Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13037


This item is only available as the following downloads:


Full Text
-sr
i
/"
i

'
-
MVO XI1X, M1EIIO 212
* "fr------------i--------- i..
PARA A CAPITAL E MGiRES OSDE SAO SE PAGA POBTE.
Por tres ranea adjuntados................ 69000
Por seis ditos iaetn.............. 125000
hit um anuo idem.................. J4JW0
Cada nuinaro avulso.......'. "'.........-. **q
TERCA RIRA 16 DE SETEMBRO DE 1873
-------------------*------------------------------------------------;--------------------------------------------------
PABA DESTBO E FBA DA PBO V 1YC1 A.
Por tres mezet-diantados.................
Por seis ditos idem....................
Por note ditos idem '.................
Por um auno idem........ ... ...
9T50
M9180
S79000
PROPRIEDADE DE MANOEL FIGEIROA DE FARIA & FILHOS.
0. Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Tara; Goncalves d Pinto, no Maralo; Joaquim Jos" de Tjveira de Filho, no Cev;,,Antonio de Leu** Braga, no Aracatv ; Jlo ra Juo Chaves, no Ass; Antonio Marque, ua Silva, no .fatal; Jos Joati
Pereira d'Almeida, e'm Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Paranvba ; Antonio Jos Gomes, na Villa d> Penha; Belamno dos Santos Bulco, em Santo Antao ; Domingos Jos da Costa Braga, emNazareth;
Antonio Ferrara de Aguiar, em Goyanna; Joo Antonio Machaeo, no Pilar das Alagoas; Alves d C, na Bahia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio ,de Janeiro.
PARTE OFFICIAL
Ctveruo da pros iueiu.
EXPEDBNTB DO DA 23 DK JIW'HO D 1873
.* seccao.
Offlcios :
Ao brigadeiro coinmandante das armas.
Para ourapriraento do despacho do Exm. Sr. mi-
nistro da guerra proferido no incluso requerimeu-
to, que me sera devolvido, do cabo de esquadra
do '.'' batalhao de infantaria, Antonio Rispo da Sil-
va, sirva se V. Re. de informal- sobre o que pede
a referida praca.
Ao mesmo. Resolvendo o Exui. Sr. minis-
tro da guerra por aviso de 11 do corrate, que a
4). Mara Tbereza de Jess seja paga a quantia de
1:200i, como indemnisacio de seu escravo Joo,
que se acha c-jm praca im H" ballhio de infanta-
ria cun osupposto uoiue de Manoel Jos da Silva,
sendo previamente pausada a competeute carta de
literdade e devendo a referida praca servir no
exercito o tirapo marrado para os recrutados; as
sim o cemmunico a V. Exc. para a expedido das
necessarias ordens na parle que Ibe toca.
Ao mesmo. Mande V. Exc. pr em lber-
dade o recruia Joo Antonio Pinbeiro, visto ter
provado iseuco legal.
Ao inspector do arsenal de marinha Man-
de V. S., com toda a urgencia, desembarcar de
bordo do vapi-r Guar e conduzir para o caes
fronteiro ao arsenal de guerra, duas boceas de fo-
go e suas periencas, armameato e municio viudos
da corte com destn ao mesmo arsenal.
Ao mesuio. Por parle do consol eiro Cae-
Uno Jos da Silva Santiago sero mandados apre-
sentar nesse arsenal allm Ue serem abi guardadas
tres laxas de cobre e duas caldeiras.
Ao din-clor interino do arsenal de guerra.
Ti,uJo uesia data rec niinendado ao in-ueelor do
arsenal de marraba que faca desembarcar de bor-
do do vapor finar e conduzir para o caes fron-
teiro a esse, duas boc ras de fugo, suas periconas,
armamento a muuico vindos da corte, constante
do eonhecimeuto junto, assim o declaro a Vmc
Afim de que mande recober laes objeclus.
Ao mesmo. Mande Vmc. satisazer o inclu-
su pedido que faz o commandanle do 9o balalbo
de lufaiitaria nu sentido de serem concertados 48
caiabinas, 3 sabr baionetas e 3 bainhas das ms-
elas.
Ao mesmo. A' vista d > que informa o ins-
p -.torda thesj unira de fa enda no oflicio junto
por copia, nada ha que providenciar acerca da re
clamaco comida em seu adulo de 9 do frrente,
relativamente,* falla de pagamento das despezas
miudas desse arsenal.
2.' seccao.
Actos:
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereram os tenantes do 9 batalhao de infama-
ra Ja guarda nacional do municipio de OliuJ,
Manoel Mana de Caldas Brando e Joaquim Ra-
liello Pessoa de Brit, este da 4* e aquelle da 6'
companhia, e vista do que informou o coinman-
dante superior respectivo em ofOcio de 14 do cr-
reme, resolve, de eonf umidade com o disposto no
art. 54 da lei n. 602 de 9 de setembro de 1850,
permiltir que elles troquem de companhia
Offlcios:
Ao coinmandante superior do Recife. Ex-
peca V. S. as suas ordeus alim de que a 27 do
-crreme, s 4 horas da tarde, estoja postada em
trente da groja do Paraso urna guarda de honra
para assistir ao acto da benco da imagem do Se-
iihoi Rom Jess das Cluga-, que tem de celebrar
a irmaudade dessa invocarn.
Ao juiz de direito da segunda vara, Dr. Ma-
n-,el Tertuliano Tliomaz Hoiirique. Envi a V
S. o> processos juntos do juigameiito dos soldados
D corpo de polica Angelo Coriolano da Motia,
Juaquiui Valdevino de Sunca, Pedro Antonio da
Silva e Sevenano Goncalves da Maia, para que se-
jam tambeni snhmettidos junta que deve reu
nir-se a 26 do corrale.
Ao ju7. municipal de Garanhuns. Em res-
poeta ao oflicio de Vmc. de 21 da marco prxima
u.-sado ten o a dizer-lhe que pelo art. 6 do de-
creto n. 1285 de 30 de i.ovembro de 1853 podem
os juizes conceder lcencas aos serventuarios de
justiea que llie sao subordinados, sement duran-
-te s ferias.
Ao coinmandante do corpo de polica. Po-
de Vmc desligar do corpo sob o seu commando a
praca Manoel Rosa de Oliveira, de que trata o seu
mflcio de 21 do crlente visto ter sido ju gado in-
capaz do servia,
3.' secciio.
Actas :
O presidente da praviocia resolve julgar sem
ofcito a portara de 28 de maio ultimo na parte
q.ie nomeia o major Antonio tlarques de Allm-
uerque Cavalcaute, capilo Dorindo da Cunha
kna, Turino Nunes dus Res Campello e Policia-
no Camello de Siqneira Cavalcaute para os lugares
Io de liscal merino, o 2 de collector, o 3 de
escrivo e o 4 de cobrador, ludo da collectoria do
municipio de Buique.
O presidunt da provincia resolve nomear
para a collectoria do municipio de Buique ns ci-
dados abaixo mencionados : scai interino, l-
ente coronel Manoel Camello Pessoa Cava'cante,
collector, Antonio Cavalcanle de Andrade, escrivo,
Autonio Cesar de Vate meollos Ribciro Campos,
obrador, Joaquim de Albuquerque Cavalcanle.
Offlcios:
Ao inspector da thesoararia de fazenda.
t'icaudo approvada pelo Exm. Sr. ministro da
guerra, segundo consta do aviso de 13 do corren-
te, a despeza de 325i490 autorisada sob respon-
-.itnlidade da presidencia, com os molhoramentos
precisos no compartimento que serve de refeitorio
e rancho no quartel das Cinco Ponas, assim o
c..-niinunico a v. s. para seu conhecimento.
Ao mesmo. Transmiti a V. S. o titulo
mclaso, pelo qual se fez merco a Joao Cavalcanle
Mauricio Wauderley, do titul de baro de Tracu-
nliem, alim de ser eutregue a quem se mostrar
Cumpetentem-nte aut risado para recbelo depois
de pagos os direitos devidos.
Ao raeimo. Constan lo de aviso do minis-
terio da guerra de 14 do correnle, ha ver-se na-
quella dala solicitado ao da fazenda a expedido
de ordem para que es-a thesouraria soja habilita-
da por conla do i 14 obras militares do exer-
cicio de 1872 1873, com o crdito de 62*850
para occorrer ao pagamemo da despeza que aut <-
nsei sob responsabiudade da presidencia com o
reparo do ealcamento da entrada do arsenal de
guerra, assim o communico a V. S. para sea co-
uliecimento.
Ao mesmo. Ao major Jos Cesario Varel-
la da Franca, que segue+iara a corle no prximo
vapor aflm de ir em commissao inspeccionar o 12*
batalno de infamara, na forma das ordens im
periae, mande V. S. ajnstar coQlas e passar guia
d< -occoiripn-'uto.
Ao mesmo. Transmiti a V. S. para os
lias convenientes ai inclusas conlis documenta-
das da receita e despeza do hospital militar relati-
vas ao mez de maio ultimo, com o parecer por du-
plcala da junta de inspeccao.
Ao mesmo. TransmiUo a V. S. para o flns
convenientes o incluso titulo nomeaado pratico mor
da* barra e porto desta provincia o 1* pratico
ajudante Herculan Jos Rodrigues Pinbeiro.
Ao mesmo. Transmillo a V. S. a inclusa
coata documentada, que me reraetteu o gerente
da companhia Pernambacaiia eom oflicio de 7 de
abril deste aono, a que ajiude sua.ioibrmacao de
que
19 do correnle sob n. 226 serie D, alim de
mande pagar a despeza na importancia de ...
1:6804321 proveniente de passagens e carga da-
das a bordo do vapor Ginui desta cidade para o
presidio de Fernando de Noronlia e vico-versa
pois que para isso existe crdito, segundo se evi-
dencia do parecer do contador dessa thesouraria.
Ao mesmo. Transmiti a V. S. as duas
inclusas contas em duplcala que me remetteu o
inspector do arsenal de mariulia com ofBcio de 21
do correnle sob n. 616, alim de que mande pagar
a quantia de 460*800, proveniente do gaz consu-
mido ilutante os mezes de Janeiro a margo deste
anno, com a illuminaco da casa de residencia
daquella inspectora com a do mesmo arsenal.
Ao mesmo. Nos termos do aviso do mi
oisterio da guerra de 14 do correte junto por
copia, mande V. S. pagar a D. Maria Tbereza de
Jess a quaXia de l;200, como ndemnisacao do
seu escravo Joao que coin o sopposU nome de
Mainel Jos da Silva assentou praca no 9* bata-
lhao de infanlara, sendo previamente passada a
competente carta de liberdade.
Ao mesmo. Communico a V. S. para os
devi los lius, que a 3 do corrente assumio o 2*
suppleute do juiz municipal e de orphos do ter-
mo de Aguas BeJIas Deodato Hnlambio de Albu-
querque o oxercicio de dito cargo.
Ao mesmo.Communico a V. S. para os de-
vidos lius que a 2 do mez lindo passou o 1" sup-
pleute do juiz municipal do termo de Garauauns,
Joo Corroa Brasil o exeroicio do cargo.
Ao inspector da thesouraria provincial. -De-
claro a V. S., para seu conhecimeulo e devidos
etleitos, que o bacharel Luz Salazar Moscoso da
Vi-iga Pessoa, ebefe da secyio da secretaria da
presidencia passou a substituir o lugar de ofllcial-
maior da iiiesma secretaria desde 21 do curente,
nos termos do art. 9 do rogulamento do 12 de
fevereiro de 1872, e bem assim a exercer o cargo
de chefe relerida secoo, a coutar da mesnu
data o respectivo 1 oO'icial Fimiiiio Herculauo
Baplista Ribeiro.
Ao mesmo. -Em vista do certificado annexo
ao incluso requerimeulo, mande V. j. pagar a Joa-
quim Virissimo do Reg Barros a imaiilia de
8715200, a que tem dimito pela couclusao dos re
paros da cadeia da villa de Agua Prela, como se
v do mencionado certificado.
4." S(i r,ui
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
-Em raspuda ao o.'llco de V. S. de 2^do cor-
renle, te ho a dizer-lhe que approvo a deliberaban
da junta administrativa dessa Santa Casa de en-
tregar ao marcineiro Malinas Francisco Jos'do
Sant'Anna o edueaudo do cllegio dos orpuaoi Ma-
noel Francisco da Paz, para ensinar-llie o oflicio
que professa, mediante cendigoes que julgar van-
lajosas para o mesmo educando.
Ao presidente da cmara municipal da villa
de Flores.-Remettendo-lhe por copia o oflicio do
inspector da thesouraria de fazenda de 21 do cor-
rente, sob n. 242 sene D, e iuformacoes da conta-
dora da mesma rcparii.ao, tenho a dizer-lhe que
uao proceden) as ,consideracdes por Vmc. apre-.
sentadas, para quo se nao rena ajuma de cman-
cipaco de escravos desse municipio, vislo como,
segundo as referidas informacoes, acha-se pr-
vido o lugar de collector dessa villa. Fica assim
respondido o seu oflicio de 16 de maio ultimo.
Ao I* juiz de paz da freguezia de Nossa Se-
nhora da Concei(ao da villa do Boaito.-Tendo
siJo por aviso do ministerio do- imperio de 11
do crreme confirmado .o acto desta presiden-
cia, annullando a elei.ao do veroadores e juizes
de paz dessa parochia, designo o dia 10 de agosto
vindouro para ter lugar nova eleico, cumprindo
que Vmc. faca a convocaeo para tal dia, obser-
vando o prazo e mais formalidades da le.
Portara :
A'cmara municipal da villa da Bonito.
Communico cmara municipal da villa do Bo-
nito que por aviso-do 'ministerio do imperio de
II do corrente fui appruvado o acto desta pre-
sidencia, annullando as eleices de vereadores e
juizes de paz procedidas 'na parochia dessa villa
a 7 de seiembro ultimo. Outrosim que designo
o dia 10 de agosto vindouro para a nova eleic'io,
cumprindo a essa cmara, determinar Io ao juizde
paz da parochia o que for uecessario para tal fim.
5' secrao.
Acto :
O presidente da provincia, attendendo a que
o Dr. S) mphronio Cezar Couliuho segu prxima
menle para a Europa, segundo communicou em
oflicio de 20 do corrente, resolve, nos termos do
mesmo oflicio, exonera-lo do cargo de membro da
commissao encarrogada de dar parecer sobre os
apparelhos da companhia Recife Draiuage?
Portaras:
s Srs. agenies da companhia de nivegaco
Brasileira dem suas ordens para ser transportado
corte, por ionta do ministerio da guerra, no va-
por Paran, que se espera do norte, o major Jos
Cesario Varella da Franca, que vai em commissao
inspeccionar o 12 batalhao de infamara
Os Srs. agentes da companhia de navegco
Brasileira mandem transportar corte, por couta
do mini.-terio da marinha, no vapor que se espera
do norte, ao imperial marimero Joo Paulo E-
vaneelisla, que segu a disposipao do quartel ge-
neral da marinha.
Os Srs. aientes da companhia de navega^io
Brasileira mandem dar passagem de proa para a
Bahia, por coma do ministerio da guerra, ao ex
soldado do 9 balalbo de infautarm Jos Tliemo
tco CarJoso, que, tendo obtido baixa do servico
do exercito, se recolhe sua provincia natal, e
bem assim mulhor do mesmo, Maria Anglica da
Cruz Ralis.
EXPKDIENTK DO SKCRKTAKIO.
/.' seccao.
U.licios:
Ao brigadeiro commandanle das armasS.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. Exc, em resposta ao seu oflicio de 21.
do crreme sob n. 631, que tica n dadas tojas as
providendias relativas ao embarque para a corle,
no vapor Paran, do major Jas Cesario Varella
da Franca.
Ao mesmo. De ordem do Exm. Sr. presi-
dente da provincia, communico a V. Exc. que nes-
ta data se autorisaram os concertos de que precisa
o armamento perleucente ao 9" batalhao de iufan-
taria, do pedido que veio annexo ao seu oflicio de
21 do correnle sob n. 630.
Ao inspector do arsensl de marinlja.O
Exm. Sr. presidente da provincia manda comrau-
nicar a V. S. que nesta data expedio ordem the-
souraria de fazenda no sentido de ser paga a
quantia de que trata o seu oflicio de 21 desle mez,
sob n. 646.
Ao chefe da diviso naval do segundo dis-
trelo. S. Exc. oSr. presidente da provincia man-
da declarar a V. S. em resposta ao seu oflicio de
21 do corrente, que iieam expedidas as necessa-
rias ordeus para ser transportado corte o iuipe-
perial nuriuheiro Joo Paulo Evangelista.
2.* secco.
Offlcios : ,
Ao commandanle superior de Olinda O
Exm. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S., para os devidos fins, que, por portara de
hoje foi permiilido aos lenles da 4.* e 6.' com-
panhia do 9.* batalhao sob seu commando, Ma-
noel Mara de Caldas Brando e Joaquim Rabello
Pessoa de Brito trocar de companhia.
- Ao Srs. presidente e membros do conselho
de qualificacio da guarda nacional do Bonito.-0
Exm. presidente da provincia manda acensar o
recebtmento do oflicio de Yv. S&, de 11 do corren
te, em que, participam terem se linalisadoos Ira
balhos do conselho de reviso da qualificacio da
guarda nacional do municipio do Bonito, do qual
* v. Ss. li erara parle.
Ao 2 supplenle do juiz municipal do termo
d'Agus BellasjDeodato Rolamber d'Albuquerque.
O Exm. Sr. presidente da provincia mas la ac-
cus ir o recebimento do oflicio de V. S., de 3 do
corrente, participando ter nesta data a-sumido o
exercicio do caigo de juiz municipal do termo do
Aguas Bellas, como 2.' supplenle.
- Ao i. supjleme de juiz municipal e de or-
phos do termo de Garanhuns, Joo Correa Hrasil.
0 Exm. Sr. presidente da provincia manda ac-
cusar o recebimento do oflicio de V. S.. de 2) do
mez lindo, em que participa ter nes-a data passa-
do a exercer o cargo de juiz municipal e de or-
phos do termo de Garanhuns, como I. sup-
pleute.
3.' seccao.
Oflicio :
Ao iiispeclor da thesouraria provincial. 0
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
nicar a V. S. que nesta data reslveu julgar sem
eflcilo a portara de 28 de maio ultimo ua parle
que nomeia o major Autonio Marques de Albu-
querque Cavalcanle, capitao Dorindo da Cunha
Lima, Turiuo Nunes dos Reis Campello e Pon-
ciauo Camello de Siqueira Cavalcanle, para os lu-
gares o |. de fiscal interino, o 2. de collector, 6
3." de escrivo e o 4 de cobrador, ludo da collec-
toria do municipio de Buique, e bem assim nu
meou para a mesma collectoria os cidados segun-
tes : fiscal interino, teuente-coronel Manoel Ca-
mello Pessoa Cavalcanle; collectjr, Antonio Ca-
valcanle de Anlrade ; escrvio, Antonio Cesar de
Vasconcellos Ribeiro Campos ; cobrador, Joaquim
de Albuquerque Cavalcanle.
4.' seccao.
Oflicio :
Por esta secretaria se communica ao Sr.
Joaquim Pereira da Silva, que segundo consta de
aviso do ministerio do imperio de 31 de maio ul
limo, resolveu o governo imperial, vista da in-
furmaco prestada pela thesouraria de fazenda, in-
defenr o requerimento em que o mesmo Sr. pedia
o pagamento da quautia de 89*000 como grali-
licarao a que se diz com direilo pelo tratamento
dos indigentes accoma:ettidos da varila na fre-
guezia de Agua-Prela.
5.* secciio.
Offlcios :
Ao engenheiro das obras publicas geraes.
De ordem de S. Exc. o Sr. presdeme da provincia
declaro a V. S. que nesta dala fui submeltido ao
governo imperial o objecto do seu oflicio de 2 do
corrente.
Ao Dr. Symphrouk) Cezar Coutinho. -Com-
munico a V., para reu conhecimeulo e de ordem
do Exm. Sr. presidente da provincia, que por acto
desta dala foi V. S. exonerado do cargo de mem-
bro da commissao encarregada de examinar e dar
parecer sobte os aparelhos da companhia
Recife Drainage, segundo solicitou em seu oflicio
de 20 do correnle.
Aos ageules da companhia de navegado bra-
sileira. Podem Vv. Ss. fazer seguir hoje s
5 horas da tarde para os porfl'do norte o vipor
Guar, dessa companhia, chega'do bontem dos do
Sul; o que communico a Vv. Ss., de ordem do
Exm. Sr. presdeme da provincia e em resposta
ao seu oflicio de 22 do crrenle.
EXTERIOR.
4 i-i-<-<.poii Diario de l'eruaiubuco.
VIE.NNA D'AI'STIUA, 19 DEAGOSfOD* 1873.
Em urna das pri neras cartas que Ibe dirig,
noticiando toscamente o que por aqu ia com refe-
rencia ao grande certamen das artos, scieucias e
industrias, pronunciei juizo desfavoravel expusi-
c,o purlugueza.
Quando asrira pensava, nao eslavara concluidos
os Irabalh >s da seccao d'aquella naco, e guorava
eu a existencia da parle mais importante da sua
exposigao era um pavilho, anda em eonstruccao,
fra do palacio : alm disto, muitos oujectos
d'aquella seccao erain confundidos cora os
da despalillla, que se achavam uns ao lado dos
outros ua mesma galera, e por forma quo como
taes erara considerados por muitos visitamos. Eu-
lo pareceu-me rauilo ridicula a exposicao portu-
gueza.
Hoje, porm, devido aos eforcos inauditos
de ura patriota porluguez, o conselheiro Fradesso,
Portugal se apreseuta de modo lisongeiro na gran-
de arena em que se iravuu a lula do irabalho e
da iudustria; e depois que assisti o julgamenlo
dos seus productos pelo grande jury internacional,
pede a justiea e manda o dever que retire aquelle
meujuizo; oque fago sem o menor contrangi-
mento, pois que nunca rae animou odio ou ou-
iro qualquer scnlimenlo de averso aos portu-
guezes.
O ineu juizo fura simplesmenle gerado pela des-
agrada billissma iaipresso que ento me causou
o que suppunlia exposicao portuguesa.
Anda algumas palavras sobre este assumplo.
0 conselheiro Fradesso muito merece de sua pa-
uia, pois a elle e lo somonte a elle d ve Portugal
o nao ter ficado abaixo do paiz menos adiautado
era civilisaco
Era preciso estar aqu, e ver, como eu vi, os es-
foreos que fez esie horaem de vontade de ferro, e
de patriotismo iuveiavel.
Sozinho, leudo apenas uns dous auxiliares su-
balternos, o hornera inultiplicava-se.
Adrairava ver como elle poda acudir, a todo o
momento, aos reclamos dos diflerentes grupos, em
pie se dividi e subdividio o jury, e que pediam
minuciosas infurinacoes sobre os objeclus expos-
tos.
Nem ura dos cidados Humeados para compo-
rem o jury por parle dePortugal, compareceu; por
consegrante, sobre o conselheiro Fradesso pesou
todo o irabalho, como j havia pesado na organi-
saco da exposicao era Portugal, e na exhbico
de seus productos nesta capital.
/ O resultada de to grande ldar nao se fez espe-
rar por rauilo lempo. 0 conselheiro Fradesso foi
pouco a pouco detiuliaudo e enfraquecendo, e, ao
acabarem se os trabadlos do jury, cabio no leilo
atacado de molestia que pje em perigo a sua exis-
leuca.
SolTre de uraa dyspepsia, v;ompanhada de dy-
senteria, molestia ja em si grave, e mais grave
anda ora um clima como o de Vienna.
Continuara os ueudios devorar casas,
quarleiroes inteiros, e al povoaces era diversos
pontos do continente europeu. Nesta cidade ha
um mez, que todas as nuiles eslo os bombeiros
em continuo movimento: muitas povoaces lera
desapparecido.
Ante-hornera annuaciou o telegrapho elc-
trico que a cidade de Chrzanow na Craovia foi
completamente destruida por um incendio.
Couiiuuain alguns jornaes estrangeiros a es-
palhar a aterradora noticia, de que o c olera fu
estragos nesta cidade, o que tem concorrido para
grande diminuicao de visitantes exposicao, jus-
tamente na quadra em que se esperava foi-e ella
immensa. Nao exacta esta noticia. O estado
sanitario de Vienna nada tem de extraordinari >:
as molestias reinantes, e a mortalidade s i iguaes
as do anno anterior na mesma poca.
A estaco do calor, que comecou forte, tem se
tornado branda e agradavel do du 15 em diaate.
A iQstrucQo publica meroce seria altencao do
governo austraco, que procura po 'a ao alcance
de todas as classes da soci dade.
Vienna conla os seguimos estabo ecimentos de
inslMiccao publica :
95escolas de instruocao primaria, sustonladas
peas municipalidades, e frequenladas por mais de
45 mil educandos.
ti collegios para meninas.
7 ditos para meninos.
9 escolas de leitura.
) dilas do osc ipta.
ditas de commercio.
95 dilas d d>8dnho e mtt-ica.
Hl Gjinnasios.
4 seminarios.
1 cllegio com aulas de linguas di ver as.
I couvemo co.n aulas o liiigii.is diversas.
Urna uiliversidade, cora 50 prufessores e 13 mil
estudaoles.
Com estes eslabeleciraeiito* despen lera os co-
fres pblicos animalmente a swnm.l de 1:050:000
florius (130:0004000 de nossa nioda.)
Trata-se da crea.;o de mais 46 escolas pri-
marlas.
Realisou-se na noiie de 16 do corrente a fes
la seini-campestre, dada p da municipalidad de
Vienna aos membros do grande jurv e aos expo-
sitores.
A parte mais bella e interessante d 1 jar I m do
Sladtpark entre o Cursalon e o lago foi destinada
para passeio. Eslava perfei la mente illuminada
por meio de grandes candelabros a gaz, lnbas de
pequoninos balos de cores variada*, e por dous
focos de luz elctrica, enllocados no fronlo d
Cursulon (bello edificio coustruido por Garbem,
cora uina rica sala para concertos e um caf) Foi
no j.irdim que se reunirara os convidados era nu-
mero superior a rail pessas, e all se OMierva-
rain em amistosas palestras e passeios al epois
de meia noite. m l|iuns punios do jardim, as-
sim comii era nina das salas do Canaln haviam
bufis com abundantes e variadas iguarias : no
ResUi*rant, que abi ha, e em oulros pontos, bebi-
das espirituosas, refrescos de diflerentes fructa-,
e sorveks, disposco dos convivas. Una or
chestra, regida pelo maestro J. Straus, e duas ban-
das militares ("cavara, a priineira, no salo de
honra, o as mitras, era palanques no jardim. A
xcepcio de um certo numero de pessoasdo mun-
do ollictal, lod.i.s os convdalo', inclusive as se-
nhoras, (raziara toilettes ligeiros. proprio da es-
laco do vero. *
Nao havia luxo.
A's 9 horas da noile comparecen o bourg-ines-
tre da cidade. (rajando em grande gala ; oceupou
o aigar que llie ora de-unado no salo da men-
cionada Cursalon, e encarregou se das honras da
casa, recebendo com muita amablidade os seus
hospedes.
Pouco depois delle chegaram muitos persona-
gens da alta arittucracia de Vienna, e, entre ou-
-tros os emb.iixadonis e miuistros de diversas na-
ees. os arcliiduques Regnier e Carlos Alberto,
que (orara receidos ao soin do hymno nacional
au.-iriaco
Os archiduques pouco teuip > se demoraram no
salo de honra, e vieran para o jardim tomar
parte na grande reunio quo all se linha for-
mado.
Alguns ogos de Bengala, atoados beira do la-
g produziam de quando era vez, eucantadora
mutacao na rlaridade projectada pelas luzes elc-
tricas.
A' meia noile comecou a disprsar-se a reunio,
retirindojc todos rauilo alegres, e gratos hos-
pilalidade da cidade de Vianna, na paella noite re-
presentada pelos membros da sua edilidade.
Honluin festeiou-se o anuiversario natalicio
do impeador Francisco Jos.
As o horas da maiih a fortaleza do Schmelz
aalvou gora 2i tiros.
As 7 horas da inanh cantou-se um Te-Deum
Lan'imus, com assistencia da corte ; e formaram
em grande parada as tropas da guarnico da cida
de, que foram favorecidas por um excelleute
tempu.
O archiduque Carlos Luiz presidio a estas cere
rnonias na ausencia do imperador, que fra pas-
sar este dia no seio de sua familia em Ischl, como
costuraa fazer todos os andos-
O principe e p inceza de Joinville e a du-
queza de Cubiirgo-Gotha, que ha das visitaran)
a oxpo-^-o, partirn) anlo-hoiitein para Iscbl.
O principe Alberto, o herdeiro da cora da
Saxonia, e sua esposa, a princeza Caroliaa, erara
esperados h miera uesta cidade : devero residir,
emquanto aqu se demorar -.mi, nocastello d'Helzen-
dorf.
As revistas e exerccios militares nao ees-
san nesta cidade e em toda a parte aonde ha
tropa.
i aperador, depcis de pequea demora em
Ischl, e em Gisceiu, ir a Czornaliora e a Blume-
nau assistir s manobras militare-.
O archiduque Alberto vai inspeccionar as gijar-
niedes de diversas fortalezas. Finalmente pde-
se dizer que a Alleraaaba, a Austria e a Russa
e-to, como diz o vulgo, cora as mos nos galilhos
das espingardas. A primeira concentra todos os
seus esforcos no melhoramonlo do seu exercito
e no aperfeicoameuto de suas armas de guerra ;
as outras procurara apenas acompanha-la. Qual
ser o desfecho iiual, so Deus o pode saber.
Semp e os suicidios. As formas mais predi-
lectas sao, a eslrangulacao pela corda e o re
wolver.
Aiite-liontem. um rico proprietario de Fasan
gas.-e, chamado A. Kunz, moco, casado haviam
apenas nove mezes, enfureou-se na d..bradica da
porta do quarto em que dorma : atlrbue-se o
fado a desgostos doinesticos.
Hoalera, Antonio uchat-chek. morador era
Wieden, Hanpistrasse n. 11, enfuicou se, ignoran-
do-se o motivo que o levuu a este acto de loucura.
< Um empregado publico, que resida no hotel
garni de Flecunarkl u. 16, foi consultar ura me-
dico sobre urna molestia que o atorraenlava, e
perdendo a es'peranca de curar se, disparou um
rewolver sobre o peilo, de que rosullou Ibe um
fdrimemo grave.
Seria um nunca aC'ibar se mencionarse todo
os casos que diariamente se do n sla cidade.
Hontera. urna hora da tarde, celcbrou-se
a ceremonia da leitura dos premios conferidos pelo
Graude Jury Internacional aos expositores. Teve
lugar e.-te acto no palacio Hofburg.no salo de-
nominado Maneje (escola de equitaco) e foi presi-
dido pelo irmo do imperador, o archiduque Car-
los Luiz, assistido pelos archiduques Regnier e
Garlos Alberto.
Estiveram presentes quasi todos os membros das
diflerentes coramissdes estranferas da exposicao,
o ministerio, o corpo diplomtico, offlcaes gene-
raes o outras pessuas grada?, presentes era Vi-
enna.
As tribunas eram oceupadas por muitas se-
nhuras, e as galeras por expositores e convida
dos de diflerentes hierarchiaa.
Consisti toda a ceremonia na leitura de ura
pequeo discurso pelo archiduque Carlos, a que
respondeu o ministro da agricultura : seguio-se-
Ihe o Bario Sehwarte, director da exposicao, que
flnalisou, leudo a lista d >s diplomas de raero.
Notou-se muita frieza, e certo desguito da parte
dos expositores.
Attribuio-se isto ausencia 'o imperador a esta
ceremonia (que em Pars foi muito imponente e.
revestida de todas u solemnidades) e .a eseolha
do local, que nao pareceu apropriado ao acto.
Una banda miniar, collocada ao vestbulo do
salo, tocou o hymno austraco, no principio eno
tira da solemniJade.
Dar-lhe-hei em resumo a lista dos premios con-
feridos ao Brasil, e por nmeros a dos grandes
diplomas de honra concedidos s nacoes que figu-
raran) ua exposicao.
Os premios foram : Diploma de honra.Meda-
Uta de progresso. -Medalha de mrito. -Medalhade
cooperacao.Med'ilia de bom gasto. Diploma de
mrito (equivalente menco honrosa).
Diplomas de honra.
I'ru.--ia 49
Saxonia 21
Ba viera 11
Wurteinberg 9
Bade 6
Batea 3
Hamborg 3
Holstein 2
Alsacia 2
Brenieu 1
Franca 80
Austria h2
Inglaterra 24
Ru-sia 18
Blgica 20
Estados Unidos 4
Italia ir;
Sueca e Noruega 8
Hespanha 7
Sujsta 22
Hollanda 5
Brasil 2
Dinamarca 2
Japo 0
Turqua 2
China 2
Portugal 1
Roumania 1
Grecia 1
Egypto 1
Ao Brasil loram mais conferidos c
premios: Mcdalhas de progresso

Medalhas de ment
Medalhas de co*peraco
Medalhas de bom goslo
Diplomas de mrito
Expositores braseiros quo concorre-
rain expsito
A essa provincia tocaram :
Medalhas de progresso
Medalhas de mrito
Medalhas do cooperador
Diplomas de mrito
Totai
y. Exposiloros
26
87
7
1
78
336
mrito.
(dous).
ib
4
16
1
15
36
49
A saber :
2* GRUPO.
Agricultura, Itorticultura e silvicultura.
Dr. Venancio Cavalcanle de Albuquerque. Di-
ploma de mrito.
Anlonio Leilo ds Magalhes Bastos.dem.
Coronel Coriolano Vellozo da Silveira. -dem.
Augusto Frcdericu de Lacerda. Medalha de
mrito.
Baro do Buique. -Medalha de progresso.
Provincia de Pernambuco (commissao da expo
jeto).Diploma de mrito.
Commissao da exposicao provincial.Idem.
3o GRUPO.
industria chimica.
Antonio Joaquim de Vasconcellos. Medalha de
mrito.
Augu-to Caors.dem
Ferreira Maia & C. -dem.
Ferroi a A C.Diploma de WUritO.
Provincia de Pernambuco.- dem.
4" GRUPO.
Substancias alimenticias e de consumo, asuica
res, fculas, etc., etc., etc.
Manoel Gonoalves Peona. Diploma de
Coronel Jos Flix da Cmara Pimentel
dem.
Gabriel Antonio. -dem.
Coiumissau da exposicao.Dh.js medalh'ts
merfo.
Livro do Sotiza e Silva.-Diploma de mrito.
Raro do Livraniento. Medalha de progresso.
Manoel Al es de Souza.Medalha de mrito.
Augusto Xavier da alalha. dem.
Augusto Rulino de Alraeida.Medalha de pro-
gi essn.
O mesan.Medalha de mrito.
Dr. Lourenco B. Carnero da Cunha.-dem.
Tliomaz Lins de Barros Wanderley.-Wew.
Autunio Pedro Ferreira & CMedalha de pro-
giesso.
Galdno Ferreira Gomes.Diploma de mrito.
Coronel Coriloano Vellozo da Silveira. dem.
Sebaslio Antonio Acciol Lins Wanderley.
dem.
Antonio Maia de Brfto,Medalha de tnerito.
5o GRUPO.
Industria de tecidos e seus vi eparados.
Puto & Goncalves,Afeda/Ac demerito.
Provincia de Pernambuco. dem.
8." BUFO.
Industrii de tmdeiras. .
Arsenal de marinha.-r-Dipiow de ment.
Adolpho Harmes, (artista do dito a seal). Me-
dalha de cooperacao equivalente de ment)
11." GRUPO.
Artes graphlcas, esc ul piaras, desenlies industriis.
Antonio Ricardi.Medalha de mrito
Os assucares dessa provincia chegaram ex-
posicao rauilo estragados. O excedente assucar
do engenho Gaypi, mudou a cr para um ama-
relio sujo, e absirveu muita humidade. Os vinbos
de caj arruiuaram se^bera como as cervejas, que
licaram iutragaveis.
Os licores e xa opes de Antonio Pedro Ferreira
& C, porm, conservaram-se perfeitos, e raerece-
iam a attenco dos professonaes. que compunham
a secco do jury encarregada do julgaracnto de
productos seraolhantes.
Nao tiveram superiores em loda a exposicao, e
rivaiisaram com os das inelhoros fabricas euro-
peas.
As agurdenles de canna de diflerentes ex-
posit res nao agradaran) : do preferencia s de-
nominadas laranginhas.
O algodo amarello (algodo caboclo) exposto
pelo baro de Buique foi multo admirada, e con-
siderado excedente.
Alguns fabricantes de tecidos desejavam ler
grande porciu-delle para certas experiencias.
0 sabao da fabrica de Antonio Joaquim de
Vasconcellos foi julgado muito bom par o- lim que
destinado, e rivalisou com os similares de p o-
cedencia hespanhola.
23 de agosto.
Grande fui a concurrencia de visitantes ex-
posicao no dia de hontem.
Os differentcs torniquetes deram a somma mais
de cera mil pessoa*. Este augmento foi devido aos
divertiineulos anuunciados para aquelle dia nos
parques e jardins da exposicao.
0 lempo eslava bello, a tarde fresca nao se
notava urna nuvem no co ; verdadeiro contraste
cora o da 20.
A orchestra de E. Straus, augnentada, e cinco
bandas militares tocavam em diversas pracas, re-
pcelas de povo : todos os restaurante, todos os
cafes, eslayam atopetados : a grande praca Mozart
aende est o pavilho da oroheslra Straus estava
to cheia de dilectantes, que difflcilmente se abra
caminho por ella-: perto de duas mil caderas,
que all haviam, estavant oceupadas, pagando-se
1 Torin por cada urna : em outros pontos o mesm
I faca se observava, avadando se em dez mil, a>
' caderas que foram alugadas.
Os parques e jardins foram Iluminados igiorm
por muitos focos de luz elctrica, p-ojeetando a-
gus a claridade sobre a Rotunda, e fachadas prin-
cipaes do palacio : as arvores dos jardins, as fon-
tes, os lagos, os repuchos, as alamedas, os pavi-
IhSes, eslavam Iluminados por diversas formas, o
de modo encantador : os altos jorros dos dous
grandes lagos da praca principal, era frente en-
trada do palacio, eram illuminados por fogos de
Rengada de diversas cores, o que era de muito
eflto.
A's 9 horas accendaram se ds mesmos fogos,
em grande numero, em t da a extenso da frente
do palacio da exposicao, mudndose de repente a
cor da athmosphera para vermelho, o qne produ-
zo agradavel sorprendente vista.
Adrairava ver moverse aquella immensa mas
de povo na maior ordem possivel, sem que se ou-
visse um grito, ura assovio, a menor desorden.
Fra da exposicao, no Prater, algumas illumina-
coes bem lindas tinham sido preparadas. A tur
elctrica do pha ol, do qual rae oceupei cm ama
das minhas primeiras cartas, projectava seus raos
sobre urna grande exien A retirada desta inmensa multido se fez sem
a menor novidade, e sem que houvesse urna rix.
ou nina desurdoin a registrar.
A estrada naquelle dia custava 50 kreuzer (5
tostoes da nossa moeda.
Assisti hoje pi las 7 horas da"manb.' urna
! revista de dez mil homens de infamara e "avalla-
ra (formados na planicie de Scnmeltz), passada
pelo imperador Francisco lose, que era acampa-
iihado pelo principe da Saxonia.
All v u nosso distincto compatriota o coronel
Tiburcio, que aqu est em commissao do minis-
terio da guerra, o qne estuda os melhoramentos
fetos as diflerentes armas pe-as nacoes mais adiau
tadas na arte da guerra.
Consta-me ter chegado a Paris o nosso esti-
mavel comprovinciano, o Baro do l.ivramenlo, e
que bre veniente visitar esta capital. Creio que da
sua visita s principaos captaes da Europa lhe
resultar grande pnvelo, e que a nossa provin-
cia tambera participar delles.
Um hornera da tempera do Raro do Livramento,
industrioso e emprehendedor de grandes obras,
como elle deve per si mesmo vir julgar do
grande adia a lamento qua levara as diversas indus-
trias nesle vel o mundo, e pessoalmente pr-se em
relacoes com os grandes centros commerciaes e
industriaes da Europa.
O imperador Francisco Jos, j voltou da
viagem a Ischl, e chegou a Schonbrunn na manh
do dia 20.
s jornaes, que se julgam bem informados,
annuuciam que a rainha da Grecia, a princeza
Olga, partir de Athenas no dia 28 do corrente e
chegar aqui no dia dous do prximo setembro.
MAgoxARiA. Vejam ahi como por c proce-
den) as autoridades ecclesiasticas ajrcspeilo dos
macuns.
fto dia 16 do corrente em Gratz teve lugar o
ente ramento de um franco-inacpn, notavel por
seus serviros maconaria ; o acompanhamento foi
grande, e a sepultura deu-se em un cemitero ca-
tdico. Apenas a autoridade ecclesiastca pedio
que nao se recitassem oracoes maconicas (discur-
sos) denlro do cemitero : ro obdecida. O presti-
to fnebre parou a alguraa distancia, e Mr. Taus-
ebJnsky. pronunciou a oraco fnebre do rito ina-
Qonico, que pertenca o defunto, e proseguindi
deram-dio sepuiluri no cemitero.
Nem excommunhes foram laucadas, nem re-
cl:macoes appareceram, e muito menos se prtur-
bou a paz dos tmulos, mandndose interdizer o-
cemitero. (II)
Porque proceden) lao dillerenleraenle os bispos
no Brasil '
Ser diferente a maconaria brasileira da ipos-
tolca auslriaca I
Ou ser porque a Austria conla o seu exercito
por centenas de militares i
A Austria est bem perto de Roma, e fcilmen-
te os seus bispos loinam conselho. E porque
aconselha se para Pernambuco, que se continu
na perseguieo maconaria, e para a Austria que
se feche os odios e se deixe em paz os maconsT
Esta contradicQio pode por era perigo a crenr-i
na infalibilidade.
O imperador da Allemanha, deu em Gasteiu
(onde se acha em uso de banbos thermaes) um
jantar no dia dos annos do imperador Francisco
Jos. (18). Entre outros personagens austracos,,
presentes em Gasten, foram convidados o
conde de Beust, o feld-raarechal conde de Clam
Gallas, conde de Paar, conde de Gondrecourt, con-
de do Morzn, principe do Rohan e o bispo d'Ofen.
Um congresso internacional para oceupar-
se dos melhoramentos das nstituiQoes, em benert-
eioo- cegos, acaba de inslaHar-se nesta capital.
0 presidente abri a primeira sesso com um dis-
curso em que fez o histrico de todas as institu-
55es conhecidas nara semelhantes infelizes. Se-
gundo a sua opiniao, foi o duque Wolf VI quera
fundou o primeiro eslabelecimento para cegos
em 1878.
Um jornal inglez pQblicou urna estatistca
dos casos de morle pjr forae, em Londres. Diz
elle que na diviso central de Miaddlesex morre-
ram 83 pessoaes por falla de alimento ; na divi-
so do mesmo 13 ; na Cit 1 ; no bourg de South
wark 1.
Agesto 26.
A mana do suicidio ja vai accommeltendo o
sexo feminino> Urna pobre inulher, rali de de*
fllhos, moradora no Karntner-slrSsse (ra ao lado
da Opera) poz termo existencia na manh de
um dos das da semana passada, bebendo urna
p Tco de arsnico. Igbora-se o motivo que a le-
vou a este acto.
X adminstraco dos telegraphos deste impe-
rio acaba de por disposico do publico, alm
dos sellos avulsos, folhas de papel com sellos adhe-
rentes, bastando ench-las e remette-las ao es-
criptorio do telegrapho mais prximo da residen-
cia da pessoa que ex pede o despacho.
0 custo de um despacho de vinle palavras
de 50 kreutzer (500 ris) para toda a extenso do
imperio austro-nnngaro. ]
A cmara municipal desta cidade acaba de
crear mais ura novo imposto sobre os cavados e
carruageng de luxo.
Mais incendios I!
A's 4 horas da madrugada do dia 23 foram des-
pertados os moradores da Raiaegasse pelos grito
de fogo I fogo I Era a casa n. 16 que lava em
chammas : sahiaui ellas de um armazcm de espe
ciaras no andar terreo. leos, essencias, sebo.
velas, ludo ajudava o progresn do incendio, quo
ameacava tragar todo o luarteiio. Com rapidez
adiuiravel chegaram os bjmboiros dos diflerentes
postos da cidade, e com tanta energa atacaram o
fogo, que em poucas horas esltva elle dominado.
al se iam retirando, quando o alvicareiro da
torre de Sanio Estevao annunciou incendio em-
Muhlschutti, arrabalde da cidade. Para l foram,
a b m correr, a ajudar os compsnhoiros dos pos-
tos dos arrabaldes, a conler o Dintenlo devorader
ue j navia consumido as estribaras e granjas
e urna propredade rural.
Esto' designados os das 10, 11 e 12 de se-
tembro para grandes manobras militares, em que
toraario parte todas as guarnicoes da Alta Aus-
tria, do snl da Bohemhv e de Salzbourg. Tsrb
logar em Lints, em preseoca do imperador, que
durante este teropo ahi residir no seu casteflo d-.
recrelo.

r
.
-

1


_J.



2
i>fcrfa,fojPenmmbucQ -# er^i*ra4 de SetembtO de 1673.
!'
Umnffl
Hubcrt Rid
li.rccolheu
mir, e all
.V) estrondo __
sem poierem vaBr:mS" os soccorros', por torera
*ido cortadas as artefws^carctidas. O- infelizcon-
tava apenas 30 annos incoriipletos.
Altribue se o suiridifealgjgost oee.ler que-
brado ura tio coinm4rbi*nlr' que Rio illna utna
pensao.
- Urna dansarina do TIiealro.de Vicnna {Tlied-
lie an der Ven) nialommseUfe^iina W.alter aci-
bara do vestir se, c para ver u seu toilette fi
procurar o ospclhoaue Ihe Ijiav em oulro ponto;
este acto os f iNifc do sou vestid i de gaze toca-
ran) 'chamtna de urna vela, o iacendiaram -se :
a eosturera (pie ajiiava ;. \e-tir a dansnvn,
quii apagar as ehannoas a>rayanjj>se com olla,
as a infeliz tomada de grande terror, Tugio Ihe
tos bracos, o lancea a correr por urna oseada a
tntxo ; e quando Coi soceorrida por diversos ira
balhadore* do theatro, que a laucaran) por trra
v acobriram com pannos nu-IIaiWi- ri cor-
ito era trin clngi. THorre no diajsegnlffte.
Acaba de morrer o cehonre medico l?r. Ober-
ineyer, victima de seu anuir setencia, pie pro-
essava.
Sustentara elle que a sede nada cholera, era nos orgios do apparelho dics-
livo, e que a mussa do sangue era rocada leve-
mente do principio mrbido, que fcilmente des-
apparecsa (liante de urna medicaco 'regular. Para
provar esta propusifao tao iluvi loa cm facer om
sipeoprio a experiencia da Torca d principio
mrbido cuntido no sangue de um cholenco. Ef
fecttoanienle fez em sais vi; a .trausfuso do
singue de um atacado desta eiCerrodadc, c con-
tra as suas previ-oes o mal se desenvolveu com
nda a forya, Icvando-o sepultura em poucas lio
ras de crois soirrimentos. Foram baldados es
csJoryos di seus amigos o coilegas para satvircra
uu. Este aeouterimento tuve lugar em Lemberg,
lia poucos dias.
O coigres'i medico internacional que devo
reunirse nesta cidade, -comecar as suas sessoes
no dia t) do prximo mez de Retetnb.ro. Por parte
do Brasil figararo, o Dr. Joo Joaquina Pizarro,
Dr. Joaqun) Monteiro Caminho e o Dr. nenia
min Frankln, membros adjuntos da cmmso
brasileira da exposicao. Um dos aSiUinptos a
discuiir ser As qtareulenas sao uteis e ne
cc.-sarias? Seguir-se-Lo oulras quest'Vs
sobre as epidemias.
O Danubio, jornal viennens?. publcou a se-
grale cstalisca das rayas quepovoain o mundo.
Haca latina.
Franceze*
oigas, wallans
Sll'lSS.iS
Hespaoues
l'ol tuguezes
Italianos
11 l.llll.UliiS
Fraocezes do Canad
Francez es Jas Anilinas
BrasMefro*
Hosnatihos americanos .
^'Aijkjmii reconhecdos vereadoresdfflnnajw.*>,
' tiieipol 46 Jaboato, em virtude da respectiva elei-
36,000:001
2,201): (00
800:000
1\000:''0:>
V, 500:000
20,000:000
8, 1,350:00
1,000:0.'0
11,000: 0i
32,0 0:000
Total
Rara germnica.
Al lema es
Austracos allcmes
flnllandeses e flaniengos
SttMQS allenUes
S-audinavos
Total
1TO,0'JO:000
iO,O0O:--OO
!! I);l0:0t0
ti.0.)0:0P0
1.80:i;0.M
8,000:000
Raca ingleza ou cello-germnica.
Gl,8O0:O0it
LlflCZ 'S, escissees e i:l;ir)d''Z>S
Vnericanos do norte
':inad''!ises lllglezes
Australienses
DjversJ
Busm
Slavos d i l'i ;s
3I,0"0:000
11,000:000
2.300:000
;i.0.iu:''0()
r.ooo.ooo
78,j00:000
81,000:000
ia, Austria ejurjuia *i,"i0:(:00
lia
Total
a slava.
de preparados emiheeidos poto nonrc do mW/jt$(,.i
d'jquipagt, para servirem de-termo de compara^S'j
no novo concurso a que vai proceder'so de Im.rta-
liees nacionaes preparadas segundo o svstema.i mente a .marcha interna n "tenia i
francez. poltico* eoiBotercia s da riaeif4rg.
Consta que Portugal fbi contemplado no grande
llamen no Vicnna d'Austria. Com urna grande
certamen no vicnna n Ansiria, com urna gr
medallia do honra, 191 medalhaa, e 193 diploma*
do mrito. Os grupos onde houve, maior numero
de premios, foram o 2." ( agricultura, horticultura,
exproraeio e industria florestal); o 4." (substan-
tias aHraenticias, incluindo bebidas ) o o K.* gru-
po (industria das malarias textis, obras de agulha,
etc. ) Dcram-se 30 medaltiai aos cooperadores.
6s oatros gruoos cm que hbuve premios foram 1",
3, 6', 7', 8, 9-, 11", 12", l\, 18-, 21 c 26'. Alm
disso houve 3 mcdalbas addlelonae*.
Reuni o ministerio .las obras publicas a com-
missao central directora dos trabalhos preparato-
M6s da cx''isicart universal de Vicnna, atlm le|%Gile?safatienda.
Total
iO."i,000:000
Uesuiniinlo estas cifras, ver-se-ha que a rafa
latina oecupa o primciro lugar com 139 milhSes ;
a raca slava o segando com 10) milhdes, a ingleza
0 terceir* com 78 inlioe.-', c a germnica o quarto
c mi 6o milhdes.
Quanios sec.ilos serSo proci?os para esta ultima
raca abs rver a primeira f
O principe Miln da Servia esperado a.
cada momento nesta etdade. Preparan)-se para
Mil residencia ricos aposentos no palacio das H>
aagat>
- Hontem honvc iim grande jantar em Seto-
bruna, d ido pelo imperador Francisco Jos ao
principe henloiro da Saxoois.
Mai* doos snWdios nesta semana.
Gustavo Spriugcr, caixa do banco austraco,
lentos sui.-idar-se, disparando una pistola no pel-
lo c.-quenl >, yne llie causn um ferimento grave.
Altribue se o fado a ler elle soffrido perdas em
iK'pociacoe* na Holsa.
I'ni medico, mnitu conhecido a'|ui como pro-
lecJur dos charlatet, o Dr. A. Randnilz, fol'en-
1 utrad i ante hontem enforcado no quarto cm
ijise morava em Favoritcnstrane n. 27.
A. He.4.
(Jri-c.po(leiica lo Diario Periiaiubiico.
PORTUGAL.
LISBOA, 2 DK SETUmitO DE 1873.
i'hegaram a Lisboa os voluntarios galaicos.quc
foram desarmados ao invadir afronteira porttigue-
za, e a que me referi na minha ultima. Sao pela
maior parte Imberbes, vindo extremamente cania-
Jos peas longas marchas que lizeram. Ficaram
alojados na torre de S. Juliao da barr, para onde
foram em fainas, convenientemente rebocadas por
vapores de reboque. Se cm numero de 22.1
Foram aompanhado? por urna forja de 100 pra-
vas de infamara.
O agente da companhiadoscaminhos de ferro de
Macano, no Porto, o Sr. Joaquim Imarte de Mallos,
dirigi urna proposta ao governo portugus, tenden-
te a aminorar a sorte daquelles infelizes. Vera a ser
consentir o governo que elles, querendo, vao ira-
balhar naquella estrada de ferro, mediante um
corto numero de condicoes. O governo, de com-
raitm acord com o ministro hespanhol, e com s
intpressados aceitou a proposta. As bases do con-
trato sao : dar o governo portuguez, de accordo
com o hespanhol, 50* para a passagem, em vapor,
de cada nm dos emigrados, e dar ao Sr. Mallos
9/000 para vestuario de cada um. A er.mpanh a
garante a cada emigrado, e p .r dia til de raba-
lho, o satirio de 2f000, moeda fraca. Seguem o
seu destino brevemente, n'um do* paquetes do
Pacifico.
Vieram a Lisboa uns agentes inglezes. com o
dcstii de comprar vinhos portuguezes, de grada-
cao alcoolica, nao inferior a II por cento. Adqui-
rirn) j urnas 2,00:i pipas n'nm valor superior a
70 cuntes de reis.
A actual companhia dos caminhos de ferro ame-
ricanos d Porto traspassou as snas tinhas pela
quantia de 300 contos de ris, divididos em accoes
de iOO^OOO A nova onipreza de capitalistas
eonhe?idos, e presidida pelo Sr. Mello e Faro, vin-
do ha pouco do Rio de Janeiro.
A commisso do inqnerito mandada reunir para
conhecer quaes as causas do incendio da offlcina
de capsulara da f .brica de armas de Lisboa, foi
do parecer que o fog i (m casual e occasiohado
pelo fogo da chaminc da estufa, que foi communi-
cado s asnas da offlcina.
Est nomeada a commisso mixta que ha de
propr o ponto de gacSo de urna estrada que d,
futuro se ha do construir em Fortugal, com a que
o fQvern hespanhol intenta abrir eiit e Orense e
a fronteira. Por parle de Portugal, sao doas ca-
pitaes da engenheiros; pela outra parte m com-
mandaute daquella arma.
Jlouve no domingo, li do mez prximo liado,
oatra regata de botes e canoas, em frente do ater-
ro da Boa Anta. Distriburam-se doze premios.
Terminou a festa fluvial cora um bom jantar
dado a bordo do hiate embanderado que serva
de baliza no torneio.
Foi ahert concurso para o provmento de 383
cadeiras do insrucyao primaria (1." grao) de um
e outro sexo ; abragndo continente e anas.
A traslaiaeao dos reatos mortaes do juriscon-
sulto, Paschoal Jos de Mello Freir, de ue fallei
na minha ultima corfspondncia, foi imponente.
A mijsa celebrada na capella do'cemiterio oca-
dental de Lisboa assistiram, alnr de graJe nu-
mero de socios da assoeiatSo do i advogadas, ratti-
tos jaizes de 1.' e ?. Instancia, de Lisboa, d su-
premo triuaal de iustica, e amara manlcTpal"
Fez ora btiloafite discurso secreUrio da'associa-
fe, o Sr. Paulo Midosl. Os otss de Fschoal
estavam encerrados n'um eleganlj cofre de madei-
ra, pulido e de enlames magnficos, sondo todo por
dentro forrado de grossa folba do zinco. 0 jazlgo
lera lugar para seis caixSes, dtlnando-o a asso-
iaeaspaia nm pequeo paolhecn, aQm de se po-
tratar da exposiyaq portugueza, que deve ser iain-
gurada em marpb de 1874, no Rio de Janeiro.
Presidio o ministro das obras publicas, o Sr. Car-
dozo Avellino.'
Clicgou a Lisboa o segu para os Atores, o be-
nemrito portuguez, commsndaOor Joo Francisca
Resello, memoro da colonia p Janeiro e fornecedor da c.isa imperial, c de suas
altezas.
A parceria mercantil, organisada no Porto,
* que me referi n'una das nimbas ultimas, dispoe
do capital de 300 contos de ris. A fabrica prin-
cipiar. tiaudo de 1,000 a 2.000 kilos de algoda>,
podeudo elevar a prodliceo at 4,000 kilos. O
machiuisino j est cncouiracndado em Inglaterra.
A sociedade composta dos Srs. Antonio Jos
Carneiro e Silva, Jo* Pereira Rosendo e Jrs An-
tonio Ferreira de Azevedo.
Fizerain grve em Guimaraes, alguns operarios
cutileiros, pedindo augmento de salario. Como
os patries nao annuissem ao pedido, os grevistas
voltaram para as suas officinas.
Segu rain viagem de Lisboa para Inglaterra, o
general Pierrad e mais 26 emigrados hespanhoes,
que estavam a bordo das nossas corvetas de guer-
ra ftilholmfU'Di s e Infante f). Henriquc
Foi ordenado ao governador geral da provincia
de Cabo-Verde que de hora ern dianto nao mande
depredados para a ilha de S. Vicente, daquelle ar
ebip.'lago. Isto a pedido do representante, em
Lisboa, da Brasiltaii submirine telegraph compiny.
Assislram iinmersao do cabo submarino, que
deve ligar Portugal com o imperio do Brasil, os
Srs duque de Loul, director da companhia, I).
Luit Ja Cmara Leine e Mousinho de Alba -mer-
que. Bm Carcavellos, pequ na pov lajo da cos-
a de Lisboa, onde tere lugar a operaCM, foram
deitados G00 metros de cabo, seguindo o vapor
Seine para a ilha da Madeira onde deve concluir
se a iiiinorso. O cabo parti a pencas militas
da ilha da Madeira; o vapor Sein tratava de pro-
cura 11. Transmiti esta noticia pelo vapor Mura
Pa.
A |uila consultiva de obras publicas e minas
approvou o projecto da ponle-caes para o servi-
|o da alfandega de Lisboa. Est oreada em
10:200*000.
O reconheeimenlo que o engenheiro francez. fez
acerca do trayado do caminho de ferro da Beira,
e mandado fazer pela companhia real dos cami-
nhos de ferro pqrtuguezes, j foi submettido
ao governo. Parece se o melhor trablho da-
quelle genero,' comparando-o com os estudos
anlogos j feit>*. Depos do approvado pela junta
consultiva, vai-se passar ao projeeto definitivo, feto
par aquella mssma companhia.
,i ece que o governo portuguez vai fazer acqui-
sifio de nina bomba Oactuaate desuada a pres-
tar soccorros tant) a navi is cono a edificios situa-
dos beira do rio, no caso de Incendio. O seu
costo de H:3o0i00l proxiiHainente.
J fui entregue no ministerio da Jnstica, pelo
engenheiro Lecoc |, o projeeto e orcamento do pa-
lacio Ja jastiy) que se pretende costroir em Lis-
boa, tni lempo fallei nsssa edifieayao.
>'o di>tricto de Angola o estado sanitario re-
gular, exceptuando em Benguella, onde pessimo.
Tih'iii ultimanien e naufragado em diferentes pon
tos da costa, dous vapores pertencentcs frica
Stemn Ship Company. l)isciito-se em Loanda, o
modo como se deve estabelecer o fornecimeto de
agua para a ci.lade. Por emquanto lia muita in-
certeza, ej o governo registrn duas propnsias.
Em Loanda trata-se pir meio de urna snbscripco,
de auxilia-' a commi sao cent al Prime!ro de De-
zembro de 1040, de Lisboa, no intuito de levantar
um monumento que perpetuo aquella memnrvel
data para Portugal. Toui augmentado considera-
velniente o rendimeuto das altandegas.
Em Cabo-Verde as colr.etas esto promettedoras,
por causa das chuvas que teem cahido. O estado
sanitario, por ora, bom. Foi eleito deputad) pela
provincia, pa a a legislatura que romeca en 1878,
sem a menor opposiyao, o capito de mar e guer-
ra, Mallos Cor eia.
O dlatreto de Tmor est em completo soeego,
send) regular o estado sanitario. Chegarain de
ilo.n, mandados engaja", alguns mouros, ali:n do
ser por elles folla a polica, visto ser muito dimi-
nuta a foryi de linha.
Em Maco est quasi concluida a eatbedral
mandada reparar pelo actual governador. Pica
um templo niagestoso, como tolos os que existen
actualmente naquella cidade. lia tencao que seja
entregue devoyao dos liis, no dia 8 de dezem-
bro do correlo atino.
Comecou alli a piblicar-se um novo jornal inti-
tulado 0 Independente.
O trafico da einigraeo chinea vai cm completa
decadencia, o que causar a ruina de casas impor-
tantes daquella praca.
^ 9(fMamente efectuada, os 10*<'fr.
'''..s Ifrimtmska que afielara os mlcrrsscs coii
ias do RiRinoB-Avre, obrigando mais o thejou-
ro agrandes despesas, o perturbando profunda-
dos
i Apelar de ,Hrir. o *oc# lei^Mcs graai-
de influencia para impedir qu* se consiga a lar-
mlnayao da'gMOrra |tor acto vjpdadeiramiint^pa-
tritico, os, todav, n3o perdimos a rsmranca'
do que Os esdis*s argentinos oslrarfo, B8
vez mais, cm qnanla cansWeragi qtvjvm conser-
var-a mln'or harrnonia entre *e estafes da con-
federayao.
A caixa de crdito, estabeteametto barcario de
Rueos Ayres, i entrar em tiqaldaylo Toreada
pela fuga de seu gerente, que deixou-a grande-
iztcnte coniprom.'itfaa e su mallogradas ae|o-
piacps. Ar pfejuiao 4os accionista erarijik,
podantes e muitas casas commerciaes resentiram-
_ Bafaele Morenos'
2 Touciito coronel Jos Thoinaa Pite
Macliado Portilla
3"Dr. Manoel do Reg Barros d^Waza
Leo
d Souzajjdft--^-
sco CabHCantanil
do S e AlIjU'iuer-
Ednard-i Carneiro Lcfto
1727
mi
I6ii
Hl
IW3
I49
1004
IMudcMl- Este vapor, da linha de Liverpool,
sabio de UsMa para o nosao porto no dia 2 do
crreme, jMOmente com o Bittamti, que cIm-
goa sabbalo.
Ville ile Bahia.E t. vapor, da lmha do
Havre, devi jwcar em Lisboa, era' viagem para
nosso porto, a 5 ou 6 do corrente.
AiiMiversario.-Completa hoie 3 annos de
idade upnjneipe D. Luk,.firBo dnua4a prtacaza
0. Lcopoloa. dujuoia de Saxe.
Arrrmalarors provinclaes.No dia
18 to corrente (qulnta-felra) v3o prca, perante
a jimia da tlnwourana previnoial: o sitio dos Re-
A cmara municipal do Riofirairte dirtgiennw medios, adjudicado ftzemlapor 3:7o0500; e os
RIO ANR D < SIL.
DI\R[OL)E}JEiiN\MHUO
RECIFE, 16 DE SETEMBRO DE 1873.
noticias <1 Mil I aaperio.
De jomaos da corlo que nos foram hontem mos-
trados, extrahimos as seguimos noticias que com-
pletara a sene das trazidas pelo vapor inglez 3fn-
ycllnn.
RRPl'KL CA DO PAIAOUAY.
Dizem desta repblica que, achando-se cerca
Je sescentos imuiigrantcs inglezes em grande mi-
seria, foram soccorridos pela popularlo de forma
a evitar Ibes a morte.
REPBLICA ORIENTAL.
Foi apreseniado, na cmara dos representantes,
pela commisso de lateada, um projeeto auturisan-
do o governo a contrahif uui emprestimo em
Londres para o resgaste de toda a divida consoli-
da da repblica.
O emprestimo ;er na importancia de o,G0>.000
de 76 por cento de cmisso, juro annual de 6
por cento e I per cento de amortisayao!
A operayo projectada de incontestavel utili-
dade e conveniencia. As dividas que se tratam
e resgatar sao, qnasi todas, oneradas com o ju-
ro de 9 por cento e doze por cento.
O vapor Mazeppa ehegara ao Chuy no dia 28
cora o cabo telegraphico. E' um dos pontos da
linha que deve ligar a praca de Monteido com
a do Rio de Janeiro.
Anda nadase sabia do aereonauta Baraille, que
oomo noticiamos desapparecera na sua viagem
aerea. Corra o boato, mas sem fundamento, que
o aerstato e o seu tripolante foram cabir no
Rio Grande.
REPBLICA ARGENTINA.
A polica prosegua as avenguacSes sobre o
attentado d que ia sendo vctima o presidente da
repblica. U.a dos assassinos, o que sahira Ifle-
so, flzera, segundo consta das folhas porte nhas,
importantes depoiment?, que nao sao publicados
no interesse da causa.
Esse processo deve ser julgad pela justtCa.-"rte-
deral.
Continaava nomesmo p a guerra de Entre-
Rs. FaDava-e, porm, ultima hora em Bue-
nos-Aves d nm movlmento do exercito do Pa-
ran, que devia sabir dessa cidade ao encontr
dos jordanistas, acompanhado dos oito canh5es
prassianns. Esta noticia mesmo nao baseada
em coraraunicayo authentica.
O Tlegrapko Martimo de Montevideo diz,
referndo-se Juta civil de Entre-Rios e inter-
vencSff do govBrflo central :
0 presidente Sarmiento no ultimo anm de
seu governo tem sido l5o ponco ibti qnetah-ex
desappareceno tJa'memorta do povo argenn'np to-
dos os beneficios que promoveu, e apenas fique,
concluida a sua mlssao governatlva, a Terribr-nQa
das conseqnencias da sua poltica de intervencao.
As intrigas promovida! as provincias de
Corrientes e Santa F prennnciam novos males.
J ternpo para os estadistas desse part medi-
taren) na reapomabllidade aue tomam delxando
prrjjejfflr & TerolncJo de Entre-Bits.
Bm ontras conaVelJM menas especlaes do que
representajao ao governo imperial, .solicitando
providencias contra o grande contrabando quirt
troduzero por nossas frouteiras e diminuiyao do
dfreitos, visto adiarse mullos artigos na nova ta-
rifa que tem de vigorar do de Janeiro, dema-
siadamente sofcrecarregados.
As providencias da representacao oncerrain-se
no seguiote ^
^, l. Intervcncao diplomtica para prohibicio
ibi transito de fazendas pelas fronteiras do lita-
sil ;
2. Baixa nos direitos des artigos de contraban
do, que ao as principaes ; chitas, morras, pan-
nos, algodoc', mcas. roupa feila, calyado, etc. ;
3. Isettyao de ledos os direitos de addicio-
nacs;
4. Modiicacao na laxa dos artigos sobrecarce-
gados na tarifa.
No patacho alloman Zwei Gebruder haviam
ebegado grande parte dos raateriaes precisos a
companhia do gaz. O gazometro e mais acceso-
rius erain esperados no Julin.
OSr. George Afkins Jnior ficara encarre-
gado do consulado britanmeo na ausencia do res-
pectivo cnsul, o Sr. Raudal Calander.
Na noutede 20 do passado, achando-se pr-
ximo da barra o patacho nacional Cardia, queta
de Pernambuco, na occaso de ferrar urna vela,
calio ao mar. o mariuhero Antonio da Silva,
apezar dos esforcos empregados, nao fot possivl
salva-io.
Corra a noticia de que o Sr. conde do Por-
to-Alegrc ncliava se gravemente enfermo em 9.
Gabriel.
Fallecer em S. Jos do Norte, o tenente-co-
ronel Thpodoro Huriainaque, na idade de 80 an-
n >s, e em Campo Bom o Sr. Frederico Bier. na
idade de 92 anuos. Era um dos mais amigos co-
lonos de S. Leopoldo.
Noticia o Diario do Rio Grande :
o Araanhoreu hontem (I), aberta aportada
mesa de rendas provineiae* desta cidade.
Nao deixou indicio algum na fechadura, o
que pro va que foi cmpiegado chave falsa'oa.
garda.
O gatuno, depois de arromhar a carteira do
cliefe, archivo e ga velas, c nao encontrando di-
riheiro, retrou-se cera occasionar algum damno
nos livros, papis e mais objectus.
No qnerem desengnnar-se de que o rend-
ment da mesa reculhdi diariamente ao cofre
que existe na alfandega.
- Do Porto Alegre es revera mesma foHia :
Hontem (21), recelieu a repartiyao de obras
gnlilicfta as propostas para a eonstrucyao do caes
dessa cidade. A esse respeito diz a Reforma :
Tres foram os concurrentes :
a Os Srs. Scott & Si'mith, Miranda Castro e F.
Nones de Miranda.
Ooffrs. Seott & Shunt propoem fazer por...
1,083:000j as seguales obras : o muro do caes
de betn, aterro e calyamento com llm de largu-
ra, um guindaste volante, dous ditos lixos, duas
zorras de ca ga, encanamento do gaz e agua, tri-
Ihos de ferro ao longo do caes, vmle lampeoes,
Irinla postes de ferro, ses*enta arganeis, seis es-
cadas sendo duas duplas e a largura da ra se
elevar a 22m.
O Sr. Miranda Castro propoe fazer por......
l,3.">':00OS o muro do caes de betn e cantara na
parto superior, os postes e arganeis que forera
precisos e o aterro e calcameto scrao pagos
parte razio de USO por metro cubico do ater-
re e o por metro quadrado de calyado.
O Sr. Nones de Miranda propoe fazer por
8J0:000^ O muro do caes de betn inmerso ou
em blocs, com reveslimento do cantara da pro-
vincia, interior (fra d'agua) de alvenaria esu-
pertructura de granito, aterro e calcamento en-
tre o muro e a estacada actual, trlhos de ferro em
toda a extensio do caes, vinte o qnatro arganeis
le amarrayo, um guindaste a vapor locomovel.
cinco earrps de carga e a largura da ra ser
de 22m.
Informauvnos que esta ultima proposta a
nica que est conforme lei, tanto no preco, co-
mo na qualidade da obra.
L-se no Rio Grandense : .
Endrale. As ultimas chuvas causaran) urna
endienta orno ha muito nao temos visto.
Na nauta do da 21 de agosto eslava a Aze-
nha campo fora, cheganie a agua a maltas bra-
cas de distancia da ponte.
as ilhas fronteiras deve a enchente prodn-
zir considera veis estragos c os'rios do interior es-
tara) sem duvida todos a trasbordar.
O Diario de Pelotas pnbhcou a segrate no-
ticia :
t Tentativa* de grandes crime?. Um estiraavel
cavalheiro, residente'entre nos, obseqniou-nos
com nina carta das Alegras, lugar distante pou
cas leguas desta cidade, era que noticia haverem
alli alguns negros fgidos reunidos a outros, ten-
lado levar a effeito na noute de 10 do corrente
grandes e horriveis crimes.
Era o plano dos negros, nada mais nada me-
nos do que assassinar o Sr. Jos Vieira de Brito,
alli residente e carregar com sua joven filha
t S o acaso, a Divina Providencia, poderia fa-
zer com que nao tivessemos a mencionar no gran-
de catalogo dos crimes mais esses acontecimentos.
(i Foi o caso que o delegado de polica do ter-
mo de Piratray, Jo3o Severo d'Avila, acompanba-
do de varias pessoas e em viagem, tinhapernou-
tado essa noute em casa do Sr. Vieira, e miando
ospretos invadirn) a dita casa, elles opptfzeram
resistencia, consegrando efreetuar a prisa de-al-
guns dos assaltantes.
t A carta que vimos, accrescenta qne as auto
ridades proseguem em averiguaco^s pocraes, c
menciona haver gfnde pnico e rcelo; no logar
aond se deu esse facto.
- Do Diario do Rio Grande exfrahIrnos as se-
grales noticias :
O nosso correspondente de Canguss, em da-
ta de 23. do corrente agosto, nos coramunica o
segrate :
No dia 19, D. Clara Ornelas da Rosa, sentao-
ra rtspeitavel c virtuosa, casada com Jos Eleute-
rio da Rosa, tentn contra a sua piopria existen-
cia, dando um grande golpe no pescoco ; felizmen-
te; a muita gordura e a fac aa cortar bem, sal-
va ram a infeliz senhora.
A autoridade logo comparecen, porm a se-
nhora guardou completo silencio sobre o motivo
que a leven a praticar tal acto.
Est salva de perfgo.
Na cidade de Pelotas den-se um fado lamen-
ta vel.
A joven Cassilda, filha do Sr. Manoel Fer-
reira da Silva Maia, amavx se nosmisteiYs da etf-
xinha, quando o acaso fe cam qneuma das fitas
de madeira incendiada; commiralcnsse a saia do
vestido, incendiando o logo.
a A infeliz assnsta-se e em altos gritos chama
por sea pal, roas este n5o apparecenoo, e veodo-se
da sem seccorro, fofe espavorida peta ra.
O Dr Gomes Lobo, qne passava na occasjo,
saltn do carrb e junto Com o Sr: Maia, qne en
tao appareceu, conseguiram, a casto, extinguir e
fofo, porm j tarae. porque a infeliz OMAda
eslava em estado1 tfWflravel, e talvez a sekmeia
nao a possa salvar da' njofte.
- li' mez-d agoste prosinw fmdo a alfandega
arrecadou 272.920*715 e a mesa de rendas.....
33:r96fW.
SftNTA CATtAUI*
; Datas at 4 do crreme.'
Hura pramulgjraV a el rae ftta a for;a d
jiimom em ctenla e oito praca, end tinte e seis
de ca valla ri e eS3enta e das o*e"fiB tarta.
- No-dia 23 haVia ebegado o petterreo trans-
porte d guerra Vetttimon
m
REWSTA DARU,
JIuntrtparMtrttw d #attmtt.-
reparos da ponte do Uestorro, oryados em
f:S0i422.
Santa Casa de Misericordia.Na
quinta-reir (18 do c'orrente) recebe esta corpora-
coo propostas para o aforamento do sitio d sua
ptopredade no lugar Tamarnira, conhecido por
sitio do Mena, de ptimas trras e prximo da fia
Tema do rraal.
(Concert. Deve realisar-se boje, noite, no
salo do gabinete portuguez de leitura, o ultimo
concert do pianista Hugo Bussroe\er, com o pro-
gramraa que vai publicado no lugar competente.
Trilitos urbanos de Ollnda.Hoje, s
10 horas da manbS, deve realisar-se a sessito da
assemblea geral dos accionistas desta companhia,
aln de se proceder eleiyo da nova directora
e mais funecionarios, de accordo cora o i." do
ait. 13 dos novos estatutos.
Gabinete Portuguez de Leitura. -
Come estavaannunciado,procedeu-se no domingo
eleiyo do conselho deliberativo e coairaissio de
exame de contas, recahindo a esolha nos Srs. :
Presidente.ManoelTeixeira Basto ; I.secreta
rio, Antonio Baptista Nogueira ; 2. secretario,
Alipo Augusto Ferreira.
Conselheiros.Joao Qurno de Aguilar, Manoel
da Silva Nogueira, Jos Azevedo de Andrade,
Manoel Maria Luduvico de Araujo Leio, Gon-
calo Alfredo AI ves Pereira, Julio Soares da
Silva, Eduardo Augusto Iguacio Morena, An-
tonio Luiz Teixeira Elias, Antonio alaria Fer-
nandes da Silva, Antonio Teixeira Gon;alves,
Manoel de Azevedo Ponte*, Miguel Soares Moreira
de Araujo, Francisco da Costa Maia, Antonio Jos
Goties.
Supplcntes.Jos da Suva Loyo Sobiinho, Fran
cisco (uiiyalves Netto, Antonio Jos de Azevedo,
Jos Jorge l*ercira. Jos Antonio de Souza Bastos,
Manoel Soares Pnheiro, Jos Ferrem Pinto de Ma-
galhes, Manoel Fernandes Velloso, Joaquim Jos
Hcdrigues da Costa, Joaquim Narciso da Silva, Ce-
ario Acurcio da Silva i'apoula, Manoel Augusto
Ignacio Moreira. Henrique Leile Persira Jardun,
Antonio dos Santos Oliveira.
Commisso de exame d? rentas.-Manoel Jos
Carneiro, Joaquim Xavier Vieira Ligo, Boaventura
Rodrigues de Amorim.
Supplentes. Jos Pereira Vianna, commenlador
Jos J laqnira de Lima Bairao e Manoel do Souza
Leal Flores.
Dluhciro.O vapor Pirapama, levon hon-
tem para :
Natal 6:0Oa0O0
Cear 26.-0335 Companhia japonesa. -Veio hontem,
no lulh Diniz, a companhia japoneza, composia
de 16 artistas, c comeca a trabamar hoje noite
no theatro Gymnasio Dramtico, cora o auxilio da
companhia dramtica do Sr. Vicente.
Devendo demorar-se pouco terapo nesla provin-
cia, a companhja japoneza trabalhar diariamente.
Vapor Julio Diniz.Deve seguir hoj
ta de para Lisboa, tirando a mala no correio.
Para a Europa.O Julio Diniz traz a seu
bordo 97 passageiros com esse destino.
Culto as lettras.Acaba de sahir luz o
n. o deste jornal, orgao da sociedade Instituto His-
trico Philosophtoo Fernambucano.
Noticias da corte.-De ama earta parti-
cular de pessoa bem informada nos consta que a
assemblea geral seria prorogada de 13 at 15 do
corrente.
O Sr. padre Joao ManOel de Camino retirou-so
da direcyo econmica da Nacao, qne sera inter
riipyao, continuou a ser publicada na raesma ty-
pographia. ^
Soi'icljide Litteraria e Auxilia-
dora da Instrucyo Secundaria. -
Amanha, as II hora* da raanhS, haver sessao ox-
traordinarla desta sociedade, atirn de se proceder
eJeicao definitiva dos membros da mesa adminis-
trativa, conselho director e corainisses, a bem as-
sim marcarse o dia para a suainstallayao.
liabinlu Joo Francisco Barbosa, conhe-
cido por Joao iabinho, assassinou em .3 deste
mez, com um tiro de pistola a Jlo Barbosa de
al no 3. districto do lo rao de Santo Antao ; foi
preso em flagrante.
Arrombamento. Em 13 do corrente
anianlrecerara arrombadas as portas do estabeleci-
ment de milhados de Joo Baptista Boaventura
Rodrigues de Almeida.
Faeada.-Com nma ferio gravemente, Cos-
me Jos Ferreira da Silva a Luiz de Franca Bezer-
ra, no lugar denominado Piranga, do districto de
Afogados, pelas 5 horas da tarde do 13 do corren-
te. O delinqaente evadio-se.
Um menor criminoso.Em trras do
engenho Tomate, do districto de Agua Prela, o
menor Cosme Jos Ferreira Teo gravement- ce m
um tiro de espingarda, a Thomaz Alves Feifosa,
sendo preso era flagrante, no dia 9 do corrente
raez.
Novo Mundo.Para a livrara franceza, rna
Primeiro de Marco n. 9, chegou o numero 35 do
apreciado jornal Ilustrado, que se publica era por-
tuguez era'Nevr-York, Novo Mundi, trazendo os
retratos do marechal Saldanha e de Julio Janin,
a estatua de Jos Bonifacio, no Rio de Janeiro, os
revolucionario? cubanos, as queijeiras do Jura, e
outras gravaras ; beift como artigos explicativos
desses trabalhos, sobre Jos de Alenear, sobre a
difTerenya de um seculo (jnnho de 1773 ejunh"
ie 1873) em Roma, sobre os^Bourbons cm reiacfto
ItaHaJe Allemanha, e outros nio menos inte-
ressantes.
Comarca de Santo Antao.Do Muni-
cipio, da cidade d Victoria, de 6 do corrate,
tranxcrevemos:
f Foi esta semana preso c recolhido cadea
desta cidade pelo-subdelegado-alferes Castro, o ce-
lebre Adlio de S Brrelo, pronunciado e con-
demnado no termo de Bezerros desta provincia.
t Nos informan) o seguinte o lamentavel facto :
Em diss da semana passada, no engenho Mal-
lapframa propriedade do Exm. Sr. Bario deUtin-
ga, estando diversos escravos deste d'mol i mo
ama casa, succedeu cabir esta por cima de tres
escravos que resultou a norte de um e ferio a
do us.j
t Estao se solefnnisando na igrej* do Rosario
deta cidade os exercicios do raer doloroso. E*
uf celebrado s S horas da manba. E' o Sr. pa-
re Galdino o encarrgado desta santa devoyo.
Jornal das Familias. As livrarias
'desta cidade acabalara de chegar o n. 9 deste in-
'teressante jornal, correspondente ao mez de se-
tembrb corrente: Trz esse n.: os remances Nem
urna nem ontra por J J. e (/ homem superior
por Job.'anedotas por Paulina Pniladelpha, Mi-
nha vida ie amor poesa pele Dr. Caetaoo Fil-
gueiras, descrrpyio de modas e explicacao dos tra-
balhos de agulha.
ACompairtnm e-se n. um flgnrino colarido,
cinco estampas de diversos trabalhos de agulha, c
ama msica
Nova publicaco. O Sr, B. L. Garnicr
acaba de publicar um fnlheto com 90 paginas,
contendo' o tletoilamtBto do imposto 'de (ron missao
Se propried-ide," annotado cora as leis, decretos,' e
aVisos ntefiot' e posteriormente puWIcado* que
o expTtcam oa completm, trablho feito pelo Sf:
Di*. Anrnbl Afldr Rraeire. E' trabaHio digno
de apreyo, e que -mnito fatilita o expediente dosl
tabemes, coHetores,1 escrlves' etc. Achs-se
venda as livrarias desta cidade.
1>Oueefa' *lirtli,-Afat,a de che-gar o n.
3B! deste variado'jornal, contendo :
Gazetu JurHm*. Oestueoe e*medas qnes
tes concerneH'tee ao nosso systetna penitenciaria,
mil TPtevante wrvi^ptewado'aopaizecatrsa
a hominidaa' JtefiMkfaocfatt: Premio nSo convencionado,
eacriiiao'Bor' aeoonMo revisor, nao pode er co-
brado ira ^xeeneio-,'a pretexto de convencao com'
a inventarame.'
': Atjgraco': Atiente ;ate, e, com? tal, pode ser accionado no ddro-ei-
vil, seo uto! que assigoon nao tiver relajo com
o iwfiWcr de qae ** oeenpa.
,*MiHdiciih HMmtrcUt: Depasitr,:1 MorprU
raodosaris. 28')u87lg 1 do andigo commer
oial. Outra lecwno no seMtdo- Oa- anterinr. --^1
CredoresSlo bllido nao esla inhibidosdo mtuniar
ac.a^ apMi de nom.eadps. ng adjniu-lradores e da
cla-'i-ftayao dos cred'os, para serem ^routompla-
dos na classe dos de dominio ; 2. Intelligcncia c
Combinayio dos arts. 874 J i e 873 do cdigo
leemmercial.
JunsiiqM criminal: Nos processos de res-
ponsabildade a parte qucxosa tem o dimito de
appellar, erabora o libcllo seja, c informe a lei, of-
lereoido pela promotoria. -1. As injurias irroga-
das em carta particular estao sujeitas sifnco
ilo art 238 do cdigo penal sem dependencia de
publicidade : 2." Sao nullos os processos crimes :
(a) de julgamonto dellnitivo instaurados durante
as ferias; (b) Instruidos com assistenca do pro-
curador do queixoso, que obteve licenya, sem po
dores bastantes; (c) julgado-3 por juiz de direito,
emboja da nieiiua comarca, mas de districto cri-
minal dilferento do da residencia do reo.Con-
flicto de juridiceSoentreofuizde direito da co-
marca de Mamanguape e o juiz municipal do ter
mo do mesmo nome (coutinua.o da pag. 2i8.) 3
Direilo civil: O juiz substituto, no exercicioda
jurisdieco parcial do juiz de direito, deve per-
der a sua gratilicayao para s perceber a do juiz
de direito,. ou deve perceber urna e outra" I'
Novas relacoes : pinio do senador Bario de
Pirapatna (continuaran da pag. 2,oG).
Comoeorreoct. Publicamos a Sguialo
carta, a pedido dos respectivos signatarios
Srs. redactores do Diario de Pera imbuco.
Por amor averdide esperamos servir-se-ha pu-
blicar a carta juuia, om rectificayao a noticia pu-
blicada na sua Weui/idida 13,sob a epigrapbe
mdicos hespanhoes.
a Nao nos c insta que a cmara municipal tenha
tido a ridicula pretendi de expulsar-nos desta ci
dado contra todo o direito das geotcs. Emijuaoto
a mis, Srs. redactores, 'eremos nos Jfar justicia
emendando ao seu informandor que linhamos reu-
nido em nossa c .sa, enfernns (que se reuuem to-
dos os dias) para Ibes dar noticia, que lelos j sa-
bam.
O que quizar tirar a expontaneidade ao acto
dos enfermos se dirigirein primeira autoridade
da provincia ; o que prelendesse fa?er dos desgra-
yados instrumentos para flns mesquinoos, alm de
offender uraa classo respcitavel, a pobre, man-
cha seu bom norae cora supposiyoes que offendem
os bros do nobre povo pernambucano.
Com o que faro especial farao espaciar favor
aos de Vine*, alientos veneradores D. A. Masca-
r. D. E. Domnguez,
Maestro cacara.Falleceu com 88 annos
omaestro Carafa, pouco conhecido das nossas pla-
teas, apesar do sou incontestavel merecimenio.
Tinba servido no exercito Napolitano at 181 i, e
desde 1821 que flxara a sua resistencia era Pars,
vivando em inti idade cora Ro*-ra Era inoui-
bro lo instituto, e .ifllcial (la iegiao do honra.
|ue tai !Assi, to fallado em Franca por
ler silo o organisador das greves do Crensof, de-
pois da sua chegada a Nova Caledonia, estabele-
ceu-se como director d'iimioflcina de construceo
e como tal lera as suas ordens 230 a 300 opera-
rios
No mez passado urna tentativa de grere leve lu-
gar pelos seos operarios e Assi sotibe que 0 insti-
gador era o seu antigo collega da coramuna, Pas-
dial Grousset.
A*.-i descobrio a II de maio, ajndado por al-
guns de seas operarios, qne Gr uisset n.ao quera
que os operarios fossem para o l'rabalho e pren-
den este.
V-se qne Assi fezse conservad ir depos que
possuc alguma coisa I
Como Grousset nao tem nada, provavcl que se
conserve revolucionario.
Pebres intermitientes Parece que
remedio infallivel contra as febres intermitentes o
seguinte :
Sequem-see redo amseapfolhasde loureiro
ordinario ; macrese tima grainma deste p era
um copo ; e ministre-se ao doente duas horas
antes daquella cm que se presume que o accesso
se deve manifestar.
Movimento eieiloralO ministerio do
interior era Franca pnblieou o qnadro dos elei-
tore> inscripli-s ciii 31 de maio ultimo, por depar-
tamento*, tatito par i as cleicoes niunicipaes corno
para as polticas.
Deste documento c insta que ha 9,853:705 elei-
tores para as listas municipacs e 9,992:539 para as
p litica*.
Da comparaco desias cifras com as do anno de
1872, resulta que as primeiras tiveram nm aug-
mento de 11:731, o ss segundas de 15:Mn eje!
tores.
Molestias reinantes.Tran-'-revemosdo
jornal francez a Ahelha medica o segainte artigo,
que nos parece deter ;;er rcprodnzidoereeommen-
dado altencao dos leitores, em razio do inters
se di actualidade que off<>rere.
O cholera, cuja invasao set emii este anno, con
tinua cora simples anieacas; pde-se conitndo^l
zer que reina cm Paria, o em grande numero de
localidades, nma verdadeira epidemia de cholerina
e de dysenteria persistente.
Poder-se-ha attribuir este ficto provave]mente
temperatura anormal que se acaba de experimen-
tar, mas convem chamar sobre elle a Feria alten-
cao dos mdicos e do publico.
E' bam sabido qnanio debilitante a accio da
dysenteria, e a que ponto os individuos ataca los
desta molestia olferecem campo a toda qualidade
de epidemias.
E' portan to muito prudente que se tratem laes
accidentes desde o principio, e melhor ainda, to-
mar as precaaepes necessarias para os evitar. Po-
de se dizer, em primeiro lugar, que o abuso das
fructas e das bebidas frescas, assim como o* es-
friaraenlos oecasionados pelos fados muito leves,
sao as causas predominantes* do mal na actuali-
dade.
Indicar a orgem do perigo, mostrar os es-
colhos que devero ser evitados.
Desde os primeiros symptoraas da dysenteria
convir pdr ama cinta de flanella, e tomar a cada
comida urna ou duas grammas de sub-nilrato de
bismiith, ou radhor ainda urna ou duas colheres
de mesa de carvo de Belloc.
Todos conheccm as notaveis propredades
absorventes do carvo bem preparado e calcinado
era certas condicoes. Nao nos parece de mais in-
sistir as qualidades deste medicamento, cujo uso
boje popular, nio aprsenla perigo aiguu), e cuj >
effeito e dos mais rpidos na maior parte das sffec-
yoe do estomago e dos intestinos. A academia do
medicina em 1849 dava-lhe j a sua approvajo,
e levou aos mdicos a prescreve-lo contra esta
ordem de molestias, que nos termos d > proprio re-
latorio, causa o desespero dos doeoles e dos m-
dicos.
t E' quasi intil direr que misler abster-se do
uso dos fructos, dos abusos de mesa e de vigilia,
de fadigas em geral, e especialmente de bebidas
geladas ou nevadas. A agua de alca tro sem
duvida a bebida que dever ser preferida como a
raais hygienica.
- As suas propredades antispticas indieam-n'a
como o melhor adjuvanle do carvo. Tomar-se-
ha s comidas cortada com o vinho, e durante o
dia e a noite ser bebida pura. A agua de atoa-
irlo nao desagradavel, e preparase fcilmente
por raeio do alcatro de Gnyot, licor concentrado
que se encorara venda as boticas, e do- qnal
basta urna colher de cha em um cono d'agua para
logo se obter urna boa agua de alcatro.
Alera disso, esta bebida econmica, a ponto
tal que um fraseo do alcatro de Guyot, do preco
de 2 fr., pode servir para preparar 10 12 litros
de agua de alcatro preco bem difireme da cer-
veja, e muito mais til para a saude.
a Fra dos easos ciados, a agua de alcatro
sempre urna bebida muito hygienica em todas as
estaybes, principalmente no verao ; dever seres-
peeialmente recommendada s pessoas que tigrera
molestia dos bronchios ou dos pulmdes.
Ha pouco lempo anda que inuitos collegas da
imprensa medica eitavam notaveis resoltados obti-
dos pelos phtysieos com o uso ordinario e prolon-
gado da agua de alcatro.
Lotera.A' que se acha a venda a 67 a
beneficie da aeva igrefa de Nossa Sentara de Pe
nha, qup corre no dia 24.
Hspital PortH^uez de Benefleen
ol .Movimento- das enfermaras do mesmo na
semana de 7 a 13 de setembro :
Extstiam 35, enlraram 7, sa'dram curados ll
falleeeu 1 ficara em tratamento 30.
Est de semana o Sr. mordrno Os-.rio Ac-
urdo da,Silva Papoula.
Casa de detenco.Movimento do di;
14 de setembro de 1878:
Existiam presos 316, enlraram 4, sabirara 2,
aristem 32e\
A saber :
Nacionaes 238, mulhercs -12, estrangeiroi 41i4
escravos 34, esoravas 2.Total 328.
Alimentados a eusta dos cofres pblicos 28*.
Movimento da enfermara do dia 14 de setembro
de 1873:
Teve baixa :
Francisco Raraaibo de Assis, deftnxo
l^ferhge-tros. <- Segaram' para a Rahia
portes iiiterincdwj iw vapor l'enedo-1
Miguel F. Costa, Ivlix U. de Oliveira, /os Dias
da-Co*ta, Jacifrtes Bonefoml, Jos A. Nasciinent
Argclio L.ola SilvavI^HJtinoJoso da Silva e sp
seohora, Antonio F.da Costa, Freneisct* Jos V
0. Machado, Antonio Duarto Minoes, Bommgo^
('osta C. de Almeida, Manoel S. Di.iarle e um-cria1-
do, Slanpul Cotrin Jnior Francisco Furmno do
Naseimiito, Manoel Jos A, O. Visconcellos, Joa.-
qukn Jos de A. Vasconeojlos.
Sahidos para os porto* do .sol no vapor brasi-
Ierro Paran:
Francisco Jos da Costa, M F. ic Paula Reis,
Dr. Carvalho Cezar, Fabio Itino e sua famia, D.
Amelia Leile da Silva e nm filho menor, J". G.
Vianna, Jrtfto Pacheco, vigario J. L. da Silva Reis,
Manoel E. de Jess, Fetlfidade de S. e Silva e ama
filha, Dr Antonio E.tle Aguiar. Dr. Pedro Delftno
de Agniar e sua senhora, Celso de Sa Brito, Jos
Lopes Davin, Rento Jos de Medeiros, Jo> D.
Araujo, Jos Pereira, Manoel de Barros, Geraldo-
Antojiio de Oliveira, Henrique da Suva, Clineto Jo-
lm oHVfl, l*mHt) ft. tt ntPMMff, UlWlQUlO H.'WttW,
Antonio Tito de Ges, Venceslao Jos Baptista, 2
imperaes marinheiros e 43 escravos a entregar.
Vindos do sul do imperio no vapor portu-
guez ///o Diniz:
Dr. Bernardo de Mendonea Castello Blanco e um
criado, Jos Francisco Bento, Harrisan Las-un e
Ifi pessoas da comoanhia japoneza, Gregorio Cuc-
ha, Luiz Olivere, Jos de Oliveira Cura, Minoel
Gomes de Paula, Raphael Castello, Adolpho Schi-
midt
Sabidos para o norte no vapor brasileiro Pi-
rapoma :
Antonio V. Moracs, Maadel Aisd O/Castro, An-
tonio Jos Oliveira Lastra, 1L U. Lagraage, Iler-
inano Kruger, Dr. J. A. de Souza Carvalho e I
criado, Rita Antonia deiMeno, Crprtano >o** Fre-
las, Jos Domingos, Jos C. S. unes, Dr. S. M.
Azevedo Soare*, Siqueira Ferr^z, Telles FeflKoIa,
Joo Pifde, J. S. Marti* e sua senhora, FraiK-
co Jos S. e um sobnnlio, IgnicioB. P. Vianna,
Felippc Estrella, Aldon Costa Euzebio, Dr. Olilo
J. loara, i (libo c 2 criados, Invino C. V. Brrlo,
sua senhora e I criado. Aquilino R. Mnezes
Francisco Marques Fonceca, Severoo K da Ca-
oba, sua senhora. I lidio, 1 sohrinba e I ciiada,
Jos Raymando Brocha Costa, bario de Seeejan
e 1 criado, Antonio .'oauaim Lisboa, Delraro M.
Pacheco, Antonio P. da Silva M Jnior, F da Sil-
va Guimaraes, Raxmundo Brocha Cosa.
Sahidos |iara os p irlos do sul uo vapor Gi-
qut :
Manoel V. Ferreira, Dr. Bernardino A. Menlon-
ca e I criado, Ulvsse* do Amida Cmara, Anto-
nio Silva Gttin.arfie*. Manoel Joaquim de S.nza
Ramos, Jos Aulo, Alipo D. Machado, Relia M. da
Coneeiyao, Joio Ignacio J. da Silva, apr-ndzes
marinheiros Francisco Jos, mssionario, Gustavo
Alvos, ua senhora, 2 lilhos menores e 4 escravos,
Joo Manoel T. Caraira. Roino V Branco, Joao
Manod da Luz S. Jnior, Antonio S. d- PrJ>
seres,
Cemitcrlo punllco.Obilaario do da 13
lo corrente :
Marcolido Marques da Sil Va, pardo, Pernambu-
co. 23 airaos, casado, S. Jos ; varilas.
Damiana Maria dos Prazeres, prela, 'ernanibu-
co, 40 annos, S. los ; bexigaa.
Antonio, escravo, p*-eto, Pernambuco, 40 annos,
s ilteiro, Roa Vi-la ; menengite.
Adehidc Avelina Gomes de Carvalho, branca,
Pernambuco, 24 annos, sulteira, Afogados; tubr-
culos pulmonares.
Ignacia Mara da Coneelflo, parda, Pcrnanbu-
ro, 42 annos, solteira, -Boa Vista, hospital Pedro
II ; tubrculos pnlnioiiarc.
Damiana da Costa Pra'.ieiro, preta, frica, f>4
annos, solteira, Boa Vista, hospital Pedro II ; me-
nengite.
14 -
Tranquilino Can lidoda Silva, branco, Pernam-
buco, 32 annos, casado, S. Jos ; peritonite.
Joaquim, pardo, Pernambuco, 12 mezes, Sant <
Antonio ; convul.-Vs.
Manoel Antonio Bonifacio, pardo, Pernamonco,
2ti anno*, solre.ro. P.oa Vista ; plitysic.i pulmo-
nar.
Joaquina Maria da C-mce'eao. parda, IV.mam-
bnco, 58 anno-, casada, Boa Vista, hospital Pedro
II ; tubrculos pumonsres
Anua Amanda da Conceicio, preta, Pernambu-
co, 21 anno?, solteira, Boa Vista, hospital Pedro
II; tubrculos pulmonares.
Maria, parda, Pernambuco 14 dias, Santo Anto-
nio ; espasmo.
Felicidad., escrava, preta, Pernambuco, 40 an-
uos, solteira, S iu>; tnberemos Djesentericas.
!!
UHONH A JIlilllBl.
TRIBUNAL. IDA IllEIL.lClO.
SESS.iO DE 13 DE SETEMBRO DE*1873,
>RISU>K.\CIA Do K\M. SR. CONSKLHKIRO CABT.'
SANTIAGO.
Secretario Dr. Virgilio Coelho.
As 10 horas da manila, presentes os Srs. miliarjadores Lourenco Santiago, Almeida Alba-
querque, loria, procurador da corda, Regueira
Costa e Araujo Jorge, fallando com causa o Sr.
desembargador Neiva, e por estar presi lindo o ja-
ry do Pao d'Allio o Sr. desembargador Domingues
Silva, abrio-se a sessao.
/n.GAPNTOS.
Appellayoes cives.
Do Recfe.Appellante Joao Rodrigues Lima,
Bppeiiado Francisco Flix Gonyalves. Confirmada
a scnteiiya.
Apiwllante Jos Alves Barbosa, appellado Anto-
nio de Souza Braz. -Rccebcram os embargos.
PASSAOENS.
Do Sr. desembargador Lourcnco Santiago ao
Sr. desembargador Almeida Albuquerque :
Do jury do Mamanguape. AppellanUss Paule
-los Ribeiro e outro, appellada a justiya.
Do Juizo municipal de Olinda. Appellanto o
juizo, appellado Francisco das Chagas Salgneiro ;
appellante Jos Jacomo Tasso, appellado o bara
do Una ; appellante Jos Joaquim da Costa Maia,
appellado Marques Santos A C
no Sr. desembargador Almeida Albuquerque ao
Sr. deJembargagador Doria :
Da AlagoaXova. -Appellante herdeiros de Joao
Baptista Gomes, appel-ado Antonio Jos de Oli-
veira.
o Recfe. Appellante Jos da Silva Reg Bra-
ga, appellado Luiz da Silva Ferreira.
Ao Sr desembargador Domingues Silva :
Do jury da Imperatriz. Appdlante Claudico
Jos da (.osla Agr, appellada a justiya.
Da Anadia. -Appellante o juizo, appellado Jos
Mximo da Hora.
lio Bonito.Appellante o juize, appellado Ma-
noel Joaquim Mossor.
De Canguarelama. Appellante o juizo, appella-
do Joo Coelho da Costa.
Do Sr. desembargador Doria ao Sr. desontbax-
pid.ir Regueira Costa:
Do Recfe.-Appellaate Lenidas Tito Loureiro,
appellado Jos Ricardo Coelho.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Araujo Jorge:
Appellayoes crimes.
Appellante, o promotor; appellado, Pedro.Mar-
ques de. Barros; appellante o juizo, appellado I'or-
lirio Jos de Santiago; appellante o juizo, appella-
do Luiz Pereira dos Santos; appellante u juizo,
appellado Antonio Paulino dos Santos ; appellante
0 juizo, appellado Calisto Lopes da Silva; appel-
lante o juizo, appellado Jos Vicente.
Appellayoes civeis.
De S. Joo. -Appellaate padie Paulino Villar
dios Santos Barbosa e oatros. appeUados Lidio. Ma-
ra, Luiz e outros.
Do Recfe. Appellante o juizo, appellado Joao
Florencio do Oliveira Rebouoaa; appell nto Joa-
quim Salvador Pessoa de Siqueira Ca valcanti, ap-
pellado Jos Domingues Mata.
Do Passo.Appellante Joaquim Jos Alvun, ap-
pellado Jos Cyriaco da Silva ; appellaiU Jos de.
Azevedo Andride, appeUados o curador geral e .
outros.
Da Sr. desembargador Araujo Jocfe ao Sr. des-
embargador Neiva.
Appellayoes crimes.
Do C-ato.Appellante Maria Josepha da Coa-
eeico, appellada a justica.
De Rom Jardim.-Appellante Antonio Tararse
de Almeida, appellada a justica.
D RceifB. Appellante o juizo, appellado Fe-
(reoiUo Canoio do Nascimento.
; Do Buiquo.Appellante o juizo, appellado Ho-
faoio, escravo.
De Bom Conselho.Appellante o juizo, appelta-
do Manoel Leite Mudubira.
Do Teixeira -AppeUaoleo jnizo, appellado Joio
Ferreira da Costa e outtoa
DO Recife. -Appellsote o promotor, appellado
Maria Lopes Pnrira.
1 Do Ico. Appellante Paulino Izidre da. Fa/iaV.
Cacao, appellada a justica.
- De Tacaratil. Appellanto e juizo^ppaUado Ma-
l.?ite de S e oulro.
Diligencia crime.
AeSr. desembargador promotor da justica ;
I
f
f:


.


>
j



-.

Btrio -te Timtihm 4-tefe ffa 1G de Stiibi de 1S73.
-j-
r3
pan julgaownto dos feitos
)
Appea
atoll),
cardo va.
Migaoit-to da
Mguiattig:
^_ Appellacoos. ci mes.
ue rapari. Appellante e t appellado jnntameu-'
* *Jl*** e preto Honorato.
Be'fiaBjneiras.Appellantu o promotor, appella-
do or a Tetoa.-Appellante Joao Capistrano de Ma-
oedo, appellado fgtfacio Lopes de Araujo.
Da Imperauiz.-Appellante Domingos Jos de
Soma, appellada a justiea ; appellante Deodto
Ferreira Luna, appellada a Justiea.
Da Atalaya.Appellante Tornando Correa Paz
appellada a jostra.
0o Sobral.-*Appellanto Antonio Francisco de
Paula QajKAa, appeJI.ida a justiea.
..-Appellante o juizo, appellado Ma-
do>3uz .
-Appellante o julio, appellado la-
noel, csd&vodu coronel Henrijue Pereira de Lur
cea.
AppellacCies civets.
Do Recife.Appellante o carador geral, appella-
do Jos* de'rVoitas Barbo-a; appellante Joao Fer-
reira dm Santos Jnior, appellado Manoel Jos
(Hiedes Magaihaos.
, DISTfttBUICSKS.
Recursos crimes.
Au Sr. desembargador Lourerijo Santiago :
DO Hecife.Recrreme' Manoot Gomes da Silva
Atnorrm, rbcsrn'da Veneranda francisca de Jess.
'lAo* Sr dVetnbarldor Almeida AttuquerqUe :
Rt*rreht'Joao Bptsta Alves jtfotero, recor-
rido o'julzode airefto-a Reife.
Ao Sr. desembargador Regueira Costa :
ReoYrerite o jrfko de dirto do Recife, recor-
rido Jbaijifim Antonio da Luz; recrreme Antonio
Jee C.alvao, recorrido o iulzo de direito do necife.
Ao Sr. deserribaTga'ITnr 'Aranjo Jorge :
Recrreme lojto Colho do osario, recorrido o
juizo de direito de Olinda ; recrreme o juizo de
direito da ParaUyba, recorrida los Soares do as
cimento.
A" Sr. desembargador Xeiva :
Recrreme o juizo dedtreito da Escada, recor-
rido Joo Franri.-eo Barbosa ; recrreme o juizo
dodireto de Nazardh, recorrido Luiz Jos da
AppcHac5es Primes.
Ao Sr. desembargado!- Lourenco Santiago :
De Barreiros. -Appellante o juizo, appellado Ma-
noel do Espirito Santo Caramba.
Do Buique -Appellante Valerio Gomes de Sou-
za, appellada a justiea.
De Mara Poreira. -Appellante Luiz Jos Viei-
ra, appellado Joao Vicira da Silva.
AoSr. desondargador Almeida Albuquerque :
Do Rccifdi Appallaate o presidente do jury,
appellado Valeriano Raphacl dos Reis.
De S. Matheus.Appellante Antonio Valeriano
de Alencar, appullada a jnstica.
De Cartnrn. Appellante Manoel Antonio de
Barros appellada a justiea.
Ao Sr. desembargador Regneira Costa :
De Barreiros.Appellante Antonio Flix da Sil-
ra,sii*'lh(i i'a jos tica.
De ararii \peltantc o juizo, appellado Jos
Rufino Percha.
De Nazarciii. -Appellante o jnizo, appellado Ma-
noel Joaquim dos -antos.
AoSr. deiembargador Ar-uijo Jorge:
Do Recife.*.p*jell:inte o promotor, appellados
fiaurtino Jos dos Santos eoutros.
De Rom Jardim. Appell.inte Soveriano Jos dos
Passo?, appehala a justiea.
De S. Qoiteria. -Appellanto Thomaz de Aquino
Soma, appellado o juizo.
_Ao Sr. desembargador Xeiva :
De (oyanna. -Appellante o juizo, appellado Ro-
sa Mara do Espirito Santo.
De-Rio Punaooo. Apnellantc Manoel Jos da
Purilicaea, appellada a justiea.
De Go'yanna.Appellante Marcelino Ferreira da
Paixo, appellada a justiea ; appellante a justiea,
appellado Severirw Gimes da Cunha.
Appeltaeofts o. veis.
Ao *r. desembargador Regueira Costa :
Do Reeife. -AppeHanto Antonio Annes Jaco-
rae, appellados hcrdeiros de Ktizebio de P. Pinto.
Ao Sr. desomhariador Araujo Jorge :
Do Recife. -Appellante Marta Firmina do Rosa-
rio, appellada a (uzeada provincial.
Ao Sr. desembargador Neiva :
Do l'-. Appellante Manos! Candido Martins,
apptsllado Antonio Joa juim de FigueireJo.
Encerrou-se a sesso ao meiodia.
ms casos hacin que nos tribnnaes jtae sdve '
arrancar a mascara a quabcados bMi
As8im,pois,tenho resolvido a nao iin[
les factos calumniosos senao all. Sobran-me ra
ides raui fortes que me leram a este procedlraento,
tanto niais se eu ponderar que e signatario 4*-
QJttkc papel, C. A. de Lagos, seta por mira eee-
Biiujado, como juiz do direito interino, em grao
do* appeffafo, a tres mezos de prisao e multa
correspondente inetade do lempo peto crlme de
injuriai verbaes contra o cidatlao l-ranoisco For-
i'ifa da Silva. Aquello calumniador mifou o
luenrtonado communlcado depois da referida sen-
lenca qne o conderanou e ci^a pena cumpre.
Ueaoe j estoii tratando do processo, sendo mou
Tocuudor o lllin. Sr. Dr. Armioio Corioano Ta-
vares dos Sanios, para proseguir as termos ulte-
riores do proeesso.
AusUrliano Corra de Craslo.
Vidros 12 a Vaz Jnior & C.
Ib
dew-York, vapor americano South-A me-
rica, coniBaV4l:.'orster & C, mani-
fcalH : ^^n '
100 aos coi#Tgnatario.
ao padre SmitbT* T*|
Livro
Londre,
consignadfc
Art
Barbosa.
fereltlo aos oonspkiMost Jul-
A^adores.
N. 231.-Justiea.-Aviso de 2e agosto de170.
Ao presidente da provincia de Gear.DoelarO^
que o governo imperial nao lem que providenciar
sobre o fado do achar-se recollii lo desde multo
lempo cada de Sobral um individuo pobre e
chele de numerosa ir mil a, per falta de'pagamento
de custas. -Ministerio dos negocios da justiea.
Rio de Janeiro, em 2 de agosto de 1870 Hita.
Exm. Sr. Expde V.'Erc. em offlelo n. 4i de 28
de junho prximo Ando que, tendo um joma! des-
sa capital denunciado que Jacintho Pereira de
Mattos, pai de numerosa familia, pobre e desval*
do, residente no termo dolpd, aenava-se ha lem-
po recolhido cada de Sobral por falla de paga*
ment da custas, ouvira V. Exc. a tal repeito. 9
juiz municipal desse termo e o juii de direito, 8a1
comarca do ipil, os qaaes, informando o facto, de;
clararam que nenhuma providencia podras) dar
em consequeucia da disposipao da lei. V.TSie.',
porm, anezar do entender que a' decisao do ciSu
oceurreute perlence jurisprudencia dos tribu-
naes, submette-o ao alto conlreeimento de Sua
Magestade o Imperador, aiim d eatabelcer-se a
verdadeira doutrina que a materia reclama.
E o mesmo augusto senhor, a cuja pre-en^a le;
vei o mencionado oflicio, hWve |wr bem decidir
que o governo imperial nada tem a providenciar
por nao sorda competencia-do peder executivo a
decisao de scmelhante assumpto.
Dos guarde a V. Exc.Bardo de Uuriliba.
Sr. presidente da provineia-4o Cear.
una ingleza P
A. Matheus, manifestou :
ticas 2 caixasa Caors, i a M.
stra 1 volume a Adamson
iscoul^W caixas a Rosas TIth'os.^W a
M.Balli'lay, 0 ao consignatario. Brandy
80caixs rtJeni. Botijas 3 caixas a M.
Barbes.-Utiuf-a de ferro o suasfWttupai 5
voluraes ''Ibl^gles Bank of ma '*M-
neiro.
A chronica d Proviucia
O mimoso tkrmiuta di Provincia-opuer eler-
hhs-nao capaz de se arredar um passo da mi-
seravcl senda qne tem trilhado.
Depois i|oe recebeu a incumbencia de escrever
essa parte indlbctivel do hebdomidwio pipeluxo,
amia ninguen leve o gosto dt v la sahir expur-
gada de mentiras.
Mas oque querem... o homem vicioso a um
pento tal, que. urna vtz.naa menlindo est doentel
E nao llio digam nada, p.nque appella imme-
datameate para o te.-teunnho de militares de pes-
sms, e milito embora tenliam todes presenciado o
contrario do que elle afflrma, nao se d por ven-
cido.
Ditosa condicao!....
Percorra quem quizer tudas as ckromcas de
tres mezes para e, e si tiver a felicidade de des-
cobrir, ao menos, nina em que nio haja no mnimo
dais mentiras desbragadas erit milii magr.us
Apollo.
Mas dellemos as dos nmeros passados, que j
tiveram o desmentido conveniente,ovamos exami-
nara ultima.
N'esta, o despejado rabiscac.or de noticias mos-
trou-se incxccdivel na arle de affronlara verdad*.
Sob as tpigraplics Que tri.de posico, O schih
arcalo e onlra, o nosso homem foi de um des-
bragamento a toda pro va.
Aamirem-no: a O Sr. Dr. Lucena mal p6de
levantar os vivas do estylo, v vas que foram pelo
povo correspond lis. ao viv levantado, porm,
ao presidente da [* ivincia un silencio morno e
completo seguiose, sendo apenas iaterrompido
por duas 011 tres roces ilc deputados provinciaes,
que ?e achavan em um carairote.
Realmente piecis 1 muita coragem [.ara adul-
terar um facto, que fui-presenciado por centenares
de pessoas I!
Quem ha que fosse ao thealro no dia 7 de se-
tembro c visse o presidente da provincia levantar
vilgnm viva ? Por eerto que ninguem.
Os vivas foram dados pelo ehefe, do polica e
corresDondidi'S igualmente po povo. Mas o
commeudador de Villa Vieosa ontcnJe que, como
nunca o povu lhe den vivas, dore fazer o mesmo
aos outros presidentes, e ent) o seu chroniaa,
anda que tive-se testemonhado o enthusiasmo
com que foi correspondido o viva a) Dr. Lucena,
nem que o rachussem seria capaz de dizer que
nao houve silencio morno
Assim que servir ao agrado do amo!
Anda com relaeao ao espoelaculo do dia i diz o
noticiadar conten 1 :. a Sen, ao menos diante
de Seaboras, que visitavam o camarote presiden-
cia! rguia-se o scliah cTricato I Dir-se na que
o Sr. Lucena estiva marminsado.... pelo ri-
diculo.
Qual foi a senliora que rio dia 7fle setembro
visitou o camarote do presi lente 1 Ninguem a
vio. S. Exc. estere com ofllciaes do exereito de
patente superior, qne o acjmpanliaram desdo
palacio, e foi visit do apenas por amigos seus, aos
quaes tralou com a Ihaneza que o distingue.
Schah caricato I... Ah I o chronista bem sabe
quem dignamente representou essa figura o ex-
cellenfe moka saboreado ao s^tn de mgico piano;
os doces esenrref/us pela branda relva, que causa-
van tanta invejayio m tonta: da la ; e as rega-
tas deliciosas de siudosi memoria, foram gosos
orientaos que s um presidente soubo 1er.
O digno presidente actual clesprezi esses pas-
satempos improprios de uin homem serio para
ocenpar-se sement cen os pnblicos negocios.
Mas para que pdennos tompo em desmentir o
chronista da Provincia f
Se ao menos etsas i-oo; lhe apn Porm qual I o homem servidor comw il [aut;
c por inais que se o deemascareproseguir no ca-
nunho que lhe tracaram.
Ditosa eobdico II
A sala de dansa BatitisCada e o
fre Bernai*Iuo las bola-
chas!.
Es tu meu parlapatao d'alda, que cedendo aos
caprichos loucos de tua estupidez, obrigas a ser
censurada a reputaco de uina senliora, digna de
todos os respeitos c attencoes... Ests apaixonado
de amores?!... nao; porque n'um coracao hedion-
do como o teu nao germina essa palavra sagrada
do amor... Tenis enUo enlouquecido?!... uiiubem
nao; porque 11111 mentecaplo, um dcsmioladocomo
t, jamis poder perder aquillo que nunca leve.
Sabes o que teas i... nenhuma vergonha nessa
mascara repugnante ; a falta de senso commuin
e malvadez, meu tolo.
Se conheceses a luainsuHicicacia.e ao redicuh
a que te expoes, nao daras esso espectculo que
faz corar de vergonha at as pessoas que te sao
desaffectas.
Criado guardando porcos l na toa trra, sem
saberes ao menos o A B C, transportaram-te ao
Brasil, li/.eram-te infelizmente comraerciante, e
venlo-te agora n urna sala de dansa composta de
pessoas de mais ou menos educacao, estranhas a
sociolade, e cometas dando couees a frto e a di-
reito moral publica. Vade retro com este sata-
naz que a vergonha dos portuguezes.
O mais intoleravfl quando passa forquilha a
essa senliora qne tem a condescendencia de dan-
sar sempre com elle, (a suas instancias) ver entao
como elle lica incitado por ninguem ter o prazer-
ds dan.-ar com ella ; o que vale que elle dis-
pensa-se de dansar poucas vezes, do contrario ta-
chara tanto, que teriamos em breve de lamentar
a perda desse quadrupede nogento e esqualido.
Espero que esta pequea reeeita mellurar al-
guma cousa csse teu craneo,meu presumpeoso frei
Bernardino, e senao produzii- efleito, repetirei a
dso e tu bem sabes que fallo mais do que o pre-
to do leite.
Budiao de escama.
boBO--
a M.
qointaes
ferro 3,504
(ienebrh P'caitas t ortem.
fcobQol de chumbo 30 volumes a M. Hal-
liday, 40 a Paralo V.-4.C.
MWPial de estrada 9eYerro 3,l5i'vol-
mesadtjS. Francisco, AJercadorias diversas
1 ordem, 5^(1 Urna ral, 1 a fi. William.
. Utvfo 1 caita f-odem. u
Pofvora 300 barris a'Carvalho Mocaos,
^OOaSaunders B. & ',., 400'aS. 1*.
Jolinston, 700 ordem, e iuai 85 caixas
lirdjpl.
Salpelre SO IWiiris a fiom* 8e Mattos &
Irmos, 130 aTrente V. C. ~ Sulfrico 1
caixa a V. ilarbosa Saceos 20 volumes a
Adamson Howie .
Tinta 1'cffxa L". Siqueira. Tijolos 100
eaixas a Barros Filho & C. Tecido 1 volu-
me a M. Temporal.
Vinho Sherry 26 caixas rdoen.
f
B
PRAGA DO RECIFE 15 DE SETEMBRO
DE 1873.
US 3 1/2 H0I1AS D.V rAROS.
4'oacfle o'cavM.
Algodaode 1' sorte 8^700 por 15 kilos, sabbado.
Apolices da divida publica de 6 |0 e 3 0|U de
a premio, hoje.
Accao-da caixa filial do banco do Brasil 220
cada nina, hoje.
anourcq
Presidente.
Leal ^eve
Secretario.
Fenton. Chum-
os a Prente V.dC, 100
-arvo '48 toneladas e 19
tfu'ers B. & C. Cadeias do
ordem.
Portos do sul.'vaporportuguez Julio Di-
niz, consignado a Kibello dc, manifes-
tou :
Fumo 78 caixas.
Massa 400 caixas a diversos.
Aracaty,^hiate nacional' D. Luisa, consig-
nado a Gomes de Mattos rS Irm8s, mani-
festou :
AlgodSo 17 aatcas ordem.
Courinhos 5"9"molhos ordem. Cera 2
pipas aos consignatarios. Chapeo 1 amar
rado. Cigarro 3 barricas oraifm.
Gomma 400 saccas e 1 barrica or-
dem.
Miudezas 30 volumes ordem.
Pipas vazias 19 aos consignatarios. I'alba
de carnauba 400 molhos ordm.
caj pto'rtos intermedibVapor Jfa-
seiro vftx ti, > 'dawrmndairto MlrrtlfH
^caga varios gneros.
wanja e portos intermedios Yapar brj^ii
f'lejro Pirapamo,, corauanilante Felipp
F. Peroira, enrga Varios gneros.
Rio de JaneiroVapor iirgler de guerra
",Crackerf commaoSaxite C. R. Bucklo.
CearEscuna inglesa Youny Decir, capi-
to Symoods, em lastro.
W. 1 11 t 11 1 ,i-
Gfc
0T5
spawa da alia
rtendimor.l:
dem do dia
ALFANDEtiA
do d;a 1 a 13. .
15 .
4I2.3I6A70O
26:631*583
438-.948J373
Descarregam hoje. 16 de setembro de 1873
Patacho inglez Elize (atracado) mercadorias
para alfandega.
Barca inglezaHermione mercadorias para al-
fandega,
Patacho allemao Trude mercadorias cara o tra-
piche Conceieo, para despachar.
Escuna ingleza/ocmercado.-ias para o tra-
piche Concei.ao, para despachar,
Lugar inglez Navegator machinismo para o
trapiche Conceicao, para despachar.
Lugar inglez -Slella bacalho j despachado pa-
ra o trapicho Conceieo.
Barca sueca-C, W.alfafa j despachada para
o caes do Apollo.
Patacho >iorueguenseBergltot farinha j des-
cachada para o caes do Apollo.
Barca ingleza Dolphim carvao j despachado
para o 2J ponto.
Barca inglezaBlaney Brothers carvao j des-
nachado para o 2o ponto.
Escuna inglezaGeurge Ducklescarvao j des-
pachado para o Z' ponto.
OESPACHOS DE EXPORTAC.OA NO DU 13 DE
SJEMBRO D 1873.
Para os portos do exterior
-r No navio inglez Duchess of Sutherland, para
Hamburgo, carregaram : Keller t C. 162 saccas
com 7,793 kilos de algodo.
Na barca imgleza Kalt, para Liverpool, car-
regaran) : M. Lalhan A C 787 saceos com 5P,023
kilos de assucar mascavado.
Ni escuna pertugueza Christinn, para Lis-
tioa, carregaram : B Giveira 4 (',. 93 couros sal-
gados com 1,116 kilos; E. fi. Babello A- C. 40
ditos com 480 ditos.
No navio francez Coligny, para o Havre,
carregaram : Harismondy 5 Labille 691 couros
salgados com 8,292 kilos.
No vapor portugnez Julio Diniz, para Lis
boa, carregou : J. J. de Albuquerque Marauhao
l barricas com 209 kilos de assucar branco, I dita
com 15 ditos de farin'ia de mandioca, o 1 caixa
com 15 ditos de doce.
Para os portos do interwir.
Para o Cear, no vapor brasileiro l'irapama,
carregaram : J. M. Palmeir?. 5 barris com 480 li-
tros do alcool ; J. J. da Rosa 24 barricas rom
1,402 kilos de assucar branco ; Costa 4 C. 35
ditas com 2,163 ditos de dito refinado ; Bartholo-
meu k C. 4 barris com 320 litros de alcpol ; M.
J. da Costa 2 pipas com 90 ditos de agurdente ;
Carpinteiro Filho 4 Sobrinho 15 barricas com 9U0
kilos de assucar refinado ; J. Bruno 50 ditas com
3,187 ditos de dito e 26 ditas com 1,967 1|2 ditos
de dito. Para o Natal, A. Quintal & C. 6 barricas
com 68 kilos de assucar refinado. Para Granja,
J. T. Pita 2 barris com 192 litros de mel. Para
Acarac, A. Oliveira & C. 2 cascos com 558 litros
de agurdente.
Para penedo, no vapor brasileiro Giqui,
carregaram : Bartholomeu 4 C. 1 barril com 80
litros de alcool.
Para Alagoas, na barcaca Bemftca. carrega-
ram : Algonez 4 Carvalho 2 volumes com 60 kilos
de assncar refinado. .. SftajS
LA.PATAZIA DA ALFANDRi'.A
Rendiment do dia 1 a 13 10:62i391
dem do dia 15 ... 8H623
n. .
PHa inspdMiia da alfandega le faz sciente para,
os eneitos legaes M dono dos obieetos abaixo de-|
clara&rt, a#irhen*ds na>nouW de ,'2^ to m,z
proxfniotass.'ldo no caes do Forte do "Mattos, que1
pordeMo WiWjaa 1n*oeedente ti apprehensJo dos mesme*
A<5*l*r-:
UbMlogiumnio, pe*o ds cartees e> boiinterfa de
l'C*M*'0-uaSMgni.
0i9-grainK, *to' Hbs inv ^fleviaro.
IWteatbs-e oilanta'ditos, pesos nos carlees dece-
SaajoaMdro. somlftanle rrtijs.'MYga.
'Ambtfa- do Petnamboco, 12 de setembro del
48TO.-
* Olnspeeior,
________________Faino A. de G. Ret*
B4Ul T O.
Pela iiispectorta da alfandega se fai sciente, para
os effeitos t>f, aoWin d* bieetts abaixo de-
clarados, apjJrlroodios na nramSr do dia 21 do
mez prximo nassado, em catninho do caes do No-
"rbtftfc pSr l.ingorta. qiie por deciso da mesma
iiopetorLi. de boje datada, foi jiilgada procedente
aakpprehensao dos uiesinos objectos.
A saer:
Erna duzia de camisas bordadas de tecido de al-
gbdSo; para homem
Olo cansas de tecido de algodo, coin peitos de
Itabo, bordadas.
Dezeseis camisas de tecido de algodo com peitos
deTmho.
Sete* kttgraminos, pe?o liquido feal de cobertores
de algodao adamascados.
Um sacco de loaa.
Alfandega, li de-sdeniro d;M873.
O Hospector,
1___________.Fth-A.Je.V. Res._________
ITdtnl n. 01.
Pela inspectora da alfandega se faz publico
que no dia 16, s 11 horas da manhi, se ho de
arrematar, livrte de direitos, poria desta repar-
ti'cao, os objec abaixo declai-ados, apprhendi-
dos em caminhn do ees do Noronha para Lingue-
la no dia 21 do mez prximo lindo.
Uma duzia de camisas bordadas de tecido de al-
godao, para li niem, avahada por 25JS000.
Oito camisas de tecido de algodao, com peitos de
linii.1, bordadas, avahadas por 24*000.
Dezeseis camisas de tecido de algodio com peitos
de linho, avahadas por 444960.
Sete kilogrammos, peso liquido real, de cobertores
dealgtdaii adamascad w, avBliados por 21*940.
Um sacco' de lona, avahado, por 1*001).
Alfandega de Pcrnambuco, 12 do setembro de
1873.
O inspector,
Fabio A. de C. liis.
Hilital 11. Pela inspectora da alfandega se faz publico que
no dia 16, s II horas da manila, se bao de arre-
matar, livres de dirsilos, porta desta reparlico.
os objectos abaixo mencionados, apprehendidos no
caos do Porte do Mattos na nonto de 26 do mez
prximo fiado.
Um kilogramino, peso nos cartoe, de bijonteria de
cobre e suas ligas, avahado por 12*053.
OO graninioj, peso nos involtorios, de adereces do
vidro, avahados por 1S446.
380 ditos, peso nos cartoes, de con tas de vidro, se-
minantes a missangas, avahados por 456 ris.
A cama a municipal desta r.Unde pelo pre-ento,
.Convida aos pretendentes sureuiatatao do im
posto de 60 n par ada pe 4a coqueiri d; pro
duco, exceptuando pos para o uso do proprieta id
Hiela quaotia de 430*0;0 ; T>em assn o imposto
le 120 rs. por cada carga de farinh e legumes
vendidas nos nircads uublicos das freguezias da
S. Jos e D jaVku pela qaotia annual de ....
3.051*000 pata a(resetarem al o dia 21 do
correte, as sitas haoiliiaefle, aflm de poderom li-
citar.
Paro da cmara municipal do Recife, 15 de se-
tembro de 1873. .
Thodoro Matado F. Pereira da Silva.
Pro presidente.
Pedro de Albuquerque Antran.
_________________Secretario.__________
Perante a cmara municipal desta cidade,
estar em hasta publica nos das 18 e 25 do cor-
rente e 2 do mez prximo vindouro, para ser
arrematada pur lempo de um auno, por quem
mais offerecer, a aferi^o de pesos e medidas pela
quarttia do 1:108*000, sendo o arrematante obri-
gado a aferir o pesos e medidos da mesma casa
sem indemnisacao algutna.
Os pretendentes doverao ajlrseirtar-so habili-
tados na forma da lei e provarem para esse flm,
teros requesitos seguintes.
"I. Ser eidatlo braMfeiro.
2.* Ter feito exame de arithmetica pelo metios
at as ffnatro opercSes softre os nmeros inteirus,
fraecnes: decimes o complexos, bem como ele-
mentos de metrologa, alm de pratica do trabalho
de afericao, aft virtude do art. 8.* das instrnc-
c5g3 da lei n. 1,157 uV) leaeiinho de 1872, que
baixaram com o decreto n. 889 de 18 de setembro
de 1872.
Paeo da cmara municipal de Olinda, 11 de se-
tembro de 1873.
Bario da Tacaruna,
Presidente.
Mareolino Das de Araujo.
Secretario.
*t-*
>eetABACOES
CONSOLADO PROVINCIAL.
. De conformidade com o resolvide em sessao de
4 do corrente pela Illma. junta da ihesouraria
provinoial, o communicado esta administraco
por portara do Illm. Sr. inspector em data de 5
do mesmo raez, fajo publicar a nota em seguida,
chamando os individuos nella nomeados para vi-
rem recolher a differenca do imposto sobre joa-
Iheiros, relativo ao annoTlndo de 1872 a 73, e cons-
om da raesiia nota, at o dia 27 deste mez; e
em caso de omissao ou resistencia ser remedi-
da essa divida para ser cobrada judicialmente.
Cansulado provincial. 12 de setembro de 1373.
O administrador,
A. Carneiro Machado Rios.
Refaci dos joalheiros que de menos pagaran
o imposto de 2:000* por masatearem na pro-
vincia no excrcicio lindo de 1872 a 1873 ; diiTc-
renta que se den em conseqnencia da lei n 1061
art. 16 41 publicada no-jornal oOlcial, ter por
isso consignado o qnntutum de l:0OO*,quando fra
votado aquelle ecima indicado, e acha-se na le
de orcamento coll .ccionoda.
A saber :
Nomes dos joalheiros. Resto a
Pedro Allain
Phelipp Len Ploez
David Hayen
Cantil Gasa de Mtctmihi
do Recife.
A lunu administrativa, da Santa Casa de Hie-
ricordia do Recife autorisada pela presidencia da
provincia, afora os terrenos da propriedade 1P*-
{ossne o patrimonio dos ^rpha/, no lujar da
amaruieira, jr prefe nimia ioferr a fk) rs..
o panw l!ff V >'Tj!l
Os pretendentes dorer.io indicar no requer
ment o numero de palmos que qnizerera e diri-
girse esta secretaria, onde serao declaradas as
cofidices do aforamento.
Secretaria da Santa Casa de Misericerdia d>
Recie It de setembro de 1873
eserivio,
Pedro Rodf igaea de Soma.
Quarta-feira l?to tort_m\t, linda a audien-
cia do Sr. Dr. jiz de direito da I.* vara do civet.
vai em praca para ser arrematada a quem Quier
hace oHereeer, uaa casa (enea de pedra ecaU
sita na fregnezia dos Afogados ra de S. ilgijvl
n. 83, com 18 palaios de frtte, 56 de fundo, 2
salas, 2 quartos, com porta, jaoeUa de frente, 1-
ziulia fra, quiutal em aborio em vista do bon
estado em que se acha, avallada p<.r 1:200*009.
peuhurada por execua > do njaiur .Marcelino Jos
Lofs contra Praocisuo ft'd'Oliveiia b sua
mlflBer
. 1
Pela thesoorana provincial se faz pubhci.
que foram transferidas para o da 18 do cnente
as arrema taces seguintes:
Sitio dos Remedios :'.:TV0J$^
Reparos da ponte do Desterro 1 Mttiit'
Secretaria da thesouraria provincial d<' PomstN
buco, 5 de setembro de 1873.
O ofiicial maior
________________________M. -A. ferreira
Eslrada ile FemiPa-
raense, ho Para.
Tendo a assembla geral dos accionistas d
Companhi. Urbana da Estrada de Ferro Paraense,
autorisad a vend desta empreza, a commissa"
eleita para este fira recebera propostas para a"
compra da mesma al o dia 10 de novembro pro
ximo, no Para, podendo os prr ponentes obler des-
de j as circulare-, e examinaran os estatutos,
bem como os relatnos' da campan'ia de 1870^
1871 e 1872, no 6501-1(510110 do Englisli Baak or
Ro de Janeiro Limited.
pagar.
1:000*000
1:000*00:)
1:000*000
3:000j0O
Primeira seccao do consulado provincial, 12 de
setembro de 1873.
Oc^'e,
Antonio Witru io Pinto B. A. de Vascoucellos.
Alfandega de
1873.
Pcrnambuco, 12 de setembro de
O Inspector,
Fabio A. de C. tieis.
Edital n. 63.
Pela inspeclonia da alfandega se faz publico, de
conformidade com a pertaria da thesouraria de
fazenda n. 435- e edital desta reparlico n. 55 de
dezombro do anno prximo passaoo, ao- donos ou
consignatarios da plvora abaixo declarada, vin-
da de Londres na escuna ingleza Perseverance,
entrada boje, a viren despacha-la sobre agua, den-
tro do prazo de tres dias, sob pena de (indo este,
ser ella vendida por sua conta, sem que lhes fique
compelindo allegar contra os efieitos desta ven Ja.
Marca diamante J 400 barris de 4" consigna-
dos ao iiaro de Bcmfica.
dem BU-500 ditos de dito, idem ordem.
dem diamante K4CL -700 ditos de dito, idem
idem.
dem idem Moraes .300 ditos de dito, idem J. J.
de GarvalbQ Moraes.
Mein FGB 78800 ditos de .dito, dem a Saun-
ders roihers 4 C.
dem diamante SPF 1,000 ditos Je dito, idem
idem.
Id- m CLfeC50 caixas, idem ordem.
dem GM4I 59 ditos, idem idem.
Alfandega de I'ernauuuco, 15 de setembro de
1873.
0 iuspector,
Fabio A. de Carvalko Reis
11:434 SO I i
VOLUMES SABIDOS
No dia la 11...... 16,548
Primeira porta no dia 15 22
Segunda porta ..... 84
Ferceira porta..... 517
Trapiche Conceieo 503
17,868
O hachare! Au^terlEano Carrea
le Oawto. juiz municipal do
Iloru JardTai, a publico.
Deve anda lambrar-sa o publico de um com-
municado infmame contra mim i serto as co-
lumnas doste Difiri o publico hera avisado
nio ha de esperar de nra rragistradoto acre-
mente ferido emeua honra, urna dessas desforras
o ordinarias que se costnnrirn tomar as pagi-
nas dos jornaes; per corto a impren?a a gran-
de escJarecedpra dos senta) entos da opinio;
Ituportacao.
Liverpool, barca ingleza Harmione, coti-
signada a Jolinston Pater & C manifes
tou :
Amostras 2 volumes a Santos & Araujo.
Aduelas 98 volumes a M. Halliday, 397 a
S. P. Johuston, 98 a Shaw Hwakes C.
Barrilba+0 Larris a Saniosa Araajo. Bur-
ras de ferro 1 a Pliipps Brothers C. 1 a M.
das Noves, 2 a Shaw llawhes & C. Biscou-
tos 17 caixas a Pereira Carneiro veja 100 barricas a M. de Barros Filhos *
C, 30 a Santas & Araujo, 20 a F. do Paula
Ramos, 5o a Corgn, 10 a J. B. de Oli-
veira.
Cimento 100 barricas aos consignatarios.
Cok 22 toneladas a Cardoso A Irmo. Car-
vao 92 toneladas o 7 quintaes aos consigna-
tarios. Chumbo 130 barris a S. P. Johnston.
Estopa 10 lardos aos consignatarios.
Ferragem 18 voluntes-a M. Halliday, 25
a S. P. Johnston & C, 15 a Shaw awkes
& C-, 19 a J. Araujo & C. Folhas de Fan-
dres 100 caixas a Shaw Hawkes & C, 100 a
i. Araujo &C, 140 a Carvalho & Moraes.
Formas 6 volumes a S. P. Johnston, 20
ordem. Fio 3 fardos a Simpson & C.
Louca 15 gigos a Guimares & Aicofora-
do, 120 ordem, 150 a Saunders B. I.iiihaca 10 barris a Simpson & C.
Machinismo e pegas 297 volumes a S. P.
Johnston & C, 4 a Cardoso Irmioi Ma-
terial para estrada de ferro 53 a de Cixang,
147 a de S. Francisco. Dito deesgoto 430
volurries a Drainage.
Objectos de electro-plato 1 caixa a M.
lalUday, ditos de gai 38fcvoluraos a Simp-
son & C. ,
Papel 3 cdtxas.a Saatos A Araujo.
Tecido 2 voluntes a Phipps- B. & C, 12
a Simnson & C. iiiolos 200 cairas a Siwp-
soa & C. '
SEBVICO MARTIMO
llvarengas descarrc'gadas no trapiche
da alfandega n dia i a 13. .
Ditas ditas no dia 15......
Va\ios airacados no trap da alfandega
Alvareugas .........
So trapiche Conceicao.....
sa
27
Edital n.
RECEBEDORIA DE RENDAS.INTERNAS GE-
RAES DE PERN'AMBCO
endimento do dia 1 a 13 16.259804
Idem do dia 13.
3.831 558
20:91362
CONSUL.\DO PROVINCIAL
(tenpimento do dia 1
Idem do dia 15. .
a 13
30:4156776
8-.285 i 306
38:731*112
RECIFE DR.AIXAGE.
Itendimento do dia 13. 6:362*972
Idem do dia 15...... 599*358
7:363*3:
Pela inspectora da alfandega se faz publico que
as 11 horas da manha do dia 19 do rorrente se ha
de arrematar, hvre de direitos, no. trapiche Cunha,
a mercadoria abaixo mencionada, que deixou de
ser despachada dentro do prazo do 30 dias, mar-
cado por edital n. 8.
Marca EDPRIVAT AfDE 2 pipas com vinho
secco, mediado lquido legal 951 litros, avahadas
por 341*218, vindas de Cette no navio francez
Mara Celine, entrado em 9 de dezembro de 1872,
c consiguauas a Tas.-o 1 raos A C.
Alfandega de Pernambuco, 15 de setembro de
1873.
O inspector
. Fabio A. deCurvalho Res.
"Editaln. 65.
Pela inspectora da alfandega se faz publico,
que s H horas da manhi do dia 20 do corrente
se ha de arrematar, livro de dreiios, no trapiche
Barbosa, a mercadera abaixo declarada, que dei-
xou de ser despachada dentro do prazo de 30 dias
marcado por edital n. 9.
Marca SI) 1 pipa abatida, pesando liquido real
60 kilogrammos, avahada por 8*680, vinda de
Lisboa no navio inglez Ariel, e consignada a Saun-
ders Brothers 4 C.
Idem PAC 1 barril do 5' com vinho, medindo
liquido legal 87 litros, avahado por 31*214, vindo
de Barcellona no navio hcspanhol S. Mariano, o
consignado Pereira Carneiro 4 C.
dem idem -10 caixas com 10 duzias de garra-
fas coro vinho muscatel, consignadas a Pereira Car-
neiro A C, medindo liquido legal 76 litros, avalia
dos per 94 s 392, idem i lem.
Alfandega d Pemambuco. 15 de setembro de
1873.
O inspector
Fabio 4- de Carvalho Ruis.
MQViMENTO m PH
se
Navios entrados no.dia 15.
Uio de Janeiro e Babia9 dias, sendo do
ultimo porto 2, vapor portuguez Julio
Diniz, de 888 toneladas, commandanlo
Contente, equipagena 45, carga, diferen-
. tes gneros ; E. R, Uabello & C,
Loodres38 dias, escuna ingleza Percer-
veranee, de 164 toneladas, eapito tamb,
equipagem 7, carga varita 'gneros; a
I. A Matheus.
Aracaty pelo .tss -15 dias. ljate 'lit-a.-ibro
D. Luizn, de 155 toneladas, < apilao
Pessoa, equipagem 8, carga, sai e oulro&l
gneros; aOraes de Mattos IrirtSo.
Ri de Janeiro16" das, barca 'ranwza
i Nrmamiie, de 644. toneladas, capto
Esmelin, equipagem 18, earga, cal* bou-
eos j ordom, Seulleslino o tiavre.
Arribou a este porto com aguA-.abprta.
Edital n. 58.
Pela inspectora da alfandega de Pernambuco
e fw publico que s 11 horas do dia 16 do cor-
rente, porta desta reparticao, se bao da arre-
matar, livres de direitos, as mercadorias, abaix
declaradas, apprehendidas no dia 28 do mez pr-
ximo ende:
A saber:
Desesate chapeos iln sol de *, para homem,
avahados por i'475-'ioT
, Nove dkos de aUodiio liara- homem, avahados
por 13*020.
Dose calcas de tecido de algodo bordadas por
13*300,
, Doiis kilogrammos, puzo hquido real du camisas
e algodao ponto de meia avahadas por 11*050
'!* dilos idem-dulenc/is i\, algodo
estampado por 13ViSii.
Novo duzias deprvalas de algodo por 52*080.
Tin kilo, peso afluido de franjas de qualquer
matara eoborta Jasada semviarilho-por 21*tH3.
. Um dito idem dr^regas de 13 por
Um dito ideo daca*- -.:
1IWW,
"Mfoiid?ga Pwnambtto, 12 de setembro de
\m:
O inspector,
Fabio A. de Carra/A'-- &
Capitmiia do porto lo Pernam-
buco, 9 de Metouibrode 1893.
Para scirneia dos navegantes se publica os avi
sos abaixo declarados, relativos a variaco da
agulha nos mares do norte e Bltico, ilhas tiritan-
nicas e mares adjacentes :
MINISTERIO DA MARINHA.
Pelo ministerio da marinha se publicam os se-
guintes avisos aos navegantes, organisados pela
reparticao hydrographica da almirantado inglez,
relativos variaco da agulha no3 mares do nor-
te e Bltico, ilhas Britannicas e mares adjacentes.
\ 1
AVISO AOS NAVEGANTES.
(BLML'}
ILHAS BB1TA.NMCAS.
Vorkicao de agulha. 1872.
(Traduccao do original inglez pelo .'apitao U-nente
Pedro Benjamn de Cerqueira Lima.)
Publica-se o seguinte aviso acerca da variaco
Ja agulha as ilhas Britnicas e mares adjacen
tes, com o iim : !. de informar aos navegantes
da diminuico na variaco da aguiha, que nos
ltimos 15 annos tem chegado a quasi um quarto
de uma quarta, e que actualmente aprsenla um
termo medio de 9 a 10 minutos por anno ; 2.,
habilitar os navegantes, fabricantes de carias e
agentes para a venda das mesmas cartas a cor-
rigir as numerosas cartas e instruccSes nuticas
(roteiros), presentemente em uso, que teem a va-
riaco errneamente marcada.
Das Shetland, Orkuey- e Hbridas, para as cos-
tas septenlriouaes da Franca, entre Calais e Us-
hant, a direecao geral das linhas de variago
igual SS.O N.NE (verdadeiro) crescendo de 18/
a 26- oeste.
Costa oriental.
Em Lonvick e Sumbugl Head 22 3/V' 0.
Peutiand e Moray Pirita 23 1/2'
a Buchannes e Pfenos 22 1/4
Ilhas Holly e Faro 21 2/3"
t Shields, Sunderland e Hartlepool 21 1/4*
Flamborough Head 20 1/4
t Wash e Dudgeon 19 2/4
Leman e Ower, Yarmonh o Cr-
fordness
Rio Tm'sa
Costas meridionaes.
Em North e South Forelands e Dun-
geness
Beechy He..d
St. Catharine, Una de Wight
Bill of Portland
Pona Start
Lizard
t libas Scilly
Porto de Cork
Cabo Clear
Costas occidentaes. .
Em Valenta e Blasquets
Ilhas Arran
a Achil Head
Ilha Ton
Pharol Inistrahul
Skerryvoiv
< liara Head
Butt of Lewis
Costas septentriouaes.
Em Miuch e Little Miuch
. Cabo Wrath
Thurso
a N'orKi Rodnaldsha, Orkuevs
t Ilha Foula, Shetland
< Ilha Unst, Shetland
Mar de Irlanda e Canal de Bristol.
Em Mull of Cantire 24"
a of Gailuwav 23 1/1
Ilha de Man 22 3/1
21 3/4.
22
Veneravel ordem terceira de
S. Francisco do Recife.
A mesa regedora desta veneravel ordem, pos-
suida de grande senlimento pur nao fazer no pre-
sente anno a festa da Impressao das Chagas *
Nosso Seraphico Patriarcha S. Francisco no dia
17 do corrente, como era do sou rigorosa ster.
em conseqeneia de nao querorein os Bvms. Srs.
sacerdotes funecionar em nossa igreja : resolveu
para conmemorar uao magestoso dia nianir de-
corar convenientemente o seu templo, e expo-lo
no decurso do referido dia, at as 19 horas da
noite, visita dos fiis, alim Je que aqueues fue
devotamente preparados visitaren! nesie dia a nos-
sa igreja, possam lucrar as indulgencias que lhes
tem concedido'diversos summos pontfice*.
Secretaria da veneravel ordem terceira de S.
Francisco do Recito, 15 de setembro de 1873.
D secretario interino,
___________Antonio Augusto F. Santos Port\
Arrematacjio
Juizo do orpliSoN de Olinda.
g|No dia 18 do corrente mez de setembro de
1873 1 hora da tarde, na sala das audiencias
vae praca, de conformidade com o decreto n.
1696' de 15 de novembro de 1869 o escravo Igna-
cio, pardo, de 30 annos de idade, talhador de
carne, avahado por 1:000*000 de queso receben
propostas em caria fecuada para sua venda ; esse
escravo vae praca para pagamento dos credo-
res do inventario dos bens da tinada D. Constancia
Alexandrina da Silva Franca.
O escrivao,
______________________Hermillo Chagas.
ADMIMSTRACAO DOS CORREIOS DE PERNAM-
BUCO 1*6 DE SETE MURO lE 1873.
Malas pelo vapor Julio Diniz.
A correspondencia que tem de ser expedida hoja
(16) pelo vapor cima mencionado, somonte par,-
Portugal, ser reeebida at II horas da manha
O administrador interino,
Vicente Ferreira da Porciuncula
THEATRO
^tOB^as^r *-* i-sa
19
19
19a
19
20-
0
21
21
22
21
21
I /i
L4
1/2
3/i-
1/4

Terca-feira 16 de setembro
Estra da real companhia Japoneza, com .
concurso da companhia dramtica do thealro San-
to Antonio.
O enipnzaru deste ihealio, de acord cm o
director da companhia Japonesa, dar uma peque-
a serie de espectculos vaii.uli-simos.
Ha ver espectculo t. dus us di. s, puis que ;
companhia Japtmeza pouco se demora nesta ca-
pital.
Camarotes de frente 12*000
Ditos de lado 10*1.00
Cadenas de i.-'cla-sr 3i0O.
Ditas de 2." classe 2iO0
Geraes j *00O
(liinele
13
2o
26
18
21
1/2' o
1/2
1/3'
i/2-
.3/4
1/1 .
26-
25" 3/4
U 1/2
24 3/4 .
23 2/3 *
23 1/4
23 1/4 o
22 1/2
'orlugiiez
k

Liverpool
c Holyhead
<
c

Dublin
Pharol Smallis
Tuskar
liba I.uudv
Bristol
23
t
23'
22
21
l/P
1/2
1/2
Costa septentrional da Franca..
Em Calais 18 1/2
Havre 19
Cato) Barfleur 19 3/1-
Jersey 20
Casquis, Alderney e Guernesey 20 1/4
Ushant 21*
Reparticao hydrographica do Ahniraniado, Lon-
dres, 19'deMaffode 1872.
Asslgnadb. Geo. Henry Richards, hydrogra-
pho.
Est conforme. Dedo d"Aquino Fonceca, se-
cretarla___________________________
Banfca Casa de Misericordia
do Recife.
A Junta administrativa da Santa Casa do Mise-
ricordia do Recife, devidamente autorisada pela
mesa da Santa Casa de Misericordia da Baha,
recebe propostas para a venda da; tres casas ter-
reas que possnn aquella corpora(ao hesia pro-
por vincia, de ns. 34, 11*3 e !*, sitas ru de Hor-
t.i3, hoje do Coronel Suassna.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recie, 12 de setembro do 1873.
O escrivao.
Podro Rodrigues do Souza.
Ra do Imperador
Terca-feira 16 do corrente
A'S 8 l|2 HORAS DA ifoin E.
O ultiino concert
DE
Hugo itnsshwr
Prograiunia.
Banda militar :
Soiiimtula, grande phantasia
Hugo Pussmeyer.
Rigi licito, concertino
Sr. Candido Filho.
Marclia nupcial
Canilln
O rei dos Olnos
Hugo Bussraeycr.
Tambauser, marcha, 8 ni
Sts. Poppe, Wertleimer,
Claudio e Bussmeyer.
Banda militar.
Trovatore, grande paraphrase
Hugo Bnssmeyer.
l-'aust, rabeca, piano c orgao
Srs. Poppe, AVerlheimiT e
Bu ssmeyer.
Home sweet home, hymno)
nacional, grandes variacSes)
Hugo Bussmeyer.
llanda militar.
Bilretes
^ Ditos para fai.,
A' venda na livraria frq
msica do Azevedo, ruip
do concert, na porta da i
guez de Leitura.
Thallierg.
tendido Filh
Mendelssohn.
Jaell.
Liszt.
Wagner.
Bussmeyer.
Gounod.
liusfllieyer.
Santo Antonio
EAEPREZA
L


rat
"fl







Diario dePemambiwo Ter^a feira 16 de Setembro de 1873.
QUARTA-FHftA 1.7 DO CORRENTE
Espectculo cou 4o artista Sabino V. Bom&o
I de E. JPrelre.
1.* pi.rte.
Depois qne a orebettr tiver cxecutado urna
<1 suas (indas pacas subir sceoa a comedia
.'ai dona acto:
A alunada t Barto.
.' pirtu.
fiegure ha urna difllcil variara* de piano pelo
inatstru Julio Poppo..
Terminara esu parto com um lindo romaneo
do Baile de Mascara, cantado pelo licncfieiado.
S.' p.jrte.
O artista Penante, representar sceoa cmica:
Fui a Pars.
4.* parte.
Sr. professor Antonio Martins, tocar traa
de as mais agradaveis phanta.'as.
Em seguida jo beneficiado cantar a catalina
da opera Idueffoscar.
Terminar o especlacnlo com a excellente ce-
na cmica pelo artista o Sr. Flavio :
O SR. DOMINGOS lli DO SERIO
Principiar s 8 l\i horas.
A empreza declara que tendo cedido o theatro
oymnasio Dramtico ao empresario do theatro
Santo Antonio, d o espcciaculo annunciado neste
theatro, afim de satisfacer o comproraisso que li-
nha com o beneficiado.
Oe viagem para a cidade de Goyanna, apro-
vena a occasiao para despedir-se do respeitavel
publico e assegurar-lhe sui eterna gratidio.
VISOS MARTIMOS
de OKveira Aicvedo
n.37.
*C.
"i roa do Rom lesas
lEILOtS.
LEILAO
DE
movis, loucas eoutros arti-
go
Hoje
AS 11 HORAS DA MANH
Na ra do Bom Jess n. 50.
SENDO:
1 piano, 1 mobilia de mogno contando : 18 ca-
deiras. de guarnicao, 1 consolos cam tampo de pe-
ara, 1 sof e 1 cadeiras de bracos, I mesa elasti-
cx, aparadores, guardas-loucas, guarda-vestidos,
cama francesa, raarqueio de amarello, cadeiras
avulsas, quadros, jarros para flores, calunga. pa-
res de lanleraas e outros muitos artigos de gosto,
ludo em perfelto estado, os quaes foram transpor-
tados para o referido predio.
Por ordem do Sr. Jos Ferreiro Guimaraes o
agente Pinho Borges far o leilao cima declarado.
LEILAO
- (itRtffi REl'MS.
Conpankb Franreza de Navega-
Ci a vapor
Liriha mensa entre o
Havre, Lisboa, Pernainbuco. Rio de
Janeiro, (.Santos, somente na vol-
ta ) Montevideo, BuenosAyrcs,
(eom bnldeaco para o Rosario).
VI I til I it
\1LI 1>E B\H1A
< uiiiiiiiuiduiilr. Robert.
E' esperado at 22 do con ente, e seguir depois
da demora precisa para os portos do sul cima
indicados, entrando dentro do porto, quer na vin-
da da Europa, quer ni volta
Relativamente a fieles, uicommendas e passa-
eiros, para os quaes tem excellcntcs aecommo-
acoes por presos reduzidos, trata-se com
OS CONSIGNATARIOS
A UGUSTO F. D'OUVEIRA & C.
42Ruado CommercioEntrada pela ra
do Torres.
DA
loja de cirguciro do pateo da matriz de San-
Antonio, n. 2 A.
Hoje
As 10 horas da manh.
O agente Pinto, legamente autorisado, levar a
leilo em um ou mais lotes a armacao, balcio e
mais pertencas da loja do paleo da matriz de San-
to Antonio n. A, s 10 horas do dia cima dito
Garante-se ao comprador ficar na loia (aue-
rendo.4
pr. k. Yianna.
Medie* aerador e parteire.
Especialidades.Opcraces e molestia
das vas gento ourinarias.
Opera os cstreitamentos da urethra
aria etectricidade par um processo intei-
rameate novo sem dc, garantindo a cu-
ra radical em pouco* das.
Gmsulias.^=do nwic-'dia s 2 hora*
(gratis aos pobres).
Chamados.Por cripta a mulmier
hora.
Ra do Vigario
Garanhuns.
Na rna do Bario da Vctor* n. 3, preeis-se
fallar aos Srs. Pedro d llego Chaves Peixoio e
Jos Paes da Silva, a negocio de particular inle-
resse.
- Desappareeeram do engenho Jagoarihe Sim, o
cabra, de idade de anuos, rabellus de cabaorl
a to, rosto comprido. idht grande?, tendo as pl-
penlas uperinres um pouco distadas, nariz chato,
orelhas grandes, bucea regular, Ikcos (ines,t9m|
na face direila urna pequea marca o na esqueia
mm<
Escravo fogido.
300#000 de gratificacao
Ausntense desde o dia 1.1 de uiaio de 1871 o
preto de nome Alfredo, representa ter de 30 a 40
annos de idade ; este preto e perfeito eonzinhairo,
bastante alto bem magro, pouca barba, olhos
grandes, e muilo ladino; con.-u-meque tem pai no
engenho do Sr. Lnld de Calar em S. Lourenco da
Nata, e.te prejo foi eonzinbeiro do negociante
Adriano & Castro e o Sr. Jos Joaquina Goncalves
Bastos ;quer me parecer que este preto esleja alu-
nado em aigum hotel ou casa particular nesta ei-
dade, como forro. Pede-se a todas as autoridades
e capitaes de campo que o descobrindo o tiagam
ra Duque de Caxias n. 91, loja de mindecas do
Rival Sem Segundo que ser gratificado coma
qnantia cima. .
Attenco.
Constando que tem apparecido no mer-
cado latas de gaz contendo 4 1/2 galoes,
Henry Forster C. declaram que nos seus
depsitos ns. 26 o 28 na ra do Brum, s
vendem caixas con duas latas, contendo
cada urna cinco gales e pesam 16 kilos
bruto.
Nenhuma machina
Singer legitima se
nao levar esta marca
fixa no braco da ma-
china.
Para evitar
faccoes notem-sebem
todos osdetalhes da
marca.
Ainda da loja la Mensagre
Rna da Iniperatriz n. 19
TERCA-FEIRA 16 DO CORRENTE
As 11 horas da manh
A saber:
Armacao envidracada, 1 machina de moer tinta?,
1 dita para fazer gelo, regadores, formas para
fogio, i grande guarda vestidos e mais diversos
artigos.
Por laten enfilo do agente Pl-
iiho Borges.
Leilao
- COSE-SE, LAVA-SE E ENGOMMA-SE eom
perfeiyao e barato : no pal do Parzo n. 24.
Fugio
Adiase fgida desde o dia 12 do correnU a
escrava de nome Justina, com os signaes seguin
tes : altura regular, cor bem preta, bem parecida,
denles alvos olhos pretos e um pouco grandes,
tem ol< ar espantado, ps um pouco redondos
indicam terem em lempo mo trato; foi escrava
de Manoel Soares Pinheiro, desta cidade, e natu-
ral do Rio Grande do Norte : quem a pegar le-
ve-a casa de seu sonhor, na Capunga, ra das
Pcrnambucanas n 12, d'onde se ausentou, e no
Recife, nwo da Conceio, loja de ourives, que
ser generosamente recompensado.
DE
NAVECACAO BAUIAXA
LlfflTWA
Macci, Pcnclo, Aracaju
o Raliia.
E' esperado at o dia 2C ou 27 Jo corrcnle dos
porto cima o vapor GouQalces Martns, que se-
guir para os mesmos no dia seguintc ao de sua
chegada
Recebe carga, pns-ageiro; e dinheiro a frete : a
iratar com os seas agentes Antonio Luiz de Oli-
velra Azevedo & C, ra do Rom Jess n. 57.
DO
hotel da ra das Urangeiras n. 30.
QUARTA-FEIRA 17 DO CORRENTE
O agente Martins far leilao dos movis, loura,
Ircm de cesinha e mais pertencas do hotel da r'ua
das Larangeiras n. 30, o qual ser vendido em um
ou mais lotes, confirme convier aos pretendentes
sll horas.
da manh no mesmo hotel.
?
casa terrea na cidade de Olinda sita na ladeira do
Varadouro n. 12.
QUARTA-FEIRA 18 DO CORRENTE.
A's 11 horas rl rannbft.
preposto do agente Pestaa, far leilao por
conta erisco de quem pertencer da casa terrea
sita n i cidade de Olinda ladeira do Varadouro n.
12, tendo de frente 79 palmos, sendo 40 da casa,
e o rstante do quintal, contendo 1 sala, duas al-
eovas, 3 qnartos, sala de jautar, rosinha fra c
cacimba, o quintal tem 20!) palmos de fundo e todo
lantado com frucleiras de diversas qnalidadese um
bonito parreiral ; a casaacha-se aberlapara quem
quizer examina-la. No armazem ra do Viga-
jo n. II.
Aluga-se um grande sobrado com grande
quintal murado, cimba c frucleiras em b.m es-
tado, em Olinda, no pateo de S. Pedro-novo, sendo
o melhor local para o recreio da Testa : no Recife'
na travesa de S. Jos n. 35, t andar.
ATTENgAO.
Pede-se autoridade competente que se digne
providenciar de maneira que corrija a urna senho
ra que mora na ra de Dias Cardoso n. 88, a qual
leva todo o da a proferir palavras obcenas em
altas_ vozes, ameacando a visinhanca a ponto de,
se nao nos aecudir a autoridade, haver agua suja.
__________Os moradores de Dias Cardoso.
Saques para todas asridades e
villas de Portugal.
Carvalho & Nogueira, saccam| sobre o
banco cotnmercial de Vianna, e suas agen-
cias em todas as cidades e villas de Portu-
gal, qualqucr quantia vista ou a prazo e
por todos os paquetes; ra do Apollo
n. 20.
MACHINAS DE COSiURA
A MACHINA
DE
SINGER MANFACTRIfe COHMNY
SEMPRA TOimPHAWfE
Machinas vendidas em 1871. 181,260!
Excesso sobre todas as outras companliias. 52,734.
De certo os nossos leitores hSo de perguntar se sto nao jactancia e ostentado.
A isso responderemos que estes algarismos e os dados abaixo sSo recompilad.js sob jura-
mento, pois foram tirados dos relatnos ofliciaes dos diversos fabricantes de mchinas de
costura nos Estados-Unidos.
Em 1870 vendeua Singer Momifacturing Coiupany.
126.C67 machinas mais do que a companhia Tarhom.
abaixo do olho um llgero talho; \ f itos e grandes, todos u denles, semlo limados os
de cima, fillio do Piamai e'fi.1 affi estrafo d
Manuel Noque da Foncica, morador na villa de
Mioneoidi.i. sendquc foi t:inil>piu de um tal Lo
piuho, que all lainbem morador; tem barba
somente na ponta do queixo, e um ligeiro bigode.
Hercnlano, cabra alto, de trinla annos, solteiro,
com principio de enzinheiro, fllho da proviocis da
Parahyba, no logar Oarpad, foi escravo do Dr. Sa-
lustino Gomes da Silveira, que alli mora, e aqni
loi de Jos Al ves da Cruz; i em feito de ps e mos,
rosto oval e descarnado, usa barba a Ovaignac,
olh.i s pretos, regulares e expresivos, cabellos pou-
co carapmhos, nariz grosso e ventas largas, boc-
ea pequea, e tem todus os denle?.
Lourenco, filho do lugar Urub, abaixo do Bl-
eme, foi escravo de Antonio de Araujo, qne o ven-
deu a Bastos Thcnorio Bezerra Cavalcanto, mora-
dor em Barreira, tambem da comarca do Buiqe,
foi aqu vendido por Arcebiades; cabellos carapi-
nhos, ps e mos grandes e bem feito, olhos gran-
des, baibado, beicos grossos, nariz grosso e meio
adiado.
Pede-se a todas as autoridades policaes, a ap-
prehensao delles, assim como graiilica-se bem a
qualquer particular qne os levar no raesmo enge-
" ou no Reoife. roa N*a n. 8.
nho
CV>X>VO0 ? XKXVvVS*
rC(nsiillorio medico-drurgico
DE
% A. B. da Silva Maia. g
Nna do Visconde de Albnquerqne n.
11, outr'ora ra da matriz da Boa-Vi n. 11.
Chamados : a qualquer hora.
Consultas : Aos pobres gratis, das 2 s
4 horas da tarde.
125,413
124,273
122,027
118,921
113,260
110,173
98,831
92,831
70,431
52,677
44,625






















<(


a
((



ipanhi






a



Finlile e Ivon.
Duas machinas imperiaes.
Aelna.
Gold Medal.
American Button hole.
Plorence.
Wilcot & Gibhs.
Weed.
(Irover & Baker.'
Howe.
Wheeler & W'ilson.
ALJGA=SE
e segundo andar do sobrado da rna da Guia n.
62, caiado e pintado de novo : na rna da Sen-
zalla Nova n. t.
J. Iliiibiiiil de Pars
Constriictoi
Rx-nflnador
PACIFIC STEAM llilGTION
PUN
Linha qiiU2:cnal
O PAQUETE
COTOPAXI
espera se do sul at o dia 2G do correnle, e de-
pois da demora do cnstumo, seguir para Li-
verpool, via Lisboa, para onde receber passa
geiros e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe & C.
14RA DO COMMCRCIO14
*loucas, e oulros artigos.
SENDO :
1 piano, 1 mobilia de mogno, 1 guarda vestidos
com espelho, 1 secretaria de mogno, 1 cama france-
za de amarello, marquezas, marquezoes, espelhos
dourados, 1 mesa elstica, cabidos, porra-toalhas,
apparadores, 1 toilette para barbara, 1 apparelho de
paredaa dourado, 1 dito para jantar, carraas,
copos, clices, facas e garios, jarros paradores e
diversos objectos de gosto, tudo em perfeito es-
tado.
Sexta-fcira 1 lo corrente
s 11 horas da manh
A' ra do Bom Jess n. 50, para onde foram
transportados os referidos movis, por ordem do
Sr. Jos Ferreira Guimaraes, e por intervenco do
agente Pinho Horges.
c afinador le
non.
dd3 antigs e afamadas
l'leyel e Hertz
o antigo director das oflicinas da casa
Alfonso Blondel.
pa-
rasas
33Ra do.Imperador33
Tem a honra de declarar ao respeitavol publico
desta cidado, que tem aborto sua casi de concer-
tos c alinacous de pianos, qualquer que seja o ts-
tado do instrumento : rna do Imperador n. 33.
Pacific Sieaii navipum (ompanj
Linha |iiiii2:enal
O PAQUETE
espera-se da Europa at o dia 28 do corrente,
e depois da demora do costuma seguir para o su
do imperio, Bio da Prata e costa do Pacifico, para
onde receber passageiros, enromniendas e dinhei
ro a frete.
OS A6ENT11
Wilson Rowe A C.
14RA DO COMMERCIOM4
Pafa o Aracaty sabe al o dia 18 do corren-
te opalhebote Leonilla da Citii, capitao c pratico
Wanoel Caetano da Costa, tem seu carregamento
ijuasi completo, e para o resto que Ihe falta trata-
se com o consignatario Antonio Alberto de Sooza
Agmar, ruado Ami'rim n. 60, armazem.
ftVISQSDjjj HSb
Precisarse de um cria-
do forro ou escravo, paga se
bem: nesta typographia.
INS
TUTO ARCHEOLOGICO E GEO-
Tendo-se deseni-aminhado una letra, do va-
lor dc3:00O<(Xi0a vencer-se no dia 15 do cor-
rente, do aceite de Francisco Tavares Lima, a
favor ae Pedro de Barros Wanderley, este pre-
vine em lempo ao aceitante e ao publico que ne-
nhuma iransaccao facam com dita lettra.
ltecife, 14 de setembro de 1873.
Os algarismos que cima apresentamos mostram primeira vista o maravilhoso
crescimento da Singrr Manufacturing Company, e mostra que todos os seus rivaes fica-
ram muito atraz delles, e que a fama e popularidade destas machinas vai sempre cres-
cendo e estendendo-se mais a mais.
Nao possivel negar que esta superioridade as vendas devida superioridade in-
contestavel destas machinas, porque o publico, o juiz mais imparcial nesta materia, sabe
logo discernir a machina superior das inferiores e das imitacss.
Ninguem recusou a estas machinas urna grande superioridade, porm
de machinas tinham por costume dizer que estas s serviam para fabricas e que nao eram
proprias para costuras de familia. E' um erro manifest : Singer, Manufacturing & C
fabricam mais do vinte qualidades de machinas, desde a machina que trabalha a mo e a
p at aquella que serve para o mais forte trabalho de selleiro e correeiro.
A machina de costura de familia tem sido o maior triumpho e a extraeco destas foi
to grande que hoje vendem-se ellas por 805*000, quasi a metade do proco por que foram
vendidas o anno passado.
Hoje a Singer Manufacturing Company fabrica 5,000 machinas por semana, e
gracas a esta grande fabricado, que ella p le hoje satisfazer as importantes encorrmen-
das que Ihe sao dirigidas de todas as partes do mundo. No Brasil existem numerosas
agencias que a ella s constitue um importantissimo ramo de negocio.
NICA AGENCIA
F.M
A CASA AMERICANA
45 RA 1)0 IMPERADOR

Escravo fgido.
Do engenbo Tbse da comarca do Bonito, an-
sentou-se em 9 de setembro de 1873, o escravo
Joaquim, pardo laranja, idade 35 annos, pouco
mais ou menos, altura regular, olhos brancos,
a menina acarbanhada e fundas como olhcs de
porco.bem empernado, bom corpo, cabellos bem
crespos e corlados, pouca barba, nariz grande,
tem pannos pretos, pea pequeos, calcanhares Ta-
chados de calor : quera o pegar e o levar a dito
engenbo, ou ra do Imperador n. 8, a Correa
5c C. ser recompensado.
Raymundo e Luiz.
No dia 29 de agosto prximo passado, fugio o
mulato Raymundo, que representa ter 24 annos,
de cor alaranjaia, cabellos estirados faiendo al-
gumas vultas, cabeca redonda, pescoco grosso,
ps seceos e candas finas ; este mulato natu-
ral do serto e foi visto no Recife ha cerca de i
dias, onde se presume andar ainda junto com o
mulato Luiz, natural da Parahjba, cuja fuga se
tem annunciado nesle Diario, e cujo melhor sig-
nal deste, ter o dedo pollegar da mao esquerda
corlado quasi ao meio. de de um golpe de bice
descascando um coco. Roga-se a apprehenso de
ditos esclavos eonduzindo-os ao engenho Mega
de Bixo, na freguezia de Tejucupapo, ou nesta
praca ra do Bom Jess n. 30, que se dar boa
Sratiicaco. Protestase empregar todo o rigor
a lei contra quem os tiver acoitado.
45
Criado
Na ra da Alegra n. 40, precisa se de um
criado que d fiador de sua conducta.
Mucama.
-Na ra .da Alegra n. 40 precisase alugar urna
mucama, de I i a 16 annos, para andar com urna
menina.
Haver sesso ordinaria quinta-foira, 13
do corrente setembro, pelas 11 horas da ma-
nh.
ORDEM DO DIA.
Pareceres e maistrabalhos decommis-
' Para Lisboa
Iiretende soguir com pouca demora a escuna por
ugueza Christina, de I* ciarse, capillo Loureiro,
por ter a maior parte de seu carregamento enga-
jado; e para o resto que Ihe (alta trata-se com os
eo nsignatanos Joaquim Jos Goncalves Beltrao 4
Filho, ra do Commercio n 8.
Para a Baiia.
Pretende seguir com umita hrevidade o palha-
bote nacional Joten Artlwr, om p;irte de seu
carregamento engajado, e nara o resto qu>' rae
falta trala-se com os seus consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira Azevedo 4 C, nu seu escriptorio
roa do llom Jess n. 57.
Para o Rio-Grande do Sul.
Pretende seguir com multa bre\idade o palha-
w)te Rosita, por ter alguma car^a tralada e para
a que Ihe falta trata-se com os consignatarias
Joaquim Jos Goncalves Boltri) & Filho : ra
-dr. Commercio n. 3.
I
Para o Maranhao.
Pretende seguir nestes quatn, dias o pal haberte
iottn Arthur; para pouca carga que Ihe falta
Jrata-se com'os seurconsignau.ros Antonio Luiz
1.
ses.
2. Leitura dsalguns artigos do seu
Diccionario Diographico, pelo Sr. Dr. Bap-
tista iligueira.
3. Palestra Iliteraria.
Secretaria do Instituto, 13 de setembro de
187:}.
J. Soaresdh Azevedo,
-_____ Secretario perpetuo.
GASA DA FUI -
AOS 5:G00#000.
BILHETES r,ARANTIDOS.
I ra Primeiro de Marco (outr'ora ra do
Crespo) n. 23 e casas do costume.
O abaix assignado tendo vendido nos seus fe-
Jlzes bilhetes, tres qnartos n. 2351 com 5:000*
tres quartos n. 601 com 800*000, tres qnartos n
II cun 1005 e outras sortes de 40* e 20* da
lotera que se acabou de extrahir (66"), convida
aos possuidores a viram receber na cnnforpii-
dade do costume sem descont algum.
Acham-se a venda os felizes bilhetes garantidos
Ja 24* parte das loteras a beneficio da nova
igreja de Nosaa Senhora da Penba (67'), 'que se
extrahir na quarta-feira, 24 do corrente aiez.
PRESOS
Bilheto Intiro 6*000
Meio bil hete 3*000
Quarto 1*500
tM PORgiO DE 10O3W0O PARA CIMA.
Bil hete inteiro 5*500
Meio buhte 2*750
Quarto 1*375
Mmoel Mariint Fiuza
Caixeiro
Precisase de um caixeiro com pratica de taver-
na : no pateo do Terco n. 30.
Aluga-se ama escrava para cozinhar em casa
de familia, por prepo com modo, sendo que a esta
escrava acompanhar um filho pequeo : quem
prcisar dirija-se a Santo Amaro, no sobrado jun-
to ao cemilorio inglez.
Aluga-se a casa n. 90, no largo da Paz, nu
Afogados, para grande familia, com quintal mu-
rado, cacimba, arvoredos, purto com sahida para
a estrada que vai ao Remedio : a fallar na rna das
Cinco Ponas n. 31.
CASADO 0M0
Aos 5:000^000
Bilhetes garantidos
IIua do {ardo da Victoria (outr'ora Nova)
u. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba do vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de ti)0*000 em
dous meios de n. 1845, alem de outras orte
menores de 40*01)0 e 2n*000 da lotera que se ac-
bou de extrahir (66' ; e convida ao possuido-
res a virem receber, que promptamente serao
pagos na forma do costume.
O mesmo abaixo assignado convida ao reaita-
vel publico para vir ao seu estabeleeimenUTeom
prar os muito felizes bilhetes que nao deixaro de
tirar qualquer remio, como prova pelos mesmos
annuncios.
Aeham-se venda os muito feli e? bilhetes ga-
rantidos da 24- parte da lotera a beneficio da
da nova igreja de N. S. da Penha, que se extrahir
no dia 24 do crreme mez.
t*eyos
Inteiro 6*000
Sjeio 3*000
1*500
Me M OOO para cima.
Inteiro 5*500
2*750
Quarto 1*375
Recife, 6 de setembro de 1873.
Joan JooQunn da Cost LtiU..
Agenda Blandy -Telegrama na ilfia da Metal.
I' provavel que a sec$3o entre Portugal e a ilha da Madeira, do Tclegrapho Elc-
trico Submarino Brasileiro, esteja prompto para funecionar no mez d'agosto do corrente
anno, e a supra mencionada agencia na referida lha, offerece-se para transmittir ao seu
destino quaesquer telegrammas que Ihe forem remettidos em enveloppe fechado, sobres-
cnptado Agencia Blandy Telegrarnmn, Madeira.
A linha telegraphica estabelecida na ilha da Madeira, pode transmittir telegrammas
para,todas as estacos telegraphicas na Europa, Asia, frica, America e Australia, cusien-
do cada telegramma de vinte palavras 39300, em moeda forte, alm das taxas da estaro
de Lisboa. v
As pessoas no continente da America do ul, que quizerem utilisar-se da agen-
cia Blandy para a transmisso de telegrammas, devero fize-los acompanhar de letras ou
cartas de crdito sobre Portugal ou Inglaterra, para o pagamento do custo dos telegram-
mas e das despezas da agencia.
Madeira, 15 dejulhode 1873.
Carlos f. Blandy.
Us precos para a transmisso de telegrammas da ilha da Madeira, suppoe-se serem os
seguintes: '
I'ara Portugal ^
Gibraltar
Hespanha
Malla
Franca
Inglaterra
Allemanha, Hollando, Dinamarca,
Russia, Noruiga, Suecia, Blgica,
Austria, Italia, Grecia, Turqua, etc
Egypto, Portos do Mar Vermclho,
Turqua e Russia asitica, etc.
America do ."Sorte, Anlillins, etc.
India, Penang, Singapoore, etc.
Java, China, Japn, etc.
Australia
I'ara mais informacoes, quem quizer dirija-se aos agentes em Pernarbuco.
Wilson llowej&C.
Ra do Commercio n. 14.











o.
i.
0.
I.
1G.
I.
17.
I.
a
a
a
a
a*




o.
o.
0.
1.
1.
1.
13. 8
10. 0
18. 0
3. 3
0. 3
1. 8
COMPANHIA
DOS
THILHOS URBANOS
DO
Rerie Olinda.
Tendo o govcrnn imperial approvado.
por decreto n. 5,150 de 27 de novembro do
anno prximo passado a reforma dos esta-
tutos desta comp.inhia, de ordem da directo-
ra sSo convidados os Srs-. accionistas para
se reunirem no dia 16 do corrente s 10 ho-
ras da manh no escriptorio da companhia,
afim de proceder-se a eleico da nova direc-
tora e mais funcionarios, nos termos do
1. do art. 13 dos mesmos estatutos.
Previne-se. outro sim, aos Srs. accionistas
que no escriptorio se distribucm osnovos es-
tatutos.
Escriptorio da companhia, 5 de setembro
de 1874.
Joo Joaquim Alves,
____________________1." secretario.
MOLEQUE.
Precisa-se de um de 12 a 14 annos, .para
servco domestico, paga-se bem, em S.
Jos do Manguinho sitio n. 2, com porto
e gradim de ferro, antes da ra da Ami-
sade.
E' vantajoso.
Traspassa-se a chave de urna loja ra do Du-
que de Caxias, propria para qualquer estabeleci-
ment : quem pretender dirija-se mesraa ra
n.'28, que ohtrr as precisas informacoes.
CHIADi)
Precisase de um criado que seja copeiro e as-
seiado : na na da Unio n. 17.

a

1.
I.
3.
4.
6.
10.
1. 15. 0
O.
15.
10.
10.
0.
I
a
a
a
a

*



3.
5.
5.
7.
10.
lo. 0
5. 0
10. 0
15. 0
10. 0
Aviso
Bernardino Correa de Rezenle Reg vai a Eu-
ropa e deixa na sua ausencia por eus procura-
dnos aos Srs. Correa 4 C. : na ra do Imperador
n.60.
Aluga-se
urna casa boa para se passar o verao, no Poco da
Panella ra do rio, com commodos e asseio quem
nrier dirija-se ra do Imperador, cartorio
Urna pessoa habilitada para cobranza offere-
ce se para esse fim e d fiador de sua conducta :
quem precisar deixe carta feicha la nesta "lypo-
graphia com as iniciacs B. A.______________
Urna parda que sabe en9aboar, engommar e
cozmhar, precisa de 300*000 para o completo de
sua liberdade, e contrata o pagamento pur seus
servicos quem Ihe quizer fazer este beneficio, an Fugio no dia 9 de setembro de 1873 pelas
ranci. horas da tarde, o pardo escuro com cabellos ca-
__________________________________ rapinhados, de nome Luiz, idado de 20 annos,
0 Sr. Joo Baplista Alves empregado n estatura baixa, corpo grosso em vista da idade,
typographia do Jornnl d: Recife chamado 2 TOsU) 8 cBeC* redonda, e no rosto tem alguns
ra Primeiro de Marco n. 1, tratar de negoci P3"""* pardos, est com os ps grossos e quando
que S. S. nao ignora. anda encosta os jaelhos um no outro, e assenta
Jos Pinto Tavares, vulgarmente eonheeido ^J?!!^0 .SH1*^,. den,r C?in0 os
por Jos Aranha, avisa a seus freguezes de Govan- t ^ ga an?-atr raoderado1 cora<> > Pre-
na e aos desta cidade, que d'orf em diante suas "'^2= ievo",.v?',do 7*mi* Valct de. "fld5
viagens sero contratadas na travessa do Mrquez L"d ^ "T^ azul( Ja ^sado. h>P*0 de pa-
do Recife, na cocheira das v*cc_a*, onde umbem lh.a_de_arro' balX0 e bastant? "adq; eojp es-
contina a alugar carra para
se com antecedencia, nao s para
tambem para Pedras de Pogo.
I rala n do-
viageu?
Goyanna, como n,peclore
cravo veio ha poucos meics da cidade do Cear
l : roga-
Aluga-se o primeiro e segundo-andares da casa
ji. 3 ua travessa da Lingueta : a tratar na ra
Primeiro de Marco, a miga do Crespo, na loja do
Passo junto ao arco de Santo Antonio.
Predsa-s*
de urna escrava para todo servico de urna casa de
familia : ra do Hospicio n t9.
-*#
'WP
- Aehou se um cachorro de Terra-Nova :
qnen elle pertencer tenha a bondade de dar
s.gnaes roa Duque de Caxias n. 2i.
donde natural : roga-se aos Srs. subdelegadosj
soldados de polica, e capitas de cam-
_ pos, ou qualquer pessoa que o capture, que le-
vando ao seu senhor na ra do Queiioado hoje
Duque de Caxias n. 8j ser generofamente
-recompensado.
DENTISTA E IMHIS
19-RA NOVA19
J. M. Leroux, cirur-
giao dentista, succes-
sor de F. Gautiej, es-
pera contifiuar ame-
recera confianea dos
clientes da casa, edo
respeitavel publico em
geral.

/


X
V
f
i
\\
m
"r~


1
)
\

Diario de Pernambuco Teiga feira 16 de Setembro de 1873.
=s
Precisa-se d<
rliar c ensaboar :
if
Precisa-se de urna
aira fue ooonhe ecom-
pni : na ru da Con-
il rotdin n. f 40.
nina :i
na ra da Penli
j-ava ii.-i
lia n.2'.
ra coti-
~PtSPSso da ufira antir para
0 scrylro 3 duas nossoas: atiaz!
do quarlel da polica, soldado a
lo, 1. andar.
PKHC1SA-SE de urna
quo saiba cozinhar o
sirva para uma familia
de duas pessoas, pre-
fere-sc escrava : no patio dol'nraio n. 28,
1. e apandares.
AMA
*nas pessoas
Preofevse de moa ama pa-
ra o mt-ico interno de uma
casa ile familia composta de
na roa da i>deia-nova n. ti.
AMA
AMA
escrlptorio do te
AMA
Preoisa-se de uma
Uni&o n. fl.
Precisase de
na ra da
uma para todo
o servico de uma familia de duas
pesas: m roa de Commercio,
escrlptorio do telegrapho s abmarino.
Precisa-se de urna forra ou
e80r*"a que cozinhe para
-tratar
lem.
uma familia de duas pessoas:
ra da Madre de Deus n. 22, arma-
AO ARMAZEM
BO
VPOrl FRANCEZ
BA DO UAUAO DA VICTORIA
f. 7Outr'ora NovaN. 7
Calcado
franecz.
AMA
Precisa*! de urna ama para
comprar e cozinhar : na tinturia
franeeia, ruada Iraperairii nume-
To83.____________________________
Precisa, se de ama ama para
casa de lamiUa : na ra Drreita
n. 66, loj.i de ourivos.
Precisn-se de uma ama que
lave e engomne para duas pes-
soas e nais servico de casa :
roa do Hospicio n. SO.
Precisa-se de uma ama para todo o
servico de jasa de duas pessoas,
preta, forra oa captiva : a ra da
Impera1 n. 10, t* andar.
Anda precisa-se de uma ama para comprar
e cozinhar : na na larga do Rosario n. 21, loja.
AMA
AMA
ra do Hosp
AMA
! andar.
Precisase de uma ama para andar
cora meninos : na ra Direita n. 36.
Ama
Precisa-se de uma para sozinhar
tratar Ta -raa de Crespo n. 20, loja
Precisa-se de ama ama para lavar, Mfom-
mar e cuidar m-criancas : a traUr no Caminho
Novo n. 63 ; na mesma casa precisa-se de um
perito cozindetro e copeiro.
Bom local.
A loja e predio da ra Marcilio Das n. 120
confronte tambera para a de Lomas Valentinas,
presta-se a qualquer negocio de fazendas, miu-
aezat eu olbados, em fraude e pequea ecala.
A safra de assucar est fToxima, e e iadubitavel
o bom resultado de quero lli se estabelecer. E'
commodorugt|el e'tainlieni se faz arrendamento
como meSior eanvier, teai faz, agua e apparetho
p Dramage, e nada dev> de- impostes : a tratar
Broa do Imperador n. 81._____________________
Est (agido desde o dia 30 de agoste o escravo
de nome Gemniano que "oi escravo do Illm. Sr.
capito Pirmiao em liarioeta ; o escravo tem os
signaes seguales : mulato, estatura regular, cheio
do corpa, falta de denles na frente, lem no bra-
co direito um coracao e as iniciaos A. M. C, sahio
com roapa preta e cha|ieo de Manilla, descon-
fla-se que anda pelo bairro do Reeife-ou em Ma-
ricota : quem o apprehtmder tenha a bondade
de o levar-rua larga 4& Rosario n.2, loja, que
ser gratMoado.
orv *
Joaquim Jos Gonealves
Beitcao.
Ba do Commercio n. S, andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
A) Minho, em Braga, sobre hg seguintes
; 'gares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro. ,'
Guarda.
Guimares.
Lamgo.
Lisboa.
Mirandella.
Moncho.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna doJCastello.
"Villa do Conde.
"Villa Nova de Famalico
Villa Nova do Pottimo.
Villa Beal.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
Escravo fgido.
150^000 de gratificacao.
Auseatou-se desde o cia 13 de maio de 1872, o
preto de nome Alfredo, de trinta e tantos anuos,
croulo e bastante ladino ; este preto perfeito
eozinheiro, estatura alta, magro olhos grandes, i
esteve no engenho do S.r. Lul de Caiar) em tj.
Lourencp da Malta, onde consta ter prenlos, foi
escravo dos Srs. Adriano Castro, e do Sr, Jos
foaquim Gonealves Bastos, negociantes deeta pra-
ca ; de todos estes senhores foi eozinheiro, tera
sido visto por pessoas i]ue o conhecem dizendo
que est forro, assim tem podido escapar de ser
prezo. Pede-se a todas as autoridades e eapitaes
-ampo que o pegando .eve-o ra do Duque de
Caxlas n. 91, loja de miudezas do Rival sem se-
gundo que receber a fratificacao cima decla-
rada.
% Consultorio medico
a do
V. Dr. llurillo.
&. RDA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
\g Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
fy quenlou os hospitaes de Paris e Londres
P pode ser procurado a qualquer hora do
Ql da ou da noute para objecto de sua pro
G Cseao.
Consultas do meio dia s duas horas
da urde.
Gratis aos pobres.
spia{Mf'id(>.=Molestias da pell?. de
enanca e de mulher.
[J Emprega no tratamento das motettfM
f de sua espezialidade as duchas fra* e
n banhos a vapor, |>ara os quaes tronxe
A' os apparelhos mai< modernamente em-
M\ pregados na Europa.
'Jg Tambem applica eom grande proveito
no tratamento das molestias do tero a
electricidade, pelo proreseo do Dr.
pier. Cura por um processo inteiram
novo as blennorrl agias e sobre tudo
^(golta militar) dispersando m injecedes -j
9ro a g,
Trc %
i1 ente \g
ido a fj
Para liomvm.
BOTINAS de beierro, cordavio, pellica, lustre e
de dnraque com biqueira, dos melhores
fabricantes.
SAPATOES de bezerro, de cordavao e de case-
mira.
S A PATOS de lustre com salto.
SAPATOES atamancados com sola de pao, pro-
prios para banhos, sitios e jardins.
SAPATOS de tapete, charlo!, castor e de traica
franeeies e portugueses.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAPATINHOS de phantasia com salto, brancos,
pretos e de cores differentes, bordados.
SAPATOS de tapete, charlot, castor e de tranca.
Para menina*.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
ABOTfNADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portugueZes.
Para meninas.
BOTINAS de bezerro, uslre e de cordavao.
ABOTINADOS e sapatdes de *eierro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portugneBCs.
Botas de montara.
Botas a Napoteao e a Gr.ilherme, perneiras
meias perneiras para homen o nicias pernoiras
para meninos.
No armazem do vapor france?, raa do Barao
da Victoria n. V.
ffobilia de yiiaes.
Cadeiras de balaaco, de braco, de gunicoes,
sofs jSrdmeiras, mezas, conversaderas e costa-
reiras, tuto isto muito bom por serem fortes e
leves, e os mais propries movis para saletas e ga
billetes de recreios.
Ne armazem do vapor francez, ra do Barao
da Vfeteria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chogar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
cormecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry llers e PleyeJ Wolff A C.: no
vapor francez, raa do Bario da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a preces mutto commodos.
Perfumamas.
Finos extractos, banhas, otees, opiata e pos den-
trlce, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cesaeticos, rnaHos arligos delicados em perfuma-
ra para presentes com frascos de extractos, cai-
xinhas sortijas e garrafas de diferentes lma-
nnos d'agiia de -cologne, tudo de primeira quaJi-
dade dos bem condecidos fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor fraacez, roa do Barao
da Victoria, outr'ora Nova u. 7.
Quinquilharias.
Arl sos de ililTercntes gostos e
uhantazias.
Espelbos dourados para salas e gabinetes.
Leques para sen horas c para meninas.
Luvas de Jouvin, de fio d Escocia e de eamurc,a.
Caixinhas de costura ornada com msica.
Albuns e qaadrinhos para retratos.
-Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de .plaqu muito bonitas para relo-
#os.
Brincos a intiMcao e botoes de punhos de pla-
qu
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de'cou-
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e .toilette.
Pincinez de cures, fle prata dourado,. de ac e
de tartaruga.
Oculos de aeo fino e de todac as guarnieses.
Bengalas de toxo, canna, com castes d mar-
fim.
BengalJas diversas em grande sortimento para
homens e meninos.
Chicotinhos de Lalcia e de Maltas qualidades
diversas.
Esporas de (ameba para saltos de botas.
I'onteiras de espuma para charutos e cigarros
Pentes de tartaruga para desembaracar e pata
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
bera.
Escoras para roupa, cabellos, unhasepara den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para din^eiro.
Meias para homens e para meninos.
Grvalas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para clrmar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
min e outros muitos differentes jogninhos alte-
rnaos e franrezes.
Malas, boleas e saceos de viagem de mar e ca-
minhos de farro.
Argolinhas de marfim Rara as eriancas morde-
rem, bom par?, os dentes.
Bercos de vimes para embalar eriancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
eriancas.
Vetezianas transparentes para portase janellas
Reverberos traasparentes para candieiros de
ga?-
Esterescopos e cosmoramas eom ese9lhidas
vistas.
Lanternas mgicas eom ricas vistas de cores em
ridrus.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminaeSea de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mni fcil
de subir.
Machinas de varios systema* para caf.
Espanadores de palh e de psnnas
Tesourinhas c cauiveles linos.
Tapetes com rdrtlflos para mangas e lanternas.
Tinteiros de loura juanea, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras deliradas e pretas para
qualroe.
Quadros j promptos com paysagens e pbanta-
Et cucouvnQado !! !
Rnga-$e ai- IHtn. Sr. Ignacio Viur* de Mello
.sitisiVu iia cidaettf de Na/^rcili '.si.i provincia, p
favor de vi \ i iu Iniquc de C.xLis ii. .'l, cm-
-.litir a uuiiv negocio que S. S. se coinprometteu a
realisar, pela tercera chamada deste jonial, em
ns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872, e nada eowprio:
e por este motivo de novo chamado para dito
1m, pois 8_ S. se devo lembrar que ale negocio
le mais de eito annos, e quando o Sr. sen filho v
vhav tiesta cid.ute.
A possoas que tem pretendido estabelecer-
se no terreno devoluto que fiea nos fundos das
casas ns. 18 o 20 da ra da Florentina, onle exis-
te a fabrica de serveja, cu jo terreno limita-se at
ra de Santo Amaro, podem entender-se com o
droprietario na ra do Hospicio n. 33.
* ?
S CONSULTORIO l
g MEDICO-CIRURGICO 9
W DO 9
0, Dr. J. M. Curia 0
tt Raa do Mrquez de Olinda n. Vi, pri- 9
meiro andar.
Consulta das 9 horas s 11 da manliL
9 Chamad js a qualquer hora.
* *-$** $***
Lines de piaa
Urna seahora portugueza, eaegada ltimamente
de Lisboa, offerece-se para dar lir,oes de piano em
casas de familia e por preoo razoavel : podendo
dirigir-se ra da nfora n. S, prlmeiro andar.
s
Lncaco k sitio.
Atuga-se um terreno, com casa de moraSa
que tem duas salas, cozinha fra, e quatro qar-
tos arejados, na raa de Payand, estrada da Mag-
dalena, de fronte ea estrada que vai para o hospi-
tal portuguez : procurem ra do Duque de Ca-
sias n. 50, pwmeiro andar, das 10 horas da roa-
nh s 3 da larde.
*0$ oeoooo <>o*QO
^ Consultorio homeopa- 0
Chico 0
0 Do Dr. Santos Mello 0
m il------Roa o Imperaior------41 g
35 Consullas todos os dias das 11-a l'ia X
Q tarde. Q
ijx Gratis aos pobres. Q
2 Residencia ra Nova n. 7, segundo **
9 andar, onde d consultas das 6 s 9 da JR
'j\ manh e das 3 as 5 da Urde.
MERQN&C.
---------------------- -----------------------
aoB compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e uome diver-
so, e com papel da mesma cor, ctuo desenhc se pode
confundir com o d*aqnelles
Os Pipreciadores qne qaizerem do verdadeiro REA
PRETA., devem para nao serem engaados ver que
os botos tragam o nome de MERON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
MERONfta
*^!
-
Chamados a qualquer hora.
*
s
0OS0& 0000Q 0^3f

deVAUOUELIN
Resulta das observapdes colhMaa pelas sudiiu-
lades medicas dos bospitas de Paris, que o Xarope
fcitoral balsmico do distincto e Ilustre prolesaor
Vauqdeun eoipregado com suecesso sempre igual
para curar
as nrriiraAf ms nos broichos e ArmcSES so prrre
condecidas pelo uome de
BRONCHITES AGUDAS 00 CBRONICas
ASTHXIS, OPPBKSSHS, CiTARRUOs
Oefluxos, Totses rebeldes, Extincpao da voz.
A MASSA, pete sen uso fcil e agradavel sabor, un
precioso medicamento para as pessoas que viajam, o
do abrigada* a (aliar Muito. Raris, PbarmacM
VAVOl:I-.I.I.\-I-.SI. \L i;iKllS, i-ua de Clry, 31.
S*|HU o jti u Pbaruciu UM At Bre|ii.
tilico deposito, aoiide se cha a venda oa
casa de P. murar & C.
Na ra de Marcilio Dias a. 43, 1." anlar,
precisase do uma menina e um menino de cor
de 12 a li anuos, a menina para faser.compa-
ahia a dona da asa, e o menino para compras,
dando-jc o sustento e o vestuario.
A pessoa que. annunciou por este Diario pre-
cisar de (:5'O03 a premio sobre hypotheca de pre-
dio, dirija-se ra da Aurora n. M, 1 andar,
onde se Ihe dir quem se prope a fazer esse ne-
gocio.
Attencao
Josepha Ilcnri :ne*a de Miranda Barros avisa a
algnns senhores de eagenhos, que se acha nes-
ta praca e offerece-se a ensinar em algum en-
genho que no seja muito distante della ; do que
tem bastante pratica: quem pretender dirija-se
ra de Santa Rita, casa a. 89.
O Dr. Casanova
Pode ser procurado i qualquer hora
em seu consultorio horaeopathico, largo
da matriz de Santo Antonio n. 2, segun-
do andar. No mesmo consultorio ha sem-
pre s rtimento dos verdaderos medica-
mentos de hoffieopathia
FUNDICAO DO BOVMAN
RUADO BRffl N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senbores d engenho e ontros agricultores, empregadorea de m
amismo o favor de orna visita a sea estabeleciojtntu, para verem o lovo sorlimeoto
omplet) qoe ahi tem; sendo todo superior em qnalidade e fortidSo; o qoe com a ins^
c?io pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENCAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
t7nnniAa a mana frsifrna dos m8is mo1ernos ystemas eem ta
V apuros O lUUaS U agaa manbos convenientes para as diversas
.ipjomstancias dos enboirea proprietarios e para descaro^ar algocio.
Hoendas de canna 2jJJ 8 tamanh08' as-melhores ^ a(ni
Rodas dentadas i i* *..
raizas de ferro fnndido, batido e de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques.
Ifft/>llni191i*ift p*ra mandioca e al godao, I Podendo todos
01.IW111I11OCUV9 ^ara rerrar mide1ra. I ser movidos a mSo
Rrtmhna Pr 32a,' vaPor'
ivMuuao de patente, garantidas........ |oa animaes.
Todas as machinas e pec,s de qae M c08loma preci8ar-
de miebidismo, a preco mai resamido.
i Consnllorio medico cirurgico 8
9 do 8# & -
0 Dr. Americo Yespuci. r'"
0
m
m
Jcsuk, nnti^
andar
hora, e para
m
Rna do Rom
da t'niz n I. 1
Chamados a qualquer
fora da cidade.
Consultas de 1 hora s 3 da tarde.
Gratis aos pobres.
Especialidades:
Partos e molestias Ja uretra, operacao
K dos etrcitametitos pelos piteemos os
0 mais modernos.
'ss a 0 & '3
Consultorioneiei>eimirie i
m
m
9
V
larga
Faz qualquer concert
Formas de ferro
Bncammendas.
Co perdido
Gratificase a quepi levar ra do Vigsrio n
21,1* andar, um cao grande, hranco, bastante ca-
belludo, com uma malh i, e toda caneca cor de
caf, e bastante sujo por ter vindo do Rio Grande
do Sul na sexta-feira, e /ugio no ahba lo s 5 ho-
ras da manha, na ra de Paysand, antes da ponte
da Magdalena. ^____________
Precisa um casal alngar metade de uma ca
sa de familia, que nao exceda fl> 'OJ mensaes:
na ra da Palman, 63.
na.
Estampas avskaa de santo?, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de mgicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos pequeos de veio cooi liRdas pecas.
Realejos harmnicos ou accordions de todos os
tamaito?, e outros' muitos artfgos de quinquilha-
rias difficeis de mpncionai*8e. No armazem do
vapor francez, ra d Rarao da Victoria, outr'ora
Xova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de lodo
os brinquedos fabricados em differentes partes
da Europa para enlretenimento das crianzas tudo
a precos mais resumidos que nossivel: no ar-
mazem do vapor francez, rna do Barao da Vic-
toria, outr'ora ra Nova n. 7.
Osnhas para costura
Grande sortimento de bonitos modelos chgados
ao armazem do vapor francez, cua do Ba-o da
Attengo
Offerece se uma senhera portugueza recente-
mente chegada para ensiaar meninas em ajgum
engenho, ou esta cidade, ensinando instnccao
primaria, bordados de todas as qualidades, flores,
etc. : quem precisar dirija-se a ra da Impera-
triz n. 3, loja.
Ba casa para alugar.
Aluga-se uma bo.a casa no P050 da Panella,
ra do Bio n. 25, com 2 sala?, 4 quarlos e cozinha
fra, quintal murado e alpendre na frente, muitc
propna para passar a festa por ficar prxima do
banho, toapreciavel no verao, e prego commodo:
a tratar na travessa da Madre de Dos n. 18.
tem as mel iiorea e mais baratas existentes no mer-
cado.
Incambe-se de mandar vir qaalqner machinismo von-
tade doe clientes, iembrando-lbes a vantagem de fazerem
033 compras por intermedio -Je pessoa ntenclda, e qae em qnalquer necessidade pode
nes prestar auxilio.
rad<^ americanos e i0trDmeD,0 **
RA DO BRUM N. 52 .
PASSANDO O CHAFARA
o m
m
Victoria (outr'ora Nova) n
Oleados
baratos.
Oleado boniteg c muito baratos, para eima de
meza : no armazem do vapor francez, ra do Ba-
rao da Victoria outr'ora Sov n. 7.
Oixeiro
Precisa-se de um calxeiro de J4 annos,
com pratica de hverna ; a tratar a ra de San-
ta Rita n. 0.
Jos Jemnymo Monteiro faz publico que,
com mianto seu nomo esleja comprehendido na
relacao dos devedores da massa fallida de Amo-
rim, Fragoso, Santos & C, pela quantia de 2:5091,
como tendo tomado ,1 si assignatura de outros, que
doixaram de realisar, nao se considera effecliva-
menle devedor, porquj nao assignou o respectivo
contrato social pela indicada quantia, e nem
admissivel, em face dos julg?dt do tribunal do
commercio deita cidade, que ai podesse operar
cesso dos primitivos socios prestadores de capi-
taes, e por conseguinte que o abaixo assignado po-
desse temar si asignaturas de outros, ficando
por esse facto subrogado na responsabilidade do
socio primitivo e que assignou o contrato sobre
quem pesa exclusivamente a obrigacao, por isso
que esta pessoal e iniransmusiVel; o que faz
publico para quem inleressar possa. Recife, 13
de setembro de 1873.
Ileuniao de crdores
Terca foira 16 do crreme, pela3 II horas da
manha, na sala das audiencias, deve ter lugar a
rcumao de credores da massa fallila de Antonio
Jos dos Rnis, reunan j annunciada para o dia
9 tambem do corrente, e quo a requerimento dos
curadores flscaes foi adiada para o dia cima mon
miado ; o voto dos ausentes considerar se ha
adlierindo ao da maioria d s que comparecerem,
nenhum ser admittido- por procurador que nao
tenha podere* especiaes para o acto, ou que seja
devedor ao fallido, e um mesmo procurador nao
poder representar don? diverso? credore?.
FUNDICAO DE FERRO
A' rna do Barao do Triumpko (ra di) Bru) ns. 100 a .0.
CARDOSO & IRMAO
M'.V.BF.RA.M de Inglaterra completo sortimento de ferragens e machinas para en-
genhos, asmis modernas e.melhorobra que tem vindo ao mercado.
Vapores deforma de 4, 6,8e 10 cavados.
LaiCieiraS q sobresalento para vapores.
MOendaS inteiraS e meias moendas, obra como .iunca aqui yeio.
laiXaS 'IUndluaS e batidas, dos melhores fabricantes.
LOuaS a agua cora cubaje de ferro, fortes e bem acabadas.
tOdaS dentadas de todos os lmannos e qualidades.
Rel0g0S e apitOS para vapores.
JDOniDaS do ferro, de repucho.
AraQOS (le diversas qualidades.
Formas para assucar grarKiesplenas.
ConcertoS concertam com prompUdo qualquer obra -ou machina, para o quo teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS h,an para o que se correspondem com uma respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Ra do Barao do Triumpho (ra do Brum) ns. 100 a 104
_________F UNDICO DE CARDOSO & IRMA O.
DO
Dr. Ferreira.
Antigo gabinete de seu pa, ra
do Rosai io n. 20.
Cura de hydrocelles sem injec^ao
com punecao capillir.
Abertura de abeessos c extracto de <*g,
derramaniento Fero;os, pel a-pirador
do Ftalo.
G. A. Sclmorbusch.
Os melhores charutos da
Bahia.
Regala liiiania.
Regala Imperial.
Regala Real.
Riacbuellos.
Demcratas.
Suspiro?.
Coi"!>a-,
Operas.
Principe de Bismarck.
Trabucos
Bahias.
A- K'V' P*> no armazem de Cunta
& Manta, a ra do Marquei de Olinda n *3
SERVENTE"
De botica.
TnSEf'*'*8 df "..m c,,)m Dralica : na Pharmacia
Torres, a ra de Marsilio Dias n. 135. -
Aluga-se
o armazem do sobrado n 13, sito rna do Bom
Jess : a tratar na ra da Aurora n. 51.
Offorece-se um honiem para feitor de enire"-
piM?m bas,!aB,e pra,i,:a : a ,ralar "a ra da
rlorentina n. 4.

O ABAIXO ASSIGNADO, morador e consenh'or
do engenho Cmamui, aceitou tres letra? a ven-
cerem-se cm maio do 873, I87i e 1875 e no
vencimento da primeira que era de l:300iCOO
SS$!? e ,dcContU a8.duas que era.n de ...'
i.UWawo cada urna, e nao leudo exigido recibo
e nem lao pouco inuilisou sua lirma. guardou-af
njrcm succede que deeueaminlia am-se da poder
o abaixo assignado, sem que saiha o (im (iue le-
va am : portaiito avisa a todos em eral e cm cs-
peciahdade ao commercio que nao facam tranac-
cao alguma com ditas letras, o ue se por veniu-a
urem apresentadas se d scteqcia anioridade
competente, assim como roga anida que cm taf
caso se d aviso, pelo oue se ob iga a despsza
fcngenho Caramur, )8 de agosto de 187J
Fernando Pies de hneidi Lint
.,. Aluga-sc o> andar do sobrado da m..
Vigano Tenorio n."'

.. 0 : tratase n%ruado ainnrin
>/, com Jorge Tasso.
Carros de luxo.
Quem precisar alugar uma escrava para co-
zinhar, comprar e fazer o mais servico de uma
casa de familia, assim como um moleque de 18
annos para todo o frvido, dirija-se ra da Sau-
dade n. 11________________
-r Aluga-se barato urnas mel-^uas novas na
travesea das 8afreiras (becco do kM\&V n. 1 e 5;
a tratar na ra do Cotovello n. 23.
E' inquestionavel que a cochera da ra do Bom
Jess n. 15, de Joaquim Paes Pereira da Silva, a
que tem as melhores berlindas, calecas, meias ca-
leras e victorias de luxo, proprias para qualquer
noivado, visitas de etiqueta, baile? e actos da aca-
demia, sendo os mesmo? ajaezados de excellentesi
parelhas de animaes, arreos luxuosoj e boleeiros'
com fardamentos do ultimo gosto, para o que se
convida ao publico a vir por si mesmo scicnli-
car-se da verdade do que d'ixamos dito, certos de
que nao encontraro pomada, e sim realidade e
commodos presos.
A familia honesta que precisar de urna mo-
fa para costurar, dirija-se ra Velha n. 39 qua
echar com quem tratar.
Para bar
Para evitar os ardores da i HL .causados
pelo salan commum rom > ^HKarba. re-
cebeu a nova esperanza ra Duque de Casias
n 63, urna nova preparac,ao denominada oleo-
phane a (nal e o melhor oo e p-l.e desejar
neste sentlo ; a ella, antes q;:e s'1 acabe Preco
do frasco 1J0QQ.
O alfere Agostinho Peixoto de Sobral,jag.
dente na povoacao de Quipap, comarca de Pa
nellas, scientiftea ao respeitavel publico, que d'ora
em diante awijrnar-se-ha por Agostinho
de S Peixoto.
Papel de linlio viado
a 3^000
a resma, o verdadeiro papel de linpo grosso mar-
ca viado, proprio para cigarros de polica, para
os Srs. fogueteiros, e para cutres muitos misteres:
s no armazem de Jos Domingues do Carao e
Silva, ra da Midre de Deus n. 10 A.
O verdadeiro fumo do Rio
Novo.
No armazem de Jos Domingues do ,Carmo e
Silva, ra da Madre de Deus n. 10 A, armazem
de fumo.
O abaixo assignado declara que tendo fi-
cado por testamenteiro do finado Joo Evanit-lis-
to Soares, fallecido na cid ule de Macei, a 22 de
maryo do crreme anno, casado com a Sra. D.
Justina Marcionila da Silva, acontece qne o mes-
mo ja lem por diversas vezes annrrnciado para
saber aonde se acha va esta senhora, mas nao
era possivel laber ; mas constando Ibe quo era
chegado um moco que acompanhara a r-ferida
seniora para o alto sertao, dirigio-se ao mes-
mo mo;o c esto informon-!he que a dita senho-a
tinha ficado na Alaga oa Monteiro, com o fim
do regressar para Santa Cruz; por tanto, pede
ao mesmo Sr. quo faca com que o presente
va as mos da referida senhr.ra afim de que
yenha a esta praca, e qnando chegar t.mha a
bondade de annunciar aonde se acha residindo
afim de sur procurada a negocio de' inventa io. '
,_____________Manoel Lopes da Cruz M. reir
G
az
de D vois a c*80J) a lata no armazem de Jos Do-
mingues do Carino e Silva, ra da Madre do
Deus n. 10 A, armazem de fumo.
Aluga-se
o segundo andar do sobrado da travessa do Cor-
po Santo n. 25, com commodos para pequea fa-
ilia : a tratar no armazem d i mesmo.
- Auseutou-se no dia 9 do correte mez,
do engenho Mangueira, fregnezia d'Agua Preta, o
eicravo Juao, ce mirado ao Sr. Joio Correa de
Queiroz, moraior no engento Ronda, em Santo
Anlao, levando calca de nscado, camisa lira oca e
chapeo de baeta, com os signaos segutntc?: ida-
de 40 annos pouco.mais, dtura e corpo regulares,
falta de dentes na frente, um pouco fulo, o heico
de balxo grosso, e sadio ; ha deseonfianca que o
mesmo seguio para Santo Antao ou para ala pra
ca : rogarse, portanto, s autoridades poiciaet e
aos capitaes de campo a apprehen^ao d'i mismo,
a ser entregue no mesmo engenho Manguera em
Agua Preta a Jos Ceciliano da Rocha ou oesla
praca, na ra de S. Jorgo n. 99, qne se dar boa
racoropenca. ,
. Portuguez.
Precisa-se para um engenho perto da cidade,
de um portugaee para servijo do campo, a fal-
lar no Reeife, rna da Cras n. 68, e nos A
na casa junto estacao.


<

ario de Petnamko Terca feira U de fotoniWo c te&
ApigK.
I
n"&a$<\0 bi" n'JKido e atroguezado a.ou-
M stnr1 ftefo talhos, bahnca e pe-
PENHOBES
Na travessa dafua
meiio andar, d-se
dinheiro sobre pe-
rfores deouro,pra-
ta e brilhantes, seja
eaial fora quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
aos metaesepedras.
da .i,n,,.ri:';i"/*(le uma am' P*ra Jo*Tr?;
i i-a!'..,., :(1; ,al0 e aberto
aeiites.i,-. frente, tm
COi KIJM,*q
dive -,is vr
COL'Sl.l |ut!
Nao du videra
S na ra do do Crespo n.
20, loja de Guilherme &
C. que se podem vender
as azendas abaixo, pelea
j>recos seguirte:
Lastahaa escocesas a 2iO o oovado
S ? rlas P?dr5esnovos a 280 o covado
D tos com lisias de seda a 400 rs. o canto.
AlpKM eonf Nstras a 800 rs o covado.
Merino amatado para roups a 300 r. o co-
Chapeos de sel de eda com cabo de osso a S*
Algodao de lisirts americano com pequeo; de-
feto a 30 rs. o corado.
Brins nardos a de cores a 40O.e 440 rs. o covado-
firim branco Ion ai*6O0 a vara.
Umbraia pretacom listra* e flores brafctt
propms para luto, a 250 rs o ovado. "*
Dita* finas de cores a 280 rs. ocovado.
vado Para Cami9as e ve3t,dos>a 4i0 o eo-
vado1!"38 rdMS e d0 Cfe ** ". o eo-
S"aPjes Prelo de cordao- a 2*400 o covado.
UIohas adamascadas a 3J6W e 4*.
Ditas de croch a Si.
J^erto9 de chit adamascada 3*680.
Cobertores de l escaros a 2*.
Lences d bramante a 2*.
sse

regular, usa
o ao meio, tem falto de
.muito rap, anda calcada
nIn ffn Cineuta- de saltos, levou
-cat acoutda n urna casa du familia
da Ini:o,atriz n. 0,
Jados.
que a appre' er.dam
aond>s sero
e levem a ra
bem reeompen-
^^^^T^^^^
\e
ngao
10000.
Ditesde algodao a 1>400.
loalhae alcochoadas a 6* a dtuia.
ijftnfos de cassa com barraaa 1* dncia
IJilos ditos de abainhados a 2* a doria;
pitea de esguiao a 3*500 a duzia.
nW".a isana e 4 P5a.
Dita Victoria fina a 3*800.
cortes de asemira fina a Si.
Atoalliado a 2* a vara
n*r*m9 i.nglezas forradas> com peito de Hubo,
5aS? PreS de 3S*000 adUe3*0C'
po^. 2o'ja de Gui,henne ^' d0 Cr**
Fustoes de cores.
Cortes de fustao de cores para cx'cas 1.5000:
so na ra do Crespo n. 20, loja de Guilkertie *
Joaquim Jos Goncalve [
Beltiuo & Fflkog .
Teem para feidijto *eu escriptono a ra do
.,, jLComraetflo na o segainte :
AGUABJttTE aVcajAflahu de li garrafas.
de laranja, dem idom,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, recenlemeole chegada
CHAPEOS de sol, para tamem e senhor;
do niarlim sMso.
FEIIES de ferro,'jara Ka.
FIQ de algodao da Bahii, & fabrica do co,
meadadflr Pedroio.
LINHA de roriz.
OBRAS de palheta.
PAllO de algodao da Bahia, da fabrica do coa
___n, mendador Pedroio.
RTO10Z de toJad as qualidades, das fabricas de
-rtI Peres e Eduardo Milifio.
OOLHA3 proprias para botica.
f-SALSAPARRILHA do Para.
SiA de cera de ,odos os tomanho.
YINHO afarrafado do Porto, caixas efe lfar-
dito Hoseatet Ao Douro, idem idew
dito Setobal, caixas de i e 2 durtas
da Italia engarrafado, caixas de Crar
ralas,
* de Collares snjertof. era aacorets
de cajd, nton-to 2 garrafas.
JHalvaeia do Douro, eaixas com 12
rafas.
Carcaveris, dm fent.
ir>
Chapeos par sfi**.
Amaral Ifaftuco **C ceberam um contetoto
sortimento de chapeos de palla de Italia,^eda
e volludo, pret(pa com bonitas flores e Uto : vendem no Bazar Vic-
ma do Bario da Vieforia n. 2, antigt roa
FUNDICIO DO BOWMW
PASSANDO O CHAFARIZ
Becommenda a atten^o dos Srs. de engenho
vapores de diversos systemas com os ultimo^
* jmelhoramentos efn todo o tamanho, e preco tegular.
seus
BA'ZAB
/
baza imma
Rw do Bar DE
Wova.
lingote kmAm&
rr.u.-aie com esta qoanHa qualiuer pescoa
que -igAfrar urna mulla de nome Balbina, baixa,
chci.i di 'nrpo, cibclbs cacheados ralos, tendo
sido i; nados lia lempos, e re.-entemenle amarra,
rosto i-un.i i-din urna pequen cicatriz em urna
das siiir::,i-lhas e outra era urna das maos pela
parte 'Se '.'cnlro que nao Dude bera abri-la, e
ten.ii. -ii i rim.siada com um soldado do 2, foi
presa aa twutaa Jas Cinco l'onts, e andou la-
gtda 'i HojiM) Jguarasi c Itamarac como
nonn' de Haria : quem a pegar leve-a ao Camir.ho
Roto, em casa' do Sr, Joaqu.m Luiz Gon^alves
PeDna, ou ti i do Vizconde de Goyanua d. 89.
c
^aixeiro.
Prec;.=a-se ;le um caixeiro de 12 a li annos,
com pratira do tavorna que sefa brasilelro : a
'^tor na ra de emingos Theoonio n. 2.
A\i-:i -,. ao Sr. Pedro Barbosa Cordeiro por
nao k saber du ina residencia por ser fra da
cida.le. pan comparecer a ra do Visconde de
Goyania. mi.mIj poriaon. G3, afim de saber de
nrr. negocia de letra, em a qual S. S. inters-
sado, etc.
fe- SaaaVaMMaffi;^^^
oui'j Toso de Castro
. Vzevedo.
^/.cvcJ'. Mara do Oliveira

: v
lili i
rm*
innifl e cuiiuau.'i, agfade-
I ...; que se dignaram acompa
- de seu seuipro lembrado
' 'I" novo os convidara a as
, i; mo dia que mandara ce-
! .s. da Pal dos Afogados pe-
' "i do lit 1)5 do corrente.
i; e -e eon.essam eteruanien-
i|a reiigio e caridade.
A-ituiiio lose Leal Hcis, sua mu-
lii i e Ulhos cordialmenie agrade-
n sos -'mis puentes e amigos
f,. se dignaram acompanlar ao
i ..}': publi -.i o mrpo de seu
idu ilio Adulpho de Letnos Leil
Reis, e igualmente o fazem pelo
; m :ele!ebradas hoje, se
I di cu passamento, __________
-. T\ mwaa
Ceitriides de Uliveira e Silva e
-na sn^ra Anlcnia Francisca de
Oliveira Lima agradecen cordial-
i.aiii;' a todas as pessoas que se
J giiaram acompanbar os restos
. rtaes de sen muito querido es-
loo ejfilho Tr.inqnilino Candido
da Si.. I :n s inesmas pessoas e a todos
Mnu un i narentes o caridoso obsequio de
a un a do stimo dia, que ter lugar n>
diatldo^corrcnto,naigrejadeS. Franeis-.o, s 6
i maali. ___
Aetia s na casa da irave--a das Forraosas,
no aterro : Afogados, nina cabra (bicho) que
vinlia pela estvaJa de S. Francisco : a pes
soa a qu> m fallw dita cabra 9 -der os sigiiaes
certos, d;rij."-<' referida casa, que recebar,
pagando d -|i-;zas do annuncio, e igualmente
as que se iem feto com a aesma.
Vende-se
trastes de Jacaranda e amarello com poueoMO,
em pcrfeito estado, e tambem um meio apparelho
de louca para jantareum dito de porcelana, fino,,
branco, para almo$o. Vende se por ter o dono de
se retirar para Europa : ca ra da Imperatrte
n. ai A.
Amaral labuco 4 C venden msignas i
cas, grao* J IS, % 30 e 33 : n BazarTVhT
tona d. 2, abtiga ra flnva.
Cii|iel!is' liiuebpes>.
Amaral Wabnco A C. receberam ura'conajete
ortimento de capellas fnebres cora diversa* iw-
ip coes e wndera por
Victoria, i na do 1
Carneifo Ibikj,
tlga na Nova
comtnodo preco : nt Ba-
Baro da Victoria n. % an-
VENDE-SE
no estado em que se acta* o sitio existente na fre-
guezia dos Afogados n. 21, hoje becco da traviesa
dos Remedios n. 18, em chaos proprios : queun o
pretender enlenda-se com o seu proprietorio na
ra de S. Francisco dosta cidade, como quem vai
para ra Helia, sobrado u. 10.
Aproveitem!
em que a
Aproxima se o mez de dezembro, >
Nova Esperaba, ra do Duque de Caxias n. 63;
tem de dar o seu balanco ; e como sabido o
grande deposito de miudezas,
be'
ande deposito de miudezas, que tem dito esta-
elecimento, nao s de artigos da moda e phan-
tasia, como tarab m do objecto de lei; e como
realmente conbecido que muito mais massan-
te o contar se miudeza do que contar-se o cobre,
a Nova Esperanca tem resolvido vender por me-
nos 10 % do que o preco do coslume, para desta
forma minorar o trabalho do balanco : por esta
razao os apreciadores do bom aproveitem e ve-
uhara ver como se vende bom, bonit e barato.
Bons terrenos.
Vende-se barato, terrenos proprios, em lotes e
vontade dos compradores, junto e as circurafe-
rencias da csta.ao da Boa-Viagem, lugar saudavel
e bastante concorrido, muito proprio para edifica-
cacoes, por ter em seu favor nao so o vapor da
matihii e tardo, como o privilegio que isenla de
pagar passagem por dez annos a quem edificar, e
o eslabeleci ment dos bonds que se projeeta : os
preteudentes tntcnilani-se na thesourana das lo-
teras. ________________________________
Vende-se dous escravos pardos, de 21 e 27
annos de idade, cozinheiros, 3 moleques de 10 a
17 annos, 6 bonitas negras de lo a ii annos, com
habilidades, bem cerno nutras sera habilidades :
na ra de Moras n. 96.
Anortas JgikMs.
aVende-se enr eaa de> Okel Kttdloss & m
roa-do Bom Jes n. ii, os veradeiros ananas
qqefram da cata dos" Srs. T. ffeteriea& C '
As tinias verdadeiras
Biekas hamburguezas qne veo-a este mercado
aa nado Mrquez- do otinda e/W. '
Vende-se o sotado :de ma aviar sito ma
Impera!, cant da mvessa do Lia, prximo ao
cbaaria o qual est situado em lugar muito apro-
priadO jtera estobeteoimento commereial, a qae se
tem seapre prestado, tem bom quintal e caeimfca
etc., e tambem se ar.reoda.: a trate na rna do
Hospicie-B. 35, das 7e ii horas dea, e das'3-
as 6 da larde. ^^^
Luyas cte-Jouvii.
Muile haseas, chegadas no ultimo paquete : na
loja do Passo, ru Prtoeiro de Mane* n. 7 A'
Mitiga do Crespo.
Q'Ar- Wte grande estabelectoiento letw che^-
gado nm bom sortimento de- mchis pora
cstura; de todo os autores mais acredite-
dos uMmarneirte-Ba Europa, C3jas maefemas
sao garantMls forera anno, etendteu-m
perfeito artista-'pwre'-Msinar s/ mesmas^- em
qttalqtier-parte oeste-cidade, como bem' a>
sim concerta-ls- peft> lempo tambem d'ira*
anno sem dspendre algara do comprador,
Neste estafcclciroenlo-titbem ha ji'Tti-'ue
para as meemasinaehiroas o se supere t[ua-
qer peija que seja'necessarin. L'tas ma-
chinas trabatoam con toda a perftroodo
nm e dous pospontos-, ftanzr bor!r toda
qualquer costura por hia iue soju... scus-
precossao da seguinterjuahvia J barbar a mo de 30J90#, 4i>00, .-"TO0>
eSBJPOOO, para -traba Hw&-de
8oo, 90900*. tmmot, uov:w,-
203WOO, 130?9%0, 1S0QOO0, 300>->UO-e'
25OSJ5O00, emqus'.nto aos autorep ao ha rV-
terasS de presos-.- e os corapradorf; podese>
visitar este estabeicimente;. que mu i lo >-
vertegostar pela variedarte-de objectos- q-*e|
ha sempre para vaodor; corno sejan: cadei-
ras-pew viagem, mela* para^ viajem, cadei--
raspera salas, dirs de" bamne^o, ditas para
cri!i*5 (altas), ditas para escota, costurer-
Lras riguissimas, para senhera, dspensavei
Ipara erraBjas, de todes as cualidades, camas
Ra da IraperatrJa toureip Perira ieBderfiiifflrtfs
Seclira a sou fregutxzes que tem resolrido wndr o mais*iWato'qaeMfcr;rjoai*, r
CfflTASAl60E200RS,OCOUD0. fiORIlSDi BIvMWECWffiSA N
Vende-sc chitas francezas largas com u> fende^e edrtes'* Brm "da crea nar>
tfa,'rtmo--eWH6.

de ferro para homwn e crraatiaa, capachos, Vende-se pe^as de roadapoMo- enfestado a
espelboe douradospara sata" grandes e pe-!s*)00; Ditos inglezcs para os preces de-
qnenoa, apparelhca-de metaU para cha, fa-l^* *^5^, 3$, 6$00>e7WO'.
cum
Vende-se a taverna da ra Imperial n. 107,
com poucos fundos, propria para principiante, e
una das melhores do lugar : quem pretender di-
rija-se ao rnesmo estabelecimento que achara com
quem tratar.
\ ende-se urna quasi nova com caixa e arco :
trata-se na ra do Imperador n. 41, botica homeo-
pathica.
16^000 a libra.
de retroz do Porto de primeira qualidade ; ven-
de J. A. Moreira Uias, em seu aimazem ra do
Bom Jess n. 26.
Oomedorias.
Na t.ua du M.irquez de Herval, antiga Concor
dii n. 4fi, formeest almo^o e antar em casa
particular, assim como manda s3 levar para fra,
garanta lo se bom tratamento e assein.
"EGMMDEIIU.
'reeisa-v d'uma escrava que soja boo
1 immadaira. Em S. Ins do
nho sitio a. 2, com porto o gradim
ferro, a-iles da ra da Ami-ale.
Alu^i.si! urna boa casa bem mobiliada e
com binJ a pnrta, no bairro da Boa-Vista : a
trata 1 n r 1 i 1 Barao do Trimuidio n. 36.
Mangui-
Rua do Cabug 11. 11 A.
Vende se um escravo mqo proprio para enge-
nho ou padaria, por preco muito em conta.
- Vende-se urna casa na ra da Hora, junto
ao becco do Espinheiro, com bom terreno e boa
cacimba de agua de beber : quem pretender com-
rar d unileiro.
E' pechincha.
Poupelina de cores a 800 rs. o covado, s a
ra Duque de Caxias n. 43. '
Grande economa
Musselina branca a 2-0 rs, o covado, s ra
Duque de Caxias n. 43.
MOLES": S
EmtVBaatt
As Mo'c.tas
DAPELLE.
Eropces,
Ulcera >,
Ha eh.i..
Ele.
ASi-
DOENZUlS
v.n !>?,.> c .rsaii.ay
Pela laflaata
Veuena.
MEDIATIS31H,
S27SIPSLA,
que de avaria, a 10 e 200 o aovado. Di-
tas li rapas a 340, 280 e 320 r, o covado.
CASSAS FRANCEZA8 A 32 RS.
Vende-se cassas francezara 320 e 360 rs.
u covado.
iASINffAS A 200'RS.
Vendo-se lasinhas de cores para vistidos,
a 200, 360, 400 e 500 rs. o eorwdo.
AKPACAS A 400 RS.
Vende-se alpacapara vetdoa'400r JOO,
4e800 rs. o-covado.
COBERTA&DE CHITABA IfWO.
Vende-se colertas de chitas de coresy a
J9600 e 2$00O. Dras de peHo a 104001
Colxas decores-a 19*00, 2C50Os-.iOoOO.
CHALES DE Li A 800 RS-.
Vende-se chales- de-a de quadros-a-800
rev e1000.
Mtos de merin a- 2?. 3$, 49 e 50060.
CAMBRAIA BRANCA A 3&000.
Vende-se pe?as de-oambraia branca trans-
parentes e tapada, a 8fc 35500, 40, 45500,
5JT e 60000.
SAIAS BRANCAS A 29000.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhora, a 20000 e 20500.
BONETS A 500 RS.
Vende-se- bonets pretos de seda para ho-
mens, a 500 rs. Chaposde jalha, pello e
massa-, 20, 20500, 30OOO e 40000.
MADAPOLO A 30*00.
BOTi^
Vende-se botina,para senhera, a fcDOC #
80500, a ellas antes qne 90 acaBr.
SOMA FETEA WONAL.
Vende-se eamisns brancas, a lCOt i*
2S500, 80000'0000.
Calcas de eaaemifas-deeores, a 50. 6t >
Palitptsde caeeoMra, a,4, efe 8906c-
Seroulas a ?<5 e 10000.
BRIM DECORE A 4*0 RS.
Vender' brl Oe todas as cores t *
r. o corado.
tENCOS BR AflCOS A 20000 PDltfU.
Vende-se a dia de lencos brancos, -
20000. Ditos cera barras de cores-a U06O*'
Ditos de linho a 59000.
TOALHi A 800 RS.
Vnde-se toalhaj-pra rosto, a 80 rt. -
quciro com cabo de metal- e demarfim,
ditos aYnt90s, colheres de mea l fin>, condiei-
ros para sala, jarres^ guarda-eornidas de
rame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios-ottmpietos, ditos
simples, objectos para toilette,-, o ostros mui-
tos-artigos que muito deveas agradar a todos
qe visitarem ese-grande ostabeeomento
q?ie se acha aberto det-de as- 6 horas, da ma-
nh at as 9 horas da noie a
Ra do Baro da Yietaria n.
22.
i\ao bu mais catlos
Dr. J.
i mfr na \-u>
O. -LYET! < (U>.. de CmivU,
r<;nl;hI.:-> TSTaidoe .
EM FRASCX3S PEQUE:NO&.
W. K. OASSELS & O., Agentes Caraca no Brazil.
Dim Alvos Mallas
tem para vender m sea oscriptorio ra.
do Vigario n. 21
Formas de ferrogslv-ouisados para purgar
assucar,
Potassa da Rusoia.em. barris do-25,kilos
cada um,
T&fCflO.
Vende-se 150 paliniw de terreno, oorn 580- do
fundo, em chao proprio. no lugar de Rebetibe de
Baiso, cora fente para a ra do Glerigns. o
qnal >e acha livra e desetnbararado.: proeuffc na
ma dos Quarteis h. Ib, se^umiu andar.
Hsp^redina a 16^
Vende-se en^ cateas eotn-12 (Vascos, no arma-
era ile Franco, da Cnnha & C, a.ra a. Moida
n. 47.
Compiim-se algninas portas e janellas", de
louro ou ainaHIo. ben < :no forros o portadas
para ?< inesmas j usados, mas >:ra perfeito estado:
no largo du I'ouibal n. 13.
i __u
V^MUS
Vende-sa nma boa carroc* de multo bom
uso : na Tamarineirt n. 4.
M .--------... .4 ,
.Agua-Fria.
Veii.V se um terreno em Agua-Fria junto da
ca.-:. ; f do Kxm. Sr. Molla, tendo o dito ter-
reno jd palmos de frfnte e 470 de fundo, todo
cercad.,: i irat-jr na pliaruiac a americana, na
ra Duque do Caxias n 57._______________
Vi'O'l- h a casa da ra da Oinceicio n. 23,
solo foreiro : a tratar na mesma ra n 31.
Superior chocolate nacional
dos Srs Brito & Carneiro,
do Rio de Janeiro.
IguM em sabor e qualidade s melhores mareas
estrangeii-i.-; : vende-se nicamente em Pernam-
buco m .;^ Commercio n. u>.
Nova remessa de cha, fumo
e tap.
Amaral, Nabaco 4 C, veoier cha preto e ver-
de, fumo ingle ;iara cigarro e cachimbo, e rap
francei e nacional : to Baiar Victoria r>
Barao da Victoria n. 2.
Fazeudas baratas
NA LOJA DA AMERICA.
Lences de bramante, a 2/.
Brim de linho superior a 1*600 a vara.
Colxas grandes a 43, para acabar.
Para toalhas de mesa
Tem a loja da America rico atoalhadr com mu
lindos desenhos e vende a 1J500 e 2 o metro.
Toalhas grandes a ">00 ris, urna
E' barato
Chpeos de sol do seJa trancada, muilo fina
meia cann de parago, a 9.
Ditos de boa alpaca, a .'13
N. 10 RA DO CABUGA' N.
Hesperiia
\
Se unicaapprovaila polas academias de
saiencias, refoaaecida suaerior a- ttwla que
tem ap^vireido at hoje^ Depesido prinri-
pal' ma da Cadeia do Uep.ife, hoje Mr-
quez de Olinda, n. 51, 1. and:nr, e em
todas as boticas e easas de eabellei-
reiro.
ALGODAO A-9K00>.
Vende-se pejas de aJgodo, a 32J500, 4J;
a SiOOO.
BRAMANTE A 18W00.
Vende-se bramante com 10' palmos de
Jargura para lenco!, a l#600j 25>"e23500 o
metro.
3RA5DB LIQIDAgO DE SAB0??5TES 280 RS.
Vende-se urna grande porcao de sabone-
tes ingleses, a 200 rs. Ditos-fraacezes com
oheiro a 320 e 500 rs.
Agua de colonia, a 200. 320 e 500 rs. o
frasco para liquidar, e outros- extractos-
muito barato.
GRAVATAS DE SEDA HtETA A 500 R.s
Vende-se grvafas de seda, preta, a 50"
rs. cada urna.
CHITAS PARA COMftTA A 260 RS:
Vende-webdta parawBena, a-a^Oe-W
re-. e-&Yado.
BONETS PARA MENGOS A flSSOO.
Vende-se lonetes pammewnos, a l|KS4to-
ESPAflTLitOS PARA 9BNRA A SPSOtx
Vende-se espartilhar paira senhora.
8#800.
6RAMBKB
ABOORS.OCW^KO.
Venderse-granadinos com Kstrasde seda
para vestides da seohonrra 800 rs. e 1800< -
o-covado.
COLABAS DE CRtH&r A fi*000
Vende-se rieaseolebas^e eredt para ca
masa 653000.
PANNOS DE CROCHET- A 15J500.
Vende-se pannos de crocttt' para cadeirss
a flSBOe 23*000.
CASSAS PARA CORTiNADOS.
Vende-se percas do cassas para cortina Jos
com 20 varas, a 105J009-O 12J000, e outra-
muitas fazendas em liquWaoSo.
BICHAS DE HAMBDR60
As mais reeentes o melhores.
Vendom-ro na pharrr.ne.i:i o drogara de Bsv
thcilomcu -C, na T.argn:dr>sa? o Rn. 24.
SF.GREDO- ECONOMA E CELERIDAD&
OVtem-so com o eso
DA.
INJEGQAO SHOST
*
Unica> hygienica,radcate infallivol nca-
ra das gonorheas, flores- braneas e fluxos de
toda especie, recentes- ou ehronicas; oque
offerese como garanta desahitares resultados
a continuada app!ic;n;ao que sempro cam a
maor vantageir. se tm feto della nos. hos-,
pitres de Paris.
linioo deposito pera -Brasil, Barth,->lomeo
&&., rual.argadn Uosarion. 3'.
CabugN. 4
MISE & C.
ter,
GOMES DE HATTOS & IRMilO
Avisam ao respeitavel publico desta cidade que o sortimento de joias, efe subido va-
que existia cm seu estabelecimento, est completamente reforrado com o mais ele-
gante sortimento de novas joias, que receberam directamente pelo ultimo vapor da Eu-
ropa, constando elle do mais variado sortimento de aderemos Boulevard-, pulseiras di
ultimo gosto com pedras preciosas e sem ella&j brincos d'argoa, agrafes para relogio di
senhoras, delicados aderemos para meninas, meios adorecos de camafeulindissimos, tollas
de nogordios para senhoras,.correntes ingleas de ouro e-de platina^ variada quantidade
de botes para punhos e peito, com emblemas maconicos, de onx, teeido de ouro, cama
feu, etc., brilhantes rnonstrosde rarissimas-agoas, em aoneis, rozetas, pulseiras, atfine
tes ebotes, e outros muitos objectos de ouro de melhores fabricantes- de Pars, que s<
venderao eom grande reduego de pregos, por serem cites recebidos directamente de seas
commtttntes.
Os proprietarios do acreditado MUZE DE JOIAS, tendo at8v horas da noute, convidam as familias que se quizerem prover de liadas joias, a
virem escolhe-las vontade, para o que esto em exposico nos-mostradores.
VerJadeiro bter hesperidina, superior e acre-
ditado : venda no armaum de Tasso TnnSs 4
C, ra do Amoi im u. 37.
10
Loja da America.
Vende-se a (averna da ra das Cruzes n. 6,
propria para principiante por ter poueos fnnios,
e por seu dun< ter de retlrar-se para fora da pro-
vincia : a tratar na ra do Calabouco n i, ta
na.
ver.
Banhos em Olinda.
. Camisas e calcas de fazenda de boa qualidade,
proprias para os banhos em Ollnd? : na loja dos
arcos ra Primeirode Mare-i (autiga de Crespo)
n. 30 A, de Gurgi-1 do Amaral & C,
Metim de cores
A 280 ros o covado.
Metim de' cores, padrSos bonitos, proprio para
vestidos, pelo diminuto preco de 280 ris, so na
ra do Queimado n. 43, era frente Pracinh
loja de Guerra & Fernandes.
Ca
Vende se a. taverna da travessa di Livrimento
0 28; bem afreguezada para a trra, e com pon-
eos fundos : a tratar a mesma k
barr mi carne -de vcea e d* porto, sacada,
para nMfltiaventOs de navios : no armaem de Tal-
0 Irmaos d C'lra do Amrini n. 37,
Vende-se um porMn.dc ferro grande e no-
vo: a tratar na lVnte Vclha n. 10.
Calcado barato
Loja d&. Arantes, proqa
da Independencia n\s. t, 13
e 15.
Botinas da eordav.Vi para homeift a 70Q0
Ditas de prHica, caaos Altos, para sonhora B6M
Ditas de chagrero idem idem 5&000
Ditas do pellica a Lnii XV idea 85000
Ditas d: dita gaspiaas, canos allos 80UO
Ditas de dita ditas, canos altos e. balsos 30I0
Ditas de becerro -para menina 4*0t'0
Ditas de cres. canos alijos S^oO
Na ra da ViraVo n. 5, vende-se um ter-
reno a seis mil ris o palmo, teqi 60 de frente.
Na mesma casa precisa-so algar um sitiozinnoi
Xaropo d'agTio do Para
Antigo e oonceitujbdo medicamento para
ura das molestias dos orgos respiratorios,
como a physica, bronchites, asthma, etc.,
applicado anda, eom ptimos resultados no
escorbuto.
Bons terrenas..
No lugar denominado Salgadinho^ junto
a eatacao da estrada de ferro do Olinla,
vMidem^se bons terrenos em lotes ou peda-
eos a vontade dos compradores, com a fren-
te para a mesma estrada e os lados para
outras, e bem assim urna, pequeua casa de
taipa nelles situada.
Estes terrenos tem differentc-s arvores de
fructo e sao ptimos deplantacao e ven-
dm-se por precos bnratissiraos. Os pre-
tendentes entendaaa-se na thesouraria das
loteras.
que a casa toaba boa sala para aula
lenha dous ou tro? quartns somonte.
erabora
Aon aiaigos to boin e barato.
Grande liquidarlo de fazendas e roupas
feitas, na nntga loja do Papagato, ra
da Tmperatriz n. 40.
Os proprietarios dosto estabejetoicnto, deso-
jando vender por menos de ."i'i OjOdoque em ou-
tra qualquer parto, fazm publico s Exmas. se-
nhoras e senhoresMie d?se)ara teer'boa acqaisl-
co de fazendas e diversas qualidades, assim
como'de grande prrrrio de riTpas erta?, venbam1
ou alandem na loja, portfhe' a dlnhelro torra-se
pnr todo preco : ra da'Irnptfralflr n. 40.
-
Boa acquisiQao
Vende-se m\a parte in'cRfa e aitia at.^Pdnle
de ch6a, entre of sitios'** Sft BfcOSMb Cbsta
e IftiB; aarari^ndo'M' 'venTl*'d*llfa'ba#
futo rttip^tivo *f^AprlPtarifv: a miar in r*a
rimeiro de marco, 12 n. [ andar, escriptorlo,
TASSO IRMOS & E.
Em seus annazens ra do Amorira
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
teta para vender por precos. commodos~
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho..
Canos de barro para esgoto.
Cimento Porlland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descaroear algodSo.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia era bail.
Phosphoros de cera.
Saga em garraffies.
Sevadinha em garrafoes.
Lentilhae em garrames,
fhum da aJmaua.
Vinhodo Porto velho engarrafado.
Vinho do Porto superiorvdi'o.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vin'ao de Seherry.
Vinho da Madeira.
Petes com linguaa e dobradas iaglzas.
Licores finos sortidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas da toucinho inglez.
Barris eom renolho em salmeara.
DROGARA HOMEOPATHICA
Viuvado Dr. Sabino O. Lud-
gero Pinho.
13 Ra do Barita da Victoria 4
Contina esta antiga casa a ter sempre venda,
os melhores medicamentos homeopathicos em gl-
bulos e tinturas, tanto em carteiras como em cai-
xas, de diversos tannos, pelos seguintes precos
flxos :
Em glbulos Bra tintura'.
1 carleira ou caixa de 12
do Rio de Janeiro
nrnem n. 16.
Caf
vende-se rila de Vigario, ar-
J. C. Doyle.
Tem para vender :
Cognac do rTnhessy, superior e verdadeiro.
Vinho Xeres das mirmores qualidades.
'rtters de Angostura.
Whisky.
Clt prWo-em lattas do 10 libras.
Tedas s* nrepararOea clrmicas do Br. Ayer: no
aimaetida ra do Commerrio n 38.
VeWe-se ilm porco inulto mvu e gordo c
ama Cabra Lichimuto boa deleite : a tratar
do VUQoade de Goyanna n. 161.
otassa
. Russia verdadeira em majo* barris, dosembar-
Mda"hoJe'dO pa^;' aHeiaao -Friede na.arma-
-IB<8e Jos%'1kria Palmeira, a roa do Bispo Sar-
mha n. 9, oatr'ora Enoanlananto,
t B.U4T!
medicamentos 104
1 dita dita de 34 ditos 15*
I dita dita de 30 ditos 20*
1 dit d.ta de 36 ditos 2i*
1 dita dita de 18 ditos 30*
1 dita dita de 60 ditos 34
1 dita dita de 120-ditos 50*
Tubos avulsos de-qaal-
quer medicamento 500 ro.
Vidros avulsos idem UO0O
Opodeldoc de-Rhus, do Bryeni e
matismo.
Ifil
24*
28*
32*
40*
5?*.
80*
e U
e U
para rbeu
D1SHER9,
As pcebinchas estao-se aeabsndp, na loja n 43
da ra da Cadeia d-j Recife, ende tem urna ban-
deirola com o titule cima : quem quUer sortir-Sf
de fazendas para r-a-a pur menos que em outra
qnalqner parle, nao jierca tempo pois restam pou
eas.___________________
Por 300* vende-se um bom 'piano d arraa-
rio, usado, com muit) boa vt: na roa do Vis-
cnde de Goyanna n. 12t, das 5 horas da tarde em
diante.
Vendedeiras.
Precisa-se de molhet's vres ou cscraras tjne ;a. 37.
se aluguem para vender com laboleiro : no sitio^*"
da capella, na Mangaaeira, estrada do .' rraial.
e am eonsollo de macuouuba, aa roa
da matriz n. 4 i, X- andar, o urna marqueta d*
mesma madeira : na roa do Encantaron. a. riU ra do 'rum n. 76,
Tlirsouro bnmeopatlMk-i ou V;J.
mccuin do Homeopatha, pelo Dr. Sa-
bino O. L. Pinho, 3" edicao-acorescenlaila o me-
ItKirad.i.
Peqneno ffnla homeopathieo, conten-
do as indicraeoes neoessarias i-ara oeiaprcgo
dos principaes remedios hameopathicos
IicK(>rip*Ho e tratMiiioiito das fiebres
cxnailiematicns (besiga, sarampos, es-
carlatina), acompanhado de um artigo sobr
erysipela, etc. ,
Dcserip^ao, hygloiae e fratainrnta
da fiebre nunrelia.
a
Vende-se um excellenlo sitio em Reberibd wj
Baixo, junto cstacSo do Fundao, "murado na
frente com portio d ^leWxieom nma'hona casa
de pedra e cal, tendo '4 qtfaWos, 1 Salas, 1 gran-
de sotao, eozinha lora, oem 400 (Irnos de rm--
e 4,860 de fundo, sendo da- ma'ta, co eiceJJent-
caoimba. nana de beber ; qunm-ri pietcndor diri-
ja-se ra de lVdro Affoaso, anUga ra da Prai;
fefidse"
nm efcoejlanle esvalln novo pr.
aella, per pro^o wuito am ronta :
cahhuli t
* trate e vt
*1
(
i
I

>
i
i
f
)

s


""t
-

Diario de Pernambuco Tcr^a A, 16 d&'Sfetefofco d'l'ISW.
SOiRES LEITE, IBHOS
UHIGOS AGENTES
A'
Raa di Rarao da Victoria n. 28
Vs mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposigio de Pars, em 1867, fol concedido a
Elias Howe Jnior, a modalha do ouro e a condecora-
So da Legio de Honra, por serem as machinas mais por.
feitas do mundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Jnior, ik>s
Estados-Unidos por 9er o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposijio de Londres acreditan)
estas machinas.
A 90S000
Cabe-nos o dever de-annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
f ork, estabeleceu nesta cidade ra do Barao da Victoria n. 28, um deposito e agencia
feral, para em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
ura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeico de seu trabalho,
mpregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade d6 linha que qualquer outra,
i Dla introduco dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
Merecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as seguintes:
Primeira.0 publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
aroumstancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
raiq.
Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.Ha nellas menor friccJo entre as diversas pec,as, e menos rpido estrago
*. que as outras.
Quarta.Formara, o ponto como se fra feto m8o.
Qoiot.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se n3o consegn
tas outras.
Sexta.Fazem ponto raiudo em casemira, atravessando o fio de um outro lado,
!ogo em seguida, sem modificar-se a tenso da linha, cozem a fazenda mais
na.
Stima.O compressr levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
!e agulha ao comec,ar nova costura.
Oitaya.Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandea e
Cadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
uudancas radicaesparapodorem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
optando a opiniSo de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
'ugmentado o seu fabrico, e hoje ne attende a procura, posto que faja 600 machinas
-> >r dia.
Cada machina acompanha livretos com instruegocs em portuguez.
90>000 A. 90*000
SOARES LEITE, MOS
MARCILIQ DAS N. 31.
ESte tb'cfecimbntd stfriprfc solicito rtn oflerecer a eorreurrenea do rcspetavel pta-
o um' cor/ip^r; sortiYuc-nto -de 'listezas, <-ri$M francs, chpeos eqninqailharias a
l:
DE
nm
RA PR1ME1ROOE MARQ N. 7 A
E' esta casa, sera davida, una das ue boje pode
ctt nrimasia apresontar aos mus freguezes um
variateslmo sortimento de fazendas linas para
grande /ei7c/,assim eomo para o uso ordinario de
tajosos para os
estabelechnento con-
o o particularmente
Mll'DIVAS Iffnriin aos seus freguezes a darem um passeio por sen
'"l"r'WB' ^^ MlUlHiAs. cstabeteennento, a afim de venllcarem a veracida-
L para Lu dar, da melhor qualidade 1 Brrncos dito de dito por 2$500. de de seos annunems, e com vantagei.i supprrem-
ibra por oCoOO. BotScs de setim pretas o de cores, 00 *? <>< artigos que Ibes forem mister, de eujos
A fr-i-coa*. fundo" dourado, a i- ** M ~\ XdTm^fSasTcLs dos pretenden.es,
unha com 4 papis a 60 rs., 240 -s. f *ranJas Brancas de seda de todas as lar- para o qne tem o pe?soal oecessario e do amos-
Voltas de fita de velli:' uora lindos co- 8u*s, a' 190M e lWOflf o metro. trae medrante penhor.
ac'es fingindo majreperola, a 500 rs. Ditas de coresepretWa800 rs. e i?p000 o' ^^ de seJa de g*8
Voltas para o pescoro, ingindo camafeu, m**'...... i todas as cores.
cores, grosdenaples de
cor.-, pan hadas com 1 par de brincos seme-
hante, ludo por 2500.
Liuha branca de 200 jardas cm carriteis,
propria para costura de machina, a 800 rs.
i duzia.
Dito de dita de Alejandre, uumeragao a
Diademas dourados de 1j0 a 3JO00.
Ditos de tartaruga com flores a 29000.
Ditos com borboletas a IJpSOO.
Brincas encamados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqut de 300 rs. u 23000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 13500
i 25000.
Glocs pretos de seda, de muito gosto de Gorgurao branco e preto.
800 rs. a 15000 o metra. Setim Maco preto e de cores.
CALCADO FRANCEZ. Jf*"* P'6*- <
Botinas pretasgradas, par, senhora, a gSSttJff^ul,...ma, d.
iSSUO o par. C0r0S) hudissinios padrdes e fazenda de ultima
Ditas1 ditars' de duraque; gaspeadas, catino moa"a.
Fil de seda branco c
preto.
ore
Ricas basquinas de seda.
Colxas de seda para noivos.
Mantas braslleiras.
Cortes de cambraias branca
altoya 5#0G0.
Bitas pretas enfaitadas, ultima moda, a
65000.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 55500,
Ditas para meninos, pretas e de cores, a I SSSBttSttttS;
J5 e 45000. Cambraias de cures, ditas
Completo sortimento de calcado de case- core.
Capellas e mantas para nnivas.
om linios bordados.
com listras de seda,
mariposas brancas e de
Voltas do aljofares com brincos, a 25500. mira, Charlt, tapete c tranca," mais barato g* h6 ,ind,i pa,lrf)e9,-,- A
Ditas de ditos SS corajes a ttQO? ; A ^ ooln., q.lqer parte. 5&^^T^7rfncos.
Ditas de ditos de comas com cassolotas, fl LllAl LOS. Brins de linbo de C6i SOO rs. RfCos chpeos de palha d 'Italia, parase- Fustoes de lindas cures.
Hosetas do plaqut a 15 o 15500 o par. J ?000. ^qum^de las de ^ para senhoras.
Grvalas do seda para scnl.oras de 15200 ttt Jos palha escura, da ultima moda, vestaSS Jara menin?
38000. ; 105O00. Ditos para baptisadus.
"arures com 2 lacos para cabeca e peitoi Completo sortimento de chapee ;inhos para Chapeos para ditos.
"""tainas de cambraia de linho coro lindos bor-
dados.
< -iaooo. ;
e peito Completo sortimento de chapee ;inhos para Chapeos para
< 35 o 45000. ; meninas o senhoras, de 2580U a 55000. ^J**8 de ca
lintremeios e babadinhos bordados de 360: Chapos de sol de seda, inglezes, cabo de Fronhas' bordadas
f-s. 25400 a pega. marfim a 1C5000. Cblxas'de la.
halOes de seda brancos e de cores de Ditos dito de merino, cabo do metal mui- Cortinados bordados.
15500 a 2550 a noca. lo bonito a 55500. Gmis bordadas para homens.
ditos de algodo o seda, do 15 a 154001 Djtos dito de seda para senhora, cabo de **> (X'rcs para h,nens e menmos-
peca.
Ditos de algodo, a 100 e 500 rs. a peca.
Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
oeca.
fbeques de marfim a 35 e 85000.
Ditos de sndalo a 45500.
Ditos de madeira imitando, a 25000.
Ditos de papelles a 15800.
Coques para senhora, a 35, 35500 e 4*.
Aderemos fingindo coral, comp dfinete e brincos por 25000.
Dito dito pretos por 25500.
Ditos de plaqut, compondo-se doalfinetc
i brinco, sendo de muito gosto, por 55000.
madeira, a 65000.
Ditas dito cabo de marfim a !$000.
DIVERSOS RTICOS.
Chapeos com caslo de marfim para homens.
Ditos para senhoras.
1 Merino de cores para vestidas.
Ditos pretos.
Granadino para vestidos, fazenda da ulti- C-P!.WU, raadapoloes, cambraias etc. etc.
ma moda, com listras de seda, a
vado.
Pannos de crochet para cadeiras, a 15800
e 25000 cada um.
Ditos para sof, a 3? c 45000.
Toalhas de linho para rosto, a 15300 cada
urna.
Ditas de algodo alcoxeados, a 640 rs.
Colxas de crochet para cama de casal, a
65006.
na leja do I'asso ni Primeiro de Marco n. 7 A,
650 o co- autiga do Crespo.
DE
CoiMleiro Slitidcfl ti .
A'
do Baro da Victoria
2 8.
ROB LAFFEGTER
Aurorado em Francia. Rusia, Austria e Blgica. 0 arrobe vegetal Laflerteur w antho-'
ruado, he mui raperior aos xaropee de cnirier, de Larrev e de aalseparriuia. De fcil
digestae, adagraved ao paladar, e ao alate, elle cura ncalmeate ena aerearlo, as I
affeffiea dapelle, lmpl;cn, alperea*. lomore. nlreraa, anrna desc-
uerada, (icorbuto, e os accidentes provendos dos partos, da idale critica, e da acri-
monia hereditaria dos humores.
0 arrobe he especialmente recommendada contra a doeo^s lypbiliticas retentes, invite*'
radas ou rebeldes ao mercurio e ae ioduco deipotassio.
. neosil ?eral d verdadeiro ROB LAFFECTEUR. em caja do doutor GUUUDEAU DE
SAIHT-GERVA1S, roa Rieber, II, i Paria. *
Sirauel Power Johns-
HRiu
Xlioit'i
(i. .5 e
i
d MMitie --i. i-gaeiesquoteem
Ui o mi 4> imHit') machinas a va-
BmaaU** Hita.- a iiaito acreditada
fabrica de LowU r para ra do Apollo n.
) :\H i 4'i. gmAf : ii .- a i ter o mesuiosor-
u neatd ) i cAsnnir,
"\i''ni aeimte lambes ate K-en feito nm
i .*rrav' oes a fcGilicao (rat iK' ijue po-
noJeiwfffl [iir;-fc abantar iualqaer
na.r.T;>n>o a luesmo garant lo.
Os proprietarios da (undico gerai fatem
scientes aos senhores de engenho e mais
pessoas, que tera estabelecido urna (nndi- W/
cao de ferro e brama a ra do Brnm, jnn- &
to a eflacao dos boads, onde ai.-rontarao '
qaalqaer obra .!( ancommenda com perfei- ;iv
o e proniotido. ^t
BMtnoa rgam as pessoas qne qnei- b.
Aguas
Acaba dechegnr um completo sortimento
das aguas de
VALS das fontes
St. Joan
Dominique
Desire
Rigolelte
Precieuse
Magda lcine
VIC11Y das fontes:
(irande Grille
Celestins
Hauterive
Hopital
Mesdamcs
Chateldon.
PA8TII.HAS DE VICHY
No deposito geral em casa de Harismendy
A l.abille.
9 RA DO COMMERCIO 9.
nico deposito, a onde se acha a venda na
Ra do baro da V
casa de P. Jlaurer & C.
Os
ram niisjr ^n d seu* sarvicos de deixa-
rem a> eacombieodas em casa dos Srs. 5a-
raaol PoWer iohosloa & (; a ra do Apol-
lo n. 38 e 40, nade aebario pasaoa ta>ili-
tada eom quem [.o.;sanj pteodar-sa.
apparaltio para ahr rr assncar, do systama.
WESTON CENTREFUGAL
aicos ceDib.^ em Pernambuco a fundicao geral.
Para tratar em sea ecriptorio a ra do Apollo n. 38 e 40.
i
m
tttttta a a
JH'lf:V1
f!
aa
HOGG
OGC pharmaceullco. t. r. de CaMlgUona, Parii, nico propriearlo e prcparaaorV |
DB'
PEPSINA
DI
1* Pllulas alimentosas de Hogg com pepsina aciduia, propria para molestias
gstricas disppticas, etc., e nos casos de digest&o dfficil ou impossiveL
2* Pilulaa de Hogg com pepsina unida ao ferro reduzido pelo hydrogeneo,
para molestias chronicas e as doencas que das mesmas rcsultao (escorrimentos, flu os-braceos,
menstruacOes difficeis) e para restabelocer as saudes debilitadas.
Pilulas de Hogg com pepsina e proto-ioduro frrea inalteravel, para molestias
escrofulosas, lymphaticas e Bjphrliticas, para a tsica, a cacheXia chlorotica e para as aSeJcdee
atnicas geraes do corpe.
Km, frascos triangulares de 100 et 50 pilulaa; precos indicados sobre os fiascos.
Deposito em Pernambuco, A. REGORD, e as principaes pharmacias.
w
DOS PREMIOS DA
3.
Agora sim
A rosa branca receben nm lindo sortimento de
chapeos de sol de seda com o cabo e ponteira
branca, os mais modernos, que parece marfim,
com o guarda-pontas de metal, a 10/, toaos ven-
den) por \\l : na ioja de quatro portas a ra da
Imperatriz n. S6.
Ultimo gosto!
' A rosa branca recebeu um lindo sortimento de
chapeos de sol de seda de todas as cores para
senhora, os mais modernos, e vende por 5:o00,
todos vendem por 7*000 : na loja de quatro por-
tas ra da Imperatriz n. 56.
Vende-se a taverna da ra larga do Rosario
n. 31, i casa apropriada para outro qualquer
eatabelecimento : trata-se na mesma.
A Preka,
no empenho de'boBa-.sarvjr acs seus fregueres e
ao publico em geral tem procurado nrover-se do.
rha de melhor 6 da ultima m<4a nos mera
de Europa para expo-lo ua< vwida, ar-
tos de que os eus artigs s rao bein apreviadoa
pelos amantes do bom e barato ; jia^sa a enuu -
merar alguns d'eatre elles, como sujam ;
ALBUiNS, es mais ricos que u m viuda a este
mojando, com ca| as du ma Ircperola,
tartaruga, marlim, velludo e cnagnn.
ADEREMOS pretos e voltas piura.* para luto ;
assira como, um boa.tu sorniueuio-da
ditos de plaqu, obra ua c muilo bem
acabada. .
BOTOES fiara punllo^ o que se po.le itcsojar de
melhor em plaqu,, tarraga, madsfr
porola, marlim e osso.
BOLQAS de velludo, seda, pallia e cliafrin,
ha de mais asodemo e I ndus.
BICOS de seda e do algodo, tasto branco como
preto, de variados Uesoulius
CASSOLETAS pretas de inci.ii e uu madrepe-
rola.
CAIXINHAS para costura, muito ricas o de di-
versos formatos, com amana e sem
ella.
COQUES a imiaco, o que pode ha ver de mais
bonito e bom gosto.
READEMAS, nesto genero n Predilecta apre-
senu om g-rando e lindo sortimento
capaz do satisfaer us caprichos de
qualquer senhora por mais exigente
que soja.
i'ORT nOQUET de madreperob, mar.m c osso,
este um objecto indi ptr..-.v/el s se-
nhoras do bom toin, afn du aspirar
o aroma das flores sen o iu<^ Amien-
te de nodoarem a* lu\a, ou niauclia-
ri'iii as delicadas triaos.
PENTES de tartaruga, de marlim e de Bfalo, pa-
ra alisar os cabellos c tirar bichos.
PEltFUMAUiAS. E' sabido di pu'lico que i- Pre-
dilecta sempre conserva um importan-
te sortimento de (afuman is di fino
odor dos mais afam.tdos ('.brisantes,
Lubin, Piver, aaeiedade by^ieniea, Gwiir
dray, Gosnes e l'.imul, que irruia-
bido da escolha dos aromas i.ia.x bem
aceito* pela sociedade elegaato da
Europa, e por tanto, acnaio/se na
possibilidad do bem servir aos amaa-
tes dos perfumes.
A PREDILECTA deixa de emimerar u.'.u im-
racnsidade deartig'!. aim de mvi mas-
sar as leitores e so i edi a ImMS
lencia do respeitavcl pnWieo em di-
rigir-se ra do abuga n. t a, pa-
ra conyencer-se anude pode comprar
o que bom e barato, assiifl ci'io:
FACHAS tipas o modernas de tuquim c ii:turio
seia
IMENSVETltXS. Ricos vestuneutos f va u.Liiinos,
por baratissimo prece.
FLORES. A Predilecta* Drima cm conservar um
bello sortimimto de llores a(. atesase
de qualquer bolea alada qu Ba es-
. teja bem replecta de dintteire.
FITAS. E ja bem sabido do pJdico que .-6 na
Predilecta que podeni encontrar cun
grande sortimento rie Stan de setim,
tafet, velludo; linho e de. alg.dao, por
commodo preco.
GRAUPOS de tartaruga, imitacu dc-ic-, pre-
tos e de cores, o que se pe di.-sejar
de mais moderna e Mnito.
GRAVATAS de seda .o de asahraia para s.nbora,
laoos e goliuhas de benitas ei rea, l:m-
bem tem um bom sortimento de gr-
valas e regatas para homem.
JARROS de porcelana e de taro inutt) b mitos
para ornatos de sala.
Mei s do seda, do la e Jo algodo, pa-
ra senhora, meninas e l .iiieiu.
LEQUES. Rieosleqneade luAdreperula, ta^aruga,
marmn e de flsso, os mais mederuos e
por barata preoo.
LUVAS de pellica, do seda e do algodo, para
lromem e -senhora.
LIVROS para missa a Predilecta aprcMiua ;i es-,
colha do respeilavcl publico um bello
sortimento dcftes Inros cora eapas de
madreperola, tai taruga, ciariini, OssOj
velludo e chagrn, por piccis mui
razoaveis.
AriMein do fumo
Ra da Madre de Deus n. 10 A.
Jos Domingues do Carmo e Silva participa aos
seus freguezes e amigos que no seu aruia.'cp)
ra da Madre de Deus n. 10 A, > < ha ur.i com-
pleto sortimento de fuinnem Cardos Ce id'ente i.*,
2." e 3." sortes, dos melhores fabr. aito. ., ?ihia,
e bem assim a flor de todos os fumas ue corda
em rolos, pacotes, latas grandes e aqun ?, ;aii-
bem dos mui acrc."''^iaa fabrcame- i.-i ? A
Araujo, Lizaur, AuV^^Schm. 4 C, Liza:
Schmidt A C, Veigas ic Araujo, 7rndade i ave-
lar, Teixeira Pinto 4 Portella (garant.do pelo3
mesmos) e de outros ainde nao coi,' cido- pelo
publico desta capital. Oannonciacie deca.a que
todo fumo que for vendido em sua casa mi i pelo
seu justo valor, e que quando garan'i a respecti-
va qualidade, sera sincero, mui paitu ui.imente
r "n as pessoas qne pouco entenlam da materia ;
,uis para bem servir a todos, Mi o an.Ktiiriante
a longa pratica de 15 annos deste oomiueBOie.

.
PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDAS POR LE PROVINCIAL N. 393, A BENEFICIO DA IGRE.IA DO' LIVRAMENTO DE PAO D'ALHO EXTRAHIDA EM 15 DE SETEMBRO DE 1873
NS. riiEMS.
0
7
26
33
38
42
50
53
57
61
65
73
75
78
80
85
100
3
1%
16
17
20
23,
39-
40
46
49
SsO
60
6
61
66
70
72
76
80
85
89
W
NS. PRE.MS.
198
202
9
29
33
37
46
55
57
62.
64
70
7t
73
75
76
79
85
97
302

22.
32,
34
36
40
46
87
*ft
68
70
72
74
77
79
80
84
86
W
66
NS. PREMS.
387
88
95
401
8
13
15
27
30
32
35
48
51
56
58
63
72
85
88
92
60
6#
10*
IOI
NS. PREMS.
560
66
70
79
91
95
601
14
30
36
38
47
48
56
66
72
75
80
87
89
710
6
6*
woos
6
NS. PREMS.
787
92
99
803
5
11
12
13
15
29
36
41
43
45
48
62
MW 66
6,5
60
to
6d
64
500 o* 14
2- e* 22
II 27
!3 31
24 33,
25 35-
,88.. 37
29 . 40
30 43
3i 45
39 - 52
41 57
42 - 69
46 75
51 80
53 83
54 85
NS. PREMS.
*
69.
73
i 74'
75
76
,.8J
84
85
87'
89
91
97
98
910
27
30
35
44
51
53
MI
-
955
58
61
72
78
91
92
93
94
99
1004'
16
17
50
59
61
63
66
74
76
86
i 87
89
92
95
1101
MI
15
83'
24,
26
381
41
46
47.
53
58
68
6#
1O0
6^
$m
NS. PHEMS.
M'
;o
72
75
77'
78
87
88
92
120p
2,
10
15
20
U
24
29
34
50
51
52
55
58
64.
65
70-'
73
74.
75
7*
8f
93
98
1300
2
3
8
9
15
0,5
NS. PREMS.
1323'
30
32.
43
|i
51
53
55
58
^
75
83
90
98
14041
6
10'
14
15
4.
80'
36
52.
55
56'
57
60
64
69
70
72
73
75
78
81
82
85
91
NS. PREMS. NS; PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS.
61506
8
13
25
32
34
30
39
45
54
M
5
59
67
77
80
Htf
89'
i
87,
90
6*

*ty
1

*
1605
0
- i*r
II.
; w
' 9
30..
34.
39
50
59
61
67
<78v
79
I8i
85
69
07
1702
19
20'
21
22
m 26
30
41.
45
48
53.
v. o*,
50
6*"
n
8,
86
8*
1803
1>'I .
.>aj^,
q
u

6
1876
77
91
1915
20
23
35
56
57
, 61
> 62
8
67
73
74
80
u

\\- Mi
46'
48
;,^
e IMt,
!9i
H
88
'"04
-+"$,$
oi 86.-
98
M>
. j.,
:;
.43-
o 2*.
38'
41
49
84
52
55
84
M,
W
82
01
2084
86
97
99
2102
4
8
14
15
18
24
29
35
39
40
50
53
67
71
75,
77
90
94
-.97
98
2208
H
15
25
if
31
34 .
44
52
63
W
OA
60
NS. PREMS. NS. PREMS.
6
6tf
2268
70
75
82
84
86
92
2304
10
13
15
17
18
20
21
24
25
32
35
50
5
55
60
61
67
74
80
81
82
86
90
2401
10
17
25
39
47
6
10
r.ooo
6*
105
6tf
2448
49
52
54
58
64
66
69
74
75
76
82
91
92
95
2508
7
14
151
29
46
49
511
53'
00
77
78
79
80
80!
89
92
2607
9
13
15'
16
U
NS. PREMS
6*
_
60
2622
23
28
37
44
61
63
72
77
80
83
88
90 *
94
97
2701
2
9
22
24
30
38
4*'
43
44
45
50
51
59
65
66
71
73
78
82
84
87
60
NS. RB1IS.
t
2788
95
280i
9
10
21
23
24
25
27

29
30
3*
40
55
78
83
86
94
97
29C0
15
27

3i
36
42
5
64
66
* 68
70
73
79
90
98
60
60
1O0
60
iW
30
60
]


8
Diario de Pernambuco Terga feira 16 de Setembro de 1873.
- -' i
Bor.rjua lo Gvmnulo Pcrnnm-
?ARTO!:R 0\l>1 PU^i. COMltlSS.lO MOMEAD \
Pt.v pve.MOtmBTUra imbicvk os mr.ios
DA REFORMA. :
Coiumis
(rt'lulo' AfvTicUmli
Eci"j f" K
qnerque 0 i.
./v Brtforl
Cuvakanti,

Oro, towlr ir,
fjpo, que miii 'jiivttfte
totrata, ta [h> lena jfehfelo molhur que a
organivtQjo ilos Estados-Unidos, e, pois,
5? organisago quw.4, Corauiss* propoo
ja applicada ao Gymnasio Pernambucano
eom as alterages determinadas pelas cir-
curastnncias das materias exigida6, com pre
paralnos, para algumas das nossas Vacui-
dades.
Assim.n Rhotorica ea Philosophia, que
sempre fomarara assampto de estados supe-
riores e universitarios, sao entre nos exig las,
como preparatorios, ai instar da organisa-
go francesa, que a Imitte taes disciplina no
curso !<>s lyoeit*, ,p, portnnto, deven) ser
contemplad. essss materias no programma
do curso lo Gymnasio.
Quinto aoprogramma de estudos para o
curso completo lo Gymnasio a CommissAo
offerece o soguinto projecto: (Vi le, no Ap-
penso, o substitutivo da Commissao ao Cap.
Io do projecto do lr. Campos).
Por este projecto ver V. Exc. que a Com-
mi'sa >, sem sacrificar os ostu los classicos,
porque os reputa nac'essarios e alguns delles
MBcians para as nossas Faculdades, todava
disnoz as materias de forma tal que nos pri-
meiros annos .do curso do Gymnasio as Lin-
guas vivas o Sciencias mathematicas, physi-
eas e naturios, a Geogrophia, a Historia
patria c moderna, oocupam a priniazia e
consumiera do preferencia o objecto dos es-
tucos, a os ltimos airaos do curso sao con-
sagrados especialmente aos estudos classicos,
Khetorca o Philosophia.
Assi n por esta organisago de curso : pelo
methodo a seguir no casino ; pelo tempo
consagra lo as materias, constantes do pro-
gramma a na ordem em que foram ellas dis-
postas e determinadas; comprehender V.
Exc. que a GoramissAO quiz estabelecer cora
os estudos dos primoiros annos um curso,
destinado a aquelles, queso dedica ni a agri-
cultura, commercio e artes, encontrando ti-
les lias uiatei as, que sao ensinadas nesses
anuos o que para ess.is carreiras preciso ;
e, enllocando os estudos philosophicos, rhc-
toricos c classicos nos ltimos annos do cur-
so, quer que os que se habilitam para as
nossas FaouMades de hireito e Medicina, fa-
zendo esses estudos classicos, philosophicos
c rhetoncos, de que csrecem, tenham, to-
dava, nos primeiros annos do curso comple-
to, ou ordinario do Gymnasio, adquirido
conheciwentis, que, sendo indispensaveis
para os que se dedicara especialmente as
carceiras commerciaes, iudustriaes e agrco-
las, nao deven ser ignorados pelos que se
destinam as profissoes liberaos: uns^ por-
tanto, faio 4 annos, a, findos esses estudos,
acham-se habilitados para o commercio, in-
dustria e agricultura; os que visarem, po-
rm, prolisses diberaes faro 7 annos de
curso, durante os'quaes adquirirAo conhoci-
menios precisos para so matricularen! as
Facilidades, e adquiri-Ao tambera nos quatro
priroeiros anuos conhecimentos uteis, ele-
monto importante ni educacOo de todo o
bornein, que se propoe a urna carreira 1-
botal.
Nao se diga que o tempo de 7 annos para
o curso completo do Gymnasio demasiado
longo, pote, nao sp as materias, para os que
sa destinam a carreiras liberaos, pedera lar-
go deseiivolvmento, como, quer na Franca
e Allemanha, quer nos Estados-Unidos, o
tempo destinado para taes estudos muito
maior.
A Commissao pensa que, organisado oen-
sino, cono piope, poder o Gymnasio of-
ferocer condigoes e meios de preparo e habi-
litagao, j para as carreiras commerciaes, in-
dustriaes e agrcolas, j para as profissoes li-
beraos ; e faz votos sinceros para que os cs-
pirtus secncaminhem a tirar proveito dessa
organisago, e que a nossa mocidado, at
boje volada s profissoes liberaes, como so
esta voeago fosse propria a todos, busque,
tambem, na industria, no commercio e na
agricultura meios de vida, carreira e inde-
pendencia e que, devidamente se habilite para
tal fin com o estudo das materias precisas,
cujo ensino o Gymnasio poder pela organi-
sago proposla ministrar Iho com proficui-
dade.
Observa a Commissao que, sendo o Gym-
nasio o nico internato publico parainstruc
gAo secundaria na provincia enesta capital,
os moradores no interior da provincia, que
quizeren que seus Glhos o frequentem pelas
vantagc.is e commodidades, que offerece,
devem -encontrar no cstabelecimento urna
instruegao primaria, deque carecem anda
os meninos, e por issa indispensavel quo,
como curso ahnexo ao curso ordinario do
Gymnasio, baja neste estabelecimento ura
curso elementar, em que se preparem os me-
ninos para seguir o ctfrso ordinario doGym-
nasio. Quanto aos methodos a empregar,
assumpto este principal em materia de ins-
trucgAo publica, V. Exc. ha de concordar que
questo que depende ..do professortal
mestre, tal escola*-; nada obstante, a jul-
gar pola salutar experiencia e resul'ados pra-
ticos vantajosos, obtidos em alguns paizes
polo-systema Ptstalozzi, sobretudo boje que
so cha mais aperfeigoado e applicado eni
maior extenso, julga a Commissao dever
lembrar esta circumstincia, para que seja
erapregado este methodo no ensino prima-
rio, que deva ser dado no Gymnasio, quer
como experiencia, que nao podedeixar de
firoduzir bons resultados, quer como mode-
5 para as outras aulas primarias publicas.
Nao se demora a Commissao em justificar
4 necessidade do ser mantido sern discre-
pancia o programma, que offerece para os
estudos, e a distribuido, que d as materias,
que compem o projoctado curso regular do
Gymnasio, poisesse programma e distribu-
gAo sio a pratica, a 3xecugo do systema,
que a Com jiisso offerece, e que j se acha
por ella justificado.
Nem tambem se demora a Commissao era
mostrar as vantagens, que resultara dos estu-
dos das sciencias matbinaticas, physicas e
naturaes, porque, se sio indispensaveis para
as carreiras commerces, in iustriaes e agr-
colas, constituem a base de toda a boa e
ul instruegio e sao p'.ecisas para se estar
ao alcance e acompanbar o desenvolvimento
da cirilisagiomoderna.'
A manoira porgue a Commissao distribue rara imitadas pelos Romanos, mais nunca
e estabeleco o ensino da Historia e da Geo- igualadas, nena exeedidas.
graphia est de'accordo com o pensamiento Atsiin, a querer estudar a aotiguidade
geral, que presidio organisago e distri- para conbece-la, para pedlr-lbj modellos,
buigao do ensino -os que se destinam as para avivar e desenvolver o gosto, estode-se
carreiras industriaos, commerciaes e agrico- de preferencia a Grecia, por si raosma, por
las devem conhecer bom a Historia e a Geo- sua poesa, nica no mundo, por suas ideas,
graphia rao lernas, a^orographia e Historia por suas arlesabi.flU a belleza an'ga em
patrias; eo estudo das Historias antiga e.ro- toda a sua pureza; mocilade das Hades
mana s til aos quo se destinam a profis- antigs em tola a sua frescura,
soes liboraes, alm do quo 1er estas historias, Por oulro lado a ethymologa do grande
quando se estudan os classicos gregos e numero do palavras das linguas patria e l-
tannos mais proprio, ha urna conuexio na- tina, especialmente as scieotificas, vem do
tural, que, facilitando o conhecimentodo que Grego, e. portanlo, 'anda por esta circums-
dize a os classicos, faz,com que estosporseu tancia til, necessario oseu estudo.
turno conlribuam para o conhecimento mais A Commissao niose demora em demons-
corapleto e profundo da historia dos velhos trar as vantagens do estudo das Linguas vi-
temp-is. vas, pois a sua utilidade o importancia sAo
h A Commissao, guiada pelo exemplo da intuitivas, e espora que, adoptados a tal
Allemanha, e pelasjustas e profundas consi- respoito os raetholos de Robertson e .Vhn,
deracdjs, quo Cousin, um dos mais distiuc- possam os estudantes conseguir condece las
tos pensadores era materia de instruegao pu- tanto quanto seja preciso para 1er bom os
blica aprsenla, d ao ensino religioso urna livros nos proprios idiomas estrangeiros e
exteusao nova, mas convenionte ; e espera entendel-os e fallal-os a proposito do quo
quo no futuro cora esse ensiuo e preparo haja fdr mais commutn as relagdes sociaes.
mais consciencia na religiao o mais sentiraen- A Commissao julga tambem dispensavel
to religioso que o que infelizmente temos justificar a parle que d ao estudo da Musi-
cntre nos. ca vocal, a exU-nsio que consigua ao Dse
0 culto, diz Cousin, s cora suas ceri- nho, fazendo ensinar o Desenlio linear, de
monias nao tole bastar a mogos, que re- oriiameutago, acadmico e industrial, e
a floctem e que estAo possui los do espirito bem a importancia, que liga ao ensino da
do soculo. Ura verladeiro ensino religio- Gymnastica, desojando que este ensino abran
- so indispensavel ; e na la se prstame- ja a Gymnastica pedaggica (jogos), a hy-
lhora um ensino mais regular, mais rico, gienica, a muscular (defensiva) o a esthe-
mais variado, quo o Christianisrao com a tica, pois V. Exc. comprebende bem as van
sua historia, que remonta ao borgo do tagen.squo resultara de taes estudos, tanta-
inundo o so liga a to los os grandes acn- gens lao bem reconbecidas e demonstradas
tecitnentos da humanidado, com seus dog- por V. de Laprade e Dupanloup, as oxcel-
mas, que respiran) urna melaphysica subli- lenes obras, que escreveram a proposito da
me, com sua moral, quo rene tolas as educagao.
qualidades austeridade e indulgencia, Quanto ao programma de estudos, a par-
emfim com seus grandes monumentos des- te mais essencial o importante da reforma,
k de o Gnesis at boje. o que enteude dizer a CommissAo.
Christianismu sem ensino reduz-sea Pela organisago dos estudos, prepasla pe
um espectculo inintelligivel, fatiga e hu- 1 Commissao, ter o Gymnasio um curso
mi I ha espiritos, que loria elevado e encan- de instruegao primaria, e um curso regular,
tado. ou ordinario, que habilita cora os estudos
0 Laura, como preparatorio exigido para dos primeiros annos para as carreiras com-
as nossas Faculdadesde Direito e de Medici-tmorciaes, industriaos e agrcolas, e com o
na, nao ma'eria, cujo estudo pudesse ser curso completo para as profissoes liberaes;
dispensado no curso do Gymnasio; e, assiui, so, porm, houverem paes, o que ser de
sem que se d a este estudo, nj programma,' lastimar, que prefiram quo seis filhos fa-
offerecido pela Commissao, um lempo ox-' gara smente o estudo dos preparatorios,
traordinario, esta materia ser estudada pa-exigidos para a entr&da as facullades do
los que sejdestinarem a profissoes liberaes e (Direito e Melicina, especialmente para
que, portento, della precisara, mas estuda- aquella, era vez de ura curso regular e
da em tempo proprio e convenientemente : completo de instruegao secundaria, o quo
o Catiro nodeve ser o centro nico da edu- preciso especialmente para as mesmas profis-
cagao, mormonte urna educagAo, que devolses liberaes, nenhum inconveniente acha a
formar mogos para vocages to differentes, Commissao era que se permita, como prop.;
e diversas, que devo torna-Ios capazos de o Dr. Campos, matriculas especiaos as au-
conhecer nossa vida moderna, to ricae va-
riada. A educagAo classica nao mais do
nossotempo, diz Clavel; a nossa civilisagoo
muito maior, mais activa e livre que a dos
las, quo quizerem seguir, fazenlo assim, taes
discpulos cursos voluntarios; convnlo, po-
rm, exigir, como o exigera osactuaes esta-
tutos o reclama o Dr. Campos, que nao
Romanos e Gregos, e, portan to, basta ella.se consinta que os estudantes de cursos vo-
para cultivar a intelligencia, o coragAo e a Imtanos estudem as materias preparatorias
razao dos mogos.
sem ordem, e que se faga, ao contrario, esse
Y' corto que o Latim urna lingua muito estudo com a gradago. que por natureza
bella, lingua mAi, cujo systema grammati- Ideveser observada, e se acha estabelecida
cal puro, completo, synthetico, e muito nos estatutos e no projecto a que se refere a
superior as linguas analyticas modernas ;
mas ha linguas modernas, que renem essas
condigoes o que sAo raas accossiveis in-
fancia que as bellezas masculas e severas
do Latim ; o, hojo, todas as linguas tendera
a se tornar analyticas, o que de vantagein
para a linguagem, mais proprio ao estudo
e ao desenvolvimento da intelligencia.
Assim os methodos, hoje seguidos, quer
nos Gymnasios allemes, quer as Latin
hiyk scheools americanas e quo so pretende
Commissao.
No s o methodo, era to pouco a
boa organisago dos estudos, que do ao
ensino e sua diffuso os elementos, pre-
cisos-ura terceiro elemento, to impor-
tante e indispensavel, como aquellos, de-
ve tambem sor escrupul smente attendi-
do e verificado : o boro professorado.
Para que haja bons professores, V. Exc.
sabe, duas condigoes sao essenciaes-apti-
sojam introduzidos nos Lyceus francezes,do real e completa no mestre, e recompen-
so sullicientcs para que se conhega o La-isa justa ao seu trabalho e importaucia de
lim, a lingua da Religiao, da Sciencia o,sua inissao, sendo que a paga provoca a
do Direito, sem que todava se considere
dindo tambem a divisAo, que faz o raesmo
projecto, dos repetidores era secges, segun-
do a natureza e classe tas materias, e quando
exige que o concurso para repetidores seja
para cada secgo, e, portento, em todas as
materias, que cada urna secgo abranger:
e, pois, pensa a Commissao que se consegui-
r Dona Professorad para o Gymnasio, urna
voz estabelecilos o concurso para repetido-
res, cujo concurso devo ser em lo las as ma-
terias, deque se compuzor.a secgo, em que
quo faltar repetidor, o o concurso para pro-
fessor, concurso especial na materia da ca-
deira vaga, em cujo concurso devero to-
mar parte, nao s os quo se nostrarem ha-
bilitados na disciplina da eadoira vaga, come
os repetidores, que lovaro a vantagein do
conhecimento especial de todas as materias
da secgo, ora que bou ver a cadora vaga,
o a pratca que tivorem obti lo, como re-
petidor.
AcomraissAo nAo concorda, porm, com
o Dr. Campos, quando permiti que as pri-
moiras nomoages sejam fotas sem concurso,
e espora que sempro o concurso seja o meio
ile verificar a aptido e de determinar a no-
me>t;o.
essa lingua a melhor gy nnaslica intellec-
tual, po:s, esto resultado se obten), alm do
outras vantagens, com o estudo das Linguas
vivas.
Se queremos fazer coxprehender aos me-
nios, diz Clavel, o que se chama a lgica
da linguagem, dirijamo-nos as linguas,
quo sao mais ao seu alcance, que Ihe of-
forecem maior numero /le factos inte'U-
giveis o familiares.
O Latim, reduzido aos ltimos annos
de uslrucgAo ah entao representar o pa-
pol, que lhe pertencoo de um estndo
sabio ; seu ensino repousar sobre a ba-
se, sem a qual nao ha solidez alguma
urna sciencia philologica, fundada sobre
o conhecimento serio da lingua materna ;
o ensino da Historia eLitteratura latinas
e das Litteraturas modernas: fortna-se-
ha, ento, o quo deve ser um ensino sa-
bio, dirigiudo-se a horneas intelligentes,
capazes de julgar, comparar, e possuindo
j materiaes de compiragao muito ricos o
poderosos.
Haver duas vantagens ser mais fa-
cil, attractivo o estudo, e repugnancia
quo in pira actualmente este estudo, suc-
ceder o interesse, que na?ce de todo o
estudo feito com intelligencia.
Assim a Commissao d ao estudo do La-
tim um lugar relativo, sera tornar este ensi-
no menos serio e profundo ; eerta do que,
comegando o estudo do Latim uo tempo, em
aptido. pois, desde que a funcgAo fdr justa-
mente remunerada, os talentos a ella se de-
dcaro.
A Commissao confia era que V. Exc.
enrgicamente providenciar de maneira
que a reforma projectada comece pela do
pessoal, e que o Gymnasio fique dotado de
I bons professores, j sendo destituidos do
cargo os que nao ostive:em no caso e nAo
tiverem adquirido direito vitaliciedade, j
sendo aposentados os que estiverera cora di-
rcitos adquiridos vitaliciedade, mas que
nao raerecerera continuar a ser professor,
j sendo (rehenchidas as vagas com escr-
pulo, zelo e justiga.
Quanto ao modo de preenchiraento das
vagas a Commissao dir alguraas pala-
vras.
Como V. Exc. sabe, o melhor meio e sys-
tema empregades para so obter o Professo-
rado para a Instruegao secundaria sAo os que
se observam na Franga.
Ha neste paz urna Escola Normal central,
quo prepara professores para a Instruegao
secundaria, na qual s se admittido de
pois de um concurso, cuja condigo previa
o Bacbarelato em Lettras, isto a prova
publica de que se possue a Instruegao se-
cundaria completa. Urna vez admittido na
Escola Normal, depois de urna prova difU-
cil, o candidato ah acha urna organisago
poderosa, que, se dirigindo primeramente
a todas as suas faculdades para as experi-
mentar e reconhecer, lhe imprime depois,
quando sua verdadeira vocago tem sido
quo propoe, estabeleco nos primeiros annos confirmada, urna cultura especial, scieutifi-
uma cultura mais conveniente, mais a proxi-1 ca e luterana, histrica e pnilosopbica.
mada das faculdades, dos gostos e das ne- Para ser professor substituto nos Lyceus o
cessidades da infancia, e facilita o estudo candidato passa ainda por ura concurso, no
dessa disciplina, porque, enlo, podera lhe qual tomara parte, nao s os mesmos dis
ser tpplicados methodos raccionaes e intel- cipulos da Escola Normal, cerno os titulares
ligentes, para o que estara preparados os es- era Lettras e Sciencias,, que o quizerem
tudantes. esse concurso de substituigo, diz um dis
Se, a Commissao disse (e urna verdade) tincto escriplor. quam anima a Escola Mor-
que nao se pode bem conhecer a Lingua Por- mal e recrula Para professorado da Ins-
tuguera sera a Latina, nao so pode bera co- trucao secundaria os bons talentos, que es-
nhocer esta sera a Grega, alm de que esta caParam a ^^ escola,
lingua per si muito se recomraenda e se Tanto absurdo, diz Cousin, o concurso
avantaja Latina. entre bomens, que devem ter feito suas pro-
0 Grego tuna lingua ebeia de seiva, vas, tanto proprio entre os mogoso con-
movimento e graga ; e, se se assgna ao es-curso entre estes nao repelle seno a rne-
tudo da antiguidade ura fira antes de tudo' diocridade intrigante, e entre aquellos re-
litteraro, ou em sen'ido mais geral esthe- pello o talento, j celebre, que nao quer
tico, os Gregos podera para isso melhor ser- comprometter em um dia urna reputagao
vir que os Romanos, os Gregos, diz um adquirida com grandes trabaihos.
distincto escriptor. tem ura espirito scienti- Na Prussia nao se emprega o mesroo meio
fico e philosophico que nao tem os Roma- que na Frange, o Professorado ahi obtido
nos, e a elevago do espirito grego se acha por meio de exames adroiravelraente gradua-
em toda as relages da vida ; o patriotismo, dos e pela bella instituigo dos jovens can-
grego era geral menos estrello, menos ex- didatos ao magisterio, que durante uro anuo
elusivo que o romano, e a poltica grega, trabalham, como adjuntos, nos Gymnasios,
menos prudente, menos hbil e perseverante antes desere.n nomeados professores.
que a romana, nao cortamente mais egois- Ora, a Commissao Dio pode deixar de
ta e mais deshumana; emfim, anda que a adoptar a respeito do meio de obter o Pro-
vida entre os gregos seja manchada de vi- fessorado e systema Francez, nao to cora-
cios, o seu espectculo mais instructivo, pleto por nos faltar urna Escola or
mais moral, raais capaz de desenvolver no- mal secundaria, mas no que diz respei-
bres sentiraentos que o espectculo dos eos- to ao concurso, que espera seja empre-
tumese sen timen tos romanos; a poesa gre- gado, quor para a obtengo dea repelido-
ga. sendo mais espontanea, inaia popular, res, quer para a dos professores.
mais abundante e variada, c era lodosos ge- Assim acha a Coraiuisso acceitavel o que
eros se acha representada por obras pri- propoe Dr. Campos no seu projecto, Cap.
mas, que apenas no seu maior esforgo fo- 2.9, que trata do pessoal do eosioo, applau-
Quauto aos vouciinenlos dos professores e
repetidores, peusa D coraoiissao que o Dr.
Campos propoe pouco, o assim de opino
que essa piopostasoja elevada a :100jPJ0L),
sendo hOOjJu do ordenado ixo e...:....
8009000 tle gralificagao nao ha despeza
mais productiva que a quo se faz com a
Instruegao Publica.
A Commissao, certo, poderia lembrar o
que se pratca na Allemanha e se praticou
era Franga al inda ha bera pouco tempo de
se comporeni os vencimeutos dos professo-
res de urna parte fu e outra eventual; mas
os inconvenientes, que este modo to remu-
norago offerece, sao de tal ordem que na
Franga pe o Dec. de 30 de setembro do 1872
foi exliuct*-, acabanlo-se cora o eventual,
proveniente dos estudantes o sendo elevados
os vencimeutos lixos dos professores. Com
effoito o systema do venciraento eventual
offerece iustabilidads, enibaragos, difficul-
dados, prejuizos a injustigas-basta para ani-
mar o professur o sontimeuto do seu do-
ver.
A Coo):nisso lembra que na Prussia e ora
tola a Allemanha urna longa experiencia tora
produzido e sustenta a mxima de nAo se
escolher para Director de ura Gymnasio quena
nao tenha si lo por mais ou menos tempo
professor, nAo se comprehon leudo ahi e cora
razo que seja Director de uraa Escola
quera nao tenha fito suas provas de capa-
cidade, levando se este esorupulo a tal ponto
que todo o 'rector de Gymnasio e professor
de um dos cursos mais importantes do esta-
belecimenlo ; e, assim, propoe a Commissao
a espera que o raesmo se faga no Gymna-
sio, havendo todo o cui lado e escrpulo na
escolha, eque cargo de tanta responsabili lade
e importaucia fique a abrigo das conve-
niencias e suggestes da poltica.
A CommissAo acha que o projecto do re-
gulamento, offerecido pelo Dr. Campos,
as outras partes, em qlie nAo propoe seja
modificado, est no caso de ser acceito, j
pola clareza, methodo e minuciosidade cora
que dispdu uo que concernente a parte ad-
ministrativa e econmica do estabelecimento,
j porque d a tos respeitos urna organisa-
go muito conveniente.
A Commissao, Exm. Sr., nAo tem a velei-
da le de suppor que a protongao, ha longos
anuos alimentada, de que possa ser conce-
dida ao Gyraasio Pernambucano a faculdade
de conferir diplomas de Bacharol em Lettras
com os privilegios, que este titulo d, possa
ser conseguida, inda mesmo que o Gymna-
sio pela organisago agora proposta se avan-
taje no estudo das Lettras e Sciencias ao
curso do Imperial Collegiode Pedro II, pois,
alem do Gymnasio ser ura cstabelecimento
provincial e o Poder geral ser c'oso do que
seu, accrosce quo o Goyerno geral preten-
de crear urna Universidade, na qual haver
ura curso de Lettras, ao qual se destina o
titulo de Bacharol, e, a fallar franco, a Com-
missao nAo sent pezar com que essa preten-
gAo nao seja tjbtida, ao contrario, deseja que
o Gymnasio possa ministrar instruegao suffi-
ciente, preparar devidamente os que ahi fi-
zerem seus estudos, para que possam passar
por exaraes, era qualquer parto, mostrando
aproveitamento.
O previlego em materia de sciencia pres-
ta-se a maioros abusos, produz males reaos
emaiores que na ordem econmica, e, em
vez de ttulos previiegiados, procure-se dif-
fundir urna instruegao verdadeira, sera o
profunda.
YABiEDADE
A Commissao pondera finalmente que o
numero das caderas do Gymnasio nao rece-
be augmento, apenas as materias ficam com
majs extenso e desenvolvimento com a re-
forma, deque se trata, segundo o, que pro-
posto pela Commissao ; e que, havendo ura
professor adjunto ao Gymnasio, professor de
Economa Poltica no extiucto Curso Com-
mercial, devora este professor ler no Gymna-
sio na mesma cadeira, a cargo da qual Pica-
r tambera o ensino da Agronoma e Tech-
nologia : assim nao ha augmento de pessoal,
e a reforraa proposta pode se operar sem
exceder os lmites da le, que a autori-
sou.
Quanto, porm, aos vencimentos, para o
que a lei, que autorisou a reforma, nao per-
miti augmento, salvo com a importancia
dos vencimentos de professores das cadeiras
que fossem extinctas, desde que todas sAo
conservadas, conforme propoe a CommissAo,
indispensavel que tal augmento seja autori-
sado, ou approvado por lei; e, assim, a Com-
missao espera que a reforma se faga, ficando
na parte do augmento dependente da appro-
vago da Assembla Provincial.
A Commissao pede desculpa a V. Exc, da
imperfego desto trabalho, que apenas revel-
la aboaintengo e vontade por parte da
Commissao de que a reforma projectada seja
i mais vantajosa ao ensino e apropriada aos
flns diversos a que se destina a Instruegao
secundaria.
A S. Exc. oSr, Dr. H.T.deLuccna, Dig-
nissimo Presidente da Provincia.
Dr. Jos Joaquim Tavwes telfort.
Alvaro Ucha Cavaicfnti.
Eztquiel Franco de Sd.
i y res "Albuquerque Gama.
(Continuar-se-ha).
. CABO TELEGRAPHICO SUBVINO.
Concluslo,
..
Merecis-l'o. Agora, pennitti que
traiuza os meus sentiraentos e o dos meus
compatriotas no toast respeitoso, mas enthu-
siastico quo levanto ao primeiro d'entre os
vossos cont dadAos, aquello que ha pouco a
Europa admirada proclaraou modelo de rei
cidado, a S. M. I. o Sr. IX, Pedro II 1
E os convivas levantaram-se da mesa,
oram 3 !J,4 horas, ao som do bymno nacio-
nal e quando a equipagem do Hooper, que
attendera a este toast acclamava cora en-
tusisticos hurrahs a S. M. o Imperatktr.
A's 6 horas, fcitos os ltimos curapri-
inentos, retirara n-se para borde os miem-
bros da expedico Hooper e o commandan-
te e offeialilade deste grande vapor. O
Mandos desatracou entao do costado do
Hooper e singrou para o seu ancoradouro,
victoriado pela guarnigo do vapor inglez,
que formara na borda do vapor e com os
mais expansivos jbilos saudava as pessoas
que iam no paquete brasileiro.
J a noito havia coraogado a deslobrar
seu manto tle trovas sobre a nossa formosa
Belur. A cidade comegava a adornar-se
cora as raais caprichosas illuminagoos, quo
rollecliam phantasticamonte no ro, sulcado
era diversos sentidos por pequeos vapores,
lauchas e escaleras illuminados. Illumi-
narara-se tambera alguns dos navios surtos
no porto. A noite era urna dessas esplen-
didas noites do Equador, tle clima sera
nuvens e de co estrellado de que fllou
Byron. De ospago a ospago fendiam os ares
baslas girndolas de foguetes. No entanto
ia-se illutninando a cidade : s 7 horas era
rara a casa quo nao estvesse mais ou menos
illurainada ; estavani-n'o todos os edificios
pblicos. Com as dotonaces dos foguetes,
acclamages festivas da mullido e repiques
dos sinos tle to los os carapanarios casavam-
se as harmonias das bandas de msica que
percorriam s ras, onde at muito tarde
conservou-se grande frequencia de povo,
sem que haja desordena alguma a lamentar.
Assim festejou o Para a chegada s suas
aguas do cabo submarino que ha de ligar-
nos atravz do tempo e do ospago com o
resto do Brasil e to mundo. As festas fo-
ram solemnes e traduziram eloquentomonte
o ardor com que alimentamos nossas aspi-
rages para a conquista de todos os pro-
gressos, como a iniciago previa nos naya-
tartos da f de que Daos fadou ao hornera
uraa perfectihilidade indefinida e continua.
/' Diario do Gram-Par ).
0 CIUME.L'ra hornera muito ciuraento
e naturalmente carrancudo desposou urna
menina muito formosa c de ndole amavel
para todos. O marido costumava sahir o
mais tarde que lhe era possivel para o seu
emprego, voltando serapre o mais cedo para
jantar. Atormentado polo tyranno que cada
vez mais o tornara taciturno e desconfiado,
nao arredava p le casa sem ter poslo tudo
em ordem, para que qualquer signal o
podesso prevenir.
Voltando um dia para jantar, e tendo en-
trado no quarto tle dormir, reparou sobre o
leito, entre a coberta e o travessero, lima
lo va de hornera.
Cora a cabega afogueada, mas procurando
a cueto dominar-se, mellen na algboira o
ubjecto adiado e velo ter cora a esposa
sala de jantar.
Como passaste hoje? perguntou-Iho
affectando a maior calma.
Bera; apenas uve uraa ligeira verti-
getn que obrigou-me a estar deitada una
cinco minutos.
Ah cinco minutos... turnou o ciu-
raento fazendo-so mais paludo o mordendo o
labio; e nao veio aqu muguen)... procu-
rar-ine *
Nao, pessoa alguma.
Poseram-se ; mesa: o marido eslava tle
mettertnedo; a joven, porm, acosturaada
a vel-o serapre carrancudo, coma com o
melhor appetite.
convencondo-se que -
havia de real as paula
as suspeitas s
ue levara.
H*
GRANDEZA DOS I'STADOS UNIDOS. -
O valle maior do mundo o de Missisipe
(Estados-Unidos) que mede 5,000 milbas
tiuadradas, urna 4 do globo.'
O passeio maior do mundo e* o de Feli-
raoun-Par, de Philadelpba ( Estados-Uni-
dos; que tem 2,900 ares.
O mercado do trigo o de Chicago (Esta-
dos- Unidos).
O laxo maior tf o Laki luperior (Estados-
Unidos, que. tem WO de largo, e urna
profundidad^ do 1,000 ps.
O caminho de torro maior o do Paci-
fico, cuja longitude de 30,000 milhas.
A ponte maior a do Ceder Crek na Vir-
ginia (Estados-Unidas;) tem urna altura de
250 ps, cima do nivel do mar, e urna
largura de 80.
A massa maior de ferro que existe no
mundo o monte deste metal no Missouri
(Estados Unidos); tem urna altura de 350
ps, e urna circumferencia de 2 milhas.
0 aqueducto maior o de Crotn, em
Nova-York (Estados-Unidos) tora 40 milhas
de longilude, e custou 12,000 contos de
lis.
As cataractas mais notaveis, e que melhor
mauifestam o poder de Deus, sao as do
.Nigara (Estados-Unidos), s suaes tanto
poetas mimosos dedicaram as suas nspira-
ges, e onde tantos pintores se desengaa-
ran), por quorerem represenlal-a na tela.
O jardn) raais bello, o parque raais per-
feito, o Central Park de Nova-York.
Como so v da precedente resenha a
America tem a supremaca era a maior
parte das obras de arte da iiilelligoncia
humana.
O COMMEKCIO DA FRANCA. A ad-
rainistrago das alfandegas acaba de publi-
car os documentos eslatisticos do commercio
ta Franga, durante os seis primeiros mezes
do crrante, anuo:
O lotal geral do valor das mercaduras
importadas foi do 1,560,890:000 contra..
1,078,732:000 francos dos primeros sois
mezes do 1872.
A ioiportagao de ouru, prata e cobre foi
de 229.978:000 francos contra 211,189:000
durante o semestre de 872.
O total geral do valor das mercaduras
exportadas, durante o primeiro s-mestre do
correte auno foi de 1,952,595:000 contra
1,727,599:000 francos durante igual perio-
do do auno passado.
O total geral das receitas effecluadas p. I.-.-.
alfandegas d durante este semestre......
112,840:000 francos contra 78,648:000.
O total geral effectuado pela cobranga
das contribuiges indirectas d 403,790:000
francos contra 325,672:000 francos do
semestre do auno pasado.
O total geral das recepgoes d.......
516,630:000 francos cintra 404.320:000
francos do primeiro semestre de 1872.
A deduzir as despezas cora premios ou
drawbacks, 93:000 francos, resta livre para
o thesouro 516,537:000 francos contra...
404,36:00, recebidos nos primeiros seis
mezes do anno passado.
U ciuraento rurainava um plano de vin-
ganga eslrondosa : lancera mo da corda ?
O veneno parecia-lhe pouco. >io seria mais
proprio do delicio o uzo do punhai? Mas,
era to ciumentoquanlo amante, e depois de
muito escolher uraaving;n<;a, bradou para
a criada.
V procurar por ahi quuin perdeu
urna luva de hornera, que eu restiturei com
una gratilicagao.
A moga pareci3 nada comprenhender de
quanto ouvia, Mas todas as comadres do
quartero foraaiatn por assumpto o caso da
luva procurada.
A noite voltou o ciuraento; sentou-se
mesa da cela, e emquauto sua raulber
comia dos melhores pratos, elle bebia, pro-
curando pela primeira vez distracgAo na
embriaguez.
Vem a criada dizer-lhe que um rapaz bo-
nito e bem apessoado procura-o para fallar-
Ihe sobre a luva.
Elle corre para a porta como um raio.
O sujeito, depois de umitas mesuras, diz
que vera receber a luva que perder e a
quantia promettida.
O ciumento lamentou nao ter outra arma
alm da garrafa que com a pressa esquecra
de deixar na mesa ; alira cora ella cabega
do visitante, que evita a pancada e desanda-
Ihe com a bengala que trazia pancadas
reiteradas.
Atracam-se os sujeitos; o marido vem
trazendoseu adversario para dentro de casa,
afira de poder langar mo de urna faca; a
raulber acode soltando lament.sos gritos;
va a mesa ao chao ; a vela apaga-so; redo-
bram as pancadas na escurido; corre o
sanguo ; rolara no so o os combatentes
serapre atracados um ao oulro; cliega a
polica, separa e prende os campees, e
suhraette-os a um interrogatorio. Debalde
protesta a mulher sua innocencia; debalde
protesta o visinho que entrara pela primeira
vez nesta casa para reclamar uraa luva que
perder, e isto mesmo por lhe ter constado
quequem achara eslava nAo sei porque ca-
pricho decidido a beneficiar o seu dono : o
marido persista era acreditar que fra
atraigoado.
No outro dia pela manb foi que desco-
brio-se tudo : una pega da vsinhanga
roubra a luva fatal e viera depol-a sobre o
leito do mando ciumento ; constatou-se o
facto vendo se a ave maligna entrar pela
janella e ir depor no mesmo lugar da ves-
pera um lengo que trazia no bico.
O marido vio o prfido animal, e sentid
lineaos dplorosa a (erida que tinha na cabega
A' RESPEITO DE OFFEMBACILEn-
contramos em urna folha franceza a seguid-
le engragada ancdota, provavelmente in-
ventada na redticcb da mesma folha :
Ha di.is Olfembach recebeu na sua
propiiedade de Etrat urna boa, alegre u
numerosa compauhia, que" elle coiividra
para a primeira audigo do Pomo de Api,
a nova opereta qua devo servir le pega de
abertura ao tlieatro da Ibniascenca. Osuc-
cesso, como era de esperar, nao foi o mais
lisongeiro possivel.
Terminada a au ligio, cada um dos
convidados tratava j do retirar se, quan-
do de repente chega un chefo da estago do
caminho de ferro, esbafordo, e com a voz
tremente tle emogo. Man lara n sentar o
honrado funeciouario o o maestro aproxi-
mou-se tlelle.
Quera aqu o Sr. Offembach?
perguntou o erapregado do caminho de
trros.
Eu proprio-respoudeu o amphi-
trio.
Ah, senhor, necessario que me
salvo a vida. Eu levava o shah da Persia
em um trera cuja machina so desarranjou.
Como Sua Magestade vai a Pars para ouvtr
o Guilherme Tell, preciso, d por onde
der, que elle o ouga aqui, do contrario
manda-me cortar a cabega.
Estupefacgo geral. Olham-o todos
admirado.
Offembach guarda urna seriedade ira-
perturbavel, volta-se para o auditorio e per-
guntase, para salvar a vida do infeliz chele
da yare algn tos convidados podoriara
cantar a referida opera. Depois de mo-
mentos de heMtago, alguns individuos
compromettein-so a aeoitar os papis que
lhe sao distribuidos, cabendo a Offembacli
os de Matuilde, Gemmy eHedwig.' A oi-
chestra era representada por um dos convi-
dados por noine Anthiaume.
Feita a distribuigo phantastica, o Gui-
lierme Tell foi cantado, imagine se no
meio de que estrondosas gargalhadas.
Quanto ao shah da Persia era representa-
do por Mario Uchard, adrairavelmente dis-
fargado, apoiando-se no hombro do seu
grau-vizir o Sr. Comi,
Esta divertida brincadeira pro'ongou a
festa at s sete horas da manb.
A REPBLICA EM FRASCA. Luiz
Blanc dirigi ha pouco ao Rappel a seguid-
le carta:
a Perguntaram-me se eu creio a rep-
blica era perigo.
Eis a rainba resposta :
Nao s a repblica nao est em perigo,
mas tambem, segundo a rainba opinio, a
sua forga intrnseca jamis esteve firmada
de ura modo mais singular e mais signifi-
cativo.
FALTA DE M0EDA.-O banco de Italia,
foi ltimamente aulonsado, por meio de um
decreto, a eroittir seis milhes era pequeas
notas de um franco, em consequencia de
faltar no paiz nao s o ouro, mas tambem o
dinbeiro miudo.
*
S
I

\

Js
-
TYP. DO DIARIO -KL'A DUQUE DE CAXJAS



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E5VLLKWEQ_IK1NGO INGEST_TIME 2013-09-19T21:20:04Z PACKAGE AA00011611_13037
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES