Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13100


This item is only available as the following downloads:


Full Text
'**
fiNNO XLVr. NUMERO 170.
\
i

03U
PAA A CAPITAL E LUGARES OIDE IAO SE PACA FOftTK.
Pflf tres mezes chantados.......... ....
se ditos .ea...................
i..........,..........
amero avalso...................
/vafe
30 DE Jl
60000
125000
4,5000
399
g#^
PARA DENJEO E FORA DA PKOVHCLL
Por tres mezes adiantados..............
Por seis drtos idea.................
Por nove ditos dem................
Por um auno dem................
637(1
204430
27*000
MARIO DE
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.

*-
SAO ACHOTES:
Os Srs. Gerardo Antonio Alves d Filbos, no Para ; Goncalves d Pinto, no Maranho ; Joaqnim Jos de Oliveira, no Cear ; Antonio- de Lento Braga, no Aracatv ; Joo Mara Julio Chaves, no- Ass ; Antonio Marques da Silvay no Natal; Jos Justino

Pereira d'Almeida, em Mamangnape; Antonio Alexandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, Da Villa da Penh; Belarmino dos Santos Bolcao, em Santo Anto; Doiaiagoe Jos da- Costa Braga,
em Nazareth ; Francisco Tarares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alves, na Babia ; e Jos Bibeiro Gasparinho no Rio de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
Cioinotamlo das armas.
JOARTRL-GENERAl. DO COMMADO DAS ARMAS NA
PROVINCIA DE FF.HNAMBl'CO, 2!) DE JLHO
DE 1870. .
Orden do da n. 4X2.
O brigadeiro commandante das armas faz pu-
blico para coaAeciinenlo da guaruico e devidos
fias.
* 0.UK a 6 seguio para o presidio de Fernando
o Sr. I*cirurglu do corpo de saude do exercito
Ir. Joo Hunorie Bezarra de Menezes, n qual no
da 10 assu.uioalli a direccn da enfermara mi-
litar, segundo constou do ufllcio do respectivo
commandante de H, tudo do corrente.
1* Que por ponari.ijde 8-do crreme a presi-
dencia conceden ao Sr. alferas em commissao do
<-orpo n. 46" de voluntarios da patria Antonio Flo-
riano de Mello, djus ir.ezes de licenca do eonfor-
midade com os arts. 5* i" Ioe 4" 2' do
decreto n. 3.'i79 de 3 de Janeiro de 1866 para con-
nnuuar a Iratar-se nesta provincia de ferimentos
recebidos em combate.
3.* Que a 18 do corrente o Sr. capito do 11"
.JiiUlhao de infanuha do exercito Manoel Joaquim
Bello rcsigoou o resto da lieeuca que obteve para
tratar de mm saude nesta provincia, afim de reu-
nir-se ao seu balalho.
5 Que por ofllcio de 20 do corrente a presi-
dencia eoncedeu ao Sr. capitao em conmisso do
1' baialhao de infantera do exercito Luiz Francis-
co de Paula Abuquerque Maanan permisso
para aguardar nesta provincia deciso do reque-
riuiento em que pedio ao governo trez mezes de
licenca para completar os restabelecimentos de sua
saude.
$.* Que a presidencia communicon por offleio de
i do crrente haver na mesma data designado o
Sr. capiao do 9* balalho de infantaria da guarda
nacional do municipio de Olinda Chrisiovo Rerei-
ra Pinto, para ir coihmandar o destacamento da
guarda nacional no presidio de Fernando, devendo
; mesmo Sr. capitn seguir para all no vap'ir que
teu de largar no dia 5 de agosto prximo vm-
douro.
Ouiro sim, determina o mesmo brigadeiro, que
na manbaaa do dia 1* de agosto vindouro se passe
Corista de mostra em seas respectivos qtiartei?, a
e mpanlia de operarios miliiares do arsenal de
. guerra e depsitos existentes nesta provincia pela
orden) seguinte:
As 6 1/2 a companhia de operario?, as 7 ao de-
psito especial de instruccao e as 7 1/2 ao dos re-
crutas.
AssignadoJoaqnim Jos Goncalves Fontes.
ConformeEmiliano Ernesto de Mello Tambo
c Filleesu ltimamente ,no disticto de Santa
Rita do Rio Abaixo, do* termo de S. Jos d'EI-Rei,
D. Anqa Marcelina do Almeida, declaraodo em sea
testamento livres todo, os seus escravos em nume-
ro de nove.
* -19
A cmara do; depniados occupou-se bontem
com a dis;ussao do parecer da Commissao de po-
lica sobre as indicaedes dos Srs. Teixeira Jnior e
outros Srs. deputados, revogando a ultima parle
do art. 151 do sen regiment interno, com a se-
guiole emenda ofterecida pelo Sr. Prannos Jnior:
Art. 3.* Logo qae estiverem presentes 40 de-
putados, o presidente declarar aberta a sessao e
em seguida entrar-se-ha na discusso das mate
has marcadas para a ordem do dia, as quaes so
podero ser sabmettidas votaco achando-se pre-
sentes a metade e mais um dos membros da c-
mara, como determina o art. 23 da constituicao.
Art. 4. Se al 11 horas da manhaa, as
sessoes diurnas, e s 6 1/ da tarde as noctur-
nas nao concorrerem deputados era numero legal,
o presidente declarar nao haver sessao, proce
dendo se em tudo o mais de accordo com os arti
gos 57 e 88 do regiment.
Depols de algumas observares do autor da
emenda o Sr. Portada offereceu o seguate reque-
rimento, cuja discussao ficou adiada pela hora,
lendo orado os Srs. Silva Nnnes, Andrade Figuei-
ra, Portella e Pinto Moreira :
c Requeiro que se julgue haver incoherencia e
absurdo no vencido, e se depreheode dos artigos
3." e 4. da redaccaa; e na forma do art. 149 do
regiment se entre na discussao da materia para
desfazer se o embarace
Continuou depois a 2.* discussao da proposla do
orcamento convertida em projecto de lei, na parte
relativa despeza do ministerio da fazenda. Ora-
ran! os Srs. uiinislro respectivo, Araujo Lima e
Alencar Ararpe, flcando a discussao eocerrada.
rmenlo que fo approvado, flcando encerrada a dis-
cussao do referido projecto.
Reqaeiro qae as emendas offerecidas agora, e
sobre que nao ha parecer, sejao remellidas com-
misso de instruccao publica. >
Approvou em seguida a proposta do orcamento
convenida em projecto de ei na parte relativa
a despeza do ministerio da fazenda, com a
seguate emenda do Sr. Cardoso de Menezes :
t Accreseonte-se -na verbadivida interna fun-
dadaa quahtia de 515:860*.
Tratou wm ultimo lugar da 2* discussao da re-
ceita geral do imperio. Oraram os Srs. Jon-
queira, Menezes Prado, mioistro da fazen-
da e Henriques, Meando a disenssao encer-
rada.
Por imperial resolucao de 14 do corrente foi
commutada na immediata a pena de morte em que
foi condemoado o soldado do extincto corpo pro-
visorio da artilharia Pedro Pires Teixeira.
No dia 16 de julho corrente qaarto annversario
da grande batalha de Tuyuly, dirigiram-se resi-
dencia do Sr. tenante-general Polydoro da Fonseca
Quintanilha Jordao, visonde de Santa Thereza,
alguns amigos e offertaram Ihe o seu retraU pin-
tado a oleo, omplotando assim a demonstracao de
estima e consideracito dada com o baile de o de
marco ultimo.
Reuniram-se hontera, em assembla geral, sob
a presidencia do Sr. conde da Estrella, ervindo
secretarios os Srs. Albino de Fretas Castro e
de
nro. tnente
detalhe.
ajudante de ordens encarregado do
INTERIOR.
IUO I J WIIICO
17 DE JULHO DE 1870.
hoolera sessao no senado por falta
Nao liouve
de numero legal.
A cmara dos deputados approvou hontem, de-
de orar o Sr. Ferreira Vianna, o requerimen-
to do Sr. Araujo Lima, pedindo inforinacoes ao
governo sobre os processos e prisao que soffreo
en Jaguarao o juiz de direiio da comarca de Pi-
raiioim. Severino Alves de Carvalho.
C mtinuou depois a 2.* discussao da proposla do
orcamento, convertida em projecto de lei, na par-
relativa despeza do ministerio da fazenda.
Irania os Srs. Duarle de Azevdo, Henriques e
Andrade Figueira, Picando a discussao adiada pela
hora.
Forsm offerecida* as seguiotes emeodas :
Suppri na se a de-pezi da 20:000000 do art.
". 5 li com gralilicacoes por servirs prestados
araordinarios, vi'io existir, alm da verba
Eventiiit-s a qaantia de iiOiOO'JjOOO no 15 para
gnitificaQoes por-trabalhos fra das horas do expe-
diente.J/. F. Correa.
< Suppriman -e os s 21, 22 e 23 do art. 7..
relativo ao iiantamento da ganintia de 2 % pro-
viofiaos estradas de ferro de Pernambuco, Ba-
tiia e S. Piulo ; e accrescente-se verbaGaran-
ta de juros s estradas de ferro -pertencente ao
ministerio da agricultura, a quardia de..........
i.00i:4o0333 em que importa a dita garanlia.
M. F. Correa.
Aos | 21, 22 e 23 accrescente-se :Ficando
remettida a divida provincial, e. devendo d'ora em
diaale correr a despeza p.ir canta dos cofres ge-
T. Alencar Ararpe.
F iran Umbem olferecidos os seguintes artigos
aJiiiliv.is :
A inesouraria de fazenda de S. Paulo (lea ele-
vada categora da 2.a classe, e a alfandega de
categora de 3.* ordem.Duarle-di Aze-
>> lo Paula Toledo.Floriano de Godoy.Joao
Meiuki.
t Ficam reduzdas a duas ordens somente as
lhe>)urarias de fazenda e alfanlegas das provin-
do imperio. A primeira comprehemler as
nnrbB da Baha, Pernambuco, S. Pedro, S.
i, Minas, Maranho, Para, Matto-Grosso e
Amazonas, o as-alfaodegas da corte, Baha, Per-
nambaeo, Rio-Grande do Sul, Santos, Maranho,
Para. Abuquerque e Manos; e a segunda as
mitras thesourarias e alfandegas existentes. Os
Milenios dos empregados das thesourana* e
alfandegas da primeira ordem sarao os mesmos
s jurara e alfandega de Pernambuco, excepeo
ilos da aKandega da corle, que eontinuiro a per-
ett>er os vpncimentos aclnaes, e os das thesoura-
rias e alfandegas de 2.* ordem os mesmos da the-
i .-turara de S.Paulo e Santos. A porcenlagem,
porm, dos empregados de urnas e outras alfande-
gas ser deduzida da renda da respectiva reparti-
^io, na mesma razo estabelecida por cada urna
delias. Esta disposeo ter lugar desde j.
r Fica extensiva a todas as outm thesourarias
de fazenda a disposicao do art. 40 do deoreto n.
736 da 20 de novemhj-o de 1850, e restabeiacdo
em cada urna dallas o lugar de contador.J. A.
Henriques.
Por earta imperial de 14 do correte, foi no-
meado oficial da ordem da Rosa S. L. Hymans,
igembro da cmara dos representantes da Blgica.
Por decreto da mesma data :
Foi agraciado com o titulo de barao de Guara-
puava o coronel commandante superior da guarda
nacional da provincia do Paran, Antonio de S
('amar go.
Foram noraeados: commendador da ordem de
S. Beato de Aviz, o ehefe' de esqaadra Francisco
"Cordeiro Torres o Alvim, e cavalleiro da mesma
orem, o !. teneote Jos* Hppolvto de Menezes
concedida a penso de 60I0G0 mensaes a
1). Mara Adelaida Martins Brando, vlnva do ca-
pitao de voluntarios da patria Antonio Manoel de
Almeida Brando. a qnal fica pendente de appro-
vacio da assembla geral.
-18
Chegon hontem do Paraguay no transporte Bo-
nifacio o 9.* batalho de infantaria, composlo de
39 offlciaes e 405 pracas. Aquartetou-se no edifi-
cio do ex-cartume em S. Cbristovo.
Sob o titulo de pbilantropia diz o Consejador
Minas de 13 do corrente
Bernardo Araujo. 45 accionistas do Banco Rural e
Hypolhecario.
Foi approvada a acta da sessao anterior, e en-
trando em discussao o relatorio e contas da direc-
tora, e o parecer da commissao de oxame e con-
sulta, relativos ao anno bancaro de 1869 a 1870,
foi este ultimo as suas conclasoes approvado,
quante primeira parte com dous votos contra, a
quanto segunda com um voto conlra.
Nao se tendo concluido os trabalhos, ficou adia-
da a reunio para hoja, ao meio dia, quando de-
ver ter lugar a eleicao de um director e dos mere-
bnn da commissao de exame a consulta.
Defendeu theses, hontem, na faculdade de me-
dicina da corte, e foi plenamente approvado o Sr.
Henrique Thompson, estudanle do fi. anuo da
mesma faculdade.
- 20
Pelo vapor inglez Newton, entrado hontem
neute do Rio da Prata, tivemos folhos de Buenos-
Ayres e Monievldo al 13 a 14 do corrente.
De Assumpcao recebamos tambem cartas at 3
que brevemente, publicaremos. Oecupam-se prin-
cipalmente com os succe-'sos de 29 qae nao passa-
ram de algumas medidas tomadas para evitar re-
bentase na cidade urna revolucao qne tinba ptr
fim, segando informales que o nosso correspon-
dente tem por fidedignas, derrabar e mesmo as-
sassinar os membros do governo provisorio. Sobre
1 resultado das e'eicces para a constituinte que
deviam fazer-se no mesmo dia 3 nada se sabia
aioda.
As noticias sobre a revalu^ao de Eoire-Rios sao
vagas e mesmo coutradictorias. Urnas conliouam
a dar Lpez Jordn a ponto de ser esmagado pe-
los planos estratgicos dos generaes argeolinos
onlras afflrmam que elle nao proeura senao o meio
do fazer chegar ao congresso a declaracao de seu
completo submettimento. Cintra esta asserco pa-
rece depor o facto de ter elle sabido fazer ebegar
aquella congresso urna nota de teor muito diverso
isto reclamando a retirada das tropas nacionaes,
nota solemnemente lida no senado ; e contra os
apuros em que elle se diz posto pela attitudc dos
generaes argentinos, tambem parece depor um
pouco outro facto, communicado ultima hora
pelo telegraphD para Montevideo a all publicado
pela Tribuna, que sobre oste ponto nao deve ser
suspeila.
Cusiste este facto em ter o mesmo Lpez Jor-
dn cahido com 2,000 homens sobre a Conceico
do Uruguay, tomando-a apoz um combato de 4
horas, depois de ter com a sua artilharia reduzido
a escombros a povoacao, passando a fio de espada
a guarnicao composta de. 250 homens, que f >ram
mortos on se rehderam, tudo isto sem que acudisse
o general Ribas, cujas forcas se diziam onstante
mente sobre a do caudilho entreriano.
Embora o facto em si nao seja de grande im-
portancia, mostra o pouco que valem as noticias
sobre o estado geral das cousas naquella pro-
vincia.
Entretanto a mensagera do presidente Sarmi-
nento ac congresso argentino sobre as medidas
para reorgauisar a adrninistraccao em Enlre-Rios
tivera parecer favoravel da respectiva' Tionrmissio.
Propoe esta que desconhecendo-se todos os pode-
res pblicos naquella provincia, se autonse a in-
tervengo nacional para que, vencida que seja a
rebello, reorganise alli as autoridades conforme a
constituido provincial.
No estado oriental pareciam as correras dos
blancos ter sido definitivamente transferidas para
o norte do Rio-Negro, d'onde se diz que o general
Caraballo sahira a campo ao encontr de Apa-
ricio.
_Em Montevideo pedio Bustamante a sua demis-
so de ministro do governo por
A cmara dos deputados approvou hontem, de-
pois de algumas observaedes dos Srs. Alencar Ara-
ripe a Duarle de Azevedo, o reqnerimsnto offere-
cid) na sessao anlece!nn|e a relaco do parecer
da commissao de polica sobre as indicacoes do
Sr. Teixeira Jnior e oulrns senhores deputados,
revocando a ultima parte do ari. loi do sen regi-
ment interno.
Entrando, pcrconseqnenci.i, em ora discus-
sao a materia argida de incoherencia e absur-
do nos termos do art. 149 do mesmo regi-
ment, foram o(Terecida< as seguintes emen-
das :
c Supprmam-se u art. 3. T. Alencar Ara-
rpe.
Subslituamse os arts. 3o, 4o e 5o pelos segua-
les :
Art. 3.* Se at as 11 horas da manhaa as
sessoes ordinarias e as 6 1/2 horas da tarde as
sessoes nocturnas nao concorrerem deputados que
preencham o numero de 40, o presdante decora-
ra nao haver sftssao nesse da nn noite, proc-den-
do-se em tudo o mais como delerminam o> arts. 67
e 68 do regiment.
t Art. 4. Achando-se, porm, presentes 40
deputados, pelo menos, o presidente os convidar
a discutir em commissao geral as materias dadas
para a ordem do dia, exceptuadas apenas as que
estiverem em ultima discussao. Os pareceres de
commissao e os requerimentus dos deputados po-
daran ser tilos e discutidos em commissao geral,
bem como os projectos sobre es obiectos de in-
teresse particular, que tero urna s discus-
sao.
Art. 5. A discussao em commissao geral
ser publica, podendo, porm, os membros presen-
tes, por maoria de votos, resolver o contrario; e
ter lugar no salo em que a cmara celebra suas
sessoes. No dbale, encerramento e duraco dos
trabalhos se obsorvaro as disposicoes regimentaes
osiabelecdas para as sessfles ; p dendo os minis-
tros de estado tomar parte ro debate, nos termo*
dos arts. 92 e 99 do regiment.
Art. 6 A votaco das materias que se dis-
curem em commissao geral, licar reservada para
a primeira sessao que se celebrar, cunforme o
disposto no art. 181 do regiment. Os trabalhos
da commissao geral terminaro, annunciando o
presidente a sua concluso nesse dia ou noite por
tor dado a ora, on por verificar-se a presenca
de metade a mais um dos membros da c-
mara.
Art. 7.* Logo que baja esse numero, o presi
nao Ihe querer o _
vice-presdente em exercicio conceder as medidas provincia a applicar a importancia de qne de-
propostas contra a imprenta. A dsmisso nao foi
acceita, e ltimamente o mesmo Bustamante a ret
rou, sem que se soubesse bem com qae coodiccoes.
Fallava-so,porm, em que o terrtorioda repbli-
ca ia ser declarado em estado de sitio.
Por decretos de 14 do|coroente foram agraciados
das deste metal, desmonetisando-se as moedas de
prata era cireulaco. >
t Os venetoientos actuaes dos empregados da
conladoria de roarinha e intendencia, igualados
w- doihesooro pela lei n. 4,214 de 20 de junbo
de 1868, ieam desde j na parte relativa grat-
ficacao equiparados aos dos empregados do the-
souro, sendo o mais considerado como ordenado.
LcmugoGaltSo.Benpmm.
Artigo. O governo autorlsado a mandar pro-
ceder aos estados necessarios para melhorar a
barra de Icapara, no porto de Igttlpe, provincia de
S. Paulo, despendendo a quantia necessana nio s
com laes estado?, como tambem com o melhora-
mento da dita barra.Joo Hiendes Duarte de
Aiereib.GodoyPaula Toledo.
Ficam desde j abolidos os novos e velhos di-
reitos estabeJecidos nos 1, 2, 3, e 4 da tabella
annexa lei de 30 de novembro de 1841.
t Se nao passar esta sub-emenda,- substituase
o artigo da commss'* pelo segomie
Fica desde j reduzido a 3 por cento o impos-
to de novos e velhos direitos estabelecidos nos
Io, 2, 3* e 4 da tabella annexa lei de 30 de no-
vembro de 1841, o qual, excepeo do dos offlciaes
de justica, ser pago na forma da advertencia se-
gunda da mesma tabella, proeedendo-se do mes-
mo modo .a respeto do pagamento dos emolu-
mentos. "
Suppriraam-se os 4o e 5o artigos additivos por
escusados vista do projecto da lei ltimamente
apresentado no senado sobre o mesmo objecto por
S. Exc. o Sr. ministro da fazenda.A. /. Henri-
ques. /
O governo fica autori>ado a conceder isencao
de direiDs de importaclo aos objectos destinados
ao culto divino e consumo da Santa Casa de Mi-
sericordia da Bahia, fixando en regulamento a
qualidade a a quantidade dos respectivos objectos.
Aruujo GesC. Dantas. Pereira Franco.
Fernandes da Cunha.Junqueira.Ual de Mene-
zes. Bonifacio de Abreu.TatpiesChaves.D.
Martins.Affonso de Carvalho.Goncalves da Sil-
va.Pinto Lima.
t Ficam rednzidas a dnas ordens somente as
thesourarias de fazenda e alfandegas das produ-
cas do imperio.'
t A primeira compreheuder as thesourarias da
Bahia, Pernamb'aco, S. Pedro, S* Paulo, Mioas, Ma-
ranho, Para, Matto Grosso e Amazonas, a as al-
fandegas da corte", Baha, Pernambuco, Rio Gran
de do Sul, Sanios, Maranhi, Para, Abuquerque e
Manos; ea segunda as outras thesourarias e al-
fandegas existentes.
i Osven:imentos des empregados dasjlwsoura-
rias e alfandegas da primeira ordem sero os mes-
mos que actualmente percebem os empregados da
thesouraria e alfandega de Pennambuco, excep-
eo dos da alfandega da edrte, que continuaro a
pnrceber o< vencimentos actuaes, e os das thesou-
rarias. a alfandegas de segunda ordem os mesmos
da thesouraria de S. Paulo a Santos.
A porcentagem, porm, dos empregados de
urnas a ontras alfandegas ser deduzida da renda
da respeCtira reparthjio, e na mesma razio erto-
belecila por cada urna della*. Esta disposicao lera
lugar desde j.
Fica extensiva a todas as outras thesourarias
de fazenda a disposicao do art. 40 do decreto n.
736 de 20 de novembro dn 1830, e restablecido
em cada urna deltas o ingar de contador.J. A.
Henriques.
t Fica o governo autorsao, mediante accordo
com o governo da provincia de S. Paulo, a tomar
a si a garanta dos dous por cento addicionaes que
aquella provincia concedeu companhiada es-
trada de ferro de Santos a Jtmdiahy, obrigando-se
Chores.Jnn-
, Fernandes da
vedora ao estado por adiantamentos por conta da-
quella garanlia na construefo e melhoramento
das estradas conven-entes iuella, ou em"garan-
tas de juro' a companhias que se organisaren
para construir estradas de ferro nesM sentido.
t Fica o governo autori-ado a despender at a
quantia di 500:0003, iesde j, com auxilios co-
em attencio aos relevantes servicis prestados na | lonisaro e immigraco,e com o eslabelecimentode
,r, .-.r.-., H" ...... ,v .. ., -----------------J~ ..L.^aiv f. i .,1 mo PH AAA TI t C Itt AV I f! i
guerra do Paraguay :
Ordem imperial do Cruzeiro.Offlcial : tenente-
coronel Joaqnim Cavalcanti de Abuquerque Bello,
commandante do 50 corpo de voluntarios da pa-
tria.
Cavalleliro : major Jos Libanio de Souza, fiscal
do mesmo corpo.
Por titulo de 18 do corrente,
Mara Valladares para o lugar
lypographia nacional.
fo nomeado io
de amanuense da
C. DantasPinto 1ma.4. A.
uueira.Leal de Mearas. i: J,
Cuna.
E' auterisado o miowtro do imperio- a des-
pender at 12:000* coro a aastt da pubncacao
de obras otis ao ensino secnndario, e a propaga-
cao dos-onhecimentos das-serneos naturaes-de
agricuKura. Taques.
O Sr. Cruz MacBado offerecea m requeriraen-
to de adamento, cuja dicnssc Scoc encerrada
por naotraver numero legafr depois de agntnas
observaees dos Srs. Perdge Matheiro a Araujo
Ges.
Continuando a discussao dos artigos addirtvos,
orou o- Sr. Duque Estrada Teixeira, ficando a dis
cusso adiada pela hora.
O brigne Flamengo, entrado booiem, troose
datas do Rio-Grande do Sul at' I* dj edrrente :
Achava-se alli retido pela polica, at cnegarem
ordens da presidencia da provincia, o general-I
rrientar Lucas Moreno, que viera de Montevideo
no paquete Qapoi,', e pretesdia seguir para o
Jaguarao.
Por portara de 19 do corrente, di nomeado
ajudante interino do imperial observatorio astro-
nmico, o praticante do mesmo observatorio Anto-
nio Carlos Ennes Bandeira.
Por portara de ignal data, f >i nomeado encar-
regado do deposito de artigos bellico da cidade
de Jaguarao, na provincia do Ino-Grande do Sul.
o alfares de estado-maior de 2* olBsse- Joo Perei-
ra dos Santos.
Por portara de igual data, conceden-se licenca
para residir na provincia da Baha, ao eapitao ho-
norario do exercito Jos Jorge Perracho.
Por decreto n. 4.547 da 9 do corrente foi conce-
dido a Manoel Jos da Costa Lima Vanos e Joo
Antonio de Miranda e Silva, ou a companhia que
organisarem, autorisaco para importarem no im-
perio trabajadores asiaxticos.
Proseguiram hontem os trabalhos da assembla
geral do Banco Rural achando-se presentes 33 Srs.
accionistas representando 78 votos.
Para substituir o Sr. commendador Jos An-
nio de Lemos, que resignou o lugar, foi eleito di-
rector por 7 votos, o Sr. Jos Ribeiro Gaspari-
nho.
A commissao de exame e consulta ficou com-
posta do SV. commendador Leonardo Caetano de
Araujo, oleito por 66 volos, e dos Srs, Joo Anto-
nio dos Sanios Lima e Estevo Jos da Silva, ree-
leitos o 1" por 63 < o 2" por 61 votos.
21 -
Nao houve sessao no senado por falta de nume-
ro legal.
dente declarar abena a sessao, procedendo-se en-
to votaco das materias, cuja discussa estiver
encerrada'e proseguindo-se depois no debate in-
terrumpido e no das dentis malarias da ordem do
dia.
t Art. 8." Durarn cinco horas os trabalhos
diurnos e quatro horas os nocturnos'salvose forera
prorogado nos termos da ultima parte do art. 104
de regiment.
O art. 6 passa a ser 9.
t O art. 7 passa a ser 10, redigido -asskn :
Ficam revogados o art 105 do regiment, na par-
te em que permute a deciso, pelos membros pre-
sentes, das quesles incidentes que ocoorrem as
sessoes prorogadas; a ultima parle do art. 154,
e quaesquer outras disposicoes regimentaes em
contrario.M. Francisco Correa.
O Sr. Costa Pinto mandn mesa o seguinle je.-.
querimento, que foi approvado ;
Requeiro que o projecto e as emendas uly
tunamente apresentadas voltem a eommiasi? a
de polcja para sobre ellos dar o. sea f* ,re-
cer.
Occuoou-se depois a cmara cora o pry ..cto, em
urna s discussao, '.autorisando o gav.*" (.no para
mandar n atricular no i auno do cu/ i0 ardCo
de S. Paulo o alumno Caetano Lu,ii fachado Ma-
galhes.
Tendo sido offeree; Aas algW 3 emendas, o S.
Coelbo Rodrigues dyijigip i ^"0 seguinte reque-
A cmara dos deoatados approvou hontem, com
varias emeodas, o projecto auturisaudo o governo
I ara mandar matricular no primeiro anno do cur-
so jurdico de S. Paulo o alumno Caetano, Luiz
Machado deMagalhes.
Occupou-se epois com o projecto, ea nma s
discu-so, com varias emendas, autorisando o go-
verno para conceder companhia Ruana, orgaoi-
sada na provincia de. S. Paulo, para construir urna
esteada de ferro de Jundiahy a lili, os mesmos fa-
vores concedidos companhia ingl.eza da estrada
de ferro de Santos a Jundiahy, menos a garanta
de juros.
Depois de alguraas observacSes dos Srs. Rodri-
go Silva, Souza fteis, Dya/te de Azeveda e Sobral
Pinto, ficou a discus'o adiad/., pela hora.
Approvou em seguida q art. 10 do orcamento
da receita geral do taper.o com todas as emen-
das da commissao. Os >-jri3 9 11, 12 e 13 foram
igualmente approvady^
Entraram m day^sso em ultimo lugar os se-
guintes artigos w\aiivos :
Da comtop'4ao :
1. Fica, 'abolido o imposto de novos e velhos
direitos de mercs pecuniarias : os empregos a elle
sajeitos. ?'i aqui pagarn o mesmo que os demais
vaW*f os, isto 5 por cento, que sero incluidos
00 *f ,io : fieando umbem abolido o que reCabe
** provimentos interinos.
t 2." Contina o governo autorisado a conver-
ter em divida consolidada interna ou externa par-
te ou toda a divida ftuctuante.
3*0 saldo resultante da reeeita sobre a oes
peza flxada nesta lei ser applicado ao resgate do
papel meda.
4 Fica o governo autonsado a fabricar urna
moeda intermediaria de 0e 100 rs. de 25 partes
de cobre e de 75 de nkel, as ultimas na razao ao
peso da 15 gramroas, e as primeiras di
ncleos de cobnisacao e immigracao as provn
cias mais productoras.Anfowo Prado.Roi.&ia
di Silva.Costa Pinto.
t A thesouraria de fazenda de S; Paulo fica
elevada categora de segunda classe, e a alfan-
dega de Santos categora de terceira ordem.
Duarte d* Azeredo.Paula Toledo. Florutno de
Godoy.Joao Mendes.
t Fica revogado o art. 27 da le de 26 de se-
tembro de 1867..4. Figueira.
i A isenco concedida pelo decreto n. 1,728 de
29 de setembfo de 1869 sociedade Vehculos
Ejonomicns ai empreza da Imha frrea da Bar--
roquinha ao eogenho da Conceiqao, ontroncando
com a estrada do Joazeiro, estabelecidas na cidade
da Bahia, abrange nao s o material para a cons-
truccao. mas todas s machinas e material rodan-
te que Ihes forem necessarios para o transporte
de cargas e passageiros e estabelecimenlo de offi-
cinas, cessando a isencao logo que estejam cons-
truidas ambas as linhas Affonso de Carvalho.
Artigo. O disposto no art. 19 1 n. 2 da le
n. 1,507 de 26 de setembro de 1867 nao compre-
hende os dotes ou doacoes que os noiv s se facam
as escripturas ante-nupciaes. Perdigao Ma-
Iheiro. /
Artigo. O governo dar ao Diario Officiai, o
desenvt-lvinvnto necessario para que LTeencha elle
o seu fim de modo satisfactorio, e far distribui-
co gramila da folha por todos os empregados de
qualquer ordem, aos quaes ioteresse a razio do
cargo o coohecimeuto das leis e de actos do poder
executivo, ou incumba a execuco das mesraas
leis e actas.Pergao Malheiro.
Artigo. Fioa o governo autorisadn a conferir
aos escravos da nacao, com clausula ou sem ella,
alforria, que ser seropre gratuita o vredejjuaes-
quer direiios, emolumentos ou desperas. Sao, po-
rm, livres desde jos filhos que nascerem depois
da presente lei. O governo providenciar a bem de
iras e de outros, como entender mais conveniente,
podendo mesmo estabelece-los em trras do esta-
do ou devolutas. E' prohibida a venda de taes es-
cravos.
c Estas disposicoes sao extensivas, no qne fo-
rem applicaveis, aos escravos em usufructo co-
rda. Perdigao Malheiro.=Pereira da Sitca.
t Artigo. (Para ende convier). Fica revocado o
decreto n. 3,350 de 29 de novembro de 1864, e fi-
cam em seu vigor as disposicoes anteriores relati-
vas devoluQodos terrenos de mineraco.i. M.
NoguMra Penido.
t Artiga. Coatiaa era vigor durante o exerci-
cio da presente lei a disposieo do art, 13 n. 2
da lei ni 1,245 de 28 de junho de 1865, A. fi-
gueira. >
t Artife Fica o governo aotorisado a realizar
operacoe de crdito na importancia da.........
30,000:Ofjp para retirar igual sommade papel
moeda dr "
t Art
dos o lev
melhora1
de S. Pa
gislalivo
Duarte
tedo.'
t Cnlinila o governo autonsado a convener em
divida consolidada interna ou extern,-, toda ou par-
te da divida fluctuante, como julgat conveniente.
A. FtfWfl, .
A gnarda nacional da curte olercea ante-hon-
tera a S._ A. o Sr. conde d'Eu, como testemunho de
admirafo pelos assignalados sorvco prestados
na guerra do Paraguay, um baile que ti sem du-
vida o mais esplendido que ha jnuitos aunes se d
nesta eidade.
As numerosas e sumptuosamanle decoradas sa-
las do palacete do Sr. Sarao de Itemaratj, obse-
quiosanienle (irestado para esta fisto, resplande-
cala de lazes, espelhos, sedas, tapeearia e custo-
sas gatas. Por todas ellas ia um- jndescriptival
borbnrmbo de homens e senhons-rcameMe ra-
jadas, ornadas de brilhantes, podras preciosas e
vistosos enfeites. No meio da rauittdao'hfiHiavam
um sem numero de fardas agataadas-e bordadas
de o n>.
0-palacete aprsenla va um aspecto estambran-
te. Os dous lerrajos lateraes brilhavam- com nu-
merosos bicos de gaz, e visto das jaoettao do fun-
do e-iardm offerecia urna das mais deliciosas vis-
tas que se pode imaginar. Repuaos, estatuas,
montes de arbustos estavam syraetrioamene Ilu-
minados com luze de varias core que s eslen-
diatn a perder de vista, formando eoino o fundo
de um quadro em eujo primeiro plaao se levanta-
ra urna especie de acampamento.
A' estrada priaotpal do edificio erguiaJn-se 3
trophds de armas, nos quaes se li em transpa-
rente : Os offlciaes da guarda naeioeal da corto
a- S. A. o Sr. conde d'Eu.
Ouvimos calcu ar em ma4*>- de 2,000- as pessoas
qne assistiram i grandiosa fasta. Entre ellas
viam-se ministros a conseUViros de estado, sena-
dores e deputados, altos ianecionarios, muilos
membros do corno diplomtico e consular estran.-
geiro, generaes ofBciaes de trra de toda* as-
armas, a da marinha nacional e estrangoira, ma-
gistrados, e em geral rapresentantas de todas aa-
itooaoa da sociedade.
As 9 X hora da noite-cliegaram. SS. MM. e AA*
Iiiperiaes, ju* foram recebido* pela commissao
composta dos- Srs. coronis Norberto, Ftilgencne
Conha Telles, e por todos os oflciaes formando
alas. Urna guarda do honra do 5o batalho do
infantera, postada judo do paVicete, te', as conti-
nencias de-vidas, e quatro bandas de msica dos
corpos da mesma guarida alternadamente tocaram
toda a nonte.
As 10tfv>ras da woute coraecon o baile, dan
to dos- eollegios da- campanha : a opposi^o von-
ceu em alguns, e-qnem c rahece o Paraguay sabe
que isto nao se ver itearia, havendo a eonipressao
e lyrannia de qu* falla a Voz el Pueblo.
O nimos tem serenado, e a populacao em ge-
ral manKoMia sea .-rebecimeoo por terem os
ministros aliados- evJtwto, se nio o iafroito de
urna pu-rra civil, ao menos nm grande escnda-
lo contra- a autoridade e a effuslo de sangoe que
serla o sen ortejo inevitavel.
A Voz rl Pueblof.orfp dos exaltados o eserip-
lo por argontmos, tem feilo acusaeoes ao- oosso
ministro, com a idea de-semear discordia entfi os
governos avilados, qnaud a redaeco daejnelte
jornal sabe rouio bem qae os Srs. Paraeboo e
Vedi a a-t) de perfetto aceoydo e mantera as me-
tbores relaces de anizsde.
A Regeneracin'e tH Panguay lera desmentido
a mais nao poder as menttra da op pos i cao. A
verdade dos tactos a- a-dignidoxtt con que se tem
hariJo as aaloridade*braileiravo iaipundo tos-
,peilo a todosi:
Meia duzijvde homens, ajiadee era estraBjei-
ros, queran decidir dos-destinos deste inlevpo-
vo em face dos; aliados- a sem. 6uer >-aso destos.
Wn daqui nao se poderta owp oa taraaoha a*-
daeia.
CoDsta-me qo narte-daqui no da 11 o nomo
mMstro com destino ao Rio de Janeiro.
Retativameoa a'Entre Ros nadb mais eneeii-
traiaos as fortes argeniiaas, alm- Aos con menta-
rio, explica cues partes ofBciaes sobre a tonuda
da capital daqanlia -provincia pela Sircas de L6-
tez'-Jardan, ftoo de (ju* -j tiernos- noticia.
No Estado Crinntal auibeo> neohtuna mudaaca-
eecorrera.
0" goveroo peefio effeetivamjnte e. eamaras-an-
tofisaeao par d*clara*ro terwionc ia repblica
e::i estado de sitio.
Eolrotanto eoerrarm-se a mesjas cmaras,
depois de eleitaa comtnisso permasente, qae no
tervallo das sessoeo acode- aos casos urgeole-
c,ue sao do doniaio do poder tegsiative.
Por earta ier>eriai.de 20* do eorrenle foi mo-
nteado eav.illeir da ordem d*Ros;K A. L. A. Fe,
cofic-da fuculdada de nedeiBa>de ^rasburge.
Por decretos da mesma-datat foram concedidas
a seguintes peosdas, qna ficam. pendentes da ap-
srovacao da assembla geral-.
Ao tente do 38* corpo de-votaalarios da pa-
tria Francisct andidoTEixira,. a de 42/5, men-
saes ; ao alferes-do 16 corpo de- eavallaa da-
guarda nacioaat- do-Rio-Grande do Sul, Manoel
JdaquKU Verga// a ie 36 mensaes.
LS>se no Phmrol do Juiz de Eea :
* No dislrinto do teo apparecea em nma mata
o cadver de urna prela. qae acba*.4-sa ha 3 dias-
lgida da casr>de sen^enhor. f*> exam a qn
se prooedeu reconlweeu-se que- a desgracada
morrera em resultado da aovo..*
-28:-
Hontem, na cmara dos delatados, logo de-
,pois da IcilTra do oxpeeote-, o Sr. ulino-do
3ouaa fundaoientou um projoetw sobia reforma
elaitoral.
Em seguida o Sf. Coelho Rodrigues tambem
fundamentos seguinte requerimenio ie foi ap-
provado :
Requ'ro que se peca ao governo ioformacoes
sobre um procasso que sa-rao-ven con'.ra mim no
foro desta. corto por crirae de calu.ania. o qu'
ja. f>i roniettido ao senado sem ter viudo a esta
cmara.
Entrando na ordem do dia, a cmara nppoovoa
depiis 'le orar o Sr. Buque-Estrada T.-ixeira, os
seguales- artigos additivos ao orcamento :
Da coramis-ao :
Continua o governo anlorisado a convcKer em
divida eonsotjilada nter ou extema parte cu
toda a divida fluctuante.
O saldo resultante da reeeita sonre a ds^peza fl-
xada nasta \ ser applicado ao resgate du papel
inoea.
Rea o governo antorisado o detp *'** at
500:OOtl& eoni auxilios para u transporM- do ro-
sando na I" quadriitoa S. A. \ priaeoza imperiaJ, imos-quo vierem para o paiz pr eonja dn sarti-
com o Sr. coronel commandante saperior intarrao
da mesma guarda NorbeM Augusto Lopes, e
vis-a-v-s i Sr. coronel commandante do S^-baia-
Ibo Joaqnim Jos Fulgencio- Carlos de Castro,
com a Sra. D. Laura Law; e S, A. o Sr. conde
d'Eu com a Sra. baroneza de llamara!*,, sendo
rii--rso Sr. coronel Jos Joo da Cunha Telles
com a esposa do Sr. coronel eooimandante supe-
rior interino.
N:i 2J quadrillia, S. A. a Sra. princesa uansou
con> o Sr. ministro do imperio, sendo eis-o-y/s o
Sr. coronel Conrado Bittencourt: na 3a dansou
ce-m o Sr. ministro de S. M. ldelssima, sendo
vu-a-vis o Sr. tenente-coronel Fraaeisco Nicolao
Carneiro Nogueira da Gama ; na 4" com o Sr. co-
ronel commandante superior da guarda nacional
da Barra-Mansa, ha?j de Guapy, sendo vis-a-vis
o Sr. coronel Conrado Mara da Silva Bittencourt
e a esposa do Sr. major Ayres de Mora es Ancora;
na 5' cora o Sr. voador Jos Carlos Mayrinb.sendo
ci'i-a-UirfoSr. Eduardo Carlos Cabral Descnamps,
cem a senora do Sr. Alfredo. Lisboa; na 6* dan-
sou com seu augusto esposo> sendo vis-a-ris o
Sr. ministro da marinba. Dansou tambera S. A.
imperial a 1J \-alsa com o Sr. Alfredo Lis'ooa.
Depois da cea SS. MM. iraperiaes retrraram-se
s-2 ki e SS. AA. s 3, prokmgando-se o baile at
s 4 % horas da madrugada, e reinando em todo
elle a raalor satisfaro e harmona.
'__$2
A cmara dos deputados approvou hontem a
emenda do senado ao projecto de resolucao desta
cmara, t-ouceendo peajes a D. Urabelina Ado-
taide da Silva e a outros.
Approvou em seguida, com varias emendas, de-
pois de orar o Sr. Andrade Figueira, o projecto
que auicrisa o governo a conceder a companhia
Ruana, organisada na provincia de S. Paulo, para
construir urna estrada de ferro de'Jundiahy a lili,
os mesmos favores concedidos a companhia ingleza
da estrada de ferro tte. Santos a Jundiahy, me-
nos a garanta de juros.
Continuou depois a discussao dos artigos addi-
tivos ao orcaroente. Oraram os Sr?.. Duarte de
Azevedo e ministro da fazenda. Foram anda offe-
recidos outros.

somma de
sirculagao.Candido Torres Filho. n
O governo mandar proceder aos estu
llmenlo das piapas e planos para o
nto da barra do Itapara, na provincia
o, afim de seren presentes ao corpo le-
na prxima sessao. Joao Mendes. -
i Azevedo. F. de Godoy. Paula To-
Fi
7 &rraWado o decre o de 28 de julho do sec irio da relacao da mesma provtncte.-
^l!?wZi'n as moe- Perein
am igualados ao ordenado
tribun; do comroereio da Babia
da relacjio da
os
do offlcial do
vencimentos
O paquete inglez La-Plata entrado h-ontem do
Rio da Prata trouxe folhas de Bueno s-Ayres e
Montevideo at 16 a 17 do corrente.
Sobre os negocio} do Paraguay esevevem-nos da
Assumpcao com data de 7 :
Ah- vo algumas linhas de correptndencia, pa-
ra no co de hsver algum paquoie a largar do
porto de Baenos-Ayres antes do dia 15, que o
tlxado -para a partida da mala inyleza.
No dia 3 ao meio dia eomeccju a eleicao po-
pular dos deputados ao congre/jso constituinte do
Par?.guay, sem que occorresse-.n as desordens qae
o e-sprito da popula^o aj^ardava vista das
ornearas que at esse dia par, cessaram de vomi-
'iar a traprensa e os clubs da, opposico.
Houve apenas ama violante aitercacao sebre a
ldentdado de um votante entre um tal Taboada,
conltecido por sea caractrr desordeiro e airabila-
rio, e o Dr. Machara, presidente da corte de jus-
'?a, do que resulten #er este ferido traicoeira-
mente por aqaelle com, o panho de ferro de um
chicote d cavado qae, rasgoa-lhe a fonte era dous
pontos. O ferimento, porm, nao grave. O ag
gressor foi imraedia^araeote preso.
Nesta capital v-nceu o partido governisia, e
creiq qae te vertido igualmente na major parr
culares ; mcluindo-se es;e augmento no reiiarcao
do resn;ctivc. J do orcamento.Antonio Prado.
Coso. Brito.Rodrigo da Silvot.
Sub-emenda ao artigo proragando a autorisa-
cao-conferim pelo art. 13, n. 3, da lei de 28 de
junho de 186".
Aecreficente-sedesde j.A. Fig^uira.
E' auterisado o ministro do imperio a mandar
applicar a consignaco annual destinada para pa-
game-.Uo do aluguel da casa e respectivo pessoat
do sominaro da provincia do Rio- Grande do Sol,
emqnanto nao estiver funeconando, para a con-
tinaaco das obras do seminario em onstruccao
na capital da mesma provincia.S. R.Dr. BUten-
cw/r.
Artigo.O governo mandar proceder ao es- |
tudo e levantameoto das plantas e planos para o
trielhoramento da barra do Icapra, ns. provincia
rieS. Paulo a fim desorem presentes ao errpo le-
gislativo na prxima sessao.Joo Mendes.Du-
arte de. Aztvedo.-F: de Godoy.Paula Toledo.
O governo fica autorisado a revor o regula-
mento n. 708 de 14 de autubro de 18o), de modo
que allivie o coramercio do-cabotagem das medidas,
rigorosas a que lera estado sujeilo.Araujo Ges.*
Fica revngado o art. 2-7 da le do 46 do se-
tembro do 1887.A. Figueira.
Fica o governo autonsado mediante accorde
com o governo da provincia do S. Paulo, a tomar
a si a garanta de 2 t>. addiconas?, que aquefia
provincia concedeu companhia da esrteda de
ferro de Santos a Jundiahy, obrigando-se a pro-
vincia a applicar a importancia de que devedora
ao estado por adiantamentos por conta daquella
garanta, na constraccao e melhoramonto das es-
tradas. ;convergeates aquella, ou era garantas de
juros s companhias que se organisarem para
construir estradas de ferro nesse sentido. Anto-
nio Prado.Rodrigo da Silva.-Costa Pinto.
Artig. Continua 6m vigor durante o exerci-
cio da presente Tei a disposicao do art. 13, n. X.
lei n. 1,245 da 20 de julho de 185.-A figueira.-
O governo fica autorisado a conceder isencao
de direitos de importancia aos objectos destinados
a culto divioo e consumrao da santa casa da mi-
sericordia da Bahia, fixando em regulamento a
aualidade e a quantidade dos referidos objectos.
Em 19 de julho de 1870 Araujo Gef.G.
Dantas.Pereira Franco.Ftrnandes daCunha. ^
Junqueira Leal de Menezes.-Boniftao de Airea.
TaquesChaves.D. Martins^Affonso de Car-
valhoGoncalves da Silva.-Pmto Lima.*
Artigo. O dsposto no art. 191 1 n. 2 da le
n. 1,507 de 26 de setembro de 1867 nao coropre-
hende os dotes ou doac5es que os nnivos so facam
as escripturas ante-nupciaes PerdigaoMaUeiro
Artigo. Fica o governo autorisado a coaceeer
companhia ou empreza que se orgamsar para
construir um estrada de ferro na margem do_Je-
quitinhonha, di lugar denominado -ph""nft
na provincia da Baha aSant'Anna ou Araahy
era Mmas-Geraes, isenco dos d.re.tes de, miportt.
cao quanto ao material destinado a d'te consiruccao
los mais favoros concedidos s estradas de ferro
daKa o Pernambuco, exceptuada- a garanba
de iuros Candido Murta. Cruz Maehado.-
tSoMa-tins.-Bonifaciode Abreu.-Joaqusm
Pedro.=Canillo Figueiredo.- Gama Serqueira- \
Reniamin. Capanema. Pinto Moreira -Jos
Calman -Barros Cubra.Pinto LimaChaves.
F. de CarvalhoPereira Franco. -Ua\ de Mene-
zes.-Aranjo Ges.Dias da Rocha. kfmso tt>
y.
\
i>nm<



*
Diario d Pef&mbfcco Sabbado 30 d Julh de 1870.
-~
i
\*
I


CarooMo./nafUi'ra Fernanda da Cu**,a. G
SHon.C. D*trt. R iposo (tii Cara.Femira
I^ije.Sifert Pera Aos fautor.PerAgao Malhein.
Por liialo.de 21 do corrate (oi nonreido
Francisco las Fr.if lugar de prahcante
da ihesjur.a do Rio Gramil do Sal.
Por decreto de SO do correrte coneedon-se i \a
' bilacio com o respectivo ordenado por ioteico ao
teuti cUhedralieo da cadeir* do V anoo do
orso superior da escola militar, eonseiMjro coro-
nal do coreo de estado naior de arirtbirui Fran-
cisco Antonio Raqoso, visto tomar tois de 26
anuos de wvie*> uo magisterio,'na cpjtlbrmldadel
do que diside art. 3()l do tetiularoeflld das e*^
ulaa militaras do imperto,. 3083 da de abril
de 1803, cota refer-nSa a/arl. 85 do de' n. *,H0
de 1 de narco de 1838.
Por decreto da menina dala couceden-sa ao te-
nerte do 3 uuUdti de art.tbarla a pe Antonio
Beserra Teixi ira Cavalcante a deniissaa qao pedie
do srrvico do exercito.
Par decreto da wesma data oi rejormado eom
1rc^jt;ciivo sold por latebra, na eontorinidsitT.
ks ai=posieGes de 18 de agosto de 1852-, o altera do 18 balalhao
Je iafautaria Olympio Aurelio de Lima Cmara,
ikst i acbar-se inutilisado para o servio do exer-
fco era coasequeneia de erbieuto Tecebido em
--embate.
Por decreto da neuna dala, a na. confocmiilade
da imperial resuuicie, dy 6 do oorrtrte, tomada,
sobro eonsatu. do conselho supremo militar, foi
reformado o capilla d 10" batilbao de iafautaria
Jo.- francisco da Silva GuiroJraes, visto soffrer
molestia incuravel (|ue n loria incapaz de con-
tinuar uo ervlco do exercito,s achar-se corapro-
ivu.tilo as dispp*icdes do ? \" do art. 9* da lei .
<6V8 da 18 de agosto de 18.
Por decreto da uie-ma lata concederain-se as
hnras de diversos postos 4o exercito aos offl-
dars abaixu mencionados ".
De maj r, ao majbc >V> voluntarios da patria
Fortunato l Campos Frare.
De capluio, ao ex-major de commssao Hvppolito
Ais caftaes : do !f0 corpo de voluntarios da
patribase Candi* de Barros anior, da guard*
nacional io Rio GraoAn d Sul Antonio Francisco
da l*a H'IS, d* corpo policial da provincia do
fin. de Janeiro Candido da SiK Lopes, cx-l te
nenie eoiBnristwnado ni capti do 3* balalhao
4e-afeilharia a pe Amonio 'Kazerra Toixeira Ca-
valcvito.
I)u lente, *o tenente de voluntarios da paira
Ktuvrde de Acevefle eS-Miza Filho, ao tenente do
copo polica* de Paulo '4* Carlos de Oliva
Maja.
11 alteres, ao ex-alferes o 46" carpo de vatun-
tan. *d* patria 'Benavetrnte Eustaquio de OHvelra,
^o cadete reformado do 27 corpo dito Porfiro
Jo Fern.Xes.
-
iiontera nao'honve sessao na cmara des depu-
tadi>s por falta do numere legal.
O Brujelo do refoima eleitoral apresesftado na
sessSo de aiHeboniom e adiante pubtaado, f.H
fundanimtado pelo seu autor o Sr. cwnselhetro
Paulino -Uf-Swares de Souza, misistro do impe-
no, nis segairies Uiwios que, pelas usndencios
que rewe.laio por parte -do gabinete, nao podftn
d;ixar-le Hiamar a wj.-o de todos os que se
idtere>sam Bi i:ui rump-i*>ent(i Aa.palavra que. empenhei em
urna iSt- paseadas se.-"}8J, veoho hoje submelter
*o elevado cWlerio dBsia .ingusta cmara o)ro-
jeeto dcreforcia elenrnl.
Xn precis.1 dizer, Sr. presidente, qianto rgr
ve estt refornia, j em-oi, ja em suas onsequen-
ias; -hi si,,porque ri'fre-srma-
cjlii d> s rntllos electis Ae um poder poltico do-
lado tas niais importantes attribuicoes; em sifas
con-efiuencisH, porque d> pode deixar de influir
irauf..tiento na vid une. partidos e kos costumes
publicas de leda a mkjj.
Nao fcUpeis, sen *-ilevia reflexo e senvpe-
zar tu'm o aicanco da medida qae me animei
;. inieia-la, entlo bn que ella importa a ron
iteoaaacJu >\o modo pcw.ne se faiem tioje bo Bp-
>ii ? eloieoes.
u ii'K-soa hoineii* policos teem muitas vezes a
fraquoza de-encubrir., quando no geverno, ascua-
gas j; e '!i anundaraas e-expnzeram a atteacao de
Lod, luifrffi fra 4n poier, dominados tatvez pe-
ii rc!iu Je faltar < K:8aveuie,rcias. Esta tit-iew
Ca fhes neoe!>ariaiaonte damno abalando a con
'i.nir i queaipopulatio fleve ter n;*eueles a quem
sr itatreKnea os nefoeios duWcor, e pfle coma
destr.iica dw homeik- ^ibalar lamfcem a f as
iii>h:uh;oi-s. Ni) hesito, purlantn, tratando.dt;
materia a aanqueza meo pessasaento. (Muito-bem.)
?) Miento des leis publicas nao se deve-smente
aquilatar peto valor jumco de soas disposi^oes,
.ii4y.:ni;ici|alente polo* resaltados praiieos obti-
los-i-jtt nlacsao lia para que foram promulga-
das. Podeiii-ser box*, ocrasideradas eio absoluto,
mas-inipn lincas, atientas as circuuwaneias e a-
cundiVtej eupeeiaes dt> pak em quo s etecutam.
A k i de tC de ag*:o de 1816, jteifrttaineBte
recalar em sol syste -.. iioiart-i pela sttnetia com qae travam en-
tre si t.xias as aucas do snu macbioisnio regela-
nieAtar. leve did.i o estada de cousas anterior e tendo en
-oa wincipalmente o }V- 'is partid fltie ar-
men um c.mtra o outro das necessarios. aieios de
ilfeza. creando recorses -e garantas qoe, desvir-
luad-s na pratiea, de nada valeram.
A ifiuencw partidaria procarou lo^s em oa-
tras Jis de orfaaaeSa, eomo a de 3 de dezem-
nri'de-l$41, a da gi'araa nacional...
O Sr. Pereira a Silva :S do recrajtamento.
O-Sn.'AIiNisrao do laB>Kio :...os meios de
fnistarts garantas e recursos eleitoraes'estabele
cidos; e eaailiaadcas em seu proveito, onseguio
pelo priir.eiro iriucipho aaeoborear-se das juntas
de qualii.rac'i,'da mesmasparochiaiiforiDitaas pe-
lo mestue modo eda maiona dos coeneibos muni-
cip-es de recurso,
Feitos os eleilores com o a3Xilo de lodos os
iiH'ios que as circunstancias deparam, deminam
as I.calidades, orgaaisam pelos sens rpprcfieotar.-
*e* uas jactas a ajualificaejio e decidem os re-
cutms nos constlios rauuicipaes pelo eleitor
mai* votado c pelo (residente da cmara nini-
dpaf.
O governo quem^nomeia e t elle deve nonear
a autoridadet polictaes e a Oloalidade da ^uar-
ua nacional, e nao ha de dar armas contra t-i;
em ter por agentes os adversaaios polticos em
nisicao i|ue co de ceufi?nQa.
Itesnlla dabi que a soeedade poltica vem a
dar se o mesmo que no corpo huotao, onde a vi-
i!a parte do centro e vai nutrir os illimos pontos
das extremidades.
So corpo poblico, organisado sob os principias
do regMen representativo, a vida parte de todoe
os jiuiros c deva concentrarse aqu no coragao
straado o recinto" da cmara), de nde seder-
sabida honra, eocarregado art de representa la
tto parlameato.
Sao essds dous tactos as dissolocSat da caera
dos depntados, em 1863 e em 1868.
Em 1863 pertencia eu a maiorrt dos 64, de qn,
V. Exc. laubra fez parte, e ^ue deu aqu as
raas exuberaotes provas de rmeza e prndencia
palitiea, e de respelto s msituicJw (mni--
apoiados) : de firmeza quwd receben no seu pos-
to o minesierio de Si de maio, fazaad/'-o voltar ao
nada poltico de que sabira <(apoidos) de pro-
doncia, quando tolerou dorante um aono o minis-
terio que tke succedeu presidido pelo Sr. marqnez
de Oliuda 0 Sr. a.vdrade Ficuiaa : Famosa logra-
So
0 r. Ministro do Iurraio :.. .de respeito s
insiiii.'oe, quando a ai uuvimos ler, sen} um
pretexto, sem urna jeclamacio, som urna pajavra,
e decreto de. dissolncao. Aaciados.)
ku de.via esia's palavra^ de homenagera aquel
la maiona, que den to dignos cxemplos e fez
bonra s traai^oesdo partido constitu:iouel. (Apoia-
dos.)
8 decreto de 18 de judio de 1868, que djissolveu
a cmara dos Sis. deputados iu uliiuia legislatu-
ra, f li por mim referendado, e poz flm urna i-
tua^io ai tiricia) (muilos apoiados), combatida por
ambos os part dos r aes da paiz (apoiados) que
aqui, smn nos entendermos, nem no uniroos, co
i.t naquella occasia toreei sllenlo, pugpava
mos pelo restabeleciinento das praticas do rgi-
men constitucional. bem.)
Son dos que peasain quu os actos do poder mo-
derador sao corupleameuie iudcpeodenles da m-
terfer ncia dos ministros. Aigus, porm, sao de
tal alcance poltico que, ou sejam provocados ou
soiiK'ute aceiins pelo gabinett, caracierisaoi a po-
liljca mni>terl e importam para u gabiaole a
responsablilade da adbesao que lbo prcskiu oa
a de sna execocao. Taes as as aroaistias o a di;-
soluco da cmara dos depsUados.
Para apreciar, com relafo ao systema eleito-
ral os dtus factos que j cite, reinoour-me-hei
em poucas palavras aot principios capitaes de
torsa i igaiiisacao poltica.
. Senhores, a constitnicao presuppoe duas enti-
dades <>^iuciaes, no rigor da palsvra necessaria,
p. tico das instituicSes, o imperador o a uacao :
sembr de accordo, identificadas, nliinao unta
sobre a outra, resultando de-so influxo a ordom
eonstitacioaal. E' na i.inuieucao desse accor-
do, oo uvido desse ioCaxo que est a grande sa-
bedora da realeza seate rgimen de governo. Na
forma.cao u desenvoiwraeuto da aci;ao dos pdue-
refe pofiucos vemo-las constantemente em activi-
dade.
A* opioiao, isto na;Io, abe o impdso-:
a seu fTmeiro re pese otante u dewer de regular
esse imuilso, seguudo as formas do^ysteraa, sea-
do a etiave de toda orgauisacao publica, eecarro
gado de velar ianes^antemeiMu .-obre a uianuteo-
co dainlependeattiu, equilibrio -o horuiana dos
mais poderes polilicos, como se exprimi o legisla
dor csnstitaeioaal.
E' assir que v(a cmara) que
representa mate directa e imiueliataineme a a-
fio, fonna-se uurcamente pelo v. i poplar, mas
pode ser dissoivida quando ao ioteriire'e perma-
uene do peusamento publieo parece conveniente
venlicar o oslado da opiniaoem um momento da-
do, para guiar-se iuportantissimas attribuicdes.
Na f>nmjo rio outro rain da assembla geral,
sdbre o qual nao tem a acc,ao da dissolmjo.tem o
Iciperidnr ingerencia pela prerogaliva' da esculla
di s senadore.- na* lisias tripitees quo lho*ao apre-
eenUdas.
O poder seetttivo presidido pelo Imperador e
xercilao polos ministros, depositarios de ua
conliauca e da coqfianr;a da naca que s aceita 6
-
vorno do poiz.'poder por sna naturera activo, in-
cumbido do rreccao de grandes interewes pnbli-
cmplela ella, oais iffleaz e torai a sua accao,
maoree e mais proficuos os rebultados que d'nlU
so pdem alciioear. 0 Imperador nao deve job-
liar senao nos homens que teem a confianza lucio, e portanto precisa conheeer o pensamento
d'esta, e uanto mais vivaz for elle, maior a f .rea
do governo, mais seguro e fundado o proced-
ment da cora.
Ero certas pocas, mais ou menos arredadas da
manifesta^ao das urnas, corno que assoma albina
ohscuridade no hnrisonte polilico, e, mu'.avias as^
medida qqe nao Ibe osse concedi*, denois de de-
monstrr os seus intuitos, e de discutira com o
ebefo do poder fxecotlve, cuja opiuiivo deve ter
sempra muihi peso, nao s pela su* poslcao cons-
UlucioAal vas anda porqnj* ella dictada por
urna illustrafo nao comiocim, peb> checiraento
perreito dos homeos a das osas d'esta paiz,
pela experiencia esclanthla de trmb annos de ga
vermx
0*-ministro podan ser conveucidos ; vtneidos
s o pdem ser iiela'ierda da contonea, e consi-
dero que esta na> existe, ^undo nao teem ellos
os meros de $eap.sar a pplitie>^p .itoptaram.
Os actos qw o gBYerno tem pritcado o o que
tem deixado delater desde W de j'jlh de 1868,
liesam de direito ede facto BaHponsabilidade dus
actuaos ministres de Sna MageUilo. A roaleza no
Brasil perTeilamente tonstitocinnal.
Perdem, pois o tompo aquellas que dispensain o
concurse ria. opiniab para raalisaiem as reformas
pelos me es regulares do rgimen representativo e
as iuploram cora mneessoes de Napoleo IU.
(Apoiados.)
insisto anda urna vez neste ponto, Sr. Twesideo-
te, porque, conlesso V..Ex pnundamenle vdr o mais Ilustre d*> novos che-
les do partido liberal, descrer dos metes regulares
aeste rgimen do governo livre qne elletudo
deve ; coutraitgvu-se me o coracu a niitn que de-
sejo ver os partidos sempro na orbi'a constitucio-
nal, preseociaada, depois do brado ie-^retorma ou
revolucaoa partido liberal, cuja misso desper-
tar, ostimulu' a opimio, neUa confiar, appsllr-
para tao singular exorbitancia.
O Sa. Akaradg Fkcmra i ha outra edicao
mais correcta o augmentada.
0 Sn. Ministro oolnriyiio :>.. imaginando e^
acolbeudo o absolutismo como o caminho para a
Iiberdade (Muilos apoiados ; nrailo bem.)
Quaoto seg oda caus, a perversao das elei-
Cues, inioha presenta na tribuoa nao tem outro
fil senao coafetisaia. Assignato-lbe na efleaca
de *ua aerlo, alm do que j dise, tres motivos
fue estao ao alcance do legislador remediar ou
attenuar : o atraso dos habiios polticos; a pouea
difTusao das laees as classes investidas do direito
de votar; osdefeiios do systema eleitoral qae da
inQneacia decisiva ao elemeuto official
Co o cerno eleitoral da lei de 840. nJe-se di-
zer, tenhures, que temo- nofirasii o suffragio uni-
versal. Se elle a ultuna xprossao do progresso
polibeo, como intuios querem, for^a cifesar
que ou as acoes ainda no se collocaram a par
desse progresso, ou quo exacta a preposigad de
lloas^eau : os vicios sa a lepra da isTilhcjad. >
O sulfrafjio universal presta-se era geral a quan-
to de]le seexige, ojfereee vasta superficie cor-
rnpcao e intimidaeo"-: iostrumento dcil drs
governos menos acerosque aparentara respeito
upiaiao, sem querer ar-lne a influeua que Ihe
cabe em toda a s ictedade livreraente ortani^ada.
Uiq ho;nem eiiiinente. que goveruou a FraaQa e
tem a glora de eonsagur os oubres asfarc/is de
sua vigsrosa velhice defexa da< libeniadrx de sua
patria, M. Thiers. reerindo-se s eleicoes fetas
pelo staffiagio universal, dina, nao ha aiud.i omito
leoipj, que era elle o meiu usado pel*> que nao
queiiam ser liberaes a so acobertavam com a
mascara da democracia.
Seciiores, se desejais dar vida ppiop, desper-
tar o espirito publico, nao ipieirais smente o nu-
mera para obter urna espressu arlifi;:al ; se que-
ris uui ponto de apoio para a represeaia^o na-
cional, ivle procralo^irincipxlraente as regioes
elevaua^ e e.-taveis, em que existe mais perfeitu
eoabficimenlo dos grandes inieresses da ordem so-
ri eicio dos direiios, qt:inJo osles decorrem nica-
mente da personalidade.
O projecto estabelece as seguales disposicoas.
(t o art. 1.).
Eu chegaria francamente eleiQao directa con
sitara sem msela, se nao julgasse dever respeitar
o voto .ios. que hoje o tm. Fag) intervir directa
mente na representacao os viue por >ua p.isicjb)
social, por ttulos de diustracao ou pela consagra-
pao do voii popular t.n iuteresses'estarcs, e ap-
Aua > inti'llectual, ou merecer o apreso de seas
concidadns : taes sao os que por seus baveres
pagam o imposto pessoal, os homens de prufi>s8es
luteranas, os clrigos deordens s. eras, i>s olficiaei
de patente do exercito o armada, os professore-
publicos, as vereadores. os juizes de pnx, etc., a
quats terao, jur proprio, assento nos culi
eleitoraes ao lado dos eieiu.res que, sem estas con-'
diccs, firem eleitos^pelas a-serab!as parojniaea
Aristocratisais o voto', disse se no senado, co:n
balendo se o projecto antes do apresentade. Como,
factos existen, que
dirigida. Como estes, ontros
seria longo relatar.
0 systema das minoras realmente engenhoso,
mas dando oecasio a manejos que triumpham
da vontade dos eleitores, nao o posso acceilar,
quando o mea fim a verdade da represenlacao
e nao adestrar^ainda mais os partidos nos estrata-
gemas eteitoraes.
Demais, Sr. presidente, nem o voto incomple-
to bem o cumulatvo, nem o complementar oa o
^ocienter eleitoral, que tanto je mudiftea Da for-
ma o systema das minoras, tem por ora se aseen-
lado em meios praiieos capases ds sttfiir oi de-
salados efftitj;. anda quando o plano seja boa
em t.hewia.
Do qae nos queixaraos da unanimidade do
eleitorado em favor do partido que domina. Qae
vale dar garantas u representacao ama minora
qae atada nao existe I (Apoiados.)
Por este projecio as minara sao consideradas
no computo geral da efeicao. Os voto- des elei
lores censuarios om iniooria em nina, nerochia
cootam-se jo collefk) elejiural. Hoje, aioda que
seja a mmoria quasi igual maoria, snoulla-se e
\t
eU prapondara no oltegto.
Vqp concluir, pois que se
circunj>tancias cu dados novos factos nasoeicda-. se nao dou privilegios a nem urna ettsse, se tolos
de, opiasaniento nacional, que se exufessara eni
i-undit.'eeti diversas, nao so revela ca ramele, uao
pode ser apreciado com s novo estado de cousas que surgi inesperada-
mente.
A"si)acontecen em 1863 (des;o agora eppli-
oc ), poca em que a solueao poltica da sita-
la u (umplic;;vase com olementos sobrevndos pos-
terioriweote eleiro feita deus annos ante*.
O gabinete nao tinha o apaio da cmara: a
maiona ivniava aj. as 61 membros unidos e lir-
mes verdade, mas em frente de una minora
lio numerosa, como poucas vezes se tem reunido
emnws< parlamofllo._ 0 partido liberal vollara
actividade poltica, dedobrando aos olhos da po-
pulacho todos os ouropeis de sua bandeira ; um
grupu avuludo de conservadores se separara de
>eus auiigv6 polticos, aecusando-os de obstarerr
nao sej a que progresso, cuja bandeira bsleavam
unindo-se aos seus aoligos adversarios.
Uro ministerio radj d\ rniorb, punco antes
vencida em urna sorpreza, nada podera facer
diante de urna opposico numerosa o animada, a
sei>o dos chamados progresistas era complpti e
irreniedtavel. e se operara depois da elcicao
o BMOb4et|e esisteute nao poda viver com a c-
mara.
A sabedora -da cota recorreu dissolucao :
era o meio de eselver de accordo com o pensa-
mento da uacao as difflculdades d'aquclla situa-
-$n, de. eomVcereiu-se qaaes os preferidos nocon-
eeito publico.
O que resnliou. senheres, do appello feito s ar-
mas ? Apparenteneete eondemnaram a maioria da
cmara dissalvda e doran) razo liga dos libe-
raes e progressisia*. Difo apparentomenie, por-
que os conservadores apresentaram-se peraoie
ellas, e ainda nos lugares em que era tradicional
c inabalavel sua inHusncia perdurara a elei cao e
> poderam taindar esta cmara os depatados de
dous districio-, em que talvez 89 naoapurasse
OGHvenienteuteJtle o emprego dos mtios eleitoraes.
0 aleitoraoo, em sua grand maioria conservador,
traitformou-se em mitro eleitorado, qnasi unni-
me, da cor adversa.
E* este o facto que iie segu todas 33 dispola-
coes .; o resultado do systema eleitoral. O elei-
torado ha de formarse a fic3o do governo. 0 que
se pode censurar o eoiprgo de meios mais ou
menoi abusivos.
Firmon-se a stuagao liberal progrt-ssista A co-
ra proceder rigorosamente nos termos constitu
ranta novamente por tod- o paiz, con dus gran- conaes, mas quanto mira, v depois dasdissolu-
ns l:os se rradiam a biz e o caior. (Muio-lepes hurlado peusamento oo exercico de sua pro-
rogativa desde qae a nova elicao nao exime urna
apoiados ; muitotem.
A f ira os homens de partido, que arxegimenla-
dos pugnara pelo triutnpbo de seus aaaigo pol-
ticos, e interven) assim, como dovem, ao* negocios
pblicos, nao ba grande vitalidade na opwio. Os
fue nao querem lutar, arredam-se, isoiam-se e nao
timam parte na forraavo do governo do paiz, nao
-instante serem interessados no modo porque
-lie dirigido.
Quaquer reforma eleitoral deve ter omito
*m atteoeao tornar vivaz opiBo, dar-lbe meios
le manifestar-se, de infloir na sorte do paiz.
Sem estabilidade no eleitorado, sem que este
?e coroponha quasi permanentemente de_ honaens
interes-ad directamente as coasas' publicas,
eom as precisas condicoes de independencia e de
illustracao, a opin o nao ter a influencia que
ibe compete nesta forma de governo
Sel e, seohores, est o nosso ponto de apoio co
:crre-entantes da oacao, sem o qual nao nos
podemos firmar no cumpriraento dos altos dev-
res a nos.o cargo. 0 eleitorado em grande par
mare do influxo oficial e com este va-
ria de ruido tal que em um momento dado acha
^pensos-sem >er mais atrzde ii
^quelles de quem nos proveio toda-a forga, eqne
us podiara sustentar.
Ctitno dar passos seguros em terreno assim, mo-
.i um momento tudo se desmorena : surge
v nova ordem politice, que o despeito lera al-
udo sem fundamento ao supppsto poder pes-
', mas qne nao senao o resultado do falsa-
lo do systema eleitoral e d.v perver o dos
<-rn;nes politices ao paiz.
ir muiio longo para demonstrar
:ti;o de factos a verdade de meo
liado.
Sera ser dos de maior Jale, vejo hoje nesta
is collegas mais antigos do qqe eu.
Fallando com ja propri experiencia, nao
i sena aos dous factos mais sllen-
las quatro legislaturas ejn qne a Ilustrada
provincia do Rio de Janeiro roe tero feito a mais
iqoe.
consulta da nafiu, oas adbesao impretertvel ao
gabinete.que preside a eleiro.
A dissolucao de 1866 foi seguida de tima camar-
aoanime. verdade que-os adversarios do gaba
nete legitimaran) a unaoimidade declarando que
uao concorreriaiu > amias.
Recomraendei aos presidentes, e V. Exc. pode
dize'-lo, Sr. presidente, ipier olBcial, our coqfideu-
cialisente, que dssem tedas as garantas aos par-
tidos, ^jue embairacassei a emprego de meios mo-
nos'reculares por parte das autoridades locaes. A
eleicao feita em Janeiro de 1869 fui incontestavel-
ineute'das /itais regulares e puras que temos tid
(tnnitos apoiados), e nao ubstanteros adversarios
pIL'icos nao poderam mandar esta cmara um
reprp;wntaete, e neo) se adiaram com animo de
disputa-Ja.
rfaj ,xii, por certo, dante da corrupcao e da
eompres>ao que elle* recuaram ; oas por frague-
n e falta de confianoa na opinio, e perqu, em
um ou mi,Tu districte ero que poderiam vencer,
nao .icredit'am as garantas da iei que as in
floeiii-ias adjtrws acbariam meios de jlludir, laa-
Ssnlo /nao de** abusos por elle prticaucs.
A instabilid.^de polirica, qne leva a rtfugarero-
rera-se lo.?ii quV plem, no senado, co*) grande
prejuiw d'esia cmara os homens polljeos que
neUa se forman), provean da incerteza que ba as
eleicoes. eOn-o sau'/eitas, contando1 cada upi vr-se
arre.dado na prir, >e*a mndanc.a qne se operar.no
govern1, sejam qu e forera seus servigos e nota-
bilidade e a epnsidei >^ao publica de .que gosa.
0 elemento poltico', nao tem a vitalidade reque-
rida pelo rgimen tto governo em que viv
-se, nao c.
impelen le.
Tem-se attribuido esie'/acto duas cov-as : l'J
p pretendido poder pess'sal.do Iraper.idoj:; 2a, a
peryer>ao das i
Quanid primeira ir testemnohe decla-
rando posilivamento que, m l dous aunos em que
tenho tido a honra de ser ui, tdas uijnselherosjla jxir urna bem eo.^inada manobra di maiana
corda ; jamis o ministerio ii VsV npr qoalquer
podem cli-ijar s eondiedes re.ineridas elevndo-
se pi lo trabaUo, pela applicacao intellecliial, pela
confianza de seus coneidadis, estmulos lodos no-
bres, e que couvin que todos tenham f
Diese-se mala: Conservis o voto a quemo
tem. mas o annullais. *
.\';i i Timullo de-de que Ihe dou influencia na
repre.-cntaeao, nfiueBcia, verdade, contr.ibalan-
jada pelo numero dos eleitores censuarios. Nao
notis porm, que as ca s^es menos favorecis
at hojo i;ii sido mero instruraenio de elev. ju.
e nada pesara na eleicio dos representantes, pois
que os actuaes eleitores da parochia sao os que
passain a eleiieres cen>itarios, e portante vao agora
pela pnmefra vez figurar tambera no eleitorado
essa classes quo no facto tem estad' margem,
e s quaes eu quero dar, nao urna influencia ap
paraba*, nominal e Ilusoria, mas inflaeqcia real
exercida por mandatarios de sua escolha, e etn-
atianto na.i chegara. pelo Irabalho, pe i cultivo da
tntelligeneia ao voto se;uodaro pyr dieito pra-
pro.
t Os eleitores censitariossero era maior nume-
ro e suplantaran os indirectos, accrescentou-se.
Assim poderla ser se os eleitores censtaros fos
sem tolos do um partido e os indirectos do autro,
mas nao sej- esta a realidade, porque os primeir >s
sero os horneas do todos os partidos que posjui-
rom oa requisitos legaes, aos quaes se juntaro os
eleitores indirecto?, grupando-se uns aos outros
conforme auleniidade de ideas polilicas.
Misturis os aous sysiemas, lacis um araal
gama, um ab urdo, o moiilsros horaciano .
conclu-'.
Onde esl o amalgama ? Se eu defino precisa-
mente as condicoes, pelas quass se deve afferr a
capacidade, e digo que n as nao tiver, nem par
isso deixa de continuar a intervir as eleicoes co
mo al boje e emquanto as nao obtem Desinte-
resso os que heje fazem as eleicpss de erapregar os
meios postos era pratica para dominar a rttitra
classe, e firmo o direito de cada um, aioptaudo o
mesmo systema p.ir igual em toda a parte.
Vos que queris distribuir a influencia, n5o
-segundo regras certas e invariaveis, como convm
quando su trata da representacao poltica, propon
dpaeteicjb directa para as capitaes e para li-
gninas cidades, e a indirecta para os districtos ru-
raer, desigualando a influencia d voto conforme
o edado mo a, aqu eu all. Segundo pro-
gramma que redigistes para o centro liberal, o
habitante das cidades tem una intervenga) nos
negocios pblicos, o do campo tem ora! I-to
que um mopstru boraciauo.
Din dos vvsteraa* necessariamente raelher do
que o outro, apphqato a toda a popalsgo des te
ou daqn tile lugar. Pois bem, applicas aos mora-
dores das cidades o peior e aos do campo o me-
Ibor, ou vice-versa. como qnizerdes. Desigualis
o moilo da representacao e dais maior ou menor
inte'vencao neila, ajo conforme a capacidade de
cada uro, roas segundo o lugar ero qne cada um
se acba. Isto que absurdo. '
Sr. presidente ontro na liga j me defendendo,
pois fai valentamente aggred do antes do nella
apresentar-re. N3o se por>|ue esta anticp'So
ime s posso attribuir a promover eu as refor-
mas palos meios regulares da consiituicao, e nao
qpr las cuno aF.anja obteve concessesde Na-
pofeo IiL
O metbodo dealietaroento esbelecido pelo pro-
jecto da maior smplicidade. como conven). A
lista dos eleilqres permanente e s pode modifi-
car sa por sentenca do juiz de direite. Os ttulo-'
de aptidao sao definidos e irrecusavei?. Nesta
parte creio que difiBcilmente se-prjder aburar,
dand s reenr.-os'e tolbendose o arbKrio.
Est era moda o systema da representacao das
mininas, desde qne a cmara dos lords o admiitio
em parte mt ultima reforma ingleza. j Sobre elle
iirei algumas palavras. J se propoz^este anno
2 ornara dos cotnmuns por Ilusoria a revga
50 desta clausula, do bil, qae ero |)a votac
uraer >sa aguentoa-se apenas por oibrvotvp.
Fnadameniando a proposla de rewgacao, Mr.
Horisastle mostron com exemplos quinto era
falvef o systema, que den em omits dstriotoi
re^uItaJcs opposlos aos que se Uveranj em vista.
Sao mnito cbnbecidos os dons factis da exclu-
sa de Mr, Bottschjld. o celebre banqteiro. candi-
d.-to o mav* pupn/ar e sympatbleo do ity em Lon-
dres, o prcoJleclo o"a malbri, s criticada nos ma-
nejos entre a* jaioriae a minora ao raididato da
ia por irnia mal combinada evoJbeSa da-
i. O ciniJldalp liberal de Birminglan, iwia
do peta .minora, "flou fra de combate]derrotajjo
pois qne se approsima a hora
em qae devemos entrar na ordem do da, e tenho
escrpulo de gastar o lempo destinado discus-
tao do or^ametHo.
Assignalei tres origens ao abastardamento das
etecdas ra mso paiz ; o atraw d* edc.atfio
pottica; a pouca dffuso do eosino; a perversao
do tystema eteUnr/l.
Com o projecto que vou mandar mesa ob
am-*e os inconvenientes d lei actual, estbate;
cernise' um eleitorado perroaoeate formado
vista das provas positivas do censo.
A edueacao poliiica s pode cenolidar-se com
a tempo, mas podem adiaou-la as teis de organi-
sacao.
Publicistas mni nolavets que estudaram a In
glaterra, onde existem no mais alto grao espirito
publico e hbitos coastUucionaes na populacao,
atlriboem este facto s isibuicoes locaes daquel-
le pas. As ultimas cireumwnpooes terrilpriaes
sao governadas pelos propnos cidados immedia-
laroeate, e nao pop meio de maadaiarios. Os im-
postos locaes decretados potos que os pagam, sao
por abes fiscalisados par alies distribuido o pro-
ducto das contribuiepes, determinaJas as obras e
noreados os ensarregados de evauta-las.
Ne c vestri >, que assim se denomina a assem-
bla parochlal, aprende o uidadao mglez a inte-
ressar se pelos negocios coramuns, ter vidaeul-
lectiva com seus coiicidauaos, a formar e man-
ter opinio sobre os negocios de lodos, dispondo-
^e e preparando-se para os actos da vida publica.
A liberdade municipal condicao indispensavel
para a liberdade poltica (apoiados), cu, como diz
Tocqueville, o municipio livre para a liberdade
polmc o que a escola primaria e para a sciencia,
o primeiro meio da habilitarn.
Sera desenvolvamos a intelligeucia publica pela
difluso do ensuiu, pouco adiaolareiiis no terreno
poltico : podemos, como j disse em outra oeca-
sio, e repito, ter a forma, nao teremos a realidadv)
do governo livre. O adiantamento do eosiuo
para mim nao s urna aspiracao humanitaria, mas
uiiobeiH urna idea poltica.
Tem-se negado consuiucionaes a aptidao para
levar efleito as reformas, porque, dizero,as com-
batamos aiuda ha pouco tempo.
Quando a (izeuius? Qainio nao quizemos de-
senvolver o eusinu ? Quando nos opposemos as
franquezas muncipaes (lallo especialmente das re-
formas que promovo)? Quando impugomos a re-
forma eleitoral ?
Foi em 1868 apresentado cesta casa um projec-
to de reforma eleitoral corteado a dea capital do
quo agora aprsenlo. Est assignado, atem dos
Srs. Soaza Carvalho, Cbrisliano Dliooi, baro de
Prados o outros, pelo meu ilustre amigo o Sr.
Fernandos da Cunha. e por mim.
Toinei parle na orgauisacan ite-se projecto a on-
vi muitos de meas amigos'polticos. O Sr. baro
do Cotegipe advo>ou a idea no senado, e o mue
do actual presidente do conseibo oi invocado co-
m autoridade favor da idea. O que fazies
nosse lempo, v, que hoje nos^quereis excluir do
direito de mjburar a legislaran do paiz?
O Ilustre senador, quem me refiro, coinquan
to habilsimo jurisconsulto, desta feita foi infeliz
no formular aexeepeM de incompeluncia m que
veio E' verdade, eu o reconheiju, nao bavia ma-
teria em quefuuda-la.
Senhores, o partido constitucional, nos dias era
que a onda da innivacao irrelledda ameaca as-
soberbar e poe eia perigo os grandes p incipios
da oiganisacao publica, tero a DNsae .la resisten
pa, e evocando os iuteresses conservadores em
que repousa a sociedad*, trata antes de ludo rie
salvar o que ha do fundameulal. (Apoiados, mui-
10 bem.)
.Nos das placido?, purera, quando a autoriJaoY
sente-se respeitada, a liberdade esta garantida,
a nossa misso desenvolver praticamenie us gran
des principos das instiluies ( apoiados, muito
bem), dar-lhes vida, promover a realidade do sy-
teraa conslituciorfal (muito bem). Fundar nm so-
verno forte no seio de urna soeedade livre (ansia-
dos, muito bem), eis o nosso desidertum.
E' nacessario que o governo sej.i vigiroso^ te-
nha torca, em um paiz novo, para dar direccao e
impulso sociedade, para se dwen olverem os
elementos que encerra de pmsperidade ; mas essa
firca s pode resultar do apoio da opmio. nani-
festando-se vivaz e denotando as verdaderas as-
pirarles da naco.
E, pois.jios estorcainos as relormas, das quaes
diversas sao j coahecidas, por dar maior estimu-
lo ao espirito publieo, adianlar quinto cabe as
bis os hbitos constituciouaes, instruir todas as
classes da sociedade e tornar elTectivas as garan-
tas dos diretos individuaes, civis e pblicos,
(Muito bem)
A assembla geral decreta :
TITULO I.
CAPITULO I.
Disposiries geraes.
Art. 1.* Com os eleitores de parochia, Hornea-
dos na forma do tit 2 da lei n. 337 de 19 de
agosto de 1846, coacorrero nos cullegios eleito-
rai-s para a eleicao de deputados, senadores e
raemeros das assemblas proviociaes os cidaio*
que oa peeasiS) era que se pr. ceder eleicao es-
tiverem ioscripws as listas eleitoraes, de que tra-
ta e-ta lei. ^
1." Ser contemplado qa inscripeo o cidado
que reunir as seguirte* condigous :
1. Poder ser eleitor dos termos do art. 33 da iei
a 387^ de 19 de agosto de 1846 ;
2. Saber ler e escrever.
3.* Ter pago nos tres aooos anteriores, imposto
de casa de habtacao, cujo rendmento locativo
anaual nao seja inferior a 9605 na corte, a 360
as capitaes das provincias do Rio de ianiro, S.
Paulo, S. Pedro do Rio Grande do Sul, Babia Per-
nambuco, Maranhao e Para, a 240J as outras ci
dades. a 120 nos mais lugares.
i." Sern inscriptos, independenteraenle do pa-
gamento do impouo, se nao estiverera coraprehen-
ddos as exceui;oes do art. 33 da lei n. 387 de 19
de agosto de 1816 :
Os clrigos de ordeas sacras;
0 oficiaos de paienle do exercito e armada,
sem dis'nccao de activos ou reformados;
Os graduados por qualquer das faculdades de
nstrucco sriperioi ;
Os doutores e hachareis formados em qualpier
universiJade ou academia estrangeira, compe-
teotememe habilitados para o uso de seus graos no
Brasil ;
Os professores de nstrucco publica primaria,
secundaria ou superior;
03 fereadorts;
Os juizes de paz;
3. Os eleitores de que iratam os dous pra-
graphos antecederte?, nao terao Voto, nem po-
Jero ser nomcados eleitores uas assea)bleas paro-
chiaes.
CAPITULO II.
Dtu listas eleilavaes.
Artv2. As listas eleitoraes sero pormanentes,
salvas as qovas'inscripoo.os e exclusoea dos inscrip-
tos as quaes sse pouro verificar mediante pro-
cesso, que correr no juizo de direito da comarca
peto cartrio do eachvao do jury.
Sao essenciaes deste procsso :
Requenmentpiastru.do como; necessaos docu*
raemos; u>.u^
Affrxaeao (e pubeacjfo pela iroprensa, onde a
Sato"? ed,3M S frcas" do Vneri-
'i^s^0 PTa-1 9uand0 Prcesso for para ex-
clusao do cidadao ja inscripto, salvo o caso de mu.
danga para fora da provincia ; U
DilacSo de 30 dias pin nelles e interesado ou
CqiPr,.CJad-an'jnelaid0 na "^ eleitnraTcr'
Crecer allefacoes e docndiehtbs ero onnn,i,5
1 documentos em opoosico ao
reqaer.mento, conumdo-se os'30 das do da teca-
editae'*""J*> *" S mais da WW^S&s
doenmentos e alle^acScs.
8 A elimtnvicJo por fallecimento do inscripto
s poder sbr -Jecidida vista de certido de bito
e a requerida por motivo de mudanca de parochia
s o seci a vista dd documento que provo acbar-se
o mesmo oidado deyidamento inscripto na lista
eleitoral da outra parochia.
I 3.* No da 1" de dezeinbro de cada mu o
jniz de direito, leeisfiaj pasaada em
julgado sobre as redamaces, far escrever pelo
escrivao do Jury,aun sua aasignstura e raspon-a-
biftdade,cm ordam alpabeiica, ao livro para esse
dm destktado, a lista eleitoral de cada parochia da
respectr comarca, declarando ero seguida quaes
os nomos de novo incluidos-o qiues os emipad s
e junto a cada um destea ltimos o motivo da
exclusio, a data da deeisa> pela qual foi ex-
cluido.
4. O mesmo juiz far era seguida exlrabir
urna copia geral da referida lista, que remetiera
lugp ao ministro do imperio na curte e ao presiden-
te oas provincias para ser rapressa na folha que
publicar os actos offlciaes e mais tantas copias
quantas foram as paroebias e municipios que
abranger a comarca, todas por elle assignadas e
rubricadas em cada folha, e enviar al o da 15
de ezembro a de cada parochia ao respectivo 1
jaii de paz para ser afixada os matriz e a da-
parachias de cada municipio ao presidente da res-
pectiva eamara manidpal para se fazer por ella a
chamada no cojlegio eleitoral.
I 3. O servco tneamhfdo pela presente lei aos
juizes de direito e escrivies do jury ser as co-
marcas, onde honver mais da nm jniz de direito
do rime, desempenhado pelos meamos joizes do
crime e polos respectivos escrives, verificando-se
a distribuieao do trabalho na forma do regulaiaen-
to que o governo expedir.
CAPITULO III.
Dnj caUefis eleitoraes.
Art. 3.' Quaodo se u*ervda proceder eleicao
de deputados, senadores ou membros das assem-
blas legislativas provinciaes, sero com antece-
dencia pelo menos de 30 das convocados por edi-
ta! do presidente da cmara municipal, quem
compete a presidencia do collegio eleitoral, os
eleiiores inscriptos as lalas de que trata o Cap.
2*, para no da mareado s 9 horas da manha
se reunirem no edificio da seda do municipio
previamente designado palo governo.
I 1." As mesas dos eoltogios eleitoraes rompdr-
se bao, alera do presidanle, dos tras cidadios ins-
criptos ua lista eleitoral do municipio que tiverem
pago ao anno financeir > anterior maior sonima de
impostos directos e se acharen) presentes para a
eleicao e mais da< ires eleitores de parochia que
tiverem reunido maior numero de votos na eleicao
primaria.
i" A's mesas assim campo;las compete veri-
ficar os poderes dos eleitores de parochia, resol-
ver sobre a id'entidade dos inscriptos oas listas
eleitoraes e decidir quaesquer piestoes qae se
suscitaren) ao andamento dos trabalhos ue col-
legio.
3. A chamada dos eleitores ser feita pela
lisia que tiver enviado jaii 3o diretio na forma
do disnosto 110 do art. 2* e por urna relacao
fdita vista do diplomas dos eleitores da paro-
chia.
4. Sob nem uro pretexto poler a mesa re-
cusar a nsercao na acta respectiva de qualquer
protesto apresentado por alguui ou alguns dos
eleitores.
3 O municipio da cort sea dividido em
tantos collegins quantas mes a lista eleitoral res-
pectiva contiver 300 cidados inscriptos, salva
sempre a rotegridade .lo eleitorado de cada paro-
chia. O collegio que se rnu-iir no pago uiunici-
pal_ ter por presidente o da cmara, os outros
serao presididos pelo juiz de paz mais votado do
disiricto onde se reunir o collegio.
Esta dispwicao 6 applier.vel aos municipios cu-
jas listas etonuraes couiiverem mais de 690 cida-
dos inscriptos.
TITULO .
CAPITULO NICO.
KsjmsirUes geraes.
r. 4." Logo que se publicar esta
de direito < xigirao das competen!
fiseaes relades dos enfadaos que pagarem o
posto de que trata a condccao 3* do Io do
1, e separando os qne a vista do di-posto no art
53 da lei n. 387 de 19 de acost de I8i6 nao po
dero ser eh Mores na nao sonberem ler e escrever,
organisarao dentro do praso de tres raezes conta-
dos da mesma publcac.lo urna lista por ordem al-
ph.-betica dos residentes em c.;da parochia da
respectiva comarca.
Aos Domes contemplados nesta primeira lisia
adilicionaro os raesmos juizes do direito, vista
dos esclarecimentos que cbtiveram das autorida-
des e pessoas que julgarem compet rites para mi-
nistra-los, os dos cidalaos de que trata o % 2o art.
Io nao incluidos as relaces Qscaes.
1. Dn alistamento assim f ito serao logo tira-
das pelo escrivao do jury e asshrnadss e rubrica-
das em cada folha pelo juiz de direito duas copias,
das quaes ser ama de toda a comarca enviada ao
ministro do imperio na corte e ao presiente as
provincias para ser impresas na folha que publi-
car os actos 1 ulciaes, e a nutra de cada parochia
ao respectivo I- juiz de paz para afiixa-la na gre-
ja matriz.
2, Kos tres mezes seguintes o juiz de direito
receber as reclinaeoes aprsenla las por qBal-
quer cidadao que se considerar indeidame cluido ou excluido, por qualquer dos incluidos
acerca do terceiro. Do despacho do juiz do direi-
to, que se for de exdUsao sera intimado ao ex-
cluido, haver recurso para a relajad do duurcio
pelo modo estabeleeido no Io do" art. 2."
% 3. Seis mezes depois de despachadas as ditas
reelaraaces e publicados os despachos por edi
taes, o juiz de dir to, vista das decisoes pasea-
das em julgadi, far escrever >ob sua assignatura
e responsabiliilade, em ordem alphabetiea, a lista
eleitoral completa e a inrectificaila de cada pa-
rochia da comarca, e.n um livro para este Bm
destinado, por esle jub: numerado o rubricad"
rom termo de abertura e encerramento, eenviar
c[iias ao ministro do imperio na curie, e ao pre-
sidente as provincias, ao juiz de piz mais vota
do de cada parochia eaos presidenies das cmaras
muncipaes dos diversos termos da comarca na
torma e para os fius especificados no $ i do
art. 2.
Art. 3. .0 governo, no regalamento que expedir
para exacnxo da lei, oombiaar as multas em que
por omisso a transgresso de suas dispusic/ie:-
incorporadas os oncarregavlos Je executa-las. nao
poendo porm taes mullas oxee ler o mximo
das estabeleciras no art. 12 da lei D. 387 de 19
de agpsto de 1816.
Papo da cmara dos deputados em 22 de julbo
de 1870. Paulino Jos Soairs de Sonzu.

mo
ai
t-oe soa-famllfi.
nnlto; r
no/ne honrado, asaca
lei o i i/es
s reparticia
im-
n.
Pelo vapor talca. Citi of Rio de Janeiro, entra-
do hontem, recebemos de Munteaido aotias que
adianlam um dia, isto e t l* do correrte.
Um boleiiru do ransmo dia refere, relativamente
a Entre-Rios, que as tropas naeionaes entraran) a
16 na Conception, achand a ci lade j abanJona-
da pelo iniraigo. Sena dexar alli guarnirn, que
la Inerte sL-ria preza da Lpez Jordn, seguiro
para Gualeguaychu e (lualeguay. No primeiro
destes pontos, porm, j haviam estado os rebel-
des, afuyentando a guarmeao, que mais prudente
do qae a da Concepcin, se salvara embarcando
a pressa para Fray-Benios, onde se achava o mi-
nistro Gainza.
Afirmava se agora que Lpez lordan nao tinha
menos do 6,000 bomen,. entre os quaes 1,000 in-
fartes.
No Estado Oriental punham-se grandes espe-
ranzas as operacoes do general Caraballo ao
norte do Rio Negro. Quanto a Aparicio, diziatr
uns que se achava as vizinhancas de Sant'' M~
do Livramento, vestindo e armanJa a sua /"^ftJp' '
fazendo alli gyrar muito%diahoiro, jutros Tb'.'.'
va raortalraente doente, pelo que vin? ^,re "'a;
Medina pr-se atesu dos iMvolto?.^ eserai
Noticia aioda n bolePrr -. n,:> ..__. _
o vapoHnglez Sle- i 1na ^ ^.rnos paiaMonteV- "") vlilgem de. 'os-Ayres
pa]mvr, ^0, desembarcara na cosa de Nava
u, .-> o ccronel Ferrer com-Otilancos muito-
' se a nm bando dos seos pareiaes qu 'andavam
Pr aquellas arredores.
A cidade de Montevideo ficava em festa Cele-
brando o annlversarfo do uramento da eonsti-
cao,
|l>
* dias snbsequ'eotes a i
De conformidade om o art. 47 do decreto 0.
2,383 de 30 de abril da 1860, eoocedeojfse "por
decreto de 19 do co'trWt, ao patro-ttif do ar-
senal de marrana de Pernambnco, Gamillo de
^l'is Fonceca, a gra.iuacao de tenente da ar-
clusao do procsso er despachado pelo juiz de
" nrT'^'Se, reCQM? ao Pra d 30 dias para
HJutS0 d0.flSiro*5"'9.^gundo a forma mar-
qo se apresenteu osciplinada e-stratji ament Icada no? arts. 3} e 3 dv> regolanientr das relacoe
Falbaea hontem, dep ois de breve enfermdade,
o senador do imperio Fr aweiseo Jos Purtedo.
Occupoa importante p 'ipol na poltica do paiz
Deputalo assetubla gui aJ,senador,mnistro mais
Je. ama vez e presidente d provincia, distingui-
se sempre pela circuinstanr.*a na defesados polti-
cos que adoptara o pela m a^co de seu carac-
DIARIO DE PERNIMBUCQ
RECU^Jb DE JULft 1>E 1870.
\)tkia do an! ala iMpr^yf.
Cheg. ni hontem ap 1 v-4-w Mte_
La-P/uta trazendo,datas do Ra de 1 EL K
e da Rahia at 17 do correte. "* ^
Sob a rubrica Interior damos p jT mcnsa M.
netas raais importaotes, alero otn aptBJ,
roez encontramos nos jornaea a ue sesnem
' COTAS
\- No dia U de junho ntraw no palaem epce-
copal urna destrlbui^ao de premios dos iBeninuie
meninas que mais =e deMmgniram as festaa do-
de roaio.
PAH.IN.
Em Gurakessaba. teileceu o fazendeiro. An-
tonio Jos Alexandre Cardoso, e em Campos
commendador Candido Francisco Vianna.
s. PAULO.
O presidente da provincia liaba ido i f-
dade de Sanios examinar alguns meIhori mentes
materiaes.
Ficav organsada, e trabalhava attvarori-
te a arsociaco libertadora, composta de seohe-
ras.
~- Fallecer bm Santos o Dr. AntonioTei-
xe ra dos Santos, inspector do i besan ro provin-
cial.
Fura descaberto uro quilombo na fregoezia
de Nossa Seabora do (J. O rhefc-de pobria man-
dara ama torea para alli. Algans escra-
vos fugiram, sendo apprehendido-apeoris daos.
BI.DEJANEIO
O ensdo approvou o projecto fixapdo a Har-
ta naval para o exercieio de 187118|9, e pro-
segu 1 na disvusso do voto de grabas.
Pelo minesterio do imperio foi ordenado, a.
presidencia da provincia das Alagoas, que manda
proceder quanto antes eleicao para preenebi-
merto da vaga deixada no senado pela orle d
Sr. Antonio Lnii Dantas de Barros L^ite.
Bisas noticias coraraerciaes da ultima dala:
hduindo pequeas transaccoes nm cambio
sobre Im1res a S3 d. papel banc'ario e a 23 3/tr
i'i t/i e 23 I/i d. papel particular, soore Fianza
a 408 e 410 r*. por franeo, efTectnals iinje, e- cer-
ca d SOyOOO realisadas hontem a 23 1/ d. pa-
pel bancaro, sommam os saques pelo paqoeks /-a
Pltn :
Sobre Londres cerca de 3 630,000 a 22 /2,
23 n 23 1/4 d. oapol baacario, e a 22 .IA, 28 7/8,
23, 23 174, 33 l/i o 23 S/8 d. papel particular.
Sobre Franca etrea de ir. 2,640,000 aos ex-
tremos de 40 a 1OO rs. por (raneo.
Sobre Hambnrgo crea d M/B 126,000 de
778 a7S2 rs. 410T mateo banco.
Sobre Lisboa ePono regulou o premio da ta-
bella esninle :
140 a 135 O/O vist*.
139 a 134 O'O a 30d/v
138 a 133 0/0 a 6o/v
137 a 131 0/0 a 90d/v
Vendern) se hoje 13.000 soberanos a 10Mb,
20o apolieea geraes oe 6 0/6 a 84 0/0 e 14 diLas
do emprastiino nacional de 1868 a 990*.
A alfandega da corte rendeu de 1 a 83 de
correrte 2,224:013*337.
BAHA.
No dia 16 cemecou a eleicao para senador
na provincia.
Depois de algnma demora no porto' segni-
ram : para Nova Caledonia a fragata franeeza
Ncretdt; e para Genova e Marselha o vapor mer-
cante francez Welesley ; condurindo 63 pawa-
geiros.
A barca franeeza Paii .lrfrien, em viagem
do Havre para o porto la capital, bilea em uuia
tonta en frente praia do Unhao, consegnindo
CUsto safar.
I I* 'llecen victima de congeslao cerebral, o ba-
rao do Itio Vermelho.
- L?mos no Jornal:
A sooledde Libertadora 7 de Setembrr, re-
ceben do seu commissario na comarca do Rio de
Cuntas, o Itvd. Sr. ci neo Jos de 80071 Barbosa
coroaonioacio das seguirtes alfurrias' concedidas
om nome della.
I). Gal harina Maria de Oveira liberton 12.
escravos*: a saber : Mignel creoulo do 33 annos,
Jos, ereouln, de 30 anties, Jermiymo. breonlo.
de .'iO. lorio, (lardo, de 20, Margaridn, creoula. de
70, .11 ma, parda.de 26, Maris, par-i.1, de 23 e
seu (titro Man irI, de I anno, Benedirla, creocla,
de :!0, e seu filho Sergio, de 3, lesuinu, parda, de
3 e Tlteresa, creoula de 26.
o Fianrifco Xavier de'Sonsa liberton o esera-
rinho Jos, pardo, de l anno.
(f Joaqun) Antonio dos Santos liberton' sna es-
erava-lti bfrta, parda, rie 15 aunos c Jos Domiu-
sues -le Brillo seus e eraros Joaquim. africano, e
Fram;-m, cabra.
O cambio reirulava : sobre LondrrtS 23 1/2
d., tobie Pars 40."ir>. sobre Hambnrgo 7a5 rs.
A alfandega rendeu de 1 a 26 do crrante
746:486*113.
FEBNAMBUCG.
EETOTA DIAEIiL
MINISTERIO DA GUERRA.Scb o B. 1765 e
data de. 28 de junho, foi publicada a seguirte lei
da assembla geral:
Art. I. As forras de ierra para o anno ti-
nanceiro de 1870 a 18/I, alm do estado mator
general e dos ofBciaes dos diflerentes corpos do
exercito, na torma da tegislaeio em vgor.'no po-
llera 1 exreder, em circorastanmas extrae 1 diaras,
a 32.000 praeaa da-(iret e a 16.000 em ircoms-
tancias ordinarias. Nestas nao se coroprebendrm
as pracas dea depsitos de instrnego e de apren-
dizes artillieirns. as quaes nao excedero a 1.060.
c Art. 2. Fica em vigor o dispoto ro 8 do
art. 1" e 11 art. .) da lei n. 1471 de 25 de'setem-
bm de 1867.
Art. 3." O governo autorisado a alterar a
quadro dos corpos de amlharia, cavalhna a in-
natasia, reiluzndo os de guarnicao, organisando-
os como convier an servico.
Ar. 4. o porerno poder permittlr que os
oniaues de 1 linha, comrnissionados durante a
guerra lo Paraguay em postos sup. ores aos de
sua patente-:, continan) a-usar dos iflsfinctivcs
dos inesmas postos em qiwnto nao forero promov*-
dus, sem i reju.zo dos otciaes mais antigos, nos
p..tos ;. -i ,,ip Hles forero eiTeetivos.
Art. .i. Ficam revogadas as disposicoes (
contraro. ^
MINISTERIO DA JSTIGA.-Por dafaj- j, ,A
23 do coneute, foi ndeferido o requer- JZL 71
Plrroino Jos -le Oliveira, cap.tao secr ^ .era?
do comm-indo superior da guarda -V; f l
capital de Pernambuco, pediiidn-s ., i,"'^'0^ 1
gar. desdo o 1- de inhode 18"^ ^ ^L^
mensa! de aom da qual foi. XVSStl
rlaKHR ?rA,nPR^aCTOIlA.-Par portt-
etVuo?S II t, decl3rsda de D,Bh0m
on canta da^ ^aim fr<* "* Silv> Pra
susto de u* "a* f"ra esse Itrgar AMoBu
rnuc- "hve,ra Quintal-
racg *> F.FFECTIVO PE POLICA.-Por delme-
. v ^ a presidencia da p'ovn^a, da 28 e 29 da
' ^rrent>, foram nomeados: tenentcs cirnrgi5es
Dr. Jos Pereira da Costa Motta, e o cirorgS
do corpo provisorio Joaqnim Jos AIvps de Alou-
querque ; alfere^ da 1* companhia o tenerte ho-
norario do exercito Cimillo Machado Freir.
PROMOTOR PUBLICO.-A' seu pedido foi ex-
on rado o D-. Pedro Affonso Ferreira do prornotor
uablico da comarca de Palmares, por deliberare
da presid-mcia da provbcia de 58 do corr'te.
JANTAlt. l!,-alisou-so no dia 27, no hotel da
Europa, o jautar offereeido pelos Riograndenes.
d 1 norte aqui residentes^aos seus^comproviueia-
jne f zem parte do -fr balalhao de volunta-
rios da patria. Tendo comegado s i horas da
tird*e, nrbrogon-se a fest3 at 8 1/2 da noole,
h'aven-io sempre boa ordem e verdadeiro entha-
siasmo, e sendo.pronunciad ios patriticos discur-
sos pelos Srs. Rv.n. vigano iiuioio firaulio, e acadmico Armimo Alves M-
FALLECIME-NW.-Foi hontem.sepnitado o te-
nente-coronel Mariano Xavier Caroeiroda Cuiba
coinmandante do 42*bafaR)ao de infantaria da
guarda nacional, que falleceu de-uma ictericia.
PASSAMKM'i).A' ama hora da tarde delien-
tem fvlleeen, victima de ama apoplexia, neisge-
nho Frecheirm, o Rvm. vfario collado da fresjne-
zia do Altinho padre Afosiyiho de Godoy e ?as-
eoncellos. Seu cadver dei* ebegar baje' ao ti 1
da tarde da vis-forrea d> S. Francisco, aura -de-
ser sepultado no comiteiio publico.
(
1
I
A
I


Dtkti de '-ftJWAablfto S&Ibado 5tf ti I6T0.
-
9r
1
.
ASSOClAfJ
----- ..
laWrfo amuo
IXEFlCSN'TB",-
uTU (lo
i>> da flora direetorta.
J B*a soeiedade
aoje, m sessao extradralaari. as 4 h'o-
a da tarda, para tratar-s* de negocio* admfnjs
rauao*. Para ella sao convidado* todos o so-i
ORDWI TEHOBlriA DO CARMO. Achandu-s
raptere* a reipecbva apella, os novieos daor-
-am wreeira carme lina mao.tam apenas eele-
ry-anusUt ama miisa as 8 boras do da, a sua
lira a gloriosa Sai'n.aa, na igreja do Saa-
RNTftE URMEUTAS-.-Informam-nw (fas aei
jjjjgNes^al^rtadog pelo Rvm. Fr. Jo* lo Amor
iWllaearenbas;'o qua se acham presos a di*'
pftsload raemo do Rvm. Fr, Alcxandrino los do Rosario
lueidVa, foi namaado carador pelo Sr. Dr. jala
munieipat da 2* vara; e qua este ja requeren de-
*** dos libertoa,' pata promover a defz de
i*ens dircitos de liberdade.
ANN7VEKSARI0.*-Complou beatn 24 annos
A. L a Sr*. coudessa d"B. Por esse motivo
flveram embanderados os navios de guerra e
lacoes publicas, bavendd as salvas do eaivlto.
AninbSa faz 3f annos S. U. a meratn*
vhia.
MARSfLfO DrAS"Segya pjte para o'Maranho
mitaca tsiMraOpori de guerra.
NAVIO PERDIDO. A gatera ingieza Woburn
Mbep d- 1575 toneladas, carregaa de earv.i > de
podra, que em vagem do Liverpool para Aden
fcaixos das Haldadas em frente de Tabalinga, j
-aeba-se completamente perdida, nao so em vista
de lagar ondo est, com itiesmo pela grande
qnantidade d'tgua que lem no poni. O seo ea
pito Samuel MKlchel fallecen dea dias antes, ent
viageio; abandonan Jo a tripulado o navio iogd
que o vio perdido.
DJNHEIRO.O vapor niglez U Plata tronxa
3,060 'j para os Srs' Pereira Cafneiru 6 C.; e
JevA de nossa prajja para a Europa 700 ir?.
TRANSFERENCIA.A vlageUi do vapor nacio-
nal Manah para os poi tos do sul al Ponedo
jwr ordem do goverod para o dia 2 de agosto pr-
ximo as 5 horas da larde.
FEST1VDADE RELIGIOSA. Amntala cele-
brara os devotos da Senhora Sant'Anna do conven-
to de S. Francisco a festa de sua padroeira, oran-
do o_ Evangelho o pregador da capeila imperial
Vt. Joo de Santa Thereza, e ao T-De un o Rvm.
paire Amonio de Mello e Albuquerque. Consta-
nos que o templo acfla-se brilhantemenle decora-
ba, e que os devotos nada lem poupado para o
uaior brillianlismo da-teta.
O respectivo prngramma acha-se era o lugar
competente nesle Diario.
DECLARACO.-O Sr. veTeador Barros Barre
to pede nos que declaremos nao tor elle lomado
parle na mudanea dos nomos das mas da cidade
Assim o fazendty aecrescentamos que foi sen nome
inciuido em nosss noticia, eih vista da nula au-
iheniica que nos foi enviada da secretaria da ca-
ma r; munkipal.
LEH.AO.O das casas terreas da ra de Santa
Cruz ns. lii e 66, e o da ra de Santa Thereza,
in Ol.da, flcou transferido para ssgund i fera;
V de agosto, conforme est annuociado.
PASSAGF.IROS.Entrados do Rio de Janeiro no
vapor inglez La Plata:
Bernardo Augusto Teixeira Lefle de Queiroz,
Antonio Jo- Rib'iro Joo da Gasta,Pereira. Jos
Jomes io Nas.-imento, Joaquina Jo de Santa
Anua Jos Nuncs da Silva, Flix Jo.-cde Oli-
veira. /
Sabidos para a Europa no msino vapor:
' loaoj. Barbea. Jos S. Nev-, John Anderson.
Toin Elujrdo, P. Rasmusseo, Marcelino Mirqnes,
JoSe F. da Silva Serafn, J. J. da Silv.i e sua se-
oh-jra, Rernardinn C de Rezenle R. Jnior, F.
Alonso y Lpez, J. G. da Rocha e sua senliora, J.
Mara Pesco. Bernardino da Costa Ferreira, Ange-
lina Nanes, T. Vtale, Jo- Joaquim Goncalves Bas-
to?, Vi-eme F. da Ci>t.\, Rosa Mara Aalunes
Pautas e I filha, Homingos Francisco Arouea,
Williar.i W. e sua familia, Tiburcio V. BaptisU
Jnior, Uov, man e sua lilha, Tlioniaz Vilkensun.
ifte mrc^o neste Atadb de
nedcio da 4^^^H^i)ueremos
figurar en > denodado
d* ntersses soetftat pha qw ri* Mtam rtfis
as habibucftes; di>a-se, porm, qfle-aomos decidi-
dos oppoeloaf** da directora no relativo i coa-
tmuaco de sua provisoria directo, e eofflo no
ser; se afaVa-ae I* mais de un an&6 para
prestar cuntas de saa administracio, e ain al
boje tihi o fal 11 11 qaano ella feservaadft ape-
nas alguns das de trabalho parahuse llm p teria
posto termo sua dreccfe, pirm deffes tenr'fito
questo de mstes e at annos, tal tem sido o re-
sultado de seo conlinuids adiamealos.
Venba,''pbmoto, a direOiona, ottaualquer um
dos seas n.embYos, cojdo orgio da mesma dher*
nos nomfls de.... (^eja el 13 qual fdr, nao fazemos
dissn que-tao) ter lugar iinpreterivemente a con*
vocago da assembla geral para os (ios determ
nados no art. 24 dos estatuto, isso por si so bas
tara para nos impor o mais profundo silencio, sem
o que jamis forcoso nos ser fazs-lo, coacluinde
chamarmos a am-neio da directora sobre urna
publieacao inserida neste Diario ns. 166 e 67,
frlava i um'socio da ruados Pescaores, s di-
remos que a boa f da directora nao seria (Iludida
se bouvesse a 'devida D?calisaco.
4o digno corpo cleltoral da pro-
Tiacla e P^rtabieo
Aoostumado desde o anno de 1840 a re-
c'eber as mais distiDctas prrrvas conton-
ea dessa t.eroica provincia, legeaWo-me por
moitar vezs depuldo assembla geral,
e aioila ltimamente dando-me nao s om
assento na cmara temporaria, conj o tr-
ceiruitigir em uma lista sextupta, quo foi
offerecida a considerado dj cora para i
escora de dbus senadores: nao nw pare-
ce exagerada a nretenf ao de fazer agora
partda lista tripliee qolterft de otganiiir-
se para o preeqciiitDenio da vaga que no
senado rjeixa nosso prelaro comprovin-
ciano, o marquez de Olinda. Se pois in-
da nao desmerec (como sopponho) do lom
conceito, e da contati?a com qae tanto me
tem honrado, espero que o digno corpo elei-
toral da mesma provincia me nlo recusar
nesta occasi5o os seos votos, que solicit -
pela presente, em quanto me nao di-
rijo directamente cada um dos Srs. edi-
tores, dando j anlecipadamente os meus
agradecimentos por tao assignalad) favor.
Rio de Jan.iiro 23 de julho de 187.
Alvaro tarbalho Ucha Garateante.
Protesto.
-LtL
PBBUCANES A. PENDO.
Montepo Prfcuguez.
Bisjemos em uosm publieacao inferida nesta
olha de U) de mato que (estamos bem informados
ue a postergacao em parte dos g 1 e 2 do ari.
9 d.is estitutos devido demora da convocacao
-daa-s ;.be i geral' oque imparta o roesmo que
declarar i5j ter posio a directora termo sua
jjrotis ira direccao.
i> '- entao os fictos infelizmente o le n confir-
mado : elefta especial mente ha mais iedous metas
a coai.nisao^ de esame de euntas, ainda at luje a
xlirectorii nao cumprio para cora esse* Ilustres e
dastincios cavalheiroG o dever do 21 do art. 40
dos estatutos, dever esse que a directora cnnlrahio
para Cun a meiti commissao desde o momeiro
de sua i^legiblidade, esta nina prova evidente
une et'i euntinuacj vm desmurado de urna parte
aclj que iudeciinavelmente deveria ter para com
urgencia p'r termo A sua direccao provisoria,
sta j urna rnedonha falla commetlida pela direc-
tora, e peia qual potlriafflos alargar-nos em
atis vastas onsideracoes, aguardamo-nos, porm,
para ojitra opportunidale, se a directora demos
occasia.) para tanto, ou deivar de contestar-nos,]
alo obstante duvidarmos que possa faze-lo. .
Nao queremos attribuir que a directora terina o
llrme e tenaz proposito de continuar semelhanca
de urna dictadura ^ a gerir os destinos da sania
ansa da aatotiafio, p irm verdade que a exis-
tir una-unidad? de pensamento reunida una
orca de vomade, requisitos estes para, levar de
vencida toda e qualquer diQkuldade ha amito
4empo j teria posto termo sua direccio provi-
soria.
I'viiMitanJS a direcclona que Ihe s-jamos fran-
eos, nao queira pjr miis lempo coulinuar a dor-
mir o somno dos aaiamentos iodellaidos alias ou
<|ue carece urna das suas constantes e tacitas re-
\ nu^es contra os que proclaman) bem alto os
mais vitaes interesses desta til e humanitaria
-aasoeiacio, elles bradam todo o momento que a
directora ponha com urgencia ierra >s sua di-
receio provisoria, e ser crivel que ella se con-
sarda e muda esse justo brado? I !
Prtanlo o que urge e anclamos sabir qnande
< directora e^ar definitivamente resolvida pfjr
termo sua direccao provisoria, para onde est
volvida a attencjto de mnitos socios por demais
cansados por toWnezpIicavel permanencia I!
T.n". sii os escrpulos que temos. Elles.se
neceriam.
Sin, desvaneeeriam-se, se a autorisadae reco-
nbecda voz s qualquer de seos merabros nos
vtesse o declarar; prm nos duvidamos (duvida-
inj-lo inMiunente 11), tal a interpellacao que
ihe fizamos, na cettez* de que nao s tomaremos
o sen silencio como n-sposta afflrmativa de nossos
(raplos, como no? autorisa a crer qae ella re-
etosa de faltar a sua palavra em virtude (talvez)
da falla de coollanca d'ella deixa de responder
ssa iuL'rpellaija1) quando o dever d*. sua digni-
dadn Ihe impoe um urgente e satisf.doria res-
posta, como era de esperar de urna outra qualquer
i-Iministracn, nao a priraeira vez que a direc-
tora vira imorensa, ella j o fez directamente no
hrnal do Recife n. 206 de 9 de setembro do anoo
i, respondendo diversas accusacSas que en-
tao Ihe foram dirigidas, convidando ate o preprio
aatK oara o terreno da disciiss), se outra hora
..zia e-ue formal convite qnal a raza i porque dei-
x.ir du responder a nossa interpellacao !
Julga-D> porventura com inferior direita do
que o autor dessa pabliea?8e< ? f
Portante, na se diga que' ella dexa de respon
der nos om o fim de raservar-se para en assera-,
Wa g>rsl satisfazer todas as nterpellades, esta
iBterpeliacio nao est nessas condie^ies, porquanto
Convcala a assembl geral est ella satisfeu ;
umpre, porfanto, em resposta interpellacao,
annuociar a sua convocacao para os los determi-
nados no art. 2i dos estatutos, ou responder:quan-
do o pretende fazer.
Nao se* diga qae pertinacia nossa em pronun-
:no-nos contra o estado provisorio dadireecao;
nao se diga que escrevemos com o fin de molestar
qualquer um dos membros da directora (nlo te-
a mais leve offmsa para Isso) quando somos
os primeiros recoubecer a honradez e firmeza
ea elevado carcter e da forma porque com
juanea e idade tem attendido todos
.entes qae tra implorado
W* d a illimitada ooa-
r*i lela de
\ -r /,**in* > c -. r, f .reoso nos der
para qne ella eoatiaa era sna
Os abaixo a'ssignadns, moradores no termo e
cotnarca de Ilamb.eem sua maior parte propre-
tarios e agricultores, tend noticia de urna cor-
resp.,ndencia, publicada no Liberal ti. 183 de 21
dejunhi do crreme ann >, contra a pe3soa do
Illm. Dr. InVnelo dos Santos da Fonseca Lins, joiz
municipal-e de orphans do termo, apressam-sa em
vir a imprensa escrever um protesto enrgico
contra as diatribes laucadas ao dito doutor, com
notoria injustica e indignacao dos que o conhe-
cem.
O Dr. Menelo, moro dotado d urna intelligen
ca i.-sclareeida, assiduo em seus estados e de acti-
vldade inexcedivel, como iuiz, um ponhor de
segurancaa garanta dos direitos de seus jurisdic-
Clonados, ET um moro pobre que como magistra-
do vive c ni os mingiado-i recursos de seu empre-
go, mas quo, pela sua prubidade e independen-
cia, esta cima do alcance de golpes de qnem quer
que seja.
Qaem v e jnlga as cousas cora imparcialidade,
s descobra em seus actos de juiz, prova cabal e
irrecusavel do que Oca dito. Assim tem-se cura-
pndo um dever sagrado.
Itarr.b, de julho de 1870.
O vicario Antonio Rulino Severiano da Cunha.
Luiz da Veiga l'essoa Gfe*at.
Ludgero Cavbante da Cunha Vasconcellcs.
Adolino Cavalcante da Cunha llego.
Vicente Pereira. de Andrade.
Hanael Gomes Cavalcante.
Luiz de Souza Montiro.
Joiii Ferreira da Silva.
Simplicio Jos Pereira.
Joaquim G>mes Cavalcante de Queirz.
Tiburtino de Soaza Montein.
Jos Calnzancio do Souza.
Antonio Luitgard da Silva Monra.
Padre Augusto Cabial de Va;concellos.
Antonio Jos Brum Jnior.
Jos Pelippe Xavier Guerra.
Fidelis Codiha de Maura.
Bldame da Silveira Villa-Secca.
Saturnino Francisco de Souza e Silva.
Francisco Antonio de Souza e Silva.
Francisco Vidal Aranba Monte-Negra.
Jos Rodrigues da Silva.
Joo Chaccm Cavalcante de Albnquerque.
Manoel Joaquim do Nascimento.
Joo do llego Ba'rros de Vasconcelos.
Joao Dias da Silva.
Bento Francisco de Aguiar.
Mximo Jo da Silva.
Jos Gomes Cavalcante.
Antonio-da Motta Silveira.
Jos da Costa de Jess.
Jos Conrado Lobo de Albertim.
Antonio Lobo de Albertim Jnior.
Manoel Dias Correa.
Antonio Martns dos Santos.
Joo Mendes da Silva.
Manoel Mana Alvos da Cunha.
Joao Damasseno Moraes.
Joo de Andrade e Silva.
\atonio Felippe Cavalcante.
Antonio Al ves de Almeida.
Luiz Antonio de Aguiar.
Manoel Emiliano de Souza.
Manoel Thomaz de Aquim.
Paulino Gomes Cavalcante.
Firmino Jos Goncalves.
Justino Jos Alves dos Santos.
Rutiaiano Sergio de Mello.
Antonio Luiz da Silva.
Joaquim Aaranha Monte-Negro.
Bento Francisco Lnilgard.
Lueindn de Paula Cavara.
Joao Raymundo de Mello.
Joo Bapti-ta Honorio.
>s Francisco de M traes Vasconcellos.
Pretestat) Sergio Velho de Mello.
Joaquim Fran-isco da Cunha.
Francisco Alves Montiro de S.
Jooquim Jos da Hora.
Jos Joaquim Pereira C'rapos.
\hnoel Pereira Catnp '.
Lourenc de Barros Bezerra Cavalcante.
Trajano Das Correa.
Bellarraino Jos Feto-a.
Francisco de f'aula Rfgo Vasconcelos.
Marciano de Souza Flcao.
Mauoel Antouio Chaves Vasconcellos.
Manoel Antonio de Brillo.
Francisco Xavier de Andrade.
Francisco Fernandes da Silva.
Francisco Antonio da Costa.
Jos Felippp de Vascmeelros. ,
O.vigario Andr Curcino Je Aranjo Pereira.
Luiz Gueies Aleoforodo.
Antonio Miooel da Silva Marrocos.
Joo Francisco de Moura.
Franciscs Ignacio de Moura.
Jeronyrao de Albuquerque Andrade Lima...
Americo Joao de Albuquerque.
Joaquim Camello de Andrade Lima.
Antonio Camello Pes Targio Caraeiro de Mello.
Joaquim dAlbaqaerque de Andrade Lima.
Jos Leandro da silva Ma.rocos.
Pedro Gonfalves de Aranjo CoriolanO.
Man el Gomes de Sonta Bastos.
Rnliio Vieira da Cunha.
fotronio Portates da Silva Marrot5.
Amando J s.
Pranis;o Js Lopes de Albuquerque.
Martinho Alves Ciraello.
oi de Amoria- Lima
Candido. Alverja vafeante de Vascdncellos.
Manoel Sebji5 de Arauio Pedaosa.
Francisco Jos Lopes de Albuquerque Fillio.
Pedro Lopes da Mendon^a.
Joao Pereira Guedeade Araujo.
Joaqaioi Gomes da Silva.
Firmino G Cabral.
ivalcante de Alquerque.
Pedro da Canha Cavalcante.
Herculano Beterra de Lim
Francisco Cabral de Mello Cmlcante.
Jos Por8/io Oonlps de Andrade.
Manoel Barbosa Pere ra de Andrade.
/
M eJkiJ Uaa^llo Bts
! Domingos de Abrn e Vascotteetca.
Jos Joaquim de Sam'Anm.
Manuel Machado da Boha.
Joff Nuoes Pereira d
Joan Candido de Mello Lfota.
Jos Feliciano Obrar de Vasconcellot.
Francisco Josd de Sonta Pinto Filho.
Custodio Jos de Souza Pinto.
Francisco Jos Alves.
Manoel Amonio da Rocha Uchoa.
Joaquim Correa oVOIrvefra Andrade.
Manuel Correa do Oliveira Andrade.
Jio J s de Albuqoerque.
Justino Gomes dos Santos. t
E'tevfc da Motta Silveira.
fos Joaquim Reges de Mello.
Padre Joao Gomes da Silveira Marreca.
Joaquim Velho de Mello. '
Louren{o Velho de Mello PUfio.
Joaquim Velbo de Mello Jnior.
Joaquim Cezario de Souza Mello.
Antonio Jos Baptisia dos Santos^
Jos Aftons da Paixo.
J-io Ignacio d Mello Jnior.
Jos do Reg Granja.
Apolirrario Mendes de Ate vedo.
Izidoro Marinho Cesar.
Custodio de Oliveira Cavalcante.
Virgnio Velloso Freir.
Paulino Velloso Freir.
Haynltno de ATaU*> Lira;
Monel Guedes Correa Gomm.
Sanoel Pereira da Silva Wderlev.
annel Correa de Oliveira Lima
Jorfquim Francisco Cavalcante Lins.
Jos Jo llego Cavalcante de Albuqusraue.
Dr. Luduvco Correa de Oliveira.
FrankJim Feniaden de afio.
is Francisco de Ahneida.
oiz Lucas de Mello Jonior.
Lniz Alvo- de Carvalho Cesar Beriguel d'Andradd
Jos Faustino Gavalcate d Alhuquerque.
Peero Cesar Mrlnho Falda.'
Prancsc Xtvier d Silva AraO.
Luduvco. Francisco Rodrigues.
Joaqura Candido Pereira de Lyra.
Joaquim Jos da Rocha.
Candido Goncalves de Oliveira.
Joaquim Jos Mrira de Aguiar.
Jeo Evanqelista Cavalcante P^ssoa.
Jos Teixeira Borba..
Antonio Francisco' Bezerra de Menezes.
Iirnafiio Ferreira Guimaros.
Trajano Evaristo Ferro Castello-Branco.
An.-tu Jcis da S;lva Lima.
Manoel d Arauio Lima.
Pedro Amonio Generoso Badeira.
Gregorio Jas Estanislao Ferreira.
Mariano llamos de Mmdomja.
Vicente Ferreira da Silva Mata.
Manoe) Alexandre Pereira.
Jos Bapti-ta de Souza.
Alexandre Cabral de Mendonca.
Joo B.ptista da Silva.
Francisco Daniel Siabra de Mello.
Joo Pereira di Cavalho Maia.
Juvino Faustino Cavalcante de Albuquerque.
Henrique Faustino Cavalcante de Albuquerque.
Manoel Gomes (Je Souza.
Mauoel Faustino Cavalcanle de Albuquerque.
Manoel Jo- Montiro.
Vniato Auselmo Pereira' de Lacena.
Francisco Ignacio de Salles.
Francisco Gomes de Araujo.
Antonio Ferreira da Silva.
Benic:o Alves Carrea,
Jos Ferreira dos Santos.
Francisco Esievu de Mello.
Avelina Goncalves da Silva.
Joo Alves da Silva.
11-mrique Jos das Naves.
Joo de Souza Oliveira.
Herculino Alves Correa.
Joo Jos Ferreira.
Joaquim Vieira d Araujo Correa.
Vicente Ferreira Amaral Teixeira.
Jos Vicente Santa Aftua.
Andr Vieira Barbosa Curdeiro.
Feliciano Guedes Alcofurado.
Manuel Francisco da Penba.
BeUrmino Moreira de Andrade.
Manoel Elias Correa de Mello.
Manoel Joaquim do Nascimento.
Seraphitri Velho de M-llo.
Jos Francisco Vaz da Silva. *
Francisco Xavier Vaz da Silva.
Anloni) Vaz da Silva.
Antonia Pereira de Lucena.
Alexandre Severino de Santa Anna.
Joaquim Jacques Barbosa.
Francisco Ribelro Pes-oa. >
Francisco Alexandre Ribeiro
Jos Luiz da Cunha.
Ayres Aiitmio Pereira de Sonta.
Valdevino de S.nla Isabel de Barros Franco.
Manoel Ferreira da Crriz Jnior.
Jo- Xavier da Costa.
Manoel Ribeiro Dantas.
Affjnso Arlhur Borges Leal. t
Claudino Alves Pereira da Silva.
Joao Bapiisia Chaves.
Joo Googalves Carneiro.
Joaquim Francisco Baudeira.
Jovino Jo> Alves de Souza.
Joaquim Velloso Freir.
Henrique Velloso Freir.
Cosme Ignacio de Araujo Lima.
Joo Baptisla de Arruda.
Antonio Goncalves de Oliveira.
Antonio Galdino de Paiva.
Joaquim Montiro Guedes Gnndim.
Christ>v" Vieira Leito de Mello.
Urculno Cavalcanti do Reg Vasconcellos.
Tranouilind Ildefonso de Brito Caldas.
Jos Francisco do llego Cavaloanti.
Manoel Cabral de Mello Jnior.
Francisco Cavalcanti de Albuquerque.
Antonio Gomes de Moura Coutinho.
Franklin Celestino de Mendtwca.
Jos Henrique de Mendonco.
Thomaz Alves da Nobrega Peregrino.
(Esio reconhecidas todas as assignaturas por
dous tabelies do termo.)
MOTE
A macbambomba correr
Faca at tarde da noite.
losa.
Porque nao se ha de ver
Neste heroico Pernambuco,
(Onde cora voz de cuco
Cantam muitos sera saber)
A machainbomba correr,
Sera precisar calabrote,
Mestre Andr, nem de acorte?
Tocando oo Salgadinho,
Tacaruna, all perlinbo,
Faga al tarde da noite !
Simiflamengo.
s
0 artigo O commissario visita}
Carmo de Olinda ao publica.I
algons erros, que-Doa-apressanios
g'r-
Em vez da caraertrisco, laia.se~4atflfc?
nstico da ifjade madura Em $V d
esta calumnia ivoP urna vinganca, leia-ae
-involve urna injWa mitiba ta*kd &
bomem.
Em lugar desenhores, que sen litlo
egitimo ospossuia. Iea-se-que, sm titu-
Jegitimo, os possolam. Em lugar defal-
ln ao novo pretndeme a, Ver o engenho
lta-sefoi o^novoprelendeote ver o en*
genho, e am urna conferencia que, em qp
nha Dresen?a teve com Fr. Joao Lucas, fm
vez de ex-vice prior, dig-sevigario pror
Onde sel-prefilivalocil. leia-se-pVe-
lasia local. Em vez deo revd. provine
cial do Ri reclaraou contra aquella alforria
a sera sua licenca, leansecontra acuella
alforrra s'em sua Kcerrca.
Deram-se outros muitos outros erros que
jjf-MffigiftncjVdo fiwr facilmerrle suorirt,
principatmenlees erros de vergnlac-ao, coa-
cordancia etc., etc.

?IA<;A DO RECIFE 9 DE JULHO.
DE 1870.
as 3 1/2 HORAS DA TA.BD*.
Assacar da Parahyba-?iO por 15 kil. posto a
bordo, frete de i7|6 sera capa.
Algodo de-PernambucO sem inspeceo 7S1 rs.
por-kil.
AIdSo da Parahvb 1* sorte 831 rs. por kil..
frote de 3|8 e 5 OjO por lib.
Cambio sobr4 Londres 90 d/v 22 3,4 d4 por l
Cambio sobre rtrft 90*dw. 417 rs. por franco
Pelo presidente.
Mosquita Jnior.
Pelo secretario,
A. P. d'Lemos.
pelo dirai t proiess fine genero-
Mftaente s rb- te diterliraento.
uta. i
A poesa obj^H intitulada :
a iii:\u %f,\
recitada pel actor Babia.
QrjRtA PAftfS.
A sempre apptadida comedva efl am acto, or-
nada de msica,
ims ds mam
am parte a beneficiada e o autor Babia.
mellciada. desde j se antecipa a agradecer
itrado publico praimbucano. a qonr pela
vez recorre eW busca da saa nanea dee-
proteccao.
le igualmente ao generoso publico qtte Iba
dispense as faltas qae por ventara se honverm
de notar, quanto ao sceoario do theatro, visto
como este nao se actra anda preparado.
Ao Sr. Ooimbra* agradece a sua1 pMtantropiea
condescendencia em tao bem se manifestar a ser-
vi- la. '
Boga ainda ama vea s pessoas que se digna-
ren) uceeitar billietes para esta nouie o obsequio
de saBsfaz^rem ?s suas espartlas na mesma oc-
casio do espectculo, em virtude da sua prxima
retirada para fra da provincia.
Principiar s 8 horas.
. PREgOS.
*" *>dem........................ Him
5,' ordem desde n. 1 at td........ IOOOO
Os nmeros 11, 1 i, 13 e H......... 12*000
Uen. loatfi................... 10/090
C*BlrM......................... jiooo
N.B. Um quarto de hora depois do espciaculo
haver nm trem especial parando em todos os
pontos da linha dos Apipueos.
CtfMpauhla amer^aoa e braai
mru d paquete a yapei.
At o dia I* de agosto esperado dos porlos *>
o vapor americano norlh America, o qna
depois da demora do coslnii- seguir par New-
i mo no Para e S Thomaz, para frotes
e pa*afeip Irata-se com os agentes Henry Pbrs-
ter 4 C. rba do C nnimirclo n. 8.
^Ki du* passajwfM para o Para.
Ai passaa>ns para o Parar na 1 classe custa 1104
______ na proa dbg
Marahao
Segu con brevidade para 9 porto cima o pa-
Ihabote nacional Joven Artkur, ainda.pode recebar
Iguma carga e trata-se com os consignatario*
IfiWnio Laiz de Oliveira Azevedo A C, roa da
CftB n. 57, andar
Para o indicado porto recebe atguroacargaa
frete a barca nacional Srinta Mana : irataoo-so
com os seus consignatarios Amorim Irmos 4 C a.
ra da C-uz a. 3.
ALPANDEGA.
aeadiroeniododia I a 28. .
aero do tu 29.
938:965*178
19.7574438
958 7224616
MOVIMENTO DA ALFAtVtiBGA
(olumes entrados com fazendns
Idea idsm com geueroi
/olumes sahidos cooi (aienda
dem dem oto genero?
2i6
417
663
273
258
----- 531
descampan boje 30 de julho
Vapor uglezGladiatortnereadorias.
Patacho inglezAtalantaidera.
Brigue suecofiaredem,
l'jtacbonbrti-allemoLevonteideal.
Patacho inglezBrnkiuai.
Brigue smeo3finntaboado.
Baca poriugneza Atexan>t)-e Herculanolagedo
Barca inpteaMimosaferro.
Barca inglataFagusideih.
IECEBKDOIUa HUNDAS INTERNAS BAESE PSR!AMJ}FC6.
endirabntode dia 1 a 28! 06:3634811
Ideui do da 29...... 1:2164092
( 67.579*903
CONSULAB PHOVIMCT"
Rendimento do di.i 1 a 28. 125:5444353
dem do da 29. 1:813*392
127:3564745
MOVIMENTO DO PORTO.
Navjot entrados no dia 29.
Aracaty20 dias, hiate brasleiru Graciosa, de 68
toneladas, capuo Joaquim Antouio de Figuei-
redo, equip.igem 7, carga varios gneros ; a
Barihoolmen Lourenc.
Rio de Janeiro e Babia, 5 dias, vapor inglez La Pla-
ta, da 1,757 toneladas, eapUo commandante
Hole. equipagem 130, carga difidentes gneros;
a Adamson Howie & C.
Navios saludos no mismo da
HavanaBrigue hespanhol Jlfoitar(A'i, capiio Sal-
tador I"tru, carita ame.
Barcelona =Snmara hespanhola Jote* Elisia, ca-
llo Jayme Pl, carga DrodS.
Rio da PrataEscuna dtaamarqueza Jno, capta
Bohm, carga sucar e aguntente.
Sowtha nptou e p irlos intenn-dioVapor inglez
La Plata, commandante Hole.
SURAOOES.
AO
Sr.
i
*foo Baptisla Gomes
Peona.
Sua sesunia publicado deixou a mani-
festa prova, de q"iie um injustificavel de?-
peilo que o anima contra mim, desde
que n5o pude satisfazer soas iojostas pre-
teoco'os, visto que nao destru o cousa algu-
tna, do que alleguei.
Notei at um um certo desconchavo cm
soas ideas, que mi fez sopjor a existencia
de podromos dos padecimentos de seu fi-
nado pai, que por V, S. foram' denunciados
em juizo propter pecuniam.
E desde qu<* n3o ha allegac3o de fac:o,
que en contestei, bem v, que nao posso
perder tempo em decifrar suas charadas,
adeus,
Francisco Lucas'de Souzo Rangel.
P pnoveUar a oecasISb
O Rvm. Sr. padre Antonio de Meflo Al-
bnqoerque, reparando em minha resposta
ao Sr. Jlo Baptisla Gomes Peona, diese,
que inerviera na escritura de partilhacaa
como tesiemuoaa, e nio como conselbeiro
della, como me asserverou a Sra. D. Felippa
Mara da GoiceicSo. Quero que assim seja
e entSo mais meritorio o acto do Sr. Se-
bastian i .nna reconliecendo seas filbos.
Mas como soube V. Revma desta es-
criptura 1
Cbmoe porque ratlb a espflcialidade dj
ser Y. Rvm, testemunha ?
Conselho de compras navaes
0 conselho no dia 30 do corrate mea. promove
a cqmpra, sob as coodic3as do estro e vi^ta de
profostas recebidas at as 11 horas da m?.nhaa,
dosobjectos do material d armada seguiht) :
1 mastro de 67 a 70 ps de ompriineoto e 2
de liametro para o brigue barca tamarac, 50
cadferitos de papel mata-bnrrao, 500 puearo1- de
folla, 800 follms de zioco, 400 libras de pregadara
de lineo, 10 resmas de papel cariuxraho, 30 arro
baslde estopa para machina, 8 arrobas de estanto
em verga, 250 eovados do haetilha, 10 haldeadei-
rasde folha, 6 fotos inglezes de 8 ps de compri-
mei|to e 6 ps de largo, 2 oculos de alcance, 60
barjas de ferro inglez proprio para grelha e 80
covidos de oleado para assoalho.
1\u.bem o conselho, vista igualmente de pro-
posas e sob as cond'cSes do estylo, contrata no
mencionado dia 30 do crreme m o fornecimen-
to pir tempo de seis mezes de carvao de pedra de
Carcin*,ew-Casile, e do Uno proprio para forjas.
Sda das sessoes do conselho de compra* navae-
27 di julho do 1870. ^
O secretario,
______Alexandre Rodrigues dos Aojos.
Juizj dos feitos da fazenda
Deiirdem do Illm. Sr! Dr. juiz dos feitos da fa-
zendaflesta provincia, faeo saoer todos os arre-
matanps dos bens do extincto vinculo de Itamb
e bemasam seas fladores, que dentro do praso
de 13 aas, a contar da data deste, e sob as penas
da lei.deverlo comparecer por si dtapor seus pro-
curadores na thesonraria de fazsnda ; aquelles
qae ariemataram vista para recolherem aos co-
fres daimesma tbesouraria em dinheirode coudo
o respettivo preco, e aquelles qae arremataram a
praso, i seus fiadores para assignarem as letras,
que seprigarao aceitar e garantir. *
Recii 36 de jnlho de 1870.
O escrvao,
I Luiz Francisco Brrelo de Almeida.
Adnlaistraco dos crrelos de
Peinambuco 30 de julio lt.
Mala pea vapor Ipojttca da companhia Pernam-
: ancana.
Acorrepondendaque temd* ser expedida hele
(30) pelo vapor adfla mencionado, para os
portos do norte, era recebida pela maneira se-
gainte :
Magos i joraaes, impressos de qualquer nata-
reza e caltas a registrtr at as 2 horas da urde,
cartas ordinarias al a 3 boras, e estas at 3 Irt
pagando forte duplo.
. O administrador.
Alfonso do Reg Barros.

THEITRO
HMICO
etgoatodi
> HA ACTRIZ
Dowlago 31 de tgoaiode lSfO.
ENFICIO DA
THEATRO
DO
CAWNHO NOVO
(Sociedade)
AMANHIa
GRANDE NOVIOADS.
Aporque os protessorea musios tenninarem a
execucio de urna escolhida ouvertura, abrir-se-
ha a scena. nella apparecero prestidigitador b-a
sileiro Eufrau>ino de Hollanda Cavalcante, que
animado pela benevolencia, apoio e hospitatidade,
manifestada pelos habitantes desta cidade, para
com os artistas que veem em procura de meios
de licita snbshteneia. tem a honra de nfTerecer
ao respeitavol publico; um variado a entretido
espectacnlo, eonsislindo de exereiclo de physica
mgica e danca de eorda bamba, dividiao pela
maneira seguiute :
PRIMEIRA PARTE.
1.a Astucia do malheinatico.
2. O jogo do bilhar ou o modo d colher fruc-
tas.
3." O cobre maravilhoso.
4.a A resposta ty wgraphca.
Intervallo de 15 minutos.
Sr-.NDA PARTE.
O deslodador brasfleiro Vicente do Reg mos-
trar mais urna vez a lorca de habilidade.
Intervallo de 15 minutos.
TERCEIRA PARTE
Esta parte ser preenchida pela danca da cor-
da bauba pan terminar o espectculo na qual "o
artista subrado tres vezes exeeutar iuteressanles
e difloeis posicoes.
Sendo a primetra vez que elle tem a satisfacao
de vir a esta cidade e a honra de submetter os
seus trabalhos ao juizo e apreciaco de tao Ilus-
trado, quauo hospitaleiro e generoso publico, es-
pera que a saa expectativa nao sera niallogrado-,
o'iieno nma patritica, indulgente protecQSo e
acolhimenlo.
Preros:
Cadeira superior 23000
Dita geral ijoon
Ditas resan-adas para familia em camarote 2000
Principiar s 8 horas.
CIRCO
NO
PAV1LHA0 DES. ISABEL
companhia
EQLESTRB UMASTICA E ACROBTICA
SOB A DIRECgO
DE
D. Luis Casali.
Dnas escolhldas funeces
Domingo 31 de julho
QUE TERiO LUGAR
Urna s 4 l| da tarde.-
Outra s 8 1|2 da noute, como de costume.
A companhia, desejando dar um beneficio para
o Hospital Portuguez nesta cidade e outro para o
Asylo de mendicidade, Cuoseguio dos Srs. credo-
res deste pavilho urna coacessao de dar mais
algumas funegoes nesta capital, visto achar-se ex-
tineto o contrato que cora os msalos hivia cele-
brado.
PROGRAMMA.
PRIMEIRA PARTE. *
1. Urna linda symphoaia derigida pelo maestro
Martin-.
2.a Pela primeira vez, os Amadores da Batuda,
por quatro curiosos e os demais saltadores da
companhia.
3. A menina Joannita, sobre o cavallito raSsca.
4.a O pao voador, pelo applaudido Vicenie Ca-
sali.
5.a Morillo, ca vallo amestrado em nevas posi-
coes.
6." Exercreios sobre ara cavado em so, por
Vicente. .
7. Ura jocoso entremez, pelos clowns ou pa-
8. A menina Jnannita, sobre um eavallo.
Intervalo de 30 minuto*.
SEGUNDA PARTE.
1.a Syraphonia.
2." DfBceis sahos sobre trincheiras, pela senho-
riu Anua.
3 A raulher era trajos menores, sobre am ea-
vallo, por Luiz.
4." O trapesio pelo applaudido artista gymnas-
tico Aldabo.
14. Fiuatisaudo-se com urna apilaudida pamto-
miraa, intitulada : Os torneiros'de Saint Clau.
A mesraa.funccao se eiecatar s 8 1|2 horas
DTaranho
E esprirda do Rio de Janeiro e poneos dia a.
blrca porlugueza Varia, que trai i> aUam er-
ga para o referido porto ; e descarregaM a m
para este eondazir, recebera aqui a que for,m-
sivel obter para o Martbao, e com penca demo-
ra : por isso quera dsejar aproveitar esta do
occasio de embarque, dirija se ao ooOsigMlari
Joaquim Jos Gonfalves Bellre, ra do CoBj>
mercio n. 17.
RIO DE JA)
Para o referido p.rto ist protfpto receher
carga frete o brigue brasileiro (Mulo : tratar
com seus consigna arios Amorim Irmos de C., a
ra da Cruz n. 3.
NU
f
Para o referido porto pretende seguir cwo bre-
vidade o patacho nacional Protector, por ter a-
maior parte da carga prompta ; e para o resto, at
frete mdico, trata-se com o ron-ignatarto Joa-
|uim Jos Goncalves Beltro. ra do Commereio
n. 17.
Ru> de Janeiro
Pretende seguir para o referido porto com a-
possivel brevidade o patacho Montiro por tor por-
cao da carga engajada ; e para a qae Ihe rata .
e-cravos a fret, traa se com o eansignsiario Joa-
qnhn Jos Goncalves Beltro a ra do Commereio
u. 17.
PAlAV
Para o referido porto, pretende seguir coi a.
po'sivel brevidade a barra porlugueza & JoOo.
por ter j porca.. da earga, e para a que Ihe falla
a frei8 coramndo, trata-se enm o consiunalario
Joaquim Jos Goucalves Delirio : a ra do Com-
mereio n. 17.
LEILOES.
miudezas e pausaros
O agente Eontual, competentemeiue aatorisado.
vender em Rnao um grande sortimento de miu-
dezas em pequeos lote-, Main como excetlenhss
passaros, como sejani. canarios do imperio, ditos
da trra, sabias, curios, corropides, checbos,
etc. etc.
HOJE
no armazem sito ra do Imperador n. 16, s II
horas.
Das casas terreas da na de Santa Croz i--. Ot
e 66 e Cotovelo n. edificadas em cha..- ,.i ..-
com grande quintal murado, sendo rjua "^ f.m-i.*
das primoiras do para o fundo da casa ai i.i i
do Cotovello com porlo, tend i urna das rtw
grande sotao.
Segunda-feira Ia de agosto s II horas c nwu ra
ponto
Por Intervencao do pente Pinto, em mi "m|i-
orio na ra da Cruz n 38
da grande casa terrea n. 11 da ra de Santa The-
reza em Olinda com 11 palmos de frente, 88 de
fundo, com ama meia agua pelo lado do sol com
177 palmo* de frente e 33 de fu ido, grande
pnmbal no mesrao correr rom 6G pilmu,. quin-
tal grande e todo murado, e um grande vi-
veire
Segunda-feira Ia de agesto
As H horas em (ionio
por intervencao do agente Pinto, era sen escripto-
iio, ra da Cruz n. 38.

da ndtfte.
frects
6 eatrnaas........
liara arles com
Caderas.......................
CaderB avalsas-para sedhora.....
Geroes..........................
Os "bifh'e.tes de camarotes, cadiirae
vendem-'se no mesmo circo.
4300
2IW0
2^000
10001
platea.
Ao publico
Logo que o atlfsta Cesar Casali se aehar res-
tabelecido do incominodo que o accommetteu,
por;se-'h3o aprecico da illustrado publico os
pedido tTe? trapalos sublime inven^ao do ad-
mirado Mr LOtard.
*-r*
COSPANHA PEKNAM6UCANA
DE
?apor
Avisad
portas
boje a
noatltHMnl
tarde.
Raeeber ainda
eiMrtefra 0f
IMNfPiKI
'm paraos
,va rea' nados: par
Movis, louca e crystaes
A SABER
.\o priineiro andar
Um piano, urna mobila de Jacaranda, donse-j
pelbos, duas estamos, duas cadeiras de balaa|o
qttatro candieiros a gaz (lino?), quatro rieoa jar-
ros para llftres, qnatro fraseos para chetroa, qua-
tro figuras. eBfeites de mesa, esoarradeiras, tope-
tes, panos de croch, duas serpentinas, sais vasos
e quatro casticaes.
Urna outra mobrlia, um rhereoscopo, ama pis-
tola, dons albans, una MCBlleote secretaria, ama
estante, diflereoies livros, dous candieiros e daks
tapetes.
Urna cama franeeza, eupula e cortinadoa,"af
toulet, um tapete, nm guarda vestido, nm guarda
roupa, um lavatorio e pertences, um porta-tustfeas
e eutros objeetos.
\o segando andar
Urna mesa elstica, um exeellente guarda .toan.
nm aparador, um sola, duas cadeiras de bruna*! e>
doze de^uarni^), um rlogio de parede, duas es.
tantas, dous candieiros a gaz,.um oculo de aleara
ce, dnas meios apparelhos de porcelana paxaJM-
taV, dous dlfos para cha, copo1, clices,
cotnpatefras, porta, qnei|p, gailieteir i
Un guardalouca p^qupno,um aparadir<
to, nma mesa cora abas, dous espetaos, urna mar-
queta, dor cadeiras, um rclogiO, om lavatorio,
um guarda-comida, flraodres, bacifls, trem Be eo-
zioha f. muitos objectos existentes noSORADO
DA RA DWEITA N. 34.
Terqa-feira, 2 de agosto
Jos Jeranymo da, Silva, tendo-se retirado para
a Europa com sua familia, far leilio por imer-
venco do agento Pinto, dos movis, louea e uui-
objectos cima descriptos, existentes no prroifca
segundo andar do sobrado da ra Direita n. Ti,
se efectuar o I cima iliiiimal'
Principiara as dez boras era ponto por serena
moitos
AVISOS WVttWS.
Freewty?e
de um pequaor
ttoeeber amia eatwlt
da rd
afca nilhuiiai
angommadeira
orna
pratiea da roo
PW"1 bepaTS^fSa "^
at o dia 4/eaao.nmea^ **J a tratar n roa do

nma tserata perita taxinheira,
: a tratar na ra Formosa a, 2t.
^


Diario de PemamJnK Saibado. 3Q de Julho de 187*

Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'nma
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de jois d'ouro, prata e brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Earopa- eujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de le.
_________________MOREIBA BIT ARTE C. _________
m wmmmmmmm wammmmmam wMmxmmmm
PHARMACIA CEBT1AL
Ra do Imperador n. 38
Xarope de lactucario d'Aubergier, e de
iheiy deoio d'Abbadie recommeodados,
como cateantes para os casos, en que se
nio pode osar do opio e de seus prepara-
dos, e nui toaveoientes para as criancas
nos espasmos e convulsoes.
PHARMAA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Preparados d'aicatrao em capsulas, licor,
e xarope ferruginoso.
ACIA CENTRAL ROA DO iJFRA-
DOR N. 38.
Piluias de Vailet.
Pillas de Blancard.
Piluias de Bland.
Xarope farraginoso de Blaocard.
Confeites de laclato de ferro.
Piluias de carbonato de ferro, laclado de
ferro, iodureto de ferro com magoezia.
Ferro de Quevenne.
Assucar ferruginoso.
AVOZDAVERDADE
Hotel Agria BriHunte
Ba estrella do Rosarlo n. i
Os proprielarios oete estabeleeiaiento leem
honra de participar ao respetare! publico que
desde ja se acna aberta aua cafa, onde eneootra-
rao a lempo e a hora, commearias com acopio e
PeAsMn cooo recebe-se assigia turas, mandndo-
se levar a comedoria aos assignantii, se uo fcve-
rem portador, aflancando os proprietarios tudo
cora a devida promptido a seus freguezes. .
Prevenco
PERDIDO
Perdeu-se no dia 23 do corrente da roa Au-
gusta roa do Brum, cento e dez nll res, era
duss notas : quem as achou e qnizer restituidas
dirija-e a roa-da Praia n. 59, que se dar os
signaes e ser generosamente recompensado.
iiffiiiiim!
s
m
m
i
S
5< B o o ^ -
*!
=3 B>-
Ol

oj 3 q,-q a. o
cr B5'_
2 S _-3 3
u Ola a "Z'
z.-z*,-' ? S 3Ja
W W 3 ^3 O
* g 2 2 .. s S^
SS o. 5 3." ea.2
w a a> o
f-*||*!-l
BS?B.io-i
o S' .=-S
l| |c,0||l
*KI|
-D~ C 0 63
" S rr = >
811 a w =*!
2 o 2 _.

^3
S
P-
o
I
3>
p
p-
O
Bsp
ps tO
O
-->
es ce C3 O
o
~3 D
S3 p
" -+
o
CB
O
3*5
= 3 a>
n o ^ n
rs <> 3 ~ =}'
lfl;H
_ 1 O O
3 3 =
' M Bul. .
asi C"3
3 i
=. C <6
en
n, = o
i
> ) i!. C a
a x o.
- O C3 &J ...
2xj S
r-" ^ 5 *S 'c
* ?M 3 CO 3-
N CJ V **
3
o
en
o
?o
es

i
s
s
H
O
h
o
9
P5
1 TIL ADULUI
SVende-se tabelas compararativas de pre-
cos de metros covados e vice-versa, mos-
| trando primafacie o valor de qualqcer
i fazenda, em relacao s mencionadas medi-
I das reciprocamente : em casa de Latlacbar
| A C, ra do Crespo n. 9.______________
81 i Precisa-se fallar com o Sr. Jos de Barros
81 Acciolv a negocio de seu interesse : na praca do
B Corpo'Santo n. i7. f andar.______________
j Aluga-se o soio do sobrado da ra de Hor
SI las n. 48 : trata-se no Io andar.
Achando me nliou*
costuiud4a regoi e un a menor aaera^i>
os trabaibos de miniu otBcina de pii
a ra do Cabug a. 18, esquina do piteo da
matriz.
J. Ferrera Tllalla.
MOFINA

Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
crivao na cidade de Kazaretli desta provinsia. o
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a oncluir
aquelle negocio que V. S. se comprometteu reali-
sar, pela terceira chamada desle jornal, em fios
de dezembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e nala curaprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
flm ; pois V. S. se aeve lembrar que este negocio
de mais de oito anuos, e quando o senhor
filbo se achava no estudo nesta cidade.
sou
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vinbo e xarope de pepsina e Jdiarthare,
excellenie totiieo para auxiliar as digestes
difficeis nos casos de debilidade do esto-
mago.
mmmmm mwmmwm
PHARM.\C1A CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua hemostbalica de Lechelle, mui re-
commendada em qualquer caso de bemor-
rbagia, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as hemorrhagias uterinas
PHARMACIA DENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binac3o do iodo com o sueco de'plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cachloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, s5o recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pharma-
cia.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
Dilha, salepo araruta, ferro, e de sade, da
acreditada ollieina de Menir.
Saboneteg d'alcatro, d'acido phenico, en-
xofre e camphora recommendados para as
molestias de pello como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita ulili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettel-a.
Na travessa da roa
das Crozes n, % pri-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre pontaores
de ouro, prata e brilban-
tes, sejaqnal foraqaan-
ta. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.
Fublicaqo jurdica.
RepeticSes eseriptts sobre o direito adminteira-
tivo brasileiro, para servirem de expliesraoe com-
plemento aos elinsntos d mesma sflenria, qfte
servem de lexto as respectivas proleeeoeg na "h-
culdade de direito da; eidade do Recite, pelo Dr.
Vicente Pereira do Reg, lente calbedraiico da
lorceira cadira do qninto anno na mesma facol-
dade, seguidas da principal legislacio admiDistra-
liva citada em ambas as obras. Subsereve-se para
etta publicacio, Que entrar para o prek) logo que
hajam assignaturas sufflcientts para eobnrein as
dospefas da impressao, a 10J000 que serio payos
ao acto da entrega do primairo volume, as ivr-
rias franceza e econmica, a ra'do Crespo nume-
ros2e9._______________^_______________
Precisa-se de um rapasrtoho de 12 a 14 an-
nos de idade, que tenha pratica do taberna, pre-
forindo-se portugaez dos ltimamente cliegaios :
no pateo do Carmo n. 13.___________________
." i 40 PUBLICO
SHB_H0BKi^
i:
TINTA PARA IMPEESSOES.
Nesta typc^raihi^ ha um grande deposito deti'ta
p raypigraM;*, fabricada na inglate'ia, de qua idade
superior, e qa letalhada em barris de iO a 100 libras
ror pnco con mdo.
Precisa-se de urna ama de leite para amamentar
nma manca : quem estiver nesta circumstancia
dirija-se raa Nova, casa n. 22, que achara com
quem tratar. Sendo de fra da cidaie prefe
rivel
HOMKM DE MELLO
KSCRIPTOS HISTRICOS E LUTERANOS
Io A Constituinie perame a historia.
2 30 de julho de.1832.
3o Diversos.
I volume 8o brochado.
Rs.-3*000.
LIVRARIA FRACE7A.
iBliA!)0CTOIi\N.3i
I "
0
CO
>
Com este titulo acha-se aborto e integramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ouro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melhor em
aderacos de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderegos, pul-
cetras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qoalidades, prata de lei faquei-
ros, colheres, palileiros salvas e outros muitos objectos que seria enfadonho
8 mencionar.
Compra-se ouro, prata, brilhantes e pedras finas, porraaior prego do
que em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
mwnmmuwmamm
CASA CAUYIN *k
Phar_aceutico privilegiado
euccessor
Sebastopol, 53 PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
AnresenUdas a Academia de Sciencias e ao Instituto de Franca,
ai irnpin Sol a forma de Pastilla, deredida e doseada para
llftllAU iaser de momento urna solocfl*
Preventiva cuntir tu MOLESTIAS C0NTA6I0SAS
INJECTOR-PHILTRO
ESTOJOS ^
do volume de um relogio, servindo de
l'HILTRO e SERINGA sem os
gravea inconveniente! da fragilidad.
a forma, e de volume de am Porte-Moedi
COTENDO TODO 7RITAMBNTO.
COLLYRIO Contra as affeccois das palpebrts,
preparado sob a mesma forma.
BARTHOLOMEO i'
CASA CAUVIN A mwiER
Depositarios geral para e BRASIL e PORTUGAL
34, ra larga do Rosario. PEBJSTAMBXJCO.
Pbarlaeoutleo privilegiado
succeesor
Sebastopol, PARS.
\i>j_4
Bouleviard
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Aprfsentadas a Academia de Sciencias e ao Instituto de Franca.
INJECCAO
1T0LESTIAS
Sob forma de Pastilla, deiedida e doseada para faser de
momento una solcelo PUYHTITA I ODRATITA das
CONTAGIOSAS
IMECm-PBlLTM
Orave
do volume de um relogio, servindo
de Philtro e Seringa sem os
inconveniente de fragiUdade.
Con a forma, e do volante de Porte-Moeda
TODO TRATAJtENTO.
COLLYRIO
BARTHOLOIEOAC'
ESTOJOS
Contra as affeccois das palpebras, preparado sob a mesma forma.
e PORTUGAL
Depositarios geral para o RRASIL
34, ra largu do Rosario. PEJRNAMBTJOO.
Vendas on permutas
Vende-se a propriedade Guarape> no Ilio-
Grande do Norte, com trras casas e armaren;
de um e ouKo lado do rio, lugar beir. conhecido
pela sua knportansia comracrcial, cujo porto offe-
rece muita facilidade para ertbarque e desembo-
que de gneros.
Igualmente se vende o engenho Jundihaby (na
mesma provincia) moente e corrente, com cinco
lecuas de trra? de maltas virgens, oito asemos,
bois, bestas e alambique ( ou gmente o eragmho
com as trras que convier ao comprador). Estas
propriedades vendem-se pur baraiissimos procos,
e tambe se permutam por engenhos nesta pro
vincia, Parahyba e Alagas, ou por casas as ca-
pitaes das msmas : a tratar com o proprielaric
msjor Fabncio Grmes Pedro=a ra da Cideia
n. 25, ou com os seus procuradores no Rio-Gran-
de do Norte.
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Aver
Petoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
afsa parrilha i
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tnico
Conserva e limpa os cabellos.
Piluias catharlcas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura se-
i5es, curam e purillcam todo o systema humane
Vende-se elTectivamenle em casa ae Samuel Pl
bnstoa A C, ra da 5aoall.i Nov. n. 42.
O abaixo assignado tendo aceitado nma letra ao
Srs. Carvalho Zenlra A C, saccada em 16 de ou-
tubro de 1869 seis menos de praso, e venchel
em 16 de abril e !87*>, da quantia de 269*750,
a mandou pagar em 15 de novembro do referido
anno de 1869, com o devido descont, de enja im-
portancia passaram os me*mos senhnres Carvalho
Zentra & C. recibo em separado, allegando ter-se
extraviado a referida letra; portanto achando-se
quite com a referida casa, quer com relacao a esta
letra, e quer com relacao a outra qualqner traa-
sacfjia que tive com os mesmos sealiores; e faz a
presente di^claragao para evitar duvidas futuras.
Recife. i9 de julho de 1870.
Jos. Franciseo Cnelho da Par..
Associaqao Commercial Benefi-
cente.
A direc(ao da Associacao Commercial Benef-
cente de eonforraidade com o disposto no art. 20
dos estatutos, convida aos senhures associados
renniremse em sssembla geral no dia de
agosto ao meio dia, no salao do edificio da mesma
ssociacSj, afim de proceder-se a le'uura do rela-
torio annual e eleifio da nova direcQao.
Associacao Commercial Beneficente 28 de ju-
lho de 1870.
Daniel C. Ramo?,
Secretario.
Aloga-se nma prela escrava boa cozinhpira:
a tratar na ra Duque de Caxias n. 14, amiga do
Queimado, loja de fazendas.
RETRATOS.
Estaro expostos na bem conhecida livr.ir* do
Sr. De Lailhacar na ra do Crespo, at o dia 7 de
agosto prximo futuro, quatro retratos photqgra
phicos feilos no nosso estabelecimento de ploto-
graphia ra do Cabug, esquina do pateo da
matrz ; peco para elles a attencao do illustado
publico di'-ta capital.
J. Ferreira Vilella
Roga-se ao Sr. Francisco Cardoso da Clnha
que annuncie sua morada para ser procurado a
negocio de s-ti interesse ; e isto com urgenc
Copeiro.
Precisa-se de um bom copeiro Gel e deligelte
ra larga do Rosario n. 44.__________
Precisa-se de urna ama, no paleo do Ci
n. 9. segundo andar.
Aluga-se um espacoso terreno proprio para
planta de capim e horialice, todo cercado econ-
tendo arvoredos, alm de urna casa para pequea
ftmilia, no lugar do Manguinho: tratar no mes-
mo lugar casa n. 22.
Jos Jerunymo da Silva leodo de fazei urna
viagem, deixa por seus procuradores durante a
sua ausencia aos Srs. Joaquim Lopes Matfhado,
Joaquim Theodoro da Silva e Augusto Frelerico
dos Santos Porto.
AMA
Free
Precisa se de urna ama :
brjdo n. 60, Io andar.
na ra de Hoas, so-
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA
DOR N. 38.
Os melhores verrnifugos para crianzas,
Pastilhas de saoctonina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifog.-j.
Todo de melbor qoalid de.
PHARMACIA CENTRAL RA DO 1MPLRA-
. DOR N. 38.
Variadsimo sortimento de fundas de
excellente qualidade.
FAR5IACI4 CENTRAL
Rna do Imperadoi* a. 38.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparation of well known utelity to the En-
glish Faculty. as a cooling and refreshing beverage
in all cases of fever. The frequent usejof r'iissa
line preserves foreigners from many disu.< which they are leable before becoming acclima-
lised. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
PHARMACIA ""CENTRAL" RA~DO
N. 38.
PasMIhas de balsamo de tol e de se i va
de pinho martimo, para a3 affecces chro-
nicas dos pulmes.
Pastilhas de therydcio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecgo nervosa.
Pastilhas de hypophospheto de cal mui
uteis na thysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e de Regoault,
de hortelaa, pimenta, e de Viccley, de pe-
cacuanba e de Kermes.
TINTURARA franceza
55-Rua da Imperatiiz-55 i
Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo-
ta-se, com a maior perfei^ao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualidades;
como sejam : seda, laa, aigodo, linho,
chapeos de feltro e de palha etc. etc.
Tira-se noloas e limpa-se a seccosem
molhar os tecidos, conservando assira to-
do o brlho da fazenda.
Tintura preta as tercas e sextas fei-
ras.
Coznhtiro.
Precisa-se de um cozinheiro: na ra da Floren-
tina n. 20, fabrica de cerveja._________________
Precisa-se de urna ama para' caziuliar : ha
ra larga do Rosario n 46. _______ .
D. Maria Augusta Lins Baha e seus filbos,
agradecendo as pessoas que aconipanharam a se-
pultura o corpo de seu presado e-poso e pai o Dr..
Jos Antonio Bihia da Cunha, convida-us. t'.Sm
como h seus prenles e amigos a assistirem a
mi4a que mandam celebrar s 7 horas da ma-
ntiaa de 1 de agosto vindouro, stima dia de seu
falleoimnnto, no convento de S. Francisop.
The Liverpool & Lon-
on & Olobe Insu-
rance Company.
Companhia ingleza de seguros contra-fogo,
estabelecida em 1839.
Capital e fundos le reserva
tts. 35,380:980^.
Os^gentes desta companhia tomam seguros so-
bre propriedades, gneros e fazendas armaz-nadas,
inobilias, etc., etc., e esiao igualmente autorisados
ra saldarem aqui quaesquer reclamacoes.
Sauoders Brtthers & C,
Praca do Corpo Santo n. II.
Criada
Precisa-se alugar urna escrava para enpmmar
e andar com criancas : na ra da Cadeia-j. 8
Criada.
Precisa-se de urna criada para engomma* e tra-
tar de duas criancas : na taberna da ru.
res n. 20, sitio do Geriquiti.
sPi-
A luga se
urna escrav para o servido domestico : ni rna do
Hospicio n. 29,
mMmmm-m mmmmmm
PR1MEIRO E ANTIGO CONSULTtfRIO
HOMEOPA1HICO _,
n'NDADO PEIX r SABINO
HOJE DIRIGIDO
PELO
DR. SANTOS MELLO.
43Ra Nora n.43
O Dr. Santos Mello de volta da Baha 1
9| contina a ser enconlrado todos os dias 1
! das 18 horas ao meio lia para consultas. !
Chamados a qualquir hora do dH ou 1
da nouie.
Gratis aos pobres.
"., 43Ra Niva n. 43 IB
[\

PILULAS

HOGG
Uipoito : P. HACHES et Cu
SILVA LOPES.
J**rMMtteo; JOS BELLO, ra Porf JUgni
rERBtmA et O, Mtankac.
1
OrTerece-se para ajudaop de goarda4ivre nm
rnoeo com alguma pratid de escriptumeo, alla
fraueez e e&tenoe algumac i*a de inrfez t qnem
dalle precisar dirija-se jraa das Trincheiras n
11 A, 4uja de cirgneiro. ______ -
Na ra Direita a M nrecba-se fallar coa o
Sr. Jo? Bernardino.Sun Jbeiro.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Cbambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vezcs sem irritar os intestinos.
XAROPj: HYPNOTICO D'CHLORAL.
O chloral um agente therapeutico recn-
tenteme experimentado, mas cujos bene-
cios vao sendo largamente aproveitados pe-
los praticos em quasi todas as affeccSes ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, tile
sempre empregado com vantagem nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
insomnia, em que elle produz um somno
calmo 6 profundo.
Elle recc.mmendado as clicas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laboriosos, na
clampra, as queimaduras extensas, nos
accessos agudos de gotta, na asthma, na
tosse convalsa, e em muitos outros casos,
DOSE. Daas a oito colheres de sopa
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Encontra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VINHO DD QUININNO DE LABARRAQUE
Poderoso tnico hoje to aconselhado nos"
gozos de; debilidade geral, e mui usado
como antifebril.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
Armadlo
Quem precisar e qnizer comprar nma rica ar-
macao de amarello, forrada de louro, para qual-
quer estabelecimento, dirjase ra Direita, casa
n. 12, que achara com quem tratar
Preeisa-sa de urna ama para cozinoar em ca-
sa de bomem solleiro: a tratar na ra do Livra-
mento n. 33, loja de calcado.
O bacbarel Joaquil Gouc.alves Lina, tem es-
criptorio de advogado roa do Imperador n. 35.
Ama de leite
Precisa-se de urna ama de lei te : a raa da Im-
peralrit n. 68, que seja vre oa esserava.______
Ama de leite.
Precisa-se de nma ama de Mte sem fi-lfao, e pa-
ga-se bam : a tratar na roa 4a Cadeia do Beeife
n. 18, f andar.
Precisa-sa de una pesaos que saiba escrip-
turac/io mercantil e queira empregar-se em urna
casa'fra da provincia : quem pretender deixe
carta fechada nesta typographia com as niciaes
M. M: para ser procurado.______;______________
Alugamse as caas : n. 101, .terrea, da ra
de Sania Rita, e o sobrado de dous andares e sola
n 32 da ra da Aurora a tratar nesta mestn
ra n. 38.
Un amigo grato a memoria do bHecido cjm-
mendador Manoel Figneiroa rie Faria, manda ce-
lebrar no da .1" de ago:tt} futuro, 4 annivetsario
do seu passamenio, na igreja da Veneravel Or-
dem Terceira de S. Francisco, as 8 horas da ma-
nha urna mis-a, e convila a Exma. fainilkt
amigos do dito finado a conuparecerem ao mesin
acto. '
Ainda esl por alugar a casa n. 34 na ra
da Ventora, na Capunga, com comraodo* para-
grande familia : a tratar na ra do Queimado n.
2. ou na do Hangel ri. 41.
Precisa-se de una ama
da Corredor do Bispo n. 13.
de leite : na ra
Monsenhor Dr. Gregorio Lipparoni, reitor do
seminario episcopal de Olinda, legitimo adminis-
trador da capella de Sant'Anna do Rio Doce, termo
de Olinda, possuindo as necessarias faculdades,
tem resolvido de arrendar os dU3 sitios de co-
qaeifM contiguos e pertenccnles esta capella,
com casa de pedra e cal : lado conforme ao edital
relativo que se acha na cmara episcopal de Olin-
da, onde at ao dia 25 de agosto do corrente anno
(1870) se receb rao as propostas de dita arrenda-
mento. ^
Precisa-se de um escravo que d Gador a.
sua conducta, para o servico externo da padaria
da roa .lo Rangel n. 9 : tratar na mesma.
CASA A FORTUNA
Aos 8:0001
Bhetes garantidos.
1 ra Primeiro de Margo outr'ora do Cres-
po o. 23 e casas do cosiume
O abaixo assignado, tendo- vendido alm de ou
ras sortes, um meio n. 1994 com 8:000 da lo-
tera que se acabon de extrahir a beneficio da
Santa Casa de Misericordia (154*), convida aos
posuidores virem receber ua conformidade do
costume sem descont" -algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 3* parte da oteria, beneficio da Santa
Casa de Misericordia (155') que se extrabir sab-
bado. 0 do corrente me vindouro.
PRECOS.
Bilbete inteiro lOOOO
Meio bilhete 5*000 .
Quinto 2000
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inuiro 9*000
Meio bilbete 4*500
Quinto i #800
Manoel Marti ns Fima.
Ainda se precisa de uai caixeiro ili; I i a 10
annos, com pratica de taberna : na ra da Con-
cordia n. 95._______________________
~ Precisa se de um calxeini que tenha pratica
de taberna, deldade de 14 a 16 ano'-, e nhe-
cimento :e su: conducta : na rua'dos Guararape*
numero 14.
2.
ENGENHEIRO
Com fundiqo.
A RLA DO BRUM N.
Pass nao o chaf riz
Machinas vapor systema memorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa.
por e animaes.
E outros muitos objectos propros d'agri-
culiura.
Tudo por preco mnito rednzido.______
va-
Largo do Paraizo n. 8, no pri-
meiro andar.
O abaixo assignado, proprielario deste estabele-
cimento avisa aos seus fiviruei.es o mais pessoas
que recebeu carteiras n tinturas por, preco com-
modo, e por isso rende a 5lW rs. o tubo de qual-
quer droga, e 1 um vulro de tintura, e compran-
do de lO para cima tem 10* de abate.________
Precisase de urna ama que taiba coznihar e
CBgommar, para casa de pouca familia : na ra
das Cruzes n. 10. -
Novo AlheBCU.
ATTENCAO
No armazem da Companhia Pernambucana exis-
to um caixote e nm embrulho, vindos de Fernan-
do de Noronba no vapor Cururipe para o Sr. t-
ente Joaquim Manoel da Silva e S.___________
GabSte Portuguez
de Leitura.
CONSELHO DELIBERATIVO.
De ordem do lllm. Sr. presidente, convido aos
senuores eouselheiros reunirem-se na sala das
respectivas sessSas, segonda-feira 1 de agosto,
pelas 6 1|2 horas da tarde, para de conformidade
com o art. 51 dos estatutos, ser empossado o novo
oonselho deliberativo eleito era 4 do corrente.
Secretarla do conselho deliberativo do Gabinete
Portucruez de Leitura aos 28 de julho de 1870.
Secretaria,
/. a. Fonema-
Sesso extraordinaria hojo as 5 horas da tarde,
convocada de ordem do Sr. vice-presideate da so-
ciedade.
Secretaria do Novo Atheneu 30 de julho ae
1870.
Bellarmioo Carneiro,
______________ 1 secretario._______ .
Precisa-se de urna ama para casa do pouca
familia, para connhar e engommar : a tratar na
praca'da Independencia, loja de chapeos ns. be 10.
Precisa-se de nm menino portuguez qne na
exceda de doze annos de idade, para caixeiro de
urna taberna : quem quizer se propor dirjase a
esta typographia a entender-se com o ?>r. rerreira^
Manoel Monteiro da Cunha tem a toonra de
participar ao respeitavel wrpo cooanercial aesta
praca que intereesou em seu estabelecimento de
fazenJas, silo ru Nova n. 48 ao seu caixeiro
Antonio Luiz de Paiva desde o 1; do corrente, cuja
razo secial daquella data em diante seraMonte.ro
da Cunha A C._______
_ SauDdrTBroihers A C Corpo Santo n. H,
vendem libras esterlinas.
Refinado
Na/na da Senzala-nova n. 4 precisa-se de ba-

tedores.
"^Tm casa de THEODORO CHRIST>.
iNSEN, rna da Cruz n. 18, encontram-M
iffectivamente todas as qualrdjraes de vichi
ordeaux. Boura:oa:ne edo Rheno.
Na praca da Independencia n. 33 sed;
heiro sobre penhores de ouro, prata e pedras
reciosas, seja qnal for a quantia ; e na mesma
asa se compra e vende objeca de euro e prata,
i igualmente se faz toda e qualquer obra de en-
omroenda, e todo e qualquer tende&u
i mesma arte.


1)
f


Diao de Pernambco Sab>ado 30 de Julli
* ,
y
c

4



Y
PROGRAMA W
inta Ant*. P 9 1
t Pi P. Pfenam-
Sa festa d
erecta iffwPM
Hoje, ao mcio ia, nma banda
peca,
Hhta Antlj
fbcisr-
de musita tocar
ujDcipiaodo Tssim a tarta de-J i
AO ARMAZEM
IHB* 1VH. 7
frte cmttiecido estabelMimento acha-se constantemente bem sonido, em virtude das
facturas qne recebe por todos os vapores e navios francezes, los artigos awixo menciona-
dos, preeos os mais resumidos qua possivel.
Botinas para fenhoras e meninas.
r Bolinas preta?, brancas e de raptas outras eres^rtidas e bonitas, do ultimo gos*
da moda, e prejos maia baratas do que em outras partes.
Botinas para hmeos e meninos.
'Botinas de biaerm cordavao, lustro e pellica, das melhores fabricas e colindas.
Botas e perneiras rnsslanas.
Bous e perneiras pata maulara, das melhores qualidades, de couro da Russia, lus-
'tro birerre.
Sapatos de borracha para horneas e seanoras
Tendo cliegado grande poroso da sapatos de borracha vende-se pelo custo alun de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimos.
Si patos de lustro para homens.
Sapatos de entrada baixa de couro de lusiru com salto, de muito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meniuas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qaalidade* e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos. ..
Sapatos de tpete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca franceies e por-
tnguezes para homen?, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excettentes extractos, banhas, leos, agua de cujogne, florida, divina, lavande, den- |
trilice, de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc tudo isto de primeifa qualidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubm.
1 O
Quinquilharias
bneles
'onro*fei "c'orrmterrbiSea de"plaq, a Imitarte e de mais gosto do qne as de ouro,
eaixiobas de eoslura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albnns
e caixilhes douradps para retrato, caixinhas com vidro de augmento para distinctainenie
ver-se a perfV-ieo dos retratos, objectos de pbantasia para toilettes, holsinhas e cestmnas Kg
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras. ditas para costana, pe- y3
dueos registros muito finos e delicados, bouquets de fl res de porcelana, jarros propnos M,
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para enllocar- nara quadros, estampas finas de paysagens, cidades, guras e de santos vidros para eos- h
morama, malas, saceos e bolsas de viagens, espas, chicotes, tenga]*..*, tojos, Jnelas ou ^
inores socios para se reunirem
IPidadns todos
na casa das
As cinco tioras da madrugada do da d'ama-
ohia hatera o santo tatrffleio da missa.
A's onte horas enirar a fesia. A msica sera
dirigido peloprofessor Jos & ihoBarbosa, e os so-
los ser3o canudos por dtsiinctos canteres, entre
o quaes o nic?mo director da orcheitra.
Oeeapar a tribuna sagrada o eximio pregador
da capella imperial Fr. Joao do Sania TUeroa.
Finda a fesla, siltar-se ha um balao.
A's sete horas entrar o Te Deum, sendo orador
o distincto prgador padre Antonio de Mello A Km-
querqne, j bem conhecido pela sua eloquencii,
fina isando com a asceacao de um ootro balao.
, A mesma banda de msica marcial tocara em
todos os actos escolhidas peca?.
Eis o programma que a mesa regadora apre-
teata seus liis devotos, attentos os poueos re-
cursos de que riispde.
Consistorio, 30 de julho de 18(0.
0 secretario, .
Manad da Silva Fialho.
Joaquim Jos Goncal-
ves Beltrao
Ra do trapxhs n, 17, Io andar.
Sacra por todos os paquetes sobre o banco de
Mmho, em Braga, e sobre os seguintes lugares em
Portugal :
LisSoa. -
Porto.
Valonea.
(luimarae?.
Coimbra.
Chafes.
Visea.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vea.
Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real. '
Villa-Nova de Famelicd?
Lamego.
Lanos.
Covilhaa.
Vascal (Valpasso),
Mirandella.
Beja.
Bamellos.
urgentes da mi
Secretaria do Monte Po P. Pernambucano, 26
de julho de 1870.
O secretario,
Candido Jos de Ges Telles.
- Arreoda-se urna boa casa n. 37 na ru3 de
S. Miguel dos Afogados, com um peqtrerto sitio
todo murado, arvoredos de fructo, multo boa
agua, e mais eommodidades necessarias: traU-se
no escriptorio ra do Apollo n. 47.
COMPRAS.
oeiianas modernas muito conveniente para porus e anellas, cosniorama?, lanternas mgi-
cas, esterifleopos com inf ressantes vistas de liguras e das mais bintus mas, Ijoiiltyard?,
outras muitas quinquilharias de phantasia, franeeziv* o allemae-, precos muito em conta.
Para este artigo nao ha espado nem tem|io para a maganto Icitura da infmidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos palies da Europa.
ATTENCA
O dono diste estabeleoimento pede ao publico em geral que contioue a
verileando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por serem viudos
rotura e de conta propria.
COMPANKIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
REC1FE A9 Olil^WA.
Domingo alterada a tabella.
MANH.U
IdaAs 6 horas, 6 e 10, 8 e 8 10 m.
Volta-7 h., 7 10. 9. 9 10 m.
TARDK
IdaAs 3 h 3 e 10, 0 e 10. 7, 7 l ra.
Voltai h. i. 4 e 10. 6, 6 e 10, 8 e
8 10 m. : ha um trera de 3a classe ex-
presso para Olioda, sraente. c os de Ia
classe tarar em todos os pontos, tanto na
da como na volta, pede-se aos passageiros,
que no podem ser conduzidos nos carros
seno o numero de totacSo ; e que tendo
passageiros para virem de Oiinda dar mais
viagens expressas al conduzir loda a
a gente quel estiver.
O snpreinU'ndente.
A de Abreu Porto______
mull......ni HBoni
0 muzeo de joias
Na roa do Cabu| n. 4 compra-se ouro, prau
pedraa preciosas por presos mais vanUjosos de
le em outra qualquer parte. ^^____
Com muito maior vanugem *>mpram-se
ouro, prau e pedras preciosas e n obras velhas: na
loja de joiaa do Coracao de Ouro a. i D, ra do
Cabog. ___
Corapra-se un jabuly : na ra das Cruies
n. 4t, andar, das iO horas da manhaa as 3 da
tarde, ou na Capunga, ra das Crioulaa d. 7.
V1NDAS.
ULTIM4 HORA
O Costa, ra das Crures n. 42, participa
todos os seus numerosos freguezes, que pelo ulti-
mo vapor recebeu alguns gneros de primeira qua-
lidade. a saber :
Queiids amengos o que do melhor se pode en-
contrar.
Bolachirha do fabricante Gondolo, pela primeira
ve i viada a este mercado, pelo prego mdico de
2J a lata.
Maqaas de qualidade apreciavel.
Ambixas em latas e frascos.
Gaz de primeira qualidade, que se vende a
400 rs. a garrafa e 83 a laU.
Aleta das muitas e variadas qualidades>de mas-
sas para sopas, conservas, quer de hervas, quer
de clrne-ou peixe, doces, vinhos, licores, etc., etc,
lem ela estearinas a 6i0 rs. a librar._______
TRES V.AP0HE8
O Campos da ra do Imperador n. 48, receben
pelos
differ
e diversas qualidade Melles es-
pecial mencSo; e avisa nao s o sen crescido
numero do fregueses e amigos, como UTibem
aqnflles qne ni lem querido qonra-lo com sas
fieguozias, encontrando p uvo seriasdif-
culdades em uppnrem- p>r
falta talvez de qaem Ihes inique com Brineza um
eslabeleciraento que romo o seu, uo-sa com ga-
ranta, bem satisfazer as jusUs exigencias do res-
peitavel publico desta capital; qne se acha o seu
arroaiem prvido dos mais novos e variados gane-
ros, e liniita-se a nomear o seguinte :
Carne e queijos do serlao.
Preznntos inglezes e portuguezes.
Gondolo (nova marca de bolaehinhas).
Petit Pois ao Beurte (erviihis em manteiga).
Chocolate hespanhol a UoOOa libra.
Conservas a 700 rs. o frasco.
Caf chumbado e de moka.
Rap Paulo Cordeiro (viajado e commum).
Guizados francezes (Truffe).
Superior champanhe. '
Doces linos de goiaba, laranj. limao eltananas.
ATTENCAO

?
[7%'MMBK
A vinva e lilhos do finado commendador Ma-
inel Figneira de Faria convulam a todos os pa-
repte- e amigos e aos do seu sempre l^mbrado
marido e pai, para ouvirem ,i< mis-as que por sua
alma mandam rezar; Ht t> ton la-lie ra l do ajos-
i'. 4* annivci>ari'i do eu tillecJmento, das 6 s
8 hurite da mjmMa, m groja da Ordem Terceira
da S. Francisco.
Na ra aira?, da Mitnz d.^ Santo Antonio ti.
18 1." andar, eoaiuha se para lora com a
pr.Hii iiiao e por niudco preco.
_________________________ ______________1---------!----------
Causa espanto o sortimento
Da lojaPALLA M0NTKIHO,
E o melhor o seguinte:
Tuda por pouco dinheiro.
De ParisPapelaria
E' um bazar liticeiro,
Tal 6 o posto apurado
Do artiU Paula Monteiro.
Tem mil sortes de registros,
Tem toda a celeste corte;
Cada qual mais primoroso,
E por diminuto importe.
Homens, mulheres, menino?.
Por qualquer meia-paucu,
Podem trocar un santinlio ,
Oue os proteja ante u macuca.
Chamo macaca a pobreza,
Mu estado tinanceiro,
De que vos quer ver escapos
O amigo Paula Monteiro.
Peonas, lapis e caetas,
Papel, envelopex e tinta ;
Tudo bom, ludo por prero
Que a qualidade requinta.
O que ha de melhor em pastas
Tuiteiros de porcelana,
Ih) vi.'.ro, metal e pe Ira,
Do preces que fazem gana.
Livros em brancosa carteiras,
Tudo de mil qualidade".
Por precos que mais augmentam
As grandes utilidades.
Venham todos, venham todos
A lejaPaulo Mbnteiro
Porm. por via das dnvidas,
Qu^m vier traca dinheiro.______
O proprieUrio do estabelecimenlo de modas do
ra da Imperatriz n. 31, prelendendo retirar se
para fra da cidado alm de tratar de sua saude. a
vende dinheiro ou praso, sendo que a a rta-
nlo to efegante que pode servir para qualquer
outro estabelecimenlo, segundo a vontade do pre-
tndeme : trata-se no mesmo estabelecimenlo.
A Nova Esperanza
tuna Dnqne e Caxlas31
Quando a NOVA-ESPE^ANQA faz os seus
anuncios expondo aos seus freguezes e a
todos em geral o grande sortimento e su-
perioridade de seus objectos nao com vis-
tas de atrair a attencio de urna grande fre-
guezia, como a deque actualmente despSe,
e sim para scientiflear (a intereso de t',dos)
a qualidade de seus objectos os quans s5o
sempre de apurado gosto e perfeicao ; tor-
uando-se qnsi indL spreciadores (do hom) frequentarem a No
va Esperanca, pois que ella caprieba em re
ceber constantemente, o que ha de melhor
relativamente a sua repariic >: o que se po-
llera verificar quando em ijiialquer reuiiio
de pessoas (amantes do xique) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma agradavel escapar d'um alvo lenco,
um moderno o linde laco. um dilic-do ra-
mo de linas llores, ele. ele, todos olliam-se
reciprocamente e dizera com sigo (o as ve-
an uns aos outros) estes sao objectrs
comprados a NOVA-ESPERANZA: realmen-
te !!!! procurar descrever rm annuncios os
arligos queconttra dita loja, seria trabalho
insano e nunca o fariam graga e perfeicao com que sao clies fabrica-
dos, assim pois a NOVA ESPERANZA con-
tunta se, era convidar a todos geralmente,
visilarem-na para entao ficantm intei-
rados do que ha exposto na mesma loja.
i Rw> lanqnc <*e Caxlas31
Mim EM PERNMIBUCO
11Siia Nova11
Antn;,. J iso de \wuto, acalia de fundar em stu grande armazem de pianos e
iostrument s, urna ...
Luurousa para gravar e imprimir msica,
de cujo ir,blhoejcha eocarregado o distincto gravador e .mpressor o Sr N.cac/o
Garca, que por. muios annos fui empregado das primaras casas do. Ro de Jane., o, de
LAKNeEstae csa^ero impressas nao s as elltores novidades que v.ere.n da Europa,
como tamben, as msicas ori.naes dos melhores professores e amadores desia c.dade,
nu<>r or nossa cotila oo por conta dos seus autores
q APsprimeiras msicas que se gravaram e imprimiram em nossa casa tendo sido
muito bem^ceis pelo respeitavel publico, nao s pela perfe.ta gVavura e boa .mpre -
o como pelo superior papel que empegarnos, faz com qoe boje publiquemos a lista
hcToCse a?bara a veodatm nosso armazem. Continuando a publicara sema-
nalmente pelos jornaes as nov.dades qne formas mP">'[' AjSeTA polka brilbante pelo insigne maestro I. Smoltz. preco.,
MINERVA, polka brilhanle pelo insigne professor Colas lilbo .
QICO DIARO, linda polka por ..........
UMA LAGRIMA, raazurka.............
LV GR \N* EDCHESSE. polka.....
Tres lindas polkas do Circo Equestre de M. Cosal.. (Esta colee-
cao conlina)...........," *
Est-se gravando para sahir a luz nestes das, doas lindas pecas
piano-composico do insigne" e W*lbico maestro ebegado da Europa pelo ultuno
vapor o Sr. '
E. Casalbore^
Valsa SOVVENIR. I Polka CHANT D'OIREAUX.
A Imprensa Nacional de Msica tambera recebe
por seis mezes e por um auno. Obngando-se a foroecer a seos afsife*Jaf ,^
tres oecas de msica porraez, para piano s. e para canto e piano, pela tabella seguinte .
r ._______ ..:. _____ i tccinnattira nnr nm anuo
Admirem !! Admiren) !! I e v.io a-lmirando
o qiieeu vou contar eXtraordiDarlo, colisa fino-
ea visto, e qi^m duvid:ir veoba ver. J viram
um easal ita umok nunduda fcehar as uveroas
as 8 e meia horas da ooolfl inipoinlo logo as res-
pectivas multa-, e ameacando Oot prucessos a-
quelli's qne au ;;.tisfizerem ditas multas 1 Ad-
mirem*! 11 Admiran I... o que mais admira
a astueja do tal bichinho fater tudo isto sem ser
li-<-al. Adintit-in os rfftos do proyresso, pois nao
sabem o que nm sal de einim? B' uiu in>-
peetor de quarle.irao amasiado com o eserivto do
jniz do paz. Afora o lugar aondeo'tal blohinbo tem
esta MdaHa eu lAo digo nem oieu a/nigo MAH
hihac se metu no m'ir. s digo urna cousa e
qoeinquizcr qaeadvmhe, que o ul lugar fre-
guezia o nao tem cura, e ueui ten os elfeitos
tal bidiinlio '
mnm mi
Por l^iOO
Linde* cortes de chita para camisa a I800 : aa
ron do Crespo a.^, loja da esquina. ______
"Vende so por beraio prero una armapu eu-
vi rnisada e forrada propria pan labema ou para
oulro (walquer eslabeleciraento; a tratar na roa
do Cabug n. 10.________u____________,
de > upe-
no ,ir-
mtnercio
Vende fe barricas com cerveja preta
ricr qaalidade em botiJM o nvias botijas :
mazem do Eduardo Pentoo, ra do Con
n. a. ____
de
14000
seo
irjoeo
1-5000
I .sooo
msica para
Asignatura por seis
mezes
l'ABA
Recife Provincias
Assignatura por
Duas pecas por mez
para pianno s
Tres pecas por mez
sendo urna para
canto e piano
8 IO0OOO 121000
O preco da assignatura,
um anno
HAII.V
Recife Provincias
Tres pecas por mez
sendo urna de canto
e piano
Doas pecas por mez
para piano s
205000
150000
2Wt000
18SOOO
economa
apres^ta aos Srs. assignaptes, urna .grande
or que se forera a comprar avolsa a msica que fornecemos no decurso de um anno.
me cnstaria m a 005. ou talvez mais. Portanto convidamos a todas as pessoas, quer
J-outras provincias, que qnizerem ser assignantes, a dirigirem-se ui-
casa, que promptamente Ihe serSo remettids a seos domicilios,
de
S 3 portas n. 53, rua ireila. o" por- ^
tas n. -53. antiga loj-i do Braga.
H O abaixo assipnado, dono testo autigo SS
c= estabeleciniento, tendo em vi Ha apresen- *
* lar um completo sortimento d forragens, jg
^ miudezas e cotileria, tem resojvido mau- &B
8 dar buscar em oiversos pon;oJ da Europa sa
n o melhores objectos de seu estabeleci-
ttt ment dos fabricantes mais cnhecidos ; yfc
pelo que convida ao respeavtl publico g&
e a seus numerosos fregueces, i virem se
S servir do^ objectos de sua canncia, aon- gJR
m de encoetrarao por mens W QO do qno jgg
ero ouira qualquer parte,, um urtinieoto ~
EsS completo u* aleodo, do bem conhecido fabricante ffi
Cullurr Giu 4 C ditas para eo*ura, mu- g
|# lores para animaes, ditas para [ogo, mol- 8
S nhos p.ra caf de lodos os laiiunlios, da m
fabrica do ia|i, espingardas d* dou* ca- |
m nos e de uia. lano inulezas cwio Irn- ^
x cetas, louga de porcelaoa, (ac? e garios ag
5 de diversa.- quaJidades e precos, bandejas ^
cbinezas, saWre, breu, barbante, enxotre, M
m papel e tknaibade f. rro, a?o, e agulha g
Sg para fugueteiro; assim como enouuira- __
1 rao eowtanteDJeWe grande porga de lo- w
I o do ar, e recebe se encorameaJa de l< B
eos de vista, alera de um cem namero de
& objectos, que se iwnaria eadnbo au- m
arnera-Ios : venham rua l>ireita n. rf, |
_ loja de Leouidas Tito Loureiro, acliga loja g
do Braja.
Cebotas
Vende-se snlts a U-tOO e em resteas ai : na
tra'/essa da Madre de Dos n. 5.__________________
Sitio em Parnamerim
para vender
Anda est para se vender o sitio Olho de Vi-
dro, em Parnamerim, ou Ponte de ena, com
obrado de um andar con 10 quartos. fogoes e
"fornos de ferro, sonzalla para todos os arranjos.
bstanle* arvoredos de frtictos, terrenos para
plantaeoes, boa baixa de captm, anua de beber,
lauque'para banho etc. : quem o pretender com-
prar entenda se com Jos Antones Gumiaraes.
parpa do Aragao n. 13 (hoje Viscende de Pelo-
laifat 9 horas da manhaa e das :; as :> da tarde.
a falta, na rua de Queimado n. t loja, hoje Du-
qne de Casia?.__________________________
Farinha e miibo.
No trapiche Barao do Livramento existe bta fa
rintia de mandioca e excellente milho em saeeo>
grandes : a tratar na rua do Vigario n. 16, ao
dar.escriptorio de Joaquim Gerardo de Ba-tos.
BASQUINAS ~
De Cluny, brancas e preta?, do ultimp gosto : ven-
de-se na toja da Fita Azul, rua do Cabuya D. i.
Aviso.
No armazem n. 25 da n a Doqiw de Caxiaa tem
grande porfi de palha para empalhar cadeira?,
vende-se muito barate.
CHARUTOS OA BAHA
DKP0S1TO
Na rua JDireiti n 81
Os Srs. Bastos t Sobrinho, exportadores de pti-
nieira orden de ftimos em folha o charutos linos
da Baha fabricados em S. Flix por Joaquim Jo-.'
dos Res, acreditados tanto no estrangeiro como
do imperio, resolvertm mandar faier ?ea deposito
de charutos linos na roa Direfta n. 31, aonde se
acharo expostos- venda de differentes marcas e
pelos precos da f.hrira, ajnnbndo apena os gas-
tos, a saber : Palmeiras. Blaobnetos, Regala d'el-
R,-i, ilito Imperiaes, Exp.'sicao. UyrL'i s, llava-
na, etc, Bonrida se, poi*. aos apreciadores a vi-
rem ao mencionado estabeleeinfeuio f-rnecerem-
e de exrellentes charutos o n precos t immodoR.
Joaquim Rodrigues Ta- |
varos de Mello,
Praqa do Corpo Santo n. 17
TEM PANA VEXOKH !
Cal de Lisboa.
Potassa. pa Russia.
Vinho Borde'.ux.
Faiello d*' Lisboa.
$ Farinba de mandioca.
Bichas iiamburgiiezas
Neste novo deposito recebe-?e por todos os pa-
quetes translanticos bichas de qualidade superior
e Tendera se em eaixa ou porcp mais pequea,
e mais barato do que em outra qualquer parte :
na rua da Cadea do Recife n. o!, andar.
A VERDADE
Rna iiuqpe de Caxiusn. 55
Na loja ih VEKDAU
4er por baratissunos presos lulos os arii-
zos de miudezas e perrumaiias do
grande e vanado sortimento, garaoliodo aos
ornprad >res to Lindas bDecas de cera e uiassa por ba-
.aiissimo preco.
Espelhos dourados para pendurar a
m rs-
Agulbas de osso para croie a )U rs.
Peules unes para segurar cabeliu, a
320 rs.
Chamins para gaz a 820 rs.
Garrafa com tinta alizarine a ItJOOO.
Dita com agua florida a I^CO.
Dita com .lita dita a l^Oi 0.
Tnico de Jayme a 13500 o frasco.
Frasco com oleo expresso de babosa, de
i40 a GiO rs.
ilo com agua de Colonia de 300a 1|C00
Dito com extractos finos a I 000.
Dito com sndalo verdadoiro a 4^200. -
Laiascom banb.-. muito ;:a do l a
40 r3.
Sabonetes muito finos e dners^s quali-
lades a SO, 160, 240 e 320 rs.
Finas oscovas para denles de :i20 e 5U0 rs.
Ditas para faci de 500. n t00 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para asar com costa de metal a-
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolhode ItiO e 240 r?.
Pavios para gaz, dazia a 24<> e 3:0 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernes
de 460 e 240 rs.
Pennas cagraphica* milito tinas a 14400.
Ditas dfl lauca e mosinha a SCO r?.
Lindos iab.idinhos e entremeios.de 500
a 15500.
Grosas de biies de loc/ iOOrs.
Dilos dilos para calca a 2*0 rs.
Caixa com papel amizade a TOO rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com brelas a Mi rs.
Ditas com agulbas fundo dourad .i
280 rs.
Thcsoura para costura a 24Urs.
Linlia de marca eaixa a ^'ti rs.
Carriteis de iinlias da aliwlre de n. 70
t 200 a 10 rs.Q
Grampos muito finos, com pssariqbos da-
ziaa 200 rs.
Cartas fran'czas para jopar dazia 3;SO0O
Ditas porluguezas, duzia 1^400
Papel almaco superior qtialirlade resma
15000.
Lam muito lina para bordar libra 65500
Fitas para debrntn desapato, pessa 160 es
Ditas de lam para it.bi um de vestido pee.'.
100 rs.
Caivetes gr ndes com molla a 400 rs.
Ditos grandes cun 2 folbas por 320 rs.
Rosetas pretas para lulo, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
;ifcs de 40 a 100 rs.
Fs para cs, pe'ca 4>0 rs.
^IfiofeleS (!'-' laiao. caria 100 n.
Sapatinhus de lam nara cieaoca de 400
i 800 rs.
Calcadoras a 40 rs.
Gravatas de seda pela de 400 e 600 rs.
Ditas de Crrxc brancas e de '.ores 600 rs.
Dita de (jorguraO de cftrea a son rs.
Xa %'erda;i a ro* pisque de Ca-
xlas w^ ">-.__________
Eivai sem segundo,
(Antiga rna (o Ouoimado)
Cuntiia a vender tudo muito bem e
muito barato a saber :
iras de areia preta moito boo. .
Tesooras fiaas para unbas e costu-
ra a. ... ....
,;peis de gti'bas firaocezas a br-
iso a......,
Caais com seis sbeosles de [ruta
Libras de 13a para bordar 0*tod*a
as cores a.......
Carrileis de litiba Ai. xau?re a. .
Frascos rom azefte para macbinas
Gra*atas de cores mu, a
Gi'n/.as de holoes madp6n>Ia ;
nissimos a.....
Pares de Invas de con s muito li-
12.1
500
|Tj*H>
I
100
500
500
Machina para
tura.
(JOS-
Vende-se urna machina com ponei aso 8 c n-
do perfeitamente todas a> coslura? d? atraate, nateiro e sedero ; a dooo pre>ta-se a ir na asa
pa pessoa que a comprar para ensinar a coser :
da loja da rua da C*deia n. 45.
Vidros para vidracas de lodos os tamauos
c em eaixa, vende Bartholomeu & '-.. etn sua
pliarmaeia na na lanra do Rosario n. 34
provincia ou
Ihe faremos
desta cidade, ou de outras provincias
rectamente a nossa
pelos vapores ou corraos. .
Igaalmente convidamos aos Srs. negociantes de ma-icas, quer uesta
de outras, que quizerem entrar em relaces de uegucio ,.om nossa casa,
cnhr> na orecos*mtrcados na nfusica um grande descorito, muito vantajoso.
D T NESTg GULNDE AR.MAZ? i TEM SEMPRE :
O maior e mais explendido sortimento de pianos de A. kurwfel, de quem somos
nicos aeentes o maior e mais esplendido sortimeato Je msicas para piano, edicues
da Europa e do Rio le Janeiro, o maior e m is explcndiio sortimento de instrumentos
de msica para banda militar e orchcsira.
Soed .de Vmte Oiio e
Julho.'
Sao convidados lodos os socios 3a ciedade, de Vende-sg urna taberna em boa localidade, afre-
Soceorr Maiota Vinte O to do joltiu i compare- gneaada j>ara a praga e com alguma l'reguezi
ni .1.. <>.> HB .'. hi-TI. il'l lu'- -... n mnl> n.vvn nm f.vndnn nvinLintAI All ft\r
Fazendas.b rata^pa'a 1
acabar
A' RUA DO CRESPO N. 25. 3
CAMUllAIAS linas de cores, modernas ^
a 280 o covadn. ;-L;
CHITAS novas de superior qualidade, g|g
a 240 o cavado.
CHITAs iniperiaes do ultimo gosto com Jj
cores >e(tiras a 280 o covadn.
CHITAS escuras de listras cor de cafo ^
240 o covado.
L.aAS de cores a 2i0 o cov ido.
CAMBRAIAS brancas transparentes a
3 a peca.
BRAMANTE fino de n. 23a a 270 com-^
27 varas I i 5. S
AI.GODIIZLMIO com 18 jardas a g
200 e U a peca. J|
ALOIl-lOZlNHO superior qaalidade
i a ooOO e cr-m 20 varas a 64300 a peca.gB
Curtes do cali;a de fustao de cor a jjtfi
! 14400 o corte.
Superior alpodao americano de listras 0
i para roupa de- eseratM a 330 acodo. ^
Do-fe amo-Iras com penhor a rua do *
: Crespo n. 28, loia de Manol Oias Xavier.
as a ^20 e.
Noveilo ae linha de 100 prrdas a.
Caixa com i 00 enteRipl muiju
superiores a......
Pentes volteados para meninas a.
Tntenos com t na preta a 80 rs. e
Pecas d* fita elstica muito fina a
Lata com superior banba a 100 e.
Frascos de oleo Philocumo moito
lino 3. i.......
Ditos ditos dito grande a. .
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto muito bonitos a
Duzia de sabonetes muito finos a.
Sabonetes inglezes a 600 rs. e. .
Frasco com a^'iia de colonia Piver a
Dito de oleo babaza a.....
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a. ..... .
cartilbas da doutrina fazenda D0\a a
Libras de linha sortidas de todos os
nmeros a.-
Babados do Porto, largos a 100 e
Capachos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a. .......
Agulheiros de osso enfeitados a, .
Libra de linha franceza superior
qualidade a.......'
Caixas rte palito do gaz a. .
---------
eerem domingo 31 do corrente, as 6 horas da tai
de.em a casa n.30no Cae do apit>aribc.
Recife 29 te julho de 1870.
Ji ao Vianna de Mello,
Secretario ta asemMa geral.
Attencao
Continua- -.- aoroecer al moco e juntar : no so-
brado darwa enreitado Bosarfo t. Vi._________
-^ Preei?a-se alugar uhu escriva tara, vender
na rna: tratar na raa Jauteria.' n. 122.
para o mato, com os fundos existente?, ou com
aqdetles qne convierem ao cornpjaoor. e o motivo
por que se vende se dir a quert pretender : '
tratar no largo Ju Tcrc-> n. 11._______________
" Vende-se a easa terrea mei-agaa n. 37, e
nma parte da easa h. 35, sitas a rua da Esperan-
za, as quu .do Joao Antonio Paes de
Maura Maria Moura,
resid 3. tratar na mesma roa,
com Bernardino da Crata Carnes procora
bastante da otesoia senh< ra.
Objectos para carros.
Solas de lustro.
Vaquetas de lustro.
Ga;5es largos e estreilos.
Oleado prelo para guarda chava.
Dito de cores para forro.
Lanternas e vellas.
Botes/e sso decores diversas.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Nietheroy.
nico deposito em Pernambco caes da
dgg Telha n. 2, anda.
alian-
500
60
(100
240
100
00
200
500
1,5000
-240
500
70
lOO
500
EOO
40
240
400-
l80f>
200
700
640
240-
25400
20
Os accreditados cilindros americanos para pa
dara.
Machinas para descarocar algouao.
Canos le ferro galvaoisados, para agua.
Carrinhos americanos para transportar fazendas.
Farinha de mandioca
de superior qualidade, ? em saceos grande? : vei -
de-?e nos nrmarens da Cornpanhia P raatnliucana,
por nreco comnindo.
p- de (rucia p< e mais Iructeiras jucheriada
todas por preco muito barato para acabar : n.
trave;sa d> Ridre (nglc n' 7, lugar do Caramh >
Novo.


Diario de Pemambueo Sabalo 30 ~ Jull de 1870.
i

Armazem dous irmaos
\l\jHW! Dllil
Pichincha sem rival!
Ra da Cadeia n,45
^oahecla, e >cre*c.<>a .oj. de Santo. J{gfjEgfiiJS tKa libr,
8Roa da Penha8
Ifaoteiga insleza flor a 1*300 libra, dem frn-
eeza a 760.
Cha miado e grcsso superior a 3*100 e 3*000, ca-
f ere caroco a J00 e 540v
neguin* franeezM de Cordavio para hornera,
a* fcrfeil e>tado a 7*000 o par.
Borzeguins a 75000 !
Quem deixar
* mmprar bombazina preta de dais larRnras a
4*0 rs. o covado : na loja das seis portas em fren-
I 4 lirramf nto.
Vinbo em pipa a 400 a garrafa, dem S. Juera
a 600 rs.
Grandes latas com bclachinhM a 1*300. idem com
URojtinhos a 500. idem com fieos a 1*000.
Copos lapidados a 5*!00 a dozia, idem dem de
contra a f*600, idem temos com 6 copos por
1*100; assim como miUos oatros objectos;
Raa
DEPOSITO
da Cadeia
n. 8.
YwiV se por menos pre^o d^ que em outra
qgihper parte, de 10 killos para cima, as segua-
les qalidades :
SaBie.-Q.ia I i t fine, fine snperienr.
Sor mePar excellence. Van i lie.
O-ialif? fine.
Alta novidade
NA
Loja do pa Cbegaram pelo uliimq, vapor frantei as ricas
chapelinas de palha de Italia, ultima novidade d
Pars, chapeos de velado e palha tambem O te-
mos de milito gosto, postill)5s e basquinas de gof-
gurao preto muito superior enm ricos tacos de
setim : na ra 1 de Marco n. 7 A, loja do paco.
CEMENTO
O v&rdadeiro portland. So se vende na roa da
Adre de Dos d. armazem de Joao Martina de
ifPH
Pchincha
Vendem-se quatro casas terrea^ de pedra e cal'
em Olinda, dnas em urna roa e duas em outra,
baratssimo por sen dono retirar-so para Europa :
a tratar na ra de Hurta* n, 96.
Estampilhas
Vende-se no cartono do tabeltiao Almida
ra do Imperador n. 75.
(RAM NOVIDADE
Oaando a A*GUrA BRRNGA, mais precisa scientifiear ao respeitavel publico em
geni, e em particular a sua boa freguezia, da immensidade de objectos qne ltimamen-
te tem receido, justamente'quando ella menos o pode fazer e porque essa falta invo-
iotrtaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ib'a attendero e relevaro,
ctoimuanda portanto a dirigirem-se a bem conhecida Ir ja da AGUIA BRANCA roa do
Quwraado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superoridade em
ftabades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E S1NCERIDADE.
Do que cima fica dito se conhece que o tempo de que a AGUIA BRANCA pode
isp&r, empregado apezar de seus custos no desempenho de bem servir a aquelles que a
Swaram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sera ennume-
rar os objectos que por sua natureza sao mais conbecidos ali, ella resumidamente indi-
cari aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornam recommeodaveis, como
teatseja
Grande estot>eler.inWft faietd e roopas reitat e por medida, i roa da fot
peratriz n. 52'jnto loja de oorWea.
Neste estabelecimeMo eocoatrarii o respeitavel publico um bonito sortimento de
roupas de todas as qualidaRS
Palitot de alpaca preta e de cores a 3*000. 305ftO 70000, ditos mfrm preto
d7to00 at 255000, ditos de casemira de cores" finas e ordinarias, de 60. 16,5000,
ditos.de panno finos de- 6V8# l# e 2* lOOO. sobrecasaco dito do 200 a 500000
Completo sortimento de calcas de brim pardo de 10600 a 0000, ditas brancas
de 20; W5000 o mais superior, ditas meia casemira, ditas caremira de 5$, 120000,
ditas casemira preta' d'e 6 Hwtov fmm conwoi bonito- oertinonto de colletes de brim de eres, dito;; brancos,
ditos de casemtri d cores e pretas, ditos de roerte* pnra loto fazenda superior.
Sortimento competo de camisas francezas d algodo, de 10800 30000, de1
linho de 380000 a 700000 a duaia.
Sortimento completo de ironas francez** de algotllo de 10600 a 20OO,
ditasde bramante a 10800, 20500 30000' ditas de Hamburgo. francesas, fazenda su-
perior de 250000 a 350000 a duza. Sortimento decolarmhos de algodo e linho, etc.,
assim como meias de algodo para homem de 30, a 100000 a duzia, gravatas de mu- i
tas qualidades. Na ra da Imperatriz n. 52, loja do
Sortimento de chapos de sol de alpaca, eseda, ditos ihgrezes cabo de marfira.
Toalhas para rosto. Sortimento d mallas para viagem.
ATTENQO.
Neste estbelfedmento eOcarrega-se de mandar fazer qualquer obra por medida
e para esse fira tem hbil mestre encarregado da oflicina, que se encarrega do trabalho
com perfeie9o o pMmtwrbdado.
SORTIMENTO DE r*AZENDAS.
Chitas d 2S0 *s. o covado oo 100000 a pessa com 42 covados. ditas miudes
par camisas e tim5o deoieniBO 260, e 280 rs.. e outras muitas qualidades de 320, 360
e 400 rs. o covado, neste msmoWrtabelecimento chegarara, urnas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnaf parflhos ecompetente enfeite para corpinho. Cam-
braia lisa de 30, 40,50" e 10000 a pessa, e outras muitas fazendas de todas as quali-
dades. H
MACHINAS PA1A
OBTURA
Acabam de ebegar ao GRANDE BAZAI
UNIVERSAL, > ra Nova" n. 22cameAo
vunnaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
ndecidos, as quaes esto em expsito no
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua-
lidade. e tambem ensina-se com perfeioSo
I a todos os compradores. Estas machina!
| sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costa-
reiras diariamente, e. a sua perfeico tal
como da melhor costureira de Pars. Apre-
sentam-se trabalbos executados pelas mes-
I ma's, que muito devem agradar aos pretea-
dentes.
qo armazem de E. A. Burle 4 C. ra 4a
Cruz n. 48 o seguinte ;
Vinbo Bordeaux superior qualidade, pre-
cos de "70500 a 200000.
Cognae fino, deferentes precos.
Licores de differentes qualidades e pa-
cos.
Frutas e conserva em frascos.
Azeite doce francez, em caiua de 12
garrafas._______ ^^
Veode-sa a casa terrea rt. sihr m ODpfc,
a ra do Urgo do Amparo, com excembtea eoas-
modos e grtnde qofntal, >lo proprie : a tratar a
Recife, ra da fadeia n. !^.
Corpinhos de cambraia, primorosamente
abitados com fitas de setim e obras essas
aja novidade de molde e perfeico de ador-
jos /s tornam apreciados.
fas mni largas de diversas cores e qua-
fades para cintos.
laques uesse objecto muito se poderia
iizer querendo descreve-los minuciosamente
jfor suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
df chegar, mas para nao massar o pretn-
danle se lhe apresentar o que poder de
clbor.
ntremelos em pecas de 12 tiras.
Guipare branco e preto de diversas qua-
id*des e desenhos.
Ditos de algodo com flores e lisos.
Veos de seda para chapelinas e monta-'
a.
Meias do seda para noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p do arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderemos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Tbesouras para frisar babadinhos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos com 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
urnas substituem as outras.
Vistas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
ALGODO t MAWAPOLO AVARIADO.
A 40000' o TgcrdSrj. e*05tK) omadapolo, e tambem chita escura boa 240 o
covado por ter grande porco, na roa da Imperatriz n. 53, loja com portales ecarnados.
intitulado
Leo de Ouro. .
Cera de Lisbea en velas
Tamanhos difTemnles desde 2 a 16 por libra, em
ca xas de urna arroba : no srmazem de Tasso lr-
maos it C, na do Amorim n. 37.__________
Saceos de estopa
Vendem-se ptimos saceos de estopa, proprios
Farello.
Venae-se vinho daquella procedencia
N. l-RUA 60 VGARIO-N. 14
Marcas
S. Julin Medoe
Chateau Mra*ux.
Pentiados e phan-
tasia,
O BAR11EIROS CABLLEIHEIRO
Prximo chegado de Pars a esta eidade eoo
um variadissimo sortimeatn d ponteados; aMm
como, magnificas trancas, coques de tranca, ta-
pens, cabelleiras de caxos, caxos d todos os la-
manbos, coques de inia?ao e flores para naftas.
Pede aw resptaS! publico desta eidade e com
esvecialkhae as tExms. Sras. do bom gosto i
nao deixarefn desapefeehida esu to maga
moda, que mais aplauso tem tido em toda Eu-
ropa, prometiendo agradar a todos em sen (ra-
para assucar, milho, farinha etc.: no armazem de iDa,n0 e mo*co preco: a ra de Santo Aman n.
Adamson, Howe & C., ra do Ct^mmercio n, 40. A, com frente para o oitao do mar da moda.
Estaminlhas.
Vende-se na1 roa da Cadeia do Recife n. 58, toja
de azulejo.
Touquinhas de fil, sapatinhos bordados crianzas.
s creis para ditos. Diversos obje'ctos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. I para enfeites de mesa e de lap'mhas.
Ra do Crespn. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida C.
Este estabelecimento d fazendas finas e girbssas j bastante conhecido como
um das mais bem sortidos desta eidade acaba de receber directamente de Pars aWins
artigos especiaes que passa a mencionar.
Ricos corte,'! de vestidos de blond para casamentes.
Cortes de vestidos de seda-de cor, de gostos inteiramente novos.
Brochad, faaendas de 13a e seda propria para vestido.
Foulard de seda de todas as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas-de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapelinas de seda e de palha d'Italia.
Basquinas de seda e guipure.
Colchas de seda e de 15a e seda. *
Cortinados de cambeaia bordados mnito ricos.
Pannos de verdadero croch para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalhas de linho de superior qualidade.
Bramantes, selicias, sguioes atoalhados. '
Guatdanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, baloes, cambinhas. sombrinha.
Madapoies de varias quaidades, sa;cos para viagem, mallas, tapetes, capa-
chos, alcatifas e miiitos ontros artigos qoese vende por precos mdicos.
Tem tambem constantemente um completo sortimento de ESTEIRAS DA IN-
DIA para forrar salas.
Vende-se saceos com 90 libras de farello no-
vo do Chile a 4a00 : ra da Madre de Deus
n. 7.__________________________________
Cidade do Natal 19 de julho
de 1870.
Por precos commodos ^ende-se:
11 pos de pinho de encllente qualidade
cumprimento de 31 palmos 83 ; gros-
sura de 24 52 polega3as ; sendo masa-
reos, vergas e mastro de navio.
65 pedras marmores, dilferentes tama-
nhos, sendo : o cumprimento di msior, 79
polegadas, largura <9 ditas, altura 3 ditas.
30 taboleiros tambem de marmor ee ten-
do o cumprimento do maior 80 pollegaclas,
largura 40 ditas, grossura umae um quarto
de pollegada: a tratar no escriptorio da
agencia da companhia brasileir?de paquetes
vapor, ra da Alfandega.
GAZ fiAZ GAZ
Cbegou ao antigo deposito de Henry Porster *
., ra do Imperador, tun carregamento de gs>
de primeira qualidade; o qual se vende em partiost
e a retalbo por menos preco do que em outra qua
quer parte
Sahtias de baile
Cbegaram loja do paco as ricas sahidas de
baile, assim como os ricos"enchovaos de cambraia
bordados para emneas se baplisarom, artig) este
o melhor que ni no mercado, assim como temos
grande sortimento de ouiras muitas fazendas de
gosto e novidades pir todos os vapores : na \o'p
do paro ra 1 de Margo n. 7 A.
BRACO
Ra do Imperador n. 26
0 respeitavel publico encontrar Basto
estabelecimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, bollos ingtoaet
podins, pds-del, prgsentos dos ultittos
chegados ao mercado, salame de lion, bo-
linhos finos de todas as qualidades para cha.
amenloas confeitadas, confeitos, bomboina,
pastilhas, chocolate francez em libras, pta
ti Ibas do mesmo .cartuxos e carteiras coa
seis charutos de chocolate cada urna, esto
sortimento de chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor qneati
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos portuguezes, figueira mnito supe-
rior. Os mais genulnos e superiores vinbot
do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar neste estabelecimentc
por commodos precos, fazendo-se abatnen-
lo a quem comprar em porco.
Os doRos desto estabelecimecto nlo m
tem ponpado a despezar para melbor me
recerem a acoadjuva^o do Ilustrado pu-
blico.
6 0RA DA IMPERATRIZ
_____ ______ ________^^ _____ DE
tSMMJWALm nGIJeiREDO t CL
Neste grande estabelecimento encontrart o respeitavel publico, uu grande sortimento de fazendas, do mais apurado costo assim como de todas as Ha nrimt.ir7Topo^cHHa mm^^TL r.aM^;,A?i. .^. -.-4 -------
m outra quaiquer parte, visto que os novos socios desta urna adoptaran o systema de \6 vennderem IMMIIIRO ; para poderem vender pe^custo ^Sandoie9 nTna i aanharl TLlT P1T2?SS E J^JDS?Jgirit0i d ff
i .rmazem poderSo fazer os seos sortimentos pelos mesmos precos que compran as casas estrangeiras. Para maior commodidade das Exmas familias de todas -Vapenas.-a Kanl?arem ? dsconto- As Pessoas F negoaam _em menor esalla, nesta lofa
0
ierem escolher.
* ALTAS iNOVIDADES ff
DO PAViO S
BONITAS FAZENDAS PARA A FES-
fe TA DE. 8
SANTO ANTONIO, S. JOAO E S. PEDRO. *&
Vendem-se as mais lindas poupeli- ^
as de linho e seda com os gostos Jg
mais novos que t^m vindo a este
mercado, pelo barato prego de____
25000 o covado.
Sedas listradas, de furta cores, fa-
zendas ue muia phantasia a 2&000
o covado.
S da bismark, larga fazenda muito
encorpada o covado a 20500.
Bonitas laasinhas largas com palma
de seda, covado a 15000,
Lindas agraciando tarradas covado
a t^GOO.
Alpacas lavradas de todas as co-
res, covado a 640, 800 e 1,500)
Bonitas lasinbas escossezas com
quadros e I i tras de seda, covado a
56).
Finas alpacas lisas, sendo c6r bis-
nvark lyrio. verde, roxo. cinza, can-
na, azul etc., covado 640.
gf Ditas furta edres com as mais bo-
mc fiitas cores, ovado 50) rs.
Lindas bareges lisas, e com lista
da mesma cor, fazenda inteiramen-
w te Bojra, covado a 569 e ^40 rs.
Bonitas laasinhas tapadas e trans-
parentes com grande diversidade, o
covado a 600 rs.
Lasinbas lustrosas com lindas co-
res emitafo de seda, o covado a
,tO.
.iodos cortes de anadine. sendo
fizenda nova e transparente e de 1
muita phantasia, com 18 covados a j
150000.
Finiss mos cortes de vestidos bran-
jos bordados com todos os enfeites'.
rancezes a 12i5000.
Cirles de ganga indianos, fazenda
apiramente nova a 74000'
D;toscbinezes com" duassaiasa
75000.
as fazendas se do os livros das amostras, ou se mandam levar emjsuas casas, para melhnp
O.-gandy branco com listras lar-
gas e quadrinhos, a vara a 10000.
Todas estas fazendas, sao inteira-
mente novas e se vendem muito em
conta, ra da Imperatriz n. 60,
loja e arrnizem de Silva e Figuei-
do & C. .
Ditos de 13a escosseza fazenda mui-
to bmit* cora fio? de seda a 750.0
Finsimos orgaodys com lista de
c6r e salpico, serlio fazenda de
K muita ptiautasia, ojmetro 14280. *
de 125000 rs. cada um, pchincha.
CASEMIRAS ESCOSSEZAS.
O Pavo tem boni as casemiras escosse-
zas com quadros grados e midos e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito fina que se vende mais barato, por
haver grande porejio.
CORTES DE CASEulRA PRETA A 4:500,
0 Pavao tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeitadas pelo barato preco
de 45500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 800 RS. 0 CO-
VADO.
O Pavo ende excellente fazenda de pura
la com as cores escoras muito proprias
para caifas, palitwts, colletes e ronpa para
meninos que frequ -ntam a escolla por ser
urna fazenda leve, escura e de ranita dnra-
Co, pchincha a 80) rs. o covado ou a
25800 o corte de caifa para homem.
FINAS BAREGES A 640 RS. O '.OVADO.
0 Pavao tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com urna
s cor, tendo : lyrio, azu!, rosa Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e iqui-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter fal-
lo urna grande compra, assim como ditas
mais estreitas de urna s cor com listras
imitafo de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PEGAS DE MADAPOLO A 30500.
0 Pavo vende pessas de muito bom
madapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato preco de 35500.
PCHINCHA EM ALGODO A 4*000 RS.
O Pavao est vendeudo pe^as de algodo-
sinti francez, tendo 4 palmos de largura e
com 11 metros cada peca, pelo barato pre-
de 45000 rs.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se superior cera de carnauba em
saccas, mais barato do que ero outra qual-
quer parte, na ra da Imperatriz n. 60,
toja do Pavao.
OS SETJNS DO PAVO
Vende-se es mais Bonitos setias de cores
e mais eoeorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
CROCHS PARA CADEIRAS E SOPA'S.
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, almofudas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qualqner parte.
Algodo enfestado.
Vende-se urna grande por?o de algodo
sinho americano com 8 palmos de largura,
GR2f,^ATC P-ET0S DE l*m AT .700? BOUPAS PARA HOMENS PARA TODOS
Na loja do Pavao encontra o respeitavel ft< DDi?rnc
publico um grande sortimento degrosde-l v< ,w ; T
naples pretos de todas as larguras e qua- Nfl este, 8de fstobehcimento encontrar
-lidades, tendo de 15500 o covado at 70000 resPeilavel PubllC0.* 8rande sort.mento
e 8000), que se vende por preco muito
em conta.
CASSAS FRANCFZAS.
Chegaram para a loja do Pavo as mais
lindas cassas Tancezas com delicados pa-
proprio para lencoes e toalhas, tendo liso e S tPnrin n, ,7 m(*a0S p,a"
trancado, que se vende por preCo muito em! ^s' l.end.0 Para odos os Pre?os e conta.
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
LAAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou pa-a a loja do"Pavo, o mais
elegante sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas satas, e vendem-se pelo baraiissi-
mo preco de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LISTA
SEDAS D LISTA
SEDAS DE LISTA
a 20000 o covado.
Chegou para a lija do Pavo um grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas com as nuis delicadas cores, tendo
entre ellas algumas qnfc servem para luto,e|
vendem-se pelo barato preco de 20000 o
covado, pchincha
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra o respeitavel publico neste es-
tabelecimento um grande sortimento, de fa-
zendas pretas, como sejam cassas france-
[zas->e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de la de todas que
tem vindo, proprias pira loto, sendo laasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom
basinas, merinos, etc. qae todo se vende
por preco barato.
PARA BAPTISADOS
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 40000, cada nm.
Vende-se bonitos cortes de casemiras
claras e escoras pelo barato preco de 40,
ou a 20400 o covado, tendo duas larguras,
CORTINADOS PARA CAMAS E JANBLLAS
de 80, 100,120 e 160000.
Chegon para a loja do Pavo nm grande
sortimento dos bonitos e ricos cortinados
bordados, proprios para camas e janellas,
que se vendem Je 80000 o par. at o mais
rico qne vem ao mercado, e vende-se mais
barato qne em outra qalquer parte.
dades, dando-se todas amostras, asim como
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven-
dem muito etn conta, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cores'fixas
240 rs. o covido, e pchincha.
LAASINHAS A 320.
LAA8IXHAS A 350
LAASINHAS A 3f0.
Na loja do PaSo vendem-se elegante sor-
timento das mais lindas laasinhas lustrosas,
com listrinhas a imitaco de poupelinas de
seda e com a cftres mais lindas que tem
vindo ao merado, sendo fazenda que vale
mnito mils dinheiro, e liquidam-se a 320
rs. o covado. pchincha,
FECHITOHA
EM CAMISAS DO PAVAO A 40500 RS.
Vende-se rjm bonito sortimento de muito
finas e modernas camisas inglezas com pei-
to e cohariobos de linho e punnos, pelo
baratissimo preco de 40500 rs. cada urna
e aos freguezes que comprarem dnzias se
lhe far um aoati ment, garantindo-se que
fazenda qu vale muito mais dinheiro,
liquida-se por este pre?o por se ter feito
urna grande compra: assim como se vende
um bonito sortimento de ditas tambem com
de roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
panne preto e cazemira, calcas e coletos de
brim branco e de cores, que tudo se vende
mais barato do que em outra qualquer parte;
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceroulas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias croas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
ALPACAS LAVRADAS A 640, 800
1,000 RES.
Chegon para este grande estabelicimenta
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, qn
se vendem a 10, 800 e 640 reis o covado,
assim como um grande sortimento de alpa-
cas lizas de todas as cores
O Pavo vende urna grande porco de
cortes de vestidos indianos, tendo duas
saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
tos mais novos qu tem vindo,-e liquida-se
50000, tendo cada um seu competente
fiRurino.
CASEMIRAS MESCLADAS A 30 O COVADO
O Pavao tem para vender bontas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roupa de homens e meninos pelo barato
preco de 30000 cada covado ou 50000 o
corte de caifa para homem.
Roupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se fazer qualquer
peca de obra a vontade do freguez, para o
que tem um perito alfaiate, responsabelisan-
do-se os donos do estabelicimento por qual-
quer falta que possa haver, quer por de-
mora, quer por qualquer defeito na obra;
e para isto encontra o respeitavel publico
nm grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
paito de linho bordadas e ditas de algodojdo a largueTd%sta Ka fazenda
para todos os precos.
PANNO PARA SAIAS A 10000, 10280 e
10300 RS.
Vende-se bonitas fazendas proprias para
saias sendo com bordados e pregas a nm
BRAMANTE A 1800.
Vende-se superior bramante com' 10 pal-
J mos de largura, prprio para lences, dan-
0 compri-
mento do lenof, sendo preciso para cada
nm apenas 1 1/2 metros* ou 1 e 1/4 pe-
chincha pelo preco'.
ESPARTILHOS A 54000.
Vende-se um bonito sortimento dos me-
lado, dando a largura da fazenda o compri- j Inores e mais modernos espa-tilhos tendo
ment da saia e vende-se pelo barato pre?o' do barato preco de 50000 at 8000.
de 10000,10280 e 10600, cada metro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 1/2 metros para
cada saia pchincha.
Vestidos brancos a 1**000 rs.
O Pavo vende finissimos corte9 de ves-
tidos de cambraia tranca, ricamente borda-
das e com mnita fazenda pelo barato prego
Cachenez.
Ni loja do Pavo vende-se nm grande
sortimento dos mais bonitos cacbenez de
pura la proprias para senhoras, vendem-se
a 60000 cada nm, na roa da Imperatriz
n. 60.
A loja do Pavo est, constantemente aberta, das 6 horas da manhaa s 9 da noute
Basquinas.
Chegaro as mais modernas basquina*
ou jaquetinhas de seda preta, ricamente
enfeitadas a vidrilho, tranca e setim pretc
tendo de todos os modellos, os mais novos
que tem chegado e vendem-se por preoo
muito razoaveis.
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
a 20000 o covado.
O Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas verdadei-
ras poupelinas de linho e seda com os pa-
drSes mais delicados que tem vindo ao mer-
cado, tendo entre ellas cores proprias para
alliviar hito, e vende-se pelo barato prece
de 20000 cada covado, pchincha.
Cambraias brancas
Vende-se um grande sortimento das me
Ihores cambraias tanto victorias como trans-
parentes tendo de 30500 pe?a at a mair
fina que vem ao mercado.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4#000, A PECA.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara d
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se venden a 70 e 80000, b*qo>-
da-se pelo barato preco de 40000.
FUSTES BRINCOS A 640, 800 E iftM.
Vende-se muito bonitos fnstoes branco*
muito flexivel proprios para vestidos da
senhoras e roupa para meninos e vende-a*
a 640, 800 e 10200 rs. o covado.
Cassas a 40 rs.
O Pavo est vendendo bonitas cseas da
ceres fixas a 240, 280 e 300 rs. o conde
Brilhantes laasinhas.
S o Pavo, 040.
Chegaram as maisbirlbantes lasinbas com
as mais lindas cores, com palmmhas miodS-
nhas, assentadas as mais delicadas cores de
lyrie, cor de canna, eflr de ganga e braneo,
sendo estas novas lasinbas de mOhV boa
quafidade, teodo largura de alpaca e -vnde-
se 460 rs. o covado. a da Imperatr*
a. 60 loja d Pvo.




1
Diario de Peruambuc Sabbado 30 de Julho de 1870.
MvmmKOKmtwwva* de iwvo atore us amas tiatciauManluS' de faaendas
IttfwaUu, com a. deoom|i acOes d QsrrDalfti e> Arara, tefida resol-
lnjwUv.twlji is su*s f.izmiJM wm eral4liatiiieBio Jpi#t<.s, por sao coa-
Mpfita-vtd pubUci'-.ea swj amiDi e frejuwaw, tanto da.pr.-x.-a.caaQ do maito.
a.Uje* *iu>;., de pevo o seo ,$|ubelci8Kto, e que to*m ag- feunda< /So
Siaa na luja aranera i1a,,-4rai na rua ra IraperMri/. n. 7. c que reaolvea-se
r .jnaaciu d- U>jt fiaribaldJ, par? car smente com a da Arara, como cima
Attea Vinde-at chitas fr*ncaas a 10,480, 3*0
e 360 o cov^da na lejano .Vara.
ORGANDYS DE LIf>TA DE COWSS,
Vnde-e organd* f ara vestidos, de se-
fcor*. fazenda Jiwit modernas a' 410 rs.
.amado.
IfteWuatiHA Veade-so brilbaatiua oo aitissuiioa Je
.ttfr. para -vestidos a 140 o covade.
MACADOS fACEZES A 360.
Vende-se risadog fraacezes para votjdo a 3tt0 re. o .uvwdo.
CtaW* larga a *?0.
Vafldti-o eaitas escuras fifias das largas
para vestidos de senhoras, a-SO o covado.
Mas maceadas sciwae a 280 o cavado,!
ALPAGAS LISAS A 500,
Vende-se alpacas lisa para vestido* de
alboras, a oOO HaZlNHAS TRANSPARENTES A SuO RS.
Vende-se ISasiuhas transparentes, para
vestido a 300 rs., ditas Upadas a 400 rs.
a covado para liquidar.
ALPACAS DE LISTAS A 0O RS.
Veade-se arpiM de Ustas para vestidos
a 300 rs o cavado.
BMLHANTINA fli\NC\ A 300 RS.
Vende-se brilli.iotina branca par vestidos
a 300 rs, o-cavad".
ALPACASM BISADAS A 040.
Vende-se alpacas matisadas para vestidos
da aenliora a 010 rs. o covada.
CORTINADOS PABA JANELLAS GOOO.
Youde-se cortinados parajanelias a 64000
o par para lupiid r.
SEDAS DE CORES J0OO.
Veode-se sedas para vestidas a lOOOo
covado.
CHALES -RAUCOS BE CASSA A lOOO
CADA lili.
COBERTAS CHJNEZAS DE CHITA A 2000.
Vinde-se urna groad poi cao de cober-
tas de cliitas cbinezas para cama pelo barato
presto de OOO cada tuna.
\Y>mk-.e na toja do Arara 3 balcoes para
qualqwer estabeiecimeue por barato presso
por Rao se precisir -'^UkH oo estabeleci-
Mdto.
ETALHOSDE QHffAS PMA8 E GARBAS
A 140 O COLADO.
Venderse una #r>nde porfi de reta-
,lhos de chitas e cssas pretas a 430 rs. o
covado para liquida
0 fiOMHlIO
GRANDES

largo do Tenp.TS. 23.
10 Pati-o da Peuha
DE
10
CORTINADOS PARA CAMA 14:5000.
Vende-se cortinados par cama a 1 i^OOO.
COLUXHAS PA!<\ SEWORA 100.
Vende-se nina grande prtrfSo de p>llrnbs
para' senhoras o meninas, a fOO e 200 rs.
cada ama pan lijnidar.
CHITAS PARA COBERTAS 520i
Vende-se chitas largas oara coberta1 a
320 360 rs, o covado.
MANGUITOS E GGLLAS 500.
Vende-se manguitos e goilinha* para se-
nhora a 500 is. ditas 4* bobo a 610 a 800
rs: cada urna.
CUALES ESTAMPADOS zWOO.
Vende so diales da merino estampados a
2<000 para liqnid r.
CAMBRAIAS VICTORIAS A 65OO0.
Vende-se cambraias Victorias finas a
60000 6f$500 e 7->i)t>>. por ser liquidarn.
ALPACAS COM PALM \S DE SEDA A 10000.
Vende-se alpacas c> m palmas de seda para
vestidos de enflora a teOOO o covado.
COR ES RE CUITAS Dfl CORES A 2^400.
Vende-se virtaa de chitas de cores cum
<0 cevados a i: 500.
^S8a
COBERTORES DE ALGODO A UMQ'
Vnde-se cobertores de atgodSo cada um
(AIOO.
RRAMANTE DE LINHO FINO A BARATO
PRESSO.
Al-od %nr*>i A ltOO
Vende-sw algodao transado de duas lar-
goras a I20B.
MADAPOLAO ENFBSTADO A 3B00.
Vende pecas d maJapolSo de 12 jar-
das a 3$500 a peen.
AI.GODAO A 45000.
Vende-se peC/'S de algodBo encorpado a
4. 5(9T, 6.-} e 7,4000 a peca.
MadapolAo a 5-SOOO.
Vende-w pecas de madapolSo de 24 jar-
das a ;>5 OH e C->."i00. dito milito fino a 7;>,
86 9$ e KM a nvea para liqutd r.
ALGODAO DE 8 PALMOS DE LARGO.
Vtnde-se algodSo com oito palmos de
largura prnprio para lences e toa!has a 900
rs, o metro.
ALGODO DE LISTA A 160 RS. O COVADO.
VeMde-se algodao de lista proprios para
tai ou veslidos para escravas ou calcas e
carnizas para escravos purcbi moito forte a
160 rs. o covado para liquidar.
Cortes Be castor para caifa a
& r.
Vende se coi tes de castor para caifa a
500 n C!da um.
CORTES DE BRIM PARA CALCA A 10400.
Vende-se cortes de brim de cor para
calca a f#400 nada wm.
Brlm pardo liso a .> rs.
Vende-se brim pardo liso,meio linho para
calesa psra trabalho a 500 rs, o metro.
Gangas para calca a 9SO rs.
Vende-se gangas inglesas para calcas e
patilots 280 r-. o covado para liquidar.
CORTES DECASEMIHA DE CORA 3$5O0.
Vende-se cortes de caremira de cor para
calca a 35500 cada aro.
Ditos mni o finos rom listas do lado a 55.
PERCALAS FIN ^S A SU
Vndese nerca-as finas, para vestidos de
senhoras a 440 rs. o eovedo.
Cassas Va- eczas a 24.
Vende-.se cassas francezas para vestidos
a 240 rs. o cavado.
S A UTOS & F ERRE IRA.
Os propietarios destos bem.sortido armazens paj-ficipam aos seus innnmeros
freguezes tanto desta praca.como do naptto que tendo feito grande diicinuic5o de pre-
Cos as soas raercadorias estSo porissoresolvidosa vender por menos de tO e 20 ie,
do qne et ou.ra qualqucr parte, garaninda-se porjanto a s perio'r quaidade de qoal-
quor genero comprado testes dous esUbelecimentos. Mencionarnos alguns dos nossos
gneros ea vista destes sao comprebendidos os ootfos, porqae enfatonbo seria men-
cina-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Gaz americano marca Devea a 85800 a
Vinagre branco mandado vjr por conta
propna vindo de Lisba, a 320 a garrafa e
480 o litro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Vinbo Figoeira, Lisboa, Porto e Estrejto
a 560, 500 480 e 400 a garrafa litro a 840
<760, 720 e 600.
Viuho braneo puro de Lisboa a 640 560
agarrafa, em porcao lia atjatimeoto.
Vinlio do Porto, engarafj^o das melho-
res e mais acretadas rartas a 15000 e 15200
15500 e 25 a garrafa.
dem Bordeaux, Medoce SU Jab'en a
75500 e 65500, a dnza e 640 ts. a garafa.
Genebra de Holsoda e.laranja doce aro-
mtica a G550075, 115500, a frasqueira.
Semeja Rass, illers Rell a 95800 du-
zja em porco ha grande abaliraanlo.
dem m^rca U e T e giras marcas a
555C0 e 65, a duzia e500 rs. a garrafa.
Assim como h ouiros muitos

m
w Cortes de seda e de cambraia bordados M
0 Cvsne a rua da Imperatriz n. Ci acabx de recel er lindos e modernas cn-los de
; Vestidos 'ie cea:!, pretns e flfi cores, Srts e BUtiudoe assim pomo cries de Pxirabraia
.*/ braacos t0llns ricamente bordaius, es qcae vende por commodos preQi
m
*&
^!r;-"
COS.
&
Xaa
para bordar a 5^500!
de 13a, qual vende a 5jOO ,
,WB|
Acaba de rtceber u.m grande e variado- sortimercto
libra, cures sortiilas.
S99
Fitas e galoes de seda
m
&% Recebw tarnbem nm lindo sorlimento de tranca?, franjas e galSes de sed3, e um
^V varian wrtimtmto d tiras de sarja, selim e rhamalote de todas ss cures e larguras, e
3 um scoi Bduiem de ariijos pref rio de dito eMabelecinvnto.
:*>


AOS SRS. ALFAIATES
Chegoa a lojt das Go'unoas, da roa do Crespo n. 13, de Antonio Oorreia de
Vascpnsei:os. superior velludo preto de seda.
RUA DO DUQUE DE CAXIAS
N. 7, (OUTHOKV 1*0 QEIMAOO)
DE
Este novo estabelecimento j bem coQhecido nesta capital, os seus propriets-
rios fazem sciente aos seus freguezes e ao respeitavel pHithcoqne conservara sempre n
melhor c mais varia lo sortiraento d fazendas para setbons, btuetis e meninos, sendo
ua especiJidade,en^ova?s para noivaios e preparos para salas.
Para ni ivas
Ricos vestidos de blon 1 da seda bordados de duas saias o qoe ha mais rico e
cot todos os preparos.
Gorgueo branca de seda, superior qualidade.
Mantas de blqnl com capeltas.de flor de laranja : s na
Loja do Triumpho.
Rimi do Duque de Oaxias n. 7.
CAF MUIDO A VAPv
(DE
AVILLA BMO & C.
*9 R' \ DE SANTA BITA Y.)
Imeaio of mui-
m misiura,
ira,
Annei
GRAflDE PECHICHA
30_Kua do Imporador_30
Ao ourives
cabo de prata a 30000 o
t-fa, 380 rs. a garrafa e 560 o Llro.
Azeiie doce de Lisboa a 900 e iW)0a
garrafl em porfo faz-se grande abatimen-
t.
Caf em caroco a 220, 240 e 2-0, a li-
bra o kifogramrao'a 480, 5'tO e G00, e
75000, 7d3t-0 e 808OO arroba.
Milhoalpisla 00 rs. a libra e 440 oki-
logramma o 5;S00 a arroba, em porcao ha
abatimento.
Queijos frescos do ultimo vapor a 3^200
3i400 cada um.
Aletrla, macarrDo, talharim a 500 rs. a
libra ItfHOO o kilograrnmoem caix3oha
abti ment.
. Sabio massa de I* e 2* qualidade a 220
e 240 rs. a libra era caisa ha- abatimento
Toucinho de Lisboa milito'alto a 400 rs.
a libra e 8S0 o tiiVjgramrao, -fem srroba ha
grande differenca.
- gneros, vjntwi em ancoretas, azeitonas,
passss e ligas, charutos Gnos de diversas marcas, raarmelada, bolachiuhas de todas as
qualidades, perola, Francy-eracynel, a, b, c, Mdium, mixed. soda Fancy-nic-nac, pa-
taca de \aneiees,cosabinaton, Briania, doce de goiaba fina, chourifas, manteigs finas
tranceza e inglesa, banba de Ballimor, phosphmos de Sycuryt; Cognac, cha de diver-
sas quaiidades, Gaoella, pimnta do reino, c-rvadece, pomada, eDxore, breu, peixe
em latas de todas as qoalidaiiw. farinha de railho aiaericarra. grandes molhos de sebol-
las, nestes nons armazens existe tambem graodt sormento de loocas propr.as para ne-
gocio, que pelos seus commodos preco faz vantagem aos compradores.
PAPAU
LOJA DO
Novo es
OE FAZENDAS
Rui da. Iiuperairiz n. 40, esquiaa/do beco lo F
ecimento
ROUPAS FESTAS
erreiros.
mmm iiiauim ibnuiuuui
O novo proprielario deste estabelecimento, commnica ao respeitavel publico
desta cidade, e especialmente s Exnas. familias, que e>l liquidando por presos bara-
tissimos, ss antipas fazeudas que existiam miste e^tabelcimento, alm das que baixo
vao relacionadas, cujos pregos merecem toda a aleoslo do re-speilavel pblico, que nao
deixar de com pequ na quanlia reaaer-se de qualquer qualidade de fazenda que pre-
cise. Previne-se tambem que a mesma luja tem feito sorlimtmto de fazendas moder -
lit*, e continua a NoNtr-te tes do mais 3urado e escolhido goso, que vender mais
barato que qualquer outia loja.
- A LOJA DO PAPA -AiO alin de ter um grande deposito de roupas feitas, tem
um bonito -ortimento de casemiras franctzas, ingkws e allemaas dos p;idres mais BO-
de no, e assim como pm&H pnefet* casemiras e panno fino cor oe pinh5o, azul claro
e mais escn o, br.ns brancas e de cores, fustes branxs, e de cies, gangas de linho
e brins pardos de todas as qnalidades.
A LOJA DO PAfAGWO tem contratado nm ptimo mestre alfaiale peiito no
sen olicio para secutar qualquer obra da arte com a maior pereic3o e esmero, e qual-
quer oiira qce n5o tique vontade dos Ireguezes, car para a loja, o mauda-se
fireroura.
Atoaibado de linho fir.o, a3o metro, E^guio de linho de 60 a U a vara,
e de algodao a 2&. cb.les de merino prctos muito grandes
Algodaosmbo largo, para lences e toa- a 'AS.
Ihas a t-iioo. Dito t0S) ,.starnp3dos de 4,500 para
Alpacas pretas, de cores, lisas, de furta cima,
cores, e de listras. Fil de linho branco e preto liso, e de
Brges com listrmhas de differentes co- &|pico.
res a MU rs, o covado. Gravatas de seda pretas e de cores, da
Bols sde tapete aveludadas, para viagem, mais modernas que tem viudo ao mercado.
o preco e conforme o tamanho. Guardaippos de rinbo brancos e pardos.
Honibasmas pretas. lisas, e trancadas. Grosdenaple preto de differentes pr eos.
Bramantes, de linho, francez e inglez a Lasinhas em cortes com palmas com 14
2^500 / covado por6#.
BtlOes de mnssulB3, brancos com filis, Ditas lizas e deiistas nmsparentes e ta-
e oi.tros todos de panno oom o feitio dos padas de difluentes precos.
de fitas, para senhoras e meninas. Madapolo inglez de 5r> at 10! a peca.
Basquinas de grosi'en.iples preto mo-t Lencos de-ateodo, brancos de U*
Jemas o de croch moito enfeiladas. a duzia.
Bretanhas de linbo, e de algodao. % Ditos de cambraia de linho de Qt> a IS^Is
B ins di linbo trancados brancos de Ditos de esgui5o de Q6 a 86.
cores. Mussulroas brancas e de cores a 300 rs.
Brins -Je algedo trancados brancos e de o <-ovado.
cors- Gorgures de 13 eom listras, fazenda in-
Combreiai brancas tapadas e transpa.- teiraraente nova no mercado a 800 rs. o.
rentes, sendo inglezas e sutssas de 8 pal- covado.
os de laigora. i Merinos preto, trancado e de cordo.
C8m^sas demeia, de flanella, branca, e Peitos bordados e lisos, tant'de linho
de algodao. como de algodao para camisas de bomem.
Camisinhas brancw de cambraia com di- trncelas pretas de differentes precus.
DO
B 'VIGILANTE
waheeido esubele-
'iiuito objecu que tinham ex.
ifotutcfo te respeifavel publico, man-
teras v.r e aeai>a > caber pelo ultimo vapor
da Europa um completo e vanado Sortimenio de
iteM e mvx Uo resolvidos a vender, como de sen costme
por presos rr.uito baratinhos e commodos para to-'
tec, eom tasto que o Gallo....
Muito superiores^luvas de pellica, pretas, brau-
i'M o de mui lindas c*es.
Mni boas e bonitaa gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores jientes te tartaruga para coques.
Lindos e riqusimos enfeites para cabecas da>
Exmas, seuhor?.s.
Superiores trancas pintas e te cores com vidri-
Ihos e sem elles; esta fazenda o que pode haver
de melhor e inais bonito.
Snperioros e bonitos leqnes te mad reperol a
majum, sumalo e osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estos pretos.
Mui;o superiores meias lio de Escossia para se-
nhoras, as qbaes sempre se venderam por 30*000
a duzia, eutretanto qne nos as ventemos por 30*,
atm destap, temos tambem grande sortimento de
outr.-.s qtuUidade, entre as quaes algumas muito
Anas.
Boas bengalas de superior canna da India c
castjo lie raartim cora lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, ueste genero o que de melhor s i
pode tesejar ; alrm desta temos tambem grandt
Suantidade de vatros quatidades, cr.mo sejam, ma
eir, baleia, BSfw, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotinuos de cadeia e
te utrasqualidailes.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar a nicias.
Coas meas de seda para senhora e para meni-
nas^ de 1 a 1 anaos de idade.
Kavabaa cabo de marlirn o tartaruga para fazer
bafba ; s.lo uiuiio boas,e de mais a mais sao ga-
rantidas ptdu fabricante, e nos por nossa vez tam-
bera assegurarr.vs ana qnalidae Wicaueza.
Lindas e bellas capettas para noiva.
Superiores agullias para machina e para emx
Linha muito boa de peso, trouxa, para encher
abyrinifco.
Bons barrJhcf de cartas para voltareto, assim
como os teios para o mesmo tlm.
Grande e vanado sortimenlo das melhores per-
fum.'.rias o tes memores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnetieos contra as convulsSes, e
fa/'ilitam a dcatuo das innocente* criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigioso?
collares, e contiuuaiiu.s a reecbe-los por .todos os
vapore?, afin de que nunca faltem no mercado,
eomo j;i tem aconiechlo, assim pois poderlo aquel-
tes que delles precisarem, vip-ao deposito do gallo
vigilante, aonde sumpre encontrarlo destes verda-
deros colares, c os quaes attendendo-se ao fim
uara que s,ao annlicados, se vendero com um mu
diminuto lucro.
Rogamos, pois. avista dos cbjectos que deixamos
declarados, aos nessos roguezes e amigos a vkein
comprar por precus muito razoaveis loja do ga>
vig.lante, rua ito Crespo n. 7.
I
A ru;
HTifiA EUA DO QEIKAS9)
shBHlpH,
Carteiras. charut*pas e-fie-n-cigwros te
qualidAih.
Ronttas iiaftos para papis, >in>|ilf p.-j
Baas caita*VAias paradsima com suai
tente chave.
Detiradas caactas te niirflin com -o boral4
MU.
Jt'demos pontea de tarlarg:i, s(>b:eefakiBtea-
tre elles is miaiosos lelegraphislas.
Cimmodoi uucadores com duas gavetastea
espclbo.
I'urt bouquet, -o que de melbor (em i
Ciito.
Pon nl-gios demDiu--s quadadV?.
Bons talhvres para cri.'icss.
VoMuarios, cbapizintms, loucan, sapatosea
para bapiisaiio.
Toatbcs e flu%i de labyrjiiK>.
Chapus e chapetinas |i.r senhora, moltes
e bonitos.
Chapenrahof gorros o buneta pra
meninas.
GLtiM as convulso's iia&
V'eude-se os reriladeirof o tiaras ni Nova toa-
ranea, rua do Data!-* x;a^ n. *l.
PAUA TING1U CABELLOS
para pretos ou castado* V, reeeheu a Nova p-
ram;a a verdatewa lima nn!'/,i.
PARA ACABAR COM AS SARDAS
oo pannos, tem a Nova i::|..ian;a o ttirdieiin
leile de n,s.> raneas.
AGUA DE l'I.Oll DELARANIA.
Ven.Iese na Nova Esperan<_-i, ma do Bjente
Caxiaa n. 21.
l'Al'KL PARA ENFl:T.',lt SE QLOS
recebeu-os minio Untes a Jfova Efperao^a, raa
do Duque do Caxias n?2l.
PAltA AMACIAP. E At-'ORMOSEAR A PEU*
tem a Nova Esperanca i-s saboijrits de (sde
arroz.
licados bordaoos, e enfeiladas de cor para
Sras.
>r#*mi de motilados.
-o aos sen;
lea nm rotulo
Us para van
te a vapore t
empaCi'liWo 0
qrnl
procrar
Para
c -m nr
Calcado muito barato
Boi ir, com atacadores para
senhoras a 2*500 o
x Botinas da pao e lustre, cora ditas ditas, a 3*
par : raa te Livrameo: Na mesma
toja comprr-se orna machina
ca ow e em perfeito eslate, do autor Singer. 1
F >cas e garios com
par. .
Brincos de coral a 000, 4*000, 6*000 e
TDitos de bhanta.ia, obra de gesto, 8*.
1 Pelcelras para menina a 16*.
Ditas cilm e.*rtieraldas e brtlh.nrtes.
Rosetas de ouro de deaiito quilntes te fjOOO a
10*000.
brincos pretos'para lucto, a 8* e 16*.
Cweletas com inscilpci> ( so>ade, amizade e
peds, para meninos, a 2*000 e
3*t'00.
Na me^ma rnsa troek-se e-fompra-^e ouro ve-
;; tathbm eoncerta-"sB; loques
^^illlU'T f.ihrii*a
vindr, ,a ga Pfu
Azul, rua te Cabug n. ,
Cambraia branca lapada muito larga com
pregas e bordado, ha de tres quabdades
Cambraias-de cores a 400, rs. o rt*tro Feco ba-
800 rs. a vara. "**. .
Camisas inglezas, e francfzas de linbo. e^f^,38 Preta,s lavrailas Pw vestido a
de algodo de pregas, lisas e bordadas. MjW o. wvaao.
Chapeo* de sol de seda, merino e alpar- Sarelira francez e *&* & toda ao co-
ca de differates cores, e muito baratos. ,rbS- .. ,
Chitas para ves-idos, francas, de 240 Tofa lgodao e de hoho de dif-
at 400-s ftrentes quabdades e tamanhos.
Chitas para cofcertas:de 320 al 640 rs ^ 1Qho Para horaem muito fi-
Cortintdos de camtraia, e de fil borda- nu?i ,
dos para catbas e janelas de tQ& para cima. m..'a m para Sras., e para mentaos
Col, has de 1ust5o bwncas a 3^00. e 'p1!"5?"Bn8; de '^"enie. qa.lidades
Ditas de cores a 0. ,e de todo5 cs ^aLhos.
Cofarmfos de Irttbos,ln?lezes, earem5es. Para qufna coaiprar pe?a orj duzia da
lisos e bordados. qualquer faztnda seo prego o costo ; para
Damasco de 13, encamado, a zal e a:ma- dirsiirolr o reaibo.
paito, escrmilha'prta.
Esparlilhos de lioho braoco para Sras.;
de differetrtes precos.
Dm-se as amostras de qoalqoer faztmda.
A loja do-Papagaioachase aberta todos
I os diae, at s '9 horas da ooote.
francisco Tekceira Mendes
Jcordeiro previdenti
Raa do Queisuado a. 9.
Novo e variado sormento de perfumara
finas, e outros objectos.
A!m do completo sortimenlo de perh
tnarias, de que efectivamente est provida
.oja do Coreiio Pidvidente, eMa acaba o
reesber um cutro sortimenlo que se ton.
oiave: >ela variedade de objectos, superior
iado, qualidacles e commodidades de pr.
fos; assim, puis, o Cordeiro ffm ilonte pee
a espeja continuar a merecer a apreciaos
do respeitaval publico em geral e de se
boa freguezia em particular, nao se a/a.
lando eiie de saa bem conhecida mnsid;
a barateza. Em dita loja encontrarlo
Agua divina de E. Coudray.
Dita verdndeira de Murray Laminan.
Dita de Coiogne ingieza, americana, frai
;eza, todas dos-melhores e mais acreditare
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dila dos Alpes, e violeto para toet.
Elixir odo:taigico para conservacSo *
-sseio da bocea.
Cosmetiqkis de superior qualidade e che.
roa a^radaveis.
Copos e latas, maiores o menores, coi
pomada fina para cabeilo.
Frascos coa dita japaeza, transpareni
e oatras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
(ranceacs em frascos simples e enditados.
Essencia imperial do fino e agradavel ch
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiroa igua;
oaente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad
.iom escoliados cheiros, em frascos do dii
rentes lmannos.
Sabonees em barras, maiores e menor
para maos.
Ditos transparentes, redondos e cm f t
as de meninos.
Ditos moito finos em caixinba para bar>^.
Caixinhas com bonitos sanonetes imitane
'metas.
Ditas de madeira invernisada contondo I
aas perfumaras, muito proprias para pr
sentes.
Ditas de papelao iguabaente bonitas, tu
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e 6
moldes.novo eelegantes, com p de am
a boneca.
Opiata ingieza e tranceza para dentes.
Pos de caatphora e outras .diflneau
qualidades tambem para dentes.
Torneo oriental de Kemp.
Alarla mais coquee.
Um ontro sortiraento de coques de i
.os e bonitos moldes com filis de vidrit
a alguns d'elles ornados de flores e u
esto todos expostos apreciacao de quei
os pretenda comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muitogosto e perei<;5o.
FiTeSEas e fitas para e&mioc
Bello e variado sortimenlo de taes enjs
los, ficando a boa escolha ao gosto do coi
pr*dor.
Ei?ai sen stgmmo
ItUA DO DUQUE DE CAX1AS N. i
Estoo dispostu i continuar a vender toda*
as iniudezas pelos baratis- irnos presos .;ba*-
xo declarados, garantiudo ludo boin gua-
tos admirai! is.
Caixaicom -0 cadernos papel pau-
lado a........ *8t
Caixas -nm 50 noveos de linha
do gaz a........ Wi
Duzias de n.eias ciuas superitu
qualidndea.......3O
Pegas de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de liras bordadascom 1-
'metros cada p ra a l Pefas de fita para cus de q al-
qutrlaryura enm 10 varas a.
Escovas para unhasfaz*^nda lir.a a
Ditas para denles a 40, 320,
400 rs. e....., Qt.
Pecas de tranca isas, brancas e
de cores a....... *
Caixinhas de madeira com alun-
les bzeada surerir.r a. ti
Duzia de linha fixa para Luida-
dos a 4C0 rs. e..... atKI
Pares de lucias tiki~ para mi
nos ilivcrsns lmannos a. 3"iB
Duzias de meias brtAoas muito
finas paiasintiora a. >*/'*
Pares de sapatus de tranca do
Porto........2KW

Pares i'e s palos de tapete a. .
Livros de rtiissa abrevimios. .
Dutjaa de Itaralhot para wttarete
Sylabarios porttlguaes
Crtoes ooaa colxetes carteras a
A otoadoias para eollite divei:;s
qualidades
Cwixas com peona de ac muito
boa de 'A20 a......
Duzia de linha 200 jardas Alejan-
dre de iO a 200 e, .
Cautas com superiores obreifs a.
Duzia Oe agulha pan maobina a.
Libras de pagos fnncezis ledos
os tam.inhcs a......
Pcele de papfil com 20 qu?der-
D08...........
Caixas de phospnuros iisfaranca
limito npi rieres a .
Refina de papel pactado superrr
Resm de papel uso muito op3-
riora...........
Garrafa'com agua Florida verda-
dera a..........
Quaderno de papel liso amizade
Carrelis de kiba de cores com
100 jardas a t .
15<
:;;-
41*
a*
*#
2<50O
UM
nm
40
6A
i&m
Milho aovo d Fer-
nando
Em saceos grande a preco corona xk : no ar-
maiem de Tassu Irmaoi & C, rua do Amoriin nu-
mero 37
Cabellos
Venderae cabellos de todas as cores, qualquer
compricuento, qualidade superior, em caixa ou
porcao mais pequea : na rua da Cadeia do Re-
cife n. 51, !mfr.
Farinha de Mag6
Em saceos grandes, de superior qualidade, pro
pria para mesa e sem goMp algum da barco : ven-
de-se per preco eommodo na travessa do Carioca
n. % Cae do;Bamos. *
Veade-se no m t azum de Robfrt Lightbown
& C, rua da Cadeia n. 52, o e barbante de todas
as qualidades, cores e grossiiras, em grandes ou
pequeas porc3es, estopas de todas as qualidades
e largar is.
la tu i m
20Ru.i FsH & E.essa.
Acaba 'le cbigar a esta noss'i neta loja de,fa-
zendas liius mu varijul* otimenio de fazendas ie
lia e seda, c go>to, ppelinas de nina, s sor, alpacas e l
nha de cores, o que ha de mais moderno, tus*
por baralissimos preco?, brilbantinas de core-, te-
cidos das indias, fazenda nova a iroityco d<" per-
calia.balCe* de dina tinpi do saia de or coro lin-
das barras, fustoes proprios para vestido e mapas
de men im s; agora grandes e admira veis pecb-
chas, saias brancas com liados frisados a 35. ti-
cos corpinhos bordados muito finos a 5$, baldes
modernos de arcos a S, ricas colchas para csiwa
alcochoadas. sendo brancas e de cores, a fl, t#
Ti, cambrnia virtoria lina a 5*, ditas trauspsrei-
tes ao,(i| e 7,cbiias tinis&imas escur-'s e rlao
a 280. 300, 320 e 360 o covado, casias de cora x
240, lencos brancos do cas^a a ?500, ditos et-
neze.s a 3300 a duzia, madapoln Uno a Cj-o
6500, e muita supenor a 70, 76O0 e 94, aig.-
daozinho largo prourio para lences a 6, paoaa
de algodao branco trancada pruprio para toafhas
de mesa a 18600 a vara, nramante para lences *
21000 e 31300, o qoe ha de melhor, essuiao fi-
nitsimo a 2J2O e 2*500 a vara. Mandamos, na*
casas das Esmas. familias para melbor podereai
esc ilher. Tambem temos completo sojtimento do
perfumaras des pr.mpiros fabricantes francezes n
inglezes; as pessoas qne se dignarem vir a estt
leja torio occasiao de reconhecer a realidade fr
que annuuciainos para nos justificar.
Farinha de mandioca de Sant*
Cat harina.
Da superior, wnda pelo patacho inglez SI un
Block j ha parte ensacada para commodidadn d.--
compradores, e vende-se nos armazens de Ti ase
Irmaos 4 C, no caes do Apollo, e ma de Anim
onmero '37.
FazendaS baratas
Rua do fahugd n, JO1
Peeas de algodao eom 18 jardas
Lias MuQsmliiqoe, covado
300
3
Ditas de urna s cor, fazenda de gosto,
covado, rs.
Ditas oom Intras .de sadi, rs.
Chitas de b-m panno e cores finas, n.
Ditas percales finas, rs.
Chales de ganga bordados, duzia
Colchas de diverww cores a
mostras.
m
m
30
2**0M
um
GravatiDhaa de seda de eore?
mens e senhoras a 32011!
Caxiasn. 55.
meninos, tt*~
iv DuqafitD


Diario de Penjarabuco Sabbedo 30 *)e Julho de 1870.
UTTERATRi
POUCO DE TUDO.
A H0ME0PATHIA NOS ESTADOS-l
DS. Le- co offieial da Academia Horneopatbica lh-
-danhola, quena Colombii se decref >u a
abertura de urna enfermarla propria em
los os hospitaes para tratainenl"
dientes que se jnlguem iocuraveis pela ailo-
pathia, assioi como para o da todus aqm-
jue desejem ser tratados pela medicina
tiomeapatica. Diz o decreto nae esta me-
dida se pora em execucio om todos o.- lu-
gares onde Ixuver um medicq liomeupa-
Noticia tambem o mesmo -peridico que
em Italia o conselho municipal de Bewa-
gaa accordra em sesso, no da 20 do
dezembro de 4869, que a junta mnuicipal
pjzesse a concurso, por espaco de 60 das,
o lugar do medico director de urna escola
ledico-Homeopatbica. cujos boorarios se-
rio annualraente de 200 libras.
Refere o raesrao jornal que acaba de ser
agraciado pelo governo de Hespanba com a
gri-cruz de lzabel a Caibolica o Sr. Dr.
fiipbael Ariu. deslindo e mni acrediado
1 co bomeopalha residente em Semina.
tas recompensa do seu mrito e serviros
prestados scieocia.
P!0 IX. Urna carta de Roma, diz (pie
l'io IX entrou no da 17 do correte uo vi-
csimo quinto anoo do seu pontificado. O
cardeal Patrizzi felicitou sua sanlidade em
orne do sacro collegio, e ao mesmo lempo
manifestui-lhe os setis desejos de que se
proclamo depressa o dogma di iofallibili
ilade.
Fio IX respondeu a esta felicitaco nos
segoiDt s termos: t Persuadido, como es-
tou, de que a eruancipacao ser c ntraria ;i
nidade da f, espero que o Espirito Sanio
Iluminar os padres do concilio, e por
isso espero com traoquillidade a sua de-
cisio.
Pi IX. que ja completou 79 annos, acha-
se no mehor estado de saudo e lulo faz
o>aerar que no dia 23 de agosto prximo
prhencher 25 annos, dous mezes e sete
das de pontificado, oceupando assim o so-
lio pontificio" mais tempo que os seus 259
predecessores, incluindo S. Pedro.
PROTESTANTES RUSSOS. per-e-
guc5o que o governo russo tem declarado
aos catliolicos da Polonia acaba de se fazer
exten iva aos protestantes que residem as
provincias russas do Bltico.
0> funcertmanos pblicos pertencentes ao
dito culto foram obrigados a assistir tu-
das as solemnidades religiosas celebradas
as igrejas russas em favor do imperante ou
rja familii imperial.
. Recebida a respectiva inlimaco, man-
estaradi ao governo que podiam cumprir
esse dever assistindo idnticas solemnida-
des nos templos do seu rito, mas a res-
posta que obtiveram foi, que. reeouhecida a
religio gr.ga como a do Estado, deviam
assistir s ceremonias solemnes que tom
por objecto implorar as b^ncos do co em
favor da dynastia reinante.
Esta violencia feita s consciencias dos
fnccionaris protestantes russos causou
certa sensacao nos de Franca, e um mem
bio do consistorio evanglico de Paris, o
Sr. Presseus, enviou urna expsito ao
imperador A'exandre, pedindo-dbe que es
protestantes das provincias blticas t.ejam
manlidos no goso da liberdade de cons-
c cncia que sempre tiveram.
O cz*r recebeu em Ems a dita expr.si-
i e respondeu que teria muito gosto em
receber ao Sr. Prssens, o qual tinba par-
ttdd para Darmstadt, oude o impera-
da Russia tencionava demorar-se at
Ji de julho.

inbada de cor
ivellavim para
Nao faltavam os scepticos e os gracejado-,
dores maliciosos, que sempre apparc
em i -. e o presidente por mais
de uih-i vez leve de chamar i ordem alguns
d'e-tes iiimos.
Um d'elles, esquecendo as considera
devidas aos respeitaveis vegetalistas, levou
o seu arrojo a poulo de pedir para os ver
comnr. i
A disc.ussiio sobre as grandes vantagens
dos alimentos vegetaes foi acalorada. Um
memhro da socied.de, oSr. Valzer, discor-
ren eloquentemenie sobre o importancia
mili al do vegetalismo. Mas como nio ha
principio que nio possa ser controvertido,
o Dr. Beer pedio a palavra e fallou com
tanto ordor contra o vegetalismo, que con-
dujo d;zendo .que elle era tima impassibt-
lidade.
Os protestos dos socios excitaram a vea
do orador, que depcis de f zer a historia
minuciosa das famosas sociedades de tem
peMiica, nao leve duvida em applicar aos
mejiibros da socie lade vegetalista o epi-
i i'elta i/lotOes em toda a parte.
Esse' discurso, que, como de prever,
divertio 001 e escandalisou outros. excitou
vivamenie dous vegetalistas, por convieco.
que respouderam dignamonte ao orador
omnvoro.
lira ineia nonte quando a assembla prin-
cipiou a dispersar.
orna fl^M
como
amo
n Blois oara
I-SUADRA DOS ESTADOS-UNIDOS.-
cretario da marinha dos Estados Unidos
publicon ha pouco a estatistica dos navios
e uipolacoe da esquadra norte amcr:-
cana.
O numero de navios armados eleva-se
4'. sondo 2 de primeira classe, $ de sj-
gunda, 15 de terceira e 18 de quarta._
Os navios de reboque, de aviso, poni.!-,
tic, soem Dumero de 2.
Alm d'estes ba nos porlos militares 1 i i
navios desarmados, dos quaes 2 sao de pri-
meira classe, 27 de segunda, 18 de terceira
e (57 de quarla.
As tripolaces compem-se de 270 olli-
ciaes emservico activo e 8:7i marinlieiros.
Em 1866 a fruta militar dos Estados-
Unidos que s pela Confede|ac5o do Norte
cunta va na guerra da sepa-ac5o uns 600
D .vi is de todas as classes, ficou reduzida a
2H : mas este numero foi considerado
corno excessivo e sobretodo muito dispen-
dioso, isto que a Unio n3o teme, nem po-
de temer, entrar em guerra com qualquer
5o.
SOCIEDADE VEGETALISTA.Formou-
se ha pooco na Allemanba urna sociedade
que tem por' fim convencer a humanidade
Oe que os alimentos mais conformes com a
natureza e mais apropriados s funeces di-
gestivas s5o as substancias vegetaes. Os
membros d'esta sociedade chamaia-se ve-
getalistas, e adoptam, a 2;'500 annos de
distancia, a arte culinaria de Pilbagoras.
Os vegetalistas dos dous sexos perten -
centes a esta sociedade reoniram-se em julho
em Berlim em numero de sessenta aproxima
damente. A assembla ouvio attentaraente
leitura de um circunstanciado relatorio
s^bre os progressos do vegetalismo oa Al-
lemanba.
Fundida ba um anuo smente, a socie-
dade conta j perto de quatrocentos mem-
bros.
Ao dar meio dia, os vegetalistas inter-
romperam as suas deliberarles e sentaram-
se mesa com os seos convidados; cento
e cincoenta pessoas tomaram parle no ban-
quete, cujas iguarias se compunham s de
vegetaes.
as garrafas brilhava a agua pura, e co-
mo os membros d'esta frugal sociedade se
prohiben) todos os lquidos ospiriluosos,
bebidas quentes oo fras, que sejam exci-
tantes, taes como, vinho, cervaja, caf, cha,
etc., os copos destinados aos brindas do
costume estavam cheios de agua de gro-
selha.
Aos postres todos os convivas ficaram
sobresaltados por urna galante sorprez ;
appareceram de repente sobre os pratos
lindas aves cor de ouro I... Gritos de
indignacio e depois applausos unnime !.
O mestre cosinheiro dos vegetalistas tinba
graciosamente preparado bolos aovados em
o ma de frangos.
SCEN'A HORRIVEL. Um peridico de
Sevitba relata um horroroso successo que
lia pouco- dis leve lugar na villa do Cas-
tello das Guardas.
Em uuu casa de quinta, situada no ter-
mo d'aquella villa, vivia urna familia que
agricultava as trras da dita quinta e que
liaba conhecimento com dous conjuges ci-
gaoos. a quem dava hospitalidade as suas
expedces por aquelles sitios, onde se oo-
cupavam em trocas, compras e vendas de
cavlos.
A esposa do lavrador dea luz urna
crianca e os ciganos offereceram se para pa-
drinhos,
0 offerecimento foi acceito ; no dia de-
signado dingiram se os novos compadres
para a parochia da villa e a esposa do 'a
viador ficou ein casa acompanbada da ci-
gana.
Logo que se acharam ambas sos, a cigana
pnchou de urna pistola, e apontando-a ao
peito da commadre, intmou-a a que Ibe
entregasseimmeaiat-mente quanto dinheiro
possuisse. ameacaudo a com a morte ao
primiro signal de resistencia qoe fizesse.
Usa ci m urna rara presenca da espirito,
inilicuu cigana urna arca que havia uo
auarto iiumediato, assegurandoa de que
all adiara o dinheiro que reclamava.
A .rggressora pmetrou no quarto desig-
nado, e quando se oceupava em dar busca
arca, foi fechada d'entro d'efie pela la-
vradora, que, attendendo s ao perigo que
a rode-iva, se levantara do leito sem que a
cigana a presentisse. Armada com a espin-
garda do marido, chegou-se janella, amea
paodo a cigana com um tiro, se intentasse
forcar a fechadnra da porta, e lancou a
\i$ta ydo campo a ver se passava algoem
que a aoxiliasse em to apurada situarlo.
N'este entrementes regressavam os com-
padres com o menino j baptisado, e tendo
encontrado urna patrulha da guarda civil
qu seguia o mesmo caminho, iucorpora-
ram-se a ella.
O cigano, que levava ao eolio o a&lbado,
receioso do que poderse occorrer ou j ti-
vesseoccorrdo, adiaolou se, sob o pretexto
de ir avisar a comadre para que preparasse
alguma cousita.
Chegando a casa e vendo a comadre
janella, ordenou-lhe que abrisse a porta
sem demora, jurando que, se o nao fizesse,
malaria o innocente que levava nos bracos.
Aquelle monstro, ouvindo urna recusa
formal, leve coragem de realisar a infamia
com que ameacara a triste mai, que, ce-
clenilo ao maior dos desesperos, disparou
sobre elio a espingarda, deixando-o sem
vida junto do cadver -de seu tenro ilhi-
nho.
0 estrondo do tiro fez accelerar a che-
gada do marido d'aquella herona e djs
guardas civis, que em breves momentos
presencearam porta da casa o espectculo
do'crime e da sua expiaco immediata.
A lavradora abri logo a porta e di-se
aos guardas que a cigana estava fechada
no mencionado quarto.
Um d'elles subi immediatamente para
se apoderar d'ella, mas ainda bem nao ti-
nba corrido o ferrolho da porta quando
recebeu no peito > bala da pistola com que
eslava armada aquella furia.
O outro guarda, vendo o seu companhei-
ro cabido por torra, fez fogo sobre a cigana
que suecumbio sem soltar um g^ito.
SOBRE A CONSP
julgar os
i conspiracSo contra a
III, principiou a' fuoccionar no dia 23 de
jmmo.
OSr. Zangiacomi procede- ao interroga-
torio summario que prescreve o art. 293 do
cdigo de instrueco criminal. Nste acto
devwn os aecusadosdeelarar se escolheram
defensor, para que, no caso negativo, o
presidente Ihes designe um advogado ex-
oflicio.
Muitos dos processados manifestaram o
proposito de apresentarem elles mesmos a
sua defeza. mas parece que, ainda assim,
de vera estar acompanhados de um advoga
do, sob pena de nullidade.
A FAMILIA DE ORLEANS.Os princi-
pes, da familia de Orleans, que ainda esi3o
soffrendo os rigores do exilio, dirigiram ao
presidente do corpo legislativo francs,
para ser enmmunicada aos deputados, a se-
grate carta, relativa sua readmisso em
Franca:
Sis. deputados.Tendes a ocenpar-vos
de um requerimenio para derogar as medi-
das exwpcionaes que pesam sobre nos. Em
vista dessa proposta. n3o devemos guardar
silencio. Desde 18i8 sob o governo da re-
pblica, temos protestado contra a Ri que
nos desterra, lei de desoonliracs que nada
justiioava entao. Nada a juslficou depois,
e por isso vamos renovar os nossos protes-
tor. pennle os representantes do paiz.
Nao urna graca o que reclamamos,
o nosso dreito. o direito que pertence a to-
dos os Francezes e de que s nos estamos
despojados.
E" nosso pa'z o qoe pedimos, nosso
paiz qua amamos, e que a nossi familia
sempre servio lealmente ; nosso paiz, de
quem nos n5o separa nenhnma das nossas
tradic^es e cojo nome s por si faz palpitar
sempre os nossos coracoes, porque para os
desterrados nada ha que sobstilua a patria
ausente.
Luiz Phiiippe de Orleans, conde de
Paris.Francisco de Orlens, principe de
Joinville.Henrique de Orleans, doqoe de
Aumale.Roberto de Orleans, duque de
Chartres.
Twickenham, 19 de junho de 1870.
PINTURA PRECIOSA. Segundo refere
um peridico inglez, o hondn Scotsman,
foi objecto de orna visita la rainba de In-
glaterra, do re dos belgas e do principe de
Galles a casa do coronel Szerelemy. pos-
soidor de urna preciosa reliquia, qoe. con-
siste o'uma pintura da Virgem e do menino
Jess feita por S. Lucas evangelista.
A authenticidade da obra acba-se com-
provada por varias ns:rpces emearacte
res chaldeos na frente e no reverso da pin-
tura.
O cardeal Mezzofanti, eminente orienta-
lista, decifrou a inscripto que rodeia a
cabera da Virgem, e que diz ter sido pin-
tada por S. Lucas.
No reverso ba varias nscripces em gre-
go, urna indicando que a pintora era pro-
priedade de Helena, mi de Constantino
Magno, e otffras recordando tambem os no-
mes de diversas pessoas qoe a possoiram.
As figoras da Virgem e do menino Jess
veem-se distinctamente, ainda que apresen-
tam o aspecto de terem sido pintadas ha
muitos seculos.
As feices da Virgem nao sao parecidas
s que se veem as pinturas dos mestres
das escolas italianas antiga e moderna.
Os fostos sao essencialmente orientaes
no seu carcter e representam o typo ju-
daico.
As feic5es do menino Jess eslSo forte-
mente acentuadas.
Ha urna docura e delicadeza de expresslo
misturadas com urna cor de tristeza ou me-
lancola, que di physionomia da Virgem
um encanto particular. A perspectiva do
menino defeitoosa em algons pontos e os
LYCEUS NA PRUSSIA.^Segundo as es-
tatisticas ofiiciaes recentemente publicadas
em Berlim, o numero de gymnasios (lyceus)
existentes na Prossia no anno escolar de
18681869 era de 198, a saber : 26 na
provincia de Brandeborgo, 25 na de Saxo-
nia, 27 na .de Silezia, 23 as provincias
rhens, ">-> na provincia da Prossia. 17 no
antiga reino do Hannover, 16 na Westpba-
lia, 13 na Pomerania, U na Posoania, 10
no Scbleswig Holstein, 10 em Hesse-Nassao
e 1 era Hohenzollern.
O nomero de professores qoe foneciona-
ram nestes lyceos era de 3,242 ; e o dos
alomnos de 57,171.
Do numero dos alomnos 38,!75eram
evanglicos, 14.321 catbolicos. 4,665 israe
lilas e 10 pertenciam a diversas seius.
O nomero dos progymnasios (collegios
onde se estudam preparatorios at o 3o
grao) era de 29. A maior parte (13) per-
tenciam s provincias rhens.
INCENDIOS.Na noite de 28 de junho
findo a popularlo de Sainte-P (Altos Pyri-
neus) acordou aos gritos de fogo! fogo.', sa-
bidos do seminario. Acibava de se mani-
festar um incendio no novo edificio do se-
minario, cujo rez do chao serve de sala de
estudo para os externos e cojos andares su-
periores s5o os dormitorios dos alumnos
internos.
O fogo desenvolveo-se com grande rapi-
dez e ma' hoove tempo de fazer descer os
alumnos, dos qoaes os mais pequeos fo-
ram levados ao cllo para a roa, pois esta-
vam afferrados no somno. Este trabalho
de salvacao operoo-se com folicidade, por-
que ningoem ficoo queimado,
Apezar de todos os esforcos para domi-
nar o incendio, as chammas redoziram a
cinzas todo o seminario ; e foi com grande
costo que se consegoio qie ellas se nao
commonicassem s casas visinbas.
As perdas sao calculadas em 60,000
francos. *
A's 6 horas da tarle do dia 3 de julho
declarQu-sp tambem um g-ande incendio
n'nma fabrica de cbapos de Choisy-Le-Roy,
no Sea (Franca).
O fogo principiou n'oma grande qoanti
dade de aparas de filtro araontoadas perla
de um gazometro especial da fabrica.
No fim de algomas horas de grandes es-
forcos, os hombeiros conseguiram extinguir
o' incendio, n5o sem elle ter j caosado pre-
juizos. 'que se calculam em mais de 300,000
francos.
Fehzmenle nao hoove nenhoma desgraca
pessoal.
122. tOO,
psito
.OOOfran
^aterra 4,584,00> oo 466 por
la Cambridge dizia, com razio,
qae i irnenlo- perinitta ler um exer-
nieo : porm a tal ponto
nUgens )lo servico volun-
tario, que excita a Inglaterra a nao renun-
ciar a esse systema de scfvieo senSo na ul-
tima extremidade e depois de ler ensaiado
outros systemas de recrutamenio .
PROGRESSO NA TUROJJIA.O governo
ottom no mandou eslrjdar om conjunclode|
reformas que do em resultado por a admi-
nistracSo da jnstica na Tnrqoia ao par da
maior parte dos estados da Europa. Essas
reformas foram j approvadas pelo conselho
de estado e pelo de ministros.
H3ver tribunas civis, crimioaes e de
convnercio em Constantinppla e as capitaes
ios eyalets ou pochaliks, circumscr'pcio e
districtos; tribunaes de appellacSo as ca-
pitaes dos eyalets, om supremo tribunal de
cassaco em Constantinopla, um ministerio
da justica que d uniformidade orgaoisa-
c8o deste ramo
Fisou admittida em principio a inamobi-
lidade da magistratura, consignada a se-
pararlo do poder executivo do-poder judi-
cial.
Os advogados serlo adrailtidos livremen
te a sustentaras causas perante os tribunaes
do paiz. As audiencias serio publicas. Es-
tabelecer-se-ba um servico de.tachigraphos,
primiro na capital e em seguida as pro-
vincias, e urna gazeta de tribunaes dar con-
ta jias" vezes por semana ao principio, e
depois iodos os dias, das deliberaces dos
processos jodiciaes sobre as principaes
qoestBes de direito.
PAR\GUAY.Damos em seguida o ac-
crdo preliminar de paz firmado, a 20 de
jonho. em Assompe5o entre os alliados e a
repub ica do Paraguay :
t 1." protocolb.koi 20 dias do mez
de jonho do anno do nascirpento de Nosso
Senhor Jess Christo de 1870, reunidos na
cidade de AssumpcSo do Paraguay, S*. Excs.
os Srs. plenipotenciarios de S. M. o Impe-
rador do Brasil e da repblica Argentina, e
Ss. Excs. os Srs. D. Carlos Loizaga e D.
Cyrillo Antonio Rivarola, membros do go-
verno provisorio da repoblica do Paraguay,
afim de accordarera na modificacao das s-
tpolaces do protocollo de 2 de jonho do
anno prximo, passado, de conformidade
com as actuaes circumslancias :
t Considerando que a morle do mre-

0 EXERCITO EM INGLATERRA E
FRANC,A.De um joroil franesz traduzi-
mos a segoinle notcia:
t E' curioso comparar o orcamento mi-
litar de Franca' com a Inglaterra. N-i pri-
miro, o orcumento ordinario da guerra
para 1870'sobia a 376 milhes de francos
para m effectivo de 400,000 homens.
O orcamento do exercito de trra para o
exercicio de 1869 a 1870 em Inglaterra so-
bio a 355,700,000 francos, para um effecti-
vo de 204,000 homens.
Em Franca cada soldado custa annoal-
mente 940 francos, incluindo nesta qoantia
cavallos e material, ao passoque em Ingla-
terra a despeza de 1,744 francos por bo-
rnea, i Feita a deduco dos accessorios, a
sustentaco de om soldado francez costa
850 francos por anoo, e a de um soldado
inglez, segundo calclos aotbenticos, 1,473
francos.
D'aqui resolta que a vanlagem de nao ter
seno um exercito de voluntarios roui
costosa, e disso deram.uma prova os Esta-
dos-Unidos, que despenderam na guerra de
separaco 15,000 milhoes de francos.
Temos, pois, qae o soldado inglez custa
qnasi o dobro do soldado francez, e essa
desproporcio apparece igualmente compa-
s dos diversos servicos.
Os estabelecimentos e o material de arti-
llara custam em Franca 6,635,000 francos,
em Inglaterra 28,750,000 francos, bu qaa-
tro vezes mais.
Os estabelecimentos e o material da ar-
membros so om Unto desproporciona-1 ma de engenharia castam em Fraoc
chai Francisco Solana Lpez, e o aniquila-
meto completo das forcas qoe Ihe.obede-
ciam, pazeram termo, de facto, guerra
qoe elle to desleal e injustamente havia
provocado;
Considerando que a terminaco de fac-
to da guerra impoe aos poderes alliados o
dever de deixar a mais plena liberdade
Lrei>rganisaco poltica da repblica do Para
gnay,-assim como a eleirao de suas autori-
dades permanentes, que devem afliaocar as
relacOes futuras das nacoes alliadas com a
dita repblica ; /
* Considerando qoe a^nova situaco exi-
gi da parte do governo provisorio a racti-
licagao de dedaracoes anteriores e a accei-
taco expressa deoutras clausula*, que de-
rivam necessariamente daquellas e das no-
vas circumstandas;
Convieram em declarar solemnemente
terminada a guerra, ticando modificado o
accordo de 2 de junho do anno prximo
passado nos termos seguintes :
Art. 1. Fica estabelecida a paz entre
o imperio do Brasil, a repblica Argranna,
a repoblica oriental do Uruguay e a rep-
blica do Paraguay.
Art 2o O governo provisorio da repo-
blica do Paraguay ratifica urna vez ma-s as
declaracs anteriores que fez ao acceilar
o protocollo de 2 de junbo do anno prxi-
mo passado, e por consvgoinie acceita em
sua substancia {en su fondo) o tratado da
trplice allianca, celebrado emBuenos-Ayres
no Io de maio de 1865, reservando-se para
os ajustes definitivos com o governo perma
nente as modificces deste mesmo tratado
que possa propr o governo paraguayo no
interesse da repoblica.
t Art, 3. Em consecuencia do que
declarado no artigo anterior, o governo pa-
raguayo se reponhece obrigado celeraco
dos tratados a que se refere o de ldemaio
1865, entendendo-se estabslecido desde j
que a navegaco do Alto Paran e do rio
Paraguay, as aguas lerritoriaes da repub -
deste nome. ca franqueada aos navios de
guerra e mercantes das nacXids alliadas, l-
vres de lodo e qualquer onus, e sem que
possa impedr-se ou estorvar se de nennim ]
outro modo a liberdade dessa navegaco
com mu m.
Art. 4. Os poderes alliados compro-
mettem-se a nao influir direcu oo indirec-
tamente-na reorganisaco po'itica e eleicao
do governo permanente do Paraguay, deven-
do con?equentemente tomar as disposices
convenientes de indiligencia com o governo
provisorio se ao tempo da dita eleig5o exis-
tirem ainda forcas alliadas no territorio pa-
raguayo.
Art. 5. Fica entendido que emquanto
permanecerem forcas alliadas no ter: itorio
paraguayo, continuaro' subsistentes as con-
dices 5.a e 7.a do citado aecrdo de 2 de
juaho, relativas jurisdicco militar dos ge-
neraes alliados, assim como a 8.a smenie
no que respeita aos artigos destinados ao
consumo dos exercitos.
c Art. 6. Os tratados, a qoe se refere o
de 1 de mai o de 1863, sero celebrados
logo depois do eleito o governo permanente
da repblica do Paraguay, e o governo pro-
visorio promette quo essa eleicao se verifi-
car, o mais tardar, no prazo de tres mezes,
contados da data do presente accordo, se-
gundo as disposices j decretadas.
t Art. 7. No caso de demorar-se a eleicio
do governo permanente da repblica do Pa
raguay por mais de tres mezes, os governos
alliados combinaro entre si sobre a reso-
luco que devam tomar para concluir os
ajustes definivos de paz, os quaes, oo inte-
resse de todos nao podem ficar adiados por
muito tempo.
t Em testemanho do qoe, nos, os pleni-
potenciarios dos governos alliados e mem-
bros do governo provisorio da repblica do
Paraguay, firmamos o presente aecrdo e
Ihe fizemos por os nossos sellos.
(Assignados.)-(L. S.) Jos Maria da
Silva Paranbos.(L. S.) Julio de Vedia.
(L. S.) Cirilo Antonio Rivarola Carlos
Loizaga.
2a. protocollo. Havendo SS. EExc. os
nbos,
ple:>ipota^^^^^^^^^^H
Carlos Loizaga e D Antn
membros do governo provisorio- i
blica do Paraguay, celbralo quatro co
reucias nos dias 24, 26, 28 e W do mez
naio prximo Ando, concordram em
consignar no presente protocollo o resoltado
d.s ditas conferencias, cojo objecto foram
as mo tificaces necess las ao aecrdo de
2 de junbo do anno prximo passado, c -mo
preliminares da paz que se vae declarar
entre as nacoes alliadas e o Paraguay.
t SS. EExc. os Srs. .membros do gover-
no provisorio da repblica do Paraguay, de-
pois de maduro exame sobre as bases ac-
cordadas em B lenos-Ayres entre os pleni-
potenciarios das nac-is alliadas, das quaes
se Ihes dea inteiro conhecimento antes das
referidas conferencias, declarram acceitar
as ditas bases de modificaco ao aecrdo de
2 de junho, urna vez que se alterassem os
termos do art. 2., que expressa a acceita-
cSo das clausulas do tratado de i de mam
de 1865.
Convidados os mesmos Srs. membros
do governo provisorio a propr a alteraco
que julgavam conveniente na mencionado
art. -i.0, elles o fizeram e, como resultado
da discusso havida a esse re?peito, cooveio-
se na sega inte redaccao:
i Art. 2.e (substituvo). O governo pro-
visorio da repblica do Paraguay ratifica
urna vez mais as declaraces anteriores que
fez ao acceiiar o protocollo de 2 de junbo
do anno prximo passad i, e por conseguin-
te acceita em sua substancia (e su fondo)
o tratado da trplice adiaba, celebrado em
Buenos-Ayres no 1. de maio de 1865, re
servando se para os ajustes definitivos com
o governo permanente as modilicaces deste
mesmo tratado que pessa propr o governo
paraguayo no interesse da repblica.
Durante a discusso foi dito que por
parte de SS. EExc. os Srs. membros do
governo provisorio da repblica do Paraguay,
que. pelo sobredito art. 2." substitutivo, en-,
tendiai deixar-se ao governo paraguayo
plena liberdade para propr e sustentar, re-
lativamente aos limites, quando se tratar
dos ajustes dafioitivos, o qoe julgar confor-
memos direitos da repblica, nao podendo,
da acceitaco genrica que consagra o mes-
mo artigo, deduzir-se que ficou resolvida
essa importante questo territorial nos ter-
mos do tratado da trplice allianca.
S. Exc. o Sr. plenip tienciario argentino
concordou com esta resalva, declarando que
as iniences rectas e amigaveis do seu go
vemo nao podero ser melhor manifestadas
do que o foram em suas notas relativas
occapac da villa Occidental. Que ah est
bem expreso que o governo argentino n5o
quer usar do seu direito de vencedor para
resolver a questo d^ limites, mas dirimi-la
por om accordo amigavel avista dos ttulos
de urna e outra parte.
tS. Exc. oSr. "plenipotenciario brasileiro
conlirmou tambm por sua parte a intclli-
gencia que cima se d no art 2 substitutivo,
nao sendo intenco dos governos alliados
conquistar territorios pelo direito da victo-
ria, mas exigir smenie o qoe de sea per-
feito direito, respeitando igualmente a inte-
grdade territorial da repblica, como solem-
nemente declarram no seu mesmo tratado
do 1. de maio de 1865.
Nao tendo podido S. Exc. o Sr. pleni-
potenciario da repblica oriental do Uruguay,
Dr D. Adolfo Rodrigues, assistir as coafe-
roccias do aecrdo a que se refere este pro-
tocollo, e nao obstante haver prestado sua
adheso previa ao qoe se estipulasse na As-
sumpeo de conformidade com as bases
antes adoptadas pelos representantes dos
governos alliados, conveio se em solicitar
do governo oriental a confirraacao d'aquelle
seu acto de adb> sao, ao dar-se-lbe conheci-
mento dos ditos ajustes por nota singular
de cada urna das partes assignatarias.
Bm testemonho do que us os plenipo-
tenciarios de S. M. o Imperador do Brazil
e da repblica Argentina, e os membros do
governo provisorio do Paraguay, fizemos la-
vrar o presente protocollo e o firmamos em
tres aotograpbos.
Feito rva cidade de Assumpco, aos 20
dias de junbo de 1870.Assignados. (L. S.)
Io Maria da Silva P.iranhos.(L. S.) Julio
de Vedia.(L. S.) Carlos Louage.Cirilo
. Rivarola.
sobr-
is pe-
VAUEDADE
RELATORIO DOS NECOCIOS DA NAVEGACO NO
AIIAC.UYA DE lu DE MAIO DE 1869 A Io DE
ABRIL DE 1870.
(ConclusoJ.
Abastecemos-nos de vveres em S. Jo'ao,
e no dia segoiote proseguimos a viagera
pelo Araguaya, qoe j eslava bem falto d'a-
goas, passando sem inconveniente os tra-
vesses do Carmo e o do Jacar. O inter-
mediario de S. Bento passamolo com risco,
tendo sobido tros vezes e recuado outras
tantas com o impeto da correnteza.
A 9 de junho estavamos por baixo da
Cacboeira-Grande, que tem duas leguas de
cumprimento ; passamos os boles e canoas;
o vapor subio-a com felicidad no dia 13,
aniversario da tomada de Corumb pelas
forcas de Mato-Grosso.
Fundemos no poc^ que fica superior a
esta cachoeira, qm era reputada o uliimo
grande obstculo a venor-se.
Assim A5o acorrteceu, porqueras aguas do
rio estavam extremamente baixas, e tivemos
de lular com erabaracos provenientes dos
seceos de pedra que nes^a estaco ericam
ainda o. leito do rio. No entretanto passa-
mos sem inconveniente algom o Travessao
da Pedra ranca, as Inteipavas, e ehegmos
com feliz viagem ao Travessao das Aldeas,
que nao sendo de grande importancia nos
ia collocando em urna siluacao bem m.
Nao sei como os indios Cbatnbioaes, qu?
se tem assignalado nos uitimos lempos pelo
ataque e morle cruel de tripolaces de ca
nas, tiveram noticia de nossa vinda; o certo
que, horas antes de ahegarmos ao territo-
rio das aldeas, vimos grandes columnas de
fumaca ergoerem-se soccessivamente naquel-
las sobdes de terrenos chatos, onde a vista
nao encontra um s obstacolo. Estes indios
tem cerca de 3 000 homens de guerra, e
nos eramos apenas 50 ; si o vapor padesse
andar livreraente, de nada valeriam elles;
mas nesses tugaros de pedras nao deixaram
de inspirar-me receio, sobre lodo quand
reunido o feroi Doriod, com o dicDi
do e astuto Dereque, chefes dessa tribu. Ja
ttnhamos montado o Travesslo das Aldeas
quaodo urna imprudencia do ortico fez lar-
gar.? espia de, proa; o navio encalbaodo de
itacassem
ixavam, fireram-nos traba-
ibar sem descanco -o- resto o dia e a noite.
sem. resultado ; quando tira a gente do ser-
vico, extenuada de cancaco, julguei-me em
bem> nal posjco e passei orna noite terriref.
Nb dia segarnte, felizmente, com muito
trabadlo sahimos desse passo difficil, ultimo
dos grandes perigos-qoe corremos.
Navegamos sem accidente atravessando
com fcilidade a cachoeira do Pao d'Arco,
e os travesses qae vam* at Santa Maria,
onde chegmos a 30 de junho.
A viagem a vapor as caboeiras nao de-
monstra qoe estas poesam ser regularmen-
te navegadas por esse meio*. Mais e ama
vez vi todo prximo a perder se. As cacbo-
eras- devem ser navegadas pelos botes;
qoando o commercio cwscer o iratm road
norte-americano unir as linhas superiores
inferior; por agora o que convera, a mea
ver, o qoe se est fazendo, e mais o aug-
mento de 50 leguas na lina inferior do
Tocantins que j vem at Bailo, e que pode
fcilmente vir at Arroyos, abaixo da cacho-
eira das Guaribas.
Chegando a Santa Mara n2o estavamos
ainda em meio da distancia- que separa o
Para de Goyaz -r mas o rio era franco e nos
percorremos em alguns dias e sem acciden-
te algura as 200 leguas que-nos separavam
de Leopoldina.
A agradavel sorpresa dos- habitantes ven-
do apparecer o vapor sem saber de onde
vinba e como, porque nao haviam ainda por
aqui chegado a noticia de nossa partida, a
alegra com que dos recebiam compensaram
de argoma forma os trabalhos da viagem.
Tam bem tivemos agr lave! sorprez encon-
trando-nos com o vapor Araguaya, 6 horas
de marcha cima da foz do Rio das Mortes ;
e era para alegrar, all no meio daquelles
sertes barbaros, onde a presenca desses
doos agentes da civilisaco moderna contras-
tava singularmente com a servajena das al-
deas dos Garajes, cojos habitantes nos, e
manidos de seus arcos e flechas indicavam
o estado primitivo do homem.
Servicos em terva.
Os mozes de agosto, setembro e outubro
foram empregados em construir armazens e
oflicina em trra. Constru para esses effei-
tos um casarlo tosco, mas solido, de pare-
des de adobo e ben coberlo de telba com
as seguintes dimenses: 120 palmos de
comprimentq e 50 de largo, entrando as
meia-agoas. Abi estt a casa da administra-
gao, a oflicina, eo arm.>zem do material ne-
cessario para movimento, conservacio e re-
paro das embarcacoes. um pequeo ar-
senal onle temos os recursos necessarios
para manter a navegacio, porqae as distan-
cias qoe nos separam dos portos de mar, a
nao ter aqoi esses recorsos, collocar-nos-
hiam continnamente envembaraco.
A officina movida a vapor, e se bem
que nao lenba ainda o numero de machinas
necessario a qualquer eslabt-lecimeto regular
desta ordem, tem os indispensaveis para
acudir as urgencias do servico.
Propuz ao governo, e creio ser acceita, a
c mpra da officina que Ibe perteoce, e qoe
ainda nao foi montada : reunida a ferramen-
ta daquella com a qoe possue a empreza de
navegacio, ficar esta regularmente servida.
Servico de navegaco.
Temos dado oito viagens na grande linha
de Santa Maria a Leopoldina, seto de Leo-
poldina a Santa Maria, sete na linha de Leo-
poldina a Itacayo, e sete de Itacayo a Leo-
poldina, com o que temos feito maior nu-
mero de viagens do qoe as exigidas pelo
contracto com o governo do Para, em pro-
porcio ao tempo de servio; e isto por ter
sido assim exigido pelas circomstancias.
Foram empregados nestas viagens o re-
bocador Christovo Colombo e o vapor Ara-
guaya e as segointes embarcacoes de rebo-
qoe: bote Santa Maria de 800 arrobas de
carga, bote Dr. Cauto de 2.000, bote Rio-
VermeUio de 2,1)00, bote Anca d^ 800, bote
Jurupensen de 800, bote Cuiab de 500.
Das mercaduras vindas do Para, a qoe
mais concorreu para dar actividade s com-
raunicacoes interiores foi o sal, que chamoa
para aqui tropas at de Jaragu e carros,
que nos augmentaram consideravelmenle os
ineios de accio.
O sal chegon em Goyaz a 30000 a medi-
da ; aqui, do vindo pelov Para as vendas
foram fetas a lazSo de 10000 a medida.
Com a chegada dos bntec que vem este anno
do Para, provavel que esta cifra desea
c< nsidaravelmente, sao s por ser esse o
principal genero de importaco como tam-
bem porque este anno, elle transportado
com cond ces mais favoraveis do que o
anno passado.
A differenca de precos dos gneros viodos
pelo Para em confrontacio c >m os vindas
pelo Rio de Janeiro, conforme j se tinba
previsto, mui favoravel ao commercio do
Para, qoe aprsenla em alguns artigos a
differenca de 50 % P31"3 menos.
At dezembro os vapores s traziam car-
pas quando vinham de Santa Maria para
aqui; na ida levavam apenas algus artigos
de consumo local, como: fumo, assucar,
caf, carne secca, toucinbo e isso ent pe-
quena eccala. Emfeverciroe marco* come-
cou a exportacFio de couros, o gado muar.
como mais detalladamente se ver no ar-
tigo em que trata de exportacio- e impor-
taco.
Os commodos qoe temos para passagei-
r s sao ruaos: a navegacio destinada es-
pecialmente para transporte de cargas, e
as pequeas dimenses dos rebocadores
nunca permitliriam oecommodos que se
dio oos navios- de portos de n>'r-
Servidos accessorios e agencias, etc.
O estabelecimento de pontea regulares
de lenha ao longo do no tem sido at ago-
ra de nao pequea difficuldade. O Colom-
bo que consom de 18 a 20 mil achia de
9 lbnas cada orna em viagem; exige-as a
distancia de 24 horas de marcha, porqae
nio pode coaduzira bordo combusvelpaca
mais tempo, sem prejudicar o espaeo neces-
ario para commodo da guarnicao e passa-
geiros. Temos ltimamente tirado partido
dos indios Carajs pVa esse servido, qoe
pagamos pontualraente com ferramentas.
Creamos urna agencia no Rio Grande,
onde, nio anegando os vapores, temos com-
lodo necessidade de ter armazera de
para coasumo do importante aertio do Rio
Verde,
i
(Continuar-se'ha
YP, 00 P-KU) |\UA PUQE OE GAXIA*


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHX8IN84T_NHHP0U INGEST_TIME 2013-09-19T21:14:40Z PACKAGE AA00011611_13100
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES