Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13003


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLIX IYO1ER0 178
( ;


PABA A CAPITAL I1G1BES OXD8 K\0 SE PAGA PORTR.
Por tres mezes adiatitadoe.................. g^go
%i 1S9000
.. ai$ooo
320
Por seis ditos klem
Por um auno dem
Cada nmnero avulso

TERCA FEIBA S DE AGOSTO DE 1873
f
PAHA DEXTRO E FBA DA PROVIN CI*.
Por trea mezes adiantados. ...... ,......
Por seis ditos idem...............'. '. [
Por nove ditos idem .
Por um auno idem. .

69750
I89&00
S0*250
979000
'PROPRIEDADE DE MANUEL FICEIROA DE FARIA & FILH0S.
_1^ 1"^1W' H' KV
0. Srs. Gerardo Antonio A Ivs Filhos, uo Par; Connives 4 Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira & Filiio, Tcear; Antonio de Leu.^ Bra^Tno Aracatv ; Joao Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Suva, ua Parahjba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Aullo ; Domingos Jos da Costa Braga, emNazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Joo Autouio Machaeo, no Pilar das Alago; Al ves C, na Babia; e Leite, Cerquinho C. no Rio.de Janeiro.
PARTE OFFTCIAL.
Mvorn d.i
pruviticiit.
MAM ui; 187 i.
KXfKUIlNTK 1>i) U.\ 2\ OS
l.' tecemo,
Otlieios :
A) inspector da arson.il de marraba. -Defe-
r ni irejueriinento ih barouezade Vera-Croa,
a.itorisr v. S. a muid ir fabricar as niTlciuas
esse arsenal dius turbinas co:n destino ao cago-
nho Moiriope, stijoitanJo-so a supplisaute ao pa-
gaiiM-itil>! t-i.l:i a lesp-n q-io s lur c.n seme-
liunt libra
Ai directir iul-iro-i J> arsenal de guerra.
S'iuJ:; V.ii \ furo Yt- w 11c i ii" ni Unid la fortaleza
<11 lira ii mil eartaxo* e.no.ila I is pira carabinas,
e igual Minara pnm asplngarln*a Rinde, dosadar-
mes i-.u no tu. c >r|i>s MtNftiHlaria estaciona lis
nesta nriviucia
Ai Sr. :ms;il iu'u-i i) ild Portugal.En
r sp i;|:i a i i II rio |ii .mi 1 ita d) ti d > correal.'
ni* d ri-,'11 i Sr. Dibmjth \liiii ion-alvos, o m-
ii> iit rm i .1 i S \1 Fi I ;li<- ii i, .-.i ii'ii'il) a c ipia
di n u ufn .! ii n i '..lila i pirtOgtlH Dinii
gis r'oirer.i 4t* S-wh lilimres, un nifoalan Ij
r.v.'j is Inso.idi* i! ii Ii iits do qi i te premedite
quebrar a typ i/r.ip lia I i i ni i i I i Un ver til, do
stu pruproiladd, prit- dad; jiio ,ni ilirso na|nelle osuhelerimmto
n cas i ili Mr esta pin i levad > a effoito, lean i a
der mmh protesto dove sor mimad) peanle .i
autindale c uniote ito coiilra peseta oo pesadas
ortas o del MMiiuid is e nao perante a polica que
se acaa vigilante o disp isla a cohibir dentro da
lc< il'eiililis cm> a- i|ue rereia ) referido cida
dio. Rdoora ao m um i Sr contal interino so-
g ir.i.vi d; niiiilii BrMU minan e distincU con-
lder afea
2." yef&o.
Actos:
i) presidente di provincia, attendflOda a (|uu
Manoe S.ilv.idor da Cruz, n mieado por portara de
19 de niar.;o de 187 J supp'en e d i juiz municipal
a dmrpliaos do termo de Floresta, nao lirou titulo
4 ii presin jurmi lato, e teulo em vista o olcio
do juiz dodiroiti da eniar m"i1 Taoarat, de 8
de abril proxiun passad i, resolve considerar da
h-m iiii eisiio a dita putirii, e linear para o
substituir ni dito carg o ci ladio Manuel Jnior
de S e Silva, o qual dever.i tirar ttulo e prestar
jur.iui 'uto a i pr.iz i d.i le
O presidente Ja provineia, ten lo em vista a
p.-opjsta do mi|or cmiiiin Itne do esuuadrao de
eavallaria n. 13 da guarda nitioiial do Dom Con-
S--HI, sobreoipial infor.nou o comman Jante supe-
rior respectivo em o.Iiei i n. ii de 21 de abnl pro-
JCU i passad i, resolve, de cousr nidada BOin o ar!.
'iH da lei ii. 6)2 de 19 de setembio de 1830, no-
ni'ir o guarda Una Tenorio de Albu juer|iik para
p i*to de aliares da I* comnanhia do refer lo es
quadrio.
O presi lente d.i pniviiiei i, atienden lo ao que
Mainel Vicenta r*err:iri Canuto, nomeido por por-
tara de 8 de n > rembro >l i anno proxim i pasando
alfere d i b.italbii n. .17 de infantarii da guarda
nacional do municipio do Cimbres, resolve, dispen-
san lo-o do lapso de tensa em que incorreu para
solicitar a respectiva patente, Cuiie-jder-lhe o pri-
s i i niirorog ivel da '' di.is para dentro dalla soli-
cisr a mesma uatnnta.
(Hio :
Ai coiiiniudaute superior da guarda naci-
n.ii dos municipios de Guanliuns, B.iique e H.nn
C'iiselln. -Tenlo de coalormidil-;, com-a pronos-
la quo veio aiiuoxa ao sen olllcio n. 28 de 23 de
abril proxim pauadn, nomeado por portara desta
data o guarda Luz Tenorio de Albn:|uerque para
o posto de alferes da I* cmipaiihia do eiqna'drio
ii l! le cavallaria da guarda nacional do inuniei-
po do lloni i .mi -el o, a-sim o coiiiuiuaico a V. S.
para MU couliecim-rnto e lius conveuieutes.
3.' seceo.
OfflCM :
Ao inspector da tbesouraria de fazeada.
Declara a V. para seu conhecimento e devidos
effoitui que o Baro de Mercis e Malinas J >s di
Silva tieaiii relevados dis multas impostas pelo
ciillector do uiunieip i de Ipojuca, em coiisequencia
de nao taran alies dado matricula no praso da
le< o ingenuos, lllhosde sms eseravas, confor.ne
se evidencia dos inclusos requeriiiiento-. a que se
refereio suas iafurnncoes de lionteni sol ns. 898
e m.
Ao nesMO. -Aitendendo ao que allegou o
ente Mnnoal Bmigdie do Espirito Santo no m-
olnso requeriuwnto a que allude sua infonnacao
de lionteiii sob n. SHX) serie C, reeommendo a V.
S. que, de conformidade como art. 28 da lei n 514
di 2S de outnltro de 1848, nianl; aonar ao sup-
plicante I meta de sold, ticando elle obligado
inlciunisacao pela 3" parte do que dora em diaute
or veuceudo.
A) inasni). Transmiti a V. S. para os fins
convenientes a inclusa ordem do ministerio da
guerra, datada de a deste inez.
Ao mesmo. Nesla data expeeo ordem aos
agentes da eompaiihia do uavegaeau brasiieira
para fazereni comparecer nessa reparticao o com-
innndaiite ou imuiedialo do vapor que so espera
d >s portes do sul, .ilim de receber e conduzir
provincia da Par*h)ba o saldo abi existente,
pruvinieiiie dos direitos ai recadados no inez de
abril ultimo e perteurente dita provincia ; o i|ue
eommunjeo a V. S. par < os devidos effeitos.
Ao mesmo.Para sa-faoa> do qu- solicita
w Kxiu. presidente do Dio Grande do Norte em
o:'B:io Je i9 do correute, reiuetia-ine V. S. a guia
do 1* sargento' reformado do corpo de inperiaes
nuriiberos, Prancisco Xavier dos Aojos, alim de
veacinieutos, segundo determina a orduo do the-
sour i nacional o. 4 de 21 de Janeiro deste anuo.
Ao inspector da tbesouraria provincial.
Tomando em coiisideracao o que expoz M.ircoliiu
Portado da Silva Calirai, professora da cadeira de
prinwira* letmt da Gloria Guita, uo incluso re-
queri! nt i tufen que versou a iuormacao do di-
rector geral interino da instruc<;ao publi.a, de 17
do correte sob n. 141, autorise V. S a mandar
pagar supplicante o ordenado corrcspouJente ao
uicx de marco ultimo, lempo em que estove (ora
da referida cadeira por motivo de molestia.
Ao mesmo. Em vista da relaeao e conta
juntas que me remetleu o Dr. cli.fe de polica
cixn olllcio de houtem s ib n. 933, min le V. S.
pagar 10 negocame Praucisco Pereira Camello a
quanlia de lOiiU), eoi que importen a despeza
foiia durante o mez de abril ultimo oom o sus-
tento dos presos pobres da cadeia do termo do
Bonito.
Ao mesmo.Annuindo ao que aolicitou o
(eneutc-roruuol cummaudaule do corpo de polica
em olllcio de 17 do crrente sob h. 281, autoris-u
V. S. a maudar abonar ot vencimentos d. s des
tacamentos daqueile corpo existentes em diver-
aoa pontos da provincia; sendo um mez a 1 oIBcial
e 10 pracat em Cruangy, a 1 efflcial e 7 pracas
em 8. M-mlo a a I olHcial e 8 pracas em Carura ,
a contar do 1* de junho vindoun..
4.' tecfo.
OiBcios: .
Ao Exm. Sr. presidente da provincia da Pa-
raliyba Xesta data ezpeco as conveuieutes or-
dens para ser entregue e conduzido a essa ca-
pital o taido do* direitos' arrecadados no mez de
abril ultimo e perlencente a essa provincia; o que
commuoico a V. Exc. em rteosla ao seu ofllcio
de 17 do crrante sob n. 1,318.
-llemetto a X. Exc, como soliclou em .-eu olllcio
de 1 do correte, nina caxinha conteudo oilo tu-
bos capilares rom lymphi vacciniea.
Ao regedor interino do gymnasio provincial.
- Communico a V. ?a. para os lins conveni-
entes que, nos termos de sua iuormacao de boje,
datada deliro a petco do Auna de S Oliveira
conced ii.lo que seja admitido nesse eslabeleci-
monto como onviiite. at que baja vaga de alumno
externo gratuito, o meiior Luiz, filbo da peticio-
naria.
Ao Dr. Pedro do Atli.iyde Lobo lloteoso.
Coinmiinicou-lbe para os lins convenientes que
nesta dati noniooi V. S. para com o Ur. Adnao
Luiz P;roira da Silva inspeccionar o padre Ma-
nuel Ignacio Becerra do Amara!, professor de ns-
(ruccao primaria d.i Villa do Iguarassu', que pro-
tn le jubilar-so por iuipossbibdade pliysica para
continuar no seu inuijisterio.
OfBcios :
A' Illma. cmara municipal do Recife.Km
resposla ao ofllcio da Illm.i. cmara municipal do
liedle, de 2U de malo do aiuo prximo pastado,
em que pede l!ie s>ja pasaado titulo do terreno
alagado situad.) no Matiguulio. que diz ser devo-
Inte, marcad i na planta da eidade para logradou-
ro publico, tenlio a dizer que, em vista da infor-
mar j do inspector da thesounu-ia de fazeada de
21 de abril ultimo, parecer do doutor procurador
fiscal a dos Coilos interino e da vistoria a seu re-
querimento procedida no mesmo terreno, niio
elle devoluto nem de marnlia, |ior quanto nao se
dio os requisitos do art. 31 S 14 da lei de 13 do
novembro do 1811 e art. I. | i. do decreto n.
4103 de 22 de levereiro de 1868, e est no domi-
nio particular de I). Joaquina Francisca do llego
e nutras, como hordoiros dos Uados Jos Francis-
co do llego c sua inullier, em vista do titulo do
propriedade exhibido, o qual foi recouhecido por
essa illuslrissima cmara, ja coiieedendo urna vez
cordeacio, ja entrando em transacc.io para com-
pra 'do mesmo terreno. Cumpre, portanlo, que se-
ja dada cordeaco a estes ou a quem mellior dire-
to teulia sobre o dito terreno, re.-peitando a serv -
do publica estabelociJa, visto se ligar a elle
por lempo inunemorial a estrada da Soleda.ie o do
Manguiuho ; intentando essa illusirissima canina
a competente aec de apropria;ao na forma da
le, si o qtizer para logradou. o publico, caso nao
o posta obter por compra amigavelmenle.
A' cmara municipal da villa de Floresta.
Declaro cmara m inicipal da villa de l'loresla,
em re'p >sia ao seu olllcio de 24 de abril ultimo,
que approvu as arrcm.it.io-s dos impostes constan-
la do termo que acomiianhou o seu ilit > olllcio.
A' cmara municipal da villa de Pelrolina.
Em resposta ao o.'llco da cmara municipal da
villa de Pelrolina, de 6 de abril ultimo, ten .o a di-
zer que, si o i. juiz de paz da parochia de Santa
Mara Ja Boa Vista em exercico, a quem directa
ltente olciei, nao houver reunido a junta de qua
lilicacao no da que foi designado, communique
essa camua da Boa-Vista, que declara em seu
olllcio ler de ser empossada a 30 do correnle, que
tica designada a lerceira doininga de agosto vn-
dourii para a reumau da referida junta, devendo
ter disso scencia o 1." juiz de paz em lempo que
po?sa fazer a eonvocaeao, guardados os prasos
e formalidades da lei.
larcular:
A" Illma. cmara municipal do Recife.Im-
portando estabelocer com exaecao os termos de
comparaclo la medida agraria, geralmente usada
imperio com a denominarlo de alqueire de
no
planta, e o syslema mtrico decimal, rec'urumendo
a illu^t^i^silna cmara municipal do Itecife, que
informe quautas bra.as de frente e de fundo ou
quantos passos, si forem ellos adoptados nesse mu-
nicipio, mede um alqueire de planta, alim de que
esta presidencia possa satisfazer o que solicita o
aviso circular sem data, expedido pelo ministerio
da ag cultura, commercio e obras publicas.
5' secQo.
OiHcio:
Aos agentes da compaiihia de navegaco bra
sileira. ExpecHin Vuics. suas ordens para que c
eommandante ou immediato do vapor que espera-
se dos portos do sul comparec na tbesouraria de
fazenda, para receber e conduzir provincia da
Parahyba o saldo all existente, provoniente dos
direitos arrecadados no mez de abril ultimo, e per-
tencente dita provincia.
EXPKDIK.NTE DO 8EC;iKT.VRIO.
i' scalo.
Olieio:
Ao bngadeiro eommandante das armas. S.
Exc. o Sr presi Joule da provincia manda declarar
a V. Exc. que o director interino do arsenal do
guerra (em ordem para remecer ao eommandante
da fortaleza do Bru o carluxime embalado, de
uuo trata o seu olllcio de lioiitem datado sob n.
5JJ.
3.' secco.
Offlcios :
Ao inspector da tbesouraria provincial.
Aimmunco a V. S. para os devidos eeitos que
licam abonadas, nos termos do regulamento de 12
de fevereiro do anno prximo pastado, as faltas
que dou por doente o praticante da 2' scelo desta
secretaria, Joao GoncaWes dos Santos Jnior, a
contar de 23 de fevereiro doste anno a 30 de abril
ultimo.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presdante da pro-
vincia manda declarar a V. S. que Wenceslao de
Larvalhu Paes do Andrade foi nomeado para
nollectona de Caruaru e nao para a de Cimbres,
como por equivoco foi mencionado no olllcio do
uecinu Exm Sr, de ic do enmate.
6' secco.
Oaicio :
Aos Srs. Antonio Luiz de Olivara Azevedo &
C, agentes da eompanliia de navegaco a vapor
bahiana.O Exm. Sr. presidente da provincia
manda aecusar receido o olllcio de Va. St.. desU
date, no qual participam que o vapor Mrquez de
Cix/d, da companhi babiana, e procedente da
Baha com escala por Macei e Penedo, regressar
uo da 23 do corrente s 4 boras da tarde.
Bacharei Joao Antuoes Correia Lins Wauderley.
Deferido com ofllcio deste data thesouraria de
fazeaJa.
Conego Joao Jos da Costa Ribeiro.-Infume o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Bacharei Joaquim Ferreira Chaves.-Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazeada.
Luiz Francisco Vieira de Luna.AoSr. inspec-
tor da ib souraria de fazenda para mandar pagar
ao supplicante.
Maria, mi da liberta Francisca.Informe o Sr.
promotor publico da comarca de Santo Antao.
Bacharei Sebastio Jos Basilio Pyr.'iro. -Forne-
ca-se.
Manoel Francisco da Silva.-Soja posto em li-
berdade.
Mara Amelia de Moraes.Informe o Sr. Dr
chefe de polica.
Padre Manoel Lopes Rodrigues. Deferido com
o.licio desta da.a Ihetouraria proviucial.
Manoel do Sacramento. Indefondo.
Paulina Alexandrina do Amor Divine. -lude-
ferido.
Western and Brasilian Telegraph Cnipany.-
Deferido com ofllcio desta data tbesouraria de
fazenda.
Secretaria da presidencia de Pernarabuco, 4 de
agosto do 1873.
0 porteiro.
Sil cio A. liodiigues.
it'|i-ifio da polit'itt.
t." teccao. Secretaria da polica dePeruainbuco,
14 de agosto de 1873.
N 1369.Illm. e Exm. Sr.Participo a V. Exc.
que das comraunicacoei recehidas naje, consta
que sram recolhidos casa de deteucao os indi-
viduos seguintes :
No da 2 do corrente, minlia ordem, Joaquim
Antonio da Luz, por criine de furto de e i vatios,
disposico do delegado de S. Lonrenv da Malla.
A' ordem do subdelegado do Recife, Daniel, es-
cravo de Reinaldo Gomes da Cunlia Pedros, por
andar fgido; e Jos, esclavo de Antoeio Evaristo
da Costa, a requermento de Leal i Inuo.
A' ordem do.da Boa-Vina, Benigna, escrava de
Jos Antonio Marones, a requerimento deste.
No dia 3, ordem do sub lelega lo do districlo
de S. Jos,. Vital, escrava do Baro de Muribeca.
por desordem.
A' ordem do di Boa-Vista, Severo Jos Francis-
co o Francisca J. da Conceieo, por o:feiisat mo-
ral publica.
A ordem do da Magdalena, Silvestre Honorato
da Silva, sem declaraco do motivo.
A" ordem do do Poco da Panella, Jovina Mara
Accoli, por offensas a moral publica.
Finalmente, a ordem e tran|uilhla.le publicas
nao soffreram alteracao.
O que ludo communico a V. Exc, como me
cumpre.
eus guarde a V. Exc.-Illm. e Exm. Sr. coin-
mendador Dr. Hearique Pereira de Lucelia, dig-
nssiino presidente desta provinoia.f) chefe de
polica, Antonio Francisco Correia de Araujo.
EXTERIOR.
o-
para a exportado rendosa Urna companhi se
formou em Extmmoz para a lavra dessas ricas pe-
dreiras, mas precisa ainda de liomens orajosot
para llv dar impulso. O caniin!io de ferro ar o
milagre.
Desculpem os le lores se os det-tnhn com estai
reflexoes, que esto Imm longo do quererem ser
inpressoes de jornada.
E' serapre o intrincad) prolilem .la emigracao
que nos oceupa noiite e dia, e que o cb.iniamento
da reserva para as llleiras do exercilo, veio aggra-
var agora.
O nosso torr.io aneoeoalo, attim hnu*ease co-
mo no Minhoe uo Uouro, oais homens de grande
animo, para Ibe multiplicar os recursos.
- Urna declarago curiosa e mportantssinn
veio no un :l do Commercio de 18 do crenle, de
clarando sem fundamento, o milito que os outros
peridicos tom assoalhado sobre os projectos atlri
buidos ao govorno de fazer a Invsrsao da nossa
divida llucluante em ttulos de divida consolidada
interna, o que laucara no mareado urna alluviio
do ttulos que Iraram iuiiiediataineiite una baixa
onsideravel.
Parece que depos do mallogradjjsalvaterio Mo
ser, o governo quizesse anda tomar o pulso opi
oio publica, e que teudo visto a ma improssu que
prodiizisso, mandasse lavar as suas uios do pro-
jecto atlribuido. O certo que *se quizer cap-
tees para a consolidarlo da divida a 7 0|) temos
promptos, segu8do ne informam, as pracas es-
trangeiras, e se desprosaro ensejo mal far, pirque
|iorde una opportumdade do fazer boa poltica e
boas liriaiieas. ludo de urna vez, o que nem sem-
ine se aprsente.
O p-iiz contina tranquillo. Agora o que se falla
nos festejos preparados para o dia 24 tie julho,
anni versarlo da entrada do duque da Tercera
com o exeicito libertador em Portugal.
Tmlia se dito que o Sr. Avellino, ministro das
obras publicas, pelo facto de ter suspendido a exe-
cuco do celebre reguUmento di companhi das
aguas, que Unpunha condices um tanto vexatoras
ios liatni ntes do I.i-boa, sahiria do ministerio, e
que aL'ini- dos toas collegas o acompanbarion
Nao pa>sou uta dos bous Mesejos de opposico.
.Nao se falla, pos, de recomposic;io mini-lerial.
- Diz-se que o governo inglez aulorisot asahi-
da do urna enorme porcao do cartuxame para o
novo armamento do exercito porluguez, e arres-
cenia um telegramma recenlLssimo que a carda
lidada das ftlacues entre os gabinetes inglez e
porluguez se lera agora eslreitado por um modo
milito notavel.
- J foi aiafgaada e eumprlda a portara a que
cima me refer^ mandando suspender a execugo
do regulameno da companhi das aguas. Um tal
mcideuie deu orgem a grandes dan res e moti-
von coino Ibes coutei um i representeco da c-
mara municipal, de Lisboa. Felizmente ludo foi
rcsolvido do melhor modo e sem pertirbaf) nos
negocios pblicos.
- A academia das bollas arles despachou u.i
alfandcgi 6 quadros, sendo 4 de grandes dioico
toes. Vieran do Havre e foram oftVrecidos pelo
visconle de Carvalliido.
,rn? !".'\aaf dl" .,,albcleccran>;M governo devein ter deduz.dos os 7 da opposico
remos denominados de regularidad* de servio, |lberal) de igua| ^ .ddicionar-lhei os da-
T,l l1^Jos que tomarem parte na transm.s- quelles amigos .,ue nao interroinperam cornos
'' ,?';'?, ","Sllr d,st,"8u,r,;'"- I teus votos a dedieaei.o que [.restara ao gabinete,
nrara este anno o craso do collegio; Assilrucmo aos Srs coiiielheiro Brusque, Sil
j-- ., ..- ;-.-----. mi ao uo uuirt quesiao us envolve graves
i i g ,f :l, l0,',,lal tem grande desenvolviuien- resses do orden, administra!' va. tirassetu Olivos
^,n,l^oU.r|UvSiK,l" daS, C-''0la n,--0 ,deia,i suas convicces, para apartar-se da maioria
gran le a,.dao. Vall.a-nos lato, ja que nao pode- ,,uc hunrau. com as suas Ira es.
mos ler um grande exercito. *
Foi creada urna nova secoao telegrapbca! ------
em Portugal, denominada Secco telegruukicadas', an a .i~ :..i i uwa
ttM da Madeira e Cubo vTrdi. A sede na ci-! K,' ** de JuIl,' de 1*3.
dade do Funclial, (cando lliepertencendo os pha .MSTERI0 E A QOOMO IK) GABINETE.
loes j ealabeleeidoa naquella ilha, bem como a Ii-1 ^3 entrelinliados i|ue conspralo por desvirtuar
nba, eslaroe* telograpliieas e phaies que vierem J alcance poltico da volara parlamentar de 19
a oatabtlocerse em ambos os archipelagos. |ut julho, nenhum se revela a um tempo mais pre-
No dia 12 do corrente, pelas 3 horas da lar-', tencioso e mais apartado da erdade dos tactos do
de, teve lugar a in inguracao da ponte da Portella 'luo l,:l coubecida peana a que o Diario do Rio
porto de iimbra, que foi o remate da bella estra-, **a nos ltimos das urna a-liva collaborafo.
da da Boira. A ponte como i disse de ferro, .K'itru Otilios dizeres de igual medida escreven
madeira e padra. O svstoina allemo. Todos os ipfatigavel discutidor (pie, em vez de fomentar a
passageiros pagaro um droito do portigem. fi- unio do partido, o ministerio o aparta todos os
cando a cobranea a cargo da respectiva reparlico u'a3 l,;,ra longo de urna possuel harmona ; e em
do t esouro. prova do estranho asserto assegura com incrivel
Segue-se-lbe agora o concert, ou reformada ingonuidade une eem avota.i' de 19 de julho
ponto velha aa eidade de Coimbra. Parece que alienou o gabinete os quallloados votos dos Srs.
Eufrasio Correia, Xavier do llrito, Barros Cobra,
Carlos Peixotej Ciinba Ferreira e Carlos da Luz.
OSSACHOS DA PRESIDENCIA DE 2 DE AGOSTO D3
1873.
Coronel Agoslraho Bezerra da Silva Cavalcanle.
Informo o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Bento Custodio de Abreu.Indeferido.
Bernardina de Oliveira Cavaleante.Paste por-
tara coiieedendo a prorogacao pedida.
i.ompaiiliia Utilidade Publica.Informe o Sr.
contelheiro presidente do tribunal do commer-
cio.
Dionisio de Barros Reg.Indeferido.
David Alvos Falvao Taques.Eutregue-se.
Fieiden Brothers & C. Deferido com ofllcio des-
ta data Ibesouraria de fazenda.
Henrquela Maria da Conceieo.A' juma e-
mancipadora deste capital para lomar na consi-
dera rao que Ihe merecer.
Flix Lins Cavaleante. -Informe a junta eman-
cipadora desta capital.
Dabel Joaquina de Suuza LeSo. Deferido com
inicio d ;sta data tbesouraria de fazenda.
Joao Flix dos Santos. -dem.
Joaqun Lopes da Silva. dem.
Joaquim Antonio Leite. -dem.
JoaJnim G.mes Camello -Informo o Sr. Dr.
chefe de polica.
O mesmo.Seja posto em libordade.
Tenento coronel Joaquim Cavaleante de Albu-
querque Btllo. Forneca-se.
Joaquim Demetrio, d Azevedo Amorim. -Infor-
Ao Exm. Sr. presidente do proviucia do Para. ] me o Sr. inspector da thesouraria de fazonda.
Correspondencia lo Diario
Per 11 ambuco.
PORTUGAL
LISBOA 23 M JLLIIO DE 1873.
Acabo do regressar d'uma pequea digressio de
tres das apenas, ao alto Aleintejo. Calor tropi-
cal.
Fui pelo caminho de leste a Portalegre, daquei-
le ponto por estrada reacadaroiada a Bxtremox,
de Exliemoz a Evora, e dalli voltei a Lisboa. O
ramal de ferrocarril que segu de Evera a Ex-
treraoz j chega Venda do Duque, leudo estaces
em Azaruja e Val do erero. Em outubro che
gara a Extremoz. Fartei-me de passar duzas de
kilmetros d'onde se a vista va em amplissima rea.
at perder de viste charneoas e cliarnecas total-
mente incultas.
Se um bom systema de colonsaco se empr-
gasse no Alemtejo (onde os_ ceifeiros eslo ganhan-
do nove tostdes por da) nao perderamos aiiu:ial-
mente mudares de bracos validos, que a febre de
enriquecer arrasta miseria I Para eu.^aio feliz,
basta por os olbos na extensa e muito importante
colonia agrcola que o rico pr-'pretario Jos Maria
dos Santos fundou as proximidades das Venias
Novas. Tudo aquille erara cliarnecas to aridat,
como o restante ; pois bracejam all as vinlias.
alastram-se as borlas, vicejam bastos olivedos b
pomares por onde anda ha poneos anuos so se va
o tojo, a urze, o piorno alvacenlo, esgrovido e hos-
til. At cabanas dos colonos disseininam-se, fume-
gando por todas aquellas campias. Ca Jarana tem
o i eu forno, e o seu pequeo cerrado para a crea-
co, denunciando um lar farlo e contente. 0 sa-
nitario recebe pequea renda de cada geira de
tena que fornoce aquellas familias laboriosas, deu
Ibes escola e ermda, adianta-llies instruinjntps do
lavoura e ferrameuta agrcola, e quando precisa de
Domea para a sua faina agrcola, tem aquella
gente reunida a servi-Io, nao de grana, mas por
salarios razoaves. Qae ha de, porm, ser, so a for-
inodssima companhi dos terrenos incultos por
ora aiuda nao se organisou, ou se so orgauisou,
o que naosvi ao certo, nao d sigues de vida
Mudos daquell? descampados tristes ondean,,
menos poda erguer-se e crearse urna grande Giovanui.
Segundo os desejos d > governo de Portugal,
as as.-ociar.oes commerciaes de Lisboa e Porto vo
dai^ijis. valio.-a o^iniio acerca da exposiro
% porlugueza noio de Janeiro, que sem duvila
deve dar os resultados mais elli :azes. Quanto a
iiiim o raic* meio de represeiitareui o seu ver-
da Jeiro papel id imperio di Brasil, os proluctoi
portuguezes sem cstatym sujeitos fraude e
coiicuicenca desleal dos producios similares es-
irang.-iros
J i'oi entregue ao giveruo a cogulla para
seren adquiridas as ruinas de.Troya, de que fal-
leina m.ulia ultima. E' est o nico meio de
evitar-so que deapparVam os restos da ant_
Colobriga, o que seria um doslouro para Porlogal.
ltounuani-se os fundadores do novo banco,
que tem por lira facilitar aos funceion.u ios pbli-
cos as vantag.ns do crodilo, lias suas diffeie.ites
applcaco.'s. Foi apresentado o projecto dos esta-
tutos orgauisado em harnioma com a lei das so-
ciedades cooperativas, Horneando se nuil corarais-
to para dar o paree r acerca do inesnu. A com-
missao licou composta dos Srs. tenenle-coroael de
engeubaria Baptiste Maci I, Paiva Reis e Luiz Fe-
bpl.e Leite.
S. ilageslde o Imperador do Brasil mandn
por disposico do seu ministro, nesta corle, os
fundos necessarijs para ser satisfjita desdo o dia
ib fallecimeuto da imper.itriz viuva do D. Pedro
IV, a parle que loca aquello soberauj. das pens -s
cora que foi enerado o logado da mesma augusto
seuliora aos filaos D notos Qo S. M o Imperador,
cuja liquidarn anda est pendente.
Est em Lisboa o Sr. Dr. Pedro Amerco do
FigueiroJo e Mello, autor do celebre quadro A ba-
lathu doC mpo Grande, lente di academia das
bellas-arles do Brasil. Parece que o illustro aca-
demico brasileire veio a Portugal para estudar
um assumpto que se liga historia dj Brasil e as-
sira poder couipor um grande quadro de que o en-
carregara o seu goveruo.
A galera real da Ajuda tem sido visitada ptt
muitas notabilidades hespauholas que eslo refu-
giadas em Portugal. Entre ellas viam-se o gene-
ral Gndara, os ex-moistros Zorrilla e Chao.
A Sra. D. Maria Pa acaba de receber de Ita-
lia um livro ricamente encadernado era chagrn,
que trata do Congresso internacional* di antropo-
loga e di arclieoligia preistoritca. E' offerecido
pelo sabio professor da universidade do Bologna,
s em dous ou tres mezes estar concluida.
Foram expedidas as convenientes ordens ao
director das obras publicas d dislriclo de Lisboa,
para seren eomaoados os trabamos de construc-
cao do caes oriental e respectivas pontos-caes e
prolonga cuto do caes da alfandega at a estaca o
do camin) j de ferro do noria e leste.
Do estaleiro de Villa do Conde cahram agua
mais dous navios. Foram os palhabotes Camponez
e Lere, ambos construidos polo hbil constructor
Marti ns de Araujo.
Expermonlu-se n"uu destos ltimos das
un novo guindaste a vapor na alfandog de Lis-
boa. O resultado foi sorprehendente. Um s ho-
rnera polo elevar 4,000 kilogrammas e sem prati-
car esforc notavel. Vai ser empregado uaquello
s-'i vico exclusivamente.
Prmciparaiii a 21 do corrente nos edificios
de lyceu e da academia real das sciencias em Lis
boa, os exaines de instruccio secundaria. E' pre-
sidente geral em Lisboa o conselbciro Bernardino
Antonio Go.es, lente jubilado da escola medico-
eirurgiea o ex-director da mesma escola.
O trem de guerra eorespecrivo aruiameiito lera
sido muito a.ierfeici lo em Sfaeo. J c egou abi
Uina batera de iiietralliadoras que ltimamente
foram eiicoinmendadas Blgica. Vai tratar se
da eouslrucco do urna docka. 0 que vai de mal
a peior o commercio de exp irlaco de emigran-
tes cuinezes (cooltsj por quanto a Inglatena leni-se
introniettido no euipenlio de acabar c.dii esse com-
mercio pelo porto de Maca, enrgicamente. A
verdado |uo para muitas casas das mais fortes
da referida Colonia, era aquella a principal fonte
de recolta. A oxportacio de emigrantes um
tacto ineritavdl e se a desviarera de Maco, por
alguros se far, porque o Per e a Havana care-
cem dos bracos que sobrara ua Clona para as suas
vastas plantarles.
L.
Quando se sabe que estes Ilustres membros da
maioria, separando-te dos seus amigos em una
questo de ordem administrativa, de nenhum mo-
do manfeslarain a de intencao de interrom-
per o apoio que Ibes tem merecido o gabinete
7 de Marco ; e alias seria iujuslo suspeitar tao
dislinetos parlamentares de I averem tomado urna
nova altitude sem que a justieassem perante o
pail rom essa nebro independencia que ninguem
avisou ainda era contestar lina ; perde todo valor
o argumento que deste suppaslo apartamento so
tente inferir.
Os
fflTERIOR.
massa florestal, perteucem a antigs casas t lula
ret que nao tem meios para cultivar eni grande
escala, nem energa bastaras para* donisar, porque
o colonisador serapre um hornera de grande co-
rogem o de muita aclividade. Espirites pratico^
o que nos falta, emquanto nos sobraiu bacha
reis, c,enmendad ns, cinselheiros, candidatos a
deputados e urna nuvein de preten lentes mais
racliitica fatia do or;;.niento que veuha a vagar.
Ainda os sinos de qualquer urbana freguezia
nao tem ameacado a dobrar por um fuuccionario, e
j os re,lcrenles e aspirantes fervbam pelas et-
cadat e antecmaras dos ministros.
Ora, ao Porlogal ott relativamente prospero
apezar do seu lliesou o anda lular cora difficulda-
det, quanto o nao e-Una se ao seu doseuvolvi-
mento fabril e vinhateiro e sobretudo min.'iro, ar-
rot.asse aquellas desertes boje melaucholicos do
feracissimo Alemtejo, e inuilos da Extremadura
que mesmo urna dr d'alma veles sera urna
populaco densa que os anime e vivifique pelo tra-
balho.
0 vnho do Alemtejo, bem fabricado, como o
que vi e prove era Extremoz das adegas do meu
bisarro hospedeiro, delicioso, puristirao, com a
cor do mellior viuho do Douro, e um bouquet es-
pecial que o faria apreciadissimo nos melhores mer-
cados do mundo.
O azeile, a I e o niel daquella provincia, tom
;rande procura, |orque ha lavraderes que sabem
abricar o seu axeite e apurar as racas das aun
ovelhas.
Vejamos agora s com o prolongamento da b-
nba frrea entre Evo. a e Exlrenffe, donde d'outro
ramal partir a entroncar no Crato, a provincia to-
ma novo alent.
Os marinera das proximidades de Extremoz,
Veros, Borba e Villa Vienta rivaiisam com ot de
Carrra. Ha-os pretos, pedreses, sanguneos,
azues, amarados, raiados de puantatiosot capri-
chos em teus veios naluraes. Nat ras das villas
as pedras das calcadas sao marmrea ; de mar
more as decadarias das casas grandes, das groja
e quarteis. 0 que faliava era conduccao barata
- Cbegou de Bordos no vapor Senegal urna J
pequea caixa coutendo con leeoraco -s it luanas e
dirigida lega./o italiana em Lisboa. Entre os
coudocorados est o ministro da faxeada o Sr. Ser-
pa Piuientel.
- Vo toinaudo vulto os boatos que ba lempos
cursen) era Lisboa, Je que se vao trocar em breve
notes diplomticas, no sentido de urna ulervenco
em Hespanha, caso nao melhore o estado daquella
infeliz nacaa. Falla-te muito era ser elevado o
uosso exeicito a pe de guerra.
- O Diari do Gocerno publicou urna iwrtaria
reduzindo o juro dos emprestnos so l esouro,
com venciinento, desde o dia 17 do corrente mez
inclusive, a 6 por cenlo. Os mutuantes, a quem
a presente dispotico nn convier, tero embolsa-
dos dos seus debites. Este aviso otflcial.
- CooHcaraui j no Porto os ir queritot, orde-
nados pelo governo, acerca dos aconlecmeuto
promovidos por vares membros da Associ cao ca-
tklica, e que jexpuz n'uma das orinan* ultimas.
Aquello trabadlo frito no edificio do governo ci-
vil pelo administrador do conselho de Gaya, Cat-
iro Portugal.
- Foi nomeado director geral de nstruc.-o pu-
blica o contelheiro e ministro de estado honorario
jayme Constantino de Freitas Monz. A nomeaco
muito acertada, apexar da precaria sade do Sr.
Jayme Mohiz.
- O governo refor;ou a guarnico dosdfferen-
tos pojtos da fronteira, para prevenir qualquer
eventnalidade resultante das lulas que tem lugar
em Hespauaa e que se aggravam de dia para lia.
Vai organisar-se com a maior brevidade um
contingente de 500 pracas, com dostno para a
gnarni./iio do Maco e Tintor. Wo vo offlpiaes."1
Todos os colchoeiros de Lisboa, eonstitui-
ram-se em sociedade cooperativa de produccio. Os
pairos tem acrpto varas correspondencias nos
peridicos acerca da grive.
Foram revogadas at ditpesicoes da portara
de IS de agosto da 1870, que estebeleeu para a
direecao geral dos telegraphos do reino as gratn
lio, I le julho le 1893.
A nUESTAO ME GABINETE.
Nao let-ui Miado coinmentarios mais ou menos
apaixonados sobre o incidente parlamentar da
questo de gabinete.
Nos o osperavamos.
Os manejos insidiosos cora que se procurou
agrupar rana accidental maioria que, no dia in-
mediato ao de sua triste victoria, sentir-se-ha
impotente para constituir e mentor o poder, sonli i
dourado do trafegos ambiciosos que tUdo sacn-
eariara aos seus inmoderados desej >s, faziam au-
annciar distinetameate que o mais rreeuaavei
Iriumplio do gabinete seria interpretado de inanei-
ra a diminuir Ibe proporcoes o valor.
Tal o empenho em que andam atarefados os
adversarios do gabinete. Este empenho traduzse
claro nos entrelinhados e publicacocs anonyraas
que abi circulara desde alguus das.
As mais insiguicautes circuraslaacias tuhara
sido exploradas ; o espirito enredeiro nao poupra
um s meio de alisar resentmontos, do llies ilir
causa aupronte, de fomentar a divisan e a des-
harmona entre amigos dedicados que, divergiudo
da pensamento ministerial em rana questo de ad-
uinistracii), sustentara e defendoin Bom sincero
esfor^ o programla poltico de que desvolado
interprete o gabinete de 7 de marco.
(Un vingarain interesseiros designios. A Ilus-
tre maioria que v no honrado Sr. presidente do
conselho una verdad.-ira gloria uacinnal, uina ele-
vada pertoulicago dossa escola poltica om que o
paiz funda com razo as suas mais caras esperan-
cas, e en cada un dos membros do gabinete de 7
de marco um cidado recommendavel pela illus-
trac i >, como p jIo amor sincero e profundo das
raslilmcoes livres ; esta maioria dedicada, sim,
mas a que nao faltariam independencia e cora-
gem, quando bera pesadas conveniencias assigna-
lasse o gabinete do 7 de margo a ultima hora do
poder respondeu as impacientes suggestoes de
mal cuntida ambicio com urna demonstrarlo
tanto honrosa para quera a fez, como para quera a
recebeu.
Koaaa manifoslaco parlamentar do 19 do julho,
encorra se mais de u na li<;o prove tosa aos nos-
partidos. Nao Coi ella um siulples pronuncia
usires cavalbeiros, a quem nos vamos re-
ferndo, sejulgaram nao dever sacrificar as suas
apinioes a tima .lemoiistraco de conlianca, nao a
retiraran! nsm a dininuirara ; de outro o odo nao
so ha feriara por desobrigaio.. de o declarar bera
alio e bem expresso.
Os que acorapaiihar.ini al enlmente o segu-
mente da questio nao torio inadvertido que ella
nao foi declarada urna qnestto de conlianca polti-
ca desde o momento em que foi submettiua a exa-
tne do parlamento A apreseutai.o de um subs-
titutivo ao projecto da coininisso prova-o de mo-
do irrecusavel.
Se o governo desde o principio do debate pelo
orgo do Ilustrado Sr. ministro da agricultura li-
gar o maior empente) dea da eouslrucco do
urna liub i estratgica n i froitera meridional do
imperio: seo fado de'ter merecido este pensa-
mento uina distincta menean na falla do throno
traduzio manifest este eni|ieiilio ; certo que II-
lustres membros da maioria nao a julgaram desde
logo urna quesiao de conlianca poltica.
Tanto o r. Araujo Ges Jnior como o Sr. Eu-
plirasio Correa deelararam uao a ler aceitado
ueste terreno, aps as priraoiras declara^-des do
honrado Sr ministro da agricultura. 0 primeirtf"
dessas cavalbeiros, na prinit-ira oceaslao era que
se oceupou do exame da quesiao, declarou com
rana louvavel franqueza que, se se ttatava de urna
questi de conlianca, contentar-se-bia cni lavrar o
seu protesto contra" os racios praticos do realba-
cao da idea e deixaria a tribuna.
Sate-se alias que as questies de tal uaturez
nao sao ordinariamente elevadas a questoes.de ga-
binete desdo que sao'suscitadas perante o parla-
mento. Os aunaos da cmara do disto o mais
claro testemunbn. A questo Bramah entre ou-
Iras nao foi declarada de gabinete seno ultima
hora ; e vera a ponto records r que un Ilustre
parlamentar, o Sr. consol.leiro Octaviano, nao du-
vi lou alteiiir o seu voto em lista desea declara-
cao.
Qiesloes de coiifiauca nao sao um expediente
ordiuario do governo ; sao as circumstancas que
ai dclam ; sao acontecimouto.i as mais das vezes
imprevistos que as determinara.
Ao fazer conhecido o empenho do gabinete pela
idea principal do projecto, o t'.r. ministro da agri-
cultura nao levanten exprossaiuente urna quoslo
de conlianca poltica.
A posifa excepcional da dopOUcio rio-gran-
detise devia intluir e naturalmente influio no es-
pirito do honrado ministro para nao formular a
(juest.io nos termos que o uso consagrou.
A estranheza de que se revela pissuido o colla-
borador do Diaria por ler se elevado a questo de
gabinete a dea de um melhoramenlo nacional,
nao traduz boa licao da historia parlamentar do
uosso e de outros paizes.
As questes de confianca podan ser enterreira-
das era qualquer discusso o a proposito de qual-
quer acto. Serapre assira se eatendeu e se pra-
ticou.
Na hypothese sujeila, traase de um graude
melhoramenlo em que est empenlialo ura alto
iutetesse do oslado; trtese n.i.da menos que de
decretar a constriiccao de uina linha de ferro que
permita a prompta mobilisacao de elementos de
defoza que hoje era dia lo cuslosamente podein
ser levados s fronloiras mais expostes do im-
perio.
Qual questo de conlianca ja foi estabelecda
era mais grave assumpto I
Poderiamos terminar aqu as nossas reflexoes se
o articulista do Diario limita:se auieaca qae
dirige ao gabinete era nome de una opposio que
diz arregimentada em torno de urna raysterosa
bandeira.
No dia era ue tentis.se quebrantada a justa in-
sos
mente de numerosa maioria, mas ura pronuncia-' fluencia parlamentar de que gota, o gabinete 7 da
mente em que a mais nobre independencia vio-se, marco saberia de'ixar o poder c un essa tranquilli-
associada raas nobre dedcacao. dade que o premio moral da virtude.
Membros tan dislinetos da maioria como os Srs. | Mas de todo ponto irrecusavel que a votacao
Araujo Goes Jnior e Eunapio Deir, um e outro de 19 de julho pz nota intima allianra do ga-
sabidamente hostt frm.i aceite pelo ministerio j bnete eoni a Ilustre maioria que o apoia.
para a realisaco da grande idea da construccao | O genio inventivo de collab rador do Diario
de urna linha de ferro estratgica as fronteras inspiroullie ura singular procetso de arithmetica
mor lionaet do imperio, nao hositaram sacrificar poltica.
opinioes einitlidas no correr do debate conscr-1 Adlicionando aos 27 votos manifestados em
vacio de um gatera te era que vm o legitimo re- favor da emenda do Si. Euphrasio Correa os 7
presentante do programma conservador. i da opposico liberal, 4 de suppcstos dissidentes e
Este nobre acto dos Ilustres Srs. Ges Jnior c o vote do Sr. F. Belisario, que nao compareceu i
Eunapio Deir peem patete o grao da aed.cac.ao sessio de 19 de Julho, ebega o articulista a som-
i|ue ot dous honrados deputados da Baha prestara mar 3'J votos opposicionistes.
ao gabinete 7 de mateo. Arregimentados, disciplinados, serapre a postes,
O Ilustrado Sr. Euphrasio Correa, se voteu pela nao resistira o gabinete to grande numero de
emenda que offereceu, se a defeodou da tribuna adversarios (
com o ardor de nobre* couviccoes, deixou perce- Conrim. que. dianle de una opposico tao
ber inuito claro que nao era o seu pensamento numerosa, o gabinete nao podei ia manter-se se a
manifestar desconfianza ao gabinete quo tem sus- maioria que o sustenta nao podeste por sua vea
tentado em seis mezes de vida parlamentar. arregimenter-te, disciplinarse, estar igualmente
Os votos dos nossoa dislinctot amigos, os Srs. firme em seu posto, contiapondi dedcacao de-
jarlos Peixoto, Barros Cobra, Cunha Ferreira, Xa- dicaco, torca a torca.
vier de Brito e Carlos da Luz, nao podem sor de Mas examinemos com uiaes razoes de proba-
oulro modo interpretados. bilidade podem ser soramados 3U votos da oppo-
Levanta-te amanh qualquer outra questo de sican.
natureza puramente poltica, e aquelles Ilustres Entre os 27 votos manifestidos em favor da
membros da maioria nao besitariam om apoiar o emenda, que com a preseoca do Sr. F. Belisario
gabinete. seriam 28, comprahendem-se os Srs. Xavier de
Qualquer destos honrados eavalheiros teria a Brto, Carlot Peixoto, Barros Cob -a, Cunha Ferrei-
precisa coragem para declarar bera alto as razoes ra, Euphrasio Correa e Carlos da Luz que nao se
de urna nova auitude, se ella Ihes fotse aconte- apartando da maioria seno accidentalmente, fa-
I liada por bem entendidas conveniencias poli-, riam em outra occasio baixar inuep apmaro
ticas. ti Estes com os votos da oppo cao liberal soni-
OS nossos adversarios tcem por aqu irrecusa- mam 29.
cacos pelo servido dos apparelhos de maior mo-1 re prora de que, se aos 79 votos avoraveis ao Ora, estes 89 rolos sao, com nsignificante mo-
\-,


Dlaiipf (le Pernambuco Torga, feira 5 de Agosto de 1873.

=?
'difleaoao, os do quo dispoz a difidencia. de omero da primeira legislatura.
Os i|uatro vut"Hins-Sis. i.ijro de Vasooneellos.
Pereira dos Sant^Jdarta c Ciudido Torres, ao
se manifestaran! dissidentes.
Na primara vdravT son na actual le-
gislatura sol t umvn^ietai de gabinete, aiuellcs
honrad is cavalheiros tradiuiram pir seas votos a
conlianca que llies mereco o governo
Onde ostio, pois, e>tcs .19 W qne, sempre a
p)stos, podem elevar-sc emitra o gabinete como
permanente ame.ya?
A dissidenoia consewatdora tentn o >ou ultimo
esforco ; convenca-ediato.
Quem pcrturlia a barmoaia e tenia e-palliar
geruiens de divi-aonofeio do partid', nao se-
guramente um gabinete que do apoi > das duas
casas do pai lamento rcar-be amis solemne con-
sagraco de si>sistea]tia.
Se alguem o rc-p nsavel desta lamenravel di-
virio nue desde 28 de setemliro de 1871 nao tem
razan de ser, nao o gabinete 7 de marco.
Os que at es urna resfateaeia aconselhada por gravet interesses
da sociedade, estavnm poli (feamente abrigados a
depor no dia inmediato as mas armas de com-
i>ate.
Mas... dMiroram cenca de dous annos depnis
do dia 18 de setembro ; e ha anda conservadores
que se camam dissidentcs.
(Da Sarao.)
PUUMSDO0i
)LUIIA.
Por portara da
REVISTA
IsiKti'iMM'o publica.
presidencia da provincia, do 2 do correle, al-
tandendo-se disposico do art. 36 Ja lei provin-
cial n. I,li3del7 dejnntio ultimo, que suppri-
ir*j u ca l''iiv.- de latim creadas nasta provinci i,
com exeep;ao das do gynmasi.i, e que o profes-
mu da de Gar.mhuiis, Leopoldina Antonio da Foll-
eo \i ainda nao ad |u;io a vilalieidado de quo trata
a lei n. 369 de 14 de miio de fitW, foi elle exone-
rado dse cargo, cujo exercicio'abandon >u.
lury.Houtciii apenas se poderam reunir 28
Srs. juizes de fado, em consecuencia da chova
que durante toda a mana houve ; pelo que sus-
penden o presidente do tribunal a sessao..
liupwrUtiitu dtfli^eneiu. No dia 27
d: julho, .chegando o tenen:e do corpo de polica
Pies K.-i reir villa de Itnique, de volta do lugar
Mohii. (,nde esleve duranto 13 das om perse
giieao do grupo de crimiiKisus capitaneadas pelos
ciebres Mauoel Francisco de Siquera e sea ifffiSu
Joaquim Marque*, ao qual se ada r unido o gru-
po deuoni::iado do Caldeirao, que se homisia em
Jar. tac un numero total de 28 criminosos, levuu
isso a cnilieciineoto do I)r. Luizda Silva Gusmao,
digno juta municipal desse termo e interinamente
IM o.vi'ieicio viV exmelo aipielle terror da i>oulai;ao, reuni
lriata gualdas Racionan?, pagos a eusta do scu
bol o, o z partir o delegado depdcia acompa-
nltadu ilessa turca e da do d-siacaineuio.
allegando ao lugar da residen<\a dos diloi Cli-
iniu-.sos, dividi o delegado a torea em dous ru
jhis, mu sol) s'uas ondeas e outro disposiciio do
inspector J.iiio de Si ex tenaz perseguic) aos sicarios, que se, acha-
va:n ini),i>cados ei diversos MlWteS para a sal-
vo ararem na forca, e que resp>nderam can for-
te tMtaw, saliind i da lula fendo gravenienle um
guarda nacional i|ue faiia pane da forca, c monto
UM iw uuis a.idazes assa-sinos e ladro'S do Hia-
da '1 j .Navio, de Bome Honorato, e gravemente
fe; i lo um coaipinlieii > de>te, nao menos perver-
I ('t-' l'alleceu no oia suguinle
fmw das pronipUis e enrgicas providencias
dadas pelo tenerle Prea Ferreira, so pode ser
BMM o crmiin.imi ilanoel (jomes de Siqueira, pai
dos e leles dcssi quadrillia, e se acha pronun-
cia! i por erime de moeia falsa no termo de Pea-
(jwra, a apprchendidos 13 cavallos furtados e
tiJli' IS obj'C'K.
As aiKoiidades da comarca sao ac res em alo-
fiar Sr. loneuie Pires Ferreira pdo relevante
s u-i ; n Breando.
V.'roiiniiavau provincial. No dia 14
da irreat vao a praca, penuile a insta da the-
sonraria provincial, por lempo de um auno, e pela
oj. itia do 2:82i'i)", os iinpostos provaciacs da
c -'afea de Flores.
1 Impronta.Sob esse titulo acaba de co-
iuivii a publicar-se nes'a cdade um semanario
de i.i-trmvii, litteratura e recrcio. Descjamos-
I e oosiMjra viiia.
' Mii(i<-i(t l)a tarde para a noilo de domn-
g i. .'1 itu crrente, deu-se um onflieto na matriz
de santo Aatoni, ipie a nao ser a presenca do
t. clw/e de polica, que inmediatamente coinpa-
ceii. as ni como a fuua do que o havia oceasio-
*lo, 'criamos lalvez de lamentar graves oceur-
)>:liCiiS.
/ni ni tribaudo pedia o sacramento, c como
( -' une o sino da matriz tocn, chamando os
Gai
Comparecern) algnna irmos, nao poneos, e
multas pessoas do povo; e. em virtude dos ltimos
actos do goveino a respeito da questao religiosa,
u:is e outros tomaram opas. sto vendo, porin,
o paire coadjuetor declaroo desassombradamente
quenao sahiria com o Sacramento ae.mipanhad >
da upa interdicta, visto que so obedeca as ordens
ecclesiasiicas, c nao as da anioridade temporal,
em quem nao condeca o poder de, deliberar na
quesio.
Como de esperar, as palavras do pairo coad-
jutor alarmaran) a muitidao, que, poueo c piuco
oresceu a tornarse muito importante. Procurado
em sua casa o Sr. vgaro, alim de resolver a pen-
dencia e n2o sendo encontrado ahi, foi de sobajo
para que o povo tomasse urna attitude auiejcado-
ra o padre coadjuetor entendesse conveniente
ugir, valendose da cjsa do saehristao donde por
nina janella ganhou a ra.
O Sr. Be. obele de polica, ah cheganlo na
Ofcasio mais opportuna, pode, com auxilio de
algans irmos e pesso as consideradas acalmare
dispersar o ajuntamento, revelando ai na urna vez
o que podem a delicadeza e a prudedeia em urna
conjunctura como aquella, em que a auloridade
fleta manter a ordem sem eointudo descontiecer a
natureza dos motivos que a perturbaran!.
Novo edificio. -Consta-nos que S. Exc. o
Sr. commendador presidente da provincia pretende
proceder ao assentaincnto da primeira pedra do
novo edillcio do Asylo de Alienados, no sitio que a
Santa Casa de Misericordia possue em Paraamei-
rim, no dia 15 do crrente.
A Mascara Vermellia. A' lvraria dos
Srs. Lahaear k C, ra Primeiro de Marco
n ', acabara de chegar alguus ejemplares do in-
teressante romance histrico, do distineto escrip-
lor portuguez M. Pinheiro Chagas, A Mascara
\ n mclhn, romance ue versa sobre a ehronica
da restauraco de Portugal E' trabalho littera-
rio digno de apreeo. Recommendamo-lo aos lei-
tares.
%sso-i a ;"<> i iii inercia 1 Benefl-
cute lloje. a urna hora da tarde, deve reu-
nir-se a assemblea geral dos memlros da Asso-
ciarao (]nrmnercial Bentficnte, nao so para se pro-
ceder leitura do relatorio ao-nuo, c uno a lci
.jornal. Acha-.-c veaJ# ns lifcarh
dale.
.Pasadoffla da thcisur.ria 'le f-
7!cusl-. Pnsjam-s boje as seguiutei folhas :
Culto publico, mprugad a do receriteanieal",
guarda nacional, alfandoga e aposentados. t)s
funeciouarios. cumprehondidos as mencionadas
folhas que uio. comparecerem'neste dia s serio
pagos do sexto da uitil em diant
Proclamas. Foram Udos na matriz do^ajtmptom
Santo -ntono no dia -I do cnente, os se-
guintes:
1* denunraclo.
Manoel de Souza Olivera, con) Alexandrina Helia
Gomes.
J i;io Pac eco do Quetruga, com Marcemira Ma-
rio da Coneehi.
Agostinho Albino Bezerra, com Josepha Florida
do Jess Pereira
Lcobino loaqtm de Lima, com Josephinp Ade-
laido de Araujo.
Luiz Antonio Alvos da Puriticafao, c.im Agesti-
nha Tol.'iitina de Olivera.
Joao Antonio Pereira Jnior, com Antonia Ani-
ceta Francisca de Faria?.
2* deimneaeto.
Alferes J s Pereira da Silva Gaioiaracs, com
.Mara Ai auha de Lyra.
Vicente Ferreira "Lima, com Joanna Gcrvasia de
Souza.
Manoel Jos dos Anjos, com Joaquina Mara do
Espirito Santo.
3' denunciaban.
Candido Lopes de Olivera, com Guilhermina
Izabel de M''deiros.
Jos Uogacano de Carvalho, com Tertnlina Zelia
de Lima.
Manoel Alejandrino Alvos, com Mana Benedicta
Tomelina do Carato.
Mano. I Besson de Mello, com Etervina Fran-
eisea de Paula Machado.
Jos Joronymoda Silva, com Amelia Pereira da
Silva.
Lotera. A qnc se acha venda c a 61." a
beneficio da igrej de Nona Senhora da l'enha,
a ipial corre no da 0.
I.eiles--Olei.ao de movis, loui;a e crystaes
annunciado para a casa de residencia do ?r. P. F.
Needham. em Apipucos, deve ter lugar amanba,
6 do correte.
- Amanha (C) parlir as 10 l2 horas da ma-
nh.i um trein expresso que servir de onduc.o
gratis aos concurrentes ao leilao em Apinucos, de-
vendo parar em todas estaedes em que houverem
passageiros.
Eluspital Portuguez de Penclcen-
ci .Movimento das enfermaras do mesmo na
lentaoa do dia 27 de julho a 2 de agosto :
F.xisliam 33
Knlraram 7
Sa iram mrados 5
Fallecern) 4
Ficam exi.-tndo 32
Est de semana o Sr. mordfino Francisco Jos
Gome.-.
TIIESOII1ABIA DE FAZE.XDA
4 de agosto
Foram rcmetlidos ao Sr. thosoureiro para se-
ren pagos.
Ollicios :
Da |eo.doiieia, mandando pagar ao anspecada
fiama.' llygino de Vnsconcellos Lim o ao solda-
do Joaquim Jos de San",v Anua a quanlia de 4
a cada um.
Da mtsma, mandando pagar ao enfermeiro da
marinha Antonio Francisco da Costa PernambucoJ
aquaolia lo l.'liOG.
Da niesina, mandando pagar ao engenheiroPau
lo J;,s de Oiivoira a quanlia de I38380.
Itequerimonto de Domingos Bruno.
Secretaria da thosonrana de titeada de Por
nambuco. 'i de agosto do 1873.
O secretario da junta,
Jesuino Rodrigues Cardoso.
inda que larde, nidiavel convic.ao do quinto engasa
nM/*,.*sa r do ;u'scnico.
E' ni tal ctT'ito ja nao o vai sontindo o.grnpo
liberal i) ^i#;si'n'ii!iea e:sa pronunciadar divi-
dan as aiimn i urapo 1 O que quer dizer esse'
desaccerdo sordo, que reina entre o Sr. Villa Bella
e alguns
sjj>
nls i
prxima p ii
liberal. Da
para lonjns
E cntao
0 cemiterjo
Lutbero em um
ignora : In*/
2 d a
-
becados amigos ? Sao
da .(sqKsunipnio, qu* g^."
Ililiear- t matar os do grupo
re. o veri. B a cous nao
s ; nio, lao *. '
mbs esclamar, pafe.-eando sobre
ossjidas libraos, como exdainou
eemitario, quo o 8r. Villa-Bella
iptiu pimrtint.
de 1173
ndrttticus.
l)oelara(}o.
O abanto as.-i|naJo, negnciaute na vllfe de Ja-
boato, lendo constitudu legalmente seu bastante
procurador a Joao Gomes dos Santos, nflScial de
sapate ro, o e-erwo interino do juiz de paz da
oiesnia viII i, para^migavel ob lu jielfll nonio o-
J)rar suas divilas, c como o mesmo Jo- nao tenha anda ap larecido para prestar contas,
c conste que se tenha ausentado para lugar nao
sabido, o mesmo abaixo asslgnado vem por este
moio chamar o dito senhor, alim de que Ihe pres-
te emitas c Ibe entivguo Seis docuiiientos que
ainda existem em son poder; outro sim o mesmo
ab?ixo assignado declara que desta data em dian-
te licar de uenliuui ofTeilo, toda c qualqucr tran-
saccio que o dito Sr. Joao Gomes faca com os ere-
dores di mesmo abaixo a-signado," sob pena de
pagarem segunda vez.
Roclfe, i de agost > de. 1873.
Bernardo imiralves Sanios.
JBUfACB
i*C
I
e>
mm.
cao da nova directora.
Tbeatro S niln Antauio. Este thca-
tro eSerece-nos hoje un magainc-i espectculo :
a It ini'ia Crjnoline, tantas vezes representada no
Kio do Janeiro. E' urna pe^a de genero alegre,
anginentandolhe o mereciinento a diablica mu-
sica de Offembach.
E* de crer qne faga carreira, norque a maior
parle do publico gosta"mais de ir ao theatro para
divertir-te.
\nvo Parthenon Hontem (3 do correule)
iemiio-st eta sociedade em^essao extraordinaria
sd a presidencia do Sr. Chaves Jnior, para os
socios novamente eleitos tomaram posse dos lu-
gares para que foram escolhidos. Sr. presi-
d ule leu o sen rotatorio e agradocea a sua reelci-
ci. Em seguida tambern agradecerm os Srs.
V e 2* secreurios, Pe? vicc-presidentes e tbc-
ouTeiro, deixando de agradecer o orador, visto
nao aelur-so presente. O Sr. Javentuo dirigi
felicitaces sociedade polo seu progresso. Encer-
rada a sessao extraordinaria, o Sr. presidente con-
v)iii urna outra sessao a pedido do Sr. Joao
America, para este apresenr pm requeriuiento
acera de una reumo jurdica aos domingos,
o qual na i fo submettdo approva^So da casa,
tondu orado sobre elle o sen autor, Porto e u-
ventioo. Finalmente o Sr. J. Amerco pedio a re-
tirada do seu requermento. Nada mis ha vendo
a tptur, p.Sr..preslaBte eui;erroua s*tsaj. ;
lova publica^p Sb o IfiqJ de .1
Monaria jesntavai-iidii. liaba de sahlr a luz
em JpitagaJ a.caneeao dos artps do Echo ie
"ft/ana eirculai- dp cah.vpr.-. d-'
i-a.aj de "2:dc sateaiLro de i&l} c a pranch.-.
11 iruiao Guma Freir ao'fr/.-Olto, aaaifli eom a
desto cav.-. o r.\ c.-. ven.1, ao raclor do Echo
de lima, datada de Coimora aos id de denemirOj
loesuw, colleoejlo que vem precedida (Ttinia
caita mtroduejao por cfi) dos redactores d.iquene^
Sempre a Provincia
O orgao do liberalismo do Sr. \ illa-Bdla e seu
grupo docididamenlc o espellm de lino ac. em
que se cflectem ao vivo o desalinho de ideas, as
in;ongruencias e as sinuosidades de programma
da prelles (pie o escrevem.
Parece que os redactores da Provincia beberam
o mgico licor de Circe. S assim podem ter ox-
pb'cai;ao as inais flagrantes e nojeutas contradi-
gois, em que sao apandados os Ilustres redactores
s assim se podem explicar as des sadas e futeis
aceu'acoes, de que se tem v.lido essesSrs. contra
o Conspicuo e Ilustrado Sr. Dr. Lucena, a quem,
nao obstante seu pouco tem|K> de a-lnunistrago
esta provincia deve verdadeiros beneficis, benefi-
cios, que lalam bastante alto tara Mifl'ocar os dos-
lircsiveis murmurios, que aecusadoros de estreila
esphera nao s cancam de soltar, cumprindo assim
a sua ingloria tarefa do tudo coinbaler c repre-
sentando nada mais nada menos que o triste papel
le C(7cs ladrando tita.
A Provincia, que tanto vociferou contra o Exm
Sr I). Vital, agora em seu numero dejiontem, s
pelo desgranado gosto do fazer opposi;ao syslema-
tica, Ihe vem tecendo honrosos encomios, erguen-
do-o at ;os alturas do eslysta primoroso, isto s
com a fui) de deprimir o Exm. Sr. Dr. Lucena,
como se nao fosse urna estulticia tal pretender e
maior estulucia ainda o esperar conseguido !
Que malfadada opposicao 11 Mas a graea que
a Provincia, que se quer melier mostra de eslylo,
que se quer ter na conta de modelo em gosto Ili-
terario, anda a cahir em tantas miserias, em tan-
tos disparates de redaceo e de forma t
Santo Deas de quanto 6 capaz a Pi-ovincia!
Quem pode esquecor essa sublimidade de lingua-
gem altaneira, que nos offerece specimens como
este : Nao M ella ( resposta do Exm. Sr. Dr.
Lucena ) por certo sahida da secretaria, mas de
gabinete presidencia!, pelo dcleixo da forma, pelas
incongruencias de eslylo, pelos dislates e chatezas,
que enterra. Bravo, Srs. da Provincia, pelas vos-
sas chatezas encerradas em urna resposta I Isto
n trait de suhlimtt.
Fazeis bem em criticar alheios estylns, que n5o
fazem respostas encerrar chatezas. Tendos auto
ndade de Quntiliano e do Blair, podis achatar
estylos.
epois de ter o orgao liberal achatado o estylo
da resposta do Exm. Sr. Dr. Lucena. que eom a
sua brilhaute adminstracao tem achatado os seus
delraetores, veio ainda a censura ao fundo da
niesma resposta cujo nico peccado ter partido
do Exm. Sr. Dr. Lucena, pelo que no aho intellecto
dos homens da Provincia fo logo tula por incon-
gruente e inepta.
Mas, para que a Provincia com todo o seu saber
e prolicienca nao justHkou a incorresco, a cha-
teza, o deleixo, as incongruencias e os dislates do
estylo e lo pensamenlo do offleio do Exm. Sr. Dr.
Lucena em resposta, ao que Ihe dirigir o Exm.
Sr. O. Vital com data de 24 do mez prximo (in-
do ?! Poisacha a Provincia que tem essa infalh-
bihdade, que irega ao papa, quando julga ex in-
prens i os actos do Exm. Sr. Dr Lneena Donde
Ihe veio esse dogmatismo, que mais do que em
ninguem Ihe flea to mal T
A quem afflrma, incumbe o onus de provar, e
portanto Provincia incumba provar o que cen-
suran na resposta do Exm. Sr. Dr. Lneena e nao
simplesmente limitar-se a exprimir accusecOes sem
prova-las ; e urna vez que assim o fez, est* fbra de
duvda que a resposta censurada boa, inataca-
vel, e era a nica admissivel na hypothcse e que
daria qualqucr homem de criterio, 'born senso e
illustrrcao, que se achasse frente da administra-
car. lstam eertos que o dera em tal caso ao eocesano com urna por'aria
de suspensa"'! ou mais atguma cousa anda ; mas o
Sr Villa-Bella s podo servir de modelo a seus
sectarios, que orcam pelo mesmo que elle, n sao
a (jucm como o Exm. 9r. Dr. Lacena se orgulh^
de nio ter os dites singulares do baroo, quo todos
sommados dno o total de requintada inepcia com
urna iucommensuravel gravidade.
Pobre Provincia, quo de contradlpiy, em contra
(licao, de queda em queda, has de ter pelo teu'
misero panel o anplauso da risota, que desmora-
lisa e abate Misera h-ovinci, que quando
foros de todo conhecida, ( que j o vas sendo ) has
de ser o alvo do esenrne de todo um povo, a
quem quizeste Iludir I
E que outro destino pode esperar um orgao .de
publlcidade, que'sc dizendo reoresentane pe todo
Jim partido g batalhador ,pacifico de urna arando.
ausa.lone de discutir ^ompnncipro? e cotrrbatcr'
com as armas da verdnde, vive polflgo censtaate"
de frandulagcns o s cmpilrlha'Ti ifrmaSlla Tnen-
liraeda,ca)umua? ,
A Provincia tem prqpriedades arseniosa muito
pronunciadas; o grupo Iberal, qjie a manduca e
tipo6e-se por isso robustecido, est nas vsperas
de uro mortal abatirhento d forjas, ahathSietire, fra-
ge nada mais o ppder reerguer. A vida, q
-tese trrnpo parece SBtlr, tflj
Tambeni ao respeitavel pu-
blico.
Para respondernos sinceramente ao Ilustre Sr.
advogado 0, que estampou a succinta exposicip
no Jornal4o.Rrcif* n. 183 de 2!) do correule, te-
mos de oscrever estas linhas em defeca das cin-
zas de um moss par'tito o amigo.
Zoforino Itod djih o I) ,lgado do Borba, emquan-
io viven, procuran seguir o exemplo de seus
anlepassadoS ; scu* av J-)- Didgado de Borba
e Jo.o Bapsta iti'gi dos mrtires da revolucSo de 1817, e seu to Jos
Vctorian.. Salgado de B'orba, tamben) niartyr da
do I8SV, foram bem onhecidos nosta e outras
jirovincias do Imperio pelos seusa-tos de he-
raisnio. Zeferino, por isso, trnou se nao s estima-
do de seus patentes como de quantos o conhece-
ram. Foi esforcado defensor do gowrno em 1848,
quando esta bella provincia foi abalada pela rc-
vuhi.ao; assi>iij a quas todos os encontros dis
forjas roboldes e n i ataque dos Curraes, termo "do
BoniU, perdn um ir.nao que com tile mlitava.
AuJa em IBO' marchou para a guerra do Para-
guay no posto decapitan do baUlhao C de vo-
luntarios da patria, onde estove 34 mezes, assis-
lindo aos maiores e arriscados combates, voltando
bastante doente por molestias adquiridas n'aquel-
les ihosyitos campos.
Em lios de 1868, presin servidos ao governo
como subdelegado uo tormo do Aguas-Bellas, sa-
---------------------^---;----_.-------
Par**.Sobre o banco UMjjl-rnO'Mt-
ro, 0 O Sr. JOAQUIM PINTO DA KOXSEO.!*
r.Sobro o banco comMRPCIAL no
PARA, CO'SrS. KUANCISCO (AlDr.NCtn DA COSt
TA A III.110S.
MaranfaS*.Sobre o Sr; jos ferrei-
ra DA SILVA JL'NIOn.
Cka'r#^Sobre os'Sfs. j. 8. de vaftcox-
CBLLOS it-bOHS.
JjBli.-^Sol)re os Sis. maiumios & c*.
Alo le Janeiro. Sobre o banco tN-
OUSTUUL E KRCANT1L DO RIO DE JANEIRO, e
0 BANCO NACIONAI..
Segwo cwrtr-fogo
Tt* LI\attl'OOL LONDON CrLOH
INSURANCE COHPAHY
Agentes
SAUNDKKS BROTHERS C.
11Corpo Santo11
COMPANHIA
Phenix Pernarnbucana.
Toma riscos maritiinos uta mercaduras,
frotes, dinhoiro a risco o finalmente de qual-
quer natureza, em vapores, navios vela ou
barcacas, a premios muito mdicos.
RA 1)0 COMMKHCIO N. 3i.
Seguro conlra-f.ga
* COHPANHIA
INORTHERN.
.... 20,000:OOOJJOO
de reserva. 8,00O:000jrO6fi
Ag'.'tites,
Mills Latham & C.
HUA DA CRUZ N. 38.
lioiidiruonto do dia
Woin do da -4
Capital.
Fundo
a propria
criticando neui s seus interesses como
vida, por querer repianii.- o cru)C.
O governo o disliuguio com as comineadas das
ordens .la Rosa e de Christo. Como senhir eren
deiro do diversos ongenhos, nunca foi mandao de
aldoia, todos os seus morad; res e vzinbos o e-t-
mavam polas saos (lualidados
Do que levamos dito, poderio testeinuuhar os
Ilustro Srs. nionsenhor Pinto do Campos, coronel
Francisco de Barros e Silva, coronel Jos Mara
UJefunso, bario de Villa Bolla e coronel Carolano
Vollozo da Svoira. Se fui jno, s prejidicou a
s, esqueceudo seus fnteresses para se dedicar e
servir a.governo do seu paiz. Preferio lear um
nouie qu honrasso a ta inlia do que doxar for-
tuna. E' esse o hooie n, que, escrevi-ndo urna
correspondencia em li do Janeiro de-te anuo,
pravavelui'-iite fundado na razio e prom)to a sus-
tentar a oxibieao em jiliio. durante cinco me-
zes nao apparecou conle-la^ao ; m >m Zoferin
em 27 do maio em VIoscow, co:n;.rc.a do Bonito,
em 23 do crrente apresante o Sr lvjgaao
O, a sua succinta Omcluindo declaramos
a S. S. que, ja au volUre te e lembramosltio quo os morios descaucam-J
na tiaz do eus, e para todos ha de chegar dia
fatal.
Hocife, 30 de julho do 1873.
.4 coi-ji hrHmate.
l.oja de joias, i ra do Caoug n. 11,
receben um ortiinento o uro e prala rlourada, como sejam :
Corninendas e obcialatos da rosa, ditas
de Clnisto e medalhas para cavalhciios de
todas as onlsns militares.
Oleo inr< medicinal de florado de
liaealhao, de la......... A Kemp
Quando as duendas dos pnlme* ou da garganta
se rhegam a desenvolver em forma de tsica, a
crenca geral que j nio ha esperanca para o
misera doente. Isto um erro perigoso. Milha-
res de pessoas que se achavam nesse caso curaran!
se com o oleo puro medicinal de ligado de. Baca-
Iho, de Lanman 4 Kemp. Porem ha casos em
que o oleo de ligado de Baealho nio produz bem
nenhum. E sabis porque? E' porque o artigo
era urna preparaeao esprea, adulterada com
azetodebileia, tou'einho eoatros ingredientes sao
menos depreciaveis, destituidos de toda a virtude
medicinal. Por ventura, tends algumi vez ouvi-
do dizer que o Aleo de ligado de Baealho ue
Lanman Kemp, fora administrado em produzir
os mala feles eKeilos, nos casos de ti9ic. bran-
chetes, asinina, affeccao do Ogadoou escrfulas?
Nunca I Com tudo ainda nao se ha notado um s
caso em que tenha fulhado. Em todas as parles
do mundo, ponme conserva-s perfeitamente em
todos os climas este grande remedio, tem trium-
phado urna e outra vez, nde todos os mais foram
inuteis. A una superior frescura e preza so pro-
verbies em todos os hospitaes dos Estados-Unidos.
Cuidado com as imitables !
seguros
GOIPAMi. ALLIANCA
maritimos e terree-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro ein 1870.
CAPITAL 4,000:000?000.
Toma Nupo de mercadorias e dinbeiru
( para dentro e fra do imperio, assim como
contraj fogo sobre predios, gneros e fa-
rondas.
Ageute : Joaquim Jos Gonjalves Beltro,
ra do Commercio n. 5, Io andar.
SEGUROS
MARITIMOS
CONTRA O FOGO.
Acompanhia Indcmnisadora, estabelecida
nesta prai;a, toma seguros martimos sobro
navios e sana carregamentos e contra fogo
em edificios, mercadorias e mobilias: na
ra do Vigario n. *, pavimento torreo.
fKACA DO REC1FE 4 DE AGOSTO
DE 1873.
AS 3 IftMUa DA TARDg.-
Ciitact5ci ofliciiics.
aatUo sobre Londres -a "JO djv. 2S 3|i, e do
bauoo 2o 1|2 d uor 14, sabbado.
DuDourcq
Presidente.
A. P. de Lemos
Pelo secretario.
> *1 CAPATAZIA D-A ALW.NDffliA
I a 2
3:001 #19
'i98't93
i: 10 1/318
VOLUMES SABIDOS
.No da 1 a 2 .
Primeira porta no dia 3 .
leguada porta.....
Terceira porta ... .
trapicho Conceicao .
SERVICO MARTIMO
Alvaieugas desearregadas no trapiche
da alfandoga no da 1 a 2
Oilas ditas no dia 4......
Navios atracados no trap. da alfandega
Alvarengas....., .
>to trapiche Conceicao.....
1,396
61
10
419
2,948
____J___,____uJ.
8
RECEBEDOniA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMBUCO
Kondimento do dia I a 2 5:0474748 s"va-
dem do dia 4...... 1:725*688
Edilal n. ZZ.
Pela inspectora da alfandega de l'ernambuo
so faz putlico que, achando-so as mercadorias
contiat nos volantes abao raeaaimados no ca-
so de serem arrematadas {ra coasumo, nos ter-
mos do cap. 6. do lit. 3." do regolamento de 10
de setemliro de 1860, o| atlis donas ou consigna-
tarios devero despa< Ua-las no prazo de 30 das,
sob pena de, lind -ella, seren veadidas |>or sua
cunta, sem que Ibes fique e mipelindo allegar coa-
ira os elTeitos desta \eada :
Armarem n. 7.
Marca triangulo A & fcf, ns. 64/J3. Dez barri-
cas vindas do Londres no navio inylez Fnmck
Emethe, descarregadas em O de noveinbro de 187*
e consignadas a Armnio & .Yioreira.
dem ideni, ns. 31/40. Dez ditas idem idem.
dem dem, ns. 54, 24, 29, 5/6. 8, 9, 12, 10, 18.
Dez ditas jdem dem. ....
dem B & S, lo. Urna caixa viuda do fiiu-
burgo no navio allemao A ma lesine, dcsi'arregada
em 6 de dezembro de 1872 e consignada* a Basto
7:0734436
fteudimento do dia
dem do dia 4 .
CONSULADO PROVINCIAL
I a2
1:3634213
I:76j48:I
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 4.
dem B S e A A & C, n. 10. Urna dita idem
em i 0 idem; ignorase a consignadlo.
dem J A A A; C, n. 3. Una dita -rinda da
Hamburgo no navio aliemac Mcine, aatearregada
em 10 dem e consignada a J. A. de Arauio k C.
dem II P 4 C, ns. 12 e 18. Duas ditas viudas
de Hamburgo no navio ingbz Sicolim, descarrega-
| das em 10 de dezembro do 1872 e consignada*
1294056 a Ramos & Peixolo.
dem B & S, ns. 93 e 9i. Duas ditas idem idem
a Bastes & Silva.
dem C G C, n. :ii/3S. Cia-o ditas idem
idem a Carneiro Gniniar es & C
dem diamante, no centro A & M aawr-haixo
Podroso n. 1 l'ina lata rinda iie Lon
i no navio inglez Ecliftik, des carrejada un W4e
dezembro de 1872. e consignada a Arinimo i M"-
iverpool 42 das, barca ingleza Edward Herkerl, d0e"
de 263 toneladas, capito Charles Ivs, equipa- rei,r?-
geni 10, carga diflerenles gneros ; a I.uiz Du- Idem ,d(!l"' n- l ina ta ,Jem ,("-n ,,erl-
l>ral" Alfandega de IVrna:nbuJO, 4 de agiisto do Ip'J.
Observado. O inspeelor,
Nao houve sabidas. F t'ahio A. Carvalho liis.
------ O procurador fiscal da lliesouraria provincial de Pernambuco declara aos contribua-
la* do imposto sobre carros, carracas e mnibus do exercicio de 1871 -1872, que Ibes lica marcado
o prazo improrngavel de 30dias, a contar da publicacao deste, na confonndale da lei n. 891, art.
o3, para solicitaren) da seccao do contenci so as respectivas guias, alim de recolhercm seus
dbitos provenientes dos meamos impostes, eertos de que nao fazendo dentro deste prazo, p-o-
ceder-se-ha a cobranca judicialmente, publicando-se para sto a relacao dos devedores abano
transcripta.
Seci-ao do contencioso provincia] de Pernambuco, 24 de julho Ue 1873.
0 procurador fiscal,
Cypriano Fenelon Quedes Alcoforado.
Relacao dos devedores do imposto por carro*, mnibus e enrocas que dcixaiam de pagar Uut
dbitos no exercicio de 181 187.

E
o
Afftia o florida He .Horray e l.an
man. Se o simples prego dora genero qual-
qner, fosse sempre reputado como a medida de
seu exacto valor, nos mpporiamos que este es-
quisto e delicado perfume e cosmtico era infe-
rior a algnmas perfumarias eatrangelras, as ouaes
sAo vendidas por um prego quatro vezes mais d'a-
quelle outro, em quanto que sna qnantidae nao]
chega a prefazer urna quarta parte comida n'tima
das garrafas da agua de florida. Porem felizmen-
te como possuimos urna maneira livre e indenen-
dente de formar joos produzdos das evidencias
dos nossos proprin* sentidos, a nossa conelusAo
pois neslD particular, mteinwnente mui enfl-
rente. Temos por varias formas examinado esta
rara preparaeao, geni o mais leve escrpulo on
hesitacao, pronunciamos a sua fragrancia nao s
inextnguvel, como tambem frescaeaaave como
a das proprias flores, e em todos os re-peitos to
agradavel em seu delicado aroma como qualquer
outra essencia que jamis nos tenha sido forneeMa
qner da Cdonia, Pars ou Londres. Esta pola a
senlenca passada por toda Ameriea hespanho-
la, e nos de todo o bom grado a confirmamos.
COMMERCM).
MP
AiijjiisI i F. d'OliuMra i .
A casa commercial e bancarifa de Augusto
F. d'Oliveira C.a., ra ^Coflamercio o,
42, eflcarri^a-sedeaecaeoiiemrnVBspaM
embarque de productos, e de todos 8&m>
negocios de coromissa*rj, (^r cocftraercies
qur bancarjos.
lesoonta latirs, e toma tahamn a pre-
rriio, coqiprj cambiaes, e sac^a Vista, e t
prazo, voutade do tomador, sobro as se-
KutiHts pravas esUwgoitae ,# ,jiacwsie i
l^aaalr*.Habr,* -mn man oh
lobo^ \<% r^porrtabHtfate 'Htacri) e
va/jas firmas d 1.'cjasse.
rfa>.--fSobr os Srs.
ALFANDEA
Condimento do dia 1 a 2 .
dora do dia 4.....
63:4"i,3100
24:t26091
87:681*191
Descarrogan hoje o de agosto de 1873
*'apor inglez-Ldande (atracado; mercidorias
para alfandega.
Barca mgleza Miranda mercadorias para al-
fandega.
Barca ingleza-uchess vf Sutkrrlaad -mercado-
rias para alandega
Barca americana E. H. Yarrington -brou para
o trapiche Conceicae, para despachar.
Barca fraaceza Colignyvinho par* de|wsito no
trapiche Bar osa e massa j despachada
para o trapiche Coaceieao.
Barca portugueza Luzitania vEllio para de-
posito no trapiche Cunba.
Patacho francez -Andrferragens j despacha-
das para o caes do Apollo.
Polaca hespanhola -Atrevida-vinho para deposito
no trapiche Barbosa.
Patacho nacional Jaboato varios gneros para
o trapiche Coureicio, farinha e aduellas
para o caes do Apollo.
Brigue inglez -Nortiten Crown -farinha j despa-
chada para o caes do Apollo.
Francisco dos Santos
Francisco Xavier Affonsode Carvalho
O mesmo
Francisco Fernandos de Lima
Francisco de Souza Monteiro
Felizardo Manoel Fernandes
Ferreira & C.
Francisco Furtado
Francisco Valdevino de Lima
Florn da Manada Cncarnacio
Francisco Odilon Tavares de Lima
Francisco Raposo
Dr. Gabriel S' ares Raposo da Cmara
Dr. Gervasio Rodrigues Campello
(>eutiino Joso Tavares
Gervasio Tliom Alfredo
G buiuo Jos da Rosa
Gustavo Adolpho Nowmand
Germano Martins da Cruz
Gabriel Antonio dos Santos
Gracilano Joaquim Nazario
Herderos de Henry Gybson
O mesmo
11. Stople
Hyppolito Delsnc
Hermenegildo Eduardo do Rogo Mooteiro
O mesmo
O mesmo
Hyppolilo de Carvalho Fernandas
Ignacio Jos Cabral
0 mesmo
mesmo
O mesmo
Ignacio Gomes
Ildefonso Vieira da Costa
Ignacia Thereza de Jess
Ignacio Clemente Ferreira
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
Ignacio Ferreira da Silva
Ignacio Xavier de Paula Rocha
0 mesmo
O mesmo
O mesmo
I ai por lar iio
Buenos Ayres, palacio hespanhol Pedro, consig-
nado a Loyo & Filh >, raanifestou :
Coaros seceos 40.
Xarque o.OOO kilos ordem.
New York, patacho krasileiro Jalioalao, con
signado a Henrv Forster & C, manifestou :
Agua florida 200 caixas a Cunha Manta, 20 a
Maurer & C, 30 a Lope Machado.
Breu 100 barris aos consignatarios. Barricas
abatidas 523 volumes aos meamos. Banha do por-
co 100 barris a Costa Ainorim c C, 100 a S. Bas-
tos 4 C, 100 a Magalhaes 4 Irmao, 100 a Beltrio
Eilho, M a F. da Cosa, 100 a J. J. Costa.
Conservas* caixas aos consignatarios. Candiei-
ros e suas pertencas 26 relames aos mesmos.
Carne salgada 9 barris aos mesmos. Cadeiras 10
volumes aos mesmos.
Drogas e medicamentos l caixa a Barlholomeu
& <:., 2 a Maurer 4 C
Estopa de calafetar 10 fardos aos consignatarios.
ErvHha 2 barricas aos mesmos. Esleirs 48 rolos
aos mesmos.
Farinha de trigo SO barricas a M. Austin 4 C.
Frutas II caas aos ooosigtMtario?. Fumo 6 cai-
xas aos mesmos. Folletos 28 caixas aos mesmos.
Garrafas vazias 4.r ai xas aos consignatarios
Kerosene 300 eaixas a Costa Amorim 4 C, 500
a J. Costa, 1,000 aos ooBsi(natarios.
Leite condensado 3 caixas aos consignatarios
Livros 1 caixa aos mesmos.
Oleo 9 caixas a M.-Barbosa, 20 a Maurer 4 C.
Presunto 4 caixas aos consioalariot. Manas I
A volume ordem.
Boinas de vidro 1 caixa aos consignatarios.
Tnico 9 caixas a Maurer 4 C. Tinta 2 caixas
aos consignatarios. Tenido lu caixas ordem.
Vallas 6 caixas e vidro 1 dita aos coRsignalrias.
'Vveres 27 voluntes aos mesmos.
DE
ma ephqmera c pro
'
visoria, a reae{o nio pode tardar e ser cntae,' TOS tfiWftA, e-OTAmow'i'*iiiwj. ]
DESPACHOS DE EXPORTACA NO DU 2
JUCHO DE 1873.
* os tarto* do.esctmmr
Na barca ranleira Aurora, para o Moa
rYata, carregaram : A F. Balthar Sobrinho 260
barricas com 29,603 kilos de aseucar branco e 50
ditas com 6,o8 ditos de dito mascavado ; F. R. j
-PiaaxGuiaarae imdiku oamoO^iO dMasj4sdrtai o mensa
?fanco. i
la taroa^paatgiaBza Kmadeixi. paraliisboa,
carregou : H. P. CAz 890 sacos com 44,2*0 ikilos
de assucar branca
D No palhaboto portuguez Novo 8. Lourtwso,
para Lisboa, earmm: ti. *. Cma 200 noriioaa
Joao de Deus Silveira
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
Justino Francisco de Assis
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
Joaquim Fernandes Rosa
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
Jos Ignacio Borges 4 C.
O mesmo
O mesmo
Joaquim Francisco Franco
O mesmo
Jos Luiz Innocencio Pogg
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O mesmo
Joio Pacheco
O mesmo
O mesmo
Jacintho Raposo de Almeida
O mesmo
O mesmo
O mesmo
O n.esmo
O mesmo
Jos Lacio Lias
O mesmo
Joaquim Clemente dos Santos
O mesmo
Jos Domingues
O mesmo
Joao Ferreira Augasto Gumaros
O mesmo
Joao Gomes da Cosa
O mesmo
O mesmo
Jos Jacome Tasso
O mesmo
O me*mo
p4"os de Atevedo Maia
O mesmo
O mesmo
Jas Ignacio d'Avila
MAftCUAAP AS-
o6*$: ;*_>. oat, a. laOo VKMwi/dfc rom tt.%7 kilaa^da aouaar.masaovao."
C.' BANQ0IR6*. *ara ar mwtot 4o interior.
ipk ATuLJ +^Y<*!i- lelra aaraa affo, aarranram: 8ilva t-CjmeioH
IJ.fc.(Snare os^ba. Potsica*, ava, &4*s cam G,m tii* diknincatMte
1 fles Francisco de Agujar
O mesmo
las Gustodio Goncalres Vianna Guuima-
raes
O mes me
Jas de Medeiros
O mesmo
Jas Nogneira
O mesmo
oaqafm (Wi'qHes d oosxa Moli
O mesmo
Jase vHndsce thw 8antos
laquim lea dos Santos Jnnior
o
c
2
8.1
re C
I!
9
'<
w
G86
075
672
694
711
723
742
8J6
807
817
819
838
Ci
81
98
18
204
230
257
314
810
857
II
46
238
15
827
69
7:10
731
234
1
47
07
111
384
115
174
316
154
413
803
804
805
TOt
873
874
875
876
J
10
62
er.
11
K
dem
dem
Carrosa
Wem
Carro para roda
dem
TW!I
dem
dem
i
Carroca
Idfm
dem
Idem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Caria para i redas
Idem
Dito para 2 roda?
Carro ca
dem
dem
dem
dem
dem
Can 1 |iara 4 roda*
Carroca
Carro para i rodas
Carroca
Carro para 4 roda-
Carroca
dem
dem
Carro de aluguel
dem
dem
Carroca
Carro de aluguel
Carro para 4 rodas
Garrafa
Idem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Carro de aluguel
dem
dem
dem
dem
Carroca
Carro de alugael
Mem
dem
idem
Carro para 2 rodas
Carro de aluguel
dem
Wem
dem
dem
Carroca
Carro de aluguel
dem
dem
Carroca
dem
dem
dem
dem
Idem
dem
klem
dem
Mem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Mem
Mein
dem
dem
dem
Wem
Mem
dem
dem
Mem
dem
dem
idem
dem
dem
Mera
Ideai
Mem
Hclll
Mora
dem
Mem
dem -
6j;
Gj
i
O*
64
i
6
64
64
64
4
64
164
164
104
64
64
64
64
61
6/
164
64
104
64
164
64
64
6
304
304
304
64
30
164
6/
64
6
6l
H
U
01.
64
64
64
64
304
304
304
304
304
64
.304
304
304
304
104
304
304
304
304
.104
64
304
30|
304
64
M
64
C|
64
64
4
64
64
04
84
64
4
4
64
64
04
6*
4
64
64
04
64
64
H
U
64
64
64
8
I
2
64-
04
94
4
$'
4
44
904
m
304
344
304
4M0
4540
4510
4340
4540
4540
4444
43M>
US
nm
247-:0
I4W0
-
4540
4540
44M
4540
4540
4540
4540
4540
541)
4546
45M)
*ol>
IJUO
14440
4*00
45'i0
mo
4540
4oW>
45W
4540
U440
4340
4<.IU0
4540
14440
4340
4540
4540
24700
2*700
2 i 700
4540
2*700
14440
4540
4340
4540
43V)
340
4340
4340
4540
4340
4340
4540
24700
2*700
2*700
24700
24700
4540
24700
24700
24700
2*7110
4900
2*700
24700
2*700
247O0
i 5 700
4340
24700
24700
47O0
4540
4810
#540
4540
4540
4340
4540
4540
4540
4540
4540
40
4540
4540
4*40
4540
4540
4540
4540
4640
4640
4540
540
4540
4640
4440
4440
4440
4640
4510
4540
4440
64340
134080
6*54
65iO
6 540
645*<>
6*340
64340
6*540
64340
6*540
17444
1741*0
1049W
6451
64541*
-64340
84M
6*540'
6J544
23*940
lOi'JOO
6*540
3045JO
lOi^tiU
3247M)
17444*
045*0
3247(*
6/310
tiim
170414M
1414W"
17O404t.)
984100
I3JEHW)
45*781'
149*>
394*o
134081
1340
13*080
43401
194640
ltaJlA
1944t0
n Mia
134484*
134440
HJM
1340*4,
45440-'
324V0O


7
.1





II '" ll'l I I1


EKaflo de Pfc^in&uoe Ter<]afeira 5 d& Agosto de'WfS.
i
;------_
Ju _li\clli
O UloSmo
<> Masillo
Joj Zeheddu
Joio laytisla Numuriane
O mesuao
O mesino
' Jto Helippa da Costa
ti WCSinO .-
Jos Tinto Tavares Jnior
<> niesqio
I>r. Jos Joaqun) de Moraaa Sarment
Josepha Mara des Prazerea c Sita
Juaquiui Aniuoa* de Oliveira
Joio Valenlim,Villela
Jos da Silva Cardoso
Ir. Jo5o RaymunJo Pereira da Silva
ios Francisco Andr >
Joo Augusto da Costa Cardoso
Jqip Antonio V'UaJ
10 Francisco da SilvJpe *
' 1040 Francisco
** BatftlSta ESpOStO
Joiu Kleulerio de Azoedo
Jy*i Gines
luipa Autoniod Asevedo
J'jaqtiira Faustino Franco
Htrdeiros de Joo Jte 4a Costa e Silva
Jase Epipbauio Duro
< Autouiu da Silva Santiago
O inesuio
JosC Rodrigues Marcelina
Jos (oacalvsPerreira,
Joo Leits Pontiado
Joo Jos da AlbuqueMe
Mtf AnJunjo dos. Reis
Jo. iTazilio de Farias
Jorge da Costa Maia
Jos Antonio de-Soitza
John Alfredo Tuem
Joto Piolo de Soiua
Jos Weenle d-a Silva
Dr. Joo Hoaorio B. Menees
Joaqun) Modesto de Albuquerque Santiago
Jof Jariutuo de Souza
Jos Rapo.-o Correia
Jos Pereira de Miranda Cunta
Joaquim Salgado da Costa Guimares
Jos1 Tavares
Jos Luiz de Souza Guimares
Jos da Silva Lima
Jos Patricio da Purificacao
Jos Rodrigues
Joao Venaucio Machado
Joaquim Galeno Coelho
Joaquim Jos da Costa
loo Raptista .Nones Ribeiro
Jos) Fui lado Quinto
lofii Ferreira da Costa
Jos.; Joaquim Serra
Jos ibillo
Joio Jos de Sant'Anna
Joo.Antonio da Costa
Js de. Souza
Jos Paulo Boteiho
J is Simos da Motta
Jos Francisco de Mattos
J)' Rodrigues de Souza
Joaquina Pinto de Magalhes
J .IJUHU UijlS
Jo-e Antonio Cejar de Lima
0 mismo
Jo.- Raptista da Motta
JojquimdaSiha Macieira
da os:a
Joaquim Ju,- de Souza
Joaquim de Carvallio Raposo
Joaqun) de Souza Lamego
Jaahna de Jess Revea Cuaresma Dantas
Jao.-itlio ita Costa
Jo-' da Penlia
Joao Goncalves Lucas Lisboa
Joaquim lavares da Cunha
Jos .\aiarioda Silva
Jo: i- Pereira Duaile
Joo Altea Morcra
Joaquina Maria de Carvalho
1 '. o Entonto Bezerra de Mello
Joao de Arruda Palliares
Jai ib Felippe Santiago
Joao Felippo da Costa
0 nesmo
J o. quim Francisco Carneiro
1 i J .qnini Coelho Brando
Rento da Cisla
i Feliciano do Nascimento
Joo l'ereira do Rogo
Louienco de Souza Olhcira
Jos da Carino Feliciano
Joo Raptista da Costa
Joaquim Patricia de Alinala
' mesao
Velloso Soares
i taqun) Jos Nunes
Joao t-elix do Nascimento
< mesmo
Jes Joaquim Pereira dos Santos
i .- BtftMkco Martina
Joaquim Antero de Carvalho
Jote da Pal
Jas Liiiono de franca
J I |ttm de Barros
Joao Pinto de Lemos
Victorino de Souza
ipccao
.; s Ferreira dos Santos
Joao Lopes das Neves
los i l-'rannsco de Souza
J s' ila Itoclia c Silva
J 3'' Soares Leita
1 Gomes Hespanhol
Joaquim Silverio de Souza
k i liotcllio de Vivcir. s
Antonio Agoslinho dos Reis
toso Francisco de Aibuqucrquc UaranhSo
;'iim Ferreira
G me.-ni i
i- r. 1 Doniingucs dos Passos
Mara Alfonso Ferreira
i R iposo dos Santos
'' Go 'rahys Orim
Joan da Ponte Cardoso
1 Jos Pacheco
! |uinj li.phael da Cruz
J'" 1 Ausu lio da Silva
J Roberto Galeno Coelho
Jo^ Andr Meller
I 1 Hilario Paes Rarreto
J'.-'iiha NaseJina do Jess
Joao Antonio Velloso
Jos Ricardo da Costa
JonqaRn Francisco da Silva
Joriao Cayalaanto Siimies
O osmo
Dr Luciano Xavier de Menczes Sarment ,
I.uiz Jos de Carvalho
Luiz Antonio da Rocha
I. renco Ernesto
Luiz Miguel de Oliveira
Lu? Jos Antonio
Jos ile Magalhe
l/.'.iz Gomes de Azeredo
Luiz Goncalves da Costa
O nesmo
Herleiros de Luiz Antonio Xunes laeome Pi-
res
O tnesmo
Lico Francisco Gomes
Laiirenti-jo Pinto de Almeida
Iji 7 liento de Souza Bandeira
Leonardo Antouio do Espirito Santo
haa Joaquim Pereira Gaururjes
Lu;;: ile Amula Mei'.eiros
Laiz Vicente Pinto
o mesmo
smo
lUmo Santiag
ai
86
7
90
118
130
7
8
12
37
108
18o
6
10
1S
90
%
27
41
41
76
87
BU
91
96-
98
99
100
1(1
iS
ni
3
13f
158
181
18o
190
175
317
205
222
223
23
248
254
257
261
279
281
303
307
310
336
320
358
362
368
369
386
378
388
387
390
395
398
399
409
429
430
435
437
449
455
457
438
459
464
475
567
479
485
486
402
500
502
103
o07
508
514
518
528
852
554
541
476
546
357
584
585
592
60
611
612
538
623
624
Bul
673
676
687
706
720
721
724
738
757
758
761
766
773
777
784
788
"98
792 A
809
814
815
829
831
811
532
864
865
1,
5i
36
119
146
169
20fi
236
i 2G7
38|
'271
286
290
295
412
510
543
64i
606
697
TOJ
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Carro para 2 radas
mnibus
dem
Garro para 4 rodas
dem
dem
dem
dem
dem
Carroca
dem
dem
lipa
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Uem
dem
dem
dem.
, dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Uem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Carro para 4 rodas
Carroca
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
dem
Uem
dem
dem
dem
Z
30#
30J
lu
23*
26*-
16*
16*
16*
16*
ICi
16*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
65
6*
6*
6*
U
6*
6*
6*
6*
6
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6
6*
6*
6*
6*
*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
6*
64
6*
6J
6*
6*
65
6*
6f
6*
6*
6
65
6*
6
6*
6*
6s?
6*
6
6*
6*
6*
6*
63
63
6*
6
6*
6*
6*
6*
6*
6*
*
6*
6*
6*
6*
3
6*
65
64
6
6*
6*
6i
6*
8*
6*
65
6*
6*
63
63
63
6*
63
63
63
63
63
63
63
63
163
63
6*
63
6*
63
6*
6*
6*
6*
63
6*
6*
63
63
6*
6*
63
63
63
2S700
*700
3700
23700
2*700
1*700
2A7C0
1*900
23250
2*260
1*440
13440
13440
1*410
1*440
1*440
*540
1510
3540
3540
3540
*S40
3310
3540
3540
3540
*540
3540
3540
*540
3340
*340
*640
*540
*o4p
3510
3540
3540
*54U
*540
3540
3540
3540
3340
3540
35-40
3340
i 540
3540
*540
*540
3540
3540
*540
*540
3310
*540
3540
3540
3540
*540
3540
3540
3540
*540
*340
*40
3511)
3540
310
*540
*340
3340
3340
3540
*540
3540
3540
3540
3540
5310
3340
540
540
3540
3540
3540
3540
3540
3310
3540
3340
510
5510
3540
510
35.0
3540
3540
3540
3540
3340
3540
*51B
3540
540
3ai0
3540
i 540
3540
3540
40
540
*540
3540
3510
1540
540
5540
3540
3540
3540
5540
540
**40
3540
3540
3510
510
3540
3540
9840
3540
|540
3540
3540
3540
3540
3540
3540
3340
3540
3510
3540
1*440
*540
3540
*540
3540
*540
3540
3540
3540
5310
98il0
32*709
3510
3340
3340
3540
3340
3340
3540
3540
3340
3510
3510
3540
98*106
431806
5V350O
I3446
f7i440
175446
17*440
173410
17*440
63540
63510
65540
63540
63546
63346
65540
63540
6*340
135080
6*540
6*510
6*5
6*51
630I
635
6354
6*346
caucas con
ontinha/n
O
1 de ma
63340
63546
6*540
65540
65510
65540
65340
6*540
6340
63510
65540
64540
65530
6*510
63310
65540
6*540
6*540
6*540
65440
64540
655i0
63540
6*540
63540
63540
64540
65540
6*540
635iU
6*510
6*540
13*080
63540
6*510
63540
6*5i0
63540
63540
6*M
65i
6*540
6540
65540
65510
63i'i
6*510
6*510
65510
63540
6*540
direitc?. a mercadoria abaLco 1
nada aos direitos por Joio da Silva
Trapiche Conceicaa.
Marca B & C, sera numero, uas
tendo 18 carrafas de vidr ordinario a
agua ingina, wndas, (JelLLsJyaa no ]
guez DesfqiQ /id^scrfe|aclJs corrente anno.
Alfandega de Pomambuo, 4 de agesto de 1873.
O inspector,
______ Faoio A. dt Carvalho Uit.
- 0 lilm. Sr, inspector da thescuiraria p jvin-
cial em cumprimenlo do ordem do Exm. Sr. pie-
sidente da provincia, manda fazer-publico, que
vai novamento a praca no da 14 do orrente, por
lempo de ura anno, e pela quantia do 2:824*603,
os impostos provinciaes .da comarca de Flores.
As pessoas que se propozerem a esta arrema-
taeao comparecam na sala das sessSes da refer
da junta no dia cima mencionado, paloj.-meio dia
e competentemente habilitadas; {
E para constar se mandn poicar o
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provineial de Pernam-
b.uco,4kde agosto de 18J3,
, 4 ofUrial-main;
M. \ Beratira.

-\A
::=
ira S.
11

(hiarlit-IVjra <>*
yin i>4
f qiMiHeii4
l|
d grande o apparaJosatpAan/fMa ly>tca satyricu
burles, om 1 proteo (original) e dous actoi,
traduzda .livromnte do francez.por
Valerio Carmino
intitulada :
iea de WITcmlmck >
inhecida e populares operetas :
clicsse,
Belle Hlnc
c lies Bavaids,
unjsfumentaa a snsaiada I oiiriaheipolo ha!ni
/maftrolbrasilero.
presente eXIrrili
GfflniK
IGLA85CQ8.
DO
BEBERIBE
A directora daV oomonihia vai substituir
as 20 plices do iw. 9;4i a ,465,
9,506 a 9,510, perlencentes ao Sr. Joaquim
Paulo Guedes Alcoforado, as quaes foram
desencnminhada's do poder do seu procura-
dor o Sr. Candido Guedes Alboforado.
Rscriptoro da conapanhia do Beberibe,
8dejulhode 1873.
O secretario,
Luiz Manoel Rodrigutt Malenca.
135(80
6554"
6*540
65510
05510
65510
6*510
6.540
63510
135080
65540
65540
133080
63340
6554"
65540
6*510
35546
6*51<>
65340
6*540
63540
6*510
65340
6; 540
65340
65340
65540
65310
6554"
65510
13/080
63540
6*510
63540
6*540
65540
6 540
65540
0.-510
6*540
65510
65540
65540
1350S0
65510
6334o
65540
13*080
17*140
65510
65540
6.-510
6*540
65540
65540
65510
Obras militares.
Autorisadas pelo Exm. Sr. ministro da guerra
as obras necessarias para abertura de janellas no
hospital militar, oreadas em 1:799i710, ser a 6
de agosto, ao meio dia, posta em cenourrencia a
execu'.ao de ditas obras.; para o que devero os
pretendentes apresentar-se com suas propostas no
referido dia e hora, na reparlicSo das obras pu-
blicas, onde e acha o orcamento.
Pernambuco, 30 de julho de 1873.
Oengsnheiro
_______________Chryssolito F. de Castro Chaves
Pela thesouraria provincial se faz publico
que foi transferida para o dia 7 de agosto prxi-
mo vindouro a arrematarlo do sitio dos Reme-
dios, servinlo de base arrematago o preco
de 3:7504000, porquanto foi adjudicado fazen-
da provincial.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
nambuco, 29 de julho de 1873.
O ofilcial-maior,
_____________________M. Alfonso Ferreira.
Santa casa da misericordia
do Recife.
Pela secretaria da santa casa da misericordia do
Recife sao convidados os prenles das educandas
do collegio das orphas em seguida declaradas, as
quaes ja completaran) a sua educagao, para que
requeiram ao lxm. presidente da provincia a sua
entrega, em vista do que resolveu a junta admi-
nistrativa, de conformidade com o que dison o |
8* art. 48 do respectivo regulamento.
Candida das Chagas Coelho e Dionizia das Cha-
gas Coelho, filiias de Vital das Chagas Coelho.
Maria Emilia.
Ignacia Ribeiro, Riba de Leandro Jos Ribeiro.
Mara Magdalena de Mello, fillia de Jos Tava-
res d Mello.
Valeriana dos Santos, filia de Vicente Ferreira
dos Santos.
Eudocia.
Pelippa.
Thereza dos Santos Torres, tilha de Jos dos San-
tos Tor e.
Sophia Maria da Conceirao, exposta.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 27 de unho de .1873.
O escrivao .
Pedro flmlritjues de Souza.
PeMoal k* 10 figuras!
. 4W-+,jMui-os r<|iii>.siiii<>s!
ItvilliiiiiLMs iieerworios !
Mceifarjo mngnifico !
Expsi(L ral.
PUOLOGO.
Urna viagem em balo.
Prnja-pnblita dfe una oidade qoilqner, cnJ
M, eojilieoidas as. machinas ac-reostitieasi
Epi.ca. a meiwa em ijue vivemos.
lima reua popular. Tres pomadistas de mao
cheia. Discursos eloqnentissimos em todas as lint
guas moras e-vtvas. Modos de arranjar a vida.
*tera(rfu 1." acto.
O Ullllolo S 111 5-SS1IH.
Na iilia das Amazonas. A sala do conselho no
palacio da Rainha Crinoline l>
Ah iiiuUiert s liomouK
Sorprezas e oais sorprezas Milicias de nova
especie. Urna seductora e um sediuido. A rai-
nha galanteador. O eonsemo de estado. Justi-
ca exemplar. Urna granadeira as dtreitas.
Uorulidade.Kao fagas aos oulros o que para
ti nao queres.
2." Bfe
A einaiie|at(> lo bella evo.
Urna galera e jardim no harem da rainha Cri-
noline.
O liouiens iiiulhcrcs.
Cousas do arco da vr-lha A correspondencia
.'ecreta. O favorito da rainha mal. Os prepara-
tivos de no i vado. O-lenco anacrentico. Projec-
tos de conspihteao O noivo interdicto. Avante,
meu povo Salve-so quera poder I Preso para
favorito. Bernarda masculina. Bases da nova
constituieao. faz e concordia. Casa ludo alinal I
Moralidade. Qnem o alheio teste na praca o
despe !
Epilogo.
Grande folia e cam-an linarilluminado
. .Flammas rambiantes
Quinta-feira 7 de agosto.
Oraule e variada csipcctaculo
concert cus beneficio la
javrn Bt4i-n;eanlenwe
FRCS EUOOC A Di C. BELEM.
I'IUM.IC 11111 V :
l.1 parte.
Depois que a orchestra tiver tocado una de suas
escolalas onverturas subir scena a uito ap-
plaudida comedia em 3 aotos -
AOVILLA EM iddlO
mm: tm cmab paises bo-
tmu:
2,' parte.
Continuar o espectculo com a pliantasia a
piano pela joven beneficiada, extrahida da opera
Nabucodoaosor.
Em seguida o maestro Francolino, que obse-
quiosamente se presta, far ouvir em sua so-
nara raboca urna das sum melhores phantaslas
3.a parlo.
Segnir-se-ha pelo actor Penante a nova scena
cmica de sue composicJo
a<
Vai sahir com brevidatl
Despique II, recebe sarga e puslageiros : a tra
lar com o c.inMguatarur Tnoavio J
do Viga rio n. 17
i bjrra portuguesa
ros : a tra-
Soares, roa
As pragas.
4." parte.
A jo ven-beneficiada locar a aria exlrahia da
opera
BeHsario.
Tjsrnjiando esta parte de eoneerlo, o Sr. Anto-
nio Marlins, em obzequio beneliciada, executar
urna de suas melhnres phantasias cirmela.
Terminar o espectculo cora a comedia era um
acto :
'NAVEGADO IWA8ILEIRA.
Parios do sttl.
Dos portos do norte espirado ate odia 9 do fu-
rente o vapor Cruzeiro do Sul, o qual depoi- da
demora doc stume,segnir. pantos port<>> cima.
Para caraa, encoramendas, valores e passagei-
ros, dirijam-sc au escriptorio da agencia, rna do
Vigario n. 7.
Pefera ViannaiC.
______________ Agentes.
Principiar s 8 1|S horas.
Este espectculo contieno tem por (ira benefi-
ciar um genio que se desenvolve e qnem o povo
pernambucano jamis deve abandonar desde que
est acostumado a prodigalisar aos artistas a sua
proteccao.
por
133080
63540
130*0
65540
65540
65540
65540
6554o
195620
(; 40
SAMA CASA DA MlShlCORDlA DO
RECIPE.
A Hlma. junta administrativa da santa casa da
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessoes, no dia 7 de agosto, pelas
3 horas da tarde, tem de ser arrematadas a quem
mais vantagens oflerecer, pelo tempo de um a
tr s anuos, as rendas dos predios em seguida
declarados.
ESTARELECIV-EXTOS DE CARIDADE
Ra larga do Rosario.
Becco do AL'i''.;.
Ssbrado de 4 andares n. 1 4805000
Ra dos Pescadores
Casa terrea n. 11 B 2125000
Terceiro andar n. 24......250*000
Ra das Calcadas.
Casa terrea n. 36 .' 220500o
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
Ra de Gervasio Pires.
Casa terrea n. 2 ...... r.63000
ma das Ciuco Pontas.
Casa terrea n. 91.......30D3000
Ra da Semala-veiha.
Casa terrea n. 16...... SOOiC.Oft
Becco das Boias.
Sobrado n. 18......4215000
Ra da-Cruz. -
Sobrado n. 14.......1:0003000
Ra de S. Jorge (Pilar).
Casa terrea n. 103...... 20650t'H>
Os pretendentes devero apresen'ar no acto da
arrematacao as suas llancas, ou comparecerein
wwpanhados dos respectivos fiadores, devendo
pagar alera da renda, o premio da quantia em
-pie for seguro o predio que contiver estabeleci-
mento commercial, assim como o servido da lim-
peza e pre?os dos apparelhos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Re-
cife, 21 de jmnho de 1873.
O escrivao
Pedro Rodrigues de Souza.
Ib<-itrl!iic'tl< la peca.
Persenagens do prologo.
Rodolpbo, rapaz para quera o
mundo grande Sr. Vicente.
Rernard, idem dem Sr. P. Augusto.
Jacob, dem idem Sr. Julio.
Lourcm/o, pai da patria em
miniatura Sr. Florindo.
Juliio, idem idem Sr. Silva.
Povo de todas_as classes, idades o quididades.
Personagens dos dous actos.
Crinoline l.1-rainha das Ama-
zonas D Olvmpia V.
Herminda, ministra do Interior
e presidenta do conselho D. O. Augusta.
Tulipina, majora das uiurdas e
ministra da goerra Jeanna.
Argentina, ministra da fazemlu ). Emilia.
-evera, ministra da Justina 1). Bernardina.
Anazia, capitana das guardas D. Josephina.
Mercurina, pagem da rainha 1). Cecilia.
Ministras, offlcialas e soldadas.
Rodolpho, viajante aere-; Sr. Vicente.
Bernardo, idem idem Sr. P. Augusto.
Philonn no, joven seducido S. Cmara.
Mimoso, antigo favorito c, cl.efe
do harem Sr. Pinto.
Borbolela, cozinleiro Sr. Julio.
Favonio, odalisco Sr. Philadelpho.
Adonis, idem Sr. Menezcs.
Narciso, idem Sr. Emiliano.
Donzellas e odaliscos do harem.
A peca foi eosaiada e posla em scena pelo ac-
tor Julio Xavier.
O scenario do ultimo acto que representa o
harem da rainha f<-i executado a capricho pelo
scenugraplio 1. hapelin.
Os-vi'.-tiinrios e aderemos sao todos nevos e pre-
parados sob a direceo do actor Pinto.
Os aceessorios sao tambera novos o apropria-
dos.
Finalmente a direceo esmerase para aprasetv
lar dignamente esta' osea, que tem feito longa
carreira nos theatros onde tem sido representada.
VISOS" MARTIMA
COMPANHIA PEUNAMBL'CAiNA
DE
\Hve;nnlo cos eir a vapor.
MAMANGUAPE.
O vapor Coruripe, com-
mandante Silva, seguir para
o porto cima no dia 12 de
corrente, s 5 horas da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passagens, e dinheiro a
frete at as 2 horas da tarde do dia da sabida :
escriptorio no Forte do Mattos n. 12.
hv\k Sfeatn ^iviIii kf. m
Julia quia/.eisn!
O PAQUETE
. T%itt
espiira se dos portos do -ul at o dia 15 do cor-
rente mes, e depois da demora lo costura*, se-
guir para Liverpool, vn Lisboa, para cujoa
portos receber passageiro: e can a.
Os agentes Wilson Rowe A C, ra do Commer-
cio n. 14.
I.l*il| A barca Venceom, eapiflo Oliveira. segu via-
gem por todo o mes de ago.-to.
Recebe carga e passageiros : a tratir com o
coasignatario Tito Livio Stares, ra do Vicario
n. 17.
CO.MPANHIA PEUNAMBLCAiNA
DE
^Hveiieilo cosleiiii a vapor.
PARAUYBA, NATAL, MACO, MOSSOKO', AKACx
TY, CKARA, MANDAIIt;' E ACARACU'.
~V_ Hx O vapor Piropama
commandante Felippe,
seguir para os por-
tos cima no dia 11
do correnlc, s 5 ho
ras da tarde.
Recebe carga at o dia 12 do corrente, encora-
mendas, at odia 13, pas ;agense dinheiro a frete
ate as 2 horas da tarde do dia da sabida : escrip-
torio uo Forte do Mattos a. 12.
HIIIA
DAS
MESSACERIES WARITIMES.
At o dia 8 do corrente m-z e-pera-se da Eu-
ropa o vapojr francez Erymunllie, o qual depois da
demora do costme seguir para Buenos-Ayres,
tocando na Babia, Rio de Janeiro e Montevideo.
Para condic/ios, fretes e pas-agens, trata-se na
agencia, ra do Comraereio n. 9.
rn
rn
amm mmrn
RSPTOC& k PK^iVNTE
Quarta-eira 6 de agosto
Carandc e oxlavii^lsiiario
SISC5CSSO t
Depois que a orchestra tiver executado urna de
*uas inelhoressym|ihonias, sutr scena o gran-
de e apparaloso drama em 1 nrolwgo o 1 actos :
Seccio do contencioso provincial de Pernambuco, 21 de julho de 1873.
O Io ofllcial,
Horacio Walfrido Peregrino da Silva.
( Continuar-se-ha).
De ordena dr) Illm. Sr. inspector da thesoa- larios devero despacha-las no prazo de 30 dias.
rar i de faeenda dosta provincia, se faz publico,
t]\it no dia 6 de agosto prximo futuro polas 2
horas da tarde, parante a junta da mesma the-
Jiiraria, ser posto em.hasta pablica, para ser
.arr-s-natado por quem mais dar, em virtude da
avlip do ministerio dos negocios da fazenda de 21
nho ultimo, o barracao quo servio do quarr
s.U coinaanoia de ,cavallara, sito em Santo Ama-
i.' das Salinas.
Secretaria da the.-oiiraria de fazenda de Per-
nambuco, 31 de julho de 1873.
O secretario da junta,
J> suuiq Rodrigues Cardoso.
aUAaJ u. 3&.
Pila wwaoanria da alfandega da Pernambuco
*e* fu nubUy, 4Ut. -achando-se & mercaduras
Hilada* o*i vuloqies atoiito mencionados no ca-
a* (W uem rematada para cosmBo, uo, Jor- Pela inspectoria da al/anda se tn puliUc que
ros do cap. 6. do tu. 3. do regulamonto tolj as il horas da mamSa 4aa 6 do corrente.i por-
ids siitembro de 1860, os seus dones ou consigna-
6eb pena de, lindo elle, serom" vendidas por sua
conta, sem que Ihes fique competindo allegar con-
tra os effeitos desta venda :
Trapiche Cunha.
Marca PET sem numero 173 pipas vindas do
Celte no navio frincez Granville, descarregadas em
20 dejaniiro passado, consignadas a Fernandes
da Costa C.
dem idem sem numero. -348 haris de 5." idem
idem idem.
dem idem numero 260. 69 barris de 10. idem
idem idem.
' Alfandga de Pernambuco, 1 de agosto de 1873.
O inspector,
Fabio A. de Carvalho Reis.
Edita! n. H
- -orrenie, apor-
ta desta reparttsao, e ha de arrematarTtivre de
Correio geral
Helando dos objectos registrados existentes
na administrabas dos cerreios desta pro-
vincia, para as pessoas abaixo decla-
radas :
Aureliano Augusto de Oliveira, A. Carroll, An
Ionio Joaquim do Nascimento, Dr. Antonio Ciernen-
tino Accioli Lins, Antonio do Reg Pacheco Jnior,
Antonio Carneiro -de Lacerda, Benjamiin Franklin
da Silva, Cecilio Gomes N. C. Luciere, Eullialia
Augusta F. de Oliveira, Francisco da Gama, I. Jos
Godiuho, Joao Francis de Arruda Kalco, Joo
Alvares de M. V. Castello Branco,- Januaro Cons-
tancio JVIonteiro de Andrad, J aquim \ntonio
Pires", padre Joaquim Pereira Freir, Joaquim
Marques Soare,3, Jos Martiniano da Silva, Jos
Jeronymo de Albuquerque Maranhao, M->noel F-
lix Antunes, Manoel Francisco de Mattos, Manoel
Severino de Barros Falcao, Manoel Francisco,
Pedro Goncalves Cascao, Thomaz Carneiro da Cu-
nha, Vicencia Ferreira da Cunha, Machado
Pereira Vianna.
Adrainistrato do correio de Pernambuco, Io e
agosto de 1873.
Jos Candido 40 Barros
Encarregado do registro.
Eniprcza portuciise le navesa-
eao a vapor
O VAPOR DE 1.' CLASSE ( llOJ .NU hlous;
JULIO DINIZ '
Coiumaiilaitt 1. 1. Rodrigues
i 'ntente
E* esperado at 15 do Crrenle; depois da indis-
pcnsavel demera oeste porto, seguir para os da
Bahia e Rio de Janeuo.
Para passageiros, carga, encommendas e valo-
res, trata-se com os
AGENTES
I. R. Rnkeilo A C.
18=-Ra do Commercio=48
X. B. Os vapores desta empresa sahirao do Por-
to com a possivul regularidade una ves por mea.
Construidos as memores condicoes, com ex-
ccllentes cmaras bem ventiladas c.-nfortavel-
mente adornadas, com proporedes e forja para te-
rem boa marcha, offerecem aos passageiros todas
as commodidades, tanto em alojamento como em
tratamento.
Toda a tripolajao portugueza. e em casos de
.doenea ou em qua'quer circumstancia, ser sera
pre solicita era atlender os passageiros cora todo
o disvelo
Um facultativo competente, pago pela empreza,
tratar os passageiros, sem que por isso tenham a
pagar despesa alguina, alera do preco da passa-
gem.
A comida ser abundante e variada, feita por
cozinheiros portuguezes, servindo-se vinho de me-
sa, cscolhido no Douro, aos passageiros de todas
as classes.
*
Rio-Grande do Sul.
Recebe carga a freto mdico o patacho brasilei-
ro Hemfica : a tratar cora llalhar Oliveira ds C
Rio de J aneiro
O brlgue nacional S. P-.m/o sahir com brevida-
de para o porto aiinia por l v alguma carga en-
gajada ; e para o resta/ule trata-se com Pereira
Vianna A C, ra do Vgar o n. 7.
mm
o
a:
EMPREZA
Esitewijyi mam r
Magnificas represRta^58
Personagcns :!<> prologo
0 general lloquebert Taurino.
0 cabo Smao navio.
Taveruy, comnussa/io Thomaz.
Picaril, cae idor a cavallo Correa.
Pigoche, recruia Lyra.
Um ajudante de'campn Paiva.
Um ofllcial de rdenancas Silva.
Lm soldado Souza.
lima de Rantzberg D Filoni la.
Catharjna, vivandeira D. Joaquina.
ImmeHna, tilha de Mina N. N.
Granadeiros franceses nfllciacs o soldados aus-
%-iacos, criados do general, etc. etc.
Persoimgens da peca
Cubo Simio Klavio.
Taverny Timmas.
Luciano Bej-nardino.
, Bicard Correa.
IVdro Frochard Braga.
Patichod, cai)iunez Mximo.
(ermond, tabellio l'aiva.
A Sra. Taverny D. Filonilla.
Genoveva D Filomena.
Mricota, canqiyneza D, Joaquina.
' Esti'vao, ciiado Vicente.
Camponezes, soldaoVe, criadas, etc. etc.
A aeco pa-sa-se :
O prologo em Clin, em 1868, e os 1 actos iem
Franca, em 1616.
Esle drama vai ^ririiosamcnternoirtado, tendo
pra isso a empresa mandado praparai'-o fasda-
mento todo a rigo^ e de acconlo com o fipurino.
O* bilhetes podem desde ja- ser iirecnraobs. noj
bilUeleiro.
Principiar as 8, l() horaK
OUPA\HLl
AVE Portos lo norte.
Ate o dia 8 esperado dos portos do sul o va-
por Bahi'i, e seguir para os portos cima depois
da demora do coslume.
Para carga, encoramendas, valores passageiros,
ema|f nformaodes, dirijam-se ra do Vigario
n. 7, escritorio.
Pereira Vianna 4 C.
Agente?.
Pacific Slcain ^aviga:ii Gompan]
Liuha qiiiiizciial
O PAQUETE
Luziiauia
espera-se da Europa at o dia 17 do corrente,
e depois da demora do costme seguir para o sul
do imperio, Rio da Piala e cosa do Pacifico, para
onde recebor passageiros, eucomraeujas o dinhei-
ro a fret.
Os agentes Wilson Rowe & C, ra do Commer-
cio n. 11.
Grande e variado leili
bous movis, unos crysbos, loura no porru-
Irna e objectos de cle< Iro-plate e um car-
ro francez, tmlo em opiitr.o estado.
A SABER:
Um piano forte, 1 estante para msicas. 1 tno-
bilia de Jacaranda, sofs e c ideiras estufadas, ca-
deiras de ferro, 12 cadeiras de palinha, l.cheso-
ttier com espellio e pedra, 1 mesas de jogo, 1 dita
oval, 6 castices de metal, lijos quadros com tina?
Bravuras, cortinado*, jarfos para flore5, figuras,
lampeoes a gaz, 1 tiotein), I raixa 3e nuisica, ta-
peto, e esleirs forro das salas.
Urna cama Be (erro, col oes e travesseiros, 1 ca-
cama de mogno para menino, 1 toil-tte, 1 lavato-
rio para duas pessoas, guarnico para onanK),
i pnrUis-toalhas, Cubidcs, 3 nioMi.nis, I iMa re-
donda, 1 gnarda-vesiidos d m espelbo, I guarda-
rraipa gi^: Se, i quadros, 3 camas de ferro para
taemos, 1 lavatorio eartraiio para menino, i
commodas grandes, I tostador; i cadeiras para
menino, 1 eaxrinbo par erianea, l relogio de jw-
rede.
Tres bancos para lerraje I .-|iiiienida. 1 ma-
china para engommar, t dita para limpar facas, i
caixa para glo.
Urna mesa e'astica, 1 guvda louca. 2 aparado-
res, sendo 1 com espelbo. I quaitlid '. 18
deiras, 1 guarda^comida, quadios, baud-jas, tVo>-
bertas de electro pate, 1 g:ill> i n >. ;
para janlar e para cha, 1 a| pai Ih i \ i .i
garrafas, copo?, clices, frueteiras c r.;;;u-:J!::;
lo lino crystal, 2 candiciros a gaz, f.ic;:s o
res.
l'ra jogo de bacatelia, Iraarquraa, 9-*nroli,
cadeiras de bracos, 2 ditas de balaie;o. larai *i ,
mesa redonda, 12 cadeiras c 1 lanterna raa$i i.
Mesas para engommar e para Cozinba, ir,: de
coslrraa, Ftandres, potes e m litoa utros acen>su*
ros de casa de familia.
QUAftTA-Fi:illA i DO GOftKEXTE.
Na fiovoa;ao de Apiputos.
P. F. Needham, teodo se letirado para a Euro-
di com sua familia, far leil.io por inlevcihm > d .
agente Pinto, dos movis e njiu objectos nerleii-
eentes e existentes na casa un que residi na ; i
voaco de Apijtucos.
Os referidos objectos tornam-se recoraratuda
veis por strera de gosto e eslarera bem conserva-
dos por terem tido pouco uso
As 10 li .'horas da man ha partir da estar"..'
do arco deSaplo Antonio um tiem Dxpresso que
servir de eonduccao gratis ao> concurrentes.
O leilAo priueipiara s fil lioruN.
LEIMO
Fura Lisboa
pretende soguir com pouca demora a escuna por-
tugueza Christina, ta-l'cmsce, capitao Loureiroj
ppr ter a maior parte de sen carrtgamenlo enga-
jado; e para o rosto qi. Me falta trata-se com os
co nsignatnos Joaquim Jos Goncalves Beltro &,
Ffio, fu do ''.oirtiiiercjo n 5.
i_______,-
PEKA.TIL
Para o racajii
segu por teda a prxima semana a barc portu-
cuent Lvsitenia, capito Gayo Jnior, recebe
carga a frete, para o que se trata com E. R. La-
'g-ello & C, ra do Commercio a. 18."
DE
tres predio situados na ra da Ca-a i n-
(freguezia do Poco).
A SABER:
O sobrado n 13 A, do qual existe urna padnria.
L'm dito n. lo ll, aluda nao repat
L'ma casa terrea n. 15.
($uttrin Iftra fi do cofent*'
O agente Martlns far leilao por autorisacao do
Beato Jos Domingues, des predios cima, os
quaes se achara muito bem ocalisados para ipial-
quer negocio.
No armazem da ra do In perador n. 48, as l
horas do dia cima.
Leilao
ii;
chitas, maria
azul,
toqutjr
ditos'
avaciado, algoila
idospaai I

BA G tC s ll j horas da' manha.
Por inlervei)(;io do agento Piuho Borgo.
.

1 ii


Diario de Pemambuco Terca feira 5 de Agosto 4e 1873.
Em seu eserhitoQo,
primeiro andar.
ra do Bom Jess n. 53,
LEILO
DE
urna cxcel!eite.easa terrea e solea, siti travos-
sa di Bomba u. 8, leodu as commodidades
euintes: mU, 2 quartos, cwtinlia fura e
iiuinial cora la cacimba, na solea 2 salas e 2
quartos (em cha* frreiro).
QUAUTA-FhTRA (i DO CORRENTE
As,it 1|2 da mnnha
Por intervea^a do agente Pinho
Borges
Em mu escriptorio, ra do Bom Jess n. 83,
primeiro anlar.
Os preteu lentes poderao desde j examinar a
dita easa.
?
urna casa de pedra e cal bem construida,
tendo 2 salas, 2 quartos, cozinha fura,
em terreno proprio e ficando rom propor-
t;a para edificar, situada na ra da Pr.aia
de S. Francisco, em Olinda, n. .., perto
da estacao dos trilhos urbanos, e com o
sauduvel banbo do mar em frente da
mesma casa, a qual est desembarazada
!o qualquer onus.
ttexta feirtt 8 1 corren te
s 11 horas.
O agente Pinbo Bargas vender em leilo a casa
cima declarada, pr conta e risco de quem per-
lencer ; no seu escriplorio, ra do B&m Jess
n. 53, andar, Io onde tambem dar-se-ha qualquer
informa cao.
LEILAO
DE
dividas
NA IMPORTANCIA DE 2;92i7>500
Sexta-feira 8 da correaste
A' 11 1| hora*.
O agente Pinto levar uovamente a leilao, por
mandado do Illni. Sr. Dr. juiz especial do cominer
ci, das dividas activas da massa fallida de Juao
Antonio Ferreira, na importancia de 2.S-2U500;
os pretendentes poderao desde j examinar os t-
tulos e documentos pertcncente* s inesmas divi-
das. Oleilo tera lugar s 11 t|2 huras da dia
cima dito, no escriptorio do referido agente,
ra do Bom Je^us n. 43.
Ao publico.
Pa-tv' : < diaria Gonealvcs, cnsul portu^
de. ...--.: uea'arregado que fui do consolad*
Je Poiuigal em Pernambuco nos ltimos treieme-
zes, participa aos seus amigos, tanto nacionaes
como portuguezes, que tem o seu escriplorio na
ra Primeiro de Mareo n. 23, audar, antiga rna
das Crii7.es, onde pode ser procurado lodos os
das nao santificados, ilas'. horas iJa manhi s 4
la la rite._______________________________
{MliniTlA.
AOS 5:000^.00.
BILHETES GARANTIDOS.
i" ra Primeiro de Marco (outr'ora ra
Crespo) n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido nos seus fe
llzes bilhetes, um quarto n IP3S com 5:0004000.
un inteiro n. 2188 com KiOOQ", um inteiro n.
it com 300*000 e otitras sortee de iO* e 20*
da lotera que se acabou de extrahir (60), con-
vida aos possuidores a vir?m receber na confir-
mdade do coslnme sem descont algum.
Acham-se venda os felizes biihetee garantido-
la 21* parte das loteras a beneficio da nova gro-
ja do Nossa Senhora da Penha (6:*), que se extra-
hir na quarta-feira, 6 de agosto.
PRECOS
Bilhete Inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
EM POR^AO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
Manuel Martins Fiuza
LEILAO
DE
40 accoes da companhia de Santa Thereza e 10
ditas da companhia dos trilhos urbanos de Olin-
da e BeberiDe.
Sexta-fcira 8 do corrente.
AS 11 HOKAS DA MANH
Por inteivcncao do agente inlo
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 43.
Leilao
DE
fazendas avadadas
SEXTA-FEIRA 8 DE AGOSTO
s 11 li- hora em ponto.
Por interven<;ao e no escriptorio do agente Pin-
V), ra do Bom Jess n. 43.________
di:
2,000 chapeos do Chile
SEXTA-FEIRA 8 DK AGOSTO.
l\-2 horas.
agente Pinto, ra do Bom
s 10
Por intervencao do
Jess n. 43.'
Sociedade Beneficente Luzo-
Brasileira
Por ordem de nosso irnio presidente convido
a nova directora, conselho fiscal, commisso de
exame e contas e a todos os ni ai.* socios em geral
a comparecerem a sesso de assembla geral
que ter lugar s 10 horas da manh de domin-
go 3 do mez prximo vindouco. sendo essa sessao
para a posse dos novo "eleitos, assim como
para se proceder a leitura do parecer da com-
misso de exame e contas no balanrete annual do
tliesoureiro. Tornase preciso o comparecmento
de manir numero de socios, tendo a actual direc-
tora arrendado nova casa pa
ciedade-c sendo preciso fazer-?e algumas obras, se-
r nesta sesso presente o ornamento das despe-
zas para que a as-emhla geral faculte a serem
feitas Os candidatos j approvadis poderlo com-
parceer para se ininarem.
Secretaria da Socied..de Beneficente Luso-Bra
sileira, 29 de jtilho de 1873.
O secretario,
Bento de Souza Mira.
-------------------------------;______________
Joaquim da Silva Costa pede a seus devedo-
res que quanto antes venham saldar seus dbitos,
com o que evitaran desgostos futuros.
Monte-Pio Portuguez.
N.lo se tendo reunido na nnute de 31 de julho
ultimo, numero siifficiente de membros do selho fiscal, para que podesse ter lugar a sesso
para es-e dia marcada, delibcmu o Sr. presidente
que fossem novameute convidados os Srs. eonse
Iheiros para se reunirem quarta-feira prxima 6
do corrente mez no lugar e hora do costume,
para o fim da anterior convocaco.
Secretaria do conselho fiscal do Monte-Pio Por-
tuguez, em 2 do agosto de 1873.
Jos da Silva Rodrigues,
!. secretario.
r i hotel n
Restaurant de Bordeaux
Ra Primeiro de Mareo n. 7 *, 1. andar.
Larnste perito eozinheiro francez, tendo tide a fclicidado de agradar ao respeitave
publico desta bella espita (a v~ta ,| concurrencia que tem seu hotel) acaba de apromp
tar no 2.1 andar, quartos mobiliaidos com gosto 6 a proco milito raznavol.
Recebem-se nseifiatura.
GELO TODOS^OS IU\S.
Aberto desde s horas d'amauli, ate s 10 da noutu.
GRANDE ~
HOTEL DA INDEPENDENCIA
AOTIGO BSTAMINET
Zi Rna ib lni|itrailiir 32
Almo^os
Lunch
Jantares
Ceias e bebidas de todas as qualidades a qualquer hora.
Limpeza eservi'50 poutual e apurado com o qual ninguem pode competir.
Tem magnficos aposentos para alugar e
BONS !1LI1\1\Y,S
O proprietario dispensa-se de elogiar o hbil e raro cozinheiro francez. a res-
peito do qual podem ser consultados os verdadeiros gastrnomos que j apreciaran) ,
AO ARMAZEM
DO
YAP0R FRANCEZ
HITA DO BAHAO DA VICTORIA
8. 7Outr'ora NovaN. 7
I)
sua arte.

&
0 BACHAREL
Jlo (iplves da Silva
Advocado na corte, s\ ra
de S. Pedro n. 19.
Pe encarrega de negocios forenses e
administrativos.
9
9
mm
DE
todos os movis, tocos e mais utencilios
DO
hotel da Jaqueira
Sendo:
Movis.
Um bilhar, 2 bagatellas, 1 guarda-loma, 1 eos-
morama, 1 mesa elstica, 1 guarda-roupa, mesas
para jogos, relogios americanos, cadeiras de ama-
relio, ditas de pinho, aparadores, bancas cora
tampo de pedra, raarquezas de amarello, figuras
de porcellana, quadros, espelhos, jarros, cabides,
camas de ferro, ditas de lona, quartinheiras, lava
torios, mesas de pinho, louca para al moco, dita
para janlar, compoteiras, bolas de vidro, candiei-
ros, copos, clices para vinho, ditos para champag-
ne, bandejas, sorveteiras, I machina para hmpar fa-
cas, 1 bomba americana, bancos, trein de cozinha,
e mais artigos existentes no mesmo hotel.
Gneros.
Duzias de garrafas de cerveja Noruega, ditas
nacional, ditas de champagne ditas de vinho
Cherry, caixas de vinho Buideaux,genebra, licores,
bitter, peixes em latas, conservas e diversos g-
neros que estaiao patentes:
Terca-feira 12 do corrente
Por inlervengao do agente Pin' o Borges no
mesmo hotel, o nual principiar logo que chegue
o trem que ha de condurir (gratis), os concur-
rentes do leilao, partindo da estacao do arco de
Santo Antonio s ll Loras em ponto.
VISthDVrKSOS
O abaixo assignado previne aos senhores a
qupm forera apresentadas urnas letras remettidas
do centro da provincia da Parahyba em seu favor,
que nanas pague a ontra pessoa, visto como fo-
rana esta roubadas ou perdidas cora as cartas,
hontem 31 de julho. Diz o portador que veio de
Iguarass.
______________Lniz Jos Pinto de Coste.
Ao cominera.
Jo5o Jos de Camino Morae, tem transferido
seu escriptorio para a ra do Vigario, pavimento
terreo n. 16.
Offerece-se urna ama para engommar : a ra
das Crines n. 5._________
Aluga-se a lija n. 74 da ra de S. Jorge,
antiga Pilar, com 3 quartos, 2 salas, cozinha lora,
quintal murado, fresca e pintada de novo : a tra-
tar no segundo andar.________________
Am eanprezarfos do theatro
Qyamaslo Dramtico e ao povo
pernambuea no.
Manoel Francisco de Sonza, tendo obtido da
emareza do Gymnasio Dramtico urna recita para
sea beneficio que ter lugar no dia 11 do corre-
le, Tena pela imprensa agradecer dita empreza,
a caridade altamente corista com que se presta-
ran! a conceder-lhe esta recita, e implorar do
respeitavel e caridoso publico pernarabucaao, a
quem recorre com a dolorosa anciedade de quem
se T mais prestes a suecumbir victima da mize-
ria, do que mesmo da terrivel molestia que ba 2
anuos o tem prastrado no leito de atrozes soffri-
mentos.
O encarregado da passagem dos bilhetes o
Sr. Zebedeu bilheteiro do mesmo theatro, e mais
alyamai peaioaa que por caridade se prestam
ATTENCAO
- ... A* ~ ____
COMPANHIA
SANTA THEREZA
As pessoas que desejarem cantusar agua ou
gaz em suas casas, na cldade de Olinda, queiram
entender-sc com o abaixo asignado, que acha-se
autorisado para facilitar a lodos a acquisicao de
toes melhoramentos, mandando fazer as canalisa-
?5es nos predios a costa da companhia, mediante
um aluguel mensa muito mdico : a tratar na ra
do Imperador n. 45, ou na fabrica do gaz, em
Olinda.
Recife, 1* de agosto de 1873.
O gerente
Justino J. de S. Campos.
******* 000'0
1 AttenQo |
l3c Antonio da Silveira Luiz, estabelecido &
tS que foi 2i annose 3 mezes com casa de A
K molhados, taverna, na cidade de Olinda, J
pateo de S. Pedro, faz sciente ao publico
gt em geral, e em particular aos seus ere- M
dores, devedore? e freguezes, que mudou 25
sua residencia e estabelecimento para a %k
0 ra do Aljub (outr'ora Cxo) n. 69, na X*
mesma cidade ; onde pode ser procurado '
por todos; esperando de seus freguezes jQ
A sua frequencia, certos de que sero tra- /X
^ tados com promptido e zello, achando S
JR sempre gneros e presos destes a seu con- V
0 tent, como sempre foi e contina a ser Mf
J seu costume.
*
Os mais resumidos do mundo.
PRESOS
Agencia Blandy Tolegramma na ilha da Mein.
E' provavel que a secgo entre Portugal e a ilha da Madeira, do Telegrapho Elc-
trico Submarino Brasileiro, esteja- pronpto para funecionar no mez d'agosto do corrente
anno, e a supra mencionada agencia na referida ilha, offerece-se para transmittir ao seu
destino quaesquer telegrammas que lhe fnrem romettidos em enveloppe fechado, sobres-
criptado Agencia Blandy Telogramrna, Madeira.
A linha telegraphica estabelecida na ilha da Madeira, pode transmittir telegrammas
para todas as estacos telegraphicas na Europa, Asia, frica, America e Australia, custan-
do cada telegramma de vinte palavras 33300, em moeda forte, alm das taxas da estaco
de Lisboa.
As prssoas no continente da America do al, que quizerem utilisar-se da agen-
cia Blandy para a transmisso de telegrammas, devero faze-los acompanhar de letras ou
cartas de crdito sobre Portugal ou Inglaterra, para o pagamento do custo dos telegram-
mas e das despezas da agencia.
Madeira, 15 de julho de 1873.
Carlos R. Blandy.
Os presos para a transmisso de telegrammas da ilha da Madeira, suppoe-se serem os
seguintes :
Para Portugal 3*
Gibraltar
Hespnnha 0. 16. 0 a
a Malta 1. I. 3 a
Franca 0. 17. 3 a
Inglaterra ai. 1. 3 a
Allemanha, Hollanda, Dinamarca,
Russia, Noru< ga, Suecia, Blgica,
Austria, Italia, Grecia, Turqua, etc 1. 5. 0 a 1. 15. 0
Egypto, Portos do Mar Vermelho,
Turqua e Russia asitica, etc. 1. 10. 0 a
America do Norte, Antilhas, etc. 3. 15. 0 a
India, Penang, Singapoore, etc. 4. 10. 0 a
Java, China, japn, etc. 6. 10. 0 a
Australia 10. 0. 0 a
Para mais :iiforma(,oes, quem quizer dirija-se aos agentes em Pernambuco.
Wilson Rotee A C.
Ra do Commercion. 14.





o.
0.
0.
1.
1.
1.
13. 8
16. 0
18. 0
3. 3
5. 3
1. 8
3.
5.
5.
7.
10.
15. 0
5. 0
10. O
15. 0
10. 0
Pesos e medidas
DO
Pesos de ferro e lato.
Medidas para seceos e molhados,
naga.
de ferro, cobro e lato, de estanho e tuta-
Vendem-se em casa de
SHAW HAWKES & C.
Ra do Bom Jess n. i.
Olinda.
Aluga se urna casa na ra de Mathias Ferrei-
ra, com quintal e cacimba : a tratar ra
Amorim n. 37.
do Consultorio medico cirurgico
i'-
ATTENCAO. i
ou captiva para
de urna familia
Precisa-sa de urna ama forra
comprar e cozinhar para casa
composto de duas pessoas, paga .ge bem k agra-
dar : a tratar no pateo do Hwpital n., 1 e S"
.andaras,
***X:*****-***I
Roubo
Tendo-se mandado para a estaeao das Cinco
Pon'as um ganhador com um bah, contendo fitas
e algumas aellas com imagens pintadas, estando o
dito bah com urna esleir do Aracaty e um mxo
de amarello com palha, amarrado com urna corda
de croa : pede-se a todas as autoridades compe-
tentes a apprehensao do mesmo, ou qualquer pes-
soa que vir ou souber, roga-se o lavor de o ap-
prehender e trazer ra do Rangel n. 33, que ser
gratificado.____________________
Deseja-se fallar com o Sr Ceciliao Augusto
de (unnio Lobo, a ra Duque de Caxias numero
41 A.
CASA DO OURO
Aos .>:000?00
Bilhetes garantidos
Ra do Bardo da Victoria (outr'ora Nova)
n. 63, e casa do costume.
Acharase a venda os muito felites bilhetes ga-
rantidos da JI' parte da lotera a beneficio da igreja
da Penha, que se extrahir no dia 6 do mez de
agosto,
Proco
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 100900)0 paradina.
Inteiro 5*500
Meio 2*760
Quarto 1*375
Recife, 30 de julho de 1873.
Jo&o Joaquim da Costa Isite.
0 abaixo assignado participa ao eorpo do com- \
mercio em geral que nesta data comprou a
taverna sita ra do Pilar n. f-8, ao Sr. Antonio
M; ria dos Santos Capellciro, hvre e desembara-
zada de qualquer debito; porm, se alguera se
julgar credor queira se apresentar no prazo
de tres das desta data em diante.
Recife 31 de julho de 1873.
Manoel Jos Damazio.
% Consiillorio medico
O DO
fi Dr. Ilmillo.
RA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Reccm-chegado da Eurepa, onde fre- S
quentou os hosptaes de Paris e Londres Q
pode ser procurado a qualquer hora do Q
da ou da noute para objecto de sua pro- Q
fissao. r,
f\ Consultas do meio dia s duas horas ff\
m da trde.
'g. Gratis aos pobres. x
Jf Especialdde$.=yio]etiis da pelle, de Jf
\0 crianca e de mnlher. Q
rJ Emprega no tratainento das molestias U
G de sua espeiialidade as duchas fras e fl
A bankos a vapor, para os quaes tronxe Q
g- os apparelhos mais modernamente em- O
M\ pregados na Europa.
Jt Tai
Aviso.
Os e ncarregados da festa do frontespieio do Car-
ino, declaram que tem designado a ultima domin-
ga do mez de agosto futuro para ter logar a mesma
festvldade, peto que pedeni aos defotos da mes-
ma Senhora que loes queiram coadjuvar eom sua
esmota, afin de que no mencionado da se realise
a festa deste anno.
- Na ra da EsUncia n. 18 precisa-se de urna
criada para cotmhar e lavar.
rambem applica com grande proveito
'S. no tra i amento das molestias do tero a
electricidade, pelo processo do Dr. Tre-
d pier. Cura por um processo inteiramente
rj novo as blennorrhagias e sofcre Judo a
Q (gotu militar) dispensando as iajeccoes. y
Dr. King retirando-se provisoriamente para
Europa, deixa em seu lugar o Dr. Tarquiaio Villas
mu. Qualquer chamado deve ser por cscripto e
entregue ra da Aurora n. SI, andar. Ao
mesmo terapo despede-ie de seus amigos, pois nao
o pode fazer pessoalmente pela rapidez de sua
Tiagem._____________
Negocios de Portugal e Hes-
panha.
Domingos Mara Goncalves participa que se en-
carrega promover o bom andamento de quaesquer
questoes judiciaes nos dous paizes cima mencio-
nados, para o que est habilitado com um pessoal
competeotissimo de correspondentes. Escriptorio
roa Primeiro de Marco n. 23, (antiga do Crespo)
Joaquim Jos da Silva Guimar. Martins Moreira scientificam ao respeitavel publi-
co, e especialmente ao corpo do cotnmercio, qae
dissolveram de coramura accordo a sociedade que
tinham na loja de jolas ra do Cabug n. 7 A
desta cidade, sob a firma de Guimaraes A Martins,
desde 31 de maio prximo nassado ; ficando uni-^
cntente o socio Antonio Martins Moreira encar-
regado da oneracio do passito e arrecadaco do
activo da firma extracta. Recife, 2 de agosto de
1873.
no
Dr. Forre ira
Antigo gabinete de seu pai, ra larga
kr R sanio n. 20.
Cura de hydn celes sem njec^o,
eom puncco-capillar.
Abertura de aocessos e extraccao de
derramamen serosos, peto aspirador
de Pota i n
derramamen serosos, peto aspirador .?.
de Potain ,)
DE 10 PALMOS
E D'AHl PARA BAIXO
Sapotiseiros muito bonitos e sapoteros em gran-
de quantidade e preco comraodo.
Alm destas, as plantas de ornato e de fructo se-
guintes
Abacate Jaboticaba
Alecrim Laranja cravo
Arilcum p Lima da Persia
Canella de umbigo ,
Coracao da India Limao francez
Carolina do principe Oity cor
Figueira Palmeira imperial
Plonboynt Parreira
Frurta-po Pinheiras
Goiaba-branca Romanzeiras
Jaca Resed
Jarmim laranja Rozeras
E outras plantas tambem por preco commodo
na Capunga, ra ja Ventura n. 20.
Ao commercio.
Os abaixo assinados participam ao commercio
Sue compraran! a Francisco de Paula de Almeida
rus a parte que linha na taverna da ra de Mar-
cilio Das n. 74, que gyrava sobre a firma social
de Cruz & Pereira, shindo o mesmo pago de
en capital e lucros, ficando o passivo e activo
a cargo de Francisco Jos Soares Ferreira e Jos
da Silva Pereira, gyrando a nova firma Ferreira
c Pereira.
Hecife, 2 de agosto da 1873
Francisco Jos Seares Ferreira.
____________Jos da Silva Pereira.______^^
Companhia de seguros utili-
dade publica.
A direeco desta companhia havendo obtido do
governo imperial nrorogacJo por mais 20 annos
para continuar a funecionar nesta cidade, e de-
vendo principiar suas operacOes em 1* de setem-
bro .prximo futuro, convida aos senhores accio-
nista? para se reunirem na qunta-feira 7 do cor-
rente, era seu escriptorio ra do Vigario a. 6,
a 1 hora da tarde, afim de ter lugar a eleicio da
commisso de que trata a disposieao transitoria
dos novos estatutos.
Recife, 4 de agosto de 1873.
Os directores
Francisco Joaquim R. Brito.
__________ Candido C. G. Ateoforado.
Portuguez, geographia, fran-
cez e physica.
Pessoa habilitiidf, se oflerece para leccionar as
dontrinas acuna.
'
Para homem.
BOTINAS de bezerro, cordavo, pellica, Instre e
de duraque com biqtiHra, dos melbores
fahrica'iU'.
SAPATOES de be erro, de crdavo e de case-
niira.
S* PATOS de lustre com salto.
SAPATOES aUiinancados com sola de pao, pro-
prios para bandos, sitios e j.irdins.
SAPA TOS de tapete, charlot, castor o de tranca
francezes e portuguezes.
Para senhora.
BOTINAS pretas, brancas e de "res differentes,
lisas, enfeitadas e bordadas.
SAP; TINHOS de phantasa com salto, braneos,
pretos e de cores diferente*, bordados.
SAPA TOS de tapete, charlot, castor e de tranca.
Para meninas.
BOTINAS pretas, brancas e de cores differentes,
lsa, enfeitadas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portugueses.
Para meninos.
BOTINAS de bezerro, lustre o de corda vio.
ABOTINADOS e sapatoea de bezerro, de diversas
^ qualidades.
SAPATOS de tranca francezes c portuguezes.
Botas de montara.
Rotas a Napoleao a Gulherme, perneras e
meias perneiras para homen e nieias perneiras
para meninos.
No armazem do vapor france-, ra do Bari"
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
Cadeiras de balando, de braco, de guernicSes,
sof", jardinciras, mezas, cmversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem forte e
leves, e i s mais proprios movis para >aleias e ga
binetes de recreios.
No armazem do vapor francez, ra do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acabam de chegar mnto bons panos fortes e
de elegantes modelos, dos mais notaveis e bem
conhecidos fabricantes ; como sejam : Alphonse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C.: no
vapor francez, rna do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a precos muito commodos.
Perfumaras.
Faos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
trifice, agua de or de laranja, agua de tolete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, sabonetes,
cosnetcos, muitos artigos delicados em perfuma-
ra para presenta com frascos de extractos, cal-
xinhas sortidas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali-
dade dos bem conhecide s fabricantes Piver e Cou-
dray.
Po armazem do vapor francez, ra do Barao
da Victo:i?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de lifTcrentes gostas e
pliantazias.
Espelhos douradus para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, d>* fio do Escocia e de camur^a.
Caixinhas de costura ornada com msica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixiniias com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de le garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relo-
gios.
Brincos a imitaeao e botes de pnnhos de pla-
qu
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de cou-
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cores, de prata dourado, de ac e
de tartaruga.
Oculos de a^o fino e de todas as guarnic5es.
Bengalas de luxo, canna, com castes de mar-
fim.
Bengalias diversas homens e meninos.
Chicotinhos de baleia e de limitas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e para
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar ca-
beca.
Escovas para roupa, cabellos, minas e para den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para din' eiro.
Meias para homens e para meninos.
Grvalas brancas e de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch mar criados.
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de do-
min e outros muitos differentes joguinhos alie-
mies e francezes.
Malas, bol., as e suecos de viagem de mar e ca-
mnhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as criancas morde-
rem, bom para os dentes.
Bercos de vimes para embalar criancas.
Cetmhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
criancas.
Veneaianas transparentes para portas e janellas
Reverberos transparentes para candieiros de
gar
Esterescopos e cosmoramas com escolhidas
vistas.
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
vdros.
Vidros avulsos para cosmorama.
Globos de papel de cores para illuminacoes de
fes tas.
Baloes aereostatcos de papel de seda mu fcil
de subir.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palha e de pennas.
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrlhos para mangas e lanternas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadros.
Quadros j promptos com paysagens e phanta-
zia.
Estampas avulsas de santos, paysagens e phan-
tazias.
Objectos de mgicas para dirertimentos em fa-
milia.
Realejos pequeos de veio com liadas pecas.
Realejos rarmonicos ou accordions de todos os
lmannos, e outros muitos artigos de quinquilha-
rias dilfleeis de mencionarse. No armazem do
vapor francez, ra do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A mamr variedade que se pode desojar de todos
os brinquedos fabricados em differentes partes
da Europa para entretenimento das criancas tudo
precos mais resumidos que possivel: no' ar-
mazem do vapor francs, ra do Baro da Vic-
toria, outr'ora ra Nova n. 7.
para costura
Grande sortimento de bonitos modelos chegado*
ao armazem do vapor francez. ra do Barao da
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Oleados
NRTI1IENT0
MEDICINA
Preparado por
I.anmnn A Iterad
para ihi si >e
toda a qualidade
de (lenlas, quer
S'ja na garganta,
peitii ou bofes.
Expressainente
escoto i lo llion;sli(fndosils
quacs se extrabe
o oleo no banco
da Terra Nova
purificado chimi-
calmente, e suas
valuaveispropri-
edades conserva-
das com todo o
cHidado, emtodo
o frasco seguran-
te pe rfeit a men-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame mui-
to severo, pelo
chimico de mais
talento, do go-
verno hespanhol
em Cuba e foi
pronunciado por
elle a cnter
MAIOR PORCAO DIOIU.YA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODINO UM POFR SALVADOR.
Em todo o oleo de figa>:o le bacalbo, e na-
quellenoquul contm a maior poroto desta
invaluavel propriedade, o nico meio paro
curar todas as di eneas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Plitysica, bronchistes, asthma, catharrho,
tosse, resfriauentos, etc.
L'ns poucos frascos da carnes ao muito
magro que seja, clar.i a vista, e d vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na mediciuaou sciencia, d tanto
nutimento aosystema e incommodando quas
nada o estomago.
As pessoas cuja organisago tom sido des-
truida pelas nfferces das
ESCRFULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas, cuja digestao se acba com-
pletamente desarranjada, devem tomar
0 0le0 de figado de bacalho
di:
LANMAN A KEMP
Se que desejam ver-se livres eisentasde
enfermiilades.
Acha-se venda em todas as botica.s e
drogarias. 11. I'orsttr A C, agentes.
0 INliXTIiNGIVEL
PERFUME
Florida
agn
M
Hl'IIR.tV 1 I,Ml\.
Urna pura distillaco das mais raras flo-
res dos trpicos. Contm, para assim di-
zer, quasi o odor odorfero das flores do
trapico da America, e sua fragancia quasi
inexhausta anda mesmo por continuada
evaporaco e dilTuso. N'este respeito
incomparavel a qualcpier outro perfume
qne ha de vemla para :
DESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOR
RE C4BECA, DEBILIDADE E
IIYSTERICOS.
E um certo e lgeiro allivio. Com o bom
ton, tem conservado sua influencia para
cima de vinte e cinco annos sobre todos os
perfumes, as Indias Occidentaes, Cuba,
Mxico, America Central, e do Sul e nos
com toda a confianza o recommendamos
como um artigo, pelo aM aroma muito de-
licado, riqueza de odor o permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QUEMADURAS DO SOL,
SARDAS E RORBULHAS.
Sendo reduzida com agua, se torna urna
excellente mistura para banbar a pelle,
dando um aroseado e edr clara a complei-
;o nublada, sendo pplicada depois de
barbear, evita a rritaco que geralmente
occorre, assim como tanbem gargantendo-
se, o ebeiro do cigarro dosapparece, e me-
Ihora a condiyo do:> dentes e gengivas.
Como ha umitas imiices, as quaes na
possuem nenhumas d'estas propriodades,
deve-se tomar cuidado e contar smente o
o famoso perfume j cosmtico do sul cta
America, etiam da:
Af.t AFI.ORIA
DE
II KR VI (A I.A\M %.\.
Se acha venda em todos odroguistasj
perfumaras da moda
TOiBsnBorio medico-cirirgico B
baratas.
Oleados bonitas e milito baratos, para cima de
meza : no armazem do vapor francez, ra do Ba-
rao da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Caixeiro
Precisa-sa de nm caixeiro para taverna con
bastante pratica e HA fiador i sua conducta : na
ra Boque de Ca>; A. B. da Silva Maia.
Ba do Visconde dn Albuquerque n.
II, outr'ora ra da matriz da Boa-Vista
n. ti.
Chamados : a qualquer hora.
Consultas: Aos pobres gratis, das 1 as
4 horas da tarde.
Aluga-se a casa n. B& a na de S. Joo, cora
i salas, 1 quarto, cozinha fra e quintal, e oree*
de 14/ mensa!: a tratar na ra estrella do Rosa-
rio n. 17, 1* andar, das 10 i 1 horas da tarde.
Simeao.
No dia 13 do corrate acaenlou-se do eogenho
Repouso, cidade da Escada, cescravo SimeSo, pre-
to fulo, erioulo, 41 annos de idade, secco, cabeoa
pequea, testa grande e de cantos, cabellos um
ponco pegados, espadaddo, mios a pernas mal
feitas, muito cantador e tocador de viola, tem um
defeito em um dos dedos min mos, junio a unha,
prov niente de um panaricio, e urna cicatriz em
um dos lados do nariz que cliega aos beicos, pro-
veniente de um talho, carrairo e tem bastaste
pratica de doitar fogo em v; por : quem o apara-
hender queira leva-lo ao di o eofeaio, euarua,
do Imperador n. 77, que se i recompensado.

;

i

- Um bontem solteiro d Meja associar-sa em
urna taverna entrando para quem pois quixer admitti-lo va i roa Imperial nu-
mero 90,


Diario de Pernambuco Terca feira 5 de Agosto de 1873.
ALGA-5E
o primeiro andar do obrado n. SO di Uta d ;
Bom Jess, otilr'ura r:i:i da Gnu, proprio pan
escri dorio : a tratar Cfltn Ki'M.-i A C, ra lo
Bo:i Jcsnj v .Vi
Por wa e por motivos justos vende-:e i
Creta de 3 > asnos, engorara, cozinha e Uva,
arato : Ha ra de Hurtas n. 96. Na mesma ca-
sa ha outras eseravas cora habilidades e sem ellas.
B.
Contina estar ausente o escravo Henriques
dejsde o da 15 de abril, o qual tem os signaes se-
guintes : mulato bem claro, cabellos crespos, ros-
to liso, sem barba, falla utn pou:o descansada,
Jilos un pouco quebrados, qnando est serio tica
ra pouco carrancudo, tem as costas cheias de
anuos hrancos, a perna direita aberta, o dedo
grande do mesino p uro ponco aberto e sem ter
nnhas, proveniente de urna ferida que teve, tem o
andar muito banzeiro, ai cadeiras largas e muito
ilerico, fui da So'ia do Teixeira, dos berdeiros da
asa da viava D. Victoria Mara dos Anjos, estes
venderam ao Antonio Cesario Italiano, este vendeu
ao Bario de Nazareth, onde compre i ; a mani
dito mulato inda viv mora na Serra do Teixei-
ra, ehama-se Pelippa, consta-me que hoje forra,
levou em companhia um cavallo alasao dourado,
bonito, altura de 7 palmos, pouco mais ou menos,
tres ps calcados, frente aberta, caneca acarnei
rada, crinas, tpete e c-uda compridos, uina man-
cha branca redonda em cima da anca esquerda,
tem urna bellido muito pequea em um dos olhos.
nao sei em qual, s se observa a bellide deitando
attencao, tem alguns denles quebrados provenien-
te da cachaca, e muito rinehlo, inleiro : qual-
quer capitao de campo ou mesmo pessoas que o
Jrender. tragara ao engenho Camama, freguezia
e Santo Amaro de Jaboatio, ao seu senhor Anto-
nio Carneiro Rodrigues ('.ampollo, que ter a quan-
tia cima, e pagarei as despozas de viagem.
AntoBio Carneiro Rodrigues Carapello.
Urna senhora, capaz, offerece-se para engom-
mar em nma casa de pouca familia; indo as 7
horas da manha e sahindo s 7 da noute. quem
precisar, dirija-se a na da Palma n. OJ
ATTE^CO
Pede-se ao Sr. Felipoe Maria Bessone, caixeiro
dos Srs. Tasso & Irmaos, a vir rua do Livra-
mento n. SO, a negocio d seu particular interesse.
Precisa se de nm nfflcial de barbeiro, no sa-
fio da rua das Larangeiras n. 19 : a tratar com o
dono do mesmo.
FUGIQ
Estjfugido o cabra aeaborlado de nome Pru-
dencio, desdentado e os cabellos um pouco ubico
dos, andava cora urna crnica conduzindo estrum -
para um sitio, e fugio no domingo 6 do corente ;
este escravo ligoiramente gago, foi escravo do
Sr. Joaquim Juvencio da Silva e hoje pcrtence ao
baro du Nacareth, que gratificar a quem o apre-
eentar. Elle representa 50 airaos, tilho de"Goi-
OM.
r* At vir.
O Sr. Jos Pereira Lomos pela segunda vez
rogado vir rua do Imperador n. 28, a negocio
de seu interesse.
SPF** Convite.
Os senhores abalxo declarados, sao encarecida-
mente rogados virem rua do Imperador n. 28,
a tratare .ti de negocios particulares que Ibes di-
zem respeito :
Antonio Anacilo dos Santos
Antonio Affonso Mereira.
Antonio Pinto dos Santos.
Anfonio Jos da Silva.
Antonio Jos Kibeiro de Maraes.
Benjamim do < armo Lopes.
Domingos M. de Barros Monteiro.
Deoclecio de Brito.
Or. Fraacis o Pinto Pessoa.
Ebora Wistig.
Emilio Jos de Moraes.
Fernandes de Azevedo.
Francisco Alves de Mello Tico.
Francisco de Paula Borges.
Francisco Jos Carneiro.
Joaquim Guedes da Costa.
Joaquira Jos Maria da Penha.
Jos de Brito Mello.
Jos Goncaives da Silva.
Manoel Antonio dos Nascimento.
Manoel Silvino de Barros Falco.
Paulino Joaquim Tavares.
Theo'.onio de Barros t Silva.
William Rawlinson.
I CONSULTORIO *
MEDICO-CIRCRGICO g
$ DO #
a Dr. J. M. Curio 0
M Rua do Mrquez de Olinda n. 25, pri- Iff
meiro andar. y*
f9t Consulta das 9 horas as 11 da manha. yit
^ Chamados a qualquer hora. 0
A M A
Precisa-se de urna ama para
c mpW o coz.nhir par:: iv.-a de
it i'i /a ponra awHa : a ir.au lia ruJ
s Hoja n. 'rl, I." andar.
a Ira
, i';.- i-a -c ik
A 11 V |i-i c o./.inlur
/liliA m rua de Podro
= i'icci-a-st.1 al :;. ;r tuna ama d loi'.i
lar iia rua 'le > ii i: I1.
Hicisa-r d< ii.na a : ;: paia eum
para 'iis pesoas :
dro Alfonso n. B.
Cozinheira.
Precisase do una ama que s. ja prifeita nesse
servico e que leiilia boa n-n lucia : iralar era
Santo Amaro em seguineato rua d Aurora n.
171. '_________________________
Na rua Direita n. 20, prc
cisa-se de urna ama para co-
zinhar.
AMA
Precisase de urna que co-
zinhe o diario de urna casa :
na rua do Barao do Trium-
pho n. 78, mitiga rua do Hrun, armazera de Ma-
noel Jos de Sa Araujo. _____________
AMA
411 Offercce-se una ama (criada)
VI \ que cuze, lava e engomma roupa:
III 'la tratar na rua da Penha n. 3,
segundo andar. E' mulata e leva consigo um
fllho pequeo.
Precisa-se de urna ama para cozinhar : na
rua da Penha n. 23, l" andar.
Precisase de urna ama de leite sem lho :
na rua da Penha n. 2.1, 1 andar,
Relojoeiro e dourador por-
tuguez.
Albino Baptista da Rocha, de
voita da Europa, contina a en-
carre,jar-se de c cortar e dou-
rar relngios, bem como qualquer
ontro olijeeto : rugando a seus
amigos e Ireguezes o obsequio de
procralo na trave sa da ruadas
Cruzes n. II, 1* andar, por traz da praea da Inde-
pendencia, que o encontrarao prumpto a garantir
seus tralialhos e a fazo-Ios por precos nwdipos.
M0F1NA
Est encoura^ado !! !
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
ettTivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir rua Dui|ue de Caxias n. ')('), con-
cluir aquello negocio que S. S. se compronietteu a
reaJisar, pela terceira chamada desle jornal, em
nns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872, e nada cuhidto;
e por este motivo de novo chamado para dito
din, pois S. S. se devo lembrar que este negocio
de mais de oito airaos, e (piando o Sr. seu lilho se
achava nesta cidade
PBF*" At vir.
0 Sr. Jos Alves Machado Guimares pela se-
gunda vez rugado a vir rua do Imperador n. 28,
a negocio de seu interesse.
Fugio do engenho i utigi, freguezia da Esca-
da, o preto de nome Sabino, alto, liem prelo, rosto
comprido, ociaos grossos, foi comprado ao Sr.
Manoel Quintinn, do Hiacho-Doce, tormo da Madre
de Dos : quem o appn-heiidor leve-o ao referido
engenho. ou no Recit rua do Visconde de Ita-
parir n. ii, ipie ser generosamente gratificado
Tres Mundos
POR
D. t YI'0\IO DA COM'l
Hundo BrbaroDhnidtt (idiano
Mundo christo.
Ura volume ntidamente impresso
30U0
UVRARIA FRRJSCEZA.
Eserava rugida.
Fugio no dia 29 de julho prximo lindo, una
eserava de nome Vicencia, com os signaes segmn-
tes : parda, cor de canella, alta, gorda, cabellos
mo <-3rapinhadii. rosto redondo, tem falta de
dentes na frente, levou vcmiuu uo cassa. cnaie oe
varias cores e tavez botinas, filha de Macei,
onde tem um irmao chamado Vicente, em cuja
companhia estao dous filhos seus, pode ter ella
fgido para alli, mas ha quasi certeza que esteja
nesta cidade do Itecife acoutada por ura corto se-
nhur doutor, a quem se pedo que a mande voltar
para casa de seu senhor, sob pena de pnblicar-se
todo o seu nome por extenso nos jornaes, c procc-
der-se contra ua senhoria. Ruga se s autiriJa-
dos policiaes e capites de campo a captura desta
escrawa, e que a conduzam rua do Barao de
Triumpho (amiga do Brura) n. 92, que sero gene-
rosamente gratificados
FUNDICAO DE FERRO E BRONZE
FABRICA DE MACHINAS
\ nw lo Barao d> Triui|iho (rua t\\\%\\) as. IMa KH
CARDOSO 4 IRMAO
AVISAM aus Sis. do cngeiilios e no publico em geral, quereceberem da Europa
grande sorliuieiito de ferragens para engenhos e para lavoura, e quaesquer uutros [sou
i misteres da industria agrcola, o quetudo vendem por presos raioaveis.
V aporeS horisontaes de 4, 6, 8 e JO cavallos, os melhores que vem ao mercado.
AlOenaS completas, obra forte e bem acabada.
MeiaS moendaS para assentarem grades de madeira.
TaixaS de ferrO fumlil10 e balido, de todos os tuiuabM e dos melhores fabri-
m cantes.
tdaS d agua e diversos tamauhos.
Rodas dentadas de diversos tamanhosequalidades.
Arados americanos de diversas quaUdades.
Formas para aSSUCar grandes, pintadas e galvauisadas.
CVmPPrtflS concertam com promptido qualquer obra ou machina, para o que teera
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
FlOOmmPndaS M>ndam vr Pr encommindada Europa, qualquer machitiismo,
i_iU^wiiiiiiciiu.a.o ^n q ^ue ^ (.Qrfgspondcm com urna respeitavel casa de Londres
a com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
as litas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mestnas.
Rua do Barao do Triumpho (rua do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICAO DE CARDOSO A IRMA O.
56 aRua do Mrquez de Olinda 56 a
(outr'ora rua da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recommen-
dado pelos grandes depsitos e bons soriimentos com que sempre prima em ter das
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas americanas para algo-
lAo. desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamanhos diversidades de syste-
mas e melhoramentos para perfeito e rpido descarocamento ; tornam-se dignas de
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontrarao
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, deforca
Boa acquisicclo.
P rscu donoterderctirar-se para
n Kiiinpa.')'.'. \>: va i rvsi lir al^urt
'..'ll'li:i. Halt.l Ii: mu Mi lai ..' s'i.i i, li it:nad Hiorus loia'nladcs d liuda, da qual si
dcscprtiila nao s IimIo.....eaiio tlCsdti o
i:alio de Santo Agoqtiihuat niuilo ihci da
pona de OIimIb, bem cerno, nelu lado de
ierra, as lindas paysagens do poente e sul ;
tendouin quintal regular, com arvoredo novo
plantado ha dous anuos, terreno muito fr-
til ; urna cacimba (poco) d'agua para o gas-
to diario, e urna cisterna de agua polavel;
tendo otue quattos e tres ptimas salas, um
grande armazcm o que pode servir de co-
xeira ou de residencia de escravos, alm do
um sotao, proprio para dormida ; muito ore-
jado em toda a ep cado anuo ; com illu-
minafSo gaz ; e em vesperas de ter agua
canalisada. Adiase preparado conveiiion-
temente, nao s dos movis ndisiicnsavefs
qualquer familia, como du lodos os apres-
tos de cosinha e de mesa. Vende-se a di-
nheiro, ou como se acha, ou retirando os
ouiveis. Quem quizer ve-lo, pode procu-
rar a chave namao do Sr. Luiz do Reg
Barros, regente do hospicio de alienados e
a tratar na rua da Unido n. 9.
Os abaixo assignados declarara pelo present
annuncio que retirara todos e qoaeaqoer poderes
concedidos em procuragoes pausadas a Alfredo
('arduso Pereira ou a Alfredo & Garbosa Jnior, e
protestam contra i|ualquer acto praticado ,r os-
les senhores desde a data de sua procoracao pas-
uda ao Dr. Pedro Alfonso de Mello. Bsperanca
ou eriquito, 28 de julho de '873.
Prancisco Affonso de Mello.
Mariana Victorina de Mello.
Armazcm do fumo
Una da Madre do IX us n. 10 A.
Jum' I' i t: i : t i u.:" o di (%rma >ilva participa axi
iWW R'ifll";...... -im!;'"S |I1C ;><> -.i| ; i \\\:.V 'II .1
!:. !. J'ad'i- h'B n A. ; a um iu-
. r.. i: tHHi :.' I'r'll l i :.! !..i,l |}.< |,;inl!i' ,
i." h .).- .-.;:<-. v- ..i ri-aiik da 'Jaltia,
e licn asiiii a il i ui lt>d>* os (unos de ; a
era i41.-, pacuiP", i:...- jraiiles c iftuiet'i.*, ta:o-
lieiii d.i- iiaii arri'dilanes Lbiicanus Tie 4
Araujo, I.izaur, Adulpho Schindt 4 C, Lizaur
Schmidt & C, Veigas i .Araujo, Trindade J Ave-
lar, Teixeira Pinto & ForWUa (garantido pelos
niesraos) e de oulr.s ainde nao conhecidos pelo
publico desta capital. O anuuiiciaiite ib/cluaque
lodo fumo que for feudidd era sua casa ser pelo
seu justo valor, e que qnando garantir a respecti-
va qualidade, sera ihrro, mu partfcawrmeaie
cora as pessoas ijne ponco entcnJam da mal ria ;
pois para I mi cervir a I dos, (em o annuneiante
longa pralica de ISannoi desle eooinsereio
Precisase de ura caixeiro de 12 a 15 annos,
que tuina pratica de mol ado-, para a cidade da
Escada : a tratar no patio di Ter;o u. ;i.
Precisa-se de om official de barbeiro : na
tranga loura rna larga do Rosario n. 2i, primei-
ro andar. ^_^__
Precisa-se de nina niullier de boa eondoet
para fazer companhia a urna pequen i familia : na
rua de Horias n. 68.
DOS
TWLH0S URBANOS
DO
Rerifr Olinda.
AVISO.
A direc^io da associa^io commercial beneli-
cente, em cumprimento do artigo 19 dos estatutos,
convida a Daos os socios effectivos da mesma
associaco para no dia 5 do torrente a 1 hera da
tarde, reunirem-se era asamblea geral, para lhes
ser apreseatado o relatorio da direccao, e proce-
der-se a eleicao da directora que tem de funecio-
nar no anao de 1873 a l7i.
Associaco tommercial benefleente, 1* de agosto
de 1873.
Pedro M Maury Vice-presidente.
L. Daprat Secretario.______________
Os abaixo assignados declaram ao eornmer-
cio, que nesta data dissolveram amigavelmente a
sociedade que tinham na oa de fazendas, Ha
ra do Cabug n. 6, sob a firma de Antonio Fran-
cisco dos San:os & C, ficando responsaveis por
todo debito para com a praea, es dous socios An-
tonio Praneweo dos Santos e Antonio Jos Morei-
ra, e o ocio Domingos Rato de Freitas desligado
completamente de qualquer responsabilidade que
por ventera possa apparecer, assim como pago e
satisfeito de seu capital e lucro obtidos na cons-
tancia da meima sociedade. Recife, 31 de julho
de 1873.
Antonio Francisco dos Santos.
Antonio Jos Moreira.
_________Domingos Pinto de Freitas.
Ama governante.
Xa loja da rua da Imperatriz n. 10 se dir quem
precisa de nma ama que saiba mandar e fazer
todos ot misteres de casa de familia que nao tem
criancaa. _______________^______
Atten^o
Pede-se ao Sr. tenente-co-
ronel Manoel Joaquim do
Reg Albuquerque, o favor
de vir ou mandar rua do
Coronel Suassuna n. 4, ne-
gocio que S. S. nao ignora.
CRIADO
Precisa-se alagar nm criado que seja copeiro e
asseiado : rua da Uniio n. 17.
Atalslttrafto PAB1Z, ti, boaMrirt Mantautra.
I IMN0E.lili AftafSM ljmjh.Mfm, doeBfH
M Tli dlfeitl'u, oUtrw^M 40 Iftdo ia b*f,
oWtrujSw Tliurtn, coBeriaSt* lakMi t* Ml.
SSf ITl. AhoeSti dti tIm lfOn, taMta-
mtu MtMHf*, ifcttSo Skn, lBpjtd,
fMtralcta, lyi|i|H.
CfllSTm. JAmOm ot rio, 4* >xlf, tniu,
ImwiliiHmrUM, (ou, UMtw, tlbwnlnarl*.
WMTEBin. AOkcoSu rio 4* balf orotM,
| MDtnftt 4u rartaukf, foto, 4l*sttMrlltiamlaarit.
EIIGA-8K
IOD ba FOHT u CAMLA
>MtM 4 Twfer. x1 HWWlM, cMo-m
I l.w. TtWn, Mu a. tutu. 1
Aluga-se
de 21/ e 31/ cavallos com todos pertencas
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzoa e ladei-
ra.
Carros de milo para atierros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Hilos de ierro estanhado.
Ritos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
* ruin re hriB para ardas.
I'iuanls-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarraehas para fazer paraazos de Terra.
Dita dita ditos de madeiras.
Tretis para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cjlindros americanos para padarias.
Pertencas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e caf.
Debulhadores para milho.
Azaite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Emfim muitos outros artigos, que savista e neste estabeleomoderSoentp sji o
examinados.
>T
o pavimento terreo da casa da rua da Aurora n.
83, completamente mobiliado, ou sem mohilia : a
tratar na rua do Bom Jess, outr'ora da Cruz n.
57, primeiro andar._________________________
Quem precisar de um administrador ou fei-
tor, para enganho ou Bitio, casado, com mulher e
filhos, dirija-se rua do Barao da Victoria n 6.
que achara eom quemtratar.__________________
Aluga-se
o terceiro andar da rua do Vigario Tenorio n. 20:
a trat r rua do Araorim n. 37.____________
0> abaixo assignados declarara ao publico
3ue tendo dissolvido de comino m accordo a socie-
ade que tinham com o Sr. Domingos Pinto de
Freitas, continuara no mesmo estabelecimento sob
a mesma razao commercial de Antonio Francisco
do Santos & C. Recife 31 de julho de 1873.
Antonio Francisco dos Santos.
Antonio Jos Moreira.
- Aluga-se nm per/eito cozinheiro : a tratar
na rua da Palma, casa n. 57._________________
Condecorares.
A coroa brilbante recebeu pelo ultimo paquete
da Europa as seguintes condecora^des, de ouro e
prata domada : commendas da Rosa e officiala-
latos, commendas de Chrislo com as respectivas
cruzes, medalbas para cavalheiros das ordena de
Aviz, Cruzeiro. Rosa e Christo, e juntamente fitas
para as ditas condecoracSes e da campanha do
Paraguay : coroa bri I liante, loja de joias, rua
do Cabug n. 11.
Aluga-se por 254 a casa n, 6, sita rua do
Lima, em Santo Amaro, estrada ja concertada de
novo : a tratar na rua da Restaurado n. 54,
outr'ora Guia.
Gobinete portuguez de lei-
tura.
Conselho deliberativo.
De ordem do lllm. Sr. presidente do eonselho
convido os senhores conselheiros para se reuni-
rem em sesao ordinaria, quiuta feira 7 do cor-
rente, pelas 0 horas da tarde, na sala Jas respec-
tivas sessoes.
Secretaria do conselho deliberativo, aos 2 de
agoito de 1873.
Boaveatura Rodrigues de Amnrira
1* secretario.
Precisa-st de um feitor para om sitio em
Ponte d'cha.; a tratar na rua Direita n. 8. _
PENHORES
Na travessa da rua
das Cruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Pars, 36, Rua Vivienne, Dr
IH:M.,M MDECl SPCL
DEPURATIF
iu SA1\G
PLUS DE
COPAHU
^^^^^
AO PUBLICO
Quem mais wmmto Ocrece ?
Incontcstavelmente a loja de calcadoHestrangei-
ro que mais commodo offrece em geral, com espe-
cialidade ao bello sexe, o PaRIS NA AMERICA
rua Duque de Caxias n. 59, primeiro andar Can-
tiga do Queimado) e a razao ? a razio simples :
um cavalbeiro (amante do chique) por certo se
n oniiuoda (piando, para comprar um par de bo-
tinas, v-se forcado a experimenta-la sobre nm
pequeo e pueroso pedaco de tapete (systeraa ma-
carrnico) nao podendo desta forma conhecer se
a botina he fica boa, pois, nao tem espaco para
experimenta-la, ao menos que nao a estrague dan-
do apenas um passo, que chegarlogo ao immun-
do ladrilho; o que nao acontece no Pars na
America, onde pode se passear vontade e desla
forma conhecer-se se fica bom o calvado : para o
bello sexo, ento q nasi impessive), que urna se-
nhora (do bom toml qneira sujeitar-se a experi-
mentar raleado ao lado de nm bale ao, onde en-
tra quem quer, anda mesmo para comprar : o
Parts na America nao resente-se desta falta ; tem
nm bem preparado gabinete reservado, para as
Exmas. que alli poderao estar em perfeito commo-
do para a escolna do calcado.
Nao terminara a ti i as vantagens on com modos
do Pars n* America i rua Duque de Caxias n.
59, primeiro andar, consiste tambem no bom sor-
limento de botinas para homens, dos melhores e
mais afamados fabricantes da Europa, como Me-
lis, Suser, Polak, etc., etc., e grande variedade de
chinellos e sapatos, assim tambem um lindo sor-
timento de botinas para senhora, e sapatinhos de
militas qualidades que poderao satisfaier a esco-
Iha da mais capichosa senhora (do bom costo) ;
pelo que fica expendido, est claro que a loja de
calcado estrangeiro, que mais vantagens offrece,
o Pars na America, rna Duque de Caxias n.
59, primeiro andar, antiga rua do Queimado
Sirop du
DrFORGET
\Uencao
No pateo do Terco n. 59 trabalha-se em bolos
de diversas qualidades e preparara se bandeijas
enfeitadas com perfeicao e asseio, todo por preoe
razoavel. D-s bolos par vender, pagndose
a vendagera.
DS (lfPKKIU*D>t HSS SEKDAES, 4S AFFECfOBS
MjTWOOetl DO SI8BE.
I l'"i,000 curas (las i'ipn-
I tens,putlulas, herpes,
I samo, comixoet, aer-
I monia, e allercoes, vi-
,______Jcosas do sangue, vi-
ra*, eaue, ..yoes uj tangue. (Xarope vegetal
sciu mercurio). |ioral Ttftliei
% MISF.KAE* toiuao-se dOUS por
semana, seguindo o tractamento Depurativo : i
emprearlo I Este Xarope Citracto de
I ferro de CHARLE, cura
I immdiaUmenie qual-
Jquer purgacao, rela-
________l-rapoo, e debilidade,
t iguaiuicji.e o jiuj-os e flores brancas das
mutberes. Esta iujeccao "benigna empregasse
eom o Xarope de Citracto de ferro.
eMarraidM) Pomada que as cura em 3 das.
POMADA ANTIHERPETICA
Contra: as affeceoes cutneas e comtxoes.
PlLULAS VEGETAES DEPURATIVAS
do a> Chahe, cada frasco vrai aecumpahade
de um folheto.
AVISO AOS SRS. MDICOS.
I Cora calarrhai, osiei
coqueluches irritactci
nervosas sai dos broit-
ehioi t todas ai doenca
-----------------------------------1 do ptito: basta ao doento
tai colhe rchdea dU xarope IV Forcet.
Vt. CHabli en Parla, rma TUIeauae,
Deposito em casa de Augusto Caors n. 22
rua da Cruz.
Joaquim Jos Goncaives
Beltrao.
Roa do Commercto n. S, 1. andar
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
do Minho, era Braga, e sobre us seguintes
ulgares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Baroellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilh.
Faro.
Guarda.
Guimares. .
Lamgo.
Lisboa.
Mirandella.
Monco.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do'Caslello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicio
Villa Nova do Portimo.
Villa Beal.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
Esta companhia contrata com quem me-
lhores conJi<;5es presentar, a collncaeao
d'um telegrapho elctrico, partir da esto-
Qod'Aurora Olinda, e da Encruzilhada
Beberbe.
Para informaes se enlcndcro com o
respectivo gerente no escriptorio da mesma
companhia.
O gerente interino,
Laurentino Jos de Miranda.
SLIPAS.
A' companhia dos trunos urbanos do Ite-
cife Olinda compra sulipasde oiticicas, com
9 palmos de cumprimento, 9 polcgadas
de largura e 4 ditas de grossura.
L. J, de Miranda,
Gerente interino.
Vende-se. ( 9 utensilios da padaria da rua l)i-
rtita n. 40, u ir jautos, ou em separados : na
mesma padaria, Jas 10 bons s tres da tarde.
Mais val tarde do que
nunc .
Avisa se ios amanb's on apreciadores dos
SO.MIOS
acet'ipc delicioso que se prepara va antigimenie
NA CONPEITAM \ DO CAMPOS
que os proprietarii;s daquclle estabelecimento r>'-
rolveram d novo fabricar liio delicioso manjar,
nao s para satisfazer alpiiinas encommendas, co-
mo para criar novos ceosuntaHores.
\'. qual ser a familia que nao
mandara buscar alli, ao menos
urna duzia de
SO.MIOS
para a sua sobiemeza ?....___________________
Algalias
As algalias do falniean'.e Rnocs Boulevard du
Palai, sao as meliiore* ronh servam->e perfeitaitii-nte nos oKma#Midos. ceno
a experiencia constantemente n est provando.
Cunta & Manta vendem coastantemenie em
o seu ariiiazein rua do Manpjcz de Olinda nu-
mero i'i.
Vinlio champagne Rodcrer (Caite b!a:.
Dito dito V. Clieqnot, jigos.
Dito Chambertin, raixae.
Dito Bonrgognc, idemi
Dito St. Jnlien. dem.
Dito St. Cliristoly, ideni
Dito Si. Bsteplie idein.
Dito St. Emilion, idem.
Dito Sherry idem.
Dito Mideir, idem
Cognac, Marlell (verlsdeim), deiv
Dito Hennessy (dito), idem.
Cidra Champagne, idem.
Vinagre brnco lini', idem.
Aseite doce retinado fino. dem.
Clio-oate Menier lino, 10 kilos.
Araruta ingleza, latas
Pagamento de dividendo
Paga-se o 39. dividendo das aeces do
Banco do Brasil, inscriptas na extincta cai-
xa filial d'esta provincia, razao de 8-?000
por aegao ; rua do Vigario n. 1.
ummt
L'G-vo-<.-cmz*B:
8 @ # i #
\ Compra se e vende-se trastes novos
- e usados : no armazera da roa do Iin-
. perador n. 48.
Compra-se
um tanque de ferro que possa conter de duas e
meia a tres pipas d agua : no armrzem da bola
amarella, travessa da rua do Imperador.
Compra-se acedes da companhia do
Beberbe ; a rua Primeiro de Marco, n. 21.
DAS.
Vcnde-se um boi manso e feito no servieo, e
urna carros em bom estado : quem pretender
dirija-se a rua do Visconde de Goyanna, antiga rua
do MonJego, n. 72, taberna. ______________
Muito barato
vende-se urna armaeao e gneros de molhados,
por 2-';0/, no barro, freguezia dos Afogados, lugar
da praca do Capim : a tratar na mesma.
Armago venda.
Vende-se a armaeao de amarcllo, envidracada
e com gaz, da taverna da praca do Conde d En
n. 32 : a tratar com o agente Martins, rua da
Imperatriz n 80, on na rna do Imperador n. 48.
Vende-se
A taverna da travessa das Crures n 6, propria
para principiante, com poucos fundos : a tratar
na mesma.__________________________________
VENDE-SE
urna typographia montada com urna machina boa
e um prelo, a vontade do comprador, pelo mdico
preco de 4:000* : quem pretende-la dirija-se a
rna do Torres n. 12, andar, escriptorio.
Vende-se ura sitio no Fundao, cora 400 palmos
de fundo e 100 de frente, em ierra propria, com
urna casa dentro : a tratar na rua do Rangel nu-
mero 48.
Joaquim Jos Goncaives
Beltrao & Filhos
Teera para vender no seu escriptorio ru. do
Commercio n. -, o seguate :
AGURDENTE de caj : caixa de 12 garrafas.
i de laran i, idera idem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, recentemente chegada.
CHAPEOS de sol, para hornera e senhora, cabo
de inarlira e dsso.
FF.1XES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Baha, da fabrica do comrr.en-
mendador Podrozo.
LINHA de roriz.
OBRAS de pal' eta.
PANNO de algodao da Baha, da fabrica do coa-
mcudador Pedrizo.
RETROZ de to.la- as qnalidades, das fabricas de
Peres Eduardo Militao-
ROLHAS proprias para b 'tica.
SALSAPARRILHA do Para.
ELA de cera de iodos os tamanhos.
V1NHO engarrafado do Porto, caixas do 12 gar-
rafas,
o dito Moscatel do Douro, idem idem.
dito Selubal, cai:;as de I e 2 dalias.
a da Italia engarrafado, caixas de 6 gac-
Oftgt______r...... _
(( de caj, caixas de 12 gar alas.
Malvasia do Douro, caixas com 12 gar-
rafas.
Carcavellos, idem idem.
Altga-se o 2* andar do sobrado n. 9, sito
rna Duque de Caxias : quem pretender dirija-se i
rua Nova n. 17, que achara eom qacm tratar.
Cal de Lisboa
Grande e variado sortimento deste genero, a
nica nova no mercado : na rua do Apollo ns.
14 e 16.___________________.________________
Vende se um piano francs, de meio arma-
rio, em perfeito estado e do excellente vozes,
assim como urna pequea nubilia, e outros tras-
tes de casa : na rua V'ellia n. 94. ___________
A maconaria desmasca-
rada,
ou colleccao dos artigos do Echo de Boma, analv-
sando a circular do Cap. Pr. Federaco de i
de seterobro de 1871, e aPranch.*. do Ir.-.
Gomes Freir aolr.- Otti; assim como a deste
Cav.*. R.". f.". Ven.-, ao redactor do Echo
de Rotna, datada de Coimbra aos 16 de dezembro
do mesmo anuo, precedida de urna carta- iatro-
dnecio e annotada por ura redactor do Echo de
Roma.
Acaba de chegar de Lisboa esta obra, e vende-se
na livraria econmica ao p do arco de Santo
Antonio, preco i J500.
TASSO IRMAOS & C.
Em seus armazens rua do Amorirn
n. 37 e caes tem para vender por precos commodos
Tijolos encarnados sextavos para ladriiho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machiuas de descaroear algOO.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cera.
Sagn em garrafes.
Sevadinha em garrafe*.
Lenthas em garrafes.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Porto velho engarrafado
Vinho do Porto superior, di o.
Vinho de Bordeanx, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Potes cora linguas e dobradas inglezas.
Licores finos sonidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toucinho inglez.
Barris cora repolho era salmoura____________
1.a e 2.a series.
Vende-se urna assignatura das cadernetas do
Diccionario Portuguez de Fr. D. Vieira, j pagas a
1" e 2* series : rua Duque de Caxias n. 73.
Las, ultimo gosto
A Rosa Rranca vende las de gostos muito boni-
tos a 800 ris o covido.
Las de qaadros a 320 ris o
covado.
Chegaram mais lis palo baratissims preco de
320 ris.
Lindas chitas.
A Rosa Branca lera chitas de padroes muslo
delicados, e est qneimando.
Atoalhado.
A Rosa Branca tem o que ha de nielhor e de
ricos desenhos.
Novas cambraias pretas.
A Rosa Rranca tem os mais ricogostos em s
cambraias pretas : do-se amostras de todas as
fazendas, trazendo penhor.
Xarope d'agriao do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado anda com ptimos resultados no
escorbuto.
As nicas verdadeiras
Bichas hamburguezas que vem a este mercado:
i rua do Mrquez d (jliadan.St.___________
Vende-se
Barris com carne d vacca e de. poreo salgada
ira mantimentos de navios : no annasem de
asso Irmios 4 C rua do Amoritn n/47.
VENDE-SE
urna taverna nos Afogados, i rua de S. Miguel
n. 68, propria para principiante : quem preten-
der dirija-se mesma.


;


Uno otftmwiMW Tor^eka g.fo 4g#*> 4e WJ&
'
.1

\T
f;
_i
Em fazendas de gosto
NA
LOJA E ARMAZEM DO PAVAO
N. 60 Ra da Imperatriz N. G0
DE
BT.2IHA DA SILVA & GUIMARS_
Os proprietarios doste importante estabelecimento, participan! ao respeitavel publico
1 adade e os seus numerosos freguezes que acabam de receber pelos ltimos vapo-
b E*ropa, um grande sortimento das mais lindas e mais modernas fazendas de gosto
to phantasia para vestidos de senhoras e meninos, assim como tambem um grande
MiliiitLiito ilas melhores fazendas de lei, que se vendem por presos muito em corita, so
wr< c ftm de apurar dinbeiro.
As pessoas que negociam em pequea escala, oeste estabelecimento podero fazer
ijhws sorti.imntos, porque se Ihes tender pelos presos que compram as casasestran-
as; de todas as fazendas se do amostras, deixando penhor, ou mandam-se levar en
idus Exmas. familias pelos caxeiros.
Usbi estabelecimento est constantemente aberto das 6 horas da iuaiih s 0 da uoute
iRWllilWS i BURNOS A 169000.
i.. O Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
A 15S500, 19200, 800 e 6V0 rs. Europa, burnoos dos mais lindos gastos
O ftvo recebeu um bullante sortimento que at hoje so conhecidos e em retyco
Jbsmk luidas granadinos preta com deli- Sua excessiva barateza, couvidaio-se as
ad_.4istrasde cores epretas.quc vende pelo Exmas. Sras. para verein oque hade ma-
tera:) pr. eo de 13J3QO o c vad>. Ditas to- uovidade neste artigo.
mt sdres eoih luirs miudinhas em urna BRAMANTES PARA LENCOES.
sa>-r.l$-200 e 19000 o covado. Ditas O Pavo vende superior bramante do al-
jmrtsseomhstrasdesedaroiasaSOOrs. Di- godao, tendo 10 palmos de largura, queso
tas gretas com listras brancas, azues e ver- precisa de 1 1/4 vara para um lencol a
As ft-i rs. o c .vado. Assim como boni- 1^600 o metro ou 15)800 a vara,
tasbarejesdeseda para vestidos comas Dito de linbo fino superior e muito en-
sebadas coros a 19000. E' pechincha, corpado, com a mesma largura a 29400 a
asa luja do Pavo. Yara
IWH-LINAS A 19600 E 29000 0 COVADO. Ditos francezes muito finos a 29500a
O Pavo recebeu um elegante sortimento 39000.
&s ebbs lindas poupelmas de seda com os. Pegas de Hamburgo e panno de linho, ten-
__. luidos desodlos e mais bonitas cores, de- c m 20 e 30 varas para todos os oreos
jtt votule a 19000 e 2-7000. e qualidades.
SEDAS DE CORES A 29500 RS.
Ditas de bretanha de puro linbo, tendo 30
O IfcrSo recebeu um bonito sortimento jardas, pelos precos mais baratos que se tero
mais lin as sedinhas de urna s cor com visto.
Mendos desenho; miudinhos, que vende a Pechinchas de finissimo esguio ou silzia
3#iQ>oc vado. Ditas com listrinbas, mui- Com 6 jardas a 79000.
_>hfri fazenda a 2?009. E' pechincha, na' Pocas de finissima si
ak.j,i do Pavo.
CIMBRIS ABERTAS A 99 E 109000
O Pavo receben um elegante sortimento
das Mais linas cambraias brancas abortas,
hartadas para vestido, que vendo pelo barato
paego de 'Jo e 109000 o corte, tendo fazenil
bstente para vestid1. K' pechincha, na loja
b Pavao- ra da Imperatriz n. 60.
LiZl.NllAS BORBADASA 400 RS.
COVADO.
4> Pavo recebeu um elegante sortimento
mais lindas lazinlias transparentes com
iknabas, bordadas, tundo de todas as cores
kscusive rocha propria para viuva, o ven-
ttte liaratissimo prego de 00 rs. o co-
**_*. B' pechincha, na loja do Pavo ra
& Imperatriz n. 60.
LAS MODERNAS.
*> Pteviio vende ura bonito sortimento de
as listradas sendo das mais modernas
e- .-:i vin Inao merca lo, pelo ha atissimo
''. ', ) e 1)00 ors. o covado. E' pe-
. i.. } >ja do Pavo ra da Impe-
.. til).
. \\ H'.DASA640RS.COVADO.
1 para a loja do Pavo um elegante
> nnotito das ruis lindas.alpacas labradas
sen lo us cores mais modernas que
i lo para vestidos, e vende-sc pelo ba-
I ;>'.ro de 610 rs. o covado. E'
.'ux:k,VmD L40RS. 0
METRO.
U Pav3 1 recebeu um magnifico sortimen-
os .1 tis liii las cassas.Irn ezas, '.-::.. s mais bonitos desena-s midos e
$7'.'los, tendo pa roes oscuros o outros que
p iro luto, e vendo a 600 c 640 rs.
;<0 c 00 rs. o covado.
L_Utl|_S MODERNAS COM I.ISTIU DE
SEDA A GiO rs. e 19200.
rVSo recebeu um elegante sor ment-
ira Huras de seda assetinada, sendo
19 modernas que (era viudo aomercv
1 as mais delicadas cores, o vende
1 precos de GiO rs e 19200.
i eoroo outras muito bonitas com istias
.er dd seda, que vende a 300, GiO o 800
e_, todas estas las sao modernsimas. E'
Ha, na loja do Pavo.
CUtasa 22, *.3'Oc3ttOrs.
O Pavo recebeu um grande sortimento de
de cores lixas, que ven 'o pelos bara-
S de24* 280 rs. o covado. Ditas
ras fozenda muito superior, com novos
roes a 320 c 360 rs. o covado.
inuit 1 linas padrees claros em te. i-
ides, com barra de cor ao lado e
radU a 30 e iOOrs.
- urctascora tecidode crctone, fazen-
nito suf sajar a 3.0 e 400 rs. o co-
b.
Ditas de eOws, miudinhas, propria para
1 de enancas a 360 r. o covado. L'
cha, na loja do Pavo.
is5tisita n 500 rs. o covado.
i) t'avao retobee mu etegatate sortimento
*i^ mai'-. mo.Liiuas uaptistas de cores coiu
pBeJ;ues iniidinhos e gra los sumi proprios
aar vestirlos e roupa de enanca, pelo hara-
,o de 500 rs. o covado, afianean-
<> jv grande pecbincba I
CWtes le cwubruis, uliiuu a.
vWnHp, a 99*MM.
O-Pavo cucebeu pelo ultimo vapor de
fcrupa, cortes de cambraia branca com ba-
ladnhos ricamente bordados, tendo fazenda
; ira vestido de qualqucr modelo,
'.idos s3o os mais modernos que tem
TOde-a > un ruado, e pela sua excessiva ba-
niain-so rucommeiidaveis s senbo-
sa>.de b ).n gusto.
Ktos com baba los de cor, tendo 20 me-
fcwdo babad s a 99000. E' grande pe-
HDt:ba, no Bazar do Pavao ra da booe-
tbikOO
. l3)'fi:Si)i:CAMBKAlA BORDADOS.
OPavar) rateben os mais ricos cortes de
wo-de ,m barato prego de 209 o 309000.
COilTES-DE CAMBUA1A BRANCA.
O Pavo receben um lindo corte de cam-
s\ branca com listras assetinadass que
> de 69000.
Jitos c un listrasda cores, tendo/ varas a
MltL '
cu.ueu u;o .^rau le sortimen*o
"'"l# sen hora como para.
fleK) barato pTe;odaJ
Se
O
w.
39000.
Ditos n)
jua, bo 1er
Sao dos
ao aier-.
silezia com 30 jardas
a 359000.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 29000 a vara.
Cateas le casemra.
0 Pavo tern um grande sortimento de
caigas de casemira, assim como, cortes os
mais modernos que tem vindo nos ltimos
figurines e em fazenda, dos mais finos e
mais novos que tem vindo ao mercado, e
vonde-sc por barato prcgo.para apurar d-
nheiro, assim como caigas de brim branco e
de cores, por pregos muito razoaveis.
LEHQOS ABA1NUAD0S A 19800 E 29000.
0 l'avo vende duzias de lencos brancos
abainhados, sendo fazenda muito boa, pelo
barato prego de 29000 a duzia.
Ditos tambem abainhados, com beira de
cor a 19800.
Dit s grandes, fazenda muito fina, sendo
todos brancos a 33000,
Dito de cambraia branca, sendo em peca
a 3?600
MEIAS CRIAS A 49 E 59000 A DL'ZIA.
Pavo vendo duzias de meias cruas, ia-
glezas pelo barato prego de 49000 e 59000.
Assim como ditas muito finas e muito en-
corpadosa 69000, 79000,89000 e 109*00,
e um grande sortimento do meias inglesas e
fraucezas, para senhoras, que se vende por
prego muito commodo.
Utl.i hai 1.-. ... .*... -^.Ww > .^-wv.
0 Pavo vende pegas de madapolo fran-
ecz, que sempre se venden por muito mais
dinhuiro u liquida-se pulo baratissimo prego
0500U o 79000, por ter feito urna grande
compra. E' pecbincba.
AI^odAoxinho a 49000.
0 l'avo vende pegas de algodozinho,
muito boa fazenda, pelo barato prero de
49 o 59000.
Dito largo muito encorpado, proprio para
tualhas e lunges a 69000 e 79000.
CAMBRAIAS.
O Pavao vendo cortes de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 29500
39000.
Peras de dita muito fina, com 10 jarda,
tapada como transparente a 49, 59 e 69000s
at a mais fina que vem ao mercado.
PANNOS DK CROCHET PARA CADE1RAS.
O Pavao tem um grande sortimento de
pannos de crochet proprios para cadeira de
halane,.j||-M-a litas de guarmgo e para so-
la, <|ii.^jp-ideni muito em conta.
COLXAS i>r. CROCHET A 69 E 89000.
0 Pavo vende colxas de crochet proprias
para cama de casal, pulo baratissimo prego
de 69 e 85000.
Ditas de fusto acolxoadas, sendo de co-
res e brancas, pelo barato prego de 46000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
cretone e de Chita, que vende por pregos
muito razoaveis.
CORTES DE PERCA1.I.KS COM DUAS SAIAS
a 49000.
O Pavo vende bonitos cortes do percalles
com duas saias, sendo fazenda de muito gos-
to a 49000. E' poehinelia na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60.
BOTINAS PARA SKNHORA, A 59000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Purui-a da Silva & Guimares receberam
pelo ultimo vapor de Europa um elegante
sortimento de botinas pretas e com delicados
enfeitesdocr, proprias para senhora, garan-
tindi-sc sorem das nfcnis modernas que ha
no mercado, assim como a boa qualida le,
por terem sido rumettidas por um dos nr
Ibores fabricantes de Paris, e vende-se pon,
barato prego de 69, na loja do Pavao.
SAIAS BORDADAS A 59, 6,5 e 89000.
0 Pavao vendo saias ricamente bordadas
de 4 paunos cada urna, pelos baratissimos
pregos de 59, 09 e 891)00.
Ditas de um panno' s. e com njuita rodas
guarnecida de pregas, pelos baratos preco,
de 29000 e 29500.
Ditas com guarnigo de pregas e borda-
dos a 39500.
Algori-to enfestao a 1?000 a
vara.
0 Pavo vende algodo americano en/es-
ta lo e muito encorpado, prcjrio paratoa-
lha e lenges, pelo barato prego de 19000 a
vara.
Dit i franoez sendo trancado e muito ei*1
corpado, pelo baratissimo prego de 19280 o,
metro.
Casemira* a MMM>. e 99QAA-
i) Pavo vende cortes de casemira Kinoe-
za, afcnjjo,fazenda muito superior que swn-
pre se verideu por mais dinheiro, e liqui"
a 79000 o corte,
a 69000.
M0SA0UMW
Oslrrp^ lAs -de madrfter..i.i.. fra*4tifr'
cores e que trawi" tf lUslic UjN'lAO ,fru Imira .
tambem do nisdreperola ni tifo relevo, tur-',
naudo-se por islo apropriadus para noivas, a. SO- [
-35.T
ilVd
a. 63
VAESPEHANCA tua Onaue deCa'x
(autiga do Qucmado) (juera os tota.
Sao de tartaruga
Os brincos, breches," meos apelos, qruzes,'
coracSes c cassofeta, quo etao oxijostas ha '
escoma das Exmas. (amantas do thique) venlc-se i
pa Nova Espcranca, ra Duque de Caxias
n.
63.
Ao$ meninos
A Nova Esperanca ra Duquo do Cxias n.
63, acaba de receber um lindo sortimento de bo-
necas de muitas qualidades, vindo entre ellas as
engranadas bonecas de borracha, assim taubom
urna pequea quantidade de bonecas pretas que
se tornam apreciadas pela sua nsvidado.
Ebem ut
A Nova Esporan?a ra Duque de Caxias n.
63, lecebeu verdadeiro cimento inplez. prepara
gao para concertar porcelana bem til.
Vestido perdido
Muitas vezes um vestido torna-se inteiramente
feio, smente por estar mal enfeitado : a Nova Es-
peranca ra uque de Caxias p. 63, reruove
este mal; porque est bem provida dos rheHwres
faWes e franjas colher-se voutade aobcesalado entre estas as
modernas franjas mesaicas, que pela sua varieda-
de de cores, fiea bem em quasi todas as fazendas.
A ella antes que se acaben.
Bolas de borracha
Yendem-ae de todos os tamanhas ra Duque
de Caxias 11. 63, na Nova Esperaaga.
Cabellos brancos s tem quem
quer
A Nova Esperanca ra Duque de Caxias n.
63, acaba de receber a verdadeira tintura de Des-
nous para tingir os cabellos, o que se consegue
(empreando-a) com umita facuidttde, e por este
motivo, cabellos brancos tem quem quer.
Estao na moda
Os cinturoes de couro, propfiy* para senhoras,
Se recebeu a Nova. Espera*-i pa Duque de
xias n. 63, esto, sim, senhor, eatio na moda!
Se queris ter ou preparar um ramalhete de
cheirosos cravos brapco para o voasoa^samento,
ou para outro fnn apropriado, Baoaasario ir
Nova Esperanca a ra Duque de Cojan- 11. 6 i,
que al enconuareis os melflores. poof Cuquis
que se pAc desejar.
^< 1 p .i 1
Agua florida, de Guislain,
para fazer os cabefloaipre-
tos.
A aguia branca, ra Duque de Caxtas n. SO,
acaba de receber nova reaiessa da apreciavel agua
florida para faier os cabellos pretos. 0 bom re-
sultado colbido por quem tem feito uso dessa
inofTensiva preparaeto a tem altamente conceitua^
do, e por isso apaaas se fax lembrar a quem 110-
vamenle dola precise e queira se aproveitar do
sua utilidade. Tambera vek> agua de tupasio e
oleo florido para o mesmo uso, c to acreditados
como aquella.
Voltas e brincos de grossos
aljofares de cores.
A aguia branca, ra do Duque dj Caxias n.
50, recebeu novas c bonitas voltas e brincos de
grosso j ljofares de cores, o como sempre eonti-
nua a vende-las por preco commodo.
Novos diademas dourados e
com pedras.
A aguia branca, ra do Duque do Caxias n.
50, recebeu novo sortimento de bonitos diade-
mas dourados c com pedras, tanto para meninas
como para senhoras.
CollecQoes de traslados ou
normas para escrever-se.
A aguia branca, ra Duque de Caxias n. 50,
recebeu nova< eolleecSes ou normas pmas-eriauJ
de-as por preco commodo.
Meias cruas finas para meni-
nas e senhoras
A loja d'aguia branca, ra Duque de Caxias
n. 50, receben novo sortimento da'-piellas tao pro-
curadas meias cruas para senhora, vindo igual-
mente para menina?, e contina a vende-las por
pregos commodo?.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, ra do Duquo de Ca-
xias n. 50, recebeu bonitos veos ou mantinhas
pretas.de seda com flores, e outras a imitacito 'le
croch, e vende as pelos baratos pre;os de 3J,
i 3 e 6#fl00. A fazenda boa e est m per-feito
estado, pelo que contina a ter promuta exirac-
go
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nbrntos dourados e coloridos.
A toja da aguia branca, ra do Duqa de
Caxias n. 50,' recebeu novos grampos com bor-
boletas, bezouros e gafanaolos, o que de certo
perfeita novid de. A quantidade pepuena, e
por isso em breve se acabar.
Novas gollinhasornadasfiom
pelucia ou arminha
A loja d'aguia brar.ca i rea Duaue d% Caxias
- 50, receben una pequea quantidade deJeoni-
s e novas guUioJia?, tcaljatho do la e seda, en-
neitadu cora anaiiluv otaus eslw de rnit* gosto
e inieirameiUe novas.

fM
BAZAR NACIONAL
Ra da Imperatriz n. 72
A fl 1
Loiircnco Percira Heades-.Ciniraes

Declara a seus freguezes quateio raaolvido vender o marebarato (jde for possirel,
saber:
CUITAS A 100 kiOQ RS, O COVADO.
Vende-sc chitas fraucezas

Ra do Bai'ii da Viiluria u. 22.
DE
Carueiro Vanna.
A.' este grande estabelecimento tem cho-
gado um bom sortimento de machinas para
costura, de todos os autores mais acredita-
dos ltimamente na Europa, cujas machinas
sao garantidas por um anuo, e tendo um
perfeito artista para ensillar as mesmas, em
qualquer parte desta cidade, como bem as-
sim concertadas pelo tempo tambem d'um
anuo sem despendi alguto do comprador.
largas com to-
que do avaria, a 160 e 200 o covado. Di-'
tas limpas a 2*0, 280 e 320 rs. o covado.
CASSAS FUANCEZAS A 320 RS.
Vende-se cassas francezas a 320 e 860 rs.
o covado.
l.SLNHAS A 200 RS.
Vendo-se lasinhas de cores pura vestidos,
a 200, 360, 400 o aOO rs. o covado.
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se alpacas para vestidos a 400, 500,
640 o 800 rs. o covado.
COBERTAS DE CHITAS A ICGO0.
Vende-se cobertas de chitas de cares, a
15J600 o 2^000. Ditas de pello a 1J5400.!
Colxas de cores a 135200, 29500 e-4&o00.'
CHALES DK LA A 800 RS.
Vende-se chales de l do quadros a 800'
rs. e 19000.
Ditos de merino a 29, 39, 49 e 59000.
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vendo-se pechas de cambraia branca trans-
parentes e tapada, a 39, 39500, 49, 49500,
59 c 69000.
SAIAS BRANCAS A 29000.
Neste estabelecimento t mbem ha peYtencas \ende"sa abn*** de COr(iS' para
para as mesmas machinas e se sui.pro qual- sei,oras- a |00_e 2v^nc
quer pega que seja necessario. Estas ma- ".i a duu tu.
chinas trabaham com toda a perfeifao de Vende-se bonets pretos de seda para ho-
um e dous .pospontos, franzo e borda toda meus. a 50 rs- Chapeos de palba, pello e
qualquer costura por fina quo s.'ja, seus massa a 2*. 29500,. 39000 e 49000.
presos sao da seguintequabdade : para tra- MADAPOLO A 39000.
balhar a mao de 309000, 40900;. 459000 \ Vendc-se pegas de madapolo enfestado a
e 509000, para trabalhar com o .i sao de 39000. Ditos inglezes para os precos de
809000, 905000, 1009000, 1109000, 4# ***00, o9, 69000 e 79000.
1209000, 1309000, 1509000, 200904)0 e
2509000, emquanto aos autores nao lia al-
teraoao de pregos e os compradores pdenlo
visitar este estabelecimento, que muito de-
vero gostar pela variedade de obyectos que
ALGODAO A 39500.
Vende-se pegas de algodo, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 19600.
Vende-se bramante com 10 palmos de
e 29300 o
ha sempre para vender, cerno sejam : cadei- largura para lencol, a 19600, 2
ras para viagem, nulas para viagem, cadei-. melro' ..__ __. .__,__
ras Jara sals, ditas de Unco ditas para ,GllANDE WDACA0 DE SAB0XETES 280 RS.
crianza 'altas), ditas para escolas, costurei-) Vende-se urna grande porgo do sabone-
ras riquissimas, para senhora, despensaveis tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes c;-m
para crian;as, de todas as qualidades, camas, cheiro a 320 e 500 rs.
de ferro para homom e criangas, capachos,! Agua de colonia, a 200, 320 e 500 rs. o
espelhos dourados para sala, grandes e pe- \ frasco para liquidar, e outros extractos
quenos, apparelhos de metal para cha, fa- muito barato.
queiros com cabo do metal e de marfim,
ditos avulsos, colheres de metal fin i, cohdiei-
ros pura sala, jarros, guarda-comidas de
rame, tampas para cubrir pratos, esteiras
para forrar salas, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para toiletto, e outros mui-
tos artigos que muito devemagradar a todos
que visitarem este grande estabelecimento
que so acha aberto de-de as 6 horas da ma-
nh at as 9 horas da noute
Ra do Barao da Victoria n.
__________22^__________
E' para noivos.
.^ODaJfjBJlUua do BomJesm (outr'ora Cruz)
n. lo, neriiuaas, ealessas, meias calegas c vieo-
ri.is, com um e dous bolieiros, e parelhas com
arreog de metal principe, udo preparado com
luxo e elegancia, c por pregos muito commodos.
Os mesmos vehiuulos servem lanibem para baptia-
dus, visitas e actos na academia. Assim como na
mesma cata ha calecas anda nao servidas, que
e vendem por connodo preco, j>reparadas com
luxo, para nao particular.
SjSft!
- 9
S31

mm
ESsts
m
Samuel Power Jolms-
ton & G.
{un do
V>o!l
ii. 38 e 40
-
Eitun sciaate aos sea, fregu tasque teeni
mudido o mu deposito de macbloas a-
por, moendas e laxas Ja mullo cn
fabrica de L.wM.;or pau rn do Ap lio ...
33 e 40, ; nde e inunaam a ter era
Umeaia do eotajune.
Patea aciaaie tambem jch ie*iu k'-\<> um
srranjo com a fondirao gerai, pelo uan po-
deai offere-rr se para aaseafar qualquer
macbinlsmo e me.mo garaali !o.
Appareluo para fabricar assprar. do -
WKSTll.N UBNTKBFOliAL
Uoicos agentes em Pemambaro a foadicao geral.
Para laatar WD aau eacriniork] i roa I A|
. 3 -'-. es
CQUTES fiJp.pi E CORES A19500.
Venderse cortea de bnoa de cores par
caiga, a 19500 e 22000.
B0TII?AS A 89000. *
Vende-se bwtiuaspawswiUoras, a 3800
39500, a alias.antes. que soaeabaai.
IIOUPA ilU NACIONAL.
Vende-se camisas brancas, a 19G00, 22.
$VW, 3900O e 4000.
Calais da .oaseaakas do cores, a 59, 62 r
79000.
Coletes de casemira, a W, 29500, Jjfrr
40,Q0u
PalittsdacafiMBira, a 49, 694*00.
S'i-oiilas a Id e 49600.
BRiMDKCOHESA 440 RS.
Vetide-se brim de tudas as cotes a 4A
rs. o cavado.
LENCOS BRAMOS A tftOOOA OUZ1A.
Vende-so a duzia de lengos brancos, i
2900Q. Ditos com barras de cores, a 3900Q
Ditos de linbo a 59000.
TOALHAS A 000 US.
Vgnde-se toalhas para rosto, a 800 rs. t
19000.
GUAVATAS DE SEDA META A 500 RS
Vende-se grvalas de seda preta, a 6P
rs. cada urna.
CUITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chita para coberta, a 280 e 320
rs. o covado.
BONETS PARA MENINOS A 19500.
Vende-se bonetes pura menino, a 195X0
ESPARTILHOS PARA SENHORA A 39500
Vndese espartilhos para senhora,
3950O.
PHNTE8A 380 RS.
Vende-se pentes de alisar, a 240, 320 *
400 rs.
POS DE ARROZ A 240 RS.
Vende-se pos de arroz em caixa, a 940
rs., para liquidar.
ESPELHOS A240RS.
Venda-so espetaos, de diversos tmannos.
a240 e 320 rs.
TESTERAS A 320 RS.
Vende-se tesouras de di vrsos tamanhos,
a 320 e 500 rs., para liquidar, e outro?
muitos artigos que se vene barato para li-
quidago de facturas.
mmmmwm&m
iltlll'll fiH '<
p priprietarios d.i faJicio t^.-a! U -xc ;'.":
- ios rtihores ds i-;ji;;li0 t O
peaso: que teera es-rstelecido un Inndi- f
U to e brou: a r.ua rto B:ui;i, >un- C
t>i i e.iacan dos bo^ds, ra-j
;.i!,, i de enci"raenda ccQ pcr&U-
r rptidia fia
(J me-rr.^H rogam a< pess^.a? i;w ija-
ram otilisrr -a do ens rrvii--. 1. ';\7. i- !
rin .- cncomn < adaa ei~: ca?a Sea Sr?. S*
Power Johnati n < V, a rus i
33 a 40, oniia acharao papsoa hab;i;
. ipii BteoJ
z .
lo n.
i
i
V,
Kilo iia mais cabellos
brancos.
Se nica approvada pelas academias de
sciencias, reoonhecida superior a toda que
tem apparecido at boje. Deposita princi-
pal ra da Cadeia do Recite, hoje Mr-
quez de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reno.
FAZENDAS DE GOSTO
S ara imiv*ii '.***
Linde; cortes de rassa de cores eom baria e ns competentes enoites e ligurinos a 6oQb
Superimes sultanas lisas bastante laigas e con baria para fazer us ent'files, fatanda nr..
deri.a a lOOO o metro.
Na ja das Columnas, de Antonio Corre de Vasconcelos, ra Prirf ro de Marro m
liga do Creago n. M. '
Grampos, brincos e roatlas
dourados.
i A liya da aguia branca, ra do Duqu*
Caxias n. 50, recebeu novainente bonitos gram-
pos, brincos c rorelas dourados ; assim eomo
novos diademas de Ico, e como. na a vendc-los por precos razoaveis
Caixiuhas eom. pos dourados
e prateados, para cabellos.
oree com os mais delicados padrees, por terem
um pequeo toque de avaria de agua doce, pele
barato preeo do doze rintrns o covado. pecbin-
cba : na )fja do Pavao, ra da Imperatriz n
*h ____
Vende-se na loja da Acuia Branca ra do Da-
que de (. axias n. 30_.
Luvas de pellica pretas e de
outras cOres.
A loja da Aguia Branca, ra Duque de Ca-'
xias n. 50, recebeu novo sortimento de lavas de
pellica, pretas e de outras cores.
Jl
de seda cen toque de mofo a 800 e tlOOO o cova-
do, para acabar : na ra do Qucimado n. 43,
dO'S3 amostras._________
Cassas a variadas a 240 rs.
a covado.
GRANDE DESCOSERA
DO
>m lf f IL
m w mmm m w&m
Composto do manac anti-rheumatieo e depurativo
PELO
E' preparado este xarope de manac e mais algumas plantas indgenas do Amazonas,
O Pavao yende flnissimas cassas francezas de nao contm preparado algum mercurial. Cura com rapidez rbeumatism), dores nos
'ossos, erupgessyphiliticas e dartrosas, escrfula e todas as molestias que dependerem
desses virus. A sua composeo foi approvada pela junta central de hygieno pu-
blica.
A cada garrafa acompanha una explicagao para a forma de usar. Prego de cada
urna 3$000.
nico deposito nesta provincia ra do Raro da Victoria n. 38, chapellaria' de
Monteiro (fe Silva.
DE HrilUj
As mais recentois e melhores.
Vendem-senapbarmaeia edrogariade Bar
thulotneu&C, na Larga dosario o Hn. S4
Diversas fazendas.
71 RA DUQUE DE CAXIAS 71.
Pecas de algodo largo encorpado a 2|8Q0, de madapolo camiseiro a \l dit* lar^o a A 4800,
o*\5*5t0e 6;, dito franceza 6>.'00, cintas.finas'
e fixas, escuras, darac, rxase verdes a 20 rs. o
covado, colchas adamascadas a 2, damasco de
algodo com dnas larguras a 1*200 o-cavado, dito
de la fino a 3/5(0, chales d merlnd liso Uno a
M ditos estampados a 30 e 4|, toalliaa fel-
pudasi a 6i e U a duzia, lenjos de cambia bran-
pa a 1J200 a duzia, ditos de cr peifienos 800
E^Vnto? ?r?'l'.cAaJlJI,W' wibraia bvanca.fia a
p#or
00 41 4*300, Sf e 6 a pe-a, dita bjirdad a
hi e5A, dita de cor a S40 rs, o covado, la |taa
verde a 240 rs. o covado, dita fina de (Uveras
" fio daW8oVllaa vctide-i-e una trastes^ usados, de Jacaranda.
Casa em l na.
Vendase dans casas bem consiruidas no povoa-
do dos Montes om Una, ra Nova, eom bastan-
tes commodo* e com terreno al o rio e proprias
pca coaimeroio : a tratar a ra do Crespo n. 7
A, ouBomesmo povoado, com Magaihaes Bastos
&C. __________________ .
?fa ra do Comtnercio n. 22 vende-se vinho
do Porto e Sheiw-, da boa qaalidade 9 barato, em
barril._______________________________
SG_DO ECONOMA E CELERIDADE.
Obtem-se com o uso
*'
INJECCO SHOST
.nica, higinica, radical o cfalliwl, nacu-
ra-das.gonerUeas, flores brancas e fluxos de
tod* eapeoio recentes ou chronicas; e que
offcrece coimt garanta de saluturcs resultados
a continda a.pplicagao que sempre. com
maior vaotigem se (din feito della nos bos-
paes de-Pars.
DrHOnrteposFtqparao Brasi'1, Bartbolomeu
& C';, joa Larga do-Rosario n. 3 i.
- Vndese a. am* co-e mataJxmiaiioriM da
loja da,-!* do Baogel n. 12 A, propria para
qualquer negocio : a tratar na mesma.________
- Na ra de Si|)U|i#60, Uverna, ven-
deseum terreno wtjMtmmJ Na mesma casa
Cores a 320 e 400 rs., luvas de .
* 0 rs. o par, cortes do brim do buho bno_)_ de
fajTO^^t^W*^^ > 'fapoues para agua
VSS^t^lL9*' aW l^Jarr^^V^b/a^oe 4e diversos manho*, b_
Jipara venfer na ra do Imperador n. 15.'
480 rs: o covado.
A (MOA m BRUJANTE
-.OalA. H_ WUS
Esquina da ra dotJabug n. 11
CONFRONTE A0 PAIIIO DA MATRIZ DE SANTO ANTONIO.
Esto importante estabelecimento, tendo grande sortimento de joias de ouro de lei,
resolveu vender muito barato 20 /0 menos que em outra qualquer parte, rs seguintes
joias :
Adercgos.de brilbantes, de moderos e delicados gostos.
Ditos com rubins, esmeraldas e perolas:
Voltas de bonitas perolas e erases de brilhantes para noivas.
Medallioes de coral.
AConafirilhanto contina a terra,nde sortimento de raadahOcs de coral, camafeu
I e nix com bouquets de perolas e damalRes, cassoletas do ouro e pedras pretas com lettras.
de 12 a 20JJ000.
Cadeas para rdoyis.
A Cora Brilbaute recebo sempre quantidade-deicadwB de ouro, Wai_U
b 6??400 a oitavo, c tanibom para senhoras.
Cassoletas para senhoras, om lettras, a 6J s_IW.
Brincos de variartegostos, para senhoras o iieninas, de 5,a 2W00 et_.
Anneis do amethysta com lettras de diamante* de4*. #000.
Pinco-reesetrancelins emeaixinhas de vellufc,.}wii>r_Jen_s.
Medalhas mil
A Cora Brilhse tem medalhas milagrosas
dourada a lj&OOO. Tambem tem sortimeal de ,
chegados recentemente, e por precjoe f_urdtiod
G_Mda-se as Exmas. fa utas visitaren} a
g n. 11, a quT continuar aborta noite atd 8
Garntelo o^iro^piJssj^cxDsafi:
f
rosas.
la* Dores, tk>_uro
a V&H

jee^H32vwi^(B5jHftRr jallart%a
i da Cuorikilhantft,.-la rite Cabu
I
l
.
V







l.-.i'.
_
V
Diario de Pernambneo Tui^a ftira 5 d 'Agento de1 IW.
f
i
j
COSTURA DE HOWE

i
SOASES LEIIE, IRIHAOS
(HUGOS AGENTES
A'
fina do Bardo da Victoria n. 28
As mais simples, as niais baratas e as melhores do mundo!
MARCILIQ DAS N. Si.
Este eslabelocimcnto sempre solicito. oro offerecer a concurrencia \U> rcspeitavel p-
nico un completo sortimento de mraifezas.icafyedo francer, -chapeos c qurnquilharias a
oreos as mais mzoaveis possiveis. par o que recebe quasi todos os scus artigos de pro-
pna encommends da Europa e America, vem dar publicidade deafluus artigos por cujos
procos oem se pode avallaros preces de outros nr.uifos que se tornara enfadonho pu-
ilicar.
MIUDF.ZAS.
L para bordar, da mollior qualidadc, 1
libra por 5?500.
Agulhas francezns, fundo dourado, a cai-
tinlia com 4 papis a (H) rs., 240 .
MIUDEZAS.
Brincos dito de dito por 2JP500.
Botos de setim pretos e de cores, a 800
rs. e IJWOO a duzia.
Franjas brancas do seda de todas as lar-
Ka expsito de Paris, era 1867, foi concedido a
Elias Howe Jnior, a medalba de ouro e a condecora-
do da Legio de Honra, por serem as machinas mais per.
feitas do mundo.
A medalba de ouro, conferida a E. Howe Jnior, nos
Estados-Unidos
tura.
por ser o inventor da machina de cos-
A medalha de ouro na eiposigSo de Londres acreditam
estas machinas.
A 90S000
Voltas de Ata'de vellu' u>m lindos co- Sura.s a *9M e UMOO o metro.
rac,es fingindo roaureperola, a 500 rs. ^'las ^e ores epretas a 800 rs. e 1JW00 o
Voltas para o pesclo, fiugindo camafeu., met,r0-
cor. ' liante,, tudo por 25300. i 800 rs. a IJWOO o metro.
Linha branca de 200 jardas em carrileis, CALCADO FRAKCEZ.
propria para costura de machina, a 800 rs.! Botmas Prctas gaspeadas, para si
a duzia.
Libe-nos o dever de anunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
ork, estabeleceu nesta cidade ra do Baro da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral, para em Pernambuco c mais provincias se vendercm as afamadas machinas de cos-
tura de Howe. Kstas machinas sao justamente apreciadas pela perfeiro de seu trabalho,
.mpregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra)
o pela introducto dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
terecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as seguintes:
Pnmeira.0 publico sabe qu ellas sao duradouras, para isto prova iucoutestavel, a
da mo.
Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Tercoira.Ha nellas menor friccao entre as diversas pe as, e menos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Formara o ponto como se fra feto mo.
Quinta.Permiti que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu
as outras.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um outro lado,
<> logo em seguida, sem moditicar-sc a tenso da linha, cozem a fazenda mais
Tina.
Stima.0 compressr levantado com a maior facilidade, quando se tem de mudar
de agulha ao comecar nova costura.
Oitaya. Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
mudanzas radicaos para poderera substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opiniao de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, e hoje ne attende a procura, posto que faca 600 machinas
por dia.
Cada machina acompanha livretos cora instrueces em portuguez.
A 90>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMOS
A"
do Baro da Victoria n. 2 8.
Dito de dita de Alexandre, .numeraco a
gosto do freguez, a ldlOO a duzia.
Diademas dourados de lJSoOO a 3JJ000.
Ditos de tartaruga cora flores a 23)000.
Ditos com borboletas a IJoOO.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaquct de 500 rs. a 2JW00.
Ditos dourados, duzia de nares, a l#o00
2J*)00.
Voltas do aljofares com brincos, a 2?500.
Botinas pretas gaspeadas, para senhora,
45?500 o par.
Ditas de ditos can cora$os a 19000.
Ditas de ditos de cuntas com cassoletas, a
800 rs.
Hosetas de plaqut a 15J o 1JJ500 o par.
Gravatas de seda para senhoras de 1JJ20
i 'iaooo.
Yaruros com 2 lagos para cabeca e peito
3$ e *$000.
tintrcraeios e babadinhos bordados de 3C0
fs. a 2400 a pega.
aloes de seda brancos e de cores, de
l500 a 2??500 a pega.
Ditos de algodo o seda, de 15 a l$4O0
a pega. .
Ditos de algodo, a 100 e 500 rs. a peca.
Trancinhas de coros, a 100 e 500 rs. a
peca.
Leques de marfim a 3> e 8#000.
Ditos de sndalo a 4&500.
Ditos de madeira imitando, a 23*000.
Ditos de papelles a 1?P800.
Loques para senhora, a 3S5, 39500'C 49. \
Aderecosfingindo coral, co-npondo-sc de'
alfinete e brincos por 29000.
Dito dito pretos por 2-5500.
Ditos de plaquct, compoudo-se de alfinete
e brinco, sendo de muito gosto, por 55000.
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
alto, a 59000.
Ditas pretas enfoitadas, ultima moda, a
65000.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 59500,
Ditas para meninos, pretas e de coros, a
39 e 49000.
Completo sortimento de calcado de case-
| mira, Charlt, tapete e tranca, mais barato
10 % do que um outra qualquer parte.
CHAPEOS.
Ricos chapeos do palha d'Italia, para se-
nhora, a 115000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 1G5000.
Completo sortimento de chapcosinhos para
meninas e senhoras, de 29890 a 59000..
Chapeos do sol de seda, ingleses, cabo de
marfim a 109000.
Ditos dito de merino, cabo de metal mui-
to bonito a 59500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
madeira, a 69000.
Ditas dito cabo de marfim a 95000.
DIVERSOS ARTIGOS.
Granadine para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de soda, a 050 o co-
vado.
Pannos do crochet paro cadoiras, a 19800
e 29000 cada um.
Ditos para sof, a 39 o 49000.
Toalhas deliriho para rosto, a 15300 cada
urna.
Ditas de algodo alcoxoados, a 640 rs.
'Cdlxas de crochet para Cama de casal, a
69000.
DI0CONA1HO UNIVERSAL
DE
E
mtx
PlS^eJEWAF! "K AMB0S 0S SO0S- AS MATS DE EMILIA, AOS
PROFLSSORBS, AOS RECTORES L DIRECTORAS DE C0LLEG10S, AfiS
ALUMNOS QUE SE PREPARAN PARA EXAMES.
Lontendo o mais essencial da sabedoria lium
E
TOBA A SCISNCIA QORBIAIAIinTE APPLICA7SL SU ASSOT
i. n* oluevaa.
onhecimento e directo dos caracteres, faculaades, defdtos, mritos e aptidore.-
gio, moral, philosophia.L giftj, rhetorica, potica.Litteratura, pedagojp,
nlidade, escriptores antigos e modernos.Agudezas, proverbios, mximas,
gramrnas, etc.
t.-De iiisli-inu-ao primaria
Lohura, escripia, clculos, problemas, formulas, svstema mtrico, moral
Lingua portugueza, orthographia usual e grammatical, redaegao, estylo ,
homonymos, synonymos, raizes, cty'mologia.Methodos, disciplina, meios:
de execujo.Historia universal de cada seculo, vares insignes, descobrii
factosassignalaveis.-Geographia descriptiva, cidades principaes, ndole c
e productos de todos os paizes, monumentos celebres, panoramas, curiosidkilQKr
toda a especie.Noticia das scicncias usuaes, artes, misteres o proissoes, bs.
3."IiistrucoAo secundaria.
Linguas : portugueza, fracceza, latina, hespanhola e ingloza.Goologia, m
botnica, zoologa.Physica, chimica, astronomia, mechanica.Ariihmlica,
bra, geometra.Industria, hygienc, desenho, agrimensura, comiuercio, zsm*-
tura, etc.
SEGU
DICCIONARIO ETYMOLDGtCO OE TODAS 45 PAUVRASIECHMCB
PROVENIENTES DAS LINGAS GREGA E LA I NA
Tildo simplificado ao alcance dos alumnos epenotu meramente dse losas de inOrva-
fo, com elucidapet lao proficuas aos
REDKGIDO COM A COLL
ios meslres quanlo prove tosas no trato das fattmm.
ABORAGAO DE ESl.KIPTORES PECfl.IARES
1'flR
SOBERANA EINFALLIVEL
INJECCA0
DO !
MATTERHE
Poda obter em pouco lempa com o oo do melnor eos licorea x^rai^
HESPEIlNA
Faz oito annos que conhecido este pnecioso tonici, e. diffic achar urna petso
, leudo experimentado pessoalmente, oo falle em seu (a^or, j com boa .esionwr.
m\.
i-i;\n:
Da Wfok de medrina de Paris, eavaliieiro da Leiao d'lionra
i 1.1..-------_l____:_ ____________,_ i_____
ira este mal, tacs como a copahiba, cubebas etc., nao produzem effeito senao coramuni
ando s urinas algumasdas suas composices, que, pela sua passagem atravez do canal-
Je tornara urna verdadeira mjeceo.
Para que ser necossario carregar o estomago com essas preparagOes nauseabundas a
repugnantes? Para que preciso fatigar os intestinos com a sua acg irritante ? A res-
posta e simples :Nao se tinha ainda descoberto urna mistura que, introduzda directae
mente no canai, produzsse os mosraos effeitos sem temer mos resultados. As injecce-
tao falladas at aqu, conseguem fazer parar a purgarlo, porm pela irritado consecutiva
que produzem no canal, sao urna arnera permanente de aperto. affeco muito mais ter-
nvel que o mu se pretende curar. Eis aqui porque a maior parte dos mdicos quorecu-l Rto de Jane,ro' Prmittiodo sna lirre etaborac no Imperio; ootn
sam, com razo, de as empregar. | "B| pilAl' i
A injec^o que nos apresentamos ao! a acoeitaeo geral qne lem m 4ndM t partea onde ^rieouda. Ea Mi MU&.
qoe
e apetRador, L mando om calis delta a
t<>maudo-ae depoia.
da HESPERIDINA a
especial das aranja)
ora bem, a
de jamar, no como facilitador da digaaui
LARANJA AMARGA, 08o ta otn e habitante do BRASIL (a Wrr
que bio cenheca as propriedades medicraaes da doorada frocta
DIRECTOR DE COLLEGIO
Trasladado portuguez.
POK
CANILLO CASTELLO BRAACO
E
AMPLIADO PELO TlADUOTOK NOS RTICOS DKFIC.IKNTLS KM ASSDMPTOS RKI.AriTOSl
POKTIT.AL Ei.ltAS!^.
A obra constante de 50 naderuetas ser terminada no correr de 1873,
A assignalura razo do 300 rs. a caderneta, divi duas series, cada urna de 26 cadernetas, ou 7^500. As 10 primeiras cadernetas calrn-
se desde j. ^^
LIVRARIA FRNACEZA
4 Predilecta,
LOJA DO PA
Ra Primeiro de Mar^o
n. 7 A,
outr'ora do i respo.
actunlraente diste imjM em seu estado natoral Um nm gosto pooco agradavel, e o erito da espendin rt
siste em reter soas boas propriedades, e ao meemo twnpe presenta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL nlo lem rndi qtre rnviar a
melhores importaces enropas de catbeurria wmelhMrte. Eataa, batido nitrito, poftat
ser gostosas, perm a HesperidiDa 4 a corntiDa^o perfeita do
p AGRADAVEL E SABATEL
Para prova de que om artigo jo qoal pode-se ter inteira coofianca, por aer pnr
e innocente, basta dizer-se que foi plenaBieDte approvada e autorifadmela
JUNTA DE HYGIENE
no enipenlio de'bem servir aos seus freguezes e
ao publico em gcral tem procurado prover-se d.
tiue ha de nulliur e da ultima moda nos merca-
dos de Europa para expo-lo aqui venda, eer-
tos de que os seus artigos scrao bem apreciados
pelos amantes do bom e barato ; passa a ennu
mcrar alguns d'eatre elles, como sejam :
ALBU.VS, os mais ricos que tem viudo a este proprietarios
mercado, com capas de madreperola, esUibelecimento, tendo procedido a una
tartaruga, marliin, velludo e chagrn. r forma em precitado cstabeleciment, e tmiam,
ADERECOS pretos e voltas proprias para luto ; de ser elle nm dos mais bem sortidos ;fr/rfa-
assim o mo, um bonito sortimento de monto em artigos de moda e alta nnvidaaa, paiaja
ditos de plaqu, obra fina c muito bem ao respeitavol publico e cm pariu ular a aou
acabada. numerosos freguez. s a bondade de romtnioMK x.
BOTOES para pininos, o que se pode desojar de depositar em sua confianza, garantindo ?.?wV
melhor em plaqu,, tartaruga, madre- vidos e |ior [irecos nimiaaientc baratos. V*~
perola, marlim e osso. iiham- pois todos comprar novas e Mi Eepr-
BOL<,JAS de felludo, seda, pallia e chagrn, das, de cujas damos um pequeo resBewpaa
ha de mais moderno e l.ndas. Que a vsta delle possam apreciar.
BICOS de seda e de algodo, tanto branco como Velludo preto, setim maco preK. e brawA.gar-
preto, de variados desenlio* gurao de seda, grosdenaplc preto e de linas* r-
CASSOLETAS pretas de metal e de madrepe- res, 15 com listras de seda, caafbtia nunya%
rola. nansok de lindos padrocs, carnizas baatiailM tan
CAIXIiNHAS para costura, muito ricas e de di- homem, vesluarios para erianBas, ilnpnaa too.
versos fonn tos, com msica e sem baptisados, manas biasileiras, meias i!cf;'ibs-
ella. ra homem c meninos, chapos de calo de ruaos:
COQUES a imitaciio, o que pode haver de mais para sol, granadine, fil de seda, ricas fMpMI
bonito e bom gosto. oe seda, fil du liuho, bramante, csinhrwa.--, cte-
3IAS, neste genero a Predilecta apre- ?. eaasemiras, etc.: na loja di Passa, n to-
seBla um grande e lindo sortimento niireo de arco n. 7 A.
JMp.de satisfazer os caprichos de Setim maco de cores.
W''r senhora por mais exigente Saias bordadas para senhora.
q..e seja. | C rtes de vestidos hnutBBa bordados )&t *-
PORT-BOUQUET de madreperola, marfim e sso, nhoa r. .
este um objecto indispensavel s se- Merino p^eto e de cores.
nhoras do bom tom, afim do aspirar! Capellas e mantas para noiva,
o aroma das Dores sem o inconvenien-
te de nodoarem as luvas, ou mancha-
ren as delicadas mos. i
PESTES de tartaruga, de marfim e de bfalo, pa-!
ra alisar os cabellos e tirar bichos.
PERFUMARAS. E' sabido do publico que a Pre-!
dilecta sempre conserva um importan- baptisado, com dous emblemas.
te sortimento de perfumaras de fino Na Na^do Passo, ra j'rimeir
odor dos mais afamados fabricantes,
Lubn, Piver, sociedade hygienica, Cou-

Rieos cortes de seda de cores.
Vistoarios para baptisados.
Chapeos para Laptisados.
Colxas de seda para noivas.
Ditas de l.
Toalhas bordadas de cambraa de
QAi
gamente Crespo, n. 7 A.'
'rimeiro de War(v
dray, Gosnes e Rime!, que meum-
bide da escolha dos aromas mais bem
aceitos pela sociedade elegante da
Europa, e por tanto, acham-se na
possibilidada de bem servir aos aman-
tes dos perfumes.
Presentemente, este fundado temor nao existe.
trabalba na cflrte. Em Valparaizo e em toda a costa de Pacifico Um boa atceitaca.
tauio qne rara a caaa que considera completo seo aparador eett urna garrafa de
. _fl
O homem velho toma Hesperidina para obter
o. VIGOR
O bomom ioente toma Hesperidina para obter
SADE
0 homem dbil toma Hesperidina para obter
Ncs bailes as domellaa os ocos temam a Seineridioa para obter bna cftr
ammacio dorante o loncos ^yro da
BARROS JNIOR 4C a ra do Vigario Tenorio j*. 7, V indar, receberam ui
grande especifico, e vendem-no no deposito egntee:
Joaquim Ferreira Lobo, ra da Imperatriz.
Zeferino Cafneiro, roa do Cdmmercio.
Marcelino Jos GoucaJvee da Fonie, re da Cadea b. t.
Antonio Gome Pires dr C, roa da Cadla.
Antonto Gomei Pire & C caee 28 de NovembM.
Gome A IrmSo hotel .da Paiagem.
que ella destroe decompondo os elementos da purga^o e tonificando a mucoza e as
glndulas donde provm a sua origem. A sua applicaCo nao dolorosa, c se urna li-
gara mpressao se segu sua introdcelo, essa mpresso de pouca dura, e seue-lhe
urna sensato immedjata e nao desagradavel. O seu tratamento nao precisa de nenhum
utro auxibar para fazer parar era muito pouco tempo as purgacoes, ainda as mais re-
belMi
Quasi sempre basta um s frasco para a cura, pois nao nos consta quehouvesse pur-
gado que resisusse ao euiprcgo de dois.
Afim de cliegar a urna prompta cura, o doente dever seguir o seguinte
II1 4.1III \ :
^1. De dois em dois dias, tomar um grande banho, e permanecer nelle duas boras,
2. Lavar tres veaes por dia a parte doente com agua fra.
3. Dar tres injeoees por dia : de manh, ao meio dia, e noite. Apertar licei-
ramente o ortfic do canal, afim de conservar nelle o liquido um minuto.
4. Usar um suspensorio.
5. Abster-se do uso de bebidas espirituosas, ou alcoolicas durante o trata-
monto.
SENHORAS.
Ha muito tempo que as flores brancas, leucorrheas, etc., teem sido consideradas as
senborM coao causal, aeonstitoico anmica, que na linguagom vulgar Ibes cbamam
patadas cares quando ellas sao ao contrario, a causa do enfranquecimento, e pobreza
do sangue. D ah provem o erro que muitos mdicos commettem ainda, de tratar do
estado geral, em logar de cuidar do estado locai, que a causa dos symptomas eraes.
>ao logarpropno^ato^eiartarsnos tbeericaraente o facto que-ayancamos, maVacredi-
tamos que basta apeata-lo para que tod-i o medico conscienoioso o reconhe5a o sen
A nossa injeocAo tendesempre a suspender essescorrimentos sempre rebeldes a quai-
quei nw-Jacaflwnto i mas para obter esse resultado procieo queseja dada com o maior
andado, e que penetre t as mais pequeas pregas da mucoza, po8 que eo funde
da mucoza que esta a aqsa da anecio, Ks convidamos as pessoas que recorrerera
nossa uyacfiio, a serwem-se, de .preferencia a outra quabpier, da seringa direiu, forma-
da d u tubo de Mira do qual a eatremidado redonda tem alguns buracos. Estas se-
ringas tem sobre as outras a vantageni diabrir largamente a vagina, e por toda a muco-
za, em cootcto com o liquido injectado, cndilo mdiapensavel para cura.
Duas colhens de sopa da nossa injeecao lancadas n'uma quantidade d'agua sofiiciente
para encher a seringa, basura para urna injeecao, oue deve eer repeHda tres vezea
por (iiBt w>.
1 nosaainjtcfo .fmplialtki, ieto ewta omal. Urna s injeecao basta, dewfr
d um co^to^r^aa>.p^^aljPg)dete4Vo reoeio de doenCa.
Novidade.
Ka-
A Predilecta, na do Cabng n. 1 A,
de re-eber pelo ultimo paquete chegado 4*
ropa, um bello sortimento de corpinhos s
A PREDILECTA.de. xa de enumerar urna im- braia ^dadog para 8enhoras eVnioa*.,
ST!f-.de art'g0S'ain!. dC "k maS" nhas e Punhos tonHsm bordados cd"Xai
SLf^SL. I6, ,,edK,a hm6T i?aias b(*dadas> di,as com entremeios Pa^b7
rigir-setruTl'^tgfVA^ r )0nitas Ca,cinhas *
ra convencer-se aonde pode comprar

--------
DROGARA
NA
PHARMACIA E
DE
BARTH0LQMEU& C,
#4Rua-Larga do Rosario34-
5 mmm tk Jaapis lyu MMa i
Travessa flb Oorpo
Santo N: 8*.
Vanare locomovels de torga del a 4 cvanos.
OrtTelas para machinas.
foai a diversos taraanboa.
yaauataa.Mr^oba^tea deijairoa.
Solas de lustroipar guarda lama.
Ponfasde Taq;ca paracarW.
Cufio tes'pra carro. *"
fiattoiiago e awrao par aero.
Prego com cabeca de marfim, dem.
v
o que bom e barato, assim como:
FACHAS ricas e modernas de tuquin e mirgurao
seda
IMENSVETT0S. Ricos vestimentos para meninos,
por baratsimo prece.
FLORES. A Predilecta prima ui conservar om
bello sortimento de flores ao alcance
de qualquer bol.a ainda qne nao es-
teja bem repcela de dinheiro.
FITAS. E ja bem sabido do publico que s na
Predilecta qne podem encontrar un
gran> sortimento de fitas de setim,
tafet, velludo, nho e de algodo, por
commodo pre?o.
GRAMPOS de tartaruga, imitaco destes, pre-
tos e Oe cores, o qne se pode desejar
de mais moderno e bonito.
GRAVATAS de seda e de cambraa para senhora,
lagos e golinhas de bonitas cores, tam
bem tem um bom sortimento de gra
vatas e regatas para homem.
JARROS de porcelana e de vidro mnito bonitos
e transparentes para
por barato preco.
meninas, que udo
ara ornatos de sala.
Mei s
de seda, de la e de aJgoefo, pa
tk senhora, meninas e homem.
LEQES. Ricos leques de madreperola, tartaruga,
marfim e de osso, os mais moderaos e
per barato preeo.
LUVAS de pellica, de seda e de algodo, para
homem e senhora.
LIVP.OS para missa a Predilecta^apresenta es-,
eolha do respeitavel publico um fcelto
sortimento destes livros com capas de
madreperola, tartaruga, marfim, ase
velludo e chagrn, por procos mu
razoaveis;
NovidadesH
Na padaria allema de atateraus Lena, roa da
RestturieAo n. tem para vender o seeutnte :
Wm He WeatphallB.
' Br^bM verde inleiraa.
Ditas ditas partidas.
DiUs amarellas ditas.
Lentllha*.
reUtoibramefNarae.
Swaainka.
SafUfloa.
Ameitas Seccas.
Cewlas tts.
Waces ditas.
Biscoutni bamburgeeam
Sal amoniaco para o padeiros.
Bom negocio.
Veode-aao eageabe Camevoiiueo,copeiro ehom,
imoeior. distante da estacan de Agua-Preta tre*
leguas, pMe safrejar de 3 a 4,000. p3es de assuc?
e com boas matas de excallentes madeiras : a.
Mar mwmaa, ou neat.eadade ru* Duque de!
Caas o. 40, com Jeaquim da Silva CcetaT^
IHima resnlnco.
Lazinlus escoeezas;
20 Ra do Crespo 29
ftendo grande quantidade de lajnlias eecocacas
est resolvido a vender por 2i0 rs. o corado, pa-
ra acabar ; baraturas* e detn-se ami*tn>.
Alpacas.
Alpacas de Katras, lindos padrees a 300 nt
covado.
[Grosdenaples.
Grosdenaplea pretos a U80o e 24f.O o rorad*.
Algodoes avariados.
Algodo vahdo de ^iferemes precia e -
lidades.
Colchas adamascadas a i.
Ditas brancas d croch s 5.
Cobertas de chita adamascada a 3|50Q
Cobertores de flt eteure a 2|.
Lences de bramante a 14-
Toalhas alcochoadas a 6 a duiia.
Lencos de cassa abainhados a l, a duzia.
Ditos ditos com barra a U a duzia.
Ditos ditos de esgulSo a 3*500 a duzia
Camliraia lisa a 3< e 449t. m
Dita \ ictoria fiaa a SaMe.
Cortes de Casemira fiaa a Si
Cretone, lindos padrees a 410 re. o coris.
Chitas ruxas a 300 rs. o oovado.
Ditas verdes de L-8res S0.
Cambiaias de cores a 180 rs. o covadi
Brim pardo a 400 e 446 m. o eovado.
Brim lona, branca, a .1*600 a vara.
S na ra do Crespo n. JO, Joja de GuSfarsc
ce C.
.
Casa.
. \ onde-se a da ra Vidal de Meruiras a-
tiga Lauco Ponas) o. t3, reedificada he
nousa.do 2 aiezes, a qual xaude (*009Qtt
inuul: a tratar i ra Nava n, i%
j^a._____________. ____________
- Vende- ae jarras toas, jatro, paasa-ankw
loua fabricados pelo primeiro area de Peras
buco, o Sr. Rntlo dos Santos Barros, asilo
conta : aa otaria da ra do Coronel La
naeroie.

:
Jks^rliiia
VerdaaWe MMr bMeerraina, aaperwr aaw-
ditado: i. venda no armazem ik'lHu "
(; ra io Amorim a. 97.


8
Diario de Pernambuco Terca feira 5 de Agosto de 1873.
VAR1EDADE
MISCELNEA.
Por occasiio do saque, a U de julho de
1823, da celebre ilha deChio, a afortunada
patria de Homero, a mais florescente das
libas ilo Mediterrneo, un Turco, oriundo
do ko.neb, depois de tur dcgolado os pas,
um llio anda pequeo e o esposo de urna
bella rega, fe-la sua escrava, coustrangeu-a
a abracar o islamismo o forcou-a a despo-
sado (sabe-seque a lei de Vlaboraet permiti
ao homem ter qnatro mulheros legitimas.)
Urna nouto a infeliz Grega, toda entregue
s saudades mais pungentes o sua cruel
stuacao, olhava, possuida de terror para o
monstro que dorma i seu lado. Enfraque-
cida pela insomnia e o desespero, parecen-
do-llie ver liante do si ts corpos onsau-
gueulados dos entes que tanto amara e an-
da amava, vendo o culelb que Ibes dera a
morte, o qual jazia all, encostado, prximo
do leito, oi-se-lhe oxaltaudo a iuiagnaco,
at que, quasi delirante, corre a tomar a
arma, embebe-a toda no peito do (tormento,
e depois com ella propria ducepa llie a ca-
bera.
En seguida, ou porque fosse aprazivol
sua vinganea contemplar to horroroso
tiuadro, ou porque, detestando i vida, es-
perase que a viesson prender, na, final-
mente, porque a natureza revolteda, a fe-
risse do una especie do .estupor, permano-
ceu a formosa (irega. immovel, junto do
cadver d<> sua victima, at qae o alio
dia.
Entretanto as pessoas da casa, sorpresas
de na > surera apparecer o mulsumano ncm
a Grega que elle desposara, resolveram-se a
forcar 8 porta do quarlo fatal, e rccuaram
borrorisadas.
Fui eu quem o matou, dsse-lhes
framente a moga ; podem dispor de niin
Furiosos, os criados agarraram-na e le-
varam-na presuuca do pacha.
O povo concurra alvorocadameute, con-
tente de ir assistir a um supplicio.
juiz, de semblante carregado, interro-
ga a acensada ; ella deelara-Ihe a verdade,
enumera os crimes que coranietteu seu rap-
tor, e protesta que nao pode seguir o isla-
mismo, que foi constrangda a abracar.
Quando todos os espectadores, endosos,
espera vam ter de ouvr a scutenca de um
supplicio ejemplar, o juiz, que escutara a
infortunada com a maior placidez, disse
framente :
Teas sido muitO desgranada, e nunca
devoriam ter forrado as tuas crencas. Por-
tanto, en te perdo.
Dzia o espirituoso Bauru que urna (aver-
na um lugar onde se vende a loucura era
garrafas.
Irra I Este caldo tem fumo I victima, e sem se lerabrar que fra elle
Nao admira, respondeu o companhei- quem provocara aquella justa represa lia, foi
ro, est de luto pela morte da gallinha I juizo querajjar da pobre rapariga.
,_ .,^ ___*" Ah, porm, receben urna liclo.
OS MANDAMENTOSDAMULHER. 0 jury profertoura veredictumdeabsol-
0 pnmeiro -.Amaro homem sobre todas vco, e o juiz na sentenca, reprehendeodo
asmulheres. em termos muito severos-o tal Lovelaoc das
U segundoNao lhe jurar amor em vo. duzas, pelo proce-Jimento infame que tive-
ra para com a rapariga, ordenou que esta
a seu pai e fosse poste era liberdade, pagando o aecusa-
dor as cusas.
- O terceiro
O'quartoEstira-lo como
sua mi.
O quintoNs esquece-lo.
O sextoNao engaa lo.
O stimoNao sor zelosa.
SEMPHR OS CHIMES. Na ruado Fau-
bourg Saint Antoine, no predio em que ha-
0 oitavoNao dar desgostos, nem fingir, bitavam um rapaz chamado Vogoux, e urna
O nonoNao desejar mais que um pro- mulher ponime Leloux, passou-se urna
simo. tragedia diablica.
O dcimoNao desejar os noivos alheios. Estas duas creaturas viviam marital-
Em urna soute, andaya X.,. serviudo A millher havia de ^0 ,, tp
vinho ssenhoras, quanlo succedeu por comeoado a nutrir ciumes ardentes, for mi-
dislracco ou talla de geito, entornar um ca- (lavei.Si terrivois. Urna noute, stand. j
l.ce no vest.do de urna dellas. deiu,(K mher< que eslava prevenida
Valha-me Ueus, disse esta, l me fica Com urna lima aguda, cahio sobre o rapaz,
o vestido agora estragado. e, coino (|ouda furiosJ,t desapiedadamente
aoso assuste, mmha senhora, res- fo dan lo golpes na cabeca do infeliz. Este
pondeu X..., que este vinho nao pe no- pr0curou defender se saltaudo da cama, mas
doa, porque nao molha. 0 Sanguequo Ihe broteva das feridas. Upa-
Como assm ? va-lho os olhos. A homicida redobrava de
Nao mofla, porque madaru neceo. rava e os golpes repetia-os com summa li-
Os phlosophos zombam da loucura dos
homens, os mercadores ap oveitam-se dola,
os comediantes fazem urna e outra cousa.
Lm caloteiro de bom gosto foi um dia
jantar a um hotel. Mandou vir dos melllo-
res pralos odevorou como se tivesse jejuado
.tres dias a estivesse ameagado do ajuar outros
tres. Acabado o jantar, o homemzinho
trava espirituoso dialogo com o ilono do es-
tabelecimento, contando diversas ancdotas
que fizeram rir a bom rir o bom do ho-
mem. Por fim disse-lhe :
O' meu amigo, nunca lhe succedeu dar
de jantar a um pobre diabo, que, depois de
se apanhar com o estomago be.11 choto, lhe
declarasse que nao tinha vintcm para pagar
a despeza ?
At hoje, felizmente, anda nao me
succedeu isso.
E se um dia o acaso atirasse c para
casa com esse aconteciraento, o que liria
voc ?
Que diabo quera V. Exc. que eu fi
zesse "t Funda o tratante no olhodarua,
assentando-lhe dous poutapes bem pucha-
dos, o dizendo-lbe que nao tornasse mais a
passar-me pela porta.
O caloteiro, ao ouvir isto, pega no chapeo
enterra-o pela cabeca abaixo, e, levantando
as abas (lo fraque, volta as costas ao dono
do hotel e diz-lhe com o maior sangue fri :
Fague-se... O que sobejar d aos
caixeiros.
E sabio precipitadamente, deixando pas-
mado o estalajadeiro.
Um mendigo pedio esmola a um avarento.
Toma um vintem e volta-me dez ris
.Nao os tenho, senhor.
Ento' paciencia,disse o avaro guar-
dando o vintem.
Valha-me Deus, respondeu o pobre,
at para pedir esmola faz falta o dinheiro.
Beautru, bello espirito satyrico da corte de
Anna d'Austria, recebeu mais de urna pau-
lada em troca do seus epigrammas : alguem
tendo-o encontrado a passeio trazendo urna
bengala disse-lhe :
For minha f, Beautru, recordas-me
S. Lourenco sobre a grelha, porque nao
podes mais separar-te do instrumento de
teu martyrio.
MINIATURA.
Era um quartinho aromado,
Urna a Ico va pequenina,
E um leito brauco, acelerado
Fel luz da lamparilla.
.Urna moca se encostava
Ao rendado travesseiro,
E amorosa contera pa va
Um busto de cavalheiro.
Depois, os olbos fechando
. Placido o corpo estendeu
E no decote aoinbando
O retrate, adormeceu.
Celso de Magalhes.
Perdoai-lhes, porque elles nao sabem o
que fazem foi o texto que escolbeu o
pregador Chamfort no casamento do senhor
d'Aubigne, joven de setenta annos, com
urna menina de dezesete.
Voltaire, estando em Postdam, fez urna
noute, depois de ter ceiado, o retrato de um
bom re, em contraste com o de um tyran-
uo, e, esquenUndo-se gradualmente, pintou
d'uma mnnira espantosa, as desgranas que
sl ffre a humanidad* sob o dominio de um
rei desptico, conquistador, etc.
O rei da Prussia commovido deixou cadir
algumas lagrimas.
Vede, vede I exclamo- v cho chora o tigre 1
Achando-se dous rapazas mesa de ama
casa de pasto, a, tomar caldo de gallinha,
Jim deltas bradou
O SABIA'.
( cam;ao)
Quando no rubro horisonte
O sol dosmaian lo est.
Enternece me o gorgeio
Uo saudoso sabia.
Indelinivol tristeza
fjvn peit nao sentir,
Se, posto o sol, mas saudoso
Canta anda o sabia ?
Poeta (ios nossos bosques,
(Juera seu canto imitar ?
Oue lyra gome Uo triste
Como geme o sabia ?
Nease gemer quantas penas,
Quantos segredos nao ha I
Sabe-os a brisa dos bosques,
A palmeira .. e o sabia !
O rouxinol, que gorgeia
Pelos lamos de la,
Aqui de i 11 veja moriera
Se oscutasse o saba.
.1, Mendoncu.
PORMENORES DO FALLADO DUELLO.
Os jornaes de Paris do dia 9 de julho c >n-
tam a seguinte vers.o do desafio, ntreos
Srs. Rauc e Cassagnac, cujo resultado o te-
egrapho notciou por ditTerentes formas.
O encontr realisou-se no Gran-Ducado
do Luxemburgo.
Eram teslemund s do Sr. Ranc, o Sr. Lau-
rent Picdat, deputado, e o Sr. Lalaurie,
advogado.
A arma oscoldida havia sido o florete.
Priinciro foi ferido Cassagnac no ante-
brazo direito.
T-ndo, porm, o combalo continuado,
Ranc foi igualmente ferido, mas no brac,o.
As teslemundas deelararam ento que o
combate deva cessar o que a questao de
honra estava satisfeita.
As testemulibas de Cassagnac eram os Srs.
Feuillatn, e E. Blanc.
Osferimentosque um eoutro combaten-
tes receberam, dizem uns, que foram ligei-
ros ; em quanto que um telegramma do
Luxemburgo, expodido d'alli, s 4 horas da
tarde, e publicado na Etoile, diz que Cas-
sagnac Qcara gravemente ferido.
A buida que se tem leito com esto des-
afioprovom naturalmente de tt'elle figurar
o celebre espadaedim do terceiro imperio.
CHOLERA.Algumas folhas parisienses
mostram-se receiosas de que o cholera-mor-
bus invada Paris.
O cdo! ia (diz um d'esses jornaes) amea-
5a nos com urna nova invasao ; j chegou
nos limites do Danubio. D'um a outro ins-
tante a epidemia pode apparecer em Paris.
A esUco dos grandes calores vem um pou-
co tar.limente ; mas pareco nao se far es-
perar muito.
A elevaco da temperatura favorece o
desenvolvimento das doen^as epidmicas.
Depois faz qucixas contra focos de infec-
f;ao que existem na cidade.
FESTEJOS AOSHAH DA PERSIA. -En-
tre os festejos que era Paris se preparavam
ao sbah da Persia o constam de um program-
la competentemente formulado, haveria
um concert de harmona annunciado para
se effectuar no dia 13 de julho. A praca
da Bast!ha era o local escollado.
A oredestra compor-se-dia de 300 msi-
cos, militares ou civis, porm todos esco-
Ihidos entro os mais habis instrumentistas.
ANIVERSARIO DE MAC-MAHON.Foi
o anniversario do marechal Mac-Mahon,
presidente da repblica franceza.
Completou 65 annos, pois nasceu a 13 de
julho de 1808.
Os jornaes fraucezes do dia 8 de julho
annunciavam um almoco particular no pa-
lacio da presidencia, no qual figurara entre
os convivas um dos parentes irlandezesdo
presidente, sir James Mac-Mahon.
EFFEITOS DA LUZ ELCTRICA. Diz o
Levant Times que estando o Sr. Staddan,
engenheiro inglez, residente na provincia de
Aleppo, eocarregado da luz elctrica e mais
illunnuatjes que havia ltimamente em
frente do palacio de Rachid Pacha, o mi-
nistro dos negocios estrangeiros, um dos
ltimos dias ao accordar.se convenceu com
assombro de que estava inteiramente ceg,
resultado sem duvida de observar por Unto
ra va e os golpes repetia-os com summa
geirezi.
Um amigo da victima que por fortuna,
tinha licado aquella noute all, sem cons-
eieaeU lo que so passava, mas, attraido
pelo rumor e vozes de affln;ao, penetrou
no quarlo, deitou as mftos aos bracos da v-
bora, domnu-a, e prostrou-a ; porm, ella
vendse peada, comecou gritan 'o : Soc-
corro fogo ssassinam-me I
0 hospeile aterra-se por nao ter tes tem li-
ndas, porque vio jaz'ndo prr trra o ami-
go, sem s ber sa estava vivo 011 morto, e
foge espavorido, clamando p >r soccocro.
A mulher d<1 volta chave e uovomente
vai contra Vogoux, quem nutra vez fro ;
e elle chamando em seu auxilio toda* as
poucas forras que lhe resta vara luU anda.
Os vizinhos acudiram, mas s com gran-
de dilliculda le arrombaram a porta.
O eplogo d'esta cruenta scena foi leva-
rera o rapaz moribundo para o hospital e
encontrarem a criminosa enforcada.
ESTUDOS SOBRE 0 LEQUE. Um jor-
nal duinoristco d'alm da Maucda publicou
um estudo sobro o leque.
O leque, diz o tal investigador de segre-
dossociaes, se liie do o raovimeuto para
para o lado de fra significa que a pessoa
casada ; o movimento contrario quer dizer
que viuva : um chamameuto, mais ou
menos vivo.
Se o movimento se nota de baixo para
cima, significa que aduna do leque nao
casada nem viuva.
0 leque que movido de cima para bai-
xo, diz-vos : Vos vos submettereis ds mi-
nfias vontades.
Se est fecha'1 o e se mantera verticalmen-
te, diz : Podis operar livremente ; se est
abertu e cobre o peito, recoraraenda-vos a
mais absoluta discrigo.
O leque fechado e conservado horisontal-
mente, significa galantera ; tomando-o |>elo
remate das varetas, afastamento ou indif-
feronca ; cora s o panno de umi vareta
aborto, ai 11 i zade ; com duas dobrastabertas,
sympathia ; tres, amor, paixo.
Todo o leque moderno devo ter no panno
alguma pintura em que ao mesrao lempo
estojara marcados os seto dias da semana.
A hora do rendez vous se marca fazeudo
tres toques sobre as dobras do panno em
quues apuntado o dia que se quer apra-
zar; dous toques, tres toques, ou quatro
toques dados depois expressam a hora que
prefixada.
0 leque fechado e encostado aos labios,
impe silencio j ao passo que o movimento
circular significa ; veem-nos, obseroam-nos,
espiam-nos.
Se urna de suas extremidades se encosU
testa ura aviso que se traduz assim :
Jfeu marido esld a ckegar.
Nose fem em que o leque seja mera-
mente um adorno, um objecto necessario
contra o calor, contra as temperaturas
elevadas, diz o citado autor, elle ao mes-
mo lempo ura telegrapho que manobra com
preceitos que nao se encontram na arte do
telegrephista.
n'uma exploso, de tornar desconhocido
um cadver e de lhe arrancar a pello, sem
que ficasse a menor parcella.
Umdia desappareceu de casa, mas deixou
as cousas preparada* de forma, que d'um
dado terapo bou ve urna exploso temerosa,
e o predio rpidamente foi por todos os la-
dos invadido pelas cbammas.
Quando os bombeiros consoguram domi
j.na o incendio proceden M ao desentoldo,
ese eocontrou um cadver informe e com
a pello completamente arrancada.
Nao douve urna s pessoa que pozesse
em duvida ter sido o doutor West vctima
lo urna experiencia scirmtlica-
A mulher do doutor foi com ludo a nica
a declarar ter recondeci lo nos fragmentos
humanos o cadver "aquello que fra seu
companheiro nostrabdpsda vida. Asna
der, porm, affigurava-se aos viziulms sor
mui atenuada com a perspectiva dos vinie
e cinco mil dollars do seguro de vida, que
lhe iam cahir ni nlzibeira.
Por este tompo desapparecera um criado
negro doiluuior chamado Turner, oninguem
saba do seu par.idouru, embora se fizussem
liligeciis para o descobrir.
A polica comet;ou a desconfiar do somi-
(;o d-i preto, h redobr 111 de actvidade
prnporgao que as suspetas augmentavam.
Alina! o doutor West foi encontrado em
Uarrington, onde se refugiara, cuidando que
o nao descobririam fcilmente.
Realisada a prisao o segurad)-su varias
pnrpceias, o doutor chegou a confessar que
assa*inara o seu criado Turnee, o qual
cortara em pedamos e lhe arrancara d pelle.
Mas sustentava, que se o matara fra em
defeza propria para salvar a sua vida amea-
Q&da, quando Tumor o atacara para o ron-
dar.
No rospeitantc a ter esquartejado o cada-
ver, dava a sua quartada, jurando queso
tal havia foito fra nicamente con ura fim
scientifico, e que so o fugo destrufo o pe-
dio, tora isso ura caso inloramonte foe-
tuito.
O jury julgando todas aquellas defozas
do reo muito plausivels absolvi;u o Dr.
West !
Cumpre advert- que o cria lo era preto
e o seu assassinu branco, e qu; em Drda-
ware nAo ha nemoria de ter um branco si lo
condemnido por malar um negro, sem
embargo de terem silo muilos os prelos
assassinados por brancos.
Os brancos sao all mais, milito mais,
em relaco aos pretos, que a mais alta aris-
tocracia europea em relacao s pessoas- de
mais humilde coudicao.
Convm tambera referir que os jurys nos
tribunaes sao meramente constituidos por
homens brancos.
FALLENCIAS NA GR.l-BRETANHA.
Por um documento ollicial publicado ha
poucos dias em Inglaterra, consta que o
numero de fallencias no auno de 187-2, sa-
bio a (,M5. No anuo anterior haviam esses
fados sido indicad >s por um aigarismo que
apresentava menos 555 casos ; eainda com-
parando a estetistica de 1872 com a de 1870
a differenga ento consideravol, por quan-
to, 11'este anuo as fallencias que chegaram
ao conhecimento do tribunal competente
foram 5,002, ou,menos 1,833 quepoanno
passado.
0 total das fallencias nos tres ltimos an-
nos foi dedezoitomil cento e dezesete.
Era 182 quebras as despezas absorveram
o activo ; eem 85 nao havia cousa alguma
no tocante a activo : tudo era passivo,
isto a depredago nao tinha procurado
sombras do ambages.
UM PINTOR CELEBRE.0 bem conbe-
cido pintor Winteshalter, mornm d'um ty-
pho em Frankfort no dia 8 de julho, nasce-
ra em Badn em 1806 e tinha gande fama
como pintor de retratos, foi muito aprovei-
tado e protegido pela familia real iogleza.
0 SHAH EM PARS. A reviste que
houye em Paris era obsequio ao Shah da
Persia, constou de oitenta mil homens e se
effectuou no bois de Boulogne.
0 marechal Mac-Mahon rodeado por um
tempo a luz elctrica, que era de muita 'uz'do estado maior, entre o qualsenotava
0 duque de Aumale, esperouo Sbah em
Passy.
0 marechal Moc-Mahon conduzio o Sbah
1 tribuna, onde foi recebido pelo presiden-
te da assembla e pelos ministros.
0 Sbah por nauitas vezas expreasou a sua
admiraco pelas tropas.
A' revista assistiram todos os membros do
corpo diplomtico, em tribunas especial-
mente feitas para elle.
forca
0 medico d felizmente esperanzas de que
cora o terapo poder restitoir-se aviste ao
ceg.
EXEMPLO A' LOVELACES. -Em Bor-
dea ux compareceu ha poucos dias urna ra-
pariga ante o tribunal criminal, aecusada do
tentativa de homicidio.
A desventurada achando-se prxima a
ser rai, e, tondo sido abandonada pelo ho-
mem que a seduzira, projectou no auge de
sua desesperado, tirar urna vinganca terri- Sao na verdade curiosos os (actos que deram
vel, em vez de tomar o desgranado camiobo origem aura precesso criminal nos Estados-
que outras em idnticas circumsUnciat mui- Unidos, sendo roo o Dr. .West, de Dover.
Us vezes teem adoptado, o eamiubo em Em 3 de dezemhro ultimo esto doutor
que se perde o corpo e a alma, o suicidio, segurou a vida em 23:0009000 (muela
Premuni so coro um frasco de vitriolo e foi forte), paga veis por sua morte sua viuva.
procurar o homem que a atraicoara com., Com o lira de se apropriar d'esta somma,
promessas fementidas. Eucoiitraudo-o, par- o famoso doutor imaginou um plano, que
to lhe na cara o frasco, c o seductor ficou necessariameuto tem originalidade.
mui gravemente ferido. Propalou pa cidade em que viviay Dela-
rrcteudtiud castigar por este facto a suaj ware, que iuveotara. certa polvera capaz,
ARTE DE FURTAR APERFEICOADA.
ASSEMBIEA G.HAL
CMARA DOS DIPUTADOS
QUESTAO RELIGIOSA.
( Coutiiiiiflcao. j
0 Sr. Tahoj.-ixio w. Soc/.a : Agora,
Sr. presidente, porguntarei eu : como se ton
entendido entre nos a disposic/io do 14
art. 102 ila coiistituieao, cora relac/io pu-
blicado dos breves e rescriptos pontificios?
Porventura teem os bis>os recorrido ao go-
vemo imperial, solicitando a suaautorisa-
o?
O Su. fiBtUnam Bkzuui.v i Ap-iado.
0Sr. Tarijuimio u Sou/.v : Nao, Sr.
presidente, honra seja feita an nosso epis-
copado, porque elle tem compreheiidido
perfeitainento a sua mis feito aquella publicai;o mota proprio,
como de seu dever.
O Sr. Leandro Bezerra :Muito bem.
O Sr. Tahuui.mo de SoOZA : V. Exc.
condece, Sr. presidente, toda a grita que so
tem levantado contra ,1 Eneyelica do 8 do
dezembro de 18(i*, e o Syllabus que a
acompanhou; pois bom, esta Eneyelica o
este Syllabus foram puNicados no Brasil
sem dependencia do beneplcito; frente
do> episcopado brasilero collocou-se o vir-
tuoso Sr. arcebispo da Baha, e em una
pastoral, que (o lida, se nao me falta a
memoria, em um donvngo de Pasch na
s, archiepisoopal, publicou nao s a Encv-
ckon de 8 de dozerabro, mas tambera o
St/llabus.
[ Ha apartes. )
E devo anda accrosceoUr que quando
isto se deu estava no p-xlor o partido liberal,
oso nao rae engao era presidente do con-
selho o ^. raarquez do Olinda, estadista
distincto, muito versado em materias eccle-
siasticas, e nao me consta que o honrado
raarquez livesse feito reclamaeo alguma
contra os bispos que publicaram os actos
pontificios, a que rae tenho referido.
Do mesmo modo que se fez com a Eney-
elica Quanta cura e o Syllabus, tem-se
feito com relago s constituices ultima-
mente decretadas pelo santo e ecumnico
concilio do Vaticano, sem que, para a pu-
blicaco de seus" decretos, viessem os bispos
pedir beneplcito ao govemo imperial.
E, senhores, se a publicacao dos actos
pontificios f >sse dependente do placel do go-
vemo imperial, a nossa religiao nao deixa-
riade ser a catholca, apostlica, romana,
para ser tudo menos ella ?
Nao haveria a mais completa alterago
no plano divino, estabelecido por Jess
Christo para o rgimen da sua igreja?
Vem agora ao meu espirito, Sr. presidente,
as palavras le um antigo romano, que, la-
menUndea decadencia do seu tempo, dzia:
Jampridem aera rerum vocabula amisi-
mw<,temos chegado a lempos to calami-
tosos que as palavras tem perdido o seu
verdadeiro sentido I
Pois, senhores, o que ser catholico,
apostlico, romano ? 0 que este religiao
que todos nos professamos e juramos man-
ter ? EsU religiao suppe urna igreja, urna
byerarchia, divinamente instituida, cujo
chafa o suramo pontfice, o qual tem,
cerno j disse, nao s o primado de honra,
mas tambem o de jurisdioco em toda a
igreja; ese para acredtennos o que o ca-
beca da igreja nos ensina, se para pratcar-
ios o que elle nos manda, tivesseraos neces-
sidade de esperar o consentimento, o beae-
Slacito de Cezar, a nossa religiao dcixaria
e ser a catholca, apostlica, romana, a re-
ligiao do Jess Christo, para ser a religiao d
Cezar.
0 Sa. Eunaimo Deiro':A consequen-
cia que a igraja catholca incompavel
com a civilisneo. Est fazendo um mo
servico a religi&o.
0 Sr. Leandro Bezerra sNao apoiado.
0 Sa. Takuuimi e Souza : Senhores,
declaro em alto e bom som, que depois de
19 seeulos de christianauno, nao volta rei
mais aos tempos do paganisno, nao bei de
ser quem v curvare e render culto ao -
I Divus Cezar, imperator et summus ponlir
fex.
0 Sr. Leandbo Bezerra :Muito bem.
O Sr. Tarquinio de Souza : No que
for da aleada do estado, do poder civil, Co
dominio temporal, declaro que beLda som-
pre sor subiiiisso e reverente s Tl do
meu pa/, autoridado publica nelle consti-
tuida, c d'isto tenho dado sobejas provas,
obedecendo e prestando o meu fraco con-
curso para a fiel exeoucao' das mesmas feis,
na pequenina esphera em que tenho gyrado.
Prezo mo do ser um oiddib verdadoira-
mente obediente. No que, porm, for da
aleada da igreja-, no que diz respeilo ao r-
gimen das conscioncias, declaro tambem
que s obedeoo igreja, ao su,111110 pontifi-
co e aos bispos que com ello- estiverem em
i:ommuiihao.
O S. Ervirio Deiro' :Logo, V. Exc.
est em pleno desaccordo com o ministerio.
0 Su. Iakquisio de Souza : Nao sei,
nem quero disentir agora so estou ou nao
era desaccordo com o ministerio. Sei, po-
rm, que estou de accordo cora a minha
eonscienca, com as crencas que recebi de
moas pas, a que constituem a maior foli-
cidade da 111 nha vida.
Passo agora, Sr. presidente, segunda
que&tao. O summo pontifico deu ampies
poderes ao hispo do l'ern.imbuco para di-
solver as irmandados constituidas, queso
leniam afasUdo do espirito chrslao, e es-
tabelocer novas, de conformidadecom asleis
da igreja. Ha, por ventura, excesso on
oxorbitamia do pudor nesta concessau ?
I'.erto que nao.
J tive occasiio de dizer urna vez neste
recinto que, para ooobocur-ee a natureza de
uma socio lado, nao tomos outro criterio
que o conhecimento do lim principal di
mesma sociedade, e, pois, des lo que vemos
qoo o fim das irmandados e contrarias a
piistacAo do Culto divino, a pratca do actos
de pie lado o religiao, somos forcadus acoii-
vr em quu as confrarias o irmandados sao
associaces essoucialmonto religiosas, muito
embora. |Xir aeei lente, possa dizer-se que
outro nos sai) ellas do natureza mixta, e
como taes subordinadas tanto juiisdic.;ao
da groja, como do estado.
Em laes coiidcoos, Sr. presidente,
mais qu! obvio que o summo pontifico,
dando plenos poderes ao bispo para dissol-
ver aquellas confrarias que so trabara afas-
Udo do espirito da groja, e formar ouiras,
que so coiiforiiwm cora este espirito, est o
sumuvi poulilice completamente dentro di!
sua jurisdioco espiritual.
Nem se diga que, o que acabo do assevo-
rar cousa inteiramente nova, o som apoio
na legislarn brasileira.
A nossa le do 1 de s -tonibro de 1823,
no art. 2." Jj 11 oonfere ao governo a facul-
dado de confirmar os compromissos das ir-
mandados, depois do approvados polos pre-
lados ua parte religiosa; e por ah se ve,
bem claramente, que o nosso legislador ro-
conlieco a necessidde n leclinavol da in-
tervoni;ao da autoridado ecclesiastica para
que possara constituir-se as mesmas irman-
dados.
O contraro d'isto sera subordinar o prin-
cipal ao accessono, o essencial ao (pie
meramente accidental.
Anda mais; uma consulta do conseibo
do esta lo do 18(iG ou 1867, reconioce que
as contrarias sao associacos do natureza re-
ligiosa, sendo muito do notar quu nesla
consulta vem transcripto o parecer do muito
Ilustrado chele da (5.a soccao da secretari.i
do imperio, no qual so diz que o estabelo-
cimontO do confrarias acto do juris liegao
episcopal ioieirameute reservada ao bispo,
encariogado principalmente do cuidado'las
almas, adoptan lo, assim, aquello distincto
empregado as palavras e a autoridado do
abbade andr no sea diccionario do direito
cannico, autori bule muito competente e
insuspetU pira aquellos que soguera a boa
dou trina.
V, pois, V. Exc, Sr. presidente, que eu
nao estou dizoodo tao grandes absurdos, tao
grandes heresias cK-is, como polem pensar
alguna dos membros d'esta casa.
Altn disto, se rejorrermos ao que so'
passa nos paizes estrangeiros, 011 le so pro |
fessa a religiao catholca, apostlica, romana,
remos que as confrarias foram e sao sempre
all consideradas associaces ecclosiastcas,
e, por consequenoia, depondenu do poder
da is
rea.
Do que tenho dte, Sr. presidente, bem
v V. Exc. e a cmara que nao houve excesso
de poder no acto do hispo d Pernambuco,
e muito monos no novissimo breve da santa
s, dando quulle prola lo plena facultada
para dissotvor as coufrarias o estabelecer
novas, porque V. Exc. ha do compreheuder
que o summo pontifico nao quz, por certo,
impedir que as coufrarias dissolvidas subsis-
ta m como associaces meramente civis, so
isto for possivel, assim como tambem nao
prohibe queso formem o subsistam socieda-
des mercantis em commaulta, sociedades
anonymds, ou em conta de parlicipi^o,
para tal ou tal fim commercial ou civil.
Taes sociedades sao, em verdade, institui-
<;oes meramente civis, sobre as quaes nao
tem competencia o poder ecclesiastico.
0 requerimeulo do nobre deputado pela
provincia do Rio Grande do Sul, coulm
anda uma outra parte, na qual nao posso
dexar de tocar, posto que to levemente,
quanto me permittem as circumstanuias em
que raeacho.
O nobro deputado, uo obslante ser ad-
versario nfatigavel do gabinete de 7 de
marco, nao obstante fazer-lhe a mais crua
guerra, a ponto de nos dizer aqu, em certa
occasio, que a este gabinete negara at
pao e agua, luz e ar, se esse ar fosse ne-
cessario para continuacao da vida do
mesrao gabinete, vera agora oferecer mui
generosamente ao governo todos os meios
de que etle possa ter necessidde para resol-
ver a questao religiosa. Senhores, eu temo
muito os gregos o os seus presentes, a no
generoso offerecimento do nobre depuUdo
eu nao posso ver mais do que um presente
de gregos.
'Nao tenho que ntorvir neste ponto, desde
que o governo, pelo orgo muito autorisado
do Sr. ministro do imperio, dechrou que
nao tinha necessidde, ao menos actual-
mente, de vir ao parlamento pedir medi-
das para a soluc,o desta gravissimaquestio.
Entretanto, o posso dei*ar de tomar em
consideraco algumas propositos que a
este respeilo foram ha pouco aprsentelas
pelo nobro deputado pela provincia do Pa-
ran, e que, longe de revelarem a necessi-
dde que ha das med las cum que sa pie-
tende armar o governo, s soivei pw de-
monstrar a incompetencia do mesmo*gover-
no iia queslo que so preiqjule rysolvor.
Perguutou o uybre deputedo pela pravi-
cia do l'arau ; de u^utj meios laucara iio
o governo para chamar o bispo de Pernam-
buco ao cumprimento das leis do paiz, no
caso de nao querer elle obedecer ao aviso
que Ibe foi expedido 0111 daU de 12 de ju-
nbo passado; e, perspicaz, como S. Exc,
passou em revista alguns expedientes que
occorram como mais proprios par aquella
fim.
Perguntou o honra lu deputado : poder
o govoruo suspender os bispos ? Se o fizer,
quem governar a doceso nesta conjunctu-
r\1 Po lera q govurno considerar a s epis-
copal vaga? Mas neste caso a autoridade
ecclesiastica recoiihetw sa vacancia ?
Como so prover a olla ? Poder o governo
rosponsabilisar u prelado de Pernambuco e
fazer-lheefeetiva a sanoco das leis? Mas,
aiu la nesso caso, quera 6overnar a dio-
cese? Quem validar os actos espirituaes?
Senhores, lo la esta serie de expedientes,
que nos aproseutou o nobre deputado pela
provincia do Paran, servo apenas, como
j disse, para domons'rar que o governo
imperial n lora competencia, nao tem di-
reito do uUtvir uo dominio do que espi-
ritual, nao tem faculdade do entrar n'aquilko
(pie exclusivamente atoada da igreja.
Laucar o goveimo mo do expediento
das decantadas temporalidades com que o
despotismo antigo agrilho-.va os bispos?
Alas o que sao as temporalidades ? Se o
govoruo nao pagar as congruas ao bispo de
Pernambuco ou a qualquer outro menibro
do episcopaJo brasilero, o que resultar
d'abi t
Nos, os calmbeos brasileiros, concorro-
reinos com o nosso bolo para que nada
falto aos nossos bispos, etenha a cmara a
certeza de que os bispos nao hao de morrer,
nem deixar do cumplir os seus de veres
por falla de inoios de subsistencia.
Se nos, os catholicos brasileiros, nao for-
raos bastante solcitos epressurosos em acudir
aos nossos bispos em tao criticas circuns-
tancias, acredito a cmara que os bispos do
Brasil estenderao as raaos aos catholicos es-
trangeiros, e elles hao de vir em soccorro
dos bispos brasileiros, como foram em soc-
eorro do Ilustro bispo Mermillod, iniqua
violentamente desterrado pelo governo da
Suissa...
E de tu lo isse, Sr. presidente, s ha de
resultar para nos brasileiros a vergonba de
abaiidonarraos os nossos bispos, de nao lhe
proporcionarmos meios de subsistencia,
i/icuul'i ellas estiverem soffrendo por have-
rein CUinprido os seus deveres.
Suspender o governo imperial o Ilus-
tre hispo de Pernambuco ?
Mas quem dou ao governo o poder de
suspender os bispos ? Sao, por ventura,
elles empreados de ordem civil, que esto-
jara na dependencia do governo?
Senhores, tratando d'esta questao tivej
occasio do dizer nsl recinto que, segun-
do a doutrina de abalsados pensadores, e
a que prevaleceu no seto da assemWa re-
publicana ilo Franca "m 18i8, os bispos
nao sao ne.n podem ser considerados em-
progados pblicos doorlem civil.
0 Sr. Leandro Bezerra : Apoiado.
O Su. Taro.ui.mo de Souza :Eu pode-
rla recorrer agora a argumentos de ordem
tlieologica ; podoria recorrer a esses tantos
textos que encontramos uo evangelho, pelos
quaes se couheoe, clara e mauifestamente,
que os bispos foram postos na igreja le
Dous para regla pelo Espirito-Santo e nao
por Cezar.
Mas nao quero descer ao terreno da iheo-
logia; para que nao digam ^ue pretendo
converter esta assembla em um concilio.
l'rcliro rooorreragora a autoridades mui-
to respeitaveis dentro nos meamos. Posso
prevafcer-me do proprio testemunho do
conseibo de estado, que, em consulte de
28 de sotembro de 18 0, reconheceu e de-
clarou solemnemente que embora os bispos
i'f'ci'bam do thesourouma congrua para sua
sustentaeo, esto mttilo- longe de entrarem
na classe dos empregados pblicos de or-
dem civil. Posso recorrer ain la doutri-
na ranito sabia, muito s, muito judiciosa
ilo honrado m irquez de 0 inda, de saudosa
memoria; o qual era um aviso dirig lo em
1863 ao illuslre bispo do Para, declarou
que s impropriamente e por confuso de
lingiiagera eram os parochos (e por conse-
grante os bispos), considerados empregados
pblicos de ordena civil, asseverando ao
mesmo tempo que aquella impropriedade e
linguagem confusa haviam feito o seu
tempo.
Eisaqui, portento, Sr. presidente, auto-
ridades muito respeitaveis, em favor da si
doutrina, a autori la le de um distincto esta-
dista brasilero e a do proprio conselho de
estado 1
Como, pois, viste de tudo isto ha de
anda o governo dizer aos bispos : sois
mous empregados, posso suspender-vos t
A que (icaria rehuido ento o poder espiri-
tual, a liberdade religiosa no nosso paiz,
essa tao decanta la liberdado de consiencia,
que, bom entendida, tolos nos queremos,
so os bispos nao podesseB livremente admi-
nistrar o pasto espiritual aos seus diocesa-
nos, afaslando os dos mos caminbos?
0 Sr. Araujo Goes Jnior :E a
que (icaria reduzido o poder temporal, se
os bispos fossem superiores a eMe 1
0 Sr. Tauquimo de Souza :Poder o
governo mandar processar os bispos e cn-
carcera-los ? Pela forca, pela violencia,
sem duvida que o poder fazer ; peto direi-
to, nao ; porque jamis haveria liberdade de
eonscienca, se os bispos, no exercicio de
sua sagrada jursdiccao, esli vessera sujeitos
s violencias do governo, se pudessem ser
processados e lanzados por elfos no fotuto
dos carceres.
0 Sr. Kinapio Deiro' : Mas o 8r. mi-
nistro do imperio declarou que bavia de
laucar mo dos meios convenientes.
0 Sr. Tarquinio de Sooza j-Nao sei
de que expe/honto tancar mo o govemo ;
espero pelos factos, e ento V. Exc. ver,
que hei de raanfester-rae cora a mesma li-
berdade e franqueza com que o fisco agora.
En um dos annos anteriores, de que eu
agora nao posso precisamente recordar-me,
o governo imperial ordenou ao muito vir-
tuoso bispo de MariaiMia, esse apostlo do
cliristianisino, a quem tanto idolatrara 'os
distinctos minoiros...
O Sa. Carlos Peixoto -Apoiado,
OSr. LearmoBezmuu E' um santo
var 1 -,
<
\


(Contimtar-4+Jui.l
TVP. DO DLVRJO BL'A DUQUE DE CA2UAS


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E73DOR3PM_8BAFXW INGEST_TIME 2013-09-19T21:38:50Z PACKAGE AA00011611_13003
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES