Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:13000


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLIX IIUUEM 175
PARA A CAPITAL E LIGARES O.TIIE \l0 P**A PORTE.
Por tres mozos adianta'ls ...... rv......... 69000
Por seis ditos dem.................. 199000
Por um anuo dem......'............. at$006
Cada numero avulso.................. 330

SEXTA FE1RA 1 DE AGOSTO DE 1873
*
PARA DES TRO E FRA I A PROVINCIA.
Por tres mezo* adiantados................. (*7M>
Por seis ditos dem................... JURSOO
Por note ditos idem........../...'..'y'.'' *Ci6#
Por um anuo dem......."........... STfOOO


: i
..#( /
,
rPR0PRIEDADE DE HANOEL FIGEIROA DE PARIA & FILHOS.
-
*
V
Ot Srs. Gerardo Antonio Al ves Futios, no Para; Gon$alves & Pinto, no Maranhio; Joaquim Jos de Oliveira Fno, uo'Cear; Antonio de Leu,) Braga, no Aftcaty ; Joio aria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no JUUtT; Jos fititii
. Pcrcira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Bclarmho dos Santos Bulco, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, em Jiazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Joo Antonio Machaeo, no Pilar das AlagOas; Alves & C, na Baha ; e Leite, Cerquinho C. no Rio de Janeiro.
PARTE OmCIAL.
Govepuo la provine!.
I XPEDIt.NTK DI MA 17 1)8 Xtlll DE 1873.
" SfCjJ'l.
Portera:
Approvo m contractos i|ii>i, segundn termo
anue.xo ao mu uill io ilc 30 Ji! .tiu'ii prximo tiu-
du, celebrou O conselho dejeompras de marinlia
eom Wilsiui Rown C, e Mauoel Ntsdmeaio Je
Aojo para o fornccimeiilo ao arsenal de mari-
nha, no trimestre da abril a junho leste auno,
aquelle ile carvo eoke oeste do cimente e carvo
propro para a ellleua de ferreiros.
Uncios :
Ao director interino di arsenal de guerra.-
Mande Vmc. concertar nossoa-senil, qiindo para
a; i foreo ieiiie:ido>, os uiensiiios pericnuetRS w
forte do Buraca, constantes do incluso podido, o.s
*|Uaes se nclinn deteriorad >s
Ao mcsiiin.Mando Vine, recolher nesse ar-
seua os ulijeclos mencin i .los ni incluso pedido,
is quaes estafara a cargo da furtileza d > Rruin e
lorain por use: vivis dado- em consumo.
'J' secrfio.
Actos :
O presidente da provincia, leudo em visia a
propagado capitn couimandante interino di 2"
batalho de infantina da guarda naci .nal dete
inunripio, de i do mreme, para pret-nchimenlo
de duas raga* existentes no mosm batalho, e a
informaci do o tate .noz, do respectivo cumulan-
danle suo'-rinr. resolve, KM teios do arl. i8 da
lei n. fiOi de 19 de setemb.o de 1930.nomear pan
a? ditas vayan os ofticiaes seguimos:
2" companlii.t. Alferes Francisco Goncalves Je
"Mipieira Jnior.
7'companhia. Alferes Antonio da Cruz Ri-
bOJfU;
O presidente Ja provincia, de eonformidade
aOffl a proposta do l)r. cliefe de indicia em offlcio
de Id do crranlo, n. '.Il, resolve exonerar o cd.i-
l.i) Manuel de Soiua Montciro do cargo de sub
deteeado d.i |" districto do teriiM do Triiimplio,
ooaaao I" sapotete do respeeivi) juiz rouni-
ipaL
-- O presidente da provincia, de eon trinidad','
c>m a proposta do Dr. ehefO dj p dieta, de II do
corrcnie, n. Ol, resolve iioniear o alteres Jos
P.svinuudo Pureiraj para exercer a cargo da sub-
delegado do | districto do termo do Tiiuin-
pilo.
O presidente da pr viaeia, atienden lo ao que
reipiertMl Muiol Flix da.Mocha Mangueira, no
meado alferes di liatalliai o. 3 Je jnf.uit.iria da
guarda naeioial di nnwM^in do H litjwe p ir por-
tara de 27 de selemliro doanun prximo passado,
rosolve etncudor-llra dispensa do lapso de ie.ii.io
ni ipi'e incdrreu tara sulieilar a respecliva pateil'
ie. que devera lser no praso improrogaral do
:j0 dias.
O presidente Ja provincia, de cmforndade
.-.,i:i s propaata do Dr. ebefo de pdieia, de Id do
corrente, n. 112, res j|ve exonerar, a pedido, do
<'nrg < de supplcnte dn sulidelejado do 1" dis-
imtfl do ermo do Trinmplio o cidadao Manoel
de Siipieira Cmara.
O presidente da provincia, de conf irmidade
di a proposta do Dr. cliefe de polica em olUcio
de 13 dn cnrrenle, q. ,)\i resalvo nomoar o cada-
Manoel da Silva .lu para oxervr o cargo de
t3 nupplenie do subdelegado do 1 distri:t'i do ter-
mo do Triumplio.
0 presiilente Ja provincia, atiendeuJo ai ipie
roauereu Pabriciauo Naindeo do Reg llanos,
servenutario vitalicio d i lirg1r de escriv .o do ci-
vcl.o crioie la l' (Tara Jo termo desta capital, re-
. ive e.nceder Ihe 6 mpzes de Keenea para tratar
Je stia .-ade oftde Ihe cinvi-r
Othcios:
Ao eliefe de polica.-Cnstando-ni'! ipia se
trata de wganisar nnvu- ajiiotamentos curn prono-
sito de perturbar a ordeo e platicar la le/, tactos
criminosos, semelhanies aos que se de rain a II
Jo correnti', de novo reemnmendo a V. S. qno, de
tonfonnidade coni a lei, faca dissedver qur.lipior
reuuio ou ajiint.unenio que appaiera, empregau-
a forea ipae tica sua disposicao, si preciso for,
i'aso nao sejam altendi.lis os avisos o ntimaeoci
qe para esse fin fuer.
Ao mesmo. Para sea eonhecimenlo e fina
.(nenenles Incluso n inetto por Copia a V. S. o
ofJBcio do promotor p dilieo da comarca da Boa-
\ isla, datado de 20 de mareo ultimo, coin relacao
ao riminoso Joaipiim Pereira Maeamhira.
Ao cominandante. superior Jo Hecil'ePara
portara desta data fuiain torneados alferes da
2' e 7' coinpanbia do 2" batalliao de infanlaria
di guarda nacional desle municipio, de eonformi-
dade com a sua inforinacao de 5 do coi rente,
Praucisco Gingalres Je Siqueira Juuor e Antonio
da Cruz Ribeiro.
Ao juiz de direito do Ourieury.Para seu
cMibecimeiito e fins convenientes incluso remeti
por copia a V. S. o >Hl -io do promotor publico
da comarca da B.ia-Vista, datado de 20 de mar-
eo ultimo, com relacao ao criminoso Joaquim IV-
reir Macambira.Igual ao juii municipal do ter-
mo do Ourieury.
Ao jnu de direito da comarca do Buique. -
Ja tendn sido remettido duas vezes para esse ter-
mo, afiui Je ser jolgado, Jos Magalhaes da Silva
Porto, pronunciado por erime de mirle, e preso
na rasa de deteucao, logo que for convocada a no-
va sess.ao do jury Vmc. o reouisite para ser sub-
metlido a julgaiiieulj Igual ao juiz municipal do
termo do Buique.
Ao Io snppleale di juiz municipal do termo
4,- Granito -Kemettendo Vmc. o incluso oflicio
por copia, do 13 do niez prximo passado, do 3*
snpplHate do juix municipal dense termo, reeoin-
iBendo-lhe que informe acerca do exposto pele dito
im supplenie. Igual ao 2* supplente do juiz mu-
nicipal do termo de Granito.
Ao .V supplente do juiz municipal do termo
de Granito, Pedro do llego Chaves. Accuso aro-
capean do offtVio de Vine, de 15 do correnle, justi
licando a demora de 17 summarios crimes cm seu
poder. Acceilando a'sna previa defeza, cnio que
ser solieito no cumprimeiito dos seas deveres, e
Bio daraazo menor censura.
3.' UCfOO.
Oflicio:
Ao inspector da thesonraria de fazendi. -
f'ara os flus convenientes co>nmunico a V. S. que
a 18 do mez prximo passado presten juramento e
*<.- uni o ejercicio do cargo de promotor publico
da coma ea de Villa-Bella o hachare! Fiel Vieica
ie Torres Grangeiro.
ao mesmo.Providencie V. S. m sentido de
er p >ga a Genuino Lfl Nuues, vistt da inclusa
cavila em duplcala, que me remeiteu oengenliero
ensarregado das onras multares coin offlcio da 15
do correnle, a iiuanti. de 104000, proveniente do
concert por elle le lo na ecbadura e grada do
sjulnea do quartel da companbia de cavallaria.
Ao me mu Aunuindo ao que solicitou o
Jbrigadeiro cummandante da armas em offlcio de
2 j correnle, sob n. 456, a que se refere sua in-
ormacao de honlem n. 836 serie C, autoriso V. S.
a mandar pagar ao lente ajudante de orJens
daq elle coiniiuiido, Jos Ignacio Ribeiro Boma, a
Juantia de t7J**)', constante do recibo unto cm
uplicata, proveniente do feroecuaeiito d'agua ao
quartel general, nos meies de tevareiro a abril
late anuo.
Ao mesmo. -Tundo nesta data approvdo os
contractos que, segundo o termo que ser remed*
do a V. S. pelo ennselhn de compras de marinha,
celebroii o mesmo coin Wilsou Uowe Je C. o Manoel
Nascimento de Araujo para iomejerem ao arsenal
de marinha no actual trimistro; aquello de carvo
cok-, e e olllcina de ferreiros; assim o coininuniCo a V. S.
para os fins conveninenles.
Ao mesmo. -TranMiiillo a V. S. a cotila junla
em duplcala, alta de que mande pagar e.-mpa-
nhia da estrada de ferro do Itecfe a S. Praucisco,
confornm soliciten o respectivo superintendente em
ofrii-io de 15 do correnle, a quantia de 91*850,
despendida eom os transportes efleemados por coa-
la do ministerio da guerra nos trous da mesina
estrada durante n mez d; abril ultim, segundo
se deprebende da referida conta'.
Ao inspector da Ihesoiiraria provincial. To-
mando,etn consideracao o que oxpoi a piolessara
jubilada Alexaudrina de Lima e Albuquerque no
incluso requermenlo a que se refere a sna infor-
inacao de li do corrate, sob n. 18, autoriso V.
S. a mandar pagar peticionaria somente e or-
dnalo coiTc.sjjuiidiite a seis mezes de liceiica,
que Ihe fui concedida pola lei u. liK Jo 4 de ju-
nho do aun i prximo passado -
Ao mesmo. Mande V. S. pagar jompanhia
da estrada do ferro do Becife a S. Francisco, vista
das inclusas, cunts que me forain re.neltidas pelo
respectivo superintendente eom offlcio do 13 do
correte, a despesa proveniente de transportes ef-
feetuadoa ivunronta da proviucio nos irens Jaquel-
la estrada durante o mez de abril ultimo, segundo
demoustram as mencionadas cuntas.
*o mesmo Becommendo a V. S. que vis-
ta do incluso pret em duplcala que me remetteu
n cummandante superior interino do municipio do
Luioeiro eom offlcio de 8 do crrente, mande pa-
gar a Jos Mara Ferreira da Cunha os voncmen-
tos das pracas da guarda nacional destacadas na
villa de Bom JarJun, relativos ao mez de abril ul-
timo.
Ai meino.Atlendeiido aoque expozo pro-
vedor da santa casa de misericordia em offlcio de
2!) de marco iiVslo auno, sob u. 348, a que aliado
sua nformaco de lo do correnle n. 188, autoriso
V. S. a mandar pairar neema santa casa a des-
Besa (Vita na importancia de -->8*100 coin o preso
Jos Antonio Pacheco, que esleve cm tratameuto
no hospital Pedro II.
Ao niesini.Temi Reala data, e nos termos
de sua nlbriiMt^o de h nitein datada, son n. 193,
ant uisado o engenheiro cheie da reparticio das
obras publicas a alandal l'.er pela quaulia de
l:l<*>'U0IX) a estacada que se faz necessara para
garantir o aterro do passeio publico projectado ;
assim o declaro a V. S. para seu eonhecimenlo e
fins convenientes.
Ao.-nesno. -Em vista do cerliieado annexo
ao incluso requerimento, maule V. S. pagar ao
lente coronel Manuel Francisco de Soasa. Lelo,
arrematante da estrada de Goyana a Pedras de Fogo,
a quarla prastacio do segundo lanco da mesiiia
estrada, qu-s tem Jireito em virtude de seu con-
trato, coinu se v do menciona lo certificado ; de-
vendo esse pagamento ser efleetoda conforme in-
dica cm sua inforn'iapio de hontem sob o. I'Jo.
4.' sccrni.
Actos :
0 presi lente da provincia resolve exonerar,
a seu pedido, o deo Dr. Joaquim Francisco de
Para do cargo de regador do gyinnasio provincial.
O presidente da provincia resolve Hornear,
nos termos do i." do art. I.* da lei n. 276 de 7
de abril de 1851, os Drs. Joaquim de Aquiao Fon-
oeca e Adrio Luiz Pereira da Silva pan inspec-
cionaren! o professor de histruecAo primaria,
padre Manoel Ignacio BezeiTa do maral.
Offlcios:
Ao provedor Ja santa casa do misericordia.
Informando o Dr. chefe de polica em offlcio de
8 do correnle que as duas alienadas Mara Rita
Jo Sacramento o Militana, reoothiaas na casa de
deten;o, su desvalidas, faca V. S. admitl-las, no
caso de liaver vaga, no respectivo hospicio por
conia do estabeleciniento, visto como no orcamento
provincial nao se marcou qttota especial para
esta despeza, e sim para os eslabelecimeutos de
cariJade a carg.i dessa santa casa.
Ao mesmo.Em resposla ao offlcio do V. S.,
de 6 do corrente, tenlio a dizer-lbo que approvo
os orcarnentos da receita e despeza dos estabele-
rimentos de caridade, patriimimo dos orplios e
asylo Ue mendicidade, confeccionados para vigora-
ren! no futuro exerciciode 1873 a 187i, e que por
copia aeompanliarain o seu dito offlcio.
Ao commendador Dr. Joaquim de Aquino
Fonceca Tendo por portara desta data nomeado
V. S para eom o Dr. Adrio Loii Pereira da
Silva inspeccionar o professor de inslrucco pri-
maria, padre Manoel Ignacio Bezerra do Amaral,
que pretende jubilarse por impossibilidade phy-
siea ; assim Ihe communico, esperando nao se re-
cusar prestar mais este fervco publico.
Ao Dr. Adrio Luiz Pereira da Silva. -Com-
munico a V. S. para os devidos fins que por por-
tara desta data resolv nomea lo para eom o Dr.
Joaquim de Aquino Fonceca inspeccionar o padre
Mainel Ignacio Bezerra do Amaral, que pretende
jubilar so por impossibilidade physica.
Ao presidente da cmara municipal da villa
do Benito.Remeti a Vmc, como solicitou em
offlcio de 6 do corrente, um exemplar impresso
do regulamenlo organisado para execuco da lei
n. 2,040 de 28 de setembro do anno passado sobre
a emancipado de escravos.
Portara:
A' cmara municipal do Recife. Expeco
nesta data as convenientes ordens ao cngenheiro
fiscal da companbia Recife Dranage, no sentido
om que reclama essa illustrissimacmara en seu
offlcio de 12 do corrente, que fi'a assim respon-
dido.
5.* secqao.
Acto:
O presidente da provincia, atlendendo ao que
requeren Jos Augusto de Araujo, arrematante
das obras de reconstrucejio do theatro de Santa
Isabel, e tendo em vista a informacao do engenhei-
ni chele da repai ticao das obras publicas datada
de 14 de abril ultimo sob n. 137, resolve prorogar
por um auno o praso marcado em seu contracto
para a concluso dessas obras. Esta ser apre-
sen tada_ as estacos competentes para a de vida
execuco.
Offlcios :
Ao engenheiro chefe da rSpartico das obras
publicas.Autoriso Vmc. a mandar fazer a esta-
cada uecessai ia para garanta do aterro do passeio
publico projeclado, na iaiportancia de 1:15 i, como
solicitou em sen offlcio de 8 de abril ultimo sob
n. 151 ; recommendado-lhe a mxima economa
nessa obra.
Ao engen eiro tivl da eompauhia Becife
Drainage. Providenci Vmc. de modo que se evite
o estado de polridao em que se conserva o appa-
reino collocado por essa cotnpanhia no edificio onde
funeciona a lllma. cmara municipal ilesta cidade,
a a falta couslaule d'agua,'como reclamou a mes*
na lllma cmara em offlcio de 12 do corrate.
BXPKDIENTE DO SKCBETAHIO.
1.' SSOBJSV.
Ofllcios:
Ao brigadeiro commanJaole das armas.S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda declarar
a V. Exc. que nesta data expedio as necessarias
ordens para seren concertados os utensilios per-
teaeentes ao forte do Buraco, constantes do peludo
(iue veio anuexo ao seu oflicio de hontem datado,
sbb. n. 53.
Ao saesmo. S. Exo. o Sr. presidente da pro-
wacia aajorisoij nesta, data o director do arsenal
de guerra a receber os objeelo; dados em consu
me pelo comniandaute da fiirtaleza do Brum, men-
cionados no termo aanexo ao offlcio de V. Exc,
datado de boje, sob a 320. O que i-Miida-me do-
clarar a V. Exc em respnsta ao citado offlcio.
Ao mesmo.S. Exc o ir. presidente da pro-
vincia, tendo nesta data solicitado autorisae ao
Exm. Sr. ministro da guerra para a execuco do
encanamento necessario para dar escoainento s
aguas servidas, que flcam estagnalas na frente e
adjacencas do quartol da Solcdade, assim o man-
da declarar a V. Exc em resposla ao seu offlcio 18 de abril ultimo, sob n. 40S.
-- Ao mesmo S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda communicar a V. Exc. que uesla da-
ta expedio a conveniente ordem thesotiraria de
fazeuda no sentido de ser paga ao lenlo ajuJ m-
te de ordens desse cumulando, Jos Ignacio Ribeiro
Roma, a quantia de que trata o seu offlcio de 2
deste mez,-sob n. 436.
Ao engenheiro enearregado das obras militas
ros. 8. ExcoSr. presidente da provincia manda
declarar a V. S que nesta dala autorisou a the-
souraria de fazenda a pagar a Geauino Luiz Nu
nes a quantia de que trata o seu offlcio de 15
deste mez.
a.* asele.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de p icia. 0 Exm. Sr. piesi-
dente da provincia m:ui la traiiMiiltir V. S. os
ttulos inclusos do subdeleglo do 1* districto do
termo do Triumpho e do respectivo I supplente,
de eonformidade coin a proposta de V. S., de 11
do corrente, n. 912.
Ao juiz de direito de Villa-Bella. O Exm.
Sr. presidente da provincia manda aecusar o re-
cebdenlo de offlcio de V. S.. de 28 de abril pr-
ximo lindo, participando ter nesta data prestado ju-
ramento e entrado no exereicio do cargo de pro-
motor publico dessa comarca, o bacharel Fiel Viei-
ra de Torres Grangeiro
4.' seci-So.
Oflbios :
Ao Dr. Jo.t iiiim Correa de Araujo. I* secre
tario da assein'.la legislativa provincial tf. 133.
- De ordem de S. Exc o Sr. presideate da pro-
vincia, passo as mos de V. S., asta de serem pr-
senles a essa Ilustre assemhla, as inf innacoes
que em 15 do corrente miusirou u cotador da
thesouraria provincial, no inpeJimento di respec-
tivo Inspe'tor, 'sobra o objecto da petir;ao, que de-
volvo de Flavio Ferreira Cato. Oeste modo flea
satisfeita a resoluc da mesma asseinbla, conti
da ni offlcio de V. S. de 8 do mez lindo, sob n. 40.
Ao mesmo. -lf. 13. -Deordem de S: Exc. o
Sr. presidmt'! da provincia, transmuto a V. S.,
alim de ser submetlido approvacao dessa illu
tro assemhla, o incluso projecto do posturas rela-
tivas ao asseiu e limpeza desta cidade, que para
ter esto destino foi enviado ao mesmo Exm. Sr.
pela lllma. cmara municipal do Recife eom offlcio
de 12 do corrente. sob n. 44.
-Ao Dr. director geral interino da nstruccio
publica. Uo ordem de S. Exc. o Sr. presidente
da provincia, communioo a V. S. para os deviJos
lins que nesta data foi e a seu pedido o
deo Dr. Joaquim Francisco de Faria, do cargo de
regedor do gvmnasio provincial.
Ao deao Dr. Joa piim Franei-co de Faria.
De ordem de S. Exc o Sr. presidente da provin-
cia, communico Ihe que por parlara de-la dala
foi V. Hvma exonerado a sen pcdldodo cargo de
regedor do gyinnasio provincial.
Ao provedor Ja sania casa de misjricoidra.
S. Exc. o Sr. presidente ila provincia manda de-
clarar a V. S. que nesta dala expedio arde n the-
souraria provincial no sentido de ser paga a des-
peza feita na importancia de 881000 coin o preso
Jos Pacheco, de que trata o sea offlcio de 29 de
marco deste anno.
Circular :
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia, remeti acamara municipal dolRecifedous
exemplares iinpressos. um do relatorio eom que o
Exm Sr. desembargador Francisco de Faria Le-
mos passou a aiministracAo desta provincia ao
Exm. Sr. commendador Henriqne Pereira de La-
cena e oulro da falla eom que esie abri a presen-
te sesso da assemhla legislativa provincial. -
Mutatii MHtcmdit as mais cmaras municipaes da
provincia.
5." sfsesV.
Offlcios
as obras
presidente da' provincia
manda declarar a v*. S. para, seu eonhecimenlo e
fins convenientes que no requerimento de tenenle-
coronel Severiano Monleiro Leite, arreinatante da
obra do agud da villa de Pesqueira, e sobre o
qarl versoa a sua informacan de 13 do corrente,
sob n. 209, den c seguiute despacho Como
requer ; Airando o supphcanie sem dfreite a in-
demnisaco alguma pelos reparos que Qer pro-
venen es da m execuco da obra.
Ao superintendente da estrada de fero do
Recifs ao S. Francisco. S Exc o Sr. presidente
da provincia manda declarar a V. S. que autori-
sou nesta data as thesourarias geral e provincia!
no sentido de serem pagas as despezas de que tra-
ta o seu oflicio de 15 desle mez.
EXPEDIENTE DO DA 18 DE MAIO DE 1875.
2* seegao.
Acio:
0 presidente da provincia resolve nomear o
Dr. Manoel Tertuliano Tliomaz Henriques, juiz de
direito da 2" vara civel, para interinamente exer-
cer o cargo do chefe de polica, no impedimento do
Dr. Luir. Correa de Queiroz Barros.
Offlcios:
Ao Dr. chefe de polica, Luiz Correa de
Qoeiri-z Barro-. Inteirado dn que V. S. me parti-
cipa em offlcio desta data, lenho a dizer-lhe que
acabo de nomear o llr. Mauoel Tertuliano Tliomaz
Heuriques, para exercer o cargo da chefe d po-
lica durante o seu impedimento.
ao Dr. Manoel Tertuliano Tliomaz Bennques.
Communico a V. S. que Por portara desta data
o designei para exercer interinamente o cargo de
chefe de polica desta provincia, por ter dado
parte de (lenle o Dr. Luiz Correia de Queiroz
Barros.
Espero que V. S. acceitando essa eommissao, d
mais urna prova do seu zelo em bem do servieo
publico.
EXPEDIENTK DO SECRETARIO.
2' seccao.
Offlcio :
Ao Dr. Manoel Tertuliano Tliomaz Henri-
ques.-0 Exm. Sr. presidente da provincia manda
aecusar o recebimento do oflicio de V. S., de hule
datado, em que participa ter assumidn o exereicio
interino do cargo de chefe de polica desta pro-
vincia.
allega, e por isso nao
o Sr. Dr.
Tercera dscusso do projecto n. 62 desle anno,
que crea diversas escolas de inslrucco pri-
maria.
Vo mesa e sao apoiadas as seguiules emen-
das :
Ojetees, como emenda o projecto n. 87 deste
anno.
Offereco como emenda o projecto n. 51.
Encerrada a di.-cusso approvdo o projecto,
bem como as emendas, licanlo dependente de urna
outra discusso.
Tercera discusso do projecto n. 38 deste anno,
Vianna, foi absolvido em virtude das respostas do
conselho julgador. O presidente do jury, porso,
appellou de tal decisao para o competente tri-
bunal.
Supplcntes de juinvs manieipae.
Por portara de 30 de julho, foi nomeado Joo
Joaquim Ribeiro Campos 2" supplente do juiz
municipal do termo de Panellas.
Estrada de ferro lo Recife a Otila-
da e Beberibe. -Esta pequea via-frrea, de
cerca de 13 kilmetros de extenso, no >eme-tre de
Janeiro a junho do corrente anno, rendeu.......
que cousidcra ordenado a gratificado que actual-, 100:514*720, e despendeu cora o sea trafego e
mente percebem os esenvaes da fazenda provm- conservaco 64:776*004, assim distribuidos por
vincial.E approvdo. | mev^
Vericaudo-se nao haver mais numero, o Sr. pre-
sidente designa a ordem do dia e levanta a ses-
so.


foi julgado incapaz como
tem lugar o que reipier.
Beuto Custodio de Abreu. Informe
chefe de^ polica.
Jos Servulo de Borja Buarque. Requeira
pelos canses Competentes.
Jos Francisco Pees Brrelo. Kntreguc-se
eom recibo e nao havendo iuconveneiite.
Dr. Mauoel de Figueima Faria. Definido eom
o ffieio desta dala tliesouraria provincial.
Mauoel do S.'tcramento. Informe o Sr. gene-
ral c o nina miau t das armas.
Manoel Thuiaaz de Albuquerque Marauho.
Defer'Ki cum offlcio desta data thesouraria pro-
vincial!
Cdnego Marcolim Pacheco do Amaral. Inter-
ine o Sr. inspector da thesouraiia provincial.
Simplicio da Cruz Ribeiro. luforme o Sr. di-
rector geral interino da inslrucco publica ouviu-
do o conselho director.
T-iei eza Mara de Jess. Informe o Sr. pro-
vedor da Santa Casa de Misericordia.
Tuuoleo Peres de Albuquerque Maranho. -
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Secretaria da presidencia de Pernamhuc >, 31 de
lulho de 1873.
O porteiro.
Silviuo A. Rodrigues.
Itcpurticlo da noliciu.
f seccjfav Secretaria da ponda de Peruambuco,
31 de julho de 1873.
' N 1319.-Illm. e Ex.rn.Sr.Participo a V. Exc.
que d; Ci.niuiunc.i.;o'!i recebiJas boje, consja
que, itraui hontein recolhido* cas; de deten;o
os indiyiiluo segnintes :
A' minha dem, Jos Joaquim de Araujo, vindo
da Victoria, como suspeito de ser desertor; Joa-
imm Jos i)e Sanl'Anua, por se adiar pioiiunca-
uo como incurro as penas do arl. 210 do cdigo
criminal, combinado eom os arts. 34 e 116 d<
mesmo cdigo, e Mauoel Machado da Silva, por
est prenunciado no termo do Bonito, como
mcurso uas penas do ai t. 193 do referido c-
digo.
A' ordem do subdelegado J> 2' districto de S.
Jos, f heotooia Mana da Couceigia, por distur-
bios.
A' ordem Jo do Po;o da Paaetla, Ju Marcelino
dos Sanios Barbosa, a disposico do subdelegado j
da Varzoa.
O delegad ida capitlt acaba de communicar me
que, segundo Ihe participou o subdelegado de San- j
to Autouio, s 5 hura* da urde de 28 deste mez,, ommissao, e se lor appmvad >, Acara prejudicado do Brasil, inscriptas na exmela caxa filial de
SF.SSO ORDINARIA EM 9 DE JUN110.
PB SIDE.NCIA DO S:t. MNMUBRA Di AUCIAII.
Ao meio dn, feita a chamada, achando so pre-
sentes os Srs. Gomes Prente, Camboim, Gameiro.
Ralis e Silva, Ernesto, Vieira, Lcenla, Oliveira
Andrade, To entin de Carvalho, Pinto Jnior,
Olympio Marques Tito de Barros, Goncalves Fer-
reira, Aguiar, Mello Reg, Joaquim d Araujo, Fi-
gueira, Ges Cavalcante, Antonio d'Araujo, Firmi-
no de Xovaes, Amaral, Vieira d'Araujo, Cunha Fi- ,
gucirdo e Pernambuco Fillio, abre-so a sesso.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
O Sr. I' Secretario l os seguintes parece-
res :
0 Sr. Pbksidentk noineia para membro da eom-
missao de redaeco ju Sr. Ralis e :;ilva, que aceita
a nonH-ac,ao.
0 Sr. J. C. o'Ahaimo prapSe |>ara e lugar de se-
gundo offlcial da se vetara da assemhla, vago te-
lo falecimento do que xercia ao terceiro dito Se-
bastian Manoel rio Reg Barros e para e de tercei-
ro offlcial ao colaborador Eii.is Agricio de Bats e
Silva que aceita
0 Su.'Millo Hruo (pela ordem) peje urgencia
para discutir o parecer da eommissao especial, a
qual concedida.
O Sr; Firmi.no dk NoVAits faz algumas cen-
sideraedes em respost.i ao precedente orador.
O Sr. PiuismuNT declara que existindo um pa-
recer assignado por dms senhores deputados.
membros da eommissao e um voto em separado Je
um denos e oulro parecer do ir. Frmino de No-
va ,'s, que diverge completamente daquelle, tanto
que o olerece em separado, por isso deve sub-
melter a votos em primeiro lugar o parecer da
Receita.
Janeiro ':374*0>0
Fevereiro 18:77*I50
Marco Abril 17:7611840
11:236*140
Main lf:62o*860
Junho 1!:72T*730
Total 100:514*720
Despeza.
Janeiro JO: 453*021
Fevereiro 1 !:082*fi83
Mareo 11.646*2:13
Abril i;t:228?i80
Maio 9:853*3*4
Junho 8:510*153
Total 64:776*004
O saldo do halanco do semestre pois, de....
35:738*716, que corresponda aojuro animal Je
14,29 por cento sobre o capitel da empreza, que
de 501:000*000, e pelo tempo de 6 mezes.
No semestre correspondente do anno passado a
receita foi de 90:976*745 e a despeza de.....
67:624*96i; e consequentemente o saldo fui de
13:351^781, corresponJente ao Juro anpual de
9,31 por cento sobre o referido capital e pelos
mesmos 6 mezes.
Do confronto dos dous bala uros se v que, no I."
semestre deste anuo, houve t m augmento de re-
ceita sobre o do auno passado, de 9:537*975, e
urna diminuidlo de despeza ce 2:848*960.
Nao obstante ste, a empr?za nao tem podido
dar dividendos, por que estn Jo incompletas as
obras da estrada, toda a renda liquida tem sido e
continua a er apphcada cssas ubi as, que
alias ainda esto longe de uj. concluso]
Banco il n. 1 paga-se o 39. dividendo das acces do banco
o voto en separad o e bem assim o oulro pare- Pernambuco, na razo de 8*000 por cada acc.ao.
cer- Cninpanilla lu Beberibe. A direc-
O Sr. Almmd\ Peb.nambiu:o faz algamas cons- loria desta companhia vai substituir as 20 apoli-
*'??** ees de ns. 9,481 a 9,465, e de ns. 9,506 a 9,5B,
O Sr. vikiiu de Araujo requer que a volacao que se extraviaran!,
sobre os pareceres seja nominal. i Arrcinataeo nrovlineial. Foi trans-
Consultada a casa, concede-sc a dispensa pe- ferida para o dia 7 do corrente a arrematacao
'J;1- por venda do sitio dos Remedio?, adjudicado fa-
Procedida votaeao votam a favor do parecer, senda provincial pela quantia de 3:750*.
Joaquim Crrela, Antonio Correia, I Capatazia da alfandcga. A partir
estaod > Antonio Augusto da Cn>ta Guioiares na
ma do 5- Francisco em eMado de embriaguez um
in livdno que por ali passava arremessou-o sobre
a calcada, do que resulten licar o mesmo Guima-
ries levemente feidoua tesla, que fez-se a visteria
e recol eu-se o ofendido ao hospital Pedro II,
para ser convenientemente tratado.
Em offlcio desta data, eommuuicuu-me o suhde
legado dos fugados que s 5 horas di tarde do
nonlenj, no lugar Piranga daquulte districto, Jos
Francisco Antonio, conhecid por Jos Empesooca- gneuoi, Aniaral, \ lena d Araujo, Pernambuco, de hoje, em virtude de reclamacio da Associaco
do, icria gravemente a Cisme Jos Pereira da Gameiro, Oliveira Andrade,Gomes Prente, Gon- Coinmercial Beneficenle, nao se faro mais, nos
Si'va, sond* pim em flagrante ; que procedeu calves rerreira, i>oes Cavalcante, Olympio Mar- trapiches da Conceico, embirques de gneros de
competente vistura e prosegua iiusrtrrinos do in- ues, Lchoi Cavalcante, Cunha Figueirdo, Tito caholagem, licando prohibido nelles alracarem
querlo. u,: U;lrr"si Lacerda, Vieira de Mello, Camboim, c barcaeas ou hates para esse inisler.
Finalmente, a orJeni e tran luilliJaJe publicas contra o Sr Frmino de Nones, sendo approvdo Vapores esperados. Hoje, o amex-
o parecer por 18 contra nm ; procede-se a vote- cano Ontario e o ing'ez Gallicia, do sol do impe-
eao das reslriocdes dos Srs. Amaral e Goncalves r0 ; a 2 os 3 do corrente, o ioglez Cuzco, da Eu-
l-eneira; votam a favor os mesmos senhores, ex- r0pa.
cepto o Sr. Olympio Marques ficando prejudicado Posturas inunieipaes. No lugar com-
o veta em separado. ptenle vo publicados dous artigos de posturas
O Sit. Ratis k Silva (pela ordem) pede que se da cmara municipal do Recife, approvados pro-
declare na acta que nao tomou parte na votaeao visoriamente pelo Exm. Sr. commendador presi-
por nao ter se adiado presente a discusso do dente da proviiuia om 2 e 2o do passado. Re-
pareceres. I commendamos a sua leitura aos uteressados.
OSr. Mkllo Hujo (pela ordem) requer que Frontespieio do Carino. A festa de
sejam Impressos o parecer, o voto eom restncgoss jjossa Senhoi a do Carino, que se venera no fron-
e o rato em separado, no jornal da casa e que se- tespicio da igreja do convento da cidade do Reci-
jam inseridos nos aunaes da assemhla, o que foi -
edido.
nao soffreram alteraran.
0 que ludo comuiuniei a V. Exc, como me
euinpro.
Deus guarde a V. Exc. -Illm. e Exm. Sr. eom-
ihendad ir Dr. Henri p.ie Pereira de Lacena, dig-
uissinio presidente desta proviaoia. 0 chefe de
polica, Antonio Francisco Correia de Araujo.
H"H
PEENAMBUCa
Ao engenheiro chefe da repartiente da
publicas. S. Exc. o Sr. presidente da' pr
DESPACHOS DA PRKS1DKNCIA DR 30 DE 11X110 DE
1873.
Antonio Vctor de S Barrete. Infor no o Sr.
engenheiro chefe da reparticio das obras pu-
blicas.
Antonio Monleiro do Sacramento. Indeferido
Antonio Gomes Seona. Passe portara.
Bacharel Antcnio Paulino Caaleante de Al-
buquerque. Informe o Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda.
Alfrelo Emilio Calumby. Sim, presentando
o supplicante o seu titulo de liceo ;a, concedida
pela goveroo imperial, ao inspector da saod pu-
blica o cmara municipal de Naaaretb.
aislo Cesar de Oliveira Vianna. informe o
Sr. inspector da thesouraria de (aseada.
Bento Gomes de Abreu, O sflppoaute nao
ASSEiilBLi PROVINCIAL
SESSO OROINiRIA EM 7 DE JUNHO
PlIKSIUKNCn DO SR. FERRK1RA DK AGUIAR
Ao meio lia feiLi a chamada e achando-se pre-
sentes o Srs. deputados Ruis e Silva, Oliveira
Andrade, Joaquim de Mello llego. Freir Gameiro,
Tito de Barros, Pinto Jnior, Vieira de Araujo,
Lacerda, Aguiar, Lameana Lins, Frmino de No-
vaos, Ges Cavalcante, Guedcs Gondin, Ernesto
Vieira, Goncalves Ferreira, Cunha e Figueirdo,
Pernambuco"Filho, Prente, Alvaro Ucha, Aiiaral
e Joaquim de Araujo, abre se a sesso.
E' lida e approvada a acta da antecedente.
0 Su. J Secretario l as redareftes Jos pro-
jectos ns. H, 55, 60, 61, 67 e 68 deste anno, as
quaes sao approvadas, e bem assim a do projecto
do orcamento provincial.
O Sr. Mello usgo justifica e manda mesa a
seguinte emenda redaeco do orcamento provin-
cial, de eonformidade coin o art. Id I do regiment:
Orcamento provincial (redaccAo). -8=, depois
de 50 res, substitua-se por dito bruto e fumo em
fardo ou cnbarricado importado e consumido na
provincia. Joaquim Mello Reg.'
Posta a votos a emouJajoi approvada ( passando
o projscto de novo eommissao de reda ceo.
0 Si. Gomss Parrntk (pela ordem) apresenta o
parecer da eommissao de redaeco sobre o pro-
jecte do orcamento provincial redigido de eonfor-
midade eom a emsnda.
Poste a votos a redaeco, approvada.
0 Sr. J. Cor a ka dk Arai j < (pela ordem) requer
peJiiiilo auiorisacio eommissao de polica para
este providenciar de n'odo que na prxima sess i
haja piem apaniie regularmente os trabalhos da
assembla.
Eucerrada a discusso appmvad) o requer-
mente.
ordkm do da.
Eutram era 2* discusso, as emendas apresenta-
das em 3' ao projecto 5\ do anno passado que
reforma a instruceo publica na provincia e sao
approvadas, passando o projecto -eommissao de
redacto.
Discusso das emendas apresenta Jas ao projecto
n. 4 > deste anno e sao approvadas.
3 discusso do projecto n 61 deste anno que
autorisa a prorogacao de privilegio companhia
Je Beberibe, approvdo.
3* discusso do projecto n. 5n deste anno que
autorisa o presidente da provincia a ratiflrar o
contrato celebrado coin Antonio Gomos Netio,
approvdo.
Entram e n 2' dscusso as emendas apresen-
tedas a> projecto n. 7o do anno passado, que
augmenta o> vencmentos do solicitador da fazenda
provincial o do eutros funeciouaros publicas.
Encerrada a discusso e postas a votos as einea -
das, rejetada a do Sr. Olympio Marques, pas-
sando o projecto eommissao de redaeco.
Tercera dscusso do projecto n. 89 deste anno,
que regula o ser-ico dos escrivaes desta cidade.
Vo mesa eapoam-se as seguinte* Orneadas
depois da justificadas Dlos seus autores.
Supprima so da emenda apresentada pelo Sr.
depatado Gomes Prente approvada em segunda
discusso, a pala va fazenda. Pinto Jnior.-Iodo
VUirn.
Supprima-so a emenda que torna o substitu-
tivo extensivo aos escrivaes privativos. Ltrnenha.
~~Gueie$ Gondim.
O Sn. fonos Pasrutb insisto as razdes porque
apresuotou a sua emenda
Encerrado, a discusso e posto a votos a emenda
do Sr Pinto Janior, approvada e rajeitade- a, os-
tra.
cune
S Borneados para levar leis s.\n.'c.rio os Srs
Freir Gameiro, Lacerda, Ernesto Vieira.
Vai mesa e apoia-se o seguinte requerimenta :
Hequerenios que esta assembla. por meio de
seu presidente, nomeie urna eommissao composta
de represntenles desta provincia, aflu de felicitar
aS. Exc. o Sr. conselheiro Joo Alfredo Correia
de Oliveira, quem esta assembla applaude e
loara como um cidadao Ilustre e benemrito,
pelos incestantes c relevanlissimos servicos presta-
dos ao estado e a esta provincia, iniciando e se-
cundando as sabias e importantes reformas eom
que o patritico gabinete actual tem procurado
dotar o paiz. Goncalves Ferreira.Jmu Vieii a.
Mello Reg.-A. Araujo. Padre Tito. Albu-
querque Lacerda. Ucha Cavalcante. Figueiroa.
G.P trente.Amoral. Gameiro.
Posto a votos, approvdo.
O Sn. Goncalves Ferrkira (pela ordem) re-
quer jue se consigne na acta que o requeri-
mento foi approvdo por unanimidade .
Vai mesa e apoia-se o seguinte requerimento :
fe, deve ser celebrada no ultimo domingo do cor-
rente mez.
V.< aceitn 0 Sr. Antonio Leonardo de
Menezes Amorim nao aceitn o lugar de cobrador
da recebedoria de rendas desta provincia, para o
qual foi nomeado por acto da presidencia de 30
do raez passado.
Asylo de alienados. -S. Exc. Rvma o
Sr. hispo diocesano remetleu hontem, junta ad-
ministrativa da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, a quanlia de cincoenta mil ris para as obras
di novo asylo de alienados.
tteiitlinicntos. No mez de julho arreca-
daram as seguintes repartic.es flseacs :
Alfandega 86'.': 761-'501
Capatazia 18:979*589
Recebedoria de rendas geraes 67:093*516
Consulado provincial 133:722*339
Dinhciro. -Os vapores Ipojuca e Giouiri le-
varam hontem para :
Cear 6:355*0'.W
Mossor 10:100*00*
Bem merecido. O Exm. Sr. conselhei-
ro Joio Alfredo forrea de Oliveira, alem da gra
Requeremos que se consigne na acta um voto; cruz da ordem de Christo, de Portugal, que j Ihe
de louvur ao Sr. Dr. Aguiar, presidente da'asseni- fra conferida, obteve a di Coroa de Ferro da
blea, pelo modo digno, justo e imuarcial eom que naiia.
dirigi as sessdes do actual biennio.
0 Sr. presidente passa a presidencia ao Sr. Oli-
veira Andrade, vice presidente, e posto a votos o
requerimento, foi approvdo.
bao lidas e approvadas as redaccoes dos projec-
tos ns. 5i e 70 do 1872 ; 2, 38, 40, 5, 51, 61 e 70
do corrente anno.
OHDSM DJ DIA.
Entram cm 2.* discusso as emendas apresenta-
das em 3." ao projecto n. 62 deste anno, as quaes
jram approvadas, bem como o projecto.
Discusso das emendas offerecidas ao projecto
u. 6? deste anno ; approvadas e passam eom-
missao de redaeco.
O Sr. Pheside.nte suspende a sesso em quanto
se redige a acta e as redaccoes de oulros projectos.
Continuando depois os trabalhos sao lidas a acta
da sesso e bem assim as redaccoes dos projectos
ni. 62 e 69 que foram approvados, declarando o
Sr. presidente acharem se encerrados os trabalhos
legislativos do presente anno.
REVISTA DIARIA.
Foi mais urna dstncpo que o notavel estadista
pemambucano acaba de obtor em prova do con-
ceito que merece nao s no seu paiz, como no es-
trangeiro.
Irilhos urbanos de Olinda.Tendo
s lo roubados, na ooite de )0 do passado, da as-
laco do Varadouro em Olinda, cerca de dous mil
bilhetcs de passagem de prinitira e segunda clas-
sc, a directora da companhia resolveu trocar por
dinheiro os bilheles que possara existir em mo
de alguus dos passageiros que viajam nessa lnha
frrea.
Pa^adoria da tliosouraria de fa-
Kenda. Pagam-se hoje .as seguintes folhas :
presideuca, faculdade de direito, relaco, tribunal
do commercio, pret o folha dos offlciacs, thesou-
raria e juzo dos feitos.
Os fuuccoaarios compreaendidos as mencio-
nadas folhas que deixarem de receber ueste dia,
s serio pagos do sexto dia til em diante.
Digno de encomiosAssim julgamos o
acto generoso da empreza dramtica Espuea e
Penante, oflerecendo em seu theatro, o Gymnasio
Dramtico, um espectculo era beneGcio da so-
ciedade Propagadora da lustruccao Publica, o
qual est annunciado para amanh.
Subir scena o muito applaudido dra na Jo-
Conselho director da iustruect
publica. Por portara da presi leticia da pro-
viuda, de 30 de julho, oi nomeado o bie^ueV^^^'^^^^'^^^^^1-
Manoel Pereira de Moraes Pinheiro para substi
luir o conselheiro Francisco de Paula baptisia,
membro do conselho director da inslrucco pu-
blica, em seus impedimentos.
Autoridades polleiaes Por portaras
da presidencia da provincia, do 30 de julho, fo-
ram nomeados : bacharel Francisco Manoel Wan-
derley Lins, Man el Gomes de Barros e Silva, An-
tonio Joaquim da Fonceca Carvalho, Martinho Ro-
drigues da Silva, delegado e suppbntes do dis-
[.tricto de Gamelleira ; Jos Mathias llantas e An-
gelo Gomes de S, 1.* o >.* sapplentes do delega-
aAmanka vou ptdi-la, em que tanto se distin-
gue o artista Penante, o syr.ipalhco das plateas.
Depois do espectculo liaver um trera, tocand.
em todos os pontos da lnha do Gaxang.
E' de esperar toda a concurrencia : o nos*-
niaor inimigo actual a ignorancia do povo. To-
dos os esforcos sao poucos, todos os sacrificios
nao basta m : derrame-se a inslrucco, d (funda-
se a luz a todo o transe, su assim nos podemos
exprimir.
Scledade Uniao (onmerclal Be-
nelieente. No domingo (3) deve rounir-ao s>
desta sociedad, na.
do do termo do Salgueiro ; Francisco Barbosa da assembla geral dos membroi
Gru, Antonio Pereira da Silva e Jos Martins ru *> Brao da Victoria n. >3, alim de approyar
Le il, sapplentes do subdelegado da freguezia do! contas do amw fiado o eleger a n
Salgueiro.
Jury. -Estando presentes 42 Srs. juizes de
(acto, procedeu se ao sorteio di conselho de sen-
tenca. Enlrou em julgamonto o reo Valeriano Ra-
pbael dos Res, pronunciado no arl. 192 do cdigo
criminal.
para o anno do 1873 a 1874,
Irmandade de S. J'>* d'Asjoals.
D.qviis d'amanh (domingo) dave reoair-se a asesa.
geral djsla contraria, atlm d tratar do negocie*
de seu nteresse.
Snciednde LsiSQ-BrasIleirss. Deve
i tendo por advocado o Dr. Luiz C. Rodrigues'realiur-se no domingo a jssembla geral dos,
Wel



. > c
J*.l
I r,\>

Dlaiiol^de Pernambuco Sexti, feira l de Agosto de 187
=iF

L
171
aembros -desta soeiedade VeneficeMe, *n*i#l
xecucao aos novufjpaUJMtus.
Anuiversam^B Completa amanhjt W aj"
nos de idade S.
prineeaa de laitiville..
) -fublicas, dando a torta-
estvlo l ftora da"
HuMliii a un nacerto- frota nleit4Jaf>sa'> methodica, orno para i diffcrcni
em nm chalare alli existirte w)mpanb.ia"ftos une sao execrados com a desejaH
herihoeest tae redunda a-nm foe J*pW**^i-i*fl*dWda re ale a tora
a li-
-_-be<
los cairos a
o, qaesaiu-
o de entra la
ieatro,
m d
raria
to do poesas
atts
Fonceca
Por esse motivo
de guerra e as
leza do Brum a
tarde.
Ferr* earril
Adiando se prniuplOj
nha de tr*lhi na fre
enruecara Hoje por
companhi* Ferro o
vem da cMado, coa
pela linaa antiga
.\iv pultli
a ra do Baranda
alguns exempl
de 11- Murger, oliinu
le-se a 2o exempr.
Club acadmico. Hortera houve sessw
testa associa^ao. Proeedea-se a eleeo para a
directora, que Mcou assim composta :
Pfffi.lni I Pnr.ir- dllS Sailttlft A Jr*lo.
Vicepresidentes. Agestinho Augusto Bezerra
Cavalcante e Jos emingees Porto.
i. Secretario. Francisco Izidoro Rodrigues
Corta.
2." Dito. Antonio Prederico Rodrigues de An-
drade.
Thesiareiro. Alfredo Alvos Mathous.
Orador. Antonio "Gomes Pereira lunior.
Commissao de cortas. Jos Carrilho de Rivo-
reda llanos. Caudidu Burgos da Juuceca e Aiis-
tarchn Xavier Lope?.
,4jquiisso de Felaceqn- Augusto Fredenee
Suueu-a Caiatcanfc, Candido ,Bor e Jo*e Cacrllho.de Hivur lo,Bcros.
leve lugar a sesso jurdica para juicamente do.
um arecesan vune.^ub a.ipsjde^cia. do Sr jujz
dpoWto Juso'^ertira dos .garts Andraile, occ-j-
piztdo a radiar d accusafla o Sr. Adfiano 'No-
vs e da defeza (i Sr. .finias loaaum a Silva.
Km vista da respaila df (jua^cll, o jo foi con-
deinnado o rao inimmo do je I3J do cjdg
rimina).
Foram sorteados para a^sessao yindoura os Srs.
-iju de direito, .Ajgstinho Beierra ; promotor,
Percr Jnior ; advogado, Ajves Mathclis; esrri-
vao, Domlngues Porto.
Perversidad*. A's a horas da tarde do
dia 28 do mez.prximo lindo, aspava-se Antonio
Augusto da Cosa Guynares, na ra de S. Fran-
cisco, um punco fr de ti, e um desalmado que
por all passou entcndcu deer corrig-lo, arreme-
gandu-o sohre a calada ; e f-lo Lio desastrada-
morite, quo resuJlod lic^r o infeliz Guimares feri-
do na tesa.
Comparcceado a polwia, fez pro.'eder compe-
tente victoria e recollier o-oftendidoao hospital.
Pedro II.
Empeseo^ado. As o horas da Urde
Je 29 do mez lido, Jos Francisco Antonio, co-
onecido por Jos Epescocado, ferio gravemente
em Afogados CosineJos Pereira da Silva. Foi
preso em flagrauU) o felinquente e acl|a-se sob a
acco da lei.
1. ti-ci:i A ipie se aclia venia a 61." a
beneficio daigrejj de Xossa Scohora da Penha,
- ual corre no dia 6.
Lviics.-Ilojc (pri.ujea'ro) a!Tcctaa o agonle
Pinto oleilo de iuoveu, lauca e cryslaes annun-
djdi para o primeiro andar "do sobrad-) do pateo
do Cann > n. 20.
U leilao de pianos que devia ter tido lugar
honte.n na faliria d pianos do S". Antonio Jos
de Azevedo, ra Nova, leon transferido para so
gonda-feira i d i corrente, das 3 e meia horas da
larde s ."> e meia.
Casa ilc iIcleiu;A>. Movimento do dii
:i) dejuw de M73:
fVistiam prosos 3$, entraran 3, sahiram o.
tXistem :o.
A saber :
itacioiuies 2iJ. ni'ii!u.'rcs 8, esirangeiros i8
escravos l. escravas II.Total 3'2.
Alime.itail-.s acuita d<~ uofre? pnojicos 287.
Jlovimenly da itufermaiia d-> da 30 de 'albo,
de 1873:
Teve baixa :
SajOSao Fran:isi: i Jos S.mtos, odentalgia.
Tcvo alta :
l.iiz, oscravo ile Antonio francisco Pereira l.vra.
Passagcii'os. -Sahiram pr.ra os portos do
barte no vapor nacin il Ipojnca '
Joaquim da Costa, Einiji) da Rocha Athayile,
!>.' H-nriqieta R. C >, J. C Mello, 1 lilho e 1 eria-
dr. Antonio D..Pinto, Kh>y de Lcenla, Carlos P.
Bofges, HenWijue S. Aitones, E. Adour, A. Angelo
Feriiandirs, Manoel M M aes, Dr. Jos Candido
Lisboa, P. Luiz Arelo, Mareo'ino S. Tavares, An-
gelo B. J., A. J. Ribtiro fentl, Manoel Joaqnim
Barbosa, R. Maia, Joaqiiiin Rocha. A. Salgado, J-.
de S Guiterres, Francisco Joo de Barros Junior,
Juio Luiz Barros, A. C. Silva, Manoel Joaqnim
ArruJa, Jos L Franco, A. J. Pereira Silva, Juip
B. Magalhai's, Francisco C. Silva, Francisco A. C
Lima, Alexandre Joaqnim de Vaseoncellosf A. F.
Mnnteir) Silva, Miguel Perrety, Francisco Perrety,
Manuel L Wandeilcy e I criado.
Sahiram para os portos do sal no vapor na-
cional (iiqilif'l :
Joaqnim 1 Mediros, Dr. Luiz Azcvedo, Joaqnim
da Bncarneio, Francisco P. Sobrinho, Franciseo
P. Bicerra, i. Vieira da Silveira, P. A. Cerqueira,
llar E. Lima, Antonio Bacellar.
ttfl
liera
do- Beheribo e esta boje
nwlubridaJe.- Inteir.ida. e anaadou que je rc-
niettes.se copia deste oficio ao Kxm. presid ule da
provincia, solicitando as neeessarias prociden-
cias.
Informacao do fiscal de Santo Antonio sobre a
y 1>etrm^rag>#Hf>M^jgftf Ulfif* P^a
coutiManm com a qfletna defunileiro e deposito
de cobro, sita a travessa da ra do Mrquez do
Herval, comprada a Paulo Jos da Silva Freir. -.
ConcMeo-se a licenca pedida.
Oafra sobro a de Flix Francisco 4a Cunha,
para abrir urna offleina de serraVieiro no Caes de
ItaniM Ci>ncedeu-soi
1. ram-se os sesuintes paroeres
nrte
tarta.dns^talbstiu^ijitJ'iaros do Muro, ne
quinto U ofaprjViMURK'utu'do ul
i oue -O;segu a ,-iis cuidadosa
virgeiri, para a qual se tem imaginado e posto em
piauca todos os ineios convenientes para que eMa
igaju exuapUda-gaaa- promaaidaA a- pwMhV -IMK
[ Kio se peruaMa alli a aaatena neo barh .
lra*os oei (Ab e a-aitra* e djvertem oj.noaaa*
ajagarafs, e qqe tanto leal castado a l.vamiga-
los esse rstame.
En algnn's "matadwiros o aniowle cob*#> com
A eommissao do matadouro, a quom foi prrseia coudazidoj
te o aJBeio do Kxm. Sr. presidente a provincia,
oif que ordena ^ue e>ta cmara informe qnaes as
qnalidades de que deve js dolado p uvad^ro
que sajb'stitua o actual, parecer qu*se iaw-
iuc a S. Ese que, se c trataste fomente de> m
edificio ande tiQavessflra de_ser abadas as rezes e
esqaartcjadr5, seria bastante um es paco em que,
alem de amplido.se encontrasso agua era abun-
dancia par todos os misteres e perfeito asseio do
CNUb.lecicieuto e suas dependencias, escoame&'p
prorapt') das aguas servillas, sendo prcferivel que
podeaseta ser encaminhadas para o mar, e qup
alem de batido pela* principaes ventos, nao ficasse
grande distancia desta cidade.
tlonsiderando, porem, quo entre nos nao pos-
si vel, em vista de nossas circumstancias esneeiaes,
reparar a idea do matadouro da do logradouro,
que, alem de mujto espacoso, soja frtil e capaz
de pagar alhaentacao sulUciente grande nu-
mero de rezos, julga a coinimsso que se deve lem-
brar a S. Exc. que, nao sendo de aperar quo lao
cedo se obtenha que o gado venha embarcado ou
em caminhos de ferro, nao se pode iLspensar m
a loealidade que se escolher p >ssiia qualidades
ta s <|ue possa preeneher conjunetaraentc os dous
fin^.
Sabe-se que a maior parte do gado, que yem
para o consumo desta cidade e suas circuoavjsi-
nhancas supporta as fadigas de unta viagem de
muitas leguas, a qual os conductores procuram
por todos os modos faier que seja a mais rpida
possivel.
A eonsequeneia disso o eansaco, a extenuagio
de tarcas, e o desenvolvimento de ni deslas Unto
mais fcil quanto para isso conc irre poderosa-
mente a mudanca repentina de hbitos, de clima
e de alimentaco que solfrem qs gados, os quaes,
vivendo quasi em completo repouzo, pa,ssaiu de
repe to a caminhar, muitas leguas por dia, resul-
tando disso que os anima.es de constituicao fraca
nopodem supportar tanta fadiga, adiiecem ou
ficam por tal forma debilitados que Ihos impus-
sivl continuar a viagem, viudo muitas vezes a
morrer dentro de alguns dias.
As rezes, a quem nao acontece isso chegam deina
siadamente cansadas ao lugar da fuira, e maneira
pie sao precisos muitos das par *eu completo
repouzo, para que se desvaruxja a eontusio dos
inuscnlos, principalmente as proximidades das ar-
culaeSes, bera qii3 muitas vezes se eslenda a
toda parle muscular, o que d um sabor muito
lesagra lavel carne, se nii o tira completamente
e eaaa alteraco conliecida pelo povo ora a de-
nominaca i de carne cansada.
Conhecido portanto ifie sao precisos mu'tos
dias para o repouzo completu do gado e uo tres
somente, como se exige actualmente, e nao ha ne-
cossidade de grande trabalho de imaginacao para
conhecer que o gado que anda s carreiras um
infla ou d lis, nao pode em lao poucos dias se res-
tablecer de tanta fadiga e pisadura, ponsn a com-
missao que sao indispensavois tres logra loaros
pe'.o monos de-do a feira dos gados t o matadou-
ro. de naaaoira que descansan obrigatoriamenie
ti">s das em cada um delles, vind > ass m a crem
n.H.lRl MUNICIPAL.
^SSO EXTIP.ORDIXvRLV AOS 23 E JULHO
DE 1871
KtWBSHCtA D i SH. TIIE IDOai) SILVA .
Depois do meio dia, prsenles os Srs. vereado-
ri's Tlieodiro Silva. Neves, Dr. Moscos.!, Cunta
Guimarlcs, e Cetario de Mello, foi aberta a sessio,
lida e approvada a acta da antecedente.
Prestou juramento de advogado da cmara o
Sr. Dr. Angelo Heoriquea Ja Silva, de vereador Io
supplente e tomou as.-enlo o Sr. Jos Cosario de
Mello, e de Io juiz de paz da freguesa do Po;o da
Panella o mesmo Sr. Osario de Mello.
Lu-se o segniute
KXI'EUIKXTE :
Um offlcio do Exm. presidente da provincia, de
21 do corrente. recommendando, em resiwsta ao
desta cmara de i do passado. remetiendo as co-
pias dis actas das eleicoes de juizes ie paz, pro-
cedidas a 20 de abril do crreme anno as paco-
rhias dVBoa-Vista e Afogados, que se expecam os
diplomas aos cid id ios eleitos jnizes de p z e os
convide a prestar juramento. Mandou-se cum-
prir.
Outro da cmara municipal da cidade de Olinda,
de 17 do corrente, communicando em_rcsposta ao
desta cmara de 23 do pa !nl) no seu respectivo archivo documento a'gum
relativo croacao da villa do lle;i:'e.Inteirala e
mandn remetter copia deste offlcio ao Exm. pre-
sidente da provincia.
Outro do administrador do cemiterio publico
de>ta cidade, de 22 do corrente, communican o j
ier a Irman la le le c;. Bencdieti concluido a
cnuslUccao de sitas catacumbas naquelTc cemite-
rio. -Mmd m-se dar sciencia ao procurador p-.ra
os devinto lilis.
Inf i ma.io do engenieiro sobre a representafao
do fiscal doS afogados contra Francisco Ignacio da
Cruz c Mello pel facto de estar damnificando a
estrada publica do Bu 'ranga. Ao Dr. advo-
gado da o amara para dar' parecer.
Parecer do advogado sobre as peticSes de Fran
cisco Antonio Alves Mascarenhas e Antonio Pinto
de Barros. -Manlou-se com um abarco assignado
de moradores do lug.'ir CabpcA, freguezia >lo Po;o
da Panella commissao ile'eliltcaipo.
Outro lo rae^mo sobre a P'ilicao de Guarino de
Sonta Peix", pediudo dispensa ao pagamento dp
imp )sto municipal sobr estabeJeeimento de porta
abeita da lija n. (50 ra de Marcilio Das, relati-
vo ao? annos em que fbl deposito de gneros e
nao como boje, que de selleiro '"Merio-se a
pico de cooformilade cora o referido pa-
recer.
Offlcio do procurador da cmara, trazendo ao
sen conheciinento que Manoel Ferreira Pmto, ar-
rerpawnte das Casas ns. 2, i e 6'da Praea da a
de^Cddencia, demoli a prele interna da casa n.
, fa-ndo das tres urna i. -Maadou-se iulimar.
arrematen'c para assignar termo, obrisan lo se a
entregar no Um do arrendamento as referidas ca-
sas no estado em que as receben
Outr>do mosmo proeorador, remettendoarela-
ci^|s multas impostas ocios fl-caes, de 17 23 e
arrecadads na importancia de" WlOOO.-Intai-
rada.
Ortro do fiscal da frugueia-de S-Prei ferd
Gon^ves o Rectfe, remeMewlo "^ops'taw ^9
infrar^iS>> na imp-irUnola do WO(jO.'^H(iildoU;So
ao prncurador par faaer feetlva a eolRmij. -
O'itriw dos fCMbet 3aj fregoeeis de S Fre Pe
dr Cnealve* do Becife,S*lt# Afrionie, Boa-ViKa
o So banfajTAidav 4Jf;a;*reietnndB a aalafifl
da* MMltes unnante-ik-1 d Al do: correte, na m
pota5t4eo'f-..dt W* o, o f da 1W00Q, o 3t
de 4K)0D e o V de 30< kjO. Inteirad*.
Omni do ftaeal de J.tf tracande ao coahect
monto da amara que existo na roa Vidal de iNe-
greiro? grande quantvJade de agua ptrida e lo-
a reafiini?cr que a matricula era
'en m amnde estorvo ao dito eoinujercio,
niSui woinpto em suas mos,'mjv%ra
bella misnenhuma das hytOMestsiaqui ore-
J
lena o
acabar
ftra%ftfhva a necess jade iudeaamAWJ^de' have-
^mvscravos empregados em a%i;vcos paMicos
para os quaes ha gente livie em abundancia.
O estado de barbaria em que se achjva o merca-
lio
na grai
eus sem
-'cari para nao ver os rr.4f do de polica : a
i njein -
t e que magma-gaaiain g&prqa* fltro de Atkaytle &oboU'Si*o. -Jote
ra descrHFlo camocclirMo pro- Jnior.
ai una pnitrenEa que causa ad
gente, c
escravos
. grande
fnSdavam fa
aelir 'i^heiro^e assiua os olistacul
toda'.a iiioilarai.'ao ao luga* em que '
mais de urna vez (em feito
sas ame mais coueprre
e.
descanco, lempo
rostalielecer das
nove, em v.i de tres, os dias de
este em que as caries poden) so
lesoes que honraren suliYil) durante a longa e
f >r<; da viagem e o saugue desaltera 1 > e recupe-
rado suas boas qualidades primitivas, vinlo assim
a desapparecer a car denegrida que aprtseutam
as carnes qoando o animal morto anda a solTrer
a fadiga, o eansaco e muitas vezes as molestias
adquerhlns a penosa viagem.
Alm disso ha urna vaniagem nessa demora ou
desea neo, e que deixar de ser morto grande
numero de rezes doentes, como acontece actual-
m-nte, porque chegando ellas nesse estado ao ma
tadouro, em ipie deve achar o ultimo e o maior
dos logradouros, e tendo de se demorar tres ou
mais dias, se a molestia fr mortal, rara vez o ani-
mal deixar de suecumbir ou de chegar a nm es-
tado tal de abatimento que nao poder deixar de
ser recotihecido, e nao succeder o que buje acon-
tece tantas vezes, que SO se considera a rea doente
quanJo ella est marta : e parece que nao deve
isso causar estranheza, qnatidn se pensa na gran-
de quantidade de carne, que durante o ultimo ve-
rao foi condemnada com) podre e lan;ada ao
mar, o que justifica plenamente o que flca ex-
posto E a raza) desse fauto nao muito diflc
de comprehendor : sbese que em urna molestia
longa e que ataca as principaes fonles da vida, os
tecidos todos soffrem profunda alteraco em sua
substancia, de sorle que, quando cliega o lim da
vida, elles, nara bem dizer, j se acham em prin-
cipio de putrefaceao : esse mesmo plienomeno
muito commum no genero humano e faeil de ob-
servar em certas molestias que acarretain a de
composico do sangue, como a febre amarclla, o
lypho e ulras, de que resulta que, piuco depois
da marte, a puirefac^o se desenvolve com mais
incrivel rapidez, notndose muitas vezes que o
individuo antes de morrer exhala cheiro p-
trido.
Nao se podendo portanto esperar que bi'vc
possa vir o gado pelos caminhos de ferro e des-
em arcar n) interior do matadouro, como acon-
tece em alguns da Europa, principalmente, no de
la Villote em Pars, que h )ie considerado o mo-
delo dos estabeleclraontos de tal uaturexa, a
commissao de parecer que se lenibre S. Exc.
tas ou oitocentas rezes semanalniente, quef de in-
vern quer de vern, e que deve ser prvido de
abundante manancial d'agias.
A commissao nao pode, sem um estado especial
das localilaaes, indicar qual a que pode reunir
as condiefies indispensaveis para se formar um es-
labelecimonto que satisfaga as necessidades exigir
das pelo posso estado de adiantamento, e que
realmente ennorra para o melhoranieuto do prin-
cipal genero d alimentaco nesta cidade e sous
suburbios : mas nao pJe deixar do encarecer a
neeessidade que ha de um aturado estudo e cog-
taco. para que, depois de grandes sacrificios, nao
liquemos apenas com o conbecimenln deque se
c immettem todos os dias erros que nial seriam
perdoavois nos nossos primitivos temp s, tenham-
se os olhos bem abertos e fitos para esse nosso ac-
tual nia'adouro publico que sorraleiramente con-
som tods os annos boa somma de contos de ris
em pura peda, onde o gado morre empegado na
lama at o ventre antes de ser morto, e que a nao
ser a fjrte c constante viraco de que prodigiosa-
mente nos sacia a natureza", seria um foco peren-
ne de nesta e morticinio : quem est na ponte dos
Afogados ja sent a podndo que alli se desen
volve : entretanto esse verdadeiro matadouro de
gente e de gado fui ha bera poucos annos cons-
truido contra o parecer do mdicos e at do enge-
nheiros.
Sirva ao menos a experiencia pratica de pharol
p-ira guiar ao pqnto que cunJuz fonte d s nte-
resses do povo, era euja Cuuipanlua vm a sa,do e
o seu bem estar, e deixe se para oufa vez sen-,
da que milito beta arinharam aqufles que, cnj
parasytas, vivera da seiVa alheia, para a qual uu
conc irrem nem om um seitl.
Julga a commissio que nao ser UtihV encon-
trar perto desta cidade cm qnalquer das direccoes
mais de urna tpacio que refina todos os requisi
tos necessarios para fundar-se um importante es
tabefecimento eom nas as eondi^See hygicnicas.
sob todas as regras centillcas e com todos os
cnmrnndos para og itfereiite mister -s, cOmo 09
meiOMM da Europa.
Parece que se nao deve esquecer que o edificio
que ae houver de construir leuda os commodos
necessarios para o repouso e esquartejamaato de
porcos, cabras e eaBeirpa : os Inconvenientes
que notamos a respeito do gado vacara iUo-s* \
respeilo das outras especies. A's vozes a carne,
<>QlXaqg>rte.
A commissao por
Rilar i^ue u|u> dai
pa/a a i#. <3(id;kdc da arrie, o matadmiio
cera o corla) ds mais desavorveis eoad)es era
y_ue elle se conserva.
Phsa partaato a commissao que na construc-
cao desse novo jliiM^ gt sontia*s no Ve
ser olvidado nem%m*MoPmenmramutos actual;
Menlo adoptados nos paizrfs civilisados, porque so
assim se abrir caminno para outros muitos e !m-
purtanles do quo Unto depende a qualidade da
carne verde, e parece que se alguns relies hou-
,vsse^i ,sjdo ii^ciudes hu quatro anana, quando/o-
rain proposos, poder-s-nia hoje estar colhen-
do os fructos que d'elles deviaia naturalmente
brotar.
Tu>os um grpnde futuro diante do n')s, e por-
tanto nao devemos nos atterrai- mu o ^ugment >
de despeza que pro melle grandes aritigeps. O
consuiiiidor qneih ha de pagar o exce*sq.da des-
peza, mas elle cerlameute licar salisfeito qajido
pagar a carne um pouc mais cara e poder lilil
sar-}e e tirar d'ella urna boa uutri.-ig, do une pa-
gando- pelos presos que teui-se pago alguuias
vezes e ter de mandar aiirala ao mar, ou djuie-J
podre e ser atacado de urna molestia muitas vezes
mortal.
Ni" ha que rec-iar do bom emprego do capital,
principalmente em materia de alimiuicao.
Reconhece a.Qomwjasan que umitas Caltas teta
comiiieitido no parecer que vem subinetter 'sabia
aprtar.io desta illustia.ia cmara, que, Jeseiiyol-
vendj ^e^s conhcjinentos tlusoricos e pratcs,
sanar o maior iiumero de lacinias que uelle en-
contrar para que nao cliegue to imperfoito pre-
rerija do Exm. Sr. presidente da provincia, cajo
patriotismo e dodica.o ao progeesso de sua pro-
vincia natal, tantas v garanta que se pode desejar : a cuinniisso con-
fia plenamente no zelo adiniuistaatvo de S. Exc
Paco da cmara municipal, em 23dejulhode
1873. Dr. Pedro de AUiayie Lybo Moscoso c
Joo da Cunta Soares Guimarles.i Fai anprova-
do e maudou se por copia ao Exm. presidente da
provincia, era cumprimeuio ao exigido cm seu
ollico de 18 do passado.
Manda e#ta cmara yue a eomraisso do mata-
douro d siia opiuiao suture a materia do ruque-
rimento em que alguns marchantes ppdem que os
seus escravos empregados nos acongObs au se-
jam excluidos da matrcula que esta'cmara creou
e foi approvada pela asseuibta prorincial : pe-
de n os nembros da ociedade Amor Beneficen-
cia dos talhadores que sejain os escravos exclqi-
dos da matricula. Com quanto n o tenha a majs
leve yretenco a que esta cmara modifique a sua
opiuiao ltimamente manifestada acerca desta
questo, nao dejxarei de emittir o meu parecer
de conformidade com o que tenho ha muito tetripo
pensado, e pelas razSes seguirte* :
i.' Ha quatro anaus, quando aind niuguem
hava se le.nbrado dessa q testao, eu propuz a
crearn da matricula para os ulliadopes e maga*
refes, por entender que ella se faza necessara
para refrear a indisciplina pie reinava em urna e
nutra d -ssas roparticiMjs, onde elles tiiilum exer-
cicio.
'. Fui eu quem propoz esta cmara, que di-
rgisse urna felcitacao ao patritico e humanitario
gabinete .de 7 de marco, que promulgou a civilisa-
dora le de 28 de setembro de 1871 ;
3a. Ha muco esta cmara mandou que eu redi*
gisse as posturas, relativas matricula dos talha-
dores e delta foram excluidas os escravos : mas
entendend 1 a cmara que os escra< os nao devlam
licar priva los de continuar a ser empregados nos
talhos,decidi quefi;assemcontemplado* emquan-
lo durasse o arrendament) do acouguc da riueira.
de S. Jos.
Consta que estas posturas farain ajiprovadas
(lela asscmbla provincial, e assim nao possivel
que esta cmara tome ama rcsolue-o que em
tudo nppjsta ao que nella se acta detenninado.
Portanto se a cmara entenJe que deve cu nprir
o que ordenou o Exm presidente da provincia em
offlcio de 25 de janho prximo passado, o que tem
a fazer observar respeitosamente a S. Exc, que
a sua ordem vai de encontr s posturas ultima-
tiente approvadas pelaassembla provincial, e of-
fercer ap irovac) deS. Exc urna postura re-
vogando a artigo da outra em que se permiti a
matricula ocouservacao dos escravos n>s estabe-
lecjmertos da cmara.
A cmara entretanto, delibererar coma rnelhor
entender em sua alta sabedoria.
Entretanto como nao seja inleiramente (ora de
proposito, nem isso de maoeira alguma possa em-
baracar a esta corporar,io na resolu^io que hou-
ver le tomar, com todo acatamenlo, peco-lhe a
sua benvola attenco para as seguintes resolucdes
do governo que se nao tem positiva apidieacao ao
caso verterte, todava musir o espirito liberal quo
ha muitos anuos anima es nossos legisladores, e
miando nos nao possanos acompanba-los de perto
nesse raomentoso erapenho, ao menos nao deveraos
iwr eslorvos ao desenvolvimento da idea mais ge-
nerosa, mais cvlisadora e mais religiosa que tem si-
do iniciada em nosso paiz, a quil um dia, que nao
estar muitj Ijnge, se toJ s coocorrermos para
ella eom nossos esforcos, njs elevar alta linha
gem dos pavos livres."
A p,rtaria de 20 de abril de 1823 prohibi que
os empregados de qualqper reparcio tivessem
escravos seiis traoalliando as reprticoes.
A portara de 17 de agcisto de 1830, raaudou em-
pregara raaior vigilancia para Hue dfihaqb de
noiucs suppostos e quaes mer outros pretextos nao
fosse (Iludida a disposiej da de 10 de abril de
I82.N.
O decreto de 23 de junln de 1831 stalulo que
na provincia do Rio de Jaqeiro nao fose.n almit.
lides coino operarios o servente* as estaees pu-
blicas os escravos, omitanlo houvessro ingeuuo-
ou libertos, que ncllas se quizessem empregar nem
os empregados pubjiqos e outras pessoas coi
exercicio nos arsenaes podessem ter os seus es
era vos em taes eubeJecinenU).
decalo le JO de selem'no de 1831 fez estn
siva a tolas as provincias as dispusieres do de
0 de junliq.
A ordem de 27 de junho de tgi3 maudou des-
pedir de certas obras da alfandega Ja dicto us es
cravos, excepto os serventes.
Os avisos de 12 deseteuibro de 18* J e dous de
2 de outubro do mesmo anuo, uir do ministerio
da manaba e outro da guerra, determinaran) que
nao fossein conservados como operarios nos arse-
naes os escravos emquanto liouvpssem livres.
O art. 203 do regalamento do 19 de setembro
de 1860 dispon o seguirte :
Dio servio interno das alandegas ou mesas de
rendas naa ser io admittidos operarios ou serven
tes que (orem escravos.
A ordem. do ministerio da fazenda de 28 de ju-
Ih'i de 1866, manda a alfadega da corte que d
as neeessarias ordens atlm 49 que cesae o servan
de escravos na porto de euibarqus, de vendo o ser,-
vitoifir feito aor gente.jivre.
O mesmo raimsterio em 23 de junho de ,18W,
ordenou directora de c^ntabilidade. que do futu-
ro mez de julho em diantQ nao fo*is;m admiuidos
serventes e,scxayos as re jarticoe* de .iienda.
1' vjs(a de Untas decisiies anteriores "salular
magra, que causa nojo :' e quem no pode assegu-
rar que esses animaes esnvam d lentes ou forauj
sfuladjs depois de monos 1
pr ividencia convertida em lei pelo decreta de. t&
ae setembro de 1871, esta illqstra cmara lera es
c'rupulo ir, adoptar urna medida que tantas vezes
teui sido prpeunisada pelo govarui gerai ? Qu a
cmara poder considerar os agua maUdouros
como eslabeli'.eiinjulos paitisulaces 9
A cmara adoptando a pr,ivid-cia indcala
lo Exm *r. presidenta.da,ptovinca, nao seop-
e do forma alguma ao u-o da nopriedala quom
de earneiro est to denegrida o outras vejes-U |irter_ quAsuja, porcma nioguem djfrfjue. 9 escr.i-
vo nao achara uuti'a.oceuagao tora do acuuguo,
quari 11 nao fal^a ou-l^ ella ae omprague Ij
maia.lacGftaranwtt
f listas pejuenas e-iusas flaodejtam di ter sed-' Alttin.4^oa etm^,^ astflng*aatmcuia
valor ; a maior parte da gente paca ellas am 0II14..: fsnwrte a3,aacit)4a soaedade -Anw a lieneii-
entretanto todas ooeoBfeu com um. peonen* cpnr cen*ia com a qual a cmara nada tem que *ajy
mgfinte.oapt damuillcar a sade.
' A' munieipalidade, mais que qualquer outra
reparti&j, compela velar a muito pelo uam**
iblico.
0 matadouro hojanaurapa ao-eatatelecl-
D)en|os que leera manteido muitas UteUcoee da de tomar aa -praridamiaa naflaaaawn, afeftifOBl
qne governam : alli se achara reunidas as tonaV f aihadores e aaa* ajanak tyaaMl nal n
ooes hvgienicas, as eomnjodklade tanto pafaol monopolio nem ponham obstculos ao livre com-,
animaes que recebem todos os cuidados de urna rjiercio das carnes verdes, e se a cmara chegasse
porque eta o /ovlida,; aeni:paa.aer n.r*s
-(>eituda.nrganiaaMd( esta constituida conforme a lei, Mlf*i(ft nv is
compotertopar**stracga-ta.^diaaalvcr-ao o
l)jm iis, nem a cmara Han tnpatiaia danBMa
ilisacio
e llic op
deixa espeif/ltuito.
lima e outtafur forca 1
turnes: a experiencia es
ressu jnjiU-j uue vai apparecendo
amusv os esiatclecimen!;
As medidas que deram em resultado essa gran-
de diininuijo da vezeria qu8 se soffria, infernal,
insujiporlavel em um e^outro estabeleci ment, ae-'
tnalmn( das para que na prxima abertura do novo m r
c;ido uussam dar loJuS os rulos uue delUs se
podo esperar, e havendo a necessarid vigilancia da
parlo do fiscal, nao provavel que deixe de ha ver
urna reforma completa nos hbitos que por muito
inveterados que s'juij sao mobScados quando se
lhs oppde uina firme vontade.
Conclue porianto, opinando para que se refor-
me a postura e se exelua do servie<) publico os
.escravos, pjis que calende que nao se deve per-
der nanea a oceasio de concorrer com o quo se
possa para 4 extiacc^o desse nosso graude mal
aocial.
I'aeo da cmara municipal, em 23 de junho de
1873.'- Dr. Pedro de Albaylc Lobo Moscoso, Joao
da Cupha >oares Guimarcs.
Fui approvado, assiguaaJo o parecer com res-
neles o Sr. vereajor Cuiiba Uuiuiaraes.
FoLapprovado e maudou-se remell;r copia ao
Exm. presi-loute, o segniute requeriraeuto do Sr.
Cual a Gumaraes, que Qcou adiado na sessa; de
16. do corrate.
Itfldo liilo attentamente o officio dp Exm. Sr.
presiaerte da provinci?, de 2 de junho do cor-
rele anuo, communicando hayer deferid) a peli-
pao da sociedad*) ,Viu>r BeucAcencia dos tailii
dores de carnes verdes, que recorreu da delibe-
racao desta cmara, que espacou para quando fin-
dasse o prazo do contrato dos talhos, a matricula
dos respectivos talhadores cora excluso dos es-
cravos, e em virtude daquelle deferimento manda
a esta camara por desde j em vigor a referida
matricula, eattendendo as coasidera.oes expendi-
das na representacao dirigida ao mesmo Exm. Sr.
pelos negociantes" de carnes verdes, eoahecidos
por marcha ites, arrematantes dos referid >s talhos,
e que foi man lada esta cmara para dar seu pa-
recer, considerando que a adopcao de seme
Ihante medida, desde j contra o disposto uas
posturas que foram ltimamente approva das pe-
la aasembla provincial, e poje acarrelar gran-
des, prejuizos para os cofres da inuuicipalida-
de, exp ind 1:1 talvez a sustentar alguma demanda
ue I he ji issam propor os' ari'c.natantes dos la
Mos, pe.lindo pedas e lamaos, e iacaaioia I> rae,
como um dos seus me abnjs, o dever de zelar os
seus nteresses sob a rcsponsabtlidde imposta pe-
lo respectivo regulament), proponbo que mu
respeitosamente se officie ao mesmo Exm. Sr. no
sentido de ser reformada sc.nelhaute orden comi-
da no referido offlcio, sendo e.-te roquerimento
transcripto na acta para rcsalva de niinha respon-
sabilidado.
Paso da cmara municipal, em sesso de 15 de
julho do 1873. Joio da Cunha Soares Guima-
raea.
O mesmo Sr. vereador fez o segninto re|ueri-
ment :
Tea Jo esta cmara a restricta qbrigaao que lhe
impoe a lei do Io de oulubrj de I81S de velar pe-
lo bem de seas municipes c nio podeud i ser in-
dilTerenle ao clamor geraiui me levantado pela po-
palaei) desta cidade porciusa los soTriinoatos e
incoininodosdeque victima pda podrid^e mias-
mas desenvolvidos polis mos.ap;iarellios coloca-
dos as casas pea corapauhia Recii'o Drainage,
podrjdao asta, quo par mais instantes e frequertes
que x'jam as roclauta^oes referida compauhia,
mais que muito nota ve! no apparclho que a compa
nhia collocou em um dos compartimentos desta ca-
mara,qae por mais agua que se deile, nao deixa
nunca de exalar chairo insupporlavel ; requeiro
que se dirija urna representacao ao Exm. Sr. pre-
sidente, mostrando com toda a clareza o estado de
soffriuiento da populacao desta cidade, e pedin 1 >
proTdencia* que sejaui aptes a evitar que de fu-
turo se desonwlva alguma epidemia assoladora.
Paco da cmara municipal do Recife, 23 de ju-
Ihi de 1873. -Joao da Cuaba S-Kires Guimires.
Foi unnimemente approvado c remetteu-se
commissao de saude publica.
Foram apresentados os seguales projectos de
postura :
Art. nico, .lenhuma alvarenga ou embareicao
de qualquer qual ida I; ou den'waiaaca) que seja
empregada no trafego d> porto 011 ros, polera
transitar ou ser carregala ou discarregada sem
estar balleadae ni mis perfeito estad) de asseii
e limpeza.
Os infractores sero mullidos 3:n 30 e o do-
aro na reincidencia e obriga los a fazor immedia
lamente a limpeza neeessaria, e nao o fazondo pa-
gano toda a dospeza que fr feita nao s com o
aiseio, como esm a desinfeccio se fr julgada nj-
cessaria.
Paco da cmara municipal do Recii'o, em 18 de
julho de 1873 Dr. Pedro de Athayde Lobo Mos-
coso,Jos Mara Freir Gameiro.
Art. 1." Ninguem pode deilar na ra cisco, oh-
jectos sem servniia nem cous alguma que seja
contrara ao assek) e limpeza das ras.
Art. 2. Os proprietarios ou moradores em cujas
portas 011 freutes for encontrado qiialquer objecto
dessa qualidade sero multados em lo e no do-
bn na reincidencia
Art. 3. Ficam designad >s o alagado do iwrte
do gymnisio provincial, o lada do sul di casa de
deleueio e a praca Podro I no Recife, perto do
caes para qcaes seren laasadoa os ciscos, clices
e qaaesqjer outros obje.ctos sem servenlia, seja
qual for spa natureza, a exeepe) de materias fe-
caes que cinnuaro a ser lancadas nos lugares
designados as posturas.
O infractores sero multados em 301 9 no do
bro na reincidencia e obligados a remover os ob-
jacios >ua custa ou a pagar a despeza que se li
aer com sua reqiocap.
Art. %. Fica prohibido o apregaraento de
cartazes, nnuneos, avisos ou outro qualquer pa-
pel na parude ou e.sqaiaa das ras, seja qual for
sen assumplo ou qualidade.
Os infractores serio multados em 10*030 e no
dobro ni reine dencia e obneados a jndemnisar o
damno que causaren), alm dp screm obrigados a
dasopegar os papis ou pagar a despeza que com
ise se lizer.
Paco d cmara municipal, em sesso de 23 de
junho de 1873.Joao'da Cuaha Soires Guima-
res.
Foram appcovalos e remetteu-3e ao Exm. Sr.
presid-ente d provinnia para sua approvaco e
exacucao provisoria.
Foi posta em praca 4 obra do fechamento dos
beccos da ra do Vjgario Ttyenorio e d 1 ra da
Restauracao, se^do por loaquvn Domingos Fez,
refa, pela quanb'a de 1391-Mndpu--se pedir au-
torisac 10 ao Eun. presidente da provincia
Foram repttiiips eomniiss > de peticoes o
requerimontj.de' Fr. F*dipp de S. Luiz Pain, pe-
d|ndo licenca para levantar um carral de apanhao
peiae no lagar Fociiiho do Boj do matadouro o
de Manool Paalo de AlPUquerque o capito Manoel
Joaquim Ferreira Esteves ; a de edillcacoe de
diversos moradores do lugarCaboc freguezia
tmitou-a #asa&i 44 3 hows la tarde.
Eu, Pedro de Alhtiquer.pje Antran, secretario
a escrev.
Miuwel .fo-f iti'wt ihH'+i \lbui*r -./oj Marn. Freir Qanvti'o. JosJ Pedr.o d;is Hi-
tes. -Tlteodoro Mach do Freirj Pereira di Silva. -
Bellarmino do Reg Barros.-Jernimo de Souzat
Leao. Joo daCunha Soares Uuimtraes. -Dr. Pe-
di .^HvaUfo
hnriu apecha, a infam!:, o opfrobrio ft lotu-
Ipletar-s; cuw ,cntas iulcvid *n .prejaizo do-
THESOORARIA DE FAIF.NDA
II de julho
Foram remettidos ao Sr. ihaoureiro para se.-
Bem pagos.
OUlcios:
Da presidencia, mandan da .pagar ao padre Luiz
Jos Goncalves da Lu? a gratficaco a que tem
direito.
Do chefe do polica, requisilando pagamento da
quaua do 72y.*3SU a Walfredo de Medeiros & C.
" querho'.'nlos:
a CompanWa Pernambucatia.
De Joaquim Franciseo de Medeiros.
De Isaas Gandes de Mello.
Secretaria da thesouraria de fazenda de Per-
nambuco, 31 de julho do 1873.
O secretario da junta,
Jesuino Rodrigues Cuidoso.
'ubuccqes h nam.
A Provincia.
do
do Poco da Panella ; ai cngeanero para informar
o de Francisco Ignacio da'Craz o Mello, e Manoel
Maxtio- Fiu^a fqi inJeferidoo de Jos Mara Gon
calves Vieira Guimjraej; (oara deferidas as pe-
ticoes le Antonio Volhado Magalhaes i^abral, An-
Daio J>)s Teixaira, Antonio de Paiva Ferreira,
Alva ferreira, Alvaro 'freir de S, Americo 4
Sji e Albuquerque, Andr Rampck, Bernardo For-
reir Loareiro, Bernardina Pinto Co -Ib), Francis-
co de Mello Cavalcante, Francisco Gomes da Silva
hraiva, Francisco Antonio Barava, Francelna
Mara- d s Saiitps, Florennin Rodrigues de Miranda
Fraacs, Q.,Francis6aiJI(id>aaJd^ iquei'a,iMlua;
OU'hJq fos Alfonso, Joaquim Baptsta de Araujo, Jg-
q )im>ito|if'i*-^ll.ttlH*oPl -towubn. Baplista Jiogaei-
,, Jos J/a^UKU, Cavalcantip, Joaquim Candido
*' unir. Josa Cs|aan* d Sanl Amia, Jayute
tu*a..liuie* da )>ilua> JoU de Medeiros Raposo,
Jo Demetrio de Almeida "lavalcapto, com voto
jiaVAdoSr. vereador Cupha Animar ws, Xoo Ah
vsjdeoMW, cw o. m'n*'yutq,C)iOiM, Joao Pin
deLww, Jfcse)*>i^uo,a>ifialiiilgue>/o,
quim BariMan.idjKOiiyaisi,J^Ga0nJe>>^tf*
.M^il^ gual Ferreiza-Pio, M&noel. Joaijuim de ^Bl i
m. Padr Anjwte e BiMtdn Ponlakn da Sil-
va Santiago.
Por falta absoluta de tactos o orgao opposi-
cionista volta alada a aecusar o actual a lminis-
tradoi da proviacia como ex-juiz de orphos de
Goyanua.
J urna grande glora para o honrado Sr. Dr.
Lacena nao ter durante o periodo de novo mezes
de adiniuistraco um s faci que seja merecedor de
censura, sobreludo quaudo se atiende que a op-
posicao da Provinci-i (papel) intolerante e in-
justa.
J urna voz provocamos a oppisico para apre-
>eaur factos, pondo de parte as individualidades ;
a resposta que se nos d o donato, a injuria
laaeada sobre o digno e distiucssiuio adminis-
trador Sr. Dr. Luceaa, que nada Ion que ver com o
quo escrevenios.
De novo declaramos aos escriptores apaixouados
da ooposico que, declnelo lacios censuraveis da
adrainstraci), e nao se deixe levar por esses ex-
cessos partidarios que deiioiam fraqueza e falla
de razao.
X io estamos acostumados a essas discusdoes,
que s revelara odio rancuroso ; alem de que \m
urna condi'u som a qual ninguem falla a seus
semelhantes com esperance de ser ouvido e acre-
ditado ; e esta coudicao consiste em respeiuar-se o
que justo, t s'fallar se a linguagem da rerdade.
Han podemos, poieiii, licar mpasiivel poraute
a aggressao injusta, os excessos com |uo a op-
posi(;ao por ine'O de sua impreusa desacata pes-
soas e principios, que todo o cidado esl acostu-
niado a respeilar.
Entretanto impossivel disc.ulir com o orgao
opposicionisla; quando se faz lao mo uso da ai-
prensa, como esses oscrptoros, o nico recurso
que resta e expor a verdade pura, para que cada
qual coinp re e julgue.
Esse modo de proceder da opposcao actual-
mente aggravad pelas circumstancias especiaes
eai que nos acharaos.
De feito, quando graves quostoes se agitam no
paz, quando a thoocracia procura dar leis
onde a hberdado de impreusa e de coascien-
ca u na verdade, nao toleravel que o jornal,
que se diz orgao de um grande partido, abste-
nha-so de tomar paite em taes questoes, para
exclusivamente occupir-se com urna poltica pes-
soal, tacanha com pequeas intrigas losaos.
E' certo que o governo dji'oolenl) a causa da
civilisaeo e lo progresso, imparc al, e forte pelo
apoio da opiuiao publica, iuacessivel a esses pe-
queos manejos polticos de una minora turbu-
lenta.
Mas nao licito a absteucao de um partido
quando se trata, de urna grave qutsiao que gil
o paz, perturba a paz das faiuas, e traz
em ameaca a liberdade de conscienca.
Mas em vez da diaauafio elevada c nobre que
encaminlia e dirige o meriinente dos espirites, a
opposico volta anda ama vez sobre a queso
j Uio debatida de ter o honra lo Sr. Dr. Lucena re-
cebido como juiz de orphos cusas ndovidas.
V. a calumnia sempre repelida
Quii anda urna tea o Jornal que sustenta os
inieresfes do Sr. Baro de Villa Bella delende-lo
de um a:to ssu como presidente desta provincia,
que nao tem qiiabtteacao po-eivel; de um acto de
estpida prepotencia que manchn para sempre
a sua administraco ; de um acto que o propiio
conselheiro Zacaras, com o talento que todos
lhe reconhecem, nao o pode defender.
Com o fundamento de ter dividido, por arrola-
raento. mutas heran.as, at do -valor de cinco
cortos de ris, cobrando cuetos indevdas, o Sr.
liar) de Villa Bella expedio urna porta-
ra celebre suspenden J > o exjuiz muucipal e
orphos do Goyanna.
Era tao falso, lio banal e injuridico este fun-
damento da portara de suspeuso que, anda os
defensores mais ntimos do Sr Villa Bella nunca
o levaran) em eonta; s agora un aovo professional
em materias orpbanalogicas que veio dizer a
ultima patarra sobre tal questio, fazendo citacoes
de praxslas sem proposito, e cujas doutrinas nin
guem anda cortestou.
Confrssa o defensor do Sr. Villa Bella quo o
juiz de orphos nao deve fazer inventarios,
quando sao insignificantes os bens da heranca,
devenlo limitarse a dividir por arrolamento,
avahando e sentenciando ; "c sso com olfeito o
quo aconselham es praxistas, notavelmento Pereira
de Carvalho e Pereira e Souza, e foi isso justa
mente o (pie fez o exjuiz de orphos de Goyanna.
Entretanto o articulista fez grande questio de
ter o Sr. Dr. Lucena feito arrolamento de urna he-
ranca do .i:0jdt)J peroaaendo costas, como juiz
e com avaliidor ; mis o articulista nao demons-
trou a nfracclo do iei alguma com esse molo de
proceder.
De feito, nonhuma lei determina o quantum, que
deve ser considerado mdico e de pouca ponde-
reano, para que o juiz prefira o meio summario do
arroianwato a 1 fdtpnnt d > invaatario ao juiz
que curaprc verificaras cir.-.i nsi.iucias.attenden-
do subretulo ao resultado da partilha, antes que
o do monte partivei.
Segundo urna ceilido publicada nos jornaes de
1867 smente o honrado exjuiz de orphos de
Goyanna parti por meio de arrolamento una he
ranea daquelle valor; mas alm le existrem 16
herderos, todos menores, haviam dividas passuws,
viudo aiiaal a tocar era panillas a cada um delles
a insignificante quantia d lo 1*000.
Agora pergunta-so ; bou ve crrae, houve llega
lidada neste acio, houve mesmo m f 1
Esta pratca de arrobinemos estabelecda pelos
praxshis, e que o honrado Sr.Dr. Lucena foi o pri-
meiro a execulir no iistri'to de sua jurisdiccm,
nao foi ceria/nente proveitosa seno aos berdeiros
orphos, porque ha a grande vaniagem do proco
der-se urna pirtilha summariainerte ecom gran-
de dimnuif.ao de despezas pela nao intervencao de
varios funecionarios, quo deixam de perceber
custas.
Mi se pode aitribur este modo de proceder do
honrado e probidoso juiz a interesse particular seu,
pois que o seu salario nos a ndame utos multo
inferior a aquello que percebera nos inventarios
ordinarios.
Sobre isso nao pode ha ver contestacao ; s de-
tractaros perversos poderao attribuir esse modo de
pro eder a interesse menos legitimo e cmfes-avol.
Tudavia, pira que fique isso lora dp tuda duvida,
recorra-so ao cartorio de orphos de Goyanna e
vpr se-ha que n s arrola nentos de mnimis valo-
res o honrado juiz ou nao recobia custas de qu ti-
quer natureza, ou apenas racoba motado das que
lhe eram cortadas.
0 interesse, o tejo do honrado juiz para com os
orphus era tal que, pao s deveria isempi lo de
urna accusaeao infamante, eotpo lvalo oonsile-
ra.o e estima que merece nm juiz desvelado.
teste ponto nao poderepios dizer melbor do quo
o fez o Ilustrado bario de Cotegipe no enano.
Havi pocos que, quando seus antecessores, na esppco de
10 annos tinhan\ arrccad.id-i '""i de bens de or-
pbapi es?'i{h,nd s, pvr uujs de diversas, elle hayia
prreca^^ em i pws d< L\90,1 ; hwi" "* fig,
que qwmd) seus antecess res no espaco ie mais iie
10 annos niio tinh tomad? a de vida anta as ca-
pillas, que j ziaiii arruinadas com despiezo, do
culto divine,. IqpaiUou 4 ou 5 cu* n prouHo t>
p^iiinonio e esmoli, fomou canta aos rqspfictivat
nduiinistreulores, e. ackou ainda em ti (o-cas par*
j>vom>w suscripcvc a favor de outras gretas de
tiu. iem%pva wtdjuw o gam** oUetwo
de,voluntaras W4 a. votiva, ptl> qut foi conde-
cir do.
E' a um juiz que as.-in) procede, eatragandu-se
desyelaiamante a graudes trabal os para protegarj
e salvaguardar qs mteresses" dos menores, que se
orphos, traenfa' pnrquu contraruu os interesse
illegitim-is dos sennores do termo de f>anoa. nu
<|uerondo dar-sw ile suspeMo-. em jan* cao*ae, .
anda mais em iaurai dequoos a aorteni.as con-
tra olles; porque, finalmente, n*> condesceodeu
com auatronato, eom o crime, com s roeios lor-
tuosojf^e que se valiam para defraudaren a far
zenda de seus credores.
Para por terme a essa n.ueslao^e;acto tran-cre-
veraos um cuiissienejoso o doi]ueute trecho de uio
artigo publcalo pete vctima imi sua defeza.
Neste ponto -poda, ea allegar perante-o Sr.
baro de Villa Uetla que vivo parcamente do qw
Monamente j.inlio, e dos maduiientos de miaba pe-
quena heranca, e une non* recorrija ineios de in-
fluencia, que os man. s em prego*.o posiejo por-
ventura me deem, para sustentar nina vida de
luxo c disspa^es, ou para encher e abysmo, qne
me creasse urna fal-a ostentaco de riquezas a cus-
ta athea, ou em prejuizo dos nleresses pabRco*
Ninguem a este respeilo mais escrupuloso, nem
mais felw. teiwo a rerturii, >mo tenho, te ner,
que nunca fui pesado a (Jtrem, e menos ao co-
fres pblicos, dos quaes me tem vlndo o jne
justa o restrictamente me deyido.
Agora a questio de direito, isto se o {na
nos arrobnenlos det>ens de'orphlos, que faz, de-
ve ou nao perceber uuicainenie as custas proprias
de seu olliciii, ou se, servindb ao mesmo teiupo
de juiz o avalador dere perceber custas coiu"
tal.
Esta quesWo j est definitivamente julgada
pelos tribunaes superioroe do paz ; tudavia nao
prescindiremos de em resposta ao nosso aniigonis-
la, dizei -lhe que lodoo sea, artigo est soplustica-
menle eacripto.
O arl;culista, adulterando e confundindo >3 tac-
tos e as questoes, nega q ie nos arrolamentos 1
juiz possa sur avaliador, para d'ahi c.ocluir que
o honrado Sr. Dr. Lucena liavia reeebido custas m-
devdamenle em prejuizo dos orphos.
Mas o articulista na reronheceu que a pr.iii< a
dos arrolamentos legal, porque tem seu favor
a opiuiao autorisada de notaveis jnri>conultos. ?
"os enlo ha de necossarament convir, que o
juiz serve ao ine.suiu lempo de avaliador e parti-
dor, porque nos arr lainent isojuiz avaha, partilha
e sentencia, como dizem i-tes praxistas, notada
menie Azambuja proc. o;ph.
E' pois errnea a donlrin 1 sustentada pelo- defen-
sor do Sr. B. de Villa Bella, que nao duvidou dizer
que nos arrolamentos apenas o juiz nimeia tu-
tor aos *orpbaos, deixando os bens em coami.i-
nbo.
Jsto um absurdo.
A lei, nem os praxistas ruereio tal coiiimurjlio-i;
a partilha iudisoensavel oj por meu de iuveaU-
ro ordinario ou por meio do arrolamento, e ne-ie
ultimo cas o juiz avaliauor.
Enera isso de estranbar, desde que essa excop-
glo da le fuadada no legitimo e sagrado inte-
resse dos urplios, a qual nao quer que as Bastas
oaeie.a muito ou absorvam a pequea heranca
Yem, oois, toda a procedencia a argumentar*
baseada a> airar di 10 le laiubro de 173. que
prohibe ao juiz, qnan lo tver de ir ra, levar a.j-
liador a cusa dos orphos pois, si a lei em be-
neficio de orphos permute ao juiz nao le-
var avaluder nos inventarios ordinarios, que di-
remos dis simales arrolammtos ?
All procurou a le evitar as despezas com o ca-
innho, aqu, nis arrolamentos quiz siinplilicar,
reduzindo cousideravelmenie as despeis que ae
la/.em nos inventarlos oruinnrios cora dous ava-
liadores e dous partidores em outros termos, a iei
s quiz prohibir as cuitas de carainho, e nao, aa
da avaliaco, que respeitou.
Cabe a |u transcrever o que a este respeilo ate-
as o Sr. baro de Coleg po no senado :
Os meus m'jies collejas que ser vir am na nff
gistratura on saojarisconaillos sabem que recom-
in:nda:n M prari do tiver de fazer invenlaria> de pequeas finiunas
para que as rusias ni) nbS'iroan a lieranta, St
limitem a um arrolamento em que elle avalic e dt
partilha aos o-pUaos.
O juiz de Gvianna segua este meilinh louca-,
vel nos pequen>s inventarios, mas entenda que
sendo neste caso avaliadir, pirtdor e juiz, poda
crar lamhem as utas de avaliador. Estara
em erro, eu entend) que neo, mis na 1 se poiUa
por em ducida sua non f ; porquanlo, as cnttit
em que aiulivam enes arrolam'.atoi, segundo cc>-
tfcaram m Htrlves, foram sempn menores, do
que se se fizessem os invenirlos ni forma ordi-.
11 na.
K ainda mais, senhores. esse juiz en tao *-
crapuloso, tito interessado pela sorle dos orpliao,
gue ni mair parle dos arrolamentos ceda a *-
tiule ou todas as castas em seu beneficio ; issv
mistra qne *e o juiz erraca errara r.n* louvatcl
llOl f.
Quem assim fallava era um digno magisIraoV
estadista, que nem se quer conhecia o honrado Sr.
Dr. Lucena..
Defeudendo o acto do Sr. baro de Villa Bella 1
conselheiro Zacariis disse :
Mo I ral a re i do exresso dr castas vem de salo
se o jmz pula ser ava.iadir e partidor 110 mrin*
lempo.
Em outro discurso dtsse ainda :
< Nao elogiei aoadverarin de Lucena, antes de-
clare que no'podia formar bom conceito uelle,
ao passo que reconheci as habilitacoes do jitii e
nao puz em duvida a sua m ralidade.
O conselheiro Zacaras, que se exforcou por de-
fender o seu delegado, nao fallou em excesso de
custas, reconhecendo que esle fundamento da por-
tara de suspensao era injuridico, alm de calum-
niosa
E ainda se vem fallar u'um facto que BJBsra
indignacao geral a todos qut delle liverain noticia,
e que abalou a moralidade do governo de enlao,
se que ella existia I
Onde est a incompatihilid.ide de avaliador e de
juiz de que falla o articulista f
Em regra, o juiz simples juiz : e as partilbas
s se podem fazer por inveulario ordinario; a*
para a excepeo estabelecda para as herancas de
pequeo valor, ha tarobem a excepeo do juiz,
servindo de avalialiador, porque assim o exiga
o nteres-e^dos orphos.
E nem isso urna novdade em nossa legisla
gao; assim que o j uiz dos feitos da faaenda *>
cortador em seu juizo, como determina o aviso de
16 de agosto de 1847 e al distribuidor, onde ha
mais de dous escrives, com expresso nos avisos
de 8 e 29 de julho de 1863, salvo onde hoim-r
creado este lugar.
Eis ah,-pois, um juiz servindo ao mesmo ternjn
o lugar de contador e distribuidor percebendu
custas de taes lugares; e entretanto a lei de 29
Je novembro de 18il que n-slabelereu o priviie-
gio do loro para as cansas da /azenda nacional, o
creou um juizo privativo dos fe tos da fazenda na
pi meira instancia, nao d taes attribuicoes ae>s
respectivos juizes ; mas elles a exercem sm ti/O-
testacAo, o nunca se disse que do exercicio simulta-
neo dessas fuuccoes resultar cqnusio, e que t-
lent ile se vor accauples enstmble.
Isio posto, oxorcendo o juii da orphos nos ar-
rolamentos as funcees de avaliador, podia recebar
o.' salarios ou as custas dadas pelo regiment
este fu accionario.
Conseguinlemeote,oex-jua de orphos de Goyan->
na Sr. Dr. Lucena nao recebeu cpsus iudevi-
das; nao inierpretou erradanieate le, e moito-
menos houre do sua parte infraccao de le oa
crrae, pois que> sua boa f .reveja-se pelos {actno
j narrados.
Em conclusao. Tendo subido ao venerando
tribunal da relaco o celebre prpcesaa msuur^p-j
o Sr. Dr. Luceaa, o que teve por baso a tamban*
celebra portara que o snspentieu. onde foi proniin?
ciado por um juii leigo, que mm tequer sabia es-
crever, proiiuncou-se o suierior tribunal pala,
fprma seguirte:
Accordao em relacao etc., qm ddo provimento ao
necurs) em vista dos autos e da minuta qu*-
plenamente provain a improcedencia da denuncia
e da pronuncia lluyogam pulante o deappeha d#
pronuncia e mandara que sed baixa na culpa, d>
reaurrerte, pagas as custas pela iHunicpalidaiin.
Esta dcclso foi unnime a txeepAo do Sr. K-s-
ombargador Souza Leo, que fui vencido raparte^
orno Se poder verificar do p inprios autos.
Nao devemos, purtn, esquecer que e*te Sr. d>*.
ombargadur primo e correligionario do Sr. Villa
Bella, autor re;ponsavel desle monatruMa |)ru>-
eesso.
Em vista do que fica exposlu, de auppor qu
.a, l'r. itincia nao voltar inais a esta qneslo que
s>i a atnem pode desairar flmente- aoSr. Viil*
Baila.
Heoifo, do outubro d 187.1.
G.
Me puro mrafciuul le fluiilo il
b4Malluaai.4e&itaataMteM
AiJa rnesuxaqilartiiea falifQ banana tantea,
marcailo tuas faeps, nSo digas j ri*urirr
tardo rlemats, porque sea^ice ha veri lem-
po Jo se atolhar o mal. Em quanto hoti-
',









,


A
v
saaaanai



%
l

&WOc,#e. aH*n*ucp t!h$&tosffa ,1 MA$**ifa}&lfi.

3
.ircr Mustera kiU%|^iiDbra de rig
recuperan voy tiulta tcafttioleo puro mu
dieinal de ligado ctabacolho de Lanman
Semp,; portua esto pbdei retivr a energa
vital d syslema. S eklsteni uleeras, nada
4Hio balsmico como elle; se ha irritago,
nada tio Maridante; se ha debilidade, nada
to wg&risadwr'; se ha extemtacao, nada to
*staradoi\! Porm inister pbter-se o ar-
tigo verdadeiro. Os oeos ordinarios de fi.
gado de bacalbio, sao samprc impuros, e
As veres nette Dio se ancontra urna s gotta
do artigo legSimo. Nao i crripregueis ja-
mis. Reparta bem, seo'nome desta firma
respeitarel, a qual |*)r si s urna garanta
**ttrwa-elegitimi|Wtlo genero, acha-se
no ietreiro e sobre aoap* o oleo da figad*
dcbialtiia que por ventura ten liis de com-
prar. Em tal cas podis-ficar descancadov
e que a pfepartfio a tneluor, que o ta-
fean e seieucm podem produzir. Acha-se
venda em toda*a$principaes lojas de dro-
gas botieas do universo.
*Sn florida .IrHurrnv < l.mi-
nian.
As siwhgrns que astto acostuma las a usar
ps de arroz, que s4 fa/. entumecer o rosto,
fechando os peros da peM, privando a evar
poraefledn superficie, obrara* com juizo
en ner tetramente de parte M*ielhaiito in-
grediente, 9t>stitumdo 'mn seu logar este
puro cosmtico Uoral; o qual nao s per-
fotis a pelle com urna fragrancia tao fresca
e deleitawl como o respiro e cheiro das flo-
r*s meifl9 abentas ; mas sim tambem faz re-
mover todas maculas quedesfeiam a for-
mosura das feicoes, dando aos rasos super-
ficiaes um aspecto saudavel e vigoroso, res-
tituindo s feicoes a primitiva cor rubicunda
e macis, dando-Ibes tima pura e limita trans-
parencia e elastici adstringntes, pos e pommadbs, ele., do da,
n.ii aze/n mais do que arrumar a pelle e
estragar a fonnosura, contaminando mais tar-
de ou mais cedo a propria sado ; emquan-
to que a tendencia desta agua saudavel e
aromtica, inteiramente oppota. guando
misturada n'um pouco (Tagua, tovna-se um
etcellente e esquisito meio delavagem, para
os dentes e gengivas, dando boca e ao
pililar um delicioso goste aromatice.
Conforme.-Francisco Jos Galvi
Agente auxili.
OAPATAZIA DAJALPAJl
Rendimento do da i a 30 II:
VOLaiE* SAIDOS
No dia i a 30. .
Pnmeiraportanadia31 .
Segunda porta.....
Terceira porta......
frapiche Conceicao ...
30/433T

2tt
83
657
3!?496J
P
SRRVICO MARTIMO
Alvarengas descarreaadas no trapiche
da alfandega no da 1 a .'10 .
Ditas ditas no dia 31. I
.Varios alracados no trap. da alfanAg
Alvarengas ........
Vo trapiche Conceicao.....
' / i t I *
6 di.
MDns. 51 53, 5, 5,63 65.
a a J. A, Moreira Das.
na. 69, 83, 85, 97, 100,10! e i 15.
idKnauem em 11, dem,
dem J S G contra marca F R n. 107.
vinda do Havre no navio Irancez SLiis, desear
Sem marca e gem numero. 1 caixa dem dem
n n. ii
xSgtM
abaixo transcric
kPtm "^r|eJ^'.aPProvadas. P^omrmDtelie 3:l0iOQ0, por-manto /ai adjudicado fazea-
KS?' ***"*** *iWa% m e 6 provincial.
nfflftfSre,^
I barril
1
lo
RECEBEDOBIA K RENDAS" NTERflAS Gt
RAES DE
Rendimento do dia 1 a
dem do dia 31. ,
PERNAMBCO
3A tfrOMAOOlj
. 1082*3151
1 dita dem idem em 28
l
lj
L
M-.mttm
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 30 133:637*521
dem do dia 31...... 84*818
133:79U33&,
muumm.
PKACA O DkEClFB 31 DE JULHO
E 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDE.
CotnrSes ofliciaes.
AlgodSod 1" sorte 84700 por 13 kilos.
Afifiees da divida publica de 6 0|0 3 0|O de pre-
mio.
Cambio sol>ro Leailres a 90 d|v. 25 1[2 d., 25
3|8 d. e ?5 :fi'i d. por !4.
Cambio sobre Taris avista 378 rs.o franco, do
banco.
Cunltia solwe o K. da Janeiro a 15 d(v. 3|i 0|0
de desooato, linutem.
f>< into de letras 10 OO ao anuo, hnnlem
Leal -eve
Pelo presidente.
A. I', de Lcmos
Pelo secretario.
R'tfidimcnto
i !> do da
ALFAXDEA
do da I a 30. .
31.....
8*0:8*145 >3
48:939/998
^OVIMENTC 80 PftfiW
Navio sahido no dia 30.
CanalBarca anstriaca Frederik B., capitao F. G.
Marunich, carga algodo.
Navio entrado no dia 31.
Londres via Plymouth 44 das, vapor inilee
Hooper, de 3,723 toneladas, commandanta Wll-
liam Edington ; eauipagem 112, carga o cabo
submarino ; a Wilson Rowe & C.
N'ivins sahidos no mesmo dia.
Liverpool -Vapor inglez llemanl, commandante
E. Ponte!, carga algodo.
Rio di PrataPolaca hespanhola Temeraria, ca-
pitao C. Rnzes. carga assacar e agurdente.
Aracaiy^ Hiate braileiro D. .uiza, capitao Ma-
noel Carvallin Pessoa, carga differentes goneros.
Aracaj e portos intermediosVapor brasileiro
tequia, commandante Martins, carga varios g^
eros
Granja e portos intermedios Vapor brasileiro
Ifiojuca, coimaudante Moura, carga diferentes
gneros.
MarV^J^ebaHrmrdaWrn. 104.
ca dem dem em 16 idem, orden.
dem M B H a 528. i dita idem, a Bernel.
dem C G sem numero. I caixa vinda do Por-
to no navio portugtiez Wndj, decarregada em 10
de dezembro de tft e consignada a Cunha Irt
maos 4 C.
dem triangulo M no centro n. 3Si,36. 2 dius
idem idem a Rodrigues Irmaos 4 C.
dem J. S. G contra marea P R n. 10*. 1 bar^
ka vinda d>J^avre no navio francez 8. Louis, des;
rSa* em V dezemDro e ,87 consignada
tdatiilbiM jr. 121.
idem.
IOum M R M ns.608, 610,
41626, 6ik 6,f 32, 6341
idem idem at BeitieJ.
l'feni J. 3 a fluotra maaca fin. l<%.
idem idem em 26 idem, ordein.
Idem M M o. %). 1 dita vinda de Liverpool nq
brigue iaglez fytalie, descarregada em 26 da
dezembro d 1872, ignora-se a consignacao.
tem diami|e 118 e^cttia, 10 e 12 em baixq
saeanuriiBjj 1 dita idrtiaem, a Simpson & C.
dem rATrrj. ns. 77 e77f04 I05.108,109, 114j
117 e 118. 8 barricas viadas de Liverpool no
navio inglez John Vftlliatn, esearregadas em f
de dezembro de 1872 e coa'sanadas a J. A. MJ
Dias.
t Alaadega dePomambuco, 25 dejulho de 18731
OiiWHWttr. :?-
JKiini cuui trazo fe 3~di
crreme.. :ili, ,LW^^
Paco da cmara nlnnJctpa! do Recife, 30 de
1 dita Lwdbo de-197,3.
anoel 'joaquim do Reg e Albuqu^rqua.
'P>o le Amquenrlie neran. ;
jeamaclo.
WNco. Ficaj, pfphibjdp, tof se sollo* ?
nresp qas r^ijas e mais meares publica aesta (5i-
naff qn^s^'aVes'b^TOihfee^nao especificados
o posturas ) eftafcelocida. pena de 104 de
milita e do [m Heariiiufl Wceira de Luoena.
Unirme. Luiz Slasar Moscoso da Veiga ;
r^soa
Arfeo nica. Nenlmma arvarenga ou mbar-
cacao de qnalquer qualidadn ou eoominacaQ que
*Jt* ja traflgjtar ou ser carregada ou descarregada sepj
pstar ba'tfieada e na mal perfaito estado de asseio
e limpeza.
Ooitafrajme irio.anatta. em 304400, e ao
#|rC*!n*,reitKide/cav ligados, a faier:mma-
1 'lt* d*JaiJCBle a. Inoneza necessana, q nao o fazendo
i'ditas pagarlo:toda a despuza (juc fof ftira rio s6 WOm-o
1 J 'awWof^ttetambal un a u*ittftcriio sa-rof jul-
pflMBffini,
i / fcap^P<^raJq Lucen/, m .
Conronne..X-w Sajazar Slos.coso da Veiga
roa.
secretaria da thesouraria provincial de Per-
aanibuce, 29 de julu de 1873.
0 ofllcial-maior,
SL ATonso Ferreira.
n
.
-
EBITAEi
Edital n. 27.
869:7613501
Descarregatp hoje I' de agosto de 1873
Vapor inglez-L'i/andmercidorias para alian-
iaga.
Barca ingleza -Duches* uf Satherlanil -mercado-
rias para alfandega.
Baa mgl-'z.i Miranda mercador3s para al-
fandega.
Barca ranceaa Volignyvinho pan deposito no
trapielm Bar osa.
arca america.ua f. H. Yamnglon farinha
de trigo j despachada para o caes do
Apollo.
Brigue inglez -Norlhen Crown farinha j despa-
chada para o caes do Apollo.
Patacho francez A adr ferragens j despacha-
das para o caes do Apollo.
Polaca heapannola -4ro/j-viano para deposito
DO trapiche Barbosa.
Barca portugueza I.uzitania varios genero.;
para o trapiche Coneeicao.
Iniportactlo.
Havre, barca franceza Coliymj, consigna-
da a Horismanl & Labille, manil'ostou :
Papel 200 fardos.
Telhas 20,500. _
Pela inspectora da alfandega de Pernambuco
se faz publico que, acbando se as mercaduras
comidas nos volumes abaixo mencionados no ca-
so de serem arrematadas para consumo, nos ter-
mos do cap. 6. dn til. 3. do regulamenlo de 19
de setembro de 1860, os seus donos ou consigna-
tarios deverSo .despacha-las no prazo de 30 dias,
sob pena de, (indo elle, sercm vendidas por sua
conla, sem que Ibes fique compelndo allegar con-
tra os effeitos desta venda :
Armazem 7.
Marca C L. sem numero. Duas caxas rindas
do Porto, no navio paluguez Social, descarrega-
das em 28 de novembro de 187i, e consignadas a
Camino 4 Xogueira.
dem J C L, idem. Duas ditas idem idem, 20
idem, a J. M. Cordeiro Lima.
dem VGA F, idem. 18 ditas viudas do Havre
no navio francez Jean Baptiste, descaircgadas em
27 de setembro de 1872 e consignadas a Lemos
& Guoriean.
dem J L M & C e J R M, n. 100, 1 dita vinda
de Hauburgo no navio Allemio Alberto, descar-
re.ada em 27 de setembro de 1872, a J. L. Ma-
chad i (V C.
dem J A M D, sem numero. 52 atados de ps,
vindas de Liverpool no navio Berlha Carriglon
descarregados emj28 de noveiabro de 1872 e con-
signados a ordem.
dem S & C, n. 774 Urna caixa vinda de Bor-
deaux no vapor francez Senrgil, descarregada
em 31 de 1872 e consignada a. Silva 4 Caraoco.
Marca S. L. I., ns. 588 o 593 6 caixas vindas
de Liverpool no navio inglez Bertha C.nrigti.n,
descarregadas em 28 de outubro de 1872 e con-
signadas a S Leitao & Irmao.
Alfandega de Pernambuco, 29 de julho de 1873.
O inspector
Fabio A. de Carvalho Reis.
Edital n. 28.
Vermoutli 0 caixas. Viuuo
pas, 150 5, 12 10. Dito branco 200 pi-
pis, tiiiO 5, 380/10, tudo aos
rin.
r.jxo 2o pi-
consignata-
OE^PACHOS DE EXPOHTACA NO DA 30 DE
JULHO DE 1871.
Para os vortos do exterior
Je vapor inglez Bemrd, para Liverpool,
earrogaMM : JV A. Machado 311 saccas com 23,689
kilos de algodiio ; P. Carneiro 4 C 24 ditas com
1.607 ditos de dito.
Na potoca hc^panhola Joseph.i, para o Rio
da Prata. carrejan : i\ M. Maury 6]2 pipas com
1.440 litros de agurdente.
Na barca portugueza Despique II, para o
V -lo, carregon : D. J. daC. Sobrinho 108 saccas
c m 7,770 kilos de algodao.
No palhaliot; porlugnez Nooo. S. Imrenco.
para a Ilha de S. Miguel, carregaram: M. de Fa-
rias 12 paos e 12 varas; F. de Arruda 12 ditos e
21 Jitas, e 1 barrica com 38 kiles de assucar
branco.
Mr* os portos do interior.
Tara o Rio Grande d)Suf, na barca brasi-
teira .Vorr Mariana, caregaram : J. S. Lovg *
Filho 360 barricas com 23,372 kilos de assucar
I raneo.
Para o Rio Grande do Sul, no brigue brasi
leiro Arrolo Mallo, carregaram : J'. J. Ferreira 25
berris com 3,080 litros de mel ; Carvalh > & No-
atn 16) barricas com 15,991 kilos de assucar
raneo.
Para o Cear, no vapor nacional Ipojuca,
<-a.-r*garara : J. M. Palmeira 5 barris com 48'>
lros de alcool; i. J. da Costa CO barricas com
3.611 kilos de assu-,ar refinado. Para Mosaor,
J. i., e Melle 1 barrica com 30 kilos de assncar
braaeo.
Pan Maew, no vapor brasileiro Giqui,
carregaram : S. Junqueira & C. 1 caixa com 37
kilos da d-f.p.
r=* Para Villa da Penha, na barraca Cautelosa,
rregaram : B. Oliveira A C. 1 barrica com 67
kil do assucar brinco.
Para Maca, na harcaca B linka rfo? Anos,
carregaram : J. C. Figueira' 10 pipas com 4,800
litros de agurdente, e para Mossoro 6 barrica com
200 ditos de aaii e 200 pipas com 9,600 ditos de
dito J. C. Netto 4 C. 1 lata com 7 kilos de assucar
Lranco.
RE.VUIMEXTO DA EMPREZA DA> OBRAS F.
CAPAIAZIA DA ALFANDEGA DE l'Klt.VAM-
.I'CO. RBLATIW) AO MEZ DE JILliO DE
1873, COMPARADO COM 0 DE JuLHO DE
1H72.
V i.tas de recoita
R
30
Tasa de embarque
T>ila de desembarque.
?ita de arinaieaagum
;ta *1 i embarcacoes
iti de alvarengas
J).u de ba^ageiis
Mfcf de diraerts
6515910
3:2394368
U286
.5024650
3605750
1324900
1M4590
se
27841197
3.1424543
13:319
m
76
119
1:177
fdSd 13* 3183484 1S^795
- "tbeaftljraria da emareza das.obrai e capatazia
dala'fiaeg.i de ]' II de julho a>
Arfhla 'eI/-M Reis-Filho.
Fiel do thesoureiro.
Pela inspectora da alfandega se faz sciente,
para os effeitos legaes, ao dono dos objectog abai-
xo declarados, apprehendidos na noute de 2 do
mez prximo passado na rampa do Forte do Mal-
los, que por decizao da raesma inspectora de
28 do crrante fui julgada procedente appre-
hens.o dos niesmos objects :
Tres pares de botinas de couro.
Onze carnizas de flanella.
Duas calcas de panno abaetado.
Tres cintos de flanella.
Alfandega de Pernambuco, 29 de julho de 1873
0 inspealor,
____ Fubio A. de Carvalho Beis.
Alfandega de Pernambuco.
Oililal com prazo de Irinta lias.
i% l
Pela inspectora da alfaudegade Pernambuco se
faz publico que, achando-se as mercaduras comi-
das nos volumes abaixo mencionados no caso de
serem arrematadas para consumo, nos termos do
cap. 6o do til. 3o do regulamento de. 19 de setem-
bro de 1860, os seus donos ou consignatarios de-
veriio despacha-las no prazo de trinta dias sobp
na de, (Indo elle, serem vendidas por sua conta,
sem que Pies fi jue compelndo allegar contra os
effeitos desta venda :
Armazem n. 4.
Marca M F B sem numero. 1 barrica vinda de
New-York no navb S 8 d> jiinho de 1872 e consignada a S. P. Johns-
ton & C.
dem V G contra marca D. n. 30 1|2. 1 dita
vinda de Liverpool no navio francez Feticit, des-
carregada em 30 de setembro de 1872 e consig-
nada a .1. Palor & C.
dem VGn, 30. 1 dita idem idem.
dem M B M n. 592 1 dita' vinda do Havre no
na vi o francez Jem Baptiste, descarregada em 24
de setembro de 1872 e consignada a M. Bernel.
dem V. G contra marca A F r. 5,528. 3 cai-
xas idem idem e consignadas a Lemos 4 Gueri-
neau.
dem idem n. 5,529. 7 ditas idem idem.
dem M B M n. 59)j596. 4 barricas idem idem
em 25 idem a M. Bernel.
dem M B M eenfra marea T a. 2,551 a 2,333,
4 caixa ilom-idemcgi 2i ideai.
dem V G contra marca A F n. 5,529. 1 dita
i leo idem a Lemos 4 Guerineau.
dem qiiadrilongo B 4 S no centro n. 101|I07.
4 ditas vindas de Liverpool no vapor ingles Gla-
diator, descarriadas om 15 de outubro de 1872 e
coasigaadas a Kistos 4 Silva.
dem idem n. 171. I dita idem idem
dem P M 4 C contra marca R n. 3. 1 dita idem
idem a Pereira de Mello 4 C
dem M B M contra marca T n. 2,583. 1 dita
vinda do Havre na barca franceza Bal, desear-
refala em 5 de novombro de 1872 e consianada a
M. Bernel.
dem triangulo A no centro ns. 843 e 814. 2
barricas idem idem a J. X. de Nranjo & C.
Sem marca o em numero, t dita vinda de
Liverpool no navio inglez Rutn, descarregada em
11 de novembro de 1872, ignra-sa a consig-
nacao.
Maroa J A M D n. 79. 1 dita rinda de Liver-
pool no.navio inglez John Hilliam, descarregada
em 16 de novembro de 1872 e consignada a J. A.
Moreira Dias.
dem idera n. 76. 1 dita Idem idem em 23
tdom. .
v se
Pela inspectora, da alfandega de Pernambuco
se. faz publico
emitidas nos
de serem arrematadas para consumo nos tormo
do capitulo-*. do titulo 3. do regulamento ce if
de setembro de 1860, os seus donos ou consigna;
tnrios (teverifo despacha-las no pr.izo de 30 diaa <
sob pena de, lido elle, seaem. maj flor sua
conta, sem que Ibes fique competindo allegaf
contra es effeiloe desta venda:
Armazem n. 6.
Marca J A M n. 1424. 1 caixa rinda de Sou>
thainpton no vapor inglez Neva desca regada, en.
26 de agosto de 1872 e consignada a 1. A, Araujo
4 C.
dem R R M n. 206. 1 dita idem idem, a He-
mos 4 C.
dem idem n. 207. 1 dita idem idem
dem C G 4 C. e L P A C n. 24. 1 dita vinda de-I
Bordeaux no vapor francez flrtvhife, descarregada
em 9 de setembro de 1872 e consignada a Carvalho
Guimaracs 4 C.
dem diamante B S ns. 147 a 150. 4 fardos
viudos de Southa.mpton no vapor inglez Boyne,
desc regados em 26 de setembro de *872 e con-
signados a Bastos & C. .
llnm idem n, tA6. t caixa idem idea,
dem li ^ S n. 112 e 143. 2 dita viadas de
Bordeaux no vapor francez Si-negal^ descarregadas
em 10 de outubro de 1872 e consignadas a Bastos
4 Silva.
dem J S N ns. 1 a 5.5 carris idem idem. a Jos
da Silva Neves.
Idem J S Carneiro A C. n. 518. t dila vinda de
Southampton no vapor inglez Douro, desearegada
em 25 de outubro de 1*72 e consignada a J. S-
Carneiro da Cunha.
dem R R n. 196. 1 dita idem idem no vapor in-
glez Neva, descarregada em .23 de novembro de
1872 o consignada a Lemos & Guerineau.
idem C H n. 5889. 1 dita idem idem a Bastos &
Silva.
dem idem n 5899. 1 dita idem idem
dem B S 4 O 0. 206 1 cita idem idem.
dem idem ns 203, 204 e 205. 3 fardos idem
idem.
dem trtengalo AC & C ns. H70 e 1171. 2 di-
las idem idem, a Adriano a> C.
dem J P. 4 C. a 503. 1 dita idem idem, a .
Pater 4 C.
dem C C S F n 9. 1 dita dem idem, a Castro
&C.
Iddra P B A L n 65. 1 dita vinda de Bor-
deaux no vapor Bio Grande descarregada, em 9
de dezembro de 1872 c consignada a F. G. de Ofi
reiia Sobrinho.
dem W 4 S n. 61. 1 dila idem idem, a Wal-
frido 4 Soasa.
dem A 4 M A F 37. 1 dita idem idem, a
Amaral 4 Multa.
dem DiasL D tf n. |I55. 1 dita idem idem, a
J. A. Moreira Dias.
dem D L n. 5. 30 ditas a Pedro Maurv.
dem idem n. 8. 50 ditas idem idem idem.
dem ETRns.lel 2 ditas idem idem a E.
Turpin.
dem S 4 M sem numero. 1 dita idem idem,
ignora-se a consignacao.
dem P M & C. n 2686. I dita vinda de Sou-
thampton no vapor inglez Boyw, descarregada
em 26 de dezembro de 1872, consignada a Mello
4 C.
Mem J A 4 C n. 1637. 1 dila idem idem, a
Araajo r. C.
dem P B n. 33. 1 cmbrulho idem idem L. A
Siqueira.
dem triangulo B 4 S n. 163. 1 caixa vinda de
Southainpion no vapor inglez Boyne, descarregada
em 16 de setembro de 1872 o consignada a Bastos
& Silva.
dem W O S n. 63. Urna dita vinda de Bordeaux
no vapor francez Bio Grande, descarregada em 9
de dezembro de 1872, e consignada a Walfredo &
Souza.
Alfandega, 19 de julho de 1873.
O inspector,
Fabio A. ft Carvallo Reis.
J&UlUbb H.
P*ft *A'ctortr-^aflUiii4ega de- Pemambneo
s*. fa* -putltcii (lite, achamWrSt a* mercadm-ias
9 Mnjjoajf.noi.v^lui^fci ahaifo, mencionados no oa-
TTso do serem arrematadas par oftsumo, qos ter-
mos do cap. ff. dfrtft. 3.'" de,stpmi>r.qdt.l, Msens donas ou consigna.
tar**-ver* despacha-las- no-prazo de !lias,
sob pena de, lindo, Uav sern, vendidas por sua
J/anta, sem qua Ibwnqiw cempetindo allegar con
mam
DftAMATICO
I).)iiiiig0 1 ,
Zalm .
Robiu
Solimo
AlcindW
BlnV
Krantz
Uta nutria!
Um ferreu o
Operarlos, ca
A accao do
0 1 acto e
lerg.
O 2. em MuVd
O 3.a na oBciV
O 4. n'umfr-eslkl
O 5." no presbiterio
Puff ?
Pul!
e Pulf!
os. eL'itas^Asta venda
- trapiche CcnceicaD.
Marca. V 4 Kneui n. 16barris vindos de Lisboa
i que, adiando se as mercad* \t m VPr ,"**** Jv-t, descarregados em 24 de
olumes abaixo manrUmaJos no caa SG*?^ W7**'****! a ftrwira de 41-
iDMoa 4 C.
dem B J M -sen n. I caixa vinda de Lisboa na
barca portugueza huta, dascarregada em II de
dezembro de 1872, e consignada a Bunio Joaquim
de Medeiros.
Manuel da Silva Oliveirasem n. 1 dila vinda
de S. Miguel o patacho portuguez Micliaelense,
descarregada em tz de dezembro de 1872, ignora-
se a consignacao.
Jos Cordeiro B -sem n. I dita idem idem dem>
Custodio F. Martins sem n. 1 dila idem idem
idem.
Agukla S. Pereira- sera n. 1 sacco idem idem
idem.
Marca A C B sem n. I dito idem idem idem.
Manuel Silva h'vera.-sem n, 1 caixa idem idem
idem.
Dr. J. S. -sem n. 2 barricas vindas de 5. Miguel
no Bario Ar-eUa, descarregadas em 17 de Janeiro
de 1873, igoora-se a consignacao.
Alfandega de Pvrnamba "o, 31 de julho de 1873.
O ispector,
9tl>ib A. -de Carvalho Reis.
ES
dital n. 29.
Pela inspectoria da alfandega se intima por edi-
taes de 8 dias,.na firma do art, 743 do reg. dae
alfndegasi ao dono das mercadorias abaixo de-
c aradas, apprehendidas no ces do Moronha, no
aclo de desembarque, s 8 1|2 horas da DOite de
27 do crrente, para vir com sua defeza dentro do
prazo de 13 dias, sob pjma de lindo este, correr o
processo de apprehensao a revclra, a saber :
Tres barris enm peixe o um bote de 2 remos.
Alfandega Je Pernambuco, 31 de julho de 1873.
O inspector,
Fabi A. de urvalto Beis.
De ordem do Illm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda desta provincia, se faz pnblio
que no dia 6 de agosto prximo futuro pelas 2
horas da tarde, pirante a joma da mesnia the
souraria, ser posto ero hasta pnbh'ca, para ser
arrematado por quem mais der, em rirtede do
aviso do ministerio dos nejocio da faznda de 21
de junho ultimo, o barraca qne servio de rjoar-
tel companhia de cavallaria, silo em Santo Ama-
ro das Salina?.
Secretaria da thesouracia de fazenda de Per-
nambuco, 31 de juHio de 1873.
O secretario da junta,
Jesuino Rodrigncs Cardoso.
CONSULADO PROVINCIAL.
De confbrmidade com a ordem do Exm. Sr. pre-
sidente da provincia de 7 do corrente, transmiUi-
da esta administrarlo por portara do Sr. ins-
pector da thesonraria provincial de 12 do mesmo
mez boje recebidn, aeha-se de novo aberto, at o
ultimo de agosto vindouro, o recebmento dos d-
bitos provenientes dos apparellios e annuidades
pelo secvico da Becife Drainage Company, corres-
pondente o semestre findo em junho do anno pr-
ximo pflssado, com a multa de 6 /.
Pelo presente sao, portante, avisados os respon-
saveis essa eontribucflo, afn de que curen de
satsfaze la as condiQoes do edital desta repartigan
em mao ultimo publicado, evitando assim a co-
branca por va judicial.
Consulado provincial, 16 de julho de 1873.
O administrador,
A. Carneiro Machado Bios.
DO
BEBERIB
e mais Ptifl !
Rompe a symphonia I Espanto geral I Chega
o nunca risto Enchente geral f.. Um bithete
neo ha mafs. Puff I puff l t
Principia a comeda em 2 actos do Exm. eon-
eHieiro Jas da Silva Metdes Leal :
(I ilbliMli liaran.
Personagens.
Barao Amaro Mendes, atigo
tendeiro em Vil|t-Nova de
Famalicao >. Ihaniaz.
Joao Antonio,pocnuidar das
almas Sr. Bernardno.
Jos Maria, alma do procu-
rador Sr. Penante.
Domingos, mysteroso Sr. Braga.
D. Maria, moca qne nito sabe
namorar D. Philomena.
J^anna, criada esperta D. Joaquina.
Segue-se a esjiirituasa comedia do repertorio
cmico :
m quarto com duas camas.
Personagens.
Csme Rastimgo Sr, Flavio.
Damio Ortiga Sr. Mximo.
Paschoala Sra. Filonilla.
Urna v ao loage. Caluda.
Conlina o puff coi.i a scena cmica do Sr. Pe-
nante e por efie exhibida :
O jesuta na garganta.
A pedido de militas familias, finda o espectacu-
1 com a chistosissima scena cumica representa-
da pelo Sr. amo:
O Sr. Domingos fora do serio
E e*te o paff que se preparou para a chegada
do distincto e 1.. .. domingo 3 de agosto, s 5
1|2 horas da tarde.
O pequeo numero de bilheles para este peff
pode ser procurado ao aacriptorio do theatro pelos
seguin les presos :
Camarotes de frente 125000
Ditos de lado 10*000
Ditos de frisas 8*000
Cadetras numeradas 3300)
Ditas som numero 2#00
Geraes 'I 000
Principiar s 5 1(2 horas.

ole.
riudo.
Sr. Julio.
vt-
Sr. PliiladelpaV/.
8r Procopie.
toldados.
na Allemanlia.
ie Panlo, em Marien-
argarida.
em Dresda.
'Leipzig.
Everardo.
Urna Experieir)fei -/.
- ( Msica do aaoelro para*** ., Qar}to. ,
artista Baha desemueimar o papel do n-
vn\o Jos Borrase, e o artife'Vicente o re ChaV
m saefisla.
Advertencia
A empreza resolveu substituir a peca, i ahnun
ciada, pelo dramaA Meadifra -pop*er nste de
muilo maor importancia rtica o papel desem-
penhado pelo
Artista Bata
TJ
0 theatrq estar decorado com tudo o esmero e
diversa bandas marciaes exeeatar*. mu inr.-r^-al-
los escollidas pe;as de mjusi<;a.
Depoisdo espectocolo in. veri tren pafi \p
pucos
________
Aviso
Estas daas represenlacdes do dr.una
mu i
serao as nicas nesla poca, por ter de enlrar em
scena na
A

a grand-
3 actos :
(ttoto-feira 6
phantasia Ivrica s.uyrica e burlesca em
i raa centro
OU
OREHlMt.gfl]Un&
visos w a bit mes

DRAMTICO
EMPREZA
ESPIUCA rt PEI11TE.
Sabbado 2 de
agos-o.
A directora da companhia vai substituir
as -20 apolices da ns. 9,481 a 9,465,
9-s506 a 9,510, pertoncentes ao Sr. Joaquim
Paulo Gucdes Aleoforado, as quaes foram
deser.caminhadas do poder do seu procura-
dor o Sr. Candido Guedes Aleoforado.
Escriptorio da companhia do Beberibe,
8dejulhodel8T3.
O secretario,
Lniz Maitoei.llfirifiues Valcncu.
Idem idem n. 96 o ISO. 2 dita idem idem em
27 idem.
Jdup idem n. w.
dezembro, idem.
iiem quadrlongo 61
caaironsv*, 96*101.
Gerardo daCattos.
4 dila ten iiijfR et 7 de
contca mam J. G. B. no
3 caixa.idem Mema J,
0 Dr. Sebastiao do Reg Barros do l.acer-
da, ju i de direito especial do ooromor-
cio, nesta cidade do Recife de Peroam-
buco, por S. M. I., etc.
Paco saber aos que o presente edital vrem e
delle noticia tivercm que no dia 28 de rosto do,
corrente anno se ha de arrematar por venda a'
quem mais der em praca publica deste juizo de-
pis da respectiva audiencia o seguinte :
O engenho denominado Meguaipe de Cima, cop
su capella, tendo as hemeUorias seguintes :
Casa do engenho, fo'ua sobro pdares de pedra e
cal, e coberta de telhas.
Casa de caldera, tambem construida sobre pi-
lare do pedra e cal, aebaedu-.se d*ta oaberta epi
mao estado, o4e tem asseiUanieoto d* cinco u-
xas e mais duas para bater o assucar, todas ra-
diadas, haveado na meama casa os andaimes ne-
ccssaris para 90 formas para purgar-se o assa-
car, das quaes apea#s.W) se achatn inieiras, com
um pequeo tetheiro contiguo, onde existem duas
laxas servindo de alambique para distfllnr aguar-
denf, sem ca?a para bagaoo e hcffl (noaxmamea-
to, sem estafa; com suas competentes Ierras enia-
postas de ladeiras e mattas, avallado paaf9:WOl,
fora a machina vapor.
Casa de vivenda de taipa, com duas salas,!7
quartose eozinh^ (oea^ avahada po^ 5O0.
Casa para adram?fradr, tombem 8e taipa, cop
1 sala, 3 qaartos e cqainlia datfo, avahada p a
300*000. ^
Scnralla jamben de taipa com aceommolaco s
para seis pretns, avalladas por 200*. Importan! o
ttrd em 13:000*. -
O qual foi penhoradn por etemfib fa OlivCftli,
Filhos^* C., contra Jos Carlos TeiWri.
Pngawenh de rfhkloBdo.
Pagaso 39. dividendo das aeges do
Banco do Brasil, inscriptas Desta extincta
caixa, razao de 89000 -por accao : ra
do Vigario n. 1.
- O Ulia. Sr. inspector interino da the-
sonraria provincial, manda fazer publico
que o possuidor de tres apolices da divida
provincial, sendo duas de 5009000 e urna
de 1:0009000. de s. l, 00 c 53G, que
vencemojurode 8 %ao anno, e foram emit-
tidas no 1. de fevereiro, 7 de maio c 3 de
julho do corrente anno, lho requereu jun-
tando o annuncio por elle feito, a substmi-
co das inesmas apolices, na conformidade
do artigo 10 do reapeclivo regulameato :
por tanto quem as tiver adiado, o qieira
fazer alguma reclamae3o, dirija-so mesraa
thesonraria.
Secretaria da '
Espectculo em beneficio da
Sociedade Propagadora da
InstrucQo publica.
(Conselh superior)
I'HiK.it i mi.i;
Beprcsentar-sc-ha o aportante e milito applau-
ddo drama em 4 aclo* e 1 prologo :
JOCEUN
OU O
Mariuheiro da Martinica.
Terminar o espectculo com a multo chistosa
scena cmica ornada de msica representada pelo
actor Penante :
Amanlia vou pedi-la
Pra satis fazer as pesseas que morain lora da
cidade e que'se dignaram aceitar billutes, llavera
um trem depos de terminar o. espectculo tocan-
do em todos os pontos at o Caxang.
Principiar s 8 horas.
a iiimcaua c brasileira
de paipeles a vapor.
At o dia f de agosto esperado dos portos
do sul o vapor americano Qttario, comman Jante
Slocum, o qual depois da demora d cslume
seguir para os portos do norte.
Para fretes e passagens. rata-se com os agentes
Henry Forster A C, ra do comincrcio n. 8
COMPANHIA PKRMAMBLCANA
DE
Vi\a'ac coat;raa tapar.
MACEt, PENBDO E AIUCAJU'.
0> vapor Giqui.
coinnaandanle Martins
tagita para os por-
tos cima no dia 31
do corrente, s 5
. horas da tarde.
Recebe carga at o da 'J9, encomraendas al
o dia 30, passagens cdinhero a freteal as 2 ho-
ras da larde do dia da sabida : escriptorio no
Fortb do Mallos n. 12.
SANTO ANTONIO,
EMPREZA
de
E nao havende lancador que rabrtf* pr^eo da
avaliacn, a arremataco ser felta v& preco h
adjndirajio na forma da le.
8 para qne ehegne ao conhf^iniMW de todas
mandei passar o presente que ser piWlieado poja
nprensa e amxados nos lugares w eosrnme. -
Cidade do feeife, 31 je julho de f^":
doWs!
imprenfa e afflxados nos lugares; eosrome.
Cidade do Recife, 3l de iulhn (Je fS'H
Eu, Maoel Majta Bodrl^e dDf?*ieBto, et-
crivS, asebscrevl. :,c~ v" j;l '*"" %'au~
Sthastito^ih-nego Barros-He tfrf i!1'!.'Vt i-
thesouraria provibeial
Pernambuco, 98 de julho de 1878.
0 ofncial-maipr,
______^_______M. .1. Ferreira.
Obras militares..
Antorsadas pelo Exm. Sr. ministro da gnerra
a otras necetsarias para abertura de jaaellas no
hospital militar, oreadas em 1:799740, ser a 6
de agoito, ao mijo dia, ppsta em concurrencia a
exarucao. de dita otra*; par qi^B dererao os
protendentes apresentar-se com suas propostas no
referido diae.hora, ua r^uarticaq das obras pu-
blicas, onde Pernambuco, 30 d >uiio da 1873.
Oengenheiro
Chrvssolito. F. do Castro Chaves
Empreza das obras e capata-
?^ I" zia da alfandega.
Faz-se sciente aos Srs. proprictarios de baica-
cas e hiatos que, em Wrtnfle da reelam.vao dir
gida ao lllm. Se, inspector tacajfandega pela d -
rectora da Atapciacao CommaKal Beneficent ,
prestarse pal i
; uopodes-
ar mais barca-
ndo tao smenf-'
ipiaram a reo-
' Itego Barrns-W Lacer i
A cmara, municipal de;ta cidade faz puBln
dexa o (rapietu Conceicao
embr.rcuies de ganaros cle>.
do do 1 de agosto Pin avante
cas e hwivs ftMaiste mister,
te pertaanceirenvs que j$
ber carga atii que tttulise.
Empreza da* obras o capatazia 30 4ewll,o de 1W3. ^*
O gereme,
*s# Jwiattfm Anl-m's.

...ia p'rm\
vjuaocLra a arraTata5o. dn.
i para ceoheci.eeto de seus municipes, as pastaras' ^s, eiwdado da base a ce
Sabbado2
As 8 l|' hoi-as ciu ponto.
E
Domingo 3
S 8 HORAS EM PONTO. *
Grande festa artstica para solem-
ne reeepyio e reentrada do
priineiro artista brasileiro
Xisto de Paula Baha.
Urna reu-iao de 86 mocos acadmicos, deso-
jando manifestar ao muito popular e talentoso ar-
tista Bahin o seu comentamento por velo de no-
vo fazer parle da companhia Vicente, autori-
sram a di recebo a mandar decorar o theatro
com todo o hlxo, para que a reapparicao do dis-
tinct artista, no palco pernambueano, seja nma
verdadera expressAo do elevado apreco em que
tido pelos sens numerosos amigos. O empresa-
rio, congratulndose com sememante prora r
estima e considerado ao seu particular amigo
Baha, tem a satisfacao de declarar ao ilustre pjo-
vo pernambueano qoe associa-se de bom grado
ajo honrosa manifestado, porque enteffe que
nao ser demais todo o enthusiasmo na reeepcSo
de um' artista tao notavel pelo seu talento o por
tuas qualidades pessoaes.
Pr*cramiaaa.
Dl\S i MIS REPRESE\T4(;6ES
do magniico e j entusisticamente applaadido
drama em S actos :
A HERMA
Original do apreciado dramaturgo francez A
Bonrgeois.
(Traducen) de actor Julio Xavier.
DENOMINARES.
1. aeto.Crime 6 senten;a,
t. Pogo do co I
3." ( Rqubo de crianja.
4." li e cga !
i. Aos ps do confessor.
Diflribuioao.
O artista BaJtia deaempenaa o importante papel
d.e Joao Paulo Berghen.
COirAMDA
DAS
MESSAGER1ES N4RITIMES.
At dia 8 do corrente m* e pera-se da Eu-
ropa o vapor francez Erymanthe, o qual depois da
demora do costume seguir para Buenos-Avres,
tocando na Bahia, Bio de Janeiro e Montevideo,
Para condigoes, fretes e pas?ageus, trata-se na
agencia, ra do Commercio n. 9.
Para o Aracaj
segu por teda a prxima semana a barca portu-
gueza Liizitania, capillo Gayo Jnior, recebe-
carga a frete, para o que se traia com E. B- l)a-
bello & L, ra do Commercio n. 48.
Lisboa e Porto
Vai sahir com brevidade a barca portugueza
Despique II, recebe carga e passageiros : a tra-
tar com consignatario Tito Livio Soares, ra
do Vicario n. 17
I INC % K PORTO
A barca Vencedora, callao Oliveira. segu va
gem por todo o mez de agosio.
Recebe carga e passageiros : a tratar com o
consignatari Tito Livio Soares, ra do Vigrio
n. 17.
Para Lisboa
pretende soguir.com pouca demora a escuna por-
lugueza Christina, de 1* cla>se, capitao Lajifaru.
por ter a maior parte de eii carn gamn lo enga-
jado; e para o resto que lho falta trata-se exni os
co nsignatanos Joaquim Jos Gocalves Beltro &
Filho, ra do Coniuiercio n 5.
:

Margarjd Berghen'
Thereza Berghen
Leop^dioa 3e. SiMbere
npsalba pQdU'naonrlnKa
ml* -
. menina df / annos
K5iffulo wfclien
O cura Everarob
Clwystiano drftunahort
S. Manuela.
. Joanna.
D Emja.
B. Olympia.
D. Bernardina,
Joven MAKHar
Sr. Ttibia.
S>. P Afiftisto,
Sr. Santos.
Pacific Sleam Savigatin Conipanj
I.ulia iiiiizcnal
O PAQUETE
espera so dos p irlos do Mil ile ai> dia "t." o pro-
Sipio mea do a^osn, e depis da dMnottji cos-
tume, seguir pira Liverpool, va 'MJvBor-
deaux, para cujos portos recebr passageiroa
e car. a.
Oe agentes Wilson Rpwe ,x C, ra do Commer-
cio n. 14.
-------------------------------------------.________
Pacific Sieai Jtovigali >n Ci>mpun
l.iuha f|unzenal
I'AQl'ETE
espera se da Europa ateo dia 3 de agpsto, e.
drfvois da demora dn coslmve seguir para o sul
do Imperio,-irlo da Prata eos* o Paeiao,- aara
onde recintera passageiros, iiTommand^ e linkei-
ro a frete |
0& agWMes1 Wwn-ltowe 4 ra do-etmer-
io n. 14,
/



~

I
Diario de Peraambuco Sexta feira 1 de Agosta de 18V1
o
Rio-Grande do Sul.
Recebe earga a frete mdico o patacho brasilei-
ru Bm/ka : a miar com Balihar Oliveira & C
-----

IHIOES
LEIO
DE
nwvs, looca e eryfe
A SABER:
Ura piano forte, 1 mobiiia de
Jacaranda, jarros para flores,
iautemas, cadeiras, de -balanco,
tapetes ecndieirns a g*z
Urna catnf). 2 marquezas, la-
vatorios, cadeiras amigas e I
marquezo.
Urna mesa de jantar, 1 apa
raxlor, 12 cadeiras, marque za,
iouc/i para cha e jantar, copos,
Coli -pa, garrafas, trens de cozi
ii lia e 1 escaJa.
Urna, machina de costur,
perfeiia, I cama para menino,
1 comino da, 1 nwa cadeiras e muitos outros objec-
tos de casa de famil a.
HOJE
no primeiro andar o sobrado
do pateo do ^armo 20.
IV mmenlo <1) agente Pinto
O leilaj principiar s 0 12
bora".
LEILAO
DE
urna mobiiia de junco pela com lampos de pedra
niarmore, 2 cadeiras de balanco, i machina de
costura, I cama franceza, 1 me*a de jantar, 1
apparelho para cha, I dito para almoco, e ou
tros objectos que sero vendidos em enntinua-
cio ao leilo de movis annunciado para o
pateo do Carmo n. 20.
Por interveneao do agente Pinto.
Hoje
Tres bancos para terraco, 1 espingarda,! ma-
china para engoinmar, I dita para lmpar facas, I
caixa para glo.
Urna mesa elstica, I guvdalouca. 1 apando-
res, sendo I com espelho, 1 quartinheira, 18 a-
deiras, i guarda-comida, quadtos, bandejas, 4 co-
serla de electro-plau, 1 failwtwro, pupcotant
para jantar e para cha, I apparelho verde dosert,
(tai rafas, copos, fauces, fruefeiras e eompoleirai
de tino crystal, i candinos a gaz,. facas e colhe
rea.
IHnJojo de bacaiella, l marqu.-za, | ronclos.
cailiiras de bracos, i dita* de balam-o, lavatorio,
. "loada; II ra, iras e I lanterna mgica.
Mesas para enfrommar e para eozinha, tnnijie
cotinha, ra mires, potps e inuios outros .iccess
rws de can crcu-lcin 5 de n$owto
Na povoaco de Apipueos.
P. F. Needham, tmdo se retirado para a Euro-
da com sua familia, fara leilo por interveneao do
agente Pinto, dos movis e m*is objectos perten-
centes e existentes na casa em que residi na no-
voacao de Apipueos.
Os referiilos objectos tornara-se recommenda
veis por serem de gosto e eslarem beni conserva-
dos por terem tido pouco uso
A's l(> l|2 horas da manh partir da estaco
do arco de Santo Antonio un trem expresso que
servir de condueco gratis ao concurrentes.
O trilito principiar s 11 hora.
I
Vli
LEILAO
E
dividas
NA IMPORTANCIA DE 2;9213*500
OUINTA-KEIRA 7 DE AGOSTO
i* 11 1|S horas.
0 agente Pinto levar novamente a leilo, por
mandado do Illm. Sr. Dr. juiz especial do cominer-
cio, das dividas activ.is da mana fallida de Joto
Antonio FVrrera, na importancia de .2U500;
os pri'tendenles podero dede j examinar os t-
tulos e documentos nerteneente* < mesmas divi-
das. O leilo ter lugar s 11 t|S hiras do dia
cima dito, no escriptorio do referido agente,
ra do Bom Jess n. 43.
LEILAO
DE
ifl acedes da companhia de Santa Thereza e 10
ditas da companhia dos trilhos urbanos de Olin-
da e Beberine.
Quinta-feira 7 de agosto
AS 11 HORAS DA MANH
Por intervencio do agente I into
Em seu "seriptorio, ra do Hom Jess n. 43.
Loililo
DE
100 caixas com massas sortijas.
Hoje
O preposto do agente Pes'ana far leilo por
conta e risco de quem pertencer, de 100 caixas
cem massas sortidas, em lotes vontade dos com-
pradores.
No annazein do Annes, defronte da alfandega.
Leilo
cafe Ja ra doBarao na \tetona n. c8.
SABBADO 2 DE AGOSSO
Constando de i buhares, I bagalella, louca, mo-
vis e mais pnenlas do caf cima, entrada pela
na de Santo Amara,
pelo agente Martina
AS 11 HORAS DA MANH.
Lcilito
DE
ura sobrado Je Jous anJares, soto e
pavimento terreo, sito a ra do Amorim
n. 19 em chao proprio.
Sahliad 2 de gg slo
A's II horas da manha
Por interveneao do agento Pmho Borges cui seu
escriptorio, a ra do Bom Jess n. 33, e os Srs.
pretendemos podem desde j examinar o referido
predio.__________________________________
LEILO
DE
urna caixa com botinas variadas para ho-
roens, 1 Jita com botinas entenadas para
senhoras, 1 Jita com linha para borJar,
1 Jita com retroz de cores, trancas de
caracol e mais artigos. H
SEG.NDA-FEIRA 4 DE AGOSTO
s 11 horas
Por interveneao do agente Pinbo Borges.
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 33,
primeiro andar.
orna excelleite casa terrea e sota, slti traves-
sa da Bonilla u. 8, tendo as commodidades se-
caintes: 2 salas, 2 quartos, enzicha lora e
quintal com boa cacimba, na solea i salas e 2
(partos (em chao foreiro).
SEGUNDA-FE1RA i DO C0RRENTE
As 11 1|2 da manh
Por intervenga do agente Pinito
Borges
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 33,
pritneiro anJar.
Os preten lentes podero desde j examinar a
dita casa.________________________^^
LEILAO
DE
novos e usados.
SEGUNDA-FIRA i DO CRREME
Das 3 1/2 horas da Urde s 3 i/2.
Oll INTERVENCA0 DO AGENTE PINTO
No primeiro andaf do sobrado da ra do Bario
da Victoria7n. 12. (ra Nova).
Grande e variado leilo
DE
bous movis, linos crystaes, lou<;a Je porce-
Irna e objectos Je electro-plate e um car-
ro francez, tuJo em ptimo estado.
A SABER .
Um piano forte, 1 estante para msicas, 1 mo-
biiia de Jacaranda, sofs e cadeiras estofadas, ca
DE
fazendas avariadas
Quinta-feira 7 do crreme
w 11 12 hora cu* ponto.
Por interveneao e no escriptorio do agente Pin-
to, ra do Bom Jess n. 43.
DE
2,000 chapeos do Chile
QLlNTA-FEIRA 7 DO CORRENTE
s 10 1|2 horas.
Por interveneao do agente Pinto, ra do Bom
Jess n. 43.
AISUN^-K$th
o publico.
Domingos Mara Goncalves, cnsul p.irtjguez
de 2" classe e en ai regado que foi do consmado
Je Portugal em Pernambuco nos ltimos Ireie me-
jos, participa aos seas amigos, tanto n .eionaes
como p-rtuguezes, que tem o seu escriptmio na
rna Prinn iro de Marc/> n. 23. andar, antiga ra
das Crines, onde jKide ser procurado todos os
dias nao antitlcados, das 9 horas da nianlia s 4
da tarde.
CASA DA FORTUNA.
AOS 5:000^000.
BILHETES GARANTIDOS.
I' ra Primeiro de JforpO (outr'ora ra (U
Crespo) n. 23 e casas do costurrvs.
O abaixo assignado tendo vendido nos seus fe-
Itzes bilhetcs, um quarto n i!'35 com 5:000*000,
um inteiro n. 2i88 com frOO.OO, um inteiron.
424 com 300*000 e outras sones de Wl e 20*
da lotera que se acabou de extrahir (60 ), con-
vida aos possuidores a virsm receber na eonfor-
midade do costume sem descont algum.
Arham-se venda os felizes brinetes garantido;-
ia 21* parte das loteras a beneficio da novaigre-
a de Nossa Senhora da Penha (o ), que se extra-
hir na quarta-feira, 6 de ago>to.
PRECOS
Blhete inteiro 6*000
Meio hilhete 3*000
Quarto 1*500
em'porqXodf, 100$000 para cima.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
Manotl Marins Fiuza
Sociedade Beneficnte Luzo-
Brasileira
Por orden) de no?so irmo presidente convido
a nova directora, conselho fiscal, commisso de
exame e contas e a todos os mais socios em geral
a comparece rem a sessao de assembla geral
que tera lugar s 10 horas da manha de domm
go 3 do mez prximo vindouro. sendo essa sessao
para a posse dos novos estatutos, assim como
para se proceder a leitura do parecer da com-
misso de exame e contas no balancete annual do
thesoureiro. Torna se preciso o comparecimento
de maior numero de socios, tendo a actual direc-
tora arrendado nova casa paia a sede desta so-
ciedade e sendo preciso faier-se algnmas obras, se-
r nesta sessao presente o ornamento das despe-
zas para que a assembla geral faculte a serem
feilas. Os candidatos j approvados podero com
parecer para se iniciaren).
Secretaria da Sociedade Beneficnte Luso-Bra-
sileira, 29 de julh.i de 1873.
O 1. secretario,
Bento de Souza Mira.
'Pedido.
A abaixo assignada pede o especial favor ao Sr.
Manoel Bizerra dos Santos de Ihe dar a expca-
co por carta remettida a agencia da villa do Bo-
nito, a qual villa ou comarca pertence o lugar
chamado Pazenda Nova aonde morador,
pois j nao foi procurado por haver outro de
igual noine.
Mara Bizerra dos Anjos.
bia de jaca
deiras de ferro, 12 cadeiras de palinba, i cheso-
nier com espelho. e pedra, i mesaa de jogo 1 dita
oval, 6 castices de metal, ricos quadros com linas
gravaras, clirtinadoj, jarros para llores, figuras.
Umpedes a gaz, 1 tnteiro, 1 caixa de msica, la-
pete, e esteiras forro das salas.
. Urna cama de ferro, coloes eJravesseros, 1 ca
cama de mogno para menino, 1 toilette, 1 lavato-
rio para duas pessoas, guarnigio para o mesmo,
3 portas-toalhas, cibides, 3 mesiulus, t dita re-
donda, i guarda-vestidos com espelho, I guarda
^joapa grande, l .piadroe, 3 caman de ferro para
meamos, 1 lavatorio e armario para menino, 2
ommodas grandes, 1 toucador, 4 cadeiras para ou eriquito, 28 dejulho de 1873.
menino, 1 earrinbo para crianca, | -relngio de pa-1 Francisco AiTooeo de Mello.
rede. Mariana Victorina de Mella
Negocios de Portugal e Hes-
panha.
Domingos Mara GoRcalves participa que se en-
carrega promover o bom andamento de quaesqner
questoes jndiciaes nos doua paizes cima mencio-
nados, para o que est habilitado com um pessoai
competeutissimo de correspondentes. Escriptorio
ra Primeiro de Marco n. 23, (antiga do Crespo;
Casa para alugar-se
Urna assobradada, com coramodos, i rna da
Alegra n. 36 : para ver, a chave eeli na laverna
defronte, e para tratar no Mondego, olaria n. 63.
Os abaixo assignados declaram pelo present
annuncio que retiram todos e quaosquer poderes
concedidos em procuraedes pascadas a Alfredo
Cardoso Pereir ou a AJfredo & Barbosa Jnior, e
protestam contra qualquer acto praticado por es-
tes senbores desde a data de sna procuracao pas-
sada ao Dr. Pedro Aflbnso de Mello. Esperanca
Roa aci|yisic<1o.
P. r stiu dono ter Je riitirar-se para
A Europa, otrf Val residir algum
lempo, wendo- um ptimo predio
do umawlartsoio, u'umadas rm>
Ihorns lo<:J|dadfS Jo Oliiida, da qual se
descortina nao so todo o ocano desde o
cabo do Sautt AgosJw t muilo al^m da
ponta deOImda, bom-votiio, p.-|o lado Ju
torra, as lindas paysa-'uos dojioonte e sul }
rendo um quiitjil rog'uTnr.'corh arvordo novo
plantado lia ikwM anuos, terreno muito fer-
Ui ; una eMimba povij J'flgua para o gas-
to diario, e urna cisterna de agua potavel;
tendo onze quartos e tres ptimas salas, um
grao Je armazem o que pode servir de co-
xeira ou de residencia de eseravos, lm de
un soto. proprio para dormida; muito are-
jado em toda a ep ca do anuo ; com illu-
minago gaz ; e em vesperas de ter agua
canalisaJa. Acha se preparado eonvenien-
temente, nao s dos movis indispensavefs
qualquer familia, como de todos os apres-
tos de cosinha e de mesa. Vende-se a di-
nheiro, ou como se acha, ou' retirando os
auiveis. Quem quizer ve-lo, pode procu-
rar a chave na meo do 8r. Lniz do Reg
Barros, regente do hospicio de alienados : e
a tratar na ra da Unio n. 49.
Irmandade da Santissima
Trindade.
Sao convidados todos os irmaos da irniandade
da Santsima Trindade a se reanirem no dia 3 de
agosto (domingo) pelas 9 horas da manh, no re*
pec.tivo consistorio, aflm de proceder se em mea
geral a eleicao do alguna cargos, dos qnae* ped-
am aBCUsa os irmns que para elles foram eleitos.
Gratido.
O individuo que reside na provincia do ''ara
ha uuiitos annos, e que passou ,.arte. da sua nw-
cidade em Pernambuco, agradece ao seu estima-
dsimo amigo da cidade do Recife os seus bons
oflickw constantes da sna missiva de 7 do corren-
te, que por modestia nao assignou. -Sei quem ...
e em tempo Ihe darei a minha rrrio impoluta.
Nao foi o caso como ah chegnu adultnadn. oio
estou no eommercio, nao tenho compromissos com
eHe, nem esperancas ir o$ ter. Outras foram, e
sao, as uiinhas aspinces. Agra^leco de corarn
a sua prova de verdadeira amisade. Em 1875 se
Deus quizer. Ihe irei restituir o seu signal de ex-
tremnsa affeicao.
Para, 16 de julho de 1873.

HOTEL
Restaurant de Bordeaux
Ra Primeiro de Marco n. 7 *, ]." andar.
Lacoste perito cozinheiro f^nn, tendo tiJo a f.liciJaJe de agradar ao rospeitavn
publico Jesn bella capitn (a vista da concurrencia que tem seu hotel) acaba de npr 'i)i
tarn) l." andar, quartos inobdiados com gosto e a prego muito raznavui.
Recebem-se assignaturas.
Abertu lvde s C huras d'amanh, al s 10 da noute.
GRANDE
DA INDEPENDENCIA
AMIGO ESTAMINET
11 Ra do Imperador 32
Aimocos
Lunch
Jantares
Ceias e bebidas de todas as qualidades a qualquer hora.
Limpeza e servido pontual e apurado com o qual ninguetn pode competir.
Jem magnificos aposentos para a'ugar e
BONS BUJBLAM1S
O propriotario dispensa-se de elogiar o hbil e raro cozinheiro francez. a res
peit do qual podem ser consulta Jos os verdadeiros gastrnomos que j apre*iaram .
sua arte.
PRESOS
Os mais resumidos Jo mundo.
HOTEL
nos
TRILHOS URBANOS
DO
Rcrife Olinra.
Esta companhia contrata com quem me-
lhoros comlices apresentar, a collocacSo
d'utn telcgrapho eleclrici, partir Ja esta-
cod'Aurora Olinda, e da Gncruzilhada
Beboribe.
Para informagoes se enlenderao com o
respectivo gerente no escriptorio da mesma
companhia.
0 gerente interino,
LaareHtino Jos de Miranda.
SIMPAS.
A' companhia dos trilhos urbinos do Re-
cife Olinda compra sulipasde oiticicns, com
9 palmos de comprimento, 9 polegadas
de largura e 4 ditas Je grossura.
L. J, d Miranda,
Gerente interino.
Sendo resolvido por esta companhia a dar
hoj 1." Jo agosto curso seus novos buh-
les, succede liavor sido roubados hontem
da estacSo de Olinda, cerca de 2,006 bilhd-
tes le I.*e3." classe dos que acabam d)e
ser retirados Jo transito. >o havenJo per-
misso para os empregaJos desta companhia
ven lerem bilhetes seno aos passageiros;
todava poJendo succeder que algum pas-
sageiro, tendo comprado seu bilhete, dei-
xasse de fazer a viagem, nesse caso, pre-
vine seque pode mandar receber seu im-
porte no escriptorio da companhia at o dia
3 do corrente.
0 gerenie interino,
L. J. de Miranda.
Aviso.
Os e ncarregados da festa do froulespi ;io do Car-
mo, declaram que tem designado a nltioia domin-
S;a do mez de agosto futuro para ter lugar amesraa
estividade, pelo que pedem aos devotos da mes-
ma Senhora que Ihes queiram coadjuvar com sna
e?mola, atim de que no mencionado da se realise
a fi-ta deste anno.
Agencia BlandyTelegramma na illia da ladiira.
E' provavel que a sec^So entre Portugal e a ilha da Madeira, (lo Telcgrapho Elc-
trico Submarino Brasileiro, esteja prompto para funecionar no mez d'agosto Jo corrente
anno, e a supra mencionada agencia na referida ilha, o(Terecc-se para transmittir ao seu
destino quaesquer telegrammas que Ihe forem remeltidos em enveloppe fechado, sobres-
criptado Agencia Blandy Telegramma, Maileira.
A linha telegraphica estabelecida na ilha da Madeira, pJe transmittir telegrammas
para toJas as estacos telegraphicas na Europa, Asia, frica, America e Australia, custfln-
do cada telegramma de vinte palavras 35J300, em moeda forte, alm das taxas Ja estacSo
de Lisboa.
As ptssoas no continente da America do ul, que quizerem utilisar se da agen-
cia Blandy para a transmisso de telegrammas, devero fase-Ios acompanhar de letras nu
cartas Je crdito sobre Portugal ou Inglaterra, para o pagamento do custo dos telegram-
mas e das despezas da agencia.
Madeira, 15 dejulho de 1873.
Carlos R. Blatuly.
Os precos para a transmisso de telegrammas da ilha da Madeira, suppe-so serem os
seguintes :
Para Portugal
Gibraltar
' ' 0. 13. 8
0. 16. 0
( 0. 16. 0 a 0. 18. 0
1. 1. 3 a i. 3. 3
0. 17. 3 a 1. o. 3
1. 1. 3 a 1. 1. 8
1. 5. 0
1. 15, 0
Hespanha
Malta
Franca
Inglaterra
Allemanha, HollanJa, Dinamarca,
Russia, Noru-ga, Suecia, Blgica,
Austria, Italia, Grecia, Turqua, etc
Egypto, Portos do Mar Vermelho,
Turqua e Rusi-ia asitica, etc.
( America do Norte, Antilhas, etc.
India, Peuang, Singapoore, etc.
Java, China, Japn, etc.
Australia
Para mais informar;des, quem quizer Jrija-se aos agentes em Pernambuco.
Wilson Hove&C,
Ra do Commercion. 14.
1. 10. 0 a 3. 15. 0
3. 15. 0 a 5. 5. 0
4. 10. 0 a 5. 10. 0
6. 10. O a ( 7. 15. 0
10. 0. 0 a - 10. 10. 0
Pesos e medidas
DO
Pesos de ferro e lato.
MediJas para seceos e molhdos,
^
de ferro, cobro e lato, le ostanho e ima-
na ga.
Vendem-se em casa de
SHAW HAWKES & C.
Ra do Bom Jess n. 4.
Olinda.
AhJga se urna casa na ra de Mathias Ferrei-
ra, com quintal e cacimba : a tratar ra do
Amorim n. 37.__________ _________ ;
, Aluga-se um qnartnho com um terra;o,
dando para quintal em que ha cacimba : na Cam-
ba do Carino n. 21, primeiro andar.
Prolesto.


rimiuHiiu mniit'O
DO
Dr. Muiillo.
RA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
J Recemiche^ado da Europa, ..nde fre-
O quentou os hospitaes de Pars e Londres
Q pode ser procurado a qualquer hora do
zj da ou da noute para objecto de sua pro- rj
n serio. Q
f\ Consultas do meio dia s duas horas f
M) da tarde. /
s Gratis aos pobres. 'S
m Especia lid 'g crianca e de mulher. Q
'J Emprega no tratamento das molestias Ql
O de ;ua especialidade as duchas fras e o
Q banhos a rapor, para os quaes frouxe Q
r} os apparelhos mais modernamente em- r
m pregados na Eun pa. w\
Jf Tambem applica com grande proveito 'Mi
yjt no tratamento das molestias do tero a ^
M. electricidade.pelo processo do Dr. Trepier.W
CASA DO OURO
Aoaft:0009000
Bilhetes garantidos
Ra do Bardo da Victoria (outr'ora Nova)
n.. 63, e casa do costume.
Acham se a venda os muito feli-es bilhetes ga-
rantidos da 21' parte da lotera a beneficio da igreia
da Penha, que se extrahira no dia 0 do mez de
agosto.
Frece
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Qnarto 1*500
De !?! para rima.
Inteiro 5*900
Meio 1*750
Qnarto 1*378
Recife, 30 de julho de 1873.
JtSo Joaqun da Costa Ltite
Constando ao abaixo assignado que preteudem
vender o sitio c un quatro casas, no Rarro, cujas
propedades foram da fallecida Mara Francisca
Olimpia Baptita, o abaixo assignado previne que gressar no referido ponto desde a raa do Crespo
rama com at a ra doBarao da Victoria, ou vice-versa.
(lompanhia Ferrocarril de Per-
Haaibnco.
Tendo esta companhia obtdo licenca para man
dar um carro especial percorrer a inha da ra
do Crespo at o fim da ra do Baro da Victoria
emquanto durar o concert da ponte da Boa-Vis-
ta, comeca do dia 2 de agosto prximo futuro o
servico d t mesmo carro, desde as 6 horas da ma-
nh at u II horas da noite. Os Srs. passageiros
devero ahi comprar um bilhete (de correspon-
dencia com o qual carao a viagem na linha que
desej?rem, sendo-lhe restituido pelo conductor
metade do dit" bilhete, que Ihe dar dimito a re-
NDRTIIIENTO
MEDICINA
Preparado por
Lanmmi Ketnd
para Ihisi tfi
toda a qualidsde
de d(H'iif;as, quer
si'ja ua garganta,
iicitii ou bofes.
Ktpreseamentrr
Se(l||lp|()d6UK-
lli*.! es ligados tk's
quaes se extraaae
o oleo no banco
da Terra Nova
purificado cbimi-
calmente, e suas
valuaveis propri-
odades conserva-
das cem todo o
CHdado.eiutodo
o frasco se garan-
te perfeit a men-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
a um exame mui-
to severo, pelo
chimico de mais
talento, do go-
verno hespanbol
em Cuba e foi
pronunciado por
elle a cont r
MAIOR PORCAO D'IOMNA
lo que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IOIHNO UM I'Ollt R SALVADOR.
Em todo o oleo de ligado de bacalho, e na-
quelle no qual contm a maior porgo desta
invaluavel propriedade, o nico meio para
curar todas as deencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIADO,
i'htvsica, bronchistis, astbma, catharrho,
tosse, resfriamentos, etc.
Uns poucos frascos da carnes ao muito
magro que seja, clarea a vista, e d vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
nhecido na medicina o.) sciencia, d tanto
nutimento aosystema e incommodando quasi
nada o estomago.
As pessoas cuja organisaco tem sido des-
truida pelas affeccoes das
ESCRFULAS OU RHEL'MATISMO
e todas aquellas, cuja digesto se acha com-
pletamente desarranjada, devem tomar
OOI.EO DEFIAO DR BACALHO
ni;
LANMAN >& KF.MP
Se que desejam ver-se livres e isentasde
enfermidades.
Acha-se venda em todas as boticas e
drogaras. H. Forster 4 C, agentes.
0 INEXTINGIVEL
PERFUME
ninguem faea negocio de qualidade alguma
ditas propriedades, visto como anda se nao
inventario, e a fallecida nada tic ju devendo, e
tres herdeiros. Recife, 31 de julho de 1873.
Sergio Rufiniano Olapio.
fez
sao
Irmandade de S. Jos
d'Agona.
Por ordera do Illm. Sr. provedor desta irman-
dade, e de conformidade com o art. 43, paragra-
nl)0 1." dos nossos estatutos, sao convidados pelo
prsente todos os nossos innaos, a comparecerem
em nosso consistorio no convento de Nossa Se-
nhora do Carmo, domingo 3 de agosto de 1873,
as 10 horas da manh, para em mesa geral deli-
beraren! sobre negoeios que dizem respeito a
mesma irmandade.
Recife, 30 de julho de 1873.
Manoel Jos Luiz Ribeire,
Secretario.
\ Alu^a-se o segundo andar do sobrado da
ra da Guia n. 62, com bastant s commodos : na
ra da Senzala Nova n. 1.____________________
OlPALASADM AMERICANO
Prega borrachas novas era borzeguins usa-
dos por machina de costura e faz todos os de-
mais concertos.
Na ra do Padre Florano n. 24.
O hotel da ra de Lomas Valentinas, ou
Os bilhetes somente servirlo no dia em que fo-
rem emittdos.
Recife, 3o de julho de 1873.
G. A. Schmidt,
Gerente.
Irmandade de Sant'Anna
erecta na igreja da Santa
Cruz.
Nao se tendo reunido numero legal de irmaos,
conforme dispSe o artigo 40 do nosso compro-
misso, sao de novo convidados a comparecerem
sexta-feira l. de agosto vindouro s 6 horas da
tarde no consistorio da mesma igreja, atim de
em mesa geral se proceder a e le cao de nova mesa
regedora para o anno comproraissal de 1873 a
1874, como preceitua o artigo ti ti do mesmo
compromisso.
Consistorio da irmandade, 28 de julho de 1873.
Marcoline Jos Pune.
______________________ Secretario.
Attencao
Aluca-se o andar do sobradinho da ra de Lo-
mas Valentinas [Aguas-Verdes) n. 55; assim
como a loja do oitao do sobrado da ra da Roda
n. 46 : a tratar na thesouraria das lotera, ra
BE
1IURR4V & I. V\1IA\.
Urna pura distillaco das mais raras (lo-
res dos trpicos. Contm, para assim di-
zer, quasi o odor odorfero das flores do
trpico da America, esua fragancia quasi
inexhausta ainda mesmo por continuada
evaporaco e diffuso. N'este respeito
incomparavel a qualquer mitro perfume
qne ha de venda pora :
DESMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, DOR
DE CABECA, DEBILIDADE E
HYSTERICOS.
um corto e ligeiro allivio. Com o bom
ton, tem conservado sua influencia para
cima de vinte o cinco innos sobre todos os
perfumes, as Indias Occidentaes, Cuba,
Mxico, America Central, e do Sul e nfo
com toda a confianca o recommendamos
como um artigo, pelo seu aroma muito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambem faz remover
da pelle:
ASPEREZAS, EMP0LAS,
QUEIMADURAS IK) SOL,
SARDAS E R0RBLHAS.
Sendo reduzida com agua, se torna urna
excellente mistura para banhar a pelle,
dando'um aroseado e cor clara a complei-
co nublada, sendo t.pplicada depois de
barbear, evita a irritaco que geralmente
occorre, assim como tambem gargantendo-
se, o cheiro do cigarre desapparece, e me^
lhora a condic^o dos dentes e gengivas.
Como ha muitas iiniticcs, as quaes nao
possuem nenhumas c estas propriedades,
deve-se tomar cuidado e contar smente o
o famoso perfume cosmtico do sul da
America, cham da:
AGli AFIJRID4
DE
III lili 11 ti Lt\HU.
Se acha venda em todos odroguistas
perfumaras da moda.
Alnga-se ou veflde-se urna casa acabada de
nevo, com bom terreno plantado e boa cacimba
com afoa de beber muito boa etc. : na becee do
Espinheiro, i roa da Hora, em frente a estaeio,
sendo ne tiro da roa. Quem pretender diriia-ae
4 roa da Irageratriz n. 79, loja de fu altero. O
terreno tem W palmo de frente e 440 de fundo.
tr'ora ra de Aguas-Verdes, fornece comedoria do Crespo n. ti. ou ra Nova n. 50, 1' andar, das
para qualquer pessoa, com todo o a seio e agrado 6 s 9 l|x horas da manln, ou das 4 s 5 da
ao* freguezes, assim eomo ha sorvete continuada- tarde,
mente. -** ^*
Sociedade Unio Commer-
cial Beneficnte.
De ordem do Illm. Sr. vicepresidente da assem-
bla geral convido a todos os Srs. socios effecti-
vos a se reunrem as 11 horas da manh do dia 3
de agosto vindouro, roa do Baro da Victoria
n. 63, primein andar (sede da sociedade Nova
Uniio, aflm de ter elei.o o funecionalismn desta
sociedade para o anno sosia! de 1873 a 1874, de
conformidade com os j| !. e 1* do art. 23 dos
estatutos vigentes, bem como approvacSo das con-
tas qne nesta occaaio presentar a directora.
Serio vigorosamente appliaadas as penas dos
estatutos aos socios que nao comparecerem sem
causa justificada Aquella sessao.
Sala das aeesdes da assembla geral da socieda-
de Uniio Coanui-cial Benetkenle, em *8 de julho
de 1*73.
O 1.a secretario,
A i. Leitt Bastos.
# Consultorio medico eirnrgico
DO fg
Dr. Forre ira
A ntigo gabinete de seu pai, ra larga
hr Rsaaio n. 10.
Cura de hydn celes sem injeccao,
eom punccao-capillar.
Abertura de abeessos e extraccao de
derraraamen serosos, peto aspirador
de PoUin
Veneravel contrara de
N. S. daSoledade.
Contrata se um siicerdjte para ca-
pellao de.-U cuifraiia : trata-se na
ra da Soledade ns t- ou 10.
Aluga-se um rooleque de 18 anuos, muito
sadio e fiel : na ra Augusta n. 186.
- Aluga-se nm perfeit i cotinheiro : a trata1
na ra da Palma, casa n. 57.
0
^Consultorio itif dic o-cinirgico S
A. B. da Silva Maia.
Rna do Vioconde de Albuquerque n.
II, outr'ora ra da in.itriz da Boa-Vista
n. II.
Chamados : a qualquer hora.
Consullas: Aos pobres gratis, das S s
4 horas da larde.
Xarope d'agrlao doPari
Antige couoeituado medicamento para
cura das molestias dos orgos respiratoria*,
hl f i '
versando, a quem aitrinuo o ter seduiidp : qaeai I appucaoo anda com opUmos resultados a
o encontrar leve o rna Dimita a 88. /escorbuto.

C>mo depositario do moleque Rufino, escra
vo de Jos Joaqun) Barbosa, cujo moleque acha-
se em litigio entre Barbosa e Felismina Cbiista.ll-
na da Suva, faco publico que o dito moleque
fugio de casa no dia stl, levando toda roupa uba
tinha, foi encontrado na Escada com a cul con-1
'i
1.
f*r




.
//
i
-*SH


Diaiio de Peraambco -rr.-Sexto feira l de. Agosto de 1SM.

-

)
50^000 de gratificarlo.
\',i-entiUL-cdo engeiihp Vid ra no tormo d-
ttarreru;ati milato stt J-brinto |atjrnuno| ile
SO anno* ft dale, baisa, go#do>e ieio *n-|iula,
cabellos i aanarallos e crespo*, roo laif o, Ihi s
castauhos, nariz regular, tem ura signal no peits,
proveniente de urna espinha, pernas e pes
frossos e mal feitos: qucia o pgar, on Salte der
noticias levo ao mu senhor Dacio Fenvira da Sil-
va Mello, no referido engenho, ou na praca do
Coreo Saqto.p. 7, 1 andar/|uase/fc 4o |ennr **ft* + ** $<*&* 6
* ADVOGADO
BACHAREL
SJoao Glonzaga Bacellar *
_ Villano Cal*
Precisa-se de una ama para
t-. |- l'^l riwciwi"wo ira una na |n
\J A Vnzinhnr e" "''** ,,e P|,'l'i"n:l
Vi i /W,l""'i:i "" '"',:'r "' lll:i u"
'' ><*- bpdi ________
rVivl-a-.-c muJ h' I1'"'1
\ I *, |H|il '!*'
fiJL /I JhTpoifa .'amiba: :i hjrl
^R.,.la n. i* j.' al:^. '_____Vj_____
*= prurisa-soiBlufljhr unas ma le PJjtt ; a tra-
:
W RA DUtjUE DE CAXIAS N. 21,
00 '* *****
ALUG4SE
o primeiro and ir do sobrado n. 50 da ra do
Bom Jess, outr'ora ra da Cruz, proprio para
ftcrutorio : a tratar com Keller 4 C., ra do
Bom Jesus o. 85.
Por 600* e por motivos justos vende-se 1
preta de 3 > annos, engomina, cozinha e lava,
arato : na roa de Hortaa n. 96. Na mesma ca-
sa ha ontrws enravas eom habilidades e sem ellas.
DE 10 PALMOS
E D'AHI PARA BAIX
Sapo ti sei ros e sapotefro? em grande quantidade
e preco commodo.
Alera destas, as plantas de ornato e de fructo se-
guintes:
Jaboticaba
Laranja rravo
Lima da Porsia
de umbigo
Atcate
Atorran
Ariticum p6
Canella
Coraran da India
Carolina do principe
Pigueira
Flonboyant
Frueta-po
Goiaba-branca
Jaca
Jarrnim laranja
E nutras plantas tambem por prec,o
Ba Capnnga. ma da Ventura n. 20.
Limo Trances
Oi'y cor
Pahueira imperial
Parreira
Pinheiras
Roinanzeiras
Resed
Roieiras
commodo
IS.
Contina estar ausenta o escravo Henriques
dejsde o dia 15 de abril, o qual tem os signaos se-
gnmtes : mulato bera claro, cabellos crespo;, ros-
to liso, sera barba, Calla um poti;o descansada,
olhos um pouco quebrados, .juando est serio Oca
um po'icn carrancudo, tem as costas cheias de
pannos hrancos, a perna direita aberta, o dedo
grande do mesrno pe um pouco aberto e sem ter
unbas, proveniente de urna ferida que teve, tem o
andar muito banze ro, as caderas largas e muito
pilerieo, foi da Se'ra do Tcixeira, dos herdeiros da
casada viuva D. Victoria Mara dos Anjos, estes
venderam ao Antonia Cosario Italiano, este vendeu
aoB-irao de Nazareth, onde compre i ; a mai do
dito mulato inda viv mora na Serra do T-eixei-
ra, rhama-se Felppa, consta-me que boje forra,
lewu em companhia um cavallo alasao dourado,
bonito, altura de 7 palmos, pouco mais on menos,
tres ps calcados, frente alerta, caneca acarnei-
rada, crinas, topete e c uda compridos, urna man-
cha branca redonda em cima da anca esquerda,
tem urna bellido muito pequea em um dos olhos.
nao sei em qual, so se observa a bellide deitando
attencao, tem alguns dedtes quebrados provenien-
te da cachaca, e muito rincho, inteiro : qual-
quer capitao de campo ou mesmo pessoas que o
Jrender. tragam ao engenho Canzanza, freguezia
B Santo Amaro de Jabuatao, ao seu sei*or Anto-
nio Carnero Rodrigues Campello, que ter a quan-
tia cima, e pagarei as despezas de viapem.
Antonio Carneiro Rodrigues Campello.
Fugio do engenho Boom, freguezia de Agua
Preta, o e*;ravo Joaquim, de estatura regular,
go de um olho, comprado recefltemente ao Sr.
Severiano de Siqueira Cavaicante : roga-se po-
lica e aos capitaes de campo de o aprehender e
o levar ao dito engenho, ou no Recite ra da
Imperatru n. 30, que sero gratificados. Igual-
mente protesta o abaixo assignado contra quem o
oecultar, ou indeviOamente gozar de seas ser-
vicos.
_s___________Christovao Xavier Lopes.
Urna-senhora, capaz, offerece-se para engonv
mar em mna casa de pouca familia; indo as7
horas da manb e sabindo as 7 da ncute: quem
precisar, dinja-se ma da Palma n. 30.
ATTMCAO
Pede-se ao Sr. Felippe Maria Bessane, caixairo
dos ^rs. Tasao 4 Irmaos, a vir rea do Livra-
ment n. 20, a negocio d sen particular interesse.
Precisa-se de um ofllrial de barbeiro, na sa-
iio da ra das Larangeiras n. 19 '. a tratar com o
dono do moimo.
FGIO
Est fgido o cabra acaborlado dePru-tor;. p r
denoto, desdentado e os cabellos um pouco ubico
dos, andava com urna carraca conduzindo estrum -
para um sitio, e fugio no domingo 6 do torrente ;
este escravo ligeramente gago, foi escravo do
Sr. Joaouim Juvencio da Silva e boje pertence ao
barao de Nazareth.gue gratificar a quem o a pre-
sentar. Elle representa 50 asnos.
vir.
O Sr. Jos Pereira Lomos pela segunda vez
rogado vir i ra do Imperador n. 28, a negocio
de seu nteres.
- Precisa-se de una mulber de boa conduct
para fazer companhia a urna pequea familia : na
ra de Hortas n. 63.
fpj^* Convite.
Os senhores abalxo declarautos. sao encarecida-
mente rogados virem ra de* Imperador n. 28,
a trataren de negocio* particulares que Ibas di-
zeni respeito :
Antonio Anacalo dos Santos
Antonio Alfonso Mereira.
Antonio Pinto dos Santos.
Anfonio Jos da Silva.
Antonio Jos Ribeiro de Moraes.
Kenjamim do < armo Lopes.
Domingos M. de Barros Monteiro.
I)eof lecio da Brito.
I)r. Francis o Pinto Pessoa.
Ebom Wistig.
Emilio Jos de Moraes.
Fernandos de Azevedo.
Pranci!o Alvos de Mallo Tico.
Francisco de Paula Borges.
Francisco Jos Carneiro.
Joaquim Gaedes da Costa.
Joaquim Jos Maria da Penha.
Jos de Brito Mello.
Jos Paulino da Silva.
Jos Goocaives da Silva.
Manoel Antonio dos Nascimento.
Manoel Silvino de Barros Falco.
'.lulino J'aquim Tavares.
Theotonio de Barros e Silva.
Witliam Rawlinion.
#0***09* 9V&0
MEDIC0-CIRURGIC0
DO
l>r. J. M. Cari*
}i Ra do Mrquez de Olnd n. 2o, pri-
meiro andar.
Jft ConsulU das 9 horas as U da manha.
)|ij Chamadj$ a qualqner hora. *
U| ~t-***^*** 0(*9tW
tar na rpa do Sol n II.
i II i ln.-fi^-e d.Mioia .-una i|iie sailia
A l'l \ tf.\uw.u : :i tratar na na do Livra-
Zil'lil. cenlo n.8, luja.
AMA
Precisa ra c.r.in'iar : a trau-ir nt ra
do Imperador n IK, ?rma-
zem.
Preeisa-se de urna ama para com-
prar e cozinhar para duas pessoas :
na ra de Pedro Alfonso n. 3.
Precisa-se de unas anas para
casa de pequea familia, sendo
ma para engommado e outra
para cozinhar : a tratar na pra-
5a do Corpo Santo n. <5, 3* andar._______
AMASE
Precisase de urna ama para rasa de pou-
ca familia : na ra larga do Ro ario n. 21,1*
andar.________________________________
Precisa-se urna ama para cozinhar em casa
de nnmem solteiro : ra da Praia n. 29.
Cozinheira.
Precisa-se de nma ama que seja perfeita nesse
servico e que tenha boa o n lucia : tratar em
Santo Amaro m seguimento ra d'Aurora n.
17i.
Relojoeiro e dourador por-
tuguez.
Albi'io Baptista da Rocha, do
voita da Europa, contina a en-
earre,Tar-se de c-mcertar e dou-
rar relogios, bi-m como qualqner
outro objerto : rogando a seus
amigos e fnguezes o ohsequio de
procura-lo na trave sa da ra das
Cruzes u. 14, I* andar, por traz da praca da Inde-
pendencia, que o encontrarlo prorapto a garantir
seus trabalhos e a faze-los por precos mdicos.
J. Ilhibaut de Pars
Constructor e afinador l* pia-
nos
Ex-afinador das antigs c afamarlas casas
Pleyel e Hcrtz
e antigo director das offioints da casa
Affonso Blondel.
33Ra do Imperador33
Tem a honra de declarar a re>peitavel publico
desta cidade. qae tem aberto sua casa de concer
tose afinacoes de pianos, qualquer que s. ja o es-
tado do instrumento : ra do Imperador
n. 33.
AttenQo
Precisa-se de um feitor que =aiba tratar bem de
vaccas, paga-se razoavelmente : a tratar no sitio
do Caldeireiro n. 9, ou na ra do Torres n. 12, Io
andar, scriptorio.
M0F1NA
Est encouracado 1! !
Roga-se ao Ulm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
dscrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ra Duque de Caxias n. 36, cun-
da ir aqnelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fms de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
o por este motivo de novo chamado para dito
ftm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito aunos, e quando o Sr. seu filho y
achava nesta cidade.______________________
Precisa se alagar urna preta de meia dade
para vendor laboleiro : na ra do Cotovello nu-
mero 32.
no meiado de junho, um mulato de 3o annos de
idade, de altura regular, com cabello de negro, ca-
ra pequea, com sardas miadas e escuras si.bre o
nariz e faces, que quando vistas de longe pare-
cen! buracos, tem o.nariz chato c bocea frandi!,
com p.utca barba pelo queixo, cliama-sc Jos Ru-
fino, porm muito con ecido como Jos do Raw
linson ; foi foguista na companhia do trem de Api-
pucos. E' natural da Parahvba, aonde foi com-
prado ; roga-se as autoridades policiaes e capitaes
de campo a apprehensao do mesmo, levando-o a
Santo Amaro, ra do Lima n. 30, que serio bem
recompensados.
PUNDIC10 DE FEW'E BRORZE
FABRICA DE MACHINAS
C'RDOSO *
i ra

A VISA.M aos Srs. de eugeuhoa ao uubttco em geral, que recebera m da Europa
grande sormento de ferragens part enfermos e para lavoura, e quaesquer outros'sous
i misteresda industria agrcola, o que.tudo vendem por procos razoavets.
V apOreS horisontaes de 4, 6,8 e 10 cavalloa, os melhores que vom ao mercado.
MOGnaS completas, obra forte e.bem acabada.
MeiaS moenuaS para assentarsm grades de madeira.
TaiXaS de ferro k"^0 e batido, de todos os taraanhos e dos melhores fabri
cantes.
tOdaS aglia de diversos tamanhos.
RodaS dentadas de diversos tamanhos equalidades.
Arados americanos je divisas quaiidades.
Formas para aSSUCar grandes, pintadas e galvanisadas.
ConcertOS C0,,c8rtam com promptidio quulquer obra ou machina, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
FnCOmmendaS Man<^am vir Pr encqmm^nda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondem com urna respeitave casa de Londr
i com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; hacumbem-se de mandar assentar
as litas machinas, e se respons.ibilisam pelo bom trabamo das mesinas.
Ra do Barao do Triumpho (ru do Brum) ns. 100 a 104
FUNDICO DE CARDOSO d IRMA O.

YAPQRW
RA 1)0 1IU1A0 _
N. 7Outr'oraSova. 7
O Sr. I.aurciilini' Rapista \laini tom urna cana-
na ra do Ba-rao da Vkteria n ?6, cliapelleria de
\ Mor i.
-:**'^5rC-KF.
A COIIOA m BRUJANTE
1A>,VV 1>V. iOIVS
Esquina da ra do Cabug n. 11
CONFRONTE AO PATEO DA MATRIZ DE SANTO ANTONIO.
Este importante estnbelecimento, tendo grande sortimento de joias deouro de lei,
resolveu vender muito harato 20 e/o menos que em outra qualquer parto, as seguintes
joias;
A'JoroQos de hrilhantes, de modernos o delicados gostos.
Ditos com rubins, esmeraldas e perolas:
Voltas de honitas perolas e cruzes de hrilhantes para noivas.
Medalhoes de coral.
A Corda Brilhante contina a ter grande sortimento de madalhes de coral, camafeu
e nix com bouquets de perolas e diamantes, cassoletas de euro e pedras pretas com lettras,
de 12$ a 20J000.
Cadeiaspra relogios.
A Cora Brilhante recebe sempre quantidade de cadeias de ouro, de lei, para homens,
b C$400 a oitava, e tambem para senhoras.
Cassoletas para senhoras, com lettras, a 6je 129000.
Brincos de variados gostos, para senhoras e meninas, de 59 a 203JOOO etc.
Anneis de amethysta com lettras de diamantes, de 6$ a 85JOOO.
Pinco-nezsetrancelins emeaixinhas de velludo, para presentes.
Medalhas milagrosas.
A Cora Brilhante tem ihedalhns milagrosas e das Dores, de ouro a 75&O00, o prata
dourada a 19000. Tambem tem sortimento de pince-nez e oculos deago fino o rattaruga,
chegados recentemente, e por precos mu i commodos.
Convilla seasExmas. familias visitarem a lojada CoraBrilbante, na ruado Cabu-
g n. 11, a qual continuar aberta noite at 8 horas.
Garante-se o ouro e pedras preciosas.
IIil
tawMWlto, t, ame 4 Cmmtj/tmc. Parii, rico yrostrlefgto.
OLEOE3HOGG
Precisa -se de um official de barbeiro : na ra
da Imperatriz n. 8, casa de cabelleireiro de Odi-
lon Duarte A lrmo.
W&** At vir.
0 Sr. Jos Alvos Machado Guimaraes pela se-
gunda vez rogado a vir ra do Imperador n. 28,
a negocio de seu interesse.
Garanhuns.
Na ra do Barao da Victoria n. 36 precisa-se
fallar aos Srs. Pedro do Reg Chaves Peixoto e
Jos Paes da Suva a negocio de particular inte-
resse__________________________________
precisase de um caixeiro de II a 15 annos
de idade e que saina ler e eoerever. com pratica
de molhados : na ra da Moeda n. 29.
DE FIGADOS FRESCOS
HACAXHAO
Tsica, affeoees escrofulosas, .toase chronica, rhenmatismos, fraques
do. < p"i., bwi <*neorda e fortalec*), doce e tac
[de tomar. Henc&o honrosa.
Exigir a Barca de fabrica abaixo indicada encobrindo a capsula de
frasco de forma triangular.
cada
Deposito em Penombuec, A
REGORD, nae priucipaes phannaciaa.

Fugio do engenho utigi, freguezia da Esca-
da, o pretu de nome Sabino, alto, bem preto, rosto
comprido, beifos grossos, foi comprado ao Sr.
Manoel Quintine, do Riacho-Doce, termo da Madre
de Dos : quem o apprebender leve-o ao referido
engenho. ou no Recif ra d-j Visconde de Ita-
parica n. ti, que ser generosamente gratificado
Preeisa-se de urna pessoa que saiba pri^ei-
ras lettras e btim para en-inar alguna meninos
no sertao, distante desta cidade 50 ou 60 legoas :
a tratar na ma Duque de Caxias n. 44.
CIX'B DOS BACHAKEIS EM IUKEITO
Sao convidados todos os senhores que assignaram
o livro de inserioco dos socios do Club aos Ha-
chareis em Direito a assistirem a primeira reunan,
a i)ual deve ter lugar no dia i de agosto, ra
! de Maro (outr'ora Crespo) n. 18, Io andar, s
6 Jf2 horas da tarde.
Precisa-se
de urna mul'ier j idosa e de bom comp >rtamen
to para fazer compama a urna moca : a tratar
na roa do Padre Plurano n. 7', loja.
Tres Mundos
POR
D. AliOIlll D.t C'OKT.4
MundoBarliaM-liunh Konian*
Mundo christao.
Um volme ntidamente impresso
3^000
LIVRARIA FRRNCEZA.
Miguel Ferreira Pinto, estabelecldo com arma-
tem oe doces, frurtas o flores, na ra da Cruz n.
13, boje Bom Jess, participa ao respeitave pu-
blico e aos seus freguezes, que transfero n mes-
mo estabelecimento para a referida ra n. 6, onde
m encontrar tudo o que diz respeito a estos g-
neros, o sompre como d'antes. Aprompla toda o
fnalqurr eacommenda para fra da provincia e
tambem para casamento?, bandejas enfoHadas com
boHnhos, bouquets tra no'va o mal8 bem feitos J
qny se pode desdar.
56 &Ra do Mrquez de Olinda 56 a
(outr'ora rea da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
. Suilo este mitigo estabelecimento assaz conhecido como priacipal e recotnmen-
IauV> pelos laudes depsitos e bots sortiroexilos otan que sempre prima era ter das
mrilivi mais acreditadas e verdadeiras auiaeialaaas atncrlcaiaa pora algo-
diku. esde lo a tii) uerras, e uavendo ein todos os tamanhos diversidades ie siste-
mas e melhorainentos para perfeito e rpido descarocamento ; tornam-se dignas de
serem vistas e apreciada* pelos Srs. agricultores \ os quaes, alm disto, encoalari
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, deforma
de 2'/ e 3'/i cavajlos com todos pert*u^as
precisos para trabaibarem 4 machinas para
tlgodo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei
ra.
Carros de mo para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comtdas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Ternos de bandeijas finas.
Correiites" para arrastar madeira.
Cjliinlros americanos para padarias.
Pertencaf avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Bren superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e caf.
Debulhadores para milho.
Azsite de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro* patente.
Cannos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Trens para cozinha.
Emfirn muitos outros artigos, que savista e oeste estabeleomoderSoentp
iiaminados.
si) o
Para h o moni.
BOTINAS de beierro, cordavio, pellica, lustro e
de duraque com biqieira, dos melhores
fabricantes
SAPATES de be erro, do cordavaa e de 'ase-
lira.
S -PATOS de lustre com salto.
SAI'ATES atamaneados com sola de nao, pro-
prios para bandos, sitio? e j irahr*.
SAPATOS de pete, charlo), castor e de trauma
francews e portuguezes.
Para ftenhora.
BOTINAS pretas, brancas e de cores dilTerent'.'s,
lisas, enfeitadas e bardadas.
SAP-TINHOS de phtntsia com salto, brancos,
pretos e de cre> differente, bordados.
SAPATOS de tapete, cbarlot, castor e de tranca.
Para menina*.
BOTINAS pretas, brancas e du cores differeiites,
lisa^, enft'iladas e bordadas.
ABOTINADOS de diversas qualidades.
SAPATOS de tranca portafnetat.
Para meninos.
BOTNS de bezerro, lustre c de nrdavo.
ABOTINADOS c sapatfies de beierro, de diversas
qualidades.
SAPATOS de tranca francetes e portuguezes.
Botas de montara.
Potas a Napoleao e a Guilherme, perneiras c
meias perneiras para homen e meias perneiras
para meninos.
No arnuzem do vapor franco rna do Baro
da Victoria n. 7.
Mobilia de vimes.
C.ideira? de balanco, de braco, de jiuerni'.5<:s,
sof*, jardineras, mrzas, r nversadenas e c< >tu-
reats, ludo isio muito Imni por seren fortes e
leves, e s mais proprios movis para >aleia> e ga
bneles de recreos.
No armazein do vapor franco;, ra do Barao
da Victoria n. 7, outr'ora Nova.
PIANOS.
Acaban) de cliegar muito bons pianos lories e
de elegantes modelo', dos mais notaveis e bem
conhecidos falirieantes ; como sejain : Alplionse
Bldonel, Henry Hers e Pleyel Wolff / C.: no
vapor fianctz, ra do Barao da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7, a procos muito commodo*.
Perfumaras.
Fiaos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
trilice, agua de flor de laranja, agua de toilete,
divina, florida, lavande, pos de arroz, salionet es,
eos neticos, muitos artigos delicados em perfuma-
ra para ure*ent?s com frascos de ixiractns, cal-
xinlvis sordas e garrafas de differentes tama-
nhos d'agua de cologne, tudo de primeira quali
dade dos bem conhrcid s fabricantes Pivcr e Cou-
drav.
* Roannasetn do vapor Crneos, ras do Barao
da VicUr?, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artfgos c!c lifTes'cutes gostos e
iliniilaxiiis.
Espelbos limirad s para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Jouvin, de lio de Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornada com msica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixini as com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relo-
gios.
Brincos a imiticao e botdes de punhos de pla-
qu
Bolsinhas c cofres de seda, de velludo e de cou-
rinho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette.
Pincinez de cures, de prata dourado, de ac i
de tartaruga.
Oculos de ac fino e de todas as guarnicoes.
Bengalas de luso, canna, com castes de mar
fin.
Bengalias diversas m grande sortimento para
homens e meninos.
Chicolinbos de baleia c de multas qualidades
diversas.
Esporas de tarracha para saltos de bolas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e para
barba.
Ditos de mar fin muito finos, para 1 impar ca
beca.
Escovas para roupa, cabellos, unhas o para den-
tes.
Carteirinhas de medreperola para din! eiro.
Meias para homens e para meninos.
Grvalas brancas o de seda preta para homens
e meninos.
Campainhas de mola para ch mar criados.
Jejos da gloria, de dama, de bagatellas, de do
min e outros mnilos differentes joguinhos alie-
mies e franeezes.
Malas, bol>.as e saceos de viagem de mar e ca-
rainhos de ferro.
Argolinhas de marfim para as enancas morde-
rn, bom para os dente*.
Bercos de vimes para embalar enancas.
Ce-tinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas, para passeios de
crianzas.
Venexianas transparentes para portas e janellas.
Beverberos transparentes para candieiros de
az
Esterescopos e eosmoramas com escolhidas
.vjstas.
Lanteftas mgicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Cidros avulsos para cosmorama.
Caobos de papel de cores para illurainacSes de
fes tas.
BaliVs aereostatcos de papel de seda mu fcil
de sultir.
Maclmias de varios systemas para caf.
Espauadores de palh e de pennas
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes eom vidrilhos para mangas e lante-nas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito o bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para
quadros.
Quadros j promnts com paysagens o phanta-
zia.
Estampas avulsas do santos, paysagens'e phan-
tazias.
Objectos do mgicas para divertimentos em fa-
milia.
Bealejos pequeos de. veio com Hadas peras.
Realejos harmnicos ou accordions de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos do quinquilha-
rias difflceis de mencionar se. No annazem do
vapor francez, ra do Barao da Victoria, outr'ora
Nova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desojar de todos
os brinquedos fabricados em differentes partes
da Europa para entretenimento das enancas tudo
<>:;,',oi.I.{Iov Mrvuuel Fi-
guei'a de Faria.
\ \.n\:. til! sil Tas y. genro do fina-
do cauMiieBdador Msnoel Figneira
de Faria, -nandain celebrar mis&as
|inr alma do me mo linado.das 7 s
8 horas da manta do da i. de
agoslo i.'o.vinio vindouro, 7.* an-
niyojsario d.j seu passamento,
na igrej'a oVp convento de Sant > Antonio desta ci-
dade ; e convidan! para assisli-las aos eeus pa-
rentes e amigos, e bem fc re-
ferido tinado.
Um anug grato memoria do
finado cwninieniliidor Manoel Fi-
gneiia de Faria manda celebrar
na exta-eira t. de agosto futuro,
7. aiiiiivers;irio do seu p.vsamen-
o, una ni' -sa pelo eterno ri-pou-
o de sua alma, na i*reja do con-
vento de S. Francisco, as 7 horas da manha, e pa-
ra assistenria da qual, movida a Exma. iamilia
do mesmo nado.
Emilia Rosa Gomes
Coi rubra.
Antonio Nunes Ferp-ira Coimbra manda resav
nina missa ilercquieni pnralBu de sua fallecida
e MMiipre chorada esposa Emilia Jtosa Gomes
Coin bra, segunda feim \ \- agosto, as 8 huas da
inanlia, Io aiiniversark) d seu falleciiueuto, na
igreja niairiz do Corpo Panto Part assistn" a este
acto d<- caridade e religiao convida aos seus p-
renles e amigos, confe-saido a todos SfU vivore-
eonliecioiento gnttdtA
Win i itiTH 11 mtmfirrTMarmmmamnrv
Associaco portugueza de
beneficencia dos emprega-
dos no commercio e indus-
tria em Pcrnambuco.
Por ordem do Sr. presidente convido pela se-
gunda vez a todos os sefAores assoeiadus a rompa
reeereni nesta scretaria ii" dia 'J do proXinmirez,
pelas4 horas Ja tarde, a -ua do Imperador n. li,
segundo andar, afim fle Munidos em assenibla ge-
ral, tratar-se de egoduS urgentes que di^cm res-
peito a esta assorhiean. Urna hora dtpois da mar-
cada aberla a sessiio.
Becfe, 31 de juio de i87:j.
Salvador Y. Fencira Guimaraes
Secretai lo._________
Ama governante.
Na loja da na da lni;xiatiiz n. 10 se dir quem
precisa de nina ama que sito uimJar e fazer
todos os misteres de casa de familia que nao tem
enancas._______________________________
Precisa-se de un l'eitor para um sitio- em
Ponte d'L'cha : a tratar na ra Direita n. 8.
, .
Latas
Compran) se latas de jaz vastas no armazcm da
bolla amarella, na travessa da ra do Imperador.
$$&&$$#$#
m JLIclSLCSo sJI
*gy. Compra-se e vende-se trastes novos
w e usados : no armizem da ra do Im-
p> lerador n. 48.
W
' i
ti
Cobre, latao e chumbo
Comprase cobre, lato c chumbo veUio: no ar-
mazcm da bola amareil i n.-. travesu da ra do
Imperador.______________________________
Compra-se
um tanque de ferro que possa contar de dua3 c
meia a tres pipas d aeua : no armrzem da bola
amarella, irovesss da ras do Im,eradui.
VrMDA8.
- Veude-se a amafio e mais beuifeilorias da
loja da ru* do Ilangel n. 12 A, propria para
qualquer negocio : a tratar na mesma.
urna boa macana de costura
n. S, I* andar.
Vende-se
no pateo do Carmo
Vendo se ou d se sociedade na taverna do
largo da Penha n. ', confronte a ribeira da fari-
nha, muito propria para principiante por ter pou-
cos (uodos, vende-se livro e de-embaracada: a
tratar na ra dr Pedro Alfonso n. 47._________
Armacao venda.
Veftde-se a armacao de amarello, envidracala
e com gaz, da taverna da praca do Conde d Eu
n. 32 : a tratar com o agente Martins, ra da
Imperatriz n 80, ou ua ra do Iuperador n-48.
Armazein do fumo
Ra da Madre de Deus n. 10 A.
Jos L'omiogues do Carmo e Silva participa aos
seus freguezes e amigos qno no seu annazem
frita da Madre de Deus n. 10 A, se acha nm com-
pleto sortimento de fumoein fardos de patente 1.*,
2.a e 3.* sortes, dos melhores fabricantes da "ahia,
e bem assim a flor de todos os fumes de corda
em rolos, pacotes, latas grandes e pequeas, tam-
bem dos mui acreditados fabricantes Torres k
Araujo, Lizaur, Adoipho Schmdt & C, Lizaur
Schmidt & C, Veigas k Araujo, Trindade & Ave-
lar, Texeira Pinto k Portella ^garantido pelos
mesmos) e de outros linde nao conhecidos pelo
publico desta capital. O annunciante declara que
todo fumo que for vendido em sua casa ser pelo
seu justo valor, e que quando garantir a respecti-
va qnalidade, sera sin .ero, mui partici^armcnte
com as pessoas que poico entendam da materia ;
pois para bem servir a todos, tem o annunciante
a tonga pratica de 15 annos deste commercio.
Msica.
Vende-se um J-haxchorn novo e por proco com-
modo : na ra das Larangeitas n. 26. loja.
Vende-se a armacao e mais bemfeitorias da
loja da rna do Bangel n 12 : a tratar na mesma.
K propria para qualquer negocio.
- Vende-se os utensilios da padaria da ra Di-
reita n. 40, twr juutos, ou em separados : na
mesma padaria, das 10 ^ras as tres da Urde.
Ao commercio.
Recite Drainage.
A sociodade luso brasileira tendo arrendado o
rnnUH*!i& 5.\ r' d.1 Impera t'nZTX^nJ?Jmrt]h0S ""Ztu muia pratica cjtnnieMial, e habilitada para raon-
collocar pela companhia Dramage, e como nao te- Ur e%cnntl|Ptt^; nn- narda rtohrila< ou m
nha. sido aturda, as roolama^s Mo. t. g- S 3^ Siverm^n^di p
rente, declara pelo presente qm so se respona
Sut frtdnm SarSai p'S !
poe ao lugar de gnarda-llvrog, ou mmo a
a seu cargo algumas escripturacoes avuls
pr.ecisar procure para tratar t-dos os das de'ma
o proprielario o Esm. Sr. Bario do Ufra-neto nao tiiMEu^tt^^^ ."
auiorlsou a c^IIocacio de taes appirelhos, e nem JJ ^VUT*f ^ -
a companhia poda assira praticar. t _________________
Alufa-se
o terceiro-andar da rna do Vigario Tenorio n. If}:
trat r a m 4o Amoritn n. 37.
Carta.
O Sr. Jos* Novaos de Sonta Carvalho tem nma
arta na ras do Visado n. it, 1* andar.
a presos mais resumidos que e possive: no ar-
mazem do vapor franeex, ra do Bario da Vic-
toria, outr'ora roa Nova n. 7.
Ccslinhas para costura
Grande sortimento de bonitos modelos chegados
ao annazem do vapor francez. rna do Barao da
Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Oleados
baratos.
Oleados bonitos e mnito baratm, para cima do
meza : no armazem do vapor francez, ra do lia*
rio da. Victoria oW'ora Nova n. 7.
Precisa-se
de nm caixei o com bastante pratica de taverna
e que d fiador de sua conducta : na rna do Du-
que de axias n. 20.
Calcados baratos
NA PRACA DA INDEPENDENCIA NA LOIA DO
AHANTES* NS. 11, 13 E 13.
Botinas de peliea, cannos altos 6*000
dem de chagrem 6|000
dem gaspiados de couro de lastre 3*000
dem de duraque de edr 5*000
dem de cordavao para li mem 7*000
dem de bezerro para menino 4*000
Bom negocio.
Vende-se o engenho Cimevozinho, copeiro ebom
moedor, dista ote da esticao de Agna-Preta tres
legoas, pode safrejar de 3 a 4,000 pies do atracar
e cora boas matas de excedentes madeiras : a
tratar no mesmo, on ne-ti cidade roa Duque de
Caxias n. 40, com Joaqun da Sifva Costa.
Na ru do Coinraeroio n. 22 vende-ae vinho
do Porto e Sherrey, de boa qnalidade e barato, m
barris. __________
,Vend.e-se
nm escravo de 17 a 8 aunas de idade, de bonita
figura, muito sadio, proprio para botieir* ou oo-
pciro, d* que tem bastan* pratica : ara tofor-
mac3es dinjam-se i ra do Bario da Victoria nu-
mero 20.


l


-:-----------it-'-. u. J&
Uo de 'Ptottmhkct ~ fceatefeira D"tff fe dHMI
fui\
1
JL
DO BOWMAN
RUADO BRUH N. 52
(Paseando o chafara)
PEDEM AOS seaboro de engenho e ontros agridolteras, e em pregado re de m
atorao o fa* ar-Ieti que ah tem; seado todo aoperior.em qnalidada e ortrd3o; o (lee com a ios
9t*pipe3'?t pdese verificar.
ESPECIAL ATTENgO AO NUMERO E LOGAR DE SUA FONWeO
VapOreS e rOdaS d'aCra dos is molernos aystemaa eem ta
S, a L ^6 **** maDb03 conveJentes para as diversas
areoastancias dos genitores proprietarioa e para deacarocw algadio.
H.08Ildi3 dfi Carina de todos os tamaohos, as^melnores qoe aqni
w voiiAiAi existen).
Eodas lenta das pa"a^a^' Taixs da ferro faaddo, batido e de obre,
alambique e fondos de alambiques.
Hachhismos rS^JSS^'L S ti
Bombas de patole> gartfltiaas........ (5-n ***;
Toda 3 as machinas e pecas d6 qoe 8ec<>staiM pf^uar.
Faz qualquer concert de machiismoa prev oto reramdo.
ForiilS de ferrO tem a9 melhorfl8 e mn WW existentes no tner-
llfiOTVirnftniftl Incumbe-se de mandar vir qnalqner machiosmo i von-
wu jiu luu- a5. tade do8 c|icnteg) |ea,bnd(Hh6i vaBtgri de fazerem
ca compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qnalqner neceisidade pode
tei prestar auxilio. -*r -" i~
Arados americanos e n8traa,ent08 >***
RA DO BRUM N. 52
PA8SANDO O CHAFARIZ
GRANDE REDUCCAO EM PREQOS
AttenQo. AttenQo.
Na ojade Soares Leite Irmaos, rua do Barao da
Victoria n. 28.
t'aixa ile linha cora 40 nivellos, a 500 rs. dem ideralisa de cores, a 280 rs.
He:w klen ci marca, a 200 rs. \ Resma de papel pautado, a 2JP800, 4?N)0O
Garr.ifa do agua florida vordadeira a 15200 e 69000.
dem kananga do Jap5o, a 1^200.
Idkim divina, a 1J000 e 19200.
Abotoaluras para colletc, de todos os
| IOS, a 2u0 rs.
Lamparillas gaz, dando urna luz muito
toa, a l?l>00.
Duzia de pecas de corlo imperial, a
S*>rs.
Frasca com torneo oriental de Kemp, a
1S00.
dern de oleo Oriza verdadeiro, a 19000.
Duzia de baralhos francezes canto acura-
da, a 35*00.
'ni lera beira lisa, a 23400.
'' Jetiula roxa extra-fina, a 19000.
'.';>' >!' bolees de osso para calcha, a
300 rs.
i itques mo lentos, a 39500.
Caixa de pos para denles, a 200 rs.
Idem ilern de pfa chinez, muito bom, a
3 .-j .-. e K.".)0.
|>u/.ia de sabonetas de amendoa, a 29500
e ooo.
Opiata imito boa, a la), 19500 e 29000
<".
-' /ii le sabonetas de anjinb transparen-1 G900.
dem idem liso, a29600, 39300e 59000.
Caixa de papel amisade, beira dourada,
a 800 rs
dem idem idem lisa, a 600 rs.
dem idem idem, a 400 rs.
Caixa de envclopes forrados, a 700 rs.
Luvas de pellica cora toque, a 500
ris.
Duzia de talheres cabe branco, 2 B, a
59000
Maro de fita chineza, a 800 rs.
Extractos muito finos e baratos.
Duzia de carros de linba, 200 jardas, a
700 rs.
Idem idem 60 jardas, a 320 rs.
Fita de velludo de todas as cores e largu-
ras.
dem idem de sarja* idem idem.
Sabonetes Glycenuo transparentes, a
800 rs.
Chapeos para senhoras e meninas.
Caixa de peunas Perry, a 800 rs.
dem idem, a 400 rs.
Caixa de envelopes tarjados, a 500 rs.
Leques para senhoras, a 29000, 49000 e
Os leques todos de madreperoia, francos e W
cores e que traaWH 4 dtstfcdUDU'ajD -Vnflflrasw-
tambem de madreaerjla em alto relevo, ,1er- i
nando-se por isUapro|rlad(j para coi vas, a NO- ,'
VA ESPERANCA ra /tiuque, 4e Caxias, n. |3 '
(antiga dj Queimado) 8 q Sao de tartaruga
Os brujios, brqchas, meios aaete^as, crules,'
coraefies e cassoletas, qne estao oXpestas bda
escolna das Exmas. (amadles' do etiHjue) vemle-e
a Nora Esparanfj -Tua'Datitw- d Casias
D. 63.
Ao8- meninos
A Nova Eaper.anja ra Duque de Caxias n.
63, acaba de recebr um IMrfb srttraedfe d bo-<
ecas de militas qualidades, rindo entre ellas as
engrapadas bonecas de borracha, assim tamfcm
urna pequea quantidade de bonecas pretas que
se tornam apreciadas nela sua nrrvlfldh.
EWh'utW
A Nova Esperanca ra Duque de Caxias n.
63, leeben verdadeiro cimento inglez, prepara
Qao para concertar porcelana bem ul.
Vestido perdida
Multas vezes um vestido torna-se ini
feio, somente por estar mal enlejiado : a t
colher-se rontade mIMHHUbd efltrf' eMaa B
moderna franjas mMMeas, qq.e-pela sua rarieda-
de-de cores,-'liea bem em qsast todas a fazandas.
A ella antes que se acabem.
Bolas de borracm
Vendem-sd de lodos lam.aqhqs'a ru* Duque'
de Caxias n. 63, ha ToVa Esyraria:.
Cabellostrteos S trh 'qttein
quer
A Nora Esdrnfa ;ruai Onqde de' Caxi n.
63, arana dejecebr a rerfcdeira'tintura do Des-
nous para tiiagir.os cabellps,o> qoe se cottsepiie
(emprecandoa) com mnita laciSdade, e por es5e
motiro, cabellos brancos s tem fiamqner.
Estaanamoda
Os einturdes de couro, proprios para senhoras,
qne receben a"Nrtra Esperanca roa Duqtt da
Caxias n. 63, estao, skiv, senhora, esto na moda I
Se queris tr u' preparar nrtl ramalhete d
cheirosos craos brdncb*pafa o rosso casamento,
ou para outro flm apropriado, netessario ir
Nora Esperanca ra Duque de Caas n. 63,
que a II i encontrareis os atemores pori buquet
que se pode desejar.
t-;;, a 23200.
llera idem cora flores., a 19500.
Duzia Me collarinbos borJados para ho-
*em, a 89000.
Dozia de pe*as de trancas caracol branca,
i 40o rs.
'.ilera idem lisas hr.mcas.a 200 rs.
f irros para notas, a 320.
Redes enfeitadas com fitas, a 29400.
Duzia do collarinhos lisos para homem, a
69000.
Lindas e elegantes caixinhas com perfu-
mes do autor E. Cudray e Gell Frres, pro-
prias para presentes.
Agua florida', de GtfSstem,
para fzer os cabellos pre-
tos.
A aguia branca, ra Doquer de Cxl n.50,j
acaba de recebernora remessada aptciar8lagua
florida para fazer os cahellds pretos. O bom re-
sultado colhido por quem tem fito uso dessa
inoffensiva prepara^ao a tem altametotd coneeim-
do, e por isso apenas- se fas lembrar a quemno-
ramente della precise e queira se aproveitnr de
sua utitidade. Tambem Velo agua de topanioe
oleo florido para o mesmo usOj e t9 acreditados
como aquella.
Voltas e brincos de grossos
aljofares d c^res.
A aguia branca, ra do Duque dj Ca^as ti.
5t',' receben ndva e bonitos rolta* e brincos de
gressoa >ljofares de eOres, e eomo sempre-conti
nu,i a vende-las por prec cummodo.
Novos diademas douradoa e
eoK'p!0dm&
ne .de Caxia n^-j
A aguia bnnica ra 4o Duou<
reeeheu ni>*- sortimeato de bonitos diado-.
m
mas
drjurados- e coW pedrw, ainto-pira ueninaa4
>nrf saanbro^'
eoa pnr* snba*a
ARATEHI
DO
BAZAR NACIONAL
Ra da Imperatriz a. 72
D
Lourenfo Percira Neirdes Gicrimaraes
IIhi do HnrAo da Viciara d. 22.
DE
Csirnoiro Vianna.
A' este grande estabelecimento tem che-
gado um -bom sortimento de machinas para
^costuro, de todos c* autores noais- acredita-
dos ulttfnaraentona Europa, cujas machinas
sao garantidas por nm anno, e tendo um
perfeaj artista para ensinar as mestnas, em
qnalqur parte desta cktede, como bem as
sim corveerta-las pelo tempo tambem d'um
auno sen* despendi ogura do comprador.
Preste' estafeelecimento t mbem ha perten^as
para as mesmas machina e se suppre qnal-
qur pega ojue seja neces*ario. Estas raa-
ehinas tralwham com tod& a pereiYao de
om e dous pospontos, franaa e borda toda
quelquer costura por fina qae seja, se
pregos so da seguinte qualidhde : para tra-
balhar a mo de 309000, 40900:, 45900fr
e 509000,- para- trabalbar com> o p sao dr
809000, 90300O, 100900O, 1109000,
1209000, 1369000, 150900, 3009000 o*
2509000, emquamo aos autores nao ha al-
teraco-'de presos-, eos compradora poderao
risita^ este estabefecimento, rpie-muito de-
rero gostar pela rariedade de objectos que
ha sentpre para vender, como sejn : cadei-
rs para viagem, malas para riagam, cadei-
ras para salas, ditas-de bataneo, ditas para
crianc^' (altas), ditapara escolas,.costurei-
ras nquissimas, para senhora, despensaveis
para enancas, de todos as qualidades, camas
de ferro para homem e crianzas, capachos,
espclhes dourados para sala, grandes e pe-
queo, apparelhosde metal para cha, fa-
queiro*cora cabo do metal e de aiarfim,
ditos avalaos, colWere^de metal finir^ondiei-
ros para> sala, jarros^ guarda-comidas do
ai ame, tampas para oobrir pratos.esteiras
para forrar salas-, lavatorios completos, ditos
simples, objectos para-toilette, e outros mui-
tos artigos que muitoderemagradar a todos
qye risitarem este grpn awaso'aohSa -abwWi'iHiWTis^'^rwrffs-la' ma-
iWWi al*'; as > horas iknouta
Rti* tl Bftvm d&&Vctorift n.
Declara a seus freguezes que tem resolvldo render
saber i
CHITAS A 160 E200R8.0 COVADO
Vende-sc chitas francezas largas com to-
que de averia, a 160 e200 o corado, i-
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o qtfrao.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vende-sc cassasfrancezaaa 326 e 360 rs.
o corado.
LSINAS A 200 RS.
Vendo-se lsinhas de corea pararestidos,
a 200, 360j 400 e 500 rs. o corado.
ALPACAS- A 400 KS.
Vende-sc alpacas para rostidos a 400, 500,
646 e 800 rs. o' corado.
COBERTAS DE CUITAS A 19600.
Vende-sc cobertas de chitas de care*, a
19600 e 29000. Ditas de pello a 19400.
Cohas de cores a 19200, 29500 e 49300.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de la de quadros a 8001
rs. e 19000.
Ditos de merino a 29, 39, 49 e 59000.
CAMBRAIA BRANCA A 3900O\
Vende-se pecas de eambraia branca trans-
parente e tapada, a 39, 39500, 49, 49500,
59 e 69066.
SAIAS BRANCAS A 29000.
Vende-se saias braneas e de coros, para
senhoras, a 29000 e 29500.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets preto de seda pare bo-
mens, a 50O- rs. Chapeos de palha, pello e
massa, a 29 29500, 39000 e 49000.
MADAPOLO A 39000.
Vende-se pegas de madapolo enfestad a
39000. Ditos inglezes para os precos-de
49, 49500, 5?, 69000 e 79000.
ALGODO A 39500.
Vende-se peras de algodo, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 19600.
Vende-se bramante cora 10 palmos d8
largura para lengol, a 19660, 29 e 29300 O'
metro.
GRANDE LIQUIMCAO DE SA10UETES 280 RS.
Vende-se urna grande porga de sabone-
tes mglezes, a 200 rs. Ditos francezes com
cheiro a 320 e 500 rs.
Agua decoloniai a 200, 320 e 500 rs. o
frasco para liquidar, e outros extractos-
muito barato.
21
Bonecas de cera de tolos os laminhos, cora camisolas encmente rostidas cada
orna em sua cika, bonecas*de borracha e bolas de lodosos tamaitos, candieiros a gaz,
olectos Jii porcellaha, espelhos de todos os tamahbos coin moldura dourda e rosa,
tas rame, rauldmae estampas para quadros etc., etc., einuitos qohject^s ue se
torna loiKW mencionar.
TASSO IRMAOS&G.
Era seus armazens ra do Amorim
n. e caes do Apollo n. .47,
t_-ra para rOnde'r por pregos commodos
Tijolos enearnaos sextaros para ladrilho.
ten is de barro para esgoto.
Onvnto Poriknd.
Ostento llydiadlicc.
Ktatnas i'; descarogar algodo.
Baehinas m padaria.
?i,u-.i da I!ussia em barril.
Piosphoros de cera.
Sag em garrafa**.
Sevadinlia om ?arrafoe-.
Lentiibas em garrafes.
Rlium da aJmaica.
Vinho do Paito \alho engarrafado.
Vinho do Porto superior, dio.
V;iilio de uordeaux, dito.
Viabo Je S.-lierry.
'iiabo da HaiUn.
Potes odqb liii.L'uas e.dobradas inglezas.
i. "ores linos surtidos.
Cognac Gauliner Freres.
Lata de tonrnho inglez.,
Sariis com repulho era shlmoura
Joaquim Jos Gon^alves
Beltro & Filhos
; Tcem para veador no seu escriptono roa do
Commercio n. o, o seguiute :
AGURDENTE de caj : caixa de 12 garrafas.
de laran^a, idem idem,
| ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, reeentemente chegada.
, CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
de marlia e osso.
FEIXES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Bahia, da fabrica do commen-
mendador Pedrozo.
! L1XIIA de roriz.
03IIAS de palt-eta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do coro-
mendador Pedrozo.
RETROZ de todas as qualidades, das fabricas de
Peres e Eduardo Mili lio.
ROLIIAS proprias para botica.
SALSAPA1UULHA do Para.
vF.LAS de cera de todos os tamanhos.
VINHO engarrafado do Porto, cacas de 11 gar-
rafas.
1.a e 2.a series.
Vndese urna assignatura das cadernetas do
'-ion-vio |> irtognez d Fr. D. Yieira, j pagas a
V e 2' series : ra Duran de Cxias n. Ti.
Las, ultimo gosto
A R i-a Branca rende !3s de goslos muito boni-
in a .Mi) r.'is o florido.
Is covatlo.
CbP'jaram mais lis pelo baratissims prego de
31*0 ri.
Lindas chitas.
. A Rosa Branca tem chitas de padries muito
Cubados, estqncimanJ\
Atoalliailo.
A R .sa Branca tfti o qu ha de melhor e de
liaos deuhos.
Novas cambraias pretas.
A R isa Branca tem os mais ricogostos em 8
rti,';.i:; pr -t.is : do ?e amostras ue todas as
faeri'fr i:,z .'iido panuoc. ....
dito Moscatel do Douro, idem idem.
dito Setubal, caixas de 1 e 2 dutias.
da Italia engarrafado, caixas de 6
rafas,
de Coilares superior, em ancoretas.
de caj, caixan de 12 gar afas.
Malvasia do Douro, caixas com 12
rafas.
Carcarellos, idem idem.
gar-
gar-
4o rea ;a libra
f*nde-se a 'i ri< a libra de rame
proprio
SEG11KDO KCONOMfA E CELERIDA'DE.
Obtem-se 'com o uso
DA
IHJECQO SBOST
nica, hygenica.radiealeinfalliral na cu
' ra das gonorheas, flores brancas e ffuxos de
toda especie, rocent oo chroriics; e que
offerece como garanta de salutaresresoltados
a continuada applicacao qne serfrpre com a
maior rantgem se tem fito dl nos hos-
pitaes de Paris.
nico deposito para o Brasil", Bartholome*
& C, ruaLargado Rosario n. 84.
a
Verdadeiro biter hesperidiaa, iMrtor e acre
ditado : venda no armazera de Tasso Irmaos J
C, ra do Amorim a. 37
ir
normas para esc*erer-se.
A atfrJia leanei, -r DntiudfrCai> ^
roeebeu'nm'H.* t-oHectOcs ou normas para as-crian-
CM SbtAdcrem a^^e^er-pOT'si^nesmo, hbj iS
uJiCx MasNiafas^e collegios ; e como sempra ren-
das ppr pTPfo^bmmWo:-
nas esnoras
A loja d'aguia branca, raa Duque dn Caxias
a. 50, receben novo sortimento da'iuellas-tao pro-
curadas meias cruas para senhora, rindo igual-
mente para menina.", e contina a vende-las por
precos comiuodos.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, i ra do Duque de Ca-
xias n. 50. reeebeu bonitos veos ou mantinhas
pretas de setla com flores, e nutras a imitacao de
croch, e vende as pelos baratos pr-.os de 34,
42 e 6f0f>k A fazenda boa e est em perfeito.
estado, pelo que contina a ter prempta extrac-
(d.0
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gaSa-
nhotos dourados e coloridos.
A loja da aguia branca, roa do Duque- de
Caxias n. 50, reeebeu noros gFampos com bor-
boletas, bezouros e gafanhotos, o que de certo
perfeita novid de. A qnaulidaJe pepueaa, e
por isso em breve se acabar.
Novas gollinhas ornadas com
pelucia ou a'rniinho
A loja d'aguia bracea rt a Duqne de Caxias
- 50, reeebeu una pequeaa quantidade de bow-
s e oras gollinhas, trabajbo d li e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteiramente oras.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da ag:ua branca, ra do Duque
Caxias, jl 50, reeebeu novamente bonitos gram
pos, brincos e rozetas dourados ; asSim cmo
novos diademas de ac, e comasempre conti-
na a rendo-los por preces1 rafeareis
Caixinhas com pos dourados
e prateados,,para cabellos.
Vende-se na loja da Agui1 Branca ra db Du-
que de Caxias n. 50.
Luvas de pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, ra Duque de Ca-
xias n. SO, reeebeu novo sor|imento de luvas de
pellica, pretas e de outras cores.
:**
Qae tem naruado Ba'miJesng (ontr'oraCruz)
n. S; nertihtl*, enles?y nwws calacs e- victo-
ria*,', ooth anvedouft bolwwo^ eparelhha- com
arreins te metal prinHp>>, tudo preparaba com
luxo-o plewammy.e por puteo mtnto eommodos.
Orme^fnoSirehlPuliH sef^cm^amM-m y>ara-*)apti>a-
dos, visitas e actos na academia. Assim como na
mesma casa ha calecas anda nao servillas, que
e \-endem por commode ?reeo, preparadas com
Ifjto, para, uso pnrticuari'_____________________
\alii mais rabdlos
: brautus.
TIHTR&BIA JAPOHEZJt.
Se nicaapprovada pelas academias de i
scieocias, roconhecida superior a. toda que
tem apparecido at hoje. Deposito princi-
pal i rna da Cadeia do Recite, hqje,Mar-
quez de Olinda, n. 51, 1. andar, e em>
todas as boticas e. casas de cabellei-
reiro.
o tai#bartd tjuetfar possirel,
CORTS DE-BRt>tBE'COMS A 19500.
V^dfe^e' cWts- Cfllra, a 19'e ttfitOi
nfas3it amo.
Ven*-s# botines para senhoras, r3#00V
39o00, a ellas antea quj se acabem.
ROflW FE! i A NACIONAL.
YetioVs cantosas branca, a 19600, 22
29600, 300O c 49000.
eal^aade^ caawiiw-dowes> a-89; 09^
7!?O00.
Coat de-MUMUti, a 39, 8PB9' 35
4/JOf.
Palitots do caseaiirs., a 49; 09 e 89000>
SerooiaT a-1^e 1|0.
Blfl^f W?C0P KS Ai 449* RS.
Vende-se bm de todas as cores a 44
rs. 'eovado.
LENCOS BRANCOS A 29000 A DUZIA.
Vende-se a duzia de lencas braneos,
29000. Ditos com barras de cores a 5900*
Ditos de lint a 89000.
TOALHAS-A 80 RS.
Vande-se oalhas pera rosta, a 800 rs. t
19009.
GRAVATAS E SEDA PREIA A 800 RS
Vende-se gparatas. de seda preta, a 80*
rs. cada urna.
CHITAS PARA GOBERTA A 280 RS.
Vende-se chi* para coberta, a ^0 e 34t'
rs. o corado.
liONKTS PARA MENlNOS A 19600.
Vende-se 1'orates para meninos, a t900
ESPARCILHOS PARA SENHORA A 80500
Vende se espaatb^s pan senhora, i
39500.
PEH1ES A 3S0 RS.
Vende-se pautes de alisar, i2W, 328 '
400 rs.
POS DE ARROZ A 240 RS-.
Vende-se pos da arroz em caixa,. a 24*
rs, para liquidar.
ESPELH06 A 240 RS.
Vende-se ospolhos ele dirersos tamanhos,
a2*0 e 320 TRSORA9 A 350 RS.
Vendc-sc tesourasd dhersos tamanhos,
a 320 e b'00 rs., para liquidar, e outros
muitos artigos que se ronde barato para li
quida^o de factures.
i|*
fi91
ttlWl
%
''L*
Qio eXCv
a*
IAS0PB PEITOML J1IES
PTIMO REMEDIO CONTRA
TOSSIS. INJ&TUS w PEIT01 Tftm
ensaiado e approvadb- nos hospitaes de Lisboa,
legalmente auctorisado pelo Cousellio de Sade Publica,
auctorisao que se acha reconhecida pelo
Cnsul geraj do Imperio do Brazil.
UNIGO deposit em rnt\tnitmi
iarnwiiOMtM m .*
Baa lai-g-n, do Iloitarip
m
l3
mto barato
fura eerear sitios, em lugar de varas, nao ha reVade-se um.arfnrlln e eexeras de molhdos,
iiia mai barato ; .na-.krmaief da bola amarella; por 230#, no Wtrrb, ffeiftia dos Afeac*, lngr
aajraj ua do t,iit _________ dapra^a do Capim : a tratar na mesma.
As tnicas verdadeiraa
Relias fcaiaburiraem q-
u raa do Ji.rqaez de uliali n. 51.
ereao:
-Vende-se m piaao fHvpM de meio afmari
emnerfeito estado e de'excellentes vozes.
pequea mobllta e oufrfls traste^ art ca?
HBlllTa : na ra Velha t. W.' R V-
Diversas ftmt&m.
71 RA DIQUE DE CAXIAS ~ 74.
Pecas de algodao largo encorpado a 2*500, ditas
e fixas, escuras, claras, ruxas e verdes a 240 rs. o
corado, collts adamascada* z..%i,- damasco de
afeedao coit dnas Idrgurais a 1*200 o.oovado, dito
de-J fino a-3*l<10, chales de aerin liso lino.a
2* dos asatiMdas a WOO e>4^K loalha fel-
pudas a 6 e 8, duaa, leiteos de eatsbria br
m
de seda com toijue de mofo a 800- a 14000 o cora-
do, para aeabar : na ra do Queimado a. i3,
do-sa amostras.
Vende-se um boi manso feito no servteo, e
una cartoja em bom estado : quem pretender
dirija-serua. do Viaeonde de Goyanna, a&tiga ra
do Mondego, n. 72, taverna.
Cassas avariadas a 240 rs.
o covado.
O Pavao rende flnissimas cassas francezas db
cres com os mais delicados padrees, por terem
nm pequeo toque de arara de agua doce, pele
barato preso do dozc viBtens o covado. pechin
cha : na l"ja do Pavao, ra da Imperatriz n
0.
Casas para vender.
Vende-se duas ptimas casas na cidade de Olin-
da, sendo um2 dolas na ra de Mathias Ferrcira e
nutra na ladeira da Misericordia n 3, tendo esta
3 salas, diversas quartos, grande quintal e lerraco
tanto na frente como no fundo : a trat-.ir na dro-
gara e a'rmaiem de tintas da ra do Imperador
n. 22.
Samuel Power Joftes-
toa & C.
ea do Apollo n. 38 e 40
Pazem sciente aos seus freguezes que teem
madado o sao, deposito de machinas a va-
por, moendas e uxas da muito acreditada
'dbrica de VewWoor para raa da Apollo n.
^ .( 40, onda nntinuam a ter oaesmo sai-
-imenlo (ic cestume.
Fazem sciante umbem qr.e tsem feito um
.uranjo eom a fnndigao geral, polo qne po-
rfel Jm olfcraoer-sa para assentr qualquor
'^. machsic.mo e mesmo g&niM lo.
m
Os propriotarios da fund:(io gerai farem g^
scientes aos senbores de engenho a mais ;f*
pessoas, qne teem estabelecido urna tnadi-
?3o de ferro e biouze a ra do Brom, jan- ?1
lo a e*tav das hbn*, onde aprontaran 'j.-
qualqD ora de eafcoaimejda coia perfei- ^.
ifao prompdSo. rji
On me*niiW rogan as peaapa*< os qat- ^L
ram nlili?r se de seas ser (jos rsui a enearamendas em casa do Sr*. a-
mnet Power Jobaston 4 C a rna do Apol- J
o n. 38 e 40, oda aeharao pesio habili- e'
mmm
tads coa quem possam entend3?-3t.
Apparelbo para fabricar assucar, do rwstema.
WESTON GENTUEFUffAL
nicos agente em PPrnamtmro a fnndi^ao etl*.
Para tratar em seu egcripiorii ra do Apollo a. 3R e .
BICHAS DE HAMBURGO
As mais recentes e melhores.
Vendem-se na phnrmacia e drogara de Bar
tholomeu & C, ra Larfra dosario o Rn. 34i
ca a U200 a duaia, ditos de. oOr #equ0B0s.at8ob
i?*? .ra,",s 1*180,eambraia b*anoa i a
3*mM .Xm>H e U a peta, dita bordaa a
Vende se a propriedade denominada Rodea-
ddr, sita n freguezfa do Bonito, com matta?, rar-
zeas, acude, levadh, carouco e alicorees dos pila'
res, terreno que pode dar daa engenhos : quem
pretende la comprar dirija-as villa do Bonito, i
tratar com a proprietaria D. Alaria Francisca d
lAlbuquerque.
Pesos e medidas do sistema
mtrico decimal.
Pesos de ferro e lafSo.
Medrdas para seceos e raol.hados.de ferro, co-
bre a la'So, de estanho c tutanaga.
Vendl-'iH ?e em rasa de Shaw flatvkes ^ C, l
ra do Bom J>sus n. \
FAZENDAS DE GOSTO
BAB4TISSIHAS.
eres com barra e os competentes enfeites e figwmos- a WOO.
bastante latgas e com barra para fazer os afeites, tapada mo-
Lindos cortes de cassa de
Superiores sultanas lisas
derna a MOOO o metro.
Na loja das Columnas, de Antonio Correia de Vasconcellns, ra Primeiro de Mareo, an
tiga do Crespo n. 13.
GR4NDE DESCOBERA
DO
*
Ifl
Composto do manac ati-rheumatico e depurativo-
i mas paiaittfflgHWdo Amazoia,
peta, dita bordada,
e SI, dita de cor aM,.o eovedoi 15 |ia
.verifi a^ft. Ct q coma, aa. ju de diversas Vende-se duas asasm eonMrwdas no poroa-
cores a 320 e 400 rs .Juras, de fio da Escocia a do dos Moetes Mi-Ua,--raa Nova, eom bastan-
2C0 rs. o nar, corlfiigrI|Mde linbo braneo e da tes commodos c com terreaojat o rio e proprias
ir a 2*500, ditos WfW&Bemira a U, ditos de! para commercio : tr ttalr* ra do Crespo n. k
mra upaa 54, alpaca^ fi .edre^,iavradas t A ftU nn masmo Dovnadiv cibi iLwailiaw riaainr
E' prepaado este xarope de tnniiae e tmris algui
nao coutm preparado aljium aiercurial. Cura ootn ra|Uei Hieu*atistfla, dfres fias
ossos, epopdessjphiliticas e dsrtrosds, ceerofula e todas a's fne^lins que dependeljai
desses virus. A sua composiglo o) apprbuda peltvijwu cofiral t le..|^giene nu-
bica..
A qad garrafa acompanha tuna espea^ pafa a forma, de usar. Troco de <*a
urna 89000. ;>1
no m*Qw poro^Jo, com'M^lileTBwtos' ftileO dWosito nes^a prornfa i rna doftro da Vitoria- n.. $, oanratlarra^e
(MonteirodSiTva. ", "6^
Q g I $
* > /


.1



Diario & Ptemanilaieo, -m Sexta >&ira 1 7


.

I, IfiMAOS
NICOS AGENTES
A"
Ra o Sarao da Victoria n. 28
As rnaig simples, as roais baratas e as melhores do mundo!
Na eapoHQio de Pars, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Jnior, a medalha de ouro e a condecora-
do da Legi&o de Houra, por serum as machinas mais per.
feitas do mundo.
E. Howe Jnior, nos
da machua de cos-
A medalha de ouro, conferida
Estados-Unidos por ser o inventor
tura.
A medalha de ouro na expsito de Londres acreditara
estas machinas.
A 908000
Cabe-nos o dever de armunctar que a companhia das machinas de Howe da Nova-
York, estabeleceu asta cidada d ra do Bardo da Victoria n. 28, utn deposito a agencia
geral, para em Pemambuca e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
tura do Howe. fistas machinas sao justamente apreciadas pela pereicao de sea trabatho,
empreando urna agulha man curta com a raesma qualidade de Hnha que qualquer outra,
epela introducedo dos mais aperfeicoadas apparelbos, estamos actualmente habilitados a
efferecer ao eiame pubhee as melhores machinas do mundo.
-45 vantagms desias machinas sao m seg-vMes:
Pruneira.O publico sabe que ellas sao duradour-as, para to prora incontestavel,
ircu*ast*ac*a de nunca 4erem appaaocido no mercado machinas d Howe em segun-
da mi.
Seguada.Contera o material pteciso para robrar qualquer desarraajo.
Terceira,Ha neHas meuor friojo entro as diversas pegas, e meaos rpida estrago
do que as outras.
Quaata.Forma o ponto como se fra ferio mao.
Quinta.Permute pie se examine o trabalhe de ambos s Cos, o que se neconsegu
uas outras.
Se uta.Fazem panto miudo m casemira, atravessando o fio de un ostro lado,
a logo *m seguida, sem moditicar-sc a "tenso da iinha, cozem a fazenda mais
fina.
Stima.O compressr levantado com a maior facHidade, quasdo se tem de mudar
de agulba ao conaegar nova costura.
Ohava.Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza*
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao boje quasi desconheoidas, outras sofireram
mudancas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opino de Elias lowe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, e hoje ne atteade a procura, posto que faga 600 machinas
por da.
Ca machina acompanha Livretos com instrucedes em portuguez.
A 90^000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
A'
do Bartf da Victoria n.
U b.
SOBERANA E INFALL1VEL
INJECCO
do
DR. MATTERRE
LBgTE
la facldade de medcoa de Pars, cavalheiro da Lego d honra
A bleanorrliagia, ou purgacao, urna iulam maco do canal da uretra, occasiona*
da a maior parte das vetes pela communicacio impura. Nao urna affecedo geral, qu*
d logar, como a syphlis a accidentes secundarios. E' urna affecco puramente local-
Ltfectivamente., as medicamentos que ha muito teem sido applicados interiormente con-
tra este mal, taes como a copahiba, cubabas etc., nao produzem effeito senio communi,
cando As ourinas algumas das suas omposicee, que, pela sua passagem atravez do canal-
Je tornam urna verdadeira injec^o^
Para que ser necessario carregar o estomago com essas preparaces nauseabundas a
repugnantes ? Para que preciso fatigar os intestinos com a ua acca irritaste? A res-
posta simples :Nao se tinha anda descoberto urna mistura que, introduzida directa
mente no canal, produzisse os mearnos effeitos sem temer mos resultados. As injeccoe-
to falladas at aqu, conseguem fazer parar a purgaco, porm pela irritaco consecutiva
que produzem no canal, sao urna ameaea permanente de aperto, affecco muito mais ter-
rivel que o mal se pretende curar. Eis aqui porque a maior parte dos mdicos, querecu-
sam, com razo, de asampregar.
Presentemente, esto fundado temor nao existe. A injeccao que nos apresentamos ao
publico, que conta dez aunas de bons resultados, nao interrompidos, nao irritante. E*
Este estabclccimeflto scmprcSulielt m 'rjiurdfeT aUoritotrirenclado respeilarel pu-
blico um completo sorttmento-tiennunVz*, cnl oreos os mais razoavftis-pRsrfe, riara"0 qutfWc^M? l}u*slWdvjs >ies eusartigos de pf-
pria encommenda da Europa e AnYertcrVem darpublicidade daalguns artigos por cVfos
presos bem se pode avallar os presos de VrtitiWifllft* 'quWseHoYaria I errfadoiiho pu-
blicar.
MIDEZAS. I ifflt'WZAS.
L3 para bordar, da melfaor qualidade, 1! Jr}*** di ac dito "por'NtO.
libra por 5jr500. BoWes'de'WtlrtV pYtrtoS"e'dfe dores, '800
Agulhas francezas, fundo douradQ, a cai- rs. eljOOO a duzia.
iinha com 4 papis a G0 rs., 240 I "1(Hjte ^rtttcas de seda arrodas as lar-
Voltas de fita d velludo cora lindos co- garas, ^^(Wo e f*0 metro,
reles fingindo madreperola, a 500 rs. L D,tas de cores e Pretas a'800"rS- e 1!K)00
Voltas para o pescoco, fingindo camafea, mci'2: .
coapanhadas com 1 par de brincos seme-.. .t,aldes P^tos de seda, de mito gosto de
ihante, tudo por 29300.
Linha branca de 200 jardas em carriteis,
propria para costura de machina, a 800 rs.
a duzia.
Dito de dita de Alexandre, numerac&o a
gosto do freguez, a 10100 a duzia.
Diademas domados de l?t00 a 3J>000.
Ditos de tartaruga com flores a 2JMJ00. J6#000.
800 rs. a 15000 o "metro.
CALCM50 FRANCEZ.
Botinas pretas'gjrpeadas, pata senhora, a
4$W6 o par.
Ditas ditas de dnraquo, Raspeadas, cano
alto, rSWto.
Ditas prctHs ehfSltadas, ultima moda, a
Ditos com borboletas a 19500.
Brincs encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqut de 500 rs. a 2&00Q.
' Oitos dourados, duzia de pares, a 19500
e 29000.
Voltas de aljofares com brincos, a 29500. imira> Charlti tapete e'tranca, mais barato
H / do qao em outra qualquer parte.
Ditas do ditos com ooraQes a 19000.
Ditas de ditos de anuas com cassoletas, a
800 rs.
Hosetas de plaqwt a 19 e 19500 o par.
ravatas de sed* para senhoras de 19^00
* aaooo.
"'arures com 2 la^os para cabera e peito
39 49000.
Bntremeios e sabadinhosbordados de 360
rs. a29V00 a fiega.
bales de seda brancos e de cores, de I
Ditas dita de cores, canno alto.enfeitadas,
a5950O,
Ditas para meninos, pr 39 e 49000.
Completo sortinMittQ de calcado de case-
CHAPEOS.
Rios chapeos de palhad'ltalia, pera se-
tttWra, a tf9W0.
Dhos ditos pallia escura, da ultima moda,
a 169000.
Completo sortimento de chapeosinhos para
meninas c senlioraSj de 29800 a 59000.
Chapeas de sol de seda, inglezcs, cabo de
TBcrtim a 169WO.
Ditos dito de marin, cabo de metatrnui-
13500 a 29508 a peca.
Ditos de algodao e seda, do 19 a 1940 i Dltos (hto de x* Para senhora, cabo de
s peca, [tnadeira, a 9000.
n;. Z a i-^ii^ n..< ^ koa Ditas dito abo de marfim a 99000.
Ditos de algodo, a 1*0 e 500 rs.. a peca. WVMC Trancinhas de cores, a 100 eSOOTS.a; _____?*?W.rTg,J ,. M
^ GraaadineipaTa vestidos, fazenda da ulti-
Le'ques de marfim a 59 e 89000. J 0Wda' com rStfa6 de'seda a 650 -
Dites desndalo a 49500. fvaao.
Ditos de madeira imitando, a 29000. r*Rl0S deorodit para cadeiras, a 19800
Ditos de papelles a 19800. cad* "*>
Coques para senhora, a 39, 89300 e 49-
Aderecosfingindo coral, co-npondose -de
mmw UNIVERSAL
DE
E
UTIL toOClDADE DE^AMBOS OS SEXOS, AS MIS DE FAMILIA, AOS
PROFESSOKES, AOS DIRECTORES K DIRECTORAS DE COL LEO IOS, AOS
ALUMNOS QUE SE PREPARAM PARA EXAMES.
Contendo o mais essencial da sabedoria humana
1.a Be educettao.
ouhecimento o direcQo dos caracteres, (acuidades, defeitos, mritos e aptictoes. Rcli-
gio, moral, philo6ophia.Lgica, rhetorica, potica.Litteratura,.pedagoga, -
vdidade, escriptores antigos e modernos.Agudezas, proverbios, mximas, epi-
grammas, etc.
9.aDe iustrucetto priiaria.
Leitura, escripia, calcuk>6, problemas, formulas, systoma mtrico, moral religiosa.
'Linguaiportugueza, orthographia usual e grammatical, redaco, estvlo epistolar,
homonymos, synonymos, raizes, etymologia.Methodos, disciplina, .ieios pra
de execu$ao.Historia universal de cada seculo, vares insignes, des^obrii/niitos
factos assignalareis. Goographia descriptiva, cidades principaes, ndole c t >l.ums
e productos de todos os.paizes, monumentos celebres, imnoiamas, cirioM..ides.de
toda a especie.Noticia das sciencias usuaes, artes, misteres e pnouVdua, etc.
3."ln(truM;a secundara.
Linguas : portngUeza, fracceza, latina, hespanhola e ingleza.Geologa, mineraloga,
botnica, zoologa.Physica, chimica, astronoma, mecbanica.Arilhmolica, alge-
bra, geometra.dndustria, hygiene, desenlio, agrimensura, comniercio, agrieul-
tura.etc.
SEGU
WCCIH ETNOLGICO BE TODAS AS P&LftVRAS TEE1CSS
PROVENIENTES DAS LINGUAS GREGA E LATINA
Tudo simplificado ao alcncenos alumnos epessoas eramentedesejosas de insruc-
lo, com elucidaces Ido proficuas aos mestres quantoprovellosas no lruto das famua.
HEDEGIDO COM A COLLABORAIO DE ESlRIPTORES PECULIARES
POR
DIRECTOR DE tOLLEGlO
Trasladado portuguez.
POR
GAMILLO CASTELL0 BRWC0
E
AMPCIAOO PI "TRADUCTOR >OS RTICOS DEFIC1KNTKS EM ASSUMPTOS RELATIVOS k
PORTUGAL ERRASlL.
A obra constante de 50 cadernetas ser terminado no correr de 1870.
A assignatura razo de 300 rs. a caderncta, divide-se para maior acilidade en:
duas seres, cada urna de 25 cadernetas, ou 755500. As 10 primeiras cadernetas enlregair.-
se desde j.
LIVRARIA FRNACEZA
alfinete e brincos ;por 23W00.
Dito dito pretos por 2$3Q0.
Ditos de plaquet, compondo-ae de aHiaete
; brinca, sendo de muito gosto, por 53WM. <>50SO.
Ditos para sdf, a 3?Se 50O0.
Toalhas de4ttmo para rosto, a 1&300 -cada
ama,
lutos de algodo aleonados, a 640 rs.
Mm de oroehet para cana de casal,
qoe.
Pode obler es pouco tewpo com o aso do mltkor los iicorea.acamada
HESPBHIWNA
Fax oito aooos <|ne condecido este precwso knico, e dfflcfl tobar nma paaao
teodo txperimefltado pessoalroente, pao :fail em sen tavor, i con i bom eitomac*
3 apetinador, tomando om calix delta antes de jantar, oo como fecirtadr da difeata
tomaede-ce depoia. *
A BASE
da HESPEflIDINA a LARA.NJA AMARGA, nao ba nm.a JMMUDle o BRASIL (a terr
especial das laranjas) ora bem, a
LABANJA AUK&
em sen estado natural tem om gosto pooco agradavel, e o metilo da Ha*pon.iina cuc
tiste em ete-r saas boas propriedades, e ao mesoio lempo apreaeota-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPCRIDINA como INDUSTRIA NACIONAL nao tem.nada que mvejar i
laeibores iiuportacSes eoropau de catbegoria gemelhaote. "Etaa, quando moiio, poda
ser postusas, porm a Hesperidina a coaibiracao -perfeil do
AGRADAVEL E SAUDAVEL
Para prova de que um artigo no qoai pde-se ter inteira coDfianca, por ae; pur
t ictHKeDte, basta dizer^ge qoe foi ptaMMOM Ipprovada a| aoloriadap'U
JUNTA DE HYG4EKE
do Ro da Janeiro, permitlindo soa livre elaboracio no imperio; outra
BOA PROVA
i icceitacSo geral qoe tem em todas a? partea Ode aprewntada. Em 1*4 eatab*
A Predfecla,
LOJA DO PASSO
RuaPrimeiro de Marco
n. 7 A,
outraora do i rebpo.
-noempenho der bem servir aos seus freguezes e
ao-publico em geral tem procurado jirover-se do
3ue lia de melhor e da ultima moda nos mrca-
os de Europa para expo-lo aqui venda, cer-
tos de que os seus artigos scrao bem apreciados
pelos amantes do bom e barato ; passa a eunu
Inerar-aiguns destre el les, como sejain :
ALBU.V8, os mais ricos -que tem viuda a este Os proprietarios .ictualmepte leste iinpoitauu-
mercado, com capas de madreperola, estabelecimenlo, tendo procediJu a urna computo
tartaruga, marlim, velludo e chagrn, r forma em precitado eslabelecimenio, e consrios
ADEREMOS pretos e voltas proprias para luto ; de ser elle um dos mais bem surtidos pj-todoM-
assim cerno, 'um bonito sdrtimento de mente em artigos de moda e alta Dovklftda, pedem
ditos de plaqu, obra lina e muito bem ao respeitavel publico e era particular aus aapa
acabada. numerosos frcguezi s a bondade de contimurcm z
BOT&ES para ptinhe, o que se pode desojar de depositar em sua confianza, gara miado seren bm
meluor em plaqu,, tartaruga, madre- servidos e por preces nimiamente barato. \r-
perola, marlim e sso. "bam pois todos comprar novas o bodas titea-
BOLEAS de velludo, seda, paJfa e chagrn, ,das, de cujas damos um pequeo resumo par
ba de mais moderno e 1 ndas. i 1e vista delle possam apreciar.
BICOS de seda e de algodao, tanto braaco como Velludo prelo, setitn maco preto e branro, gdr-
preto, de variados desenhos gurao de seda, grosdenaple vreio e de lindas c-
CASSOLETAS pretas de metal e de madrepe- res, la com listras de seda, eaoibraia maripao,
rola. nansok de lindos padrocs, carnizas bordadas para
GAJXLN'HAS #ara costura, muito ricas e de di- hornera, vestuarios para crianzas, chapeos para
versos formlos, com msica e sem baptisados, mantos brasileias, nielas de cft
ella, ra homem e meninos, chapeos de cato de n
COQUES a imilapo, o que pode haver de mais para sol, granadine, fri de seda, cicas Usquma*
bonito e bom gosto. de seda, l de linho, bramante, cainbraias, chi-
DEADEMAS, neste genero a Predilecta apre- tas, caasemiras, etc.: ua luja dj Pato, ra Pn-
senta um grande e lindo sortimento mireo de parea n. 7 A.
capaz de satis/azer os caprichos de, Setim maco de cores.
qualquer senhora por mais exigente Saias bordadas para senhora.
. que seja. | C rtes de vestidos brancos bebdados $ii
POltT-BOQCET de madreperola, marlim e sso,, nhoa.r
este um objecto mdispensavel as s-
rica qoe actoalmem
Em Valparaizo e em toda jt tt>t* tr facifi teto bol tuse?!?*
tanto que rara a casa qoe considera completo sao aparador em Tima jrarrifi da
'
O homem velho toma Hespendioa para oblar
VIGOR
O homem doente toma Hesperidina para obter


uow.r.u.UF.uj, ..u C .....,.. r. leceoae a primeira fabrica em Boenos-Avres ; em 8h9 a seffooda em Mootemo;
antt-blemorhagica em toda a atonto da palavra. Queremos dizer, a causa do mal, no dia d3 chegada de S. M. O IMPERADOS marjgnrotwe abr?
que ella destroe decompoado os elementos da purgado e tonificando a mucoza e as trabalba na Corte
glndulas donde provm a.sua origem. A sua applica^o nao dolorosa, e se urna li-
geira impreaso se segu sua ntroducco, essa impresso de pouca dura, esegue-lhe
tima sensacao inmediata e nao dosagradavel. O seu tratamento nao precisa de nenhura
utro auxiliar para fazer parar em muito pouco tempo as purgares, ainda as mais re-
1-eldes.
Quasi sempre basta um so frasco para a cura, pois nao nos consta quehouvesse pur-
gago que resistisse ao emprego de dois.
Afim de chagar a urna prompta cura, o doento dever seguir o seguate
III 4.1III \ :
i." Do dois em dois dias, tomar um grande banho, e permanecer nello duas horas,
sendo possivel.
2.a Lavar tres vezas por dia-a parte doente com agua fria.
3. Dar tres injeecoes por dia : de manhfi, ao meio dia, e noite. Apertar ligei-
ramente o orificio do camal, alim de conservar nelle o liquido om minuto.
4." Usar um suspensorio.
5. Abster-se do uso de bebidas espirituosas, ou alcoocas durante o trata-
mento.
i:\hohas.
Ha muito tempoque as ftres brancas, leucorrhas, etc., teem sido consideradas as
swiboras como causal, a oons.itieo anmica, que na linguagem valgar lhes chamam
pallidas cores, quawlo ellas sio ao contrario, a causa do enfranquecimento, e pobreza
do sangoe. D'ahi prevem o erro qt*e muitos mdicos commettem ainda, de tratar do
estado geral, em logar de ouidar do astado local, que a causa dos symptomas geraes.
Nao logar proprioaste detartarmos theoricamente o factoque avanzamos, mas acredi-
tamos que basta aponta-io pan que tod. o medico consciencioso* o reconheca o seu
valor.
A nosna injeo^io tenaV sempro a sospender esses corrimentos sempre rebeldes a qual-
quer medicamento ; mas para obter eseo resultado preciso que seja dada com o maior
cuidado, e que penetro at as mais pequeas pregas da mucoaa, pois que ao fundo
da mucosa que est a eatwa d* affcSo, Ns convidamos as pessoas que recorrerem
nossa injeccAo, a servirem-se, de preferencia a outra qualquer, da seringa dheita, forma-
da d*um tubo de ?idto do qnal a ettremklaJe redonda tem alguns buracos. Estas se-
ngi tem sobre as oUtrS a vantagem d'abrir largamente a ragina, a pdr toda a muco-
za, em contacto com o liquido injectado, condiqo indispensavel para cura.
Duas oolheres-de-sopa da nossa irjecc,a6 lanzadasn'uma quantidade d'aguasugloieme
para ench*r a seringa, bastam para urna nleacao, que deve ser repetida tres vaos
por dia.
A nossa injeccao prrmhvlatica-, isto \ eriu o mal. Urna s injodeio basta, depoie'
mn wmarto ausplto, -pWa'ptr'rt Arijo de todo o rece de doen.
PHARMACIA E DROGARA
DE
O homem dbil tema Heaperidiaa para'oblW
Ncs bailes as donzellas e os mo^o's tomaos a Heiperiio par jier boa tor
BfmatJo dorante os -roncos gyro tfa
misa
BABROS JNIOR di C, roa cW Vgar.o Terio 1, f indar, raceberam mi
grande enpeciflco, e venoem-ao ios- depbsaos seguiotei:
Joaquim Ferreira Lobo, ra da Jmperatriz.
Zeferioo Carne.ao, roa do Gemaeifcio.
Marcebao Jos oacalea na- mae, roa 4* Gadeia ok 1
Autonie Gomes Pires 4 C, ra da Caieia.
Antonio Gomes Pires d G cae 2* de Navembro.
Gomes d Irmao hotel da Passaglm.

,
V
mi
n'
HtWm do Cqw)
Lope* liehd M

BARTHOLOMEU & C-
34Ru Larga do losario34

mi "!ii'diil.ug<

- i -
S

*.'* r*JT" .-i^ak:4i ar,

B!SSaft!D*4,lVv'i,ai
Folias dlvterS6s!tamAfahes.
laqMsa dM (obttMndaatMMci
Sptaf^jbstr^fu atordai-loma.
Pregos com cabeca de marfim, idem.
t
' "*
l>ik>; iik!
nboras do bom tom, afira do aspirar
o aroma das flores sem o inconvenien-
te de nodoarem as luvas, ou mancha-
ren! as delicadas mos.
PESTES de tartaruga, de marfim e de bfalo, pa-
ra alisar os cabellos e tirar bichos.
PERFUMARAS. E" sabido do publico que a Pre-
Merino preto e de cores.
Capellas e mantas para noiva.
Ricos cortes de seda de asras.
Yistuarios para baptisados.
Chapeos para baptisados.
Colxas de seda para noivas.
Ditas de I.
Toalhas bordadas de cambraii de linho pira,
dilecta sempre conserva um importan- baptisado, com dous emblemas.
te sortimeuto de perfumaras de fino Na loja do Passo, ra Prmero & K
odor dos mais afamados fabricantes, gamente Crespo, n. 7 A.
Lubin, Piver, sociedade hygienica, Cou-
a&-
dray, Gosnes e Rimel, que incum-
bido da esculla dos aromas mais bem
aceitos pela sociedade elegante da
Europa, e por tanto, acham-se na
possbilidada de bem servir aos aman-
tes dos perfumes.
A PREDILECTA deixa de enumerar urna im-
mensidade de artigos, alim de nao mas
Novidade.
A Predilecta, na do Cabug i n. i A, acaba
de re'eber pelo ultimo paquete cliegadj da Eu-
ropa, um bello sortimento de carpianos do eaa-
braia bordados para senhoras, e meninas, sol-
sar aos letores e se'pede"aTenevo^ I nh.as P?""05 '"'bem bordados e u> phantata,
lencia do respeitavel publico em di-,8aias bradas, ditas com ntremeos para senho-
rigir-se raa do abug n. i A, pa-' ras Donilas calcinhas de diveisos tapalinhds
ra convencer-se aonde pode comprar
o que bom e barato, assim como:
FACHAS ricas e modernas de tuquiui e fturgurao
- seta
IMENSVETTOS. Ricos vestimentos para meninos,
por baratissimo pre-.-o.
FIXmES. A Predilecia prima em conservar um
bello sortimenta de flores ao alcance
de qualquer bol a ainda que nao es-
. teja Bem replecta de dinheiro.
FITAS. E ja bem sabido do publico que s na
Predilecta que podem encontrar um
grande sertimeato de fitas de setim,
tafet, velludo, Unb e de algodao, por
commodo prefo.
GRA1PGS-' de tartaruga, mitaca destes, pre-
tos'ss cores, o que se pode deaejar
, de. mais moderao e bonito.
GRAVATAS de seda, e de earabraia para senhora,
Ia*s e golinhas de Bonitas cores, tan>
berai tem nm bom sortimeBtD de gra-
vaias e regatas para homem.
JARROS de porcelaaa e de vidro muito bonhoe
para ornatos de sala.
Mei s de seda, de la e de algodo, pa-
ra' senhora, meninas e homem.
LEQUBS. Reos leones de madreperola, tartaruga,
nurlkn O de sso, os mais modernos e
por barato preo.
LUYAS da peWea, de seda e de atfodk; p'ara
., aouwm e seohora.
LIVROS para misan ,3, PredilecU"apre colha du respeitavel publico um bello
sTortlmento destes livros cora capas d'
madVperola', mrtarBga, marfim, ftssb.,
vdiodo e- ohafri* por presos mu1
rajoavai.
JNovidadesU
^/apadaria allema de Mattrnus Lenz, ra da
1s^W%SJSyM sguinte;
flttba* ve*d ioieira*.
Brtaa'dita* aurud-s.
Ditos amareilas ditas.
Letllas. .
FflSo'm'tnWifrand*.
savadhha.
Sag fino.
Ainewa ^necean.
as ditas.'
s'dftks. T
atos hnmburgueies.
. .SiBssiiiac^oara* padeiraa.____________
Cfea para vender.
Vende-se a grande casa da ra Vidal da Ne-
iros p. 136, edificada de novo e com atulejos:
e transparentes para
per barato preco.
raeni.. s, que udo vende
rilimai resrMC'b.
Lftzinhas escoeezas.
20 Ra do Crespo 20
Tendo grande quantidade de lasmna* escocezas
est resolvido a vender por 240 rs. o cov,-,du, pa-
ra acabar ; baratissimo e dam se amostras,
Alpacas.
Alpacas de listras, lindos padroas a 500 rs. 9
covado.
Grosdenaple.
Gresdenaples- pretos a fcfjn e fi\OQ o covad*.
Algodoes avar';idos.
Afgodo avariado de differente-- prefos e ona-
Hdades. 4
Colfhas adamascadas a if.
Ditas brancas de croch a o.
Cobertas de cbira adamascada a J'00.
Cofterlores de li escoros a .
Lenees de bramante a f|.
Toalhas alcoehoadas a 6 a duzia.
Lencos de cassa abainhados a li a duzia.
Ditas ditos com barra a 1/ a duzia.
Dit<* tos do' esguiSo a 3JT)00 a duzia.
Camhraia lisa a 31 e 4*500.
Dita Victoria lina a 3*800.
Corles da Casemira fina a Si-
Cretonc, lindos padrdes a 440 rs. o covade.
hitas r\as a Hrs\ o covado.
ta* verds Se ,'6res A UO.
Cambraiae da cr6 a 380 rs. o (ovado.
Brim pardo a 400 e 440 rs. covado.
Rrim lona, branco, a 1J6O0 a vra.
k SiW ra do Crespo n. O, loja da tuilberie
4 C.
iMiros n. '36, elincada de nov
VMr1 roa Novk n. 42, loja.
Ven'd-se na loja daTua Duque de Caxias n.
18, sescenta e qaatro tbos de amarello, por
muito barato preco.
.Vtenlo
Veade-se a anmcao para taveraiit com poaco
fundo, ap subir a adeira do Burro, fcigueua des
A/ogados, tam casaao p para tamil a e um gran-
de fancH, sillo com frctWras uluftta de capim,
Wb por freijd commodo, garante-e o ai'fmda-
meato : < pasma qa dnjr, emenda ie mes-
noMtio, ounaraa do Cabug n 3 A, >($ade
^^:______________ou_________i___
Casa.
Veoda-ae a da ra Vidal de NagreiroD (ao-
b*W Cidco Ponto) u. 136, reodi.wU ha
eoua de 9 mezes, a qval rern le *tf090
annutil: a tratar ra Nova 4*,
loja.

-^


8
Diario de Pemambuco Sexta feira l
VRIEDADE
BOM PRESENTE, Na visita de gala que
fez o Sbali da l'ersia, opero do Loadles,
vestiam a prinoeza de dallos, e a Czarewna
da Russia, ricas mantas de se l.i carmezm
e fin lo oiim, todas cravejndas de podras
preciosos, Erara da fabrica de Cashmere
e dadas de presente pelo Sb'n.
devuriam ser espostos n'uma sala separad*
como espcimen da calligraphia oriental.
CARA 110R1 AUCA. O correspondente,
particular era Taris do jornal iu'glez Sti-'
dard, refera qe i tribunal do tontas da
Franca est em vi.i de iutnl ir processo para
o esta lo haver do Sr. Tbiers, a somma
de 150 mil francos valor attribuido aos ve-
getaos que para a cozinba do ex presidente
da republica vieram das estufas do palacio
de VerHlhes, durante o lapso de tmjpo quo
o dito cavalheiro oucupou o supremo lugar
do chefe do estado da republica franceza.
O mesmo correspondente diz que- seu
juizo lbe parece ser isso um proiedimonto
miseravel contra aquello Ilustre homem de
estado ; tanto mais que sempro ouvira di
zer, que a mesa do Sr. Tbiers era mais do
que modesta.
l'm jornal francez aecusa o Sr. Ttiiers
por tur man lado por em fecas ricas com-
pradas com o dinbeiro do estado, as suas
iniciaos A. T. Accroscenti quo dcixaudu
elle de oceupar a alta posigo que lbe con-
ferir o parlamento, o erapregado da re-
publica encarregado da guarda do
palacio; objoctara qno aquellas loucas as
cot:;: l< rav i como pertenga do palacio e nao
proprie lade particular ; e que o Sr. Thicrs
pedir para lbe ser permitti lo levara lou-
ga em questao (parte da qual de Sevres)
ticando respousavel pelo seu pagamento,
abatido no prego do casto o valor da deto-
riorago pe uso que tem tilo.
T0H0 O CUIDADO B' POUCO. N'um
Jornal ostrangeiro encontramos referido um
coso, infelizmente nao raro, pela falta de
cuidado ou attengao.
Ha pouco mais de dous mozos um rapaz
do vate anuos, marciueir >, morador em
Paris, na ra do Londres, recolbera em
casa um cao rado.
D'esse animal recebe aquello que por
d<5 o recolbera urna mordedura, que pro-
duzio ferida. O cao poucos dias dupois
dosapparecea de casa.
Nao teve o marceneiro cuidado en cau-
terisar a brida, po:- nao suppor i>u nao
Ihe oeeorrer quo o animal estivosse atacado
da terrivel doenga.
No da 15 dejunbo, estando na ollicina
em qno trabalbava, manifestou os primei-
ros symotomas do mal. O desgranado foi
eeotnmettdo de atordoamentos e comegou
espumando.
Percebendo qno o accesso de raiva o do-
minava, advertio os companheiros, que o
rodeavam, dizondo-lbei quo se afastassem
ppM senta anda de morder.
O misero fii encerrado n'um quarto, em-
quanto alguns se dirigiam ao hospital mais
prximo, a solicitar a remogao do hydro-
phnbo.
Empregados do hospital Beaujou vestiram-
lhe a camisa do forga, e assLa inai-iietado
o levaram.
Padecendo as mais aboses agonas, exp-
rou dentro de algumas horas.
E' conveniente contar estes tristissimos
factos, para que todos os tonham bem pre-
sentes, e assim nao deixem, aiuda na duvi-
da, do sesugeitar ao tratamento adequado,
nico eflicaza cauterisagio immediata.
REMEDIO CONTRA O CHOLERA.Ha-
vendo receiode que o cholora-morbus in-
vada a Franga, um correspondente da aca-
demia das sciencias lbe deu conhecimento
do um meio preservativo, que tem por infa'-
Uvel. Consisteern espulhar no ardas habi-
tares p impalpavel de bronze, por meio
de um pulverizador de pos insecticidas.
A influencia preservativa dos motaesest
conhecida desde muito lempo. O doutor
Burea aponta csse facto como muitas vezes
confirmado.
Exemplifica-se tambem o facto de que
as ultimas epidemias do cholera em Mont-
pellie, os operarios das oflkinasde mercurio
estiveram sempre ao abrigo do flagello.
CATASTROPHE*-. Na raanha do dia 21,
perdeu-se no canal de Inglaterra um vapor
carregalo de passageiros, pertencente
cornpiihia London and Nortli-Westren
Hailvaw, esc chamava Columbas. Amaio-
ria dos passageiros, eram ceifeiros.
Morro am tres homens da tripolago e
crea do cincoenta passageiros.
Os guardas do pharol, prximo do qual o
vapor bateu n'umas pedras, salvaram mui-
tas pessoas, por meio de cabos.
INCENDIOS PAVOROSOS.Diz um te-
legramma mandado de Nova York que no
Michigam arderam algumas florestas. O
maior damno f i causado em Machigammi.
N'uma pequea cidade prximo do Lago
Superior, forana destruidas 200 casas de ha-
bitando, morrendo varias possoas.
Tambem no Canad o ein Nova Brunswick
buhara occorrido incendios importantes.
EXILIO VOLUNTARIO. No dia 16 do
correnle devia ter largado de Havana ura
vapor de mil toneladas, o Fnelon, fretado
por armadores de Paris, para transportar
Nova Caledonia as mulberes que quizerem
reunir-se a seus maridos, condemnados
deportago. Os armadores do Fnelon of-
fereceram aogoverno, um espago abordo
d'aquelle navio, e o governo aceitou.
Era vez de ragao de carne salgada, agur-
dente e bolacha, os emigrantes receberio
-por dia urna certa quantidade* de caf com
leitc, de pi, e de manteiga. O gado e as
aves, serio renovados as ilhas de Cabo Ver-
de, o em Natal, onde o navio tocar.
O vapor conduzir 600 passageiros pouco
mais ou menos; e foi preparado expressa-
mento para esta viagera, a qual durar 70
dias.
LEGADO PRECIOSO. Os jornaes ingie-
res annunciara que um certo Mr. Ayrton,
que por muito tempo residi no Egypto, e
(juo ltimamente morreu em Londres, le-
gou por testamento ao museu britannico urna
rica collecg5o calligraphica oriental, com-
prehenden-'o esoriptos rabes, persas e tur-
cos. Esta collocgo, que vale urnas 3,000
libras (13,5009000) a tnica da sua espe-
cie na Europa, oude a calligraphia oriental
tio pouco conhecida. O doador nao pou-
pou esforgos nemdinheiro para formar esta
collecgio, resultado de ama residencia de
O PRETNDANTE TICRBORNE. 0 jul-
ganje(4o d'esta celebre causa no tribunal
(Junen'* Ilench, de Londres, tem oceupado
&* at o dia 27 de junho, H audiencias, e
ainda nao acaharam de depor as testemunhas
de aecusagio.
Muitas testnmunhas importantes teem sido
perguntadas, Alfredo Seymour, irraao da
mi de Rogero Tichbome, e tio d'esto, disso
muito positivamente que o reo nao era seu
sobriuho, mas sm'Arthur Ortoa, carniceiro
de Wapping, e que seu sobriuho tinha mar-
cas no brago feitas com tinta
Muitos oliciaes e sargentos, qno serviram
cora Rogero Tichborne no regiment de
carabiueiros, foram unnimes em declarar
que o reo nio era o seu antigo camarada,
o um d el les ate disse : que o reo era tanto
Rogero Tichborne, como elle tostemunba
era o sbah da Persia.
Richard Redinan conbeceu o reo na Aus-
tralia em 1858, como cozinheiro, cora o
nomede Arthur Orton.
Depozeram algons prenles, criados e
vizinhos da familia Tichborne, e todos dis-
seram que o reo nao era Rogero Tichborne.
Na 40 audiencia do dia 18 de junho, o
procurador goral, por indicacio do juiz
presidente Cockburu na audiencia 33, ac-
ctisou os editores do Leeds Eveni :g Ex-
press do offonsa ao tribunal, por terom pu-
blicado urna carta do Guildfort' Onslow,
mombro di* parlamento, em que chamava
perjuras as testemunhas do aecusago, o
boro assim Mr. Appleyand, por tor publica-
do urna caricatura com o titulo : Appella-
co de Arthur Orton para o poco inglez.
Os aecusados deram satisfago. O juiz oh
servou lhes que para o futuro fossom mais
respeitosos, porque o tribunal havia de ser
severo, se so repetissem factos desta ordem.
O depoiment e instancias do Vicente
Gosforl oceuparam as audiencias do dia 19,
20, 23, e parte da do dia 2'. Esta testo-
muoha foi vizinho da familia Tichborne,
tinha comella relages intimas, e tratou de
muitos dos seus negocios, deu por iss- lar-
gas explicages, principalmente em relago
ao projoctado casamento de Rogero Tich-
borne com sua prima miss Dougtity, mos-
trando a falsidado das doclarages do reo
Sobre estes pontos Concluio quo o reo
nao era Rogero Tichborne.
0 juiz presidente, cun dos jurados, mais
urna vez reclamaran) contra as impertinen-
tes instancias do advogado do reo.
as 44 e 45 audiencias dos dias 24 e 25
de junho depoz urna das mais importantes
testemunhas, lady Radcliffc, antes miss kate
Doughiy, prima de Rogero Tichborne, com
quem este quiz casar, o que ni > se realisou
por opposgao de seu tio.
O reo disse as suas declaragoes que mui-
tas vezes passeiou so com sua prima e que
em julho ou agosto a seduzio. A testemu-
oba, cora a dignidaJe propria do urna sc-
iihora honesta, negou indignada estes fac-
tos, narrou minuciosamente o quo se tinha
passado entro ella e seu primo, a quem vio
pola ultima vez no dia 22 de junho de
1852.
Referi tambem a entrevista que teve com
o roo em Croydon, quando elle se inculcou
QUEM VIVE.SEM
atyufiV ditsetlguiret n
dos Mreifos dos |tm|c
, aesfi
machinas e carros, razio esta porque tam-
bera d-SB-lhe a correstomiente iucliuago
para ciaw.
vallo's tjaratirihbs* desfafgar^es'os*dtelos Os'trlhos do glha sao fabricados do
o raelhor possive, e veude-los o mais aro *(Q solido de Bessemer, e uo sao precisas
que possa. pecas fundidas (castings).
I ni seguidor d'esta-maxitis coMMreci* 0 ewo b>B(titudai. d<> apparelho motor
ha pones dias niifhflos j|hc s ^hfiiiae$ tena em cada extremidaJo um gancho col
de Paris, afnu de responder por urna gen- locado era ngulo lio relativo ao outroqne,
tileza igual outra quo j em Portugal acn- quando a cuuha, que segura a agu ha, est
teccu, vo'passdos agora talvez bous viute sobre o centro morto ou por preferencia,
annos. ligoiramuiite abaixo dolle. o gaucho da ou-
A aecusago por parte do representante tra extremidade do eixo fui um u.n ngulo
do ministerio publico diz contra o reo, ura favoravel para' que sobre elle actu o tri-
tal Barieand oque vai ler-se: Iho guarda por meio da sua basto de liga-
Um cidado chamado Pierre Comboul.i- gagjo. Assim pois quan lo se ompivga a
ves, possuia um cavallo branco, deoituoso, agulba para mu langas de via, o nico ef
moleirio, o qual Barieand Ihe comprou por feito >lo qualquor pressao em s nti lo obli-
pregd ridiculo. Comboulives manilostou quo contra os trilitos la agtilha, conser-
ao alijiiila desejo que tinha de adquirir va los oro posigio ainda mais firme, desde
um cavallo preto. que ha tendencia ps*a comprimir alavan-
Arranjar-lh'o-hei eu, responde Ba-, ca contra o dorrrante, sobre quo ella j
ricand, se acaso nio fuer questo de prego, descanga.
Roplicou o S. Comboulives que lite E' intuitivo que se casualmente ou de pro-
no puulia limite e esperara ot que elle posil i doix.iroui-iij ueste estado, o aro da
enconti asse cousa com geilo. prinuira ro la, que ver da via principal,
Passados pjinzo das apparece novaiueuto na diregio da sota, actuar obhquainento
Barieand em casa do freguez. Leva-lheuin sobre o trilito guarda raovel para poder
cavallo cscuriho como azevicho. fogoso e, atravessa lo, e actnando assim sobre o-gnu-
pelo quo mostrava anula de poucos anuos, cito sensitivo, a que esi preso o trilh >
Comboulives gosta do animal, e o compra guarda, nfrouxa-se instantneamente todo o
sem regatear o prego. apparelho da agulba, e os trilitos desta ro-
Acouteceu que logo no primoiro dia tiraio-se d vida principal, deixan lo-a in
que cavalgou no seu novo rocinante, Ibi co- teiramento doseniiiarai;ala pa as outnfs
luido no caminho por forte batega de agua, ro las succossivas.
Agora o vers. O pello do cavallo co-j as ostra las d forro do via singla, em
mega a largar a bella cor que o toruava que neossario provor-so a s-guranga dos
forntoso. O lindo proto foi por graduagao trens que moveni so em ambas as direc-
inodilicando-so at chegar a branco. O goes por meiu de um appirollio muito sim-
fogo que dcnoUiva desapparecia proporgo pies, nocessaria a presengt de um bo-
quease opera va a itutago da cor. Dentro, mem para conservar os trilhos e.n estado de
em pouco Comboulives reconheceu que o funecionar como agalha.
tal cavallo preto, nao era outro que o seu Esto hornera nio devo retirar-se sem que
antigo banco de ferrador. Reconhecida a retire tambera os trilitos da agulba, e dei-
fraude, foi o logrado pedir roparagio aos xo dosombaracada a va principal.
tribunaes. | Quaildg julgor se con veniente resguarda.-
Ahi cncontrou Baricau I un esuolhoque os desuios e a via principal em alguus pa-
nio entrara nos seus clculos, sendo con- tos, de-se consegu lo com mu i diminuta
como Rogero Tichborne. A testemunha
foi acompanhada por seu marido e por sua
prima Mrs. Townley, o reo tomou sin pri-
ma por ella testemunha, e a elln por sua
prima, por isso que seu marido apresentou-
se primoiro coa sua prima, o olla testemu-
nha ficou na carruagem o veio dep >is. De-
e! irou quo vio em Rogero as marcas no
braco.
Sir Percival Radcliffe, casado cm 1854
com miss Doughty, e Mrs. Townley confir-
maram o depoimento do lady Radcliffe em
relagao entrevista coih o reo.
Foi lido o depoimento do lady Doughty,
boje fallecida, mi de lady Radcliffe, que
confirma as declaracoes de sua lilha.
Depuzeram quatro tias c outra prima de
Rogero Tichborne, um mercador do bilhar
de um club on lejogava Rogero, um enfer-
mero do collegio de Stonyhurst, todos dis-
serain que o reo nao Tichborne, e que
viram n'este marcas no brago.
At foi chamada miss Weld, freir da
ordem do Bora Pastor de Bristol, que esteve
em Tichborne em 1851 e 1852, vio all
Rogero, vio-lhc s marcas no brago, o disse
que o reo nem com elle se parece.
O tabellio Burrows e seu ajudante deram
largas nformaees sobre o testamento, es-
cripturas c ttulos de propriedade de Roge-
ro Tichborne, das conferencias que com elle
tiveram para negocios de sua casa, e afflr-
mam que as declaragoes do reo sobre estes
assumptos revelam crassa ignorancia da lei
e das propiedades da familia Tichborne.
Na 46 audiencia de 26 de junho houve
um episodio notavel.
Depois de ter deposto Mrs. Naugle, tia
do Rogero, o reo chatnou o seu criado, e
deu-Ihe ordem quo seguisse a testemunha.
0 presidente notou este facto e disse ao
criado que se elle seguisse a testemunha, o
mandava por fora do tribunal. O roo poz-
se em p, e tomando a palavra disse : que
mandou o seu criado seguir a testemunha
para impedir que elia fallasso com sua filha
miss Naugle da que havia depor. O presi-
dente quiz fazer callar o reo e seguio-se
urna altercagio, o reo oxelamou : trata-se
da minha liberdade, tenho direito a empre-
gar os meos para me defender. 0 presi-
dente observou-lhe que nao se dirigisse ao
tribunal senio por seu advogado.
0 reo as suas declaragoes no processo
civil disse : que o processo por causa de jo-
go fraudulento, em que elle tigurou e de
que c stumava fallar na Australia, teve lu-
gar em 1852 era Brighton, por occasio das
corridas, contra Brooms e outros, que o de-
fraudaran! era 1,500 libras, e que elle sa-
nio de Inglaterra logo depois d'esse pro-
cesso.
Foram inquiridos o escripturario das
corridas, o escrivodo tribunal, e o inspec-
tor da polica de Brighton, e disseram que
o processo por causa do jogo fraudulento
fot em 1851, e nio teve nelle parte alguraa
nenhuma pessoa com o nooie de Tichborne.
Brooms nio esteve era Brighton em 1852.
Esto quasi concluidas as provas da ac-
cusagfio ; espera-se que acabem ero 4 ou
5 dias.
Foram iuquiridas 150 testemunhas; mais
de 100 declararam que o reo nio era Ro-
gero Tichborne, 40 disseram que era Arthur
Orton carniceiro do Wappiog, 20 aflirraa-
ram que Rogero Tichborne tinha no braco
marcados com tinta um corago, urna an-
cora e urna cruz.
Esta prova da marca tio importante que
demnado a tres mezes de pristo.
L0UCURA REMATADA.-Duas raparigas
moradoras em Paris, Constanga e Mathildo,
esta bordadora o aquella florista, cujos mi-
los nao podem quebrar um jejum, foram
jauto- ; urna casa do pasto, ondecomerain
e boberam forte.mento. Acabada a refeigo
e teu.Jo as cabogas mais desconcertadas an-
da quo o habitual, foram atirar comsigo
um lago portouceuto a urna particular em
Belleville.
Dous remadores do batel que ha no mes-
mo lago as salvaram de morrer afogadas.
Conduzdas pelos guardas da paz ao com-
missario do polica, prometteram nio tornar
a tentar por lira vida.
O baiilto e o susto lhes haveria por ven-
tura curado a raaluqueira.
muitos annos no Egypto; deixnndo-a orri advogado do roilisso que ora bastante
museu britannico,- com a condgao de que I para, condemuor o seu cieute.
CORRIDA DETOUROS EM LUNEL.-
Era Lunel, cidade franceza no departamen-
to de Gard, annunciou um especulador
urna corrida de touros. Foi lal o enthu-
siasmo que se desenvolveu com a noticia
que somonte das cercanas da cidade concor-
rerarn tres mil pessoas.
O amphitheatro nao fm construido com
a solidez nocessaria para o numero de es-
pectadores que podia conter. D'ahi resul-
tou que no tocio do espectculo um dos pri-
meros palanques desabou, cabiudo uns
triuta especta ciente para ha-ver rauitos desastres e t>davia
apenas aconteceu Gcarem os do trambulhio
cora varias contuses de pouca gravidade.
A autoridaile prohibi a continuogo do
espectculo.
COMMERCIO DE DIAMANTESRefere
una carta de Londres que o coromercio de
diamantes atravessa um periodo critico. A
crise liiianeeira da AUomaiiha o especial-
mente a de Venna d'Austria oceasionou
remessas valiosissimas para o mercado do
Londres, e cota ordem de-realisar por lodo
o prego.
O pedido qpasi aullo presentemente.
Espera-se com- impaciencia, diz a- tnesma
caria, que eflb reanime no Oriente e nos
Estados-Unidos,, paizes que sao compradores
habituaes.
A EDUCACAO DA MULHER. Km Hel-
singfors, capital da Fialandia, ocupam se,
segundo diz a Gazetao Biltico, em orga-
nisar um estabelecnOnto de ensino supe-
rior para as mulberes, o qual terio nomo
de Academia dasmuMieres, e que-serAinau-
gurado no.Io de outubro prximo. Os es-
tudos de que so ba de compor, serio seto
cursos por semana,, e duraro dous annos,
compreheialendo historia religiosa, historia
Iliteraria, raatbemalka, psycologia, physio-
logia, physica e os principios de direito
publico e privado da Finlandia. A creajio
l'ste estabelecimealo pertence a. iniciativa
partirular ; muitos professores. da uoiversi-
dade tomara parte na fuodagio a que temos
alludidcv
DESCRIPCAO.
Os trilhos de agulba, ligados por chapas
de encaixe, e o trilho guarda, naovel sao
disposlos de maneira que, quando a agulha
nio fu acciona, podem ser removidos si-
multneamente dos trilhos prmpaes para
a posigio que se v na fig. i, na qpal el-
les uo fuacciooam e dm& locara as rodas
do carro
dospe.1.
Vnnlaijensdii ayuUia patentn de Wkarlon
para siujurauoi das estradas de ferro.
Ambos'os"trilhos da via principal nio
ofirdOi a menor nterrupcio, e conservan-
so inl icios e solidos ; pelo que sao iuteira-
monte dispensadas as agulhas para a via
principal. E' esta a nica agulha de vi
frrea, quo preenebe este fi'ii imporlantis-
simo.
Sendo assim preparada nina via pe-eita-
mente continua e Solida, evitt-se os cho
ques e sons desagradareis, que resultara ine-
vilavelmeuto das duas juntas abortas, quo
se deixa ims agulhas ordinari is. bavendo
por conseguute gran lo eeooortMa no dele-
roramento do material ro lauto e nos pro-
prios carros.
E' incalculavol o numero de estragos as
rodas, eixos e outras partes de tren*, que
se movom com graude vafocidad sobre es-
tos lugares interrumpidos da via principal ;
as extremidades dos dois trilitos do urna
agulha ordinaria dopressa amolgam se o-
>rqueam-so tantj que imrt'rs.im-so, e o-
mesrao soccede aos dois trilitos- contiguos da
agulha. As chapas principies desconcer-
tam-se constantemente, e os d gen frequettto attengao para seren conser-
vados era nivel Sueco lo islo particulf.r-
roetite no invento quando a nove levanta
as junturas nestas porgos movis da via.
A agulha patente do \Y hartn evita to los
estes inconvenientes.
Econuinisando a renovagao COOSUnte dos
materiaes e os incessantes reparos, precisos
pjwaa conservagao das agulhas ordinarias,
esta invongac do grande importancia para
ascoflipiinhiaode vias frreas no tocante
economa, sen tallar na economa do ma-
terial rodante, que sera duvida ainda do
maior importuicia.
Esta agulha a nica que habilita as
comparabas rwu-a offerecerem facilidades de
agulha sem iiiAerromper a via principal, e
sem- nenhun> terigo as vagens por toda
ella. De>t'arte o commercio local, quo o
nuis seguro-,. pi5de ser animado o estabeleci-
dosem detrimento para as linhas fechadas,
ipie com petera, som outras estradas.
Estas aguilitas aturara muitos anuos, por
que todas a* son partes sujetas a gastar-se
sao fabricadas Je ago solido, e pela cir-
gumstam-ia de serein utlisadas unicainente
pelos canos que entrara e sabero dos dos-
vios, poi-^uauto- todos os trens que percor-
rem a via. principal tr.ibalham smente nos
trilhos desta.
Ha vendo a&skn enumerado .tlguraas das
vantagens desta> agulha polo lado da econo-
ma chegimo agora questo-de segran-
os, que aiuda mais importante.
Ha perf ila seguranga para as trens ainda
mesrao' que por acaso ou do proposito se
nio deixe a agulha na posigio, em que ella
deve ficar, uo resultando d'ahi ienhum
damno para a propria agulh. Esta defen-
sa tao-poiva que tornaio-se desnecessa-
rios os ponise outros signaes para indca-
rera, a posigo das agulhas as vas frreas"
de via dupla, ao passo que o apparelho
operador para as agulhas. as estradas de
a sngala disposto de- modo que a agu-
lba oao se conservar coilocada para o des-
vio se o agulheiro esquocer o seu de-
ver.
Alm dos accidentes que occorrem cons
tantamente pela m collocagio das agulhas
ordinarias, tem succedido muitas vezes se-
os carros
collocara-se
. Quaado, potm. se quer mudar f8 ^^ eiH'^ ^ Pl
da via principal para o desvio, "P5o ou curvatura das hastes dejuocgo;
^e os trilhos nV poVigio da fig. 2, ou de "'8ua ,utra P"8 lo apparelho ; o
... TV nna non nAili iIq^o na irnlhn ix'tlitntit ila
e oeste caso o trilho guarda fixo expeledo trilbo principal a roda do lado opposto pa- Wharton desde que a va prmcipal. pre-
ra quo o seu aro corra por deotro do tri- 8*da nos tormentas, e absolutamente im-
lho agudo da agulba, e nunca toque 0U| ..
v de eocootro ao mesma pooto. Em conc,u-iao. ^^ a8ulhas offerecem
Por esta forma a outra oda impellda'se8urw,v1a 8bsoluta v'agT ^h V'8
para o trilho principal, a toda a porco sa- P^'j"'. q>ra agulha esteja bem ou mal
lente da sua raarchatem de correr sobre ^P6^*1"' e o trilho da agulha desse lado, o qual tem,d0 *>lta-
na sua extremidade a mesma altura do tri- Curpas para trilhos tntalhados de ago la-
uto da via principal, mas inclina-se gra-
dualmente para cima, de modo que, quan-
do a roda avauca, elle sobe pouco a pouco,
minado de Bessemer, para estradas de
ferro de ra, de Wharton.
Privilegio de 4 dejunbo de 1872.
estradas de forro do ra, Igual ao quo
resulta do tramito, por espagode meia mi-
Iha pe j menos, por urna boa va recta.
Forneccrci estes trilhos com a curvatura
de raio quo fr exigida.. As pegas serio,
por sera duvida, muito raais compridas do
que as do ferro o terio menor numero do
juntas.
Estes trilhos ta.nbem polen) ser polidos
ou curiados por urna machina porlali di|cur-
var, para seren a laptados a crvasele firma
irregulares, circiiinstancia esta que muitas
vezes de importancia, porque as poras de
ferro fundido nao admitiera variagao na sua
forma, e frequentc nento formam-so ngulos
inconvenientesuas juntas. Os trilhos interio-
res e os exteriores sio fabricados cora cuta I bes
e uno j se disto, nio obstante poder eu for
nece-los chatos para o lado exterior da car-
va so assim os quizerem.
Tenho fornoci lo estes trilitos de ago pa-
ra diversas estradas de ra, e est boje prova-
lo at evidencia que a trib.dho dos ani-
maos, que pinam carros uas curvas em que
sao ellos empregados, muito menor do
que as curvas le forro fundido.
. Alm de outras grandes vantagens, que sio
intuitivas aos empregados em vias frreas,
o trilho entalhado de ago laminado possue
Sobre os de ferro fundido a segulito :
A reduegao de prego nos trilhos de ago,
comparados com os de ferro fundido, tor-
na o seu custo muito diminuto, mais do
que o dos de ferro fundido, e em algumas
estradas em quo hojo SAO empregados tri-
lhos de curva de forro fundido, os de ago
serio mais barato
Emprega-se especial attengao ni preparo
de vas c curvas (inclusive agulhas, etc.;
para casas de carros o depsitos.
Procos corrontes, 8 cent, por libra na
minha fabrica em Philadelphia, com a cur-
vatura do raio que so quizer e do qualquor
comprraouto at 30 ps.
Os trilhos de ago pesarlo 57 libras mais
ou menos por jarda a 8c, $4,50 por jarda.
Enlerego a \V;n. Wharton Jnior.
Eseriptoro e fabrica S. E. cor. de Was-
hington o 25.' ra. Philadelphia.
(Segue-se urna lista das coinpanhias quo,
alm de mitras, empregam boje estes trilhos,
figurando no numero daquelas as coinpa-
nhias do Pernambuco e Rio do Janeiro
Street Railway.)
Picos.
Viradores niel horados do Wbartefl. ?'50
Machinas portateis para curvar tri-
lhos de Wharton. 2>I3)
Virador patente de Wm. Witarloii para es-
trada de ferro,
O fin desta invengio mudar com pres-
teza carros de va-farrea de urna para ou-
tra via, e voltalosao mesmo tempo de urna
para nutra extremidade, sacrificando para
essos lius menor espago da estrada do que
o actualmente preciso para os apearemos
em uso.
Obtem-so o lito desojado por meio do vi-
rador A, que tem duas vias, como se v
as figuras t e 2 do desenlio corresponden-
te, as quaos sao adaptadas as extremida-
des los trilhos do duas vias convergentes
b* D, de maneira quo, dirigndo-se um carro
da via para o \iradouro, e fazendo este meia
volta, o carro ser transferido inmediata-
mente para a outra via, Picando o virador
porfeitaracoto em estado do receber logo
outro Carro d* l.* via.
O molo usual de transferir carros de
lima para outra via na estaejao torminal do
estradas de ferro do cidades ser melhor
comprcheudido examinando-so o diagrama,
figura 3, oinle A, reprsenla um virador no
ponto termina! do duas vias convergentes
BB.
No ponto era quo as duas vias divergem
urna da outra, csto as agulhas coinmuus,
e ha urna via recto singla X, entre o vira-
dore o ponto em quo eruza-m-so os trilhos
(lit duas vias.
A rea extensa de superficie do ra, 06-
cassaria paraa via recta sngela X, e as
dispendiosas agulhas sao dispensadas no
iwo-de um virador da duas vias, como se v
das figuras 1 e i em relagao s vias conver-
gentes.
O carro que atravessa os trilitos a o da
via R, figura 1, ser recebido pelos trilitos
t do virador, e, fazendo esto meia volta,
na-posigo representada na figura 2. e os
nlhos i d, coincidiro com os trilhos b b
da via para que pude ser transferido o
carro fijando o virador promplo para rece-
ber outro carro da via A, porque os trilhos
d i do virador coincdem com os da via B.
Jote-se que os trilhos do virador sao cur-
vas de rao Jo a tornar mais fcil a transfe-
rencia dos carros para o virador e vice-
versa ; mas, comquanto meito convenha
que el les soja ni curvas, todava esta circums-
tansia nio essencial para o bora xito da
inveugio.
. Os trilhos do virador sio fabricados do
melhor ago fundido, e quando gastos, po-
dem sersubstituidos, como tambem podem
se lo o eixo central e o scco, por meio
dos quaes gyra o virador.
As rodas de apoio, sobre que corre a
borda exterior ila mesa, quando a balanga
nao est exactamente sobre o eixo ceutral,
sio dispostas de maneira que a mesa corre
as superficies de seu topo, resultando d'ahi
que todo o machinismo lica especialmente
sonto de ser peado pela nove, gelo ou la-
ma, o a mesa gyra coro especial facilidade.
Dispensando as agulhas e a via recta que
lhes sio adherentes, economisa se 3 100,
termo medio. A economa de espago mui-
tas vezes do maior importancia do que a de
dinheiro : prego 9'50.Dirjara todas as
ordeusa TFm. Whaj'ton Jnior. Post Offi-
ce, caixa 2745.Fabrica. Washington Ave,
e 25.* ra.
O shuh da Persia.
I
0 contecimento do dia na Europa, abs-
traegio feita dos ca,sos polticos, a chegada
a este coutiaunte do soberano da Persia.
Nio sraente nc-tavcl para os europeus o
ver e conhecer um monarcua oriental que
se appellida rei dos reis, que se inculca de
essencia quasi divina e que exerce ura po-
der inmenso : para OS subditos persas o
acontecimento toma proporges incommen-
suraveis e licario certaraente sumidos no
mais profundo assombro ante a audacia de
um principe qne se atreve a sabir do seu
imperio contra todas .as tradigoes religiosas e
polticas do paiz; at no centro da China se
commenta esse aoto temerario, E' a pri-
meira vez que um shah sahe do seu reino
sagrado para pisar as trras profanas habi-
tadas pvr barbaros c iuiieis.
Nasor-ed Din ou Nasser-ed-Dinuou as
ser-ed-Din-Shah, que dos tres modo os lo-
mos j, o quarto v< da'qocima-quinta dy
Picando assim fra da acgo do trilho da A experiencia era estradas de forro por
via principal, e sustentado nicamente vapor tem provado que ura trilbo de ago
pelo trilbo exterior da agulha que, na dis- aturar mais de que alguns de ferro, alera
taoeia de 4 i\t ps tem inclinago suffi- da economa no custo da renovagao dostes,
cieute para que o aro da roda passe por que gastara so successivamente, como na
cima do trilho principal. D se entio s interrupgao do trauco da estrada. Est
rodas direegio para o desvio, e completa- igualmente provado que o methodo actual
se a mudanga de via "suavemente e cora a de empregar-se curvas de ierro fundido era
maior facilidade. 0 trilho pontudo da estradas de ferro de ra exige numerosas
agulha {que tem em si um trilho guarda, pegas do pequeo comprimento para cora-
laminado em barra solida) avanca para a pletar-so a curva, que soltase immediata-
frento de maneira que excede a extremida- mente e pelo seu iao estado, u do .aos
de de outro trilbo da agulha, tendo assim balancos, estraga os carros. 0 deteriora-
tamanho e forga sufficientes, quaadooppos- meato de um carro ao transitar por urna
to extremidade, para sustentar o poso das destas curvas, dio ordinario empregadas ,nas astia do soberanos persas. Esta dyaa-itiu1^ y\ DO WARIO ra" DUQUE DE CAXlAS^
chamada dos Kadjas, ar resenta a particula-
ridade de ser o chele dola um eunuco. De-
pois do assassino (succedido em 1788) do
lamoso Nadir-Shah, que os historiadores per-
sas donominam o Napoloio da Persia, como
ellos so deoominam osfrancezes da Asia, fi-
cou a oagao entregue por alguns annos aos
horrores da gueria civil. 0 euiuco Aga-
Mahomod-Kau veuceu todos os conten len-
tes o alcangou o poder, do qual tomou posse,
comquanto so fosse coreado em 1796 na sua
volta de Tilis, que atacou a fronte de
40:000 homens e que < onquistou a llera-
dio, rei da Georgia, i.'oi naturalmente
nio tinha sticcesso, herdou Ihrono um so-
bi odio dello.
0 shah ou sebnh actual nasceu era Tehe-
rn em 1830, o conta pin tanto seus quaren-
ta o tres anuos; tinha dezoito anuos
quandosuccedeu a sou tai Mohamed-Schau.
Era governador da importante provincia de
Abderbaidjan, quando foi chantado a oceu-
par o throno, e parti para Tehern cora
Wirza Tague-khan, quo foi o seu primero
ministro e disiolveu o governu provisorio,
instituido pela rain ha mi at chegada do
novo soberano. A sua coroagao eflectuou-
se com pompa verdadei.-amonte real e sem
accidente algara grave.
Em 1852 Nasser-el-Hinu estuve quasi seu-
do victima do um atteutado urdido pelos
babis, seita dos sou/fis, especie de livres pen-
sadores o ro oluciouarios da Persia. que
aecusam o clero raabomutauo de falsear os
dogmas do Isln e de engaar, vido de
lucros, a nagiio persa, interpretando o Co-
ran segundo a letra c nao suguudo o espi-
rito.
Corlo dia, dirigio-so o ra a cavaHo para
Cbimiram, ao p do monto Albourz. (jua-
tro raeutbros da seita dos babis t-sporavajn-
n'o na passagem, o apresenlaraui lbe ura
memorial. O rei, sem desconfiauga, ele-
vado pela sua natural horadado, paiou o ca-
vallo e estondeu a mi para pegar no e-
cripto. Os assassinos precipitarajn-se entio
sobre elle, disparando-lbe tres tiros de pis-
tola quoima-roupa ; o shah fez por feltci-
dade urna movimento rpido, e s licoo le-
vemente ferido. Os assassinos foram presos
o decapitados no logar do criine, e as suas
revelages valorara igual" e terrivel cas-
tigo aos cholo babis quo tramarara a'coo-
juragio.
As sociedades SBeretaB inspiraram serios
cuidados ao shah, afora das cunspirages
sou/fisku ebabidas, levo de lutar eum a raa-
gonar a, que Malcdin-khan, seo actual minis-
tro dos negocios estrangro, iittroduzio na
Persia. Malcolm-khan. que fez os seus es-
tudos cm Paris, homem Je muito presu-
mo ; eslava exilado havia longos airaos por
ca usa dos progressos elTectuados pela raa-
gonaria, quando no advento ao poder do ac-
tual vizir, Mirza-liussoiu-khaiv, esto exigi-
r o regresso daquello, sera o auxilio do-
qual nao quera aceitar a direcgo dos ne-
gocios.
Agora, o sltah, convemeido do (ira intei-
ratntato humanitario da sociedad* magoni-
i'ii, serve-se della para cumbatoT as socieda-
des secretas revolucionarias que desinoraii-
sain as classes ignoiautos e facis de se-
duzir.
Aules de Sidiir do seu imperio, Nasser ed
Dinn teve de tomar corlas precau$os que
foranj, SOguado varias noticias, as- seguili-
tes :
Trazar romiign na oaaroantw da> aproa o o
tbesouao real, depois de UMguaar o paga-
moiilo dos servidos pblicos, ilutante a sua
ausencia; eximir de impostos os vassllos
at ao seu regresso, o proraetler una amnis-
ta goral no dia da sua entrada em Tehern.
Por outro lado, conliou a raaos iulelligentcs
o poder supremo interinos de ura prin-
cipe de sangue muito alfocto ao sbahe ti-
ualraeuCe collocou au estondeu exaioitosdes-
de a capital at fronleira.
11
Piassor-ed Dinn de formosa figura, ura
lauto corpulento; ao semblante sereno, enr-
gico, sera rugas, brilbam dous olhos pretos,
cuja vista lera singular profunddade; usa-
compci'lo o rgida bigodo preto>e anda um.
pouco pesadamente, mas nao carece de ma-
gestade.
Fez os seus primeiros estudos em Tauris,
em casa do seu lio materiip kiane-khatian,.
homem muito sabio, viudadeiro persa em
toda a forga da palavra, e que nio conbe-
cemlo o idioma turco, pode conseguir que
o shab desde a sua infancia fllassc o persa
puro, sem accento turco ou Lirtaro.
Debaixo dos iutelligentes cuidados de sua
roai, .Nasser-ed-Du-in termiatu os seus. estu-
dos indgenas das linguas persas e rabe,
dedicando-se depois franceza. e tambera
geographia, sciencias o dosoubo, no que as-
segurara ser babilissirao.
Os seus primeiros profossores forarai o dou-
tor Cloquel, que Luiz Fchppe euviou com-
missonado Persia por 1840, Mr. Nico-
ls, primoirodrogman daeiabaada fru,
ceza u'aquolla nagao e am dos orientalistas
francezos mais distractos. J no solio im-
perial, seguio os seus estudos. com o Di.
To!ozan, que foi enviado por. Napoleo 111,
e com Vina Kan, irruao dogran-vizir. Falla
correctamente o francez, gosta muito da
litteratura franceza e mustra-so muito or-
gulhoso dos seus conliecimentos gjograpbi-
cos, reconheceu lo que s elle no seu un-
peno os tem profundado : a affeigio que
tem a esta scioacia parece que a caichi
principal da sua viagem.
A reorgauisagao do oxercito, estahatoi-
meuto de vias de commuuicagio e de carai-
nhos de ferro preoecupam o animo do sbah,
desejoso de introduzir ao sea re reformas mais urgentes. Antes da tomar
sobre esto ponto urna deciso irrevogavel,
quiz ella proprio julgar como funcciouain as
institniges que j fez o as que ttracioua lV
zer. Para os quo couhecem a Persia e os
sen ti raen tos do shah pela prosperidad da
sua nagio e polo bem dos seus subditos,
evidente que a viagem quo emprehoodeu
nio tem outro lira seuo ver e radicar aos
seus ministros os mananciaos o o deseuvoi-
vimeuto da riqueza o ila prosporidade das
nages do Occidente.
Nasser-ed-Diun, aiuda que despota e um
tanto brusco oos seus moviinei.tos, tem um
carcter suaveo bonovole. Acolho cora bou-
dade os europeus do distiocgi i que lbe sio
apreseutados, achaudo sempre cousas ama-
veis para lhes dizer, c Ota que turuar-lhes
agradavol a visita. .
Os seus cosfumes, como os de todos os
persas, sio era extremo (imples. A sua ira -
gilidade faz lembnrr a poca do grande
Cyro."
/CtntmHtr-se-haJ-
tx
.1
1


J


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EUA02UDKC_23ISO1 INGEST_TIME 2013-09-19T22:27:01Z PACKAGE AA00011611_13000
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES