Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13039


This item is only available as the following downloads:


Full Text
i l>


J
If I ......I II I ^
- AMO XLIX. NllEltO 2(4
-J 'fc--------------------------1----------------------------------------------------------
VXHX A CAPITAL K LUGARES 0\DE SA SE PAGA POBTB.
Por tras ra oes adiaulaios................ jfoOO
l'or seis ditos dein.................. ljj*000
l'er uro amio dem.................\ 140000
Caai* nueaio avulso.................. 3*0

QUIMA feira 18 DE SETEMBRO 1)E 1873
PAEA IE YTBO E FBA DA PBOVISCIA.
Por tres meics n Por seis ditos dem. .....'............
Por note ditos idetn......,...........
Por um nno idem.............,..'..
PROPRIEDADE DE MANOEL FICUBIROA DE FARIA & F1LH0S.
Os Srs
- '-
GerardoAntonio Airesift Filhos.no Para; Gon$alves Pinto, no Maranho; Joaquina Jos de Oveira d Fio, no Cear; AnMio de Letuu Braga, no Aracatj ; Joao aria Julio thaves, no Assii; Antonio Marques ds Sts, no 5stal; Jos Jssti
P%reira d'AImeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, ua Parahyna ; Antonio Jos" Gomes, ua Villa'da PaJata; Belarmino dos Santos Bulcio, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, emNazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joao Antonio Machaeo, no Pilar das Aiajjog j Aires C, na Bahia ; e Leite, Cerquinho C. no Rio.de Janeiro. -
m
XX
parte ornciAL
Ciovcnio ala pro iuria.
EXPSDISJTK IX) DIA SO BX ItJ.TBO DK 1873.
/.* S-Cc
Acto-
- O presdeme di provincia, atlend udo 10
0,110 requeren. Joao Francisco de Souza, resolve
coueeJerlhe lceuea para embarcar cora desuno
jmi presidio de Fernando de Norunlia, mi primeiro
vapor que pa a all seguir, a seren entregues a
Joe Goncalves de Macedo, O* gneros constantes
da relaeao jimia, asignada |Hlo secretario interi-
no denla p esideueia, os quae* nao poderlo sur
desembarcados sem que utr parte do eoinmandaii
te daqoelle p esido so proceda a exame, aiim de
se verificar si ha agua deute nu outra qualquer
bebida espirituosa.
Oilicns ;
Ao brgadeiro comniandante das armas. -
Mande V. Exc. |*'r em lilterdade o rUtuto Jerni-
mo Emiliano de Castro, que provou sericae legal.
A) mesmo. PJo V. Exc. por eiu liberdade,
visto seren ncapazes d servir., s-gund > o termo
de nspeeeJio annexo ao sen offlcio de boutem da-
taJo sob ii 616, os reerutas Amancio Francisco
llezerra, Antonio Flix dcPoutes t'edrosa, Jos Ale-
xandre e Pe Ir > Muniz.
Ao director do arsenal de guerraMande
\ iv.:., de conformidade com > pedido junto, forne-
cer ao commaudaute do 2 batalho de infamara
."'H) pires de sapatos para pagamento das respe
tivas pracas no 2 semestre do corrente anno.
Ao engenheiro das obras militares. Heco;n-
raendo a Vine, a inaior urgen-a na execucao dos
concert* que urdeiici por otlicio de 28do mex pas-
sado, no tocto que Jos.ibou de um dos comparti-
mentos d> quartul do deposito de reinita-, visto
como a falta desse reparo poz o repartiuieulo con-
tiguo em risco de tambem desabar, secundo re-
presenta o brigadern commandanle das armas em
offlcio de huntein, sol n. 637.
2.' secru.
Mu:
O presidente da provincia, > di f)r. chefe de polica n. 1148 de 26 do corrente,
resolve exonerar lo cargo do.delegado do dis-
trelo do termo desla capital o bacharel Aotouio
Gjacalves Ferreira, nomoado chafe di 3* secca >
da secretaria da presidencia.
O presdeme di provincia, de conformidale
c-im a proposta do Dr. chefe de polica em ulflro
n i lis de 46 do corren'.*, resolvo nomea o b.i-
c.iarel J is Augusto F-!rr.:i'a da xtsta para o carg <
delegado do i* districto do termo da capital.
0 presidente da provincia, atteiidundo ao
que requeren Fr.in.Msco Mantel Wandiiiev Lins
Jnior, adjunto do promotor publico da comarca
de Palmares, no termo de \gtta Pn-la, remira
coQede -Ihe tres mazis de licenca para tratar de
saa saude onde lh'< coiivier.
0 presidente da provincia resolve nomear
pan exercer in:e iuamente o lugar de administra-
dor da casa de deteucio o bacharel Pedro Gaudi-
utle II itis e Silva.
0 presidente da p orincia, vista do oTlcio
do jai7. de dreito da comarca de Carua de 5 do
camote, e de conformidade com o disposto no
ai t. i S 7 .la lei n. 2033 Je 21) de setembro de
1371, resolve nomear o cidado Joao l'.id o Gou-
calves da Csuz adjunto dn pronotur publico da co-
inarca de Caiura, no termo de Panchas.
Olllcios:
Ao t chefe de nolicia.Transmittin lo a V.
S. o otlicio, unto por copia, di juiz municipal do
termo de Tacaran!, Ihe rccoimnendo que provi-
d-ucie de modo a ser preso e ptinilo qnem estivej
ora culpa pelo facto constante do dito offlcio.
At inesuio. -Xao pode pur ora Hr salisfeito
0 pedido de V. .S., de um corela e armas, requi-
..das pelo delegado do t'-rmo doEx.
Ao mesmoHespondeii.)) o offici) de V. S.
u 1136, de 23 do correte, tenho a diz-r-lhe qae
recommende a punieao do criminoso, de que trata
o dito offlcio, trasealo opeortnaamente ao eonbe-
siiueiito desta prosiiencia o resultada do pro
cesso.
Ao mesmo. -Declaro a V. S. eai rasposta ao
SOS Offlcio n. 1139, le 23 lo corrente, que oppor-
tunamenle ser satisfeila a requisi^iu de nm dos-
Ucameato para a districto de l*i neoleiras.
Ao uieS'no.=Tr-i;-iiit!md a V. S. o offlcio
junto, n. 360 de 23 do eorreute, que devolver,
d commandaate do corpo de p Ii ia, Ihe recom-
roendo que provideu ie de modo a evtar-se a n-
produc.'ao dos faetos de que se qtieixa o dito cora-
mandante.
Ao mesm. -Em resposta ao offlcio de V. S.,
de 21 do correle sob nJI3i, lenho a dizer-lbe
que devendo um dos empregados dessa repartir
ser o thesoure'ro, aerara V. S. nomear um delles.
para exercer o dito carg; fazeiido-lhe seutir que
a recusa importar a perda igualmente do cargo
que exercer.
Ao commindante superior do Kecife.Em
r -sposta ao seu offliio de 23 Jo corrente, sob n.
360, declaro Ihe que, nao tei.d > o guarda nacio-
nal recrutado Martiuh > Jos de Oveira isencao
legal do rccrutamciiti', nio pode ser pesio en
liberdade, com solicita o commandaote do l. ba-
talhao de ariillura da gnarda nacional s.ib o seu
commindo separtor.
Ao juiz de di re lo di Buique. liileirado de
quanto me participa en affleki de 18 do i>rrente
tenho a dizer-lbe que espeto proseguir de a-
cerdo com o delega lo do 'e mo na |ier.-eguifo e
captura dos criminosos que vagam ness.i comarca,
de modo a sema punidos.
Ao juiz de direito de Fiares. -Com o parecer
junto, por copia, do desi-mbargador procurador
da cora restwn lo o ollicio de V. S, de 29 de
abril prximo pa-sado.
3.' sec(iio.
Olllcios :
Ao iuspeetor da Ue-ourarii de fizendi.-
Mande V.S. relevar o tiara i de Uiiuga da multa
em que incorrm por alo h.ver declarad no de
vido lempo o naseimenlo da ingenua Kosa, filha
legitima de seus atoraros David e Domingas e sobre
sob n. 263, serie t.
Ao mesmo. Aftendend ao que expendeu o
capitn de mar e guerra refirmado Ludgero de
Salles e Oveira no iuclose- requei imento, a que se
rofeie sua iulrirma^o de >l do eorreute u. 227
ene D, autoriso V. S. a maudar pagar ao supph-
cante sol a responsabilidad!! da presidencia o
saldo a-que tiver direito, relativamente ao mez de
mam ultimo e a este, islo acharse elle eompre-
liendido as disposices Jo decreto n. 2886 Jo I
de fevereiro de 1861
Ao mesmo.Ficu unir lo, pelo offlcio do V.
S, de 20 do corrente, de se abanm distribuidos
pilas diversas cmaras municipaes da provincia os
ciixoes ciiendo os pesos de metida pelo novo
sysloma decimal, e que para terem esse 1 -',io
nie foram remettidos da curte.
Ao mesmo Commnnico a V. S. para os de-
vidos fins qae a 18 do mez prximo passado as-
sumi o sopplentedo juiz niaai^pal do Flores, Pe
dro i'essoa de Siquera Campos, o exercicio inte-
rio do cargo de juiz de direito da comarca des?e
nome.
Ao mesmo.-Comumnico a V. S. para os de-
vidos fins que a 8 do mez pnximo passado assn*
mo o exercicio do cargo de juiz de direito da co-
marca de Boa-Vista o bacharel Francisco Santiago
Accioli Lins.
~Ao loesmo.Transmiti Y. S. os inclusos
prets em duplicata que me remetteu o comman-
daote superior do municipio de Tacaran! cora of-
ficio de 2 do corrente alim, de que mande pagar
a Flario Goncalves Lima os veneiineut do des-
tacamento da guarda nacional existente no dis-
tricto de CampiAps, a contar do 1. de abril a 15
Be maio pretrito, coufo rae indicara os menciona-
dos prets.
Ao mesmo.l'rovjdeucie V. S. no sentid o de
seren pagos, a vista das follias juntas em duplica-
ta, os vencimentos do destacamento da guarda na-
cional estacionado na villa de Petrolini, concer-
nentes aos inezes de marco e abril ltimos, se-
gando solicita o respetivo commandante superior
em oiflcio de 6 do corrente.
-Ao inspector da thesouraria provincial.-Em
vista da conta documentada appensa ao incluso
requerimento, mande V. S. pagar aos respectivos
emprezarios a quanlia de 8:0874700, em que un-
porteo a illuminacao publica desta cidade uo mez
de maio ultimo.
Ao mesmo.Communico a V. S. paraos de
vidos iins qae per portara de boje foi nomeado
Joao Izidro Goncalves da Cruz adjunto do promo-
tor publico da comarca de Caruar no Puco de
Paneiias.
Ao mesmo. Mande|V. S. pagar, vista da re-
lacao nominal eprets juntos em duplicata, os ven-
cimentos das pracaa da guarda nacional destaca-
das ua villa de Serintiein, correspondentes ao mez
de maio ultimo, conforme solicitou o respectivo
commandante superior em oflk'o de 21 ao cor-
rente.
5." tec$o
Portara :
Os Srs. agwM s da companhia de navegacao
brasileira mandem trasportar curte por conta do minsUtrio da guerra o I. cadete Bellarmino
Jos da Cunha Rabeo, que vae reunir-se ao seu
baialhao, i." de aitilbaria a p.
KXPSDIK.NTE DO SKCaKTARIO.
1.* seccao.
Offleios :
Ao brgadeiro commandante das armas. -S.
Exc. o Sr. presidente da provincia, tendo reitera-
do suas ordens para ser quanto ante.s reparado o
tecto que dcsabou de um dos compartimentos do
piara da Sohdade, a*sim o manda declarar a V.
Exc, em resposta ao seu offlcio de hontem sob
n. 637.
Ao mesmo.-0 Exm. presidente da provin-
cia manda declarar a V. Exc, em resposta ao seu
offlcio desta data sob n. 639, que ficam expedidas
as necessarias ordens, para ser transportado
corte.o cadete lellanniuo Jos da mana Ha
bello.
2. setrao.
Offleios :
A Dr ebefe de palica. 0 Exm. Sr. pre-
sidente da provincia manda declarar a V. S., para
os devdos flus, que por portara de hoje foi no-
meado administrador interino da casa de detenco
o bacharel Pedro Gaudiano de Hatis e Silva.
Ao mesmo.-De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, transmuto a V. S. o titulo jun-
to de nomeaco do delegado do 1* districto desta
capital, de conf rmidade com a proposta de V. S.
em offlcio n. I, I i8, de hoje datado.
Ao commandante superior do municipio de
Sernhera. De orden do Exm,'8r. presidente da
provincia, communico a V. S. que a thesouraria
provincial foi nesla data autonsada a mandar pa-
gar os venimentos das pracas da guarda nacio-
nal, de qae trata o seu ofllco de 21 deste mez.
Ao commandante superior do municipio da
lioa-Vista. 0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S., que a thesouraria de fa-
zenda foi neta data aut irisada a pagar os venci-
mentos d > destacamento da guarda nacional, de
que trata o seu offlcio de 6 deste mez.
Ao commandante superior de Tacarat.
S. Fxc. o Sr. presi lente da provincia manda com-
muniear a V. S. que nesta data expedio ordem
t':esouraria de f izenda, no sentido de serem pagos
a Flavio Goncalves Lima os vencimentos do desta
camento da guarda nacional, de que trata o seu of-
ci de 2 do corrente.
Ao presidente e niembros do conselho do
qualiGcacao da guarda nacional da parochia de
Grvala 0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a Vv. Ss. que licou inteiralo, por
seu offlcio de 21 do corrente, de e haverem con-
cluido o trabalhos dn conselho de revisao da guar-
da nacional dessa parochia.
Ao coronel Jos de Carvalho de Araujo Ca-
valcante.. 0 Exm. Sr. presidente da provincia
manda aecusar o recebimento do offlcio de V. S.
de 6 do corrente em que participa ter, por in-
commodos de saude, passado o exercicio do com-
mando superior da guarda nacional dos mnuici-
pipios de Garanhuns, Bom Conselho e Buique ao
tenente-coronel commandante do batalho n. 29.
Ao tenente-coronel Manoel de Albuquerque
Cavalcante eco, -o Exm Sr. presidente da pro
vnca manda acusar o recebimento do offlcio de
V. S, de 6 do corrente.'em que participa ter assu
mido o exercicio do commando superior da guar-
da nacj. nal de Garanhuns.no impedimento do
coronel Jos de Carvalho de Araujo Cavalcante.
Ao tenente-coronel Vigente Mendes Wander-
ley.-O Exm. Sr. pre-idente da provincia mana
aecusar o recebimento do offlcio de V. S, de 12
do corrente, em que participa terem nessa dala se
concluido os traballns da junta de revisao da qu
lilieagao da guarda nacional da parochia de Se-
rinhem.
Ao juiz de direito de Garanhuns. 0 Exm.
Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S.,para os deridos lins, que pr pflrtaria desta da-
ta foi nomeado Joio Izidro Goncalves da Cruz,
adjunto do promotor publico dessa comarca no
termo de Paneiias, le conformidad cora a indica-
cao de V. S em offlcio de 3 do corrento.
A'1 tenente-coronel Pedro Pessna de Siqnei-
ra Csmpos. O Exm. Sr. presidente da -provincia
manda aecusar o receb ment do offlcio de V. S.,
de 28 do mez prximo passado, om iue partici-
pou ter nessa data assumido o exercicio do cargo
de juiz de direit i da comarca de Flores.
Ao bacharel Pedro Gaudiano de Hatis e Sil-
va.Por esta secretaria se communica ao Sr. ba-
charel Pedro Gaudiano de Ratis e Silva que por
portara de hoje foi S. S nomeado administrador
interino da caa de detenco.
Ao Sr. Francisco Santiago Acioli Lins.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda aecu-
sar o recebimento do offlcio de V. S., de 8 do mez
prximo passado, em que participa ter nessa data
assumido o exercicio do cargo de juiz de direito
da comarca da Ba-Vista.
3.' lec^ao.
Offlcio :
Ao inspector da thesouraria provincial.-O
Exm Sr. presidente da provincia manda curamu-
nirar a V. S. que por portara de hoje foi nomea-
do o bacharel Pedro Gaudiano de Ratis e Silva
administrador interino da casa de detenco.
4.' serano
Offlcio :
Ai bacharel Jos Vicente Meira de Vas-
concellos Tendo S. Exc. o Sr. presidente da
proviucia resolvido nesta dala designar V. S. para
exercer o lugar de o facial de gabinete da presi-
dencia, assim ojraanda coramunicar-lhe, afira do
qne entre em exercicio.
XPKOIBNIKDO DA 27 DE JUNHO DK 1873
i." MCfV).
OlflclOS :
Ao brgadeiro commandante das armas.
Pode V. Exc. mandar por em liberdade os recru-
U* Genesio Libaoio de Albuquerque, Miguel Go-
mes Utinga a Simao G une da As^aimpco, visto
serem incapazes do servico militar, segundo o
termo de inspeccao annexo ao seu offlcio de hon-
tem dala lo sob n. ti43.
Ao mesmo. Declaro a V. Exc, em addita-
ment ao meu offlcio de 2o do corrente, que o ci-
rurgio-mr de brigada, Dr. Jos Zacnarias de
Carvalho, deve continuar no exercicio do cargo de
delegado do cirurgio-mr do exercito, at a sua
retirada para a provincia do Amazonas.
Ao mesmo.Sirva se V. Evc. do fazer cons-
tar ao tetieiite houotario do exercito, Miguel Joa-
quim do Rogo Barros, em snlueao ao seu recurso
ititerposto para o goveroo imperial /la decisao do
commaulaule do presidio de Fernando, negando-
Ihe o abono de sollo quando exercia o lugar de
secretario do referido presidio, que por aviso do
ministerio da guerra, de 20 do corrente, foi appro-
vado o procedimento daquelle eommaudante pur
estar de acord com o disposto na circular de
23 de de/cuibro de 1868.
Ao mesmo. Siiva-se V. Exc. de nomear
urna commssao de oflciaes do exercito, que na
forui i das ordens em vigor v examinar varios
voluntes vndos da curte no vapor Guar, e re-
colhidos no arsenal de guerra.
Ao mesmo.Tendo approvado a deignacao
que na data de 26 do correte fez o coronel An-
tonio Gomes Leal, nomeado pelo aviso do ministe-
rio da guerra, de 9 do corrente, para iuspecci.-
nar o presidio de Femando de Norouha, do majur
Antouio Dornella i Cmara e do capilo Manoel
Clatidino de Oveira e Cruz, para servirem aquel-
lo de ajudanle de ordens e este de secretario ; as
sim o communico a V. Exc, aflu de que a-sim o
faca constar aos designados para a devida execu-
Cao.
Ao inspector do a seal de marmita. -Emit-
a V. s. com urgencia o seu pa'ecer acerca da
inclusa informacao da thesouraria de fajen la. re-
lativamente as vantagics que em favor dos cofres
public s offerece Manoel Antonio de Jess, pelo
fornecimento de pao e b dacha ai na /ios da ar-
mla e estabelecimenl de marinha, no trimestre
de julho a setembro pioximo vindouro.
Ao coronel Antonio Gomes Leil. Appro-
vando a designarlo que, segundo mo commuui-
ca em seu otlicio de hootem, fez V. S. na mesma
data do inajor Antonio I) irnellas Cmara e ca-
pilo Manoel Claudino de Oveira e Cruz, ambo-
reformados, para servirem o primeiro de ajudanle
e o segundo de secretario na coiomissao de jn
foi V. S. incumbido pelo giverno imperial, de ins-
peccionar o presidio de Fernando, expero as cin-
venientes ordens para que os dito* offlciaes sejam
postos sua disposieao. Fica deste modo resqioii
dido o seu citado offlcio.
Ao director do arsenal de guerra. De con-
formi lade com o que determina o aviso do minis-
terio d guerra, de 18 do corrente, d Vine, suas
ordens, alm de que do calcado enviado para este
arsenal pela intendencia da guerra seja reinetti-
do para a companhia de infamara do Rio Gran
de do Norte, os 17; pares de sapatos, mandados
fornecer por aviso de 21 de Janeiro prximo pas-
sado, beiii como tolo o i'ardainento de que trata o
mesmo aviso.
Ao mesmo. -Tra ismitto a Vmc para os lins
convenientes, as tres chaves inclusas, sendo duas
dos entres de munieao e urna da caca de espole
tas, romettdas da corte para esta provincia no
vapor Guar, as quaos por omi-so fii.rara all.
Ao mcsim.. De conronnidad com omiso
do ministerio da guerra, de 19 d correte, man-
de Vmc fornecer companhia de operarios mili-
tares desse arsenal os objeclos constantes la in
elusa nota, de 16 deste mez, orgauisada na re-
panica i do quarlel-mestre general.
ao commandante do presidio de Fernando
de Xoronha. Em cumpriuiento ao aviso do minis-
terio da guerra, de 16 do corrente, receba V. S.
opporlunamente Desss presidio, alim de abi cun-
irrirem as penas a quo foram condemnados, os
sentenc iados de jostica Jos Furtailo da Rosa, lo-
s Mar'a do Espirito-Santo, Belizario Joaqun,'
africano, e Luiz, pertencentes a provincia do Espi-
rito-Santo.
Ao mesmo. -Constando de aviso do ministe-
rio da guerra, de 9 do correte, ter sido na mes-
ma data nomeado o coronel do estado tnaior de
2' ciasse Antonio Gomes Leal para, em execucao
do disposto uo art. 38 do rsgulamento annexo ao
decreto n. 3,40', d II de fevereiro de 1865, in-
pec.cionar esse presidio""; assim o communico a V.
S. para seu conliecimento e alim de que preste ao
mesm i coronel os esclarecimetitosde que ello bou-
ver mister para o desempenho da sua missao
Ao conselho de compras do arsenal de ina -
rnha.Ficam approvados os contracto" constan-
tes do termo que rete annexo ao seu offlcio de 9
do corrente, menos para o fornecimento de pao e
bolacha, que esse conselho dever por novamente
praca.
Ao engonheiro encarreg .do das obras mili-
tares.De conformidade com a autorsacao di mi-
nisterio da guerra, expressa no aviso de i 1 do
jrrente, mande Vmc. proceder ao encanamento
preciso para dar escoament s aguas pluviaes e
servidas do quarlel da Soledade, eslagnadis em
frente ao nvsino e as suas adjacencias; deveudo,
porm, a respectiva despeza ser feita dentro do
lmite do orcaraento, na importancia de 1.2i2670,
que acompanhou o seu offlcio de 6 de maio prxi-
mo Ando.
2.' seccao.
Offleios :
Ao Exm. desembargador procura lor da cora.
Queira V. Exc. emillir parecer sobre o que con
sulla o promotor publico da Escada, no offlcio que
envi e que devolver.
Ao Dr ebefe de polica.Instando o juiz do
direito da comarca do Cabo, em offlcio de 2) do
corrente, pelo arrendameuti de una casa que sir-
va de prisao no termo de Ipojuca, autoriso V. S a
mandar contractar alguma que se pre>t esse
flu, mediante coutracto escripia, que so] ter vi-
gor depos .de approvado por esta presidencia.
Ao commaud'iute d) corpo de polica.
Mande Vmc. destacar em Serinbem, disposieao
das autoridades poltciaes, 6 pracas do corpo sob
o seu eommaudo.
3' secfSi.
Actos :
0 presidente da povincia tendo ern vista a
deinonstraea que veto annexa informa.ao do
inspector da thesouraria de fazeud. de h miera,
n. 282 seri D, resolve, nes termos d > art. 5* do
7* do decreto 2.88 do de fevereiro de 1862, au-
torisar sob a respmsabilidade da mesma presiden-
cia um crdito suplementar na importancia de
1:06i 1662 verba Reformados do ministerio da
mariulia, alim de poder aquella thesouraria oc-
correr no actual exercicio ao pagamento da despe-
ra com o pe-soal inactivo do referido ministerio.
0 presidente da provincia reselve nomear o
Dr-. Pedro de Athayde Lobo Moscoso e Lua Jos
Correia de S para inspeccionarem o lente- .-o-
ronel Joao Valenlim V lela, chefe do archivo da
secretoria da presidencia, que requereu a su* p"
sentadoria
0 presidente da provincia resolve jtmear
urna commssao composta do regedor interino do
gymnasio provincial, Dr. Augusto Carneiro Mon
teiro da Silva~Santos, do director da escola nor-
mal bacharel Alvaro Uch Cavalcante e do Dr.
Jos Joaquim Tavares Belfort, e hachareis A)re
de Albuquerque Gama e Eiequiel Franco de S,
para indicar as reformas que convm adoptar-se
no actual tegulamento do mesmo gymnasio, ser
vindo.de base os tres projectos de reforma, orga-J
nisados, um pelo Dr. Joaquim Jase de Campos da
sirus e 'Ibuquerque, outro pelo bacha-
> Jaciatho Sampaio e outro pelo refe-
lor interino.
esidente da provincia, us indo da auto-
n^cao-ane Ihe eonfere o art. 33 da le n. I,- 61,
de 13 ee.juoh di anuo passuli, e ten lo em vista
o regulaaienU do I de atiril ultimo, resolve no-
mear JUaioiano Macha lo da Cunha Prannos,
agente jpetM dos dire.to dos gneros agrenlas
denla pnvincia em Maceio.
- tjijresidenie >ia provincia res dve annexar o
inunicijB de Aguas Bellas coliectoria do de
Bom Caftelbo.
OJtewi:
Ao inspector da thesouraria de fazenna. -
Commuaid) a V. &., para os devidos fins, que nes-
ta data arbitro a gratilicacao mensa! de 60S a Joao
lavares de Olivera, eucarregado do n aumento dos
indigente- atacados de varila no termo de Gara-
nhuns, A qual dever cessar logo que estiver en-
tnela a dita epidemia.
- AO mesmo. Transmiti a" V. S. para os
devidoi fins a inclusa ordem do ministerio d i guer-
ra, datada de 15 leste mez
- Ao mesmo. Transmiti a V. S. a relacao
nominal e pret junto* em duplcala, que me re-
metteu o commuidante superior uterino dos mu-
nicipios de Flores e Villa Bella com ufflcio de I
do corrente, ani de que mande pagar os venci-
mentos d i destacamento da guara nacin il exis-
tente na villa de lugauira, relativos ao mez de
maio ultimo.
Ao mesmo. Com a portara juma por co-
pia, pela iioal reviv, nos termos do art. 5* } 7- do
decreto a. 2,88 de I de fevereirojde 18*ii, autorisar,
sob a respoiisahilidade desla presidencia, nm ce
dtii supplemeuur na importancia de i:06j662
verba Reformados do ministerio da marinha,
ftca essa repartir habilitada a ccorrer uo actual
exercicio ao pa/amento Ja despeza com u pesso il
inactivo do respectivo ministerio.
Ao mesmo. Oiiuiiiunico a V. S., para os
dev los los, que a 23 do corrate mez eutrou o
bacharel Augusu Egidio de Cistro Jess no go
so ila brenca que Ihe foi concedida por esta pre
sidencia.
Ao mesmo. Determinando o aviso do mi-
nisterio da guerra, de II do corrente, que sejam
postos disposieao do coronel Antonio Gomes Leal,
incumbido de inspeccionar o presidio de Fernan-
do, para vervirem Ihe de ajudanle de ordens e de
secretario,.dius offlciaes do exercito dentre os effe-
ctivos oh reformilos, approve a designacio que
na data de hontem f -z n nv*sm< coronel do major
Ant> mo Dirnell-is temarae capillo Manoel Clau-
dino de iJlivvira Cruz, ambos reformados, aquelle
para exercer o lugar de ajudanle de ordens e este
i de secretario ; o que con munico a V. S para
os devi los effeitos.
- Ao mesmo. Transmiti a V. S., para os
lins convelientes, a inclusa portara, pela qual foi
nomeado ajudante do director do arsenal de guer-
ra desu pr.ivincia o major bonoraric do exercito,
Oomngos de Souza Leo do Reg Barros.
Ao mesmo. Constando de avisi, do minis
sobre os apparelhs da companhia Rtrife Driinage,
em substituirlo ao Dr. Symphronio Cesar Coutuho.
SXI'EDIKNTK DO SKCBETABIO.
1." seccao. .
Offleios :
Ao capilo do porto. De ordem de S. Exc.
o Sr. prest tente da provincia, sirva-se V. S. de
carros de carga, e comboyos tenham por abi pas-
sagem.
iiarila nacional. -Por portarla da presi-
dencia da provincia, de 16 do correte :
Foi transferido para o servico da reserva, a seu
pedido, Ernesto Veira de Araujo, capilo aggre-
...,._ gado do 3* batalho de infanlaria do municipio do
fazer constar a > eserivao da assoeiaco das prat-, Kecife.
eos desta-provincia, Goualo Rodrigues de Almei- j Foram nomeados : |ara capifio da 3* compa-
da Leite, que, segundo consta de communicacao nhia do 23- batalho de infanlaria do municipio
da secretaria de estado dos negocios da marinha,' de Santo Antao; lenle aggregado ao 8 esqua-
foi mdeferido o requerimento em que elle pedia drao de eavallaria desse municipio Joao Mariuh.
augmento de vencimentos. Falco Jnior ; para o 29 baUlho de infamara
Ao director interino do arsenal de guerra. do municipio de Bim Craselbo, tenenle da 1*
S. Exc. o Sr.'presidenle da provincia, tendo incum- companhia o alferes Francelino Brasiliano da Fi-
teri o di guerra, de 9,do corrente, ter sido nomeado
na mesma data o cor niel Antonio Gomes Leal pa
ra, sm execucao d i qnedisprio o art. 3S0 Jo regu
lamento aiinex i ao decreto n 340-1 de II de fe-
vereiro de 1865, inspeccionar o presidio de Fer-
nando de Norouha ; assim o communico a V. S.
para u flus couvementes.
_ Ao mesmo. Tendo resolvido que o emir-
gio mor de brigada, Dr Jos Zacaras de Carva-
ili-i, -iga para a provincia do Amazonas souieule
no lim do mez de julho prximo futuro, e que
continu at essa data no exercicio do cargo de
delegado do cirurgio mor do exe-cito ; assim o
comrauuico a V. S. p ira os devi los fins.
Ao inspector da theseuraria provincial Em
resposta ao seu offlcio de 23 do corrente sob n.
258, tenho a diter a V. S. que tica marcado o pri-
sa de 2 mezas para os coUeetores c cobradores'
nomeados para as colhclorias ltimamente crea-
das alim de preslarem as respectivas flaneas; pu-
dendo elles desde a entrar em exercicio.
4.- seccao.
Offleios :.
Ao Exm. Sr. presidente da provincia das
Alagoas. Communico a V. Exc, para seu couhe-
pjmeate, que por imrlara de hoje nouieei Alpi
niar.o Machado da Cunha Parauli is agente fiscal
dos drei'.os dos gneros agrcolas desla provincia
oe-sa capital.
Rogo a V. Exc. se sirva de expedir suas ordens,
ai sentido de ser o mesmo agente au iludo pelas
respectivas autoridades no desempeuho de suas
funeces.
Ao commondador Dr. Pedro de Athayde
Lobo Hoscoso. -Tendo por acto desta data no-
meado V. S. e o Dr. Luiz Jos Correia de S para
in-pec. onar o lente coronel Joao Valenlim Vil-
lela, chefe do archivo da secretaria desta presi-
dencia, .ue requereu sua aposentadoria; assim o
communico V. S. para os devidos lins. Mutatis
mulandis ao Dr. Luiz Jos Girreia de S.
Ao Dr. Joaqtim Jos Tacares Belfort. -Ten-
do por acto desta data nomeado ,V. S., o Dr. Au-
gusto Carneiro Moirteiro da Silva Santos, regedor
interino do gymnasio provincial, bacharel Alvaro
Uchoa Civalcaute, director da escola normal, e os
hachareis Ayres de Albuquerqne Gama e Ezequiel
Franco de Sa, para indicaren as reformas que
c invm adoptar-se no actual regulamento do
mesmo gymnasio, servia lo de base tw Ires projec-
tos de reforma organsados, um pelo Dr. Joaquim
Jos do Campis da Costa de Medeiros e Albuquer-
que, outro pelo bacharel Francisco Jacintho de
Saiaipaio e outro p lo regedor interino, a esto.ro-
metlidas; assim o coinmuuic > a V. S. esperando
de -eu zelo pelo servico publico que n^lo se esru-
sar ao desempenho dessa incumbencia. Mutatis
mutmutis aos demas membros.
Ao bacharel Manoel L pes da Cunha Ma-
ciel, juiz de dreito interino da comarca de Gara
nhuns.-Accuso recebido o offlcio de 16 do cor-
rente, dirigido por Vmc. e mais membros da
commisso nomeada para distribuir soccorros ".os
indigentes que forem acoraraettdas da varila e em
resposta tenho a dizer que arbitre a gratilicaco
tuesaj de 604000 a Jos Tavares de Oveira, a
quera a referida coinraissao encarregou do trata-
raento d meamos nligentes, a qual dever ces-
sar logo que estiver extracta a epidemia.
Portara :
A' cmara municipal da villa do Limoeir \
Coramunic a cmara municipal da villa do Li-
moeire, para os fins convenientes, que nesta data
indefira a peticlo de Jos Ignacio de Fgueiredo,
arrematante do imposto sobre carga de legumes
nesse municipio, no actual exercicio, i qual se re-
fere o seu otteio de 12 de maio ultimo.
A' cmara municipal da cidade de C irtiar
A-'cuso recebido o offlcio da cmara municipal
da ci lade de Caruard, de 16 do correte, e (ico in
tetrado de haver sido nomeado para aferidor o
professor publico Miguel Arcbanjo de Mondonga,
de conformidade com o art 10 das osiruccdcs
baixadas com o decreten. S.089 de 18 de setem-
bro do anno prximo passado.
A' cmara mu iciual da villa de Buique.
Era resposta ao offlcio da cmara municipal da
villa de Buique, de 9 do corrente, tenho a declarar
qu Ihe compete fornecer casa para acongue ; de-
vendo os respectivos talhos ser ari-endadcs ao
arrematante Acto :
0 presidenta da provincia rewAre nomear o
Dr. Prxedes Gomes de Souza Pi.aga menbro da
commisso eacarregada do ssiaLir o dar parowr
bido o brgadeiro commandante das trinas de ao
mf ar a commissAo que, na forma das ordens em
vigor, deve examinar os voluntes ltimamente vn-
dos da cune no vapor Gu r ; assim o manda
comraumear a V. S., em resposta ao seu offlcio de
hontem datado, sob n. 129.
2' seccao.
Offleios:
Ao Dr. chefe de ponda. O Exm. Sr presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que
nesla data se mandou de-iacar era Serinein,
disposieao das aut ridades policiaes, 6 pracas do
corp i de polica, como por V. S. foi requisitado
em otlicio Je hontem sob n. 1149.
Ao commandante superior interino de Flo-
res.0 Exm. Sr. presidente da provincia manda
leclarar a V. S. que nesta lata expedm ordem
thesouraria de f izeuda para pagar o- vencimentos
do destacamento da guarda nacional, de que trata
o smi offlcio do 1. deste mez.
Ao bacharel Augusto Egidio de Castro Jess.
-0 Exm. Sr. presidente da provincia manda ae-
cusar o recebimento do offlcio de V. S., lo 23 do
corrente, em que participa ter nessa data entrado
uo gozo da licenca que Ihe foi concedida a 25
deste mez.
3.' secefto.
Offleios :
Ao inspector da thesouraria provincial. -0
Exm. Sr. presidente da provincia manda comniu-
nicar a V. S. que por portara desta d ita nomeou,
era virtude do regulamento do 1 de abril ultimo,
Alpiiiauo Machado da Cunha Paranhos agente
fiscal dos direitos dos gneros agrcolas desta pro-
vincia em Macei.
Ao niesino.-O Exm. Sr presidente da pro-
vincia manda coramuuicar a V. S., para seu 60-
nhecimento e fins convenientes, que por portara
desta data resolveu annexar o municipio de Aguas
Bella* cjllect .na do de Bom Conselho.
5' seccao.
Offlcio :
Ao Dr. Prxedes Gomes de souza Pitanga.
Communico a V. S., para seu eonhecimento, e de
ord-ra do Exm. Sr. presidente da provincia, que
por acto desla data foi V. S. nomeado membro da
commisso encarregada de estudar e dar parecer
sobre-os appareihos da compauhia Recite D/ain i-
ge, era substituir*) ao Dr. Syniphronio Cesar
i Cuutinho.
0:.sp*chos da presidencia db |6 dk skrkmbro
dk 1873.
Companhia Recife Drainage.Informo cora ur-
gencia o Sr. inspector da thesmiara provincial.
Candido Eustaquio Cesar de Mello.-Informe
com urgencia o Sr. commandante superior inte-
rino da guarda nacional de On la.
Com nanJante superior interino de Fl res. -
Nesta data solicito do governo imperial o neces-
sario crdito para o pagamento que pede o Sup
piteante.
Diomzio Jos de Sinta Anna. Deferido com
offlcio desta dau ao Sr. inspector da toesonrarii
de f.uen la
Dr. Francisco Piulo P<*s*oa>'Informo o Sr. ins-
pector da tiiesouraria de fazenda.
Gustavo Adilpho Sclnnidt.Passe-se portara
concdetido a permis*Io requer la.
Justino Jas de Souza Campos. -Deferido com
offleio de-ta dala an Sr. engenbeiro chefe da re-
parti.o das obras publicas.
Josepha Mana Je Jess.-0 tiliio da supplicante
j foi pisto en liberdade.
Jo Marinho Falco Jnior.Sim.
Manoel Joaquim de Aquino MelloDeferido
com offlcio desta data a thesouraria de fazenda.
Mannal Bernardo Martins.Informe o Sr. br-
gadeiro commandante das armas.
Manoel Goncalves Barroso. Deferido com offlcio
desta data ao Dr. cliefe de polica.
Secretara da presidencia de Peruambuco, 17 de
setembro de IK73.
0 porteiro.
Sih'ino A. Rodrigues
i 'ominando siiperor.
Jl AKTKI. DO COMMANDO SUPERIOR INTKRI.NO DA
GUARDA NACIONAL DO MUNICIPIO DO KECIFE,
17 DE SETEMBRO DE 1873.
Ordem do dia n. 128.
Para os devidos fins faco constar aos corpos da
guarda nacional o segrate :
1. que era virtude de proposta do Sr. tenente-
coronel coramandatite do 1." batalho de artiga-
ra, S Exc. o Sr. commendador presidente da
provincia, por portara de 27 do,mez passado,
transferio para o posto de i.* lente quartel-
raestre o l. tenente EusUquio Zeferno da Silva
Braga, e nuuieoii para 2.* tenente da i. compa-
nhia o guarda Mainel Rodrigues Cordeiro; para
a 3.1, i. tenente, o 2. dito Jos Antonio da Costa
Moren a; e para a 4.', capilo, o 1." tenente quar-
lel mestre Manoel de Souza Cordeiro Simoes J-
nior, i. tenente o 2.* Manuel Oomingues da Silva
Jnior, e 2.* o guarda Frederico Sodr da Cunha
Motta.
1 qua por poruria de 26 do mez passado
mandou o mesmo Exm. Sr. aggregar ao !. bata-
lho de infanlaria o Sr. leuente do de n. 12 do
municipio de Maco, proviucia do Rio Grande do
Norte, Pantaleo Jorge da Fonceca Bastos; e
acetra a declaraeao que fez o Sr. alferes secre-
urio do 3. batalho de infanlaria de chamar-se
Antonio Gomes Leal Loyo, e nao Antonio da Sil-
va Loyo, fazeudo se ne-se sentido as ne'cessarias
annoteoes na re -per ti va patente e registro.
3. que tambera por portaras de 6 foi mandado
aggregar ao 4* batalho deinfantara o Sr. alferes
do batalho a. 16 do municipio de Pao d'Alho,
Francisco Xavier de Souza Ramos; e de 12. am-
bas do crrente mez, Jo igualmente mandado ag-
gregar ao i.* batalho do servijo da reserva, o
Sr. caoto da 3 companhia do I." de infamara,
Joo Goncalves Torres.
4.* final mente, que segundo eomraunicacoes do
Sr. commandante do t. batalho de reserva, fal-
lecen nasta cidale, nu da 29 de agosto nltira >, o
Sr. i* tmieute do !. batalho de arlilhara, aggre-
gado aquello batalho, Joio de Castre Gumaraes.
Rodolph* Joao Barata de Almeida,
Coronel connanJaute superior interino
V
ERNAMBUCa
REVISTA DIARIA.
Ferro Carril de Fernambuco-l'or
portara da presidencia da provincia, de 16 do cor
rente, foi permittldo que os carros da companhia
Ferro Corr'/ de Pernanbwo transitem pela ponte
da Boa Yuta, privando-se que as cargas pesadas,
gueredo, e alferes da mesma o aggregado PeJro
Urquiza de Carvalho Cavalcante.
Asylo de MlleuadasJt.Mais oflertas, com>
dosofficio* abaixo :
a Ului. e Exm. Sr. commendador Dr Henriqoe
Peroira le Lucena. Remetiendo aqu junto a
quanlia de cera mil res para ser applicada ao
novo hospital de aleados, lenho assim respondi-
do a carta que de V. S recebi. Prevaleeendo me
da occasio sadn a V. Exc, e son com sincero
respHto De V. Exc patricio agencioso e criado
obrigado, Jeronymo C metro de AlbuquerqueMa
raukiw. S. ii 10 de setembro de 1873.
Gabinete di presidencia de Pernnambuco, 13
do setembro de 1873.lllra Sr. lenente-coronel
Jeronymo Carneiro de Albuquerque Maranho.
Tenho presente a carta de V. S. de 10 do corren-
te, remetiendo a quanlia de cen mil ris para as
obras do asylo de alienados. Agradecendur a V.
S. esta ollera, o louvo por este acto que revela os
seus sentimenlos de patriotismo e de caridade. -
De V. S. iiiiio iltento venerad-ir e criado, Utnri-
qne Penira de l.u-eni.
Entrada de ferro do Reelfe ao S.
FranciscoEsta via de communicacao, di
prximo lindo mez de agosto :
Hendeu 37:767#87
Despendeu 31:472*876
Dando de saldo em pioi da garanta
de juros 5:2t)4i934
A relaeio entre a despeza e a recet* toi, pos, de
85,98 0,h
Xo mesmo mez cima transitaran na linha
4:357 i/ passageiros; e foram transportados
53:217 kiliKigramnos de bagageiis, 2:5 J9.005 k-
logrammos de mercad .ras e 341 anmaos.
as mercaduras esto c mprehenJidas 205
sacras de algodo, pesando 16,632 kilogrammos, e
2,084 saceos deassucar, pesando 159,47: kilogram-
mos.
Servico dos bonds De hoje em diante,
em vista da permisso da presideucia da provin-
cia, cima menciooada, o servijo dos carros da
companhia Ferro Carril de Pernambuco (bonds),
para as hnhas da Magdalena, Fernandes Vieira,
e de Santo Amaro, ser feto pela ponte da Boa-
Vista. (
Termo de Ipojuca. Com o prazo de GO
das, a cantar de 30 de agosto, acha-se a concurso
o provimento vitalicio dos offleios de tabella
de notas e eserivao de orphos do.termo de Ipo-
juca, vago pelo fallecimento de respectivo ser-
veutuario.
Artistas japbnezes -Sao do primara
torca no genero dos trabalhos que executaui, os
que eompoem a real companhia japoneza que ac-
tualmente se exhibe uo iheatro Gymnasio Dram-
tico.
Com o primeiro espectculo que offereceratn ao
publico na noite de_ ante-hontem, manifestaram
ligo o grande merito'que os distingue em lances,
os mais sorprendentes, de gymnastica, prcstidigi-
taeo e equilibrio.
0 theatro achava-se completamente eheio, e o*
amiaosos iinanimes e repetidos que coroaram
todos os trabalhos, a atanor recoimnendaco a
garautirlhe> que se achara face de um poro
que sabe admirar e auxiliar o talento arti-tieo,
qualquer que seja o seu modo de manifesla;ao.
Estamos certos que a real companhia japoneza
ser o mais possivel Itera succedida na serte de
espectculos que se propoe a offerecer ao nosso
publico, que era extremo aprecia trabalhos de tal
natureza.
Companhia brasileira de vapores.
Os Srs. Pereira Vianna & C. eommuni am nos que
por urna carta da corte, a elles dirigida pelo vapor
Julio Diniz, aqu chogado a 15 do corrente, mas
smente hontem recebida, Ibes foi participado que
13 deste mez dova d'al sabir o vapor Baha,
conduzindo os senadores e deputados do norte, em
viagera extraordinaria, sahindo o Para no dia 15.
com o mesmo destn >, era viagera ordinaria.
Club dos Hachareis em Direito.
Hoje (18 do corrente) ha era sessao ra Pri-
meiro de Marco n. 18.
Reoslo. Na secretaria da polica acha-se
um relogio de prata que foi appreheodido i ir
por elle quera se julgar seu douo.
Naviti encoutrado.O capilo da barca
ingleza Magestec hontem aqu chegada, procedente
de Liverpool, comraunicou no dia 3 do corrente
com a barca tambem ingleza Jpiter, na lat. 4* 34
N. loog. 20, era viagem de Liverpool para Valpa-
raizo. Levava 45 dias de mar e a bordo tudo ia
bem.
Sido de vida.- Infrmanos da Escada.
pessoa digna de toda a confianza, que nessa cida-
de tem abusado da credulidade publica om cert >
B. alfaiate all eslabelecido, com o lira de adquirir
dinheiro sem trabalho, servindo-se para isso de
urna bola de metal dourada, de grande tamanho.
a qual faz acreditar que de ouro, e com ella,
diversas pessoas, vista desse thesonro engaa-
dor, suppSem seu dono possnidor de urna mina, e
nao hesitam em emprestar Ihe dinheiro
Chamamos a anoncao das autoridades sobre
essa gatumee de nava especie.
Pede cuidado.Communicou o subdele-
gado de Capeiras que no dia 9 de agosto ultimo
appareceram na povoacao diversos pasquins offen-
sivos moral publica, e que das deppis tora, alt*
noite, apedrejarto o telhado de sua casa de resi-
dencia, repetindo-se a violencia em outras diver-
sas noiles, at qoe no dia 6 do corrente desfecha-
rara um tiro de pistola sobre a porta da mesm
sua casa, do que felizmente nio resultou desgraca
alguma.
0 caso serio
Tremendo crime. -Tendo desappareci io
de casa de Flix da Conceipao, morador ao lugar
Macambra do districto de Timbaba, termo
de i tamb, urna mulher do t8 anno* de idade, de
nome Mara de tal, foi mais tarde encontrad*
mora e sepultada uas maltas de Joaquim Correa,
lugar prximo da situacao da casa de Fulix, onde
morava a desgraelda.
Procedendose a exhumacao do cadver e .
competente visNria, verincou se ter sido ella as-
sassinada cora vinte e duas lacadas t..
Do inquenio que se seguio .descoberta do
enme, resuluram vehementes suspeitas de ter
sido seu desalmado matador om tal Sebastiio Cor-
rea da Rocha, que j se aeha preso.
Loteras.A que se acna venda a 67.'. a
beneficio da aova igreja de Nossa Senhpra da.
Penha, coja xtraofio ter logar no da 24 do cer-
rante.
Casw de detea^4o----ifovneute do du
16 de setembro de 1873 :
Bsiiam presos 326, entraran 2, sahiram 7,
exlstem 321.
A saber :
Nacionaes 132, mulheres 11, estrangeirot 17,
as eraros 34, escravas 1Total 311.

)
^



-
ftia|p/^, ?PcrnambdO Quinta feira 18 de SetemliO de 1873.
*
r
P
Cejuitcrlo pAblloo. Obituario do di 16
4n corren! :
Dala Mara do
buco, .19 annis, i
I 6, par*, I
Koiix Ifnniel
anuos, casada, S.l
ICIkML.
.1 SSSSAOWJ'OrIN|llAK^()BKSKrEM
PRKSIDENCIA DO.!. 1; : ) K ALllCQURllQUB.
Bepois de mem di i, presente o Sr. llego Al-
l ttquerque, presidente, e os Srs. vereadores Cu-
UUi GliiiUilTJifS!. TJie^i)jo Silva, Moscoso, Nevos,
(ameiro, R;g> Barros e I.>yo Jnior, 1>T aberta a
S6SS0, e li la aacta,da antecedente, toi appruvada.
Leu-so o seguiute
lTm ofllcio do almmk.rdlir do cemterio pu-
blico desta ci-lade. respoudepfla y- uosU cmara,
ile 3 da eorrento, sbre os estragos dos ojeetos
cullocados em frente s catacumbas por ocoasao
do anniversari.i do passa nculo de algumas pes-
"Ontnritr-mcsnm,-ii>f.>mnin* t e*t* eawara so
bre .iuliuipagio do cadver do prvulo, lillio do
Or. aiguel Jse de Ahiip'ida Pera iinbuco, remol-
inado urna [OUcJo dos lu,nu|os all feitos eos no-
mes d)> seus respecta- is Iioos", Im' n run > dandi
as razos porque fez rinnninr aquel le cadver
sem lor silo acouipaiiha lo logo ila respectiva li-
cuara desia cmara ; o. uje se realisoa n > dia se-
gamte. -Inlcirad. K, rtpcdilo do Sr. vereador
uuha Guimarius, se Ihe lez remessa dessa re-
lao.
Outro i) inesino administrador, rcm-ttefldo i
o?ta Minara, ati n de sor legalizada, urna guia
para iuhum i.ao de um cadver, toda mariusenpta
lelo ift'ocura lor desta cmara, sem ser cxtrahida
d i fivro de tala o, c >rn) de lei. -luterrala.
Infmniea) di engenheiro aos pontos ftrnula-
d is polis Srs vereadares Dr. Moscoso o Nsves,
subte a obra do mercado publico Mandpu a c-
mara q:c f>s>e [lor co.ii i'inettid.i commf-sao
respectiva.
Duas reliooes das millas arrendadas pelo
procurador : a'primeira na importancia de Sil i,
>U iHjItas, d i I- ao ultimo til agosto lindo ; a
segu la na importancia de lili, d) i7 mullas,
di a 19do correute. Inteiraila.
Ilo.'acesdas multas i i;postas pelos fhc.ics das
frogut-zias de S. Ptei Pedro (lm;alves do llecife,
S. las, lUvVis'i c N ><*l Senhira Ja Graca, do
I a 10 do corrate ; o pr neir. na mip iran "ia do
4"i. o sagitado u.i do 7;i, o lorooiro na do 90,
e o quaito n.i JolO :. yileirada.
A comiuissao de odill -aoio dea o seguinle pa-
recer nutre a peticao do Aniciu da Costa c Si,
o qual foi approvado :
A coinmissao de edi icacao, tendo presente o
re jueriinonto do Antonio da Cosa e S, 6 do pa-
r-cer que a cmara mande pnceJer avaliaj.ao do
terreno que o requereule pretende vender, visto
declarar e.ug4|ho& que esta marcado na planta
para u alargamenti da i il \i' a que entenJo a
i: iuiqIssIo, resolver cunara oque jnlgar con-
xeiiioiite.
Pai; di cunara innaieipil 1) llecifa, 10 de
setombro do IS7l.-Josda ilva Loyo Juuior.-Joao
di C'iulia Sjare. iiiimu.ios. Mandou a cajnara
4|itn so procedwso a respeito .le cmformidalo con
a lei o praxe seguida.
A cuiuiivsao il-'i mrcalo publico apresentou o
uguiula parecer sobro a potic-it Je los Augasto
U Araujo :
V ', i n ni mi i^ii i n '.il i por oiM cmara para
inspoociouar a c>u-ir.io;.'n liinorcilo iiu'ibco,
q.u foi coiiU i! id i e.nii cilalii Io< Augusto
uo Araujo, to id o\anoiidi con a llovida atfcn-
gi'j a peiirii dste q ic r;quer que se mande l'a-
t im no li ttioi idus il u giM i Jo lelliciro p ira nclle
a Cimimodai-se o aoiiijiie o a uraca do arinlia c
piixe, afun de ouuossa elle dar prdtnpa excu
rao s suas i.bras, vom iprosontar a sua opiai p
Cfta- cmara, para que olla possa deliberar com
justica.
c A cmara sabe que o peticionario contratou
con ella fazer prilhelfamuni a metado do rner-
ada p;u'a se mular para rile e a/ougue e seus
a.o s-orios e feilo istj (ondruir-se a outra nie-
la lo para i)ae a cmara nao perdesso as suas
rendas nern os anconi mies, altas arrendatarios
dos afougues, fossom .pnjudicados em seus ne-
gocios.
Sabe a cmara que o peticionario aceitn
esta eoudifj aslu fcoioo se obrigou a entregar
a obra tuda prompia no prazo de 18 mezes, que
liuli-sd ooi i Ja uivou'iro di correute anai.
Se o peticionario contratou fazer a obra em
daas por.'Oes e ajiora nao 1 lie oavem ou uao pode
cumplir u que JustOQ, nao pode fazer e niara re^p.msavcl .poi um facto, de que elle o
miico culpado. "*
Varios foram i concurrentes arremataoao
du Jiiercadi, < fotuu lodos vencidos pelo peti-
cmiiario que com eJJe p irliou a nlTereccr maio-
i es vaulagoiis, al me ce loraui pela exigua diire-
reuea do .': ris mi l 000.
Se In i nposibililado Je exocular a obra em
luis paitos, com o foi contratada, nao certa-
ui'Oiio a cmara que deve ser constrangida a urna
Je^ieza, quo uao pruvein do um ca;o imprevisto
ou de torca ma'i.r, visto como o contrato fui
aci'ilo o:n conslrangimento algum e arredados
os outr.is coucurrentou, que talvez em casos iden-
licoa, nao viosM.':n jaier roclamacao alguma. No
se pode coulesiar que proferivel ijuc a cmara
receba o mercado UToaipW para -er entregue a
servico, publico do urna .vez ; mas tanibem cerlo
que o peticionario lucra muito mais em fazer o
-ou traballio sem embarazo, som obstculo algum
pelo que so torna muKa.mais fcil, muilo mais
rpido e Eiuitis.-imo umikis despendise : vindo
por c.mseguinle dar grasdo lucro, e vantageas ao
peliciojiaiM.
.Nao hca/Jo para qu( .cunara rarregue com
..u.i despeza, que nao Mt obligada ; e da qual
deve provir mmediaU utlidade ao peticioaario,
pelo contrario ha muitas irazfes, algonw* lasi
quaes se vi tornando patentes, polas quaes se
pude autever q'naes os irajoizos que ella ha de
vir a soffrer, e passa a cMBBftsSi a expiir :
O peticioaario siyeilou-.-o, cono cousu di
contraelo, a entregar o mercado proenpt em i ile
novembro do crrenle anno, entretanto a obra
i-vo principio ha ooui-o, n esto lio airazada que
tal vez com mais um anuo nao jiossa estar ac]
liada.
O Sr. vereador Cvuiha Guimares requeren o
Ciapprpvado, o*ra queso auiorisasseo fiscal
fregunia de Santo Amo||o' iiMNSf limf
botar arcia e nivelar o larfo 8c TsStt Jt. visto
achar baslinte ontulhado e chV> de *^ttos.
Proslou juramonto do. p.rttltdro Joiz.de p
'tundo distrcto dos Affoajado?, Jos ThomazlSi
vajeante l'esioa.
Poi remetida nova < rnimiuia do cdiliraolo o
requorimeniJ de JbsFrancisco to Reg, nqalfiio
jurou suspeicao o senhor vareador Ctnha-Goi-
maraes, por rer parento dojieiioiooirio,
* cmara resulveu que nao ?c Wcperte a li
cenca concedida a Miimel Alvos de Obveira para
expor ao publico nas'jbA&f a <|44> as habili-
dades do alguna paiSMiM^wliajiifos^ visJJV"'!1,
motivo de ajuntamenlo do pessoas, entre as
qiiaesTJscnvos e menlnor, e tlcabusri rtrrpcticin-
uario quo faz para esse flm urna especio do rifa
prohibibida por N.
Foi ao engenheiro para informar a peticp de
Manoel Anselmo Correa de Figueiredo o ao con-
tador a de Pedro Jorge da Silva Ramos; foram de-
feridas as de Antonio Pacheco Gtierreiro, Augnsto
Frederico dos Santos, barao do L.ivratnuulo, Hcr-
narlino Jos da Costa, harao de Campo Alegre,
Claudino Antonio Vieira da 'Junha, Candido Lemos
Salvo, Feliciana Mara da Coucoii.aii, Jacintho do
Soiiza, Jos Matheus Ferreira, Justino Teixejra de
Honra, Joao Fernandos Lopes, Manool ltabello da
Molla, Manoel Joaqnun dos Sanios e de alguns
moradores de S. Luuiengo.
Na la mais bavendo a tratar se, o Sr. presidente
levaiitou a sessi s 2 hora da larde.
En, Pedro de Albuquerquo Autran, secretario,
a escrovi.
Theodvro MaclKido Freir Perena da Silva, pro-
presidente, Jos da Silva Loyo Jnior. Jos
Pedro das Neees.Bellarmino do Reg Barros. -
Joa~o da Cunka Soarcs Gnimaracs.
qne es atimos do Sr
eoiwfcbnlo
!heVos i
coheitenci.
orolai en
certa
PARTE POLTICA
IMRTIIftO CONSERVADOR
RECIFE, 18 bESKTKJIlMO DE 1873.
A oliyiuchia dt Provincia e. o Club Popular.
A sociedade do club popular, que representa a
(orea mais enrgica da opinio liberal, acaba do
desfoichar golpe profundo e mortfero nos amser-
vad nos aplalas, quo, inculcndose de leaes e
fervorosos de.'nocralas, so bavia n insinuado sagaz
o lupociiamonu! no proprio .-eio do partido libe-
ral desta provincia.
A quesillo religiosa, forja confessar, veio tra-
zer algum alent esso partido.
Aproveilando o ensejo, os lemcr.dos ebefes Col-
ioo.iram so a frente da opiniao, que alguns auda-
cosos tribunos haviam conquistado, levautando
bem alio a bai.dera da groja livre no estado
livre.
Jimquanlo Ibes foi preciso iliudir as manifesla-
co; jt ipulares, procuraran! aluciar cm torno a si
todas as sympathias desses tribunos que patilha-
vaoi cim olios, leahnente tod is os seus triumpbos.
Nesta situacio, toi nanJo se o desenlace da crise
religiosa um pouco mais embarazoso, eis que,
qinsi iiist.mt.ineamente, surge um astro de espe-
ranea no horisnntu pililico. A ardenlissiina as-
piraeu do algar as amoias do poder comejava
ia a c,onvoilcr>rt, para os pseudos diroelores libe-
raos, i-sil proxim realidad; mas... urna mmta-
nha alo.uiiada, um escarpad > rmhedo iniorpu
liba se inoxorav'lnioiite e intorceptava a suspira-
da jiassagom para a torra da promis-ao.
Entretanto, aculados os estimulos dos arialOQJi"
tas da 1'roviHciH-, oi los a reuniom se eiq reser-
vad m e inventicul is pira, de ante-lu.i, cmiparti-
lliarom a |ircza entre os poucos 'oscolhid s pa
ri vero eltvti.
Como l'mcte aa pot cu /;//, os aligarch spro-
VincMMt, embriagaremse com as delicias do
pod r, f .rmulavam j a lisia sagrada dos bemaven-
turado-, que linbatn de representar, muilo digna
e legtimamente, as aspiracoes liberaos desta pro-
vincia.
N*isa combinado hybrida consta-nos que, nem
um liberal distinelo, nem um tribono sincere das
turbis populares foi considerado digno de ser ro^
memorado enlre os nobilissimos socios da colmea
da Provincia 1
Seiupre a perfidia, sempre o despreso dos liber-
da leiros por tud.i qnanto ha de nebro c digno
pela causa real da liberdade.
Todas u gralhas foram, de aillo man, cnxola-
das do seio do formo'lssimo bando.
Os Costa Ribeiro, os J iao Teixeira, os Tavoras,
os Britos, os Jacobinas e oulros verd deiros ope-
rarios da seria e perigosa rrisc religiosa firam
passados pelo rutello aliado do Lelo da Provincia
e do son /idus Adales.
Societ'ti ruin plente... I
Mas, por desgrara humana, no basta annun-
ciar os lados, duvidoso ainda que estes so cun-
pram.
O homem propoe, e Deus dispoe.
O que pareceu fcil, muito fcil ao; mbilissimos
provincianos comecava a^teeamalar, urnas sobre
unirs, terriveis dilliculdades.
Assim como parecer, outr'ora qoasi impossivel,
enrolar asacrosanta bandeira da con-tituinte, eis
que surgem, nasle momento, inexperados preci-
picios.
Aqnelles, sobre cuja guarda descanson o pen-
augusto e sagrado de sna religiao poltica,
Ora se
-e psseK Ilustrado oe
a lieSb da nsVa' MS
rnamb
RNm.
A primera aseveracio de quo no espectacu-
do da 7 do correnle no theatro de Santo Antoi
no theatro ue santo Antonio
* fessoa 4aa cajsjfVafkv
' ntOS
su.. oarecaST!! Ee. bo calna-
o
dente, q
de pe.
A qu-
dao ao
gritos ; in.
oual, o foran).
o emmudjocoi
- ooeasllo V roajpef
.*Jo (i ir ubi impru-
ao ver iodo o th airo
Villa Bella delles fizeram no
antes pelo scntimenlo de
i
rsjlnntiiptjl
majs prova'
i do cirreft#,
mista orS.
lac ditaa i um
de alcance poi
T%aal'meJe
WtT nirtutleadoa s#e'
assem a na bandeira aos dscolos jiara a en-
|oKfCB) A I6febrnsi|segu0n|aj)tvd<* wi af ao-
VVVWVt *as(al^U Fe^st,. o q*!, qoindo
leve desgraca do entregarVataaos pe e mao, o
getrpartlibi libeial ^-tttn- ebefe- liberal ebgaroha,
logo quo veio yirapab|^s:|^and,*.a>iz,arca/,L Oaje "levajUuu. viras 8. Kxc ? no llieatro ? Com
j era tarde e fJrnoalga ataMm-ao-aAugiieirM e eflaoo I .
nao cessavain ainda de escarncelo, clamando
que havia Slanhestriaff") I
e levantar se o doseobrlr^i o eida-
. ido byinno ue satina) o wmora a
nossa ajlf4iajBndepenncia, da-* quasrsempre
quando ha ajunltmentos; e os degenerados, im-
prudentes- e de*er*Je*os- utaiu stajsfado inte o
nttnero flue, os vento f
u SrrDrn.ueena ma
dii o paprt
mal poiide levantar os vivas,
se tmtra licSb' da n.&SS"filslorfa p rffrfea, c nao
fossede lao ba.f, nao tera consentido naquella
veTila'deir.t nheitombe do pSrrt libiT.tl, e als
(porque a stuacao era sita) leria elevado ao seio
da' rcuresenta.;o todos os seus amigor b-eraes,
que llos r. reconhecidos n.to consentiram na sua
qneda e no seu solamente
" Percorramos ligelrantcitc sessSo do club, ve-
jamos as revellacoes muito importantes d Sr. Dr.
Joao Teixeira :
A directo o partido liberal6 lneea',obsi(i-
ra, e ns df&rtores sao 'ollndos cmnestranhos,
em cujas vejas nao circula o mesmo sangue. qne
se mostraran) pygmeus iartte do govern, na
quesWo do elemento servil; contrario -a eleloao
concitarla e a excentralisacao, que no estado, em
que nos adiamos, pode mtti bem ser contraria
causa demociBiica ; presura todo concurso ao go
verno do paiz na sustentaban das leis que o re-
gem : reprova aquellos que, sabore-tndi o nctar
ilos dcoses, aconselham ao povo a indifTereu.a as
medidas que o govorno fem de tomar com o nobre
intuito de corresponder) apello que Ihe -flzera
o inesmo povo ; confia queo governo se mostrar
na altura da' situacao; repell os programmas
coniplexos, sempre mentirosos, etc., ele.1
Estas e ontras mais proposicSes do importante
orador liberal revelam o completo desquite do
principios polticos, em que se acba com o peque- da por um coronel
dao
recnsamsc a entregar agora aos pseados chefs,
liara.que estes o enrolem como a nobre morlaHia
dos patriotas sinceros.
O que -fazer pnis ?
So entro os pretensos demcratas n5o existe
um tribuno L deseiniaracada coragem, a pleitear ante a opinio
liberal pela elevvla gloria de arrebatar do porti-
bandeira da constltuinte a pengosa insignia, nao
baja duvida de que no Ibes hade faltar, onire os
subinissus sarros do Autcrata, um que mais gar-
boso .-o uirereca para emaranhar o bando ignaro
dos liberaos desla torra esijrimmio no grande
crame dos principitis'.
Eia qne marcha, ruoebonda do loto cm, .(uta piui-valet) a audaciosa incumbencia de
no grano (b Sr. v"illa Bella, sendo que a reme-
morar) da ihrase nctar dos deoses m per-
foito remoque PivrinCia.
O S'\ Correia de llrito presidennte do club dsso
ijuo : aa democracia estav quasi etn vesperas de
sersacrllcadaaos'seusiuimigos delodis'ostcmpos
por alguns fementidos, que della se aproximaram
com o proposito de irahi la; falln da poltica bas-
tarda, queso inspira navngan:a, paixo vileigno-
bil, que oS-. Dr. Teixeira smbe profligar, etc. etc.
i> St. Dr. Jacobina proiinnciou-se do mosmo
modo quo o r. Teixeira quamo ao apolo* que1*
mister prestar aos po teres constituidos do estada
para que triutnphassB este do ultramontanismo, coa-
gindo-o respeitir c cumprir a legislacao, que
no paiz regula a materia, n
Grandes foram os applausos prodigalisados aos
esfor-.ados oradores, que desta vez reconquistaran!
a supremaca no Club Popular, a qnd pareciam
baver perdidb, para passar ao Sr. Barao de Villa
Bell i por intermedio do Sr. Dr. Jos Mariano o
qnal acaba de'oiifirm ir com o son silencio, que
prefere ser fiel causa da democracia a ser ser-
vais mandalis doSr. de Villa Boila, o qual,
sentindo j apagaf-sc Ihe u'alnia o sagrado figo
das ideas liberaos, esta fazando as suas despedi-
das on un i que se Ihe uscreva em su 11 aoida as
letlia- titulares da sna li lalguia, ou para repen-
sar por alguns da. mais sobre urna poltrona do se-
nado, se a serte nao Ihe correr, como at tteje,
to triste e adversa.
Se 9. Exc. chegar a galgar a poltrona 'o senado,
porque tanto suspira, nao se lonibrar mais, se-
quer um dia, dos correligionarios liberaes que aqui
iloixa neslo val; de lagrimas.
A bandeira da Provincia ( una banleira de rc-
tallins mullicares, para prodnzir urna perfeita pti-
ca ; mosmo bandeira de papel brtncj arabeseada
s cugas.
Urnas vezes a cir predominante a da igreja
livre no estado livredepob vai e?sa cor des-
maiando at a hypolhese da mela liberdade da
constituicto ; o *( quo a cor predominante
da baadeira da Provincia.
Depois, mistura'de cores, a saber : a almlicao,
desde j, do juramento para as ftinecoos civis
e polticas, e decretaba i, cm m futuro muito
* prximo, do casamento civil.
Estas cores, porm, nao sao fixas, como nao
nenhiima cor da bandeira da Provincia, que, -
somelnanca do telegraplio, ni tem nutra missao
que nao seja arvorar, e arriar as mesmas ores,
conforme a appariclo dos plienomeno* no vasto
mar da politia.
Ha o:easiSes era que parecem esgotadas todas
as cores, ou em que todas se agrupara para pr-
dnzirem maior illusao, por exemplo : t reforma
eleitoral ou eleicio directa; abolifio da guardk
nacional, enndemnacao dos exercitos perma-
nentes e extinco da lev forrada ; descentra-
lisa^ao ; (hese da igreja livre no estado livre, ro-
dicada pela hypothese
Com cffeito pareca-nos que a exhibico destai
vez havia sido completa e de grande gala, quando.
fomos depois sorprendidos pela apparieao do: unn
novoraio lumrao-o, a saber : < a constiluico da1
magistratura. E" um cometa novo, organisado:
nteiramente contra a nafurza e a ndole da car-
ta constitucional, tuna nvenco de mais dosi
provincianos, que sao frtilsimos nesse genero;
de programmas, era que nem os propinas republi-
canos os gantlam.
Agora catamos j espera de oulro invento
phosforecente para deslumhrar as vistas dos mi
pes Uberaes.
G leo da Provincia como-o shah da Prsia,
fuzila raios de luz, que cegam aquelles de sr-Us
subditos que onsam litar por muito tethpo as vistasi
profanas sobre a magestade de sua sagrada fi-
gura.
J os redapUjres da Provincia confunlem S.
Exc. com o Sr. Dr. chrtV db polica.
Tal a gana de'produzir efTeto, tal o habito
de mentir I!..
E a respeito dos vivas, afflrma que uns foram
contros no correspondidos-, quandr-sfabidb.que
passaram com a confirmacao oais ou menos en-
biasustiei de toJos os tempos, excepcao feta da-
quelle cm que no Santa Izahel s inTeciam riso-
tas e apupadas quando le*antados por quem por
mesqumho capricho nogava-se a saudar o vene-
rando Dnqne de Caxias, para ergue-los a .iacXo
l'l-.RNAMBUCANA !
triste'potito, portante nao foi_a do I Ilustre Sr.
Dr. I/orona, mas a do presidente" que por rifabas
veres bo th.itro era ohrigado a ouvlr, alm de
poesas que' directamente o censuravam, gritos e
chufas, como na estra di celebrrima companhia
de bouffes de Jos Amat, cora a qual gemeram os
cofres pblicos
Oh I como se era prosUente nesse lempo, gm,
faiia d, cansava' compixao !
A segunda lor o Exm. Sr. enmmandante das
armas suavisado um pouco a sorte do lente co-
ronel Fras Villar transferindo sua prisio para a
fortaleza do IJriun.
A transferencia deu-se pir que o proprio Sr.
tenento coronel Villar representou contra a falta
de accommodacocs na fortaleza do Buraco e por
aecordo Ue S. Exc o Sr. presidente da provincia
tendo sido rccolhido aquella por ser commanda-
Esta que a verdade.
Informando se o chronista da Provincia do seu
correligionario preso, talvet qne seja foreado mais
urna vez a baixar a cabeca, e fazer de coula que
tal consa nunca e.-creven.
Nada ha mais repugnante do qne a audacia do
culpado ; assim como nada mais bonito do que a
conflsxSo do crime.
Confessc, pois, o chronista o sen crm*; diga
quo mente a este povo, que nnu vez fallara a lin
gUagenv da ver Jado ; pols que, em quanto n'o o
lizer a sua audaaia lia de sor castigada com amos-
tras iguaes a cssas duas tfettm*.
Decida se portante.
I'iantifmua^ui-iii.
A T1IBSE, A UYfTHESE, O STATU.QU.
A these ser republicano ; a hypothese ser
liberal ; (\nunirc\m em substancia) stalu qu
ser conservador.
A these a igreja livre n estado livre ; a hy-
pollicse c a mxima parte de S. ptalo da igreja
uo estado ; o stalu qu a transaeao cora o bspo
exagerado e faoatico o o jesuta de redea
soita.
A these a- monareba representativa ; a hypo-
these o poder pessoal ; o stalu qu a ascenco
ao peder.
A Ihese o syllabus; a hypotltese a niiia li-
berdade da constitoioao o stalu qu o jesui-
tismo.
A these o ideal a hypethese o mixto do
grande Castellar e a pausa refleclida do conse-
Ibeiro ; o slatu qu a volla de rela;es existentes
entre a igreja e o estado.
A lliese ser filho do conservador, ler si lo oita-
6cJe perseguidor de rebeldes em 1818 ; a hypo:
these ser boje liberalao -chafe do directorio li-
beral.
A these ler dito em 186 J que ao vi foto barao
falta va cap icidade para ser presidente ila proviu-
cia, ouo era o homem accessorado at nos meros
despache s do expediente ; a hypothese ser boje
seu honrado amigo c sea seulioellu a vaneada.
A thefe ter sido conservador e deputado pro-
vincial este partido ; a hypolhese ser liberal
desbragado.
A these ser empregadn de con.ianca e oscrever
contra o governo, affroniando-o e iojuriaudo ; a
hypilhese procurar os amigos- do governo para
lecer louvores ao inesmo governo, e dixer que
contra elle nao tem escripto urna linha seqner.
O smlu qu.
Consiste em raanter as sinecuras que cada li-
beralao desfrucla, e fazer mais alguma cousa que
aproveite barriga, o deus dos liberaes da Pro-
vincia.
A trar.saccao com a realidnde.
Consiste em procurar o meo de subir ao poder.
Se e bspo serve, venha o hispo.
Se os luacons servem, venhain o* macons.
O poder a reahdadade, vetiha elle, qne todas
as transadles sao possiveis.
! julh
O tonente-coronel,
Alexarulre Augusto de Frias Villar.
Inspector Ja tkcMouri&rim do
fazenda a a Provincia .
Insistindo a Provincia nos usertos que
tem omiitiiio com referencia ao fldatmento
da ceremonia do assentamonto da urimeira
pedra para o asylo do alienados, uscreveu
em seu numero de houtem e sob o titulo
\lZscanialo Qovernamcnlal o seguinto tre-
cho :
As dilibiiltfade s nascerain depois da
inforftfhc^o'^o honrado Sr. inspector da
] thoiouraria, quo pouderou ao Sr. Lucena
que a compra nao devia ser realisada,
porquanto era bem litigioso o terreno
ile Sanl'Aroia, e no podia ser effeclua-
da a permuta dos dois sitios porlencentoj
Santa Casa sem expresso consenso da
aiscmbla geral, como ordena a lei. Ap-
pellamos para o honrado Sr inspector da
thesouraria.
A pessoaque inforinou Provincia, ea
autoris* u a escrover o trecho que tica trans-
cripto, nao foi (qualquer qe seja a razo)
fiel verdade, enganou-se.
-Nenhuma informaco olcial prestei ao
Exm. Sr. presidente relativamente ao a-
sumpto em questao, e muito menos refers
rae jamis a litigios a quo estivesse sujeito o
sitio de Sant'Anna, como, com a maior
inexartido, se me attribue.
Em os ltimos dias de agosto, so nao me
engao, procurou-mc um amigo, e me com
muiiicou que se tratava de permutar um
dos iinmovcis, cujo usofructn, o decreto de
25 de agosto de 1S31 destinou para pa-
trimonio dos orphios, pelo sitio do Belm,
onde devia construir-so o asylo do aliena-
dos.
No dia seguinte encontrando-md com o
tr. Lamenha, fallei-lhe do nssumpt e cnto
pinlerct-lhcque sendo esse mmovcl pro-
prio nacional ex-vi da lai de 8 de dezembro
de 1630, nao poda ser alienados sem pre-
ceder liccnca do governo, expedida pelo
ministerio da fazenda, se nao humera o de-
creto do 1831 cedido para pam patrimo-
nio dos orphos o usufructo delle como do
de oulros, nue pertoncernm extincta con-
gregacao de Sao Fetippc Ncry, circumstan-
cia que tornav precisa a (conga do poder
legislativo.
O Dr. torneaba respondeu-me que S.
Kxc. o Sr. presidente d i provincia j estnva
disso inteirado, e quo a permuta s teria
lugar so o poder comptenlo tlsse para ella a
conveniente'licenra recetiendo no caso con-
trario, o propriotariodo sitio Sant'Anna
certa so:nma em que era estimado o im-
m vel quo na outra hypolhese faria object)
In permuta.
Foi isto o que so passou comigo, e que
tenJo sido simples conversa particular, e
nada coiilcndo de reservado, eommuniquei
tambem cm conversa a mais de urna pes-
soa de minha amisa le que me procurou
para saber que difliculJades tinha eu posto
ceremonia que to discutida tem sido.
A interpellaco directa e positiva que me
fez a Provincia, obrigou-me a esta declara-
cao, que alias teria feilo desde que foi pu-
blicado o artigo an'erior do mesmo jornal,
em que se alludio tal informaco da the-
souraria, se is meus trabalhos pblicos e
domsticos, uao me tivessem privado de ler
esse artigo.
Recifo, 17 do setombro do 1873.
Emilio'Xavier Sobreira de Mello.
qaar natoroza enj vapores, navios vola o*
lia ruacas, a premios muito mdicos.
uta cqPIW N- 3t-
C0HPA1HIA kLllim
seguros martimos e terres-
tres estabetecida ta Baha
em 15 de Janeiro em 1870,
CANTAL 4,000:00p5000:
Toma seguro de mercado||as e dinheiro
i.co martimo em ovio dtf vela e vapor
para dentro e fra do imperk, assim cobk
contra? fogo sobre predio*,; ^eneros e U-
rondas.
Agente : Joaquim Jos Goncalves Botrao,
ra do Commercio n. 5, Io andar.
SEGUROS "
>l\KITIMOS
CONTRA O FOGtr.
A companhia ThJeronksailorb; qUabeleeid
nesta praca, toma seguras martimos sobre
navios e seus carregaoientos o contra og
em edificios, mercaonri.ie- o mabias: na
ra do Vigario n. 4, pavimento tcrre&.
4LFANDEGA
rteudiniBiiio do dia I a l. .
dem do da t7 ....
461:484 4 U5-'
48.'t-8A33r;
50J:9743I>
DescarreijaiB hoj* 18 da setembrode 187:i
Barca ingleza Hermione mercaduras pn;i al
fandega,
Patacho inglez lite (atracado) meivadoras
para allandega.
Escuna ingleza-flaccmercadorias para la-
piche Conceico, para despichar.
Lugar inglez -Stella hacalho j despachado pa-
ra o trapiche Conceico.
Lugar inglez Nacegaor nuchinimo |r o
trapiche Conceico, para despachar.
Patacho allemoFrielt carvio j despachad)*
oara o caes do Apollo.
Barca sueca-C, O. W.alfafaj despachaJ.i |ara
o caes do Apollo.
Barca inglezaBlaneg Brothers -carv-i ja des-
pachad1.) para o 2 posto.
Escuna ingleza -George DuckletCAr\\o j des-
pachado para o f ponte.
Barca ingleza Persevsrance plvora para depo-
sito na fortaleza do Bruto e j despachada)
para consumo.
Cons '1 ii'fi).
'JBCACOES a nam
debellar os soberbos do Club Pouular, que se obs- liis duas mentiras.
tinaram a receb-r a senba do gndo capitiio a i *#>* n'est beau quite vra< diziao velho Boneau;
rertus super pmnid repefe se d longa data, a
arreiar a bandeira poltico religiosa-para subs-
tiiui-la pela graciosa hypolhese do comelheiro fia-
buco.
A' semelhan.a do antigo K possidetis. vom a
baila de nov.i o velko programma do '.slatu quo,
| mais modificado agora pela pattsayeftcclti i do- pu-
grande urejuizo que ella tn.n de soroi1 em ata
e per da 4c alogjieui o mercado ?
< A cunara te;u resine;a obrgacao de prote-
ger os inieresses dos eu municipes, e nao pode
de forma alguma se dosiir do cunipcimento dos
seus deveres ; nao pode {Xt-inittir (jue na suas reo
das sejam "sperdicaila i proveito de terceirp
com prejuizo do suas usceidades. Alem disto a
estabeler-se o .jiracedcuii; Cu-te fazer um .con trato
o depois yurcr-f obrjgajr.a. cmara andem:-
oiEajao de de^jezas que nao deveio correr por
sua cauta, fauaado-se,.f8 dos.contratos que deve
ser religiosamen'e guardada por ambas as partes,
neuhuwa vaniagota hayer eu cer-se contratos,
porque sunca se Rudera amur eom segurares
a respeo de sua aecu_po, a careara, se achara
sempre>na triste con;aotle ser ptejiidcada, e
inesmo nao louvavel que cao arredaodo-so oqtfos. coupurr,ooe*, c depois
allegucm se dtreltos a iijciunisacoei quo nao tem
Junilaiiieatu mm raan de .r.
So acamar* coocedess i o seu asserHiwcnto
protoacaodo peticionan o ia I vez. d|>a uuia prova
la pouca eircuaspa^fao; jaulprUari aos coa-
crrenles, que, c*ra fra do lance, a azerem
queixas, que, eomquanto injaka, nao dcixarjanil
>'o hlnto de satisfaer fie|mento as ordeos do
arao, arroja-ce o destmido paladino s conclusfics
inaes e deixa cahir compleuibeute a mascara.
. .Nos nao pellimos, exclama, a these da e-
narieab da igreja do estado ; na hypothe*. po
rai, no queremos, desdej. a igreja livre-o es-
tado iivre.. .\ por bem da Jberdade; queremos o
stat* fuo de relacocs, o uatri transaca c^in a rea-
liiaie 1
Bis aqu a mao de ferro ebro a face dos libe
raes de trra, a supportarem de um Escariles
do partido cnservap-jr to inenife-ta tricae f
E como se isto bastante nao /ora, vem ah a at-
tiina tinta desbotar eska baudeira de papel bran-
co arabeseada s cegas:
E* preciao desde ja, abolir o juramento para
as /unecoea s e pediticas.
Em um futuro mullo prximo decrete-se o
casamento evH.
Eis o ttatn qu> d nossa bandeira.
A nossa dii>a, pois, tOda de progresso, em--
bora a expressao pareca exclu Fo.
Acbaes pouco, vos conservadores
. Pois para ns muito, e con i-i
tenia/nos... por agora.
Eis aii otnagico.d Ptwincin,
todos os momentos; nec joco jnentirelur era dis-
tinecao honrosa de EpaminOnds, o mais celebre
general thebano.
Todos querem a.vrdae, ldys a amam ; s oa
homeiH d&P.-ovinciu, s os Boileau mitins, s os
Epami&ondut modernos a abandonam e dspro-
sam otenslvraenje 1
Lamentavel condiccab, essa a que chegaiu para
obter 06 seus fine os nossos adversarios 1
A-ei-eolha de meios as lutaS de qualquer na
lureza o caracterstico'da nobresi de sentimon-
los dos lutadores.
Na pugna qu todos os gevernos por sua digni-'
ddo sao obrigados.a sustentar com a opjto-cao,i
tornase as vezes dfnVi a su attitude pela des-
igualdadc das .armas.
Proseneoiente a op|is.'io soccorre-sc a todosf
os meos; calumnia, infatta, injuria e mente : e o
jovernoque por sua noltfe posijao no.descbi
I' por.ea.considerado frafioe puslanimc
O governo, que o partido conservador,, .por4
-sua propria iadole, repan enristar suas lancasi
contra adversarios to deileaes I
O que se ^a de oppor senio a continuada cb-
tostaco da fahiidade dos tactos, qne fermanVa
base deseas conbtntes aecusaces airtioistra-i
cao da provincia ?
A peo* de talo sera n'esse case indigna1 de
BM,
Ao publico.
Cumprimos o mais gratis d3ver agradecen-
do cordiafmcnte ao publico (folla provincia
o auxilio que nos prestou para a continua-
$a das obras de nossa igreja do Nossa Se-
flhbfa da Penha quer por militas e genero-
sas oflertas ao bazar que orgau saraos, q.ur
pelo concurso animador durante o leilo que
se proceden dos objectos ollerecidos.
Os sentimentos religiosos da populacao
desta cidade nao firam desta vez ainda das*
.menudos.
Neste agradecimiento goral uo podemos,
por'ii. deixar de destacar os Illms. Sr.
Jos Izidoro Aartins, Jos Mria Pestaa,
agentes de leiies, e principalmente o Mm.
Sr. Francisco Ignacio Pinto que dedicaJoso
generosamente se prestaran) com os seus cai-
xeiros a eflectuar o leilo.
O generoso concurso da populacao desta
eidade nunca ser por nos- esqttiecido.
Recife, 16 desetembrode 1873
Fr. Venancio Maa de Ferrara,
Pcefeito da Penha
>to nos'eorl-
, o es'amoteadoj-
de ostenUr appareaeias de razoayejs. Tendo*Ido programla libferal.o magnetizador qnncorrl
cmara cumafido caa ioteira, poqtualidada aa famajera capjz de, eommanieado o fluido peto
obrigaces qujB.qgBtrabiu, landp de aupp'ortar.o
1.0'juiAJ enorme, d,jiiros d>) dibeiro que j tem
|wg(io peliclooariu, eumo lamben o- provenioate
da daiaor i da- ofcra, quc,cuio astaodo prompia ao
lempo eonvenciuftadp. nao pode ser alucada; a
naotqado de-naahanj* form i se, re.-^iajiilisado
por eveniualnUda? imgoi^v^, qu^ nada.aa
em tmtprqta-.MB&i***-W>9: ^MW
nca sujeita pelo eapB de um anno, e a comais-
o de nrr'T wHiiilifiiili apfei^a**. '
peticionario.
d
Pedro de Athayde Lobo Moscoso. Foi approvaJj
este pareeer e indefarid* paticao do contratan- f feao da Provincia e
^3 contra os volea dosisrs 'ereadors Bellarminof Apezar de sermos.awgmfos polticos desses
o Reg Barros e to da Silva Loyo 'Jnior, quersenbores n* queremos descenhecr esta verdade-/
Paiffda uajaftMniwMl ,do .Becifo, m t
) agosto de (871-JosFPtdroldas Noves.-Dr.
baro, onis, rcduzir ao estado do catlepsia toda a
corboracao'da paridol^rat desla lena. .
E por itn de tddo dizem tom prophelico :
i A discuiso das Ideas eou'a muito seria, pa-
ra que 4odoa fSim leri palavra I
E>se iiborddaif fNtjin&'*no julgi-se entre os
liberaes cot#J,iai|r fcs'aquellB que ollia por
um s olhn.
Vejitmos agora- xr que te tem passado no Gktb
Poput ir.
Os Srs. Dr* geslMleiYo, Jda teixeira e Ja-
insullo,. que ."irigtnoVse sp&cialment ao;
dwlincto *dmiditrador da p,rovijicia, dxaWos'
passar, nao hga at S. Eitc^ porqne ajm de sef
atirado sob a, rospOnsabildadl d algum dos ntals
O teii^ntc-coraael Firias Villar
eo Diario de Pterttambucoa.
. Li.no san Diario d Hoje um artigo em que
se trata ainda Je iniia pessoa cono, rolaco
ao incidente pele qu ai tti sabmeUido d con-
se ho de nvestigago e pf*so dadeo dlir8 do
eorrente ; e como protesto ao que se assegu-
r* no re/e-idaiartigof ^dadaro qu: riosoil
aem quero sor respOBsawl pelo que aim-
prensa jiolica possa dizer cbm referencia
80 mencionado i oc i dea te.
Nio son bomeio estremade em poltica o
na qualidade do'soidao sempre servi ao
Morte- palavra que traduz mysleiio,
Sombra as trovas a vasar perdida,
Paludo cyno de claro funreo,
Negro phautasma que s'abraca vida.
Solreste, Gertrudes, o duro golpe
Da parca nvulneravel e impiedosa,
Ella r.iuba do leu esposo a existencia,
E le faz viver agora lagrimosa.
Ella veio, mulher, de fouce em punho
Cortar da vida o lio preciosa,
Mas ella, Gertrudes, cefa ludo,
Forte, fraco, rico e poderoso.
Ella 6 dura, ingrata, sem piedade,
Nao olha para o mal e nem prev,
Deixa os temos Clhos seai seus pas,
Depois que tudo faz que olha- e v.
Deixa urna s lagrima para debniliares
Na campa sepili ral do teu esposo,
Seja ella um signal dos leus a"eetos
Que te deu nesse momento pezaroso.
Rega a lousa fra com tan, pranto,
Que fazos bem com isto, a ilever :
Mas enxugues, Gertrudes, doixa ao menos
O repouso de quem est a adormecer.
Consola-te, mulher, cnxuga o pranto,
Conoraia-te con a vontado do Senhor,
Se for ponco o martyrio quo soflreste
Recebe ainda mais por seu amor.
Sebastiao de )lello Regn.
Quintino Feriwntles da Silv r.
16 de setombro do 1873.
Infelizcs victimas do rheuana-
tisnio.
Porque soffreis tantas dores, e porque gas-
taos intilmente vosso dinheiro era medica-
mentos incapazesde-vos curar?
Vossa molestia nao tem outra origem se-
no no sangue viciado.
Eurificai o sangue com a Salsaparrilha
Ayer Se vos- tomardes esle remedio com
regularidade o eonstancia, (loareis curados.
Experimental.'
linpnrtacAo.
Ass, hiate brasileiro Flor doJardim,
consignado a J. da Cunha Lagos, manife*-
tou :
Algndo 17 saccas a-S Ramos.
)E^PA':ilOS DE EXPORTACOA NO DM ISI'E
SETEMBRO DE 1873.
Para os partos do exterior
No navio francez Coligny, para o Havre,
earreparam : Harismondv & Labille 223 sacras
com 20,088 kilos do algodo
No vapor portugnez Julio Diniz. p.nr.i o
Porto, carregaram : M. M. Monlelro 109 sacras
com 8,32i kilos de algodao ; H. J. da Cunha So-
brinho 10\ ditas com 9,011 ditos de dito.
Na barca ingleza Kate, para Liverpool, rar-
regaram : M. Lathan A C. 688 saceos com 51,608
kilos de assucar mascavado.
Ni escuna portugueza Chrislina, para Lis-
boa, carregaram : B Oliveira 4 C. 300 courosga-
dos com 6,0(0 kilos.
Para os portos do interior.
Para o Aracaty, no hiato brasileiro Graciosa,
carregaram : Costa & C. 19 barricas cora M*
kilos de assucar refinado.
Para a Villa da Penha, na barcaca Rwaai
carregou: B. F. Guimares 2 barricas com 136
kilos de aburar refinado.
Para Mossor,na barcaca Campo Verde, car-
regaram : A. Quintal & F. 6 barricas cw 385
Kilos de assncar refinado ; J. Policarpo 8 cseo*
com 1,563 litros do agurdente.
Para Alagoas, na barcaca Jacaratnga-, car-
regaram : Neves Irnib A C. 2 barricas com !3Ci
kilos de assucar refinado. *
Para Alagoas, na barcaca G. dos Anjos, car-
regou : J. D. Julio da Costa 1 barrica com t(X
kilos de assucar refinado.
Para Alagoas. na barcaca Abifmo, carrogou:
J. M. Barros Filho t vrlume com 35 kilos de doce.
I.APATAZ1A DA ALFANDEGA
Hendimento do dia i a 16. 12:tl!03
dem do dia 17..... 38280t
i3:i9Uit
VOLUMES SAIIIDOS
No da 1 a 1G......
Pnmeira porta no dia 17 .
Segunda porta......
rerceira porta.....
frapche Conceico .
SERVICO HMfMfi
\lvaiengas descarresada no trapiche
da alfandega no da f a. 16. .
Ditas ditas no dia 17......
Navios atracados no trap. da allandega
Alvarengas ._......
No trapiche Coneei^.....-
ttMttx
71
51
51
32
18,690
30
2
i
33
HECEREDOIUA DE RENDAS INTERNAS GE-
R'ewmentb do da i a 1.6
'dem do da 17. .
:767040
itil5
22:z2810.'
CONSULADO PROVINCIAL
-Viipimento do dia 4 a 16< 39; !denVdodia!7...... 2:104/008
RECIFR DHAINAGE.
Rendimento do dia 16. .
dem do-dia 17......
42:027*08'
7:6974154
47553
* 172152*
a,mmba pa^m de cbele de um corpo de:
inba me iMpe a naais severa reeerva Ha ma-
nifest-tcSd t* o'p'ndspbhtrcs, e sinto-mei
c^moesoi^b;i)A'e'^riB>r' defenabr-niei
seai querpretiao recorrer inteevencao de
recursos estranhos.
cobina^o .fean.*^
incontashkveTmeno" de
muito mais prestigio i
.CorrAi,de Brilo,
raigatlas a fe'
litera!, do qde
despreziveis*jif/ij de ferrb^ Ac ligado d pMOaJgovorno do meu paiz com toda- laidad o
ffiKdifno?Sc?f *e P ^ ^"^ m '*&^!w*P*. contear.y
A bjilria, a ealumiua. ej 'Irffatnla pnanecerp
sem outro corretlv'o'se nao o que deSa* aspe
para atlostarem'eni todo o t^rabo vil niaaej das'
armas dds noseo qppciscpnistiis
- "I-%$$Wl #cbmo ftoje -rene a
Op{moa Fuctonit I
Masa mentira....'.nSdtf e?a ha de ficarnar,
talo ao cbbllcfmento:do: toflo*,1borque no a'
xaremoa pasa..de frotjt ergoar eaiqjlanto
' mmimmai-qa^j^^!^\^^M
menliudo despejadameate'^aide'' gWher1 Wilro
do nosso afiad escalplfo, bois que para isso e-
. iravembs de ucow'pattna-ijb'e: bt'se. arVopiv.
dm ao depdtr.
EnroontnnacaV ao mu' que beatos-m-\vit


Seguro contra-fiog
THE LIVERPOOL IXrNDON'db *10B
INSURANCE COMPANY
SAUNDERS BROTHERS* C.
11Corpo Santo11 '
K0V1MEWT0 00 POR 10.
iVawo- entrado no dia 17.
4ss6 das, hiate nacional Flor do Jar-
dim, de 150 toneladas, capitn Joaquina
F. da Silva, oquipegam 7, carga ala^do
e lastro ; a Jos- da Cuoha Observap&tr.
q houve sabidas.


edTtTs:
km a laldrttf'e i/verda-flc, e detesto a
^ivosi' e-ft' intriga,, vnh et| dnde
nar.
Wd Biafi<fpernMhbmd >dfrt(> 66 aor<-
feote rtl^r^occYreflclas, tfue mu ta* -
cds lMivrni' o me processo eprso,
e-no pyaw-perder tompo em eserover-parl
aasgazata.
' mort resolvtdo -eltplciip-me' perenle os
Capital.
Fundo de reserva
20,000:0009000
8,000:0^1600
Agentes,
Mk Lothamd.C*
RUk IM CRC1Z N. 38.
Phenix Peraambucana.
Toma riscos marrtirnos em nwrcadoi'hi'i,
fretes.^rnheiro Ttsco e finalmente de qual-
Consulado provincial
Para sciencia dos contribuales do ioaposte da
decima urbana e os eQeilos 1-gaes, em soguiiav
publicam-sa as alteracoes verificadas np lanca-
inenlo do mesmo imposto o corrate anuo fuaa-
ceiro de 1873 a 1874,, ficaado aborto o iirazo s
reclamacdes, quo por. ventura, pqasam lar a aaer
es moMesads na frai a*a ki o taguUmentos
reipectivas. -
Consulado provincial 19 de agosto de 1873.
0 administrador,
iA#a'f5s verificadas ^o^aMfi%Muiiudc
Gosmao Colho, no lanamente da flecima urba-
~\%$* re8u*a> S. s, nv'atino da iSSa
Ra de Antonio Heoriijufla,
X. 30: Atas Therea do SacramnV '
^^8Ht
#/
\
*

V
I





I&M Trmftm Qttfnta 'feft tt Wfa%Slo4e Mtt.

i
i




maco
X Si
diU pw
* ogueira.
A. Wi Joaqun Francisco Lavre, ana
detono
II. Bentcrde FreiUs Girimaraes e
'KiSSnKraa do Canto'
na Costa, urna dita por
Isabel Kayrannda dos &,ulos
iMrtvtim sobrado d doos an-
.res eioja por
N- M. Luiv&braide atadeiros, urna
a terrea por
N. M Aulonio Jos de Abrcu Ribei-
re, urna dita por
X Sania Cecilia.
>'. i, Leopoldina Celiaa Tamporal,
f dita por
oaquim Antiii Carneiro, urna
i u^|M>res-Francisco e Eiui-
ifna dita pof IW ^T
N. L uilliermol'feurcio dos Arijos
Paula, uma diljBor -
N. J. Jnstiao PeTfrVi Varias, irffia
4i(apf
i. JL Joanna Jftiria do Sanios Mo-
rae?, urna dita por
X- Jf aar Francisca de '.Mme'da
tuna dita por
Jl. *fi. Auna Alaria (Je Souo um dita
. p. Jos Goncalves da Crur, um
tarado le andares pe*
X. S2. Autnio Luciano de Mor.ies
Moquita Pimental, ama casa terrea
por
N. 81, Luiz da SMva Ferrei urna
dtanor
N. 9t: WonseOhor Francisco 'lluis
Tfcvares, uma dita por
N. 4: Antonio de Sonta Azevedo, e
outros um soleado de um andar e
Ioja por
N. 13. Vigarie Lotirenco Correia de
, nm sobrade de dous andaras
e Ioja por
N. 15. Arctianja Mara da Paz, ama
dita por
V. Antonio Joaijuim Caseao, urna
_ date por
X. K. Antonio Jos de Souae, um ra-
beado de dous andar* por
Y 9t. Francisco los_ de Araojo,
ums qasa terrea per"
-N\ 31 Francisco Candido da Silva,
_ ama dita por
It 37. Joanna Francisca do-Rego Mel-
le e Mara Francisca da Reg Mel-
lo, urna dita por
X. 69. Jo*i rjas da silva Guiraaraes,
urna dita por
.V. 83. Manoel Ferreira Antunes Vil-
la fa, um sobrado de deus andares
e selo por
Xova de Santa Hia
K. 6. Marcelino Ansrwrto Lopes,
urna casa terrea por
-V 99 Joaquim Eugenio Mata, omi
dita |)or
N". 31 Orden 3.a de S. Francisco, um
dita por
N*- 44. Laiz Jos da Costa Amorim,
um sobrado de um andar e leja
por
X. W. Dr. Francisco Goncalves Ro-
_ka, urna casa terrea por
\. Ji. liburcio Valeriano Baptista,
urna dita por
Domingos Theolonio.
X. 4t Joao Pedro da Rocha, aun
dita arrendada pnr
X. 48. Joanna Mara da Trindad*,
urna dita p->r
X. 50. ftanciao-Facciro da.Jierei.
les, urna dita por
X. 31. JUaia \\o:i da Silva Correa,
__ urna dita-piir
X. til Jos Xionlo Ferroira, urna
dita por
X. i. Irmandade do Santissimo Sa
amento de Santo Antonio, una
lita por
N. o. Hermenegildo Jos do Alcn-
tara, -urna dita por
X. 15. Delphina Minia da Conceieo,
urna dita por
Y 29. Irmaudado do Seohor Rom
Jess dos Martytios, urna dita por
* X. :'i. Antonio Jos Candido de Sou-
za, urna dita par
Padre Floriano.
>'. til. ftrdem lerceira do Carino,
ama dita pnr
N. 1 A ine-iina, nma dita por
X. 20. Manoel Jos do Nascimento e
Silva, urna Bita, por
X. Tii. Lpif Gomes ilverio una di-
la por
X. t. Bentardioo loo da 'ocha
X 5 Jos: Ant imh Kei'iunds Fra-
andar e Ioja por
X. !.">. Manoel Rodrigues da Costa
Magalhaes, urna rasa terrea por
X. 23. Joao Flix da liosa, urna dita
por
X. 31. Herdeirjs de Joaquina Mi-
guel de Almeid.i, una dita por
Y :!'!. los dos Santos d? Oliveira,
urna dita por
X. II. Scraphini Clemente de Souza
e Silva, urna dita dividida em duas.
M
X. ->5. Feticidade Varia do Carino,
urna dita por
!t -"7. Alexandxe Jos da Silva, urna
Uta por
N. 39. Viura e lierdeiroa de Luiz
Francisco Ferreira, urna dita por
Travessa do Serigado.
N. I. Joao Jos Silveira, urna dita
por
Y 7. Maria do Amparo Borges, una
dita por
Christovi Colombo.
X. S. Victorino Jos de Souza, urna
dita por
Y 2 A. Maria, ama dita pir
Y 19. Antonio Joa juina Casco, urna
dita por
X. 23. Manoel da Costa Teixeira.
tima dita por
Jardim.
X. 12. Luiz Jos da Costa Amorim,
urna dita por
Y 11. Jos lofjfniB Goncalves Bas-
tos, urna dita pnr
:x. 10. Hermenegildo Xelto de Aze-
redo Coutinho, urna dita por
>'. 22. Tiburcio Valeriano Baptista,
urna dita por
X. 20. Manoel Beoe lieto do Espirito
Sanio, urna dita |iiir
X 28. Lu/. Fenviio de Alineida,
urna dita por
N. "O. O mesino, una dita por
X. 40. Irmaadade do atssimo Sa-
cramento, nma dita por
R i. HenriqueJo- Vioira da Silva,
urna dita per
X. 1. Antonio Francisco da Silva
Coelbo, tima dita por
X. 47. O mesino. urna dita par
X. 21. Joaquim Dias Feniandes, urna
> dita por
N. 23. Jo3 Joaquim Ferreira de Sou-
za, ucna dita
K. 31. Joaquim Antonio da Silva,
'* urna dita pnr
X. 43. Francisco de Paula da Pai-
- Ra do Forte.
Jl. 6. Luiz Gomes Slverio, uma di-
ta por
X. 10. Joaquim Tkeodoro da Silva,
ma dita por
J. HL lrmandade de S. Jo d'Ago-
uma dita por
Desembargador Francisco de
AsLs d'Oliwira M*eiel^ uaia dita
por
X. 12. Maria Joaquina de I'aula Cha-
ve*, uma dita or
!f. 86- Aatonio Jos Rodrigues de
i*m, urna dita por
' 5. 18. Manoel Joaquim Rodrigues
Ab Souza, fita dita por
Sl'tijJ, Jos do Cont Gaimaraes,
urna jl. 56. Os menores. Manoel o Fran-
iseo, Vicente Morvira da -Silva,
.*> uma dita por
H. i. Francisco Soars Botalho, um
t_abxaUo de i andar e 3 lojas por
33ojO00
3361000
a 'r,|,anJ'"lt! ^ >0Ssa Se"'"""
do Livramonto, urna dita por
2- 17. A raesma, urna di la por
J*. 19. *
1M
A me'sma, uma dita por,
' Antonio Jjonrtqoe.
n. 2. Joso Ignacio de tWWros o-
* ilffWUMfiwnma ditaavalMnor
n-UUiu Iduarda Al ves Pertei-
2W0O8 N.lP.'H'omo Ignacio Perera C*-
Ifcoooutros, uma dita por "380000
. ,-';*eW? do consulalo proviuciaL lOdaaetom-
bro de 1873.
!S7?.-Lima.
umprlmento a este despacho ra dita pon-
istnbuida ao escrivao que este subscreveu:
ando o_respeetivo mandado de penhora,
da heranga que tem
9001000
420J00O
3001000
A.
W. Pmto Bandeira
dital
O chefe, ^r
Accioliie Vasconcalios
n.
6T
2io;o
3001000
216J5O0O.
I110O0
2401000
240*000
t twblioo, de
esograria de
55 do
onos tiu
v|n-
bens deixados
i Cunha ao h
Cintra a quem L
jaencia do que o
1 fez em audienci
imento do tbeor se
lo de 1873, nesta CIU1UB UU
udiencia que aos feitos par-
dos feitos da fazenda Joaquim
lo procurador da mesma Jo3o
i'aujo foi aecusadvf ponhora
ao r i, e requeren mtmumm
cuno, de editoflom o prazo legal, alim de ser citado
o exectJtodo, viole como se acha ausente em lu-
do comprou,
da faatnoak)
docorrenS
Aos 12 .
tes faiia o
jGoncalves
qua'ac segu,
rrt.0,07; TKf rtWs de^aboa
*>^J6^t/j4 m** wmolhto th Oin?
9P, t**36** dt> concho do compras d
lados por D. maBnha de Pemambiwo,**e so1*n*ra de 1871
^ Tioereurio
lp#f cftrh o Jim : !. di Hiferrnar in-t navegantes
fla dimmuicio na variaco da agulha, que nos
ulmoa ,1.3 nasos tem chogado a quasi am ouarto
Je uma qnarts, o que actualmente aprsenla im
fclwS?.-1-***' 9ai# ftoW-PWanoo:; IH,
Oawuiar os naveganteg, fabricantes de earta
fgentes Pfnyi,veodflda myays fartas
cente
gar inserto,
da execui.vi
o que ouvi
unido se nos ulteriora* termos
idas as formalidades.
assim o defe
lo das audiencias
136000
1681000
4201000
M01000
3601000
4201000
1:1001000
1.1161000
4801000
3000O0
l:2tt0000
480fOOO
4801000
Pela inspectenia da alfandega
confermidade com a portara da
fazend* n. 435 e edital desta re
deanibro do aano prximo passai
comifnatarios da plvora abaixo ,
da de Londres na escuna ingleap Qpwirottoe Prejente do
entrada boje, a virem despacha-fa *h agua, fon- ^uUfl man
tro do prazo de tres dias, sob penn^ mido este,' I *
ser ella vendida por sua conta, sarn que Ibes fique <"*
competinde allegar contra os eireito* dwia Marca diamante J-400 barris de 4* coBsim-' **<> '
dos ao Uarao de Bemfica. f
dem BB-500 ditos de dito, idem onJem. dentro do prelxq p/axo da le de 22 de'dezemjbro
dem diamante K4CL-J00 ditos do dito, Jera
idem.
dem idem Moraes -300 dilos de dito, idem J.
PWo presente sao convidados os s
LeJTn!'',n em aMe,Dl>'a feral ao edificio dfi f'
f?toSC '** ad *0 rlWffe,-17 de setertBro de 1873.
1,1,, Ntoitl Itomot, \
Secfturio.
r- o
*eraambuco.
Das Shetland, Orknev. e Hbridas, para as cos-
,tos septentrionaes da Franca, entre Calais ej's-
Srs. socios, MmfS.0-XSEr(verdadero) crescendo
oesta V
Costa oriental.
Em Lorwick e Sumbugb Hoad
Peutlaod e Moray Firttis
Buchannes o Fifeues
iMfiofcmMoi
Bandeira, escriviio,
atto deferimento o respectivo es-
te, pelo ttieor do qual
para que
oberio Leasbboir
de Carvalho Moraes.
dem FGB 78-800 ditos1 de-dito, dem aJfeun-
ders Brothers & C.
dem diamante SPF 1,000 ditos de din, id
idem,
Id-m CLtfeCSOcaixas, idem ordem.
dem GM4I 50 ditos, dem idem.
Alfandega de Pernambuco, 15 de setemb'm^eij*
JB73.
O inspector,
Faoio A.'de CarvtUhn Res
dos
Edital n^...
4081000
SO-JOOO
l:000Jf00
20J0O0
1801000
1685000
588*000
201000
240/000
264/000
27fi/00
300OOO
300/090
300/C03
Pela inspectora da alfandega se faz publico que
*s 11 horas da manha do da TU do aorreate ae ha
de arrematar, livre de direitos, no trapiche Cunha,
o mercadoria abaixo mencionada, ^ue. deLvn de
ser despachada dentro do prazo do 30 dias, mar-
cado por edital n. 8.
Marca EDPRIVAT AGDE 2 pipas com vinho
seeco, nedindo liquido legal %l Jiiros a reliadas
por 341/218, vindas de Cette no na rio frarwoz
Maria Celine, entrado em/> dedezemtro do 1872,
e consignadas a Tas-o Irmlos 4 C.
Alfandega de Pernambaco, 15 de setembro de
187J.
O inspector
Ffiftio A. de Carvalhn Res.
Edital n. 65.
Pela Inspectora da alfandega se faz publico,
que as II horas da manlii do dia 20 do corren te
se ha de arrematar, livre de direitos, no trapiche
Barbosa, a mercadoria abaixo dnolarada, que dei-
xou de ser despachada dentro do prazo de 30 dias
marcado por edital n. 9.
Marca SB 1 pipa abatida, pesando liquido real
60 kilogrammos, avahada por 8/080, viada de
Lisboa no navio inglcz Ariel, e consignada a Sauu-
ders Brolhers & C.
dem PAC -1 barril de 5" com vinho, medindo
liquido legal 87 litro?, avahado por 31/214, vindo
de Barcellona no navio hespanhol S. Mariano, e
consignado Pereira Carneiro & C.
dem idem 10 caixas com 10 duza? de garra-
fas com vinho moscatel, consignadas a Pereira Car-
neiro AC, medindo liquido legal 76'litros, avaha-
dos por 9i5392, idem idem.
Alfandega de Pernambuco. 15 de setembro de
1873.
O inspector
____ Faino A. de Carvalho Rsis.
Seccao 2*.Secretaria da presidencia de Per-
nambuco, em tt-rte te**! fe 78.
Porreta cate* anfaz palien iara conhe-
cimento de quem iatttfeesar possa o edital abaixo
transcripto do Jufzmonlcipal do fernio de Ipo'u-
bcaf.pondo em cancursoa serventa do offlcio de
tabolliao e encrrv.io decphaos do dito termo.
s areteafeptes deajfrab apresentar os seus ro-
quermientosTIeviaameiTtefhsiruidos, no prazo mar-
ado no mesmo edital. Adolplto Lamenh-i Lina,
secretario interino.
O Br. loo laptistade Siquei*Ceaj6aaie, lalz
municipal da villa de N. S. de ff da eerearea dp
Cano por S.M. I Faco saber aos que o presente edital virem que
se acha vago o luar de Ubejf' -db-notas e es-
envao de orpliaos deste temo delptjuca, pelo fal-
lecimento do respectivo serventuario, o qual lugar
se rcha em concurso ; por Uso pelo presente sao
convidados os pretenderles ao mesmo lugar a
apresentar snas pernees devldametite instruidas
dentro do prazo de-Cu diaa, a contar dtst data, e
para que chage ao conhecwi.wo do i\wn inte-
ressar possa, mandei nassar o presente, que ser
ulTixado nos lugares Uccostume.
Villa de N. S. do fT, 90 de agosto de 1873.- Eu
Miguel Joaquim do espirito Bant* .Moraes, nBcri-
vao escrevi. Joio hapsisla de Siqutua envol-
cante
ft $STSti*mo A,naro'ror fc'-
1 eeit, 1f de SeMmbro de f873.
', O gerente,
G. A. Svhmidt.
SPilAL MlUTAit.
llegar o seu ireito ; portanto todas e
pessoas, prenles, amigos e conhecidos
dar scme .de todo despendido- nqu> PwjWWe contrate/ para as dietas dos dacntos
?/aK TS S^F**** dp.maan hospual,
e o presente consta a quom quer que > .xado-8 jrablicado'pote impeepsa. u ^,,B ""tnosUe de vntubr a dezembro do' cor-
issado nesla cida !e do Recife do Per- Tente ann0' a saDer
os 15 de setembro de 1873.
cente de Tora toadeira, -ejcriiM,
Joaquim Goncalves Lima.
ta*V>ir>M/
192/000
192/000
120/003
120/030
420/000
JlG/OtK)
216/000
30/0',0
144/000
300/000
600/000
216/00)
300/000
2G4JKHX)
276/000
108/003
261/M0
300/000
348/000
192/003
168/000
180/000
300/000
300/000
300/000
276/000
2I/000
180/000
216/000
300/000
306/000
301000
336/000
300/000
300/000
3oo*'>oe
400/000
360/000
300/000
300/000
O Dr. Sebaso do Reg Barros de l.acer-
da, juiz de direito especial do commer-
cio da Cidode do Recife do Pernambuco,
por Sua Mageslade Imperial, que Deus
guarde, etc.
Faco saber que no dia 15 de novenbro do cr-
reme anno, s 11 horas da manha, na sala dos
auditorios dever ter lugar a rcuni) dos credo-
re da masa* fallida de FerreirajS[ Loureiro, para
verilicarem se os crditos, deliberar-se acerca da
concordata ou formar-se contrato de unio e no-
mear-se administradores dita massa, certo de
que os credores nao serao admiuiJos por
procurador, sem que esle exhiba procurado es-
pecial, a qual_nao poder ser conferida a devedor
do fallido, nao pidendo oulrosim um s indivi-
duo representar por dous diversos credores, e que
ser havido o credor que ni/ comparecor, co-
mo adiierente s ctsolucoos (jue tomarem a maio-
ria de votos dos credores que comparecerem, com
tanto que para ser valida a concordata necessa-
ro que soja concedida por um numero tal de cre-
dores, que represente pelo menos a maioria des-
tes em numero, e dous tercos no valor de todos
os crditos, sujeitos aos elTeilos da concordata.
K para que chegue ao conhecimento do
todos, mandei passar o presente edital, que
ser a blicado pela imprema.
Dado o passade nesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 16 do niez d setembro de 1873.
Eu Ernesto Machado Freir Pereira da Sil-
va, escriviio o subscrevi.
Sebastian do Reg Bnrroi de Lwda.
Por esta reparlico se faz publico, de or-
dem do Illm. Sr. Dr. chefe de polica, que foi
apprehendido c so acha reeolhido ao seu cofre
um rclogio u\ prata. Quem puis, -jutgaitdo-se
com direito ao dito rclogio, vier reclaiua-lo, re-
cebe-lo-ha na mesma reparticio, uinn- vea que M
signaes cerlos.
Secretaria da polica de Pernambuco, 17 de
setembro de 1873.
O secretario,
____ Eduardo de Barros F. de Lncerda.
f ni,
336^000
240/000
300/000
26i/Q0p'rf
330/001
276/000
O Illm. Sr. inspector da tliesoururia pro-
vincial, em cumprimento de ordem do Exin.
Sr. presidente da provincia, manda fazer
publico que no dia 25 do corrente, peranto
a junta da fazenda da mesma thesouraria,
vai a pracn para, ser arrematada a quom por
menos fizor a o!>ra dos reparos da ponte de
Junqueira, oreada ern 5:7205000 e sob as
clausulas especiaes abaixo declaradas.
As pessoas que se propozerem a essa ar-
rematado coinparecnra na sala Has sessos
da referida junta no dia cima mencionado
pelo aieio dia e competentemente habilita-
das.
E para constar se mandn publicar opre
sent pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de
Pernambuco, 5 de setembro de 1873.
0 official-maior,
Miguel Affonso Ferreira.
Clausulas especiaes.
1.a Os reparos da ponte de Junqueira se-
ro feitos le conformidade com o respectivo
ornamento no valor de 5:720)5000.
2.a 0 arrematante dar principio as obras
no prazo de 15 dias o ts concluir no de 5
mezes contados da data do contrato.
3.a A importancia da arrematado ser
paga em tres prestares iguaes, correspon-
dido cada urna torga parte da obra
fcita.
4.a Em tudo o mais que nao estiver espe-
cificado as presentes clausulas se observar-
o que dispe o regulamento das obras pu-
blicas de 31 do julho de 1886.
Conforme.
S. A. Ferreira.
A cama a municipal dosla cidade pelu presente,
convida aos pi-'vieu'tenbw uremataJo do iui
posto de 6 rs. por cada po de coque.ro j ,*<,.
dacao, exceptuando ps para o uso do proprieta io
pela quanlia de 450/0 0 e bem assim o imposto
de 120 rs. por cada carga de farialia e letames
vendidas nos mercados pblicos das freguezias do
S. Josee Ra-Vista pela quanlia annual de___
3:051*000 para apresentarem at o flia 24 do
corrente, as suas babilitacoej, iHui de poderem li
citar.
Pai-o da cmara municipal do Recife, a de se-
tembro de 1873.
Thcodor Machado F. Pereira da Silva.
Pro presdeme.
Pedro ile Allmqneniit? Autrn.
________________Secelar.u i.
- Perante a cmara municipal desta ridaTe,
estar e:n hasta publica nos dias 18 e 25 do cor-
rente e 2 do mez prximo viMdnro, para ser
arrematada por tompo de um anno, por quem
mais offerecer, a afergao de pesos e medidas pela
quanlia de l:li'8/008, sendo o arrematante obri
gado a aferir o ^esos e medidos da mesma casa
sem indemnisacao alguma.
Os pretondentes doverio apresentar-sc' habili-
tados na forma da lei e prov,irem para esse lim,
ter os requesitos segnintes.
1." Ser cidado branleiro.
2.* Ter feito exame de arilhinetica pelo menos
al as quatro operacoes sobre os nmeros inteiros,
rraccoes decieiaes c com laxos, bem como ele-
mentos do motrol'igia, aim de pratica do trabalho
de aferii-'i, em virtud* do art. 8- das n-trne-
coes da lei a. 1,(57 de-26le junho de 1872, que
baixaram com o decreto u. 589 de 18 de setembro
de 18/2.
Paco da cmara municipal de Olinda, 11 de se-
timbro de 1873.
Barao da Tacaruna,
Presidente.
Marcolino Dias de Araujo.
Secretario.
Aramia.
i Arroz pil
Assucar
Batatas inglezas.
AoJnelKM.
BokehasvngUzas.
Banaius.
isc'olos.
Carne de vacca.
Corno eeoca.
Carne de porco. ,.M
Cha hyson.
Caf iuido.
Doce de geiaba.
Farianad mandioca.
Fijao mulatinho ouepreto. m
Galliuhas, uma. I
Lenba, achas. |) I '
Laranjas, uma. f^
Maateiga inglez.t k. ,
Manteiga francaza.
Xlarmelad>.
Macarrio.
Pea de 114,762 graaimaa, um.
Tapioca.
Toiicinlio de Lisboa.
Vinagra de, Lisboa.
Vinho de Lisboa.
Vinha do Porta.
Ovos, um.
Todis estes gem-ros devom ser da l. qualdade
a ca ne verde n.4e deve comer no peso que se pe-
dir mais do em ossos; c todos sao medidos e
pesados pelo syslenn ltimamente adoptado.
Contrata anda e mesmo ho-pital para os doen-
te< e para o referido trimestre :
Sanguisugas de llarnburgo.
Lavagein o eoncerto do roupa.
Contrata so igualmcnta o firnecimento dos ob-
jectos abaixo declarados para o expediente da re-
partigao, a saber:
Penas de aro Perry, cana
Lana.
Caetas.
Caivetes.
Papel grove pautado e liso, resmas.
Obreins, paes.
Tinta violeta da verdadeira. i
Goma arbica^ frasco.
As pessoas iwe euizerem fornecer os objectos
cima mencionados, apreseiitum na secretaria do
mesmo hospital, no dia 22 do corrente pelas 11
horas da manha, ana; propostns en cartas fecha-
das, e as respectivas amostras.
Hospital militar de Pernambuco, 17 de setem-
Uro de 1873.
O esrhvao,
___________Avelino Pereira da Cunha.
21
h
2'.
2 i
Shields, Sunderland e Harllepool
Flamborough Mead
Wash e Dudueon
Leman e Ovrer, Yarmonth e Or-
brdaast
Bk) l'.iin >
Cosas merdionaes.
.Era North e South Forelaods e Dun-
geness
t Beechy ttead
St. Camarina, Una de Wight
Bill p .Portland
Ponta Start
Lard
< libas Scilly
Porto de Cork
Cabo Clear
Cestas occidonlaes.
Km Valenta e Blasquets
t'-libas Arran
Achil Hcad
.liba Tory
Pharol liiuisirahul
Skorryvore
? Bara Hoad
" Butt of Lewis
Costas septeatrionaes.
Em Minen e Little Minch
Cabo Wrath
Thurse .
e North Rodnaldsha, Orknevs
. Ilha Foula, Shetland
Ilha Uost, Shettaad
Mar de Irlanda e Caual de BrisloF.
Era Mull of Cantire 2i-
o o Galloway 23
22 3/4*
t8 l/*
22 1/4"
21 2/3
21 1/4*
20 1/4*
19 2/4
O.
19
19 1/4'
I9
19* 1,4
20-
20 1/2
2P
3/1*
1/4"
1/
!
25 1/2*
25 1/2
6 1/3'
25 1/2-
2V 3/i*
2o 1/4*
26-
23 3/4
23 1/2*
24 3/i
23 2/1-
23 1/4*
23 1/4*
22 1/2-

mmm t
^)IVa}rfH'
Linha mensed entre o
Havre, Usboai, 1'^uuiul.u^ Ule) e1>
Janelro, (Santos, Nom^nte na Tol-
la ) Montevideo, lluenos-Ayres.
(0111 bafUicracAo rnica .iltimri*)
\IIXE B^AH1^
* ommundunte. Ilobert.
E' esperado ar de'wrrerte, o seguir depou
oa demora precisa para os porto i do sul ana
indicados, entrando dentro do porto, quer na viu-
da da Enrola, auer na voa.
Relalivamente a Crcfes, encommend.-u o passa-
eiros, para-os qnaes tem melleiHcs ^.niim>-
igoes por precos rednidos, trnia-se reai
OS COSStGWATARIOS "*
1 a n V(UW F- VOUYEWX A>C.
42 Hua do Corqmercio Enti .k'
< Ilha de Man
Liverpool
S Holyhead
Dublin
t Pharol Smallis
Tuskar
o Ilha Lundy
Brstol
l/4<
Cpsta sejUenlrional da Franca.
lie *
22 3/lo
21 3/4. ''
22 1/2' .
23 1/2
22 1/2'
23"
22
21*
ajiua rus
CWffAXB.
DE
MAVECACAO MIMA
Era Calais
Havre
Cabo Barfleur
Jersey
t Cajquets, Alderney e Gnernosey
- Ushant
18 1/2 1.
19
19 3/4
20 ,
20 1/4
21 o
Reparligo hydrographica do Almiranlado, Lon-
dres, 19 de Marjwde 1872.
Assignado. Geo. Henry Richards, hvilropra-
pho. e
E?t conformo. Dedo d'Aquino Fvnceca, se-
cretario.
Consulado provincial.
Po;o seiente aos diferentes concribaintes de im-
io2" P,'0V"1Clae^ relativos ao anno lindo de
1872 -7a, que fechase denitivamenle no dia 27
do corrente o recebimonlo nesta ropanigao das
quotas anda nao satiefeitas dosmesmos impostos;
e, terminado este prazo, ?er a cobranc.a effec-
luada por va jud cial com a multa de 9 Oin e
e rddi.o das respectivas costas.
Consulado provincial, S de setembro da 1873.
O administrador,
_________A. Carneiro Macha lo Rio
O administrador da recebed ,na de rendas
internas geraes faz seiente eos enhorna de escra-
vos que ainda os nao deram matricula especial
que poJein e devm bae-lo durante o corrente
niez de setembro, son pena de serem considerados
"V^-rClimo. d"cl.aril 8rli0 19 do regulamento
n. 4853 do 1 de derembro de 1871.
Becebedoria de Pernambuco, 4
1873.
de selembro de
Manoel Carneiro de Souza I.aeerda.
Banta Casa de Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mise-
ricordia do Itecife, devidamento autorisada pela
mesa da Sania Casa de Misericordia da Baha,
recebe propalas para a venda da tres casas ter-
reas que possue aquella corporagao nesta pro-
vincia, de ns. 3, 116 e H8, sitas ra de nor-
tes, hoje do Coronel Suassuua.
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do
Recife, 12 de setembro de 1873.
O cscrvao,
__________ Pedro Rodrigues de Souza.
Eslrada de Ferro Pw~
raense, no Para.
Tendo a assembla geral dos accionistas da
Compaa* Urbana da Estrada de Ferro Paraense.
autorisad a venda desta empresa, a commissao
eleiia para esle fim recebera propostas para a
compra da mesma at o dia 10 de novembro pr-
ximo, no Para, podeudo os pioponentes obter des-
de ja as circulares, e examinarem 08 estatutos,
bem como os rotatorios da pompan" ia de 1870
1871 e 1872, no escrptorio do F.nglish Bank of
Rio do Janeiro Limited.
M
.llacei, 1Viu-
o Brilila.
E" esrierado at o da 26 011 27 Jo crreme ce
portn cima o vapor Goncaties Marlins, qne je-
gmra para os mesmos no dia segrale ao de toa
chegada
Recebe carga, passageiros e dinhoiro a frete : a
tratar com os sens agentes Antonio Luiz de Oh--
veira Azevedo & C^ ra do Hom lesas n. 57.
pacific sram wum m
m
Linha quinzotml
O rAQL'ETi:
.COTOPAXI
espera se do >ul ate o dia 26 do corren!.-, e de>
pois da demora do cosiump, seguir para Li-
verpool, via Lisboa, para onde recebera aaaat-
geiros e carga a frete.
OS AGEMLS
Wilson Roe & C.
14RA DO COMMFRCIOI
Pacific SIcm Sagrtiiiy C^i^iny
Linha |iiiiixcnnl
O PAL'KTR

O Dr. Joaquim (longalves Lima, juiz ros
feitos da fazen la desta provincia do Per-
nambuco, por sua magestade imperial e
constitucional o Sr. D. Pedro II, que Deus
guarde.
Faco taber que o Dr. procurador fiscal da fa-
zenda provincial me dirigi a peticio do theor se-
gralo :
Illm. Sr. Dr. juiz dos feitos da fazen Ja. Diz a
fazenda provincial, por seu procurador fiscal, que
sendo'Roberto Leahsboir, devedor da fazenda da
quantia de 839|3ft), coastante da conta junta da
serie B, remettida para a procuradura da fazenda,
requer que contra o mesmo ou sens successores
se passeaiandado.executrvo para em'84 horas pa-
gar o ten debito ; e nao o aiendo se proceda pe-
nhora m seus buns.cHianfos bastem para solueo
do principal e custas; depois de depositados na
forma daei, seja citado o executado para todos os
Mrmos mexeenjao at fJoal, sob pena de revelia.
Pede a V. S. assi-.n Ihe defira.-E R. M.-(Esteva
sellada com uma estampilla no valor.de 200 rs. e
inntilsaaa-da forma seguinte :Recife 26 de se-
iernb da I72. Guedes Alcoforado.)
Nesta petifao dei o despacho seguintej:Distr-
600,10001 buida e aulhoada, deferido.-Recife, 31 de outu-
3001000
mtm
CO.NSKI.HO DE COMPRAS DO AUSKNVI.
DE MARINIIA.
O conselho contrata no dia 22 do corrente mez,
sob as condi.-5es do cstylo, e vista do propostas
recibidas al s 11 horas da manha, o forneci-
ment ni trimestre prximo vindouro deoutubro
a dezembro, dos objectj3 de fardamenlo, seguin-
,tcs:
Para aprendizes articis.
Bonets do uniforme, bonets i!o sen;o, blusas
de brim branco, blusas de algodo azul, blusas de
panno azul, calcas de brim branco, calcas de al-
godo azul, camisas de argodozinio, cobertores de
la, cobertores de algodo, cintos de couro branco
mvermsado, caigas de |>anno azul, colchoes de
inho chelos de palha, fronhas de algodiozinho,
lcn;os de seda prela para grvalas, lences de
algodaozinbo, sapatSes, saceos de guardar roupa e
travesseiros de linho cheios de pafha.
Para artfices avulsos.
Blusas de panno azul, blusas do algolo azul,
caifas de brim brancu, eoleas de panno azul, ca-'
misas de algodiozinho e cintos de couro branco
mvernisado.
Para imperiaes marinheiros, aprendizes ditos e
marinhagem.
Bonels de panno ajad ferrete, fardas de dito,
caigas de dito, camisas de brim, branco, calcas de
flanella azul ferrete, camisas de dito, caigas de
brim branco, coleftes de llnhe cheios de palha,
cobertores de l, leaoos dededa pwta para grava-
tas, sapatoes e saceos de markihage.m-
Adverte se que os objectos de tardamento sao
de conformidade com o plano de uniforme man-
dado ltimamente observar, o qual acha se nesta
eecrelara para ser consultado per quem quena
propor-se ao fornecimerrto.
_ Contrata mais o conselho o firuecimenlo em
dito tempo aos navios da armada e establecimen-
tos de marioha, de carvao proprio para ferrei ro,
cemento, carvao ok, milho pilado, ellias e lijlos
de alvennria grossa, bem como promovo a compra
dos objectos do material da armada, seguimos:
12 dtuias de limas otwta, quadradas, meia ca-
na, triangulares, cliajas ftemeia cana, o mor gas,
23 barras do ferro com 11 centimeiros. do largo o
0,034 de grossura, 2 naos de einberiaa prcla ou
de ouira madeira (le rraaiiaade, com til metros
de comprmeme, t? cenlimetros em urna ponte e
33 ditos na ontra, 5#) litros de azoiie de peixe, 20
aros de madeira, 1 balanza, ce brago, UO metros
de baetha, 10 duzjas de brochas paea pintura,
300 litros de cal branca, 2"5 vardes de eon*a de
m.0,010, 2ttvar3es dito de ni.0;0i3, 15 va^esaito
dj 0,010. 15 varos dito de 0,019, 400 eniers de
qualdade de in.ll, ,0fiB-esaipares, \m kllo'de
lio da la, % kilos de Ao de t\ 2pO tilo> de>|esso,
20 litros^de kerpaene. 83 tos era bra-ooo paula-
do de hvros dito de Vf dftas, f2 moidhos paN B, 50
resmas do papol pautado, 50 ditas doltepe rho,
40crosas de pennas de acA -* kilos de aregos
de ferro de m.0,38 a ui. de pregos dito de mf.fa i(0O parafusos de metal
sonidos, 40 diuias de. jipas de emberiba, 3 rebolos
CONSLAO PRyNClAt.
Do conformidade com o resolvid em Bsale de
4 do corrente pela Illma. junta da thesouraria
provincial, c commnnicado esta adminislraco
por portara do Illm. Sr. iasaectqr em data de 3
do mesmo mez, laeo publicar a nota em seguida,
onamanlo os individuos nella nomeados para vi-
rem reclher a differenga do imposto sobre joa-
menos relativo ao aanailndode 1872 a 73, e cous-
tante da inesfl a nota, at n dia 27 desie niez ; e
em caso de omissao ou resisiencia ser remetti-
da essa divida para ser cobrada judicialmente.
Unsulado provincial. 12 de setembro de 1873.
O administrador,
A. Carneiro Machado Rios.
Relag.lndosjoalbelros que de menos paoaram
o imposto de *:wj por mascatearera na pro-
vincia no exercicio findn de 1872 a 1873 ; dilTe-
renen que se den em enisenacncia da le n 1061
art Ib 41 publicada no jornal omcial, ler por
errol consignado o quantum de I :M)0,quando fra
votada aquelle cima indicado, e acha-se na le
do ornamento colleccionada.
A saber :
Nemes dus joalheios
Pedro Allain
Phelipp Len Ploe?
David Haven
Arrematado
Jiaiso le orphilos de Ouda.
HNo dia 18 do corrale mez e selembro de
1873 a 1 hora da tarde, na sala das audiencias
vae..a Praca, de conformidade com o decreto n.
169o de 15 de novembro de 1869 p eseravo Igoa-
010, pardo, de 30 airaos de idade, lalhador de
carne, avahado por i:000000 de queso receber
propostas em caria fecliada para sua venda ; esse
eseravo vae praga para pagamento dos credo-
res do inventario dos bons da finada D. Constancia
Alexandrina da Silva Franga.
O escrivao,
Hermillo Chagt.
R-sto a pagar.
1:000 000
1:000 00.)
l:H003"Oi)
3:000l500
Companhia de seguros utili-
dade publica.
Os senhores accionistas sao convidados a com
parecerem a reuniao de assembla geral desta
companhia, em seu escriptorio ra do Vigario
Tenorio 11. 6, segunda-fsira 22 do corrente, a 1
hora da tarde, para assistirem a leiltira do pare
cer da commissao de exame do comas.
Recife, 46 de selembro de 1873.
Os directores
Candido C. G. Alcoforado.
_____________Francisco Joaquim de Brito.
Hospital Portuguez de Be-
esperase da Europa at o dia 28 do corrente,
e depois da demora do coslume-teguira para o sui
do imperio, lo da Prata e co.-ia do Pacifico, para
onde receber passageiros, encommendas e dnliei
ro a frete.
OS AGENTES
Wilsun Riim- C.
__ 14BDA Dt) COMMEBC10li
Para o Aracatv she al o'dia ttn eernr-
le o palbobote Uonilla da Cruz, capilao o prafin
vamiel Caetano da Coste, tem sen catTegnment 1
quasi completo, e para o resto qne Ih f.ilta (raa-
se com o consignatario Antonio Alli.rlo de Sur
Agmar, a ra do Amorim n. 60, armam.
Para Lisboa
nefcencia
buco.
o'
em
pretende soguir com pouca demora a escuna per-
lugueza Chistina, de 1- cl;i-se, capitn Loureiro,
por ter a maior parte de seu caiTtgameaio enea-
jado; e para o reste que Ihe falta trata-so com os
consignatarios Joaquim Jos Gongalves Beltrao
Filho, ra do Commercio n 5.
Para o Rio-Grande do Su.
Pretende seguir com omita" breM.Jnde paile-
bote Rosita, pur ler alguma carga tratada e 1
a que Ihe falla trata-se coin os consignat:
loaquira Jos Goncalves Beltro & Fillio : iui
dr Commercio n. 5
Pernam-
de
Priinein secgao d>> consulado provincial 12
setembro de 1873.
Oce'e,
Antonio Witru jo Pinio I). A. de Vascoacellos.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A junta administrativa da Santa Casa de Mi'e-
ricordia do Recife autorisada pela presidencia da
provincia, alora os terrenos da propriedate que
pnsftue o patrimonio dos orpbos, no lugar da
Tnmanneira, por progn nunca inlerior a JO) h
o palmo.
Os prelendentes derer.io indicar no requer
ment o numero de palmos que quizerera e diri-
girse a esta secretarla, onde serao declaradas
condigoes do aoramenfo.
Secretaria da'Sanu Cas? de Misericordia do
Recife 12 do setembro .1: JW3
O escrivao,
_, .. I'eilrt hodrignea de Souza.
as
A junte administrativa, solemnisando o 18."
aoniversario da nstillagao deste hospital, manda
celebrar no domingo 21 do crreme, s 8 horas
da manh, uma missa cantada em aegio de gra-
gos o era louvor a S. Joao de Deus, pairono do
hospital.
O estabelecimento estar franco a todas as pes
soas que o queiram visitar, desdo ;ls 9 horas da
manha at as 6 horas da tarde,
Secretaria do Hospital Poriuguez de Beneficen-
cia em Pernami.'uco, 16 de setembro de 1873.
Lniz Dtiprat
Secretan'.
THEATRO
DRAMTICO
Para-o Marnbo.
. Pretende seguir aestes quatro dias o palhah..' 1
/i)sArrtiir; para poma carga que h>e I
trata-se cora os sous con-ignalarios Aolonio Lu
de Ohveira Azevedo & C, rna do Itom J
n. 57.
Avisos maritinios
Natal, Maeo c Mossor, vai sabir att 11 dn
corrate, o hiato Fiord* Jirtim, j;i laH[ part^ r!a
carpa; e'para o resto, trata-se na roa do Vigari 1 1.
33, com Jo.-to Jos da '".una Lagos, ou com o med-
ir no trapiche Dantas.
Liim
Capitana do norto tU> IVritam
bsieo, 9 de sefemarade 1833.
Para seLencia dos u^-ettantas se publica os .avi-
sos abaiwk Ouclarad-fi, relativos a variaco da
agulha nos mares do mrtc e Bahieo, Uhas Brftw
loas e mares edjacen
MIMSTEHD' DA MARfNHA.
lc4o ministerio fla narinlia se po6licam 0$ se-
fluiites aviso* aos navegantes, organisados pela
rppai lirao hydrQgTaplira da ajimrantado inglez.
rulattvosk -ate? dta^ilha .non mares .de nor-
tenilttco, ilhas trituioas O4oaran odiaceoles;
K. JL
AVISQ.AUS. NAVGGAWBS.
?ra. I
n.lt\S L.ilAWiU'As.
Tai-iagi A aouJha. 1672.
(rradueoao do origlnalingiez pelo apiaa-tcuenje]
Pedrefioejamm ie-Cerqneira Lima.)
Publica-se o sgninli aviso acerca da varkigo
da agulha as Ibi BitUmica earesttdjac;a
\3rh3ai:ass3,ica'Eaaia
HEAL
Companhia *la>oueza.
S eMjicotacito
desta companhia, dividido em tres partes.
i* E 2.* PARTES
E t4d%Uaeo
pelos artistas. Jaoonoies.
3. PA'RTK.
As dnas kngallas
4>eips artistas .dranialioas.
PViocTpIart s 8 1(2 horas.
LEIUO
DA
armaedo, gneros, gaz e mais pnenlas da
laverna do pateo do Carino 11. 39, esqui
nadarua de Santo Toreza, o ivitsiw
movis.
SKXTA-FEHU 19 DO COIUU..NTI'
O agente Martas far loilao por conta de-qnem
nerlencer, d'annaco, gas, gneros e mais pericli-
tas da taverna cima, a qoal se acha molla bem
locahsada e propria para qualquer prinrijjiarte.
Em seguida serao vendidos 1 mesa elstica, t
guarda-vestidos de amarello, 6 mochos potos di
amarello 1 mar meza e alguns culi',
Na mesma taverna, s II horas do da
DB
lougas, o outms iligos. ,
SENDO :
1 piano, I mobilia de mogoo, '1 guarda vestide
cora espelho, 1 secrelria de mogno, 1 cama frai
za de amarello, marqnezas, marquezOes, csnelhcs
dourados, 1 mesa elstica, cabides, porta-toalb,
apparadors, I toilette para barbara, 1 appsrlt o di
paredaa dourado, 1 dito para jantar.
copos, clices, facas e garios, jarros para flores o s.

'V
\f%<.
*-.





_* -:
Pfcrio de ^ernambuioo
Quinta fera 18 dfc Setembro de 1873.
dverses objeelos denosto, todo ejn perfeito es-
tado.
ex la-fe ira 1 U Mrente
s 1L hons da manhi
A* na do Bora Jen n. SO. para onde forara
transportados os referid. movis, por ordem do
Sr. Jos Ferreira ninuries, h por intervencao do
afele Pinho
a visos eiWrsos
\mm icteiomco e ged-
mco mmm
Haver sesso ordinaria quinta-feira,-48
do corrate setembro, pelas 11 horas da ma-
tiba.
ORDE DO DA.
k* Pareceres e m,is trabamos de commis-
- i.* Leara d'a^uus artigos do seu
Diccionario bioffraphieo, pelo Sr. Dr. Bap-
tista Rigueira.
3. Palestra liiteri ra.
Secretaria do Instituto, 15 de setembro de
1873.
J. SOAKKSDE AZEVEDO,
Societario perpetuo.
Precisarse de um cria-j
do forro ou escravo, pa^a se
bem: nesta typographia.
O DrTR. Vianna.
ledleo per
idades.-
Aluga-se um escravo para todo servico :
a do Iutperador n. 50, ?.* audar.
na
Contra protest*.
Ha vendo Udo o protesto que alguns dos
.socios da sociedade Littcraria Auxiliadora da
(nstrucc&o Secundaria dirigirn) contra a
leicao que a mesma sociedade tem de pro-
ceder boje, declaramos que nao assignamos
o mesmo protesto, nuin demos quem quer
que fosse direito a uzar das tiossas assigna-
turas.
Recite, 13 de setembro de 1873.
Francisco Antonio Rigueira Costa.
Juventino P. Alvos Lima.
(aspar de Menezes V. Drummond.
Caspardo Nawimento Regneira Costa.
Cassnniro dos Res Gomes e Silva.
Francisco Ferreira deSiqueira Varejo.
Pedro liolgado de Borba tem urna
carta remedida por Leandro Aprigio da Tu-
rificaco, viuda do presidio de Fernando d,
rtoronba, no escriptorio de Leal & Irmoe
ra Jo Mrquez de Olinda n. 3G, 1.' an-
dar._________________________________
COMPANHIA
DOS
TRILITOS URBANOS
DO
Recife a Olinda.
Mt0t^g^ Nao se tendo verificado
a assembla geral con-
Ifl ___J .1 vocada para hontem 16
US"q9l do corrento, afm de
proceder-se a eleirao da
nova directora e mais
funecionarios, em consequencia de nao ha
ver comparecido numero legal; de novo
sao convidados os Srs. accionistas para nova
reuniao que se effectuar no logar j desig-
nado no dia 23 do corrente pelas 4 horas
da tarde, certos de que se constituir a as-
sembla com o numero que comparecer, na
forma do art. 11 dos estatutos.
. Escriptorio da ce mpanuia. 17 de setembro
de 1873.
Joto Joaquim Alves,
1." secretario.
(ASA MFORTIM.
AOS 5:000#000.
B1LIIETES CARNTIDO&
i' rua Primeiro de Marro outr'ora flirt*
Crespo) n. fj e casas do costume.
0 abaixo ssignado tendo vendido nos ftm*
iiies bilhetes, iros quartos n. t-'it rom-itfWJ,
(res quartos n. 601 com 800*000, Ir.* quartos n
335 com 100* e outras sortea de 40* e 20* da
lotera que se acabou do extrahir (66a), convida
aos possuidorea a viram receber na conformi-
dade do costume sem descont algam.
Acham-se venda os feliies bilhetes garantido
la 24* parte das loteras a beneficio da nova
igreja de Nossa Senhora da Penha (67a), qne se
extrahir na quarta-feira, 24 do corrente _ez.
PRESOS
Bilhete inteiro 6*000
' Meio bilhete 3*000
Quarto 1*800
EM PORgiO DE 1009U00 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*780
Quarto 1*378
Mmoel Martins Fiuza.
Consultorio medico
DO
Dr. lliu-illo.
RA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR. 9
Recem-chegado da Eurepa, onde fre- rg
quentou os hospitaes de Pars e Londres si
SBdc ser procurado a qualquer hora do fll
la ou da noute para objecto de sua pro-
ferio.
Consultas do meio dia s duas horas
da tarde.
Gratis aos pobres.
Especialid'ides.Molestia da pelle, de
enanca e de mulher.
Kmprega no trataroento das molestias
de sua especialidade as duchas frias e
banhos a vapor, pan os quaes trouxe
F> os apparelhos mais modernamente em-
m pregados na Europa.
m. Tambero applica com grande proveito
's. no tratsmento das molestias do tero a m.
jf electrcidade, pelo processo do Dr. Tre- m
y pier. Cura por um processo inteiramente w
j novo as btennorrhagias e sobre tudo a "J
Q (golta militar) dispensando as injeecoee. v
rrojor e parte!**.
Especialidaaes.Qperaooe e molestias
'das vas fenito oorinirias.
Oliera o eMreHtmenlos da nrethra
pela eledricidadef nm processo intei-
ramente novo sera dr, garantinda a cu-
ra radical em pnucta dia.
Consultas.do nielo da s 2 horas _
(gratis aos pobres).
Chamados.Por cscripto a qualquer
non.
Ra do Vigario n. I, sopunto andar.
wmmmm*
Escravo fiigido.
300^000 de CTatificaco
Auseniou-se desde o dia 13 de maio de 1872 o
preto de nome Alfredo, representa ter da 30 a 40
anuos de idade ; este rnlo o perfeito coniinhoiro,
bastante alto e bem magro, ponca barba, olhos
grandes, e moito ladino; con?ta-me que ten pai no
engenho do Sr. Lnl de Caiar em S. Loorenco da
Malta, este preto foi conzinheiro do ncfociante
Adriano & Castro e o Sr. Jos Jeaquim Goncalves
Bastos ;quer me parecer que este preto esteja aln-
Sado em algum hotel ou casa particular nesta ci-
ada, como forro. Pede-se a todas as autoridades
e capitaes de campo que o descobrindo ol'agam
roa Duque de Caxias n. 91, Inja de mindezas do
Rival Sem Segundo que ser gratificado com a
qnantia cima. _____________________^
Garanhuns.
Na rna do Bario da Vclorfa n. 36, pred*a-e
fallar aos Srs. Pedr d. Repo Chaves Peixcto e
Jos Paes da Silva, a negocio de particular inte-
ressa.
:CMisiillori:i ledia-cirnrgicft 5
DF. *J
% A. II da Silva Maia. &
?/
AttenQQ-
Constando que tem apparecido no mer-
cado lnttas de gaz contendo 4 1/2 gales,
Henry Forster depsitos ns. 26 e 28 na rua do Brum, s
vendem caixas com duas latas, contendo
cada urna cinco gales e pesam- 16 kilos
bruto. _____________________^____
- COSE-SE, LAVA-SE E ENGOMMA-SE com
perfeicao e barato : no pateo do Paraso n. 24.
Nenhuma machina
Singer legitima se
nao levar esta marca
tongo da ma-
fixa no
china.
Para evitar
faccoes notem-sebem
todos os detalhes da
11, oulr'nra rua ib matriz, da, lt;a-Vi..U
n. il.
Cliaiiii"lns : a qualquer h"-.
Consulta* : Aos pobres gratis, da 2 s
4 horas da tarde.
marca.

Fugio
rORHBCEOOR DA
ESCRIPTORIO
COMMERCIAL.
199, Rh:i da teta, 2.
i\s\u>\
Lniz FelijijK; \/\W k bulos
Executam por commissao quaesquer ordens das
provincias do reino ilhas e provincias ultrama-
rinas, bem como do Brasil e outros paizes estran-
geiros.
Recebera consgnacao gneros naconaes, co-
loniaes, hespanhes, francezes, inglezes, allemaes
e do Brasil, ou mesmo de outros paizes, para se-
ren vendidos no reino ou fra dclle.
Executam ordens para compra e venda de fun-
dos pblicos, naconaes e estrangeiros. Tratara
da cobranca dos respectivos dividendos.
Promovei.i no mesmo escriptorio, inventarios,
uquidacoes, causas oiveia e commerciaes, appel-
lafoes e recurso de revista.
Tem os melhores advogadus na capital.
Para os negocio* de oalureza especial, como
causas forenses, adniinstracao de bens, etc., que-
rendose, pode proceder iccordu previo conforme
a natureza do negocio.
Solicitam-se dispensas matrimniaes e quaes-
quer outros breves apostlicos cuncedidos em Ro-
ma ou pela Nunciatura cm Lisboa, annullacao
de ordens, e quaesquer outras dependencias dos
tribunaes da Santa S.
Tratara da arrecadacao c heran^is e adminis-
tracao de bens no c ntinente do reino.
Obtem documento* de qualquer diocese, distric-
to administrativo, ccnselho, ou freguezia do reino,
ilhas e provincias ultramarinas.
Faiem adiaiitamentos sobre coosigna^oes de' cui^ao.
quaesquer gneros que tenham prompta sahida
nos mercados inglezes ou allemaes. Tambera com-
pram aqclles que se offerecerem em eondi^Ocs
vantajosas.
Fazem transacSes por consignado ou compra,
sobre minerios," laes como de cobre, chumbo,
phosphatos, ou outros quaesquer, se convierem as
condiedes de qualidade e presos.
Do-se boas referencias em Lisboa c no Porto.
Esta ca-a tem correspondencias serias em todos
os ponto do reino, em Paris, Inglaterra o Ham-
burgo, na frica portugueza, em Maco (China)
reino de Siao, ilhas dos Acores e (iabo-Verde,
6 aceita as proposUs que do imperio do Brasil
Ihe forem eitas por correspondencia effectiva ou
eventual.
Na modicidade de suas commissoes, na exacli-
do de suas contas e no crdito tongamente esta-
belecido faz consistir toda a garanta de bom aco-
Ihmento.
Tem correspondentes em Sovilha e outras pra-
vas de Hespanha.
N. R.-As comm*s5es sao reguladas pela praxe
desta praca
\ll PUBLICO
Quem mais ctmimodo olerece ?
Incontestavelmente a loja de cal$ado^7estrang,-
ro que mais commodo offerece era geral, cora espe-
cialidade ao bello sexe, o PARS NA AMERICA
rua Duque de Caxias n. 59, primeiro andar (ac
tiga do Queimado) e a razao ? a razo simples
um cavalheiro (amante do chique) por certo se
iniommoda quando, para comprar um par de bo
tinas, v-se forcado a experimenta-la sobre um
pequeo e pueroso pedaco de tapete (systeuia ma-
carrnico) nao podendo desla forma conhecex se
a botina ihe fica boa, pois, nao tem espado par
experimenta-la, ao menos que nao a estrague dan-
do apenas um passo, que chcgarlogo ao inmun-
do ladVilho ; o que nao acontece no Paris na
America, onde pode se passear voniade e desta
forma conhecer-se se fica bom o calcado : para o
bello sexo, ento quasi impcssivel, que urna se-
nhora (do bom tom) queira sujeilar-se a experi-
mentar calcado ao lado de um balco, onde en-
tra quem quer, ainda mesmo para comprar : o
Parit na America nao resente-se desta falla ; tem
nm bem preparado gabinete reservado, para a>
Exmas. que all poderao estar era perfeito commo-
do para a esculla do calcado.
Nao terminan) a* i as vantacens ou commodos
do Paris na America rua Duque do Caxias n.
59, primeiro andar, consiste tambem no bom sor-
timcr.to de bolinas para homens, dos melhores e
mais afamados lubricantes da Europa, como Me
lies, Sn*er, Polak, etc., etc., e grande variedade de
chinellos e sapatos, assim tambem um lindo sor-
timento de botinas para senhora, e sapatinhos de
militas quahdades que poderao salisfazer a esco-
Iha da mais capichosa senhora (do bom gosto) ;
pelo que fica expendido, est claro qne a loja de
calcado estrangeiro, que mais vantagens offerece,
o Paris na America, rua Duque de Caxias n.
59, primeiro andar, antia rua do Queimado
Acha-se fgida desde o dia 12 do corrento a
escrava de nome Justina, com os signaes seguin
tes : altura regalar, cor bem preta, bem parecida,
denles alvos, olhos pretos e um pouco grandes,
tem oh ar espantado, ps un pouco redondos e
indicam tere.in em lempo mo trato; foi escrava
de Manuel Soares Pinheiro, desta cidade, e nata
ral do Rio Grande do Norte : quem a pegar le-
ve-a casa de sea ssnhor, na Capnnga, rua das
Pernambucanas n 12, d'onde se ausentou, e no
Recife, arco da Conceicao, loja de ourives, que
ser generosamente recompensado.
Mugase um grande sobrado com grande
quintal murado, cacimba e fructeiras em bim es-
tado, em Olinto, no pateo do S. Pedro-novo, sendo
o melhor local para o recreio da festa : no Recife'
na travessa de S. Jos n. 35, 2* andar.__________
Saques para tudas astidades e
villas de Portugal.
Carvalbo & Nogueira. saccam sobre o
banco commercial de Vinnna, e suas agen-
cias em todas as cidades e villas de Portu-
gal, qualquer quantin vista uu a prazo e
por todos os paquetes; rua do Apollo
n. 20.
SHERRY IINA
(VINHO DE QUINQUINA IIYGIENICO
-EPARADO.COM OS MELHORES VINIIOS DE UFS-
PANIIA DA FIRMA
.G. G.. DESEVILHA
FST
SUA MACI
DIIESPANHA.
POR
PABE A IUI.NHA
THOIHERET GELIS
Phnrinaccutico
EX-INTERNO DOS HOSPITAES DE PARS
0 SHERRT-KINA o vinho de Quinquina
que hoje preferem a maior parte dos mdi-
cos de bospitaes, dos lentes da faculdade e
dos membros da academia le medicina.
Tem esta preferencia a sua explicarlo nisto
que offerece todas as garantas que debalde
se procuram nos productos desse genero em
que MUITAS VEZES SESACRIFICAM AS QUALIDA-
DES TAO ESSENCIAES QUER DO VINUO, QUER
do quinquina (u vezes de ambos) aos lu-
cros da especci.aqao (Ver Guia das Aguas
Mineraes. Do Dr. CONSTANTIN JAMES,
NICO DEPOSITO
PHARMACIA E DROGARA
DE
BARTHOLOMEU & C.
Rua Larga do Rosario n. 34.
Attengao
100J000.
J. Illiilianl de Paris
Constructor e afinailor de pia-
nos.
Ex-ainador das antigs e afamadas casas
I'leyel e Hertz
e antigo director das ofTicinas da casa
Affonso Blondel.
33Rua do Imperador33
Tem a honra de declarar ao respeitavel publico
desta cidade. que tem aborto sua casi de concep-
tos e afinacoes de pianos, qualquer que seja o es-
tado do instrumento : rua do Imperador n. 113.
MACHINAS DE COSTURA
A MACHINA
DE
MANFACTRINGCOMPANY
Machinas vendidas em 1871. 181,260!
Excesso sabr todas as outras companhias. 52,734.
De certo os nossos leitores ho de perguntar se isto n5o jactnncia o ostentarlo.
A isso responderemos que estes algarismos e os dados abaixo sao recompilados sob jura-
mento, pois foram tirados dos relatnos officiaes dos diversos fabricantes de machinas de
costura nos Estados-Unidos.
Em 1870 vendeua Singer Manuractaring Company.
126,( 67 machinas mais do que a companhia Tarhom
i>VO KXX> { OC^XiiXWC I
Escravo rugid.
D.I engenbo Tli*e da r .marca dp Bonito, au-
senlou-se un 9 de setembro de t873, o errave
Joaquim, pardo laranja, idade :ti> annor, pouco
mais on inenon, altura rt-golar, olhos brauco,
a menina acarbanhada e fundas romo oIIks do
porco, bem enqieruado, bom c< rpo, cabefl in bem
crespos e cortados, ponca barba, nariz grande,
tem pannos pelos, ps pequeuos,calcanhares Ta-
chados de calor : quem o pegar e o levar a dito
engenho, ou rua do Imperador n. 5, t Corre
& C. ser recompensado._____________________
Raymundo e Luiz.
No dia 59 de agosto protimo pasudo, fugio o
mulato Raymundo, que representa ter 54 annos,
de cor alaianjada, cabellos estirados faiendo al-
gumas voltas, caneca red-inda, Descoco grosso,
ps seceos e canella finas ; eUj inalato natu-
ral do serUo e foi visto no Recife ba crea 4e V
dias, onde se pie?ume andar ainda junto eom o
mulato Luiz, natural da Parah) ba, cuja, fuga e
tem annunciado nt-ste Diario, o cuj melluir sig-
na! deste, ter o dedo pollepar da inao equerd*
cortado quasiaomeio.de de nm gol| de_foic
descascando um coco. Roga-se a appreheasao de
ditos cscravos conduzindoo ao engenho Mega
de Bixo, na Iregnetia v Tcjucupapo, ou nesta
praca rua do Rom Jess n. 30, que se dar boa
gratifica'.;To. Profesta-se empregar todo o rigor
a lei contra quem os tiver acuitado.
125,413
124.73 X
122,027 ((
118,921
113,260 a
110,173
98,831
92,831
70,431 u ((
52,677
44,625
Finlile e Ivon.
Duas machinas imperiaes.
Aelna.
Gold Medal.
American Button lile.
<( Florenee.
Wilcot & Gibbs.
Weed.
Orover & Baker.
(( Howe.
Wheeler & Wson.
M0LEQUE.
Trecisa se de um de l a 14 annos, para
servico domestico, paga-s bem, em S.
Jos do Mangninbo sitio n. 2, com portSo
e gradim de ferro, antes da rua da Ami-
sade.
Bernardino torrea de Rtenle Reg vai a Eu-
ropa e deixa na sua ausencia por seus rocura-
dores aos Srs. Correa 4 C. :.na rua do Imperador
n.30.
Criado
de um
Na na da Alegra n. 40, precisa se
criado que de* fiador Je sua conducta.
Caixeiro
Precisa-so de um caixeiro com pratica de taver-
na : no pateo do Terco n. 30._________________
Aluga-se ama escrava para coiinhar em casa
de familia, por preco commodo, sendo que a esta
escrava acompai.liar um filiio pequeo : quem
precisar dirija-se a Santo Amaro, no sobrado jun-
to ao ceiniterio inglez._______________________
Ah.ga-se a etst n. 90, no largo da Paz., nos
Augados, para grande familia, com quintal mu-
rado, cacimba, arvoredos, porto com sahida para
a estrada que vai ao demedio : a fallar na rua das
Cinco Pontas n. 31.
Os algarismos que cima apresentamos mostram primeira vista o maravilhoso
crescimento da Singf r Manufacturing Company, e mostra que todos os seus nvaes fica-
ram muito atraz delles, c que a fama e popularidade destas machinas vai sempre cres-
cendo e estendendo-se mais a mais. ii-
Nao pnssivel negar que esta superioridade as vendas devida supenoridado in-
contestavel destas machinas, porque o publico, o juiz mais imparcial nesta materia, sabe
logo discernir a machina superior das inferiores e das imitaroes.
Ninguem recusou a estas machinas urna grande superioridade, porm mu tas casas
de machinas tinham por costume dizer que estas s serviam para fabricas equo nao eram
proprins para costuras de familia. E' um erro manifest : Singer, .Manufacturing fabricam mais do vinte qualidades de machinas, desde a machina que trabalha a m3o e a
p at aquella que serve para o mais forte trabalho de selleiro e correeiro.
A machina de costura de familia tem sido o maior triumphoe a extraerlo destas foi
to grande que hoje vendem-se ellas por 805000, quasi a metade do preco por que foram
vendidas o anno passado.
Hoje a Singer Manufacturing Company fabrica 5,000 machinas por semana, e e,
gracas a esta grande fabricacAo. que ella pode hoje salisfazer as importantes encommen-
das que Ihe so dirigidas de todas as partes do mundo. No Brasil existem numerosas
agencias que a ella s constitue um importantissimo ramo de negocio.
NICA AGENCIA
KM
Aluga-se o primeiro e segundo andares da casa
n. 3 da travessa da Lingneta : a tratar na rua
Primeiro de Marco, antiga do Crespo, na loja do
Passo junto ao arco de Santo Antonio.__________
hvrisa-se
de urna escrava para todo servico de ama casa de
familia : rua do Hospicio n 49._______
.Paris^aeTRn Vivlenne, b1
fil.M.JH mmm srtciiL
DAS RNFFRVmMn
A CASA AMERICANA
45 RUA DO IMPERADOR
DEPURATIF
dn SANG
PLUS DE
COPAH
O abaixo assignado declara, que ninguem fa-
ca npgorio sem se entender ecm o mesmo abaixo
ssignado, acerca da taverna da travrssa do Livra-
ment, esquina da rua do Fogo.
Francisco Tavares da Costa.
Aluga-se urna casa com san, d.nis quartos
o eozinba, propria liara pequea familia ou carro-
tratar na rua do Lima n. 10.
Sociedade Recreativa Ju-
ventude.
De ordem da presidencia convido os Srs. socios
a se Teunirem do-ningo 21 do corrente pelas 7
horas da manha, a'im de em assembla geral da-
rom solucao a um;. peticao dirigida mesma pre-
dencia.
Secretoria da Sociedade Recreativa Juventude,
17 de setembro de 1873.
Vulpiano Baptista,
' i. secretario.__________
O Sr. Antonio Pedro de S Brrelo tem urna
arta vinda do Per : na rua eslreita do Rosario
jo. 3, pbarmacia oriental.
Gratifica-se com esta qusntia qualquer pessoa
que agarrar urna mulata de, nome Ualbina, baixa,
:hcia do corpo, cabellos cacheados e ralos, tendo
sido cortados ha lempos, e resenteraente amarra,
rosto curto, com urna pequea cicatriz em urna
das sobrancelhas e outra em urna das mos pela
parte de dentro que nao oode bem abri-la, e
tendo sido amasiada com um soldado do 2, foi
presa na fortaleza Jas Cinco Pontas. e andn f-
gida em Goyanna, Iguarass e Itamarac com o
nome de Mria : quem a pegar leve-a ao Caminho
Novo, em casa do Sr. Joaquim Luiz Goncalves
Penna, ou rua do-Visconde de Goyanna n. 89."
100^000.
Contina a estar fgido o escravo Manoel, que
de Jlo de Souza Das Vallado, que est em
Fernando de Noronha, tem os seguintes signaos:
cabra, andar descansado e cabera baixa, estatura
regular, intitula-se como livre e anda com urna
guia falsa : quem o apprehender e o levar ao lar-
go da Assembla n. 17, tera a recompensa acim?.
Attenco
Offerece c. urna seniora portugueza recente-
mente chegada para ensillar meninas em algum
engenho, ou nesta cidade, ensinando instrnecao
primaria, bordados de todas as qualidades, flores,
etc. : quem precisar dirjase a rua da Impera-
triz n. 3, loja.
CASA DO OUKO
Aos 5:000^000
Bilhetes garantidos
Hua do llardo da Victoria (outr'ora Nova}
n. 63, e casa do costume.
O abaixo ssignado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de 100ii"00 em
dous meios de n. 1815, alem de outras sortes
menores de 10*000 e 202000 da lotera que se aca-
bou de extrahir (60' ; e convida aos possuido-
res a virem receber, que promptamente jerao
pagos na forma do costume.
0 mesmo abaixo ssignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao seu estabelecmento com-
prar os muito felizes bilhetes,quc nao deixaro de
tirar qualquer remio, como prova pelos mesmos
annuncios.
Acham-se venda os muito feli es bilhetes ga-
rantidos da 2i* parte da lotera a beneficio da
da nova igreja de N. S. da Penha, que se extrahir
no dia 2 do con eme mez.
Inteiro MOOO
JOOO
Quarto 1*500
Oe IOO0OOO para cIi.ih.
hiteiro 5500
Meio 8750
Quarto 11375
Recife. 6 de setembro de 1873
Joao Joaquim da Cus Leite
Aluga-se
urna casa boa para se passar o vero, no Poco da
Panella rua do rio, com commodos e asseio; quedi
quizer dirija-se rua do Imperador, cartorio
n. 12._____________________________________
Aluga-se o sitio n. 4 na travessa do Ca dei-
reiro, freguezia do Poco da P'nella, todo murado e
porto de ferro, casa rom 2 atlas e i qnartos, e no
pavimento terreo I quarto cm eseada para o so-
tao,com 2 janeilas nos oites, l salo e 2 quartos
no dito sotoo ; o sitio e arvredos estio lirnpos,
tendo urna cacimba de boa auia : a tratar na rua
do Vsconde de Albuquerqne 1 28, 2* andar.
Agenda BlandyTelegramnia na illia da ladeira.
E' provavel que a seceso entre Portugal e a ilha da Madeira, do Tclegrapho Elc-
trico Submarino Brasileiro, esteja prompto para funecionar no mez d'agosto do corrente
anno, e a supra mencionada agencia na referida ilha, offerece-se para transmittir ao seu
destino quaesquer telegrammas que Ihe forem remettidos em enveloppe fechado, sohres-
criptado Agencia Blandy -Telogramrna, Madeira.
A linha telegraphica estabelecida na ilha da Madeira, pode transmittir telegrammas
para todas as estages telegraphicas na Europa, Asia, frica, America e Australia, custan-
do cada telegramma de vinte palavras 35300, em moeda forte, alm das taxas da estaco
de Lisboa.
As pessoas no continente da America do ul, que qutzerem utilisar-se da agen-
cia Blandy para a transmissao de telegrammas, devero fazo-Ios acompanhar de letras cu
cartas de crdito sobre Portugal ou Inglaterra, para o pagamento do custo dos telegram-
mas e das despezas da agencia.
Madeira, 15 dejulhode 1873.
Carlos H. Blandy.
Os precos para a transmissao de telegrammas da ilha da Madeira, suppe-se sercm os
seguintes :
Para Portugal X
Gibraltar
Hespanha
Malta
Franca
Inglaterra
Allemanha," Hollanda, Dinamarca,
Russia, Noruga, Suecia, Blgica,
Austria, Italia, Grecia, Turqua, etc
gypto, Portos do Mar Vermclbo,
Turqua e Russia asitica, etc.
America do Norte, Antilhas, etc.
India, Penang, Singapoore, etc.
Java, Chille, Japn, etc.
Australia
Para mais nformaces, quem quizer dirija-se aos agentes em Peruambuco.
Wilson Hoice&C.
Rua do Commercion. 14.
M




<(
' 0. 13. 8
0. 16.0
0. 16. 0 a 0. 18. 0
1. 1. 3 a 1. 3. 3
0. 17. 3 a 1. 5. 3
1. i. 3 a 1. 1. 8
1. 5. 0
1. 15. 0

a

1. 10. 0 a 3. 15. 0
3. 15. 0 a 5. 5. 0
4. 10. 0 a 5. 10. 0
6. 10. 0 a 7. 15. 0
10. 0. 0 a 10. 10. 0
AileiH'k
Precisa-se de urna criada, prefere-se estrangei
ra, para servico de duas pessoa: a tratar na rua
do Hospicio n. 59.___________________________
Precisa-se de um criad de qualqner idade,
divre on escravo : na thesoumria das loteras.
Sitios para fclugar.
Alufram se dous itios pero da estaco da casa
amarella, ladeira dos mudos,, com commodos para
grandes familias : a tratar la rua Primeiro de
Marco n. 16 <*, andar._________________
Andando no Recife qtfitro vaccas, e nao so
encontrando o dono e quereldo este vend-las, di-
ria ao armazem da Bola Aunrclla, on declare ande
pode ser pr^ curado. |~ -
Luiz Espindola de Basbs tem urna carta na
rua do Vigario a. 7, primein andar
mmmmmmi
Liiliyi'inllitis. bicos, rendas.
No escriptorio de Gomes de Mattos, Irmos, rua da Cadeia
do Recife n. 40, 1. andar, o nico deposito do que ha de
melbor, e bem acabado, que vem a este mercado, da cidade do
Aracaty no Cear, quem os comparam com os feitos aqui na
trra, fcilmente reconh cera a immensa differen?a, que vai
de uns para outros, tanto em pre^o como em qualidade.
Lindissimas toalhas de labyrintho.
Fronbas de diversos tamanhos.
Longos de todos Os preyos.
- Bicos e rendas ero profuzao.
D8 HXl'AB, S tT*C UgMOB* 00 ".
"110,000 curas das impto
I ient,putlulas,herpe$,
.c/rno, comiroei, acri-
nonin, ealler[0s,vi-
\ i nu, eaiediioes a< sangue. Xarope yegetal
sem mercurio). Depara II va a TCfeUM
UM mieiiIiem tom.io-se dous por
semana, sfguindo traciameoio Depurativo."
empregailn n:is mpsma molestias.
i Este Xarope Citracto de
|!'ern) ileCHABLE. cura
i inmediatamente qual-
iuer purgacao, rela-
s.acao, e debiltdade,
e iKualuieuui o jiuxos e flores brancas das
mulheres. Esta iujeccao benigna empregasse
eom o Xarope de C.wacto de ferro.
eaaorroldaai Pomada que as cura em 3 dias.
POMADA AMTIHERPETI.CA
Contra: nasa/ff foei'u'aneai e eomijoei.
PILULAS VEGEfAES OEPURATIVAS
do ar chnblr, caiiu fnsco vi .11 accompabado
de um folheto.
AVISO AOS SRS. MDICOS.
I Cura catarrhol, iones
coqueluche*, irrwtces
nervotta as do bron-
chios e todas ai doenfai
I do pato, basta ao itoenla
nina colhe rchdea deile xarope IV Fosctt.
' Dr. tW'-W em Part, rao iiene,
Deposito em casa de Augusto Caors n. 22]
rua da Cruz.
Sirop^fl^
DrFORGET
m
S
ttr
-
m
-V-

m
*a
I
'
I
A o commercio
O abaixo isslgnado, tend comprado o estbele-
cimento sito ao largo do Paraizo o. '.0. ao >r. Jo$
Duarte Pereira, livre e di-tenibaraeado de qnal.
quer rosponsabilidade, quem se julgar com algum
direito ao mesmo, queira reclamar n-' prazo de
tres dias, lindos o* qnaes nao 'e responsabiliza
por cousa alguma Recita, 13 de setembro de
1873.
________Abel da Rcxlia Pereira.
Ah a se urna cita Ierren rom giande sotao
dentro, no Recife, becco dos Burgas n. i : a tra-
tar na roa do Vigario n 33 com" Joao Jos da Cu-
nha Lages.
$. .....r*t
OEiWISTA K'MKB .
19- RUA NOVA.9
J. M. Leroux, cirur- *2
gio dentista, suecos- *j
sor de F. Gautier, es- H
pera continuar a me-
recer a con aue, a dos
clientes da casa; edo
respeitavel publico em
. geral. r5
% -i .i ., i- M y II r* i- -i W****f
Precisa se alugar urna escrava ou e.-cravo
que sirva para vendagem, pagare bem : a tiatar
no largo do Panizo n. t. ____
Urna pesso i habilitada paca robranra offoro-
ce .-e para esse ilm e Ja u,<\ le sua conducta :
quom precisar deixe cirt* foiehada nesta typo-
raplia cun a? iiitciai.-a 1). A.
Urna parda que sabe ensib .r,'eiifetnimar o
cozmhar, precisa de :M)00 para o crmpleto de
sua liberdade, e contrata o pagamento per seus
servicos; quem Ihe quizer fazer este beneficio, an-
noncie. ______-____________________________
~^- O Sr. Jo*o Baptista Alves. em pregado n
typographia dn Jorn-'l d; Recife chamado 2
rua Primeirc de Marco n. 1, tratar de negocio
que & S. nao ignora.________________________
Jos Pinto Tavare*, vulgarmente conhecid>>
por Jos Aranha, avisa a seus freguezes de Goyan-
na e aos desta cidade, que d'ora em diante suas
viagens serio contratadas i>a travessa do Mrquez
do Recife, na ciclieira das vaccas, onde tambem
contina a alugar carros para viagens, tratndo-
se com ant. cea* acia, nao s para Goyanna, como
tambem para Pedras de Fogo._________________
Precisa se de alugar um n-oioqne ou mra
preta paca vender : no Oamino Novo n. 61, per-
to da estapao da Soladade _____________
Aluga-se o 3' e 4" andares do sobrado da roa
lo Amorim n. 17 : a tratar na mesma rua n. 37, no
iscriptorio defasso Irruios 4 C.

1 :'
' f


-


D^rio de Peraamtwco Quiata feira 18 de Setembro de 1873.
t+
PreciM-se de urna
nina cfiiecoznhe er-mn-
pre :*p ru ti. Con-
cordia n. 149.
t reeisa-se do una aun .-scrava para &*i-
nhar e ensahoar : na ron da Penda n. 2,1
faina para
aaz
raki ii
4 H4 i PiJ!f!*>> .i.; urna aim
l 1 O sitvimi .( -lilas pafe'tias
** i" X lo qtlarlel de policia, solu-
to, I. andar.
fere-se escrava
i.*e 2.andares.
PHfiGISft-SGf >! urna
que ajba cozinhar e
sirva para urna familia
ie duas pessoas, pre-
o rji^o djj l'araiao n. iS,
^
sasrfigs -
AMA
loas peasoas : ja
-^

Iteeisa-se de urna,ama pa-
ra o mi*'too intento de orna
casa de familia composta de
roa la Cadeia-nova n. II.
AMA
AMA
recisa- se d una :
iaq a. 47.
a tratar
sen.
I'recisaie de urna forra ou
escrava que oozinhe para
una familia de dnas pessoas:
na da Madre de Deus n. 22, arma-
AMA
Precisa-se de
lave e engomme
. soas e mais
roa do Hospicio n. SO.
urna ama que
para duas pes-
servico de casa :
K |U| Precisa-*! de urna ama para todo o
A01A serv'5 de casa de duas pessoas,
preta, ferra ou captiva : na ra da
Imperatriz n. 10, I* andar.
VAPOR FRANCEZ
KI'A 1)0 BUIAO DA V/r.TOIA
S. 7Outr'ora Nova N. 7
Calcado
fruen.
encouraendo!! !
iWa-se ai. Hlm. Sr. Ignarfl Vivir de Mello
s.-rua. ita- rid.i.l.- d.- Jjttart-ih d.-sta |.r.vinru. <.
tv.>r de v.r a rua lluqu? v lisias >.. ;it, cot
luir aqide negocio que S. S. se coiuj.rometteu a
realisar, pela tereeira chamada deste Jornal, em
fina de dezemBro de 1871, e depois para iafljro.
passon a feverelro e abril do I87,e nada enmprio;
e por este motivo de novo chamado para dlt(
il m, noli S. S. se de ve lembrar que este negocio
Je mais de eito annos, e qnaodo o Sr. scu nlho *.
'-hs-a nviu idide.
A mu Precisa-se de urna para sozinhar
A1" tfMar na roa lo Crespo n. toja.
Precisa-se de urna ama
forra ou escrava para casa
do familia : a tratar na rua
do Duque de Caxiaa nume-
ro III.
AMA
11 .11 xla
Precisa-se de urna mullier
ue saina cozinhar, para casa
e homem solteim: a tratar
defroDtedaalfandega n. 7 A.
Precisa-se de ums. ama para lavar, engom-
mar e cuidar em crianzas : a tratar no Caminho
Novo n. 63 ; na mesnu casa precisa-se de um
perito counbeiro e copeiro.
Na rua de Hortas, n. S prmeiro an-
dar, ntrala pelo pateo do Carmo
precisa-se de urna que cozinbe e
compre ou que cezinhe sora ente.
AMA
Bom local.
A loja do predio da rua Marrilio Das n. 120
confronte tambem para a de Lomas Valentinas,
Sresta-se a qnalquer negocio de fazeodas, miu-
ezas en molhados, em grande e pequea escala.
A safra do assucar est prxima, e e indubitavel
o bom resultado de quem all se estabelecer. E'
commodo oaluguel e tambem se faz arrendamento
como melbor convier, tem gaz, agua e apparelho
p Dramage, e nada dt ve de impostos : a tratar
croa do Imperador n. 81.
Est fgido desde o dia 30 de agosto o escravo
de nqme Geminiano que foi escravo do Illm. Sr.
capillo Firmino em Maneota ; o escravo tero, os
signaes seguintes : mulato, estatura regular, cheio
do corso, falta de denles na frente, tem no bra-
co direito um coraco u as iniciaes A. M. C, sahio
com roupa preta e chapeo de Manilha, descon-
ta-se que anda pelo hjiirro do Recife ou em Ma-
ricota : quem o apprehender tenha a bondade
de o levar rua larga do Rosari) n. 22, loja, que
ser gratificado.
Para lioni*ni.
BOTINAS de beierro, corda vao, peHica, lustre e
na rua da de dui-aque com biqneira, dos melhores
. fabricantes.
SAPATOES de beierro, de cerda vao e'de case-
mira.
S A PATOS de lustre com sallo.
SAPATOES atamancados eom sola de pao, pro-
pros para bandos, itios e jaratas.
SAPATOS de tapete, charlot, castor e de tranca
franceses e portugueses.
Para senhara.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, hrancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, charlot, castor e de tranca.
Para meninas*.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portuguezes.
Para mentuos.
BOTINAS de bezerro, lustre o de cordavao.
ABOTINADOS e sapaioes de bezerro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portuguezes.
Botas de montara.
Botas a Napoleo e a Guilherme, perneiras
meias perneiras para homen-, e meias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor francez, rua do Bario
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicoes,
sofs, jardineiras, mezas, conversadeiras c costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem fortes e
leves, e os mais proprios movis para saletas e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, rua do Bario
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
As pessoas que tem pretendido estabelecer-
*e no terreno devoluto que fica nos fundo das
casas ns. 18 c SO da rua da Florentina, onle exis-
te a fabrica de serveja, cujo terreno limitase at
a rua de Santo Amaro, podem entenderse cora o
nroprietario na rua do Hospicio n. 3a.
** s #*-
i
*
Joaquim Jos Gronqalves
Beltrao.
Rua do Commei*cio n. S, 1.* andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
^> Minho, em Braga, e sobre na seguintes
gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilh.
Faro.
Guarda.
Guimaros.
Lamgo.
Lisboa.
Mirandella.
Monco.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna doJCastello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalico
Villa Nova do Portimo.
Villa Real.
Vizeu.
Vakaca.
Figueira.
Cas;'! do campo.
Offerecese, quem (|uizer fazer os rncenos
necessarios, o arrendamento por alguns annos de
graea, da excedente casa sita na Porta d'Agua,
que foi do finado Dr. Jcaquim Pires Carneiro
Monteiro, passand(>-se escriptura para inaior se-
guranza. A locahdade muito salubre, e a casa
muito fresca, tem magnifico banho de agua do-
ce em frente, e muito commoda, visto que o
trem para dcfro.ite : quem pretender podo diri-
girse ao. Sr. Francisco Carneiro Mooleiro, em
Apipucos ao Sr. Francisco Ignacio Pinto, rua do
Bom Jess, ou ao Sr Cannan, roa do Commor-
cio n. 40.
Precisa um casal alugar melado de urna ca
sa de familia, que nao exceda de 103 mensaes :
na rua da Palma n. 65._________________
Aviso
Lehmann frerec vendem em sen escriptorio
rua Primeiro de Marco n. 16, I* andar, libras ster-
iiuas e moedas d 3 ouro de 84 e 164.
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelo, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyej Wolff 4 C.: no
vapor francez, rua do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumaras.
Finos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
trifice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosnetieos, muilos artigos delicados em perfuma-
ra para presentes com frascos de extractos, cai-
xinhasi sortidas e garrafas de differentes lma-
nnos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, rua do Bario
da Victori?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias. .
Artigos do pliantazias.
Espelhos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de fio de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com msica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relo-
gii.
Brincos a imitacao e bot5es de punhos de pla-
qu
Bolsinhas o cofres de seda, de velludo e de'con-
rinho de cures.
Novos objectos de phanlazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de ac e
de tartaruga.
Oculos de ac fino e de todas as guarnieses.
Bengalas de luxo, canna, com castoes de mar
fim.
Hengallas diversas em grande sortimento para
homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades
diversas.
Esporas de tarradia para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos o cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e para
barba.
Ditos do marfim muito finos, para linipar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhasepara den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para dinveiro.
Meias para homens e para meninos.
Gravatas brancas e de seda preta para homens
e meninos. .
Campainhas de mola para ch mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
min e outros muilos differentes joguinhos alle-
mes c francezes.
Malas, bol'.as c saceos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
ercos de vimes para embalar criancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos tic quatro rodas, para passeios de
criancas.
Veezianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Esterescopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para Iluminares de
IbeUs.
Batoes aereostalicos de papel de seda mui fcil
de subir.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palha e de pennas.
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Tinteiros de loura branca, modelo bonito e bom.
Tiras de moldaras douradas e pretas para
quadros.
Quadros j promptos com pavsagens e phanta-
zia.
Estampas avulsas de sanios, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de mgicas para divortimentos em fa-
milia.
Kealejos pequeos de veio com lindas pecas.
Realejos t armunics ou accordions de todos os
tamanhos, 6 outros muilos artigos de quinquilha-
rias difficeis de mencionar se. No armazem do
vapor francez, rua do Barao da Victoria, outr'ora
Xova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pude desejar de todos
is brinquedos fabricados em differentes partes
da Europa para enlretenimento das enancas tudo
a precos mais resumidos que possivel: no ar-
mazem do vapor francez, rua do Bario da Vic-
toria, outr'ora rua Nova n. 7.
MEDICO-CIRIRGICO
DO
Dr. J. M. Cario
0 Rua do Mrquez de 01 inda n. 35, pri-
meiro andar.
Consulta das 9 horas as II da manhi.
0 Chamados a qnalquer hora.
- *****
Licoes de piano.
Urna senhora portuguea, chanda ltimamente
de Lisboa, offerecese para dar licoes de piano em
casas de familia e por preco razoayel : podendo
dirigirse rua da Aurora n. 5, primeiro andar.
Locado de sitio.
Alnga-se um terreno, com easa de moradia
que tem duas salas, cozinha fura, e quatro quar-
tos arejados, na roa de Paysand, estrada da Mag-
dalena, defronte da estrada qne vat para 6 hospi-
tal portuguez : procurem roa do Duque de Ca-
xias n. 50, primeiro andar, das 10 horas da ma-
nila s 3 da larde.
*^m-******-*****
0 Consultorio homeopa- 0
* thico *
* Do Dr. Santos Mello *
2 il------Rua do Imperaior------41 &
35 Consultas todos os dias das II I da 5
* tarde. 0
M Gratis aos pobres. <
Residencia rua Nova n. 7, segundo 5
andar, onde d consultas das 6 s 9 da
manlia e das 3 as 5 da tarde. fe
5 Chamados a qualquer hora.
****** ***** ***
nico deposito, aonde se acba a venda na
casa de P. Maurer & C.
O Dr. Casanova
Pode ser procurado a qualquer hora
em seu consultorio homeopathico, largo
da matriz de Santo Antonio n. segun-
do andar. No mesmo consultorio ha sem-
pre sortimento dos verdadeirus medica-
mentos de homeopathia
MEORON & C.

aot compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e m6os botes,
pois qne os ha de rap de ontra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenhc se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
-i?
MEURON a C.
Boa
casa
-i..i lirr^gg
para alugar.
Aluca se nina boa casa no P050 da Panella, a
rua do Rio n. !8, com 2 ^alas, 4 quartos e cozinha
lora, quintal muado e alpendre na fenle, muitc
nropria para passar a fusta pur flear prxima do
banho, to apreciavel no reno, e preco commodo :
a tratar na travesa da Madre de Dos n. 18.
Jos ieronymo Mi uu-iro f;iz publico que,
com qnanto seu nome esleja comprehendido na
relacao dos devpdores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & (',., pela qnanlia de 2:500J,
como tendo tomado i si assignatura de outros, que
deixarain de realisar, nao se considera effectiva-
mentc dev.dor, porque nao assignon o respectivo
contrato social pela indicada quantia, e nem
admissivel, em face dos julgrdos do tribunal do
comniercio desta cidade. que se podesse operar
cesso dos primitivos socios prestadores de capi-
taes, e por conseguinte que o baixo assignado po-
desse tomar si asignaturas de outros, fleando
por esse facto subrogado na responsabilidade do
socio primitivo e que assignou o contrato sobre
quem pesa exclusivamente a obrigacao, por isso
que esla pessoal e inlranmissivel; o que faz
publico paia quem interessar pussa. Recife, 13
de setembro de 1873.
?"& 'V! 3v^^''>".B'ie<'>
FNDICAO DO BOVMAN
BA DO BBM B. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS seobores de pngrnho e ostros ?gricoltores, em prega do res de m
oinismo o favor de orna visita a sea estabelecimento, para verem o lovo sortimento
ompleto qoe abi tem; sendo todo superior em qoalidade e fortidio; o que com a ins
teccio pessoal pdese verificar.
ESPECIAL ATTENQAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
(TnnnrAa o rnriaa H'suTnfi dos mai8 mor!erao8 lystann eem ta-
V apuros O rUUltS U agua manh09 convenientes para as diverjas
irenmstancias dos senbores proprietarios e p;.ra descarocar algodSo.
oendas de canna S 8 taraanh09' a?*me!bores ^ ^
Sodas dentadas 9****M>H>m*-
Taizas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques,
tfachinismos
Bombas
**************
S n
1 Consultorio mdico finirgico
9 DO
gDr.Americo Vespucio.S
iW. R"a to Bom Jess, antiga *
0 da Cruz n. C. 1 andar f
S Chamados a qualquer hora, c para *5
99 fora da cidade. j$
0 Consultas de I hora s 3 da tarde. 'c
2 Gratis aos pobres.
9t Especialidades : Q^
! Partos e molestias da uretra, operacao i
dos estreilamenlns pelos precessos os
mais modernos. ^
**mw *m*****m
WM 9 @ 9
CoBSBltflrioBietodrirfico#
para mandioca e algodao.J
eparaferr?rnndeira.
Podendo todos
ser moridos a m3o
por ago, vapor,
de patente, garantidas....... |oo animaes.
Podas aS machinas e PCa8 dMae se costoma precisar.
de macbiiiismo, a preco mni resumido.
Faz qualquer concert
Formas de ferro
Sncommendas.
tero as melhores e mais baratas existentes no mer-
cado.
Incumbe-se de mandar vir qnalquer mach'nismo i von-
tade dos clientes, lenrbrando-lbes a vantagem de fazerem
aas compras por intermedio de pessoa entendida, e qne em qnalquer necessidade pode
w prestar auxilio.
Irados americanos e iDatramenlos sKrico!a9-
svni.v.t
GONCALO JOS- AFFONSO, vendo
o sen nome no Diario de Pernambu-
co, na lista dos devedores da massa
fallida de Amorim Fragoso 4 C, de-
clara em tempo que as duas verbas,
urna foram qunntias que recebeu por con-
ta de saques sob o Rio de Janeiro, que
linha vendido as mesmas firmas como
jprovon aos administradores da mer-
ma massa, pelo que nunca promove-
rn! receher do mesmo aquellas quan-
lias; quanto quantia de l:463IOO
em consciencia nao deve, e s poder
pagar quando tiver esgutado os direi-
tos que a lei Ihe favorece em bem da
juslica. Recif* 16 de setembro de 187J
S^^iSi ^?> ^^

wa
AVISO
D. Libania Emilia Cesar de Albuquerque, viuva
do major Joaquim de Albuquerque Mello, faz pu-
blico a bem do seus inleresses, que nao se respon-
sabiliza por transaefo de qualquer genero que
seja, que em seu nome alguem procure effectuar,|PArnUrt 0
apreseular legalmenle autorisado pela *
a nao se
mesma.
IS
cfislnra
para
Grande sortimento de bonitos modelos chocados
ao armazem do vapor francez, guadoRa-aoda
Victoria (outr'ora Nova) n 7.
Oleados
baratos.
Oleado bonitos e muito baratos, para cima de
meza : no armazem do vapor francez, rua do Ba-
rao da Victoria oirtr'ora Nova n. 7.
feixeiro
Precisa-se de nm caixeiro com
verna, de 14 a 16 anuos : na rua <
n. '50, Uverna.
iratica de ta-
e Sania Rita
Alnga-seuiiiacasa na rua do General Seara,
antiga rua do Jasmim n. 8Jcom 3 quartos, cozi-
n a, quintal e cacimba : a tratar na rua da Au-
rora n. 39.
PEMORES
Na travessa da rua
dasCruzes 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores tle ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia. *
Na mesma ca$a
compra-se os nies-
mos metaesepedras.
MM
RUA DO BRUM
PASSANDO O
N. 52
AFARIZ
*
-v
*
DO
Di*. Ferrcira.
Antigo gabinete de seu pai, roa larga
do Rosario n. 20.
Cura de hydrccelles sem injeccao
com punecao capillar.
Abertura de abeessos e extraerlo de
derramamrnto serosos, pelo apirador
de Potain.
.8
9
cS
G. 4.
Os melhores charutos la
Baha.
Regala Britnica.
Regala Imperial.
Regala Real.
Riac huellos.
Demcratas.
Suspiros.
Conchas.
Operas.
Principe de Bisoarck.
Trabucos.
Bahias.
Deposito em Pernan.buco no armazem do Cu;' a
& Manta, rua do Mrquez de Olin;!a n. *3.
FUNDICAO DE FERRO
o
r rua do Baro do Triumpho (raaHo Bram) ns. 100 a 104
CARDOSO & IRMO
RECKBERAM de Inglaterra completo sortimento le ferragens e machinas para en-
genhos, asmis modernas e melhorobra que tem vindo ao mercado.
Vapores je for<;a de 4, 6, 8 e 10 cavallos.
(..aiCieiraS Je sobresalente para vapores.
JlOenaS inteiraS e meias moendas, obra como junca aqu veio.
aiXaS IUnlaS e batidas, dos melhores fabricantes.
tOClaS Q agua Com cubajede ferro, fortes e bem acabadas.
LOCiaS Q6ntaCiaS Je iodos os tamanhos e qualidades.
Rel0g0S e apitOS para vapores.
de ferro, dje repucho.
AradOS je diversas qualidades.
Fornras para assucar grail(les 6 M,10nas
Cortcerto^
SE
Do botica.
Precisa-se de um con pratica : na pbarmacj
Dias n. 13.i.
CO'll
Torres, rua de Marsilio
Alngt-se
o armazem do sobrado n. 13, sito rua do Bom
Jess : a tratar na rua da Aurora n. 51.
O ABAIXO ASSIGNADO, morador e con?enhor
I do engenho Caramur, aceou tres letras a ven-
|ceiemse em mato do 1873, 1874 e 1873 e no
vencimento da primeira que era de l:5COC0O,
, pagou esla e descontou as duas que eram de
2:000*000 cada una, c nao tendo exigido recibo,
j e nem lao pouco inulilisou sua 'irma, guardona?;
i porm succede que desencaminha am-se do poder
do abaixo assignado, seo que saiba o din que le-
; va am: portanto avisa a todos em geral e com es-
pecalidade ao comniercio que nao facam transac-
cao alguma com ditas letras, c que ge por ventu-a
\ forem apresentadas se dst-leacia auteridade
I compleme, assim como roga anda que em tal
caso se d aviso, pelo que se ob ga a despeza.
Engenho Cai-amur, .8 de agoste de 1873.
_________Fernando Pues de Ahneid Un
Alnga-se o 3* ndar do obrado da na d>
; \igario Tenorio n. 20 : trata se na rua do Aniurim
n. 37, com Jorge Tasso.
Ausentou-se no dia 9 do corrente mez,
| do engenho Manguen a, (regnetia d'Agua Preta, o
jconcertam com promptido qualquer obra ou machina, para 0 que teem *fC|,?V0 Jao, ermprado aoSr.Joo Correa de
'fihrip-ihommnnti.il pnm brindo o hnm nosenal j Queiroz, morador no fngenho Ronda, em San'<)
sm fabrica bem montaila, com grande e bom ptssoal. Anl5o> ievando M| de rjgcad camsa br EnCOmmeiUjaS man,Inm vir Por encommendada Europa, qualquer machinismo, chapeo de baeta, com os signaas seguintes: ida-
para o que se corresponden! com urna respeitavel casa de Londres' de 40 annos pouco mais, altura e corpo regalares,
a coin,ura^dtB8lhores engenheiros de Inglaterra ; incumbera-se de mandar assentar faltado dentes na frente, um ponco fulo, o beigo
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas. 'x ir n ir-vTim'i/ -r \ tnrv -.ni mesmoseguio para Santo Anlao ou para esla pra-
Kua do barao do Irmmplioruado Brum) ns. 100 a 104 ca:>ga:se, ponanto, a* autoridades poiciaei o
d n n n i'p i n npfiRnncr i, rnulrt a08 caP,tapS de camPa apprehencao do mesmo'
I l ^ A U u L L A tt U U 5> U v M A a ser entregue no musmo engenho Mangueira em
| Agua Preta a Jos Ceciliano da Rocha ou nesta
praca, na rua de S. Jorge n. 99, qne se dar bea
recompensa.
Carros de luxo.
Papel de linho viailo
Precisa-se de urna ama para t do o servico
de urna casa de comprare cozinhar, forra ou es-
crava : na rua Duque de Calas a. 22,1* andar.
Olterece-se urna ama para coai a, mas nao
compra : na rna da Cadeia n. 24.
ESGOMJ a__________
Precisa-se d'uma escrava que seja bo
engommadeira. Em S. Jos do Maugui-
nho sitio n. 2, com porto e gradim de
ferro, antes da rua da Amisade.
AEIRA.
E' inquestionavel que a cocheira da rua do Bom
Jess n. 13, de Joaquim Paes Pereira da Silva, a
que tem as melhores berlindas, catecas, meias ca- j^
lecas e victorias de luxo, proprias para qnalquer ...
noivado, visitas do etiqneta, bailes e actos da ac- a ro?ma. verdadeiro papel de linho prosso mar-
demia, sendo os mesmos ajaezados de excfllentcs ca ',ad^ proprio para cigarros de polica, para
par. Ihas do animaes, arreos luxtvsos o holceiros ? Srs- 'ogueleiros, e para outros muilos misteres:
so no armazem de Jos Domingues do Carmo e
Com fardamentos do ultimo gosto, para o que se
convida ao publico a vir por si in-'smo seitntifi
Portuguez.
Precisa-se para um oogenho perto da cidade;
de um portuguez para servico do campo, a fal-
lar no Recife, rua da Cruz n. 68, e nos Apipucos;
na casa junto estacao.
Silva, rua da M.drc de Deus n. 10 A.
........ ,.v..... ... y..........-............... Por 300 vende-se um bom
car-se da verdade do qued.'ixamos dito, certos de ( ) VPrMflnfMrn fiimn dn T?in rio, usado, com muiti boa voa :
que n;m encontraro pomada, e sn realidade e. *^luaucilw ,UU1U uu tlKJ condede Goyanna n. 129, das o t
c-jm.nodos presos.
A familia honesta que precisar de urna mo-
ca para costurar, dirija-se rua Veilia n. oi) qua
echar com quem tratar. '
Novo.
No armazem de Jos Domingues do
Silva, rua da Madre de Deus n. 10 A,
de fumo.
I
Carmo ev
armazem
diante.
piano d arma-
na rua do Vis-
horas da tarde em.
Para barba.v
Pifra evitar os ardores da nav Ihi,- causados
pelo salio coinniuin com que se faz a barba, re-
c. bea a nova esperanca rna Duque de Caxias
n. 63, urna nova prepara cao d. nominada oleo-
phane a qual o melhor que se podo desejar
neste .-enndo ; a ella, autes qae se acabe. Preco
do frasco I OU).
G
jaz
Vendedeiras.
Precisa-sc de mulheres livres ou escravas' quo
se aluguem para vender com taboleiro : no sitio
da capella, na Mangabeira, estrada do rraial.
lluga-se
- O alferes 'gostinho Peix. lo de Sobral, resi-
jao i"
nellas, seientflea ao r-speiiave publico, que d'ora,Udo de limpeza : a tratar na rua Primeiro de
gnar-se-ha por Agoslnho Joviniano Marco, antiga ("
de Sa Peixoto. do Amaral & C.
de D v.iis a ."S800 a lata no armazem de Jos Do-'
SfTl^mVem^tfu'mr Madr6 ^S^J**
__^_^____ ment n. I, com commodos para familia : a tra-
tar no armazem do mesmo. ,
----------------------------------------------i_______________________________
a-so barato ninas mei-aguas novas na
as Barreras (neceo do Aqaino) n. 1 e3 :
a tratar na rua do Cotovello n. tt.
Boa
casa para a testa.
- Ala
Aluga-se urna excelle"nte casa no Monteiro, Ira- i travessa <
'ii. "^rl??.d! f?u!PaPa.' ..c.cl.'narca de..Pa' > Y11*3* X"810 qoa' se acha em muito bom es
encante aasignar-se-ha por Agostmho JSWZ' frf analo f>^n. o ?oja"deGurgel' com bSH?V^ ^tffiS, TbS8 U a
Aluga-se urna boa casa bem
im bonds a pe
tratar na rua do Barao do Triumpho a 56.
1


*
6
D&fto *> PWnfcfftbaca -* Quinta felrn 18 (fe'gcftenfbro *

i
-
ACMtye.
Aluga-*- o bcm coahec|^c atreguando adu-
ane do pateo do Paraizo- com lia leo de podra
mannore o qual tem emit) lalhos, balanza e jm--
08 : a tratar na ra d-j Crespo, loja do Pallo
b. 7, jonto ao r.r.o do Santo Antonio.
c
aixeiro.
Precisa-se de um caixeito de 11 a 14 annos,
cora [trafica do taverna que seja brasileiro : a
tratarjia rua do Domingos Theo'onio n. .
Gertrudes de~01iveira e Silva e
sua sogra Antonia Francisca de
Oliveira Lima agradecem cordial-
mente a (Adas as pessoas que se
dignaran) atompanhar os restas
mortaes de sen muito querido eT
poso e geaco Tranquilino Candido
da Silva ; o p.-'dem s mesan* pesseas *_ todos
seus amigas c prenles o caridoso obsequio do
assisiirein a missa do stimo da, que terTagar no
dia 2o do correle, naigreja de S. Francis:o, s 6
horas da manha.
an>a .**)
lvos
a do 12 garraf* i
idem,
Nao duvidem-
S na ra do do Crespo i^^^I^S:kfW
20, loja de Guilherme &
C. que se podem vender,
as azendas abaixo, peloi
precos aeginfces:
Listnhas escocers a 210 o covado
Ditas de listras padrees novos a 80 o covado
Ditas com hstras de seda 1 400 t. o cavado
Alpacas com lisiras a 800 rs o eevao.
erm asst-tinado para reupa*. a 3*0*8. o ac-
A Jelalrfo Amelia bornes le Car
valho
l'mbcna (l. Hugo Jlacado-Xavier, seus fillios,
e Bomardn> f -.nes da Carwlho, mi, irmlo e
lio Jb-A-b laido Amelia Gomes de Camino-,
feidt* do iim* doloroso sentimento pelo sea fal-
lecnento, a/radecem do imimo de sua alma s
pessoas que i>sis!iam ao acto fnebre e acoinpa-
liberan; mus raataa naortaM ao cemiterio publico
no dia i:i t. crreme, e novamente convidam a
tod>osens p:.reales e pessoas de sua amisade,
pata que tv digiero assistir s exequias que ce-
lebraran costa iwra 1* do torrente, stimo dia de
sen faBeatmeM, |ielas oito boros da manha, na
igrej.i di ct.iivnto de S. Francisco, pelo que des-
do ja protestam seo. profundo reconhecimento e
gratwac
loenitiarfiadnr los Nicoiao
Biqueira Dista, repassado da mais
viva e profunda dr, ten a honra
de convidrr tojos os seus pren-
les. Exms. collegas c amigos para
asistir hoje, polas 4 horas da tar-
de a.-s uttrao.; sufragios, que so deverao prestar
por aiuia.de sua mal presada consorte D.Josefa
de Meoezes Va medios de Drummond Costa, na
matre da L >a Vista, e d'aai m-ompanhar o sa-
lumento ate o comileri publico, o que muilo
ibes agradecer.
Anua Emilia Casco
Pedro (i. Hetaira Caalo, cumprindo um grato
e ptedoso uever, e mvida as pessoas da sua ami-
sade pan fazpfem o caridoso ibsequio de assis-
tir s mi-sas (po, por alma da sua presada e
abara, esposa, Aona E, Casco, manda celebrar
na aneja iiutru h Hoa-Vista. as 7 Ii2 horas da
inanb do da 2:1 do correte mes, Io anniversa-
rio do sen fallecimemo
-.,. ----- .-
20 de seternSro, primeiro anniversario
Carlota Vieira Riboiro, manda ce-
lebrar aigwmn missas no c nvento
de S. Francisco, s 7 horas da ma-
1.1a, no dia cima, pelo eterno des-
saneo da alma do seu sempre cho-
rdo marido, para o que convida a
lodos os amigos di mesino a assis-
Iveu-u su.
Iraperi.il SocieJade dos Artistas Mechanicos
o i ibernes
A directora ,-ta aoeledado convida a todos
seus irmS s, 1 viuva. prenles o amigos do finado
Antonio. Francisco de Sanl'Amia, para assistirem
a tutss 1 |iie por alma da(|iielle irmao manda co-
tobrar no rtia I: do crreme, pelas 7 horas da ma-
r',]' '' -'"'' I mvon'.o dd Carino desla cidaile,
: lassamenlo
vanfcajoso.
" de nina luja ra do Du-
\*M
_ apeos |e sol de leda com cabo de osao *8.
Al^odao de listra americauo com pequeo 3-
feito a 320 rs. o covoo.
Brins pardos e de cores a 400 e 440 rs. o covado
Brim braaeo lona'e, 14800 a vara.
Cambraia preta com lisiras e flores branja*
proprias para luto, a 140 rs o cflTaao.
Ditas finas de cores a 280 rs. o covado.
Cretone para camisas e vestidos a 440 rs. o co-
vado.
Chitas rtxas e do cores a 200 e 240 (s. o co-
vado.
Grosdenaples prelo do cortjao a 2*400 o covado.
Colchas adamascadas a 3J5C0 e 4*.
Ditas de croch a 5i.
Cebertas de chita adamascada a 34500. f
Cobertores de li escuros a 24.
Leles de bramante a S-
pitos -de algoda.a!44O0.
Toalhas alcochoadas a 64 a duzia.
Lencos de cassa com barraaa 14-ducia.
Ditos ditos de abainhados a 24 a duzia.
Ditos de esguiao a 34">ou a duzia.
Cambraia lisa a 34 a 44500 a peca.
Dita Victoria fina a 34800.
Cortes de -casemira fina a 54.
Atoalnado a 24 a vara.
Camisas ingleaas forradas, cora peito de linlw,
pelo diminuto prepi de 384000 a doxia e 34500
cada urna.
S na loja de Guilherme 4 C, Ka do Croe-
po n. 20.
Fustoes de cores.
Cortes de fus|o oe cores para cateas 4000:
s na ra do Crespo n. 20, loja de Guilherme A.
&
Vende-se
trastes de Jacaranda e amarello com poueo nso,
em perfeito estado, e tamltem um meio apparelho
de louca para janlar e um dito de porcelana, fino,
hranco, para almoc-t. Vende *e por lar o donQ da
se retirar para Europa : na ra da Imperatri
n. 54 A.
chegada.
m e senlmra,
s
fabrica do comop^P
tGUABDENTE de cajii:
i de laranja,.
ARCOS 4e pao para barril
QAL de Lisboa, recenlem
APBM de sol, para
de marlnt e
IXli de ferro, para po
O d alfod.1 da bhia,
meDdatlornSdpMo.
LINHA de roriz.
OBRAS de palheta.
VtNR9 de algodao da Bahia, da fabrica do
mendador Pedrozo.
ROZ de tojas as qualidades, das fabrica
Peres e Eduardo Militio.
ROLHAS proprias para botica.
SALSAPARRLHA do Para.
VELAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO jBjprrafado do Porto, caixas de 12 ga-
Oto Moscatel do Douro, idem idem. jr
dito Setubal, caixas de 1 e 2 duzias.
da Italia engarrafado, caixas de 6 uf
4q Cellares seperior,-em anaaretas.
* de eaJiT; caixas ll'gar aWs.
Aialvasia -da-Dourn, qaiaae aean 12 gar
rttas. r T
Carcayellos, idem idem.
FNDICAO BO BOWM
PASSANDO O CHAFARIZ
Recommenda a attenco dos Srs. de engenhos
seus vapores de diversos .systemas eom os t.ltimos
melhoraments era todo o tamanho, e pretjo
-------------------------------------------------------------------------------------'> ..i .
Chapeas pjir,uenhofa
Amaral Nabueo & C reeeberam nm eom
oriiiaento de cbapos de ualha dUai,
e voNodo, eeeios^iara*tale. de oras -eafeii
com bonitas flores e fita : vendem no Bazar
toa toa do afio da Victoria n. 2, angajua g&0 uon bora.sortiwarito. dR,ta.cbnas para
Insignias a$;wots.
Anural Nabueo k C veadem, Insia
BfcasigtC l ll,]7,jMe U: nol
loria q. 2, anga rna Nova.
CapeHas fnebres. c
Amaral Nabueo & C. reeeberam um completo
aortimento de capellas fnebres com diversas jos-
oripc,oes e vendem por commodo preco : no Ba-
iproveilcm!
Aproxima se o mez de dezembro, em que a
Nova Esneranea, ra do Duque de Caxias nj 63,
tcni'dedaro seu balanco ; e como sabido o
grande deposito de miudeza?, que lem dito esta-
belecimento, nao s de arligos da moda e phan-
lasia, como tamb m do objecto de lei; e eomo
realmente conhecido que amito mais massan-
te o contar se miudeza do que contar-se o cobre,
a Nova Esperanca teni reaolvido vender por me-
nos 10 % do (pie o preco do cosame, para desta
fornia minorar o trabalho do balance : por esta
razo os airociadores do bom aproveitem e ve-
nham ver como se vende bom, bonit e barato.
n. .8
i
ra para qualqner eslabeleoi-
11 ir dnija-se mesma ra
- precisas informa.oes.
(isa torrea cora comraodos
i imitada o eaiada de novo,
-i.1.1.1 Luiz da liego n. 43 : a
. n. 58.
n
a
RAS.
Bons terrenos.
Vende-se barato, terrenos proprios, em lotes e
vontade dos compradores, junto e as circarafe-
rencias da est.v.ao da Boa-Viagem, lugar saudavel
e bastante concorrido, muilo proprio para edifica-
caroes, por ter em seu favor nao so o vapor da
manha e larde, como o privilegio que isenta de
pagar passagem por dez annos a ouem edificar, e
o eslabeleeimento dos bonds que se projecla : os
pretendemos tntendam-se na Ihesouraria das lo-
teras.
Vende-se dous eseravos pardos, de 21 e 27
annos do idade, cozinheiros, 3 moloques de 10 a
17 annos, G bonitas negras de 15 a 22 annos, com
habilidades, bem como outras sem habilidades :
na ra de I lorias n. 96.
Angulas legiiMS.
?JVende-se em casa de Okel Bftrifttss C, na
ra do Ilom Jess n. 11, os verdadoiro* aqgoias,
qaa foraro, d cas dos S^s. T- lftfetji C.
As nicas verdafieims
Bichas hamburguezas que veui a Ate mercado:
aa roa do M.irqu.iz do Dlin-I.i n. 31.
-- Aende-se-o.sobrado ie umjfldlr sin ra
Imperial, canto da travessa do Lima, prximo ao
chafariz, o qual e.^t situado era lugar muilo apro-
piado para estabeleefraento commereial, a que se
lem sempre prestado, tem bom qaintai e cacimba
etc., e tambem se arreoda : a tratar na ra do
Hospicio n. 35, das 7 s U horas do da, e das 3
s 6 da tarde.
Luvas de Jouvin.
Muito frescas, cbogadas no ultimo paquete : na
loja do Passo, ra Primeiro de Marco n. 7 A,
antiga do Crespo.
I

oiiprnm-c algnmas portas e janellas, de
louiou ,. :,.],, con forros e portadas
:i nsailos, mas em perfeito e.-lado:
H 'ii ,il,al n. 13.
- Vende-se a taverna da ra Imperial n. 107,
com poueos fundos, propria para principiante,
urna das melhores lo lugar : quera pretender di-
rija-se ao mesmo eslabeleeimento que achara com
(jiioii) tratar.
Apolices e acodes
Lompra-so lices geraes da divida publica e
acji > .1 icai do Brasil : a tratar com Augusto
t. de Vbret;, un innazetn dos Sis Souza Castro AJnioi.1.1 ra .11 Marque de Ola n. :7.

Suuerior choctdate nacional
dos Srs Brito Oameiro,
do Rio de Janeiro.
Ignsl em .-.! or#e qnalidade ,is melfiorcs marcas
eslrangeira*: vende-sa t'.nicamcuie em i'ernam-
bifo em casa do Delira Oliveira & C. ra do
Commercio n. 10.
imi
Vende-se um excellenle sitio em Beheribc a.-
B.'ixo, jante estaaCo do Fundo, murado na
fru.te com porlo de.ferro, com urna bonita cas?
de ped'i o cal. lando i quarb s, i snlas, 1 gran
do sotan, eozinha fra, com 40!J palmos de frenti
e 4,800 de fnado, sendo de matta, eom excellentt
cacimba, anua de beber : quoin n pretender diri-
ja- ra de Pedro ATonso, aniio.T ra da Prai
B. ''''
Yende-sc
nrr. axecllente eaTallo novo proprio
es la, porpreeo muilo om cota
na ra do lli um n. 76.
para cabriole!
tratar e ver
- .\i riu da Viraco n. o, vende-se um ter-
reno a sei* mil ris o palmo, tem 60 de frente.
Na meaau ca.-a precisase alugar um sitiozinbo,
que a osa lesna boa sala para aula ; erabnra
tenlia d 1 uv.- quarlos sooicnte.
Vende-se urna quasi nov.i com caixa e areo :
lrata-se na roa do Imperador n. 41, botica horneo-
paihica.
16#000 a libra.
de retroz do Porto de primeira qualidade ; ven-
do, J. A. Morelra Dias, em seu armazem ra do
Ilom Jess n. 26.
Ra do Cabug-n. 11 A.
Vndese um escravo moco proprio para enge-
nho oii padaria, por preco muilo em cont.
so a
E' pecliincha.
Poupelina de cores a 800 rs. o covado
ra Du-jue de Caxias n. 43.
Grande economa
Musselina branca a 2^0 rs, o covado, s ra
Duque de Caxias n. 43.
MOLESTIAS
ESCROFULOSAS.
As MolMtiaa
DA PELLE.
Emplees,
Ulceras,
Mancha.'
BU.
AS
DOENCAS
Qm> o OMIMM
Pela Iiifeteno
VcnPie.a.
I1ECIAT1SMI,
I?.YS!?ELA.
bazai! ixnm\L
fisa-i Brfto da Vietoria.-n. 22.
i>E
Carieir Viaima.
A,' esle grande estabelcciment tem che-
costur.i, de todo6 os utores .mais acredita-
dos ultimameatpoa Eunopa, cujas machinas
sao garantid)! r|vr utvanno, e temi um
pefeito artista para ensinar as mesma, om
.qualguer perte deslacidade, come bem as-
,sirt) coflcerta-las pelo tempo tambem d'um
annq sem despendi ajgum do comprador.
Neste estabelecioietto |/nbem ha piTionras
.para es mesinas-maciias e se snppro qna)-
r- quer.pega que seja pecossario. Kstns m*-
na raTJlV ^'^ ^ VCto"a *'**' *llim,S lrabUflrt cwrrtoda a pertuiVfto umedous pospontos, franze e bonlf toda
qua^ner costitwi por lia*: que. |Sjf j seus
pregos sao da seguinte qualidade : pan tra-
balliar a mao de 30-3)000, 403000, '. >?000
eOVOOO, para trabBlhftr.com o p"s.id de
8053O, 9.0J0Q0, 1005>00!),- I lOoOOO,
120*000, 3050G0, 1505000, 2OO9U0O e
2501*900, emquanto aos auore^ nAo lia al-
teraao de presos, e os comprad.tos poiero
visitar este eslabeleeimento, que rnuito de-
verao gostar pela variedado de objecto? que
ha sempre para vender, como sejam : cedot-
ras para viagem, malas* para viagem, eadei-
ras para salas, ditas de balanijo, ditas para
crianga (altas), ditas para escolas, costurci-
ras nquissimas, para senhora, despensaveis
para crianzas, de todas as qual idad-s, camas
de ferro para hornera e criaacas, cafiachos,
espclbos dourados para sala, grandes e pe-
quenes, apparelhos de metal para cha, a-
qtieiros om cabo de motal e de marfim,
ditosiavulsos, colheres do metal fino, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
rame, lampas para cohrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mul-
los artigos qe muitodevem agradar a todos
que visitaran esto grande estabelcfimento
que se acha aberto de-de as G horas da ma-
nha at as 9 horas da nouto
Ra do Baro da Victoria n.
Ra da Imper,a;tri.B ^. 72
1)E
Loureafo Pf-ira
Declara a seus freguezes que lem resolvido vender
saber:
CHITAS A 160 E200RS.O COVADO.
Veoder-sc chitas rancezas largas con to-
que de a varia, a 160 e 200 o cawrado. Hi-
tas limpfls a 240, 380 e 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 920 R^.
Vende-se cassas francezas a 320 e 360 rs.
o covado.
l.ASl .MAS A 200 RS.
Vendo-se lSsinhas de cores para vestidos,
a 200, 360, 40,0 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A400RS.
Vende-se alpacas para vestidos-a 400,-gOO,
640 e 800 rs. o covado.
COBERTAS DE CHITAS A 19600.
Vende-se cobertas do chitas de ceros, a
1^600 e 29000. Ditas de pello a 19460.
Colxas de coros a 19200, 29500 e 49500.'
1!! i T 170 T"\T7 T I i OAA T* C
o mi*berato ^ivlor aossi
* sossHeL 'I
COUTE* DB AMiDftGQM* 195#>
Vopdo-se cortes, .(fe'ftrftn 'jb.iprmtm
ca^ca, a 19500 e 2J0OQ.
Venda-se botiiaa&pafa senh^ras, e 139060
39500, aellas (antes, qne *e acabem.
ROU'A tlT-A fiACUjAL.
Vende-se antisas- bancas, 2f MI|S
29500, 39000 e 49660-
Calces de casemiras d ores, -e-49, 6-
79000.
I*lts4le senara, *.49, 49 4 890pt
Seceutasuai4 BRl Dt CORES A 4.40 RS.
Vende-se brim>4e>>todM es cores a 4*
rs. o covado.
i .

LENCOS BRANCOS A 39000 A D2IA.
CUALES DE LA A 800 RS. Vende-se a duzia de len.c/)s branjcot, .
Veude-se chales de l de quadros a 800 29000. Di tos comba ros de cores a 1900'
22.
rilKPARADO PELO
Hr. J. C. Ai:i; ,P C'o.. tfc LetreU,
Ksttdos Unidos.
EM FRASCOS PEQUEOS.
W. E. 0ASSET.S h Ga Abantes Geraas no Brasil.
Fazcndas baratas
NA LOJA DA AMIUCA.
Leaeea de bramante, a 2s.
Urini do linho superior a 1600 a vara
Colxas grandes a 4J, para acabar.
Para toalhas de mesa
Tem a loja da America rico atoalbadr com mui
lindos desenhos e vende a U500 c H o metro.
Toalhas grandes-a 300 ris, urna
E' barato
Chipos do st,l do seda trancada, muito fina
meia canni de pan?,io, a 3.
Ditos de boa alpaca, a .'l
N. 10 RL'A DO CABUGA* N. 10
Loja da America.
em seu escriptorio
ra
tem para ve:d.;r
do Vigario n. -21
Formas de forroalvanisados para purgar
ssucar,
Potassada Russia, em barris de 25 kilos
rada um.
Hosperedina a 16,^.
Vemle-sa em caixas conv 12'frascos, no arma-
era de Franco da Cunha & C, a rua da Moeda
n. 47.
Nioiii mais cabellos
brancos.
lilil JAPZA.
Se nnicaapprovada peius academias de
sciencias, reconheela superior a toda que
tem apparecido at hoje. Deposito princi-
pal rua da Cadeia do Recife, hoje Mr-
quez de Olinda, n.51, 1." andar, o em
todas as boticas e casas de eabellei-
n>'tro.
Milholl!
bom c-n jvo. recnteme tu chegada do nsrte, por
prepo com nod i 6 a vontade do comprador : na
rua do Amori'ii. armazem n. 31.
Ba laucas grandes
Vende-se (as do bracos romoes promptas com
pesen modernos, proprias para qualquer armazem
ou fabrica <\i: assucar, por tirero commodo : na
rua do I.: vi amento n. 31, Jtywsio.
= Ven I i-s i um carro da alfandcga em perfeito
estado : no largo do Santo Amar n. 3, taverna, a
tratar com Luiz de Franja' o Mello.
Vende-se o dominio do terreno- do hospital
inglez, em Santo Amaro : a tratar na estrada Luiz
do Reg n. *i8. _________
AON., 30
Rua do Sivrameuto
(ipaHilf-s |w!ttiklis!!!
Superiores alpacas de cores, de.hpnitis gostos.
a 28t rCis o covado.
Finas camhrai.s transpirares a 35 a pepa.
Saias brancas com babados frisados $ 30QO
nma.
Cortes de orgaodv brnci a 3f.
Isio s na ra do iJvramento u. 30, loja de
i Faria & Lossa.
- Vende-se a lavornada rua das Cruzes n 6,
propria para principiante por ter poneos fundos,
e por seu dom ter de retirar-e para fora da pro-
vincia : a tratar na rua do Calabouco n 4, ta-
verna.
Banliosem Olinda.
Camisas e calcas de fazenda de boa qualidade,
proprias para os banhos cm OLiuda : na Joja dos
arcos rua l'rimeirode Marc (autiga do Crespo)
n. 20 A, de Gurgel do Amaral 4VC.
Vende se a taverna da travessa d) Livramento
n S8, bem afreguezada para a trra, e eom pou-
eos fundos : a tratar na mesma.
\
/;
f?
e de porto,
barris com carne de vaeca e de porto, salgada,
para mantimentos de navios: no armazem de Tas-
o Irmaot & C. rua do Amorim n. 37.
(Jueij^s do miiw
Van'lem-se ero porcSn p. h rctaliio Amorim &
[C.: rua do Rangel n. 49.
Gallado estrangeiro.
Aproxima se o mez de dzembro, tempo em
qne o Pars na America, rua Duque, de Caxias n.
59, i. andar, tem de dar p seu balance, por, este
|.motivp, os propietarios deste estabeleciraento es-
tao resolvidos a venderem seos calcados pelo.cus-
to, afim de minorarem o trabalho; assim poi's os
apreciadores do bom, e com especialidade o sexo
amavcl,,para qnem o Pqiis ua Amrica, conserva
(com a devida decencia) o sen gabinete reserva-
do, para a eseolha .de calcado, aproveitem e ve-
nham numjreni-se do que preci^arem,
iN"ova remessa de cha, fumo
e rap.
Amaral, Nabnco 4 C, venden) ol prelo e ver-
de, fumo inglez para cigarra o cachimbo, e rap
franceze nacional : no Bazar Victoria rua do
Baro da victoria n i'. >
~ Alicnta?! ^
Aos a:n!-:s ilo hom e barato.
Grande liqui faltas, na antiga loja do Papagaio, rua
da Imperatii/. i). 46.
Os proprieta i i- n, deslc eslabeleeimento, dee
jando vender per menos da 500|0 doquo cm ou-
tra qualquer parte, taz-?m pu.bli.co s Esmas. se-
nhoras e soshori'- que desojara fazer boa acqai.-i-
Qio deiazendas 4'.' como de grande, npr^o de r'^pjs feitas, vennam
ou maiiJem na luja, porque a.di'nheiro torrase
por todo preco : rua da !ni|catriz.n. 40,
BICHAS DE HAMBRGO
As mais recentes o melhores.
Vendem-e rin pharmaci:i edrogaria de Bnr-
ibolunuii tfc C, rua Larga dosario o Rn. 3i.
sEliRKDO ECONOMA E CELKRI1UDE.
Obtem-se com o uso
DA
1HJECCA0 SHOST
nica, hygienica, radical einfallivol na cu-
ra das gonorheas, flores brancas e fluxos de
toda especie, recentes ou ehronicas; e que
oflerece como garantia de sal utares resultados
a continuada applicai^o que sempre com a
maior vantagem se tem feito della nos hos-
pitaes de Varis.
ntco deposito para o Brasil, Bartholoraeu
'& C, rua Larga do B osa rio n. 34.
Xaropc d'agro do Para
Antigoe, conceiluadn. medicamento para
cura das molestias dos orgaos nspiratorios,
orno a phtysira, bronr hites, astlima, ec,
api>licaao ainda com ptimos resultados no
esforbtito.
rs. e 19000.
Ditos da merino a Wb, 39, 4 e 59000.
CAMBRA IA BRANCA A 39000.
Vende-se pecas de cambraia branca trans-
parentes e tapada, a 39, 39500, 49, 49500,
59 e 69000.
SALAS BRANCAS A 29000.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhoras, a 29000 e 29500.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets pretos de seda para ho-
mens, a 500 rs. Chapeos de palh, pello e
massa, a 29, 29500, 39000 e 49000.
MADAPOLO A 39000.
Vende-se pecas de madapolao enfestado a
33000. Ditos inglezes para os precus de
49, 49500, 59, 69600 e 79066.
ALGODAO A 39500.
Vende-se pecas de algodao, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 19666.
Vende-se bramante com ?0 palmos de
largura para lencol, a 19600, 29 e 29500 o
metro.
GRANDE LIQUIDACO DE SABOXETES 280 RS.
Vende-se urna grande porcao de sabone-
tes inglezes, a 206 rs. Ditos francezes c:m
cheiro a 320 e 500 rs.
Agua de colonia, a 200, 320 e 500 rs. o
frasco para liquidar, e outros extractos
muito barato.
!EI
N. 4Rua do CabugF. 4
JOSEPH KRAIJSE & C.
i
t?
GOMES DE NATTOS i IRHAO
Avisam ao respeitavel publico desta cidade que o sortimento de joias, de subido va-
lor, que existia em seu eslabeleeimento, est completamente reforjado com o mais efe-
gante sortimento de novas joias, que reeeberam directamente pelo ultimo vapor da En
ropa, constando elle do mais variado sortimento de aderecos Boulevard, pulseiras dr
ultimo gosto com pedras preciosas e sem ellas, brincos d'argola, agrades para relogio df-
senhoras, delicados aderecos para meninas, meios aderemos de camafeu lindissimos, voltas
de nogordios para senhoras, correntes inglezas de ouro e de platina, variada quantidad"
de boies para punhos e peito, com emblemas maeonicos, de nix, tecido de ouro, cama
feu, etc., brilhantes monstros de rarissimas agoas, em anneis, rozetas, pulseiras, alline
tes e botoes, e outros muitos objectos de ouro do melhores fabricantes de Pars, que se
vendero com grande redcelo de precos, por serem ellos recebidos directamente de seu-
committe,ntes.
Os proprietarios do acreditado MUZEU DE JOIAS, tendo seu eslabeleeimento abert.-
at 8 horas da noute, convidam as familias que se quizerem prover de lindas joias, ?
virem escolhe-las vontade, para o que esto em exposiro nos mostradores.
Bous lerreiios.
No lugar denominado Salgadinho, e junio
a estaco da estrada de ferro de Olinda,
vendem-se bons terrenos em lotes ou poda-
dos a vontade dos compradores, com a fren-
Boa acquiSJCaO. t Para a mesma estrada e os lados para
Vende-so nm.i pane dA-nsa eSitio da Ponte outras, e beo assim urna pequea casa de
da choa, entre os Htiof dos Srs Dr. Bejiio Cesta ''P1 uellos situada.
Merides, arantlndo se a venda da outra part-1 Estes terrenos lem differaitcs arvores de
pelo respectivo cd-prnppietarib Y a Iralar n rua fructo e sSo ptimos do plafitaclo e ven-
Pnmciro de marco, 12 n. I. andar, esccintono. j ___!L u J- n
i dom-sc por probos barattsstwos. Os pro-
tendentes entendam-se na thesouraria das
loteras.
-r- Vende se a casa terrea confronte ao sitio do
brigadeiro Joaquim Brnardo de Pigueiredo, sita
na traversa da strada de Joa/i de ftyrqs, entrada
do Lccco das Almas, edificada iba ponc lempo e
cm solo 'oreiro: para ver-se tratar na mesma.
Vende-se a jrmaMo da loja da iratWldo'
Duque de Caxias b. ifc toda nvidraca^a e pro-
pria para qualquer negocio: a tratar ha njesma.
Vende-se umraix'io grande de amostras par..
taverna, 2 flteiros para sigarreiro, 6 taboas de
louro de 2C palmos cada urna, propria para soa-
Iho, tudo por prc) commpdo : a tratar na rua
do Viseando de Pelotas n. 19, outr'ora Aragao.
Continua ".giila a ecrava Maiia, cora os
signaes segnin/' : oir parda, baixa, mal fetta de
corpo, barriguda, cabellos carapinhos,usa aparados
e aborto ao mpio, rosto comprido, sempre ver-
melha, falta do ous denles na frenle, toma
muito rap e usa sempre traze;lo 'um chumpo ao
seio, maos e ps curtos, tendo os dedos qua?i
iguaes, prineipalmento os dos ps, beata da
Penha e finge-so muito religiosa ; consta eslar j
na Capunga como ama n'uma casa de familia :
protesta-ge com todo o rigor da lei con:,-a quem
a ti ver acoitada, {uzeado pagar os dias de ser-
vico e o prejuizo quo lea, causado. Boga-sa a
autoridades poliejaes que. a pprehendam, e le-
vem rua dalmperatriz n. b,,auu>lt surao bem.
recompensados.
i i i "
Mww.
Saccas cot !2 coja* a >3000 : P.r neo cta Gu-
nba 4 C., rua da Moods n. 47.
TASSO IRMOS k C.
Em seus armazeus rua do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por presos commodos
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descarogar algodo.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cera.
Sag em garrafoes.
Sevadinha em garrafSes.
Lentilhas em garrafoes.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Parto \elho engarrafado.
Vraho do Porto superior, dio.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Potes com linguas e dobradas inglezas.
Licores finos sonidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toucinho inglez.
Barris com repolho em salmoura.
Aguas miiicracs
Acaba de chegar um completo sortimento
das aguas de
VALS das fonles
St. Jean
Dominiquo
Desire
Rigolette
Frecieuse
Magdaleine
VICIIY das fnntes:
Grande Grille
Celestins
Hauteriv
JIquital
fesdames
Chateldon.
PASTILHAS DE VICHY
No deposito geral em casa de Harismendy
& 1-abille.
da Rusia verdadera em mems barris, desembar-, a nni nn rnumnno n
c,i avile Jas: MariaPajBsw, rua do Bispo Su, 'Vende-se a casa da rua da Coneeicfo n. 13,
Cat
do Ru de Janeiro : vende-se rua de Vigario, ar-
mizeei n. 1G.
J. 0. C. ovle.
Tem para vender :
Cognac de Renncss^, superjor e verdadeiro.
Vinho Xeres d^s melhores qualidades.
Bittws de Angostura.
Whisky
Cli prete em laltas de 10 libras.
Tods as preparares chimicas do Dr. Ayer: no
armazem da rnl do Commercio n 3S.
a
' V^nde% um poreo muito novo
urna catira bicho muilo boa de lelln i
ra do Vimoade de Goyannain. 141.
gordo 6
tratar
ssa
Wha i. 9, oalr'ora .Encantamento.
'solofdreiro : a tratar na mesma ran l.
COMO SlO LIIXDOS R
Os loques todos de madreperola,. brancas e d-
cres o que trazem o disticoUNIO em Jettrj,-
tambem de madreperola em alto relevo, lor-
nandose por fslo apropriados para noivas, a NO-
VA ESPERANZA rua buque de Caxias n. 6-i
(antiga do Qa)ado) que os tem.
Sao de tartaruga
Os brincos, broches, meios aderemos, cruzas.
coracSes e cassoletas, qne eslo oxposlas a ba
escolha das Bxmas. (amantes do ehiqne) vende-'
na Nova Esperanca, na Duque de Caxi.i-
n. 63.
Aos meninos
A Neva Esperanza rua Deque de Caxias n.
63, acaba de receber um lindo sortimento de be
ecas de umitas qualidades, vindo enere lias as
eugracadas bonecas de borracha, assim tambem-
urna pequea quantidade de bonecas pretas que
se tornam apreciadas pela sua novidad;.
Ebem til
A.Nova Esperanca rua Duque de Caxias n.
63, tecebeu verdadeiro cimento inglez, prepara
cao para concertar-porcelana bem til.
Vestido perdido
'Mutas vezes um vestido torna-so inteirauente
feio,.somente por eslar mal enfeitado : a NO* Es-
peranca A "rua Huque de Caxias n. 63, icmove
este mal ; porque est bem provida dos melhores
gajes e franjas de todas as cores, onde pode es-
colher-se vontade sobresabido entre estas a-
modernas franjas aiBgjjeas, quc-pala k. varieda-
do de cores, ftea bem em qutei todas as fazendas.
A ella antes que se acabem.
Cabellos breos s tem. quem
quer
A Nova Esperanca rna Duque de Caxias n
63, aeha de recebar verUndfllre tintura de Des-
nous para tingir os cabellos, o que se eonsegue
(empregando-a) eom mura facilidade, e por esle.
motive, cabellos'brincos tem quem qner.
Estuo na moda
Os cintur5es de couro, proprios para s?nnora<,
qne rebaben,a Nova Esperanza tu aquedp
CaKia,n,;63, es|ao>sim,,1scnbora, esto na ntodW
pe queris ter ou preparar.un ramlbste
chfirosoa eravos bFaneos-para o vosso casuneilto^
oa para ootro fim apnDmipdo, necessario ir
Naya Esperanca rua Duque de Caxias n. 63,
quB affi elieontrarels os memores portt ^twueH
q.ute seple'ttesejar.

Ditos de buho a 59004.
TOALHAS Ai 800 RS-
Vande-se toalhas para rosto, a 800 rs. .
IjJOOO.
GRAVATAS DE,SDA PRETA A 6p0 B*
Vende-se grvatas de- soda preta, a 60
rs. cada urna.
CHITAS PARA COBERTA A 280.RS.
Vendarse cbita. para coberta, a 280 e 3%-
rs. oceA-ado.
BONETS PABA MENIKOS A m*Q
Vcode-se l-onetes para meninos, a ljpJ>?t
ESPARTLHOS PARA 8ENRORA A 3tm
Vende.se esparulhos para, senhora.
3JS500.
A 800.RS. O GOVADO.
Vende-s&franadineaerm listresde seda
para vestidos di senhora, a 800 rS; e IPOOf
o covado.
COLCHAS DE CROCHET A 6J000.
Vende-se ricas Golehas'de crochet para c*
masa09000.
PANNOS MvGRGGHrT A 1#500.
Vende-se pannos de crochet para cadeirns
a 1,5560 e 2JJ000.
CASSAS PABA CORTINADOS.
Vende-se pecas de cassas para eortinarios
com 20 varas, a 1OJJ000 e 12#000,s ewtra
militas fazendas em liquidarlo.
'%
I
,1
f
r
.

V.
i

S.



*r

1
Diatu> & I&73.

DE HOWE
JOSNMU
S0A1RES LEIIE, IRMAOS
NIGOS AGENTES
todo Bario da Victoria o. 28
U maie simples., as mais baratas e as melhorGs do mundo!
Na expsito de Pars, era 1867, foi concedido a
Elias:Howe Jnior, a medalha de ouro e a condecora-
re da Legio de Honra, por serem as machinas mais per.
feitas do mundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Jnior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
4 medalha de ouro na expsito de Londres acreditam
estas machinas.
'
HOJJi
MAacmo mas n. s
it
JUCO
Este esUbelocimenlQ sbinnre solicito, om offerecera concurrencia do respeit
o uui comerte- sorlimemo Jo u'^leus, al$*do fra ice/,, chapeos o quinquilharijs
rih o* mili r,!/.MV);is po'ssiveis, para o que recebe qiiasi todos os seus artKOs
^tgua. florida, (fe Gisla^n,
para fazer os cabello pre-
tos.
A 908000
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
'ork., estabeleceu nesta cidade ra do Baro da Victoria n. 28, um deposito e agencia
reral, para em Pernambuco e mais provincias se vendercm as afamadas machinas de eos-
'. ara de Hbwe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeic,o de seu trabalho, i
mpregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de linhaque qualquer outra,
Dla introducc/io dos mais aperfeicoados apparelkos, estamos actualmente habilitados a ;
fferecer ao exame publico as niclhores machinas do mundo.
As vantagens tiestas machinas sao as segmntes:
Primera.O publico sabe que ellas seo duradouras, para tslo prova incontestavel, a
-aroumstanea de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
da- mo.
Segunda.Contem> o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira*Ha nelles menor fricro entre as diversas pojas, e menos rpido estrago
que as outfas.
Quarta.Formara o ponto como se fra feto mo.
juinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu
*s outras.
Sexta.Fazem ponto miudo era casemira, atravessando o fio de um outro lado,
logo em- seguida, sem medificar-se a tenso da linha, cozem a fazenda mais
Stima.O compressdr levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
w agulha ao comecar nova costura.
Okatai Murtas eompaoliias de machinas de costura, tem tido pocas de grandeza e
'cadencia. Machinas outf'ora populares, sao boje quasi desconhecklas, outras soffrerara
nudanoas radicaos parupoderem substituir: entretanto a companhia das machinas de Howe
optando a opinio de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
'Dementado o seu fabrico, e hoje ne attende a procura, posto que faja 600 machinas
>' diai
Cada machina acompanba livretos com instrueces em portuguez.
A 90^)000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS I
A'
do Baro da Victoria n. 2 8.
speitatel pu-
quilharias a
r. todos os seus artigos de).pro-
pna eiicomiK.nda da Europa e America, vpin Ar pubfiwdade dealguns artigos por cujas
Tccfis bem se pode avahar os precos de outros .uitys que se lornaria, en'fadonho puT
MIUOEZAS. I MUiDEZAS.
Li.pM6 jMfdar., da mlltor.. quaiijado, i Brincos dito_dp ditQ por 29500.
ibra por api, i BotOes de setim pretos e de cores,, a 8Q0
Agulhas francozas, f tmdu. dmutedo*. a cai- *i5 1*0^0 *W*r
uuh eotn 4 papau ai(iO i Voltaa do fi.ta.du yoUuvu cern iiidasco- &ura.s a 1$0*00 e JWOO o metro,
ages fingilo mWtepe*da* tio&fl.rs. ^^ ^ C(>rcs e pretas a800 rs. e ,i|H)00 o
Volus.parae poseoco, iiugiudo camsftu, ilH^r']-.
oor.<.pacliadas com i par ."de brincos some- aloes pretos de sede, de muto gosto de
haute, todo.por 2$o00. 800 rs. a 1-J00Q 0 metro.
Einli*. branaa. de 00 jardas em cerriteisJ CABIDO FRXNCEZ.
propia para costura de machina, a 800-rs. Botinas pretus jaspeadas, para seniora, a
j .luzia. i iQ0 opar<-
DUo de dita de Alexaudre, numera^o a I D&k u*tns- <& duraque, gaspc.adas, canno
: osto do froguez, a ,3tO. a duzia. alto, a 53*00.
Diademas dourados Ditos de tartaruga com llores a $?00. WOOO.
Ditos com borboletas a IjPaOO. }^s lliu d cores, canno alto.enfehadas,
Brincos encarnados 1 par por 500 rs. a 5$>O0,
Dito* de plafint de 500 rs. a 2-7000. ,,llas Par euinos, pretase de cores, a
Ditrjs doura Voltas de aljofares com brincos, 2500. m,ra riarlt, tapete e transa, mais barato
Ditas de ditos cjm corceos-a ij?000. ^ "/ do queera outra quaiquer parte.
A aguia branca,.a mu Ducioe de Ga & SO,
aba, iie.recbar.nuva rtmesaaai aprciaM:l agua
florida para fazer os cabellos gretos. O bom .re-
sultado coHiido por quein terri felto- uso dessa
inofensiva pieparacao a tem altamente conceitua-
flo.fl por iseo apenas se faMerabrar a.quem no-
vamente deila precise e queira se aproveitar de
sua utilidade., Tanibern veio ama de topas e
oleo florido para o mesmo uso; e tao acrediudos
gomo aqik'lla.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de cores.
A aguivbranca, i ra do Duque dj Csxia* n.
SV recetoau novas e bonitas voltas e brincos de
groso.- Ijofares de cores, e eomo senipre conti-
nua a vende-las pgr prego conunodo.
Novs diademas dourados e
PILULAS
YEGETAES
Ditas de ditos de comas riMfc'cassoitas, a
OO rs.
Hosetas de pl.iqut a 15 e l?50BR o'pnr.
'IravaUs de seda para senliwns de li?200
i 23000.
"arares com 2 lac*)s para cabeca e peito
CAl'KS.
Hcais chapeos de palhu d Italia, para se-
nhora. a MC000.
Ditos dilus palha escura, da.ultima moda,
a KiCWOO.
Completoserlimcnlouetiia(iinbos [jara
33 e 43000. j meninas e srnboras, de-238S0 a 55100U.
khitremeios e liahadiidlos bordados de 360 i ("-l"Mos de sol de sede, inglezes, cabo de
. 2900 a peca. ; rnarlhn a H.S0O0.
jiloes de seda braneos e de cores, de! Ditos ditev Je merino, cabo de metal mui-
15500 a 23500 a p*e>. '" li Ditos de algodao e sella, de 13 a 134001 L,'lus diu> ^ seda para senbora, cabo de
, pem, jmadeira.a CjOOt.
Ditos de algodao, a 100 e 500 rs. a pece
com pedras.
A agnia branca, raa do Duque de Caxias n.
b0, receben novo sortimento de bonitos diade-
mas- dourados e com pedras, tanto para meninas
como par* senhoras.
Colleccoes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, ra Duque de Caxias n. 60,
receben novas cdlci-coes ou normas para as crian-
cas apronderem a escrever por si mesmo, hoje tao
usadas as aulas e collegios; e como sempre ven-
de-as por preco commodo.
Meias cruas finas para meni-
nas esenhoras
A toja d'aguia branca, ra Duque de Caxias
n. fO, recvbeu nov sormento daquellas lio pro-
cu radas* meias cruas par leedora, vindo igual-
mente paca meninas, e contina a vende-las por
grecos cuminodos
Veos ou mantinlias pretas.
A loja da aguia branca, ra do Duque de Ca-
lina n. SO, rocobeu bonitos veos ou manlinha--
pretas de seda com llores, e outras a imitacao de
croch, e vende as pelos baratos precos de 3i,
Trancinhas de cores, a 100 e 500rs. a
peca.
fleques de marfira a 59'e 83)000.
Ditos de sndalo a 43500.
Ditos de madeira imitando, a 2?00u".
Ditos de papellesa 13800.
Coques para senhra,' a 3??, 33500''e 4.
it.is iliie cabo de marlim a 03000.
DI.VE8S AltTIGOS.
Granadino para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, corn.listras de soda, a 650 o co-
vado.
Pannos de crochet para cadeiras, s 3800
e 23000 cada um.
Ditos para sof, a 33 c 43000.
Aderccos fingindo coral, eompondo-se de Toalhas delinho par rosto, a 13300 cada
dfinete e brincos por 2&000. ama.
Dito dito prctos por 23500. Ditas de algodo alcoxdados, a 640 rs.
Ditos de pfquct, compondo-se de arfinote Collas de Crochet para cama de casal,
e brinco, sendo de muilo gosto, por 53000. 63000.
I
/Ic/Zoc
PrKOk'CO rCL*' SJlCtXI lltPCr.ttL oe tecriN
tm 11 deitmbro de 18(9
U-----hLXr
I
'APIS
56 aRa do Mrquez de Olinda 56 a
(outr'oru ra da Cadia)
LOJA DE MACHINAS
Setido esf aritigo estabfel'clmehto assaz condecido como principal e recommen-
dado pelos glandes depsitos o bbns ^ortimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e vcrdffdeiras niachinas amcrcauas para alg*-
d&, desd 10 C .icrrai, e Ha vendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e mlHbrarnentos para perfeito e rpido descarocamento ; tornam-se dignas de
serem vistas.' e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quacs, alm disto, encontrarse
tambem mais :
PARS

fMt
E'sobretudo s suas-propriedades eminentemente absonentes,
que o (orvso de Beiloe deve a sua grande efflcacia. Recom-
menda-se-o especialemente centra as afFecge seguintes ;
GASTRALGIA
. DvSf-EPSIA
PVftOSI
\hk
OIGESTfiES DIFFICEt*
OfiRZS de estomago
cdirsTipAca
CLICAS
OlARflHCA
OTSSENTERI
CHOLERINA
RODO DE EMPREGO. 0 c.^m de BeliM (CauaaieKIbc)
toma-se antes ou depois de cada comida, sob forma de ti ou de
Pslilhu. Geralmente o bem estar nte-se logo ^depois das pr-
meiras doset. Lina iuforroacao entensa acompanha cada vidro
de p e cada caixa de pastilha.
Deposito em Par i t., l* FBERE, 19, rae Jacob.
PARS
pars
Apudos'VXPOtts LcoiWvEts, deforca
de 2 Vi e 3*/i cavllbs tnl tbdos prthQas
precisos para trabalharera 4 machinas para
algodao, o'pSra 'otftWqtialquef rhlfer.
Machinas para lavar roupa.
Arado rtirlcs para vrea ldei-
ra.
Cafros d rxiSOpar 'attferTds.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro eslrih'do.
Ditos cqj vlvlap'r' TavTros.
Dtos de madeif'a p^'r' compras.
Apparelhos para' jardn s.
Guards-comidaS; |
Tampas para chrr' p ratos.
Tarrachas para fazer paramzs de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Temos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para padarias.
Pertengas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinbos de diversos fabricantes para mi-
lho e caf.
Debulhadores para milho.
Azaite de spermacet para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Catinos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Trens para cozinha. .
r Emfim muttos outros artigos, que savista e n'este estbeleomderaoentp'
-laminados.
stio
S"
R.A do KftVno l; 31 6 4( ('Os;rtt.ritarioit^1U6diC8o #^r*l for>
_ r 'n '"' steete* aftl eaihore*.da eagenho a mus
FAto ou>r *<*, sM.fa9aufw,qgiiin peaisoas, que ten tabelecido, oma fudi-
'^ici'defitfwWorf^ra.ToA'tjo-Af.mlor: qtfaiquer.ojra dft'ifo'eo'mtnaoaa eoni'^frMi
JsftXiowB!htiB*.-j r. o-Bwmosor- $to e promptldSo
tmenlo do coiuu. ,, 4i stmtms rMam pessqa qua. qjjei-,
raiem setenw ttmtciqBe team wito on> m atiUsar se de seu servicos ,d deua-
iII?D^COID an*^' ceral- P6'0 que Pi>- ra'm as emomrbhdas eoi eS ds SrsTJ-
JJ^CBCer **** as88a1*' qoalqubr muel Power Johnston & (', a ra do Apro^
maOBlDiso euiHK Karanli-lo. lo ik 38 e 40, onda Beharao p**oa taabinV
tada com quem posatu enleodar m.
Apparelbo 4*a s.bncar assacar, do uraiama.
WKSTOiN rfiSTREFGAL
Unicui entas eu Hc-cnamnaco a fdleao peral.
,Para trafar m a**u scnj>iori a ruado Apello a. 38 40.
ja
US'
o mAi tQwmmoso
TNicafc1 FEBRFUGO
PAIMUP* rtl Lt AttMl* Mfc**lMl, f A'*!*'
Ma
Om
auissA
LAROCHC
Premio
n
vmv
kumr Toiwco, wmmpo, PTfFlOrt* RJEPARADOR,
Experimentada com pleno; rapato MVi$m^^ di Quina) urna preparact tftagri^im,fWr|f|p^^^
conieguinte u peasoai ai mal intolerante tos,paladuei oi.aai delicada, pi am t
multo aoce nem multo vcoa, sendo de aaHmffifafnnlUM mmm.9mWm
Uroveito doi cawi da : ,*&&,, Mt^^^m^k^mt^^ nmmm*-*mim,
magra*, futi tan causa apparenU., llHajllimill \i......i^l>, charro U*Cf>htia>
E o upaanco x> mousiiaj niau,
W\k URutHE PERITO _
Uuial Uia u irneJida til erro et k
i1 'i liiil'll' I ti i'nll,',
EM PAJUZ,
15, me Drouot.
|iijuii;tii.finii j -
"ft'iOi iiu ln>i i*.
nico oposito pharmaca'de^'Maurer V ritf'do t^ar'Jo if'Wt'


ht > i,SOOO. A fazenda boa e est em perfeito
estado, pelo que contina a ter prompla extrc-
eao
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nhotos dourados e coloridos.
A loja da aguia branca, ra do Dnque de
Caxias n. 50, receben novos grampos com bor-
boletas, bezouros e gafan hotos, o que de certo
perfeita novid de. A quanUdade pepuena, e
pi"ir isso em breve se acabar.
Novas gollinhas ornadas com
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca rea Duqne de Caxias
50, recebeu urna perjuena quantidade de boni-
s e novas- gollinbas, trabalho de l; e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de rauito gosto
e inteiramentc novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia hranca, ra do Duque
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assira como
novos diademas de a<;o, e cerno.empre conti-
nua a vende-los por precos razoaveis
Caixinhas com pos dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca ra do Dn-
ijue de( axias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, ra Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu novo sortimento de luvas de
pellica, pretas e de outras cores.
BR.rTOL
Lns befes sodios e saos
lima digestao'vigorosa,
Um excellente ppetite,
sao alguns dos beneficios quo se podem de-
rivar, fazeudo seura uso-regular Pllulas \<><- Urna cura certa eefficaz dos intestirioj,
Ui remedio adtwiravel para os rins,
Um tnico poderoso p*arn n estomago,
SSo as inapreciaveis qualidrdes medicas
que se podewewontttrr, usndole dos
PIhIm yegefaes de ff'i is,(ol.
Urna medicina que no prodt /. dies nem
clicas.
Um purgante que nao debilita nem en-
fraquece.
Um laxante que nfio causa a menor
nausea.
Formara uirwdns malta*! virtudes qua
possuem a s
l'ulas vegetaes de Bi*is>f.
Um medicamento suave e favoravel para
o bello sexo.
Um correctivo srguro dos desairanjos do
systema.
Um remedio completo o seguro para as ir-
regularidades.
Sao os effeitos sem falta, resultantes do
usoe emprego das
1'ilulan vc^ctaeti de Brlsol.
Urna complcicflo clara, alva e transparente,
Urna pello macia edetieadixe um
Hahto doce e grottwct.
Sao os resultados certoseinfalliveis, de-
pois de se
haver tomado algumas dses deste
mel bordos
Bemedios as
l*ula vegetaes de lli i? fot.
Km todos os casos de molestias Turna na-
tureza escrofulosa, ulcerosa ou svphilitica ;
ou quando i massa do sangue e baja tor-
nado turva ou viciada pelo uso de ferro,
mercurio, oirpor outra qualquer substancia
mineral a
SalMaparrilIa de Klrfool.
dever ser usada de conjuncto com as pilu-
las, e assim obrando-sc, em restricta eon-
formidade com as direcQes inscriptas no
envolto; os doentes podem '.car certos que,
urna vez usada conjunciamentc urna com a
outra, nenhuma enferinidade od molestia,
por mais severa ou arraigada que se ocho,
nao poder resistir ao combinado poder se-
cretorio e sanitario destes dous
BRANBES, IHGOMPABAVEIS
Ambis estas medicinas acbam-se venda
em todas as principaes boticas e
1 jas de drogas.
Aoha-se a venda em todas as boticas.
H. Forster & C.
AGENTES.
DE
FAUNAS FINAS
RA PRIMEIRO DE MAKQON. 7 A
B' esta casa, sem duvida, urna das que hoje pode
com primazia a presentar aos seus freguezes um
variadissimo sortimento de fazendas finas para
grande loilel!e,ns>im como para o uso ordinario de
todas as classes e por pregos vantajosos para os
compradores.
Os donos deste importante estabelucimento con-
vidam ao respeilavel publico e pai ticularmente
aos seus freguezes a darem um passeio por seu
estabelecimento, a alim de verilicarem a veracida-
de de seu anauocios, e com vantagem supprirem-
se do artigos que llies forem mister, de cujos
fazem um pequeo resumo.
.Mandam fazendas s casas dos pretndeme,
para o que tem o pe.soal necessario e de amos-
tras mediante penhor.
SEDAS
Cortes de seda de lidas cores, grosdenaples de
todas as cores.
Gorgurao branco e preto.
Setini Maco preto e de cores.
Velludo preto.
Grosdenaples pretos o de cores.
Granadinede seda preta e com listras e lmas de
cores, {indissiinos padeces e fazenda de ultima
moda.
Fil de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Colxas de seda para noivos.
Mantas brasileiras.
Corten de cambraias branca com lindos bordados.
Capellas e mantas para noivas.
Poupelinas de lindos padroes.
RequiSsinio sortimento de las com listras de seda.
Catbraias de cores,, ditas mariposas brancas e de
cores.
Naauck de lindos padroes.
Baptislas de padroes mui delicados.
Percalinas de quadros pretos e braneos.
Brins de liaho de cores proprios para vestidos.
Fustdes de indas corea.
Casaquinhos de las de cores para senhoras.
Sais bordadas para senhoras.
vestuarios para meninos.
Ditos para baptisadss.
Guapeo para ditos.
ToalMs do cambraia de liuho exu lindo bor-
dados.
Frouhas bordadas. *
Colxas de Ufe
Cortinados bordados.
Camisas bordadas para homens.
Meias de cures para homens e meninos.
Cbapos com castao de marflra para homens.
Ditos para senhoras:
Merino de corea para vestidos;
Dilos pretos.
Caseroiras, chitas, madapoloes, cambraias etc. ele.
na, loja do Passo na Primeiro de Marco n. 7 A,
'autiga'ao Crespo.
DE
Cerdeiro Sisndes 4 C.
ei sida apsciitoila ao ;;illico
Durante o espado
4 0 A N N O S.
UE
RBIST0L
$**> -


X

r f

: fcf ?
i*-''(
i,
.',.,
'r---fH.-
<:' -
Ul-^^SM^r'-KK-rfli'*--!
I.'-"
t*f
i, t- K
tUKlW'
i
11
AnnaiCHi do k\m
iWa da' Maifre1 de Deus n. f0 A.
los Domingues do Carap e Silva participa aos
.peuai fre*mas o atnip qoo na seu armazenj a
.da.Madre d Dwih. 10 A,,se. acha,um cOm-
d.surtimp.ntn de fnmoem fardos de patente I.1
sprtimentp de fumo em fardos
. 3> sortes, dos melhores fabricantes d Sabia,
' tieni assim a. flor- de to os fainos de eteMaf
envrolos, paeotes, tetas grandes e pequea^ tam-
ben des mui acreditado (brioantes Torres A
- Sciynd_.&.C.A turar
moa) e de outros ainde nao oonhecidos pelo
pvblioo desta capiul. O annuncisnte declara que
lado fumo que for vendido em sua casa ser pelo
seu justo valor, e que quando garantir a reaMcti-
ya qualidade, sera siacaro, mni particularmente
1 cora as pessoaa que pondo entendam da materia;
pois para bem servir a todos, tem o annunciante
a ionga pratica de 15 anuos deste commercio.
.%auio, Uiaur-i Adplpho Schmdt A C., Li
Std'& C.rVilSs $ Araulo, Tt^ndade, A'
ti&TTefxelra Pfnt-4 Portelja (girentidO; j
O/:
|f3
CURA OS CASOS MAIS 'DESESPERAD*!
A SAFSAPARRII.HA DE B1ISTOI. puri-
fica a massa do sangue, expeli para fra
todas as materias e fezes viciosas c imperas,
regula todas as secreQoes, d vil didade e
energa a todos os orgos o d forra e vi-
gor ao systema afim de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enfermi.lade. E'
pois este um remedio t&tultocienal. F.ll*
nunca distroe afim de poder curar; porm
constantemente assisie a natureza. Portento
em todas as doencas constitucioniiea o em to-
das as molestias locaes dependente d'utn es-
tado vicioso o imperfeito dosyslen nemje-
ral, achar-se-ba que a Salsaparmmu de
Bristol ura remedio seguro e e!i ississi-
mo, possuindo inestimaveis einconi'-taveis
virtudes. .
As curas milagrosas de
Escrfulas,
Ulceras,
Cliagas antigs.
ENFER.MIDADES SYl'HIl.nCAS
ERISIPELAS,
RHEUMATISMO,
NEVRALG1AS,
ESCORBUTO,
ETC., ETC., ETC.,
que tem grangeado e dado o alto renome
Salsaparrilha de Bristol
por W)4m partes do universo, sao to so-
mente devidas f
NICA LEGITIMA H OR!<,I\ U.
Salsaparrilha de Bristol
IL Forster t
AC.lVEES.
HA IPlUBMAlCIA (^.VrilAL



Agora sim f
A rosa branca receben um lindo sortimento de
cbapos de se* desada cobi o rabo e ponteira
branca, os mais modernos, que pareoe marflm,
com o guardronlas de metal, a lOi, todos ven-
dem por 1U : na ioja d qua tro portas a ra da
mperatrii; tf IW.
Ultimo gosto!
A rosa branca rewbeu um mdo sortifrrfmto de
chapeos de sol de seda de todas as eoies para
sennora, os mais modernos, e vende por 5:00#,
todos vtsndem por'MOft:: na leja da cuatro por-
tas roa ida Imperatriz n. Sfi.
r,----------------

Verdadeiro biter heaperidir a, superior e acre-
ditado : i vende no armaxem de Tasso Irmaos fi
Q. roa do Amorira n. 37. ^^_____
gua-Fria.
Vende-se em terreno em Agua Pm- junio da
casa1 que foi da Bxm. Sr. Mola, tendo o dito ter-
reno W0- palmos de Irente <47 d fundo, todo,
cercado : a tratar na pharmacia americana,
roa Duque de Caxias n. 57.
na


8
Diarii de Pcrutmbuco Quinta feira 18 de Seteiubro 5e 1S73.
gf1' J '...... m i I n... n,i ,mm< !!< ..I
I "! .1 | I I |l | I.
UTTEllATRiL
,v
geul Tarte.
Recitada no espectculo acadmico de ii
de agosto.
l'm pensameto profundo,
Vasto, vasta como o mar
Agita oseio do innd*i
I", un mundo tenia crear I
Nos rumores da procella
Camnha levan o a estrella
Das mantos do ideal ;
Com o po da arttiguidade
K'ge uin prnipl a liberdade,
Epara a vida um phanal.
Tcui seu (-orujo luzoqte
Do mil poemas de amor.
Faz a tela omnipotente.
Do granito um sonhador.
O livro esso (luido santo.
Que arrebata n'um quebranto
Todos os peitos p'ra luz,
' seu filho abeiigoado
r Atalaia deno Das popas da oruz.
Que a humanidade se espante
Ios phantasmas do urna f,
Dosenba n'alma de Dau'e
Esse inferno como .
Que se mostr 'ipaixonada
IVln frescor da alvorada
DVssescos que uo (itou,
IV.ahrooham as leyendas
Sent o perfume das lendas
Ossian diz :=aqui estou I
INSTRICQO QBRIGATORLC Hft tri- depois rnotiwa fastas e procisses anouaes.
bunal Criminal ourt omm condemnados Deu-se-lh* o seu festina no Capitolio ea
Sarah Robiusou o Willism liockoanulta rjconciliacSo t^rmin^tt em roda de urna me-
de urna libra equatro shillings, alm -das sa bem servida
custas, por serom rebeldes em manilar sAs
filhos escola primaria. TRATADOS. 0 Economista de Italia
Hook deendeu-se dizendo que era perse- annuncia que a Mafia e a Allomaba assig-
guido por nlo ter querido mandar seu filho ntram no dia 8 Je agosto duas declarares,
escola dos jesutas, e logo que fra ntima- urna para a al.nisso reciproca, nos dous
do a responder, fizera cora frequontasse a escola. ras e in lustriaes^e a outra pronunciando a
A desculpa nao foi attendida. abolir dos pasaportes entre os dous paizos
Como os reos notinham dinbeiro para e regulando os soccorros que se devero darposltor em pbilosophia e em direito.
pagar, foram con luzidos cadoia, ende respectivamente aos subditos pobres das^
permaneceram cinco das. raesraas nacaos.
A Italia, a Allemanha e a Suissa assigna-
SOBERANOS FALSOS. Segundo dizem rara ulna convencoregulando o transporte,
alguns jornaes inglezes, circulam agora em pelo territorio suisso, dos individuos a quem
Londres soberanos falsos, applicada a couvoocAo de 31 Je outubro
Ainda ha pouco era raro encontrar inoe- entro a Italia e a Allemanha, sobre extradi-
das de cunti das de ouro falsas ; e to* c,o.
raro como vulgar o receber era trocosmoe- No dia 8 foi tambom assignado em Fio-
da com o cunho de um shilling, nao de renfia um accordoentte a Italia e a Austria
prata, mas do chumbo prateudo. relativo a taxas telegrapbicas, cora o !i;a do
Era Londres costuras iuvariavel o facilitar as relajos reciprocas,
aceitar reclamaces sobro dinbeiro falso. A Italia e a Suissa trocara n igualmonto
Quera haja receido moeda ou moodas fal- no dia 9 de agosto, era Berne, as ratiiiea-
sas, j sabe que perdo a sorama equivalente, roes da conveuco em virtude da qual ser
p-irquc crabora soja a pessoa raais conspicua concedida a extradico para os crimes de
e honrada, nao Ihu valora a sua patarra, concusso e corrupgo de funecionarios pu-
para que I he troquera por moedas boas as blicos.
falsas que inadvertidamente recebesse.
RAINIIA PRODIGA.O ex-roi deHespa-
DESCOBERTA IMPORTANTE. O Sr. nhn D. Francisco de Assis, promove pelos
Mayor, engenlieiro civil aggrogado ao labo- tribunaes francezos a declarado Ja prodiga-
se, porm, lnguida sonha
Com as melodas de alera,
Lucia modula tristotiha
Seus loucos sonhos tambem.
E se ilescja harmonias
Nao celestes, mas bravias
Como cascata a rolar,
(lottchalk entre seus dodos
Deixa um abysmo em fraguedoa
De sua alma se oscoar 1
Envolto em scepticismo
Jnlga a vida sombra van,
Mas palpita do herosmo
No vulto de D. Juan ;
E nessa luta brilhan'e
Sendo a luz sempre sej (manto
Abre de gloria xmplides.
Revolveo myslerio d'alma
Sehaksppare abraca Taima
Por cima das geracoos.
Esse genio coran o homem
Solea os mares !>/ porvir,
Ambos a vida consomem
Em transformar subir.
Se as vezes na plaga ardente
Se estua fronte vaiente
Sem urna brisa do su I,
Em outrasei-los fiilgindo,
Talentos ei-los abrindo
Da fama o prtico azul.
Onde vai essa crusada
De Iluminados hroes ?
Jrrusale.u foi tomada !
.Murmurara nossos avs.
Vai da verdade ao thesouro,
!so leva oordas de ouro
Nem criKos no coraco ;
Tora por divisaignldado,
Scienera -por divinlade,
Libi>r>lado -por pendo.
Nylo Miranda.
mimm
O PRETENDERTE TICHBORNE. Ter-
minou no dia 21 de agosto o seu discurso o
Dr. Kenealy advogado do pretendonto Tich-
borne. Fnllou 21 das. Sir John Colerid-
fe advogado da familia Tichbome no pro- foi ministro de Luiz Napoleo, oresidenle
c^sso civil fallou 26 dias.
O Dr. Kenealy sustentou que o seu cliente
esquecera muitos factos da sua vida por
ter engordado muito, dando como assentado
que a extrema gordura embota a intelligen-
cia, e faz per Jer a memoria. Esta asson;o
deu logar differentes episodios engrana-
dos. Um dos jurados observou que o pre-
sidente do jury era bom nutridos c que ha-
via tambom alguns jurados que nao eram
magros. Quando se discuta este ponto en-
trou na sala um advogado de grande esta-
tura, e bastante gordo, completamente pa-
ramentado de toga e cabelleira. Todo o
auditorio desatou a rir, o mais augmentaran!
as gargalhadas quano o rccein-chegaJo
olhava admirado era torno do si sem poder
descobrir a causa de tanta alegra.,
O Dr. Kenealy terrr.inou a sua allegacao
appellando para os sent montos religiosos do
jury, pedindo que declarasso o reo cmp o
yerdadeiro Rogoro Tichborne, que, fazendo
isto, o seu veredictum seria confirmado pela
opinio da nac,3o. Romperam das galeras
alguns applausos que forara logo reprimi-
dos pelos officiaes do tribunal. Foi inque-
rida urna testemnha, que era sargento re-
crutador e disse : que havia medido o reo
A medida aproximara-se mais da altura de
Rogerio Tichborne, do que da estatura de
Arthur Orton.
Na 79 audiencia do 22 de agosto foram
inquiridas algumas .estomunhas de Wap-
ping, que conheceram Arthur Orton, e affir-
maram que o reo uo era Arthur Orton.
REPRESSAO EXAGGERADA. A Gazo-
ta de Leipzic publicou um edita!, que a
autoridade superior administrativa mandara
afiliar nos lugares pblicos. Diz esse do-
cumento :
E' prohibido a todos os habitantes de
Leipzic tomar parle na reunio que deve
t.Tectuar-se em Eiser.ach pelos delegados
dos operarios socialistas.
Aquello que contravier esta prohibigo
ser castigado com sti,
RARIDADES HUMANAS. Estaram ain-
da era expsito na cidade de Bruxellas,
no dia 17 de agosto, duas creaturas,. que
se cognominavam de thenomenos russot.
Dizem ser pai e finio. O pai tem a cara
e parte do corpo cobrto com pellos seme-
1 ha ntes aoa dos ursos ; o filho, menos pel-
ludo que seu pai, apresenta a cabera 0/ o
carpo grarnecidos de oabellos de um branco
argenticu.
Mostravam-se na ru Neuve, mas iam
era breve partir para entro ponto.
ratorio da manufactura de espclbos de Saint lidaJe de sua mulher a ex-rainha D. Isabel.
Gobaine eClauny, fez por feliz casualilade, Esta questo sosera resolvida em novembro
urna descoberta muito iiportante. Demons- prximo.
trou que basta derramar meio ou um litro, D. Francisco de Assis requereu ao tribu-
do amrnoniaco liquido, conforme o tamanho nal civil do Sena, no dia 16 de agosto, por
das officinas, as casas onde so azogam os seu advogado Maitru Allou, como medida
espelhos, para p3r os operarios completa- provisoria'que D. Isabel de Bourbm depo-
monte ao abrigo do% accidentes e enfermida- sitasse a quantia nocessaria para garantir a
des, cm muitos casos graves, produzidos penso do seu marido, ostabelecida pelo
pela evaporado do mercurio. Desdo que contrato antenupcial, de 150,000 francos
se emprega esto systema, np s operario annuaes, a do principe das Asturias D. Af-
algum experimentou a entoxicac,o mercu- fonso de 1 .0,000 francos, o as dasquatro m-
nal, mas at aquolles, que paJeciam eufer- fanles Hara Isabel, Mara do Pilar. Mora
midades d'essa procedencia, viram cessar o da Paz e Maria Eulalia de 30,000 francos i
progresso d'ellas. ; cada urna, visto que a ex-rainha desbarata
Polo que respeita maneira como opera a sua fortuna em estravagancias, divert-
o ammeniaco, no caso do que tratamos, oSr. montos, eom planos polticos, de modo que
Mayor nao d explicado alguma ; com tudo os seus rendimentos, sondo de um miltio
como a experiencia fcil de por empra-!de francos quando chegou Pars, esto
tica, e interessa a sau Je dos operarios, nao! actualmente roduzidos metale, ou a.....
deve haver a menor duvida em ensaia-la. 1500,000 francos, arriscando-se a ficar po-
bre, se continuar, como ba toJa a probabi-
O NOVO LIVRO DE VCTOR HUGO.=i lila Je que continu, ni systema Je vida
O Athenaeum, do Londres publica os so-\ seguido at aqui.
guintes pormenores acerca do novo livro! "
que Vctor Hugo est escreveudo e queter A RESPEITO DE MSICA. Na Chro-
por titulo Noventa etres : \nica musical di poca, de Madrid, encon-
Vctor Hugo tem quas terminado o -ro-.tramos o seguate:
manco, quo ser publicado nornez do feve- Dous verdadeiios acontecimentos lyri-
reiro do 1874, com o titulo de Noventa j co-dramaticos chamara boje a attengo na
tres.=mPrimcira descripeo : a guerra ti-; Allemanha. O primero o rpido progres-
cil. A descripeo conduz o leitor momen- so da construeco do theatro Wagner, em
taneamente a Paris, apparecendo em scenal Beyruth. O segundo a representado do
in figuras imponeutes de Robespiorre, de, novo drama lyrco de Wagner o Anel dos
Dantim o do Marat ; a accio, porm, pas-| Niebelunyen. As sommas reunidas at
sa-so quasi toda na Vende As relaces hoje para continuar a construeco do refe-
entre os vendeanos e os inglezes, e as que rido theatro ascendem rospeitavel sorama
houvo entre asilhas da Mancha e ascostasjde 440,000 florins, grabas aos fructuosos
da BreUnba, sao provadas por documentos resultados que teera produzido os concertos
at hoje quasi desconhecidos. Diz-se que, que Ricardo Wagner tera promovido na
um encontr naval entre urna fragata ingle-, Ueuianha. Os que deu ltimamente em
za e urna esquadra frauceza est descripto. Load res, sob a direccodoSr. Dannreutber,
com um vigor esplendido. obtiveram um xito fabuloso, notando-se
com tudo que a maioria do auditorio se
ODIL0N 8ARR0T. Acaba de inorrer!compunha de allemes. No 3." e ultimo
proximodeParis.com 89 annos de iilade, concert, o Dr. Haus de Bulow dirigi a
o celebre OJilon Barrot, que to importan-, msica do Tristaoe Iseult.
te papel desempenhou na monarchia deju- O referido doutor, que a exatiJo
Ihrr. Principiou hitan lo contra Carlos X,a personificaJa, e quo na exocugao das obras
quem fez sabir de Saint-Cloud, sendo depois que rege exige urna preciso sobremodo
profeho de Paris pela ascenso de Luiz F-1 minuciosa, deu lugar a umascena bastante
lippe ao throno. Votado opposio depois 'cmica. No dia da primeira audgo de
da retirada de Tliers cm 1S3G, foi o prn-1 Tristo e Iseult, apenas se executaram os
cipal organisador dos banquetes reformistas i priineiros coinpassos da obra, fez parar
juo proluzirama revoluaode 1848. yuan-jSubitameute a orchestra e prracipU* de
do quiz conteda, sendo nomeado ministro,novo a execu$o, porquo um.segundo cor.
em 24 de fevereiro, j ora tarde, e nao p5- netim dera um l natural em vez de um Id
de salvar nem a monarchia do'conde de sustenido.
Infelizmente o autor dcste lapso, desta
catastrophe, segundo Rulow, foi um msico
inglez, quo cansado j, bem como os seus
companheiros indignenas, das pueris minu-
ciosidades que Rulow exiga dos professores,
excitada a sua natural placidez e perdido o
seu quietismo contemplativo e nacional,
pronunciaram-se, declararam-se canino in-
dependente, e continuaran! tocando sem se
importarem com as ameacas e contorses
do desesperado Bulow, que por fim desat-
tenddo, inclinada a caboga sobre o poito,
cabidos os bracos e a batuta por torra, es-
perou resignado que a orchestra concluisse.
Este incidente deu lugar a scenas ruidosas
entre os inglezes e allemes que assistiam
ao espectculo, o qual nao deixou por isso
de ser productivo, pois a somraa recebida
foi mais de. 100,000 francos.
No luxuoso cartaz do Anel dos Niebe-
lungen, que se acha na exposico universal
de Vienna, o titulo completo da opera o
seguiste:
O Anel dos Kiebelungen, opera thea-
tral para tres dias e urna noite, concebida
com urna inteira conlianca no carcter e
Conseguintrnente o jornal foi absolvWo
da iucrepao o sua magostado o re Ja Pa-
tagonia reduzido s proporyies de rei de
copas.
DOUTORAMESTO.-Cooa. Independen-
cia Belga, que o Sr. Anfriso Fialho, brasi-
leiro, fez com distinci^~ em sconcias politica/e au^iinistrativas, po-
rante a faculdade.-dc Bruxollas, sondo con-
eguinlemento proclamado doutor.
Refere tambera quo o Sr. Fialho ora j op-
LIVRO POLITJC: Corre em Madrid,
don le foram remotli los alguna ox-mplans
para Portugal, um livro, que tora por titulo
O credo de urna rcligi&o nova Por D.
Sorapum Alvaiez.
E' uin projncto du bases de reformas so
ciaos era tolas as manifestarnos da vida,
que tora chamado a attenco pela sua novi-
dade, o polus ariatheinas que no pulpito se
padres e*ti) fulminando contra' elle. As
iras lo ciar. h<*spaiibol tem apenas consegui-
do pro luzir curiosidade no publico, e um
cliuvtru do roaliis na algibeira do Sr. Al-
vnroz.
ASSM8 E4 G .AL
dos); nem a tribuna nem a imprensa avisa-
rara anda era combater a diviso
diccional fixada pelo projecto. Tnho"
portanto, o direito de a julgar irreprehensi-
vel; e disto dou pirabens nobre coramis-
so e ap honrado Sr, ministro dos negocios
da justica.
Nao era meos acontentada era proreito
dos julg.imontos do 2.1 instancia a providen-
cia quo o projecto consagra ao supprimir a
jurisdieco contenciosa dostribunaes decora-
CAMARA DOS DEPUTADOS
DISCURSO DO SK. OEPl'TAUO F. L. pEGLSM\0
LOBo SOBRE O PROJECTO DE CRKAolo DE MAIS
SETE RELACOES HO IMPERIO,
O SR. GUSMO LOBO : -Sr. presidente,
a admirago que me inspira o cultivado ta
lento do nobre dupulado pelo 2. dislriclo
do Rio de Janeiro constituo-mu no dever de
nio guardar em silencio as razos que 111
mais tle um ponto me apartam das opinias
o conceiti'S que acabamos do ouvir-ibo.
OSr. Ferukira Viax.na :E' urna honra
que agradlo a V Exc.
0 Sr. Gusjio Lobo :0 projecto da no-
bre coinmsso de justica civil toca alias a
assumplos muito graves (apoiados), que do-
man I un o mais demorado e paciente ex 1-
rae, e oame desprevenido. (Apoia los.)
Nao ha era urna soceda lo bem organisaJa
interesses mais diguos ile serem acautelados
do que aquelles que se referem adminis-
trado da jusiya ; nao os ha que com mais
justo direito se irapouhaoi alinelo do par
lamento, e de cad um de seus mombros do-
e escrupulosa col-
inerco. Condemnad pela pratica (apoia-
dos) est jurisiic?ao, que defero a-'bjomens
estranhosao nobre oflicio de julgar a dilli
cil missao de juiz, cahio ern verdadeiro des
crdito. O ni iis inteligente negociante, o
espirito mais afeito pratica dos negocios,
nao em regra um bom julgador. Quantos
requisitos, sentares, se exig-m para julgar,
e para j-.lgar hem T Se o simples bom sen-
so basta para conhecer dos factos, o mesmo
nao se d com a applica^o das regras e
principios de direito.
Esta providencia do projecto tiendo iire-
cusavolmentH a reclamos da opinio.
E' igualmeulo recommenJavel a provi-
dencia do paragraplio queostabebee o jul-
gameuto dos aggr.ivos por tres desombargi-
dores. Os quo conhecem a importancia
deste recurso nao se esquivaro a applau lir
esta prudente medida, que cerca ojulgamen-
to dos aggravos do urna real garanta, s ,bs
tituindoo julgamento singular pelo concur
so Je tres juizes, que, fazendo em commura
oexame dos factos a direito pplicavel,
apartam as probabilidades do erro.
em que, defmitivamentJ entrado na poltica,
juris- llau osquece trazer o protector ao correr
dos acontecimentos do que se chama poltica
local.
Ei* abi oito annos de magistratura bem
contados, e mais Tima ifependfencia, que uo
seno o comco de muit uu/tcas para o
juv reiu. Nouwatn n'o aliual, depois de mui-
ta lija, o, iccrescenta o nobre deputado, eis
ah o juiz quo despendeu o melbor de seus
dias da iuuuJado no ingrato otlicio de jul-
gar, que por cumulo deielicidade installa-
se juiz do direito em maa .comarca de 1*
cntraiiciajfim paragem longiqua, onde to-
jos os recursos Ihe sao escassos, todos os
com modos diffeeis, impossivel a educayao
dos lilhos, se os tem, onde nao ha urna im-
prensa, livros a consultar, nada do que con-
corre para nutrir e desenvolver o amor da
scieucia I
Eis ah o juiz indt pendente, COnclue o
nobre depotado 1 E .ah o homem cujo
espirito deve ser um rochado contra toda
tentativa de suborno I
Aproxmenlo-nos, entretanto, das amargas
realidades da vida que nao poderiam ser es-
traubas ao magistrado por mais que as leis
tentasseiu eximi-Jw sua influencia. (Apoia-
dos ).
Paris nem a regencia da condessa de Or-
leos. Convertido s ideas conservadoras,
da repblica ; porm, quando se deu o gol-
pe de estado, coube-lhe, como a Tbicrs, a
sorte de sor enviado para a fortaleza de Ma-
zas. Thiors, presidente da repblica, ele-
vou o recontemonte presidencia do conse-
Iho de estado, nosiro que oceupava quan
do morreu de velhice.
A 0RIGEM DAS GREYES. 0 chronista
do Temps recebeu de um dos seus leitores
interessa utos pormenoros acerca da orden)
das grves. A primeira quo se conhece levo
lugar no anno 312 antes da vinda de4
Christo :
Os Idos de junbo, diz o referido escrip-
tor, consistiam especial mente na festa dos
tocadores de pfano, que se aproveitavara
d'osta occasio para se embriagarem por-
fa. A msica foi sempre a festa do Bacho
e o pfano tem a propriedade especial de
seccar a garganta. Os locadores d'este ins-
trumento reunam-se, pois, em volta do tem-
plo de Minerva, e tinharn o direito n'esse
rara exigir mais sincera
laborado.
OSa. Ferreira Vian.na :ApouJo.
O Sr. Gusuao Lobo :Nem as peixes
polticas, Sr. presidente, t n que ver nesta
discusso, que de sua na tu reza asexclue.
E quando digo paixes polticas, todos de-
vora entender quo nao me reliro a essas 110-
bres preoecupacoes polo be legitimara e nobilitam os partidos, mas a
sentimenlos muito diversos que nao raras
vezes embaracaui o triumplio de uraa idea,
porque um partido e nao nutro foi chamado
a realiza la. (Muito bem.)
Rccouliecida como a importancia do
projecto, nao hesito era alarmar oque a c-
mara sabe, o que elle n*o encerra a ulti-
ma palavra sobre as mltiplas necessidades
de urna nova orgauisa^o judiciana, nao
consagra todas as providencias que a licao
da experiencia possa ter aconselbadj por
bera dos graves interesses confiados guarda
desse poder, que tera por alta missao fazer
do ser abstracto, que se cliama a
realidad viva o palpavel.
O que e quanto vae o juiz, quantas in-
qui.:t jcoi.'S deve trazer ao legislador a orga-
usayo desta forga social que se chama ma-
gistratura, disse-o em muito vigorosa lin-
guagein o nobre deputado para qu e eu
tent repoti-lo incompletamente. No da om
que a onda das paixes populares, sao pala-
vras do oraJor que me precedeu, podesso
subir, subir, subir tanto qie nmeac,asse
accommetter o destruir todas as iustituiges,
dous raudos poderes devoriain estar de p
e alientos pelos destinos da sociedade a f
amparada pela religiio, a justica amparada
pela magistratura.
Desta soberba sytithese derivou o nobre
deputado considerandos do ordem elevada
para encarecer a excellencia de medidas que
fizessem da n lopendencia do magistrado
urna grande verdade, um principio inacces-
sivel a paixes dequalquor natureza, algu-
ma cousa de sacrosanto em que uinguera
ousasse tocar. (Muito bem.)
DesilluJi las as suas esperanzas, pareeeu
ao nob e deputado que o projecto quo est
a ser revisto, longo de trazer nielberes dias
adranistraco da justica, tem o nico a'
canee de augmentar o pessoal, e com elle a
despeza, este mesmo pessoal que o Ilustre
deputado preferira ver reduzido e melbor
remunerado do que o em uossa actual or-
ganisago.
E' mais que severo este juizo. Se o pro-
Uma voz :Tambora e menor a respon-
sabilidade.
0 Sr. Gusmo Lobo :Ve-se bein por
aqui, Sr. presidente, que o projecto nao se
limita creaco arbitraria de alguns tribu-
naos, ilistribuindo-os ao sabor de interesses
nconfessaveis.
Masuoomeu lira demnstralo por
urna analyso dolida das disposi(oi*s do pro-
jecto. Succedondo na tribuna ao nobre de-
putado pelo 2." distrieto do Rio de Janeiro,
snto-mo abriga lo a acompanha-lo respei-
tavol distancia as consideraces que expz
com verdadeira eloquencia.
Son perfeitamente de aviso, Sr. presiden-
te, quo a independencia da magistratura
um g-ande principio digno de ser reposto
sobre as bases ruis estaveis.
Aquelle que oncarregado do distribuir
justica, que instituido julgador de nteres-
ses to sagrados, como sao a fortuna e a 1-
berlado ilo ci ladao em tolas as suas pro
ciosas manifestaces, deve ser Mentado a
toda a sorte de dependencias que possam ter
a inlluencia de embaracar-lh ou deter-llia a
actjo. Vai nisto empenliada a tranquilli-
dade de todos os grandes o pequeos inte-
resses sociaes, os do individuo como os da
familia e os do estado. Desde que o ma-
gistrado pode ser suspeitado em sua inde-
peii leis, a sentenca podo forr, mas raro
que convenga. ,
O Sr. Ferreira Viaxna :Apoia lo.
O Sr. Gusmao Lobo :Urna das pri ceiras
condiQes para assegurar ao magistrado essa
independencia de que a forca moral de suas
decisoes provm em grande parte, incon-
testavelmentH, a garanta dainamnvibilida.de.
Na basta com effeito pagar bera ao juiz, pa-
Kar lbe tanto e to generosamente que o nao
salteem no curso ordinario da vida essas
prcoccupaciaes sobre o dia de amanh, quo
a outros podora ser incentivo a redobrar de
actiidam mas ao magistrado que recebe um
le, urna [salario fixo, que s do seu nobre officio tira
os meios de manter-se, abatoriam o animo
e Ihe trariam baldadas in juietac.0 -s. Cura-
pre, alm disto, que essa existencia verda-
deiramento oxcopcional, cuja forca alguem
disso conss'ir ora poder tu Jo para os outros
o nada para si (muito bom) sinta-se ampara-
da por um principio quo a resguarde de to-
das as prepotencias. O magistrado deve
ter, antes de tudo, a certeza de quo ser
amanh polo menos o que hoje. (Apoia-
dos.)
V o nobre diputado quo, so nao diego
s concluses quo deste principio deduzio S.
Exc, eu o aceito e venero em justa medida.
dia, .do celebrarem um esplonddofestim no, comprehenso alloma, e concluida para
templo Jpiter Capitalino. Esta corpora- maior gloria de seu augusto bemfeitor o rei
c,o era muito considerada em Roma ; hon- Luiz II da Baviera, pelo maestro Ricardo
ravam-a com mil attenges, com favores Wagner.
delicados e com convites. O mais sensato deste cartaz onde se l
Veio a censura de Appio Claudio (anno,este pomposo e pretencioso reclame, sem
312 antes de Jess Christo). Obedecen Jo a duvida o neme do editor impresso em lettra
um movimento de mo humor, Appio Clau-j muito miuda e um canto do papel,
dio tratou de tirar aos tocadores de pfano, A representacodesta opera monstruosa,
o antigo direito de se banquetearem no tera- que se annunciava para o prximo anno,
po de Jpiter. Os tocadores zangaram-se adiou-se para o anuo de 187$, nio por
com isto e toraaram o partido de guarda-'. falta de fundos, mas para a escolba dos ar-
rem osses instrumentos debaixo de cbave, jtistas idneos, cuja reunio custar muito
para mostrarem por esse meio aos seus in-, trabalho, tempoe dnheiro. Se a represen-
gratos compatriotas que sem elles era ira- (taco do Anel dos Niebelungen, dora effecti-
possivel qualquer regosijo publico. Pize-. mmente tres dias e urna norte, segundo se
rara ainda mais : refugiaram-se no* Tibre, 'le no cartaz, aconselhamos a Wagner, que
dando tudo isto causa agrande agitafo nio a aprsente em Madrid, e que ai reserve
em Roma, 'para os allemes, cuja fleugma proverbial
0 senado, hbil em transaeces diplo- Viz sera fluvida por A prova o compositor
m6ticas, propoz uraa negocia^o, porm os raro...
tocadores tiuham m embocadura, e, como "~
verdadeiros intransigentes, recusaram-se a UM REI DE COPAS. A' requeriraento
toda concesso. Foi necessarjo recorrer 4 as- de sua magestado Orelio imtomo /, pri/s-
tucia. cipe de Tonntns, rei de Araucania e de Pa-
Os Tiburtinos, entrados na conspralo, tagonia ou Nova Franca, foi citado' o ge-
levam os seus hospedes a um festim, em- rente do jornal francez o Droit para compa-
briagam-os'como a cocheiros de fiacre (o VeCer no juizo do novfl districto criminal de
fiacre existia em Roma), aproveitara-se l\iris.
do seu sorano, acondicionara-os como a Aquello celebre personagem pretenda ter
caixes de fazendas, nos seus cairos, e L- sid diffamado pelo referido peridico, e por
vam-os para Roma. O desgranados s rol- tanto pedia uraa indemnisaco de cora mil
tarara a si quando ebegaram ao Foruin. O francos. -
dia acabava de raiar ; o povo, reunido em O advogado por parta do reo allegou^-staoijjces da populado ; a
mullidSo, rodeia-os, pede-lh^s para se doi- o tribunal concordou, em que a parte coqVra-
xarem dos seos Caprichos e esquecerem-se ra nao justificara a sua qualidade- de so-
do que se tinha passa lo. Como resistir a berano ; eque, al d'isso, do /artigo in-
estas lisongoiras felicitacoes? Os tocadores criminado nao se infera intuito de preju-
coiisentiram afinal ern perdoar, dando sto dicar.
jecto da nobre coraraisso de justica civil e
criminal deixa alguma cousa a desejar, se
nio consagra lo as as providencias ainda
desejaveis para isentar a magistratura a
qualquer injustficavel dependencia do po-
der executivo, se uo augmenta em to larga
copia, como o nobre deputado desojara, as
garantas do juiz, nao ha negar que encer-
ra raais de urna til medida, mais de urna
proveitosa piovidencia, que concorrer efli-
caimente para melborar a adminislraco da
justica, aproximando-a desse ideal em que
cogitou a le fundamental do imperio.
(Apoiados.)
Necessidades ba longo terapo sentidas, e
de que d testorauuho I o movimento foren-
se de varias provincias, reclamavam e re
tlaraain a creaco de tribuuaes de 2 instan-
cia, que, facilitando a dofesa dos diroitos,
apartando os inconvenientes das longas dis-
tancias, em regra geral difficeis de transpr,
tprnem raais prompta, mais eflicaz e verda-
dadeira a aegio da Justina. Digo elcaz e
at'verdadeira porque, no poucas vezes, a
defsa de importantes direitos tora sido pre-
judicada, e outras abandonada, devido
ditficuldade de ir procurar juizes a centenas
de leguas, de constituir advogado da
escolha econfiant.-a d* parte de vencer lon-
gas viagens sempre dispendiosas. (Apoia
dos.)
A creaco de tribunaes de 2.1 instancia
nio smente a satisfacAo de urna iiecejaeJT
de, ainda o resgate de unfa-Tjrmessa cons-
titucional. (Muito bem;.)
A creaco dos tribunaes, estabelecida pelo
projecto, attende sabiamente i considerado
iias distaucm, ao movimento do foro e s
mulbor pro va
da conv.-mente di tribaicao desses tribuuaes
eu a inflro do facto muito significativo de
nio ter ella suscitado urna s roclamaco.
Neste ponto me parecem concillados os inte-
resses de todos os lados da cmara (apoia-
Se as nossas leis orgnicas nao cercara ainda
o magistrado de todas quantas coudices de
independencia podem ser desojadas, preciso
reconhecer que j o habilitan) a dosempe-
nhar o seu elevado oflicio sem os terro-
res que em terapo allligiam esta nobre classe.
Sob osla relago temos realisado um ver-
dadeiro progresso. A inamovibilidado do
magistrado j urna verdade, de que o tera-
po se enearregar de mostrar nos todo o
valor.
Mas nao parece ao nobre deputado polo
2.' districto do Rio do Janeiro que dovainos
contentar nos cora as regas estabelecidas so-
bro este assuinpto. S. Exc. quereria raais,
muito mais di que se ton feito por bem
desse principio; quereria o magistrado nao
somonte desprendido de toda a influencia
governamcntal, como quer que ella podesse
e\ercer-se, mas tambem sem outra ambiro
que a de ser juiz, juiz cerlo, perpetuo e na-
movivel da jursdiego que lbe coubesse em
sorte, urna como existencia mutilada era que
nao podessem influir estmulos de elevado
na hierarchia judiciaria ou outros de igual
natureza.
. O Sr. Ministro da Justica:Seria at
iniquo que o magistrado nao podesse aspi-
rar adiantamento om sua carreira.
0Sr. Gusmao Lobo:0 que existe nessas
leis contrasta, a juizo do nobre deputado,
com todas as condcoes de independencia
que ao magistrado devem ser asseguradas.
A vida do juiz afigura-se ao nobro deputa-
do urna ininterrompida cadoia de dependen-
cias de que o nico lo seguro parece-lhe
estar no supremo tribunal urna como ante-
sala do tmulo que nao permitte longa de-
mora aos seus visitantes.
Para exemplficar essa serio de depen-
dencias, figurou o nobre deputado um aspi-
rante magistratura que, mediante a'guma
proteccfio valiosa (e o nobre deputado est
muito na caso de a dispensar) uo obtein
ainda assim sera um cerlo custo urna au-
diencia do ministro da justica, e, se feliz,
urna noraeaco de juiz municipal para algu-
ma dessas comarcas apartadas das capitaes.
Findo o quatrieunio, surge de ordinario a
qu esto da reconlucco, e ora ella urna
^ovji_dxneii4*Hew,~l)TtTiitas dependencias
ao mesmo lempo, em tudo isto que a prati-
ca vai mostrando, de emprehender custosa
E' urna verdade, Sr. presidente, quo
este quadro, desenliado a cores to
sombras, e por mo de inestre, mostra-nos
uin lado da- vida do juiz. Mas nao ao
mesmo lempo verdade que, com ligeiros
retoques, po loria mostrar-nos a vida do
funecionario de qualquer natureza ? Estas
tantas ditliculdades, to engenhosainente ac-
curauladas, uo sao alias a historia de todas
as carreiras, do todas as profisses ? Que
ramo da actvidade humana nao obriga era
regra a sacrificios mais ou menos peni-
ve iS ?
Eu' poderia responder ao nobre deputa-
do :Vede o hornera de lettras quo futuro
que elle tem em nosso paiz I Muito bem;.
Vele a sorte que aguarda um deste missio-
narios que so chamara professores de pri-
meiras lettras !Eu poderia dizer-lhe ainda:
Vedo o hornera poltico ( muito bem )
disfarcanJo, pelo apparato das honras, as
fundas prooccupajes que o dia de aiuanha
I lio iinpein ao espirito !
Applique o nobre deputado as suas gene-
rosas refloxes, que era verdade o sao, a
qualquer ramo da actvidade humana, s
letras como s artes, industria como ao
commercio, o os privilegiados da fortuna
excepta los. encontrar no comeen do toda
a carreira tentativas vas, noviciado diffici!,
as incertezas crueis e rauitas vezes, ou no
commum dos casos, a desdluso como pre-
mio a reaes sacrificios. ( Apoiados.)
O mal que o nobre deputado encareceu,
resigue-so V. Fxc, vem da natureza das cou-
sas, desta triste realidade los acontecimen-
tos humanos, que as leis nao tm a forca de
desviar de sou curso natural. ( Apoiados).
Mo vou at dizor, Sr. presidente, que
nada soja por fazer no sentido do garantir
ao magistrado a independencia que tanto
convra sua elevada raisso. Mas o que
pode ser urna questo 110 futuro nao po lo-
ria ser hoje resolvidosem o perigo de urna
transicAo brusca. 1N0 estado de nossos cos-
turaos nao se poderla f zor muito mais era
bera da independencia do magistrado.
Rastaria recordar o programma tle refor-
ma desenvolvido pelo nobre deputado para
o julgar porfeitamoute inapplcavel nessa
organisaco social. Era tal programma
dar-nos-hia, por via de regia, mos magis-
trados ; apartara desta honrada classe m li-
ta voeago Ilustre, muitos espiritos promis-
sores, tal vez os nossos melhores juizes.
A inamovibilidado, tal come a desoja o
nobre deputado, seria o raais perigoso dos
principies...
O Sr Ferreira Vian.na :Nao apoiaJo.
0 Sr. Gusmao Lobo iConsagrara a
mais clamorosa injuitifa,
O Sit. Ministro da Justica : Apoiado.
O Sr. Gusmao Lobo : -As comarcas, V.
Exc. sabe-o, sao divididas segundo conve-
niencias da administracao da justicia e c'as-
sificadas por sua importancia. N'um pai/.
do grande extonso, como o nosso, eiu
que as cominunicages sao de sua natureza
dilliceis, em que a vida quasi se coudensa
uascidades, a remoco dos juizes urna ne-
cessidado na organisaco judiciaria.
(juando as con liceos da vida sao extre-
mamente variaveis de provincia provincia,
isto para nao dizor eo comarca comarca,
poder se-hia preteudersem iniquidade quo
a inamovibilida le dos juizes nao sollressa
nenhuma excepc,o ? (Apoiados ).
Urna tal garanta de independencia sena
um presente fatal ao magistrado que uo ti-
vesse a rara fortuna de ser nomeado para
urna comarca das de primeira ordem (apoia-
dos), para alguma dessas poucas varas de
direito em cujo servido um juiz poderia ttiu-
pregar-so por urna vida inteira.
fi gem era buscado melhor estabetecimeoto,
de recolber boas infor.naQdes, attestados em
regra geral graciosos e o mais que se sabe.
(Riso.)
O joven neoptijlo que o nobre deputado
toraou sua emita (riso), obtida a recon
dueco e nem a havia obter sem fallar mais
de urna vez ao Sr. ministro da justica nos
servidos da primeira jornada, recolho i nova
comarca e ahi dc:n rj uotus qualro annos,
Equanta do gualdade d'ahi punira ?
IJue injusta o odiosa repartilo do cargos da
magistratura ? Aquelle aspiraute em que
nos fallou o nobre deputado poden* ser
nomeado juiz da corte, emquanlo outro po-
deria so lo para a menos cubicada das co-
marcas do imperio. Viugasse esta estrauba
thooria da inamovibilidado e a magistratura
seria o ultimo refugio das almas desilludi-
das o recurso, dos mocos soui aspirares.
(Apoiados). Oque ti vesse a fortuna de
ser nomeado para ura cargo importante na
magistratura resignar-se-bia a servi-Io sera
outra esparanca que a de fazer-se respeta-
vel pelo sabor epela virtude; este poderia
sor ura juiz independeuto se nao fosse um
homem ambicioso de glorias, que era ou-
tras carreiras o poderiam esperar; mas
aquelle a que n coubesse na leonina parti-
Iba um intimo lugar o que seria de sua in-
dependencia ?
O que seria, alm disto,, dos nobres es-
tmulos que a esperanca do accesso accende
no animo do magistrado T Ranir do espiri-
to do juiz toda a arabico seria mutilhar-ltie
a existencia ; em seu diploma elle recebena
as mais das vezes um decreto rt desterro,
alguma cousa que Ihe matara "os nobres
desejos de aperfouoar sn d enlbe60urar
coubecuneutos, de distinguir*. '( Apoia-
dos. )
f Continua.;
TYP. DO DIARIO -RA DUQUE DECAJA
1




,
'

. t

-
}
'.


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E2FFJBP02_MAFJ2I INGEST_TIME 2013-09-19T21:00:57Z PACKAGE AA00011611_13039
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES