Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13011


This item is only available as the following downloads:


Full Text
* #-'
AMO XLIX. MHEHO i 86

PIBA 1 CAPITAL B MCABJ48 O VISE SAO II PASA
Por tres mezes atalantados............... .
Por mis ditos idean.................
Por um tuno idem............... .
Cada Qnmero avulso.............. ,
69000
1*001
149000
to
QUINTA FEIRA \ A DE AGOSTO I* 4873
ABA DK1TRO FWLA I>A PBOVISOIA.
*
*
ir*
lor traa aneaes adiantados.
P*r aasadatow idem. .
Fot no* ditos idem .
lor tu aawo idem. .
09710
a >
09SS0
79000
DIARIO DE PERNAMBUCO.
PROPRIEDADE DE MANUEL FlfiEIROA DE FARIA & F1LH0S.
Os Srs. Gerardo Antonio Al ves & Filhos, no Para; Connives & Pinto, no Maranho; Joaquim Jos de Oliveira Fho, no Cear; Antonio de Lea** Braga, do Aracatj ; Joao aria Julio Chaves, no- Ass; Antonio Marques da Suva, no Natal; Jos Jastin
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, aa Parahvba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Betarmiap dos Santos Bulco, em Santo Arnto; Domingo Jos da Costa Braga era Razaretfc;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joo Antonio Machaco, no Pilar das Alagoas; Al rus d G., na Baha ; e Leite, Cerquinho d C. no JAio de Janeiro.
parte ornciAL.
Governo da provincia.
XPKDIEITB DO DA 29 DE MAIO DE 1873.
lm tectfio.
Acto :
O presidente da proviucia, altenlendo ao que
requereu o l8 lencot da armada Francisco \i-
vier Rodrigues Pinheiro, ajudante da inspeceo
do arsenal do inarinha, e tendo em vista a informa
c*o do respectivo inspector, denla dala sol n. 626,
resol ve eoneed r-lhe 30 dias de licenca con ven-
cimentes na forma da lei para ir corte.
Ofeios :
Ao brigadeiro commandante das armas.
Conteste ser apros ntado a V. Exc, com destino
ao servico do exercilo, o guarda do 9' batalhao de
infamara de (Miada, Manuel Jos dos Santos.
. Ao capitio du porto, -Coiiiniuiiicaiido-mo o
l>r. Claudino de Araujo Guimares, e,xi-ul de Sos
Magostado Fidelissima nesta provincia que, de vol-
ta de sua viagein Europa, reassuinio honlem a
gerencia do raspeeUva consulado ; assitn o decla-
ro a V. S. para seu condec.nenio e direeciio.
Ao mesino. Tendo nesla data approvad i a
designacaoque, segundo o seu otllcio de honte.n
datado, fez V. S. do pratico llerculano Jos Ro-
drigues Pinheiro para servir interinamente o lugar
vago de praticonir ; assim o eommuaiee a V. S.
em resposta ao citado offleio.
Ao inspector do arsenal de marraba. -Aa
uuindo ao que solicitou o capitn do porto interino,
no officio de 7, a que se refere a sua informacao
de 10 do correte mez sob n. 614, autoriso V. S. a
receber nesse arsenal a canoa que se ada ao ser-
vico da mesinacapitanii n mandar construir para
ser-Ihe tornenla em subuituicao aquella una ba-
lieira de seis remos o com a conveniente capaei-
dade.
Ao engenheiro das obras militares. Devol-
verlo as propostas que vieram annexas ao seu of-
ticio de I i do crrente, para execucao dos concer-
tos do rancho du quartel das Cinco Pomas, dos ra-
paros da feuda do oito do hospital militar, asplul-
Jamento e caiaJura do respectivo xadrez, autoriso
Vine, a preferir a de Manuel Finnino Ferreira, que
rnaliioros vantagtns olTerece fainada
Ao Sr. cnsul de Portugal. -Pelo offleio que
na data da honlem me dirigiS o Sr. i>r. Claudino
de Araujo Guioiares, cnsul de Sua Magestade
Fidelissima nesta provincia. Meo inteirado de ha-
ver nesse dia, de volla da Europa, onde se achaaa
coui liceuca do seu govorno, reassuuado a geren-
cia do respectivo consulado, di que pasma dar
sciencia as estacos competentes. Aproveito a oc-
-casiia para apresentar ao mesmo Sr. cnsul os
protestos de minlia perfeita estima e dis'.incta con-
sideracao.
2'ecc'w.
Actas:
O presidente da provincia, atteudendo pro-
posta do Dr. ehefe de polica em otllcio de 28 do
corrente n. 997, resolve exonerar do cargo de de-
legado do termo de Floresta ao alferes do corpo
de polica Laurentino Flix de Oliveira Lima.
0 presiden!j da provincia, siten Jen lo pro-
posta do Dr. chefe de |Kilcia em otllcio de 28 do
corrente n. 997. resol ve noinear para o caigo de
delegado du lerino de Floresta o capilao do corpo
depolnia Fernanlo i'acifieo de Aguiar "Montar-
royos.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Jos Jacome de Araujo, capitao da 3*
companhia do bataltio n. 42 da guarda nacional
de Serinhem, e a vista do que informen o com-
inandaute superior respectivo em oflicio de 21 do
corrente, resolve que se llie d a guia de que traa i
o art. 4o do decreto n. 1,130, de 12 de mareo do
1851 para este municipio, onde xou sua resi-
dencia.
presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o alferes aggregado ao batalhao de in-
famara n. 18 da guarda nacional de Nazarelh,
H rala Ferreira Xavier, resolvo couceder-lhe
a guia de que trata o art. 4o do decreto n. 1,130
de 12 de marco de 1853, para o municipio do Re-
cife, onde reside.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de polica. Communicando
rae o Dr. Claudino da Araujo Guimares, cnsul
de Sua Magestade Fidelissima nesta provincia, que,
de volta de sua viagein Europa, reassumio hon-
lem a gerencia do respectivo consulado ; assiio o
declarj a V. S. para seu conhecimento.
Ao mesmo. Sendo-uie communicado par
aviso do ministerio dos negocios da agricultura,
com nercio e obras publicas, de 19 do corrente,
3uo alguns individuos que se achavam emprea-
os como estafetas entre esta provincia e a das
Alagoas t-mtaram uterromper a linha telegraphi-
ca ltimamente concluida, entre os dous pontos
supra indicados, causando-lhe dainos, chamo a
atteaeio de V. S. para semelhanle abuso, e recom-
iii'mdo-lhe que empregue todos os seus estreos,
a.imdequose niorepruduza e sejatn punidos os
culpados.
Ao commandante superior de Nazarelh.
Mande V. S. dar ao alferes aggregado ao batalhao
de nfantaria n. 18 da guarda nacional desse mu-
nicipio, Honorato Ferreira Xavier, a guia de que
trata o art. 45 do decreto n. 1,130, de 12 de mar-
co de 1853, pira o do municipio do Recife, onde
reatte.
Ao commaadante superior do Ro Formse
Mande V. S. dar ao capitn da 3" coinpanhia do
batalhao n. 42 da guarda nacional de Serinhem,
Jos Jacome de Araujo, a guia de que trata o art.
4) do decreto n. 1,13 \ de 12 de marco de 18j3,
para o municipio do Recife, onde, segundo Infor-
men V. $. em okio de 24 do corrente, lxou sua
residencia.
Aojuii municipal do termo de Buique.
Constando-me de otllcio do inspector da thesoura-
ria provincial, de 26 do corrente sob n. 211, que
as cartas precatorias expedidas pelo jtiiio dos fei
tos da faieuda contra o tenente-coronel Thomaz
de Aquino Fonceca, arrematante das obras da ca-
deia desse termo, aum de precederse exeeuc,.io
na forma da lei, nao tein tido an lament'i, como se
vi da informaco junta por copia, recommendo a
Vino, que activej essa execu^ao, de modo a ser
iudemuisada quanto antes a a'.euda da quautia
de 4:3oo33i. de que responsavel o mencionado
arrematante, em. consequoncia de haverem sido cn-
rampadas as referidas obras.
Igual ao promotor publico de Buique.
Ao juiz municipal suppleute em exercicio do
termo do Bom Conselho, Pedro Cavalcante de Al-
bu jueraue.Acerca de todos os pontos da aecu-
sacao que Ihe feita no incluso offleio por copia,
do promotor publico da comarca do Bom Conselho,
cora dala de 17 do corrente, informe Vmc. com to-
da urgencia.
8.' secgo.
Oficios :
Ao inspector da tliesouraria de fazenda.-
Irausmiito a V. S. para 'os fins convenientes os
inclusos decretos datados de'10 do corrente, pelos
quaes sao nomeados o caoitao reformado dj exer-
cto Traiano Alipio de Carvalho Mendonca e o ba-
carel Flix de Figutira Faria, aquelle para o
lugar de almoxarife do hospital militar e este para
o de secretario do arsenal de guerra desta pro-
vincia.
Ao mesmo. Nesla data, de conformidade
eora a sua iuformaco de 27 do corrente sob n.
993 serie C, autoriso o inspector do arsenal de
manaba a mandar construir urna baleeira de seis
romos para o servico da capitana do porto, em
substituidlo da canoa quo ora se presta quelle
mister, e quo dever ser opporlunamcnte recolhi-
da ao mesmo arsenal e all ter o conveniente des-
tino ; o que communico a V. S. para seu conheci-
mento o direccio.
Ao mesmo. Autoriso V. S, nos termos de
sua inormaeao de hontem sob n. I serie D. a man-
dar para o presidio de Fernando de Noronha no
primeiro vapor quo por all seguir a quantia de
20:8074810, constante do pedido annexo ao offleio
do comin.inilante do mesmo presidio,a que allude a
citada informacao, alim de satisfazer-se o paga-
mento dos vencimentos dos nfflciacs, empmgados,
pracas de prot e senten;iados que se achain ein
strries naquelle presidio, concernente a este mez
B de junho vindouro.
Ao mesmo. Transmuto a V. S para que os
mande satisfater uos termos da sua nformaeio
de hontem datada sob n. 996 serie C, o incluso pe-
dido feito pelo conselho econmico do presidio de
Fernando de Noronha.
Ao mesmo.Tendo nesta data, de acord
com a sua informacao de hontem datada sob n.
998 serie C, autorisado o engenheiro das obras mi-
litares a contractar com Manoel Firmino Ferre
ra, por melhores vantagens offerecer fazenda, a
execucao dos concertos da coberta do rancho do
quai tel das Cinco Pontas, pela quantia de 325490
dos reparo* da fenda do oitao do hospital militar
pola quantia de 190*000, e o asphaltamento e ca-
iadnra do xadrez desse estabelecimento pela de
15800'; assim o communico a V. S. para os fins
convenientes.
Ao mesmo. -Conimunicando-me o Sr. Clau-
dino de Araujo Guimares consul.de S. M. Fide-
issima nesta provincia, que, de volta de sua viagem
Europa, reassumira hontem a gerencia do res-
pectivo consulado ; assim o declaro a V. S. para
seu conhecimento e para que o faco constar ao ins-
pector da alfandega.
Ao mesmo.-Transmiti a V. S. a relacao
em duplcala, que me remeden o commante supe-
rior interino dos iiiunieipivs de Flores e Villa-Relia
com oficio do 1 do corrente, alim de que mande
pagar os vencimentos J i destacamento da guarda
nacional existente na Villa de Ingaseira, a contar
de 23 de marco a 30 de abril deste anno.
Ao mesmo.Inteirado do quanto expoz V. S.
em seu otllcio ile 27 do corrente n. 985 serie C, re-
lativamente ao pagamento da quantia do lOiOOO,
proveniente de un concert feito por Genuino Luiz
notes na (echadura da grade do xadrez do quar-
lel da coinpanhia do cavaaria, tenho a di'.er que
mande cl'ectunr semelhante pagamento sob a res-
ponsabilidade da presidencia, o nao existir cr-
dito algum na verba obras militares do ministerio
de guerra, segundo se deprehende do citado
ollb-io.
Ao mesmo. Para seu conhecimento e fins
convenientes inclusaa remeti a V. S. as patentes
do tenente-coronel Thomaz Alvos Maciel e do ca-
pillo Austrequilhio da Castro S Brrelo ; assim
como a p naria de 16 do correte prorogando por
mais 2 mezes sein ordenado a licenca que foi
concedida, por portara de 27 de Janeiro ultimo,
ao juiz de direito da comarca de Ouricury, ba-
charel Manoel Caldas Brrelo.
Ao mesmo.Attendendo ao que representou
o Dr. inspector da saude do porto em ofJQcio de 19
po corrente, a que allude sua informacao de 27
do corrente n 995 serie C, autoriso V. S. a man-
dar pagar aos empregados que estiverem encarre-
gados da desinl'eccao dos navios, sob a responsabi-
lidade da presidencia nos termos do decreto n. 2,884
do 1* de fevereiro de 1862, as graticacoes relati-
vas aos mezes de marco c abril ultimo, remellen-
do-lhe para esse lim as folhas correspondentes do
dito mez de abril sendi.que as do de marfo j se
ach?in nessa repartieio.
Ao mesmo. -Constando do aviso do ministe-
rio da guerra de 21 do corrente, que n'aquella
data se solicitou ao da fazenda a expedicao de or-
dens no sentido de ser essa lliesouraria habilitada
com o crdito de 80.1*990, por cunta di 7 tcorpo
de laudo e bospitees do exercicio de 187273,
alim de occorrer-se ao pagamento da lavagem de
roupa do hospital militar durante os mezes de
dezembru do anno passado a fevereiro do presente,
assim o coamiunico a V. S. para seu conheci-
ment.
Ao inspector da thesouraria provincial.Re-
commendo a V. S. que, vista da conta junta que
me f i remettida pelo commandante do corpo de
polica com oflcio de 27 do corrente sob n. 295,
mande pagar a Melchiades & Paulino a quantia
de 1:46351)00, proveniente de calcados que forne-
ceram ao mesmo corpo, em virtule do contracto
com elles celobrado a 27 de setembro do anno pr-
ximo passado.
Ao mesmo. -Em vista da inclusa conta, man-
de V. S. pagar a Tisset Frres, consignatarios do
navio Jean taptistt, a quantia de 43350, prove-
niente do (rete de utna caixa conteudo impressos,
destinados secretaria da presidencia, segundo de-
monstra a referida conta.
4.' secrfio
Actos i
O presidente da provincia, usando da atlri-
buicao que Ihe confere o art. 7a da lei de 12 de
agosto du 1834, resolve prorogar at o dia 9 de
junho vindouro a presente sessao da assembla
legislativa provincial.
O presdeme da provincia resolve nomear
una coinmisso composla do curonel Jos de Car-
valho Araujo Cavalcante, bacharel Manoel Lopes
da Cunda Maciel, vigaro Francisco Goncalves Fer-
reira e tenente coronel Antonio Vctor Correa,
para encarregar se de distribuir soeeorros aos in-
digentes atacados' da varila na villa de Gara-
nhuns.
anejos:
Ao inspector da sade publica.Remeta V.
S. com urgencia secretaria desta presidencia,
com destino a villa de Garinhuns, nina carteira
liomeopathica com medicamentos aproprados para
o ralamente de varila.
Ao director do instituto dos suidos mu-
dos. -Accuso receido dons exemplares do relato-
rio por V. S. apresentado esle auno ao governo,
cobertor com seu offkio de 15 do corrente, um dos
quaes remetti ao jornal ofncial para transcre-
ver, como solicitou.
Ao commissaro vaccinador provincial.Re-
meta Vmc. cora urgencia secretaria da presi-
dencia, com destino villa de Garanliuns, alguns
tubos com pu vaccinieo.
Portaras:
A' cmara municipal do RioFormoso. -Com-
munico cmara municipal do Rio Formo.o, para
sua sciencia, que por avi.-o do ministerio do impe-
rio, de 2) do crranle, coasta que merecen a ap
provagao d > governo imperial o acto desta presi-
dencia declarando validas ai eleiedes da freguezia
de S. Jos do Rio Formse e da de S. Goncalo de
Un, que foi presidida pelo 2* juiz de paz, effectua-
das era 7 de setembro do anno pa>sado para ve-
readores e juizes de paz, 6 nulla a que nesta ultima
freguezia procedeu-se sob a presidencia ao juiz
de paz.
A' cmara municipal da villa do Petrolina.
Declaro cmara municipal da villa de etrolina,
respondendo ao seu offleio de 19 do abril uHimo,
2ae, em vista do documento que o accompanhou e
as razSes allegadas, fra de duvida que a ilba
denominida do Jatob deve fazer parte do seu pa
trimonio, cutnprindo desde logo recuperar a sua
posse pelos meios legaes.
Ao Sr. coronel Jos de Carvalho Aranje Ca-
valcante.Tendo nesta data nomeado ama eom-
missao composta de V. S., do bacharel Manoel Lo-
pes da Canoa Maciel, tenente coronel Antonio Vc-
tor Correa e vigario Francisco Goncalves Ferreira,
para distribuir succorros aos indigentes accoin-
meltidos da varila na villa de Garanhus, assim
Ihe communico, esperando que amte essa huma-
nitaria e patritica incumbencia. Nesta data lioam
dadas as precisas ordens no sentido de ser entre
gue commissao para aquetle lim tubos com pus
vaccnico, una carteira homopathica e a quantia
de 200*000. Mutat't mutumlis aos outros inem-
bros da commissao.
5.* seccao.
Olneios :
Ao gerente da coinpanhia Pernambuco Street
Riilwaj.No intuito de serem as ordens desta pre-
si lencia expedidas com urgencia, d v'inc. provi-
dencias para que os carteiros da secretaria do go-
verno, Simplicio de Barros Alves da Fonceca e Joo
Lourcnco dos Santos, andem livremente nos carros
dessa coinpanhia todas as vez>'S que apresentarem
aos respectivos conductores olneios que teiihaui de
levar a autoridades ou outras pessoas, a queiu lo
rem dirigidos.
A' commissao censitaria da freguezia de N i-
zareth. -Accusando rocebidos os irabalhos do re-
censeamento dessa paroehia, cabe-me agradecer e
louvar os servicos prestados por Vinos., na quali-
dade de inembros da respectiva comraissto; cor-
tos de que taes servicos soro oportunamente leva
dos ao conheciinonto de governo imperial, que nao
deixar da toma-Ios na devida consideradlo.
Iguaes s commissoes censuaras das freguezias de
Tracunhaem e Barreiros.
EXPEDIKNTF. DO SECRETARIO.
2." seccao.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de polica.O Exra. Sr. presi-
dente da provincia manda transmittir a V. S. os
nuil is juntos de nooieacao dos delegados dos ter-
mos de Bezerros e Bonito, dos 1.** supplentes do
de S Bento e o do subdelegado do districto de Ca-
poeiras, do termo do Bonito, de conformidade com
as proposlas de V. S., de 28 do corrente, sob us.
1,006, 1,005 e 1,004.
Ao mesmo O Exm. Sr. president- da pro-
vincia manda aecusar o recebimeuto do offleio de
V. S, de 28 do corrate, communicando-lhe que
nesta data expede ordens para destacaren! na vil-
la de 1'.mellas 5 pra;as e 1 inferior da guarda na-
cional.
Ao commandante superior de Santo Antio e
Eseada. O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da acensare recebimeuto do offleio de V. S., de 18
do corrente, e commiinicar-lbe que o inspector da
thesouraria de fazenda lem ordein para fornecer
os objt-ctos que solicita eni seu offleio citado para
os irabalhos do respectivo conselho de reviso da
qualilicaco da guarda nacional.
Ao juiz de direilo da comarca de Itamb.
Communico a V. S., de orden do Exm. Sr. prest-
denle da provincia, que por portara desta data foi
exonerado, a seu pedido, o bacharel Joaquim Cor
rea Guedes Gondim do cargo de promotor publico
dessa comarca, e nomeado para o substituir o ba-
charel Jo Cavalcanle de Albuquerque Ucha.
4.' seccao.
Offlcios :
Ao 1." secretario da assembla provincia!.
N. 145 De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
proviucia, remello a V. S. para terera o convenien-
te destino os inclusos orlgmaes das resolucoes ns.
1,094 o 1,095, e b;ni assim os das de ns 1,097 a
1,101 e de 1,103 a 1,108, sanecionadas em 28 e 29
do corrente, deixando de fazer igual reme-sa dos
das de ns. 1,096 e 1,102 por haver sido presente ao
mesmo Exm. Sr. um so exemplar de cada urna
destas.
Ao mesmo.N. 146. -De ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, communico a V. S., para
fazer constar i assembla legislativa provincial,
que por acto desta data foi prorogada al o da 9
de junho vindouro a presente sessao da mesma
assembla.
KXI'EDIE.NTE D) DIA 30 DE MAIO DE 1873.
1.' cfo.
Acto :
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o tenente houi'ario do exercilo Jos Ig
naci Ribeiro Roma, addido companhia de ca-
vallaria desta provincia, resol*e conceder-lhe trin-
ta dias de licenca com vencimento na forma da
lei, para tratar de negocios de,,seu particular inte-
resse.
Offlcios :
Ao brigadeiro commandante das armas.A
V. Exc. ser apresentado, por parte do comman>
dante do corpo de polica, para ser alistado no
exercito, o guarda do 2' batalhao de infamara
deste municipio, Benelicto Francisco de Lima.
. Ao mesmo.Sirva-se V. Exc. de mandar por
em liberdade o rocruta Genuino Vieira Damio,
que provou isencao legal.
Ao mesmo.Sirn-se V. E .c. de mandar por
em liberdade o recruta Vicente Ferreira Lopes,
quo provou sen;"o legal.
Ao mesmo. Sirva-se V. Exc. de providen-
ciar no sentido do que solicita no offleio junio por
copia o brigaleiro inspector dos corpos de ta guar-
nido.
Ao mesmo.Tendo esta presidencia por offl-
eio de 12 do cadente mez autorisado o crdito
preciso para o pagamento aos offlciaes do corpo de
sade, existentes nesta guarn cao, do augmento de
sold concedido pelo decreto de 8 de fevereiro ul-
lon >, ressou assim a razio que se. oppunha rea-
lisacao desse pagamento, e conseguinteinente o mo-
tivo da representacao de V. Exc. contida no seu
offleio de 5 do corrente sob n. 475, a que deste
modo dou solucao.
Ao engenheiro das obras militares.. Devol-
vendo as inclusas propostas do Osear Destibeaux e
Manoel Francisco Ferreira para a execucao da
obra da latrina do xadrez do depoto de recrutas
no quartel da Soledade, autoriso Vmc. a preferir a
do primeiro, que melhores vantagens offerece
fazenda, visto como in;umbe-se elle dessa execu-
cao por menos 10*000 que o outro proponente.
Ao mesmo. Dou solUQao ao seu offleio de
hontem datado, declarando-lhe que, segundo o pa-
recer do inspector da thesouraria de fazenda, jun
to por copia, mais vantajosa a proposta de Ma-
noel Firmino Ferreira, que se incumbe a execular
todas as obras, as quaes esta incluido o servico de
asphaltamento, que o mais importante e conside-
ra vel, c para o qual tem elle dado provas de apti-
dao pela longa e constante pralica de trabaihos
desse genero, embora aquella pequea differenca
de 1*840, que em favor da fazenda offerece e ou-
tro proponente.
2." secfdo.
Actos :
-% O presidente da provincia, altendendo ao que
requereu Luiz Jos da Silva Guimares, alferes
aggregado ao 3* batalhao de reserva da guarda na-
cional deste municipio, resolve conceder um ann)
de licenca para ir a Europa.
O presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de polica em offleio
de 28 do corrente n. 1,005, resolve exonerar, por
falta de camprimento de dever, Manoel Sunoes
Duarte do cargo de subdelegado do districto de
Cachocirinha, do termo de Bezerros.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o capito da 1" companhia do 2 esqua-
drao de cavaaria da guarda nacional dt-te mu-
nicipio, Felippe Domingos de Souza Leo, e vis-
ta da informacao do respectivo coiumandaote su-
perior em offleio n. 618 de 27 do corrente, resorve
que se Ihe d a guia de que trata o art. 45 do de
creto n. 1,130 de 12 de mareo de 1853 para o do
Cabo, onde fixou sua residencia.
0 presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. ehfo de polieia em offleio
de 28 do corren! a. 1,006, resotv exonerar, a pe-
dido, 9 capitao Francisco Amonio Bezerra da Sil-
va do cargo de delegado 4) termo de Bezerros
O presidente d provincia, de conformidade
eora a proposta do Dr. chefe 'Je polica ein offleio
de 28 do correle n. 1,005, rosolve nomear o capi-
tao do corpo de polieia Luiz Felippe Cavalcante de
Albuquerque para o cargo de delegado do termo
de Bezerros.
O presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de polica em offleio
de 28 do conxnte n. 1,004, resolve exonerar o
eidadio Joao da Porciuncula Valonea do cargo de
1* supplente do delegado do termo de S. Bento,
por ter sfdo nomeado e acceitadoo lugar do sup-
plente do juiz municipal do dito termo.
O presidente da provincia, de conformidade
cora a proposta do Dr. chefe de polica era offleio
le 2H do corrente n. t,004, resolve nomear o ma-
jor Francisco Alves Maciel para o cargo de 1" sup-
liente do delegado do termo de S. Bento.
O presdeme da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de polica em offleio
de 28 do crrente n. 1,006, resolve exonerar o
eapitio Antonio Jos Ferreira do cargo de sup-
plente do delegado do termo do Bonito por nao ter
prestado juramento e aceitado o dito lugar.
O presidente da provincia, de conformidade
com a propjsta do Dr. chefe de polica em offleio
de 23 do corrente n. 1,016, resolve nomear para o
cargo de supplente do delegado do termo do
Bonito, o eidadio Joao Brasilio Correa e Silva.
O presidente da provincia, de conformidado
eom a proposta do Dr. chefe de polica em offleio
de 28 do corrente n. 1,006, resolve nomear para o
cargo de subdelegado dojdistricto de Capx'iras, do
termo do Bonito o qual se acha vago, o alferes do
corpa de polica Manoel Vital de Mello.
O presidente da provincia resolve con sedar
ao bacharel Joaquim Correa Guedes Gondim a
exoneracao quo pedio do cargo de promotor pu-
blico da comarca de Itamb, e nomear para o
substituir o bacharel J)s Cavalcante de Albuquer-
que Ucboa.
Offlcios :
f Aoe miman lante superior do Recife. -Man-
. S. dar ao capilao da 2* c impanhia do 2" escua-
dran de cavallaria da guarda nacicual sob seu
com asado superior, Felippe Domingos de Souza
Leo, a guia de que trata o art. 45 do creto n.
1.130 de 12"de rairco de 1853 para o municipio do
Cabo, onde, segundo informou V. S. em seu offleio
n. 618 de 27 do crreme, fixou sua residencia.
Ao coiuraanlante superior de Cmara.
Expeca V S. suas ordens alim de que destaquem
na villa do term i de Panellas cinco pracas e um
in(erior da guarda nicional sob o sen commando
superior, devendo a respectiva despeza correr por
conta da thesouraria de faionda.
Ao c miman lante do corpo de polieia. Faca
Vmc apresentar ao brigadeiro commandante das
aunas para ser alistado no exercito o guarda na-
cional do 2' batalhao de infantaria deste municipio,
Benedicto Francisco de Lima, que se acha reco-
[ Iludo no quart il desse corpo.
3.' seemo.
Offlcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Transmiti a V. S. para lins convenientes a in-
clusa ordem do ministerio da guerra, de 23 do cr-
renle.
Ao mesmo.Transmiti a V. S. o titulo pelo
qual fui nomeado o Dr. Jos Siriano de Souza
para o lugar de professor substituto de rhetorica,
philosophia, historia e geographia, das aulas pre-
paratorias annexas Faculdade de Direito, aflu de
ser entregue a quera se mostrar autorisado para
recbelo, depois de pagos s direilos.
Ao mesmo. -Para os los convenientes com-
munico a V. S. que nesta data mandei destacar na
villa de Panellas 3 pracas e I inferior da guarda
nacional, devendo a respectiva despeza correr p)r
conta dessa thesouraria.
Ao mesmo. -Expeca V. S. suas ordens, afim
de ser pana ao {inspector de ade publica urna
carteira homeopatdica, que nesta dala mani pre-
parar e lem de ser enviada villa de Garanliuns,
com destino ao tratamento da varila. Convm,
oulro sim, que aulorise a collectoria daquella villa
a entregar commissao que acabo de nomear,
composla do coronel Jos de Carvalho Araujo Ca
val ante, Bacharel Manoel Lopes da Cunha Ma-
elel, lente Antonio Vctor Correia, vigario Fran-
cisco Goncalves Ferreira, a quantia de 200* para
soccorro aos indigentes accommellidos do mal.
Ao mesmo. Tendo nesta data autorisado o
engenheiro das obras militares a contraclar com
Osear Destibeaux, pela quantia de 310/, a execu-
SVi dos concertos de que precisa a latrina do xa-
rez do deposito de recrutas, no quartel da Sole-
dade, que esta va m oreados ein 326280 ; assim
o communico a V. S. para os devidos efeitos.
Ao mesmo.Solicitando o commandante su-
perior interino dos municipios de Santo Antao e
Escala os objectos, constantes da'rela^ao inclusa
por copia, para os trabalhos do respectivo conse-
lho de esenvas da qualificaijao da guarda nacional,
expeca V. S. suas ordens, alim de que os objectos
Ihe sejam fornecidos.
Ao mesmo.-Communico a V. S. para os de-
vidos fins que por aviso do ministerio do imperio,
de 20 do crrente foi approvado pela verba-Soe-
eorros pblicos, do exercicio de 1872 a.1873, o
crdito de 200* aberlo sob a responsabilidade des-
ta presidencia para occorrer ao pagamento das
gratificacoOes arbitradas a Francisco de Assis Athala-
no de Souza Conrad, Ernestino Xavier Ramos,
pelo tratamento de indigentes accomeltidos da va-
rila na comarca do Limoeiro.
- Ao mesmo. Tendo exonerad), a seu pedido,
o bacharel Joaquim Correia Guedes Gondim do
cargo de promotor publico da comarca de Itamb,
e nomeado para o substituir o bacharel Jos Ca-
valcante de Albuquerque Uchoa, assim communi-
co a V. S. para seu conhecimento e fins convenien-
tes.
Ao inspector da thesouraria provincial. -Era
vista da relacao e conta annexas ao incluso reque-
rimeuto, mande V. S. pagar a Jos Mariano Fer-
rsira Braga, ou a seus procuradores Antonio Gui-
mares & G, a importancia de 96*800, proveniente
do sustento dado aos presos pobres da cadeia do
termo de Barreiros desde setembro do anno pr-
ximo passado a abril deste, segundo domonstra n
aquelle documentos.
Ao mesmo. -Recommend* a V. S. que vis-
ta do certificado annexo ao incluso requerimento,
sobre que versou sua nforraacao de hontem sob
n. 118, mande pagar,a Jos Eleuterio de Azevedo
a quantia de 5: xu* a que tem direilo em virtude
da transferencia do contracto para execucao di 12
kilmetros da estrada da Victoria a Grvala, de-
vendo esse pagamento ser realisado conforme indi-
ca na segunda parte da citada informacao.
Ao mesmo.Communico a V. S. para sen
conhecimentoje fins convenientes que por acto des
la data re-olvi, usando da altribuigao que me con
fere o art. 7* da lei de 12 de agosto de 1834, pro
rogar at o dia 9 de iunho vindouro a presente
seceso da a*sembla legislativa provincial.
4.' stcfo.
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o padre Fransiseo Luix de Carvalho, vi-
gario collado da freguezia do Poco da Panejla, re-'
sole conceder Ihe 3 mezes de licenca com a res-
pectiva congrua para tratar de sua sade.
JO presidente da provincia, attendendo ao que
requereu Francisca Luduvina Ribeiro Bacelfar,
professora publica de iastruccao primaria da fre'
resolve nomear Carolina Militana de Carvalhu
para reger interinamente a cadeira de primelras
loltras da freguezia da Varzea, durante o impedi-
mento da respectiva proprielaria e mediante a
graticaeaoique esta deixar de perceber.
O.' stecao.
Offlcios :
'Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recife a S. Francisco.=Remetto a Vmc. para seu
condeciinento, e ali u de que faca censuar
parte interessada, copia do aviso do ministerio
da agricultura, commercio e obras publicas, de
19 do et*rrente, coneedendo permisso ao capito
Jos Caetano de Albuquerque para o estabeleci-
mento do urna parada no lugar denominado Pontezi-
nha, entro as estaques dos Prazeros e liba, nessa
estrada de ferro, mediante as coadicocs estableci-
das no citado aviso.
EXPEDIENTE DO SFCIETARIO.
/.* sfcrdo.
Offlcios:
Ao general commaadante das armas. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. Exc. para os lins couvenientes que nesta dala
se remetteu ao Exm. Sr ministro da guerra, para
resolver acerea da sua satisfacao, o podido de va-
rios objectos para uso da pharmacia do hospital
militar, a que allude o seu offleio de 10 do cor-
rente sob n. 500.
Ao capito do porto.O Exm. Sr. presiden-
te da proviucia minia declarar a V. S.,em respos-
ta ao offleio do seu anteeesoor de 7 do corren! a
sob n. 1,041, que ao inspector do arsanal de mar-
nha se expedio ordens nesta daia para fazer cons
truir para o sorvico dessa reparlicao urna balieira
de C remos, em sub-tituicao da canoa actualmente
empregada nesse mister.
2.' secc'to.
OIkios :
Ao Dr. elufo de polica.0 Exm. Sr. presi-
dente aa provincia maula tiansmillir a V. B. os t-
tulos juntos de nomeacao do dilogado do termo de
vincia manda aecusar >
Villa Bella o do respectivo l* supplente, le confor- ^ v ,,0 8 QJ mM pj.S ,no ,,assado, acompa-
midade com o seu offleio n 928, de 16 do cor- nhado e outro d alferes dos,t co;po> Manoel
re!,le- ^ Raynero de Barros, quo foi substituir no desta-
Ao mesma. -O Exm. sr. presidenta da pro- oamento volantn ex (anala Gustavo Lustosa
vincia manda transmittir a V. S. os ttulos junios Quinaquina
de nomeaeo dos 2." e 3. supplentes do subdelega-; Ao suudelegado do 2- districto de Maran-
do do 1 districto do term) do Rio rormoso, de i Mfe._rj8 ordem do Exm. Sr .presidente da pro-
coniortndade com a proposta de V. S. em offleio de vjncjai e cm re?posta ao offlc0 de v. S, de 14
26 de marco proximi passado, n. 609. 'do mez prximo pas-ado, remello o mappa mo-
- Ao mesmo.-O Exm sr. presidente da pro- de|0 n 9 ,,ue |ne cumpre ministrar, em obser-
vmcia manda declarar a V. -;. que a 17 do mez vancia ao decret0 n. 3 g7j ie 30 de dezembro de
prximo passado expedio as convenientes ordena l863 fevi) de,.|arar a v j. que esse modello,
a thesouraria provincial no sentido de serena pa- pertencenii0 ao arc|,Vo dessa subielegacia, nao
gas as despezas, de que traiam os seus offlcios de d() s9f d(Je separa(lo> ^,0 de serr de base aos
22 de margo e lo do abril ultimo, de ns. 5%, 619 annos s^u(nles e evitar ssim as requiscoes fei-
e 720.
Ao masa > -S Exc o Sr. presidente da pro-
vincia mana declarara V. S. que a thesouraria
provincial foi autorisada a pagar ao tenente An-
tonio Feruaudes Dallro e ao negociante Francisco
Pereira Camello as quantias.de q le tratan) os seus
offlcios, ns. 931 o 931 de 17 e 20 deste mez.
Ao mesmo, -O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda transmittir a V. S. o titulo iucluso do
delegado nomeada para o termo de Floresta, de
conformidade com a proposta de V. S. em offleio
de 28 do corrente.
Ao comman lante superior do Olinda e Igua-
rass.-O Exm. Sr. presidente di provincia manda
aecusar o recebimenlo do ollLio de V. S., de
19 do corrente, ecommunicar-lhc que a thesoura-
ria de fazenda tem ordem para fornecer o papel,
peanas e tinta, que solicita V. S. no seu citado offl-
eio.
Ao mesmo. -S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, manda declarar a V. S. que a 18 do mez
prximo passado expedio ordem thesouraria
provincial no sentido de seren pagos 03 vencimen-
tos dos destacamentos, de que trata o seu offleio
de 12 do dito mez.
offleio do 5 do mez prximo passado.
Ao commandante superior* de Limoeiro.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que a 17 do corrente expedio or-
ordem thesouraria provincial no sentido de se-
ren pagos a Jos Jara Ferreira, da Cunha os
vencimenlosdas pracas da guarda nacional, de quo
trata o seu offleio de 8 deste mez.
Ao commandante superior interino do mu-
nicipio do Cabo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S. que a thesou-
raria provincial tem ordem para pagar a Fran-
cisco da Costa Maia os vencimentos do destaca-
mento da guarda nacional, de que trata o sen
offleio de 14 do mez prximo passado sob u. 45.
Ao commandante superior do S. Antao.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda de-
clarar a V. S. que a thesouraria provincial foi a
19 do mez prximo passado autorisada a pagar
ao Dr. Jos Joaquim de Almeida Nobre os ven-
cimentos das pracas da guarda nacional, de que
trata o seu offleio de 3 do mesmo mez.
Ao commandante superior de Serinhem.
S. Exc. o Sr. presidente da provincia manda
declarar a V. S. que a 14 di mez prximo pas-
saJo expedio ordein thesouraria provincial no
sentido de serem pagos os vencimentos do desta-
camento da guarda nacional, de que trata o seu
offleio de 8 do dito mez.
Ao mesmo.O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. quo a 15 do mez
prximo passado expedio ordem thesouraria
provincial no sentido de seren pagos os venci-
mentos to destacamento da guarda nacional, de
que trata o seu offl;io de 2 do mesmo mez.
Ao commandante superior de Flores e
Villa Bella. -O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. que a thesouraria de fa-, .
senda tem ordem para pagar os vencimentos do rimada nstruccao putaea.
destacamento da guarda nacional, de quo trata o
seu offleio do 1 deste mez.
Ao juiz de direito da comarca de S. Anlo,
Caetano E-te!lita Cavalcante Pessoa. O Exm..
Sr presiiente da provincia manda acensar o re
cebimenlo do offleio de V. S., de 27 do corrente,'
participando ter" sido installada e encerrada no,
dia 26 daquelle mea a 2' ".sessao do tribunal do
O porteiro,
SU)iHO A. Rodrigue**.

gnezia da Varzea, e tendo em vista a informacao do por teB fa despronunciado em recurso interposto
Or. director peral interino da nslrucco publica, de p^^ 0 ij-ibunal da relacao.
23 do crreme sob n. 154, resoWe conceder-ihe 2 Ao tenente-coronel Thomaz Alves Maciel.
mezes de lcen.a com ordenado para tratar do sua ptt esta secretara se commnnca ao Sr tenente
sauJo- coronel Thomaz Alves Maciel que tiesta data re-
O presidente da provincia, attendendo ao quo uetieu-se para a thesouraria de faienda a carta
propoz o Dr. director geral interino da instraccao pau.nte que nomeia S. S. liara coronel eomman-
pubhca era offleio de ti do corrente sob n. 154, jante superior dos municipios de Barreiros e
Agua Preta.
Ao capilao Austreqnilinio de Castro Sa Bar-
reto. Por esta secretaria se commnnca ao Sr.
capit.10 Austrequilinio de Castre S Brrelo quo
nesta dala remetleuse para a tiosouraria de
fazenda a carta patente quo nomeia S. S. para
tenente coronel commandante do batalhao de in-
famaran 46 da guarda nacional desta provincia.
Ao commandante do corpo de polica.O
Ex 111. Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. S. que nesla data exped ordem thesou-
raria provincial no sentido de Ser paga a Mel-
quades cv Paulino a quantia, de que trata o seu
offleio de 27 deste mez, sob n. 293.
Ao mesmo. O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda cora nuncar a V. S. que expedio
a conveniente ordem thesouraria provincial no
sentido de ser paga a Joo Rodrigues de Moura a .
quantia de 5:422*i00, proveniente da 1* prestado
de seu contracto, conforme solicitou em seu offl-
eio de 27 de marco ultimo sob n. 179.
Ao mesmo.-O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. S. que a 21 deste
mez aulorisou a thesouraria provincial no sentido
de serem feitos os tonos, de que trata o seu offl-
eio de 17 do correle sob 11. 289.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da
provincia manda communicar a V. S- que a 15
do mez prximo passado aulorisou a thesouraria
provincial a entregar ao tenente quarlel mestre
desse carpo, Antonio Jos de Souza e Silva, a quan-
tia de que trata o seu oflicio de 12 do mesmo
mez sob 11. 207.
Ao mesmo.-O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda aecusar o recebimenlo do oflicio
de V. S. de 8 da mez prximo passado, e commu-
nicar-llie que a 14 do dito mez expedio as con-
venientes 01 dens para que a thesouraria provin-
cial maude fornecer-lha os dous lvros quo soli-
cita no citado oflicio.
Ao mesmo.O Exm- Sr, presidente da pro-
0 recebimenta do offleio
tas em tal sentido.
i Ao subdelegado do 1> districto de Agua
Preta.-De ordein de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, sat'isfae, 1 a requiskjo de V., S. con-
lida cm offleio de 9 de abril ultimo, que respondo,
apresentando o modello a estalistica que Ihe
cumpre ministrar, nos termos do decreto n. 3.572
de 30 de dezembro de 1865. Devo ponderar-lhe
quo osse modelo convem ser guardado no ar-
chivo dessa subdelegada para servir de base
1 estalistica dos annos seguinles, alim de livrar de
. repetidas requiscoes. o mesmo senti lo ao dele-
gado de Caruar, em resposta ao seu offleio do
1* de abril.
4.' seepio.
Offlcios :
Ao director geral interino da iustruccao pu-
. bca. Sua Exc. o Sr. presidente da provincia
' manda communicar a V. S. para seu conheci-
mento e fin convenientes que, em vista de sna
proposta em offleio de 23 do corrente sob n. 154,
. resolveu, nomear Carolina Militana de Carvalho
: para reger interinammte a cadeira de primeiras
letras da freguezia da Varzea, mediante a grati-
ficaco que deixa de perceber a respectiva
pro-
Ao commandante superior dos municipios de pretaria", que vai entrar no gosb de urna
Agua Preta e Barreiros.O Exin. Sr. presidente |cenc.a.
da provincia manda communicar a V. S. que a j Ao Dr. inspector da sade do porto. O
thesouraria provincial tem ordem para pagar a'Exm. Sr presidente da provincia acaba de auto-
Manoel Joaquim Pereira os |vencimentos do des- i rsar a thesouraria de fazenda a mandar pagar
tacamento da guarda nacional, de que trata o seu a0s empregados que estiverem encarregados da
desnfeceo dos navios as gratificacoes relativas
aos mezes de marco e abril ltimos.
OESPACHOS DA PRESIDENCIA DE 12 DE AGOSTO DK
1873.
Antonio Lopes Neto.-Informe o Sr. inspector
da thesouraria de fazenda, ouvindo o Dr. procu-
rador fiscal.
Abaixo assignados, moradores na povoaco da
Tejucupapo.Informe o Sr. Dr. director geral in-
terino da instruccao publica
Antonio Jos Cordeiro SimSes. Como re-
quer. x
Augusta Candida de Figuerdo. Ao director
geral interino da instruecc publica para attender
a supplicante na forma requerida.
Bernardiho Jos Rodrigujs. Informe a illus-
trissima cmara municipal da capital.
Bacharel Christovo Xavier Lopes.-Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Tenente coronel Decio de Aquino Fonceca.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Feliciano Raptsla de Oliveira.-Informe e Sr.
Dr. chefe de polica.
Joo de Carvalho Soares Brando. Deferido
com offleio desla data a thesouraria provin-
vincial.
Joaquim Elias de Carvalho Moura. Infirme
com urgencia o Sr. inspector da theseuraria de
fazenda.
Dr. Luiz Jos Correia de SaDeferido com ofi-
cio desta data thesouraria provincial.
Manoel Ribeiro da Silva. Deferido com officio
desla dala ao proveder da Sania Casa de Miseri-
cordia.
Padre Miguel Vieira de Barros Marreca.-Defe-
rido com offleio desla data ao director geral inte-
Pedro Cavalcante d'Albuquerque. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Sebastio Mendos Bandeira Guimaries.Defe-
rido com offleio desta data thesouraria provin-
cial.
Thomaz d'Aquino Rosa Informe o Sr. briga,-
deiro commandante das armas
Secretaria da presidencia de Pernambuco, t3 da
jury do termo da"scad, 'depois d jaJgamento ^K050 de 1873.
de um processo.
Ao bacharel Manoel Caldas Brrelo. Por
esta secretaria se communica ao Sr. bacharel
Manoel Caldas Brrelo que nesla dala remelln-
se para a thesouraria de fazenda a portara do i." seccao. Secretaria da polica de Pernambuco,.,
Repart?** ta palila.
governo imperial, prorogando por mais dous me-
zes a licenca que a S. S. foi concedida a 27 de
Janeiro ultimo
Ao juiz de direilo de Itamb. -0 Exm. Sr.
presidente da provincia- manda aecusar. o recebi-
menlo des offlcios de V. S., de 14 de abril ulti-
mo e 13 do corrate, communicando no 1* ter
sido pronunciado no art. 110 do cdigo crimi-
13 de agosto de 1873.
N. 1424Ulna, eExm Sr.Participo a V. Exe.
que, das communieacfle recebidas hoje, coasta
que faram hontem reeolhidos casa de detencao
os individuos seguintes :
A' ordem do Dr. juis de direito do commercio,
Jos Manoel da Silva, como cmplice aa faUencia
de Jos Narciso da Sdva & C, e Francisco Per-
'
nal o juiz municipal desse termo, e no 2' ter o dito \ reir Mendos, como pronunciado no artigo 263 do
o commercial.
A*" ordem do subdelegado do Recife, Auua Joa-
juiz municipal, bacharel Meuelo dos Santos da cdigo commercial.
Fonce:a Lins, reassumldo o exercicio do seu cargo,



mt *! 01>t 1 1 /JllilBhi/JljnPernambuco
Antonio. Srolina-Gaad-
quina do Sacramento, por uffensas n*rib# .
tilien.
.4f ordcm do dejj
da da Pledade, poftaiHios.
A' ojdem do do(|*|p|0cto de S. Jos Raymun-1
4o l'ereira da Sft*jLfi.|U8pcilas de sor seravo
e .irdar futido. '""**
Por nfflcio da 8 do corrente, con}mumcou-me o
delegado de Santo A
noite do da o, estao
na rasa de sua am
quella ridado, roce
um buraco extisien-
do que reMiltou
respectivo subde!
vtstoria e i'
tra Florencio
visto suspear
por ler Jo
guoira Pinto de Soma, jais de direila interino da, e em algumas oiHras do imperio, onde o*s bispos
Codiiido o acto rci jielfHda;.
, mo por qMtro alumnos da esdbla pnblica|
destJ ddide, eollocaoa. n<> local coianelcam con*
ns formalidad do estyio, perame esse gran.*
concitan, da peswa* gradas, orando sobr<' ai-
sumj* "os Srs. Augusto "Rutina de Almeid, me*.
Ino daesmiiissan upracit.ula, Jovinhmo a Cofl lab-*)ria
M"nWtMblu'ofessor publico esta cidade, e o so- tliotic.i n
lidiador Manoel Francisco l'ereira, promotor pu-
a mulher (Ti sohredlla amasia ).-
Finalmente, a ordom e iranquillidade publicas
nao aoffreram alterado.
O qu ludo otnmunies a V. Exc,, como rao
l)eus guardo a V.Sxe.-Hlm. e Exm. Sr. com-
mendador Br. Henri \m. Pereira de I.iicena, dtg-
nissino presidente desta provincia-O chete de
pnlioia, Antvxio Frantmo Corre'* de Araujt.
lli blic
ItrWTSTA DIARIA.
I*mffcs*;or publicoPor portara da pro
stencia da provincia, de 12 do correlo, foj no
meado Pedro vo de Hollanda ("liaron paca reger
interinamente a cadeira do pnmeras ledras da
vifla Jo Agua-IVeta.
diaritii ii:ieou:>l Per portara da pre-
s(''ii -i i di provincia, de 12 do corrento : f<
transferido, k pedido, para a nserva, (cando
segregado ao i batalbio desso servico, Antonio
io- Corarfro Simos espitan da 4' compaiihia du
! batilhi de infantaria do iminiripio do Reci-
to: fi.iui nomwitos par a o 2* bataihSo. do infanta-
i i. d i municipio do Redro capillo da 2" coirtpa-
nhia o' lenle ta molino Hemiquo de Pigeirellfl,
tenet da o" dita alfares Joaqtttm Niool.i Ker-
rera, alferes da 8'o guarda Deeio Augostb Rodri
'iiosila Silva.
Jury. Hontem havend numoro legal do Srs.
jurados, fui iberia a sessao sob a presidencia do
Bx.h. Sr. jli'Scmliar.sador Fcartoi-co ^niiiingnes,
entraran em Jnlgauclo os ik?o> Mauool Gomes
da iha Aon i iai, Antonio Jos d>< Anjns o Joo
CbunUno de.Vteodip, irundaotes e mandatarios da
uierte do ufeli* Manoel Jos do Sacramento, as
satttiado eiri i e aliril do orrento auno, na
travessa cu fouteirp da fcgnerla de, S. InsA;
rm Seus advogsdos o Dr, Anrigin Jastiniauo da
fiilva ttulmaraaK, DoruiugosMaria 6nca{ves e ba-
rl:ar, I Vianna.
Km vista da rospo^a do jnry foram condi'mna-
j'os : o I o 2" a oal& peruCToas, ^rao medih do
ail. ITtfdo o id rriminal, e o .1' a SO anno> do
;::.!i''-, scio medio do irt. I!)2 conibiosdo oonvo '.Vi
do itsuio codito; eneeirao-fe a sessSos!) !i
hnras da noite, e lendo esfadd otribnn.il Rlteral-
. lente ccio de poto e mais peSso^ gradas, desde
o cftneco da e>so ai o anasar-yi! esta.
r<*'Icjrrap1iu Riatunarlao costelr.
Refebt'inns hjntctn as 7 b.iras da note noticia do
T o vapor lloop Ido o numero de ?87
miilus do .- ibo submarino lanzado ao mar, sem e
i' or meiderrtc.
Ajii truid.i uilis mn donativo paran cinstriiecao do
novo edifici i para o ds\la de i : k!s :
H'ii. Rsni Sr. Ao.iia;'.:::' i:-1 > .> generoso
seoQinenl i de pivl i qae determmoo a S. Ese1.
a racorrer earid le pdica para i fundaoo ilc
um hospicio de albn.idos na rMade do liocife,
i un i i liberdade de olTerceer a ditnimtn niantia
do <: o mil rl, ipi |ftu *era 6treirnd |
Rosarlo, proXftYio o lugar
nosanu, proxwo ao lugar escomido de noaoae qup devcio ser empreg
do-commandador .'oso Lu4* do Cal Jas Lins.yf*iw tWwUJpaoa *nJ t&T
atJ4|bjM|M9tfftl1tott djllSirSRO|r>i#l^Vos encrgleos o cnerctivos, ^u estao
n.-colhido de doaae uuo "deverio ser eiiiorecai>*.c*so falhei
le Cal Jas Lins.fnlra
a el>^'i^l
dita pedra, olliciando o Rvm. Jos Vintele 4JU.^|wi.finjK|^Menm um pl.
Gonvea Accloli, coadjutor prb-proeho csla fr*e ciarlo a iioihapftJ?3r com a Santa S'aoi
gunw;jetidovaraaympnt o Df. Jnstuliolte- m n'tliuos-IlcoiRtiiWios dados sesta provincia
-------------------------- ,
eir J4 de Agosto de 1873. MI WKI! IU iUJ
to ponen S3 engasgam os..^
vidos sapadores do bardo asrjfna-
Bitos decantado. OCu*sl
feitos
"inteiros levaram
artigo em que nol
; e ellos que taut
corpolentos toiros, ras
horneas
t derrota
em eii-
s entranhasi
lojrter
Tmrai
Tino da comarca.
rante o acto, que lernimou as Geras a*a
larde, una banda de sitica fez ouvu' o< seus
variados acoordos. '". no complemento, dosta no
lela, publicamos em s,?nid' cO|>ia da acJJk que se
prodigio : | _____
* Acia df assentanento da pedra angular do
edificio destinado escola publica do sexo mascu-
lino nesia cidade :
Anuo do naseimento de Nosso Senhor Jesas
Gbxisto de 1873, quinquagosimo segundo da inde-
pendencia e do imperio do llrasil, aos 20 dias do
mez de jnllio da monsrehia do Sr. Dom Pedre II;
sondo presidente do conselho de ininistnis o Exin.
visoonde do Rio-Branco e ministros do imperio u
r. Joao Alfreto Correa de Oliveira Andry.de, da
fatenda o referido presidente do conselho, da jus-
lir;-a Manoel Antonio Duarte de Azevedo, da guer-
ra o conselh.eiro Joo Jo< de Oliveira Juhqueira,
da inarinha Joaquim lleliino Hibeiro da I.uz, de
encangrina visconde de Oiravellas, commercio e
obras puWicas Jos Fernandos da Costa Pereira
Jnior, sondo presidente dosta provincia o Ur.
Ilenri pie Pereira de Lucelia : pelas 4 horas da
tarde do referido da, nesla cidade do Rio Formoso,
tormo cabeoa de comarca do mesmo nomo, da
niovinmade Pernamb co, do terceiro distiicto elci-
tnal do qual sao represenlaiUes aassemblea goral
legislativa o Exm. barao de Arac*gy, presidente
da cmara municipal. O Dr. Joaqaim Pires ja-
chado Prtela director geral da instrnecao publica
la provincia e o Dr. Jos Bento da Cunlia Kijiuoi-
redii, i rui da Ladeira do lado da sol ooufroote i
groja de Xossa Sen'.ora do Rozario, no terreno da
doacao feita pelo commendador Jos Lu'iX de k1-
daa Lins, conlendo a rea de vi te e seis (.piaren-
ta sobro vinte o d.us) metros para nelie .-e edifi-
civ a oasa (.'-tinada escolapuilica deLustnieooo
primaria de sexo masculino e qinj val ser edifica-
da rusta da coinnnssao composta dos membros
segumies : commendador Jos Luiz de Calda;
Lins, teiionle-coronel Tliomaz Lins Caldas, majuf
Tliouiaj Lins do Manos Waii leriey, inaior Joao
Manoel do Barros Aeeidli, eapiAo Jos de Castro
Pana Brrelo, espito Manuel Vicente do Hollanda
Cavalcanto, capitao Francisco Luiz Wanderley, l-
ente Manoel Baroardo daoVirgen*, teopnte Pedro
Alejandrino da Costa Lins, teaeiite Anlseio da Ro-
cha Wa'iderlevf Selrasti.io Antonio Aceioli Lins
Wanderley, e Augusto Rufino de Almeda, lave
lugar a bem-ao da pedra angular do mesmo
eduicio na isroja di Nossa Seaiiora do Rozario.
olliciando ueste acto o Rvm. padre Jos Viont"
de Goitvcia ccioli, pro-jiresMnte desti rregtiezia,
i lo paranymplio-o Dr. Jos Julio Regneirt
Pinto de Sou/a, juiz de direit nterin ida co nacca
e o Dr. Manoel Xavier P.iea Barrete; dopois do
que foi a dita pedracoadmida por noairo alum-
nos da escola publica ao lugar do edificio, onde foi
i lia a-st nuda no local em que deve licar a porta
prin lipal do mesmo edificio.
o que tullo tove logar cun pfoseoea dos mesa
li*i !'. mesma eo nmissao, d > Dr. Jaso luliSo Bd-
gneira Pinto de Souza, juiz municipal do termo,
substituto da vara do direito em pleno
lie-a S
verdind '
tra- 'i&wUra
tadotde ^H ,
oraii os proiad
a tazendo-osgirar hTorbit de se
do accy.rdo com o guvonio dj pau, que
por um mosquito que e Iho ingerio por acaso no
nz das
m o se
a do pri
ofllcial ri
Iha, realisoil
mpunhado-n duriadma Irans-
olitica M%iifc!.', e, dr>fechand > o
sobro a-fitina Gaftfre qii" a
a beijar a ttoo de grande saulior
dcsagrad
e afQk^
riis alaz
jo com o guverno do |>au, que igual- Mas infelizmenje o Sr. de .Viiur
ment iiMcnssalo em que saia os orasdeiros em lo-para o papel do Orlos taino que represoota,
geral e os pernawbwano em particular da estado s sots de* partas qne se aetam na norte de
anmalo em que se acham.
Todava, se assim nao suceedr (qnnt"tt&
nrertut), cntao o governo Orasjlro, liet a suavfa-
lavra, bem como ao cntttprirrfPnto de sens mais*
sagrados dovero, tratar de .acalmar a siluafo
as.sustadora ora quo estamos, fazendo pelo rigor
da le que temos, com quc.ws prelados brasiloiros,
que bao exorbitado, volteui esphera de suas le-
gitimas attribuicdes.
Assim serq.
O patritico gabinelo 7 de marco saliera, em
prol deste povo enjas melhoras lem pro realisar, fazer prevalecer a le e com ella fa/.er
voltar a paz, em que lodos viviam sombra de
suas creucas.
O povo, quo com razao se aeh.i soffrego por urna
solu^ao grande queslii religiosa, que o pesa
dlo de todos os bomens, estremecidos polo
futuro da palria, tenlia um pouco mal) de pa-
ciencia, pois que deulru em pouco ver que o eo-
verno imperial com o eriterij e madureza.quo o
earaoterisara, tera dado una solnco a todo o
cn:iqj|icado problema da questo religiosa da ma-
neira a mais convenanlo e apta aos interesses da
nacJb. i\om oatra cousa de e, N'unca demasiada a prudencia, com que se
tratara certos negocios, cuja importancia suinma.
todos roconhecem. E' precise ao atropejlar nem
precipitar os acoubcimenlos, porque atraz de uina
vantagotr-, que das i podo pravir, vea mudos in-
convenientes, que ao lopois sao sera remedio.
Todava isCo ni i quer diasr quo prolongue o
governo iiideliiiiv.i.-ne.iite a soJmao d.i queslao.
nem sao estas as suas vistas. Pelo contrario,
ie i :iii
neo
Victa'ino, n<*ando em mfnha lembranea ron-
' :i i' : irvt.i. co:n igual quan para o m
iri i (ni. n o irrer da eolheila da sara
i1'.'' 'i e n i a V. Exc desculpa da peqmmV
I- rtiiuTn nfferta. 9ou com mais subida i-tima e
di-tiiic: i cotHi.leraeao do V. Ese., niuiti re-pei-
" m -i i i cnfl. /'. oe.-'v i. vyIs i o .''. .
iho lroen', lj dn agosto de W73.ii
'abiimje da ir.'Sldem'ia do Pernambueo, en
i- ib; fgosti de IsT.I.iilm. Sr. eaMao i-Yan-
' rl-ir l''.!''i Aeottso roeobfda a caria
I" i'do c ireute, am qne V. S. rene*tea
no a | ': n mil rc.i< cm destino eon*
' i de alffinados, prometmndo con-
' "i ah n e.nl V; mi i :; i fular salea
Em resposta leabo a d/.or-lbe
' ido noWantc dmativ), r->
"'ova : .- timantes depatriotienoeeari*
retola. De V. S, am^n tftoneioso
tenerii re ,. i.. Ihin'iqm \>rti>\nl Ln'ni
fc.-..-;- di !\.-iia'it '5(h*;. So ch.'garem
l'V iioeri .uio \ktrmnck, o ingleaes
Puno o I.hz o. di>imiremos amaah nosso
iiuo'i i le ido.
< i!icl<' ^(u'Iu^io.-. de l.vinra
anaoli o iba do annvorsario di installa-
rJn <\:---,: :;:i manta estabeleoimeuto nesla ci-
clad .
Exposi^&o. lid* dorante o dia o noute es-
torein exp ica<] \.<< s deis a imagera de
Jo* i ahora da i;a M ele, as Igrejas d>s con-
ventee J C rmo lo Recife e O'inda.
^ Ifosiivitladeal r>^'ics:is. -Amaif a ce-
lefaram-sc as fosvdados religiosas da Assumpcio
do \ ssa s mli ra, aa Se de (Miada, com noobfl-
'al par S. Exe. Htm. e Sr. hispo dioecaano; de
JoM ra M.ii do Poto, na reja da Ponha .
a
exerciei >, maj >r Tliomaz Los de llanos Wander-
ley, primeiro sub-titulo do juiz municipal em pie
no exereicio do pro-presideoje da cmara mura
cipa! o vereador os de Gquveia Accio, do de-
legado Iliterario Leoncio Ribelro Campo, de Vis-
eoii-elljs, do piMinntir p.iblici interino Man rl
Francisco Peroira, do d legado do polica, pri-
meiro suopliute etn exereicio lente Antonio da
Rocha Wanderley, do subd'degado do 1 districio
Manoel Alfm.-o qnina d'AUwqnerque, do profos
sjr publico da cidade Joviniano da Costa Mimtelro,
o grande na aero de pesta gradas do tormo, sen-
do presidente da eommissao o tenento-coronej
l'iio ii.u Lins Caldas, tiiesoareiro majdr Tiiomaz
Lins de Barros Wauderlsy e secretario o abaixo
aseigaado. Depois do que se lavrou esta acta, que
vaj ser axsigoada pnr todos os etneamstantes, e
Jclla exlranida ditas copias, sendo este original
a unpaobado do Dinvio i* Pernam'iuc) do 8 do
c irreal i, sob o n. ll o de cinco moeda*, sondo
- de niker do valor de duzentos res urna e nu-
tra de com ris da emissSo de IH'i. duas de cobro
do aovo padrao da cmiss.io de l8W,sendo urna de
vinto e outra de dez ris e nina de dez ris do an-
ligo p.i Irio, posto em tubo de vi.ln o osto dentro
de narro de tinco, o dloeado dap :> em ama a er-
rara felta no topo da podra de forma triangular,
_ liten lo em cada face de seus ngulos w> i\>'.
jullio de IS7:I e urna das copias cxlraliidas remet
tida ao Exm. presidente, da provincia e outra ti
ca em poder da eommissao.
le Nossa Senhara da Gloria na respectiva groja
da Boa-Vista, mo missa solemne, T Deiim o tas-
peras solemnes hoje. No EvangoUio ora o Rvm.
conego Manoel Joo (lomes, e no Te-Deum a Rvd.
fre Joaquim do Espirito Sanio; e linaliuocto a de
Nosaa Senh ira do Paraizo, na igreja da Santa Ca-
sa di Misericordia. Ora ao E/angellu o Rvm. frei
Joaquim do Espirito Santo.
No dia lo' do correte, as recolbidas lo con-
vento de Nosaa Senhora da lloria.fosieiaro a sia
excelsa Padroeira em commein iiicao do myslerio
da Assuinpc.io. de Mara Saatsfinu. Orar ao
vangelbo o Rvm. pregador da eapetla imperial o
eeaego Lino do Monta Canuello, e ao Te-intm o
Rvm. pregadir da c.ipella impi-rial padre-mestre
frei Joaquim do Espirito Santo.
Hivnr no dia antecedente vespera, tocando ao
meio da, a noute e inissa da madrugada a ban-
da de msica do 9' batalliao, e tario do dia da
esta a dos menores do arsenal de guerra.
Bonds da Magdalena. Urge que a li-
uha de bonds da Magdalena as tardes do* domin-
gos o di as de guarda laca o servieo eiu duplcala,
com doiis earros por vez, atini de ivitar-se conti-
nuados coafiietos que all se do provenientes da
falta de carros suficientes grande alUuen.ia de
povo que corre a transitar naqueli.i iinoa ; prin-
cipalmente das i hora* da tarde de laea dias om
otante.
EsU no inlerosse do publico e da respectiva
cumpanhia o qne lombramos.
StM-ieii:td- Patritica Uoxe de Se
teiubro. No Jia l do corrente, baver seasEe
ordinaria desta sociedado no lagar e hora do cos-
tume.
ov Parthenon.Hoje (16 do eoriente),
reune-se osla soeieda lo om sessivi ordinaria. Or-
dem do dia ameemae das setnintoi theses Fh
justamente Lniz XVI ao cadafalso f O clero itere
ser mmlariado pelo /arfo t Qual o /andamento
4a proprkdadtj A discussao da primeira loi
adiada na sessao antecedente. A defexa da segun-
da compete a Sr. Medero* Correa e a da ultima
ao Sr Gurjao Sohrinbe
l'islitutu HUtorieo e Philosophic.
Domingo (l(ty reunio-se esta soeiedade em ses-
alo ordinaria, presidida polo Sr. Bandelra de
Jlello.
Fol li la e apprevada a acta da sessao anterior.
j- A'* seefetri0 declarau nao haver expe-
diente. Depou do que, a requerimento do Sr. Mo-
rei-a a a' enwda a sessao, em commemo
racao do dia 11 da agosto, anuiversario da creaco
df wrsos Jurdicos no imperio, marcando oSr.
pfcteideBte a mesma codera do da para a sessao
atlo Foruaoso.- Ksereveoi-Bos dessa ci-
dade :
No dia JO do corrente, pelas i horas da tar-
de, leve lugar Basta cidade o assentanjento da pe-
dra angular ojo allfidrf destinado eeeofa para
ortexe masculino, que tcm de ser construido a
expensas da corara/salo compoata dos Srs. com
roendador os Lniz d<; falds Lins, tcnente-co
ronei Thoaiaz Lins Calda, major Tnoma? Lins
doimWaodeffey, major Joao Manoel de Bar-
*!.'/101' caPt5p W*floe| Vieente de Hollanda
^feme, oapnSo h* de Castro Paes Brrelo,
JUnmidrfiMi* Ooa Lins, tonente Manoel Ber-
naf* das Yrrpsna, jenente Antonio d* **
Wanderley, Scbasljao Antonio Aceo Lins Van-
derlef o Augusto Rafino de Almida.
3 cu, Angosto Rufino de\\hn.'ida, secretario, a
escrovi e aasignei. Padre mi Vicente de Gou-
ceiu Aceioli, pro parocho ; Jote Jnliao Regueira
Pinto de Souza, Jos de Gourcia Aceioli, liornas
Lu* Calda, Tiwm-.z Lins de Barros tt'an-
derley, Antonio du R cha Wanderley, Leoncio Ri-
betro Campos de Vasconceltos, Manoel Franc seo
Pereira, t noel A/faiso Aquino Albuquerque, Mu-
noel Bernardo das Virgen, Manoel Vicente de
Hllanda Cavalcmle, Pedo Alejandrino da Cos-
ta Lins, Francisco Luiz Wanderley, Au-
gusto Bu fino de Almeiio, Josa de Castro
P e* Barrtt >, Juriniano |fa Costil Monteiro,
Antonio di Santos Vital, Padre Pedro Jase Hunos,
Manoel Pereira da Costa, Pedro Joaquim Viamu
Luir, Justino Rodrigues da Sitmra, Manoel Eloy
Mendes, Jeronymn Gerdldo de Carvlho, Custodio
Rodi Francisco de Honra Cuaba, Manoel Caetano de
Atmeida Andradt, ItanottAntonio 9oares. Joaquim
Francisco Dimz Jnior, T/iow! Lniz de Oliveira.
Othon de llares Wanderley. a
L<>teria. A quo se ai-lia venda a 62.', a
beneficio da irmandade do Senlkor dos Pasaos do
Corno Sanio, a qual corre hoje.
Casa de deteneao. Movimento do dia
12 de agesto de 1873:
l-Txistiam presos 3'i, entraram 6, aahiram 7.
ixistem 3i3.
A saber :
Naeionaes 2, mulheres 8, estrangeiros 43
eseravos 42, escravas 6.Total 343.
Alimentados acusta dos cofres pblicos 287.
Movimento da enfermara do dia 12 do agosto
de 1873:
Tiveram alta :
Manoel Clemente do Nascimento.
Antonio Jos Garrea.
Cemiterio publico.-Obituario do dia 12
de agosto :
Manoel de Souza Martins, branco, Pernambueo,
18 annos, solleiro, Santo Antonio; tvsica pulmo-
nar.
Joaquim, escravo, preto frica, 60 annos, sollei-
ro. Santo Antonio ; diarrha.
Felicidade, parda, Pernambueo, Boa-Vista; ao
nascer.
Emiliano Gomes da Silva, militar, Boa-Vista; tu-
brculos pulmonares.
Dorotho Benicio da Conceieao, militar, Boa-
Vista; typhoide.
Francisca, branca, Pernambueo, 1 anno, Boa-
Vista ; bexigas.
Maria Salom, escrava, parda, 41 annos, solteira,
(iraca febre intermittente.
Maria das Dores, preta, frica, 72 anuos, soltei-
interesso do gocoino assim como o interesse do
povo que qu mo antes vr.itein as colisas a seu
ugar, desapprecendo, semdeixar vestigios, o con-
Bictu suscitado entro o poder lemporal c o espi
ritual em nossu paia. Apenas signuicao que lita
ditoque o puvo ira .-ua justa aucielade nao deve
levar a mal o pequeo rotardajpcnlo, que hade
proceder ao desenlace ou solucao da magna ques-
to que (ocupa a aitciicao de lodos.
Esperamos que se d ratip.
Ao depois, d que serveria dar as carreiras
questo religiosa una precipii ta solucao, que nos
viesse para o futuro depois trazer serios desgostos
e ambaraqos a par do dissabor do nao se poder
tornar atraz e do rornorso de nao so ter esgotado
a pradeneu i!
K-n tez do por nrq semellianto meio melhorar-
m is, leriam is pciorado de coiidicjfio, aggravando
um mal, que qiloriaino ver extirjiado. .
R quao do'oir;-d nao seria vermo-nos diante de
lima reahdode oas triste do que a triste reali-
dad'! d'agora p r u.na precipirae,v>, quo se pode-
ra ler evjhdo!
E' baelhor que tenhamos por um momento mais
a heroisa paciencia, com que at li Jo temos sup-
portado os duros eradlos da usnrpajao do pode
espiritual nestas livies tenas da America, onde se
quer p!; nlar a ir.;..:;rac:a, mas onde essa sement
nao germiiiir.i inoa.
A a'.titude que acoiiselliamos, O tanto mais digna
de ser aceita, quano na importa ella a extinc-
i;o da responsal ililale, que ateo dia de boje
lea preljdo lo ljuda e outros do imperio aecu-
mnlado sobro so& cabecas.
Assim o deelarou o goteraa imperial e assim o
prova o pMcediu: uto de is pas pro-
vincias, bem coiuu o do Exm. Sr. Dr. Lucelia,
sempre digno do encomios, que por atis de urna
vez lem Bkiado ao promotor pnbCco desla ca-
pital mandan.lo proceder contra os desobedientes
ao aviso de J de junlio sem alte..> ao seu carc-
ter e posicio social.
Sin eoueas estas, qnetem chegado ao con ect-
me i! i de lo'ios. Nopo3em solfrer contcstaco.
U a.pii paramos.
ra, Boa-Vista, Hospital Pedro lf; hronehite chro-
nica.
los Ribero Guimaraes, branco, Portagt
anaos, soheiro, Boa-Vista; apopiexia.
Conrado Baptisia. pardo, Pernambueo, 30 an
nos, solleiro, Boa-Vista, Hospital Pedro II; hepa-
lile aguda.
Manoel dos Santos Soares, pardo, Pernambueo
18 anno*, soMeiro, Grana; tysica pulmonar.
PARTE POLTICA
l'ARTIDO (\>KMVAIMt1
Ejiv; .iiu'o i-.-|ii'itsj.
O ebronisia da firnciutie de o do coireiile pro
curando tirar proteilo do que disemos sobre a po-
bIj i do Exm. Sr. Dr Lacena na questaoreligioa,
cjiiiieu uu amo acidado, mais una ca-
lumnia.
Qoaudo o inhsai.ios as nexaclidoos que o pe-
ipieuo grupo da roa d) 'Jaeimad> fizer.i publicar
sob o titulo poetad) nnpossicei, nao dinamos uc
se S. Exc. se titease revelado em favor de algum
dos lados, julgaria em causa propria ; mas siiu
que S. Kxc. se bavia niantido em posico impar-
cial, fazendo justica aos contendores, sem todava
oliendo-Jos; o, assim procedendo, dissomos mais;
S. Exe. esta, eui poskaa de ni) pod>T ser censu-
rado quaudo (ver de cumprir a deciso do gover-
no geral, porque uo curso da quesiao guardara
com um tino admiravel o preceilo de direito -/Si
justillo, percal ne pereat mundus.
O que dissemos prova exuberantemente o espi-
rito juslie 'iro e imparcial do honrado o intelligen-
te magistrado que as quadras mais difliceis tem
sempre >abido salvar os nraceitos da justica, sem
alias faltar c&m a equidde.
I-to posto, fcil dizer se que o ebronista da
Provincia de proposito confundi as cousas, e por
lauto inentio impudentemente.
Se o ebronista nao fosso um pelotiqneiro vera
que em nosso arligo nunca confundimos juiz par-
cial eo u o juiz que julga em causa propria; uunca
confundimos posico ueulral com posicao par-
cial.
O que dissenios porem, foi que S. Exo. como
delegado do governo, leva bastante criterio o cor-
responden ao alto conceito em que lido pelos
scus comprovincianos, nao se inutilisando para,
como delegado do governo tornar effectiva qual-
quer medida qoe fosse adoptada de accordo com o
direito e a justica.
Ora, islo or oulros termos quer duer : qne o
honrado e /lustrado Dr Lucena, comj presdeule
nao quiz se adiantar em urna questo para cujo
jnlgamento so lem compeloneia o governo geral ;
contaaion-seamdater justica recebeudo as queixas
das paites, e enviando-as ao poder competente, sem
todava se ievellar por este ou aquello lado, na
qualidade de presidente-
l.-to mui differonto de julgar em causa pro-
pria
E nem era possivol que tal dissesseraos desde
que nao ha cabimento em semelhante questao, de
jnlgamento em cansa propria, e portanto. falsa e
desparalada a coasequeaeia que o mesmo chro-
nista estabcleceu a respeilo do Exm. Sr. visconde
do Bio Branco, cousequencia s encontrada- por
quom sabe manejar a pelotica poltica.
So o Exm Sr. viscoude do Rio Branco, pelo facto
de ser uiacou, julgou em causa' propria, entio es-
tamos mal para pastar, porqne quem ser juiz as
causas cm quo ligurarem nm brasileiro e um es-
trangeiro ?
O jniz brasileiro pelo que asina o grupo da
da ra do Queimado julga em causa propria, visto
figurar aa questo um seu patricio.
Do mesmom odo: nos paizes onde nao ha religio
de estado, e onde todas as regioes sao fiscalisa-
das pelo poder civiL por exemplo : onde ha um
ministro de cultos, qne intervem adranistrativa-
raenle nos questSes qne dizem respeilo a religio;
a prevalecer o que predozio a lgica do tal gru-
pinho da ra do (iuomado, sao haveria quem jul<
gasse aessas qnestes ; por quo para faze-lo era
preeiso procurar um horneen sem religio.
No musdo da ra do Queimado ba de tado.
mentem Ihe a cada passo os intuitos, e o barbeiro,
que o acouselha nao hesita a todo momento em
prtgar-Rie a atesrss pefa que e de Midas pregou
ao re nrelhu lo.
O Sr. Pauleta, porlaulo, foi malavisado quaudo
ceden imposicao|de so citar os documentos in-
dicados, cujo conteudo mais do que ninguem de-
via connecer.
. O seu discurso nao foi, oois, objecto de escn-
dalo, apenas proporcionou maioria ocoasio pa-
ra mais urna ve/, demonstrar que nao com de
clamarnos e Hincabas que se desmoralisa nina si-
tuaco, qoe sempre pautan os seus actos pelos ri-
gorosos principios de justica.
A que vera entretanto as chocarnces do Pedro
II de bonteni, quo, em sua cslerilidaJo, s faz re-
produzir as nossas expressoes
Embrraram com o cent, oidi, tici f Iuventeui
cou^a mellior J
Enibirraraincoin a classicai-.io de Mapoleando
ridiculo 1 Culpem o Sr. de Mireneourt que adi-
vinbou o deputado Pauleta 1
E agora, se querein oscurecer a verdade, occul-
tando o desazo com qne este se liouve propendo
urna questao paca a qual nao tiuba os dados os
mais eomsiuhos, elevemno aos sele cos, porque
osa no seu direito.
^ Digam que sobre a torra desde Demoslbenes ate
Castellar anda n.i> houve quem o excedesse em
elo(|ueucia, excepto o caricato Miguel Xavier.
Comparem-no as flores e phuosophia do dis-
curso a um Cicero; na astucia da palavra e jogo
de inveiicivel togira a um Thiers. Consentimos
at que os Carears esperem dos elTeitos da for-
ma e-plendorosu dos discursos do Sr. Pauleta o
mesmo que se deu com Sheridou, durante o mi-
nisterio de Pilt. esse orador bribaiilc que com sua
palavra ebegou a duteruiinar por mais de urna
vez a protolafijao das votarnos, para que os espi-
ritas livessein lempo de sicudir o jugo o delibe-
rar com calma.
. Tuda podem fazer do seu gramlo ora^ir.
A quem uo tem quem o elogie, dizia Erasmo
no sea El gio da l ucura, parece pelo menos as-
sislir o direito de elogiar-se a si mesmo.
O Sr. lauleta um dos donos do Pedro II. As
columnas do jornal, porlanto, nunca poderiam ser
Ihe ve lada -N'ao adiuitlimos, porm, que cm seu despeito,
em sua raiva, venham estes energmenos todos os
dias c m as^ suas suggestoes de mnlhcres de m
vida, que n-) presando a sua honra nao se pejam
de iuvecvar a alheia, agitaiido calumnias o en-
redos infames que possam ler pelas eonJiyocs de
sua appliearao algum xito.
Todo o desespero desses homens proveni de um
facto.
Nao adnntte.:n que os mocos iiuelligentes, e que
com o concurso de seus esloras podem para o
Tnturo entorpecer marcha de suas dilatadas pro-
tonede-', se habilitem para prestar provincia os
servicos de que sao capazos.
Todo quanto nao fdr o ostreilameno ou exclu-
sivismo da familia Pernan les Vii ira, cajos lira is
devem licar mareados com as asplracQes aiheias,
hade ser fulminado, infamado, empnreathado pela
calumnia sempre prompta em seas labio-, cuja
nniea aptidio e esta.
D'abi quererem intrigar I:ibilido-amonte o Sr.
Prxedes ci.m os clioi'es do partido ( o jogo nao
desconhecido) fazendo perecber que se tornara
echo de desgostos, Qlhos de preten;oes incabidas;
d'ahi todas assuggcstdes infolize- com que se pro-
poeui a marear-sua reputa'.o e qualidales reco-
nuesiilas, fazeudj-o passar pelo rosario completo
das torpezas que s podem caber aos herdeiro
|iresump!i'o desse glorioso bra/.ao do nfiadi
onde com toda a razao cstamparam um Asno pro-
tector.
Rao deixaxemos passar sem reparo a grande
escoborla de que o Sr. Prxedes O o proprio au-
tor dos artigos em que oaseus talentos sao apre-
ciados nesta folha.
Segundo a doutrina dos sapadores do Sr. Aqui-
raz, o nosso amigo devo ser ex luido de toda e
qualquer hourosa apreciadlo pelo orgio do seu
partido !
OSr. Prxedes nao tem amigos quo o possam
admirar o fazer justica. E temi os era obrigado
a protestar e aniuar-se evitando por este modo a
publieaoao de artigos de fundo que eiivolvessem
seu nome !
Acreditamos, porem, na sineeridade dos articu-
listas, porque cedem a um principio corrente :
bom ajuizader aquelle que ajaiza por si.
Nao ha quem ignore que o Podro //. proprio-
dade exclusiva do Sr. barao de Aquiraz, lio e so-
gro do Sr. Pauleta.
Ora como acontece que o Sr. Pauleta recebe e
manda publicar na filia de sua casa os artigos
laudatarios sua pessoa, sem que repule a isto cy-
nismo, acba ranito natural que o Sr. Prxedes fa-
ca o mesmo.
Em todo o caso as ra.oos do Pedro II de hon-
tem nao passam de razes de cabo ile enmadra.
Em falla de recursos com que justiliquem o
fiasco doSr. Pauleta a quem desampararan), sahem-
se atiraudo pedras e repetindo como meninos de
escola as mesmas palavras com que os procuraran!
doestar.
-Tolo.!....
Tolo s t !
O que corto que a opinio publica formou
o seu juizo sobre o criterio da oppcsicao.
Ha mais de 15 dias que o Pedro I promeile
abarrotar-nos com documentos irrespondiveis so-
bre os negocios de Missao Vellia, o que anda no
ultimo numero fez sem o menor escrpulo ; entre-
tanto ate hoje anda nao appareccu nem urna des-
tas promettidas ceblas do Egypto, que por corlo
ho de ler para o publico um sabor especial.
O povo que r se de ludo c com razio, assevera
que o dUtracto orador da maioria, lao brusca-
mente provocado, vngou-se entupindo a bocea-
da opposiijio com um rolho de feno.
De hoje em diante s acompanharelnos as va-
riachos do Pedro II em solfa escura.
(Da Constituiqao)
friMrtJncoti O'-saesno
Iho Morcira, entao me procarador.
Rcjwis 'que-apanharain alai escripinra,- o se
JHtgvam neguros^ Miaran condicao imposto;
emvisjadoque p mcu ex-pro:uiador o Sr. Dr.
lacinlho Moreira relirou a e>collia que liz dosbens
para a minha meirao'e deelarou sem efTeito a tal
escriptura de eessao. Dahi datou a luta feia e
jonhosa que-proajoverasn centra o met dito
procurador,-o>da qual o pobWco desla provin-
est int arado por ter lido dos jornae.
EstabeleciJaVluta pediram por patte de D. Al-
rinda o pagamento da tal leMra o nao da ou-
tra ; os liordeiros de met tinado marido annui-
rlm a quo se pagas se, mais o mea ex-procura-
dar oppoz >.o, e entao o juiz do aventario remet
mi o negocio para o meio ordinario.
Foi proposta- aego conimercial contra mim s,
para pagar metido do falso detito, visto que o
lierdeiros, quo nozeran duvida uo pagaiuoiUo,^ do que nao paga
vm;. ti ve sentenoa contra na primeira instancia,
appelW para o meritteime inhunal do commer-
co ; e i ontem ja havia tido" noticia de que o meu
alvogado, em Pernambueo, o Sr. Dr. Aprigio ui-
mares embargou o respectivo accordo.
Confio que o meritissimo tribunal reconsiderar
a sua decisojiara me fazer justica, o quando nao
faca, o que nao de esperar, ltenlo a certos do-
cumentos que Ihe serio apresentados, lenho anda
o recurso da revista. E quando a ju-tica me fal-
te com a sua decisi >, pretendo oppr-u'ie na exe-
eneao com tanto que hei de disputar palmo a pal-
mo o meu direito para uo pagar o que nao devo.
Fiqucm certos disto.
Ora, dado isso, fazem a Sra. D. Almei inda pres-
tar .sa a proteatac |i r seguranea e ro-alva de di-
reitos, pjniue eo liz unn escriptura de hypotho-
ca em favor do meu credo/ o Sr. commendador
Manoel de Vasooacellos para garantir a esto hon-
rado e digno negociante o meo aramio debito,
que lenho sido toreada a contrabir -j por suppri-
meutos feitos a minha fabrica do engenho de fa-
zer assucar, e j por empresiiiQOs para -acudir as
minhas grandes dospeaas que leuho feto para po-
der haver os bens da meiaeao do mm casal.
J so v quo a Sea. D Almeriuia nao lem/|U
tn re, nada, nada absolutameato lora com oj meas
bens, os quaes estio litros e desembargados, o s
sujeitos hoje ao ouus da hypothe a que volunta-
riamente nz, panqu podia* e devia dar ao meu
credor todas as garantas, tanlo poique quero re-
sumir as minhas iransacgoes fomenta oomesla
casa, quanto porque tenho avila nm crdito abor-
to, e tenlra contado era todos os meas veamos
com a referida casa eomroerc do 5r. commen-
dador viauoel de Vasconeillos.
Porlanto, pode a Sra. L). Ara iriuda fazer quan-
tos protestos quizer, salvo O e::;s ieferi lo, hei de
dupor dos meus bens como cu quizer, sem fajar
caso algum dotMjpoato dUmt.i di Sra. D. Afane
rinda ; o para que nao estojara illodi !i, e nem
suppouham qm nao eatou informal; do meu di-
reui, declaro que a Sra. Almenada obtonJo a
causa >abejamenle julgada a seu fator, tora apenas
contra uiitn um direito; mas nio entra as meus
bens; e que pois os seus protestos e nada, sao
urna e a mesma cousa. Esse protesto loria lugar,
se fosse iniciada a exec.nc >; e eu, rpar.i defrau
dar a exoeucao, flsewe alheaeoos; mas eston an-
da mullo looge disto, e espero em Deus nao sor
necessario Iludir a execucaO, porque a iustioa ha
de Inumphar e como en triumphauo contra
todos os meios ardilosos que so tora eir-pregado,
para que cu nao lonha a meiaca i ios baos do meu
casal, e espero ainJa nao ehefir a isto, porque
antea disto hei de reivindicar os bens lo meu ca-
sal que Agorara .10 inventario e partilha da lina-
la I). Mara Avelina de MenJonja, cm palor de
inoro estiver.
Esperava ojulgamento das pacunas para poder
tratar desto men direito, e por sso provino a to-
llos que n) negociem toes b ; .'. clles nao
sao dbitos forjados.
E o que por ora digo.
EngenhoOriente, lOdejuluo '.-: .
Bar laragu.
^'^JniAitJ'^Miil iarVotanfeMA^ contra fofo
ruado. Vigaifii..fi. 4,dviiaonhMlorroa.
e Aagus.lo
mercio u.
rdens para
los OS lilais
mmerciaes,
O abaixo assignado, p,. dan tina Pranoisoa
Eudocia da Can ira Boleo, i, t,:i-e com sua
lilba para a provincia do Rio-Grande do Norte.
Tendo viudo com a diti su i lha a esta ,-idado
com o nico (ini de cuidar de dar-lhe urna educa-
cao regular, proraoveu um beneficio que leve lu-
gar mi gymnasio dramtico na qninta'-feira 7 do
corrente ; acontece porem que o prodneto do mes-
mo beneficio foi li exiguo, que nial chegaria
para as primeiras iloapeaai a lazor cora a admis-
sao de sua liba em colegio.
Isto poste, relira se para o lugar de sua resi-
dencia deixaado em podar do Sr. Antonio Podro
da Souza Soares, todo o pro tuto do ctalo bene-
ficio para em lempo opportuoo st r aplicado ao lim
a que destinado
O mesmo Sr. Soares Dcaeoarregada le recober
algumas quantias que anda ba a obrar do eilado
beneficie. Aprovsita o abaixo assigaado a oppor-
tunidade para agradecer cordial,nenie a todos os
cavaliieiro.s que generosamente se prestaran
a coadjnva-Io protestando-ibes eterna gratido.
Ilecite, 13 de agosto de 1872.
F.iancisco Lui- Befa,
Augusto V; d;#feinr 4 (L
A mu coinaiijjxial e
F. d'Oliveira &C3., ^ti
2, ncarrega-se 4e eseesji.a
ninbarqup dr? prrjd|icttf
negocios de i orQraissIO^iif*
qttr banoarios. fA
DescDtita lettras, e toma linrwn.s a pr."-
nio, compra camhiaoB, o saca prazo, \ontaiie do tonmdor; ^bre as se-
gu'uites pravas estrangeiras' e rkacionaes :
IiOnlre.Sobre o unin ajk or
london (do responsabilida'le Ilimitada}
varias firmas de 1.a classe.
Prs.Sobre os Srs. MAncftb "AT"
rn 6.*P. OH., e A. BI.ACQLE V1G.NAL A'
C* DANQUEUtdS.
IIuinbui--;o.Sobre os Sr?. joSo sJ^Bi:
BACK & FILII08.
Lislioa.Sobre os Srs. fonsecas, san-
tos ex riAHMA, e SEBASTIAO JOS o'abred.
Porto.Sobre o banco umo do por-
to, eo Sr. JOAQUIM PINTO !)A PONSH*-.
l*aa'.Sobro o bavco commkih:ial ru>
pap., eos Sis. FRANCISCO -I>.% COS-
TA A rti.iios.
Sliii'isjilsiao.iobro o Sr. josir,r.f-
RA DA SILVA JINIOU.
Coaaras*Sobre os Srs. i. s. de yasco.n-
CEI.LOS A SONS.
Ilahi.i Sobre os Srs. mahiniios dtc*.
fio dt J Janeiro. Sobre o banco in-
dustrial E Mr.fo.A.NTIL DO ItlOD JANEIRO, '
O BANCO NACIONAL.
-------
PttACA C KKGiFE 13 DE AGOSTO
DE 1873.
AS 3 I '2 llOn.VS DA TARDR.
CotncticM ofllciaes.
Canil i i sobre Londres a 90 dv. 2-'! 3|i d. B tu
banco 23 l|2 d. por lJt'00,
Dito sobre dito a 3 d|v. 2o l|8 d. por li, d<>
banco.
Camli; isobro Pars a 3 d|'. 378 rs. o fono; :lo
banco.
Cambio-sobro Lisboa a 90 drv. \ >2 0|0, do bae.
C i.iio- : i erdes 370 rs. o kilo.
LKiDourcq
Presidente.
Leal Sevj
Secreano.
tLFANDEG
.endi-ne.' d 1 a i2. .
iiem do dil !! ....
339:SW17W
5l:B ')
433:46|63.l
Comeca agora
a poca das toases o constipaees -e ontros ntt
les da largasMa e peito.
Se todos soubesscm com que facilidade e corta*
ta astea males sao remediados & carados como
-PE1T01ULDE CEREJA de Ayer, >offrcriam
rauito menos do que actualmente soffren.
Descarr. gam bota li de agosto de 1873
Barca iuglezaEJuaid Berber' inercadorasr;'i;l
alfandcgai
3arca inglesaUuchess uf Sullierland inerca-J-
rias para alfandega.
Barcanoriujiucza -Noca SnnrpaMa djters
gencr ara e trapi o Coneecito.
Patacho americano John Ro.r varios gener i
para o trapiche Concei^ao, para de-
pacbar.
Patacho americano Flora. Gemale- varios gcr.e-
ros para o trapicha Gpneeeo, para d -
pachar.
larca inglesa 'Miranda raaehinismo e f
j despachado para o caes do Aiolo.
Barca trancen -Colignytemas de barro j des-
pachada par o caes d) Apollo.
Paladn ioglez (Juren of Beantij btfcamo J
-dttspacbado para o trapiche Coneelc
Vapor portuguez Julio Din-'- (es|ierado) tartos
genero- para alfandega e trapiche Cou-
. i .
li: i
OMMERCIO.
GOMPANHIA
Plienix Penianibucana.
Toma riscos martimos ern menaderias,
fretes, dinbeiro a risco e finalmente de qual-
quer natureza, cm vapores, navios vela ou
barcacas, a premios muito mdico.
RA DO COWMRCIO 3J.
Ikgm conlra-fg i
' COMPAMIIA
A baroneza de Jaraguao
publico.
Acabo de ser intimada de um protesto qne a
Sra. D. AlmerindaJjFres de MendonQa, aconselhada
julgou necessario fazer, e logo dar publicidade
pelo jornal Liberal, por seguranea e resalva de
seus direitos, o que obriga-me reproduzir o que a
respeilo j diss.e.
Entretanto, camo set as condieoes em rjuo esta
senhora Dgura nesse vergonhoso negocio, julgo
nluito a proposito tornar a expor este negeio, e
reproduzir as mesmas assseveracoes em que estou.
Por morle de D. Pres, mai da barregan de meu
marido, vivendo este com a teda e manteda -
constituio-se devedor Uada D. Fres no res-
pectivo inventario ; este spposto e falso debi-
to era oriundo dos alaguis do predio do meu
casal que serve de palacio do governo que meu
marido recebia ; c para elvalo quantla de
WinUe tantos contos de ris contaram Juros de
juros, como etou muito informada de ludo, e si
quizesse pedera o testemunho e juramento do
honrado negociante o Sr. Antonio Teixeira de
Bem empregada a sunra que levaram pelo Jor- 'Aguiar; feilo este ananjo oartilnaram o debito ;
nal da Recife. mas th'ertrrf a cautela de inteirar a barregan de
meu marido em todo predio que figura como per-
aneire, t* m agosto be 1873.
A questao religiosa contina sera solacio; o Exm
diocesano nao tem retrocedido trm s passo dij
eanjinno, que em m hora comecou a trilhar
Felizmente o aoverno imperial pelo orgd auto-
riaadtMdino do Exm. Sr. threonde do Rio Hranco e
antes dtsso pedo do Exm. r. oonslheiro Joio AI-
freno, pronunelon-se saMameflfe obre a altitud,
que pretende assnroir, qner manto aos meios na
cucos e njeranjcnto snasorlo?, qner quano aos
Porque nao responden aes artigos que o Dr
Tavares pnblicou obre o programma da Pro
vieta i
Respondam, se sao capazes
E' uielhor islo d que andarem mentindo se au-
blieo.
COMPANHIA ALLASC4
seguros martimos e terres-
tres estabelecida na Baha
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,000:0005000.
Toma seguro de mercaduras o dinheiro t
.co martimo em navio de vela e vapores
para dentro e fra do imperio, assim como
contrajfogo sobre predios, gneros e fa-
rondas.
Agente : Joaquim Jos Gongalviis Bcltro,
ra do Commercio n. 5, Io andar.
'UBLICAC0E5 < PEDiQ,
i----------------------------m i ...----------------1
Cmmuh.
FORTAl.l'ZA, 3 DE *GfTfJ D 8T3.
To wirfuo botdeto.
Quem
uu,-'' 'f'i, !t?'>l V^l^^f1 Pett a*MBMw*a istoLcertmcand0.m do q^Mae
K' u\ i a^AiS'aSfflf ? Tatef4 Fonra verqonnbsl,.negocio nao verla luz. E oTaterea-
riaogianac de^pontamento corno agjra se pre- *
Seguro contra-fugo
THE LIVERPOOL <& LONDON A GLOB
INSURANCE CONPANT
Agente*
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo11
OKSPACHOi E EXPOHTACOA NO DI A
JULHO E 187.1.
Para m partos do exterior
o v.ip,.,- inglez hilinde, para Liven
carrogarain : l.. A. Siqueira \ caixa com 2o ki. s
de doee; J. Bna&on waaceas com l,'32dt(.
algodao; M. M. Montjiro 58 ditas com ,9Ko tfS
ditos de dito ; 0. S'eeseo & C. 2 ditas com l<
ditosded.il). J. G. Farreira Sote 212 ditas con,
lt,C2i dil-.- de i'.".
No patacho bcspannol Arlh iri/o, para o K."
da Prata, carrecaram : J ('. Forrelra Seve 07'J
barricas coni G 1,910 kilos de assucar branco ; A.
Loto t33 ditas com ^v,702 ditos de dito; A. O.
l'ereira Lima \ ditas com 21" dito? de dito c 3 ca-
xas com 36 litros de agurdente.
No navio allemio .!. Gcstna, para o Havre
carregaram : Kejler A C. 1,218 coaros salga'. -
com li,'J76 kilos.
Na barca portuguesa PeitOMiora para o Por-
to, carregaram : II. Oliveira A,-C. 8C2 cornos sal-
gados com lO.'i'i kilos.
No patacho brasileiro Jaboatao, para Sfew-
York. carregaram : II. Forster & C. 8 volu
com 300 kilos do raa de carrapicho.
Para os portas do interior.
Para Mani, na barcaca Aydi, caitefaram :
B. Gomes k C. ;t barricas com 210 kilos di asan 1
branco
Para o (Jear, no vapor brasileiro Phvpuui;.
carregaram : Carpmleiro Filho & Sobrinno O
barricas com l.!80 kilos de assucar refinado J.
J. da Kosa3 ditas com 1,906 ditos de ditobran\;
B. Oliveira k CU barris com 180 litros de agur-
dente, e 6 barricas com 112 kilos de assucar
branco. Para Maco, Silva A Irraao 4 barris com
384 litros do agurdente, e 2 di los com 192 ditos
de un l Para Granja, J. Ramos A Machado 1-
barriquiuhas com 28 kilos de assucar refinado ;
Barros Jnior A C. 16 barricas com 3,392
de dito e 41 dilas com 2,526 1|2 ditos de do
branco ; M. A. Senna 6 dilas com 393 ditos le
dito. Para Macao, D. G. da Silva 3 ditas com 133
ditos de dito e 5 barris com 480 litros de agur-
dente. Para o Natal, B. Oliveira & C. 1 sacco Oout
75 kilos de aucar branco.
Para o Natal, na bareaca G. Feliz, carrega-
ram : A. Oliveira A C. 2 barricas com 116 kilos
de assucar retinado; Costa & G. 3 ditas com 3,9 o
ditos de dito.
Para o Par. na barca nortugueza S. Uariu.
carregaram : B. Oliveira & C. 85 pipas com 40 80O
litros do agurdente.
Para o Aracaty, no hiate brasileiro flor do
Jardim, carregaram : J. Bruno *2 barricas com
934 kilos de assucar branco o 4 ditas r m 114
ditos de dito refinado M. A. Senna 10 dilas com
684 ditos de dito branco.
Para Alagoas, na barcaca Jai ratinga, car-
regaram : F. Guimaraes l* voltime com 30kilos
de assucar branco
75 ditos de dito.
Para Mossor, na barcaca Triumpko do R-
cife, carregaram : Silva A Irmao 10 pipas com
4,800 litros de agurdente; Fraga i- Rocha 5 bar-
ricas com 450 kilos do assucar branco e I volunte
com 20 ditos de doce A. G. da Cunba e Silva 4
pipas cora 1,920 litros de agurdente.
Para Alagoas, na barca ja D. Auna Sicupiru,
carregaram : Algonez & Carvalho 1 barrica eom
58 kilos de assucar branco.
UAPATAZIA DA ALFAND8GA*
Rendimento ao dfa i a l 41:0341496
dem do dia 13...... 78i#57
B. Gomes 4
I kilos
i barrica cj;;i
Capital.
Fundo
INORTHERN.
lanceado aquella finada, e parte no tal debito, sen-
do dada a maior parte dalle a Sra. D. Almerinda.
Feito islo, meu marido aceitn duas Ieltras de trra
urna a favor de sua bartegan e a oufra a fcvr da.
Sra. D, Aimerroda, irm daquelTa. Bram nego-
cios feitos lino Interesse dos herdeiros,que meu
marido instituir, e para prejudicar o meu direito,
mas eram feitos na minha ausencia, e quando
presente en estivesse aguardar-me hia para a op-
pbrtmade. v
Fanecendo men marid, os herdeiros disseram-
me que laea dbitos nao apparecriam, e muitas
tezes o Sr. Dr. Jadnfto Pies Uforeira de Uendon-
20,000:0005000
de reserva. 8,O0O:OO0JSOG0
Agentes,
Mills Latham d C.
RA DA CRUZ N. 38.
1:8M483
se de que tal cousa nao appareeesse, propozeram-
m t W coss5o da quinta da Laraelra, e eslo
SEGUROS
IIITIIKIS
E
CONTRA O.FOGO.
Acompanrifa IndemnisaJora, estabelecida
rrosta prar;a, toma seguros martimos sobre
?LUMBS SAHIDOS
No dia i a 1*......
Primeira porta no da 13 .
Segunda porta.....
rereetra porta.....
trapiche Gonceicao .
SERV1CO MAIUTIMO
Alvarangas descarrecadas no trapiche
da alfandega no ai 1 a It, .
Ditas ditas no da 13. .....
Navios atraoattos no trap. da arfnde ra
Ah'arengJts........
So trapfclie ConoelcSo.....
3fl
M*
1,49
t,rtT
t
ra
ECEOJEDORIA DE ai.. UNAS GE-
RAES DE l'ERN
Rendiir.enw do da 1 a .
ta
1

,


* i
.



i
l1


v
J


4^4o<
fcb'
;Wi*32!
30:530*888
OiNSULaaO PROVINCIAL
MnWWi i 1 al
teemaeduU. .
JlSGtfaVDRAjNAOK.
Reaiimaflo dn lia 11. .
dem do da 13......
.....
\'<>.
Sl:l.tt|#H
1.7 71498$

tt!7it*03
3400406
SSJ240
395J66
*r
rniTi
*<
jiiuw, deverao comparecer Bcsth
reparllcaoipttaHi \n
setembro vlridotiro
......--------!----------'-T*^**----------" "
n

I dito jrncriuu'iitJ, deveroc
repartlcu p*ta [ fcoraf.tin.fnp do da 1S *
qae.ebetdeao oafcettmnio de dados,
se mSSotr*fflsro presente tios'hjgares mais pir-cleadco pcai de tres anuo.
blicos dest.vcapiral, e publicar pela imprensa
SecraSeha da iasoiwaria psovicial' do
Grande o-l'oft O oficial
Joo Ferrehm Nobre Jnior.___
"1
ir '-.-------: '"'r-------
*J|l>r.<8elHii> de TlejpvRarro' dn LUtJrda juiz de
'dWlto'eee.wial docommerrio ,i eidade-o lle-
'Wbtle Perrtambiico, porSua Magestado Impe-
rial que Dcns guarde ele.
face saber pelo presente que obacharcl Amaro
Joaqnim da roncees de Alljuqticrquo, por seu
procurador, me dirigi a policio-do theor seguinte:
* -Pettcio. lllm. Sr.-Ar. juiz de couupanio.-O
aaeharel .lauro Joa^uim da Foneeca de AHmquer-
aa, lite eeado devador Barluolomeo Teixeira Pa-
tm, morador na provincia da Babia, da importancia
la meaua-atlra de leen da uuautia da oaalo e
aianiMiBl mil ruis-que est'vencida ha omite, eto
cande a (wescriBoao, -para inlcrrup^ao da qual o
pphcanle requer a V. S. se digne mandar tomar
lr termo o seu protesto para ser intimado ao
mesrao que se scha ausente, e para provar a re-
ferida ausencia, o suplicante capera que V. S"
marque da-hora* luiac,inflo ua forma da lei.
Nesies lermjs. t. a f. S. dsfeniionto. fc\ U. M.
Recife, 29 de janeim de 1873. Hermenegildo
Eduardo to lego Mootero.-Estavaurna estam-
pilla do valor de 100 r?. inutilasada com a data
4i assifaatara sopra. fiespaeho: Distribuida.
Sin. Recife, 30 de Janeiro de 1873. Barros de
Laeorda.
E nada mais se continha em dita petijo e des
pacho aqui linimento copiados, e por orca do meu
despacho, o r*q>ectivo escrivao Ernesto Machado
freir Pereira da Silva a quem foi distribuido a
rwpectiva peticao. passou o termo de protesto do
tlieor segrate :Termo de protesto. Aos vinto e
qiitro de julho detall oito centos e setonta e tres,
nesla cidade d> Radie em meu cartorio, peranto
inim e as testemunhas infra assignadas compa-
receu o supplicante por seu procurador Mannel
Sil vino do Barros Falco, e por este foi dito que
uduzia a termo a pelico retro que ofTerecia como
liarte dcste em que depois de lido assiguou. Eu
Ernesto Machado Freir Pe reir da Silva, escrivao
escrevi. Manoel Silvino de Barros Paleto, Fran-
cm i Xavier do 9uuza Ramos, Maaoel Martinsda
E nada ma se continha em dito termo de pro-
t..-tj. aqu tielntente copiado, e tendo o suppli-
: infe preduzdo suas testemunha? que deposeram
c.iiivenientemenle acerca da ausencia do suppli-
cado o respectivo escrivao, fazendo sellar e prepa-
rar os autos, me os fez conclusos, nelles dei a sen-
teu'.a do theor seguinte :-Senlci)i;a.Procedo a
justiticacao da ausencia do suppjicado de folhas
duas, a quem mando se intime o protesto de folha
por editaes com o praso de 30 das affixados e pu-
blicados -Gustas ex causa. Recua, 30 de julho do
1873. Sebastio do Reg Barros de Lacerda.
E nada mais se continha em dita sentenea aqui
ti 'luiente copiada c por fon;a da mesma o respec-
tivo esemao, fez passar o pre-ente i>elo theor do
qual chamo, cito, a hei por citado ao referido
anpplicado Bartholomeo Teixeira Palha, para que
ditro do referido prazo de trinta dias compara;,)
neste juico allegando e provando o que for ahem do
sea dm iti ju-tira sob pena de reviiia. Por tanto
leda e qualquer pessoa prenles, amigos, ou co-
nliccidos do mesrao sappiicado Ibe arao sciente
de lodo o expendido.
E para que chegue ao conhecimenlo de todos
uiandei pafsac o pjcente edital que ser aixa-
do os lugares do c llame e publicado^pelos jor-
nacs.
Hado e pasado nesla cidade do Recife de Per-
nanibuco. .ios 6 dias de agosto de 1873. Eu Er-
nesto Mafhad,; Freir Pereira da Silva, escrivao
snhscrivi.
Febmliiio do flc/o Bairos de Laceria.
eidadio Joao Marques Corroa, juiz de paz sup-
liente da fregueaia de S. Fre Pedio Goncalvcs
do Recite, em virtude da lei etc.
Vaco saber aos que a presente caria de editos
Ttrem <>u della noticia tiverem, eiu como Mam el
Josfl Lopes da Silva a Sobrinho me fizeram por
eseripto a petirao do theor seguinte:
illm. Sr. juiz de paz. Di/.eo Manoel Jos Lopes
da Silva & Sdbrinho, con)inerGi;,ntes de grosso
trato na cidade da Babia, por seu bastante procu-
radornesta cilade, 'ue tundo reepaerido a nulifica-
540 de Dugal C Simpan e Colita C. SimDson, so-
co- e representantes da lirma D. C. Simpson Bro-
thers & C. da Babia e Simpson uder & C. desta
cidade, afim de virem iterante esso juizo concillar-
se com os suplicantes sobro o pagamento da
qnantia de 27:'31870, de que llie sao devedores
at 30 de abril do crreme auno, proveniente do
(ui'n campamentos de assucar e tran nnnio em que com os supplicantes associaram se
m ditos D. C. Simpson Brothers & C, com os quaes
sio solidarios Simpson Dador & C. desta praca,
leontece1 que smente o segundo supplicado fra
Sii encontrado e com elle ja se realisara a ten-
va eoncHitora; constando ijuanto ao primeiro,
Dupal C. Simpson, baver-se retirado para Eu-
ropa.
Assiui, tornando-so luje incerto o lugar em que
o sitnplicado possa ser encontrad", reipiercm os
nppNetale a V. S. sirva-se admitti-los a justificar
?i ausencia do mesan, para que tunha lugar a sua
BOtifleaeao para a prmeira desse iuizo e para o
lim acioii exapto medi-mte carta de editos na
forma da lei e do estylo, sendo a notificieao sob a
cemminacao de revelia haver-sc por nao conci-
llado.
Pede a V. S. deferimenlo. E. R M. Recife, 10
d? iulho de 1873. Costa Itibeiro.
E miU se a*> continha e.n dita pe ti cao, a qual
"me sendo apresentada, nella d-ji o despacho do
taeor seguinte :
I rtii iue.Freguezia do Recife, 16 de julho de
17!. Mirones Corroa.
E m lis se na continha em dito despacho aqui
tapiado, por forca do qual produzio.o justiii'.ant1
auas testemunhas; sobrado-me os autos conclusos,
dsi a sentenfa do theor seguinte :
Era vista dos depoimealos de folhas a folhas jul-
(tu apr ulgado ausente Dugal C. Sjousaa, passa-
(lo se os editos na firma da le para elle ser cita-
do, pagas as cusas pelos justificantes. Freguezia
de S Frei Pedro Goncalves do Recife, 21 de julho
*ti 1873. Joto Marques Correia.
E mais se naj continha em dita sentenea aqui
opiada, por forea da qual o escrivao que esta
obseruveii mandou passar a presento carta de
editos com o prazo de trinta dias, pela (pial e sen
theor se chama cita e hei por citado ao ausente
ihigal C. Simpson, para o conteudo na pebeao su-
pia transcripta, aliio de que compare^ neste jui-
co n* primeira audiencia depois de (indo dito pra-
to, por ai oa seu procurador bastante para respon-
der aos termes da conciliario sob pona de re-
velia.
Telo que. toda e .'[aalquer pessa, prente, ami-
gos oa connecidos do mesmo justificado o podero
fazer scjentP do que cima fica exposto ; e o por-
tero do jaizo afllxar o pablicar a presente no
lugar do costume e ser publicada pela im-
pmaaa.
Dada c pasaa^ neita freguezia du S. Frei Pedro
Goncalves do Recifo, 9 de agosto do 187-i
Eu, Innocencie da Cunha Goyann escrivao o
subscrcvi.
'________Jmd Margues Corma.
- O lllm. Br. inspector da tbesourariap >vjnl
oial em cumprimaalo de ordera do Exm. Sr. pro-
ideate da provincia, manda fazer publico, que
vai novamenie a pra$a u 1 dia 14 do crreme, por
lempo de ura aaao, e pela quanlia da :8'k60),
m impostos praviacaes da comarca de Floree.
As pesaoas que se propoierem a esta arrema-
iaca-i comparecam oa sala das sessOes da refer
da junta ao dia cima mencionado, pelo meio da
e ompetenleweu'.e habilita Jas. J
l-, para ctasiar ae maadou publicar o presente
pele jornal.
- SeermariaedaieaeReararia provincial de Pernani-
bmeo, Me asante a* 4073. R
.0-omcial-maier,
_______________M. A. Ferreira._____________-..-
O IHn* Sf. inpecj/jr desta lliesouraria, em
cumpriatfHoje |aa pheA ordenado pelo Exm.
Sr. irdwlede da |rvj|cia em offldo deion-
tem sob lid, manda fazer publico que est
abertal a eoB.oareei*a.*a .0 ewKian eajealat 4eaediunto.maaesaaiJaH e reaifie
proviaciaes, pelos modelos aqui aiaMatet, eerio franf aeades a quem os queiram eiamiaar
O administrador da recebeddria !Bo reodas
internas geraes, em riruide a regra 31 do art. 33
do decreto n. 3486 de 29 de setembro do 1899 e
do art 74 do regulamento 2251 de I7tde mur?o
de 1860, avian as pessoas abaixo mencionadas, mo-
radoras nai fregnezias de fra da idade e em lu-
gares ignorados, c quo foram multadas por infrac-
cao do reguloiacnto n. 4833-do 1 do dezombro de
1871, que Ihes tica marcado q prazo de 30 dias,
contado do da piihUemjio deste pata viren effec-
tuar o pagamento das referidas multas, sob pena
de se proceder a cobranca executiva, a saber:
Joao Bufino do Souza Magalhes, mo-
rador na fregu ia da Varzea, mul-
tado em 1001000
Jos Ferreira da Silva, na de Jaboa-
toem 1001000
Mariano Peroira Csbrai, morad r em
Agua-fria em OJWOO
Joaqnim Narciso da Silva A C. (irnora-se
a residencia), em iOfOQO
O bacharel Cbrislovto Xavier Lopes (ig-
norase a residencia), em 10JO0O
O Or. Flix MoreBo Brando (ignora-se a
residencia), em 40*000
Joaqnim Dooiingues da Costa (ignora se
a residencia), em 1OJ0OO
Reeebedoria de Pernambuco, 1 i de agosto de
1873.
_________Man el liarneiro de Souza Laoerda.
O lllm Sr. Inspectcrr da thesourarla pro-
vincial em cumprimenio daordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, de 30 de jnlho prximo
passado, manda fazer publico que 110 dia II de
setembro prximo vindouro, perante a junta da
fazenda da mesma thesouraria vaem a praca para
ser arrematada por quem por menos fizer os re-
paros de que precisa a ponte sobre o ro Goyan-
na, orjados em 3:126JOOO e sobre as clausulas
especiaes abalxo transcriptas
As pessoas que se propozerem a essa arretna-
tacao compareeam na sala das sessoes da referi-
da' junta, na dia cima mencionado pelo mcio dia
e competentemente habilitadas.
E para constar se mandou publicar o presente
pelo joriril.
Secretaria da thesourarla -provincial de Peraam-
buco, II de agosto de 1873.
Clausulas especiaes.
1"
Os reparos da ponte sobre o rio Goyanna serao
execulaaos do conformidade com o orcamento e
planta approvados pelo Exm. Sr. presidenta da
provincia, na importancia de 5:126000.
2.'
O arrematante dar comeco as obras no prazo
de 20 dias e as concluir no de 4 mezes.
2.'
O pagamento da importancia do contrato ser
realisado em tres prestacSes iguaes, correspon-
dendo cada urna a terca parte da obra.
4.*
Para tudo mais que se acbar especificado as
presentes clausulas se observar o que dispSe o
regulamento de 31 de julho de 1866.
O offlcial-maior,
Miguel Aff.inso Ferreira.
posto ao
Mario, i
vbacto d
jasf/sftVflave
wm
brevidado o pallia-
Jjote nacional Joven Arthiu, tem parle de sen
drmaernaride%^Ri^;c^ebr4i(HlI^/eUra i)i^ta^sa'^a astjSeordia dofte- arregamnto engajaJo,'e para o resto qu.- Ihe
da do soeloteSo de Son Ramos, qW We, 12 de agioto d f3. l^e^4^"^.eoJ?s'|na, Antorto
* O-ese'ivto,
Pedro Rodomies de Souza.
0 Dr. Manoel Tertuliano Tintina/,
ques, juiz do direito da 2.a
Heiiri-
vara civel,
desta cidade do Recife de Pernambuco,
por sua magostado o Imperador, etc. etc.
Faco saber pele presente, que no dia 16 do
corrente, se ha de arrematar em hasta publica,
(inda a audiencia deste juizo, do respectivo dia,
urna mobilia de Jacaranda em bom estado, avaha-
da por 13l, a qual foi penhorada a AntonioGon-
calves da Silva, por execucao de Joaquim Severia-
no Nogueira.____________________________
Pela tiiesouraria provincial se faz publico
que foi transferida para o da ti Ao corrente, a
arrematacao do sitio dos Remedios e pela quantia
de :750000 preco da adjudica;ao.
Secretaria da thesouria pro. ncial, 11 de agosto
de 1873.
O oQicial-maior.
Miguel Alfonso Ferreira.
dem Jun, sob a firma du Bego 4 Carneir.
te se coinW (bwABtoaio do flego MedeTros
ntonio Oe \Mer^mneT, pof^peeselal
cidos com .ta,Terna ra da Aurora 11. I|^, fi
uezia da "^a-Vista,' sendo o capital social d
: 77529rj forflecido por ambos' oi.associ^des a<
qua* tmpete o oso da lirma soeul, durando
sociedade por lempo de tres'annoe.
Em 21 do dit) mez:
IMsfrattfdr"
pebaYetlrada
recebeu do'socio Fernando Gomes dnf&Ka a qxmh
lia Ue 14:000*000, a quem passeft a pertencer todo
o aetivo e pasivo social. ~'"'J fcf
Bm4 tto eorretite:
Contrate seelal de Wotteire Gregorio &'Omipa-
nhia, firma social eoimnnterm/da qal So so-
mos respon-iavei* Jos Jwiquim-GHerreko e Manoel
Jos Monteiro, sondo e genero de negocio o eem-
mercio de fazendas ua lojasa ruadDuque de
Calas i). 86, rom o capital de 82:697*162, foroe-
cido por um dos cammanditario 30:;3J*I>17 em
dinheiro, fazendas, dividas activas e arraai.ao da
foja quo pertenceu extlncta firma'Roena Leal
A C, 3.-0004000 pelo outro commanditarto, igiial
quanlia oelo socio responsavel Manoel Jos Mon-
teiro e 1;D00J000 pelo socio responsaTe! Jos Joa-
qnim Guerreiro, e mais I7:960>H5 em fatenflas,
armaco, dinheiro e dividas activas, que flcou per-
leneendo ao eminde oommandiwrio ne-ltalanco
de 14 de maio ultimo: perlencendo aos socini
responsaveis e oso da firma social, e sendo o tem-
Eo da sua duracao quatro aanoe icbntados do so-
rdito dia 14 de maio.
dem em coramandita e em nomo collectvo, ce-
lebrado por Francisca de Sonta Guerra e Antonio
Jos Fernaades, e mais um commaaditario sobre
a lirma de Guerra & Fernando*, sendo o objeoto
social a compra e venda de fazendas a grosso e
retaliio na luja 11.'] i ra do Duque de Castas,
sendo a sua duracao por lempo de tras anuos, con-
tados de 8 de iulho prximo passado, e o seu fun-
do capital 15:0001000, fomecido 8^)001000 pelo
socio Guer-ra, 2:000000 por Pernande?, e... .
5:0003000 pelo cummanditario.
Distrato de Joto Baptista da Cruz & C. e Olym-
pio Goncalves Rosa & Cruz, sendo estabetecido que
(icaria pertencendo ledo activo e pasivo sof/ial a
Olympio Goncalves Rosa, e eoaermlo Joto Baptista
da'Cruz de lda e qualquer xasp.msabidade.
Secretaria do cieretissimo tgibiinal do commcr-
rio de Pernambuco, II deegisto de 1873.
O offfeial-maior interino,
Iimocmti Aniones a> Faria* Torre*.
O fiscal da freguezia de Nossa Senhora da
Graca, em virtade do art. 4. do titulo 6. das
posturas mnnicipaesde 30 de junho de 1849, avisa
aos moradores dos sitios da mesma freguezia, qae
di'vem mandar aparar e dohrar as cerras de sens
sitios, de modo que nao embaracem o transito pu-
blicosob pena de 000 de multa.
Freguezia de N'ossa Senhora da Graca, 43 de
agosto de 1873.
O fiscal,
Jos Miguel de Souza Magalhes.
IMPAMA
SAOT THEREZA
As pessoas que desejarem canalisar agua ou
gaz em suas casas, na cidade de Olinda, queiram
entenderse com o abaixo assignado, qne acha-se
autorisado para facilitar a lodos a acquisicao de
laes melhoramentos, mandando fazer as canalisa-
Qoes nos predios a rusta h companhia, mediante
nm alnguel mcnsal muito mdico : a tratar na ra
do Imperador n. 45, on na fabrica do gnr, em
Olinda.
Recife, de agosto de 1873.
G gerente
Justino J. de S. Campos. __
plentr5 e en gara I aTod
dignem de coi
nli do dia 15 )
nhora do Parai
da Padroeira da
pgaroo Uta e.jiuricima

O lllm. Sr. inspector interino da the-
souraria provincial, manda fazer publico
que o possuidor de tres apolices da divida
provincial, sendo duas de 5003*000 e urna
do 1:0003*000. de ns. 56, 60 e 53G, que
vencem o juro de 8 /0 ao anno, e foram emit-
tidas no i. du fevereiro, 7 do maio e 3 de
jullio do corrente anno, llio requercu jun-
tando o anouncio por elle foito, a substiui-
cao das mesmas apolices, na conformidade
do artigo 10 do respectivo regulamento :
por tanto quem as tiver achado. ou qaeira
fazer alguma reclamaco, dirija-so mesma
thesouraria.
Secretaria da thesouraria provincial do
Pernambuco, 28 de julho de 1873.
O official-maior,
M. A. Ferreira.
HESURACOEt.
Juizo dos eitos da fazenda,
Sexta-feira 22 do corrente, dopois da audiencia
respectiva, s 11 horas do dia, ir praca por
venda o terreuo em que foi edificada a casa n. 62,
com 18 palmos de largura, lu6 ditos de fundo,
avallado em 1503, para pagamento da execucao
contra a vi uva e herdeiros de Manoel das Virgns
Ramos.
dem a parte do sobrado n. 11 da ra do Amo-
rim pertencente aos orphos filhos de Jos da
Cunha, avaliada dita parte em 2.000ji.
Recife, 12 de agosto de 1873.
O solicitador da fazenda provincial
J. Firmino Correia de Araujo.
Imperial sociedade dos artis-
tas mchameos e liberaes
de Pernambuco
Scientifico aos alumnos da aula de desenho do
lvceu da mesma sociedade, que ella funeciona nos
dias do quinta-feira das 7 s 8 horas da noite.
O secretario
P. P. dos Santo-1.
Gabinete Portuguez de Lei-
tura em Pernambuco.
Assembla geral.
Te ordem do lllm. Sr. presidente do conselho
deliberativo, convido aos Srs. socios effeeiivos pa-
ra ie reunirem em assembla geral ordinaria no
prximo dominio 17 do corrente "s II horas da
manh na sala das respectivas sessoes ; afim de
tomaren! confcecimeuto do que disede os estatu-
tos no art. 43 e seus .
Secretaria do conseibo deliberativo, aos 13 de
agosto de 1871.
Boaventnra Rodrigues de Amorim,
1.* secretario.
Tribunal do commercio.
Paia Conliccimento dos interessados faz-se pu-
blico que foram ltimamente admittidos ao regis-
tro, ao termos do artj 2* do decreto n. 4394, os
contratos e 'distratos sociaes que se seguem :
m data de 10 de julho prximo passado :
Distrato da firma Agostiuho Ferreira da Silva
Leal & C, estabelecida nesta praca com comtner-
co de fajeadas ra Primeiro de Mar. n. I, re-
solvendo-se que* o estabelecimento social com to-
do o su acuvo e passivo, passasse a pertcncer ao
socio Agoslinho Ferreira da Silva Leal, e exonera-
do de Hods a responsabilidade o socio Albino da
ftilva Leal; qro recebe de seu capital e hiero a
qaantia de 55:800^00.
floatrato de Victorino Jos Pereira de Abreu,
Ifasoelde Olivelra Maia e m commanditario, iob
o'Rrma de VietormO, Mait C, teodo o lira ceni-
mercial o fabrico de chapeos e compra e veadU
de arligos da mesma especie; com o capital do
'6fffW7i0, para 6 qual entrn o socio ct.mman-
, "adae por lempo de 5 anuos, que se fiaaiisa#o
et *1 4e deumbceae 4877.
Be7 do obaadMo:(Bex :
Contrato d*: Einnine Vieira eSxa de C, cor.1
mmm
aos pora q
ras
fe.fi
fesli
4|ue
iadicqdp*.
m ast'aait,;?istt3a,t- fK
BUCO 1% DE AGOSTO DE 1873
Malas pelos vapores Mvndah e Pirapamn
a companhia pernambucaua.
A^conesuoiidencia que tem de ser expedida
boje (14), pelos vapores alma mencionados para
os portos ao sul ate o Aracai, e para os do norte
at a Granja, ser reeebida pela maneira se-
guinte :
Macos de joraaes, impressos de qualquer natu-
reza, e cartas a registrar, at 2 horas da tarde,
cartas ordinarias at 3 horas, e estas at 3 1|2,
pagando porte dupio.
O administrador interino
Vicente Frrea da Poreiuneula.
"f-
IJ
DRAMTICO
ESPICA Se TON-YOTE
Hccita qur u ciHprexa conoe-
dea atener*amento a
flaiml Fraiicis!,s) de Souza.
Depeis que a orclieslra tiver executado urna de
suas melhores symphonias, subir scena o gran-
do c apparatoso drama em 1 prologo e 4 actos:
Emancipacao de escravos.
A junta de emanepacio de escravos deste muni-
ci|tio faz constar aos senhores de escravos que S.
Exc. o Sr. pesideroe da provincia, por seu ofllcio
de 7 do corrente, Tesdlveti prorogar por mais um
mez o prazo que por edital da dita junta de 24 de
abril deste anno foi marcado aos referidos senho-
res para a apresfntaco da nota de seus escravos
afim de serum classilicados, na forma do art. 27
do regulamento que acompanhou o decreto u. 513o
de 13 de novembro de 1*72.
Para sciencia, pon, daquelles que ainda no cum-
priram este dever, declara a referida junta que
ojiitintia a funeciouar para ce fim no pago da
cmara municipal, das 9 horas da manh s 3 da
tarde.
Paco da cmara municipal do Recife, 8 de agos-
to de 1873.
O presidente, da junta,
Manoel Joaquim do Reg Albuqnerqne.
Membros,
Uanrcl Joaquim Silveira.
Francisca Augusto de Abneida.
De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda se faz publico para conhecimen-
lo de quem interessar que, em virlude de ter fica-
do sem effeito o contracto ce ebrado com Thomaz
de Carvalho Soares Rrando Sobrinho, ser no-
vamente posta em hasta publica, perante a junta
da mesma thesouraria, no dia 4 de setembro vin-
douro, pelas duas horas da tarde, para ser con-
tratada com quem melhores condi^oes offereoer,a
constrnci.ao de um armazem ou paiol para servir
de deposito de toda a plvora importada nesta ca-
pital, cuja planta se tranquear nesta secretaria
aos pretendentes, que devero apresentar tuat
propostas em cartas fechadas, devidamente sella-
das e declarando nellas a residencia e Bornes do!
seus fiadores.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Pernam-
buco, 6 de agosto de 1873.
O secretario de junta,
Jesuin Rodrigues Cardoso.
SANTA CASA' DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessoes, no dia 14 de agosto, pelas
3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a quem
mais vantagens oITcreeer, pelo lempo de um a
tr s annos, :s rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTABELECI VIENTOS DE CARIDADE
Recco do Abren.
Ssbrado de 4 andares n. 1 480*000
Ra larga do Rosario.
Terceiro andar n. 24......250*000
Ra das Calcadas.
Casa teraa n. 36...... 220000
PATRIMONIO DaS ORPHOS.
Ba de Geivazio Pires.
Casa terrea n. 2 ... .
Rrta da Semala^cfffa.
Casa terrea n. 10......
Boceo das Roas.
Sobrado n. 18 ...
Ra da Croi.
Sobrado n. 14.......1:000*000
Ra de S. Jorge (Pilar).
Casa terrea u. 103.....' WOOo.
Os pretondentci dercr'-o apresenlar jho icio da
arrematacao as suas flaneas, ou compafeccrem
acouipanhados dos respectivos Dadores, deyaado
pagar ajen) da renda, o premio da quantia ca
que for seguro o predio qua contiver eslaboleci-
mento commercial, assim como o sefvico da lm
peza e procos dos apparelhoe.
Secretaria da santa casa da misericordia do*Re-l
cifte, 2t de jmnlio de 1873.
O escrivao
Pedro Rodrigues Se Sonta.
16000
209#)0 491*100
Santa casa da inisericordi
do Recife.
Pela secretaria da santa casa da misericordia do
Recife sao convidados o prenles das educanoas
do collegio das orphas ero stikida declaradas, as
quaes ja completa rao -a traadueaco, para qu
requeiram ao Exm. presfdentl da provincia a sua
ootrega, em vista do que reaoluau a junt (dai-
uistrativa, de conformidade com o quo oi^oo o "
3' arl. 48 do respectiroreaulanienlo.
Candida de Chepas Coelho e Dionwta das Cha-
gas Coelho, til ha do Vital- dta'Chagas Coelho.
Maria Emilia. __ -m
Snacia Ribeiro,fUha de Lwndh) !o* ftWWT ^
aria SUgdalcua de Mello, lma de-Josefa,
res de Mallo.
Valeriana dos Santos, filha de Vicente Fermra
dEmSa!' ;,
r Wer#zA deeSanlo T^it**, filha d* J* dos San-
Noe-TOries.
Sophia. Miara da Conceicao exista.
Terminar p.espectculo .com a scena cmica
pelo Sr. Penante:
Um Jesuta na garganta.
Principiar s 8 l|2 honas.
A empreza Espiuca & Penante, tendo cedido
esta renta em favor do Manoel Francisco de
Souza fhoje fallecido) jolgon sustentar a mesma
cedencia, era t'avm- da infeliz mi do fallecido,
que perdeuem nu fillio o nico amparo que lhe
restava no mundo.
Louvores' a lao nobres c dcsinteressados sent-
montos.
El
e do Sulj
)revidade o palha-
tratada e piira
i B^hia.
coa milita brevid
*W(flft 'vf*y
Ira q binle Olw,
carrefaineuU) e
faifa, tratase
Jos Goncalves
mercio n. 5
Luiz de Oliveira Azevedo A C, no seu eseriptorio
ra do Kom Jess n. 57.
COMPANHIA PEl\iA>lBl'CA?iA
DE
\uve^iH;ilo cosrfeira a vapor.
RIOFOUMOSO ETAMAtDAR.
O vapor Parahyba,
eommandante Pedro, se-
guir para o porto
cima no dia 15 do fr-
rente, s 9 horas da nou-
te. Recebe carga, encom-
-mendas, passageiros e di-
a frete : eseriptorio no Forte do Matlos
nheiro
n. 12.
Para Lisboa
pretende seguir..com pouca demora a escuna por-
lugueza Christina, de 1' classe, eapito Loereiro,
por ter a maior parte de seu carrtgamento enga-
jado; e para o resto qne lhe falta trata-se com os
consignatarios Joaqnim Jos (Jonealves Beltro 4
Fho, rua do Cmnmercio n. 5.
SANTO ANTONIO.
' EMPREZA
Sexta-feira 15 de agosto.
Importante espectculo^ cmico
com o concurso do primeiro
artista
XliM BAHI\
Primeira representarao nesta poca da inters-
sante e espirituosa comedia em 1 acto :
S -MUS SGUfS.
DistribuicjJo.
Raymundo Sr. Babia.
Alfredo Sr. Vicente.
Francisco Sr. Cmara.
Christina D. Emilia.
Terminar o espectculo com o !. e 2." actos
progresso Minino do porto
Gnapreza portueiise do iiim';n-
cao a vapor
O VAPOR DE 1.a CLASSE ( R 10 J NO HLOYDS )
JULIO MIZ
Commaudante-I. I. Rodrigues
i 'tllente
E' esperado al lo do corrente; depois da indis-
pensavel demora neste porlo, seguir para os da
Babia c Rio de Janeiro.
Para passageiros, carga, encommondas e valo-
res, trata-se com os
AGENTES
E. R. Rabello tV .
48 = Rua do Commercio=i8
N. II. Os vapores desta empreza sahrao do Por-
to com a possivel rcgularidado urna vez por mez.
Construidos, as melhores condicoes, com ex-
ccllentes cmaras bem ventiladas o conforlavel-
mente adornadas, com proporcoes e forca para te-
rem boa marcha, offerecem aos passageiros lodas
as commodidades, tanto cm alojamento como em
tratamento.
Toda a tripolacao portuguoza, e em casos de
doenca ouem qualquer circurastaucia, ser sem-
pre solicita em attender os passageiros com todo
disvelo
Um facultativo compiitente, pago pela empreza,
tratar os passageiros, sem que por isso tenliam a
pagar despesa alguma, alcm do preco da passa-
gem.
A comida ser abundante e variada, feita por
coiinheiros portuguezes, servindo-se vinho de me-
sa, csclhido no Douro, aos passageiros de tddas
as classes.
Lisboa e Porto
Va i sabir com brevidade a barca p irtngoeu
Despique II, recebe carga e passageiros : a tra-
tar com o consignatario Tito Lrrio Soares, rua
do Vigario n. 17
O brigue
de para o,
gajada ^
Vianna
eiro
com brevida-
la carga en-
com Pereira
pono ewn pTHfCTi wnto>
.iT-atcaier parte dejys
da-jk )paito *esu> une ,
com os consignatarios, 7oa
Beltro A fflbu tIto do
m
M
COMPAHAU ALLIAH&
rflTE -
I.ISIIOI 1'. POBTO
A barca Vencedora, cafitw Oliveira. segu via-
gem por todo o mz de agosto.
Recebe carga e passaiairos : a traUr como
consignatario Tito Livio Soares, rea do Vigario
n. 17.
a- i
j ti1
Rio Grande ddftfl c Porta
Alegre.
Para os relerioee peal* dacaamente recebe*
carga a (reto o lugar poitufoae IOv OnmUs : tratar com Amoriin Irinc cl.. rua (>> Ifc'in Je-
ss n. 3. a
DE
navegacAo umm
UITVnA
Para llacci, Pciiodo, Arucuj
O alla.
I".' esperado at o dia 2-i Je correte dos portos
ocima o vapor Marque: ie Carias, e seguir para
s mesmos no dia seguinte ao de sua rhegada.
Recebe carga, passageiros e dinheiro a frete : a
tratar com os seus agentes Antonio Luiz de OH-
velra Arevedo & C, rua do Bom Jesns n. 57.
Pacific Stcam taigaliM (lompany
l.inlia quinzeual
O PAQUETE
LuziliHia
espera-so da Europa at o dia 17 do correte,
e depeis da demora do costume seguir para o sul
do imperio, Rio da Prata e o>ta do Pacifico, para
onde receber passageiros, cncommendas e dinhei-
ro a frete.
Os agentes Wilsort Rowe & C, rua do Commer-
cio n. 14.
Pa
r.
da muito applaudida phantazia
burles:a :
OU
lyrica, satyrica e
Priucipiar s S horas.
Sabbado 16 de agosto.
AeVniravcl saecesso !
Uepoftcao Jo i'spcetiwnlo do icen
traIa los artistas
Xisto de Paula Bahia.
e da actriz
Marin
Progranraia.
O excellento drama em 5 actos, do celebre dra-
maturgo Anicet Bourgeois :
A MENDIGA
(TraducQo do actor Julio.Xavier.}
O diflcil papel de protogonista desempenha-
do pela nrtisia
Manuela Lucci
e o da Joao Paulo JJergheti pelo primeiro actor
Bahia.
A linda polka .phantaia cotiiposta pelo maestro
Colas :
SAUDACAO O BAHA
Terminar com a gracia-a comedia em 1 acto :
Uro experiencia.
Principiar s 8 l|? horas.
Recebetn se aieomincndas pora o pequeo ros-
to de camarotes.
THEATRfi/
espiuca pavate.
As 5 1| botas od ptfalo.
Beneficio da actriz
D. JOAQUINA.
Logo que a orchestra tiver executado urna das
suas melhrMeytirab*w> iMta a scena o moMo
applaudido drata am 1 -pO*>go 4 actos s
o cabo wm.
terminar i o espectaenfo com icen coml^
eseewada'ptie ador Mk :
Joaquim sachristov^^
Principiar syM-'%HuA
Barca Santa Maria.
Para o referido porto recebe este navio carga
frete : a tratar com Amorim Irmaos & C.
GlUGEllS
Ci'.iipmlua Franceza de Navega-
$fo a vapor
LitiJia mensal entre o
Havre. Lisboa, Pernambuco, Itahia,
Rio de Janeiro, (Santos, sontente
na volta| Montevideo^ Buenos-Ay-
res, toom bnldeacao para o Ro-
sario).
STE.41IER
Commandante Ecfvro.
E' esperado at 22 do corrente, e seguir depois
da demora precisa para os portos do sul ucima
indicados, entrando dentro do porto, quer na vin-
da da Europa, quema volta.
Relativamente a fretes, encommendas e passa-
geiros, para os quaes tem excellentes accommo-
daedes por precos reduzidos, trata-se com
OS CONSIGKATAUIOS
AUGUSTO F. D'OLIVEIRA StC.
12Ruado CommercioKntrada pela rua
do Torres.
Companhia americana c brasilcira.
de paquetes a vapnr.
At o dia 15 do corrente esperado de New-
York e S. Thomaz, o vapor americano erri-
mack, commandante Weis, o qual depois da
demora ao costume, seguir para os portos do sul.
Para fcetes e passageas trata-se com os agen-
ps llenry Poi-ster A c!________________________
CO.Ml'ANHA l'KU.MMHLCA.NA
1 DE 1 i.
vesarlo costdraa va|ir.
BOYANKAi
vapor Parafiyfia,
commandante Pedro,j
seguir para o porto
cima no dia 12 do
torrente, s 9 horas'
la noule.
Recebe carga, encommendas, passageiros e di-
nheiro a frete no eseriptorio ao Ferie do Mallos i
n. 12.
O
patacho, americano John Rom, procedente de
foflc; 1 n'descarga1, segbe pata o-Pata logo
aoatlat'ara]avse caigaU t#H comodo,
para o que os senhores carregadjres deiea ea-
"opadamente com o consignatarios
i C rua. do Amorim n. 37, por
nao se demorar a espera de car-
com aquellA. oua o^bc prometa, o
Imls tardar tf 6 mW ^
-:.1s.

jacific StoMN Kigali;;n (lompany
Eiuhn uiiinzcnal
O PAQUETE
1
espera so dos portos do mi at o dia 15 do cor-
rente mez, e depois da demora do costume, se-
guir para Liverpool, va Lisboa, .para enjos
portos receber passageiros e car a.
Os agentes Wilson liou c C, rua do Commer-
cio n. 14.
armago, gneros, 1 cifro francez, e mais
pertencas da inverna da travessa das'ru-
zes d. 6.
Terga-feira 19 do corrente
O agente Martins far hilao, por cont e risco
de quem pertenccr,.da armario, gneros, 1 cofn
francez e mais pertencas da laverna da travesea
da rua das Cruzes n. 6, em um ou mais lote.-,
conforme convier aos eou:pradores
A's ti hutas 'lo dia cima.
Boa gratificaeo
Perdeu-se hontem (13 do corrente) na cijaae de
Olinda das 6 para 7 horas da tarde, urna putseira
de ouro de lei, tendo afila arrendada com urna ror
fusca, no centro tem nm lace cujas ponttu sao era-
vadas de perolas, no centro' delle unta grande os-
meralea qtiadrada, aconipanlta.'a de cada lado
com urna perola ; pefdcc-se a m.'sma do ollo do
Amparo em segnimeuto a mesma rta, Qrratro Can-
tos, Mathias Ferreira, subida do becco qne taha
em S. Pedro Velho, rua de S. Rento at a en irada
do becco Porto Seguro; c'ahi ao follar ao pateo da
Ribcira eladeira da mesma : roga-sca quem adlr
o querendo restituir, dlrija-se ao odo d > Amparo
casa grande, que tem un porio ao lado, on iv
Recife, largo do Paraitu n. 58. Io otl t andar,
que so gratificar muito generosamente : pede so
aos Srs. ourives, ou quaesquer ontra pssda a
quem for offercjid, fn^. o frvor de app^chender,
e lava-la a qua Iquer um dos lugares indicades.
_______________. ^____^___^_^^_^_^_
4 Fragata Amazonas.
A loja deesa, denominacuo
traspassa-se nas melhons
condieoes. Quem pretender-
estabelecer-se era urna boa
loja e bem localisada, apro-#;
veite a oeaiO, eentenda-se
como socio gerente da mes-
ma, o qual de desfaz della
por ter de fai;er umaviagem
aqueooljriga o seu mo es-
tado de saude.
4


Furtaram doabaix |si|tu do Carmo n. 9, no dia 11 do eorijntf,uma
rente grossa de relogio c >m nnw caCefefa de ounH
tendo esta urna fedpy eta com a letra R ctaB
vada na mewkf ;tafr Vbra do Porto ; pe :
aos Srs. oorwes. ella offereeida.quaaaa^iehenda e lee a seu le
timo dono quesera eatroeamoute ceoompeasa
Itecio, 13 de agosto di 1872.
1; [,i Itaaeel Luis Riheiro.
i) observador.


0

\
Diario de PnBbuco- Quinta feira 14 VAPOR FRANCEZ
KA DO BARAO OA VICTORIA
N. T-Outr'ot* NovaN. 7
Calcada
franceL
Para hoiuem.
ROWKAS de beserro, corda vio, pellica, faslre e
de dnraaue can biqueira, des melhores
fabrieaoles.
SAFRTOES de be.'erro, de cerdavao e de case-
mira.
SaPATGS de lustre ei-oi alto.
SAPA IX ES atamaacades om sola de ,pa, pro-
prios para banhot, sitios e jarains.
SAPATOS de tapete, eturtet, castor e de tranca
franceses e eertaguezes.
Pr RPfikera.
BOTINAS pretas, atascas e de core* differentes,
lisas, eoJeMada e bordadas.
SAPATI.VHOS de phanlasia cora salto, brincos,
pretos e de cores diflerentes, bordados.
SAPATOS de tapete, charla, castor e de-trasca.
Para weilnii
BOTINAS (retas, brancas e de cures defereatcs,
lisa, afeitadas e bordadas.
ABOTINADO da diversas quididades.
SAPATOS de trasca portuguezes.
Para meninas.
BOTINAS de bez-rro, lustre o de cordavio.
ABOTINADOS e sapatoe* de bezerro, de dwersas
qualidades.
SAPATOS de tranca francezes e portugueie*.
Botas de montara.
Botas a Napoieio e a Guilherme, pcraewM e
meias perneiras para homen e mcias pernearas
para meninos.
No armazen do vapor franca', na do Bario
a Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guernicoes,
sofs, jardineirss, mezas, onversadeiras e costu-
raras, tudo isto niuito boni por seren fortes e
leves, c r i mais proprios movis para saletas e ga
bneles de mreios.
No armazem do vapor france?, ra do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acaban) de chegar muito bons pianos fortes e
de elegantes modelo', dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff A : no
vapor francez, ra do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito eommodos.
Perfumaras.
Finos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
trifiee, agua de lior de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosneticos, muitos nrtigos delicados em perfuma-
ria para uresenfjs com frascos de extractos, cai-
xinhas sortidas e garrafas de differenles tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecid'/S fabricantes Piver e Cou-
dray.
No armazem do vapor francez, ra do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
rticos do diflerentes gostos e
plinntazias.
Espelhos dourados para salas e gabinetes.
Leqnes para senhoras e para meninas.
Lavas de Jonvin, de tio de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com msica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas ctm vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaqu multo bonitas para reto-
Rio*.
Brincos a uit icao e botSes de punhos de pla-
qu.
Bolsinhas c cofres de seda, de velludo e de coa-
rinho de cures.
Novos objectos de phantnzia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez do cores, de prata dourado, de ac e
de tartaruga.
Oculos de am lino e de todas as guarnicoes.
Bengalas de luv>, canna, cora cast5es de mar-
fim.
Bengallas diversas (m grande sorlimento para
homens e meninos.
Cbicotinhos de baleia c de multas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e para
barba.
Ditos de marCm muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas e para den-
tes..
Carteirinhas de medreperola para dinheiro.
Meias para horneas e para meninos.
Grava tas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
min e outros muitos diferentes jogninhos alle-
mes e franeezes.
Malas, boiras e saceos de viagem de mar e ca-
minhos de ferro.
Argolinbas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os denles.
Berros de vimes para embalar eriancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro roda?, para passeios de
criancas.
Venesianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gaz.
Esterescopos e eosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminacBes de
festas._
Baldes aereostaticos de papel de seda mu fcil
de subir.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palha e de peonas.
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrilbos para mangas e lanternas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras donradas e pretas para
qu adras.
Quadros ja promptos com paysagens e pbanta-
FIBIO DE FERRO E BfiOHZE
FABRICA DE MACHINAS
V na 4o Sarao da Triumpho (ra CARD0S0 IRMAO
AVtSAM as Srs. de engenhos e ao publico tm erl,fuo receforam da Europa
grande drUmwikii de fcrrngcns para engenhos e para iasouva, e quaesquer outros 's*)tw
e misteres da industria agrcola, o quo tudo vendem por M$ea raioarnis.
V apOreS horisontaes de A, 8 a 10 cavallos, os melhoraa que vem ao mercado.
MOen MeiaS DlOeiluaS para assentarem grades de madera.
TaxaS de felTO ",n*a'0 e batido, de todos os tanuuhoa e dos melhores fabri-
cantes.
Rodas d1agua de diversos tamanhos.
Rodas CmadaS de diversos tamanhos e qualidades.
Arados americanos de diversas qualidades.
Formas para assucar grandes, pintadas gansadas.
CoilCertOS C9acer^ com promptido qualquer obra ou machina, para o que team
swa fabrica bem montada, com grande bom pessoal.
EnOmnieil&aS Mandam vir Pr encommenda da Eurqpa, qualquer machinismo,
para o que se corresponden! com urna nespeitavel casa de Londres
e com ura dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
as ditas machinas, ese responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
Ra do Barao do Triumpho (ra do Bnim)ns. 100 a 104
FUNDIjAO DE CARDOSO IRMA O.
. Agencia Blandy Telegramma na ilha da ladeira.
E' provavel que a ecco entre Portugal e a ilha da Madeira, do Telegrapho Elc-
trico Submarino Brasileiro, esteja prompto para funecionar ao raez d'agosto do crrante
anno, e a supra mencionada agencia na referida ilha, otferece-se para transmittir ao seu
destino quaesquer telegrarsmas que lhe forem rcmettidos em enveloppe fechado, sobres-
criptado Agencia Blandy-Telegramma, Madeira. *
A linba telegraphica estabelecida na ilha da Madeira, pode transmittir telegrammas
para todas ns estajos telegraphicas na Europa, Asia, frica, America e Australia, custan-
do.oada telegramma de vinte palavras 39300, em moeda forte, alm das taxas da estadio
de Lisboa.
As ptssoas no continente da America do al, que quizerem utilisar-se da agen-
cia Blandy para a transmisso de telegrammas, deverao faze-los acompanhar de letras ou
cartas de crdito sobre Portugal ou Inglaterra, para o pagamento do custo dos telegram-
mas e das despezas da agencia.
Madeira, 15 dejulhode 1873.
Carlos R. Blandy.
Os precos para a transmisso de telegrammas da ilha da Madeira, suppe-se serena os
sega i ntes :
Para Portugal
Gihraltar
Hespanha
Malta <
Franca
Inglaterra
Allemanha, Hollanda, Dinamarca,
Russia, Norutga, Suecia, Blgica,
Austria, Italia, Grecia, Turqua, etc
Egypto, Portos do Mar Vermelho,
Turqua e Russia asitica, etc.
; Attenco
O cowelbo directar (la socieJIde UniSo Catholi-
caOrthodoica Peraanmucana resotreu mandar ce-
letcar-etn todos (.domingos e das nantitlcado*
uwamifw na jfreja de S. Pedro, a qual ter lugar
a %aa dmelo idk em ponto. Os memhras da
nsna sociedade -mai< passoaa que quizerem as-
.*jir a este acto, poderao onenrrer aquella iproja,
e a Hora cima indicada, a comeear de domingo
17 o turente.
Pukeira
IVnlou-"i! nerdta 8 do corrate, desde a ra No-
va at a friaro lio largo do Capiu), ou at a su-
jm da Tamaiineira, sonde so m deu nla f.-ilia na
tiaiittu i|ue huuve un trein das 6 til
taras da urde, .urna pnlceira de ouro esmaltada
de un, om om distico Sonvenir de Venexe : ro-
ga-sea^uemaitrrar aehado o favor de mandar
entregar na ra da Apollo n. JO, que se gratifl ara.
A4uga-*e-a casa terrea da ra do Coronel
Lamentan. M,4unpa com quintal grande e ar-
borisado, tendo 9 quartos no quintal e um galli-
nheint.ftortio'psra a ruado Jasinim : a tratar na
na do Perdeu se no dia i do crrente mez, da ra
da Unio staco dos trilhos urbanos de Olinda,
ou d'ahi at Olinda a quanlia de iSOiOOO em 2
sedulas, a pessoa que achou, se quizer restituir,
dirija se i praca do Conde d'Eu n. 32, 2.' andar,
que ser generosamente gratificado.
Na boledadseitio n. 27,
criado.
precisa-se de um
Escrayo fgido
Est fgido desde o dia 9, o escravo Manoel,
de propnedade do 6r. Joao do Sonza Das Valla-
dlo que se aeha em Fernando ; o dito escravo tem
os signaes seguintes : pardo escaro, barba cerra-
da e pooea, tem o andar descansado, cabera
baixa, anda com camisa verde e chapeo de palha
preto. Quem o anpreheader e levar ao largo da
Assemblea n. 17 ser recompensado.
OTerece-ee um criado para servico de urna
casa, que copeiro ; na ra da imperalriz n. 9.
Perdeu-se em a noite de 9 do corrente na
travessa de S. Jos ou na ra das Calcadas, ama
pulseira de ouro com um pequeo camafeu de co-
ral sobre a chapa: recommenda-se generosamente
a quem a levar roa Imperial a. 1
Aluga-se
O sobrado n. 151, sito a ra Imperul : a tratar
na^rua da Aurora n. 51.
Jos Antonio Pinto pela presteza de sna via-
gem Europa, nao podendo despedir-se de todos
es seas amigos, o vem fazer por meio do presente
olTerecer-lhes o seu pouco presumo onde se
achar.
Precisa se de om bom eocinbeiro : roa do
Hospicio n. 33.
West id Brasilian Tefegrapli
fi0Hipinv Limited
103. Camin Street. E C.
Capital 'jf 1,350,000
em aceces de 3f iO cada umn.
tlumatorisa(;aode emittir 230,000
em Debentures.
Presidente
Jobn Heugh Esq.
Direct)re8
E. .W. Barnett C E.
hO.
Esq.
Esq.
Esq.
Esq.
M. P.
M. P.
Joliu Mikv
Nathai iel IJncliley
Wilb.iiii FiiHimi
Jame- Htggiugs
Alred Seymour
Banqneiros
Srs. Smith Payae A Smilhs.
Secretario
Sr. James Sutherland.
Engenheiros
Sir Wifiam Thomson L. L. D. F. R. S.
Fleeining Jeukin Esq. F. H. S.
Gerente d trafego
Sr. Robert M. Hyde.
Engenheiro em chefe
Sr F. A Orniiston.
Esta companhia est agora enllocando cabos te-
legraphicos pela costa do Brasil e dalli por-accor-
do adquire o cabo que liga o Brasil com Mon-
tevideo.
Esta serie de linha* de commnnieacao estabele-
cida na costa, ligada por um arranjo feito com a
Brasilian Telegraph Companv Limited, cujo cabo
ligar Pernambuco com Lisboa, por outro lad
por aerordo feito com a Central America Tele-
graph Giinpany Limited, cujo rabo ligar o Para
com a ilha de S. Thomaz, as West indies.
Como Lisboa est em communicaco telegraphi-
ca com toda a Europa e com o Oriente, emquanto
que a crmmun ca<;o estabelecida com a ilha de
S. Thomaz para os Estados-Unidos da America,
pelas linhas desta companhia, nao so ficarao os
dilTereutes portos do Brasil em eonununicaco te-
legraphica entre si e com o Rio da Prata. como
tambem o imperio do Brasil c os estados do Rio
da Prata ficaro em immediata communicaco tele-
graphica com as principaes cidades da Europa,
Asia e America do norte.
a?

o.
* i.
0.
1.
16.
1.
17.
1.
a
a
a
a
0.
0.
0.
1.
1.
1.
13. 8
16.0
18. 0
3. 3
5. 3
1.8
i. 5. 0
1. 15. 0
c. 1. 10. 0 a 3. 15. 0
etc. 3. 15. 0 a 5. 5. 0
etc. 4. 10. 0 a K 5. 10. 0
6. 10. 0 a 7. 15. 0
10. 0. 0 a 10. 10. 0
America do Norte, Antilhas,
India, Penang, Singapoore,
Java, China, Japn, etc.
Australia
Para mais informneoes, quem quizer dirija-se aos agentes em Pernambuco.
Wilion Rowe A C.
Ra do Commercion. 14.
Joaquim da Silva Costa pede a seas devedo
res que qaanto antes venham saldar seus dbitos,
com o que evitaran desgostos futuros.
Caixeiro.
Precisa se de um caixeiro com pratica para ta-
verna : na ra do Rangel n. 3.
Aluga-se.
O segundo andar do sobrado da ra da Guia n.
62, grande, caiado e pintado de novo : na ra
da Senzalla Nova n. I.
Doces, fructas e flores.
Na ra da Cruz n. 6 tem sempre todos os dias
sorvetes, das II horas em diante.
Agua divina contra cancros syphilicos
ra Nova n. 16.
na
.illeilfa
Quem precisar de boas amas seccas e de leite,
assim como copeiros, criados e jardineiros, diri-
jani-se ao largo de S. Pedro n. 3, loja._________
Offerece se urna ama para cozinhar e en-
gommar: na ra do Duque de Caxias n. 7, I.*
andar.
At
vir.
0 Sr. Jos Alvos Machado Guimaraes pela se-
gunda vez rogado a vir ra do Imperador n. 28,
a negocio de seu interesse.
aa.
Estampas avulsas de santos, paysagens e pban-
tazias.
Objectos de mgicas para divertimentos em fa-
milia.
Realejos pequeos de veio com liadas pecas.
Realejos harmnicos ou accordions de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias difflceis de mencionar-se. No armazem do
vapor francez, roa do Bario da Victoria, outr'ora
ova n. 7.
Brinquedos para meninos.
tTA roaior variedade que se pode desejarde todos
os brinqoedos fabricados em diflerentes partes
da Europa para entretenimeDlo das eriancas todo
precos mais resumidos que possivel: no ir-
zem do vapor francez, roa do Bario da Vic-
a, outr'ora roa Nova n. 7.
para costura
Grande sortimento de bonito modelos chocados
ao armazem do vapor francez, roa do Bario da
Victoria (outr'ora Nova) a. 7.
Oleados
56 aRa do Mrquez de Olinda 56 a
(outr'ora ra la Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
dado pelos grandes depsitos e bons sorumentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo
la, desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para pereito e rpido descarogamento ; tornam-se dignas de
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontrario
tambem mais :
Tornos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cilindros americanos para nadaras.
I'ertenras avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
Iho e caf.
Debulhadores para milho.
Azeite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Jpy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estn liado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Apurados vapores locomoveis, deforca
de 2!/i e 3'/i cavallos com todos perleras
precisos para trabalharcm 4 machinas para
algodo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mo para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos cora vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
No engenho da ^apucala de Beberibe pre-
cisa-se de um feitor.
- Precisa-se de urna rnulher de boa conduct
para fazer companhia a urna pequeni familia : na
roa de Hortas n. 03.______________
Precisa-se fallar com a Sra. Emilia Amorim
residente outr'ora no pateo do Terco, a roa do
Imperador, segundo andar, por cima do Prato de
Ouro, entrada pelo caes 22 de Novembro, ne
gocio de sea interesse._________________
Sociedade Recreativa Ju-
ventude.
Por ordem do presidente convido aos Srs. so-
cios, para se reunirem domingo 17 do correte
pelas 6 horas da manh em assembla geral, alim
de procederem a eleicio da directora para o an-
no de 1873 a 71. visto nao ter tido lugar no do-
mingo nltimo pelo adiamntenlo da hora.
Secretaria da S> n dade Recreativa Juventude'
13 de agosto de 1873.
Francisco Vianna,
1.* secretario.
LUIZ.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, que soavista e neste estabeleomoderaoeDtp s
examinados.
baratos.
Oleado bonitos e muito barates, para cima de
no armazem do vapor francez, roa do Ba-
da Victoria ootr'ora Nova n. 7.
Para sitio
Precisa-e de ura trabaihader para tratar de um
sitio pequeo : a fallar na roa sv* u. ID, pri-
i eiro andar.
GRANDE
HOTEL DA INDEPENDENCIA
AMIGO ESTAMINET
Zi In ihi Imperador 32
Almo^os
Lunch
Jantares
Ceias e bebidas de todas as qualidades a qualquer hora.
Limpeza servido poatual e apurado com o qual ninguem pode competir.
Tem magnficos apoaantos para alugar e ,
BONS U\l U\\\S
O proprietario dsnensa-se de elogiar o hbil e raro cozinheiro francez. a res-
peito do qual podem ser consuljados os verdadeiros gastrnomos que j apreciaram .
sua arte.
Os maiartesomidoa do mondo.
PRESOS
Em 9 do corrente mez deseppareceu do engenho
Mega de Baixo, fi egaezia de S. Loarenco de Teja-
cupapo, o mulato l.uiz, que representa 25 annos,
mais on menos, natural da provincia da Parahyba,
tem ps grandes, urna costura de talho n um braco
e o signa! bem visivel do dedo pollegar da mao &>-
qaerda cortado quasi ao meio, proveniente de um
golpe de foice descascando um coco. Quem o ap-
prehender e levar ao referido engenho on nesta
praca na do Bom Jess n. 30, ser recompen-
sado.
DE
FAZEXDAS FINAS
RA PIUMEIRO Di MAMO N. 7 A
E' esta casa, sem duvida, urna das que luije pode
com primazia apreseniar aos seus fregoezes um
variadissimo sortimeKto do fazendas linas para
grande fo/Wt>,assim como para o uso ordinario de
bidas as classes e por precos vantajosos para os
compradores.
Os donos deste importante estabelecimento con-
vidara ao respeitavel publico e particularmente
aos seus freguezes a darem um passeio por seu
estabelecimento, a alim de veriticarem a veracida-
de de seus annuncios, e com vantagem supprirem-
se dos artigos que Ihes forera mister, de aojos
fazem um pequeo resumo.
Mandam fazendas s casas dos pretendentes,
para o que tem o petsoal necessario e do amos-
tras mediante penhor.
SEDAS
Cortes de seda de lulas cores, grosdenaples de
todas as cores.
Gorguro hranco e preto.
Setim Maco preto e de cures.
Velludo preto.
Grosdenaples pretas e de cores.
Granadiuede seda preta e com listras e palmas de
cores, lindsimos padroes e fazenda de ultima
moda.
Fil de seda hranco e preto.
Ricas basquinas de seda.
Colxas de seda para noivos.
Mantas brasileiras.
Cortes de cambraias branca com linios bordados.
Capeilas e mantas para noivas.
Ponpelinas de lindo-* padroes.
Reqnissimo sortimento de las com listras de seda.
Cambraias de cores, ditas mariposas brancas e de
cores.
Nansuck de lindos padroes.
Baptistas de padroes mui delicados.
Percalinas de quadros pretos e brancos.
Brins de linho de cores proprios para vestidos.
Fustoes de lindas cores.
Casaquinhos de las de cores para senhoras.
Saias bordadas para senhoras.
Vestuarios para meninos.
Ditos para baptisados.
Chapeos para ditos.
Toalhas de cambraia de linho com lindos bor-
dados.
Fronhas bordadas.
Colxas de la.
Cortinados bordados.
Camisas bordadas para homens.
Meias de-cores para homens e menino*.
Chapeos com caslao dentarliin para humen*.
itos para senhoras.
Merino de cores para vestidos.
Ditos pretos.
Casemiras, chitas, madapoloes, cambraias etc. etc.
na loja do Passo ra Primeiro de Mareo n. 7 A,
atiga do Crespo.
DE
Cordcii'o Sintesj rt C
("zinheiro para hotel ns r"-
a iralM' w> paio do Tuvo
Escravo rgido
Fugo do engenho Quilcbas, do termo de Seri-
nhaeni. ao amanhecer do di i 7 do corrente, o es-
cravo JuaquiH, cabra, alio > seceo do carpo, penca
barba, rosto comprido, rc|iresenla ter 40 annos,
leyou chapeo do Chile e ja'pteta de riscado de
hrn ;' reeominenda se as aiu ridades policiaes e-
capiles do campo a a>pi4iwi!w) d dilo escravo,
recebendo uma b::^r.lille;ico na occasio d
entrega, nesta cidde a roa ro Bo n iesus n. 5,
ou m dito crigenlto.
Cozinheiro.
Preelsa-se de um
dada tU Victoria :
i). 8a.
- O commendador uztbio Raphael Rabell*
alaga o sea sitio no Csldereiro, com grande casa
terrea e um sobrado para graale familia. tm>
ptimas accommoda'.'oes. Quem o pretender di-
rija-se ao mesmo para o ver, e tratar ao ea-
criplorio, na ra do Trapiclie n. 48. primeiro an-
dar.___________________ '
Ao publico.
Domingos Mara Goncalves, consol portugus
de 1' classe e en *arregado que foi 4o consolarte
de Portugal em Pernambuco nos ltimos treze ma-
tes, participa aos seus amigos, tanto naekraaas
como portuguezes, que tem e seu escrptorio ne-
nia Primeiro de Marco n. 23, t- aadar, ntica rea
do Crespo onde'pode ser procurado todos os
dias nao santilicados, das 9 turas da maaba s >
da tarde._______________________________
MOFINA
Est encotirac.ado!!!
Roga-se ao lllm. Sr. Igna -io Vieira de Melle,
escrivao na cidade de Nazareih tVasa provineia, e
favor de vir ra Duque de Caiiaa n. 36, eoa-
cluir aquelle negocio que 8. S. se eomprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, e
Mns de dezembro de 1871, e depois para janeire,
passou revereiro e abril de 187,e nada cumprio;
e por este motivo de> novo chamado para dito
tira, pois S. S. se deve lembrar que este negocio *
de mais de oito annos, e uuando a Sr. seu ftlho se
achava uesla cidade.
Casa.
Aluga-se a casa n. 123 no Caminho Novo:
chave est na venda de junto; tem bom quintal e
Hca perto a mtaeao da Soledade da estrada de
ferro do Casanga.
AilENCAO
Precisa-se de ama ama forra ou captiva para
comprar e cozinhar para casa de uma familia
eomposta de duas pessoas, paga se bem se agra-
dar : a tratar no pateo do Hospital n. 28, 1* e 2*
andares,_______________________________
Garanhuns.
Na roa
fallar aos
Jos Paes
reste.
do Bario da Victoria n. 36rpreeisase
Srs. Pedro de Reg Chaves Peixoto e
da Silva, a negocio de particular inte-
Uma senhora, capaz, offerece-se para engom-
mar em ama casa de pouca familia; indo a 7
horas da manh e sahindo s 7 da nonte: quem
precisar, dirua-se roa da Palma n. 90.
Aligase
ol* andar do sobrado n. 80 da ra do Bom Jess
;raa da Cruz), proprio para eseriptorio : a tratar
comKeller A C, roa do Bom tesas n. 55.
Precisa-se de ora feitor que entenda de servi-
fi de berta e jardim : no Co legio da Conceice,
roa de S. Francisco n. 72.
Aluga-se
om qaarto e uma sala por proco commodo, prefe
rindo-se mulher, e essa que seia desempedida
de homem : tratar na roa do Padre Floriano n.
71, loja___________;____________________
de Mathias Ferrei-
: a tratar ra do
Alaga se ama casa na roa
ra, com quintal e cacimba
Amorim n, 37.
Quem precisar de um moco chegado ha pou-
co da Europa para caixeiro de armazem ou venda,
dirjase ra da Palma n. 19.
Por machina,
Pauta-se papel de todos os tamanhos. Risca
se por modello e a Tontada do fregoez, papel para
livros, mappas, manifestos, folhas de empregados,
facturas, contas correntes e de venda, despachos
e todo e qualquer trabalho neste sentido com
limpeza e promptido : na
Encadernago Brasileira.
estabelecida ra Duque de Caxias n. 21, onde
tambem encaderna-se livros em branco ou im-
pressos e doura-se sobre panno, papel, conro,
veludo, seda e pergaminho.
Garante-se a pessoa que honrar ete estabele-
cimento com sua encommenda que nao sahir
descontente : ra do Duque de Caxias n. 21.
ATTE^AO
Pede-se a todos os devedores da loja n. 48 da
ra da Imperatriz, de Paulo GuimarSes, que vSo
saldar suas contas no praso de oito dias, e se as-
sim nao fizerem verao seus nomes por extenso, e
sem excepcan alguma. ______
G. A. Schnorbiiscii,
Os melhores charutos da
Baha.
Regaba Britnica.
Regala Imperial.
Regala Real.
Riachu-llos.
Demcratas.
Suspiros.
Conchas.
Operas.
Principe de Bismarck.
Trabucos.
Bahas.
Deposito em Pernambuco no armazem de Cunta
ty Manta, ra do Mrquez de Olinda n. 23.
Pagaraentp de dividendo
Paga-se o 39. dividen lo das aeges do
Banco do Brasil, inscriptas na extincta cair
xa filial d'esta provincia, razo deSCOOO1
por acc^ao ; ra do Vigaro n. 1.
AL(U=SE
o sitio de Henifica n. 8 (Passa(:em da Magdalena),
com casa e sotao de grandes commodos para nu-
merosa familia, margem do rio Capiharibe.
passando os trilhos dos bonds na porta : a tratar
com Jos Francisco de S Leito, em Olinda, hv-
deira do Varadonro, casa n. 22, e no Recife, ra
do Apollo n. 36, 2 andar, ou na ra do Commer-
c;o, armazem ns. lie 13.
Pos de Mine. CMeliani contra a tosse, nico
e verdadeiro remedio, recebido directamente : na
na Nova n. 16.
l ODireito. I
Importante jornal de
noticias.
Publicase tres vezes por se-
mana, mk
Na) Po to.
Assignatura por anno I8JO00 W
Seis mezes 9z000 A
Tres mezes 5J00O
Recbese assignaturas a roa do Cres- 9
po n. tO. JM
( E' rcecbido por todos es paquete*.) 2
m
0
m
0
i
0
00*8* $*****
B OITerece-se uraa ama para casa de homem
soltero, que engomma cora perfeicao ; a ra das
Cruzes n. 5.
%:
g
ua do Visconde de Aibuquerque n.
outr'ora ra da matriz da Boa-Vista
Chamados : a qualquer hora.
Consultas: Aos pobres gratis, das 2 s
horas da tarde.
Aluga-se
o armazem da roa do Imperador n. 27 : a tratar
na ra do Rangel n. 7.
AVISO.
Um moco se offerece a ser cobrador nesta eida-
de e seus arrabaldes das lujas commerciaes, com
o pagamento do estylo, on daquelle que ajusfar,
aprsenla fiador sua conducta, e de t da quan-
tia que receber, flanea idnea de um proprietario :
qpem pretender procure na ra do Mondego, ota-
ria n 33, porto.
Precisa-se de uma preta para vender doces,
bolos etc., e que d fiador da sua conducta, a tra-
tar na Prava do Conde d'Eu n. 7, 1.* andar. Na
niesma casa encarrega-se tambem de aviar qual-
quer encommenda que se lhe faca, e tudo por
proco razoavel ____________
Ao Sr. 1. 0. V. pede-se o favor de mandar a
casa n. 28, ra da Saudade, pagar o sea aceite
firmado no Rio Grande do Norte, e vencido no
dia :0 de dezembro de 1872.-D. H. O.________
O abaixo aasignado/lendo na Anurica /tw-
trada de sabbado 9 do corrente, no expediente,
ama noticia que diz respeito a um Fonceca, pren-
sarlo ; vm nela imprensa ro?ar ao mesmo redac-
tor o favor de declarar se se entende com o mes
roo abaixo assignado, visto ser elle o nico com
tal norae que commercia nesse genero.
Recife, ti de agosto de 1873.
______Rodolpho Xavier de Seuza Fonceca.
No pateo do Carmo, sobrado n. 9, 2* aasar.
precisa-se de pretas para vender bolos da vea4a-
gem. Na mesma casa arroam se bandeijas, e ie-
cebem-se quaasquer eacommoodas deste genaro.
Tioiisultorio ineilico-eirurgico 8
g DE K
S A. B. da Silva Maia. Q
d Ra
JF II, on
Kt>XKK> ] XSXKIOOO0
Negocios de Portugal e Hes-
panha.
Domingos Maria Goncalves participa que fe env
arrega promover o bom andamento de quaesquer
quistos judieiaes nos dous paizes cima mencio-
nados, para o que est habilitado com um pessoal
competentsimo de correspondentes. Escriptorie
ra Primeiro de Marco n. 23, (antiga do Crespo)
Precisa-se de nm offlrial do barbeiro, do s-
lo da roa das Larangoiras n. 19 : a tratar com e
dono do mesmo.
Hotel Aguia d'Ouro.
Fornece-se comida com promptido por com-
modo preco, nao s para mandar em casas par-
ticulares, como tambem se encontrar papa, das
f as 7 horas da manh : na roa estreita do Rosa-
ra n. 23.
Escravo fgido.
de gratificacao. ?
15
.Ausentuu-se desdo o dia 13 de malo de I67S,
preto de nome Alfredo, de triata e tantos annos,
erioulo e bastante ladino ; este preto perfeile
eozinheiro, estatura alta, magro o I nos grandes, i
esteva no engenho do Sr. Luid de Caiara em S.
Lourenco da Matta, orte consta ter parantes, fot
escravo dos Srs. Adriano A Castro, e do Sr, Jos
Joaquim Gnncalves Bastes, negociantes desta pra-
ca ; de lodos cates senherea fot cozinheiro, tem
sido visto por pessoas que o coaheeenJ duendo
qoe est forro, assim tem podido escapar de ser
prezo. Pede-se a todas as autoridades e capitaes
campo que o pegando tew-o roa do Duque de
Caxias n. 91, loja de rotadai do Rival sem se-
gundo qoe reeeber a gratittracio cima decla-
rada.
&&> At vir.
0 Sr. Jee Persira Loase* psla sefunda es
regado vir i ra 4o Imperador n. 28, a i
da son mtaraaae.


V


I

\
V

Diio de Pernambuoo jQuinta feira^H de Agosto de
H,
Coziuheira.
Precisa se do iwna awa pie *) p^rfoJU m!f
eme o (|Hk iifih.i fm rvnftirta : tratar i
S.-U.U. Aman. miMtniMMM na dAmiu* a.
I', i.
i
*
MEURON&C.
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois qne os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cuja desenho se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores qne quizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
MEURON ft C.
tar
rVci-sa-H l*ajjaV 4na.
ana fcleK; a tta-
AMA:
Orrere-se nia ana (criada)
qne ose, ha e t*tjjma roupa:
ifl !| f\ j tratar a roa, na raih n. 3,
seftindo andar. J" mniata e lea' consifo O111
fllho pequeo. ...
- IVrrNa-i* A* urna ana para couubar : Ba
ra da Pecha a. 13, andar._______________
Precisa-ae de ama ama de teite sem Gibo :
na rna da Penha n. C, 1 indar,_________^^
Na roa do Capibaribe n. 40,
prprisa-se de ama ama para
coxinhar o diario de pequea
familia.
AMA
AMA
Precisase de urna ama que
saiba eozinhar bem : na ra
do Hospicio n. 80. ______
Precisa-te de ana ama para comprar e o-
rinhar : na roa do Coronel Suassuna n. 1.
\ mn Precisase de urna ana para eozinhar*
Am ra do Bario da Victoria n. ti.
PNDICAO DO BOWMAN
RA DO BRffl N. 52
(Paseando o chafariz)
PEDEM AOS senhores de engenho e oatros agricultores, e ero prega do rea de m
cinismo o favor de orna visita a sea estabelecimeatu, para verem o i-ovo tortimeoto
omplet i foe abi tem; aeado todo superior em qualidade e fortidJo; o que com a ios
(Noci Mss-uri pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENgO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDICAO
ITa-nnrAa a rnrliq rf'fijrnfl. d8 raais mlerna8 ** **
apuros O I UUaS U. ag ua maobos convenientes para as diversas
rcamstsncias dos seobores proprie taos e para desea roca r algodio.
Moendas de canna 8 tMDaDtM)8' +** qM **
Rodas dentadas paManlmae8- ***"
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques a fundos de alambiques.
HTflPVnfnQTTlfiQ Para mandioca e alg;od3o,| Podendo todos
Bombas
Todas as machinas
Fas qualquer concert
Formas de ferro
Encommendas.
e para serrar madeira.
de patente, garantidas
ser movidos a ruo
por agua, vapor,
oa animaos,
e pecas de qne se costoma precisar.
de macbiismo, a prego mu i resumido.
BR1LHANTE
1
\
tem as melbores e mais baratas existentes no mer-
cado.
Incombe-se de mandar vir qualquer macbinismo i veo-
tade d is clientes, lembrsndo-lbes a vantagem de fazerem
roas compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qualquer necessidade pode
.hes prestar auxilio.
Arados americanos iMtnamm i*01"-
v RA DO BRUM N. 52
TASSANDO O CHAFARIZ
lA COROA
laja na joyas
Esquina da ra do Cabug n. 11
CONFRONTE AO PATEO DA MATRIZ DE SANTO ANTONIO.
JEste importante estabelecimento, tendo grande sortimento de joias de ouro de lei,
resdtoneu vender raoito barato 20 /o menos que em outra qualquer parte, as seguintes
joias -i
Aderecos de brilhaotes, de modernos e delicados gostos.
Ditos com rubins, esmeraldas e perolas:
Adas de bonitas perulas e cruzes de brilhantes para noivas.
Medalhes de coral.
A Corda Brilliante contina a ter grande sortimento de madalhdes de coral, camatfeu
e ow* com bouquets de perolas e diamantes, cassoletas de ouro e pedras pretas com lcttras,
de 100 a 263000.
_ Cadeias para relogws.
A Corda Brilbante recebe sempre quantidade de cadeias de ouro, de tai, para homens,
,i 69404 a oitava, e tambem para wn horas.
Cassoletas para senhoras, com lettras, a 60 e 120000.
Brincos de variados gostos, para senboras e meninas, de 50 a 200000 etc.
Anneisde amethysta com lettras de diamantes, de 60 a 80000.
Pinee-nezstrancelins em caixinhas de velludo, para presentes.
Medalhas milagrosas.
, ACoroa Brilhaae tem medalhas milagrosas e das Dores, de ouro a 70000, e prata
dourada a 10000. Tambem tem sortimento de pinconez e oculos de ac fino e rattaruga,
ebegados recentemente, por procos mui commodos.
Connda-se as Exmas. familias Tisitarem a loja da Corda Brilhante, oa ra do Cabu-
jgi n. 11, a qual continuar a berta no i te at 8 boras.
Garante-se o ouro e pedras preciosas.
~ HOTEL
Restaurant de Bordeaux
Ra Primeiro de Marc,on. 7 A, 1. andar.
Lacoste perito cozinbeiro francez, tendo tido a felicidade de agradar ao respeitave
publico desta bella capital (a vista da concurrencia que tem seu botel) acaba de apromp
tur no 2.* andar, quartos mobiliados enm gosto e a preco muito razoavel.
Recebem-se assignaturas.
GMAI TOBOSAS WIVS.
Aberte desde s 6 boras d'amanb, at s 10 da noute.
Escravo fgido.
Fupio do engenho P;o da comarca de Palma-
res do termo do Agua-Preta, no da 28 do mei
passado, o escravo Antonio, crioulo, idade 38 a 40
annos, barbado e est j pialando de cabellos
brancos, meio beicudo, olbos ura pouco brancos,
levou vestido camisa de algodo azul, calca de
riscado, chapeo de bala parda; oi comprado
na cidade do Recite ae Sr. Jos Doroinguas Maia.
morador em Apipucos, julga-sse ter ido para Ca-
maragibe em Porto Calvo, no lugar Santa Laiza,
d'onde antes de vir para o Recife foi escravo de
Manoel Lins Carneiro de Albuquerqne, une o
vendeu ao Sr. Jos Paulo Botelho e este ao j
dito Jos Domingues Maia, ambos desta cidade:
quem o apprehender ou ver noticia, leve-a ao
proprielario do engenho cima, ou no Recife a
Genuino Jos da Rosa, ra de Pedro Alfonso,
antiga 4a Praia, que ser generosamente gratifi-
cado.
ijf w ytf w w CfMisllorio medico cirurgico *
po A
I>r. Ferreira
Anttfo gabinete de sen pai, ra larga J
hr Rosario n. 20. ^g
Cura de hydrc celes sem injeccao, yp
eom punc>;o-capillar.
Aben ura de abeessos e extraerlo de
f)->rramamen serosos, peto aspirador
de Petain

@@s
Protesto.
Criado.
Precisare de im erWe lra cau de familia, e
que saja d boa eoadoeta, para faier as compras
e todo sarvieo neceasarie: aa ra da Imperatriz
d |g, t'aaar___________________________
Cozinheiro
Preeisa.se de na eosmWro, aa roa dp Cordonk I
p. I, Porte do Manos.
Jrmandade de Sant'Anna,
erecta na igreja da Sania
Cruz.
Contrata-se nra sacerdote para capello deata
irmsndade : inu-se na roa do Bario de S. Borja
0 secretario
. Mareolji lose Pape.
Constando-nos que nosso cunhado Alfredo Car-
dos.. I', re ira i|uer vender o que elle e nos tem s
de baver do inventario de S. Cruz ao teoente-co-
ronel Jo o Carlos de Mendonca Vasconcellos sem
audiencia nqssa, pelo presente annuncio prolesta-
mos pela validado de qualquer negocio que o
mesmo nosso cunhado Alfredo faca, seja com
quem for, na qualidade de nosso procurador, e em
virtude de procurarlo que ihe passamos para li-
quidar a baratea de noss i finado pai Francisco
Alfonso de Mello, e par essa forma tcam cassados
todos os poderes de qualquer procuracao nossa
ara o mesmo nosso cunhado Alfredo. Engenho
eriquito, 6 de agosto de 1873.
Francisco Affonso de Mello.
Antonio Affonso de Mello.
Joaqnim Sinfroni* Affonso de Mello
Mariana Victorina de Mello.
___________Mauoel Simplicio Alfonso de Mello.
Major Bernardo Luiz Ferrei-
ra Cesar Loureiro.
D. Franc sea Jacintha Cesar Loureiro, tenente
Capitulino Cesar Loureiro, bacharel Manoel Leite
Cesar Loureiro (ausente), D. Maria B. de Mello
Cesar Loureiro, D. Thereta H. de Mello Cesar Lou-
reiro, (J. Luzia Cesar Lonreiro e D. Anna de Oli-
veira Osar Loureiro, rogam aos sens parentes e
amigos o earidoso obsequio de assistirem a urna
mis-a (|u mandam celebrar por alma de seu fi-
nado marido, pai e sagro, o major Bernardo Luiz
Ferreira Cesar Loureiro, no dia II do corrate,
s 7 horas da manha, 6* anniversario de seu pas-
sament, na igreja do convento do Carmo desta
cidade.
Sendo quinla-fcira 14 do crrente mez o pri-
meiro anniversario do fallecimento de Joaquim
Goncalves Cascan, os filhos e genros do mesmo
convidam as pessoas de sna amizade para assisti-
rem as missas que, em suflragio a auna daquelle
finado, mandam celebrar s 7 <|2 boras da ma-
nlia daquelle dia, na igreja matriz da Boa-Vista.
Aliiga-se
o terceiro andar da roa do Vigario Tenorio n. 20:
a tral r ra do Amorim n. 37.
PENHORES
Natravessa da ra
das Cruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qualfora quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaes e pedras.
Cozinheiro.
%ecisa-se de um bom cozinheiro : o tratar na
ra do Bom Jesns n. 3.
Aluga-fe a easa n. 63 da roa da Pataoa, fres
ca e com boas aeeommodaedes para familia : a
entender-se eom o Sr. Bemardino Pontaal, aa roa
da Madre de Dos n. 38.
CRIADO
Precisase de am da boa ftoitaet
na roa 4 Boa Jaiua u 3.
atraaw
A mA Precisa-se de urna ama de meia idade
*aua' para servioo jflerco e externo de urna
easa de das pessoas : na roa do Coronel Suassu-
a (antiga roa Augusta) n. <88._____________
Precisase de duas amas, sendo
urna para costaba e outra para en-
gommado, para as de pequea fa-
milia : a tratar na raa do Bario da
Victoria n. 38, (outr'ora Nova).
AtTi1 Precisa sede ama ama, com urgencia,
auioi p,,^ gjgj de pequenj familia, prefe. e-ie
escrava : ha ra da UniSo n. 49.
AMA
Relojoeiro e dourador por-
tuguez.
Albino Baplista da Rocha, de
voita da Europa, contina a en-
carrejarse de concertar e dou-
rar relogios, bem como qualquer
outro objecto :- rogando a seus
amigos e fregueses o obsequio de
procralo na trave-sa da ra das
Cruzes n. 14, i* andar, por tras da praca da Inde-
pendencia, que o encontrara prompto a garantir
seus trabalhos e a faze-los por procos mdicos.
Tres Mundos
POR
D. AITOIVIO DA COSTA
Mundo Barbara-Mundo Romano
Mundo christao.
Um volume ntidamente imuresso
34000
LIVRARIA FRRNCEZA.
Attenco
Pede-se ao Sr. tenente-co-
ronel Manoel Joaquim do
Reg Albuquerque, o favor
de vir ou mandar ra do
Coronel Suassuna n. 4, ne-
gocio que S. S. nao ignora.
Caixeiro
Precisa-se de am caixeiro de 10 a 12 annos de
idade, com pratica de (averna : na ra do '.onde
da Boa Vista n. 87._______________________
Verdadeiras bixas hambur-
guezas.
As nicas chegadas neste ultimo vapor francez:
na ra da Cadeia do Recife n. 51, primeiro in-
dar.
m\\\\\\\ ALLEI1A
Ra de Mathias de Albu-
querque n 8.
(ANTIGA RA DAS FLORES).
O proprielario deste estabelecimento declara que
e*t prompto a amolar, aliar e polir qualquer
rain en (a de ac, a saber:
fer-
nava
eomo thesouras,
Ibas, facas e caivetes.
AVISO.
Os senhores doutores e eirurgioes por quaesquer
intrumentos que precisem para os seus trabalhos,
acraro o propnetario deste estabelecimento sem-
pre prompto a concertar e por em estado novo e
perfeito.
' Consultorio homeopa-
thico
Do Dr. Santos Mello
41------Ra do Impera-lor------41
Consultas todos os das das 11 I da
Urde.
'ratis aos pobres.
Residencia ra Nova n. 7, segundo
andar, onde d consultas das 6 s 9 da
manli e das 3 as 5 da tarde.
Chamados a qualquer hora.

*
*
*
0
0
0
0
0
0
0
0
0
0
Escravo fgido.
Boa rali lie orto
Ausentou-se a 30 de iunho ultimo o escravo
Martinho, trajando calca de la escura, eamisa de
madapoln, chapeo baixo de pello branco, e con-
duzindo am balaio de compras, com urna calca de
li enxadresada de verde e um par de botas. Este
escravo tem 18 annos de idade, cor parda alaran-
jada, cabellos um pouco fresnos, testa larga, esta-
tura regular boa figura inteiligente, bom copeiro,
cozis a soffrivelmente, e dcsconfia-se que sabe ler
e escrever ara pouco. E' natural da Serra do Mar-
tins do Rio Grande do Norte, onde tem familia, e
resida o seu primeiro senhor. Consta que tem ap-
paieeido no bairro da Boa-Vista e em 'fugados, e
suppde se que, eomo seja cozinheiro, tenha-se con-
tratado com alguem era urna daquellas freguezias.
Rogare a apprehensao do dito escravo, eonduzin-
do-o ra do Conde da Boa-Vista n. 51, ou ra
do Bom Jess n. 3, onde se gratificar generosa-
mente.____________________________'
Os curadoores fiscaes, no carcter de admi-
nistradores da raassa fallida de l ao Antonio Fer-
reira, convidam aos crederes da referida massa
apresentarem seus ttulos no prazo de 8 das, im-
prorogaveis, alm de serem verificados e classi-
fleados. A entrega dos ttulos dever ser feita no
e-cripturio da casa n. li, travessa da Madre de
Deas.
Recife, 8 de agosto de 1873._________^^^
Aluga-se
um excelente sobrado de um andar com solea, e
com extraordinario commodo, bastante fresca, na
ra Formosa, a qual faz esquina para a travessa
dos Ferreiros: a tratar com Antonio C M. Tem -
poral. em seu e:criptorio ra do Bom Jesns n.
51.
VNDAS.
Vende-se ou admitte-se um socio na tavrna
da ra Imperial u. 188 junto ao chatariz,
Yende-fie ou ahiga-s
a casa de ferro, forrada de feltro e madeira sita
am Sant'Anna, junto a estacao : trata-ae n roa
do Bom Jesoa n. 4, armazem
Mobilia
Vende-se Ul_
peuco use e bom aoaaervaii: M raa 4o Bario
Is Triumpho n. (eutr'ora do Brum).
i mobilia grande da Jacaranda^ eom
Aos dez mii1 f-ovads delasinlias'
' m rs.
Ifalpjti do Povn.
l.\Z*,ft.A V, 5^u*
I. ./.LViits V 50fl US.
I.-iZ1MIA.>A :w.) IIS.
0|Pvno receb<'B um (jjtitiilt sorleti ilnjfcuis Imjl.is'lazii.lhis pan r.-.-iiilo *l> s*-
uliuras ole ineiiinas, co;a iklicajosJMwr'dofi
muidos e gr.iiidos, que vende pelo burtuissi-
mo preco do 300 rs. o covado, por haver
grande^orc,o., E' pechincba, na ra da
Imperatriz n. W, toja do Paran.
ROrO-VCSTTtOB -A' I DE JLIHX) POU
129000.
O Pavio recebeu um elegante sortimento
dos mais lidos modernos cortes do cam-
braia para vestidos, sendo a uso da corte e
2 de julbo, com os mais bonitos enfeitos, e
tendo bastante fazenda : assim como baba-
dos, rendas, recidiz e enlremeios, sufficien-
tes para as guarnieres, e vende pelo bara-
to prego de 129000 cada corte. Na leja
do Paveo ra da Imperatriz n. 60.
E' twrati!
Liquidacak) dinheiro
Na ra da Cadeia de Recife, loja que tem urna
nandeirola com este titulo, se estao venciendo fa
zendas mnito baratas : quem quizer fazer econo-
ma deve r comprar antes que se acabem, pois
quera arremato a loja tem de entrega-la por estes
das.
Veade-se una casa terrea na ra; dos Bur-
gos n. 15, lera 2 salas, 2 quartos, coziuha fra e
Siiital, chao proprio : a tratar na ra da -anta
ur n. 1, a qualquer hora do dia.
Vinho verde de Bastos,
superior
Em ancoretas e caxas de urna daab, tem para
vender a preco commodo, Joaipum J)< Goncal-
ves Beltrio ft Filho : no escrptorin, ra do
Comniercio n. 5.
Bom negocio.
Vndese doze casinhas na ra Imperial edifica-
dar lia punco i: em st'ilo proprio, que reiidcm ac-
tualinente 20zOOOmensaes,vndese por um pica
admiravel: na rna das Trincheiras n. V, ou na
ra de Sania Cecilia n. 18, ras; um obra.
Vende-se
ou aluga-se um pequeo riti bem plantado com
urna pequea casa, com cacimba e banheiro, por
preco commodo, no lugar denominado Fundan,
em Iteberibe, rna da Esperanza : a tratar na ra
do Cabug n. 6. _______________________
As nicas verdadeiras
Bichas hamburguezas qne vem a e.-te merca lo-
na ra do Mrquez do alinda n. 51.
Venda de terreno.
Um dos melhores terrenos da ra da Uni.lo para
edilicar-se um bello predio : a entender-se com o
Sr. maja/ Porto Carreiro, no seu cartorio._____
Vende-se duas escravas, urna de mcuor id de
e outra de 28 annos, sadias e pirr preco commo-
do : a tratar na ra da Saudade, casa n. 28.
1 averna
Vende-se a taverna sita ra Imperial n. 181,
tem poneos fundos, p<>r is>o <> faz reconunendavei
para qualquer principiante : a tratar na nu* GRANDE
Pechincha
Ser possivel!
A rosa branca vende chitas finas de cores segu-
ras a 240 e 280 rs. e covado, a cscolher.
Querem ver que lindos ves-
tidos !
Venhamro?a branca comprar granadinas bor-
dadas com llores e lislras de cores, est queiman-
do a 15 o covado; lodo? vendem por 13*i0'.
Nova remessa
A rosa hranra receben las linas com litras de
pura seda, e vende a 80 rs. o covado ; sempre se
vendeu por I 201.
Madapolo francez limpo
A rosa branca vende a peca a 7,todos vendem
igual a 9a, e quem duvidar venha ver.
A rosa branca recebeu um grande sortimento
de chapeos de sol, e vende muito barato : na ra
da Imperatriz n. 36.
Vende-se um sitio todo arliorisado, cem 120
palmos de frente e 700 de fundo, tendo li.iixa e
urna peauena casa de telha, silo na ra do Pro-
gresso, do sitio do Fundan, em Bcheribe de llaixo:
narua das Cruzes n. 89, primeiro andar, ou no
mesmo sitio, a fallar com Joo Caetano Nepomu-
ceno.
Venda de casas.
.Veade-se urna cata terrea moderna, com gaz,
terreno de marinha : na ra da Concordia n.
133. Outra casa terrea tambem moderna e em
terreno proprio, narua dos Coelhos n. 18 : a tra
tar com Marcelino Jos Lopes, na ra do Monde-
go, elaria u. 63.
Cal de Lisboa
Vende-se a 2i5()0 por barril : no trapiche Bar-
bosa, largo do Corpo Santo.
Vende-se por preco commodo tres bancos
proprios para marcineiro ou carapina, em perfeito
estado : na ra da Imperatriz n. 10.
Boa nova
Vende-se o sobrido n. 29 sito ra da Mocda,
com dous andares e soto; um dito na ra do
Apollo n. 43, com tres andares e sotao ; una casa
terrea na ra do Fogo n. 30 ; urna dita no Areal
do Forte n. 14 ; um pequeo i-ofre de ferro e cai-
tas com vinho fino do Porto : a tratar com Joa-
quim Alves da Silva, na ra do Coronel Suassuna
(an'iga de Hurta-) n. 17.
Nova remessa de cha, fumo
e rap.
Amara!, Nabuco & C, vendem cha preto e ver-
de, fumo inglez para cigarro e cachimbo, e rap
francez e nacional : no Bazar Victoria ra do
Baro da Victoria n. 2.
Cha verde e preto.
Contina a ter sempre na loja de livros da ra
estreita do B(*ario n. 12, cha de todas as quali-
dades, verde, preto, ponta branca, e padre ; como
vinho do porto superior, a caixa de doze garra-
fas por 161000, ou a relalho.
iinn r&s Ilcito.
/..nnin eSCOtTOS.
20---T5un <1) Crespo -20
T-iid'1 j-iaii: M'; on ad 'i- f/.r.l '-ciictzas
ra r l.ii.'H w-inUr ,< fiO is. u-evado, pa-
ca Katar; e lrtis-i'tf e daukae .^n.^ra^
Algodao ileli(jAus
Algodo'do iftras uinericano, cen pequeo de-
feilo, a 32(1 rs. o covatto' : na ra do Crespo u. 20,
loja *e Guilherme k ('..
Brins de cores
Brins do linbo c/orm a \CQ e iiO r-. o cova-
do : na ra djaM'fcsp-j u. *20, ,loja de Guilherme
& Com pan! lia.
Alpacas.
Alpacas do lisfras, lindos padrocs a 500 rs.
covado.
Grosdenaples.
firi.sdenapli-s pretas a la8tki e 24CO o covado.
Colchas adamascadas a 41.
Ditas brancas de croch a 31.
Cobertas do chita adamascada a 31300.
Cobertores de la dsrur a 2.
Lences Jo bramante a 21.
Toalhaa alcochoadas a Gs a duzia.
Lencos de cas-a abainhadoc a 2i a duzia.
Ditos ditos com barr alia duzia.
Dos ditos de c-guiao a 34300 a duzia.
Camhraia lisa a JJ e 4"i00.
Dita Victoria fina a 3800.
Cortes de Casemira fina a 34
Cretone, lindos padrocs a 440 rs. o covado.
Chitas rxas a 200 rs. o covado.
Ditas verdes e Cambraias de cores a 280 rs. o covado.
limo pardo a 400 e 440 rs. o covado.
lirim lona, branco. a 11600 a vara.
S na ra do Crespo n. 20, luja de Guilherme
ft C.
Colchas.
Colchas brancas e do Crerpo n. 20. loja d>; Guilherme ft C.
Cainbraia preta..
Camhraia preja com listias e flores brancas,
proprias para luto, a 2'" rs o covado, barato :
na ra do Crespo n. SO, loja Je Guilherme *. C
Madapolo avariado.
Madapoln avariado lo dtflerentes presos : na
ra do Crespo n. 20, luja de Guilherme ft C.
A (liiilieiro
Aos senhores fabricantes de*
cigarros.
Papel de cores, resmas grandes, sortidas a 94.
Dito de dito ditas, a-setiuade c muito encorpado
9. 000.
Dito de seda (mais conhecido por seda de fi-
lho) do verdadeiro, francez, a 26( 0 o cartao de
10,0 0 murtalhas.
Dito de linho lino de Barcellona, marca martel-
10, 1000.
Dito de dito dito, marca balanca, 3.*i0Q a resma.
Dito de trigo, resmas grandes, do verdadeiro de
Barcellona, 94 a resma.
Nu armazem de loa Domingues do Carmo e
Silva, ruada Madre de Dos n. lO A, armazem do
fumo.
Aos senhores fabricantes de
charutos.
Fumos em folhas, muito velho, cheiroso e forte,
para fumar-sp, da safra velha, e dos melhores lu-
gares de S. Flix, Naiardh, da provincia da Ba-
ha, sao vendidos a dinheiro visia por presos
muito reduzidus.
.No armazem de Jos Domingues do Carmo e
Silva, ra da Madre de Dos n. 10 A, armazem do
fumo.
Alhos a 40 rs. a mounqa e gaz
a 5#800 a lata.
No armazem tic Jos Domingues d Carmo e
Silva, ra da Madre de Dos n. 10 A, armazem
do fumih________________^____________
Armazem do fumo
Ra da Madre de Deus n. tOA.
Jos L'nmingues do Carino e Silva ....:. :ipa aos
seus fregiiczes e amigos que no seu armazem a
111.1 da Madre de Deus n. 10 A, se ada um com-
pleto sorlimento de fuinoem fardos de patente I.*,
2." e 3.* soi tes, dos nielhorus fabricantes da 5abi%
e bem assim a flor de lodos os fumos de corda
em reos, pacotes, latas grandes e pequeas, tam-
bem dos mu acreditados fabricantes Torres 4
Araujo, Lizaur, Adoiplio Schmdt ft C, Lizaur
Srlimidt A C, N'eigas A Araujo, Triudade & Ave-
lar, Teixeira Pinto ft l'ortella (garantido pelos
mesroosl e de outros aindo nao conhecidos pelo
publico desta capital. O annunciante declira que
lodo fumo que for vendido em sua casa ser pelo
seu justo valor, e que ojotado garantir a respecti-
va qualidade, sera sincero, mui particularmente
com as pessoas que pt ico cutenJam da materia ;
pois para tem servir a todos, lem o annnnciante
a ionga pratica de 13 anuos deste commercio.
VKNDK-SE vitite toneladas de carvo
para ferreiro : a tratar na ra do Commer-
cio n. 22, armazem.
Vende-se.
urna casa terrea na estrada de Joo re Barros
n. 17, e um terreno ua rna do Principe, com 148
palmos de frente e 140 de fundo : a tratar na
ra da Soledade n 54.
- Vende-se i canoas abertas que pegam de 800
a 1,300 lijlos oroMoa a tratar na ra do Coro-
nel Sara n. 33.
PeitoraJ de Cereja
do Dr. Ayer.
Par Moletias da Garganta, Paito,
a Pulmes, taes como Toaaa,
Oomtlpaoes, Defluxoa, Coque-
luche, Bronchitis, Aslhma, Oon-
umpca oa Tsica pulmonar, *c.
^
I
-i.
Antes de apparecer o TKITOJLAZ nunca a historia da
medicina vir preparacao alguma que to uiuversale profun-
damente ganhasse a conftaiiv do genero humano, como este
excellentissimo remedio paiinlermidade pulmonaree. Du-
rante longa serie de anno, entre qui todas a racas doe
homens vai gozando cada ve de mal alta reputacao e re-
nome, como o melhor proteotor contra estas molestias.
Ao pa.so que se adapta perfeitamente as formas mais bran-
das das molestias,,e as oiaiicas e menino, ao mesmo -
tempo, o remedio mais efficax que se pode produ2ir para im-
pedir o progresso da TUlcu incipiente eodas as pengosa
affecces do peit e pulmcVu. Como antidoto contra attaque
repentinos de Creup, toda as familias devem o ter em_sua
cazas ; e em geral, como tlos slo suieitos a eonspacoe
tosses bom estar-se sempre prevenido com tara poderoso |
remedio.
Posto-que a TUica De-lmradm e tida como sem cura,
ha portanto grande numere, de casos em que tto molestia
parecia ser declarada, mas que ae tm curado radicalmento
pelo uso d'este PSITORAZ J>K CURE JA. A
Militares de casos de Molemtimm 4* Omrganim e pulmea
que tiuham baldado todas as expedientes da pereca humana,
teera cedido a influencia do pbitokal DE CERE.JA. \
Os Cantor** e os Ormd-n* achaio o Peitoral um ex- |
cellente protector contra molestias, de pruide serventi i
para ajudar a voa.
Sempre allivia a Aithma, e frequentarr.ente a fiu desap- ,
parecer rnteiramente.
Em doses pequeas e repetidas, regularrccnt* cus a
BrtnehUU. M
Para CwHpat&e* e Uhm, nao i possivel encontraMO ]
milhor remedio. Toma-se em doses pequeas trez vea*
,por dia, e i noite um escaMa pea, ate se curar a molestia.
Para os De/tiuw*, quamlo ffectam a garganta, dev
fazer o mesmo.
Para a Tout ayw ou Cfutimeht, da-se em pequen
doses tres ou quatro re ;:>or dWu
Para o Croup, does gnind* e repetida, ate e vencer
molestia. __ r_
Effectivamente nemhumi familia, (lave pasear sem o PJH-
TORAL, para se defendjr contra o attoques repentus
das molestias cima mencionada. O en emprego eom ttstk>
po multas veieiOpupari ao infamo muito soBrimeato
perigos que occoflMao yJ|l*ae de esperar par outro aux-
ilio. Paes e maes, ooMrf .fe te remedio sempre am cata.
Vidas preciosas se vo pod sm saltar.
A virtudes d'esU prapiiracto tm se tomado tan
grmente coohecidas, que nos dispensamos de publicar
attestados de algma de unas grandes cura, e nos lin-"'
i assegurar ao publico que eaU virtudee que ora
aempreM conaervarlo.
fbxi *jijlbo rom
J. C Ayer & d.,Lowell, MmhE.V
TSaaDB 8 POR




-r*n
35
ie-Proai*bt Qi^ffeira H de 4#|s# 4^403

&*
Em fazendas de gosto
NA
LOJA E ARMAZEM DO PAVO
j
N. 69,, Ra da Impc*atriz N. 60
Ti.m^l DE M

j iu
PST3IBA DA SILVA & GUIMARSS
Os proprietanos dcstcimportante estabelecimento, participara ao Tesjpeitavel publico
desta cidade o aps seus numerosas freguezes que acabam de receber petos uftimos vapo-
res de Europa, urii grande sortimento dos raais lindas e mais modernas fazendas de gosto
e muita phans para vestidos de senhoras e meninos, assim como tamibem um grande
sortimento das mlboros fazendas de lei, que se vendem por presos multo em contal so
com o fim de apurar dinheiro.
As pessoas que negociana era pequeaa escala, ueste estabelecimento podero fexer
os seus sortiiiientos, porque se lhes vender pelos procos que compram as casas estran-
geiras; de todas as fazendas se do amostras, deixando penhor, ou mandam-se levar em
casa das Exilias, familias pelos caxeiros.
Este estabetecimento est constautemente aberto das 6 toras da auxiliis 9 da noute
I BURNOS A 46JJOO0.
| O Pavao recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, burnoos dos mas lindos gostos
que at boje sao ronhecidos e em relami a
sua excessiva barateza, convidam-se as
Exmas. Sras. para verom o qae ha de mais
A l?o00, 1&200, 800 e GIO rs.
O Pavao recebeu um brilbauto sortimento
das mais lindas granadinos preta com deli-
cadas li-tr.-sde cores e pretas, que vende pelo
barato pr. co de 100 o c .vado. Ditas to- novidade nesteVrtigo.
das de cOres cora lutras miudinhas em urna BRAMANTES PARA LENCOES.
s cor a ?200 e 1*000 o covado. Ditas o Parto vende superior bramante de al-
protasenm listras de scda-roias a 800 rs. Di- godo,tendo 10 palmos de largura, queso
tes pretas com listras brancas, azues e ver- precisa de 1 1/4 vara para um lencol a
des a o tu rs. o evado. Assim como bom- UJ600 o metro ou 15800 a vara,
tas bsrejes de seda para vestidos com as Dito de linho fino superior e muito en-
mais lalas odres a 1&000. E pechincba, corpado, com a mesma largura a 2j400 a
na loja do Parto. varJ, T^J
POlJl'ti.IiVAS A19600 E 29000 0 COVADO. Ditos francezes muito finos
O Parto rocebeu um elegante sortimento 390OO.
das mais [indas poupelinas de seda com os' peCas de Hamburgo e panno de Hubo, ten-
bonitas coros, do c m 20 e 30 varas para todos os procos
a 29500 e
mais lindos desenhos e
que vende a 19000 o 29000.
SBOAS DE CORES A 2}?500 RS.
nmstouwosn
O leques todos do mBOreperW,. braneos e da :
ere o tjtfc aaaf! o.fliiaoiHlIJleO em leftra*
tamban*-de oiarapwela sta fo relevo, tor-'
mao-ae- poro apropriadoe para noiva, a SO-.
hVA ESPERANCA ra Duque de Caxias a 63
(aliga do Queimado) quemos tem. ; -
Sao de fariargdff i
,0s brincos, roches, meios ai^atfjs, \cruzev1
coracSes c cassoletas, que estao oxposias Ba
escoma das Exroa. (amantes do chique) vende-se
f" *****"<*' *f *fe Caxias"
<1ow:$peranga&,rua .Duque de Caxias n.
63, acaba de receber jjru lindo sqrlimertte de bjo-
aecas de nuiilas guaiidades, vindi entre ellas as
engranadas bonecas de hurracba, assim lanteni
urna pegaenaquantidado e bonecas retas que;]
se tornara apreciadas pila sua oiviun a
Ebem um-I?.M
A Nova. Esperase rea, finque de Cania* n.f
63, recaban vereladein otaento taglez. prepare
{Sopara concertar porcelana ten nttt.
Vestido perdido
Mnitas veres-m vestido tuma-w inteiraaiete
feto, sement por estar mal enfltade: a Nwa Es-
peranca roa Duque de Casias a. 63, remove
este mal; porque esta bem provida 60 aneltoMo
galee franjas 4o todas e fes, onde xiMe es-
o4Jier-ae i vunude Mbrejabiodo ente **as as
raodarnas franjas asaicas, que pela ma wariafla-
de de cores, Ge* bem em quasi todas as Atrasa*.
A ella antes que se acallen.
Bolas de borracha
Vendem-se de todos os tamanhos ra Duque
de Caxias n. 63, na Nova Esperanca.
abeUos brancas s tem quem
e qualidades.
Ditas de brotanha de puro linho, tendo 30
O Parto recebeu um bonito sortimento jardas, pelos procos mais baratos que se tem
das ma:s luidas sedinuas de urna s cor com visto.
delicados desenhos miudinhos, que vende a
2950') o c vado. Ditas com listrinlias, mu- Com C ardas a 79000.
to boa fazenda a 29000. E1 pechincha, na! Pecas de finissima silezia
na loja do Pava*. Ia 355000.
CAVlfltAlS ABERTAS A 99 E 109000
Pechinchas do finissimo esguio ou silzia
com 30 jardas
O Pava 1 receben um elegante sortimento
das nu.is Haas cambraias brancas abortas,
bordadas para vestido, que vendo pelo barato
Erogo de 9f e 109900 o corto, tendo fazenda
asante para vestid^. I' pechincha, na loja
do Parto ruada liaporatriz 11. CO.
LAZI.N'UAS BOKHADASA 400 RS.
O COVADO.
O Parto recebeu um elegante sortimento
das tnais lindas lzhlhas transparentes com
florabas* !)ordadas, tendo de todas as cores
inclusive! rocha propria para viuva, c ven-
de pelo baratsimo preff do 400 rs. o co-
vado. !'.' pechincha, na loja do Parto ra
da Imperatriz n. 60.
LAS MODERNAS.
O Parto rende um bonito sortimento de
li-liMlas sendo das mais modernas
' viudo ao merca lo, pelo baratissimo
prc;.i li 500 e 600 e rs. o corado. E' pe-
ha, i!u lojado Pavio arta da Impe-
ralr 11. C0.
ALPA A: .'.AVRVDASA640RS.UCOVADO.
Chi "ni para a luja lo Pavao um elegante
SO"timnto das mais lindas alpacas lavradas
iendo as cores mais modernas que
indo para vestidos, e vende-se pelo ba-
rati.- prego de 040 rs. o covado. E'
! Iiiuclht, M,i loja do Pavao.
CASSA l-V.NCEZAS A 000 E 040 RS. O
METRO.
O Parto recebeu um magnifico sortimen-
11 d is :naia to las cassas fran'ezas, de cr,
con:'1- mais bonitos desenh s midos e
' 1 do padroes oscuros e outros que
para luto, e vende a G0U e Gi rs.
Aro n() o 400 rs. o covado.
LAZ1NHAS MOHKHNAS COM I.1STUA DE
SE!A A CiOrs. e 19200.
O Pavao recebeu
um elegante
sor.imenlo
de I":-: .1:1 lislrasde seda assetinada, sendo
as m iis mu lentas que tem viudo ao BMrca-
doer.' : .i majs delicadas cores, o vende
pelos bar tos procos C40 rs c l?i>00.
: outns muito bonitas com listras
sem sci d si'da,que vendo a 500, 640 e 800
rs.,' 1 i, 1 itas las sao modernissimas. E'
pecbiiii l\?, na loja do Pavao.
Clajl as 40, SO. 3tOc 3ftO rs.
0 Pavo rocebeu um grande sortimento de
iros fixa>, que ven lo pelos bara-
gos |. ',0 e 280 rs. o covado. Ditas
scuiv- ,!'.-ii la muito superior, com novos
padrdes n 320 e 360 rs. o corado.
it -linas padrdes claros em ted-
ios, com barra de cor ao lado e
360 e 400 rs.
o. :s com tecido do crotone, fazen-
aeito iaocrior a 3:0 e 400 rs. o co-
": 'es, miudinhas, proprias para
foupa de enancas a 300 rs. o covado. E'
neehi ,cl,a, na loja do Pavo.
llptAftaai a &OD rs. o covado.
O Pav&o recebeu um elegante sortimento
.das in.-us :o lernas baptistas de cores com
padres miudinhos o graiidos sendo proprios
para vest bu e roupa de crianga, pelo bara-
Missimo lo 500 fs. o co/ado, afliangan-
do sei grande pechincha !
Cortes ('i"cambraia. ultima ao-
vidaale,* 99OOO.
0 Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes de cambraia branca com ba-
badii )s ^amento bordados, tendo fazenda
Mufficiente m^a vestido de qualquer modelo,
i, fistos vestidos sao os mais modernos que tem
violo a 1 r; rcado, e pela sua excessiva ba-
, -ratf/a .ni n-se recommeudaveis s senho-
ras de bom gosto.
Ditos cora habados de cOr, tendo 20 me-
. tros de babad s a 99000. E' grande pe-
hinelia, no Bazar do Pavo ra da Impe-
fatri/. n. 00
CORTES DE CAMBRAIA BORDADOS.
Pavo roeehe os mais ricos cortes de
ambraia branca bordados para vestidQ, que
~ ade pelo Iciralo prego de 209 e 809000
1 CORTES DE UMBRALA BRANCA.
Pavo recebeu um lindo corte de cam-
fljfaia branca com listras assetinadass que
ende pelo b-nato pre.;o de 69000.
? Ditos c );n listras do eflres, tendo 8 varas a
4f e 537000. E'pechmclia.
ESPARTlhOS:
2 O Pavo recebeu
um grande sortimento
d-espartilluis Unto para senho'ra como p,wa
rt^nina, que vend polo barato pre:o de
000.
Ditos muito fiaos 4.43 e ^000. Sao dos
nais snodernis qu o tem ^ndo aojn-
4do.
Atoalliado adamascado com 8 palmos de
largura a 29000 a vara.
Calcas do casemra.
O Pavao tem um grande sortimento de
calcas do casemira, assim como cortes os
mais modernos que tem vindo nos ltimos
figurinos o em fazenda, dos mais finos e
mais novos que tem vindo ao mercado, e
vende-se por barato prego para apurar di-
nheiro, assim como caigas de brim branco e
de cores, por procos muito razoaveis.
LENCOS ABAINIIADOS A 19800 E 29000.
O Pavao vendo duzias de lengos braneos
abainhados, sendo fazenda muito boa, pelo
barato prego de 29000 a duzia.
Ditos tambem abainhados, com beira de
cor a 19800.
Ditos grandes, fazenda muito fina, sendo
todos braneos a 39000,
Dito de cambraia branca, sendo em pees
a 35(500
MEIAS CRLAS A 49 E 59000 A i>UZIA.
O Pavo vende duzias de meias cnias, ia-
glezas pelo barato prego de 49000 e 59000.
Assim como ditas muito finas e muito en-
corpadosa 69000, 79000,89000 e 109000,
e um grande sortimento de meias inglezas e
francesas, para senhoras, que se vende por
prego muito commodo.
MAIIAPOL.AO FRANCEZ a 69000 E 79000.
O Pavo vende pegas de madapolo fran-
cez, que sempre se vendeu por muito mais
dinheiro e liquida-se pelo baratissimo prego
G-;?0 e 79000, por ter feito urna grand
compra. E' pechincha.
Algoililozinlio a 49OOO.
O Parto vende pegas de algodozinho,
muito boa fazenda, polo barato prego de
49 e 59000.
Dito largo muito encorpado, proprio para
toalhas c lenges a 69000 e 79000.
CAMBPiALAS.
O Pavo vende cortes de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 29500
39000.
Pegas de dita muito fina, com 10 jarda,
lapada como transparente a 49, 59 e 69000s
at a mais fina que vem ao mercado.
PANNOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
0 Pavo tem um grande sortimento do
pannos de crochet proprios para cadetsn de
balango, para ditas de guarnigo e para so
f, que se vendem muito era conta.
COLXAS DE CROCHET A 69 E 89000.
O Pavo vende colxas de crochet proprias
para cama de casal, pelo baratissimo prego
de 69 e 89000.
Ditas de fusto acolxoadas, sendo de co-
res e brancas, pelo barato prego de 46000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
cretone e de chita, que vende por procos
muito razoaveis.
PORTES PE PEUCALLES COM DAS SAIAS
a 49000.
O Pavo vende bonitos cortes de percalles
com duas saias, sendo fazenda de muito gos-
to a 49000. E' pechincha na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz 11. 60.
BOTINAS PARA SENHORA, A 59000.
Xa loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Pereira da Silva & Guimaros roceberara
peio ultimo vapor de Europa um elegante
sortimento de botinas pretas e com delicados
enfeites decr, proprias para senhora, garan-
tindo-se serem das mais modernas que ha
no mercado, assim como a boa qualidade,
por terem sido remettidas por um doanv
hores fabricantes de Paris, o vende-se pe>0
barato prego de 69, na Joja do Pavo.
SAIAS BORDADAS A 59, 0 e 890O0.
0 Pavo vende saias ricamente bordadas
de 4 pannos cada urna, pelos baratissimos
pregos de 59, 69 e 89000.
Ditas de um panno s e eom muita rodas
guarnecida de pregas, pelos baratos proco,
do 29000 e 29500.
Ditas om fuarnieao dj prQgas e horda-
dos a 3#00. A 1
tlgotlao eorcstfsl a 19900 a
quer
A Nova Esperanca na Duque de Casias n.
63, acata de recetar a rerdaaeira tintan da Des-
nous para tinsfr 09 cataltos, o que a* coasegue
(etnpreeando-a) eom milita faeilidade, e por este
motivo, caballos branoo s tem que quar.
Est&o na moda
Os cintares de cont, praprios para aeatarae,
one recebeu a Nova Esperanca roa Duque de
Caxias n. 63, estao, sin, sentar, esto na moda
Se queris tor ou BSparar un* J-amalhete de
cheirosos cravos braneos para o ro'fjo casamento,
ou para oirtro Ira aptopriado, lecessario ir
Nova Esperanca ra Duque de Caxias n. 63,
que all encontrareis os mlbores voris tyuquels
que se pode desojar.
Agua florida, de GUisIain,
para fazer os cabellos pre-
tos.
A aguia branca, ra Dnqne de Caxias n. 50,
acaba de receber nova remessa da agreriavel agua
florida para far os cabellos psetos. O bom re-
sultado colbjdo por tuem tam- to uso dessa
inoffensiva preparacao a tem altamente conceitua-
do, e por isso apenas se faz lembrar a quena no-
tamente deila precise e qneira se aproveitar de
sua utilidad. Tambem veio agua- de topasio e
oteo floride para o mesrao oso, e to acreditados
como aquella.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de cores.
A aguia branca, ra do Daque Ai Cnxis n.
50, recebeu novas e bonitas voltas e brincos de
grossoo aljofares de cores, e como sempre conti-
nua a vende-las por prego commodo.
Novos diademas dourados e
Carneiro Viaona.
com pedras.
A aguia branca, ra do Duque de Caxias n.
50, recebeu aovo wrtimento de bonitos diade-
mas donrados e com pedras, tanto para meninas
como para senhoras.
Collec^oes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, ra Duque de Caxias n. 50,
recebeu novas coUeercs eu normas para as enan-
cas aprender! a eacrevar por si mesmo, hoje tao
usadas as aulas c collegios; o como sempre ven-
de-as por preta commodo.
Meias cruas finas para meni-
nas e senhoras
A loja d'aguia branea, ra Duque de Caxias
n. 50, reeeben novo sortimento datadlas lao pro-
curadas meias eruas para senhora, vindo igual-
mente para meninas, e continua a vende-las por
precos eonm>od"<.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, ra do Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu bonitos veos ou mituliohas
pretas de soda com flores, e outras a imitaeo de
croch, e vende as pelo baratos pncos de 3#,
i| e %tflto). A fawnda boa a est em perfeito
estado, pelo que contina a ter prompta exirac-
gpa
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, besouras e gala-
nhotos dourados e coloridos.
A loja d,i aguia branea, ra do Duque de
Caxias n. 50, recebeu novos grampos eom her-
blelas, bezouros e gafanhotos, o que de certo
perfeita novid-de. A quantjdade pepoena, e
por isso em breve se acabar.
Novas gollinhas ornadas com
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca na Domie de Caxias
- 50, recebeu urna pequea quautidade de boni-
s e novas gollinhas, srabalta do li o seda, ea-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteirauente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um bom sortimento de machinas para
cojturtj de todos os autores mais acredita-
dos altmamonte na Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anno, e tendo um
perfeita artista para ensinar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sisa OOcerta-las pelo tempo tambem d'um
anuo sem despendi algum do comprador.
>'este estabelecimento.tmbem ha pertengas
para as mesmas machinas c se suppre qual-
quer pega que seja necessario. stas ma-
chinas trabalham com toda a nerfeigo de
una e dous pospontos, fran/.e c borda toda
qualquer costura por fina que s pregos sao da seguinte qualidade : para tra-
balhar a mo de 309000, 40900U. 459000
o 509000, para trabalhar com o |c sao de
809000, 909000, 1009000, 1109000,
1209000, 1309000, 1509000, 2009000 e
2509000, emquato aos autoros nao ha al-
teragao de pregos. e os compradores podero
visitar este estabelecimento, que muito de-
vero gostar pela variedade de objectos que
ha sempre para vender, como sejain : cadei-
ras para viagem, malas para viagem, cadei-
ras para salas, ditas de balango, ditas para
crianga (altas), ditas para escolas, costurei-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis
para criangas, de todas as qualidades, camas
de ferro para homem e criangas, capachos,
espelhos dourados para sala, grandes e pe-
queos, apparelhos de metal para cha, fa-
queiros com cabo de metal e de marfim,
ditos amlsos, colbercs de metal fino, condiei-
ros para sala, jarros, guarda-comidas de
rame, tampas para cobrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toilette,, e outros mui-
tos nrtigos que muito devemagradar a todos
que visitaren} este grande estabelecimento
que se acba aberto de-de as 6 horas da ma-
nhi at as 9 horas da noute i
Ra do Baio da Victoria n.
22,__________
Nao ha ms cabellos
ij

Lourenp
miara
S e nicaapprovada pelas academias de
sciecias, recouhecida superior a toda que
kn appareeido a* boje. Deposito princi-
pal a ra da Cadeia do Recifo, hoje Mr-
quez de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellen
reiro.
BICHAS DE HAMBURGO ~
As roais recentes e mclhores.
Vendem-saua pltarmaciu edrogariade Bar-
tbolomeu A (.., ra 1.rjn dosaro o Hn. 34
.Na ra do Cotninorcio n. 2 vende-se vinho
do Porto e Sherrey, de boa qualidade e barato, em
barris. ___________________________
SGRELK) KCOOMIA E CELERIDADE.
(H>tem-se com o uso
DA
INJECgAO SHOST
nica, hygienica,radicaleinfallivol nca-
ra das gonorheas, ores brancas e fluxos de
toda especie, recentes ou chronicas; e que
offorece como garautia de salutares resultados
a continuada applieagao que sempre com a
maior vantagem se tem feito della nos hos-
pitaes de Pars.
Union deposito para o Brasil, Bartholomeu
&C, ra Larga do Rosario n. 34.
Decan a Sui*ig
ahof:
CUITAS A 160 E 200 RS. O GAVIAD.
Vende-sc chitas francesas largas com to-
que de avaria, a 160 e 200 o covado. Di-
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o cotado.
CASSAS FRANCE/.AS A 320 US.
Teode-se cassas fransezas a 420 e 364 rs.
e covado.
LSINHAS A 200 RS.
Vendo-se lsiuhas de cores para vestidos,
a 200, 860, 400 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A400RS.
Vende-se alpacaapara vestidos a 400, ROO,
640 e 800 rs. o covado.
COBERTAS E CHITAS A 1600.
Vende-se cobertas de chitas de ceres,
19000 e 29000. Bitas de pello a 194*0.
Clxas de cores a 19200, 29500 e 49500.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de l de quadros a 800
rs. e 19000.
Ditos de merino a 29, 39, 49 e 59000.
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vende-se pegas de cambraia branca trans-
parentes o tapada, a 39, 39500, 49, 49500,
59 e 69000.
SAIAS BRANCAS A 29000.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhoras, a 29000 e 29500.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets pretos de seda para ho-
mens, a 500 rs. Chapeos de palha, pello o
massa, a 29, 29500, S9000 e 49000.
MADAPOLO A 39000.
Vende-sc pegas de madapolo enfestado a
39000. Ditos inglezes para os pregos de
49, 49500, 59, 69000 e 79000.
ALGODiO A 39500.
Vende-se pegas de algodo, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 1100.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura para lengol, a 19600, 29 e 29300 o
metro.
GRANDE LIQUIDAgO DE SABONETES 280 RS.
Vende-se urna grande porgo de salwne-
tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes com
cheiro l 320 c 500 rs.
Agua de colonia, a 200, 320 e
frasco para liquidar, e outros
o mais barato que for
muito barato.
ORTES DE BRIMT)E CORES A U
ende-se cortes de brira de cor
caiga, a 19500 o 22000.
-_ BOTINAS A 39000.
Vcjk-se botinas para senhoras, a
39SM, a lias antes que se acabem.
ROUPA FEITA NACIONAL.
Vende-se camisas brancas, a 196C
29500, 890-00 e 40000,
Caigas de casamiras fe cores, a &\]
7900*.
Cnletes de casemira, a 29, 99&0C
4,5000. m
Patitts de caserrmt, 49, 9 e I
Seroulas a 1 e 19600.
R1IIDBCGMSA 44(0 US.
Vende-se brim de todas as cores]
rs. o ?ado.
LENCOS BOANCOS A 2*000 A DUZIA.
Vende-se a tlurfa de lengos branaisjs,
29000. Ditos com barras de cores a 39000
Ditos de linho a 59*00.
TOALHAS A 800 RS.
Vendo-se toarhas para rosto, a 600 rs.
19000.
GRAVATAS BE SfttA PRETA A 500 RS
Vende-se gravatas de seda preta, a &0
rs. cada urna.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chita para coberta, a 280 e Me
rs. o covado.
BONETS PARA MENINOS A 1*500.
Vende-se bonetes para meninos, a 19500
ESPARTI1.HOS PARA SENHORA A 39500
Vende-se espartilhos para senhora,
39500.
PENTES A 120 RS.
Vende-se pentes de alisar, a 240, 320-
400 rs.
POS DE ARBQZ A 340 RS.
Vende-se pos de arroz a caixa, a 34e
rs., para liquidar.
SPELHOS A 240 RS.
Vende-se espelhos de diversos tamanhos
a240 e 320 rs.
TESOURAS A 320 RS-.
Vende-se tesouras de diversos tamanhos,
500rs. ola 320 e 500 rs., para liquidar, e outro
extractos muitos artigos que se veude barato para t>
I quidago de facturas.
GRANDE REDUCCAO EM PREGOS
AtteriQo. Atteneo.
Na loja de Soares Leite Irmrios, ra do Barao da
Victoria n. 28.
Caixa de liuha de marca, a 200 rs. dem dem de pos chines, rauito bom, a
Garrafa do agua florida verdadeira a 1^200 500 rs. e 19000.
Abotoaduras para collete, do todos os Duaia de sabonetes de amendoa, a 29500
gostos, a2o0 rs. e 39000.
Lamparillas gaz, dando urna luz muito'. Frasco com opiata muito boa, a lOOO.e
boa, a 19000.
Garrafa d'agua japoneza, a 19000.
dem idem divina, a 19000.
Duzia de pegas de cordo imperial,
240 rs.
Frasco com tnico oriental de Kemp,
19O00.
19500.
Duzia de sabonetes deanjiaho transparen-
tes, a 29200.
dem idem com flores, a 19500.
Duzia de pegas de trangas earacol branca
a 400 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Duzia de barallos francezes, canto doura-, Sobouetes Glycerino trasparentes,
A loja da aguia branca, ra do Ducjue
Caxias n. 50, recebeu aovaraenle bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
novos diademas de ac, e como.seinpre conti-
nua a vndelos por preeos razoaveis
Caixinhas com pos dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-ae na loja da Aguia Branca ra do Du-
que deiaxiasn. 50.
Luyas de pellica petas e de
. outras ores.
A loja da Aguia Branca, roa Duque de Ca-
xias n. 80, recebeu nnvo sortimento de luvas de
pelliea, prtas e de outras cores.
nlVt de atenla amarici
Grande liquitlaeiko.
N"a ra do Queimado n. 43.
- Vende-se a armugSo e
loja da m do Rangel n. i2 AK propria
arto i
jet n.
qalquer negocio : a tratar na mesma.
mais bemfeitorias da
para
A- mac,onaria desmasca-
rada,
ou collecgao dos artigos do Echo de Roma, analy-
sando a circular do Cap.*. Pr.. Federacao de 2!
de seterobro de 1871, e aPraneh.-. do Ir.-.
Gomes FseiN ao Ir.* Ou; aasim como a deste
Ca^.. R.'. t-'- Ven.-, ao redactor do Echo
de oma, datada de Coi ai lira aos lfi de dezembro
dotaiesu aaao, prncedidji de urna carta intro-
duerjio e annatada por ma redactor do Echo de
Roma.
Acaba de ctiogar de Lisboa esta obra, c vende-se
naMvraria econmica ao pe do arco de Santo
Antonio, ureep l^gOO.______._______________
do, a 39000.
Idem idem beira lisa, a 29200.
Frasco com oleo Oria verdadeiro, a
190.
Caica de botos de osso para caiga, a
200 rs.
Caixa de papel amisatfe, beira dourada,
a 8 rs
Idem idem idem lisa, a 600 rs.
dem idem idem, a 400 rs.
Caixa de. enveloppes forrados, a 700 rs.
Luvas de pellica com pequeo toque,
a 320 rs.
Duzia de carreteis de linba, 200 jardas, a
700 rs.
dem idem 60 jardas, a 300 rs.
Duzia de talheres cabe branco, 2 B., a
59000
Mago de fita chineza, a 800 rs.
Caixa de linba com 40 novellos, a 500 rs.
80a rs.
Caixa de pennas Perry, a 8O0 rs.
dem idem, a 400 rs.
Caiu de enveloppes tarjados, a 500 r,
beques de osso e sandak) para stnilioras.
a 29000, 49000 e 69000.
Fita de velludo de todas as cores e largu-
ras. <
dem idem de sarja kloin kb m.
Chapeos para senhoras e menina.
Kntrcmeios e babados transparentes e ta-
\ pados.
Botinas para senhoras, a 49000.
Retroz preto e de er, em carre-
tel.
Lindas e elegantes caixinhas dos perfu-
mistas E. Codray, Gell Frreso Ujeger,.
etc., ote.
Quadros com santos e- estampas stpiara-
Resma de papel pautado, a 29800, 49000 das.
e 59800. I Espelhos de moldura dourada, de todos
dem idem liso, a 25600, 3JS5Q0 e 59000. os tamanhos e pregos.
Coques modernos, a 39000. Garrafa de tinta rosa extra-fina a 19000
Caixa de pos para dentes, a 200 rs. I Microscopios (sem vista) a 29000.
BONECAS.
Na ra da Santa Thereza n. 60, taverna, ten-
um terreno a 6* o palmo. .Xa mesma casa
-se nos trastes usados, de Jacaranda,
Em freufe a Praefnha.
Lazinhas de quadros a 240, 180 e 300 rs. o co-
vado.
Chitas de core- seguras a 141 e 180 rs. a eovado.
Madapolo bom a 4 a peca.
Algodo T a 4a 5# a pega.
Colxas de fusto, Tandas a 3*300.
Toalhos felpudas a 6i a duaa
Lea

para meninos, a 80 rs.
"^Sj BrlmloBa de pora Mntio a tsno a
O Pavo vende aW Mucano fciifew Cortes de ca>emira le oflr, a !f*.
tado^moUp etjqorpdo, proprio par tCTr^ E muitas outras ftirendfl9 porlhenos do seu va-
Iha e-feoetts, pelo barato pra#. 19MUa ,or .S o 43, ruado Queimado em frente
vara. ff****-___________
DilVfrncestawiotMir^ibt muito en- C^l 1 ^ ^T
corpado, peto baraseinjo preoela.l9S0 o k^V'Ci(#
Hwalre,
O f1rv9" venanVkl
ia, sundo fazenda
re s 'teadeu por asis
am-e a'790t0 o corle,
1 DiWsa 6900'
Bom negocio.
Hpde-se o engenho Camevozinho, copeiro e bom
moedor, disunte da stacao de Agua-1'reta tres
lefSM, pd* sarejar de 3 a 4,000 pes de assuear
e opa boas matas da excellentes madeiras : a
tratar no mesmo, ou ne>ta cidade ra Dnque de
Caxjac n. 40, eom Jaaqnim da Suva Costa.
Xarope d'agrio do Para
ewtigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratoria,
comoapbt|ica, bronchites, asthma, etc.,
Bonecas de cera de todos os tamanhos, com camisolas e ricamente vestidas cada
ama em sua caixa, bonecas de borracha e bolas de todos os tamanhos, candieiros a gaz,
objectos de porcellana, gaiollas de rame, molduras para quadros, machinas para cos7
tura, transparentes para janellas, e um completo e variado sortimento de miudezas, que
se tornara longo mencionar.
Ra do Barao da Victoria 11.28.
s
ppfieado ainaa'com ptimos n
escorbuto. _________
resultados no
ssu
.AixHo do cete OliU* *> p-4* traakiie Com-
Knbia ; e parajrataj aaaaaapyrie e Joaquina
t minga fres Beldlu A Hlhua nra do Cuniuier
ion. 5. JiRtf.IC
1?
^ aa : na ki-m^',.
4a do Arraia*, .ato da
para pata
Vinho bordeaux em barris, rece
mente chegado, vndese em casa
Leasr.jaa d* Crui n. 63.
ceij'-
de TI.
' ^';EgeTihL0 Periquito.
TASSO IMAOSit
Em seus armazens ra do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. W,
tem para vender por pregos coBflmodos
Tijolos encarnados sextavos para hdrilho.
Canos de barro para esgpto.
Cimento Portland.
Cimento HydTaalici..
Machinas de descarogar algodSo.
Machinas de nadarla.
Potassa da Ruiaia em barril.
Phosphoros de cera.
Sagii em garraf&es.
Revad^nha cm garrafSes.
Lentilhas em garraoes.
Itlium da aJmaica.
Vinho do Porto velho engarraftdo.
Vinho do Porto superior, dc-
Vinho de Bordeanx, dke. '
Vinho de Scherry.
Vinbo da Madaira.
Potes cpm linguaa e dobradas inglesas.
Uwres finas sonidos
-Cognac Gaulhier Frpres. .
Latu-M toaeJnh 4Mt.,
Barris com repolho am salmoura.
Caes do Ramos, na barcaga SimeaMAi, ven-
Mais val tardo do que
nunc .
Aviso tatyftrMile.
Avisa se ass amantes ou apreciadores dos
SONHOS
acepine deliefnso que so preparava amigamente
NA CONFEITAMA # CAMJ(
que as propriejarios damiajle oslal4l?amento re-
splveram do tom arcir. ti h111oSd manjar,
nao sfl para >atiSw*er ffgrtitias eoedfcnfcndas, co-
myjiara criar oovos pensummi lores.
E qual ser a familia que nao
mandara buscar ala, ao menos
Veade-se urna parte no engeilho Periquito, bem
orno as rendas oorrpo|dfita*dea safras do an-
io de 1866 a PT*|mfm|c&|o fconsenhor do .
mesmo engenho mncaol MdMbidl Mello : quem fhoes de amarello e 6 jangad
ama duzia de
para a sua sbreme:
.'-"--
SONHOS
aremeza,?....
~T5aT


Igalias
As algalias do fabricante Bnoes Bojlevard du
Palais, sao as memores conaecidae, peto qu con-
servam-se |>erfeitainente nes climas calidos, como,
a experiencia contantejnept^vo est provando
Bes
tqmi
tasas urna eeaa eatuea*, aamarelie, 43 astas
sapuoeia de pasmos I "
Verd*dro bter aespartdia, usfttw acre-
ditado : venda no armaiem de Tasa* snsios dr
da de 45, 4 sraa- C, rea ao Aiaerise t.g .......
las, a tratar coiavct ; Vende-se ntf^aaakk ana em t
"er*. IfHSaaler'd*}*-* 4 rea d Cm itW, prttefro fcestre da dita baroapa. ou com o Sr. Elias nodito pata asmer,got ra bmW pmm
,'tn ^Ip^" X atBastsKQ. lugar. ar no Mondejo, casa n. 61.
om estado
a-u*-
f

i
.





> -
X

-'

*

T&frio- de K^ambifc Qaiatevfeira 4<(to i^tt^'dB^WS.


HOWE
SOASES LEIE, IRISAOS
DUGOS GENTES
A'
Ra ti Burilo da Victoria n. 28
As*&ais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na expsito de Paris, em 18C7, foi concedido a
Elias Howe Jnior, a medalha de ouro e a condecora-
do da Legio de Iloura, por serem as machinas mais per.
ehas.do mundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Jnior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposigSo de Londres acreditam
estas machinas.
A 90M00
Cibe-nos odever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
York, stabeleceu nesta cidado ra do BarSo da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral, para em Pernambino c mais provincias se venderem as afamadas machinas de eos- (
;ura de Howe. Estas macLinas sao justamente apreciadas pela perfeigao de sr>u trabalho,
^mpregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qual n pela introdcelo dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
iLvrecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as sey imites:
Primeira.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova iucontestavel, a
riroumstancia de nunca torem apparecido no mercado machinas d Huwe em segn-1
da mo.
Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquerdesarranjo.
Terceira.Ha ndlas menor friccao entre as diversas pecas, e menos rpido estrago
do que as outras.
Ouarta.Formam o ponto como se fra foito mo.
Quinta.Permitte que so examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consega -
as outras.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um outro lado,
logo em seguida, sem raodilicar-se a tenso da linha, cozem a fazenda mais
tina.
Stima.0 compressr levantado com a maior facilidade, quando se tem de mu.lar
Ce agulha ao como^ar nova costura.
mmm mas n. n,
Este estabcleciinento sempre solicite eVn ofterecepa eonaurrenead respeitatel pa*
olico am completo sortimeirto do nmutattisl cateado Irene*, ehapeos equinquilharias a1
preeos es mais razoaveis possiveis, para orqtte feb< qtiasr todos os- seus artigos de pto-
pria oncommenda da Europa e America, vem dar ooblieidade de digan artigo'por cujo
primos bem se pode avahar os procos de ou-ire* rrHit4s rue'se'toraarta- enfadenho pan
rilicar.
MIUW-ZAS. MIUDEZAS.
L para bordar, da melhor qualidado, 1 *, *to.,e diu>'Por ?50:
libra por 53500. Botes' ****** froto e de COTes
Agu has francezas, fundo dourado, a cai-
tinha com 4 papis a GO rs., $i0 -.
Voltas de fita de vellu^ com lindos co-
rajes fingindo maareperola, a 500 rs.
Voltas para o pescoco, fingindo eamafeu,
cor.panhadas com 1 par de brincos semo-
Ihante, tudo por 2J?500.
Linha branca de 200 jardas em carriteis,
propria para costura de machina, a 800 rs.
a duzia.
Dito de dita de Alexandre, numerado a
gosto do freguez, a 1#100 a duzia.
Diademas dourados de l?Ja00 a 33000.
Ditos de tartaruga com flores a 2#000.
Ditos com borboletas a HJ500.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqut de 500 rs. a 28000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 1J500 3& e **H)Q.
e '3000 Completo sortimento de calando de case-
' Voltas'de aljofares com brincos, a 22500. mir!> Charlt, tapete e tranca, mais barato
Ditas de Jilos com corajes a 18000. 10 % do 4 em outra qualquer parte.
Ditas de ditos de comas com cassolelas, a

a 800
rs. e t0D0 a duzia.
Franjas brancas de seda de todas as lar-
guras, a 18000 c 19460 o metro.
Ditas decrese pretas a 800 rs. e 19000 o
metro.
Galoes pretos de soda, de muito gosto do]
800 rs. a !000 o metro.
CALCADO FUANCBZ.
Botinas pretas gaspeadas, para senhra, a
43>500 o par.
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
\ alto, a>5|HM>0.
Ditas pretas onfitadas, ultima moda, a
G9J000.
Ditas dita de cores, canno alto, oneitadas,
a 5500,
Ditns para meninos, pretas e de cores, a
Samuel Power Jbhns-
ton & 0.
JRua c\o Apollo n. 38 e 40
Fumo Miento ao seus fragele* que teem
mudado o sea iiepo*uo de machia* a a-
por, ttofndas e laxas da romio acreditada
fabrica do Lowfloor para ra do Apollo u.
38 e 40, onde eoniiouam a ter o wesmo snr-
luneuto ik- oatuuie.
ta:>i |Ciaoil laubem qi.e teum feito aui
arraajo com a fundica gerai, pelo que po-
dem offereeer sa para ausentar qualquer
ui''hJi)i-tin! b uie-?irio garant-lo.
Os proprie :s.no( da hodic.io f*rjl (aan
BCtoOtt nos eotaores da t Dgeoni. e oais
pessoas, que teem eslabelecico iwua luuti-
clo do ferro e brouzo a ra io Brum, jun-
to a diaco dos honds, o de apruntario
qualquer obra de encorauenila eom perW
i o prornptido.
* menino rogara t> pexsaaa ram otilisar se de eus gervii. de deita-
rarri a- eorommendaa em caa;i do Sr#. 9a-
ma"l f< wer JethoMon & C a rna da Apol-
lo n. 38 e 40, onde acliarao |)*80a r.ai>iti-
thda wm qaeiu pouarn entamiar-ae.
Appareiho para fabricar ahsucar, do syateuia.
WESTON CENTHE?G\L
Unieos agentes em PernainDOt-o a fondici> geral.
Para trata- .m GRANDE DESCOSERA
do plaqut a 1^ e 1J500 o par.4
do soda para senhoras de 15200
800 rs.
Kosetas
Grvalas
a 2SO0O.
^arares com 2 lacos para cabera e peito
3-3 e 'i^OOO.
tSntremeios e l.-abadinhos bordados de 3C0
fs. a2J40 a pega.
vales de seda brancos
135500 a 30500a poca.
odo o seda,
e de cores, do
de 15 a 15!i00
Oitava.Muitas companlas de machinas de costura, tem tido pocas de grandeza e
ifecadcncia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram;
nudangas radicaos para poderem substituir : entretanto a companhia das machinas da Howe
adoptando a opinio de Elias Howe, mestre em artos mechanicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, e hoje nao attendo a procura, posto que faga 600 machinas
por dia.
Cada machina acompanha vretos com instruecos em portuguez.
A 93>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
,0i tos de ni
a peca.
Ditos de algodao, a 100 e 500 rs. a peca.
Tranciuhas de cores, a 100 e 500 rs. a
pega.
Loques do raarim a iv5 e 85-000.
Ditos do sndalo a 45500.
Ditos de madoira imitando, a 25000.
Ditos de papclloes a 15800.
Coques para sonliora, a 35, 35300 e 40.
Aderemos fingindo coral, compondo-se de
' alfincte e brincos por 25000.
Dito dito prolos por 25500.
Ditos do iaquot, compondo-se dealfinete
e brinco, sondo de muito gosto, por 55000.
~^11......P3
A"
do Barao da Victoria n. 2 8.
SOBERANA
VLLIVEL
1NJECCA0
no
LEVfK
Da feculdade de medicina de Paris, cavtiiheiro da Lcisio d'lionra
DR. MA'
E
Q BI
E
A blenorrhagia, ou purgado
i 1jc\i\
urna inflammarjo do canal" da urotra,
CHAPEOS.
Ricos chapos de palha d Italia, para se-
nhra, a 115000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 105000.
Completo sortiment de chapeosinhos para
meninas e senhoras, de 308M a 5*000.
Chapeos de sol de seda, inglczcs, cabo de
marliin a 1C?000.
Ditos dito de merino, cabo de metal mui-
to bonito a 55500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
\ madeira, a 65000.
Dittts dito cabu de marfim a 'J55000.
DIVERSOS RTICOS.
Granadino para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de seda, a 650 o co-
!vado.
Pannos de crochet para cadeiras, a 15800
e 25000 cada um.
Ditos para soi'd, a 35 e 45000.
Toalhas de linho pura rosto, a 15300 cada
Urna.
Ditas do algodao alcoxoados, a 640 rs.
Colxas de crochet para caua de casal, a
65000.
Pode bter era poncfl crup) com
TXL3
I
o oso do
,1
iccresa arfamada

m w mmm
Composto do manac anti-rheumatico e depurai ivo
l'EI.0
E' proparado oste xarope de manac o mais algumas plantas indgenas do Amazonas,
nao contm preparad algum mercurral. Cura com rapidez rbeumnlismo, dae noi
ossos, orupi;ots syphiliticas e da:trosas, escrfula e todas as molestias que dopciiderem
desses virus. A sua compo-sicao foi approvada pela junta central de hygiuiio pu-
blica.
A cada garrafa acompanha urna explicaco para a forma de usar. Troco do cada
urna 35000.
nico deposito uosta provincia ra do Da,-vj da Victoria n. 38, c!iap llana de
Monteiro Silva.
Pe
sos c medidas
di
DO
Pesos Medidas para soceos o moblados,
de forro, cobro o lalo, de ostanho e tuta-
naga.
Yendem so em casa de
SHAW HAWKES t G.
Ra doBom Jess n. 4.
[ Predilecta,
SE
Di
woviDA^ai:?
E sim senhora.
i ser por aease novidnilo (a afta frasea) as
lindas e fascinadoras fachas de teda, i m.as i
petontes Gvellas de tartaruga, priaioros: meoje a-
maltadas de madraparala, que reeebcu u Vapor
das ovidadea t
l i
FiySitQ ineofi que h cenbecido este r.recioso odco, e diclcil acbar orna peaao
qoe. Ir Qjefiti i ,Of'ialrjaeiite, nao filie tm seu favor, j conu tone eatomac.
e apetiaador. i'iaaodo om calis nelU r.tftB de jantar, oo ccuio facilitador da digoa:
{(taaedo -te- dopoie-
A BASE
\ uft
i HESP ER1DINA e LAP.AfJJA AMUROA-ao bzvva habitaata di HRASiL (aterr
especia! c ;.:.;?) que t?c oijbafi as propriedades medicinaes di donrfia frac.ia-
ora bem, s
oocasiona
'a a maior parte das vezes pola comniunieaco impura. Nao urna aTce^fio geral, qu1
;. logar, como a svpulis a acci lentes secundarios. E' urna affecgao puramente local-
.lYectivaiiiento, os modicomenlos que ha muito teom sido applicados interiormente con-
tra este mal, taos como a copabiba, cubebas etc., nao produzem effeito senao communi,
ando s ourinas algumas das suas composic,es, que, pela sua passagem atravez do eanal-
e tornam urna verdadeira injeego.
Para que ser necossario carregar o estomago com essas preparacoes nauseabundas a
-opugnantes? Para que preciso fatigar os intestinos com a sua ac^a irritante? A res-
poata simples:>'ao se tinha anda descoberto urna mistura que, introduzida directae
nente no canal, produzisse os mesmos effeitos sem temer mos resultados. As injec<;6e-
to falladas at aqui, conseguem fazer parar a purgado, porm pela irritagao consecutiva
]\xe produzem no canal, sao urna ameaca permanente de aperto, afleccao muito mais ter-
rivel qu? o mal se pretende curar. Eis aqui porque a maior parte dos mdicos, querecu-
sam, com razio, de as em pregar.
Presentemente, esto fundado temor n3o existo. A injecQo que nos apresentamos ao
publico, que cotila dez anuos de bons resultados, nao interrompidos, nao irritante. E'
inti-blennorrhagica em toda a extensao dapalavra. Queremosdizer, a causado mal,
iue ella doslroe decompondo os elementos da purgaro e tonificando a mucoza e as
Undulas donde provm a sua origem. A sua applicagao nao dolorosa, e se urna li-
joira impresso se segu a sua introduego, essa impresso de pouca dura, e seguedhe
ima setisag.ao immediata e nao desagtadavol. O seu tratamento nao precisa de nenhum
autro auxiliar para fazer parar em muito pouco tempo as purgaces, ainda as mais re-
ls.
Quasi sempre basta um s frasco para a cura, pois nao nos consta quehouvesse pur-
;ac,ao que resistisse ao emprego de dota.
Afino de chegar a urna prompla cura, o doente devora seguir o seguinte
Ul 4.1Mi \ :
1.* De dois em dois dias, tomar um grande banho, e permanecer nelk duas horas,
sendo posstvel.
2.a Cavar tres vezes por dia a parte doente com agua fria.
3. Dar tres injecc,es por dia -. de manh, ao mcio dia, c noite. Aperlar ligei-
ramento o orificio do canal, alim de conservar nelle o liquido um minuto.
4. Usar um suspensorio.
5. Abster-se do uso de bebidas espirituosas, ou alcoolicas durante o trata-
mento.
SENHORAS.
Ha muito tempo que as flores brancas, leucorrhas, etc., teem sido consideradas as
senhoras como causal, a cons'.tuto anmica, que na linguagem vulgar lhes chamam
pallidas cores, quando ellas sao ao contrario, a causa do enfranquecimento, e pobreza
do sangue. D'ahi provem o erro que muitos mdicos commettem ainda, de tratar do
estado geral, em logar de cuidar do estado local, que a causa dos symptomas geraes.
Nao logar proprio este de tartarmos theorieamente o facto que ayancamos, mas acredi-
tamos que basta aponta-16 para que todj o medico consoiencioso o reconheca o seu
valor.
A nossa ii>jecc3o tende, sempre a suspender esses corrimentos sempre rebeldes a qual-
quer medicamento ; mas para obter esse resultado preciso que seja dada com o maior
cuidado, e que penetre at as mais pequeas pregas da mucoza, pois fue ao fundo
da mucoza quo est a causa da affeccao, Nos convidamos as pessoas que recorrerera
nossa njecco, a servirenuse, de preferencia a outra qualquat* da serwga-dheita,. forma-
da d'um tubo de vidVo do qual a extremidade redonda tem alguns buracos. Estas se-
ringas tem sobre as outras a vantagein d'abrir largamente a vagina, e por toda1 a muco-
za, em contacto eom o liquido injectado, condico indispensavel para cura.
Duas colberes de sopa da nossa injeccJo laucadas-n'anaa quantidade d'agua suficiente
para encher a seringa, bastam para urna injecijio, que deve ser repetida tres vezes
por dia.
A nossa injecfff proplivlatica, isto etita o mal. Urna s injeceo basta, depois
d'um contacto suspeito, para fjr ao abrigo de todo o receio de doenca.
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
BARTH0L0MEU&C:
34Rua Largado Rosario-^34
:**A"AA Jki
em sen Mtdo cato-ral tem orn gesto pooco agradavel, e o mrito da iiasperiina coi
aisle "O. retct seas boas ppopridadea, e ao roesmo- tumpo apreieDia-la eoaaa
EXQUISITO LICOR
A BESPERfDWA como INDUSTRIA NACIONAL n8a tem nada que > o vejar a
melhori- imporftei^s emepw de Crtheajori semelhante. Estas, qnando aamto, podaa
ser gostosas, porfa "a Hesperidina a combiD3(*5o perfeita do
AGRADAYEL E SADAVEL
Para prova de que um ailgo no qnal pde-se terirrteira confanca, por Mr pnr
e inncoeitV?, baeta dizer-se que foi plenamente approvada e autorizada pela
HYGIEHE
do Rio de Jaoeiro, permittindo sna livre e!aborac3o no imperio; ouin
BOA PBOTA
a teceitacaa geral que tem em u das a? partes onde apresenlada. Em 1864 estiba
laceo se a primeira fabrica em Bnenos-Ayres; em 1869 a segonda em Montevideo ;
no dia ra cegada de S. M. O IMI'EHADOR inaugoron-se a fabrica qne actoalment
trabaha r,a cfrt. Em Valparaizo e em toda a costa do Pacico tem boa acceitacio
tanto que rara a casa ejoe considera completo seo aparador sem umi garrafa de
sim senliora.
Ser crive
?
no eaipen!ii> d bem servir aos seus frettuuzes e
ao public fio geral tem procurado prover-sa do
3ue lia de Blutbor o da ultima moda nos mrca-
os de Europa para e.\po-lo aqui veuda, cer-
tas de que os seus artigo serio bem apreciados
pelos atuautes do Lum e barato ; passa a euuu
merar uiguits d'eatre elles, como ejam :
AI.BU>S, os mais ricos que tem vindo a este
mercado, com capas de madrepciohi,
tartaruga, mariun, velludo e chagrn.
ADEREMOS netos e voltas proprias para luto ;
assiflj c. mo, um bonito sortimento de
it9S de plaqu, obra fina c muito bem
acabada.
BOTES para panno, o que se p-'e desojar de
meliior em plaqu^ tartaruga, niadre-
pcrola, marlim e sso.
BOLEAS de velludo, seda, pallia e chagrn,
ha de mais moderno e 1 ndas.
(ICOS de seda e de algodao, tanto branco como
preto, de variados desenlios
CASSOLETAS pretas do metal e de madrepe-
rla.
CAIXl.MiAS para eostura, muito ricas o de di-
versos lonn tos, com msica e sem
ejl;l quf: u so no V; por das rvovrdades, a rna a Itc-
COQUESa mitaco, o que pode haver de mais paratris n. 3ti, onde a eacontram ledu-
In.nito e bom gosto. raqr-pren para aenhora ecn a-reiln
DEADEMAS, ni-ste genero a Predilecta apre- por 4*000, eassaMtas deaQQ do ulW | -'>, gra-
seuia um grande e lindo sortimento vatas para senhoras e ootws mui9(N arUgos de
eapat de sasfeier os caprichos de, fazer r.rrcpiar pello e eatelK nao -ojela sna
senhora por mais exigente eteganaia, como pelos presos porqae
Que se possa vender um par da botinas de da-
raque preto o de canno altnparateubofa; por hft
sim senliora.
Coivii advcrlir
0 homem telho toma Hesperidina para obter
VIGOR
O bomem doente toma Hesperidioa para obter
qusiqaer
que seja.
PORT-BOUQUET de madreperola, marfim o sso,
e este um objeclo indispensavel s se-
nhora do bom tem, afim do aspirar
6 aroma das dores sem o inconvenien-
te de nodoarem as luvas, ou mancha-
ran as delicadas mos.
PEMES de tartaruga, de mai fun e de bfalo, pa-
ra alisar os cabellos e tirar bichos.
PEIuTMAWAS. E' sabido do publico qne a Pre-
dilecto sempre conserva um importan-
te sortimento de perfumaras de lino
odor dos inais afamados fabricantes,
Lubin, Pivcr, sociedade hygienca, Con-
dra'y, Gosnes e Itimel, que incum-
bido da escolla dos aromas mais bem
aceitos pela sociedade elegante da
Europa, e por tanto, acham-se na
possibilidada de bem servir aos aman-
tes dos perfumes.
A PREDILECTA delxa de enumerar orna im-
mensidade de artigos, afim de nao mas-
sar aos leitores e se pede a benevo-
lencia do respeitvel publico em di-
rigir-se ra do abug n. 1 A, pa-
ra convencerle aonde pode comprar
o qne bom e barato, assun como:
FACHAS ricas e modernas de tuquim e gurgurao
seda
1IMENSVETTOS. Ricos vestimentos para meninos,
por baratissimo pre<;o.
FLORES. A Predilecta prima em conservar um
bello sortimento de flores ao alcance
de qualquer bolc.a ainda que nao es
teja bem replecta de dnheiro.
ja bem sabido do publico que s na
dos.
6
L isto
ra da Imperatri/. n. 36.
S Leito & Oliveira.
'coiiomia doiiiesijia
WJ
O bomem dbil toma Hesperidia para obter
FORC,%
Nos bailes as donzellas e os mocos tomam i Heaperidim par obter boa c6
animacao darante os loncos gyros da
BARROS JNIOR 4 C, raa do Vigario lenorio k 7, aodar,
grande especifico, a wnwn-no nos deposito' 8Bgitraai:
Joaqrjim Ferreira Lobo, roa d* haperatrix.
Zeferino Carneiro, roa da Gommercio.
Marcelino Jos GoDcalves-da Fonie, roa da Cadea a, I.
Aotonio Gomes Pires G., roa di Cadeia.
Amonio Gomas Pires C., caes tt de
Gomes IrmSo hotel da Paasagem.
recabaraaa ai-
FITAS.-
KA
Loj do barateiro, na Io de
Marco n. 1, defronte do ar-
co de Santo Antonio.
Agostinlio Ferrcira Jt Cuipanliiu.
Lzinhas esco-se?a9, fazenda fina e bonitos gos-
tos, a iW, ICO, i'i c 18.1 rs. o cov; lo,
Ditas com Kstrai de seda, fazenda Una, que sem-
pre custou I a a 500 rs o covado.
Baptistes com barra modernas a 106, 48 e oOO
rs. o covado.
Chitas escuras e clara?. Loa qualidado e b
padrdas, a 260, 2b'0 c 300 rs. o covado.
MadapoUo francez muito fino a 7&(&, e epre
vendeu por9|.
Toalhas alcochoadas a 6J> a duzia.
Ditas felpudas a 8$ c 8500.
Chapeos de sol inglezes de seda t.in-ad.i (Pa-
SaaT ragon) por 8* e 9-
Lentos cem barra a U e 2 a duzia.
Ditos de linho brancos abanhados a dSO5 e
ja uem saoiao uo puuiicu quo :u na i.,,:-
Predilecto que podem encontrar um {A ^f^-
grande sortimento de filas de setim,
Rrins de cores o pardo trancado liso, pr< trio
M
meninos a 49), 440 o 500 rs. o covado.
Cambraias tronsparentes Vctor-a a 3*oO0,
Tafeta, velludo, nho e de algodao, por I. k*AI* ^5? Para lw!m c0:
commodo preco.
GRAMPOS de tartaruga, imitlo destes, pre- J,. ^ .
tose de cares, o que se pode desejar ^|? ^f J saeiE bordado, qe *n>pr
de mais moderno e bomto. | **" i -.oo ii<
GRAVATAS de seda e de cambraia para senhora,, cuJ*m o# # l!t.saiBo
lagos e golmhas de bonitas corea, tam- Amee^cinar por julgarraos Seo. sario.
bem tem um bom sortimento de gra-1
vatas e regatos para homem.
JARROS de porcelaaa e de vidro muito bonitos
Sara ornatos de sala,
le s de seda, de la e de algodao, pa-
ra senhora, meninas e homem.
LEQUES. Ricos leques de madreperola, tartaruga,
marlim e de sso, os mais modernos e
por barato preco.
LUVAS de pellica, de seda e de algodJo, para
homem e senhora.
LIVROS para nrtssa a Predilecto^apresento es-,
colha do respeitvel publico um bello
sortimento destes livros com capas de
madreperola, tartaruga, marfim, sso,
velludo e chagrin, por preeps- mui
razoafeis.

h mmim de Jaa -
Travcssa dio Ctofpo
Santa N. 25.
?ipores locotnovera de forca da S a 4 canflos.
Crrelas para machinas.
Polias de diversos tamanho.
?aquetas para coberos de carros.
Solas de lustro para guarda lama.
ftitV >. para carro.
Chicotes para carro.
6al5os largo e estreito para carro.
Pregos com cabera ddnirfun, dem,
Cuuaa fc MaaU lendem cnpsto"tem""|p em
o seu armazem ra do Mrquez de Olinda nu-
mero 23.
Vlto champagne Redarer (Carie blanche).
lito dito V. kquot, gigos.
Dito Chambertin, caixas.
Dito Bourgogne, idem.
Dito St. Jul)e\ idani.
Dito St. -Chriatol j, idwa
Dito Su Estenlw. idem.
Dito Si. Emion, idem.
Dito Sherry. idem.
Dito Madeira, idana.
Cognac, Marte (uardadeiro), im.
Dito Hennessy (dito), idem.
Qdra Champagne, dem.
Vinagre branco fine, rdem.
Azeite doce refinada fino. dem.
Ckaeotate Meaier fino, 10 kito.
Atacla iaglea, latos_______^^
Joaquim Jos Goncalves
Beltro & Filhos
Teem para vender, ne seu esetiptono ra do
Commercio n. 5, o seguini't :
AGURDENTE de caj : caixa de t garrafas.
f de laranja, idem iden,
ARCOS de pao para barril.
CAL a Lisboa, racenlemente chegaila.
CHAPEOS de sol, para homem e a ahora, cabo
de marfim e sso.
FEIXES de ferro, para porta.
PfO de algodao da Bahia, da fabrica do commen-
niendador Pedrozo.
LliS'HA de roriz.
OBRAS de palheta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do com*
mendador, Pedrozo.
RETRO/, de toda aa quaridades, di faarieaa da
Pera a Eduardo Militao.
ROLHAS proprias. para botica.
SALSAPARRILHA do Para.
VBLAS de cera d tedos os tomaahoi.
VINHO engarrafado do tdrto eaiaa de AWf-
fto Moscatel do Douo, idem idem.
toSetubal, cattas de i e S mirras.
da Italia engarrafado, eaixa* de a^gar-
de fiiUarn1 superior, em anr* retas,
de c^i, caixas de lgarf-is.
tfalvasia do Douro^ caixas o,t 11 gar-
rafas. x
CaicawUos, dem dem.
Vende-se ama mesa
muito nova, t de amarello
roa de Marsilio Dias n. 88,
da tarde emdianto.
elstica coa 6 toboas,
: para ver e tratar, na
t- andar, das 1 horas
c

<
t

Vende-s
e
Barris com carne da vacca e de poreo aalgada
para iftanitiiwaaoa da navios : *e ismim
*Taiaa Irmos & C nao Aaaiiai n. 17.







8
sat
Diario de Pernambuco Quiuta feira 14 de Agosto de 1$73.

VARIEDADE
flammado impediodo as coocessdes e, em apreciada em todos os seus fundamentos,
seguida, irapondosoluges bellicosas. Sub- pelo egregio Tribunal da Hebco, que, per
sistiriam os ardores'guerreiros com a mesma accordo de 38 de maio 4o.anno passado,
viyacidadefse no momento m que urna dts- Julgou improcedente o recurso doprovimen-
sidoncia surgisse entre as nagoes, ellas m- to ao habeos corpas impetrado por Mara da
mediatamente mtervissom um meio pacifico Conceigode Jess, mi de Manoel Ferreira
Os amigos da paz universal ucabam de aejulgar o debato; so a opimo se achasse da Silva, viuvo com Ribo, preso como re-
aleanear u.na pequen.1 victoria no parlamon-
toinglez, o qual aseroco aptar-se, nao tanto
palos resultados i inmediato que ella tora,
mas como o uheio dos notos sentimcnlos
Ag
A ^uestilo de arbitragem nter-
nacian! ao pnrlainputa u
que se produzem com furga .illi, on le as ro-
centes tempestades do continente nao tein
tudo desmorona! i. Shbo-se que recente-
mente, M. lticb.nl, nombro do parlamon
to, fazendo se interprete de numerosas com-
misses nglezas de paz, entre as quaos
conta se urna liga do mais de um milho de
obreiros, apresentou cmara dos commuus
urna mocao em favor da paz. Esta mogo
redigida em termos simples e conci
sos.
O autor pedo quo seja apresentada urna
petico raiuba, afim de quo ella ordene
ao ministro dos negocios eslrangciros que
entre em communicago com asoutras po-
tencias, no intuito de aporfeicoar as regras do
direitj das gentes e estabelecor um systcma
geral e permanente de arbitragem inter-
nacional.
M. Kichard, em apoio do sua mogo,
recordou o contraste aillictivo que offorocem
os raaravilbosos progrossos da eivilisago,
que soin ces-ar tendera a aproximar e a unir
os povos, com o estado de barbaria das re
laces internacionaos, que fazem quo em
caso do dissidoncias entre as potencias, nao
exista outro recurso senao o appello (brea
bruta: elle demonstrou as ms paitos
que a paz armada alimenta;.o peso aca-
brunhador com que os immensos armamen-
tos da Europa oneram os ornamentos e as
riquezas das nafta. Essas relaroes gro>-
soiras, que nao existem senao entro os sel-
vagens, ilevem por mais lempo subsistir en-
tre os povos ? E' o futuro da Europa o di-
lacerar-so continuadamente em terriveis lu-
tos ?
O orador nao admita essa necessidade
fatal. Muitos sao os indicios que provam
que com un pouco do boa vonta lo poder-
se-hia modilicar este estado de cousas.
Apezar das paixos que as ultimas crises
leem exacerbado, os propros horrores da
guerra tem podido excitar em urna notavel
porgo da opinio publica urna indizivel re-
pulso por esses choques sanguinoien
tos.
E' dever dos governos, e especialmente do
governo inglez, acorogoar esta tendencia dos
espirilos, preparar para o futuro os proces-
aos pacifico, as instituig s proprias a subs-
tituir pouco a pouco, em caso de disiden-
cias internacionaes, a brutal ntorvengo das
armas.
Ess';s processos, essas instituigoes existem
j em germen.
Diversas vetea conflictos nascentes leem
sido aplanados pela va amistosa da arbitra-
gem. Depois do comeen dcste seclo con-
tam-se cerca de vinto casos (lj.nos quaos a
mediaco ile arbitros caitos pelas partes tem
prevenido acontecimentos graves. A ultima
dessas arbitragensa do tribunal de Genebr
a proluzio inmensa impresso. Dunsgran-
des potencias, divididas por questes oncan-
descentes, foram detidas em um terrivel de-
clive quo podia te-las conduzido a aventuras
sanguinolentas. E' un bom exemplo para
o mundo ser precisamente a naci condem-
nad.i pelo conselho dos arbitros a que se
om face do um tribunal bom organisado, cruta e no mesmo dia noite tirado da pri-
composto do homons eminentes pelo seu ca- sao e remetido algemado para a cade! a da
racter, sciencia e experiencia, promptos a cidade do Ico, donde voltou a esta wdade
pronunciar entre os adversarios urna sentn- em virtudade carta precatoriae requisitoria'
ca imparcial ? Alm de tal motivo accresce que entendo ser
o congresso do Pars, em 1836, aspo- applicavnr ao casa o disposto na pt un. %
leticias tinham j comprohendido a utilidade 3.* arf, 17 da le n. 2,033 de 20de'setorn-
ile urna instituicao doste genero, e urna clau- bro de 1871.
sula celebre, approvade por todos os pleni- Ju|g0 desnecessarioaponlar a faltadecum
potenciarios, dispunha que d"ahi por dian- primooto do dispoto noart. 44a do Re*, n
to os estados entre os quaos se suscitas urna no do 31 de Janeiro de 1842. quer nlpe-
dissidencia sena, antes de appellar para as tigo a II., e quer na que faco juntar a este
arma, recorreran, aos bons officios de urna processo, o que entendo ser sufficionto, para
potenc.a amiga Esta clausula, deploravel- autorisar seja ulgado improcedente opre-
mentedesprezada em 1870, j nao subsis- sent recuik E bem assim ordeno que
u.. nao ha o tompo completado o pensa- seja junto aos autos a sentenca, em virtude
ment generoso que elle hara ditado.com da qual ordencique fosse posto em liberda-
organisago difimtiva de um tribunal de de o referido Manoel Ferreira da Silva, a
arnitragem sobre o modelo do que resolveu favor do qual militavam as iseucdes do re-
a questo do Alabama ? M. Gladstone, em crutameiit, isto e, viuvo com lho e artis-
nome do governo. respondeu no orador, ta. Obeervo inda a contradigan do recor-
Uppondo sua mocao objeccoes que nao rente quando d a Manoel Ferreira da Sil-
valor, eHe nao combaleu, todava, va. solt por favor, como morador nosCur-
triumphar, quer em sua propria" poltica, justiga.
quer ante os g>vernos estrangeiros, os priu-, Autos de arrematado.
Y-. ... ,-3 ^toiiiw esuaiigeiros, os priu-, Autai de arremtatelo___Julgo por termi-
cipiosdo cqm.ale o moderaco : mas no nada a praca das escrav Juliaua eattlh
tolano actual do continente, um passo so- desta de nomo Vcencia, pelas quaes oflere-
lemne de parto da Inglaterra sena estril, e cem Manoel B. di Silva, a quantia de
quant
comprometteria, talvez, a causa que se pre- 5109000. E hem assim tawbem julgo por
terule tazar triumphar. E' do lempo e do terminada a praca da escrva Jerouyma,
progresso dos costumes quo preciso so- pola qual olereceu Ju venal de Alcntara Pe-
bretudo esperar o bom xito defimti-o em drow, s quantia de 4059000. sendo ex pe-
a de Paz ""rnac.oi.al. didosos competente ttulos ao indicados
ilas men-
terminou ped.n lo ao autor da mocao que a a derda apulicacao. Ordeno nto aos
rftt.rassse, nao sem exprimir suas probo- altaos da escrava Jeronyma, queso passe t-
npathias polo um a que ella r- tulo de main*missae aos mesmos, pelos pre-
...,..v..,. uo Fat ...wiiMuuiidi. didosos coinpetont.js ttulos aos- i
1 or agora deve-so marchar vagarosamen- offertintes, depois de feita aentreaa
te e nao antecipar o futuro. 0 ministro, cionadas quaoUas, no respectivo.ju
moslra espeitosa por esse modo de jura-
mento, esforzandose por consolidar a ins-
tituir io da arbitragem internacional. Se-
ria esse um grande servico, do qual a hu-
mani.lade tornar-sediiadevedora Inglater-
ra. Nao se trata, bom entendido, do um
tribunal soberano, cujos decretos se tornas-
sem obrigatorios pela forca publica. No
equilibrio actual do mundo, esta forga pu-
blica, superior forga dos estudos particu-
lares, nao existe, e seria urna utopia pre-
tender crea la de um dia para outro.
S ao futuro pertonce a idea do urna ver-
dadera 'confederagao internacional. Por
agora, preciso contentarmo-nos com urna
instituigo de ordem facultativa, que antes
indique do quo imponha as soluges pacifi-
cas. A' primeara vista, a misso de seme-
lhante tribunal parecer estril.
Nestes ternpos era que apparentemente,
a forga bruta domina, oque vem a ser urna
entidade moral sera poder material ? Mas
raciocionar assim seria um erro.
Se a forg alcanga victorias, preciso
nao negar as que consegue a opinio. Qual
o argumento favorito que opposto aos
ainig s da paz, quando elles roclamam a
suppresso da guerra ?
Mostrara-lhes, em certas occasioes, os es-
pritus sobreexcitados, as paixoes populares
nnpellindo os governos, o patriotismo in-
sava.
M. Richard nao accedeu- a esse pedido :
sustentou sua proposgao. Foi
votar.
A maioria dos membros presentespouco
numerosos em outras occasioes quiz ma-
nifestar'seus sentimientos do repulso contra
a guerra, e o dosejo de ver a arbitragem
admittida as relagoes de potencia a poten-
cia, repellindo, contra o alvitro do minis-
tro, por 98 votos contra 88, a questo pre-
liminar sobre a mogao de M. Rictiard.
Entro os votantes, nao sao poucos, nos o
acreditamos, os que se illudem sobre o bnm
xito inmediato desta companha .pacifica.
Porm muitos pensam que os acontecimen-
tos suceedem-se acceleradamento neste secu-
lo, e que a chimera do hoje, pode tornar-se
amanh em urna realidade.
(L'Economiste.
JORISPRODECIA.
Juizudo de ilreitu da couiarca
do (ra, provineia do Cear.
1873.
C.ontinuago.
0 juiz formador da culpa devia ter usado
da faculdade que Iheconfere a le de poder,
antes da culpa formada, fazendo recoltaer
gos das respectivas avaliag.ss, ecoH>ido
previamente v qitant-am destas ao mesmo
necessano juizo; pelo qual seja conBada a educarlo
'dos menores aJorriodos a pessoas cm-condi-
$oes de faze-lo-. Fica autorisado o- oororwsl
Antonio Luiz Al ves Pequeo Junio?, para
assignar o respectivo tormo, perante com-
missao manunaissora desta cidade ^ pagas
as eustas ex-causa-. Crao, 4 de fevereiro-de
1873.
Rscurso de nao recebimento de qu&im.
Crato. Visto estes autos, etc. Estandoestabele-
cido que as autoridades polraaes deven* pro-
ceder a inqueritor dado qualquer facto delic-
tuoso, sendo remettidO'o resoltado das dili-
gencias aos juizes municipaes-; isto as oo-
inarcas- geraes, para' o tim de segoir-se a<{
formacjto da culpar quer provocada peloer-
go da justiga publica e quer ex-olficio-r foi
por isso irregular o proced ment do terceiro
supplente do delegado do termo desta oi-
dade, constante do-ollicio a fll-e o do sup-
plente 'losubdelegadoi ollicio a3, aos quaes
cumpre observar o disposto na soccio 3.* cap.
3\ do Beg., mandado-executarpelo dec. n*
4,82i de 22 de novembro de 1871, prin-
cipalmente o que est< disposto- no 6 do
art. 42,. oomprehendido no mesma seceo-;:
pois, portal modo seofferece oeeasio a ao*
toridado palicial, para dar completas iufor-
raages de fados, cujp conhecimento toraou,
e assim habilitar ao- orgao da justiga e aa
(1) Eis aqui as principaes arbitragens :
18021818. Differenga entre a Hespanha
e os Estados-Unidos, aplanada pelos arbi-
tros.
1812. Conflicto entre os Estados-Unidos
o a Inglaterra, a proposito de escravos lie-
galmente appreliendidos, arbitro o impera-
dor da Russia.
1822 Conflicto entre as mesmas poten-
cias, sobre os limites do estado de Maine e
arbitro o re Leopoldo.
1831. Pagamento pela Franga de urna
indemnisago do 25 milhoes de francos dos
F^tados-Unidos, por capturas illegaes de na-
vios. Commsso arbitral.
183*. Differenga entre a Franga e Ingla-
terra a proposito de navios capturados, ar-
bitro Frederico IV, rei da Prussia.
1839. Difficuldades entre os Estados
Unidos e o Mxico. Diversos arbitros.
1855. Questo sobre as embocaduras do
Danubio, reguladas por urna commissao ar-
bitral permanente.
1855. Negocio de Neufchtel entre a
Suissa e a Prussia. Deciso arbitral do
governo francez.
186061-63. Conflictos entre os Es-
tados-Unidos, da Nova Granada, Costa-Rica
o o Pero. Commissao d'arbitros.
1863. Differenca anglo-brasilcira. Sen-
tenga do rei Leopoldo.
1864. Negocio do estreito de Puget, en-
tre a America e Inglaterra. Commissao ar-
bitral.
1867, Questo do Luxemburgo. Media-
gao da Inglaterra e conferencia de Lon-
dres.
As duas ultimas arbitragens foram as re-
lativas as questes do Alabaran Tribunal de
Genebra ; e a da ilba de S. Joilo, arbitro o
imperador d'AUemanba ; arabas entre 06
Estados-Unidos e a Inglaterra.
Veja se o estudode M. H. Bellaire, sobre
Lesarbitrages dam les conflicto interna-
tiinnux, livraria. Franklio.
priso ao reo Espanga, hornera de m repu-
taco, afira do evitar a sua evaso, como I turidade judiciaria a-qualquer ulterior pro
'cedimento. Em vista.de quanto consta do
autos, nao se pode considerar os dispachos
recorridos, como de nao recebimento das
queixas de fl. e fl. ;: pois o recorrido, fun-
damentando osseus-despaclios, assim o de-
clarou, e, da propria integra do-taes despa-
chos, se-deduz que o recorrido-exegia a ob-
servancia de disposigpes regulamentares, es-
quecidas pelas autoridades policiaes, as
quaes ao em vez de satisfazerera^as recom-
mendagpcs da auioridade judiciaria, por
intermedio da qual deveria o inquerito ser
> i .eder, porcerti. Ciato, 28 de Janeiro
de.1873.
Coalas da irmandade de N. S. do Rosa-
rio da Barbulla. Julgo por validas e pres-
tadas as cotilas constantes destes autos, com
quanto so notem algumas irregularidades, e
nao tenha sido cumpridoo respectivo com-
promisso om algumas de suas disposiges.
E para que assim nao contine, ordeno que
se observe o seguinte: Seja promovida a
cobranza da divida descripta e das joias de
quo faz menguo o art. 5., bem assim as
creadas pelo art. 26, ambos do compromis-
so ; nao se pague esmola maior de um mil
ris, por missa mandada celebrar ; pois a
isso se oppoe o art. 19 do mesmo compro-
misso, nao constando ha ver sido tomada
qualquer deliberago em contrario na forma
do art 27. Seja cumprido o art. 21 que
crcou lvros para os misteres da irmandade
quo dever ter tres, todos numerados, ru-
bricados e competentemente sellados, pois
preciso que o livro das actas, seja um, o de
entradas de irmos outro e o terceiro para
o inventaro. A entrada de cada irmo ser
precedida de resolugo da irmandade, de-
vendo constar das actas, e de um termo la-
vrado pelo escrivo no livro de entradas, as.-
sgnado pelo thesoureiro e pelo irmo & mittido.
Sendo os recursos do cofre da irmandade
destinados ao brilhantismo do culto da ex-
celsa padroeita, deve ser a quantia do. saldo
empregada para tal m e nao posta a juros,
devende igualmente a irmandade fazer pro-
veitosa applicago do saldo, solicitando pre-
viamente a competente autorsago a este
juizo. Nao constando por que meio a ir-
mandade obteve as partes do torras de que
faz mengo a fl., sejam presentes este jui-
zo os respectivos ttulos, para ulterior reso
lugo. Crato, 28 de Janeiro de 1873.
Recurso ex-offkio: Crato. Vistos estes
autos, etc. Confirmo o despacho recorrido,
pelo qual foi o reo Luiz de Franga de Souza,
considerado incurso as penas do art. 205
do Cod Cr., e sujeito priso e livramen-
to, como autor do ferimento constante do
auto do corpo de delicio a fl, e do de exame
desanidado a 11., do que resultou grave in-
commodo de sade e iuhabihtaco doservi-
offendida, Josepha Mara da Conoeigo, o
ferimento a co.itusS s, constantes do auto do
corpo de delicto a fl. 0 escrivo lance o nome
do reo no roi dos culpados e cumpra no
mais o seu regiment ; pagas as eustas pelo
reo, a que o condemno. 0 Dr. promotor
publico, teodo em oonsidoragio a materia
do officio a fl., requira o que julgar a bem
dos nteresses da justisa. afira do ser punido,
quem for achado em culpa. Seja este pro-
cesso preparado com urgencia, para que
tenha lugar o ju g.unento do reo na primei-
ra sesso do tribunal do jury .lo tormo d'm-
ta cidade, convocado para o dia 17 do cor-
rente. Crato, 13 de foveioiro de 1873.
R'-xurso jex-oflkio. Crato. Denuncia
do Dr. promotor publico, reo o cabo do
corpo de polica, Manoel Ferreira Lima,
cima referidos offen lida, a cga, Hara
Joaquina, Cr.a>t. 201 doCod.Cr. : foi con-
firmada a pronuncia em 15 do fovoreiro de
1873.
Sapplemetilo de idaie. Barballia.
Vistos estos autos, etc. Julgo por justificado
o deJuziJoa peligo do fl., para os Bns de
direto; seja pasada a competente carta de
suplemento de idade, na forma requerida
pea empotrante, D. Antonia Porcinia Sem-
paio; pagas as eustas ex-causa. Crato, 15
ilo fevcreirp de 1873.
Appellaco. Juzo de paz do Ciato ; ap-
pellante Miguel Catuamb Na, appellado
Jos Raimundo de Moura. Vistos estes au-
tos etc. Sendo millo tudo (punt se faz
contra direto, nullo o presene processo,
cuja basi u termo do audiencia a fl., na
qual oliciou como porteiro o appellado,
que nao podia fazel-o, por ser parte o inte-
ressado no proprio auto, cuja &} dava.
Anda nullo o presento processo-, por ter
oficiado no mesmo-, como escriva, Jos
Mara de Fgueiredo, epue o era da soWole-
gacia-, sendo que a nomeaco interina de
dito individuo deu lugar coodemna^fto de
Vicente Goncalves Aleixovsubdelegadod'esUi
eidaoV, por sentenca d'este juizo, datadb de
5 de novembro do auno passado e cuja pro-
BUOi:M fra ilecretada, por igual, datad de
28 de- setembro do mesmo- anno. Se tSacs
DOllidadta nao- existissem iates autos, era
de Justina a- reforma da sentenga appelladh-,
cujos ftHidumentos sao estraimos aos autos-,
como se- verifica da propria sentenca, nu
qual basta- notar, se declara que o cavallo
embarglo- pelo appellado c prtoneeute ao
a ppellantefdra comprado por este a um ou-
tro individuo, que nao o indicado pelas tes-
temunhas- do-niesmo appellante- e por urna
das do appellado. A.' vista de todo-o exposto
annulloo presente processo, paro-o fin de
ser levantado o aresto constante- do termo
a 11., dando>assim provimento a appellaco
kiterposta da sentencia appelladas;: pagas as
cusas pelo-appellado-. Crato, 1T de feve-
reiro de 1873*
Appellaco. Juizo- de paz do Croto : ap-
pellante, Jos Joaqun Marrocos- Telles.
appellado, Dr. Manoel Marrocos- Telles.
Vistos estes-autos etc. Tendo sido- proce-
dida a penliora a 11., que foi substituida pelo
deposito custanto do documento a fl., sem
que tivesse sido marcado ao appelante o
prazo de viole e quatrohoras, para pagara
quantia quo-allegao appllado,tem o direito
de ha ver do-mesmo appellante, tendo sido
feita a substitnigo da penhora polo deposito
a fl., em virtude do despacho a fl., qjie nao
tem a assignatura do juiz ; nao estando ve-
rificado a importancia da.divida, a cajo pa-
gamento possa estar sujeito o appellante (es-
. tando antes verificado),. que o prego do alu-
ne! mensa! do predio era (documento a fl.)
dez mil ris, que se nao conciliou com o
appellado,documentoafl.,tendo sido-o pre-
sente processo tolo tumultuario, como se
verifica da. eonfuso existente no ventre do
mesmo, nc Maria de Eigueiredo, que nao podia exercer
tal cargo,.como succodeu illegalmente ; ten-
do sido procedida a penhora de fl. em vir-
tude de mandado, entona todo irregular,
nao podi, isso nao obstante, ser a. mesma
substituida pelo deposito constante do docu-
mento a fli, e, alm d'isso, em virtude do
despacho sem assignatura do juiz, que o la-
remettido ao recorrento, remetteramMios..d- vrou, como de suppr, o que tudo visto e
rectamente a este que, sendo o-fiscal, dar lei,
devia ter devolvido taes nqueritos (se-este
nome- mereceu os. resultados das d di ggncias
policiaes) para o fim de irera. os mesmos a
suas maos por intermedio do recorrido.
Como quer que, porm, j.nao caiba a
intervengan da antoridade pulicraL e-sim a
aeco publica, mando que sejam recebidas
as queixas de- tt. afl., para o. que desentra-
nhar o escrivo os documentos que- acom-
panharam as. mesmas, prosegundo-se nos
termos ulteriores de direito; pagas as eustas
pela cmara municipal. Cfato, 6 de feve-
reirode 1813-
Recurso, ex-officio. Cfato. Vistos estes
autos, confirmo o despacho recorrido, pelo,
qual foi Jos de tal, cognominado Cabel-
ludo, considerado incurso as penas do art.
201 do Cod. Cr. e sujeito priso e livra-
mento, como autor do ferimento que sffreoo
o offendido Jos Vicente Pereira, e constante
do auto de corpo de delicto. 0 escrivo
lance o nome do reo do rol dos culpados e
no mais cumpra o seu regiment : conden-
so o reo ao pagamento das eustas. Crato,
7 de fevereiro de 1873.
Recurso ex-offkio. Crato. Vistos estes
autos, etc. Confirmo o despacho recorrido,
que julgou procedente a queixa de fl. dada,
contra Francisco Catuamb Vahum, pelo
Dr. promotor publico, por parte da offen-
dida Josepha Mara de Jess, que est em
condgoes de nao poder promover a pu-
nico de seu offensor, que foi considerado
incurso as penas do art. 366 do Cod.
Cr. e sujeito priso e livrameoto; pagas
as eustas pelo mesmo reo, cujo nome o es-
crivo lance no rol dos culpados e no mais
go por mais de um mez, pessoa da offen- cumpra o seu regiment. Crato 13 de feve-
- reiro de 1873.
Recursoex-officio. Crato. Vistos estes autos
e deprehendendo-se dos depoimentos das
tostomunhas que Sebastio de tal, fra man-
datario e Manoel Braz da Cruz mandante
do feimento que soffreu o ofendido Joo
Nicolao da Silva e constante do auto de
corpo de delicto; confirmo, por isso, o
despacho recorrido, que julgou procedente
a queixa de fl. dada pelo Dr. promotor pu-
blico, por parto do offendido, que est em
cpndiofies de nao poder promover a puni-
go de saus offensoras ; paguetn os roo as
cusas, a que os condentio. 0 escrivo
lance os nome dos reos no rol dos culpados
e ne mais cumpra o seu regiment. Crato,
13 de fevereiro de 1873.
Recurso ex-officio. Crato. Vistos estes
auto*, etc. Confirmo a pronuncia do reo, o
cabo de polica, Manoel Ferreira Lima,
praga do destacamento d'esta cidade, consi-
derado incurso' as penas do art. 201 do
Cod. Cr., por ha ver praticado na pessoa da
dida, Maria Gertrudesde Sant'Anna; pagas
as eustas pelo reo. 0 escrivo lance o nome
do reo no rol dos culpados, e no mais cum-
pra o feeu regiment. Crato, 31 de Janeiro
de 1873.
Recurso de processo por crime de respon-
sabilidade.Recorrento, o tenente Jos Ro-
berto de Souza Galvo, recorrido o juizo.
Da materia das allegagdes de recorrento nada
foi provado; permanecendo, por tanto, todos
os motivos que autorisaram a sua pronun-
cia. Seria fcil ao recorrento untar docu-
mentos para pro va do seu allegado ; pois
teve tempo do sobra. A pronuncia do re-
corrento datada de 7 de margo do anno
passado e no dia de agosto foi interposto
recurso de dita pronuncia, (por Jos Ferreira
de Menezes, como procurador do recorrento)
que nao teve seguimento por motives estra-
nhos a este juzo, que, isso nao obstante, ad-
mittio urna nova interposigo \ recurso,
como dodocurneuto a fl., para nodeixar
urna oeeasio de ser a seuieuca recorrida
examinado, tomo conhecimento da appella-
go> para, mandar que seja considerado sem
eleik)-o deposito de l., sendo restituido ao
appellante u quantia* depositada : pagas as
eustas pelo appellado, a que o condemno.
Crato, 18 de fevereiro de 1873.
Mstificaeo. De Clemente Sabino de
Lima. Barbalba. Julgo provadb, quanto
baste, o deduzido aos ilens da rwtigo a fl. ;
pagas as eustas pelo justificante, a quem
sejam entregues estos autos, indapendente de
traslado. Crato 18 de fevereiro de 1873.
Inventario. Ciato : inventa ranle, Pe-
dro Bezerra Monteiro. Julgo por soutenga
a partlha procedida entro o inventariante e
seus filhos, hanidus de sua finada mulher
ft. Leopoldina Bezerra Dias Monteiro, pa-a
os fins de direilo; pagasas-custas-j-causa.
Crato, 22 do fevereiro de-1873.
Recurso we-oflkio. Crato. Vistos estes
autos, etc. Tomo conhecimento do recurso
ex-officio. para reformar o despacho de fl.,
por improcedente os motivos que serviram
de fundamento ao mesmo despacho de fl.,
bem como a promoco de fl. Tendo o Dr.
promotor dado a queixa defl., nao foi a
mesma receida pelo juiz municipal (pri-
meiro despacho) pelo que recorreu aquello
para este juizo, onde foi prvido o recurso,
cessando por tanto toda e qualquer duvida,
que poderia ha ver, acerca de poder ou nao
o promotor apparecer em juizo o por parte
do offendido Manoel Estevo da Silva, pro-
mover a pungo do reo, que ferio ao mesmo
offendido, sem motivo; sendo que, alm
d'isto, accresse que o offendido tendo-se-me
apresentado logo depois de ser ferido, sol-
citou a minha autoridade para ser punido o
seu offensor ; pelo que o mandei presenga
do Dr. promotor, para requerer o compe-
tente corpo de delicto e promover os torraos
da respectiva culpa. Por quanto dos autos
consta, julgo ao reo Jos Alves do Nasci-
mento, praga do corpo de polica, incurso
as peuas do art. 201 do Cod. Cr. e sujeito
priso e livramento. 0 escrivo lance no
rol dos culpados o nome do-ro, que pode-
r prestar fianga pela quantia de duzentos
mil ris, alm do sello, sendo expedido
mandado ou carta precatoria, para a priso
do mesmo reo, qual no caso couber; pagas
por si as cusas. Crato, i.* de margo de
1873.
Inventario. Barbalba : inventariado o
bens do fundo Antonio Pereira Callou de
S Brrelo. Foi julgado por sentenga a
respectiva partlha em 7 de margo de
1873.
Recurso ex-officio. Crato. Vistos estes
autos criines, dos quaes se verifica que o reo
Justino Ferreira de Souza, espancra ao pa-
enxada encabada, resultando d'esse espan-
camonto as offensas e ferimento constantes
do auto do corpo de delicto a fl., o que
causou a morte do mesmo paciente, exame
a fl. ; confirmo o despacho recorrido, no
qual o juiz recorrente considerou o mesmo
reo incurso as penas do art. 193 do Cd.
Cr. e o sujeitou priso e livrameoto, o
que conformo a direto: pagas as cusas
polo reo, cujo uoine seja langado no rol dos
culpados. Crato, 8 de margo de 1873.
Recurso ex-offiiio. Misso Vellin. Vis-
tos estes autos, etc. Tomo conhecimento do
recurso ox-oflicio para considerar aos reos
Joao Ribciro e Fulgencio Flix, incurso
as penas do art. 192 do Cod. Cr., como
autores da morte de Antonio Gomos de Mello;
por quanto d'estes autos consta que das
antes ao assassnato do paciente, Uvera esto
wna altercago com Joo Folx, pai do
segundo e sogro do primevo reo, na qual
tomaran parte os memos reos, que depois
roubaram existencia do infeliz Antonio
Gomes, sendo que certo tor havido aggres-
tao da parte dos reos, que lutaram antes de
con?ummarem o crime, senu para consum-
maretn-no ; o que tudo leva a acreditar que
houvo ajusto entro os dous reos para a rea-
lisaco do crime, alm da superioridade em
torea e arma. Assim alterado o despacho
de pronuncia, quanto aos reos Joo Ribero
e Fulgencio Flix, aos quaes sujeito ; priso
e livramento, eondemnando-os ao pagameii-l
to das eustas; confirmo o mesmo despacho
na parte em que considerou aos denunciados
Jooquirn Antonio e Joo F lix sem culpa,
o por isso improcedente o presente sunv
muri quanto a osles-. O escrivo recomen-
d o> reo que est preso, ospoga-se mandado
contra Fulgencio Flix;. sendo langados os
nome de ambos no rol do culpados.
Havendb- urna differenr por domis sensi-
vel na te'ira dos despachos de Os. e lis. e
na assignatura do supplente do delegado,
quo os assignou, ordeno ao Sr. juiz muni-
cipal proceda a um exame na leitra dos
ditos despachos e as assignatura dos- mes-
mos, nomeando peritos habilitados, feito o
quo mo remotta o resultado do exame] quo
ordeno. Crato, 10 de margo de 18/5.
Recurso ew-officio. Misso-Vclha. Vistos
estes autos, etc. Confirmo o despacho recor-
rido, por conforme a direito; porquanto est
provado, pelos- depoimentos e mais diligen-
cias constantes- dos autos, que o- reo Manoel
Constantino ero-- Nascimento da Luz ferira
Mm arma do fogo ao paciente, oinfeliz A'
tomo Felippe Benicio, que suecumbio qua-
siinstantneamente ; sendo quo est igual-
mente provade; que houve imprudencia d
parto do reo, quando collocou a arma com
o*eano voltado para o pacentej- sem ter
verificado, se a arma estava ou nocarrega-
da-e procurou duscuculatrar a mesma arma,
o que deu lugar a-esla disparar, empregan
se-a carga, j no paciente, o queproduzio-
lhe-a morte, ej>no reo que ficou. ferido
namoesquerda, que a tinha na bocea do
cano da arma. Pronunciado, como fica u
roj incu/sO napenas do art. 19 da le n.
2,033 de 20 de setembro de 1871, e sujeito
priso e livramento, o condemno- ao pa-
gamento das cusas ; sendo o seu nomo lan-
gado ni rol dos culpados, cumprtxloo es-
crivo no mais o seu regiment. Uestes
auto nao consta tivesse sido cumpridoo
disposto nosarts. 12 e 13 do dita le, nao
obstante estar preso o reo, e acerca.do quo
j observe! em outro processo, Ciato, 10
de-margo de 187%
Recurso ex-offkio. Crato. Vistos estes
autos,.etc. Confirmo o despacho de fl.,
que julgou procedente a denuncia contra os
reos Joo de Souza e Francisco de Paiva,
soldados do corpo de polica, destacados
t>esta cidade, os quaes foram considerados
asuraos as penas do art. 205 do-Cod. Cr.,
por haverem ferido a Jos Pereira de San-
t'Anna, quo soffreu gravo incommodo de
saude a inhabilitaco do servgo por mais
ile um moz, como se verifica dos autos de
corpo do debelo o de exame de sanidade,
constando d"este estar o offendido aloijado
do brago direito, em consequencia dos fe-
rmentos receidos, que foram o-resultado do-
emprego dos sabres, que tinham os reos.;,
os quaes (reos) completara o ndinero de-
quatro praga do destacamento que este an-
uo ho sido pronunciadas por critncs do fe-
rmente, sendo urna cm dois processos- pe-
le quo (esta) j respondeu a jury e foi con-
demnada.'
0 escrivo. lance, no rol dos culpados os
nomes dos reos, aos quaes condemno. ao
pagamento das eustas, e no mais cumpra o
seu regiment. Crato, 11 de margo de
1873.
Exccucdo do sentenga crime : Crato.
Na couormidade do arL 406 do Reg. n. 120
de. 31 de Janeiro de 1812, passo disposigo
do Se. juiz municipal, .executar dos senten-
gas, o reo Manoel Ferreira Lima, cabo de
esquadra do corpo de polica,, condemnado
por haver forido a Mara Joaquina e em
virtude de deciso do jury do termo desta
cidade, a seis mates e quinao dias de priso,
e multa correspondente motade do tempo,
afim de que seja cumprido quanto so conten
na respectiva soutenga e observado o dis-
posto no art. 414 do citado Reg., arts. 4,7.
48 e 61 do Col. Cr. a mais disposiges pa-
rallelas. Crato, 12 de margo de 1873.
Outra execugo do sentenga quanto ao
mesmo reo, condemnado a iguaes penas,
por haver ferido a Joanna Mana da Concei-
go e outra ainda quanto, ae reo Joo Ni-
colao da Silva, condemnado pelo mesmo
tribunal as penas do art. 201 do Cod.
Cr., grao mnimo, por haver ferido a Joo
Baptisla da Silva ; ambas na data supra.
Recurso ex-offkio. Misso-Velha. Vis-
tos estes autos, verifica-se que os denuncia-
dos, Joo Jos de Oliveira Cavalcanti, Jos
Raymundo Cavalcanti, Raymundu Cavalcan-
ti de Albuquerquo e Francisco Jos Cavel-
canti exerciam funeges publicas,, quando
commelleram os crimes de furtos de gados,
indicados na denuncia de fl., pelo que o
juiz recorrento incompetente, para formar
culpa aos mesmos, cabendo conhecer de
taes crimes a este juizo ; tomo, pois, co-
nhecimento do recurso paramonullar o pre-
sento processo; pagas as eustas pelo denun-
ciante Candido Camello da Cunha, o orde-
no ao escrivo que faga recolher os man-
dados de priso, caso tenham sido expedi-
dos.
0 escrivo faga fiel entrega deste proces-
so ao Dr. promotor, para este promover a
responsabilidade dos denunciados, dndo-
me sciencia de haver cumprido quanto lhe
ordeno e bem assim certifique abaixo se al-
gum dos denunciados estova no exercicio
do cargo de juiz municipal, quer co;.-i juris-
diego plena, quer nao. Crato, 12 de
margo de 1873.
37. Recurso de habeas-corpus. Vistos
curso para o fim de ordenar seja posto em
liberdade o paciente Jos Lopes da Silva,
nao obstante achar-e elle preso, sob o
pretexto de ser praca de exercito, como est
declarado na ordem a fl., e na officio a fl.
por quanto est estabetocido no art. 22 do
Reg., que baixou com o decreto n. 2,171
do V d maio de 1858, que aes rocrutados
dove ser fixado o prazo de oito a quinze
dia, para apresent.irem as senges legaes,
queos possam excluir do servgo do exerci-
to, isto antes de os recrutadores o remette-
rein a seu destino,
Esta disposico foi bu riada com o facto do
supposto, irregular e Ilegal assentamento
de praga no paciente, a quem foi extorqu-
do ojuramonto que prostam o alistados,
para o que se diz.autorisado o recrutador
da freguezia desta cidade, capito Carolino
Bolvar Araripe Sucupira, era virtude de
officio reservado da presidencia, que cobrio
a copia de um aviso do ministerio da guer-
ra, cuja materia consto da copias que fag:o
juntar.
Se um simples officio da presidencia,
coma clausulareservadoe nm aviso do
ministerio da guerra, com clausula seme-
I lia ule ou sera ella, podessem invalidar
quant i est d9poto no Dec. citado-; igual
effeilo nao produziram tratando-se de um
acto legislativo, uj acgo nao pode ser
entorpecida por tal modo.
E' o caso que pelo art. 18 da fe n.
,033 de 20-de setembro de 1871, foi crea-
do o recurso de habea.t corpas a favor dos
dolidos a titulo de ro-enrtamento, sendo as-
sim ampliad* a interpwgao de recurso t8o
efficaz como um meio prompto de entorpe-
cer a pratica ce actos violentos e arbitrarios^
contra a liberdade do cidado, principal-
mente as paragens Ibngiqwa, onde a acgo
lo gverno qwasi nulla, qjiando os seu
agen*s se julgam a coberto- *r responsabili-
dade- legal.
Nopodendo a presidencia- da provincia
revogaros decreto* do poder execuivo e
nem as disposiges legislativas ; nao poden-
do um aviso do ministerio da guerra revo-
gar actos-taes e semejantes, iHbgal a> sup-
posta prwja do paciente (o quo nao lijp a
dever algum ) recolhido I eadeia de mistu-
ra com pronunciados- e criminosos; cjie
nao e priso militar e contra o disposto-no
art. 149 do Reg. n. 120 de 31 dVjaneiw
de 1842 ; qoando exslenesta mesma'cida*-
de urna cas que serve de quartel. At ac-
go do podetrjudiciario qpe to indepen-
dente, como o d i poder executivo, karia
entorpecida por este, desde que seus- actos-
podessem ter forga de obrigar quelle;.res-
trngndo-lhe a esphera da attribuigps,
definidas em lei, com a expedigo de um
simples aviso, com a clausulareservado
, sem sciencia de S. Mi. o Imperador,
ebefe do mesmo poder.
Se um aviso valesse tanta*, por certo que
a aogo dos mi tros poderes seria nulla e to-
da acgo publica emanara do podar execu-
tivo; algn membros do qual do instruc-
ges em sentido contraro, corno, de modo
preeisamonte frisante, esli declarado no
aviso do ministerio da justiea, datado de 22
de Janeiro do crreme auno, dirigido
presidencia da provincia do Pernambuco,
sendo certo que, s por istov deveria ser
considerado sem. mais forc de obrigar o
avo reservado do ministerio da guerra,
cima referido e expedido- especialmente
para fazer cessar os tropecos- creados por
esto juiz ao servigo Jj recr-utaroento com
repetidos habeas-corpus quando certo
que todos os recursos prvidos neste juizo,
por tal motivo, foram julgado bem deci-
didos pelo superior tribunal da relago,
com a excepgo de um umco e referente a
recrutas vindos do termo da- Granito, pro-
vincia ilo Pernambuco, para.serem guarda-
dos na eadeia desta ci la.ie-.
A praga forjada e supposta do paciente,
um simulacro grosseiroe-contra os regu-
lamntos miKtares ; po6- que assentar
pragase dizo alistartento de qualquer
botem nos Irros da matricula do exercito
ou armada, acto que precede a ceriraonia
do juramento ; sendo certo entretanto que
o titulo que' liga o recruta observancia
dos artigos de guerra a praga no livro
competente, de modo que se um dos indi-
viduos, que fr preso- pelo recrutador desta
cidade, embora aroeagas e violencias, nao
quizer prestar juramento, nao commette
crime alguno, con, tudo se dduz da pro-
viso do conselho supremo militar e de
justicay datado de 5, dooulubro de 185. '
Verificado que o paeiente nao est ainda
alistado como praca no exercito, peto que
cima fica deduzido; verificado que tem
elle isenco legal do recrutamento,. por sar-
mostre de officio com loja aborta, m villa
da Barbalba, onde reside, documentos a fi.
e-ll., tendo sido preso no dia de feira e
nesta cdsde, onde veio dispor de produc-
tos de seu trabalho; sendo por isso incom-
petente o recrutador dosta cidade, para o
prender, em face do disposto no art. 11 do
regulamento mandado executar pelo decre-
to n. 2,171 j citado.
Verificado que o paciente incapaz do
servigo do exercito, por soffrer de gastrite
ohronica, documento a fl.; julgo-o soffren-
do violencia em sua liberdade e mando ao
escrivo que incontinente, passe alvar de
soltura a favor do dito paciente Jos Lopes
da Silva, a quem julgo com direito a urna
justa indemnisago, quehaver do recrutador
capito Carolino B. A. Sucupira, que con-
demno ao pagamento das eustas, em tresdo-
bro. Recorro deste meu despacho para o
superior tribunal da relago, de vendo o
escrivo deixar traslado no oartf rio e fazer a
remossa do original, juntando antes as copias
das publicas-formas, das pecas officiaes ci-
ma apernadas. 0 esorivo tire copia dos
documentos afl. efl,e m'as aprsente, para
remette-las presidencia da provincia, afim
de solicitar a responsabilidade do mesmo
recrutador, pelo abuso que commetteu pren-
dendo ao paciente, com isengo legal, mo-
rador era dstricto de outro e forcando-o a
jurar. Crato, 27 de margo de 1873.
Desistencia, em processo por queixa de
Miguel Jos Filho, depois de tomado por
termo, foi julgado por sentenca, em 27 de
margo de 1873,
\






i
(C mtinuar-se-ha.]
,
cente Pedro YieiraMaia, son-indo -se do urna 'estes autos, etc. i)ou provimento ao re-'TYP. DO DiAWO UUA duque de caxias


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EC6S5THMO_9J7CZE INGEST_TIME 2013-09-19T23:12:31Z PACKAGE AA00011611_13011
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES