Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13094


This item is only available as the following downloads:


Full Text

l
ANNO XLVI. NUMERO 164.

i
Pili A CAPITAL E MARES OHM IAO SE PAGA
OT8 ib oill b SS ol
fOBTE.
Por tres naezes adiaobdos
l'or tu di los nieta
Por uai auno ;Jem..
Cada lio avulio


65000
i2,J0O0
24,5000
320
" SABBADO 23 DE JULHO DE 1870.
--------------------,---------,----------------- -,----------,-------------,----------1----------------------------------------
PARA DEKTBO E FOSl DA PROVINCIA.
*^^^^rg&meze adiantados................
P r ritoa idem-..................
^*,", Por nove ditos dem..................
I .kb fof'iito anoo idem..................
W7C5
13*500
201250
27*000
a de Faria & Filhos.
.....


sao Ae
O Srs. Garardo Antonio AJw A Fftboa, no Para ; Goncaves 4 Piolo, no Maranhao ; Joaqniaa Jos de Oliveira, no Cear ; Ant
Perara d'Almeida, em Mamanguape; Antonio Aleaandrino de Lima, na Parahyba; Antonio Jos Gomes,
em Nazareth ; Francisco Tavares da Costa, em Ategoas ; Dr. Jos Alartius '
SS:
de Lemos Braga, no Aracaty ; Joio Mara Julio, Chavea, no Ass ; Antonio Marques da Silva, no Natal; foso Justi*
^Villa daPenha; Belarminodos Santos Bolcao, em Santo Antao; Domingos Jos da Costa Braga,
na Baha ; e Jos Ribeiro Gasparioho no Bio de Janeiro.
=F=

PARTE OFnCIfl,
a Gorcrao da proviaefa.
tACKDlKKTB ASSICSADO PELO EXM. SR. SENAD0B FRB
MRICO K AI.WtlDA R ALBUQUBRQUR, PRESIDENTE
r% provincia em 7 dr arco dr 1870.
! seccao.
N. 179?Portara ao director do arsenal de
?;ierr*.--Ple V. S. mandar eliminar da coWipa-
nt* de-faonores dese arenal o de nome Antonio
i'ioeiro da Silva, entregando a sua familia, visto
- -trer elle de motcetli, contagiosa, como declama
o f6M l de V. 3. de, X do corrate, *>b ti 3i.
N. 130.jlifceraco.-rO presidente'da provin-
catmMAii4 no qut> requereu'o Io tenente de
:rtilh:iria e eapitao de cQimissao do 4o corpo pro-
visorio da meara arna Aatoaio Bezerra Teixeira
Cavaieaute, oSeilo i vfetatafipTarinaco do triga-
d- :r.t commandante das arenas fleo do crran-
te so n. 1 t, e parecer da juDta do sade, resol-
a-i* de ronfonnidailt! cora o arf. ,*> ? do decreto
n. 3,570 d.' 3 de Janeiro de 1860 e do* termos dos
art*. i* | t* e 4* 8 9* do mesmo decreto, eoaeetW
.Un: Iras metes de I cenca para iratar de sua sa-
de oeta previa ca.
2* seccao.
>". 183.Dita ao oom.nandante superior interino
di guarda nacional do Recife.Ex peca V. S. suas
rdens alim de que urna guma de honra de um
bauiftoes da guarda nacional, son su com-
mando superior, acompanhe a proeisso qne tem
o aahir da igreja do Livramento desta ciliado no
lia 1 do correte as 3 horas d* tarde.
N. ISi.Dita ao juiz de direito da comarca de
i.iraahuns.Ero vista do quo exnoe V. S. era of-
de 19 de fevereiro ultimo-, nesta data determi-
no ao juiz municipal e de orphos de Boin Cou-
seiho, que faca cessif a nomeacao interina de es-
criva ay,orplios desse termo, entregando o car-
turto o ftrnia da le ao escrivo companheiro.
X. 185.-Bita ao joiz municipal e de orphaos do
ItomCoaselho.Em vista do que expoe o jniz de
doreito da comarca em offlcio de 18 do fevereiro
ultima e do qne dispon o decreto 816 de 30 de
agosto de 18o 1 art. 6 % i, faca Vmo cessar a sobs-
titaicao do tbet:iao e es;rvao de orphos e an
nexos desjakt qae e-t sendo exercldo porum
k-r.'.eiro. quanJo em vista do citado decreto deve
se-lo pelo tahrlliao e escrivo companheiro, a
ruem mandar entregar os eartorio repectivos.
N. 186.Dita ao corntrandante do "corpo provi
nistrata dessa Santa Casa para asaistirem a esse
actol
N. 203.Dita ao"mesmo.- Nos termo da deli-
beradlo de 2 do correte, mande V. Cxc. adraiuir
no colfegio das orpjiaas a menor Maria tutelada
de baenarerSilvhio (hraft-antu de Alhnsjuerque de
qae trata a sua rnTo.-mac.io de 21 de Janeiro pr-
ximo (Indo snb n. 2387.
.N. 20't. -Dituao mesmo.Nos termos da deli-
berarlo de 2 do Corrente, mande V. Exc. admittir
no collegio dos orpbos o flfho de. Maria Rita
Sarment do Reg de nome Maooel de que trata a
certidao de dada junta c a que se rpfere.a sua in-
formacao de 2o do correte sob n. 2482.
. 205.Dita a commissao encarregada do-s ne-
gocios do Asylo do Mendicidade.Devendo ter lu-
gar no d'a 23 do corrente a installaco do Asylo
de Midicidade convido Vv. S. para se cncarre-
garem de dirigir os preparativos necessarioj para
esse fin. (
N. 206.Dita a engenheiro das obras geraes.
Ministre Vmc. coiri toda a urgencia o ore men-
lo e informacoes qne exigi esta presidencia em
13 de agosto ao ano prximo passado, acerca da
remoco de^Lazareto e nlermaria da ilha do Pina
para de Santo Aleijo, para uomprimento de avi-
so do ministerio do imperio de 30 de julho do anno
ltimamente lindo.
N. 307. Dita ao juiz de paz mais votado da
fregueiia de Agua l'reta.N|o se tendo installado
oa tereeira dominia de Janeiro ultimo a junta re-
viso'ura de qualificaco de. tivos declarados em ssn nfflcio de 19 ilaquellfl mez
o no do 2 juiz de paz Bento Severiano da Ponce-
ca Pila, de 28 de fevereiro prximo lindo, e nao
sendo de suppr que continuem ainia o seu im-
pedimento, recommenJo a Vmc que guardado o
prasn e mais formalidadej da lei convo|ue a refe-
iida junta e a r\ reuair no dia 2i de abril vin-
douro que para isso designo.
N. 208. Dita ao 2. juiz de paz da fr"guezia
de Agua Preta, Bento Severiano dj Foneeea-' Pita.
Inteirado do qae Vmc expor em seu offlcio de
8 de fevereiro provimo lindo, tenho a dizer-lhe
que nesta data expeco as conveniente* ordens ao
1." Jiz de paz dessa freguezia aflm de qae guar-
dado o praso e mais formalidadei da lei convoque
a respectiva junta revisoura da qualificaco que
deixou de funecionar na tereeira Dominga de Ja-
neiro e a rena no dia 24 de abril vindouro que
para esse fim Pica designado, devendo Vmc. quan-
do estiver impedido aquello juiz e nao o poder
substituir passar o exercicio ao terceiro.
N. 209.Dila ac-s agentes da companhia Bra-
silera de paquetes a vapor. Os Srs. agentes da
companhia Brasileira de paquetes mandem dai
por
sorto de policia.-Mande Vmc.eliminando corpo^ ---~- T~ r'ie'iir'iooU do ministerio da
s.b o seu commando, o soldado Severtno Oomes mm.vWm n/v.,nr eraJ-, At s; mlB M esoera
da Silva, visto nao poder continuar a servir
impossibilidade pbsea.
5. 187.Bita ao mesmo. PJe Vmc. engajar
no corpo, sob seu commando, o sollado Maaoel
Oointno dos Santos, de qde trata o sea offlein n.
i.1 de 4 do corrente se para isso Uver a idoneida-
de neeessaria.
3* seccao.
N. 189.Portiria ao inspector da hesouraria de
fazinda.Communico a V. S. para seu conheci-
mento qne em vista do que requeren a professo-
ra publica da cadeira do povoao de Sanl'Anna,
Olvmnia de Azeredo Continho, expeco nesta data
a&'neeessuias ordens a thesouraria provincial pa-
ra fazer suspender o di-scnnto de 5 O/o. qe de
~eus vencimentos a referida professora offereceu
para as de N. 190.Dita ao mesmo.Remeti a V S. tres
ejemplares do relatorio em que o vice-presidente
Dr. Manoel do Nascimento Machado Portella en-
tregou no dia 15 de novenibro ultimo a adrarais-
traco desta provincia.
N. 191.Duaao mesmo. Inteirado de quanto
V. S. expoz em seu offlcio de boje, sob n. 132, te-
nho a (fizar em reeposta que aoprovo a arremata-
rao por 807 dos trinla e tres cavallos que se
inuUlisaram no deposito especial de intrueco, a
qual foi efTectnada por diversas pessas como se
\i; do citado offlcio.
N. 192.Dita ao mesmo. Accuso recebido o
: i de boje, wb o. 139, em que V. S. pariici-
nauiaversido arrematados em hasta publica e
pela quantiade 12i o guindaste e urna, porcao
de zinco em mo estado, extraados da ponte do
trapiche do algodn, que se est reconstrurado, e
em resposta tenho a dizer que approVo essa arre-
mal aco.
II. 193.-DiU ao inspecter da thesouraria pro-
vincial.-Em vista do que requereu a professora
publica da cadeir.a do povoado de Sanl'Anna, Olym-
pia de Azeredo Coutioho. sobre que versa a sua
raformacao de 5 do corrente, recoramendo a V.
S. que faca suspender o descont do 5 0/0 (lne
offereceu de scus vencimentos a referida professo-
ra ara a* despezas da guerra.
N. 19,.DiU ao mesmo. Pode V S. de con-
foraiidade cora a sua informacao de 5 do corrente,
*>b n. 143, dada com referencia a da contadona
dessa hesouraria mandar pagar ao negociante
K'-nto Jos de Macdo Passos, para esse hm m-li-
.ado em offlcio do delegado supplente era exer-
.io no termo de Agua Preta, datado.de 20 de ja-
u.iro oMimo, a qnan'.ia de 120* em qne, segundo
r.< auestados que devolvo em duplcala, unportam
os alugueres vencidos desde julho a dezembro do
amo nroxiroa passado, das-casas ]que serviram de
caaeia o de quartel do destacamento naquella
N\ 19o.Dila ao mesmo.De eonformidade com
o que solicitan o director do Asylo de Mendicida
de em ofllcio de hoje, mande V. S. adiantar ao mor
domodesse esbelecimento, CleroenteJos Ferrei-
ra da Costa Jnnior, a quantia de 1:2008 para as
despezas de expediente e asseio da casa para a so-
lemaiiade da ioslallacao do mencionado Asylo.
W. 196.Dita ao mesmo.-Annuindo ao queso
licitou o ehefe da repartic3o das obras publicas
em ofllcio de hontem, sob n. 63, recommendo a V.
S. que mande entregar ao thesoureiro daquella re-
partica a quantia 5:000* para a compra dos ob-
jectos constantes da relaca que por copia acom-
panuou'a minha porUria do Io desta mez, e que
se fuera necessarios a casa destinada ao Asylo de
Mendicidade. _; w
\ 497._Dita ao chele da reparticao das obras
publicas.Informe Vmc. com toda a urgencia se
o contratante da factura da cadea de Buique,
Thotnaz de Aquinft Cavalcante, de que trato o offl-
ein dessa repartcio n. 383 de 25 de outnbro nl-
uma.jdeu comeco a obra mterpondo no caso
aaatracj o aea parecer acerca das provideacias a
tomar contra semelhante procedimento
sTl98.-Deliberacio. O presidente da provin-
cia tendo era vista o taa reqaereu a arrematante
dos reparos da ponte de G'ndahv, los Augusto de
Araajo.a bem assirn as informaedes das estaooes
cowpetettUs, retolve prorogar por sesseota *as o
pMe mareado no seu contrato para a conotasao
Hieiles repatos acontar da data em que se tra-
a mencionado prazo. Esta ser apraeentada as
mas estacSe para ter a devida esecacao.
a.u v seccao.
H. 261. Circular ao Exm. Sr. presidente aa
proviaeia do Rio de Janeiro. Tenho a honra de
enviar a V. Exc. 2 exempiares do relatorio cora
ose o vice-presidete da provlBcia Dr. Manoel ao
Naseimento da Machada VWtola, passau-me no
dia 5 de novembro fhitw* alministracan desta
provincia. Igual ao's Exrns. Srs. presidentes das
pratiejas do sal e norte do imperio.
f. 3. Portara ao desembrgidor provedor
da 3anU Casa de MiMrlcordia.-^Defetido ter In-
corrente a nstattaclo do Asylo
irido V. Exc. eajama adrm-
raa> inha no vapor Cruzeiro dj Sal, que se espera
do norle o apreudiz marioheiro que Jhe fof pre-
sentado por parte do inspector do arsenal.de ma-
naba.
tXfXDIBNTK aSSHMIAW PELO SR. DB. SUiS PBKDEni-
Q0 DE ALMEIDA K ALBUOURRXnE, SECRETARIO IN-
TERINO DO GOVEB.NO, EM 7 DE MARCjO DK 1870.
I' seccao.
I. 210.Offlcio ao inspector do arsenal do ma-
rinha.De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, dechro a V. S. em resposta ao seu offl-
cio de 5 do corrente sob n. 1917, que fica expe-
dida a conveniente urdem aos agentes da compa-
nhia Brasileira para rtarem transporte para a cor-
te no vapor Cruzeiro do Sut, ao aprendiz mari-
nlieiro de que trata o seu citado offlcio. n
2* seccao.
N. 211.Offlcios nos presidentes dos tribunaes,
da relacao e do commercio. De ordem do Exm.
Sr. preidente da provincia remello a V. ^Exc. o
incluso exemplar do relatorio com que o vicepre-
sidente Dr. Manoel do Naseimento Machado Por-
tella entregou ao mesmo Exm. Sr. no da 9 de no-
rembre ultimo a >dministracao da mesma provin-
cia. Igual mutalij mutandis ao Dr. chefe de po-
lica.
N. 212.Dito ao delegado supplente em exer-
cicio do termo de Ae.ua Preta. S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, manda declarar a,V. S. em
resposta ao sen offlcio de 20 de Janeiro ultimo,
qne a thesouraria provincial tem ordem para pa-
gar ao negociante Bento Jos de Macdo Pa os alugueres das casas, constante do citado cilicio.
3a seccao.
N. 213.- Offlcio ao cnefe'da repartico das obras
publicas.Xesta data autorisou-se a thesonrana
provincial a entregar ao theroureiro dessa repar-
licao os 5:0005000, contantes do citado offlcio, o
qual Tica assirn respondido de ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia.
N. 2!i.Dito ao mesmo. De, ordem do fc-xm.
Sr. presidente da provincia remello a V. S. 3 exera
piares do relatorio com que o vice-presiden!e da
provincia Dr. Manoel do Naseimento Machado Por-
lella, entregou ao mesmo Exm. Sr. no da 5 de
novembro ultima a admolstracao:da mesraa pro-
vincia. Iguaes as obras publicas, alfandegas, con-
sulado provincial e associacio comraercial.
4* seccao.
N. 215. Offlcio ao director da FacnMade de
Direito. De ordem do Exm. Sr. presidente da
provincia remello a V. Exc. 2 exempiares do re-
tarlo com qne o vice-presidente Pr. Manoel do
Naseimento Machado Portella, passou ao mesmo
Exm. Sr. no dia 5 de novembro ultimo a adrarais-
traco da mesma provincia.
N. 216.Dito no desembargador provedor da
Santa Casa de Misericordia. De ordem do Exm.
Sr. pfeaidente da provine! i remetto a V. Exc. 2
exempiares do relatorio com que o vice-pre>iden-
leDr. Manael do Naseimento Mahad Paridla,
passa ao mesmo Exm. Sr. no da 5 de novembro
ultimo, a adrainistracao da mesma provincia.
N. 217.Dito ao director da instruceao publi-
ca.De ordem do Exm. Sr. presidente da provin-
cia remello a V. S. 2 exempiares, sendo um com
destino a bibliotheca provincial do relatorio com
quej) vioe-presidenie l)r. Manoel do Naseimento
Machado Portella passou ao Exm. Sr. no dia 5 de
novembro ultimo a adrainistracao da mesma pro-
vincia.
N. 218. Dito ao governador do bispado. ue
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia remet-
ot a V. S. 1 exemplar do relatorio em que o vice-
presidente Dr. Manoel do Naseimento Machado
Portella, passou ao mesmo Exm. Sr. no dia 5 de
novembro ultimo a adrainistracao da mesma- pro-
vincia. Igual rautatis mutandr?,'ao regador do
gymnasio provincial e o engenheiro fiscal da es-
trada de ferro. .
N. 219.Dito ao director do Asylo de Mendici-
dade 3 Exc o Sr. presidente da provincia manz
da declarar a V. S. em resposta ao seu offlcio de
hoje qae nesta dala expedio a conveniente ordem
a hesouraria provincial para mandar adiantar ao
mordomo do Asylo de Mendicidade, Clemente Jos
Ferreira da Costa Jnior a quantia de l:2O30UU
para as despezas do expediente e asseio da casa
para a solemnldade da ttwtallaco do mencionado
Asvlo que dever ter lugar no dia 25 do crreme.
' Firmino Alaes de Souza.Taha ao 8r. Dr. erwfe
de polica para ouvir o subdelegado do qde ?e ira-
la, tendo em vista as allegcdes do snppHcante e
os alles'ados que junto.
Francisco Rapo*) da Cuaba Reg.Informe o
Sr. regedor do Gymnasio.
Feliciano Marques Vianna.Passa.
Irmandade do Glorioso Sao Goncalo erecta na
igreja do santo do meumo nome da povoacao de
Itapissuraa.Passe portara approvando proviso-
riamente o coraDromisso de que se trata.
Frei Joo do Amor Divino Maseareufaas.Pas-
sanJo recibo, entregue-se.
Jos Spindio da Costa Muniz.-^-Dlrija-ao Sr.
comraandante do corno de polica. :i |i i
Josephina Amalia d Albuqaerque Ucha.In-
forme o Sr. conselhelro rector geral da iostruc-
cio publica..
Jeronymo Pereira Villar. Eoiregue-se rae-
diante recibo.
Lui/a Pessoa de Vasconcellos PeTira Bbr-
ges.Informe o Sr. Dr. ebefe de polica.
Luiz da Veiga Pessoa.Informe o Sr. iaspecior
da thesouraria de fazemla.
Maria Cleobulina de Mello Ottoni.A' thesoura-
ria provincial com o ofllcio desta data.
Matheus Fernandes Pereira.Informe o Sn. Dr.
chefr de polica.
Alferes Manoel Jos de Araujo.Passando re-
cibo, entregue-se.
20"
Barao de Una.Informa o Sr. engenheiro chefe
da repartico das obras publicas.
Companhia Pernambucana.Informe o Sr. ins-
pector da thesonrara de fazenda.
Carlos Ernesto Mesqua Faleao.Informe o Sr.
inspector da hesouraria provincial.
Feliciano Marques Vranna.Informe cora ur-
gencia o Sr. engenheiro chefe da repartico das
obras publicas.
Flix Cimbra de Souza.informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Izidoro Francisco deSiqueira.Coraorequer.
Jos Angnsto de Aranjo.Informe o Sr. enge-
nheiro ebefe da repartico das obras publieas.
Jos-Soares Monteiro. Junte o titulo do terreno
ue marinha a que alinde, e i planta, de qne traa
o art. 11 do decreto de 22 de fevereiro de 1868.
Luiza Maria Eleutheria.Indeferido vista das
infirmacdes.
Dr. Marcos Correa da Cmara Tamarindo.Con-
ceda-se a prorogacSo pedida, sem vencimentos.
21
Abaxo assignados moradores em Fora de Por-
tas.Informe o Sr. engenheiro chefe da repartico
das obra publicas.
Jos Pelippe Santiago.Ao Sr. general comraan-
dante das arma' para mandar inspeccionar de
saii-Ja o suptiliaanie.
loop Ignacio d'Avila Jnior.D-se por cer-
tidao.
Leonel Augusto Ferreira.VaUe ao Sr. coronel
commandanto superior interin da guarda nacio-
nal do municipio do Recite para orlvir n coroman-
dante do 3o batalhao de infaotaria e declarar se
ha vaga, tendo em vista o disposto no art. 34 da
le n. 602 de 19 do setembro de 1830.
Luiz de Franca de Mendonca.Informe o Sr.
lente-coronel commandante do corpo de po-
lica.
Leopoldo Borges Galvao Uchoa.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Leopoldo Borges Galvao Ucha.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Tenente-coronel Mariano de S e Aibuquer-
que.Conceda-se.
Manoel Rufino de Carvalho.Informe com ur-
gencia o Sr. Dr. Juiz municipal da 1' vara, se o
sapplhcante anda se acha ne?ta cidade e tem de
regressar para o presidio na primeira opporiuni-
da le.
Sebastian Antonio do Reg Barros.Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Thereza Alexandrina de Barros Mello.Inform
o Sr. eonselhero director geral la instruceao pu-
blica.
Padre Vicente Ferreira de Sequeira Vare-
jan.--Inforrae o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial.
lint
da.
t
lUOl:
A
inic
ha lu
honr
*
clui
com
dadfi
[por tres das que se havjao,commercio
prnettido a dar a ahmentagao, entretanto,
tendo dissolvido o corpo ueste praso core-
i fornece-la como dantas, abundante e
or qualidade.
olveu-so no da 7 o batalhi 36* de vo-
os da patria. dissoau-sf pela segunda vez.
liL'ira, no campo da hatalha, quando o ferro
diiimota-lha-as lileira, que serviram de
te a nutra forras do extreito, dissolucao
Mssima, alto padro de glocia.
psn segUDdja vez dissolver>se por ter c n-
"isua miss5o,por nao ler mais inimigos a
Ker.
: banjos da patria a sens offleiaes e sol-
no mestre da escola
Dures.
normal Caelano Francisco
RECIFE, 23 DE JULHO DE 1870.
noticias do Para e Maranhao
DESPACHOS DA PRESIDENUA DA PBeVINCU DO DIA
DE luLHO M 1870.
Abaixo assgnados proprieurios, comrnerciantes
e alguns agricultores residentes em Pimentei-
ras.Revalidado, volte. .
Abaixo assgnados mori'83 ** Passagem aa
Magdalena e no Chofa-Mdoln.-Volte ao Sr. fea-
genheiro chefe da repartico das obras pubbcas
nafa apresentar rcaroento. .,
Bacbarel A7re8 d# A,lbuquerque Gama.Diri-
ia-se a nj*>araria provinat
Carlota Candida de Aranjo Lma.-r-D-se passa*
gem de proa.
Temos jornaas deslas duas provincias, trazidos
pelo transporte de guerra Leopoldina, alcancando
os ltimos a 11 do corrente.
MARANUO.
Foi muito festejada a chegada dos volunta-
ros da provincia, j cora illumnacoes, bailes e
pas3eiatas, e jcora libertacao de cfe3cido numero
de escravos.
Do Pas copiamos o seguinte :
t Em regosijo pela chegada dos voluntarios deu
liberdade a sua escrava Felismina a Exma. Sra. D.
Marcolina Ro?a Carneiro Novaes, esposa do Sr.
Francisco Pereira da Silva Novaes.
Foi, depois de entregue a bandeira, baptisada
>na cathedral, alforriada nessa occaso pelo Sr,
tenente-coronel Roraeu eputrosamigos.uraa crian-
ga do convento das Mercs, qual derara o ora*
de Victoria de Aquidaban.
t No dia 4 de corrate a sociedada Triumpho e
Gloria alforriou 11 crianeas.bzando-as baptisaraa
i g reja dos Remedios.
* Por essa oocasiao, em seguidaa raissa a que
assistio o bravo 36 eorpo de voluntarios, nina
caamissao dirigio-se ao intrpido teneate-coxonel
CuBlia, e o presidente da asa>cia(o dirigio-lhe a
seguinie allocucao:
Bravo commandante do 3fi da volnntano.ta
dous aunos, quando w louros vrenles que cobriara
as armas alliadas, faziam prever nm prximo hm
a guerra, que denodadamente sustentavet nos
campos do Paragaav, alguns patriotas sem distbv
cao de nacionalidades, formarara aqu urna asso-
ciacio com o. um da festejar esse desenlace, tao
ardenlemente desejado, escolhendo para sea teste-
jo a humanitaria Idea de libertara> enancas .que
podesse. As Wcissitudes da guerra proloagarara
a terminacao delta, sem com tudo arrefecer nesu
associacao o proposito philantropico e patritica a
que se dedcava.
t Hoje que o Maranhao recebe um amplexa in-
timo de seus fllhos loureados, permit que a socie-
dade Triumpho e Gloria, cairaprindo sua missao,
vos encarregue de entregar as doze cartas que te-
nho .a hoBra de apresentar-vos, aos innocentes
que sao alforriados, em accad de gratas Pel te
minaco da guerra, e em honra ao bravo 36 ae
voluntorios, que lo bizarramente conduzsiea no
campo das batalhas.
O denodado tenente-coronel Cunha aquiecen-
do ao pedido qne era feto, e ag>adecendo-o cora
o eavalhirismo qne Ibe familiar, entrego* a ca:
da orna das innocentes crlansianas a carta, que as
reconheciapi livres, ao passo que um dos.meara
da coramlssao cingla-Ibes ao pescoco ma facha,
das c6res nacionaes coma inscripQi^Trimpbo
e Gloria. ,
t Assirn satistez a associacao a. saa modesto
missao, e praza Deas qu aquellas innocentes,
creaturas commamorera as-eacSe futaras o
nonia do inclyto cidadio soldado j\af> Ibes enuegou
a oat* libertadora.
. Ocommorclateafac^aLWl^ a alimnta-
lo o b^talaO de veliinjano* jeioe.que ctujau.
jbio o batilho para oxercicios no largo dos
ReinAios e voltando ao qnartel, s li* horas do
dia. foi dissolvido.
Ij soldidos e offltiaes coatovam com isto,
sabiain quo para esto fim tinhan. vindo, mas
aqueles oracoes alfeins a grandes emoedes nao
poArtajp resistir a esl*. Foi geral aicoramocii.
^^rjm os inembrosdii umi familia extremosa
(os Wnpos da batalha gerara irmios as veies
mais unidos do qne os que o sao pelo sangue),
cujns membros despediam.se para talvez nao
reunirem-se mais.
Em rauU) ro-to bronzeado, cojos _nscalos
nern,e quer tremiam dia na do inimigo, silen-
ciosas lagrimas se dessavaa.
Despostas aquellas victoriosas armas, fiis
compamheiras de Untos annos, o bravo com-
mandante dirigi ama orevo allocucao a seas sol-
dados. A eraoco embargava-lhe a voz n'aquellas
ultimas palavras. o Sr. tenente-coronel lenniaou
levantando vivas ao Maranhao, aos voluntarios,
ao commercio, etr.
f Um d.s que assistiara este acto, o-9r. Gi Lo;
pez, pedio licen^a para ler urna poes, que foi
com- muito agrado ouvida,
Antes de se ratirarem foram os soldados a
urna das1 salas da arrecadaco dizer. o ultimo
adeus ao sea jovem coramandanie, fazer-lhe pro-
tesios de graudo, diaeado mnito que sabiam
estar isentos de todo o servico minurrporem que
se a patria anda precisasse delles estariam
promptes para defende-li. i
J os nossos leitores sabem que os offleiaes
e pratas desta provincia, do exercilo, da guarda
nacional e dos voluntarios da patria, ftomoveram
na cmpanha un sukscripcao, que montou a
1:611, para serpplicada a aliorrias.de criangas
do sexo feminlno.
< Se tirar um paite de nossas rendas ou dos
salarios que temos de nosso trabalho-para com-
prar a liberdade de alguem, nobre, louvavel,
mais que louvavel, adraravel e subliaoe 6 ver o
soldado reservar para o mesrao fim parte do sol-
do qae ganha com risco da propria vida.
t Que ha que se possa por cima de urna ac-
,ca.deslas? ,^w *---, ,
Que quadro mais sublime Jo qne o dos sol-
dados descansando das fadigas dos combates, eoc-
upando-se da liberdade de seus compatriotas que
gemiara na escravidao I
Os eacarregados da applicacao da subsenp-;
cao foram ante-hontem ]6; s o horas da tarde a
casa do Exm. Sr. barao de Pennalva, acorapa-
nhados das 11 creancas alforradas, a pedirara a
S. Exc. que Ibes entregasse as suas earlas de li-
berdade.
a Era das raaua de S. Exc com eSeilo que de-
veriara essas pobres innocentes receber o titulo
que i lies confere o direito de ser consideradas co-
mo todo o genejo humano, porque foi S. Exc. o
principal promotor desta subsenpcao, sua foi a
idea e o irabalho de agencia-la.
t Tem o Sr. haro de Pennalva muitos motivos
para ser venerado ontre'os seas concidados, raui-
ta gloria cerca1 o sea Hluslre nome; roas este ae-
lo de S. Exc. nao dos que menos concorrem pa-
ra tornar anda mais preclara a fama do .bravo
commandante do .2- batalhao da guarda nacional
da provincia, que, s*ndo dos priraeiros a partir
para a cmpanha, s de l retirou-se depois de
dado o ultimo tiro e firmada a paz.
t ) nome de S. Exc. e da seas camaradas, de
iodos os soldados do Maranhao, devem ser aben-
Qoados por estas pobres creancas e por suas maes
que Ih'os devora ensinar com as primeiras ora-
coes. .
a Foi sanecionada a lei do acaba o privilegio
da navegacao a vapor da provincia, do que gosa-
vaem vittude de contrato a actual companhia, e
autorisa o govwno a rescindir esse contaa, po-
dendo formar novos com esta e com outras em-
prezas que mais vantagens oferecam.
t Fallecen ante-hontero <) Alves Fillio, delegado de potiea da capital.
t Era o Dr. Alvs raui distifjclo pelas suas no-
bres qualidades. Formado em direito ha poucos
rneze* foi acolhido como mareeia. e logo escolbi-
do para o cargo de delegado da capital ia-o exer-
cendo com goralsatisfaco.
Foi-lhc a vida cortada-na florescencia da mais
vigorosa raocdade por nraa febre de mo carae-
ter, d2ixando seu honrado, pai e extremosa familia
acbrunhados pela mais justo dor.
t O Sr. Ignacio Nina e Silva deu liberdade no
dia 2 a um escravo seu de sais anoos de idade,
em regosijo pela chegada dos voluntarios mara-
nhenses Este liberto se chamar Ljnacio Silva de
Aquidaban. ....
Falieceu no dia 2 da julho no da em que
chegaram os voluntarios da palrta* D. Maria Be-
nedicta Peralles de Castro, viuva do muito conhe-
cido cirurgio Castro, e aberto o-sen testamento,
vio-se pela verba 4* que libertava os escravos :
Duval, Tneodorico, Francisco, Benedicto, Anna,
Lupercina, Luiza. Antonio, Tbomaz, Roberto e Ca-
rolina ao todo 11. Em vidaj esto senhora havia
libertado 4, Maria, fcjnez, Josina e Doroiha. U-
vrou portanto do ciptiveiro 13. creaturas.
_ A alfandega rendu de 1 a ia do corrente
107:421:684. >
_ Estavam carga os navios : O Pearl e Cou-
rade para o Para, D. PriM3a.para Liverpool.
19
PERMAMBUCO.
I o
REVISTA DIARIA.
CORPO EFFECTIVO BE POLICA.Por deli-
beraco da presidencia da provincia, de 21 do
correle foram nomeados tenantes da 3 compa-
nhiao do corpo provisorio Luiz FeTippe Caval-
cante de Albuquerque i da 4'o dito Manoel Can-
dido de Albuquerque; da 5"o dito Manoel Fran
cisco de Paula; da 6'o honorario do exercilo
'Francisco de Siqoeira Cavalcante: da 7'--o dito
Gustavo Lustosa Quinaquina ; da 8"o dito Ante
nio Francisco Cordeiro de Mello seorelarioo do
corpo provisorio Jos Geraldo de Lima; qaarlel-
mestreo do corpo provisorio Antonio Jos de
Souza e Silva.
0 alferes, nomeado por portara de 16. do
[corrente, chama-se Manoel Caetano Vieira da
Paz, e nao Francisco Vieira da Pat.
INSTRUCO PUBLICAi- Por dalibe'raoao da
presidencia, de 22 do crranle deelaron-se sem
effeito a aposentadora do professor publico Mar-
calino Antonio Xavier, era vista dajei provincial
n. 936 de 18 de junho qUitai, a designan se a ca-
deira da villa de Ingazoira. parsito ter exerci-
cio. ,.
Por deJHwacab d/ill do. coraento, foi nq-
meado p;ofess"or pubjfcq,da Aguas Bailas, o alura-
GHAflDA NAC O.NAL.Por deberacao de 2f>
do corrente: '
Foi nomeado alferes da 2:* companhia do lo.*
batalhwo de infamara do municipio de Itamb,
Joo Baptista de Arroda.
Mandn se dar guia de passagem para o muni-
cipio de Nazareih, o alferes ftidoro Pranciseo de
Siqneira, que oertencia ao do Revire.
FERIMENTO GRAVE. No logar Mutemba da
rregazia do Lrmoeiro, no dia 9- do corrente Joo
Justino de Souza ferio gravemente cora cinco fa-
cadas a sua malher. O dehnquente foi preso.
FACADA MORTAL.Anle-hontem por volta das
Taboras da tarde, Candido Florencio do Nascl
men deu urna facada, que foi jutgada mortal,
em Jos de Calazes Bezerra, alraocreve do Boni-
to, ao sabir da cidade, nos fias da toa Imperial.
O faci passou-se assira :
Bezerra conduzia varios cavallos carregados, e,
ao chegar ao lugar do crme casualmente encon-
trou-e com Candido, que ia em-companhia de Ma-
noel Francisco de Paula.,Este apodera-sa do ebuole
do-matulo e da-lhe com elle, ap^ urna troca dea-
agradavel de palavras por causa do encoolro. Em-
quanto isto se passa Candido vai casa, volta com
urna faca e descarrega o golpe mortal no infeliz
matulo, inieressando no feriraenlo o peo direito.
O-cidadoAmaro Jos dos Pfaseres prenden o
assassinoe entregou dous inspectores de quar-
teiro que se- apresentaram, e estes, sem duvda
por incuria, deixaram-n'o evadlr-se, sendo pouco
depois nova mente preso. O seu cumplice Paula,
lbo de urna tal Michaeila, desappareceu.
Candido a Paula sao ambos campia*.
O ftido foi recnlhdo ao bospilal da Santa Casa
de Misericordia; casado a tem quairo fllhos,
AGENCIAS DE CORRKIOPor portara da di-
rectora gara* dos corree do imperio, de 9 a 13
do corrale, (orara creadas agencias postae* na
povoacao de Gamelleira, e na villa de Bem Jardira,
AGNTESE AJUDANTES,Foram nomeados :
para Bom Jardlmagente Manoel Marineo Caval-
canti de Albuquerque. e ajudante Antonio Claudio
Vieira de Moraes; para S. Bento agente Jos
Antonio da Silva Lemos ; para Barrelrosagen le
Joio Baptlsla Cabral; para Pao d'AOwafente
Jos Zepherino do Espirito Santo, ajudante Jos
Jnaquim de-Sam'Anaa Reis ; para lpojuoaagente
Mfenoel dos Santos Lima ; e para Gamelleira agen-
teHliodoro Acacio Rangel.
GASA DE"DBTENCO. Tbndo sido exonerado
a seu pedido, de guarda da casa de detencao o Sr.
Candido Guedes Cavalcante, foi nomeado para 6
substituir o Sr. Manoel Thom Fernandes Caval-
cante.
FACULDADE DE DIREITO.Segundo earto da
erte, o governo imperial usando de urna autori-
aajao anliga vai nomaar lentes sub*titutos para
aFaculdade de ftireito do Heoife. aposentando os
lentes cjkthedratieos conselheiros Autran, Lourei-
ro e Paula Baptista, preenebendo essas vagas com
os substitutos Des. Pinto Jnior, Tarquioio e A.
DrummoD, e nomeando para osilugare vagos de
substitutos 06 Drs. Francisco de Paula- Sales, D-.
Joo Alfredo Coi roa do Oliveira, Dr. Joo Thom
da Silva, e Dr. Antonio Joaquina de Moraes e
Silva.
SUBSTITUTO de NOVAS.A thesouraria de
faxenda .est aulorisada a trocar a* nots de 23
da 3.* estampa.as.quae.s coraecaro a soffrer des-
cont de *Q por ceuto do- Io de julho. de 187* era
diante.
JURV DO BEClFE. No dia 21 abrio-se a 3*
sessao- do ee-rrnie anne, sob a presidencia do Sr
Dr. Miioel Jos da Silva Neiva, juiz de direito da
2* vara. Nao bavendo no-mero suficiente da jui-
zes de Pacte, procedeu-se a novo sortoin para com-
pletar, sendo dispensados deservir na presente
sesso os Srs. Drs. Joo- Capstrano Bandeira de
Mello, e Agostinho Jos de Olivairas e multados
todos os qito faltaram.
CIRCO EQUESTRE.-Faz hoje beneficio, no pa-
vilho San Isabel, o-Sr. Euzebio Aldabo.sym-
pathico artista gymnastico e acrobtico, que tanto
tem agradaJo nessas duas artes, j pelos arrica-
dos e difccis trabalnos que exeeuta, ja (ielo gar-
bo e elegancia com que execu'.a-os. O beneficiado
excutara diversos e variados eaercclcs pela pri-
i vez, como raelhor se ver do programma
em oulra parte publicado. Re-jommendaflio-lo ao
nosso publico.
NAVIODEGUERflA. Segoio hontem para o
Maranhao e Para a curveta porttigueza Duque du
Ierctiva.
PRONUNCIA.Pelo subdelegado da freguezia
da Boa-visto, foi pronunciado como incurso as
penas do art. 2uu"do cdigo criminal. Antonio Jos
dos Passos.
HERANCAS JACENTES. Pelo ministerio da
jusiica foi expedida, presidencias das provincias
a seguinte circular :
lllra. e Exm. Sr. Faea V. Ext: constar aos
uiies de orpbo e ausentas dessa provincia que
as despezas dos processos de arremaiacao dos
bens pertenceutes a heraceas jaceotes s devem
ser effectaadas pelas mesas de rends e collecto-
rias, emqaanto nos seus cofres esverem- os di-
nbeiros das mesmas herancas, e quando a impor-
tancia da taes despezas Uver sido requisiuda por
offlcio, una vez que nao accedara a 2085; mas
que, no oteo contrario, devem os juizes dirigir
suas requises ao thesouro nacional; convindo
fazer cessar, por inconveniente, a observancia na
maior arapblude do aviso n. 34 de 8 de no-em-.
bro de-1838, como foi declarado a este ministerio
pelo da fazenda enu data de 22 de Junho prximo
lindo Dens guarde a V. Esc Baro de Mu-
ritiba.
MSICA ALLEMAA.Chegon no vapor Tocm-
tins, vinda da corte, urna msica da subditos ai-
lemee, a qual-se incumbe de tocar em qoalquer
teuniao publica,ou particular. Estra araanhaa
na fabrica de cerveja da roa do general Victorino,
n'um concert gratis para o publico.
RISOS E LAGRIMAS.Sobe o drama desta
denominacao, do Sr. acadmico- Agosliuho Ponido,
enva-nos um amigo o seguinte-:
Joven anda, mas seuliodo-lhe palpitar fogoso
o coraco e esvoacar-lha na fronte estes sonhos
rdanles de raooidade, o Sr. Penido soitoa as azaa
de sua imaginacap. e ella foi pedir Alba de So-
phocles e Euripedes ura daquelles sorrisos que
encaataram Lope da Vega e Caldern, um da-
quela olhares que apaixonram Moliere e Saks-
peara. ,
m. No seu drama ha impetaicSas que devem
ser relevadas. n.
0 seu estelo nao guindado, era tem arrounos
de imaginacao, ms fcil a tem doouras lilhas
de um coracao que ama.
Julia, a heroA de seu drama, un deslas
astros que apparace s vezes no horisonto eajpana-
do da sociedade, no seu coracao ba mn qne de divi-
no aua comprehendar o amor na suasablimidaae
evanga ica; amada loucamente ella tambara sabia
ornar ; quantq, mais ardente toenava-se o seu
amor. Um da o sino da falalidade soou a hora
tremenda da separacao, anto aquellas dous cora-
boes que se tinham identificado, irraMdo, aque-
idos pelo mesmo sol (a da felieidade) fiundo urna
mesma auroraa da esperauca, senuram com
delirio toda embriaguez, toda exaltaco do ajaor,
a asta separaci, que para muitos sarta o ooore
de um-flnao amor, para elle foftuau. laca
que apertou os dotas wraedes qua,, VHW*. li-
tantes, vviam unido?, porque palpitovam oelth'-
de urna mesma impresslo. E s seu amanto fos>-
uin hornera de genio, engastara sea nome as
paginas da iramortalidade e Leonor e Lanra te-
riam mais urna irmaa. Faz pena qne esta meni-
na, cujo coracao foi feito ao moldo dos dos anj.s
se lornasse tao leviana, abandonando a casa li-
sio, pai, por urna carta que ella convencen-se ser
dirigida por seu amante.
Julia al eniiio tinha sido um anjo, deixava
do o ser, porque os anjos sao cansas de Cores t
pezar*s. Que instante de torturas e desespero,
que momentos de loucura, que eternidade de
sofrimentos e doro* para sea pai que a adorava.
que etiorava quando ella chorava, ou que ria-se
quando ella eslava contente.
f Ob t Julia deixou de ser anjo que respira o
ambiente dos cos, si ha aleona e amor. Fabri-
cio i o (laguerrjotypo do pai de familia no estad
actual, visa sua fl'lha enmo ama armadilha oodo
possa cahr nm punhado de onro, como um ob-
jecto-de luxo que mos avaras podem comprar
por sabido prego. Arthnr discpulo de D. Cesar
de Bzan, sua divndade o dinheiro incensado
pela hiiforada de seu charuto. O padre Vieira
um desies senbores serpentes que vomita venenao
at na pureza d mulber aojo, a concupiscencia
enchn todo o vasio de sea coraca.
c Receba o nosso amigo os nossos sinceros pa-
rabens,.e agora continuo a trilhar a estrada que
en:etnu, porque so agora o caminho penoso, e a
estrada tem espinhos, algara dia ella se ha de acla-
rar pelos r.aios do sol da gloria.
O drama Risos e Lagrimas mereee bem o aco-
Ihimento do publico. O seu enredo interessan-
te ; e lazamos votos para que, pelo devido aprera
que nos deve merecer, seja maia um frnelo cabido-
da arvore da mocidade.
ta
BAZAR DA MODA.-Hoje a noute rebrese o
estabelecimeuto desta denoraraacao, sito ra
Nova n.30, fazndo urna explendida exposicao
dos objctos qne tem recebido pelds ltimos vapo-
res, nao s em fazendas para senboras, e modas. .
como em. mudezas e perfumaras. O estaba aci-
ment acha-se completamente restaurado, com
gasto, aceo e elegancia, ao que nada se poupa-
ram os seus proprielarios os Srs. Jos de Son
SoaresJt-C. Recummendarao-l as nossas lei
tora3.
TRANSFERENCIA.Foi transferida a festa de
Nos-a Senhora do Carmo do trontispieio para o
dia 21 de agosto prximo.
LOTBTUA.A que se acha venda a 154"
beneficio da Santa Casa de Mwericordia, cuja ex-
tracto ser no dia seguinie ao da partida para
do sur o paquete nglez que sa espera.
CEM1TE-UO PUBLICO.Obituario do dia 18 de
julho de 1670'.
Adolpho, pardo, Pernambueo, 2 maze?, Retire ;
convuisoas.
Ignacio, preto, frica, 30 annos, selteiro, Affb-
gados; pueumonia.
Agostinha, parda, Pernambueo, i niezes, Santo
Antonio, convulcees.
Joaquina, prela, frica, 60 annos, solteira, es-
crava, liba-vista ; encepbalite.
Maaoel, pardo, Pernambueo, 2 meaes, Santo An-
tonio ; oonvulsoes, foi botado morte na roda.
Anna Alexandrina de Almeida.branca, Pernam-
bueo, 62 .annos, solteira, Bou-vista, hospital Pedro
II; entente.
Maria, branca, Parahyba, 4 anaos, Santo An-
tonio;, hepatite.
Francisco, pardo, Pernambueo, 9 mezes, Santo
Antonio; espasmo.
Bozalina*branca, Pernambueo, 15 meze?. Boa-
vista ; deniicao.
Antonia de Azevedo Ramos, branca, Portugal,
4i annos; solteiro, Boa-vista ; congeslao pulmo-
nar.
Antonio, branco, Pernambueo, 5 annos,1 Boa-vis-
ttano traumtico.
19
Joaona Maria da Coneeicao, parda, Pernambu-
eo, 50 annos, solteira, Boa-visia,.iiospital Pedro II;
febre perniciosa.
Sabina, preta, frica, 50 annos, solteira, Boa-
vista, hospital Pedro II; cimgefto cerebral.
Hozibio Barcelona, branoo. Hespanlia, 22 annos.
solicito, Boa-visia, hospital Pedro II; tabercnlos
pulmou res.
Jos Mobila. branco, Portugal, 50 anno?, casado
liua-visia; febre.
lesa- Affonso Ferreira, braneo, Pernaranuco, 7
anius, viuvo,Poqo, empregado publico; inflama-
cu chronica
Alferes Jos Maria Benjamim de Assis, branco.
Pernamboeo, 45 anao-, viuvo, S. Josa; apoplexia.
pulmonar.
V 2&
Bernardo de Paula Lima, parda, Pernambueo,
22 anuos, solteira, Boa-visto; gastro tnterite.
Theodoro Mchalo Frete, prtto, Pernambueo,
63 anno1, viuvo, Boa-vista; paralyzia. .
Marcella, escrava, prela, frica, 54 annos, soliet-
ra, S. Jos; hydropezia. .
Manoel, pardo, Pernambueo, 1 anno, Boa-visia .
Canticio. .N n.
Maria, preta. frica, 60 anuos, solteira, Boa-
vista, hospito* Pedro II ; amotocimenlo cere-
rprancicc. 6arca Chaves, braaf o. Penvambuco,
6i anno, casado, Roa-vista ; anemia.
I AMARA MlrNiIPAL,
SESSO EXTRAORDINARIA AOS 15 DE JUNHO
DE 187.
PBESIDKSCIA DO SR. COSTA JUNJOR.
Presentes os Srs. Dr. Moscoso, Gametro, Costo
Moreira, Pessoa da Silv, Dr. Pitarla e Dr. Se-
ve, ibre-ae a seasao lida.e approvada a acto da
antecdanle.
Leu-s o seguinte
EX PEn te :
Ura ofllcio do Exm. Sr vice-presidente da pro-
vincia de 9 do corrente, devolvendo a cmara ov
requerimento de Belarmno Alvaa d'Arocha, para.
que a mesma proceda como tem. pratieado acerca
dos tainos de que trata o seu citada pfflcio do t-
do corrate sob n. 37, tendo em visto o qae tor-
da mais utilidade para suas tondas.-Intoirada.
Outro do mesmo, de 2 do corrente, remetiendo
por copia o regulameotoqueapprovara.na mesma
dato para os macnraslas e mais empregados su-
balternos da companhia doalrilhos urbanos desta,
cidade Olinda.Interada..
Oulro do mesmo, de 3J. de mato ultimo, remei-
tendo a cmara para oa flns convenientes a reb-
ro dds supplentes dos Juues municipaes e de or-
phaos deste termo. Inteirada.Que se mande at-
fixar os edlaes.
Outro do mesmo, de 6 do corrente, recommen-
dando a cmara para que nos eemterioscaja rea
estiver toda beata, nelles haja espaco em qae pos-
sam enterrar-se aquelles a quem a ifraja nao con-
cede sepultura em sagrado, como determinan j.
M. o Imperador por sua reselucao da conaalta o
20 de abril do corrente anno.Inteirada e que se
communiquam-aos administradores dos cemile-
Outro do mesmo, de 7 do corrate, determinan-
do a cmara qae pelos respectivo* cofres, seja in-
demnisado o ajudante servlodo ^e adrain.strador
da casa de detencao da quantia de JJJ.000 despen-
dida pelo mesmo ajudante com o enterramento d^
ires escravos, cajos senbores sa ignora donde re-
sidem.A' eoniraisso de cemitorios.
l'mi petiSo de Joao Mauricio da Sen\eoo,
;.


,r syaU-
Diario 'i Pernamlmco -* Sabbalo 23 de Julho de 1870.
Oasancbo da presidencia de 7 do corren, man-
da4o informar na qual olereee polos quairo la-
iaW da ribeira da fre guezia de S. Jos, desiinados
d credores, a quantia de dous coritos de res in-
BMilintaitc, com a coiraiciio de entrega los logo
-^W apparecara os ditos credores-.Intoirada que
e informaste a S. Esc acerca da pretencao do
uttcnnio.
tlm offlcio da cmara municipal da villa d-> Ca-
-*, de 8 do corrente, accusando outro que le di-,
rapio a caara em 3 de mato ultraiu. latei-
radt.
Outro do Inspector da thesouraria de fazenda de
~tt do corrate, o nal pede i bem do servtco
iHiMai que te wse fomeeid pelo administrador
4o emitirlo desta dada certido da bitos da*
:|>easionMas de estado, con-laoles da relacao jun
la, visto r5o constar ihesouraria a existencia
4v* titeadlos. iMairada e aso se oOmssse ao
?sin administrador, reroer.endo se rupia o of-
Ostra do advogado, informando favoravelmeaje
apcetencio do bacharel Francisco Augusto da
?oncea e Silva.-Inteirad,
Unlru do sogenheiro emnleador, interinando fa-
M-cvlaMtite a preteucu de O. alaria Benedita
"Coroes de Souza.Guaeedeu-je.
fto.rs do nwmo, informando sobre o qne pede
Jemo alaria Cordeiro Lima.Coneedeu-se.
Ooiro do roemor" Infirmando sobre o requer-
jmimIo da irmandade das Almas erecta na igreja
do Corpo Santo.Qae o li.-cal rasoecvo proceda
velorta no obrado a. 16 da ra outro do tnesmn, informando favoravelmeote o
requerimeuto de Manuel de Azevedo Santos.Con-
'cedeu-^e.
Outro do mesmo, informando sobre o que pede
no reij.Tiraento lo> Antonio da Cunha Guraa-
-re-.Maadou-se cordear.
Outro do mesmo, informando favoravelraerte b
rcqirorimenio de Sehastio da Silva Braga.Con-
eed-u-ae.
Outro do mesmo, dizondo que nada tem a oppor
9 freiiiarh i do flvin. Francisco Ceelho de Lima e
Sd va.Conredeu -se.
Outro do mesuio. dizendo que se p.le conceder
a tieeaea por Manoel Francisco Duarte.Mandn-
.* otxtsar.
Outro do mesmo, informando o requerimento de
tenente-coronel Manoel Cametlo Pessoa, cumpre
diser une stipplieante nao espern pela compe-
ten*' tcenla, ja constru quairo meias aguas den-
tro de sen terreno, e consta-lite qne o m-sroo tora
multado.Itt teirado.
Outro do nosrao, informando favoravelmeote o
reqoeriaMoto de Ttiomaz de Garvalho Soares
'Bran4o Sebrinho.J A' eommisso de edifl-
eaaa.
Outro do fiscal da fregueria do Kecife, remet
lando o termo de vistoria, que mandara proceder
iM) sobrade da ra da Gadea n. 52, pertencente a
Lu iz de Meuezes Gomo Ferreira.Ao arebivo. i
Oatro do raosmo, enviando o termo de infra-e
cao, contra os (lerdearos de Jos Epiphanio Dorio,
Ao procurador.
Outro do mo.-m), remetiendo para os fins eon-
v mientes mu termo de iafraccao contra loaoeen-
uau Rodrigues Lima.Ao prcurador.
Ontro do fiscal da fregueeia de S. Jos, remet-
iendo don* termos de iofraegao contra Gandido de
Crtamo Neves e Antonio Pereira do Monte.Ao
|wereVr.
Outro do mesmo, rameltendo lamben quairo
termos de Infraccio. contra o lente -coronel Ma-
aoel Camello l'o-soa.Ao procurador.
Outro do fiscal da freguezia do Poco, pedindo
*-., pagamento da quantia de IGSOOr). que despenden
** mi o esterramento de qnatro cavallos, encontra-
das morios na me * ae mandado de pagnenlo.
Mandoo-se remetter ao advogado, para emittir
seu parecer, duas petioSes, nina do Dr. Joaquim
Antonio Garneiro da Guaba Miranda, e a outra de
B. Aletandrina Mara dos Santos.
O Sr. ftr Moscoso. fe os seguintes requerimen-
a, ue posto* em discussao foratn approvados :
4* tteaiauiru ifuo o eogeirtieiro cordtador, infor-
w>- aKifinou o concert da ponl8 do Maduro
e >e acli i que, con effeito o arrematante execntou
as <*ra>, ue eonformidade com o orcamento e ae
a ponte o-ia cr.m a largura marcada no mesmo
or^aMM-.iiir.; a*sm comotambem explique a razio
parque Bcaram algumas estivas estragadas e po-
dns.
P^co da cmara municipal, em 15 de ianbo de
tK7.-l>i. xtbo Moscou.
1" A bem do servico requeiro qne a commisso
d dar q tea parecer a repetto do concert pella M-
\ e.altiTro.
V >r > da cmara municipal em 15 de junbo de
<870.-Dr. Lobo Moscou.
> Requeiro qne o procurador da eamara in-
f^uiie se s arrematantes dos talbos da ribeira de
S Jos que se oLrigaram a fazer balcSes de mar-
mtre, j deram cumprimento a esses onus do sen
retracto, oseo nao flzeram, se o procurador j
trotixe esse aeonlecimento ao conhecimento da ca-
uiara.
Paco da cmara municipal, em 15 de junho de
le'7.r. lobo Mohoso.
O nif sino Sr. fez a seguinte proposla que foi ap-
provada i
rYoponhoa seguinte postura.Fica prohibido a
qualquer animal do genero cabruin ou cvelbum,
poder vagar pelas ras desia eldade ou do munici-
hw, os que forpm enconlrad is serao apprehendi-
dos e arrematados em baste publica, sendo o seu
producto remettido para a Santa Casa de Miseri-
cordia drpois de deduzidas todas as despezas que
resultaren! da apprehenso fe la.
f Paco da camaia municipal, em 15 de junbo dt
1870.-Dr. ofco Moscoso.
_ I "resto u juramento o cidado Joaquim Severia-
no Cavalcanle, nomeado par o lugar de sachristo
da capella do cemilerio publico cesta cidade.
Dc-paruaram-so as petic5*s :
Ue Albino da Silva Leal, Antonia de Souza Lee
Antonio Ju.- Duartc Guimbra, Andr Blanch, D
atdad d> raosteiro de S. Rento, Antonio Domin-
lues Ferreira, Adalberto Belarmino da Silva, Ale-
xandrino Tavares Carneiro, Alian Paterson e C,
D. Clementina Theodora da Silva, Gardoso & Ir-
ruios, Olirisiovao Ferreira Campos Elias' Baptista
ta Silva, Firmino Theoionio da Cmara San Jago,
Fraorisso Machado Pedrure, Felippe Bullo Maciel,
Felijipe Jacome da Costa, Francisco Antonio Da-
ro. Fran-'isco Coelho de Lemos e Silva, Geminia-
Francisco de Souza Lima, Jos Pedro *d Sanf An-
ua, J.is Affoaso de Albuquerque, Joaquim Marli-
nko .la Cruz, epgeubeiro Joaquim Piros Carneiro
Moutein. Jernimo de Souza Leo, Joao Franeis
ea da Silva. Jos Antonio da Gunba Guimaraes,
S sa, Joao Gomes de Abren, Manoel Beaedito des
Haoios, Manotl Francisco Duarte, a mesa regedo-
giMt, Rosa A Primo, Satyro Seraphim da Silva ;
1evvitou-se a sessio.
Ktt Augusto Genuino de Figueiredo, offlcal-
-aai:r servindo de secretario a escrevt.
Jos Marta Freir Gavuiro, pr-presidente.
Mr.Ptiro ie Athai/de Lobo Moscoso. Ignacu*
Pnsoa da Silva. Dr. Prxedes Gomes de Souza
Pitmga.Dr. Joao Mara Sect.
PBUtACQES A MI.
Ao publio.
E* por dermis indecoroso e vil o proced ment
endiento papel que, too o ancnymo, tem repre
*entsdo o hachar) Francisco Lucas de Souza Rao
fe, adecfododo nomo foro.
E" por domis irascivel verie este hypocrita.
raaaboso e atnto advogado o qne tem empregado,
iiwnejando nao 6 com as. armas da chicaua, co-
reo tambera procedendo de um modo mtnante,
aflm de sabir victorioso de sens dramas mfernaes
e por tlm eolher a pingue msse dos incautos
notes qne tm a mMtcidade de cahir em snas
arras ferinas cojio a do leao, astutas como as
da rrpoaa e traieoeiras cerno as do tobo.
<*ne infamia, que torpea de eora;Io Gaoto
que o Sr. Prancfaeo Loeas de Sou>a BtngeT, ai-
togado do desventurado toro de Pernainboco, on-
ta insinuar orna camelUa de sentimentos batxos
e desregrados para gozar nao s do titulo de ama
familia pobre, porm honrada, como tnbem ar-
rancar parte de amera fortuna com o intento de
fceeber jTO^aabenerati r ?
E com fSem o Sr. Dr. Francisco Lucas de Son-
Hanfel, Teto platicar as snas roarhtnaedes do-
tosaavff......
Gom o seu compadre, intimo amigo de-eno,
prejodicaado seu innocente afilhado, quebrando
> .-dios do .parentesco espiritual e de amisade
(raterial que man tinta, te pelo .de.tlurabrawento
a> metal ratate, e eaberoeras ill^des I......
JCegro aclo.b-diondo espertcul da vida do Sr.
r. Fraaeisce Lucas de Souza Ringel f
' Admira o ardil com qne este sabtil advogado1
imJjkM as censas : J
lempo em que proslrado ere mea leRt fle dores,
nle poda defeoder-nw.
Lembre-se, senhor 'lontor. qe es amigos sa-
bam o que os inimijos ignoram, e o senhor est
nesse caso, nao'obnnjtte ser aoje meo raimigo e
cora a drctimsUneia aggravante de diter #* *M
sabe a re rao dettn int'nsisade.
Que cavillacaa, que embotada cousciencta t
Pe?o a Ilustrado publico que nio me analyse
Klo arre jado evylo presente, eraquaoto nio mani-
festar todo* os tth p r iiipM swwmootos sabae
o proceder dme rgu Andr CacoVcaa do
tiende de Monte Cfcriste, para deptm juJgar-so
rtec.fe fg de jnlho do |878.
Joao artista Gomis Penna.
Negocios 4o larri 4e ncmdl
eldMe.
i?
Continuarei hoje o roen penoso encarto de de-
monstrar o neiihum fundamento das iasinuacoes
comidas no relatorio do Exm. Sr. pcevador da
Santa Casa de Misericordia, na parte relativa ao
Asvlo de Mendieidade.
ffSo tomare! em conslderaejn o tpico em qne
trata dojnlgamento das fallas dos empregades, por
rae parecer de nenhuma importancia. Era todas
as repartinos publicas compete aos respec,iivos
chefes jutgarem ?s faltas dos empregados, como
tm me.io de manterem ellas a brta moral precisa,
e.soSr. provedor pode estrantiar lito, levado
pelo seu des -jo i nmoderado de intervir em ludo e
por todos os modos nos negocios do estableci-
menttis a cargo da Santa a*a. 8. Esc. a frente
desta irmandade, pretende sem duvida constituir-
se um poder supremo, pretende que a Santa Ca#8
seja um estado no estado I
Oeaa-to-hw, porem, cotu as suas pretencoes, por
mais exagerada! que sejam ; traiarei apenas de
cont lar o que for pura caviliaco sua
e Determina, diz o Sr. provedor, o art. 5 do re-
gulamniiio de l de ouUbm que o raordorno do
Asylo preste ama lianc i de 9:0004000 peraate a
junta admini-traliva, mas pretende u director que
esse empregad responsavel para com elle t
na* para oom a jnma.
E' o art. 23 e nao o 3 que trata da flanea do
mordomo ; eis a sua integra :
Omordomo prestar urna Qanca de 2:000a
Nao diz onde deve a (lauca ser prestada, e
art. 10 3 diz :
Fazer as compras e despeas que fot era orde-
nadas pelo director, a quem deve prestar coatas
todas as semanas.
O art. 7 8 diz que o director pedir raeusal
mente a Santa Ca>a a quantia necessaria para a
despeza do cstabelecimeuto, prestando contas no
primeiro de cada mez.
Ora, se o mordomo nao lera competencia para
receber quantia alguma na Santa Casa, e era a
ella tem de prestar contas; si so recebe dinheiro
do director, e a este presta contas, como nao ha
de ser responsavel nicamente para com este em-
pregado?
So o desojo de centralizar todo na Santa Casa,
t aamhicao de attribaic^es e arbitro pode pre-
tender que a responsabilidado do mordomo seja
para com a Santa Casa.
E se uto nao fosse, nao expona o Sr. provedor
os factor alterados em relacao a letra do regula-
ment do Asylo, fazendo at citadlo de artigos
sera applieaca a especie.
A junta da Santa Gasa, prosegue o Sr. pro-
vedor, em vista do | 2* art 58 do compromisso
deve exercer a sua inspeoco por mtodos mor-
domes nos estabelecimenlos sujeitos a sua admi-
nistraccao. uo entanto qne aero o remilmnento de
21 deoutubro e uem o regulamento interno son
cede a Santa Cas o dlrevo de ejercer a menor
flscalisacao sobre os negocios do Asylo. >
fie pelo compromisso a iospeocao dos estabeleci-
mentos a cargo da Sania Casa -compete aos mor-
dimos, sendo o Asylo, pelo mesme compromiso
e pela art. 5 do r't gulamento de 21 de ootubra,
sujeito a administrado dessa irmandade ; visto
qds. para ser elle fiscalisado, nao careca deposicao
especial do mesmo regulamento, era islo inteira-
raente ocioso. Bastava dizer, como diz o regula-
mento citado, o Asylo sujeito a Santa Casa, para
.que a esta carra a ubrigajao de iospecuiona-lo
como faz com os outros eslabelecimentos.
E se o Sr. provedor tnlcndia, quesemdeelaraijao
expressa no regulrmento do Asylo, nao pedia a
Sauta Casa tomar a si a sua ospecejio, como a
ininha requisicao nomeou mordomos de mez t
Este acto contradiz inteiramente a opiniao que
emitte S. Exc. no seu relatorio, e prova bem que
andou a cata de sophismas para mostrar a sua m
voniade ao Asylo, que lera o grande pecado de
ha ver stdo restituido sera a sua iutervenccSo, que
suppov indespensavel em todos os negocios de be
neficencia.
Entretanto, se S. Exc o hornera ibais resadw
desta ierra, ba quera diga que nao o raaiz ca-
ridoso.
Conforme os %% 3 e 4 do art. 76 do compro-
inisso, devem as quantias que possuir o patrimo-
nio do Asylo, ser postas sob a administracao da
Sania Casa, ao passo que a junta nao tem a me-
nor base, com que possa organisar o orcamento
na parte relativa ao Asylo. e apenas receba da
thesouraria provincial alguma quantia. aftra de
entrega-la immeiatamcnie ao director.*
O Sr. provedor ao impenho de fazer crer que a
organiucae do Asylo nao foi a mais conveniente,
e e oflensiva do compromisso da Santa Casa, cita
com aiguma iulidelidade al os artigos desse oom-
promisso. O art. 76, a que se refere, diz apenas
constitu rao o patrimonio da Santa Casa=e nao
-ficarao sob a administracao,como faz crer S.
Exc. em seu modo de expor as cousas.
As reodas do Asylo sao patrimonio da Santa
Casa, mas podeu) estar sob outra administracao,
Tanto assim que o producto da subscripcao do
eommercio esl sendo gerido pela associacao com-
mercial, sem que o Sr. provedor tivesse nunca re-
clamado contra isto.
Se a Santa Gasa precisa saber, para a conleecao
do seu orcamento, em quanlo monta annual-
mente a receila do imposto creado em favor do
Asylo, nada Ibe era mais fcil do que pedir infor-
uiacoi's a thesouraria provincial, repirtico in-
cumbida da arreeadacAo do mesmo imposto, nao
carece ter em seU cofre 0 produelo dessa arre-
cadacao. So nada sal, porque nao tem que-
rido saber, porque nao tem cumprido com o seo
dever.
Quanto ao dizer do Sr. proveJor que algumas
quautias que recebe da thesonrari 4 para entre-
ga-la inmediatamente ao director ii Asylo, como
querendo eusinuar que todo esse iohairo que
sabe da thesouraria passa para as maoe do di-
rector, commetteu nisto nexactidae, como oppor-
tuoaineate o demonstra re.
Hoje flearei n-sus liohas, aman ia traiarei en-
lao do ponto, talvez mais serio do rolatorio, e o pu-
blico recoBbecer eotan a siraulaca venenosa cora
que proceden o Sr. provedor, no interesse de le-
vaotar sospeitas e prevencoes contra o Asylo.
Recite, 23 de julho de 1870.
J. P. Brrelo de Mello Ufo.
a nao da earidade qne vos segura ; avante, a
urtude Blha do co.
Beeife 21 de jalho de 1870.

Pela orte de atiaba esllaiavel
priaM. ibm da Praaea Dn
perooa.
Ros dt amor, ras* pwpmm Mlm,
Qutmmtre os pairo* O tsfolkou da campa!
(GARwrtn.
A mioha Ivra sentida
lio iino d'ahaa Ungida
Vai triste cante geraar:
Orna ro->a VsAdhada
Diz 'obre a tamba gelada
A pos a vida oroorrar !
XIV
Ir preparando
A sua malla.
Por haver ordam
DoPaoaVa/a
No iropl de seu mactyrio,
Ella morrbou como e lyrio,
Que pende beira do mar.
w anima na primavera.
Veto a roorteessa Panthera,
A vida sua roubar.
Lbe foi a soru diversa
Por urna vereda expessa,
1 *!ora sumbrt- as aegra cor.
A sua estrella fagueira
Toraou- Sera brillio, luz e mlgor.
Os loo ros da sepultara'
Ofmicou-lhe a feamosura,
De funrea pallidet;
Tendo da dor em sen rosto
Os frisos de um desgosto.
De seu softrer tanta vez t...
Tantos disveilos que leve
NesU exiettiucia tao breve.
Que bem vMuz se passou I
1 Fui como a onda formada,
Que pelo vento arrojada
Aim aa prata... expirou!...
E parece qne o destino
Crut11, acerbo e ferina,
A vida seguio Iheassim...
Deas, [ La teuba delta clemeaci >,
Na soa Gloria sem Gm !....
Julho-20 de 1870.
J. Stares da Franca.
Embarcan
N'uraa corre
Que o capillo
E' de cbnpta.
E para fue
Fiquenasabeedo.
Qnem pode ser
Eu vou dizendo.
XVH
Pois i ara moco
De muim sizo,
E nao conhecem 11
E' o Panizo.
C8MME8C10.
Montepo Ecciesia^tie.
O da 19 do correte iliuminou ama,grande
idea e defini ora grande/acto; idea generosa e
chritSa que se chama earidade, facto humana-
mente nobre e abeasoadoo Montepo Ecclesias-
tco.
Foi ae impulso de ama feliz iospiracao que se
reuniram, do consistorio da matriz ue Santo An-
tocio desta cidade, 21 sa cardlas qne, entre si
lamentando as posiedes criticas da fortuna, per
amor todas as necessidades e em honra sua
eiasse, fundjram urna associacio digna de todos
os applausos.
Filos da religio da Cruz, realisaram a mxi-
ma virtuie do amor do proxiraoj gniados pelo
sentimento religioso, intimo conforto das almas e
principal movel de todas as acedes, moslrarara
sociedade que uao ha miseria a que a earidade
nao arroste, ne,ro soffrimentos humanos qne o
cora gao nao pos a alHviar.
Deus presidio esta festa dearaer; fHha do
chrislianismo, a earidade e s elu pode substituir
a enra peregrinarlo do primeiro MartyT, desde o
Horto at o Golgotha.
Sectarios de s. Vicente da Panla, ani-vos aa
rnimunhlo prallca da Mea; 'nniiio a forca
de todas as concepcoes; o'Montepo Eecleajastico
nio urna njstjinjeio atrao'hno, neni para a
vahlide ; fralernisai-vos. sacerdotes todos, pobres,
reos, grandes e pequeos, preparal-vos para a
JztBro qne incerto ; a vida humana segu por
dens cwanhos bem ospostes, a prosperMade oa
a adversldade, vida de.serrisos oa de la^riraas;
Bfiri o bem e o derer,jme sio as duas mspira-
efles daenuseieocta e que devera ser as nicas'
paJpitacdes do coraco.
proiperidane temos amigos, na adversl-
dade o despiezo a pena dsrbaPdide.
BU aM o nico remedio para nlortunto,d
asiapio aWejjasJIeo 'doma verdadarra providea
o aran com que este t
Je,!2^Jl^i!.qoep,*.Mnia5*a0 $*' e"*rto ^P08""^oriroetos7 ptradelro
rotepe que ludo ba eaasegnMo, aproveitando se doj de toaV as ^udoas; a'Oio lOniste, porque
Ae mni disliact* e affLaadida arllsU |ymace.
Sr. liceat Catal.
Araanhaa o tea dia de beneficio.
A elle Pernambuco iateiro ha de ir,
E se por acato algos acar om cata,
O raido das palmas o ir contundir..
Entra firme, roslo em saeaa.
Na arta de Ltard, es anda infantil;
Mas aa llores qne tu n'ella teas oolhido
Teem fas dado em parte os fllhos do Brasil...
Esta Ierra que tu ora pisas,
Tem, como a toa, ilustres varoes.
B os seos poetas e prosadores te cania m,
Cono j te cantaram os patricios do Gamoes...
Camiaha 1.... nio deseaaces um momento !...
No caminbo da gloria nao se deve parar...
E te para subiros careces de animo,
Este publico honrado te ir animar.
Tea pai, tus mai, tem irrsaos le enainaram,
E por esses artistas te achas instruido ;
Mas certo que o nomo que ellos tem na Europa,
No Brasil honrado tu leos sabido.
S feliz, e nao reces que na geena
Zoilos vo-te dirigir palavrdes ;
Poi? quem sabe ser artista como tu,
Tem sempre dos sabios elogios e ovacoes.
PAAGA DO rUEClFB 224KB JULHO.
DE 1870.
as 3 1/2 bobas aa tajas.
Assucar ameneano 2*000 r. por 15 kil.
Assocar Caeal -1*650,por tkM.'
Algodao do Pernambuco sorta769 e 782 rs.
por kil.
Dito de dito 2' sorte612 rs. por kil.
Algeaao em iaspeogio7*i e 721 rs. por kil.
Algodao de Macei 873 rs. por Jtil. posto a bor-
do a frete de 3p3 e.S 0]0
Cambio sobre Londres 90 d/v 23 d. por 1*000
(hoatem e hoje).
Frete de assuoar daqui para Liverpool 15[ por
touelada sem capa.
Frete de algodao daqui para Liverpool 3(8 por
libra sem capa
Goncallo Jos Atoase,
Presidenta-
Peto secretario,
A. P. de Lemos.
ENGLISH BANK
Of Rio de /aniro Limited
Desooata lettras 4a pra?a Uu a cod-
'enciooar.
Recebe dinheiio em cont corrente hia
l raso fixo.
Saca vista oa a praso sobre .as ctdadtt
prlncipaes da Europa, tem correspondente*
ia Babia, Buenos-Arres, Montevideo, New
3 New-Orleans, e emitte cartas de crdito
para os meamos lugares.
RA DO COMMERCIO N. 36-
ALFANDBOA.
aaadimeaiododialaSl. 738:670*317
dem do dia 21..... 3t:266*&91
Queixando-se um aaonymo do Diario de
Pernambuco de bontam, que loe fra vedado asis-
Mr a ssssao judiciaria do tribunal de eommercio
de 14 do corrente, e, sendo publicas Unto essas
sessdss como as suministran vas, existindo urna
galera com asteaos para os isceladores, pde-
se essa pessoa que baja de comparecer no mes-
rao tribunal na prxima aessao de 25 de cor-
rente aflm de declarar qual o empregado que lbe
prohibi tal ingresso.
Secretaria do
nambuco 21 de
2C
CO!
o aa
iq,
Per-
772:936*808
MOVIMENTO DA ALFANDEGA
folumas entrados camfaxeadas 141
Idaa dem con gneros 492
folumes sbado coa fazpndaa 28i
dem idem com geaeros 337
633
621
Recife, 23 de julho de 1870.
R.
Mote
D'Oltuda a estrada de ferrro
Na domingo vai correr.
Glosa
fsto raiva do inferno,
Ou inveja de Caira,
Nao importa ser ruim,
D' 01inda a estrada de ferro.
S poda do averno,
TaJ intriga apparecer :
Mas esperem que vo ver,
Do Andr a ousatha,
Todo o trem com galhardia.
.Yo Domingo tai correr.
O viga da enrva.
Mote.
.Ve porta*) da Machambemba
Kscreveu-^S. Isabel.
GLUSA.
Com gestos de rola on pomba,
Guapeo de paiha vermelba,
V se um moco cor de ovelha
.Vo portao da ilechambomba.
E' ndr Congo, na tromba
Aperta fino piujel,
E com docuras de mel,
jS'uma taboa passa um traco
E com mestria e compaco
EscreceuS. sa'et.
Flamengo.
Descarregam hoje 93 de julho,
Barca rancezaVeridianamercadorias.
Barca maleza Mimosaidem.
Barca ingleaaMeunie Gray -idem.
Barca iuglezaCdaridem.
Barca aortuguwaAiexandre HerxiUunotiam-
Barca iugleaO. M. Pkerunvinhos.
OECEBEDHU DE RENDAS LNTEUNAS GE-
BAES DE PEBNAMBCO.
(rtnsdio froviidiL
0 abao assignado, toado sido nomeado por
portara do Sr. administrador, datada de 20 do
corrente, para faxer o lancamento da dcima ur-
bana e mais mpnstos das fregueeias do Poee da
Panella, Afogados, parte da Vanea e Jaboatao, pa-
ra o ejercicio de 1870 a 1871, dar principio aos
ceforides laocamentos no dia 21 do crrante, pelo
que faz saber aos aquilinos dos predios para que
tenbam seos recibos ou arreudamentos mo, afira
de por elles se fazer o ancamento, nao se atten-
dendo aos que parecerem dolosos eu lesivos a
fatenda, lixando se neaie caso o preco provavel do
alnguet que poderia render em relacao a capaci-
dade e localidade deles em aluguel pagos por
oatros aemelhanies.
1" seccao do consulado provincial 21 de julho de
70.
0 laucador,
__________Isidoro Theodnlo de Mattos Ferreira.
Consetho de compras navaes
0 censeiho do dia 25 do corrente mez promove
a compra, sob as condicoes do estylo e vista de
propostas receidas at as 11 horas da manhaa.
dos objeetos do material da armada seguintes :
1 mastro de 67 a 70 ps de comprimento e 2
ps de dimetro para o brigue barca amarac,
50 cadernos de papel mala-borrao, 500 pucaros de
folha. 800 folhas de tinco, 400 libras de pregadu-
ra de zinco, 10 reamas de papel cartuxinho, 30
arroba de estopa para machina, 8 arrobas de es-
tanto era verga 250 covados de baetilba, 10 bal
deadeiras de folha, 6 foles iuglezas de 8 ps de
comprimento e 6 de largo, 2 ocales de alcance,
60 barras de ferro inglez proprio para grelhas e 8
covados de oleado para assi aiho.
Sala das essoes do eonselho de compras navae!-
21 de jnlho de 1870.
O secretario.
Alexandre Rodrigues dos Anjee.
CIRCO
NO
PAVILHAO DES. ISABEL
COMPANIIIA
EQUSTH MSTICA E ACROBTICA
SOB A DIRECCAO
& Os tres amantes burlados, pamtomim n^,
tassante na pial toma parte o Sr. Lnii \L
conhecido por Pellu^ ^^"
t ^ ATBO
A mesma fuaecio se exeontar s 8 1|2 da ao.
p, por>ar a ultima "aftapara aeompanma.
Camarote cora -adas 12*000
Ga deiras 2*000
Gaderaa a^uljaapara Sras. 2*000
Platea 1*000
Os blhetes de eaoorotas, eadetraa e plateas
rtade-se ao mesmo rao.
SERO GYMNA8TICO ACROBTICO.
Domingo. Si do nrrenla
Tara logar ao sali do Alcafar, no sobrado a.
1 da roa nova de Santa Hita, um grande a varia-
do espectculo (por artistas pamambucanos) aym-
aaatico e acobratieo, ero. bene fleto de Ensebio Bao-
tis de Santo Rosa.
Depois qne a orchestra desempenhar urna de
suas memores pecas-de seu repertorio, dar prin-
cipio o divertlmenio.
O f parto.
1* grandes e sorprendentes posicoes sobre
trapes, pelos artistas VlrgBto, Valeriano, Vieira
e Jos Francisco.
2 Scena cmica, denominada : Effeito do vi-
nho novo, palo actor AyrosaBraza.
3. DifBeeis trabalhos conv a safra oa pedra de
seis arrobas, pelo artista Jos Francisao.
Intervallo de 15 minlos.
2.* parte.
4. DifOeeis deslecaQoes pelo artista Virgilio
5.' Una scena jocoea, iatituiada Jos dos es-
letos em poroas de pao equilibraudo ama-arma db
fogo: pelo artista Jos Francisco.
8/ Ultima parte, a famosa palhacada, pelos as-
ustas Valeriano e Jos Fraooisco, intitulada :
hornera embarricado.
0 beneficiado desde j agradece a todas as
pessoas do publico que se dignaram eompareeer
ao seu beneficio ; e tambera aos artistas qne pres-
taram-se tao generosamente.
Principiar as 8 1|2 aa cuate.
O resto dos blhetes estao na mao de tirnlrtor
ou na en rada do mesmo sali, na aoute do,-
pectaculo. '
== l
itenirjen'.odo
ldent do a la 21
21
33:157*573
1:279*773
oi:437*346
C
M a xm m b ea.
i
J tenho visto
Era sen favor.
Cobras medonhas
Que causara horror.
II
Mas nunca vi
Urna maior
Mais sinuosa
Oa cousa petor.
111
Do que o trisaos
Em direccao
A* ama cidade
N'escnrido.
IV
Tem a cabeca
No aaeoradouro,
E sua cauda
No Varadouro.
V
E nao obra
Da natureza;
Mas do Andr
Sua grandeza.
VI
famhem um hornera
Fei della artista,
Que coabeeid
Por Z Baptista
VI
ledo seo laito,
Preseulemeote,
MOVIMENTO 00 PORTO.
iYoi(w sabidos no dia 22.
ParaCuryula portngueza a vapor Duque da Ter-
ceira, coromandanta o capito de fragada Chris-
tiano Augusto di Costa Lima
Portos do norteVapor nacional Tocan! ins, com-
mandante Jos Mara Ferrrira Franco.
Ualhao de LimaVapor inglez Per, commandante
Tnomaz.
C8!hao de UrnaVapor inglez .ireqntpa, corv.man-
dante Hinson.
LiverpoolBarca mgleza Redbreast, capitao Chres-
hof, carga assocar e algodao.
06rrT(7f4o.
Nao bonve entradas. 0 brigue inglez que se
acha tundeado no lamaro anda nao teve com-
municacao com a trra.
DECLAfiACOES.
Santa Casa de Misericordia
do Reuife
Pela secreuria da santo casa de misericordia do
Recie se Taz fciente que o film. Sr. thesooreiro
comraendador Jos Pires Ferreira, no dia 25 -o
corrente. pelas 9 horas da manhaa, no salo da
casa dos expostos, far pagamento s amas que
trouxerera os meninos que Ihes foram confiados,
do trimestre vencido de abril a junho Ando.
Santa casa de misericordia do Recife 18 de ju-
lho de 1870.
0 escrivao,
_________ Pedro Rodrigues de Souza.
O ahaxo assignado tendo sido nomeado por
portara do Sr. administrador de 20 de julho para
fazer o lancamento da decima uruaua e mais im-
posto* da freguezia de S. Fr. Pedro Goncalves,
Sanio Antonio e S. Jos para o exercicio de 1870 a
1871, dar principio aos referidos ijncamentos no
dia 21 do corrente, pelo que faz saber aes aqui-
linos dos predios para que tenham seus recibos
ou arrendamentos mo aflm de por .elles se fa-
zer o lancamento, uao se atlendendo aos que pa-
recern dolosos oa lesivos fazenda, fixsndo-ae
ueste caso o preco provavel de aluguel que pode-
ria render em relacao a capacidade e localidade
dellesemjilugoel pagos pjr outros semelhantes.
1* seeco do consulado provincial 20 de julho
de 1870.
O laucador,
._____ Joio Pedro de Jesos da Matta.
DE
D. Luis Casali.
EXTBAORDINARIA E VARIADA FUNCgAO'
tabbado 93 ao correte.
EM BENEFICIO
Do applaodidn artista
E TTZE BIO A&D>A&Q,
DED4GATOHIA.
O beneficiado, nao tendo tmtros sitlos honori-
fleos que o acredilera perante o respeitavel pu-
blico desta invista provincia senao a exibiijo de
alguns trabalhos da sempre applaudida arte de
CyriHo, Mofo, Blondn e Leotard, de cajos ar
listas um simles imitador, dedica o sea bene-
ficio ao apreco do puWtoo, e espera merecer a
sua generosa ce adjuvacan nesseseudia de fesla,
assim como tem merecido as sympathias e ap-
plansos de todo o cidado que estima as artes e
deseja de as ver cultivar por toda a parte, seja
quera for o ebreiro que as desmpenhe.
Debaixo deste ponto de vista, pois, o benefi-
ciado, considerando se o mais humilde dos artis
tas da sua arte, e seodo anda pouco conheeido
nesta hospitaleira trra de hroes e vares su-
blimados, espera quo os illasirej fllhos e hospe
di'S desta voneza americana nao se recusaro de
ir abriihantar a sotVre do seu beneficio.
PROGRAMMA.
PRIMEIRA PARTE.
1. Urna linda symphonia derigtda pelo maestro
Martias.
2. A balada alia, pelo beneficiado, Vicente Ca-
sali e Rodrigues, fioalisando o beneficiado cora o
arri'cadissimo salto da Ba alba.
3." Um intermedio jocoso, pelos clons da compa-
nhia.
4.a O saltos mortaes sobre um ca vallo, pelo jo-
ven Vicente Casali.
o.* Equilibrios pyramidaes por Aldabo e Rodri-
gues executando o beneficiado o tremendo salto
do despenhadeiro, da altura de i mezas e urna
cadeira, disparando duas pistolas no ar.
6.* Um novo intermedio burlesco, os dons anuos
agigantados, pelos artistas Rodrigues e o benefi-
ciado, nvencao dos mesaios.
7. O doble trapesio, pelos gymnastas Cesar e
Vicente. 4
8.-0 palhaco a ca vallo.
Intervallo de 30 minutos.
SEGUNDA PARTE.
9. Symphonia.
10. Pela primara vez, a columna rodaBte, por
Rodrigues.
11. O beoeficiaao sobre a corda tesa.
12. Difflceis equilibrios sobre a mesma corda,
pela matrona Marieta Casali.
13. O pao Cucanha, pelo beneliciade e Rodri-
gues.
14. Finalisando-se cora urna applaudida pamto-
mima.
CERVEJA
3S-ha do tara! YictoriM35
Benriqae Leiden C tem a honra de parteei
pr ao respeiuvel publico, que a banda de mnslaa
allema ehegada hoatem palo Tocantins, do Uto
de Janeiro e Bahia, para estrearsoa rinda nesta
cidade, dar no domingo 24 do correle as 4 ho-
ras da tarde, um concertu musical das melhore*
pecas de seu repe torio.
Estrada livre por esta vez ; deixando se e-
nerosidade do publico de coatriboir n'uma eome-7
ta para pagar Ihes as rustas.
N. B.Era breve serio enllocados novameate
os lampeoes para ilinrninar o jardim com o mu
hydro car bonico
AVISOS MARTIMOS.
RIO DE JANEIRO
Para o referido porto tst proo pto receber
carga frete o brigue brasileiro Othelo : trator
com sena consigna (arios Amorira Irmos A C.,
ra da Cruz n. 3.
Principiar s 8 l|2 da noute.
JPre^os
DE
Paquetes a vapor.
Dos portos do norte esperad*
at o da 28 do corrente o vapor
Guar, commandante o capit*
lente Pedro H. Duarte, o qual
depois da demora do costn*
seguir para os do sol.
Desde j recebem-se passageiros e engaja-se -
:arga que o vapor poder conduzr, a qual devora
er embarcada no dia de suachegada. Encamnen-
las e dinheiro a frote ate as 2 horas do da da sua
lahida.
Nao se recebem como eucommendas senio ob-
jeetos de pequeo valor e que nao excedam a dnaa
urrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medica',
rudo que passar destes limites dever ser embar-
tado como carga.
Previne-ae aos senhores pasaageiros que su*
passagens s se recebem na agencia, ra da Cruz
n. 37, andar, escriptono de Antonio Luiz de
Oliveira Azevedo St C.
rio mu DO L
Para o indicado porto recebe alguma carga a
frete a barca nacional Santa Mana : tratando-se
cora os seus consignatarios Amorim Irmos 4 C.
ra da Cruz n. 3.
"ara o Pona.
Acha-se carg o brigue portuguej TriumnMt.
pera onde recebe por frete commodo : quem no
mesmo qnizer carrejar entendase com o- consig-
natarios Tnomaz de Aquino Fonseca & C, roa
Vigario n. 19, 1 andar.
Maranh&o
Segu com brevidade para e porto cima o pa-
Ihabote nacional /oi-i .rthur, anda pode receber
alguma carga e tra-se com os consignatario*
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo & C, ra da
Cruz n. 57, I* andar.
Camarotes com 6 entradas
Cadeiraa.......................
Cadeiras avulsas para senhora.....
Geraes.............^...........
Os blhetes de camarotes, cadairas e
veudein-sft no mesmo circo.
I2000
2^000
2*000
1|00(>
plateas
Ao publico
aja* apaan a.
PorBaptita
Foi deulbado
Cao apeala
fd-aara**.
O^Sapolea!
Baiaa traganda,
Aaslm fea elle
Carra* mar-cande.
a?.te Andr
Par ata pane
Gomo arlla
abae d'atte.
SaaaearreaM
Faieracajea
rara ter aaoe
B iQzar fama.
Ul
mastre Jeyme,
BoJnbia
Ja todos pedeai
isafasau.
CONSULADO PBOVIHCIAL.
Pela masa do consulado provincial se faz pu-
blieo qne o dia 26 do corrente tem de serem ar-
rematados era hasta publica ao meto dia. 38 kilo-
grammas de doce era maasa, 6 garrafes, 2 caixas
e ama barriea com 140 litros de genebra, e 25 ki-
legrammas de rap avaliados lado por 130*492,
os quaes form apprehendidos pelo feltor confe-
raote desta reparlieao Joao Baptista do Reg
Francisco Xavier da Silva Marques, por falto do
pagamento dos respectivos direitos-
Mesa do consulado previneial It de jnlho de
Antonia Carneiro Machado Ros,
__^^_ Adminiatrader.
Estando a exoirar o contrato qae temos cera
os preprietarios do pavilho de Santa Isabel, ere-
mos que domingo 2i do vigente sera a nsa ul-
tima funceao ueste circo.
Domingo 24 de julho
As 4 \\ hars da larde
Grande fonccJo ecuestre, gyinnastica e acro-
atica, dividida em duas parles.
EM BENEFICIO
Do joven artista gymaastico.
DEDICATORIA.
3 beneficiado, tendo sido presenteado por
Rio de Janeiro
Pretende seguir para o referido porto coro a
possivel brevidade o patacho Monteire por ter per-
cao da carga engajada ; e para a qae Iba, falta e
e-cravos a frete, rata se com o consignatario loa-
quim Jos Goncatves Beltro ra do Commercie
n.17._________________________________
COMPANHIA PEKNAMBUCANA
DI
Vavefia^-u contera par vapor.
Mamanguape.
O vapor nacional Coruripe, commandante Bit-
va, seguir para Mamanguape no da 28 do Br-
rente as 6 horas da tarde. Recebe carga, enema-
mendas, passageiros e dinheiro a frete at ae t
horas da urde do dia da sabida, na escriptono
da companhia, Forte do Mattos n. M.
. O anJem de uim.sr. MMeliralro inspector
*eaararU de fazenda destt provincia se faz
pable, para conhedmanto de todos os habitantes
da mesma provlcia, a circular do tribunal do the-
iauro nacional n. 23 de I do correte maz, abai-
xo transcripto.
Secretaria da thesouraria de fawBda da Per-
nambuco, t de julho ue 1S70-
Servindo de offleial-maior,
_. ^ Manoel Jos Prato.
urentar o. 23 Ministerio dos negocios da fa-
UBii^a de Janeiro, em U de jumo de 1870.
u visconde de Itanoraby, presidente do tribanal
do thesenro nacional, tendo resolvido a suhstui-
cao das notas de ,2*000 da 3- estompa, erdeua aos
bra. inspectores das tbesourarias de fatenda que
tndemMWlcar asta re.'otqcSo por annancios
ws pe provioeias, e por edtoes afflxa-
os municipio*,- procedam referida
substBolslo cr,m o producto da renda das resnec-
JW wesoarariaa, aolllcitondo a reraessa dei fun-
dea precisos no caso de deficiencia da mesma rin-
da ; remeiiam mentalmente ao tbesouro as no-
iadafeta g^td'wio.devidameote carim-
J 3*?Hf ,kTri0 *t decU-
raaoaa-que do > de jnlho de 1871 em diaqte co-
notas qae b
juabadesse
nm
eu intimo amigo (libo do dma das familias da
mais elevada posicao commercial desta praca com
ora vestuario todo bordado a ouro, cojo Javor
bem revela o quanto sao delicadas as raaos que
o bordaram, pedio este benelcio ao sea eropre-
zario e ao sea director, afim de estreiar oeste
circo o presente qua graciosamente lbe foi feito.
O beaeflciado, estando pre.-tes a partir desta
capital, faltarla a ora dos seas mais rigorosos de-
veres se deixasse de agradecer ao generoso pn
blice desta provincia as provas de apreco e estima
com qae o tora honrado, e do qnal nao toro a di-
zer senio bem. em toda a parte que se echar.
PEOGRASWA.
PRIaTEIKA PARTE.
1-* Sympbopia.
2.' A menina JoaaniU, tabre o cavalliio mosca.
3.* O beaeliiado exenuiari siirprendcnte* traba-
lhos sobre uraca vallo.
4.* Um jocoso eniremez, pelos elovrns on
'Ibacos.
H.' O pao voador peto benaaeiado.
6. A alto esebola.
7/ A parodia da mesma, pelo jaltaco. sbre
um cavallo apparente.
lnierva|io a 30 minutos.
wmpivjnm.
i' SympbDBla.
x* Pela primelra van, a fifrria aarianaa aalo
beneflciadoe.fctai. ww^*" **"
3.* As postura? do challe, pela nanina Juanita.
o 0 trapesio pelo beneficiada.
pa-
COMPANHiA PERNAMBUCaNA
aa
Varegatio eostelra por Tapar.
Paxahyba, jHata', Maco, Mosaor, Ai>
caty, Cear, Mandah, Actrac e
Granja.
vapor Igojuca coarnaadanu
Moura seguir para os porto aei-
. ma no dia 30 do correte as 0 hora*
la tarde. Recebe carga at o dia 29, encom-
aendas, e passageiros e diaheiro a frete ato a
1 horas da tarde do dia da sabida no scripto-
rio do Forte do Mattos n. 41
WL
Aracaty
Segu com a poasivel brevidade a pal habato
Emilia, asada recebe algama carga a fate: a
tratar aoa 84 Leiio traaos, rea*da Madrea
Dos n. l.
Karanhao
y
E' esperada de Bio de Janeiro em fmcQt4m a
barca partugaeta Maria, que ti ai > ilgnaaB aa-
ga para o reforido porto ; e de*carr.enaefe a aa
para este oonduiir, recebara aqu a qne for apt-
sival abtor para o Maraabao, e coa jmm daaa-
ra : por isso quem desejar aproratar esta tea
occasiao de embarque, dirija se ao consigaatarto
Joaqaim .Jwe Gon^alves Beltro, a roa da CBJb-
iBercto p. 17.
Para o referido porto pretenda seguir cap Jtft-
nd* maior arto da carga prpmaja raatAp
nodico, trata-se com o cobsjH^^^H
aaim Jos Gongalves Beltro, raa doCoMMpaa
\
Of


Diario de Pernambuco Sabbado 2

......... i

r
Ijf
' 4
\
K
*m dividas que fazem parte da massa
fallid! de Rosendo da Rocha Gar-
vatto.
HOJE
Por despacho do III-u. Sr. Dr. jaii do commer-
i-40, o atante Pestaa levar de noy a leila* as
4frtdaS aclnfi mencionadas servindo ae base o pre-
<> obtido, a relaco pode ser examinada em mXo
d\apea*e, sntfo logar o MU6, sabbado 13 4b
esrrentfas It horas da rnanbia no largo do Cir-
toSanWn.9.
J0 barris com manteiga ingiera, chados no ultimo
vapor e 40 paneiras com tapioca.
IIOJK
O afeite Pestati'far leilio por conta e risco-
de quera perteneer, dos genero? cima mencio-
ados. os anaes serio vendidos em nm ou niais
teHs vnwlade doveoropradoros, no da cima as'
il horas da manftaa no armaxem d* Anoes, de-;
/rnle da alfandBjta.. ____________,
LEILAO
DE
ftohihA e de dividas, na impor-
tancia de 20:022*658
HOJE
Cor ni-.odad do Illra. Sr. Dr. jai especial do
> mimercio desta cidade e a requer ment dos ad-
ministradores da masan 'allida de AntoBio Pedro
mobilia pertencele ao fallido; con guarda louca, t copos par age, I mesa com
machina decollara, 1-niea para jamar elastic'a
1 cadeira de faia, 1 eornmodi de amarello, 1
suarda-roiipa en dragado, 2 marqoezas, i lava-
torio, 12 cadeiras de amarello, I mesa de pinto,
1 dita de lonrn. I piano' de mguo, 2 quadroe de
molduras prela, 2 consolos de mogno, 2 escarra-
deiras, I relogio de parede, 2 eandieiro para gas,
da^ dividas na importancia supra de res......
-J0:022658.
Sabbado 23 a* II horas da manba na casa sita
raa da Crp n. n. 53, nrimeiro andaV.
Igualmente far leilo na mesma occasio e
ata npra indicad, das dividas na importancia
de 7:7il390. pertencenle massu fallida de An
.-ho Mina 0'i.onncl Jersey, por idntico mandado
-.I-i memo Ilim. Sr. Dr. juiz do eurotnrcio, a re-
(ii^rimento do* respectivos administradores desta
PAZENDASGERAES
(Para liquidaeo)
Segunda-feira 2o do corrente^
Faestemberj!, Fbach 4 C. f rao leilo, por in-
tervencJn do agente Oliveira, de variado erti-
ment de fazendas especiaes e proprias do mer-
nado, sendo principalmente inglesas, franeezas,
alleioaes e suissas de algo to, la, linho e de seda.
Segunda-feira
a 10 horas da iiianha, em seu armazem, silo
roa da Cruz n. 31.
12 ca-
2 ditas
910 VEIS
(novos e usados)
lima luobia de amarello constante de
deiras d guarnirn, a ditas d.- bracos,
de Balaocn, 2 consollos, 1 jardineira, el sof, toda
olla enfatuada, I uulra mobiha de pao d'ol^o, 1
cama traqecaa nova <}e amarillo, 1 ana usada, ea'-
deiras de bataneo, marquetas, marqueses, meias
redondas 2 omimoJas de amarello, 1 moza para
advogadn, cadeiras avuNas. consollos,, sofaes e
muitns nutro* ohjectos pertencentes a um estalle-
lecimeote em liqu dscfw.
Torcateira 26 do crrente.
O agente Mirti.isfar leilio do uioveis acuna
mencionad i* ao correr do nnrtello, no armazem
ii. io a ruac-treita do Rosario as 10 horas d>
da.
Pin ai-
rea f'lr 26~do corrente
.16. 11 horas.
DE
raa fletara de movis hoyos e eabtas cera Tft*e
Bordeaux, confiando de
araras dius de bataneo, betear
> laia, ditos de Jacaranda, camas para meninos*
balaustres e SO cairas com vinho Bor-
deaux.
(Sendo todos os raovei novo armados e por armar)
Terca-feira, JR de jnlho raeio-dl em ponto.
. Por interveocio do agente Pinto, em eontinuaco
ao leilio de motis, loqca e crystaes qao deve ter
latar as 11 horas db da aeima dito no primeiro
aadar do sobrado da ra LEILAO
Da barcada daDominada- Academia.
A qfeal pifa'00 sse'aa oq 7 m arrobas de-
eaflahj
Oalrta-felri 27 de jumo, s.lt horas eet ponto.
No caes Ramos.
O agente Pinto far -leilio precedida-a com-
petente autorizo oV bareca aeima-mencio-
nada a qual esta fundeada em frente do caes, on-
de pode fer'desde j examinada, sendo que lei-
lio se eflectuat s H horas do dia acirai dito.
i ii
AVISOS DIVERSOS.
mwmu
ADY0G1CIA.
O DR. JOAQUIM CORREA DE ARAUJO
lem o sea escriptorio ra do Imperador
n. 67, ondo pode ser procurado das 9 ho-
i da manha s 3 da tarde..
PREMIO
Deixmi-se por esquri-
mento n'uma das cad>iras
do circo, na noute de 20 do
corrente um binocolo de martlm. cuja caixa for-
rada de velado rro : quem o achoa e qocrendo
restitu lo ser bem recompensado raa do Impe-
rador n. 42, primeiro andar.
^gJaBaaR iwHaVIaiBT^KtnBaTBaiI flW^aDlaaK9aR^R
I MDANCi |
O Dr. Carollno Francisco de Lima San- |
Stos mudou sita residencia e consultorio flj
para a na do Imperador n. 57. 2o andar =5
do sobrado cajo armazem con?orva an- S
da hoje o nome de Alianija, tendo a 1
_ entrada, que pelo lado da ponte Sete 5
I de Setembro, o mesmo numero 57, da S|
i frente. Ahi continuando o dito Dr. no jsg
3 exercicio de sua prufissa > de medico e s
B de operador, pode ser procurado a qual-
gas quer hora do dia e da noute.
Precsa-se de moa ama para o ser-
vir/ interno de orna casa de pequea fa-
milia : ra estreila do Rosario n 32, 3o
andar.____________' ___________
veueravel levo^So da Meuho -a
Nant'Ana erecta no convento
le S. Francisco.
De ordem do nnsso irm^n juiz, sao polo
presente convidados todos os nosos ciris-
simos irmSos para domingo 2i do corre-
le as 8 horas da rnanha assistirmos a missa
votiva, e depois em mesa geral proce-
dermos eleifo dos nosot ftinccionsrios
qoetetn de reger esta devoro do atino de
1870 7i.
Consistorio da devoco de Sant'Anna, 20
de jullio de 1870.
Manoel da Silva Fialho.
Secretario,
MISO
oca vidros
m Terc-f-iira 26 de julho.
0 agente Pinto, utnrisado por urna familia qne
mudou de (residencia, far leilio dos movis,
lenca e maisobjeclosabaixo declarados, os quaes
sern transpon idas de urna chcara distante da
cidade para o l1 andar do sobrado da ra do
vigario n. 5, onde se eflectuar o leilio no dia
cima dt>, a'saber:
m piano forte 1 mobil'u de Jacaranda, b qua-
dros ovaes, casticaes e mancas, jarros para flores,
tapete, e-carradeiras, cadeiras de balando e can-
dieiros a gas. eti\ 1 cama franceza de Jacaranda,
1 toilet com peJra e ospelho, 1 commoda. 1 cama
,ie amarello, 1 mezo de cama e cortinados, 1 cama
oara meninos e 1 bereo, 1 meza elastiea, 2 appa-
radores, l sof, 12 cadeiras, 2 ditas de balando,
2'consolos, lnu<;i para cha e jantar. copos, clices,
garrotas, compoteiras, vasos para flores, figuras e
mtats nutro? objeetna de casa de familia. O
leitSo pjincipiar as 1(1 horas em pooto.________
"LEILAO
DE
1 in >.brado de dous andares e um sitio com urna
. casa para acabar.
O agente Puitual, compete-Memento aotorisado
veniefi em loilao um sobrado d dous andares,
iiiieado em solo fretro, sito ao pateo do Paraiao
n. IR, rsndendo mensaloSI, e um sitio no lugar
da Capaos* (Baixa-Verde), com urna casa para
acabar, (solo proprio),*com 97 palmos de frente e
06 de fundo.
* CABUi
esquina
da roa larga del
Francisco Jos Ribeiro Braga, com fabn.-a de
charutos e cigarros na ra Direila n. 38, dqsejan
do ser visitado pal senbore- denos de tabernas,
or por seus caixeiros e todos os mais fliie o qui-
zerom honrar, vem pelo presente advertir que em
sua fabrica se aeha bons charutos fabricados aqni
com fumo da Baha e que yenda a jSOOO o mi-
Ihelro, e por isso espera que os mesmos senhores
venham desengaarse com seus olhos ; assim
como, tem cigarros do todas as qualidades e
aprompta tambem qaalquer'eneoramenda a von-
tade do comprador. ___________________
O abaixo assignado faz scienie que o Sr.
Florentino Pen-ira de Soasa deixou de. ser sea
caixeiro desde o dia 19 do correnta Reeife 21 de
julho de 1870.
Man I do? Santos Villar*.
DB
J. Ferrara VM
Des* o dia 7 de/abril passal achare aberto e
novo estabelecimemftMMrradMco silo i raa do
Cabega n. 18, canto do pateo da matriz. Os traba*
Ihos que desde entSo, tem sabido de noss offlcinj
wat sjertlmente! agradado, sen* r>ewMbs per
alguns com admiraeio peto extraordinar> pro-
gresso que ltimamente tem lido a phoh graphia,
e por ontros com alegra, por verem a provincia
dotada com nm estabelecimenio digno d ella, e in-
eeilesuvelmente o primeiro qae nesse genero
boje passue : tambem nao nos popamos em eoosa
alguma para monta-lo no p em qae se achs, es-
perando que o publico de Pernambieo sebera
apreciar nossos esforfos e recompensar noesos sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pesseas, nacwnaes
estrangeirasquegostamds artel, ot irverism
necessidado de trabalhos de pbotograpnia a visr-
tanm o nosso estabelecimento, que estar sempre
aberto e sua disposieto todos os dias desde as 7
horas-dhmanba> at as' 6 da Urde.
Para es trabalhos de photographia possuimos di-
versas machinas dosmeibores autores (raneles,
inglezes e alltneoiaes, como sejam : Lereboors el
Secretan, Hermagis, Thomaz Ross, Voigtlander et
Sonh awulf. Ulnmanieote recebamos tres novas
machinasi sendo ama dolas pfopria para tomar
sobre o mesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas t
soladas, e ontra de C a 12 imagens diversas e
igualmente soladas, de sorte qne no caso de
grande coneurrenei poderemos retntar sobre
urna nnica chapa at 8 pessoas diversas e sola-
das para cartoes de vinta, e assim em metMO di
u m qnarto de hora despacharmos 8 differenies
pessoas qne pecare cada urna, urna duiia de cartoes
mais ou menos, com os seas retratos smente, ou
em grupo com outras.
Enearregamos-hos exclusivamente da direccao
e feitura dos trablbos do pbotographia dei-
xando pericia e talentos do distincto pintor
allemo, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pidlara, a aquarela, a otee, e a
pastel.
O Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
urna escriptura pnbUca, e at o presente tero se
desvellado na execuea-i de seus trabalhos.
No nosso estabelecimento acham-e expostos on-
tros trabalhos iin|rtanles do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, re: ralos
oleo, qnadros sacros e diversos oatros trabalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de qnadros sacros
para ornamentadlo do igrejas on capeltas. Tam-
bera aceitamos encommendas de qnadros histri-
cos.
Asseguramo3 que os precns dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
cart5es de visita nao coloridos A OjJOO A
DZIA
CARTOES DE VISITA COM 0 C0L0RD0 AO NATO-
nAi.AlCtfOOO aduzia
Retrates em miniatura oleo ou aquarella de
16 20*000 cada nm, inao convenientemente en-
caixilbado em moldura dj)arada e regulando c
basto da pessoa retratada rie 3 4 pollegadas e
todo o qaadro palmo ejneio de tamanho
Julgamos que bstarao os preij')s cima para
darmos dea di baratesa dos trabalhos do nosso
est.iblecimento. quanto sua perfeicao cada um
ven ha jilpar por seas proprios omos.
As memores boras para s tirarem retratos^ no
nosso estabeleciiiuiito sao das 8 horas da manilla
I da tarle; entretanto de urna hora s 5 da tarde
em casos especiaos pie-se tambem retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de chuva, ou por tempo sombro po-
dernos retratar, e asseguramos que esses di.i sao
os mais faVoraveis ans trabtllios de photngraphia
pela docura e persistencia da luz, e p r termos o
nosso lerraeo construido com tai proponjoes e
inelliorameritns, que ainda chovendo jorros ne-
nhum ioconvenlente ha para lazer-se bellos re-
tratos.
J. F- rreira Vilkla.

3eS
=
E' de mai^!
A luga se
o 2a andar do sobrado, da ra dos Martyrios n. 4.
multo fresco e commodo para grande familia:
quem pretender dirija-se ao mesmo sobrado, no
2 andar._______________________________
ATTENC40
Constando que Manoel Joaqui'ii do Alem intenta
alienar todos o;s us bens para subtrahir-se
eseeuco do urna ac.;ao que se est prepjrando e
brevemente eorrer pelo* tribnnaes doste foro, o
abaixo Armado, para acr.atetar mus direitos, pre-
vine que alaem nao contrate sebre n* referidos
bens, at jnlgimento tirnnl. Rocid 2i de julho
de 1870.
Leonardo Antonio do Espirito Snntn Porto.
O primeiro e segundo andar com soto
brado da rea da Cadett to Reeife n. 60, >
"cenles commodos para freHia : sendo
localidade e nroila frewo: tratar no aran
mesmo.
Gabinete Portagbtt
de Leitura.
ASSEMELEA GERAL.
De ordem do Ilim. Sr. presidente conr aos
senhores socios effectfvos nunircm-se em assefo-
bla geral domineo 2i do rigente, as 12 horas do
dia, para, de conformidade com os estatutos, pro-
ceder-se a eleicao do eOflselho deliberativo e com- j
missao de exame e de eontas ; devendo ter lagar |
a sessao urna hora depois de marcada com o gu
mero de senhores socio* que coroparecerem, visa
nao se ier reuni io hoje numero legal.
Os senhores socios qne se acharem atrasad
em suas mensalidades, nao podem votar nem se*
rem votados (art 50 dos estatu is).
Secretaria do conselho deliberativo aos 90 de
julho de 18T0.
Swetario.
______^^^ ________J. R. Fonceca.
O Sr. /oaquiir)ias"de~Aiieftla Costa nao
pode vendf r o sea estahelecimelM de molhados da
ra de Pedro Aonan n. 1, oolr'ort ra da Praia,
sem sawar sua* exilias eo'u e*'!ewcrdbre
Precwa-se de um areto ou um moleque: na
rnaacao da roa larjs do Rosario n. 3.
1
1U1M
i i
11,
At
de ferro nlvam-saHo en rede para efeas, galotas, galliobeiros etc.
ro ttf reftlafM para eobrir casas.
H IrofauSes.
cano. a

triUt.
i barra e verga*a.
aurts.
Ara^atweri alat para ladeira e vanea.
Veneziamas- para j'aneflat.
Machina de deseruca algodo de fasir.
Ditas de srra.
Ditas para coHaViamo.
. Ditas a vapor de" torca de 3 cal
macBnas de algodo.
Cadeiras de ferio.
Camas de ferro.
Prensas para copiar cartas,
llancas para pesar.
i de linhaca em ales de ferro,
los de ferro pera engentaos
Bombas americanas.
Macacos de eslivar.
Balancas e pesos decitnaes e outras.
Fogoes de patente.
BbxdfM.
Salitre.
Estopa larga e de boa qualidade. %
Picaretas para camrnhos d ferro.
Um grande sorumeato de frrateos e entilara.
para 2 eavallos, para mover as
o servio
Ia classe
um irvm
I) i/2 e
Previne se a um idiota bacharel que furtou a
asignatura de seu proprio pai, que prepare-se
para responder perante os tribunaes pelo crime
que commettea.j qae indigno di generosa com-
miseraQo de seus rmaos. Previna-se e llqae
convicto qae a sua hypocrisia infame cahir para
sempre e o publico flear couhecendo um simula-
do reo de polica I
O Elmano indignado.
Cirvalho & Noguira ignorando a mo-
rada do Sr. Jos Pereira Cardozo, pedeuv
Ihe o fator de apparecer na na do Apollo
n., poismuito Ihe desejam fallar ou iudicar-
Ibes a sua residencia.
O abaixo asignado, penhorad.j pelo bom ac-
colhimento que receben do distincto publico per-
nambucano, especi lmente aos seas amigos com
panheiros d'arte, que o ajudaram na exhibido de
-eu beneci >, prevalece-se deste meio para per-
petuar mais a sna gratido para com os mesmos
senhores, alo podndo dcixar de declarar os no-
mes dos eavalheiros que concorreram para o bri-
Ihantsmo do meu concert, os quaes sao os Ilim?.
Sr?. Claudio Idehurqne Carneiro Leal, Jos Coelho
Barbosa, Franeelino de Monra Pessoa, Salusliano
Tenorio, Antonio Martins Vianna, Emanael Casal-
bore e o muilo digno prpprteurk) do thealro Sima
Antonio o Sr Antonio Jos Daarte Coimbra. A
tudo* geralmente off.Teijo o mea limitadisaian
prestimo em quilquer parle onde a sorte me levar.
Joaquim Francisco Vieira.
SENTINELLA ALEKTA !
Pede-se ao Sr. S N J. por alcnnha o Celebre
Tabula, que queira ter a b.mdade e -- se enV'l-
ver com o seu negocio, e nao andar tallando da
repjitacao dos ouiros, como tem por rstame es-
tar na portada leja com m seos eelebres amigos
e capangas. Pois se o mea amigo tem dinheiro
em quantidaile como arrota o gnard>, eanw cin-
co vezes mais qne os ontros, tome cuidado Com
as suas valentas que o tem feivi um segundo D
Queichote. Lembre-se, valenta i Tabula, que nes
la provincia temos boas velas de buranhem, e que
depois dellas applieadas nem Santa ^ntoninho
te vale.
S"U amigo Ratinlio.
COMPANHIA
DOS ^^
TRILHOS MBMOS
DO
aECIFE A* OliIMDAe
Abertura previsoria.
Por instrucco s da dh-ec otia da compa-
nhia em cooseqoeocia da autorisa"c3o do
Exm. vice-presidenie da provincia, sobre
petiefio de diversos moradores da estrada
de Belm e Paulino Cmara, abrase provi-
soriamente para passageirios de 1* classe no
dia 24 do con ente, devend partiros trens
provisorios ras horas que t > annunciadas
em ootro logar.
Sendo essa abertura apenas provisoria,
pede-se ao respeitavul publico e as pessoas
entendidas toda indiligencia para qaalqner
falla, que por ven'unr encontrar no servi-
co, visto como s aberio o trafego, por
havel-o pedido diversos moradores das es-
tradas qae tem de ser percorridas pelos di-
tos trens.
0 supreintendente.
A. de Abren Porto.
Aviso.
No dia 24 do corrente comeca
provisorio para uissatfeiros de
p-irlindo da ra de Santa I ssbel
as G, 7 1/2 e 9 da maubia e s 4,
7 da tarde dos dias de servico, e voltahdo
do Olinda as mesmas boras, quer da ma-
nlia gaer ''a tarde encontrarem-se na es-
lacSo da eticruzilhada. Nos domingos e
dias sanctificados saem oi trens desta ca-
pital s 6, 7 1/2 e 9 da maulla* e i i/2, 3,
4 1/2, 6 e 7 1/4 <:a tarde devendo voltar
de Olinda s7 1/2. 9 e 10 1/4 da manbSa
e 3, 4 1/2, Be/ l/i>i tarde,
Pede-se aos Srs. pas.ageiros que se mu-
nam de biihetes antes de entrarem para os
trens, e para isso acham-se elles venda
nao s na rna-de Santa Isabel, de onde par-
te o trem. como em Olind-i. Encurzilbada.
Arromb^dos, e mais estaces intermedia-
rias.
Pede-se aos Srs. passageiros o favor de"
apresentar ao desembarcrem dos trens a
melado do billiete inntiiisado sera n qne
Dio podar ser permitiida a sabida da es-
lacio.
A de Abrcu Porto.
Sopri-ntendente.
P.-evine-so ao rr-spL-itavi'l publico, qne a en-
trada iiira a e-laca> ( p<*lo lato da ra em frente
ponte de Sama Isabel, e que i venda dos ailhe-
los pelo lado da na da Aurora, onde ineia hora
antes da punida du> in-us. esttrau venda os re-
feidos|bilhetes ; sem o que nao llavera ingresso
nos wagons.
O superintendento
A. dr Airtu P Wo.
Pede-se ao digno superintendente dos trunos
urbanos de Oiinda que faca voltar daqueila cida
de, nos das saaiillcadO, o ultinto trem as dez ho-
ras da noute.
Muitus pas-ageiros.
AVISO

Aovo Alheen.
O abaixo assigando faz ver ao publico qne An-
tomo de S Leitjb no pode fazer venda da eseja-
va Damiana e sens Olhos por Ihe nao perteneer, a
qual acha-se em casa do corretor Souzi, e qaal-
qner negocio que o mesmo faca liear sem elleito.
Racifo 22 de julho de 1870.
Adolpho de S Leitao. __
"WpbOco"
0 abaixo a msica atienda, enejada ha pouco da capital do
Imperio e da Babia, tem ;\ honra da panecipar ao
respeitavel publico desta cidade, que se propoe
a dar concertas em todos o* theatros, bailes, festas
de igreja etc. E pode ser proearado para este
Ihn oa ra do Pilar n. 2.
______C. Reppelinann._______
__Aluga-e on vende sa u sobrado n. 21 sito
ra de S. Padro Martyr de Olinda : a tratar na ra
do Imperalor n. 5, 3* andar.
, EESIA MACARRNICA.
Pamphleto'p'utico de qae na edrte venderam se
D'JZ MIL BXEMPLARE)
EM
V1XTE EQATRO HORAS
Rs.-00.
Livr;iria franceza.
-8
S
.i un
EPISODIOS A VIDA INTERNA
do ex-dictador c do sua favorita, com o retrato de
LPEZ.
i vol. 8o brochado.
R,-H800.
Livraria franceza.
HOMiM U8 MULLO
E3CRIPT0S HtTORICOS E LCiTERARIOS
l> A Con-tituia;e perante a historia.
2 30 de julho de 183*.
3' Diversos.
1 volume 8o brochado.
Rs.3*000.
LIVRARIA FlUCEZA.
Sessc extraordinaria no da 21 do corrente as
10 horas da manhaa, convocada de ordem do Sr.
presidente da socedade.
ORDEM DO DU.
2* discussae di plano do jornel, e eleicao dos
cargos vagos.
Secretaria do Novo Atheneu 21 de julho de
1870.
Bellarmino Carneiro,
Io secretario.
PEDIDO
A' todas as pessoas que por emprestimo teem
levado livros de dlreitb e obras de litteratur.i do
escriptorio de Alcof irado & Innlo-, roRa-se o e?iie-
cial f ivor de v mandtrem trazer, vi>to como sao
elles de palpitante e absoluta necessidade.
Precis -e
nlugar um moleque de 16 a 18 anuos para servico
interno do Staminet, paga-se bem : ra do Impe-
rador n. 32.
Precisa-sede um poqueno que tenha estado
en molhados : para mformacoes na ra da Cruz
d. 16
__________________________________
Irmandade
das almas do Corpo Saoto.
Em nome da mesa regadora convido a todos os
nossos charissimos irmaos se reunirem no con
sistono da irmandade na segunda -feira 25 do cor-
rente moz, as 5 horas da urde, para em mesa ge-
ral deliberaran sobre negeeio que affecta o patri -
monio da irmandade.
Quem precisar de urna portugueza que en-
gomis e coziuba, dirija-se a ra do Mondego nu-
mero U_________________
Preeisa-se de um tanoeiro para remontar
urna destillacao e fabricar furuos de madeira em
nmerjetlh'd do Agua Pma, perto da via-f-rrea :
a' eateinder* com-o Sr. Bernardino Pootuat. em
seu escriptorio, na raa da Senzala Nova u. 38.
Engomma e ra
Preeisa-se aiugar urna e crava que entenda al-
guma cousa de engommar ; na tinturara france-
za, ra da Imieratriz a. 55.
Em casa de THEOUR CllRISTI^
VNSEN, ra da Cruz n. i8, enrontrara-aje
iflectivamente todas as qualidaik-s e viab*
tordeaux, Bonrgo^ae edo Rheoo._______
Na praga da Independencia n. 03 ^e oa da
iheiro sobre ponhores de ouro, praia e pedrasr
oreciosas, seja qual for a quantia ; e na luesma,
:asa se compra e veide objectos de ouro e praia,
i igualmente se faz toda e qualquer obra de ea-
:ommenda, e lodo e qualquer concert tendente
i mesma arte.
Caadiclros. e gaz ecoataanalca
Acaba de etiegar nova reioeasa desses tio
desejados candieiros em porcelana, bran-
cos e de cores, os quaes motto se rocera
mendam pela seg ranea asseio e economa,
e anda pela excellemo luz preferivel mil ve-
zes ao kerosene. Venham antes qoe sa
acabem.
nico deposito na ra larga do Rosario
q-34, phatmacia de Bartbolomeo de C.
\SSUCAK DE OXIDO DE FERRO DE
CHANTE AUD,
SEGREDO ECONOMA 15 CELERIDABE1
obtm se com o uso da
0 assucar ferruginoso de Chanteaad
obtido pela associago do oxido de ferro
inteiramente soluvel com o assucar cuida-
dosamente parificado. Este assacar de
urna bella appareocia ri ysialiua, lera o sim-
ples gosto mu agraddvl do assucar. sea
o menor sabor adstivgente, nao- ten ac-
f5o irritante sobre a- mucosa do estamago
e intestioos, e rbidamente absorvo pekv
appareMm digestivo sam causar a
res do venlre.
IMS
Este importante estabelecimento no sea genero, tem sempre um sertimento sem igual
e vende por presos que nenhuma outra casa pode vender.
Rosario.
I
vista da qualidade e do prepo das jolas cada um poer-se-ba eonvenoer da verdade.
Oarante-se ser tudo de lei. Compra-se ouro, prata e psitas finas por pre?os multo ele-
A' toja es atarla (# f \mm fc mi*. J. \*_
da na largado
Eosario.
at&

4
Divio
de
Peruambuco
Sabbado 23 de Julho de 187Q
\
M. EIMERJl.Dil
*C
%
i
o
03
2
7
"o
-O
o
es
es
Sh
fe
endji
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'nma
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atien-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, qne
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Enropa- eujos prepos sao em competiveis e as obras garantidas
de lei.
MOREIRA 1ECARTB C.________________
MFINA IT
PHARMACIA GEHTRAL
Ru dd Imperador n. 38
Xjropede ia^caiia.d'Aobergier,
thery decio d'Abbadie recommendados,
como calmantes para os casos, em que se
nao pode osar* do opio' evde seus^prepara
dos, e mu convenientes para as criancas
nos espasmos e eonvu
L RA DO
DOR.38.
Preparados d'a'.catrSo em capsulas, Kcor,
e xarope ferruginoso.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IM
DORN. 3&
Pillas de Vallet.
Pillas de Dlancard.
Plalas de Bland.
Xarope furruginoso de Blancard.
Coofeites de lactatp de ferro.
Pilulas de carbonato de ferro, lactado de
ferro, iodureto de ferro com magnezia.
Ferro de Quevenne.
Assocar ferruginoso.
!S*aB3MBffit2Ea3BB3J
tu

G.-Q & o
*.*! !
65
"5 S n B ;
B> B5 3 tH "O o
Sls|s|||I.
w 2 65 -1 fl"
s 3 s
58??

O W
: CJ
1*
o
&S
O 65
O.
O
S" *-* 3
D O O M S, i-
3.0 5 3 _.
Bao*- o a
JIl
a = ce o
"9 o O o
5 o o t.
?o
o
C-T-
I
<3>
O
O
,?*
O
CD
t

s
p
p-
o


n>
o d'
^
ff8
5 g S 2
3 i S -
05 3 ~ =
. o o co o
^ r rs 2 o a
_ .8
- 3"" d t r
'*' s si u a B
ES.
0
O

o
t
O
t
g*
P-
I
e
H
0
O
2.
C5


'Cu


t
?-4

i



Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio V.eira de Mello, es-
crivio na cidade dNazaretti des proviieia, o
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a rondir
aquello negocio qne V. S. se corapromeileu reali-
sar, pela terceira chamada desle jornal, era fins
de derembro prximo passado, e depois para Ja-
neiro, passou a fevereiro e abril, e naa enmprio,
I e por este motivo de novo chamado para dito
fun ; pois V. S. se deve lembrar qne este negocio
de mais de oito anuos, e quando o senhor s*o,
filho se achava no estado nesta cidade.

Criada
Precija-se de um criada Iivre oti escrava,
qne saiba bem eegommar e tratar do servlco in-
terno de ama
Mangninho,
ao eaes d'alfi
so bem.
SB
fu)iiii : a traur no
Sd Cvpinteiros, ou
escripl
1
PR1ME1R0 E ANTIGO CONSULTORIO
HOMEOPATHICO
FUNDADO PELO DR. SABINO
HOJE DIRIGIDO
PELO
DR. SANTOS MELLO.
43Roa Nova n^-43
O Dr. Santos Mello de volta da Baha
contina a ser encontrado todos os das
das 40 horas ao meio dia para consultas..
Chamados a qaalquer hora do da ou
da nonte. ,.
Grati -tps Aobre^.
|3#-Rna Rota
n.43.
TINTA PARA IMPRESSOES.
Nusti typograrii-1 ha um gande deposita de ta
pr %[) graJiia, fabricada na Inglaterra, de quaidade
si e que i etalhada em barris. de '< O a 100 libras
por i i eco commedo.
MARTIMOS
COITRAFOGO.
Companhia Indemnisadora, sstabelecida
testa praca, toma seguros martimos gob.t
ia\io8 e seus carregamentos e contra foge
jm edificios, mercadorias e mobilias: t
oa do Vigarion. 4, pavimento ter eo.
DESEJA-SE
Empregarum homem porluguez de meia idade,
nao escolhe arrun a^-ao, e tem muita pratica de
negocio, tanto para esta cidade como para fra
del la;.- a tratar na ra Nova n. 38:
ATTENCAO
Precisa ae de urna i.ulher estrangeira que saiba
engominar.e para o servido intrno de urna ca
igleza de pouca familia : a tratar na ra oa Cruz
n. 38, armazem._____________________________
Urna pessoa que tem todas as habilitados*
precisas nffcrece-se para administrar qualquer ea-
geiihn, anda mesmo sendo para ferada provincias
quera precisar annunrie pira ser procurado.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Vinbo e xarope de pepsina e jdiarthare,
excellente tnico para auxiliar as digesloes
difDceia nos casos de debilidade do esto-
mago.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua hemostlialica de Lecbelle, mui re-
commendada em qualquer caso de hemor-
rhagia, e principalmente na thysica pulmo-
nar, e as hemorrhagias uterinas.
PHARMACIA dentral ra do LMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binado do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas.
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cachloroso.
O vinho iodado de joly, e oleo iodado de.
Personne, s3o recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pbarnia-
cia.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
nilha, salepoararuia, ferro, e de sade, da
acreditada olcina de Menir.
Sabonetes d'alcatrlo, d'acido pbenico, en-
xofre e camphora recommendados para as
molestias de pel. como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita uiili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettei-a.
mhH
The Liverpool & Lon-
don & Globe Insu-
rance Cbmpany.
Companhia ingleza de seguros contra-fogo,
stabelecida era 1839.
Capital e fun fos Se reserva
18. 3..lH:5SO#
Os agentes desta companhia toraam seguros so-
bre propnedades, gneros e fazendas armazenadas,
mobilias, etc., etc., e estay igualmente autorisados
a saldarem a^ui quaesquer reclamagoes.
Sannders Brothers & C,
Praca do Corpo SaDto n. II.
1LLEIREIR0 FRANCE2
51Ra da Cadeia do Recife51
Chama a attenc5o dos seus innmeros reguezes, e do respeitavel publico ei
.feral, para a segrate tabella dos precos de sua casa, os quaes sao vinte por cent
mais barato do que em outra qualquer parte:
Cabelleras para senhoras a 25*5, Cadeias para relogio a 55, 6)>,
301,335 e......40OOO; 7/1,8,5, 9,5, 120 e. .
Ditas para hornera a 35)9, 405 e 50*5000'
; Corte de cabello,.....
50,51000 Corte de cabello com friccio. ,
aofi,
Coques a 2&, 155, I8#,
25^, 303 e .....
Crescentes a l?4,13,?, 18^, 200,
25;$, 306 e.....
Cachos ou crespos a 35, 45, 55,
65, 75, 85, 95 e. .
Tranca de cabello para annel
500 e.......
Tranca para braceletes a 105,
155, 205, 25 e.....
15500
5(X
501
325000 Crte de cabello com lavagem a
champou......
10A0OO crte de caDe,locom linraez da
cabeca pela machina electri-
15000 ca' QQ-ca em Pernambuco. .
1500
15001
504
251
Frisado ingleza ou franceza.
305000 Barba. ........
ASIGNATURAS MENSAES
Especialidade de penteados para casamento
Bailes e solres
O dono do estabelecimento previne s Recommenda-se a superior TINTURA JA
Exraas. Sras. e aos cavalheiros que ha um PONEZA para enegrecr os cabellos e bal
alio para tintura dos cabellos e barba, as- *> ni^ admittida na ExposicSo Universal
r como nSo prejudicial a saude, por ser vo
un como um empregado smnte oceupa- latl analysada e approvada pelas acade1
do nesse servico. mas de ciencias de PARS E LONDRES
CASA CAUVIN a. MARIBIER
No armaiem Novo Mundo, eu, fre>to a ra do
Vigario n. 2, vende-se rap das seguinles qualM-'
des e vinho?, por todos os vapores, sendo a reta-
Ibo e em grosso, a saber:
Rap G-sse-grosso.
Rap Ga;se-(lno.
Rap Paulo Cordeiro.
Rap princeza da Baha meio-grosso.
Rap princeza da Baha fino.
Rap popular da Baha.
Precisa-se anda de um criad t, na ra do
Imperadar n. 57, 2o andar, entrada pela ponte 7
de setemhro. ___________^_______
Precisa-se de una ama para comprar e co-
zinhar, que tenha bea conducta : na ra da Prain
n. 13 c 15 _____________________
Precisa-se de una ama para servico interno
de ca^a de pequea familia : na ra do Amorim
n. 3o. 2o andar.
Ama
Precisa-se de urna ama para cozinhar, escrava
ou lorra : na ra Direita n. 26, 1 andar.
.'_,"X3HSBBBBBB
Alheiro, Olivera & C. agradecen) ? pessoas que
se dignaram acompanhar ao cemiterio publico es
restos mortaes de seu prezado amigo Antonio de
Azevedo Ramos, e aos n:esmos seus amigos os
convidim para assistirem a urna missa que tem
de se mandar dizer por alma do seu dito amigo,
sabbado 23 do correte, na matriz da Boa-vista,
pelas 7 horas da manhaa, por cuja caridade Ibes
ficam eternamente gratos.
Pharmaceutico privilegiado
sucoeasor
Sebastopol, BO FARI8.
Boulevard
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
ApresenUdas i Academia de Soiencias e ao InstHoto < Franca,
III ICPPAfl Sob forma de |,JS1'11*- devedida e doseada para
llCutllinU fJSer de momento orna ulaecto
Prereativa < curativa daa MOLESTIAS COITACIMAS
IWT0R-POILTR0
do voluuie l'HILTRO e SERINGA seai oa
gra InctBTtiltnUa 4* frafUMaaV
CG^ft Ir'NO &>m a forma, e de roame de ura Porte-Moedi
LOlUJUO COTBNBO TODO IRATMENTO.
COLLYBIO Contra as affeccois das palpebras,
preparado sob a nesma forma.
BARTHOLOHEO C
CASA CAUVIN "S
Depositarios geral para e IHIASIL. e PtMRTUGAL
34, ra larga do Rosario. PERNAMBTJOO.
Phar-macouUco privilegiado
8UCCCBSOT 0
Houlevard Sebastopol, 55. PARS.
NOVAS ESPECIALIDADES A. MARINIER
Apreaeattias a Audeaiia de Seienciat e m lirMltiie de Ptaiea.
lliJtllUAU momento uia>oluccJo FBIVMT1TA S C
MOLESTIAS CONTGIOSAS
Sob a forma de Pastilla, devedida e doseada para fiser de
" "OIaTIVA das
Na ra doQueimadu n. 12, 1" andar, preci-
sa-se de urna ama que cozinhe e faca as compras.
OSA DA F0RT1
Aos 8:000$
Bilhees garantidos.
i ra Primeiro de Marco outr'ora do Cres-
po n. 23 e casas do costme.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 2* parte das loteras beneficio da.San-
ta Casa de Misericordia (154*), que se eitrahi
no primeiro dia depois da saluda d) paqnete in-
glez que se espera da Europa.
PRECOS.
Biluete inteiro lOjOOO
Meio biibete 5*000
Quinto 2*000
Em porcao de 100*000 para cima.
Biibete inteiro 9*000
Meio bilhete 4*500
Quinto 1*800
Manoel Martins Fiuia.
1:500^000 de aluguel
Offerece se a quem tiver para alugar um arma-
zem que sirva para vender fazendas em groco :
para informacoes e traur na ra do Commercio
D.46.
PHARMACIA CENTRAL ROA DO IMPERA
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para crianzas,
Pastilhas de sanctonina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifug .
Tudo de melhor qualid do.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variadissimo sortimento de fundas de
excellente qualidade.
FARMACIA CESTR\L
Rica do I supe; ador u. 38.
Lamploufjbs Pyretic Saline.
A preparation of vell known utclity to the En-
glish Facully, as a cooling and refreshing beverage
in all cases'of fever. The frequent ase'cf *>is sa
line preserves foreigners from many fj(st;..*es to
which lliey are leable before becoming acclima-
ti>ed. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
DO
IMPERAD
PHARMACIA CENTRAL RA
N. 38.
Pastilhas de balsamo de tol e de seiva
de pinho maritimo, para as affeccSes chro-
nicas dos pulmoes.
Pasiilbas de therydocio e louro cerejo
para as losses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affeccao nervosa.
Pastilhas de bypophospheto de cal moi
uteis na thysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e ce Regnault,
de hortela, piment?, e de Viccley, de pe-
cacuanha e de Rermes.
PEDIDO
WECTOR-PHILIO
Gravea
do volumi: ... um elogio, servindo
de Pbiltso e Seringa sen os
inconvenientes ulUciade.
C.O I \JJ\JO TDO TRATAMENTO.
?LLYIllO Contra as affeccoj uai palpebras, preparado aob a mesma Ibnna.
Depositarios goal para o BRASIL, e PttKTUCAJL
3^, ra larga do Rotarlo. PERHAaCB'C
ARTH0L0IE04C
Pede-se aos senhores abaixo declarados que se
dignem vir ra Nova n. 46, loja de fazendas,
am de tratar de ultimar o negocio que nao ig-
noran) :
Joao Hypolito de Meira Lima.
Joan Francisco Hemeterio Portilla.
Joao Francisco Paes Brrelo
Jos Egidio Ferreira.
Jos Patricio de Cistro.
Jos Vieira de Olivera Maciel.
Jos Joaquina de Aguiar.
Joaqum Estoves Vianna.
Antonio Cordeiro de Mello.
Manoel Candido Pereira de Lyra.
AJuga-se o acmaaem to casa n. 14 da ra
Direita : a tratar oa mesma rna n. 24.-padaria.
50^000.
Portaran) do da o a 6 do crreme do engenhc
Giqui, freguezia da Escada ura carallo xqsso,
grande, castrado, serradu de baixo, cauda apa
rada, clinaAMB* e^;a pelada por ter Aid*
^ gordo, anda a pago e galope,
lii ftt i ap fanaTir dy'"~
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excellente
laxativo, e reSgorante, que se pode usar
repetidas vez-s sem irritar os intestinos.
IB
XAROPE HYPNOTICO DE CHLORAL.
Ochloral um agente iherapeutico recn-
tenteme experimentado, mas cujos benefi-
cios vio sendo largamente aproveitados pe-
los praticos em quasi todas as affecces ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, tile
sempre empregado com vantagem nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
insomnta, em que elle proJuz um somno
calmo e profundo.
Elle recommendado as clicas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laboriosos, na
clampria, as queimaduras extensas, nos
accessos agudos de gotta, na astbma, na
tosse convulsa, e em muitos outros casos,
DOSE. Das a oito colberes de sopa
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Encontra-se na Pbarmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VINHO DD QUININNO DE LABARRAQUE
Poderoso tdtaico hoje tao aconselhado nos
gozos de, debilidade geral, e mui usado
como antifebril.
PrlARHACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
lT 1ILM1
Venderse labelas.corapararattvas de pre-
cos de metros covados e vice-versa, mos-
trando -r primafacie o valor de qualquer
fazenda, em relacSo s mencionadas medi-
das reciprocameote : em casa de Lailachar
C, ra do Crespn. 9.
TINTURARA franceza
55-Rua daImpeiatiiz-55
Tinge, lava, limpa, lustra e achamalo- 8
ata-se, com a maior perfeicao, fazendas em
pecas e em obras de todas as qualdades; l
| como sejam : seda, laa, a'godao, linho, ^
chapeos de feluo c de pal ha etc. etc. mi
Tira-se noloas e limpa-se a seccosem 8B
m moihar os tecidos, conservando assira to- g|
a do o brilho da fazesida. B
Tintura preta as lerdas e sextas fei- g
WWMWMW SSMttS
Arui;;/eii
Piecisa-se alagar um armazem as seguintes
ras : Commeriie-, Cruz, tiadeia : a tratar na ra
do Commereio n. 46.
Ele um preventito seguro e certo c ontr
Ela calvice,
e d e restaura forca e sanidade pelle
Elle de prompto iazcessaraqBeda prema-
tura dos cabellos.
Elle d grande riqueza de lustro aos ca-
bellos, | i
Elle doma e faz preserva* ol cabellos em
qualquer forma e ppsicSo que se deseje
n'um estado formoso, liso e macio,
Ele fazerescer bs cabellos bastos e com-
, pridos,
.Elle conserva ajwej.0casco da cabeca
limpo e livr*rle'"wfja,a:-trt)ecie de caspa,
Elle previne os cabellos de se tornaren!
brancos,
Elle conserva a cabeca n'um estado de fsa
cura-refrigerante e agradavel,
Elle n3o demaziadamente oleoso, gordo-
rento ou pegadico,
Elle nSo deixa o melor chteiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
para a boa conservado e arranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabeUof e barbas dos senho-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con-
siderar como completo sem o
0 CABELLO.
Tnico Oriental
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea-
Acha-se a venda nos estabelecimento* de
A. Caors, I. da C. Bravo C. P. Maurer
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu 4 C, e em
todas as principaes lujas de perfumara
e boticas.
Frecisa-so de uma escrava que saiba eoaj-
i.liar e fitzer compras : a tratar na na da Cadeia
do Recife n. 1.
Na Iravessa da rea
das Ciros n, 2,
Rieiro andar, da-se
niiclro sobre penhores
de ooro, prata e brilhan-
tes, seja qaal for aqaan-
ta. Na mesma casa com-
pram-se os mesmos me-
taes e pedras.

Hu


CABELLEIREIRO
Faz scienlo ao respeitavel publico desta cida'do e
com especalidade as Exmas. Sras. que se acba
prvido dos mais elegantes penteados, como se-
jam : coques de tranca de cabollo e imitacao eax-
pin, caixos de tolos os comprimento?, frituras
para adornar a frente, tintura para tornar os ca-
bemos braacos pretos, taimem recebe cabellos de
obras antiga* para pdr moda ou a vontaile de
en dno ; offerece-c para ir ei|i casa? pancula-
res lomar qualquer encommsnla, garantndo a
quem se ulilisar de seus serviros serem servidos
com perfeicao, e razoaveis prec/js : na ra de San-
io Amaro n. A cora frente pera o olao do Bezar
da Moda.___________________________________
Um homem solteiro te efferece para criado
de alguma rasa 01 felor de alcam sitio : quem
pretender dirija-se rna das Flores n. 14.______
G'zinheiro e l-vadeira.
No Cfillegio da Cdnceigo precsa--e alngar um
cozinheiro e uma lavadeira, iorros ou escravoe.
Aluga-se uma excellente casa' terrea em
Olinda, na rna de Mathias Ferreira : a tratar em
Olinda com o Sr. Luiz Antouio Goncilves Peona,
ou na ra do murim n. 37.

t-sa
B
I
m
XAROPE PElTnitAL DE RABO DE
TAT'
C0NTR.\ A TOSSE
PLANTA DO BRASIL.
Precisa-se fallar cora o Sr. Jos de Barros
Accioly a negocio de seu interesse : na praca do
Corpo Santo n. 17, Io andar.
HOMEOPATA AI
k 0 Dr. Casanova pode ser procurado a sj
M qaalquer liara em seu consullorij espe- Wk
gg cial homeopnthico, no largo d matriz de 9S
?S Santo Antonio n. .Neste consultorio S;
S2 tm sempre sortim. ritos dos acreditados tg}
g| medicamentos Je hoincopathia de W'eber UfA
S & Catellan em tinturas, e em glbulos, e Js
& tudo quanto necessario para as pet&oas Si
CK que soguera este systema. H
ss Os pobres forara sen; pro e contranam ^
(JS a ser tratados gratuitamente.
Furtaram do engenho Muribequinha no dia
de S. Pedro, 29 de jnnho do carrete anno, um
quarto ruco de vermclho, grande, seccoo corpo,
carnudo, aiuda novo, inteiro, com duas feridas de
cangalna as costellas, a pontinha da orelha es-
querda aparada por dente de ontr cavallo, com
marca de raladura as juntas das olios, e o ferro
MC mal queimado em ambas ss pernas: quem
souber noticia delle dirija- dito, a tratar com Manoel Cameiro Leao, que ser
recompensado.
PAUL CHAUVIN
Meebanico conhecido ha 10 annos nesta cidade,
partecipa ao publico que lendo dissolvido amiga-
velmnte a soejedade que tmlia com o $eu cunlia-
do Carlos Pluyn contina a se adiar a sua dispo-
sicao para o que diz respeito a abertura de bur-
ras, machinas de costaras, armas, fechaduras, col-
locarlo de campanbinhas e tudo qualquer concer-
t : praya do Cunde d'Eu n. 2i, out"ori da Boa-
Vista.
--
Este xarope, de wbor muito agradavel,
empregado com constantes resultados
contra as to-ses antigs on recentes, ca-
tarrluis, bronchite chronica hemoptse,
coqueluche, suffocaclo, e em geral con-
tra mdos os padecimrntos raosados por
irrilarao das vas respiratorias. O seu
oso eonvm igualmente para aliviar os
Sdffrnientos causados pela plilisica.
Unieo ilepusito, pdatmacia do jnaqnim
de Al-ne da Pinto, rna larga do Rosara
n. 10, junto ao quartel de polica.
Creado.
Precisa-se' de ura creavo fiel, de muito bons
costumos, e qtie d fiador sua conducta : diri-
ja-se rna Bella n. 37, sobrado de- 2 andaros.
ENGENHEIRO
Cora futid iqao.
A RA DO BRUM N.' 5.
Passano o chafriz
Machinas vapor syslema memorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros muitos objeclos pruprios d'agri-
cultura.
Tudo por preco muito redtizido.______
a aug*r urna escrava para cozinhar
e eogomm'ar : na ra do Crespo n. 93.
sangue
a 4
tgue. bem t
Precisa-se de ua ama de leite sem filho, e pa-
' Conquista (flnlfdtr) dii
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito.
siaisa parrllha
Cura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tros.
Tonteo
Conserva e limpa os cabellos.
Pilulas cattartlcas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cura e-
zoes, curam e puriQcam -todo o systema humano
Vende-se effectivamente era casa ae Samuel Ft
hnston A C, ra da Sanzalla Nova n. 42.______
Aluga-se nina preta escrava boa cozinheira:
a tratar na ra Duque de Caxias n. 11, antigado
Queimado, loja de fazendas.
Ama de leite
Ha urgente neces'idade de uma ama de leite'
sem filho : na ra do Passo da Patria) (antigatra-
veflsa do Moaleiro) ao Um da ra do Mrquez do
Herval, casa com 2 por oes de ferro n. 18
luga-se a padaria atlwf a es Sao Amaro,
bem montada e afreguezada, com Casa junio para
grande familia, com agua e gaz par conaai
quem quizer dirija-se a mesma, Ra ra do
os. 2 e 4.
P.ecisa-se de uma ama para cosinbar,
para casa de pouca familia, ra de Haras
, 30 sobrado.
0 CiKIiBtilAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientificar ao respeila-
vei publico e.-a geral, e aos seus cliente
em particular que elle mudou o seu gabi*
netede consultas.da ra Direita n. 12 para
a do Queimado n. 31 primeiro andar, com
a entrada pel pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profissifo, todos os dias utis das 9 horas
da manhaa s 3 da tarde.
Tambem previne, que continua a prestar-
se a vontade dos clientes nlo so na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas sero precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeicao de
seus trabalbos, o que j bem conhecido,
assim como as coraraodidades dos precos.
Alnga-se o soto do sobrado da ra"de Hor
tas o. 48 : trata-se no andar________________
Vendas on permutas
- Vende-se a propriedade Gnararapes no Ro-
Grande do Norte, com trras casa? e armaxeus
de um e outro lado do rio, lugar berr. conhecido
pela sua importancia commercial, cujo porto ofle-
rece muita facilidade para embarque e desembar-
que de gneros.
Igualmente se vende o engenho Jnndihaliy (n*
mesraa provincia) moente e correte, com craeo-
leguas do trra? s virgens,
bois, besta e alambique ( ou soawn
com' as trras que convier ao comprador). &>
oropriedades vendem-se por baratissimos presos,
a ?to s permutara por engeshos nesta pro-
vineia. Parahyba a .AlagOaM V casas n
"is raesmas: traUr cera o proprietlri
.^abncio Gomes Pedroa ra da Ca]
*oy "O "'" os ims procuradores no Rio-Gt|
de do fferte _______________'
_ Rntiisa-se de urna ama par .raeoramar e
r^tof paraiWt ......'' 'MI''
Nova>J3D. 8.
1


Diano e P*flatit> fckbWo t l Julo eW*(l.
i /

Precisa-se de urna boa cotmbeira para casa
eftraogoira : a tratar-u a rua.d* lrapiob*-
r, on na Casa' "Fofte, sitio Da Campia.
-r Precisa-mi de urna ana para aetvico *0 oa-
sa: Miravessa da-tnairftde Sabio \Dtonio nu-
mero 10.
- -------
Ene conboeide eetabekeimento acha-s, cwtaiiiamcnie bem sonido, ero vistude ttas
actunaa (jue recebe por todos os vapor, e navios funcezes, dos artigos aaaixo menciona-
dos, presos 03 mais resumidos que posaivel.
CAJL^AOO JFRJL*CJEZ
Botinas para eatsoras e meninas.
otiaas pretas, brancas e de ruas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo os-
to da oda, e precos mais baratos do que em outras parte?.
Botuas para bwoeu e menino.
otiofls de bizerro, cordavo, lustro e pellica, das melhores fabricas e escolhidae.
lilas e pernearas russianas.
Bulas e peraeras para mantaria, das melhores qualidades, de couro da Russia, los-.,,
tro e bizerro. .
Zapatos de barracha para humeas e enMaras
'Tetido chegade grande porfo de s apatas de borracha vndese peto costo abra di]
desempatar o dinheiro nelles entregado, sao^araiifsimoV
Manatos de (astro para horneas.
Spalos de entrada baixa de couro de lu>iro com salw, de mirto Btra'qnaliaauc.
IbotLaado para atenaos e meninas
Sapatos abotinados de diferentes modelos, de inuio boas qualidades e fortes, tacto
para toeniGos como para meninas, muito baratos. ,
sapatea de tpete.
'Sapatos de tapete aveludado, de easeroira, de eltarlote e de -trtDQa trnceles e por-
tugueses para homene, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Excellentes extractes, banhas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, de*-
triflee,. de toilette, sabonetes, tintura para cabellos, pomada angroiso ipara bigodes, pos ae
arroz ete.,*tado isto de primeira qualidade, dos afamados fabricantes, -Cendray, Fiver e ludio.
AHA
Prtctoa-se de orna ama para servido de dontro
e fra do casa de pouca familia, pretere-s escra-
va e pasa-sebern agradando: n ra Velha no-
mero^
- ,De6eja-M. (aliar cora'o Sr. Clemenlino Per-
reir Gomes negocio de beu interesse : roa do
Commereio n. 7. .
Precisase de urna ama para comprar e co-
zinhar para urna casa de pooca familia : na ra
Imperial o. eafea 'coro porfi de ferro M
Jado. '
i i ii i i mi i i i

Na laja da VEKDAflE coatjnqa-se a veo-
er nor baratsimo* preso' tolos os rfi-
gQs de miudezas e perfumaras do seo
grande e variado sor time alo, garau lindo aos
compradores toda.a sinceridade
Lindas booecas de cera e massapor ba-
rassimo preto.
Espinos dourados para pendurar a
160 rs.
Agulhas de osso para crox a 200- rs.
Peales fiaos para segurar cabello, a
320 rs.
Charaias para gaz.a 320 rs.
Garrafa com tinta a liza rie a 4<50OO.
DiU com agua florida a 1500.
Dita cora dita dita a l0t0.
Tnico de Jayme a i ?500 o frasco.
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 eompra-se ooro, prata
podras preciosas por precos mais vantajosos do
roe era outra qualqnet'parte, jj_______
0ompram-se
Moedas de ouro e de prata de todas as nacoes : oa
roa da Cadeia do Recife n. 38, Inja de azulejo,
Compra-se orna casa terrea boa, situada em
Santo Antonio on Boa-vista : na roa da Florenti-
na o. 6.
Quinquilharias
Lavas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, esppllios para sallas, osarlos e ga-
binetes, laucados de diversos tamanhos, leques para sonhoras e para meninas, abridores
de luvas, -brincos, pulsearas, boioes, correte e chaves de rol ROS e tranceln*, tud de
caro de lei, correntes e brincos da plaqu, a imitacao e de mais gosto di que as de ouro,
eaixinhasde costura ricamente guarnecidas e ornadas com lindas pessas de msica, albuns
e caixiHios donrados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para distinctamente
ver-se a perfrieio dos retratos, objeclps de pbantasia para toilettes, bolsinbas e cesunhas |8?
de seda, de velludo e de vi roes para braco de meninas e senhoras. ditas para costuras, pe-- 3CT.
quenos registros muito finos e delicados, bonquets de flsres do porcelana, jarros propnos O
para gabinetes e santaarios. quadros promptns para enllocar-se vistas molduras doucadas *ftl
para quadros, estampas finas de paysugeos, cidades, figuras e de santos, vidros para eos- jl
mnrama, malas, saceos e boinas do viagens, esporas, ubicles, bengala.-, oeulos, lunetas ou Ji
pensinez de prata domados, grvalas preas e de cores, abotoaduras de collele c de punb>
carteirinhas para notas, thsoonnbaa e caivetes finos, penle?, eseovas, ponteiras de espuma j&
para charutos e para cigarros, joeos de. domar, rodetes, bagatelas e outros differeatts, ve- Vi
nezianas modernas muito conveniente para port'S e janellas, cosmoraiiu?, Linternas magi- h
cas, esterioeopos com inl ressaiCes vists dn figuras e das mais )>niii,i< mas, boul-jvards, fl
pravas e passeios de Paris, pholonraphias e esixinhas mgicas, rAverberos para candoiro-. a
tapetes de vldriiba e de laa de cores para ps de lanteruas, realejos grandes a pequeo?, Zjf
harmnicos, acordions de todos os tamanhos, tercos de viajes para ciiancas, sapatinhos e ^g
toncas de tita, arriados do :l e 4 rodas muito elegantes para coodpr enancas passeio ; e n
outras muitas quinquilharias de phautasia, franeczas e allemae-, precos muito em conta.
B233])S)5 5>aaa saaiaaiaos \
';ira este artigo nao ha espaco oem tempo para a mascante leitura da infinidade de i
j gneros de brioquedos fabricados em diversos paizes da Euro;a.
"NUw
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a vistalo
verificando as qualidades e os preco3 baratos de ditos objectos por serem viudos em di-
rettura e de coola propria.
EIGEME1R0
Com fundipo
UA DO BRU1VI 52
Qsropra-se urna casa terrea, na freguezia'de
Santo Antonio : tratar no arco da Conceicao nu-
mero 6.___________________________^_^
Com muito maior vantagem eompram-se
ouro, prata e pedras preciosas e u obras velhas: na
loja de joias do Coracao de Curo n. i D, ra do
Cabng. ________
CABELLUDO

Compra se um cachorrinho de marca pequea,
cabelludo que cbamam do reino : ra dy
Apollo n. 43, segundo andar.
_
VENDAS.
No aoligo eslabeleeiiiipnto de Joaquim da Siva
Costa, a roa das Crofts u. 2, na constantemente
o que oe intlhor se pode procurar nesle ulereado
para meza de quem prefere bons gneros, cerno
sejam :
PRESUNTOS para fiambre e de Lamego, cbou-
noas e paio, e;i latas e em barril.
MASSAS, iiiararrio, talhenm, estrellinha, se-
vadoha, sag, a le tria e fariaha americana.
CHOCOLATE o mais ovo e melhor que desejar
se pona.
VINHO do Porto e Figueira dos mais superiores.
CONSERVAS de lombo de porco. do bages, de
fei s em latas bem acondicionadas.
VELFjAS sterlmas a 610 rs. o maco.
COPOS lapidados em duzia e a retallio.
Alm do mudos outros gneros viudos em di-
reitura, quo se vendem p ir nreco< ra7invei
Farinha de mandioca
de superior qualidade, em saceos grandes : ven-
de-se p^r mdico pre^o : nos armazen3 da Com-
panlila Pernambucana.
Vende-se
urna narelba de excellentes borras brancas, muito
boa1- de cirro e. trotadeiras : no sitio n. 4 em S.
Jos do Mangaiojut
Milho e farelo
iim saceos grandes a 55, em Dorci") sefaz abati-
menio : no aruiazem da estrella, largo do Paraizo
n. 14.
Passando ochs&riz.
Cliama a attenco dos Srs. de engenho para seus acreditados macliinistnjs e
com espedalidade para seus vapores que ainda moa vez tein melhorailo.
Os vapores fornecidoa por elle e j fuaccionando Ihe bao de Tazer melhor ;.pre-
ciaoio do aoe qoal -iier .a l avia BMMkrtiar que vi>ta do cambio agora mais favoravel do que
na poc'.\a dos aponlamen'.os do anuo passado em feilo moa redacto sensivel cm todo
seus presos.

Vende-sa una excellenio lUocboa de costu-
ra por prec i commodo : a tratar na ra da Penha
n. 17, t" ailar._______________________
Cajfreiro muito gordo
Sabbad'i 2 d crrente, as i horas da tard,'
mata- um earefro omito gordo que euston 1003
l'.i/. amiraeo, e et.ir venda em reialho n
acmipiie da na il rtingfl n. .13.
TRES VPRrS
m
As seguintes obras
Cois cont sitisso, ene. i vol. por. I1000.
Fres sinqelas, por Paes de Andrade. Vi-
limas paginas, por P. de Calasans. Illusd-
es perdidas, por C. de Axevedo, tudo en-
cadernado em um s volotee, por 8^000. Duzia de sabonetes ramio finos a
Tambera vende-se as cojlefcoes d* leis Sabonetes ingle
provinciaes fallando apenas 5 ?nrjos, por
15^1000,' tendn 1 vol. em broeluira. Qtim
qofeer dirijt-.se a esta lypograpt.ia qa6 se
dir quem vende.
Vede-se
No armazem de H. Lger. roa da Cruz o. 68,
nno de bafdeanx em eaixas. ._______________
i N. 3 A RA DO CABIGA N. 3 A. I
1 WI041HA0S |
Com este titulo acba-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os freguezes e amigos encontrarlo todo quanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de ourivesaria, o Collar de Ooro
observar delicadeza no trato e seociridade e modecidade nos precos.
Espera qoe o respeitavel publico venba ver o que existe de melhor em
aderaros de brilhantes, esmeraldas, robins e perolas, raeios aderecos, pol-
ceiras, brincos, alnetes e anneis de todas as qualidades, prata de lei faquei-
ros, clheres, palileiros salvas e outros mnitos objectos que seria enfadonho
mencionar.
Coropra-se ouro, prata, brilbanles e pedras finas, permaior prego do
qoe em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
Ciclack: do Natal 19 dejulhixle
1870.
Per precos commodos v, nde-se :
11 paos de pinito de exo lente qualidade
cumpiiitjenti) de 3i palmos 83 ; gros-
m;iu de 24 "1 poliga-ias ; sendo raasta-
r:is, verga-, e mastro de navio.
G5 pedias marmores, dilerentes tama-
nhos, sendo ; o cumprimento da maior, 79
polegadas, largura 19 ditas, altura 3 ditas.
;iu taboleiros tambem de marmor ee ten-
do ocumprimento do maior 80 pollegadas,
largura 40 ditas, grossura umae um qoarlo
depollegada: a/tratar so fscriptorio da
agescM da companhia bra?ileir?de paquetes
vapor, roa da Alfande^a.____________
Tdjioelto e ontros
Na fabrica do gaz ha om grande Damero de
barricas vasias para vender.______
n. 28, recebeu
ose.tre va osle porto,
aHbr soas especiaes
e divi
scidn
lai)bem
le nao ten
.-, encontr..i tjif-
beleekneflto que con.
randa, be: i res-
peitavel publica desla capiial. seu
armazem Movido dos uiais botos e variados gone-
ros, e limita-Fe a nom inte :
Carne c qneijos do sertao,
Prezuntos infieles e.tortgu.ecs-
Gondolo (nova marca de bulachinlias).
Pett Pois ao Beurte (arvi.has errr manteiga).
Chocolate hespanhol a i< 00 a libra.
Conservas a 700 rs. o frasco.
Cafd'eliumbadoe de moka.
Rap.Paulo Cbrdeiro (viajado e cainranm).
Qttiza'dos frncezes (TrnlTe).
-Saoerior ehampanbe.
Frasco comofeo eipresso debabosa.de Docts-4tw do rriainj branfe^ippigftgays.
240 a 640 ce.
Dito cora agua de Colonia de 300 a 10000
Pito cora extractos unos a i000.
Dito com sndalo verdadeiro a 10200.
Latas com banha muito fina de 120 a
40 rs.
Sabonetes amito finos e diversas quali-
dades a 80,160, 240 e 320 rs.
Finas eseovas .para dente de 320 e 500 rs.
Ditas para tocto de 500, e600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal a
520 rs.
Ditos ditos ditos de bnfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolbo de 160 e 240 rs.
Pavios para gaz, duzia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernos
de 160 e 240 rs.
Peonas caligrapbicas muito finas a 10400.
Ditas de lauca e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinhos e ntremelos de 500
e 10500.
Grosas de botos de louca de 160 e
OOrs.
Ditos ditos para calca 240 rs.
Caixa com papel amizado a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas cora brelas a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
80 rs.
Thesoura para costura a 240 rs.
C Linba de marca faixa a 280. rs.
Carriteis de linhas de Alexandre de n. 70
a 200 a 10 rs o
Grampos muito finos, com passarinhos du-
ziaa 200 rs.
Cartas fraocezas para jogar duzia 30000
Ditas porlnguezas, duzia 10400
Papel almaco superior qualidade resma
40000.
Lam muito fina para bordar libra 65500
Fitas para debrum de sapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
400 rs.
Caivetes grandes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
.Trancas de lam de caracol branca e de
;6i6S de 40 a 100 rs.
Filos para cs, peca 480 rs.
Alfioeics de lato, carta 100 rs.
Sapatinhos de lam para creanca de 400
t 800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Gravatas de seda preta de 400 e 8QG rs.
Ditas de croxe, brancas e de cores 500 r.c.
Dita de gorgurao de cores a 800 rs.
Ka Ventado ro Duque de Ca-
xins n. Ssi.___________
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joao
de Niciheroy.
l'nieo ilepo-ito em Pernambcco caes da lfan
lega velha n. 2, 1 anda.
Vidros para vidraeas de todos os tamanhos
e em eaixas, vende Uartholomea $ C. em sua
Pharmacia na ra larva do Rosario n. 34.
Eivalem segundo,
RA DIMIUEIIK CASI A* V *9
i%mfr m da Ouciffladoj
Contna a vender tudo moito bem e
mailo barato'saber:
Libras de areia preta muito boo. .
Tesoarae finas para r.nhas e coi tu-
ra a.......
Papis de agulhas francozas a b-
15o a ........
Caixas com seis saboneies de fruta
Libras de 15a para bordar e todas
as cores a.......
Carriei6 da- iinlia Alexaudre a. .
Frascos com azeite p*ra machinas
Gravatas da cores moito tintes a .
Crozas de bolrjes madepersla li-
niss'imos a.......
Pares de lavas de cores muito fi-
nas a 320 e.......
Jovello de linha de 400 jardas a.
Caixas com #00 envelopea meito
superiores a ..... .
pentes volteados para meninas a.
Tinteiros com tinta preta a 80 rs. e
jijecas de fila elstica muito lina a
Lala com supetior banha a luU e.
Frascos de oleo Philocomo muito
fino a.........
Ditos ditos dito grande a. .
Frascos de macaca perola a. .
Frascos de extracto mto bonitos a
I2f>-
.500
60
10000
6ff000
100
500
500
500
"MO-
TO.
600
S40
100
200
200
Ha para vender novo e superior Trelo que so
acha depositado iu trapiehe.da eoamanhia, chega-
do ltimamente do nio da Prata pela harca fran-
cesa Angtlinct a tratar com seus consignatarios
Amorim Irmaos dr C, rna da Cruz n. 3.
A 5,
n
Chapeos de sol de alpaca lina emn basteas de
baleia a 3 : na ra do Crespo n. 2o, loja da es-
quina. _____________
ATTENCAO
CAF HUIDO YAPr-
500
10000-
240
500-
102OC>
500
E00
40
Frasco cora agua de colonia Piver a
Dito de oleo babozn a.....
Caixas de lamparillas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a.......
Lartilhasda doutrina fazenda oova a
Libras de linha sortidas de lodos js
nmeros a.......
Rabados do Porto, largos a 160 e
Capachos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retrnz preto, com. 2
oitavas a........
Agulheiros de osso enfeitados 9, .
Libra de linha franceza snpeiior
qualidade a.......2j>400
Caixas de paliio do paa-a: ._____20
550
400
1800
200
700
640
S40
DE

V- nde-se urna casa em Olinda, com qoinial
murado, cacimba, Imrta. jardim, baixa de capim,
cocheira, etc.. na ra d^s Mangueiras : a tratar
na mcsina casa ou no ai uiazcm ua ra da Cadeia
do Rficiro n. "i".
Apolices
^ Grande pechinchi de fa-
zendas bir.ta?,
3 Ra do Crespo a. 25.
fa MAAPOLAO FLNO a 4fo00, 5o00 e
|^ 65OOI) a peca.
m ALGODAOSLNHO a 2800. 3/. t e
3&\ i/300 a peco.
S? ALGODAOSINHO marca T com 20 v*-
:]& ras a 6.-5 a pn.
;73 CAUBHAIAS finas e de cores a 240 e
"5 280 o covado.
W DITAS brancas e trasparentes a 3
fgjt CHITAS escuras, claras e miudnhas a
"^ 240 e 280 o covado.
W ALGODO AZUL, peca com 36 cova-
9fi dos a 53 a peca.
~5 LENCOS finos brancos e com cercadu-
K ra de cores a 2500 a dnzia.
m BRAMANTE FINO de n. 230 a 270 a
S iU e 24 a peca.
tg& Na ra do Crespo n. 23, loja de Mano-
aa noel Das Xavier.
Monte pie popular pernam-
bucano.
De ordsm da directora sao convidado-; todos f
de muica de faarda nacional, ou socuidade. sen- WBhore oeiiM para se reunirem en a*ui i
do disUnle desta erdade : quera pretender dirija-1 acmb!i ger.il na ea das rennides as 10 horas
ea roa de Ranu Riu n. I da manhaa de domingo 2i do (jrrenle, ali.n de
;se discutir o projecto do reforma de estatutos ;
I assim como, a mesma directora manda scienuli-
car aos mesmos Srs. socios qne daqaella data em
Jo5o oRego Lima Toca sobre a praca de Lis-1 diante ficar convecada a mesma sessao para o?
boa roa do Apollo n. 4. .das aliarlas, sextas e domingos da car-a srtaiaiia
' ultimar-so a discusso daquelle prpieoW, m
00 8egtiJo4e au^uem dar nem coufiar co^sa al- J ..antifleados serA a SmSo as 10 ho-
HTTENtO;
' lima pessoa babililada. propoe-sa para raeslre
SAQUES
ilnetti, por ped-
lora ^ue tem de ir Roma e via-
>aar a lingoa uauana no pro-
XflBO i.jnnti. tlt
eseroBB mm
Secretaria do Monte pi popular oernambucaui),
l'J do jalho de 1870.
O i" secretario,
Candido Jos-de Gte*- Tiles.
Vendem-se algumas plices da divida publica:
a tratar na ra Bella n. 28.________________
V;nde-s urna laDerua e una casa de pedra
e cal com garapeira, na estrada nova do Cachan-
ga, bem afregueada : quem pretender dinja-se a
mesma rasa para tratar.______________________:
iicina
Vende-se um Tiiesonro Homeopathicu -- c*m
pomo oso,pelo prece de 13 : na ra do Trapich*
D. t4. armazem.___________________________t
FazcndaS baratas
Ra do Cabug n. 10
Pecas d algodao com 18 jardas a
Las Mucambique, covado
Ditas de um s cor, fazenda de gosto,
eovado, rs.
Ditas eom listras de sedi, rs.
Cuitas de bom panno e cores (toas, rr.
DitM percales Una-i. rs.
Chales de ganga bordados, dina
C.olehas de diversas cores a
|)ao-se as amostras. >
.lOOO
360
300
300
300
400
SOOi)
jiOO
A 2:500
Grande sorlimento de lavas de pellica de Jou-
vin, brancas, pretas e de cores : em casa de An
drDelsnc, cabelleireiro, ra do de Marco n.
7 A, Io andar.________________________
AVILLA IRMO & C.
49 RA NOVA DE SANTa RITA W
PEI'.NAMBUC.
Ha para vender heste estabelecimento caf mui-
do a vapor e torrado a ponto certo, sem mistura,
empacotado em papel de eManho para se conser-
var sempre fresco. Garanto se a sua primeira
qualidade. Os aprecladerea do bou caf pode/M
procurar nos principaes armazens de molhados.
Para evitar falsifica "o, previne-se aos senhores
apreciadores que todos os pacotes terao um rotulo
com a firma doestahelecinenli.
CHARUTOS M BAHA
DEPOSITO
Na ra Direiti n 31
os Srs. Bastos h Subrinlio. exportadores do pri-
men a ordem de fuios .mu fofca e etaratos linos
da Baha fabricados em S. F x por Joaquim Jo
dos Piis, acreditados tanto np estrangeiro como
no imperio, resolv ram nvirular fazr spu de
de charuto^ tinos na roa Dlrefta n. 31, aun
ada ni expostos venda de dilerentes marcase
pelos precos da Mrica, ajuntando apenas os gas-
ios, a saber : P.dmeiras. Riachuelos, Regala d'el-
Rei, dito Imperial'-, Expusicao, Lyricis, Hava-
na, etc, CorRidase, pois, aos apreciadores a vi-
rem an me iCionsdo e sede excellt-ntes charutos o a precos-cornmodns.
Verdadeiras lavas do Jouvin brancas e de cores,
viudas pido ultimo vapor a 2300 : na lija da Fila
Azul, rja do Calinga n. 2.____________________
BASQUINAS
De Cluny, brancas e pretas, do ullimp gosto : ven-
dse na loja da Fita Azul, ra do Cabug n. 2.
31Slrja l>uque Quaniic a NOVA-ESPLRANCA laz os seus
anuncios expono aus seus freguezes e a
loJos em gcral o grande sortiaieoto e su-
piiior dade de sei:s objectos nao cora vis-
tas de atrajr a atiendo de urna g.-ande fre-
guez2, comn a deque actualmente clcspSe.
e sim para scienlftcar (a interese de lodos;
a qualidade de seus objectos os quaes sao
sumpru de apurao goto e peifeit2o ; tor-
iain!o-e qnasi irjdispensavtl para aquelles
apreciadores (do bom) freqnentarem a No-
va Esperanca, pois q::e ella caprieba em re-
ceber consiantcmenic, o que ha de melhor
relativamente a sua repanic i: o que se po-
llera verificar qtiando em qualquer reunan
de pessoas ( amarles doxiquej \e-se un
bonito enfoite em um bouiu vesiido um
aroma agradavel escupir d'um alvo lenco,
um moderno e linde l;c\utn dilicado ra-
mo de finas flores,' ele. ele lodos olbam-se
reciprocamente e dizem com >igo (c as ve-
zes uns aos otro) e>te? sso objectos
comprado gJsOVA-ESI'.-RANCA: men-
te!!! procoi" r descrever i tu annhncLos os
artigos que cent ra dita loja, seiia trabo'ho
insano e nutra o fariann s c m anotelia
graca e peil'tH.iio com que sao ''los fatrica-
dos, assim pos a NOVA ESPEftANCA con-
tenta se em convidar.a todos ^ramente,
i \ silarem-na para ent.io Ocaraiu iofi-
radus do qiie lia e.X|M)Sk) ni inesma loja.
31 Un Duque ?e Cavias31
S Joaquimliodr^uesTa- !
are^ de Mello,
&
*ra T?M PAIUVNOE jS
Cal de Lisboa.
JPptassa m Russia.
Frelio di Lisboa.
B'arilja de maaiH^e
Pechmr.ha
Algodao, peca de 18 jardas, a 290O, para liqui-
dar : na ra OoQueimado n. I, loja do Gaspar.
wa.-
- a
9
Objectos para carros.
Solas de luslro.
Vaquetas de lustro.
Cales largos e estreilog.
Oleado preto para guarda ebuva.
Dito de cores para forro.
Lanternas e vellas.
Rutiles de osso de cores diversas.
0
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-?e por todos os pa-
quetes trauslanlicos bichas de qualidade superior
e vendem se em caixa ou porQao mais pequea,
e mais barato do que em oulra qualquer | arte :
na ra da Cadeia do Recife n. 51, I* *"!*.
Pechincha
Saceos com arroz em casa.
No escriptorio de Joaquim Gerardo de Bastos i
ra do Vigurio u 16, i" andar, vendem se saceos
com arroz em casca ; para ver, no trapiche Cu-
nha ra da Moeda.
--------1-------
Mho.
k* escriplorio de Joaquim Gerardo de Bastos
roa do Vigario n. 16, Io andar, vendem-se saceos
h?raules com mimo icnito novo por prei-o rtwa-
vel : ua a ver, no trapiche Baro do Livramente
no Forte do Mallos..
coo mes de ac
nocentaioiv oanhecimentos de sin irrammatiea na-

Vetide-.>e ou permutare yac casas ter/eiis
tsta cidade um sitio no melhor lafrar da Torre,
eom S0 palmos de irente e 1,500 de fundo, dividm-
du com tres estradas, perto da igreja, todo cercado
conli-ndo urna graa.de e eic<* lalo cata
radada, bem construida com 6 quarios
salas, lerraoo e alegretn n frentt e arpendio
atraz, grande costaba, v5"> c0* epKeote a|rua
de beber, tem dposilo tanto para banlio e yara
lavarroupa.com bomba, e en^oatneo^o nao p
para a coZinha como o siiio. e Coch>
MILHO NOVO.
Vendem Poean 4 C. saceos com milho novn a
ji*500 o sacco : na ra estrella do Rysario n. 9
nnlo igreja.
Vende-se dous bois e doui carros, tudo em bom
estado no cae- do Ranms n. 20.
, ______________i______________ ^-
Vende-so ou aluua-ee urna canoa nova, loda
encavilhada de cobre, que pepa 400 feixM de ca-
pim : para ver e tratar na cambila dos Remedios
cohl o capitn Delfini.
Fariuha le nautBIoca.
Da melhor qualidade e mais barata do que em
outra qualquer pane : vendem Amaral, Moreira
t (",.. no caes da idfandega n. 7.
Farello.
s accreditados cylindros americanos pan pa-
dara.
Machinas tiara, descarocar algodao.
Canos de ferro galvanisados, para agua.
Carrinhos ami-ricanos para trann'in.ir fzendas.
/
TEMO
CALCADOS BABAT .
Bdrzegows de phaatfizia pretos e ie
para *enhora a 40(K)
|O00
I, sola gr,.ssa, inglezes,
oara hnmem a
Veml'- cornfllO libras de f:>rello no-
vn do Chile a li-'OO : a ra da Madre de lVu?
n. 7.
Estampillas
/ Vfndc- se no cartono do tabe.'liao Alnioida a
ra do Imperador n. 7.'.
Vender barrais eom cerveja pretil de >upe-
rior qualidade em botijas e meias botijas : no ar-
mazem do Eduardo Fontou, ra do Comnjerqo
n. 88. _____________
Vendeni-s pipas da venladeira agurdenle
de caima : roa Xova de Saou Hit a. 19, ribeifa
do peixi
dada, qu irles para criados, lodo oVpedr'' : ode-w prac oWridepo*l*oia n; ;ffl, loja
com mais do 60 pes de laranja de uiTlbigo e gnrtJT irUl ^ d,^ ^ r
Cebol -s
Vende-se solta a li-OO e em resteas a 2 : na
travBssa da Madre de Dos n
--------------------------------:-----------------
i!
jde Coqueiral. mmigneir.
raeiras e
Pre5isft-*e deemaama para codnfear e enmbrarieutent^m-wmn
para casa do pouca familia : a tratar na ra doi
'cWipo g. 18. i* andar, ^ ^ -}\id"nt%m
___ -.^rtHAIIle ficladV ttf o/ feliOBulVeJW. Precisase 4e urna p a ou escrava :e e compre para niaca familia : na ra I reita dos Afogsdcs n. oi : a tratar na ra de ar-
para ventor : na na do Ho#fcio n. % :-narj b, 6, 2o andar. j cilio Dia? i^atr crj ra Directa) n. 74.
pmHB( : as senh
entrar nesse numero, podem
ni roa Nova n. i, 1" andar.
MBptua Ji-Ii-
1
VITMIS f
-mm^mmenn
J duas cabras (bich)
amboe n. 8.
ni ra dos
Veode-se urna parte do erigenbo Ramos, comar-
ca de Pao d'Alho, de 9:000* a 10:000, e outra
do engenho tohaman, comarca do Igiir.rass, de
'iOOOj : os pretendentes queiram entender-*'-
cora o enhor do engenho Caraiba da fregnezia de
Tracunliaem, ou com o Dr. Laurino de Moraes
Pinheiro, roa Jas Cruzes (boje Duque de Caxiasi
a. $. O h c*nu sebhor do engenho feriaba ofle-
rece a fazenda denominabaMinguai do Grva-
lap; a rejo da Msdrc de Dos e Curato de
Bom Jardim cuja fazenda muito acrejitada po-
los habitamos do lugar, tem acude e varios tan-
ques e algoiii gado que tambera se vende encorpi-
rado dita fazenda : tratarse nos lugares cima
meneVinado*.
alias de .>>la de nios, lio-
rasa a5!"Jf -'U D^jw'fr-
]i:aj-
qnor : oa' ra larga do Rosario
nnmerc .
Veude-se
Ps d roseiras de varias qaalidados, assim 6
da sapoh, ahacate, feguoira, laranja cravo e pi-
nbeira, por tueco razoavW : a iratar na Boa-vis-
ta, rna do Mondego n. i._______________
champagne da marca George
Goulet & companhia.
vaquetas de lustro para carres.
oleados de diversas coros.
pesos de ferro do syxtema deci-
mal.
\ VENDA RA DA <
ao hrmazem 11. I^eger
Saceos de estopa
;:dem-se opti.n- -topa, prnpri-;
para mho, farintia c nazon de
.Vlamsi1, H?\vte C, roa do Coaunorcio n, 40.



6
Diario de Fma^biu^ Sobado %Z Je Julho d 1870.
Annazem dous irmftoe
COM F A* 1*11 A
M*ia Laodalino vende sacco com farinha de
mandioca : na roa do Duque d Caxiai, travesea
do Hogao, loja n. 18 B
Mais barato do que em outra qualquer
parte.
Jfo^orto da travesa do* Coelbos acha-se eons-
tantemento tipio g rosso e fino, tapamento, lelhas, Copos lapidadoe a 81100 a dara, dem dem de
8Roa da Peoha
Mantega incleu flor a l#SO0 a libra, dem frail-
een a 740.
Cha mindo e grog inperior a 3#K e 3*Htt, efc.-
f em caro? a JO e ttO.
Velas de apermacette a 640 a libra.
Aletria, talharim e maearrio a 400 a libra.
Vinhoem pipa a 400 a garrafa, dem S. Julieta
a 000 rs.
Grandes latas eombolacbinhas a 1/300. Id-am com
lagotiDlio? 500. idem com figos a 1/000.
grande porfo de area, que se vedem a vontade
do oomprador por menos preco do qne em outra
qualquer parte ; aasim como se encarregara de
f jrnecr raatenaes para as obras, para o que h?
canoa* carrocas
contra a |660, idem temos com 6 copos por"
1/100; usm como mu;tos ontros objectos.
RICOS CHALES DE CAMBRAIA BOR-
DADOS de cores de ultima moda a
2/300 : na ra do Crespo n. 5.
ti:
LENCOS DE CAMBRAIA DE LUNIK)
BORDADOS a 1/500 : na rna do Crespo
n. 85, loja de Manoet Das Xavier.
..jiiiiim_
enae-se um boi e urna carroca : na rna do
indego n. 61.
Alta novidade
NA
Loja do pa<50
Chgaram pelo ultimo vapor francez as ricas
chapelma de palha de Italia, ultima novidade de
Paris, chapeos de vetado e palba tambera: os te-
mos de muito gosto, poStilhSes e basquinas de gor-
gnrao preto muito superior com ricos lacos de
setim : na ra 1* de Marco n. 7 A, loja do pato.
i i.....ill 4 i
Farinha de mandioca
igual a de /r/uribeca.
, Em saceos de dous alqueires e de panno de
1 algodo, cuja medida corresponde de 5 a 8 0|0
mais do qne a medida daqui e do Rio de Janeiro,
vende-se a prego menor do tra prtete : a tratar com Joaqoim Jos- Goncal
i ves Beltrao, em seu eseriptoro a ra do Comroer-
ci n. 17.
GRANBE NOVIDADE
Qaaodo a AGUIA BRRNCA, mais precisa scientificar ao respeitavel publico em
geral, e em particular a suaboa freguezia, da immensidade de objectos que ultimamen-
te tem recebido, jnstamenteiquando ella metos o pode fazer e porque essa falta invo-
luntaria ella confia e espera na benevolencia de todos que Ih'a attendero e relevaro,
continuando portaoto a dirigirem-se a bem conhecida Ir ja da AGUIA BRANCA roa d
Queimado n. 8, onde sempre acharo abundancia em sortimento de superioridade em
qualidades, modicidade em precos e o seu nunca desmenttido AGRADO E SINCERIDADE.
Do que cima fica dito se couhece que o tempo de que a AGU'-A BRANC V pode
dtspor, empregado apezar de seus cusios no desempenbo de bem servir a aquelles que a
honram procurando prover-se em dita loja do que necessitam, entretanto sem ennume-
rar os objectos que por sua natureza s5o mais conhecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja importancia, elegancia e novidade os tornara recommendaveis, como
bem seja
Corpinhos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setim e obras essas
cuja novidade de molde e perfeicSo de ador-
nos os tornara apreciados.
Fitas mni largas de diversas .cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto muito se podera
dizer querendo descreve-los minuciosamente
por suas qualidades, coree e desenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mas para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
melhor.
ntremelos em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodo cora flores e lisos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARA
Grande e constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos com p de arroz e pinsel,
Caixinhas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coque.
Bonitos brincos de plaquee.
Aderecos e brincos de madreperolr.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesouras para frisar babadinbos.
Aspas para balo.
Novos stereoscopos cora 48 vistas, as
quaes sao movidas por um machinismo
DE OBRO
Grahdrwlrtfermiente 64 falencias'e roupas feilas e por medid, roa da Im-
pWMriz h. K2itt i fHja de Wrrv*.
affielinfnto encontrar* o respeitavel pdMico ora bonito sortimento de
totopas de todas as qoalidailes.
* .JLa,,!^dJJ.a,PaPa Prtta e dft ^^ a 3m' WM 70000, ditos mirin preto
eWOOO ate 23JOO0, dftos d'cernir de cores finas e ortaanas, de 60. 460000
ditos de panno finos de 60 80 460 e fc-0000. sobrecasaco dito de 20$ a 500000
Completo sortimeritd d caifas de brim pardo de 406O a 60000, ditas brancas
de 20, 400000 o mais superior, ditas trieia casemira, ditas cafemlra dtf50, lftJOOO,
ditas casimira prta de 60, a 165000 superior, dita de merino diversas qualidades para
luto. Assim cotilo drif bonito softimepto de colletes de1 brim de cores, ditos brancos,
ditos de casemira de cores e pretas, dftos d* merino para luto fazenda superior.
Sortimento completo de camisas francezas de algodio, de 15800 30000 ede
linho d 8800O V7/W60 a"o*tizla.
SorlfWn.to cotnpteW de'cerddlas francezas d algodo de 10000 a 2AU00,
ditasde bramtjte a 1W00', 25S06 e 3,5000 ditas de Hamburgo, francezas, fazenda su-
perior de 250000 a 33W00 a dozia. Sortlcnento de culariahos "'jodio o Itabo) akx,
assim cmo melar d'algodao para hornera de 30, a 100000 a dom, gravatas de mili-
tas qualidades. Na ruada flnrMirtnz n. 52, loja do
Sortirtento de chapeas de sol de alpaca, e seda, ditos nglezes cabo de marfim.
Toafhas para rosto. Sortimento dd mallas para viagem.
aTtBnco.
Neste estabelecimanto enearrega-se de mandar fazer qualquer obra por medida
e para esse fira tem hbil raestre encarregdo da offleina, que seencarrega do trabalho
com perficao e pentualidade.
SORTIMENTO DE FAZENDAS.
Chitas de 240 rs. o covado oo 100000 a pessa com 42 covados. ditas miudes
para camisas e tima de wenlno 280. e 280 re., e oulras muitas qualidades de 320, 360
e 400 rs. o covado, neste mesmoesfabelecimenlo chgaram, urnas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnal pwraflh5 ecompetente enfeit para corpinho. Cam-
braia lisa de 30, 40,50 e 10000 a-pessa. e oufras multas fazendas de todas as quali-
dades.
ALGOD'O E MADAPOLAO AVARIADO.
A 40000 o algodo. e 40500 omadapolfn. e tambem chita escora boa 240 o
covado por ter grande poreaovna rna da Imperatriz n. 52, foja com portaes encarnados.
intitulado
Leao de OuHo.
noarmazem de E. A Borle & C.
Cruz n. 48 o se Vinoo Bordeanx superior qualidade, pro-
cos de 70500 a 200000.
Cognac fino, rtrfferentes precos.
Licores de differentes qualidades e R-
eos.
Frutas e conserva em frascos.
Azeite doce franca, era- caas de 12
garrafas.
f mam- ~
I O vordadeiro porHfcd. S se veno> na ru 4*
Madre de Dos d. t, rmate de Joao Martin* >
Barros.________________________________
~ Boa mofada
Vende-se um hom terreno en urna da* mas at-
timamente abena Da ertrada nova de Beljertbe,
onde (ssa a linha terrea, muito perto da riaeh*
! Jcar, com mattm e term para eapim e maa-
dioca, tem de extencao 1300 palmos, porm ren-
I de-s a vbntade dos compradores: entendera.
na ra da imperatri n. 31
-------- ri
Estamfjilkas.
Vende-se na ra da Cadeia do Recite n. 58, tou
de atutejn.____________ r-
Farinha e miito.
OlfiP.lTll fi nrTtlflSKAiTI lA No ,rapi"heBarao do Livramemo existe beafe-
V/lU^llia O ai IiaCUl U rnha de mandioca e excetlente. mifho em aacew
grandes : a tratar na rna do Vigaro n. 16, m-
dar, escrlptrlo de inaqnim Gerardo de Bastos.
MACHINAS PARA
: Acabam de chegar ao GRANDE BAZA))
UNIVERSAL, ^ roa Nova n. 22carnero
tiannaum cmptelo sortimento d ma-
chinas para Costura, dos autores mais co-
nhecidos, as quaes estSo em eiposlcao no
mesmo Bazar, garantndo-se a sua boa qua-
lidade, e tambem ensina-se coa perfeicio
a todos os compradores. Estas machinas
83o iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e a sua perfeico tal
como da melhor costurara de Paris. Apre-
sentam-se trabalbos executados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes. *
m a1 more
Caes Vinte e doos de novembro n. 57,
(ootr'ora arma^er allianfa)
I Ha para vender pedras ntarmnres de todos os |
tamanhos e gr ssuras, fijlos de dh-ersos ta-1
raanhos, soleiras e sacca-i-is assimi como solei- i No eseriptorlo de Jra(inm Geraldo de Bastos -
ras e saccadas de pedra de Lisboa. T;.rabem con-; a ra do Vicario n. 16, prfimiro andar, vendt-se
tnb-se e faz-se qualquer obra,- como raonumen- farinha ranrto aWa, fina e torrada, saceos deZw
tos, tmulos, estatuas, pas, lavatorios, mesas e, alqueires, por menos do que em outra qualqner.
tndo o mais teudente a mesma arte, por mdicos parte
: prcos.
Farinha de mandioca
da Baha.
Vende-se
: Semenles nvas de hnrtaltres, garantidas, da socie-
; dade de Horticultura Lisbonense, ruado Amorira,
i deposito da labrica de cervejas e espiritas da ra I
do Brnm.
L/iiu uo aiguuuu iMia iiures e usos. ^.- >..> ,-j.
Veos de seda para chapelinas e monta-'nmas nbstitnem as outras
ria. Vistas para stereoscopos.
Meias de seda para noivas. Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
Ditas abertas de fio de Escossia. pe5!l j. a
r .. Ditas de madeira envermsada com vispo-
Costumes on uniformes para meninos. ras 0 com dminos,
Enxovaes completos para baptisados. Bollas de borracha para brinquedo de
Touquiuhas de fil, sapatinhos bordados enancas,
e meis para ditos. j Diversos objectos de porcelana, proprios
Camisinhas bordadas para ditos. I para enfeites de mesa e do lapinhas.
Ra do Crespn. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida i C.
Este estabeleeimento de fazendas finas e grossas ja bastante conbecido como
am d js mais bem sortidos desta cidade acaba de receber directamente de Paris atora*
irtigos especiaes qne passa a mencionar. 8
Ricos cortes de vestidos de blond para casamentos.
Cortes do vestidos de seda de cor, de gostos interamente novos.
Brochad, fazendas de la e seda propria para vestido.
Foolard de seda de todas as cores, tambera para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapelinas de seda e de palha d'Italia.
Basquinas de seda e guipure.
Colchas de seda e de 15a e seda.
Cortinados de cambraia bordados muito ricos.
Pannos de verdadeiro croch para jardineiras, sof e cadeira*
Toalhas de linho de superior qualidade.
Bramantes, seHcias, sgoioes atoalhados,
Gnardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, bales, cami.-inhas, sombrinha.
Madapoies de varias qua'idades, saxos para viagem, mallas, tapetes, capa-
chos, alcatifas e mnitos ontros artigos que se vende por pre?os mdicos.-
Tem tambem constantemante um completo sortimento de ESTEIRVS D\ IN-
DIA para forrar salas.
GA2 m OAZ
Chegou ao antgo deposito de Henry Forater t
^ rna do Imperador, um carregamento de ga;
de primeira qualidade; o qual se vende em partida)
e a retalho por menos proco do qne em outra qual
qner parte_______
Vende-se nm terreuo proprlo, com 138 pal-
mos de frente e 160 de fundo, para o lado da es
trada de ferro, eujo terreno tem al cerce feito pa-
ra cinco moradas de casa^, na ra de Motocolom-
b dos Afogados : a tratar na mesma rna, ou na
rna Oireita dos Afogados n. 13.
Sahtdas lie bail?.
Chgaram loja do paco as ricas sahidas de
baile, assim como os ricos enchovaes de cambraia
bordados para crianras se baptisarem, artig> e3te
o melhor que ha no mercado, assim como temos
gran e sorii ment de outras mu tas fazendas de
gosto e novidades |- todos os vapores : na loja
do paco ra 1 de Marco n. 7 A.
Cantara 'Je Lisboa
Soleiras, hombreiras e capiteis para frentes de
casas, o que ha de.melhor : venda no arma-
zem da Inversa do Corpo Santo n. 25, de Joaquim
Lopes Machado & C.
Vende-se urna casa de taipa, na baixa do
Znmbi, (Torro) em solo rendeiro : tratar na ra
Imperial n. 233.
BRACO DE OIMO,
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar oeste
estabeleeimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, bollos ingiere
podins, pds-del, prgsentos dos okimoi
chegados ao mercado, salame de lion, bo-
linhos finos/ie todas as qualidades para cha,
amendoas confeitadas, confeitos, bomboina,
pastilhas, chocolate francez em libras, pas-
tilhas do mesmo .cartnxos e carteiras com
seis charutos de chocolate cada urna, este
sortimento de chscolale do mais acredita-
do fabricante de Paris e 0 melhor que ata
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos portuguezes, figueira muito supe-
rior. Os mais genuinos e superiores vinho
do Porto, moscatel e Setobal, o Ilustrado
publico encontrar neste estabeleeimento
por commodos precos, fazendo-se abatimeo-
to a quero comprar em porc3o.
Os donos deste estabelecimecto nSo a
tem poupado a despezas para melhor me-
recerem a acoadjnvaco do ilustrado pu-
blico.
6 0RA DA IMPERATRIZ
11.WA, fiqijIr]iri:iii
encontrar o respeitavel oublico. u-: /randp. sdiiimpnm Ha famndae c\n maia anTTi.... 'T.:."-.^^Jr^-Mm^m mJB
a
Neste grande estabeleeimento encontrar o respeitavel publico, uu grande sortimento de fazendas, do mais apIST^stn Z*Z ril^T^lfo-^^- ^*-^J ^^Sl^ ^L^
em outra qualquer parle, visto que os novos socios desta firma adoptarara o systema de s vennderem niXUEaO : Dar Dndprpm vpX ni !,,!! ? ? \ P"meira necessidade qne se Ibes promette vender por procos muito mais baratos do qoi
,;. ti-? a L ''ando-se apenas a ganharem o descont. As pessoas que negociara em menor escsfla, nesta Uto
^-----,---- (-----......,,._, .j^., .., ..^,., ,., .,.,.. ,, .|,i,,, olu jjaviua UD OU VDIIIIUCI6III a
s armazem podero fazer os seas sortimentos pelos raesmos precos que comoram as casas estrangeiras.
>colher.
Para maior commodidade das Exmas. familias, de todas
^ DO P IVlO
^ BONITAS FAZENDAS PARA A FES-
^ TA DE
i* SANTO ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO.
g Yendem se as mais lindas ponpeli-
f as de linho e seda com os gostos
mais novos que tsm vindo a este
mercado, polo barato preco de___
^ 2J000 o covado.
Sedas listradas, de furta cores, fa-
zendas de muita phantasia a 2^000
o covado.
S jda bisraark, larga fazenda muito
encorpada o covado a 255O0.
Bouitas lasinhas largas com palma
de seda, covado a 1^000,
Lindas agraciando lavradas covado
a 1,5600.
Alpacas lavradas de todas as co-
res, covado a 640, 800 e 4000)
Bonitas lisinhas escossezas com
quadros e litras de seda, covado a
561.
Finas alpacas lisas, sendo cor bis-
raark lyrio, verde, roxo, cinza, can-
na, azul etc., covado *6i0.
Ditas furta cores com, as mais bo-
ff nitas c6res, covado 503 rs.
Cj5 Lindas baregrfS lisas, e com lista S
^ di mesma cor, fazenda uteiramen- *R
f te nova, covado a 560 e 640 rs. 5
Bonitas lasinhas tapadas etrans- <3f
pareles com grande diversidade, o
covado a 600 rs.
Lasinhas lustrosas com lindas co-
re-; emitaco de seda, o covado a
3i0.
ndos cortes de anadine, sendo
fazenda nova e transparente e d*
muita phantasia, cbm 18 covados a
450000.
Finissraoscrtes'de vestidos bran-
cos bordados cora todos os enfeites
rancezes a 42i5000.
Orles de ganga indianos, fazenda
iuteiramente nova a 70000*
Ditos cbinezes com du^ssaiasa
70000.
Organdy branco com listras lar-
gas e quadrinhos, a vara a 40000.
Todas estas fazendas, sao iuteira-
mente novas e se vendem muito em
conta, ra da Imperatriz n. 60,
loja e arnuzem de Silva e Figuei-
do G.
Ditos de la escosseza fazenda mui-
to lmiu com fio-de seda a 70OuO
FiDiStmos orgaodys com lista de
tur e salpico, mdOo fazenda de
muita phaatasia, ojmetro 40289.
de 420000 rs. cada um, pechincha.
CASEMIRAS ESCOSSEZAS.
0 Pavo tem boni.as casemiras escosse-
zas com quadros grados e midos e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito fina que se vende mais barato, por
haver grande porco.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4:500,
0 Pavo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeitaiias pelo arato preco
de 40500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 8C0 RS. O CO-
VADO.
0 Pavo vende excellente fazenda de pura1
la com as cores escuras muilo proprias
para calcas, palitots, colletes e roupa para
meninos qoe ffequntam a escolla por ser
urna fazenda leve, escura e. de m'iita dura-
cao, pecbincha a 800 rs. o covado ou a
20800 o corte de calca para bonlem. i
FUTAS BAREGES A 610 RS. 0 OVADO.
0 Pavo tem as mais lindas bareges de
la sendo meias .transparentes, com orna
s cor, tendo : lyrio, azu!, rosa Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e liqui-
da-se por 640 rs. o covado, por se ter fei-
to urna grande compra, assim como ditas
mais estreitas de urna s cor com listras
jimitaco de seda a 560 rs. o covado, pe-
chincha .
PECAS DE MADAPOLO A 30500.
0 Pavlo vende pessas de muito bom
madapolo, tendo 42 jardas cada nma, pelo
barato preco de 30500.
PECJIINCHA EM ALGODAO A 4,8000 RS.
O Pavo est vendendo pecas de algodo-
sinho francez, tendo 4 palmos de largura e
com 41 metros cada pe?a, pelo barato pre-
[\le 40000 rs.
CERA DE CARNAUBA.
Vqpde-se superior cera de carnauba em
saccas, mais barato do que ein outra qual-
quer parte, na ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
OS SETINSPO PAVO
vendse es mais bonitos setins de cores
e mais encorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
f CROCIIE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, almofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mai barato do
que em outra qualquer parte.
Algodulo eaffestado.
Vende-se urna grande porco de algodo
sinho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lences e toalhas, tendo liso e
por preco
em conta.
CASSAS FRANCFZAS.
Chgaram para a loja do Pavo as mais
lindas cassas foncezas com delicados pa-
i dres, tendo para todos os precos e qnali-
is fazendas se do os livros das amostras, ou "se mandm levar emjsnas c?sas, para melhor V..
LAVRADAS A 640, 800 a
4,000 RES.
Chegou para este grande estabelicimenu
o mais bonito sortimento das mais moder-
as alpacas lavracras ds-todas as cores, on
pannr preto e cazem.ra, cali-ase coletes de se vendem a 40, 800 e 640 res o WnZ
brim branco e de cores, que tndo se vende aSsm como um grande sorlinjc-nlo de sin'
mais barato do que em outra qualquer parte; cas lizas de todas as cores
GROSDRNAPLES PRETOS DE 13600 AT 7000
Na loja do Pavo eocontra o respeitavel
publico um grande sortimento de gro3de-1
naples pretos de todas as larguras e qua- 3 Z f!?m~mHmmmmm' """?'"
lidades, tendo de 40500 o covado at 70000 ^ resPeitavcl publico um grande sortimento
e.8300.>, que se vende por ureco muito de roupas'sendo palits e sbrecasacos de
om mni i r v nannr nreto p. raze.mira. calcas e cdIpIas Ao
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS|ALPACAS
OS PRECOS.
N'este grande estabelicimento encontrar
trancado, que se vende por preco muito em^TS' fnv -
conta. oades, dando-se todas amostras, assim como
LAS ESCOSSEZAS um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, que se ven
LAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegou para a loja do Pavo, o mais
elegante sortimento das mais lindas lazi-
nhas escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de deas sa-as, e vendera-se pelo baratissi-
mo pre?o de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LtSTA
SEDAS D" LISTA
SEDAS DE LISTA
a 20OOI o> eova^o.
Chegou para a 1 ja do Pavo ora grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas com as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algumas que servera para loto, e
vendemse pelo barato preco de20000 o
covado, pechinr-.ha
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
dem muito em conta, e tambem se do
arastras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cres'Sxas
240 rs. o covado, e pechincha.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
LASINHAS A 3J0.
Na loja do Pao vendem-se elegante sor-
timento das mais lindas lasinhas lustrosas,
com listrinhas a miaco de poupelinas de
seda e com as cores mais lindas que tem
vindo ao mercado, sendo fazenda que vale
maito mais dinheiro, e liqnidam-se a 320
rs. o covado. pechincha,
PECHITCIIA
EM CAMISAS DO PAVO A 40500 RS.
Vende-se om bon'to sortunento de muito
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceronlas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM-DUAS SAIAS.
0 Pavo vende nma grande porco de
cortes de vestidos indianos, tendo duas
saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
tos m3is novos que tem vindo. e liqoida-se
a 50OCO, tendo cada um seu competente
figurino.
CASEMIRAS MESCLADAS A 30 0 COVADO
O Pavo tem para vender bonitas case-
bncontra o respe;-tavel publico neste es- finas e modernas camisas ingleias cora pe i
A loja
tabeleciraen'o um grande sortimento de fa-
zendas pretas, como sejara cansas france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de la de todas que
tem vindo, proprias para lHto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradase lisas, canto, bom-
basinas, merinos, etc. que tndo se vende
por preco barato.
PAtA BAPTISADOS
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 40000, cada Hm.
Vendse' benitos cortes de casemiras
claras e escoras pelo barato preco de 40,
ou a 20400 o, covado, tendo duas largaras.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
de 80, 400,420 e 460060.
Chegou para a loja do Pavo ara grande
sortimento dos benitos erieo cortinados
bordados, proprios para camas e janelfas,
que 9e vendem de 80000 o par. ate o mis
to e coliarinhs da linho e puBbos, pelo
baraUssimo preco de 40500 rs. cada orna
e aos freguezes que comprarem dnzias se
me far um abatimento, garantindo-se que
e fazenda que vale muito mais dinheiro,
liquida-se por este preco uor se ter feito
urna grande compra: assim como se vende
miras mescladas e bastante en:;orpada para '
roupa de horneas e meninos pelo bara.o
preco de 30000 cada covado ou 50000 o
corte de calca para hornera.
Eoupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se frzor qualqner
peca de obra a vontade do freguez, para o
que tem um perito alfaiate, responsabelian- fina oue vera ao mercado.
Basquinas.
Chegaro as mais modernas basquinas
ou jaquetinhas de seda preta, ricament
enfeitadas a viariflio, tranca e setim prete
tendo de todos o modellos, os mais novo*
que tem chegado e venoem-se por prect
muito razoaveis.
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
a 20000 o covado.
O Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas verdadf
ras poupelinas de linho e seda com os pa
dres mais delicados qhe tem vindo aokner*
cado tendo entre ellas cores proprias para
alliviar luto, e vende-se palo barato prect
de 20000 cada covado, pechincha.
Cambraias brancas
Vende-se um grande sortimento das ma-
lhores cambraias tanto victorias como tran*
parentes tendo de 30500 peca at a mai
do-se os donus do estabelicimento por qual-
quer falta que possa baver, quer por de-
mora, quer por qualquer defeito na obra;
e para isto en;ontra o respeitavel publico
um grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
RRAMANTE A 4800.
Vende-se snpernr bramante cora 40 pal
nm hnitn nn;ZT V rLr 1 ""*"M venuw-se snpernr nramanie cora 10 pal-
So de linhn^^ de d?,8 tVbT T mos de lar?ra' PTOpri Para lences, fin.
w toSoi d*dM 6 dlUS d6 algod3;do a larga d'esta b6a fazenda o compri-
SlrJiMrt daD! PJef0S' !meDt0 0 tencol> s*D0 Preci0 Para cda
PANNO PARA SAIAS A 40000, 40280 e nm apenas 4 e 4/2 metros ou 4 e 4/4 pe-
40300 RS. chincha pelo preco.
Vende-se bonitas fazendas proprias para ESPARTILHOS A 5*000.
saias sendo com bordados e pregas a oro Vende-se um bonito sortimento dos me-
iaflo,aan(lo a largura da fazenda o compri- Inrese msis modernos espartilhos tendo
ment da saia e vende-se pelo barato preco
de 40000, 402^0 e 1-0600, cada metro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 4/2 metros para
cada saia pechincha.
T*JM* francos a 190OOO m.
O Pavao vende flnissimos cortes de ves-
,-------------------------^__ t, _. ,,! 'ou uuissimos cories ue ves-
rico que vem ao mercado, e vende-se mais idos de cambraia oranca, ricamente bord-
bante qne em outra aberta.
do barato preco de 50000 at 8000.
Cachenez.
Na loja do Pavo veide-se am grande
sortimento dos majs bonitos cachenez de
pura la proprias pira senhoras, vendem-se
a 60000- cada om, oarna da
n. 60.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4*000, A PECA.
S o Pavo vende pecas. de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, cora 40 jardas cada peca, fazenda
que sempre se venden a 70 e 80000, lira-
da-se pelo barato preco de 40600.
FSTES BNCOS A 640, 800 E 4*)06i
Vende-se muito bonitos fustees branco*
muito flexivel proprios para vestidos de
senhoras e roupa para meninos e vende-se -
a 640, 800 e 40200 rs. o, covado.
cassa a *! re.
0 Pavo est vendendo bonitas cassas de
cores fijtas a 240, 80 e 300 rs. o covado
Brilbantes lasinhas.
S o Pavo, 640.
Chgaram as mais birlhantes lasinhas cena
as mais lindas cores, com palminhae-mhuli-
nhas, assentadas as mais delicadas cores d
lyrio, cor de canna, cor de ganga e branco,
sendo estas novas lasinhas de muito be*
D qualidade, tendo largura de alpaea e vtot
Imperatrixlse 460 rs. o covado. i me 4a Impmtrit
I, 60 toja do Parlo.
N



*
Perjiam
bu
1
co Sainado 23 de Juiuo ESPEITAVEL PUBLICO
------T-

***** ? raJIopdes Cuiparaea, nmnintH Tena' praf* acaba de concluir
wjos o* ss^rtfocws wrnme K*M!?_ <**, 1,Pr;Hr"' JM*NMk**&m de SaribaW erRetendo resol-
Attenpo.
a rua da lmparrtrix,
lo liquidar tit.li Ut
* ao respeiavH p,ij,h.>. e i eos amjuos e frf}uftis', tanto da pracHuomo do mallo.
Ibes laubrw de rovo o sen suibelerfmnnti. e que t-tdas s tondas esto
ios* ua luja e arnwzom fia Arara na rwi da Imperairiz. 72. que tesotos-se
WJf a amata di l.ja Ganbaid, para licar somonte com a da Arara, cernocima
** dtto.
CHALES BRANCOS DE CASSA A 1-J000
CADA UM.
VWde-se chitas francesas ;i 240. 280, :20, OOBERTAS I2HNEZAS DE CHITA A 20000.
* -. 5T'3'10 na l,,Ja do Araril- t Ven4e*e roa grande porcia de cober-
ORGANDYS DE STA DE CORES. | las 4ehfcs ebwem para cama pelo barato
Vde-se orgaiMiys para vestidos de se-jpresso de 25000 cada urna.
oras, fazeuda mullo modernas a 4i0 t?. j Vesse-e na foja do Arara 3 bakfes para
^f0' j qoalqaer esUbeeraito por barato presso
rUhaatiaaoiiiKui.ssulijuidecdr por nao se precisar d'ellea no estabeleci-
Vende-se brillantina ou mussuiirwi de!mente
e&r jiara vestidos a UO n ovada. IIETALIIOS DE CHITAS PRETAS E CASSAS
RUCADOS FRACEZKS A 060. A (20 O COVADO.
,^*de"St r'scads francotes para vestidos | Vende-se urna grande porcao de reta-
a 300 rs. o cuvado. ihoe de obvias e eassas pretas a 120 rs. o
Chitas largas a >. covado para liquida-.
Vende-se hitas escuras finas das largas | COBERTORES DE ALGODAO AI -5400
Lli
aj
____"" NOS GRANDES
iUWIXEtfS B NI ( C OS JE
GONSERVAT
. JT. 23
mira
.MUDOS
Largo do Tertjo.JT. 23.
SIMO DOS SANTOS fr fl
jwia vestidos de seoburas, a 320 o covado.
Ditas tnalisadas escoras a 2S0 o ovado.
ALPACAS USAS A 500,
Veode-sc alpacas lisas para vestidos de
senbwas a 300 e GIO rs. o covado.
UaZINHAS TRANSPARENTES A 500 RS.
Vende-se taaaiubaa transparentes, para
sestidos a 500 rs.. ditas tapadas a 400 rs.
covado para liquidar.
ALPACAS DE LISTAS A 500 RS.
VeadeNie alpacas de listas para vestidos
a 50Q n o cavado.
BrtfLHANTN'A WtA.NCA A 500 RS.
Vsude-se brilluntiua branca pita vestidos
a 500 rs, o cavado.
ALPACAS MaTISADAS fiiO.
Vende-se alpacas alisadas para vestidos
de senhora a 040 rs. o covado.
CORTINADOS PARA .JANGUAS QOOO.
Vende-se cortinados para janellas a tS000
par para liquidar.
SEDAS DE CORES I 000.
Vende-se sedas para vestidos a i 000 o
oo vado.
CORTINADOS PARA CAMA 140000.
Vende-se cortinados pura casia a 14 000.
GOLLfNHAS PAKA SENHORA 100.
Vende-se urna grande poi^o de goliinhas
fara seohoras e meninas, a 100 e 200 rs.
cada urna para liquidar.
CHITAS PARA COBERTAS A 320.
Vende-se chitas largas para coherta a
3 e 360 rs, o covado.
MANGUITOS E GOLEAS 500.
Vende-se manguitos c ollinnas para se-
shora a 500 ts. ditas do Imito a 640 e 800
rs: cada urna.
CHALES ESTAMPADOS 2000.
Vende se chales de merino estampados a
2000 para Uqgidfr.
CAMRRAlAS VICTORIAS 6*000.
Vende-se cambrains Victorias finas s
000 6^500 e 7 >KK). por sor liquidacito.
ALPAC\SCOM PALMAS DE SEDA A 1,5000.
Yeud-sa alpacas Cun palmas de seda para
'cuidos de seuliora a 1 000 o covado.
ORESDE CHITAS DE CORES A 2i00.
Vende-se cor-tes de chitas de cores com
10covdos-a 25?K)3.
Vende-se cobertores de algodao cada um
U100.
BRAMANTE DE LINHO FINO A BARATO
PRESSO.
Alsodito raitfadi de dufts lar-
guras f &
Vende-se algodSo transado de duas lar-
guras a 1(5200.
MADAPOLO ENFESTADO A 3j$500.
Vende-se pecas de ma-japotao de 12 jar-
das a 35500 a p0i.
ALGODAO A 4000.
Vende-se p<*g s de a/godo eocorpado a
A1. 5;5, U e 7:M>00 a peca.
Madapoln a Osa.
Vende-se peca de madapolSo de 24 jar-
das a 5 6:J e 6>500, dito muilo fino a 75,
# 9; e 10$ a p*ca para liquid r.
ALGODAO DE S PALMOS OE LARGO.
Vende-se a%mHto com oito palmos de
largara proprio paia lences e toalhas a 900
rs, o vtro.
ALGODAO DE LISTA A 160 RS. O COVADO.
Vende-se algori de lista proprios para
saias ou vestidos para escravas on calcas e
carnizas para escravos por ser moito forte a
!60 rs. o covado para liquidar.
Cortes de castor para ealca a
fH rs.
Vende-se cotes de castor para calca a
500 rs cada om.
CORTES DE BRIM PARA CALCA A I400.
Vende-se cortes .le brioi de cor para
calca a 1-5400 cada um.
Itriin pardo liso a .* rs.
Vende-se brim pardo liso, meio linho para
calcas para traba I ho a E00 rs, o metro.
angas para calca a 8SO rs.
Vende-se gangas inglesas para calcas e
natitols a 280 r-. o covado para liqnidar.
CORTES DECASEMHU OE CORA 35O0.
Vende-se cortes de casemira de cor para
calca a 3500 cada nm.
Ditos mui o finos rom listas do lado a 5.
PERCALAS FINAS A V.:>.
Vende-se perca as finas, para vestidos de
senioras a 440 rs. o covedo.
Cassas ira ec/a* a IO.
Vende-ie cassas franczas para vestidos
a 240 rs. o covado.
PROGRESSO
10 Patto da Peuha 10
DE
SUTOX* FREEIRA.
s propnetanos destos bem sorttdo* armizens partioipam aos seos mnomeros
iregaezes Unto desta praea como do matto qne tendo mito grande diminmeo de pre-
cos as soas. mercadonas es o por isso resol vtdos a vender por menos de 40 e 20 t0,
co que eo: ootra qnalquer parte, garantiado-se portante n s ptrwr qualidade de qaal-
quer genero romprauo i este* otw estbelecimentos. Mencionamos algnns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprehendidos os otrtros, porque enfadoobo seria men-
Se alguem duvidar venha ver.
Gaz americano marca Deves a 8800 a
Vinagre branco mandado vir por eonta
proprta viudo de Lisboa, a 320 a garrafa t
480 o litro.
dem tinto Figoeia, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
. o Miro.
\ mho Figoeira, Lisboa, Porto e Estreito
a 560, 500 480 e 400 a garrafaJitro a 840
760, 720 e 600.
Vinbo branco puro de Lisboa a 640 560
a garrafa, em porcao ha abatnente.
Vinbo do Porto.
1*U, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
Azeite doce de Lisboa a 900 i 000 a
garrafa em porgao faz-se grande abatimen-
to.
Caf em caroeo a 220, 240 e 480, a li-
bra o kilograramo a 480, 640 e 600, e
7000, 73O0 e 8800 arroba.
Milbo alpista 200 rs. a-libra e 440 oki-
logramma e 5800 a arroba, em porcao ha
engarrafado das melho-1 abamento.
Qneijos frescos do ultimo vapor a 3200
e3400-cada flm.
Aletria, macarrao, tfilharim a 500 rs. a
libra e 1100 o kilogrammo em caxao ha
abiioiento.
Sabio massa de l1 e 2 qoalidade a 220
e 240 rs. a libra era caixa ha abatimento
Toucinbo de Lisboa rauito alto a 400 rs.
a libra e 880 o ktigrammo, em arroba ba
grande dilTerenca.
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
res e mais acretadas majcas a*l000 e !20
I500 e 2 a garrafa.
dem Bordeaux, Medoc e St. Julien a
7500 e 6500, a duzia e 640 is. a garafa.
Genebra de Hollanda e laranja doce aro-
mtica a 66500, 7. 115500, a frasquetra.
Sen>eja Bass, Ilfers 4 Bell a 98O0 du-
zia era poreso ha grande abatimento.
dem marca H eT e outras marcas a
5o00 6, a dazia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ha outros muitos
S 5i S E? Francy-cracynel. a, b, c, Mediara, mixed. soda Fancv-nic-nac, pa-
ace de Vanetes, comb.nafion.. Britania, doce de 2oiaba fina, chnuri IZSt 5,
- goiaba fina, chouricas, manteigas finas
mgleza.banha de Balt.moor, phosphoros de Sycuryt. Cognac, cha de diver-
wnella, pimeata. do remo, en-adoce, pomada, enxofre, breu, peixe
sas qnadades,
Z Sp6^?38 ^,a,idades- faril,a de mHbo americana, grandes molhos de sebol-
aokTm nSS ,aX8nS emie taml>eaif^nd6ortimen-o de loucas propnns para ne
gocio, que pelos seus comm&dos preoo faz vantagem aos compradores
MAhJJk
GALLO VIGILANTE
Rila do Crespo a. 9
Os propietarios desta bera conhecido estabale-
cioMBts, atm dos multo oiyecfca que Un&aa ex~
postos a apreciaeao do respeftavel paWico, man-
danun rir e aeaham de reeeW pelo ultimo vapor
da Europa ar complet e vanado sortimaMo de
finas mui decudas es|Mcia!idadea, as^maesea-
te resoi\ido a vender, como d sen ^^mnr
por preeos muito baratinhos e commodos para to-'
dos, com tasto que o Gallo....
oit wtperiore luva de pellica, pretas. bran-
cas e do ai lindas crea.
Mui boas e bonitas golliuhas e puntaos para se-
nhora, ueste genero o que ba de mais moderno.
Superiores peute de Urtarnga pan coques.
Lindes e riquMsiaos enfeitea pan cableas das
Exmas. senhoras. ,
Superiores trangas pretas e de cores com vdri-
Ihos e sem eiles; esta faieuda o que pode aaver
de melhor e mais benito.
Superiores e tonitoe leques de madreperola,
marfina, sndalo e oseo, sendo aqueltei brancos
com lindos deseahos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as quaee sempre se venderam por 30*000
a dazia, eatretsato que nos as vendemos por *)*,
ajeo destas, -tenaos tambera grande aortknento de
outraa quaitadex, entre as quaes aitmnyy muito
finas. *
Boas bengalas de superior canna da India e
eastao de marflm com lindas e encantadoras figu-
ras do mesmo, neste genero o que de melhor si
pode desejar ; alm destas temos tambera grandf
ouantidade de outras quajidades, corao sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Pinos, bonitos e airosos enieotinnos de eadeia e
de Osaras qualidades.
lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias.
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a 12 annos de idade.
Navalhas cabo de marOm e tartaruga para faxer
bausa; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e dos por soasa ves tam-
bem aaseguramws sua qualidade e delicadeza.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulha^ para machina e para erox.
Linha muito boa de peso, irona, para encher
labyrinlho.
Bons baralhof de cartas para voltarete, assim
como os tont-* para o mesmo fim.
Grande e variado sortmento das melhores per-
fumarias e dos melbores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsoes, e
facilitam a denticao das innocentes criancas. So-
mos desde amito recebedares destes prodigiosos
collares, e continuamos a recete-los por toaos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
tomo ja lem acontecido, assim pois poderlo aquel-
las que doHeg precisarem, vir ao deposito do gallo
visitante, aonde sempre eucontraro destes verda-
oeiros collares, e os quaes attendendo-se ao fim
Sira que uo applicados, se vendero com um mui
minuto lucro.
Rogamos, pois, aviBta dos objectos que deixamos
declarados, aos nossos fregueaos e amigos a virem
comprar por procos muito razoavois loia do gallo
vigilante, ra do Crespo n. 7.
i. a wn mm
A rua do Duque de Caxias n 21
fAITIGA MU 0 0UEIKAD0)
Receben segrate : "'
E-pelbs SnSM ().iur(ios. iwoUU-t irtiw.
Carlekaf, eharuteir-s e poit-cigaiiw do aU(u,
qualidades.
ItonirsK pastas para papis, imple matisxW.
Boas raixas vastas para costura en sna e. mpe-
tente chave
Deliradas caetas du nurlim d.ni o boeai de
prata.
M-Mlernos pentes de lirtarnga, sobies;.hra tre elles v$ mimuses lelegtaphistas.
Commudo teucadores mu duas gavetas e ) eepelbo.
.Port bouquet *> que de melhor era appare-
Piirt relogioa deranitas iioalidades.
B<>ns la Hieres para cruniea*.
Votoarios, taapozrahd, toucas. ap3tos e motu
para baptisados.
Toatns e IVonhas de leifc'vrinfho. '
Chapeos e ehapattuaeperi senboi a, moldes n .w*
e bonitos.
Chapozinbos
meninas.
gurrts e b..nets pira meninos e
Cobtru as <:uvh1&5s as
trncas
Vende-se os vrdseeiros abares na Nova Espe-
rance, roa do Diiqu-' de C-.xias n. ti. '
PAHA TISGtlt CABELLOS
para prctn ou ratsnli s, renetwu a Nova Espu-
tases a verdadeira jlnu incleu.
PAKA ACABAR COM AS SARDAS
ou pannos, tem a Nova Ksperanra o verdadeir
leite de rosa! brancas.
AGUA DE FLOR DE CARAMA.
Vende-5! na Nova Esperanza, na du Duque de
Casias n. 21.
PAPEL PARA ENFE1TAR-SE-BOLOS
recebeu-us muito lindos a Nova RspeMnc.i, rea
do Buque de Casis n. i\
PARA AMACLAR E AFRMOSEAR A PELLE
tem a Nova Esperauca s sabom-us de pos o>
arroz.


fe
#
Cortes de seda e de cambraia bordados M
*&$ 0 Cvsne a roa da Imperalriz n. 64 acaba de recober lindos e modernos corles do
v_--7 vestidos de seda, pretos e d<- cores, lisos e roatisados : assim como corles de cambraia
<^S braDcos todos ricamente bordajes, es quaes vende por commodos precos.
Laa para bordar a 5^500!
fSQi
"', Aca,a de rfC^,t;'' "' grande e variado sorumsnio de laa, qual vende a 5300
^i^ a -libra, cures sortidas.
m Pitas e galoes de seda
*Y& Reeebu lamben om lindo soriimento de trancas, franjas e galoes de seda, e um
fW vanado crliraento de filas de sarja, selim e cbaroalote ce todas as cures e larguras, e
um sem nurcero de ai!ig;is proprio de dito estabelecimento.
CM.


sis
AOS SRS. ALFAIATES
Caegou lojt das Colunnas, da roa do Crespo a. .13, de Antonio Correia de
VaseonsePos. superior velludo prtto de seda.
i 11 .v{*a de s. Pedro-l
13
Os
Una da
LYSSES &!RMO
proprietirios deste bem conhecido e a creditado estabelecimento avisao aos
sfuj nnmerosos freguezes tanio desta praca como de fon, e esperialmente ao lustrado
corpo ACADMICO, que este estabelecimento ada-se sempre bem prvido de todos os
artigo? de seo gneros bbaixo mencionados e qoe vendemos por mdicos precos, tanto
avarejo como por atacado para negocio, para o qoc se podem derigir por carta a nossa
casa que sero saptisfactoiiaaenle servidos.
LOJD
UMPHO
RUA DO DUQUE DE CAXIAS N. 7,(OUTRORA 1)0 QEIMADO)
DE
Esto novo estabelecimento j b.*m conhecido nesta capital, os seas proprieta-
rt>* fazem sejeote aos seus freguezes e ao respeitavel publico qoe conservam sempre o
welhor e mais variado^ortimenlo de fazendas para stmh .ras. boiueus e meninos, sendo
soa especialidadeenxovaes para ooivados eprepar'os pa a salas.
Para ni ivas
Ricos vestidos de blond de seda bordados de dua< saias o qne ha mais rico e
com todos os preparos.
Gorgurao branco de seda, superior qualidade.
Madtas de olon-l com eapellasjds flor de laranja : s na
B.ua
Loja do Triumpho.
do Duiut de Caxias n.
7.
CURA
34.RA LARGA D& RDSARI0S4,
Mr>|Sf
.,,Si
^t^ieg^
ntva
r
=3 w
Sn.* -

yjpul Ipinono. da sai cwtpoaicAo, nnQ.yi
ipnr e ana
km Mr* i miw ftiitai, t
Amm; wm* 4'tt* UpiU. m
acedeau a t anona km
IWI
-TTtAr
EMntttw Mrvioo ape lie pnaucM t^ u
todtNtodMet.-^
eou e ofcrigdo. mre
CHARUTOS
inperiores de Havaaa, Hamhurgo, Babia,
das acreditadas moneas Regala Brilarca
Imperiaes &: do do Rio da be;n conheciils
marea Opera e outras mnius sitas aqui de
sal'amados Beberibe e outros que se ven'Jem
em portees.
Cigarros
le palha de S. Paulo, de 3D00 a 75000,
o milheiro; verdadeiros do afamado Daniel
do Rio Novo, Maurity, Imperiaes Viscoode
de Herval, Duque do Caxias. Gandon etc '
de papel, de fumo de Daniel, General
Osorio, Conde d'Eu, aromticos, e peno-
raes, Kocamtyde, Radicaes, Acadmicos,
MacharaDomba, Montevideo. Orientaes, Bae-
pendy e auitas outras qualidades.
A/amados de &AEPENDY em cixSm do
10 libras l&iOO rs. a libra, em pocotes
iM, e em pon;5o l quarta a 640, o a 300 ris ; dito Daniel doj
lio Novo, do Para de S. Paulo, Caporal.
e raudas outras qualidades,.
hb:( i nr,
VARIEDADES
PONTEIRAS de espaoa finas para cha
rutas 3 cigarros, completo sortmento.
CACHIMBOS de superior esjmma, de ma-
deira (raz; de ty at 3,500, ditos grandes
a 13,000, a duzia ditos finos diversas quali-
dades a Vi-rejo; dito p Ue galliohas do que
ha no mercado a 2,800 e 3,00 a duzia;
ditos de lotiza, gesso, barro, ele, ele.
BOLSAS para guardar fumo, de borracha'
e turo de diversos modelos e gostos.
CARTEIRAS de
cigarros.
todos os systemas para
PHOSPHOROS de cora, dos melhores que
ha. em calas de 300 a 5,300 a duzia, em
cacas de 400 4,500 a duzia, em caixas
de 2,500 2,000 a duzia e umitas outras.
PAPELdemilbo. de aM'oz, san-'om, Per
san, pintado, e palha demilho, de Fernando,
e papel de U&ho.
t K.AIIItt^.
Com promptido apromptamos qnalquer encommeoda dos afamados agarros de seda,
Baependy, linho, e de oatras qualidades da nossa bem. c-jobecida fabrica, o bem atiesta
superioridade o noasos cigarros, numerosa tie,ueziaidesoosao estabtectmeatos.
N. 1 Travessa de B. Pedro H. 1
XAROP
VEGETAL AMERICANO
ESALIDAO
BARTKOLOML
' ara m oartt ss SMta tafafa
e reeeate, ^mrrW palomar,
tesMtin, osa geni uatrt Udn n ubimttWi das lias rupissnHi.
DEPOSITO MAL
ii, ROA UB6A I UBJO. M
PERMAMBUCO
*tB
Mssikor
Ocordeiro previdentt
Ras de Queiniado n. t.
Novo e variado sortimento de perfumara
finas, e outros objedos.
Alm do completo sortimento de perft
caarias, de que efectivamente est provida
toja do Cordeiro Providente, ella acaba
receber um ootro sortimento que se tora
aotawl pela variedade de objectos, superior
dade, qualidades e commodidades de pr.
eos; assim, pois, o Cordeiro Providente pee
e espera continuar a merecer a aprecia?
do respeitavel publico em geral e de 8"
boa fteguezia em particular, nao se afa;
tando elle de sua bem conheddamansidt
e barateza. Em dita loja encontrarse. <
jpreciadores do bom:
Agna divina de E. Coudray.
Dita veradeira de Murray & Lamman.
Dita de Cologce ingleza, americana, frai
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico psra "conservacao
isseio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e cha
eos agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparem
a ostras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanei
franceses em frascos simples e enfeitadoa.
i Essencia imperial do fino e agradavel du-
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igu
mente finas e agrada veis.
Oleo pbJ locme verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad*
oem escolhidos cheiros, em frascos de diffi
rentes tamanhos.
Sabonetes am barras, sudores e maaort
para maos.
Ditos transparentes, redondos e em fig
ras de meBinos.
Ditos muito finos em caixinba para barL;
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand
bflutus.
Ditas de madeira invernisada contendo
as perfumarias, muito propriaa
entes.
Ditas de papelao igualmente bonitas, ta
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, a
moldes novos e alegantes, com p de arre
a noneca.
Opiata ingleza e franceza para dantos.
Pos de camphora e outras differeau
foalidades tambera para dentes.
Tnico oriental de Remp.
Alada saals eoqsws.
Um outro sortimeoto de coqses de ot
vos a bonitos mados com fileu de vidrilh
e algnns d'elles ornados de flores e titai
3st3o todos expostos apreciad de qoe
as pretenda comprar.
GOLLIOUS E PUNHOS BORDADOS,
Obras de muito eoste prtetelo.
FWeMase fitas para ciatos.
Bello a -variado sortimento do taes objat
loe, ficando a boa eecolhaaogosto doce
arador.
parapr
Rival sem segundo
RUA DO DUQUE DE CAXIAS 49
Estou disposto a continuar a vender tedas
as mindezas pelos baratissimos precos abah
xo declarados, garantindo ludo bom e pic-
eos admirados.
Caixas com 20 cadernos papel pau-
tado a........
Caixas com 50 novellos de linha
do gaz a....., .
Duzias de meias cruas superior
qualidade a.......
Pifas de babadinhos com 10 va-
ras a.........
Pecas de liras bordadascom 12
metros cada p ca a l#500 e.
Pecas de fitas para eos de qnal-
quer largura com 10 varas a.
Escovas para unhjs fazenda tina a
Ditas para denles a 240, 320,
400 rs. e....., .
Pecas de tranca lisas, brancas a
de cores a.......
Caixinhas de madeira com alfinc-
tes fazenda superior a. .
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 400 rs. Q.....
Pares de meias crua* para mf
nos diversos tamanhos a.
Duzias de meias brancas muito
finas para senhora a. .
Pares de sapalos de trenca d..
Porto........
Pares i'e sapatos de tapeto a. .
Livros de inissa abreviados.
Duzias de baralhos pan voltarete
Sylbarios noriopui'zes -a. .
Cartes com colxetes tcatreras a
A5otoaduias para colltte diverja
qualidades.......
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a......
Duzia de linha 200 jardas Alejan-
dre de 40 a 200 e, .
Caixas com superiores obreias a.
Duzia fle agnlha para machina a.
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a......
Pacole de papel com 20 quader-
nos...........
Caixas de phosphoros seguanla
muito superiores a .
Rema de papel paulado superior
Resma de papel Uto muito supe-
rior a...........
Garrafa com agua Florida verda-
dera a..........
Quaderno de papel liso amizade
Carretis de nba de cores com
100jarda8a........
700
409
3#H06
5K)
2(5000
NO
50C
900
40
!
Wi
:.,..
i-i.M"
I*:
:;.,iw.:.
'.
H'
400
iiaoo
250(H>
240
4ue
i#eoo
-0
l'Cii
20
2(1
juimoMr, runnaadM iitnut lwai>hn mM
Wf V.gel.l Abmtmm eme** U di# i ii
Uwk Oi.iU) ipotdn t^o. Of HitMMt m*>*.
Uta. 6r. JUrtkaloaM a CO SMm TmUiI *-
.uaaq. Pr^4 M c.ete23rwTeWS;

erUS.
r. m jmm wm SM tmtm, mnrr piiiSi
foca. PNPHma i.rof, V^tW i..r,7T^.
woajr*--------------
4? mate**!***.*'']*
txmm
bms r<**oasBO*
Cabellos
VeaAem-se cabellos de todas as cores, qualquer
leonsseiito, qoalidade aupariar, o caixa e
oroo eu peqttena : w rua da Cadeia do Re-
cite o. 51, t andar.
De da para dia, mais doce.
De goiaba.
De laranja.
Era caixSs e latas.
Fioo e ba xo.
Csixes groados e pequeoea '
PmpriQ para mbarque.
Vende se copstauemeute a rua Dirta a JH,
.UberrKi du Borffti.
'-*----- ^tf*1' '* W'"' '*rt*------y-..... y
Famhsi sJjb maudioca
So trMacbe Bario lo Uviameat, 90 largos
p aasembla, ba depositada superior Xaxiaba de mas-
diuca para venier-se : u-ata-senOmesmo trapiche
as so krsft i Corpo Saaw s., 1 aaw.
mis i us,
20Rua di Imperalriz-20
Fari & Lessa.
Acaba de chegar a esta nossi nova loja de fu-
zendas finas um variad sortimento de fazendas oV
laa e seda, como sejam : granadines do ultimo
gosto, popelinas de urna s oor, alpacas e Kan-
abas d cores, o que ba de mais moderno, ludo
por baratissimos presos, brilhantina* de core?, le-
cidos das indias, fazenda nova a imitacao de per-
calia, baldes de cliua fing: do saia de cor com lin-
das barras, fustoes proprios para vestido e roopas
de meninos ; agora grandes e admira veis p.T hin-
chas, saias brancas com liados frisados a :). ti-
cos cerpinhos bordados muito finos a 5/, halfie
modernos de arcos a V, ricas colchas para ram*
alcocboadas. sendo brancas e de cores, a 5t, 6a
7a, cambraia victoria liaa a Bi, litas transparen-
tes a Sf, 6f e 7.chitas finissimas escuras e clara*
a 380, 300, .3 e 360 o covado. camas de cores a
240, lencos brocosde cassa a 24500, ditos cbi-
nezes a 3500 a duzia, madapolo fino a *i* -
6*500, e musa Mipea.cr a 1, ISfcOO e 8, alp-'-
daozinbo largo proprio para lences a 6, psjir."
de a^odao branro traogada proprio para toal
de meta a 1*600 a vara, nramanle para lenc
2*000 e 3*600. o que ba de melbor, esguiin B-
uissimo a 2*200 e 2*300 avara. Manda mes
casas das Exmas. familias para melhor poderem
esculher. Tambem temos completo sojumento' 4h
peruraarias dos pronew fabricantes frasee *
incleaBS; ,*8 pessoa sae sedigoarem vir a mu.
luja tero occasiao de recoubecer a realidad d
que anntmciamos para nos justiflear.
4Qf 6(M>
Ricos coeiros de casemira bordados a crox t a
matiz rua do Crespo d. 23, loja da esquina.
Fariuha de Biandioca de Sauu
Oitfaartrw.
Da superior, viada pelo pataese ioglez Xarn
Black i ha-parte ensecada par oemraodidadn d"-
ompradoms, e oode-aeriios onaaieos de Jim;
irmaos it C, no caes do Apollo, e rua do Am nm
numero 37.
Pastos do gai a WOrs. a dnti de carxintas: t-
rato : na roa do Raogel 39, aofcwoa-
MACAMS
Cbegade peto ultimo vapor: no arma
Mondo era retse rua do Vi ri a. I. Ven

mais hajes sse ora as onasper jpartq
Van* seo ara osen ido"**!
&, rea 4 Cao>i 0. t% lo barpaat
MWtmm, coros o^rwsuraa, ni. fi
pequeas portees, estopas de todas as olarfsras. .


8
Oiario
de
9
Pernarobuco
__ Sabbado 23 de J
ulhp. de Wm
v/T -.bitl

UREaUTTOLL
A Revlata dos Doaaa Mundo*
a guerra do Paraguay
(Continuacao.)
Outro cabo de guerra que nao elle, bal -
do de intelligencta perspicaz e reflectla,
dessa rapidez e firmeza de oUo que.
10 lim, atinara de sbito cora os meros
effieazcs de conseguil-o, partira de ViMetft
onde acampara o exordio depflw do re-
bate de A'aliy, em drecco as fortificares
de Migustura margena do no, e, urna
-vea tomadas, ina atacar o imm.go onde_ el-
le se achava mais forte, nos entnncli'ira-
mentos de Lombas Valentinas. Mas o per-
spicaz e inteligente general brazileiro vio
para ogo que, desalojado o inimigo dcsses
entrincheiramentos e expellide, como se
achava. da linba dePikesiry, era insuslcn-
tavel a posico de Angustura, que se ren-
deria impreterivelmente, sitiada, como se
a^bava, do lado do rio por nossos encan-
tados. .
Acgmentalas as ferias dwponmeis com
os contingentes argeotino e oriental e mais
urna brigeda de infantaria e nm corpo de
artilharia a cavallo, vindos de Palmas MI
linhade Pikesiry, j enlo conquistada, o
exercto adiado mve le atinas, indo atacar o inimigo na *cde
principal de seus meios de acco,. n- pn>
pria base de suas oporacas. O ataqu-* fu
"eral c decisivo; as torcas alliadas mal-
saram em valor e intrepidez, e o resultado
dessa meimrave.1 jornada foi urna das vi-
ctorias mais completas de qae reza a insto-,
ria das batalhas. Lpez vio-se forga lo a
abandonar fortificaces, exerc lo e todo o
material de campanha, fngindo apenas com
f>0 homens po.- urna picada, talvez de an-
te-mo preparada para esse fim
Novos t oaros cragiram a fronte do du-
que. As Dtimacoes de reodimento Lope*
e uarn'cao de Angustura demonstraram
a raagnanimidade de seu corago e a gran-
deza de sua alma, s condescendencias ge
nerosas que elle teve para com os chefes
daquella guarnico nao merecem as censu-
ras com que pretenderam abocanhal-a3.
Pouparam indubitavelmente muitas vidas,
magnifico resultado para o general que nao
ve na guerra um duello de morte, mera
ostentaco de valor e coragem. mas ora
nieio dolorosamente indispensavel de obter
a paz. .
Nao referiremos os pormenores da baia-
La de Lombas Valentinas e rendico de
\ngustora, que o mrito da direcrio e o
valor dos combatentes se mede pela gran-
deza da derrota e importancia dos resulta-
\niquilado o exercito e destruido todo o
\ campanha, Lpez ficou priva
Vnlenzoels.
pjftbny. 4
Crropn Grande.
Caguidjura.
4
50
21
lal>
Wdadeiro eapito.
e o
trJ
instruir, vestir,
doimovij
\ Importancia dos serviros eminentes,
c mn *' rasileiro anda neste paiz
conteu i stados no Paraguay pelo
nobru duque de Caxias, mais resalta da eon-
Tontaclo do poder de Ltyez em Curupaity,
^}>pf';is em Lombas Valentinas.
Nao fletaos a doscripeo dos succeasos
immediatamente posteriores aorvez de Cu-
rupaitv. e tt-r-iveis contrariedades com que
o nobre duque teve de lottr; preferimos
transcrov-1'a da propria Revista, e como
se segoe :
t Km corisequeocia deste revz, as ope-
rarles activas ficram suspensas at o mez
de julho do ano* seguinte, durante dez
mezes que assignalrara um tempo de dolo-
rosas provacBes pbysicas e moraes para.os
alliados. A princip o pareceu ameacada a
cordalidade que e;itra ells reinava. Ten-
tativas de insorreiro que enlao surgiram na
Confederdcao Argentina obrigaram a p rtj-
da d.s urna parte do seu, contingente. O
proprio gene/al Mitre teve de relirar-se por
o*te motivo pira Buenos-Ayres, em dezem-
de 486; e deu-se ere lito ao b-ato
Imperto
bem calo
vez no
apenas
recorsos,
ai
in
guern
portantes
duas o mais.
Se duraaw.-todo terap
mandou otoateito mostrou
de Caxias. possuirem grao e
de da arte da guerra
earmand|o%|pWado
rallelamente orna columna
por B|llHLMIygeOJ
gtano in'
rtgifta ao ceaii
intrpido marques do Henal
que, Mitrando
genavd Bb-
4811, se di-
inimigo. &
fra enviado
dap&es e
~ m,lt.
bro
material do -
pe seus grandes elementos de forga ja
nao Ihe era mais possivel tirar formula*el
partido dos aciidentes do terreno, das gran-
des posic3es estratgicas onde quizesse
raaoter-se no interior do paiz. Por validas
e numerosas que fossem as torcas anda
reuniveis. jamis p.ideriam lutar vantajosa-
mente com um exercito disciplinado, pr-
vido do material necessario, atfeito aos com-
bates, dominando todas aguas da repblica,
entusiasmad pela victoria, companheira
fiel de suas fadigas.
Os acontecimentos posteriores encarrega-
ram-se de prov ir a verdade destas observa-
res, e principalmente a desinoralisaco
produzida pelas victorias de dezembro, no
animo da popuhico paraguaya. A cada re-
coniro das nossas forcas levantadas por L-
pez com" as columnas do exercito alliado
davam se numerosas e repetidas desercoes.
como d'anies nao aconteca, que o Para
guayo al ento prefera morrer a ronder-se
prisioneiro. Os desertores mostravam m-
formaces do estado das forcas immigas.
dos accidentes do terreno, e d'esfarie des
appareceria o desconhecido, um dos obs-
tculos mais poderosos aeco do exewiio
myisor desde o Passo da Patria at Lombas
Valentinas.
Os meios de resistencia que restaram a
Lpez poiem ser avallados pe'os seus re-
sultados. Em toda a campmha das Cordi-
Ibeiras, durante o prazo de 41 mezes, so
tvemos 459 pracas moras em combate (4)
Diz-se no emtanto que o inimigo, apezar
da vantagem das posicas perder durante
esse tempo 9,079 combatentes, sendo
3,317 mortos e 5,702 prisioneros, e que
Lpez tinha apenas comsigo 200 homens,
quando alcanzado pelas nossas forcas.
(t) Ascurra.
1
que elle pretenda separar-se da allianca. O
iaesmo se dizia dos Orentaes, que s.com
muitas dfQculdades entretinham o conWgeo-.
te de tropas, jS de si muito fraco, pelo qoal
eram representados no campo dos alnados.
O peso da guerra recahia quasi lodo
sobre os Brasileiros, e, quanilo importan-
cia dos sacrificios cnnsnmmados se compara-
va a insiijnificancia dos resultados obtidos,
nao paremia desarrazoado acreditar que eiles
timbem se retirariam da lula. Urna lingua
de trra que os havia condozido a nm lug'r
pestif:io, duas leguas exaciamente distante
do ponto de" desembarque, era com a occu
(>ai;ao de Coruz tildo quanto os alliados
tinham podiiio comerjmr por inais de dons
annos que durava a guerra. E podiam con-
siderarse bem senhores destes dous pontos-
Dorante aesiae) das aguasCuruzu foi com-
lesamente submergido pilo crasamente do
rio, e o campo de Tuyuty inundado. Para
cumulo do infortunio, s doeocas que Ja
victimavam as tropas, veiy ajuntai-se a cho-
lera-m'>rbns ; assim que at ao mez de
m io de !867 os hospital dos alliad s con-
tialinm pa mais de 13,000 joente, mais
do terco, da netade talvez do effectivo real.
Em posivo lo crtica o que azer ? Evacu-
ar, oa, se houvesse a coragem de perseve-
rancia, icar na defensiva, o que se fez com
eeilo, aperfeicoando-se os cammhos e gs
estabelecimaitos.
O a, quem assumio o commando do ex-
ercito braseiro depois do alaque de Curu-
paiiy, e exercea o dos ejrcitos adiados na
maior parle desse prazo d 15o tremendas
contr rjedades, foi o oobre duqoe de Casias.
elle coube a arda tarefa de lutar com as
consequencias desastrosas desse revz, de
reergoer a torea moral do exercito, de or-
ganisalo e discipl na-lo.
Nao pode embaciar-lbe o mrito rrecu-
savel de seu genio administrativo e prover-
bial perseveranca a grande vantagem inven
tada pelos informantes da Revista: com-
mandar nm exercito j experimentado por
tres annos detrabalhos ecombdes, elevado
a 50,000 homens, mediante reforcos enva
dos pouco depois em proporco considera-
vel. .
Quando o Ilustre general brasileiro ch -
gou ai Paraguay nao contava a guerra ainda
esse prazo de durac5o; as remessas dos
verdadeiros voluntarios, em grande escala,
j tinham cessado em consecuencia de
ordens do governo ; a mortandade nos hos-
oitaes e no camoo das batalhas tinha ceifa-
do cresod > numero das pra>is que haviam
ligurado nos prmeiros combates; pou os
eram os guardas nac'ionaes designados: so
avultram os reclinados., e principalmente
os libertos, que de certo n5o podiam ser
comparados, sob nenhom ponto de vista,
acs prmeiros contingentes de voluntarios,
guardas nacionaes e tropa de linba, remei-
lidos para o theatro da guerra. O exercito
brasileiro foi sempre quasi todo nm exerci-
to de remitas, pois em grande parte se or-
ganisra no momento do perigb-, e raras
eram as prac.is que por mais de dous annos
podiam resistir a tantas causas de destru
Cao. Nunca as forcas alliadas no Paraguay
altingiram o algarismo de 50.000 homens.
Diz Thiers, Historia do Consulado e do
eslra-
em frente do sitio por onde se j
a toga, estivesse anteriormente
incessantf daJcamr,
da nte,Tmoa*<* ta'mDem possdir n<# me-
ma "rao a outra metade nos conMtt que
dirigi desde o movimenlo |fU'y^*lfl
Lombas Valentinas, elevando-?! ffesrafte a
toda altura de nm venfadeiro e grande ca-
P' No rapidaitiffrafio ooe tepe*1 do desem-
barque no Cbaoo a Loa*as Jalenimaf nal?
v o Sr. Xavier Raymond de notaveT, alera
do vigor que desta vez mostrara o marecbal
Caxias, senao'a falta de.persegmeo a L-
pez. Nao comprehende o eximio escr.pior
como isso podesse acontecer, havendo no
exercito alliado de 3 a 4,000 homens deca-
vallara. :
Entretanto nada ha ah mais comprehen-
siva, urna vez sabido que Lpez tuviala-.
cido vergoohosamente por urna picada tao
occclla, que a propria Linch a ignorava,
acompaohado apenas do 60 cava leiros.
O q^ie seguramente nao se pode ompre-
hender como o com mandante em chele
do exercito. enllocado provavelmente em
grande distancia do logar da fuga tena no-
ticia, em to vastissima rea de operacoes,
de todos os pontos por onde algunas? deze-
uas da cavalleiros podiam relirar-se afim de
em tempo impedir-Ibes a passagom ou se-
gui-Ios no encalco. Nao seria a
nhar que
ffectuon .
estacionada alguraa forca. chamada de-
pois pelas exigencias do combate a oceupar
outra posico.
Como arrojar-se um corpo de cavaltaria
por estreita picada, em seguida apenas de
alguns cavalleros bem moudos prestes a
dispersarem-se pelo mato apenas avistassem
quem os perseguissa ? E caso fosse isso
possivel, seria proprio de um capitao, que
nao sabe dizer: Eu nao cuidei, arriscar
torcas em terreno de todo desconhecid ex-
postas a sorpresas, a serem atacadas pela
reserva que o inimigo poda anda ler e
conservar oceulta ? A realizar se esta mano--j
bra. novos'reforcos, to numerosos como as
circumstancias o exigissem, partiran era
auxilio de nossa cvallaria, ao passo que
retaguarda do exercito conservavam-se amda
em poder do inimigo as fortificacoes de An
castora, ponto verdaderamente estraleg ^o,
chave da aaragacio do Paraguay e talvez
de nossa base de operacoes, pois a estrada
do Chaeo, submergida..pela inundar) das
aguas do no, s esistft na memoria dos
que a tibbajn atravessado.
Pergunlaremos ainda: como, depois de
vnte ou mais das de porfiado combate, se
ach.riam essas 3 ou 4,000 pracas bem
montadas, disposta3 e convenientemente
preparadas e^m posico asada para perse-
guirem um grapo. de cavalleros, no mo-
mento em que estes se retirassem e onde
quer que O fizessem eui vastissmas- ex-
tenefies ?
N5o comprehende o Sr. Xavier Raymond
a razo de nao se tr perseguido a Lpez
depois da batalha do- Lombas Valentinas ;
mas comprehende porque nao foi elle per-
seguido depois dos diversos combates pele-
jados na campanba das cordilheiras. E' pe-
na nao exhibsse os motivos de seu pensar
assim em um como em outro caso. Fra
curioso aprecia-los.
O reparo que elle lambem faz de nao ter
o exercito alliado, aps a tomada de Hu-
mait, acossado o inimigo e dad golpes de-
cisivos, s poda ser razoavelmente feio
por quem possuisse exacto e pleno conbe-
cimento de todas as cousas da guerra, dos
accidentes do terreno, posicSes do inimigo,
meios de defeza e alaque, dados que certa-
mente nao possuia o illostre esenptor, como
o demonstra seu proprio reparo.
Consegoida a rendico de Humada, con-
cbela o Sr. duqoe'de Caxias o exoellente
plano de campanha que, a ser execatado,
poria brevemente termo guerra. Trans-
posta a linba de Tebiquary, urna vez des-
truidas as fortificacoes que a defend-m, o
exercito partira de Pare-Cu marchando pa-
i Paran para tener o $oamapdp^d|s foi-
O^lli estacionadas e cafar por eese lad
em operaedes. Mis o piafo nao pode ser
ejecutado; faltara s eios. A forca
existente em Agriaoehy wi muito diminuta
ainda em se. l*|o reiiaiaa algUipas- colnn
:s tirad^e*xerca, nao tictria. habilita-
da a operar com seguranea contra as forcas
injmigas, que.tinlw peta frente. Fbi, por-
tanto, preeiso mudar de plano.
js dSIficoldades da canaianba do Para-
iy^stmgmam-e ptincioamentb pela ig-
os qne casseveram conamettem. nm f*c contra o Espirili4Snlx>, oagam- i
reconttAdatp
A efuaa ta-reraia. i ont*a e- laaalo
versa. S-a ignora-Qoem de propoeiao nao
a quer sanar.
sotdo o-commando
i|H
rcito a sea
late, depois d|aqr jbeca qne
iCatht <0o.ono-
qoe de Caxins nao......... i de sna
DosicftVDoeMrceo nm dlrelte, cumprio
*penas um.dew, como se tiv&e sid
No
dia 47 de Janeiro, lvee ao Aten >ld0 em combate. Artes delle, j* o.J
gu
norancia absoluta da topographia de um
paiz, Com) que formado de proposito afira
de impedir toda e qiulqiier tentativa de in-
vasio.
O exercito s conbecia o terreno em qne
pisaba. Opair. deserto oo devastado ne-
nhons recorsos o recia. Em laes eir-
cumsncias toda a cautela era pouca. Mas
quando surgi a occaso, chegou a vez, os
golpes decisivos nao faltaram; a prova ahi
est as batalhas de dezembro.
A linha de P.kisiry nao poda ser atacada
immediatamente pela frente, vista das ra-
zes expostas na ordem do dia n. 272 de
44 de Janeiro de 4889. lirmadas pelo gene-
ral era chefe, e sao as >cgintes:
Deoois que me convenc pelos diversos
reconhecimenlos a que roradei proceder, a
alguna dos quaes possoalmente assist, de
que o inimigo as suas trincheiras de Piki-
siry. onde se collocra, nao poda ser ata-
cado pela frente e pelo flanco direito, em
coosequencia das diiculdades que se oppn-
nham marcha do exacto provenientes de
de legua e meia de
eram abastecidas
FOLHETIM
a un depoTs di mn
POR
Xavier de Montpin.
P.iKTE SECUMDA.
O HORSCOPO
(Contionaco do n. 463;.
II
Mara e Olympla.
Ao entrar de c|ieo no estranbo drama
qae nos propzeomos narrar, jolgamos op-
portuno, e at indispensavel, dJzer algumas
palavras acerca d'elle, qae sirvam de pre-
facio e advertencia. .
Vamos referir casos to prodigiosos,
veremos realisar-se crimes to inauditos,
combinados com habilidade to infernal,
executados com lenta audacia e presenca
de asprito, qua talve os nossos Ieitores
nos alcunbem de inverosimeis.
Muitos nao qnerero, certamente, con-
vencer-se de que a alma humana possa
chegar tal exremo de perversidade ; al-
guns bao de suppor que esta narrativa o
fructo da imaginaco de um romancista
ancioso por despertar todo o casto a
attencio do publico enfastiado, e que tenta
consegoi-lo fazendo vibrar a corda das
mais fortes commocbes.
D'esta ultima accasaco nos queremos
nos justificar primeiro que tudo, cousa que
nlo ser difficil.
O here principal da nossa historia nao
um person imaginarioi Todos os
ie tedios attrbnido
e oi que d'aqui em diante lhe veremos
execuiar, longe de sermos urna invenco,
resollad) dos mais authenticos dados.
.-.tos que levamos referidos e os
qae nlo tardarlo em segui-los, sio vtrda-
i histricos em toda a extenso da
nm banhado a transpdr
exienso, e cmas aguas
pelas da lag.a Ipo, tralei de levar a effeito
^> plano, que concebra, de contorn'-Io pelo
nano esquerdo.'sendo a base das operacoes
ulteriores o GrSo-Ciaco. .
Nao param ahi as censuras doSr. Xavier
Raymond. '
Talvez o marechal Caxias, di^se elle,
tendo destruido c dissipado o exercito ini-
migo (cumpre nao esquecer esta consso)e
tomado ou aniquilado grande parle do seu
material, se convencesse que a guerra <-s-
tava acabada. O certo que seapressou
a declara-lo em ordem do dia, e contentn-
dole de fazer entrada solemne na Assump-
Co, embarcou se para o. Rio, sem nem se-
quer esperar autorisaro do governo.
Eis ahi como escrevem a historia, a le-
viandade ou a malignidade, a ignorancia dos
factos ou o abuso da confiancae boa f. Em-
bado 1 perdera seu tempo. A verdade tem
muita forca, ha de dominar sempre.
t Invisiveis vapores i
t Da baixa trra contra o co erguidos
c Nao offnscam do sol os resp'cndores.
Exhibiremos documentos irretragaveis.
abonadores do proceder irreprehansivel do
distincto general que s nao fez o impossi-
vel para bem enmprir seu dever.
Na ordem do dia j" citada, datada da As-
sumpe-o, assim enuncion-se elle sobre a
terminico da guerra:
Os importantissraos aconlecimentos e
victorias as mais completas por nos alcan-
Cadas durante os memoraveis 25 dias de
dezembro prximo passado, puzeram ter-
mo, em minhn opinio, guerra do Para-
guay. O dictador Lpez foge atnito e es-
pavorido diante de nossos soldados trium-
phantes at qu possa -elTeclnar, se Iha fr
possivel, sua fuga do Paraguay. as con-
dce3 criticas em que nossas manobras e
a intrepidez de nossos soldados o colloca-
ram, restar-lhe-hia a pequea guerra de re-
cursos, se a repblica do Paraguay nao es-
tivesse, como est, completamente exhausta
delles.
Nao era esta a opinio s do illustre ge-
neral, mas de todo o exercito, de todos
quantos viram a Lpez as eminencias de
seu poder, invadind i Mato-Grosso, Corrien-
tes e Rio-Grande do Sul, offerecendo bata-
Iba a nossa esqaadra em Riachuelo, domi-
nando o curso do Paragoay pelas fortifica-
coes de Humait, suppondo seus dominios
inaccesMveis a todo e qnalquer exerclo in-
vasor pelas especialidades da .sua posico to-
pograpbica, e depois o viram sumir-se fugi-
tivo pela picada de ua potrero com to di
minuta comitiva. Em presenca de taes
factos nnguem teve nem poda ter ouira
opinio..
Mas foi pela ter compart io que o nobre
duque deixou o commando do exercito e
retiroo-se para esta corte ? N>, de certo ;
do ExercBi curiado o geneeal m chele
missa na eathedral com seu estado-maior,.
foi atacado de uro syncope que obrigoo
a relirar se da igreja.
Sabe-se que o Sr. duque de Casias ja an-
tes de ir para o Paraguay soffria gravemeiv
te do fijado, molestia endmica naquellas
regies. Merco de Deus, nao Ibe faltn a
sade precisa para bem camprip seos deve-
res, dorante os 27 mezes de prova$5ej tre-
mendas decorridos era cliaaas os mais r
hospitos. Nenhum commandante do exer-
cito sa demorou all por tanto tempo. Urna |
ves prestes a terminar sua raissio provtdeo
ciad, o mal kvcubado tez expiosao.
Tendo-se aggravado os incommodos.de
sade de S. Exc. diz o Diario de 48 do-Ja-
neiro, resol veo, avista do parecer dos m-
dicos, retirar-se por dlgum. tempo para Mon-
,tevido, onde esperar, ao. caso em qm se
nao tcaha restabelecido, sua exoneraco. en-
to sol'icilada ao governo imperial.
O Diario do lxerciwiinda d DOlisias de
duas ordens do dia dignas de especial men
Cao no caso vertente. Na primeira, datada
de Assnmpco a 18 de Janeiro, se declara
que o marechal cenunandante em. ebefe,
l-recisando mudar de clima, por conselho
do medico que o trata, deixa com saudade
as forcas de seu commando entregues ao
Exm. Sr. Guilherme Xavier de Souza, al
qae restabelecido volte para o exvreito.
Na segunda, datada de Montevideo, a 7
de fevereiro de *8G9, assim se enuncia o
nobre general :
Achando-me gravemente enfermo e
tendo ohltdo. do governo iixperial licenca
para tratar de minha sade no Brasil, com
o coraco opprmido peta dr que sinto ao
separar-me do exercito, a quem me coube a
honra de commandar, qne dirijome aos
meus camaradas para dizer-lhes meas adeu-
ses, rstaudo-me tnicamente o consolo de
os deixar ao3 cuidados do bravo e distincto
general Gu herme Xavier de Souza, que os
saber levar sempre pelo caminho da glora
que al boje tem trilbado.
Se por ventura tiver anda a fortuna de
restahelecerme nos lares patrios, contero
os mois bravos corapaoheiros de glorias e
fadigas que ainda voltarti um dia para con-
tinuar a ajuda-los na ardua campanha em
que nos acharaos empenhados.
Conclue-se evidentemenio destes docu-
mentos officiaes que o Sr. duque de Caxias
nao se retirou do Paraguay por julgar a
guerra acabada, mas por inhabililaca de
servico proveniente de grave enfermidade.
Se seretirasse por aquelle motivo, nao as-
severaria as referidas ordens do dia qae,
apenas restabelecido, voltaria a compart
Ihar de novo a glora e as fadigas de seas
companheiros de armas.
Nao deu tambom a guerra por acabada,
como paixoes partidarias asseveraram, nem
o podia fazer. Apenas julgou em sua opi-
nio terminada a guerra dos grandes com-
bates, vista do estado de fraqueza e des
moralisacao a que reduzira Lpez e seu
exercito, como j demonstramos, accrescen-
ndo agora que desde Tuyuty at Lon
arqueado narval baria, por grave raeom-
modo Vsaude, pa-sado o commando no
da 45 de julho-de M a
e
t
Valeatnas havia elle tomado ao inimigo
mais de 300 pecas de artilharia, inclusive
as que nos haviam sido lomadas em Mato-
Grosso, o cerca de 20,000 armas de infan-
taria. tendo posto fra de combate de 15 a
20,000 homens, entre mortos, ferdos e pri-
sioneros, restando-lhe apenas os 60 cava.-
leiroscom que suenira-se.
Chegadas as cousas a este ponto, nada
mais lgico e natural qje a opinio da so
possibilidade que o nobre duque reconhe-
ceu, guerra que tanto Dio julgou menos
digna de sua dirccao, como assoalhou a
maledicencia, que sa. comprometleu a des-
embainhar de novo a espada, se recuperasse
a saude.
NSo retirou-se para esta corle sem anto-
risaco do goveruo, mas depois de obtida
em Montevideo a licenca era lempo solici-
tada. Prevendo com muita antecipaQao a
eventualidade de grave incommodo de sau-
de. ou de ferimento em combate, que o ir
hibissem de continuar no commando
exercito, bava-se entendido a este respeo
com o ex ministro da guerra o Sr. Parana-
gu, que o autorisou a passar o commando
nos casos previstos, como pelo nobre mi-
nistro da guerra foi demonstrado na dis-
cnsso do senado.
se retirado para a provincia d* lito-Gran-
de onde receben-, a branca concedida pelo-
Boverno-d-m-a data de 46 d,e agosto, sem
me o partido ofatrradpr. rolan em oppo-
sico, mas que nones medio o mrito dos
defensores da patria pelas suas oplmoes po-
lticas,, fizesse a esse respeiio* o mihimo rt~
PaNo disenrso em qne o Sr. bario de Mu-
ritina com a eeetaroada proftwenea traion
'deste assumpto, iodcou os Domesop va-
rios jfeneraes que em iguaesnreumstanoas
ha iam procedido como os- Srs. duque oe
Caxias e marque do Herval, e citoa as se-
guintes carias qne reprodoaimos, demons-
tra tias de um procediment) diamelratoente
oppoeto ao que exprobrara a um general
verdadero rjpo dos dotes eminentes de sua.
Em cartatonfidencial de 4 de Miembro
de 4h67, eserevia o Sr. duqoe de Caxias
ao ex-ministro da gnerra, oSr. Paranagu*:
t Se o meo estado de saude contmrasse
como nestes dez mezes passados nada me
daria coidado; m?s ialeltiente ella P*"i-
cipia a 3rroiniMe visivelmente e se nao
obiiver melhoras, nao lerei remedio senlo
deixar o commando ao meu immediato*.
para ir delta tratar em clima taais benigno,
para o qne peco desde j licenfa a V. Exc,
pois cont como certo que nao poderei aqoi
atravessar1 o verlo, apparecendo-me com
antecipaco symptomas de molestia de fi-
gado, e quem sabe se de coraco, pois p
tenho amanhecido com os ps inchados.
Creia, porm. V. Exc. qne s deixare o
exercito quando de todo rae seja impossivet
manter-me no posto em qne o governo me
collocou. e tiver consciencia de que nao
mais poderei ser til ao meu paiz.
Em data de 7 de setembro exprimia-se
assim: Meus raeammodos de figado pro-
gridem ; anda, porm, felizmente estou de
p, e j com diflicoldade, entretanto que
cumpro os deveres de general em campa-
nba, o qual s deixarei quando de todome
fr impossivet prestar servicos ao meu paiz.
como j disse a S. Exc. na minha carta de
i do corrente,
Em data de 41 do raesmo mez e anno.
dizia o segrate : Por mais afincado que
seja o proposito de manter-me no posto de-
honra em que me collocou a confianca do
governo imperial, sinto qae os anuos e as
fadigas me tem alquebrado. que nimba
saide at agora mantida se pode de nm
momento para outro alterar consideravel-
mente neste para, cortado de pantanos e
banhados pestferos ; se, en fr constrmgi-
do a relirar-me. Etc., etc.
Nao era possivel prohibir ao illostre ge-
neral que fizesse aquillo que nao poda deixar
de fazer as emergencias indicadas, mas
seus escrpulos nlo pararam ah. Modada
a situaco poltica, dirigo-se outra vez acer-
ca do mesmo assumplo ao actual ministro
da guerra que lhe declarou podia deixar a
commando quando nao fosse possivel con-
tinuar a exerc-lo.
O Sr. baro de Murtba communicou
tambem ao senado que, depois da bataiba
de 44 de dezembro de 4868, lhe escrevera
o illustre general que, podeado dar-se o
caso de lhe ser impossivel continuar no
commando do exercito, muito instantemente
pedia se lhe designasse um successor a
quem entregasse o commando, p"is que o
Sr. visconde do Herval em quem elle confiara
inteiramente, e o Sr. visconde de 1.a,.anca
em quem depositava igual confianca, nao
podiam, em consequencia do seus ferimen-
ios. tomar o commando. Indicava na mesma
occasio para seu successor o S general
Guilherme Xavier de Souza.
palavra, e disso pode assegurar-se o leitor
que mais duvide, folheando o processo do
marquez de Saint-Maixent que consta dos
annaes da Franca jurdica no seculo XVII.
e se encontra em muitas collecces de cau-
sas celebres.
Posto isto, passeras a dar algumas no-
ticias, que importara para conhecec i fundo
tres dos principaes personagens do nosso
drama, sto-, o conde e a condessa de
Rahon, e a marqueza Olyrapia de Cba-
vigoy. ,
A condessa Mara de Rahon nao e de
lodo desconhecida para os nossos Ieitores;
bao de recordar-se que, disfamada com
humilde trajo e occultando o semblante por
traz de espaaso veo, a vimos entrar em casa
de Simoa Raymundo, a brnxa da roa da
Lanterna. A Ilustre dama desejava obter
a explicaco de um sonho exquisito, e cer-
tamente nao est esquecida a estranba res-
posta que obteve.
Quatorze annos antes do tempo em que
principia a nossa historia, Mara Armaoda
Angela de Rouille, filua nica do marechal
duqoe de Rouille, casoo na idade de de-
zeaele annos com seu primo em segundo
grao o conde Annibal de Rahon, e aquelle
matrimonio, contrabido pon amor, porque
os esposos namoravam-sa baria tempo,
una duas das mais destnelas, e opulentas
familias da Franca.
O conde era desde a juventode um per-
feito modelo de cavalherismo e fidalguia.
A sua ratotligancia eslava em relaco com
a sua alma. Coraco de^ouro, talante su-
perior, caractar firme e decidido, taes eram
os principaes dotes qae o adornavam na
parle moral.
A condessa reuna s brilhantes qualida-
des da dama aristocrtica todas ae virtudes
do lar domestico.
Em qoatorze annos de casamento na
se perturbara de leve se quer a pazcon-
jugat. Formosacom) os seraphins e boa.
como as santas, a seohora de Rahon dava
na corte exemplo de "ama vida to irrepre-
hansivel que a propria calamina nao po-
da alcanza-la com os seos tiros.
casados
amargo
Por isso
O conde va augmentar-se diariamente o
numero das suas honras e dignidades ; a
saa influencia junto do re nao tinha hmi
les. O carnho dos dons esposos cres;ia
medida qae se firmava o seu motuo apre-
C0 e estima.
Urna felicdade como a dos dous esposos
que pelos modos nao poda ser mais com-
pleta, tera contentado o mais exigente,
porque, segundo muitas pessoas pareca,
realisava o ideal da maior dita que se pode
alcancar n'tste iMdo ; e, ole obstante, o
conde tinba freqoeotes horas' de prdfbnda
melancola, e a condessa fechava-se ameu-
dadaa vezes no juarto para chorar.
D'onde proceiara aquella tristeza e
a quillas lagrimas ?
J o sbem ps nossos lettores.
O conde de Rahon e sua esposa
havia .matorae armos, vam com
peza'r a esterilidade da sua unio.
o conde tera dado de boa vootade as tres
quartas parles da sua immensa riqueza para
ter um berdebo do illustre appellido que
amaagava extioguir-se, porque era ello ^j
ultimo da sua linhagem.
A condesa ier3 feito sem .vacibar o sa-
crificio da metad n vida, com' tanto
que estretasse contrr o peito urna linda
creaturinha, um frgil thesouro, fructo de
suas entranhas.
Tinham consultado soecessivamente os
mais famosos mdicos e osempyriosmais
em voga; as perseguices *s ermraas e
capaUia,ieelbresp8la8' tena aalagrea, ha-
viam-se' repelido at a sacjtfide, eem;to-
daa as igrejas, dependentes des domimoa e
senborios de Rabn e de Rpu|Je, sefiteram
preces publicas. i. w .i
Tudo.porms era em barca : o conde
priocipiava j a dastoperar, e a prOfiW
condessa ia podando, pouco a PJJj
sera se atrever aj&ftte mgsOl* J
inarra ate
Ordens foram immedatamente expedidas
a esse muito distincto general, qne prsten-
se desde logo a seguir para o Paraguay, a
fim de tomar o commando do exercito em
qnalquer dos casos previstos. as confi-
do dencias. accrescentou o Sr. baro de Mu-
ritiba, que dirig ao nobre duque, dizia-lhe
que esse general all se apresentara para
snbsttui-lo se se dsse algum daquelles ca-
sos.
(Continuarse-ha.
samparra
ntemente urna
firme coi.
ento.
Essa confianca tova
N'a^l Campos, os cbarlates e
a casta^ImpostpteSetcOTtrtf^a fadaB
cesso at aos palacios e no animo dos mais
elevados personagens; e a- historia ah est*
para nos demonstrar que a guarda que
vellava s portas do Louvre nao consegmo
impedir que entrasse a credulidade na-
quelle recinlo.
A senhora de Rahon, tendo ouvido fallar
de um itliand. especie de medico astro-
logo qne viva em Florenca, e de quera se
afliancava que possuia maravilhosos segre-
dos, em virtude dos qnaeslprqporcionrao
prazea da malernidade a mulheres que nao
podiam espera-la, mandou chamar, costa
de muito dinhero, aquelle hojuem, que se
cbatnava Angelo Tiberani, entregando-se
sciencia d'elle e promettendo-lbe urna re-
compensa de cem mi S? se conseguisse o
resalado to ardentemente cobicado.
Angelo Tiberani, desejoso, como seba de
comprehender, de ganhar as cem mil r, e
acreditando talvez sinceramente no sen po-
der quasi sobrenatural, que nao ser o pri-
meiro exemplo de nigromantes e char'a-
les persuadidos da sua sciencia, fez con-
juros, interrogou os astros, acendeu os
fornos, preparou filtres, aqueceu redomas,
deskra plantas venenosas,, fundi metaes,
combino? preparaco^s chmicas, e com
tudo isto e outras mullas cousas compoz
urna beberagem bofrive!, droga funesta,
que obrigou a condessa a beber, promet-
iendo com armystrioso e solemne que nao
se faria esperar o resaltado.
E np se efiganoo, porque duas horas
depois de ter tomado a infernal bebida,
Mltava a condessa de Rahon agudos gritos,
estorcendo-se am borrives convulse6. Um
envenenamento formal lhe pnnha a vida em
^tffgo,' e os mdicos viudos de Clerraont
tuda a pressa, s moite costo poderam
IJyta la ualai apuro/ ficando a fidalga ainda
Mm cora a saude bastante resentida por
alguna mezes.
.glo Tiberani, clieio de
medo em presenca do resollado que nao
soobera prefer, foi esconder-se por ter
amor paDC^s, espera va, occaaio favo-
M*el ara- togir ; os criados, porm, quei'
j'procarnta orvosw, deram com elle no
1 m tnx>
esconderijo e pozram-lhe senlinellas
vista.
O conde da Rahon quz fazer uso do seu
direito de alta jostra mandando eojorcar
aquelle maroto, castigo bem merecido ; mas
a condessa, n'om intervallo de socego, que
lhe deixaram os seus crueis padecimentos,
pedio e obteve o perdi do que l'n'os occa-
sionra. f
Angelo Tiberani receben ordem para
sabir immedatamente do castello, e sem
esperar que Ih'o tornassera a dizer, poz-se
caminho; mas a chusma da criadagem,
que eslava espera delle para o irem en-
forcar, obrigaram-no a dar fres mergulhos
n'um dos tanques.
O italiano sabio d'ali meio aspbyxiado e
todo cheio de lodo, mas afinal conseguio
fugir, dando gracas sua boa sorte-
O senhor de Rahon fez jurar condessa
que nunca mais tornara a laucar lao de
semelhante classe de gente, nem faria uso
de meios to perigosos.
Cremos que esta rpida resenha ser
sufficinte para o nosso intuito, e passemos
a fallar da formosa Olympia, a linda mar-
queza de Chavgny, que morava no castello
da condessa de Rabn havia dous mezes.
Olympia era filha do visconde Reginaido
de Rahon. irmo mais moco do fallecido
conde, pai de Annibal, e por con
prima cn'-irmla d'esle,
xiroa parenta
sob o
seu voto de
em casamento.
e a sua maispro-
0 visconde de Rahon, que por ornea ri-
queza tinba a sua legitima, casou com a
menina da Rocha Landy, a qual s lhe le-
voa em dote a soa extraordinaria belleza.
A riscondessa de Rabn morreu ao dar a
luz Olympia, e Reg'maldo, sumido noiM
negro desespero pela morte de urna esposa
quem mava com delirio, deixou a Aa-
vernia. e procurou o esqnacimento dos aa
pezar* n'uraa vida de agitaco e de at|q-
turas""" ttm mano* de dous mezes diseipoo
A pobre Olympia, a menina desamparada,
foi protegida por seu primo Annibal, que a
poz no convento das donzellas fidalgas de
Clerraont, onde se creou e leve ama edn-
caco digna do seu elevado cothnfflo.
Na idade de desoito annos, quando a sua
roaravlhosa belleza assombrava quantos a
vam, foi a menina passar um outono no
castello de Rahon.'
Um vemo fidalgo, que jurara morrer sol-
tero, o marquez de Aubray de Chavgny.
com sessenta annos de idade e trezentas
mil^ de r.-ndimento, vio Olympia, e, con-
cebendo por ella urna d'essas insensata:
paixoes que s vezes se accend
gelo da velhice, esqneceu o
perpetuo celibato e pedi-a
Olympia, apezar da sua juveotude e da
sua belleza, era em extremo ambiciosa e
calculadora. O seu primeiro msimctivo
impulso, ao ouvir a declaraco do velbote,
que tinba tres vezes mais idade que ella,
foi um movimento de repulso ; reconside-
roo. porm, e pedio dous das para se re-
solver.
O resultado das reflexes que fez doran-
te aquelles doas das foi averiguar qne o
seu casamento com o mrqoez de Cbayigny
lhe proporcionaria urna riqueza inesperada
e urna grande posico para adquirir
taes vantagem, bem an podiam sacrificar
alguns annos de desgostos e dissabores.
Por ouiro lado ara fea de davida qoo
sexagenario marquez a deixala ^ava m
pouco tempo, independente e rica. pode-
ria ento escolber outro marido san con-
sultar mais do qne o seu agosto nioio.
Animada por ^ta esperanca, cassaramas
nesiuces de Olympia, e,decomdo o praso,
daolaiiou qne se asarte com az,
estipulndole elle cas W?gWl amau-
moniaes nm dote de iooe ?tenes oe k
orpha,.-
Ahi est, pois, como
o escudo do exiguo capital qae dezoto annos *T <
compiUma toda a sua fortuna, a como n'a-..-.
quella aoca-nunca um fidalgo se smcidava,
fez-se matar em desafio, deixando a m
seus negocios.
(Continuar u-k*
"S
II
.*1


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EROAQKDZC_5BXKM8 INGEST_TIME 2013-09-19T22:32:56Z PACKAGE AA00011611_13094
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES