Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13088


This item is only available as the following downloads:


Full Text
I
ANNO XLVI. NUMERO 158.
-
Oft



SABBADtt 16 DE JULHO OE 1*70.

.
or ASA i. CAPITAL l LUGAUS -OTOI IAO SE PASA POSTE.
Por adiantados................. 6jjOgO
^................. I2J000
*>or um anao \mn..................... UfiOOO
Mlt momoro avulso................... 30
PAfiA DETEO
DA PHOYUCIA.
Por tres mezes abantados
Por sen 'ditos irtn. .
Por nove ditos idem. .
Por. osa aaoo dem .
6*7(5
43*000
20*250
27*600

1
Vil
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.
MHMiy
------:------

i
* aeitjes:
Ga Srs. Gerardo Antn Alves 4 Filhos, no Para ; jGangalveB A 'Pinto, no Maranhio ; Joaquina Jos de Ofiveira, no Cear ; AnKtaio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chavas, no As9 ; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereirt d'Aimeida, em Mamanguape; Amonio Alejandrino de Lima, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penba ; Belarmino dos Santos Buido, em Santo AntSo; Domingos Jos da Costa Braga,
ern Naaareth ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas; Dr. Jos Martins Arios, na Babia; e Jos Bibeiro Gasparinho no Bio de Janeiro.

______
PAftTE OFHCIAL.
a.overno .tlu provincia
le n. *:. II i
O desembargador Francisco do Assis Pereira Rocha, 'vice-prc-
"idenle da provincia de Pernambueo : Faro saber a todos os seus
ululantes, que a assemblea legislativa provincial deoretoa e eu sane-
"toaei a resolucao seguinte :
Art. nico. jFit c fea da urna radaira do insiruccao prjmari
para septafcaatroliiv. na fregueiia de Saulo Antonio.
Revogjaasls ispocics c3 firnlrario.
Mando? por moto, too'as as autoridades, quem o conhacimento
teeooio da preseete resoluri perteneer, que a cumpram e fa-I
<;* cumprir fia inteiramente como nella se eootm. O secretado
uterino da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e
urrer. Palacio da presideneis de Pernambueo, 6 de julho de 1870,
49 da independencia e do imperio.
' S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sallada e publicada a presta resorucao nesta secretarla da
rcsidendavdp Pernambueo aos 6 de jolito dte 1870.
1 O secretario interino
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque
LE N. 944.
O deseutlarg.idor Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-pre-
sidente da provincia de Pernambueo: Face saber a todos os seus
Art. 3. Ficam revogadas as diiposieoes em eontrano. at tres dias, bem
Mando, portanto, i todas'as autoridades, quem o cenbecimen- sahido; da alaod
to eexecucao da presente nsoluco perteneer, que a cumpram o sendo .voramosos,
faoam cumirir tao irtteiramenle como nella se contem. O secretario Os Infractores pa
interino da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e bro na reineideac
correr. Palacio da presidencia de Pernambnco, 6 de julho de 1870, custa do dono o,
49 da independencia e do Imperio. i.c
L. S. Francisco de Assis Peretra .Rocha.
Sellada e publicada a presente reaolucao nesta secretaria da
presidencia de Pernambueo, 6 de jlho de 1870.
O secreurio .interino .
Elias Frederco de Almeida e Albuquerque.
LE N. 947.
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-pre--
sidente da provincia de Pernambueo : FaO saber a todos os seus
habitantes, que a asseaafcla legislativa previcial decretoa e eu sane-
'cionei a resofncao egninm :
Art. 1." Ficam creadas no lugar da Cruz de Almas, da fregne-
I zia de Nossa Senhora da Grana da Capunga desta cidade, duas es-
colas de rastruccao primaria, urna para o sexo masculino e outra pa-
ra o sexo femenino.
Art. 2. Ficam igualmente creadas cadeiras de instruccio pri-
maria para o sexo mascolino no povoado de Porto de Gallinhas,
em S. Jos de Ipojnca, e no ri Doce
o os objectos mercantis desembarcados ou
[_ou os que tiverem de ser embarcados, o que
nao possam ser recolhilos inmediatamente.
uo 13309') dj malta por cada ohjpeto- e u do-
pdenlo os mesmos objectos serem removidos
^H| deposito publico ou para" o logar-que f6r de-
signado i ela eamajk.
Mando, portaol>( todas as autoridades, quem o onheciraen-
lo e exeeucao da aS[He resolug) perteneer, que a cmprame
facam cumprir lowBJraaiente cuno nella se conten. O secretario
interine-da nresidedwit desta provincia, a a<;a-imprimir, publicar e
correr. Palacio da residencia de Pernambueo, 7 de julho de 1870,
peri
Francisco de Assis Pereira. Rocha,.
Sellada e publicada a presente resolucc nesta secretaria da
presidencia de Pernambueo aw 7 de julho de 1870.
Elias Fjrtferm 49* da independencia e do imperio.
L. S.
O desembargis Francisco de Assia Poreira Rocha, vice-pre-
sidenietta provincia de Pernambuto : Fago saber a todos os habi-
tantes, que a assemblea legislativa provincial, sob proposta da ca-
do termo de Ollnda, e urna es-. a m,ni0ipa| de Villa tfella, decretoa a segofoie postura
cola nocturna na villa do Cabo. I .rt UJ0. retm Cottsi;nioli:omo Jn de agricultnra,
tente., que a assemblea legislativa provea, decreten e eusanc: ria pro
cabra, ovelba e porro que forera encontrados sollos nestes e nos
Art nico. O presidente da provincia fiea autorisado a conce-
der, Joaquim Manoel da f.<*ta, a indemnisaejio da quantia de
-LttMM, pelos prejuios ipie solTreu como arremtente da obra da
ponte de Massaogitna.
Revogadas as disposicoes em oontrario.
Mando, portanto, a (odas a autoridades, quem o conhecimen-
;o e execueao da presente resolucao perteneer, que a cumpram e fa-
;xm camp'r tao inteiramente como nella se eonim. O secretario
laterino da presidencia dista provincia a faga imprimir, publicar e
correr. Pjlacio da presMeneia de Pernambueo, 6 de julho de 1870,
*'.) da independencia e do imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria da
presicencia de Pernambueo aos 6 de julho de 1870.
.0 secretario interino
lite Frederico de Almeida t Albuquerque.
LEIU.945.
O dejeuiuargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-presi-
dente da provincia de Pernambueo : Faco saber a todos os seus ha-
bitantes, qto a assemblea legislativa provincial decretoa e eu sanc-
conei a resolucao seguinle :
Art. nico. Fiea o presidente da provincia autorisado a prover,
ri qualquer cadejra de instrucjao primaria desta capital, ao profes-
ar jubilado Joaquim Antonio de Castro Xunen, e professora Anna
i laqutnt Peres Campello je Mello.
Revogadas as disposces em contrario.
Mando, portanto, todas as autoridades, a quera o conhecimen-
tooeWcnvao da presente resolucao pertence^ que a cumpram e fa-
aan enmprir lio intfiiramente eomo nella se eonim. 0.secretario
interino da presidencia dala provLaciaa faca imprimir, pubffear e
correr. Palacio da presidencia de Pernambueo, o" de julhd de 1870,
49* da independencia e do imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria da-
:>rernimbuco aos 6 de julho de 1870.
O secretario Interino
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque,
LRfN. 946.
O desmlar!ador Francisco de A'sis Pereira Rocha,- vice-presi-
l.'nto da provincia de Prnambuc-i : Faijo. saber a todos osseu^ha-
bilaotes. que a attenfhlta-legislativa provincial decretoa e eu sanc-
cuae a*eesoluclo segointe :
Art. Ficam concedidas vlnle e urna loteras de 120:000
cada urna, sendo seis para a constrnecao da nova igreja de Nossa
Senhora da Penha desta cidade, quatro em benelicio da Sania Casa
de Misericordia desta cidade, tres para as obras da igreja matriz do
Santissimo Sacramento da freguezia da Boa-Vista desta cidade, dua*
para as obras da igreja de Santo Amaro de Serinhaem.uma epi be-
neficio da irmandade de Nossa Sc,nhora da Soledade erecta na igre-
ja do Livrarnento desta cidade, urna em beneficio da igreja do Gra-
uito, urna em benelicio da igreja dos Milagros de Olioda, urna em
beneficio do bcspital Pedro II, devendo ser extrahida desta nltima
nota parte pelo nietos em cada anno.
Art. 2.a tica lambem concedida urna lotera no valor de......
:>SO:000| em'beneficio do gvmnasio provincial e theatro de Santa
Isabel.
1." O presidente da provincia far correr rejiularmente a re-
ferida lotera, de modo que sejatn exlrahidas duianteo anno'pelo
menos quatro partes della.
| 2. Do producto das partes extrahidas, um terco ser npplica-
d'i concluse das obras do gvmnasio e dous tercos amorlisa-
eio d premie do capital empreado na rpconstrccao do mesmo
ilieairo.
la do Bonito, em Tejncnpapo e no bairro da Boa-Vna desta ci-
dade.
Art. 4. Ficam reyogadas as disposires em contrario.
Mando, portanto, todas as autoridades, quemo eonhecimerrto
e execucio da presente resolucao perteneer, que a enmpram e fa-
cam cumprir tao inteiramente como nella se contm. O secretario
interino da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambueo, 6 de julho de 1870,
49 da independencia e do imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a presente reselucao nesla secretaria da'Presidencia"de Pernambueo" *
presidencia de Pernambueo aos 6 de julho de 1870.
O secretario interino
Elias Frederica de Almeida e Albuquerque. .
LE N. 948.
O desembargador Francisco de Ass's Pereira Rocha, vice-pre
sidente da provincia de Pernambueo : Facp saber a- todos os seas i jO desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-nre-
habitantes, que a assemblea legislativa provincial decretoa e eu aue- i sidente da pro -inci de Pernambueo : Faco saber a lodo* os seus
cionei a resolucao seguinte : habitantes, que a assemblea legislativa provincial lecrelon e eu sane-
Art. 1. Pica o presidente da provincia autorisado a conceder cionei a resolucao seguinte
ao 2 eseripturario do consulado provincial Demetrio de Gusmao
Coelho, e ao collaborador da secretaria do govefno Minervino Jef-
ferscu Pereira de Oliverra, at um anno de licenca coi todos o sens tura e canalisaco do rio Govanna, sendo
vencimentos para tratarem de sua sade onde Ihes convier. it."#l mesmo contrat pelo seguinte
Art. Pica igualmente autorisado a conceder ao alferes do Efte privilegio consiste em eotirar o. contaalaate pelo traesito
corpo de polica Amador de^Araujo Pessa, at dez mezes de Ven- de mercadorias no eawil urna retribaican recatad pela segninte
ca ; ao professor de Goyarfninha, Aeuilino Jos dos Guimares Per- tarifa :
; mais lugares designados para a agricultura.
Mando, portante, todas as autoridtde*. quem o eonhcioien
to e execuwn da presente resolucao perteneer, que a cumpram e
facam cumprir tao,inteiramente como nelka se contm,. & secretario
interino da presidencia desta provincia a laca imprimir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambueo', 7 de juln de 1870
49 da independencia e do i njierio.
L. S. Francisco de Assis Penr$ Rocha.
Sellada e publicada a presente resolucao nesta .secretara da
os 7 de julho de 1870\
O secretan'!) interino
Elias Frederico de Almeida e Albnqiterque.
LE N. 951.
Art, l. Fiea aoprovado o contrato celebrado- pelo' presidente,
da provincia com Manoel Pojycarpo Moreira de Azevedo para a aber-
snbstivoida a condico
reir, al seis metes de licenga ; e ao conego Francisco Roehaet Pe
reir de Bnto Medeiros, director, da Escola Normal, at tren mezes
de- licenca com todos os seus vencimentos, para tratarem de suja
sade onde Ihes convier.
Mando, portento, todas as autoridades, quem o conheciment
e execueao da presente resolucao perteneer, que a cumpram t Ta-
cara cumprir tao interinamente como nella se contm. O secretario
interino da presidencia desta provi
1.* Por cada kilogrammo de algodo 16/10.de real.
i.' tile ni idem de assucar 14/10 dem.
3.' dem idem genero a granl 13/10 idem. ,
4." dem vofume d peso at 30 kilogrammos 40 rs.
5. Idem idem superior a 30 kilogrammos na razao de 16/10
por kilogrammo..'
Art. 2." Fiea approsado o contrato celebrado entre a juuta da
de Misericordia e FraWisco Mooel de Souza Oliveira,
vincia a faca imprimir, publicar e i Santa Casa d
correr. Palacio da presidencia de Pernambueo, 7 de julho de 4870, relativo divida do casal do brigadeiro Gaspar ae Menezes Vascon-
49" da independencia e do imperio. cellos de Drammond.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha. Art. 3." Fiea igualmente approvado o contrato celebrado pelo
Sellada e publicada a presente resolucao nesta secretaria da presidente da provincia com Jnsuno Jos de Souza Campos, em cot-
presidencia aos 7 de julho de 1870. formidade com a Iejj*, 888- de 23 de juulio.de 48ti9, para o en?ana-
0 secretarlo interino I ment d'agua potavel par ab.istecmento da. cidade de, Olinda, salvo
Elias Frederico de Almeida e Albuquerque. Uk disposico do arl. 14 do niesmo contrat, que ser substituida' do
LE N. 949. j sefcmnte modo :
O desembargador Francisco de Assis Pereira Rocha, vice-pre- j arante o lempo do privilegio concedido ao contraante, ser,
sidente da provincia de Pernambueo : Faco saber a lodos os seus | prohibida a incorporaejio de qualquer eompanhia ou estabelecimen
to de qualquer enpreza quo se proponha vender a?aa potavel na
mesma cidade, sob pena de multa, que ser imposta administrativa-
mente em favor do con'.ratante, equivalente ao qalruplo do valor
habitantes, que a assemblea legislativa provincial, 90b proposta da
cmara municipal do Recife, decretou as seguiote9 posturas :
Art. 1 Era qoalqner obra que se edificar,, reedificar, demolir,
concertar na frente, oitoes, muro, precisando de andaime, eu toda d'agua vendida ; nao se comprehender n'esla prohibic^o a compa
vez que se relelhar de novo quelquer casa, se far urna cerca de j nhia, empreza ou particulares que se proponham a revender agua,
madeira, tijolos ou qualquer outro material, que abrania a toda lar-: comprada aos chafarizes.
gura no'passeio e toda a frente do predio, de modo que fique o trans- Art. 4 Ficam revogadas as disposicSes em contrario,
to publico desembaracado e se evite qualquer accidente- as raas; Mando, portanto, todas as autoridades, quem o conbecimento
e execncao da presente resolucao perteneer, que a cumpram e t-
em que nao houver passeios, a cerca podar ter mais de um metro.
Art. 2. Ninguem poder depositar materiaes, de qualquer qua-
lidade que sejam, na frente das casas em construccao ou concert,
por mais de vinte e quatro horas para serem removidos, sob pena
de pagar 15J de multa e o dobro na reincidencia.
, Art. 3. Ninguem poder depositar as ras, pracas publicas,
caes ou rampas, objecto algam, nem mesmo materiaes de construc-
Co. devendo taes ohjectos sereai removidos medida que forera des- j
carregades oa desembarcados, salvo nos lugares designados pela ca-1
niara municipal, nos quaes poderao os mesmos objectos demorar-se :
Qam cumprir tao inteiramenti como.neUa se contm. O secretario
interino'da presidencia desta provincia a faca imprimir, publicar e
correr. Palacio da presidencia de Pernambueo, 11 de julo de it&O,
49> da indepeudencia e do imperio.
L. S. Francisco de Assis Pereira Rocha.
Sellada e publicada a preseate resoluQio nesla secretaria da
presidencia de Pernambueo aos 9 de julho de 1870.
O secretario interino
Elias Fnderico de Almhla e Albuquerque.
SXJ-HrENTK ASSIGNADO PELO EXM. S. SENAOoP, FUE-
BEUOO DE AI.MEIOV F. ALBDQUEtlQl'E, PBESIDE.NTE
OA PROYIXCIA, Ell Io D3 MARCO DE 1870.
! seceo.
N. 1. Portara ao Exm. Sr. general comman-
dance das armas.Estando j na corte o corpo de
voluntarios da patria desta provincia e podendo
aqu enejar a cada momento, autonse ao direc-
tor do arsenal de guerra, nao s a forneccr os
objectos solicitalo< por V. Exo. para recepeai
daquelle corpo, como tambem a fazer as despe-
zas necessarias com o transporte dos que tem de
ser remettidos uara oquartel das Cinco Pontas.
N. i.Dita ao mesmo.Corainuaico a V. Exc.
tivos aos mezes de covembro do anno prximo pa3-
sado a Janeiro deste anno, do offlcial e pracas da
guarda nacional destacados na villa de Flo-
resta.
N. 8.Dte ao jaiz municipal da Ia vara desta
cidade.Transmiti a Vrac. as guias juntas dos
sentenciados Domingos Martins Nogueira, Do nin-
gos Caetano da Silva, Hypolito (iscravo), Joo
Dnptisla de Jess, Francisco (escravo), Romualdo
Nunes de Mello, Caetano Rodrigues da Silva, Lin-
dolpho Radrigues Captivo, Francisco Borges, Ber-
nardo de Souza Peres, e Jos Antonio, que se
acham em Fernando de Noronba. as quaes me
foram remettidas em officio de'17 do'mez findo,
pelo presidente da provincia do Para, para substi
para seu eoBhecimento, e afim de que faca cons
lar ao tenente-coronel secretario desse cmman- luir as irregulares que esto no dito presidio.
do de armas Francisco Camello Pessoa de Lacer- N. 9.Dita ao juz municipal e de orpnaos do
da qne tiesta dala lica expedida a conveniente or-
ile-i ao inspector da thesouraria de fazenda para
fazer -cessar do Io do correte em diante o des-
monto %ratuHo de 2 % feito nos seas respectivos
venehnentes para as de*pezas da guerra, como
;>edw ao requerimento que veio annexo ao offlcio
de V. Kxc de 26 de fevereiro ultimo, sob nume-
ro 110.
N- i.Dito ao director do arsenal de guerra.
Em respotta ao sea officio de hootem, tenho a
icer-lhe que pode V. S. mandar comprar por
meio do cunsftan de compras, ou directamente,
vista a urgencia, os objectos constantes da nota
do atmoxarifado, de que trata o commandante das
armas, pata o que ftca V. S. autorisado. Fiea
igualmente autorisado a fazer as despeas dos
raospartei dot ob|eeios, que devem ser remeUi-
dos para o quartel das (lineo Pontas, entendeudo
termo de Barreiros.Haja Vmc. de prestar dentr
do praso de 10 dias as mformacoes que loe foram
exigidas com urgencia por despacho de 28 de Ja-
neiro ultimo na peiicao de Alfredo Gardoso Pereira,
que para e.-se Um Iba foi remetliJa.
N. 10.Dita ao commandante do corpo proviso-
rio de polica.Pode Vmc. af stan no eorpo sob o
sencommando o paisano Simao de Sales Coulinho,
de que trata o seu offlcio n. 87 da 28 do mez fin-
dp, se para isso tiver a idoneidade necessaria.
,N. 11.Dita ao mesmo.Pode Vmc. eliminar do
corpo sob o seu commando o soldado Manoel An-
tonio d Souza Chaves le quera trata o seu offioio
n, 82 de 24 de fevereiro uJlirao'visto ter sido jul-
gado incapaz de ser vico.
N. 12.Deberacao.O presidente da provincia
attendeodo ao que Hie requereu o bacharel Ma-
noel Joaquim Esteves Jnior promotor publico da
dencia e que vera inserte em ultimo lugar depois erfqnadri n. 8 do momcioio de Santo Antio, a
da publicacocontrato Mornay. qae N. 17. Dito ao engenheiro lisc il da estrada de S. 23.-Dit> ao juiz municipal suppleote do
ferro do ReciTe a S. Francisco. Respondendo ao termo de Cimbres, Saiyro Kerreira Le te.O Exm.
seu olflcio de hontom, tenho a dizer-lhe que sendo-. Sr.preiideute da provincia manda dedarar-lhe
rae asss desagradaveis as oceurrencias havidas que Ucoo inteirsd) pr sen o!TV;i3 del) do mez
enire Vmc, o engenheiro seu ajudante e o sope-; lindo, de tef V. S. nessa data assaaido oexercicia
rinlendente da campanilla da estrada de ferro, i das fuicce-; de juiz municipal e de orphos do
Obrou Vmc mu regularoiente tornando a defeza terme de Cimbres, par ter o effectivo viado tomar
do seu ajudante que fora desacatado pelo nvMn > assento na assemblea provincial.
superintenderae de um modo injuslieavel visto que
tinha o ajudante irtdubitavelmente direilo a recla-
tnar contra um inconveniente que se dava no
s^rviijo dos trens, tanto mais o temi feito em ter-
renos mui agenciosos. Na resposla do superin-
tendente a Vmc. ha anda cowo berb observa
faltado atteneio e consideraeai>, visto como, n;io
houve amea^o na proposic^o que Vmc. emittio de
levar o oecorrido ao conhecimeuto do governo
N. 2i.Dito ao eomaiandante do corpo provi-
sorio de poltcnv.Sua Exc. o Sr. presidente da
provincia, rrunda declara a V. S. em resposla
ao sen oflieio de 26 de fevereiro ultimo, sob n.
85, que a thesouraria provincial tem ordem p"ara
abonar a.i alferes lltrcotino da Cj&ta Raposo, a
ajuda de eusto coostante i > citado offlcio.
N. 25'.Dito ao mesmo.Nest data autorisou-
se a ihesourara provincial abonar ao alfares
que Vmc. pedio satisfatoria. Sendo porem,.
qoalqner medida que eu lenha de tomar drreela,-
meme incompleta, vou levar todo o occerrido ao
conbecimento do governo de S. M. o imperador,
qoe de cerlo nao eon^entir que fonecionarios pa-
blicos do paiz- obrando na rbita de suas altn-
bnicoes, e sera que de sua parte houvesse a me-
g V. S. para este flm com o general coramaudan- comarca de Caruar, resolve concede-lhe dous
te d armae.
i.- seccao.
N. i.Portara ao presidente do tribunal do
f oimnercio.Transmiti a V. Exc. para sen eo-
nheeimento e*dewida exeeuco o aViso do minis-1
terio dos negocie estrangeiros, de 14 de Janeiro
ultimo, e nota do ministro plenipotenciario de sua
niagesude rltanica, a qua! alinde o ayjso do mi-
nisterio Ha juslica de 8*do mei iludo, juntes por
opia, juaoto poderem os trlounaes do eommer-
ci deste Imperio corresponder-se directamente o
Board of Trade > sobre questoes concernentes &
iafac3tt, nformaces e esolarecimentos de as-
sa#ios convenientes.
It-S.Dita ao Dr. ehefe de polica. Em addi-
UflMDto a poriaria de 18 do mez ffhdo, transmuto
mezes de licenea, com ordenado na forma da lei,
{tara tratar de sua sade nesta capital.
N. 13.Dita.Q presidente da provincia em
vista do offlcio do chefe de polica n. 280 do 26 do
mez findo, resolve conceder a Pedro Cavalcinte de
Albuquerque a exoneracao que pedio do cargo de
1* supplen-e do delegatlo do termo do Bom-Coa-
selho.
N. (4.Dita.0 presidente da provincia confor-
ma ndo-se com a cropoeta do chefe de polica em
offlcio n. 280 de 26 do mez Imdo resolve noroear o
cidad^o Pedro Cavalcante de Albuquerque Jnior
para o cargo de Io supplente do delegado do ter-
mo do Bom-Conselho.
4.* secgao.
N. 15 Offlcio ao presidente da provincia do
imperial, no caso de notserem os eseiarecimentos Manoel Aprigio de Moraes, os dous mezes de ven-
ctmenios, e a ajuda de eusto, constantes do officio
ile V. S. datado de boje,- e sob a. 89, o qua! fiea
assm respondido de ordeni (b> Bxin. Sr. presidente
da provincia,
4" seccjtv
N. 26.(KDclo a commisso encarregada dos
negocios do asylo,S. Exo. o Sr. presidente da.
or provocacAo, estejam expostos a ser maltrata- provincia manda declarar a Ilima. co*nmis-o en-
dos pelo mencionado soperiBtendente. carregada dos negocios do asylo de niandicidade,
N. 18.Dita ao .engenheiro encarregdo daa em resposla ao seu ofrVto de 2S de. fevereiro ul-
obras geraes ne>ta provincia. Recommendo e limo, que o chefe darepariic das obras publi-
Vmc. que se incumba de fiscalisar a obra qus / lera ordem para'fornacer os objectos coastan-
vai ser executada por arrematacao no edificio em tes da relac-ao que veio annexa ao citado offlcio, e
que funct-iona a faouldade de direito nesta pro- que se tazem precisos a casa destinada para o
vincia. mesmo as>lo.
N. 19.Dita ao vigario da freg,aezia de Aguas- N. 27.Dito ao otHci,al-maior da secretaria da
Bellas.Inteirado pelo seu offlcio de.28 de Janeiro presidencia Informe o Sr. oficial-maior com o
tillioto, dos motivos que o inhibera da dar presente- que constar da secretaria sobre a materia da por-
raente as nformacoes exigidas na circular desta uria do Exn\ Sr. presidente d provincia, rslali-
presidencia de 13 de neverabro de anno prximo vamente ao requerimenlo publicado pelo Sr. Ejlu-
findo, recommeodo-lhe que, kx{0 que as circuios- ardo Afornay.
tancias o permillirem, cumpra Vmc. o quamo se N. 28.Offlcio do olflcial-maior ao Sr. secreta-
Ihe recoromeodou u'aqiieJla circular. rio Dr. Elias Frederico de Almeida;a Albuquerque.
N. 20.Dita ao gerente da compaobia Pernam- -jCuirtpr o que V. S. detennraou na poriaria
pronunciado na aheitra solemne desse corpo, na
<|ual disse que, "apezar de durar ba um anno *>
moviraentos de Qba, niio polerara os insurgentes
conseguir a IWfrraein de um peumo real on ao
menos tunar"ergamsacio oftlcial siilucientie^.^wra
Ihes dar f serem recoaedias como
beligerantes; querwdo-s|^nsade-mais sei me-
zes depois dessa- mon.'B%eui, nada anda consejai-
ram elles ; pelo qae"en*endel}eJiadaere fa-
zer por ora'para.o reonhecimento de belligerafcl
les aos insurgestes, que darla1 u sif nal de reprrr
?acaod um dos lados combaientc*, cjrr grave in-
justica para o outro.
E eongresso, tanto mais que.ua' vespera des a uommisio dos negocio!' estrangeiros liona or-
ganisado um relatorio sobre o assumplb, eoncluin-
do : pelo reconhecimento da existencia do coa-
flico ; 2. pek declaraco de imparetal neutralida-
de ; 3.* peta ooncesso de igu tes vanlagens ambas
as aparte, tanto oas relaedos commor-ciaes romo uas
politicas ; pelo pedido ao presidente para dirigir s
autoridades bespantiolas censura pela maneira
barbara porque tem sido feita a guerra.
No dia li qV passado comecaranv os debates da
mensagem, pronunciando o general Banks um
longo discurso bateado poltica do governo, que
preduzio tao bom effeito no eongresso, que se sap-
pe ser definitivamente approvado o reconheci-
mento de beligerantes aos insurgentes.
A* imprensa e ao pubiico etn'geral agradon
o projeelo sobre reforma flapavMa das ajfaudega*.
esperando se que pequeas modiflcaeoe's soffrer
na discussae. :
O parecer sobre a cousolidaco dja divida
publica, apresentado oor. Mr. Sehenck, modifica
notavelmeoteo projeelo primitivoobre caminhose
meios. Nelle se propde a leduccao de um milhao
de ttulos' o premio de 4 */o.. a vencer era 20
anuos.
O presidente Grant comeera as suas excur-
s5es no-interior da repblica, pela visita Pen-
sylvania.
A cmara dos depolades aporovon o projecto
regularisando a forma da naturalisacao dos es-
trangeiros.
Pela coramissao do orcameoto, dizia-se, ia
ser proposla a redcelo do imposto sobre o car-
va de pe era. *
fespachos telegraphicos de, Montreal aizem
que o principe Arthur parti dessa cidade para a
a Inglaterra, no dia 17 de jooho,. devendo embae-
car em Quebec.
0>presidente Baez, da repuWica de S. Di-
mingos, na abertura do respectivo eongresso, pre-
nuncio* urna rhensagemytratando especialmente
da annexacao-aos Estados-Unidos, cu jo projecto,
apDrovavi por 16,000- votes, contra menos de
I.OOOj. ser sem duviaa approvado pelo governo
americano..
Els alguns trechos dessa meneagem: ^
> A amiexacio a gvande repoMica, linieo fleio
pratlco e nobre de regenerar aosso paiz, foi o lim.
do tratado de 29'de novembro. Quanto do trata-
do sobre a cessao de Semana, durante 50 anno-,
assignado no^mesmo da, era apenas ama precau-
co goveroameotal para se obter a proteccSo dos
Estados-Unidos, ber cuino alguns auxilios nos-
sas vendas, no caso de nao execueao do tratado
de annexa?ao com aquella presteza que exigem
nossas difHculdades fioanceiras. tnicas esse
meio, pode a nossa repblica obter que os Esta-
dos-Unidos exigissem da repblica do Haiti per-
feila neutralidade.
c O resultado do voto foi enviado ao gabinete
de Washington, e o senado americano oceupa-se
com a discusslo da questao da anoexaco. O
digno general Grant, que tantas provas nos tem
dado de sua nobre forma de proceder, deu a co-
nhecer ao senado as vantapens dessa annexacao.
Apezar da opposicao que apparoceu, a raetilka-
Cao do tratado nao tardar muito, visto que ella
necessaria ao progresso da huraanidade, cujo a-
gente insvisive a Providencia. >
PARA.
A estrada de ferro paraense renden no tri-
mestre de abril a junho ultimo 16:798jtOOO.
Fallecen, a 28; do passado, o 1. conferente
da alfandega de Belm, Gaspar Jos Campello.
No dia 9 tinha chegado ao pono de Belm o
transporte Ixopoldfmj. conduzindo os voluntarios
da provincia. Toda a cidade eslava em testas.
O negociante Jos Antonio de Frailas, no
acto do baptismo- de urna sua llha. fez tambera
baptisar como llvra urna sua escravinha.
A alfandega reudeu de 1 a 8do crrante....
141:398(5834.
a V.:S. para %s devjdos flns o offlcio junto por, Cear.Acensando recebido o offlcift de V. Exc.
copia do promotor publico da comarca de Olinda
de V fseerftirc- ultimo, sobre o facto dada ultima-
-nenie collepio dos orphaos.
"S.S.Ha ae mesmo. Transmiti a V. S. pa-
ra wa cea*ecimento as inclusas copias que me
setil dwe4vldas, dos offlcios a que se refere o
^Hr-m. presidente do Cear de 21 de fevereiro
ae, relaivamente ao estado de tranqoilidade
era ue se aeha a parte daquella provincia que
fMie H. 7--**ita ao commandante superior da guar-
da nacional de Tacarat Devolvo a V. S.par
ser eemutooteiaeole assignado, o incluso offlcio
bucaoa.O Sr. gerente da companhia Pernambu- dista data, declarando que o requertmaoto pubit-
cana mande por a desposicao do Dr. Joaquim Mo- cad* pelo Sr. Eduardo Mornay no Jornal do Re-
reir Luna, at a Parahyba, 3 passagens d'estado -
de 21 de fevereiro ultimo acompanhado de copias
de outros do delegado do termo de Misso-Velha
do juiz de direito interino da oomcrca do Jardim,
do delegado e juiz municipal do termo deste nome
relativamente ao estado de tranqulllidade emque
se acba aquelle lado dessa provincia agradeco a
V. Exc. as acertadas providencias que tomou e os
esforcoB que ha empregado para a prisjo dos cri-
minosos desta provincia que vio homisear-se
nessa.
N. 16. Portara ao- secretario da presiden-
cia.Informe o Sr. secretario da presidencia se
pela secretaria foi recebido o reqderimento que
jalado de 7 de fevereiro Sitilo, lemmm as fjmas e pre do? wncmento?. rea- i n.- ,7 lo liontem como epderecado a esia prsi-
sendo duas a reurna a proa no
que partir para o norte,
EXPEDIENTE ASSIGNADO PEl" SR. DR. ELIAS FREOERl-
CO DK ALME10,\ E ALBUQUERTJE, EW 1 DE MARCO.
DE 870,
: 2" seccao.
N. 21.Offlcio ao Dr. ohee de polica.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, trans-
raitto a V. S. o titulo unto de nomeacao- do cida-
do Pedro Cavalcante de Albuquerque Jnior, para
o oargo de Io supplente d delegado ao termo de
| Bom Conselho, de onformidade com a sua pro-
poste ern offlcio n.- 280^6 20 ao mez findo.
N. 22.Dito ao commandante superior interino
da guarda nacional de Santo Arito e Escada.O
Exm. Sr. presidente da.provincia manda declarar
a V. S. qe nesta data se expedio ordem a tbe^
Murara de fazenda para mandar entregar ao
quartel mestre geral desse commando superior,
a quantia necessaria pata compra dos objectos
constantes do pedido do majar cororqaqdaate. do
cife n. 47 de hontem, nao foi entregue na secre-
primeiro vapor taria, nem a mesma secretaria teve d'elle noticia
senao agora pela leitura do citado jornal.
DIARIO DE PERNAmBUCO
RECIFE, 16 DE JULHO DE 1870.
\otlelas dos Estados-laidos e
do Para.
Chegou hontem ao meio dia o vapor araericanu
JVorfn America, traiendo datas : de New Yerk 2A
do passado, e do Para 9 do crrante.
BSTADOS-UWIDOS.
_ O presidente da repblica envin ao coa-
' gresso urna mensagem sobre os negocios de Cuba,
oom a qual pretende contrabalancar a opiaiJo pu-
blica sobre essa questao.
Nesse documento, o pre?ldente chama a ajten-
oao do eongresso para, a saa meqsagetn annua,
REVISTA DIARIA.
OFFICIO FNEBRE.Teve lugar hontem, na
igreja matriz de S. Frei Pedro GoncaWes- do Re-
cife, o offlcio que mandou celebrar a Illma. cama
ra municipal desta cidade, por alma dos bravos
que morderam o p dos tmulos nos campos glo-
riosos dd Paraguay, lavando com,o seu precioso
sangue do pendo auri-verde a nooa que Ihe cus-
pi o infeliz dspota da repblica que lem o cora-
Co era. Assurapcao.
O templo trajava rigoroso e pesado luto^ e no
centro da'nave principal ergui"a-se um raonumen-
t ti catafalco, rico a sumptuosamente ornamca
tado^ ideado e execatado pelo Sr Luiz Antonio da
Silva Pereira.
Esse cattalo oecupava quasi toda a larg-ura
do. templo, era de forma q,aadrangular, e eslava
assente sobre um eslrado d seis palmos de ahora,
nurgeado por unta balaustrada, e para elle se su-
ba'por duas escadarias, urna ao nocente e ou-
tra ao poeote. Sobro essa estrado havtara tro-
phos de armas com varias baadeiras ttacionaes
cobsrtas de crape.
Do estrada erguiara-se oilo columnas da ordem
corynthia, nos quatro ngulos do catafalco, sendo
que quatrodessas coinronas, hgadas duas duas,
oas faces do norte, do sul e do oeste, por aretti-
voltas da sua orden, formavam sumptuosos nr-
ticos, emcujos lados tremulavam bmdeiras na-
cionaes eobert^s de crpe. Cada urna das quatro
outras columnas ligava-se sua visinha por urna
revoluta em S, e sobre sen entablamento desean-
Cavara jarroitoom ramos de cyprestes.
Deotre as uolumnas, e sobre urna pyramide de
tres degros quadrangulares, ergua -se o cenote-
phio, em cuja cpula, que descancava sobre pe-
quenas revolutas, erguiam-se os peuldes da al-
lianca coberlos de crpo. Debaixo da cpula e
sobre o corpo principal do cenotaphio esteva o fe-
retro coberto por um rico panno mortuario de xe
ludo bordado a ouro fino.
Entre as columnas dos ngulos do monumento,
quatro estatuas, vestidas de branco e crpe. apre-
sentavam em tropho as fardas e bonete dos sida
dos de trra e mar que tomaram parte na guer
ra; e nos ngulos do cenotaphio em vaha do fe-
retro nutras quatrofiguras aastinham lencos com
que lirapavam as lagrimas.
as bases das columnas haviam disticos lera-
brando lugares e datas notaveis da campanha, e
na face principal a dedicatoria do monumento.
Tolas as pecas do catafalco eram eohertas de
velbutina preta, e agaoadas de prata nna, aue
era realcada pela grande profusao de luzes dos
cyrios que illurainavara o monumeaito.
Sobre e estrado, guardando o monumento, ha-
via um cordao de menores do arsoaal de guerra,
com es renes era. funeral.
Na capella-rae, sob docel de ?ed verde franja-
da de ouro, eslava o retrato do Imperador.
Seis orden de cideiras, ao nascente e ao noen-
te do catafalcos foram postas s ordens dos convi-
dados, entre os qaaes se achavam os BXms. Srs.
presidente da.provincia o vigario capitular, Dr.
chefe de noticia, o eorpo consolar,mnitosotflcias de
trra e de marraba, inultos embregados pubjieo-,
a Illma. cmara municipale alguns deputados, des-
emhargadores, mdicos, advogados e,-lentes daFa-
culdade. O restante do templo esteva peplecto do
povo, e as tribunas eram oceupadas por varias se-
nhoras.
Cantn a miss o Rvm. vigario d freguezia. e>
fez a oracao fnebre o Rvm. pregadnr da capella
imperial padre Cio do M-mle CvrmeHo.
As oracoes fnebres feram cantadas por 16 pa-
dres com acomnanhauenlo de orgo. A orcltes-
tra' do ofneio Tai dirigida pelo professor Colas
lilho.
Fez as honras mililare urna brigada ao mando
do Sr. coronel Barate de Almeida.
As fortalezas e navins de guerra deram urna
salva ao comeear eoulra ao terminar o acto.
Os consulados, navios o estacoes publicas que
ieam bandeiras, eoservaram-as ent- funeral.
E^tiveram techadas as reparticoes publicas a
nimias rasasde commercio.
TRANSFERENCIA, DK VUGEMtDeixou de
seguir hontem para os portes do sul at Sergipe o
vapor Giqtai da ebrapanfa Pernarabucana, con-
forme se achava annunciado, enveoosequencia de
nao haver sido visloriado pelo arsenal de mari-
nba, como de costume, por achar-se doente o Sr.
ajudante d'aquelle arsenal, o qual presidente da
respectiva eomraisse de exame.
Realisandt-se a vistoria hoje, como de espe-
rar, seguir o vapor s o-horas da urde para o>
seu destino.
MONTE PI-SACERDOTAL.Eh> vista de fac-
toe, que por mais de urna vez se lem dado entre
ns,p"e viverem-e morrerem em.quas miseria al-
guns sacerdotes qae nao poderam fazer um pecu-
lio para os dias da molestia- e do infortunio, por
causa de seus mingoados rendiraeotos, os muito
dignos vigario o coadjutor da freguezia de Santo
Antonio d'esta cidade, conego Autonio Marques de
Casiilha, e padre Thomaz- Colbo Estima, promo-
vem a fundacao de um Monte-Pm para socorro
d'aquelles de seus roaos que se acharem em ms
circumstancias llnanceiras; e para isso pretendeni
fazer, no consistorio da Respectiva matriz, urna
grande reunio de todos os sacerdotes, para nella.
se tratar de assumpto tao importante quanto ur-
gente. A reunio deve te lugar no dia 19 do cor1-
rente.
NAVIO DE GUERRAChegou ante-hontem, do
Rio de-Janeiro pela Babia, a corveta porlugueza.
Duque da- lYrrceirij qae retolhe-se Portugal de-
pois tle quatro annos de estaeao no Brasil. Hon-
tem entrou ella para o poco.
DlNrfEIRO.O vapor americano A'orA Americet
'levou hBfttem.de nossa pcaca :
Para a Bihia 25OJOO0
o-Rto de Janeiro 193:544*270
O vapor Ptrapuma. sahido para' o norte, le-
vou para Mossor 1:000.
SOCEDADE IMMORAL.A rociedade, sobre
qne chamamos-a aitencao do Sr. subdelegado di
Capunga, tem sua sede em casa da urnas fllhas de
Jerusalm que habitem na ra da Ventura.
TENTATJVA DE SUICIDIft-Honteu, s 4 ho-
ras da madrugada, o soldado do 51 de voluntarios,
da patria, Joo Vicente Ferreira, morador ra
di Pilar n. 118, teotou suicidar-se dando cinco fa-
cadas em, diversas partes do eorpo tres das quas
julgadas moraos pelos Sr". Dr. Pereira da Silva o
Malaquias, que foram chamados immediatamente.
Por ordem do subdelegado da freguezia fei elte
coiiduzdo para o hospital Pedro II.
UNIO JURHHCA. Funccionou hontem esta
sociedade na ra da Imderalnz n. 47, tendo sid
autoridades : juiz de direito Ernesto Vieira, pro-
motor, Serra ; advogado, Caetano Lima,
O reo foi condemnado no grao medio do art.
193.
GABINETE PORTGUEZ DE LETIjARou-
nir-se-ha amanha a assemblea geral do jlabi.ieto
Portuguez de Leitura, para apreciar os relatorios
da directora, conselho deliberativo e commisso
de exame de contas. Ter lugar o- acto.com nu-
mero de soci is que comparecer, visto ser a se-
gunda coHvocaco.
CIRCO EQUE5TRE.Faz hoje beneficio no pa
viihao Santa Isabel, a sympavhica joven Joanite.
Casad, de 7 annos de idade. ora um programm.i
variado, apresenlando ella o seu irnaioainho nos
arriscados e sempre applaudidos exercieios de
deslocaeoes. Recomniendamos esse beneficio a>
nosso publico.
BOMBA DE ESGOTO.Para salvar o vapor Po-
tenm, da companhia Pernarabucana, que se acha-
va eocalhado na barra do Penedo, com agua aber-
te, alugou o Sr. gerente ao Sr. baro-do Livra-
rnento a sua exelleiite bomba de esgotar, movida a
vapor (a .mesma que salvou o vapor american<
Oussia). Com ama tal aeqaiscao o pessoaf habi-
litado ser infallivel a salvacao do Polessgi, o que
muito desejamos.
MANUMISSO.No Voluntario do Norte, da ci-
dade de Mamanguape, na Parahyba, de 2 do cr-
renle, lemos o seguinte :
t A hberdade progride : esse fogo sagrado, que
nao mui longe havemos de ver brilhar sobre as
mais altas montanUas de qualquer parte que nos
collouuemos, vai aqu e alii apresenlando fatuos
clarees, precursores do grande dia.
t Nosso amigo o philantropo tenente-coronel
Amaro Jos Coelho, acaba de dar liberdade s suas
duas escravas, Jpanna de 20 anuos de idadp Ju-
liana de 6 annos, ambas mulatas.
Nossos parabons ao tenente-coronel Amare
J:o6Clho. ...
i A Exma. Sra. D. Senhorinha da Lapa, protes-
sora publica, d'esta cidade, sabemos que promove
a liberdade de urna craatura de tres anaos, qu
tem criado, e cujo uroprietario achase em eircums-
tancias de nao poder perder o seu valor.
* Trabalhem os obreros da liberdade, e Deui
coroaro seus sacrulcios.
MRQUEZ DE OLINDA.Estando os biogra-
phos d'este. illusre finado em duvida sobre a po-
ca do seu nasciment, damos em seguida a certi-
do authentica do seu baptismo, que devemos ao
obsequio de um amigo :
t Genuino Gomes Pereira, parodio collado na
parochia de Nossa Senhora da Conceicao de Seri-
nhem, ele. etc.
Certiflo que, revendo os lros de asseoto> de
baptisados d'esta treguezia, no livro 12* dos mes-
mos assentos, fl. 8, est lapoado o assento se-
rruinlQ *
Aos 3 de maro de 1794, na capella do enge-
nho Goyanna, d'esta freguezia de Sennhaem, de
licenca do Rvd. vigario Antonio Tejxeira Luiza.o
Rvd Manoel Simplicio bapsou e poz os santo*
leos Pedro, branco, nascido ern 22 de dezembr..
de 1793. fllho de Manoel de Araujo Lima, ede
sua muherD. Auna Teixeira Cavalcant. neto par
terno do sargente-mr Antonio Casado Lima e de
multar D. Margarida Bezerra uavaloant. e
ro Teixeira Cavalcanti e de
sua _
SSShSLSa"
,m padrinhos o capitao-mr Henrque Luix de
Barros Wanderley e su* avo materna, de que
mandel fazer este termo, era que me assigneu-O
vinario Joo Jos de Saldanha Mannho.
. Nada mais coqsia q'ejte aweqto jue ftelmenin



Diario de Pernambuco Saibbdo 16 ie Julho de 1670.
'
\

ropiei e affirmo era fu de parocho. Villa de Seri-
iihaem, 2 di julho de 1870. 0 vigario Gennno
Gome* Pereira.
LOTEHfA'.A que se acb* a venda- a 1S3,'
i beneficio davina (..isa do Misericordia, que
*rre. n,i ai* Ni. *ums bilhe*es se Tradem na res
pecuva itiesuuiaia, que se mudoa par a ra da
Cadei n. 23, o rnUntjem a luja dos Srg. Porto A
{tastos praca da uitorKmuVneia n. 37 e 39.
KTHACC.\0 Bfi LOTE1UA.-A que-tem Infi
boje ser no cortMlorio Deus.
PASSAGEIROS.-Wina*. no vapor nmerioat
AW* America ; -Juito Eduardo ChriiHapL.
Saltillos |r,ra Manoel Barbo-a da Silva, lintel GoO.es la Si
va, inijor Antonio Peitosa iw tylk).
CEMIl'E Irt PUBLICO.-Obituario do dia 12 de
faino >e 1870.
Ai-.tooio, franco, Perntuibacov 5 metes, Hecife ;
nivlsoe.
M.**ii, preta, rtica, 46 annos, soltoira, Boa-vis-
ita ; iiiycMio.
Ilojorato Jom' Ferreira, pardo, Pernambuco.
45 annos, solieiro, Boa-visla, hospital Pedro II ;
Kart*, parda, Pernambuco, 8 raezes, Boa-vista;
intfije.
Cnibelraa Francisca da Neves Ca-lro, branca,
Pernambuco, 30 annos, solteira, Iteute ', tubrcu-
lo* imiunnar**.
>na<>, braniM, pirnambuco, 7 nos, S. Jos
Ol'IHU.
Jos, pardo, P.-raatubu o, II metes, S. Jas
araswo.
I
Antonio, pardo, Pernambuco, 7 metes, Santo
Antonio ; o,*irnlf-0>s.
Amaro, braneo, l*ernambue8,3meres,Bea-vsta;
leru eolite.
Lnit, pret-i, escravo, frica, 0 anees, soltetro,
Berife : tubrculos puluionafe*.
Bu tona, parda, Periumbnco, 5 metes, S. Jas
tenncfio.
Al'-xatidrn Jos do Nawimenlo, pardo, Per-J
embucn, Si annos, solteiro, Boa-vista ; pneu
in-mi.
Antonio, pardo, Pertiawbuco, 3 mezes, S. J-M ;
Olivwl'e-.
joaqinm An'io do Afcuquerqne Mello, branco,
IVrrianiba-.., 30 anno, casado, Santo Antonio
tubeiculos pulmonares.
IRNICA JUDWfARIA.
TSIUIJAJL DA HELADIO.
SESSAO EM 12 DE **GStDCNCIA DO KXM. SR. cohsklheiho CASTAO
SANTIAGO.
Secretario interino Dr. Virgilio Colho.
As 10 boras da mnha, presentes os Sr3. desem-
tonrgadoivs Gilirana, Lourcncn Santiago, Almeida
Allaj,uerqiie, Morta, Doria. Domiifgues da Silva,
RefMira Costa Sonta Leo, faltando com causa
u Sr. desembarcador Guerra procurador da cora,
*lirh>-se a MMn.
Passados os feltos, deram-se os segrales julga-
nifitos :
AmtLAcAss cursis.Appellante, Joo Bipth-ta
di ii)>ta Cuelh; appellsdos. Auna fgnacia e *us
lillius. Rereberam os embargo-. Appellarrtes, os
bvrdeims do Inrilo de Rujary ; appellado, Fran-
sct) Xavier l'e>.-oa do Allmqnerque.Despresa
rain os emhari.'"- com dealaracao. Appelante,
Snvenno Aot'imo Pereira da "Silva; apuertado,
H -rttienegildo K luardo d-> Mego Monteiro.Bes-
jiresaram os i-mbargos.. Amellante, Sriva.iieao
& C.; appclladns. os herdeiros de Alejandrino Jos
Mudrigucs. V. xillnnada a si-ntenct.
ArfLi-AcdE aw,Appellante, o tuzo; ap-
-|MMIadi>. Manuel Vidal de iegretros.Mandou-;
viir o original. Appellante, o jaiio ; appellado,
aludido Rodrigues Bezerra.A' novo jury. Ap-
palame, <> juiz >: appellado. Antonio FHix Paes m
N apuellada. GeMMoa Francisco de Sonta.Refor-
mad i a st-riti'ti-1. AppeMaot. o jotzo ; appellado,
Ahimco, csTavu.A' novo jnr\.
Aimi.wu m PKricAu.ARgravanle, o commen-
fladiir Antonio ile Suuza Lato ; aggravado, o jai-
to.Bflatir oSr. di-s-moargador Gilirana. sortea-
di's os Si>. dflserabargttlureii Domingues da Siiva
t l.ourenc Santiago.Deram provimento.
DrttOKxaA cuiMK.Ao F.xm. Sr. deserabargaior
pruuiutor d justica ; appellante, o juito ; appeila-
lo, Jos Franciscct das Cbagas. Appellante, Joo
Vicira Damas da Costa; appellala. a justica. Ap
petlant.', Frani-i-m Djntus Cerqueira; appeliada,
a l'az'-nila.
Assignou-se ia para jul^ameato dos seguales
feitus: t
Appell*es iveis.Appellante, D. Auna r-
sula oe Olieir:i ; appellada. D. Felisarda Joaquina
de Azevedo. Appellante, Jos Francisco de Aze-
vedo Jnior; appellada, a fazenda. Appellante,
jmdre Jo- Gomes dos Reis Lima ; appellado, pa-
dre Jos d'Annttociacao Souza. Appellante, "a
Santa Casa da Misericordia; appellado, Candido
Jj? da Silva Guimaraes.
PASSAGENS.
fo Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desem-
argador Guerra.Appelacao civel: appellaates,
Anioni i Velho de Onveira e outros; appellado,
Pedro de Barro; flavalcante.
Do Sr. desembargador Loarenco Santiago, ao
Sr. desembargador Almeida Albuqo^rque. Ap-
p.'iarao cive : appellante, Rodrigo Antonio Bra-
sileiro Macew; appellado, Macario da Costa Md-
raes.
Do Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. desembargador Motta. Appellacoes civeis:
apjt.Maule. Nicacia Mara da Conceicao; appella-
!os. Alexandre Nogueirade Souza e outros. Ap-
iH'llaiiie, Manuel Florentino dos Santos; appellado
ISaribolonieu Brando do Sobral. Appellanle, a
lar.euda ; appellado, Antonio da SilviGusmiio. Ap-
j"'llante, Antonio Jos Pinto; appellada, D. Mara
francisca da Conceicao. Appellante, a preta Fe-
liria ; appelladd, Jos Luiz d'AlbtHjeerque.
Do Sr. desembargador Molla ao Sr. desembarga-
Uih- Doria.Appelacao crine : appellante, o jui-
zo ; atipellado, Jos Thomaz da Silva Reg. Ap-
pDUa^ki civel: appellante, Trajino Americo de
Cal tas Bran jo ; appellad'os, Jos de Sonta Bar-
bosa e oulfos. ".
Do Sr. desembargador Begueira Costa ao Sr.
Jiesi-uibargador Souza Leo.AppeHacSes-civeis :
;.....'Ilaiit-, Jos Caranio de Mallo; appellado, Dr.
Ernesto re Vasconcellos Chaves. Appellante, a
f.'tenJa; appella'do, Joaquim Lopes de Almei-
da.
O i Sr. desembargador Sooza Leao ao Sr. -des-
flinlcirgador Gilirana.Appelacao civel: appel-
la'iie, Ani-a Francisca do Monte; appellado, Fran-
cisco Anastacio de Mara.
A 1 hora e una qaarto da tarde eucerrou-se a
no lia 17 do crreme comecar5o as suas
*ovi* na *ti capelta-e-^ue-lwtHa 26 ter
logar com a tnesma poiaj^a a missa carnada
fvmdo panegyrico 5o evngelho, a Ucee
T+-Qehm e beocodo SS. Sacramento S2n-
do. como da ouira vez, todos estes acUs
wrilhanudos com a>sis,tencia de toda a com-
mumdade do mesfno seminario, aae pj
man.bello oroattewo H:festildes
giosas.
- -fi*"r* *> editii.4o Exm. Sr. cwMelheiro pn-
mm; e nao pensem qKfumdo
um mu inimifo seja para elle ir
SlS!fada rGlaf* Geten" da Suva Santiafg,
ovisio*, proouradorjodctialLoopg*-
4') Fwaeira aritos Ribeiro palo motivo exaia*
h*JR'Un edital t*"*l**saJo-o Diario de Perno*-
Otftroe 27 4o mea prximo passado deu lugar a
resiwttosas c jfas murmara^le-.
Todo vooerami eminente magistrado, coja inao
traeara aqupH! edital, ninguem ornara, iw cario,
negar a huinenagem devida ao tfu nobr iim
restricto carcter ; censura-se, .porm, o excesso
-navido tu iod*c deixa do coito modi, appareeer ou pelo menos
simular prevencoes, que nao podem c;iber no
aniiiiodo qaalqikT julgador, e menos ainda no de
queni *m apems de exerder siiDfices actos pre-
ventivos, cerno seja o de annuilacao. ou cassacao
da provisio de algn,m precuraoor do jviiio.
Desde ^ue, (iberia unta instancia judiciaria, >
tuiciada em qualquer cnme, snlmitolo ac
cao^da justica, o linal de todps os=neius de tnda-
gaea* e Tericacan o conhecimeWo da verdade,
i* we qual, ouvida a dtfesa, com as aalotares
garantas defiue as leis a cercara, o too snecum-
ia s* ype- da cntpa, ou triutaphe cora as sym-
palbiM dovida* a ianococia.
Km quanto, p&s, isto nao esla 4e ludo feito, nao
e permiUido aggravar a wrle "*) aecusado oom
espres-oes <|ue i lotluren, o acabruuh8mt e
nem pateatear jutzos antiapados e per coaseguin-
le. iemei arios, gue o expgntnun a parciaes e peri-
gosas odiosidades.
tT assiin (jue naquello dial os tres signaos de
admiracao depois das palavrwverdadeiro eatcl-
lionalue as (tirases casso a provsao pelo moti-
vo oeste, jiocurador nao trepidar em atorquir d
seusconstitumtes ele.,dio eomprovadooiineri-
me, pendente ainda do piujes.-o de. iustauracao :
revelaraum juizo anlecipa'flo e incompetente de
quem uo lein jumdicco vara aaskn proceder
eEjtriraem iinaluienle, mu excessp que fere o
acensado, e nao convence a justica para na i-
ma decisao de imparnial condemuacao ou absel
vicio.
O simples faci d'accusaci) pendente contra o
procurador Leopoldo devria ser o motivo exprs-
sonaquelle edital para a cassacao de sua prov
sao; visto como era esta medida de prevenoao
e seguranza, que se limiuva o poder do Eh. Sr.
presidente da relacio, perteucendo ludo om>s ao
tribunal competente que tem de julgar o aecu-
sado.
-Mas refleciidas assercoes que licam expendida*,
nao iia intento de offender, nem se quer e leve
susceptibilidado ; mas somentedizer com modera-
cao e calma, verdades fundamentaes na justica
criminal.
Assim pensa o
Jutlut.
Hecife 15 dejulbo de 1870.
jurars contra
tn eneommend
para o efoll
A matriz est convertida em esulagea ; onda
o icario su babuleij quando vm da Ca cara, e
onde seu (lino Jos Mrq'ics tem passado das e
n (Res com saa familia ; lanlbem serve de araa-
'I uMBl o Rvd. hacalho gaarda chucos, mallas,
onras, peias, cabrestos, cengailus, etc.: tanto
que o. UvJ. paule Francisco lavares Ar^.Vfde,
reli- de cujas qgaHdades ainda saodosos nos lembra-
mos, quando para a^n veio eatno vibrio eneom
tnendado, pur -uspeesio dh padre Bacallio. leve
mimo trabamo para hmpar a matnt dsea tras
ts, e -de quem V- Exc memor se podera iofor
mar nao f sobre is-o, eomo are-peito'da profa
naci a qoe eslaranvtpostoa os vasas sagrados
^e servan no saciiaeio da mif a e na admioia
iracao ios f acra menta*.
Os euterros r os oaaameitos aqoj sao feos a
modo de negocio; assim que wn enterro de an
lio. som solemnidido. nem encommendacaq, casta
mi, fli e 2|000, conforme o fregnet; aai
m.-.'iinenlo fat-S" por SS, 4 ojOM, e as vete.
po; 40jt on SOS, segundo a distancia da matriz
iie d espera o vigario se colloca parad'aill ?er
chamado f^'.er ajuste mais vautajoso.
O'CMfissKioario aqui est-desorto ; apenas pela
qnaro-tfia apparace algama'veUia oo negra, que
quer conifrssar-se, porque as familias e pessoa
lioaestas am 'apridu do ser snlilcii .das na cwnfii-
sao, como tem meced do a muilas mocas soltairas
eealsadas. Apura inesnu urna enttora cada e
honesta, hoje residente em S. Caetano da Bapoi-i,
yi donociuu a V. Exc a seduccio que o Sr. li-
garte Bacalh fez-lbe no conlissionario, proooet-
tend>:ab?otv-la depois de JUtta /
E' nefando, Exul Sr., o procedimento inicuo
esse pastor diablico, desse raonstro da nnssa
santa relfziiio, desse lilho ds Satanaz, que coaverte
o tpSiunal da penitencia em cadafalso da honra e
da hoaestdade, e em alcouce de sens impdicos
ineneios.
Tos paro.-hiauos fugimos dessa fi^ra e vamos
buscar I**> espiritual a grande distancia as
freguezias do Monteiro, Baique, Flore?, etc.
Livrenos, pois, V. Exc. Bvma. desse flagelto
pio amor de Jess Christo.
Fregoezia d'Alagoa de Baixo, <3 n> julho de
1870.
Utn parockiano da (resuena.
T
Bhia.
COMMERCiO.
REVISTA BOCOM-
MERC10 E ABTES.
S. Joe Ae Ni-
PU3LCAC0ES A PENDO.
Pela Bobiicaco do opuseuloApologa do Ca-
Jkolicitmo, e dos Pontfices Pi IX e Gregorio XVI,
o autor, o conselbeiro Dr. Pedro Autran da Malta
Albuquerque, obteve a honra de urna carta de
ssuihcao e beneao apostlica de saa santiJade,
cuja traducen) astfointe :
Ao nosso dilecto fllho Pedro Antran da Malta
Albuquerque, doutor em direilovlente e director
substituto na Academia Pemambncana.
a Dilecto fllho, sade e beneao apostlica. De
maito bom grado receDemos "a tua lucubracao :
aiqirouve-nos a liber'dade cbrisiia, com qne em-
iirehondeste a defeza da causa da reltgio, da igre-
jae desta reata scontra as perseguicoes e calum-
nias dos que a odeiam. Posto que pernj es mu-
tos e gravissiraos cqidados que sobre nos pezam,
nao nos tenham dado flga para examinar o lu
escripto, com tu'do deviamos approvar o ssuTi>to
declarado no "nVesmo frontispicio do teu opascalo,
loiivar o zelo com que, tendo eonfessado claro a
i.tranhada em tea coraca>, te erapenbaste lam-
hem por manter nos outros a so rrterri Jade. Pe-
lo que te declaramos o nosso agradeeimento, e
em tes'.emuntio iiftubitavM defle, morto affeetno-
smente le damos a beneao apostlica, prenuncio
ile favor divino, e petmar da nossa paternahbene-
volencia. Dado em Rama, era S. Pedro, aos 30
de maio do auno ee 4ST0, vigsimo qaarto do
lijso pontifleado.
Po. P. P. IX .
Imperial fabrica de-cigarros
Iheroy.
O trabalbo o molor universal da grandeza das
nacns, a alavanca do progresso a incutir o esti-
mulo no animo do povy, a vida da alma, q unir-
te da prega ir a I #
Poreiu, quando o trabalho se avantaj apela d?d
cacao dos bometis, que abre ura futuro esplendido
a tantos jjvens, este trabalho, cujofructo banba-
do pelas lagrimas da gralido, distingue-se ainda
aais, e mais abencoado .
A primeira fabrica de cigarros no Brasil, tem si-
do iibencoada por Deus 1 E' ella a-tabelecida sob
a invocacio de S. Joo, em Nictberov, e de pro-
paedade dos Srs. Souta, Novaes & C."
E' ura magnifico edificio, onde cento* tantos me
nios sao alimentados e vestidos pelo estabeleci-
ment, olido cenia e tantos orphaos recehem edu-
cacao, o |io da alma e do corpo, o easino das pri-
m Jiras letras, dos dogmas da 'sania religo, onde
emlini essas crianzas plaolatn a sement do futu-
ro para um da serem uteis ao paiz, em que so-
mentetil o qne tiuhalha.
Urna vasta enfermara para os doentes, urna bi-
bbolheca bem provida, um refeitorio em que se
administra alimento sadio e abundante, eo repou-
so emfim depois das horas do trabalho, o uturo
de um offlcio decenio para tantas c reataras ; sio
beneficios que Sooza, Novaes e C. dispensan), qoe
nunca nenhurn outro fabricante no Brasil lembra
se de prestar.
Depois destas primeiras observacoes que filemos
em nossa visita a essa fabrica, onde omos na qua
lidade de jorualistas da urna folba coramercial,
pasemos s officioas, onde vimos que um pes-
soal numerse all (rabalha, que os artefactos des-
ta casa sao os roelbores pela perfei^io e qualida-
de do fumo, que ja foram analysados por diverso*
oh mieos.
Somos informadas vem do trabalho de fazer cigarros para este esta-
beleci ment.
Honra e louvores, pois, a os negociantes Sou-
za, Novaes e C, honra e louvores, sim, aos incan-
saveis e humanitarios Jabricantes, qoe com o
pensamento em Deus e no futuro do paiz, sao os
apostlos da caridade, os propogadores do ira-
balbo.
(Extrahido do Jornal do cemmerciu).
/aaeiro
da praca a
Liriited
taxa a con-
Jf Kio de
Descota lettras
'encionar.
Recebe dneiro em conta crreme hi
I raso- fixo.
Saca i-vista ou a praso sobre as cidade*
arlncipaes da Europa, te correspondentes
ia Babia, Buenos-Ayres, Montevideo, evy-
i New-Orleans, eaitte cartas de crdito
para os mesmos lugares.
HUA DO GOMMERCIO N. 36-
IwporUco
Vapor americano north mbrica, vindo de
New Yari-pelo Para) manifestou :
39 calxas relogios, 1 dita drogas; a Henry Fors-
ler & C.
1 dita chirntos; a Keller A C.
1 dila frnclas, a rVdro Chermint de Miranda
iTolos salsa parrilha; a Francisco Jos da
Costa Guimaraes.
28 bams banha djporco ; a Joaquim Jos Gon-
^alves Beltrio.
rente, pelas 10 h>rai da manilla, para ter ligar
nesta seereUria o exarae de Vrioeacio de capa-
cidada para o magisterio primario do aexo feme-
nino a que deve ser ad.aiuiia a dita senli ira, que
dever inscrever-se aesta s^-retaria na fr.na das
msiruccoes de 11 de junho de 1858 at o da 19.
SecTeUria da instruccaj publicada Pernambuco
U de jnlho de 1870.
O secretarlo,
Aureliano A. P. de Car vano.
DECLARACWS.
0 diluvio universal
! acto.
Executr-se-ba o apparatoso quadro intitulado:
Uroubo las Sabinas.
No qual tomara parte todas os artistas da cem-
panhia.
Grande e mmiammal
titulado:
De nrdem do Illm. Sr. conselbeiro wpeeter
da thesouraria de fazenda se fi poblico, que po
tend > comparecido licitante arrematacio do alu-
guel pjrroet a tres annos da casa qne servia de
cavallarice era Santo Amaro da freguezia da Boa-
vista desta cidade, flca a raesraa transterida para o
dia 23 do crreme inez.
Secretaria da thesouraria de faztaila de Per-
nambuco li de Julho He 187f>.
Servindo de offlcial-maior,
Manoel Jos Pinto.
A -^emiocta caixa filial do Banco do
Brazil paga o 33% dividendo das acc5es
aqai inscriptas a razo de 9JO0O por accio.
Os seahores eredores -ao espolio do Usado
subdito portoguez padre Augusto Maria Ferreira
BoMho, qneiram comparecer nesie consulado den-
tro do praso de 15 das, da data da hoje, para re-
ceberera o rateio qae Ihe3 tocoa dos bens daquelle
finado, arrecadados e liquidados por este consu-
lado.
Coosolaio de Portugal em Pernambuco 13 de
julho de 1870.
O chaneeller,
Arlhnr An rebano rerreira Braga.
peto. _~- *
qiaadro mylbelogieo, in-
A forne de 19S
PRECU8.
Caante con 6 eulfadas ll#000
Caires J^OOO
Cadeiras avulcas para Sras. SiOO
Platea M000
Os bilhetes de camarotes, cadeiras e plateas
veude-se no mesmo circo.
, AVISO.
Eraeonsqaencia do fogo de artificio que se an
nuDcia para a noute deste dia, deixa de haver a
funecao da noute como de costume.
Risco martimo
O brigue a. cerca ders. IIOOOWOO para faier despea
ruitasnesBipirto. O navio pretende seguir fia-
gem para Falmomh >m pomos a*. Reeebem-M-
propostas om carta frehada o consolado da ron-
federado norte-allemia. .....^
Marani*>
Em virtude de ter conseguido-a iaclusao do dis-
tincto maestro o Sr. Einmanuel Casalbore no mea
concert, qne tara lugar egunda feira 18 do cr-
reme, tivo de alterar o programma pelo que na
meama noute serao distribuidos outros qne re -
gularisaro a ordem do dito concert.
Recife 16 de julho da 1870.
Joaquim Francisco Vieira.
Vai praca pelo juizo de orphos desta ci-
dade, escrivao GuimirSes, 00 dia 18, linda a an-
diencii, o sitio denominado Deraarcaci^, ^"en-
cent aos ben< do Uado Manoel de Vella Crut. na
freguesa de Muribeca, pela qaanti de 1:500#,
que servir de ha Seganda-feira 18 do corrente, depois da au-
diencia do juiz do paz do 2' districlo da Boa-vista,
serio arrematados diversa* cabras e carneiros,
apprehendfdjs em correieo.
'Pela subdelegada de polica do Io districto
da Boa vista fe faz publico qne foi apprehendida
na noile de 13 do corrente urna cixa com velas
de cera: quera se julgar com direito, appareca,
queprovando Ihe ser entregue. Becife li "de
jnlho de 1870.
O subdelegado supplente,
Correa Selle.
O reitor do seminario' de Onda, legitimo
^lioiaistradar da capella da Senhora Santa
.1 do Rio^)ce; assim como o anno pas-
cado fez com maior d#ceno poaaivel as a>-
veaas 'desta gloriosa Sania, e celebrou a sna
(ata 00 dia 2i de noveicbro cm toda so-
HnniJade, assimtambem qitereodo esle anno
irttM/tar-lhe as bomena'gerjs qoe ih< sao de
v.das, convida assistir e faz saber a todos
ja fi.i' devotos da gloriosa Sant'Anna, qae
Ao Exm. 11 vm. Sr. vigario
capkualr
Exm. Sr.Como o aaior perigo para qnem go-
venia ignorar o que vae oecorrendo, e V. Exc.
cujas virtudes evanglicas, zelo e illustracao sao
por todos reconhecidas, deseja nao so aeertr, mas
tambera beneficiar a todos dos, dando dos aquel-
la agua que Jess Christo prometiera samari-
tana e d'aquelle pao que,na vespera da sua mor-
te, distribuir a seus discpulos, vienios coa toda a
humildade nao s prestar servico, mas anda rec-
correr s virtudes e caridosa protee$p de V.
Exc, pedindo era nome de Deus e da nossa santa
religiao, que nos* soccorra, estendendo suas pater-
naes vistas a esta pobre freguezia, que se vai abis
mando as garras de Satanaz, representado na
(igura de oosso pastor o Bm. padre Flix Jos
Marque* Bacalho. .
Nao a influencia de paixdes ruina qoe nos ar-
rasta a soccorrenlos a este ineio de suppfar V.
Exc, era nos faltam provas era apoio do que Je-
mos a peclarar; magnos falleeem os recursos para
nos apresentarraos- em jaizo como dennneiame,
cojo carcter visto com desagrado, e tememos
ou antes estamos prevenidos conira o espirito de
classe que ordinariamente moito inSue no julga-
mento dos prooessos desa ordem, como se diz.
Mas V. Exc facN verificar a certeza do que
irnos dizer, e soccor'rer-n-js, lvrando nos de urna
fra que sob o manto de pastor no* devora a hon-
ra, nos rouba o socego, e nos nega at o pao que
nem ao discpulo traidor Jess Christo neguu.
Exm. Sr., o vigario Flix Jos Marques 'Baca-
lho, zombando de orna denuncia dada por Ma
noel Ignacio da Silva Azevedo e Jo Alves de
Ges e Mello, a qual ainda pende dos tribunaes,
contina mais escandalo-a e descomedidamente
nos mesmos crimes-daquella denuncia e em 00-
tro? ainda mais torpes e nefandos, como pa3saratj
a expor. *
Nos pArochiano levamos semanas e roezes sem
ouvir a missa parochiai, porque oSr. vigaridBa-
catho vive a 18 leguas da matriz na Caioara,,
fazenda do p.ie da -ua D Maricas, a cuyo lado o
Sr vigario dosfracta os gosos d) mais hediondo e
sacrilego amor I porque a bra. Maricas no se
apprnuve ejnceder-mjfiicenga, o Bvd. Bacalho
deixou-nos sem missa desde 24 de dezemtro a
fins de Janeiro, e moito principalmente em o 1*
de Janeiro que era o dia da festa da nossa pa-
drneira I Tambem nao livemos missas nos dia
de Ramos, Espirto-ganto, S.'Joio e S.'Pedro.; en-
tretanto o Sr: vigario. robusto e sao, como e noto-
rio, com a ostentacivde um pacha, responda a
quera se queixava qne, ponco selha impo^tava e
qae deixava de celebrar para qoe os dhtbos nao
ourssera missa I...
O exeraplo da masroa torpe vioganga deu este
ienpio visjari) degenerado, quando raorreu Aotoaio
Bazerra da Costa Jnior, o .qual outf'ura fonnou
locumeaios coara elle no proeesso de denuncia.
O vigario, depois de enterrado o cadver de Anto-
nio Bezerra, vista de muUas pessoas pi*ava so-
berb*nenie sobre a sepultura de Antonio Bezerra,
e dizia : irra diabo, naomats me aptrriards, nem
MOVIMENTO DO PORTO.

iVat'io entrados no dia 15.
Baha 5 dia*, corvetas vapor portugueza Du-
que da Terceira, coramaedante o capitao de
iragala Ghristiauo Augusto da.fosta Lima,
Baha8 dias, hiate brasilelro Alabama, de 39 to-
neladas, capilio Bernardino da Silva Tat,
eqnipagem 6, carga 1200 alqueires de farinha
de mandioca ; a J, J. Goncalves Beltrio.
New-Tork por S. Thomaz e Para21 dias, vapor
americano iVnA-Amer/ca, do 2000 toneladaf.
c-immandants J. B. Selum, equipagem 70, carga
differente gneros; a Henry Forster & 6.
Navios sonidos no mesmo da
Granj-i e |Krt"S intermediosVapor brasileiro
Ipojaca, commandanie Moura, carga varios go
eros.
Rio de Janeiro e BabiaVapor americano North*
America, commandaote J. B. Sclocum.
EEITAES.
Adiniaistravo dos crrelos de
Peraanbuco 10 de julbode
1890.
As malas que deviam seguir hontem para os
partos d sul at Aracaj no vapor Gigui foram
transferidas para hoje 4 6 do correte.
A correspondencia que tem de ser expedida
para aquellos portos, ser recebida pela maneira
seguate :
Macos de jornaes, impressos de qualquer nata-
reza e cartas a registrar at as 2 boras da Urde,
cartas ordinarias at as 3 boras, e astas at 3 1|2
pagando porte duplo.
O administrador,
Alfonso do Usgo Barros.
Ul.iMia w.i
VOCAL E INSTRUMENTAL
NO
THEATRO
DE
WTOMi
O Dr. Sebastin do Reg Barros de Lacerda, jniz
de direito especial do commemo desta cidade
do Recie capital da provincia'de Pernambuco e
sen termo por S. M. I. que Deus guarde etc.
Faro saber aos que o presente edital virera e
delle noticia tiverem, que no dia 27 dejulbo do
corrente anno se ha de arrematar por venda a
quem mais dr Onda a audiencia deste juizo os
bens seguintes :
Armacao e seus pertences da taberna das Cinco
Ponas o. .30, inclusive balancas e carteira por
150*000, i I bacias pintadas a 600 reis, 9 orines
de ditas cores a 600 reis, 5 bales de ditas a 600
reis, 20 duzias de ligelas de ditas a 1*200, 2 du
zs de pratos de beira azul a 1*200, 8 duzias de
cazaes de chicaras a pires pintados a 2*000, 5,
potes de barro a 320 reis, 176 garrafas de cervja
nacional a 240 reis. 2i meias ditas de dita dita a
120 reis, treze garrafas de cervja prta a 240
re!*, 80 ditas de dita franceza a 500 reis, 68 gar-
rafas de vinho Bordeaux a 300 reis, 24 ditas de
vinbo do Porto a 800 reis,' 38 ditas de licor a 400
reis, 37 frascos de genebra a 320 reis, 20 botijas
de dila a 300 reis, 12 frascos de cooserva a 600
reis, 10 latas de azellonas a 800 reis, 150 duzias
de caixas de phosphoros a 200 reis, 15 ditas de
ditos seguranca a 300 reis. 67 ditas de ditos do
gaz a 200 res, 39 ixas com graixa a '80 reis,
4 libras de aletria a 400 reis, 4 libras de talha-
rim arruinado a 200 reis, 6 libras de sag a 320
res, 6 libras de caf em earoco a 160 reis. 2'deca-
litros de feijo prto a 1*880, 6 libras de cravo a
500 reis. 6 ditas de pimenta do reino a 320 re-,
i ditas de alfazema a 320 reis, 8 ditas de alpiua
a M50 rVis, 16 ditas de maearro arruinado a 200
reis. 6 ditas de goma a WO reis, 136 cocos de pao
para agua a 40 reis, mala sacea com rlhas por
o000, 12 abanos de palha a 20 reis, 90 rnihus
d'alhos a 160 reis, 4 resmas de papel Dardo a
15000, 8 libras de farinha do Mar nhao a 160
reis, meia libra de herva doce por 100 reis, meia
libra de eominhes per 100 reis, 2 libras de cb
prto a 2*000, 1 quarta de cha verde por 500
reis, 49 duzias de paos de pomada a 240 reis, 9
latas de sardinhas de Nanies a 320 res, 3 ma;os
de goma de mrlho a 310 res, 24 latas de biscoitos
a 1*800, 3 ditas de ditos menerres a 500 res, 16
feixes de lenha por 290 reis, 2 pipas vazias a
12*000, 1 dita com 2 eanada da vinho por 18*,
1 narrH cem 12 capad* de vinagre por 2e<000.
i dito com 2 ditas de agurdenle por 4*000, 27
rnac s -de cigarros a *0 reis, nina porjSo de ci-
garros soltos por 200 re, 5 qn.irtlnhas de barro
a 100 reis, 3 tigelas de dito a 40 reis 9 macos de
palitos para dentes a 100 reis, 5 pecas de corda*
por UOreis. Os quaes vo a prac% por execucao
de Antonio Jos Dantas, contra Antonio de Miran-
da A C.
E para qoe chegue ao eonhecimeoto de todos
mandei fazer o presente, que ser afflxado nos
I apares do costante pela imprensa.
DKlo e passado nesta cidade do Recife aos 8
dias'de julho de 1870.
Eu, Ernesto Machado Freir Pereira da Silva,
escrivao o esenmi.
ithotti d Um Bnmu d* Inimia.
PAVLMAO DES. ISABEL
C0MPANH\
EOBSTflE (MSTICA E ACROBTICA
SOB A DIRECCO
M
D. Luis Oasali.
EXTRAORDINARIA E VARIADA FNCCAO
wabbado l O ao corrate.
EM BENEFICIO
Da menina
mMmm& gabauu
A menina beneficiada, cuja idade ainda nao
Ihe permUte fazer o >eu devido encareeimento ao
respeitavel publico pedindo-lhe n sua proteccao,
dedica a sua noute de festa artltlea a todos
aquelles qae se inieressarem pela propriedade da
jnventude,em enjo peito s bate um coracao cheio
de innocencia, e cujo agradeeimento aos seus pro-
tectores s pode ser feito por meio do forriso
propria das crianeas de sete anios.
Os ehefes de familia? que lem a feleidade de se
verem rodeados de galantes possuidores da ver-
dadera innocencia nao deixarao de levar seus fl-
Ihnos ao benerlciu de urna menina que, com sete
annos de idade, j d provas do quanto se esfor-
ca para ser til a seus pais.
PROGRAMMA.
PRIMEIRA PARTE.
1. Urna linda symphooia derigida pelo maestro
Martin?.
2.* A menina beneficiada executar sorprenden-
tes ovolacSes, sobre o cavalito mosca.
3. Um intermedio jocoso-, pelos clons da compa-
nhia.
4. Exercicios equeslres, por Vicente, sobre um
cavallo em sso.
A menina beneficiada eflatuar varias des-
Pelo bartono portoguez
Joaqntm Francisco Vieira
Segunda, feira iS de julho
Primeira parte
1.*Ouvertura grande orcheslra da opera
Zambaaator Airoldi.
2.'Mara de Hudeuz Romanza cantada pelo
beneficiado acompanhada a pianno forte pelo
maestro brasileiro Sr. Claudio Ideburque Carneiro
Leal. 4
3"Panlisia da opera Sonmbulaexecu'a-
da no cirmelo pelo dislincto professor Sr. Antonio
Rodrigues Vianna acompanhada pela orcheslra.
4.'Aria da operaTrovador cautada pelo is-
tincto tenor brasileiro Sr. Jos Colho Barbosa,
acorapanhaua a pianno pelo Sr. Ciaudio.
a.'Andante e rdndo orig.nal do maestro Sr.
Lramanuel Casalbore e executado pelo mesmo
piann.
6."Carnaval, de Venezaexecutado na rabeca
pelo distincto professor Sr. Francelino Domingos
de Mora Pessoa acompaohado a piano pelo maes-
tra Sr. Claudio.
7/-=II-do1oreRomanza cantada pelo beneficia-
do com posta palo maesira Sr. Casalbore, e acom-
panhado pelo mesmo.
Segunda parte.
I-*Ouvertnra Esperanca pela orchestra,
autor Pedro Baptista.
2.'Aria da operaMaria de Buhancantada
pelo beneficiado e acompanhada pela orebestra.
3.* Ouvertura da opera Auna Bulena exe-
cutada no opbiclee pelo distincto amador o Sr.
Henrique Janseo, acompanhada a piaao pelo maes-
tro Sr. Claudio.
4.Pbantasia da opera Ernani execotaoa
no clarinete pelo professor Sr. Antonio Muniz
Vianna, acompanhada pea orchestra.
o."Phantasia Original executada na rabo-
ta pelo distinto or-fessor Sr. Francelino de Mora
Pessoa, acompanbata a piano pelo maestro Sr.
Casalbore.
6.vCarnaval de aples executado aa flauta
pelo distincto professor Sr. Salusliano Tenorio
acompanbado a piano pelo mae-tro Sr. Claudio.
7.'Variawioni sul tema d'AdemsLe I*iel
composicid e execucao a pianoforte do maestro
Sr. Casalbore.
8.<-Dueto da epera Lucia de Lamemoor
cantado pelo Sr. Jos Colho o o benefiriado,
acompaohado a piano pelo maestro Sr. Claudio.
0 benefiado agradece a todos os artistas brasi-
leiros que de lio boa vontade se prestaram a
coadjuva-lo neste concert, aos qoaes manifesia o
seu eterno reconhecimento; assiin como ao dis-
tincto ^maestro de piann) Je canto o Sr.JEm-
manel Casaibore que chegado a pouco da Eu
ropa nao se eximio tambem a tomar parte em
diio concert.
0 beneficiado espera do distincto publico per-
narabucano a valiosa proteccao que sempre dis-
pensa aos artistas que a reclamara em teus bene-
ficios.
ih5^ fwtdaMara e porto aeima o pa-
B nacional Jaren A*ur, atada pode reeeber
! C?rg,* a i"1*?" co" "'Miarte
luz n. 57, l andar.
eom a
Uto dt Jamuro
/retende segair para o referido porto
pfliiivel brevidadeo pataeho Monteiro por ter por-
eao da carga engajada ; e para a que Iba falla e-
e.cravos a frete, irau se oom o consignatario Joa-
quim Jos Goncalves Beltrio a ra do Coamerci
"imi do m,
Deve seguir dentro em poneos dias o brignt
nacional Intrpido por ter prompta a maior parte-
de sua carga, e para o que anda pode reeeber a
frete commodo. trata-se com Bailar, Oiiveira &
C. ra do Vigario n. 1, Io andar.
COMPANH1A PEKNAMrlUCAWA
DE
\aTe4aca0 eostclra por vapor.
Porto de Gallinbas, Rio Foroioso e
Tatnanoar.
O vapor 'Mossor seguir para os portos ci-
ma no dia 20 do corrontfc. a meia rtoite. Recebe
carga, encoramendas, passageiros e dinheiro a fre-
te no escritorio do Forte d Matt s n. (2.
Para o referido porto pretende segnir coi
siyel brevidade o patacho portuguez Elepkanti par
lar alguna carga tratada, e para o qua ihe falta
tratase cem o consignatario Joaquim Jos Gowal-
ves Beltrio ra do Commercio n. 17.
NAVIO A VENDA
Vende-se o brigue portuguez S. Jos, de Iota-
cao de cerca de 1300 arrobas ; os protendenti-.
podero examioa-lo no ancoradonro : na volta do
Forte do Matto, e tratar a respeito, cora o capilio
a bordo, ou na praca do Corpo Santa n.' 6, segun-
do andar.
Aracaty
Segu eom a possivel brevidade o palbabotf
Emilia, ainda recebe algunas carga a frete: a
tratar com S Leilio Irmaos, roa da Madre 0>
Deosn.l.
LEILOES.
CONTINUA ClO
DC
J,,
da loja de miudezas de Henrique de Moraes & ir-
maos, em cuja occasiio Ir a armacao da raesm*
loja.
Comecar as 8 horas.
AVISOS MARTIMOS.
Maranho
Conssiho de qnalicacao da guarda oacio-
Hal da fre^oetta da -S. los.
No dia 18 do corrente ha iaspeecio de saude.
para os guardas qne requervram passagem para o
servan da reserva. Da interessados corapareeam
as 10 horas da manha da referido dia.
Sala dassessdes dd'conselho de quaiificacao no
consistorio da matriz de S. Jos 16 de julho de
1870.
FiramoFraieisco de Brilo,
___________________Tenente-secretario.
g De ordem de Illm. Exm. Sr. cooslheiro di
r-ctor geral interino, fago publico para cnheci
menlo da Sra.TJ. Jclrtha Avelina da Cruz, que o
mesmo Exm. Sr. conselbeiro, em vjrjude de des-
pacho do Exm. Sr. vice-presiden te da provinera,
de bornear datado, tem designado o dia i) do cor
0."
locacoes, junctaraente com menino Joannin.
6." Murilho, cavallo amestrado,.apresentado em
lberdade pela senhorila Anna.
7. A menina beneficiada executar pela pri-
meira vez, sobre um cavallo, a linda scena : Os
capinhas hspanlms.
8." A dup|a barra flxa, por Cesar e Vicente.
Intervailo de 30 minutos.
SEGUNDA PABTE.
Acto primeiro.
Grande quadro eaj allegoria, intitulado :
A deusa da guerra
Acto segundo.
Quadro histrico, por Rodrigues e Joannin, inti-
tulado:
Caim e Abel.
-* Acto terceifo.
Qaadro final, intitarado :
As nymphas sorprendidas peles
Saljros.
No qual tomara parte as senhoritas Anna, Ma-
ria Luiza a Marieta, e os Srs. Rodrigues, Luiz e
Cesar.
Principiar s 8 1|2 da noute.
Pntftti
Camarotes com 6 entradas........ 12*000
Cadeiras....................... 2d000
Cadeiras avulsas para senhora..... 2#000
Geraes.......................... 1*000
Os biUntes de camarotes, cadsiras e plateas
vendera-.se no mesmo circo.
Ao publico
O director interino avisa ao respit^vel publico
que estando a compauhia em acto de partida, bre-
vemente aDnunciar a sua ultima funecao nesta
hospitalera capital.
E' esperada do Bio de Janeiro em poucos dias a
barca portugueza Maria, que traz j alguma car-
ga para o referido porte ; e descarregando a que
para este eonduzir, reeeber aqai a que for pos-
sivel obter para o Maranho, e com poaca demo-
ra : por isso qaem desfijar aproveitar esta boa
occasiao de embarque, dirjase ao consignatario
Joaquim Jos Goncalves Beltrio, ra do Com-
mercio n. 17. \
I
Para o referido porto pretende seguir com bre-
vidade o patacho nacional Protector, por ter a
maior parte da carga prompta ; e para o resto, a
frete mdico, trata-se com o consignatario Joa-
quim Jo Goncalves Beltro, na do Commercio
n. 17.
FAZENDASGERAES
Em conclnnacSo.
A 16 do corrente.
Mallo, Lobo & C. contrauarao, sabbado o seu
leilio do mais esplendido wriiuiento de fazenda-,
ja especificadas, em seu armazera, sito i tonal
Cruz
DE FAZENDAS
BRASIJJUti
DE
JDomingro 17 de julho
As 4 o horas da larde
Grande fuocco equestre, gymnastica e my-
tblogica, dividida em duas partes.
PROGRAMMA.
, B t pbimeira Parte.
1. Symphonia.
V Grande volteio sobre um cavallo a toia bri-
da, oor Juaonin.
3.0Grandes trabalhos eques-es, por yeente Ca-
odli.
** U?"?*4 ^na jocosa, pelos clowns Rodri-
gues e Aldabo.
5. O artisu brasileiro ari alguma desloca-
6.' O applaadido gymaasco Vicente Casali fa-
ra sorprendentes pasiees aobre o trapesio.
'.''.* U nacional, com seto avallo em os,
dirigida pelo Jistmetr. artiesu Cesar Casali.
Inlervalio de 40 minutos.
SEGUNDA PARTE.
Apparatosos trabalhos sobre a mvlheloBa,
l' acto.
Grande qaadro histrico, intitulado :
Paquetes a vapor.
Dos portos do sul esperadi
at o dia 22 do corrente um dos
vapoies da companhla o qual
depois da demora do costume
______ seguir para os portos do norte.
Desde ja reeebem-se nassageiros e engaja-se t
carga que o vapor poder eonduzir, a qnal deven
ser embarcada no dia desnaeliegada. Encomraen
das e dinheiro a frete at as duas horas do dia d:
saa sabida.
Ni se recebem como encommendas senao ob
lectos de pequeo valor e que nao "excedam a i
arrobas de peso ou 8 palmos cbicos de medi-
co.
Tudo que passar destes limites dever se'
embarcado corad carga.
Previne-se aos Srs. passageiros que suas passa
ens s se recebem na agencia ra da Cruz n. 87
andar, escripiorio de Antonio Luiz de Oliveir.
Azevedo A C.
COMHIA IIIIASUfittA
DE
Segunda-feira 18
Sehapheitlin & C. continua a exper era leilio n*,
dia sexta feira 15 do corrente, por intervencao v
agente Pinto, um variado e completo sortimento de
fazendas francezs, suisras e allemies, existente
era sen armazem ra da Cruz o. 12, onde se effec-
tnar o leiii.) s 10 horas do da cima di'o.
LEMO
DE
movis, louga e chryslaes, a sj-
ber:
Um piano forte franez, urna mobilia de jaoaran-
d com um sof, di as consolos com podras, qua-
tro cadeiras de bracos o doze fle guarnici, da%
cadeiras de balanco e eito ditas de guarnico de
jacnraod, dous ricos espelhos, um dito oval, um
lustre de christal, dous ditos de dous bieosj jar-
ros finos para Aeres, tapetes e eserrradeiras.
Um toilet, urna cama francesa de jicajanda.
urna mesa de cama, um guarda-vestido, um gnar-
da-roupa, urna commoda e santuario de Jacaranda,
seis cadeiMs, uan raarquezio. duas camas para
meninos e dous barcos.
Um sof,, dons consolos, ama mesa de jogo,
duas cadeiras de abrir, vate e quatro ditas ham-
burguezas, doze ditas de faia, urna mesa de jogo,
dous cabides, um espelbo.
Urna mesa elstica, um guarda lou^a, dous apa-
radores, duas qoartinheiras, um sof, doze cadei-
ras,. louca para cha e jantar, compoteiras, garra-
fas, copos, clices, garios, facas, comeres, msas
para engommado, trein de cozinha e outros ob
jectos existentes no
Primeiro andar e pav ment terreo do sobrado de-
azulejo da ra do Sebo n. 38
Quarta-leira 20 de julho.
0 agente Pinto, autorisado por urna familia qne-
vai Europa, far leilio dos movis e mais objee-
tos cima descriptos, existentes no sobrado da roa
do Sebo n. 38, onde se effectuar e leilio no dia.
cima dito.
Principiar s 10 horas.
AVISOS DIVERSOS.
Paquetes a
vapor.
Dos portos do norte esperade
at o dia 28 do crreme.o vapor
Guar, comaandante o capitao
tenente Pedro H. Duarte, o qual
_ depois da demora do cosame
seguir para os do sul.
Desde j recebem-se passagaires e engaja-se
aurga que o vapor poder condnzir, a qua deven
ter embarcada no dia de sua chegada. Encommen
dasedJineiro a frete at as 2 horas dediadasui
anida. '
Nao se recebem como encommendas senao ob
Jacto de pequeo valor e que nao excedam a dnai
arrobas de peto ou 8 palmos cbicos de medieac
rudo que passar destes limites dever ser embar
cado Tiomo earga.
Prevme-ie aos aenbores passageiros qoe euai
pao geos s se reaebem na agencia, iua da Crui
a. 7, andar, eacrlptono de Antonio Luiz >
Oiiveira Azevedo & C.
Para o Porto.
Adia-se icarg* o brigue,portuguez..zWMppey
pera onde recebe por frete eommode : qu
A pessoa que acfaou, ou em cuja casa'
deixei um estojo de marroquim verde, eoe-
tendo um peqaeno bistur e duas lancetas.
com"cabos de tartaruga, me far o favor de
restituir-m'o.
Dr,
Joaquim d'Aquisto Fonseca.
AVGrAC
O DR. JOAQUIM C0RR8A DE ARAUJOl
tero o seu escripiorio ra do Imperador j
n. 87, onde pode ser procurado das 9 ho- j
ras da manba s 3 da tarde.
ful
!^ qnuof awegar eotenda-se oam *'
natarios Thomaz de Aquino Fonseca A C,
Vigario n. 19, andar.
1 MDANa
O Dr. Caroiioo Francisco da Urna San-
tos mudou sua residencia e consultorio i
para a ra da Imperador n. 57, 2* andar,!
do sobrado cajo armazem conserva ais-
da hoje o nome de -ntlianca, lando a
entrada, que pelo lado da poote Sete,
de Setembro, o mesmo numero 87 da *
3 o dito Dr. no 1
exercicio de sua proflsaio de, medico el
de operawvpqa ser procurado a al-1
quer hora do dia e da aoute.
1
Precisa-*e de urna ama para casa de
I soltetro na ruada Praia n.44.
/






Bal
io d Pervianibaco
aabbiido
Gabinete Po z de Leitura
.EftAL.
B ordemdo Illa. Sr. preaiente convido- aos
wfcqwia socios efectivo* i reanirem-se dominio
.7 do corren te, pelas II horas da manhaa, par
4aatla*t aprecia o noe de senhores socio
^Wnlpreeereiir, visto ufo se ter reunido na-
aero legal no da 10 di correte.
Secretan*) eetoselhe oeltoerativo do Gabinete
Portofuer de Leitora em Permmbaco 12 de jala
i. B, Fonseea,
____ Secretario.
504000.
Furtaram do lte a0 eng^nho
m regoetSt da Escada uta carillo rosao,
ode.^ castrado, serrado de talxo, canda apa-
nda, dinas grandes, cabeca pelada por ter trio
aangue, bem feito gdrdo. anda a paco e galope:
e e de setta ; gratifica-m a qnem o pegar e levar
ao dtlo engenno com a qaantia cima.
MiinvHi iJta*l
tAUjn.i
primario em
um anno
a 31000 mensaea.
UoaeMegio de S. Pedro de Atenuara,' i roa da
^adeia do fcertfe n. sob'a direetto de Joaqun,
Tmetra Penlo FHho, ex-alnmno da escola nor-
mal, eem cMco preparatorios na faealdade de di-
feias, ex-preftaor poblieo as provincias das Ala-
foat e Paraoyba, profesar de instroe^ao primaria
e seenndarib da Soctedade Liberal Uno Benefi- de ber,: e P?r* ww'el0 <** earidade e retigio,
entee'campetentemente autorisado pela dfrecto-
ria feral de insiraecao pobliea.
Otdttpo fbrneee gratuitaihewi a seos atamnos
o papel; tinta, peonas,1 eaete, lapls, creydes,
lottsas e agua. A eseota ser limitada a -trinta
ammne?, para nSo haver na mesma decurldes, e
Sr. Dr. Abillo Cesar Boras, o qual nao admtte
ne' enoo o infamante castigo de palmatoadas e
stin.eonselho** castigos maraes, que promovemo
rosto e a emulaeio pelo estado as tancas. O
profesor de instrnecSo primaria ser o director,
e o de graramattca portngneza o Sr. professor pa-
fetico Migael Arehanjo Mmdrtto.
No mesmo collegio lecciona-se gratuitamente a
vlnte aramos pobres das 6 horas da tarde as 5 da
noite, as seguinte* materias : grammalica portn-
gueza, arithmetica. geometra plana, primelras
letras e a faltar a liugu franela.
Os alainm s tjuo se raatricnlarem ste mez s
mncipiarao paga* do la t do mez vindouro'
'im diante.
fiecife li de julho de 1870.
Joaqnim Teixeir Peixoto Filho,
.______ Diwctor.
A soeiedsde Uiiio Commercial, eoroposta (toa
comaierctaotee da rua> Pedro Alfonso, ooTfjra
roa da Praia, prettmendo honrar a memoria do
nclito oficial brasiieiro, prdigamente derraraou
o sangne plo de belo audaz paraguayo Solano Lpez ; manda ce-
lebrar no dia sabbado 16 do crrente, na gr*ja
do Espirito Sinto, pelas 8 horas da manhaa algu-
mas inissaa pelo deseando eterno do mesmo in-
victo offlclal, honra dala provincia que Ihe servio
I5K
DE
'l\lttl
J. Ferreira Flela
Precia-*! de urna .ma de Mte mir M
"ro : naraada<^'Klosta (SoMaSb)
o pa-
na
tem a honra de- convidar aoa habitante de-la ci
dade, e especialmente aos prenles e amigos do
bere peraimbneano.
E, aldda pbnf~a referida socledade dos raes-
mos seatimeotoa, em segaida ao acto fnebre, da-
r libertad* na pia baptismaJ duas enancas,
que Picando livres do ferreoo jugo do eapvetia
marearlo a nova era de sua renascenca citil
com a lemferanca aqiieMwqnenao poupou o saa-
goe pela libertad*, de urna nacao escrava.
us meinbms da socieflade Unio Commer-
cial, estabelieeida ra Pedro Alfonso, oulr'ora
r* l ?/"*' em reos,0 P6'0 estupen/lo triara-
poo obtiao pelas invktas armas brasileiras contra
*> andaz ^uarany Solano Lpez, de execranda me-
moria, resolveram nos dias 16 e 17 do crrente
azer o seu festejo na referida ra, ha pouco hon-
rada pela Lima, cmara municipal com o norae
de um dos mais distinctos officiaes, filho desta he-
roica provincia, b-reo de tantos hroes que hon-
rara a historia patria. Assim. as 6 horas da tar-
de do priraeir dia daro pnneipio os ditos fes-
<-om msica e illnminaco, o que durar at as
10 horas : e no seguinte dia, alm dos festejos
do pruneiro, sera queimado um grande e interes-
sante Wgo de artificio, fabricado pelo insigne ar-
tKta J.x AiVes. A contollssio encarregada de
di'.ns festejo-, para maia brilhantlsmo, roga aos
iiinradores da ra se dignera ornar as frentes de
^aas casas, e Ilumina las as daas noates.

/

D. Olimpia de S e Albuqnerqae convida a to-
dos ps prenles e atuigoi de mu laUacido marido
o Dr. Victoriano de Sa e Albuquerqoe, para a;sis-
ilrem ao offJCio solemne que mnoa celebrar ao
dia 18 do crrente, as 8 horas da manhaa, na
igreja do convento de S. Francisco ; e espera que
concorrrio a este acto de religiao e earidade, pelo
qae ser eteroainen j?rata,
tvlB:

Dr. Victoriano de S e Albuqnerque, D. Olym-
pia de S e Albaquerque, convida a todos os pa-
rentss e amigos de sen fallecido marido o Dr.
Victoriano da Si e Albitqnerque, para assistirem
ao oirieio solemne, que manda celebrar no dia 18
do corrate, s 8 horas da manhaa, na igreja do
convento de S. Francisco, e espera que concorre-
rao a e?3e acto de religiao e earidade. pelo qae
sera eternamente ralo.
Desde o dia 7 de abril patsado aefaa-sa aborto o
novo estabeleciraenlo pbotograpar alto roa do
Gabug n. 18, canto do pateo >ia matriz. Os traba-
Ihos que desde ento, ten sabido de nossa offloina
tem geralmente agradado, sendb reoebidos por
alguna com admiragao pelo extraordinari pro-
gresso que ltimamente tem tidoa phougraphia,
e por outros com alegra, por verem a provincia
dotada com um esbeleeimeirto digno d ella, e in-
contestavelmente o primeiro que nease gaaero
hoje pessue : tambera nao nos poupamos en cousa
alguma para moafta-lo no p em qae se achs, es-
perando qae o pablieo de Pernambuco aaber
apreciar nossos esforfos e recompensar noados sa-
crificios.
Convidamos a todas aquellas pessoa?, ancfonaes
e estrangeiras que gostam^Jas artes, on trverem
necessidade de trabaih de pbotographia a visi-
tarf ra o nosso estabalecimento, que estar sempre
aberto e soa dvsposico todos os dias desde as 7
horas da -ninai at as 6 da tirde.
Para es trabalhos de pbolograpnia possainles di-
versas machinas dos meibores autores rancezes,
inglezes e allmemes, como sejam : Lereboors et
Secretan, Hermagis, Tbemaz Roas, Voigtlander e>
Son* eWulf. ltimamente recebemos tres novas
machinase sendo ama dellae propra para tomar
sobre o mesmo vfdr & ou 8 imagejs diversase
soladas, e'outra de da" 15" magens diversas e
igualmente soladas, de *orte que no caso de
grande concurrencia podaremos retratar sobre
ama nica chapa at 8 pesabas diversas e sola-
das para cartes de visita, e assim em mema d
um quarto de hora despacharraos 8 diffaremes
pessoas qne pecara cada urna, urna duzia de crtoes
mais ou menos, com os seus retratos smente, on
em grupo com outras.
Enearregamos-aos exclusivamente da dfreccao
o feitara dos trabalhos de plretographia dei-
xando pericia talootos do djstincto pintor
allemo, o Sr.
A. Roth
a ~'J,>'i??isa se da urna ama de leite r ai>
dor do Bispo n. l,t
Proeisa-se alugar um e*crao r
adara'* 'ratar M rn* dS **&***
Piecisa-se
JLKaaiazeia
aluga> um armazen no sfoinas
ras Commemo, Cruz, CaJeia : a traaar ama
do Lommercio n. 46.
Manuel K.-ancMee i^irn-iro avisa ao rapeita-
vei publico e com especialidade ao carpo cimmer-
ciai, que por haveroatro de igual nonie. pass as-
signar-se desta data en diaute por Manoel Fran
IS70 eiro da Roceca- Rwiffl li de jalho de
rt.,oga"se ^^r do sooradi da ruaferi
n. o, tem todo os commodM qne se pode! de-
sejare est mnito e*wdo.
IB. CHASK GRATH
0 ELCTRICO
Precisase de ama amparacozmhar e ednwl
prar: na ra estreiu do. Rosario uN J7, pcimeiro
yZ. a*?'xo ass,Da*> nada devenaUja da ru
tova n. 46.
J. P. Jes Brrelo*
Precisa so deuiba bocuznfhora-par casa
de pouca Umilia : a inltar na ra da Groa-. 40
araazem.
Preeisa-se de ura pnrwgnez oata feitor do
WenU: na roa Angosta n 43, andar.
Atencto
1APssea que lera annunciado dar a premn
1:0004 com garanta, quera indiGar soa morada
para ser procurada.
Dor as costas e nos lados, en dez mi-
nutos.
Tosses perigosas e refriados, em um dia.
9 Pleuresa, em om dia.
Surdez e asthma.
Hemorrhoidas e bronchitis.
loflammafao nos rins.
Dyspepsia, erysipelas.
Molestias de Ogido.
Palpita^fc de corceo.
Alugt-se
Jorge
vii ao;"*o assignado avisa ao respeitavel pa-
Itco que nao contrate negocio do mialidade algn-
'"? cXm D- A'Maodrna Marinho Falco.esea ma-
ndo Bellarmm... Bezerra Pereira Bnnguer, porque
os neos que a mesma possue em seu poder apenas
Jem usofructo era qaanto viva. O abaixo assigna-
do protesta contra qualqaer negocio, visto ser in-
eressado.
, ________Jos Antooio da Silva Accioly.
Pede-se aos senhores baixo declarados que se
Jignem vir ra Nova n. 46, Inja de fazendas,
a un de tratar de ultimar o negocio que nao ic-
aoran M *
ioao Hypoto de Meira Lima.
Joao Francisco Hemelerio Purteila.
ioiio Francisco Ibes Brrelo.
Jos Egidi Ferr.'ira.
or Patricio A oasTna*
Jos Vieira de Oliveir Macel.
Jos Jouquim de Agniar.
Baziliano de Mngalhaes Castro.
Guiinerme Rodrigos Breckenfeld.
Manoe^ Candido Perira de Lyra.
D. Mana Brgida da Silva Duboureq, seus fi-
mos, uora o genros, convidara aos prente? e ami-
gos do fallecido S. A. Dnbnurcq para assistirom'
a missa de rquiem e mtmenlo qne mandam ce-
lebrar pelo repoiwo eterno da sima.do mesmo
ralleeido, no da 18 do corretne as 9 horas da
manhaa, na igreja matriz de S. Fre podro Gon-
Calves; e e>~
acto de cari
ieram que >n dignarao assistir a
nde e religiao.
esio
Pilulas, xaroie e vi-
nho de jurube m
Superior a todos os Inicos conhecdos contra a
Anemia, Clon-e, llydropesia, Obslrucco do ab-
domen. E tamh>m empregado nos casos da
4iieastruacao JilB-jl; no* catarrbos da bexiga etc
DEPOSITO
PHARMACIA DE
Joaqnim de meida Pinto,
Ba larga do Rosario n. 10, junto ao quartel de
polica
_________? ernambneo. *
Precisa-se de ama escrava que saba cozi-
nhar e fazer compras : a tratar na roa da Cde!a
do Recife n. 1.
USA DA FORTUNA
Aos 8:0003
Biliiees garantidos.
\ ro Primeira de Marco oatr'ora do Cfes-
po n. 23 e casas do costme.
0 ab;.ixo assigoado, tendo vendido alm de ou
tras sorles, cinco quintos n. 2648 com 8:008* da
lotera que se aeahou de extrahir a beneficie
'la matriz da Escada (132a) convida aos possni-
doros vrera receber na conformidade do costu-
mo sem descont -algara.
Acham-se a venda os fefizes bilhetes garan-
tidos da 1" parte das loteras beneficio da San-
i Casa de Misericordia (153"), qae se extrahira
^uinta-era 16 do crreme me *
PRECOS.
Bilnete inteiro 10|000
' Mel blhet 5*000
Quinto 2*000
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilnete iatjiro 9*000
Mera bilbete 4*500
Ouinta 1*800
Manoel Marlins Finja
Acaba de chegar livrar a franceza
REVOLTA DO
0^333^11 saiiiDaiaa
DICTADURA MILITAR
UNLO IBRICA
________Em 8o ItOOO.
POROS
A meeira do casal de JoSo Henrfqne da Silva
tendo por este jornal por diversas veze-:, e uliima-
mente no de>3 de jauh.-i (ludo oedido a lodosos
foreiros do extracto vinculo da Conceico dos Co-
queiros queftoje Ihe pertence, a bondad de vi-
ren pagar os foros vencidos, e tirar vidas, na
ra estreila do Rosario n. 2, 1 andar, com seu
filho Jos Heorique da .silva, e como at o presen-
te nao tenha apparecido os mesmos senhores para
urna oo outra cousa, declara a mesma que vai
mandar que seu procurador receba os referidos
foros na conformidade do? arts. 626 e 629 da le,
mormente aquelles queve-to devendo desde o
anno de 1851.
os trabalbos de pintura, a aqaarela, a oleo, e a
pastel.
0 Sr. Roth acba-se ligado a nosa empresa por
urna escrptura publica, at o presente tera.se
desyallado na execucio de sens trabalhos.
i\o nossoestabalecimentoachain-se exposlos ou-
tros trabamos im|iomntes do Sr. Roth, tanto em
miniaturas aquarella como oleo, retratos
oleo, qnadros sacros e diversos outros trabalbos.
Tomamos eneommendas de retratos oleo at o
tamnho natural, assim como de qnadros sacros
para ornamentacio de igrejas ou eapellas. Tam-
bem aceiumos eneommendas de quadros histor-
eos.
Assegu ramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTES DE VISITA NAO COLORIDOS 10)J00 A
DUZIA
CAUTOES DE VISITA COM O COLORDO AO NATU-
RAL X 161000 A DCZIA
Retrates era miniatura oleo ou aquarella de
16 20*000 cada um, indo convenientemente en
eaixlhado em moldara donrada e regulando e
busto da pessoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palm e meio de tamanho
Julgamos que basiarao os prec is cima para
darmos idea di barate.'a dos trabalhos do nossu
estableeimento, ijuanto sua perfelgao cada um
venha julgar por seus proprios olhos.
As melhores horas para se tirarem retratos no
nosso estabelecimeuto sao das 8 horas da manhaa
1 da tarle; entretanto de urna hora s 5 da tarde
em casos especiaes pde-se tambera retratar qual-
quer pessoa.
Nos dias de cbua, ou p demos retratar, e asseguramos que esses dias sao
os mais favoraveis aos- tratnhrs de photographia
pela doeura e persistencia di Ina, e pfr termos o
nosso terrac constraido com tM proporcoes e
melhoramentus, que anda chovendo jorros ne-
nhnm inconveniente ha para fazer-se bellos re-
tralbs.
j. F, rreir Villela
unja casa no Varadonro da eidade de Olinda, pro-
pria para hotel per ter eominodos at para dous
bilhares : na tua do Anlorim n. 33 se dir quera
alaga.
Km casa. de THBODGRO CHH1ST)
iNSEN, roa da Crnz'n. 18, encontram-'
iflectivamente todas a$ aualdades de vinh<
8ordeaai. ^nr>gne- e-io Rhwio.
PERFUME INEXTINGUIVEL.
Para o Lekco.-Tovcadob, e Banho.
Precisase de alugar um moleque de idajje
de 10 ou 12 annos : na ra Direita n. 79, Ifja
de ouro.
Precisa se de uini boa e a-semda cosinhei-
ra, ua ra da Aurora n. 24 : qnem enver nes-
indiques dirija-se raesm i para se tratar do-
ajnste. -
-7- Alngase o sobrado d. 21 sito ra de S. Pe-
-ilro Martyr de Olinda.; a tratar na ra do Impera
dor 30, 3* andar.
0 CIRI'IIIAO DENTISTA
Frederico Maya
Tem a hont*i de scieotificar ao respeita-
vei publico em geral, e aos seas clientes
era particalar que elle mudou o spu gabi;
nete de consaltas da raa Direita n. ii pars
a do Queimado n. 3 i pfimeiro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sus
profissSo, todos os dia; uteis das 9 hora?
da manhaa s 3 da tarde.
Tarabem previne, que contina a prestar-
se a vootade dos. clientes nao s na eidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serio precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenho e a perfeicao de
seus trabalhos, o que j bem conaecido.
assim como as commodidades dos procos
Precisa-se de ama mulher nacional ou es-
trangeira. que saina engommar com asseio e tra-
tar de dous menin is de 5 e 8 annos: pagase bem.
A qo,em couvier, pode dirijir-se ra da Aurora
n. 24.
Irmandade das Almas do Recife
Nao se tendo anda rea'isado a permuta
do terreno da ca*a rtteadiatti n. 66 na
da Cruz do Recife, a mesa regedora conv ra
de,novo os pretendentes da raesme, para
mandan-m suas [impostas em carta fechada
aojniz da irmandade at o dia 21 do cor-
rente mez.
O escrivo.
Mancel Jos Jos Santos.
Bartholomeii & C.
.

?'
,>':
- 8%
PERDIDO
i
Perdeu-se urna earteira pequea contend di-
nheiro, letras a roais papos, desdi o Caldeireiro
at as oCDcmas, no trem das 2 horas da tarde, no
dia 15 de correnie : quem tver acbado e queren-
do restituir, queira ter a boidade entregar na ra
da Coneeicao da Boa-vista em casa do Sr. Bernar-
dino de Sena Dias o. 27, que ser gratificado.
"'_;' '!:as, Xa'uv.'E bTt.n
. .U '!::'.,.- : :.MPI.K; /; fKHH
'OM\..\t; :'.MPI.\STno DA MK!M
a phvriujos Ffirt
CA?TH0L0!;1E0 & C
PHARMACKUTlCOfi- U UOQU ISTA8
|-E.tIlW0
A Jurubeha : Ha plaua boje reconhecidt
mu." mdfmwi tnico, como o melbor
l.-rili.iiii.-riv.^coim-l! a|i>lic*la uspj.lec:ioenio
J-> lltOnii lugo, hepailics, duresas, luiiurc^ u
'-|'c;.iiiueae 1I11 u!-ru. bjiiroiisjas, artii-
.-.; e ssocmHa m tafro un ns villid.-;
:orc, vhloroe-. a falu Je meiitreai-o, insuma-
omto, ele, e o qoa diseEQOs altanUo
himiaeras enras importantes obtidss om nosso
or^psrailifl ja bem couhecidos o osados pelos man
i^Uin lu mdicos do paia e Ponagal. Em lodos o
- Jepositos distriboimoa gratis folbelos qca
e'hor ssam oanbacar a Jambaba sao* resallados
applicaco.
A MU AFAMADA
AGUA DE FLORIDA.
" DE
MJRRA1 **: LASHW.
He o mais delicado e mimoso e ao mes
mo tempt o mais estavel de todos os per-
fumes, e eneerra eins, no seu maiorauge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deiras flores, quando ainda na sua flores-
cencia e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as, dores de
cabeca, nervosidade, debilidade, desmaios,
flatos, assim como contra fodas as formas
ordinarias de accidentes Iiystericos; de
summa efficacia e n5o tem outro queo
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-sc um dentifricio o mais
agradavel e encllente, dando, aos dentes,
aquella alvurae aperotada apparencia t5o
altamente apreciada e desejada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio contra a mau hlito
da boca, depois de diluida em agua,
summamente excellente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos denles e das gengivas,
tomando-as duras, sadiasfe d"uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqaeza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo nao tem igual: e a sua supe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excellente, para fazer
remover* de sobre a pelle do rosto,'toda a
qualidadede bsptoejas, ebuctes, sardas,
pannos, manchas, impjgeos e espinhas.
Quando se queira servir i|p,Ui como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer *um
destes disfiguramentos, e que tanto desfoi-
am as lindas feicocs du bttlo sexo; devera-
se usal-a n"um estado de dilluico, destem-
peramlo-a n'uma pouca d'agua ; porm no
tratamento de qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda a su forca. Final-
mente como um admintvel meio de com-
municar as feicoes trigueiras e paludas,
urna pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se teem inventado at ho-
je, e existe em plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agoa he Florida db Muhat 6
Lanman.
As imitacoes que se tem feito na Franca,
AJlemanha, assim como em outras partes :
sao inteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tanto recommenda-se mui especialmente
s senhoras, que tenham toda a precaucao
e cuidado, de quando eomprarem, estojare
certas que compram.
A Gencina
AGUA DE FLORIDA
DE
MURRAY & LANMAN,.
A qual preparada smente pelos mucos
Proprietarios.
LANMANN & KEMP, DE OVA YORK.
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
wm OFPAM re da dos
PAR % ISO i\THn.\i: i:\tkh\o
Cura cholera echilera marbus,
Diarrbea, faxo de sangoe, em dm da.
_j ^6t de cabeca, e dores de ouvk* em
trej minutos.
ftor de dente, ea um minuto.
Neuralgia, em cinco minutos.
Dlocac5es, em vinte minutos.
Gargantas incbadas, em dez minutos.
Clica e cooTnlsoes, em cinco minutos.
Rheoriatipmo, em um dia.
Fefcre e febre intermitente, em om dia.
Reserve sempre este residi en sua familia
ni,^!XSS,;SE APRSENTAM, QUANDO MENOS SE ESPERAM.
OLEO-ELECTRWO O KNG OF PAIN (O re da dor) aqntet e posiUvatwmte
aS^T1?'*18 d.,1fremes molestias e dore, e amvia mais os soffrimenlos e prodaz mu
mais berftto eoaUfbrio no sy^tema. humao. o que d5o se pit efectuar no mesmo
tempo, com qualquer outro remedio medecinal
Este moite popular remedio est agora usauo-se (?eralni,'Dt,. pela wo ue
mltores de .pessoas se tem curado gratis com o dito remedio pelo Dr. Graih e oittrw
i(m^mcimS\TfZefl D5 "}?"* Par3.eor3r l'^ m lencas, fx>rem tio-
soaaeie para aquellas estipnladas nasoosas direccoes.
nis^ 0^eran*) flos P^ncipios da chimica e da electricidade e por iso esti iB-
l\l c.rcalaca-0 dos fluxos dos prineipaes ervos. Oleo eleci. ico 0 Kog "
duUs atHm Jm TrT6 nS, abhSOrven^' fazend desapparec-,- as ,nrhaCoe, das Jfcn-
cumsJncia ^ b* "" per,god8 Seu *':z deb;lxo de Q^lquer r-
m ..Jlme<1'0, Kma ffiedecDa Para oso extemo e interno, enmposto dos elf md-
Sf.?? raiz?s'hervas' e ci^s. taes, como se tem usado dos nossos autejmw-
mPntA Lffi m gra',?e exi8,eicia no muBl0' Para corar to*" a* molesi,aro-
mente sadendo-se quaes ellas sao.-
tA n/ *m gnnde ee?Pecial **p da faculdade de Rocina durante muilos auos
"EDcia Para *Pren aegumtes doencas, e que proporcoes de mfdeeina se devia aiar.
UMICO OS PSITO
m PERNAMBOO
NA PHARMACIA P DROGARA DE
N.
BARTHOLOMEO & i]
34 Ra Larga do Rosario.N. 34
'
*

I
p.imeiro mtrodwitor dos pocos tubular^ *tmtaneos
da Abyssmia, em Pernambuco.
iM^^fK'a1!!? pu0,i,i0^Ut "WnMnwnieiemrecebidoa qnarli remeesa dos di-
Z^timem^^**' C YIS***" Nraacollocaao d'eltes em p<,ueo
veriQMr n. suio 7Tn m9,e tcomo !* > ma^dnra que biier, como se pode
trincar no sitio ao annuncant no Araiai dos Coqueiros
immen^^E ""'T T 8yStema ** ad^r,r a'ua sobr 'I'^lqoer outro,' sao
2322 itK^n3nenie ascpndicOes cima mencionadas.
como tambt'nfnas
[ZpZVrT^^ S"deZ C'abinada a rt* J> forma,
,-nmnannr^^.tem "ma peSS,a Plmente habilitada, tanto ,,, ,M;lcac5o o'elle,
mais mX?. ;,C' .VISl .ca,nWu s,r mh w'. wn -!- allea por presos
m^SSSSS^^ "npar,a,,c,a < dejois dd c AlwMi" '***
A. Caors.i. da C. Bravo, & C. P. Iteo^iaM^ a respeita trata- na loja do Sr. F. J:
da Concordia u.
rer & C. A. A. Barboza Bartholomeu. d C.
a satis-
RA
iarsi.
SBSE
argo
ra r^iva. n;2I, a na olcina de metaes de Sr. Panio Iu*a d. Silva Freir,
M^O*M%. AE LfOJ%,4|i
Este importante eatabelecimento no sen genero, tem sempre um sortimento
WMW
sem igual, esquina
Ida roa larga doe V8nde Por P^08 que nenhuma ** casa pode vender.
I A vista da qnadade e do pre*?o das joias cada un pder-se-ha .oevent3er da rerdade da ^ larad
Qante-se ser tudo de lt Compra-se ouro, prata e pedras unas por presos muito el^
Rosario.
.vados.
Rosario.
A loja est abertfc at t 9 horas da noHta.
li^mS^SSBSSSESjSSSSSSSS^ ^T^^^m^SS^SSBSESEE^BEB'S^SSSm



Diario de I'ernambuco
Sabba
1870
=s
Vi

P
^>
C3
O
o
ni
0
r
25
PHARIaCIA CEHTRAL
Ra do imperador n. 38
Xarope e de
thery decio d'Abbadie recommendados,
como atajantes para qs asos-,, em que se
nlo pode osa? d opio e de sen prepara-
dos, e HMii convenientes para as criancas
nos espasmos e convulsj&^__.^1-a_2
PHtMAGlFCENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Preparados d'a!catr5o em capsulas, licor,
6 xarope ferruginoso.
laida
Prec
que saiba bem ecgommar e tratar do servido in-
terno de orna nasa d i tratar no
Manguinhu, ca#;
ao cae* d'alfandega \v scrijjtorio, paga-
-
B BB Bi^B WB MI
PR1MEIRO- E ANTIGO
HOMEOPATHICO
FUNDADO PELO DR. SABINO
HOJE DIRIGIDO
PELO
DR. SANTOS MELLO.
43Roa Nova n.43 ,
Dr. Santos Mello de volta da Baha
AMA
Precisa-se de i
e fra de casa de p
va e'pa.CT-te bem agradando: na
mero
RA-
Este anigo estabelecimnto, acha-se hoje montado auna
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atien-
to o grande sortimeto de joias d'onro, prata e bnlhantes, que
sempre tem erecebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cajos precos sao em eompetiveis e as obras garantidas
de le.
IflOREIRA HITARTE C.

mmmmmxmm mmmmmmm&m mammmema
a
liilf
ti. =-.2. s
u O u 3 "T
si u % *2 o
=> o "3
5 = a S,
111.-11
2?IfliS
^* ^a .-* ^- -^
e* t> 3 o <
sl=
c*
. o
3 o p
33 2 o
O O "1
S.2.S 3 o-g
8>2T' -s
- 2* El*
3 O o a S
...28, "'
o:
2
5 tu = co =
3 "2 c "
Si 3 w a.*
og=S|2
8-JSlfSf
3 ce o -i os o
si.g'g-'go
aa -S
sr= oa
en
.- ce
> a 2
. 2
c
r
co
CO
O M jj

_ co nr
>- M
MOFINA
0
M iRoea-se ao lllm. Sr. Ignacio Y.eira de Mello, es
5 crtvo na cidade deNazaretn do*u provincia, o
favor de vir a roa do Imperador nj^ ^ndujr
i aquelle negocio que V. S. s/comprmetteu ireali-
I i sar, pela tereeira chamada deste jornal, em los
: de dezembro prximo pasjado, e depws para J.-
' neiro, passou a fevereiroe abril, e na la cumpno,
e por este motivo de novo chamado para dito
din pois V. S. se oeve lembrar que este negocio
de mais de oito^annos, e qoanao o senbor
lilho se achava no estudo nesia cidarte
phawSacia centra!, ra do r
DOR N. 38.
Pillas de ValleL
Pillas de Blancard.
Plalas de RIaod. '
Xarope furrugiooso de Blancard.
Coofeites de lactato de ferro.
Pitutas de cartonato de ferro, lactado de
ferro, iodureto de ferro com magoezia.
Ferro de Quevenne.
Assucar ferruginoso. ^*
PH^MACIA CENTRAL RA DO 1MPERA-
D0RN.38.
Vinbo e xarope de pepsina e diarthare,
excelleote tnico para auxiliar as digest5es
dikeis nos casos de debilidade do esto-
mago
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Agua hemostbalica de Lecbelle. mui re-
commendada em qualquer caso de hemor-
rhagia, e principalmente a thysica pulmo-
nar, e as hemorrhagias uterinas.
coDtiDa i ser encontrado lodo os* dias
das 10 hojas ao meio dia para consultas.
Chamados qualquer hora do dir o
: da noute. ,
Gratis aos pobres.
43Ra Nova n. 43.
s
The Liverpool & Lop
don & Globe Insu-
rance Company.
Companhia ingleza de seguros contra-fogo,
estabelecida em 1839.
Capital e funrtos de reserva
lis. 35,S80:9SO*.
Os agentes desta companhia tomara seguros so-
bre propnedades, gneros e faiendas armazenadas,
mobilias, etc., etc., e eslu igualmente autorisados
a saldarem aqui qnaesquer reclamaqoes.
Saonders Brothers & C,
Praga do Corpo Santn. 11.
.-'U
PHARMAOA DENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Xarope de rbano iodado excellente com-
binacao do iodo com o sueco de plantas
anti-scorbuticas. ^
Este xarope empregado com grande
soccorro contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, o rachitismo-
cachloroso.
O vinbo iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, s5o recommendados para os mes-
mos casos, e encontram-se nesta pharma-
cia. __
Precisa-se de urna ama para comprar e co.
zinhar para urna casa de pouca familia : na ra
Imperial n. 130, casa com portao de ferro ao
lado.__________________________
Aluga-se urna preta escrava boa cozinheira:
a tratar na ra Duque de Caxias n. li, antiga do
Queimado, Ioja de fazendas.
URL JffllL.
DE
Cato & C
K 77- RA DA IMPERATZN. 77'
Esforcc-se muil enibora o facultativo laborioeov
empregaern-e a reacefles mais fortes coBira,
qualqnor alfecci.i, e UiJo era baUMo^tataelife-
H; e at o.nmrooao M o oomWf^d- *A**n-
ucos nao forem acrysoUdo, e oriundos dos medi-
camentos ma b#Vi86 pni8v ,
Se a pathologw, materia medica sao os deas
coniribuintes para apioroptt eHinc^ao dos ade-
cimentos mrbidos, se do seo perfeit conbeeime-
to depende a vida ns menores como, na- graves-
enfermidades, a pureza do roedc*eeto, a na
torga real e nrompta aogao eapeMndo todadnvi*
sobre sua efflcacidade, em vez-do sar a ultima o-
licitude a tomar o mais segara garanto da vida.
Ela pharmacia pare isso emprega lodo- Mkt,
mandando vir seus medicamentos dos principies
fornecedores de Pars, Londres, Hamborgo, Lisboai
e America ; tendo tarobem grande sortimeau de-
productos chinico8, pharmaceuticos, tintas, pin-
ceis e toda a qualidade de drogas, e preparadoc*
especiaes desta pharmacia.
Avia receitas com pericia e promptidao, al a
10 horas da noite, attendeado a qualquer reeeita
e a qualquer hora tarabem da noite, pt>r um pos-
tigo, e so abnodo a porta a freguezes conhecidos.
Avista disto convidamos < s moradores da tre>-
guezia da Boa-vista e ao publico em geral a con-
correrera ao nosso estabelecimnto, que B09 eo-
coutrarao sempre promplos a salisfate-los por
menos dez por ceato do que em ou;a qaalv>er
parte.
Abaixo transcrevemos alguns artigas atina-
mente ebegados:
Agua ingleza de Lisboa.
Dita de Vichy natural.
Dita de .Seltz natural.
Assucar ferruginoso de Chanteand.
Checolate de musgo de Menier.
Dito de vermfugo.
Chocolate homeopaibico.
Cloroformio de Minier.
Capsulas de Pasqun.
Ditas de oleo de ligado de bacalho-
AO j n rr\'nf.\.'t,c.c, A O Ditas de oleo de figado de cupaiba.
40"Tlia ClhS IrlDCeiraS--40 Ditas de oleo deflgdo decupahiba
... .*->__________.I....1..AA fiitic fia nloA (fn tiTariA rl* cnri\h
Neste hotel fornece se para casas particulares,
tanto avnlsa como por'assigaatnras, cim limpeza ;
sorvete noute, ptima feijo?da as quintas fei-
ras e mao de vacca nos domingos de madrugada,
e apromptam-se cem brevidade qualquer encom-
menta.
m^-
1
USTAVE
LLEIREIRl FRANCEZ
Sua da Cadeia do Reeife- -51
Os abaixo assignados, proprietarios do
moilo acreditado estabelecimnto sob a de
nominac5o BAZAR DA MODA scientificam
ao-respeitavel publico, e com especialidade
a seHS innumeraveis fregoezes, que conbe-
oendo a necessidade de dar um acrescimo
a seu genero de negocio aQm de melhor sa-
lisfazer sua immensa fregoezia, resolveram
fazer wn melboramento importante em seu
estabelecimnto, metmorphoseando-o no
que pode baver de mais bello e agradavel.
Sendo
0 BAZAR DA MODA
um estabelecimnto j to conhecido d'esta
provincia, como das mais do imperio, onde
os compradores sempre tem encontrado o
que ha de melhor e especial em artigos de
miudezas e perfumaras, conservando sem-
pre os proprietarios o systema de vender
por muito cemmodos precos. tendo paia
esse fira recebido todas as mercadorias di-
rectamente da Europa onde tem peritos
correspondentes, e certos de serem sempre
preferidos com animaco, eslao resolvaos a
juntar ao genero de negocio existente um
importante e sublimado sortimeto de ricas
fazenrlas para senhoras e arligos da alta
moda de Pariz, oude o bello sexo. com es-
pecialidade encontrar todos os adornos ne-
cesarios de que merecedor.
Conservando-se
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimeto de chocolate de ban-
nilha, salepo aramia, ferro, e de laude, da
acreditada officina de Menir.
Sabonetes d'alcatro, d'acido phenico, en-
xofre e camphora recommendados para as
molestias de pel. como sarna, panos, em-
pingens etc., sendo o ultimo de muita ulili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomettel-a.
e cubeba?.
No armazem Novo Mundo, em frento a ra do
Vigario n. I, vende-se rap das segrales qualida-
dcs e vinhes, por todos os vapores, sendo a reta-
Iho e era grosso, a saber: t
Rap G sse-grosso.
Rap Gajsp-fiuo.
Rap Paulo Cordeiio.
Rap princeza da Baha meiogrosso.
Rap princeza da Baha fiao.
Rap popular da Bahia.
Chama a'attencao dos seos innmeros freguezes, e do respeitavel publico ea
geral, para a seguinte tabella dos procos de .sua casa, os quaes. Sao vint por cenw
mais barato do que em outra qoalquer partfe:
Precisa-se de urna ama para o servio uier-
uo de urna casa de pequea familia, preferindo-se
escrava : na roa da Amizade n. 21, Capunga, ou
na ra do*Vigaro n. 5 3' andar. ___________
Cabelleiras para senhoras a 25,
300, t e. 40000
Ditas narahomem a 35fl, 40c5e 50^000
Coques a i, iU, M. 20*,
251, 305 e.....5^e0
Crescentes a iU, lU, MM,
250, 305 e .... .. 32*000
Cacaos ou crespos a 35, 40, 50,
65,^70, 80, 90 e. ', 100000
Tranca de cabello para annel
500 e..... 10000
Tranca para braceletes a 40U,
15, 200, 25*.....300000
Cadeias para relogk) a 50, 60,
70,80, 90, 124 e. 'J50OO1
501
504
Corte de cabello,........
Corte de cabello cota frfcco. .
Corte do cabello com lavagema
ampou...... 1000
Corte de cabello com limpeza da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
frisado ingleza ou franceza.
40001
501
251
, Barba. ....
SSIGNATURAS IWEUSAES
Especialidad^ de penteados para casameato
Bailes e seires -pr,
O dono do esUbelecimeDto previne s Recommeada-se a superwr TINTURA JA
Exmas Sras'. e aos cavalheiros que ha um POSEZA para enegrecer os cabeUos e bar
a ^ ii. h,rho o= ba, nica admittida na Expsito Umverca
sali para Untura dos cabellos barba, as-, ^ n3o p^^ ^g, or ^ vo,
im como um empregado smeate oceupa-(latH analysada e approvada pelas acade'
dojnesse servia *> ^'encas de PARS E LONDRES
P#ecase alugar um moleiiae para vender
miudezas: na ra de 8. Francisco n.*7t, Na mesma casa compra se urna aegra de meia
jdade.
ATTEfIQAO
Precisa-se Je urna ama tofo ou escrawa par a o
servico interao ft externo e pequea amtlia : na
ra do caes doCapibaribe,casa nova com #-de e
potao de ferro ao lado ; e lambem se aluga urna
negrinha ou moleque, paga-se bem._______'__
Attenpt
No armatem de Mili Latham A C, na na da
Craz n. 38, ven'frase saceos vasio".
- Quera precisar de un Domen idoso, de.bous
ostomes e de capacidade para botar sentido a
nlgom sitio perto desta praja: nesta typographia
ae dir queai c. > _______________
Casa para alugar
aa da Cadma n. 4, 3" and O Dr. Joao Mara fteve, medico da eaaiara
municipal desta cidade, arisa ao publico que c
acha encarrcgudo do curativo dos pobre*, podes-
do ser procurado para os misleres de sua proas-
sao todos os dias das 9 M U horas da manhia,
das 3 da tarde ero diante, em a sua resideucia
roa da Imperatrz n. 36.
XAROPE PEITORAL DE BABO DE
TATl?
Preesa-se de o*na ama forra oa
casa de familia : a tratar na nta
Casias n. 69.
CONTRA A TOSSE
PLANTA DO BRASIL
Este xarope, de sabor muito agradavel,
emprega do com eonstantes resultados
eontra as toases angas ou rcenles, ea-
tarrhos, bronchite chroniej hemoptse,
eoqueluche, soffoea^o, e em geral coa-
ira todos os padecimentos causados por
irritacTio- das vas respiratorias. O seo
nso eonvm igualmente par* aliviar os
oflrimentos causados pela phtsica.
i, ptiarmacia de Jonquim
de Alivia Pinto, ra larga do Rosara
n. 10, junto ao qartel de polica.
AMA.
Precisa-se de urna ama para
de boraem solteiro : a tralar n'
Mun?rc Si.
em casa
Publico
Ama
escrava para
do Duque de
Deseja-se fallar com o Sr. Cleoientino Fer-
reira Gomes negocie de *eu inieressp : roa do
Commercio ti. 17.
Veaeravel devocio da Senhora Sapta Anna
no convento de S. FraBCiseo.
De ordem4o nosso irmSo juiz, eareoaerimento,
sao eoovidadoe todos o nossos irmaos a oompare-
cerem no domingo 17 do eorrente s 10 fcoras da
manuaa, aflm de traiar-se de negocios impor-
tante?.
" Con?is'toro, 1S de julho de 1*70.
O secretario,
Ma$oei Fialho.
DESEJBE
Empregarum homem portuguez de meia idade,
nao escollie arrun a cao, e tera muita pratica de
negocio, tonto para esta cidade como para fra
del la!: a tratar na ra Nova n. 38:
unos sovos.
UVRARIA FRANCEZA
Roa do Crespo numero 9.
CotiaIustrucc3o nacional, 8" encad. 4.
Homenagani Camdes, 8o encad. 5J.
Jozt'neCdigo do processo criminal 6o edic, 2
vols. 8o encad. 8*.
Jmzo do MualoRomance, 8o encad. 3f.
Ga'atdesO papa re e o concilio, 8 encad. 7.
LirSes 4e um paia urna ha sua (historia sagra-
da em verso), 2 vols., 12 encad. 4j.
Luciano CordeiroLivro de critica em t2" encad.
4*600.
Mello MaraesCurso de litteratura brasileira em
8o broch. 3*.
PuniRoraancetto t>or F. de Borja e Oliveira, era-
18 broch 1*.
Recula /*rMlca- bro de 169.
Saldanha Revolta dictadura militar nnio ibrica,
8 broca. I*.
SilvaTestmeoto do Frade, 8* encad. 3i.
Tat-nr da SilcaManual ecclesiastico, 2" edieao,
era 8o encad. 8.
TelxeiraAceao de gracas pela victoria das armas
brasileiras em 12" brueh. 300 rs.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melbores vermfugos para criancas,
Pastilbas de sanctonina.
Dilas de Kemp.
Oleo vernifug9.
Tudo de melhor qoalidde.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Variadsimo sortimeto de fundas de
excellentequalidade.
FARMACIA CESTRaL
Risa do imperador a. 38.
Lamplouphs Pyretic Saline.
A preparation of well known utelity to the En-
glisb Faculiv. as a coulng and refreshiug beverage
in all cases "of frver. The frequent nse'cfOis sa
line preserves foreigners from many disbfc.es to
which they are leable before becoming acclma-
tsed. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38. _tp_^tiwM|<;_3
PHAllMAClXCENTUALJKL-A~DO~IMPERAUOIt
N. 38.
Pastilhas de balsamo de tol e de seiva
de pnho martimo, para as affeccoes chro-
nicas dos pulmoes.
Pastilbas de therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecco nervosa.
Pastilhas de hypophospheto de cal moi
uteis na thysica pulmonar.
Pastilhas de angico naf, e de Regnault,
de hrtel5a, pmenta, e de Viccley, de pe-
cacuanba e de Rermes.
, W. wmiUN
ENGENHEIRO
Cora fundiqao.
A RA DO BRUM N. 52;
Pasgmdo o uhafirz
Machinas vapor systema melhoTado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taxas de ferro batido e fundido.
Rodas dentadas para moer com agoa, va-
por e animaes.
E outros muitos objectos propros d'agri-
cubura.
Tudo por prego muito reduzido.
Aluga-se o sobrado u. 18, na ra da Aurora
em* Santo Amaro, reedificado e pintado de novo,
tendo exeel lentes -cominodo; para urna numerosa
familia, quartos paca criados, urna grande baixa
com eapim. era todas as estaques, para 4 cavallos,
cootieira, cavaHutriet e urna ptima ceazalla para
escravos: quera a aretender drija-se ra da
Aurora n. 24.
(Qoalquer professur, que precisar de um aju-
dante para sua aula ( do que tem bastante prati-
ca) nesta typographia se dir quera ;
trei(iVi?e
um terreno na travessada Traieo, cercado e^>re-
prio para plantar hortalicas; quera quizer dirija-
ge ra do Sticego n. 33__________________
SOCIEDADE BIAO BENEnCTE A-
, RITJJU
Pela directora sio convidados todos os socios
para eomparecerem a assembla geral d > domingo
17 doeorrente, as 10 horas da raanfila, na ra do
Apollo 36, Io andar
Secretara da sociedade Uoiao Beoefcente jda-
itiaa fcjn Pernambuco 12 de julbo 4e 1870.
0 1" saereiario,
Manoel Lop Ferreira,
s
Padlhao de 8. Isabel.
Joao ^Rodrigues, artista da compa-
nhia de D, Marcos Casali teodn-lhe sido
concedido o dia qnarla-fera (99 do cor-
rete) para seu benelicio e como Ibe seja
imposshrel conseguir o que deseja, sem
a generosa coajuvacao do resoeitavel
puhlico-Hesta capital a quem s conles-
sa summamente grato, ptlo boro ac.
Ilimento que at a|ui tem tdo. Por isso
faz anda um apello ao mesmo, pro-
metiendo o beneficiado esforcar-se o
quanto pessirdl ibe fr. aQm de satisfazer
a todos quanto* se dignare,m honra-lo
om suas respeitaveis presencas. O be-
neficiad 3 offereee ao publico a maior
parle de seus trabalhus lodos novps e
ao uesin.) lempo os demais artisias da
eompaohia se esmerarn nesse dia em
fazer os seus trabamos o nieHioroossivel.
Offepece-se um menino brasSeiro 14 au
nos para platicar em Ioja de lateadas, miada-as
ou ltxageac, de ,coo/iucta jaocada : uo .pateo
Pitrj n. 141.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Cbambard, excellente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vez s sem irritar osintestinos.
""XltOP HIPNTICO DE GHLORaL.
Ocbloral um agente therapeutco recen-
temente experimentado, mas cujos benefi-
cios vI5endu largamente aproveitadns pe-
los praticos em quasi todas as affeccoes ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, tile
" sempre empregado com vantagem nos
casos de ores nervosas intensas, e as de
insomnia, era que elle produz um somno
calmo e profundo.
Elle recoramendado as clicas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laboriosos, na
clampria, as queimadoras extensas, nos
accessos agudos de gplta, na astbma, na
tosse convalsa, e em muitos outros casos,
DOSE.Daas a oito colheres de sopa
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Encootra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VINHO DD QU1NINN0 DE LABARRAQUE
Poderoso tnico boje to acuoseltiado nos
gozos rfe Idebilidade geral, e mui usado
como antifebril.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERADO!
N. 38.
ITILillR
Vende-se tabelas compararativas de pro-
cos de metros covados e vice-versa, mos-
trando prmiafacie o valor de qualquer
fazenda, em relaco s mencionadas medi-
das reciprocamepte : em casa de Lailachar
de C, ra do Crespo n. 9.
Aluga se um ui.*ani|}co sobrado de um an-
dar e mirante, sito na Tiia da Aurora em Santo
Amaro o. 20, e reedificado de novo, com muitos
e excrllentes commodos para familia; tendo mais
muito3 anartos p,ra criado^, e um linio quintal
todo arromado. A pessoa que o pretender, pode
dirijir-se ra da Aurora n 24.
- Precisa se alagar urna escrava para eczinhar
e eogonmar : na ra do Crespo n. 23.
TINTURARA fraxceza
55-Rua da Imperatriz-55
Tinge, lava, limpa, lustra e acbamalo-
ta se, com a maior perfeicao, fazendas em
pecas e em obras de lodas as qualidades;
como sejam : seda, laa, algodo. Imbo,
chapeos de feltro e de palha ele. etc.
Tira-se noloas e liropa-se seccosera
molhar os tecidos, conservando assim to-
do o brilho da fazenda.
Tintura preta as tercas e sextas tei-
ras.
Ditas de oleo de figado de cupabiba, cubebas *
feTro.
Carvo de Bclloc.
Cupaine mege.
Cupains mepe e ferro.
Drages de cupah ba e hsmutb de Forlin.
Dito de Hermes mineral.
Dito de H Tines mineral prateado.
Dismamadeiras finas.
Dismamadeiras enlre-finas.
Elveir de Guilher.
Extrccio de carne de qnalidade.
Granulas de aconitina.
Ditas de digitalina.
Ditas de Styelinraa.
Injeccao de Cadet. v
Dila de Hr8ges de maiea.
Licor-anle-rheumalico de Ricord.
Moscas de milho franceza?.
Oleo de figado de bacalho ferruginoso ds Ghevier.
Dito de dito de dito iodado ferruginoso do Dr-
Delaltre.
Dito de dito de dito dito Persone.
Pastilhas de Emtina.
Dilas de Delan clorato de potassa.
Ditas de Vichy.
Ditas de Seve de Pintlo.
Ditas de car vio de Bell.ie.
Ditas peitoraes da liequaull.
Pilulas de af.
Ditas peitoraes ante asioathicas de PancarV.
Pos de cilralo de magnesia de Roggi. /
Perchlorureto de ferro liquido.
Rob de Boy-Vean LalTecteur..
Sacharureio de oleo de ligado de bacano.
Sabonetes sulforozos.
Ditos de alcana). \
Cigarros ante-asmalbicos de differentes aulore*-[
Siliapfin" preparados de Rigollo.
Sulfato de 1* qualidade. .
Vinho de Pepsina de Bandouli
Dito de quina e ferro de Moitur.
Dito de Belline.
Xarope antf-asmailiico de Paracary.
Di!o hypophosphisto de soda.
Dito liyposuiphito de sola.
Dito Rbano iodadu.
Dito Naf.
Dito de alcatrao ferruginoso.
Dito depurativo de (-habb.
Dito de quina ferruginoso de Ribelon.
Dito de dita dito de Grimoult
Dtj i de agrtao do Para iodado.
Dito b odurelo indurado de Giben.
Dito Codeiue Berth.
Dito do casca de lannja adarga de La-Rose.
Dito de dita dita iodnrado de La IL -
Dito de dita dita o quaoia com prala e iduroi
ferro do La-Rose.
PreparagSes.
Emplastro de jurubeba.
!'ilolas simples e ferruginosa.'
Ungento simples.
Viuho simples e ferruginoso.
Xarope simples e ferruginoso
Precsase de urna ama que engomme com pej
fegao ; a tratar na na Nova, casa n. 22.
Precisa-se para o Rio Grande do Norte de tres
amassadores porlugueze? : a tratar com Tasso Ir-
maos & C, ra do Auiorim n. 37.
travessa da roa
das tees n, 2, pr-
meiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de ouro, prata e brilhan-
tes, seja qnal for a qaan-
tia. Na mesnia casa com-
pram-se os mesmos me-
laes e pedras.
Furtarara det engenho Munbquinha do dia
de S. Pedro, 29 de junho do carrete anno, nn
quarto rutjo do vermelho, grande, secco doeorpo.
carnudo, aiuda novo, inteiro, com duas feridas de
cangalba as costellas, a ponlinha da orelba ea-
querda aparada por dente de outro ravallo, com
marca de raladura as junus das macs, e o ferro
MC mal queimado em ambas as pernas : qnen>
souber noticia delle dirja-se ao engenho aeima
dito, a tratar conT Manoel Carneiro Leao, que sera
recompensado. _
PAUL CHAVir
Mechanico conhecido ha 10 annos nesa cidade,
partecipa ao publico que tendo dissolvido amiga
velmente a sociedade que linha com o seu canta-
do Carlos Pluvn contina a se achar a sna dispo-
sicio para o qne d respeilo a abertura de bor-
ras machina* de costuras, armas, ferhaduras, col
locacao de campanhinhas e Udn qualquer concer-
t : praja do Conde d'Ea n. 2i, oufora da Boa-
Vista. ^_______
Precisa-se fallar com o Sr. Jos de Barros
Accioly a negocio de seu-inleresse : na praca do
Corno Santo n. 17, 1 andar.____________.
Precisa-se de urna ama para eogommar : na
juadaCrmn. II, 2o andar____________
Formas de ferro
para pargar assucar, ainda exstem algumaj,
reeehe-se encommenda para maior quantidade e
na ra da Cadeia n. 4, armazem de S. Barroca.
1 HOMEOPATHIA |
O rJr Casanova pode v.r procurado a
qualquer hora era u ct-usullono espe-
cial hemeopamico, no largo da matriz de
Santo Antonio n. 2. Neste consultorio
tem sempre sortmentos i5os aweditados
mediearnentos letomeopatlMa de wener
- & Catellan era tinturas, e ea\ glbulo, e
I tudo quanto necessario para* as pef soai a
9S que sfguera este systema. 1
B Os pobres foram sempre e c wohauam a
- Precisa-se alugar um prela eciaa
que saiba costnhar: i Iratarna ro Itov
d, 50, l9 andar; / ,
CRIADA
Precisa-se de unja criada com urgencia: a tra-
tar na ra dos Coelhos n. 24.
Agencia em Ternambuca
Do Dr. Ayer
Peitoral de Cereja
Cura a pKfftysIea e todes as molestias, do peii*.
a'sa parrilhsi
Cura uleeras e chagas antigs, impgens t dar-
tros.
Tnico
Conserva e lirapa os cabellos.
rllnla eatbartleas.
Puramente vegetaes e sem mercurio, cara se~
i5es, curam e parifleam todo o syelema homauc.
Vende-se effctivamente em casa ae SaawelP
hnston & C, rita da Saafalla Nova n. W.
Ama d leite
Contioua-se a precisar de nma ama de fcite :
na ra larga do- Rosario n. 12, segundo andar,.
jnjun lKitii'41 do Plntft._____________ ,
Precisase de alugar para urna pe-
quena familia urna creada forra ou capuij^Wf
saiba cosinhar e engommar; e de u para comprar e ftzer mais ser^Q-is de cata
tratar na ruado Amorimn. 56.________'m______
O proprieiano do Mario do Rio de
Janeiro, faz pnbtico. que do IT de julbo
do crrente anno em diante, os Sr.^sig-
naotes que quizerem conservar as srAs as-
signaturas, terSo a bondade dean*rre-
ferraa-las, ou na corte, no escupi do
Diario, < \ugusto F. d'Oliveira 4 C, em fBnnanbc-
co. nn Reeife. ra do Commeraio n. 42.
ecife de jolho de i870
itigitto F. d'OUveint A-



Sabbad
o
* u ue i u mu ue
&70.
i M nw-ii
Este conhecido estabelecimento acha-se constantemente bem sordo, em virtode das
facturas que recebe por todos os vapores e navios frauceze?, dos artigos abati menciona-
dos, presos os raais resumidos que possivel.
CALCADO FRAICEZ
Botinas para senhoras e meninas.
Botinas pretas, brancas e de muitas outras cores, sortidas e bonitas, do ultimo gus-
to da moda, e precos mais baratos do que em ontras partes.
Botinas para bomens e nhentnos.
Botinas de biierro, cordavao, lustro e pellica, das raelhores fabricas e eseelhidas.
Botas e perneiras rnsslanas.
Botas c peraeiras pan mamaria, iLyj melhore3 qualidades, de conro da Russia, las-
tro e biierro.
Sapatos de borracha para himense senhoras
Tendo cbegado grande porcao de sapatos de borracha vende se pelo costo alim de
desempatar o dinheiro nelles empregado, sao baratsimo?.
Sapatos de lastro para homens.
Sapatos de entrada baixa de coure de lustro coro salto, de inuito boa qualidade.
Abotinados para meninos e meninas
Sapatos abotinados de differentes modelos, de muito boas qualidades e fortes, tanto
para meninos como para meninas, muito baratos.
Sapatos de tapete.
Sapatos de tapete aveludado, de casemira, de charlte e de tranca francezes e por-
tnguezes para homens, para senhoras e para meninos.
PERFUMARAS
Encllenles extractos, banbas, leos, agua de cologne, florida, divina, lavande, den-
trifice, de toilette, sabonetes, tintara para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de
arroz etc., tndo isto de primeira qaalidade, dos afamados fabricantes, Condray, Piver e Lubtn.
Quinquilharias
Luvas de pellica do conhecido fabricante Jouvin, espelfios para sallas, qoarlos e ga-
binetes, toncadore de diversos tamanhos, leques para senhoras e para meninas, abridores
de lavas, brincos, pulceiras, bot5es, crrenos e chaves de relugios e tranceln*, tuda de
oaro de le, correntes e brincos de plaqu, a imitacao e de mais gosto do que as de ouro,
caixinbas de costura ricamente guarecidas ornadas coui lindas pessas de msica,, albuns
e caixilhos dourados para retratos, caixinhas com vidro de augmento para .distictamente
ver-se a perfeiclo dos retratos, objectos de phaotasia para toilettes, i.olsinhas e cesiinhas
de seda, de velludo e de vimes para braco de meninas e senhoras, ditas para costuras, pe-
queos registros muito finos e delicados, bouqaets de flores de porcelana, jarros proprios
para gabinetes e santuarios, quadros promptos para collocar-se vistas, molduras doaradas
para quadros, estampas finas de paysagens, cidades, figuras e de santos, vidros para eos-
morarna, malas, saceos e bolsas de viagens, oporas, chicotes, bengala?, ocnlos, lunetas ou
pensioez de prata dourados, grvalas pretas e de cores, abotoaduras de collete e de pnnhos.
carleirinhas para notas, thsourinhas e caivetes finos, pentes, escovas, ponteiras de espuma
para charutos e para cigarros, josos de domin, rodles, bagatelas o outros differentes, ve-
neziana? modernas muito conveniente para portas e janellas, cosmorama?, lanternas mgi-
cas, esteriocopns com int ressantes vistas de figuras e das mais binitas mas, Itonlcvards,
pracas e passeios de Pars, pholographias e caixinhas mgicas, reverberos para candieiros,
tapetes de'vidrilho e de la de cores para ps de lanternas, realejos grandes e pequeo?,
harmnico^, aeordions de todos os tamanhos, berens de vimos para mancas, sauatiohos e
toucas de ha, carrinhos de 3 e 4 rodas muito elegantes para conJuiir enancas passeio ; o
outras muitas qinqoilharias de phantasia, francezas e allemes, precos muito em conta.
1 iBBiiaQigsBQs paaa ssqqibks
Para este artigo nao ha espaeo ero tempo para a masante leitura da infmidade de
gneros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
ATTENCAO
V
O dono deste estabelecimento pede ao publico em geral que continu a visita jo
verificando as qualidades e os precos baratos de ditos objectos por seren vindos em di-
reitura e de conta propria.
Ele e-tim preventivo seguro e certo contr
Ela calviee,
c d e restaura torca e sanidadte a pe*le
da cabec-a*
{Elle de prompto faaces^raquidt'prema-
tura dos: cabellos.
Elle di grande i riquea de .teatro aos ca-
bellos,
Elle doma e faz preservar os cabellos em
qualquer forma e posiijo que se deseje
n'um estado forraos, liso e tnaoio,
Ele fazerescer os cabellos bastse com-
pridos,
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especi de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornaren!
brancos.
Elle consena a caneca n*um estado de fsw
cura refrigerante e agradavel, i'
Elle nlo demaziadamente oleoso, gordu
rento ou pegadico, *'"
Elle nao deixa o menor cheiro desagra-
davel,
Elle o melhor e o mais aprasivel artigo
. para a boa conservasao e afranjo dos ca-
bellos das senhoras,
Elle o nico artigo proprio para o pen-
teado dos cabellos e barbas dos, senso-
res,
Nenhum toucador de senhora se pode con
siderar como completo sem o
O CABELLO.
Tnico Oriental ) .,!
o qual preserva, limpa, fortifica e arormosea
Acha-se a venda nos estabelecimentos de
A. Caors, I. da C. Bravo 4 C. P. Maura
4 C, M. Barbosa, Bartholomeu & C, e era
todas as principies lojas de perfunfaria
e boticas.
SBKBOS
MARTIMOS
COXTRAFOGO.
a t.ompanhialndemnisadora.esUbelecida
esta praea, toma seguros maritfmos sobr<
aavioe e seos carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobiuas:
rea do Vigariop. 4. pavimento ter'eo.
Napraoada Independencia n. 33 seda di'
_eiro$o_w penhore de ouro, prata pedra:
Preciosas, sej quai for a quantia; a na mesmf
;asa se compra e vende objectos de ouro e prata
> igualmente se faz toda e qualquer obra de en
rommenda, e todo e qualquer concert tendent<
i mesm trie.
ATTENCA)
Os abaixo asignados pedem ao Ulm. Sr. thesou-
reiro das toterias desta provincia, que se na ex-
tracio d lotera d. 153 a beneficio da santa casa
da misericordia, que tem de se extrahir no dia 16
do correpte, se por acaso sabir qualquer premio
no meio bilhete n. 2179, nao seja pago senao aos
mesmos abaixo asignados.
Joo Baptlsta Nepomuceno.
,.- i A rogoLoiz Jo; More'ira.
- i' i "t ii
COMPRAS.
0 muzeo de joias
Na roa do Cabug n. 4 compra-se ouro, prata
i pedras preciosas por precos mais vautajosos do
\a^ em outra qualquer parte.
ua
'
**.
MMW__A
Kua Nova n. 48, esquii da ra de Santo Amaio.
O armazem da NORMA um importantissimo eslibelecimento, em cuja montagem nao st
pnuparam topen* para o fezer sobresahir entre os domis estabel"-cimentes do seu genero, e tor-
na-lo digno da concurrencia publica.
So grande foi o esmero que prezidio decora cao do eslabelecimento, tanto maior tem side
O cuidado e capricho qu*- lem havido era torna-lo mais importante f niecendo-o de um lindo sorti-
mento de fazendas tin^s, artigos de modas, etc. etc., importadas directamente da Europa, donde sao
scolhidas por pessoas habilitada? e de ccformidade com as ultimas modas.
A HTOH4.
pede ao publico a especialmente s lxmas. Sras. que dignem-se visitar este impoitaBte estabeleci-
ment, no qual acharan plua(Bei4e risiilicado o titulo que adoptou, porque se envidara os maiore:
exforcos para que .-belecimemo seja geralmente conhecido, como norma, de bom gosto riquis-
simo sortimenio, niodicidade fi pragos, superioridade de fazendas e analmente norma de franqueza
e siceridaoe. ,
Norte estabeleciment" h.i um pessoal habilitado a conduzr fazendas a mostra as casas da-
Exmas. Karailias <.\ne o deejarem.
Armazem da Norma.
48Ra Nova48
I
DAVID W. BOWMAfS
EWGEKHEIRO
Com fundicao
RA DO BRUM 52
Passando o chsfariz.
Chama a attenco dos Srs. de engenbo para seus acreditados macbinismos e
com especialidade para seus vapores que ainda urna vez lem melborado.
Os vapores fomecidos por elle e j funecionando Ihe ho de fazer melhor ppre-
cisC-o do que qualquer dito proprio.
Deseja tolavia mancionar que vi-ta do cambio agora mais favocavel do que
na epocba dos aponlameotos do aiuio passado tem feito urna redac;ft sensivel em todo
seus procos.
Candieiros. e gaz econmico
Acaba de ebegar nova reme9sa desses tao
desejados candieiros em porcelana, bran-
cos e de cores, os quaes muito se receba'-'
mendam pera"*seg< rana asseioe economa.
e a;nda pela escellente luz preferivel mil ve-
na ao kerosene. Venham antes que se
acabem.
nico deposito na ra larga do Rosario
n. 34, Dharmacia de Bartbolomeo C.
ASSCAR DE OXIDO DE FEBRO DE
CHANTEAUD.
SEGREDO ECONOMA E CELERIDADE.
obtim se cmo uso da.
O assucar frwmw de Chanteaud
obtido pela assofl B do oxidu de ferro
inteiramente solkl^om o assucar cuida-
dosamente purificado. Este assocar de
urna bella apparequacryslaliua, tem o sim-
ples gosto mu agradavel do assucar. sem
o menor sabor adstringente, nao tem ac-
ci5o irritante sobre a mucosa do estamago
e intestinos, e rpidamente absorvido pelo
apparellio digestivo sem causar as constipa-
ces do ventee.
INJECCAO LHOSTE.
(Juica hygieuicu radical e infallivel na cura
erta das "gonorrheas, flores brancas, e flu-
kos de toda a especie recentes ou ebronk
cas, e que offerece com garanta de seus
salobres resultados a antiga e continuada
applicacj que sempre com a maior van-
tagem se tem feito deltas nos hospitaes de
Pars. nico deposito para o Brasil, Srs.
Bartbolomeo & C, rna larga do Rosario
a. 34.
CIHCOLATE VERMFUGO DE ANTONIO NE-
VES DE CASTRO.
Este r.creditado preparado, que to boa
acceitacao tem merecido nusta provincia,
muito se recommenda para cura certa e
ellicaz das bichas on lombr: criancas como em pessoas de maior idade.
nico do psito na pharmacia e drogara
de Bartholomeo & C. ra larga do Rosa-
rio n. 34.
E' boje o preparado de ferro de mris ai
cei'acao para a cblorose atona dos orgos.
perdas brancas, menubruacoes difficeis etc .
e tem a seu favor o o'zq autorisado da es-
cola de medicina de Pari,e dos chinacos os
mais notaveis. Deposito especial pbarmacia
e drogara de Bartholomeo & C, ra arga-
do Rosario n. 34.
Sabonetes d'alcatro.
De Antonio Noves de Castro.
Este acreditado preparado, que to b6a
acceitacao tem merecido nesta provincia,
muito se recommenda para cura certa das
impigens, sarnas, castas, coceiras, e todas
as molistias de pelle, sendo ainda preferi-
vel para a barba, i outro qualquer sabo-
nete.
nico deposito do verdadeiro, na pbar-
macia edrogaria de Bartholomeo & C,
-ua larga do Rosario n. 31.
Compram-se
Moedas de ouro e de prata de todas as naedes :
na da Cadea do Recife n. 58, loja de aiulejo,
(j+ Coinpra se urna casa terrea boa, situada em
Sanio Antonio ou Boa-vista : na rna da Florenti-
na n. 6.________________________________
Compra-se urna casa terrea, na freguezia de
Santo Antonio : tratar no arco da Conceicao nu-
mero 6.______________________________
Lona muito maior vantagem compram-se
ouro, prata e pedras preciosas e o obras velbas: na
loja de joias do Coracao de Oaro n. 2 D, ra do
Cabug.__________________________
Jornaes para embrulho
Compram-se jornaes: na fabrica a vapor de ci-
garros, na antiga ra do quartel de polica nume-
ro 2L
ODAS.
Grande armazem do Costa jun-
io a typographia do Diario
n. 42."
Manteiga ingleza muita lina, dita fran-
ceza.
Qaejos flamengos, ditos de minas, ditos
de pralo.
Cha de diversas qualidades.
Caf de Moca e de outras qualidades.
Ameixas francezas em latas e frascos.
Marmellada dos melhores fabricantes.
Licores Japona e de outros autores mais
acreditados, macas, presuntos, chouri-
cas, salpces em barril e latas de 4 libras,
e outros muitos gneros viudos no ultimo
vapor, de especial qualidade por mdico
pre4p no novo armazm do Costa.
Objectos para carros
Solas de lustro.
Vaquetas de lustro.
Ganes largo e estreilos.
Oleado preto para guarda chuva.
Dito de crts para forro.
Linternas e vellas.
11 loes de Mho de reres diversas.
Vende-se
AMA
Ps d' roseiras de varias qualidades, assim como
da sapoii, abacate. tigueira, laranja cravo e pi-
nheira, por proco razoavel: a tratar ua Roa-vis-
ta, rna do Mnndego n. 5t.__________________
Saceos de estopa
Vendem-se ptimos saceos de estopa, proprios
para assucar, milho, farinha etc.: no armazem dt
Adamson, Howie A C. rna do Commercio n, 40.
Vende se no am azeni de Roben Lihtbown
& C, ra da Cadeia n. _, lio e barbante de todas
as qualidades, coi e3 e grossuras, em grandes ou
pequeas porcoes, estopas de todas as qualidades
e larguras.
Botinas Luiz XV
Botinas de duraque preto, ditas de cores, ditas
de pellica de cores o pretas para seuhora moda
de Luiz XV, e outras muitas botinas de phantazia,
tanto para senhora como para meninos, calcado de
Meli para homem, ditos de ames Allemanha:
na praca da Independencia ns. 13 e 16, loja do
Arantes.
Precisa-se de urna ama para cozlnbar para casa
de homem solteiro : na ra da Praia n. 29, ta-
berna.
Precisa-sc. de urna ama para
familia para comprar e cozinhar
Cruzes o. 24, Io andar.
isa de poiica
na rna Jas
1
s
s
0
~?5
P3
O
s
o
(3
II
\;ai_m_n_n.;u
\mmk mu
Preoisa-se ainda de um criad.-, na ra do
Imperadar n. 37, 2* andar, entrada pela ponte 7
de setemhro. '
v_an
4S_afi_T2J
>
Com este titulo acha-se aberto e inteiramente transformado este antigo
estabelecimeulo de joias, onde os fregueses e amigos encontraro tudo quanto
a moda e o boia g_to tem inveutado na arte de ourivearia, o Collar de Ouro
observar delicadeza ao trato e senciridade e modecidade no> precos.
Espera que o re^eitavel publico venha ver o que ewste de melbor em
aderecosM brilbanles, esmeraldas, robins operlas, meios aderecos, pul- I
cetras, brincos, alfinetes .anneis de todas as qualidades, praia de le faquei-
i\>s, colheres,. |p3lileiros salvas e outros muitos objectos que eria eufadonbo '
_._aciooar.
Comprase ouro, praU, brilbaQ_s e pedras finas, pcrmawr preco do
que m outra qualquer parte, troca-se e concvta qualguer- obje j
perucente a esta arte.
I IMUmOMi
l?
de IGJintT, Doctciir-M^lrriii
ituo de Sema, Si. A. X'AH.b.
A_T..
<3>
. n
i i
,I!B1
As seguintes obras
A tirgem do inosleiro, e as memorias de R>-
chelieu, por Jo.e Victorino, ambos enc^der-
pados em om so rol: por 30G0. Colas
cont rnsso, eRc. vo!. por 10UOO. Canto
d'alvorada.,poesas porM, da Rocha, 1 vol.
ene. por 3C-00- Flores singelas, por Paes
de Andtade. UUimys paginas, por P. de
Calasans. ftluscs jwdidas, por C. de
Azeveda, tudo encaderoado em uro so vn-
lume, por 85000. Jovita a voluntaria da
moite por J. C, e Alberto,scenjs de um ro-
mance, por J. Candido, ambos ene. em s
vol. por 30000. Palmyra, a ceguinha bra-
sileira. romance em 7 cantos por Dr. Boni-
facio de Abren, ene. ero um s vol por $t5.
O cavalheiro d'Harmental por A Dumas, i
vol. encadernados, por 400000.
Tambem vende-se as collecces de les
provincaas faltando apenas 3 annos, por
20)5000, tendo 27 vol. me brochura, tam-
bem tem outras obras que a vista se mos-
lrar5o, e qne tudo se vende por preco em
conta. Qoemquizer diiija-se a esta typogra-
p:>ia que se dir quem vende.________ _
Ra do Duque de C.xias n 6,
Io .ndar.
A tesour de ouro acaba de receber pelo ultimo
vapor da Europa um variadsimo sorlimento de
objectos de phantasia, mui proprios |iara presen-
tes, bem assim urna infinidade de aibuos para re-
tratos de apurada gosto, que serao vendidas por
baratissimo preco ; luvas de pellica v Jouvin de
todas as ci res e todas as qualidades, exclusiva en-
coramenda.
Joaquim Rodrigues la-
vare^ de Mello,
Praga do Corpo Santo n.
TEM PARA VENDER :
Cal de Lisboa.
Potassa pa Russia.
Vinho Bordeaux.
8 Faello de Lisboa.
& Farinha de maniiioea.
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-sc por todos os pa-
quetes translancos bichas de. qualidade superioi
e vendera se em caixa ou poreao mais pequea,
e mais barato do que em outra qualquer pane :
na rna da Cadeia do Recif>> n..51, 1* andar.
Vende-se ouajugi-se urna canoa nova, tuda
encavilhada do cobre, que pesa'iO feix's ;le ca-
pim : para ver e iraiar na cauba dos Remedios
com n capitn Delfim.
Fariusa de uaudinca.
Da melhor qualidade e mais barata do qne em
outra qualquer parte : vendem Amaral, Mureira
4 (1, no caes da alfandega n. 7.
Estamfflhm.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife n. 8, loja
de aiulejo. __________
Farinka ds mandioca
de Santa Catharina
O que se pode desejar de bm, agam-sl, a bor-
do do patacho inglez lanj Blic!; : a tratar com
Tasso Irmaos 4 C, ra do AfQOrim n. 37.
Os aecreditados cylindros americanos para pa-
dara.
Machinas para doscarocar alportao.
'anu de ferro galvanisad'>s, para acna.
Carrinhos americanos para Iraasportar fazemla*.
xuaiJ
Ha para vender novo e superior farelo q;ie se
acha deposi ado nj trapiche, da conmanhia, cbega-
do ltimamente do ci da Prata pela barca fian
ce_ Angelina a tratar com seus consignatarios
Amorim Irmaos 4 C, rna da Cruz n. .'i.
ATTENCAO
Vende-se urna parte do engenho Ramos, comar-
ca de Pao d'Alho, de 9:000 a 10:0005, e outra
do engenho Inhaman, comarca de Ignarass, de
5:0OO : os pretendentes queiram entender-se
com o senhor do engenbo Caraba da freguezia de
Tracunhaem, ou com o Dr. Laurino de Moraes
Pinheirn, ra das Cruzes (hoj Duque de Caxias)
n. 2. 0 n,esmo senhor do engenho Cara liba offe-
rece a fazenda deoominadaMinguai do Grva-
lapara o Brejo da Madre de Dos < Curato de
Bom Jardim cuja fazenda muito acreditada pe-
los habitante.3 do lugar, tem aeud e vario tan-
ques e algum gado que tambem se vende encorpo-
rado dita fazenda : trata-se nos lugares cima
mencionados.
f.s culi g_ifa, *. 'Ul.-c i rn;lik t
que 1. s o aira nn-V, um nitiilo lian -i
relMand .-*_ Ibh_i_ m Co>ts.7
m

o ir. i -
rku 1
wlbr otoate {
Grande (>ecMucha.
8 A' RA DO CRESPO N. 25. g
PECAS DE BRAMASTE FINO com 27 $i
varas, de urna largura, de 14. a _?. Mtt,
PECAS DE CAMBRAIA TRANSPA- S
g RE.NTR a 3*000.
ALGOOZINHO com 18 jardas a
S _*900 e ,'!* a pega.
IB CHITA FRANCEZA de todas as quali- |S
n dades a 2i0 e 280 covado. m
CHALES DE MERINO' LISOS de todas *
| as cores a 28U0. W
SNa ra do Crespo n. 25, loja de Manoel VK
m Dws Xavier.
5_l-^@aBgllB_s5i-^0
MACHIMA
PARA COSTURA.
Vende-se urna com punco uso, de lacadeira, o
mfl_>r sistema conhecido, serve paratoda. as cos-
turas de cambraia at couro ; o dono incumbe-se
de ir aos domingos ensinar a pessoa que a com-
prar.
.----------------i.~ ,___________________________________^_
Muito barato
l*ar acabar
Pecas de algndo com 18 jardas por 2i800 : na
ra do Caboga n. 10
Champagne da marca George CiKibet 4 C.
vaquetas de lustre para carros, oleados de diver-
sas cores, pesos de ferro do systema decimal :
venda na ra da Cruz n. 68, no armazem de
H. Lger.
attenco
Vende-se urna taberna em muito boa loc.iH.ade
e p opna para qualquer frincipiante por ter pon-
eos fundos : a tratar na ra da Esperaoca.no Ca-
ininho Novo n. 40.
' se.uma n
pnclfar com bol ou c.ivallo :
do Hispo n.-M, tabern
a de moer inilC
a tratar no Corredor
Pechincha
Vende-se dous bois e-dous carros, tudo em bom
estado : no caes do Ramos n. 20.
Aviso provincial.
0 Cimpos da ra do imperador n. 28. ;,
nao s aos sus numeroso? fre^i
demais habitantes dol.i provincia, que e o tea
armazem de ominados, um dos que pode enm
franquez.il Uera provr urna boa. dispensa, ;
tem o proprielarin deste f-talulecunenio reunido
um '.iande sfutimeiiti de seeros de primeira
qualidade cm dito armazem. Nomea los um por
um lorpar-se-liiam cnfadonr.o, no entanto dc-
creve alguus que merece e.-pecul mtiico.
A saber:
Presuntos ingl es para ti .mbre.
Ditos de aniego para panilla.
Qmiji'S do Miuas, grandes, a 2.
Latas com salmn.
Ditas com lagr.stas a G^O rs.
D.ce de guiaba e de banana, milito fino.
Caiiiaro-s seceos muito BOfuti a :i20 a libra.
Champi.nlu.' superior, g.rrafa* o meias dius.
Chocolate superior de diversas qualidades.
Cafe de m^ka e commnm muito superior.
Bages eiu latas a 700 rs.
Bnlaxinas de rada em latas e libras.
Vellas para carro.
Capis lapidado-'.
Charutos do Costa de S. F.'lir.
Vinho abafulo -ni garrafas.
Nozes o ameaduas.
Conserva? em frseos a 700 rs.
Rap Paulo Cordeiro vnj.do commnm.
A Nova Esperanza
1S6ua Ilcique <5c t axias31
Quamlo a NOVA-ESPEIiANQA faz os seus
anuncios expotjclo aos seus irogaezes e a
lodos cm geral o grande ^o: tttiieoto e su-
perioridade de seus objeclos nao com vis-
las de atrair a altonco de nina grande fre-
guezia, como a d que actualmente desp5e,
e sim para scientificar (a interese de todos)
a qualidade de seus objectos ns quaes s3o
sempre de apurado go>to e peifei,ao; tor-
uando-se quasi indispensav. I para aquelies
apreciadores (do hou) fiequtntarem a No-
va Esperanca. puis q .e ella caprictia em re-
ceber constantemente, o que lia de melbor
relativamente a sua lepanic >: o que se po-
der verificar quamlo em qualquer reuiiio
de pessoas (anianies do xique) v-se um
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma ngraduvul escapar o'i_ alvo lenco,
um moderno e linde l.ico. ujn diliczdo ra-
mo de finas flores, ele. etc, todos olliam-se
reciprocamente e izera com >\ tes uns aos ovilrs) e.-ief &.o ubjeclos
comprados a NOVA-ESPKRANQ!.: realmen-
te !!!! procurar descrever i-m anmincios os
arligos que conUn dila luja, se.iia trabalfio
insano e nunca, o faria_>m aquella
graca e perfeico com que sao elles fabrica-
dos, assim puis NOVA ESPEiwSCA con-
tenta se em convidar a lodos geralmente,
visilarem-na para entao Gcaram inei-
rados do que ha p.xposlona mesma luja.
31Bu Puqtie Eival sem segundo,
ua ni .8 ;__ii_ cit.w N. 4
(Amiga na do Qucimado)
Conl:na a vender ludo muito bom e
muito barato a saber:
Libras de areia pinta muito boo. 120
Tesouras finas pata uohas e co: tu-
ra a....... 500
Papis de aguhas (raocezM a ba-
15o a......... 60
Gaixas com seis saboneles de fruta 15000
Libras de l:t [ as cores a ....... 6IT000
Garriieis de linha Al. xandro a. tii
Frascos com azeite para machinas 800
Grvalas de cores mrj'rto linas a 30ti'
Grozas de boles madepei-la li-
nissimos a -. 500
Pares i'e luvas do cores muito i-
as a 3-0 e....... 500
Nuvelio de [irtba de 400 jardas a. CO
Caixas com 00 enveiopes muito
superiores a...... KQO
Pentes volteados para meninas a. -40
Tinteiios com tnia preta a S('rs. e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 00
Lata com superior banha a loo e., 200
Frascos de oleo Pliilocomo muito
fino a......... 500
Ditos ditos dito grande a. Ij?(i00
Frascos de macaca perola a. _40
Frascos de extracto muito b niios a 500
Dnzia de saboneles mnio GdO. a. 70
Sabonetes inJwtes a 600 rs. c. (_00
Fraseo com atta de coi. na Kw 500
Dito d Ok'O bpbuz.1 a..... 500
Gaixas (!e l.mparinas a. 40
Sabonetes ;; forma menitio muUo
superiores a....... 240
_artilha.- da doetrioa faz uda nrua a 400
Libras de linba srdidas de iodos os
nmeros a....... 1800
Babados do Porto, largosalOe -00
Gap.ichos muito bonitos e grandes a 700
Garriteis de retroz preto, com
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso eufeilados a, 240
Libra de linha franceza superior
qualidade a....... 2400
Caixas de palito do gaz a. 20
FAR
le Santa Catharina.
Vende-se farinha de mandioca muito alva e fi-
na, a mais superior que lia no mercado, em sac-
eos de dous alqueirp:, por menos do que em ou-
tra qualquer pane : a tratar com Antonio Fran-
cisco Martin? de Miran a, ra una de Santa.
Rita 5o.______________________________
Vende-se
No armazem de H. Lger. ra da Cruz n. 68,
nho de Borde..ns fin caixas._____________^_
Boa morada
Vr_de-se um bom ierren'! em urna das mas ol-
timamente abertas na estrada nova de Deberibs,
onde passa a linba frrea, muito perlo da riacho
Jacar, com manas e trra para capun e man-
di. ca, lem de extenco loOOp.ilnios, polin ven-
de-se a v.i.tjde dos c impradores : enteudercm-
na rna da imin^atrtl n. :il
A 5,000 RS.
Chapeos ile sol de alpaca fina rnm basteas de
baleia a 3 : tu ra do Crespo n. S5, loja da'es-
luioa.__________________________________________
Ptehiniha
Algodao, peca de 18 jardas, a _*90O, para liqui-
lar : na ra do Oneimado n. {, loja do Gapar.
Veiidem-ffl bnnoas mtiili novas a burilo dOt
patacho he:paiil).l .Miguel, funuoado no ancora-
dmiro da ramo.__________________________
Vende-se urna tllenla na rui. <1e S. Miguel
n. 68, na povoic* da fregtt*ii6M Afafado, enm
viuco- i've p;ra qn^iquer priucipianie,
i ilono flir porque raza" a vende.______
Tinta deimpressao
Vende-so linfa para impressao, muito boa e a
pnco ratoavel n^sta tyitoeraphia.___________
Vende-so
Palitos do paz a ;\i rs. a dnzia d n ba-
rato : na ra do Rangel a. 39, taberna.

.._.



iMHII^
M
Diario d* reiim^uco Sabbado lfi Je 4ultu> de 1870.
L

I
A VERDADE
Rna
de Casias n. 55
Duque
Na loj da VERDADE eontinnua-se a ven-
Jer por baralissiraos presos todos os arti-
gos de miudezas e perfumaras do sen
grande e variado sortimento, garautiodo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa por ba-
ratissiroo preco.
Espelbos doorados para pendu-ar a
160 rs.
Agolhas de osso para crox a 200 rs.
Pentes finos para segurar cabello, a
320 rs.
Chamius para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta alizarine a 1 0000.
Dita com agua florida a 10500,
Dita com dita dita a 10000.
Tnico de Jayrae a 15500 o frasco.
Frasco comoleo espresso de babosa, de
2i0 a 640 rs.
Dito com agua de Colonia de 300 a 10000
Dito com extractos finos a I 000.
Dito com sndalo verdadeiro a 40200.
Latas com banha muito fina de 420 a
240 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quali-
dados a 80, 460, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
Ditas para facto de 500. e 600 rs.
Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolhode 460 e 240 rs.
Pavios para gaz, duzia a 240 e 320 rs.
Brincos de-cores, inteiramente modernos
de 460 e 240 rs.
Pennas caligraphicas muito finas a 40400.
Ditas de langa e mosinha a 800 rs.
Lindos babadinbos e entremeios de 500
e 40500.
Grosas de botes de lonca de 460 e
200 rs.
Ditos ditos para caifa a 240 rs.
Caixa com papel amizado a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com brelas a 40 rs.
Ditas com agulhas fundo dourado a
280 rs.
Thesoora para costura a 240 rs.
Linha de marca 3ixa a 280. rs.
Carriteis de indas de Alexandre de n. 70
a 200 a 40 rs.q
Grampos muito finos, com passarinbos du-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar duzia 30000
Ditas portuguezas, duzia 40400
Papel almajo superior qualidade resma
40000.
Lam muito fina para bordar libra 605GO
Fitas para debrura de sapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para debrum de vestido pe?a
400 rs.
Caivetes gmdes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 400 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
cies de 40 a 100 rs.
Fitas para cs, peca 480 rs.
Alfine.cs de lalo, carta 400 rs.
Sapatinhos de lam para creanca de 400
a 800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Grvalas de seda preta de 400 800 rs.
Ditas da croxc, brancas e de cores 500 rs.
Dita de gorgurlo de cores a 800 rs.
Na Verdade rom Duque de Ca-
llas &*.
COM FAliraLi
Maia Landelino vende saceos com lancha de
mandioca : na ra do Duque de Casias, traveasa
do Rosario, loja n. 18 6
V
o
Grande arnaazcan na ra da
luaperafrlzn. G
Ntste grande armazem vende-se loaca agleza
finas e ordinarias, apparelhus de pwaelana {ara
jantar e para cha. Jarros para flores os mais boni-
tos e de gestos modernos ; assini como grande
tortimento de vidros finos o ordinarios, que tudo
se vender tanto a retalbo cerno por atacado pelo
mais barato pre<;o que em oulra puaiquer parte :
chamamos a attenco dos freguezer, que serao
convenientemente servidos /tanto nos coramodos
precos'como na boa onalidade das fazendas.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pemambaco caes da aifan
deja velua n. 2. 1* anda.
Vidros para vidracas de lodos os tamanbos
e em caixas, vende Dartholomeu & d, em sua
pharmacia na ra larga do Rosario n. 34.
Grande eitabelerimento de azendas e roopM feius e por medida, i roa da Im-
peratriz n. 52 junto a loja de ourives. v
Naate eatabelecimeato encontrar o respeitavel publico um bonito sortimento de
roupas de todas as qoalidadea.
Palitet de alpaea preta e de eres a 30000. 30500 7,5000, ditos mirin preto
de 74000 at 25$000, ditos de casemira de cores finas e ordinarias, de 64, 460000,
ditos de panno finos de 6 84 405 e 4000. sobrecasaco dito de 204 a 504000
Completo sortimenlo de calcas de bram pardo de 44800 a 6|000, ditas brancas
de 24.i 404000 o mais soperior,ditas meia casemira, ditas casemira dtt0, 4424000,
ditas casemira preta de 64, a 464000 soperior, dita de, merino diversas qnalidades para
lak>. Assim como um bonito sortimento de colletes de brim de cores, ditos broncos,
ditos de casemira de cores e pratas ditos de merino para loto fazenda superior.
Sortimento competo de eamisas francezas de algodo, de 44600 34000, e de
linbo de 384000 a 704000 a daxia.
Sortimento completo de ceroulas francezas de' algodl de 40600 a 24500,
ditaide biaraaate tWpO; 24#00 30000, ditas de Hambnrgo. -framvzas, fazeada su-
partpr de 254000 a JfJOgO aduda. Sortimeoto^de colannhos de algodo e lineo, etc.,
assim como meias de algod&o para hornera de 34, a 404000 a duzia, gravatas de mul-
tas qualidades. Na ruada Imperatriz n. 52, loja do ,,.
Sortimento de chapeos deeol de.alpaca, e seda, tos- inglezes cabo de marfim.!M*?' e tambem jsuja-*e com penC*
Toalbas para rosto. Sortimento de mallas para viagem. ja todos os compradores EsUs machina*
ATTENgAO. sao iguaes no seu trabalho ao de 30 costu-
Neste estabelecimento. eoearga-se de mandar azer qualquer obra por medida reiras diariamente, e a sna perfeico til
e para esse fim tem hbil raestre eocarregado da officina* que se*eacamega do trabalho jcomo da melhor costureira de Paris. Apre-
PARA
STORA
Acabam de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 22carmho
tiannaum completo sortimento de ma-
chinas para costura, dos autores mais co-
nneeidos, as qnaes esto em exposico no
mesmo Bazar, garantindo-se a sua boa qua
Alta novidade
NA
Loja do pa Chegaram pelo ultimo vapor francez as ricas
chapelinas de palha de Italia, ultima novidade de
Pars, cbapeos de veludo e pabia tambem os te-
mos de muito gosto, posiilhoes e basquinas do gor-
gurao preto muito superior com ricos 'Tacos de
setira : na rna 1* de Margo n. 7 A, loja du pac).
Armazem dous irmaos
8Roa da Pacha8
Hanteiga ingleza flor a i 500 a libra, idem fran-
ceza a 760.
Cha miudo egrosso superior a 320O e 3*000, ca-
f era caroco a 200 e 240.
Vellas de spermacette a 640 a libra.
Aletria, talharim e macarrao a 400 a libra.
Vinho em pipa a 400 a garrafa, idem S. Juliera
a 600 rs.
Grandes latas com bclachinbas a 1*300, idem com
lagostinhos a 500. idem com figos a 1000.
Copos lapidados a 5*200 a duzia, idem Idem de
contra a 2*600, idem temos com 6 copos por
1*100 ; assim como mu tos outros objectos.
com perfeicio e pontualidade.
SORTIMENTO DE FAZENDAS.
Chita de 240*3. o-oowto-on 434000 a pessa com 42 covados. ditas miudes
para camisas.e titwo de menino 260, e 280 rs.. e outras muitas qualidades de 320, 360
e 400 rs. o covado, neste mesmoestabelecimeRto ch victoria com barra, aqnal para flh >s ecomnelente afeite .para oorpino. Gam
braia lisa de 34, 4?S, 54 e 4040X1 a pessa, e outraa muitas fazeudas de todas as qual
dades.
sentam-se trabalhos executados pelas me*'
mas, que muito devem agradar aos preten-
dentes.

Ofcina e armazem de
mamore
no armazem de E. A. Burle & G. ra
Cruz n. 48 o seguinte;
\inho Bordean? superior qualidade,
Cos de 74500 a 20,5000.
Cognac lnq, difierentes precos.
Licores de difierentes qualidades e pie-
eos.
Frutas e conserva em frascos.
Azeite doce fiaacei, era caiaaa de 42
garrafas.
i ... v.............-------------* >""*^
Fariuha de mandioca
Acaba de ebegar o brgue brasileiro Othth, t
aefaa sa fuoieado em frente 4o trapiche BaraaoV
UTramento, com aniiha de mandioca nova e-lwa,
da SaniaGatharina. a granelou ensaecada inu-
nde d< compradores : sapa consignaUrios Aam-
rim Irmaos \ C* ra da Groz n- 3.________^^
Cemento
O verdadeiro portland. S se venda na ras da
Madre de Dos n. 22, armaiem de Joao Martiaa de
Barros.
m* i
Catirii.let
Vende-se nm cabriole! francez em perfeito-etU-
do: a tratar na-raa da matriz p. 28, loja. 4M
Vende-se um boi e urna carrosa : na ruAdo
li ondogo n. 4M^______________^_________
Farinha e mhho.
No traplrhe Barao do Livramenlo existe boa fa-
rinlia de mandioca e excedente milho em saceos
granees : a tratar na ra do Vi gario n. 16, 1* an-
dar, esri|itori(i da.Joaquim Gerardo de Bastos.
Caes
n. 57.
Vinte e dous de novembro
(ontr'ora armazem allianca)
Ha para veader podras marmores de lodos os
(amanbos e gr>ssnras, lijlos de diversos ta
Fariuha de mandioea
da Baha.
AtGODlO E MAOAPOLO AVARIADO.
A 44000 o- algodo. e 44800 omadapolSo. e tambem chita escara boa i 240 o
coyado por ter grande porcao, na roa da Imperaban, 52, luja com, jwftaes encarnados, SErsoteiras'^^da^Ta^m wmosole4^ No esccipiorio de Joaqmm Geraldo de Basios .
intitulado ras e saccadas de pedra de Lisboa. Tambem con- ra do Vigario n. 16, primeiro andar, vnde-s*
^ trati-se e fai-se qualquer obra, como raonujien- tahona muito alia, fina e turrada, saceos de dous
I f'O 6 UlirO tof' tuma,os> estatuas, pas, lavatorios, mesas e alqueires, yor menos d.) que em oulra qualqoer.
ojvi UiVl atdo o mais tendente mesma arte, por mdicos pane.
prcis.
Vende-se
Farinha de mandioca
igual a de Maxlbeca.
Em saceos de dous alqeires e de panno de
algodao, cuja medida con i-sponde de 5 a 8 0|0
mais do que a medida daqui e do Bio do Janeiro,
vndese a preco menor do que em qualquer ou-
tra prtete : tratar com Joaquim Jos Goncal-
ves Beltrao, em seu esenplorio a ra do Commer-
cio n. 17.
Mais barato do que em oulra qualquer
parte.
No porto da travesea do? Coelhos acha-se cons-
tantemente lijlo grosso e fino, tapamento, tenas,
e grande porcao de area, que s ved^m a vontade
do comprador por menos preco do que em outra
qualquer part ; assim como so encarregam de
f asear matenaes para as obras, para o que h?
canoas e carracas.
Roa do Crespo n. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida C.
Este estabelecimenlo de fazeudas Onas e grossas j bastante conbecido como
am dos mais. bem sortidos desta cidade acaba de receber directamente de Paris algons
arligos especiaes que passa a mencionar.
Ricos corte< de vestidos de blond para casamentos.
Cortes de vestidos de seda de cer, de gostos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de lia e seda propria para vestido.
Foulardde seda de todas.as cores, tambem para vestidos.
Fitas larcas de seda, para cintos, gostos escoceses e lisos.
Chapelinas de seda e de palha d'Italia. ~^bbb\
Basquinas .de seda e guipure.
Colchas de seda e de 13a e seda.
Corlinados de cambraia bordados milito rieos.
Pannos de verdadPiro croch para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalbas de linho de superior qualidade.
Bramante?, selicias, sgnioes atoalhados.
Guardanapos, colchas, aaias bordadas camisas,
Cacbe-nez, bafes, camiinhas, sombrinha.
Madapoi5es do varias qua'idades, saxos para viagem, mallas, tapetes, capa-
chos, alcatifas e mnitos outros artigos que se vende por presos mdicos.
Tem tambera constantemjnte um completo sortimento de ESTEHUS DA IN-
DIA para forrar salas.
Sementes n vas de hortalice?, garantidas, da socie-
dada de Horticultura Lisbonense, rnadoAmorim,
deposito da labrica de cer vejas e espiritas da ra
do Brnm._______________________________
I.AZ GAZ HAZ
Chegou ao antigo deposito de Henry Forster t
d, roa do Imperador, um carregamento de ga;
de primeira qualidade; o qual se vende em partida;
e a retalho por menos preco do que em outr qual
qner parte______________________________
Vende-se um terreno proprio, com 138 pal-
mos de frente o 160 de fundo, para o lado da es
trada de ferro, cujo terreno tem alicoree feito pa-
ra cinco moradas de casa, ua ra de Motocolom-
b do* Afogados : a tratar na mesma rna, ou na
ra Direita dos Afogados n. 13.
Sahtdas de baile
Chegaram loja do paco as ricas sabidas de
baile, assim como os ricos enchovaes de cambraia
bordados para criancas se baptisarem, artig) este
o melhor qne ha no mercado, assim como temos
gran 'e sortimento de outras muitas fazendas de
jro*to e novidados por todos os vapores : na k>ja
do paco ra 1" de Margo n. 7 A._________
Cantara de Lisboa
Sokira?, hombreiras e capiteis para frentes de
casas, o que ha de melhor : venda no arma-
zem da travessa do Corpo Santo n. 15, de Joaquim
Lopes Machado & C.
Vende-se urna casa de taipa, na baixa do
Zumb, (Torre) era solo rendeiro : tratar na ra
Imperial n. 233.
BRACO DE 0110,*
Ra do Imperador n. 26
0 respeitavel publico encontrar oeste
estabelecimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, bollos ingleaea
podin?, pds-del, prgsentos dos ultimoa
ebegados ao mercado, salame de lioo, bo-
linhos linos de todas as qualidades para cha,'
amenioas confeitadas, confeilos, bomboins,
pastilhas, chocolate francez em libras, pas-
tillas do mesmo .cartuxos e carteiras com
seis charutos de chocolate cada urna, este
sortimento de chscolale do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at
boje tem vindo ao mercado.
Vinhos portuguezes, figueira muito sope- *
rior. Os mais gecuinos e superiores vinboa
do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar nesle estabelecimento
por commodos precos, fazendo-se abalimj-'
to a quem comprar em porcao.
Os donos deste estabelecimecto nao a*
tem ponpado a despeza* para melbor me-
recerem a acoadjuvacao do lustrado p-
blico. _
RA DA IMPERATRIZ
DE
va, crEGijnxjnEroo fe c
Neste grande estabelecimento encontrar o respeitavel publico, uu grande sortimento de fazendas, do mais apurado gosto assim como de todas as de primeira necessidade que se Ihes promatte vender por. precos mnito mais baratos do qo
em outra qualquer parte, visto que os novos socios desta firma adoptaram o systema de s vonnderem IHAJIIKO ; para poderem vender pelo costo, li?iitando-se apenas a ganharem o descont. As pessoas que negociara era menor escalla, nesta loja
e armazem poderlo fazer os seus sortimentos pelos mesmos precos que comprara as casas estrangeiras. Para maior commodidade das Exmas. familias, de todas as fazendas se do os livros das amostras, ou se mandara levar emjsuas casas, para melbor po-
derem escolher.
ALTAS NOVIDADES g
DO PAVlO
, BONITAS FAZENDAS PARA A FES-
TA DE
f SANTO ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO.
Vendem se as mais lindas poupeli-
nas de linho e seda com os gostos
mais novo3 que tsm vindo a este
mercado, pelo barato preco de...-.
2J000 o covado.
Sedas listradas, de furta cores, fa-
zendas de muita phantasia a 2$60
o covado.
Seda bismark, larga fazenda muito
encorpada o covado a 2#5O0.
Bonitas lasinhas largas com palma
de seda, covado a li&OOO,
Lindas agraciando lavradas covado
a 15000.
Alpacas lavradas de todas as co-
res, covado a 640, 800 e 40000
Bonitas lasinhas escossezas com
quadros e litras de seda, covado a
56).
Finas alpacas lisas, sendo cor bis-
mark lyrio, verde, roso, cinza, can-
na, azul etc., covado a 60.
Ditas furta cores com as mais bo-
nitas cores, covado 503 rs.
Liodas'bareges lisas, e com lista ^
da rn".sna cor, fazenda inteiranen- '
te nova, covado a 560 e 610 rs.
Bonitas lasinhas tapadas e trans-
parentes com grande diversidade, o
covado a 600 rs.
Lasinhas lustrosas com lindas c-
res emitaco de seda, o covado a
320.
Lindos cortes de anadine, sendo
ftzenda nova e transparente e de
muitj phantasia, com 18 covados a
iUOOO.
Fiiissimos cortes de vestidos bran-
C03 bordados com todos os eneites
francezes a 12^000.
les de ganga indianos, fazenda
rameute nova a 70000'
Ditos chiezes com duas saias a
7#)J0.
0
Ditos de 15a escosse.za fazenda mni-
to n-mita com fios de seda a70;;0
Fl^8imos organdys com iista de
cor e salpico, sendo fazenda de
mnita phantasia, ojmetro 10280.
Organdy branco com listras lar-
gase quadrinhos, a vara a 10000.
Todas estas fazendas, sao inteira-
mente novas e se vendem muito em
conta, ra da Imperatriz n. 60,
oja e armazem de Silva e Figuei-
de 120000 rs. cada um, peehincha.
CASEMIRAS- ESCOSSEZAS.
O Pavo tem bonias casemiras escosse-
zas com quadros grados e midos e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito una que se vende mais barato, por
haver grande porcao.
CORTES DE CASEMIRA PRETA A 4:500,
O Pavo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas eojeitadas pelo barato prego
de 40500 rs. o cort,-
CASEMIRAS RASPADAS A 800 KS. O CO-
VADO.
O Pavo vond excellente fazenda de pura
la com as cores escobas muito prgprias
para calcas, palitots, colletes e roupa para
meninos que frequ.ntam a escolla por ser
nma fazenda leve, escura e de nriita dura-
fio, peehincha a 80') rs. o covado ou a
20800 o corte de caiga para homem.
FINAS BARGES A 610 RS. O .OVADO.
O Pavio tem as mais lindas bareges de
la sendo meias transparentes, com nma
s cor, tendo : lyrio, azu!, rosa Bismarck,
roxo,etc, tendo muito boa'largura e liqui-
da-se por 640 rs. o covado, pur se ter hi-
to urna grande compra, assim como ditas
mais estreitas de urna s cor com listras
imilaeo de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PECAS DE MADAPOLAO A 30500.
O Pavo vende, pessas de muito bom
raadapolo, tendo 12 jardas cada urna, pelo
barato prego de 30500.
PSCHINCHA EM ALGODAO A 000 RS.
O Pavo est vendendo pecas de algodo-
sinho francez, tendo 4 palmos de largura e
com 11 metros cada pega, pelo barato pre-
de 40000 rs.
CERA DE CARNAUBA.
Vende-se superior cera de carinaba oro
saccas, mais barato do que em outra qual
quer parte, na ra da imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
OS SETINS DO PAVO
Vende-se es mais bonitos setini de cores
e mais encornados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
O Pavo tem um grande sortimento dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, almofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qualquer parte.
Alg o eafeataylo.
Vende-se ama grande porfi de algodo
sinho americano com 8 palmos de largura,
proprio para lenges e toalhas, tendo liso e
trancado, que se vende por preco muito em ZZV Z EWUW!> ZF*" c qua,i"
daaes, daado-se todas amostras, assim como
GROSDRNAPLES PRETOS DE 1|600 AT 7*000
Na loja du Pavo encontra o respeitavel
publico um grande sortimento de grosde-
naples pretos de todas as larguras e qua-
lidades, tendo da 10300 o covado at 70000
e 8300), que se vende por preco muito
em conta.
CASSAS FRANGFZAS.
Chegaram para a loja do Pavas as mais
lindas cassas f.ancezas com delicados pa-
drees, tendo para todos os precos e
conta.
LAAS ESCOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
LAAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegon para a loja do Pavo, o mais
elegante sortimento das mais lindas laazi-
nhas escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mais delicado e'ffeito, para vestidos
de duas saias, vendem-se pelo baratissi-
mo preco de 560 rs. o covado.
SEDAS DE LfSTA
SEDAS D? LISTA
SEDAS DE LISTA
a 20000 o covado.
Chegou para a I .ja do Pavo nm grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas cot as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algamas que servem para lato, e
vendem-se pelo barato preco de 20000 o
covado, peehincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra o respeitavel publico neste es-
tabelecimento nm grande sortimento de fa-
zendas pretas, como sejam cassas france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de lia de toda qne
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom
basinas, merinos, etc. que tndo se vende
por preco barato.
PARA BAPT1SAD0S
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Gii-tes de casemira a 40000, cada nm.
Vende-se bonitos, cortes de casemiras
claras e escuras pelo barato preco de 40,
ou a 20400 o covado, tendo duas larguras,
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
de 80, 100,120 e 160000.
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres, qae se ven
dem muito em conta, e tambera se do
amstras.
CHITAS A 240 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cores'fixas
240 rs. o covado, e peehincha.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
LASINHAS A 320.
Na loja do Pa'o vendem-se elegante sor-
timento das mais lindas lasinhas lastrosas,
com listrinhas. a imitaco de poupelinas de
seda e com as cores mais lind is qae tem
vindo aq mercado, sendo fazenda que vale
mito imis dinbeiro, e liqaidam-se a 320
rs. o covado, peehincha,
FECHIACHA
ROUPAS PARA HOMENS PARA TODOS ALPACAS
OS PRECOS.
I^est grande estabelicimento encontrar
o respeitavel pblico am grande sortimento
dt
LAVRADAS A 640, 800 I
1,000 RES.
Chegon para este grande estabelicimen
o mais bonito sortimento das mais moder-
e rpupas, sendo palitos e sobrecasacos de Das alpacas lavradas de todas as cores, panne pretd e cazemira, calcas e eoletes de se vendem a 10, 800 e 640 reis o covado.
brim branco e de cores, que tudo se vende assim como nm grande sortimento de tm
mais barato do que em outra qualquer parte;' cas lizas de todas as cores
assim como um grande sortimento de ca-
rnizas francezas e inglezas, e ceronlas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias croas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SATAS.
O Pavo vende urna grande porgo de
Basquinas.
Chegaro as mais modernas basquinas
oc jaquetinhas de seda preta, ric-ament
enfeitadas a vidrilbo, tranca e setim pretc
tendo de todos os modellos, os mais novo
cortes de vestidos indianos, tendo duas .0!*?. cbe^do e vendeB,-e Por P*o
saias e tendo bastante fazenda, cora os gos-
tos mais novos que tem vindo, e liqnida-se
a 50000, tendo cada um sen competente
fjgurino.
CASEMIRAS MESCLAOAS A 30 0 COVADO
O Pavo tem para vender bonitas case-
miras mescladas e bastante encorpada para
roepa de homens e meninos pelo bara'.o
preco de 30 )0 cada covado ou 50000 o
corte de- calca para homem.
Roupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se fazer qoalqner
muito razoaveis. i
POUPFLINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
a 20000 o covado.
0 Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas ve; dadei-
ras poupelinas de linho e seda cora os pa-
drees mais delicados que tem vindo ao mer-
cado, tendo entre ellas cores proprias para
alliviar luto, e vende-se palo barato preco
de 20000 cada covado, peehincha.
Cambraias brancas
Vende-se am grande sortimento das imv
lhores cambraias tanto victorias como trana-
EM CAMISAS DO PAVO A 40500 RS. Peca de obra a vontade do freguez, para o parentes tendo de 30500 peca at a man
Vende-se um bonito sortimento de maito
finas e modernas camisas inglezas com pe-
to e coliarinhos du linho e pannos, pelo
baratissimo preco de 40500 rs. cada urna
e aos freguezes que compraren) duzias se
Ihe far um abatimento, garantindo-se qae
fazenda que vale mnito mais dinheiro,
liquida-se por este preco por se ter feito
urna grande compra : assim como se vende
um bonito sortimento de ditas tambem com! mo8 de largurarproprio para lenoes'dan-
peuo de linho bordadas e ditas de algodo do a largura d'esta boa fazenda o compri-
que tem um perito alfaiate, responsabelisan-
do-se os donos do estabelicimento por qual-
quer falta que possa haver, quer por de-
mora, quer por qoalqner defeito na obra;
e para isto encontra o respeitavel publico
am grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
BRAMANTE A 1800.
Vende-se superior bramante com 10 pal-
para todos os precos.
PANNO PARA SAIAS A 10000, 10280 e
10600 RS.
Vende-te bonitas fazendas Jproprias para
saias s%ndo com bordados e pregas a nm
lado, dando a largura da fazeada o compri-
mento da saia e vende-se pelo barato preco
de 10000,10280 e 10600, cada metro sen-
Chegou para a loja do Pavo nm grands i do preciso apenas 3 oa 3 1/2 metros para
sortimento dos bonitos e ricos cortinados | cada saia peehincha.
bordados, proprios para camas e janellas,' Vestidos brancos a 134000 rs.
que se vendem de 80000 o par, at o mais' O Pavo vende finissimos cortes de ves-
rico qne vera ao mercado, e vende-se mais tidos de cambraia jranca, ricamente borda-
barato qae em outra qualquer parte. Idas e com raaita fazenda pelo barato preco'n. 60.
A loja do Pavo est constantemente aberta, das 6 horas da manhaa s 9 da noute
ment do lencol, -sendo preciso para cada
nm apenas 1 e 1/2 metros oo 1 e 1/4 pe-
chincha pelo preco.
ESPARTILHOS A ffjOOO.
Vende-se ara bonito sortimento dos me-
lhores e mais modernos espartilhos tendo
do barato preco de 50000 at 8000.
Cachenez.
Na loja do Pavo vende-se um grande
sortimento dos mais bonitos cachenez de
para la proprias para senhoras, vendem-se
60000 cada am, na rna da Imperatriz
fina qae vem ao mercado.
CAMBRAIAS BRANCAS A 4*000, A PECA.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vara de
largura, com 10 jardas ada peca, fazenda
qae sempre se vendeu a 70 e 80000, liqni-
da-se pelo barato preco de 40800.
FUSTES BRaNCOS A 640, 800 E 1*200.
Vende-se muito bonitos fustes branooa
mnito flexivel proprios para vestidos da
senhoras e roupa para meninos e vende-a*
a t40, 800 e 10200 rs. o covado.
Cassas a *4f rs.
O Pavo est vendendo bonitas cassaa da
cores fixas a 240, 280 e 300 rs. o colado
Brilbantes lasinhas.
S o Pavo, 640.
Chegaram as mais birlhmtes lasinhas coa
as mais lindas cores, com palminhas mindi-
nhas, assentdas as mais delicadas cores de
lyrio, cor de canna, cor de ganga e branco,
sendo estas novas lasinhas de mnito boa
qualidade, tendo largura de alpaca e vnde-
se 460 rs. o covado. roa da Inpertm
n 60 loja do Pavio.
A
V,


Diario de Pernambuco Sabbado 16 de Julho.de 1870.
__f^"w<: < tiendes atinarles, commerciaaie dula praca acaba de concluir
www sM8 nges commercaes e de noto abre ossous estabeleeimaotos de a/eadas
* a denotan acoes de Garibaldi e Acara, e ten do resol-

j*> liqtiida
Mtte'reip"
P"wWis terobmr
'Midas na l<>a
,r*e#w armaeao
flMwlO. f '
grande abatiaiento deprecas, por tsso coo-
is amtjo.< e frefiuezVs, tanto da pi'aca como do mallo,
de fm\'o o seu Mtabelewmanto, e que lodas as fazeudaa esSo
o armazem da Arara na roa da lmperatri n. 72. equereaolven-se
di luja Garibaldi, para ficar smente con, a d Arara, como cima
AttJma5(\ CHALES BRANCOS DE CASSA A J0OG
Ve|.sechilas francesas a 240, 280, 320 COBEBTAS CIIINEZASDET CHITA A 2,5000.
* ~.C(TBdo na ^ja *> 'Ar"'a- Wode-ie uma gr-ode porc5o de cober-
ORGANDY8 PE LISTA DE CORES. I las do chitas comezas para cama peto barato
VBde-8e organdys para vestidos de-se- pres&o de 25000 cada urna.
toras, fozenda rauito modernas a 440 rs. Vende-e na l'oja do Ararat balcoes para
k^Hk' qualquer estaeiecimeno por barato presso
BNIkantnn Aiimnssnmdccdr por nao se precisar ('elles no estabeleci-
Vendese lirilhantina ou mnssufina de ment.
cr par vestidos a 4 40 o covade. RETALHOS DE CHITAS PRETAS E CASSAS
RUCADOS FHACEZES A .100. A 120 0 COVADO.
Vendse rifados francezes para vestidos' Veode-se urna grande poicSo de reta-
a J60 rs. o covado. Ihos de cbitas e cassas pretas a 120 rs. o
C jifas largas 30. covado para liquida
' Qoaado a A GUIA BRRNCA.'mai presajsiseotfficar ao respeitavel publico em
gwa.1, e eta-parootar a sua boa frtfgnezia, da rmmensidade de 'objectos -me ltimamen-
te tem recebtdo, justamentafqvnndo ella-menos o pode fowr e porque essa falta invo-
lontaria ella cotfia e espera na benevolencia de todos que Ih'a attenderio e rotevarSo
coatiooando portante a dh-igirem-se a bem conbeeida leja da AGlA BRANCA rea do
Qaeimado n. 8, onde sempre achirto abondancia em sortimeto de soperioridade em
qoalidades, modioidade em precos e o seu nunca desmentido AGRADO E SINCERJDADE .
Do que cima 'fie* dito se eouhece qae o tempo de que a AGUIA BRANCA pode
dlspor, erapregado apezar deseos cusios no desempean de bem servir a aquellos qae a
honram procuran^ prorer-se em dita loja do que Decessitam, ntretaro sem ennume-
raros objectos que-por sua natureza sao mais cour-ecidos ali, ella resumidamente indi-
car aquelles cuja' importancia, elegancia e iovidatte os tornara recommendaveis, coma
bem soja :
MAMA
IKI
Vende-se cbitas escoras finas das largas
ptra vestidos de senhoras. a 320 o covado.
Ditas matimdas esifiras a 280 o covado,
ALPACAS LISAS A 500,
Vende-se alpacas lisas para vestidos de
senhoras a oOOe 040 rs. o covado.
LiAZINHAS TI'.A^SPARENTES A 360 RS.
Vende-se lasinhas transparentes, para
vestidos a 500 rs.. ditas lapadas a 400 rs.
covado. para liquidar.
. ALPACAS DE LISTAS A 500 RS.
Vende-se alpscas de listas para vestidos
a 600 rs o cavado.
BRJLIIANTWA RRANCA A 500 RS.
Vende-se brillantina branca pira vestidos
a 500 rs, o cavado.
ALPACAS MaTISADAS A G40.
Vende-se alpacas matisadas para vestidos
de 6enbora a 840 rs. o covado.
CORTINADOS PARA JANELLAS A 6(5000.
Vende-se cortinados parajanellas a 65000
o par para liquidar.
SEDAS DE CORES Al 5000.
Vende-se sedas para vestidos a 1$000 o
covado.
das a
CORTINADOS PARA CAMA iftfOOO.
Veode-se cortioados jiara ^ua a 44#000.
GOLLINHAS PAKA SENHORA 100.
Vende-se urna grande porc* de gollinhas
para senhoras e meninas, a 100 e 200 r.
cada utia para liquidar.
CHITAS PARA COBERTAS 320.
Vende-sc cbitas largas para coberta a
320 e 360 rs, t> covado.
MANGUITOS E GOLLAS 500.
Vende-se manguitos e golliafeas para se-
nhora a 500 rs, ditas d.- linho a 640 e 800
rs: cada urna.
CHALES ESTAMPADOS 2*5000.
Vende se chales do merino estampados a
24000 paia iiqnidi r.
CAMBRAIAS ViCTORAS A 0,5000.
Vende-se cambraias Victorias finas a
!(5000 6.5500 e 7-300.). por ser liquidacSo.
ALPACAS COM PALMAS DE SEDA A 4*5000.
Vende-se alpacas coni palmas de seda para
vestidos de senhora a 1000 o covado.
iSRIESDE CHITAS DE CORES A 2400.
Vende-se cortes de cbitas de cores som i
lOcovadosa 24500.
1 COBERTORES DE ALGODO A U400'
Vende-se cobertores de algodSo cada um
liOO.
RRAMANTE DE LINHO FINO A BARATO
PRESSO.
.tlgouao craupado de duas lar-
guras 1*00
Vende-se algodo transado de duas lar-
guras a 1^200.
MADAPOLAQ INFESTADO A 3^300.
Vndese pegas de madapolao de 12 iar-
s a 35500 a pea. '
ALGODAO A -i^JOO.
Vende-se pec-s de algodao encorpadea
4l, 55, 65 e 75000 a pega.
Madaolo a a000.
Vende-so pegas de madapolao de 24 jar-
das a 55 65 e 65300, dito rauito fino a 7$,
85 05 e 105 a prca para liquid-r.
ALGODAO DE 8 PALMOS DE LARGO.
Vende-se algodo com oito palmos largura proprio para lenges e toalbas a 900
rs, o metro.
ALGODO DE LISTA A 160 RS. O COVADO.
Vndese,algodo de listaproprios papa
saias-ou vestidos para cscravas.eu calcas e
carnizas para escravos por ser rauito forte a
160 rs. o covado para liquidar.
Corles de castor para calca a
oOO rs.
Vndese coi tes de castor para calca a
500 rs cada om.
CORTES DE BR1M PARA CALCA 15400.
Vende-se corles de brim de cor para
caiga a 15400 cada um.
Brioi pardo liso a &6ft rs.
Vende-se brim pardo liso, meio linho para
caigas para trabaldo a 500 rs, o metro.
angas para calca a 9941 rs.
Vende-se gangas inglesas para caigas e
patitots a'880 rs. o covado para liquidar.
CORTES DECASEMIRA DE CORA 35500.
Vende-se cortes de casemira de cor para
caiga a 35500 cada um.
Ditos mui o finos rom listas do lado a 95.
PERCALAS FINAS A 440.
Veode-se percalas finas, para vestidos de
senhoras a 440 rs. o covedo.
Cassas fraocezas a *40.
Veode-se cansas francezas para vestidos
a 240 rs. o covado.
Gorpinlios de cambraia, 'primorosamente
enfeitados coto fitas de strm e obras essas
cuja novidade de molde e'perfigo de ador-
nos es tornara apreciados.
Fitas mni largas de diversas crese qoa-
lidades para cinto*.
Leques uesse objecto moito se poderia
dizer querendo descreve-losrainuciosamerne
por suas qoalidades, creee desenhos, tal
o grande e variado sortimeto que acaba
de chegar, mas para n5o massar o pretn-
deme se Ibe apresentar o que poder de
melbor. 0
Entremeios em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto de diversas qua-
lidades e desenhos.
Ditos de algodao com flores e lisos.
Capellas brancas para meninas.
Grandes sortimeto de llores finas.
Fil de seda, preto.
perfumara
Grande e constante sortimeto de dita,
sempre melhor- quajidade. .
Lindos rasos cora p de arroz e pinsel,
Caixichas'com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes dourados
para circular o coqne. ^
Bonitos brincos de, plaquee.
Aderegos e bfincos de madreperolr.
Ganivetes finos para abrir latas,
^hesooras para frisar babadinlios.
Aspas para baiao.
Novos stereoscepos com 48. vistas, as
quacs s3o movidas por ria.
Veos de seda para chapelinas e monta-' umaJ substitnem as nutras.
Meias de seda para noivas.
Ditas abortas de fio de Eseossia.
Costumes ou uniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Viscas para stereoscopos.
Bonitas caixinhas do vidro enfcitados com
pedras. v
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
GALLO VIGILANTE
ltata do Crespn.
Os piopnourios dc:-to iem coahecido esubel-
imnie, al ctos qae tinhara ex-
|)ostos a apreciado do respcitavel publico, man-
darara vir e acaham 4e recebar pelo oJtin*> vapor
da'Earopa um.compteto e vanado sortiment* de
finas e mui cunadas especialidades, as quaes <-
lio resollidos a vonder. .eorno de seu costme
l>or preros -rauito bannMs e comraodos para to-'
dos, com unto que o Gallo....
Mnito superiores luva de pellica, pretas, bran-
cas de mni lindas corea.
Mui boas e, bonitas gollinhas e punhos para se-
nhora, neste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes de tartaruga para caques
Lindos e rHjuissimos afeites para eabecasda'
Exmas. senhoras
Suparioms traacas pretas e de cores com vidri-
Ibos e sem bAIcs ; esta fazeuda o que pode haver
de melbor eniais bonito.
Superiores e bonitos leques de madreperola
marHin, sndalo n osso, sendo aquelles brancos
com lindos desenhos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Eseossia para se-
nhoras, as quaes sempre se venderam por 30000
a duna,- entretanto que nos as vendemos por 20|
aim destas, temos Umbem grande sortimeto de
outras qualidades, entre as quaes algumas imuito
tinas.
Boas bonp.ilas de superior canna da India e
castao de m.irlim com lindas e encaniadoras llgn-
ras do mesmo, noste genero o que de melhor s i
pode desojar ; altn destas temos tambem grandi
Touquinhas de fil sapatinbos bordados enancas,
e meis para ditos. Diversos,obiectos de porcelana, proprios
Carar?mhas bordadas para ditos. I para enfeites de mesa e de lapinhas.
TU
NOS GRANDES
A*TOIA25EWS DE SKCCOS E
Ti
n
o
N. 23Largo do Ter^cN. 23.
DE
santos a- c.
mu,
m u ni 1.1.
gal
las, gallinheiros etc.
'
rame de ferro galvauisado em rede para cercas.
Chapas de ferro galvanisado para cubrir casas.
Tachos de ferro estanhado para eogenhos.
Cofres de ferro de Mi|ner e oulros autores.
Chumbo em cano.
Dito em lencol.
ito em barras. -
Dito em enxadas.
Estanho em barra e verguinha.
Folha de FlandrrS.
Arados americanos para ladeira e varzea.
Carriohos de mao.
Venezianas para janellr.s.
Machinas de descarucar algodao de facao.
Ditas de serra.
Ditas para cortar fumo. .
Ditas a vapor de fcrca de 3 cavallos e motores para 2eavalkv-, para mover as
machinas de algodao.
Cadeiras de ferro.
Camas de ferro.
Prensas para copiar caris?.
Bataneas para pisar.
Oleo de linhaca em latas de ferro.
Trilhos de ferro para engenhos
Bombas americanas.
Macacos de litar. ^ "
BaJaucas e pesos decimaes e oulras. ,
Fo"Ses de patente.
Eoxofre.
Salitre.
Estopa larga e de boa qualade.
Picaretas para carainhos de ferro.
Um grande sortimeto de ferragens e entilara.


S Cortes de sedas decambraia bordados
0 ^SBe raa da ImPer2triz n. 64 acaba de recet*r lindos e modernos cortes de.]
vestidos de eda, pretos e d cores, lisos e masados; assim como cortes de cambraia '*; r
brancos todos ricamente brdalos, os quaes vende por commodos procos.
Laa para bordar a 5^500!
de laa, qual vede a 5*o00

... Acaba de recebar om grande e variado soraemo
a libra, cores sortidas.
Reoeben tambem um Hndo sorthneoto de trancas, franjas e galoes de sed, e um
tknento de tkas de sarja, setim e chamalote de todas as corea e largara, e **
Fitas e galoes de seda
um san numero.de anigos proprie de dito estabelecimnto.
&*!&
|.lS3*i5
LVJ.:
: *
PARA SENHORAS. Ricas poupena? de padroeS liridiv>imos, e gosto j&avo.
Cambr.ias brancas bordadas para vestidos. p0il d'chevre de lindos .padrSes por
mtHo preco fle 5d0 rs. o covado.
Grande sortimeto de i5as e alpacas de 320 rs. a-10500 o covado.
8aias bordarlas, dKas lisas j fettas com- barra de c6r.
PARA MENINAS. R|ces vestidiabos de fdstao enfeitads' brancos e de cor.
Vestuar os de fustSo para meninos.
PARA HOMENS. Camisas inglezas e francezas, de linho bordadas e de pregas
onea!l*rmho e sem elle, ditas bordadas para hoivas. "Chapeos deso de cabo de
Mafliu e de otoa tc etc., lows de Jouvin para senhoras. -
Crande sortiment de cortinados para camas e janellas. Croxs para soi e ca-
de braco-e guarnfeao. Tapetes para sof e cama, para pianos e portas.
Colxag de croch para can de noivas. Tapetes *em pessa para torro de salas
O nnico e especial sortimentos das verdadejras ESTEIRAS DA lNOU'i existe w
Loja do Triumpho.
Eua Buque e Qaxlas n. 7.
10 Pat-o da Pnha 10
DE
SANTOS & FERR IR .
Os proprietarios destes bem sortidos armazens participam aos seas innmeros
freguezes tanto desta praca como do matto qne tendo eito grande diminuido de pre-
ces as suas mercadorias esto por isso resolvidos a vender por menos de 10 e 20 i0,
do que ou, outra qnalquer parte, garantindo-se portanto a s perior-quaiidade de qual-
quer genero comprado testes dous estabelecimentos. Mencionamos algnns dos nossos
gneros e a vista destes sao comprebendidos os outros, porque enfadonho seria men:
cina-los.
Se alguem duvidar venha ver.
Gaz amenc no marca Deves a 8|$800 a
Vinagre branco mandado vir por corita
propna vindo de Lisboa, a 3a>a garrafa e
480 o litro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o litro.
Vinho Figueira, Lishoa, Porto e Estreito
lata, 380 rs. a garrafa e 560 o litro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e ItJOOOa
garrafa em porco faz-se grande abatimen-
to.
Caf em carolo a 220, 240 e fi^O, a li-
a 560, 900 480 e 400 a garrafa litro a-840: 5^lLkilo^a,MB, 480, M0 e 600' e
7.J000, 7i$5G0-e-8i980O irroba.
Milbo alpista 200 rs. a libra e 440 o ki-
logramma e 50800 a arroba, em porco ha
aba ti ment.
Queijos frescos do ultimo vapor a 3)3200
e 3400 cada um.
Aletria, macarrlo, talharim a 500 rs. a
libra e 1>100 o kogrammo em caixao ha
abtimento.
Sabio massa de 1 e 2 qualidade a 220
o240 rs. a libra em caixa ha abatimento
Toucinbo de Lisboa muito alto a 400 rs.
a libra e 880 o kogrammo, em arroba ha
grande difforenca.
gneros, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas e figos, charutos finos de diversas.marcas, mansfiiada, bolacbinhas de todas as
qualidades, perola, Francy-aacynel, a, b, c, Mdium, mixed, se ja Fancs-nic-nac, pa-
lace de Varietes, combination, Britania, doce de goiaba Sna, chouricas, manteigas finas
franceza e ingleza, hanba de Baltimor phosphoros de Sycuryt, Cognac, cha de diver-
sas qualidades, Canella, pimenta do reino, ervadoe, pomada, emofre, breu, peixe
em latas de todas as qualidades, farinha de milho americana, grandes molhos de sebol-
las, nestes donsarmazens existe tambem grandfrsortimento de tooees proprias para ne
godo, que pelos seus commodos prego faz vantagem aos compradores.
760, 720 e 600.
Vinho branco puro de Lisboa a 640 560
a garrafa, em poreib ha abatimento.
Vinho do Porto, engarrafado das melbo-
res e mais acretadas marcas a 10000 e 15200
10500 e 20 a garrafa.
dem Bordeaux, Medoc e SL Julien a
70500 e 60500, a duzia e 640 rs. a garafa.
Genebra de Hollanda e laranja doce aro-
mtica a 60500, 70, t !08O, a frasqneira,
Seneja Bass, Illers, & Bell a 90800 du-
zia em porco ha grande abatimento.
dem marca H e T e outras marcas a
30500 e 60, a dazia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ha outros muitos
ZARAC
DE
ULYSSES & IRMflO
13 Eua da Emperatriz 13
Os proprietarios daste bem coahecido e a editado estabelecimento a vis 3o aos
seu i numerosos fregones tanto desta praca como de- fura, e especialmente ao ilustrado
corpo ACADMICO, que este e6tabelflcimenlo acba-se sempre bem prvido de todos es
artigo) de seo gneros abaixo mencionados e que vendemos por mdicos precos, tanto
avarejo como por atacado para negocio, para o que se podem derigir porcarta a nossa
easa que serSo saptisfactorra mente servidos.
f II IKI IOS
superiores de Ifavana, Hambmgo, Babia,
das acreditadas marcas Kegata Britnica
Imperiaes A: do do Rio da bem conhecid
marca Opera e outras muitas feitas aqui de-
safamados Beber ibe e outros qne se vendem
em porches.
Cigarros
le palha de S. Paulo, de 30500 a 70500,
o cailLieiro; verdadeiros do afamado Daniel
do Rio Novo,.JIuriiy, Imperiaes Visconde
de.Herval.Doqoe de Castas,Mandn ate;
de papel, da fama de Daniel, General
Osorio, Conde d'Eu, aromticos, e peito
res, Rocambole, Radicaeg, Acadmico^
Machara bomba, Montevideo. Orientaes, Bae-
pendy e muitas ontras qoalidades.
TOBOS
20, e em pofcio 10500 (Oto em Jala de
qoaria a 640, e a 500 ris; dito Daniel dq
BIE0AOES
P0NTE9BAS.de espuma finas para cha-
rutos e cigarros, complato sortimeto.
CACHIMBOS de superior espuma, de ma-
deira (raz; 4Je 30 at 3,500, ditos .grandes
a 13,000, a duzia, dMosfinos diversas quali-
dades a v.irejo; dito p'tie galuchas.dos que
ha do mercado,a 2,800 e 3,200 a duzia;
ditos de iousa, gesso, barro, ate, etc.
10L8ASpra guardar fumo,e borraeba'
e coaro de diversos mo de los e ostos.
!
GARTEIRAS .de todos os systemas para
cigarros.
PHOSPHOfiOS. daxra, dosjneibows./Oe
Afamados de BAXPENDYemcaixoes .d^ ba,emcaijtas,de0QO a 5,300 a duzia, em
p libras 10400 rs. a libra, em nacotes s9\urM-M)0..AJS00i duaa, m caas
de 2.500 2^00 a duzia e muitas oulras.
PAPEL da milbo, de.awoz..arnm, fin*
Rio Novo, d0par4.de S. Paulo, Caporal gan^nta.do, e.palbademilbcdie Fernando,
emuilas outras qualidades. Je papel de linho. ,
FABRICA DE CXSAKIUM.
Com proiaptido apromptamus qualquer encoajajeoda dos afamados cigarros de seda,
Baeptndy, linbo, e de outras qualidades da aessa em cinbeciia fabrica, e bem atiesta
suprioridade o nossos cigarros, numerosa freguezia de nosso esUbekcimento.
13Eua dalmperatriz13
auantidade do outras qualidades, como sejam, na-
eir, balia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Fino?, bonitos e airosos cbicotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Lindas e superiores ligas de seda e borracha
para segurar as meias. -
Boas aieias de seda para senhora e para meni-
nas de 1 a i 2 annos de i.lade.
Navalhas eabo de raarfin e tartaruga para fazer
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pejp fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem asseguram^s sua. qualidade e delicadeza.
J.inda e bellas.capellas para noiva.
Superiores guilas para machina e para croi.
Linha muito boa de peso, frouxa, para encher
labyriatho.
Eoas baraiaot de cartas para voltarete, assim
como os tentos para o mesmo fim.
Grande e variado sortimeto das melhores per-
fumaras e dos mottxfres e mais eonhecidos per-
amistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convulsSes, e
fa>'ililam a dentelo das innocentes criancas. So-
mos desde muito recebedores destes prodigiosos
collares, e centiouamos a reccbe-los por todos os
Vapores, aCm de que nunca faltem no mercado,
tomo j tem acontecido, assim pois podero aquel-
les que dells precisarcm, vir ae deposito do gallo
vigilante, aoado sempre encontrarao destes verda-
deros ooijares, e 93 quaes attendendo-se ao fim
para que jo applicados, se renderao com um mui
diminuto lucro.
Rogamos, pois, avista dosobjeetos que deixamos
declarados, aos nossos freguezes e amigos a virem
comprar por precos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra rio Crespo n. 7.
D cordeiro prevident*
Roa do fcnelmado n. 16.
Novo e variado sortimeto de perfumarii
finas, e outros objectos.
A!em do completo sortimeto de perli
awrias, de que effectivamente est provida
loja do Cordeiro Previdente, ella acaba d
reeeber um outro sortimeto que se tora
aotavei pela variedade do objectos, superior
iade, qualidades e commodidades de pr;
eos; assird, pois, o Cordeiro Previdente pe
9 espera continuar a merecer a apreciac
do respeitavftl publico em geral e de se
boa freguezia em particular, nao se afa,
tando elle de sua bem conhecidamansidi
9 barateza. Em dita loja encontrarao
tpreciadores do bom:
Agua divina da E. Coudray.
Dita verdadeira de Murray & Lamman.
Dita d-3 Cologne ingleza, americana, frai
ceza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgia) para conservaclo a
'63eio da bocea.
Cosmetiques de superior qualidade e chs
roa agradaveis.
Copos e latas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparent
a outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americano!
franceses em frascos simples e enfeitads.
Essencia imperial do fino eagradayel cita
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual
mente finas e agradaveis.
Oteo pbilocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qoajidadt
som escomidos cheiros, em frascos de difi*
rentes tamanbos.
Sabonetes em barras, maiores e menor*
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em figt
ras de meninos.
Ditos muito finos em caixinha para barb
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand
fructas.
Ditas de madeira invernisada coatendo I
aas perfumarias, muito proprias para prt
sectes.
Ditas de papelSo iguabnente bonitas, ix*
bem de perfumarias finas.
Bonitos vasos, de metal coloridos, e
moldes novos e elegantes, com p de'trro
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentes.
Pos de camphora e outras differenti
cualidades tambem para dentes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda oais coqnea.
Um outro sortimeto de coquee de nt
vos e bonitos moldes com filets de vidriloc
o alguns d'oUes ornados de 1 flores a fita:
stao todos expostos apreciaco de croas
m jeteada comprar.
GOLLINHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de muito gosto e perfeiclo.
Flvelfaae fitas para cintos.
Bello e vanado sortimeto de taes obj
tos ficando a boa escolba ao gosto do coa
orador.
Cabellos
Vendemse cabellos de todas as cores, qualquer
comprimtDto, qualidade superior, em caixa ou
porco ais pequea : na ra da Cadeia do Re-
fe n. SI, andar.
A r
A ruado DuquecJe (AJPTIGA BA DO OEIMADO)
Recebeu seguinie ;
E-pellius grandf s dnnrado, moldes boaitor.
Carteiras, cbaruteiras e porlcigrros de muitas
qualidades.
H.,nilas pastas para papis, simpltse matisadjs.
Roas ciixas Vl^ia* par .1 Cisinra coiu tua cempf-
tente chave
De!icad;;s caetas de marfltn com o bocal de
prata.
Modernos pentos de trtaros, sobresahindo en-
tre ellcs iis diomnws lelerapliisias.
C'unmodi teucad.ii>> cau duas gavetas e bom
espelho.
Port banquet, o que do meihor tem appare-
Mo.
Purl rclogios de militas >|nalidade8.
Bous talliercs para cri.ini-as. *
Vofloarios, chapunnlio., touca?, sapatos e meias
para baptisados.
Tnalbase fumbas de Idhyrinilio.
Chapos e chapelinas para Mabora, moldes novos
e b'-nitc s.
Cbapeozinhos gorros e bunels para meninos e
meninas.
Cintra as coavulsots nas
De rjia para da, mais doce.
Desataba
De laranja.
De anana.
Em eajxMis e latas.
Fino e-baixo.
Caixes grandM pequeos.
Preprio para embarque. ,
Vndese coaataalemente roa Direita a. 91,
taberna di Borg
nte e mandioea
Na.trapfche Bario do Livrament, no largo da
asMmblta, ha depoitada superior farinha de man-
dioca para vender-se : trata-se-no mesmo trapiche
u ao Wf do Corpo Santo n. 6, V andar.
(*rr;n(;as
Vende-se os verdai'eiMS callares na Nova Espe-
ranea, ra d<> Dui|ue de C*xias n. 21.
l'AUA TIMilU CABhXLOS
para prem un eaManli #, receben a Nova Espe-
raD^a a verdadeira uru.i inglexa.
PARA ACABAR I.OM AS SARDAS
ou pannos, tem a Nov Bspvraofa o verdadeiro
Jeile do mmw ttrattea-.
AGUA DE FLOB DK LARANJA.
Vende-se na Nova Esperanc.i, ra do Duque de
Caxias n. 21.
PAPEL PARA EiPEITAB,SE BOLOS
rerebeu-os muito liadas a Nova Ksperap^a, ra
do Duque de Casias n. 31.
PABA AMACIAB E AFOP.MOSEAR A PELLE
tem a Nova Espeanca bs sabonetes de pos de
arroz.______________________
Rival sem segundo
RA DO DUQUE DE CAXIAS iV0
Estou disposto a continuar a vender todas
as miudL'?as pelos baralissimos precos abai-
xo declarados, garaoliudo ludo bom e pre-
cos admirados.
Caixas com 20 caderno? papel pau-
tado a........ 700
Caixas com 50,nuvellos de lioha
. do gaz a........ 400
Duzr'as de meias croas supcrioi
qualidade a.......3|5l00
Pecas de bjbadinhos com 10 va-
ras a......... 500
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada p ca a 1,5500 e. 200t>
Pecas de fitas para cs d qual-
quer largura com 10 varas a. 500
Escovas para onhasfazenda fina a 500
Ditas para dentes a 240, 320,
400 rs. e....... 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a....... 40
Caixinhas de madeira com aUine-
tes fazenda superior a. 400
Duzia de linha frxa para borda-
dos a 4(0 rs. e..... 500
Pares do meias crua- para mi
nos diversos tamaitos a. 320
Duzias de meias brancas muito
tinas para senhora a. 4500
Pares de sapatos de iranga do
Porto ........ 2^000
Pares r'e sapatos de tapete a. 1(5500
Livros de missa abreviados. 1,5800
Duzias de baralhos para vultarete 3(9000
Sylabarios partogONMfi a. 400
Cartoes com colxetes t ca i-eras a 2o
ADotoaduras para colltte diversas
qualidades...... 400
Caixas com penna do afo muito
boa de 320 a. '..... 506
Duzia de linha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 200 e, ... 1*200
Caixas com superiores obreiss a. 40
Duzia e agnha para macnina a. 24000
Libras de pregos francezes todos
os tamaitos a...... 240
Pacole de papel cora 20 qaader-
nos........... 400
Caixas de phosphoros seguranca
muito superiores a 400
Ref ma de papel pautado superior 4(5000
Resma de papel liso muito supe-
rior a........- 3#<50O
Garrafa com agua Florida verda-
deira a.......... 1^600
Quademo de pape' liso amizade 20
Carretis de Jinha de cores com
100 jardas a ........ 20
Li HILE DI HIIS.
20Ra da Imperatriz20
Farl & Lessa.
Acaba de ebegar a esta non nota loja de {a-
zendas finas um variada sorlimejilo de fazendas de
laa e seda, como sejam : granadinas do ultimo
gosto, pepejnas de urna s cur, alpacas e laazi-
nbas de cores, o qne ha de mais moderno, tudo
por baralissimos precos, brilhantina* de cores, te-
cidos das indias, fazenda nova a-imilarao de per-
calia, balees de lina fingirdo sa^a de cor com lin-
das barras, fustoes proprius para vestido e roupas
de meninos; agora grandes e admirareis pechin-
chas, saias brancas com lindos frisados a 34, ri-
cos corpinhos bardados muito finos a Sf, baloea
modernos de sreos a tt, ricas colchas para cama
alcochoadas. sendo brancas e de cores, a 5, 64 e
11, cambraia victoria lina a 64. ditas transparen-
tes a 5, 64 e 7J,ebitas tinissimas escuras e claras
a 180, 300, 320 e 360 o covado, cassas de cores a
240, lencos brancos do casfa a 24300", ditos ebi
neies a 34S00 a duzia, madapoln fno a 64 e
64500, e mnit supenor a 74, 74600 e 84, algo-
daozinlio largo proprio para lenges a 64, paino
de al.odo branco trancada proprio para toalhas
de mesa a 14600a vara, nramante para leagaes a
24000 o 345OO, o que ha de melhor, esguiao fi-
nissimo a 24200 e 24500 a vara. Mandamos as
casas das Exmas. familias para melbor poderem
eicolber. Tambem temos cmplelo sojtimenio de
perfumarias des primeiros fabricantes francezes e
inglezes ; as pessoas que se digoarem vir *a esta
loja terao occasiao de reconbeeer realidade do
que annunciamos para nos jostiflear.__________
Ferro gaivanisado
Vende-se em casa de Adison, Howie k C, na
rna do Commercio b. 40, folhas de ferro fatoaai-
sado de 6, 7 e 8 ps de comprimento.
40^ 504
Ricos coeiros de casemira bordados a crox a
matiz toa do Graspo n. 35, loja da esqu;a.
FarinRa de mandioca de Santa
Catharina.
Da superior, inda pelo patacho ingles Mai y
vB/ec*. j ha parte ensacada para commodidade dos
coatradores, e veode-se nos rmateos de T sat
Irmos 4 C, no caes do Apollo, e ra do Am rn
numero 57. ______,______
A 2J000
Finos cortes de chita a 24000
po n. 25, luja da esqniaa.
na ra do Gres-
W1ACANS
Chegado peto ultimo vapor: no arm
Hundo em frente ra do Vi ri n. 1 Vende-se
mais barato qne em outra qualquer parte.


Diario de Pernamfei
Sabbado 16 de Jubo* de 1870
ASSEDLE4 GEM*
CMARA DOS DEPUTADOS. "
(Colinudfo)
Quanlo a rara individualmente j disse
que julgava conveniente a adopgo do pro-
jecto que se discute,, porque m> proeja
qne, alm do enmo que. se fferecerw do
solverem---e a- il*vois.is qnesioes penantes
com a companhia da estrada do tetro fie
Pernambuco. serian atendidos 03 printijiios
da eqnidado.
rara de dnvida para raim qne a q:ies-
ln verterte rio (le difcilo striQlo, correa-
pondendo por parte do governo o -dev- r do
ttend-la ; mas parcceu-me sempre tam-
ben) fura de dnvida que era nma questao
de equidade. (Apelados).
Primeiramente, t'Orque foi em virtude do
aviso de 24 de julho de 1862 expedido pelo
Sr. consHlhein> Cansanso de Sinimb, en
lo ministro da agricultura, que a comaa-
iihia animada pe as palavras empregidas
nesse aviso, contive&ein ou nao urna pro-
raessa, pode levantar capitaes, e concluir
as obras a que eslava obrigada.
O Su. Souza Res :Quod probandum
erit.
O Sn. Ministro da AouiCultuiu :B' sa-
bido que a sttnacad da mpanhia na |
de Londres era desesperada nessa puea ;
fossem quaes fossem as causas desse esta
do. cerlo que a respectiva direcioria se
achava, na phrase do nosso ministro, o Sr.
bario do Penedo. em tal estado de descr-
dito que nao tinha levantada, nem poda le-
vantar fundos...
O Sr. Andiudk Figueir* :Por causa
dos esbanjamenlus.
O Su.'Ministro da Agricultura:...
porque no havia qnem Ibe confusse capi-
taes. .
Mas apenas alli foi conhecido o aviso do
Sr. Ganando de Sinimb, importasse elle
ou nao ura compromisso do governo sobre
a extensa da Rarant a do capital da estrada
de ferro, ceno qn- a situaro muiou ; as
acgcs da companhia ti vera m cotagao do
mercado, e a directora achou meios, como
j disse. para conclu r, como eflectivamente
concluio, as snas obras, de maueira que no
fim do anno a linba em toda a sua exten-
sao era aberla ao traego.
E' ainda de equidade a questao. Sr. pre-
sidente, porque, embora parte do capital
excedente ao garantido pelo governo impe-
rial, na importancia d lib. 1150,000, fosse
despendido de modo abusivo ; emnora dis-
perdicios o mal vei sages se tives;em plati-
cado por parte dos empresarios ou encarre-
gados das obras da estrada, moegavel
que urna boa parle dessa quantia foi effec-
tivaraenle mpregada na cunstruego della.
Eliminados os esbanjamentos resta o ca-
pital de qnairoce.itas e .lenta cinc- mil
seiscentas e lanas libras que. segundo o
juico oqscienciosodo engenheiro Vinalo de
Medeiros, podo ser considerado como tendo
applcago a despezas uteis.
Disseram os nobres deputados que im-
pugnara J resolugo que deixaram de .-er
eliminad':* desposas injustificaveis: apunla-
ram, entre oulras, a de 99:000)5 feila com
medidas sanitarias.
Sr. presidente, nao como talvez parega
sem justificar j o dispendio dessa quantia ;
Insta siber-se qne c<>mprehende Services
dos annos de 18."i:i a 186, incluindo medi-
co, botica, dietas, reexporlacj de opera-
rios invlidos, etc., e assira explicada esta
verba, Dio so pode di/.er com fundamento
que seja justincavel, que seja nm escndalo,
urna immoralidade. (Apoiados).
O Sr. Andrai>e Figueira :Como capi-
tal empregad.) eraconstrueco, de certoque
o pode serdespeza rauito til para outro
lim. mas nao para < estrada de Jerro.
O Sr. Ministro da Agricultura :A-
pontaram tambem ns pobres deputados com
desposa ustiiicavet i de 54:000/5 sob a ru-
bricaCostas judioiaes.
Tambem nao tem razio os que quali-
cm assim esta verba Attenda-se a qut a
rompanbia da estrada de ferro de Pernara-
nuco enconlrou grandes diflicnldades as
desapropriages osce&sarias ao estabeleci-
mento da linba. Honve al necessidade de
organisar-se urna commtssSO de cidadaos
dislinctos da provincia p-ra, com a sua in-
fluenci*e prestigio, conseguirem resltalo.
O trago da cateada, depois de ostudado em
nao pequea parte, foi mudado, o qne de-
terminou augmento as desapropriacoos.
Esta quantia, assim explicada, nao impor-
ta um esbanjaroento.
< na villa d
N^o lem a
nobr
encontrar urna s
para esta I
nem dos emp
officirias indi.-
nobres deputados
ilcacJo a ver-
icgo de edi-
ssa parte os
companhia nao pode
naquella localidade
ios operarios,
ires, nem das
-
i Cansan-
l de julho
FOLHETIffl
VIVA DKPtTs DI MITi
POR
Xavier de Montpin.
PARTK PKSHKiai.%.
O M4RQUEZ DE SJW-MAHEST
(ContiDiiago do n. 157;.
XIX
i ni famoso <*omediante.
O conde Annibal Armando de Rabn, te-
nente-geoeral dos exercitos do re, era
homem de quareuta annos, de mediana es-
tatura, de pbysionomia nobre e sympatbica,
de olbar .franco e aberto, respirando emfim
destinco e bom tom as maneiras, mas
de nm aspecto bastante doentio.
No tempo em que o apresentmos ao
leitor, conservava aioda sobrados attracti-
vos para agradar s damas, se o amor pro-
fundo e verdadeiro que senta por sua es-
posa, a condessa, Ihe bouvesse permiltido o
entregar-se galanteios ; mas a pallidez
das tifies, o circolo azulado qne Ibe rodeava
os olbos e a magreza extrema das ralos,
mais al vas que-o marflm, 'faziam receiar
urna velbice muito serodia e,"morte prema-
tora.
Costomado a viver qaasi sempre na cor-
te, conservava no seo castello, no isolameo-
to' da provincia, o mesmo fausto, os mes-
morfatoa e al a mesma etiqueta que em
Paris. a sua casa, ou para melhor dizer,
Nno seu palacio, havia a .mais extraordinaria
ostentag3o ; aa libres, os trena, os criados,
tudo ali era como os principes usam. Por
ootro lado, a sua generosidade e as soas
boas obras, proporcionada8 grande opu-
lencw que tioha, captavam-lbe a amizade
dos servos e de todos os habitantes dos
seoj vastos dominios.
otilaras
iniir Riiiu i a; wm enorme dis-
pendio ni itariaes.
E-tas constni i foram tio mal aca-
iada?, qne presentemente nada exista,
om'o disseraro-os nobres deputados.
O Su. Cob;a be Oi.ivkira :Pelo con-
trario, l estSo preslandc-se aos respectivos
(ins.
O Sr. Ministro da Agricultura :As
oflBciqas sao bem apparelhadas. e muito ser-
vpm estrada de ferro ; os edificios s3o
utilisados para os fins primitivos.
Ve a cmara, que n5o teem razo aquel-
les qoe ncltietn esta desppzt no nrimero
dos esb inpmentos, das malversag.5es, ele
Ainda do opidade. Sr. presidente.!
conceso da garaatia de juros pedida pela
companhia, porque ella foi obrigada a fazer
obras extraordinarias, avalndas em mais de
3OOK3O04E, nguraodn entre ellas a muito im-
portante do aterro da Cabanga ; ao passo
.pie linn com militas dificuldades e acon-
lecini ntos imprevistos, como innondagoes,
desraoronamentos. epidemias (n5o menos de
duas se deram naquella provincia), durante
05 IrballiOS da estrada.
E' ainda de equidade porque, como tive
orcasio de dizer. o capital garantido es-
trada de ferro de Pernambuco fixado pre-
sentemente na somma de lib. 1,200,000,
ter.i rio descer ao limite de lib. 800,000,
desde que for concluida a amoriisago do
^mprest'mo de lib. 400,000, contrahido em
iSliO, sendo assim aquella das nosss p'
iradas que tiesta parte se acha menos favo-
recida, quando por oetro lado ao as suas
tarifas as mais commod-s.
O Sr. Andradi: Figueira :Como leva
V. Exc. a tarifa da estrada de ferro de Pe-
dro H,.e nao faz o mesmo de Pernam-
buco ?
O Sn. Ministro da Agricultura : Hei
de faze-lo opportunamente.
Accresce nesta ordem de consideragoes
(pie, ao passo que a estrada, de ferro da
Baha nem ao menos salda com a Sua renda
a despeza annual, a de Pernambuco vae em
progressivo augnemo, e loca a situago li-
songeira que a cmara a 'aliar* pela u lima
informagao recebida do engenheiro fiscal.
(t.)
Uojh, que melhor se pode avaliar dos
rec rsos de toda a zona atravessada pela
estada de, ferro e consegnintemente do seu
futuro, ji nao tenho dnvida que a estrada
de ferro de Pernambuco pode desde j
papar a garant i de juros a que est obri-
gado n governo, assim saibam derigir a es-
trada com a mesma economa com.que tem
sido (tangida ltimamente (e possivel re-
dnzr anda mais as suas despezas), e pro-
porc onar Ihe os meios de qne ella t*nt ca-
rece, e pelos quaes tenho reclamado.
t Peco encarecidamente a attenclo de V.
Exc. para este assumpto de tanta magniluie
para o paiz, porquanto traia-se de alliviar
o thesouro nacional de urna despeza de Ibs.
81.000 annuaes.
Finalmente de equidade, Sr. presiden-
te, a concess5o do que pede a estrada de
ferro de Pernambuco, porque, embora a
opiniao, para mim muito autorisada, do
meii nobre collega e amigo, depotado por
aquella provincia, que entrou oeste debate,
ranegavei que em particular a lavoura, e
em eral lodos os inleresses da provincia,
aproveilara essencialmente com a estrada.
urna proposieao que nao precisa de de-
monstragao oeste paizUrna estrada qual-
qner, sejam qirnes forem -s suas proporgoes,
nao pode deixar de abrir fontes muito im-
portantes para a riqueza publica.
O S. Souza Res : Nao ha quem con-
teste isto.
O S neste paiz.
Um Sr. Deputado : E em Pernambuco
se est solfrendo rauito pela falta de mate-
rial rodante.
O Sr. Souza Res : Muito ; isto sim.
O Sr. Andrade Figueira : Pego a pa-
lavra para responder.
O Su. Ministho da Agricultura : Sr.
presidente, alm de equidade ha convenien-
cia na concessai pedida ; primeiramente
porque, conforme tivu a honra de expr
cmara, a resolucao qne se discute taabili-
Em toda a Auvernia eram proverbiaes os
seus credtos--de Lomera bondoso, caritativo
o amigo da jostiga.
O senhor de Rabn, ao retebsr o raar-
quez, veslia um faio qne n3 seria indigno
dos sal s do re, o por cima dos bordados
magnficos c dos alamares de oum, osten-
tava o gro-cordo da nobilissima ordem
do Espirito Santo, sigual dSdestingo quasi
rega.
Interrogue-me, senhor conde, havia
dito Saint'Maixent, ffl certeza de que res-
ponde ei como Deus respondera na hora
da morte.
Annibal, satisfeito por semelhante excla-
mago, que Ihe parecen elle nascida es-
pontneamente, fez com a cabega um signal
de approvago.
Attentava muito pelo meudo nomarquez"
e, no seu desfigurado semblante, na sua
attitude custosa e abatida, julgon notar os
ayraptoraas clarissimos da mais extrema
prostrago !!
tara ogovern*
Foi sempre esto o
expressado por tod
cessores, desel
sao de Soim!
de 1862,
selhei'0 Ant3o.
Aquello honrado ex-mini^ro da agricul-
tura razia dependente a ejtensSo da ga/an-
tia de juros,' oo s do (festivo emprego
do cap tal addicional s obras da estrada,
sen3o tambem de qoe todo o. capital garan-
tido nao vjesse a exceder aa da estrada de
ferro da Baha, e ainda mais de novas clau-
sulas salulares UDlo ao bom resultado da
mpr.'za come aos interesses dos respecti-
vos accionistas.
, em segundo lugar, c aveniente a con-
cess5o, Sr. presidente, porque o goveruo
apezar de tudo quanlq queriam dizer os
nobres deputados que impugnam a resobi-
g5o, nao pode deixar de receber forga rao-
ral, de colhr sympatha na praga de Lon-
dres, onde se tem resolvido e bam de re
solver mutas de nossas demandas do ca-
pital que nos fata, serapro. que se mostrar
equitativo, sempre que attender favoravet-
mente s reclamagoes fundadas das empre-
zas de estradas de ferro brasileiras que alli
tem sua sede. (Apoiados.)
O Sr. Andrade Figueira : Passando
alli por prodigo.*..
O Sn. Ministro da Agiicultura : Alfu-
diram os nobres deputados as manfestages
de alguns accionistas da estrala do ferro de
que tratamos, por occasiao dt sua ultima
sesso. Mal, muito mal ira o governo, Sr.
presidente, mal ira esta augusta cacara,
mal iriam todos os agentes do poder publi-
co, se os seas actos pudessem receber in-
finxo d?despeitos, de actos impensados,
de paixoes de momento, de interesses con-
trariados.
S. Souzn Res :- Despeitados justa-
mente ? I Ento a reclamago justa.
O Sr. Ministro da Agricultura :- Des
iFiM nendeo-lnue oalo sen estado n3o serve sen3o del
das
na DNior M"
crifi do que va fazer como a
garanta.
O Sr. Ministro da Agricultura :Islo
oSr. coa-[V. Exc. )var.
v companhia de Pernamboco, conforme
dados pbstivos, conforme o relatan qne
acabo de ler, dentro de pouco lempo dis-
pensar todo o favor pr parle do, governo
pelo augmento de sna renda.
O Sa. Andrade Figueira : Entao a re-
solugo intil. -
. O Sr. Souza Res :Eolio n5o precisa
da garanta.
O Sr. Ministro da Agricultura :Cu
resp indo aos apartes dos nobres deputados :
pcitados pela protellaco'que tem hnido, e
que nao tem explicgo ;' nao irato da-con-
q
cesso em si.
Disse o nobre deputado pelo i
dstricto
da provincia de Pernambuco, que devia ser
denegado o pedido da companhia da estra-
da de ferro de Pernambuco, pela conside-
rag5o de que, desde que ella obtivesse o
augmento do capital garantido, abandonara
os seas interesses, dexaria a estrada re-
velia, e o govi-rno tena de i>agar integral-
mente o juro a que se vae obrigar e a que
j est obrigado.
Sr. presidente, contra esta considerago
do nobre deputado eu nao tenho a oppor
se n5o a actual sitaago da estrada de ferro
que nos assegura um futuro, cada vez mais
floretente, cada vez mais prospero, o que
se aprsenla como garanta de que o go-
verno dentro de pouco tempo ficar alivia-
do do onus a que est obrigado.
Tambem se trouxe como argumento a
probablidade de nova exigencia por parte
ja companhia quanto a garanta do juro ad
dicional da provincia.
Sr. presidente, se a companbia vier cora
esta pretengo, a soa repulsa n5o depende
senSo de nos mesmos...
O Sr. Barros Barreto : Seno do
modo porque se queira abrir a porta.
O Sr. Ministro da Agricultura:...
nao depende sen3o da Ilustrada assembia
de Pernambaco, em cajo criterio confio para
que d3o ceda ao pedido da companhia, se
porvenlura ella aDresenta-lo...
O Sr. Souza Res : E porque nao diz
que confia -no criterio da cmara ?
O Sn. Ministro da Agricultura : E o
que vou dizer-----Confio ainda no crlerio
desta cmara, e na energa do governo.'que
repellir in limine semelhante preiengao
O Sn. Andrade Figueira :Oe garantir
os 2 % ? Enio qual a razo porque s
garante agora o 5 /0 ? A ra25o a mesma,
(Apoiados.)
O Sr. Ministro da Agricultura :Porque
os 5 % basiaE a equidade. Disse o nobre
deputado quesera mais conveniente, a que-
rer o governo fazer sacrificios, resgalar a
estrada, do que prestar-lbe o auxilio pe-
dido.
Se o governo pudess^ dispor de meios
para o que indica o nobre deputado, en
pela minha parle declaro qne acceitaria o
expediente. Mas as condiges' actaaes,
quando o estado acba-se j empenhado em
compromissos lo graves, nao seria oppor-
tuuo o emprego da medida lembrada pelo
nobre deputado. Se fo se possivel, e pre-
ferira ento a estrada de ferro da Baha,
a entrada precisa ainda d garanta para
firmar a sna situaejo econmica, e eu pre-
ciso da resolugo para solver as quesioes
pendentes.
O Sr. Souza Res :Nao : porque n5o
confia nesse augmento.
O Sr. Ministro da Agricultura :Con-
fio no argumento, e espiro que o resultado
ser em bem taolo da companhia .como do
proprio governo.
Nao se cansara os imDUgoadores da con-
cessao era descrever com grande amplifica-
do a extensao da responsabilidade que vai
lomar o governo com o deferimento do pe-
dido da companhia. Calculara em mais de
19,000:000$ a quantia a que o governo se
obriga.
Por mais de urna vez, Sr. presidente,
tem-se inexactido neste calculo. Os nobre* de-
putados. para chegarera a esta somma, fa-
zem datar de 185.1 o augment" pedido, e
o eslendem aos noventa annos do privilegio
da estrada. Mas, Sr. presidente, conforme
a resoIgSo que -e discote, a concessao do
augmento do capital garantido vai comegar
da data da mesma resolugo...
O Sr. Souza Res :Havemos de ver de-
pois.
O Sr. Ministro da Agricultura :.. e
o estado prospero da estrada nos induz a
crer que ser diminuto sacrificio do\ es-
tado.
O Sr. Andradb Figcewa :-Ento o favor
iiwiil.
O Sn. Ministro da Agricultura : Anda
quando a estrada nada rendesse, ao con-
trajo do qoe at suceedendo. e decahisse
ao ponto de nao poder dar um ceitil para
os dividendos dos accionistas, devendo o go-
v-rno consegontemente entrar integralmente
com os juros que garante vai garantir,
dar se-hia o seguinte resultado : O gover-
no tem 13,?49 aeges na importancia de
2,452:5493857.
O Sr. Andrade Figueira :O capital ad-
dicional ba de ser representado por novas
aeg5es.
O Sr. Ministro da Agricultura >-.. .e
i receberia nes dividendos ,a qnota de......
80:300^300, pouco mais ou menos. Como
o augmento do capital garantido varia elle
a receber mais 48:77lif/00. Ao todo-..
129;108o. Deduzidos estes dos......
215:848(3888, que a importancia dos ju-
ros garantidos, vera a ser de 167:012o488
aniraaes o onus effectivo e real do the-
0
nem por isto deixa de esforgar-se para ob [
ter a utorisago nella com
tendo que a pretengo da com;
irada de ferro de Pernamb r at-
tendda sem escndalo, sem immo
attrfbutos in--omp:i otfi os dislinctos
caracteres qae tm prestado seu concurso
a esta rolug3o nesta cmara e no senado.
(Mnitns ^oiados.
Quanto s emendas offerecdas Sr. presi-
dente, depois do compromisso solemne
que o humilde orador (nao apoiados) que
tem a honra de se dirigir neste momento
camal-a, perante ella contratto, de nao usar
da antjrisaf.at) qaff Ihe fr conferida sem
estabelecer as clausulas que, solveodo as
diver-as quesioes pendentes, Ormem y re-
Iag5es entre a empreza da estrada de ferro
e o governo, depois da mneira cathegorica
porque me tenho pronunciado, declarando
rio s que urgente, e muito urgente, a
medida, seno tambem qoe se proventura
me Iludir na persuado em qne eston a res-
peito da aceitago des'sas clausulas por par-
le da compau.bia, vra perante esta augusta
cmara pedir a revogagao do acto que se
discute, a approvg6 dellas como se acbam
conc bidas, retardando a solugo das ques-
t5ese indicando as medidas qoe o governo
devejpmar para obter o resultado que al-
meja,' nao poderia deixar de ser considera-
da por mira."seno como advertencia (apoia-
dos e nao apoiados) de que outro mais com-
petente, mais digno do lugar qne oceupo e
da confianga desta augusta cmara deve vir
substitnir-me. (Apoiados e nao apoiados.)
Tenho conclnido.
Vozes :Muito bem moito bem I
Se aqui mesmo nos vmps a maneira de-
sabrida porque sao atacados aquelles que
defendem a conresso que se discute, se
quajificagoes al injuriosas, fe atiram a ci-
dades respeitaveis, cima de toda a sus-
peita, nao admira qu os accionistas da es-
trada de ferro de Pernambuco, justamen-
te despeitados pelas protellago qae tem ha-
vido nesse negocio, rompam em ex-
cessos.
a que
indoza
Meu primo, disse o conde com viveza,
nao queira Deus que certos escrpulos,
que ao senhor tambem parecem legtimos,
me ceguera ponto de o tratar como ini-
migo. Adiemos as explicagoes, qoe se
prolongariam mais do que permitiera as suas
forgas... parece-me que est muito cansa-
do... talveztenha fome...
Nlo se engaa, senhor conde, repli-
cou o marquez revestndo-se de suprema
digndade ; estou cansado, tenho fome, por
que venbo com tres dias e tres noutes de
jornada, sem dormir e quasi sem comer
mas que importa ? Posso aiada esperar
para satisfazer as necessidades do corpo
nao,admiti, porm, demora quando i
trata de cicatrisar as feridas da honra. Nao
acceitarei nem urna gota de agua em sua
casa, antis de me ter justificado aos seos
olbos.
Seja a*sitn; mas ao menos seo-
te.-se.
Saint-Maixent deixon-se cahir n'uma pol-
trona qu seu primo Ihe offereceu cortez-
mente. Era tal a pallidez do fugitivo e a
souro.
O Sa. Souza Res :E o governo nao paga
premios ?
OSr. Ministro da Agricultura : Pois nao
esto calculados ? is o encargo real do
thesouro na hypothese inademissivel de
qne a estrada de ierro, contra a videncia
do? fados, em vez de prosperar, decaa ao
ponto ds nao render um ceitil.'
O Sr. Andrade Figueira :O capital ga-
rantido tem de ser representado por novas
aegoes.
O Sr. Ministro da Agricultura :Nesles
termos, Sr. presidente, o que mais urge, ;o
que qner o gabinete, que a questao seja
resolvida. i
O Sr. Souza Res: Isso sim.
O Su. Ministro da Agricultura :Se,
como ainda nm vez repito, nao aceita nesse
terreno um questo ministerial...
O Sr. Soula Res:Ali !
O Sr. Minisnro da Agrici ltura :
comtudo, deseja a resolugo que se discute,
conforme me tenho pronunciado, tan o para
solver as questoes pendentes, como porque
a concessao que pretende a companbia de
equidade.
OSr. Correa de Oliveira:E conve-
niente,
O Sr. Souza Ruis :Mis nao faz ques-
to.
EXTRACTOS DO RELATORIO DO MINIS-
TERIO DA AGRICULTURA, APRESEN-
TADO S CMARAS PELO EXM. SR.
CONSELHEIRO DIOGO VELHO CAVAL-
CANTE DE ALBUQUERQUE.
IMMWRACSO.
Attrhir ao seio deste vasto Imperio a
populago superabundante das outras re-
gies, principalmente da Europa, tem_sid-\
ha largos annos, a preoecupago dominante
no espirito de quanto's estudara as oecess-
dadee do Brazil. Ou na cupola da socieda-
de caiba-lhes a direegao dos seus destions,
ou, sem essa responsabilidade, corem, s
mente como simples cidadaos, de concorrer,
na prporcao de soa possibilidade, para o
bem commum, todos ham noslrado a con-
vicefio de ser inispensavel prosperidade
do paiz, franquear, em nosso Territorio, fra-
ternal agasalno aos forasteiros que o de-
raabdem.
Na entrada de cada mmigrante conside-
rarse a acqusigo de um accrescimo som-
ma de trabalbo, de ara auxilio para o de-
sempenbo da tarefa commettida pela Provi-
dencia ao povo brasileiro, de um compa-
oheiro na associ^go que tem por empreza
igaala-lo s nag5es mais adiantadas as fe-
toras da civilsago.
Quando, impellidas por irresistiyel movi-
mento, rayriades de europeos deixam es-
pontneamente a trra onde nasceram, pa-
reca que nenhuma outra.lhes menecia pre-
ferencia ao Brazil, na escolha deibgar para
novo estabelecimento deseos penales. Jqs-
tificavam esta crenca as nossas condigOes
econmicas, socaes e polticas, superiores
em alguns pontos, em moitos nao inferio-
res s de outros paizes a que tem propen-
dido a immi fertilidade do slo, salobridad do
clima, liberaJidide das institnigoes accres-
ceii a concessao de numerosos favores as-
segurados a qumtos aqui se estabelecessem.
A tutela oficial raanifestou-se em mosteas
de especial predilecgo.
Nao limitou-se a recebe-los com alfectuo-
sa bosDedagem, quando chegavara aos nossos
portos; adiantou-lhes dinheiro para a vh-
gem, prodigalisou-lhes cusa do thesouro
facilidades para prosperarem, como proprie-
tarios da trra onde se irmassem.
Nao obstante, porem. todos estes moti-
vos deaitracgo, insignificante ha sido o re-
' -ac o Alian
..'.eir-Ti ao nosso
litoral. anda assim, trooaeram-a as pro-
raessas des agente ofli subsidios
pecunia
Mais de 20 anuos passarara ja depois qne
traamos de converter em facto a asptrafao
ovocar por todos os modos a imnu-
gragof europea. Calcula-se por milbures
de coutos o capital despendido no transpor-
te e dotagao de colonos. Que resaltado htr
vemos colbido desse afn incessante, desse
onus tangado aos contribuntas do Estado ?
. lo escasso o frucio, comparado com
o tempo e o prego do sacrificio, aioda
mais ailentando-se para a necessidade do
paiz, que, sem exagerago, nos podemos
julgar no caso de viandante que, depoitd
longa peregrinago. em vez de a lianiar em
sua jornada, se acbasse quasi no meimo
lug Porfiamos no correr desse perodo, por
alcanzar, como premio de nossas diligenci-
an, a immgrago espontanea. Como no
priicipio, se quizermos acrescentar o alga-
rismo da nossa populago, teremos de re-
petir os sacrificios para consegoirmos, ao
cabo de outras tantos annos, iguaes effeitoe.
Em presenca do facto, su Eficiente para
abalar os nimos mais resolutos, somos le-
vados a crr que o systema, al agora ado-
tado, deve ser repellido como pernicioso
ao xito dos nossos desejos. De sobejo sao
as provas para convencer-nos da necessida-
de de exciui-lo de todo.
A que aho enderegam o pensamento
aquelles que desejam chamar ao slo brasi-
leiro a concurrencia estrangeiraf E' certa-
mente o seu especial intuito augmentar as
forgas productoras, elevando, .pelo maior
numero de operarios, a somma do 1ra-
balho.
Se, em vez deste galardo, nos trouxer a
entrada de forasteiros diminnico de capi-
tal, dispendio nao compensado dos recursos
existentes, consumidores invitis agora e ao
diante, nao ser mal gravsimo a qoe de-
vemos esquivar-nos?
O systema praticado at o presente re-
duzio-se ao recrutamento de immigrantes.
Pela concessao de adiantamentos para apres-
tos de viagem e passagem, por donativos e
emprestimos a largo prazo como auxilios de
estabelecimento, tem-se aluciado inrvidoos
a quem rra trra natal fallecem meios de
viver, e as mais das vezes o habito do tra-
balbo.
alterago as feiges, que pareca prestes a
desmaiar.
Consinta que Ibe d um cordeal,
disse o conde, sem poder occultar o abalo
qae senta.
Nada acceitarei, redarguio o marqoaz
cora a voz firme. Em quanto o senhor s
vir em raim o homem aecusado e perse-
guido, o misero que deshonra es^a. familia,
recusarei os seus favores e soa aospita-
lidade. Interrogue-m, poisr interrogae-me
sem demora;- f
Fgase a sua vontade, meu primo,
nao insisrei : comprebendo esse desejo, e
estou pela minha parte ancioso de o ver
justificado. A' mira coohece-me desde a
infancia, prosegoio Annibal ao cabo de um
instante. Nao igDora a affeigo que sempre
tive b senhor, e sabe tambem quinta in
fluencia exerce no meu corago o septimen-
to de familia. Acredito na solidariedade de
todos os ramos da mesma estirpe, e inte-
resso-me pela honra dos parentes como
pela minha. Imagine, pois, quanto padec,
qando a voz publici veio dizer-me, com
insistencia desconsoladora, e qoe nao per
mittia duvidas, que um dos meus, o ultimo
representante da nobre casa do3 Saint-Mai-
xent, eslava sob o pes de umi accosaco
infame, e qae a sua lberdade e a sai vida
estavam ameacadas. Qoiz duvidar ainda
assim, e resolvime a lomar informages de
boa feote. A' esse tempo eslava eu em
Pars, e fui ter com o topete da pobcia,
pedindo-lhe que rae tranquillisasse^ Res-
pondeu me que era impossivel, porque, in-
felizmente, a voz publica nao meDtla ; ac-
crescentou qae o marqaez de Saint-Maixent
desapparecei^ e que, em attengo mim,
urna vez qoe esse fidalgo pertencia minba
familia, daria ordem aos seus agentes para
o procuraren! de modo que nao o encon-
trassem. Esquece lo hemos, se elle tt dei-
xar esquecer, forata as suas ultimas pala-
vras.
Passaram-se algumas semanas, e n'esse
inlervallo ahi de Paris para vir morar n'es-
te castello, onde o sea nome veio oura ve*
despertar as nimbas aogastia e os meas
pezares. Disseram-me qae o senhor eslava
i.mbem na Auvernia e que trana horrorisa
da toda a provincia com os seus crimes.
Roobos, assassibios, fabrico de mosda fal-
sa, sacrilegios ; de tudo is-o o accusava.m.
e a voz do povo, que s vezes a voz de
Deus, apontava-o como inimigo lerrivel,
como grande raonstro da natoreza, qnem
era preciso perseguir e acossar sem tregoa.
Offereciam^e premios qoem o matasse
ou o pcendesse ; os seas sgnaes corriam
de mo em mo, e eu mesmo os vi na porta
I 4e um temp o onde foi Implorar para'o se-
nhor a misericordia divina. A* muito ciisto
consegu fazer com q#e esse maldito prego
chegasse at s raiohas aldeias e enebesse
de espanto os raeos vassallos e colonos.
Todos os dias esperavt receber a noticia de
ter o senhor cabido em poder dos seas
perseguidores, de queja Me frainstaurado
processo, e de que o seo sangue que tam-
bem o mea ia ser derramado no patbulo,
eaodoando cora eterna mancha a honra da
nossa casa.
Tal era a stuago do meu espirito quan-
do ha pouco veio um criado annuociar-me
a sua visita, e ao ouvir to de improviso o
seu nome, julguei ouvir ao longe o toque
de rebate.
Agora sabe tudo, raen primo,-disse-lhe
a verdade sem hesilagoes nem rodeios ;
qaiz descobrir-lhe por urna vez as chagas
de meu corago. Responda, pois; conhe-
ce as accosacoes. Espero a sua defeza.
O conde de Rahon calou-se e tomou a
comspostura tawis attenciosa.
Saint-Maixeot ouvira tado aqoillq com
tristeza, mas sem se deixar abater e at de
vez em quando Ihe correr pela face men-
tiroso pranto.
Aqaelle homem tinha o dom das lagri-
mas. Possuia de um modo inimtavel a
astucia, a audacia e o descaro, qae fazem
do bypocrita o mais repugnante dos omi-
nosos.
Arme-se de valor, senbor conde, disse
depois de breve paasa; para ser completa
a minba justificaco, tenho de fallar por
Transportados ao Brasil, esses homens.
destituidos de tudo, aguardam tudo da ge-
nerosidade do estado. Vieram como lavra-
dores e como taes vo sulcar a ierra as
colonias. At o dia em que realizaren co-
Iheitas, qnem Ibes dar subsistencia 1 O
estado, sempre o estado.
A viuda de proletarios e mendigos, de
ociosos e valetudinarios, de reos de polica
e vagabundos, nicamente flagello para a
nossa soeiedade. Assaz penosa j a ta-
refa da polica, bem avultado o numero
dos que impnrtunam a caridade publica e
enchem os hospitaes de misericordia.
Destes nao necessita o paiz. Quer sim.
e fraternalmente agsalhar, homens que
tragam em algum cabedal a prova de que
em sua patria exerciam til profisso, e sa-
biam economisar ; ou possuam capital mo-
ral, representado por sua aptido ao traba-
lbo, por sua robustez physica, por seus
dotes intellectuaes.
E' o Brasil o nico paiz que para altra-
bir immigrantes soccorre-se- ao systema.
ahi descripto. E' tambem a regio menos
procuda pOr immigrantes. O excesso de
favores, assim barateados, tem servido para
provocar desconfianzas, em vez de mover
sympathias.
Assim pensando, nao acooselho qne seja
de abstengo o papel do governo. Enteodo
pelo contrario que, dando de mo ao sys-
tema, cujas consequencias sentimos, cabe-
Ihe ainda a intervengan activa e grandamente
efficaz. Excluida a miela e a prodigalida-
de, ainda a sua misso ardua e meri-
toria.
Iocnmbe-lhe com adeqaada providencias
garantir aos immigrantes fcil acqnisicjfo e
gozo tranquillo da propriedade territorial,
a possivel gualdadedos direitoscvis* po-
lticos, a lberdade de oolto e consciencia,
a seguranga individual e de familia em snas
melindrosas relagoes.
(Continuarse-ka).
muito tempo. Poder ouvir to comprida
relago ?
Anda que levemos nella toda a nou
te. nao se cangar a minha attengo, crea.
S urna cousa receio.
Qaal f K
Que ihe fallera as forras.
O Descance: tenho ainda safli-
cientes forgas para chegar ao lim. Mesmo
que eu morresse, havia de reanimar-se o
meu cadver para proclamar e provar-lbe
a minba innocencia.
Necessito de remontar muito longe,
porque n'este desgragado mundo ecicadeiam-
se os fados ans com oulros, e da primera
das minhas aecusages procederam as de-
mais. '
Por raorte de meu pai, que Deus tenha
em santa glora, fiquei moco e senhor ab-
soluto de urna heraoga que eu julgava inex-
gotavel. Esta va faminto de prazeres e es-
palhei o oaro mos cheas.
as mesas do jogo raras vezes ganhava.
e as facis' damas de Paris proclamavam-
me o Japter mais liberal de quantos bai-
xam ao mundo transformados em chuva de
dobrOes. Junte isto os fatos snmploosos,
um trem de casa magnifico e todas as des-
pezas de um fidalgo qoe qaer conservar a
sua posicSo, o brilho da sua linbagem, e
licar percebendo que, nao chegando os
raeos rendimerjios para sustentar urna vi-
da assim, tive de recorrer ES'capital.
Passaram-se dous ou tres annos, e n'este
curto espago ficou reduzida quasi nada a
minha qoantiosa riqueza. Confesso qu
pouco se me dava d'isto, se alguma vez
por acaso me lembrava de cuidar no futofo,
sempre ditia comigo qae um nome como
este meu vale mais que as riqueza, e em
me vendo completamente arruinado seria
fcil ao mea primo obter do rei para mira
o commando de algam regiment ou qaal-
quer cargo bonorificona corte, e depois um
casamento rico viria5 restaurar o que en
boovera destruido.
Entre a desordem de semelhante vida,
centava eo com moitos amigos. 8ava
ter oro nirago. Era m
t
ihrinhn de
David Herard, o celebre e opulento judea
rapaz de baixo nascimento ; mas a riqueza
d'elle, e.especialmeote a do tio, que, por
nao ter filbos, o considerava sea herdeiro,
permiltiam-le o misturar-se com as pessoas
de elevada classe em certos sitios onde nao
se exhibem ttulos de oobreza : f*llo das
casas de jogo e das salas das cortzas. Sa-
muel, que era este o nome d'elle, apezar de
ter j renunciado reiigiSo judaica, era
meu rival em tudo. mas rival pooxo feliz.
Se ia contra mim n'alguma aposta maior, a
sorte, quasi sempre hostil para miro, pro-
digalisava-me os seos favores, e em vez de
perdas, tado se tornava em ganhos, nica-
mente por ser Samuel o met adversario.
Outro tanto succedia nos amores, ou, para
melhor dizer, nos galanteios, porque o amor
nada tem que ver nestas facis victorias.
Se o tal Samuel cortejava algnma beldade
mais arisca, bastava eu apparecer, e logo
elle era desprezado ; se j tjnba direitos
adquiridos, em pouco tempo o supptan-
(ava.
Ora bem ; esse homem tinta um carcter
mesquinho, rancoroso. e am orgulho losof-
irivel. As pequeas contrariedades qae Ibe
eu proporcionava, sentir elle como se fos-
sem as maiores offensas, a tudo era pro-
curar occaso de qbestionar comigo; mas
como eu Ihe nao dava O m*is pequeo pre-
texto, e como por outro lado tema espe-
cialmente o ridiculo, nao estando mui^o cerlo
de que o marquez de Siiut Maixent accei-
Uasse a hoora um tanto duvidosa de cruzar
a sua espada com a de um plebeu millio-
nario e sobrinho de um agiota enriquecido
forga de roubos, calou-se e foi aguantando
o revea, contentando-se com guardar no pei-
io a'raiva, maneira porque as vibras fa-
zem ao veneno. Todava nlo tardou qua, se
apresentasse decasfio, to funesta para ota
como para outro, em que afinal ribentoa
livremente aqaelle odio por. Unta \mRp
comprimilp.
(Cnt*uwr-$e-ha)
TYP."DO 0*H0 M* U"QE S GAXIAS
i
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EYPPW1GMI_SHXDFY INGEST_TIME 2013-09-19T22:55:02Z PACKAGE AA00011611_13088
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES