Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13056


This item is only available as the following downloads:


Full Text
n
I
k
'O
liO SI PACA PQH
u*a.l
* AJUI
^^^^n tvulso
5000
<000
320
MRM I TOA DA nWHO.

asar -fe.
Propriedade de Manoel Figueira de
AO *A<
& Filhos.
Os Srs. Gerardo Attonio Altes 4 Fabos, do Pari ; Gonetlvet Pereira d'AJmeida, em Mamasgiiape; Antoak) Alexndrino de Lima, na Parahyba; em Nazarea!; Antonio Ferreira de ARoiar, em Goytnna; Francino Tararos da Costa, om Alageas; Dr. Jos Martins Altes, na Babia ; e Jos Ribeiro Gasparnbe j0 Rio de Janeiro.
1"
OHRIO DE PERNAMBUCO
RECIPE, 10 DE JANEIRO DE 1871.
Noticias da E arepa.
No dominio s 6 horas da Urda cnegen vapor
inglez Gladiator, da linha de Liverpool, trazando
data* de Lisboa ale II d pasad >. Dimos em
seguida as noticias de que ('. portador;
GUERRA-MAC) PaOSSIA.VA.
A' noticias que nocirs hoje o Gladiator da
tremend* lata das duas' prtenias eqropas quasi
nada adiantam ; do nltimo paquete; a sttnaco
ainda a mesma. e nao se p le dtaer qnau lo, e
como terminar este dneBo fijante.
No din li eapitnloa praca de Phalsbdrjp^sem
condicoes, sendo fei'os 900 prMoneiroa, oatdattes
15 peas.
No da U eapitaloa a prsea o> HBBtmedy.
Os Prussiant* intimaram no di* 9 a ranliesw
de BtoU, mas os Francatea racusaram enrgica-
mente.
Diz-se-que os Prossiams ocenparim Viezzon,
mas es Francezes retomaram-a depois.
O valle do L 'ir est completamente occnpado
pelas tropas alternis.
Os dou* exereitos em que se dividi o do Loira
esto sendo constant^m me reforjados.
as forcas allemaas qae se dirigiam a atacar o
Havre parecem dispostas a reenaT.
Os fortes de Pars conservara-se mu los; mas
as tropas fraoeezas mostrara grande aclivida
de. A< obras exteriores estao sendo refirmadas, e
apromptam-se as batorias.
Dizem de Pars qae a noticia da occnpaeo de
Orleais, nao djsanimon a populaci-a. O enihu-
eiasmo d is defensores d eapilal cada vez so forta-
lece mais. E' inabavol a inteocao de lutar a todo
o transe.
As medidas tomadas peto governo acerca dos
provimantos assegdrarri raccos de carne fresca
, at fevereiro e vinho eartiga de primeira necessi-
dade at junho.
' Os allemaes atacaran) n> da 15 com ama lortis-
sim guarda avancada o exeroito de Chaasy.
N) di a 16 os Pranceies evacnaram Venlne.
No mesmo dia os allemaes atacaram os Franee-
es qae tlnham pisiedas fortes era Longeaa, perto
da Lragres. 0< Francezes foram repellidos para
dentro da fortaleza perdendo daas pecas.
O duque de Mecklembargo no da 14 ataeoo
Freteval, mas a praca foi no dia 16 retomada pelos
Francezes.
O duque de Mecklembargo renovon o combate
diaote da Veudms, e os Francezes fizsram urna
resistencia tenaz duran lo a lula al* a nonte.
Manteaffell persegae o exercilo do norte de Faid-
herb.
Diz o lmileur qae em eonseqaencia dos lti-
mos aconteciiBSHtos militares e da evaenaco de
Orleans decidi o governo a crea co dedous exer-
eitos diferentes para manobrar as duas regides
separadas pelo rio mas conservando a sua unio
ao exercito de Pars como obiectivo immediato e
supremo; a qne para se after a liberdade de
raovimeoto, e nao os prender cem preoccupalies
polticas' ou administrativas, resolver transferir a
sede do governo para Bordeanx, qne, em conse-
quencia da ficiMdade das soas coraraunica$5es por
trra e por mas com toda a Franja offerece pre-
ciosos recursos para a organisaejb de forja e
coniou&eao da guerra.
O governo provisoria da Franca apesar de sna
transferencia para Bardeaux, nao tem ontra< attri-
Imicoes mais qae as de um centro administrativo,
c um centro d'onde demanem as noticias offl
r-iaes:a direecio poltica e militar conservada
ao Sr. Gambetta.
Gambetta quando parti para Bourges, dirigi
' ao governo de Bordeaux um despacho concebido
nos seguinte9 termos:Gheguei a Todr9, ten-
do-me separad i hfntenr do general Cbaazy. Os
seas admiravois e.-f ireos teem sido cordados at
agora por constantes vantageus. Protege a lima
do Loire, sem ceder urna pollsgada de terre-
no. Creio qne a situacao rauito boa, e qae me
perroitte oaffastar-me. Vou a Bourges para ver
o partido qne se file tirar daquelle exercilo. De
l eacreverei.
Em consequencia da possibldade de urna
oceupacio prussiana, o governo francez declarou
em estado de sitio o Havre, Dieppa e Pocamps,
commanicando esta deci$ao i potencias neu-
traes. us navios neutraes terao um praso de 11
das para se retiraren).
Esta medida tem por Om impedir os Prussianos
de se abastecerem por mar.
O servico dos viajantes foi suspenso pelos cami-
nos de trro entre Scrgaigny, e Rouo, o Mairs,
Augrs e Tonrs.
O corpo consnlar do Havre tem celebrado diffe-
reates reunioes resolveodo arvorar as docas as
bandeiras nacionaes. as docas *i Havre ha urna
riqueza em mercadorias de mais de quarenta mi-
ihoas de francos, a maior parta das quaes pertence
a subditos das nacoes neutraes.
m decreto do governd provisorio de Fran?a
declara preso no quartel o general Sol, comman-
dante dadivisao de Tonrs, por ter evacuado muito
principalmente aquella eidade.
O general Morandy.chefe de brigada do 16* corpo
foi declarado retirado por incapacidade. Outro
decreta cria lo regimentos novos e 10 bata-
Ihoes.
Um decreto nomeia o general Aorelles, com-
mandante do acampamento de Cherbnrgo. O ge-
neral Aurelles renuocion aquello cargo pretextan-
do a tna falta de sade.
O mesmo decreto nomeia o general Boarbaki
ieneral em chafe do primeiro exercito e o Sr. Vil-
eraon, ehefe do cstado-maior do mesmo.
O general Billot foi nomead) chefe do 18 corno,
o general Jaureguibarry do 16a, e o general C>
lorab do 17
Cirealou em Bordeaax o boato de qae os
principes da casa de Orleans baviara de celebrar
urna importante reuoi) em Londres para a qual
segando se sappoe tambera foi convidado o duque
de Montpensier.
O principe Pedro Bonaparle, celebre pelo
assaasinato de Vctor Nair, acaba da ter um duel-
lo etn Inglaterra ecm ara jornalista anglo-ameri-
cano, qoe( escrevera urna correspondencia contra
a impnratrU, e, segando te affirma, matn o seu
aversark).
Qaatro prUioneiros francezes que haviam
eonaegoido evadir-se da Allemaoha a que tinham
pMlruo no territorio dos Panas-Batios, foram
eotragaas pelas anioriadas hollande/,as autori-
a4e miliur allemaa, qne os mandn logo-fa-
ilsr
Dizem as cartas de Berlira qne alli se deseja ar-
dat eaie a pac, e que por isso mesmo foi reee-
bida nona feral desagrado a noticia de que iam
aofmenur-se duentos homens a cada batalho
da landwehr, qne hoje consta da 800 horneo
Court Jownal qae o prncipe real da
Prfitu nao occ nodo algum o sea desojo
de t a guerra de vera termi-
nar dep.: f^^B^aVa^B^B^B^Bt
0 Sb^LV
contt i liarme
a a
> Franca sio um crime e
O soldado foi logo fnzillado sem mais explicacoes
a pone* distancia do sitio onda o re G jlherme
conlinnava a pastear.
LUXIMBOMO.
O governo prossiano informon o Luxerafcorgo
de aam estando separado do tratado de tW nao
obrlgado a respeitar a neatratidade.
O governo prossiano fonda as soas reefamaedes
rus sanfnles qneixas
1.a NfaawBitwtafiW* Franca fiuspelu po-
pnla^des do Lnxembargo, e toleradas peto fav
verno.
! Era qne setinhara enviado praaa < Thiou-
vWa eomboyos de vveres, qne eram dirigidos
para a Alletnanha.
3 Era qne os pr[sionnir)3 francezes fgidos ti-
nham alravessado o Lnxemburjo, sem impedi-
menta.
Aflnal de contas, diz muito bem o
graph qne o qoe a Prnssia quer lear
xemburgo, e annexa-lo ao imperio alloma
Assevera-se que a Ru*sia^ favoravel s
c5es prussianas sobre o L'ixembnrgo.
Hrave em Londres no dia 15 ara c
ministros para discutir a questao do Lux
astand > pendente um inquarito para avallar
ensaclo feita a este ducado de ter rompido a
tralidade.
Os ministros resolvern), porm, nao disentir
estes pontos na aatencii djs representantes da
potencia aecusada; e o julgamento do governo in-
glez sobre a calpabilidade ou innocencia do Lo-
xemburgo ser pronuncia 1o imparcialmente quan-
do todo estiver preparado para se pronunciar esse
j ulgamento.
Um telegramma. de Berlim diz qae se tom
feito promessas e dad explicantes acerca da ques-
tao do Luxemburgn, qae affa quafqaer complieacio.
ALLSHANHA.
O Monitor-prutsiano publica o tratado de 23 de
noverabro ultimo assignado em Versailles, para
estabelecer as eondic9es da ntrala da Baviera na
Confedaracao do Noria.
Ai prineipaes disposiedas dosse tratado slo as
seguiotes :
t 1.* O estados da confederado da Allemanha
do norie, e o reino da Baviera eslabelecem urna
confederadlo perpetua, qual adheriram j o
graa-ducado de Badn e de Hessa pela parte do
sul do Meno, e adherir dentro de um certo praso
o reino de Wnriemberg. Esta eoneracao cha-
mar-se-ha Confederado Germnica.'
< 3:* A constitiiigao da cenfederacio germnica
a da actual eeofederacio do norte, com as se-
grales modifkac,5es:
< O art. 1 enumerar entre os estados qoe
formam o lamtorio federal: a Prussia, o Luxem
burgo, .Baviera, Saxonia, Wurtemberg, Babea,
Hesse, Mecklembargo, Schwerin, e-os deraais esta-
dos do norte na'sua presente organisa(io.
O art. 6 distribuir os votos no conselhoTede-
ral da maneira seguale : a Prnssia, eom os rotos
que pnrtaneem agora ao Hmover, Hesse Eleitoral,
Nassau e Francfort, ter 17; Baviera. 6; Saxonia,
4; Wurtemb rg, i ; Badn, 3; Hassegra-ducal,
3; e Meehleraburgo-Schwarin, ; total, 58
votos.
< O art. 8* reserva um assento permanente e
Baviera na eomraissio para o exercito e fortalezas,
o outro no conselho federal, aonde os plenipoten-
ciario d> dito reito, a Saxonia e o Wurtemberg,
formaro urna junta encarregada dos negocios o
lernacionaes.
< Palo art. 20a estatue-se que at ao ajuste lo-
sal definitivo se elegerio 48 depulidos na Baviera,
17 no Wurberaberg, 14 em Badn e 6 na Hesse,
sal do Meno, os quaes, juntos com os dos outros
estados, rcunirao 382 representantes no parla-
mento federal.
Os estados meridionaes re-ervara-se legislar
sobre o< imposto? qae sobrecarregam a agurdente
e a cerveja, umformisando quanto fr possivel as
sua* leis com as geraes da confederaco.
t Todos os consula tos da Allemanha no estran-
geiro depeaderao di sua presidencia
A confedaracao, ser so modificada por via
legislativa, tendo-se como regeitados todos os pro-
jectos contra os qiaes hoaver qaatorze votos no
consdho federal.
3. A referida constituicao soffre os seguintes
limites, em beneficio do governo bavaro :
A. Este reserva-se legislar arespeito dos seus
caminhos de farro, correios e telegraphos, era con-
formidada com as basa approvadas por todos os
soberanos confederados.
B. Indicar por si os collegib eteitoraes na
primeiras eleic5es qae se verilkarem para o par-
larcento federal.
C. O art. 42 nao applicavel Baviera,,
comquanto fique salvo o direito da confederacJ,
para construir e fortificar as mais importantes li-
nt) as frreas.
< D. A Baviera conserva a livre administrado
de seas crrelos e telegraphos, salva a legislado
geral sobre communicac5es. propria e exclusiva
da confederaco.
< Pelo que diz respeito guerra, a Baviera sus-
tentar a* suas despezas militares, e cuidar da
manatenco das anas praca* forte*, Picando assim
mesmo a sea cargo a publicacao de decretos e ro-
gulamentos militares, emquanto nao houver deci-
so constitucional sobre esta materia, e se chegar
um livre accordo a respeito das dis josi^oas an-
teriores entrada da Baviera para a confederaco.
Obriga se tambem a destinar para a sustentado
do seu contingente urna quantia em dinheiro pro-
porcional a que tiverem de entregar os mais esta-
dos, segundo o orcamento federal.
O exercito bavaro far parte integrante do da
confederaco, e anda qae com administracao au-
tonmica, obedecer s ordens superiores do fe-
neralissimo designado por aquello qae tlver o di-
reito de determinar a mobilisacio de (odas as suas
forcas offlciaes no caso de guerra.
< Os casos da mobilisaco d'essas tropas, serio
obiecto de ama lei especial.
No parlamento prossiano fai-se viva opposicao
s vantagens concedida< Baviara, e que, at eerto
ponto, mantm a sna independencia. Parece que
Wurtemberg, estado mais considerare!, se queixa
de nao ter sido tao favorecido, o que a maioria. dos
deputadosdo partido unitario nacional, declamara
3na nao votariam o tratado entre a Confederaco
o Norte a a Baviera, sem grandes modificarlas.
O conde de Bismark, receioso de que Uto dei-
truisse os seus esforcos, declaran qne pedira a
damissao, a os tratados com os estados do sal nao
fossem approvados laes quaes foram assigoados
em Versalles.
nusstA.
A qnasto suscitada pela Russiaralativamante ao
tratado de Pars de 1856, e a correspondencia di-
plomtica 8onre este assumpto, continuam a attra-
hir a alinelo da imprensa.
~A lingaage n benvola em qne os gabinetes de
S James e do S. Petersbnrgo redigiram as ultimas
notas receniemente publicadas, deixam a espe-
ranza de qae a diplomacia das daas grandes po-
tencias possa cinseguir resolver o conflicto, qae
pareca provocar urna guerra geral.
Conflrma-se o convite para 8$ celebrar ama
conferencia europea, feito pelo gabinete prossiano
Italia e Rasis, e pelo gabinete inglez a Austria,
Franca e Tarqnia.
Paraca qoe nos aceordjs preliminara
"i
1 "
a avoicso. fi
Malegiio
arajBosu de
ia o porte de Oee
se poasa converier
era, assin eeaw a
das potencias nen traes
lar as condigSs d^ paz
entre o conde da Bismark a
lencias.
Anexar de todas a esperanc,
paetfiea a Rnssia eeetina o
tanto no exercito, como na
mobilisar, organisando a
das provincias oxerhnnaas.
na Volhnia, Padolia
iftaw tambem te Mal
H
grefaaa sbtm ^aes.
O eorpo
de maneira
r/uma
pequea fui
boeadnra da
grande
Em Nicola
D atarla!
-
de nma
)m
. lada pato ftaaral Igm-
Rnssia am oaeaajBiinoeta,
ITALIA
Abro-se parlamento italiano. Era anatett-
mente esperado o discurso da corda, qae devi tra-
tar de tres pontos bulante intersenlas : oe-
cupacio de Roma, guerra entre a Franca e a~Prttf
sia, e finalmente a eleicao do principe Amadeo
para-o throno de Haspanha. Chamamos a alteadlo
dos leiiores para esse discurso, que val publicado
am nossa oitava pagina.
Dizem de Flornca qaeel-rei Vctor Emraa
ouel tenciona emprehander a sna viagera a Roma
no 1.a de Janeiro, depois de ter passadn, segando
o costme, as fastas de Natal em Turin. Dit-se
qne aquella soberano se conservar rauitos das
o'aquelia cidade, onde dar alguns banquetea, e
far urna recepcao officiaL para a qual se farao
unraerosos convites.
Apezar do que se tem dito, Vctor Eraraanuel
prepara-se para se iostallar em Roma, logo que a
capital seja para alli offkialmente transferida.
Em aples foram ganhas as eleicoes pala op-
posicao, emquanto que am Milo obliveram grande,
maioria os candidatos minislariaes.
O ministro Sr. Sella consegoio era Torio d- rro
lar o candidato da opposicao e Sr. B itero.
Prepara se um projecto de lei de descenira-
lisaco administrativa para ser apresentado n'uaM
das prximas sessoes.
O Sr. Lanza, presidente do conselho de ministros,
aprosentou ao parlamento tres projaclos de lei :
o primeiro para se validar o decreto e resultado du
plebiscito de Roma ; o 2.* transferindo para Roma
dentro do prazo de oito mezes a eapilal do reino,
e pedindo para as despezas de traslaclo; a ultima
refere-se s garantas.
HSfASHA.
E' esperado era Madrid o principe Amadeu de
Salvia. ,
A solucao da crise ministerial rica adiada para
depois da chegailado novo re.
Depois das caoitiWMel terem acaUado o jura-
mento do'novo re, serao dissolvidos, por terem
terminado a sua missao durante o periodo consti-
tu nte.
O ministro da fazenda o Sr. Moret, apresentou
ara projecto para extinguir .o dficit, emittindo 900
milfcdes era bends do thesouro, amortisaveis em
18 mezes. O juro ser de 12 por cento.
Honlem amanhecen no lamarao o vapor fran-
cez Amazone, trazendo datas de Lisboa al 27
de dezembro, achantando seis das ao Gladiator,
cujas noticias demos cima. Dos jornaes recato-
dos, colhemoso que segu:
GUERRA FRANCO PRUSSIANA.
Todas as probabilidades, depois dos ltimos com-
bates do Mame e do Loire, indicara qae a guerra
tende a prolongar-se. O corpo do exerctio cora-
mandado pelo general Chnsy que fazia parte do
exercito Loire, longe de fugi'r em debandada como
se afflrmava, tomn a offensiva contra as tropas do
duque de Mecklembargo, e no dia 10 deram urna
batalha, que durou ouze horas consecutiva. A
accao nao foi decisiva, mas apesar das noticias
offlciaes allemaes disseram qne estes tomaram
novas pecas e fizeram centenares da prisioneiros,
e desalojaran) os francezes de mnfrfs aldeias ; o
general Chusy sustenta qae as tropas depois da
batalha (iarara as.suas posiedes que tinham de
manha
A marcha do exercito do duque de Meckiem-
burgo por Tonrs fieos suspensa, recuando sobre
Orleans todo o corpo do exercilo da Baviera, com-
mandado por Von-der-Tann, qoer seja par co-
brir esta posicao contra'um ataque dos francezes
que anda esuio em Mans quer seja para estar
prximo de Pars e cobrirem a retaguarda -do exar-
cito do principe real qne occapa Versaille na even-
tualidade de novas soriidas dos generaos Trocnti
a Daerot.
As outras tropas do duque de Mecklembargo
depois de qaani diarios combates nao tem avanza-
do muito mais alera de Beaujaney e de Cul-
mirs.
O principe Frederico Carlos oceupou a impor-
tante posicao de Vierron, onle se reunera as duas
grandes linhas que de Brdeos e Lyon vio a Pa-
rs, ponto d'onde se dirigirn) para Bourges.
As forreas do antigo exercito do L^re, 4jjo sob
o comrnando do general Bonrbaki, forteroaate re-
forjada devem fazer frwte ao exercito do prnci-
pe Frederico Carlos.
O general do brigada Denencourt sahiu no dia
5 em balo de Pars.
Grata os pormenores das acedes dadas em roda
de Paris como verdadeiras victorias para os fran-
cezes, continuindo Campigy em poder das tropas
de Ducrot alli fortificadas, e clenla em 15 mil
homens us per das dos allemaes; dizfqne em Pars
ha mantimentos para doas oa tres mezes, e ama
decisio inflexivel de batalhar.
A missio e qne vem encarregado o general
Deneoeouri, pariecipar aes ganeraas qne com-
mandam em toda a Franca oa novos planos com-
binados para o socorro de Pars, em que devem
tomar, parte os quatros exercito da Bretanba, do
Norte, do Loire, e de Lyon.
Talvez seja em eonfjrmidae com estes planos
qae o exercito do Norte depois de se refazer em
Arras do revoz de Amens, recome^oo com me-
Ibor xito a campaana, surprebeodendo em Kain
200 pmssiaoos, e retomando S. Quintn. Este
exercilo deve obrar de aeeordo eom as forcas da
Normandia que recoaram sobra o Havre para a
proiegerem,
Parece qus. causn bstanla imprenao :no
quartel-general de Versailles a recusa qae o ge-
neral Trocbu den terminemleraente s propostas
pacificas de Moltke e a noticia de haver em Pars
raantiroantos para tras metes, qae seriam to
crueis para os sitiados como para oa sitiantes, a
qne em viste, disto se reuna em Versailles un
conselho de ganeraas, presedido pelo imperador
Guilherme; afftanca-se que nosse conselho se
a bombirdaar Paris, comecando noa flns de
dezembro,se no praso da oito das nao sa rendasse
'otiraacaa.
a entender qt
b^b^b. a nnantA rmtb^b^b^b^bi
l'IKl CU"1.
[ alm da Alsaeia da Loreoa, a ilba da
i frotas francezes do Mediterrneo a
allemaes afflrnurem qae possuom
libre tal qne das suas actuaes pesieoe
ar bombas at o centro de Pars, dn-
irategios, que sem Dmaram alguns
iiParii o passara fazer.
Jrammas dtzem qne 6 general
_ annunriara ter bavido no dia 23 ama
bvem Pnt-Nayelles. Os francezes ficaram
toa do campo depois da um
libara terminando com ama sarga de infan-
lem toda a linha. A batalha durou seta
b general Chausy est te' coosentrando em
Utemaes coramecaram a brnbardear Tonrs,
- habitantes offereaerem resistencia. O raa-
entregado a cidade, pedindo ama guar-
Jlema.
I >uve no dia 18 [qne durnu cinco horar.
7%i se noticia de haver combates em Aminas
I resaltado ainda n3o onhecdo.
allemaes dispersaran) 600 guardas movis
nai om arlilharia e cavallaria, e repelli
em desordem, fazendo-os recuar sobre
)s allemaes surprehenderam os francetes
^ngres, e repelliram os para o norte com per-
arenas e bagagens
aoile de 20 de dezembro houve conhoneio
dos f irles de Pars. Na manb de 21 a
(io do Pars atacou as posiedes da guarda
* e 12a corpo, mas foram peludos depois
mas horas de combate princlpalmento pela
aria.
|-se que os francezes deixaram nesia aorti
1 prisioneiros nao feridos.
22 duas brigadas renovaram o ataque, e
i repellidos pelas bateras allemaes.
retanto as noticias recebidas em Paria por
il) dizom qoe os resultados foram favo-
lm*"aac
1 lMdi 01ct
Os allemaes augmentara a arlilharia de sitio
de Pars e chamam as reservas.
ultimas noticias de, Pars annnneiam que a
poprlacSo est tranquilla decidida a cheia de con-
narama que ba mautimenlos abundantes para
ufcjtempo.
Um decreto do governo provisorio datado de
Boreus transfere os conselh >s de guerra e de
ravialo de Boarges para Moulin*.
_*JP*rce |ue felizmente se nao confirma a bar-
bara noticia do fasillamento dos qaatro prisionei-
ros francezes que haviam conseguido fagr do
ter*ono allemio, e entrar no territorio hol-
landjK.
Effeciivamente, o governo dos Paizes Baixos, ou
por medo do governo prusslano, ou para le cap-
tar as boas gracas, na ocoasio em que este o
amoaca de ihe absorver o Luxemburgo. ou por
que a queilao do Luxemburgo, seja levantada de
accordo entre os dous gabina es, e represente an-
tes om contrato de venda do qae urna absorpuao.
fisse porm, porque motivo fosse, o governo hol-
landei commeton a accao mais deshumana e cruel
da presente guerra entregando ao' governo alle-
maa os prisioneiros que se haviam acolhido a ter-
ritorio neutral.
Feliznnenteeegund notician) de Bruxellas o al-
ternado nao se clio/ou a consumar; em conse-
quencia as deligencias feitas oelo representante
da Franca na Haya, as authori Jadea allemaes tor-
naran a entregar ao governo dos-Paizes Baixos os
quatro prisioneiros.
ALLEMANHA.
As cmaras do reino da Prussia foram convo-
cadas para o dia 14 de Janeiro.
A sesso do parlamento federal que. havia ex-
hausto a ordem do dia, depois do voto sobre o ti
lulo do imperio e d i imperador, deve ser encer-
rada antes da reuniao da dieta prussiana.
O voto final a respeito dos tratados da uniio
-foi oblido rpidamente em urna s sesso.
Foram quasi unnimemente approvados os tra-
tados com o grao-ducado de Hjss e da Badn
o tratado com Wurtemberg foi approvado por
grande maioria.
Depois da approvaclo dos tratados leve tugar a
votacao a respeito das modficacoss que o novo t-
tulo imperial do chafe da confederaco allemaa
necessita, segundo a constituicao. Depois de appro-
vada a mudanza de (tolo, o Sr. Daibrack ministro,
aonuncion que aquellas mudanzas tirraam mais
alcance do qne a substituirn de um termo por
outro, e que na prxima sesso seria apresentado
ao parlamento federal um prjecto destina lo a in
troduzir na eonsiiiuicao federal modiQcacoes po-
sitivas.
No Wurtemberg veriflcaram-se as elelcSes ;
o partido prussiana on nacional allemSo vencen
grande numero de canlidaturas ; quasi todos os
cendidatos mais notaveis do partido democrtico,
perderam as suas cadeira*.
O conselho federal allerao declarou em urna
note aos confederados, que deseja eonhecer a opi
nio dos diversos estados para ver a que ponto,
na questao do mar Negro, se acuam em risco os
ioteresses da naca) germnica.
A Allemanha este padecendo por tal forma
os effeitos da guerra qne vio cada vez mais escs-
seando- as operarles mercantis, e nao se encontrara
bracos nam capitaes para a industria e para a agri-
cultura.
O governo bavaro emittio um emprestimo de
qoiize miltioes de florn* para attender s despe-
zas da guena.
LUXE1BURGO.
O ministro de estado de Lnxembargo declarou
na cmara que todas as queixas apresenladas pelo
conde de Bismark eram fundadas em noticias
falsas.
O rei de Hollanda declarou approvar plenamente
o procedimento de Lnxemborgo e que havia de
defender a oenrralidade daquelle estado.
Segundo o jornal inglez Pull-Mall o acto
praticado pelo Prnssia nao mais do qne o coral-
laro das negoeiacoas j entaboladas por aquella
potencia na Haya, com o rei es Paizes Baixos,
para a aequisicao do paix dado em 1815, como
compensacao dos sens dominios era Siegan a no
Nassau.
A sota do conde de Bismark contra o La-
xerabnrfo tem prodntido profundo deagosto la
Hollanda, Blgica a Gria-Bretenha.
O rei d Hollanda dirigi ao governo laxem-
bnrgaex o engtate telegramma :
a Defenderei o tratado de 1867, a honra e a in-
dependencia do Bato. Approvo quanto leo feito o
goveroe laxembnrgnez.
\USTRI.
Os panslavistas cootfnuim a agitar se am todo o
vasto territorio do Imperio, e combinara os sens
trabaIhos eom oa qne levam a cabe as ceramissoes
estabelecidas em Bocharest, Belgrado e,Praga. Re-
ceia-se qae a conspiracao qne ellas traatam na
Bulgaria, rebentara dea ira em pouco. Espera-se
qae seja o principe de Montenegro qnem d o ig-
ual para o levantamento. Ha apprehensoas de que
donlro em breve rebentara nma insurreicao dal-
mata contra e governo austriaeo.
Os depotados teaeqnes da dieta da Bohemia
votiram nma mensagem ao grande cbanoeaer do
imperio, expressando em neme da Bohemia as
para cora a_not>re naci
para a Franij-
la eoservar a inta-
ajajravaj|iB)BHB|^r'vw^9ct:i FHbIH I
hngara a nma interpeilaeae declaran qne o exer-
eiao austraco conte & 864^49 homens de tro-
?!J.Ial^lires e ,86>57 ** >dwhr. a dUpde de
i,037:30Ospingardas de carragar pela colalra. O
numera de pecas tem ltimamente augmentado,
e por consequencia haviam peis e espingardas
neeessarias.
A Preste de Vienna4ola exagerada- o estenio
das forcas militares da Austria, ejnlga de absoli-
te nece'sidade a mobilisacio da Undwehr, segun-
do o systema prossiano ; aconelha os membros
das legacSas qne exijara o numero exacto de sol-
dado* eom que o governo ple contar em caso de
guerra.
HOLLANDA.
Fallecen oa Hollanda a princeza Lnjza, esposa
do principe Frederico, tio do rei actual. Tinha 62
anuos ; era Orna de Frederico Gallherme III re da
Prussia e irmaa do novo imperador da Allema-
nha. Dexon duas filhas a princeza Luiza, que as-
con em 1828, e casada com Carlos XV rei da
sueea e Noruega, e a princeza Mara qne nas-
ceo em 1841, e casada com o principe Wied.
INGLATERRA.
Principian) a renovar-se em Inglaterra es movi-
mentos de agitecio que se deram no outono pas-
sado.
O povo manifest ts suas sympalliias pela can-
sa da Franca, e faz todos os' esforcos para exer-
cer pressao sobre e governo a obriga lo a nter-
vir na lula da Franca
O governo inglez contina, porm, na sua firme
e inabalavel resolacio de conservar a neutralida-
de absoluta.
As demonstracSes comecaram, quando ha tres
mezis se estabelacen en) Franca o governo repu-
blicano ; as classes operaras principalmente ma-
nifestara ra a sua syatpathia pela Franca e pediam
a o governo gue tomasse parte na guerra ; o go-
verno iogief, porm, protestotl contra a idea de
ntervencao armada, a prevenio o governo provi-
sorio d Franca qae niq eontasse cora urna rau-
daoca da poltica.
As classes operaras eniao abrandaram no seo
enthusiasmo.
De novo se reproduiem as sceoas de agitacao :
em Cannon Street celebrou-se ltimamente um
meeting importante, em que se nomeon urna eom-
raissio para orgaoisar ama demonstrago no
Guildhall, pedindo ao lord mayor aquelle palacio,
sollicitando ao mesmo lempo a presidencia daquel-
la autoridade, e a cooperacao dos aldernensheiff
e da Oiunicipaldade.
O objecto da proposta demonstracSo instar
com o governo para "que procure mais positivas
aegociacoes entre a Franca e a Prussia, para que
se accordem as condicoss mais equitativas para
estabeler nma paz definitiva.
O rjatM em nm nota ve l artigo contra as mani-
festacoes populares, diz que o governo inglez, j
por duas vezes tentn inlervir na qoestio ; qoe
da primeira vez leve o Sr. Julio Favre urna entre-
vista com o conde de Bismark, pelos boos offlcios
do ambaixador de Inglaterra; da segunda vez, o
governo britannieo propoz a aequisicao de am ar-
misticio, e finalmente que nesta occaslo o gover-
no inglez esl na expectativa, de urna ppportunida-
de qne )he permita renovar as anas tentativas,
mas que os prussianos e francezes comprehendem
perfeitamtnte qoe s dalles depende a guerra e
qu s terminar quando um dos belligerantes
nao poder dar mais nenhura golpe.
Accrescenla o Times : c P-ide-se as cidados de
Lobdres que drelarem que vem com horror a
uerra com que a Prussia destre a Franca; que
szem isto no interese de ambas as nacOes, assim
como no da paz, juslica, e humanidade e tambem
na eonvicci) de que nos momentos actuaes se po-
der ajusfar um accordo mais equitativo do que
Je futuro, quando o conflicto tiver ainda peiores
condicoes.
t A orimeira parta desla resclurao urna das
usuaes vulgaridades; a segunda carece completa-
mente de bom senso, por isso que, precisamente
nesta mooiento\ nada se ple concordar qae seja
equitativo, para os belligerantes, e se concordou
esperar que termine a pnase actual dn conflicto
para se tentar algnm esforco em relaoao a paz;
se qs francezes perderem a sua capital, podero
dizer que fizeranu que humanamente era possi-
vel fazer-se, e que a sorle da guerra se obstina
em ser-lhe contraria. Ciegadoesse caso, o gover-
no inglez far o seu dever, sem instigacao alguma
da Guidball.
t Urna das resoluedes propostas, que, para
facultar as negociacoes seria conveniente que-o
governo da Graa-Breta^a reeonhecesse oficial-
mente o govorno de facf> ostabelecdo em Franca.
Seria esta urna questao da pura forma, pois, que
para ludo quanto se ple requerer est o nosso
governo m plena camraonieacSo com os Srs. Ju-
lio Favre e Gambetta.
< Nao insistimos nos em que a Franca fosse con-
vidada a mandar representantes conferencia que
se prepara, reconhecendo assim que o governo
republicano o snecessor legitimo do que assig-
nou o tratado de Pars ?
Tal a linguagem do Ti'm, qae nao dnvida
apresentar a sua opiniao sem reserva, sobre a li-
nha de conducta que o governo inglez se prope
seguir.
0 passo dado pela chancellara prussisna re-
lativamente ao Luxemburgo, velo demonstrar nos
circuios polticos da Graa-Bretanha, que a Rns-
sia e a Prussia estao de accordo para resolveren)
todas as questoes europeas, conforme os seas res-
pectivos inieresses, sem atienderem s exigencias
das outras potencias.
O Mommg Post diz que era preciso qae as po-
tencias signatarias do traiado da 1867, se dspo-
zessem a garantir formalmente a independencia do
Luxemburgo, pois, se se deixasse qae nma confe-
rencia europea tomasse em consderacio as ex-
temporneas reelamaedes do govarno prossiano,
seria muito fcil que a Luxemburgo fleasse o-
corporado ao imperio germnico.
JTAUA.
Na Italia a maioria da caara pensa em dividir
a esquerda parlamentar, para conseguir a consti-
tuicao definitiva do paiz; para esse fin hade, em
momento opportuno, provoear nma artoo ministe-
rial, para entregar daas ou tres pastas a homens
influentes daquelle grupo.
0 governo tenciona apresentar em mareo, o or-
camento definitivo de 1871, e o provisorio de 1872;
a proposito do primeiro bade-sa suscitar a quesiio
floancetra, a qnal parece qna hade tomar carcter
poltico, por ser ento qoe o parlamenta dever
dar o sea veredlctum a respeito da maneira de
proceder do ministerio.
Relatvamenle ao discurso da corda o Diritto
toma nota das declaracoes reaes, considera-as
como progrmala declarado do gabinete que bada
substituir o aetual, o International julga que na
3nelle documento falla a elevacao de ideas, juslica
a intencSes, reserva e sobriedade das afhrraati-
vas qae havia direito de esperar, o que conslitae
ama contradiccao flagrante entre o qne se diz oes-
te documento, e o que sa dizia no prog&mma elei-
toral publicado pelo governo.
Afflrma-se qne se ve faser urna fornada de se-
nadores favoraveis ao plano de dtscenlralisacao
administrativa.
Alguns d 'om leoeo da dirigir nma
da juslica relativamente
s aos reiterados pedidos de alguns perieaagem se
deve a reaolncao qna ellas tomaram de eonserva-
rem por mais algum lempo o poder.
O governo apresentou s cmaras nata tonto
de medidas importantes; o primeiro na* Brujate
da lei reconhecendo a validada do plebiscita ta-
mao, e consumraando a aaaaxagaa do lado pa
traeio; no segando, o ministerio pede nm eredtoe
de 17 milhdes para effeetaar a transferencia da ca-
pital para Roma no praso de 8 meses; o temar
destinado a garantir a inviolabilidad*, a anlari-
dade espiritual, e as prorogativas solemne! de cae
fe da igreja eatholica.
J foram approvados lodos os ariigoa da lei
qae transfere para Roma a capitel da Italia, a ea-
mecou o debate sobre o projecto de lei qna esto-
belece as garantas qne deve gosar o papa.
SUISSA.
O conselho federal da Suissa propoz assra-
bla helvtica qoe maoifeslasse o desejo eae liana
de que o dssidentes do canteo do Tesaiaa roana
classera ao pedido de separaelo a nsperaai o re-
sultado das vuaces qne tiverem de fe faser seare
o projecto de constitmeio daquelfo caali, ara
reuniao do grande conseibo qne se deve celebrar
em Franca, para reclamar antao qoe se noaaa
termo s invasoes da parle septentrional de can-
teo.
Este assamplo prende bstenle a atteeeio do
povo, mas receia-se qna o governo pense era aaaav
dar occopar militarmente o pas.
anata.
A Rnssia contina eom aciividade tes sena ar-
mamentos. O contingente do exercilo para ana*
de 1871 sor elevado a 135,000 borneas; qae aer-
| virio 6 annos no exercito activo, a 9 anana aa re-
serva. O exercito activo contera em lempo de ata
806,000 homens, e a reserva nm mullir a SOf aal.
" S o orcameno da arlilharia foi esto aajaMaaedo
de qaatro milbdes a meto da roblo, a 25 raiUtou.
O conde de Beust primeiro ministrado anee-
ro austraco, respondendo note do artodpa e
Gortscbakoff diz qoe a Austria nio taca ctoaatot>>
alguma hostil contra a Rnssia.
Affiancam de Constaotinopla qne o Soh> laara
ao general Ignatieff o mais amavel aculaaanli.
declarando que se nio oppoc de modo aagaaa a
construeco da navios russos ao Mar Negro. O
general Ignalieff eom diplomtica aataeia. lama
respondido que a Turqua, gradas a son eeejaadva
couracada tinha j a supenoridada nacjoaUa asar.
Diz se pois que o gabinete tenciona em breva as clausulas do tratado de 1881 ratoai-
vas passagem do canal de Conslanliooato e de
estreito dos Dardanello?, procedeodo aislo de ac-
cordo com os Estados-Unidos, qne tueca aatot-
ram reconher aquella estlpulacdes.
As supposicoei da nma aUiaaea da Roaaia.
eom a Prussia, reeebem nma aova eatirraataa -'
ser verdade qae se publica relativamaaa ao trk-
eipe da Roamania, Carlee da Hobeaioltorn ajn-*
nao faz mysterio dessa alhanca as toas coacer-
vares ; o principe Carlos de opiniao.que te ti >
far a guerra porque a Inglaterra lera med, a
Turquia impotente, a Austria est mu! oecag*-
da com os seus propros negocios, a a Italia se-
cretamente affeicoada poltica de Biamark a de
Gortscbakoff. Os jornaes semi-cfflciaes da Reaaaa-
nia, dizem que no caso de gnerra o novo rounua
deve confiar gosloso o comrnando do sen exercte
Rnssia, como pralicario igualmente a Servia a o
Montenegro, recebendo em premio da sna eoeperv
o a absoluta independencia.
O governo italiano responden em tersos am-
biguos note da chancellara rnssa a proaotRo
tratados de 1856. O Sr. Vsconti Venusta miato-
tro dos negocios estrangeiros da Italia, na sat no-
ta dirigida ao principe de Gortschakoff ao toase
que sostente o direito e a obrgarao de se oeser-
varem os tratados patencia a boa disposei cjt
existe por parte da Italia relativamente modca-
cio das estipuheoes de Pars, de accirdo eaaa aa
outras potencias que as sobscraverarn.
HKSPAMIA.
Foi apresentada as corles a seguirte prop.-sh r
As cortes at o dia 30 do correle di*catir>
e approvarao as leis eerca do ceremonial incam-
patibilidades, dolacao do monareha, Begecia;*)
dos bilhetes do thesouro, consagran Jo para use
duas sessSe*, incloindo os das de feala, seca po-
derem occapar-se de oalros assumptos, escefl>
as daas primeiras horas de cada dia para os tra-
jelos que nio forem de lei.
f Hado o caso de qne no da 30 nao estajea)
discutidas e approvadas, o goverao as de-retira.
fazendo-as respailar como leis, entendendo-ae qne
a recepcao, e o juramento do raonan-ba ser o ul-
timo acto das cortes constiteintes. lina vez tra-
nsado, dedarar-se-ho dtssolvidas as cmaras, f-
cando concluida a sua missao.
Esta proposia foi apresentada na ttalo *>e
levantoo grande tumulto e protes'oa ; mas fM te-
mada em consderacio por 126 votos contra 4.
Eoiroa em discussio no da 20, a f> aaarj-
vada I
0 duque de Aosle embarren a 22 de d>z*T-
bro; a raioha deve partir para Hespanba algnm
tempo depois.
O projecto da dotecao real de sato maMae >
pecetas ; principe real 500 mil; eoucervacie aV
patrimonio um mtlhio.
Os jornaes hespanhes fallara de nma noti-
cia do bastante gravidade para aquelle paiz.
Assignou-se em Florenga um pa>:lo, a icn: a-
da commssao bespanhola, e pelo qual o
Amadeu, cede os seos direit >s i cora da lu.n
na eventualidade do extineio da familia do ti
cipe Humberto, no joven duque de Geaovi; a *
este principe morosas on nio tiveste aacce'saV-.
Amadeu I re de Hespanha, seria rei aa lista.
Nao se falla do principe de Carignan, por toaoiaae
este alm deja nio ser moco 6 toliairo.
A proposito dos festejos em PWenca, discur-
sos a respectivo ceremonial para o iffercciaetat)
da eora, appresentam alguns joraaes, oa atocar-
9ts ceremoniaes, e festejoa qne se fizeram cm M rs
mar, quando os mexicanos off^receram a certa te
infenn-arehiduque Maximiliano. Deas preserve o
prnciptiAmadeu de igual sorle I
Entretanto, nio encontrar em Hespanha a taol-
dade da sentimentos e de aspiracd es qae dever
desejar, para gosar tranquillaraento dos hmtmti
da vida de soberano.
AMEMCfc
interp
ao sequestro da
Diz-se que
liaem red.
iaatemoQte
o dos estrangeiros o Sr.
renti, qna foi
I O general Grant na raentagem qne dirigi ac
congresso dos Estados Unidos, lmanla a
franco prussiana, afirmando qne a Ttj
americana interpor os sens boas (fack
belligerantes, na primeiraoeeasiaoCaearavaL
O general americana Bailar proauactoa aa Bea-
tn nm discurso, ditendo qae o rtrlher raei* \i
avahar as forcas do partido radical 4 reacia as
reelamaedes sobre a pasea e toa o Attkwma.
Arcre-centod qne nio deseja qae te iecbfe
guerra Graa-Bretanha maa qne en suspenda ledu
o eoinmercio com este potencia al que ca
ama satisfazlo condigna.
Mr. Adams, antigo representante toa *>-
dos-Unidos na Graa- Bretanba, proferto um ato.
em Nova-York acoaaeibaado aran toRiica com-i-
Uadora na qoestio relativa ao Alm'tmna.
Em teem bavido gnades torea-
dlo?, e as perdaa m elevaras i 190
mil pesos,
rORTUGAL._______
Em 21 de dezembro a-
ponden I
.. E*perj va -
da actual ras* legWaltva, r^t atadt
cortes pror giias al .. M, para t cat te


^^^^^^H
lfiSwl

ernambttco
la

i
..
na hora da tarda o
r'd
t legjslaliv
ara
MI
mas ct an
addosido sio.TSMI^aarfl
^io dos que j se oavin
lados.
A cantara des dep!
do subsidio i si me^m
o. BsU pressa em
rain gnal anciedade
dora, que dava uds
ofljiaes que ainda i
Mele, o que fura un aeto
dietaduura Saldanha, para <|u<
Mgi sido acelerada,
parte se tem
a seguida dio-
mar dos depn-
menriMHHM
1
litares no
>*)
aseada
abastado prooriauro ; .11
Paulo, 00
commisio a donar
t Foram bem
oorressem de tome, ten prokido" no peelico
ama impropio to desagririavety quo.ot epwara- >usto palr. Alotandre
Tlham
unto as eonversac.5es particulares, como nos ar
lieos solio* do pe nodicos e dianos.
Que a medida de subsidiar os deputados
mais democrativo como principio, ningaem o du-
vida, por" mi! motivos obvios; mas cima' de todos
os precipicios, esli as leis da opportuaidade, e
ninguem dir uue ao mastnn lempo as cmaras
legislativas tirana atriste faa de pao um claaie
respeitavel pela seria de infortunios que a aorta
das armas a de xou entregue, vai j para 37 an-
uos, estendam os deputados a wcQdella para haver
das mragoadas torneiras do thosoaro nacional, sob
qualquer pretexto, os taca 2*000 diarios do sub-i
dios I t O que anda mais extra nueza causn foi
allegar urna folha governarnental que mullos de
puiados j sa retiraran para a provincia por nao
poderem viver em Lisboa sem o subsidio, o qae
nao 6 verdade. I'oqaenheias que todas ellas som
midas: estao reclamar por mullas reformas ra-
dcate.
t O subsidio jatlo; mas o: circulo eleitoral
que o pa/ue nao o thesouro.
Se o depurado rico, alttvia os seas eieiteres
d'este encargo; se o ua> aceita a ijuda da cas-
to e nao Ibo lita mat; porm ooerar coa estes
subsidios os cofres pblicos absurdo, e muito
pouco rasoa val quando da 1868 para c o que se
tem feito desorganisar os servicos pblicos e
descontentar o fanccionalsmo a forca de redc-
eles misqaialns e snbtraecdas' de veacimentos
legae, sombra do am systeuia injusto da cha-
madas ec momia*.
t Hratem o Sr. Mondes Leal (deputado) apre-
aentou um projecto de lei, seu, para se nao ra
taurar o subsidio a js representantes* da nacaa." A
imprensa ministerial hoje fai grande montara ao
projecto, e neitas bagatellas consomem o lempo
uns e outros.
1 A opaotic) na cmara alta, diz-se, que busca
dar um cheque ao ministerio no projecto do bil;
na parte relativa a reforma Ja secretaria do reino
e exlineca-j do ministerio de iostruccao publica,
que fora creado pela dictadura Saldauln.
1 Nao sei se Ihei disse que ultima hora, quan
dj votar na especialidid o projecto de MU na
cmara electiva, nppareeeu orna emenda, de ac
cordo com o guvorno, abolraduo novo ministerio
da intracca> publica, para flcar outra vez um
dircegao geral de instruido publica janto ao mi-
nisterio do reino.
t Afinal isto ro urna economa. Foi apenas
urna de-fetta a O Antonio da Costa, o eminente
esc ripiar que, fizeni parto d-> gabinete Saldanha,
dirigi aquella pasta, e fez mais em poncas sema
as em prol di instraccao publica, iroe todas as
administraedes desde 184* at hoje, Isto em
26 annosi Ora o governo queria que, abolido o
novo ministerio da nstruecao publica, vigorasse a
reforma do ministerio do reino feita peto bispo de
Visea em 1888; e a cmara alta agora quer que
vigore a reforma do ministerio do reino decretada
m 1869 pelo gabinete de que falla parte o dnqoe
d8*Loul. Temos n'islo outra intriguita, e nada
mais. K' iautil explica la, porque me nao sobrara
os minlos para faze-lo, o porque duvidosarnente
que os nossos leilores dahi Iba achassem grande
inleresse, qaanlo a. opiniao publiea mesmo em
Portugal quasi inifTerente outros baldos de
bastidores em que se trata de desgostar por enera
po o conselheiro Jos Maria de Abrau, ou apear o
Sr. Carrilh), chafe da repartidlo de contabilidad
do ministerio de inslruocioi !
Em presenr.i dos graves suecessos qne esli
transformando a" ve Iba Europa, os nossos estadis-
tas, depois-de fazerem no parlamento um conflicto
que ia tomando certas proporces, a proposito da
signifleacao da parlavra vangloria > levantan)
agora nutro por, uina quesl&o de directores goraes
cu chtfes de roparticao de'um ministerio. D.zia-
se, porm bontem nouto que a cmara dos de
putados concordara com as alteracoas feitas pela
cinara hereditaria para evitar maior conflicto A
final por tudo ists que so trata hoje'de nova pro
rogarlo.
1 A 2 de Janeiro prximo abrose oulra vez o
parlamento.
' < Votou-se honieai aa casa electiva a convenci
postal com a Italia.
o Foi concedida a isencao de direito lodo o
material necesario para o caminho de ferro que o
baro daTro.i.-qooira pretende estabelecer.
o Foi vutada urna prolougapio do praso para a
adopeo das medidas de capaciJade pelo sysieraa
decimal.
Votou-se o projecto de le sebre os direitos
anuarios.
Parece que 01 mdicos do general Reg, mi-
ni-tro da guerra, Ib* daa hoje-alta. FaHa-se em
que apezar das melhora-, sera substituido. O fac-
to que anda nao foi sua reparc.ao desde que
recento a nomeago de ministro da cura.
t Ha socego no paiz. Va o ser pronunciados os
autores dos ltimos descarrillanienlos no camioho
desforro de norte a lesto.
Maudaram-se retirar as tropas que tinhaai
marchado para o Algarve.
Parece que cheg ir a Lisboa o -marqaei de
Angoja (condo de Peniche) sem ter apreseotado a
S. M. o re dos begai as san credenciaes.
Nao se explica bem a quasi iodilferenca com
que-o governo tem coasentido em todas ests fos-
cas do Ilustre marquez sent he dar a demissio
de pleaipolenteuciario de Portugal era BruxeUas.
Parece que d'a.|ui at Janeiro, atm da su!h-
tituico do ministro da guerra, se far^o algunas
outras aheraeoes no passoal do gabinete.
Foi approvado ni cautara-Uo- deputados o
pr.ij :eto de lei do imposto de lonetagem e aucora-
gem.
> Foi annullad 1 na cmara dos deputados o de-
crato dictatorial que reduzio o laudamte quaron-
lena. A opiniao que vigora na cmara dos pares
que seja'm alidas as raijsac^es qne se fizeram
em virtude daquelle decreto.
< Antes de lioulam foi lido pela mesa am oGfteio
remetido pelo ministerio dos nejocios estrangei-
ro3.
Este cfflcio resava assin :
Rio de Janeiro.Ministerio dos negocios es
trangeiros 7 de junbo de 1870.Nada poii ser
mais agradavi'l ao wiverno de S. M." o imperador
do que reccberdolsim.cjaselheiroMathiasdeCar-
vallio'o Vasoncello?, enviado exiraordinaro e
mini^iro plenipotenciario de S. M. F. uns novo
teslemunlu da.-ympathia que Portugal tantas voze.-
tem manifertado so Brasil.
O governo imperial inleirou-se com a maior
satisfago do '-lineado da q la que S. E,tc. diri-
go-ne a 17 do mt-z prximo pas-ado, envin co
:Davt Bfjk jians ,
m
um
mais de
sua
noite de
o d#^^B
dime
.Varna das prximas conferencias
o socio que tem de presidir e supertnteuder aquel
la pabiieacao acadmica.
Parti antes de bontem para o Rio de Tanel
o Sr. conselheiro Jos Feliciano de Gastilho Brre-
lo e Noronha, rmo do "Sr. viscoHd d CasliHto.
As cheias dus nossos ros, sobre lado as do
Douro e Mondego, tem j produzido prejulios e
alguna desa.-trts.
Os pescadores j apparecem em Lisb* pein-
do esmolas. .;
c A commsao de socorros para os feridos
na guerra f rasco-. nru9Staaa. coaita lia a obter va-
Ilesos donativo. No benelicio antes de hootem
em-S Carlos ( tbeauo iyrlco ) vi lulo 400 tu era
boa do mais notavel por sua distiaccao, nasci-
meat efortana.
Dj 56 do passado anda escreve nosso cor-
respondente de Lisboa: ^
t As cortes foram anda ororogadas pormas
tres dtas alo i'i em que aiada lioave seis), e a
tarde loram encerradas, lendo o Dresidente do con-
selho da ministro-, marquez d'Avila c Bolama, o
decreto pele' qual S. M. el-rei Ihe deu commissSo
para em sea nome presidir ix esta.solemnidade
constitucional.
O bi I de indemnrdade pelos actos da dicta-
dura-Saldanha passou tambern: na cmara dos
pares por raaioria asss razeavel, pesar das sp-
prehen-os que mullos nutran) .de que o governo
nvasse all um cheqae a ultima liora.
e Algom s alterac5es faas na cmara alta
IH do bul, tal come a qne diz respeiM abolic*'
do nuvo ministerio d 1 instrn.-cao publica ( que
sempre ficuu abolido ou exttncm), e molo de res-
tanrar aquella servido junto ao minis^rio dos ne-
gocios dj reino, fji tudo a aceito pela cmara dos
deputa los, o evtou-sc conflicto.
Reoou, pos, nos ltimos dias, santa paz as
regioes legislativa?. Parece qne, dep'is de rea-
bertas as cmaras 2 de jiaeiro prximo, Segn
do a praxe estabeleciia. sern adiadas, afim de
prolongar um tanto as ferias dos representante*
da naci, e dar-sa lempo ao governo de preparar
alguna projectos ie le que precisam de mais
pensados n estudados.
No paz conlini a reinar soeego. A forjas
que tioham do ao Algarvfpor suipetas de ma-
chinacSfs 'rcvolncionarias. j daquella provincia
foram retiradas.
A polica parece que afinal conseguio conhe-
cer os individuos que ha pnucas semanas derriba-
ram pestes do telegrapho e levanlaram carris Je
ferro, o qae prednzio dous descarrilamentos qae
por milagro na foram fatae?.
Eslcs maleficios tiuham' l'ns polticos e.rela
edes con certas tentativas d'allfciamento d iropa
em Thomar ou em Lema, como o dfa a entender
o presdante do conselho de ministros no parla-
mento e oppartunamenie llio< commnniqaei.
Continan as 9uD3cripc5t!s para os fcido?
na espantosa crnifieina que est assolando a Eu
ropa. Valiosos donativos, e mil*, valiosos relati-
vamente pelo espirito de cari lado que revelan,
tem sido obttdos pelas eommtesoas de Ivsboa e
Porto, e parle destasofferta?'piedosas Ja foi reraet-
lid.
J fo s)lto, tu Porto, um dos individuos qna
haviam f do. presos ltimamente por suspeitas de
conspiradores.
O orgo semi-offlctal do gabinete faz deste
modo o panegyrico da ses*ao legislativa (|ue antes
d'hontem llndou :
t Terminou a terceira se$:So legislativa de 1870,
deixando rbras molto mais nleis do_ nje as uas
antecessoras. Para adiantar a soluca do proble-
ma financairo foram dados passos decisivos pela
cmara electiva. Com o fim de crear receita e
de raelhorar os servaos pblicos foram votadas
a-lei do real d'agua, a dos direitos de tonelagem,
a dos direitos sanitarios, a qno modhlcoa as pau
tas das alfaadegas e a destinada a por termo nos
privilegios, que isentavatn do rapostibsncos e
companblas.
A cmara dos dignos pares, desenvolvendo
actividade e sollicitude nos ltimos dtas, votoa es-
tes projectos com excepeo do que diz respeito
bancos e companhias, porque nao coabe no lem-
po. A.nda asMm pie ralcular-f o que o dficit
dlrainue 800 contos em confqueneia dos iraba-
lho3 parlamentares. Poncas, cmaras podero li-
sonjearle de ignal resultado. >
Nao ihes falfei, por notav<-< esqueeim nto, na
minha de SI, da proposla de le eleitoral apresen-
tada nos nltimps das de sessao pelo a ;taal minis-
tro do reino, o Rvd. Wspo do Visen. E' urna re-
forma radical. Parece que o Ilustre prelado ha
muito lempo fallava d'ell, como quem desi j iva
ligar o seu nomo a um trabalho ix.p jrtantissimo
Urna das filhas' mais sizndas e eselsrecidas
do paiz faz precoder das seguimos linhas o artig >
em que trata de compendiar as principies dispo
sicoes desta reforma : K' a eWiQto a base do~sys-
lema representativo.
Aperfeieoar o processo eleitoral purlflca-lo
de todas as impuresas que al agora o tem inqui-
nado, trnalo a expresslo sincera, franca,leal e
desassombradisima do esclarecido vot-> popular,
ser um dos maiores servicos prestados cansa
da paz interna, da estabade dos governo da
civilisaco e da moraliUade As reformas eleit)-
raes que aseguram a re*>resenlaeo da iotelligen-
cia e da vontade publica, pojem presarle de sa-
tisfazer mxima necessidab oos pov iivres, 9
inerecem ser discatlidas com todi a franquezi,
-em animo de destruir situabas polticas, ou coa-
serva-las, mas sim nica mente com o nobre intui-
to de ampliar a liberdada, a tornar roaisTobastos'
os vincnlos ds ffdctn entre os poderes pnblieos e
os cidados. >
a Ora o governo pelas declarabas qae fez no
parlamento, mostrou qne teve o bom senso de nio
exigir que se discutase com preciptlacao urna
reforma de tal importancia pretorio que a opiniao
: ubltca a examinaste, antes de f^r objaclo do <
tudo e debates parlamentare) em 1S71. V pro
posta precedida de um luminoso relatorio qae
d completa idea dos intuitos que presidirn
elabsra^iio da reforma eleitoral.
c Eis algumas das mais notavei dispeti^oes:
Cada dttricto admioisiralrro cnnstWP om cir-
culo c\eiiorl ; o namero 'los deputadoe a elegir
por districlo, ou circulo, 0 &>rrespn*datite po*
palacio, na rasao de um deputajto por iO mil
habitantes. Um distiieto (|ita ttnba 400 mil al-
mas eleger daa deputados. Sendo rarhsimo qne
a popnlacao de am districlo oa circulo saja um
nuiflero exacto da veaes- iOiOOO^- pJ* ter pW
examalo 4100O, ou 4)a:OH0 hsibtafltes. Sa a
nao aitendesse a estas vana ates; succedera que-
um circulo de W9:500 habitaates dara 10 man
el aopriacij
1 o Sr.
t As principaes1
approvado em ambas
como a cmara dos Sr?. deputados d nisio por
tugueza,as.coiigriitola(;6^ que diregem ao Brasil
por motivo da Mi?, e gloriosa termioajao da guer-
ra com o Prag
a Tadho a honn de reiterar ao Sr. conselhqiro
Malinas de Carvalbo e Vasconeellos os protestps da
minha mii alta coasideracao etc. etc. fhriirie'
Cotegipe.
'.< AcompaoJiava este ocio a copia da mocan
vetada "pela cmara .dcj dtgpos depulados do Bra-
sil e que couceHda n*-segnintcs term
Que se dec .ra'dos d-.|
putados do Bra la oaciT, rtemireeida
as coogralaJaeei da-cmara des deputa
Portugal e t giros pare do reino, fax os
mais as ventora) do reino d1
ra n3, pqrtagaeze*
eaes relaeoes entre os
ros artlgos da pauta geral das alfandegas, sao
;Juaos |Bros e mereaderias depronesis
propria das possessoes naciooaes ultramarinas,
iransoorlados directamente on> aivi i naeonaes,
pagara as alfandegas do continente e ilhas ad-
jaoeatea melada dos direitH im.irisi;4o marca
dos na pauta gcr^l.
< Que serio eonstnerados ignalmente de pro
.luego propria das possesses, para a applicacao
do artigo antecdeme, o arroz, especiirhs,' la-
meatos, rotim, somentes oleosas, lenha e raadeira
em bruto ijuando tenbam sido naci na'isadas em
qualqner das alfandegas da Asia e frica Oriental, j
esejra transportados em navios porrugu
Qoe o as ucar produrido na ilha da lladelra
fieasogeilo, quando despachado para coastraie,
as alfandegas do coulinante e Aftjres, qaarta
parle do direito qae pagar o assncar estfangeir
de ignal qnalidade.
Nao tenho presente neste momento a tabena
que aaoexa far parle da propo;ta, a dentro em
pouco lei do estado, pois comecar a execntar-se
n coatloeme em 1 de jan^iro da 1871, e as ilhas
tresdiasdepois de alli sor conhecida.
t Nos debates d'esta lei, tanto n'uma como
n'ouira cmara, lastimaram algoni-Ilustrados
memiiros da minora qae so tivesse aggravado o
imposto sobre o caf, cha, a-snear, maoteiga c-tc,
oi> confiando que osle ajigretiio de imposto pro-
ilnzi augmeato de receita, peraue reconhecido,
peas estatlsitcas publicas, que quanto mais se
augiiienia o Imposto de um gentRi de primeira na-
ce -si iide, mais diminuo a verba de receita que
resalta va d'ssa imposto.
E' de sentir tarabem qae sejam as ciastes po-
bres as que mais bao de soTrer com esta reforma
pautal. Calculado o que consom de caf, cb,
arro/., maoteiga a asinear, urna pessoa em cada
dia, v se que no espac de um anno se paga de
impi-to 1,300 ris, o que para gente pobrissima
assaz oneroso.
Sobre urna sensata reclamaca) do Sr. Fonles
Pereira de Mello na cmara dos pares, o governo
concordou om comprometter-se a mandar receber
por deposito o augtfrento dos direitos correspon-
dentes aos gneros transportados em varios navios,
quetenhainsaliiJo dos porios da sua procedencia
antes de haver alli onhecimeato da nova pauta,
a fin de ser definitivamente resolvdo este negocio,
quaad) novamente se abrirem as corte?.
Foi approvada er srsso secreta, como de
nso, a caaveoi;ao postal celebrada entre Portugal
e a Italia.
a O projecto sobre os bancos e outras socieda-
des anonymis, fleou ainda preso,' apezar da sim-
plicidad que estavara reduzidas as saas pres-
cripo
Se o projecto (lifcomr-zao n Jornal io Com-
mani), tratis-e de lanzar algum tributo sobre-
quf-ni da nenharaa. influencia dispozesse, as objec-
efos desrfpparecenam, e d'aqui i dias seria lei do
E'aiz. tomo, porm, ha pessoas poderosas qne
eem de ser atteodidas, l llcoa p^ra decidir, na
prxima sfsso.
Falleceu a 2i q visconde da Jaaqqteira, Jos1
Dias Lete Sampatoj de um ataque apopltico.
a Publieou-se em Madrid a traducrio em ho-
panhd dos Ctu.nes do Bardo do Sr. Aatono Feli*)
ciano do Caslho (visconde le C'stHbo) feita pelo
Sr. Calvo A-cencio, I. addio iegao de Hespa-
oha em Li-boa.
Foi eleito pela Acalemia Real das Seiencias o
so-;io Sr. Latino Gplho par. dirigir a ediclodo
Diccionario di lingo 1 poitugueza, que a raesma
academia vai publicar, e de qne Ihes fallei na mi-
nha ultima carta.
Entrn no da 24 o vapor da carreira do Pa-
cifico Juhn Eider, qae devia ter entrado o? Tejo a
19, mas que ao chegar Brdeos abalrora com
o vapor iuglez Clara, vendo-se otirgado a de-
morar-se nesse porta para concertar a va ra*.
Naquole simstro pereceran- duas pesoas bordo
da Clara. Este navio sah o a]S4 de tarde. As saas
araras foram pequeas.
F prasenteadi a Academia Real das Seien-
cias da Lisboa, pelo Sr. D. Antonio Ortis Romero,
com o sea livro A litleratura portugueza no te-
culo XIX.
t Eis os telegramraas recibidos ultima liara :
Madrid, S as 4 hiras e 33 minutos da tarde, j
Ficaram adiadas as eleicSes provitteiaes. as
ciirles ontini a oNcassIa da proposta de disso
Inco ; combale-a C rilante*, e Pi combate la-ha
l?pois. Os prussianes rocouhacem terem lido grao
de per Ja-. Ha socego em Paris.
Madrid, 23 s 10 horas e 30 miuutos da ma
aha.H >Jo conclue a diseusso da proposta de
Robledo, faltaudo Pi contra, e Marios lavor. D-
se que as opposicSasse retiran antes da votaejm,
protestando conectivamente.
Madrid, 23 s 3 horas o 30 mmnlos daurde;
Lotera: premio maior em 9:914 em Barcelona
segundo 9:334 om Oviedo; terceiro 5.5G0 Santan-
der ; quarto 12:180 era Puente reas; qainlo
3121 em Granada.
t Madrid, 24 s i heras e 30 minutos da tarde.
Foi approvada a d-ssoloco por .137 votos contra
14. Amanba sai o daqe de Aosia de Speztia.
Em resultada das sortidas victoriosas de Pars, es
prussauo3 retrocederam de Toas para Blois.
Madrid, 21 s 5 horas e 35- minntos da tarde.
Nis cortes declaran Rivero que a questao da*
eleicSes provinciaes ainda nio estava resolvila:
Mnret declaroa que estao as providencias dadas
para que ee pague o coupon.
Mootem o exercito do norte batea os prnsssi
anos.
D. Atbnso- de, Bour-
prim -ma .lo Itaado,
I res, 24.O general Chausy est concen-
coos do projecto de lei, trando um grande exercito em Le Mans. 03 alte-
amaras, olleraadj va- mies p'iiMJprl""mi Toara, visto os habi-
clias99U^S,00Q,bomens da
pm eoai artlkara e ca
pear.
educapao
dentioo
Ico Fe
^^KBvrJ. Jos Silvino, no IfHc orte II-
bertoa qoalroide seo esuvta
Nesla capital a Sra. D, Pranch Maria
peneial Vo^n Ruaex Silva, mai do 9r. Symphronio Jos da
T onai mobilu silva, conced*a berdade a sea escravo de
enduro .eR.jrjD^o.

reriSa capetia.
r faarni,_
, contra um corpo
seado repaUido
combale, pri1
aSO
m
"tante rem resistencia. O maire traba en-
tregado a cidad a pedido ama guaraico allena,
" a cidade ainda nao est occopada.
mas
anrhT
:" ,,,- .*' "*" '"" """"" v"-*^ <-"- v UM circulo a id'j:atw nnaiMiea ^an* ) mnn-
pia del la i cmara*, eagra4ece tanto ao jpverno, danrios, ao passo que oatro de 44H)0O teria di-
iaelegerll.
Dlspoe a reforosa que seado. snperiqr ame-
lada ae4O:)00 o exaess0 i 1 popalacab distrieul
sobra um mltipla d'esse aamero, o districlo.dar
bro 4 .
le hontem notician a reanossa de
.mis&ao central 1* dedtzem-
que sa lia na Gmela da
\ aagockiQU nortafie
mente a aece do eleiloi
\s operacOes d rfr;iMM**jo- eieitorai >xp\
sam a sar aiiribui*jo das cmara*- nMnamptes
que assim tsro uw carador poltico maie pMo*u-
ciado. As opaeayoe do upwrameit*, que e om-
petia s commmsdea orittdit pelo toMaereaJ
das acia* eleitraa, pa4-* peio p.".iesto. i ar
atitlbii^o das juntas gera;s dos ditKnetoa
, Oxal que a reforma dencis derbom dispu-
tada, nos cadinboa id* iri)pFaasn|utid*ana a dos nbaa.As noticias offlciaes
dbiles dot corpo coHtgtilatives, rosubele puresa de sulfragw, que a nora phen1
mismo represeaut vo.
O eclipse do sol de 2i do corran*
vad em Sagres (Alga*vej por. ama c
scientilica. Aiaua nao va^^^^B
de seus estados. Melhor a<
se o dia nao stivessa.ds i;gna*
nblalo. Foi entretanto
mora ha matto? 1
Midrid, 2 s 6'horas da tarde.Bivero mi-
nielro do interior, deu a sua datnitsao, Fot sobo-
lailnMa por Sagasta, qoe tica tamban ewarregad
da pasta dos negocio eslraogeiros.
< Brdeos, 23 s9 horas da manaaa.Beaa-
(fon Maino e Loyre) 22.E3 as nobciaaqaeum
aereonauta transmittio a Gambeta, Sahi esta
manlias de Paris n'un balio que deseen em Be-
aafort. Ueixei .Pars em estado exeelleote. As*
nperac5es militares recomecaram honteoide ma-
nna. Tivemos hontem um comate em que to-
mn parte principal a-artiihari aqaa nos foi fa-
voravel. ViBo Evrat a Malson Blancho faran to-
madas por Viaov. O general Ducrot den om com
bate era frente de Drancy.
Bordaos, 23 s 2 hora* e 40 minutos da tar-
de.Pariz a nonte. O relatori) offiaial oalkma
a noticia dos resudados dos combala* da hoje. Na.
dtreiti os fraiweiea ooenparam .Vauilly-sur-Mar-
i.Vtlte Bvrart o Maiaaa-Blancbe. O fogo inimifo
cessouet lodos os itento. Astropas de La-Ron -
mais umdeputade, e a**M) sraprevella raaoarel-,: cieeaia.9li>Boj4gaj|.|aa.4)M p^deratareuMea--
M
[orte, para
entender re
degas.
ara do \>.
. Mfaopm, 100 pri8eiros. Dticfot
pou Ferna, Grcslay e Drancy. fas prximi-
dadtesrd Moat;Vlefa^aag#tefah, um .4amPltr,IC|l>JWl^W chefe de batamo^r-txenppu lie OJird. As
tropas de Iraha^e au. aK0aaL .rura-se.
com grande va' oa a nouto cora as-j
ttpas
ilordep4,:-.|4 a.lho4-e; S mtanios d* tna^
1 diz<; pra.
_ Tlouen onde
fioaran apenas 1:500 prassiaaafcrTodas t deckas
a depsitos da Koofta /orara oa ^tandas. O saqae
ieocii*l*a; Aratons. O iaiango-re
nancia. ileiiiyamie.* praaegoir aa sa marcha
para aim Je Tours. e ratfpcade,, sob|eOrleatw. A
exista, em reaoitada das mo-
trategiioi dos exerciles fraoaezas em
-pacho da
\o(4eU* al art do Imperio.
Tambern chegau hoatam o vapar brasileiro To
caniint, tnWh) do Para SI do passado,
do Maraarmajtfo Cear4, do Rio GranJe 0-e-da
^oFcorrent.
paai.
2j BI 26 do eorrente foram trasladados para
Caiael obresios momas do iaado Dr. Angelo
Custodio Correa, com toda toleatnidade, dando o
forte do-stello 9 tiros ao largar o vapor qae os
conduxia, con;ervaado-so o eomawrcio e os navio
em funeral.
O Dr. Angelo, diz o Diario d Gran Para, ha
15 anos, na adroiatstraee da provincia, contra-
me cora o povo ama divida sagrada, sacraando.
se pelo povo n calamitosa poca da cholera mor-
bos, sendo martyr da soa dedicacao em prol da-
qaelles, cajas vidas eram cerfidas por aquella en-
fermidade aterra lora e horrivei, qae entio a sol-
loa a provincia de un mede assn.-tador, e raedo-
nho : justo boje qae o povo, representado por
todas as classes da sociedade, se congregue ro-
mana fnebre, e pague memoria saudosa da-
quello horaam ebeio de f na aalva^ao do povo,
confiado sua alminHracio, de resignacSo e co-
ragera no solTrimento doloroso de tantas victimas
de tabornel enferroidade, em cujo numero qoiz
Deas incieir o sea nomo lio charo a lodos os ha-
bitaates d'esta trra, qae Ihe den o berco ; jas-
lo, dizemos, que o povo- Ihe pague a divida de gra-
tioab e reconhecimento, qoe Iba deve pelo raoito;
qae fez ero favor da cansa publica. >
A' borde do patacho boliviano En/repn'ie che-
garaio a Balm, vindee de Boston, 19 immigrantes,
affie 6 mine ros, 6 lavradores, 3 negociantes, i
mdicos e i senhoras, em viagem para a Bolivia.
Nesse raesmo navio ebegon grande parte do ma
terial paro-a estrada de ferro do Madeira.
^- A alfandega de Belm arrecadou do mei de
dezemhro de 232:450^422 res.
- Eslavam a carga ns navios : Nilo e Lorrell
para New-York, Rtalidade para Lisboa.
MARANHAO.
No dia 22 do passado reuniram-se osaisig-
oantes da prca do coramereio, e, depois da ieitu-
ra ao relatorio annno, procederam a eleicio da
junta administrativa para o anno de 1871, que ti-
ma composta dos Srs.: Amonio Jos Villa-nova,
Maooel Silvestre da Silva Goulo.iss Francisco de
Bnto Perelra, Angosto Americo da Silva Nnnes,
Luiz Ihptista da Fonceca, Ednardo Augnslo Placi-
do ejos Joapuim de Castro.
Na villa de Pastos-Bons, no dia 6 do passa-
do, por occa.'lo de se proceder eleicao de jntzes
de paiz, bouve um serio conflito do qual re-ullou
a morte. do cipito Maooel Fernandos de Lima e o
ferimento de diversas pessoas. Em vista dtsses
acontecimentog, e de nao haverem as autoridades
loeae communicado offlcialmente, a presidencia
da provincia reselveu nomear promotor publico da
roraarca o Dr. Joaqnlm Lopes Lobo e de egado de
policia'o capilio de polica'Carlos Manoel de Li-
ma ; mandar dissolver o destacamento da guarda
nacional ; e fazer seguir para alli ura outro da
forca policial.
O Sr. Joo Jo* da Cruz, or gralidio aoj re-
levantissimos servidos que deva o Marannao ao
bipo diocesano, deu libordade no dia de sea an-
iversario (23 do dezembro) a om filho de urna de
suas escravas.
Esta enanca foi baplisada nesse da na capaila
do pac episcopal, pelo capallao de S-. Exc. Rvma.
0 documento qas a livra do eaptlveiro, dz as-
sim :
t Em louvor da paixio e morte da Nosso Se-
nhor Jess Christo, o horaenagem aos servici* que
com invejavej dedicacao tem prestado o Exm. e
Rvm. Sr. Dispo Luiz daaGoneeioao Saraiva, em
prol da educcao o amparo da mocidade d'e-ta sua
diocese : Eu Joan J03 da Cruz, hoja 70. annirar-
sario do meu nascimento, por minha vre e ex-
pentanea vontale, doa berdade ao meu esyavo
mulato, filho da minha eserava Brgida, que se
chamar ao baptisar-se Eohraim Saraiva de Sou-
za, nascido aos 12 de maro) do cadeote anno ; e
quero que desde j seia considerado como sa nas-
cesse de ventre livre Serao seos padriah03 o
Sr. nwjor Ignacio Macedo de Souza, e saa consorte
a Sra. D. Amia Tarares de Souza. Maranho, 23
de dezembro ds .1373.loas Jos da Cruz:*
Os empregados da cmara municipal da ca-
pital mandaran) tirar a oleo o retrato de Exm. Sr.
Dr. Jos da Silva Maia, presidente d'essa cor pora
cao e primeiro vico presidente'da provincia, afim
de ser coltocado na respectiva secretaria.
t Fallaceu, na capital, o Dr. Jos Bslsario Han
riqoas da Cunbi, deputado provincial.
PIAUHY.
a Ltaos o seguate, n'uma caria da Ttierezina
(eaotal) :
Viodo da Parnahiba o vapor Piauhy trazendo
a sea bordo dou* estudanles do 4 annoum
filho do Dr. Umbelino, de nome Joaquim Moreira,
e outro de S. -Goncilo, dous offlciaes e algans sol
dados invlidos, chegaram L'nio e representa-
rain urna linda farca :o filho do Umbelioo fez-se
de presidenta, o outro estudante de secretario, ura
dos offlciaes da ajudantes da'oroens, dous uva
iidos de ordsnancae ; ocommandante do vapor, a
tripolacao o passageiros prestaram se essa naa-
nifastaeao. Concorreu a porto a gente grada da
Ierra ; receberam o prest/lente ; lizeram-lh obse-
quios ; conduziram-no para a casa do chefe libe-
ral ; deram-lbo um bati em qua despeoJeram
quinhentos e tantos mil ris ; fiteram-lho ped
dos ele.
< Estava alli um liberal da capital qae fez as
honras oratorias to dignissimo e mandn aqu um
positivo, a toda presea, dando parle da vinda do
Exm., e que era eousa mallo boa, tanto ou melhor
do que o.... Os liberaes d'aqui receberam a no-
ticia com especial agrado, guardando segreJo para
s el les tere a honra de recebar o Exm. J per-
to da hota aprazada para acbegada do alto per-
aooagem, comraumearam, por ranita favor, ao Um-
belioo ; este coramunicou ao E'pinola, ifue-inaa-
dea aquartelar a tropa para a guardada honra ;
os liberaes estovaran as casaca eexpediram o va-
por Paranagulevando sea bordo o agente Dr.
Oeoliado para encontrar o Exm., e fazeado traba-
Ihar o cozinhatro, afim de ter um bom jamar, paral
o que foram {aerificados alguns carneiros e leJlSe
el*-1; no ara do.tndoido ebegam o) vapore* tra-
zando os dous estudanles palusco. Os liberaos ti-
oaraaranaoaaeos cora o commandanie do PioMay,
oapio Te varos, a deraai-lhe daiMao.
csan.
FaNoeea, aa capital, o- confereat da atfandega
Minaet Fraaklin do Amara I, com- 72 ano de
idade.
Daranl o ano'de 1870 fatteeeram; na ca-
Halida proviBcia, 681 pesea, sendo 605 Iivres e
46 eserava.
lomo na Tribnn* Cnt*olici
Noo dia 27 e 24o mez prximo fiado,
s 54iora*d'Urei leve logar o truno do pveoee
quaS. Ew IftmaoSr. Wspo diocesano mandn
celebrar pela paz da igrej e em favor do sobera-
no poniflaoWoXIX, o grande; qae privado da
soberana e iodependenca que Hp sao neoassanas
para fxercer !*vremanto as ailribiilc3es da sea
npren apostolado, aeha-se redolido a triste con*
si de pflMonairo- om- seo proprio palaro e
ioalbdo>d*pfOw*r, como eoovniy a necesaldadeei
'js.
1 foram celebrados com edifican!
dada; assistlnao a todos ellas o Exm. prelad
anaca
Mana
aanra
a\m-
^K aa
r
O nosso amigo Antonio Nogneira de
Holtanda fcnna~lfbertoa sem condjo alga-
roa o seu escravo Salvador. Eis a carta
em qae concede a berdade :
> Hd abaixo siigoado forro e-don plena
berdade a meu esa ave de nome, Salvador,
de cor fula, de Sanos de idade, solteiro,
8em raz, e o faco independente de remunerare
a'guma pecuniaria, e somonte como paga de
seus bens servicos prestados a mim e meas
filhos, sua dedicacao e amizade, e pelo amor
qae Ihe tenho pelo Tacto de haver nascido
em minha casa e sido creado juntamente
com os meas filhos.Antonio Nogaeira de
HoHanda Lima.
BIO-P.RANDE.
Do Natal nw escieve nosso correspon-
dente em 7 do eorrente :
< Na villa de Caoguaretama appareceu a
peste da bexiga.
S. Exc. o Sr. Dr. Sflvino, vista das
participac5es offlciaes recebidas raandou
para aquella localidade cidadSo Loorenco
Jos Rodrigues, encarregado do tratamento
das pessoas desvalidas accommeitidas do
mal.
tres leguas de istancia da sede da
mesma villa estando Maximiano da Triada-
de Monra em sua casa, das 7 para 8 horas
da noite do dia 18, soffreu um tiro de em-
boscada, do qaal Ihe resolton um grave fe-
rimento.
< Ainda se nio pdde descobrrr o autor
de somelbante altentado, apezar das diligen-
cias empreadas pelo delegado supplente
em exercioio, tenente-corooel Jos da Cosa
Villar.
Por aclo de 31 do mez passado foram
nomeados para o novo districlo da Victoria
no termo de Pao dos Ferros os cidadaos
seguintes. subdelegado Joio Moreira do
Nascimento, i supplente Marcono Fran-
cisco de Oliveira, 2o Francisco Pereira do
Nas:imento, 3o Francisco Thomaz d'Aquino,
4 Alexandre Moreira do- Nscimento, "
Francisco- AWes Pequeo, 6" Manoel Jos da
Costa.
< No dia 2 do mez passado o tenente-
coronel Jos da Costa Villar, possuido da
maior salisfaco pela formalura do seu dig-
no fllho o baeharel Heraclito de Aranjo
Villar, liberton do capiiveiro om sen escra-
vo de nome Antonio, mulato menor de 5
asnos de idade.
O cofre provincial vai cobrando sua
forea e vigor.
Os empregaSos pblicos, o,corpo de
policia esto pagos em,dia.
S. Exc. tem fiido incansavel em promo-
ver os meios ao sen alcance para sanar as
difficuldades monetarias da provincia, sem
que Ihe fosse necessario contrabir empres'i-
mos, na forma da autorisaco que teve da
assembla provincial., nem realisar qualqner
outra opefafSo de crdito.
Com os proprios recursos de suas
rendas, com a severa economa dos oinhei-
ros pblicos, pde-se dizer que atravessoa
so a crise, que nos ameacava.
* Renden a alfandega no mez de dezem-
bro 3i:328086i.
PARAHTBA.
Nada occorreu digno de menc5o.
PEBJAMBUCO.
REVISTA DIARIA.
GUARDA NACIONAL.Por portaras da presi-
denta da provincia de 4 do eorrente :
Foram transferidos para o servico da reserva, fi-
cando aggregado? ao Io batalhiio, por ?e acharem
ncapazej do servico activo, o capito Manoel do
Nascimento Aranjo' os tenentes Jos Dia3 Alvares
do Q liatil e Jo Antonio de Paula Madureira, e o
alfares Ignacio Nery Ferreira daJSilva Lopes, to-
dos do batalho de infamara do municipio do
Recife.
Foi mandado dar guia de passagem para o mu-
nicipio de S. Joo, na provincia da l'arabyha, ao
tenenta quartel-meslre do 27 balaibao de mama-
ria do municipio;^ Carn'ar, Clemente Jos de
Oliveira.
GOLUSCTORIA-PROVINGIAL.Por portara da
presidencia da provincia, de 4 do-eorrente, fai no-
meado-escrivo da collaetora provincial do muni-
cipio de Ignarassi), Ignacio Marcolino Bezerra do
Ama ral.
GOLLGIO DF, S. JOS'.Termioam no dia 28 do
crreme, as-fetias desta c.illegh>. dirigido )iela? ir-
mas de Santa Derothea, devendo as alamnas, que
sahiram para gosarem-s, vallar nesse .dia ao es-
tabelocimento. Do dia 20 em diante at 27 devem
ser apreseniadas pelo? paes, tntores on correspon-
dentes as novas alamnas.
DINBEIRO.0 vapor Tlfcantima trouxe para os
Srs.:
T. Christiansen o0:0a04000
A. L. da O. Azevedo 4:300*000
Jos Duarte das Neves t 3:348*000
Jnquim Jos Gon5lves Beltrao 3:324*200
H. de Lagrange 3:000*000
M. Francisco Marqqes 3:0005(100
J. Gerardo de Bastos 2:459*300
Araorim lrraos AG. 1:388*600
lliffuel'Jof Airas 1:287*370
Bailar, Oliveira & C. 1:000*000
Joao Ramos 920*000
Jos Rjlrigaes de Sraia 800*000
Domingos Ferreira Maia 800*000
BellrSo, Otivelr 4 C. 700*000
F. Jos da C Guimares 694*100
Jos Franciseo de Sonzi 617*000
Carlos Pinto de Lsmos A C. 521*480
Dr. Joai Kayranndo P. da Silva ."00*000
J. O- C. Dayle 20O*000
A. Jos da Silva Guimares lBOf000
Domingos Alves Mathaus lOOfOOO
UlhJcar & C. 80*000
Bsje vapor tronxe mais : para a Uatia
5:O78*Oi0 e para o Ro de Janeiro 47:219*200.
FESTrVIDADB RELIGIOSA.Comecam. 110 da
] 13 do crranla as novelas de Nossa Seahora da
Conceicao. qae se venera na canalla da estrada de
de Paulino Cama va (outr'ora Joao de Barros.)
A ommissa-) en -arregada de?ta fes ti vi dada
nada se lera ponpado, afim de que sejam ellas ce-
lebradas com a maior pompa e brilbanlismo pos-
savel.
A orchestra ser .dirigida pelo destlocto profei-
sor Colas os da composicSo do mesmo
1 cantados per urna- senhora per
i voz doce e raellillua tem se
ama vez em tem ta ci-
ato c-.t
hora e 4* m*-
rioCapi
invalido do 9* b^^^^^^H,
So"rS
ASSASSINATO E FERIMKNTO.-^O lili)
dezembro, no lofar Cha do ftaayiajia, da ee-
marea de Pao d'Albo, Fraaciseo Mato a*sl
com nm faca, Jos Ignacio do
|ra remente i Joio Barbosa. O eritaJeaV
evadir-te.
I'AVIUIAO DE S.4NTA UlB^-O
MI
Antonio, compenetrados do laatfaao
qoaflcou a Era Sm. D. Maria dao 2lo*ea R
de Castillo, vinva do tenor da coaapaolte e lr-
xaeto hespanhola, pela parda do sao marido, ifo-
moveram dar am ep.acole, aa PailHa 5a-
ta Isabel, no Campo das Priacetas, <{oo e
hoje a nauta coa o progmoaaa ea eotn
blicacado.
Merece todo o a:olhhnenl vaa tirar de gravea apuro ama Sra.
sobrecarrrgada de don* Mboa, e
raesma n'um leito da sonVimeato.
SDBSTnTJIf;.40 DR NOTAS.t l a totoo
prximo comecam deseaste ieaptr cntf wm>-
taes as notas de 2O*08O"*i terceira r-laatae. iaa-
pretsas em papel braneo oa tiata preta, taaa
no centro o carimbo dea* coa Nata veril*.
EM TRANSITO.- A' bordoa vapor traacas
Araozcme vieran da Eoropa para o tul do Baja-
rlo 137. passage. iroa
TRILHOS URBANOS-DE APIPUC05-Do dto
16 do corrate em dtaote torio tappriaatoo a
trens do Recife. a Apipocos das M hotaa aaato
da nonte, e de Apipaeo para o Rrdft daa 9 baa
e 35 minutos da nonte, visto haver pcoca aaa-
wrreacia para elle.
FESTA DO MO.YrB.-Heae,
rea lempo de oolr'ora, eoaeorraoeia tai
ra, qae se clcala em 10 a ISjMO toatea, vi-
sitar a ermida da h. S. a Meato, aa tilia i
Ohnda, (cando lodos admiradla do lasliatatel av
uda em qae se nena eete letoato, aat
mais am desmoronado albergue do
qae a ca sania, K inerivel qm 1
ca, como a benedietma, deixe
seas templos, matando a dvrroee
para amen toar eabedaea, qne Vio
desconhecida mente. F.mqaaoio
cuidar da estanrarao dette leayla aaaataW
povo que os andaimea qoe aUi aoeia fea
ds tais mores, nio foram armad pon
a curlosiJado publica, qoe eoataeava a
se cora aquella malfadada ermida:
PASSAGEM DA MAGDALENA. A
iberia a aula put lira de inttruccio priaari
sa locvdade, regida pelo eSeeiivo prc fcssor ****
mente nomeado, Augusto Joto Msttricio W"
ley,
NAVIOS A' CARGA.-EOI ijijm II
para Pernambneo, e Anglica para o Maraata .
no.P.rto-.-l//>ro para o Martajo, a ilaaa *a/-
mrira para o Para.
NAVIOS SAIDOS. Do Lisboa a 11
teich (vapor) para o Mireobio. a ib Mono
para o Maranho e La 'lata (vapor) pora o
a 21 Alimn (vapor) para o Paa.
NAVIOS CHEGADOS-A' Lisboaa 17 Mario o
Ligara do Pata; ao Porto a 22 "Su i i
Perrwmbaco, Vormota do Mraaaaot a "
do Para.
GNEROS DO BRASJL.-O 1
de producca > do Brasil eram
Londres a 24 de dezembro 1
da tarde :
1 Depois de baixa da 1/8 a 1/2 d. rae 1
qualdades venda, fica o alfodao de
e de Maeei a 8 3/4 d., o da Parabyba e do Mm>
Grande do Norte a 8 1/2, e oda MoraobaueCaara
a 8 7/8 d.
O assuear est firma com alfa de 6 a 18 peo-
ees, sendo os Fernambneo vendido : braaa a
25/6 a 28/6. e o mascarada da 18/ a %j%.
VAPOR FRANCEZ.-0 Ammzam* tre-aw atoa.
nossa praca : queijos 52 eaixat a or-m, 2#a
J. J. Goncalves Bellrio, 18 a Stapee A C, 5 a
Silva Moreira, 28 a Joo Igaacie da Cesto. 17 a
Orga Irmos, 10 a Antonio /Ivs Ubre, o itj
Joo F. Lopes; vinbo5 barra a P. $>m%
a Cramer Frey & C, 2 a Turpi, I a Ir
& O, 3 do consol Irancei ; chapeos do "ribo 3
fardos a Phipps Brotlicrt A C.; cogaacMto eat-
xas a To. Jusl, 23 a Augusto P. do Oiivai, 23a
A. J. Ferrrira Monteirc; licores-8 eaixisao ro-
mo ; calcado3 calxas a Porlo A Bat*>, 4 a A.
R. Pialo; sanguesagas2 caixas (a Caer; toa
2 caixas a A. Roberto A Filbaa; blatan W
caixas a E. R. Rabello cattaahas-20 ratxa ao
mesmo; obras de praia1 caixa a Lebaaoo
frrjres.
FESTA DO MONTE EM OLINDA. Tave lana
domingo ultimo em (Ninda a resta do latatso-
nhora do Monte, qoe, como outr'ora, aitrabio apa
concarrencia extraordinra.
0< trens da via frrea trabalbaram toro arna-
co lodo o dia, e foi tal a afloeoeia AO povo aat ao-
tacoes extremas da liaba, qae oa trens
driles por tal forma encina qae W-
parar as esitcoes intermedia pan toatff 1
passageros.
A' noate, em Olindi, htorera
geria na estacao terminal, por** P"*o 1
-vir lodo de orna vez e rao atoante aa jnatoia-
clamncoes do gerente da empresa e atoa 1
gados, qoe, por mais e.forcoe aat atoiJiaa,
consrgniram ncnlin n re'altado 1
laririade do ervico, fieaado as
tanto a companhia e-'im> o povo i
Na estaco ronsetvo-ae grande poraw 4t|
at pela manba de hontiaa, e f coa iaajtaa
ficuldades poderam os treas transportar asa |
ti>, porque se acharan) ea> deptorave) eataal
delerioramenlo.
as suas impetuosidades o povo
at o direito de prnpredade e alir
qaebrando-o. e insultando oseaapre
panhia.
Nao se p le deocrover o towaHij a 11
qae honvo nouts em Oltada, toaa pie a 1
dade policial os p.idesse obviar loubaoal. pwtn
qne para isso enrnref tsw todos metes da aat aa
punlia.
A's cansas deexeitacao do poro (eran fumaroa
os atropellos corometiidos por algaas earrna, a,
indo on vindo, proeoraram abrir cnaMw par
entre n mas-a de geni ritawraa. aa 1
respectivos boleeiros empre
dos-necessarios aessas ota
Urna familia cnari tol eeejatada ao-Ol
noute por um dense carros, e
rar qne se- nio lenha veriSaeoa id
ment funesto ao mala daqoelra I
veL
A companhia nnlon boat a vitada l
conduzir nos trens m numero de
muito superior lotscio dos
assim alguma grande desgrafa qatl
atontecera, st ai (ouoattva) naoctoi
pesados do que a 1 fcreai
re.-suportassem pesos rnporeroa a i
ca.
P/ trhte qo so ddwaatoa*, eaf .aaaMt .aa
deram doniiogt' cmOtmda, provocad
populacao q je quer ter rorot aHilaria,
muito para des*jar qnees ara
no Interesse do proprio p*, etato at-da
nhit, qae serop s soflro aettaa oacaatH
raNVls orejan*
MONTE PI POIrT!WOPa.--i>Bfvar
je, nos saldes do Gabinete
como ?e aeba aannncitdo, a
fijcnl do mestat Matto Po.
Joaqatm Goaealvei.VWa
te, Eduardo d Afoocetj
quim
efl ^Bxa,l
RodrB^I^
Santa
Hygino Pernra do
I
> Lobo
Fr
ios ainda no Cearenae
dde.
iiaafotqiafiis
. .-.'i rj i!,
eoviauos a
eraat no nwaig
sor da
slebrar a saa pri

oy levita]


talas 7 horas da uoute, estar reu-


::9& MgftiMiW
MBB8SH


)

pTl
Agf
Jos Franeiseo Xavier, com MsHa Francisca des *** peaboraao ,c*u} a*ovas de estima e
------ wmNwJMm- wiMfn rseaO^H
^rte H da Silva Jnior, eom Mari a 1 gua-
cia da Silveira Avila.
Pelippe Saittl*|o (Atrntoe, en JosefiWna Tlie-
reza tas Santo;
Jos Rodrigue, ecm Gailhermina Candida de
Lima
Flor/ano ranelseo Rejos, dsm-leonida France-
lioa da fat f?^
2.* dtonncla*
Amerito Jos dos Santos, com Elida Marques
de Souza Ootitinho.
JWtalano Sones Saraiva, com Pirmina Mara
da.woeci.
H am bi ndA i
30 4s'4Jaaabro ulumo, que Ihedirigiri
a Se/w
inglezQlaiiat
nacional Toca*,injtdeftv
uecaFoslerlandertaboado.
^*\"t
!q.glezaReibreasti pedia.
Barca franeezaJfatirictn varios foner
''''
t'pe
asado'de Arroxelia Galvao,com
datura.
it'Aana, com Maria Isabel
menbros! do tribaaal *tou judieiarlo;
Propo*ao que se esewva aa acta a declara-
flio ejus Ja* o tribunal doi Js serv'icos qne o
x-dwMdo, o Sr..fesi *aaraeli*>da Rosa, pres-
toa Doiejurcieio de um {uoctw, qur iu parte
adiuiulsajvygilrjajaslatsaTTS, maniendo sem-
pre relio dar -t sressar poda ao tri
bQDal' m Mfn ifVffn legisla^o especial
ao commHIi tantoVdbpaa nrovas de hoces -
atoado eiaeir*aa,ai da ajttfcataeeaia qne em-
ns anlare coto todos os tnambros do tribu-
fWW*^rW# v& 3
Fcacirco Xavier Catiteante de Albunatune,
can Anoa C|iila Catal&anw de Alhua,uequ<>.
3.- denuncilo.
Jos ManitKn Oiivsrrs, com Fraujisea Caval-
cante do-Naaeimeni.
aquirn Pereira a'Silta Guiarles, cora'Mi-
rianu Cintra da Suva Aranjo.
Ernesto ChrWpralaoo dadiva, com Anna Jea
quiMdeS.
francisco Peroira delMito, com Maria Tlieolo*
nia dM-Mare?.
Arlsiides Manoel Antonio de Ollvefra Antunes,
com Francisca Ribeiro de Olivara.
Jor Eduardo dos Passs, com Clementlna Ame-
lia'Lnthior.
"Blfseu J3! ContioBo, com Anglica da Silva
Ptvbe.
Vicente Perrelr do HaschUto, com Anglica
Brisids Ramo.
Antonio Francisco das Chagas, com Hermioa
Olympia deporte.
Javiaoo da Azevedo Mello, cura Marianna Joa-
qutoaMe tMranfla.
fiabtiel Arenaejo 'de Asevdo, eom Floriana
Braodelina da Gunga Mo la.
Mannel dos Santos Mello, eom Maria do Carmo
Aranjo.
-LOfElUA.A qne se acha i venda a 178*,
beneficio da igreja de osaa Senbora do Terco, a
qual corre no da 18 do corrente.
PASSAGElim O vapor nacional Tocantins,
irouae os seguintes :
^ Jos Petos Brrelo de Vasconcellos e { criada,
Francisco Ignacio da Corta, Antonio Jos doi San-
toe, Joaqnim Francisco Sarment. Jos Kraoze,
Joao Severiano Ribeiro, irraaa decaridade Lecorre,
FeloTenns Amnelo de Lima, Antonio de Armia,
Andr Teixeira Brasil, Francisco de Paula Rodri-
gues, Laurindo Pereira de Lima, Manol Marqaes
de Camllit, Dr Joi Evaristo da Cruz G^veae
I eriado, Henrique Pereira Maio Vinagre e i ir-
mo), Adolpho Ta'co da Costa Cy*ne, Delflm Fer
reir de Castro, Dr. Hypilito de Atbuquerque Mel-
lo e um criado, jalo Uaptsta de Magalhes, Jos
de Aievedo e Silva, Jos Paulino de Miranda Cor-
rea, FraneK'o Ferjjandes de Lima, Braz Jos Ve-
Iho Lima, Jos de Aranjo Lima e t criados.
Sjguem para o sul :
Sebastio Barbosa, Joaquim Anselmo Rodrigues,
irma do caridade Ferreira, D. Lniza de Aranjo
Ferreira, 1* renent i Anguto Jos de Souza Soa-
res Andrn, engenheiro Augusto Teixeira C)im-
"tfra, engeuheiro Miguel Antonio Lope, Augusto
Rodrigues Ferreira, Alvaro Jos Fernandos de
Mattoi, rjtdetn Cycero Araripe de Alencar Meirel-
les, capital Francisco Antonio de Deus Costa, Dr.
Hypollo do Albnquerque Mello e i escravo,
nal
SWam aiadadea arehiur os ioniaes enviados
peia typograpbianaeiMial, de a. MB 4 999.
Fonua-distribuido os sefaiales'ivrx :
Diario de Maaoel Marti as de Azevedo, dito de
Joe Tavare Pmhfro 4 C, dito e Lnueiro 4
Simia*, dito de ttareeltao Jas&Goooatw da Pon-
te,ito da Ai too i o de Aowrim A C-calador e
diario de Paulino Oaofre Noaea, dHos de Aatonio
Mala de Brlto, ditas de Antonio Pereira de Miran-
da.'ditos de tuilherma Rodrigues Monte Lima, di-
tos de Atcoforado, Vleira & u.
Compareeeu Bartholorneu-Lonreoc/), e presin
o juramento do slame para Ihe ser expedida a
eftt de-registro e seo hiate Drtte eae.
O escrivio Aftwquerqtte retistroa seb n. J149
era 30 de dezembro o protesto 'de letra qae la-
?rara.
O eicrivao 'Mus de-Brito declarou qae osea
protottllo canservira a aeama ameraoao e lata
cooMgoadaa na acta da sessao de M do dito mez.
Foram apreseniados os aeguiates mappas, rela-
tivos ao oJtimo semestes, do movimeata dos trapi-
ches e armazens alfaodegados nelles declarados '.
caes do Apollo os. 61 e 46, ra do Brum, n. 2.
Companhta Peraambueana, armazora alfandegado
n. 18, e armazens nao alfandegados. Conferid
coa o anterior e nao bavendo duvida, archive-se;
tendo se dado nos mappasTetativos aos.armazeos
da Companhia Pernambucana e segrale despa-
cho : Junte procuracao o que asslgnou como
procurador.
DESPACHOS
Requeriraentos :
De Feliciano Jos Gomes, pedindo que eja eli-
minado do numero de seus caixeiros o de noine
Rosendo Torqaato de Almeida, vi3to se ter despe-
dido de sen estabelecimento. Facara-9e as com-
petentes annotacjes.
Damesmo, pedinda que se lhe registre a no-
meajao de sea caixeiro Francisco Jas Gomos.
Sim.
D
ue
o sublime
MfOMPAMniA
_________
'
Abenpoadas lagfrimas
DAS
Messegei Qj^ritemes
;era**eda
^^^^^)o qaal depon
K:
B
e safando a|
Meto
reeommenda
ves de
Na
cas com 6,397 kilos de algodao.
No navio porluguez Seiuittl, pa
carregou : Pereira Lonreiro i
13,201 kilos de atrlo.
No brigue ig\fi Mezerim,
carregaram : AoRm Irraos i
com 300,000 kilos de assucar bn
No palliabole -portuguez
Lisboa carregarain : E. R. Ra
eos com 37,500 os assucar
Oliveira & C. 3fB-coaros seci
3,792 kilos.
Augusta.............
Baronesa de Panseres. .
actualii
RECEBEDORIA DE RENDASMPamS'
GERABff^E PERNAMBJW^
Rendimento do da 1 a 7 10:9121028
dem do da "9
CONSULADO
Rendimento da da 2 a 7
Idea do dia 9 .
D. Isabel M. Candida.
D. Dorothea.
drama,
querendb
facto :
no
le pri
M a
epreseni
qne
aaagaKli, raa do lIMMt, a.
(correan ajaju espera-se dos por-
lor rraf rvotuk, eommandlnte
__lia*Ji
jeguira para Brdeos, tocando em Dakar (Gorfe) e
""lafta^
r condicSes, fretes e passagen3,
i a, ra do Commarclo n. 9.
umh
m
*WI
Maranho.
4:3141592
PROVINCIAL.
. 53:
. 1:
Ama-
apren1izs marinheiros, 4 rcrulis e 9 eservo? a
entregar.
Entrados da Europa no vapor francez
zone:
C. Vietor Grandin, Maria Olivier Masjon, Elisia
Guan, Bernardo Gomes Solero, Birmeo Donato,
Gazzano De-Giovnni, Paulo Gomes d"S Almeida,
Joio Ignacio Nazirelh, Jos Das Ferraz, Salu-
tiano Sjrvalo da Cruz e Manoel Marqaes Ribeiro.
Segaem para o su! :
O' Callanehan, Dr. Antonio Alves da Cruz Car-
valho, Gh. B. Redfem e sua mulher, Cycero Ro
drigues de Oliveira e O Opigez.
LEILAO.Hoje 10 do eorrente effetua o agen
te Pinto o leilao de movis, lotiza, vidros b mais
objeetos existente na casa da Ilh'a dos Rato, n. i
era frentes ponte de Santa Isabel, onde residi o
Etm. Sr. Dr. Portel!, daodo comeco ao leilao as
10 horas em ponto.
CEMITERIO PUBLICO. -Obtnario do dia 4f)e
Janeiro :
Alrixo Castilho Just, branco, Hespanha, 39 an-
uo.-, casado, Santo Antonio ; febre biliosa.
Miguel da Rocha Vasconcellos, branco, Pernam
buco, 74 annos, casado, Boa-vista ; lesao org-
nica,
Maria, osera va, parda, Pernambuco, 23 annos,
Itecife i raqueza congenita.
Raymtaodo Jos, paedo. Pernambuco, 27 annos,
sotleiro, Boa-vista, tubrculos pulmoaares ; boa-
piUl Pedro If,^
Joaquim Caetaao Alberto, pr to, frica, 40 an-
aos, solteiro, Boa-vista, pneumona ; hospital Pe-
dro II.
Tbereza Maria de Jesos, branca, Parahiba, 36
annos; casada, Boa-vista ; coagestao depois do
parto.
Miauel, branco, Pernambuco, 3 mezas, Santo
Antonio; gastro inlerite.
Francisco de Paula Gomes, bramo, Pernambu-
co, 47 annos, viavo, Santo Aotonio; pbtyBica
tuberculo-a.
Pedro Francisco Alves Ferreira, pardo, Per-
nambuco, 59 annos, solteiro, S. Jos ; congeslao
cerebral,
Senhorlnha Maria da Paz, parda, Pernambuco,
32 annos, solteira, Santo Antonio ; tubrculos pul-
moaares.
Antonio Jos de Lemas, branco, Rio Grande do
Sal, 19 annos, solteiro, S. Jos ; febre.

V--
CHRONICAJUDIClJim
rRIBI\%L UO tOMMURtlft
ACTA DA SESSAO ADMBUSTRATiVA DE 5 DE
JANEIRO DE 4871.
asfBWtcrx do xm sa. t?saMABOADoa ajisbuio
'rawiceio renaTri.
As 10 horas da manla, presentes os S:
osante1 ^ShlaBSt tt^w^'&jado
Casimiro Gneles Alftnforado, foi nomeadao Sr.
ftnfl* Laaj saeretarje iatfiftao,. o qcn raaadou-
se eommunicar as Etm, Sr. presidente dapwtla-
oa, e leudo os Srs.'ITlntno Bastos e Guedes Alco-
ferad fueitaftr ajctraasfealb da asirla, para otra-
vm.-a exercicio, jurnnt qae, cora stp-
SiLtlo que.ifaal-
Km. Sr. presidenle abri
aae
Fai' ida e ssMiaata n acta da ses?ao de 29
i -
deteaB%rofdai870,
sxnpiairn.
Oflf ar do Extrt. Sr. conrHieira prasi-
is3, reeeda*do. em eb*er-
vanc i do ministerio da justiga de 10 de
amasfero rvancia do cap.. 14
de -rapoIam-n'o a. 120 de 31 de Janeiro da 1142,
e qae se faga respoasabllisar os carcereiros |ae
deixa 15? i59
do it adoo trtbanal, man-
loo_jrcbivar.
Olwlo'dd Sr. Dr. geeretarle da provrhela, soca-
and nelro presl-
iaate 4a provincia o do offlio de 22
4a proxim n
JMaalo
*ua en-
mmn-
:-.r. .. .- % ava, :*. I) pela
MOVIMENTO DO PfflTrT
Joaqui n D;a3 dos Sautos, pedindo tambem
que se lhe registre -a de seu caixeiro Luiz Deme-
trio Colho.Seja registrada.
De Loareiro A Simdes, apresentande registro
o seu contrato social.Vista ao Sr. desembarga-
dor fiscal.
De Francisco Ferreira Borges, gerente da Com-
panhia Pernambuca, entregando a carta de regis-
tro do vapor Potengi, naufragado na barra de Pe-
nedo.O que assignou a petizo como procara-
dor, jante procurado.
De George Patchett, corrector gersl, -presen-
tando o conhecimenti de ter impoto de sua pro-
fl'sao do exercicio de 1870 a 1871.Sellado-o co-
nheeimento, volte.
De Guimaraes A Luz, submettendo 4 registro a
nomeacao de seas caixeiros Urbano Francisco Du-
rSes e Cantanillo Firmo do Nascimento, e pedindo
que se annote a dos caixeiros Pedro Alexandrino
Carlos Maia e Salnsliano Fran;isco Martms, visto
nao perteneerem mais ao ssu estabelecimento.
Carao requerem.
Dos mesmos, para se lnes certificar se Manoel
Carlos Maia e Jo3 Antonio Carlos Maia foram
inscriptos como seus caixeiros em 1868.Certifi-
que-se.
I*a Miguel Gonealvos da Luz, sabmettenlo
registro a nomeacSo de seu caixeiro Jo3o Fede-
ralino de Santiago e pedindo que so note raargem
do registro fk 135 do tomo 8o livro 3", qne An-
tonio Francisco da Silva Borges nao mais cai-
xeiro do supplicante.Como pede.
Do roesrao, para se lhe dar por certidao do re-
Sstro da3 nomeaeges de ccixeiros se Salusano
axiraino de Lyra ou nao caixeiro ds sea esta-
belecimento raa do Duqne de Caxias n. 69.
Na forma pedida.
De Cruz, Nogucire A C, pediodo qne se proce-
da o registro da nomeaejb de sea caixeiro Joa-
quim Jos da Costa Valente e a liminaoio da qae
derara a Hanoel 9oars Mariz.Como- requerem.
De Amaro Jos "dos Prazeres, pedindo" que se
averbe asua matricula de commerciante no sen-
tido de nao continuar a vender plvora' sendo o
sea gyro commercial, sal, chambo, salitre e canSa
frele.Sim.
De Hermara Ledebonr, submettendo registro
urna procurado bastante de Rab Sjhmettau 4 C.
Registre-se.
Doharo do Livssjsaento e Fr'aneisc Ribeiro
Pinto Guimaraes, ssMi^Kendo registro a escrip-
tara de hypotheca no brigae nacional Galgo.Se-
ja registrado.
SCM BBSPOSTA DO SUPPUCADO
De Jos Alves Baroosa em que pede a saspen-
sao do ageate de leudes Jos Maris Pestaa.
Nao ha qae deferir por ji ter o supplicante pres-
tado flanea.
De agente de leildes Jos Maria Pestaa, sub-
metteado pata ser devidam-nte rogistrrdo o termo
de llanca qae por elle prestara o toaro do Livra-
roento, visto ter-se exonerado de ser sea fiador Jo-
^ Aves Barbosa que o era pala qoantia de 6:O0O
somsote, em razio 4e a&o possair raaie o predio
dado par elle em garanta. Na forma reque-
rida. -
COK JUNTADA DE PROCURACAO BASTASTE.
De Rosa Adoor, para registro da nomeacao de
sen caixeiro Nacnno Rodrigaes de Passo.Como
requer.
CommnQicaeao 4o Sr. Dr. offteial-maior de te-
rem os agentes auxiliares do eemmerclo, qae pa-
gara impost de protisso, apreSeatado 4 registro
o 9 eonheeimanto trora relajo ao 2 seraesire do
anuo flnanceiro, excepto Praaeiseo Antonio Pon-
tual Juaior, que apresentou arabos.OfBcie se a
jaOta da* eorretores e aos agentes de leildes e in-
terpretes para que snbmeltim regie os conba-
cimentos relativos ao semestre.
Replica de Jos Luiz de Sonta, esclarecendo os"j
motivos que hoaveram para eH repboaoM adop-
tar a firma Salgado, Soaza 4 C
Remellara-se os ppetso Cmutrvaor de Qea-
r para que informe tom o qne lhe occorrer acer-
ca do que expande a suanaante en soa replica
de 30 de dezembro prximo passado.
COM PARECER FISCAL.
Requerimento de Antonio Gaaoalves d Costa e-
Garlos Jos Pinto, registro "di* sea ntiaeto s-
eial.Regstrese na forma do decreto h. 4,393.
De Francisco Ribeiro Guirraraese Jac Ao-
tonio da Cunta Guimaraes, distracto social.Se-
ja registrado.
De Jos Lopes lheiro, Antonio Lopes de Aze-
vedo e Manoel de Oliveira Jnior, distracto social
manto ao socio Antonio Lopes de Aievedo.In-
arme a secretaria a respailo ds qae correa com
as pretendes de Jos Fortunato dos Santas Porto,:
Amorim Irmios 4 C. e Silva 4 Carvalho.
De Victorino de Almeida Rtbelloe Jastino Fran-
cisco Junqueira, contracto social. -Registrado nos
termos do decreto a. 4314.
De Barthnloraeu Loareaco, registro de sea hia-
lifl||U te Gnie
I) urdo a despachar, o
Exm. Sr. pres^^^^Krrou a sessao s 11 i/2
horas d ignado a cari
raatr cula do (j^^^^^Bto Joaqaimda Moreira,
Rocha J tiara) da provincia do Cear.
Navios entrados o da 9.
Portos d > oorte9 d ai, vapor nwioail To
caiitinsr de 750 toneladas, cpmnnndante
Jas lli Pirieira PnaTco,* eqoip^m
52 p ssoas, carg i difirenos gneros; a
Aotooio Jote'de 0. Are-edo G.
Bordeaax e portbs intermedios 16 das,
vapor francez Amozone, de 1907 tonela-
das, commaudante Joret Augusta, equipa-
gem 129 carga varios gneros; a Tisset,
Frere.
Liverpool por -Lisboa25 das, sendo do
ultimo porto 17, vapor inglez Gladiator,
de 459 toneladas, commandante S. Wil-
liams, eqaipagem 24, carga fazendas e
outros gneros; a Sawoders Brotbars.
& C.
Aracdty8 dia*. hiate twasileiro Deus te
Guarde, de 96 toneladas, capitSu Anto-
nio de Sonza Gastro, eqoipagem 9, carga
algodao e ootros gneros ; a Bartbolo-
meo Lourenco.
Babia10 dias, patacho bra.sileiro Cassilhas,
de 187 toneladas, capitulo Antonio dos
Santos Valente, eqoipagem 8, carga fa-
riiha da mandioca e ontros gneros ; a
Pereira Carneiro & G.
Navios sahiios no mesmo dia.
Liverpool por Mossor Escuna ingleza
Jehu, capitio Reterson ; em lastro.
MaceiBarca ingleza Jessie, capitao Clark;
em lastro. '
Rio Grande doSul feloRio de Janeiro I
" Patacho braaileiro Leopoldina,, capillo
Francisco Jos Prates, crga a mesma
' que troaxe do Ass.
Rio Grande do Sul Pat-cho bra.sileiro
Sakipuedes, capito Jos Pedro fl'lmai-
da, carga assucar.
AracaiyHiate brasi'eiro Sobraknse, ca-
pito Vicente Farreira da Cista, carga
fajrinba de trigo e outros gneros.
Rio da Prata e po tos intermedios Vapor
francez Amazone, commandante Joret,
carga parte da que trouxe da Europa.
Oburvafib
Suspendeu do lanarSo para o Rio Gran
de do Sal a escuna norte-allemla Catharina,
capito Albers; com a mesma carga que
trouxe do Ass.
Candida
tica
Basilv!
ral.
itnedia em 1 te-
I Peona:
taberna
iar s 8-I(Sitaras.
com 5 ntrate"~
om 6 entrada*
de J' (nos lado^ com 5 entradas
deiras
Geral bbbbbj
Cedeado ao pedido de raaitas,.pessoas qae dse
m\ Ter o tmbalhtt de toa eafiMafcaa, hataMIL
o empezarlo resolvftr xr^#5P$M neste ineatro, pedindo a to nefeesjsria j)roietco
do respeitavel publico. ^7'
FinaJij
to, origina
O
aarotes de 1'
de 8 (na fr
2* (nos lado
era portugue Nova Amizade
navio qae esperado em poneos dias do
'ro, segu cm mnita brevidade para o
e recebe carga a frete : trata-se Com
a> Crot n. 19.
)MPANHIA WSRNAMBGANA
:

iEv
THEATRO
ft*
-Mllfllta HSfMlilii
NO
CAMPO BAS PIIXGEZ48
TECA-PEIRA O DE JANEIRO D 1871
BEHEVICIO 0A PRIMA-DONA
DAS IVS tmhll CASTILLO
do vranteatkt teme da ermpanhia de
Cfavega^o castetrapor vapor
Macei, escalas enedo e Aracaj.
O vapor Mandah, con-
mandante Julio, seguir para
os portes cima no da 14 do
correte as 5 horas da tarde.
Recebe carga at o dia 13,
enccmmendas, passageiros e
nhelro a frete at ae 4 horas da Urde dasa-
nida : no escriptorio do Forte do Mattos n. 11
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
-NavGgapio oo&Btru por vapor
Parabjba, Natal, Maco, Mossor, ArY
caty, Cer', Matfatm, Aearaetj e
Grama.
Dyfr*iran9ma commaBdan-
te Azevedo, seguir para os por-
tos nsima no dia 14 docorrem*
s 5 horas d tarda. Recebe car-
ft at o dia 13, encommenda.'
eiro a frete at as t horas da
a da sanida : escriptorio no Forte de
MARA
Fiuca
O agente Manir
commisso tml*firm*tn i
nedicto do efev HH
Antonio do
ventariante dos bes deixadas pelal
S.K^la5l3lft.1
terrea o. 10 da raa da
em terrebo proprio. sendo ?
cas da divida pnalica de jaro de t aarl
aaao, sacando a colado do dia
ta Wr 13 do llITlH
Enana afrHMdria r^ sMM&a. a, as 11
h xas do dia
pranteado tenar dn\
larzuela
- A&Bda SS^fiL
Promovido cavalheirosam'.te pela Companhia
Lyrca Italiana, qde'se ach nesta capital.
PROGRAMMA.
Prime ira parHe.
Primeiro acto da opera
Lucia de Lime moor
Segunda parte
Segundo acto do-Hulto in maschera
Gran do da opera
La Vestaie
Muito pplandido quartalo do
Rigoleto
Terceira parte
IHlimo acto da celebre opera
IiTrovatore
EDITAES.
CIO.
ALFAND
'de dial a 7 .
do dia 9 .
J1IMI
Perante a cmara municipal d'esta cidade,
estaro em pra^a m dias 7, 9, 10 e 11 do cor-
rente, para serem arrematadas por quera menor
preco offerecre, as segrales obras :
1.*Da constraccio de am arco e atierro na
nova estrada da Capunga, avallado ero ris......
3:08O#000.
2.*Dos reparos do muro do eemiterio publico
de Sann Amaro de Jiboatao, importando em.....
594*000.
3.* Da construecao de ara telheiro para servir
de maladouro da fregaezia do Poco da Panella,
avaliado edi Z:882*.
As pessoas que pretenderem arrematar, com-
parejira no paeo municipal em os referidos dias,
munidos de flacca.
Paco da cmara munieipal do Recif, 4 de Ja-
neiro de 1871. Ignacio Joaquim de Souza Leo,
P. P. Augusto -Genuino e fguetndo, offlcial-
maior serviado de seerelario.
----------------------------------------------------------^- .___________
por esta repartleao se tommnfiia ao Illm.
e Rvm. Sr. vigano collado da fregneiia da\& Mi-
guel de Ipqjuca, padre Firmino los def4guei-
redo, qae nesta dala se remetten flfesoa-
raria de faienda, para the ser entregue depois
de pagos os respectivos dritos, nre ltalo eonce-
deado lhe am auno de Ueenea.
SseraHrta da wesideoea de Pw^ambr\ 56 de
dezembro de 1,870.Artonjo Ajmes Jacome Pires.
'- 0^pecW,^WrdlLntfan'jgTsefai
publico que o leftio de eadarcos annunciado para
o dia 7 de Janeiro, fleofa transferido por nao tet
comparecido licitantes para o da 11 do correle
*et.
AiraadMa de Peraambaco 9 de janstto de 1871.
9 aMbcator ietiviaw,
Luiz de Carwahffaas ajsaJtsjfe.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DI
VaTega^So eostelra por vapor.
Mamangaape.
O vapor naci nal Corurtfo
commandante Silva, seguir
para o porto cima no dia 12
po corrente as seis horas da
tarde.
Recebe carga passageiros.
anconi mandas, e dimieiro a frete at as 2 horas da
tarde do dia da sahfda, no escriptorio do Forte
do Kattts n. 12
Para Lisboa
Recebe carga a frete mdico o palhab, te po-tu-
5uez Pens.imento : a tratar na ra da Vigario n.
, andar.
LEILOES
GRANDE
Inspecjao do arsenal de
marinha.
Faz-se publico que a commisso de peritos exa-
minando na forma determinad* no reguiaaento
annexo ao decreto a. 1924 da $ de fevereiro de
18S1, os cascos, Bsaebinas, caldeiras, apaar
mastreaedes, velames, amarras e. ancoras d'
pares Moleqme e Ganutriifi* da eonipaahia '
lante de reboqne, acUou todas esses objectos. em
estado de poderem m -vapores centinuar ao ser-
vico am qne sa 'empregan
lnspeccio da arsenal de trarinha de Pernambu-
co H da janairo da m
O inspector,
H. A. Barbosa de Almeida.
Subpelegacia da Iregnezia
Boa-vista 9 de Janeiro de 18
A' casa de detencao achn: io*
fagidos Eufrazia. eecrava
Bened:
da
Sabbado 14 de Janeiro'de 1871
O emprerario e propriptario (Teste theatro, acce-
dendo ao pedido dos amantes e frequeniadores des-
tes divertimenlos, resol vea, segando o costnme
das grandes cidades da Europa, e da lieenca coa-
cedida pelo Exm. Sr. Dr. chefe de polica, prin-
cipiar neste dia com os bailes mascarados neste
theatro, o qual nao s.comprehender a sala de
espectculo como o grande sali de 60 palmos de
largo e 47 de fundo qne o mesmo proprietario
acaba de promptificar, bera como o jarriro, o qae
ludo ser i luminado a Jiurno e ornado com lodo
o gosto e primor.
O mesmo theatro tem todas as commodidades
necessarias para os frequentadores, havendo dta
toilette com cstndes para aquellas pessoas qae se
quizerem mascarar, pendarar a suas roupas, ten-
do para esse lim am empregado qae tome conta
de ditos objectos, tem igualmente urna sala com
mesa para aquellas pessoas que estando mascara-
das nao queiram ser conbecidas, tomareai es re-
frescos r u bebidas quo desejarens.
Tocar uos bailes urna banda marcial, a qual
ser eolio cada no camarote da-presidencia afim dej
satisfazer aos pares dancantes dds dois saldes. .
-Paad as farm'lis jju qqizerem frequentar estas,
divertimentos ka camarotes de 2* ordera ao preco
de 16*000 cala un.
As senhoraa qua vieren mascaradas, gratis. "
Senhoras sera mascara 1*009.
Cavatbeiros 2*000.
Ser rigorosamente observado o regularaeate
DE novi:>,
lottcf vid os, crystaes, e dif-
erentes livros, a saber:
Um piano forte, ama mobilia de Jacaranda, 13
quadros com finas gravaras, 1 candelabro, 4 cas-
tices-e mangas, e 4 candieros a gaz.
Urna cama, 1 lavatorio, i guarda-vestido com
espelho, 2 magnificas commodas d Jacaranda, 3
raarquezas, 4 mezinhas, 1 berco, 1 cama de ferro
para menino.
Urna sedretaria, 1 estante envidracada, 1 espe-
lho grande, 8 mappas e dinerentes livros.
Una mesa elstica, 1 guarda louca, 2 apparado-
dores, 12 caueiras, louga para almoyo e jantar,
copos, clices, garrafas, 1 porta lirtr e muitos ou-
tros objectos nerteadentes casa de famMia.
HOJE
No sibrado de. ra do Principe n. 4, em frente aos
coqueiros, e perto da ponte Sete de Setembro.
0 agente Pinto, autorisado per ama pessoa qae
retirou se d'esta provincia, fara leito dos objectos
cima mencionados, existentes no sobrado da
I ha dos Ratos, ra en frente a poma de Santa
Isabel, n; 4, aonde se effectuara o leilo, as 40
horas do dia terca feira 10 do corrente.________
LEILAO
Marca A 20.saceos com UpiocaA d M 35
ditas com mimo
Quarta-feira 11 do corrente.
O agente Pestaa far leilo por conta e risco
de qoem pertencer, de 20 saceos coif tapiocas viu-
dos do Maranho no navio nacional Emilia, e 3i
saceos com railha, vindos da mesma procedencia
no vapor nacional trinos. Todo ser vendida na
qtrart-felra 11 do eorrente, s H horas da ma-
'Dka, no tttpieheBario do Livramento, Forte do
Mattos.
UAI
Mauricio Jos des Sames RsMra
com casa de peabores praca da
n. 33, far leilo, por iaterveacio a i
tins, no dia 10 do eorrente. de
de oaro dados em penbor, eoM
ns. 13 m, 18 m, U9m,2i]*in, 56 f, Sff sa. m
m, 36 C, 18 C, 114 m, 217 m, 13" m, 185 sa, Mt
m, 132 ra, 170 m, 33 C, 187 m, 49 C, 221 sa. M
m, 19 C, 211 m, 9 (; 212 n-., 213 m, 29|-ta, 1 C,
228 m, 233 m 236 m, 237 m, 297 m. 2f| m, 3
in, 251 m, 239 m, 261 m. 26i m, 23 C, 91 C, 3M
m, 281 m, 285 m, 6 C. 108 C, 302 m, W m, 3M
m, 5 a 15 C, 16 a 33 C, 39 II 45 C. WC. C
69 C. 82 C, 70 C, 72 C. I3V. 137,126. kV .
230 B, 176, 78 B. 181. 62, 66. 231 B, 2 t. 17*
93, 156, 173, 306 ti. lil, 193, 380 B, 3* B. m
B, 195, 196, 198.. 200, 201 201, 204, 207, m
211, 129, 387 B, 197, 216, 38f B. ll7?n,
dos e no^pagos, pndaado saos donos
pagar os Juros que esli de vende, ao
lao e vista da eautella.
AVISOS DIVERSOS.
LINGUA
PORTUGUEZA
FR\NCEZ\
PHILOSOPHIA.
GEOGRAPHIA
HISTORIA
RHETORICA E POTICA
Jos Soarea d'zevedo
pr<5fessor de lingua eJittrratnra Dacmatno
Gymnasio Provincial dn Recite,
em sua casa, roa Bella n. 37. corso
iaes de cada .orna das discipi
mencionadas. Os alumnos qne
frequentar qnalquer anla destai, pode* *-
rigir-so indicada residencia, para $a iafar-
marem da hora e eondicSea.
O Dr. Joaquim de Aquino F.nseca voft ao
exerejeio de sua profi-
IMPOBT
r as &,to|raa o leiWaaf as 2 da tar$
f-a'Iberio desne as 8 hM
O agenta
&r. Dr.
Manoel Jos de Albuqoerqoe su, prafaa-
sor particular de Instrn :i".r, pr >v:.-isa
nado pela directora da instrnepb psbiwa, ta-
scieate aos pas do "u* ainmcw c a ajoesii snasi
precisar, que abre a sua sala a 9 do corrate, raa
Direila n. 137 primeiro indar, oade se recaba
trata-se por mdico preco pearlstas.
SBBBlaBllBBBnBlBaaHa'JBnSK^9BSaBaSBBnBH
villa i c-ihm.
O lente Severino Josa dos Ssntos Agniar. Aav
na David de Noves Agniar, Kzeqoiel do* Sa-tW
Agniar, Tbereza de lezus Agaiaa, Pone lana Ptrs-
ra Leite e Maria de Afilar Leite, irnias a anata-
dos agradecen eordialmeote s pessoas sjm aa
dignaram acompanhar ao ultimo jaatga aa raataa
mortaes de sea prezado irmo Fraaostc daa Ssav
tos Agniar ; e de novo os convida para aaatssjr a
missa do stimo dia, qne lar tocar aa
desta villa, pelas 7 horas da naafala da,
felfa 12 do correte.
lula particular em Olind.
0 abaixo assignadi, professor partieaJar
sionado pela direeluria garal da iastraetjio j
ca, da principio aes seas trabalbos lecsh
16 do corrente ; portaalo offereee aaa
pas, tutores, caradores, ele, o atsfatlo de saa
misso para com os seos alumnos. Oa
qae quizerem ntilisar-se de sea traeslbo,
se tadira da ribeira na I* andar 4a
onde funeciona a secretaria 4a
Sutrda nacional: adverbodo, aorn, aja* as am-
amos principiarte as 8 12 horas 4a sasasi a
terrainarao as 2 da tarde.
Joao Francisco Pessoa de Va
mmuiuiJiM
DE
Paquetes a Vapoi
at o ia 10 da dezembro o v:
i Jos I
qnall
! oostume
9ea>jreaeBi-ae'Baasafero8 e eagaja
eatga qae o vapor poder oadatir, a qual de
: i barcada no dia aa sna caegada, eaeom-
naandas e dmheiro a frete al as 2 horas da trde
de ana sabida. I
io se recebera como eoeomnendas seao ob-
ectos de pequeo valor, e que dara a 1
arrobas do peso ou oito palmo de medi-
cn. Tadp que pasear 4estes limites devora ser
embarcado como carga.
. ine -se aos Srs. pasaageiros que soa pas-
se reeabeo ki roa da Cruz a-
^plmeirn Antonio uii
nien*s^*ieSmo4
jakrdt conbercio sobsthate d'asle lermoe eker-
cielo, "far leilo por esft e risco de quen per-
tenlm, porta da alfaoeba d-'esta cidade, gnar-
U-Mrt 4 da Janeiro proxaso amdonm. das 10 ho-
ras do dia em diante, de 169 saceos de airot pi-
lallao Arias < Wh, 14 birrls le ajatrio,
pertencentes aos salvados da barca norualf ense
atafagada i pfaia de Gaissra, e ten
assfm Mfj-telra 18 no mesmo mez e hora ja
"a lodo q restado carrega-
IfcftadM, ConsWndo de um
versas mercaderas, como
as, leaas brinzaes, chapees, mindzas
ro de lastro, biierro
oirs
ealungas, papfl pollona para cadeirat,
cadeiras de panlabas de derm: idos
cabos de linho de todas as
enebra de differentes qualidaaes, vboo engarra-
lazeos da alfandega
se. nos dias annunciados
para os tertaos
sUi
I
como
Pergimti-se
a companhia do Cambronne se lea ana
taboas a um empregado da mema i
ora na rna Imperial.
_______O in penal mirialiaire.
Casa paro tingar
Aluga-se ana casa com connodos aara Bsasa*
lia em ana das principa roas 4o Puco da Pa-
nella', prximo do rio Capibaribe e coaa taa eaat
eaxtoma de agua de beber ; a tratar aa roa 4a
Palman. Si.____________________________^^^
Em frente da eslacio do ArrosBlno,
qnand nm imprudeite bolieiro arrojoo
carro sobre o povo que abi aessarav aglsv
merado\ pardan-ae um leqos de saaaiaio d
rhq senhora qne nesta occaso f
por trra ; e como crtwta qae a I
nao encontrara a dona pan bm
ser entregue, roga-se que o vi enlregirao
escriptoriodeste Diario ao Sr. Ferreira.
rudoimp^Hp
ns. 9 e 11.
Estabelecimento de carros fu-
n
Agr & C
blico em ger
eonlinaar
grande
cofre
Aqmno roi
sWmei

"m, *#**
' BBJM


^m
'"
**** idfi^ft.j
tiri d Prktboo ^ Ten* fofa a* Jaieirb de 11
J SUL1X
_. ?!0PA!,J,.;5) ~_
Dirigido pelo Dr.
SANTOS MELLO
Os habitante do interior podera-no
consultar por eseriptq, no que seria sa-
bsfeitos coa) promptidao.
Presta-se tamben a chamados para o
interior, proco mdico.
Consulta, no consultorio das 10 horas
so afio da.
Chamados, qualquer hora.
Am pobre* grata.. ]
43Ra do Bario da Victoria43 I
(Antiga roa Nova).
*0
O salao de pianos e de
msicas
aaudou-se da ra Nova n. 58, i* andar, paria
roa da
Imperatriz n. 14, laja,
onde contina recommendando-se ao Illm. pu-
blico.
___________________G. Werthelmer._________
AOS 5:000^000
Eslao venda os felizes bilhetes da lotera da
Baha, na casa feliz do arco da Cooceico, loja de
uurives no Recife.___________________________
Fundidlo da Aurora.
Neste esiabeietimento se vendem taixas de ferro
batido nuil bem construidas do que as que vem
de fora a 140 rs. a Kbra ; sortimento completo.
Ensino em casas particu-
lares.
Aos senhores pas de farailis econmicos
dos dirigimos.
Lecciona-se pessoas de ambos os sexos as
seguintes materias : lingua nacional, francez, la-
tim e geographia, todos os dias uteis, excepto as
quintas-feiras. Garantem-se as habilitares, me-
modo facilimo, adiantamento rpido, e mnita assl-
duidade. Os profesores sao dous mocos qne es-
tudam nesta praca e rauito conbecidos : a tratar
na ra da Cadeia do Recife n. 21, ou nesta lypo-
grapbia, devendo os pretendentes deixarem seus
nomes e morada, Isto das 8 horas s 4 da tarde.
Precisa-se
de um muleqae de lia 16 a anos para todo o ser
vi$j de urna casa : na ra da Impera dor n. 32
oo Eslaminet.
*c.
CHAPEOS DE SOL
DA
lattaUat
Mil
ondo I
Ra do Barao da Victoria, esquina da CamDa, de Carmo, n. 23 (Antiga Ra Nova")
Temos honra de participar a nossos numerosos freguezes que com a cbegada de um des socios da Europa, suprio-se a-
casa com um completo sortimento de cbapoide sol do todas as qoalidades como tambem, de todos es materiaes para o mesmos
fabrico, como sejam armares de todas as qualidades, sedas, mirins, alpacas e pannos, assim como de especial cotbiltria, armas
para caca, cbombeiros polvaranos. Os chapeos de sol terio abamento de 12. II e 26 por cento, comprando i dinbeiro.
ATTENCAG
Para evitar quesiocs se faz publico que os es
cravos Honorato, cabra, Mara, crioula, Amador,
crioulo, Cincinalo, cabra, Romo, cabra, Severino,
Angola, Benedicto, Angola, e Olimpia, crioula, to-
dos pertencentes Jos Luis* de Siqueira Caval
canli Jnior, ora residente com seu sogro Manoel
Ignacio de Siqueira Cavalcaotl no engenho Santa
Cruz de Barreiros, se acham vendidos por urna
escriptura de hypotheca de triplicado valor, ven
rida segundo suas clausulas, como tudo se pode
ver da dita escriptura lavrada no cartorio do ta-
helltao Alnn'ida em data de 12 de abril de 1865.
Sumio-se da campia do Chacn, no dia 2 do
c trente mez um cavallo alasao escuro, puxaudo a
cabocolo, com um ferro no qoarto direilo, bom de
carraca : qoem o achar ou delle der noticia ser
pago generosamente, levando casa de seu dono
ra da Casa Forte, Bento Jos Domingues, e no
Recife ra do Rosarlo, hotel do Peiro.
UVA PURA
O Campos da ra do Imperador n. 28, de volla
de sua viagem Portugal, escolheu all um viho
que se denomina VI.NHO DA BA1RRADA, proprio
para a estacao calmosa que estamos atravessando,
e para que chegue a TODOS tem resolvido ven-
de-lo a 500 rs. a garrafa, nesrno porque nao
multo difcil beber do tal nctar, urna ou duas
garrafas, naos pela sua barateza como pela sua-
viade de enguli-lo.
tttt0$ & $&&&&$&&$
ESCOLA PARTICULAR.
8.------Pateo do Paraiso.-
Anna Senhorinha Monteiro Pessda.
Materias de ensino.TJodas as que com-
prehendem a iostrucrao primaria.To-
es trabalhos de agulha, inclusive bordado
de ouro.Flores etc.
Preco do ensino.. 53000.
Tambem recebem-se alumnas internas. ^|
f^al* ^laf v^w' >^aat' ^^h* ^aW *^IW Nk^ >rfW N^htf">^fcMf -^nw ^^a/
AMA
Precisa-se de urna ama que cozinhe com per-
feigo e que tambem saiba engommar : a tratar
n i rnaTIova, casa n. 22.___________________
Ama.
Precisa-se de urna ama para cozinhar: na ra
da Imperatriz n. 58, loja.
Precisa-se de um Portuguez para feitor de
engenho : no pateo das Cineo Pontas n. 130.
AMA
Precisa-se de urna ama para o servico de por-
tas para dentro, que eaiba cosinhar e engommar :
na ra Bella n. i.___________________________
Agencia em Pernambuco
Do Dr. Ayer
Feitoral de Cereja
Cura a phthysica e todas as molestias do peito
Salsa parrllha
Gura ulceras e chagas antigs, impigens e dar-
tro?.
Tonteo
Conserva e limpa os cabellos.
Plalas catharilca*.
Puramente vegetaes sera mercurio ; cura se
oes, purgao e purificam todo o systema humano.
Vende-se eftectivamente em casa de Samuel P.
Johnston 4 C. ra da Senzalla Nova n. 42.
Na praca da Independencia a. 33 se da di-
nheiro sobre penhores de ouro, prata e pedrai
wedosas, seja qual for a quantia; e na mesmj
atase compra e vende objectos de ouro e prata
igualmente se faz toda e qualquer obra de en
sommenda, e todo e qualquer concert tendent*
* raesma arte
Ensino de preparatorios, segt
o novo programma para ex^
Peu; a coropUenleraenie provisiounU
p*la directora geral da ln>trucc,s
Mica, contina a leecionar as sciencias
preparatorias, inclusive a liagua nacional,
dai 8 oras da mashaa as 2 da tarde, na
iravetsa da rna Bella n. 10.
Aula porticular de prinieiras
letras,
Ana Theodora SimOee, autorisada pelo Kxm.
Sr. presidente da provincia ao magisterio prima-
rio identifica acw senhores pais de snas alnmnas e
ao respeitavel publico que se achara abena sua
anla particular de instracclo primaria no dia 9
do eorrente na raa Travesa dos Expostot, easa
n. 16, 2* andar, onde espera saiisfazer os senhores
pais de familias, qne Ihe conarem snas Qlhas,
tanto as materias que constituem a sobrediu ins-
truecio, como tambem en msica vocal, e no que
for concernente as habilidades de agulha.

^PF
Este antigo estabelecimento, acha-se hoje montado n'uma
escala de poder servir vantajosamente os seus freguezes, atten-
to o grande sortimento de joias d'ouro, prata e brilhantes, que
sempre tem e recebem mensalmente das principaes fabricas da
Europa- cujos pre de lei.
MOREIRA IIUARTE MANUEL & C. .
Tem a satisfazlo de participar aos seas numerosos freguezes, que em vista de ser-Ibes mais commodo, tem iS,
estabelecido ama nova fabrica de chapeos de sol, na roa da Cadeia do Recife o. 9, be je roa do Mrquez de Olinda, ||
onde acharao os pretendentes, muilo avultado sortimento de cbapos de sol de todos os presos, qoalidades e por pre- &
eos mas commodos do que comporta o nosso mercado : convidam especialmente aos Srs. compradores por atacado a
darem, sendo possivel suas encommendas, pois poderlo assim serem mais bem servidos, visto poderem escolber as ar-
mac8es as fazendas que a demora da fabricarlo bem diminuta,
*TgMBHmr'~"
41 MA do barao DA VICTORIA 41
Neste novo armazem tem am
variado sortimento de fazendas
francezas, inglezas, allemaas e to-
das todas se vendem por precos
mdicos, afim de acreditar a este
novo armazem.
Casemiras inglezas,
francezas, de todas as
qualidades, brins de
cores e brancos, colei-
rii.hos modernos, cba-
pos de sol de seda,
finos.
RA
toario da victoria
antiga rna
DE
ARMDA IRMiOS.
NOVA
N. 41.
Assim como tem ama -grande
officina de alfaiate, montada com
todos os preparas que ha de melbor,
dirigida por habis artistas, que
pela sua promptidao e prfeic3o
nada deixam a desejar.
Roupa de todos os
amanhos para horaens
meninos.
Por todos os paque
tes recebem-se a me-
lbores e mais moder-
[ as casemiras qne ha
na Europa.
RA
/ *
BarSo da^vlctor la
antiga ra
NOVA
N. 41.
Este estabelecimento acaba de soffrer ama reforma radical em acceio, artistas e commodos, e em pontoalidade as encom-
mendas, finalmente em todo afim de melbor servir os seas numerosos freguezes deixa-se de annoncr todas as fazendas, para
oo se tornar massante
i O Sr. Miguel Candido de Medeiros
Pinto rogado a vir a esta typographia.
Manoel da Silva Bastos, sua mulber B. Joaquina
O. da S. Bastos e seus lilhos agradecem quelles
^ s que se prestando a acompanbar
ao ce iblico o cadver de seu mui prtza-
do fi da Silva Bastos; e de novo
rogjm-il o obsequio de assistirem as
rio logar no dia 13
a, as rejas
o capella da povi;io de
dos.
Na travessa da na
Crozes b, 2, pri-
meire andar, da-sc di-
nheiro sobre penhores
de ovo, prata e brilhan-
tes, seja pal for a qnan-
tia. Na mesma easa con-
pran-se os mesmos me-
taes e pedras.
AMA
* Precisa-se de nma ama para cozinhar : a tratar
na ra dos Guararapes n. 2, ou do Barao da Vic-
tona n. Si, loja, _______
PRECISA-SE
de um menino brasileiro, de 13 a 14 annoe' de
idade, qne teaha on nio pratica de taberna : na
roa dos Peacadoree n. 43. ________________
Franciio da Silva Yaa e Joaqafan de Sou
Lima fazem sdente ao respeitavel publico e com
especialidade ao corpo do commercio qne em 19
de deiembro prximo findo disaolveram amiga-
velmenle a sociedade qne tinham no estabeleci-
-meato de mclbados, sito rna do Brum n. 65, sob
a firma social de vai & Lima, fleando a careo do
socio Lima o activo e pasaivo ,da referida rma,
e o socio Vaz pago e satitfeito de todos os seas
eapitaes e lacros. .
Goimarles A Luz pedem aos seos devedo-
res, qne teem contas, de mais de anno, venham
ou mandem loge paga-las al o fim de marco oo,
corrate anno ; pois que findo o praso indicado
serio chamados a juiro para judicialmente salda-
rem os seus dbitos.
Recife, 3 de Janeiro de 1871.
Sara coser e engom-
milia : a tratar na
Precisase de ama ama
mar em urna casa de pouca
ra Velba n. 8. Prefere-se a que more (Ora.
Wmm-mmmmmm
A directora do Monte Pi Portoguez
manda celebrar urna missa do stimo dia
na ordem terceira do Carmo, quarta-fei*
1 ra H do eorrente mez de Janeiro, pelas
6 1|2 horas da nunba, por alma do fi-
nado socio Jos Domingues Pereira, e
convida aos pareotcs e amigos do fallecido
a assistirem a este acto de arldade.
A viuva Castilho nao podendo pessoalmente ir
agradecer as pessoas que Ihe favorecen era seu
beneOcio em consequencia de sen estado de sau-
de, ir em sua aaseneia sua irma D. Luiza Las
tiUayne, agradecer cordialmente esse valioso ca-
valheirismo daqaelles qae se dignam honrar esse
acto de phiianlropia. .
Precisa-se de nasa ama para comprar e co
zinbar para casa, de pouc familia : na raa do
Dnqne de Casias, outr'ora raa do Queimado n. 25.
Os abaixo assignados declarara a quem in-
teresar possa, terem dissolvido amigavelmente a
sociedade qne tinham na refinaeao da rna da
i Senzala-nova n. i, e que gyrava sob a firma de
Siqueira & Borge, fleando o activo e passivo da
' referida Arma a carga do socio Jos Antonio da
Costa Siqueira, e o socio Borges exonerado de
todos os eompromissos, pago e satisfeito de seu ca-
1 pital e lucros. Recite 1 de Janeiro de 1871.
Antonio Jos Borges Costa.
I Jos Antonio Costa Si^neira.
Na padaria francesa, em Santo Amar, raa
;do Liman. 2, preiisa-se alagar um moleque de
110 a 48 anuos,
O baeharel Manoel Barbosa de Aranjo
continua a receber na casa de sua resi-
dencia, rna da Saudade n. 35, alumnos
pensionistas, meio pensionistas e externos
*** ** m*w**m
Car espondencia de Por-
tugal.
Nao se entregou em lempo, como de co stnme
por ter vindo em mi de um senbor passageiro
os senhores assignantes qne anda nao receberam
podem mandar no lagar do eostame ; e anda ha
algumas para venda avotse.
Sociedade Beneflcente Dezesete
de Janeiro.
Nio se tendo reunido domingo prximo passa-
do numero sufflciente de socios para se proceder
as novas elelc3es, como estava annunciado ; orde-
noa-me, portanto, o Illm. Sr. presidente, qne, ten
do em vista o qae prescreve o artigo 26 dos esta-
tutos, convidase de novo pelo presente aos senho-
res socios para o mesmo fim, quinta-felra 12 do
eorrente, as 6 horas da tarde, no 2* andar do pre-
dio n. 39, sito ra do Marqnez de Olinda, ontr'e-
ra da Cadeia.
Por ordem tambem do IHm. Sr. presidente de-
claro fue a assembla geral iulgar-se-ha consti-
tuida e funecionar as horas do referido dia, com
o numero de socios qae compareoerem.
Secretaria da assembla geral da sociedade Be-
neflcente Dezesete de Janeiro-9 de jaoeire de 1871
O Io secretario,
Chryslito Ferreira de Castro Chaves.
Uozinheiro e enKommadeir a
Na estrada da Poete de cha, sitio de Jos
Duarte das Neves, precisa-se de um cozinheiro e
nma engommadeira, paga-se bem agradando.
Ama
Precisa-se de urna ama que cozinhe com per-
feicae para casa de pouca familia : na ra da PC-
nha n. 8.___________________________________
Precisa-se de urna ama ou moleque, prefe-
rindo-ae escravo : aa roa do Bario do Triumpho
n. 8i,2 ai.dar
OSADA
Arua^^^Bfl
m
O abaixo assignado, tta
^H------------------------
quartot a. 2605 com MKUOOO, n^ ,.u>a.MM
coa 100*000, quatro urtM & 1U0 tm MM
se acaboo de extraa? (177*), j
dores a virem recebar n ~
turne tem deecoale abjoa.
Acham-se i veaa oa HMaf ptal
2.* parta daa imafia. a aeaMcae da
Nossa Senbora do Terco 17S.'), qae M
qulnu-feira 12 do eorreate awx.
MOFINA
Rogase ao Ifirn. Sr. Ignacio V.eira de Mello, .
crivio na cidade'de Nazareth deeta provincia,
favor de vir a roa do Imperador n. 18 a concluir
aqoelle negocio qae V. S. se eompromettea reali-
sar, pela terceira chamada deste Jornal, em fin*
de dezembro prximo pa&sado, e depois para Ja-
neiro, passou a Cevereiro e abril, e nada curoprio
e por este motivo de novo chamado para dte
flra ; pois V. S. se deve lembrar que este negocie
de mais de oito annos, e quando o senbor sen
fllho se acbava no estndo nesta cidade._________
Alnga-se a loja n. 55 da roa de Agoas-verdes
(hoje Lomas Valentinas) de 18* mensaes : para
ver, a chave est na casa de junto, e para tratar
na thesonrana das loteras.___________________
Lava-se e engomma-se com perfeicjio roupa
de senhoras e de horneas :. na roa do Livramento
n. 23, Ia andar.
Quiiho
Tem paciencia, o novo anno te tem sido desfa-
voravel, consola-te, nio te importes, deixa fallar,
olba a pequea, qner-te de bem, s bonitinbo, l
moreninno, lens intelligencia, embora esteja por
acora engarrafada, o qne queres mais ? Peco-te
3e nio te enfurques nem te botes a afogar, se o
seres apega-te ao leme do navio Antonio.
O peloto Eduardo.
. ConiramestreSoares.
~ Vende-se ou permuta-se por casas no Reci-
fe oa em Olinda um sitio com grande casa de pe-
dra e cal ao p da estrada de Boa-viagem com as
vantagens seguintes : um vlveiro e commodidade
para fazer-se mais seis e todos de bom tamanho,
urna grande salina.mntas e boas trras para plan-
taiSes, proporcSes para criar-se 20 at 30 rezes,
tem ser necessario oceupar o terreno destinado
plantacao, 300 ps de coqueiros e grande numero
de fructeiras de diversas qualidades : quem pre-
tender dirja-sei Olinda na praia dos Milagrea, a
tratar com Isabel Faancisca dos Santos.
As aulas
m do collegio da Conceicao esurao abortas
5 de 9 do eorrente em diante.
saiKnittMttffi Kimal
Atten$lo
Na roa estreita do Rosario n. 33 preparam se
bandeijas de bolos para bailes, estamentos e bap-
tlsados, fazem se bouquetes para noivas, de muito
Soto, e para qualquer offerla, fazem-se doces Anos
e semedo e de ovo para presentes, padins, bo-
los e pies-de lo enfetados, flores de todas as qua-
lidades, capellas e ramos para enhoras e meni-
nas, enfeitam-se* velas com iodo gosto para bap-
tisados.
Au belsexe
COLD CREAM OF ROSES.
Ceite Creme delicense, aniversellement rpan-
dae en Angletejre, o les femmes sent si renom-
mes par la beaut et la transparence de lenr
teint, doit sa rputation aux lments balsamiqnes
el onctueux qui la composent, ainsi qa' sa cons-
tante efflcacii pour adeucir la peau, la rendre
plus blanche, et contriboer ainsi la sanie et a la
beaut, qui, toujours, sont inseparables.
On la recommaede centre les irritations de
I piderme, telles que Boutons, mtroEs, Ta-
CHBS DI ROUSSKUR, ROUGEVRS OH LA FlCDRB, et
contre les taches Epatbiques et les .Eftlorkscen-
cbs. Celte Crme eonvient spcialement aux fem-
mes encentes pour prevenir LE MASQUE, auquel
-lies sont sujettes.On s'en sert encor pour em-
pcher la figure de se bler par le froid oa la trop
grande chaleur.
Prix 1:500 res
Sel dept au magasin Basar de la Mode50
ftue do Barao da Victoria.
Gasa de campo
Alaga se a doBaiao deOuricury na Passagem
da Magdakna, simada.a margem do rio Capibari-
be : a tratar n > largo do Corpo Santo n. 19.
lustrucqSo primarift.
Escola particular do sexo femenino.
Anna de Q-ieiri z e Albuquerque scientiflea aos
pais de suas alurunas que do dia 9 do eorrente
mez de Janeiro em diante estar aberta a sua es-
cola na ra Marrillo Dias n. 129, 2* andar, onde
contina dsposicao daqaelles senhores que a
quizerem honrar com a sua cooflanca, entregan-
do Ihe suas tilhas para o referido ensino. Habi-
litada pela directora geral da instruccao publica
em cunsequeucia do sea exame, e animada pelo
continuado esto lo que ba feito e pratica adqueri-
da ; tudo Isto eflorece ella como garanta, e bem
assim a mais devotada dedicacio e esforcos no
fiel desempenho de seus deveres. ^^^^
Lava-se e engomroa-se roupa de homem por
preco cemmodo : na roa do Coto vello n. 6.
Precisa-se de um homem de reconhecida ca
pacidade, que saiba 1er, escrever, e entenda de
Iralamento de capm e gado, e que queira admi-
nistrar am sitio perto desta praca : quem estiver
nestas circunstancias (sendo solteiro melbor), dan
do garanta de sua conducta, appareca na roa do
Queimado, 1* andar por cima da loja do Lavra.
Perguntas innocentes.
Pergunta-se ao Retchild des marchantes o se-
grate :
Poder o Sr. Rotchild comprar carne i 8000*
por arroba, e vender 61, 51,42 e 3i sem pre-
judiear os seus crederes ?
Poderlo os couros que o Sr. tira indemnisar a
baixa, qne d no preco da carne ?
3
Sabe V. S. qual a ciaseifieaeio qae tem o nego-
ciante que compra por oito e rende por seis, pre-
co inferior ao da praca, e falla depois aos seos
pagamentos t
Os seus credores saberao deste sen modo de
negociar I
Ser licito um millonario farlar-se ao paga-
mento de seas dbitos, allegando prescripcio
credores incautos f
6
Nio Ihe aproveitou a, licao, que Ihe deu o galo
montez ?
Alerta I fazendeiros, Rotchild tem inteccoes sl-
nstras I
Alerta I Fuiam da bancarrota I ^___^_
Francelino Doningaes da Silva' e seus fllhos
menores convidam a lodos os seas prenles e ami-
gos para assistirem algumas missns c\as mandara
dizer pela alma do sua seropro chorada esposa e
raii'D. Anna Argcnirade Oliveira e Silva, quarta-
feira, 11 do eorrente mez, pelas 7 horas da ma-
nilla, na igreja motriz da~Boa-vista, primeiro an-
niversario do seu fallecimento, e agradecen) desde
a todos que assistirem esto acto de caridade e
religj ^^^^
BUheU iataar*
Meio b meta
Qnarto
Em porcio de 100#(* para
BjINtUMiiw
Qoarto
U
collegio do Carafia m Jo-
zaa, raa da loiaerairts m. 9
Josephiaa Banviada 4a Caaaa
sciente aos pais de toaa aeaaaaa
las deste collegio no dia II do i
Aula particular de instrnrr^ko
primaria.
Manoel de Soma Coreiro
filma, senhores pais de seas aln
9 do eorrente se achara aberta i aa
ma easa n. 15 e roa Travesea aoa
oitao da matriz de Sanio Aatoaio :
ao respeiuvel publico qae zdaioe
nos e internos, pensioaiilas a
enjo honorario ser por meaoa do
qualquer esubeleeimento ; qne
ensino de masiea aos qae desta ana
ulisar, e dos radimentoo da liagna
qne poderem aceomnla-lo. O
prega na direccio Je soa aula
no eonbecimenlo do respeitavel
tem merecido o melbor
Salta vita a
americana rna doa Prea a. 50, coactoa a
pi e bolacha de faraba especial de ff
melhor agradar a seas fregata.
Nio ha anata cabellas
Tiniuri japooe a.
S e nica approvada pelas as aeaaVitoa aa
sciencia, reconhecida soperior a loaa aat srai ap-
parecido at hoje. Deposito priadpal i raa da
3adeia do Recife n. 51, Ia andar, em tita aa ba-
tirs e casa de eabelleireiro.
Collegio d Sania tolla
Para educaclo de menioas, estabelecido u
roa Formosa.
A directora deste collegio, abaixo as^gaada, faz
scieote nio s aoa pais de >nas alonuas caaa
aos de mais que quizerem cocliar-lbe a eJaeafas
de snas filbas, que ao dia 9 do corrala coa
os trabalhos deste estabelecimento, ao qual |
sina com asseio e peifeica a ler, esen-ver,
nacional, francez, arylhmetica, svateaia aaatraw,
geographia, msica vocal, piano, danca e descaae,
por professores competentemente habilitados. A
directora nao julga mais necessario aQaaear aaa
pais de snas alumnaa e ao publico ea geni a aa-
dicijao, relio e inleresse qne lema pela edoeacia
e ensino de suas alnmnas, porque casia o toaa
espaco de 11 annos em qae tem sabido maater o
bom nome e crdito deste esubeleeimento ; agra-
decendo em extremo a eonOaoea com qae a boa-
rara os senhores pais de familias, ei aliando lbe a
educacio de snas innocentes flihai. Boa-vaia 3
de Janeiro de 18*1.
Urania Alexandrina da Barro?,
_____________________Directora.____________
Casa no Monteiro
Aluga-se ama casa no Monteiro, p> rtodo Xis-
to, baixa do no : a tratar na roa Primevo da
Marco, antiga ra do Crespo o. 17, loja. _______
- CASA 110 MI
Rna do Barao da
Victoria n. 63
( Outr'ora ra Nova. )
Bilhetes garantidos da pro-
vincia.
0 abaixo assignado acaba de vender entre oa
seas muito felizes bilhetes a sor te de 9004000 em
um meio de n. 2217 e a de 400* em um qoarto
de n. 2605, a sor te de 200* em nm bilbete inteiro
de n. 166 e nm quarto de n. 1986 com a aorta de
100, alem de outros premios menores da lotera
(177) qne se acaboa de extrahir, podendo atoa
possuidores virem receber, qae prompumente
serio pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respei-
tavel publieo para virem no sea estabelecimento
comprar os felizes bilhetes garantidos, que nao
deixarde tirar qualquer premio como prova pelea
mesmos annuncios.
Aeham-se venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da 2a parte da lotera em beneficio da
igreja de N. S. do Terco (178) que ser extrahida
quinta-feira 12 de Janeiro eorrente.
PRISCOS.
Inteiro 6*000]
Meio 3*000
Qoarto 1*500
De 100)5000 para cima.
Inteiro 5*400
Meio 2*700
Quarto 1*350
Joio Joaqnim da Costa Leite.
Ama
Precisa-se de nma ama para todo o servico de
nma casa de pequea familia : a tratar na roa daa
Flores n. 37, andar.
IMbMHb MbIbWbbM
DE
Santa Genoveva.
A
Ra' do Hospicio jcasas na. 22 23
24.
Antonio Marques 'Amonta avia*
s pessoas quem possa interessar
que as aulas d'este estabelectnenlo
abrir-se-bio segunda feira 9 do cor-
rete. O maior desvello pela edaca-
cio moral e iotellectoal de seos
alomaos promeUido por sea di-
rector, coadiuvado por professores
1 de reconhecido mrito e probidade.
mmmMmwMMMwmmw:
Attenpto.
Na ra eslreita do Rosario n. 35 prepara-se al-
moco, jantr e cela para calxeiros e estudantes, e
qualquer pessoa que queira tudo con asseio e
preco commodo.

i
Aos"Srs. eapitaes de campo, pree^sa-se tallar
negocio de seas interesses: na ma dan Crnzes
n. 2, primeiro andar, das 10 horas do manhia a 2
da tarda___________________________________
SSo rogados a comparecer i casa, de
Alfredo & Barbosa Jnior, os Srt. abaixo
a negocio -pue nio podemfgnorar :
Francisco Marques da 'Fonceca Pitia.'
Gamelleira.
Joaqoim Cavalcan de Albaquerque.--
Engenho Canoa-Grande.'
Austricliano Scrates de Moara Poggi.
Barreiros.
Huliodoro Ajcacio RangelGsmelleua.
Precisa-se de ama ama para o inter-
no do urna casa de familia, e qae saia ra sendo
preciso : na ra da Palma a. 80.


J
i
, i

hmhhi

Hiri de Pen
A o arntaxena do Va-
. por Francs, roa
do Bario da victo-
ria (ontr'ora ra
Nora) 0. 9.
armazem de Va-
r ranee*, roa
o Bario da Victo-
ria oatr'ora ra
Xova) n. V.
Perfumaras, quinquilharias e brinquedos
para meninos.
Este MUbelecimeolo acaba de reeeber pelos altimos vapores e navios de vella ehegados da
Europa todas as sou encommeodas do grande sortimento de fesla, eflorece ao publico em geral, por
oreos resumidos o maii possivel, os artigos segrales:
CALCADO
Botinas para senhorasduraque branco, preto
e de outras maltas cores eseoihidas do ultimo gos-
to da moda.
Botinas para meninas igual sortimento.
Sapatinhos de salto para senhoraduraque pre-
to, branco e de cores, e de couro de lastro.
Botina** para criancas, proprias de baplisa-
dos.
Botinas de diversas qualidades para hornera.
Botas msslanas para montara, tanto inglezas
de conro da Bossia para vlagem, como francezas
de Melier, bezerro fino, para passeios.
Meias peraeiras para meamos de 10 a 16 an-
uos.
Sapatos de brim branco para homens.
Sapatos de vaqaeu de lustro com sola de ma-
deira, proprios para baaos.
Sapatos de borracha para horneas e senhoras.'
Sapatos abotinados, de differentes modelos, mal-
lo boas e fortes para meninos e meninas.
Sapatos de tapete, avelludados, Charlot, casi-
mira preta, de tranca portuguezes, para bomens,
senhoras e meninas.
Perfumaras.
Extractos finos, banhas, cosmticos, -leos, opia-
tas, aguas de Cologne em garrafas de crystal para
presentes, agua divina, agua florida, dentfrica la
vande, agua de toilet, tintara para barba e cabel-
los, nmada hongroise para bigodes, pos de arroz
e saboneles, todo isto de primeira qoalidade, dos
fabricantes Coudray, Piver e Labio.
Quinquilharias
Lavas de pellica braceasJoavio.
Espelhos grandes dourados para salas, qaarlos
gabinetes.
Leques para senhoras e meninas.
Joias de oaro, brincos, transelins, pulseiras,
ootdes de panbos, de abertura, carretiles e chaves
de ralogio, tudo de onro bom de lei.
Brincos de plaqu imitacao de oaro.
Correales para relogio.
Abctoadaras para colletes e para punhos.
Albuns de velludo e marroquira para retratos.
Mammadeiras de /idro para enancas.
Gaixlnhas de costara, novos modelos com m-
sica, proprias para presentes.
Quadrinhos dourados para retratos.
Toncas e sapatinhos de lia para criancas.
Capellas para noivas e para pastoras de pre-
sepios
Caixinhas com vidros de augmeito para ver-
te em poeto grande a photographia dos retratos.
Pos de vidro para pianos.
Thesourinhas para eos ara e unhas.
Bolcinhas de seda e de veludo.
Cestinhas para braco de meninas.
Balaios para costura.
Cesas d'arame pratiado para frats e pao a
mesa.
Bicos arligos de pbantasia necessarlos para toi-
Ihetes e proprios de presentes.
Jarros e boaqaets de porcelana para santua-
rios.
Registros de papel fino mai delicados.
Qnadros promptos para collocar visus.
Moldaras doaradas para qnatros.
Estampas de bellas paysagens de cidades, de
figuras e de santos.
Espadadores de penas e de palha.
Carteiras para notas e para dinheiro.
Caixinha de msica de dar se corda.
Ponteiras de espuma para cigarros e charutos
Grvalas de seda pretas e de cores.
Bengalas de cana com castoes de marfim.
Ditas de baleia, janeo e de maitas quahdades.
Pentes Qnos de marfim para caspas.
Escovas para facto, para cabello e para dente?.
Lunetas ou penclnez de prata dourada.
Ditos de tartaruga e de ac.
Oculos de prata dourada e de ac.
Reverbero transparente para candieiros.
Dit03 para laniernas de pianos.
Cotos econmicos para relias de spermacete.
Cordas para violo.
Porl-pratos para mesa.
Caixinhas de diversos modelos e procos.
bjeclos novos de mgicas o melhor possivel,
para divertir meninos.
Malas, saceos e boleas para viagens.
Estbjos de viagens, completos com navalhas.
Esporas de metal branco para saltos.
Chicotes fortes com martello para viagem.
Ditos de muitos modelos, de junco e de baleias.
Luvas de fio de Escocia brancas, e de cores.
Ditas de camurca amarellas.
Machinas para lazer caf.
Globos de papel de cores para illuminacSes de
feslas campestres.
BalSes de cores, de subir ao ar -fcilmente.
Jogos de domin, da gloria, visporas, rodetes,
bagatela e ontros jogos allemaes.
Esterioscopos com as mais bonitas vistas, de
figuras destacadas e grupos de familias.
Armnicos ou accordioos de todos os tamanhos
e novos modelos cora tremlos.
Realejos pequeos com novas msicas.
Cosmoramas de varios tamanhos, com difieren-
tes vistas mui pitorescas.
Para lapmhas.
Presepios completo~om todas as pecas e sorti-
mentos avulsos de figoriobas, aaimaes, casas, jar-
din?, etc.
Attenpo
Todos os artigos mencionados nesle annuncio
vendera-se muito baratos, nao s pelos abatnen-
los obtidos dos fabricantes em attenclo as gran-
des e repetida? compras, como pelo bom systema
de vender muito ainda mesmo com diminutsimo
lucro.
A MO DE OURO
Nova loja de joias
RA DOICABUGA' N.9 A.
DE
Manoel da Cunha Saldanha & C.
Acaba de abri-se este estabelecimento de joias, o qual tera grande sorti-
mento de todas as joias de ultimo gosto, as quaes vender o mais barato pos-
sivel.
Todas as joias serio garantidas oaro de 1er, pois os seos doraos tendo em
r regaezia nSo olvidarJo, vender bom e por preces os mais
veis.
i Sd^BKTO DE MUSIC
ii m
SAI
Rna da Imperat
Para (lauta, r.larinelta. rabec de peq
militar e I oprio para este tempo
Todo pedido das provincias ouf dointerior serio promptamente
m
tas e para au
Ttleoini-
de comrnis
PRIMARIA!
Pareceres e mais
8068.
Discussao sobre os preparativos para a
fiesta do aniversario.
Secret ra do Instituto, 9 de Janeiro
ge $71.
J. Soarcs d'Azecedo
Secretario perpelno.

Ra do Commercio n. 5
(Recife)
Jos Fraueisco Ribeiro de Souza, profetsor particular de instruecio primaria,
scientiflea aos Ilustres pas de seos discpulos e a quera mai? possa interesar, que a
abertura da sua aula (era logar no lia 9 de Janeiro da 1871 prximo futuro, na
casa onde mesan funeciona ha tres anuos, na ra d Commercio n. 5.
Tem resolvido admitr nm certo e determinado numero de alumnos, os
quaes serio leccionados por habis professores.
A aula eomecara em todos os dlai uteis a 9 horas da maula e
doas horas di urde, -. '.
Pede como especial favor aos interessado, de examinarem o acceio, ordero,
methodo de ensino e dedteacao dos raspeemos professores.
Recife; 29 de dexembro de 1870.
PHARMACIA d AMERICANA
FERREIRA1AIA 8: C.
RIJA DO UQUE DE CAXIAS HE. *9
( Antiga ra do Quemado )
Acaba de ser reaberta a antiga pharniaeia da roa do Queimado, pertencenteao
Sr. Jos Alexandre Ribeiro, sob o litlo de Pharmacia Americana. .
Tendo sofrido grande modiflca(3o esta pbarmacia ;cba-se boje mentada com
gosto e asseio, e esta certeza nos anima a convidar os Srs. mdicos, e o respeitavel
publico a visita-la.
A mesma pbarmacia presta-se aviar qualquer receita que larde da noutejbe
seja dirigida.
F {KOrBlPH-
Vft
horas da
Rival sem segundo
nn \ nn i.
DU
trabalhos
AVISO
O Sr. professor Antonio Mximo de Barros Leite
quoira apparecer no pateo da ribeira n. 15 a ne-
goejo de interesse.____________
ATTENCAO
Confeltaria aa rna do Bario da
Victoria n. e&.
Na mesma se encarregam de apromptar ban-
deijas para casamento, sendo e.-tas do melhor gos-
to possivel, por preco com modo.

1NTERNAT0 i S, HINUM
ESTABELECIDO
NA
CIDAE DO RECIFE
SOB A VALIOSA PROTECQO
DE
o SAXTIDADE PI IX.
DIRECTOR E PROPRIETARIO
BERNARDO PEREIRA DO CARMO JNIOR.
i^i Esle amigo estabelecimento' de educacSo e intraeeao achando-se actualmente no espa-
A coso, claro e bem v.nlilado edificio da praca do Conde d'Eu n. 32, para onde fot remo-
vido, contina a reeeber alumnos internos, sim'internos e externos.
Os bons resultados que ho colhido e exibido os muitos alumnos que tem tido
este estabelecimento, devem servir de garante e animarlo aos paes de familias que de-
sejarem ter ah seas flihoe.
Nos estatutos do collegio, que esto a disposicao de qaem os qtuier 1er, se
acham consignadas as condiccies de entrada.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBAKOS
DO '
RECIFE A OL XIA.
Por ordem da direcloria convida os Srs
accionistas para, no praso de 8 das conta-
dos do dia 2 de Janeiro prximo futuro at
o dia 10 do mesmo, realisarem a terceira
preslaco de snas acc5es (2* emissSo) na
raz3o de 10 %
Para esse fim, o Sr. thesoureiro, ser en-
contrado no escriptorio da coropanhia, ra
Nbva n. 35 Io andar.
Recife, 30 de dezerabro de 1870.
Joo Joaquim Aloes,
i" secretario.
00 9$ft$$tt ***$$
f O padre Vicente F. de S Varejao abre 5%
55 no da 10 do correnle a sua osela par- ^
W ticular na tiavessa dos Quarteis n. 2i. W
As pessoas que quizerem approveitar-se
(K de sua longa e proveitosa pratica, pedem 53
fl^ para all mandar seus Albos ou pnpillos, f&
que serao desvellada e proveitosamente 3g
intimiitno a educados. O mcsmo padre 25
0
Instruidos e
lecciona as tardes, tanto na sua resi
dencia como por casas particulares a
grammalica nacional, como a aritbme- ^
tica ; e prepara candidatas para o magis- Q
fX terio publico primario ; asU como as- ^S
25 pirantes aos empregos pblicos.
00 00100 000000
Ama de leiti
Precisase de ama ama que tenha bom leite,
paga-se bem : na rna do QaeimaJo n. 28, luja.
Manoel deOliveira Jnior, subdito Portuguez,
retira-se para Europa a tratar do sua saude^ del-
xando ficar por seus procuradores : i" o Sr. Ma-
noel Jos Guedes Magalhes, 2o Flix Fereira da
Silva, 3* Joao da Silva Ferreira.
r todas
aba>
pre-
1 zO
Ouzia I^M seguranga caixa
grajKto a................... 320
FriiiJrjs com cledbaboza muito 8no. 320
Pacote com p's de arroa o me-
lhor que ha a............... 320
\'r albas muito Teas para fazer
barba a.................... 009
Caixa de linba bram do gaza.. 500
Vara de franjas de Itduo para loa-
lhas....................... 160
Caixas com peonas d'aco de i erry
superiores................ 800
Lencos de casta braccoi e pinta-
dosa..................... 100
Caixas com 26 quadernos de papel
pautado ....... 7 0
Caixas com 50 novellos de linba
do gaz a........ 400
Duzias de meias cruas superior
qualidadea.......3(5660
Pecas de liras bordadascom 42
metros cada peca a 14500 e. 2,5000
Pecas de fitas para cs de qual-
quer largura com 10 varas a. 500
Pecas de tranca lisas, brancas e
de cores a....... 40
Duzia de linha frdxa para borda-
dos a 400 rs. e..... 500
Pares, de meias cruas para m.'
nos diversos tamanhos a. 320
Duzias de meias brancas muito
finas parasenhora a. 45500
Parea de sapatos de tranca do
Porto........24000
Pares de sapatos de tapete a. 4 500
Duzias de baralbos para vultarete 3000
Sylabarios portuguezes a. 400
CartBes com colxetes carreras a 20
Aboloaduras para collete diversas
qualidades....... 400
Caixas com penna de ac muito
boa de 320 a.....; 50C
Caixas com superiores obrcUs a. 40
Duzia de agulha para mactiina a. 2(5000
Libras de pregos francezes todos
os tamanhos a...... 240
Pacote de papel com 20 quader-
nos ........... 400
Rema de papel pautado super or 4(5000
Resma de papel liso muito i.pe-
riora ............
ESTEIKASDARACViY.
Grandes a 6i0 rs. pequeas a O rs.
se na ra da Sanzalla Niiva n. 30,
3(5600
vende-
Companhia
per-
Ainda esi para ser vendida a armario e _
lences da taberna do patee do Terco n. 1!, muito
propria para qualqaer principiante e 'tambera
para quem quizeroilocir um estabelecimento bem
moutado por ter a casa commodidades para isso.
a qual tem qfliotal o cacimba, e o seu aluguel
razoavel, cedendo-se ao comprador a residencia do
sobrado de nm aDdar por cima da mesma, urna
vez que precise delle para sua habitacao : a tra-
tar no mesmo sobrado. ______________
A sens nteresses
Deseja-se saber onde rooram os Srs. Baldaino
da Cruz -Ribeiro, Dario de Barros Wanderley (que
raorou na Escad.), Maucel Joaquim Pereira At-
tbayde. Gregorio Aotunes de Oiivelra, Miguel Xa-
vierdeSonza Fonsfca._______________^___
Moga se o 2 e 3* andar do sobrado n. S da
ra da Moeda,Forte do Matto, com muitoscom-
modos para grande familia, as chaves estao no
i* andar : a rallar na ra da Cadeia-velha n. 66,
loja. ,;'________
Precisase de num nomem que nao
seja muito meco, mas seja possante para
fazer cpmpanbia e tratar de outrb idoso ;
dando-se casa e comida, e o ordenado que
se convencionar, na ra da Cruz do Recife
n. 48.__________ ___________
O abaixo assignado declara ao publico que
ninguem faca trausac<;an alguma com urna letra
de 300^, passada a favor do Sr. Manoel Monteiro
Conrado, do eogf uno Estrella do Norte," porque
foi obtida com dolo ; vence se no fim de marco
prximo.
Augusto Faria Lonreiro.______
Joaquim Jos Oonpal-
ves Beltrao
Ra do Trapiche n, 17, Io andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o baaco de
Minho, em Braga, e sobre os seguintes lagares en
Portugal :
Lisbea.
Porto.
Valeaca.
Guimaraes.
Coimbra:
Chaves.
Viseo.
Villa do Conde.
Arcos de Val de Vet.
. Vianna do Castello.
Ponte do Lima.
Villa Real.
. m Villa -Nova de Famelicio.
Lamego.
Lanos.
Covilhia.
Vascal Valpasso).
Mirandella.
Beja.
Barcello?._________,______________
CONFEITARIA
DE
Santa Thereza.
De ordem do conselho de direceo slo convida-
dos os senhores accionistas a realisarem al o dia
20do correte a srganda entrada do capital subs-
cripto, raxao de 10 0|0, no e-criptorio do direc-
tor caixa o Exin. Sr. Bario da Soledade, praca do
Corpo SantJ.
Recife 9 de Janeiro de 1871.
Qi O gerente,
Justino J. de S. Campos.
Precisa se de um cozinbeiro livre eu escra-
to : na ra estreita do Rosario n. 3, drogara no-
meopatbica.
Aluga-se
urna boa casa acabada ?ouco, sita ao lameirao
do Monteiro, junto a estrada : a tratar na ipesma
ou ra da Madre de Dos n. 14.
Aula publica de instruecio primaria na Pas-
sagem da Magdalena.
O abaixo assignado faz sciente que desde o dia
7 do correnle se acba aberta a matricula desta
aula, que fuccionar na mesma caa em qne lec-
cionava o seu antecessor.
0 professor,
_________Augusto Jos Mauricio Wanderley.
Precisase alugar urna negrioha de 12 a 13
annos : na rna das Flores n. 9.
Ama
Precisa-se de urna ama para o service de duas
pessoas : na ra Augusta n. 90.
Para agua.
Canos de ferro g-ilvanisados por ra
por dentro, a veida por preco commodo,
no armazem da Travessa do corpo Santo,
n. S5.
Predio
Vende se ou perreulase duas cifas ha pouco
edificada?, em chao proprioj ctin palmos .!;
frente e 300 de fundo, sobre o qaal tem mais s"is
casinbas, com portao independen'.?, ando urna
crend de 76J meV ej, na rna do Progresso (m-
tr'oraCaminho Novn), margem da' estrada de
ferro, por um sitio na freguezia da Boarfeu, |i
plantado : a tratar no Forte do Matto n. 2't, ira-
abe, d
AMA
ou aluga se os armazens, casi? e leirenos no li:n
(la ra da praia nova de Sanu Rita, <\te foram J >
Sr. lente eorenol Franca, c'in efpico etdiflra-
roes proprias para se eslabtlectr qualquer fabri-
ca com embarque e desembarque para o mar :
trafar com o commendaior Tasto.
mm ^ $&&&$$
0 AOS PINTORES. 0
Alvaiade de zinco superior 11000
f a arroba. ^
^ Tintas superfinas de lodas as co- jg
y res, e oleo de linbaga por pre;o X
' menor que em outraqualquer parte; *>*
0 na pharmacia central-Ruado Impe- >x
0 rador n. 38. &
Os acredila-
dos cyindros
para padaria;
\enda no arma-
zem da travessa
do Corpo Santo
n. 25.
pobtco a vir a este estabelecimento, certo de qae fiar
RRUA
wmiMwi
/*^&av
ATTENCAO
Aureliano de Pinho Borges, professor jubilado de
Instruecio primaria, contina a leccionar em casas
particulares com assiduidade e aproveitameoto:
qaem interessar fallar-lhe, pode dingir-se ao con-
vento de Santo Antonio desia cidade, cellala a. 11.
Cozinheiro
Precisa-se de nm cozinheiro qne cozinhe com
asseio e perfeico, estrangeiro ou nacional, paga-
se bem agradando: a tratar na ra Nova, casa
o. 19.,
PRENSA IRGLEZA
James Ryder $ C.
Ra de JpoHo numero .
SYSTEMA HYDRAUUCO 111
Durante esta safra James Ryder & C teem re-
solvido enfardar algodio razio de 800 rs. por
arroba, inclusive capas, arcos e marcas.
Rna de Apollo o. 26, prensa bydraalica
de James Rvder & C
RA DO IMPERADOR N. 26.
O proprietario deste estabelecimento avisa aos
sena numerosos e bons freguezes, que acaba dr
preparar um grande sortimento des melbores g-
neros do mercado para recbear ae despensas da-
quelles qne tiverem bom paladar e disposicao pa
ra gastar os cobres, no tempo da festa do Natal.
Ahi enconlrarq ex :ellentes presentes de fiambre,
vinhos, licores e eognac de todos os fabricantes,
boa cerveja, mermelada portugueza, ameixas em
caixinhas, conservas francezas e portuguezas, do-
ces de todas as qualidades seceos e em calda.
Tambera encontrarlo bolinhos para cb de todas
as qualidades, bolos francezes e inglezes, pac-de-l,
pudras, tortas, amendoas confeitadas, e quantidadt
do ontros objectos que sera enfadouho enumerar
AU
Companjiia Allianp a
DE
seguros martimos estabelecida
na Bahia em 15 de Janeiro
de 1870.
CAPITAL..Rs. 1,000 OOOOOO.
Toma seguro da mercaduras- o dinfieirb a risco
martimo em navios de vella e vapores para den-
tro e ra do Iroptrio. Agencii rna do Com-
mercio n 17, escriptorio de Joaquim Jos 6on->
salves Beltrao.________________________
Pedro Maura.- tendo de fzzer urna viagem j
Earopa deixa pinos p a-li-1
he Regard para administrar sua
casa durante sua bu imbido o
leundre l sua
pbarmacia.
I4Rm Estreita do Rosario-I^
Compra, e vende roupa feita
neva e \elha, objectos de
cosinha e de mesa, e
ludo que pertn-
ce ao uso do-
mestico.
Paga-se o segundo dividendo da massa fal-
lida de Siqueira A Perreira razio de & 0,0
vista dos respectivos litlos, ra do Mrquez de
Olinda n. 49.
Para lanilla numerosa.
AInga-se a casa do sobrado de um andar com
solio n 16 ruada Unio, lado do poente, com
ires varandas de frente, bella vista, bastaote fres-
ca e maltas acommodacSes, de.41 palmos i'e lar-
gara e mais de 303 de fondo,
ludo murado, com cocheir e
Saudade : a fallar na loja de chapeos* da ea
33 rna da Cadeia do Recife, h. jo Mrquez dr
Olinda.
Precisa-sc de urna ama livre ou escrava que
cozinhe e lave : na raa da Palma n. 34._______
. Ama
Precisa-se com ama crianca : na roa do Imperador n. 32,
i" andar, das 10 horas da manha as 3 da tarde.
Precisa-se
alagar urna escrava para o servico interno e ex
temo de ama casa de familia, sendo fiel e sem vi
cios : no largo do Terco b. 11.______________
7 Precisase de ara meaiao de 14 a 16 annos,
que saiba cozinbar e comprar para casa de pouca
familia era um arrabalde : na ra do Imperador
o. 28 se dir qaem precisa._________________
Precisa-se de srvenle forro ou captivo : no
hotel fraocez, rna das Larangeiras n. 10. ___
Caixelros.
Precisa-se na rna do Rangel n. 43.
O Sr. Sabino Mauricio Saraiva I..eo lem
ama carta na ra do Amorim, armazem n. 60.
COMPRAS.
Chumbo e estanho
velho.
Comprase em grandes e pequeas porcoes*; na
rna Nova n. 11.
azeite do cobo em qualquer quantidad : no ar
msrzem da Compannia Pernambucana, no Porte do
Mallos.
mpra se um balcao em bom estado e que
soja enverni;ad(>, de 20 a 30 palmos de compr-
n volta ou sem ella : na ra da Impe-
ratriz n. 58, loja._________________________
COMPRASE
bilhetes Tde passagem da via frrea do Recife a
Apipucos, sendo com algum pequeo descont
r annnncie. ________________
V1NDAS.
Arree
Torre : a tratar na rt
irada pelo caes 23 de
ador i
Cimento i Em c=sa de THEODORO f HHISTIAN
SEN, ra da Cruz o. 18, eDcorjtram-se
effeclivameDle todas as qualidadea de vinho
Bcrdean, Boorg gae e do Rheno._____^
ATTENCAO
5
No armazem da raa do Rrum n. 92, tem para
vender preces commodos, o seguinte :
Farinha de mandioca de Porto Alegre em sac-
eos grandes.
Vinho fino do Porto, era caixa?.
Bolinetes de balianco para biates e barcacas.
Bacias de louca para coainha.
Acedes da cornpanhla d Bebe-
rlbe.
Vende-se 34 accoes da companbia de Beberibe :
na ra da Cruz n. 26, armazem. ________
Banhelro superior com per-
lences.
Vndese um novo ainda encaixotaJo e que se
pode remover de urna para outra casa sem incon-
veniente : no armazem da companbia Pernambu-
cana.
Carrafas vaslas novas e de
cenia.
Vendem se em gigos a 304000 cada um de 10
duzias: no armazem da companbia Pernambu-
cana.
LA PLATA.
Gaz da melhor qualidade a 7f SOO.
Farinha de mandioca propria de mesa a 6J000
o sacco.
Dita de mil>io a 6*000, cem o pero de 100 li-
bras cada sacca.
Queijos flamengos do ultimo vapor a 24800.
Biscoutos em caixinhas de cocllguracoes diver-
sas proprias para festas'ts criancas.
Ve I,
Chocolate de JJ a 1*800 a libra.
Especial uanteiga ingleza e franecza.
Hortailees para sopas denominadas Jalieone, qce
sabstitue perfeitamente as mais frescas ervas.
A verdadeira fai cana viada de conta
a a 320 rs. o maco
Bolacbinhas de (odas
Ihores fabricantes.
^ii
bVH


***
^F^
.iftl^V!.
'.;

6
Pet-naiubuec
ev<
GnAi
BAZAR D
60-RllA DA JMPERARIZ-60
mi III BA Sllf/iijUji J
niocrtante estabelecimento encontrar
i (- ^Bfxj "'-""'. ; i sol elegancia r
Md l eaus f^^^^H^^^^^H
I^^^^^^^^^^^^Kasamentu
o a viaia-la, afia deemufarem aquil-
r aaija laarisaUtfei tos, } pataiq*de_
'xeasri
is_baratas do que.**! ontra qualqajr parte,
para pottewm vender peio^ustaflii
Neste i
ipurado gosto e todas de prime'ra necssidade, que
ros socios desta firma, adoptaram systema de s leadenm D1NHE1RO
i ganharem o descont ; as pessoas que negociam en pequea eseata, uta loja earouzem poderSo
pelos mesaos presos qoe compram as casas inglezas, (importadoras) e para maior commodidade das
amostras de todas as fazendas, ou Ibes levam em suas catas para eawlbeaep.'
TAPETES i toOW*M|q|ra|TOI
Chggou fara o Bazar do Pavao o mais Ghagtw .parf f Baza* do Pafao tim grao- ]
alegante sortimento de tapetes grandes, pa- de sortimento dos melboresfirosdenjDlM
ra sofs, com'4 caderas, ditos maispeqoe- pretos'troe tem vindo-*o mercado, qe se
nos, para doas cadeiras, ditos para vendern de ifiWXf at BiJOOO o coviado ;'
pianos, camas, portas; etc veode-se por [ Bio todoa amito em.conta.
menos do que em outra qnalqner parte. I ESPAKTIUHO.
ROUPAS PARA HOMENS No Bazar do PavSo cacebeo-se nm etegan-'
No accreditado Ba'ar do PavJo encontrante sortimento dos mais modernos e melhp-
r o respeitarel publico nm grande sorfi- res espartilbos, que se tendem por prece
ment de roupas para bomens tanto bran-l mnito em conta.
fazer os sens lortiroeatosj
Extras, tamil
de
Nova Esperanza para
, sendo braneu {
PECmHXHAS
DO
de san-
Uua DAS TIDC
jas como de cores, a saber
Camisas con: peitos d'algodao e de linbo,
jara todos os precos a qua'idades.
Cerollas de linbo e dlgodSo.
Meias cnrtas francezas e inglezas.
Pautas sobrecasacos de panno preto e
asemira.
Calcas de brim branco e de cores
Ditas de casemiras pretas e de cores, com
jalletos ignaes
De todas estas roupas ha para todos os
precos e qnalidades, e tem de mais mais
m perito
ALFAIATE
Por quem se manda fazer com prestes a
e aceio qaalquor peci de obra a capricho
;u gosto do fregaez, tendo n'este importan-
te estabelecimento todas as qnalidades de
panno fino, as'melhores e mais moder-
aas casemiras, assim como os melhores brins,
qar braceos, qar de cor ; e quando qual-
quer obra nao ficar ioteiramente ao gosto
dos regnezas fica por conta do estabeleci-
meoto.
FUSILES DE COR E BRANCOS
Vendem-se bunitis fustSes brancas e de
cores, proprios para vestidos e roupas de
menioos, sendo de cores a 800 ris o cova-
do e brancos, a 400 e 6*0 ris, pe-
chincha, no Bazar do Pavo roa da Impe-
ratriz n. 60
CHITAS BARATAS
a 200 ris.
a 200 reis.
a 200 reis.
Vendera-se chitas largas com mnito bons
pannos e cores fixas, pelo barato preco de
00 ris o covado ; cortes das mesmas com
10 covados a 20000, peclnncha, no Bazar
do Pavo.
AS CAS8AS DO PAVAO
Covado 200 ris.
a 200 reis.
a 200 ris,
endem-se bonitas casis de cores miu-
Jinbas pelo barato preco de 200 ris o o
vado, no armazam do Pavo ra da Im-
pera tr i z n 60.
PANNOS PARA SA1AS A 1*000, O METRO.
No Razar do Pavo vende-se bonita fa-
enda branca cncorpada para saias, sendo
com babados e pregas de nm lado, dando
a largura da fazeuda o compri nenio da
wia, a qual se pJe fazer com 3 on 3 4 [2
metros e vende-se a 10,1A280 e 10600;
is-itxr como tambem no mesmo estabeleci-
ment i se vende bonitas saias brancas bor-
dadas, tendo quairo pannos cada urna, ditas
ia le cores ja promptas, amas com
(jarras differentes damesma fazenda 45000,
piras com barras brdalas 65 e 7000o,
; .J isto moderno e barato.
CARNAUBA.
Vende-se carnauba em saceos, na raa da
inperatriz o. 60. Bazar do Pavao.
TARLATANAS LISTRADAS CORTE A 6J500
Cbegou para o Bazar do Pavo nm bonito
sortimento de tarlataoas listradas, sendo
verdes, cor de rosa, lirio, tendo esta bo-
Dita fazenda mnita phantasia, e liqnida-se
cada corte a 6.5500, pecbincha ; na roa
da Imperatriz n. 60.
PANNOS DE CROCH PARA CADEIRAS
O Bazar do Pavao recebeu nm grande
sortimento dos melbores pannos de croch,
proprios para cadeiras de bataneo sofs,
pianos, tamboretes e at proprios para qu-
brir almeladas e pratos; vendendo-se por
menos do que em qnalquer parte.
PARA LENQOBS
No Bazar do Pavao veode-se sojerior
bramante d'algodJo com 40 palmos de lar-
gura a 10800 o metro, dito de linho com a
mesma largara a 20800 cada metro, pannos
ds linbodo portocom 3 1/2 palmos da largura
de 720 al 10 a vara, assim eomoumgraD.de
sortimento de Hambnrgo ou creguetles de
todos os nmeros, preces ou qnalidades,
que se vendem mais barato do que em on-
tra qnalqner parte; aproveitem-
ATOALHADOS
No Bazar do Pav?o veode-so superior
aloajhade trancado, com 8 palmos de largu-
ra a 10600 o metro, dito de linho adamas-
cado o melhor qne tem-vindo ao mercado a
30500 o metro ; todo isto muito barato.
FAZENDAS PARA LUTO
No Bazar do Pav3o vende-se constante-
mente o melbor sortimento de fazendas
pretas para luto, como sejam :
LSasinbas pretas lisas.
Cassas pretas de lia.
Cassas pretas, francezas e inglezas, lisas
e com salpico?.
Chitas pretas de todas as qnalidades.
Alpacas pretas lisas.
Ditas lavradas com branco.
Merinos, canWes, bombazinas. qne sa
vendm mais barato do que em ontra qnal-
quer parte.
CACHE-NEZ A 60000.
No Bazar do Pavlo vendem.se bonitos e
grandes cachi-nez de pura 13a, pelo bara-
to preco ile 65000 cada um
PEUICNCHA EM CAMBRAIA9 VICTORIAS, A 50,
60, 70 850C0.
Vende-se um explendido sortimento de
finissimas cambraias victorias, por preco;
mais baratas do que em ontra qualquer
parte, tendo cada peca 10 jardas a 50, 60,
60500 e 70000, finissimas a 80500 ; toda?
estas cambraias valem mnito mais dinheiro
e Hquidam-se por este preco em relacSo a
ama grande compra que se fez no Bazar
do PavJo.
BABAD1NH)S
No Bazar do Pavao veude-se am grande
sortimento dos mais finos babadinbos borda-
dos tapados e transparentes, assim como
urna grande porfo de entremeios largos e
estreitos, qne para acabar se vende mnito
em conta e mais barato do que m ostra
qnalqner parte.
SETINSDE CORES E GROSDENAPLES.
No Bazar do PavJo vende-se um sortimen-
to completo dos melhores setins e grosde-
naples de todas as cores, qne se vendem
muito em conta.
CASEMUUS A 70000
Vendem-se cortes de casemira ingleza de
cores para caifas sendo fazenda que vale
muito mais dinheiro e liquida-se a 70000
o corte de calca, no Bazar do PavSo a ra
da Imperatriz n. 60.
Chagou uro eeganjtaiisqrf"falto ie laas-
Mba do iaptp, comipgdrffcsjil Befa e de
muito boa qnalidade. qne se vendem a
500 rs. o covadp. pecbincha, no Baar
do Pavao, raa da Imparairz o. 60,
POUPEUNAS DO JAMO AT0WO flblVADO
Chegop u eiagta 4qtfmuta 4*4n4
dfsiims popronas'^p^iietas^AMiiPo*
mais delicadas postes, tdo mtiHo ^ttro
e com listriihas de seita.s-eu'+o-esia nova
fazenda quasi da largura da chita (nwcs-
za e vende-se pet barato pra?o de 4|6C0
cada covado, no Bazar do Pa*So.
AS P0HPEL1NAS DO PAVAO A 20000, O COVADO.
Chegia para o Bazar do Pav3o um bo-
nito sortimento da mais modernas e le-
gantes ponpelinas de linbo e seda, que se
vendem pelo baratisnmo prego de 20000
cada um covado, assim como ditas com
gitos escossezes a 20400, pechiucha no
Bazrr do PavJo.
BEBAS A f 0180
Cbegou u a elegante sortimento de boni-
tas seda de listrinhas, oom as cores mais no
vas qua tem vindo ao mercado e veudem-se
a 20000 o covado, na ra da Imperatriz
Bazar do Pavao.
CRETONE FORTE A 20000 0 METRO
S no Bazar do PavSo.
Cbegou o verdadeiro cretone francez pro-
priopara leacoes tendo iO palmos de lar-
gura, e nuiteencorpado, sendo preciso ape-
nas para cada leocol i */i oa 4'/metro, alm.
d'esh applicaco tambem esta larga e eo-
corpada fazenda propria para toalnas, saias
ceroulas, etc. e liqmda-se pelo barato pre-
Co de 20000 cada metro.
CASEMIRAS A 20500 CADA COVADO
No Bazar do Pavao vende-se um grande
sortimento de.bonitas casemiras de urna
, cor, sendo asnl, lirio, mesclada, servio de
duas lar-goras, proprias para calcas, palitos,
e roupas para menino e vendem se pelo
barato pre?o de 20500 o covado, raa da
Imperatriz n. 60.
BONITAS LiAMNflAS A 500 RS. 0 COVADO,
Vende-so delicadas llasinbas com diff-j-
rentes gosto pelo barato preco de 500- rs.
o covado, no Bazar do PavSo.
ALPAGAS BRANCAS.
Vende-se um bonito sortimento de finis-
simas alpacas brancas lavradas, imitac3o
de seda, pioprias para vestidos de baile ou
pasamentos no Bazar do Pavo.
ALPACAS LAVRADAS A 400, 660 E 640 RS.
Vende-se uro grande sortimento de lin-
das alpacas lavradas de todas as cores para
vestidos e vendem-se a 400, 850 e 640
e at mil e tatos res o covado, no Bazar
do Pavo.
BAREGES DE QUADBINHOS A 600 BS. 0 COVADO
Veode-se as mais lindas e mederdas 13a-
sinhas on bareges de quadrinbos, proprios
para vestidos, tendo quasi largora de chita
frsnceza. e l'qoida-se a 640 r. o covado,
no Bazar do PavSo.
MERINOS DE CORES RARA VESTIDOS.
Vende-se bonitos merinos de urna s6
cor com cores muito proprios para vestido
e roupas para creancas por ser ama fazen-
da de-pura laa e mnio leve, vende-se a 10
o covado, no Bazar do Patio.
cores. ,
NOVIDADE.
< -fcfr'ie jnipofe prm com-brtuco
> gttem lem I
xas para joias.
b^aVclfisfe
4ajD para jnHI^^^Hf^
para cintos.
Recebeu as de muiusqiiaidadfa A,Nom Spe-1
Para 0goir panos on sardas.
Xm mprnti^Um MU4e rosas braneu.
Para tingir cabellos.
Tem a Nova Espr*D5a a verdadeira tinta in-
Para, refrescar a pelleeaformozia-la.
A Wova Esferal)? raa Duque ie Cali ai n. 63,
ate verdadeira albina branca de,AJB.
Perfomariae
As melhores, e do mais conhecido fabricante,
(afta franeez eoo ioflez, eslao exposla^ venda
a? Dicpe de Caxias n. 63, na Nova Esa-e-
rabea.
' JJWQ?> banba, oleo, sabonetei, agoe de eo-
i JBnia, a% lanmja, florida ib lamnde, ett., etc.,
lodo detuperior qua lid? de : veode-se na Nova
Hffrfnca raa Dufue de Caxias n. 63.
Agora sim !
A "Nava B M, retaban nm lindo soriimenlo de Ia para bor-
dar, viudo aa cores mais procuradas, branca, pre-
ta, escarate etc. etc. a Alia antes que se acabe I
ente
assas
efeo e tdor-j
caa aqueBwxi
bem seja :
Gorpinhos de
enfeitados com fi
caja novidade de
nos os tornam api
a Nova Rs- -^itas mni la/gas de diversas cores e
Xequet uesse objecto muito se.
dizer querendo deacreve-Ios
por suas qnalidades, coree e desenos, tal
o grande e variado aortimento que acaba
dachagtr, nas para Biomassar o preten-
dente te Ibe apresentar o que poder de
melbor.
Entremeios em secas de 12 tiras.
Guipare branco,e preto de diversos qna-
lidades e desanos.
Ditos de aigadio eom flores e liss.
Veos de seda para chapelinase monta-
na.
Meias Me seda paca noivas.
Ditas abertas de fio de Escossia.
Gostumes ou uniformes para meninos.
Enxovaos completos' para baptisados.
Touqinhas de fil, apatinhos bordados
e meis para ditos.
Camiaiabas bordadaa pan ditos.
Aos cigarreiros.
A Nova Es
(Mais) a 4*i
rauca vende papel para cigarros
a caixinha -barato I
GaoeUas hipeas para meninas.
:id*soruto de flores finas.
Fil de seda prato:
/TllSFMARIA
Grande constaste sortimento de dita,
tiiiiJiill i Pifli :-.
Lindos "vasos .com pos d3 arroz e pineal.
Jllinbe* com ditos aromticos.
Bonitos e modernos pentes donrados p*
TSircTilar o coqoe.
Bonitos lirrcos depaqpo.
Aderecoff e brincos de mdrtsperoi
Canivetea finos caca, abrir la tas.
Thetonm* ptra fcS ibalhbof.
Aspas panlnflao. .
Novos stereoscopos ean \% tiltw, at
quaes aio jnovidas por am TnnllWi
ihms sabstitaem as outras.
Vistas para ster*8*copos.
Bonitas caixinhas de tidro nlWtaoi co
pedraa.
Ditas de madeira envernisada coa vitpn
ras e eom dminos,
Bollas de "borradla pan brmqxmdo i<
enancas.
Diversos objectos de porcelana, proprloi
para enfeites de mesa s de lapinbas.
f
a N. 3 A BA 1>0 C4BUGAIN. 3:A.
mmu iRttos


Bazar, do Pavo sito a ra da Imperatriz n. 60, esta1 constantemente aberto
das 6 horas da manhia as 9 da noute.
FALSIFICA^OS
DAsPILULASDEBLANCftRO
(CAVE DOLCM)
A nossa correspondencia do Itrazii nos faz
saber que as pracas d'este paiz acho-i
actualmente inu ruladas j/or urna m ultido de
faleificaedes t dos nossos producios (textual.
Para garantir-se contra estas composicos
mais on menos perigosas, que escondem-se
d'essa maneira por detraz das nossas marcas
de fabrica c mesmo da nossa firma, rogamos
aqu com instancia aos mdicos e aes do-
entes de assegurar-sc sempre da origem das
PiLULAsque trazem o nosso nome.appellando,
entre outros mios praciico, pola boa fe dos
nossos collegas, os pharmaceuticos. Nao de
duvidar que n'uma questad que intressa ta6
seriamente a saude publica e a otoralidade do
wtUoim Botu FIoUj
commercio, estes honrados intermediarios
nao se mostrem dignos da conianca dos sens
fregueses; nao de durdar igualmente que
repudiando toda solaridade com os falrili-
cadores e os seus cumpliees, ellos nao se fa-
co um deer d'or* em diante de procurar
as VEHDADEUUS PlLLLAS DE BlaKCARD CB
origens certas, enderecandorse, quer a nfis-
mesraos em Pars, quer indirectamente aos
nossos principaes correspondentes, ou ento
s casas as mais recom-
mendafeis da Franca j
on do su paii.
Pkarmouutko, na BonaparU, em Pars.
pcioeipae JPbarmeia
JoaqiimRodrigiisTa- f
vares de Mello,
TEM PARA VENDER -'
ero sen e$crptorio pra?a do eorpo Santo
Famoai. falta
uJ' t*!!**'**-* o a mais
fardos a vpnuc dos compradores.
Cal de Lisboa ,
ultima oiiegada.
PotassadaRnssia.
Vinhl Jtordeaux.
^le mais
br parte.
CHITAS PARA
COSTURA
Acabara de chegar ao GRANDE BAZAR
UNIVERSAL, ra Nova n. 22-carmeiro
viannaora completo sortimento de m-
chicas para costura, dos autores mais co-
nnecidos, as quaes esto em exposicao no
mesmo Bazar, garantindos-e a sna boa qna-
lidade, e tambem ensina-se com perfeifo
a todos os compradores. Estas machinas
s8o iguaes no seo (rabalho ao de 30 costu-
reras diariamente, e a soa perfeigo 'tal
como da melbor costoreira de.Paris. Apre-
sentam-se trabalhos execotados pelas mes-
mas, que muito devem agradar aos pretn-
danles
Caixilhos
Veade-se 14 pareibas de caixilhos de amarello
em bom estado, com vidro : na Tua Augusta ou
maro 78.
CO
Com este titulo acha-se aberto ioteiramente transformado este antigo
estabelecimento de joias, onde os fregnezes e amigos encontraro tudo qnanto
a moda e o bom gosto tem inventado na arte de onrivesaria, o Collar de Onro
observar delicadeza no trato e senciridade e modecidade nos precos.
Espera que o respeitavel publico venha ver o que existe de melbor em
aderecos de brlbantes, esmeraldas, robins e perolas, meios aderecos, pul-
ceiras, brincos, alfinetes e anneis de todas as qnalidades, prata 'de lei faqoei-
ros, colheres, paliteiros salvas e outros muitos objectos que seria (infadonbo
mencionar.
Compra-se onro, prata, brlbantes e pedras finas, pormaior preco do
qo em outra qualquer parte, trocarse e concerta-se todo e qualquer objecto
pertencente a esta arte.
I
!
moramesKisi KBsnsmi
NOVIDADES
DO
Canielros e gaz eco-
nmico
Acaba de chegar nova remessa dos tao deaeja-
ilos candieiros todo de porcolana os qaaes mnito
se acommodam pela seguranca, acceio e economa,
e anda pela excellente luz prefervcl mil vezes ao
kerosene: venbam antee que se acabem, nico
deposito da ra larga do Rosario n. 3i, botica.
BORRACHA
para limas
Vende-se da methor qnalidado e por menos do
que em outra qualquer parte : na loja da Lrealda-
(le ru da imperatri?. n. 70.
Vende-se um sobrado de tres andares em
ama das melhores ras desta cidade : a tratar na
ra da Lapa n. 8, ou oa ra da Gloria n. 66,.das
3 aa 6 horas da tarde.
Vende se urna taberna na Capuaga, na po
Lasserre n. 1: quera pretender dirija se a mesma.
Vende-se
Pos de roseiras de varias qua'idades,
assim como de sapoti, abacate, fignetras,
laranja eravo, e ptobeira, por preco rasoa-
vel: alratJr na Boa-Vista a roa do ViscoodeJ
de GojjtynV.0- W .(r'ori-dp Mondego.
Bartholomeu & C,

MEDALHA
UFIGADO 9ACJ
1**^ DE BONRA
9INF
:co e
;:ro
ri-par-
ltntil
3 tm-
FERRLCIXt M CBBVRII.R
0 Sc'khor Chwrrr eomphtoa 5'is d?sco-
brti ajuntan-d i iodura de furre ao Oleo do
Baca II
Bacwhi -rrr.fn.to lea lelas M i
do Ole
eansa pnsto de v
itr
le
Lindas bareges de 5a e seda lisas,
eom:listas e com flores pelo ba-
ratisimo preco de. 400 re, o co-
vado, fazenda que se tem ven-
dido por mnito maior preco
Na loja das Columnas, roa Primeirb
de Man?) (ontrora do Crespo) n. 13, da
I Antonio Correa de
minii
TRIUMPHO
7 Ra doQueimado 7
DE
0REI1U1 BASTOS
E' ebegado a este novo estabelecimento o mais bello sortimento de fazendas
(nai, sendo sua especialidade enxovaes para noivado.
Vestidos de blond de.sda ricamente bordados.
Gorgurto de seda branco para vestido.
Colchas de seda pura, para cama com ricos desenbos.
Citas de 15a e seda, id^m idem.
Ditas de crox, idem idem.
Cortinados ricamente bordados para cama e janellas.
Groxs para cadeiras e sofs.
Vestidos de cambraia brabea bordados.
Popelines de lindos gostos. '
Las'de diversas qoalidades, lindos gostos e modernas.
Ricos b.urnus para passeio, com listras de setim.
Sabiflas de baile o que ha de mais rico.
Crotones para vestidos com lindos desenbos.
Carnizas bordadas, e sem bordados para senhoras.
Camisas bordadas mnito finas para bomens.
Ditas inglezas para bomens e meninos.
Seroulas de linho, e um grande sortimento do ronpas feitas e de fazendas q.a
i enfadonho mencionar.
Luvas frescas d Joiivin
Sortimento de tapetes para guarnices de salas, alcatifas para fon de lata, e O
pande sortimento das acreditadas e verdadeiras
Esteiras da India
*
NOVO SORTIMENTO DE MSICAS
NO
SALAO DE NABOS E DE MSICAS .'
jg Ra da Imperatriz n. 14 loja
t conten :
MSICAS PARA PIANO das mais facis at s mais dijceis, toda dos autores ma
modernos as melhores edicoes da Europa e db Rio.
fJPyDADES quadrilbas, polkas, walsas.
TANGOS, Habaneros, modinhas, Qances brasileiras e hespanhola, romances francezes,
fv arias e cavatinas.
Operas inteiras propuas para
tudo para piano e para canto da opera
mais
m m
A bordo do palhaboie
eom Tasto Irmaos 6
__ Vn
Garibaldi : a tratar
, Pillas, Xabopk b Tiwtuiu
o* jurubbba 8iuplb8 b rrauoimoso;
Olio, Pomadas Emplastro da mbbmi
planta preparados por
BnRTHOLOMEO & C"
PHARMAC OOUI8TA1
PEUMAMBt'CO
A Jurnbeba : Ma planu i hoja reconhteldj
como maia -Mvaso tonioo, mdo
t oiero,
pellf iciad ao f< 1
core, chloroaea falta d me
.58 do ealomago, i
^^I^^^^^^^^^^^^H^aiiiiH
GUARAN
Em breve se principiar a dar nm catalogo do grandissimo sortimento Agte es-
tabelecimento. Encarrega-se de encadertwcSes etc.
aaitlo.
MMNHlaMa



^Pl-V-,
HB| "**-,.
**
l
Diario de Pernambuco Ter<^ (eir 10 de 871.
VI
$


c.
rtigos ecuintes, que
stio^Wdr
radnfcjtstr
PORTAS- de ptho slmeada
FARELLO em sacaos f randas 35500.
GRADES de ferro jfora cercados.
E5TEIHAS da Hiela para cama e forrar ala.
CAKOSd barro franee? rafa GBSSO superior CEMENTO de todas as qualidade baixos
recos.
MACHINAS de de acorar anjodio.
8ARRIS prandescom (M-ixo da Suecia. -
LONAS e brinzoes da Rassia.
OLEADOS americanos para forro de carros.
FOGES americanos milito bons e econmicos.
VINHO de Bordeanx em caixas.
COGNAC fnperier de Gaatier Frere.
MILBO de Fernando a 3 o sacco.
AGOA florida;
BARRIS de csnte saljtada d* |>nrco e de vaeca
=5S5

il MI \M\L\
mm
pnmejFO-
3jjo tas n. 53, ra Direita, 3 p rtas
hja do Braga
n. d,
anliya
ene anogo Mabolecimenlo, lendo er
adezaj
_ apreseotar en
, completo sortimento d ferrageue, miudezas 0 cotileria, teai resolvido mandar buscar em
{diversos pontos da Europa os memores objectos de'sen stabelecimento 'dos fabricantes
| oais conhocidM; pelo que conidi ao respeilatef publico e a seos nocerosos fregueze?,
, i viren fe teir dos objeetoe de .< carencia, a*nde encortrarao por menea-10 0(0 do qoe j
ota jaira ojualqaor parle, um soriimetto completo de machinas para desearecar algodao, j
do bem connecido fabricante Gotlorr Gin & C^ dias para costara, motoras para animaes,
I'.ditos para fago, raolnhos p;-.ra caf de todos os lmannos, da fbrica do Jajil, espingardas da
dons eanos e de nm, tanto ingieras cwno francezas, otk{a de porcelana, facas e garfbs j
i de diversa qualidades e preces, bandejas otalnezas, satHi, eren, barbante, enxofre, papel e i
limalna de ferro, ac, e agullia para fogueteiro ; assim coma entontraro costante-
mente grande poreao da fogo do ar, e recebe-se enecmmrala 4e fngaa de vista, alem de um ;
cera numero de objectos, que se tornarla enfadonho numeta-los: venbam 4 ra Direila n. g
53, loja de Lenidas Tilo Loureiro, antiga foja do Braga.
GRANDE ARMAZEM
DE
aovas musitas para piano.
Danse des negres do maestro Cazalhore.
Margarida, linda schottisch.
Urna folia a liorna, quadrilba
LCNDOS
Dansas paraguayas.
I1 Habanera.
t* Los negros.
3* Noites de Laque.
4* Palomita paraguaya.
lambern recebe u as segumtes :\
4 opera Guaran/, e os melhores pe Jaros
da mesma para piano e piano encanto.
Quadrilbas
Walsas
E poikas
Quadrhas:
Risette.
Satn.
Jardim das Fadas.
Heroica.
Capenga, Carca & C.
Horneas do mar.
Juventudo Commercial.
Rocambole.
Ponle do Diabo.
Tenente do Diabo.
Imperial marinbeiro.
4 sultana como linda.
Independencia das senborai.
O Club X.
Regresso do conde d*Eo.
Caminbo do ferro.
Guarany.
Walsas:
Sonhci da virtrero.
Voiuvel.
Dansa d'amor.
Ultimas walsas de um doido.
Anjo da mea noite.
Carnavalesca.
Guarany.
Polkas :
Cabrio.
Gorgeio do sabia.
Bulicosa.
Capenga nao forma.
Querida por todos.
4 rival.
Por todos querida.
Zas Trz.
Palomita paraguaya.
Bismark.
Moreninha.
Surpreza.
Chora pitanga.
Gloria.
Goarany.
venda no armazem do pianos e msi-
cas do Azevedo, roa Nova n. 11, boje roa
do Carao da Victoria.
EM!, VIMOS
E '
CHRYSTAES
DE
Ra
PER EIRA, i RAAOS
Primeiro de mar^o n. 15, outr'ora ra do Orespo n. 15.
Ao respeitavel publico em geral e particularmfnte aos ses numerosos amigo?
participara Manoel Joaqun Vreir e Manoel Jos da Cosa Pereira, que acabara de
fundar umiico e sumptuoMj aimazem de louca, porcelana, vitiros e chystaes ra
Primeiro de Margo, outr'ora tua do Crespo n. i o, sob a razo social Pererra k
Irmos.
A longa pratfc e conhecimentos de que dispOem os annunciantes neste ramo
de commercio, a que, ha maitos annos, se dedicam, os tem habilitado a fatisfazer as
necessidades da populado,desta provincia e suas I raitrophes, offerecendo aos consu-
midores nwiores vantagens do que qualquer outro estabelecimento deste genero.
O respeitavel publico, dignando se de visitar este novo eslabelecimento com-
mercia?, verificar por si mesmo o que os acnunciantes vem de dizer.
f pocos'-tbbula'e
ernambuco.
Aby-
NOTICIA
MOITEIRO
Veio operar uma completa levoluqao-no artigo
Tinta para escrever.
0 Bazar da Moda receben novo sortimen-
10 de fazendas do ultimo gosto para vesti-
dos, assim como chapeosinbos, casacos,
borns, coques, camtDhas, etc. etc.
Continua sempre o grande e afamado sor-
timento de mindezas e perfumaras verda-
deiras, que ttfdo se vende por baratissimos
presos.
Dim-se amostras e manda-so era casa das
Exmas. familias o que deseprem, ra-do
BarSo da Victoria, outr'ora Nova^
fiAZ GAZ GAZ
Owgon ao aotigo deposito de Heary Fbraw
C-, roa do Imperador, ana carregamenU da tai
la primeira qnslidade; o quai se vend&am parw
a a reaiho por menos pre{0 do que em ontrainui>.
marpane.
Vende-se aa seguinias obras, em uro s.vo-
lome :
Flores siagelas por I'aes -d Anlrade, ultimas pa-
ginas por Pedro de Galasans, illusoes perdidas por
tesar i de Aie vedo por o*.
Bourgain2 tom^eneaderoado por 5/.
Celeta franceza encadernada 3.
Vida de D. Joae de-Castro dem 1f.
Cdigo do Bou lorn iam 1*500.
M.Hhodode pinnBo 8*.
Methodo de solphejos para pianno 8,
A tratar.no I- andar destt tfpographa.
ES.
Latas com toraefa
TIMA IWV1
Qaem comprar d-> gaz nesgas lauj n> precina
pasaa-lo para gai
tirar para
aar sem derra
no armazem d 1
Beos o. 8.
is qoe pod
18 aa vezas que preci-
rdw una gota : veode-se
isa, travossa da Madre de

Participa ao respeitaiel publico que Mltimamecte
tem rerebido a quai.ta remeda do dfilos pocos e
os peH**(?a8 coiDf.-letos aperfjicoados para a coln-
cacao d'tllecfm pouco lempo, taoto em terreno mole
como era trra e i)rr, massap
As vantagens que cfTerece este systema de ad-
quirir agua siibte qualquer ouiro, s3o immecsas;
eruodo nao sroente as condicoes cima menco-
milas, como tambtm as cacimbas j feitas, aonde
anda nao tira b< mbas tu a gua lo pura, pois
elles estJo rcunid s deum filtro que t3o deixa en-
trar iuipoiidades, vanta-gf m que Do tem os cutres.
Alm dissr, a prar.de quantidade d'agua que
el'es dertam e 5 8 pipas por hora conforme o
eiarue'ro dos tubos, a faciliade com que elles fucc-
cionnn,. a s-mp'icidade, perfecao o solidez.- com-
binada coro a elfga' cia de sua foim1, que para ser
ap reciada basta \er-se.
O iQDunciante tem uma pessoa especialmente habi-
litada, unto na arlkcacao d'elle, como na escolha
(!o terreno ou lugar mais proprio, que se encarrega
de bes >piv qs por prego commodo ; e, visto o cam-
tiio ?er mais favoravel, vende-se elles por precos
mas mo pus rie 10I ocado e funcionando a satisf^So do com-
prador.
Paia eccoiMHiendes e mais es-
clareciment( s a respeito trata-se
xa loja do Si*. F. J.Germanu, ruu
ova d. 21 e na o'fi ina d? rneta-
es do Sr. Pulo Jos da Silva Fiei-
e, larto da Concordia n. 7.
LO
r=rrr==r
GALLO TOLAM
lt na ri Crr |m> *
Os proprietarioa deste bem conhecido estaM-
cimeate, alin dos muitos objecu que tinha
UOtreS U^ errO Q dfftrenres umanhos.
rreflaoo e ferro para cofiar carias.'-.
Vllctpao Lal/IiOb (je ferro p^aaSucar.
laUUS americanos paravarzea e ladeira.
XTLaCIllIlclS vapor e e corlar fumo
. Carrinhosdem3oparasaccosealterro,
Venezianas para janella8.
alanOaS decimaes e outras.
Fogf5edeferro.
Enxofre
salitre, etc. etc.
Vende se em casa
de Saw, Hawkes d C,
RL'A.D,\ Chez n. i.
Europa nm comple
Anas e mni delicadas especia*!'
lo resolvido a vender, le sen costama.
Sor prego muito baralinhes os, com tanto que o Gallo ....
Muito superiores luvaa de pollita, pretas, Ira
cas e de mui Badas cores.
Mni boas e bonita* gollinhae e punlws para sa-
nhora, neste genero o que ha de triis moderno.
Superiores pontee de tartaruga, para coque?.
Lindos e riquissimos enftl terciara cabecas ai
Exmas. senaoms.
Superiores trancas pretas e de ccres coro- vIAt-
Ihos e sem elles; esta aieuda- o que- pode iiasr
de melhor e mais bonito.
Superiores e bonitos leques de madrepi
marlim, sndalo e osso, sendo aquelles brracoi
com lindos desenhos, e estes pretf>s. *
Huito superiores me.ias fo de Escossia para j*-
nhoras, as qur.es sempre se veoderaru p<>r 30C a duzia, entretanto qne nos is vendernos por 20
aim destas, temos 1ambem i_Tsn outras qualidades, eutre as quaesi algunias muiu
finas. I
Boas bengalas de superior canna di India
castao de inarfim com lindas i : ras fipu
ras do mesmo, nestn genero (i o que de inel-Or
pode desejar ; a!m destas tumos untan gran Juandadc de outras qualilaiics, cmiio sujam, ma
eir, baleia, oso, borracha, ce. i.-tc. etc.
Finos, bonitos e airosos chicotiohos de cadeta
de oulras qualidades.
Lindass e superiores ligas de soda e borraci
para segurar as meias.
Boas meias de seda para sonhora e para mea-
as de 1 a 12 anuos de idado.
Navalhas cabo de marlim o. urtaruga para fsrtj
barba ; sao muito boas, e de mais a mais sao g.
rabtidas pelo fabricante, e nos por nossa ver lato
bem assegurams's sua qualidade e-decadea.
Lindas e bellas capellas para noiva.
Superiores agulhas para muchina epara eren
Linba muito toa de peso, frouxa, para er.ch>
labyrinlho.
Bons baralhos de cartas para voltardte, assin
como os tentos para o mesmo flm.
Grande e vanado sortimeno das raelhores per
runnrias. e des neinores e mais conhecidos per
fumisUs.
COLARES DE ROBU.
Elctricos magnticos contra as convals~os,
tVJlitam a dentlcao das innocentes cnanjas. S j
mos desdo muito recebedores desles prodipioso
collares, e continuamos a reoebe-los por todes o
vapores, aQra de que nunca faltem no mercado
tomo j tem acontecido, assim poi poderao aqneJ-
les que dclles precisaren!, vir ao deposito do galic
vigilante, aonde sempre encontraro destes venia
deiros eoUares, o os quaes attendendo-Be ao rr
Sara que sao applicados, se lenderao com nm mo
minuto lucro.
Bogamos, pois, avista dos objectos que deixanu--
declarados, aos nessos fregnezes e amigos a viren,
comprar por presos muito ra/.oavois loja do gal'w
vigilanta, rna do Crespo n. 1.
"&
COFRES DE FERRO
Prov de fogo
Em ea a de Shaw, Haukes .& C. a ra da Cruz n. 4,
13 A Ra da Imperatriz^ 13 A
DE
Nunca se vio um procesa} mais perfeito e que aitiuja de tal forma a satis'azer as
exigencias mais severas da escriptnmeao.
A sua cor lindissima e nao precisa- de cuidado algum para se conservar no
linteiro sempre coca a mesma cor, sem borra, crista, bolr ou sem tcdas;e88s raazel-
las inherentes todas as tintas at agora coobecidas, anda mesmo dos melhores autores
estrangeiroi '
Sobretodo, este eslimavet producto Dio ataca as pennas de ac, antes pelo con
trario, apeona adcrire u esmalte dourado que, sendo iuteressante, asss proveitoso.
Esta tinta, n3o sendo especialmente para copiar, d comtudo duas, tres ou mais
copias-una mea depois de escripia; c preciso, porm deixacrlba o papel, bem molhado
sem o eaxrgar com o malla-borro, porqne nao ha o rltco de borrar: Para se tirar
mais de uma copia, nao se agglomeranMar.t.s oibas ^Btas copias se -querem ^hl^^^^^ ?m JS Tm5a"
mas vae-se com 9 original rando uma uma tantas quantas m desejam, sem que 9, (
original fique prejudicado pelas exiraecee. ",.
Occorre aqui dizee que, par contar importa moila intelligncia e hbilidade, sera
oque a melhor tinta nao satisfaz, e o deleito recae-, semjpre sobre- a tinU, que .imiiis
vete queomenos culpa tem.
A dupla qualidade desta tinta extremamente aprecia.vel, pois qne estaque
em qualquer escriptoni baja mais do qie uma.tinla.para os diversos misteres.
Eraqoanto sua durebilidade, n5o ba a oppr a .menor ovida pois que esta tin
depeis< dfreeorifUa soft-45 o eboqwe*ci4i,'foriitsio, eem.so deconf; ora.seros
cidos .nao ten acc/ao sobre ea, nwttomeM a aeco d tempo a pode-destruir: isto
plaosivel.
Nao %6Ao commerio que este/mexi pfodMcloiveip seruUI; os professores dos
collegos, investigando lodo ogimeios pa*fi o adiantameoto dos stus discpulos, lera.
aprovtad. este tigt*, qm^ooid- ra<8 a_arhawefir apu-paM-desopvolver.a goitO-sos
educandos, er.coase(Hiencia da^belleza da cor efaci.idade de correr na penua pela sua
liquidez. Ha ejemplos de crianzas que. havia moo tempo tinham. uma repugnancia
extreiu pn a .escripia, logo que foindmiWidaesU tinta.no coilegio, apederou-se deltas
a-coKoi Esta tinta, par de tarilas vantageH,. tem uniunico inconveniente, deteriora-so
30 intacto de ostra qualquer; convm pois lMa em tnteitosisenloft do -oaenr-r v.slora-
bre-de oatra tiu, e-evitar escrever com, a. peana suja, deuima.preparacjur differente e
Incorapative!; verificando isiov noha razapara se usar TA BXIUA FINA DE MONTEIR.
ObservEpa^.
Diversas falsificacoes. e semelb: ecid, cuja durabihdade duvi
Obi Srs. compradores podeo .evitar o engati,4irigin4e-s8 i,caascircum4eectas
iota que eu faLvi
J'.Tf.&Qntir'Q.
10AQIM BEZERRA PESSOA & G.
C"ro este nulo acha-se iberio o estabe-
lecimento defHzenias, tn.Je o filustre o
respeitavel publico encentrar o que de
melhor vem este mercado ; apar do agra-
do, sitioeridado e commodidade nos precos
dos objectos : a Fl< r da Moda tem sempre
om sumpiuozo s rtimento de papalinas de
apuwd'S g stos que por suas qualidades e
padres na > deixar de agradar a quem de-
sejar um vestido, assim como, um Indo
soriimento de las da cores modernas e do
todas as quaiidades e larguras, desde 200
reis o .cavado at 800 reis, s.cass Fo- da Moda. na verdade de admi ar os
go-tos e qualidades e.pregos das cassas de
que se aclia prvido' esto estabelecimento:
cambraias victorias de dille entes qualidades]
a pr eos commodos, ditas transparentes fi-
nas e entre finas; organdys de cores o bran-
cos, largos eestreitos ; brilbantinas e u.os
sellioas'"brancas e de cores; bramantes de
linho e algodo com U palmos, para diver-
sos presos; chitas finas, cretones, percales;
escuras e claras com ramagens e miudi-
nhas; alpacas lavradas finas com bonitos
padrees; Has para bordar de todas as
cores a precos commodos ; bales de mos-
sellioas braneas e de cores para senboras t
meninas de todos os tamanbos; saias bor-
dadas e di pregas moto modernas, a pre-
cos commodos ; punbos e manguitos bran*
eos e de cores para senhora e meoioas;
ponbos e colarinhos para bomens; gravatas
pretas'* de cores'para taco- e con elle e
mentas dtj gazi de cor l
toetrit-; io*l)^flpodaifrao xus; carnizas inglezas e francezas de linho
ealgodlo ,brancij para bomens e neoioOB;
cbalee-do merino lisos e estampados de to
dijas qualidades.
Os l#nfos;at Flor> da Moda. E com ef-
faito>8patf:oso osortiafenande lencos de
'aigintortrAe dflewwe'precos eqaIkladts ;
dit#s con barras de cores comcaimgaa fa-
zendo gymnastieo,' qae quera os vir petos
procos Bo>deiciraV de comprar; gxpalda
ellas para novas, muito bonitas e ba-
rata' para acabar ; chapeos de sol de seda
e alpaca 1 grandes o peqteoes dito-- para
tornee?, de felro e palba- de diSirentes
modellos; colxas adamascadas conk-barras
braneas e decore*s cobertores de algodo
e 15a linos ; rospa decasemiase brins
para homes e meniaei, e outros muitos
objectos1 de gosto que densamas de mencio-
nar pira nao se tornaroaMaciteosuBwveis-
leitopes, assirjKoaw daa-se as amostras de
todas-.-m^hibu. i e mandara s* levar em
casa -da* fiuaas. fataias que se dignarem
faaer-nos setis pedido
g'jbaieeiBtent; acha-sl aberto das'
i manbaa as. 9 hora da .noote, a or.-
dens do Ultutre e respeitavel publico:
N. II A RA DA IMPERATR^ N. 13 A
DO
Joaquim Bezerra Pessoa & C.
Rival sem segundo,
RA DUQUE DE CAXlAS N. 4
(Antiga ra do Qneimado)
Contina a vender tudo muito bom e
muito barato a saber:
Libras de areia preta muito boo. 12
Tesooras finas para unbas e cotu-
ra a......., 501)
Papis de agulhas francezas a ba-
ilo a......... 60
Caixas com seis sabonetes de fruta 10000
Libras de la para bordar de todas
as cores a.......8)5000
Carriteis de linba Alexandre a. 100
Frascos com azeite para machinas 500
Gravatas de coresjmbilo finas a 500
(rozas de botesfmadepersla fi-
nissimos a....... 500
Novello de linba de 400%jardas a. 60
Caixas com 100 envelopes muito
superiores a...... 600
Pentes volteados para meninas a. 240
Tinteitos com. tinU preta a 80 rs. e 100
Pecas de fita elstica muito fina a 200
Lata com superior banba a 100 e.
Frascos de oleo Pbilocomo muito
fino a......... 500
Frascos de macaca perola a. 240
Frascos de extracto muito bonitos a 500
Duzia de sabonetes muito finos a. 720
Sabonetes inglezes a 600 r. e. 10200
|.Frasco com agua de colonia Piver a 500
Dito de oleo babaza a. 500
Caixas de lamparinas a. .
Sabonetes a forma menino muito
superiores a....... 240
Cartilbas da doutrina fazenda nova a 400
Libras de linba sortidas de todos os
nmeros a........1)5800
Capachos muito bonitos e grandes a
Carriteis de retroz preto, com 2
oitavas a........ 640
Agulheiros de osso eofettados a, 240
Libra de linba franceza superior
qualidade a.......20420
Ricas touquinhas de fil para me-
ninos a 2O0j
Botinas de couro para meninos a 20500
Caixas com agulhas de fundo
dourado a 240
Pecas de tiras bordadas muito fi-
a500, 600, 800 e
10000
. fiob-ante-rheuma tico.
Remedio efflcacissime contra as dores rhenma-
ticas at boje o unto conhecido pelos seas, mara-
vilhosot reeUado,
XAROPE DE AGRIAQ. um dos medicamen-
tos i qoe sua eficacia as enfermidades, tosse e
sangue peta bocea, bronchites, dores e fraquea
no peilo, escK*to molestias da flg***, ibb *
Ibor-tem aprondn.
TINTURA DE MARAPUAMA.- A celebre rau
d'marapuama, coja energa e efflcacla as para-
lyslas, intorpecfmewo, etc. etc. nraiio se recom-
memla.
Todos esses preparad*. ; eneontran na pbar-
jnacia e tlrgaria de Baribolomea & d, nico de-
Vsito na rna largf 34.________(
Gutilariag flaas
por preo* mis balxos que em ouira qualqoer
parte, vende Edoard Feaion,, om- sen ara*atm
ruado Cmnercio n. U.
A MUI AFAMADA .
AGUA DE FLORIDA,
DE
MI'Rlt.tY A LIXHA\.
He o mais delicado e mimoso ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encerra cmsi, no seu maior auge
de excellencia, o proprio aroma das verda-
deiras flores, quando ainda na sua flore <-
cenca e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabefa, nen'osidade, debilidade, desmaios,
flatos, assim como contra todas as formas
ordinarias de accidentes hystericos; de
summa efficacia e n3o tem outro vjueo
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-se um dentifricio o mais
agradavel e excellente, dando aos denlos.
aquella alvurae aperolada apparencia to
altamente apreciada e desejada pelas Se-
nhoras.
Como um remedio contra o*mau halito-
da boca, depois de diluida, em agua,
summamente excellente, faz-pemovere neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos denles e das geng;\
tornando-as duras, sadias e Turna linda cor
encarnada. Qur.nto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
por certo n3o tem igual: e a sua supe-
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-se um meio mui excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebulicSes, sardas,
pannos, manchas, impigens e espumas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer um
deslps disfiguramentos, e que tanto desfei-
am as lindas feices do bello sexo; devera-
se- usal-a n'um estado de diUuico, deslem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no
ratamento de qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com-
municar as feices trigueiras e paludas,
uma pelle macia e d'uma transparente al-
vura, dando-lhe uma linda cor de rosa :
para um tal fim ella leva a palma a todos
os perfumes que se teera inventado at ho-
je, e existe em. plena soberana sem rival.
Bem entendido tudo isto se refere nica-
mente a Agua oe Florida de Murkat i
Lanhan.
As imitacoes que se tela-Rito na Franca,
Allemanha, assim c(no em outes partes;
slo ipteirameeie inuteis e invaliosas ; por-
tanto reconnftenda-se rra especialmente
s senboras, rae tenham toda, a precauco
e cuidado, de quando compracem, egtejaic
certas qu compram.
A Gkniina
AGUA DEFLOWDA
DE
MMmi&- LANMAN,
A qual preparada somonte pelos uwco
LANANN>4,KIff, DESOVA VRK.
Acha-se vntoom e^eciBwntoa de
P. Maurer C, J. C B^fO & C. A.
Caora,B.Mti Bauboea e Bartoolomep&,,C
Venn>seain sobrado de^tr*-andara em
nma das -rtellores roas 4esUcldade : a iralar no
roa da Lapa*. 8, oa na rna ida Gloria n. &, da
3 8 6 horas-da tarde.
________________.... ... .. i ., i. i.. i tt...
VenaVae-.aeinefllie^ecoiatr* e.alCaCBnuili.
oovas
na rna da Guia n 7. tib
CEMi^TO DE i'ORTL'
O nico fresco e bom qui
do : -vende-se
na praca do caes de poi:*J



>-Wr&Li
8
Diario de Pernamhuco Tefra faifa 10
Jn lf)<9f
\i


VARIEDADE
PARLAMENTO ITALIANO.
Damos em seguila o discurso do rei da
talia, na abertura do respectivo parla-
mento :
t Srs. senadores, Srs. depatados. 0
aono que corre par.i o seo termo dexou
attonito o mundo pela grandeza dos acn -
tecimentos que nenhain juzo hom.mo poda
prever. O nosso direitoa Rema lo sem-
pre altamente proclamado, por nos, e em
face das ultimas resoluefes, a que me
duz o amor da patria, joiguei do en d-
ver convocar os comicios nacionaes. C-nn
Roma capital da Italia cumpri a miaba pro-
raessa; coroei a empreza, que ha vate aa-
nos inicioa neo magnnimo pi. (Applausos
vivissimosX
O-mea eorac5o de rei e de filbo expe
rimenta ama satisfago solemne ao siular
aqui reunidos pela primeira vez tedos os re-
presentantes da nossa querida patria, e ao
pronunciar estas palavras : A Italia li-
vre e urna; de boje por diante, so de
ni depende faz-la fo'iz e grande.
(Applajwos). Emquanto nos celebramos
eta soarmnidede inaugural da Italia recons-
tituida, dous grandes povos do continente,
representantes gloriosos da cMIrsacHo mo-
derna, se deslrem n'umi terrivel Iota. Li-
gados Franca e Piussia pela memoria
da recentes e benficas alliancas, temo-nos
visto obrigados a urna rigorosa neutralid-
de, a g^ial nos imp&j o nosso dever de n5o
augmentar o incendio; e o desejo de po-
der em todo o lempo interpor urna pal vra
imparcial entre as duas partes belligo -'
rantes.
< E.este dever de antizade e de bamani-
dade ao nrsmo lempo nao cesgaremo* de
emprega-lo. unindo os nossos esforc'a s
das dermis potencias neulraes para que se
conclua uma guerra que nunca devra ler
rebentad entre duis naces coja gramez.i
igualmente necessaria civilisaclo do
mondo (applausos prolongados).'
A opiniao pabli ;a, consagrando com o
seu apoio esta poltica, mostroo mais uma
vez que a Italia livre e unida para a Eu
ropa uaLelemeoto de-ondea, de liberdade
e de paz Esta.altitud* aittorisam os nos-
sos ae lo, qnandopara adefeaa e rotegri-
dade do territorio nacional, e para restituir
aos Romanos a li terdade de disporem dos
seus destinos, os nossos soldados, espera-
dos como irmaos, e festejados como liberta-
doras, entraran* em Roma.
* Ruma, reclamada pelo amor e pela ve
neraco dos Italiaaos, foi restituida a si
mesma, Italia e ao mundo moderno. (Vp-
plaoses).: Entramos em Roma em nome do
dirdto .nacional; em nome do pacto que
vmoala m-todos os Italianos a anidado da
nar,3* {:al!i permaneceremos manteado a
promesa qao solemnemente ficemos a nos
nK'Sao-; liberdade de igreja; completa in-
dependencia da s pontificia no exercioio da
sua miasSo religiosa, as saas relaedas com
n cal&oHcismo. (Signaos de approvacjo).
Com estas bases e dentro des limites de
seus poderes, lomou o meu governo as
providencias preliminares para: conduzir a
termo a grande obra que requer toda aau-
toridade, todo o interes-e do parlamento.
A trasladacSo immioente do governo
para Rma obriga a estudar a maneira de
rotfuzir administrativos e judiciaes, e restituir aos
municipios e s provincias as attribui03s
que esperam (approvacSo).
Da terrivel lata qu3 conserva ainda at-
ienta e suspensa a Europa, surgem ensinos
que nao licito menosprezar a amgovemo
que qner ter garantida a honra e a segu-
ranza da nac5o (bem, muito bem). Acerca
de todos estes tbemas vos sero apreseuta-
dos projectos de lei, e sobre a insrocero
publica, que entre todos, o instrumento
mais eBcaz de forfa e de prosporidade na-
cional.
* Convir nos-ha depois emprehender de
novo com a niaior asiduidade a obra forco-
sametrte interrompida de regenerar a nossa
fazenda. '.,""
t Constituida finalmente a Italia, nao vejo
outra obra qoe poss ser-vos mais cara do
que a de consolidar em boas leis am cili-
cio, que todos contribuimos para levantar.
(Approvago).
Srs. senadores, Srs. depulados: em-
quanto a Italia avanca no caminho do pro-
gresso, uma grande meato que irm3a pela
sua origem, e pela sua gloria, confia a uro
filho meo a misso de reger os seus desti-
nos. Satisfeilo com a honra que ao mesmo
tempo se faz miuna dyaaslia, e minua
'Stwr, 4 Rali,
Hjgpmha se en
diante da l-aldad-
tez do povo ; accordo que 4 o .uro
fundamento dos estados rc que
vem nelle assegurado mu prolongado fu-
turo de emedrdia, de progresso e de liber-
dade.
IIESPANf.
Eis o protesto do principe D. Carlos ?H,
filbo da exrainha D. I>au%, contri a elei-
c51 do principe Amadeo para rei de Hes
panha :
Hspanht?. A revolnead que em
1333 senlou no lh-oio da Hespanba ama
menina, acaba de destrnir porsns preprias
atoe a obra que etla mesma tirtba creado;
e depois de ter por toda a parte mepdigado
um rei, de qne neceisila por algom tempo
alada, olTerece a corte de Felppe V a um
principe da casa de Saboya.
Carlos Alberto, rei de Sard^uha, reco-
nheceu D. Cirios de Bonrbon, meo angosto
av, como rei legitimo da llespanlia,
< Antes de tomar o nome de rei da Ita-
lia, Vctor Emmanoel considera va mea au-
gusto lio, o conde de Montemolinv como- rei
legitimo da Hespanba.
O principe Amadeo acceita a cerda que
me penence de iretof Infiel as tradicS-JS
da amiga casa de Sjbora, nem ao menos
ousou ex'gir a o!>servac3o do procedimento
da Hova Italia.
Cento e nvenla1 e um hidividuos, qwe
se arrogam o nome rfe consfifaintes, e nesa
representam a dcima pare da nacao, Ihe
offerecem mais on menos espotrtamenle a
cora lieipaahola, e elfe- a1 acceila1 f
Devo protestar contra-este acfe>, e pro-
testo. Faco-o, niJo porqiie'teraa ojue o meu
silencio seja interpretado em^ prejwzo dos
isso ane
o coa
mea san,
sentiment
a' is, qoe confio
em ma, como eo confio elle
c Peli memoria de nossos pas,
Pela fads de nossos Albos.
Este nobre povo eo dever, e
eo farei o mea. Wm
La Toar, 8 deJ^rtmSpc de 1870.
Carlos. *if,

. PAULO.
(Conclu3fo)
Voa agora satisfazer e compromisw qoe
ha pooeo eoatrahi, eqne de dizer qoal o
concelo qoe o mundo catbolieo pode e
deve fezer da maconar/a.
Mis amesjde o fazer, peroala-ee-me qoe
para tramjoillisar miaba cowcieBeia eo de-
clare que, em> presenca do> qoe est-se
dando face do mondo inteiro, ato pos-
sivei deizar se de recontiecer q)oe a en-
croado guerra declarada contra os sacerdo-
tes paroclios, por parte da macoaaria? aSo
se restringe alies sos. Ella tena ouro
alcmce, outro arvo, conff o qual o ma-
?ous atiram diariaaente stie envenenafae
s^fis.
Mancorna)uados com de sectarios de
Loiaeri, de Cal vina r de oatree qaejandos,
os iluminados maclos arde de desejb
de arromar aeiSigaillar, se- Ibes fosse
possivet a' paadiosa obra da re*impcao, j
*o* dlreos-divinos e lituanos, a ebra mo- '
deauo tlaro e evidente qn?, ::: i lairoda
^^Htmres, aos costumi
particulares, a religiS q fez
sentir sua acf3) salu tfica,
sua influencia civisadora, sobre o direito
das gantes, substitaindo o direito brutal do
maia forte pela d'jce e a'gradav'el lei da ca-
ri lado universal, acabando por esta forma
ceo| o brbaro e tyrannico principio do w
vicos ; sobre o dirito poltico, recomme'n
dando, qoe os povos, n5o mais sendo aoto-
matos, machinas que s podiam e deviam
m ver-se aofiel prazer e capricho dos res.
os povos nio mais s3o para os rei, porm
sim os res pira os povos, assim conie o
pai e deve ser para os Glhos, aboliodo
assim o absurdo systema da obediencia pis-
siva, que o qae torna am povo realmente
escravo; sobre o direito civil acooselbando, I
a uas- a bella e divina vlrtule anglica, a
casdade virgiaal, como absoluta, superior
e mais nobre, poto ella divinisa a alma; e
reconmendando a ostros a castidad conju-
ga.!, como relativa, rferior e mesmo nobre,
mimeota}. o edificio secufer da igre^ catbo-
lio aposaHo'romana qae, sera e'mbargo
de-ler presied'o' 13o releyentes e oetimos
servaos em prol' da cansa da vertibde e
!,r fS;P:qae, ^fV^l dajsiica,como'no.altestadOpela v^rda-
na acredit r que en accedes* om seme- A.,_ J.^ ../T ,t. i^.k-
litante altentado ; mis protesto'para adver-
tir a todas as potencias legitimqs da Ewp:
do novo perigo qae Ihes cria esta usnrpa-
Co, e para recordar ao povo bespanhof e
amor q te lbe consagro.
Protesto em meo nome, en* nome de*
minlia familia, e ate em nome de todas as
potenzas legitimas, contra a violacSo da le
lundaraenlal ft-ila conjnnctaauente pelas cor-
tes e Fclippo V, em qoe fo txada a ordem
de success3o ao tbrono entr os descenden-
tes legtimos deste principe, violceo qoe
envolve, explcita oo implicitamente. a vio-
lacSo dos tratados correlativos a esta le, e
que tinham por fi maoter e eqnilibrb eu-
ropeu e evitar a repeta de saDgnineteo-
tas guerra?.
Em nome do povo Uzspaabol de 1908;
em nome do povo bespaabol de todos- os j
tempo?. porque em todo o tetepos a Dee-
sa na$3o tem sido ctboRcae fivre, protesto
contra o insulto feito ssa nobre altivas
por orna minora facciosa e arana/la qvx
Ihe qeer impr om rei e;
geiro!
estrai>- pia8, im romaD6B* pejadee*d&-mais torpes
immora+iidades, apregoam-se-searque apre-
jl senteaif litlos, es- illarntaado, os uawos
Ibo daquelle que oilendea e catbolicism) o
christandade inteira na pessoa doseu san-
io e angosto chafe, Pi IX, vigam de Je
sus Cnristo sobre a trra.
Protesto, emuma palavra, cowtra a re-t
deira* historia ;:todava baje desabrida-
mentt? persegoida- ns sagradas pessoasde
seu efeefe visive-.dtr seas bi*|)os; de seas
ministre atrozmente atacada efB-saa!pre-
priedade e infamemente calcamiada em
soas 'sabas institoieSes- pelos tarteftos, peto*
pedantes do maconsmo proteetaote qae,
ladultorande a hi^rJra' e mentirte ao povo
para mais fcilmente podefvm JHedrr os
cautos, eiao, uns se comicios- popla-
r*s, outros aas pales-tais- da3 esqoroaa, es-
ts nos partaaaeDtos, e aquellos en seos
gabinetes a gritar e presar1 sem qoe* sinlam
o sabor subir Ibes- fie, qoe a fr op-
poeto i pbiloeapba, qttra virtade op-
poste civilsa^So, que a santidad op-
poste ao progreeso,- que a igreja catfcolica
ero6a>' ioimiga) di luz eropposta bber-
dade-.
E>-e que anda- -mas, engaando ae-f-
miliw- crdulas, a mocidarfe inexperiente,
com vdas promeseas, com-paavras seduc-
toras com livros- prenhes di dutrinas-im-
L h-i:-M -.. -^.;n. ^ cipio na obicundide e oas^trvas, appareceu
tes. oVregenerar a sociedad,, de ctvWiar
o munde-; e desvare estie- ciaaentan lo a
bases da edificio paga') moderoo,- e salat-
pando o alicerceo- ia sociedfld catholie.
E pe-ae affiaooar, seo raedo de cabir
volucSo, que, por isso mesmo <,oe encontrafmftuef^n! J'9 *"** da J*
em um^ asa eal da Europa ua ovo au- !Prov'^0,a .^ 3Tear-s^<1' Pobre *-
xiliar, ou um aovo instrumento, acaba de-
dar mais um passo e ob'er ora novo trium-
pho.
S3n3o se tratasse ao/H- de oaw cens-f
pirado mpia, e da inlruslo de um monar-
cha estran&eiro; se se tratara ponas deH
um direito pssoal, e que, reouociando a
esse direito, eo podesse coniribair para a-
felicidade do povo hespanhol, essa eedencia
n3o seria para mim um penosa sacrificio,,
mas uma abe.ogoada fortuna.
E anda quaodo fra-. um sacrilk'O. fa-
ria de boa vontade essa sacrifieics pensando-
na minha muito amada Hespanba. Mas-
aqui o direito e o dever confandem-se. A,
causa da II spanha a mioha causa, como
a caosa dos res legtimos deve ser a causa^
dos povos A revoluto hespanhola n3o
mais que um corpo do grande exercito d
revolugo cosmopolita, cujoprincipio essen-
cial a negacSo dos direitos de Deas bo
governo das coasas deste mondo, e cojo
fim a sub rers3o completa das bases fi-
Ihas do chrislianismo, sobre qae est fun-
dada e descansa a sociedades humana. I"o
ha no mundo poder legitimo qne nao esteja
ameacado em seus direitos, quando por to-
da a parte a paz, a jystica, a ci\ilisac3o
christsa e a verdadeira liberdade est3o amea-
ijadas.
mas qo espiritualisa, por asim dizer, o
corpo aboliodo por esta manefra, as doas
fontes fecundas de vergonba, de desgraca e
de corrupco- para a: familias e por conse-
guate para a. sociedae, qpero dizer, a po-
r/gamia e o divorcio, verdkideiros cancros
'aociaes.
Sendo assal ewergi ;a a accoeacSo qae em
nome de Deus e da liberdde cathoica,
.acabo de fazer coa?ra os illimtoedbs da ata-
:conaria qae na itaafio em qo vivemos,
siO'osiaars atrozeye inplaca ve inimigo
da igreja catboca. eu1 nao posso eximir-me
ao dver de neste momelo to solemne, ex-
btbeV as nritet do qne lid dito. E, pois,
com conscieacia ao qioe' Pk, apreseo-me a
da-las- nlo' s para des-Siter a peco de io-
veclivadr cwa q e certiaente serei mimo-
seado pelos eos gratuitos inimigoj- entre
ps quaas- achare na vanguarda a toja- Ame-
rica masnica, orno lambentpara satisfezer
ocompromiesoa^ehaponoycontrahi eqoe
de dizar qt'aF & conceilo que o orando
|atholico deve tsanr di maconaria.
i Vou preenoer estes dous deveres, d rwblividadfc a um iportantis4ne> documen-
to para o (jual coerao a ltenlo de todbs
os eatholicee-em aera!, e mnto particular-
ment da todos os- reverendos- sacerdote
da qoalquercategoria qne seamv entre o
qaaes-muitos-ba qae- nao querer rezar pete-
miote cartilba,- como (Jeclara o-correspon-
dente i-Refirma: M-permita Da*, rico
da asisericorlia e Saniisskaa Virgeor
Mara rainha des anjosy cotsolaXira dos af
flictos, refugie*'dos peoaadores, que em boa
hora^ Mo e retido o referido documento,
triooepbe a cansa da igreja cathoica apost-
lica romana, qpe a causa de Baos e da
homaaidade. O rdoconaeoto o segoiote :
Allocur3o do nosso Santisstmo padre
por BKina Providencia Pro IX ooGonsiste-
rio secreto do 4ia<23desstembro de 1865:
Venera veis irm303.atre as-wiliipli-
cada machn igass e artificios com que os
iomigos do nome ebristao tem onsade ataear
a igreja de Deasj pretsndendo abala-la-e
destnai-la por meio de estorbos na-verdade
baldados, deve eem do*ida coatar-se essa
sociedade perversa de horoens, vol^armente
(ficadores-bablicos., o* seus criminosos,es-
itorfos serle desgraeadamente aproveitado;
por isso- que opov>dealembeado- qne assiav
icomo a innovafo em-poltica- -revoloeov
-.innovno em pbilowphia ab-'urdo^do-
mesmo modo a inaova^e enardi^i3o e he-l
resia, cerno mu jediokwameato dec ara un,
ilustre eseriptor moderno, e- aaovdo por
orna graade dse da eicessiva.e prejudicial
-credulidadev escuta^ssas palavras sedueto-
Vas, actaita essa promassas- mentirsas^
(abraca. essas doatnnas fallazes l e rel
esses roneaces iaapioa o imnocaes; e-^na
cumulo- de desgrana e maioo somma die.
males, disa-se iludir e victimar por esses
pseudo^opoeta e iaimige dedaradae- dta
Deas a-de sna diviaa igreja, que sempre
fiel ao 3ea programan divino, sempta^leal
sua misso civiltaadora e picifica, nanea,
se fez esperar -pava prodigaMsar seus reaes
e ptimo servioo ;humanidade, seapre
e todas as vezee- qu* sua ioftaencia regene-
radora ha sido-reetamada para defesa.e des-
envolvimento dos legitimo interesses, do
verdadeiro pregresso e ciHsaQ3o d' socie-
"da de>.
Na verdad*, ah est irresistivel forca
da lgica dos-, fados, que, corroborando o
que venho de-diier, e fallando alto, e bom
soca de modo^ a poder ser oavida do O i-
FOLHETIM
W\ DEPOIS DI MOim
]P0H
Xavier de Montpin.
paute tbaceir.
A CONDESSA DE RAHON
(Contnnaco do n. 5;
, XXXVI
Outro ralo.
Eram quasi quatro horas da manha
qaando parou no pateo do castello a car-
ruagem que trazia de Clermont o conde e
formosa Olympia.
A ex-marqueza de Chavigny fo para o
sea qaario, deitou-se em cima da cama
mesmo vestida, e disse para a camareira:
Acorda-me, em doas sugeitos proco
raado por mim, da parte do senhor go-
vernador.
Os doas sageitos appareceram s oito
horas, n'ama carroagem com boas cavallos,
que deixaram a pooca distancia, porta
de urna hospedariasita.
Os honrados agentes da polica secreta
s ordens do coade JoSo de Octeville, ti-
nham o typo e a figura qae tem todos os
do mesmo officio. O faio preto, de um
feitio irreprehensivelmante serio, n3o dis-
f arca va l muito bem o mo aspecto dos
horneas.
logo apresentados formosa
"'ys^iioooooooooofl
a condessa ji sabe o qoe
e am d'elles
^^^^^^^^snie... Aqui temo
'*vS '
cipio na oDicuriaiae e oas-irevas, appareceu
depois luz para ruin i eommom da religio
e da sociedade bom na.
Resde que os nossos- predecessores, os
pontfices ro.nanos, fteisao sea cffilio pas-
toral, deicobriram as sua-traices e fraudes,
entederam qae nao deviam perder um
momento em reprimir oom sua aetordade,
ferir e exterminar com a sentencia de con-
demaapo, como com uma lauca,.essa seita
qoe respira o crime, O-que trama mutos e
nefandos aneciados coo'ra as coosas santas
e pablicas.
Por isso o nos'o predecessor- Clemente
XII,. pelas stias letras-aposto'ici, (I) pros-]
crevea e reprovou acuella seita, e desvio
todos os fiis n3 > sd de se associarem a
ella,, mas de a promoverem e-favorecerem
de qaalquer maneiaa que fosse, impondo
logo pelo faci de abracaren^ a pena de ex-
communb3>'; a que! s pode ser levantada
peto pontfice romano.| Bento XIV c inbr-
mou {i) por una c nstitufo esta justa e
legitima senlenc de condoranago, e-no
deixon de exhohar os principes soberanas
catholicos o que empregassem todas as suas
bordas e toda a sua solliciade em debellar
..aquella seita tao immoral, e em repell>r o
Ha de indi^car-se o motivo da.pris3o ?
Sim : poaha loocura perigosa.
Precisamos de pedir anda senoora
condessa mais doas ioformagoes.
- Quaes s3o ? -
Onde encontraremos a tal mulher e
qoaes os s gnaes d'ella?
O'ympia agitou uma campainha.
Appareceu Fronlin.
Meus senhores, disse a ex-marqueza,
este criado vai servir-lhes de guia, e elle
mesms apontar a douda, Cont que nao
deixarao fallar essa desgracada com qual-
quer carioso durante a viagem.
Eslej descalcada, senhora condessa.
Temos uma lileira especial, cojas portioho-
las se fecham chave. Fo mandada fazer
de proposito para levar a sitio seguro
os criminosos do-estado... Mal que che-
gar a Clemont, a mulher ser mettida no
segredo, e niagoem mais oovir fallar d'ella'.
A formosa Olympia puchou por uma
bolsioha bem pesada, e offerecea-a aos
agentes.
Acceitem isto, meus senhores, disse-
Ibes ella, como fraca recompensa dos seos
boas servicos.
O qae tinba fallado raettea a bolsa na
algibeira ; comprimentou depeis e sanio do
casteilo mais o seo camarad, guiados por
Frontn.
Voltemos granja...
A condessa, conco nos sabemos, espera-
va s dez horas Domingos a o procurador.
As dez horas menos alguns minutos,
Joo Roberto, que chegra i porta por ter
ouvdo certo rodo, visto esquerda uma
carroca puchada por um bom cavallo.
Naquelle veliiculo iam o hornea da jas-
tica e o anligo criado do conde de Rabn.
Ao mesmo tempo dirigiam-se para 8
granja tres sugeitos, vestidos de preto
des (fe os pos at cabera.
Jo3o Roben um desses sagei-
i tos era Fr ar.
oresos
aolber
Ole f Que temos- de novo.? Qae vem
c fazer aqpelles tres gatos pingados ? dis-
se o rendeiro com os seus boleas, e coesn-
j-do a cabeca, j meie desassocegado..
Domingos tazia a si mesa idntica, per-
gunta e- a pbysionomia do procurador car-
regava-se a olhos visto. Como aodava
muito-matlido petos triboaaes. pareeen-lhe
ver gente da polica pocaaixo dos modos
magistrass dos, doas companhejros da
Frontio..
A carroca ainda. a eem passos da casa
qaando os enviados Ao goveriador e o seu
guia ebegaram poeta, dianla de JoSo Ro-
berto.
Em qae posso obedecer-lhes, meus
senhores ? pergoatoa aquella.
Yoc ha de conhecar-me, bomem
honrado. Soa o criado de coqfiaoca do
conde, seu amo. Estes senhores desejam
fallar com a mulher qae ha tres- das voc
esconde c na granja...
. Eu aqui nao escondo nioguom, bal-
hacioo o rendeiro, cada vea mais desasso-
cegado.
Isso 6 o qoe nos vamos agora mesmo
averiguar, volveu um dos agentes. Vamos,
bom bomem, deixe-nos pasear.
Mas com qae direito querera. entrar
em minha easa ?
A seo tempo Ih'o diremos.'
E se qaizer saber antes de os deixar
eotrar ?
Nesse caso soliera as conseqaencias
da soa rebelliSo, e oseas conseqaencias se-
rlo lerriveis, porque dos vimos aqai enf
nome do rei.
Ao tempo em que se passavam estes
fados qae nos referimos, aquellas palavras
tinham um poder mgico.
Jo3o Roberto lniio desapparecer todas
as veleidades de resistencia. Arredoa-se
obediente, e os tres personageos entraram
em casa ; encamlnharam-se para o segando
qaarto, onde Mara de Rabn espera va na
companbia de Francisca.
Doming carador, qoesetionao}
apeiado, eotruam alraz d8es.
riauoln m LrCJf l|0 f OD C IOS i id
ijravo boavassem ldo om meaos
mollezi ; oS) teamos de certo nos, oem
tarnoem nossos pas, qae deplorar untos
mof i meatos sediciosos, tantas guerras in
ceodiarias .qoe pozeram toda a Koropa em
mo, nea tanros mole3 annrg* qae tem
JIligido coBlinuaa a afQigir a rgreja.
< Mas como o furor dos ruaos oSo se ap-
placasse, Pi Vil, nosso predecessor, ferio
com anatbenn (3) a seita de ori^em rffcettte
dos Cartnnari'is, que s tinba largamew.e
propagado e estendido, prrocpalmmte na
Italia; e Lsio XII, rofl^mmado do mesmo
zelo peta salvac3o das almas, comlemnou
pelas soa letras apostlicas (i) o3o s as
sociedades secretas que consrassem contri
a igreja a poder civil, e prohibio-as a todos I
os fiis, sob a gravsima pena de excom -
aoohSo,
Todava, estes esf jrgos dase' aprosloli;
nlo tiveram o esito que se devera esperar.
Porquanto a seita maromea d \ qoe
fallamos, n3o f >i domad i nem cohibida, peio
contrario, 18.1 su de tal maneira desenvol-
vido, qae nesfes *a^ tao dilliceis, campea
ella por toda a parte, com ipunidade e le-
vanta com mais altrvw a fronte aobclosa'.
0 qae julgaaros dever attribuir em grande
parte ignorancia', com' qoe o maior nume-
ro1, nSo consecendo talvez os projectos
iniqoos que setramam Rosees ajontamentos
clandestinos, opino erradamente que a na
turo desta sociedade ioolfensiva, e que
essa inetituic-o nr tem ootro fim mais do
que' soceorrer o hoinens, e alliviar suas
miserias*, e qae por isso a igreja de Dos
nada tear a temer deesas sociedades.
r Qiiem o3o v aom tude'queoto eUa
opiniab est longe de* ser verdadeira ? Pois
01 qae significa uma associacatv d komem
(fr todas af eren gas e* d 'ibdas a-retigies ?
Qoe qaerem* dizer essa reuoies- clandes-
tioae e esse juramente lab rigoroso, que' os
iniciados prest am e qoe os obngaja nada
revetarem do* que posse dizer resperto
mesan assoeiacab? Pavo- que sene essa
atrotide inmiiila de penas e costigw, a
que se snjeitam os inias n* 0090 de
faUanm'- farada ? Por certo deve ser
impa e criminosa a sociedade que tasto se
arrece dodlae da luz-; porque-qoem
commee o malr diz o apostlo, aborrece a
lozt
c Qunto s3o pelo contrario imaieneav.
mente diferentes deesa asseeiac3o as piede*-
sas sociedades da fiis que flreseenvaa
igreja catbolica Pitillas nada ha oeoolte
mm secreto : a le que as rege patente a
tedos : patentes san- tambem-as obra da
aridade qae pritiaam segun* a doatrino
de Evaogelbo. Assiatv pois, nao podemos
ver sem dftr- que sociedades caebolicas teer
So salotar-es e opportunas para excitar a
piedade e seccorresxos pobre9r-tenbamiside>
aggredida- e- al dietruidas em algama
partes, em*qoanto pelo, confirario (bao-
eeida, ou pelo menos 'consentida a tee-
acosa sociedade Masnica, i3o inimiga-d
igreja de Daos, to perigosa arfara a> se-
garanca das reinos-
Na verdade, veaeraveis irmaos, exiari-
asentamos omaior pozar e amargura, vendo-
qee algamas pessoas, quando-se trata> de
neprovar esta seita. segando- as constitai'-
qoos dos nossos predacessoresr se mostrara
to frouxaa,- e quasi adormecidas, quaado
m to grave negocio as exigencias da
suas funcepes e do -seu cargo demandat-am
iue mbstrassem a aaaior actividade.
Se alguns, porm, pansa que as-sona-
tituicSes apostlica, pubicadas sob pena
de anathema contra as seitas- ocultas e seu
adeptos a-fautores n3o tem nenhuma. forca^
nos paizes onde a ditas seitas s3o tolera-
das pela autoridad civil, esses esto segu-
ramente n'm g.-adissimo erro.
E' cerno sabeie, veneraveis irmes, ji
nos temos reprobado e reprobamos, son-
demnamos boje de novo a.facidad dessa
m doctrina.
Pws acaso poder supremo d- apa^-
(1) Bulla de 29 de abril de 1738,
(i) Bulla d*} 18 de maio de 1734.
A condessa, ao conhocer o criado Fron-
tn, acompaado pelos dous mal encarados,
presen ti o nova catastrophe e entrou a tre-
mer.
Quem s3o e o qae qaerem ? bradou
Francisca resoluaamente.
Ninguem reseondeu, e Frontn estendeu-
do a mi para a senhora da Rabn, disse
aos agentes:
E, aquella, a pessoa qps procurara..
Um dos esbirros adiantou-se e pergoa-
toa quasi com delicadeza
Foi a senhora qoe ha tres dias se
apresentou no castello de Rabn ?
Foi.
Foi a senhora que faltou senhora
condessa ?
Fallei marqoeza do Aobray de Cha-
vigny.
- Era esse effecti va mente o sen nome
antes do segando casamento. E' a senhora
em summa qae. se chama Simoa Rayraun
do ?...
A iofel z estrmeceu ao oovir de repen-
te aqaelle nome, pronunciado dianle de si
por uma das religiosas da Salpetritre. e
qoe Ihe queriam impor. Iam, pois, reatar-
te todos os anotis da infernal cadeia 1
Nlo, bradou Mara com desesperada
energa, eio aba Simoa Rayando... I >
Enl3o qaea a senhora ?
Son a condessa Maa de Rihon, i
mulher legitima do conde Annibal.
E eu o atiesto, ea Domingos, anligo
criado do conde, disse o vefbo servidor
qae eslava presenceando aquella scena.
Nos o attestamos) accrescentaram
coa firmeza Jlo Roberto e Francisca.
Os doas esbirros olharam-se e sorriram,
Forte esqaisitice I marmarou Froo-
tin, desalando uma gargalbada irnica
Aprsenlo os meus respeitos senhora con-
dessa!
Mioha senhora, disse om dos agentes,
a carroagem est aqui perto. Qaeira vir
eomoo
ao auge do horror. Imo auoca
itreJecoss
sociedade macan/ raesma
especie, qae se propagan de dta em da
sob apparencias dvers im abor-
ta oa elaodestiD3raeote cor 1 00
contra os poderes legtimos, e querera >s qae
por todos os fiis ebristios de qoaiqaer
condiQSo, grvjr e dignidide, e ende qoer
que vvam, sejto avidas por proscriptas e
reprovadas por ufo, sob as mesmasjpenas
qoe est3o especificadas as citadas coiwti-
taicoes dos noesos predecessores.
Agora s 00 mea, para satisf zwn*)
ao> votos 4 solicrtude do nosso paternal'
concito, advertir e excitar ee fiis que i
tiverem asiociado a seitas desta natureza* e
cahirea* em si e abaadonarem esses funes*
tos ajuneimentos e concilebtrfos, para que
n3o se^h) arraslados m abysmo da roma
eterna; qmnto, porm, aos domis fiis,
choos de solrcitude pela almas, as os ex-
hortamos vivamente a prewverem-se das
palavras prfidas dos sectarios1 qoe, sob
appsroncis honesta, estio infl'amndos de
odio ardente*oontra a religWo de Ghristo e
autoridades legirrmas, e queso'tm ora pen-
satpenio unice'.-O'de aniquilar todos o di-
reitos divinos rhoraaaos.
taes seitas sie como- esses lobo1 qoe Cbrsto
Senhbr Nosso predlsse havam de vir, CO'
bertosde pelles d&*cordeiro, para dvora-
rem'c>rebanho : Oqoem sabendo* qne dveos
ser ti-los no numero*, daquelles cuja' pnnvi--
yveneia e accesso do-tarmodo nos prohibio-
1o apostM>, que expressaraente mandn qne-
'nem serjuer Ibes dfesessemos ^Dftas te-
salve.
tPermtte Deus, rico de misericordia,
oovud as preces de mw lodos, qoe com 0-
aodlio da soa graca, os insensatos voltem
razi, e es ext>*avadbs tornnm a entrar
no cammtio da justifa; permita qae,.repri-
mido o furor dos horneas perversos, qae
por meio das sociedades aerm mencionada,
traralo projeetos imors e criminosos, a
igrej* e a sociedade haorana possSo ver-se;
desaffrbntaila orna vez- finalmente de-males'
t3o aomerosoe e inveterados !
t Para'qne os nossorvotes sej3o onvidos
oremos tambem i nossa-Muteroessor* junto
de Deus clenseotissimoy Santissiraa VTr-
gem, sea mar Famacofada' desde a soa con-
ceic3m i qualbi dalo smagar os inimi-
i?os da-igrej* e os monstros do erro r im-
ploremos igoahoente a proteceo dos bama-
venturedos apostlos S. PBdro e S. Paulo,
por cej glorioso sango- se consagro-esta
eidade aogusta. Temos'conftanca que com
o sen auxilio e pooteccSo -altea^aremos mais
fcilmente o qoe pedimos i bondade di-
vina.
contare reger o reoanho universal do S;-
nhorque na pessoa do beatissimo Ifedro,
os pontfices romanos receberam de Cbristo
Seab-^r Nosso, e o magisterio supremo que
devana exercer na i^rejaKpoder3o depender
do poder, d*iil, 00-por qualqoer raza ser
reprimidos 00 coartado por elle ?
Nestas circumstancias, para qae os ho-
rneas pouco prmentesv e principalmrate a
mocidade, nao sejengaados, e para que
do nosso silencio nSo. se tome occasi3o de
(3) Bolla de 13 de siembro de 1821.
(4) Bulla de 13 de margo de 1825.
*- Pois assim preciso.
Para onde me querera levar ?
- E' esc usado responder a essa per-
ganta.
J Ih'o disse e jaro-osou a con-
dessa de Rabn.
Nao temos nada com isso. Recebe-
mos ordens, execatamo-las. Toda a re-
sistencia seria intil. Venha comnosco, e
n3o queira obrigar-no triste necessidade
de recorrer forca.
Neste cmenos kiterveio o procurador.
Meus senhores, disse elle, ea sou
tambem dajusticj, e estou encarregado de
defender os interesses d'esta senhora, quer
seja Simoa Raymundo, como os senhores
dizem, ou a condessa de Rabn, como ella
affirma. Pogo-lOes, pois, e intimo-os, se
preciso, para dizerem a que ordens obe-
decem.
Tem todo o direito a rsso, senhor da
jostca. Aqai tem o mandado de prisao.
Pode ver qoe est legal.
Basteu ao procarador detar um olha-
della ao terrivel pergaminho : mudou de
cara.
Ea oome do rei I balbuciou. E'
preciso obedecer. Observo, todava, que o
nome aqui escripo Simoa Raymundo, e
esta seohora nao se chama Simoa Ray-
mundo.
V dizer isso ao rei, volveu o agente.
Vamos, minha senhora, que s3o horas.
Mas em somma, bradou a condejsn
contorcendo as m3os, de qae me accasam?
Porque motivo me prendem ?
O agente apresentou-Jbe o mandado,
apontando com o dedo estas duas palavras:
LOUGUHA. r-ERIGOSA.
Loocura I sempre bucara t repella a i
senhora de Rabn exaltando-se, Ah I in-
fames I infames I Bem sabem o qoe fa-
zom I bem sabem o qae qaerem I Endoa-
decer-me-liiam de certo, se eo n3o pre-
1 morte l
E fariosa, irresistivel, correu para ir des-
pedacar a cabeca contra a pare
Domingos dea um passo e agarrn feliz-
Pelo-qne fiea dito claro como a lez me-
ridiana, qae hofe faz parte da doctrina ca-
tholica a excommonhSo tao justa e sabia-
mente falmtnada pela igreja, cootra-a ma-
fonara e todas as sociedades secretas, qoe
excommungadas como esto, oo podem
mereeer-concetto e conflSnca daquelle qae
aspirarem-o lugar nJerusalem Celeste,
o Paraizo;
Rematando as toscas eonsideracSes que
ficam feitas^ permtla-se-me que eo-sirva-me
de uma argtrmentacSo clara e irresiyndivel
de um jilustre escrpo. nosso contempor-
neo, a-q-nem tributo verdadeira homenagem
e respeito.e para qu-al chamo attencab
dos macoesque ainda s3o suseeptiveis da
cDnvers3o.

^Ella a seguinte :-0 cathofiismo, 'sen-
do a express3o fondamental daverdade, nSo
se p-'e sahr delle sem cahir lgicamente
no alheasmo, que a expressa^ fundamen-
tar do erro. Sopponhamos com effeito um
philosopbo qne nega obediencia igreja em
qiialqner de seus roandamentos obrigando
suagravi, e portanto o qoal-depende a sal-
vado, a confissSo, por xempo.
(QcMtimtHrse-haif..
mente a condessa pelo falo. Assim conse-
guio, nlo evitar o cheqne, mas ao menos
amortece-lo."
A senhora de Rabn teve, nao obstante
uma comrooc3o cerebral t3o violenta, que-
cahfo qaasi desmatada nos bracos de Do~
mingos.
Creiam o qae Ihes digo, pondero o
agente eem modas compassivos, melbor
aprovear esta especie de desmaio para
levar para a carroagem esta pobre mulher,
que segundo creio nSo commetteu nenbum
crimo, mas qoe me parece dooda varrida.
Evitaremos assim om lance costoso, uma
seoaraco dolorosa. e promettemos ter para
com presa os maiores cuidados.
Domingos interrogou eom a vista o ho-
bomem da justica.
O procurador volvea com aa aceno de
cabera qae approvava as palagras do
agente.
Pois bem, seja assim I murmurou e
velho servidor. Campra-se mais este ctU
me, j qae Deas assim o qoer I
E levantando novamgnte o corpo inerte
da condessa, cujas maba Francisca beijava
toda choros, levou-a para a aioistra car-
roagem, onde tantas lagrimas bavia j cor.
rido.
Mdus valentes amigos, disse irnicamen-
te Frontn para JoSo Roberto e Francisca,
dou-ihes de conselho, que iratem de fazer a
troaxa e de pdr-se a caminho ; aqai entre
nos, muito me espantar qoe anda esta
nonte fiqoem na granja.
Ah I elle isso ? murmuro Joio Ro-
berto. Pois espera t tu mea patie, rais
pagar por lodos'.
E agarrando no criado com a m2to es-
querda, pegou com a mo dreiw n'om
varapo de marmelleiro, e deulbe ama
granle gore, grande, mas, digatao-lo de
vez, b8m merecida.
(Coniar-*fl-a,)
v.
/
\
f
i
. \

TYP- DODURIO-!
mi
In
^^ai


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E975TCFHT_5L67OU INGEST_TIME 2013-09-19T21:01:19Z PACKAGE AA00011611_13056
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES