Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13084


This item is only available as the following downloads:


Full Text

flNWO XLVI. HUMERO 154. :ftf
PARA A CAPITAL E lGABES OIDE 110 8K PA6A NtTEQQ|||J(| Zi99f
*O>5es mezas adiaoudos......'......... ujSoo
or seis ditera.................... m
Pdrnm.inDo dem.................... '. 24
OjrU momero avulso.............!!!!!! 32D
L
i~
I
*
Jim FEIM 12 DE JUtie DE 70.
.
P11A DEWRO L FOBA DA MftVIJCIA.
.
Por treft-aoeaeB adiantadwr
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem .
Por unj.aooo dem '. .
17(8
131500
S0I2SO
271000
Propriedade de Manoel Figneira de Faria & Filhos.

i


t* rs.^feTardo Antonio'Xlves Tubos, no Para ; Goncalves Pioto, no Maranlio ; Joaqojm Jos de Oflveira, no Cear ; Antonio 4o Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Maria alio-Qhaves, no Ass ; Antonio Marqpes da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, era Mamangoape; Antonio Alejandrino de Uvas, na Parabyba ; Antonio Jos Gomes, na Vfla da Penaa; Belarmino dos Santos iBulcao, tm Santo Ant5o; Domingos" Jos da Costa Braga,
'em Nanretb ; Francisco Tavares da Costa, em Alagoas ; Dr. Jos Martins Alxes, na Bahia ; e Jos Ribeiro Gasparinnono Rio de Janeiro. ,

parte ornciAL.
C.overno da provincia.
DESPACHOS D.V PttRSp'llSCIA D.V PROVINCIA Di) DI.V 3
e 6 dr jrorto de 1870.
Abaixo asignados m >r.iiloro* ni* estradas por
onde ten de seguir o* trillios urbanos desta capi-
tal linda.Informo a directora da campanilla
dos' trilhos urbanos de Olinda.
Antonio Luiz de Oliveira Azevedo 4 CAoSr.
inspector da" thesouriiria provincial com a porla-
ri* tiesta data.
Dr. Antonia de Vasconcelos Meoezeside Drum-
mond.Informe a cmara municipal desta cidade,
oavindo o sea advoganV.
Aoaixo assigosdos moradores das estradas do
l'.tilhftv Cmara e de Helena.Informe o Sr. enge-
nheiro chefe da repulir*) da* obras publicas.
Antonio Jos Goraus Jnior.Informe o Sr. ins-
pector da thesouraria de fazand a, quem se remet-
iera o lequerimeulo anterior que o supplicanle
aiide.
ClarinJo Gnciaoo da Silva.Como requer.
Compaohia Peru^mbucaua.A' vista da infe-
nuo\d dinja-se ao Sr. inspector da thesouraria
pnivinckl quiera atten'dido.
Francisco Sirvino Monleirode Mallo.De-se-lhe,
pasteado recibo.
llemeterio Rodrigues Peres Jatob. Requeira
a> govarno imperial.
Ignacio dos Santos da Foncaca.Informe o Sr.
omm mdaute superior da guarda nacional do
municipio de Pao d'Alho.
IrmondaJe do Senhor Rom Jess da Via Sacra
da igr.ya da Santa (>uz.Dirija-se ao Sr. Inspec-
tor da thesouraria provincial.
Irmandade da Conceigo dos Militares. Sea
sunplieante pretende autorisacao para despender
cot as obras da igreja at a quantia de 8613500,
importane a do benellcio da 4' parte da loteria
concebida para as mesmas obras, ser deferida o-
brigando-s a prestar comas na tbesouraria para
i r reeeber aquella importancia.
15 Jos Soares Monteiro.Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda.
Jo) Francisco Paes Barreto. Conceda-se um
mez com netade do sold.
Jeronymo Pereira Villar.Junte o.titulo original
d'.ifirunento ao terranolde marinha, que alla-
de,e a respectiva planta na forma da legislago em
VICO'.
Alferes Joaquim Rabello Pessoa de Brito. La-
vre-se deliheracao nomeando o sapplicante.
J.\io de Souz Rangel. Conceda-se nm mez
com ordenado e oulro sem elle.
Janoario Jos dos Sanios.Informe o Sr. com-
mandante superior da guarda nacional do muni-
cipio da capital.
Jos Speridio da Costa Muniz. Informe o Sr.
tenente-eoronel ommaodante do corpo provisorio
d polica.
Luiz Antonio Gongilv,es Penna. Pagos os di-
reitos fteiaes, eorop n-quar, roiwettendo-se 9ts
ino.'is ao Sr. inspector da thesouraria d* fazenda
;iira os fias convenientes.
1). Mana Anta de Jess Campello. Informe o
S-. director geral da instroc^ao publica.
Manoel Eugenio da Silva.Conceda-se.
Miguel Luiz da Puriieac.ao. Informe o Sr. di-
restar interino do arsenal "de guerra.
Manoel Figueiroa de Farias & Filhos. Ao Sr.
inspector da thesouraria provincial com o offlcio
desta data.
Mar a Avelina Monteiro Ferreira. Como re-
quer.
Rita de Cassia de Oliveira Lobo.Informe o Sr.
diroctor geral da jnstruc^ao publica.
Sociedade Uho B.enelicente Martima. Seja
nomeado Joo Rodrigues Bandeira.
- 7
Alcxandrino Ferreira Alcntara de Miranda
(Conceda-se.
Alexan Ir Magno Peixoto de Alencar.Requeira
o supphcaute por intermedio do respectivo cora-
mandante superior ao governo imperial para ser
iggregdo, provando qae apresentou a ua paten-
te e guia de mndanca ao mesmo commandante
superinr, e que decorrid i o prazo de que trata
. lo do decreto n. 1130 de 12 de marro de
1833.
Cao'.ano Alves Cavatcante.Conceda-so quinze
dis.
David WiMiam Bowmann.Volte ao Sr. inspac-
t ir da thesoorari* provincial para ouvir o parecer
do dontor procurador fiscal sobre o estar on nao
revagada a lei, pela qnal foi o suplicante ante-
riormente isento de pagar o imposto.
Flix da Cunha Teixein.Deferido nos termos
do offlcio do Sr. inspector da thesouraria de fazen-
a n. 437 de 21 do mez lindo, quem serao re-
meltMos estes pipen com a enpia dojwrecer do
liontor procurado llscal o da informacao do agri-
mensor para os tins convenientes.
JoSo Mauricio do Sena.Os lalhos de que trata
ja foram arrematados desde o da 22 do mez findo,
e por isso nao tem lagar o que reqaer.
Joaquim Jos Rodrigues e Jos Raymunilo Ca-
bral Informe o Sr. juiz de paz-do 2 districto da
'.'iriade de Santo Anuo.
Lisbella de Albuquerqne Mello. Opporluna-
menia ser attendiia.
Maria gueda da, Penha.Junto este ao reque-
rimento que a supplicante allude, volte ao Sr.
n-pector da thesouraria de fazenda para infor-
mar. *
Capitao Cvpriano Antonio Rodrigues.Apresen-
te-se o supplicaate com a sua patente ao Sr. coro-
nel commandante superior da guarda nacional
dos municipios de Olmda e Igoarassii, quera
ii- sta data *> rcmette a guia e e ontro documento
que o mesmo supplicaot Jantou ao presente re-
i|uerimenio para o m determinado no art. 4K do
decreto n. 1\30 de 12 aknaroo de 1853.
Jos de Barro do Amor Divino.A" vi9ta da
informacao dse a baixa pedida.
Manoel Francisco^ da Silva Guimares.A' vis-
ta da informacao nao tem lugar o que requer.
Manoel Francisco da Suva' Guimares. Fo
nesta data despachado o requerimento, que al-
lude.
m
DIARIO DE PERWftMBUCO
7 RECIFE, 12 DE JULHO DE 1870.
noticias do snl alo Imperio.
Cchegou bontem pela mantaaa o vapor francez Gi-
ronde, trazendo datas: de Buenos-Ayros e de Mon-
tevideo at l; d Rio de Janeiro 6 e da Bahia 8
do corrate.
Mfl DA PIUTA.
O Jornal do Commemo da Ro resume as-
siai as noticias trazidas pelo Biela :
* As noticias de Entre- Rios j sao de outrp teor.1
Agora Lpez Jordn nao trata nnicamente de fu-
gir com o resto das suas destrocadas forcaa; diz-
sa do interior da provincia redeado de 3,000 ca-
valleiros, 600 infantes e urna batera 'de artilharia,
prompta aceitar btalba.
Ao mesmo lempo, porm, est a eahir sobre elle
nm poder de armas, que deve esmaga-lo. O gene-
ral Rivas raarehava contra elle com forcas supe-
riores e grandes metos de mobilidade, emqoanto
por outro la Jo vioha o general Emilio Mitre, e
anda por outro lado o general Gelly y Obes com
trotas tratidas de Corrieules, marchando os tres
generaes fechar um circulo em cujo centro se
varia colhido lpei Jordn,
O campo da batalha calclava-se que seria- a
untas qnatro leguas da Concordia, e j um vapor
ltimamente cfiegad.o Montevideo annunciava,
uada Dajuelia direccao.
San ^stea pelo menos os" termos em que as
folhas do l\i9 da Prata pintara os negocios de En-
tre Rios.
JN.\ margom orientil do Uruguay eslava o
exercito do general Garabato para impedir as (or
cas de Lipez Jordn de attravessar o rio depoi
de batidas pelas, tropas argentinas. O mesmo Ca-
raballo passa/a de Payssandu para o Salto aftra
de achar-se mais prximo do supposlo campo da
batalha era Entre-ltios.
Entretanto o presidente g neral Bati cora-
municava ao vice presidente era exercicio que,
acbando-se sobre as Pumas del Sauce, soube que
Aparicio, pelo passo Carpintero, atraves9ara o Rio
Xcgro, e que portant i cnnlraraarcbando da direo-
co que levava para o Yi, descia pela margen do
sul do mesmo Rio Negro para o caso de querer
Aparicio tornar passa-lo.. Ao mesmo lempo o
major Ojjda cmmunicva haver encontrado urna
pjrtida de blancos sobre o mesmo Rio Negro e te-
la batido, tomando-lhe 300 cavados, sera comtudo,
poder impedir que elia Iranspuzesse o rio.
Este movimeoto das .forcas de Aparicio para
o norte fazia suspeilar o intento de proteger a
passagem d general Medina, vindo de Eotro-
Rios; passagem que at j algumas noticias davara
como effectuada, ou ni9smo de fazer jutcijao eom
a gente de Lpez Jordn e foreeer-lhe.cavainada
para operar no Esudo Oriental.
A Montevideo chegara a noticia de haver si-
da a Colonia atacada, e at em parte tomada pe-
los blancos.
O governo fez logo sahir um vapor com algu-
raa,gente da guarda urbana para sustentar ou
retomar ajuella praga.
Do Paraguay nao temos noticia de importan-
cia. As folhas argentinas pintara aquelle paiz co-
mo reduzido ao maior grao de miseria, e os seus
poucos habitantes, tendo passado do excesso da
servidlo ao da licenca, matarem-se e assassjna-
rem-se uns aos outros. S3o, porm, estas noticias
suspeitas pelo menos de exageracao, pois, a poli-
tica argentina j era disfarga o intento de tornar
necessaria urna annexago como nica salvaeao
possivel para o Paraguay. Ao mesmo terapo, apro-
veitando os acontecimentos que se estao dando na
Banda Oriental, renova-se a cruzada para anne-
xagao tambem deste estado, idea que dentro mes-
mo do paiz encontra echo era urna fraccao do par-
tido colorado e seus orgaos na imprensa.
Anda essa jornal resume assim as noticias
trazidas pelo Magellau:
Relativamente Entre-Ros,dirigi o presidente
Sarmiento urna mensagem ao congresso argentino,
annunciando que, batidas era diversos pontos, as
forcas de Lpez Jordn fugiam em varias direc-
edes, pareceudo aquelle caudilho nao tratar j se-
nio de relugiar-se em territorio estraogeiro. N'es-
tas circuioslancias havia o governo geral (tornea-
do para aquella provincia um gvernador proviso-
rio, i]uo apenas completamente extDda que fosse
a rebellio, convocasse urna legislatura para reor-
ganisar constitucionalmente a administragao pro-
vincial. Neste sentido submettia elle, presidente,
um projecto de lei ao congresso, como quem
competa regular estes negocios.
A constitucionalidade deste procedimento era
acremente discutida na imprensa, considerando a
opposicjjojim atientado s franquezas provinciaes
a nomeago de um governadnr, feita pelo governo
geral, quando asta scolna em caso nenbum pode
deixar de competir respectiva legislatura. Di-
zia-se tambera que o gvernador nomeado, Apolli-
nario Benitez, nao aceita* o cargo, e que em lu-
gar delie seria nomeado Ensebio Ocampo. Em to-
do o caso pareca annunciar se sobre este ponto
qnestao renhida no copgresso.
Quaoto < noticias viudas de Enlre-Rios refe-
re um combate de duas horas pelejado em Mor-
tiel, e terminado pela derrota do urna forga rebel
de commandada pelo coronel Polonio Velasques,
que perdeu quarenta prags e oito offlciaes prisic
neiros.
A' ser exacto, como o presidente Sarmiento
suppoe na sua mensagem, que Lpez Jordn pro-
cura territorio estrangeiro, nao poderia este ser
senao a Banda Oriental ; e sendo provavel que
em tal caso aquello se passasse pelo menos com
mil e tantos homens, queiriam reunir se s for-
gas de Appaiicio, claro que o governo de Mon-
levido, que mal pode s com estas, difficilmer.te
poderia sustentar-so sem o auxilio de urna inter-
vengao argentina. A previso desta contigencia j
servia de thema artigo* da imprensa, em que se
suscitava a idea de urna annexago, contra qual
proleslava enrgicamente a Triittna de Monte-
video.
Entretanto continnavam no Estado-Oriental
as correrias dos blancos, e o presidente general
Batle achava-se com o seu exercito sobre o arroio
Castro em marcha para o rio Yi. Apparicio era
visto em toda parte, menos pelas forgas do go-
verno.
Do Paraguay referem as folhas que fra alli
nomeado ministro da fazenda Salvador Juvellanos,
de vendo Miguel Palacios deserapenhar o cargolem-
quanto darassa a ausencia do ministro. Por um
decreto impoz-se um direito de 4 reales fortes
exportacao de cada eouro, sendo livre a impor-
tago. De Humayt, diz nma correspondencia, sa-
hiram quatro batalhes para Iiapir. >
As trazidas pelo Gronde sao assim resumidas
pelo J'ioi'o do Rio :
O congresso nacional continua a desenvolver
o maior xelo e actividade a b=m dos intere^ses
do paiz, tendo approvado o decreto pelos quaes
o governo nacional declaron a provincia de En-
tre-Rios em estado da sitio, e chamon s armas
as milicias de Entre-Rios, Buenos Ayres, Corrien-
tes e Santa F, eraquanto durar a revolta de L-
pez Jordn.
c O vapor nacional Espora lia vi a ebegd a
Montevideo com os artigos de guerra tomados aos
revolucionarios de Entre-Ros.
< Entre elles ha 12 pegas raiadas de calibra 18,
40 caixoes com espingardas, munigoes ele.
o De Lpez Jordn sabia se por telegramma
de 29 de jutiho, que urna partida de suas forgas
apoderara-se da povoacao Feleracion, degollando
o^eoronel Sallas, violanao as senhoras, incendian
do as casas dos unitarios, e retirando-se depoi3
da povoacao.
O rio Paran baixava rpidamente.
< No da 28 parti de Montevideo o vapor Whi-
teinch com o ministro da guerra e mais dazen-
tos homens de de infamara para desembarcar
na Colonia, que se dizia estar em poder dos in-
vasores, o que se veriou ser falso, tendo apenas
algumas partidas penetrado al o centro da po-
voacao.
O ministro, depois de ter providenciado
retirou-se com o resto da forga, deixando fi-
car alli nma companhia de intantaria e urna pe-
ga de artilharia, com T>s seus competentes petre-
chos.
0 coronel Campos aicancoa os indios que in-
vad raro, ltimamente os Tres Arroyos, apoderan-
do- se de 9,000 vaccas e rauitos cavallos.
Calcnlam-se que as perdas causadas por essa
invaso, excedem de 40,000 vaccaa, 5,000 eguas e
cavallos e carea de 8,000 ovelhaa.
< Carlas do Tandil dizem que a numero da mor-
tos e caplivoi feitos pelos indio chega a ISO.
O Standart, tratando da situagao poltica do
Estado OrienUldiz, qne os partidos, que alli estao
eqiluw 5^ concordes ero que para por flm
elles a Banda Oriental davia unir se republi;a
Arfeantuii, por que assim se assaguraria a paz do
paiz.
Accrescenta mais qu os proprietarios e os
boinens da posigao da .repblica vouriam por
esta medida, qae, se foise apresentada em for-
ma de plebiscito, seriam promptamenle resol-
vida.
Xio foi exacto ter Apolinario Beoitez recu-
sado a nomeacao para gvernador provisorio de
Entre Rios. Aguardava elle que o-coagresso ra
tificasse esta uomeaclo feita pelo presidente Sar-
miento.
" No Estado Oriental, contnuava a guerra ci
vil, anaunciando o general Batle pomposamente
para Montevideo, mais om* rrnropho atcanca-
do sobre um corpo de vinte blanco*, que ti verano
dous feridos a ffcrteraia nm priaiwifciro. Nao ha-
via comtmo-notfcta de haver o gnuerat Medi-
na effectuado a sua pasagem para territorio ori-
ental.
< A expedioao sabida de Montevideo para soc-
correr a colonia, ahieacada pels,Wnis, deixou
alli ama guarmgao de 80 Uomens e urna paca de
campaaba, o rejressou capital.
As noticias do Pacilico pouco referem de im-
portancia.
c Aproximaodo-se na Boliria o termo da dicta-
dura do general Melgarejo, lam fazer-se novas
eleigoes, indigitando-se o general Capero para pre-
sidente da repblica. No Chile fallava se de cri-
se ministerial. ,
' StlKAS-CBRASS.
I'alleceu no arraial Passagem de Mariana. D.
Anua Ramos, deixando h'vres todos os seus escra-
vos em numero de 5, aos quaes legeu urna casa
para morarem.
RIO-GRANDR DO SUX.
Alcangara 24 do passado as datas desta
provincia.
O presidente da provia nomera as commis
soes que tem do proceder nova demarcacao de
limites das cidades e villas.
Cbegaram ao Rio Grande os balalboes 4, 6
e 13" de linha.
A commisso nomeada pelos residentes por-
tugueses para tratarem de nma demonstraco ao
Sr. visconde de Pelotas, resolveu mandou fazer
um raedalho de ouro, cravejado de brilhantes,
tendo no centro a dedicatoria da colonia portu-
gueza ao bravo general.
De Pelotas escrevem dicendo que a commis-
so encorregada pelo presidente da provincia
de agenciar donativos para a linha telegraphica
entre aquella cidade e Bag j tinha alcangado
grande numero de asignaturas.
Na mesraa cidada de Pelotas fallecer o co-
ronel Francisco Vieira Braga e o tenente coronel
Jos Antonio de Campos.
SANTA CATBURI.NA.
As datas alcancam 28 do passado.
O presidente regressara capital de suas
excurses ao norte daoroyinfi'^...,.
A 23 chgou o 30 batalhao de voluntarios
d* p*lri.'i.
Diz o Despertador em data "de 24.
O transpone Werntck que partir para o sal
no da 19, arribou ante-bontem noite. Este va-
por apanhou pelo Estreito (altura do Rio Negro)
ubi grande temporal. O vento que se conservara
toda a noite de -O pelo Oeste, bastante rijo, pela
madrugada de 21 soltou de repente ao sul com tal
violencia, e levantou o mar com tanta furia que,
s 7 1/2 horas o vapor corra com um temporal
dasfeito. So tarde e quando o vento rondou no-
vamente OSO qae o terapo declinou um pouco,
e o navio pode demandar a costa, e a sombra dal-
la tomar a barra do sul.
O transporle S. Jos, que tambera seguir al-
gumas horas antes do Werneck, deve ter ariba-
do ao Rio Grande, se nao pode abrigarse em Cas-
tilhos.
Aqu o vento tem-se demorado pelo qua-
dran e de NO, e o horisonta muilo esgazeado.
Honteni, porm, rondou o vento para o Snl,
com aguaceiros, e o tempo tornon-se muito
mo.
Na Laguna avent O fez alguns estragos,
ameacando atirar com 03 navios praia, no anco-
radouro. A catraia da praticagem, que estava
fundeada, garrou at barra fra, e nao tomara
mais a costa, se,o vapor Uaperobt nao a fosse
buscar a reboque'apezar do mar qae havia na
barra ; sendo este j um bom servigo que presta
este vapor.
E' natural que tenhamos, infelizmente, de re-
gistrar mais alguns sinistros que devera ter oc-
corrido com semelhante vendaval.
O invern comega sob raaos auspicios.
s. PAULO,
do passado as noticias que rece-
dicialmeote manutenidos em ua liberdadeoscriou-
loS Januario, Antonio. J'isepha e.Jnsta.
A sociodade emancipadoraFraternisagao 1t-
meira-apresentou o acadmico o Sr. Brazilio Ki-
bar tres trias de liberdade conseguidas por seus
esforgos es* prol de iras eriangas enemas.
E" QMlpinas, diz a Gaieta lie Ganvpim de
29 do passado, o Sr. capitao Jas Bento- dos Santos
conferlo carta de liberdade a seu escraw Bteoe-
dicto, de 20'aonos de idade ; o Sr. Reginaldo Viei-
ra Barbosa, a sua escrava toanna, parda, de 7 a 8
anoos de idade, e a Sra. > Candida Leite Pernea-
do a sua escrava Lucila tambem parda e de menor
iuade.
t OSr,conselheiro Chrispmiano Soares tambem
concedeu caru de liberdade um seu escravo de
nomo BeaftdicM
rente em tjn.-era aogo de gragas pela feliz ter-
miiiagi) da f'.ierra eom p -Paraguay, manda o go-
verno imperial celebrar um solemne TeDeum no
templo para esse fim construido no campo da Ac-
clamago, havendo as salvas e embandeirainentos
do estylo.
O' Te-DewmfrqaG de compo"rfao do funda
oesta primeira vez em-que se digna honrr-n/v
eomsaa presenga, sioto-maopprimido pela neei-s-
sidnde de comegar por urna eapressao de acerb s-
sima dor, lamentando e trazendo-vos iembnca
a repara val perda do nosso santo pastor, que m>-
araou como as mermas pajiiilas de seus oteo., l
: ieraKsandft-nos tantas benetbios. De certo a nw-
dor do Imperio, o Sr. D.^Pedro t de mui aaudosa *a desventura Ul respeito-to lastiraavd *$.,
30
Vo at
beraos.
Comagavam chegar do interior noticias do
invern.
' Em Sorocaba imuve geadas por 4 e mais
noite-s consecutivas, perdendo-se um resto de ma-
gas dos algodes que esta vara por abrir.
Em Campias houve grandes perdas nos ca-
fesaes e cannaviaes. D'esta cidade escrevem ao
Diario de S. Paulo :
< A geada, segundo asseveram todos, cabio este
anno por aqu com tanta forga e fazendo tama-
itos estragos, como s ha examplo no anno de
1842, que passa pela mais extraordinaria nos an-
RTODR UNTJIRO.
O senado apenas traballiou no da-l, approvan-
do em tercira dlsoussao o projectoconcedendoau-
torisago para ser aposentado o lente da Pnculdade
dediraito do Rsoife, consalhairo Autran ;. e en-
cerrando a egaoda di.scnsgo do projecto de ftxa-
gao da forcas de trra. No di a 7;devia comegar a
discussid do voto de gragas.
Na cmara dos deputados prosegniamas di*-
cu-soes dos projeclos, cencedendo- subvengab de
40:000/ i compaa de navegagAo do rio-Ara-
guaya, e os orcatrtentos d- tninisterioe- d guerra
e da agricifltura.
Tinha sido lijo a mandado imprimir o- seguate
parecer e projecto :
a A 6." commisso de orgaraento, qjwm foi
presente a proposu do- poder exeeutwo, pedindo
autorisagin para levantar um emppeslimo de.___
3o,000:000#, destinados a completar as linttas da
estrada de ferro de Di Pedro Ib na 3? secgao at o
Porto-Novo do Cianha, na 4' at a Cachoeira, e a
linha do sed prolongaioeato at o Rio das Vainas,-|
apreciando os motivos que levaran, o. ministro da
agai-ulturaa solicitar a-dita autorisacao, ctlarece a
proposta convertida em projecto de lei.
c E eoasiderando a alta conveniencia de dar-so
tambem impuho s dnas estradas de ferro da Ba-
hia e Pernambnoo, offrece emenda mesma pro-
posta, autorisando o governo x rossata-las, e bem
assim a empregar a renda liquida no respectivo
prolongamento, e, alm da renda, a Jespender an-
nualmente ata-a. quantia de 1.800:000* coro cada
urna.
Accrescente-se no logar competente .
A assembla geral decreta :
Art. I. (E' o>da proposta.)
Art. f. O governo flea autorisado para con-
tratar coro a? cempanhias das estradas de ferro
da Bahia e PernarabucOi o resgale das mesmas es-
tradas, dando-lhw em pagamento ttulos da divida
publica externa
< O juro-e amorlisagao- d'estes ttulos nao exce-
der importancia do juro que o governo ti ver
garantido cada urna das ditas compaohias.
< Ari. 3.* (Additiro.) llesgatadas as ditas estra-
das, serav4t#nda-Jii|uida erapregada no seu res-
pectivo Br*)oga!Dento, segmado o trago que for
reconheeido mais vantajoso, podendo o governo,
atm ^ns- TCnaas, despemlT annnalnwrr al a
quantia de 1.000:000* com cada urna.
a. Art. 4. (E' o 2" da proposta.)
Sala das commissdes, era 27 de junho de 1870.
Ci-uz Macnaa.~Barros Barreta.Alfonso de
CartalhO
Por decretos, de 28 do passado, Io o 2 do
correte :
Na conformidade das disposicOes do 2. do
art. 2.' da lei n. 1,588 de 30 de junhu do anno
passado, foram transferidos paran arma de inan-
larfa, os tenentes-coroneis do corpo deestado-roaior
de 2.- ciasse Genuino Olympio de Samoaio e Ale-
xandre Augusto de Frias Villar.
Foram reconduzidos no lagar de juiz municipal
e de orplios:
O baoharel Adiolpho. Augusto Olintho, da termo
de Tamandu, da provincia da Minas Geraes
O bacharel Joao Gongalves Oiiveira, do de
Mogymerim, na provincia de S. Paulo.
Foram notreados juizes municipaes e de or-
phos :
O bacharel Antonio Jos de Moraes> dos termos
reunidos da S. Sebastilo e Villa Bella da Princesa,
na mesma provincia.
- O bacharel Francelino Das Fernaades, do termo
de Algrete, na provincia de S. Pedrdo Rio Glan-
de do Snl.
O bacharel Virgilio Martins de Mello Franco,
do termo de Bagagero, na provincia de Minas
Geraes.
Foram nomeados para a] guarda nacional das
seguintes provincias.
Para.Jos Joaqwm Pimentada Magalhass, ma-
jor ajadantede ordena do commando superior da
capital.
Maranhao.O tenente Frederieo Jw Branco e
Joan Candido Vi/Jira Torres, majores ajudantes de
ordens do comajando superior dos manicipios de
MsngS e Passagem Franca.
O alferes Oraste? Cydrono da Suva, capitao se-
cretario geral ; Gabriel Archanjo dos Reis, capitn
quartel mestre. e o alferes Delpbino Jos Blllio,
capitao cipurgiBo-mr do mesmo commando.
Piauhy.O tenente-coronel Manoel Antonio de
Miranda Osorio, chele de estado-maior do coro-
mando, superior do mnn'oipio da Parahyba.
0>capitao Manoel Rodrigues de Sampaio, teen
te-coronel commandante do 2. corpo de cavallarla.
Foram concedidas Jos naes campineiros E' j enfadonha e montona a lo. major ajndantfe de ordeos do commando ^up
versago que ha tres dias se ouve por toda a par- "'
tegeada e seus effeitos; e para variaros effeo>
tos da geada : o predilecto, nico e exclusivo
passa-tempo, que presentemente haporestaboa
trra, lmmenso o,nuraero dos prejudicados e in-
calculave1 o prejuizo.
Fazendeiros ha que, com os estragos. (Ja. gea-
da, ficanm, segando aUlorisadasopiniSes, comple-
tamente arruinados ; outros mais felizes, se ella
nao entender fazer-Ibes novas visita?, conseguirn)
com umita perseverancia e intelligente applicacao
salvarse ;'eos muito telizes, os desempenhados,
soffreram prejuizos em relago importancia de
sua lavoura ; um dos que a possue em larga es-
cala perdeu 150,000' ps de caf (!) sendo nesta
proporcao o prejuizo por aqu havido. Consta-me
que no Bethlm, Limeira, RioCliro e oulros muni-
cipios o prejuizo foi iuda mais cxmsideravel. >
Em data de 26 escreve o CbrretO Paulistano :
t O fri contina ihtensissimo. Teve o seu maior
auge na noite de 82 para 23. Na raanhaa d'esla;
ultima data a poplagao divertia-se em mostrar
aos visiohos, como cousa pouco vista, espelhos de.
gelo de pollegada e mais de ospassura. tirados de
vasilhas d'agua expostas ao ar. E' a tsmperatura
do zero plena, senJo um poucachito ahaixo.
< Valeram-noaas togueiras de S. Joao 1 e nem
debalde que. os devotos do milagroso Baptista
augmautam proporgao que desee o mercurio nos
tlierrooraetros'
Ante-hontem declinou um poned o fri, mas
asstra mesmo ainda nao para gcagas.
< O certo que ha muito anuos, nao temos
tao spero.
L-se na mesma folha :
O acadmico e notavel pianista, Sr. Brazilio
Itibar, apresentou sociedade emancipadora
Fraternisagao Primeira, de que membro, tres
cartas de liberdade, conseguidas por seus esforgos
pessoaes em, prol de tres eriangas escravas, decla-
rando na mesma doeasilo que estava em via de
realisar igual beneficio em favor de mais um es-
cravo.
Por sentenga do juiz" municipal da capital,
Dr Fe'jcio Ribeiro dos Seotos Camarp), foram ja-
rior da guarda nacional da capital da provincia do
Para, passagem. para o servigo da reserva, Picando
aggregado ao i.* batalhao do mesmo servigo.
Foi reformado, a pedido seu, no posto de coro-
nel, o tenante-coronel chefe do estado maior do
commando superior da guarda nacional do muni-
cipio da Paraabyba, na provincia do Pianhy, Eleu-
terio Antonio Soeres Braga.
Permittio-se aos tenentes-coroneis commandan-
tes Joao de Dens e Silva, do !. e Dr. Jis Fer-
reira Cantio, do 2. batalhao de infamara da
guarda naeional da provincia do Para, permuta-
rero entre si os respectivos commandos.
ifez-se naerc da serventa vitalicia dos 0fflc4os
de 1." tabelliao do publico, judicial e notas es-
crivo de capellas a residuos do termo de Pro-
pri, na provincia de Sergtpe, a Anonio fcsd de
Cerqueira Torres.
Foi declarado de nenhura effeito o decreto de 13
de outubro do anno passado, que nomeou o ba-
charel Joo Jos Gomes da Silva jaiz municipal e
de orphios do termo da Bagagem, ua provincia
de Minas Geraes, visto nao ter entrado era exer-
cicio dentro do prazo legal.
Foram nohieados o capitao de infamara Fort-
nalo Melebiades Ferreira Lobo e alferes de com-
misso Antonio Maria Pereira do Lago, esle para
olugar de secretario do commindo das armas da
provincia. da Matto Grosso, e aquelle para o de
ajadante de ordens 4a presidencia da mesma pro-
vincia.
O Exm, Sr. conselheiro Nebias tinha experi-
mentado grandes melhoras na sua sade,' e achan-
do-se em adiantada" convalescenga, esperava den-
tro de 15 djas reassumir 03 seos irabalho9 cmo
ministra e deputado.
Fallecen no da 5 do correte o capitao de
mar e guerra Antonio Joaquim Camilo d'Avila :
servio como secretarlo da missio Pedro Ferreira
ao.Paraguay e na Passagem do Tonelero, era ca-
vafteiro daa ordens de Christo, Rosa e Aviz e con-
decorado com a medalha da Passagem de Tele-!
ro e director do observatorio astronmico.
Lemos no Jornal do Commercio :
g' declarado de grande gala o dia, 10 do cor-
memoria, ser cantado s 10 horas da raanhaa, e
t 4 oras da tarde executar-se-tia no mesmo
templo nma canuta marcial, expressamente es-
cripta por uis .artista brasileiro.
SS. MM. a Alteza* Imperiaes sero recebidos
sua ehegada, tanto para ama- como para oulra so-
lemoidade, polos ministros ^conseineiros de esta-
do e pelo ajadante general que es acompanharao
at o lugar que. Ibes est reservado.
a Os [usamos ministros e eonsettieiros de estado
e todos os convidados sero reeebidos pelas pes-
soas encarregadas de os introduzirem, s quaes
apresentaro ,os- uliimosi, os respectivos candes,
oceupando os lagares que Ibes tirtrai designados.
< Os ofileiaes do e:.*rciioo armada, e da guar-
da nacional, qqpr eflactivos, reformados, honora-
rios ou de commisso terso ingreaso, anda que-
nao bajam receido convite, urna vez que sa apr-
sentelo em grande gala.
t Terminado o Trtoun*le lugar a parada da
guarda nacidoal nu mesmo campo da Acclamago,.
a logo em seguida cortejo no pao da cidade.
Escrevem-nos: Em. NovaPriburgo tem fe
to este anno muito fro : nos dias 23 e 24 de ju-
nho o tharraometro. de Raumur chegou a um
grao ahaixo de zero, appareceram cobertos de unv
magnifico lencol d geada os bellos campos ila
chcara SauvSoac, onde baria muito galo de
meio dedo de grossura.
Sobre o mesma assumpto dizera-nos da Var-
gem-Grande .(Itajub), em-data de 24 do passad* :
t A popalaga do sul de Minas acha-se na
maior consternago. Do da 21 do crreme-em.
diante a athmosphera. tornou-se frigidssima como
nd ha exemplo, e a geada ero grao descommunali
por tres dias consecutivos extingui algodes, can-
naviaes, fumaese outras-plantagde annuas cajas
colheitas ainda na se achavam feita-. A colheita
de fumo especialmente reduzio-se ao que estava
feito, isto quinta parte da colheita provavel.
O tbermometro cemigrado marca 4 graos
abaixo de zero. A lavoura, o commercio e por
conseguate tuda o mais comega a sentir os. tern-
veis efleitos deste invern quasi europeo, estra-
nho entre nos ha mais de 10 annos. O invern
continua e j os animaos somera a falta quasi ab-
soluta de pastos. >.
Eis as noticias-eomroerciaes da ultima data:
.Effectuaram-se transaegoos menos que- pega-
lares em cambio sobi Londres a 21 3/4 di,, papel
bancario, a a 21 7; e 22 d papel partwular, e
mais que regulares sobre Pranga de 433 a fe rs.
por franco.
Negoeiaram-se 23rt0ft soberanos a 10*W, di-
nheiro, 18,-080 ditos a 10*700 a prazo, 65-apoli-
ees garaes de 6.*/. a 84 % 30 ditas do.empresti-
mu nacional de 186 a 1:000*000. >
BARIA.
Apenas encontramos o seguinte.no.lornal :
1 Reunise hontem a asserabli.geral ordina-
ria, e-depois.de approvados os relatorios, e aulo-
risado o pagamento do dividendo ultimo, proce-
deu-se eleigo dos diversos cargos, senda vo-
tados :
t PresidenteJoao Luiz de Abren, e Silva.
S9cretarios1- drigues e Antonio de Freitas Paranho3 Jnior
Diroetor.Lino Porfirio da Silva.
SupplentesFrancisco Jos- Ramos, Jos Joa-
quim Leite Burgos e Antonio Teixeira da Araujo
Guimares. i
Commisso de contasCommendador Fernando
Pereira da Cunha.'
t No da 5 tarde foram levados para o seu
pavilhao na Lapinha os tarro triumphaftiios
festejos do da 2.
Pacnados pelo povo e aompanhados por
grande numero de cavalleiros- e pelos batalhes
patriticosbycrislns, Minenxt, Dffensor.es; de Pi-
roja-e Ulumros Sacicaaei,. percorreram as ras
designada- no programo, daado-se rauit03 vivas,
e reinando serapra muita ordena.
Apezar de ser dia ul, a concurrencia foi
"grande, e houve nella anoaeao, porqiu nos co-
ragoes verdadriramonte patriticos-nada pode fa-
?er arretecer o legitimo e justo enthusiasraoque
s mpre ateia a conuaeriirago da um anniversa-
rio coruo o da independencia da patria.
c Acha- sa rocolhido cadeia da villa da Can-
navieiras Manoel Maria dos Santos polo assassina-
to, c .inmettido no hesponh&l Manuel Osterio Pi-
nheiro, eui companhia de quem. sa acha va como
assalariado.
No dia 21 do mes passado apresentou-se Ma-
noel Maria ao Dr dslegado, declarando que-judo
ambos embarcados- em urna canda na direccao da
barra do Rio Patipe, levando Osterio bahs com
fazeadas do giro do seu negocio, na altura,d?a-
quella ilha cali ira Osterio ao mar. e nao podendo
ser salvo, Ihe pareca haver morrido.
t O Dr. delegado o fez racolher prisao, dea
todas as ordene para procura do cadver, que foi
encontrado, em esudo de putrefaegao, com urna
grande fractura no crneo, sem o pa'litot que usa-
va, e sem um relogio que trazia semprepor es-
tar quebrado o traocelira que o prenda ao col-
tete.
Iaterrogado o. reo, e procedendo aiuella au-
toridade s convenientes buscas, e&eonirou em
casa do pai de Manoel Mara dous bahs cheios
de fazenda; e miudeas pertencentes ao assassi-
nado. .
1 sendo eneonu-ada no pescago de Manoel Ma-
grande, qoe em vista das consideragoes humanas.
oousa alguma poderi*dar lenitivo nossa desoia-
oa>>. Mas sejam sempre tributadas as mais since
ras gragas a Divina Misericordia, que ao raesmn
terapo que abaie, en)*a, e qne-sabe sarar ao inti-
mo passo que fre, dando-nos na pessa de V.
S.Tma. urna bem exagerante provade sua honda
de para comnoseo, de um modo todo singular:
porque na magoa da. perda do venerando pastor,
temos a coBsolacao da recelter ara" ontro purn."
que nos hade condoair per vas seguras eom a
sua illnstracao; e o que maii, o exemplo, o que
nelle mais eanbrecia o seu augusto carcter,
ambara verm'os reatg*r em V. Rvma. que a mh
tagao do Supremo Pastor, Jess Christo que come-
gou praticar e depois ien*inh3r, nos estimla
fortemente a progredir destimidos na difficiHim.i
carreira qne aspirmes. Portento, nos reconheee-
mos todos em V. Ruma, o enviado de Dens para.
ser nosso superior e-nosso-eemplar, e, em signat
de nossa submisso, vos consagramos o nosso
amor e a nossa docH obediencia.
A' estes sentira^ntos o Rvrtx Sr. vigario capitu-
lar, commovido ;U s lagrimas e igualmente tu-
das, correspondeu dirigindo a palavra aos semina-
ristas, elogiando a boa ordero que reina naquetl*
eslabelecimento ; exhartando- os jovens educando-
proseguirem com.emulacao no per feito desera-
penho de seus devores ;.approvaado todas as sa-
bias dlsposicoes dadas peio-wr:uoso e zeloso pre-
lado o Exm Sr. b Francisco Cardoso' Ayres, de -
sempre saudosa memoria ; assegurando, finalmen-
te, ao seminario a .sua 1 especial proteccao, e to-
raandn-o desta maneira como o objecto mais im-
portante e principal de seu desvellos e soliciluda
na administragao de seui governo.
Depois passon .percorrer lodo o edificio, visi-
tando cada um-dos dornilorios, e tambem s ofii-
cinas, demonstrando com benignas expresse a
sua plena salisfacao. Retirou-se finalmente, dei-
xaade todos consalades, agradecidos e animados
dos melhoras desejos.
IMPORTANS&SAPTURA.Pelo alferes do cor-
po de polica Joo Pires Ferreira, commandante d.<
destacamento da villa da Flores, foi capturado,
aps alguma resistencia, sem consequencias fatae-
no termo do 9iaacd< da provincia da Parabyba, <
celebre criminoso Joaqun Nazario, autor de di-
versas crirpes .de homicidio e roubo, e chefe da
qoadrilha de malfaitores que tantas depredaede*
tem praticado nestes ltimos lempos no alto ser-
til.
CMARA Mt'NICiP*I-A' attengo da lllma
cmara municipal e de sea agente fiscal na fre-
gaezia de Santo Antonio, racommendamos o pre-
dio n. 6 da.ra do Livramentot cajo proprietarm .
enleudeu daver levanu-Jo pelo lado dos.fundos, er- .
guendo os oiwes urna altura alevadissima.
Ante-hontem urna parte do oao dolado do nor-
te aesraoronou.se, cabindo sobre a casa n. 4, sua.
visinha, e cauando-k damno.
Cremo.i que essa obra nao est sendo feita d*
accordo oooi as posturas municipaes, e em todo
casofaz-se preciso qoe alguma providencia se to-
me no sentido de- obviar algum novo desastre,
visto coma o oitd do lado do sal pareeou nos
pouco seguro, quando o examinamos, hontem.
CALCAMENTOiContina a ser refeito o da
ma Direta pela empreza da liropeza da cidade, de-
modo a deixar urna grande differenga de nivel en-
tre a parte antiga e a qae foi levantada para as-
sentarse os canos do esgoto. E' enlao irapossivel .
s obras publicas evitar esse abuso, que redunda
em prejuizo publico ?!
FOGO DE. ARTEFIClO.-Queimou-so ante-hon-
tem, noite o que estavaannunciada, nu espago
do rio Capibaribe, comprenendido entre a ponte
da Roa-Vista e a volta do rio no ponto ondo esta,
situada a casa do detengo. O fogo foi qijeimado
em parte sobre os caes e ra do Sol, e rSm parte
no rio, simulando este o ataque de duas fortalezas
por urna esquadrilha de alguns vasos.
O rio, uo espago refori-o, continha rauitos'bote,
escalaros,o caaoas Iluminadas cora laniernas eh -.
onzas, apresentando um formoso aspecto qae alada
mais fot realgado pelo bonito luar ime fez.
O fogo nao foi mo,.mas foi mal dirigido.
Corea de 10,000 pessoas enebia o porto e os
caes e suas casas. 0< fogo pnr.cipiou s 7 1/2 iv
acabou < 9'1/2 da noite.
FUNERAL. Os religiosos eapuchinhos cete-
brara. na quarta-feira, urna missa de rquiem coiu,
memento solemne-, pela alma do fallecido bisp >
D. Francisco Cardoso Ayres.
THESOURARIA PROVINCIAL. Por doliber.v
c4o da presidencia da provincia, de 9 docorrenj.-..
foi nomeado 2? escripturario da ihesonraria pr -
vincial, em vista do resultado do concurs* que
so sngeitou, o Sr. Antonio Jos de Aimoida Per-
nambuco.
Guan levou de nos?a
DIEHEIRO. O
praga :
Para a Parahyba
Para o Rio Grande
Para o Cear
Para o Maranhao
Para o Para
vapor
ria urna chave, e declarando elle perteooer a ama
oaixinna de ioiba do infeliz Osterio, o indicando o
lugar onde a havia enterrado, foi encontrada, ten
do dentro 490*000 em papel e 400ts. em cobre. *
O cambio regula va : sobre Londres* 21 3/4
a 21 7/8 d., sobre Pars 432 res.
A alfandega rendeu de 1 a 8 do corrate
232:30.t502.
REVISTA DIARIA.
QESTO DE ENVENENAMENTO.-Foi non
tem ouvido acerca d'esta grave questo o Sr. Dr.
Jos Joaquim de Maraes Sarment, que conclua a
sua exposigio s 5 horas da tarde. t' sua opi-
nio, pela que Ibe ouvimos, que nao houve enve-
nenamento pelas substancias vegetaes e miaerae
conhecidas na lexicologa.
Depois do intervallo de quasi urna hora, com-
nuou a audiencia, senda interrogado o medico ho-
meopatha o Sr. Dr. Santos MeHo, que auompanbou
o Dr. Victoriano de S Baha.
At a hora era que escreveraos, 7 da noite, nao
tinha anda concluido aquelle medico a sua expo-
sicao.
SEMINARIO DE OLLNDANo dia 10 do cor-
rente, s 9 horas da manhaa, f i este estabeleci
manto visitado pelo Rvm. Sr. vigario capitalar co-
nego Patva Torres, sendo recebido portara com
toda a solemnidade pelo Rvm. Sr. Dr. Lipparom,
digno reitor, e por toda a oommunidade, qae o
acompanharam at a sala de recepglo, onde foi
cumprimeuudb por ura seminarista, que assim
se exprimi, em nome de seas collegas : *
Encarregadu de cumprimentar V. S. Rvma.
4:000*000
.i:000*00(>
10:800*000
l(k38MMf>
l..>;04KV)
O vapor fraoeez Gronde trcuxe as seguintes
qu iniias : -umatr
Bailar, Oliveira 4 C. S'^SSSii
Pereira, Carneiro 4 C. W-^**"'
Manoel Teixeira Rastos ^'^XT!
Francisco Ribeiro Pinto Guimares 5:o00*0.Kr
Para a Europa levoa o mssmo vapor 8,000 irn
eos era oaro e prata.
EM TRANSITO.Com 20 reeebidos em nos*
porto, levou o vapor Gironde 262 passageiros.
MORlfe CASUAL, Ao araanheeer de doraros-
foi encontrado eni Santo Amarddas Salinas (> ea
daver de Manoel Nazaretb, morador da trattss i
do Costa desse logar; declarando os mdicos Icr
sido a morte produzida por congestao cerebroj.
PRONUNCIA. Pelo subdelegado da Passagem
da Magdalena foi pronunciado, como incuRso as
penas dos artigos 193 e 205 combinados, com o
artigo 3i do cdigo criminal, Antonio Joaquim
Botelho.
TRAGEDIA MARTIMA,Arribou domingo, pe-
la manba, ao nosso porto o brigue noi te-allemio
Thereza, capitao Kuper, que ia de Buenos-Ayr>-
para Liverpool, a bordo do qual deu-se o segua-
te tacto : .
< Na madrugada de 5 do corrente, estando o
navio na lat. S. 5 30' p long. 0. de Greenwich 2\-
30' o cozinheico Rodolpho Harael e o moco da c-
mara Frederieo Schuitz, ajinados de faca, aecnm-
raeterara inesperadamente o primeiro njloto Her-
mn Brandt e o segundo.Jaw.b Sanoson, que tjsta-
vara de. quarto, os quaes seutindo-se feriaos an-
darn) por soecorro, ao mesrao tempo que procu-
ravam livrar-se dos aggre99ores.
a 0 capitao, que eslava dormindo na cmara,
acordou assustado e tratou. de subir ao. convez
perguntando o que succedia, mas penas appare-
ceu foi aggredido. pelo teop.f"* e *
uma facada, a qual felizmente so e leve ferio o
anito as costas, por ter este fgido cYn o cor-
capitao as costas, por
no ao golpe.
Em acto continuo desee a cmara, e arm3n-
dp-se de rewolver e espada, torna para o eonvez.
i'V
*!...'!"?
^"^T^
T*
H I *3&byiti*t ra^


1
Diario de P trnambuco Terqa eira 12 de Julho de 1870.
fU^H

>
, Ji esledos rom os coro* ^&ZSJ^MWm1Sm^
rastra e<
iis nssa'
) porta
marinhi'
4 tripolar
bir. va
, Como vissem
a para o rancho da proa a cu-
para-que uft abusara tloas
l lavara dettados, > res
cavn matar, o qmc lentosse su-
den-
lar a nomeac ^ ^e roJU j^j faer parte 4
catnmisso n / fregticiia do Recife. Iateirado, e
fo nomeaiK^sr.'LuTz de Oliveira Azevado.
Outro f, ^ministrador do cemterio publico
havia 36 horas
fo capillo armado de revolver,
nao misaran) alaea-lo, e esta por sua vez nao
ayancan' obre Hes pur e*ar s, oaflser*ndo**r
re.
. Nesto smaca aataobeoe p dia, o logo ao
.horisnnte appascceu urna vela.
Sem porda de tempe o capilo c* a banieira
^podindo soccorro.
. O navio que apareca, era baroa,eerue-
oensv Cnrtntin, capitio Abracara, em '"" ae
Huston para limos.Vyres, O qjal.ncuiUolinme-
4iatamento, enviando a bordona* escaler Wpola or seis horneas.
Erara sete paia oito horas quaudo alracaram,
* sabendo do occerrido aproxwnaram-se armados.
,1,is criminosos, e primeira Inlimacao rondeu-se
. r inhero, preeuranda resistir o rapar que, ven-
ase p*T sim ntorrer, emiw morree, a togado, a ser algo-
loaJo. como fii o seu cottpanlieiro.
Feito iatu, trataram de cooduzir os ferjdos ps-
T\ a cmara, onde foram applicados os reaaedios
que haviam, mas de aad* servir n, pois marre-
rnm arabas no uiesrao dia, uin s II horas e eu-
iro a 1 da tarde.
Laucados ao mar <>s seus cadveres, e pos-
ta o urea dentro de um oaraaroie seguro, es-
pecie deBrisao, tornos a gente do Corenti* para1
bordo do seu avio ao cahir da noifc, cando se
capilim Jo Therezu com os suu* dous tnpolan-
tos jue eram suficientes para condutic o navio
at a ina de Fernando de Noronha.em coja -
uluace estovara.
Infelizmente aa paderam gaubar a ilna,-c 10
rain obrigadus a Haser rumo para o aosan parto,
aoude chegaram hootem pela maefcaa, irazeodo o
.alAver do cuatahairo que raorrera, deatro da pri-
sao em que o tintara encerrado >%eido.
Ocorpo eslava ptrido, pais
"que marte seiiaha dado. .... c.
t bogo que o navio eulrou, toi bordo o br.
-roasal interiao Lindebur, qu^ depois da exaine
anuario a que procede* o Sr. t. inspeclor de
saiMa d.) porta, mand-m sepakar o ca-iaver na
i iba do Pw por ordem do wesraa ^u**^0'-
no portoTapressaram-Bfl em Merecer os seus sfr-;1
vicos ao cornal iriotachegado, e algaas homens,
que deram. loma rain coOt do tevio asm de que
o capilio tuper, e os tm* doas niarinbeiros, que
ha neo das nao ilormiam. pedessem repousar,
pt>is esuvam al quebrados de faga.
Teado sBo 0 acaateamenia paseado em alio
mar e a bardo de navio atraogeiro, nata team,
que ver com etlo as autoridades do pan, e todo o
processo alazor-se lera lugar a cansulado norte
alleoian.
ClltO BQUKSTRR.Reitisoa-s; no sabbado o
twnfima do primeiri partaco da oompanhia du
Sf. Luir. Gisali, no pavilnao Santa J-*bel, com
40M irreaca extraordinaria, e applausos gerae.
Han BMrmiiloa pelas novtdailos qae apresentou
Hl*, dVrare as qHjes snbresahiram os salto na
batuda nglea, a alta escola ao avallo apparenlu,
a pusu nacional cora wto ca vallo, a dupla ka rra
xa, m ada um dos qnaas o beneficiado execu
wi sorpraBd^ntes e arriseadissimos iwerclcios.
Tomau.tanilmm parle ni espectculo o sympatbi
c> artistadternambncana.eKi'eataBdo admiraveis e
pengosas turra fixa. Imelligante e conUeeedor da arte que
professa, eo artista Vicenta do llega falt nas perder um cerlo acanbamento natural, que
<|ua>i lae tolhe o passa no camwtoo d.i progres-
so. Avaate e bem dve ser sempre sua divi?a,
reno de e;ae o publico reconbeee seu mrito e u
salirr g8lardoar.
UKCTlFiCAQAO. No resumo dos pareceres mo-
tleos sobre u 'envenenamenlo, *i que se suppoa
teram sid-) victimas o tenentt coronal Joan de ba
e r. Victoriano de S, houve um ensao na rn-
-um< do >arecer do Dr. Esteio ^*lcante ; c.-te
Sr. de opiniao, que em face dos phenomenos
que nbwvou na mancha das molestias dos daus
tinados, e do que sonbe depois, houve epvenana
ment per substancia vegettl daeiaase doshypos
thpni!>akee.
Coutacc observar que os resums que temos
eito. tea sido inalados e;n aclis de himples nu-
-moria, a por cou-erunte i>ole ter involuntaria-
mente escapado aliiina circumstancia. Nao ti-
mos a respeilo opiuiio feita.
VAPOR POTENGl.Ao amanheeer de 5 do
crrente, bateu este vapor di coinp;mhia Pernam-
bucanaae entrar da barra do Penado, h. depois
do estar deotro do porto, M mister encalha-lo na
inai-gem do rio, afim de efgolar a egn que fazia,
no v.ilume de tres bracas popa, E' de suppor
ijue ja se ache elle em viagem para e nosso porto.
LlalPEZA DA CIDADE.Moradores da ra das
<: nm Pootas, pedemnos para que obteuhaisos da
.-..(i,.:i!ibia o substituir por urna cjmpa a chama-
.:i dos e pregados, como a da estrada de ferro,
vis que 1 signal do apilo torna se oncommodo,
li/ifi.ipalmtnte, s seis horas da manhaa, eespe-
i... >er attendidos no pedido que farem e que
..liamos justo.
PROCLAMAS.Foram lidos no dominjro aa ma
Jn < a Ireguezia de Santo Antonio os proclamas
- .Minies:
1.* denunciacao-
J 1-Vrnandes de Amorim, com Mara Franeis-
<.. le Suiza Barreiros.
^.1; 111) Francisco Perora de Lyra, com Anto-
nia Libania de Mello Teixeira. ,
Francisco hidoro Itibejro de Garvalho, com
Francisca Xtvier AntunesTerreira.
luviniauo Joaquim Alves, com Ermeliada Isabel
da Silva.
Jo Miguel dos Santos Jnior, com Joanna Ma-
ra Siqueira Amanes.
Joo Domingues Alves Moreira, om Bella rmma
Francisca de Albuquerque.
Ho>tolano Mvos Ferreira Penna, cora Idahna
Julia da Gama.
2.* denunciaco.
Joaquim Jos de Sant'Auna, com Jacintha Mana
de Paula.
Jeronymo Caraeiro de Albuquerque Maranhao,
com Amelia Leopoldina Ferreira.
Antonio Joaquim da Silva Lopes, com Claudina
Maris dos Santos.
Jesuino Jos de Jess, com Mara Clnslma Leo-
poldina.
Pdlro Marques da Silva, com Amelia Eugenia
do Nascimento.
3." denunciaco-
Joao Alves de Aquino Wanderley, com Mana
Paixao das Vrgens llamos. .
Antonio Alves de Araujo, com Anna Jacintna
<1e Msttos. ,.
Francisco Elias Ferreira Osmim, com Umbelina
-Maria do-Bom-Parto.
OatnNo Valeriano de Noronha. com Filomena
Maria de Jess.
HOSPITAL PEDUO II.O movmento desse es-
tabelecimento- de 4 10 de jumo de 1870, alera
do 246 doentes existentes, entraram 43, sahiram
29, falleceram 6, exislem 236, sendo 188 homcus,
e 98 niulheres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras uestes das as
7 1/2,61/2,61/2,7, 7 i/i, palo Dr Ramos ; a
11.1/2, 12, 12 1/2, 11 1/2, H 1/2. i2 */2,
pelo Dr. Sarment.
Fallecidos.
Antonio de Sonza ; hypertropuia do coracao.
Marco dos Santos; dysentera.
Isabel; apoplexia.
Manoe Sampayo do Naseimento ; gpato spleaita._
Jos Domingues da Silva ; pneumonia.
Joo Gomes da Silva ; anemia.
LOTERAA que se cha a venda a 133,*
beneficio da Saeta Casa de Misericordia, a que
.orre uo dia 16, enjos bilbetes se vendem na res
j^riiva raesoutana, que e mudou para a ra da
Oad:ia n. 23, e tambem na leja dos Srs. Por &
Bus'.os praca da Independencia n, 37 e 39.
PASSAGEIROS.Sahidos para a Europa no va-
por francez Gironde : .
Bernardino Jos da Silva Maia e sua mulher,
Joaquim Francico da Silva Azevado e stja mulher,
.Fortunato Jos Marques, Jnao Thenorlo Vioira de
vlillo, Joaquim Xavier Vielta Ligo, Jos de Souza
Lelo e sua mulher, Mariano de S Albaqnernue e
sua mulner, Horacio Braga de Souza Leo, Vctor
irandln, Marcelino Beampaire, Antonio Rodrigues
Pinto, Jos Luii Gomes Ferreira, Eiluard Paiun.
Jiaa d/ Racha* Sijva, Bernardina Gomes, Manuel
Feraandes de Dma. viuva Faure e 1 neta, padre
Jas Luiz Gerveira.
Viudos do sul no vapor francez Gvronie :
Sebasllio Fernandjes de Almeida, Boaveuturi
Ribeiro de Anrade, Levy Dav.d Fscar, irmfta
candada Margarida.
GEMITE 10 PUBLICO.Obituario do tia 9
Julho de 1870.
Hara, parda, 4 annos, Santo Antonio; tumor
ticao.
Praiicisca braaco, Pernambaeo,- 7"raeTe*, oa,J
vista; .hcoatita chfonica.-
Domingos, ssra.vn, nrelo, Pernambact, 68 armar^
solleuti, Santo Ant-ink); dvarrhea.
Mauoel, oscrkvo, (reto, frica, 42 "annos, **lro,
Recife ; cspasn*.
Justino, escravo, pardo, Peraarabuao 3 raazi
Santa Antonio; conva'.
Manoai, papda, Pornambuco, 8 mezm, Santo
toUJa; tumor
Jos, pafdo, renianihaKo, 7 aieies, o^ Antn**, *sbasiiwta eafagado, aMt
pawatea.
10
MaariH di; Nazareih, pardo, Pertranimco, 48. ara-
nas, vwno, B.iavi*ta ; coj|i'*Vi-wtebnal.
Um enanc fue f>lbola.'a nwriaam roda,parda,!
l*eMa'maueo, t mea, SamoJaiitaaio ; f^uaaaBfi.
Jorge, preto, frica, 80 annos, sotteiro, Doavista ;
inflammacao uo intestino.
Claudina. parda, Pemaiabui, 3 dias, Santo An-
tear ; espwsma.
GaldiuaMana4o> Aajo*, parda, PeriMirabacij.
aauas, viova, IVeavista ; astro entera eolito.
Rodopiauo, fernambu :o, 2 meses, S. Jos; con-
Cowaa topas de Olivetra, braaea. Beitiambuea,
annos, nova, Recile ; febre typhmte.
faao, braaco, Peraainlo.eo, 4 diaijbtavist i a*
vuboes. .
Liberata, preta, scrava Pemambu, 2 onaao,
gulltfk-a, Boavisia ; gajtu inieiile.
tealboid B,'ajomnwmcando qne, *n conaaquau
ciadoi'. '".s^aijvpnte*. domesrap cemiterio, aoba-s ^cx p.a m, pidaria nltimamente e*
redtf.*) floa* smenle.Qae se pejA-autorfaa- rua do Carnario, aa Boa-Vista n. 13,
V" vresdencia para elevar a SOO danos ao2
PUBUCACOES A PENDO.
Pao de Vienna.
iio podemos deixar de chamar A altea^io
cwmmnswmm.
maiBI XAL Bt RULAl'iO.
SESSO EM 2 SE JLHD DE 187fl. .
>asaeNCiA.*oo kxk. -aa. cosskuiuio caTABt
SAMTlXGO.
Stcrttari* interino Di: Virgilio Ctilkt-
As 10 horas da inaahaa, presentes os Srs. desera-
baasadorea Gitirana. 'Gaorra procarador da coroa,
Alaaeida Altmquerque. Moua, Onria, Domiagaes da
Stlva, Reguaira Cost e Souza Leo, faltando com
causa o Sr. desembaiTJtfor Loareaoo Santiago, oi
abena a aessaa.
Passados oa feitos, deram-90 os seguintes raiga-
avenios c .
Cjuttx TssTiniuiHXTKi..Aggravante, Margarida
Candida da Cunha Alaieida; aggravado, o jui-
Os capts dos navios norte-allamaes, surtos zo.Relator o Sr. deaembargadar Guerra, sortea
doa os Srv. desembargadnres Souza Leao e Gili-
rana.Daram provunento.
Racuasos ca*.Recurrente, > juiao; recon-
dos. Lua Frauflaoo de BlineiJa e outrj.Relator
o Sr. desembargador Gilirana. sorteados os Srn.
desembargadore* Almeida Atbuquecque, Souza
Leo o Duraintiues da Silvas Improcadecte. Re-
oorreute, aju-zo; recurrido, Paulino Jos da MI-
v;,.Relator o Sr. dse nhargador Soiua Le.i,
sorteados os Srs. despinbargadores Domimnea da
Silva, Almeida Albuquerqua e MolU.Improce-
dente.
Rbccuso dk faubnoia.Recrrante, o jrazo ;
.recorrido, Ferreira, Piio& CRelator o Sr. des-
einuargailor Souza-Leao, sorteadas os Sr*. desem
bargailores Gilirana, Almeida Albuquerque e Do-
mtngnes lia Silva.Improcedente. Recorrente,
Jedro lavares da Costa F1R10 e Hearique do Castro
Magalhes; recorrido, n jeizo.Relator o Sr. des-
embargador Reguoira Cwt, sorteados os Srs. des-
emliargadores Almeida Albuquerque, MoUa e
Gilirana.Reformada a sfntenoa.
Appbllaoes avias.Appellaate, Salustiano por
seu curador; appelUdo, Urtiauo liaraosa da Sil-
va.Desiiresaminxw embargos. Apellantes, Jos
AIous) Ferreira a sua.mullier; appelladn, Anto-
nio Guinea da Macdo.Mandaram urna dili-
gencia.
Abprllacao cbiue. Apuellante, o promotor;
appaUados., Manuel Menies da Silva e Jos Men-
aes.Maniliram o priiueiro a u >vo jury e obsolve-
rain ao segunda.
PA86AGKNS.
Do Sr. desemoargador Guerra ao Sr. desembar-
gador Lourenco Santiago.Appellaeoes civeis :
appellanie, Jos Antonio Fernaodes Fradique;
appellado, Joaquim de Albuquerque Caslro. Ap-
pellanie, D. Maria das Naves Mwanda de Olivei-
ra; appellada, Rosa Maria da Concerno Appel-
lanie, Manuel de Azevedo Ponas ; appellado, Joo
de Deus Guinaares. Appellauo, Jo,- Lourenqo
da Silva; appellado Joo Mauricio Cantoso. Ap
pellaute, bacharel Lnix da Silva Gusuio ; appel-
lado, Jos Joaquim Gonoilves Bastos.
Do Sr. deseiabargador Almeida Albuquerque ao
5r. deserabarfador Motta.-> Appallacoes civeis:
appellanie?, TrajaM Americo iU Caldas Brandio
e outros; appell.idos, Jos da Silva Barosa e ou-
tro. Appellanie, a S.nta Casa da Misericordia;
appellado, Candido Jos da Silva Guintaraes. Ap-
pellanie, Mana Joaquina de Sam'Anoa; appellado,
Antonio Beriins de Carvalho.
Do Sr. desemoargador Multa ao Sr. desembarga-
dor Doria.AppellacSes civeis : appeliante, An-
tonio de SeqiiHira Cavalcauta; appellado. Antonio
Carlos Poreira de Burgos. Appellanie, Francisco
de Barros Reg; appeliado, Francisco Manoel de
Siqueira.
Do Sr. desembargador Souza Leao ao Sr. des-
ambargador Gilirana. Appellaco civel: appel-
lanie. Antonio Villte de Oliveira ; appellado, Pedro
de Barros Cavaleante.
Decigencia cbime.Ao Exm. Sr. desembargador
promotor aa juatca : appellanie, Manoel Romual-
do Pereira; appellado, o juizo. AppeHante, Hay-
mundo Carduso da Silva; appellada, a jnslca. Ap-
pell-inte, o juizo; apellados, Antonio Luiz*Pereira
e outros. Appellanie, Luiz de Franca Ventana ;
appellada, a justca.
Assignou-se dia para julgamento dos seguintes
feitos:
Appellaqoes civeisAppeHante?, Jos Affonso
Ferreira e outros; appellado, Antonio Gomes de
Macado. Appellaate, Salustiano por seu curador;
appellado, Urbano Barbosa da Silva. Appellantes,
Silva L*ao & C; anpellados,,os herdeiros de Ale-
Ujsrnla.
Outra do BddBio, dizead^ qa*,*ndo dft urG-
r,.cv idato paquell*^tahf|*net|l') un relo-
a>. pan refmtor'uar o aefvicosT qne lein acba
tsVbaslimtaaMragailo, arn qua aa preatb raaisa
^acert } paje que se dlfwera mandar obtltuir
par uutfv aasim eonwi, ja rorjwcidp fmanova
Nieta, vis*que Mi ao>ervia/\ acbai.se multo
eminoaaUcio.-Queo dmiajiilpdor miWlden-
do-se coa o veredor aaearregadados negocios do
meara.> eaaiiterio (o Sr. Mosceae! oampre es objea-
tas referidas.
Outr* do secrelatio mterino destt cmara, n-,
rormande sobro o que requawt em seasao do 1*
do eorNMe o lllm. Sr. vereador Dr. LoboMoscoso.
30l Iuieirade. .
Ou;ro do engenheiru cordeador, mormaralo
coutra o requerimenlo de Joaquiaa M.rfia do Es-
pirito Santo.Iudeferio se.
*)irodmeme, lufarajando o imqneiwienlo a
Joaquim Marliuho da Cruz Crrela, no qual pedt-
licenca para abrir nm p 'So o rairOdo -oo si-
to no higa/ do Moni;iro ; lera a dizer que bao lia
lacoiivemoatu ao qoe pede o supplieantft-CoBae-
deu-je .
uiro do mesmo, informando sobre n que peda
no re^ueriroeato junto. Qario*o. Farreira Cam-
j.s, para limpar a rtto de s.-e predi) na rua da
Caileia a. i, Hit que nada leu a oppor.Conce-
da use.
uiro do mesmo, informando o requenmeno
d Saivro Sorapbim da Silva, no qual pude licenca
uara lazar-um muro nuseu sitio na rua do Lame
rio do Uonteiiu, euuipre-lne diaer que nao ha in-
,-ouveuieuie ue que pede o suppllcaftle.Conee-
deu se. '^
Outro do mesmo, informando sobre o requen-
meoio de Urhno Vicente Ferreira, nu |ual pede
eatanelecida
.13, ond ob
a eudAdu#M'reecao do^t. J^ftJelelhqJaB|r# -fj^,, demea
licenca para abrir duas portas no caixao da casa
n. 3, no porto do Capim, cumpre-lne dizer que
fabtfca-sa'attlusivamenlapao d Viena.
Para lomr-se patele a sunjeioridad* d
>re qaala,uer outro, basta diaer-4 ajue o
po de Viena, o preferido, o eeosiderado pao 4a
(yo em todas as capilaes da Earopa, principal-
mente era Vienuad'Austria, doaao ortno.
O pao da Vienna, nao se disbagae s pelo la-
bor delicada que tem, coaao sobra tado, porque
raais vantajoao a economa humana, visto como
sna masaa amito mais lava qne a de qualquer
outro, e nada susceptivel de azedar-se.
Parece pos, pois, que opio de, Vienna ojne-
Uwr ue acuaalmenie possuea ijroviacia, a a ex-
periencia nos mostrar se assim e ou nao.
O pao de Vienna acha-se venda, no.s na-
quella pdara, como pelas ras pneipaes da ci-
dade ; a .fatdico vira por fim reconbecer a ver-
dade do que avancamos.
1 'I UJI-I '
Hlms. Srs. redactores da Revista Diaria. ()
Qajrae.aciaJ WiU .
Carvao vegetal......
Cera amarella- .....
(dem de carnauba em bruto.
dem dem era velas,':'.'.
Chi -
Cocos seceos........
Colla.
a
canto
kilog.
kilog.
maasa.
xandre Jos Rodrigues. Appellanie, Joo Baptista
da Cosa Colho; appellados, Anna Ignacia e seus
lhos. Appellanie, bacharel Francisco Ferreira
Muniz Ribeiro ; appellado, LaurianoOlindino Qua-
resma Torrea*
Appellacp craME.Appeliante, o Juizo; appel-
lada, Generosa Franci>ca de Souza.
Appellaqao civel.Mandou-se com vista ao Sr.
desembargador procurador da corda : appellahtes,
Francisco Jos Leitfio e oulro ; appellado, Manoel
Antonio de Vasconeellos.
A' 1 hora da tarde encerrou-se a sessio. 4
da
de
IMARA MUNICIPAL.
3ESSO EXTRAORDINARIA A03 8 DE JNHO
DE 1870.
PRESIDENCIA Dd SR. CAMEIRO, CONTIHUAOA PELO
SR. COSTA JCMOR.
Presentes os Srs. Dr. Moscoso, Gameiro, Costa
Moreira, Pessoa da Silva, Dr. Pitanga e Dr. Se-
ve, abre-se a sasso. lda e anprovada a acta da
antecedente. *
Leu-se o segunta
KXPEDIK.NTE .
Um offlcio do Exm. vice-presidente da provincia
de 1* do correnle, declarando a cmara eoa res-
posta ao seikoflkio de 28 de maio ultimo, sob a
33, que appruvi o orcameoto na importancia de
603** cora a consiruccao de um parado e aterro
no isthrao da Cabanga do maiadouro de que trata
o citado dfficio, e auloriaa a uiesma cmara a des-
pender aquella quaatia. Que se pozasse era
pra?a.
Ouo do mesmo de igual data, respoadando ao
Sue \ue dirigi a cmara em 1* do crrante sob n.
8. que approva o orcaraento na importancia de/
43o00cuin o ealcamentoda que necossita as es-
tradas do MaUdouro publico, na pane que actual-
mente se acha cercada ; e eoncede a autorisaijo
que pede a cmara para despender aquella qan-
tia. -A mesu est 10(90.
Urna peticio dos religiosos capuchinhos'desta
provincia, com despacho da presidencia de 6 do
crrante, andando iuforinar acerca da pre,teoc5o
dossn[)[ilica;its. Que se remettesse ao advogado
para emillir o seu parecer.
Outra de Bellarmino Alves Arocha, com despa-
cho da presidencia de C do corrente, Ba iual in-
siste anda pela arremaiae dos ulhos de acn-
gues da ribeira da freguczia de S. Jos.Que do
novo ss informasse a S. Exc acerca da preiencae
do suppllcante.
Um offlcio da cmara municipal de Olinda de 2
do correnle, acensando o que a cmara Ihe dirigi
em 3 de maio ultimo.
Oulro da cmara municipal da villa do Bonito
de 24 do mez de maio passado, aceusando tamban
o offlcio que Ihe fol dirigido em 3 do mesmo mez.
latetrado.
Outro do escrivo da irmandade do Santissin
Sacramento da freguezia de SaDto Antonio, convi-
dando cmara m norae da mesa regedor d'a-
quella irmandade, para acompaahar a pweiaso
de Cerpui CkrUU, que tem de aahir da matriz ao
dia 1C do crrante.Inteirada.
Outro de Luiz Goucalves da Silva.-communican-
do que, pelos seos muitos afazeres, nao poda acei
nao na iacoaveaieale uo que peda o auppieaBte.
Coucedeu-se.
Outru di msalo, informando sobro o qne pede
ao requerimenlo junto, Jas Alves da Silva Guima-
res, no qual pede lioeoca para construir duas ca'
sas com salea em seu terreno na rua Formosa
cumpre-lha dzer que nada ba aopper, pre-
lewjao do supphcaole. Aaodo-se. previamente a
corapetenie eordearo.Maadou-se oordear.
Outro do meono, intarraanlo aobrao qae pede
uo requerimento jun'.o,-Davtd WUaxn Bonman,
lera a dizer que nao baitaoonvaatonle.Da qae pe-
de o >upplicaiite.Cjnceieu-se.
Outro do mesmo, informando sobre o q*e pede
no requerimento de Manoel de Atevedo Santos,
para con ertar a frente de sua caa n. 39 d; rua
das Cinco Ponas, cuaipre-lbo,diaer que nao ba
inconveniente uo que pede o suppUoaabJ/Con-
ceileihse .
OuUH do mesmo, informando a.pefao de *er>
oviuu da Souza Leo, no qaal pede licenca para
construir 46 palmos de muro na frente do seu ter-
reno, na rua da Victoria da povoacao de Santo
Amaro de Jaboalo, tnm a dir.er.oae pela planta da
pwvoacio, aoha-se projeoiada orna travessa que
vai-dar ao rio Concedeuse.
(lulrudo inasmo. iii-rmanio coutra a pretenrao
de Luiz de Franca e Silva, na qual peda para
construir urna casa te laipa na Cahaaga era ter-
reno da sua proniiadade,Indeferio-ea.
Ouara do m sino, iuurmaudo sobre oque pede
nojiqueriiueulo junto Ferreira Maia de Cao
qual pede licenca para elevar palmo e raeio as
porlas do andar terrt da casa n. luda ruado
Duque de Calas, tara a dizer une, como a* obras
que pretendeni os supplicantes taz.jr, d mais ele-
gancia ao predio, parece-lbe que se deva coasen-
tir. Concedeu se.
0;tro do mesmo, informando o requerimenie
de Joaquim Caetano da Silva, no qual p ..le liten-
ca para concenar o caao enternaoo na parede da
cas., n. 8 da rua .'os Ossos, cumpre-lhe dizer que
noba inconveniente*no que pode o supplicante.
Concedeu-se
Outro do mesmo informando, o requerimeot.>
de Francisco Jos da Costa Araujo, no qual pede
licenca para levantar um primein*.andar, na sua
casa terrea sita 110 Cajueiro; iem dizer q e nao
ha inconveniente no que. p.'d/J o suoplieunta tus
ctanlo elni as obras de conformidade cora,as pos-
turas era vigor.Concedeo-s&
uiro do mesmo. in.urieaBdu sobre o no requerimenlo Manoel Benebclo dos Shntoj. li-
cenca para construir ptenla palmos de cerca em
era anu terreno no lugar de Santo Amaro ; tem a
dizer que pe e-se souwat dar urna cardacao
jfovisoria para a dita cerca, visto a planta da-
quelle lugar aindano aati concluuia.-Maodou- cordear. .,
Outro do raesrao, informando sobre o que peje
no requerimeato junto o Dr. Cosme de S Pereira,
no qual pede licenca para levantar nraa cusa era
.seu mu'o na estrada do Remedio, arredado da es-
trada ISO palmos poueo mais ou menos, tem a
dizer que nada lem a oppor a prelencio do sup-
plicante.Concedeu-se.
Foi a^provado um parecer da commisao de pe-
tici no sentido de qua se informasse a presiden-
cia com copia do mesmo parecer, relativamente a
pretenco do cirargio Francisco Jos da Silva,
que requer a sua aposenUaocia.
Foram igualmente approvados dous pareceres
da commissao de ediaaco. O primeiro mandan-
do que o retjoenmento de D. Arcelina Xavier Ro-
drigues Campello, juntaste titulo do lerreno de
marinna de que pede pagamento da parte do ter-
reno que fora ourigada a ceder para logradouro
pnblico. O segundo mandando remoller copia dos
pareceres dados acerca da requisico de S. Exe.
sobre a canvenieocia da esta?o e ponto de par-
tida marcado para os trlhos urbanos desla cda-
de a Olinda.
Igualmente foram approvados dous pareceres
da coininisso encarregada dos negocios do cemi-
terio no sent lo de ser indifferida a pe icio do
capilo Camillo Augusto Ferreira da Silva, e outro
mandando que se informasse a S. Exc com copia
do mesmo parecer dada em vista da consulta que
Caz o bario de Ouricury sobre o terreno a perpe-
tuidade.
Tambera foi approvado um parecer da commis-
sao de saude, no sentido de ser indifferida a pre-
tencao de Candido Carneizo Neves, que pede para
estabelecer urna fabrica desabo naraa Imperial
O Sr. presidente nomeau os Srs. Dr. Joo Maria
Seve, Dr. Pedro d'Alhaydo Lobo Mocoso e Jos
Maria Freir Gameiro para tratar da relsaco do
funeral por alma daquelles que falleceram nos
campos do Paraguay.
Leudo a Revista Utarta de huje ftqapi era extremo |
sorprendido de ver, qne davm Vv. S?. noticia, de
que nao aflirmei nara neguei ler aavido eavene j
namento, quado pelo contrario afnrme mu posi-
tivamente, que em conclusao, tinhaeu dizer, oue
p lo que vi e fui informado, as morios dos irmaos
S e Albnquerque, Heviam ser atribuidas a enve-
nenamento vegettl da classe dos bypostbBnezan-
les, porra que nao podaconbecer e nem de-
clarar qual fosse elle.
Isto est to dhTerente do que II na referida Re-
vida Diaria que entend nao poder deixarptssar
sem reclamacao semelhante noticia, sem drrvida
trausmillida a seu Diario por alguem mal informa-
do tobre o resultado de mnha declaraco; pelo que
me apresso dirigir a Vv. Ss. esta reclamacao
indlsnensavel para os leltores que (tosejara ter co-
nhe-imento das diligencias da polica em nm caso
lio grave. De Vv. Ss. muito respejtador.e criado.
Dr. Estevao Cavaleante de Albuquerque.
COMMERCIO.
PtACA DO RECfFB 11 DB JULHO.
DE 1870.
AS S'i/I HORAS DA TAHB*
Aliodio de Macei sorte 25 r. por k. pos-
to a bordo a frete de 3^8 d. e 5 0|0 (sabbado).
Cambio sobre Londres 90 d/v 2l 3|4 d. per U
(sabbado).
Pelo presidente,
Mesquita Jnior.
Pelo secretario,
A. P. de Lemos.
ENGUSH BANK
Rio de /aaeiro Limited
DoscoaU lettras da pra?i taxa a con.
'endonar.
Recebe dintaeiro em conta corrente na
i raso tuo. .
Saca vista oa a praso sobre as cidadb^
arlncipaes da Earopa. tem correspondente^ g9aparrUha \
a Baha, Beenos-Ayres, Montevideo, New-
i New-Oriaaas, e emitte cartas de crdito
Dar os mesmo logara*.
U\ DO OOMMERCIO-N. 36-
dem dem
dem idem
dem de cabras co
-dem de ooca .
Doces em calda .
dem em falda., ou
dem seceos
Espanadore* de penaaa grnijas .
dem pequeaoa......
lem de palha -^^^|
tisteiras de carnanoa .
dem propria pararforroou estiva
da navio........
Eatopa nacional......
Farraha deararuta.....
dem de mandioca ...'.'-
Feijo de qualquer qualidade. .
Fumo charutos......
dem cigarros.....
dem em folha bom ....
Ido em, folaa, ordinario oa jes-.
dem em rolo e em latas bom .
dem, ordinario oarestolho. .
Rap.......^
Gomma de mandioca. j;polvilno).
Ipecacuanha ( ra ).....
a(toros)-. : : :: : m
Enxanas -......... >
Frechaes.....,.
Jacaranda (coucoeiraa)
Lenha era aehas......
Idera em toros......
Linhas e esteios......
Lour s (pranchoes).....
Pao Brasil .... ^ ... .
dem de jangada......
Quiris ......
Viahatico costadinho de SS a 30
millimetros de grossura. .
dem pranchoes de dous costa-
dos at 50 milnietros de gros-
sura.........
dem taboado de menos de 25
millimetros de grossura .
Taboado diverso......
Tatajuha........btog.
Travos.........urna
Varas para pescar.....dwi
dem para aguimadas .... *
dem para canoas.....ama
Cavernas de sucupira(om obra)
Eixos d-i cicupira para carro. .
Mslaco .'......
Mel deabelha.......
Milbo..........
Ossos....., .
Palha de carnauba.....
Pechury.........
Pedras de amolar .
dem de filtrar......
dem de rebollo .
Peonas de ema. ......
Piassava.........
Pontas ou chfres de novilbo ou
vacea.........
Sabao .........
Sal.
150
10*600
78i
1*180
kilog.
>

cenlro
kitog,
>
>
duzia
1'
duzia
cento*
>
um
kiteg.
um
duzia
12*000
136
681
92
271
3*000
A arrematarla sari taita sob as elaasolas eape-
eiaes aba;
Secretaria da thsonraria provincial de Pernua-
buco, 7 de julho da 70.
O ofkUl-aMk>r,
Clausblas es>eciaes 'para a arreoutaco-
1.' A cnnelasao dos 126 metros de empedra-
o5
idade
portanc a de
1* 0 arrem;
de 1S dias,
contados da da
ser feita de
ilo aa im-
a obra ao prasa
_^!luij*i ao de 3 mexe,
_ appravacoda contracto.
3.' pagamento da importancia do contrato se
effectuara em duas prasU(oes iguaes, tendo lagar
a primeira quaso se hoover executado matada
da obra, e a segaada, quando for ella concluida
e reeebida provisoriamente ; dodoiindo-se dos */
de cada urna, na forma do artigo 94 no regula-
raenio de 31 de julho de 1866.
1.* em tudo o mais qne nao se acha especifica-
do nas presente* clausulas, observar-se-ha o cita-
do regulamento.
Confi>rroe,
A. F. da Annunciacao.
613
681
545
1*180
170
1*703
60*001)
360
1*500
5*000
95*000
3*000
12*006
6*000
10*000
103
5*000
6*000
um 16*000
duzia
par
kilog.
momos
kilog.
>

>
*
molbos
20*0001
144*000
96*000
33
6*000
2400
6S00O
1*000
3*500
16*000
^JO
310
68
16
1*000
817
31
18
34
4*796
160
A camau rauuiwoal do Recife, MtxAo de
mandar celebrar uin ofiicio solemne pelas
almas d'aqaelles qae 12o generosamente der-
ramaran! seu sangue na cruenta guerra qoe
sustentaram contra a repblica do Paraguay,
convida a todos os seus municipaes para as-
sistirem a esse acto de pie dada religioso
qoal ter lugar na igreja matriz de S. Frei
Pedro Goncahes no dia 15 do corrente s
10 horas ila manh5a.
Pago da cmara municipal do Recife, em
6 de julho de 1870. Bento Jos da Cot*
Jnior.Ve Pedro A* Lobo Moscoso.Jas
Maria Frere Gameiro,CaeUuw Cdryaco da
Cosa Moreira.Ignacio Pessoa da Suca.
O Illra. S. inspector da thesourara provincial
em cumprimento da ordem doExra. Sr. vice-pre.
dente jis provincia, manda fazer publico, que ne
dia 14 o crreme, val Oovamente a praca, pan
ser arrematada a qnem por menos Qzer a publica-
gao dos annuncios das repartieses provneiaes
com etcepco da secretaria do governo, servmda
de base a arrematacao o preco de 30 reis por li-
oha.
A arrematacao ser feita por tempo de nm as-
no, a contar do J do corrente e sob as condicoes
que serio presentes no acto da arrematacao.
E para cogitar se mandou publicar o presante
pela imprensi.
Secretaria da thsonraria provincial de Pcrnam-
buco, 7 de julho de 1,870.
O ofcial-maor,
A. F. da Annunctacae.
. Pela ihesourana provincial sa faz pubjee,
que a arreoiat.-,i;o das obras do 7o e 8 lapco da
ALFANDEGa.
-;endunentododiala9. ^g***?*
deaa do dia H. 19:528#53b
330:750*340
MOVMENTO DA ALFANDEGA
olumes entrados cut fazendas
Idea idm com gneros
'olumes sahidos com fasendas
fdem idenj com genoros
231
574
------805
203
240
- 443
cento
kilog.
i

kilog.

cento
duzia
>
2*800
348
10
2*043
800
340
476
1*200
20i
380
768
1J200
960
Foram despachadas as pecoes di Antonio Ra-
poso de Alberche, Antonio de Souza Botelho. Ar-
celina Xavier Gameiro Rodrigues Campillo, Baro
da Soledade, Dr. Cosme d S Pereira, capilao
Camello Augusto Ferreira da Silva, Candido da
Carneiro Neves, Erasrao Jacintho da Costa, Ernes-
tino Cavalcanii de Albuquerque, Fnnc'isco Alves
Monleiro Jnior, Francisco Joaquim Ferreira Es-
teves, Firdino Theotonio da Cmara Saatiago (2),
Francisco Cavaloaoli de Albuquerque Lina, Fran-
cisco CsIb.0 fiomss e Silva, Ferreira Moura & C,
Francisco Canuto da, Boa-viagem, Francseo Jos
da Co>U Araujo, Francseo Antonio de Mallo. Mei-
tor & Sainpa Irraaadade das Alma doCorpo
Santo, os de Sonsa Soann A C, Joaquim Gon-
calve d'Azevedo Maia, Joo Mara Cordoro Lins,
Jos Antonio da Costa Guimares, Joaquim Mara
do Espirito Santo (i) Joaquim Caetano da Silva,
Joo Antonio de Souza Juoior, Jos Alvos da Silva
Guimares, Jote Pedro Ribeiro, Joaquim grancis-
eo de Souza, Jas Bente de Vasconeellos, Joaquim
Josa de Aaevedo, Jos Pereira, Jos Pedro Ribetro,
Dr. Joaquim Antonio Carneiro da Cuaha Miranda
Jos C isme da Silva. Franeisco AgoaUaho Madeira.
hi, Baptista Prxedes, Luiz de Franca e Silva.
Miguel Ribeiro Pavo, Manoai Joaquim Ferreira
Esteves, Manoel Rodr gues Marte Lima baeharel
Manoel Ferreira da Silva, Manoel Goucalves Per-
r.iira e Silva, Maria Benedicta Gomas de Souza,
Manoel Bernardo dos Santos, Maaeel d'Azevedo-
Sa'ntos, Manoel Francisco Duarte, Manoel Alves
Rodrguez da Costa, Manoel Cosme de Moraes e
Otros, Manoel Camello Pessoa, Sebasup Jos da
Silva Braga, Seroples Bredas, Thomax de Carvalho
Soares Brando, e levantou-se a se-sio.
Eu Augusto Genuino da Figueirado, offlciai
maior servindo do secretario a eeerevi.
Dodaro em tempo que era lugar do Sr. Dr. be-
ve, para .fazer parte da cimmisso para o funeral,
o Sr. Costa Moreira. -Ftgwiredo.
BesUo Jos 4a Cotia Jnior, pr-presdenie.
Dr. Pedro de Aihayde Lobo M$scosa.J$4 MJJa
Freir Uametro./jaocto Paa *z &00. Dr.
Prxedes Gomes de Souaa PUafA.Dr, Iwa Ma-
na Sete.
Descarregain aojo 11 de julho,
Barca ingleaFagasmercaduras.
Hrigoe ingiszO chantemeraailorias.
Brigue portuguezTriumpho dem.
Kaacho nurle-allemao Juttane idem.
Barca inglezaMftcnie dem.
Barca inglezaMimosa idem.
Barca ingtezaGedaridem.
Sumaca hspanbolaJoven Elizaidem.
Barca portuguezaAlexanire Heecalanodem.
Brigue ingle7Firm-farinha de trigo.
Imporafao
EciHia norte-allemua atlantic, vinda de
Hamburgo, consignaos o ^nonio Lu; de Oliveira
Atevedo & C, manifestou :
56 volantes ferragens, mindezas e quinquilha-
rias; a Otto Bohres.
2 caixas chapos; a J. ChristiaDi.
8 ditas louca e grampos; a I. da Rocha & C.
2 ditas movis; a Thomaz de Aquino Fonseca
&C
3 ditas drogas; a Bartholomeu & u
i dita espingardas: a Joaquim Lopes Machado
de C.
50 ditas slearinas; a J. M. da Rosa t Filbos.
5 ditas objectos para typographia; a F. H.
Caris.
1 dita quinquilharias; a Bourgard & Fana.
1 dita calcado ; a Vaz & Leal.
1 dita mindezas; a S Leito & Irmaos.
13 ditas ditas e vidros; a Eduardo da Moraes
*C.
100 ditas genebra e stearinas; a Cunha Irmaos
i C ., .
- 2 ditas e 30 barricas ferragens ; a J. A. Moreira
Dias.
23 ditas ditas; a Isidoro Basto 4 C.
50 ditas cal; a H. Oettli & C. ______
37 ditas tecidos diversos ; a Monhard, Mettler
&C _
2 di'as mindezas e vidros; a Matan no Barros
de Mello.
12 ditas diversos artigos; a Tasso Irmaos & C.
100 fardos papel para embrulbo, 660 garrafes
vasios, 412 voluntes genebra; a Jos Correa Braga
100 calas stearinas, 600 ditas e 200 garrafoes
genebra; a ordem.
14 volurae* drogas ; a J. da C. Bravo & C.
200 saceos arroz; a C A. Sodr da Molla & C.
200 fardos papel para embrulbo, 200 caixas
stearinas, 1,300 volumes genebra; aos consigna,
larios.
Sapatos de couro hranco .
Sebo on graxa em rama .
dem em velas. .
Sola e vsquela ....
Tapioca.......
Unha da boi.....
Vassouras de carnauba .
dem de piassava .
dem de imb. 1 .
Atandega ue Pernabrabuco, 9 de julho de 1870
O 1.* cenferento. Fhrenao D da Silva.
O2.*eonferente Joaquim'Ignacio deC Men-
doea.
ffApprovo. A.lfandga 9 de julho de 1870. ==
Paes de Anrade.
Conforme. Jonqaitut Tertuliano de Meeiros.
*ECE9ED0RIA DE RENDAS INTERNAS ti-
RAES DE PERNAMDOCO.
Aendimentode dia 1 a 9 24:807*035
Idea do dta II. ... 10:838*407
SMMMMI
esu-ada do Limoeiro, foi transferida para o da. II
do corrento-
Secreria da thesourara provincial de Pernaat-
buco, 7 de julho de 1870.
O ofQcial-mainr,
A. F. da Aunuaeacao. -
Domingos Affonso Nery Ferreira, coronel chele de
eUdo raaior do enramando superior da guarda
nacional do municpn do Recife, e commandan-
te operior iaterioo da mearaa guarda por S. M.
o laaperador, a quem Dos guarde etc.
Facabcr, que na terceira de mingo, 17 do cor-
rente mez, se reunir o conselho de revista da
guarda nacional, como determina a 2' parte da
art. 25 do depreto 1120 de 12 de marco de 1853,
na sala das ses-es da cmara municipal, as II
horas da manhaa. na oonormidade do art. 44 da
nstruccoas.iu 71200 3o de oulubro de 1850, afim
de lomar conheciitieuto dos recursos que versaran)
sobre os casos indicados nd art. 33 e 38 das ditas
insteuccoas.
E para ansiar a quom convier, raaue publicar
pela impreosa.
Qaarteldo qomjnaudQ. superior da guarda na-
coual do municio do Recife 9 de julho do 1870.
D-nningos Aotiso Nery Ferreira,
OO.N'SUl^DO
Rendimento do dia 1 a 9
idera do dia 11. .
PROVLNCAL
77:337*417
2:244*426
79:881*843
MOVMENTO do porto.
<
Na rio en ti oda no dia 10.
Bnenos- Ayres29 dias, brigue allemo, Theteiea,
de 179 toueladas, capilo H. Kemper, equipa-
gom 4, carga cinza e osso? ; ao cnsul.
Este navio segua para Liverpool, arribou es-
te porto por baver 4 asassnatos a bordo. .
A"'i>:/o saludo no mesmo dia.
Rio Grande do SulBarcabrasiloira, Idalina, car-
ga as-ucar.
iVario entrado no dia 14.
Ro de Janeiro Babia6 das vapor francez Gi-
ronde, de 1372 toneladas, commandante H. de
Somer, equipagem 130, carga varios genero?
a Tissel Frre.
Navios saludos no mesmo dta
BarcelonaLugar be&panhol Temte 3*, capilao
Marestonv. carga algodao.
BarcelonaBrigue hespanhol Lepanto, capilo Je
rnnymo Alsina, carga algodao.
Bordeaux e partos intermediosVapor francez
Gironde, commandante de Somer.
11
Francisco, pardo, Pernanbuco, 2 raezes, Santo
Antonio; espasmo. -
Anna, preta, Pernanabuco, 18 mezes, Boa-vista;
coavulsoes.
Ricardo, branco, Pernambuco, 3 mezes, Boa-
vista ; erysipela na bexiga. >
Hermenegildo, pardo, Pernaiabnco, 7 anuos,
Sanio Antonio dvsinteria ; eccravo.
Pulhlteria, preta, frica, 60 annos, S. Jos, frial-
dado; escr*vu.
EDITAES.
rABELLA nos raagos dos gknkros sorerros a di-
BB1T0 DK KXP0ITAC0. SEMANA DE 11 A 16 DE
JULHO DE 1870. _.
Mercadorias: Unidades. Valores.
Abanos :.....duzia
Algodao em caroco.....kilog. 200
dem era rama ou em lia. 871
Carneiros \ivos. ..*.... om 4*000
Porcos idem- ._...- 2*000
Arroi cora casca. .... kilog.
Idem descascado ou pilado
Assqcar branco......
dem mascavado...... 120
Idera refinado.......
Gallinhas ........ urna 1*000
Papagaids....... 5*000
Azeitcf de amendoim oa men-
dobim.........litro 937
dem de coco ....'. 67i
dem de mamona...... 528
Batatas alimenticias. .... kilog. 102
Baunilha.......* 8*450
Bebidas espirituosas eormentadas -.
Agurdente cachaca. .... litr. 195
Idera de canaa .......
dem genebra...... 330
[dem restilada...... 300
Idera alcoo........ 337
dem cerveja....... t 600
emvinagre....... 300
Idem vinho de caj...... 660
Bolacha fina, comprehendidos os
biscoitos.. ..... kilog. 476
dem ordinaria, proppartria
embarque........ 204
Ca do....... i 476
dem eseolaa ou restolbo ... 449
Idera torrado ou molde. 959
Ca branca........ 39
idera preta....... 17
(*) J tiutiamus dado a compr a rectiBcaco
na lafar cniupatento publicado, quando recebe-
mas a presente artigo.
* A reducido.
Edilal.2.' seceo.Secretaria da presidencia
de Pernambuco, em 7 de abril de 1870.Por esta
secretaria se faz publico para o oaabeeimento de
quera interessar, o edital abaixo transcripto do
juiz municipal e de orphos do terme de Agua
Preta, pondo em cuacar-o a serventa dos oficios
de tabellio e escrivo de orphos do dito termo,
creados era virtude do decreto da 30 de Janeiro de
1834. Os pretendentes deviro presentar os aeus
requeriraentos devidameoto instruidos na forma da
lej no prazo de 60 dias a contar d'esta data. O
secretario interino, Elias Frederico de Almeida e
Albuquerque. '
Copia.Edital.O Dr. Pedro Gandiano de Ratis
e Sirva juiz- municipal do termo de Agua' Preta,
eoraarca de Palmares da provincia de Pernambuco,
por Sua Magestade imperial, que Dms guarda, etc.
Faco saber aas que o presente editad viren), que
se acha em concurso com o prazo de 60 dia a
contar dosla data, o lugar de tabellio de publico,
judicial e notas, escrivo de orpho e mal aone-?
xos d'este termo, vago pelo fallecimento do ser-
ventuario Jos Norberto Casado Lima. Os pre-
tndanles devero habililar-se na torra da le, dea
tro do referido prazo.
E para .constar, raaadei passar o presenta, que
ser afflxado nos lugares mais-publieee d'osio ter-
mo, remettendo-fe copia ao Exm. presdante da
provincia para mandar fazer publico pela ira-
prensa.
Agua Preta, 3 de maro da 1870. .
E eu, Augusto Berenguer de Almeida Aleoora-
do, escruo, o ecrav.-=P#dr Gandiano de Ratis
e Silva Jnior.
E mais se nao continha em dito edilal aqu bem
le fielmente copiado do proprio original.
Eu. Augnsto Bereoguer de Almeida .Vlcoforado,
escrivo, oescrovi e assignei.
Auausto Btienguer de Mmeida Aieoftvtd.
O inspector inierino da iifaodega faz publica
queem virtude di autorisacao da thesourara de
faienda em portarja n, 89 de 7 do corrente, tem
de contratar os raparos de que precisa a barca de
vigit n. 2 desta repartico ; assim, pois, convida a
quem os queira fazer, a apreseniar as saas pro-
postas era carta fechada at o dia 20 do mesmo.
Alfaodega de Pernambuco II de julho de 1870.
O inspector interino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
O Jospcttjr interino da alUndega faz publica
qne o leilao annuecado para anle-hontem e qua
por falta de licitantes deixon de ser eflectuado, fi-
ca transferido para quinia-feira 14 do correte.
Alfandega de Peruambucn 11 de jnlho de 1870.
0 inspector interino,
Luiz de Carvalho Paes de Andrade.
A cmara municipal desla ciaade faz publi-
co para conhecmenlo di seus munieipes o artigo
de postura addiconal abaixo transcripto, o qual
fura approvado provisoriamente pelo Exm. presi-
dente da provincia em S do corrente.
Bento Jos da Costa Jnior,
Pro-presidente.
Augusto G. de Figueredo,
Offlcialmalor servindo de secretar.
4* seco.Palacio do governo de Pernambuco
em 5 de julho de 1870.Remello por copia c-
mara municipal desta cidade para seo coaheci-
mente e fias convenientes o incluso acto desta dala,
pelo qual resolv approvar provisoria meato o art.
de postura addicional que acompanbou o sea ofi-
cio de 15 de juoho prximo Ando sob n. 44.
Francisco de Assts Pereira Rocha.
4" seecSo.Palacio do governo de Pernambnca
em 5 de julho de 1870.Copia. O Lxm. presi-
dente da provincia tendo em \>la o que ponderen
a cmara municipal do Recife era ofiicio de 15 de
juoho prximo lindo sob n. 44. resolve approvar
provisoriamente uo termos do art. 2 do deceto
de 25 de oulubro de 1831, o artigo de postura ad-
dieioaal abaixo transcripto.
Art. Io Fica prohibido qae qualquer animal da
genero cabrum on overaum posan vagar pelas roas
desta cidade, os qae forera encontrados serio ap-
prehendidos e arrematados em hasta publica, sea-
do o seu producto remeiudopara a saata casa de
misericordia d-pois de deduiidas todas as despa-
zas que resnllarem da apprehensao feita.
Francisco de Assis Pereira Rocha.
Confere.Antonio Anas Jacorne Pires.
Oillia.Sr. inspector da thesourara pwvieta!
em'cumprimento da> ondear*) Eira, Sr. prendan-
te da provincia, manda facer pnbtooj qne no1 dia
21 do crreme, paraala a junte da ratenda da
mesmo toejoararia, ae ba de arrematar, a quem
por meaos Btnr, a obra de 716 metros ewrrantes
de empedrameato no 5o laneo da estrada do sol,
avahada em 2:856*000.
BECLARACQES.
= Pela thesourara provincial se faz. publica,
que a arrematacao do pedaaio da ponte do Bajar?
foi traBsferida para o diaH4 do corrente.
Secretoria da thesourara provincial de Pernam-
bue9de julho de 1870.
O offieial-aiaior,
_________________A. P. d'Apnuneiaco.
Vai a praca qainta-feira, na audiencia da
lllm. Sr. Dr. juiz da orphos, a casa terrea da rua
da Mangaeira n." 9 : qnm na mesma quizar tra-
gar por arrendamenlo trienal, cemparoca em an-
dieacia no dia 15 do correnta
-, "-'' j"
GOMPANHiA PERNAMBCSAiNA
DE % ,
Navegando costarp por vapor
Macei esoalas Penado e Aracaj
_j i O vapin 6io*Mt, seguir para
JflI porta cima no dia 15 do cerrante,
&3Umf as 5 horas da tarda..
-ebe carga at o dia 19, enoommeodas, aas-
sagfliM e dtnheiro a frataat as horas dador-
do no eacriptorio do Forte de Mala n. la.
-------CMPANI11A PERNABOCAitA
DE
%"arega?5o coaJera p vapor.
Mamangaspe.
O vapor nacional' OoiajHpa commaadaote SH-
va, segaba para MaaaaMalia no a 13 da
rente as 0 Doras, da tarda. Recebe carga; eosaav-
awndas, passageiros o-dtoaelro a, frete ateas J
heras da tarde do da da sahkta, aa easviplam
da companhla, Forte do Matos n. 12.
*%.

I:



Diario e IVttiatabiK Terca-<4M>Ql*Ji&e: JlAh W

\
I t
'COUPANHU-TERKLMBUCAN/
NaYegae&
larabyba, f
caty, G
BiT^ i lia tt6oeodh
afcdas, passageiroi dlnhelro a frete t ai
J bar* 4 tarde do .di da .tatd* no escripto-
m>ta f *> fcit* 11
pr vapor.
Mossor, Ara-
Acarac e
commandanti
para os porto
corrente as 5 hora
zas sito na largadVRosario n..1% A, em diver-
sas lotes a vuuiadf Jos- licitante* em /serva u>
.predas. _
HOJE
M mesan estabeleeiniMlo, as 10 hora.
Rio dt Janeiro
fnme Bfuir para referido porto cora a
po**( brevidade o patacho ifpnteiro por terpor-
jioi da carga engajada ; e para a. qne Ibe falta
asemos a frete, trata se caen o eeusignatario Joa-
ninvJos Goaplvas Belre a ra do Cotnaieroio
u. 47.
Vende-se

Vende-se a bar* ac denomina Ja Academa, de
lotacao do 7,000 arrobas, construida toda de ma-
deiras de sicopira e. aqaarlto para ser examinada
aca se no caes do trapiche 4* companbia : sq
bre a venda trata-se no eseriptorio de Alfred-i &
Barbosa Jnnior.
< mpaW.i atterleana e brasl
lelra de paquete* a vapor.
At o dia lo de Julho esperado de New-York
por S. Thomnz Para o vapor americano onlh
America, o qual depoie da demora do costmae
seguir para portos do sul ; para retes e.pa*a-
ra do Commercio n. 8.
Pa^a Lisboa
Acha-se proirpto para seguir viajera aestes
doaeos dias o bsm ecohecid brigne portnguez
Lai l : para o resto e passageiros, a qaem offe-
reee os nellwres eommodos: trata-se eom os con-
aigaatarios Tilomas de Aqoiao Ponseca & C, ra
do Vigtrio n. i% 1 andar, oa eoin o eapite aa
praca.
f>vo segnir dentro em poucos dias o brigne
nacional Imtrepido por ter protnpta a maior parte
de soa carga, e para o que anda pode receber a
frete eonimodo, trata-se com Baltar, Oliveira A
J., ra do Vigario n. 1, andar.
fazendas avariadas
Qtartt-eira 174 ntrente.
ScbafheiUin A C. fario Tttlia por intervenejb do
agente Pista de dironles haaadas. a variadas, c
outras liospas, para fechar antas existente* eaa
fin seuarwawm roa da Gruz n. .42, onde se'eflec-
luar o leilao i 10 baa do da, cana diio.
"*.,.*
IXPOtlffc UNIVERSAL
VLf. WiKRA
1
i K
**MI*
cM4a
H
4C1
E MOV.EI**
quarto de vestir eom moldura e sobre duas co-
lumna* de mogae e de^ aflorado gpBW, tendo o
vidrO'9-pwmos de eombriBo sojre* 4 ditos de
largo, um bodito guarda-vestidos de mogoo
(novo), tu dito de Jacaranda, uui guarda- louca
de amarello obra mal bem acabada, ama. cama
franeeaadedito. um maraneao de dko, am la-
vatorio com louca, nina mesa de amarello
oont oit gavetas, urna dita de pinho para en-
goranjado, ama rica oaisa.de mutua ainJa n<>-
va, don pares de caslieaeseom nangas, un*par
de garras muito fiaos, um meio apoareUio de
porcelana para jantar, i apparelhos de dita de
gesto moderno para cha, clices, copos de crys-
lal para agua, compoteiras mnito dju?, garra-
fas, diversos quadros. cieiras avulsas, tapetes e
muitos outros objectos iiJispensaveis urna
casa de familia
Quinta- fera 14 do crtenle.
' O agente Marti os fer leitlo, aulorlsado tr
poa orna familia que se retira para foro de pro-
vincia, dos importantes movis aeima descriptor,
no segundo andar do sobrado n. 23 da ra d;
Santa Bita, as 11 horas do da cima.
1 ; '
.
GRANDE
HU'
Para o referido porto pretende seguir com bre-
vidad o patacho nacional Protector, por ter a
maior parte da carga prompta ; e para o reato, a
frete mdico, trata-se com o consignatario Joa-
qmnv'Jos Goncaives Beltrao, ra do Comraercio
a. 17.
Para o Porto.
Acha-se carga o brigue portuguez Triumpho,
pera onde recebe por frete commodo : quem no
jne^'mo qnizer carregar entenda-se com o- consig-
natarios Thoraaz do Aqnino Ponseca A G., ra do
Vigario n. 19, andar. ______
MARANHAf
Para o referido porto pretende seguir com pos-
8 ter alguma carga triUda, e para o que Ihe falta
tratase cora o consignatario Jonquim Jos Goncal-
ves Beltrao roa do Gommercio n. 17.
MVIO A VENDA
Vende-se % brigne portuguez S. Jos, de lota-
<^o de cerca de 1300 arrobas ; os pretenden te?
poderlo examina-lo no ancoradouro : na volta do
Forte do Mallo, e tratar a respeilo, com o capitao
a bordo, ou na praca do Corpo Santa n. 6, segun-
do andir.
Aracaty
Segu com a pos>ivel brevidade opalbabote
Emiha, ainda recebe algnma carga a frete-: a
tratar com S Leitao Irmaos, ra da Madre de
l)os n. 1.
Cear.
S-goe com brevidade para o porto cima o pa-
Hiabuie nacional Jotn .4)7/r, tem parte do sen
carregamento engajado ; para o resto que Ihe
falta trata-se com os consignatarios Antonio Luiz
de Oliveira Azevedo A G., ra da Gruz n. 57, 1
andar.
1H5 LITROS
Qninta-feira 11 do corrente
No armazem da rna do imperador no 16.
Angosto Seixas fara leilao por intervencao do
agente Poalnal, de uina completa llvraria constante
de livros dedireitos, liiteratnra. romanees e gran-
de porcao de livros preparatorios.
AVISOS DIVERSOS.
A pessoa que acbou, oa em cuja casa
deixei um estojo de marroquim verde, con-
loado ara pequeoo bistur com cabo de tar-
taruga e duas lancetas tarobem com cabo
de tartaruga, ate far o favor de resti-
tuir-m'o.
Dr. Joarjutm d'Aquino Fonseca.
APPROVADO PELA ACADEMIA
OE MEDICINA
DE PARIZ
HHSTITUT0ABGHE0L06IG0 E TORAP
PER.\AMBL!CA1.
Haver se^sSo ordinaria qninta-feira 15 do
corrente pelas II horas da manha.
ORDKM DO DIA
Pareceres e mais trabalhos de com-
missoes;
Discoss5o do ornamento que tem de vi-
gorar no anno social do 187071.
Secretaria do Instituto, M de iulho de
1870.
Jos Soares d'Azevedo,
Secretario perpetuo
0 Qtilitluti. Labarraque^ nm
, tinho eminentemente ionk e febrfugo ser preferido todas as outras preparacoes de
quina.
0s vinhos de quina ordiaarlaineote emprega-
dos na medicina preparam-se com cascas de
quina cuja riqueza em principios activos extre-
mamente variavel; parte diso, em razao de seu
modo de preparacao, estes vinhos contem ape-
nas vestigios de principios activos, e em propor-
coes sempre variaveis.

0 Qiilnlnni I aharraque. approvado
pela Academia de medicina, constitue pelo con-
trario um medicamento de composicao deter-
minada, rica em principios activos, e com o
)
i
qual os mdicos e os doentes podem sempre
contar. '
0 #ulnlum Labarraquc prescripto
COffl grande eto as pessoas fracas, delibitadas,
seja por "iversas causas d'esgotamento, seja por
antigs molestias; -aos adultos fatigados por una
apida erescenca, as meninas qui temflficuldade
em se Sormar e desenvolver; s mulheres depois
dos partos; aos velhos enraquecidos pela Idade
ou doenca: :
No cazo de chIorosis,, anemia, cffres plidas,
este vinho um poderoso auxiliar dos ferr.ogi-
nosos. Tomado junto, por exemplo, cora as pim-
as de Vallct, produz effeitos maravilhosos, pela
sua rpida accao.
Deposito em Pars, L. FRERE, ru Jacob, 19
LEILOES.
DE
DI VI AS
no valor de 706-5020ts pertencentes
massa fallida
de Rozendo da Rocha Carvalho
HOJE
O agente Pestaa far leilao por mandado do
511ra. Sr. Dr. juiz esp-cial do commercio das divi-
das qae fazem parte da massa fallida de RozeBdn
da loeha Carvalho, n imporiancia de 706020
r<. cnjr relacao se arh.i em mSodo agente para
ser examinad;), o ser effectoado''o leilao terqa-
f'ira t do corrente s' 12 horas da manhaa, no
l.iriro do Corpo Santo n. 9.
Km contliroa$io ao currer do
ni; tollo
los gcn?ros e nrmaqao existen-
tes na l.ija de raiudezas sita
ra larga do Rosario n. 24 A.
Henriijue de Moraes A Irmo faro leilao por
iaiervenjjo do jente Pontaal da armacao e g-
neros existentes em sea estabelecimenlo de miude-
Conlrat-se o furnecimento de OO
ou 600-estacas de boa madeira, e 100 va-
ras, ludo proprio para cerca; trata-se na
ra das Cruzes n. 20-segundo andar.
ADVOGaCIa.
O DR. JOAQU1M CORREA DE ARAUJO
tem o sen escriptorio ra do Imperador
n. 67, onde pode ser procurado das 9 ho-
ras da niaohaa s 3 da tarde.


MDANCA.
O Dr. Carolino Francisco de Lima San-
tos tmidou soa residencia e consultorio
para a ra do Imperador n. 57, 2 andar
do sobrado cujo armazem conserva an-
da hee o nome de Alianza, tendo a
entrada, que pelo lado da ponte Seta
de Setemhro, o mesmo numero 57, da
frente. Abi continuando o dito Dr. no
exereicio de sna profisso de medico e
de operador, pode ser procurado a qual-
quer hora do (lia e da noute.
PENTEAOOS
Acaba de ehegar a esta cidade um artita, pro-
fessor de penteados, o qual se offerece para isso ;
tom todos os molelhs mais elegantes das ultimas
modas em Pari?, sendo riqnis-imas trancas e cai-
xas de cabello, seda e li'nho ; este artista trabalha
em postigos de tudo que diz sua arle ; vai, sen-
do chamado a qualqner casa, tomar encoinmendas,
alianeando a toda e qnalquer pessoa que se utili-
sar de sen presumo ser bem servido e por prego
razoavel : na rna de Santo Amaro n. A.
Perdeuse hontem (0), logo^ao- araanhece/
do dia, urna caraira de flandres, contendo diver-
sos papis qno ? ao dono serve, entre os quaes
ia orna patente de capitao de campo feha a 6 de
novembro de 1858 pe) Dr. chefe de polica desta
provineia : a pessoa que a achou, querendo entre-
gar, pode apparecer no beeco do Adiqne n 38 a
entender-se com Ignacio Pelix Tavares.
Rio Janeiro, Daponchelle; Chevolot.
PernambUCO, P. Mannr y c'*.
Baha, Hasse y C".
Ouro-Prelo, Candido Wellerson.
JUaranhao, Ferreira y C".
Pelotas, Anteiro I^lvas.
Maceio, Falce Dias.
Porte Alegre, Francisco Jos Bollo.

ATTENCAO
Desappareceu hontem de raaahi 11 d) cora
rente do sobrado da ra d.o Ranjrel n. Si, um oa
pagaio muito rallador, levando corrate inteir-
liresa ao p, o q'ial se soltou d.i gaiolla na ocea-
sio delle fugir uu mesmo de o siilitrahireni dalla:
pelo que rogam a pessoa que delle der noticia no
mesmo sobrado, ou a ra do Livramento n. l'J,
loja, que ser recompensado.
O abarxo assigoado previno i<> re-;>uitavel
publico, que tendri-s3 desmeaminhado u;na letra
de setecentos e lantos mil reis, sargada'por raiin
o ateita por Herculano Jos dos Reis, a vencr-sc
em dezembro do corrente anno, e por isso ropa
as pessoas que a tiver adiado de levar a ra da
Mocda n. 33, ou na ra do Qneimado n. 79, que
ser pago o sea trabilho visto a mesma de nada
servir qnem a tlver adiado.
Recife, 9 de jolho de 1870.
Mano*! 6plves Boa-ventura.
Em desposta ao incessaata pedid que me
tem sido feito por este jornal para eu consentir
qae o Sr. Aldaho v trabalhar na esenia aerea
enm meu irmao Vicente, tenho a dizer que eu eom
a maior satisface accederei ao pedido lie tao di*-,
tinelos supplicante;,logo que se tirar a cpula dote
quadras vivos que ora empata dita osearla aerea,
e o mesmo quando o Sr. AlJabo tiver feito repe-
lidos ensiios com meu mano, alim de s nao ter
a lamentar alguma victima do circo equestre.
Olinda, 11 de julho de 1870.
0 director interino,
Luiz Casali.
O abatxrt assiijnado dsclara, que as
partes q rin, lauto nn civ i, como no commercio. e
com especiali ia-l sodre citiijes ou notifi-
cacSes, qaer seja por murciados, ou por
cart, dtatfo prAeurar n cartorio e dar
^n'lamnto ellas,
da
AoSr. Dr. Jnli le orphios
c ilale la \ -ola
O* orphao-, abiixo a^signaJos. ptrguntam u
Sr.Jaixwlma, pirque razio, tonda fallecidj era
dezembro proxim j pas^a I, a ejpwa do ?.r. Mi-
Doel Ji da Silva e defecado l>en- > :> valor supe-
rior a I0:00 da qaal fio horjeiros logitimos
visto qitP como escrv3oos rnesTins abaixo a nSo tem ohrigar.'io de procurar qein deva at eH* data iif/onurieP Princp*t*ienW por
cumprir referidas c.u&p.s ou nutifisatfe) l^T'
m virtu !i! da lei, Cuja dedara^So ttz pira
que alo^iem tenha noticia, ese queira valer
do jtlrzb P'ira eousas piquininas.
V.-ctor-a 8 d* junho de 1370.
AMA
Precisa-se de ntna ama para comprar e mi\-
nhar para casa de rapaz solteifo : na madu Quei-
mado n 12.
Precisa so de. u ua ama para eugouniiar : n;i
ra da Cruz n. 11, 2" and*r
O i'scriva) to civel commercio.
Uel.irinu:j don Sanios Mato
O proprieinno i1u mar** do Rio de
Janeiro, faz publico, que do 1." de jullio
do corrate anno em diante, os Srs. assiR-
;iantes que quizerern conservar as suas as-
signaturas, tero a bondade d mand ir re-
forma-las, oa ua co.te, no escrifAork) do
\Diario, bit na casa commeri-inl dos Sr.
Augusto F. d'iiveira A C, em Pernamb.i-
co, no Recife, nn do Commercio n. 42.
Bectfc 11 de jultio de 187
Augusto F. d'Omira d C
8
Quinta feira, 14 do corrente mez, as
horas d3 mai ha celebra-se oa capelh
do arsenal da marinha missa pelo repouso
eterno di
1 tapanca.
A ex (tuda csriia final dj Bancu do
Braiil paga o 33% dividendo das ace,5s
aqai inscriptas .i r ro do 0-5.[>r> por accio.
Prec-.isa-se de nina ama p ira casa de urna "2
pessoa : na rna de. Saat > Amara n. ')0.
Precisj sir- satier a morada da Sra. I^nez Ma-
ra das Dores para hilar so-lbe a netroeio de sen
interesse, ou que pode ir ra de' S. Francisco,
sobrado a. 2, per cima do cartorio do Sr. Silveira
Lobo.__________^^^
lospha da Asampfo Oli\*ein> e Silva avisa a
quem inlere^sar po'Ki. iftm ao faca negocio al-
eterno do marechal de campo visconde de .nm om o Sr. Jos Uauricio encalves sobre a
DananVa preta Tnomasia, d.; 11.^ d e, idado 46 anuos, pela
razao de pender letgi. s>fro a mesraa preta.
Precisa-se de um menino para cajxeir de
taberna, com alguma pratica de qualquer negocio
e dando conhedaiento de sua conducta : no pateo
da ribeira n. 13.
Formas tle Ierro
para purgar assucnr, ainda existen) algureas, e
re.cehe-se ^nci);nmonda para maior quantidad :
na rea da Cadeia n. 4, armazem de S. Barroca.
vas do sobrado e lujas sortfdas um s-tu lllho, nm
sitio 9 tmtr.i,que a ton Rtoalru'n dinheiro nro-
valvemente para Bear com e\\e, cado urna tilha
e dotado eom .^rindes chspezas e -loa* iscravos,
a um outro lamben um fitravol Finalmente ou-
tros bens queja foram distribuido' amigave.lraen
le !... Para esta distribnicao amigavel, que V.
S. quera qu.; ni licasseioos ,ahi em companlva
dos oos*n tos do lado pat-rno ?.. Oh, Sr. juiz, V.
S. fuj o ju-tce.iro no primeiro invefltari)!....
Quando oos-i mii piss-ia as sunl.n nupcias,
leve tanta pres-a em fazo-lo I Porque nao faz o
mesmo agora a un esto? V. S. que tanto se tem
destingaido ne^le juizad). obrando sempre com
jastica e Independencia! Sr. juiz. nos somos os
herdeiros man pobres, e merecemos ju'tica!... Se-
ta pissivel que 'enhamos a herir alguma
dessas castaas de barro, abi da ra do cemiterio?
Ficando para os herdeiros maiores sitios, eslavos,
sobrados de p?dra e cal encasa terreas. Picamos
convencidos que nao, pois muito confiamos na
jastica e nlependeneia do V. S..
Recife II de julho de 1870. .
Abilio com l annos de idade.
Eaedina com ldanos.
Ju^iiniano dim 8 anm.s.
Jos com 7 annos. Pilnos legtimos de Antonio
Francisco Pereira da Si va.
orte Feliz de a, #o
E' breve e mnito breve
O teu casamento menina,
Cora o Z que tu ama3
Que tem venda na esquina.
Qtie criaaca ?.. qoe ptechmeha?..^
O R. da ra Nova.
Casa para alagar
Ra da Cadeia n. 4. 3 and r. *
'Preisa-se de dons amas-aJOras e um pe-
qn-no forro ou escravn para mandados : na pa-
dariady traversa rt* Um n. 68 am Santo Amaro.
O Sr. inciiarel Joa|uun Cordeiro Coelho ilin-
tra qavlra loparecer na rna do Hospicio n. 8,
para receber urna carta vinda dj Re de Janeiro.
Precisa se de nina
ra Nova n. 61.
ama para cozinhar : oa
Quem for Onno de um quartao, dando os
signaos certos, pie procurar no asylo de raendi-
cidade. que Ihe ser entregue.
Precisa-e
de nm oaixeiro que tenha praiiea de taberna e qnn
d llanca a sua conducta : no progresso lusitano,
na Casa Forte.
lil
Somente para easa de hornera solteiro, para.co-
zinhar o*erigommar, por 124000 inensalmeala, se
i'ITerece urna inulher que nao eriaaca, nao lam
prenles, e nao sabe andar por estas ras, coja
cpnducta abonada : na ra da Ponte-veltu, casa
n. 6 se dir.
Anua Joaquina de Mello Canuca nao cas-
sou a proiinracao que de seu proprio pnuho pas-
sou ao Sr. Joaqoim Antonio de Castro Nnnes, pois
MMtflft a ser com i sempre tem sido ea poen-
rador, pois o nico reconbecido por seu marido.
Hecif.; do julho de 1870.
A pessoa que annuutioa ter urna cmAt para
alugar ou vender, pds dirigir-se ao 2 andar da
ru.i do Arago n. i, oa no quartel de polica adm
do fazer negoei.
Atdga-se o sobradon. 21 sito ra de S.Pe-
dro Martyr de Olinda : a tratar na ra do Impera
dor a. 50", 3' anclar.______*
Preoisa se alugar urna escrava para coiiubar
e engoumar : na ra do Crespo n. 23.
Palacete
A" ra dq Mondego, em qne residi o Sr. nego-
ciante Felippe Neeiham, tem de ser alug. d> : a
tratar na me.-ma ras, sitio da olaria n. 13, com
Marcelino Jos Lopes.
Precisa-se de urna ama para urna pessoa>a*
ra da Cruz n. 11, Ia andar.
C4BUGA
esquina Este finporante estabelecimento no su genero, tem sempre nm sortmento sem igual,' esquina
\n* *** i a*8 TO*to por presos qne nenhnma ontra casa pode titfle?. \{ \
jpa rna larga do A viflta da qnaJidade e do prel?0 das joias cada nm pofier-se-ha convencer da wdad.da raa lai^do
Ir ihManv flara4te-se ser taflo de lei. 1^fttte*se onro, prfeta e pedras. finas por presos mnto ele- Rosario.
vados.
A tdja flft #^ta at s 9 horas da noute.



Diario .4*. *__*> -r Tt**-hm ><
~%
rn.38
obergier, e de
inmendados,
em que se
ns -prepara-
as criancas
numa
_ Este mitigo estabelecimento, jtcha-se boje nwntadj}
-escala de poder servir vantajosamente os seas fregnezes, atten-
td o grande sortimento de joias d'ouro, prata e bralhantes, que
ssnipre tem e recebem mensbuente das princpaes: bnas da
E'tropa- cujas precos sao em competveis e as obras garantidas
8 1.6. I o
MOFINA ^
Hoga-se aoTIlm.-Sr. Ignacio Y:efni deMetta, es-
crivSo na cidade de Nazareth desta provincia, o
i favor da.vir a.coa .do Imperador n. i a-concluir
1 aqule negocio que'V. S. se comprometteu- reall
i sar, pela terceira chamada deste jornal, e.
NTRAL K
DOR N. 38.
Preparados d'alcatro em
e xarope ferruginoso.
:*_
PHARMACAlENTRAL RC
DOR N. 38.
Plalas de Vallet.
Pillas de Blancard.
Pillas de Bland.
Xarope farraginoso de Bl
-CoDfeites de lactato de fer
Pilmas de carbonato de fi
ferro, iodureto de ferro co:
Ferro de Quevenne.
Assucar ferruginoso.
laclado de
agnezia.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38. &
Vinbo e xarope de pepsina! e diarthare,
xellente tnico para auxiliar ,as digestoes
difficeis~nos casos
o.
de debi
do esto-
Agua hemosthalica de
coromendada em qualquer
rhagia, e principalmente na
nar, e as hemorrhagias ot
Criada
Preesa-se de ama criada livre oa escraya,
que saiba bem ecaaBfflMJLiratar do servieo in-
terno o> ama cj__ _"" : a tratar so
Manguiotio, ca*WIHS"Sr% Carpinteros, ou
ao caes dattatokga miku eaeriptorio, paga-
se bem.
HOMEQPTlTt
. rorroado pelo db. sabino
HOIEDBJHJIDO eSBI
SDR- SANTOS MELLO. j
3-Rua Nova>-U S
; O Dr. Santos Mello de fOlta da Babia fl
8 contina a ser encontrado todo os das
das *0 horas ao me a para consultas.
Chamados a qualquer hora do da ou
da nate. 1 t
Gratis aes pobres. I
The Liverpool Lon-
on & Globe Insu-
rance Company.
Companhia ingleza de segaros contra-fogo,
estabelecida em 1839.
Capital e fundos de reserva
Os agentes desta eompanlna tomara seguros so-
bre propnedades, gneros e fazendas armazenadas,
mobilas, etc., etc., e estao igualmente autorisados
a saldaren] aqui quaesquer reelamages.
Saanders Brolhers & C,
Praca do Corno Santo n. II.___
CO
TRILHOS
RECIFE A9 OLWDA.
Por ordem da directora so convidados
os Srs. accionistas para, no'praso d 10
dias cornados do dia !. de julho vindcaro,
effectuarem a K).* prestado de suas acfSes
mi-de 10 /.
Para esse fim ser encentrado o Sr. the-
sooreiro. das 11 horas da macbaa as 2 da
larde ae lodos os das, o escriptorio da
companhia, ra Nova n. 35, *. andar, en-
trada pela ra dos Flores n. 4.
Recife, 27 de jnnho de 1870.
O L' secretario
Joo Joaqnii Alves-
LMPERA-
de deaembro prosimo pascado, e depois para ja- autt-scorbulicas.
ENTRAL
DOR N. 38.3
Xarope de rbano iodado dllente com-
binacSo do iodo com o suco:de plantas
PARA b'EMHORAE. Ricas fcuplias de padrees Itndi-fsimos, e gosto nev.
Camferaias brancas bordadas para vestidos. Poil d'chevre de lindos padres por
Dtalo proco de 860 t. Grande sortimento de'13as e alpacas de 320 rs. a 1*5(300 o covcdo.
Saias boFdadas, ditas lisas j feitas com barra de cor.
PARA MENINAS. Ricos vestidinhos de fustao enfeitados brances e de cor.
Vesiaanos de fustso para meninos.
neiro, passou a feVerelro e abril, e nata cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
' fio pojsV. S. se-oeve lembrar que este oegoio
tie mais de oito nnos, e quanao o senhor
i tilbo se achava no estudo nesta cidade.
O Campos da ra do Imperador n. 28 apresenta
concorrencia do respeitavel publico os wdmtes
PAR.% HtMENS. Camisas inglezase francezas, de linho bordadas e de pregas, tSS^r^^iS^^^^^
con ooflariabo e sem. elle, ditas bordadas para .nivas. "Ohapeos ,deo''de cabo de
marfici e de caDsa etc etc., luvas de Jouvin para senboras.
Grande sortiment't de cortinados para camas e janellas. Croats para sola e ca
Odins de braco e goarrirfao. Tapetes para sof e cama, para pianos e portas.
Colxas de roch para cama de noivas. Tapetes em pessa para forro de salas.
O nico pecalsortimeatos.das verdadeiras ESTEIRAS DA INDIA, s existe na
Loja do Triumpho. !
Ra uqua e Caxias n. 7.
niiim wammmwamm mmmmwsmm
u' i ,ra o. n .i i
w
cr o o 5' 2
2. 5=5. g **
CJ O S 3 "^"
i'y "* ^ 2 ^ Sfi
ff sj 2. a ^ o^
V> w r~. _, 2 "> O

o a
I*
o
b.-. = a
3 s
3 8
_ o
9 13
OS "
d a:
rt
B a> a o
=1 9* r- 3 W
3 O (l B .T. J
ap ce v> CP
2 o
c c t; 2 9
^ 3 2 a
cd a a
a w >r to
r, o
a o o "^ s o
a .o a>
co co _
"> 3 o a
"^g ** o.
2,-S >
52. S?** a-co &
H B0 O"
o, a
a C
T3
-i
a>
o.
o'
CB
U
O D
a
Monte pie poruguezij
Cou6Undo-n^s qae omito breve ter lugar a ?
cenvoea^o dos sennores .a?sociados para ama as-
semWa {eral apreesarem o relatorio que a di-
rectora lem de apresenlar conciderae^o da
inesma, eem seguida proceder-se a elegibilidade
da futura adinini.-tra?io.
Lemoramos directora que a convocacao seja
feiu para as 4 boras da tarde, (dia santificado) por
seressa unu hora nao s mnito mais conveniente
qu a qualquer da manla, vito que muitos a-
aociados podrao comparecer, ao passo que antes
della ficam privadas de o poder fazerera em razo
das suas mais tmmediatas udiepensaveis obn-
naces ; espetamos ser atteedidos. Ist > pedem
muitos socios empreados ne commercio,
____________GRANDE NOVIDADE____________
Precisa-se a ugar ura moleijue de 10 a 14
annos, ou um preto, que sejam fiis: .na ra de S.
/encalo n. 28. ____!_________________
serem muito desejados, como pelo prego porque
est vendendo ; nao s os que abaixo menciona,
como dos os mais'que existen no sen armazera
ESPECIALIDADES :
Camaroes seceos.
Pescadas em salmeara.
Presuntas de Lamego:
Ditos para fiambre.
Kap Paulo Cordei viajado e oommum,
Velas para carro.
Latas cora legumes em concerva.
Ditas com guizado? (rancezes,
Ditas com salmn e ostnis.
Chocnlate de diversas qualidades e presos.
Precisa-se de urna ama para comprar e oo-
zinhar para urna casa de pouca familia : na ra
Imperial n. 130, casa com porfi de ferro ao
lado.
AMA
Precisa-se de ama ama para servico de dontro
e fra de casa de buea fmili, prefere-se escra-
vae paga-sbem agradando: na ra Velha nu-
mero 66.
DE
Cato & C.
Aluga-se urna preja escrava boa cozinheira:
a tratar na ra Duque de Caxias n. 14, antigado
Queimado, loja de faaendas.__________________
Boleeiro.
Precisa se de ura rapaz boleeiro no
commendador Tasso.
sitio do
Carvalho &. Nogueira, na ra do Apollo n.
20, saccam sobre Portugal, i vista e a praso.
/
Precwa-se de urna ama para o servio in-
lerno'e.externo de tuca casa de 2 pessoas,
prefere-so cjptiva: i ra das Cruzs .n. 6,
I" andar._____________
Precisa-se alugar um preta escra*a
qne saiba cesnhar : tratar na ra Nova
n. 80, 1 andar; ___________\
Presisa-se de um criado : na ra da1
Imp-ratriz, 0 2" andar.
Precisa-sede um homem que sirva para fei-
torde engenlm, prefere-se estrangeiro : a tratar
na ru de SantaRila n. 81_______________^^
Os abaixo assigaaaos fazcm seieate ao respei-
UYel publico e com especialidad* ao eorpo do com-
nercio, que na presente data dissolveram amiga-
eloeote a soeiedade oue tinham na taberna sita
ao largo da Penoa n. 6, qae gyrava sob a firma
social de Costa i Nobre por terera vendido a mes-
an taberna ao Sr. lianoel Duarle Vieira, lire e
deeetnbaracsda, ficando ambos os socios pagos e
satia&os de seus fundos existentes em dita soeie-
dade, eompetindo a liquidado do passivo da dita
soeiedade ao socio Jos da-Costa CazeiiQo, como
nnk resnonsavel, e a do activo ambos os socio*.
Recife 4 de julho de 1870.
los da Corta Caieiro.
iwqaim Pereira da Cosa Nobre.
Ama
Precisa-se de ama ama para casa oe bomem
sotteiro, que saiba lavar, engommar e cozinbar ;
na u da Cr! Pr *, i solar.
Na travessa da roa
das Cimes n, % pri-
nieiro andar, da-se di-
nhelro sobre penhores
de onro, praia e brilhan-
ies, seja qnal for a qnan-
ia. Na oiesma asa eon-
prtn-se os mesmos me-
taos e pedras.
Roubo.
Roubaram do quintal da casa era .que mora o
abaixo assignado. na travessa da Dtencio. na
noute de 6 para 7 do correuie, as pecas de roupa
seguales : 6 causas novas, 3 calcas de brim
branco, 1 seroula de bramante, 1 camisa de se-
niora e outras pegas mais que anda nao se den
pela falta ; toda esta roupa tem as innieiaes do
abaixo assignado ; e este annuncio para oa visi-
nhos daquellas bandas estarem alerta.
Joaquim Bernardo dos Res.
Aluga-se
um escravo perito pedreiro e ama esclava para
cozinnar, e tambera engomma, para asa de pou-
ca familia : a tratar na ra do Hospicio n. 26.. Na
mesma tem para vender urna porcao de pedras d
Lisboa, que serviram em caloada e estao em boro
estado._______________________________
O Dr. JoSo liara Seve, medico da amara
municipal desta Made, avisa a publico que se
ada encarregado do curativo dos pobres, poden-
do aer procurado pan os misteres de ana proas-
sao todos es dias das as 11 boras da manhaa, e
das 3 da Urde era diante, em a sua residencia a
ra da imperatriz n, .36.____________________
Precisa-se de Anas amas, sendo nma de leite
e oulra para eozinbv e comprar para easa de
pon ca familia : a tratar defronta da r.beira do
peixe n. S, 1* andar.
Os abaixo aesignados, propietarios do
muito acreditado estabelecimeoto sob a de
nomina^ao BAZAR DA MODA scienti&cam
ao respeitavel publico, e com esperjalidade
a seos innumeraveis fregtiezes, que eonhe-
cendo a necessidade de dar ura acrescimo
a sen genero de negocio afim de mehor sa-
isfazer sua imraensa freguezia, resolveram
fazer um melboramento importante em seu
estabelecimento, metamorphoseando-o no
que pode haver de mais bello e agradavel.
Sendo
O BAZAR DA MODA
um estabelecimento j tao conhecido d'esta
provincia, como das mais do imperio, onde
os compradoras sempre tem encontrado o
qne ha de melhor e especial em artigos de
miudezas e perfumaras, conservaodo sem-
pre os proprietarios o systema de vender
por muito commodos presos, tendo pa.a
esse fim recebido todas as mercadorias di-
rectamente da Europa onde tem peritos
correspondentes, e certos de serem sempre
preferidos com animacSo, esto resolvidos a
juntar ao genero de negocio existente um
importante e sublimado sortimento de ricas
fazendas para senboras e artigos da alta
moda de Pariz, onde o bello*sexo com es-
pecialidade encontrar todos os adornos ne-
cessarios de que merecedor.
Conservndose
O BAZAR DA MODA
na conlrauaco de suas obras, espera era
breve reabrir com todo o brilhanlismo., sa-
tisfazendo dete modo a espectativa publica,
e apresentando aos concurrentes a elegan-
cia elevada ao mais alto grao, a qnal s pode
-ser comparada com os principies estabele-
cimentos da corte deste imperio. O ptimo e
activo pessoal j contratado para os tres ra-
mosde negocio, a saber: 1." ricas fazenda e
modas para senhoras, 2.a variado sortimen-
to de miudezas finas, 3. superiores e ver-
dadeiras perfumaras, empregaro sempre
todos os meios necessarios para eatisfazerem
soa freguezia, ficando esta desde j sciente,
que como semDre, encentrarlo o maior
agrado, sinceridade e modicidade nos preg-
eos ; e por esta razio esperam.qae o Ilus-
trado publico desta cidade continu a hon-
ra-Ios com a soa presenca neste estabeleci-
mento, em companhia tambem das eseellen-
ti8simas senhoras is quaes desde j se re-
comraendam, esperando e desejando a sua
benigna protecc3o.
Pernamboco, i de julbo de 1870.
Jos de $ou2a Soares C
Este xarope e empregado jom grande
soccorr,o contra as molestias da pelle, os
engorgitamentos escrofulosos, _o rachitismo-
cachloroso.
O vinbo iodado de joly, e oleo iodado de
Personne, sao recommendados para os mes-
mos casos, e eapontram-se nesta pharma-
cia. ^
"ctRtrl RA^O IMPERA-
DOR N. 38.
Variado sortimento de chocolate de ban-
Di(ha, salepo-araruia, ferro, e de sade, da
acreditada olTicina de Menir.
Sabonetes d'alcatro, d'acido phenico, en-
xofre e camphora recommendados para as
molestias de peli* como sarna, panos, em-
pingeos etc., sendo o ultimo de muita ulili-
dade para o uzo do toilette, por preservar
a pelle de ser manchada das maculas, que
costumam accomeltel-a.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Os melhores vermfugos para crianzas,
. Pastilhas de sanctonina.
Ditas de Kemp.
Oleo vernifugi.
Tudo de melhor qualid^de^ ^
P^LRMACIA CENTRAL RUADO IMPERA-
DOR N. 38.
Varjadissimo sortimento de fundas de
excellentequalidade.
FARMAfH CENTRAL
Roa do Imperador n. 3S.
Lamploughs Pyretic Saline.
A preparaton of well known utelity to the En-
glisb Faeulty. as a cooling and refreshing beverage
in all cases "of fe ver. The frequent useM rNs sa
ine preserves foreigners from many uiscejes to
which they are leable before becoming acclima-
tised. May be obtained at the Pharmacea Central,
jua do Imperador n. 38.
PHARMACIA CENTRAL RUANDO IMPERAD8K
N. 38.
Pastilhas de balsamo de tol e de seiva
de pinho martimo, para as aleccoes ebro-
nicas dos pulmes.
Pastilhas de therydocio e louro cerejo
para as tosses agudas, e de carcter nervo-
so, e para os vmitos durante o periodo da
gravidez, e qualquer affecc3o nervosa.
Pastilhas de bypopbospheto de cal mui
uteis na thysica pulmonar;
Pastilhas de angico naf, e de Regnault,
de hortelaa, pimenta, e de Viccley, de pe-
cacuanba e de Rermes.
HOTEL J0VI1L.
48-rua d s Trincheiras~48
Neste bote! torne ce se para rasas particulares,
tanto avulsa como por assijinaturas. cem jiropeza ;
sorvete noute, ptima feijofda as miintas-fei-
ras e mo de vacca nos domingos de madrugada,
e apromplam-se cem brevidade qualquer encom-
menda. .__________________
Precisa ae de urna ama para o servico luter
no de ama casa de pequea familia, preferndo-se
escrava : na ra da Amizade o. SI, Capunga, ou
na ra do Vi|ario n. 5. 3 andar. ________
DESEJA-SE
Empregar om bomem portnguei de meia idade,
naoescolhe arruna^, e tem muita pratica de
negocio, tanto para efta cidade eomo para fra
della*: a tratar na ra Nova n. 38:
BURROS
Vendem-se cisco burros e sete egoas de roda-
para ver no dbgeaho Anhnmas distante da estacao
de Gamelieira urna logoa : a tratar na ra do
Apollo n. *3, 2o andar, com Jos da Silva Alves,
u no 'mesmo engenho._________________________
Precisa- a fallar com o Sr. Jos de Barros
Accioly a negocio de seu interesse : a praca do
Corno Santo n.7,_ 1 andar.___________
Na padara da ra da Senzala velha i. .84 se
precisa alusr nm preio para servico da neama,
m_vqe mastfi : < raiar na mwoia padaria.
No armazem Novo Mundo, en frente a ra do
Vigario n. 2, vend-se r<

des e vinhos, por todos os vapores, sendo a reta-
Ibo e em grosso, a saber:
Rap.Gsse-grosso.
Rap Gafs-fino.
Rap Paulo Cordeirn.
Rap princeza da Bahia meio grosso.
Rap princeza da Bahia fiao.
Rap popular da Bahia.
Paga-se bem.
Precisa se de um trabalhador forro oti captivo
para o servico interno de um estabelecimento, pa-
ga se bem agradando : tratar na ra larga do
Rosario n. 84, botica do Barlholomeu.___________
D. W. BOWHAN
ENGENHEIRO
Com fundiqao.
A BA DO BRUM N. 52.
Passtndo o cliafiriz
Mathiqas vapor systema melhorado.
Rodas d'agoa.
Moendas de canna.
Taixas de ferro batido e fundido.
Rodas dentidas para moer com agoa, va-
por e aniraaes.
E ontros muitos objectos proprios d'agri
cuitara.
PHARMACIA CENTRAL RA DO IMPERA-
DOR N. 38.
Cha purgativo de Chambard, excllente
laxativo, e refigerante, que se pode usar
repetidas vez:s sem irritar os intestinos.
XftROPE IIYPNOTICO DE CIILORAL.
Ochloral um agente therapeutico recen-
temente experimentado, mas cujos benefi-
cios v3o sendu largamente aproveitados pe-
los praticos em quasi todas as aleccoes ner-
vosas, calmante e somnfero poderoso, tile
sempre empregado com vantagem nos
casos de dores nervosas intensas, e as de
nsomnia, em que elle produz um somno
calmo e profundo.
Elle recommendado as clicas, na cho-
rea, no ttano, nos partos laboriosos, na
clampria, as queimaduras extensas, nos
accessos agudos de gotta, na astbma, na
tosse convulsa, e em muitos outros casos,
DOSE.Dass a oito colberes de sopa
por dia, conforme o effeito que o medico
quer obter.
Enconlra-se na Pharmacia CENTRAL ra
do Imperador n. 38.
VINHO DD QUINDiNO DE LABARRAQE
Poderoso tnico boje t5o aconselhado nos
gozos de |debilidade geral, e mui nsado
como antifebril.
PHABMACIA CENTRAL RA DO IMPERADOR
N. 38.
ITIL illLMfi
Vende-se tabelas compararativas de pre-
cos de metros eovados e vice-versa, mos-
trando primafacie o valor de qualqnet
fazenda, em relaco s mencionadas medi-
das reciprocamente ; em casa de Laiiacbar
& C, ra do Crespo n. 9.
Pechincha
Vende-se dons bois e dou< carros, tudo em bom
estado : no caes do Ramos n. M.
Ama de leite
Contiona-se a precisar da nma ama de leite :
na ra larga do Rosara n, 12, segunde indar,
jojnu botica do Pinto.
N. 77 RA DA IMPERAT Z-N. 77
Esforce-se muifo embora o facultarivo laborioso,
empreguem-se as reaccSes mais fortes contra
qualquer affecin, e tu Jo ser baldado, infructfe-
ro, e at ommnoso se os combinados phariracen-
ticos nao forem acrysoldos, e oriundos dos medi-
camentos mais novos e poros.
Se a pathologia, a materia medica sao os dous
contribu i ntes para apiompta extinc<.ao dos pade-
cimentos mrbidos, se do seu perfeito conhecimen-
to depende a vida as menores como mais graves
enfermidades, a pureza do medicamento, a sua
furca real e prdmpta accao expelindo toda dnvida
sobre sua efflca:idade, em vez de sar a ultima so-
licitude a tomar o mais seguro garante da vida.
Esta pharmacia paro isso emprega todo o telo,
maBdando vir seus medicamentos dos prncipaes
forneeedores de Pars, Londres, Hamburgo, Lisboa
e America ; tendo tambem grande sortimento de
productos chimicos, pbarmaceuticos, tintas, pn-
ceis e toda a qualidado de drogas, e preparados
especiaes desta pharmacia.
Avia receilas com pericia e promptidao, at as
10 horas da noe, attendendo a qualquer receita
e a qualquer hora tambem da noite, por um pos-
tigo, e s abnndo a porta a freguezes conhecidos.
Avista disto convidamos is moradores da tre-
guezia da Baa-vista e ao publico em geral a con-
correrem ao nosso estabelecimento, que nos en-
contraro sempre promptos a salls(ate-lo por
menos dez por cento do que em outra qualqner
pari.
TTEHCO
Na ra do Vigario n. II, Io andar, tem una
carta para o Sr. Izidoro Henriques de Olivelra
uimares._______________________________!
Manoel Fernaodei de Lima retirando se para
Portugal tratar d^ sua saude, deisa encarreg:ido
de todos os ssin negocios seu socio Antonio Alves
Ferreira, Io ancora Jor Joaj da .Silva Leite, 2 Ac-
tonio Pereira Vitf 11a.______________________t
", Em casa de THEODORO CHK1ST-
.MSEN, ra da Cruz p. 18, encontram-sr
jfiectivamente todas as qualidades de viohf
Sorrteaox. B^argogne'edo Rhano.______
Furtaram do engdoho Miinliequinha no dia
deS. Pedro, 29 dejunln dn carrente anno, nm
quarto rufo de vennellio, grande^secco docnrpo,.
carnudo, aiuda novo, inteiro, com duas bridas de
cangalna as costellas, a pontinha da erelba es-
querda aparada por dente de oulro cavallo, com
marca de raladura as juntas das maos, e o ferro
MC mal queimado em ambas es pernas: qnem
souber noticia delle dirija-se ao engenho cima
dito, a tratar com Manoel Carneiro Leao, que sera
recompensado.
Ciixciro
Precisa-se de um caxero com bastante pratica
de taberna : na ra do Livramento n. 39.
Precisa-se ae. urna ama de meia idade : na
ra do Apollo n. 45,' 2* andar.
TINTURARA fraieza
(jg 55-RuadaImpe;atiz-55 ]
Tinge, lava, limpa, lustra e- achamalo- |
Ktase, coma maior perfeicao, fazendas em g
pecas e em obras de todas as qualidades ; 8
| como sejam : seda, laa, algodo, linho, |
a chapos de feltro e de palha etc. etc. ag
Tira-se noioas e limpa-se a secco sem !
molhar os tecidos, conservando assim to- |
a do o brilbo da fazenda. : :.j
Tintura preta as tersas e sextas fei- g
seras-
IIIIIfflIIISKWI
Precsa-se de um criado que afiance ter boa
conducta, para casa de pouca familia : na ra da
Conquista (soledade) n. 4.
AMA
Precisa se de nma ama que engomme com pej
feiQio ; a tratar na ra Nova, casa n. 11.
Cnrrupiao. ,
Ate-bontem (6) a tarde voou para os quintaes
da ra Formosa um currupio. Que:n o tvor
Sr favor mandar entregar a sen deno ra do
ospicio n. 23, que se agradecer e gratificar
tambem.________________________
D-se a quantia de um cont de reis a pre-
mio com irantia : quem precisar nnnneie.
Participamos que o Sr. Alberto Forster Da
non tem entrado como socio em nossa casa. Re-
cife 7 de julho de 1870.
Mathens Aastin & C
Joo Christiani como^iquidatario da extincta
Arma Christiani & Irmao.roga a todas as pessoas
qne devem dita firma, que venham liquidar as
suas coalas no praso de 30 dias, a contar de boje,
para eitar quesloes judciaes, findo este praso se-
rio todas *s contas entregue ao seu procurador.
Recife 8 de julho de 1870. ^^^^^
Precisa-se de urna cozinheira e compradeira
para casa de homem solteiro : a tratar em Santo
Amaro, taberna junto ao chafara.

O Dr. Pragedes Pitanga, Irineu Coelho e Gelina
Brando, convidam aos seus amigos para assisti
tirem a missa qne maadam resar as 7 horas, na
matriz da Boa vista, no dia 12 do torrente, stimo
do fatlecimento de sua ogra e mal D. Catharina
BrandSo, por enjo acto de earidade desde j se
mostram agradecidos.
Preesa*e para o Rio Grande do Norte de tres
amassadoroe portagueze : a tratar com Tasao Ir-
mos & C-, ra do Amorm n. 37.
SEGURA.
Fugio urna grande cachorra preta com sobr'o-
Ihos e pintas amaiellas como os ces rateiros :
qnem a levar ao sitio do commendador Tas?o, na
Cruz das Alma*, ou em seu escriptorio na ra
do Amorm n. 37. ser recompensad.
PAUL CHAUVIN
Mechanico conhecido ha 10 annos nesta cidade,
parlecipa ao publico que tendo dissolvido amipa-
velmente a :-ociedade i|iie linha com o feu ennba-
do Carlos I'iuyo conlioa a se achar a sua dispo-
sicao para o que diz resiieilo a abertura de bur-
ras, machina* de costuras, armas, fechaduras, col-
locasao de campanhinlias e ti do qualquer concer-
t : praca do Conde d'Eu n. 24, out'ori da Boa-
Vista.__________________
Na ra de Joo Fernandos Vieira n. 2 pre-
cisa-se de urna ama para casa de pequea fa-
milia.
50jrJ!000.
Furtaram do dia 3 a 6 do corrente do engeaho
Giqui, freguezia da Egcada um ca vallo rnsso,
grande, castrado, serrado de baxo, cauda apa-
rada, dinas grandes, cabeca pelada por ter tido
sangue, bem feito a gordo, anda a paco e galope,
e de sella ; gratiHia-se a quem o pegar e levar
ao dito engenho com a quantia cima.
CASA DA FORTUNA
Aos 8:000$
Bilhetes garantidos.
V roa Primeiro de Manjo outr'ora do Cres-
po n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado, tendo vendido alm de on-
iras sorles, cinco qnintos n. 2648 com 8:000 a
lotera que se acabou de extrahir a beneficio
da matriz da Escada (152s) convida aos possui-
dores viren) receber na conformidade do cost-
me sem descont algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garan-
tidos da 1' parte das loteras beneuaio da San-
ta Casa de Misericordia (1531), qne se- exWaniri
qunta-feira 16 do corrente me .
PRECOS.
Bilhete inteiro 10J00O
Meio bilhete 8*000
Qninto 2*000
Em porcao de 100*000 para cima.
Bilhete inuin 900
Meio blbete 4*500
Quinto I*
Manoel Martins Fiuxa.
f\
0 CIRl'RGIA DPJSTA
Frederico Maya
Tem a honra de scientiear ao. respeita-
vei publico eai geral, e aos seos cuentes
em particular que elle mudou o sea gabi*
Dte de consultas da ra Direita n. 12 para
a de Queimado n. 31 primejro andar, com
a entrada pelo pateo de Pedro II, onde po-
de ser procurado para os misteres de sua
profisso, todos os dia- uteis das 9 boras
d"manha s 3 da tarde.
Tambem previne, qae contina a prestar-
se a vontade dos clientes nSo s na cidade
como nos seus suburbios, para onde as
idas serio precedidas de ajuste. Elle ga-
rante o bom desempenbo e a perfeicao de
seos trabalhos, o que j btm conhecido,
assim como as comraodidades dos precus.


rll B70.
1
miiinmmiiu
N.34H14NC
quanto
deuro
stfcttulqacha-se aberto e infelritaerAfe ir
lerilo de jolas, ortJe ds"n-egaeze8 e atn1"
a moda e o pom gosto tem miniado na arte de |_
observar delicadeza no trato e senciridade e modecida'de aqe preco6.
Espera qae o respeitavet publico yenha ver o que existe de melbor ent
aderacog de brilhantes, esmeraldas, robins e peroUs, metoi.. adwe$es, pul-
ceiras. brincos, alQnetes e anneis de todas es cualidades, pcU de le fiwuj-
ros,clters, jalHeirot salvas e outros amitos pbjeptos que ena eoadoono
meacisnar. ,
MSpfMi oaro, Tirata, brilhantes pedrae fines, poflnawr prego do
11 que em outra qualquer parte, treca-se e concerta-se todo e quaiquer objecto
a I pertenceote a esta arte.

Colleeio de Santo paro
que
Lacio Mon
do corren
dito collg
_ o Sr. ldel
, desde o di 8
l empregado em
I.
IHilIIIIlili
GRANDE
ARMAZEM
OHHA
Acaba de ohegar-a wt estabetecimento nova facturas com importante sorlimento
argos baixo mencionados precos os mais resumidos que possiveL
LUYAS DE PELUCA
Do afamado fabricante Jouvin.
Sorlimento completo de brancase de cores, multo boas de se escolher, em quanto.estao bem
frescas e sortidas.
KOTIVVS
r teehmn e menli..
e de muitas outras cubera sortidas bonitas, do ultimo gosto ua
5 ejoi
uso l.
anto Amaro
da granea.
Pr#""a^ u '"leque : ta re-
unacaofarua i '"> n. 3, defrente do
quartel fe polica.
COMERS.

poapi
na-lo
Ra Nova- d. 48, esqun. da ra d banto Amaro.
, 'anaazem da NORMA um mportantissimo esubelecimeate, efn coja montaget nao se
arara despezas para o fazer sobresahir entre os demais estabelecimehtos do seu genero, e tor-
dieno d concurrencia poblica. ,
SegramJe foi o esmero qne pretidio decoracao do estabelecjmento, tanto maiortero iao
o enidado e caprico que tem havido em torna-lo mais importante foraeeendo-o de oro wwsorh-
mento de faiendas finas, artigas de modas, etc. etc., importadas directamente a taropa, aerado sao
escolhidas por pessoas habditadas de eonformidade com as ollimas modas.
A IORMA .
pedeao publico -e especialmente s Ejtmas. Sras. qne dignem-se visitar este importante sMbefeci-
mente, no-qual aeaario plenamente justificado b titulo que adoptou, porque *> envidara os maiores
exfoicos para me o ubelecimento soja geralmente conhecido, e*mo norma, '* bom osto riqu-
simo soriimeolo, raodkidade de precos, superioridade de fazendas e finalmente norma *j franqueza
e sreefidaae. .
Neste estabelecmento ha um pessoal habilitado a comtarir fazendas amostra as casases
Exmas. Familias que o desejarem.
Armazem da Norma.
nwda.
Para nenhora e menina.
Botinas pretas, brancas
Ojnuzeode joias
Na ru do Cabug n. fc compra-se onro, prata
pedra preciosas por precos mais vanUjogos o
le- em ontra qualquer parte.
Oompram-se
Moeda3 de onro e de prata de tedas as oacSes : ua
ra da Cadeia do Recite n. 58, toja de azulejo,
Compra se urna casa terrea boa, situada em
t'Saoto Antonio ou Boa-vista: na ra da Flurenti
na n. C

48-
. 1
-Ra Nova48
Cortes de seda e de<5ambraia bordados ^
i. ? ?:
-O Cysne ra da Imperatriz n. 64 acaba de recerer lindo? modernas cortes de
vestido? de seda, pretose de cores, lros e matisados ; as.-im como cenes de canibraia
bramos todos'ricamente bordados, os qua*s vende por cnmmbdos pn-Qos.
mrri\ as, botas b permeiras
para homens c nenalos.
BotiDts de aieerro, cordavio, Jusaro a pellica, botesrassiaias.de baerro e de lastro, per-
. aeiras deKtstro tent yara Bomens cerno para meninos.
Sapatos
Sapatos de-borracha para homens, senhoras e meainos, sapatos de invern para homens,
ditos de lustro com -alto para meos, ditos de tapete ayeludado, ae casemira e de tranca rran-
cezes e oortuguezes para homens, para sebnoras e para meninos.
perfumaras
Finos extractos, banbes, leos, agna divina, de cologne, de tevande, e de florida tintura
para cabellos, pomada angroise para bigodes, pos de arroz e sabonetes.
Quinqilharias
E bellas vistas cedihidas, bengallas, chicotes, cowentes de plaqu para relegios, Bravatas, oculos,
lunetas, caixlonas de costura ornadas com msicas, pnotograotaias. mgicas coAYMinhos mgicos
para ^sappareeer anaeis, ditos ditos para wlogios, jOgos de donnn^ bagatea, rdelos, e outros
UitoTjoguiBh.w francezes-e alienaos jarros com boaquets de Aeres de porcetanas- para san-
tuariL ceatiDhas diversas para braco de meninas, objedos de phantes.a dourados p*ra toilete.ri-
cas escovas para cabello, 'para vestidos deshora., panhapeos e para barba pontohras de espuma
para dearrosTe-para charutos, abat-jur para canflie.ros a*az e para linternas de piano, caixmhas de
mosica de dar-s^corda, f* de vidro para pinos, realejos grandes e pequeo. wrd'OM. sa-
ramas com as mais importante staS molduras ouradas para cuadros, bonitas estampas de pai-
zaeeBs de figuras e de santos, carrmhos de 3 e de 4 radas para conduzr meninos a passeos, na-
lasTe bolcas^ra viagens, ber(08 *d; vtoes o* mais commodos que ha para enancas.
Para este artigo nao ha espaco nem tempo para a massante leura da infinidade ds e ge-
ros de brinquedos fabricados em diversos paizes da Europa.
Laa para bordar a
Rfe
"' .'.
" i.
Acaba de receber uta grande e variado sorlineoto du ia, a qual vende a 3^306 V_r|
libra, cores-sortidas.
Fitas e galoes de seda
flecebeu tambem nm lindo sortimento de tranca?, franja! 8 B*l5e de seda, e um
variado suriimento de fitas de sarja, seiim e chamaoto de todas as cores larguras, e I
uin *em numero de artigos proprio de .dito estabelecimnto.

Sanio
mero 6.
Compra-se urna casa terrea, na fiegnezia de
Antonio :' tratar no arco "da Coneefcao nu-
-04-
Lom muito maiur vantagem compram-se
onro, prata e pedras preciosas e n obras velhas: na
loja de joias do Co.-acSo de Onro n. 2 D, roa do
Cabue. _^
AtteiKjao
Compra-se urna refiuacao de as.-ucar
iv er annuccie para er pro :urado.
quem
Compra-se urna leja de fazendas ou de mi.
dezas, a praso ou dinheiro vista, com tenio qne
seja em bom lugar : a tratar no armazem de m. -
Ibados roa da Cambfa do Carmo n. z._______
C'jmpram se diarios para euibruihu : na ra
Nova n. 5. .
Joruaes para embrulho
Compram-se jornaes : na fabrica a vapf r de ci-
garros, na antiga ra do quartet de polica nume-
ro 2t.
VENDAS.
i

ur.
O dono deste estebeleciraento -pede ao publico em gerat que continu a
dcand as qndidaea os precos baratos de ditos objeetos por serem vindos em
ote propria.
visita-lo veri
diretura e d
-----_
W UHES k

--v>?^85^'S
CABELLEIREIRO FRMC
51Ra da Cadeia do Reeife51
. Chama a attencSo dos seus innmeros freguezes, e do respeitavel publico e.
,jeral, para a seguate tabella dos precos de sua casa, oe quaes sio rate por c&nu
mais barato do que em outra qualquer parte:
JUIi DA (M 1 i
gaialas, gallinheiros etc.
Grande armazem do Costa jun-
to a ivpographia do Diario
n. 41
Manteiga ingleza muita fina, dita fran-
ceza.
Queijos flameogos, ditos di minas, ditos
deprato.
Cha de diversas qualidades.
Caf de Moca e de outras qualidades.
Ameixas francezas em latas e frascos.
Marmullada deys melhores fabricantes.
Licores Japona e de outros autores mais
acreditados, maeans, presuntos, chouri-
Cas, salpicos em b.rril e Jalas de 4 libras,
e outros muitos gneros v'mdos no ultimo
vapor, de especial quadade por mod co
pre^o no novo armazem do Costa._______
v
A Hoto SsraraiiQa
Ja-21
us
todos em jiuirit'
perior dade d. com us-
as d; ati nde-fre-
goezi), como
ev sim para ci e us<)
a qualidade do shus object aes sao
sempre de apura io gosti e perfeirao ; tor-
nando-se quas: iadifpcn^iv. I para aquellas
tpreciadores (do bom) fieipientareo a "
vaEsperanca, pois q ella cap-Aa era re-
ceber constantemente, o, que i\ de m.:lhor
relativamente a sua repani^Tio: o qaese po-
der verificar quando em qualquer reun2o
de^pessoas (amantes doxiquej v-se uro
bonito enfeite em um bonito vestido, um
aroma agradavel eseaptr d'um alvo lenco,
um moderno e linde taoo.um dilicado ra-
mo do Anas flores, ele, ele. iodos olham-se
reciprocamente e dizem com sigo (e as-ve-
zes uns aos oatros) estes sao objeclr.s
Comprados aNOVA-ESPSRAKCA realmen-
te !!l I procurar desorevi'r ata aimuoaos os
artigos que contem. dita luja, seria trabalho
insano e nunca o fariam. s o/>m aquella
graca e perfeicao com que sao les fabrica-
dos, assim pois aNYA KSPliriANCV con-
tenta se em GQBvidar a lodos ^Hralment',
visitarem-na para eato tkaram .inlei-
rados do que ha exposto na mesjna loja.
l-ttua ituquo ?e Caiaa-tt
Rival sem segundo^
Ri'A DUQUEUE CA\IA K. 4
(Antiga roa do doeimado)
Contina a vender ludo muito bem e
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito lioo. -
Tesouras finas para unhas e com!li-
ra a......... K
Papis de agnihas frSfezat a b:-
lo a......'. .
Caixas com seis abneles de huta
Libras de la para bordar as cores a........
Carri'.eis de linha Altxandre a. .
Frascos com azeile para machinas
Grvelas de cores muito tinas a .
Crozas de boioes madepwfcto li-
nissimos a......
Pares de levas de cores moilo fi-
nas a 320 e.......
Novello de linha de 400 jardas a.
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a......
Peritos volteados para mtiiiiias a.
Tinteiros com t na preta aSOrs.e
Pefas de fita elstica muito fina a
Lata com superior banha a luO e.
Fraseos de oleo Pbilocomo moilo
fino a.........
Ditos ditos dito grende a. .
120
Cabelleiras para senhoras a 2$)?,
303, 353 e......405000
Ditas parahomem a 355, 40* e 505000
Coques a iU, 135, 183, 205,
253, 305 e.....305000
Crescentes a 125,155,185, 203,
255, 305 e ....
Cachos ou-ctospos a 33, 4& 55,
' 65, 75, 85, 93 e. .
Tranca de cabello para annel a
500 e........
Tranca para braceletes a IO/&
455, 20A, o e.....
Cadeias para relogio a 55, 63,
73, 83, 93, 123 e. .
Corte de cabello, ....
Corte de cabaik com hieco
.15500t
50.
50f
325000 Corte ^e cabello com lavagem a
; champea...... 15001
103000 Crte de cat,ellocom liJQPez da
cabeca pela machina elctri-
ca, nica em Pernambuco. .
15000
1500
50*
2W
HSSto.
Frisado ingleza oh franceza.
305000 Barba. ,.:... .
TURAS MEKSSES
Especialidade de penteados para casamento
8o!6res
Recommenda-se a superior TINTURA JA
PONEZA para enegrecer os cabellos e b
ha, nica admittida na ExpowcaoUnisersi;
como nao prejudicial sade, por ser vo>
lat.il. anlysada, e approvada pelas acade
mias de sc'ieneias do PARS E LONDRES
Bailes c
O dono do estabelecimento provine s
Exmas. Sras. e aos cavjilhe'jros que ha um
alo para tintara dos cabellos e barba, as-
ar como um empregado somante oceupa-
Ao nesse servico.
Ararae de ferro galvanizado em rede para tercas,
(apas de fetro galyaaisado pa/a cobrir casas.
Tachos de ferro estanhado para engentaos.
Cofres de ferro de Milner e ootros autores. i
Chcmlio em cano.
Oito em lencol.
Dito em barras.
Iiiio om enxaJa?.
slenhu em baria e vergainha.
PoUia de Flandrt?.
Arados americanos para ladeira e vanga.
Carriobos de mpo.
Veaezianas para janefb. _
Maa*inaa de descarucar algouo de facaff.
Ditas dr- sena.
Ditas para curtir fumo. -
Ditas a vapor de forca de 3 cavallos e motores para 2 cavallos, para mover as
mochinai e nlgodao. 7L,.
Caeiras de ferro.
Caaa- Ue.ferro.
Preasas para copiar er.ms.
Balan-i^ pari (saj. I
Olc-o de linhaja em latas de ferro.
Trilho de erro^tara engeabos
Bombas amerieaaa-.
Macacos de estiwr.
Ralaucas e pesos decimaes e oulras.
FuRoes de patente.
Eoxofre.
Sahtre.
Estopa larga e de boa quadade.
Piuaretas para caniinhos de ferro.
Um grande sorlimento de ferramos e i-utilaria.
Vende-ee
Palitos do gaz a :)20 rs. a duzia de caixinhas, ba^
rato ; na ra do Haogel u. 3'i, taberna. ,
de Kobert Lighlbown
0
15000
611000
100
500
800
500
O
00
240
100
200
200
Frascos de macaca perola a.
500
i 000
.240
500
720
15200
Vende se no aro azem
4 C, ra da Cadeia n. 62, to e barbante de U|das
as qualidades, cores e grossuras, em grandes 00
pequeas jiureoes, i-stopas de todas as qualidades
e largor.

Fotogr&phia
E
DE
imperial
PINTURA
0114R4VILHOSO REMEDIO 0
DR. CHAS DE GRATH
OLEO ELCTRICO
_, Vente se anta morada de casa terrea n. 4't,
i ra da Senzala-vdha : a fallar na ra do Duque
de Caxias n. 55. loja da verdade._____________
3 A ra Direita n. 26 chegon novo sorlimento
de hlalos, eoodecas, acafates, rnttireiras, > cr-
ias de todos os lamanhus : vende-se mais barato
que em outra |>arif\______
DOGE
Frascos de extracio muilo b nitos a
Duzia de gabooete muit fino a.
Sabonetes iiifilezes a G6 rs. e. .
Frasco com agua ilecolcnla Pivero
Dito deole.o babuza a.....
Caisas de lamparinas ft. j
Saboneles a forma menino muito
superiores a.......
uartijhasda dootrioi faaeBdi nova a
Libras de linha surtidas de todas os
nmeros :.......
Babados do Porto, lardosa 1
Capachos'muito bonitos e graro
Carriteis de retroi preto, coni 2
o'avas a........
A<;;:lheiro5 de os&o enfeitao .
Libra de Tnha francea ;upe:ior
qualidade a......
Caixas de r-ato do ga2 3,
De goiaba, laranja e banana ; na
91, constantemente. ______
ra Direita n.
Saceos de estopa
Vendem-se opti.nos saceos de estopa, proprio;
para assucai\ milho, farinha etc.: no armazem d
Adamsnn, Howie & C, ra do Commercio n. 40.
too
40
100
1,5800
20
' 70a
'gc
' 240
se
ie
Santa Gatharina.
Vende-se brinca d.; mar>dioea moto aWa-e fi-
na, a mais superior qoe ha no me ca 1, em D-
jeos do dou3 ilque03, par raii* do que 1 m m -
tra qualquer parle: a tratar coni Antonio Fran-
pisco Alarns de Miran'a, na n..va de Ss
Rila n, .'.'i.

a
3

ALEMA
DE
4 /. Ferretra Vuela
eade o da 7 de abril passado acta-se aborte. o
oovosttl)decimento photogTaphieo sito ra de
Cabula n. W, acto do pateo da matriz. Os traba-
itaos (|oe dasde ento, ten sataido de oossa officioa
tem geralmente agradada, sendo recabidos por
algitns com admiracao pelo extraordinari) pro-
graao e por ootros cosa alegra, iwr verem a provincia
dotada eom um estabelecimeato digno d ella, e in-
eoBtaattvelmenie o primeiro qne nesee fenero
Jiojefosiue : tarofcem nao ios poupamne^mepusa
alguma para raonta-lo no p *m que se acoa, es-
perando que o puWico do P*;rnamboco sabera
apreciar ooasos esfor^os e reeowpensar nossos sa-
crcios.
Convdamo a todas aquellas pessoa?, nackmae-
e estrangeiras que gostam das artes, oo tiverem
necessidade de trabalbes de photographia a visi-
taren! o nosso estabeleciojento, que estar sempre
aberto e sua dsposicao todos os das desde as 7
horas da manhaa at as da tarde.
Para os trabalfaos Ae pbotograpbia possuimos di
versas machinas do*raelhores autores francezes,
iftteces e allmemes, eomo seiam : Lerebonrs el
Seerettn, Hermagis, Thomaz ftoss, Voigtlander el
Sanh -eWulf. ltimamente recebemos tres novas
machina** sendo urna dallas propria para tomar
sobre o aaesmo vidro 4 ou 8 imagens diversas e
soladas, e ootra de 6 a imagens diversas e
igoalawate soladas, de sorte que no caso de
grande concurrencia podereW retratar sobre
urna nica cbapa anj 8 pessoas diversas e sola-
das para earta9 de vwila, easslm em menas de
um qoarlo de hora despacharmos differenies
pessoas que pegara eada urna, ama dua oe cartoes
mais on menos, com os aens retratos wmente, on
em grupo com outras. ,
Enearregamos-no xelusivamente da raecao
e feitora dos trabalho* de pbotographia aei-
xaaao pericia e talentos do disocto piDwr
allemo, o Sr.
Jorge A. Roth
os trabalhos de pintura, a aqnarela, a oleo, e a
pastel.
0 Sr. Roth acha-se ligado a nossa empresa por
urna escriptura publica, e at o presenta tem se
dweIUdonaa execnco de sea trabalhos.
No hossoestabelecimento acham-se exposlos ou-
trop trabalhos im|iortantes do Sr. Rolh, tanto em
miniaturas aquareWa como oleo,, reiratos
oleo, cuadros sacros e diversos outros irahalhos.
Tomamos encommendas de retratos oleo at o
taiNoho natural, assim como de quadros sacros
para ornamentacao de igrejas ou capellas. Tam-
ben Aceitamos encommendas de quadros histri-
cos.'
Asseguramos que os precos dos diversos tra-
balhos da nossa casa sao mu rasoaveis.
CARTOfiS DE VISITA NAO OOI.OMDOS A 10]J00 A
DfZlA
CART5ES DE VISITA COM O COI-OftiDO AO NATU-
RAL A 16)5000 A DUZIA
Retrates m miniatura oleo ou aqnarella de
16 lOgfM cada um, indo coriveoieniemente en-
eaixilhado em moldura dourada e regulando o
busto da pesoa retratada de 3 4 pollegadas e
todo o quadro palmo e raeio de tamantao
Julgamos que bastarao os prejos cima para
darrtios idea d baratesa dos trabslhos do nosso
estabtecimento. quanto sua perfeicao cada itta
venha jnlgar por seos *roprios olhos.
As melhores horas para se, tirarem retratos^ no
nosso estabelecimeuto sao das 8 horas da mauha z
{ da tafia; entretanto de ama hora s 5 da tarde
em casos speciaes pde-se tambem retratar qual-
quer pessoa, .
Nos dias de ebuva, ou por tempo sombro po-
demos retratar, e aseguramos que esses dias sao
os ma fa*waeis aos trabalbo* de photographia
pela doeura e persistencia da iuz, e por termas o
nosso terrag construido cora laes proporcoes e
melhoiamnt.s. que aiada efovendo jorros ne-
nhum ineonvememe ha para ajer-se bellos re-
tratos.
J.Ftreir VHiela
w& m PAim o re da dor
rARA USO 1\TEH\I)K EXTERMO
Cura cholera e cholera murbiu,
Diawhea, flexo de sangne, eta um da.
Dr de cabeca, e dores de onvido em
tres mioutos.
Dor4e dente, em um minuto.
Neuralgia, em -cinco minntos.
Deslocacoes, era vinte minutos.
Gargantas indiadas, em dez mnalos.
Clica e covulsOes, em cinco minlos.
Rheumatsmo, em um dia.
Febre e ebre intermitente, em am dia.
Dor as cosase nos lados, en dezmi-
nutos.
Tosses perigosas e refriados, em nm dia.
Pleuresa, em um dia.
Surdez e asthma.
Hemorrhoidas e broncbis.
inflamm*c5o nos rins.
Dyspepsia, erysipelas.
' Molestias de figado.
Palpilaf5o de coracao.
remedio em sua familia
Agencia ei Pmamtaco
Do Dr. Ayer
Petoral de Cereja
Cura a phthysea o toda* as Molestias do peito.
Halas parrilla
Cura ulceras e chagas antigs, mpigens e dar-
tros. '
Tonteo
Conserva limpa os eabellos.
Pllulaa cai bar tica*.
Paraman vagelaes i em mercurio
t&t, carato pbrifleam todo o systema Mfflw
7ende-se eUtctivamente em casa de Samuel P
hn&iB 0-,roa da Saojalla. Nova n. 42.
Beserv senif re este
AS DOENCAS SE APRESENTAM. QUANDO MENOS SE ESPERAM.
' OLEO ELCTRICO O KNG OF PA1N (O rei da dor) aquieta e positiTamente
dissipa mais de difierente* molestias e dores, e aHivia mais os soffnmenlos e praduz um
mais perfeito equilibrio no eystema humano, o que nio se pode effectuar no mesmo
tempo, com qualqaer outro remedio medecinal
Este muito popular remedio est agora usando-se geralmente, pela razio que
milhares de pessoas se tem carado gratis eom o dito remedio pelo Dr. Grath e outros
Este imporlante remedio nio ce offeree paracorar todas as doencas, porem o
smente para aquellas estipolaaas nasnossas direcces.
Est operando nos principios da chimiea e da electrtadade e por isso est ap-
plicavel para o enrmenlo e para a restarac5o da accao natural* dos org3os que soflrem
da irregular circulaco dos fluxos dos principaes ervos. Oleo elctrico O King o
Pain .opera directamente no* absortentes, faaendo desapparecer as mchacoes das gln-
dulas ate em um tempo incrive, breve sem perigo de seu use debaixo de qualquer cir-
cumstancia. .
0 remedio, ama medecina para o uso externo e interno, composto dos elemen-
tos curativos, raizes, hervas, e cascas, taes, como se tem usado, dos nossos antepassa-
dos. e das qoaes tem grande existencia no mando, para curar todas as molestias, so-
mente sai.endO'Se quaes ellas sao. .
Foi um grande e especial dasejo da faculdade de medeana dorante muitos-annos
de experiencia para aprender os melhores raidos que se deviamadoptar para eurar a*
egointes doencas, e que" prpporcoes de mtdecma- se devia asar.
mico DEPOSITO
EM PERNAMBUCO
NA PH.\R1 V
N..
BARTHOLOIEO & C
.34 Roa Larga dp Rosario.N. 34
Os accreditados-cyliadros americanos p;ra pa-
llara. 1
Machinas para desearorar algndao.
Canos de ferio galvanisados, para agua.
Carrinbos americanos para transportar fazendas
Farinha de mandioca
de Santa Catharina
O qne se pode desejar de bwi, a garnel, a bor-
do do patacho inglez Mary Blxk : a tratar com
Tasso Irmos & C, ra do Amorim n. 37.
N
i'
Ha para vender novo e superior farelo qne se
acba deposiiado no trapiche da comnanhia, chega-
do ltimamente do riio da Prata pela harc3 fran
eeza Angelina a tratar com seus consignatarios
Amorim rmaos & C, ra da Cruz n. 3.
MAQANS

Chegados peto ultimo vapor: no armazem Jovo
Hundo em frente ra do Vi ari, n. 2. Vende-se
mais tiaras que em outra qualquer parle.
Cemento
O verddeiro portland. S se vend na ru da
Madre de Dos n. 22, armaiem de Joo Martins de
Barros.
Vende-se
Ps de roseiras de varias qualidades, assim como
da sapol, abacate, ftgueira, laranja cravo e pi-
nheira, por preco razoavel: a tratar na Boa-vis-
ta, ra'do Mondego n. 51.
t ahriulet
Vndese nm cabriotet francez em perfeito esta-
do : a tratar na ra da Imperatriz o. 28, loja.
r,rende-se um bol e urna carroca :' na ra do
Mondego n. 61. _
ATTENCAO.
Vende-se urna parte do engenho Rirnos, comar-
ca de Pao d'Albo, de 9:000 a 10:0002, e ontra
do engenho Inhaman. comarca de Iguarass, de
5:0004 : os pretendentes queiram entender-se
com o senhor do engenho Cariba da freguezia de
Tracunhiem, oa eom o Dr. Laurino de Moraes
Pinheiro, roa das Cruzes (boje Duque de Caxias)
n. 1 O uesmo senhor do engenho Caraba offe-
rece a faxenda denominadaMinguai do Grava
ipara o Brejo da Madre de Dos e Curato de
lom Jardim ruja fazeoda muito acreditada pe-
los babitaotes do lugar, tem acuaV; e varios lan-
qoes e algum gado que tambem se vende encorpo-
rado i dita fazenda : trata-se nog lugares cima
mepciroado?.
A 10O& o canto
de cebolla* de Lisboa tm bom Cita i : no arma-
zem do tnolnii V da ru* 1 n. ii : quina
da rita do pirdun.
'Boa
morada
Vende-se n:n non terreno em urna das ras l-
(imamente abeitac m ttrada nova t Itoiieri1.
onde passa a linli 1 wm, mn lo po; 1 do riacho
Jacar, eom manas e Ipit pra espim c man-
dioca, tem de ektencao 1500 palmos, porm ven-
de-se a voolade dos compradores': eotenderem
se na ra da Imperatriz n. 31.
S JoaquimPtcdr^uesTa-.
vares de-Mello,
KgPraqa do Corpo Santn. 17$
TEJ PAI1A VENDER : jM
Cal de Lisboa. 9
Potassa paEussia. t
Vinho Bordeaux. > 0
S Farello de Lisboa.
^ Farinha de mandioea. r
Bichas hamburgnezas
Neste novo deposito recebe-se por todos os pa-
quetes translanticos bichas de qualidade superior
e vendem-se em caixa on porcao mais pequea,
e mais barato do que em outra qualquer parte :
na ra da Cadeia do.Recife n. 51, 1* andar.
Vende-so ou alnga-se urna canoa nova, tqda
encavilhada do pobre, que nega 400 feix de ca-
pim : para ver e tratar na cambda dos Remedios
com o capitao Delffm.________ __________^
Farinha de nandinca.
Ba melbor qualidade e mais barata do que em
outra qualquer parle : vendem Amaral, Moreira
4 C., no cai's da alfandega n. 7.______________
Fazendas b&rata?, Sroa do Ca-
bugn. 10.
Chitas roxas, covado, a 200 e 340 r?.
Chitas de cores finas e bom panno a 300 rs. s
covado.
Ditas precales, lindos padroes iOO rs. o covado.
Laa com listras de seda a 500 re. o .covado.
Dita com ditas a 360 rs. n covado.
' Dita com fl >res a 200 rs. o covado
Chales de ganga bordados a U800.
Cassa lisa com 13 varas a peca |or 6.
Grande pcrcSo de colchas de cores a 2l00-e
i*800.
Do-se amostras.________________________
- Vende-se um encllente- cabriolet que iraba-
Iha com nm dous cavallos, com os competentes
arreios a tratar na ra larga do Rosario n. 38,
loja.________________ _
Estampilhas.
Vende-se na ra da Cadeia do Recife o. 58, loja
de azulejo.



6
Diario de .Pemambuco Itaa feira 12 e JulUo de 1,870.

i
11
I I
A VMDADE
Rna Duque de Caxiasn. 55
Na loja da VERDADE contrana-se a ven-
cer por baratsimos procos lodos os arti-
gos de miudezas e perfumaras do sea
grande e variado sortimento, garantindo aos
compradores toda a sinceridade.
Lindas bonecas de cera e massa por ba-
ratisshno proco.
Espelhos doorados para pendurar a
160 rs.
Agolhas de osso para crox a 200 rs.
Pentes finos para segurar cabello, a
320 rs.
Chamins para gaz a 320 rs.
Garrafa com tinta alizarine a 1000.
Dita com agua florida a 10500.
Dita com dita dita a 4*000.
Tnico de Jayme a 15500 o frasco.
Frasco com oleo expresso de babosa, de
240 a 6i0 rs.
Dito com agua de Colonia de 300 a 1)5000
Dito com extractos finos a 1)$000.
Dito com sndalo verdadeiro a 1|5200.
Latas com banha muito fina de 120 a
240 rs.
Sabonetes muito finos e diversas quali-
dades a 80,160, 240 e 320 rs.
Finas escovas para dentes de 320 e 500 rs.
Ditas para fado de 500, efiOOrs.
' Ditas para cabello a 500 rs.
Pentes para alisar com costa de metal a
320 rs.
Ditos ditos ditos de bfalo a 240 e 320.
Pentes para tirar piolho de 160 e 240 rs.
Pavios para gaz, dazia a 240 e 320 rs.
Brincos de cores, inteiramente modernos
de" 160 240 rs.
Pennas caligrapbicas muito finas a 1)5400.
Ditas de lanca e raosinha a 800 rs.
Lindos babadinhos e entremeios de 500
o 1)5500.
Grosas de botes de lonca de 160 e
200 rs.
Ditos ditos para caifa a 240 rs.
Caixa com papel amizado a 700 rs.
Ditas com envelopes a 480 rs.
Ditas com obreias a 40 rs.
Ditas com agulhas fondo doarado a
280 rs.
Thesonra para costura a 240 rs.
Linha de marca eaixa a 280. rs.
Carriteis de liabas de Alexaudre de n. 70
a 200 a 10 rs.q
Grampos muito finos, com passarinhos da-
ziaa 200 rs.
Cartas francezas para jogar duzia 35000
Ditas porluguezas, duzia 1)5400 f
Papel almajo superior qualidade resma
45000.
Lam muito fina para bordar libra 6,5500
Fitas para debrum de sapato, pessa 160 rs
Ditas de lam para debrum de vestido peca
400 rs.
Caivetes gr.-ndes com molla a 400 rs.
Ditos grandes com 2 folhas por 320 rs.
Rosetas pretas para luto, o par 100 rs.
Trancas de lam de caracol branca e de
ctGs-de 40 a 100 rs.
Fitos para'cs, peca 480 rs.
Alfineics de lato, carta 100 rs.
Sapatinhos de lam para creanca de 400
a 800 rs.
Calcadeiras a 40 rs.
Gravatas de seda preta de 400 e 800 rs.
Ditas decroxe, brancas decores 500 rs,
Dita de gorgurSo de corea a 800 rs.
Na Tctmin m Daqne de Ca-
llas n. &&.
<.....
COM .FAIIHHI
Haia Landelino venle mecos com farmhi de
mandioca : na'rria do Dn^ne de Callas, travessa
do Rosario, loja n. 18 B.
Grande arttazem na rna da
Imperatriz n. tt
Neste grande armazem vende-se lonca ingleza
Unas e ordinarias, appareihns de porcelana para
jaotar e para cha, jarros para flores os mais boni-
tos e de gestos modernos ; assim como graade
sortimento de vidrot finos e ordinarios que tado
fe Tender tanto a retalho como por atacada pelo
mais barato pre?o qne era ostra pualquer parte :
chamamos a attencSo dos freguezes, qne carao
convenientemente servidos tanto nos corttaoSos
precos como na boa analidade das fatendas.
Cigarros da imperial
fabrica de S. Joo
de Nictheroy.
nico deposito em Pernambuco caes da alfan
dega velha n. 2, 1* anda.
Loj
Vidros para vidracas de todos os tamanbos
e em cafxas, rende Bartholomen & C. em sua
pbarmacia na ra larga do Rosario n. 34.
__------------1----------------------------------------------
Alta novidadr3
NA
ja do pa Cbegaram pelo ultimo vapor francei as ricas
chapelinas de palha de Italia, ultima novidade de
Paris, chapeos de velodo e palha tambem os te-
mos de muito gosto, postilhocs e basquinas de gor-
guro preto muito superior com ricos lagos de
setim : na roa 1* de'Mareo n. 7 A, loja do paja
Armazem dous irmaos
8Boa da Penha8
Manteiga ingleza flor a l500 a libra, dem fran-
ceza a 760.
Cha miudo e grcsso superior a 3|20O e 35000, ca-
f em caroco a 200 e 2i0.
Vellas de spermacette a 6iO a libra.
Aletria, taKiarim e maearro a 400 a libra.
Vinho em pipa a 400 a garrafa, dem S. Juliem
a 600 rs.
Grandes latas cem bolachinhas a 4J300. dem com
lagoftinhos a 500. idem com figos a 14000.'
Copos lapidados a 5!00 a duzia, idem idem de
contra a 2600, idem ternos com 6 copos por
15100; assim como mn tos ontros ohjeetos.
LEO DE ORO
Grande estabelecimento de (aseadas e roupas feitas e por medida, i roa da ka*1
peratriz n. 52 jauto a laja de.ourive*.
Neste esubeieciaento eneontrar o resfreitavel publico um bonito sortimento da
roupas de todas as quaidadw.
Palitot de alpaca preta e de cores a 30000, 30500 74000, ditos mirin preto
de 70080 at 255000, ditos de casasoimde cores finas e ordiaasjts, 4a 61, i 165000.
ditos de- panno finos de 63 8* 1 rj| e 2C08OO. sobretasKo diff* 20f alfiooo
Completo sortimento de cale* tetirim pardo d 1*0** 6/0, te brancas
di 25,- i 101000 o mais saperior, das nreia casemlra, ditas ca dite cfrseminrpTeta do:60 a^OJIOOfrsupwior, dita de merino dHfers -qnaltoades pata
lulo. Assinv orno nm bonito Sbttigjento de colletes de brina tle cnes, ditos brancos,
ditos de casefciira decores e-pretes, ditos do merino para luto fazenda superior.
Sortidinto.completo ine tamisas franoezasds algodo, .de -11600 35000, e do!
linho de 3850OO a'7<)0OOO a duzfa. "
Sormnento corMtd de ttroubs frawezas de algodao de 15600 a 25500,
ditasde bramante a 108^05We 30000 ditas-de Hamburgo, franelas, fazenda su-
perior de 255000 a 3gttjD Idwl*. SorttaftntordBolanntios dealgode e linho, etc.;
assim como meias dejpgflfla'''pna'liOmeftP de 35, a f0&006a duzia, gsavatas de mu-
tas qualidades. Na fu di\mMHkU o. 52, loja do ";Ttf
Sortimento de chapeos oe sol de alpaca, e seda, ditos inglezes cabo de marfito.
Tolhas para rosto. Sortimento de mallas para viagem.
ATTENCAO.
Neste estabelecimento eacarrega-s do andar fazer qualquer obra por medida
e para esse fira tem haba" mostr encarregado da ofcioa, que se encarrega do trabalbo
Com perfeico o pentualidade.
SORTIMENTO DE FAZENDAS.
ChiUe 240rs. oeeva4o.oulO0OOO>>apessa com 42 covados.' ditas miudes
para camisas e timo demeaino 260, e 280 rs., e outras muitas qualidades de 320, 360
e 460 rs. o covado, nete mesmoostabelecimeato cbegaram, amas bonitas chitas da
victoria com barra, a qnal para tomos ecompetente eneite para cofpHho. Cam-
braia lisa de 35. 45,55 e 10500 a pessa, e outras muitas fazendas de todas as quali-
Mades.
Farinha de mandioca
1 igual a de Murbeca.
Em saceos de dous alqueires e de panno de
algodao, cuja medida corresponde de 5 a 8 OjO
mais do que a medida daqui e do Rio de Janeiro,
vende-se a preco menor do que em qnalqner ou-
tra prtete : tratar com Joaquim Jos Gonral-
ves Beltrao, em seu esenptorio a ra do Commer-
cio n. 17.
Mais barato do que em outra qualquer
parte.
No porto da travessa dos Coelhos acha-se cons-
tantemente tijolo grosso e fino, tapamento, telhas,
e grande porgo de areta, que se vedem i. vontade
do comprador por menos preco do que em outra
qualquer parte ; assim como se encarregam de
fjrnecfr matenaes para as obras, para o qne h?
canoas e carrocas.
MACHINAS PARA
guinte ;
\inho Bordeaux superior qualide, ore
os do 7#500 a 205000. -
Cognac fino, dilerenles prafos.
Licores de diferentes quaiieadea.. e^jro-
Cos.
Frutas e conoer?a em frascos.
Aeito doce fraocez, em caixaa de 12
garrafes.______________________
Acabam de ebegar ao GRANDE BAZAn
UNIVERSAL, roa Nova n. 22carnmro
tunna-am completo sortimento de ma-
chinas para costara, dos autores mais co-
ndecidos, as qoaea asfo em expesioao no
mesmo Bazar, garantindo-se a sna boa ana-
lidade, e tambem wsina-se com peraicao
a todos os compradores. Estas macbinas
sao iguaes no sea trabalho ao de 30 costu-
reiras diariamente, e asaa perfei(j5o tal
como da melhor costoreira de Paris. Apre-
senun-se irabtlbos exeootados pelas mes-
mas, qne muito deven agradar aos preten-
dentes, -
Offleina e armazem de
Farinha de
Acaba de ebegar o Uriue brasetro OdMb, e
acha se tundeado em frente do trapicht Baafll 0
Llrramento, com fanima de mandioca nova koa,
de Santo Catharina, a granel ou easaccada oo-
ude Om eompradores : seo* coaaraauios Ao-
rim Irmaos & C.; rna da Crac n. 3.
ALGOBiO E MADAPOLO ATAHTA!K).
A 45000 o algodo, e 45500 omadapoISo, e t*obem chita escura boa 240 o
covado por ter grande poroto, ma da Iopratriz a. '92, loja com portaes encarnados,
intitulado
Leo de Ouro.
Caes
n. 57,
No trapiche do Bario do Livramento, h4para
Tender superior mimo ctiegado nltimafneot d*
Rio de Janeiro : tratar com Joaquim Jos Gon-
alre Beltrao em sea escriptorio : roa do Gta-
mercio n. 17.
dabuia
tt aAar
Farinha e mil ho.
'Vende-se a padnria da rna
por seu dnnoqaarer retirar-se por se
n. 66,
doente.
No irapiobe Barao do Livramento existe boa fa-
rinha de mandioca -mllente milho em saceos
oda : a tntar M fna do Vigario n. 16,1* an-
; escilptorio de Jdaquim Gerardo de Bastos.
Farinha de mandioca
da Babia.
maimore
Vinte e dous de novembro
(ootr'ora armazem* alRanca)
Ha para vender pedras marmeres de todos os
. lmannos e grasuras, tijolos de diversos ta-
raanhos, soleiras e saccadae, assim como solei-1 Na eseripiorlo de Joaquina Geraldo de Bastos-
i ras e saetadas de pedra do Lisboa. Tambem con- i ra do Vigario n. 16, primeiro andar, rrade-s
! traU-se e fa-se qualquer obra, como monuaien- | farntn muito Iva, fina e torrada, saceos'fe dous
tos, tmulos, estatuas, pias, lavatorio, mesas \ ajqueira, por menos do que em outra qnalqner
tudo o mais tendente mesma arte, por mdicos! parte.
! prjco. i
Vende-e
Sementes n:vas de hortalices, garantidas, da socie-
dade deHorticultnra Lisbonense, ra do Amorim,
; deposito da labrica de cervejas e espirites da ra
do Brnm.
Ra do Crespn. 20 A.
Alvaro Augusto d'Almeida C.
Este estabelecimento de faaendas finas e grosss j bastante conbecido como
am dos mais bom sortidos desta cidade acaba de receber directamente de Paris alguns
irtigos especiaes que passa a mencionar.
Ricos cortes de vestidos de blond para casamentos.
Cortes de vestidos de seda de cor, de.gestos inteiramente novos.
Brochad, fazendas de Ha e seda prpria para vestido.
Foulard de seda de todas as cores, tambem para vestidos.
Fitas largas de seda para cintos, gostos escoceses e Usos.
Cbapelinas de seda e de palha d'Italia.
Basquinas de seda e guipore.
Colchas de seda e de 13a e seda.
Cortinados de cambraia bordados milito ricos.
Pannos de verdadeiro croch para jardineiras, sof e cadeiras.
Toalhas de linho de superior qualidade.
Bramantes, sendas, sgoioes atoalliados.
Gnardanapos, colobas, aaias bordadas camisas,
Cache-nez, baloes, camisinhas, sombrinha.
GAZ GAZ GAZ
Chegon ao amigo deposito de Henry Forster
o., ra do Imperador, nm carregamento da ra
de primeira qualidade; o qual se vende em partida'
e a retalho por menos preco do que em outra qual
qner parte. _____________.
Vende-se um terreno proprio, com 138 pal-
mos de (rente e 160 de fundo, para o lado da es
trada de (erro, cjo terreno tem a(:cerce feito pa-
ra Cinco moradas de casa, na ra de Mo toco lo (li-
b do- A(ogados i a tratar na mesma rna, ou na
ra Direita dos Afogados n. 13.
Sahidas de baile
Chegaram loja do paco as ricas sahidas de
baile, assim como os ricos enchovaes de cambraia
bordados para criancas se baptisarem, artig este
o melhor que ha no mercado, assim como temos
grande sortimento de outras muitas faiendas de
gosto e novidades por todos os vapores : na loja
do pago ra 1 de Marco n. 7 A.___________
Cantara de Lisboa
Soleira?, hombreiras e capiteis
ha de melhor:
para (rentes de
casas, o que ha de melhor : a venda no arma-
MadapoiSes de vanas qua'idades,.s:cos para viagem, mallas, tapetes, capa- zem da travessa 4o Corpo Santo n. 25, de Joaquim
alcatifas e mnitos outros artigos qae se vende por precos mdicos. Lopes Machado & C. _______*__________
Tera tambem constantemsnte um completo sortimento de ESTEIRAS D\ IN- "~ Vende-se uma caM de 'a'i"1- n* baiM d
1 DI\ Dar forrar salas Zumbi, (Torre) em solo reweiro : tratar na ra
F Imperial n. 233.
ihos,
Ra do Imperador n. 26
O respeitavel publico encontrar nesta
estabelecimento diariamente um completo
sortimento de pastelaria, bollos ingnzea
podins, p5ds-del, prgsentos dos ltimos
chegados ao mercado, salame de lion, bo-
linbos finos de todas as qualidades para cha,
amendoas confeitadas, confeitos, bomboins,
pastilhas, chocolate frascez em libras, pas-
tilhas do mesmo ,carto.\os e carteiras com
seis charutos de chocolate cada uma, esto
sortimento do chscolate do mais acredita-
do fabricante de Paris e o melhor que at
hoje tem vindo ao mercado.
Vinhos portugueses, figueira muito supe-
rior. Os mais genuinos e superiores vinhoa
do Porto, moscatel e Setubal, o Ilustrado
publico encontrar neste estabelecimento
por commodos precos, fazendo-se abatimen-
to a quem comprar em porcao.
Os dorios deste estabelecimecto nao aa
tem poupado a despezaj para melhor me-
recerem a acoadjnvafo do Ilustrado pu-
blico.
Neste grande estabelecimento encontrar o respeitavel publico, u.u grande
em outra qui'quer parte, visto que os novos socios fiesta firma adoptaram o systema
e armazem poderao fazer os seus sortimentos pelos mesrnos precos que compram as casas estrangeiras.
derem escolher.
60RA DA IMPERATRIZ60
Para maior commodidade da Exmas. familias, de todas
#
ALTAS NOVIDADES
O PAViO 8
BONITAS FAZENDAS PAR.A A FES- %?
ta de: m
SANTO ANTONIO, S. JOAO E S. PEDRO. J6K
Vendemse as mais lindas poopsli- w
as de linho e seda com os gostos *x
mais novos que tem vindo a este %<
mercado, pelo barato prego de____^
2;J000 o covado. ^
Sedas listradas. de furta cores, fa-
zendas ae muita phantasia a 25000
o covado.
Si'da bismark. larga fazr-nda muito
encorpada o covado a 25300. ^
Bonitas lasinhas largas com palma }g
de seda, covado a i^OOO,
Lindas agraciando lavradas covado
a 1,51600.
Alpacas lavradas de todas as co-
res, covado a 6VO, 800 e 10000
Bonitas lasLihas escossezas com
quadros e litras de seda, covado a
561
Finas alpacas lisas, sendo cor bis-
mark lyrio, verde, roxo, cinza, can-
na, azul etc., covado aiO.
Ditas furia cores com as mais bo-
nitis cores, covado 503 rs.
Lindas bareges lisas, e com lista cB
da mesma cor, fazenda inteiramen-
te nova, covado a 560 e 6i0 rs. W
Bonitas l;isinhas tapadas e trans- \
parentes com grande diversidade, o
covado a 600 rs. .
Lasinhas lustrosas com lindas c-
ms emitac3o de seda, o covado a
ji.
Judos cortes de anadine, sendo
fazenda nova e transparente e de
muita phanlasia, com 18 covados a
15,0000.
Fmiss'mos crtes'de vestidos bran-
cos bordados com todos os enfeites
francezes a 125000.
Cortes de ganga indianos, fazenda
inteiramente nova a 7(51000'
Ditos chineas com da as saias a
7^000.
0 Organdy branco com listras lar- g
>jX gase quadrinhos, a vara a 15000. x*
^ Todas estas fazendas, sao inteira- *
*b mente novas e se vendem muito em S
P< conla, ra da Imperatriz n. 60, >
B loja e armazem de Silva e Figuei- ^
i do & c. m
de 125000 rs. cada um, pechincha.
CASEMIRAS ESGOSSEZAS.
0 Pavo tem boni'as casemiras escosse-
zas cora quadros grados e miados e outras
lisas com listras ao lado, sendo fazendo
muito fina que se vende mais barato, por
haver grande porcao.
CORTES DE CASEMIM PRETA A 4:500.
O Pavo tem os superiores cortes de ca-
semiras pretas enfeitadas pelo barato preco
de 45500 rs. o cort,
CASEMIRAS RASPADAS A 800 RS. O CO-
VADO.
O PavJo vende excellente fazenda de pora
15a com as cores escoras muito proprias
para calcas, palitots, colletes e roupa para
meninos que frequontara a escolla por ser
uma f zenda leve, escura e de imita dura-
Cao, pechincha a 800 rs. o covado ou a
2580:) o corte de calca para hornera.
FINAS BARGES A 640 RS. O i.OVADO.
O Pavo tem as mais lindas bareges de
15a sendo meias transparentes,'com uma
s cor, tendo :.lyrio, azul, rosa Bismarck,
roxo, etc., tendo muito boa largura e liqni-
CROCHE'S PARA CADEIRAS E SOFA'S.
0 Pavo tem nm grande sortimento dos
mais bonitos crochs para cadeiras, sofs
mesas, alraofadas etc., proprios para co-
brir presentes e vende-se mais barato do
que em outra qnalquer parte.
Algodio enfestada.
Vende-se uma grande porco de algodo
sinho americano cim 8 palmos de largura,
as fazendas se do os livros das amostras, ou "se mandara levar emjsuas casas, para melhor po-
ALPACAS LAVRADAS
proprio para lentes e todmasr tendo liso e! T^ TT liau,:ff com delicados pa-
trancado, qae se vende por preco moito em ? ZZ.' Par.aiodos os PreC e Qua'-
GRSfiS1A^Ed P*RET0S D^ ,60 AT -7*00? I R0PAS PARA HOMENS PARA TODOS
Na loja do Pavo encontra o respeitavel n<5 dmmyk
publico um grande sortimento. de grosde- pM, A u ,T J ,
naples pretos de todas as larguras e qua-! Nfte, gnde estabel.c.mento encontrar
lidades, tendo de 10600 o covado at 750OOr5 rePeilavcl Pfbco nm grande sort.mento
'rde roupas, sendo palitos e sobrecasacos de
panne preto e cazemira, calcas e coietes de
brira branco e de cores, que tudp se vende
mais barato do que era outra qnalqner parte;
assim como um grande sortimento de ca-
e 8J00:), que se vende por preco muito
em conta.
CASSAS FRAXCFZAS.
Chegaram para a loja do Pavo as mais
lindas cassas francezas
conta.
LAAS ESGOSSEZAS
LAS ESGOSSEZAS
LAS ESCOSSEZAS
A 560 rs. o covado.
Chegon para a loja do Pavo, o mais
elegante sortimento das nw3 lindas lazi-
nhas escossezas com fios de seda, as quaes
fazem o mais delicado effeito, para vestidos
de duas sa>as, e vendem-so' peto baratissi-
mo preco de 560 re. o covado.
SEDAS DE LISTA
SEDAS D* LISTA
SEDAS DE LISTA .
a 25OO o covado.
Chegou para a 1 .ja do Pavo am grande
e bonito sortimento das mais lindas sedas
de listas com as mais delicadas cores, tendo
entre ellas algomas que servem para luto, e
vendem-se peto barato preco* de 2|J000 o
covaiio, pechincha.
FAZENDAS PARA LUTO NA LOJA PAVO
Encontra o respewavel publico neste es-
fla-se por 640 rs. o covado, por se ter fei- tabelecimento um grande sortimento de fa-
Ditos de la escosseza fazenda mui-
to b mita com fios de seda a 750uO
Ftnissimos organdys com lista de
edr e salpico, sendo fazenda de
muita phantasia, o metro 10280.
to uma grande compra, assim como ditas
mais estreitas de ama s cor com listras
imitaco de seda a 560 rs. o covado, e pe-
chincha.
PECAS DE MADAPOLO A'35500.
0 Pavo vende pessas de muito bom
j raadapolo, tendo 12 jardas cada uma, pelo
barato preco de 35500.
PSCH1NCHA-EM ALGODAO A 4*000 RS.
O Pavo est vendendo pecas de agodo-
sinbo francez, tendo 4 palmos de largura e
com 11 metros cada peca, pelo barato pre-
de 40000 rs.
CERA DE CARNAUBA.
Vnde-se superior cera de carnauba em
saccas, mais barato do que em outra qual-
quer parte, n ra da Imperatriz n. 60,
loja do Pavo.
OS SETIN DO PAVO
Vende-se os mais bonitos selins de cores
e mais encorpados, proprios para vestidos
tendo de diversas cores.
zendas pretas, como sejara cassas france-
zas e inglezas, chitas pretas de todas as
qualidades, fazendas de la de todas que
tem vindo, proprias para luto, sendo lasi-
nhas alpacas lavradas e lisas, canto, bom-
basinas, merinos, etc. qe tudo se vendo
por preco barato.
PARA BAPT1SAD0S
Na loja do Pavo vende-se bonitos en-
chovaes para baptisados.
Cortes de casemira a 40000, cada um.
Vende-se bonitos cortes de easemltas
claras e escoras pelo barato prece de140,
ou a 20400 o cotado, tendo duas larguras.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
de 85, 105,120 6 160000.
Chegou para a loja do Pavo nm grande
sortimento dos bonitos o'rioos eortrnados
bordados, proprios para camas e ja
que se vendem dr, 85000 O par. at o
rico que vem ao marcado, e venderse mi
barato que em outra qualquer parte.
dades, dando-se todas amostras, assim como
um Bonito sortimento das mais lindas chi-
tas francezas escuras e alegres..que se ven-
dem muito em conta, e tambem se do
amstras.
CHITAS A 210 RS.
Na loja do Pavo vendem-se bonitas chi-
tas francezas claras e escuras e cres'fixas
240 rs. o covado, e pechincha.
LASINHAS A 320.
LASINHAS A 320
LASINHAS A 320.
Na loja do Pa*So vendom-se elegante sor-
timento das mais lindas lasinhas lustrosas,
com listrinhas a imitaco de poupelinas de
seda e com as cores mais -lindas que tem
vindo ao mercado, sendo fazenda qoe vale
muo m*is dintleiro, e liquida&i-se a 323
rs. o covado, pechincha,
FCHlffCHA
EM CAMISAS DO PAVO A 40500 RS.
Vende-se um bonito sortimento de muito
finas e modernas camisas inglezas com pei-
to o collariohos de linho e ptmhos, pelo
baratissimo preco de 45500 rs. cada uma
e aos freguezes que comprarem duzias se
Ihe far um abatimento, garantindo-se que
fazenda que vale muito mais duheiro,
liquida-so por este preco por se ter feito
urna grande compra: assim como se vende
tTJ 1 me,,nt2 de ditas to*m*> mw de largara, proprio para lences, dao-
pe.to denho bordadas e ditas do algodao J do a largura d'esU bfia fazenda o compri-
para todos os precos. mento do lenoo!, sondo preciso para cada
mizas francezas e inglezas, e ceroulas tanto
de linho como de algodo e abundante sor-
timento de meias cruas.
VESTIDOS INDIANOS COM DUAS SAIAS.
O Pavo vende urna grande porco de
cortes de vestidos indianos, tendo duas
saias e tendo bastante fazenda, com os gos-
tos mais novos qn tem viudo, e liquida-se
a 55000, tendo cada um seu competente
figo rio.
CASEMIRAS MESCLAOAS A 35 0 COVADO
O^avSo tem para vender bonitas case-
miras raescladas e bastante encorpada para
roupa de horaens e meninos pelo harar.o
preco de 35POO- cada covado ou 50000 o
corte da caifa para homem.
Roupa por medida.
Na loja do Pavo manda-se fazer qnalquer
peca de obra a vontade do fregnez, para o
que tem um perito atraate, responsabelisan-
do-se os donos do estabelicimento por qual-
quer falta que possa haver, quer por de-
mora, quer por qualquer de/eito na obra;
e para isto. encontra o respeitavel publico
um grande sortimento de todas as fazendas
que desejar.
BRAMANTE A, 1800.
Vende-se superior bramante com 10 pal-
basqomaa
ricamtnt*
PANNO PARA SATAS A (5000, 1*280 e
15600 RS.
Vende-se bonlas'ftzendas Jproprias para
saias sendo com bordados e pregas 'a tm
lado, dando a largara da fazeoda o compri-
raento da saia e vende- pelo barato proco
do 10000,10280 e 10800, cada ntrttro sen-
do preciso apenas 3 ou 3 1/2 metros para
eada saia peebmeha.
itstMo* trameos a 19000 ro.
avao tenue flmssimos cortea de ves-
de cambraia oranca, ricamente borda-
amoita fazenda pelo barato preco
nm apenas 1 e 1/2 metros ou 1 e 1/4 pe-
chincha pelo preco.
ESPARTILHOS-AMOO.
Ved-se um bonito sortimento dos me-
mores e mais modernos cspa'Hilhos tendo
do barato proco de 50000 at 8000.
Gachenez.
Na loja do Patio ttetele um grande
sortimento dos mais bonitos cachenez de
pura la proprias para seohoras, vendem-se
a 65000 cada um, na ra da Imperatriz
n. 60.
A loja do Pavao est, constantemente fcerta. das 6 horas da manha s 9 da nonte
. 640, 800 9
1,000 RES.
Chegou para este grande estabeUcimemo
o mais bonito sortimento das mais moder-
nas alpacas lavradas de todas as cores, qoa
se vendem a 15, 800 e 640 reis o covado,
assim como um grande sortimento da sipa-
cas lizas de todas as cores
Basquinas.
Cbegaro as mais modernas
ou jaquetinhas de seda preta,
enfeitadas a viarilho, tranca e setim preto
tendo de todos os modellos, os mais novo*
que tem chegado e vendem-e por preco
muito razoaveis.
POUPBLINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
POUPELINAS DE SEDA
a 25000 o covado.
0 Pavo acaba de receber o mais ele-
gante sortimento das mais lindas veidadei-
ras poupelinas do linho e seda com os pa-
drees mais delicados que tem vindo ao mer-
cado, tendo entre ellas cores proprias para
alliviar luto, e vende-se pelo barato preco
de 20000 cada covado, pechincha.
Cambraias brancas -
Vende-se um grande sortimento das bm
Ihores cambraias tanto victorias como trana*
parentes tendo de 30500 peca at a majo
fina que vem ao mercado.
CAMBIUIAS BRANCAS A 4*000, A PECA.
S o Pavo vende pecas de cambraia
branca transparente, tendo mais de vira do
largura, com 10 jardas cada peca, fazenda
que sempre se vendeu a 70 e 80000, Iiqoi-
da-se pelo barato, preco de 4*9000.
fstes brancos a o, 00 e t#soa
Vende-se muito bonitos fustoes branoea
.muito flexivel proprios para vestidos m
senboras e roupa para meninos e vende-ao
a 640, 800 e 10200 rs. o covado.%
Cassas i tO n.
O Pavo est vendendo bonitas cassas o
cores fixas a 240, 280 e 300 rs. o cotado
Brilhantes lasinhas.
S o Pavo, 640.
Chegaram asraaisbirlbantestSasmbSs com
as mais lindas cores, coro palminbas miad)*
nhas, assontadas as mais delicadas cores de
brrio, cor de canna, cor do ganga e branco,
sendo estas novas lasinbas de moito boa
qualidade, tendo largura de alpaca e vnde-
se 460 rs. o cotado. rda da tmperatria
b. 60 loja do Pavo.


Diario de Pernambuco 'Terca feira 12 de Julho de 1870.
/

I
jBsquiua da ra da Aurora, em fredo caf oipwarz.
Ntate novo e suraptupso esbejecimeno, de. fazeedasQcbfltnato a* Exmas..
Mttiwtwte joaatpossam desejat .tanto en artigos do m!s rigoroso luso, como em todas
a Bttis qwilfdadies de faaendas, ^ ****
.-^. Alra de se1acharem prvidos do que de mojoor aeanconu-a neste mercado,
jor todos os paetes da Europa, recebem directamente o qutimvm d*fmoSU
o mam apurado gosto se eucontrn erq Paris, o que vem cada da augraeoter s propor-
aei de que dispoa este estabelecimento para bern servir sua numerosa freguesa.
ti$0V Ur paraTenc4es,e toalhas de Gase 6om Ifstras de seda e flores, faxen-
t0MM? quaudadesqqecostoraa viraomer- da iuteiramente nova para vostidos de baile.
*** Gratatas pera senhoras e beniens, o nviis
Agca&,de todos os padroes e qualida- complato srtraento qnese^pde desejar.
**Mw .variadas que se nao podem descrevor, Guipure preto e branco, -diversas largu-
Abu^wm msicas.para colocar retratos, ras e differentes gostos.
elififldo presente para qualquer pessoa de Gollas e punfaos bordados para senhoras.
ftl^f I Guardapapos de linbo pequeos e gran-
Atoamado de linbo e algodo, branco e des.
e c** proprios para toabas. GorgurSo de seda preto e de cores,
. j PS*, I Grosdenaples preto. e de .cores, haven-
Basquinas de seda pretas e muito mqdar- do diversas qualidades e gostos.
ata, bem como de-croch,!, ludo de apurado. <%*
C^Orfl Wtfc I Japonezes para senhoras, o melbor gos-
IJaloes de musselma, madapflI5p, brancos (to, e fazenda propria para as festas nos ar-
de coces, para seniora e meninas, rabaldes e passeios a tarde.
Sa/egesde cqres variado sormeoto. ra*,
Qmvio JVGUIA 8HRNCA, mafr precia sciedtfltear ao respeitave! publico em
garal, e m particator-a soe boa fregueaia, 4a irainensida.de de o|jWto^ae ltimamen-
te tem Decebido, juamentoqBando ella menos o. pode fetn e poiqueessa faHa invo-
unUria ella ooala e espero na benevolencia de todos que Ih'a attenderao e relevaro,
continando porttfito a diwgirem-se a bata conheetda Ir ja ^a AGUtA BRANCA i roa do
Queimado n. 8, onde- sempre aeharo abundancia esa sortimento de soperioridade .era
quididades, modieidad^em precese o seu-nwca desineottido AGRADO* SINCERIDADE.
Bo qae cima fica dito*se couheceqne o tempo de que a AGULV BRANCl. pode
dispr, empregado apezar deseas custosnedesempenuo de bem'servir a aquellos que a
Bowam procurando proter-se era dita toja do que neeessitam, entretanto sem ennuine-
rar os oojectos que poraa naturea s3o mais conhecidos ali, elki resumidamente mdi-
a aqueMes coja importancia, elegancia e novidade os tomam recommendaveis, como
bem soja :
BapaoVnhos ou tiras bordadas em todas as
arguras.
Belbutina de,todas as cores.
Bolsas de tapeto para viagem, grande
mrjadade de tamaubos e gostos.
Bombazina preta de todas as qualidades.
Bramante de linho de H palmos de lar-
cora, e todas as mais qualidades.
Bregabas de linho e algodo, grande sor-'
LSazincas do todas as qualidades, cfires
e gostos, nao licando nada a desejar, tal
o sortimento que existe para escolher.
Lencos, tudo quanto pode haver desde
esguifio ao algodSo commura.
Loques de madreperola e osso, o mais va-
riado sortimento.
Ligas d seda, bordadas, para senhora.
Luvas de Jouvin, chegadas por todos os va-
MWtor pones, sempre novo sortimento, qoer em
Brips de linho .branco e de cores, do mais peluca para homens e senhoras, qoer emoli
commodo ao msiscaro em-quadade, alfian-, d'Hsoocia, braaeas e de cores,
ando o que ha de raalhor na especie. I SXX
Brins d'algodo completo sortawto e Madapolo; iidescriptivei o grande sor-
*ariedade de pre;os. timento que lia ueste genero, desde o mais
C& elevado proco ao menor, que se vende em
Cassas de cores, o maipr sortimento, pri- peca e relamo por menas do que em ou-
undp pelo boaj gosto e baj:atoza, atientas tra qualquer parte.
a qaajid^des. Mantas de bloade para noiva: o apurado
Caaibraias brancas, ,tapdas, a traespa^en- gosto dos oasaos correspondentes em Pars
as de todas as qualidades e precos. habiliu-nos a dizar que temos em nesso
Camjsinhas do canibntia. de linho e cassa estabeleciraento o que de melbor se< dese-
?ordadas ricainento enfeitados para Sras. ja para vesl* e ornar urna noiva.
Camisas para borneas e meninos, tao va-
nado sorimefltoque v; do mais ordinario
oadapelao ao mais pereito bordado de li-
Cimisas de meia, de flaoea,* brancas e
Casemiras pretas e de cores, o melhor
qtM se pode imaginar, sendo d'isso a me-
i&9rprova o grande consummo dallas na;
tficiM da casa.
Capellas de floras, para noivas e bailes,
eede a mais candida flor de larangeira at
interessanto griaalda.
Mantas pretas de blond.
Mantas para carros, cora lindas pintoras.
Merinos pretos, trancados e lisos.
Musselina branca e de cores, lindos e va-
riados padroes.
33*
Pannos pretos e de cores, desde ornis
barato ao mais superior, porprep) maito
commodo.
Pannos de crochet, para cadeiras e sofs.
Ditas de casemira muito finos para
mesa.
s interessanto griaalda. Peitos bordados de linbo, lisos e de al-
Chapelinhas no melbor gesto.de todas as godSq para camisa,
sores boje preferidas pelas senhoras de Prncetas pretas e Je cAres.
oais apurado r^or na moda. Popelina do seda e linho, com listras e
Chapeos pretos de velludo, para senhoras, flores; fazenda Ikidissima.
alttmo gosto de Paris. j Pelherinse paia senhoras; dO' oltimo
Chapeos de sol, para senhoras* horneas,i gosto.
de todos os prepos e variados gostos. Perfumaras ; os mais finos extractos o
Chaly com ricos padroes para vestido:. que de melhor c mais agradavel se pode
Chales da todas as qualidades, avultadu encontrar oeste genero, e de. mais fragante
aamero e Bao menos variedade de gostos, I e suave no olpbato, tem o PAVA.HO DA
Chitas, impossivel descrever osortimeo-j AURORA, desde a verdadeira agua Flori-
do e variedade de padroes e novos gostos, da at o mais fino Bouquet dAmour, final-
aneste artigo tudo quanto se pode desejar. | mente tudo quanto deve oceupar o touca-
Cinlos para senhoras o que se pedo ima- dor de ama senbora de gosto.
Corpinbos de cambraia, primorosamente
enfeitados com fitas de setm e obras essas
cuja novidade-de molde e perfeifo de ador*
no os tornam- apreciados.
Fitas moi largas -de diversas cores e qua-
lidades para cintos.
Leques uesse objecto nwito se poderia
dixer querendo descreve-losiwnucrosamente
por suas qualiaades, coree e deeenhos, tal
o grande e variado sortimento que acaba
de chegar, mes para nao massar o pretn-
deme se lhe apresentar o que poder de
meiaor.
. Entremeios, em pecas de 12 tiras.
Guipure branco e preto dd diversas qua-
lidades e desqnhos.
Ditos de algodlo com flores e lisos.
Capeltas braBcas para meninas.
Grandes sortimento de flores finas.
Fil de seda, preto.
PERFUMARLA
Grande constante sortimento de dita,
sempre melhor quajidade.
Lindos vasos mi p de am e pinsel,
Caixinbas com ditos aromticos.
Bonitos e modernos peales donrades
para circular o coque.
Bonitos bnneos de plaquee.
Aderegos e brincos ds-niadreperoh*.
Caivetes finos para abrir latas.
Thesooras para frisar babsdinbos.
Aspas para bailo.
Novos stereoxopos com 48 vistas, as
quaes s5o movidas por um machinismo
Veos de seda para cbapelinas e monta- am s^stitnem as outras;
ria,
Meias de seda para noiyas.
Ditas bertas de fio de Escossia.
Costames en oniformes para meninos.
Enxovaes completos para baptisados.
Tooqninhas de fil, sapatinhos bordados
meis para ditos.
Camisiohas bordadas para ditos.
Vistas para stereolbopos.
Bonitas caixinhas de vidro enfeitados com
pedras.
Ditas de madeira envernisada com vispo-
ras e com dminos,
Bollas de borracha para brinquedo de
criancas.
Diversos objectos de porcelana, proprios
para enfeites de mesa e de lapinhas.
S0.TIWT0 COMPLETO
NOS GB-\NDES '
JLttSIAfclSffS E SKCCOS E TIOI SAIIOS
CONSERVATIVO
N. 23Largo do Terpo.TS. 23.
DB1
fiaar de melhor.
Coques, o melhor no gosto e aos entei-
(ss, varios lmannos.
Colchas de seda com borlas, o mais apu-
rado gosto e lavor.
Ditas de fusto branco e de cores por:
oreos commodos.
Corpinhos de cambraia, ricamente brda-
los para senhoras.
Cortinados de cambraia bordados e de
ll.o que de melhor se pode desejar.
Colarinbos de linho bordados e lisos, o
aaior sortimento.
O
Damasco de la de 9 palmos de largura
lindas cores e ricos padroes.
Espartilhos bran:os e de cores, para se-
nhoras e meninas, o melbor oeste genero ;
nenhnraa Sra. deixar por certo de manir
te de to precioso auxiliar perfeico de
am corpo delicado.
Entremeio3 bordados.
Escomilha preta.
Enfeites para cabeca," ultima moda de
Paris, recebida no ultimo paquete.
Esgui2o de linho, completo sortimento de
:odos os oameros.
Fitas largas escocesas para cintos, varie-
lade de gostos e lindos padroes,
Fiehs de crochet, modernos com cintos
capas, o que ha de melhor.
Fil de seda, linho e algodao, de todos
as gostos e padroes.
Fusto de todas as cores e qualidades
pande sortimento.
Flanella branca e de cores.
Flores, qae ha de mais rico, qoer
sobas, qur em ramos, tem o PAVILHaO
DA AURORA am permanente jardim a
isposicao das Exmas. familias.
Saias bordadas, brancas, lisas e de cores
com toldos e sem eUes, o melhor possivel,
Sahidas de bailo, de todas as core.
Sedas pretas, de quadros, lavradas, lisas,
de listras de todas as cores e qualidades e
o mais barato possivel.
Sanrslim de todas as cores e qualidades.
Tapetes grandes, lindas pintaras para 8
cadeiras, mais pequeos e de todos os ta-
annos desejaveis, e em peca para co-
vados.
Toalhas de labyrintho, do maior e mais
fino trabalho ao mais barato.
Toalhas de linho e algodSo de todos' os
tamaitos, lisas e felpudas.
Tarlatana branca com.palmas e de cores,
fasenda muito nova, e gostos delicados pro-
pria para baile.
Vistuarios bordados d fusto brancos e
de cores para meninos, de cambraia para
baptisados, o que de melhor tem vindo a
este mercado.
Vestidos de.la escoceza de 1 saias,
novidade pelopadrao, gosto eforma; ditos
de linho com barras de cores, e de cam-
braia de cores com 2 satas, tudo inteira
novidade, trazem os modellos juntos para
mostrar a forma de 06 fazer.
Veos de blond para noivas e pretos para
luto.
Vestidos de blond para noivas: podemos
asseverar as nossas Exmas. freguezas, que
somos os unios em Pernambuco que pode-
mos offerecer ao Ilustrado publico, o mais
apurado gosto em semelhante materia, gra-
cas ao bom gosto do nosso fornecedor em
Paris, podemos garantir que ningaem neste
genero o possue melhor, nem mais em
conta.
E' dispondo d tao grande e var ado sortimento que os proprietarios do PA-
VTLHO DA AURORA se apresenm ao publico declarando desde j.que a sincerida-
e e o bom gostoo movel nico de seos negocios.
Prvidos de todo e premptos sempre a prover-se do que por ventora lhe
leja nacessario, os proprietarios doste sumptuoso estabelecimento recommendam-se
em reeeio de serem contradictos e proteslam esforcar-se por contornar a merecer
protecab que se Ihes tem dispensado ; certos de que do seu estabelecimento nao sahira
o freguez descontente.
Contina sempre a officina de alfaiate dirigida por am- dos mais habis artis-
tas, prompto execntar com promptido e bom gosto qualquer trabalho que lhe seja
confiado. Urna modista especialmente oceupada nos trabathos do PAVILHAO DA AU-
RORA, dirige os que lhe sao concernentes, garante por seu apurado gosto e promptido
aa execuQo' e a mais completa perfeico nos seos trabamos.
L numerosa fregaesia qae nos honra am prova de qoe merecemos ocon-
seitoque se dispensa ao nosso estabelecimento, coneeito que procuraremos firmar cada
*ez mais. Para facilitar anda a concecucio do fim que nos preponaos, temos no nosso
Htabelecimento os oitimos fignrinos de Paris, que recebemos por todos os paquetes, os
fuaes enviaremos para serem vistos as familias nossas freguezas, afim de escolherem,
un o padro da fasenda o gesto na, forma.
Na officina de alfaiate, junto ao estabelecimento, ha igualmente os fignrinos
para homens qoe por todos os vapores se recebem.
E' esto o modo porque nos apreseotamos pedino a protec?o do alastrado
sMieo e com o mais profundo respeito convidamos s excellentissimas'Sras. a visi-
taren o nosso, estabelecimento, certas de encontraron nelle pelo meaer preso poasive*
todo qoe podem desejar.
Mandaremos caixeiros levar as fazendas eamostras onde forem pedidas, visto
k> aoeimo especificar todo quanto temos.
Joo Luis, Sobwtho efe fi.
Aborto das 6 s 9 boros da noite.
10 PaUo da Penha 10
D '
SANTOS & FERR IRA.
Os proprietarios destes bem sortide armazens participam aos seos innmeros
reguezes tanto desta praca como do nwtto que tendo feito grande dipinoiclo de pre-
cos as suas mercadoi as esto por isso resolvidos a vender por menos de 10 e 20 [0,
do que ec- outra qualquer parte, garantindo-se portanto a s perior qualidade de qual-
quer genero comprado restes dous estabeleci/nenlos. Mencionamos alguns dos nossos
geoeros e a vista destes sao comprehendidos os oatros, porque eofdonbo seria men-
cina-los.
Se algnem duvidar venha ver.
Vinagre branco mandado vr por conta
propria vindo de Lisboa, a 320 a garrafa e
480 o litro.
dem tinto Figueira, Lisboa e Porto a
320,280, 240 e 200 rs. a garrafa e 480 300
rs. o tro.
Vinho Figueira, Lisboa, Porto.e Estreito
a 560, 500 480 c 400 a garrafa litro a 840
760, 720 e 600.
Vinho branco puro de Lisboa a 640 560
a garrafa, em porgo ha ahatimento.
Vinho do Pprto, engarrafado das melho-
res e mais acretadas marcas a 15000 e iO
{500 e U a garrafa.
dem Bordeanx, Medoc e St. Julien a
75500 e 6$500, a duz3 e 640 rs. a garafa.
Genebra de Hollanda e laranja doce aro-
mtica a 60500, 70, i 10500, a frasqueira.
Serveja Bass, Itlers Bell a 9J800 du-
zia em porgao ha grande abatimento.
dem marca II e T e outras marcas a
50500 e 65, a duzia e 500 rs. a garrafa.
Assim como ha outros amitos
Gaz americano marca Deves a 80800 a
lata, 380 rs. agarrafa e 560 o litro.
Azeite doce de Lisboa a 900 e 10000 a
garrafa em porgo faz-se grande abatimen-
Caf em caroco a 220, 240 e 280, a li-
bra o kogrammo a 480, 540 e 600, e
70000, 705G0 e 80800 arroba.
Milho alpista 200 rs: a libra e 440 o ki-
logramma e 50800 a arroba, em porgo ha
abatimento.
Quijos frescos d& altimo vapor a 30200
e 30400 cada um.
Aletria, mtcarrab, talharim a 500 rs. a
libra e 40100 o kilogrammo em caiso ba
abtimento.
Sabo massa de 1* e 2* qualidade a 220
e 240 rs. a libra em caixa ba abatimento
Toucinbo de Lisboa muito alto a 400 rs.
a libra e 880 o kogrammo, em arroba ha
grande differenga.
generes, vinho em ancoretas, azeitonas,
passas e figos, charutos fiqos de diversas marcas, marmelada, bolachinhas de todas as
qualidades, perola, Francy^cracynel, a, b, c, Mdium, mixed, soda Fancy-nic-nac, pa-
lace de Varietes, combination, Britauia, doce de goiaba fina, chourigas, manteigas finas
franceza e ingleza, banha de Balthnor, phosphoros de Sycuryt, Cognac, cha de diver-
sas qualidades, Canella, pimenta do reino, ervadoce, pomada, enxofre, breu, peixe
em latas de todas as qualidades, farinha de milho americana, grandes molhos de sebol-
las, oestes dous armazens existe tambem grande sortimento de lougas proprias para ne-
gocio, que pelos seus commodos prego faz vantagem aos compradores.
ZAR ACADMICO
DE
ULYSSES & IRMAO
13 Ra da Imperatrz 13
Os proprietarios-deste bem-coahecido e a editado estabelecimento avis5o aos
sen) numerosos fregueses tanto desta praca como de fura, e especialmente ao Ilustrado
corpo ACADMICO, que este estabelecimento acba-se sempre bem prvido de todos os
artigos de seu gneros abaixo mencionados e que vendemos por mdicos preces, tanto
avarejo como por atacado para negocio, para o que se podem derigir por carta a nossa
casa que serao satisfactoriamente servidos.
CHARUTOS
superiores de Ha va na, Hamburgo, Bahia,
das acreditadas marcas Regaba Britnica
(mperiaea A: do do Rio da bem con herid a
marca Opera e outras muitas feitas aqui de
safamados Beberibe e outros que se vendem
em porges.
Cigarros
ie palha de S. Paulo, de 30500 a 70500,
y milheiro: verdadeiros do afamado Daniel
do Rio Novo, Maority, Imperiaes Visconde
de Herva Duque de Canas, Gandon ote
de papeL de fumo de Daniel, General
Oaowo, Conde d'fiu, aromatices, e peito
raes, ecambole, Radicaes, Acadmicos,
Macham bomba, Montevideo, Oriaataes, Bae
peody e mnitas outras qualidades.
Fimos
Afamados de BAfiPEMDY em caixes de
20 libras a 10400 rs. a libra, em paootes
VARIEDADES
PONTEIRAS de espuma finas" para cha-
ratos e cigarros, completo sortimento.
CACHIMBOS de superior espama, de ma-
deira traizj de 30 at 3.500, ditos grandes
a il3,000, a duzia ditos linos diversas quali-
dade* a, vareto; dito p de gallinhas dos qae
ba no mercado a 2,800 e 3,200 a duzia;
ditos de lotiga, gesso, barro, ete, etc.
BOLSAS para gaardar fumo, de borracha*
e couro da diversos modelos e gostes.
CARTEtRAS, (te todos os systemas para
cigarros.
PHOSPHOROS de cera, dos memores ba, em caixas de 500 a 5,500 a duzia, em
caixas d 400 4,500 a duzia, em caixas
GALLO VIGILANTE
nuu 4a CrH> n.-9
Oe proprietarios desie bem conhecido estabele-
cjniente," alra dos muitos obieetos que tinliam eiv
postos i apreciafao do respeitavel publico, man-
daram vir e acatiam de rtoeber pelo ultimo vapor
da Eurona um npleto e vanado sortimeito de
''na* e mui delicada* especialidades^ as quaes es-
o resulvidd a vnder. como de seu costume,
por neeo nmito baratinnos e commodos para to-
aos, com tfrfitf que o Gallo....
luilo superiores luvas de pellica, pretas, brau-
cas e de mui lindas cores.
Mui boas e bom tas goinhas e punhos para se-
nbora, ueste genero o que ha de mais moderno.
Superiores pentes e tartaruga para coques.
Lindos c riqiissimos afeites para caberas das
Exmas. enuoras.
Superiores Irangas pretas. e de cores com vidri-
Ihos e sem elles; esla fazeuda o que pode haver
de melhor e mais benito.
Supeciores e bonitos leques de madreperola,
mariim, sndalo e osso, sendo aquees brancos
com lindos deseubos, e estes pretos.
Muito superiores meias fio de Escossia para se-
nhoras, as qnaes sempre se venderam por 305000
a duzia, entretanto que nos as vendemos por 20J,
aiai estas, temos tambem grande sortimento .de
outras qualidades, entre as quaes algumas muito
finas.
Boas bengalas de superior eanna da India e
castao de marina cora lindas e encantadoras figu-
ras do nesino, neste genero o que de melhor so
pode desojar ; aiin destas temos tambem grandi
quantidade de olras qualidades, como sejam, ma-
deira, baleia, osso, borracha, etc. etc. etc.
Finos, bonitos o airosos chieotinhos de cadeia e
de outras qualidades.
Liadas e superiores nga& de seda e borracha
para segurar as meias. *
Boas meias de seda para senhora e para meni-
nas de i a 13 annos d idade.
Naval has eabo de mariim e tartaruga para fazer
barba; sao muito boas, e de mais a mais sao ga-
rantidas pelo fabricante, e nos por nossa vez tam-
bem assegurains sua qualidade e delicadeza.
Liadas e bellas capellas para noiva.
Supurares agulhas para maohiiia e para crox.
Licha muito boa de peso, frouxa, para encher
labynnlho.
Itons banlhor de cartas para voltarete, assim
como os teios para o mesmo fin.
Grande e vanado sortimento das melhores per-
fumarias e dos melhores e mais conhecidos per-
fumistas.
COLARES DE ROER.
Elctricos magnticos contra as convnlsSes, e
fa/-iiitam a dentelo das innocentes enancas. So-
mos doade muito recebedores destes prodigiosos
collares, e continuamos a recebe-los por todos os
vapores, afim de que nunca faltem no mercado,
como j lem acontecido, assim pols podero aquel-
los que delles precisarem, vir ao deposito do gallo
vigilante, aondo sempre encontraru destes verda-
deiros collares, e os quaes attendendo-se ao ftm
para que sao appUcados, se vendero com um moi
diminuto hiero.
Rogamos, pois, avista das objectoe que deaamos
declarados, aos nossos freguezus amigos a virem
comprar por presos muito razoaveis loja do gallo
vigilante, ra a mi __........
A ra do Duque de Caxis n 21.
UHTIGA EA EO eBEIMADO)
HeewUxseanini.T:
E^pelhoi grand.-* itouradoj, mrblp? bonifirt".
Carleiraf, rtarnteiras e porKigsrros de muitas
qualidades.
Bonitas partas parapappi*. himples p malisada?.
Bons raixs vaMns para cosiura eom sua cemoe-
tente chuve
elicada^ caneUs de msrfim com o boeal'de
pirata.
M'demos pentes de iirtarnga,sobresaltindon-
tre elles os mimosos lelefraplii-!
Commodoj wucad'.res eom duas gavetas e bom
espelho.
Port bouquoi, o que do melhor tem appare-
cido.
Port rlogios de muitas qnalidades.
Bous talberes para rrin^as.
Vostaarios, chapnzinhus, toncas, sapalos e meias
para baptisados.
Toalhas e fronhas do hibyrinlho.
Chap-* c cliapeJinaspara senhora, moldes novos
e*bmiitos.
Chapozinlios gorros e bonets psra meninos e
meninas.
Ouiitra as coiivulsoes Das
crianzas
Vende-se os verdadoros cdlsres na Nnva Espe-
r.nca, ra do Duqiw de dxias n. ti,
PARA TINGIK CABELWS
para preto* ou navanhoa, rettpbeu a Nova Espe-
ranea a verdadeira tima mgtezit.
PARA ACAB.aK COM AS SARDAS
ou panjios, lem a Nova ir^puranca o verdadeiro
leite de rosas beanfas.
AGl'A DE FLOR DE LARANJA.
Vende-s na Nova Bsperanca, iua do Duque de
Casias n. 2!.
PAPEL PARA ENFEITARSE BOLOS
reri'bcu-oF mnito lindos a Nova Esperanza, ra
do Duqoe d* Caxiss n. 21.
Para amaciar e aformosear a pelle
tem a Nova Esperanca sabonetas de p03 de
arroz.
0 cordeiro previdenti
Ra da Queimado a. O.
Novo e variado sortimento de perfumar
fiuas, e outros objectos.
Alrn do completo sormeato de perfi
marias, de que efectivamente est provida
loja do Cordeiro Providente, ella acaba d
receber um outro sortimento que se tora
aotavel pela variedade de objectos, superior
iade, qualidades e commodidades de pr*
503; assim, pois, o Cordeiro Providente peo
e espera continuar a merecer a apreciac
do respeitavel publico em geral e de su
boa freguezia em particular, nao se afa-
Umdo elle de sua bem conbecidamansidi
5 barateza. Em dita loja eucontraro c
ipreciadores do bom:
Agua divine de E. Coudja^.
Dita verdadeira de Murray & Lcmman.
. Dita de Cologne ingleza, americana, frax
caza, todas dos melhores e mais acreditado
fabricantes.
Dita de flor de larangeiraa.
Dita dos Alpes, e vilete para toilet.
Elixir odontalgico para conservado
isseio da bocea.
Cosmetiqoes de superior qualidade e cha;
ros agradaveis.
Copos e atas, maiores e menores, coi
pomada fina para cabello.
Frascos com dita japoneza, transparenv
outras qualidades.
Finos extractos inglezes, americanos
francezes em frascos simples e enfeitados.
Essencia imperial do fino e agradavel ch
ro de violeta.
Outras concentradas e de cheiros igual
mente finas e agradaveis.
Oleo philocome verdadeiro.
Extracto d'oleo de superior qualidad:
com escomidos cheiros, em frasees' de diffc
rentes lmannos.
Sabonetes em barras, maiores e menori
para mos.
Ditos transparentes, redondos e em fig
ras de meninos.
Ditos muito finos em carimba para barb>
Caixinhas com bonitos sabonetes imitand
fructas.
Ditas de madeira invernisada contendo f
qss perfumaras, muito proprias para pri
sentes.
Ditas de papslao igualmente bonitas, tas
bem de perfumaras finas.
Bonitos vasos de metal coloridos, e i
moldes novos e elegantes, com p de airo1
e boneca.
Opiata ingleza e franceza para dentei.
Pos de campbora e outras differeau
qualidades tambem para dontes.
Tnico oriental de Kemp.
Anda anas coques.
Um outro sortimeato de coquea de n
vos e bonitos moldes coa filets de vidrilho
e alguns d'elles ornados de flores e fita;
esto todos expostos apreciaclo de qner
os pretenda comprar.
GOLUNHAS E PUNHOS BORDADOS.
Obras de mnito gosto e perfeico.
FlTeltas e Ota para cinto.
, Bello e variado sortimento de taes obji
tos, ficando a boa escoma ao gosto do coi
prador.
Rival sem segundo
RA DO DUQUE DE CANIAS N. i9
Estou disposto a continuar a vender todas
as miiidfizas pelos baralissiraos precos abai-
xo declarados, ganiDtindo tudo bom e pre-
cos admirados.
Caixas com 20 cadenios papel pau-
tado a........ 700
Caixas eom 50 uovellos de ludia
do gaz a....., 400
Dtizias de meias cruas superior
qualidade a.......3600
Pecas de bibadiuhos com 10 va-
ras a......... 600
Pecas de tiras bordadascom 12
metros cada p.ca a 15500 e. 2(5000
Pecas de fitas para cs de q< al-
quer largura com 10 varas a. 500
Escovas para unbas fazenda fina a 500
Ditas para rieDtes a 2'i. 320,
400 rs. e. ..... 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a. : 40
Caixinhas de madeira rom alfine-
tes fazenda superior a. 400
Duzia de linha fixa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares de meias croa- para me
ms diversos tamaitos a. 320
Duzias de meias brancas muito
finas parasenhora a. 4o00
Pares de sapa tos de tranca do
Porto........25000
Pares e sapatos de tapete a. 15500
Livros de missa abreviados. I80
Duzias de baralbns para vultarele 35000
Sylabarios portuguezes a. 400
Cartees com colxetes t carreras a 20
ASotoaduras para collete diversas
qualidades.....i 400
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a...... 506
Duzia de linha 200 jardas Alexan-
dre de 40 a 200 e, 15200
Caixas com superiores obreias a. 40
Duzia de agulha para macnin3 a. 2000
Libras de pregos francezes todos
os tamannos a...... 240
Pacote da papel com .20 quader-
, nos........... 400
Caixas de phosphoros seguranca
muito superiores a 400
Recuia de papel pautado superior 45000
Resma de papel liso muito supe-
rior a...........' 3560O
Garrafa com agua Florida verda-
- deira a.......... 15600
Quaderno de papel liso amizade 20
Carretois de linha de cores com
100 jardas a........
Cabellos
Vendem se cabellos de todas as cores, qnalquer
comprimenlo, qualidade superior, en caixa oa
porqao mais pequea : na ra da Cadeia do Re-
cite n. 31, Io andar.
I
I
*>
125, e em porcao 15500 uito em lata de de 2,500 a 2,600 a duzia e muitas outras.
qoarta a 610, e a 500 ris;' dito Daniel do PAPEL de milbo, de arroz, san-nom, Per-
Rio Novo, de para de S. Paulo, Caporal, ^^HN*>.e PalDa de milho, de Fernando,
etimuilas outras qualidades. ____aataSHaW
^ FABRICA
Com DromotidJo apromptamos ,
Baependy, linbo, e de outras quali>
i superioridade o nossoa cigarros, nui
13Ka
dos alunados cigarros de seda,
conhecida fabrica, e bem attesta
la d nosso estabelecimento.
peratriz13
De dia para da, mais doce.
De goiaba.
De lar aoja.
De banana.
Em caixdes e latas.
FlBoefcuxo.
Caixdes gradas a pequeos.
Prprio para embarque.
Vndese constantemente ra Direilao. 91,
taberna do Borges.
JFW.aba e mandioGa
No trapicha Bati te Lrvraaeato, o largo da
assembla, ha depositada superior farinha de man-
dioca para vender-se : trataseiro mesmo trapiche
ou ao largo do Corpo Santo a.S, 2* andar.
20Ra da Imperatriz:20
Farl A Lessa.
Acaba do chegar a esta nossa nova loja de fa-
zendas finas um variado sortimento de fazendas de
laa e seda, como sejam : granadinos do oltimo
gosto, popelinas de urna t cor, alpacas e laazi-
nhas do cores, o que ba de mais moderno, tudo
por baratsimos precos, brlhantina; de core?, te-
cidos das indias, fazenda nova a imitacao de per-
calia,bal3e3de dina fingiado saia de cor eom lin-
das barras, fustoes proprios para vestido e roupas
de meninos; agora grandes e admlraveis pechin-
chas, saias braneas com lindos frisados a 3*. ri-
cos corpinhos bordados muito nos a Si, baldes
modernos de arcos a 2a, ricas colchas para cama
alcochoadas, sendo brancas e de cores, a 51, 61 e
71, cambraia victoria tina a 51, ditas transparen-
tes a 51,61 e 7l,chitas linissimas escuras e claras
a 280, 300, 320 e 360 o covado, cassas de cores a
240, lencos brancos de cassa a 21500, ditos chi-
nezes a 31500 a duzia, madapolo uno a 61 e
61500, e muitj superior a 71, 71600 e 81, algo-
daozinbo largo propri para lences a 61, panno
de algodao branco trancada proprio para toalhas
de mesa a 11600 a vara, nramante para lences a
21000 e 31500. o qoe ha de melhor, esgoiao fi-
nissimo a 21200 e 21500 a vara. Mandamos as
casas das Exmas. familias para melbor poderera
escolher. Tambem temos completo scjtimento de
perfumaras dos primeiros fabricantes francezes e
inglezes; as pessoas que se dignarem vir a esta
loja tero oecasiao de reeonhecer a realidade do
que aBnuaciamos para nos justificar.
Ferro gaivanisado
Vende-se em casa de Adaanon, Howie 4 C, na
ra do Comraercio n. 40, folhas de ferro galvani-
sado de 6, 7 e 8 pos de comprimento-
404 5(M
Ricos oceiros de casemira bordados a crox e a
matiz raa do Crespo n. 25, loja 4a esquina.
Farinha de mandioca dfe Santa
Cat harina.
Da superior, vinda pelo patacho inglez Mary
Block. ja. ba parte ensacada para cartmodhtede dos
compradores?e vndemenos armazens de Tiste
Irmaos & C, no caes do ApoHo, e raa da Am rin
numero 37.
Farelo amerlcsoo moito sopenor, saceos grandes,
caixas com gaz, prime-a qnaliiada, baona de par-
co de BUimore, btiis onqneoos, todo por precos
razoaveis : no armaiem do Maibeas Austin & C,
ru da Senz la-velha a. 106.
Finos cortes de chita a 21009 : na roa 41o Cres-
po n. 35, loja-da esquina.



Diario de Pernambue Terca- fetnr \ de Julho de 1A70
LITTERATR1
POTJCO DE TUDO.
fLLUMlNACAO ELCTRICA.- 0 >
Jeiikia, profesar da univcrsidade da Edim-
burgo, acabou da inventar um novo melho-
do de llomi ac) p r m iio da electrieid
applicado aos phares e aos fluctimhres
'apresados ca marinba.
A uvenco consiste no siguile: a luz
produzida per urna seqnencia rpida do fa
; is, emiUnfis [>;!a rarffi o d scarga de
um condensador, ca: regado directamente
pela batera voltaica.
No caso dos phares ou dos fluctaadores
erem sita los no mar pouca distaoc a da
costa, a batera collocada na pria, e u
condensador no pbarol, ligndo-os um o
submarino ou aereo.
O condensador carrega-se e descarrega-
se por urna Hngueta metallica mobil, qiw
o. cilla entre o polo da batera e o do lio
que vas por Ierra.
(Juaotn ao umimen'.o da lingueta, elle
proiuzdo po- um pndulo com mola, ou
por urna correle supleraentar e um sn-
ele. O condensador do Sr. ferie n,
i iraand inui a s- rilho da indcelo, con-
vierte em luz u.i:a grande parte da energa
da batera.
Tambera ara Paris se f^z a experiencia
Ja luz da platina, fornida incandescenta por
meio de un raisiuri de oxydo de carbone
e de hydrogenio.
Esta luz est para a do uielhor ga/, da
iuminnclo como 1.2 i, est para 1,00: re-
sultado das experiencias do Sr. Sechinz,
AGRICULTURA.Segundo a opiniao do
Sr. Cnarles Naudin, os dois flagellos da
\irika, o oidium e o phyllaxora, oassem de
causa commum : dos excessos da cultura
intensiva, continuada sen modificarlo, du-
lante seculos.
- E effectiv3mente muito possivel que a
maneira de propagarlo usada e invanavel,
a planta ;ao das vides, e nunca'o lancar a
sement trra, baja contribuido ate c-rto
souto, qundo n3o seja a causa principal
desse mal terrivel, que se vae propagando
por onde ha seculos a proiagaQo da vinba
e faz-sempre da mesma maneira.
Em todo o taso, torna-sejnuito evidente
que a propria constituirlo do arbusto af-
fectada pe o mal. e que o enxofre de nada
'.io serve ; o enxofre apenas um simples
paliativo que se precisa constantemente
recorrer: e sem 'o q^al a colbeita licur
perdida.
EXECUCAO. Moharamed-ben-Ahmad,
.idigena dos M'Sirda, do circulo de Ne-
mours, oi passadu polas armas no sabbado
21 de maio, uo sitio cbamado a Grande
Mtjoa, em Tlemceu.
Eis os fados que levaran) os juizes do
2.a consclhe de guerra em Oran pronnn
ciarem esta suprema sen lenca :
A 3 do agosto de 1869, dois rapazes
pastores que passatam por ao p da gruta
tia urna rapariga de 12 annos, pouco mais
ou menos, cuj cabeca estava quasi com-
pletamente separada do tronco.
Iam j fugir todos aterrados, quando
viram outro cadver, o de urna mulher de
ios trinta annos, com a cabeca inteiramen-
te separada do resto do corpo.
Reconhcccram nesta victima Fatma-ben
Vchou, dos Oalad-Fata Yani, e attentando
raais no primeiro cadver, conheceram que
era o da menina Mi nonna-ber.-Abd el-Salera,
que tinHa (ido a tnesmi sorte da rale.
A instauraban do processo encontrou nos
'.ecedentes da victima o tra^o dos crimi-
uosof. Averignou-se pois que Fatma fora
vinte do tal .Mobammed-ben-Ahamsd, dos
''Sirda ; as s::as relaces com este homem
bato acabado recememente, por causa de
>s relaooes, qoe elle tomara com Zara-
beu-Caddoor, urna amiga da qnal, Maama-
n-Si-Mo&tar, en amante de Mokiar-ben-
. seu companlieiro as ex'ravagancias.
Dois diss antes do crime, foram os quatro
orados, reunidos em EI-Hassi-el-Djar,
-rprshendidosera criminoso colloquio pela
retada Fatma, que te ve a impruleii' ia
de lhes gritar que s^ vingaria e que os de-
nunciara aos maridos vdas suas rivaes.
Decidio-se desdo esta occasio a morte
'esgra^ada, o combnou-se tudo para a
azef cair n'uma emboscada.
Sabeudo Mobamme.l que Fatma tinha de
i viva nnn di moma
I'OK
Xavier de Montpin.
PARTE PRI.1BEIH.4.
0 M.4RQUEZ DE SAI\TM\IXENT.
(Continuarlo do n. 147;.
XVII
A montarla.
Autorisa-me agora o senhor marquez
a fazer lhe urna pergunta, que teoho debai-
10 da lingoa ba um quarto de hora ?
Pergunta o que quizeres.
Entio l vai: como que a senhor
marquez est solt e livre, apezar de haver
carado as garras dos soldados ?
Saint-Maixent referi em poocas palavras
a sua evaslo e as suas aventuras, que obri-
garam o ouvinle a soltar gritos de sincero
entbusiasmo.
Agora explica-me tu, disse o fidalgo,
porque estranho acaso te encontr n'este
bosque, onde eu nem sequer suspeitava a
toa presenta.
Nada mais simples, volveu o rapaz.
Vendo-me fcilmente, livre depois da prisao
do meu excellente amo, e convencido de que
senhor marquez, na sua ~ qualidade de fi-
dalgo, acbaria talvez maneira de se tirar
d'aquelle aperto, emquanto que eu, triste
vilo, deixaria a pelle as m2os da Justina
se me agarrassem, busquei a salvac3o na
fagida, e tanto dei de esporas mnha aze-
ola.que ao fim de quiDze boras de caminho
nve que a largar n'uma charneca; e como
bavia galopado sempre sem direccao fixa
tratando s de me abrigar com a protectora
sombra dos bosques, aqu vim parar, como
poderla ter ido parar outro sitio. O
acaso que me fez descobrir esta choupa-
m desamparada ; pareceu-me que n'ella po-
eria vivar seguro, e o xito exceden as
ir no da seguinle buscar a Nemour algumas
ipenlia im narido, antes de
partir para O agou-se ella, re-
no ou-ln* a promassa de continuarem as
suas relaces, e disse que a esperava pas
grutas da Rhar-t I-Hammam, logar que fica
meio caminho de Nemour aos M'Sirda.
Fatma, sem desconfiar decoisa alguma,
:oYfs:nt1o un acceitar. a proposta do seu
aiitigo amante, e promlleu-lhe que volla
I! Nemour iria ter ao itio indicado
Foi ahi elT-'.cti-ament que a justica en
cont ou os cadveres. Mimonna leve a
mesma sorte da mai, porque a liaba acom-
panhado a entrevista ajustada para as as-
sassinarem.
DR. LIVINGSTONE.--urna carta deste
intrepid vujante, datad i de 30 de maio de
180, e dirigida ao Dr. Kirk, termina assim:
Pe j que me resta fazer, n5o tenho
mais de que ligar ao seu Nilo os manancia-j
es qae descobri 500 ou 700 milhas ao*
sol de Speke c de Baker. 9 volme d'agua
que corre, partir do 120: de latitude sul,
lo consideravel que me parece ter en-
contrado nao s a origem do Cango, mas as
do Nilo. Preciso descer a linha oriental
da cerrente at volta do Baker; Tauganyika,
e Nyige Cbowamba ( di Baker ?) sao urna
s m;issa d'agua, cujo ponto de partida o
300 milhas su".
t As bubas occidentaes e contraes conver-
gen) .1 um lago ainda nSo explorado, oeste
e sudoeste. Parece-me que vou determi-
nar a direccao da dascarga, qner seja no
Cango, quer no Nilo. A poputacao d'esla
regi) canmliul, segundo dizem os rabes
que me acompanlta-m.' Neccssilo pastar por
entre esse puto para descer o lago Tanga-
nyika, se nao fr devorado, e reunir-me
mnha esquadrilba do Zanzbar. Espero
firmemente que fares todo o posivel par
me forueceres homens e provisoe3- .eic.
JULGAMENTO DE SALTEADORES GRE-
GOS.O Jornalaos Debates publna os se-
guimos pormenores sobre o julgamento dos
bandidos gregos.que assassraaram os viajan-
tes inglezes, veriGcado em Atdenas no da
28 de maio :
Os debates tiveraiu lugar na espacosa
sala do lycen de Varvuchium,porque sala
do tribunal era demasiado pequea para um
negocio de tanta monta. Os membros do
tribunal, o jury e o procurador ge;al toma-
ran) lugar as suas cadeiras s i horas e
e meia da tarde. De 21 jurados tirados
soi te, nenhnm foi recusado nem pela aecu-
saco nem pela defesa. Os doze primei-
meiros tomaram definitivamente as suas ca-
deiras e prestaram juramento.
A' ordem do presidente foram intro-
duzidos na sala os sete aecusados, tres dos
quaes j eslavam presos antes da captura
dos viajantes. Len-se o auto de aectrcacao,
que a narrac3o fiel de todas "as pilases
do drama de Marathn, e as 6 horas come-
tn o interrogatorio das testemunhas.
Foram ouvidas dezeseis testemunhas de
acei;s-c3o, que s3o os soldados que escolla-
ran) os viajantes, os coebeiros, o guia e ou-
tras pessoas que sob um titulo qualqaer assis-
tiram urna ou outra phase deste drma.
Todos reconheccram perfeilamente os sal-
teadores.
A testemunba Thagenes. parlamenta-
rio do governo, relatou os meios que em-
pregara junto d js bandidos para lbertar os
viajantes.
Deixei-lhes entrever a esparanca, disse
a testemunba. de q'.ie nao podendo o gover-
no conceder lhes a amnista, podiam contar
com a clemencia do rei: prometti-lnes al
que, se se entregassem justica, nao esta-
ran) presos por mais de qninze das. Um
raoment i pareceu estarem indecisos, e foi
ento que o Sr. Noel lhes prometteo estar
com elles em quanto se conservassem
na priso. Reno^-ei-lties em nome da S.
Exc. o ministro dos negocios estrangeiros a
promessa de urna graga reai, mas foi de-
balde. Nao quenam enregar-se, e exgi-
ram que um tribunal osjulgasse em O.o-
po;. Queriam mais que se lhes dsse li-
berdade de conduzr os prisioneiros ao lu-
gar que acbassem conveniente, at ao fim
do negocio. No c;so de que o governo
acceitasse estas condices, propoz en limitar
provincia da Altica esta Lxuldade de con-
duzr os captivos.
t A" proporco que eu fallava, contnuou
a testemunba. Tacos tornara-se cada vez
mais furioso, e chegando ao paroxismo da co-
lera, bradou ; Havemos de matar pouco
mnhas esperancas, urna vez que o resultado
final de tudo isto foi encontrar o senhor
marquez e ser-lbe til. Duvido muito que
os soldados do marechalato venham perse-
guir-nos al aqu.
I Pois digo-te que ests engaado, meu
pobre amigo, redarguio Saint- tfaixent. A
minha e a loa presenca n'estes sitios sao
conberidas ; os nossos signaes andam de
m/) emmao. e todos os sinos das aldeias
tocam rebate, incitando os camponios
que nos persigan). Ao ammhecer estaro
aqu nao s os soldados, mas tambera os
aldeos, e estes ainda sao mais temves,
porque oo ba Jtccidente do terreno, gruta,
esconderijo ou vereda, no bosque e na pla-
nicie, que nao lhes sejam perfeilamente co-
nbecidos.
- Com todrs os diabos gritou Lzaro
meio consternado. Que ha de ser denos ?..
Ah! meu amo, estamos perd los!
Por ora ainda nao, e dou-te de con-
seibo que n5o percas de todo nem a espe-
ranea nem a confianza, proseguio o marquez.
A' forca de astucia e de valor podemos*
ganhar a partida, por muito desvantajosa
que se nos afigure. Talvez a gente se saia
raelhor do que tu imaginas.
O senhor marquez tem algum plano
de defez ?
N3o o posso ter, nma vez que n5o sei
como nos atacaro. Mas formei o projec-
to de ebegar marchas toreadas ao castello
de Rahon, nico asylo onde poderemos es-
tar seguros.
E o senhor marquez ter a bondade de
me levar na sua companbta ?
- De certo. Tiveste quinhao as m-
nhas aventuras e nos meos perigos; jus-
to, pois, que participes da nica taboa de
salvaco que nos resta.
N'esse caso j me considero em com-
pleta seguranza bradou Lzaro, que pas-
fsava sm transido pelas mais oppostas al-
ternativas de abatimento e de esperanca.
Nao te apresses tanto a cantar victo-
ria O castello de Rabn ainda fica muito
longe, dista d'aqui mais de vinte leguas.
Vinte leguas 1 Isso nao nada I NSo
sei que secreto instincto me prophetisa toda
a casta de felicidades.
e entretanto- *ttn a
,ixad, BTff
pouco os pnsoneiros
amnista, porque
Dizendo isto, T
cretaros de emba!
Mas que ganhareis coa n pp
tou-lhes a testemunha
< Qne ganbaremos f respondeu o saltea-
dor, acorapanbando as suas palavras de um
olhar feroz ; ganbaremos a perda de vos
todos, porque, a morte dnBtes bomns at-
trahir a voisa patrja unta oceupaco es-
trangeira.
A testemunba da ter-lhes feiio por essa
occasio algumas obsemeoes sobre as van-
tageos que ibes dvram de receber o res-
gate e com a promessa de clemencia real
poderam passar para a Italia ou para onde
quizessem: mas nada os pode ,conven-
.cer.
Tacos era o que no instava pela am-
nista, e obstioou os seus cpmpanheiros, que
esliveram a pjnto de aceitar as propostas
do governo.
t Este salteador tinha um irraJo ao ser-
vico do Sr. Noel, em qoapto prooediam as
negociaces com os salteadores, lhe fez urna
visita.
c A tastemunba levou ao coohecimento
do tribunil urna observafiaa qoe ento lez,
e era que a visita do irmo u'aquelie mi-
seravel contribua muito para augmentar a
colera e as exigencias de Tacos, e que esta-
va convencido da que o criado, do Sr. Noel
quetn informou os salteadores-da fortuna
e ttulos dos viajaales.
Esta declaracao, feila com urna convic-
?5o profunda, prodnzb viva commocao em
toda a sala do tribunal."
A testemunha lerminuu dizendo que
em vista da impossiblidade de conseguir
alguma causa dos salteadores, regressara
Alhenas : mas que antes de partir pedir a
Tacos que n5u se allastasse de Oropos,
promettendo-lhe qoe nao seria atacado.
Tacos respondeu este pedido coma
sua brutalidade habitual, que se em vate e
quatro horas n5o tivesse reposta, decidira
oa soite dos primeiros, eacompanhou esta
ameaca de um gesto signficativ>.
No momento em que Tbeagnes se
ifespedio de Tacos, chegava o ontro chefe.
chamado Christos, que qoz ver" as eartasi
que o acreditavam para tratar d'este neg
co, e assegurar-se da sua identidade.
t Ao outro dia, diz a testemunba, voltei
dsposto a tomar s di8posic5es.para sitiar
Oropo, mas os sdteadores nao me espe-
rarara, e todo o baqdo tinha paiido. Sube
dos camponezes que elles tohain tomado
pela estrada da aideia de Sicut, e segui-os
com o destacamento que mees:oltav^.
Os salteadores, avistando-nos de um
monte prximo raandaram ao nosso encon-
tr umdos captivos, que era o interprete
dos prisioneiros, dizendo que parassemos
se quizessemos evitar a morte dos via-
jantes.
O gua, julgando-se feliz por se ver
d'aquelle modo livre dos salteadores, nao
qui voltar com a resposta. qu era conce-
bid) n'estes termos: que elle Tbeagnes
nao os quera atacar, mas s impedir que
levassem os prisiooeiros para mais longe.
Aqu acaba o depoiment da testemu-
nha, que n3o assistio senSo de lenge ao
desenlace do triste drama que depois se
desenvolver). i
A testemunba Leotsacos, tenente, com-
mandava o destacamento encarregado de
nao perder de vista os salteadores. Depoz
que os salteadores vendo que n5o voltava
o seu enviado, o guia dos viajantes, come-
caram as suas operaces de retirada, e que
elle rnaudou s suas tropas que os seguis-
sem de perto. Entao os soldados que iam
na frente da columna vendo assissinar um
dos prisioneiros (o Sr. Herbert) certifica-
ram-o do fado e pergunlaram-lhe o que
haviam de fazer. Elle, testemunha. ouvin-
doisto, aproximou-se mais dos salteadores,
que comecaram a gritar tropa que pa
rasse, acompaohando aquella ordem impe-
rativa de injurias as mais grosseiras, e fa-
zendo fogo. A tropa respondeu ao fogo dos
salteadores e logo na primeira descarga oa-
biramseis feridos ou mortos. Os outrosto
maram a fgida, mas antes d'isso mataram
os prisiooeiros. A testemunba ia perseguin-
do os fugitivos quando os soldados viram
escondido no matto o chele Christos em
attilude de fazer fogo ; antes porm que
elle podesse disparar, um soldado apontou-o
e matou-o instantneamente. O primeiro
cadver que eheontraram fi o de Herbert1;
em seguida os dos seis salteadores morios;
e depois, a alguma distancia, os tfos outros
|ref____
ros, aoldados, re
couecuji lasados o salteador
que den- primeira lacada ao viajante Her-
bert. E' O' ehamatlo Zuoni; todos os outroa,
soldados o reeonbeceram lamben. Durante
a refrega e depob de ter i assassmado Her
, este salteador tinha-se escondido den-
tro de ue os soldados o tinham descoberto, lar-
ou a espingarda e cometo a pedir que o
oo matassem. Os soldados exasperados
queriam acabar eom elle, mas-no o fize-
ram porque obedeceram ao Sr. Tbeagnes
que lhes expoz a necessiade de se lhe
poopar a vida para dar informacoes k ins-
tiga.
Os depoimento* das ostras testemu-
nhas foram pouco importantes. .;.
t Ouvidas todas as tesiemunhas proce-
deu-se ao interrogatorio' dos acensados to-
dos de 18 a 30 annos de idade. Declara-
ram todos terem oascido na lurqu a, serem
solleiros, e terem na sua infancia exorcido a
profisso de pa;tor.
Um d'elles chamado Calomirv irrita-
do pela pergunias do jiz, gritn insolen-
temente :
t A final que hei-de dizer O senhor
diz que somos salteadores Nao tizemos
mais que pagar na mesma moeda, atiraram
sobre nos, e o3 matamos. Deraais agui-
Ihotina fez-se para ps horneas!
Os outros nao negaram pertencerem ao
ha'odo que assassinou os desgrocados es-
trangeiros, mas declioaram toda a respon-
sabilidade sobre os dous irmSos Arvanit
chefes ilo baado, e sobr a tropa que os
atacon e perseguio antes que elle* tives-
sem assassinado algum dos prisiooeiros
O procurador geral sustentou energi-
camente a accusa?ao.
Seguio-se a defeza, e declarandw os
aecusados nao terem nada a adduzir, o juiz
propoz ao jury os quesitos que foram pro-
vados por uoanimidade, sem circumstancias
alte nu a otes.
Os aecusados forana, ''ntrodazidos na
ala e o jui* leu-Ibes a santenga que os
condemnou todos sete pena* de morte,
ordenando que a sentenca fosse executada
na grande praca de AlbeBas.
CRIME ESPANTOSO.O Vexm publica
os 6eguintes curiosos pownenore acerca de
umerime espantoso, qne teve logar entre
as causas celetwe.s dos trbonaes de Eure :
N'um dos uhimos das, pelas oito horas
da manh3, eonta aquella peridico, urna
moler que estava lavando roopa na represa
do Sr. Vilbecq, avistou um cadver tona
d'agua, qoe logo conheceu ser o de Buig-
net. trabalbador.
Na vespera noite, aquella sujeito havia
encontrado sua mulher, de quera viva se-
parado ha muitos annos, e apesar da anti-
pathiaque ella sempre denunciara por elle,
esta convidara-o a entrar no bolequim Dam-
breville, onde o obrigou a beber at se
embriagar.
Estas circumstancias parecern) extraor-
dinarias, e as autoridades principiaran) as
investigacoes, d'onde resultara graves sus-
petas contra a mulher do defunto e um
rapaz chamado Dumors.
Espalhara-se j que a morte de Buignet
pareca ser o resultado de um crirae, e t"do
o terapo que duraran) as operaces judi-
ciarias, numerpsa multido de curiosos pro-
curaram com anciedade descobrir, quer as
pessoas dos culpados, quer nos passos da
justica, algum pormenor do processo.
A final, foram presos a mulher de Buig-
net e o tai Dumort.
Segundo as informales havidas, o Sr.
Buignet, ao sahr do bolequim de Dambre-
ville, fra convidado por sua mulher e por
Dumort a dar um giro, e chegando elle ao
parapeito que separa o lavadoiro do Banne-
ton da ponte das Romparts, assentou-se ahi
para descancar, porque as pernas dobra-
vam-sc-lbe sob'O peso da embriaguez.
Serim ento ooze horas e um quarto da
ooite ; aquelle sitio estava.deserto e bas-
tante escuro. Fcil sem pois precipitar o
desgracado no rio, fundo n -aquelle ponto,
sam que a sua queda podesse ser notada,
e de maneira que ninguem lhe acudisse. .
Assim que parece ter Buignet encontra-
do a morte. que tanto commoveu toda a
gente, e cujos autores a justica procura
com tamanha actividade.
QUE TAL'. Um boticario, da ddli1, ao
aviar urna receita, empregou tres vezes
ida ale nedfcaraenlps taque
cadver^ achon-se
ffcaede veneno.
Entao como foi tsse? perguntaram ao.
pbarmacwica.
Francamente, raspoadeu ell;-eu fizo
seguinle'.' eomo o deent nlo aprava
kqift pelo sitio, deitei maiores quaaidades
para nio terem o incommodo de c4 voltar
mais vetes.
QUE RATAO- N'or'botequim daos in-
dividuos dtalogavam assim :
Wze, e,4o conheces o-X'.?...
Conhef ; entSo perqt?
Anda atraz de mi para lheeu fezer
um emprestimo, e desoa va saber se -bom
pagador.
Nao iba emprestes iwd; mau paga-
dor ; dei-lhe bootem duas-boetadas, e an-
da m'as-nao pagou.
AMOR! AOS CES.A imperatriz d'.Aus-
tria adora: os caes. Mandou-coostruir pana
elles um palacio-no bairro de Sfariahilff, em
.Vienn3. onde so tratados por criados com.
Ubre imperial.
Quando ltimamente estove em Roma
comprou um'cao de pello prateado, qne
Ibe custon 1:400 florins.
Nos passeios do Pates -a-imperatriz
aeompanhada por urna escella de caes da
Terra Novae de galgos, ladrando roda
dacarroagem, onde o favorito vae deitade
aos- ps de-sua augusta ama.
Um dia eslava este cao dormodo em ci
ma da- cauda do vestido da imperatriz, e
para nao o acordar mando cortar o pe-
dazo da saia-, knitaeo de Mabomet, que
mandou cortar a manga 'sobre que descan-
ga va o seu gato.
Temos que lutar com muitos obstcu-
los e muitos inimgos.
Pois vence-los estaraos armados, e
mal ir aoS que se atreverem a por se ao
alcance das nossas pistolas.
Tens munices ?
Ole se tenbo, senhor marquez, um
famoso fornecimento de plvora e b3la.
D c motade, e carrega estas pislolas.
Depois de cumprdas sts ordens, pro-
seguio o marquez:
Creio que sera muito imprudente
passar aqui o resto da noute. A ceia res-
taorou-me as forcas, e o melbor metter
ps caminho quanto antes. Talvez que
as sahidas do bosque ainda nlo estejam
guardadas, e que possamos fugir sem es-
torvo.
Ainda Saint-Maixent nao tinba acabado
do dizer isto, quanto se ouvo ao longe um
som rouco e exquisito.
Qu isto ? perguntou o marquez.
Qaal o instrumento que produz este som ?
E urna especie de trompa de barro
ou bozina de cbavlbov que os pastores
usam para se chamaren) uns aos outros em
caso de aperto, e para juntarem o gado
quando se espalha por entre os rbehedos
ou nos prados.
A' esta hora nao andam por ahi reba
nbos.
Est claro que no, e por isso n5o
auno a explicar o motivo de to intempes-
tiva como desagradavel msica.
Ouvo-se no mesmo instante um segundo
toque, parecido com o primeiro, mas em
direco opposta ; um vinha do norte, outro
do sul. Veio depois o terceiro, depois o
qnarto, depois mais dez e foram crescendo,
augmentando, at se ouvirem em todas as
direccBes.
Que demonio de inferneira murmu-
rou Lzaro.
Sinistra msica esta, que nos an-
nunci'a estar o bosque rodeado pelos mon-
teiros, cuja caga nos somos. Armaram-se
as aldeias ao toque de rebate ; mil can
uezes nos cercam, e cada vez se ir5o a
ximando mais, at ao instante supremo em f
que nos vejamos colhidos n'om circulo de i
foice e de forcados!
EntSo que isso ? desanfma senhor
marquez ?
Nao; mas que queres tu que facam
dous homens sos contra mil ?
NSo fallou agora em monteiros e em
caga ?
Fallei; e depois ?
. E' que muitas vezes, e isto j eu vi
com estes que a trra ha de comer, julgam
os monteiros haverem cercado perfeitamenle
o javali, e.de repente esqueira-se o broto
por entre as pernas dos cavallo3, e deita a
correr por ali fra que nem os melhores
sabujos o alcangam. Porque motivo nao
Haremos nos como faz o javali ?
Tens razo : sempre bom tentar;
volveu o marquez. Eia, pois 1 animo e toca
a andar 1
Os dous fugitivos sabiram da choca. L-
zaro teve a precaucao de amarrar s costas
n'uma trouxinba o resto das provisoes e de
metter na algibeira urna garrafa ebeia. O
marquez foi o primeiro a adiantar se rpi-
damente pela estreita vereda que por forca
havia de os conduzir ao circuro de explo-
radores, onde> era preciso chegar antes que
se apertasse de mais.
'" Quanto mais arredados forem os al-
deoes uns dos outros, dizia comsgo o mar-
quez, mais probabilidades de salvago te-
remos.
O toque das bozinas resoava sem ne-
nbuma interrupeo, e ia-se approxiraando
ca^ta vez mais. Eram sem cinta os Tobos,
os jajli8' e os veados que, espantados por
tamanha bulba, atravessavam s carreiras
e aos saltos, dirgiado-se todos para o cen-
tro do bosque.
.0 marqueae Lzaro pararam ao chegar
certo sitio.
Chgavam aos limites do soito, e por dian-
te d'elles estendla-se um campo de corpu-
lentas arvores, i beira de orna collina im-
mensa, cuja grimpa, ajulgar pelos enga-
osos reflexOs da loa, era coroada pelas pit-
^Bos ruinas, de um castello.
Por baixo das arvores era densa a escu;
ridio; mas por entre ellas, quinhentos o
^Hentos passos dos fugitivos, a\istava-se
o vacillante clarao de muitos erchotes, rj-a
TEMPEST.ADE. Hnuve na AHemanhe
urna espantosa lempeslade. Sw> immenso-
os desastres : ficaram arrasadas easas intei-
ras. Morreo muita gente. Diz a este ress
peito o Industrial Alsaciao ::
' m Grosfian (Siebenbougen) as aguas
da ebuva foram to rpidas e abundantes
que algumas easas com seos habitantes fo-
ram levados pela corrente.
Depoip do desastre, centenas de membros
de animaes, misturados com cadveres hu-
manos e as- ruinas das casas,, foram encon-
trados por todas as bandas ; at agora tem-
se coihido mais de qnarenta cadveres; a
communa compunba-se de sessenta Fami-
lias, e destas mal restam dez entre os
vivos.
Em Nayy-Kun, oitenta casas foram levadas
pelas aguas de outra a tempestado; ses-
senta cadveres foram o resultado nesta nova
catastropbe, nSo fallando na perda material,
que a incalculavel.
Em Exfartcahiram muitos raos, esoecial-
mente na torre da igreja da Todos os Santos
cuja ffecha derrubou.
Ao p de Putt, destrua ara incendio vinte
e tres casas com todas as suas dependen-
cias ; mais de tres quartas partes das cons-
truccoss da villa foram reduzidas as cra-
zas.
LADRO CELEBRE.Havia mutto lem-
po que na bibliotheca imperial de Paris se
ootava a desapparico de algnns voluntes.
especialmente na estante de urna da3x salas
de leitura, at que no da 23 de maio' apa-
nliaram era flagrante delicto um frequenta-
dor cbamado Goiffon, empregado do com-
mercio, de idade de 24 annos.
Goiffon f )zia assim : Assentava-se um ins-
tante mesa, pedia um livro qualqaer que
apenas percorria com a vista, depois er-
guia-se para altentar as dierentes estan-
tes, como quem procurava algum livro.
Como os empregados n) podiam vigiar
todas as pessoas continuamente, aproveita-
va-se Goiffon da .xcasio em que nao olhas-
sem para elle e esconda debaixo da capa
um volume; e precisava de fazer esta ope-
racSo com surama babilidade. porque levava
qoasi sempre um livro grande.
Era pouco tempo roubou dezeuove vo-
lumes.
No dia 23 de maio, vigiado mais atienta-
mente, foi preso quando sabia levando um
volume de Vollaire. N5o negou o roubo
e disse at que tinha mais livros era sua
casa.
No julgamento defendeu-se, dizendo que
tencionava restituir os volumes, que era
se adiantavam, sem se podar differencar
quem os levava.
Approxima-se o instante decisivo, disse
o marquez Lzaro em voz baixa. Esles
monteiros de nova especie caminbam cid-
coenta passos quando muito uns dos outros,
e o fumo dos arebotes ha de cega-los. Tal-
vez consigamos passar sera ser vistos. Ajo-
demos, porm, o acaso escondendo-nos ahi
em qnalqoer sitio.
Urna rigueira pouco funda e que de um
pulo se podia atravessar, separava o soito
do campo arborisado. Ao p da rigueira,
mesmo prximo dos fugitivos, estava um
mnt5o de ramos e folhas seccas.
Lzaro indicou isto Saint-Maixent.
Bem bom o que nos faz conta,
disse o marquez vivamente. Nao se admi-
rarlo de ver alguns d'estes ramos na riguei-
ra, porque os podia ter atirado o vent.
Fajamos, pois, urna especie de telhpiro e
escondamo-nos debaixo.
N'um abrir e fechar de olhos, os dous
homens, com as pistolas engatilhadas, e re-
solvios a defenderem-se, sumiram-se m
rigueira e ficaram oeuultos por baixo das
folhas seccas.
Passou-se um qnarto de hora. Apezar de
caminharem de vagar, os exploradares iam-
se approximando cada vez mais, e o som
rouco das bozinas atormentava os ouvidos
do marquez.
Os aldeos iam dous e dous, um agi-
tando o arebote e s armado com algum
forcadojou chuco, e o outro empunhando um
velho e pesado mosquete de grande calibre.
Dous d'estes homens, que por acaso vi-
nham na direcelo dos fugitivos, saltaran) a
regueira quatro ou cinco passos d'elles, e
continuaran) para diante a conversar. J
Saint-Maixent entrava a jnlgarsa. livre,
quando o aldelo do mosquete paroo de re-
pente e disse para o companheiro :
O' Maclon, nao reparaste n'aquelle
monte de lenba que deixmos al atraz ?
Paiavrinha que embirro com estes esconde-
rijos. Sempre ser bom esgravatar ali com
os denles do Toreado, nlo seja o diabo ae-1
gro...
Pois v feito, redarguio Maclon, que
voitou atraz, parou b.eira do fojo e agltou
pesoj de fina educarlo,
iragua* e |sta gtoofe
zes deprijjjl .
W*WBtMfrfb.--lfltiwmertefflP
Sr. Compare, commssarin 4* polica do
bairro do Jardim das Plantas; Pars, visita-
do por tres mdicos bem conhecidos, qoe
lhe dis3eram lr-se de certo commetdo
um envenenamento n'uma casa da ra das
Escolas. Um doente. qua elles tinham sido
chamados a tratar havia algoas dias, mar-
rra quasi de repente depois d violentas
diarrhas produzidas, segando todas ae apr
parencias, por um veneno que em balda ti-
nham tentado combater.
Em consequencia dstas revelacoes, da
maior gravidade, viste 'carcter das pes-
soas que asfcziam, proceden o commiasa-
ro de polica a nm MKjaerHo, qoe trouxe o
descobrimenta-dos seguintes fados :
Emmeados do nfea passado, o Sr.-N....
fiWio de Bordees, e desde nrailo tempo esta-
belecido na Pbinte--PRre, oode ganhra um
bom capitel, sabio daqaella eoloDia e che-
gou com sua mulher Paris para tratar da
sua deteriorada sade.
Os dous esposes, que nlo tinham filhos.
accommodaram-se n'om quarto mobiiiado
da roa das Iscolac, e eDr. Amias foi cha-
mado para tratar do doente.
O Sr. N...r homem de sessenta anuos,
padeca dos broacbios. Todo o resto do
corpo, e o estomag ssenciahnente. estava
perfeilamente sao-. Por conseguint, o me-
die espantoa.se muito de ouvir o seu
'doente queixar-se de violentas dores as
entranhas. Essas dores, depois de desap-
parecerem algum tempo sob a influencia dos
remedios presriploSi tornaram a apparecer,
e n'uma crise, mataram o doente.
Foi entlo que o Sr. Auzias, com mais
dous collegas-seos, levados pelos prenles
do'finado, se dirigjram ao Sr. Compre;
O relaiorio da autopsia feita ao cadver
diz qoe o estomago apresentava todos os
caracteres do eaveoenamenio.
A. mulher do morto foi presa. Instauron-
se oprocessoi
v.
DRAMA. SANGRENTO.Deuse ultima-
mente em Rice o seguinte :
< Havia algum tempo que vviara juntos
na mesma casa um mogo cbamado Mospain,
de 3i annos de idade. natural do departa-
mento do Cbarente Inferieur, e urna rapa-
riga de 30 annos, filha do bibliotecario de
Saiote Genevive, o Sr. Borel d'Hbnterive,
pianista de grande mrito.
< A rapariga tema que seu pai lhe sop-
pnmsse a peoslo que Iba enviava e a cha-
masse a Paris, e Morpain pela sua parte,
careca dos recursos oecessarios- para vi-
ver.
c Vendo os dous amantes qae se Ibes
acabavam os meios de poderem fazer vida
commum, tomaram urna resololo desespe-
rada, e sabiram um dia de Nice, com o pro-
posito firme de darem cabo da vida.
c Um aldelo, que no dia seguinte passou
por ao p da quinta chamada Teisseire, en-
controu a rapariga banbada em sangan e
prosima a expirar.
Declaroo nao obstante quem era, a
disse que ella e Morpain tinham resolvido
matar-se ; porque Ibes faltavara os recursos
para viverem juntos.
Para essa flaa tinba levado um frasco
de ludano, um revolver e urna bengala de
estoque. Beberara o laadano, que nao mes
causou a morte, e por consequencia pedio
ella a Morpain que loa disparasse um tiro
no peito, o que elle fez, su cidando-se de-
pois com outro tiro.
Ainda quizeram transportar a rapariga
para Nice n'uma especie de maca arranjada
ad hoc, mas o seu estado era lio grave,
que lhe sobreveio a morte r> caminho.
MOTOR NOVO. Os peridicos america-
nos dao conta de um novo descobrmento.
que depois de aperfeicoado, deve fazer urna
verdadeira revoluclo no mundo da industria.
O Sthemherts um ingenbosissimo appa-
relho elctrico, no qual as correntes e os
fluidos esto de tal modo combinados, que
pode conservar em continuo movimento e
por espaco de 15 dias a roda de qualqaer
moinho.
O Sr. Sthemherts, qne deu o nome ao
seu invento, applicou esta aos moinhis de
farinha, lendo conseguido o resultado de
urna economa da lempo, de operarios e de
dinheiro muito consideravel.
*
o forcado maneira de um baleeiro que se
prepara para atrar o arpeo.
Vou ficar espetado como qualquer sa-
po n'uma canna disse entre si Saint-Mai-
xent. Feia cousa! Nada 1 Prefiro antes
lutar. 'l
E, levantando-se de um pulo, desembara-
cou-se dos ramos e das folbs, que nlo ti-
nham podido protege-lo, disparou urna das
pistolas sobre Maclon, que cahio de costas,
e deitou a correr, seguido por Lzaro, diri-
gindo-se para o come do monte.
O companheiro do infeliz Maclon aponton
0 mosquete toda a presa e fez fogo;
mas a bala perdeuse no espaco. Agarrn
depois na bozina e poz-se a tocar desespe-
radamente, nterrompendo se apenas para
soltar gritos de soccorro com toda a forca
dos pulmes.
Aquelles dous tiros e borrara que se se-
guio, denunciando claramente a^resenca do
inimigo, impressionaram profundamente os
monteiros.
Desfez-se logo o circulo, o todos os arebo-
tes,se dirigirn) para osiiioonde estava o
cadver.
D'ali pedaco formou-se um grande gru-
po em torno do companheiro de Maclon,
que foi quem refers o caso e indicou a di-
reccao que os fugitivos haviam tomado.
Vio para as ruinas do Aguia de pedra
disse em ar de triumpho Medardo Tabou*
reaa, que estava entre os monteiros d'a-
quella nova cacada, e que se destinguia en-
tre os mais encarnizados e arderles.
Depois, arrogando si o ommando
com ar de autoridade que todos os seus
auditores parecen legitima, accrescentou :
1 J sio nosaos f Nlo podem fogir !
lavemos de agarra-los vivos, para os le-
vamos em triumpho presenca do joiz e
ao patbulo Venbam d'abi, rapazes J...
A's ruinas do Aguia de.pedra f
.A's ruinas do Agoijf de pedra I brada-
ram os aldeos todos, seguindo animosa-
mente o improvisado oaadilho.
(Continuar*ae+ka)
> YP, PO QAK'lO kW WJUUt D* CAXIAS


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ED3PUDK0A_MZA514 INGEST_TIME 2013-09-19T21:05:57Z PACKAGE AA00011611_13084
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES