Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13015


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AiXIVeXLlW MUERO 190 W
J
PIBA A CAPITAL K LI GAREg \1E SA9 SI PASA P01TB.
Por tres metes adiaaUdo-................ #000
Por seis ditos ideu).................. 119000
Por um anno dem........_.....*....* S JH)00
Cada numero syuIso................. 934

QUARfA FEIRA 20 DE AGOSTO DE 1873
PABA B>E\TBO B FBA DA PBU VIH CA.
Por tres mesas adan tados.
Por seis ditos dem. .
Por nove ditos dem
Por um sano dem.

. .
t

SOBtit
17900*
DE PERMITO.
'PROPRIEDADE 0E MANOEL FICEIROA DE FARIA & FILH0S.
~-p_tm.-___P ____m-r_BL__-.-_M m. miA^m
Os Sr. Gerardo Antonio Al ves d Filiios,no Para; Gon^lves d Pinto, no Maranhio; Joaquim Jos de Oveira d Filhu, no Cear; Antonio de Leiuu. Braga, no Aracaty ; Jlo aria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Suva, no Natal; Jos Justia
Pereira d'Almoida, em Alamanguane ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belannino dos Santos Bulco, era Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, emNatareth}
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joo Antonio Maehaeo, no Pilar das Alagdas; Alvos d C, na Babia; e Leite, Cerquinho d C. no Rio.de Janeiro.
a-* i-------------------------------------------------------1_______________ .______________________________'' _______________............_______________________________________________________________________
PARTE OFFICIAL
Citverno da provincia.
F.-PEDI-.NT- DO DA t DE JITJH0 DE 1873.
1' secro.
Oi-tiioa:
Ao brigadeiro commandaiito das armas.
Sirva-seV.Exc.de mandar por em liberdade o
reeruta, Bento Francisco Ferreira ou dos Santo.-.
que provuu iseneio legal
Au malino. Mande "''. Exc. por cu l'uerda-
de o re-ruta. Pedro Lino Yjira Bispi, viste ler
.provad iseneio legal.
Ao capilao du p >rto.=Mandc V. S. por cm
liberdade os reclutas, Amancio Oreado Valen;a,
MigtH Banrra lery de Arroda Cmara Travasso
e Jos Correia da Silva Pitles, visto serem iaeapa-
zospara o servir da annaila, segundo declara
V. S. em sen i>IIIi-<> de du crrenle, sob u
m.
_ Ao engenhoiro das obras militares Antoriso
Vmc. a mandar taior pela quautia de :J0.8.>,
svgnndo u nrcaiueiiio aniiexo ao sen ofli'.'io de i
do e jrrenle, os conferios precisos na caberla da
ea.a de msica do <|Uaitel da Soledades
_.* seccilo.
Olttcios :
A Dr. chele de polica. Constando da in-
formacao d juiz de (Invito da cimarra de Cim-
bres, a qu.il acompanliou o offlcio de V. S. de 2
do crreme, que a aectizaeao fcita peio jornal
Provincia, de I de abril ultimo, ao'suttdelegado
ds districto de Ollio d'Agiva dos Uredos, em par-
le procedente, visto como assegura i|iie os ermi-
liosos indicados pulo d.to jornal sao protegidos
por um irmao do meerao subdelegado, que por
uto os tem ileixado Ij perseguir, convem que V.
S. proponba medid a que julgar conveniente, por
quanto aquella auto.idade nao deve continuar a
esarcer o cargo, de que se aelia revestido.
Ao cominandante superior do Recife.Cons-
tando de offlcio do Dr. c ee de itelicia, de 3 do
correte n. I0.'I9, que o guarda nacional Ju ven tino
Jos da Costa ja foi posto em liberdade, com't so-
licita V. S. em offlcio de ti de maio ultimo sob
u. 619, assim lli'o coiwnaaieo para os lius conve-
Miiente?.
Ao juiz maaicipal do termo de Flores. Cons-
lindo flo oflleio do Dr. chele de polica, de do
Crrenle sob n. 1031, que Genuino Careta, prezo
em flagrante (tela subdelegado do 1 dislrislo d'es-
se lenno, por ler ferido om lacadas a Joaquim do
tal, estando recolbido respectiva eadeia por mais
de um niez. nao foi processadu, nao obstante a
proraoturia publica dar immedialamenie a compe-
tente denuncia, e finalmente, que raquerendo ha-
eas-corpus, foi posto em liberdade', recouimeii-
de a Vmc. que, com urgencia, informe a esta pre-
sidencia sobre ta*s oecurreneias.
Ao promotor publico da comarca do Recie.
-^Achando-se detento, ha 9 metes, por crime de
fuga de prezos, o soldado da I" companhia do cul-
po de polica, Angelo Gtriolaiio da Molta, recora-
mendo a Vmc. que Sen demora trate do seu jul-
gamsata.
Ao promotor publico da comarca de Flores.
RemellenJo-llie incluso por copia o offlcio de
25 de abril ullimo, do subdelegad) de (Milicia do
I* districto de Flores, accerea do procediuiento do
respectivo juiz municipal, por occasio dos feri-
mentos feitos cm Joaquim de tal por Genuino Care-
ta, que, estando preso por mais de um mez, foi
nrocessa lo e aelu-M boje em liberdade, lenbo por
lim exigir que a tal raspete informe com urgen-
cia a esta presidencia.
Ao commandante do corpo de |>olcia. Res-
pondendo o offlcio de fine desta dala, autoriso-o
a eiiimnar do corpo sob o scu comtnando o solda-
do Manuel Antonio de Figueired i, visto achar-se
elle affectad i de um dos pulmoes.
i," secctlu.
Actos:
O piesidcnte da provincia resolve noinear o
paire Francisco Joao de Azevedo, GeminianoJoa-
quim de Miranda e Vicente de Moraes Mello para
s rvirem de examinadores no concurso que deve
ler lugar na thesouraria de fazenda no dia 9 do
corfente, para preenchimento das vagas do pra-
lieantes nella existentes; sendo o em arthmeli-
r.i. o 2* em orihographia e o ultimo em leitura e
g'.ammatica da lingua nacional.
O presidente da provincia resolve nomear o
bacharel Joaquim Pereira Arraes para o lugar de
liseal da collectnria provincial do municipio de
B)m Jardim, creada por |>ortaria destadata, e bem
assim o capillo RogobertoBarb'iza da Silva para o
de colleclor.
O presidente da provincia resolve nomear
Diego Jos da Costa para o lugar de escrivo da
colleetoria do municipio de Bezerros.
O presidente da provincia, resolve exonerar a
seu pedido Telesphoio Marques da Silva do cargo
d': colleclor do municipio do Bonito, e nomear para
subatilot'le Mantel Cavalcante Ferreira Mello.
O presidente da provincia resolve crear no
municipio de Bom Jar Jim urna colleetoria provin-
cial.
Olllcios :
Ao iaspector da thejouraria de fazenda. Em
satiofaeao ao que olieilou V. S. em seu offlcio de
liontem datado sob n 57 serie D, nomeci os pro-
lessores, padre Francisco Joao de Azevedo, Gemi-
ii ano Joaquim de Miranda e Viconte de Moraes
Mello para servirem de examinadores no concur-
so a que se vai proceder nessa thesouraria no dia
9 do correte, para prehenehimento das vagas de
p. ati .'ant-ts nella existentes sendo ; o Io em arithme-
tiM. o 2* em orihographia e o ullimo em loitura e
graintnariea da lingua nacional.O que cummuni-
cv a V. S em res|wsta ao citado offlcio.
= Ao mesmo.Hecommendo a V. S. que, vista
do incluso pret que me foi remetlido pelo Dr. che-
fe de polica rom offlcio de 2 do crreme ob n.
1027, mande pagar ao capito Jos Firmo Pereira
Uo Lago a importancia de I727i das diarias
ab nudas aos 5 recrutas nelle mencionados, os
quaes vieram do lerioo do Ex com destino ao
servico do exercito, sendo que o de nome Vicente
Pereira do Silva foi posio em liberdade por aquel-
la autoridade
Ao mesmo.Tendo desabado com as ultimas
chavas parte da eoberta de um dos compartimen-
tos do quartel da Soledade, que serve de casa da
msica, e sendo de presumir queda demora na exe
c-ico dos neeessanos concertos resulte o desalta-
coento do resto da mesma eoberta, e percam-se
as tellus e caibros aiada em bom estado, resolv
esta Sala autonsar s<>b respoasabildade desta
presidencia a exeruco de lies eoberias, na im-
portancia de 305*000, segundo o orcamento pre-
sentado pelo eagenlieini das obras militares.O
qite ceiinnuico a T. S. para os nns Convenientes.
Ao inspector da thesouraria provincial. -
Em vista da coala e recibos juntos que me re
metteu o Dr. chele de polica com uOkios de 2 do
correte sob n, 1029 1030, mande V. S pagar
ai) subdelegado do disiricio de boberibe a quantia
de 40/000, em que importoo um mez de aluguel
vencido em maio ullimo da casa que tuqu-lle
dislriclo serve de quartel ao respectivo deslaca-
ment, e bem assim a de 26*180, proveniente do
fomeciaenfo d'agua, lux e diversos objectos con-
prados para a mesmo
Aomnsma-A Francisca Antonio de Asis
Guimaries mande V. & pacar, conforme solicitou
o Dr. chefe da polica em oficio de I do crrante
sob n. 1028, auuantia ds 120*000, em que impor-
taram 6 mezes de aluguel daa casas que no termo
de Bezerros servem de cadea e quartel ao respe
ciiro destaca-Mato.
4." seccao.
Actos : .
O presidente da provincia, tendo am vista a
pnmosla do Dr. director geral da instruecao pu-
blica, de 30 de liiaioprximo lindo, sob n. 159, re-
solve nomear o cidadao Caetano Jos Mondes para
oxercer o cargo de delegado Iliterario do dislriclo
da villa da Boa-Vista, por ler tallecido o lente
coronel Joao Jos" Rodrigues Gwll.o, quo oceupava
o referido cargo.
otll.i.s :
Ao Dr. director geral interino da instrueeio
publica.-Tendo nomeado os professores, Viccnlo
de Moraes Mello e Geminiauo Joaquim de Miran
da, para scrviiem de examinadores no concursoja
que se vai proceder na thesouraria de fazenda no
dia 9 di crreme, para preenchimcnlo das vagas
de praticantes nella existentes, sendo aquello em
leitura e granmiatica da lingua nacional, e este em
orihographia; sirva-se V. S. deassim o fazer cons
lar aos referidos professores, alim do que com-
parecam naqnella reparlcfio s d_t horas da ma-
iina do mencionado dia
Igual ao director da faculd.idde de direito a
respailo do prolessor do wllegio das artes, padre
Francisco Joao de A/evcdo, para examinar em
ariliimelica.
5.1 ssefip.
Portaras :
0< Srs. agentes da rmpanla de uavcgai.'au
brasiieia mandem dar transporte para a corle,
com seguiauca, por coula do ministerio da ma-
naba, no vapor que se espera do norte, ao impe-
rial marinheiro, Jos Adriano do Nascimento, que
se achava na companhia de aprondizes desta pro-
vincia aguardaudu o resultado do conselho de
guerra a que responden.
Os Sis. agenles da tompanhia de navegacao
brasiieia uiaudein trausporlar corte por couta
do ministerio da marmita, com destino ao quartel
tieral do corpo de imperiaes marinlieiros, o apren-
diz da eompanhi* deta provincia, Francisco !.
RXPeDtBRTB DO BBCUKTAUIO.
/.* seceo.
Offlcio :
Ao inspector do arsenal de inariuha. S. Exc.
o 5r. presidente da provincia manda declarar a
V. S., em resposta ao scu offlcio de hontem dalado
sob n 633. que lieam expedidas as couvenienies
ordens para ser transportado a corte no primeiro
vau.r que para all seguir o aprendiz uiariaheiro,
Francisco I.*.
Ao mesmo. De orden de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da provincia, declaro a V. S, em resposta
au seu offlcio de 2 do crrante sob n. 629, que
nesla data lica expedida a conveniente ordem aos
agentes da compauhia de uavegaco brasileira
para darem transporte para a crli, com seguran-
ca, ao imperial inrrinlieiro, Jos Adriano do Na-
cimento.
2 seccao.
Olllcios :
- Ao Dr. chefe de polica.0 Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda declarar a V. S. que
expedio nesla dala as convenientes ordeas s tne-
sourarias geral e proviucial no sentido de stitin
pagas todas as despezas, de que tratam os seus
olllcios de 2 deste mez, sub ns. 1027 a 1030.
3." seccao.
Offlcios:
Ao inspector da thesouraria provincial..S.
ifxc. o Sr. presidenlj da proviucia manda decla-
rar a V. S., para seu cunheciinento e fins conve-
nientes, que por portara desla^data resol vea crear
no municipio de Bom Jardim urna colleetoria pro-
vincial, e nomeou para o lugar de fiscal da mesma
collecioria o bacharel Joaquim Pereira Arraes, e
bem assim o capitao Rogoberto barbosa da Silva
para o de eollector.
Ao mesmo.i) Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S., para sou co
nliecmento e devidos lins, que. acaba de exonerar
a seu pedido Telespboro Marques da Sitva do
cargo de colleclor do municipio do Bonito, e no-
mear para subsiitui(-u a Manoel Cavalcant e Fer-
reira Mello, e bem assitn a Diogo Jos da Costa,
escrivo da colleetoria do de Bezerros.
4.' seccao.
Offlcio:
Ao Dr. director geral interino da ustruegao
publica.S. Exc. o Sr. presidente "da prpvjncia
manda communicar a V. S., para seu conliciraen-
to e fins convenientes, que em vista de sua pro-
posta de 30 de maio ultimo, sob n. 159 resolveu
por acto de hoje nomear o cidadao Caetano Jos
Menles, para o cargo de delegado literario do
disiricto da villa da Boa-Vista cujo titulo Ihe re-
mello.
5.* seccao.
Offlcio? :
Ao engenheiro chefe da renarlico das obras
publicas. S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S., para seu conhecimento e
lias convenientes que em 31 de maio ultimo auto,
risou a thesouraria provincial a pagar ao tenente
coronel Jos Soares de Mello Avellinse I impor-
tancia de segunda preslacio que se julga com
direito, na qualidade de conlraclante das obras
da casa destinada a servir de cadeia e sala do
jury no termo de Cabrob.
Ao gerrute da companhia pernambucana. -
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
pode V. S. fazer seguir para os por tos do norte e
sul no dia 11 do corronte s 5 horas da tarde, at
Granja e Aracaj, os vapores dessa companhia,
Pirapama e Gequi, seguudo comtnunica em seu
offlcio de hontem datado.
DESPACHOS DA PHES1DE.NCIA D_ 18 DS AOOSTODK
1873.
Abaixo assignaJos, moradores na povoaco de
Tejucupapo, municipio de Goyanna. Em lempo
opportuno tomare! em con-durara j o que raque
rom os supplicanles.
Bacharel Christiano Xavier Lopes. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Francisco Pinto de Magalhaes. -dem.
Francisco de Paula Albuqaerque Maranhio. -
Informe o Sr. commandante do corpo do polica.
Joaquim Jos da Olinda Tavares.-Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Jus Rufino Barbosa da Silva. -dem.
Jos Ignacio Ovidio.dem.
Bacharel Joaquim Ferreira Chaves.Dirija-se
thesouraria de fazenda.
Padre Jos Procopio Pereira. Passe portara
na forma requerida.
Jos dos Santos Sooza. -Requeira pelos canaes
competentes.
Joaquim Jos da Silveira. Inl'orm; o Sr. Dr.
chefe de polica.
Jos Tavares.Passe portia concedeudo a 1-
cenca pedida.
Mara Augusta de Carvalho. -Informe-o Sr. Dr.
director geral interino da instraccao publica.
Manoel Bernardo de Sant'Anna. Concedo o
prass de 8 das.
Pedro Paulo dos Santos.Informe o Sr. inspec-
tor da thesouraria de fazenda.
Bacharel Pedro Bezsrra Pereira de Araajo Bel-
tro.-Sendo o Qm da lei de ii de seterabro de
1871 que sejam matriculadas os filbos de mulher
eserava, nascidos de sua dala em diante, a circums-
Unca de baver o supplicanle libertado o ventre
de suas escravas por acto espontaneo, e anterior-
mente i promulgacio da mencionada le, nao o isen-
ta de dar matricula os filhos das mesmas escra-
vas, nascidos dessa data em diente : portmlo sera
constar que ao supplicanle tenba sido Impasta al-
guma multa, e sem que tenha interpeslo o com-
petente recurso, uao pode della ser relevado.
Vicente Francisco da Costa. -Nao constando na
thesouraria de fazenda a coosignac,o a que se re-
fere o supplicanle, nao tem lugar o que requer.
Vicente Ferreira da Porciuncula. Dirija-se a
thesouraria do fazenda.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 19 de
zgosto de 1873.
O porteiro,
Silvino A. odriuaes
CaiuiuModo superlar.
(JUARTF.L 00 COHMANDO SUPERIOR INTBHINO DA
GUAItnA NACIONAL DO MUNICIPIO DO RF.CIFE,
16 OE AGOSTO DE 1873.
0,-tlem Jo dia H. 124.
Para conhecimento dos corpos sob tneu interino
commando, fa>.o publico o seguiute :
I." Que o Exm. Sr. coinmeudador presidente da
nrovincia, em data de 28 do mez prximo passa-
do inandou dar gua de passagm para a provin-
cia do Rio Grande do Norte, ao Sr. capitao d ").'
balalhao do sorvico da reserva, Francisco Lu'io
de Castro.
2." Que em o l. do crrante o mesmo Exm. Sr.
nomeou o guirda do Io esquadrao Jos omin-
gues do Carino e Silva, para 2* tenente da 1." com-
panhia do i* batalhaode artilhara, e para o 3' ba-
talhio de reserva os offleacs seguiute- :
1.' couip.1 nliia.
Tenente o alfares Eduardo Can lid o de Oliveira.
i companhia.
Capitao o tenente Joaquim Leocadio Viegas e j
alferes o guarda Luiz Francisco Vieira de Luna.
3.' Que anda em o, mandn dar guia de pasa
gem para o municipio de Goyanna, ao Sr. alferes
da 8.* companhia do 1.* batalhao de infant_ria
Lydio Marianno de Albuquerque.
4.* Que em 11, inandou transferir para o serv-
co da reserva, ficaudo aggregado ao 2.* balalaao
respectivo, os Srs. alferes do I." batalhao de ufan-
taa, IImeterio Vidal do Negraros e Joaquim
Latiran dos Prazeras.
5.* Que em 12, nao s maudou transferir para o
servco da reserva, ficaudo aggregado ai 1.' bata-
lhao della, o Sr. capitao do rele ido 1.* batalhao,
Antonio Jos Cordero Simes, co.no nonijou para
o i." batalhao de infmtariaos abaixo declirados:
2.* companhia.
Capitao o teneole Marcoluo Honri p d F.guei-
redo.
5." companhia.
Tenente o alferes Joaquim Nicolao Forroira.
_. companhia.
Alferes o guarda Dccio Augusto Rodrigues da
Silva.
6." Filialmente fac-o mais publico, que no dia 9
do crrante mez, reassuuiio o exercicio d> com
mando do do 1. batalhao da reserva o Sr. teaeute-
coroiiel Joaquim Maximino Pereira Vanna, renun
ciaiidj o resto da licenca de 6 mezes que obtuvo
da presidencia da provincia ; e que por woinmo-
dos de saude comprova lo por altestad-i in-dico,
deixou o Sr. capitao Joaquim Custodio de Oliveira
o commando interino do \ batalhao de infamara,
que pasaoo a ser exercdo peio Sr. capitao Mol
colados Manoel dos Santos Lima.
.Exijo dos Srs. commaiidaules de corpos e es |ua
droes a prompta rem ssa dos mappas da raspee-
Uva foroa, bem como do armamento, corrame e
artigos bellicos, que Ibes loram dislribuidos.com
lodas as declarares e especicacao cjnslaules dos
modelos em vigor.
Rodolpho Joao Barata de Almeida,
Coronel commandante superior uterino.
i oiii.aun.!> das unuai.
JUAKTEL GENERAL DO COMMANDO DAS ARMAS
DE PERNAMBUCO, EM 18 D.E AGOSTO l)_
1873.
Orden do din n. 751.
0 brigadeiro commandante das armas, declara
para os fins convenientes, que no dia 10 do cor-
rento seguio para a corte ao vapor Cruzeiro do
Sul, com o lim de reunir-se ao seu batalhao 21 de
infamara o Sr. tenente Joaquim Caldoso de Aguiar
e Souza.
0 mesmo brigadeiro determina que quando en-
traram para o hospital e inferinaria militares, pra-
vas os curtios do exercito, e mesmo avulsas, da
guarnico desta proviucia, se consigue em suas
baixas as deelaraedes necessaras que no caso de
morte possa ter execacao, o modelo dos attestados
de bitos abaixo transcriptos, mandado execular
pelo ministerio da guerra em portara do I' de ju-
nho deste auno, publicado na rdein do dia da re-
partido do ajudante general de '7 de julho pr-
ximo lindo e sob n. 950, visto serem lies deelara-
edes precisas para satisfazerem os dadjs exigidos
pela estatistica geral do imperio.
MODELO
Servco de sade do exercito.
Fregueza de...
0 abaixo assignado doutor Observacoes.
em medicina pela Fa-
culdade de............
Atiesto que..............
Idade...................
Estado.................
Prolisso................
Naturaldade............
Cor e raca ..............
Morada............,-----
Entrada................
de....................
Falleccu a..............
do corieutc..............
as..........horas....
Molestia que te ve princi-
pio ha................
Foi tratado durante a rao*
lestia pelo.............
Systema................
dej 187..................i
(A$st%mo^^^3finoe^aa(fu)ka Wanderley
Lins.
Conforme.O major Jos B. das Sant-a Mer-
gnlk, ajudante de ordens encarregado do de
talhe.
EXTEEIOR.
Corrospondemoia particular d
Uiario lie Feniauabuc*.
V1E.NNA d'aUSTBIA, 17 DE JCLHO Di 1873.
Ainda desta ves limito me a remeUer-lhe alga*
mas notas sobre a exposicao e vsta cidade, sem co-
rar de modo nenhum em dar-Ihes a forma de
correspondencia. Como, porm, o que convm
aos seus leitores sao noticias exactas, a forma Ihes
deve pouco interessar, urna vez aue o fundo, isto ,
o sencial, seja capaz de captar-lheai Was frafas.
E' este o mea al aojo.
0 rei de Wurlemberg visitou hontem a expo-
sicao. Foi recebido na porta do sul pela commissio
wurtembergense, que o acompaanou 'a Rotunda
e s galeras allemaes, francezas e italianas, demo
raado-se o rei mais Umpo nesta ultima, onde, pa-
rece, que as Lellas estatuas de marraore, oue sa
achara no centro da galera principal, prendaram
a sua atteocio.
Tambera o imperador Francisco Jos fes haa-
tem pela manna urna visita, deatorando-se bastante
tempo no pavilhao d'agricultiira.
*- 0 celebre trgico Kraesto Rossi, ihi j to
apreciado, aclu-se em Vienna. Deu elle ante-
honlem o primeiro espectculo no iVdtre an der
Wien, levando a scena o HumM de Shakspeare.
Nao preciso dizer-lhe que Ernesto Rossi con-
seryiiu-se em tuda altura do seu talento e reuoine.
Foi frene lie a e eutliusiasUcamonlc applaadido.
Trouxe comsigo urna excellente coiupahia dra-
mtica, e pretende demorar--.; aqui algum lempo,
dando iiiiu serie de representadles, com os melho-
res dramas do seu eecoibido reperitirio.
.Nao poda ter viudo em inellior occasio.
Eis urna e.-lalisiica dos quadros expostos na
golera das bellas artes du palacio da expa-ico :
Estadoj-Cmdos 15, Brasil 3, Franca 1537, Suissa
198, Italia 625, Monaco 3, uecia h, Noruega 71,
Dinamarca 101, Hollauda 167, Blgica 296, Austria
811, Hungra loo, Russia4)7, Gracia 37, Turqu
7, China 2, Inglaterra 233 e Allemanha 725.
O eminente economista raieez M. Wolowski,
ni -rubro ilo instituto de Fran.a, e do conseibo dos
presidenlos da exposicao, aaugurou a serie de
loufereucias que pretende dar hebdomadaria-
mente em Sieiirroetl-rreis-ckisch^n Gewerbecerein.
O tierna da sua primeira conferencia loi a ex-
pssicko actual, e a sua influencia sobre o futuro
das ua./ies ; dissu que se Ihe poda applicar a di-
visa Circu cao cad i vez miis frequenle dos
hoiitens, das msicidorias e das Uleis.
A glorifica.-.ui desta idea foi o ponto culminante
do seu discurso.
A comraissan americana (Estados-Uuidos)
acaba de crganisar um jornal, que ser tscripto,
composto e impresso dentro mesmo da galera
americana, em que estao expostos os objectos ne-
cesarios a este lim
Os redactores, compositores e impiessores vie-
ram de NewYork, mandados pela sociedade dos
jornalistas d'aquella cilade.
Chamar se-lu o jornal The American Youth, e
suri distribuido gratis O primeiro numero appa-
reoev hoje.
U.n jornal desta capital escreveu as seguin-
les liabas sobre a exposicao dos Estados Unidos, e
o que ahi se diz parece aproxiraar-se da ver-
dado :
c Todos os amigos do progre-so e da civilisa-
Siiu moderna habituaram-se a considerar os Esta-
os-Unidos da America como a trra da pro-
misso.
Assim esperara se geralmenle ver os Esiados-
Uuidos apreseutar na exposicao universal um
quadro imponente da sua industria, do seu traba
Iho, e de sua proverbial energa, em condeoes
que faria corar de rergonha as velh.is sociedades
europeas, e servir-lhes-hia de exemplo e incen-
tivo.
A demora que a coiiimissao americana teve
em abrir as galeras do novo inuudo, coutribuo
anda mais para augmentar a anciedade e curio
sida-de geral: e fui com urna verdadeira febre que
a muilido dos vi-itantes se atirou s galeras no
da da sua abertura. Mas, ora lugar dos esplen-
dores e licat que se esperava all encontrar, nao
se vio sania c rasas grosseiras, sem gosto, c a
lodos os respeilos inferiores ao que se via as vi-
trinas dos estados europeus uunos adiantados na
industria. O arranjo mesmo dos objectos era
excessivamente defeituoso, e provava q'ie na com-
misso americana nao havia um hornera capas de
organisar urna exposicao segundo as exigencias
da sciencia e do bom gosto.
Alera disto a historia da exposicao americana
das mais escandalosas, e pouco apla para desper-
tar as sympatliias da Europa pela grande repbli-
ca de alm mar. E' de notoredade publica que os
luembrfe) da primeira coinniisso mandada pelo
goverarnimericauo para era Vienna organisar a
sua exposicao, eominteu abusos e proyaricagQes
que deram em resultado a sua destitut>;o e res-
ponsabiiida lo. A segunda cotnmisso nomeada
chegou as vesperas do 1.* de maio, e a trouxe
inoclie srranjoo a galera dos Estados-Unidos. >
Depos destas palavras de prefacio, que in-
felzmonte uao podem ser agrada veis nem sym-
pathicas, faremos um ligeiro exame dos objectos
expostos.
c A coiislruc^u ou fabrico de machinas cons-
titue o principal ramo da industria americana, e
os productos desta calliegoria oceupam urna
grande parle da galera dos Estados-Huidos.
t Os especialistas desta materia dizem, que-as
machinas americanas sao a todos os respenos
m;iio inferiores s machinas francezis, inglezas e
mesmo allemaes, e que o estudo della.- nada apr-
senla de novo e de instructivo. A cxccucae
deltas grosseira e imperfeita: nem urna su in-
veneao, uem um s aperfeicoamento.
Somonte as inachiuai de cozer, esta especia
lidade dos Yankees, sao excellentes e podem ri-
valisar com os productos anlogos fabricados na
Franca e na Inglaterra. Oceupam ellas quasi nie-
ta le do espaco reservado aos Estados Unidos.
t A ai te americana est representada por urna
estatua em marraore. obra d'eucoramenda, de exe-
cucao mediocre, e que d muilo triste idea das
bellas artes n'aquelle paiz.
f Esla estatua, assim como um plano collossal
da cidade da Philadelpia, no qual est marcado
com cor vermelha o lugar aondo ser construido
o palacio da futura exposicao do 1476, esto col
locados na entrada da galera principal.
i Urna machina para fabrico d'agua de Seltz, de
enormes dimensoes, oceupa na galera o lugar de
honra, de surte que a alinelo do visitante lojo
tocada pelo seu aspecto bem pouco esthetco, se
bem que o liquido que ella produz seja um bom
refrigerante, sobre lude nos das de grande calor.
Ao Uio desta machina v-se urna grande
qu.intid.ide de engeuhos anlogos, mais pequeos,
e de diferentes modelos, e uraa quaulidade consi-
deravel de siphoes e garrafas cheias d'agua de
Seltz, de vinbos da California, agurdente, ele. etc.,
e era seguida um armario con leudo amostras de
tabacos, cigarros, extractos de carne e differentes
conservas alitneul1 *" is.
A parle reser a para os tecdus, vestuarios,
calcados e chapeos est clieia de objectos de tra-
balbos tao grosseiros e tao mal preparados, que
pancera irabalhos de um povo semi-bar!aro. 0
peior alfaiate de Znaini ou de Carpentrat apre-
sentara melhores irabalhos uo que apresutaram
as primeiras casas de New-York e da Pailadol-
phia
< Os lapis, as peonas de ouro, e os productos
de couro nao sao raaos, mas nao podem competir
com os europeus.
0 nico ramo de industria que parece ter
nos Estados-Unidos tocado o mais alto grao de
perfeicio a arte dentaria, como os Srs. arranca-
dores de denles chamara sua industria. As
dentaduras, e os instrumentos expostos na seccao
americana sao com edeto excellentes e parecem
superiores aos productos anlogos de ouiros pakes.
Uraa musa enorme de photographias e de de-
sanos de pouco valor, amostras de notas de b-
eos, urna coltecci) de globos, de instrumento de
msica, sobre tudo de pianos, que sio boas, oceu-
pam o lado direito da galera. Todos estes objec-
tos sio mediocres, mas em compensac^o os seus
precos sio eleradissimos e equivalentes aos aue
se pedera na ralba e degenerada Europa pelos
chelesd'ubrados primeiras mwtres darte. Cita-
remos um exeaple: -por urna rebeca fabricada
na Philadelphi* pede-se 10,000 doars ou 90,000
francos (2:000*000 da raoeda brasileira).
"e aluotarmos a ludo isto urna eollecco de
balas (falgodo, amostras da cultura colonial, e
urna exposicao de instruccSu publica construida
no parque, completaremos o quadro de ludo quanto
os uttdos-Unidofl envioa i expoa^o.
u A escola americana a nica cousa curiosa,
o verdadeiramenlc instructiva apresentada pelos
Estados-Unidos. Ompde-se de urna sala de estu-
dos, e de oulra para conferencias.
c Estas pecas devera servir de modelo para
nossas esc das, porque no que diz respeito clari-
dade, veulaco e salubridade nada dei.xam a de-
sojar.
Os lvros, as cartas geograpliicas e outros
uuiruinentos de ensiuo san perfeitissimos, e pro-
vam ate a ultima evidencia que a iuslruc. io pri-
maria nos Estados Luidos lera tido um desenvol-
vimento iuteiramente descoubecido na Eurojia, o
quo o objecto principal em que mais cuida o
guverno daquelte paiz.
(Juasi que s poderia come(ar o acabar a
visita da exposicao americana pelo esludo da sua
escola modelo, pois que, tudo o mais mediocre,
e pouca alteuci merece.
Julho 18.
Falla-e eip que o imperador da Allemanha,
Guilherme, visitar a exposicao, o que lalvez se
realise at o lim do mez de agoslo.
Tambera falla se na prxima visita do rei da
Saxonia, e do rei de liaba.
O grao duque da Tuteaba e sua mulher che-
garara hontem a esta capital.
0 Baro de Schwai. Senborn, director geral \
da exposivo, foi agraciado cora o grande cordao
da ordein do Francisco Jos d'Austria, e com o
grande cordao Wurlemhergens-j de Frederico de
Wurtemberg.
Julko 19.
Passou-s.: todo o m como so estivossemos em
pleno invern. tbOTe chavas, vento, e fro, tendo
no dia anterior l|Ro calor incoinmodativo.
Nao deve portanlo adrairai que uesas cund-
5es atmoS(ihefcas, o cora una grande a^'glorao-
racao de povo de todas as procedencias em urna
pequea cidade, apparecam a'guus casos fataes
de choleiii-morbus; u do tipho, molestia end-
mica ueste paiz.
A vida aqu torna se cada vez mais cara, aug-
mentando, na razio do ereseimento da populadlo,
o preo dos alojamentos e dos gneros alimenti-
cios.
Pagase por um pequeo quarto,em um quarlo
audar, ligeiraiiicnle mobirkido, U por dia, pago
parle o servco do criado.
Paga-se por una chicara de cat com leite 400
ris ; um pao de duas oocas 50 ris; uraa libra
de mauleiga fresca COO ris ; nina libra deassu-
car refinado 800 ris ; um bife de carne de boi
600 res; um dito de vitella 800 ris e 15 se.
gundoo nome que Ihe dio ; G pequenioas bata- '
tas 40-J ris ; um copo de cerveja 160 ris (es-
tamos ua tena da cerveja) ; urna sallada de al-
face 300 ris. Quando aqu se diz um bife, urna
sallada, elei., etc., j se sabe que a quanlidade
restrictamente necessaria para nina pessoa de
pouco appetite. Urna garrafa de viuho Bor-
deaux, e este ordinario, cusa de 34 a 4 i ; e de vi-
a ios de outras qualidades, de 3> a 10 j. Peixes
e aves veudem-se- par procos fabulosos, sendo
quas sempre os primeiros, no pessiuio gosto.
As fructas sai" carisslmas : urna pequemos
inafa cusa 80 ris ; urna duzia de cerejas 50
res ; urna libra de morangos 800 ris; e assim
por diante.
O servco nos restaurants, era geral, mo e
vagaroso ; e, em alguns, porco, ipezar das ensa-
cas, grvala brancas e luvas dos criados. .Nos
restuurunls austracos o intervallo de uin a oulro
pralo v o suficiente para a digeslo do primeiro.
Imagine V. a torturas c impaciencia de um
pobre diabo, que chega de urna longa viagem em
caminho de ferro, e com foflSe de tres dias, e que
lera a ufehcidale de dar cora os ossos em um
destes apuradores da paciencia humana Acre-
dito quo nao pode baver maior inartyrio.
Do Danubio extraio o seguinte sobre a ex-
posicao de Venezuella :
o Em um dos _0SSQ8 artigos precedentes falla-
mos da exposicao brasileira, completaremos boje
o quadro da America do Sul por una descrpcao
rpida da exposicAu da repblica de Venezuella,
que oceupa urna quarta parte da galera trans-
versal, situada esquerda da porta d'oesle. E'
preciso fazer justica coramisso da repblica
de Venezuella, assim como a do Brasil : ambas
souheram arranjar a sua exposicao com urna
grande hablidade, consegrando apreseniar aos
olhos do visitante nra quadro nao monos verda-
dero quanto attrahente, dos objectos de seu bello
e longiquo paiz.
Ao passo que os Estados Unidos nao apre-
sentou a centesima parte do que se esperava
dellles, a repblica de Venezuella offereceu ao
exame do publico tudo quauto possue.
a Venezuella um paiz duas vezes maior que
a Austria-Hungria ; mas o estado de sua cultura
e de sua industria aprsenla tao pouco desenvol-
vimento. que se pode dizer sem exageracao, que
produz ella hoje o mesmo qu* produzia nos lem-
pos da sua descoberla pelos navegadores hespa-
nhoes. e qne a sua civilisaco esiacionou desde
aquella poca.
Os pioductos do solo, sobre tudo os mine-
raes, e em primeiro lugar o ouro, constituem a
Srincip.il fonte de sua riqueza. Produz cerca de
) mil oncas de ouro por anno, quanlidade pe-
quena, se considerarmos que esta cifra est esta-
cionaria ha mais de dous seculos.
Apresentou tambera amostras de carva de
podra de qualidade superior, de cobre, de esta-
nto, de petrleo, do marmores magnficos, e de
guano.
f Todas estas amostras, segundo q juizo dos
entendidos, sao de excellentes qualidades ; e,
altestam que o solo da repblica de Venezuella o
muilo rico em riquezas mineraes, e que este paiz"
pieria oceupar um Jugar de honra nos mercados
europeus, se os seus habitantes fossetn mais enr-
gicos, mais trabajadores.
Urna oulra fonle de riqueza deste paiz esl
as suas florestas virgen, que conten mais de
cera variedades de madeiras.
a A eollecco das madeiras venezuelanas das
mais bellas e interessantes que tomos visto, mas
acreditamos que nao d ella uraa idea mesmo
aproximada das madeiras que possue aquelle
paiz.
c Era relacao s plantas alimenticias, vimos al-
gumas especies de cacao, que conslitue o principal
producto do paiz, de caf de 18 variedades, e de
fumo de cinco qualidades.
c Entre os charutos encontramos qualidades j
muilo conhecidas na Austria como osMedia-Re-
gala e os Britanas.
Quanto a productos fabricados, Venezuella nSo
aprsenla seno chocolate, assucar e alguns li-
cores.
A agricultura representada por urna peque-
a eollecco de graos, entro os quaes a baunilha,
o algodao e favas de varias qualidades, que oceu-
pam o primeiro lugar.
c Alguns objectos de vesturio, esleirs de palha,
saceos e alguu utensilios de uso domestico, uao (da presidencia da pro"vi_.
uraa idea da vida simples e quasi primitiva do ha- rara nomeados : o alferes honorario Mariano dos
hitante das margena do Orenoco, Res Espinla, subdelegado do distrlcto de Beben-
c Finalmente, urna pequeaa colleecio de livros be ; Jos Rodrigues Cavalcanle e Maooel Antonio
e photographias altestam eue a civlsacao vai co- da Costa Gancho, 1* e 2* lopplentes do delegado
macando a penetrar naquellas paragens abencoa- do termo de Tacarat; Pedro Gonealves Caval-
das pela natureza, e Uo pouco aproveitadas pelo' casle e Maooel Barbosa de Souera, 1* e V sup-
homein.- intentes do subdelegado da fregueza de Taca-
J*o*3. rat.
Voltaram oulra vez es dias de grandes calores,' Tenpo d FAo 'Alho.-Por portarla da
e com elles os casos de febre e typhos. presidencia da provincia, de 18 do ejrrente, foi
Anie-hontera suecurabio victima deste mal o ci- nomeado o alferes Joao Paulo N'unes de Mello pa-
dadao francs Cuvier, membro da commissao que ra exercer iaterinamente o oficio de escrivo da
representa a Franca na exposicao. O seu cada-
ver, depois de encommendado na igreja de S. Joao
Nepomuccno no Proter Miaste, foi transportado
para Pars pelo caminho de ferro.
A mana do suicidio vai-se tornando epid-
mica nesla cidade.
Raro o dia era que nao registrara os jornaee
um caso de suicidio.
Em um dia um advogado que se enforca por
que os seus negocios nao vAo bem : n'onlro un
negociante que se estrangula porque foi infeliz em
una especularlo : era oulro, um nainorado, saben-
do quo a sua amante nao constante, bebe urna-
P- rcio de cyanurelo de potassium que Ibe pe ter-
mo vida ; no mesmo da, e quasi a mesma hora
um esludanle de direito euforea-se, enconlrando-
se-lhe n'algibera um pedaco de papel com as se-
grales linhas -Puis que les hoinmes n'out pis de
caoir, je quilfe ce monde on le men fait tache;
finalmente hontem um meslre escola atirou-se sob
as rodas de um :reui do caminho de ferro, c foi fea..
ptdacos.
E estes fados se rproduzem em um paiz emi-
nentemente religioso, e onde por toda a parte se
veem os symbolos da regino de Christo I Nao hl
praca, nao ha frente de edificio publico ou parti-
cular, monumento, nao ha em tim chafariz, e es-
3nina de ra em que se nao vejara grandes vultos
o Crucificado, de Santos, e da Virgem Mara; e
entretanto tanta descrenca, tanta falla de f e con-
banca diante de tao fortes incentivos esperanca
i na misericordia divina t Como se explica isto T
Curre que tendo rebentado urna revoluclo
na Persia, o shah nao vira mais- esta capital.
seguindo logo para a sua patria, de Voneza, aonde
presentemente seaeha. Apesar desta noticia con-
tinuara os preparativos para a sua recepcao so-
lemne e quo se e-pera tenba lugar al u Um do
correle mez.
O rei do Wurlemberg deixou ante-hontem
esta capital.
Os Irabalhos do grande jury vio bastante
adiaotados, e a dislribuicao dos premios lera eflec-
tivameule lugar no da 18 de agoslo. Os produc-
tos do Brasil estao quasi todos julgados, e rauilos
premios Iho foram conferidos, pois que os repre-
sentantes do Brasil que fazem parle do dito jury,
nao se teem conservado silenciosos, e teora sabido
defender os iuteressos d ts expositores, e do paiz.
Os assucaras, as libras, os licores e vinhos, os
cigarrus e fumo, os saboes o os chapeos vindos
dessa provincia foram quasi todos premiad ts, assim
como os movis procedentes do nosso arsenal de
marraba.
(racas aos esforeos da commissao, e especial-
mente dos seus ineinbros adjuntos, o Brasil nao
fez figura triste nesta grande f ;sta do trabalho e
da industria.
K -p rara se grandes fesias promovidas pelo go
verno austraco em obsequio aos membres das
commissoes dos diversos paizes exposicao.
Moje foram convidados todos os membros do
grande jury para urna excursao a Hungra.
O convite feilo em nome do seu governo pelo
baro Schvvrz, director da exposicao. O passeio
lar lugar no sabbado 26 do crrante, e durar
tres dias.
Um trom expresso, e hoteis na Hungra sero
gratuita mente poslos disposico dos convivas,
que sao ora numero superior a 'i00.
Julho 25.
Realisou-se ante-hontem o casamento do archi-
duque Carlos Luiz de Austria cora a infante Mara
Tbereza de Uraganca. A ceremonia leve lugar,
como Ihe havia dito, na Baviera, no castello do
Ktcin-Heubarh.
O conde de Moltke ( generalissimo do impe-
rio allemo ) anda em passeio pelos dominios Aus-
tro-ll.tugaros; presentemente est em Gastein.
Os austracos ficaram um pouco assustados com
a noticia que deu um jornal, de que este persona-
gem visitara incgnito Praga, e Pcslh, a primeira,
capital da Bohemia, e a seguuda da Hungra. Ha
suspeitas de que elle (razia comsigo nestes passeios
a faiidiea benga'a mtrica.
O imperador de Austria, Francisco Jos, vi-
sitou a gallera brasileira na exposicao. Foi rece-
bid i por toda a commissao, caja frente se acha-
va o duque de Saxe. Sua magestade tralou a jo-
dos com muita amabilidade, e deu demonstracoes
de satisfacao pelo que via em nos-a galera. Foi
uraa visita de honra que S. M. nos quiz fazer; pois
j tinha visitado a gallera quando aqui esteve a
imperatriz de Allemanha.
Mais urna festa teve lucrar em honra dos
membros do grande jury internacional da expo-
sicao.
A commissao directora da exposicao, pelo seu
presidente B. Schewart, convdsn a todos os mem-
bros do grande jury para urna excursao a Hon-
gria, e que se realisar amanh a expensas da
mesma commissao.
O programma pouco m_ts ou menos o se-
guinte :
< Sabbado 26 -As 7 horas da manhl partida
do Vienna era vapores especaes, do Danubio, re-
ceidos os convidados na estarlo dos vapores p ir
uraa depulacao da cidade de Fosth.
As 2 horas da tarde mesa redonda nos vapores.
Chegada a Peslh as 8 horas da noute.
-Recepcao pelos membros da municipalidade.
Descanco nos hoteis da cidade postos disposiflo
dos convidados.
As 9 horas grande sobr as salas do hotel
Hungra.
Domingo 37. -As 8 horas da manh reuno
dos convidados no pequeo parque da cidade :
visita a Razembaade, em carros : d'alli seguir-se-
tia. visita fortaleza e jardim do Castello, fabri-
ca do ferro (em Albrechstrasse) e a outros esta-
belecimeutos notaveis.
Ao ineio dia almoco no hotel da Una.
As 2 horas da tardo partida da ilha e visita a
differentes lugares e estabelecimentos.
As 6 horas jantar na grande sala do Reducto.
As 9 horas lugos de artificio o msica.
Segunda 28. -As 8 horas da manhl rcunio n >
pequeo parque, e d'alli visita ao palacio da ac
domia de seieneias, ao mazea nacional, e a outros
edificios pblicos.
Ao meio dia aluiocj no jardim zoolgico.
As 2 hora; da tarde passeio em carros a Stein-
bruch, e a outros pontos.
As 6 horas jantar no hotel da Europa.
As 10 horas da noute partida para Vienn_ pelo
caminho de ferro, em trem especial e expresso.
A de A.






PEENAMBCO.
REVISTA DIARIA.
Autoridades
pollciaf*.-Por portaras^
ovinca, de 18 do correte, ro- *
US
_t
ILEBKL


2
ZXM M WWML M (l /JIUl)iAftl/l|yPeriiambuco Quaxtafeira -20 de Agosto de 1873. H\ OffiHEM ./JJK Wl/1
le infartara ila lij
ntecornel AteXan-
rphxos xj mais ane*"s
Iho. __..
Mututlnuro ydMHn. Con o .praio Jo
sesseqta das, a couWldfc'|8 Jo corr.eitl<;, aha-fe
abena a concurren^gM a conslruc.io de um
matadouro e a acquuif&ju terrenos pifa logra-
douros, onde possaiwwftwolhidas as rezes-desli-
nada* ao consumo publico, de accordo con-* dis-
posicao do art. 6* da
de maio ultimo.
llluMlna^u
Do accordo eom a
de malo ultimo, Ji
eia, com o prazo de
18 do correrte, par.
urna oa mais fabrirai
earborctadn.) parj
so aoseducios
ram, como lam
Rccife e Bem a.
Faro civil -P >r portara da presidencia 4a
provincia, de 18 do crreme, de conformidade
cora c art. 31 da toi o. "261 ite 3 de dezembro de
lfl_e com o decreto n. T% de 21 de marco do
48il5Tcrealo lTro mi oro "cifseTTiTrttJOTa-
dos no termo de fierros arnexo ao do Bonito.
IS-m-:(t il* Itiiiitlrira. Domingo (24)
deve reajiwr^isiia i;-'r''ja (u convenio da Carme,
do Recite, as 10 oras if! manila, a honcSn d no-
vo estandarte do i' hatamao de i
nfa, do eom m mi lo do Sr. teen
dre A 11(0*14 le Pri.w Villar.
Vapor I.irlador. Este navio bnsileiro. da
prac\jfl IHfli do Jan iro, llcava no (lia i de julho
uo pofia do iFay^-iIecna!o partir |>wa- *w>i>*
porta potros das depuis. lleve, portaba, chegar
nests den* brt'tres dia, seffitindo Ingo'depois pa
raVjjlWe le Janeiro.
Arsenal de mnrlnha.-Q tinta fcintfti)
ser inaugurado, ejira a devida solemnidade, o los-
pital'de'mirrnhv m antig) lil-o da residencia
d tinspeciir, beia como sera bali la a prihein e i
?Iba de un 11 mella 'vapm\ que vai ser construi-
da para a praticagom <1\ barr de S. Luiz di Mi
rao <*o.
iVeTragrln. -\'s 9 Imm da notrw de I*
do eirrent". ns a't-ira do rio ftiisjil. na provincia
do Rio igfa ide do Norte, a harnea !** ftmflw
rfuWftiUitttff, ifm nos dizem |Mrieneer ao Sr.
Barfholomei LttmnVfo, de ruma pr.i.-H, abalroou
ron i> vapor hra-i!eiro Pirttptan, dWdbmpafriiia
IVrnvnbawim, m viagem para osrte do impe-
rio, resstanlo do chique ir a piqae a baroaea,
st-;i1o a trip-Hieai salva n'um escaler do dito va-
por.
fllih'Irn>.'") vapir lpytt'-i, aiwrw n\ra :
Katom Atixvt. de Skhm Agua*
Jo.i.rm n Ge iiiuian > de Arroda
BeltMD) Obver* $ C.
] .la ('..iih'.-re'i i de OvehM I'i-
s-ieir*!. S;O.WiO:i
jo, fftarie das fevBs iIMO >)
Kiuebo IMtrai tilV(U)J
All iro,Olivara A C. *>'' 0
\oa Siinhava il.i PenhaNa se.-eio
d i termo de Pjftrtfc rrH*Pl ^^VW^1i91nlrPattlli^, e,f''r'.f|S- Hopois dei*ou-lhe*a hencaafc
BaXia e escala?. vapor I|ijuit.-Che(nii Conten poja
l>illi<>k orhanox 0eJIladla. AaChi ntibhmmcr tila*, harondo dati,;

reoria dw eni|ircta receb*, at W do corrcn'e
e pioposla p'ara'a clio&acb d^imi lihliatcle"
traphica dCmtacfto da* ra da Aurora'at a do
Varaioira em Olinda, da da. Eacruailhada. 4*
Beberibe.
urna
"jKT flnumte
cotes de rus an
incdfs inectian .-as e fabrit i <:
m a 11 > dr.r op*fMs,tli>3|f),(K
menos I 'JO,'00 <:,paelr.is; 4 >"s
niiiner alfaiates e do. err|roa; aaaentado
tfc lijla m de ldra^e Pjt |j*sB0,(
carniceiros, charuteiros e latoeiros 4S00 de cada
elasse; fauileiros e tynogrflhdffe|Jl)Ottt <^la e."
se ; paleiro* e c.)rreeirlQll0Wl UVl i* .
dicos 63,0)0 ; ministros da rol giao 4^,000 ; advo-
gidos W,"00 r por"crj!ise|ulms cada" um dm mi>-
nisiros tem seu c^r?o 830 almas, ecada um dos
advngadcs curca da 1,000 jvlgibeiras ; i rofessores
LJ7.0K) ; miuico 7,000 ; redaclorci cerra de
6,(109; ollh-iaes dd e\eTeito'e da 'nrriad f,:t09.f
1 Ao paSQ quo sia precisa^ 61^0 laya lairas afa
liv.ii-a r nipa dos habifants, aperi -.OOTat '
boiros toniam cunta de to las as cabera o de to- cedeu^kiap a/ diiimMiaegaes^paj-a.e.cometento
dos os bigides da BKv m Woc&m H,a *" r ^ f^jV
lia America Eoropn por halo.
C cuita de mu Jo* .prioalCfli da urde, diz 0
Novo Mundo, da cidade de %
a:V*s*).ii
3:0004X100
2:l)'..0
crj.npctenie puMii-ainos un appHIo (HrigUo in'lo
!'.v,l. pr.-fi-ito da Pinfta a populara dcsta ca soliritando esmola* eom ipie se possa levar a flffoi-
11 a iihra do novo ;ein|do em eonstrue.ao, aqulla
esc !.;a Seuhora onsagrado.
Oa>to sublime e mais sublime o motivo quo
o inspira. E' a supplica que mais se engrandece
quintil mais se humlllia, como apiella. corto nao
llavera ipicm deixe de esenta-la ; porque foi as-mi
(jue o Cnristo pedia : a todos e tuda.
AciMiando a boa i prefeito da Penha implora os unios de realisar um
leilfn no da da Testa da Virgem qtie all se veue-
n, com o producto do qoal |Mi5ai4 ter sena) ca-
bal ciiRipiuuient", vatios) augmento as obras tao
avancalas ja do novo leniplo.
QnJM coii'ieecr a i:u;>orana do taes obras.
nio so sob n jionto de vista religioso, como sob o
pono de visia darte, p concoma para ace.V> to meritoria, tao glorilican-
ii- mina a que nos inciam.
Km taes casos todos temo que dar, e l idos
lia vemos ddar.
A mifalKa dada de coracao, tem a virtude dos
p'ics que se maltinlicaram.
I i-iiitnt< Hii(orieo Philosopliico.
Dominga (17) lioave asBo ordinaria aata so-
cio h le, presidida pelo Sr. Banleira de Mello.
Lida, m approTala a acta da sessio antece-
(l":il!.
('.inlis; |.'parto da ordem do dia, dis-
i'4 i > da t!t wi : Qa il o melh ir svstema da elei
|6i? Oraran o ir*. Buideira, FreJiirico, Rosa,
Mir.'iri, lArie a Pacheco.-Foi aliada a dis-
easso.
E n ra/.i i 11 hora acVir-se aliantida, diixou-se
de nwm i.- piri .la anima .1 > dia.
E i- 'rr.u-e i sessio, desiguala a ordem do dia
para a w*do vind tara.
Nni'iedlaile I.itteraria e Auxiliado-
ra Iistrsiprai .SiMisi-JariaAma-
ubi (211 llavera soaso para tratar so de negocios
J.' (rail-le ion irlanda pira asoiie.Jade.
C i^-vss Mtterarlo. -Amaoli d-ive
bartr or linaria d'esta sjcijj.ile, l horas c
no Impr di costante.
praam do dia. I.1 parle, contiuu.icao da dis-
cdsI i da lliese : E' a lingua p-irtageu filha da
latina? 2.' parte, diseu-sli di segainte tliese, que
eve ser desenvolvida pelo Sr. A Maranhao : S*r
aJmissivL'l a ttaarafio entra a groja o o estado T
T.'ianro Hwmto Antonia.Como *e v
ib autweio oarnantante, nao se cITeetuar hoje o
bMedoia do actor Santos, licanlo transferido para
o dia 2- d > osronlo.
Honda. Acharaos de grave inconveniencia
que o bond da linha da Magdalena, que larga da
eitagfco competente as 11 3/1 da nout3, e que o
mesmo destinada as noutes de espectculo, em
qualquer dos nossos theatros, a transportar as pes-
oas que delles se reliram, espere ns Campo das
Princezas o tempo para isso necessario, por mais
longo que se|a ; visto romo, aquelles que por ven-
tura mu se auliam na occasiao, "nao podem estar
sujeitos a espera do fim do espectculo.
si esti no interese da companbia transportar
os frequtmtadores dos theairos determino para tal
fim um bond espeial; o que fazein os trilhos
urbanos; o mais abusar da boa f e da paeieo-
cia publica.
Concert.Amanh noite [ter lugar cm
um sal.i i do predio n. 12 da ra da Iraperatriz o
anannciado primeiro concert ollcrendo ao nosso
publico pelo Sr. Hugo Bussraeyer, uotavel piauisu
americano.
Estando o nome desse elevado artista sufficien-
lemonte cecommendado p.-lo eoapeito de compe-
tentes julgadores, so nos itsu dsejaraioslhe que
encontr era mais essa noite equivalente recom-
pensa aos es'orcos e ao sabido mrito
liivsasiee. -Na noite do 17 para 13 do cir-
renie o subdito portuguez Manpel Bibeiro de
Franca precipitou-se casualoiento da escada da
fabrica d tecidos era construccao, no districto da
passagem da Magdalena, pertenecnte ao commen-
dador Antonio VaJentim da Silva Barroca.; resul-
tando fiear o infeliz com o crneo fracturado. Foi
imiiiedialamenie recoihido ao hospital porluguez,
onde su aclia em tratamento.
Hu^dalena. Aos bonds da linha da Mag-
dalena e que largara da cidade depuis das & horas
da tarde dos das santificados e domingos, eonli-
-nua cada vez mais, por assira dzar, a alflair u
povo de modo que offerece serios receios nio
sendo feilo esle ser'vico como ha das lcmbramos,
a dous carros por ex.
Insistimos em nos.-a idea, mxime porque na
domingo ultimo ja houve onsaios de sccn:is des-
agradaveis.
Heais, parocc-Bos que,o que lenibramos
'ompauhia em nome do bem estar publico, est
narazao directa de seus nteresses.
Espaneamento. Pelas 9 hora da noite
de 5 do correrte, Ignacia Saria da Conceico foi
espancada por um grupo de desordeiro ao lugar
denominado Serrina, da villa de Itemb\
Ilouiieidio.No lugar Caml'C, do dist/icto
de Beberibe, Manoel Maranhao assassinou um indi
viduo na manha de 17 do correrte, consegnino
evadir-sc acto continuo ao delicio.
corta, Dominne Silvj
e Jorgu e Noiva, Taltando com causa
rgalor Louroii.-a SMMafO, abriu-se
0005I
M yj JULGAMS.NTO. uu;(.t
v-ara olegeu ^tJnSt Recursos crinietL-''
diyd* MMMnta\a1n'sa administrativa, que li- 'Recorrerte o juizo de direito dd^Viraoeiro, re-
con assim compojta : presidente, vigario Xavier | corrido Jos Gomes de Mendonca. Juizes os Srs.
Imeida
Silva
ffil^^to&\9[*to ate 17
^^Mt^mm^xM do e*
Acaba de ser captralo o~diTtrTc1B"ae*Ju-
Ml Ollune lutz Burgts, piumineljdu pui feiineii*
tos graves.i
No dia
3 do
efcwlAraaf pSsm k
toante delicta, Rttlino Jos.Pereira e I^urjano Ja-
se KeWh-a'fle'CTiinflrre ra^iteliB autor d urna
da unaileirao Audr Lui
vh'sal!SWW^.TOo fl porcia pro
Iraproced
Recurren
rridos Ma
os
ligues
Improcedente.
renil e
A
desembarga
Almeida i
c
a de linha, o\ -comman-
Fna* Villar, fez oxcrci-
2.a batalhao de
do do Sr. tenante _,
co de fogo no largo dcTirospiclo. As manobras
forara executadas com proraptido e firmeza.
Inspccco Ir/ ffui|e. o fe 22 do
irrcnte deve haver, ni secretYIa do commaudo
jtoerior da guarda Q'i^ffll. 4^. Becjfe,, ws^acio,
Wsaude para oscees e'pracs que rcijucre-
ranj-a.
estipa
Santa
>cw York, o Dty
iSHphic. se est rousiruindo e llcar prompto em
Mucos dljs um gralide balo aereostanti etn'que
o professir Wise e dotjo* scloiitiflc'os a:neHha:io
so propem atravessar por sobre o Atlntico ate
ljrop.i.
O balao lera 318 ps de circumferoneia, 100 de,'
dianiMro. e 110 de altura. Entumecido e nromp-
i a subir lera, do alto da cora ao fundo do car-
ro, 240'palmos. Precisa de V.31C jardas di! pan-
no, sendo u corta do balo 3e panno dobrado,
De costura obalao tera l.OSf) jardas ou B nillhas
de romprimento. e este trabalho est sendo etecn-
la lo publicamente por 8 raparigas nos salo-.s do
novo edificio da' companhia Doikestki, do ma:hi-
nas de coslura.
A rede de corda de 3 (ios, da qual foi preciso
;>8,:)00 libras. Dessa rede pendem 53 cerdas de
ean'unm com un dimetro de a/8 di polegada.
As argas concntrica^serao 3, cada urna com
ItpuVgada* Je dimetro.' Estas argdas susten-
tara o o carro ou cesta^ o cabo e o Wile.
Das argolas se eilertdui, 2i ordas de canhamo
le 3 i palmos de compriineuto.
O peso do balao, sem o< pasageins e lastro, e
do 7,10.1 libras: com ellos pesar seguramente
H.fiO'l libras ou mais do 5 toneladas.
'. U balao construido para experiencias sciunti-
licis. O observatorio de Washington vai ajud:.r
a tentativa fornecendo observadores c instrumen-
tos, o o profesor Wise esl multo rspcran.-oaO Je
resultados hrilliantes.
Guerra particular. Realisou-seo des-'
alio (pie dissemos e-lar pendente entre um redac
tor du Paijs e um deputalo.
A acta Jo duello, redfgida pelas testeraunhas,
corta o segoiaie:
II >je (satibado, 26 de jnlho) um encontr ao'
brele se eireetnou no Vesinet, s seis horas e
meia da larde entre Mr. Grnrge l'crin, deputado a
assemblt-a nacional e Mr. Edmond Poirier, redactor
Pays.
Ao primeiro passe, o dous adversarios foram
(tridos no peito. Mr. Poirier, tendo ficado dc*ar-
m ido por se curvar a dlia do llrete, substitni-
ram-se os floretes, e as tesictnnnhas julgaram que
o Bmbate poda couliiuiar. Mas, ao segundo pas-
se. qm ra leve resultado, sobresvio una hemor-
rkagia ferlJa de Mr. tfeorge l'crin ; as snas tes-
tinunhas decidirn) que nao podam autorisar a
coniinuaco do combale.
As quatro testeninlias declaram que os dnus
adversarios se bal.-ram eom grande bravura, e qne
honra esl sasfeita. Em fe do que assignaram
e*la acti. Vesinet, 2 de julho de 1873. V
Setuelcher, E^ Lnckioy, H. de la Hurle capllo,
G'is.iion capilo. >
O outro duello em perspectiva entre Mr. Tar-
gel e Mr. Oilinaire, llcousem effeito, por julgarem
as testemunhas de urna e ouira parle nao haver
cansa para ir ao campo.
Com referencia ao jornalista Mr. Poirier, diz o
Gaulois que entrou no ser-ico militar em IS70,
B0 corpo de zuavos da guarda, como na mesina
occasiao fez o redactor principal do Paijs.
Foi um dos Iros militares que, naterrivel jorna-
da do Cilampigny, lomaran dous cau'.ioes aos
prussianos, os dous nicos trop .is da campanha.
Em Bu.enval foi ferido gravemente.
Por aqu so v que os jornalistas nao combatem
somente, como vulgarmente se diz, com balas de
papel.
a mesma folha refero, que em seguida publi-
carlo de nma caria de Mr. Ordinaire, na Liberte
Mr. ("argel encarregou dous de seus collegas de
se enlenderem com dous amigos do deputado pe-
lo Hheno.
Saberemo resultado desla guerra-pirtir.ular
antes da piz gert.
O motivo qne determinou o combate enlre Poi-
rier e Perra, foi j primeiro t-r escripto no fViy*
que durarte a guerra de 187071, Mr. Perra se
liavia feilo nomoar commissaiio iivil de dnfonsa,
cora o vencimento de quatro mil francos por mez,
sera correr risco de ir ao fogo, em quanto que os
seus adversarios polticos morriam como simples
soldados, nos exercitos do Rhen, de Pars e do
L<.ire.
Exeeucsto. No dia 26 de julho funecionou
a guilhotina cm I. ion. As ciuco horas da uianha
chegava o pavoroso cortejo ao lugar do supplicio.
0 conde nnado era Jean Ferrari, d'origem italiana.
Havia sido condemnado a morle em 23 de mato,
por ter assassinado a inuiher de ura taverneiro.
O desgranado diligenciou mostrar que recebia o
castigo com rosignaco.
J se annuncia que o sinislro Roch tem de ir a
ouiro porto da Franca exercer as funcci3esdo seu
emprego.
A Internacional. Est annunciado um
congr.-sso geral da nter nacional, para o dia 1 de
setembro prximo, em G.-nobra. Os chefos e ade-
ptos .la Franca, da Inglaterra, da Blgica, de lies-
panha, de Italia, da Allemanha e da America sao
convidados a assistir a a>i importante reunido.
O. pretendento Tieliborne. N > dia
21 de julho conniioii no tribunal Quien $ liench
de Londres o julgamento da causa criminal por
perjurio e falsidnde, intentada por parto da corta
contra o individuo que so intitula ilogero Tich-
borne.
A audiencia abrise as H horas, mas foi sus-
penda faltando 23 minutos para meia dia, por
adoecer um jurado.
No dia 22 leve a palavra o Dr. Kenealy, advoga-
do do acensado, que comecau o seu discurso, o
qual deve durar alguns das.
Promettcu provar cora centenares de testemu.-
nas que o reo 6 o verdadeiro Tichborne. e nao
Arthur Orion.
Censnron o estylo faceto do advogado da aecu-
sacao em urna causa to seria,^ compartt. os pla-
nos da familia Tiehborne aos de Jacqnes Ferrand
do romance de Engenio Sue.
EAleifos nervosos. Era um dos tribu-
naes de Paris compareca em um dos dias do mez
anterior urna mulher ainda joven, por nome Van-
don Ettweg. Tem m filh de 4 annos, o qual
nasceu antes della se namorar do honrado opera-
ri cbm quem ora legtimamente casada.
Parece que a presenoa do innocente, recorda-
do viva constante de um erro irreparavej, cau-
sava prorunJas impressCes no animo da rapariga
e Ihe irritava o syslema nervoso ; a pobre cran-
la era victima de sevicias crueis.
O marido, mais resignado com a sa sorte, nao
quera mal ao pequeo, cat era sen protector,
qaando eslava cm casa, contra as ferias da su*
cara metale.
No dia 4 do correrte, no logar Sanbaiba, do
dUirlcio h l.ipT;tonmermmit7i n-Mili^irnyfT.
listo Regente Rczrr.v sera vestigio algum de vio-
lencia. O tffijigaUo d") tcrnio fzia" todos as' dili-
goocfascm venfil-ar se cssa. m.Irte'fiV.' oti nSo o
r.-suliado do um rime.'. '*
cao primara daqt_-
A piesidencia man'ou a sr*gahd:- rfmlufea de
selemfiM vri.ritiro. para pi-i-ceder- a e^ftS de

!,:Ar-
vareadores de S. Benedict i, rVdtS Brava
neiros, ulliinaufrhK lwHoir'a! vnft.> ':i
Lemos no CeureAse :
Falleeeu n^i villa do Ouricury, no dia 30 d:
nlli'o ultimo. oVmatr Atitonjb RaVinondo Brigjflo
dbs Santo?, adfjgaU all establerjdo, C muflo
L-mpo un dos rhefes m.is prestlmoso db partido
liberal'do Ctato, on le i-a mii'DapH dcstideto1 desde
1832, ex.jrciu-lQ nulla Influencia bm negocid^ da
comarca. .' J
Foideprjtado as'-.'mblea provincial o' ejer-
cen imasl to los, os cargos Je elei.'Sr e' nomesifab
dV trio, al a poca da na.laura de sua resi-
IciKa.
Do Rio Gr.inJc do NMrte naia recebemos.
Lcpsu'. Jorn}di Parattyhu :
a No vapor B'i/ii'cliegarara esta capital' os
ehgenneir.is Manuel Saldanha da Gama e Miguel
de Tve Arrullo, encarregados de procederero a
estudos sobre esaa importanfo e vautajoslssinik h-J
una frrea, de cuja realijacao tem a provincia d
uolliur os lUellio'res r.esii1id0s.
a AcJiegadidos /dferldos. ngertier prova
exoherantouiehe quS continua se a tratai com es-
lorgie serieJale de o til' me!loramente, era
c'ji esito devenios confiar, nao s BoTqhe dffSreee
o mesmo melhr'dmqnf i seghras e enectiva3 garan-
tas aos eapitaes que orein' empregadoS para le-
vado avante, couio pqrqjw o prouovem cavalhei-
ros distinctos c dignos de todb coiic'ete, que nada
pouparo, allin ile remover"quasqer obstculos'
p.ilri..i -a idea de dolarem -ua trra uatal com
seraelUaille poderoso alelo de prbgreSo^
t Emburaos pssimilas, se por ventara os ha
em qneslao de tal Vi nf parA todos, mais nm
izo de di
Fernn
gadores
Araujo
hizo de d
rancisca
abargad
Uva e Al
aflra
ulzo d ;*riui do
Jjs Uarboia. J __
ores Araujo Jorge, Reguelra Costa,
w Doitn!igues"8itva:^-rmpro-
edwile M to ^ '
maatKul': oju'm Jediixlso da Parahyba, re-
corrido Antonio Peteira da Silva. Juizes os Srs.
desembargadores Attnjo Jorge, Xeiva, Bomlngues
Silva e Almeida Albiujerque. -Jmprocedenti.
Rccprrete o juizo dfe direito do Cabo,-Recorrido
Jop Vieira da Silva Juizes os, Srs. desembarca-
dores .Velva', Regneir3 Costa, Dtmiingues irva e
Araujo Jorge.Improci'denie.
Recorrcntc cr juizo de tirela da. Pirahyba, re-
corrido Joaquiii Marques ila Cunta. Juizes os
Srs. (b'Seinbargadores .Neiva, Dbmingries Silva,
Almeida AHiuifuefiyie e Reguoira Cbst3. -Impro-
codente.
: rtecurso de fallencia.
Recorrerte o juizo especia) do commercio, re-
corridos Hendes PJ Carvalho. Juizes os Srs. des-
embargadores Domngues Silva, Almeida Albu-
auerque, Itegueira Cosa e Neiva.-Negaram pro-
'nmento.
.^ggravos de pelico
A (gravante O.1 AltnVLnizS Vieira' THxeinr, ag-
gnudoi juiox Juizes es Srs desembar^idores
Uomingues Silva, Almeida Albuquerquc e Reguoi-
ra Costa. Negou-se pn.vuiuirto.
I i-tiiiiul do coutnierclc
S^SAO JUDICIABIA EM 18 1)E AGOSTO
DE 1873.
PRRSIDK.NCIA DO EXM. SH. CONSELIIEIRO ANSELMO
raOMBOB rRBETTI.
Secretario interino, o oficial Torres.
Ao luc-io da, reunidos os Srs. desdmuarnadores
Sirva (iuimares e Accioli, os Srs. deputaflos
(Junto Bastos e Lopes Machado, e os Srs. suo-
picales Sa Lcito e Guerra, faltando com part-
cipai^ao de inamimodado o Sr. desembargador
Res o Silva, S. Exe. o Sr. conselheiro pre>
sdeute abri a sessao.
Foi lida e approvada a acta da sessao de 14.
O escrivo Albuquerque registrouo ultimo pro-
tiste de letira a 12 do trrenle mez, sob o n
2,909 ; e o escrivo Alvos de Brito a" 14 do mesmo
mez, sob o n. 2,844.
ACCOIIO.
Foi assignad o que na prxima passada sessSo
se proferir uo seguinte feilo :
A podanle embargado Manoel Rodrigues Tei-
Aggra"vanTPedro SirlSTfirt. Baarqe, ag- fS aP,,e";,dlus ''"^"f"'" .* h<-rdeiros
avado o juizo. Jmzes m S desembaUorL %^J& ***" l^ d"
JULGAMSNTOS
Feitos que .;s,ava;n adiados.
Antonia Ouaite Cirueiro Vanna,
gravado o juizo. Juizes os Srs. desembargad
Bdgueira Con, Almeida Albuquerque c Doria.
Deuse provmento.
Habeas corpus.
Paciente Artonii Esievo M.reir da Costa.-
Negaram solinra.-
Appcllacoes crimes.
De Gnranhuns.Appellante Joao* Duarte lVrei-
ra Luna, appellada a justica. Improcedente.
De Missao Vellia. -Appqlames Francsc ROn-
calvns Cavnlcanh' e outrjs, appellada a jastica.
Sullo o processo.
De Alagoas.Appellirare Francisco Antonio de
Souza, ap ellada a Justina. Improcedente.
Da Imperairiz. -Appellante Antonio Gomes da
Silva-, appellada 3 Justina A novo jury.
AppcHaejiD civel.
Do ReCife.Appellante Rencaido, por: seu eu-
rador, arrpelladj Manoel de Souza- Perera.-Con-
firmada a senlenna.
PASSAdKIfS.
Do Sr. desembargador Almeida Albaguerque ao
Sr. desembargador Dmingucs Silva :
Do jury de Pesqueira. Appelbnto o juife, ap
pelladoio- Alexandre de Carvalhe.
Da Granja -Appellante Manuel Xavier de Ar-
roda e Silva appellada ajusTi^a
De Saboeiro.-Appellante Pedro Ridrigaes de
Amoiim, appellada o juir.a.
C|/
O'nvm, por'lanto, que nb filiemos ulactivos;
auxiliemos, ipianto em nos codber, os esforcos, cu
jos resullailos eslamos apreciando..
a Bom aiwlliiraento aos encarregados dos esf.i-
dos la e.-traJa de ferro do 'Conde d*Eu, ilnorraa-
..oes exactas e minuciosas dos rs?cuftos da pro-
vincia e das faeilid.il's que aprsenla a empreza,
etc., sio, alera de devep Je civildadc, serviros que
nos eumpre prestara bem dos raleresses e prospe-
ridades comniuns.
Cuntamos que ncnniim do mssjs natrlefos
se recusar aesso de ver llio gr;.to e imperioso.!
(Ispital Pedro M. O mvilneuto deste
esuujtlccimente, de llao da'17 de agoste de r873,
foi oseguiute: existan) 318, entraram 43; sahi-
ram.'i9, falleceram 13, exsteai 31f, sendo : JI no-
tadas e 110 mulueres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras nestos dias : as
8 1|2, 8 l|2, 0,9, 10, 9 1(2, 8 1(2, pelo Dr. Bel-
tro, na ausencia do Dr. Ramo- ; as 12, I, 1
i|2. i, L 12, pelo Dr Sarment ; as 9, 10, 9, 9,
9, 8 l|2, pelo Dr. Malaquias
Fafitcidos.
Anua Mara da Conceieii ; varilas onfluertes,
Mara Antonia da Cdnceicao ; herajrrliagia ce-
rebral.
Mara das Dores ; bronrhit; send.
Conrado Baptista ; hepatilo aguda.
Manoel Pereira Freir ; anemia. <
Angela Maria das Dores ; velnicc.
Amalia ; varilas confluerte?.
Joaquim ; tuberculose-pulmonar
Marcos Pinfieiro ; bronchile senil,
l'rancisco Joaqnim ; hom trrhagia consecutiva.
Clementina Mara do Carino ; hemorriiagia intra-
craneana.
Maria Rila do Nascimento ; tuberculoso pul-
monar.
Manoel Jos Laurenlino ; anazarca.
Casa de drteneao. Movimento do di?
18 de agosto de 73 :
Existan presos (42, entraTam 2, sahio 1,
existem 343.
A saber :
Nacionaes 248, mulheres 6, estrarigciios 43
escravos 43, escravas 3.Tota! 34'1.
Alimentados acuita dos cofres pblicos 282.
Movimento da enfermara do dia 18 do agosto
de 1873:
Tiveram alta :
JoRo Francisco Corteja.
Antonio Joaqnim Jos dqs Santos.
Joaquim SimSes de Olveira.
Theodoro Candido de Arauio Barbosa.
Passagciros. Vindos dos porto do norte,
no vapor Ipojuca:
Francisco J. de Barros Janic-, Alfredo C. Vrlar*
Dr. P. Antonio da Silva Ferrara e dous escravos,
Augusto Pagels, Carolino F. Ramos, H. J. Rangel,
Manoel A. Fernandes, Nicolao dos Santos, Nicolao
Cirter e tres escravos, Domingos Solaberto, E:
Adour, Jos L, Franco, Salvpro S. da Slvefra,
e quatro escraves, Carlos Apmio-de Araujo, I *
quim C. Vargas, Jos F. SeboHa, Joaquim B. Fer-
rol ra, Claudino da Ericarnacft do Verbo,* Aurelia-
no Galvo, Eneas Galv3o, Angelo R- da Rocha,
Anecieto J. Ferreira, Jos C. de Nnnes, Joao Go-
mes, Francisco Gomes, Joaqnim Garcii, Antonio
Jolalino de VasconceHos, Eloy de-Son, padre L.
Fenvira Nobre Pellnea e m escrrp; I. Maria
Brasileira de Araojo Ciinha1 eqnatro escrarosi Jo-"]
s Joaquim Nobre Cmara; Joaqnin frUffherrne de
Souza Caldas, nadro Jos A. 6. de Merlo, Alfonso
P. Maranhao, Francisco de A. Duaf te; Manoel P.
de A. Saldanna, Jos. A. Bartosa- Jnior, padre
Joaquim V. rereira- e ttrta rrtai e nma- sobinha,
Jos Joaquim de A. Atbirqrierqttek Daniel Antonio
C. Conolano A. de A. Chaves, -melseo de A.
Braga, Antonio Joaqnim Barres- v..iior, Munor'J.
C. Gnimari'-, Jos Mendes-' *f Sflvav b. Pereira
Lima e seis escravos entregar.
Ceinftrfo pWtco:--ObKuirjrj >> da WT
de agoeto :
Amella Bp CaValcanje' 6^.^6:riiieT-re, bran-
ca, Pernambaco, SV-Anlos, soilin, Afogados ; W*.
berculos pulmonares.
Joaquim Jos de San?Arate;- 5ne1%-9e, Pf-
namhuco, r8 annos, rgnorsc*/ frlHHat, Bot-VrStti;
varilas. l. ,. .
Joao, escravo, ^aedo,. ywnajnbii^, S. innosj
Do ex'ame feito ao corpinho da craua resul-
lou a certeza dos actes denunciado* pelos visnfios
r.uterda e.
A vbora deFendeil-s dizendo que era multo ner-
vosa c que Qjto-podja resistir ao deseco dpsordenado
que senta de maltratar o filho, a q'm tnba de-
cidido odio.
0 tribunal cndmho' a vibota djtarcada, eni
i mezes Ja priso.
, A' enca, quo estve presenta, dizia querer ir [te AtoBp."wi
5mf*_^ p?.Le '?.3 ua' *eWR%oPfe
passo dado ao verdadeiro interesse da provhv' Do Ico. -Appellante _Joao Thoniaz de Aijuino,
appellada a justica.
Do Sr. desembargador Ooria ao Sr. desembar-
gador Domingues Silva :
Dj Ildcife.-AppeiiantC Manoel Zeferino de Sa-
les, como tutor dos berdeiros de Luiz di Franivi
So-.ito, appellados Bartholomeu 4 C.
Do Ico. Appellante Jos Pedro Alves da Silva,
appeilado o curador do' escravo Manoel.
Do Bonito. Appellante nacharel Nabor Carnei-
ro Bezerra Cavaleanti, appellado Manoel Felippe
do Mello Lilis.
Do Sr. desembargador Domingues Silva ao Sr.
desembargador Regueira Costa:
Do juizo de direito do Bonito.Appellante Ma-
noel J js Barbosa e outros, appellado Antonio Go-
mes de linio.
Do jury de Baturit. Appellante Paulo Jos
Pereira, appellado Gabriel Geraido de Camino.
Dia de apparecer.
Do Rccife. Appellado Jos da Foneeea Silva;
appellante Manoel Januariode Arruda.
Do Sr. desembargador Regueira Costa ao Sr.
desembargador Araujo Jorge:
Appelfacoes crimes.
Appellante o promotor, appellado Manoel Fer-
reira Dias; appellante o juizo, appellado William
Scott.
Appellacao civel.
^ Do Recife.Appellante a rmandade de Nossa
Senhora da Gongregaeao, appellado Bornardino
Lopes de Oliveira.
Ao Sr. desembargador Leuronco Stutiago :
Appellacao civel.
Appellante o juizo, appellado Manoel Dionio
Gomes do Rogo, e a preta Caiharina, por seu cu-
rador.
Do Sr. desembargador Araujo Jorge ao Sr. des-
embargador Neiva.
Do jury da Bom-Jardim. Appellante Antonio
F. de Almoda.
Do So'iral. -Appellante Antonio Francisco de P.
QueixaJa.
Da Indepen loneta Appellante o juizo, appella-
do Manoel Francisco Barbosa.
Da Floresta. Apellante o juizo, appellado Ma
noel Sebastio e mitro.
Do Caraiibas. -Appellante Clemenio Ferreira
Lindares, appellada a justica.
Do Cabo.Apiiellant Joao Pmhoiro da Costa,
appellada a justica.
Da Escada. -Appellante o juizo, appellado Ma-
noel R m is da Silva.
Da Fortaleza. -Appellante Joao de Ge Noguei-
ra, appell ida a justica.
Do Sr. desembargador Neiva ao Sr. desembar-
gador Almeida e Albuquerque:
Do jury da Floresta. Appellante Cypriano Fran-
cisco do Nascimento e outros, appellado Alexan-
dre Correia de Barros.
lie Bom Cooseio.Appeltanie o juizo appel-
lado Antonio Propicio Tenorio Villa Novo.
De Porto Calvo.-Appellante a justica, appelWp
Bellarmino Antonio Martins.
De Minangujpe. -Appellante o promotor, ap
pellado Aggeo Correia da Silva.
De S. Joao.Appellante Maria Vlcenca de Oli-
veira, appellaod Anlonioj AVes Fetesa.
De Goyanua.=*Appe labte o promotor, appellado
Luiz escravo.
De Palmara dos Indios.Appellante Faus-
tino Jos de Sant'Auna, appellado o juizo.
Diligencia cfrfte.
Ao Sr. desembargador promotor da justica :
Appellante o juizo,appellado Alexaudre Correia da
Silva; appellanlo Antonio Joaquim de Souza, ap-
pellala a justica; appellante o juizo, appellado
Manoel Leite de Sa; appellante Mara Baptista da
Conceico, appellada a justica ; appellante Joao
Jos de Araujo, appellada! a justica"; appellante
Bernardo Simio Alves, appellada a justica.
Afijar. Dr. cucajor geral: '
Appellante Manoel Correia do Mello, appellada a
Baroneza deGequi ; appellante o juizo, appellado
Pedro1 eserave do. Or. Serpa Brando. .,
1 AsgoDUrte dia pm juigameato dos seguales
feitos:
ApjPella.oes crimes.
ante o juizo, ar?pellado Antonio Gomes da
Appellante
appeiladj Joao BaptisU Gomes IVnna e Antonio
Chinaco M .reir TeiiqHtral, como administrador
de sua mulher, e outros ; appellante a companhia
The Liverpool and Globe lusurauce Compauy, re-
presentada por seus agenles tiesta cidade -aunders
Brothers & C, appellado Josu .Materno de Azeve-
do Santos. Nao podeiam ser propostos, em con-
sequencia de nao estar presente o Sr. desembar-
gador Beis c Silva.
DIA ASSIti.NADO.
A pedido do Sr. desembargador Silva Cu i ma-
raes. Appeiianles embargantes Si Amoriin & C,
appellado embargado Salibliano Severiano Mau-
ricio de Hollanda. Feilo o sorteio do Sr. Lopes
Machado era. substituicao do Sr. Candido Alcofo-
rado, adiou-se o julgainciito a pedida de um dos
dous juizes commercanles.
O primeiro dia til, em razia de nao estar pre-
sento o Sr. desembargador ReU e Silva, a pedido
do Sr. desembargador Accioli: -Appeiianles Bra-
ga iruio 4 C., appellado Francisco Bezerra
Burges.
PASSAORNS.
Do Sr. desetnbargadar Silva Guimaries ao Sr.
d'-sembargadur Res e Silva. -Appellantes os ad-
minislradures da uiassa fallida de Magalhus & Ir-
mo, appellados Carlos Pinto de Lemos 4 C, em
liquidaco ; appellante o Dr. Jesuino Augusto dos
Santos Mello, appellados os euradoris Ja massa
fallida dn Fernando Slepple da Silva o os adminis-
tradores da mesma. Ficaram sobre a mesa pela
razo cima declarada.
DISTR1BIIQO.
S. Exc. o Sr. conselheiro aresidenn distribuio
ao Sr. desembargador Silva Guimaraes a seguinte
ap pe la gao \
Appellantes os administradores da massa fallida
de Magalhes k Irma i. aiipeliado Antonio Macha-
do Gomes da Silva, tutor das menores Antonio e
Jos, filhos de Bento Jos da Silva Magalhes.
Continuam sobre a mesa os autos entre par-
les :
Appellante embargante Jacob Cahu, boje seus
berdeiros, appellada embargada D. Delibra Telles
de Menezes, esperando o comparecmenlo do Sr.
desembargador Doria, juiz eerio cm dito feito.
Encerrou-se a sessao 1 hora menos 10 minu-
tos da tarde.
i
Aca*rfMk*M*rJH<.*r-A*|i&Mir< rnaior nu-
mero ^^J^WW'S^1, em u-
vwa mu Immelntrj wr.vnjc- .to frr/' Brcifeiro, fue
lera d'ura em dMM>< juWffi ffllils p>wnita c me-
nos dispendipfa "<>
Una nova o Helia t- a,. ^urjjr.-.oV fundo do
co lirasleiro, urna nova provincia ser dentro em
rapbica
, mg>f%hn*,m+* otm:t; i> r,
Recorrerte o juizo da Parahyba, recorrido .oa
(puim Marque da'Cuaba.- .....
Ao Si', desembargador Araujo Jorgo : ,
Recoreiite o Juizo de direito de_ Burburema, re-
corrido* Ma'uoef Barbosa J Sifva.'
Ao 3r. desembargador Neiva :
Recorrerte o juizo de direito da Parahyba, re- m^ unMl realidade na carta g
ido Jos Praujwta da ^'tf-- __ ajf rasilJPK ra
ellwpes djJMs.
oSr. dcsciabntgadBJ)ouflfte.s Iva
Pilar.-Apllarito.J\ivenFTe!.'ira ios San
, appellada a JUtr.a.
o -r. desemnargaitar RcgMta Costa :
e Maria Pereira. -Appellante Ignacio ferreira
Oliveira, appellada a ju-tca.
Appi'llaijoe^ civeil. ,
Ao Sr. dt'senahargador Doria:
l)o llecife.-AJuelladle Salvador de Shjuera Ca-
THBknte, appellado Joaquim S. Pe"s-oI oe Siquera
Cavalcanie.
A'Sr, desembargador Ooiiiutues Silva :
(%Uoiie.~A|lpeftaate Aiisiies I). Carneiro da
CiiQha Gama, appellado Joaquim Francisco do
Albuquerque Santiago.
Encerrou-se a sessio a 1 hora.
A reforma da
esta na tefe na deifl^ao
E 0 que mais querein
que nio tem o mrito
choram, mas in>altam.
lei eleileral
tas liberaei
porqueoio
o deBDioCMo, por-
que nao riem, mas pragWjj:
Itaulleni, pragueiein efeora 0)artiJo con-
servador, nao recoardo ammli .,qoe vai seguin-
do, por que sabe o que fa; tem roa das con-
viccOes profunda*, o sentinrSuto franjadode b>
neficiar o paiz.
INitintasmagoriu.
Nao importa saber quem paga as publicacoes
buco : cunosidade demasiada da Proriana o
querer sabe-lo.
Oque Ihe oumpria averignar era se ellas eitpri-
mem ou n.lo o modo de pensar do enrddri ob-
servador se ha ou nao accordo entre as pessoas qoe
mais conianra merecem a esse p rtido na resera-
cao adoptada de fazer-se estas publica^es.
Entretanto, seinteressa limito; Provinriu saber
quem paga laes artigos, dir llic-hemos o par-
lid coiifervader.- a^ratraVimieitor?eiu ntenrr'
bros que conlribuc com :-uas uuotas.
O partido coniorfadi* seiiprv njaal-^ a- sua.
imprensa^em recorrer aos auxilios 'ua entregara
g^rerno pi ugreuista.
menos exacto que bouvs-e (u^aca,i f>|re o
partido & nservaJor e o Di Matnede de Almejda
accordo para subvencionar-fe o seu ierriS E^to
partido prucuruii animar o Correio Fe nainb*-
cano por meio de algmnas assignaturas qjte Re
adquiri, e nada mais
m
mumm i psibb.

PRE POLTICA
res ,.,j,,.
miillierinlia'di,tbo|iciivei; tii.18^Mi ^1*S&iSP-
Paarfflsp,#.waimejii6 ..q^iifo, r-J
receitax. a, genl^.db campo : xerjlr-
atlleAies.Sv^
0 rlntores 'allemaes* Toram'retTiidb pa-
Hisertcor- W papa- no dia 20 de julbe ^aviquaes Ihe leri'' i SfiSS^O
de Carbao 5fca,a1,fna ff&iwni ^;,.sfflj:
lo de Janeiro Expoz qual o dev;r dos pintores fflov6a' 93 embargadores AI
B^VLsU; diarrlwa.
Macand, ascr*va, i,gnorA'.8o, 3 mezes, Santo ,
Antoiio; colUe. /" QUlro ; .mHfflfi^W. BaoUs
thereza, paroV.I?er4a^ucof,W njets, Saata *K Ir' frte Aptomo / coayiUSt- r. .. ( -. w*mirtte o jn(, appellado
LqiOentq de V4c,oacegqs, %jico. Pemam- '***:#{
buco.,oannos, casado*, Pooo;.feDre BellOsa. ldaajnsl
Afltoio>, hranc, Posfuntm-, 4 ndos, S. Jos;
gaslrp emrito ebronjeo. L
Roiaualdo, ^VK^faa^&cjj, $tft^ San-
Silva; appellante o jika, aMtUadb Erawisco An
tomo de Souza 3lllnifru|roJLi)pellante
P%l 1 UM COISERV.1DOR
RECIFE, O DE AGOSTO DE 1873.
Os partidos vivem da opnio e a opinio i for-
mada pelo desenvolvimento pralico, que os parti-
dos do aos principios, que es^revem em suas baa-
deiras.
rT, pois, o partido, que traduz em fados as suas
ideas, o que pode formar em torno de si urna opi-
nio decidida e firme, a qual se torna para elle um
elemento de pujante e gloriosa vida.
Era laes condiQdes se acha o partido conserva-
dor no Brasil, o qual sempro alentado de idas
grandiosas e do senso pralhjo da realisace dos
grandes melhoraraentos sociaes, tem sabido' acer-
carse de poderoso apoio, nascido da opinio,
qiumdo ascende ao poder.
Eteo nos podem contestar. Os fados sao de-
masiado cloqucntes em prol do que deixamos dito,
0 paiz testemunha da maneira amspiciosa e
estrondosa, porque subi ao poder em julho de-'
1868 o partido conservador. Nunca o partido Ih
beraleni tempo algum, entre n, foi aho de tao
prodigiosas domonstracoes de conftanca por parte
da naco em pe4o.
Mas era que o paiz ainda urna vez se acabav
de convencer do que entre nos o chamado par-
tido liberal, que so irnicamente parece assira n-
titutar'-se.
01 paiz est inabalavelmenie convencido de que
os chamados liberaes do imperio sao nraita bons
homens (bons de mais) de opposieao, porque tem
o tlenlo especial de nada esquecer e ate de sonhar
aceusaedes; o as nao de govemo, porque todS.s as
vetes que se tecm achado frente dos negocios pn-
bucos, nada- teem feito senao mostrar qu* nSo
obram o que dizem.
Os grandes melhorameutos, as importantes re-
formas, de que gosa o pait, sao obra do partido
conservador, qne depols de as haver profunda'
mente meditado e de v las amadnrecidas ira opi-v
niio puWioa, tm tido a coragem de piVlas em pra
tica.
NS necessilamos do fazer urna rescnlia dos
grandes eommettimentos, realisados polo partido
conservador, porque elles estio tod. s gravados na
memoria dos-proprios liberaes, eraede coracao ap-
plaudem o que de publico censurara.
BaSta que o grande parlido, que se acha fren
to dgbverocao do estado, conttnne a honrare
sen glorioso passado, ctipy esplendor reverber1 so-
bre seu dourado futuro, para que anaci nfio Ihe
retire a-eonfianca ea opmlio,queconstiluempar
elle elemento de Vida.
E que razo hatera para se duvidar de que as
sim succeda?
Versos que o gabraete de'7 de marco- traduzlndo
en fados e sen glorioso programma, qne o pro*
gramma do verdaderr partido conserrador, tem
bemmerecido e continda a bem mereCef do
^aiz, que vai sendo dotado de importanle refor-
mas resUsatte com criterio e sabeaoria.
Para consolidar o dominio da aetuaf sltuacao
A nova l;T.ja de \ss;i Senhora da
Peuba.
I'ara a conslrucgao da igreja que emprehende-
mos, grandiosa em sua aiclijtedura t iulimu-
mente mais grandiosa por i consagraco ao
coito de Nossa Seniora da Penha, ja estao quasi
nos fallecend > os recursos, ainda que nunca no
possa fallecer o animo, a coiagem e a ronflanca
em Deus e no espirito religioso desla nobre pro-
vincia.
Diante da necessidade absoluta de meios para
conlinuarmos o nosso trabalho, ja tao adiaotado;
dame da carencia e (iroprios dos recursos offi-
ciaes, conselbo de mutoi fiis, nos appeRainos
para a religiosidade dos habitantes dea provin-
cia, alim de que com (lulos e jiferas possam
prosiguir em a nossa obra.
Em vista da prxima e irretnissivel entinceao
dos recursos, e sob a pressao dolorosa de parar-
mos com o nuss trabalho, de ficarem as pandes
nial acabala; em filia do braco que maneje i
trolba, de ficarem as inaderas cm a tuina ea
esboce pela ausencia da mo que maneje o esco-
pro, de Acaro mamnre mal desbastado cm lugar
do esculpido, pela ausencia do artista que maneje
o cinzel; sob a presso de em breve lempo ver-
mos, em lugar ua doce coufusau dos instrumentos
do trabalho e da agitacao da vida; estender-sc a
solido dolorosa, que ser para nos morle contris.-
tradora, e a igreja que promediamos construir
grandiosa e soberba para o cuito divino, licor em
ruinas, perdidofessim o nosso esf ji co e o que mais
a nossa- esperanca, ha muitos annos atagua, de
dolaruios esta nobre provinci:. cam um grande
templo, recordacao da nossa estada e reconhe
cimento pela bospedagem que nos olferecea esta
nuble provincia ; nos, fiados era Deus, a. palia-
mos para todos: para os homens, para as mu-
lheres, para todas as classes, letradas ou Iletra-
das que vivara do estoico manual ou do traballio
da iiielb'gencia, afim de sermos soccorridos em tk>
doloroso tr.uir-e.
Por alguus liis fui-nos lenil rada a i lea, em
falla de nutro meio mais proficuo de fazermos
um leilo de ludo quanto pelas nossas supplicas
nos l'osse offerecido. cuj > producto seria wnpre-
gtido na coniinuica dos nossos irabalhos.
E' para esse leilo que nos peumos e rogamos
a todos olleras, pira com o producto dellas ir-
inos prosegundo na nossa obra.
Temos cert'za de que seremos attendidos.
PJe a obra ser visitada. Se o seu exterior
offerece urna grande perspectiva, o seu interior,
tem nos atiesta Jo pessoas insuspeitas e entendi-
das, aprsenla urna grandiosidailc e um adianto-
raento verdadeiramentu animador.
E' para a sua coutiiiuaco me uus pedimos .1
todos e ludo. A donzella. a ini de familia, o pai
de familia, mesmo a crianca, n uito nos podero
offertar, com eujo producto muto poderemos ubter.
Se o ti n grande e digno, se o templo ma-
gesloso e consagrado a oracao, escada mysleriosa
que prende o lismem a Deus, nos esperamos o
concuo de todos, afim de pdennos, fazendo um
grande bazar, realisar um leilo, que lera lugar
11 dia da f.'.-ta da excelsa Senhora da Peuna, e
eujo produelo oaaito nos ha de auxiliar.
Nos esperamos que n*i ser desprezado o uosse
appello,
Rccife, 18 de agoste de 187.1
O prefeito ia Penha.
ru.u ^^,. m,.ww,v^i^, vr""."^ i mi wuaunuai u uouiiuiu as actuar mutiyau
Francisco Goatalves Cyalcarde,appellaaooiuizo ; nollica, bastaria-a1 imporWnlissima e sublime re-
appelUnte Juo Uarle Pereira Luna, appeflada a jornia do elemento servil, levada a effeito con!
juirtc; Ippeluiij d* lesftnBW^jdlbr pwriden?* tinta prudencia e-eu*vi de, qe ft exclamar a
Tnitffji
Gratido.
Os abaigp assignados, passageiros do vapor I*-
rupiina, surto no porto do Natal, altaxiam a uus
duplo dever, se do alio da imprensa nao viesseuv
Ifioular ao Sr. Felippe Francisco Pereira, uui vot
di gratido ocla delicadeza e cavaliieirism cuna
qne os tem tratlo o urna sincera liouienagem aos
senti.nenlos liuigantaro?, craseme mestria que
este .li>tinelo coiniiiandaute exhibi na occasiao do
sinislro de que foi victima o Inat. Senhora de* Na-
vegantes, e de ]u nilagrosamenie eacapou o mes-
mo vapor em a noite de 15 do correrte, na altara
da barra do rio Guaj.
'vento era forte, a noite estava escura.pela ebu-
va ij.ie eahia em abundancia e que f. rmava una
omplwta cerraco, e u mar agiladissimo paraca
qyi:rer devorar o vapor.
Davam 9 'j horas quando foniu os abala as-
signados sorprendidos por um chjque reconbecido
e terrivel, acompanbado de gritos da -soccerro
cuja ponto de partida nao poda: i precisar.
Dejase um abalroamento. X compresso foi
geral, o terror pnico I O digrio commandiBle,
porm, tomando o seu posto, ordenou immedia-
lameuto que um escaler tripulado cora 5 peesoat,
arrcie a siga era rumo dos gritos que continua vara
8da vez mais pungentes.
Deois de esforcos extraordinarios o escaler en*
cmtrira sobro os estiluaeos do referido hiato
pre; les a 6ubmerg>r-se, dez bomeiis que conslituiam
a sua tripalutm recebe-os a sai bordo, e oondu-
vtis aa^iajid^ salvos do eiai wpie oerigo que
convram^ do qual teriam sido viajimas iufttlltveia
seao-o acode os sentimentos humanitarias da.
commandante Folippq, e a dedicacao de seu bra-
Ws marinheiroa.
Desculpe>uoso Sr. commaadan:e Felippe Frua-
[isco Pereira, se, fazeoiu essa maaifeslc:u>, olfen-
demos a sua modestia.
Bordo do Pi-opawa, 16 de agieto de .1873.
Casimiro Pinto Nogutira.
Ernesto D. Aibuaatrqm.
Alexandre Pereira Cammha.
l'rancisco Fructuoso Dtas
Joo Baptista de Carvalho.
Sfromo Cesar Pues Barrito.
Francisco Lvii 4* Belm-
Antunia Pertira da Qraca Fila*.
Bento Pinheiro da Costa.
Joao Victorino Partir Nobre.

Jttrjr 4o Reeife.

ier-r:fV tem trtenra* Mfca,
^I*ir( 'OfiiSmif Wrr*>* *bs 1-mros- **; p**
# cb|traTttemeroseS
M rtltsarf'
rehmadasi
o mesmo 1
Rompo asilencio, qoe at agora mni preooiiuiL
menie goaVei, emoora- a onda do mlfluWad jm
dedeiuuito eu vj levartar-se 6-ii>, quo
na non** oe 13 do correrte invot iofelix ac
Fade>,me ciielft ... '..
|dbijury, appeHadd Jaaofbl Jtw de- MuNls e um norteamericano- enlhusiasraado: que no
sto do Nascimento, Brasil se lizera com flores o qne nM Estados-ni-
Castro1 Azevedo ; do s se conseguir cora o derramanieeto d muito
pjieilado Carnilhi Comes d* sangue. a
fetttt MWa, appel--; A reforma do elemento servil om dases pas-
sos grgantescos no ciimmtw de ci vjlisacSo e dom- Uammpmm d Suva Amorlm foJ-eaademnad
flajBea olVels. grandecimertto de uto pm, mi* linmoftslfca a giM#rpeoes p^o jory do Recifei
Benedicto por seu co- arjuelte qne o deram, rodelando-os w so do ProtfeH no Bbunal per um no jutgMnto.
de Sjoirea Tavares; ao- appio de seus compatriotas, mas anda d tenft*-" > Amoral pala rain** honre; verte- Mmiur pe- <
imniltsm. y^tedlj atrumaiilMe.' raaeo.poi*co, wn* nwvtn+tmiK eoeceito c
0 gabinete de 7 de msreo m par todb e-sem- *adaMo* de tde.agoslo. fai.ar
as" pr abeniyiado'peFa nae3 com applaaso na mstoria da putrl.' I ^Bl Magnos.
Mas nao- tica ahi: a cmal simarle ntii esgoWn*- v No triftwia+nSo adttc* niew.
se (56tta'krarkJlro'WnHW>;realw!doee*lr^ Wlnelieliaetoqeaaeiadoorg.
,nou, por ventura, prnni|
i-
ou

ft!oininsavet#-detdldk -m
(Mjimiis retoPrfc^
tWM realidade pr- o esaei
nrandecimento com QntotB'maunn.jttttn wirin
ni o sen creseimento. e! moraes, aggravados por tuna
a,-mitote adietad*?
le fat,;, ^r.Wptorxl.!.l_**r r im
iMhcnr^?' atetlw da>i. mmtUtaa*
paivoee.
da.
i
\
m









-


r
-*
!

k

***
.Wmv&hjfofatm&GQ ^kmlh^mMrJ^^t^6as1&
, 3
vra,j
"ebrucavim, ataa obre as cad
"SJSUKl fazer',\e*
os pepres cegos, aquellas
em torno do jaaj
fiSo qjierem ver jfe lo p procer, i|u;
seria ttesgraca pari a m f absolv*)
lievoeonTessaramiuha gratidap aos,meus pon-
cidadios, que nou'lle da, apezir de todas aspre-
VcnjSes contrae meu cliente, prestarara me amis
religiosa atte.nc;So, o sempro coro extrema beneyo-
leOi'ia abnrira-nte" cam'oho as muitas vezo.-, qm
''Ote do ieixar a miftna cadeira, em proctfra de ar:
aem um gesta, nem nm signa! de impaciencia ou
desagrado (.ma eiwjaaeise ivi'ipeu conhocimente)
deu motivo, a que en tenha urna tiuexa pessoall
"" ^inaWfidHorio do dia 13. E1 meu uncjk
"Unitivo as M-Nras d**e dia ; Wi9. lenitivo pode-
__resq, porjue, antes de ludo preso a estima 09;
*e me rosPfitto'wi^lfnlScasio ferir di reo"-.
' aaaavas fuaeresas da pov > p*rnambuca-
Wt'de aii7w',w bs wh-w, talvuz variai-
nanrada db sea ,?** 5 mvs abslve-mi em
tu rtrinha misino, em .***DertO' tribunal5;:
JjfeTfie hnrnrisa Urna e laJcmn.^'P0'" c^'
W**9, ao metros nao fnhn 3 roajruade lav" ^ei-
teada uin atoaviciTa de igual Cunln.
; NSo quWo f'er o Histrico do jnlgamento do
*a 13.
Ao trabalho nigua tenaz, taita, na imprana,
indo-se aten disjnbii?4> > soriftos aecusadotes
10 reciatqf de Jributial, tq|ef> pumente oppor ira
aprefso. Un
AMSa'ia|rlz.i>fc-JMkiraA-liMaHi jfi (4l paran trapiche Cooealeio,
Importaran
Granja, vapor nacional pjjutto, consignada i
companhia pernambucana, nanifest
Algado oUTMjCJi1kfi|qlPereira VI m'inho, 60
a Joao B. detPnVenaywMs Leito & Innao 14
ordem, 50 a J. PaeVBarrelq. ,
'Couros 55 Olh-HraFilrio A C 90 a Jnlio
Paes Barreto, 288 a S Leftao'& Irmios, 0 a J< B,
de Olivaira. Carne 4 garajos a Braga Gomef &
C, 1 a Moraes 4 Irmo, 5 ordeni.
Milho 200 saceos a Praga dt ftwua
Pipas vasias TO a J. PaeS Barrito.
Sola 37 majos a qrdem, 1,20o' a. Maraei% Ir
ralo, 648 alaLeiim *tfn*o, 1,330 ^ra.
Sobo 1 barrica a Braga Gomes & G.
rtf *>
Terra-Xova, hrigne ingtez 'Man/, c/onsigajalo t
J5hnstoi1B4ter.i1 C, pianestou ;
BacalHa^f)48 InrmcasHos" ^Asignatario ((i
Terra-Nova, escunajingleza Branca, consentida
a Wilson Bowv di C, manifestou :
Bacalho tMJ barrica aos coasignatarias.
aataati ios
lien Mi
uiiii lenitivo ijne posso de
prqMuta offarecer ao meu infeliz cliont*
Sd jjniwoa, aettlatocito polmicas: -espero d
Uaar* dia.
Se Deu< permittir, hni de pleitear a mesma can.-
a, na qtlal dora avante renuHciei todo e qdalqUer
honjrarw, mesmoi'ra'juii. offerecido.
Hi'i d pleitea-la por amor ju4i?a, qo reputo
f rire/unte foriUa pela soatofa da aoite de 13.
aio Jesespero de ver a multidao fas mem ir-
tilasdo ojvo reudendo preito voz dv( Vetdade,
.Seadas.
E ui j desespe.ro da anehngar as lagrimas de
um inlo hunrtido, e de vellios tois ojue multo
ting-* horam se tties al-flitos de vida pelo lilho
neJr^pradn.
Ko rai nestas linlias urna atlasap peasoal a
qem qr ipw soja respeto a todos, e fa^o- quan-
to possivel para ser de tolos respeitado
A iinvescao fez da rtFrocesso simplesmedfe
monstruoso e minstruasaraeate simples mu cm
$a alebr ; e, embora iraca para altos commeUi-
mntos, tudo empenharei per beiuda justica, san
dar un passo, como at hoj, alm das 'raas do
met ministerio, que sempre "aei honrado e procu-
rare! honrar. ,
Nao se veja aqu o minimo estimulo de amor
proprio.
Disse no tribunal a repito: fy como advogado
tenha algum merei'iinento, o toesquecer-me de
mim, para lembrar-me s c so dt sansa que me
confiada.
I>uas veies Berrysr (e era o g-aio Berrver' 1)
onvin ler a sentenca de moite de lhors. tal-
oa tefeeira vez. e a innocoacia je seu cliente
o proclamada ?
Por Maoel Gomes da Silva Araaim fallara cu
J) vezes, se tanto me fosse possirel; e por isso
nesuio aite em nada sou comparave an primeiro
rofadn ifo si-eulo, se na trigsima trinmpha^se.
mor do que o seu seria o meu coimlatiunto.
'ora avante (e intencionalmante repito, por
qarar as armas da malignidale) seei advogado
de Anoiim em pura komemigem ninha con-
vicri. ao meu amor jnstka, m ctja baladca
nao iifluem considerara is iltnaeionall.ade; o cri-
me fempre o crime, a a ituocencia to tem pa-
tria.
Possoestar em erro; nHmeJffe t^nto o pfo-
cesso, alei.osprincirios do ireito, qti j agora
me parn impossivel nao dicr sempre, '.orno-digo
ayora :
A sellenca do jury dofteeife, na oita de
13 de ag-iio. fui urna obra c smnma injstica.
leete, 15 de agosto de IF3.
Dr. Afigb Gvimarac*.
A todos es meus amigos ae se dignaram assis-
tir as exequias, qu>, pelo dieanso eterno de meu
^o-Tid 1 e sempre lembrado liso, mindei celebrar
aodiade hontein igreja a Nossa .Senliora da
Concei\'ao dos Militares, coDgro.'cheio de reco-
becimeiib) nm voto do profida gratido.
Heeife, O da agosto de 1S
Emilio Xavier jbretra ds Mello.
ras para o exacto andamento da empreza.
Art.
vacio
Revoga
y as qun-
nb'.ce|ia-
'
dpepdenle de ap
em contrario.
ia da
lo de
teaj
dar ct_
8 de nnio ultinn,
Mtm quiter
se faz p
side'nte da_
da Jei n. 01 de
cripta, convida a
trueco d di matadouroe
renos para lagradonrjs, onde
iluda* as i%zeadu:tioadasu> c
aprafcwiurem mus pTopOst nu
da; a contar da presente data.
O secretario Interino.
eUJsa- o#ecoatA.i-de jOabo *lo,oatteiHe anno,
antes.dis^olvijla do> mutuo acordo.
i- Bastos Martlns, drma commandi
r .. d*/a*ViAW*aW*
Le n. 1101 de $tTde mito de /wLi|.g^ se\rf
, {ere o edita! suafS.^ .,] *
Ajrft'-r'iWiamBwA o'pr6em# da pmlqcill
autorisado a contratar, mediante.iptrilegio iatr
iSVACHO DE mMftTAtflk fW'OI* PE
A i.^WUi|LD1873
Para 0$ porlos do txiHor
!f-j iyio flraacej Coliany. lfa.ra o Havre,'
carregarft* : *lio%> L*i* litfO cobros
verdes cora 42,000 kilos. [ -:i
Na barca portugaaaa Despique II, parC
Porto, carregaram : A G. Soare i G. i calxa
com io Kilos do doce.
No patacho hespanhol Arthurito,Xfun. Jlon
-tevido, earregau : #. M. de Mattos lis coco
seceos (fructa).
J(na o Bttol do iifi-m.
*- Para o Atacaty, n hf.rte f>asTlerto Olintia,
oarregaram: J. B. de Carvaluo 7 barricas cfcm
37 kilos de asstier branco.; M. J. Gohsalvcs
Ponte 3,ditas com 195 ditos de dito.
- Pira o Para, tia Barca poftttguBZa :S. 'MMa,
carregaram : Amoro. Irmios & G. 112 barritas
com 9,568 kilos de asiucar bi anco.
Para o Ilio Grande di Sul, no lugar naeional
Todos os Santo, catregraln : Amonm Irmaoa &
C 53 cascos cora 38,400 litros de agurdente.
Para o Bio Grande do Sul, no palatino aa"
clonal Rio Grande, uarregiram : Amorim IrmJos
& C 20 pipas cora 3,603 litros de agurdenle.
Para o Para, no patacho americano Jdhit
Kosel eafregaram : B. Olivelra Si C. 110 da3os
rom $2,800 litros de agurdenle e 3 pipa- com
1,440 ditos de alcool.
Para o Bio di Janeiro, no vapor ijrasilclro
Tajapuri carregaram : Amorim Ifltos i C. 3
caixas com oanna em pedaijos.
Para Alagoas, na barcaca Veneza, carrega-
ram : Algonez A Garvalho 4 barrica com 24 kilos
de assucar refinado.
Para Alagefls, na barcaca Unirto Fraternal,
carrean : J. D. da Cunha Lages 4 barridas edm
307 kilos de assuiar reliudo."
Para Paraliyba, na barcaca '8. Joo, carre-
tn : M. J. Soases Gaimarles 44 tabjas de ahla-
rello.
ctrso poDlico, sob as sepalhtes conneftes :
!. O contratante comprar ter*w"para h>
griaWros nos logare njqaalfarauaBticanV*. '<
4. O matadttrp^srj .postBido 'aagundoa
planta q,uejMr4 ess( tu fpr dada pela reBartfcao
das o"bras pttbficas, e approvatf ^Ri .ptjesi-
denci '*nw"r o ':
3. O contratante receber dous ailj-isipor
P/Ja boi que Or,racolhida aa )p^raduro e tama-
Fra:
sent;
ro, e poc
portugue
po." ros
44 desla
20:000/
pelo socio responsa
ue rear!
ao brasll-I
erreira Gnimaraes,
ierco de faze
ue de Caxi
e J:000/, "
nditaric, e I
Esta sociedade, que
pudend
.j>ssi!e pintado de Ditet,) sei^idonrsilos,- 3^000.
' 4,^eBe.'*iJrr>) 'stmpK' puclado a don ex-
vallos e caixo colwrto com mu panuo prcto de
Ja, tada suwute urna cruz branca no inoip.....
Alqo dcjuas classes liaveri carro de luto *
iprazlmento das partes, e cuo pregu nap poaer
exeeder do KI9f, jnchiindo o alugael do panno ;
poder iser
..Janditarli, disjiol-
vida por accordo mutuo dos assoelados; 'ficahdo
estaasleaidoqno todo o aetsvo pamvo da extjuc-
ta firma ttoaria peraweerHln ao socio Antonio Mar-
ins'Muraaa ; asado pa> o sacia Joo Auton q sU a fasto do uuro o Jorrado de aetim,. tudo
Silvitoaasake de stireapitai lacros, na importan-
cia e l:00| t o cooimaiidiiarlo rom o 8BU cpK
t* toeros rotra-se, dando ambos a neceas^
Mtaca aoial>BBdio AMOaioMartias aturotr*.
Ituiaoi > aaig.aHunsMsia israttt
coiaV'fl
^emsskSi.
m-xMssamdB pr urc* 'mifavatTdwaaapfcuv ,,
0*r*siina>'a'pertaa:w. *(anclo.'a*oai(io^,
qiiHUPwe ira o activa ssi'ooiat,: "
a cakikcftM) *t,um-iat|sdors e-* ***Ml*miJHml-'*kMmia*#mi*& .mmtift
de terrenos'para ,logcadouw*> oade' *e^dat^a^aiafflidade, rw^a4^ ian para
ppssam ser recebid^as aa rezes d,est(nadas ao,co>i-
se!r.capiti e ImwM *#m.
Silva Maia & C, firma que tambera gvraanesta
praca>qae.saalfchr-Ae*i'#sfWweeudo; lo o o
M activo e passhr ao oca J*o- Farati des
Lopes, recebendo o'WSl4llil9fll BJiJdl lt Iva
Mlaabda o sea cHBttal MMh,/ oniferme o\uc
neqa^s^bejyidf, n^UnayrJBqcia deyiO4:8O0*v
rq
ft,_., a q foruaoo, uu^lic/.
Jt ?i,n,aP privilegio,, os logtadouros e o 01a-
'r/firarJ1 pertencendo 'camar
tadouro ficar*.
municipal.
de qualqucr retribuieao.
lot)7
OAPATAZIA DA ALFANDEGA
rtendimanto dr, (lia 1 a 18. I|:24(l03
dem do da 19...... 4-77233<
15:998338
4 llutrl.S9nii camnra.
Con?ta-nos-t|u se prete guerrear empresa
dramtica, qte fitncciona nparracao do largo de
palacio PreVcnimos qumter senhor que, com
preteneSes amorosas ahm 1 cjmica, manejar
armas proprias smente dcalungas e cobardes,
que estamos de peana apHa para levantar o veo
queenriAre-lhe o reprova c iniustiflcavel pro-
cedimento. Cuidado I I !
Quem tem dignidade a -nra nao se envolve
eni questaj de cmicos I
F *a os abusos.
(fiscal:
I:
I a.! |>iiluvra ij cll<> que
li'roni de alitysicu.
A xpeetoracao de inucu.dadcs, tosse fatigadora
6 costinuada, pulso precipido a pulso inflamma-
oiSao symptomas desfavjratels ; porm, nem
por isso deveis desesperar, se tcSo depositasdes
toda a rbssa nmlanca no lulnonieo o man po-
deroso e admiravel entre todos\fc! mais conheei-
dos, uto }, o Ptyioral de An'fctufa de Kemp.
Em millares de clisos similhanfcf, os enfermos se
restabeiecram a adquiriram a sta saftdn. Aasim
como o atette abranda as ondas do embravecido
mar, pela nesma forma, este renedio applaca e
aca^H* s svmnlomas febris que companbam a
tosse, eenstip^So. broichites. pleitesa, asthma e
catharro?.
t'zai o. pois, o mais breve que vta seja possivel,
eainda mesmo embora (jue a enftrmidade j te-
ma feito tefriveis progressos, com tudo isso na*
tenhert medo (|ue j seja demasi;vlo larde para
nzantes deste grande a impaga ver remediof o res-
taurador da vida s sade dos mortae. Penses da-
qaelies qu( o nzam e o sabem verdadclranrente
apresar. *
VOLCMES SAHIDOS
No dia 1 a 18......
Pnmoira porta no dia 19. .
Segunda porta.....
rsreeira porta.....
Trapiche Conceicao .
SEBVfOO MARTIMO
\lvarengas descarregadas no trapiche
da alfndega no dia 1 a 18. .
Ditas ditas no dia 19. .
Vavfos atracados no trap. da alfndega
Wvarengas........
So trapiche Conceicao.....

20,577
10C
63
29
1,211
21,985
5tja de Misericordia do Itccif,~faco saber
iudependeutemeDK' ue i""1!'- lwn'11^"- que, qjn cOoiprimeiUo da le n.-Utl de 17 da ja-
d* retoljewfll do rendas nho Jb crreme anno es_t abena a concurrencia
para se contratar o servco mortuario c de ca ros
funehtfk melral U Wld-se f*W !*t f retaru
at o da II de setembro as^ 3 ora v? ^T-l,
para serem abciaa 41a sesso .da jppta nesse
interniSK^t^' Viffl.^
do art 74 do regulainen t*&1 ^ .",d m*r<<>
de 1860, avisa aspessoas aba.\^ mencionadas, mo-
radoras as freguezias de fra ^rv'}1 de e einlu-
gares ignorados, eque oiam mu;ada^fwr 'nfrap-
Co do^egnlm^lo n. 43S 9'f' d"feo de
1871, que Ihes Oca marcado o praza b^ -f dias,
eontado do da piiblicaco deste para vire;,Q e(ec
tuar o pagamento das referidas multas, so.' Pe"
de se proceder a cbranca executiva, a saber :
Joao Bufino de Souza Migrimes, mo-
rador na fregu H da Varoa, mol
lado em 100000
Jos Ferreira da Silva, na de Jaboa-
tao em iOO'O
Mariano Pereira Cabra!, morad t em
Agua-fria em 10fJ00
Joaguim Naroiso da Silva Jb C. (gnora-se
a*residencia), era lOOXt
0 bacbarel Chr\stovSo Xavier Lopes (ig-
ttra^se reSidenoill), ni -10*000
O Ir. Flix orano Bmiido (gnora-"se a
Asiddocia), erd IOOOi
haqithnDamrngties daCosfa (igtioft ^e
a residencia), em 40OOU
Recebedoria do PeTnambuo, 11 de agosto de
1873.
lu l f rneiro d Soiiza tfccefS-.
Smo^-^ws de Mieeptoorqia
i TJiun do lllm. Sr nr nr.iv,
a (Jasa de Hisericflrdia^oR!
Santa
Mitnoiia
xn
41
1
43
KECEI1EDOBIA UE RENDAS iNtEBNAS GE
RAES DE PEBNAMBUCO
Rendimento do dia 1 a 18. 39:646*328
dem do di 19
948323
40.594*851
CONSOLADO PROVINCIAL
rtendimento do dia 1 a 18.
dem do dia 19. .
33:473*197
6.398*440
39:873*637
HECIFE DRAtt&GE.
Rendimento do da 18. .
dem do dia 19. .... .
1:111*993
865*534
1:976*827
fetaseraiu salguns inedicoi.
r=-Todos os remedios d> Dr. Ayn sao xcel-
limtes, mais o pbitohai Dg cereja adiniravel,
nao conhecemos remedio melhor para tsses e
defluxos.

COMMERCNL
PltAi;.i fcX) RECIPE 19 DE AGOSTO
DE 1873. y
AS 3 1/1 HORAS DA TARO*,
Afg>e-de Gf>yaiina 8*000 por 15 kilos.
Alg.jtlio -d; Peruaiubuco 2* sorte 6*460rpor 1*
kilos.
Cambio solwe r^oedrasa 99^,v. 23 *1i2 d. do*
!<*, o balea.
aDourcq
Presiiienle.
B. de VasconceHos
Pea aecrewio.
eesmm
mmmnn m pobt,
Navios entrados no da 19.
Granja e portas intermedios-9 dias, vapor na-
cional Ipojuca, de 360 toneladas, commandante-
Moura, equipagem 31, carga differentes gene
ros; companhia pornambneana.
Liverpool47 dias, barca ngloza Dolphin, de
383 toneladas, capitao C. O. Oldfield, equipa
S?m 13, carga plvora e outros gneros a
impson 4 C.
Navios yihi'los no memo dia.
Parahyba-BarW fngeza Hkfanda, capitao Ge*-
ofge Hill ; era lastro.
Mossor-Brigo inglez Jtortkern Crown, capitao
.Beynou, em lastro.
Mossor Patacho allemaa Mlmira. capitao J
Krohn, em lastro.
Rio de JaneiroVapor nacional Tupapuru'
mandante Paes Lame, era lastro.
- O III ni. Sr. ifftpfjor Ja tfcesouraria provin-
cial, em cumprimento da ordem do Exm. Sr. Pe-
sidjnte da provinesa, de 8 do coinmte raez, man-
da Tazer pubHeo qne vai a prae no dia 4 de se-
tenlbft) pw^rhe "YindonVo fisrame a jinita desta
thesouraria, para ser arrematada por quem por
menos fuer, a obra dos reparos de que precisa a
ponte do Desterro na estrada do Norte, serviudoj
de base o orcamento no valor de 1:504229 c as
clausulas especiaes abaixo transcriptas.
As pessoas que se propozerem esta arremata-
pao eompareram na sala das sessoes da referida
junta no dia cima mencionado, pelo raeio dia c
competentemente habilitadas.
E |inra constar se raandou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Per
nambncA, 18 de agosto de i873.
O ofticial maior,
Miguel AITonso ferreira.
Clausnlas espeeiaes.
I.'
A ponte do Desterro ser executada de contar-
midade com o ornamento c planta approvados pele
Exm. Sr. presidente da provincia na importancia,
de 1:804229
2*
O arrematate dar eomeco is obras to prazo
de la dias c as concluir no de 4 tnz*s.
3.'
O pagamento ser Cffectuado em tres presta-
coes iguaes, corespond ndo cada urna a trra
parte do trabalho executado.
4.'
Para tudo o mais que nao vai especificado as
presentes clausulas, se observar o que dispe o
regula- ment d 31 de julho de 1866.
Conforme.M. A. Ferreira.
, Os proponadles torio de submetter-se s dispo-
sftoea.ua tena Ja ll ebUl* a.*ozidit3es que vo
abana traiscriptf^ de vendo versar as propostas
a*MBfSie sobro: dai We aa; otaNdado sa
precoi-consignados como base as tabellas abaiac
. tombem imbHcadas ; sendo proerW-j u^Me pro-
!?on^Bie que maidt abate 'offerecer em ta'isrpre-
?os. ilXMiOIrTfi
Ser.r, larad Sania Casa ia Misericordia aV> Be-
cire, iH ue agosto de 1873.
)f) H-lM^ftaWJlfSaV aaa*.
jft^ LEIN. 1121.
OiH0iarel Hfehri(|ae Penara-de Lucona,ebm-
mendadorda imperial ordem da Rosa, cavaihei-
rd ii ii fcfKtn, jnia de dhviio e presidente' da
provincia.de l'eruambuoo :
'Wco'ilf a lados bs .^flus habitantes qbb"i as-
seinlila legislativa provincial deeretoo eeu sade-
eweei k *tto sbguint :
Art. 1. Fica sob a direccao da Santa Casa de
Misericordia o servco murtuari 0 de carros f-
nebres desta ctdade>----
Art. 2. A mesma Sao* Casa poder contratar
com os ^ rtualihiite' fazein este servico ou com
quem melhorcs v.ink)gen MTereeer o referido ser-
vico, sob as seg'ni ntes nases .
!. Prato tfofica rtidiof de 20 aunos para o
fontrato.
2. ObriiMcao d iBdflmnisar o Contratante aos
doma* estabeleclmentos de carros fnnAres ecs-
tentes nesta cldade.
3. Doaco nunca menor de vinto e cinco eoli-
tos de ret annuaes, por fwtle do contraanle, para
o fin) de serem applicados obras dos estele-
cimentus da mesma Santa Casa e especialmente
an asvlo de alienadas.
4.' PrcrnS *; enrrV rutearos tasados dm 'tima
tabella, qne deven ser revista de 5 em 5 ahos.
8." KespsMb.tolal e completo das laxas obradas
aciualmento psMa mumVipalidado.
6.*:OBrlgrcSd resirict de, Ando o contrato, en-
tregar 9 contratante a mesma 8anta Casa todo o
material dos seos estabcietimenins em petfeito es-
tado de consorraao e saai nenhuma iademnf-
e carro 4
em forma
Os carros para doTizelas sefio iguaes na forma
a no preco, variando smente as cures a ornatos.
Prenlos
1* classe.Carra eemelhapto ao da 1J elasse"
aara- adultos, sendo o caixo coberto de Velludo
de. Ores
apropriadas, 50*000.
1* elasse.-ijarro semelhante .aos da ^ ara
oimi cores apxppnadai >endo ocaixo
evlbum* n<*rjr*| atre imerior ao^de l* elasse; moo om as cfcres
ipuadas. (is caixocs desta e da 1" elasse) po-
rao'sej. pintados c dnrados ou,prateado,i se
as parles' nfsso convierem, 30*000.
I'elasse.-Carro timples
bein
..mples semeliante aos da 4"
-adultos, pintado de cor apropriada, e
assim o saixo, If'"
Alem destasCtresgCl
de luxu, cujft pn'jfl
O carro de luxo e
Edital n. 39.
com
.
DITAES.

4LFANDBG*
Bl4lhRfe M#|j <8. .
Me do dia 19 .
9M:43W8b*
51: 6*405
6f4:79*tJl
asearrefam hoje-l de tj&sle dd 1873
Esc ana MI ffideza-C/*4rini -(atracada) mor
eadorias-aana) aaaaiaef. .
Bare* iogls****? f SvtJuritmd^taaraaflb.
risa paraalfaadag.
Patacho amerieaai>fiara G##sVvaria gene
ros para o trapieAe eoneeicje, para ees
aachar.
Cseaaaioilai .^HOfaValr zarragaaa aaaa.0
. taapiehe da alfaaega, par* espacaan'
>ftaar saglez^imfer-oacasaao ja desaaeaado
Secretaria da presidencia de Pernambuco, em
18 de agosto de l873.-Bdital.-Por esta-secre-
taria se faz publleo aos qhe interessar possa que,
tendo o Exm. Sr. presidente da provincia do dar
execneao Jei n. 1099 de 18 de iilaio ultimo,
aliante transcripta, flca marcado o prazo de ses-
senta dias para serem apresentadas as competen-
tes propostas, em cartas fechadas, para o contrato
de que trat* a referida lei,
O secretario interina,
Adulpho Lamenha Lins.
Llil N. 10|9 s>Blt)EMA10 DE 1873, A QS
SE REFERE O EDITAL SUPR.^
Arl. L-t presidente da provincia, tentoim
wsto o oBtralo do 26 de afbrtf de 1856 e1 o gie
ttoipSe o art. !. da le ir. 386 de 27 de WnhtJ do
iesmo anuo, contratara com qnem mellseres V3n-
wgras e garantias OTerecer, a-construeco de utoa
ou mais rabrfcjM de gaada illamioacao (hydroge-
^^r?U^ ra &n -de oroeaer else
r^SZJT^ ?** 4l'n aos combusto-
M* SfJT d0: Recife e id &w rabaldas que
de coaforOidade com a referida lpi o, 386.
tos bases: ^"^ ^ 1*wadj SOb M "***]
81.' Privilegio par lempo aiMca raawr de taa>
la annog, durante os quaas neabama ouira em
pr.eza do me&ni enera so poder estabeieccr
para o mesma no.
S 2' Prese par pe eubioo de gas, nanea raaior
ae seis res, nao podando o consumo ser superior
a meo s per-aera para os partrcaraTes.
I Preco nuaca mafaV trhu res por hola
para os corabasares paWces;c#m tanto que a luz
destes seja *erieapondt Me doze velas de as-
perraacete, (jonsumindo oada! ama 144 graos Je
espermacateporhofa. j
1 IHrajio aa illaaaaacab publica ds seis
Pela inspectora da alfand-ga de Pernambuco
se intima ae dho ou consignatario de dous esea-
feres petiortcentes a brta mgto'a Erne.rgy, nau-
fragada em 1871 a 2 milhas ao norte da'Parahy-
ba, osquaes conduzindo a tripolaco da mosnn
barca foram reColhidos a esta alfandega em oatn-
bro do mesmu anno, para desparta los dentro do
prazo de 30 dias, sob pena de lindo elle, serem
vendidos os mesmos racnlercs por sua conta, sem
que Ibes fique coinpatindo allegar contra os cffeos
tiesta venda, visto j so acharara em mao estado
os referidos e-calores.
Alfandega de Pernambuo, 14 de agosto de
1873.
O inspector,
Fabio A. de Carvaiho Res,
I)
Sexta-Wfa 22 do crreme mez, lind.t au
diencia do Dr. juiz de orphSos, pelas 11 horas da
manh, rai praca de vonda o sitio de Beber ibe,
denomnalo Olho d'Agu3y na estrada d'Agua-Fria,
com casa de taipa e olaria d-: lijlo de pedri e
cal, com algoma arvores de ffucto, tendo de ex-
tencao 850 palmos de frente lado do nasceqte,
850 palmos de lado do poente, 1,200 palmos do
lado do sul e 4,200 palmos do lado do norte, toldo
avahado em 4:350 ; um terreno na ra de Oli-
da no mismo lugar, tendo" a frente para o sul com
180 palmos, eomesmopara o lado do norte, por
200*000.
Faro constar a quer! convhr que oltlin. fer.
Dr. director geral interino transferio o eicame de
verificacao.de capacidade professional para o ina-
sterio prtario do sexo feminino para o dia 11
e setembro prximo vindoro, pelas 11 horas da
maahi.
Secretoria dainstracoSo publica de Pernambuco
18 de agosto de 1873.
. O secretario.
Aurofino A. P. de Carvaiho. |
As senhortls que quizerm preslar dlfo-
exaine.
Art 3.'.0 eontrtto e> quo se trata no art. ante-
cedente ser submettido approvacao do presi-
dente da provincia, a quemfica igualmente incum-
bida a revsao das tabellas de precos dos carrds
fuimbres.
Art. 4." Findo o contrato a Santa Casa conti-
nuara a fazer o serrico nefle estipulado, respei-
lando sohipre as tasas mdnlcipaes e revendo as
tabellas no sentido de baratear o preco desse ser-
vido.
Art. 5." Ficin rovogaatas ias disposicoes em
contrario.
Mani, portanto, a toda* ;uautoridades a quem
o conhecimelto e execneo da presente resolneao
pertencer, que a comprara e facatn cuniprir o
integramente como nella se conten.
O secretario interino da presidencia desla pro-
vincia a fa?a imprimir, publicar c correr.
Palacio da presidencia de Pernambuco, 17 de
junho de 1873, 52' da Independencia e do imperio.
L. S.
finir:f i,: Pereira de Lucena.
Sellada c publicada a presente resol iieao nesta
secretaria da preaideucia de Pernambuco, aos 17
de unlw de :873.
O secretario interino,
Adofpho l/tincntia Mu
CO.VPlcriKS PAPA O CONTRATO DO SBHVIQO MORTUA-
RIO" f. DE CARHOS FI'.NKH.ifvS.
1.* Dnraco do centrnto por vinte annos, lindos
os qaaes deven o contratante entrerar Santa
Casa, sem indemmsagao de natureza alguma, todo
o material enipregado no servico mortuario e de
Icarros fnlires, em perfeito estado de conser-
vai'ao.,
.J. Obrigacao de serda pelo conlratanle indem-
nados todos, os esjabfdecimcolos do carros f-
nebres existentes ntsta cidade.
3." Salisfacaqda doacao "^anual de trinta cdn-
tos de res reansaOa do anno integralmente
no acto da celebracrf do contrato e as dos au-
nas -seguintes em prestaeoes trimensaes pagas
adiantadas.
4.' Offereciaienlo de fian?a idnea no valor
da dita doacao.
5.* Obrigacao .de submetter-se o contratante ao
pagamento das tsxas actnalinente cobradas pela
muni'ipalidade.
6.* Imp'osico de multa, que nao sera menor
que 51*000, nm maior de 100*000, sobre o cch-
tratante nos casos de insoBlcicncia de material ro-
dante, de animaos, de pessoal, em summa de tudo
-.o t|ue for necessario para que o servico contra
lado so faca cora preuiplido, ordem e lim-
peza.
As maltas serao impostas pelo membro da
junta d^ SM. asa cnearregadu d fiscali.-ago
deas,'* servico, liaven.o recurso para a junta, e da
daclsaii desTa para o presidente da provifteia.
7/'A irtipbstcao de mais de dez mullas dentro
de ubi ando, por qnj.'ujir ora Oqb motivos ex-
po?ts"da'h4 ntgar a^-sci-ae dfi coftirato, rever-
tendo todo o valor da uanca prestada em bneli-
pder exceder de 100*.
- o de l' elasse, tanto para
adJ*r*>'Mna Wa ,parvuJos,4er|i| boleeiro e
cnado", vbstindo Vida nnre.
0 pret da Condtieeao e vestuario des cadve-
res, que se' acharem lora das fregneziae de Santo
Antonio, Becife, Jos e Boa Vista, ser augmen-
tado com 5 OjOpor cada Jiloroetro, a partir do.
largo de Pedro Ij,
'4m2L TABELLA-B
Arma^T he ecas
1* elaase.Eea com tras estrados, cpula, fi-
gura*, eroufciuas, guaruico de velludo, panno
lino, gloes de ouro ou prata cotrelitios, trinas,
bordados aburo a enfeiles ouradosouprateados,
creps, penachos, 160*003.
2" dassp.E^a coift tres estrados, figuras, em
'tiernas, guaroicao de velludo, panno fino, galoes
de ouro ou deprata entreftaos, trinas, creps, 80*.
3' elasse. -cij/l cora uous uo....^. _...... H
de vlbulina, lazenda de la, gal5os de palhe'ta,
trinas, volante, 40*000.
4' classe.-Eea coiu uin estrada guanajeida de
baela, volantes, galSes de baixo preco, 10*00.
Alem dessas classes poder o conlratanlt, a
aprazimentodas partes, armar ecas ou cenotaphios
pre#o.
^TABELLA-C
rnftw fikkgUhv. igobjas
,-, ,; tf Priuieira elasse
{,* Guarnico de velludo, panno fino, e galoes
Memas, franjas de ouro a prala entrefinos em
eni cada aliar lateral 18*000.
i.' Dita- as capellas muras 24*000.
3." Ditaem cada porta 6*000.
4." Ditaem cada tribuna a pulpilo, inclusive
colcha 9*000.
5.' Dita-no coro por cada colcha 3*000
O forro das paredes da igreias, ser feito pelo
preco que o. encarregado do funeral ajustar com
o contratante, atienta a natureza e quantidade da
tella que se houver de applicar.
Segunda elasse
1.* Guarnico de vclbutina, fazendade l, galoes
e emblemas em cada altar lateral l*0O0.
2." Dita -as capellas mores 16*000.
3." Dita em cada porta 45000.
4." Ditaem cada tribuna c pulpito, inclusive
colcha 6*000.
5." Dita no conro cada colcha 2*000.
TABELLA-D
VI.TFITARRDS DOS CADVERES
Adultos
Habito de alpaca fina das, diversas ordens reli-
giosas 16*003.
dem de alpaca de qnalidaJe inferior 12*000.
dem da dita mais ordinaria 9*000.
dem de metini 7*000.
Vestuario da Conceicao ou da Soledado, feito de
seda cemgaloes c rendas entrefinas 60*O0J.
Mem de setim. papel com galoes e rendas de pa-
luda 25*000.
dem de eambraia com galoes de palheia.....
Habito de morim branc 7*000.
Parodio*.
Vestuario rico de S. Miguel ou Santo Urbano...
60*000.
Dito de S. Jas ou S. Joao 30*000.
Dito do menino Deus 20*000,
Os mesmos vestuarios .sendo de qualidade infe-
rior pormotade dos ditos procos, c sendo do setim
ordinario edm galo de palheta falsa pela felfa
parle dos mesmOs precos.
TABELLA-E
Atades
^.' Gasse.-Forro de panno fino preto guarne-
cido de bordados de metal dourado ou prateado
de galo entrefino com emblemas mor:uaros...
80*000.
2." Classe.Tudo como na ftrimeira elasse, mas
de qualidade inferior 60*000.
3.* Classe. Forro de panno preto guarnecido de
galoes de palheta, simples ornatos 40*000.
4.* Classe.Forro de alpaca preta e galoes ordi-
narios lOfcOOO.
5." classse.-Forro de inetim 10*000.
6." classe.Simples madoira com as seguintes
tamanhos :
1)>! pedem do illio. Sri usocrio^-da thesou-
rt. fazenJa f,.zpul)3eo qnf.8iriransferid..
!m .im..' f,,r ivmentqlaiiUHUciada, arre-
. iqJ%ldajusma4esoaaMa, de
VptoJ'A 'flOtel lomnaala de
;""jydj'i-wsma ib.esoaajfja,
m fnwmi.. u. j.m-.n
dhdePerUam
airarla, stfo
Secretaria da thesciMffk #e fazeu.
buco, 16 d tK^tt^.WW-.
- Im 0 llretario da junU ^
'asatdiOT^aTadripiea Cardase.
provincial se faz publico
- Pela'tfieS.'Wrar?
que foi transferida
[i ira o dia 21
lalaaMaaaaaiaaa
.Ujafiuenle eui 2:824*
do crrante a
aa.
mm**im+m-*mp*im j.............m na namarca
da Floras, oaeadoi D,iuahuenle tm 2:824*605.
Saaaaairttayfcf^Bti^ial de Per-
namt)uco}"-te de sgovie ao *>
O offlcial-maier
_______________Miguel Alfonso Ferreira.
Obras volitares.
A',vista da autorisado ao ministerio da guerri.
sera poM an cunear 'enca a execuco das obras
e euueertoa da forlal.-za do la, na importan-
cia de 41*7*010, e a dea rswvos, eaiadura e
pintura da casa, em que reside o director do ar-
seaal d guerra, orciiias em 83t>yjti, se por
a ver tambera carro tjse-cenvlaads as pssoas -qae'<|uiaiara anear-
regar-sg do laas. m
propostas 21 do e^
partico das obras pi'
dos os respeetifas or,
Pernambuco, 16 da
dljiaresentarem suas
a'raeio dia, na re-
mide serio encontra-
~3. T
ehefro,
_je'^.1>iro Chav
ordem do lllm. Sr. inspeeler
Ghryssolit
De ordem do Hla.idr. mspeilar da tb-sou-
raria de fazenda dest. provinea, se faz publico
para conheMmenta do quera interessar |Ha. GcA
transfcriJa pafe 6 dia de svtvtu'.Tj viadoarc
a arrematado em t*t* poWlW do te: reno pro-
prio nacional onde estava' adafe.ida i casa terrea
n, 16, da ra do NogueinLdesta cidade.
Secretaria da tlio niraria de fazenda de Per-
nambuco. em ll de igu>at dt.lST.t.
aria da junta,
________ Jetante taiVieues' Cardaso.
^?' iMfMIai ti
111iT i
trwist^ pif.Tn j. f
Olllai. Sr.ehgeulieiro c'h'efe' desta rparticia,
do confiirniidade cora a ordem do Exm Sr.
presidente convida f* pessoas que quizerm con-
Irafar o ancaoamenta para a iDuoiincao a gaz d<>
edificio destinado para escola modelo de instruc-
ssi'XXS^VaSi'rd'1;
23 qo torrente ao meio da..
-Xa mesma repar'i.3o se dar os esclaracijnen-
los precos para a exucucao da obra. ,,^
Bepartigao das obras publi:a<, 16 de agosto de
1873.
. 0 secretario,
______ fc FeDciano Rodrigues da Silva.
INSTTUTfl
MOtiGIGO GEO
GRAPHCO PZimAMBCANO-
Haver sossao onlinaria qtiinta-feira, "il
docorrente agosto, jielas 11 horas da ma-
nh. a
OHDEM 1)0 DIA.
1 .* Pareceres e maistrabalhs ffconiinis-
soes.
2." Palestra litteraria.
Secretaria do lusliluto, 18 de ajzoHo d>.-
1873.
J. S9ARES ArEVEDO,
______ Secretario perpetuo.
Correio geral
llela$ao don objectoe reyitlrarios existente*
na administme dos eoi-reiot desla pro-
vincia, para as pttsoas mbaixo decla-
radas :
Antonio Itibeiro da Costa e Silva, Augusto Ti-
bnreio de Sant'Auna, Antaaio Ferreira de livei-
ra, Augusto Pinto Alves Pequeo, Benjamn) F. da
Silva, Dr. Francisco Hnto Pessoa, Guilhcrme Viei-
ra da Cunha, padre Joaquim Pereira Freir, Joa-
3uim H. da Silva Fragoso, Joao Francisca Ribeiro
a Silva, Lourenco Jos de II. e -ou a, Luiz Bap-
lista de Souza, Nicolao Machado Freir, Dr. Olin-
tho Jos de.Meira, Thomaz Gomes da Sirva.
Adminislraco do correio de Pernambuco, 15 do
agosto de 1873.
Jos Candido de Barros
Encarregado do registro.
do_mesjho mez.
devero inscrever-se nsta secretara aa forma da* ci do cofre d Santa Cash, qoal farlaovo con-
iaslrucces_do 11 de junho da 185!), at o da W *; ou reallsaraiper-al sesma o1 respectivo ser
fcefcortforme riolw.'
.' BmqableJO* dos oasos fioara a Santa Casa
desde o momento da fcseislo, na'pesio de lodo o
material e accessoros respectivos, por tempo nuh-
""Ts miezesj afcano a titulo de alu-
IIrlarntmo f o-"na caso de te-
servida Oof si inesdia, proceder
a acquiilr&i do Jila niaerialVfcpider chegar a
um accordo coUl o ex-contratante "sobre o seu
TRIBUNAL DO CO\MMLRCIO DE PLH-
iNAMUCO.
Pela secrejaria dp.raeretissimo tribunal.do cofn-
ercio de Feraamb'co s faz sciehte es ihjeres-
merc
sados q-aeeW'dt'dell do crfrnfit "fe'rm d
miltidos registro eos termos do artigo '* ido
deeretaiB. W84 i contratos e gistratds soeiies
afra especinc,ados.
Secretara do trliunaf do eominercio d P<
rfarbde-o, 16 de agosto de W7,
"'
aara o eaesda AaoUa.
Carca .aMagodia )hvm- &tmp*tk>a-
para deposito no traatoa fiaaaaaj
sV-tr,
para o trapi
Oooial-WiMr Innooendo Antadeside Fariae Torras
Cordajro Stmoes 4 C, sociedade qna se cofu-,..
p5e de Frartcisco Jos Alves Guiraaras,.pbr|u'-
'gdez, Anldnift Jos CotieiPo Simos, bhsfleiro,
um commandiurW.JpiT*'o .firt e' fazendas agrosso earelalho naloan. 7 A no
para o trapicaa C-iaceieao.
*,* Mf^fa-',id Htrbfn -' mseaaaiaow' ihoras, lena raed, por dia
frrra ja- capaoaado para a aea' -;Art. Ficaa iseatos detodosoddiwitwprb
^ L?*mn,-' ciaag es etniekse i^Bdaacrava DtarhaPoei1'
*t*ea oW--CoiV/iv-telhas de barre j ai- tpafo de des aoaos, eoatados do seaieaaa-
aheaaaasaaaa o aaesdoA^l). **(*>.

aclares eraea dispensa dos diraSos aa-iaaaorui
wao> alo par lodo o mata-jt sresnartuSjo*Trtar *e
estae>sire. >
te.S* O presdante taratem
ramento ao OQn'tratanle
uer te vanos oavou
elle possa carecer para es;
dependencias da fabrica,
predio n. 7
tal de 27:
rio com !
'fl&aoJdar
freir i
irode Mar
o
mTl
esppnsaves ;
y-rcartfraialfel flca oLri#alo
iti tem ente ic mece ad a atades
Lvci^ das passav desvalidas e das que
"era pjiei. ao^.iaelicihentos de caridad
MSmmSe- e eus SrlrDos, qfler
com o ca n-
ommandi a-
um dos i o'-J
durando socfega)
iounU-dpjftpulm.ate
176, Salvo o ultimo accordo
u|e6g._
riesta'cTdads.
ios. de estiva,j?arne aeecal
aar-arua da Isaperaner a .
):raas*vdat auMesaOcOMa
awadrtarso,.-10:000* a Oafw_
10:000* a Rezeadeaa Naaa,* IQ!
annos, contados ^a.i ^jiuljE ajumo..
prorogar-a w aWooQYiw {o! Ssociad
lo i'traasportar
frtiai cota te mece ta atades de 6.' classe os
cad4irp6 das aiesaoas, desvalidas e das que mor-
Stffin^lttl,t' twiivf^^.^fflfelde cridade bi-^
' -VI JIM -
J.OM9 ^tl_A' I
Xvhfe
i
'rta*"q'Qatfff cayallos 4e-
10
.. aaai
1 classe.-Garro fj
.Uunenle.aiaes
.To prcto : '
rfeicl)t
c
jas d c
Sorlada
e are!
com
2'
cent
preta,
orlado
ser
i-1 tevof
e da ordem _
3* classe.

oa
qualtdada, O
tus de mttis de
Heto
U'
na-
das tres orchns
composi a)
cavallos
lVde pa
velluda p
classe nos
iae col
W9
De fl-,30 a 0-.80 3S0.0.
De 0,90 a 1,30 4*000.
D 1,4" a 1,80 6*000.
Os ataSdes de qnalqiier das ditas classes nao se-
rao pregados, e terao dobradicas a urna aldraba e
tnmqueta.
O alugnel dos caixocs para candueco dos ca-
dveres mao para o cemiterio ou depositados
em igrejas, ser de 4 a 16 mil reis para adultos,
conTorme a ornameulacao, e p?ra prvulos de i a
8*000. g.
Coiisutexlo provincial,
Por esta reparticao se faz sciente aos contri-
buinles dos apparclhos e animidades pelo servi;o
da Recife Drainage Company do semestre fiado
em junho do anno passado," a rcsolufio tomada
pelo Exm Sr. presidente, transmiltida a esta ad-
minislraco por portara do Sr. inspector da the-
souraria provincial, datada de hoje.
Jopia.3.a scelo. Palacio da presidencia de
Pernambuco, em 14 do agosta de 1873. Atten-
dendo ao que requereram os dgvedores do im-
posto oreado para o pagamento dos apparelhos
fornecidos pela companhia Becife Drainage, na
inclusa petieao que devolvo, e tomando em consi-
deracao a sua infannaco datada de 11 do cor
rente, sob o n. 332, mande V. S. dispensa-Ios da
mulla de 6 0(0 em que incenvram, pudendo ser
Mfectuad i o pagamento at o da ultimo de se-
tembro prximo futuro em que termina a liqui.l .-
cao de exercicio prximo fiodo, ao qual penen-
cera os mencionados dbitos. Deas guarda a V.
S..-Henrique Pereira de Lucena. Sr. inspector
da thesouraria provincial. Conforme.-Miguel Al-
fonso Ferreira.
N. 349. -O''inspector da thesouraria provincial
recommenda, ao $. adminisVfdor do consulado
provincial, que na coformidade da resolutjo do
Exm. presidente da provincia a constante do si-
licio por copia junto, mandeaannuuciar o paga
menta dos dbitos dos apparelhos, anauidades
deservido prestado peta companhia Draitiage no
semestre lindo era junho do anno passado, decf.t
rando-se que Ando o mez de setembro icar en-
cerrado o ejercicio' a que perteucem os ditas do-
brtos, ff por isso obTigdo? os contribmtes a pa-
gar a multa de 9 Ojrj, como pagam os contribuln-
tes dos mais inpostos laucados. Thesouraria pro-
vincial de fernambuco 18 de agosto de 1873j
Jp6 PedfVj da Silva. Cumpra-se e reglstre-seJ
M. do codsulad provincial, 18 de agosto de 1873.
Carneiro. .
Consulado provincial, 18 de agosto de 1873- :
Antoio Carneiro Machado Ros,
Adm5rtis\rador.
THEATRO
(11SI0 DRAMTICO
XHPBi
ESPWCA PEX\1XT;
Quinta-feira 21 de agosto.
Clrande pectaculo
ciit bcHcllco 1 irniaiidaile lo
Espirito Han(o.
ftepresentar-se-ha o rauito applaudido drama
em i prologo c 4 actos :
As pessoas que diftjarem canalisar agua ou
gac* em suas oasaa, na cidade de Ohnda, queiram
oatender-se com o atoxp assignado, que acha-se
autorisado para facilitar a tofos a aco.uisco de
taes melhoramentos, mandando* ffeer as jrnalisa-
coadBaa^sicfcsidacK)mpaaiiia, medianle
ura" arognel (nnsaT miitto modio : tratar na tua
do Imperado* n. 15, Cnf na fabrica do gaz, em
OJinda. ^ *
Recife, de agoaayoe 1873.
^i#riif ;*a> /ajvm
preco om da
Harinheiro da Marlinica.
Teruioara o espectculo com a sceaaeoraica
repreaantda pelo artista Flavio :
O Sr. Domingos fra do gofio
.Princi[iiar s 8 li2 horas.
SLAO
DE
$. .2-lta da lfr^'rlriz-4 \
Quinta-feira 21 de agosto
Primeiro concert.
IHCi l HS1I! \ I 11
lVo-r;imm.
Trovatore, grande aarapirase Bussmeyer.
Iligoleto, grande pliaauct | dem
uyama brasileiro, granues va-
riacoes dem.
O despertador do Lelo Kontslcy.
Ultima esperanza, meditado GotUchalk.
) Banjo, cpprinio americaho Idein.
Ave Maria Schnbrt.
Marcha juagara .. Liozt.
Principiara ? 8 oras tfa rfolfte.
Bilheles 3*000, a venda na jvraria Franceza.
e a. porta da sala na rioule do concert.
() O Banjo urna naitacao dos canese d-
danzas dos natro|aos Istados-Unidos. E' a peca
mais difcil qaa wUfiscfcils escreveu.
.
Ja
wm
EMPMZA
-jr"ttcaia!E2ri*sa
Trasferencia.
TJSBSiBiS?
o appaTatoso dtftraa phan
IAHH-IA BU HCfTE
que deve sabir toeaa VI
U
i taaw .1
-



jr


Siaro de Peraambuoo Quarta feira 20 de Agosto do 1873.
Sabbado23 de agost^
ufc pdajeja tapo *nei>^ K ^
&&.*& SANTOS.
^ .rido para
cora o mesmo iwogrsmma annnnciado.
O beneficiado pele desculpa aos seos convida-
do desta falta involuntaria.
VISOS MARTIMOS
Steaiu Knvigaticn Companj
IJnha juinzcnal
O PAQUETE
Tendo sido transferida em Clao do da 10 para
o dia 17 de julbo ultimo, a sahida deste paqaete,
aqu esperado al o dia 22 do crreme mez, e
depois da demora do eoslumc seguir para Liver-
pool va Lisboa, para onde recebe passageiros e
carca.
AGENTES
Wiima Rowe C
14 RUADO COMMKHCIO-U
PACIFIC STEAM HAVIGAT10N
PAHY
Linfa quincenal
O PAQUETE
esperase da Europa at o dia 31 do corrente,
e depois da demora do costme seguir para o snl
do imperio, Rio da Prata e costa do Pacifico, para
onde reeeber passageiros, encommenJase dinhei-
ro a frele.
OS AGENTES
W'ilson Rowe A C.
liRA DOCOMMF.RCIO14
PacificSlcamNaviga n Company
Liiilia qiilnzcnal
0 PAQUETE
SORATA
espera se do ful ate o dia 29 do corrente, e de-
pois da demora do costme, seguir pira Li-
verpool, va Lisboa, para onde recebera passa-
geiros, encommendas e carga a frete.
OS AGENTES
Wilson Rowe A C.
14RA DO GOMMERCIO14
O
Para
O patacho americano John Rw, procedente de
New-York, o cm descarga, segu pan o Para logo
que a conclua; engaja-se carga a frete commodo,
para o que os sonhores carregadires devem en
tender-se anticipadamente com os consignatarios
Tasso Irmaos A C. ra do Amorim n. 37, por
quanto o navio nao se demorar a espera de car-
ga, seguindo com agella que estiver prompta, o
mais tardar at o dia 18.
Para a Baha.
Pretende seguir com umita brevidade o palta -
bote nacional Joven Aithiir, tem parte de seu
carregamento engajado, e nara o resto que Ihe
falta trata-se com os seus consignatarios Antonio
Luiz de Oliveira A.'cvedo & C, no seu escriptorio
ra do Bom Jeras n. 57.
-
CMffASBlA
DE
\AVEUACiO BAHNA
UNTADA
Para Macelo, Peiicdo, Aracaj
e llaliia.
E' esperado at o dia 23 Je corrente dos portos
ocima o vapor Mrquez de Caxias, e seguir para
s mesmos no dia seguinte ao de sua chegada.
Recebe carga, passageiros e dinheiro a frete : a
,tratar com os seus agentes Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo 4 C, ra do Bom Jess n. 57.
PROGRESSQ MARTIMO OQ PORTO
Fnipreza porfticnse de navega*
eito a vapor entre Portugal e
Brasil.
O NOVO E MAGNIFICO VAPOR DE PRIMEIRA
CLAS5E (A 100 NO LLOYDS.)
JULIO DINIZ
<'ominundante -J. J. Rodrigues
Cntente
E' esperado at 2 do corrente; depois da indis-
pensavel demora neste porto, seguir para os da
Bahia e Rio de Janeiro.
Para passagens, e fretes de carga, encommendas
e valores, trata- se com os
AGENTES
E. R. Babello l C.
48-Roa do Commercio=48
< N A VECiA&AO BRAS1LE1RA.
Porto* do norte.
Ate o dia 21 esperado dos portos do sol o va-
por Paran, e seguir para os portos aciraa depois
da demora do eosttime.
Para carga, encommendas, valores, passageiros
e mais inlbrmacSes, dirijan)-se roa do Vigario
n. 7, escriptorio.
Pereira Vianna iC I
Agentes.
Barcaca Bismarck
Vende-se a barcaca cima, de 500 a 600 saceos,
de ptima onstrnorao, e -prompta a navegar :
pan *er eliminada, no caes do Ramos, e tratar
na roa do Mara de Oliuda n. 38, escriototfo de
Joio Pereira Moutinbi
Para o Rio-Grande do Sul.
Pretende seguir com muita brevidade palha-
bote Jtosifa, por ter nlgoma carga tratada e para
a que Ihe falta trata-se com os consigna tartos
Joaquim Jos Goncalves Delirio & Pilho : roa
do Commcreio n. 5.
Para Lisboa
pretende sopuirvcoin pouca deaora a escuna por
ugui;zaX/ por ter a maiof parte de seu cirregamento onga-
jadn; e para o rosto que Ihe falta tratase enm m
co nsignatanos Joaquim Jos Goncalves PJeltrao k
Filho, ra do Owimercto n 8.
Lisboa eTorto
Vai sabir com brevidade a barca portoguexa
Despique II, recebo carga passageiros : a tra-
tar com o consignatario Tito Livio Soares, roa
do Vigario n. 17________' _^__________
Para.
Barca Santa Mara.
Para o referido porto recebe este navio carga
frete : a tratar cora Amorim Irmaos 4 C
GompaDhia Francesa de Navega-
Cao a vapor
LinJia mensal entre o
Havre, Lisboa, Prrnamhin-o, Baha,
Rio de Janeiro, (Santos, aomente
na volta) Montevideo, Burnos-Ay-
ress, (com bnlrfeacao jsara o Ro-
sario).
STEAMRR
WAAX* 1N& SVNTOS
Comntandante I.efevre.
E' esperado at 22 do, corrente, e seguir depois
da dmora precisa para os portos do sul cima
indicados, entrando dentro do porto, quer na vin-
da la Europa, quema volta.
Relativamente a fretes, encommendas e passa-
geiros, para os quaes tem excellentes accomrao-
daces por precos redolidos, traia-se com
OS CONSIGNATARIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA & C.
12-Ra do CommcTfioEntrada pela ra
do Torres.
Aracatv.
Segu para'o referido porto com pouca demo-
ra o hiato Olmdn por ter a tr-aior parte de seu
carregamento engajado e para o resto que Ihe
falta trata se com os consignatarios, Joaqoim
Jos Goncalves Beltriio & Filho roa do Cora-
mercio n. o
COMPANAtA ALLIANGA MARTIMA
LISBOA i-; PORTO
A barca Vencedora, capitao Oliveira, segu via
gem por todo o mez de agosta
Recebe carga e passageiros : a tratar com o
consignatario Tito Livio Soares, ra do Vigario
n. 17.
Rio Grande do Sul e Porto
Alegre.
Para os referidos portos directamente recebe
carga a freto o lugar portugnez Rie Grande : a
tratar com Amorim Irmao & C, ra do Bom Je-
ss n. 3.
Rio de Janeiro em direura.
O vapor Lidador, capitao Goi-
Iherme de Castro, que aqni deve-
r chegar nestes dous ou tres das
dos portos da Europa, seguir
para o Rio de Janeiro immodia-
cheaada, recebendo nesie porto
primeira e segunda classe a 80#"
c 70$ cada nm,*ruja passagem dever ser papa
no escriptorio da ra do Vigario n. 10, no mis-
mo dia da chegada do referido vapor,
lamente a
passageiros
Para Santos e Rio de
tarea Claudia.
Este navio vai carregar para ambos os portos,
e recebe carga a frete i a tratar com Amorim Ir-
maos a C.
mm>
IEIL0ES.
LEILAO
DE
movis, loicas, vidros, 1 piano de Jacaran-
da em perfeito estado, machinas para
costura,
Hoje
A'SIl HORAS DA MANHA.
O preposto do agente Pestaa far leilso por
rata e risco de quem pertencer, de urna mobilia
de faia com lampos de pedra, urna dita de junco,
urna dita de amarello, om piano de jaca-
randa, guarda-Lea e guarda-roupa secre-
tarias, camas frncezas de amarello, ditas de ja-
caranda, ditas de ferro, commodas, toilett de jaca-
randa, ditos de megno, marquezoes, marquetas,
espriguicadeiras, caderas de balanco, carteiras'
bercos, machinas para copiar e outros muitos
objtctos avulsos, quarta-feira 20 do corrente mex
no armazem a ra do Vigario n. 11 as 11 horas
da manlia,
LEILAO
DE
boifs movis
louga e quinquilharia
Quinta-feira 21 de agosto
NA
FEIRA SEMANAL
.(----Roa di Imperador-16
Ar in zem.
O agente Martina por conta de diversos vende-
r bons movis, 10051, cryataes e muitos objecto
do oso domestico-
LEILAO
DE
urna parte do sitio da travessa do Caldei-
reiro n. 1. que fui do finado Domingos
Jor Marques.
Quinta-feira 2- to corrate
a 11 oras
NA. !. -
FEIRA SEU ANAL.
16roa do Imperador n.-16.
0 agente Martirn autorisado .por Antonio Jarj-
no Marques, consenhor de urna parte do sitio no
Caldeireiro, no valor de 1.-094J7W, onde se achara
residindo os Srs. Lehraann Prres.
Grande e variado
LEILAO
Di
movis en bom estado, crystaes, louc,as,
porot'llana, nru rico appnrHho novo pura
almo da elecito plato 6-ouirns muitos
bjjrfltofi
Por i>nfc>m de ama familia qu# a retira para
a Kuropa no prximo *\wr, au:
Um piano furto de Ron!, anu taobiade jara-
nada lampo de pedra, enwaosla da eadeiras de
giMnm.-ju, t ditas a aacAs, t ditos de balasen, z
ora*dios, iiiiiaj-niiurira, 1 n(i; i mobilia de faia
eompoiU de 12 cauViras de guarniv'o, i ilas de
krapw, um sof, una jardineira, I aaaeollos ; es-
atooa graades, qnadrt, unta rama para casal de
pao seUm, mesas pan jnos, caiaas de tarro, ber-
co para ertsuca, ama rica mesa eiastioa com S
taboas, quaninheiras, mesinhas, ondatra* avalaas,
guarda roup*. apparadores aaaraaeca/, om lindo
vapor apparnlhado, venesiaaas, matas a outTM mo

Um apparellko de electro piale, garrafas, loucas
para janur ealaruco, copea, clices, trocleiras jar-
ros para Aves a bandejas.
TK.RCA-FEIRA M DO CORRENTE
A's f I horas ri msinhi.
Por intervencao do agente Pinho Borges, i roa
do Bom Jess n. SO 1/ andar ( outr'ora Crai).
O mesmo agenta aba-se autorisado a alugar o
dito andar.
*S>DVvh$0S
PARA TODOS
Paula & Mafra, com casa
mortuaria no pateo do Pa-
raizo ns. 10 e 12, declaram
ao publico que apesar das ta-
bellas publicadas pela Santa
Casa de Misericordia, conti-
nua m a incumbir-se de en-
terramentos, e mais officios
fnebres, como costumam,
isto com 8nceridade, pon-
tualidade e commodidade
em presos.
Boa gratifica^o
25#000
Perdeu-se hontem (13 do corrente) na cidade de
Olinda dis 6 para 7 horas da larde, orna pulseira
de ooro de le i, tendo a fita arrendada com urna cor
fusca, no centro tem um laco cujas pontaa tfln era-
vadas de pendas, no centro del le urna grande es-
meralda quadrada, acompanhada de cada lado
com urna perol a ; perdeu-se a mesma do oitao do
Amparo em seguimento a iriesma na, Qoatro Can-
tos, Mathias Ferreira, subida do becco que sabe
em S. Pedro Velho, ra de S. liento at a entrada
do becco Porto Seguro, dabi ao voltar ao pateo da
Ribeira e ladeira da mesma : roga-saa quem achar
e querendo restituir, dirija-se ao oito do Amparo
casa grande, que um um portio ao lado, ou no
Recife, largo do Paraizo n. S8. oo 2* andar,
que se gratificar omito generosamente : pede-se
aos Srs. onrives, on qoaesquer outra pessoa a
quem fr offerecida, faca o favor de apprehender,
e lava-la a qiu Iquer om dos lugares indicados.
A pessoa qoe annnncioo por este Diario
precisar da quantia de 1:000*000, dirija se
ra estreita do Rosario n. 10.
Cozinheira
Precisare de urna escrava para cozinhar e com-
prar : a tratar na ra Primeiro de Marco n. 23,
ioja.
AVISO.
Furtaram doataixo assignado.raorador no pateo
du Carino n. 9, no dia 11 do corrente, orna cor-
rente grossa de relogio com urna cazoleta de curo,
tend esta urna pedra preta com a letra R cra-
vada na mesma, todo obra do Porto; pede se
aos Srs. ourives ou penhoristas ou a quem for
ella offerecida que aapprehenda e leve a seu legi-
timo dono que ser generosamente recompensado.
P.ecife, 13 de agosto de 1873.
Manuel Lmz Riheiro
Troca se um sobrado de dous andares e
sotao, chio proptio, por um de nm andar, oo mes-
mo por casa? terreas que seiam em boas ras e
qoe nao estejam desconcertadas : a Dessoa que
Ihe convier o dito negocio dirija-se ao pateo do
Car no, sobrado n 16, segundo andar, que achara
com quem tratar o dito negocio.
Na roa dj Viseonde de Inhauma, outr'ora
ra do Rangel n. 9, prfeisa-se de nma pessoa
para fachina ; e na mesmo vndese om par de
rodas para cabri Jet e duas portas de amarello.
Aluga-se
a sala da frente do 1 andar da roa do Vigario Te
oorio n. 1, onde ltimamente funeelonou o banco
commercial de Pemambuco : a tratar no escrip-
torio dos Srs. Balthar Oliveira 4 C.
Urgencia.
Precisa-se de urna ama qoe tenha bom leite : a
tratar na ra do Caldeireiro o. 66._____________
Olinda.
Aluga-se orna casa na roa de Mathias Ferrei-
ra, com quintal e cacimba : a tratar i roa do
Amorim n. 37.
Casa para alugar
Aluga-se o I* e 2 andares da casa na travessa
da ra da Cruz, (Praca do Commercio), no bairro
do Recife : a tratar na Ioja do Passo, ra Primeiro
de Marco, amiga do respo, n. 7, junto ao arco de
Santo Antonio.
O Illin Sr. Dr. Oda van Cabra I Raposo da
Cmara, actualmente nesta provincia, rogado a
comparecer oo mandar -eu preposto casa n. 28
ra da Saudade, para negocio urgente contra
hido no Rio Grande do Norte.
CASA DA FORTiA.
AOS 5:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
' ra Primeiro de .tf arpo (outr'ora ra di
Crespo) n. 23 e catas do costume,
0 abaixo asignado tendo vendido nos seos fe
ilzes bilhetes, doos meios o 2059 com 300*000,
qoatro qoartos n. 124 com 1001000, e ootras sor-
tes de i0 e 20f da lotera que se aeabou de
extrahir (62"), convida aos Bossuidores a v-sm
receber na conformidade do costume sem des-
cont algum.
Acham-se venda os felizes bilhetes garantidos
la 22' parte das loteras a beneficio da nova igre-
ja de Nossa Senhora da Penha (63'), que se ex-
trahir no sabbado, 23 do corrente nez
PREgOS
Bilhete inteiro OOOO
Meiobilhete 3*000
Quarto 1*800
km poaelo dc 1009000 para cima.
Bilbete inteiro 5*500
Meiebilbete 2*750
Quarto 1*375
1 Manotl Marlitu Ptuza
No hotel AUfnca i nu estretta do Kesario a. 10,
precisa se de om criado.
Para aboaconservacao
DE
VOSSO CABELLO
Ello um preventivo seguro e certo contra
a onlvirp.
Elle ta restaura for$a e sAnidede pelle da
rabera.
Kilo de prompto fas cesaar queda prema-
tura dos cabelles.
Pie <]i grande riqueza de lustre aos ca-
bellos.
Elle iloma e faz preservar os cabellos, em
qualquer forma ou posi<;an que se dse-
la, n um estado formoso, liso e macio.
Elle faz crescer os cabellos bastos e compri-
dos.
Elle conserva a pelle e o casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Elle previne os cabellos de se tornarem bran-
cos.
Elle conserva a caboga u'um estado de fres-
cura refrigerante e agradavel.
Elle nao demasiadamente oleoso, gordu-
ront) ou pegadizo.
Elle nio deixa o menor cheiro desagrada-
vel.
Elle o melhor artigo para os cabellos das
criancas.
Elle o melhor e o mais aprasivel artig i
para a boa conservago e arranjo dos ca-
bellos das senhuras.
Elle o nico artigo proprio para o pernea-
do dos cabellos e barbas dos senhores.
NENHUM TOCADOR DE SENHORA SE
PODECOPiSII>ERAU COMO COM-
PLETO SEM O
TOiNIGO. ORIENTAL
o qual preserva, limpa, fortifica e aformosea
O CABELLO.
Acha-se venda nos estabelecimentos de
H. Forster & C, agentes. E em todas as
principaes lojas de perfumaras e boticas.
Triumpho da
hi .nmrM
Em tem pos modernos nenhum descubri-
mento ope uromaior revolugao no modo de
curar anteriormente em voga do que o
Guninnii nw i B mi mira i f
TANTO NO TRATA MENT
DA
Tosse, Crupo,
Asthma, Thisica,
Kouquido, Resfrijmentos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Dores de Peito,
Expeituragao de Sangue.
Como em toda a grande serie de enfermi-
dades da Garganta, do Peito e dos
Orgilos da respiracito, que tanto
atormentam e fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consista geral-
mente na applicago de vesicatorios, san-
gras sarjar ou applicar exteriormente un-
gentos fortissimos campostos de substan-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos dilTerentes modos de curar, nao faziam
seno enfraquecer e diminuir as forras do
pobre doente, contribuindo por esta forma
d'uma maneira mais fcil e certa para a en-
fermidade a destruido inivitavel de sua
victima I Quam differente 6 pois o effeito
admiravel do
PEii:sLs:m:s:iL!
Era voz de irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos soflrimentos ao doente,
Calma, modifica e suavisa a dor,
Allivia a rritago,
Desenvolve o entondiraento,
Fortifica o corpo
e faz com que o systema
desaloje d'uma maneira prompta e rpida
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Europa, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim)
testificam serem exactas e verdadeiras estas
relagoes analgicas, e alm disso a expe-
riencia de milhares de pessoas da America
Hespanhola, as quaes foram curadas com
este maraxilhoso remedio, sao mais que suffi-
cientes para sustentarem a opinio do
PEITORAL DE ANACAHUITA I
Deve-se notar que este remedio se acha
inteiramente isento de venenos, tanto mine-
raes, como vegetaes, emquanto que alguns
destes ltimos, e particularmente aquellos
que sao dados sob a forma de opio, e aci-
do hydrocianico, formam a base da maior
parte dos Xaropes, com os quaes to f-
cilmente se engaa a crodulidade do pu-
blico. A coraposico de anacahuita peito-
ral acha-se linda e curiosamente engarrafada
em frascos da medida de cerca de meio
quartilho cada um, e como a dse que se
toma so d'uma colher pequea, basta
geralmeute applicago d'um ou dous fras-
cos para a efTectuagAo de qualquer cura.
Acha-se a venda em todas as b ticas.
H. Frosters & C, agentes.
Escrave fgido.
No dia 14 do corrente mex fogio o escravo
crionlo, de nome Domingos, com os stgnaes se-
guintes : bem preto e mo'50, nao tem barba, le-
vou vestido camisa e caifa de algodio listrado :
quem o peg>r dirjase a casa de seu senhor que
* Rarthuloraeo Lonrenco. na ra do BarJo de S
Boria n. 19, ou roa da Madre de Dos o. 2, que
sera bem recompensado. Suppoese estar mesmo
por esta praca escondido.
1 1 1
Para o Brejo da Madre da Oeos precisase
de om caixeiro brasilelro de 18 a 2o anona, com
aratiea de Ioja de fazenda: a tratar na roa da
Aarora n. tt3, t* andar. _______________
' NarnaVeIhan.il lava-se e engorama-e
com perfeico por barato preeo.
Perdeu-se em a nerte de 9 do corrente ni
travessa de S. Jos ou-aa roa das Calcadas, orna
pulseira de ouro com nm pequeo camafeo de co-
ral sobre ohapa: recommenfla-se genero* mente
a quem a levar roa Imperial p. t.
Aluga-se
a tr.iiar
O sobrado n. 131, sito a roa Imperial
na'rua da Aurora n. SI.
Precisa se de um bom eoabhuiro ;~~* ntado
Hospicio n. 33.
CONSULTORIO S
MED1CO-CIUUKGIC0
W DO
SDr. J. M.' Curia
Ra do Mrquez de Oliuda n. 23, pri-
meiro andar.
W Consulta da* 9 hocas as 11 da manha.
a^ Chamad js a qualquer hora.
ATIENfO
Precisa-se de urna ama f>rra on captiva par
comprar e eonnhar para casa de urna familia
composta de dnas pessoas, paga se bem se agra-
dar : a tratar no pateo do Hospital n. 88, Io e 2*
indares,______________________
Garanhuns.
Na ra do Baro da Victoria n. 36, precisarse
fallar aos Srs. Pedro de Reg Chaves Peixoto e
Jos Paes da Silva, a negocio de particular inte-
resse.
Feilor.
Precisa-se de om feitor que entenda de servi-
do de horta e jardim : no Co ligio da Conceica,
a roa de S. Francisco n. Ti.
Aula particular de primeiras
lettras para o sexo femi-
nino.
Quitea de Alnn-ida Bastos, ppofesaora particu-
lar de primeiras lettras, aulorisada : elo Rxm. Sr.
presidente desta provincia, avisa ao rcspeitavel
publico e com especialidade aos pas de familias,
que abri urna escola particular de instruccao pri-
maria ra do Crespo n. li, segundo aadar, onde
recebe alomnas, tanto internas como externas e
meias pensionistas, assegurando a aquelles que Ihe
confiaren! suas fillias todo o interesse no adianta-
mento, quer das materias que con-titum a sobre-
di'a Instruc^ao. quer do que for concernente aos
trabalhos de agulha.________________________
A0 COMERCO
O abaixo assignado faz publico que vendeu nes-
ta data, ao Sr. Jos Antonio de Oliveira, seu es-
tabelecimento de molhados sito ra de Marcilio
Das n. 72, livre e desembarazado de qualquer
onus.
Recife, 16 de agosto de W3.
Sebastian los Bezerra Cavalcanto.
Molina al ser liiid.
Chamamos a attenco do Fxm. Sr. presidente e
da lllma. cmara municipal para o espcrtalnao
que tem aproprlado-se dos terrenos de marinha em
vista da consolidacao das leis,art. 32 2 art. ."i e
nott. respectivas, que acaba de cercar urna gran-
de parte da margem do rio navegavej, e um por-
to logradouro publico, para plautacao de capim
na freguezia do Prtco da Panella, no" lugar Cabo-
c, este espertalhao acaba dc ser impedido de fa-
cer o muro do seu sitio, por ter-fe apropriado
de terrenos pertencentes a tres proprietarios seus
vizinhos e fazendo muro sem a competente licen
ca, pois digno do urna boa correco para des
cont de seos peccados, e assim o espera.
Os'moradores do Monfeiro.
O abaixo assignado declara que tendo pas-
sado urna procuracao bastante ao Sr. Adelino
Theodoro Altea, e nao Ihe eonvindo a continuacao
da procuradoria desse Sr., pelo pre os poderes que Ihe havia conferido e desde ja
considera millo lodo e qua'quer negrem ou Irans-
ac;ao que dito seu procurador lizer em eu nome.
Recife, 16 de agosto de 1872.
Jos Ramn Blanco.
Fugio
do engenho Bento-velho, em Santo Antao, em dias
do mez de julho prximo passado, o escravo Ma-
noel, de 40 annos de idade, preto, bem parecido,
falla mansa, dentes perfeitos, e barbado ; foi escra-
vo do Dr. Isbello, emLimoeiro, e de Jlo de An-
drade Lima, cm Malhadinha : a pessoa que o cap-
turar e levar ao dito engenho ser generosamente
recompensada. Se for preso perto desta cidade
pode ser entregue aos Srs. Alvares Quintal & ("..
ra Barao do Triumpho n. 56
Attenco.
Pede-se ao Illm. Sr. digno inspector do arsenal
de marinha para que lance snas vistas em um dos
cozinneiros quo subtrahe os alimentos dos doentes
e os manda levar para urna certa casa, deixando
assim de cumprir com suas obrigardes.
FUGIO
Estjfugido o cabra acaboclado de nome Pru-
dencio, desdentado e os cabellos um pouco ubico
dos, andava eom orna carroca condozindo esirum
para uta sitio, e fugio no domingo 6 do corrente ;
este escravo e ligeiramente gago, foi escravo do
Sr. Joaqoim Jovencio da Silva e hoje pertence ao
barao de Nazarelh, qoe gratificar a quem o apre-
sentar. Elle represnta 50 annos, tilho de Goi-
anna.
Olinda
Aluga-se para passar a festa o sobrado da ladei
ra da S n. 2, perto do banho salgado, com eom
modos para grande familia : a tratar nj Varadou
ro, sobrado n. 2.
O administrador da massa fallida de Rostron
Rooker & C. avisa aos Srs. abaixo mencionados
para virem receber seos dividendos : banco Novo,
thesouraria de lazenda, Monbard d C., Augusto
F. de Oliveira, Joaquim Jos Silveira & C, Rodri-
gues da Costa Camino, John Ridehough,James Con-
rj, Matson & Surk, William Ricbardson e Sons
w. W. Ronnie. Iones & Richardson, Geo Burnttt
C e Bruce Gunston & C
Pega elle!.
Est fgido desde o dia 14 do corrente o escra-
vo, simi-braneo, de nome Arsenio, idade 23 an
nos, traja eom algnm luxo, gusta de andar sem-
pre de patnrlha e intitula-se forro, cangalha e
mettido a namorado (sem ventora); foi visto no
domingo 17 do corrente mez em orna das sallas
de dama R. J. sonde me consta ser socio. Consta
que aadou at comprando votos a bonds para
sahir director de mez da dita sociedad?. E' bem
provavel que elle 'enha ido para Taperagu,
as AUgoas donde natural. Qnem o pegar le-
ve-o a sua senhora, na ra de Hortas n. qoe se-
r bem recompensado, ou ma Primeiro de Mar
co a seu senhor o Americano.________
Escrave regid*
Fno do engenho Quilebas, do termo de Seri-
nhem. a* amanhecer do ia 7 do corrente, o es-
cravo Joaquim, cabra, alto e seccodo corpo, ponca
barba, rosto couio'id, representa ter 40 annos,
levon chapen do Oiilr e jaqueta de riscado de
brim ; recommenda sr a autoridades pr capitaes de campo a nppr bomao do dito escravo,
recebendo urna bo-i ;r;ititiraco na occasiic da
piilrega. nesta cid-id.' rua do Bo n Jess o. 51,
ou no dito engenho.
Oozinheiro.
Precisa-se de nm coziiibeir para hotel dj ci-
dade da Victoria : a tratar n pateo do Ierre
ii. 82.______________________________________
Ao publico.
Domingos Mara Goncalves, consol airrmaam
de 2' classe e en -arregado qne foi 4o consulado
de Portugal em Pemambuco nos ltimos treze mo-
tes, participa aos seus amigos, tanto naciooaa*
como port'.igtii'zes, que Wat o seo escriptorio a*
rua Prfrm irn de Marco a. 23, 1* andar, antiga ma
1o Crespo onde pode ser procurado todoa u
lias nao santificados, das 9 oras da manha is 4
la tarde.________________________,
MOFINA
Est encouraqado!! \
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de MeHo
escrvlo na cidade de Nazaretb desta provincia, o
favor de vir rua Duque de Caxias n. 36, con-
cluir aqoelle negocio qne S. 8. se eomprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, eaa
ins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
pa^sou fevereiro e abril de itfn, e nada cumprio;
e por este motivo de m vo chamado para dito
im, pois S. S. se deve leml rar que este negocio
de mais de oitn annos, e i|nsndu o Sr. seu filho
acbava nesta cidade
G. A. Snorbuscii.
Os melhores charutos da
Bahia.
Regalia Britnica
Begalia Imperial.
Begalia Real. Riachuelos.
OemoeraUs.
Snspis.
Conatsj
Opans.
Prin^te de Bismarck.
Tralsvos.
Baki.
Deposito en- Pernambuco no armazem de Cacha
& Manta, a na do Mrquez de Olinda n 23.
Auseitm-H' lia dias o escravo Antonio, eos
os signaos iguintcs: eoxo de nma perna e ce,
de um olho,com defeito na voz, e regula ter0
amos : que dolle sonber pode levar roa da
Imr-eratriz '. 20, que ser gratificado.
Q 6
8*Ci;rcula0ria niedico-f irnrgifl) 5
\ x. B. da Silva Maia
Ra do Vsconde de Albnqaerqie n.
'ora 11a da matriz da Boa Vista
d rua d
/ ll.ontr'
5 n.H.
8
Chamados: a qualquer hora.
Consultas :Aos pobres gratis, iss 2 as
i horas da trde.
negocios le Portugal e Hes-
panha.
Domingos Mar' Goncalves participa qoe se en-
earregs promoveo bom andamenio de quaesqoer
questes judiciaenos dous paizes cima mencio-
nados, para o quest habilitado com um pessoal
competentissimale correspondentes. Escriptorio
na PriTeiro delarco n. 23,1 antiga do Crespo)

COBPANHIA
1>0S
TRILHds URBANOS
.DO
Rede Olinda.
Esta compitiha recebe at o fim io mei
d'agosto, proposR para a collocaQo d'uma
linha telegrapnc, da estfiQo d'Auroia at
a do Varadouo, em Olinda, e da Encru-
zilhada at, Bjberibe. Para inormacAo_se
entendero^sproponentes coma respectiva
gerencia.
O gerente interino,
Ldurentino Jos de Miranda.
Ki'spost ao obseraador.
O abaixo assignado deixou de realisar a com-
pra da escra'a Auna cora o Sr. Jos Martins da
Cruz, por no he mostrar este os documentos
completos e nao querer deixar duvid&s futuras.
Jos Pacheco de Medeiros.
Est oara alugar o 2* andar do sobrado da
rua de S. Jorge n. 6 : a tratar na rua Nova a 8.
1001000.
Gratiflca-se eom es quantia a qualquer pes-
soa que agarrar urna mulata de nome Balbina,
estatura ebeia de corno, rosto orto, tendo ama
pequea cicatriz na sobrancelha de om dos oihos,
cabello caxiados e ralo, one tendo sido cortado
ha lempos presentemente amarra, tem orna etea-
triz pela parte de dentro em urna dae maos qne
nao pede bom abr la, foi amasiada cora om sol
dado do 1*, foi presa na fortaleza das Cinco-Poa-
tas e j andn em Gwyanna, intitulada forra.
- Precisase de om caixeiro pura taveraa de
14 a 16 annos de idade, qne d fiador a sna con-
ducta, preferese dos ltimos chepadee : na rua
Direita *w Afogados n. 63.
As pessoas que tem pretendido estabelecer-
b no terreno devoluto que fica nos fundos das
cisas ns. 18 e 20 da rua da Florentina, onde exis-
te a fabrica de serveja, rujo terreno limita-se at
rua de Santo Amaro, podem entender-se com o
pmprietario na roa do Hospicio n. 35.__________
Desappareceu a 5 ou 6 dias o moleque de
nome Antonio, cabra fulo, de idade de 13 anaos,
mas representa ter mais, levou vestido calca de
bro pardo ordinaria, camisa de chita branca
miudinha e chapeo de couro. Este moleque che-
gou a 8 dias do centro da comarca de Flores, toa-
do na viagem queimado-se na testa, signa! este
paca ser logo condecido. Pede-se s autoridades
policiaes e capitaes de campo a sua captnra, de-
vendo ser remettido para a Ioja da rua do Du-
que de Caxias n. 44, onde se gratificar- por se
melhante serrino.__________________.
Furto.
Furtaram da casa do abaixo assignado um re-
logio de ouro, patenta suisso, de nomeracio 11,074,
meio chronometro e eoberto, com 29 rubis, dous
mostradores de horas, um dito de dias e outro da
segundos, um ponteiro grande alm dos das. ho-
ras, contendo a capa do machiaismo a firma de
Germano, relojoeiro estabeledo nesta cidade, a
qnem fra o mes-no comprado ao dito relogio
se achava pendente urna corrente com cassoieta
lambem de ouro. Ser generosamente gratificado
quem o trouxer rua do Palacio do Bispo n. 53 <
Dr. Joaa Mara &c#.
Fugio no da 18 do correte, do engenho
Para, de termo de Inojnea, 'escravo Raymundo,
natural do Rio Grande do Norte, da 30 annos de
idade, estatura regular, ps pequeos e achatadas,
usa de barba a Cavaignae, aada sempre limpo e
traz o cabello pentea*o, levon urna rede envolvaa-
do divanas caifas de brim tranco a de edr, aa-
*isas frncezas. hotiaas. meis. lennea e um cha-
peo de palha preto, alem de outro de teltro ; *%v
zidia nesta cidade, donde foi mandado para o dito
engenho no dia 17, presume-* que foi aeonaaaana-
le por dous pret do masrao engenho, Jas
Paulino, o 1* de 48 annos de idade, feto de feicdes,
ptrnas algum tanto-tortas, esutara fnnav, atam
algumas eicatnzes as costu ; o 2* de 40 aaoos
do idade, alto, magro e de cabellos vcraeihas :
quem os approheader e tova-tos aa dtto engenho
oa nesta cidade rua Djreila dos Alagadas a. 6,
'cr generosa menta gratifiesdo.
A pe?soa que hannci! u no iano da batT
tem precisar de um cont de ris i joros
irarantia, dirija-se a asta tynographia qoe *a Ihe
dir cota quem deve tratar
.
.1




-.-,>

I
Cirio de Pernambuoo Quarta feira 20 de Agosto de 1873.


su
%
A
Miir
1L
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores qne qnizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de METTRON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
MEUliON a c.

FUNDICAO DO BOWMAN
RUADO BRUM N. 52
(Pagando o chafariz)
PEDEM AOS seohores de Agenho e ontros agricultores, eem pregado res de m
bilismo o favor de orna visitat sea estabelecimento, para verem o lovo ortimrnto
onnlet i qoe abi tem; seado to oe'^lo pese tal pode-se verificar. {
ESPECIAL ATTENCOO NUMERO E LUGAR DE SA FUNDICAO
XTonnraa a rnrfna 'atrna doa mais mo-ernos ystemas eem ta
f apui U* O luuao u agua mabos convenientes para as diversas
circamstaocias dosj)eobore< propristarios e para descansar algodSo.
Moendas de tanna 82J 8 Umanhos' as:melhores ae *
Rodas dentalas para ,Dimae8* *gna e vapor-
Taixas de fero fundido, batido e de cobre.
Alambiques c fundos de alambiques.
Wfflf*)lvnQmn4 para mandioca e algod3o,l Pudendo'todos
iu.U.t/111 UIBliiUa e para tenar madeira. fser movidos a m3o
Rnmhqa Pr vaPor*
jvuiuoo de patent, garantidas........ Joaanimaes.
Todas as madrinas e pecas da qae 8e C08tDma preci9ar*
Faz qualquer concert de machii8mo' aPre BirMiid0'
17nt*mQa Ha fervn tem as menores e mais baratas existentes no mer-
P'n/iimTnATirlm Incumbe-se de mandar vir qnalqner machinismo i von-
LtlKj JUXIWU. la) taje mas compras por intermeio de pessoa entendida, e qoe em qnalqner necessidade pode
es prestar auxilio.
Aradcs amranos e iDptrooient08 ,rico!M-
RU DO BRUM N. 52
PASSAXDO O CHAFARIZ
Por martina.
Pauta-se papel de todos os Umanhos. Risca
se por modello e a vontade do fflerjiez, papel para
livros, mappas, manifest?, folhas de empregados,
facturas, contas correntes e de -enda, despachos
e todo e qualquer trabalho nato sentido com
limpeza e promptido : na
Encadernacao Br^Lsilira-
estabelecida ra Duque de Carias n. 21, onde
tambern encaderaa-se livros envbranco ou im-
pressos e doura-se sobre panno, papel, conro,
veludo, seda e pergaminho.
Garntese a pessoa que honrar ete estabele-
.cimento com sua encommenda que nao saivr
descontente : ra do Duque de Caxias n. SI.
At vir.
O Sr. Jos Pereira Lomos pela segunda vez
rogado vir ra do Imperador n. 28, a negocio
de seu mteresse.
Precisa-se de urna mulher de boa conduet
para fazer companhia a urna pequea familia: na
rna de Horlas n. 63.
Ao Sr.I. C. V. pede-se o favor d manda1 a
easa n. 28, rna da Saudade, pagar o sea ateite
firmado no Rio Grande do Norte, e vencid) no
dia 30 de dezerabrode 1872.D. H. O.
No pateo do Carmo, sobrado n. 9, fr aidar,
precisase de pretas para vender bolos de vaida-
gem. Na mesma casa armam-se bandeijas, re-
cebem-se quaesquer encommendas deste geneo.
Maximiano Lopes dos Santos faz sciena ao
respeitavel publico e com especialidade ao :orpo
commercial que se aeha establecido com loa de
azendas na cidade da Estada, ra do Coomer-
cio n. 3, antiga casa do Deodato Lniz Francisco
Monteiro.______________
= Tbomaz de Aquino Fonseca 4 C. Siccesso-
res, administradores da massa fallida de J>ao Hy-
gino de Souza, convidam pelo presente aos credo-
res daquella massa, fue ainda nao apresentaram
seus ttulos, o facam no praio de oito dias, a con-
tar de hoje, afim de serem qnalificados os crditos
respectivos. Recife, 16 de agosto de 1873.
Dinheiro
Prec*a-se de 1:0004 por seis a oito mezes, pa-
ga-se o joro de 164 por mez, dando-se garanta a
contento: quem tiver annuncie aonde deve ser
procurado._________
k' cocheira de carros de aluguel, de
Antonio Domingos Pinto, rus de Santo
Amaro n. 1, acaba de ctaegar de Franca, o
mais bonito e elegante carro Landou, nico
que existe nesta eidade. Os Srs. noivos e
mais pessoas que desojare] alugar um carro
de bom gosto para casamentos, baptisados,
ou visitas de cerimonia, sao convidados a
-virem ver desengaaren]-se com seus pro-
prios olhos. Na mesma cocheira tem bo-
nitas calcches, victorias carrosnbertospara
alugar. por presos razoaveis, com toda a
pontoalidade, para o qae tem muito boas
parelba, arreios novos e bolieiros decente-
mente fardados a jnoralisados, o que bcm
raro desta classe.
Caixejro
Precka-se de otn caixeiro 4a li a 14 anaoa de
idade, com praiica para uveraa, preferndo-se par-
taguea : na rqa da Rangcl, Gallo Branco, n. 3.
Agua dtom contra cancro syphilitieo ; aa
roa Nova n. I<.
Engommadeira.
Precisa-e de urna para duas pessoas, paga-se
bem : a tratar na ra da Matriz da Boa-Vista n.
23.
West and Brasilian Tclcgraph
103. Cannon Street. E C.
Capital a* 1,350,000
em acedes de 2? 20 cada ma.
Com autorisaciode emittir 230,000
em Debentnres.
Presidente
John Hengh Gsq.
Directores
E. W. Barnett C E.
Johu Bebby E.q.
Nathaoiel Bnchley Esq. M. P.
William Fenton Esq.
James Higgings Esq.
Alfred Seymour Esq. M. P.
Banqaeiros
Srs. Smith Payae & Smiths.
Secretario
Sr. James Sutherland.
Engenheiros
Sir Wiam Thomson L. L. D. F. R. S.
Fleeming Jenkin Esq. F. R. S.
Gerente do trafego
Sr. Robert M. Hyde.
Eagenheiro em chefe
Sr. F. A. Ormiston.
Esta companhia est agora collocando cabos te-
legraphicos pela costa do Brasil e dalli por accor-
do adquire o cabo que liga o Brasil com Mon-
tevio.
Esia serie de lint!a de commanica^So estabele-
cida na costa, ligada por uro arranjo fefto com a
Brasilian Telegrapn Company Limited, en jo cabo
ligar Pernambaco com Lisboa, por outro ladj
por accordo feito com a Central America Tele-
graph Company Limited, cujo cabo ligar o Para
com a ilha de 8. Thomaz, as West Indies.
Como Lisboa est em communieacio telegraphi-
ca com toda a Europa e com o Oriente, emqoanto
que a communieacio estabelecida com a lina de
S. Thomaz para os Estados-Unidos da America,
pelas linhas desta companhia, nao s ficarao os
diflerentes porios do Brasil em comrnunicacao te-
lcgraphica entre si e com o Rio da Prata, como
tambero o imperio do Brasil e os estados do Rio
da Prata (icario em immediata communieacio tele-
gra piuca com as principaes cidades da Europa,
Asia e America do norte.
Joaquim Jos .da Silva
Santos. j
Na rna do Vigario n. 7, i* andar, deseja-se tallar
ao Sr.ds no*e cima, para- negocio de sea inte-
resse.
Alagase
i terceiro andar da ra do Vigario Tenorio n. SO:
i trat r ra do Amorm n. 37.
PENHORES
Na travessa da ra
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre p-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma easa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Cozinheiro.
Preoisa-?e de um bora cozinheiro : o tratar na
ra do Bom Jess n. 3.
CASA DO OURO
los &:000?000
Bilhetes garantidos
Hua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova)
n. 63, e casa do costume.
O abaixo assi^nado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de 800*000 em
quatro quartos de n. 1630, e dous meios de n. 570
com a sorte de lUOiOOO, alera de outras sortes
menores de 40*000 e 20*000 da lotera que se
acabou de extrahir (6S'j; e convida aos possuido-
res a virem receber, que promptamente sero
pagos na forma de costume.
O mesroo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao sea estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixaro de
tirar qualquer jremio, como prova pelos mesraos
annuneios.
Acham-se a venda os muito felires bilhetes ga-
rantidos da 23a parte da lotera a beneficio da
nova igreja da Penha. que se extrahir no dia 22
do correaje mez.
I'refow
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1*500
Ue IOOQOOO para cima.
Inteiro 5*500
Meio 2*750
Quarto 1*375
Recife, 6 de agesto de 1873.
^____________Joao Joaquim da Cosa Leite.
Aluga-se por festa o palacete contiguo a
igreja do Bomfim, em Olinda, e o sobrado n. 49,
ra de Mathias Ferreira, este com gaz e agua
do encanamente, urna pequona mobilia e grande
quintal mnrado ; e aqaelle com mobilia completa,
oa sem ella, jardim, arvored s de fracto, cacimba
abundante e casa de banhos, com commodos para
grande fanrriia, ambos bastante arejados e pouco
distantes do litoral; alm destes, mais tres boas
casas terreas as mesma roa de ns. 18, 36 e 39,
com sufficientes commodas : a tratar na ra Nova
n. 18, ou no mesmo palacete.
Liqoes de piano.
Urna senhora portuguea, ehegada ltimamente
de Lisb *a, offerece-se para dar licSes de piano em
casas de familia e por pre^-o raxoavel : podendo
dirigir-se rna da Aurora n. 5, primeiro andar.
Escravo fgido.
150#000 de gratifieacao.
Aaseatoo-se desde o dia 13 de malo de 1872, o
preto de nome Alfredo, de trinta e tantos annos
crioulo e bastante ladino ; este preto perfeito
eozinheiro, estatura alta, magro elhos grandes, i
esteve no engenho do Sr. Lul de Caiar| era a.
Lourenco da Malta, onde consta ter parentea, foi
escravo dos Srs. Adriano 4 Castro, e do Sr, Jos*
Joaquim Goncalves Bastos, negociantes desta pra-
ca ; de todos estes senheres foi cozinheiro, ten
sido visto por pessoas qne o conbecem dizende
qne est forro, assim tem podido escapar de ser
prezo. Pede-se a todas as autoridades e capules
campo qae o pegando lev-o ra do Duque de
Caxias n. 91, loja de miudezas do Rival sem se-
gundo qae reeeber a gratifieacao cima decla-
rada.
' ?4 Predsa-s
lar ita ra do S"l
aldjral nnaa alna de Iclte : a ira
Cozinheira.
Pr$% j*rfei4a nese
irvir" i* ijii- (vnH.i lea n.m !mia : trlar tu
S.il" Air.Hr-i *f.i .-.^liliiOaV tna I Amur n.
171.
" Pi-.flsa-se de nina ama para cozinliar : na
ra da Paita m. t, i^annr. /K
Precina-se Ae urna mu du leite *in llio :
na ra da Penha a 13, r andar,____________^_
\ mfl >rw!'a-o ik; ama ama de rneia idado
i Vi lia pjy-, Kr^ iaterco e externo Je urna
casa de duas pessoas : na rna do Coronel Snaasu-
na (antiga rna Augusta) n. i8tl______________
Ama Precisa *'de urna a'm, com urgenca,
i.Vlll(V para eaw de pequen familia, prefe e-*(
escrava : na fu da Uniio n. 19.
AMA
hM
Precisi-M de urna ama para com-
prar cozinbar para casa de duas
pessoas, paga--e bem agradando : a
tratar na r&a a> Ponte-velha n. I.
e tima
Precisase de ima ama para cot
i, sendo Hoa : na
calcado.
do Ti'
ivramento n. 11, loja
tmj) Na rna do Apollo n. 3t precisase de
miin nau ^1 p^j engoramado, preferindo-
tt escrava.
Precisa-s* de urna ama : na ra Direita
n. 61.
Preeisa-se de duas amas,
sendo urna para engoramar
e fazer ontros tervicos do-
mestleos, ontra para co
iobar e lavar, em casa de
pe'iaena. binilia : na ra do Gapibarihe n. \ Oflerece-ae ama ama para casa de poura fa
milia, on homem solteiro, cozinha rom perfeico,
e muiio flel: quem precisar dirija se ao becco
do Serapatel n. I, prhneire andar.
A "m . z% y I ^m "" comPrar coinhar para
Xm. 1 JL Xm. *3 ou 4 pessoas : a tratar
roa Nova n. \, loja. _____________________
Na rna Nova n 6 precisase
urna ama para comprar e en-
zinhar, em casa de homem iol-
AMA,
teiro.
lio Dr. Santos Mello
41------Ra do Impera lor------41
Relojoeiro e dourador por-
tuguez.
Amino Baptista da Rocha, de
volta da Europa, contina a en-
carre,7ar-se d conceriar e doo-
rar relogios, bem como qualquer
outro objeto : rogando a seos
amigos e freguezes o obsequio de
procralo na trave sa da ra das
Cruzes n. 44, I* andar, por trax da pra^a da Inde-
pendencia, que o encontrarlo prompto a garantir
seos trabalhos e a faze-los por precos mdicos.
**K 0000 0000
& Consultorio homeopa- 0
# thico 0
i
Consultas todos os dias das 11 1 da 5*
Urde. 9
A Gratis aos pobres. V ^
Residencia ra Nova n. 7, segundo 2
W andar, onde d consultas das 6 as 9 da |B
Mf manlia e das 3 as 5 da tarde. Mt~
2 Chamados a qualquer hora.
00000 00000 000
Escravo fgido.
Ba % r u t i l t- a <; a o .
Ausentou-se a 30 de junho ultimo o escravo
Martinho, trajandn etlejl de la escura, camisa de
madapoln, chapeo baixo de pello branco, e evn-
duzindo um balaio de compras, com una calca Je
l eHxadresada de verde e um par de botas. Este
escravo tem W annos de idade," cor parda alaran-
jada, cabellos nm pauco n-suos, testa larga, esta-
tura regular boa figura intelligente, bom copeiro,
coziir a stitTnvelmente, e dcsrena-se qoo sabe ler
e escrever um pouco. E' natural .la Sei ra do Mar-
tins do Bio Grande do Norte, onde tem familia, e
resida o seu primeiro senhor. Consta que tem ap-
patecido no bairro da Boa-Vista e em fogalos, e
suppoe-se que, como seja cozinheiro, ten ha-se con-
tratado com alguero em urna daqucllas rreguezias
Roga-^ a apprehenso do dito escravo, u mliuin-
do-o ra do Conde da Boa-Vista n. 51, ou ra
do Bom Jess n. 3, onde se gratificar generosa-
mente.
O abaixo assignado participa ao respeitavel
corpo do commercio que nesta data comprou ao
Sr. Custodio Jos de Oliveira, sua taverna sita a
ra Imperial n. 94, com todo activo e passivo.
Recife, 16 de agosto de 1873.
______________Joao Machado Evangelho.
Casa.
Aluga-se a casa n. 123 no Caminho Novo: a
chave est na venda de junto; tem bom quintal e
fica perto da esbeo da Soledade da estrada de
ferro do Caxang.
COMPRAS.
llha res Incito.
Nafipa-Vista, na da Cmceie^k Vi. compra-
llma/i .-.: .-.MH-r- k.i:: a-uT.!
on ii-r\/i..*.i ;,r ,.-^.|.-..- .| ,i ....-
I"'1'"" 01 iii.-'iii i I .nii*it foio ; :. r. 11 ..i ni;
ras da Couceieao, dm p.n;s, Jo > 1, < .:,-.
r* Cfci:ifirp.sa um osera va .m saiha irab.Mlajl
de. taiqhir, brqfrrfck qne h< s-'ja mofo : a ira-
lar n: )n :;* da Ind'peuileitCM u|. iu e 21.
Vende-te urna casa terrea na ra dos Uuc-
gos n. 13, tem I salas, (piarlos, coxinha fura t
antoti cAio areprio : a tratar na ra 4a .-aati
OanaJf aMjiifner hora do dia. +
o* .
ii-iiJn 1,.. 1: i\< tuu'.uA'' 'I'- I esta if* i\i lo :i \ ii.lt 1 |'.* 2i rs. o covado, pa-
ta araar; c bartisateta e lanrc -c amostras. '
lgodrcO de ultras
. Algodo de i.-lras americano', -m pequeo de-
foilo, a 3211 rs. o aovado : na roa do Cresp o. 20,
loja i'GnilheiiiiH A C.
Brins de cores
Win*de Bfilio el- -' ti-- n i 0 e 440 r*. o rova-
Vinho verde de Bastos,
superior
Em ancoretas e raixas de urna duzia, (em para
vender a preco commndo, Jaaquim Jos Goncal-
ves Beltro A Filho : no escriptorio, ra do
Commercio n. 5.
Verdadeiras bixas hambur-
guezas.
As anteas chegadas neste ultimo vapor fraucez:
na rna da Cadeia do Recife n. 51, primeiro in-
dar.
As nicas verdadeiras
Bichas hambur guezas qne vein a este mercado:
oa ra do .Mrquez do uliuda n. SI. _______
Venda de casas.
Vende se ama ca>a terrea moderna, com gaz,
terreno de marinha : na ra da Concordia n.
133. Ontra easa terrea tambern moderna eem
terreno proprlo, na ra dos Coelnos n. 18 : a tra
tar com Marcelino Jos Lopes, na ra do Monde-
go, otaria n. 63.
Mobilia
Vende-se urna mobilia grande de Jacaranda, com
penco uso e bem conservada ; na rna do Bao
do Trimnpho n. 96 (outr'ora do Biiun).
Boa no-va
Vende-se o sobrado n. 29 sito ra da atoada,
com dous andares e solo; um ilito na rui do
Apollo n. 45, com tres andares a solio ; urna casa
terrea na ra do Fogo n. 3''; urna dita no Anal
do Forte n. 14 ; um pequeo cofre de ferro e ca-
xas com vinho lino do Porto : a tratar com Joa-
quim Alves da Silv na ra do Coionel Suas.-una
(an'iga de Horta>) n. 17.
Nova remessa de cha, tumo
e rape.
Amara!, Nabuco A C, vendem cha preto e ver-
de, fumo inglez para cigarro e cachimbo, e rau
francez e nacional : no Bazar Victoria ra do
Rarao da Victoria n. 2.
Vende e o sobrado de um .mdir sito na
roa Imperial, canto da travessa do Lima, prximo
ao chafariz, o qnal est situado em lugar milito
apropriada para estabelecimento commercial, a
que se tem sempre prestado, lea bom quintal, ca-
cimba etc., e tambero se arrenia. A tratar na
ra do Hospicio n. Sn, das 7 s 11 horas do dia e
das 3 as 6 da lardo.
Angulas legilhnos.
SVemle-se em casa de Okel Bindloss A C, na
ra do Boro Jess 11. 11, os verdadeiros angolas,
que forain da casa dos Srs. T. Juficres & C
Bom negocio
Vende-se o hotel n. 30 da ra das Lirangoiras,
bem afreguezado: a tratar no mesmo.
Vende-se duas inoradas de casas, sendo nnia
em Tigipi e outra no Barro, fivgiezia dos Afoga-
dos, ambas em solo foreiro : a tratar na ra de
Santa Rita-velha n. li, Io andar.
O abaixo assignado participa ao respeitavel
corpo do commercio que nesta data vendeu ao
Sr. Joio Machado Evangelho, sua taverna sita
ra Imperial n. 94, com todo o activo e passivo,
conforme concordaram seus credores.
Recife, 16 de agosto de 1873.
________________Custodio Jos de Oliveira.
Urna senhora, capaz, oflerece-se para engom-
rnar em urna casa de pouca familia; indo s 7
horas da manh e sahindo s 7 da nrute: quem
precisar, dinja-se i roa da Palma n. 90.
0 BACHAREL
J .io (Beatos da Silva
M mlarrayus
Se,fDcYmga) > lefoeios foajaues e
administrativos. ^^
mmmmm*
Talho para alugar
Aluga-se o bem conhecido apugue do pateo do
Paraizo, eom balcao de pedra marmore, com cepo,
bataneas e pesos : a tratar na roa Primeiro de
Marco, antiga do Crespo, loja do Passo, junto ao
arco de Santo Antonio n. 7.___________________
Na ra do Imperador n. 55, preci.-a-se de
urna mulher de idade, que saiba comprar e cozi-
nhar. ________________________
Oflerece se ama ama para casa de homem
solteiro, que engomma com perfeico ; a ra das
Cruzes n. 5.
Para noivas.
53-Rua Duque de Caxias-53
Augusto Porto receban novos vestidos de blonu
ricamente bordados, com sombra de sufierior se
tim branco e flores finissimas para noivas, o que
tem vindo de mais gosto. No mesmo estabeleci-
mento se enconira todo o que 6 necessario para
eBXoval de casamento, como sejam : eofatas do
seda, ditas de la com seda, cortinados bordados e
de crochet, fronhas bordadas, sedas prata e de
cores, popelinas brancas e de odres, ricas ehapeli-
nas e muita variedade de fatendas que vende p >r
commodos preco?.
00000 ********
* Fazendas baratas. 0
0 Rna do Crespo n 1< '0
t% Chales de cores a loo .". XS
2 Carabraias de cores a 240 rs. o covado.' c?
V Saias bordadas a 6000 !...
Vestuarios de fustao para meninos a gb
4C(X). Jf
W Grosdenaple c gorgurao de se da pretaR
0 a l6U0e 34500. e*
Madapolo bom a 5.
Algodo largo marca T a 4S. 9
gS Algodo azul americano a 320 rs. )gj
2j Saceos vastos para assucar e (araa \!.
0 a 320. 0
**ft $* 00^.000000
AttenQo
Vende-se urna partida de 88 lengos de la-
byrimho, de muito gesto e bom trabalho: Bna
ra do Mrquez de Olinda n. 39, primeiro andar,
escriptorio de Luiz Goncalves da Silva & Pinto.
At vir.
O Sr. Jos Alves Machado Gaimaraes pela se-
gunda vez rogado a vir ra do Imperador n. 28,
a negocio de sen interesse.
Quem annuncioa precisar da quantia de
1.000A a premio, dando garanta, qneira deixar
carta nesta typographia sobas iniciaes A A.
Ma ru da Santa Cruz n 18 lava-se e en-
gomma-se com pe: fei.ao, unto roupa de homem
como de senhora, quer por peca, quer por mes,
seudo para homem, camisas a 160 rs., calca a
24 rs. colele a i60 rs.r paletot a 400 rs., e por
mez 2O4OQU 1 para senhora se far ajuste por
mez conforme a roupa.
Aliento
Quem aehoa nm bilhete da lotera do Rio de
Janeiro de n. 1803 da 4* lotera (465), e quizer en-
tregar, pode vir ra do Rosario n. 13, que sera
bem reoompensado._________________________
Aluga-se barato amas meia-agnas, novas,
na travessa das Barreirai, becco do Aqulna : a
tratar na ra do Cetovello n. 25.
Precisa-se de um caixeiro que teuha pratica
de taverna : n roa da Aurora n. 33.
DOENCAS SECRETAS
Chalbert
bu bahou, rmmnx a mu nu>
loana
Hors.
iMapJjiowiIhmMi eow paDidM.\
Vende-se tres hypothecas de pequeos valores
em predios nesta cidade, todas vencidas e dupla-
mente garantidas : a tratar na ruado Rangel nu-
mero 37.
II i,.
Ra do Queimado, em fren-
te pracinha.
E' barato !!
Madapolo fino, largo, com pequeo sujo, a 44,
4 500 e o 1 a peca.
Alpaca de cores finas a 400 ris o covado.
Lencos abanhados, brancos, a iifiO a duzia.
Lizinhos de bonitos padrdes a 280 e 320-ris o
covado.
Chitas de coi es a 240 ris o covado.
S o n. 43 ra do Queimado, loja de Guerra
A Fernandos.___________________________
Farinha de milho
Vende-se farinha de milho moida a vapor, dia
riau,ente, pelos' precos seguintes : grossa para
migunz a 100 rs, dita para ang, pinto e passa-
rinhos a 100 rs., para cangiea e po de provenca
a 120 rs, e para coscas a 140 rs., em arroba
mais barato : na roa do Cotovello n. 25.________
Vende-se ecos com casca para embarque :
na ra du Baro da Victoria, outr'ora ra Nova
Vende-se carvao para erreiro ; na roa do
Brum n. 79.__________________________^
Doces ructas e flores.
Na roa da Crns n 6 tem ?empre todos os dias
nteis, srvete das 11 horas em diaate.
Yerniz do gaz.
Para vtnder na roa do Vigario b. 13, e na n
do Amorm u, 14, a realoo, ou em harria. A
companhia do gaz de iroda tem estabelecido seos
depsitos para venda de verniz do gai, nos loga-
res cima indicados, muito prximo ao embarque
noRecJJe.
Alpacas.
Alpacas de lisiras, lindos pauroea a 500 r*.
covado.
Colchas adamascadas a 44. ,.
Ditis brautas i!o croch a 54.
Cobcrtas le chita adamascada a 34300.
Cobertores de l esenros a 24.
- Lenges de bramante a 2J.
T0.1lh.1s alr.orlio.id.is a 64 1 duzia.
Lencos le ra-a abainhaii Ditos ditos cun barr a 15 a duzia.
Dito* ditos de e-guio a 3j ':0 a dtuia.
Carabraia lisa a 34 e 44500.
DHa Vrctori.i fina a380).
1 ortos lie '-omira lina a-li
Cretnnc, lindos palroeSA 440 rs. o covade.
Chitas nocas a 200 tk t) ojrsdo.
Bitas verdes e le ores ;i I4i.
Cambralaa de cores a 28(1 rs. o covado.
Brim pardo a 410 e 410 rs. o novado.
Briro lona, branco, a I46OO a vara.
S na ra do Crespo n. 2), l'ja de Guilhrrm
& C.
Colchas.
Colchas brancas e do odres a 343(X): na ra,
do Crespo n. 20. leja do Guilherme A C.
Cambraia preta..
(iimbraia preta com liaras e fli-res brancas,
proprias para lulo, a 24' rs o covado, barato :
na ra do Crespo n. 20, loja de Guilherme A C
Madapolo a variado.
Madapoln avarnrto do din rentes precos : na
ra do Crespo n. 20, loja de Uiiilberroe A C.
Camisas inpiezas.
Camisas inplezas forradas, com p"to de h'nbo,
pelo diminuto preco do 38*000 a duzia e 34500
cada urna : na ra do Cresju n. 20, loja de Gui-
Iherme & C.
A dinheiro
Aos senhores fabricantes de
cigarros.
Papel de cores, resmas gran les, sortidas a 94.
Dito de dito ditas, asseunado e n.uito en^orondo
9--000.
filo de seda (mais conherido por seda de rr-
Ihol do verdadeiro, francs, a 24(i- 0 o cario de
10,0. o mortalnas.
Dito de liuho fino de Barcellona, marca mai tol-
lo, 14000.
Dito de dito dito, marca batanea, 34500 a resma.
Dito de trigo, resmas grande-, do verdadeiro da
Barcelloua, 94 a resma.
No armazem de Jos Domingnes do Carmo e
Suva, ruada Madre de Dous 11. lO A, armazem do
fumo.
Aos senhores fabricantes de
charutos.
Fumos em fi-Ih.is, milito v< Iho, chetroso e forte,
para fnmar-se, da safra velha. e dos melhores lu-
gares de S. Flix, Xazarelli, 'la provincia da Ba-
bia, sao vendido! a dinheiro visia por precos
muito redutido?.
No armazem de fos Domingoes do Carmo e
Silva, ra da Madre de Dos 11. 10 A. armazem d>
fumo.
Alhos a 40 rs. a munca e gaz
a 5|800 a lata.
No armazem de Jos Bomiugues do Carmo e
Silva, ra da Madre de Dos o. 10 A, nnazem
do fumo.
Pee!
GRANDE
cna
Ser possivol!
A rosa branca vende chitas Ana* de core; :
ras a 140 e 280 rs. o covado, a eseolbor.
(Juerem ver que lindos ves-
tidos !
Venhamrosa branca comprar granadinas bor-
dadas com flores e lislras de cores, est queiman-
do a 13 o covado; lodos vendem por 1410'
Nova remessa
A rosa branca receheu las finas com lislras de
pura seda, e vende a 800 rs. o covado ; sempre se
vendeu por 14200.
Madapolo francez limpo
A rosa branca vende a peca a 74,todos vendem
igual a 94, e quem duvidar venha ver.
A rosa branca recebeu uro grande sortimento
de chapeos de sol, c vende muito barato : na ra
da Imperatriz n. 56.
Bois.
No engenho Boa-Vista, do Cabo, vende-se
bois refeitos, assim como, mansos para carracas.
Peitoral de Cereja
do Dr. Ayer.
^
Pus If oleitiu da Garganta, Foito,
e Pulms, taes como Toases,
Conatipac jes, Defluxos, Coque-
luche, Bronchitia, Aatoma, Con-
aumpoa cu Tiaica pulmonar, &o.
Antes de apecer o PEITORAL nnnea a historia da
medicina Tira pMparacio algnma qne ffto universale profnn-
damente gannasse a confianza do ginaro humano, como este
xcellentiisimo remedio pan infermidades pulmonares. Du-
rante longa aerie de annos, entre quasi todas as racas doa
homens vai gozando cada Tez de mala alta reDutacoo e ro-
me, como o raelhor protector contra estas molestias.
Ao passo qoe se adapta perfeita nauta as formas mais bran-
das das molestias, e as oriancat e meninos, ao mesmo
tempo, o remedio mais eficaz qne se pode produzir para im-
pedir o progreaso da TUlea iHeipimH e todas as perigotaa
affeccdes do peito pnlmees. Como antidoto contra attaques
repentinos de Croup, todas as familias devem o tar emsuas
cazas ; e em geral, como todos si) sujeitos constipaces o
toases bom estar-se sempre pn venido com tam poderoso
remedio.
Posto-que a TUiea Dtetmrmilm tida como sem cura,
ha portanto grande numero da Olaos em que esta molestia
pareca ser declarada, mas que ae ttm cundo radicalmente
pelo oso d'aate PEITORAL D.S CEREJA. 1
Milhares de casos de MnltiHm* dm Oari/nua e pulmes
que tinham baldado todas as expeliente* da peieoia humana,
teem cedido s> influencia do PEITORAL DE CEREJA.
Os OansarM e os Ora atore senario o Peitoral um ex-
cedente protector contn moieatia, < de grande serventa
para ajndar a voz.
Sempre allivia a Atthmm, fiequentaaiente a taz des-
parecer inteiramante.
Em dotei pequea e repela, regularmente cura a
BnmckUU.
Para OtuHmmttu fu*, iiio i posaiTel encontrar-se
milhor remedio. Toma-ae em ilotas pequeas tro/ vez6
por dia, e a noite nm escalda pea, ata ae corar a molosiia.
Para os De/lux, quando aflsotam a garganta, deve-sc
fazer o mesmo.
Para a nuss-issaa* 00 mmsMs, dan* em pequea*
doses tres ou quatro vejes por dk.
Para o Oras, doses grandes .1 rapetidas, at se Tenca* a
molestia.
EffectiTamente nemhuma familia 6>t pasear sem o PMI-
TORAL, para so defender contra o* attaques repentino*
das molestias cima mencionadas O san amprego com tem-
po, mnitas T**a* poupara ao nfimo muito* sormientoa e
perigos qne oocorreriSo se tivesse Sa esperar para ontro. aux-
ilio. Pase maee, conserrae este remedio sempre em caza.
Vidas preciosas se vos podan salvar.
A* Tlrtadee rarmeote conhecidaa, que no* sllasladna de algomas ae usa* grandes curas, e uos limitamos
* aasegurar ao publico que astl* virtade* que < .*
**asprt m oonaervarao.
raeriau roa
J. C. Ayer t C*v, UrnUO, HAsa^ B.U.
TsWSigB POR
A
tS-Jf
I


-
6
.&rw> de Pitoai*fcifc<8> .Q^rt^^feira 2* *; ^qs^ (^^3.

Em
fazendas de gost
NA
LOJA E ARMAZEM DO PAVO
N. 60 Ra da Imperatriz .N. 60
PEREIRA DA SILVA & GU
Os propuetaries deste importante estaberecimento, pariioiparft ao
dasta cidade o aos seus numerosos freguezes "*"
COMO Sfo I.YBOS! \
Os leques Mies '> matreperlla,. braneos e de
ores que traaem o tamben do raaraperola cu, alio relevo, wr-
ando-se por isla apropriados para Boiras, NO-
VA ESPERANQA ra Duque de Casias n. 63
(antiga do Queunado) quem.08.tem.
Bao de tarkinDga
Os brincos; broches, meios aderecos; crutas,
coracSes e cassoletas, que esto oxpestas boa
escoma das Exma. (amantes do chique) vende-so
a Nova fepeaneay ra Duque de Caxi.v
B> 13. i '-'' b ca %a cnm a* tft n
.tos nienfom
A Kov Esperanca ra Duque dd Osxias'n.
63, acaDa de recebar om liadc^ p^mento de bo-
necas de nimias qnalidadcs, vwdo ^BreHa-s as
engrapadas ^^a&d$.tt<>fr^ba, apira lautbeni
i'
res de Europa, um grande sortimento das mais lindas e mai modowas fazendas de gosw
e muita phantasiapara vestidos de senhoras e meninos, assfm corri tambem um grande
sortimento das mehores fazendas de le, que se vendem por presos muito em cont,
rom o fim do apurar dinheiro. 11
As pessoasqae negociam em pequea escala, neste estabelecimento poderto1 iakir
os seus sorti.uentos, porque se lhes Tender pelos prec<* que comprara fias caas estmtir
garas ; de todas as fazendas s do amostras, deixando penhor, ou mandam-se levar efe
casa das I'xmas. familias pelos caiciros.
Este estabelecimento est constantemente aberto das 6 horas da manW sifrda noute
Aosdez .il evados de lsinhiis' OPa *URUS a 109000.
O Pavao reuebeu pelo ultimo vapor 4a
500 i s.
Na loja do Pavao.
UZLfHAS A 300 RS.
LZINHAS A 300 RS.
LAZINrMt>A300RS.
O Pavo receben um grande sortimento
Europa, barrios dos mais Hados" gostbs
! que at buje sao conhecidos e em pelero1
I sua excessiva barateza, onvldatn-se as
Exmas. Sras. para aren* o que ba de mais
Inovidade neste artigo.
BRAMANTES PARA LEMCftES.
O Pavo vende superior bramante de al-
das mais lindas lzinhas para vestido de se- gd>/> tendo 10 parmos de largara, que so
nboras e de meninas, com delicados padrees precisa de 1 1/4 vara para um lencol S
midos e grfidos, que vende peto baratissi- *9<00e metro ou 19800 avara,
nao proco de 300 rs. o covado, por baver Dito de linbo fino superior e muito en-
grande porco. E' pechincha, na ra da corpado, com a mesma largura a 2*400 a
vara.
Ditos francezes muito finos a 29500 e
39000.
Pegas de Sambupgo e panode4inbo, ten-
do c,m 20 e 30 varas para todos os precos
e qualidades.
Ditas de bretanha de puro linho, tendo 30
lnip,:ralriz n. 60, loja do Pavao.
ROVOS VESTIDOS A' 2 DE JULHO POR
129000.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
dos mais linios e modernos cortes de cam-
braia par vestidos, sendo a uso da corte e
2 de julho, com os mais bonitos enfeites, e
tendo bastante fazenda : assim como baba- jardas, pelos presos mais baratos que setern
dos, modas, riioifliz o ntremelos, sufficicn- v'sto-
tes pira as guarnieres, e vende pelo bara- Pechmchas de finissimo esguio ou silezia
'de M8
stti
AKonEtpemmAirvmifimtkt ieffexlksin.
6J, feJeu'vm*Aairo ,ciaBtaain#e4 pitpara
{So para concertar porcelana bem
quwn
to pr.yo de 129000 cada corte. Na
do Pavo i ra da Imperatriz n. 60.
LAZMfUS BORrUUASA 400 RS.
O COVADO.
O Pavao recebe um (legante sortimento
das mais lidas lzinbas transparentes com
ioriuhas, bordadas, tendo de todas as cores
inclusive! recki propria para viuva, e ven-
de pnlo baratissimo prego de 400 rs. o co-
Tado. E' p:-cbincha, na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. G0.
LAS MODERNAS.
O Pavo vende um bonito sortimento de
ttxmfaaa I istia Jas sondo das mais modernas
que tena viudo ao mercado, pelo baratissimo
prego de 500 e GOO ors. o covado. E' pe-
ehincha, na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 00'.
ALPACAS LAVJHDAS A 640 RS. 0 COVADO.
Chegou para a loja do Pavao um elegante
n mt i das mais lindas alpacas lavradas
- sendo as cores mais modernas que
; ii un lo para vestidos, e vende-se pelo ba-
**imo praeo de 640 rs. o covado. E'
lia, na loja do Pavo.
tSSAS PRANCBS A 600 E6V0RS. 0
METRO.
O "iivao r c'lieu nm magnifico sortimen-
' I mais lin las cassas (ran -("as, de tor,
i mu mais bonitos despul s midos e
-. ; s, tendo padroes escuras outros que
s rvem para hito, e vende a 600 e 640 rs.
o metro ou 384. e 400 rs. o covado.
UZ1XH1S MODERNAS COM I.ISTRA DE
SEDA A 640 rs. e 15200.
Pavo recebeu um elegante sortimento
de las com listrasde seda assetinada, sendo
asmis modoraas que tem trodo no merca-
do e com as mais delicadas curas, e vende
pelos baratos presos de 640 rs e 1-7200.
ssim com > nitras muito bonitas com listras
sem ser de seda,que vende a 500, GiO o 800
rs., tojas i-'as las sao rao lemissimas. E'
p<" hiiii ha, na luja do Pavao.
ChUttiii\ 9-, SO, SOoSOt rs.
O Pava i receben um grande sortimento de
(bit,!, le cores SxS, que ven le pidos bara-
tos pnv. s de -2o e 2S0 rs. o cavado. Ditas
escura* fasenda muio snperior, com no vos"
padr '-20 e 360 rs. o covado.
Dii it > fina padroes claros em teci-
dos (I .des, com barra de cor ao lado e
sem ella a 3t>0 e iOOrs.
Ditas p'ctascom Bcido de crctono, tazan-
Ai moho superior a 3.0 e 400 rs. o co-
i-do.
Ditas d i cores, miudinhas, proprias para
r^"- ;.. rii.niras a 360 rs. o covado. E'
p< i .'!ia, na loja do Pavo.
II : m n 500 rs. o covado.
ii rocobea um elegante sortimento
ata i nv< I'.tiios baptistas de caree com
p .. x mi.i iinbos e grfidos sendo proprios
i visti ros h- ipa di; criauga, pelo bara-
tissimo prego de "'.)0 rs. o corado, afiiangan-
do ser jira i l.- pwhintlia !
Cort>a ,!,lanahrcala. ultiiu
O Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes do cambraia branca cora ba-
badinhos ricamente bordados, tendo fazenda
sufficionta pira velido deqnalquer modelo,
estes vestidos sao os mais modernos que tem
vindo ao morcado, e pela sua oxcossiva ba-
rateza tornam-se recommendaveis s senho-
ras de bom goslo.
Ditos com babados de ebr, tendo 20 me-
tros do.habad s a 9jW00k E' grande pe-
etncba, no Bazar do Pavo ra da Impe-
ratriz Um 60.
CORTES DE GAiBRAIA BORDADOS.
O Payo receben os mais ricos cortes de
cambraia branca bordados para vestido, que,
vende pelo barato prero de 20? e 30JP0OO.
CORTES DE CAMRUAIA BRANCA.
l0jg com 6 jardas a 7?M>00.
I Pegas de finissima silezia com 30 jardas
'a 35^000.
Atoalbado adamascado com 8 palmos de
largura a 2^000 a vara.
Calcas do ensemiru.
O Pavo tem um grande sortimento de
caigas de casemira, assim como cortes os
mais modernos que tem vindo nos ltimos
figulinos e cm fazenda, dos mais finos e
mais nevos que tem viudo ao mercado, e
vende-so por barato prego para apurar di-
nheiro, assim como caigas de brim branco e
de cores, por pregos muito razoaveis.
LENCOS ABAMIADOS A 1J800 E 23000.
0 Pavo vende duzias de lengos brancos
abainbados, sondo fazenda muito boa, pelo
barato prego de 2000 a duzia.
Ditos tambem abainbados, com beira de
cor a 15800.
Dit s grandes, fazenda muito fina, sendo
todos blancos 3?000,
Dito de cambraia branca, sendo em peca
a 33600
ME1AS CRIAS A 4 E 55J000 A DUZIA.
0 Pavo vende duzias de meiascruas, in-
gle/as polo barato prego de 4&000 e 5J5000.
Assim como ditas muito fina e muito en-
corpadosa ?00, 7000,$p(B)0 e 1O5S000,
e um grande sortimento de ineias inglezas e
francesas, para senhoras, que se vende por
prego muito cornmodo.
MADAPOLAO ERANCEZ a 6*00O E 79000.
0 Pavo vende pegas de madapolo fran-
ecz, que sempre se venden por muito mais
dinbeiro e liquida-so polo baratissimo prego:
65000 e 75000, por ter feito urna grande
compra. E" pecbincha.
Al^odAozIiiSio a 45000.
O Pavao vende pegas de algodaozinbo,
multe boa fazenda, pelo barato prego de
Vestido perMo
Multas Tc*es am'Vesu'ao forna-se' inteiraraete
feie. somanto por -eetef tm epfeitado ; a-Nova Ks-
perinfa A ma DTWfoe' OixiM H. 3, rem.n-e
este mal; porque est bem provida dos rtlltoles
falSae e imafia tetadas aco remonde pode as-
cHicr-se voalado 'wbressBtadHAe sasjas
modernas franja* awaakasjBe nljfSia vatieda-
daite coree,,nea boia qp| IM%b azabdas-
A ella ante JMasd&borrttdi
Vndeme d todos' Cstathahos Wa Duigie
de Caxias n. (5^, na Nova Esperanfa,
CaveUS' tmmem $ tem
querk |#
A'Nova Espnranna rSa Piimie de QMias n.
63, acaba de receber a verdadfira liaiara flu rles-
poui par t'uigir o catollos, o que te consegtie
(empreand'>-a) com muita (aciidada, | por- eite
motivo, ca lk* brancos t tain quera quer.
stao na moda
s ctatorSesuto crKo/proprivi tara noras,
nerecebeu a Nova Esperanca ru- Duque de
axias n. 63, esto, sim, saatora, estona moda I
Se queris 1er ou preparar um ramalhete Be
cheirosos'CraVbs enjeos paja o vossojasamento,
on para ootro flirt apropriado, aanmii ir
Nova Esperanca ra Duqte da Caxias n. 63,
que alli encontrareis os menitires part *>euquls
que sepoe'desejr.
j: ---------kUUi
Lonrenco Pereira lu
Declara seos fryfaaws que tan resol vido vender o mais barato que or
saber: [ n
01ITA& AM 80 E 2%S. O C0TAD0. I CORTES DE BRIMTJE CORES A
Vndele cbitas francons largas oor to- Vende-se cortes ele brim
que de avaria, a ICO e 200 o covado. Di-'alga, a 1J500 e 28000.
de
i M i
para fazer os oabellos pre-
tos.
A aguia branca, ra Duque de Caxias n. 30,
Scaba d reoeber nova roraessa a apreriavel agua
Oorida para fazer os cabellos pretos. 0 bott re-
sultado colhido i>r quoia tem fuito uso dessa
(noffensiva preparagao a tem altamente concahua-
do, e per Isso apenas se /az'lsmnrar a quonl no-
vaiHcnte deila .precise e cjueira se aproveitar de
Sua utiUdade. Tanlbm veio agua do topasio e
oleo florido paisa o mesmo uso, e tao acreditados
como aquella.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de cores.
A aguia beanra, ra do Duque Caxias n.
50, receben novas e bonita voitas o brincos de
grosso Jiljafares da cores, e come empre conti-
nua a vendo-las por prego comawdo.
Novs diademas doirados e
um mmm
d Kanio da Itdoria n. 22.
DE
Carneifo Vianiiii.
A* este grande estabelecimento tem che-
gado- um boii sbrCmento de machinas pera
costara, do todos os autores mais acredita-
do 'lltiaatatuena Enrpa, cujas machinas
sao garantidas por um anuo, e tendo um
perTetto artfeUpia ensinar as mesmas; em
qnatiuer parte desta cidade, comn bem as-
eim. toncerta-las pelo tempo tambem d'um
atino sem despendi algum do comprador.
Neste estabelecimento tmibem ha pertengas
parsfts mesmas machinas e se suppre qual-
ega que seja necessario. Estas ina-
trabalbam com toda a perfeigo de
dous pospontos, franze e bord> toda
qaftlquer costura por fina qae -s-ja
precos sio t segninte qualidade : para tra-
balhar a mo de 305000, 405000. 35000
e 5050OO, para trabalhar com o pe sao de
tas limpas a 2i0, 280 e 320 rs. o covado.
CASSAS EKARCEZ*S A 320 RS.
-"^ende-se cassas fraicezas 1 320 e t0 rs.
o covado.
LSINHAS A 200 RS.
Vendo-se lsiubas de cores para vestidos,
a 200, 360, 406 e 500 te. o covado.
ALPACAS A400RS.
Vendfevjp ai patas para yestidos a 4^0,100,
60e00rs.e covado.
COBRTAS DE CHITAS A 1*060. J
Tendc-se cobertos de chitas de cares, a'
(tPIM e 25000. ftitas de pello a l4to. rs. o Ovado.
Colxas de cores a 15200, 25500 e i 100. LENCOS BRANOS A 5000 A D
CHALES DE LA-AfJW H8. VennVse a dariaf ^^SvJo. b
Vende-se chales de l de quadros a 800.20000. Ditos com balsas de cores
rs. e 15000. Hitos de Urdi a 5?000.
Ditos de merino a 2$, 39, 49
J BOTINAS A 39000.
|We-se botinas para senhoras,
0, a ellas antes qne se acaben
R0UPA FEITA NACIONAI
Vende-se camisas brancas, a l$j
29500, 39000 e 49000.
Calcas de MMirras de Ores-, a
790ft.
T>l>s^casemim,ir*a>; #e
Seroulas a 1 e WOO. '
BHTM DWES* '->4f> BA
Vende-se brim de todas as corles t^i
2
809000, 909000, f009000, 1109000,
Amia florn <\<* &mMl* *1^0^.' ^^oto, 1509000,20090000
Agua nOiroa, Oe* WUlStall, 2509OOO, emquanto aos autores nao ha al-
com pedfas.
I
A aguia branca, na do Duque de Caxias n.
50, recebeu novo sortimento de bonitos diade-
mas dourados e com pedras, tanto'para meninas
como para senhoras.
Colleceoes de traslados ou
normas para esorever-se.
A aguia branca, ra Dtique da Caxias n. 50,
recebeu novas collecgdes ou normas para as crian-
gas aprendern a escrever por si mesmo, hoje Uu
usadas as aulas c eoltegios; e como sempre ven-
de-as por prcro 'cemmodo.' \
Meias cruas finas para meni-
nas esenhoii"as
49 e fi^O'JO.
:no>
O Pavo recebeu um lido corte de cam-
qne
braia branca com listras aesetinadass
vende pelo batato prego de 69000.
Ditos om llstws.dveres,te4o''Vflras a
49e59'-)00. E* iiechiruiha.
K&PftHTHHIOBt
O Pavao rocaktttt.. um. grande sortimanlo
deespartilhos tantrjpara sciibora como pat-q
menina, que vhde pelo barat prende
39000.
Dit. muito tinos- a 49 e 59000. Sio dos
mais rm lenros' rjn (rtm vitin ao raet-
ado.
CAMBRAISOTRTS^A^ E ltSWOO
O 1Mveo-recebem^esesjaMe'eertinKinlo'
tas mais tinas Caffibritas BiWrcas: M;
Dito largo muito encorpado, proprio para
toalbas e lenges a 6?->000 e 79000.
UMBRALAS.
O Pavo vende cortes do cambraia trans
prenle propria para vestidos a 29500
39000.
Peras de dita muito fina, com 10 jarda,
tapada como transparente a 49, 59 e 69000s
at a mais fina que vom ao mercado.
PAJINOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
0 Pavo tem um grande sortimento de
pannos de crochet proprios para cadeira de
balangn, para ditas de guarnigo e para so
f, queae vendem muito em enta.
COLXAS DE CROCHET A I9 89000.
O Pavo vende colxas de crochet proprias
para cama de casal, pelo baratissimo prego
de C9 e 89000.
Ditas de fusto acolxoadas, sendo de co-
res e brancas, pelo barato prego de 4G000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
Cretone e de chita, que vende por pregoi
muito razoaveis.
CORTES DE PERCALLES COM DAS SAIAS
a 9000.
O Pavo vende bonitos cortes do percalles
com duas sias, sendo fazenda de muito gosr
to a 49000. E' pechincha 'na loja do Pav
vao ra da Imperatriz n.60.
BOTINAS PARvV SENHO*, A 55000.
Nadoja do Pavcni ra da inperatriz n. GOL
Pereira da Silva Gaimares receberam
pelo ultimo vapor de Europa um elegante
sortimento de botinas pretas e com delicados
enfeites decor, propriasparatsenbora, garani-
tindo-se serem das mais modernas que ha
no mercado, assim como a Boa qualidade^
por terem sido remelldas por Um dos.nt
Ihores fabricantes de Pars, e vende-se peto
barato prego de 69, na loja do Pavo.
SAIAS BORDADAS A 39, 60 e 8&000.
O Pavo vendo safas ricamente bordadas
de 4 pannos cada urna, pelos baratissimo
pregos de-8*, 69e8>0O0.
Ditas de um panno s eeom muita rodas
guarnecida de pregas, pelos batatos precoi
de 29000 e 29500.
Ditas com-guarnigo de-pregas e bor.La*
dos a 39500.
AlgtMla< emtvmtmdm a t93<34> 4
?rtrn.
0 Pavo vende algodo americano enfs*
tado e muito ettcdrpdb, rjrrjprcr paraloaf
Iba e lances, pelo barato pre^o de 19X100 I
vara, j,
, Dit) francaz aendo trancado e muitc^eni
corpado, pelo baratiaomo preoo de 15280 o
metro.
Ca.eftr^.M*li?^ J5OOO
' '0'Pa^\eti'eor^Vfesttttriffsjlce
mquanto
teragio de pregos, e os compradores podci fio
visitar este estabelecimento, que muito de-
vero gosla* pete VaViadade de objoctos que
ha sempre para\ender, como Sejam : cadei-
ras para viageln, malas para vagem, cadei-
ras para salas, ditas do bal anco, ditas para
rianga (altas), ditas para escolas, costurei-
ras nquissinws, para senhora, despensaveis
para enancas, de todas as quahdaJes, camas
de ferro paa homem e cringas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
queos, apparelhos da metal para cha, fa-
Jyeifos din cabo de metal e de marfim,
itosavulsos, colheres de metal fin), condiei-
ros para sa, jarros, guarda-comidas de
rame, tmpas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette, e outros mul-
tes artigos que muito devem agradar a todos
que visilarem este grande estabelecimento
ajee se aoha aberto de-.de as 6 horas da ma-
nila at as 9 horas da noute
Ra do Baro da Victoria n.
22.
e59000.
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vende-se pegas de cambraia branca trans-
parentes o tapada, a 39, 99500, 49, 4*J>500,
59 e 69000.
SAIAS BRANCAS A 9900.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhoras, a f 9000 e 19*00.
BONETS A 500 RS. f;
Vende-se bonets pretos de seda para'ho-
mens, a 500 rs. Chapeos de palha, pello e
seus massa, a 29, 29500, 39000 e 49000.
MADAPOLO A 89000.
Vende-se pegas de madapofao enfiestado a
39000. Ditos inglezes para os precos do
49, 49500, 59, 09000 e 79000.
ALGODO A 39500.
Vende-se pegas de algodo, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 19600.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura para lengol, a 19600, 29 e 29500 o
metro.
GRANDE LIQUIDAQO DE SABONETES 80 RS.
Vende-se urna grande porco de sabone-
tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes cjm
cheiro a 320 e 500 rs.
Agua de colonia, a200, 320 e 500rs. o
frasco para liquidar, e outros extractos |
muito barato.
A loja d'rguia branca, ra Duque de Caxias
a. SO, recetieu novo sortimento daijuellas tao pro-
curadas meias cruas. para senhora, vindo igaal-
inente para meninas, e continia a vendo-las por
precos con.1 nodo.-.
Veos ou mantinhas pretas;
A loja da aguia branca, ra do Duque de Ch-
xias n. 50, recebeu benito veos ou mantinhas
pretas de seda oa flores, e outras a imitaco de
croch, o vende as pelos baratos presas de 3a,
't i; 6f000. A fazenda boa, e est eai permite
estado, pelo que contina a ter promuta exlrae-
aie
Perfeita novidade.
Grampos com borbolctas, bezoures e gafa-
nhutws dourados e coloridos.
A loja da aguia -branca, ra do Duque .de
Caxias n. 50, recebeu novos grampos com bor-
boleta, bezouros e gafanhotos o que de cerro
perfeita novid de. A qaaniraade pepuena, e
por isso em breve se acanara.
Novas gollinhas ornadas com
penela ou arminho
A lega d'agnia branca ira Dbque d-Caxias
- 80, receben urna pequea qoanridade de boni-!
s e novas gornhafl, trabalm de la e seda, en- I
neitadas com armiiibov obras esas de muito gosto
e inteiramentc novas.:
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
Aloja a agida branca, ruado Duque
Caxias n.fW, recebeu- novamente boBiios- gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; aSsim eemo
novos diadema* de ajo, e cemAseuipre conti--
ma a vende-lo/fiol p*{os raawareh
Caixili.s cflm pos dourados
e prafeados, para cabellos.
Vende-se na loja da AgiiU Branca ra do Du-
que de Caxias n. 50.
L11 vas de pellica/ pretas e de
outias c5res.
A loja da Aguia Branca, i roa Duqne de Ca-
:sap>iai 8e,'Feo*en mivosarmenU) de-luvas de
pellica, pretas fe de untns cose.
Nao lia mais cabellos
bramos.
WlifiU JIPONEZi.
S e nica approvada pelas academias de
scieucias, cuhecida superior a toda qoe
tem apparecido at boje. Deposito princi-
pal ra da Cadeia d^ Recife, hoje Star-
quez de Oitida, ti. 51, 1.a andar, e cm
todas as boticas e casas de cabellei-
reJrOv
BICHAS DE K&1BURG0
As msia recentes e mehores.
Vendem-seua pharmacia e drogara de Bar-
tholomeu & C, ra Larga dosario o Un. 34
SEGREO ECONOMA E CELERIDADE.
Obtem-se com o uso
IWECpO* SHOST
nica, hygienica,radical!enfallival nca-
ra das gonrheas, flores, brancas e fluxos le
toda especie, recentes ou chronicas; e qae
offerece com ^irantia de salutares resultados
3.
TOALHA9 A 00 RS.
Yonde-se toalbift paVarosto, a 8W rs. *
19000.
GRAVATAS DE SEDA tttETA A StO F>
Taride-se gravatas de seda preta, a loe
M. "(Mi' u%rta.
CHITAS PARA COBERTA A 280.
Vende-se chita para coberta, a 20 ft |2
rs. o covado.
BONETS PARA MENINOS A lj
Vende-se bonetes para meninos,
ESPARTILH08 PARA S.ENHOKA
Vende-se e4>artlhos para
398OO.
<
f:
!. 800 R$. r> fiO^lDO.
VenJe-sfgranadines cbm listrasde soda,
para vestkjss di senhora, a 800 rs. e 19000
O covado.
cowlfj DlCROcW;r a 69000.
Vendefc ricas colchas de crochet para ca-
mas a ejooo.
PAfNOS DE CROCHET A 19500
VenZ-se {foniiosde crochet para eadairas,
a 10oOe 29000.
aSSAS PARA CORTINADOS.
Vendase pecas de cassas para coninados,
com 2f varasJ a 1O9000 e 129000, e outras
I muita/fazendls em liquilagao.
GRANDE REDUCTO EM PRESOS
Attenco. Atttico.
Na loja de Soares Leitc Irmaos, (\ na do BarSo da
-Victoria n. 28.
Caixa de linha de marca, a 200 rs. dem idenfde pos chinez, muito bom,
Garrafa de agua florida verdadeira a 19200 500 rs. e 1J00.
Abotoaduras para collete, de todos os \izia delbonees de amendoa, a 2|aoo
gostus, a 200 rs. e 39000.
Lamparinas gaz, dando ama luz muito! Frasco col opiata muito boa, a 19000 e
boa, a 19000. [19S00. \
Garrafa d'agua japoneza, a 19000. fkm de. si
Iduu: idcn divina, a 19000. yg 2*20(1
Duzia de pegas do cordo imperial, a fdem iderr cor,
2+0 rs- ,. I Duzia de p
oriental de Kemp, a a ^qq rs>
dem dem
Saboheaw
800 rs.
Frasco com tnico
19000:
Duzia de barallios francezes, cauto doura-
do, a 39000.
dem idem beira lisa, a 29200.
Frasco com oleo Oriza verdadeiro, a
19000.
Caixa de botOes de osso para caiga, a
200 rs.
Caita de papel amisade, beira dourada,
aSOOrs
l'dpm idem idem lisa, a GOO rs.
dem idem idem, a 400 rs.
Caixa de enveloppes forrados, a 700 rs.
Luvas de pellica com pequeo toque,
a 320 rs. I
*Mes de anjinho transpaf n
Sltres, a 19500.
as de trangas caraeol branca
sas, a 200 rs.
lvcerino tronsparentea, a
Caka de pe ias Parry, a 800 rs.
dem Liem, 400 rs".
Caixa da en lopfes tarjados, aiSOO rs
Leques de o asa arfa lo part seibeuv
a 29000,490( e C9000.
Fita de vellu) de toda/ aa<;oiese inrgu-
ras.
'
dem id ii4 de sarja i-i 'in idem.
Chapeos sata senhoras ; meninas.
ntreme is e babedos iraBsparentes e ta-
pados'.
Botinas fbra senhoras, a 9000.
Duzia de carreteis de hnha, 200 jardas, a j^ JgJ, e d cor, em Ierre
tel.
a continuada applicago que sempre com a
maior vantagemse temfeitodella nos hefe-
pitaes de Pars.
Dnico deposfe pata o Brasil', Barthoomeu
& C. ra Larga do Rosario n. 3i.
A maconaria desmasca-
rada,
ou colleccao dos artigos do Echo de Roma, anal y-
samlo-a en colar do Cap: Pr. Federarlo de 3i
da seiembro de 107-1, e l'ranch.-. do Ir.-.
Gomes Freir ao Ir. Otto; assim como a deste
Cav.'. R.*. +.-. Ven.-, ao redactor do Echo
e fotna, datan de Goitnbra aos 16 de dezembro
do mesmo pqao, precedida do urna carta intro-
duc(<} c annotadal por um redactor do Echo de
Roma.
Acaba e ehegar de Ltsboa esta obra, e venderse
na livtori eeonorttica ao p to arco de Santo
Antonio, prero I50.
2 B., a
preto
Lini'ajL" eli'gantes caiaiohas dos-peru
mistas J||!odray>
700 rs.
Idem idem 00 jardas, a 300 rs.
Duzia de talheres cabe branco,
59000
taco de fita chineza, a 800 rs. P*M *
Caixa de linha com 40 notellos, a 500 rs. Quadros
Resma de papel pautado, a 29800, 49000 das.
e 59800. | Espelhos demoldura dourada,
dem idem liso-, a29600, 39500 e 59000'. s tainanhos e pregos.
Coques modernos, a 39000. i i Garrafa d tinta-ro eiLra>fina a 1900
Caixa de pos para denles, a 200 rs. | j Microscopios (sera-vista) 29000.
Gell Frres'o Ifiegr.
com santos e estampas- separa
de todos
BONECAS.
Bonecas de cera de todos os tamanhos, con camisolas e, ricamen .e vestidas cada
ama em sua caixa, bonecas de borraclia e beiat de todos os tamanhost candieiros agez,
objectos de porcellana, gaiollas de rame, moMoras para quadros, machinas papa tura, transparentes para janellas, e um .complli e variado sortimento de miudezas,'q^ie
se tomara longo mencionar.
II
Grande lu|uta,
Na ra df* lie a Prueinlia
a^ H'CM0:e' 960 rs.ee*
proco de 99 b lOftftOO-e-earte, tendo fazenda pra-se venden- por. mais diahejro. fiau4
ketantem^ W pca^ftnfioja; W*oa Wocorte. ^ ^
do Pavo aatelaqMfer n. 60. \ Ditos a 69000.
Em frcilt
Lzinhas de qua'.tws
- vade.
Chitas de cores G-go.nt&HHQe&bn. oovad
Madapolo bom a 4a a peca.*
Atada* T a 4j .8* a: pafa
Coba da fustao, mnia,gm.-
Toalhos felpudas?* 6* aldaaia
Lencos para meninos, a 00isr
Brtmlna de.por) lialio a 3W) a Vara.
Cortes de caemira J
negocio.-
Vende-se" o iajtffo Camevoinil, bpeiro ebom
muedor, distante dAestacao < legOR8,p6deitfejftr de^a 4,000 p3s de-aasucar
e com boas malas, do excaUentes madeiras :
fatar no mesmd,.o)j'ne-ta-pldam ma DO
Castas a. 40, cora'JbafUim da' Siva^eostaT
i........i .. i I U I i...
Xarope d'agrio dO'Pr
Antigc-e conceituado medicamento para
cara das molestias ds-drgaos respiratorios, f
como a phtysica, bronchltes, aSthma, etc.,
appUcado ainda com ptimos resultados no
esourbuto.
"l>.hlii. I itUll IIJ I .. 1.1
tina ilo iiario ta
ii.2o.
i

Li^iifdacST dfrfheiro
Na ra da Cadeia do Recife, loja que tem urna
talo, s sao .^oaanaWa
ve ir POiprar antes que se acabem, ^is
n arrematiiafll p^teJava^ntia^a-la pur'flSles
TASSGIBAOSIC.
Em seus armazens ma'do Amorn
n. 37 e cae* do Apollo n. 47,
tem para vender por pregos commodos
fijlos encarnados sextavos para ladriflo.
Canos' d barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Nftcbinas de descarogar l|odJo.
achinas de padari.
Potassa da Rusaia-em barril.
isphoros. d c^ra,
; e^i prrafols.
evadina em) garrames.
Lantiihas em garralBs.
Rhum daaJhiaica.
TfeTi dp porto \oiho engnrt-atado.
viho do Porto saperior, Vinhb de Rordfeanx, dito.
Vmto d Scetty.
Ylfflo.aa Midelfa. fc
SSr CdnUnWve oom-ats lbjjrts.
iM-talUWTWrtS.
listas de touctntio Mgic^'.
Barris com repolho erfl salmoura,
-----
%se.
Jai va* tH'de do- <^ae
km mb
Avisa se aos amantes, ou aiireclatfre dos'
lomos
aeoeifte debewso qa% se pr)arava Stutgamentc
na GONraiMHiA r>!i ftart
qad os proprieiariq d^ueW'etMlc'^imtto'r.'
sjliiiaui de aovo, abricar b^ so para satisfazr awuhias eddommti's', co-
nio para fcflkr nevos- ciWwi'ibrt*:
fi.oual- ser a faaiia qtu na-.-
mandar busci all, ao meaos
8WH03'.
f'fttr a sua-sobrarte* >t^^ ___
" mm
do bbrioaeta Bacues
as mflinores conhecids,
irftrtam^nteetlinas
(UtiaNiuWNfeilia"<'esa%
jp
'YMQ
-------
urna casa terrea' htfestraal de Joo de Barros >
&7?&m<*t*to>ti rua;*iWcpei OoaT li8J
jsUtaM- de-freme m'Oe'faaao :- trww aa yara aavtm*, par.
ra da Soledade n 54. ar no Mondef o, cas
Vardadeiro bjwa,"lW[
jJtaax # m>aa a*, awainaif*! O^pJBaaas &
Su nmt4mitomtn.m*l
^^s







.

f
i
1



r
,0i

SOARES LEIfE, IRISAOS
NIGOS AGENTES
lina do llanl da Vicliii'iii n. 28


\8 mais simples, as mais baratas e as melhores do mundol
ru-
Ka expsito de Paris, era 1867, foi concedido a
FHas Ho^e Janior, a medalha de ouro e a condecora-
da Legiao de Honra, por serem as machinas mais per.
fuas do auado.
Este estabclocimcnto seranra-aolici*!** oiforccar t,-eonc*irreoia, Jlioo im completo aortimento. de miodeeaa, calcada faino, ehapios e quin or^os as mais iwoATcitpossiyois, uira o fue roee*quasi.ietto* aaaaufrArtigt* de pro
?na encomrnenda da Europa e Amonqa,.vera dar ukfccidMfe de algn rugo, por cujds-
irecos bem se podo avallaros procos teamaos uta*: que %e tornarla eufadoi.bo tftK
Diicar.
M1UDEZAS. MlliDEZAS.
La para bordar, da mclrror qualidade Brinca dita .le dito por 2S0o.
bra por 55500. Baldes de setimptetos e decores,
Aguibas francezas, fundo dorado, a ca- r$- e l>000 a duz'*-
linha com 4 papeia 60 rs., 4*Y*r. Franjas, btacas deised de todas as lar-
Voltas de fita de vello com lindos cr> 8ur*.8 W*0 t**0* o. metro,
ragftes finghdo madreperola, a 500 rs. I > itas de-cores.pretas a 800. rs. e iiftOOOo
Voltas para o pescoco, fiugindo Gamafeo, me|ro-
com pan hadas com i par de brincos seme-, __(?a**es Pf!4?? de 3ed' **e muito S08*0 &
A medalha do ouro, conferida
Estados-Unidos por ser o inventor
tura.
a E. Howe Jnior, nos
da machina de cos-
A medalha de ouro na exposigao de Londres acreditam
esta machinas.
A
p-
800
Cabe-nos o dever de amunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
York, estabuleccu nesta cidade ra do Daro da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral, para em Pernatnbneo e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
tra de Howe. Estas machines sao justamente apreciadas pela perfeicao de seu trabalho,
empregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outral
jfferecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagensdestas machinas sao as seguintes:
Primeira.0 publico sabe que ellas sao dura.louras, para isto prova incoutestavel, a
ircuinslancia de nunca terem aparecido no mercado machinas d Howe em segun-
da mo.
Segunda.Contem o material proviso para reparar qualquer desarranjo.
Terceira.lia aellas menor friejo entre as diversas pecas, e menos rpido estrago
: que as outras.
Quarta.For.nam o ponto cmo se fra feto mo.
Quinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu
:ias outras.
Sexta.Fazem ponto raiudo era casemira, atravessando o fio de um outro lado,
logo em seguida, sera modificar-so a tensio da linha, cozem a fazenda mais
na.
Stima.0 compressr levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
'e agulha ao comecar nova costura.
Oitaya.Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
udancas radicaos para poderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
!optando a opinio de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
.gmentado o seu fabrico, e hoje ne allende a procura, posto que faca 600 machinas
Ot dia.
Cada machina acompaoha livretos com nstrucees em portugus.
A 9fe000 A 90*000
toante, tudo por 25500.
Linha branca de 200 jardas em carriteis,
propria para costara de machina, a 800 rs.
a duzia.
Dito de dita de Alexandre, numerago a
gosto do freguez, a i 0100 a dgzia.
Diademas dourados de 1*500 a 3JSO0O.
Ditos de tartaruga com flores a 25000.
Ditos com borbolctas a l#3O0.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqut de 500 rs. a 25000.
Ditos dourados, duzia de paros, a J55O0
e 25000.
Voltas de aljofares com brincos, a 25500.
Ditas de ditos com corajes a 15000.
Ditas de ditos de comas com cassoletas, a
800 rs.
Hosctas de plaqut a 15 e 15500 o par.
Gravatas de seda para senhoras de 15200
25000.
"arures com 2 lagos para cabeca e peo
35 e 45000.
Kntremeios e babadinhos bordados de 360
"* 25400 a pega.
baldes de seda brancos e de cores, de
15500 a 25500 a pega.
Ditos de algodo e seda, de 15 a 15400
a pega.
Ditos de algodo, a 100 e 500 rs. a pega.
Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
peca.
Loques de marfim a 55 e 85000.
Ditos de sndalo a 45500.
Ditos de madeira imitando, a 2JP000.
Ditos de papelles a 15800.
Coques para senhora, a 35, 35500 e 45.
Aderemos fingindo coral, compondo-se de
alfincte e brincos por 25000.
Dito dito pretos por 25500.
Ditos de plaqut, compando-se dealfinute
e brinco, sendo de muito gosto, por 55000. /3&QQ
SOARES LEITE, IRMOS
A'
do Barao da Victoria n.
2 8.
SOBERANA E INFALLIVEL
1NJECCA0
DO "
DR. MATTERRE
MERME
Da focnldadc de medicina de Pars, cavalheiro da Legiao d'honra
A bluuuorrhagia, ou purgarlo, urna i n fia m maguo do canal da uretra, occasiona*
4a a maior parte das vezes pela comm.uiiicag.uo impura. Nao urna affecgao geral, qu*
d logar, como a svphlis a accidentes secundarios. E" urna affecgao puramente loeal-
Effectivainento, os medicamentos que ha muito toem sido applicados interiormente aon-
Ira est<; mal, taes como a copabibat cubebas etc., nao produzem effeito senao corirffeni,
cando s ourinas algumas das suas composy,6es, que, pola sua passagem atravez do^Ral-
e tornam urna verdadeira injeego.
Para quesera necessario carregar o estomago com essas preparares nauseabundas a
repugnantes ? Para que preciso fatigar os intestinos com a sua acc irritante ? A res-
posta simples :Nao se tinha ainda descoberto urna mistura que, introduzida directae
mente no canal, produzisse os mesmos efieos som temer mos resultades. As injee$Se-
to falladas at aqui, conseguem fazer parar a purgagio. portn pela irritarlo consecutiva
que produzem no canal, sao urna amcaga permanente de aperto, affecQao muo mais ter-
rivel qu? o mal se pretende curar. Eis aqui porque a maior parte dos mdicos, que recu-
sara, com razo, de as em pregar.
Presentemente, este fundado temor nao existo. A njeccao que nos apresentamos ao
publico, que conta dez anuos de bous resultados, n3o interrumpidos, nao irritante. E'
anU-bltniiorrhaijica em toda a extenso da palavra. Queremos dizer, a causa do mal,
que ella destroo decompoudo os elementos da purgado e tonificando a mucoza e as
landulas donde provm a sua origem. A sua applicago nao dolorosa, e se urna li-
eira impresso se segu sua introducto, essa mpressao de pouca dura, e seguo-lhe
na sensarao inmediata e nao desagradavel. 0 seu tratamento nao precisa de nenhura
jutro auxiliar para fazer parar em muito pouco tempo as purgacoes, ainda as mais re-
beldes.
Quasi sempre basta um so frasco para a cura, pois nao nos consta quehouvesse pur-
a Afim da chegar a urna prompta cura, o doente dover seguir o seguinte
It Mil MI ;\ :
1." De dois em dois dias, tomar um grande banho, e permanecer nelle duas horas,
sendo possivel.
%," Lavar tres vezes por dia a parte doente com agua fra.
3. Dar tres injee$oes por dia: de manh, ao raeio dia, e noite. Aportar ligei-
ramente o orificio do canal, afim de consorrar nelle o liquido um minuto.
4." Usar un> suspensorio.
5. Abster-se do usa de bebidas, espirituosas, ou alcoolicas durante o trata-
ment.
SI MIO!t\S
Ha muito tampoquo as.flores, brancas, leucorrhas, etc., teem sido consideradas as
senhoras come causal, a ooosliluiglo. anmica, que na Unguagem vulgar Ibes cbarnaai
vaUidas core, quando.ollas sao ao contrario, a causa do enfranquoeimento, e pobreza
a o sangue. D'ahi provem o erro que muos mdicos commettem ainda, de tratar do
estado geral, em logar xl cuidar do estado local, que c a causa dos symptomas geraes,
Nao logar proprio.esto de trtafatt* tbeoricamecto oacto que avancemos, mas acrodi-
t amos que basta aponta-lo para que todo o oied*eo conscienioso o reeonheca o seu
valora
A nossa inj quer medicamento ^ mas. para oblar ease resultado preciso que seja dada com o maic*
cuidado, e que pOueWe.al namiquenas pregaba.mucoza, pulque d ao fundo
da mucoza quaos*a4ausa.da affp.e<;w( Nos convidamos as pessoas que recorrer
nossaiajecco, a gerrioain^e*, de preferencia a outra qualquer, da seriagadireita, forma-
da d'ura, tubo de *idr do nial a etMwicUde redunda tem aJguns buracos. Esta se-
rmgaa tem sobre es outaae veutagera o'abr largamente a vagina, e, por toda a muco-
za, em contacto com o liquido injertad*, coodloio-iixiispensavel para ture.
Duas colaeesde.a|la4a-noasa.bjoao lascadas n'uma quantidade d'agua suficiente
para eneber a sennga, bastara pira urna injebeo, que deve ser repetida tres- vz
por da. *
A mm i^otp,B;paop*^(iic, isto evita o mal. Urna so inieaco berta,, depoial
pbarmscia e drogara
.dt' DE
HARTRQLOMEU & C,
3RuacLarga 4o osario34
800-rs. a 15000 o metro.
CALCADO I itANEEZ.
Botinas pretas gaspeadas, pari i?500 epan.
Ditas, ditas de duraque, gaspeadas, canno
alto, a 59400.
Ditas protas onfaitadus, ultima moda, a
(>J)0O0r.
Ditas dita de core*, canno alto, cufeitadas,
a 9500,
Ditas para mentos, pretaae de cores, a
39 e 49000.
Completo sortiment de calcado de case-
mira, Charlt, tapete e tranca, mais barato
10 "/o d CHAPEOS.
Ricos nhora, a 11T0OO.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda
a 169000.
Completo sortimento de chapeosinhos para
meninas e senhoras, de 29800-a 5000O.
Chapos de sol de seda, inglezes, cabo de
marlim a 1U9000.
Pilos dito de merine\ cabo do metal mili-
to bonito a 59600.
Ditos dito do seda para senhora, cabo de
madeiraj a 65000.-
Ditas dito eabo de marfim a 99000.
DIVERSOS ART1GOS.
Granadme para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de seda, a (50 o co-
vado.
Pannos de crochet para caderas, a 19800
e 29000 cada um.
Ditos para sof, a 39*! 19060.
Toalbas de linho para rosto, a 15T300 cada
oaba.
Ditas de algodo alcoxoados, a 6i0 rs.
Colxas de crochet para cama de casal, a
ff *<
. fEHTi'..
Composto do roanac anti-rheumatico e depurativo
l'KT.0
E' proparado este xarope de manac e mnh algumas plantas indgenas do Amazonas,
nao contm preparado, algum mercurial. Cura com rapidez rheuinatismo, dores dos
ossos, erupessyphiliticas e da: trosas, escrfula e todas as molestias que dopendorem
desses virus. A sua eoinposicao foi approvada pela junta central de bygiene
fclica.
A cada garrafa acompanha urna explicado para a forma do usar,
urna 39000.
nico deposito nesta provincia ra do Baro da Victoria n. 38, chafallara de
Monteiro & Silva.
pu-
Pre<,o de cada
Pesos e medidas

DO
ar
Pesos de ferro o lateo.
Medidas para seceos e molbados,
AB KC1WK J%JB^.
naga.
de ferro, cobro e
lato,
de estanto o tnta-
Vendem-se em casa de
SHAW HAWKES & C.
Ra doBom Jess n. 4.
ARM\ZEM
DE

F
ZE0.I&
RA PIUMEIUO DI- MAI(;0.N. 7 A
A Predileda,-
no empento ile'bcm servir ao ^eus re.ruwta e
ao publico em geral tem prOcUrado lover-scdj
qpe ha de uiL-lliur o ta ultima moda mas merca-
dos de Boropa para expo-lo aqui i venda, f;r-
. tos de que os sl-us arng.> sero bern ||flciadoa
E' esta casa.sem duvid.i, una das (|ue huje.pude pelos amante^ do boiu e ku.,to ; passa a cima
com primizia apisenlar aos seus mgnezes ara uicrar alguas dentre ellos, ciino tejara :
variadisimo sortimeHto de fazendas finas para ALItU. S, es mais rleo tfttt tem vinds a este
grande toilelte,as>i'm como para o uso oidiuurio de; mereado, com cipas-de madreperola,
iidasas elasses e porprecjn ventajosos para os tarianiga, marlim, velludo seaafria.
eempradon s. ADEREMOS pretos e vollas prefinas para luto ;
Os donos deste imporliinl-^iabeiecimento con-
vida-n ao respciiavol publico e partieularnienle
aos seus freguez?* a darem um passeio por seu
ttiabeleciraento, a afim de yeriOcarera a veracida-
de de seus anaunciw, e com vantagem supprirem-
se dos artigos quo Ihes forera mister, de cujos
fizem um pequeo resumo.
Mandara fazend.-is s casas dos pretndenos,
ptira o aue tem o pessoal necos.-ario c do amos-
tras mediante penhor.
SEDAS
Cortes de seda de lidas cores, gresdennplee de
tedas as cor*.
Gorgurao branco e ppeto.
Setim Haco prjto e d cores.
Velludo prelo.
Grosdenaples pretos e de core?.
assira c, mo, uin bon.to sortiraeolo de
diUis de plaque, obra lina e multo bem
acabada.
B0T0ES para pulidor, o que se pode deejar de
ini.'lbor era plaqu,, tartaruga, iiadrc-
perola, marlim e osso.
i BOLEAS de velludo, seda, palfia e chagrn,
i ha de mais moderno e I ndas.
BICS de seda c de algodo, tanto branco como
I preto, de variados desenlio
; CASSOLETAS pretas de metal e de madrepe-
rola.
i CAIXIMIAS para costura, multo ricas e de di-
versos fonn tos, C'jm msica e se:n
I ella.
COQUES a imitaco, o que pode haver d) mais
bonito e bom gosto.
Grauadinude seda preta eoom listra e palmas de DEADEMAS, neste genero a Predilecta aprc-
It Seems
M
mactam!
Shaspere
PARA
i i
Dfi
POR
80,000 RS..
A CASA AMERICANA
45 RIJA DO IMPERADOR 45
9
ACOROA "
Esquinada ra do Gabug n. II,
CO^FRO^ITE AO PATEO DA MATRIZ DE. SANTO ANTONIO.
Este importante estabelecimeuto, temi grande-sortimento de ioias de ouro de lei,
resolveu vender muito barato 20 'o menos que em outra qualquer ptrrte, as seguintes
Aderecos de brilbantes, de modernas e delicados gostos.
Ditos com rubins, esmeraldas e perolas:
Voltas de bonitas perolas e crazes de brilhantes para noivas.
Medalhoos d coral.
A Corfla Rrilhante contina a Ver grande sortimento de madalh^de coral, caraafea:
e^nix com bouquets de peruhwe diamantes, cassoletas daouro e pednas pretas cora lottras,
de lie a209000.
Cadeias jxvra- vetoyos:
A Corda Brilhante recebe sempre quantdadede cadeias de ouro, de loi. para homens,
b 6JJ400 a oitava.e tambera para sertbora*. SiTSWWTO
Cassoletas para senhoras, com lelfrs, a t|> e 129000.
Brincos d variados gostos, para senhoras e meninas, de 59 a 209000 etc.
Anneis de amethysta com lettras de.dlamrttesf,d.69a 89000.
Pince-nezsetrancelins emcaiiinhas do.veUiiopari.preseatas.
MedaJIias milagrosa.
A Corda Brilhae tem medalha-anlagrosas edas- flores, de otrro a TSWW-,' e-pala
donrada a 19000. Tambwn tdnvsertinwnto d^ pince-nez eoculos deajo fino e rajtaruga,
chegados reeentemanfe, e por preooaioinmDcl03.
Convidabas limas; f^rwlias tittirem aloja da Coroli BrHhante, na roa do Caba-
g n. 11, a^^entBir4iffl cores, liudsimos padroes e fazenda de ultima
moda.
Fil de seda branco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Colxas de seda para univoa.
[.Mantas brasileiras.
Cortes de cambraias branca com linios bordados.
Capellas e mantas para noivas.
Poupelinas de lindos padr8es.
Requissimo sortimento de las com letras de soda.
Cambraias de cores, ditas mariposas brancas e de
efires.
Mansuek de lindos padrdes.
Ba|itistas de padroes mui delicados.
Percalinas de quadros pretos e brancos.
tiins de linho de cores proprios para vestidos.
Fusloes de lindas cores.
Casaquinhos de las de cores para senhoras.
Beias bordadas para senhoras.
Vestuarios para meninos.
Pitos para baptizados.
Chapeos para ditos.
Toalhas de cambraia de linho com lidos bor-
' dados.
Fronhas bordadas.
Colxas de la.
Cortinado.bordados.
Camisas bordadas para homens.
Meias de cores para homens e menino?.
Chspds comcasHo de marfim pira homens.
Ditos para senhoras.
Jerio de cores para vestidos.
Ditos pretos.
Casemiras, chitas, madapoliJes, cambraias etc. etc.
na loja do Passo ru Primeiro do Mareo n. 7 A,
antiga do Crespo.
DE
G'ordeiro NiiSca tt I'.
Economa domestica
NA
Loja do barateiro, ra Io de
Margo n. 1, defronte do ar-
co de Santo Antonio.
A#ostinlio Fcrreira da Silva Leal
Companhia.
LSzinhas esco>se?as, fazenda fina e bonitos gos-
tos, a 280, < 0, 4i0 e 48o rs. o covado.
Ditas com listras de seda, fazenda fina, que sem-
pre custou i a 500 rs o covado.
Baptistes com barra modernas a 460, 480 e 500
rs. o Covado.
Chitas escuras e claras boa qualidade e bonitos
padroes, a 260, 2-0 e 300rs. o covado.
-Madapolao francez muito fino a 7500, e sempre
vendeu por9.
Toalhas atcochoadas a 6$ a duzia.
Ditas felpadas a 8d e 8id00.
Chapeos de sol inglezes de seda trancada (Pa-
ragon) por S e 9.
Lflcos tem barra a l e f| a duzia.
Ditos de linho brancos abanhados a 3o00 e l
a duiia.
ltrins de cares e pardo trancado liso, proprio
para calca, e paleto!, tanto para nomem como para
meninos a i'.'O, 440 e 500 rs. o covado.
Cambraias tronsparjntes Victoria a 33O0,
31800, i*, oi-te 7# a pega.
Espartiihos para senbora bordados, que sempre
uslavara 66, & 3J5001I!
Al'em destes outros. muitos artigos que deixamos
menckmar por julgarmos desneessrio.
sesta um grande a lindo sorlimtulo
capaz do salisfazer os caprichos e
qualquer seuhora por mais exigente
que saja.
PORT-BOCQL'ET de madreperola, marfim < Iss ?,
c esle um objeclo ndispensavel ae se-
nhora do bom tniii, alm do a^p! r
o aroma das dores sem o mconvean-
to de nodoarera as lavas, ou mancha-
ren! as delicadas roaos.
PEXTES de tartaruga, de mailim e de bfalo, pa-
ra alisar os cabellos c tirar bichos.
PERR'MAIUAS. E' sabido do publico que a Pre-
dilecta sempre conserva um mipoitan-
tc sortimento de perfumaras de ti .e
odor dos mais afamados fabricante*,
Lubin, Piver, sociedadebygteuica,Ou-
dray, Gosnes e liimcl, que incum-
bido da escolha dos aromas mais bem
caitos pela sociedade elegante d
Europa, c por tinto, aeham-se ca
possibilidado de beio servir aos aman-
tes dos perfumes.
A PREDILECTA dcixa de enumerar ama im>
memidade de artigos, afim de nao man-
sar aos leitores o se pede a benevo-
lencia do res[ilavei publico e,a di-
rigir-e ra do i abug n. 1 A, pa-
ra convimcer-se aonde podo c,.rnirar
o que bom e barato, asuffl con:
FACHAS ricas e modernas de tuqum e Rurganw)
se la
IMENSVETTOS. Ricos vestimento.- a meninoc,
por baratissimo prei/o.
FLORES. A Predilecta prima em nsenar ui*
bello sortimento de floree ao alcance
de qualquer boira ainda qte nao es-
ieja beH replecta de dinlieiro.
FITAS. E ja bem sabido do publico qhe s na
Predilecta que podam ean i.trar um
grande sortimento de fila- do selin,
tafet, velludo, linho e de alg >dfui, por
commodo preco.
GRAlIPOS de tartaruga,' imitajao destes, pre-
tos e t'e eOre?, b que se pode desejar
de mais moderno e bonito.
GRAVATAS de seda e de cambraia para ?enbwa,
lagos e golinhas de bonitas r.L-s, tam-
bera lera um bom sortimento de gr-
valas e regatas para homem.
JARROS de porcelana e de vidro muito finitos
para ornatos de sala.
Mei s de seda, de>la e de algodo, pa-
ra seuhora, meninas e hornera.
LEQUES. Rieos leques de madreperola, tar'-iniga,
marfim e de sso, os mais mod>: nos a
por barato preco.
LUYAS de pellica, de seda c de algodo. para
homem e senhora.
LIVROS para missa a i>redilecu''aprcseiita es-,
colha do respeltavel publico i:m lidio
sortimento destes livros com capas de
madreperola, tartaruga, marl. i. so.
velludo e chagrn, por precos mui
razoaveis.

Samuel Ptfwer Johns-
La do Apollo ii. 32 4G
i 9nm mktti mi a Hj/mmiimA
mudado o sea depetao d* adcJaoB a. va-
WUt*mlp<*1MJt maiio aoMkida
i 3|fw/Wh-titolnmi m o tn^smo so
. ffBwawma amaawac.aw* tata,,.. iammSto^JQ E,
,*r>ajftim ^au^m gualo ^#*. S^eMommnOuWaSSm.
de offerecer-w par asentar ap' *- -------->-
toicBnsma e'mes&b- garanii lo,
i.^Lil ,^ ttcoai "o^m:pb7im fMMMr^ft
Apparelho para hbtiiwmwm, d* mua b
> WIMraKtftBHIGMu, .* ouwn*
leril. '

P,ra iraur em

i
Joaquim Jos Goncalves
Beltro & Filhos-
ra do
teem para vender no seu escriptono
Commerclo n. 5, o segninte :
AOUARDRWTE de caj : caisa de 12 garrafas.
< de laranja, idem dem,
ARCOS de pao para barril.
CAL^e Lisboa, recenteraente chegada.
C1L\PE0S ie sol, para homem e senhora, cabo
de marlim e seo.
FIXES de ferro, para porta.
FIO de algodo da Baha, da fabrica do commen-
mendadw Pedroio.
LIMA de roriz.
OBRAS de palheta.
PANNO de algodo- da Baha, da fabrica do com-
b ^^ mandador Peroio.
RETROZ de toda as quahdades, das falrica de
Peres e Eduardo IfilifJo.
ROtUAS'prfipfas-para betlfla.
AJjMWinHlLHA do Para.
VELAS de cera de todo m jamannos.
, .yiiliO engarrafado da Porte, caixas de W gaiy
dito Moscatel io Deuro, dem idM.
Jiiae dito-Mobai, oaiaaael Mbziaa.
|ii u da Italia engarrafado, caixas da 6 gar
Je .collares superior, em aocofetag.
de caja, eahtase n-garrafas.
Malvasia oDoare, cauca com 19
CarcaTaHoa, iem dem.
CunhaiManta vendem constantemente coi
o seu armazcm ra do Mrquez de Olim'a bu-
mero 23.
Vinho champagne Roderer (Carte binadfcti
gigos,
Dito dito V. Clicquot, gigos.
Dito Chambertln, caixas.
Dito Bourgogne, idem.
Dito St. Julien, idem.
. Dito St- Cliristoly, idem
Dito St. Estephe idem.
Dito St. Efnilin, idem.
Dito Sherry. idem.
Dito Mideir, idem.
Cognac, Mai tell (verdadeiro), idem.
Dito Heonessy (dito), idem.
Cidra ChampBgne, dem.
Vinagre branco fine, idem.
Azeite doce refinado fino, ideti.
Cho-oala Menier fino, 10 kilos.
Ararula ingleza, latas
Vrma/cm do fumo




tw
Ra da Madre da Deu o. 10 A
Jos Domingues do Carato e Silva part-ipa aos.
seus frguezes e amigos que nc seij armazem
rea da Madre de Deas n. 18 A, s cha ttm conV
?leto sarlhieiit* de lunwem fardes de palenW I.,
,* e.a/.sorte,do.melliefee fabricantes da L'ahia,
e bem assira a flor do lodos os fainos de corda
em rolos, pcotes,tU^ grandes e pequen^, Uiv
bem dos muf acredih fibriMuttes Torre 4
Aran^Liwi, Adoteho SeftgNft C, Liawf
hmidt C, Voigas & raiter Jnodbde A ave*
Teixeira Pinto & Purielja ^fanaiido p**
e de outros ainde nao couo>cid s pelo
elaf-clpltal tmat anwwefcra di
ffimoe,ue fe* OeadMe em si* *a ser pala
iflu-jato vadoti e oan quasdoganutir a respecti-
va, qualidade, ww aln^i mff wlirularioaate
cm as pessoas qde pouiaefUflpJai d> :itiria
bis para bem servir a tbabs, tema anrunCiaite
I kraga pratiea de M asnos desie eatnmei-cio.
Taverna
TaiNi taveraa siu roa Imperial a. 1*4.
Smjpmoos fundos, por isso se faz jecommeadave
ira qualquer principiante ; a tratar na mesa.
Cit verde e preto.
1 iContina a ter semprp na toh qV'frrto da i
es*m;,Ufr ata tarde, irnta, pona braoc, e padre *o
vinho do porto supenor. a cau. de doze gatea-
ras por 16/000, ou af
--------------------------------



8.
Diario de Pemambuco Quarta. feira 20 de Agosto de 18.7(8.
UTTERATRi
Os hoiaaeus da mar.
GILLIAT E lKUUCBEfTK.
Poema affereevto d txm. Sra. I)...
Iteruchette. unjo perdido,
Do co invente- rabidu
A sorrir Je Jehovah i
Na lepra gelada e fra
Trabara cora mi mpia
A palavraGill.at^.
Era um agnuncin fu aereo
Aquello dedo sidreo
Descrevendo urna tr.iiijo 1
Era ncrenga ensanguentoda
A referver derramatla
as dobras do ura corago.
Chora em silencio un giganta
Como um hore segu ovante,
Busca de gloria um porvir !
Do mar as oii'las campea
Velos deserlos vaguea
Dcruchotle a repetir I
Deruoliette, o mar se agita,
Miuh'alma succumbe alilicta,
D-me um sarrisodas leas !...
Que importa que a turba estulta,
Que a altiva fronte me insulta
Negu me as fljrcs dos cos*!
Que impnrla ? Se mais se augmenta
Esta paixie si uta e bonta,
Que nao se linda jamis I
<\ Nos bosques nao passa a brisa,
D'agua a tuna nao se frisa
E non se calam uneus ais 1
Alent nao bei na vida,
D'alma a libra enfraquecida
u (eme qual rola sem ninho I
I-.' que buscando o infinito,
Tomam-se as nuvens granito,
Torna-se a flor diro esptnho 1
Minha Pansa, barco amigo,
Il'entre os rochedos d'alm I
Quando a vida um martyrio,
A morteclaro de um errio,
Que o vento apaga-lo vem 1
Eethiorry passeia praia,
Chora, soluga o desmaia,
Sussurra o vento ai-plido ;
E' que a Durando quebrada
Nos Douvres fra cuitada
Entre ospossa cerragio !
utr'ora quanta ventura
Encontrava na espessura
Que engraudeco o nevoeiro !
Hoje sem torgas, prostrado
O pronto cahe-lhe gelado
Se sopra o vento altanciro !
Tudo, tudo minha vida
a E Deruchette querida
Darei a quem me a salvar !
Nao ha mais um mariuheiro,
Um Colombo aventureiro,
Que ouse amontar osle mar ?...
Deruche te enamorada
Cantar-no>-ho alvorada
Nos bragos do rei do mar !
Sero altar altas ondas...
Hroe, hroe, nao te escondas,
Vem minha dor acalmar 1!
Aqui tudo harmona,
" A aurora que trazo dia,
Traz-nos-ha amor e paz !
E' mais suave a existencia,
As flores tem mais essencia,
As fontes matar crvstaes I
Cantando l.-i segu um nauta,
A onda brincando incauta,
Banba-lheremos e mos !
R .na silencio na barca,
(.illi.it, como um monarcha,
Predomina aos furacOes I
Presa aos Douvres fra a Pansa,
FOLSETIU
t IIIIOWC \ DO THEATRO DE
NAVIO lVIO\IO.
A MEXDICA UMA EXPERIENCIA.
O theatro.em Pernambuco, entregue por
longo tempo ao dominio dos iconoclastas
d'arte, vai passando por sensivel e auspi-
ciosa transformado, que muito promette ;
assim nao fique em meio, nao se assemelhe
ao eTeilo produzido pelo brilho do sol em
dia de invern.
At ha pouco o theatro entre nos nio era
considerado, pelo publico, nem pelos artistas,
a pyra sagrada, om que devesse] arder
o fogo do talento o da inspirago, da poesia
o do sentimento ; longe de elevar-se, des-
da, em lugar de preencher a sua raisso
civilisadora, escandalisava.
Erguia-se a cada canto um patbulo, ar.e
que era inmolada ao som da gargalbada
das mullides vidas de tudo quanto ora-
briaga os sentidos, mas incensiveis tudo
quanto falla ao espirito e ao corago.
Duas cousas concorreram e concorrem
para a decadencia da arte dramtica em Per-
nambuco : a falta de gosto do publico, em
sua grande maioria amigo de cavallinhos o
de fras e por tanto indiffercnte aos esplen-
dores da arte e por sea vez tambem a ausen-
cia de bons dramas e de bons actores.
O segundo facto a natural consequencia
do primeiro o ambos conspiraram para re-
duzir o theatro ao estado em que o vimos
depois do incendio do Santa Isabel.
Hoje, porm, j se pode ir ao theatro,
gracas a regeneragio era que entrou depois
que a actual erapreza do Santo Antonio en-
cclou os seus trabalhos.
A companhia do Sr. Vicente boa ; pos-
sue alguns artistas do reconhecido mrito e
d'entre ellos desUca-se o vulto sympathico
da Sra. D. Manuolla, a sacerdotisa d'arte, a
alma, a vida da companhia.
Em luta constante coro as diffculdades,
que deiamos apuntadas, digno de enco-
mios o empresario do Santo Antonio pela
ardua misslo, a que se irapoz, de erguer o
theatro do abatimento em que ia cabindo.
E' nobre, bello, digno dos raaiores
applausos o artista que faz de sua profisso
um sacerdocio ; que, alm do interesso ma-
Gilliat nio mais descansa
Aos cos o mar a insultar t
Como em andrajo um proscripto,
Quasi n Canta contricto,
De fomo quasi a expirar 1
Vencer a maior das lutas,
Adormecer entre grutas,
Ao. rugir do vendaval !
Sondara porvir dourado,
Fra infeliz malfadado,
Fra lhe a sina fatal !
Ei-lo que volta sorrindo,
O mar aToito mugindo,
Nao lhe commovo o semblante.
Cauta no meio das aguas,
Grita despido de maguas
Avante, meu barco, avante !
E-ara reliquias sagradas
Da Durando carregadas
As portas de Lethierry,
O casco eito em pedagos.
Nos Douvres entre penhascos
Irado boiava all III...
Alta noute aborda a praia,
A la nos cos desmata,
Gilliat viver uoquer I
I. entre opacos arbus'os,
Dcruchette atada a sustos
Osculara Ebeneser II...
Dous vultos ento se vira,
De amor inflamma-se a pyra.
Nos bragos um do outro cabe !
Gilliat todo convulso
Abafa do peito o impulso,
Do bosque chorando sahe.
Chorava e chora va a planta,
Chorava a brisa que canta
as folhas dos Soakales !
Gema no sombro a vaga,
A onda chorava fraga,
Cboravam aguas nos vales !
N'um templo todo divino
Matrimonio clandestino
Dera-se em horas fataes I
Gilliat nao suecumbira,
A tudo alegre assistira
Dando o anuel d'esponsaes 1
Depois a bordo os levara
Do Cacbemere que alara
As vellas ao vento ingente t
E no Gil-Holm-Ur assentado
Fra-lho o rosto banhado
Por urna lagrima quente 1
Cachemere o Ocano
Deslisava altiv e ufano
E as ondas crescendo vio I
Quando sumido se havia
Gilliat nio existia
Na cadeira da traigao 1
Morrcra dentro das aguas,
Calara a maor das fragoas,
Como um hroe denodado '
Era o genio da bonanga,
Tendo perdido a esperanga
Fra-lhe o co a puntado I
13 do agosto 73.
C. .
JOO DE THOMMERAY.
POR
Julio Sandeau.
( Continuagao. )
Minha honra nao foi atacada, diz o se-
nhor Tambera entendo assim. Sera cu-
rioso que a honra de um homem de bem
estivesse i merc de semelhantes estroinas.
Si apenas se tratasse de mi o, as suas vila-
niasiiio meattingriam, a distancia que nos
separa tamanba que ebego a conceber a
idea do infinito; mas nao foi s a minha
pessoa que elles atiram risota publica, foi
tambem o lar em que nasci, meu bergo,
minha familia. Asilluses de que motejam
tao divertidamente vinham-tne do coragio
de meu pai; anda depois de bavel-as per-
dido, quero-as, venero-as como a belleza
da alma delle, e quem so dverte era ultra-
jal-as merece mais que o meu desdm.
G senhor anda nao sabe de onde parti o
golpe. Vi de perto a mocidade do meu
tempo ; si o esla corresponder primavera,
terial visa umalvo mais elevadoo renome
a gloria, a inmortalidad?.
E' esto o patrimonio moral que o artista
lega a sua patria e o nico valioso aos olhos
da posteridado.
A companhia do Sr. Vicente acaba de
enriquecer-se com a importante acquisigio
do Sr Xisto de Paula Babia, sua sonbora o
do Sr. Eduardo Alvares ; o que equivale a
dizermos que a acgo regeneradora, que ex-
perimenta o theatro se far seutir em maior
escala.
O Sr. Babia o festejado actor, que me-
recidos applausos colheu na primeira esta-
gio da actual empreza
*
Na noite de quarta-feira fez o Sr. Bahia a
sua reentrada solemne ; exhibio-se de novo
a mocidade, que o"aprecia, admira, o ren-
de-lhe o mais fervoroso culto, que o talento
em suas arrojadas e sublimes manifestagoes
impe a alma mais iudiflerente, ap coragio
mais inseusivel.
Como se passou o espectculo de quarta-
feira s o pode avaliar quera assistio a elle.
O theatro achava-se erabandeirado no
exterior e elegantemente adornado no inte-
rior ; nio havia um lugar vasio
Os espectadores traduziam pelos sem-
blantes o contentamento de suas almas en-
thusiastas.
Ccnegou o espectculo e, apenas o Bahia
appareceu, choverarn sobre elle flores, solta-
ram-se pombos e as palmas o os bravos
atroaram frenticos unsonos.
Estas manifestagoes repetiram-se no fim
de todos os actos e da comedia.
0 Sr. Dr. Clementino Lisboa saudou-o
em um bello discurso que proferio o outros
senhores fizeram o mesmo.
E, para que nada faltasse a imponente
festa artstica, um inteligente menino, fi-
Iho do Sr. Dr. Lamenha Lins, rechou urna
bella poesia.
A innocente crianga entornou sobre a lau-
reada cabega de Xisto Bahia a amphora da
poesia de seu anglico coragio.
Chamado pela ultima vez scena, toi ca-
lorosamente victoriado pelo escolhido au-
ditorio; o palco ficou janeado* de flo-
res- \' L> i
Compareceu toda a companhia c O Sr. Vi-
cente, adiautando-se, saudou ao collega e
amigo e, em urna breve allocugio, mani-
. --
patria pode esperar magnifica ceifa. Pois.
bem I nessa sociedade em que alabe de
viver, lfeong*ava-me) de baMr Iseparado um
amigo, rizra dhfcb(5oliMiteosmeus
sonbos o das michas illuses; para elle nio
tinha segredos. Foi este, senhor, que atrat-
goou-me I Foi este que como Sancho as-
ea mecou de mim urna* me de lajresan.
Oue tontagio e que ai rastament sio esses
deque o senhor talla e a que o espirito nem
sempre pode; resistir 1 On fc nos levariam
estes cobardes condescendencias ? O ban-
dido que espera-m> n'um cauto da mata
tambem tem as suas lentagoa, o pela mi-
nha parte nio adraitto que baja para o uzo
dos homens de espirite um oodigo de moral
difireme do dos honieiis de bem; mas
tudoisto ja" dar excessiva importancia a
u n artigo de jornal.
i Nao me desagradava esta dureza de lin-
guag ni ; gostava do sabor d-sle fructo
. anda verde. Roceiei um momento que o
negocio nio toinasse feigio trgica e nio
acabasse era um duello; felizmente nio se
!tratou disso.
Joio apasiguara-Sd; abrandara-se-lhe o
olhar. Aproveitei a feigio que tomara a
conversagio para tocar em algumas verda-
des que me baviara eusioado a experiencia
o a reflexio. Eu nem era nem detractor
nem cortezio do tempo em que vivamos;
sabia que o fundo da humanidade varia
pouco, que as paixdes nio mudam, que
fra oas grandes coraraoges que renovara
de longe era longe as condigjs da atraos-
phera, o bem e o mal, o trigo e o joio, os
raios e as sombras vem-se em todas as
pocas quasi na mesma medida o uas mes-
mas proporges. Os periodos mais fecun-
dos tuham seus vicios o chagas occultis,
os mais desbordados perieiges o virtudes
secretas ; em tolos havia lugar para o tra-
balbo e para o talento, para a deJicagao c
para o sacrificio, para a boas aegese para
as bonitis obra. Joio ouvia resignado,
replicava sem muito azedume, mas pareca
pouco desejosu de levar por diante as suas
excursoes pela sociedade. Sabia bastante,
e da va-se por satisfeito. J4 a gloria o nio
tentava; j a poesia raorria nelle. A raus
que encontrara urna manba na plaga perfu-
mada recusava seguil-o d'abi era diauto;
tinha ensangrentado os ps delicados, as
pnmeiras geadas da realidade haviam-lbe
magoado o seio e quebrado as duas azas.
Procurara o amor, e nio encontrara siquer
o phauta#ia d'elle. Fallava-mo da familia
cora terna emogao, e eu sentia-me arrastado
por esse mancebo, a quem va pela segunda
vez, por alguraa cousa de semelhante ao
affeeto que eu tinha por meu Gibo.
O dia ia adiantado. Retive-o para jantar,
e acompanhei-o & noite at a ostagio de
Bellevue. Esta va com elle no caes. No
momento de nos separarmos:
Pode bem acontecer, disse-me Joio,
que eu passe muito tempo sem vl-o, e at
possivel que nunca mais o torne a ver. Pre-
tendo viajar, e, de volta Franga, rocolher-
me casa de meus pais. Conserve boa lem-
branga de mim: nio esquecerei o acolhi-
raento que recebi N'isto abraepu-me e metteu-se em um
wagn. O vapor assobiou, e o trera parti.
Este adeus brusco, este movimento de
ternura, haviam-me dado que reflectir: reti-
rei-me pensativo c muito preoecupado. A
noite pareceu-me longa. Ape as rompeu o
dia, corri casa de Joio : j havia sabido.
O creado de nada sabia: o amo nio poda
deraorar-ee, e pedia-me que esperasse; dei-
xei-mo guiar ao sali. O s aspecto dessa
pega bastara para justificar as minbas ap-
prebensoes. Tudo n'ella denunciava as
preoecupages do homem que dispoe-se a
arriscar a vida em urna jogada seria. Um
monte de papis recenteraente queimados
obstrua o canto da lareira. As bogas
consumidas at junto do crystal davam teste-
inunlio de longa vigilia. Em cima do mar-
more da chamin multas cartas fechadas,
destinadas ao correio ; contas pagas, outras
por pagar : a cada urna d'estas esta va junta
a respectiva quantia.
Advinhava-se que Joio se nio despira,
o divn servira-lbe de leito de repouso ;
urna me Jal lia em que estava emmoldurado
um retrato era miniatura, o de sua mai que
tivera presento at o ultimo momento, Aca-
ra sobre urna das alraofadas J nio se
poda duvidar. Joio satura para se ir bater.
Esperei muito tempo. As horas arrasta-yam-
se; eu centava os minutos. Senta-va-me,
festou-lbe o iubilo de que se possuia a em-
presa, por v-lo de novo em seu seio e em
seguida offertou lhe um lindo bouquet, e
successivaraente os deraais artistas tributa-
ra m-lhe iguaes pro vas de estima.
Duraute esta eloquente scena, a platea er-
gueu-se electrisada, as palmas o os bravos
atroaram de novo.
Serenando a tempestade, o Sr. Bahia agra-
deceu ao publico e aos seus collegas as ho-
menagens, que lhe tributa vara o terminou,
assegurando que nio esqueceria jamis to
inequvoca manifestagio do aprego; que
ella lhe servira de incentivo para prose-
guir em acurado estudio, afim de legti-
ma-la.
Foi a mais importante festa artstica, a
que tenaos assistido.
Nada faltou ou antes houve exuberancia
de tudo.
Representou-se o drama era cinco actos a
Mendiga, produogio do eminente e popu-
larissimo dramaturgo Anicet Bourgeois, ver-
tido em portuguez pelo actor Julio Xa-
vier.
A Mendiga urna das mais felizes concep-
goes dramticas do Ilustro escriptor fran-
cez.
Bellesa de estylo, vivacidad de acgo, fi-
delidade na discripgio dos typos, harmona
nos tragos caractersticos dos mesmos, tudo
torna a Mendiga um dos mais recommen-
daveis dramas, que a penna inspirada do
distincto escriptor ha produzido.
Pertencendo 4 escola moderna, nio se
rsente dessa frieza, de que o paro realismo
invade o animo das plateas.
O sentimento ressumbra urna cada em
phrase o o espectador anda o mais indifle-
ronte as sublimidades da arte, commore-se,
sent n'alma eraoges agradaveis o o seu es-
pirito recolbe as ligos de moralidade, que re-
saltara das aceas perfectamente ajustadas, e
muitas vocee floa em duvida qual a mais
bella, a mais pathetica.
Aos que julgara Bourgeois raellodrama-
tico perguntariamos com a humildade de
quem deseja aprender : a que Picar redtt-
zido theatro, entregue ao puro rea-
lbmo?
Que interesso inspirar ao publico a re-
prodcelo descarnada das scenas da familia
erguia-me, nio poda estar parado, ora erra
a de cmara era cmara, prestando ou vid'js
ios runaeres de fra; ora, dobrugaJo na
lacada,^teogava pera ra o olhar^avidfr.
Havia um nevoeiro espesso, s distingua
vultoi. A espagos o criado, com um es
panador na mi, atravossava o aposento
em que eu estava ; o seu rost > risonbo, es-
tupidamento expandido, desperla va me im-
moderado desejo de saltar-Ibe ao pescogo e
atinado pula iauella- Acaba va eu de abrir
um livro, esforgava-rae por ier lhe urna pa-
gina, quando pareceu-me ouvir o rodar de
ura carro embaixo de ura veslibulot Al-
guns instantes depois surdu rumor suba a
escada. Eu j estava no pata nar, e vi
JoiiT subindo dilBcilmeule os uitiuws de-
gros, sustentado pelas suas duas testemu-
uhas e com a pallidez da morte no semblan-
te. Torceiio personagera#driga com au-
toridaJe os movirnenlos da asedngao fne-
bre : era um alumno interno d Val-de-Gra-
ce qu.j assistira ao duello e fizera inmedia-
tamente o primeira curativo.
No rala, disse Joio com voz exa-
nime, fazendo ura esorgo para estonder-me
a mi branca como marfliu .' nina picada
de agulba.
Mal terminara estas palavras quando urna
espuma rosada tingio-lbe os labios, e elle
desmaiou nos bragos que os susnbam.
O feri ment era grave : a espada chugara
ao pulmio. Todas as providencias que po-
da tomar, tomei-as. Diriji inmediata-
mente tim telegramuia ao illi mais velho
do Sr. de Tiiomraeray, e s deixei Joio de-
pois de ver a mii o o irmo sua cabe-
ceira.
O negocio fizera barulho, ou nao conhecia
certos poraienores ; soube-os por un jornal
da sociedade elegante. Na noite do diaem
que o fatal artig) apparecera, Joao fra ao
theatro das Variedades, onde represeula-
va-sc urna pega nova ; centava adiar ah a
quem procurava. Efiectivameute, durante
um entreacto, porcebera na sal de reuniao
u in livduo que o pintara to divertidamen-
te ; fra direito a elle, e, com a luva que
tinha ua rao, tocara-lhe duas vezes no
rosto.
O resto cu sabia. O eugragado da aven-
tura foi que o mogo sabio della com repu-
lago de tidalgote e urna alcuuba ridicula ;
disso-se dor muito tempo Thommeray-o-pu-
ro, como se diz Scipiio-o-africano. Du-
rante urna semana ou duas, perlougou-se
as sombras margeos : a mocidade, ascien-
da, o amor e os cuidados maternos resti
tuiram-no vida. A cura foi prompta, e
pelo meiado de novembro sabia com a mai
para ir passar o invern em l'isa.
Joio prometiera escrover-mo : cumprio a
promessa.
Nada mais araavel que o tom das suas
cartas. Como succode com todos os con-
valescentes, passara-se em seu coragio mys-
terioso trabalbo de aquictamento. Graceja-
va jovialmente com a campanba em que se
mettora e nao se prevaleca Jas suas espe-
ranzas ti-ahi las para insultar a humanida-
de inteira. Nao suppunba conhecer o
mundo a fundo ; nao o julgava pela amos-
tra que lhe passara sob as vistas. Todava
o que vira altcrrava-o, e persista na reso-
lugio de nunca mais vollar a elle.
A saude da alma nao estava mais garan-
tida que a saude do corpo ; mais de urna
vez, na roda pervertida, que alias nao fi-
zera mais que atravessar, sentir pesadas
baforadas subrera-lhe ao cerebro. Quem
pedera julgar se garantido do contagio !
Outros mais fortes que elle baviara suecura-
bido ; para va era tempo no declive que le-
va aos abysmos. Desillu ldo do toda a ara-
bigio, lerabrava-se das e lia mecas nalaes o
s alraejava tornar ao dominio paterno :
idyllios sem termo Gostava tambem
de fallar-rae de Pisa. Eu torna va a ver o
cidade das cera pautes de marmore, dos pa-
lacios silenciosos, dos ampios caes deser-
tas. Gozava com delicias do co clemente,
das tardes quelites, do ar salubre e puro
que beba a longos baustos como o leite fu-
megante das vaccas da Bretanba. Viva e
deixava-so viver.
Entretanto, ao cabo de um mez apenas,
um interese novo insinuava-se na sua exis-
tencia. Havia era Pisa Bina moga chegada
como ello para ahi passar o invern o res-
tabelecer a saude ameagada. Era de belleza
peregrina, e pareca pertencer flor da so-
ciedade parizicnse : possuia-lhe a elegancia,
e os ares lnguidos, a tristeza do olhar, um
e da sociedade, sem o colorido da poesia e
do sentimento ?
O realismo exagerado, como pretendem
os apologistas desta escola, o anniquila-
mento da arte, a queda do theatro.
A alma do povo, esseucialraente livre,
ha de repellir sempre esses quadros vivos
de miserias e de vicios, cojo fundo a m-
moralidade e ao contrario instinctivamente
applaudr a pintura fiel dos impulsos de seu
grande corago o de suas paixes altivamen-
te nobres.
Bourgeois um dos dramaturgos, que
melhor comprehendem a ndole, o espirito
democrtico do theatro moderno.
E por isso vemo-lo no meio termo ; nem
sacrificando a arte s exigencias da platea,
nem o proveito moral desta ao rigorismo
da escola.
Encara o theatro como deve ser oncarado,
indurado sobre os costumes, moralisan-
do-os.
Ao desconbecment desta verdad vimos
attribuida, e com justiga, a perversio dos
costumes francezes durante o imperio de
Napoleio.
O theatro era nosso conceito deve ser o
thermometro da moralidade de ura povo,
como a litteratura em geral marca o grao
de sua civilsagio e adiantamento.
A traduego do Sr. Julio Xavier cor-
recta.
Ao seu ncontestavel mrito de artista in-
teiligeute o conscencioso rene o de um
hora traductor.
k Sra. D. Manuolla coube o importante
e diflicil papel de Margarida Berghen ; nio
poda ser melhor interpretado.
A critica mais rigorosa nio lhe descubri-
r urna falta, um desvio.
A Ilustre actriz parece estar fra da rbi-
ta, pela natureza tragada humanidade. As
patencias d'alma perdem a sua virilidade,
a proporgo que os anuos se adiantam ; no
estante em relagio a Sra. D. Manuolla da-
se justamente o contrario ; parece que o
tempo nio tem aegio sobre aquella organi-
sacio privilegiada.
A iManuella de boje legitima plenamente1
todos os preitos rendidos a Manuolla de
hontem ou, para estamos mais de harmo-
na com a verdade, devinamos diier que
tom de mclanchoha espalhndo as suas fei-
gess augraontavara anda mais os encantos
que lhe eram paculiares. Morara em um
palacete as margeos do Amo, e nio sa-
bia senio acompauhada por ura fmulo ou
seguida por urna aia.
Nuguera lhe conhecia a posigio social;
mas a sua s presenga dizia bstanle,
ninguera, ao ve-la, pensavaera nJagar-lbe
a erigem. Nao se passava dia era que Joia
O sua mi llo a eneoutrasse.n, quer em
Cascines, quer no Campo Santo, perto do
Zimborio ou do Baptisterio.
E' na torra eslranb que a plui lago
de almas. Chagdr.:fl pfoinplainonte a tro-
car urna saudago silenciosa, depois um
sorriso de inteligencia, depois algumas pa-
lavras de polidez ; seguiram-se relages, o
rouuiam-se fruquenlemonte.
A moga cora elaito pertencia flor di
sociedade pariziense: era a condessa de
R....
A imaginario de Jio perdase j no es-
pago azul ; as cartas delle, que liaviam
passado qua-> sem trausiegao do tora daego-
la ao estylo cbaminejanto, o as quaes eu
encontrava toda a phrasiologia sentimental
em voga em 1830, s vinham ebeias com
as perfeiges da formosa condessa ; nao he-
sitara era enxergar nolla urna das poticas
heronas que as suas leituras lhe liaviam re-
velado. Tive como que um present ment
d que O moro corra apoz novas desillu-
soes.
Embora nao conbecesse a Sra. de R..., eu
conhecia bastante a minha poca para sa-
ber que a paixonaoera a sua nota dominan-
te, e que nunca o amor causara menos desas-
tre-; e lizera menos victimas, principalmente
entre as mulhcres da alta sociedade. Den-
tro era breve as cartas de Joio tornaram-se
cada voz menos frequentes, o para logo dei-
xou de escrever-me. Quantas amisades te-
ubo visto acabaran assim 1 Fallo das me-
Ihores e das mais antigs, daquellas que,
havendo co negado cora vida, prenettiain
s terminar com ella.
Dois ou tres annos se havaia passado.
Ignorara o que tinha sido de Joao ; sup-
punba que levara avante os seus planos de
retirar-so, e que viva era paz na casa pa-
terna. Tinha-me elle esquecido, e eu acha
va isso muito simples : pouco nos importa-
mos geralmento cora o que duixaraos atraz
do nos.
Pela minha parte,-devo dize-lo, s pensa-
va nelle de longe em longe. A corrente
das cousas humanas, as preoecupages, os
cuidados de que nenburaa idade est isemp-
ta e que parece raultiplicarera-su com o nu-
mero dos annos baviam-no quasi apagado da
minha memoria : urna volta que dei pela
Bretanba avivou-me no coragao a lembranga
do mogo amigo.
Era da, em um povoado de Fraisterra,
soube aoei lenta Im .'ule que es ava apenas
algumas leguas do dominio de Thoiiimeray.
Ced tentago do ver de perto um lar feliz,
urna familia unida. Justei nesse mesmo dia
um vehculo de logar e tardinba, um pouco
antes do cahir da noite, ebeguei habitagio
que tinha prazer em representar como o
asylo da ventura. Nio punha era duvida
como seria recebido ; ebeguei contento e
com o corago festivo.
A antiga vi venda, de construegao extrava-
gante, era pouco mais ou menos como se
me alligurava : vasta herdade no meio de
um pateo e jardim, cora torres e cpula, e
que respirara a um tempo a raelancholia do
passado e a actividade da vida moderna.
Havia anda vestigios de fossos e ponte lo
vadiga. A porta principal, carregada de
tropheus cynegeticos, cabegas de lobos, de
raposas e do javalis, era sobrecondecorala
por um escudo consumido do tempo e cu-
jas armas mal se distinguiara.
Quando me apresentei, a familia esta-
va reunida no sali. O criado abego
que me guiara, dispensara-se da trabalho
de annunciar-me : empurrei a porta que
elle entreabrir, ecom ura relance de olhos
rpido como o relmpago, antes que a mi-
nha presenga fosso notada, abrang cm seu
conjuncto o quadro que se rae offerecia s
vistas : o Sr. de Thoinmeray, cora Ira jos de
caga, direito como um choupo, robusto co-
mo um carvalho, em p e encostado cba-
min, estatura alta, attitude severa, bragos
cruzados sobre o largo peito ; a Sra. de
Thommeray, mais cabida que sentada em
ama poltrona, o mais velba vinte annos de-
pas que a vira pela ultima vez ; einfira os
os seus dotes de artista vio sempre em as-
cendencia.
Que expresso deu a Sra. D. Manuella
todas as scenas, especialmente a penltima
do 5" acto, em que Margarida pega na mo
de Joio Paulo, julgando sor a do cura
Everardo o reconhece no meio das trevas,
que acercavam, a cicatriz do ferimento, fei-
to pela loba e pede-lhe perdao, restitundo-
lhe a filha roubada I
A Sr. D. Dnuella trabalhou de tal modo
que, se tentassemos descrever, ficariaraos
aquem da realidade.
No theatro como na sociedade ha scenas
de tanta sublimidade que o pincel mais
amestrado paludamente as esbogaria.
Na scena, de que acabamos de fallar, foi
o Sr. Baha muitissimo feliz, o, se em todo o
drama nio nos houvesse demonstrado, que
um excedente centro dramtico, bastara
ella sraente para nio hesitarmos era con-
sidera-lo tal.
O marido perdoa a esposa raorta... o o
pai abengoa a mulber que lhe restituo sua
filha.
Estas palavras foram pronunciadas com
tanto acento que pareceu-nos ser verdadei-
ro aquelle lance o nio simples interpre-
tagio.
No Io acto a scena, em que Joio Pau'o
expulsa de casa a mulher o cai solugando
nos bragos de Thereza, sua mii, foi sublime,
t Iramos longo, se tentassemos fallar de
todas as scenas em que o Sr. Baha arroba-
tou-nos.
O papel de Thereza, confiado a Sra. D.
Olympia Augusta, foi bem desempenhado
deu-lhe bastante expresso especialmente
quando no presbyterio do cura Everardo
implora de joolhos a condessa do Rendborf,
que perdoe a Joio Paulo a morte do seu
marido.'
A Sra. D. Olympia Valladas, trabalhou
muito bem : gostamos summamente da em-
palmagio do presunto.
O typo de Rosalba Dodudodonrinka en-
contr u uma excollente interprete.
- A Sra. D. Mara Babia desempenhou bem
o papel de Brgida.
A Sra. D. Emilia anda por .esta vez con-
firraou o juizo que formamos a seu respeilo ;
foi muito feliz na interprotago do typo de
Leopoldina de Stoberg.
A Sra. D. Bernardina e a menina Idaliua,
dois filaos mais veUios inclinadoflpara a
poltrona e observando a mii.
Reina va na sala itm silencio lgubre ;
s a figura de Joio faltava no quadro. Nio
era por corto a iinagem da ventura o que
eu tinha diante de nina. -
Cbegava a ponto, o saomeeto era bom es-
colhido I Admirava eu mais uma wz o es-
pirito de opportunida Je que por toda parte
me segu', pensava ero relirar-mc, quando a
Sra. de Tunmnoerny, erguendo a cabega,
deu (qm$>) e r.'conliocujDo immediata-
monle. IVisW pr4piU<4frente o lengo
as faces antorteddse, deu' alguns passos
rpidos para mim, e tomou-me a mi, que
apertou oonmovmeito convulsivo, eni-
quantoqne com oorhar interrogava-me com
avidez e pareca querer investigar-me as
entranbas. Eu estava n'um supplicio.
fta sceoa muda du rara apenas um segun-
do. Explique! em perneas palavras o acaso
quo all me conduzira. Apenas ella com
prebenden que tratava-sc so de uma visita de
passagem, as leiges que se le liaviam ani-
mada ura instante, readquirirara de repente,
a sua expresso desesperada. Te ve, no en-
tonto, o valor de esbogar paludo sonriso, e,
sem deixar-me a mo que ainda segura va,
couduzio-me ao marico. Eucarei o Sr. do
Th imineray ; com a sua juba de lelo toda
branca, sobrancelbas negras, olhar sombro,
barba grisalba o longa, tinha nobre aspecto
e pareceu-me ndmiravelraenle bello.
Senhor, disse saudando roe eom gra-
vo polidez, nao u.n estranho nesto casa ;
a Sra. de Thommeray tem-me fallado muta
vez no senhor. Sei que foi muito boin para
com ella durante a SUB estada em Pars, e
augmentar ainda o moa re. ouliecimento o-
ferecer-rae aqui opportunidado para lh'o
exprimir.
Este acolhimento um lauto pretencioso
acabou de desraontar-rae. Eu nao fra
all em iiusca de cumprimentos; mas, visto
que o Sr. de Thoinmeray julgara dever co
raegar por fallar-me da sua gratido, aJmi-
rava-rao de que nem sequer allu lisse ao fi-
lho de quem eu tratara e zulara como se
fra meu. Eu proprio hesitara, sera poder
explica-lo, em pronunciar-lbe o nome.
Via-ine ua posigio de um lionera quo sent
fugir-lhe o solo debaixo dos ps e nio ousa
dar mais um passj. Por fim iu lague de
Joi, mas apenas havui-lbe pronunciado o
nome, tchou-mo o Sr. de Thommeray a
bocea.
Senhor, disse-mo seccamenti, restam-
nos apenas dous Albos, ambos aqui oslio.
Nunca fallamos do que perdemos.
Fiquei um momento como que aniqui-
lado. Joao morrfira... nio! A attitude
do Sr. de Thommeray, a voz, a feigio, a lio-
guagem, nio erara as de um pai que teve o
terrivel infortunio de sepultar um dos fl-
lhos. Se fosso verdada que Joao houvesse
morrido, a minha presenga inesperada bou-
vera provocado em sui m uraa explosio
do desespero ou uraa crise de ternura, mais
que um movimento de ardente curiosidade.
Acompanhara-a cabeceira do lilho, cora-
partilhara as suas angustias ; nao poderia
dominar sua craogo, langar-se-me-bia ik>s
bragos, choraramos ambos.
Tinha eu feilo estas relloxes era menos
lempo do que rae preciso para escrev-las.
Joio estava vivo, e no entonto nao tinha j
logar no lar domestico de que era outr'ora
ornamento e festa. Nio sabia o que pensar
ou dizer. Corra o olhar por uns e outros
o s encontrava semblantes consternados.
S o Sr. de Tbommcray consorvava-se ira-
passivel; mas nos labios, violentamente
contrahidos, trabia-se-ihe o esfor$o da doi
altiva que se eonstraiigo para nio fazer ex-
ploso. Dispunba-me a despedir-ine, quan-
do abrise uma porta do fundo e appare-
ceu no lumior uma creada: as mais acer-
bas aiicgoes da alma nio mudara nem os
hbitos nem as condigoos da vida, e todos
os das s mesmas horas, |n>e-se a gente
mesa, por mais infortunado que seja.
U senhor janta comnosco, sim? disse
a Sra. de Tbommcray que apoderara-se-me
do brago.
E como eu procurasse recusar-me :
Pelo amor de Deus, aceresjjentou em
meia voz, nao saia antes de poder-lbe eu
fallar.
Nao resist mais o deixei-me guiar.
(Continuar-se-ha.)
andarara bem, agradou-nos muito o tra
balho d'esta crianga.
O conde Rendborf coube ao Sr. Santos
este actor no pouco tempo que est no thea-
tro tora revelado grandes dotes e vocago
decidida para a scona. Os seus papis sio
sempre bem desempeorados, o que revela
esforgo e estudo. So os nio interpreta, como
se poderia exigir de urn artista rnestre, nao
os sacrifica.
Hoje, uma brlhante promessa; mais
tarde ser uma gloria Jo theatro nacional.
Possue elementos para sel o; aproveite-os.
Estudo e desconfie sempre de si, eis o que
tomamos liberdade de aconselhar-lhe.
O Sr. Pedro Augusto, andou soffnvelmen-
te. Tea plenamente interpretado o typo
do cura Everardo, se procurasse mprmir-lhe
a unego evanglica, cem que o autor esbo-
cou aquelle personagem.
Se nao ternessemos iiicorrer em seu desa-
grado, lhe diramos que procurasse melho-
rar a sua diegao, algumas reaes incorrecta.
Zhan, o criado aparvjdhado, com a cabega
roda por causa de Brgida, foi ptimamen-
te desempenhado pelo Sr. Vicente.
Os Srs. Julio, Cmara, Silva e Florindo,
trabalbaram bem, sobrecurado os dous pri-
meiros.
A comediaUma esperiencia, bellis-
sima.
Nio se encontra n'ella, verdade a critica
dos costumes, principal caracterstico da
comedia, mas uma d'essas composiges,
que primam pelo estylo e pela forma.
A poesia, em que o Jos Borrasca descre-
ve os costumes martimos, muito linda.
O espectador, toma-st de admiragio polo
homem do mar; sonto desejos de vestir a
blusa do marinheiro.
. O Sr, Bahia, trabalhou magistral mente.
0 Sr. Vicente estere cima de qualquer
ologio.
A Sra. D. Mara Bahia, andou bem.
Vamos fechar a presente chronica com o
nome do sympathico e iaahissimo maestro
Libanio Colas.
A sua polka, Saudafao ao Bahia,
mimosa, come todas is composiges do
illustre maestro.
As honras da noite, couboram-lhe em
grande pattei Garrick.
TYP. DO DIARIO RA. DUQUE. DE CAXIAS*
'

/


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EKEA3S6JK_G20HNW INGEST_TIME 2013-09-19T23:13:10Z PACKAGE AA00011611_13015
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES