67 65 as* 55
58 i^ 84 78 _ 50 70 75 57
69 M, 91 84 __ 54 "~ 74 81 59 .
71 72 J5 94 1603 6 88 90 94 56 57 60 404 76 92' 93 84 85 91 98 104 64 62 64 79
77 _ 8 1802 MI 69 64 94 80
79 mm 18 3 80 mm 2203 2400 _^ 81
85 ^^ 24 5 ^ 84 mm 26 1 9 82
95 _ 29 6 4p 86 8004 29 _ 85
1406 _ 36 9 95 64 36 m 13 93 "
17 _ 48 11 98 39 _ 14 ^M 94 ^
n i 11 2004 54 16 m~ 97
47 52 21 14 62 m 21 _ 99
54 _ 64 41 18 63 _ 31 ^ 2601
55 -* 55 43 11 mm 66 mm 37 _ 8 404
58 *o# 56 -* 44 36 74 _ 40 mm 15 64
61 64 59 46 49 _ 75 m 48 i n
69 69 49 58 _ 83 mm 50 33
70 61 50 Htt 61 67 68 38
73 65 * 59 M 63 1806 64 46
82 ^ 81 65 i 64 m 9 104 66 49
84 96 70 71 _ 10 64 71 SI
87 1710 E 71 _ 75 15 7 54
56 1 n 1
MS. PREMS. NS. PREMS.
2657 64 2831 64
60 38 *0|
77 42 64
82 59
83 68
87 I4 75
92 64 85
93 *o* 90 mm
96 64 94 *"**
98 98
2703 _ 2900
9 1
10 ma 4
13 . 6
18 mm 9 04
21 14 64
23 21 904
25 22 64
33 23
36 27 44
42 104 28 64
57 64 34
63 37
73 38 _
75 46 mp
79 48 104
80 49 64
83 1004 63
87 61 V
91 58
94 M 61
2804 m 64
11 __ 73 "~
11 f 87 ~
19 64 W ""
21 91 <
16 98 c

I ,



n
Diario da Pernambuca Cirila feira 6 da Jim no da 1874
ASSEMBLA geral
UCTOS DO RELATORIO DO MINIS-
TERIO DA FAZENDA
ORCAMENTO DA nCCEITA
(Conclusao)
Etidenlemente os fins da instituido da
rtearliQio das hypothecas nio sio consegu-
aos: o prazo uimiamenta curto, a contri
svgao sopportada pelo devedor excessiva,
*, os aaroria do; casos, superior s forcas
a proJacgio. O lavador v com terror
approxmar-se a pocha do vencimento da
atea bjpoibeca, q'ie o colloca a uierce do
redor.
A irregularidad^ cora que em geral ha
sido feito o pagamento das prestieSes de
joros o amortizaQo devida sacrificios
toe aggravam a posicSo do devedor e a que
sopara sniente aquellos cojo debito re-
bufamente inferior ao valor da proprieda-
de btootbecada. Sao os comraissarios da
fraca que, com a mira as futuras colhei-
m,forncea) ao lavrador os recursos de que
neeessHam pira a satisago de seus empe-
sbos no baoco.
Este estado, porm, nao pode durar
per muito lempo; a deficiencia de urna co
berta, qual a do anno paasado, bstanle
para constituir a divida em mora, e coagir
por ventara a administrado d) banco a a
Tr talar sjus diretta* centra o devedor, afim
ile acaut8lar os iuieresses do estabaleci-
er.tr >
infezraen'e, o quadro de cripto Dio
esagerado, mas sim representado fiel do
actos! estado re cousas.
Nao feudo a iniciativa e animagas da lei
le z\ de satembro de IStl conseguido a
realizagi > de ostabelecimentos da crodi'.o
real, narcos que podara emprestar a longo
aun cora juros mdicos, nio sendo de es
perar que eiles lio cedo possam fundarse,
sem o poderoso auxilio da assocag3) dos
propnos interessados, o sem grande saci
Sci> pata o estado, p3rece-ma que a idea
ora offerecida pelo Iliaco da Brasil de ve
merecer-voa o mais favorvel acolbimento.
Prop&e se elle a conceder ama reduccao
oos encargos de seus empreslimos lavou-
ra, dilatando ao mesmo tempo o prazo do
reembolso total, mediiute guias vanta-
gens*que o babitem a 9upportar a diminoi-
f*> de lucros que daai Ibe provir, e Iba
dm torapo para executar as novas opera-
dos.
A redcelo pYoposta consiste em limitar
o joro a 6 7o. e a amortizado a igual por-
reatagem ; o prazo do pagamento ser es-
pagado a 12 annos, dobro da qua preseale-
aeente re exige. O beneficio real, eo
banco bem o demonstra e justifica as se-
grales observaces :
Segando clcalos razoaveis fundados
aa observado dos fados e na experiencia
dos-nossos acunes estabelecimentos agr-
colas, a lavoara em estado normal produz
a miia liqaida de 6 % da capital incor-
orado aa trra, machioismos e uniros ras-
ramentos de tr,l>a!ho.
Ora, estipulando as leis de 1864 e de
1866 como mximo dos empreslimos 50%
do valor da propriedade do mutuario, cla-
ro que este poder destinar para joros e
amortiza.Ib urna annuidade at l % do
talor emprestado, qae constilue a sua di-
?ida.
t Compotando se em 6 % para jaros e o
restante para amortizado, conservada inal-
leravef aqceila annuidade, a divida estar
utineta no praio approximado de doze an-
aaa
Por lal forma resolve-se tanto qaanto
possivel a problema de emprestar lavoara
capitaes a jaro nanea maior de 6 % com
amortizarlo lenta e desassombrada.
E' a laxa de jaros e o prazo de con-
trato mais favoraveis a OJM a lavoara p 'e
aspirar 111 especiaes c rcuinstancias do paiz:
onciliam-se assim a modicidade da taxa dos
joros e o maior prazo do emprestimo, e re-
solve se a difficuldi.de de taes operaces de
crdito, qual vem a ser, comninar-se os
dous termos d> pagamento de juros mdi-
cos e de amortizado lenta do capital.
O lavrador, certa de que no periodo
de doze annos ter saldado o sea debito
mediante o pagamento de urna annaidade
qae conlm-se as torgas da sna producc5o,
cobrar animo, trabalbar desassoonbrada-
ente e melhorar o patrimonio qoo ha de
kgar a seu? fllhos, livre de onos.
Em reciprocidade das vantagens qae pro-
mette, e como condices essenciaes para le-
va-las a effeito, pretende o banco : Io, qae
se alargue o prazo de sua durado mais U
annos; 2o, que se Ihe permita completar
o resgate de seus bilhetes, nio na propor-
cao de 5 %, como o tem feito at hoje,
mas na de 2 1/2: 3", qae se facam algu-
nas alleraces' na lei hypothecaria de 2i
de setembro de 1864, e no prazo marcado
pela de 15 de setembro de 1869, relativa-
sento s vendas judiciaes de escravos.
Pelo decreto de 23 de novembro de 1866
a doracSo do banco foi prorogada at 1886 ;
pela proposta, qae asseata em motivos
anlogos, porque trata-se de entender o pra-
so das obrigaces existentes e de conceder
notos emprestimos por 12 annos, aquella
erorogacio ser levada at ao anno 'de...
*900.
A retirada mais lenta do restante dos bi-
seles em circalaco tambem nada casta ao
tbesouro, e nao incompativel com o que
eiponho e soggiro quando trato domeio
colante, por qaanto essa circolaco
local, j est restringida e continuar em
progressSo decrescente. Qaando tenhamos
e restaurar o systema monetario em con-
4c5es normaos, fcil ser ao governo um
accordo com o banco para extinguir de todo
a emisso deste oa torna-la conversivel em
Bttlal.
Annoindo, porm, referida condic3o,
rficonbeco qaanto ella vantajosa ao banco,
porque augmenta-lhe o favor concedido pela
lei de 12 de setembro de 1866, no qae
re'peita ao gozo da emiss3o anterior; e|con-
sequentemente entendo qae o beneficio offe-
rectdo lavoara pode ser maior, reduzin-
do se a 5 % o jaro qae esta deve pagar, e
atetando se a taxa da amortizado a 7 %
A elevarlo desta segunda taxa accelera a
xtracc3o da divida no interesse de ambas
, as partes, e n5o augmenta ao detedor a
somma dos encargos annnaes, qoe ser3o
ainda de 12 */ como propbe o banco.
As alterarla* solicitadas na lei hypothe-
sar e oa de 15 de setembro de 1869 me
parecen igualmente admissiteU.
Pede o banco qae, i Dio ser abolido o
pDBcipio da adjadicaclo forcada ao credor,
pelo menos se restrinja a sos applicac5o,
eiceptaando os estabelecimentos de crdito.
evidente qae o rigor daqaelle principio obrH
gj o baoco a om novo desembolco, qaando
o valor dos beos bypothecados excele a di-
vida, e que por esse modo vai elle em cada
execncSo iinmobilisando orna parte do sea
capital em propriedades terrtoriaes, qae
n3o sao de fcil allenacSo.
Solicita outrosim que se d algum direi-
to de preferencia, mesmo no caso de oTe-
recer menor preco, ao comprador qae lici-
tar pala propriedade inteira, isto sem a
separac3o dos bracos que a tornam apro-
veitavel. Tal desmembramento aggrava a
|io:i;o do credor, porque ainda por muito
tempo as trras e fabricas raraes valer3o
especialmente pelos agentes pessoaes eq? elles a irezentos pastos da cidade, janio
pregados na sna cultura, e, pois, com a se-
paraco destes. perdem muito do sea valor,
qaando o3o ficam de todo inatilisadas.
LITTERAm
... -
i|iscm fez o mal que o pague.
T >da a tftloria parcipa do
romance.
Todo o romance participa
da hiii>p?..
Fabraquer.
MOTIM.
Ao declinar d'uma bella tarde no anno
de 1357, o povo.de Sawltaa, formando na-
raarosos o compactos grapos, en ;liia a pra-
ca dacstoedial. O motivo d'aquelle ajun-
lamento era a grande escassez de p3o que
ha dous das se saeta na cidade. Os pa-
deiros d3o podiara ministrar o suflkient-
para alimento de toda a populacao. O pre-
go do trigo era excessivo. E assim succe-
dia porque varios monopolistas e usurarios
tinbanwe asseohnreado- de todo o trigo,
com o proposito de promover molins con
Ira o rei D. Pedro a favor de sea irm3o, o
cradede Trastamara.
O corregador, conde da Herrera, qaeji
recaiava motins e desordens, para as evitar
fez con la'ir dos povos vizmbos cargas de
trigo suficiente para abastecer a cidade por
algnna das ; mas os agentes secretos de
I!migas e de Gutirrez, ricos negociantes
heoraicos e partidarios acrrimos do bas-
tardo, compraram a maior parte delle, fi-
c ni 1o deste modo o povo outra vez sem
recursos.
Por vexes o corregedor, seguido dos
aguazis, pedir ao povo que se disparsasae,
mas todos os estorbos foram innteis, e mal
se dispersavam algons grapos formavam-se
ootros, qua rtsistiam asrdeos da autori-
dade com arrogancia, desprezando-as.
O conde Herrera, vendo a attito.de bostil
do povo, retiroa-se para reforcar a sua
gnarda de aguazis com os archeiros do pa-
Lcio.
A sua retirada foi o sigoal para que esta-
lassa o tumulto.
Por toda a parte se ouviam b'asfemias e
itnprecarijas contra o corregedor; as mu-
bares no meio dos grupos instigavam os
horneas ving-aoca, mostrando-lhes seas fi-
Ibos, qaasi morios de fome, gritando com
desespero :
P^o pSo I queremos p3o I Eram
os clamores qae mais ss ouviam. Do cen-
tro de nm gropo.aoade se discuta com mais
calor, dastacou-se um moco de cerca de
vinte e dous annos, chamado Velasqeez,
ten lo na pbysionomia pintada a fome e a
desesperado.
Irmaos, disse, dirigindo-se ao povo :
necessario apoderaimo-nos das padarias
aonde se esconde o p3>, apossemo-nos d'elle
e j, que os nossos filbos morrem de fo-
me. A os padeiros, am;gos Levemos pao
ao ranos para nossos fi'nos : nada de rou-
bos nem de ptlhagem, paguemos todo pelo
sea justo prego e n3o por aquello qae os
jadeas e adroes nos exigem.
Sim, sim aos paleiros, respondea
o povo enthasiasraado.
O povo espalbou-se logo pelas ras, dan-
do morras ao corregedor e aos padeiros,
e gritan lo : p3o pao 1 pao I
As pa larias foram invadidas, mas poneos
ti vara ra a fortuna de alcanzar um pao. Os
granis dos padeiros, aonde se dirigiram,
estavam exhanridos, porque era sobidissimo
o prego porque podiam alcanzar o grao, e
por isso at tinbam parados os criados das
amassarias, nSo tendo qae Ihes dar a fazer.
O povo, tendo os granis e armazens
vazios, comprehendea qae n3o Ihe restava
outro recarso mais qae esperar a chegada
do rei, para qae puzesse termo a tamanha
calami lade. El-rei D. Pedro I de Castalia.
a quam os historiadores d'aqaelle tempo ca-
lamaiaram com o epitbeto deCruel,-e
a qaem o povochamavaJusticeiro, devia
ebegar na manha s'gainte, de volta de
ama expedido qae emprebendera contra
os mouros rebeldes de Granada.
O joven Velasquez fez correr o boato da
chegada do re, e o povo, qae tado espera-
va de sua iaHexivel juslica, relirou se, sem
qae no motim houvesse orna s gotta de
sangue derranado ; por mais que os par
tidarios do bastardo se esforeassem por ios-
tiga-lo vinganca nada poderam conseguir;
a voz do honrado serralheiro Velasquez leve
mais infloeocia no povo qae as promessas
dos enviados do conde de Trastamara.
As pracas e as ras bem depressa fica-
ram desertas e tranquillas; s n'ama ra
estreita e solitaria, ao reflexo de urna lam-
pada que aiumiava a imagem da Virgem, se
viam dous embocados que fallavam em voz
baixa; daas loogas espadas deixavam ver
as ponas pelo remate das capas; um d'el-
les representava trinta e quatro annos de
idade, e pareca bomem de carcter forte e
aguerrido ; calfava bota comprida, nsava
espora de ac, e no chapeo ostentava urna
ploma preta. O seu companheiro teria
qaarenta e cinco a cincoeata anuos, apre-
sentava-se mais ricameate vestido, e mos
trava pertencer i nobreza. Eram emtssa-
ros dos rmlos bastardos do rei.
Qae tens feito, Nano ?
Qaasi nada, senhor, o poto retiroh-se
e espera a chegada do rei.
Mas, n3o foi suficiente o ouro que
distribuste?... Falla, estou com impa-
ciencia por saber todo, porque tenbo que
sabir de madrugada a dar contas a D.
Pradiqoe, qae espera com anxiedade o re-
sultado do motim.
Tudo ia4muito bam ao principio ; inci-
tados por mim, reuniram-se na praca os po-
pulares, saqaearam algunas padarias, e j
se iam lacear ao corregedor, qaando a toa
de um maldito ferreiro, oVelasqoez, os con-
teve, e esperam a ebegada do rei, que lera
lugar amanh'a.
Neno, preciso que amanh des-
aooaree* esse bornea, viva Daas, que per-
Nao tenba receio, mea senhor, tenbo
a adag bem abada: amanbia, ou o ferreiro
ha de morrer, ou eu.
Moito bem, Nano. Pega n'esta bolsa.
abi tens dinheiro bastante para reunir*
gente. Anda com coidade e viga se o
nosso plaoo se descobre. Ji sabes. Pela
ama hora da noute espera-me em Carmo
na, junto igreja, na casa do mestre Ro-
mero. Para saber se chegasta ou n3o, na
porta da igreja faze orn croz com o tea
pnnbal. Nao te esqoegas. Em caso da pe-
rigo espera as miabas ordens. O- cavallos
estam promptos ?
Meu irm3o, Agostinho, espera com
Cruz do Campo.
Nano, aneas, n3o es cuecas
O velbo embucou se na capa e
l
sigoal.
rigi se
a passes argos para as portas da cidade.
Nono foi segaindo-o com a vista, e quaodo
deixoo de,ouvr se o ruido que faziam as
esporas do camiobaote, exclamou :
O Sr. Conde paga bem e com gne
rosidade, por isso ba de ser bem servido
O ferreiro ha de ir fazer companhia ao seo
amigo Fernando, de qoem herdei a adaga
que n'el.e experimentaren Em caso de
perigo a cruz ba de ser graade. Elle co
nbece bem o sigoal.
Dea ama gargalhada e mettea se n'ama
casa contigua ao logar em qae esleve con-
versando.
Dorante a conversado anterior um ho-
mem embocado em looga capa aproximara
se sem que fosse presealido e oavio lado
Varias vezes, oovindo pronanciar o nonia
de Velas juez, fez brilbar a fotha de um
agudo punhl.
Qaando se fechoo a porta da casa para
onde Nano eatroa, disse o embocado :
Boos proposito), Sr. escudeiro I Qoe
rendo Deas, bao de cumprir-se com alguma
variar;ao ; o ferreiro ba de matar D. Nono,
e o sigoal tambem o ferreiro qae o ha
de fazer, acompanbado da algons aguazis. e
por ordem do sea re, o Sr. D. Pedro I de
Castella.
Oaviram-se n-aquelle momento as doze
badaladas da meia noote.
Vamos ver Mara, a filba de Joo Pascoal,
qae j ha de estar impaciente. Mas louvado
seja D ;us qae devo a vida a esta entrevista.
Embucou-se na capa e desapparaceu pelas
estreitss e tortuosas ras de Sevilhi.
II
J0A0 PASCOAL.
, No extremo do bairro de Tana, e cami-
oho deJCastillega, (morara um honrado la-
vrador chamado Jo3o Pascoal. A sua casa
era decentemente mobilhada. e, apezar de
ser bastante tarde, ainda havia luz sobre a
masa, e ao lado d ella sua filba Mara, sen-
tada n'uma cadeira, lia um litro devoto,
mas no seu semblante mostrava-se a impa-
ciencia ; de quaodo em quando ebegava
janella e applicava o ouvide afim de parce-
bar o menor raido. Joio Pascoal, seu pai.
sentado o'oma grande poltrona, forrada de
pella, segua cosa a vista os passos de Mara.
Da repente fez nm relampag o a vio-se o
som de trotos, a moca beazeu-se devota-
mente e aproximou-se janella, aonde a
chuva bata com vioLocia nos vidros.
Qua noute to horrorosa, meo pai I
E Velasquez sem apparecer I Que Iba ter
succeddo ? Ha tres dias que o nao vemos
e, todava, o sea amigo Jorge disse-nos esta
manbSa que antes da meia noute estara
aqui. Estou com moito cuidado, pois qae
sao j mais de daas horas. E elle qoe nao
vem porque alguma cousa Ihe succadeu.
Mmlia filha, n? podara vir esta noo-
te. Elle moco e valenta e estou qua nao
Ihe succoderia mal algum, porque elle tem
o cuidado de andar armado.
Mas, o pai bem sabe que muito pe-
rigosa a passagem da ponte.
NSo tenbas .cuidado, minha filba;
amanha irei cedo cidade e sabaremos
positivamente a causa da demora. Agora
bom ser que ta deites e descanses. Voo
fechar as portas da janella ; a bumidade qae
entra pelas frestas poda |fazar-te mal.
Levantava-se para fazer o qae dissera,
qaando o dte ve o ruido de um galope,
Oavio-se urna forte pancada e JoSo Pas-
coal den um grito : um cavalleiro qae
cabio do sea cavallo; d-me o chapeo que
vou soccorre-lo.
A filba assim fez e elle sabio precipita-
damente.
Ponco depois tornou a entrar acompanba-
do de um gentil hornera, moco, mostrando
ter pouco mais oa meaos trinta e dous
annos, com os seos vestidos riqaissimos
todos molhados pela chuva e cobertos de
lama, que se deixou logo cahir sobre urna
cadeira, desfallecido pela fadiga e palo can-
saco.
JoSo Pascoal apressou-se a accenderfogo
e olarecea ao cavalleiro um copo de vinbo
para que recoperasse as forcas.
O cavalleiro bebeu-o de nm s trago e
aproximou-se ao fogo para seccar o fato.
Obrigado, meu amigo, disse estn-
dende a mo a Joo Pascoal; sem o seo
auxilio nao sei como teria passado a noute.
A dez passos da sua porta cabio o meu ca-
vallo rebentado, e sem o soccorro que me
den n3o sei o qoe seria.
E era nm bello cavallo Dava-lbe
ter costado caro t
Era de pura raga cordoveza, foi pre-
sente de mea irmo.
Para que o pobre animal morrease
era preciso ter andado muilo I
Dez leguas em tres horas sem descan-
co algum. Tinha precisSo de ebegar a Se-
vlha esta noote ; mas este maldito soccesso
ia-me impedindo de o conseguir; logo
que deseance um pouco e se enxuguem os
meus vestidos continnarei o meu camioho
Creio que n3o faz bem ir a estas ho-
ras pelas ras de Sevilba, porque se expoe
sem dovida a encontros com algum amo*
rado ou espadachim, qoe, na volta de algu-
ma esquina, Ihe pregue orna estocada.
Isso n3o me intimida, o meo braco
forte e a minha arma da melbor tempera
de Toledo.
Mas ninguem se Hvra do panhal alai
voao pelas costas I Bem se t qoe o se-
nhor nao de Sevilha. Todas as manblas
os agoasis d9o com algum cadver de pee-
soa assassina Ja dorante a neite, de modo
que j ao anoitecer se nio pode passar pe-
las ras sem perigo de vida.
Mas o corregedor e os aguazis bio de
prender no da seguinte o criminoso.
Repito o que Ibe disse: o senhor nao
conhece Sfvilha. A maior parte deseas
mortes, desses assasaiaatos, s3o feitos oa
promovidos pelos nobres, qoe ordinaria-
mente ficam impunes. Se en fosee corre-
gedor, pelo menoi viole e qualro bocas.
Que faria entaj qoe nio faz o conde
Herrera ?
Tomara as miabas medidas e um
castigo exemplar faria cessar essas desr-
deos ; e por isso soa partidario d'el-rei D.
Pedro, que Daus giarde.
Dizeodo isto, Joio Pascoal, ao mesmo
tempo descobrio a cablea em sigoal de
re

ioflexivel, os povos o deaomiaavam justi-
ceiro.
Oa cruel, disse o cavaleiro, sorrin-
do-se.
Nesta momento duas pancadas porta (i-
zeram sabir Miria da sna distraeco; cor-
rea precipitadamente a abr-la, e entrou o
ferreiro.
To tarde! Taos-nos dalo moito
cuidado. J pensavamos que ta teria suc-
ceddo alguma coasa, disse Mara.
Nio, Mara, ms poderia succede/-
me. Logo te cont. Vou primeiro cum-
primentar ten pai e aquello cavalleiro, e de-
pois seotar-me ao p~ do fogo para enchqy
gar; mesmo porque estou morrendo com
fri.
Miria tirou-lhe a capa e collocou-a junto
ao lum?, dando Iba oatra da sau pai para
que se agasalhasse.
Jalguei que a3o podara viresta noite,
Sr. Joio Pascoal; grandes novidades tem di-
vido dasde qae nos alo vem >s ; o povo
amotinoa se esta maobia, padialo pao, e s
sa acalraou saben lo qua o re> chegava araa-
nhaa, circumstancia que salvou a vida ao
corregedor. DepoU, jj qaando vinha para
aqui e ouviado urna esqoina pronunciar
o meo nome a dous embm; i los, escutei e
cube que trata va m nada menos do que de
rae matar, porque pude comer o motim de
boje. Fallarara tambem de outros assump-
tos mais serios que depois exp'icarei.
Eolio, coi reste muito parigo? disse
Mara, assastada.
Gracas a Deus, Mara, posso dizer
que' te devo a vida, pois sa me n i tivesse
.dirigido por aquelle sitio para vir fallar-te,
talvez qae amiabia ou depois os aguazis,
fazeado a sua ronda matutina, encontrassera
o mea cadver. Nao ser, porm. assim, e
este seohor talvez que sej da cortee possa
dizer ao re qae um seu fiel vassillo deaeja
v-lo e fallar-lbe por algnns momentos, na
certeza de que elle nio na de fi;ar descon
taote da conversa.
Juro-lbe, respondeu o cavalleiro, que
amanha ha de fallar ao re.
Seobores, j tarde, disse Jola Pas-
coal; todos devem estar fatigados e precisam
repouso. Maria j arraojou o lea miarte,
Velasquez; e a este cavalleiro ofereco a
mraba cama, qne qaanto um pobre lavra-
dor pode offerecer ; mas o qaa offereoo
de boa vontade. Passarei o resto da naile
nesla cadeira, e logo qae amanbeca deaper-
tarei a todos.
Mara dea um beijo na testa do pai e re-
lirou-se para o sau quirto ; Velasqaez ac
cendiui orna luz e dirigi se para o qaarto
que Maria Iba preparara; J)3> Pascoal
acompaahou o cava leiro soa alcova, e ao
despedir se disse-lhe este :
O co Iba racorapansa a hospitalidade
que ma deu. Perienco ao servio do rei
D. Pedro, e se alguma vez precisar alguma
coasa da corta, all me encontrar.
Muito obrigado; s Ibo peco qae me
perde se o offeadi, quando fallei da no-
breza.
Pelo contrario, gosto que todos assim
pensem.
Jlo Pascoal fechoa a porta, apagn a
lu, accommodoa se na cadeira, e d'abi a
poueo resonava profundamente.
III
A EMRADA DO REI.
Pela madrugada Jo3o Pascoal avisoa o
cavalleiro e o joven ferreiro, como promet-
iera no dia anterior. O cavalleiro ao des-
pedir-so de Velasquez disse-lbe que fosse ao
palacio pelas daas horas da tarde daqaelle
mesmo dia, qae o apresentaria ao rei. Ve-
lasqaez promettea ir, e rogoulhe a permis-
sio de o acompanbar sua casa. O caval-
leiro recasoa ao principio, mas s reitera-
das instancias do moco annuio a qae o acom-
panhasse at a entrada da cidade. Despe-
diram-se de Maria, de seu pai, e tomaram
junt is o caminho de Sevilba. Quando cha-
garam extremidade da ponte separaram-
ae, prometiendo o ferreiro comparecer as
duas horas na audiencia do rei.
Entrando na cidade para dirigir-se olli
cia, encontrn o sea amigo Jorge.
N5o vais hoje para o irabilbo, Jorge ?
Nao, mea amigo : hoje dia da foi-
ga, o rei deve cbagar ao meio dia, e pela
urna hora da tarde receba as deputacoas do
povo que Ihe vo padir para que ponha um
termo s calamidades qoe nos afll gera.
Esta manbia j nos reunimos todos na offi-
cia e fui nomeado para representar o gre-
mio dos ferreiros. Adeus, que vou vestir-
me para me apresentar com alguma decen-
cia ao rei D. Pedro.
Apertou a m3o ao sea amigo e fo-se.
Velasquez-andou percorrendo as ras da
cidade, onde era mais viva a agilacio. Por
toda a parte se viam bomens e mulheres
que se dirigiam porta por onde devia
entrar o rei. Os nobres, montados em
bellos e fogosos cavallos, seguidos de seos
escudeiros, viam-se na precis3o de segurar
os freios das cavalgadoras, para que estas
n3o alropellassem os honrados artistas qae,
com os filbiobos pela mo, cruzavam por
toda a parte. As tarandos das casas por
onle devia passar a comitiva estavam ador-
nadas de bandeiras e galbardetes, as damas
as janellas esperavam com impaciencia a
hora emqoe o rei devia fazer a sua entrada
triumpbal com os valeates e aguerridos sol-
dados com que tinha abatido o poder do
orgolhoso rei de Granada.
N'am dos terracos da praca do Alcacar
baria urna moca que, pela sua peregrina
belleza, se destacava de todas as mais qae
a rodeavam; cbamava-se Dona Sol, e era fi-
lba do negociante Alsaa. Viva sempre re-
tirada por causa do genio triste e melanc-
lico de seu pai. Raras vezes sabia a pas-
tear, s a diariamente igreja acompanha-
da de ama dona que nao deixava se Ibe
approximasse moco algum. Ninguem poda
gabar-se de ter recebido urna resposta s
muitas cartas que Ibe mandavam. Naquelle
dia, Dona Sol estata formosissima. Os mo-
cos que por all paatavam dirigiam-lhe phra-
aes ama vea e delicadas, mas ella fazia-se
desentendida e entretiaba-se em conversa-
rlo amigavel com as saas amigas. Estas,
notando-lbe a indifierenca, diziam:
E' possivel que deixes sem resposta
esses mocos qoe se te dirigem ? Tu tens
alguera de quem gostas e alo nos queros
dizer ?
NSo, jninhas amibas. Ainda.nJo sei
o'ura convenio, nunca uve occasiio de o
conbecer. Ha dous annos qae sahi de li e
o3o teobo ido a passeios nem a reoniOas.
Qjaodo, de noite, minha janella contem -
po o azul do co e vejo relozir as suas
brilbantei estrellas, consi Jero-rae feliz. Se
alguma vez ouco preludiar os aons de um
ala le, a minha aia approxima-se janella
e a fecha. Vendo isto, o moco que o toca
ansenta-se e deixa-ncs descansar. Noco
nbeco senSo o amor de pai. E que ganham
as miabas amig s com essss chimeneas I-
luas do amor ?
Bem sa v que ests moito enanca,
disse-lhe urna das compaoheiras; sabes o
que o amor ? Nio sabes; pois olba : o
amor o maior prazer qoe o co nos con-
cede, a feiicidada de envjlia com a in-
qoataco que nos agita; o goso a par do
sofiYimento, mas a verdadeira felicidade.
Sam o amor todo oos o librente. Deu-
creod os anjos para qae o amassem, e quan-
do nos apparecemos no rauolo soraoa pri-
meiro amadas por nossos pais, depois rc-
tribaimos-lbes esse amor, at eocontrar urna
outra pessoa que nos ame e tambem a ame-
mos. Esta feiicidada torna se muitas vezes
um mal qaando o nosso amor nio corres-
pondido. Eo So om inferno que tamos
n'alma, um foo qoe oos devora e quo aca-
ba por nos consumir a existencia.
O qoe me dizes terrivel, Leonor, e
por isso dou muitas gracas a Dau> por n3o
ter conbeci lo o amor.
Tens raz3), pobre meniaa, pede a
Daus que nunca t'o faca conbecer.
Tu fallas, Leonor, como se j tvesses
conbecido o amor.
Sim, minha amiga, por desgraca.
Arae um mogo que era tambem um galhar-
do cavalleiro. Ao principio fui ternamenle
correspondida. Veio ver-rae ba seis mezes
e disse meque parta najuella noite para a
guerra con el-rei D. Pedro. Nunca mais
soube deile, talvez metenhi esquacido oo
teoba morrido. Esta idea alD ge-me e nao
permiti que socegue un momento.
As trombetas e timbales, e os gritos de
mea o rei! izaram-se ouvir naqaelle ins
Unte. Oj sinos das igrejas, repicando, aa-
naociavam que o rei D. Pedro de Castella
fazia a sua entrada triumpbal era Sevilba.
As mocas debrucavam-sa as janellas, e
Laonor aoenas poda conter a agitacjo do
seu peito. Flactnava entre a esperanca e o
receio. Se entre os cavalleiros qae vinham
com o rei nao visse o sea amante, signal era
de que tinha morrido.
Os gritos de viva o rei t approximavam-
se cada vez mais. Alina! appareceu a co-
mitiva. Mirchavam na frente quarenta ca-
valleiros montados em lormosos cavall oa
cordovezes, trazendo desfraldadas as ban-
deiras e trophos tomados aos mouros.
Esta brilbante companhia era commandada
pelo moco fi talgo o duque de Alboquerque.
Quando D. Laonor Mtnrique o reconheceu,
dan um grito de alegra. Elle turaprimen-
tou-a carraosamente, mostraodc-lhe a fa-
cha encarnada que ella Ibe bordara, prova de
sua fidelidade. Leonor esteva a ponto de
desmatar, mas as saas companbeiras e ami-
gas acudiram-lbe.
Son moito feliz! Nio se esqaeceu
de mim t
A comitiva segua o seu camioho.
Cem archeiros da guarda iam aps os ca-
valleiros levando no meio os captivos e pri-
sioneros sarracenos. O rei, seguido de
todos os nobres, ia mootado em formoso
alazio.
O povo victoriava-o iocessantemente com
os signaos da mais viva salisfacio. Dona Sol
e saas amigas agitavam os lencos saudando
o rei, que as fixou, agradecendo os cura-
primeatos com ligeira inclmacio de cabega.
Conde Herrera, qaem aquella lioda
moca ? perg ntoa o rei.
E' a filha do mercader AIsua.
ForflMH malher Parece-ma que
aio ha duas igaaes em todo o meu reiao.
E D. Mara Padilha ? disse um moco
que estava ao lado do rei.
Tens razio. J a ia esquecendo; cieio
que chegar amanh3a.
Cumpri as vossas ordens, senhor, e
amanhia. ao declinar da tarde, estar ao
lado de V. A-
Chegava a comitiva praca de Alcacar
qaando om moco que eslava collocado na
primeira fila deu um grito de sorpreza.
Era Velasquez, qoe reconbecera no rei o
cavalleiro que passara com elle a noite em
casa de Joio Pascoal.
O rei tambem o reconheceu, e sorrindo
se, disse-lhe:
Aproxima-te, mago; proraetti-te bontem
oolte qne veras o rei, e compro a mi-
aba palavra. As duas horas vai ao pa-
lacio.
Senhor, talv9z nao possa l entrar, e o
qoe tenbo a dizer a V. A. de summa im-
portancia e urgente.
Nio tenhas cuidado: Conde Herrera,
manda franquear as portas do palacio, at
minha cmara, a este mogo.
Poucos momentos depois o rei apeava-se
porta do alcacar. Velasquez, rompendo
pela multiJao compacta qae enebia a praca,
aproximou-se, esparando ouvir as badaladas
das daas horas. Estas nao tardaram mui-
to, e Velasqaez entrou no prtico do pa-
lacio,
IV
0 ALCACAR
O conde de Herrera esperava entrada
de urna das salas o joven Velasquez. Lo-
go qua o vio, dirigiu-se-lbe :
Siga.me, qae o rei quer recebe lo ao
tes da audiencia.
Atravessaram varios corredores, e por
fino ebegaram a urna porta em que havia nm
reposteiro com as armas de Castella. Um
guerreiro armado goardava a entrada.
N3o se pode entrar, senhor, a or-
dem que tenbo.
Disse ao conde Herrera a sentinella que
estava da guarda porta.
Essa ordem oiio se estende para conti-
go, que aou o corregedor de Sevilha.
A ordem foi positiva para todos, me-
nos para o conde Herrera e um moco qae o
ha de acompanbar.
O conde aou eu, e eis o moco que me
acompanha e de quem se trata.
Peco perdSo, senhor. Cbeguei boje
da guerra com el-rei e por isso n3o conhe-
CO pessoa alguma. Tenha a bondade de ir
ao corpo da guarda, que apenas dista dez
passos daqul, procure pelo sargento, que
foi quem' me den a ordem, e, logo que elle
reconhega o Sr. conde, poder entrar sem
difficaldaie.
O conde Herrera dirigise ao corpo da
guarda e encontrou o sargento, Pouco de-
pois voltea acompanbado por este, e, le-
vantando o rsoosteiro, entrou bm VUs-
O qaarto onde estata o re era esa dos
mais retirados do alcacar, A ana aaobtlii
componba se de quatro cadeiras de eorro
com as armas de Sevilba gratadas oos en-
contos, ama mesa de neguera com pal
torneados, rematando, o p um garra de
lelo: urna lampada de ferro de quatro tri-
eos penlurada no tecto e ai paredes orna-
das com armadoras e instranaeotos de caca.
Naqaelle momento o rei estata conferen-
ciando com sea ministro e tbesoureiro Sa-
muel Levi.
Quando o conde Herrera e Velasquez
entraram, Levi levantou se. O conde ajoe-
Ihou, beijou com respeito a me do ra,
e apresentindo-lbe Velasquez, que em todo
imilou o conde, o qual dase :
Aqui tem V. A. o moco que me orde-
nou acompaobasse ; agora, se V. A. nio
determina mais coasa algama, retiro-me.
Pode retirarse e Samu;l tambem,
agora tenbo qua fallar com esie moco.
O conde Harrera e Samuel comprimen-
tarara raspeitoaamante o monareba e sahi
ram.
Estamos sos, disse o rei a Velazquez.
Agora podes fallar sem medo e d zer o qua
bontem noite nio confiaste a Jeio Pas-
coal por eu estar presente e nio saberes l
quem eu era. Falla,
Seohor. parde-me V. A. se bontem i
i"ita o offeadi com o meo silencio ; trata*
va seda vida da V. A., e om aegredo se-
melbaote nio se confia assim a orna pessoa
qae se v pela primeira vez. Disse V. A.
que era pessoa do servgo do rei e enga-
nou-nos, porque era o proprio rei; se em
vez do re fosse om partidario do conde
D. Fradique, o mea segredo seria preja-
dicado, e talvez custasse a vida do rei D.
Pedro.
Gosto da toa franqueza e prudencia;
dizes. porm, qae a vida do re est em
parigo ?
Nio s a vida, mas tambem o tbrono
seohor.
Explica-te.
Quaodo bontem noute ia para casa
de Joio Pascoal, depois do motim, doas
horneas n'uma ra estreita fallavam em voz
baixa: ouvi pronunciar o meo nowe por
casualidade e detiva-ma. Tralavam da
malar-me. porque contive a meus compa-
nbeiros. dizendo-lbes que esperassem a vio-
da de V. A. Isto sem duvida frastroa os
aus projectos, e por isso ma que.-em aca-
bar. O povo amotinou-se pela falta e cares-
ta de po, e ellas qaariam tirar partido
disso. Que Ibeimportavam as desorden e
o saque a qua queriam arra-tar esses infe-
lizes que pediam com justica a baixa oo
preco dos cereaes ? Os projsetos sio gran-
des ; Carmooa o loco da conjuradle ; o
sigoal urna cruz na porta da igreja; o
escuro nao me deixoo coabecer um dos em-
bocados, conhego porm o outro, aquelle
que se comprometea matar-me.
Muito bam. Fizesieme nm grande
servigo com a descoberta desse trama in-
fernal ; meas irmSos bastardos qaerem
usurparme o tbrrao, e nio dexain nm
momento de tranquillidade ao povo. Ea oa
farei socegar por urna vez, mas na cova.
Agora pego-te o maior segredo. Es moco e
valente, queres servir-me ?
Senhor, oo que fiz s cumpri o de-
ver de bom tassallo de V. A., e se mil vi-
das tivesse dal-as bia todas para salvar
urna s gota de sangue do meu soberano.
Agradece: boje, pela meia noute,hora
designada para a conferencia, bas de estar
em Carmooa coma segundi companhia dos
meus archeiros, de qaa la fago capillo.
Nio quero que um s dos conjurados fique
com vida, nem ainda meus proprios irmlos.
Agora vai casa do honrado Joio Pascoal,
lraze-o, e hora da audiencia entra com
elle no sala. Vai.
Velazqoez incln u-se, dobron o joelho,
beijou a mi do rei e retirou-se.
rei, ficando s, deixoo-se cahir sobre
urna cadeira, e exclamou :
Sim, a historia, depois de minbamor-
te, ha de chainar-me cruel. Meus irmlos
tem a culpa.
Um pagem entrou para annoncar qaa
os gremios do povo estavam ji reuaidos na
sala da audiencia.
O rei levantou-se precipitadamente di-
lendo :
> O povo pede-me justica ; bid tai a.
V.
A VARA B0 CORREGEDOR.
Os depotados nomeados pelo povo espe-
ravam no magnifico sa!3o da audiencia a
chegada do rei, que nio tardn a apresen-
tar-se.
Qae me que re m ? disse algum tanto
irritado, sentando-se na cadeira collocada oo
estrado do docel.
Senhor, disse um dos commisona-
dos, adiantando-se e pondo o joelho em
trra, nomeados pelo povo, pedimos a V.
A. providencias para a horrivel caresta de
pao que nos atormenta. Os negociantes e
usurarios teem feito monopolio de todos os
cereaes qoe vem ao mercado. O povo nio
pode comprar o pao necesario a anas fami-
lias ; e por isso pede a Y. A. providencias
para que os mercados sejam abastecidos a
nao Iha falte, nem a seus filbos, a precisa
alimenlago.
Naqaelle momento entraram Jlo Pascoal
e Velasqaez. O re, logo qae os vio, orde-
nou que se aproximassem.
Joio Pascoal dirigise tremendo aos de*
groa do tbrono, julgando ter incorrdo
n'alguraa falta grave e no desagrado do rei.
Velasqaez nio Ibe dissera cousa alguma
absolutamente do que passira com o rei,
nem mesmo que era o proprio hospede da
noute anterior. Nada Ibe disse tambem da
sua nomeagio para capillo das guardas.
Alm de ser bomem prudente, entenda qne,
para o golpe qoe medita va para a meia nou-
te, todo devia permanecer em aegred),
mesmo para, o pai da molher qne amata.
. Joio Pascoal nio oosata filar oa olbos
o rei, om medo terrivel se Ibe apoderara
de todos os membros, mas o tea terror
sabio ao ultimo ponto, reconheceodo no rei
o hospede da noute anterior. Veio-lbe na-
quelle momento imagioacio a liberdade
com que Ihe fallara e receiata por isso al-
gum castigo.
Aproxmate, Joio Pascoal, nio recetes
cousa alguma, disse o rei.
Estas palavns tranquillisaram algum tan-
to o honrado lavrador, o rei centmaoa
dizendo-lhe:
Este poto qae ah vea vem pedirme
providencias para qae os mercados sejam
abastecidos. Segando hontem te oati, se
fosses corregedor, n'am s da abasteceras
cidade. m
(CoMier-#-*.)
'



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E946LRV20_NRBAI0 INGEST_TIME 2013-09-19T21:44:35Z PACKAGE AA00011611_13105
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES