Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12956


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AKXO XU\. NIMRO 131
PAUA A CAPITAL E LIG1BKS OVl>E \SO SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adantados................ 69000
Por seis ditos idem.................. 129000
Por ura anno idetn................. 849000
Cada numero avulso.................. 320
D0ML\G0 8 DE JIMIO DE 1873.
PARA UE.MBO E FUA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados................
Por seis ditos dem..................
Por nove ditos idem.................
Por ura anno idem..................
C97M
DE PERNAMBUCO
rPR0PRIEDADE DE MANOEL FIGUEIROA DE FARIA & FILH0S.

----------
Os Srs. Gerardo Antonio Al ves de FilUos, no Para; Gongalves & Pinto, o Marauho; Joaquim Jos de Oliveira & Filho, no Gear; Antonio de Leiuv Braga, no Aracaty ; Joo aria Julio Chaves, no Ass; Antonia Marques da Silva, no fetal; Jusd^
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Peralta; fielarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, em Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Francino TrVares da Costa, em Alagoas; Al ves dC, na Bahia ; e Leite, Cerquinho d C. no Rio ,de Janeiro.
PARTE OFTICIAL
Ministerio lo imperio.
Rio de Janeiro, 27 de maio de 1873.
lllm. e Fai. Sr. Sen lo essencial o pre-
sto do art. 48 da le n. 387 de 19 de agos-
to de 18(>, que manda em toda a uleican
parochi.il proce ler 3.* chamada dos votan-
tes e>n outro Exc. para os ilevidos CTeitos, que nao pn-
dem subsistir as ulei^vs que se fizeram ora
setembro do auno passado para vareadores
e juizes ile paz na fregiiezia do Chapeo ile
Uvas, do municipio do Juiz de Ftira, e na
de Pessa (Juatro, dn municipio de Bnepen-
antas respectiv.s, transmitti las a este minis-
terio coin o olfieio dussa presidencia datado
de 9 de Janeiro ultimo, duixou de ser ob-
servado aquella preceito. |(ens guarde a V.
Exc. Joo Alfredo Correa de Oliveira,
Sr. presidente da provincia de Miuas-tle-
raes.
2.a seci.ao.Rio ile Janeiro, em l'A de
naio de 1873. -lllm. e Kxui. Sr. -Ouvida
a Secco los negocios do imperio do couse-
lho de estado, sobre a queslo : se devem
ser considerad'-s revocados os avisos de :2<>
de abril d* 1840 (no aditamento) n. 158
de 10 de jnnho do mes no auno, n. 21 le
17 de Janeiro do 1831 en. 587 de 22 de de-
zembrodo 18(50 na parte eih que declarara
que ha inco.npatibili lade no ejercicio dos
cargos de veread r e de delegado e subdele-
gad de pohcia, em vista da disposiean do
.art. 19, parte l.'do ti eruto n. 4,82i ile 11
de uovemliro de 1871 foi de parecer allir-
lUativo, por eonsi lerar que cessara em vir-
tn le desta ilisposicau a razo nica e ileter-
miuativa da iucompatibilidade, qual a attri-
buico que tinhara aquellas autoridades e
passou aos juizes de paz, de juhjar as in-
fraeces das posturas inuilicipaes, o que as
tornara suspeitas eoino juizes, se fossem ao
mesnao lempo interessadas como vareado-
res.
E S. .M. o Imperador, haveodo por bem
couformar-se coin este parecer por sua in-
mediata resolueo do 10 'lo correte me/,
exarada em consulta de 12 de marco ultimo,
assim manda declarar a V. Exc. para sua in-
(ollujencia t llovidos eleitos. eus guarde
a V. Exc iodo Alfredo Correa d Oliveira.
Sr. presidente da provincia de.....
fanveni l.i proviiici.
Ke.-ife, 31 do mato Je 1873. Exm. amigo e
oltefja.Os vciiciiiieulns que roecompeten! pilo
lempo de;orrido do 19 de fevereiro, de i'- de mar-
ni e de I" de abril a li lid mesino mez, DO cor-
rente anno, iu importancia de 6.*>50o, segundo
a cunta da diesonraria de lateada geni, em que
para assenur so* ttesejoa da V. Exc, acceitei e
exerei interinamente o cargo de promotor publico
da comarca do Itio Forillos \ veiiho offerta-los
pira o edificio destnalo ao asyln de alienados,
A iiieiicion.ida (pianlia ser entregue a V. Exc.
pele Sr. arario de Luna Freir, portador desta,
ceb-la na astado competente.
Kesta-uif nicamente pedir a V. Exc. descnlpa
pela exigaidade da ollera qae faro, como peque-
no auxilio este melhoramento material, qae ha
milito necessitava esta provincia, e do qual a ini-
ciativa o sua provavel realisacao perleiic a Y.
Exc.
Tenho a houra de serDe V. Exc. amigo, col-
lega 6 obligado, Gaspar de Di unvnond.
Gabinete da presidencia de Pwiambuco, em -"i
de junlio de 1873 lllm. collega e amigo Sr Gas-
par de ruminond.Acenso recebida a sua carta
de 31 do mez lindo e a quantia de 63530!). venci-
mentos ^jue perrebni V. 8. como promotor pu-
blico do Itio Fiinnoso, a qual offerece para as
obras do asylo de alienados. Em resposla, cbe-
me agradecer e louvar a V. S. por mais este acto
de patriotismo e caridade.
De V. S. colleja e amigo alteucioso e criado,
ilenr(ue Pereira de Lucena.
DESPACHOS DA PRESIIIKNCU DE 6 DE JU.NHO DF.
1873.
Agostinho Gamillo da Silva Informe o Sr. ins-
pector da Ibesouraria de fazenda.
Teiiente-coronel Alexandre Augusto de Fras
Villar. Forneca se.
Augusto Paler Cesar.-Deferido coin ofDcio des-
la data dirigido th'esouraha provincial.
Barao de tilinga. Informe o Sr. inspector da
tiiesouraria de fazenda.
Bacharel Francisco de Paula Cavalcante l.acer-
l.i de Almeida Passe portara coneedendo a li-
ceBCi pediJa, com vencimentos na forma da lei.
Francisca de Santa Auna Barros. Informe o Sr.
director geral interino da instruccao publica.
Jos Luiz -Netlo de Mendonca.Ficam expeli-
das as convenientes orden* na forma requerida.
Joaquim Rodrigues Duro de Cliveira. -Seja en-
tregue o escravo seu senhor, indemusando este
o que for devido a lazenda nac mal.
Jeronyno Salgado de Castro Guimar es.Inde-
ferido.
Laurnd Fejde Mello.-Entregue-se, mediante
reeib i e nao havendo inconveniente.
Maji- Marcelino Jos Lopes. -D-se.
O misino. Sim, nao havendo inconveniente.
Pereira da Silva 4 Irmo.-Informe o Sr. ins-
pe>:ii r da thesouraria de fazeada
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 7
de junta de 1873.
O portvirn,
Silvino A. Rodrigues.
LJ_____
do orado o* Srs. Eufrasio Correa c Cardoso do
Moneaos, e sendo rejeilada a seguate emenda :
Roqueiro que volte o parecer conimissao
para dizr em quanto monta a restitui'.iao e a le
que a permute.
ala das sessoes, 2 de maio de 1873.A"-
frasio Comi.
Approvou tainbeui em 1* discussio o projecto
n. 3D de i_87-{, que auiorisa o governo a conceaer
a gradoacao de tenente ao alfoces Francisco Luiz
Morena Jnior, e em 3' d.ta ao projecto 308 Ueste
auno, que eleva na razo de.5d u/ os vbucimentos
dos pioiessores e adjuntos da escola de marinlia
coin a seguinte emenda :
4 As palavras da escols de mariuha -accres-
ceaiivse -e da escola central e militar.
Em 2ti de maio de 8T.I.Duque-Estrada
Teixeira.Dr. Campo de Medeirot.
Approvou em discussj o projecto n. 337 do
1873, (|ue manda adoiittir a matricula do 1 anuo
medico da aculdadc desta corte oouviute Francis-
co de Paula valladares e mais 23 emendas sobre o
mesmo assumpto.
Occupou-se depois com a 3* dscusso do J pro-
jecio u. 381 A de 1>S7.(, que cria a nova provincia
do Itio de S. Fiama seo. Urou o Sr. Martinho Cam-
pos.
Foiam aprese,Hadas as seguintes emendas :
4 Paragrapho nico. A nova provincia lera por
capital a villa deJo.izeiro, elevada categora de
01 i.lile.
Alt. A provincia de S. Francisco formar
un disiricto eleitoral e elegera dous deputados e I
un senador.
i Art. A provincia de S. Francisco far par-
to do arcebi-pado da Baha. -.1/. de t'reitas.
Ao art. 3 accrescente-se : -e o presidente ta-
ra ordenado igual ao da provincia de Mallo-Groso
send i porm nos dous prime'Msannosde i:0W
8 ajuda de custo de 8.0j. -Cruz Machado.
Aoart g |. Dep is das palavrasSent
Sdigase_ oazeiroetc. O mus como no prj-
jectu. -Cruz Mitch do. l'ereira Fru neo. -Cicero
Diluas. -Euiiiip u Unir.I'into Un. Azevedo
Munteiro. Frmt is Unwiquet. Barao da Villa da
Barra.Paulino Nngueira. -Fiel de Carculho.
Araujo Caes Juniur.
4 Emenda ao $ .{ do art. 2." Suppriinaui so as
palavras -alterando u governo a organisaco do
1" o 2o disiiictos ila inesiiia provincia Araujo
Caes Jnior.Pereira Franco. -Bahia, -Fijueire-
do Rocha. -Freilus llenriques.l'inli) Lima.
Azeiedo Uouteiro. Euuaput Den -Cicero Dan-
tas. Ba/ao da Villa da Carra.
Tratou em ultimo lugar a cmara da dscus-
so do art. I1' da pr.posta do poder eieeutivo que
lixa a forra naval para 1874 a 1873. Oraram os
Srs. Florencio de Aoreu e Gusiuo Lobo, licando
i! dscusso encerrada.
Por portara de 23 do eorrente foi nomeado
o major reformado do exercito, Luiz Eduardo de
Carvalho, professorde geometra da compauhia de
artilices do arsenal de guerra da provincia do
l'ar.
RIO DE JANEIRO
27 DE MAIO DE 187$.
A cmara dos deputados hontem, depois da lei-
tura do expediente, approvou diversas redac-
Approvou em 2* discussao os projectos aue
creara as novas freguezias da LagOa e do^Engenho-
Novo.
Rejeitou o requeriraento do Sr. Silveira Martms,
pedindo inforrnacoes acerca dos acontecimentos
que ltimamente tveram lugar na provincia de
Pernambuco.
Approvou em i* discussio o projecto n 183 de,
1871, queisenta de direitos de importaco a era-
preza de esgoto e asseio da cw|^^HIl teu-
Por decretos de 21 do eorrente mez foi, a seu
pedido, aposentado, o deseinbirgador da relacto
do Bi i de Janeiro, Theophilo Bibero de RezenJe,
com o ordenado que 1 e competir, na forma do
art 211 da lei n. 2,033 de 20 de setembro de 1871,
e com honras de ministro do supremo tribunal do
justica.
Foi removido o juiz municipal e de orphaos, ba-
charel Jos Thom da Silva, i'os termos re
do Principe Imperial o Independencia, na o
do I'iaiih para o de Canind, na provincia do
Cear, por as>m u haver pedido.
Forain nonieados juizes inuuicipaes e de or-
pi aos :
O bacharel Antonio Francisco de Souza Braga de
termo de Maracas, na provincia da Bahia.
O bacharel Kegiiuldo Alves de Mello dos termo3
reunidos de Itapcurd o Soure, na inesina pro-
v ncia.
O bacharel Feaelon da Silva Monte dos lermos
reunidos de Pombal e Tucano, na mesaia pro-
vincia.
Foi noireado Bayiiiundo Jos de Souza Gavoso.
coronel commandante superior dos 'municipios de
Campo Maiore Unao, da provincia do l'iauliy.
Foram reformados a pedido :
Joo do liego Monieiro. coronel commandante
superior dos municipios de Campo Maior e l'nio,
na provincia do Piauby, no mesmo posto de coro
nel com as honras inherentes ao lugar que
excrce.
* anoei Gon^alves Pereira Lima, coronel com-
mandante do tialalhao de infamara n. 23, da
provincia de Pernanibuc, no mesmo pasto.
Por decretos de 24 de maio foram nomc.v
dos :
Pedo Amonio da Silva Horta, solicitador dos
feitos da lazenda da provincia de S. Pedro do Itio
Grande do .-ul, e Luiz Ferreira de Abreu, paga-
dor da th isiiuraria da mesma provincia.
Por lecreto de >9 do eorrente foi aposentado
o 3' escriptnrario da contadoria de marinha Bicar-
(!o Jos de Oveira-autos, coin o ordenado que
llie cuinpctr.
Por decreto de 23 forano promovidos ao pos-
to de 2o tenente os guardas marinha : Candido
Floriano da C sia Barreto Francisco Agapito da
Veiga, Leopoldo Bandcira de Guuvea, Carlo*Jos
de Araujo Pinheiro, Luiz Lemelle, Mauoel finan-
cio Candido da Paz, Sabino de Azeiedo Coutino,
Prcsrlianu Oiympio Xogueira Naves.
P ir titulo de 2i foi noineado Antonio da
Cruz Torres Jnior para o lugar de fiel da 2* scc-
<;ao do almoxarifado de marinha da corte.
Por decreto de 2i do eorrente foi concedida
ao director da secretaria de estado dos negocios
da guerra, eonsclheiro Mari; no Carlos de Soma
Correia, a aposentadora que pedio coin o orde-
nado por infeiro. ao qual ser computado metade
do augmento que percebe de JO por cento sobre
os seos vencimentos, e que Ihe foi concedido pelo
decreto de 2 de novembro de 1863 por ter com-
pletado no Io daquelle mez 35 annos de servico;
visto acli ir-se compiehendido as dispo>icoes dos
arts. 3'J e 88 do regulainento que baixou com o
decreto n i, 130 de 17 de abril de 1868.
- Por decreto da mesma data foi nomeado di-
rector da secretaria de estado dos negocios da
guerra o chele d j seccio da mesma secretaria,
Dr. Jo Mar a Lopes da Costa.
Por decretos de igual data :
De conformidade rom as di$posc.o"es do art. 6o
da lei n. 1,1.3 de 11 de seleinoro d-* 1861, foi
transferido para a arma de cavallara o 2o tenente
da 1* batallio de artillara a p, Francisco Vc-
tor da Ponceca e Silva.
Concedeu-se ao 2 tenente graduado do I* regi-
ment d aitilliaria a cavallo, Maio Jorge Menna
Machado, a demssao que pedio do servido do
exercito ^^
Em atlenQo aos relevantes servicos pfWados
na guena do Paraguay pelo ex-l sargento do 3U*
corpu de voluntarios da patria, J ao Evangelista de
Souia, forauaJhe concedidas as honras do posto de
aUJMie^gciio.
JWpifonBade com o parecer do conselho su-
premo militar, exarado em consulta de 16 de de-
zembro do auno prximo passado, concederam-se
ao 2* cadete 2 sargento reformado do exercito,
Antonio Domngues da Silva, as honras do posto
da>alferes do mesme exercito, em attem^o aos ser-
viops prestados na guerra do Paraguay, onde re-
cene um grave ferimento.
Concedeu-3e reforma, vencendo sold dobrado
de voluntario da patria, na conformidade das ds-
posicoes da ultima parte do art. 10 do' decreto n,
3,371 de 7 de Janeiro de 1865, ao 2* sargento do
40 corpo de voluntarios da patria, Joo Alexandre
Borges da Castlho, visto achar-se inutilisado para
o servico do exercito em consequeneia de ferimen-
tos recebidos em combate.
O paquete francez Poitou, da lnha de Marse-
Iha, trouxe-nos hontem Col has do Rio da Prata de
21 do eorrente.
As de Buenos- A y res pnblicam as nomeacoes do
general D. Julio Vedia para commandante do exer-
cito mandado formar na provincia de Cirriintes, e
do cor nel I). Luiz Maria Camp .s, para comman-
dar todas as milicias mobilisadas e que se mobili-
taran na inargem do Uruguay, provincia de En-
tre-Bios. Nada mais de interesse.
Nos ltimos dias nenhum 6a amarella se linha dado em Montevideo.
- 28 -
Por despacho de 21 do crlente mez :
Foram concedidas:
Ao bacharel Manocl Jesuino Ferreira a exone-
ra cao que pedio do cargo de secretario do gover-
no da provincia da Babia.
Ao padre Antonio Gulinaracs Barroso, gario
collado da freguezia do Senlior Bom Jess do Li-
vramenlii, da cidade do Bananal, provincia de
S. Paulo, as honras de conego da capella impe-
rial.
Foram nomeado-:
Vice director da f.iculilado d.) medicina do Rio
de Jareiro,oante cathedratico ila mesma facul-
dade. l)r. Francisco Ferreira de Abreu.
3' vice-presidente da provincia de Minas-G*-
raes o tenente-coronel Manoel Ignacio .Valla-
dio.
Ordem de Christo. Commcndador.0 eidailio
Luiz Gmcalves da Silva, da provincia de Pernam
buco, em attencao aos distinctos e relevantes ser-
viros qne lera prestado s artes, instruccao pu
blca e humanidade.
Cavalheiro. -O maj r Laurenlino Jos de Miran-
da, em attencao a idnticos servicos e aos que
irestuu humanidade e ao estado no exercicio do
lugar de thesoureiro da Santa Casa de Misericor-
dia da mesma provincia.
Orlen da Ron. Commcndador. O subdito in-
glez Felippe.Needlian.
Ufiail.O cidadao francez Pedro M. Maury,
ambos em attencao aos servicos que prestaran! ao
estado na dita provincia.
Tambem foram nonieados :
Olficiae*_ O Dr. Manoel de Fgueiroa Fara e o
coronel Jco Vieira de Azeredo Coutinh", pelos ser-
vicos que prestaran] ao estado, aquelle na provin-
cia de Pernambuco e este na de Minas-Geraes
Can imiros.O eldaddn FranciscoLibanioCotas,
por servicos prestados humanidade na provincia
do Pernambuco.
O bacharel Alvaro Debita Cavalcante, em alten-
cao aos relevantes serviros que prestou na qnali-
dade de membro da Sociedade Propagadora da
instruccao publica, da mesma provincia.
A. Kruclieniberg, pelos relevantes servicos que
prestou ao estado na dita provincia.
Cidadao francez Dr. Pedro Kollan, pelos rele-
vantes serviros que prestou durante a campanha
do Paraguay, com > cirurgui contratado.
0 aleles do 13.' !iatalhi,de iufantaria Manoel
de Souza Ccrttssejrb, pelo reieonntes n-r-
vicos prestados na guerra contra o governo do Pa-
raguay.
Fez-so merc :
Do titulo de barao de Queluz, ao tenente-coro-
nel Joaquim Lourenco Bala Noves, da provincia
de Minas-Genes.
Beclarou-se que a penso mcnsal de 120J, con-
cedida a D. Josepha Maria de Oliveira Cimba, inai
do coronel hoiior.ano, Manoel Gon;alves da Cuaba,
devo entenderse conferidas repart lente aos
seus netos menores EduardJ Gmcalves da Cunha
e Bal Goncalvesda Cunha, libios do dito coronel,
at a sua maioridade.
Foi elevada a penso niensal de I8, que per
cebe o 2. sargento reformado, hoje alferes hono-
rario do exercito, Manool Euzebio, a 28*200 para
qne, junta ao vencimento de 260 rs, diarios, que
recebe o mesmo alferes, em virtudc da reforma
que Ihe foi concedida no referido posto de 2.' sar-
gento, prefa.a a quantia de 36 mensaes, igual ao
sold da sua patente.
Foi apresentpdo o padre Pedro dos Santos Pe-
reira ent urna cadeirade conego de meia prebenda
que se aeha vaga na cathedral da dio:ese da
Bahia
Foram naturalisados :
Os subditos portuguezes Antonio Goncalves da
Silva, Antonio Jos Ramos, Antonio Ramos Alves,
Felippe Rodrigues Maia, Joao Fernandes de Ma-
cedo, Manoel Bernardo de Souza; Manoel Ferreira
de Oliveira Couto,Manoel Novaesde Oliveira e Ma-
noel Pereira Callada ; e a cdad franceza Lucie
Mariha.
Por portara de 26 do eorrente foi transferido
para o corpo de cavallara da provincia de Goyaz
o tenente do 4. regiment da mesma arma Joa-
quim Barreto da Gama Lobo Pitta.
-29
A cmara dos deputados, hontem, depois da lei-
tura do expediente e approvaco de alguns pare-
ceres de commissao, votou urna urgencia pedida
pelo Sr. J. de Alcncar, que fundameuton o seguin-
te projecto :
Art. I Os decretos do concilio tridentinj, que
dispem sobre artigos de f, vigoram no brasil
indeptndentes de lei.
Art. 2. Quanto disciplina c costumes, so-
mente ser obrigatorio o que obtiver beneplcito
do governo, a requerimeuto da maioria dos bspos
reunidos em synodo.
Em seguida, "sendo tambem vencida urgencia, o
o Sr. Candido Torres ju Os arts. 23 e 23 da c >ii sero observados com as seguintes inodlicaciJes :
Art. I." Abrir-sc-ha a ses?o em cada urna das
cmaras, logo, que eslejain presentes 40 membros
na cmara dos deputados e zO na dos senadores.
4 Art. 2. Nenhuma deliberacao porem peder
ser tomada, sem que conenam vota;ao a maic-
ria absoluta dos membros de que se compoe cada
uina dasJVainaras.
Approvou depois o art. 1." da proposia que fixa
aforca naval para 1874 a 1873. Entrando em ds-
cusso o art. 2., fizeram observacies os Srs. Pi-
nbeiro Guimares e ministro da marinha, sendo
approvado o dito art. e o 3.*.
Por ultimo occupou-se coin a 3.* discussao do
projecto n. 331 de 1873, que crea a nova provincia
do Bio de S. Francisco. Orou o Sr. Cruz Machada.
Por decreto de 17 deste mez foi declarado avul-
so o juiz de direito liento Fernandes de Barros,
por nao ter assumido o exercicio, dentro do pra-
zo marcado, na comarca de Atalaia, da provin-
cia das Alagoas, que Ihe foi designada por decre-
de 16 de outubro de. 1872
Por p irtar.a de 27 do eorrente foi nomeado
Felicissimo de Souza Pires Esquivel, para o lugar
de escrivao da colonia militar Santa Thereza, na
provincia do Para.
Foi concedido privilegio por 30 annos ao se-
nador Francisco Antonio de Souza Jjueiroz e Joao
Luiz Germano Brulens para a navegacao a vapor
dos ros Tiet e Piracicaba, na provincia de S.
Paulo.
A 19J eorrente contratou Charles William
Kitto introjbir na provincia, do Paran 30,000
immigraniB inglezes, no prazo de 10 annos, cons-
truindo un tramroad de 13 leguas.
Foram innovados os contratos das companhias:
Transatlaatica, para a introdcelo de 10,000 im-
migrantes no espaeo iId5_ annos, o da Brasil Csffee
St tes pan a inl'nulticco a estabeleciiuento de
5,000 inmigrantes na przo de 4 anuos.
Foi autorisada a novaco d > contrato cele-
brado com o cons-lbeiro Polvearpo Lopes de l^io
e Euas Moniz Barreto de rago pira a intro
dnecAo e estabelecimeiito de 10, no espaeo de 6 annos.
Por aviso de 8 de marco ultimo fui expelida
ordem a directora geral dos telegrap'ios para
prolongar a linha telegraphica de SaiiUM at a
cidade de C mpinas, pausando pelas cidaJes de S.
Paulo e Jundah).
Por decreto de 19 do eorrente foi concedida a
coinpanhia estrada de ferro do Bio Preto, antorl-
saeo para fuicciwnar e foram approvados os res-
pectivos estatutos.
E-ta coinpanhia lera por lira a construeciio, uso
e gozo de mna estrada de ferro econmica, tjue,
pariindo da Barrado Pira'iy, v terminar no ponto
que mais rouvenieiite for da fregueiia le Santa
Isabel de Rio IVeto, pissanJo pelas freguezias de
Ipiabas e Conservatoria.
A sede da coai|iaiihia ser aorta corte e a sua
existencia de 61 anuos.
O seu capital de 2.000:o00 dividido era 10
mil quinado* do 20340JO.
----- s
Infonnaiu-nos que o Sr. condH Ja E-ur.-.u oU.
tregon aos. Srs. vi-conde de Baena, comraeudador
An**i Augusto Tntseffa e Miguel i'into da Costa
Afiliar a quantia de 2:U,.K)j para o momuiiiento
que se va erigir aos restauradores do 1640. E'
uia acto patritico e digno de louvor.
- 31
Na cmara dos deputa los hontem depois do ex-
peliente, o Sr. Pinheiro Guimares, obtendo ur-
gmcia, lindamentou o seguinte requerinento :
i Bequeiro ipie se peca ao governo inl'orinacoes
a respeito do fado que se den ne-la corte, no Bol'
lepo la Immaculada Conceic i, relativo lillia de
Joaquim Francisco da Corta, e dos acontnciuitutos
que -e deram id da 16 do eorrente na provincia
le l'iTii.imlmc i.
Em 3o de maio de 1873. Dr. Pinheiro Gui-
mtraes. >
Tendo de Dear Miada, na firma do regiment,
esta discussao, o Sr. Cruz Machado propoz a sua
c. i'Uiiih^'io. que fji approvada, oceupando a tn
bunaos Srs. uiin.stro do imperio.' Silveira Martin-,
J.- de Aleonar, Aloncar Araripe Pinheiro'Guima-
res. t
llelallvainente no projecto qne crea a nova pro-
vincia do Itio de S. Francisco, foi apre ses-o de antehonteni a seguinte emenda :
Emenda. So art. I*, H vez das palavras -
ltapirassab:i, etc. diase Itapirassaba S. Fran-
cisco, na provincia de Miaas-Geraes. tendo por li-
mites o Itio-Preto at sua coulluencia no Pi Pa-
racat, este at barra do Rio do Somno e por es-
te una recta que atravesse a serra da Matta da
Corda, era direc;o cae oeira di Pirapora, desta
ouira recta que, corlando os rios das Vofhas e Je-
quitahy. v lera serra do Sap, e esta al alcanzar
nina linha NS, extrema vertente do rio Manuahy,
na margein direita do Rio de S. Fwnclsco, Monte-
Alto (o mais como est n> projec ).
No art. : S J". autos di pjli*'ra Januaria,
accresoentu ^irtir.u.aouhy. S.-Wmiin. '
Pa;o da cmara, 28 de maio de 1873. Cruz
Mach ido L)r. Campos de Meileirot. t
Por decreto de 31 de mareo foi aposentado o
porteiro da the-onraria de fazenda de Pernanibu-
co, Antonio Jos Ribeiro de Maraes.
A populara) das parochias ruraes do municipio
neutro segundo os mappas organizados pela re
particao de ertatirtica, da 46,22!( individuos, doj
quaes 3,837 livres e 1.372 escravos.
Dos livres sao : soltoiros :6,0i9, ca-ados 6,8ii
e viiivos 1,064; catholicos 34.8 e acathocoi
46 ; brasileiros 31,208 e estrangeiros 3,649; sa-
bem ler e escrever 8,163 e sao analphabetos 26,602.
Da iiopulaco escolar de 6 a tS anuos de idade
I,i71) fequentain escolas e 6,279 nao frequeiitam.
Ha as parochias 78 cejos, 43 suidos-mudos, 304
aleijados, 54 dementes c 12 alienados.
Dos escravos >ao : solteiros 10,962, casados 2 >
e viuvos 136; catholicos 11.372; brasileiros 9,3v
e estrangeiros 2,".'J| sabem ler c escrever 40, sao
analphabetos 11,332: ha as parochias 26 cgos,
8 surdos-mudos, 64 aleijados, 5 dementes e 3 alie-
nados.
Considerada a populacho em relacao sua na-
cion.iliiade eslr.mgeira, sao: portuguezes 2,720,
africanos 2,646, fraocezes 98, hespanhes 37, para-
guayos 43, inglezes 41, italianos 28, alleraaes 14,
orienlaes 8, belgas 6, norte-americanos 3, suissos
3, argentinos 2, china 2, dinaraarquezos 2, bunga
ro I; sueco I e turco 1.
Considerada em relacao s suas profissoes. sao :
roligiosps 14, juizes 2, advogados 6, notarios e es-
erive* -10, procuradores 6. ofDciaes de Justina 12,
mdicos 19, crurgio I, phannaceulicos 25, par-
teos 7, professores e homens de letras 61,, empre-
gados pblicos 15i,arlistas 441, militares 5)5, ma-
rtimos 55, pescadores 929, capitalistas e proprieta-
ros 165, manufacturaros e fabricantes lio, com-
inerciantes. guarda livros e caixeiros 931, eostu-
reiras 1,729, operarios 1,429, lavradores 16,426,
criados, jornaleiros e empregados no servido do-
mestico 6,978 ; nao tom prolisso 16,126,
1* de junho:
Por titules de 30 do tnez passado foram noiuea-
dos :
Praticante da recebelora do Rio de Janeiro,
arlos Eustaquio da Gasta.
Segundos escnpinrarios da thesouraria de Goyaz
os praticanles Ignacio Pereira do Lago e Octavia-
no Esselin.
Henrqueta Mara da Coaceico, casada e cora
tilhos, moradora em Nitherohy, embarcou alli,
hontem s il oras da inanh, na barca fluminen-
se que tinha de seguir para a corle. Apenas a
barca se abaten da ponte, tontou Henrqueta ati-
rar-se ao mar, mas alguns p.issageiros que se acha-
vara prximos, poderam cont-la.
Algum t-inpo depois, ja era meia viagem Henr-
queta, aproveitando a distraccao dos passageiros,
logrn o seu intento e precipitou-se A barca p-
roli logo, lancaram de bordo um salva-vidas, que
a infeliz repeli. Enlaj ura pass^geiro generoso
atrou-se ao mar, conscgiiio agarrar a desgrasada
e transporta-la para dentro da barca. Ao chegar
esta a ostacao da corte, Henrqueta foi entregue ao
rondante que a conduzi) para a 3' ajtacao c d'alli
para a polica.
- As 5 horas da tarde, tambem hontem. Mana
Emilia da onceico, moradora ra do Hospic,
tentou igualmente por termo a seus di s toraaud)
uinaporgio de-p^osphoro misturado com agurdente
Una visintia que a vio beber a piella mi-tura acu-
dio-He em tempo mandando logo dar parte do oc-
corrde ao in tambem informados o subdelegado de 1" districtu
do Sacramento e o Dr. delegado de semana.
Maria Ernila escrevera .urna carta em que exp5e
os motivos que a le varam a tentar contra sua vida.
O paquete inglez Cuzco, da linha do Pacific >,
trouxe-nos folhas de Rio da Fratas 27 do pas-
udo. 0
As ultimas nocias de Entre Rto
tiam mais davidar do caractjaaerio da revolucao
que naquella provincia parecwlr
nao permt-
a revolucao
ganhando cada
de d'i Paran, resolvidas atora ir a to lo cusi aquel-
la praca, e o Nacin il eheg ira a dizer que as for-
gas do governo geral na > do-ninavain sania chao
que pisavara, aopaasoqiH a txulares allirma 'am que todo^ os enti-e-riano- e>l.i-
vam c un Lope/. Jordn.
As folhas do Rosario noticiara ter-se formado
na provincia de Santa F uan partida de rebeldes,
cuja lonja nao era a n la bem i'onhecida, neui o
lime do caudilho que a commiiidava. Na de
Come ites notava so taraboui grande agita;m, i-s-
peraulo-sea todo o momento algn pnauncia-
inento a favor de Lnpe Jordn.
A' vista da grvida le que u o se pidia disfar-
car terein os succeisos de Entre-Ros, a givernu
argentino d bra-a de esforcos tiara domina-hs.
Pedio e obtav do congres*! nacional autofttacin
para m ibdis.ir em c.isid- nece-si la le 20,1 KM
guardas nasionaei d-s todas a ino te upo que lata approvar tamlie n pelo cou-
eesso o seu< d M-reos di- :t de m im com que ha-
rta ostabelecido n intervencao na provincia treBios, e de dar id.i eoi estado do sitio por lies
nezes aquella provincia juntaraeiite com as de
Santa F c Corriente1. Cono medida icnple-
raentar foi o giveeuo aiada aatoci.-a lo a de-ien.|ee
as so ninas que julgie nece-siei.is em plinto du-
eae a guerra e a inlorveatjao as refer las provin-
cias.
K' |utlt> m n o^.-!.--. I.i ni > i|oe nina MMK gt
ramente iniparcial.,apreciao esia lo mj| das coli-
sas, apreciai;Ji i (pie parece di a-cor lo ccii as no-
ticias detalha las pie se liaviam publi 'alo p ir nuis
contradictorias que esta* se auguren as vosas.
Continuando a crise monetaria em lineaos Ay
res, o governo, alwn de oiiir.s medidas propostas
a legistura, ordenara que e.n pagamento dos di-
rcitos da alfaiiil.-ga. se recebesseui letras da pr.n'.i
a tres me/es de prazo. N'um dos aposiios ia
ine-ma alfaudi-.M, em que exi-stiam para mais de
200 pipas de aguar lente e uniros lquidos nlasn-
mavjis, iiouvi-no dii il um pavoroso meendie,
que felililleilte pide ser at.ilh.-t lo. evitan lose que
communicasse aos ar.nazeus adjacentes. Apear
disto honve uestes mesillas eonsideravel prejui/.o.
principalmente em assucar ni illi.nlo a av inado no
acto de ser reraavid-i.
Fldra geralmente sentida n > Rio da Prata a mor-
te do harn de Liebig. um dos chimicos mais no-
taves, e especialiiiente beneiuerii > pela applcacao
que da sin s-iencia liztra agricultura.
Da va-se p >r extineta a febre amarella t" Mea*
tevido. a cujas piocclenciis se tornara a abrir
linalmenteon irtode Bi.mos..\yres. aiada uieilian-
te nuil quarealena de des das. Ditia-so, porm.
que est inesini seria levantada a |iartir de I de
junlio.
DLAJilO )E>'E^n \.Ut,[J i)
BECIFE.8 DE JUNHO DE 1873.
Iiiiportaiif M iiol4?iitN il.iS'lti-
rop.
Chejou hontem o vapor inglez Sorata, trazend)
datas oe Lifba at 2/ de maio. Eis o que co-
li
vez mais terreno.
Segundo a Nacin, de Buenos-Ayres, as forcas
jordaaistas avancavam rpidamente sobre a cida-
at 2/ de maio.
i e cortas :
ruAwgv.
Cimera a frtierfo.
O Sr. Hiriera pedio a sua de niss i de presiden-
te da repblica francesa.
A asseinbia nacional aceitn a demisso do Sr.
riiiers por 368 votos c mira 339.
A asserabla nacional elege president-' d i rep-
blica o inarechal Mac Milln, duque de Magenta
por 390 votos; os deputados restantes absteem-se
de votar.
U marechal Mac Mahm aceitn a presidencia;
e declarou que respailara as leis.
O novo ministerio licoii constituida desta modo.
Da que de Hroglie, ministra dos estrangeiros e
presidente: Heui ministra do interior, Brando
P'iscal Interinamente ; Mague nnaneas; Armtml
justica; llalbie instruc.o publica { Ldmlleiie
conimercio; DesuUlignu orbas publicas; Din-
pierre marinha e Cissey guerra.
A eleico do Sr. BulTet para presidente da as-
mbla nocional, contra 0 Sr. Martel. candidato
govern >, por nina maioria de 70 votos, noticia
e os ltimos paquetes nos haviam tra/.ido. fa-
ziain prever os resultados da Clise, pois ao gabi-
nete, recoinposlu no sentido do centro esquerdo,
r.iti iva na sainara o apuie aacomria para poder
governar.
A interpellac.to apresentada por grande numero
de representantes, alim do governo explicar os mo-
livos da soluc.ao da ultima Clise ministerial; a
impaciencia e o desagrado com que fura recebida
a indicaco do governo para Ihe ser concedido o
praiodieft horas durante o qual se entend ->
com o presidente da repblica ; e o desabruuen-
to coin que a assembla se reeusoo a ouvir a lei-
tura dos projectos conslitucioiiaes apresenlados
pelo ministerio, reveiavam que nao hara possi-
bilidade de accordo entre o Sr. Thiers e a direit.i,
unida ao centro direito da cmara.
Passeraos a historiar os factos:
A assembla abrio-se no da 19 e logo o presi-
dente della mandou ler nina nota de interpeitaoto
enviada para a mesa com a assignalura de quasi
todos os membros do centro direito e da direita.
A nota era concebida nestes termos
a Os abaixo assignados, convencidos de que a
gravidade da siluaco exige f ente dos neguis*
ura gabinete cuja firmeza tranquilice os espirito*
em todo o paiz, pedem para nterpellar o ministe-
rio a respeito das ultimas modificaeoes que aca-
bam de later-se nelle, e acerca da necestidade de
que prevaleca no governo poltica resolutamente
conservadora, c propoe que se djstine a prxima
sexta-feira para se realisar a iuterpellacao.
O Sr, Dufaurc, ministro da justica, pedio que
lo se tixasse o dia, seno na sessio seguinte,
para que os ministros tivessem tempo de combina-
rera entre s e como presdeme. A esquerda ap-
pravava, e a dire:la raostrava se impaoonle, ssas
o duque de Broglie mandou dizer ao presidente
em seu nome e dos nntros signatarios da interpel-
hco, que concorda va cm a proposta do go-
verno.
O ministro da justica mandou em sesuida para
a masa os projectos da lei constitutiva dos poderes
pblicos, e o respectivo relatoik).
A esquerda pedio que se passasse a leilura; a
direita oppoz-e vigorosamente ; o presidente cn-
sul lo-i a ssembla, mas nao pode verificar de
que lado eslava a maioria.
A" segunda vutago hdfjrc as mesmas duvidas,
e os preprios membros da mesagra divdiram, o
empat'ram ua apreciaran.
Nestas circuuisUiucias o Sr. Buffet resolveu.
cojg^jaesidea^gSjpue a maioria era favoravel a
qtiijjpho lessew uein os projectos, era o rea-
torio.
Terminado este incidente, apresentou o Sr. Pev-
ral urna proposta para que a asserabla dentro de
quinzo dias designasse awca da sua dissolucao.
Esta proposta da extrema esquerda tinta por
fundamento a falta de poderes constitnntes na as-
sembla e protestava contra os projectos conatatu-
cionaes apresentados pelo governo.
A cmara nao admttio a urgencia.
O projecto do Sr.
resposta attitude hostil da
tagem de offerec
dous extremos, a <|
adherir
Supp5e-se
a extrema es juerdl
dida extrema, pois a esqoerda voten-
o gabinete na .-*sao do da 19.
Na -ses-io do dia O tratou** de e
sidenle
Havia 6-'i2 votanles tres vntorai
branca ; :a votaron n >r. IMM __
direita, 289 no Sr. Martel candidato de
houve ifii voto perdido.
O governo fo vencido n** nrimmrm i
ua eseolii.i c eleii a i do* vke pre iidwHi
em priineiro ligar o Sr. de C.uLo-1 qae havia
-i I > leimttal i de ministro p-m- m iia- anta*, e m
na qiiarta vagatura, e era egnode emrlini' <
el.-ii o Sr. Han-I, por :m vih-k raatra
oble,-- Sr. de LafCf, amigo mioiOr* m Sr.
<> governo declarim que amtava a mn de i
feira 21 de maio rara a ii ..
Na seesin de dia II o Sr. IMan>
que o Sr. Thiers mimara na di-cn* O duque de Broglie deenvoiveo a i
- i-o as lenl netas do guverao
r.ibcaes ; disse que a declar.ic.V-s i
l......pie sao necesarios c\,ti.
O Sr. Dufaurc m Kirao o raracirr i
d i g iverno, repraven as itoiilriMs ratieae* m W
ga cliegada a ocra-io de remoi ivrr a re*btira
pira conjurar os penprs reblado peta* etaigdes
No di i 24 o Sr. Th.ers r.-*o.K..Iwl i a fcaSanMSkv
raii, iw>iin iioi.w do* partilwi. a
bilidade de fundar a imtnrrhia;
i '- i la le do dar eavnatVt legal a
di-se i|.....m i-tand )Jr.-s.t|vid i esta i|i
ha va de e<-.il er h etien prudeatrs r
res para o rep-eseniar
Na se-sao da tarde do dia Jl. a
provou por ."Pul votos noilra 344
dei.-onlian i contra o min
(I Sr. Thiers, etn vita da voarao da
apresentjNi em irgnids a ua
ib -liria da repblica, que kn aceita
contra n'.
Ko -eguida a a-sembtea
Mac M.-ihon presidente p,r ."190 voVhj
o- restantes membrna da assembla V
Era previ*!* a sr^dha deste iMiirado mtmtrM
pira substituir o Sr. Thiers, r at inrti:o ur>-
vavei que o prori<> presiilrnte da ri'pwbb' ti
vase |K'ii-ado nelle para sen sucre.c.
le-se da i-rdem [ilililica.
A abslen.io de rnida ni qm- o marechal Mar-Mahon l-ui vivido,
a entrada das trapas d- Vi-raiMes em Par
sua recoM de areilar o mandato p ipnlar qne I r
era nlTen-eido por mu ibis dcnanamenlos e a em-
reatncan de grandes forra* militar-> > om-
inando d elle, susciiavai naluralmewte a idea V
que a npiniu publica o indirana para
ao Sr Thiers em qnalqner evrnloalidaV
Esta reasada a mudanra : o s.-. Tbers
glorioso nos doiiimi is da historia.
O que dar o faluro ?
Eis a |K>rgunta que tidos se dirigem.
Mac-Mahon povernara exriusivautfnte ron a
direita *
Aceitar o duque de Maganta o panel de
restaurando a inonarchia. en favor de
dos pn-li-ndenles t
O.ntinuara a siiuario provisoria, roja
nna.i) o Sr. Thiers' jnlgava prpjnirial pan a
Frasea *
i eepoadsri Har-Vahon as rlric<>s radjears.
rom a rearcao derhrada methodica e aidfSij apr
a direita paraca desejar *
Inaugurara n duque de Magenta a dieta-biraint-
litar centra a riayrda e contra a direita T
Qnerer Mac-Mihon organisar o governo per
fonna anda mais conservadora do ojo- J pr,v>*-
las apresentada* polo Sr. Ilnfanre q-e tav-mi
Frau.-a urna c..ii-t.iun.;io inuo interine s catira
dos p.iizes monarchir roastilucionaes *
0 futuro sa enearregara de nos fazrr conlieeer
a solico de tan romplicailo pr.dileruj
Itecria-se. porm, qne Paris. |.\on r os drp"1-
mentos men >s rnoarrtea naviceilein trantiratV*
as mudanra* para a politira nhra-ri*erva*nCda
direiia. e que lar* alteraron* deew higar guerra
civil, prejudirando rrediln do paiz sn*prMM>-
do a sua j adiantada convahMHH ta-<
que, predi.Hiiuaiido i intuitos da direita na* njnm-
to-s da Italia e da Reepanha, surjan n ira* e
rigosissimas coiiiplicaroes externas e
receiase que, apelar de segu
ttgro das ultimas prestacoes da indi wi>*m e
guerra, nao queir.i. porim, o governo aH
riimprir as suas pr.Mnesns de.rompieu
cao de territorio, fundndose as Iotas intestina*
a que poden dar lugar as mudaiiras publica* nt-
timamente realisad;i4.
re.dorio que precede a* prrfptsta* nmet-
liironi.s apreaentadat aemida oaoioiit.
muito desenvolvido i oceupa mais de Ino eohMn-
nas do Journal des Dehttt.
- A ora organisaco potica pnf lia peb
| governo demissionaro, consista eos une o pnt
dente Ja repblica livesee psto Menea M ansMa. e
gozasse dos direitos cvi*, ptihtkt e
: fosse eleito por cinco annos e .
I Haveria um senado ramo rata Je
: m dore de 35 annos, e
membros, indurado o* rape
e todos maiores de 23 anas
I eleito por dez annos, e
i todos os dous anno*. A
co annos, no Gm dos quaes ral
racte.
k Cada departameatn drm
res e ura escrutinio sal e directo, esroihidn na*
rionadas no projerio, a prntrira dan
dos deputados acta-* on anteriores.
I Os preTeitos, ronselheiroi de i .Sida, inenrara*
do supremo triounal de juanea a d% tribunal de
c ratas, podiara ser obntra, ssas perdiam bagar. <
que suppoe qne os imanaras devla
1 diados
Na* quinze categoras nao
, nos, nem os corin
triacs I
A elei.-i) dos repraiintinlm deria ser dirarta
por circuios de ura s >
potado por cada cem mil afanas, dor.
a cem mil almas at dnsentai rail, e
diante.
A divsao dos circule* so se ntdta faeer or tan
e da cinco em cinco anuos.
mi flU)UUUUl
O presidente seria etoile por un i
posto dos inembros do sonad
de tres membros de cada eiunbii geral de 4m-
tricio designados na toa esfao araran! ue afusl.
U presi.ieate do sraudo convocara a prra 4ina
ao eongre*so o wintucial.
Fertencera as dora cmaras a ao nrerafcuH a
iniciativa na* as e bapralus dfwnssn
resentadas na at*rnt>
a tribunal de justn.a
generaes abUtrasUra.
Cada camar. 'as us ab>
e aopi
Deputados
sanio en
inSr TI..
n^gusm
J


;rw-V'
ano
de Pernambuco Domingo 8 de Junho de 1873.
Indv
aillo "de-t




das os colleg<
ria d<>
do senado ..... .1
conv.
tora<
Xo flm do prazo de cinco annos a assembla
nao se d. n i|ue ss reu-
niese a nor cmara, e o senado esttvesse consti-
tuido.
Al >de votar aos mata-
res do 21 nenio seria annual
e pormanente. Seria felo por urna eommisso
c imposta do raa-e. um veread.ir e tres eleitores
indicados pelo prefini.
O eleitor para votar carece da ter residido dous
annos na cotnmuna o no serto.
-N*o vota* os eondemuad is, fallidos, interdictos
nd*duns admiltidos nos hospitaes.
O [ajuares activos nao voiatn. Os. outros e os
que jHrn de licenca registrada pJem votar, es-
/fendjunexidaiiienle inscriptos.
Estas sao as princpaos reformas que haviam
sido propostas pelo governo presidido pelo Sr.
Taiees.
Desde 12 d feverero de 1871 at 23 de
maio de 1873, assemhla de Verstiles foram
presentados 797 projectos de lei, dos quaes 477
fivan approv.idos, 47 roieitados e 62 retirados.
Ha 100 projctps que espram pelos relatorios das
< iminisso'-s ipu- j os vdUram, c 70 quo est
anda pendentes do exame <*s commisses ; 2G
dependem de eominissoes especiaes.
A assemolca receben ne.-te periodo de pouco
mais da dous 1MM 8,091 pelicoes ; deu pare-
cer sobre 2,1% e mandn 1,131 a commissoes es-
peciaos. A eommisso de peticoes conserva cm
sen poder i,6tii das ipiaes 774 ja tem relatorio.
Nao ha por ora em Franca desordem algu-
ma. Todos aguardam os eonlcimentos. As tro-
pas de Pars e Wrsailles estio em quarteis.
()> jornaes radieaes recoinniendam socego c pru-
dencia.
A nova situar> pilitei nao podo durar multo.
E' mande lamente hostil ao espirito puBlio-, o
para o acreditar basta o preced-nenti uestes ul-
timos tetado*, que ja propenda para a consti-
tuie i definitiva da repblica o para a dissolueao
la assembla, pirque observava signaes eviden-
tes de que tal era a vontade da matara do povo
(ranees.
A poltica de Mac-Maliou nao pode deixar de
ser a da dircita da assembla : ist monar-
cliiea, qual nao sao repugnantes as tradico-s
imperial,"' e que se prepara para tr.uinphar pela
for.a das baiouetas de que o novo presidente
una personilicac ', nada gloriosa depois da eatn-
paaha frano prossiana.
Mac-Mahon e a dreita pdenlo momentnea-
inoiiie inipor-se pela forca ; mas as victorias da
fosea sao ephemeras.
n todo o caso esta declarada a guerra entre
wm Wf/uIMtl O I lll^'"'i" i a "
ITALIA.
Sua Santidade est um pouco mais all iado
do sen iiicutnmodo. Ni da 18 rocebeu cerca
I; duzentas pessoas, a qu 'tu pronuncios, urna
pi|U0na allocu.ai, laucan.lo-lhes a bonco. As-
ura:n a esti rneapcl nmitis esraugeiros.
Kive lambeta no Validan lilil reuniao de
card-aes para d.-liberaroui cero.i da allittide da
santa S em presenca .la. le solne as e.irparacoes.
A unin t d is eardeaes presentes foi de opiniao
qtu Jijvia ser rejeitala a subven; 10 destinada
ninuti.lCa .1 i- asas .los g-.-iues ; qu e-tes se
domo p7e7al.-r.5r .11 .1 te.ti de livre ass ciac.au ;
e qiie se dvia or,'.misar l'oi'teniente o partido
cat'iiliR) pira se o::p.ir a inva-a> di libera ts o i.
t! -tu:!! ira u varias wovjs_e.ii Pisa, sendo por
iss i augmentada a guarnir para evitar dos-
ordens.
HnLLANM.
A primeira cmara votou por nnanimidade
um tratado onn a Belirfca para a amorlis.ieo de
V.siiiiir) dJrinsda divida nacional, e uoioutro
para a limitaro temporaria da f.ilsic.ieao da
inocla de prata.
O banco de H dlauda clevou a lasa do descont
a 5 0|0.
al'.km-:n;i\.
Kncerrou-se no da 2) a sesso AtlaiuUng prus-
siauo em Berlim. 0 disctir o do throtio enumera
as lois i.pprovadas, e l'.n notar, a respeito das
eclesisticas, qoe o goveru > continua a esperar
que estas leis contribuirn para eslabelecer urna
paz verdadeira entre as diferentes religiocs, e
levarn a igreja a nio empreg.ir d'aqui em di-
diante as sitas (ergas enao no servico da palavra
de eus.
Conclue o discurso, manifestando a esperan.-a
de que o povo prussiano proeeder tas prximas
eleicoes do laruUag cun urna inleira conlianca
no governo, de aceordo c >m elle.
Um telegramma de Munich diz que o cono-
ffo Diicllinger fon notueado presidente da aca-
demia real das sciencias de Munich, no lugar
vago pelo falleciinento do I.iebig.
AUSTl.o-tlUMlllA.
O -imoerador d'Austria eonlirmou a eleico de
Jos Hulescb para burgo-mestre da c.dade de
Praga.
Esta nomeacao considerada como urna con-
ressao l'eil.i pela cora ao partido nacional da
Bohemia, porque Uniesen foi uin dos que assig-
nou a representaoao contra a lei eleitoral.
Continua a crise linanceira em Vienna. O
governo r(*uno-se em conselho presidido pelo
imperador, havendo depois conferencias entre al-
guns representantes do governo e alguns linan-
cairos, e, segundo se dizia, decidise que havia
s<'> um meio de auxiliar a situaeo da bolsa, que
era a suspensao de um aparte do bunk-ncte.
Um dos paragraphiis mais essenciaes do bank-
acte dispo que o banco nacional nao po.de eniit-
tir a descoberlo mais deduzentos tnlhoes de IIo-
rins en notas do banco; o resto deve estar exacta-
mente representado na caixa do banco por di-
nheiro, em quantia igual.
O banco vai ser atttorisado teraporariainenlc
a emittir aos descoberto, uma;ini|)ortancia supe-
rior a duzentos mlboes, esperando-se que o di-
nfceire que por esta nianeira viesse bolsa, auxi-
liasse a siluacio, pondo termo crise, qne, con-
tinuando, poder trazer urna crise commercial e
industrial.
O crdito austraco continuava abalado, e esta
resoluto s vem auxiliar as operarles no im-
perio. As notas liciram depreciadas e o seu
agio ser considerawl.
- O Lloy de Petth explica a preait que teve
o governo austraco em nomear um etubaixador
para Roma para substituir o Sr. de Kubeck,
pela urgencia que ha de tomar todas as medidas
necessarias para fazer respeitar a liberdade do
futuro oclave quando a sua reuniao se tome
necessaria.
Eta nomeacao immediata de uut cmbaixador
junto Santa S tinha sid i causa de commeu
tarios.
TuaoviA.
Os jornaes de S. l'etersbnrgo fazcm prever
graves acontecimentos na Turqua por causa da
m adm nistraco do governo ottomano ; dizem
que o imperio turco est prximo dasua queda,
e qne se tornar inevitavel a nomeacao de urna
regencia.
Ziverbey, enviado como conimissario espe-
cial a Jerusal'em, recebeu as seguintes instruc-
oes :
I.* restabelece: o statu-quo que exista ante:
do incidente ;
2* fazer urna syndicanca afim de serem puni-
dos os culpado-.
Ha a este respeito o oaior accordo entre a
Franja e a Porta Ollomana.
HK8PASH\.
Acerca deste reino escreve nosso correspon-
dente de Lisboa :
Continan] as tropelas dos carlistas, qne ac-
tualmente, em algumas provine as, estao constitui-
dos em tropas regulares.
O cabeeilba Gmez, frente da sua partida,
tirn n'um dos das prximos ao rocebedor de
Basalta 7,500 pezetas.
Est eminetite um levantamento carlista em
Palencia ; o capito ^general sahio de Valladolid
com 4 companltias, em direceo aquella cdade,
com o fim de accumular all a maior forca possi-
veL
A face pie entrou desman-
tonada m P.irtttgal tentar um fogo
vivissimo com metros, re-
saltando, entre alies,
o celebre che
Tem-
por cauta da appan
parle da Horta, ten.
contra Gracia, ao qual ponto
pectivo governatlor.
\
deatri
casas d pa-1
peis de i i
Urna columna de r^l'vH^^^^^^HR
O ge
ro Espolet,
lio 18,000 mil duros.
- destituio os cheles e offl-
Alava, corpo puramente
Toral, a nomeoii oulros por sua cunta.
i Em Catalunha attentou-se contra a vida de D.
Alfonso.
t Foram tres horoens. O primeiro que bran-
dio, contra S. A, n punhal, foi atravessado na
propria occisio pela baioneta d'um zuavo, e li-
eoi morto: Os cutros dous foram fnzilados no
dia seguinte.
Assegura-se nos circuios carlistas, que jaco-
merou a ^introduzir-se em Hespanha o material
conveniente para fortificar cortos pontos designa
dos pela junta suprema carlista.
Receiam em l'lacenca que os carlistas, dan-
do um golpe de mo, se apoderem da fabrica d'ar-
mas all establecida, na qual se fazem diariamen-
te, mais do 101 espingardas.
'ssegnra-se tjue as constituintes, logo depois
de installadas, saspandorao os tena traballios, at
ao mez de setembro do corrente anuo, e que du-
rante tal pe iodo, una conunisso redigr o pro-
jecto da constttti.ao que ha de depois ser discu-
tido, sendo, porem, proclamada antes, a repblica
federal
O republicano inglez Urougham, cncarregado
de entregar ao governo hospanliol, as felicitaeoes
coinpetent>'S, conferenctoii com Castellar, em 18
do correte, e parti de tarde para Portugal.
t Trinla otlciaes do exmelo oorpo de artilha-
ria, passaram para q asorcilo de D. Cirios.
A etnpreza de ferreoc.irril da Alar e Santan-
der, foi intimada pelos carlistas, a nao transportar
tropas.
Urna companhia martima de Marselha, mear
regou-se de transportar armas para os carlistas,
obrigandose ;i po-las nos pontos de Hcspatiha, que
(Usa designarem.
Os carlistas tratam de itniedir a circulaeao
dos trens pela linha do Valencia.
ii. Airan couta j com 4,000 horneas.
Em Ciudad Real totnam notavel iiuremcnto
as partidas carlistas.
>' Corre que Nouvilas voltou otitra vez a Ma-
drid.
HiO tnilhoi's de reales de economas no ministerio
da guerra de Hespanha, sendo 2 1/2 milhoes na
respectiva secretaria >:
POIITilGAL.
- T-rin non, no da 2o, o iulnmento do pro-
cesso da revolla, lando ab.'olvidos todos os reos.
A' esse respeito diz o nosso correspondente de Lis-
boa :
i-Vito o relatorio pdo jnil criminal (Ur. Migue
Osorio) e propostoa os qnaaitos, recollieu-se u jury,
e 10 t/ ta noiite, pouco mais 00. menos, sabir a
do tribunal mide foi litio pelo respectivo presiden-
Foi mu triumpho. Innmera multido oe
pessoas de tolas as classes so.-iaes sesnia os ab-
solvidos a sahid.i do triliuual. Eslava ento eu na
rita nova do Almada a 2) pas*>8 do tribunal e vi
a compostura digna e imponente com que e-se es-
pontaue cortejo acompairiiavn ajupllea eidados,
ipiji '.a perto da um anuo se aciiavam na eadeia
do Ijiii airo em virt'.iie ile denuncias qae e pro-
vou seren falsas.
En 27 de maio escreve o nosso zeloso cor-
respondente :
t Desde honlera t|ue o assnmpto obligado de
todas as ronvers.ieijes teto sido a sabida do Sr.
Thi.'rs da presidencia da repblica francesa e a
pr iftmd.i altera;;! i poltica d i |uella na;o. eoi vr-
lude da votaeo domasiadainentii significativa da
asaambl.i. () novo presidente u general Mac-
llahun.
t E.s;ierava-se tambem o resultado de um inci-
dente da guerra civil em Hespanha, um i Tarda lei-
ra b.itila.i entre as tropas do goverao e as de I).
Carina eoi numera de l'.OOo homens nos campos
ila Navarra, mal por ora do telegrapho tem tneia
palavra que nos esclare.ca
J veto participar,*! ielegrapltica do modo por
que licon organsaloo novo gabinete franecz. Ha
uelle autigos servidores do imperio, e h iineus ilc
ideas iillr.i-eouservadoras.
MuiUi lem aiui fallado os jornaes da fortuna
que deixou o rico capitalista Mathias Luis Pialno
Vinagre, que morreu em tfonteranro Novo (Alem-
tejo) occasionando as esmdas que deixuu, serios
liimnltos.
t Para cima de 400 contos de reis (fores ) cm
dinlietro licaratn aos seus herdeiros. A tropa de
Extremos lem andado a escoltar aquees cabedaes
que se eneontrarain em moda amiga, dobrdes,
pe.as e Clttzadoa-noTos. Creio que tlesle ricasso
que se conta iue ou>ia tiiissa noria da igreja
pira poder d"alli ver a ca^a e entretanto vigia-la.
Logo tpie se linou, os parentes ravaram e revol-
vern ludo no quintal e acbaram um poder de
eolitos de re.s enterrados.
<( Foram agraciados: com a gr-cruz da ordem
da Oineeieo, o baro de Campeona, vcador de S.
M. a Imperatriz ijo Brasil: com a commenda de
Cbristo, Manoel Antonio Goncalves Roque e Jos
Antonio Eernandes, subditos brasileiros.
Chegaram os navios : Lisboaa 17 Firnuza
de Pernanibuco, a 23 Asia idetn.
Sahiram os navios : de Lisboaa 0 Angas-
tine (v) para Para, Marar.ho e Cc.ua
Estao carga os navios: eiu Lisba=/.((S/'a-
na para Peraambtico e Liyeiro para o Para ; no
Porto VeacMira c Ifuva Sympathm para Pernam-
buco, Douro pura o Para.
noticias clo.l I'.sf ailc<*-l ni>lu\.
Os ltimos telegrammas dos' Estados-Unidos dizem
t|ue a artilharia estava j em posicao para c<^aw
car o bomhardeamcntii da posicao oceupada pflP
indios de Me.locs, e que as tropas csLivam prnnT-
ptas para o ataque, mas que os indios havian con-
seguido escapar-sc.
Tiha recomecado i sua perseguirn.
s talegraninas sao de luda maio.
\oticias do Nitl do imperio.
Hontem s duas horas da tarde fundeoii no la-
rnarj u vapor inglez Cuzco, da linha do Pacifico,
plrazendo datas do Rio de Janeiro 2 c a"a Bahia o
do irorrenle.
Alm do que damos sob as rubricas Parte Of-
rial u Interior, encontramos nos jurnaes o que
segu.
CIIILP.
Causara inquietaco no Chile a noticia da expe
dicao ilo vapor argentino General Broten ao Es-
treito de Magalhes no supposto intuito e oceu-
par terrenos contestados entre as, duas repblicas.
A imprensa chilena discuta a questo com a'
guiiia acrimonia.
P.inAUAY.
Sao graves as noticias do Paraguay. As forcas
rebeldes do general Caballero bateram e dentro
Saram completamente as do governo, commanda
adas po^ Escale, que parece ter cabido inepta-
mente em urna emboscada.
Esta noticia causou grande sensa^iu na As
sumpeo, onde se diz que induzio o Dr. Ferreira
a renunciar a pasta de ministro do interior para
irpr-se a testadas Coreas em campanil.
Comtudo as ultimas noticias afllrmam que o
roajor Ve'asques ja havia tomado disforra da der-
rota de Escato, batendo os rebeldes. Nao os tinha
iodido perseguir por falla de petrechos e cval-
os, mas suppunha-se que a columna do major
Ocampo eum vapor de guerra Ihes tivessem'dado
o ultimo golpe.
A *Etperunca, folha de Goya, annunoia como
caso summamente grave, que as for.as do gover-
no paraguayo no Alto Paran havam feilo fogo
sobre o vapor argentino Misionero, detendo-o e
registrando-o por suspeito Je conduzir contra-
bando de guerra para os rebeldes. Os peridicos
de Buenos-Ayres, reproduzindo a noticia, dexam
ao collega correntino a respons.bilidade da sua
authenticidade. ~
MINAS GERARS.
Lemos nifTAaro/, de Juiz de Fora, o seguinte :
Somos informados e que nu Sarandy teem-
se repetido fados de sresMao aosna^^es
dos miseros que suecumbem DriexIf^HHMa
localidade.
Ha poneos dias ainda vio-so o Sr. Manoel Ger-
vasio, fazendeiro all estabelecido, forcado a se-
pultar o corpo de sua infelii esposa nos pastos da
fazenda, por Ihe ser negada a sepultura no eemi-
terio da povoacao.
Nao sabemos com cerleza qual o verdadeiro
culpado, mas consta-nos que o fiscal. Assim
chamamos a attenco da pessoa competente para
essa deshumanidade, e |iedimos a cess gao de
^toi
^^^^^Msres da Sarandy se conveneam do
nesmo tu Tez
no Diario de Santos, de 21 :
se aote-'bontem o piednso asylo de
caridade, intitulado Enfermarla do pnvo.
0 modo por que receberam-se ahi os enfer-
mos sabido, e a daJiraco desenvolvida pelos
Srs. coiunumdador Vergneiro e Camillo do Andra-
de foi igualmente testeoiiinhada por grande- nu-
mero de pessnas. Os nomes dos Srs coronel Ffr-
reir Azure u Costa, eommendador Yergueirq e
Camillo de Andrade, verdadeiros sacerdotes da r dade, na quadra melindrosa que atravessames,
jniais apigar-se-b.) da memoria dos habitantes
de Santos.
Sm actos que Deas aprecia e recompeasa-
deixando nu corarn dos que o pratica indiiivei
prazer.
O delegado de polica do termo do Amparo,
leneulo-coronel Jos Gomes Birbosa, tendoeom-
inutitcaeo do Dr. ebefe de polica de haveremse
evad.Ij da capital, com os guardas, (knu cals,
sendo um d'elles Benedicto Antupio Joaquim, o
celebro autor do ssxassinato commettido naquelle
municipio na pessoa do fazendeiro Joaquim An-
tonio Baieno. i-onsegura no da 20 do correte
prendaos dms criminosos occultos no mesmo
nairro em que se dera all n assasinato. O ontro
capn^nuo e o criminoso de nomo Marcelino Bi-
cudo.
E-creveram do Tiet em 13 qne as safras
de assucar do correte anno proinettem um re-
sultado aproximado do triplo das do auno pr-
ximo pass.nlo ; e consta que alguus agriculto-
res oUerecem, segundo a quanlidade, 3oOJ por
arroba.
Refere o Areense, folha que se publica na
eidaov de Aria, da provincia de S. Paulo :
No dia :9 do mez passado o Sr. Fortunato
Pereira Leite passuu carta de liberdade, sem
condieo alguma, a seus escravos : Innicenco,
de GO annos ; Jacintho, de iiO ; Josepha, de 40 ;
Alfonso, de 39; Alexandre, de 40 ; parda Vi-
cencia, de 30, e a seus quairo lilhos..
Falleceu em Santos o preto forro Miguel,
morador uo sitio Tapursfcaia, co-n a idade pre-
sumivel de mais de 100 anuos.
RIO DE JANEIRQ.
Ni i senado foi approvado em 3." discussio o
projecto mandan.! i admttir no qnadro eQactrro
do exercito o tenente reformado Jos Ignacio Ri-
beiro Roma.
No da 31 licou encerrada a discuss) do re-
querimento do Sr. Vieira da Silva, para oedir-se
informa;.oes ao governo acerca das providencias
toma las e.n nuil das mpronntuonii feiuw soiiM
alguns actos dos bispos de l'ernatubuco" i; Para.
Na cmara dos depiifidos foi rejeitado o re-
quqrimento do Sr. Silvetra Martins, ped.ndo nfor-
inacoes acerca dos ltimos Acoiitenieiilos de Per-
FVk sanrclou.ula e publicada, sob o n. 2.21i
e data de 2t de maio, a lei llxsndo as forcas de
ierra para o atino linanceirtt de l8"3-t7ff
Bis as n iticias comierciaes da ultima ata :
C uitiouou a ser f.i' oravel a posicao do o-so
mercado de cambio, que teve hoje movimento re-
gular a 2oo 8 d. pap-l banc.irio, 2o 3/4 e 13 7/8
d particular. as ir.msaccoes em papel da pra^a
predotniiou a ultima deslas laxas, i orno para
coiilirmaeao do estado favoravel do mercad, foi-
nos communicado ultima hora, qne um dos nos-
nos bancos eirectuara transaccao regular de
2o 3/4 d-
As apolices geraes de 6/. tambem se etns-r-
v.iram em pnsicio mniti lisingeira, Rendo ne;octa-
das a M & lotes iusigniiicantes e de l:0tii a
l:0C5| partidas menos que regulares. O mercado
ultima hora fechou com Compradores a esle
preco, mas os vendedores exigiam alta sensivel.
Apenas se negociou, no mercado de acces,
tuna partida (Jas do Banco Industrial SJjMll lillil,
a .3J.'i.)i) por aecuo a diuheiro.
As vendas de caf eire.-tuatlas hoje foram'im-
portantes, u as da semana d*J61,300 sacea'. Cil-
c.ulanios a existencia em cerca do Iiki.O 0 saecas.
Os precos uo soffrer.un alteraco alguma. mas
foratn sustentados eom muia firmeza.
Cottimos boje por arr iba :
Lavado 9"oo a lOioiK)
Superior e fino 9*700 a 10*000
i.' boa 9*300 a 9430D
l. regu'ar 8j8'l0 a 'U 0
l. ordinaria 8i')J a 83 0
2.' boa 7a9tW a 8H00
2 ordinaria 7G0;) a 780;)
3' De assucar venderatn-se hoje pequeas marcas,
t Sahiram para consuno cerca de 1,0X1 arro-
bas de carne aerea.
a Frelaram-se hoje : 1 navio para Parunagu
e Montevideo, mate, por 1,200ipalacftes ; 1 dito
para Cahn-Vtjrte e Paranagu, mi, a 900 ris por
alqueire; 1 dito Haanpaon Roads ordem, cafe, a
i-'i s. : 1 dito para um porto atlntico Jos Esta los
Unidos, caf, a 17 s. 6 d., el dito para Lisboa
ordem, caf, a 30 s.
alfandega ren.leu no mez de maio...
:!,6lo:4.!0706
Sa io para Pcrambuco, a 1 do crrante, a
patacho hespanhol Josepha.
F.SPIUITO SANTO.
Tivemos dalas dos Caehoeirus de Itapemirim al
23 e da capital at 27 do passado.
Haviatn ebegado no jwrto da capital os navios :
DocUr Iiartte, com 360 colonos para a colonia de
Santa Leopoldina, daquella provincia, e 129 para
a de D. Francisca, na de Santa Catharina ; e a
barca Adolphe com 413 colonos tambem para a
primeira das referidas colonias.
O presidente fizera seguir em comtnisso o ca-
pito Pedro de Sant'Anna Lopes, aflm de tomar
providencias tendentes reeepcao e agasalbo dos
ditos clono.
Constara que S. Exc. deferir urna representa-
BAo, que fizeram os colonos de Santa Leopoldina,
para que fosse augmentado o salario, yue actual-
mente percebem os que esto empregados all em
servico de derrub.uhi.
BAHA.
Tendo sabido o P .rana poueas horas autes
do Cuzc', vm por elle a mala dessa- provincia
alo mafor do dez eoutos
- s; coll.'clores
11 por eruto, o s 7 por cenM e os cobra-
dores 4, 5 por ceiito ; si, porero, fr a randa maor
do quinze contos de ris, terao os liscaes e collcc-
tores 10 por cauto, os escrivacs 6 por cejMo e os
cobradores 4 por cento.
Ferimeoto graveNo dia 5 do corrente,
na freguezia da Varzea. Manmd Ignacio da Paixo
ferio gravemente com urna facada a Estevo Ma-
noel da Silva, pondo-se em seguida em fuga.
Para o sul lo imperio. Com 3-rece
bidos em nosso porto levou hontem o vapor Rio
Grande 61 passageiros.
O vapor Sonda trouxo da Europa, com esse
destino 209 passageiros.
Para a Europa. 0 vapor Cuzco, com 45
embarcados em nosso porto, levou 190 passagei-
ros.
Xova linha de vapores.Diz-nos nos-
so correspondente de Lisboa :
Esquecia-me dizer-lhe que est annunciada
tima nova carreira de vapores para o Pacifico liy
de I.ine com viagens mensacs entre Antuerpia e
Valparaiso, fazendo escala por Falmouth, Lisboa.
Me de Janeiro, Montevideo e Buenos-Ayres.
0 primeiro arco desta linha, que tocar em Lis-
boa ser o Leopoldo I!, capito J. Jones. O vapor
de 2,340 toneladas^ de forca de 450 cavallos.dove
sabir de Antuerpia a lo de junho e chegar a 20
a Lisb-ja.
Vapor Paran. -Entrou hontem s II
horas e 33 minutos da maulla no porto de Macei,
pelo qne deve boje ch -gar ao no-so porto. Nada
diana elle do Cuzco, por ter sabido do Rio de Ja-
neiro no dia primeiro noticias coniiur-r-iaesOs telegram-
ma; dos Srs. Briowles k Forster e Pinti Leite i
Sohrnhos, de Londres em 2li de maio s 6 horas
c meia di Uirde, dizem :
0 algodio pouco procurado aos precos de 9 a
1' e mio de IVmambuco, de 8 3|4 a 9 IV* o da
Parahyba, de 9 a 9 e mcio o de Macei, de 9 3|4 a
H, o de Maranho, de 8 3|4 a 10 o do Rio-Gtau-
de, e a 9 e humo o do Cear.
.i 0 assucar frouxo aos precos : de 2i|G a 27( o
brauco e de 13| a 22| o mascavado.
0 caf frouxo aos precos: de 80; a 80| o do
Rio de Janeiro, do 7G| a 79| o da Babia, e de 8j[
a 8i o do cear.
Protesto de letras.O escrita > Jos Ma-
riano est de semana, cartorio onde foi a secreta-
ria ,1a polica, sala do lado da mar.
Lotera. -A que se aclu venda a 34*, a
beneficio da matriz do Cabo, a qual corre no
dia 14.
Casa de ib-teiieao. MovimcnM do dio
6 de junho de 1873 :
Exisliam presos 35*, eutrou I, sahiram 7, falle-
ceu i,- sfeteos331.
A saber :
Nacionaes 23(5, mnllieres 10, estrangeros 41,
iscravos 30, escravas 14.Total 331.
Alimentados, a custa dos cofres pblicos 276.
Movimento da enfermara do dia 6 de junho
de 1873.
Teveram balsa:
Quiutno Jos d'Oliveira, gurgerile.
Umbelino Gomes dos Santos, egasterio.
Joaquim Levino Leal de Barros, urticaria.
Tiveram alta :
los Alexandre de Cnrvalho.
Francen i Henri^oes de Suiza.
Falleceu:
Jos Floren ti r.o Meira, phlyca puluumar.
Passageiros Sabidos para a Europa no
paquete inuiez Cuzco ;
Pedro R ibigues de Olveira, c sua senhora, L
Heiiderson, J. Tliome e sua familia, Carlos P Bur-
gos Punce Je Len, G. A. P. Rrender a Brandis,
C. C Pereira de Bnlo, Canudo G, Ferreira, Au
gusto Eduardo Barro-, L. Jos da Silva Guimares,
sua inulher sua cunbada e tres enancas, padre
Jos M. Pereira, Joaquim Antonio de Vasconeeltot
Sebaslio Marques do Nascitneuto, Jos da Silva,
Manoel Jos de Lima, Francisco Jos Pires, Benoit
Levy, Antonio M. da Silva a 1 filho menor, padre
Manoel Jos dos Santos, Domingos Pmt i da Motta,
Jos Pereira Bastos, Beraardino da Gista Ferreira,
Jos Cardn da Silva Pinto, Florencio Pires, X.
Pros, Manoel de Barros Santinho, Amaro Jos Ra-
mos, V. de Almeida. Jos U. Vieira, Kelippe A.
Lopes, Joo Pereira, Francisco Jos Gon;alves.
- Entrados da Europa no vapor ingle/. S rato :
Tito Maria Ui;;o, Manoel Jos da Olveira Hedor,
Aniceto Mascaro, Eduardo Domingues.
^aludos para o sul no vapor francez Rio
Grande :
1." tenonte da armada Franoisco Xavier Rodri-
gues Pmheiro.
Cemlterio pi/blco. Obituario dw da 6
de junho :
Manoel Feliciano ra Rocha, pardo, Pernambn-
co, 19 annos. snfteiro,- Boa-Vista, hospital Pedro
II; hepatite. aguda..
Joaquim dos Santo*, preta, Pernainbuco, 38 an-
nos, fllleiro, Graca ; hepatite chronicju
Domingos Jos Pcruira, branco, Portugal, 33 an
BSM, wiado, Recite; lienioptise.
Maria, encontrada na porta da matriz de S.
Jas.
severiaa, escrava, parda, Pernambuce, 31 an-
nos, Roa-Vista ; phtysica pulmonar.
Alvaro, branco, Pernambuco, 3 mezes, Boa-Vis-
ta ; convuisdes.
Dinlo
i!-.i nos
! S./MS. B. % ~*
riSl AMBUCO.
REVISTA DIARIA.
.Vssemlila prnvttielal. Ante hontem
func;ionou com 21 senhores depulados.
Approvada a asta da sesso antecedente, o Sr. !
secretario leu as redacc/ies dos projectos ns. li, 53,
60,64, 67 e 68 deste anne, as quaos foram appro-
vauas, e bem assim a do projeclo do orcamento
provincial.
O Sr. Joaquim de Araujo, obtendo a palavra pe-
la ordem, requereu pedindo aulorisacao eom-
missao de polica para esta providenciar do modo
que na prxima futura sesean haja quem apantle
regularmente os trabalhos da assembla, cujo re-
queriniento foi aoproyado.
Passando ordem do dia foram approvadas em
2" discussc as e.ncndas apresenadas em 3." ao
projecto n. 34 do anno passado, que reforma a
instrucgio publica, e bem assim em 3.* discusso
os projectos : n 40 que autorisa o pagamento da
quantia de 12:0 Oj ao contratante da conservacao
da estrada de Pao d'Alho; n. 61, que autorisa a
prorogaco de privilegio companhia de Beberi-
be; n. oO, que autorisa ao presidente da provin-
cia a ratificar o contrato celebrado com Antonio
Gomes Nelto ; n. 89, que regula o servico dos es-
crives desta cidade, licando dependente de ou-
tra iiscussao a emenda a elle apresentada, so-
bre que oraram os Srs. Pernambuco Filho e Go-
mes Prente; n. 62, que crea diversas escolas de
Instrucco primaria, licando dependente as emen-
das a elle 'apresentadas de urna outra disenssao
na forma do regiment; n. 38, que considera
ordenado a gratifi :ari > que actualmente percebem
os escrives ua fazenda provincial; e 2.a discus-
so as emendas apresenadas 6m 3.' ao projecto
n. 70 de 1872, que augmenta os ven-imentos do
sol tador da fazenda provincial e de outros func-
cionanos pblicos.
Dada a hera o Sr presidente levanta a sessao,
designando para. ordem do dia continuacio da
antecedente.
Conselho de estado.Ainda se nio ti-
nha realisado a reuniao de estado plena para to-
mar conhecimento do recurso da innandade do
Santissimo Sacrameatoda matriz de Santo Anto-
nio, segundo dizem cartas da corte, mas essa reu-
niao brevemente se realisaria.
Rectifloace. No regulamento das collec-
lorias provinajaes, publicado em soaso numeio de
4 do corrontepb art. i* leia-se assim :
0 prndente da provincia, tendo em vista o dis-
posto nos ariigostte seos paragraphos da lei n.963
de 23 de jumo de 1870
de 1871, etc.
' 11 lea-
70e 34 da den. 994 de 13 de
-,
Knglfali Bank of Rio de Janei-
ro Limited.
CAPITAL SUBSCRIPTO 1.000000 EM 30.000
ACCOES DE 20 CADA UMA.
COM FACULDADB ni; SRB AUGMENTADO.
Capital realisado 500.000.
Sede do banco 13 St Helen*s Place, Bisnopsgate
Street London. Sucursaes no Rio de Janeiro, cm
Pcrambuco c Santos.
Saca sobre o Brasil e Portugal. Encarrega-se
da compra e venda de fundos, de rtceber dividen-
dos, de negociar e de cobrar letras de cambio e
de nutro qualquer negocio bancario.
as suecursaas recebem-se depsitos a uro com
prazo liso, cujas condcoes vista se|podetu ajus-
ta'r.
Relat trio.
A direceo submette com rautto prazer aos ac-
cionistas o balaneo junto, mostrando o activo e pas-
sivo di banco, e a conta de. ganhos e perdas no
anno financeiro lindo em 2< defevereiro prximo
passado.
Os lucros totaes do anno, depois de feila ampia
previso para as dividas ms e dnvidosas, montam
a 86,710.13.6 de que ha a deduzir o rebate da
uros as letras e saques por vencer, e todas as
despezas na sJe e as suecursaes do Rio de Ja-
neiro, de Peroambuco e Santos, licando o lucro
liquido (incluindo o saldo de 11,937-1.7 que vem
do anno passado) de 65,978.11.3, a qual tem sido
ajumado 19,764.14.9 por transferencia da conta
depreciarn do capital.
Em dezembro ultimo pagou-se um dividendo de
8 shillings por accao, montan lo a 20,000, e ago
ra recommenda-se que se divida a soturna de
30,00, ou 12 shillings porjiccao, em 9 de junho
prximo tatum prefazendo o dividendo annual de
20 shilungs por aceo, ou id 0/0 sobre o capital
reaiisado'do banco, livre de imposto. Alm desta
distribuidlo dos lucros do anno a direceo recom-
menda mais um rateio de 12,300, ou 5 shillings
por accan, proveniente da transferencia para a con-
ta de lucros e perdas de parte da somma que fi-
gura ao crdito da contadepreciaco do capital.
Depois de prover para o dividendo por conta j
pago, e o pagamento do dividendo e do rateio por
conta da-depreciaco do capital-que agorase
recommenda, ficar um balaneo de 23,243.6.0
ao crdito da conta de ganhos e perdas. Desta
quantia o directores recommendam que se ajunte
a de 12,500 ao fundo de reserva e que se trans-
porte o saldo restante de 10,713.6.0 para a conta
nova.
A quantia de 40,740.14.10 licando ao crdito
da contadepreciaco do capital -representa a de-
preciaco do cap lal empregado no Brasil ao cam-
bio dn 25 1/4, laxa pela qual se fecharam as con-
tas no Rio de Janeiro em 29 de fevereiro de 1872.
O fundo de reserva monta a 60,000, que agora se
prop6e augmentar para 72,500; e afim de eflec-
tuar isto urna resoluco ser submettida assem-
bla.
Os directores que, segundo as dispusieses dos
estatutos, detxam os seus-cargos nesta occasio sao
os Srs. William Bevan a George T. Biaoking;
ambos sendo elegiveis, offercem-se para realei-
CfiO.
A assembla ter de nomear fiscaes para es 12
mezes que rt seguem.
6 de maio de 1873.
13 St Helen's Place, F. C.
Eaglieh Basnk mt Ufe ck Jatnasi-
ra Lraniteal
ACTIVO E PAS8FV0 EM 28 DI VKVCSlEIRO DB 1873.
Amivo.
s d.
ira e
d c p o s iladas
com os ban-
q u e i r os da
companhia l,64,929.13.2
0 utras dividas
activas e sal-
dosdevedores 404,723.2.1 2,047,654.17.3
2,393,859.0.9
Patiiro.
Capital : s d.
Autorisadoem...
30,000 acedes
de 20 cada
urna, com fa-
culdadedeser
augmentado
i.i'OO.O iO,rea-
bsado 10 por
accao 10,000.0.0
Dividas passivas
Quantia que se
deve por e m-
tas Brrenles
e de depsitos 435,168.7.11
Letras a pagar,
outras dividas
passivase sal-
dos ..-redores L2S6,643.S.3 1,711,813.16.4
Depreciaco do
capital .
Somma ao crdi-
to desla con-
ta conforme o
balaneo de 29
de fevereiro
de 1872
Menos a somma
p a s s a d a ao
crdito da con-
ta de lucros e
perdas como
bateo
61,515.9.7
19,764. li.9 40,740.14.10
Fundo de reser-
va
Rebate de juros
as letras e
saques a ven-
cer
Ganhos e perdas
con forme a
conta jun'a
R esponsabli.la-
des em letras
negociadas
1.000. 0. 0
5,3*1. 3. 7
63,743. 6 0
2,393,85. 0. 9
30,383.16.9
COXTA DE CVNII.IS K I'KBDAS .NO A No I .NU I KM 28
DE FKVEKKiao DI 187-).
Ueve
A dividendo de 12 schillings por
ac^'o declarado pela assembla
geral de 22 de maio de 1872 304300. 0. 0
A saldo levado abaixo 11.937. I. 7
Hacer.
De saldo em 29 de fevereiro de
18
i 1.937. t.
'. 1,937. 1. 7
Dte.
As despena geraes na sede e
as suecursaes do Rio de Janeiro.
IVrnambuco c Santos, iiicluiudo
a remunerado dos directores 27,108. 2. 3
A dividendo pago por conta pe-
lo semestre lindo ein 31 de agosto
de 871 20,000. 0. 0
A rebate de juros as letras e
saquee a vencer 5,561. 3. 7
A saldo que vai abaixo 13.743. G. 0
118,412. 11. 10
flswsr.
De saldo que vem de cuna 11,937. I. 7
De lucros tolaes em Londres,no
Rio de Janeiro, em Pernambuco e
Sanios, depois de prover para os
juros dos depsitos, dividas mal
paradas, etc. 86,710. 13. 6
De somma transferida da conta
depreciaco do capital 19,76*. 14. 9
Saldo que vem de cima
118,412.11.1
i. ,743. 6. O
Examinamos os balanc retm-ttidos pelas diver-
sas suecursaes cuja exactidio .certifica la pelos
respectivos fiscaes, e bem assim os livros e tontas
da sede de Londres, e acharaos o balan;o cima s
a conta de ganhos e perdas correctamente feita*
de coufoiuida.le com elles. Os lucros das sue-
cursaes no anuo lindo foram calculados pelos
cambios eorrentes na data em que as contas se le-
cbaram. O capital empregado as suecursaes (I
gura as contas a 27 d. o par do cambio como
d'anles, e a somma ao crdito da conta dadepre-
dadlo do capital-excede astea, de 37,000, a
quantia sulcienle para fazer face depreciaco
pelo cambio corrente na data e:u que se fecharam
as presentes coulas. .
Os fiscaes,
Joan Yotimj.
Charles Rcnrj Sob'.e.
Morgan Ye tman.
PUBUCACQES A PEDIDO.
O geiseraI Wantlerley.
Sob esta epgraphe publicou o jornal A Pro-
vincia de n. 72 um artigo, em o qual prot-slando
por a liuipo os factes e os autores dos acontec-
mentos do da 16, atira-se de modo descommunal
contra o bravo general Manoel da Cunha W'au-
derley Los, e no histrico desses aconteeimento*
faz a to distincto militara mais injusta das aecu-
sacfieej*
jkm pretendemos convencer aos escriplores
dfljpielle jornal, sem desejarmos entrar em una
serie de cousideracoes dolorosas porui verdadei-
raS| para nao passarmos alm do que se nos faz
mistar, vamos entretanto dizer algumas palavras
ein resposta ao que se disse no artigo a que allu-
dimos, afim de que fique conhecida a verdade.que
proposltalmente se procura oceultar.
Antes, porm, |>erguutaremos porque se aecusa
a aquelle brioso militar, a quem o mesmo jornal
em o seu n. 70 ja o qualificou de digno pela all-
tude prudente, que assumio nos movimentos do
dia 14 ?!
Porque, perguntaremos anda, se injuries hoje
a quem hontem se lisonjea va cun repetidos vi
vas? I
A resposta fcil e peremptoria.
Urna reuniao convocada no dia 16 para conti-
nuaco das scenas do sempre memoravel dia 14,
causou apprehenfes ao governo, que cumpria
nao cruzar os bracos, porm providenciar em or-
dem a preven r quaesquer consequencias deplo-
raveis.
O general Wanderley leve ordem do digno pre-
sidente o Exra. Sr. Dr. Lucena, para comparecer
ao lugar do ajunlamento e tratar de dspersa-lo.
Comparece, approxima-se do ajunlamento sera
que Ihe acompanne a forca de cavallaria que pre-
sente se achava ; prudente e delicadamente inti-
ma primeira, segunda e terceira vez aos oradores,
para que, em nome da lei e da autoridade se re
tirem dispersando o ajunlamento.
ADriiicplo estrepitosos vivas o recebem, elle
os agradece,inssundo pela retirada do povo e nao
attendido I
Um dos oradores o mterpella observando -que
nio se achava no Paraguay, mas em um uaiz li-
vre, e outros em altas vozs o dajjBJJeudjsjl
O bravo general vio-se em mmT aSHnva,
ou transigir ou retirar-se abatido e depreciade.
Mo transigi, raaodou tocar avancar e cussprio
com o seu dever.
Depois contmuaram os oradores na mmanejo-
sico sem que se retrabissem e podendo edjpi-
nuar a excitacao. fazia-se preciso urna prenstjBKia
sera que de urna ves suflecaeee a reun'
Ordena o general qne os oradores se reinal do
palanque, deu-se por isto urnarsswleneia, que nao
pode deixar da ter como eaosegnoueia e arapre-1
go do meio que a con le ve.
Bis a verdade e eis que se nio pode
emtretanto, tero-se aiasjsrads casa aesS
para ts poder dizer cyaisa a revottaa^^^^H
o general mandou espaideif
paca te e*BaiMra*jas ciaaanas S]Ba st ea>
' jonul naa sh
aprsenla mu temmr'.
fases conflicto nen aasm ajoa de aaga* Isa
derra n exeepcj e Anas a4
que aonVeram Iev1s*intts cnsnartes,
menta se den. E-la a verdade, atas
que ludo se diga, qual
pregados para drs.roir a
3ne ainda causa o barlur
l II; premeditadii e iieraetnala a imsjbh fru.
sem pretvder a mais leve aggraasaw, a
niAcaale olfensa por liarte d'aonrnVs
escolbiilos para victimas.
Nao p.Miera, i as palavras da artiga a
que r.-|H>ndemos ; o faca est casanri la a ani-
mo publica prt.ferindo o sea safara jstgasaala.
reconhnrer qaa en taes rircoaastaarata a bravo
;;''.....al ennprio osen dever.
Os que sin tem a imaginaran exaltada e as sjaa
n i o podein abracar a causa oaaaaste* qaa aaaau
hora commetteram o maior dos alteatades, rrrta-
inente uo ex| disiinclo general, a queaa a nv a d nisrai i e
urna reuma., quejase baria convertid ees enea
perfeita anarchia.
Quem debata do I mentar n ealralaaa aasaaV*
ao cullegia <\"< padres jesnita* e a inT;t*a* a r-
p.dla de S. Francisca Xavier, aata t..ri.m pi
dos verlad. iros aelos As vandali-m". 4
lados ns altares, profanadas is iuugeas ; ask I.
derrama lo o terror, o susto e a alarma aa :
de respeitaveii seaaoras o craade i.aa
crianras que all se achavaai, nade i
toda a serle de deprc.l o-'. -.r-tragad-m a i
objertos lieilann-nle ganli e at I
sn.is ladres, um dos quaet veio a fallecer das a>-
pois dos e>paiiiainenlos que ITri-ra ^ae t..
a taes horas in.-rn implorando o au\il
D>......ni favor d-->sa popula.;", i que ni iltraUra*
K' por eiTio |..:ii"iit.iv.-l que hoiaeasnae ss di-
zem libcrue* e harm niis,is.w para a reali-a.-
de urna nova reuniao. cujas r.mse jwinia Mnant
to sinistras na as priiiicir..-, o disliiKt .
neral VVand.-rlex nao toinasse a resnlu^i \ -
Irustrau .. novo ataan.
E por ci-rto lainentavel, tepetim
ni.-n- que vi-.on o |mmI.t que aiada esp
gov -ni i ajipr-ivem s- n Ihante scenas.
do nosso estado de civilisa;io, c al1
mr ana
A r.-sponsacilidade do praeediaaeats 4a torra
publica no .lia 16. u i do bros sranral; iu-s-
nim di" que coiiv.h-.ir.mi a reuniao | r.citaras
o povo, e id d.ll.'s.
Hoje o p.v >-nde a lo e cen o aovo conbm
pata a coo-e.-ucide s.'iis planos piMieas; bm*
nao ainda estas bem vivos im acn lee me irtos dn m z
de abril di auno de lffl.
Naquelle l.-mpiu imivu, a quem loje cum t..:.
Hireme dWeadeai,/ i etMBVMradb t l-r*( ; ta-
bre e pita 'I' rtralh. nao pelo ^.tmt..I Wander-
ley, mas de ordem do governo d is libada tes r a -
la guarda nacional cominandada por una safluHi-
sa liberal!
N'aqucll.' lempa a sanguc peraassaacan- I
derramit.i ; v.-Ihis e crianras r.mm nrrrm-'
dos un dial. p'/ (i ; wiilr rxpuUelrnd a a roa do Imperador, em tren
te de um i repartiese, nao pilo g.raeral Waatr-
ley, mas pelo governo liberal!
Hoje defendiMii o p .yo *! Pobre poM>, a j:-.
laub-'tn inand r.ini c-pancir pnltliraim-nte nm o
me de agosto .!. IKliti. i-iii frente da forub-ia
Cinco Pontos, por un rlv-fe de poiicia anaiip*-
iilialo d>- mu batilhii de guarda na'i >nal !
Na i i-sto i-sqoei-,i.- esses artos kfinm<
mo quereni argir aecaaaeiai a nm uaMar 4.-
lincto e rujo n une i.-mistitue urna das atars' d
Drasil !!
O g-n-ri1 Wanderley. este milit.r n ilav-l .
sen proceder .-! vana- c iinons-o.-* i iiptruuin,
qner como oTi.-ial subalterno ih-su ,ir.vin--i. .
quer co no otli.-j-ij c minan Ion as armas; notavel |eto >tn cum,>rt..-
ment na ra-npanha do Paraguav, i me b: ,
rpidos areseos pela sua rorageaa a caastaM
dedi-aco occopa urna im|Kirtanle pa nao ser eml.aciaila rom "tados.
Os bordados de sua farda, as ron.lerorar
qne ihe penden do pe tu sao ttulos fit enajjam o
respeito, que Ihe nao |>restaram aocoMpararer ae-
rante os provocadores da desun -m.
K ame...; ido com os soffriinenliH de Pbwrsi.t
e Saint Ar*ant!! E-tes genera-s fraa<-"i-s '-
r.un victimas do >.-1 pr rcdimrnto p
rereaeram una traira n.. golpe dr atada de t da
aaasaekre (i povo nroeuroa JeftV* vii^rf-e rra
um olisi ionio poltico que r.nivi.dia ainiaaaar
(1 general Wanderley. ao coatrari >, rnnaj'T*
um dever, repellindo f-an a_ digaica-le nn"
genios seus bros o desre-pilo as aaioritasl ?
gal mente constituidas,
Restauru a ordem pnhli :a : koara ao brava
general.
O pare aa sr mmute,- verdade fiqnellr* ew
hoje o r.'tori im pixt-n espiUeirmrm ammtk
O general -ra s.-ui|ire u wiLJans e a pv*" **
aman-a o aiire'-iar.
Re-ife. maio de 1873.
Osrs%.
kiutm.i./.\, -2'6 it avio de I8T3.
Nao se pode admirar bstame o tmm pasto liberaes vm pagarem o Cemremte pan Bes da r
petas e tohers.
O hoiueiii de criterio e de boai vasa aia aaga
mes-n ao acaso nina loiiu desee jaraal ajar aaw
enjoe de ver assas censas.
Kan ludo se quer a re lar rio atraVr una Sara
algama, e tica iiiuito ebeia de'si jrrigaa4o lar graa-
.le -ci.-ncia ein fa er pbrases.
Qneni Kidc lr sem rir-se o artife adMariai da
22 de maio sobre a quota qae S. I~
ao digno director da rasa de
gres i !
A re.lacc.ao messa que a
n m essa casa, e ao asesas.
Exc |xirque orderum a (attrtga da
subvenco !
Ha disparale igual I .'
E porque, lendo-se pago esta
anuos, si agora acbou o Ce
traiilur ao Ev.ni Sr. Olveira Maciei *
Isto nao se explica !
O Indio velo fallar de teto qae antera etasa>-
ram, como as de aholicao da eaavuatus *
Que leis san estas *n tsmmwmm ae carear? da
redarco do Cenrente T
O que sabemos x este reajasHe a aanaase da
licen.a pelo roverno para anvieua m. aanasatt*.
Pois uega. o de licenca ka de abaicas ? Qae
Ul!
Isto que se chama fallar a lea t
E nao menos engranado talar sus da tafea da
regulamento f.-ito pela asseosblea prusiaeial
as casas de caridade !
Havia de ser bonito ver se a
do a igreja e dando regras
deslas casas, poto, o qae
Tambem muito divertido
de hygiene dessas casas, i
significa csu pala\Ta e
passa !
Pelo que diz. a falla de I
larem misturadas ou vit
Hirese menina1'. Que falla
A redaccao do Ctmtsue i
falla to a toa das coasas, qaa i
bla provincial eslaaeiecdo
em loda a sua exlaa-ao, a casa a i
ofleader reiigo, asaral e asa I
e sem outra oongacao, ana a de dar o
alumnos para a estatistica.
Escrever para diaer taatas aawarsas '
para quem a Itoi ; atas a Ceasaaar a i
escrever seja o qae Mr pan aatiiim
que Ihe pagam para ~
Em vez de dar a
as casas de candado, cansa qaer a sanee jm>
Cea> eme, devia orear asan lei de tasete asu-
mo de mil res por cada acosara qae
se, e dous mil par eada pdta.
Essa lei seria asis raaaaaal aja
lo que quer o l
A Jarea dar
peramos por uaa au esa <
quem quizer escrever I__
(Da CsaaWiianlB.)
Como corHetihos^^^^^L
Tiurna, nao p
protesto qfjIJ^^^^^^^^^H
Vllli Oiill
w%\-
eV>
i Silva.


1

ario
de Pernambuco Dou

a mi
obti
Diz o Sr. 1. .los Maxi
Bota dcsoccupar
m suas torras. E' falso tambera que
Mximo morasse em suas torras; desd 1863
.quo Jos Mximo mora em torras de Tiuma,
planta caimas o as me no mesmo engo-
lillo, sem que o Sr. Lino reclamasso por
modo algum, Jos Mximo mora em trras
do Gafando, trras as quaes os proprie.ta-
rios do 'fiama ttnm judicialmente manu-
tenidos.
E' falso tambem qne fossem arrancadas
caimas em partido do Tapacurd; as can-
as que foram arrancadas estavara planta-
bas no Cafando, as trras urn que os pro-
pietarios de Tmma foram manutenidos.
0 Sr. Lino deva |lembrar-se de quo j
arrancn lavouras do engenho General, la-
vouras plantadas era terrera) era qusto,
jieloque foi pmcessailo por mais d'uma vez.
0 Sr. Luiz deve lembrar-se do que j
occupou asseuto no bao de reo por ter
.arrancado lavouras e queiraado casas do en-
genho l^gda do Matto ; como-pois inculca-
i to innocente o victima de seus, vizinhos ?
O Sr. Lino confia muito no dinheiro e
pouco na justica ; lilizmento porem o po-
<1er desta tein sobrepujado aquelle.
Nao desejo discutir pela imprensa ques-
tes que pondera de deciso do poder judi-
ciartO e por esse motivo limito-me a estas
considerares.
Em coi-lusao declaro ao Sr. Lino que as
suas ameacas nao me intimidan o jamis fe-
rio com que deixe de promover pe s re-
cursos lgaos a defesa Jo Recife, ti dejunho de 1873.
BrsUiano Corre i Pessoa de Mello.
Invlidos ra<*ioiiaes.-ma meia dttiia
de palavras BimpJej e serias com algum dentre
vos outros que soffreis de indigestan e sua aeis-
turnada companheira prisSo do ventre habita' -
Desejaes allivo sem prostraro, urna cura rpi-
da sena doro. O meio do alcanrardes aquelle al-
lirio, o de eonseguirdes aquella cura, vos olTe-
recido debaixo da forma das plalas assaearadas
de Bristol; o nico eathartico c altcretivj existen-
te, o qual alr.* as passageus obstruidas des intes-
tinos sem nsar o menor desmaio U anejas, c
torna a restituir ao estomago e ao ligado, o vigor
un Ihes hvia sido lotibado pela molestia Este
d'-snbscruente natural nunca enfra<|uece orgao a -
com ou abate as torcas geraes, ao contrno elle
tul.illivelmente renova a saude natural do appa-
r.'llio digestivo e te preciso chamar-se um medico na casa em
que este seguro o lodo poderoso remedio de fa-
milias existir, e b >m ser que todo u boui pai e
rnii de familia o lenham sompro mi. As pdli-
tis rio mettiJas dentro de vidrinbos, o por sso a
sua conserva.fio Juradora em todos os climas.
Em todos os casos de impurezas dn sangue, a sal-
saparrilha de Britol .leve sor administrada jun-
tamente com as plalas.
Enrermiilatle hereditaria. -As vidas
de militares de pessoas acham-se reduzdas as
maiores affliecoes, miseria pola e-crufula heredi-
raria. No entretanto ella susccptivel de cura.
To corto como um lcali neutralisa um aculo,
nssm tambem a salsaparrilha de Bnslol tira ao
virus escrofuloso e syphilllico toda a sua mahgm-
dade. B' o anteo remed o antisptico gao faz pa-
rar on poem moa barroira as enfermidades ulce-
rosasd urna naturoza virulenta, e previne pos-
sibilidade dellas serem trensmittidas a segamte ge-
r.vo. O doente lica constitucionalmente cura-
do e todas as suas libras musculares tornam-se
li ss e boas, como v. a pe-sa jamis hoaresse
experimenta lo molestia alguma. Esta bem visto,
que parase ofTectuar to grande mudanea, torna-
se necessario o uso continuado da salsaparrilha
de Bristol, polo espaco de alguas mezes. As pila-
las assaearadas de Bristol deverao igualmente
usar-se conjunctamente com a salsaparrilha ; po-
rm em djses moderadas.
r ingl*

to j despachado
rio.
1LTHWAC.V0 N.V P\UTA JX)S PRECOS_ DOS CUNEROS
JEITOS DIRE1T0S DE KKl'ORTAQ.VO, NA. SEMANA
DE 9 li DK ll'RHO DE 1873.
loem rama ou la 536 rs. o kilo,
irmascavado 107 rs. o kilo.
Courosde boi seceos salgados 66i rs. o kilo,
arvao de podra estrangoiro, tonelada mtrica-
16*000.
Alfandega de Pernambuco, 7 de junho da 18/3.
O 1* conferenteJ. Kiboro da Cunha.
O 3 conferente-Ernesto Augusto de Athayde.
Approvo.Alfandega 7 de junho de 1873.
u inspector da alfandega
Fitbio Alexantlrino de Carcalho Res.
Iiiiportueao.
Rio Grande do sul, patacho brasileiro D. Fran*
cisco, consignado a Ainorim IrmAu 4 C, manfes-
tou :
oures 60.
Graxa 5,147 kilos.
Sebo 30 barris.
Xarque 492,125 kilos aos consignatarios.
Montevideo, patacho Uespanhol Tliereza, consig-
nado a Balthar Oliveira 4 C, manifestou :
Oraros l.
Xarque 3,591 quintaes aos consignatarios.
Portos da Europa, vapor francez Rio Grande
consignado a Tisset Frres, manifestou :
Agua mineral 1 caixa a Luiz A. de Siqueira.
Amostras 1 pacote a Burle'* ti-, l a Adriano U
C. Artigos de chapellaria 1 saiJtt" a Falque.
Batatas lio caixas a Lima 4 Silva.
Ceblas O caixas a Lima & Silva. Calcado l
caixa a Sequeira, 2 a Arantes, 3 a Lyra 4 Van-
na, 1 a Porto 4 Bastos, l a Farias 4 C. Cham-
panha 13 caixas a Lemes 4 Guereneau. Conser-
vas 7 caixas ordem, 1 a Siqueira. Chancos 3
caixas a Chrislane, 2 a Vaz J. 4 G, 1 a Wild &
:. Camisas I caixa a Amaral & Motto, 1 a Silva
Heves. Chales 2 caixas a Keller 4 C, 1 a Augus-
to Porto.
Fumo 1 caixa a Amaral, Xabuco 4 C.
Joias 1 caixa a Hyvernal, ditas falsas 1 caixa,a
S. S 4 C, 1 a S. Castro 4 Almeida.
Livros 1 caixa a Lailhacar. Licor 2 ditas a Bel-
tro 4 Flho. .,
Manteiga 100 barris a S. Bastos 4 C, 60 a tor-
ga, 7."> a M. Bocha 4 % 50 a J. Costa, 2o0 aus
consignatarios, 10J a Beltrao 4 Filho. Miudezas
1 caixa a D. T. Bastos, 1 a Lneman 4 C Merca-
donas diversas 2 caixas a Amaral 4 Molla, 2 b.
Castro A Almeida, 1 a M. Barroso, 1 a ordem, l a
Domingos Jos Teixeira, 2 a Armiuio 4 Moroira,
1 a Lopes Machad,), 2 a Falque, 1 a Amaral *>
Molla, I a Begard, I a I). M. Martins, I a keller &
C. Medicamento 2 caixas a Alves Barbosa, a
Caors.
Perfumara 1 caixa a A. Caors. '
Qaeiio 2 caixas a B. Turpn, 30 a M Rocha 4
17 a C Braga 4 C,
Oliv.
Sul-29 das, pata
de 231 tonela-l m I-ran-
Antonio Paradella, eiuipagem 9, carga
13,10) arrobas do carne ; a Amoriin Irrao 4 L.
LiverPol e portos intermedios-w das, sendo ao
ultimo porto M), rapor ingloz Seratu, de 2,573
toneladas, commandanto J. J. Hollway, eqinpa-
gem 114, carga dilTercntes gneros; a wdson
Rowe 4 C.
Callao do Luna e porto intermedios Vapor m-
glez Cuzoo, de 2,436 toneladas, commandante
SV. X. Thomas, equipagem 110, carga vanos
gneros; a Wilson Rowe 4 C.
Navios sabidos no mesmo dia.
Ro da Prata.-Brigue allomo Miranda, capi-
tn H. Fock ; carga assucar e agurdente.
Rio Grande do Sul -Lugre pjrtuguez Jos Este-
viio, capito Luiz Pereira ; carga assuear.
Hampton RoadsBarca ingleza Tlism-in, capitao
Blackford ; carga assucar. _.
BlticoBrigue russo lexander, capitao I. A.
Swenson ; carga algod).
Rio da Frata e portos intermedios-Vapor francei
Rh Fmnde, commandante Giot ; carga parte
da que trouxe dos nnrtos da En ropa.
Liverpool e portos intermedio} -Vapor ingloz Cuz-
co, commandante SV. X. Thomas ; carga a mes-
ma que trouxe dos portoWo sul.
Calo de Lima e portos intermedios -Vapor ingiaz
Sorata, commandante J. J. H illoway ; carga a
mesma que trouxe dos portos da Europa.

delil
CMI'AMIIA
HOCICA !xA
EDITAES
O capilTio Manosl Joaquim Fernnra Ksteves, ca-
valhciro da imperial ordem da Rosa, juiz de pa'.
primeiro volado da freguezia de >. Jos do Re-
cif-i, em virtude da loi, etc.
Faco saber aos que o presente edital virem e
delle noticia tiverem, em como Libanio Candido
Ribero me fez por escripto a peti'.ao e ferma ao
theor seguinte : .
Illm. Sr. juiz de paz da freguezia de s. Jos.
Diz Libano Candido Biboro dar aos herdeiros de Antonio Moreira de Mendon-
ea o pagamento da qnantia de 3:0">4i9i5, do que
Ihe era devodor o dito finado, para o quo teniou
ja os mc.os conciliatorios peranto esse juizo, acon-
tece que um dos herdeiros que Adolphn Apoh-
nario de Faria acha-se ausente e em lugar incerto
e nao sabido. A" vista do que reqoer o supphcan-
te a V. S. sirva-se mandar, alias sirva se de admit-
ti-lo a Justificar a auzeacia do dito herdeiro em
uigar Incerto e ni i sabido, designando-se para esse
lim dia e hora, para que julgada por sentenoa a
justilicacao se passe carta de editos pelo prazo de
30 das, na forma da lei e do estylo, afim de vir o
dito herdeiro conciliar-so sobre o pagamento Ja
parto que lhe cabe no referido debito como um do*
dous representantes de sua linada mli D. rsula
Moreir.. de llend.mea, irmi do primitivo devedor,
pena de revelia se se haver por nao concillado, e de
proseRUir-se nos termos contenciosos. Pede a y.
S. deferiroento -EB. M.-Becife, 17 de mam de
des-
ta eompanhia, approvar o ornamento vin-
douro, e eleger n nova adrainitra?do, de-
vorWo tiesta occesio ser lido o relut rio do1
Sr. vice-direclor que ser presentado,
trao mostrando o estado da cotnpnnhia no
anno findo em 30 d'abril ultimo. Os Srs.
aectenistas sao prevenidos de que nessedia
10 de junho), a aserabla geral ser instal-
ada com o numero de socios que compare-
cerem, como dispon o artigo 23 dos estatu-
tos.
Escriptorio da eompanhia, 6 de junho
le 1873. .
O secretario,
Jos 11. D. de Menezes.
Obras militares.
Se contratar com nuem mclhores vantagens of-
i'orecer fazenda a construero da coberta, que
tem de ser feiLa na casa de msica doajuartel da
Soledade ; Mrrioo oreado em 305*800 : quem se
quizer propor aprsente seus leos em oarla fe-
chada, 10 do corrente ao meio di3, na reparti-
do das obras publicas, onde se acha o ornamento.
Pernambucfl, 4 de junho de 1873.
O engenheiro,
Chrysolito F. de Castro Chaves-
Pela thesouraria pxivincial se faz publico que
o transferida para o da ll do corrente a arre-
matarlo do fornecimenlo o utencis precisos en-
ermaria da can de detenco por lempo de um
anno, a contar do 1 de julho prximo viudouro.
Secretaria da thosourara provincial de Pernam-
buco, 6 de junho de 1873.
O ofiteial-maior,
M. A. Ferreira._______
"SANTA GASA DE MISERICORDIA DO
UECIFE.
ti de
PERNAMCICO, 7 PF. JCNHO DE 1873.
Movimento e transaccoes commerciaes da
praca do Recite, na semana de 2 a 7
de junho de 1873.
Cambios. Sobre Londres a 90 d/v 2o e 1/4,
,. 25 m,K 1,2,23 1/4 e 23 5)8 particular e do
banco, 2-"> Iri.
Sobre Lisboa a vista 11/
C, 104 ordem, 6 a J. Alves, 17 a C Braga a.y,
50 a Magalhes 4 Irmao, 20 a Lebrc 4 Res 18 a
J. Costa, ii a Corp, 40 Bo~as 4 Filno, 23 a >.
Bastos 4 C, 6 a M. llanos r'ilho 4 C, 4 a kel-
ler 4 C, 23 a Goocalre Beltrao 4 Flho* .
Sardinhas 50 caixas a Magalhcs 4 irmao, oO a
ordem. .-.,.,
Tecido l a A. 4Motta, 1 a C Nogueira, 1 a kel-
ler \ C, 1 a Cramer Frey.
Vinho 1 barril a Goncalvcs fortes, 2 a Turpm,
3 a Beltrao 4 Filho, 7 ordem, 300 caixas a Sv
dr da Motta. Vellas 16 c.ixas a oyle.
Lisboa, brigue portUguez Soberano, consignado
a Ainorm Irmao & i)., manifestou : -
Agua ingleza 1 caixa ao hospital de Pedro 11.
Azeite doce GO barris a Rabello 4 C
Cevada 50 saceos aos consignatarios. Cadeira
de mola 1 a F. A. Gui maraes.
Drogas 2 caixas a Ferreira Maia,
Farello 500 saceos a Rosas 4 Inuo, 600 a Bel-
trao 4 Filho, 100 a Carpinteiro Filho 4 Sobnnho.
Fios 1 fardo ao hospital de Pedro II.
Imagem 1 caixote a F. A. de Britto.
Linhaca 3 barris a Silva llamos", Lcgumcs e
eastanhai 1 caixa a A. A. de Mello.
Medicamentos 4 fardos e 2 barris a Caors, 2 di-
tos e 3 caixas a Silva Farias, 2 fardos e l>aixa a
silva Ramos, 4 fardos a Bartholomeu 4 L. Mer-
curio 4 caixas a Prente V. 4 C.
Pedras para urna 2 caixotes a Souza Aguiar.
Oratorio 2 caixotes a F. A. Brito.
Semeas 100 saceos a Ferreira do Almeida 4 L.
Soleiras 2 caixotes a Goncalvcs Fortes.
Toucnho 60 barris a Rosas 4 Filhos.
Vinho 4H pipas e iS barris a Costa Arnonm, 4-
ditas e 20 ditos a S. Bastos 4 C, 2o ditas e 20 di-
tos a Rabello 4 C, 13 ditas e 10 ditos a Rodrigues
Mondes, 17 ditas e 14 ditos a Beltrao 4 rilho, i
ditas e 4 ditos a Fonceca 4 Successores, l barril
a F. Balthar, i a M. Basto.
Velas stearinas kitegntmme.
TANTA CJ
TaTT
do banco e 1.6 [.
particular.
Sobre o Rio de Janeiro 30 d|v 1 | descont.
Sobra Paris, 3 d/v, 383 e 378 por franco do
QgMtMM VKNDIOOS.
do. De Pernambuco, i' .sorle, escolhido,
0*600 por 13 kil.
dem regular (hoin) 95300 por lo kil.
Mein id:n 95100 pur 15 kil.
Da Parahyba 1- sirte 9*901 por l^i!. pos-
to a bordea 'reiexlo l|2 c 5 |.
dem 2* sorto 8*800 dito, dito dito.
Do Pnelo, sem inpeeco 8*40;).
Assucar. D> Canal, l*o00 por la kil.
Gouros. Seceos salgados, 664 res por kil.
Entradas de assucar e de algodao :
8 i i saceos de assucar.
2.386 sarcas de algodio.
( K' o que est, por hora, verificado.)
Exportarlo.
Portos estranijeims.
j.verpool-4,.!48 saccas de algodao.
Porhs do Brasil
i\\o Grande do Sul-35 ipas de agurdente,
10 ditas de espirito de vinlio.
550 barricas de assucar branco.
3-i0 ditas de dito mascavado.
Santos -400 Mecos de assucar branco.
900 (Utos de dito mascavado.
150 pipas de agurdente. ....
Associaco CJinmercial Beneticente, 7 de junho
de i8T3.
J. V. Ferreira L)pes,
Archivista.
Banco Commercial de Per-
nambuco,
0 banco sacca por todos os paquetes so-
BS pr cas de Lisboa e#orto.
PRAGA DO RECIPE 7 DE JXHO
V .DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TAIIDK.
Cotacdcs ofllcinc.
Algodao-de Maeei 2' sorto 9*200 por-15 kilos.
posto a bordo a frete de 7|8 d. e 5 0|0,
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 25 3|8 e 25
3r4 d.. e do baneo 23 3|8 d. por. 1*010.
Cambio sobre Lisboa a 90 dtv. 113 0[0 de pre
mo.
JlitO-sobre dito a 3 drv. 117 OjO de premio, do
baocj.
laDourcq
Presidente.
t,eal 8eve
Secretorio
OESPA' II S DE EXPOBTAGAO NO DI \ 6 Dk
MAJO DE 1873.
Pun os portos do exterior
No vapor nglez Cuzco, para Liverpool, car-
regou : F. 1". Balthar Jnior I caixa com 600 cha-
rutos. .. .
No vapor nglez Student, para Liverpool, car-
resaram : S. P. Johnslon 4 C. 119 saceos com
8 072 kilos de assucar mascavado ; B. Schinmet-
tau -v C. 115 ditos com 8,625 ditos de dito, e 100
saccas com 7,393 112 ditos do algodao ; T. Jellenes
4 C. 77 ditas com 6,364 M2 ditos de dito ; A.
Castro 4 C. I barrica com 66 ditos do assucar re
finado. '
Na barca portugueza Rpida, para Liverpool,
caTegaram : G. Xeesen 4 C. 138 fardos com
24,943 kilos de algodao ; P. J. de Siqueira 3, cocos (fructa).
Para os portos do interior.
Para o Para, no brigue brasileiro Rmo, car-
regaram : Ainurim Irmaos & C. 130 barriqumhas
com 7,388 kilos de assucar branco ; P. Vianna &
C 130 ditas com 7.798 ditos de dito ; B. Oliveira
& C. 125 ditas com 5,316 ditos do dito, e 5 pipas
com 2.400 litros de alcool. .
Para o Maranhao.no vapor brasileiro Para-
n, carrregaram : Carvalho & Nogueira 10 bar-
ricas com 1,159 kilos de assucar branco e ID ditas
com 1,103 ditos de dito mascavado.
873.-Como procarador, Luiz Francisco de Mello
Tavar^s. .
E mais se nao contnha em dita petirao aqu
Belmente copiada, a qual aoba-se sellada compe-
tentemente.
Em sendo apresentada, dei o despacho seguinte :
-Como raquer.e designo o dia 21 em audiencia
para a in miricao da- testenunhas. Freguezia de
S. Jos do Recite, 19 de mato de 1873. -Ferreira
Estoves.
E mais se nao contnha em dito despacho aqu
copiado, por torca do qual o justificante produzo
suas lesteaunhas e subindo-me os autos a conclu-
sao nelles profer a santenca do theor seguinto :
Vistos estes autos, etc. Julgo justificada a au-
sencia o incerteza do domicilio do supplica lo Adol-
pho Apolinario de F.ria, em vista dos depoimenlos.
das tstemanlias defis. e lis. ; pelo que mando se Vinho branco, dem.
passe carta de editos com o praao de 30 das para
ser citado o mesmo snpplicado, para o (Im reque-
rido na policio a lis. 2 c distas. Freguezia de S.
Jos do Recfe. 28 de maio de 1873.--Manoel
Joaquim Ferreira E-leves.
E mais se nao contnha em dita sertenca aqu
fielmente copiada, pir torca da* 'lu:i1 esenvao
que esta escrereu mandou-passnr a presente car-
ta de editoi com o prazo de 30 dias, pela qual sea
theor se chama, cita e hei por citado 00 snpplicado
Adolpho Apolinario de Faria.para o fim requerido
na peti.ao cima transcripta, afim de que comp-
rela n primeira audiencia (leste juizo, que tera
lugar :i inmediata depois de findo o dito prazo.
Pelo que toda e qual pier pessoa, prenles, ami-
gos ou conhecidos di dito supplicado o podero
Fazer sciento do quo acra* fica exposto, e 0 por-
tel ro deste juizo o allixar nos lugares do osiume
o publicar peja imprensa. .
Dade e passado nesta freguezia de S. Jos do
Recfe, aos 20 de maio de 1173
Eu, Jos* Goncalves de S, escrivao de paz, es-
crv.
ilanoel Jn qnim Ferreira Esteres.
FornecimentoTle 28:0000 annuaes
A junta administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Recfe precisa contratar o tornecimen-
to dos gneros abaixo declarados, que lm de con
sumir todos os estabelecimentos pos seu cargo,
no trimestre de julho setembro do corrente
anno. Recebe propostas na sala de suas sessoes,
pelas 3 horas da tarde do dia 13 do corrente.
Aletra, klogrammo.
Agurdente, litro.
Azeile doce, dem.
Arroz do Marahno, ideni.
Bacalhn klogrammo.
lianlia de poreo, dem.
Batatas, idem.
Cha hyssf.ii, dem.
Caf em grao, idem.
Carne secca. idem.
Ceblas, cento.
Farinha de mandioca da trra, litre.
Feijao mulatinho, idem.
Farello, sacca.
Fumo do Rio, kilogrammo.
Gaz, lata.
Milito, sacco.
Manteiga franceza, klogrammo.
Potassa, idem.
Rap, dem.
Sabio, idem.
Sal, litro.
Tapioca, kilogrammo.
Toucnho, idem.
Velas de carnauba, idem.
Vinagre, litro.
i nlio*tinto dj Lisboa idem.
Navegacito eosteira vapor.
\PE.
O vapor Coruripe, eom-
mandaute Silva, seguir para
o pirto cima no da 12 de
corrento, s K horafla tarde.
Recebe carga, enrommen-
das, passagens, e dinheiro a
frete at as 2 horas da tarde do dia da sabida:
oscriptorio no Forte do Mallos n. 12.________
~ COMPANUIA PERNAMBUCANA
DE l
Nuvegacoo costeira a vapor.
PORTO DE GALIN'HA, RIO FORMOSO E TAMANDAR
O vapor Pnrahi/hn, com-
mandanto Pedro Nolasco,
segirir para os portos
acuna no dia 15 do cor-
rente, as 9 horas da nou-
te. Recebe carn, ef"
Hiendas, passageiros e di-
nheiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
n. 12._________________________________
COMPANUIA PKll.NAMBIGANA
DE
\a\ -u;fi costteira a vapor.
MACEI, ESCALAS, PENEDO E ARACAJ'.
O vapor Gimiiu, om-
mandante J. Martins,
seguir para os por-
tos cima no dia 14
do corrento, s 5
horas da tarde.
Recebe carga at da 12, encommendas at
o dia II, dinheiro a frete e passagens at as i ho-
ras da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte
do Mattos n. 12.____________________________
-COMPANUIA PERNAMBUCANA
DE
ftlavegactlo costeira a vapor.
?.vr,AIIYBA, NATAL, MACO, MOSSOIIO', AUAC\
TY, CEAR, ACARAC'E GRANJA.
O vapor Pirapama,
commandante Felippe,
seguir para es por-
tos cima no dia 14
do corrente, s 5 ho-
ras da larde.
Recebe carga at o dia 12, enrommendas at
o dia 13, passagens e dinheiro a frete at as 2 ho-
ras da tarde do dia da sabida : escriptorio no
For'e do Mallos a. 12.
'XtlDi)
1121a, CS
jvircel;
jectos que estaro art
!o* rotteorrnitra
Trrca-IVira Ir Jambo
AS 10 l|2 II IAXHA
Por intorreocio do ageote nao.
No armazem da na do Impe-
rador n. 45.
Leilo
DE
movis, loura crftfav
COMPANUIA PCllNAMBll'.ANA
DE
^'nvcsai'fii costeira a vapor.
cnvivx
O vapor Parahyha,
commandante Pedro,
seguir para o porto
cima no dia 12 do
corrente, s 9 horas
da Monte.
Recebe carga, ensommendas, passageiros e di-
nheiro a frete no escriptorio no Forte do Mattos
n. 12.

Para o Porlo
pretende sabir muito breve a gdera portognesa
S'ora Fama I por lor grande parte do sen car-
regamento prompto. Recebe a carga que lhe fal-
ta a pncos mdicos, e tambem passageiros, para
>s quaes tem ptimas accoinmolaves : trtate
oin Tito Lirio Soares, rus d Vig.-io n 17.
DA MISCIUGOIIDIV DO
RECIPE.
Fornecimento de. 3<<:o00J annuaes
A junta admni-trativa da santa casa da miseri-
cordia do Becife precisa contratar o fornecimento
de pao, bolacha o assucar que houver ti
mir os estabelecimentos pos '
seu cargo no tri-
PAHV
..Ai'ATAZlA DA.ALFANDEGA
Rendimento do dia 2 a 6 3:',f!o,
dem do dia 7...... 68i$iSI
4.555*340
VOLUMES SAHIDOS
No dia 2 a 6
Primeira perla no dia 7 .
Segunda porto.....
Terccira porta ,
Trapicho Omceicao .
SERVICO MARTIMO
Alvar engas descarregadas no trapiche
da alfandega no dia 6
Ditas ditas no dia 7......
Navios atracados no trap. da alfandega
Alvarengas _......
No trapiche Conceico -
6,341
155
135
119
1,006
7,756
O Dr. Sebastiiio do llego Barros de Lacer-
d.juiz de dimito especial do commer-
cio da cidadfi do llocife do Pernambuco,
por Sua Magestade Imperial, que Deus
guarde, etc.
Faco sober aos credores do commerciante ma-
triculado Joaquim da Silva Costa, estabelecido
nesta ci lado, Impetrante do moratoria ao mere-
Ussimo tribunal do commercio, qne pelo presente
cdital sao chamados para comparecerem perantc
este inio, na sala das audiencias, s 11 horas do
dia 9 do mez de junho prximo luturo, alim de
observar-se e dar-se inteiro cuinprimento ao dis-
poslo no art. 91)0 do cdigo commercial, de con-
formidade com as disposicoes dos artigos 84 S,
844 e 847 do mesmo codiao, cortos os ditos cre-
dores do que nao seria admittdos por procura-
dor, sem que este exhiba .procoraco especial, a
qual nao poderi ser conferida a devedor do im-
petrante nao podando, outro sm, um s indivi-
duo representar por dous diversos credores, e que
ser navido o credor que nao comparecer, como
adhererte s resolucoes que tomar a inaioria de
votos d>s credores quo comparecerem ; sendo
necessario para a concesso que nella convenha
a maioria de credores em numero, e que, repre-
sente dous tercos da totolidade das dividas dos
credores snjeitee aos effeitfs da mesma .noratona.
E oara que cheguc noticia de todos, mande
passar a presente, que ser allixada nos lugares
do costme c publicada pelos jomaos.
Dada e passada nesta cidade o Recfe de Per-
nambuco, aos 29 de abril de 1873.
En, Manoel Maria Rodrigues do Naseimento, es-
crivao, o escrev.
Seb-stiao-d) Reg Barros de Lcenla
diestro de julho setembro do corrente anno
Recebe prop atas na sala das suas sessoes. pelas
horas da tarde do dia 13 da corrente.
Fornecimento de 90i000< por anno.
A junta administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Recfe precisa contratar o fornecimen-
to da carne verde que houver de consumir os
estahBlcw.mentos seu cargo no trimestre de julho
setembro do correte anno. Recebe propostas
na sala das suas -essoes, telas 3 horas da tarde do
dia 13 do corrente.
Secretaria da santa casa da misericordia do Ke-
cife, 6 de junho de 1873.
O escrivao
P.-lro Rodriaies de Souza.
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ca demora o patacho porlugnez Olinda, por ler
a maior parto da carga en-ajada, para o resto
que |rc falta tratase com os consignatarios Joa
quim Jos Goncalves Beltrao & Filho : na do
Commercio n. 5.

SANTO ANTONIO-
Sieieilade particular
Gremio Dramtico.
Recita offerecida pelos socios
OTVMHA
DE
NAVEGAClO BAHIWA
Para llaccio, Pcncilo, Aracaj
o Baha.
E' esperado dos portos do sul al o dia 13 ou
14 o vapor Qtut&o de Orleans, o qual segu para
os portos cima.
Recebe carga, passageiros e dinheiro a frete a
tratar com os seus agentes Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo & C, ruado Bom Jess n 57.
Para
eiedade
destaa-
a Sociedade Beneicente Luso-Brasil^
Quarta-feini 11 de junho.
Depois que a orchestra "egida pelo maestro Co-
las tocar urna de suas simphonias, subir a sce-
na o dr ma em 3 actos : .
iTO D1D1ER
Fnalisar o espectculo com urna linda come-
\ bolsa e o eachibo.
Os bilheles para este espectculo sao passados
pela directora da Sociedade Luso-Brasileira.
(Jna commissiio da mesma sociede agradecer1,
em um dos intervallos a aquellas pessoas que se
dignarem enneorrer com seu bolo para o thro-
uo da caridade.
Principiar s 8 1)2 horas.
0 brigue fl'io recebe a frete o resto da carga
que falta engajar para o referido porto : a tratar
com seus consignatarios Amorim Irmaos S (..
2
2
15
GE-
DI
RECEHEDOBIA DE BENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMRUCO
Rendimento o,\dia 2 a 6 8:2663i88
(demdo dia7\..... 552b<0
N| 8:8194153
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 2 a 6
dem do dia 7 .
XANBRGA
do dia? a 6-.
flendimento do dia a 6-. 2:7801840
em do dia 1......24.669*981
17:8334967
-.6944446
20:528*413
Santa Casa de Misericordia
do Recife..
A junta administrativa desta Santa Casa, afora
dous terrenos que possuc no lugar dos Arrumba-
dos, hoje Duirte Coelho, soh ns. 39 e 40 tendo
aquelle 390 palmos c este 309 de frente e ambos
de fundos at a baxa mar
Secretaria da Sania Casa de Misericordia do
Recife, 7 de abril de 1873.
O escrivao,
Pedro Rodrigues de Souzl___
.SANTO ANTONIO,
EMPREZA
o
Rio Grande do Sul
sahir em poucos das o lugar nacional Rio Bran-
co, : para alguma carga a frete; trata-se na ra
do Vgario n 7, 1
andar.
Para o Rio Grande do Sul
pretende seguir com muita brevidade e palacio
nacional Maria EnUii, tem parte de seu carre-
ga^ento engajado, e para o resto quo lhe falta,
tratase com o seu consignatario Antcnio Luiz de
Olivoira Azevedo, no seu escriptorio, ra do Bom
Jess n. 57._____________
Y ende-se
o veleiro patacho porlugnez hice de 185 tonela-
das, demandando depois de cartegado 10 pes de
agua, forrado de metal e classilicado 5/6 A 1-1,
com duas andainas de panno e bastantes sobre-
salientes, prompto a navegar para qualquer par-
te : quem pois, o pretender, pode mandar exa-
mina-lo no ancoradouro da descarga da carne
secca, e para tratar com os seus cmi-ignatanos
Joaquim Jos Goncalves Beltrao & Filho, a roa
do Commercio ji. 6, aonde se acha o inventario.
LSILOES.
AV 11 horas d.t tn;inlia.
No sobrado da ra do Crispo n. 17, pri-
meiro e scfni<> andar.
O Nvjente Piut-o Borgrt ven-
der por contx de um familia
que inudou de re* e-
guinles objecin ?tx-r:
Urna mobilii le j k a -.id
com lampo-* 1 piano de arma to de3ct>rdas,
lsecrctnrit le moy.no, 2 cmn-
tiieiros aa[z, I camlelabr de
metal, i guarda roupi g.'ande
de amarello, mua toilelle de
nmareilo, guarda cuniiuiua
aparadores araiarios p;ira d -
pe i isas, -spt-lhos douraduf, I
mobiliudejacaian UO. 1 machina de costura, lao-
t ritas rom nianij; iv, lavMiorior.
I burra de feiro(co.-e), 1
francez i oe j.ic.ran ,
gun.adeiras, cad>iraa de bal
;>, copos, clices. 1 apparel
de !ou;a para jantnr, 1 dito pira
aliuo<;o, I resfriadeira de barro.
tapetes, cr>mmHla dejaoanda
e ano co, c.ibides, qaariinkci-
ra e outro< mu i toa artigos do
uso 2 ni estico, qu- esta o pa
tentes no releri o lia
Terca-fe.ra 10 de junh .
KA IK) rRKSI'U N. 17.
J'e o hgente l'mho Bonrea.
m
bons movis
quarta-feira i I de junho
N.\
1 I1R \ ^1'. !"%%-
Kr---l.ua i) liberadorU
(lob'lias c'mpl-tas de Jaca-
randa com tropos de pe.lra
inarmore. bonil -s -ardas lou-
ia, cartrira8 pira escriptorio, I
burra (prosa de (<*u). elogia
de pared-.' I mobilit de ama-
relio com tam < de petlra,
eos aparadores, nmrnasial
niogito cooi tam>os d |>edra
tnaimore, 1 piami 3 c la .
Iint-rnaa, candelabros, camas
frauct-zaa de j;-. e n-
relio, guard i roup _u da 1
tido, i niisi ia- te. .le fit -
boas, ohje. los dr-ouro e prta.
louc,a, -ry-laes, -;eli.:
gunjftdeiras, carttaifasi para es-
criptorio e pian bM^oS pa:a
Ciatiqiis, tiataapaiomaei para
portas, tapetes, relogio* dealci-
b-ira, I grande cart'ira hornos-
ptica de tinturare innmeros
ibjectos do ; s d ine.-tico.
Ni mosuiH c*ca*iao ^e ten-
der urna casadeUipa edifica-
da na Levad oo Monteiro. a
qual rea 'e 14$ mllAh.
Quarta fera II do corrente
NA
FEIRA sEMAN\I-
16=rua mi imperador n.16.
Armases*.
l.li-
de
S17:45045J1
Deecarrgam ho 9 de junho Ae 1873
inde mercadonas para
:iercad|
Brigue p
Patacho ingla <
pafa.alan-
para o caes
jSjaros pa-
^^char.
o b "ii i
MBIMENT D PORTB.
Navios entrados no da 7.
Lisboa-31 dias, brigue porluguez Soberano^ de
I Bo toneladas, capito Manoel Bernardo Bugin-
.nga, eijuipagem l, carga vinho e ou^os g-
neros ; a Amorini Irmao 4 C. i
Macei-2dias, brigue austraco ngoslaw, de 31
toneladas, capito P. Dumich, equipagem 9,
carga algodao ; ao mesmo capito. Veio re-
ceber ordens, e seguio para Liverpool.
Rio de Janeiro-10 das, barca portuguem Ceres,
128 toneladaf, capito Joaaum Goncalves
Camacho, equipagem 13, em lastro; a J. J.
Beltrao 4 Filho.

Pela thesonraria provincial se faz pnbhco
que oram transferidas para odia II do corrente
as arrematacoes dos impostes provineiaes, iucliisi-
ve o do dizimo, as comarcas abaixo mencionadas:
Tacarat, por anno 2:5^I*22n
Flores, idem ::*79*XX
Villa Helia, idem 3:670*700
Cabroh, idem i:6JGb78
Boa Vista, idem .'f 823339
Ourcnrv, idem S234331
Outro'sim, se tai publico, que no da 9 do mes-
mo corrente moz haver sess.lo extraordinaria da
junta de fazenda para que so possam habilitar es
pretendenles estas arrematacoes.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
buco, 5 de junho de 1873.
O ofllcial-maior,
M. A. ferreira.
DO
BEBERIBE
So novamente convidados os Srs. accio-
nistas para se reunirem em assembta geral
no dia 10 do corrente mez ao meio dia no
Terqa-feira 10 de junho.
Becila em beneficio da actriz
OlaYUlFIA \AlalaMI\S
Representar-se-ha a sempre applaudida comedia
drama em 5 actos, ornada de msica :
4 WiSk Di PARS
original do escrptor francez
i'aulo de Kock.
Toma parte toda a eompanhia.
Terminar o espectculo com a graciosa scena
cmica :
5
0 beberrao
flanella e cordavo avariado.
SEGUNDA-FEIRA 9 DO CORRENTE.
O agente Pintio Borges vender em leilio poi
ordem da eompanhia Becife Drainage, duzias de
pellos de chagrn decores, ditas de cordavo fran-
cez e flanella para selleiros, tudo com avaria d'a-
gua doce.
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 53,
primeiro andar.
de^rapenhada pelo actor Cmara, em obzequia^i
beneficiada.
Principiar s 8 i|2 horas.
A beneficiada confia na benevalente proteceo
do publiaa e agradece cordialmente com especia-
lidade s pessoas que se dignarara acceitar-lhe
bilheles.
Rio Grat^ie do Sul
Para o referido porto pretende seguir com pern-
ea demora o lindo e veleiro lugar pertuguez Jos
Brtevao.to daase, por ter a maior parte da
carga engajada, e para o resto que lhe alta trata-
W*. PABA
liquidago
No armazem da ra ao
Imperador n. 45.
De canrjieiro a gas, de b
ze e cristal, arandella^
rizes, lava!
bomba para jar
ferro, tobos, fogtreir
LEILAO
DE '
FAZENMS
LIMl'AS E AVA1
Sexta-feira 13 doconenle
s 11 hora
0 agente Pinho Borgn
conta e risco deqoam penei
naiafBBSl, lis de cares, luvaa
de tranca d
. duzias de sapaios para acalm,
guins para non. i R
para camisas a mui;
Giteates no dia do lao,
rgod
- .'-.....L-
tVISi
.


Diario dePernambuco Domingo 8 de Junho de 1873'.
FUHDIGO OE FERRO E BRONZE
FABRICA DE MACHINAS
V ra di Bar d> Trioiphi (na CARD0S0 41BMA0
AVISAM aos Srs. de engenhos e ao publico era goral, que receberam da Europa
rande sortimento de ferragens para engenhbs e para lavoura.e quaesquer outros uso?
e raistcres da industria agrcola, o que tudo vendem por presos razoaveis.
Vapores horisontaes de 4, G, 8e 10 cavallos, os mclhores que vem ao mercado.
JiOendaS completas, obra forte e bem acabada.
3leiaS mOenaaS para assentar em grades de madeira.
TaxaS de feTO mn^'^ e batido, de todos os tamanhos e dos melhnres fabri-
cantes.
RodaS d agua jt diversos tamanhos.
KOCiaS dentadas de diversos tamanhos equalidades.
Arados americanos do diverjas quai.dades..
rOrmaS paraaSSUCar grandes, pintadas e galvanisadas.
ConCCrtOS concertara com promptidao qualquer obra ou machina, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
r.MCOmmendaS Man(Inm vir Por encomienda da Europa, qualquer machinismo,
para o que se correspondan com urna respeitavel casa de Londres
e com ura dos melhores engenhriros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
as litas machinas, e se responsabisam pelo bom trabalho das mesinas.
RuadoBaro do Triumpho(ruado Brum)ns. 100 a 104
F U N D I C A O DE C A 11 D O S O & IRMA O.
MUDAHCA^
i N. Senhor
DO %
COLLEGIO 'g
'iiliora da Sade 2
8
l
sig- W)
as m
ica. B
FAZESDAS PAR ACABAR
Na ra do Crespo n. 20.
LOJA DE
GmUierme Carneiro da Cina 6.a .
PHA
de leoninas.
collegio, abaixo assig-
nao s aos pas de suas
todos os chefes de fa
confiar Ihe a educa- .
., que Iransferio o seu \
Q collegio da freguezia do Poco da Panfila fj
C para a freguezia da Boa-Vista, sobrado Q
*' h. 25, sito ra Formosa. Q
As .lumnas deste collegio receberj ri
ma educaco esmerada sob. as bases da. m
ia moral e da religio, como cinvm M
senhoras de um paiz catholico/f e te- g.
M, rao por mestres, professorfs eseolbidos jf,
~g entre os mais habis, os quaes serao en- V
guJ carregados do ensino de leilura de prosa
1 e verso, calligraphia, arithmetica, s\ste- Q
ma mtrico, lingua verncula, historia, Q
geographia, francez, inglez, msica vocal,
q piano, desenho, dansa, croch, labyrintho, m
m a.
rj ""'a
1 rao
uf entri
...., .........^
\g nao pode a atten>;ao de urna directora de
\jd collegio subdividir-se, por nm crescide
E porc|iie a abaixo a-signada confeca
hoje, por urna longa experiencia, que
UniH
DE
HOGG
I*----------------------------- ------------------
HOGG. pharaMculIro.t.r. gai
pai
me:
esc:
ato
rj numero de alumnas, sem prejuizo e gran
gdes inconvenientes para a educacAo des-
fas e crdito do eslabelecimento ; por
a mesma abaixo assignada re-
limitir a vinte o numero de
suas discipular, com o que julga dar ao
respeitavel publico desia cidade urna
prova de quanto se acha compenetrada
de seus deveres e um# garanta aos
pais de suas alumnas de que ser soli-
cita e zelosa em cerca-las da vigilancia e
carinhos que nunca, quando bem distri-
buidos, sao de mais para tao innocentes
creaturas.
Quanto ao asseio da casa, acommoda-
coes c distribuicAo do servico, acha-se
tudo providenciado de forma que a or-
dem ser rigorosamente mantida. e que
nao serad alteradas as boas condices
hygienicas da casa em que se acha
eMabelecido este collegio.
Boa-Vista, 29de maio de 1873.
Mara Helena da Rocha
r~ la r era
m isso est
r, sol vida a I
I........

PIANOS K MSICAS
a\to*io JOS. IIE IXEVEIIO
i Ra do Baro da Victoria n. 11, armasen., n 12 !.* aniar, intiga ra Nova
nome o publico em geral encontr, hempre o mnior e mais- esplend lo sor f intento depntmt de
Pianos, msicas e instrumentos de msicas para banda militar
e orchestra.

Acaba de abrir no priroeiro andar do sobrado n. 12 confronte i
.oiica SUorer, um grande saio onde esli expostos os magnficos
' ** ^ "S de armar:o, de Pleyel.
------- de meia canda, do mesmo autor.
------- de H. Henrz.
Tambera receben grande *ortimn!n de maieat pira piaao, aiaat
caoio e eotre ellas as lindas compcsiC(W dn moiio rjmpitWw
si vn\i
A SABER :
Voc rae quer Walsa.
da Amede Tbibont.
nico agente nesta cidade, dos celebres afamados
PIANOS DE AUCHER FR^RES
1 Pilulas alimentosas de Hogg com pepsina acidula, proprias par molestias
gstricas dyspepticas, etc., e nos casos de digesto difficil ou impossivcl.
2. Pilulas de Hogg com pepsina unida ao ferro reduzido pelo hydrogeneo,
para molestias chronicas e as doencas que das mesmas resultao (escorrimt-ntos, fiuios-brancos,
menstruacOcs dirficeis) c para restabeleccr as saudes debilitadas.
Pilulas de Hogg com pepsina e proto-ioduro frreo inalteravel, para molestias
escrofolosas, lymphaticas e syphrliticas, para a tsica, a cachexia chiorotica e para as affeices
| atnicas geraes do corpo.
Em, frascos triangulares de 100 et 60 pilulas; precos indicados sobre os frascos.
Deposito em Pernambuco, A. REGORD, e as principaes pharmacias.
i Mf V
ff
Cozinheiro.
Preciza-se de um, livre ou esvravo. e qnese en-
oarreguo.ii Cunbein de cu.nprar. para easa du i
|.- lio 10 palmos.
Saptjtisciros e sapoteiros, e dahi para baixo, pi-
nheiras, frucia-plo, oiti-cor, ariticum-a-p, aba-
cate, iaranja era vo, flanboyant ou iirilhante, pal-
m.-ira imperial, rosearas de qualidade, alccrinss
Eirreiras corado da india, romeiras e outra,
intas : na CaBOga, ra da Ventura numero 20.
CAZA DA FORTUNA
RA 1." DE MARi;0 OUTR'ORA DO CRESPO N. 23
O abaixo assijinado tem sempre exposto venda
os foliaos bilhett-a do Rio de Janeiro, jiagando
{rompiamente, como costuma, al o itremiu de
:000i.
Procos.
Inteiro ....*... 24000
Meio........122000
Uuarto....... 6SOno
Manoel Martins Fiuza.
Primeira Relaco.
CARTAS A ENTKEGAM.
Gsseguintes Srs. .jueram vir n ruad. Impera
dor n. 21, C*rretnria da Onnt|M>i, rece
luT i-.iil.is que llm sao dirigidas. A >a.,r:
Anntoio Goncalves Porto.
Feliciano Prazeres
i Francisco Jos da Costa
; Jos Hara da Conceicao Ferrelra
: Jos da Silva Ferreira (alfaiate)
Jeao Americano
Jos Heirelles de Souza Ramos
Jos Amancio de Oliveira Goimarlas
i Manoel Jos Ferreira ( Beimivi)
Napoioao da Costa Moreira
Pedro Guimares
Quintino Moreira Dias
; fbeodoro Percira da Silva
I Francisco Augusto de Almeida.
0fr

O
l;..i : ; ii^|c,t*ti:
MSTA BE l'ARIS
19- RA NOVA19
J. M. Leroux, cirur-
giao dentista, succes-
sor de F. Gautier, es-
pera continuar ame-
recera confianza dos
clientes da casa, edo
respeitavel publico em
ereral.

tk
^rr
4
T*
^
-Mi
H-
>rmiadM em diversas exposi;oss om 11 medalbas de onro e prata.
Sao os onicos pianos que aqoi vem da Eoropa, perfeilamente afina
it, fotos com elegao ;ia e solidez.
D'sqni emCdiante continnara a annuneiar todas as publicares que se foreon frieno as sn* offlcis de msica
Hipa Maturka.
L< S-parscinni P*ra cilo.
A Luz elctrica, grande W>.
Praca r)> Turnada i ValleU fiMope.
Joaninha Walra.
A l.ihertadora Polka.
A Primara epada Wala.
A M-atu Lvra Wla.
A Natalicia P ka
Siod^ente Po ka.
liilna* pnkllear^e*
Feitas as orBcma i* astmea
do >nniiBcintc.
Emilia, polka por I. Smottt
(jrcacun. ?cNoich, por Swala.
Jardim d Campj da- l'ricia.
quadrilha, por J. P.ipfV.
Chova e ll<, Wali-a, por H Al-
b*nm.
m
':*:!;:: I I f i I : Ik1 :. r : r. jfe
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 47
da ra da Imperairiz ; quem o pretender encon-
trara as chaves na loja do mesmo sobrado, e se
entender com seu prnprietario ra do Hospicio
n. >Jo,
150^000
OfTerece-se um homem para administrar um
engenho, ou sob e qualquer contrato entrando
com seus servieos e mais tres eservas servico
de campo, amanea sua conducta, para informacoes
no pateo do Carino n. 9, e para tratar'no engeuh
Caxoeira Lisa, em Gamclleira.
Menino desapparecido Engenho para arrendar
Tendo viudo de Fragoso, ha cerca de
Arrenda-se um engenho na freguezia de Agua
Pri'ta, moente ecorrente, tem proporcoes para sa-
c -._, -------.. l luas semanas, o pardo escuro Manoel, de frejar tres mil paes annuaes, um bom'cercado, e
13 para li annos de idade, afirr de servir Pert0 da estcao urna legoa : quem pretender di-
de criado ao r. Manoel de Figueira Faria, ^'in^lrn &!" FUa d Imperador n- m- 1ue
sendo mandado no dia 3 do correte a fazer -* '" 'ir'";"',t0- ---------.-------------------__
comnras 'leixou do vdtar nira mm Precisase de um hnrriem para feitor de um
3". Jeixou ue vi.itar para casa e engenho que tenha pratica de servico, que nao te-
conio se ignore o destino que leve, visto ser nha vicios e d Sanea sua conducta ; enten-
elle orpho, faz-se o present; annuncio, jw^e eom o Sr.JBernardino Pontual, ra da Ma-
para evitar duvidas futuras.
Attenco
>
Fngomma-se com perfeicao reupa
homem, ra do Forte n. 9.
dre de Deus n. 36.
para
PENHORES
Na travessa da ra
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
diheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mea-
mos metaesepedras.
M
i
Aluga-se urna boa casa terrea nos Arrumba-
dos, em Olinda, pelo preco de 12 mensaes : a
tratar na ra t de Marco, anliga do Crespo, na
loja do Passo jonto ao arco de Santo Antonio. As
chaves aenam-se na estaco do caminho de ferro
perto da mesma casa, onde hefe o Sr. Vianna.
Offerece-se um caixeiro com pratica de pa-
daria e molliado-, a tratar na ra Imperial n 7 ;
d conheeimento de sua conlucta.
Al PIUCO
Onciii iiiiiiseiJiiiiiid^rlferece?
Incontestavelmente a loja de calcado estrangei- v
ro que mais commodo offqrece em geral, com espe-
cialidade ao bello sexo, o PaRIS NA AMERICA:
ra Duque de Caxias n. 59, primeiro andar (an- i fj
tiga do Queimado) e a razao ? a razao simples : \
um cavalheiro (amante do chique) por certo se: PSJ3gs
in:ommoda quando, par*a comprar um par de bo-1 iaS?5s^
America, onde pode se passear vontade e desta era catirado P'C10 n' 81' qUe
forma conhecer-se se fica bom o calcado : para o I grauncauo.__________________________
bello sexo, ento quasi imptssivel, que mua se- L "" abaixo assignados fazem sciente ao c-rpo
nhora (do bom tom) queira sujeilar-se a experi- d0 pojnniercio que dissolveram amigavelmente a
mentar calcado ao lado de um balto, onde en- soc'edade que tinbam nos estabelecimenios taver-
tra quem quer, anda mesmo para comprar : o na f padaria, sitos ra do Visconde de Goyanna
Parts na American*- resente-se desta falta ; lem 2" o^e gyrava com a firma ?ocial de Bernar-
nm bem preparado gabinete resen-ado, para as ido Rodrigues Exmas. que all poderao estar em perfeito commo-! .0"10 G("iColves todo o activo e passivo, e,o socio
do para a escolha do calcado. Bernardo Fernandes, pago e satisfeito de seu ca-
No terminam ai i as rantagens ou~ commodos! Pltal e lucro : 1aen\ sejulgar credor apresaate
do Pars na America ra Duque de Caxias n. gna conta no prazo de tres dias. Recife 7 de ju-
nho de 1W3. A rogo de Rernardo Fernaades
Joio Gil.
I\o engenho Masstussn, freguezia da Escada, se
dar de gratificado a quantia cima a quem ap-
prehender tres cavallos que naquelle engenho
foram furtados na noute do dia 29 para 30 deno-
vembro prximo passado : o tem 9 annos,
:astanho e castrado, tem a orelha direita bastante
aseada, urna estrella na testa, e no quarto esquer-
do tem urna cruz ; o 2.f ruco, com pintas ver-
melhas nos quartos, grande', gordo, cem opes-
coco lino, castrado, tem os quadris feridos da
eancalha, ferrado com a marca I. R. do lad
direito, e tem a idade d 9 annos; o :i. rudado
sanhass claro, curto grosso, um poDCO cambito,
castrado, pequeo, e est ferrado com a marca
- Ono quarto direito : gratifica-se com 50*000
por cada um em presenta da pessoa, em cujo po-
der for encontrado qnalquer dos ditos cavallos.
/% "V E S A. JM
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
so
s.
CjisiiKnrio lnlico
i
i
% lar. lliirlo. '
RA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
O Rccem-chegado da Eurepa. onde fre
Q nuentou os hospitaes de Paris e Londres fw
O pode ser procurado a qualquer hora do Q
Q da ou da noute para objecto de sua pro- Q
Q lissao. *
^ ^ Consultas do meio dia s duas horas K


da tard .
Gratis aos pobres.
confundir com o d'aquelle
Os apreciadores que qmzerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
MEURON 8- C.
d Especiilid V/csMolestias da pclle, de
'0 cria
crianza e de niullier.
gFmprega no tratamento das molestias Q
. de sua espe:ialidade as duchas 'friat e f~l
Q banhos

no
n rnpor, para os quaes trouxe Q
los mais modernamente em- r
a Eurepa. ft
Tambem applica com grande proveito Jf
i tratamento das molestias do tero a 5
jn electricidade.pelo processo do Dr. Trepier.
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica de taver-
na de Ji a 16 annos de idade : a tratar na Cam-
b do Carmo n. 2.
Fugio hoje t do corrente, do sitio do
Sr. Jos Antonio Pinto, em Ponte de Ucboa,
um cao do Rio da Prata, branco com ma-
lhas cor de caf com leite; pode-sc a quem
o tiver encontrado o favor de levar ou
mandar levar no referido sitio, que ser
recompensado.
aS -JjivZ U?Z&35S3 Ci'iw &Bm oS-.-
ADVOCADO
O bacharel Jos Giti-
rana encarrega-se de quaesquer
servieos relativos a sua profisso,
na comarca do Bonito e ( aruar :
paila ser procurado na villa do Bo-
nito, ra Direita a. 16.
o, pnmeiro andar, cqnsiste tan bem no bom sor-
timento de botina* para homens, dos melhores e
mais afamados fabricantes da Europa, como Me-
lles, Suser, Polak, etc., lc.,.e grande variedade de
chinellos e sapatos. assim tambem nm lindo sor-
timento de botinas para senhora, e sapatinhos de
emitas qualidades que poderao satisazer a esco-
lha da mais capichosa senhora (do bom gi
pelo que fica expendido, est claro qu
aleado estrangeiro, que mais vantagens ofter^ce,
oPorina America, ra Duque de Caxi
59, primeiro andar, .'intiga ra do Queimado
- Precisa-se de um preto para alugar, que
va para todo servico : a tratar na ra
Santa Rita o. 17.
Antonio Goncalves.
Constantino.
Pede-se a este senhor que veio no ultimo vapor
iro do norte, para indicar onde esta hospeda-
do, ou apparecer Nova Esperanca ra Duque
de Caxias n. 63.
Casa para estal^eleeimento.
Traspassa-se a .chave da loja sita ra da Im-
perai i urna excedente armaco de
Jamarel!
"stabelecimento : a tratar ua mesma loja.
Por ultima vez
Pedem os abaixo assignados ax todos os seus
devedores de contas antigs, o-especial obsequio
de as virem satisfazer- no isiprorogavel prazo de
i* dias, certos de que, Ando este prazov' risarSo
dos meios judiciaes para sen embolso. Ra do
Mrquez de Olinda n. 40, loja de
Fredenca Pinto & C.
Recite, 6 de junho de 1873.
Sobrado alugar.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado da ma
Imperial n. 116, com muitos bons commodos :
tratar na ma do Imperapr n. 83, primeiro andar
Offerece-se tim homem para feitor de
engenho com as oecessafias habilitac;oes, e
aflianca sua conducta, para informacoes no
pateo do Carmo n. 9, e para tratar, no en-
genho Caixoeira Liza em Gamelleira.
Comedorias.
Fornece-se comedarias para fra, no ^sobrado
da ra estreita do Rosario n. 33 : as pessoas que
precisarem- dirijam-se a dita casa que acharao
com quem tratar.__________________
Joaquim Jos Goncalves
Beltro.
Ra do Commercio n. S, 1. andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
do Minho, em Braga, e sobre os seguintes
ulgares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Bareellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilh.
Faro.
Guarda.
Guimares.
J.amgo.
Lisboa.
Mirandella.
Moncho.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do|Castello.
Villa do Cne.
Villa Nova de Famalico
Villa Nova do PortimSo.
Villa Real.
Vizeu.
Valen^a.
Figueira.
DE
GABELLEIREIRO
Ra do Imperador n. 381. andar.
O artista Andrade, amigo e acreditado oficial da casa de Delsuc, participa as r
famlias e ao respeitavel publico desta capital, que acaba de abrir este novo sali,
se aprompta com perfeicao toda e qualquer encommenda tendente sua arte.
Prepara-se pentendeados e postiros, pentea-se coques, cabolleiras e carbe-peipw,
concerta-se toda o qualquer obra em cabellos e faz-se com perfeicao toda obra de rboloi'
r.-iro sobre encommenda ;tudo 10 por .cuto mais barato do'que em outra qmalajawr
parte. ^^
Alm desta grande vantagem compromette-se em servir com pontualidade,
Qo e asseio, para o que tem habilissimos artistas.
Outro sim, avisa as mesmas Exmas. familias que em seu graaie salo, ha
damente sortimente completo de coques, cachc-pcignes e topeteMudo dt
gostos.
Ra do Imperador n. 381. andar.
Precisa-se um de l a 14 annos, que tenha pra-
tica de taverna e que seja portnguez: a tratar
na roa das Calcadas n. 2.
GRANDE DECSOBERTA
DO
(imposto de manac ante-rheumatico e depuraba
PELO

- No dia 3 de fevereiro de 1873 fugio do en-
renho Canzanza, freguezia de Jaboato, o escravo
le nome Cypriano, com os sipaes seguintes : ca-
bra, grosso, andar banzeire, e para maior signa!
tem urna orelha lascada : quem o apprehender e
levar ao referido engenho, ser bem recompen-
sado.
E preparado este xarope de manac e mais algunas plantes indgenas <
nao contem preparado;algum mercurial. Cura com rapidea xbeumasino, tnL.
erupcCes sibilticas e dartrosas, escrfula e todas as motestias que dffiwienai
desses virus. A sua composi^io foi approvada pelajunla central de hygiene pj-
V cada garrafa acompanha uma eiplicaco para a forma de asar, Preco de cada
urna 39000.
nico deposito nasta provincia ra do Bario
Qteiro ra Vi
88, chapellana

Diario de Pernambuco Domingo 8 d Junho de 1873.
FOGO, i
FOGO ARTIFICIAL PARA SALDES
PARA OS FESTFJOS DE
S. ANTONIO, S. JOO E S. I-
NO
ai
ARMAZEM DO VAPOR FRANGE!
7 RA DO MMO Di VICTORIA 1
(O I II Ol 1 RA \0\ A)
Chegarara grandes facturas destes lindos e apreciados fogninhos artificiaes japone-
zes, rancezes e allemaes, de Vistas muito bonitas, e especialmente fabricados para senho-
ras e meninos poderem soltar sem medo algum de serem offendidos, e a precos baratos,
nao s a retalho, como ern caixinhas sortidas. Alm destes foguinhos ha muitas pistolas,
craveiros e rodinhas, fabricados por um dos mais afamados artistas desta cidade, e tam-
ben tem grande porreo de traques chinezes, que se vendem cm cartas e em caixinhas n-
teiras.
BALOES AEREOSTATICOS
Pequeos bales de 8 a 10
solta-los das janellas e varandas.
palmos, de papel de cores bonitos e facis de
Estas novas e interessantes sortes, alm da leitura agradavel, conten dentro
diversos objectos de divertimentos que fazem augmentar mais a alegra entre as fami-
lias, as noites de Santo Antonio, S. Jo e S. Pedro.
GLOBOS PARA
Globos de papel de cores para
reabjam nos pateos e nos jardins.
as illumina^oes destes festejos, e que muito
c
PAPEL PARA ENFEITAR BOLOS
Estes papis rendados para enfcitar bolos sao muito baratos e principalmente
vendidos em duzias.
?<
Botinas dos melhores fabricantes para homens, senhoras, meninos c meninas.
Quinquilharias de fantasa,
FIV4* PERFUMARAS
E
Brinquedos para meninos
Todos estes artigos vendem-se baratos por serem recebidos era direitura e
pelos abatimentos obtidos dos fabricantes em atten^ao s grandes e repetidas encom-
mendas.
ATTENCAO
o
Tambem recebe e vende muito em conta excellentes pianos, tanto do fabri-
cante Blondel, como de H. Hers e de Pleyel; assim como mobilias de faia e de
vimes, e cadeiras avulsas de braco e de balanco. '.
7 armazemdo vapor francez 7
Engenho
Terrenos baratos de 3$ a 6,5
>s Afflictos, e 3$ no Sal-
Arroml.iT nii venue-se parte de loro engento* **" i (i l|i..jin-.i, sendo um movido r^ l ^
|Hir unmai'S b nutro movido a agua, Ikmii obrad-, Anumin Jomj lio Iri^ius nf Soii/a vi-tidr-
do <>njMiios terrenos, e com pniporcoe para satre- terrenos de seus sitios palmos, un a nova rua quntl em frente
igrnja dos Alliittos ; e d-i Salgadinho cmn
jar de tros a quatro mil paes, distando do porto
do embarque apenas urna legoa, e da estrada de
ferro tres legoas : quem pretender dirjase ra
do Apollo n. 55, 2- andar, que achara com quem
tratar._____________________________
Publicacao jurdica
Apontamentos sobre a condico dos escra-
vos e libertos no lirasil,
enntendo as principaes questoes relativas essa
especie, con) as decisoes proferidas a respeito pe-
los tribunaes superiores e do poder executvo,
bem como toda a legisla^ao patria, antiga e mo-
dernissiina aceica de cada urna dellas ; pelo Dr.
Antonio de Vasconcellos Menezes de Drummond,
lente cathedratico da i.' cadeira do 4.' anno (direi-
to civil) da faculdade do Recite e ad yogado oeste
foro. Assigna se livraria franceza e livraria do
Sr. Nogueira, no arco de Santo Antonio._______
(iozinheiro
Precisa-se d um bom cozinheiro para um bom
hotel: a tratar na ra do Imperador n. 51, arma-
zem unio e commercio.
1008
K-t ausente desde o dia 3 de abril do corrente
anno o escravo Miguel, com os signaes seguintes :
cabra, cabellos rarapinhos, rosto liso, sem barba,
altura e cjrpo regulares, ps e maos bem feitos,
falla muito descansada, est descorado, tem marca
de um talho na palma da mo direita, foi das Ala-
goas, ja o possuo ha quatro annos, Tez urna fgida
ha um anno e foijireso em Bai xa-Verde : quem o
pegar leve ao sen senhor Antonio Carneiro Rodri-
gues Campello, no engenho Canzanza, que ter a
quantia cima
A companbia Recife Drainage recebe pro-
postas para o fornecimento de capim para seus
animaes : a tratar na ra do Imperador n. 26,
ll.'andar.____________________________
Precisa-se de urna para cozinhar e fa*
zer mais algum servico de casa de fa"
milla, no Corredor do Bispo n. 5. ____",
J
VMA
. Precisa-se alugar urna ama : na ra do Co-
ronel Suassuna n. I.______________________^
~\ TYl{1 Precisa-se alugar urna ama forra ou
XVliiOi escrava, para cozinhar ; paga-se bem*
na Xova, luja n. II.
Precisa-se do urna ama para cozinhar e
comprar para duas pessoas : a tratar ra do
Livranwnto n. 3, taverna
Ama deleite.
Prccisa-se de urna ama de lcite que nao tenha
filho : na ra do Mar juez de Olinda n. 40, pri-
meiro andar.
Quem precisar do urna perfeita
costureira de toda e qualquer obra
Sflo igurino, tendente senhora,
irijase ra do Brum n. 104, 1*
i.
andar.
Precisase de urna ama |>ara casa de fami-
lia de duas pessoas : na ra do Cabug n. I, loja.
Precisa-se de urna ama que saiba
cozinhar e engommar, para casa de
familia : a tratar na praca do Corpo
Santo n. 17,3 andar._____________________
Precisa-se de urna : a tra-
tar na pra?a do Conde d'Eu
n. 5, 2. andar.
AMA
AMA
a Irentu para n estrada de ferro de
Olinda a-oitAn pura nutra estrada ao lado do
momio sitio ; a tralar com o Sr. Tristo
Francisco Torres, na thesouraria das lote-
riai.________________.______
Est fgida a escrava de nome Bernarda, de
idade 25 annw, pouco mais ou menos, levou sala
de ganga e camisa de algodo tem marca de fujo
na na perna direita, e tem os olhos grandes e ano-
toado* : roga-se as autoridades policiaes e capi-
taes de campo o obsequio de pega-la e leva-la
seu%enhor, no Caminho Novo n. 110, sitio, ou na
rua'aa Cacimba n. I, que serio generosamente
recfrr; pensados.__________________________.
mi DO OBRO
Aos MMUM
Bilhetes garantidos
Rua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova)
n. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de 5:000*000 em
bilhete inteiro de n. 1403, a sorte de 1001600 em
quatro quartos de n 49, alem de outns sortes
menores de 40*000 e 20*000 da lotera que se
acabou de extrahi (53* i; e convida aos possuido-
res a virem receber, que promptamente serlo
pagos na forma do costume.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vr ao seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes.que nao deixarao de
tirar qualquer \ remio, como prova pelos mesmos
annun ios. -.
Aehain-se a venda muito felizes bilhetes ga-
rantidos da I' parte da lotera a beneficio da igreja
matriz do Cabo, que se extrabir no dia 14 do
corrente mez.
Precos
Inteiro 6*000
Meio 3*000
Quarto 1*500
De 100-000 para cima.
Inteiro 5*500
Meio 2*750
Quarto 1*375
Recife, 6 de junho de 1873.
Jof Joaqun da Costa Le.ite.
Sr.,4gs Firmino Ribeiro, professor publioo
de PedM -fepada. Seu pai Jos Joaquim Ribeiro
o manda de novo chamar, para no prazo de oito
dias vir tirar urna conta corrente da gerencia de
sua casa commerciaJ ra do Secego n. 31, as-
sim como conta das rendas das casas, dos annos
de 1861 a 1872, em cuja administrado elle este-
ve de posse desde aquella data. Se o chamo pela
imprensa porque j o tendo feito por cartas, elje
nao tem aecudido ao meu chamado.
i ma Prccisa-se de urna ama para comprar
j\.llld, e cozinhar para casa de familia : na ra
do Passeo, lnja n. 58. _________________^^
BAZAR NACIONAL
Ra da Imperatriz n. 72
DE
Loiircneo Pereira MendesGuimares
Declara a seus freguezes que tem resolvido vender o mais barato que for possivel, a
saber
CHITAS A 160 E 200 RS. 0 COVADO.
Yende-sc chitas francezas largas com to-
que de avaria, a 160 e 200 o covado. Di-
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vende-se cassas francezas a 320 e 360 rs.
o covado.
LSINHAS A 200 RS.
Vendo-se lsinhas de cores para vestidos,
a 200, 360, 400 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se alpacas para vestidos a 400, 500,
640 e 800 rs. o covado.
COBERTAS DE CHITAS A 1JJ600.
Vende-se cobertas de chitas de cores, a
1J600 e 25W00. Ditas de pello a 1JJ400.
Colxas de cores a 1J5200, 2JJ500 e 45500.
CHALES DE LA A 800 RS.
Vende-se chales de l de quadros a 800
t. e 19000.
Ditos de merino a 2, 35, 45 e 55000.
CAMBRAIA BRANCA A 35000.
Vende-se pecas de cambraia branca trans-
parentes e tapada, a 35, 35500, 45, 45500,
55 e 65000.
SAIAS BRANCAS A 25O00.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhoras, a 25000 e 2550L
BONETS A 50WIS.
Vende-se bonets pretos de seda para ho-
mens, a 500 rs. Chapeos de palha, pello e
massa, a 25, 25500, 25000 e 45000. .
MADAPOLO A 35000.
Vende-se pegas de madapolo entestado a
35000. Ditos inglezes para os presos de
45, 45500, 55, 65000 e 75000.
ALGODO A 35500.
Vende-se pegas de algodo, a 35500, 45,
e 55000.
BRAMANTE A 15600.
Tende-se bramante com 10 palmos de
largura para lencol, a 15600, 25 e 25500 o
metro.
GRANDE LIQUIDACAODE SABONETES 280 RS.
Vende-se urna grande porco de sabone-
tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes om
eheiro a 320 e 500 rs.
Aguadecoloma,|a200, 320 e 500 rs. o
frasco para .liquidar, e outros extractos
muito barato.
AMA
Carvalho.
Pre^sa-se de urna ama pa-
ra cozinhar e comprar : na
ra Bella n. 53, hoje Ilha do
AMA
Offerece-se urna ama de
leitc sem filho : no becco das
Barreiras n. 9.
Bom Jess n. 9, segundo au-
para coz
nhar e outra para engommar.
Na ra do Senhor Bom Jess das Creoulas
n. 14, precisa-se alugar urna preta de meia idade
e que seja fiel, para vender.________________
O padre Jos Marcelino Pereira da Cunha,
tendo de retirar-se para a Europa, e nao podendo
despedir-se pessoalmente de todas as pessoas que
o honraram com sua amizade, o faz pelo presente
annuncio. ____.
CASA DA FORTim.
AOS 5:000^000.
BILHETES CARWriOS.
1' riih t'riiiieiru (Ir. Murp> [uwt uru > > >b
Cresjio) i. S.'i r mtn -I" rnstuqf.
O abaixo assignadit lewki vcmli.li. i,ii*si'i* !
llu-s liilheti's. ous metan n '.t'.i rmi :.(l. um
meio u. 347 rom I' OAOUO, e uutras sortes de
404000 e 20OiK) da lotera que se araltou de ex-
trahir (53.*), convida aos n..ssuidores a viratn re
ceber na conf jrmidade do costume sem descont
algum.
Acham-se venda os felizes bilhetes garantido
da 1* parte das loteras a beneficio da Mtrb io
Cabo (54") que s extrahira no sabbado l4 do cor-
rente mez.~
PRECOS.
Bilhete inteiro 6000
Meio bilhete 3*000
Quarto liiiOO
EN POR^XO DF. 1005000 I'AI.A CIMA.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 3~50
Quarto l3Tfl
Mnnoel Martins F<:"
Joao Francisco da Costa Campos
manda celebrar urna mis>a na ma-
triz da cidade da EsttMta, M da II
do corrente, as 7 horas da manha,
por alma de sua muito presada co-
madre a Exma. Sra. I). Joanna do
Rosario .Wachado ; convida MI MU
amigos e os da finada a assi religao e caridade, pelo que ser eternamente
grato.
Jos Mara da Paixo.
Antonio Ferreira B"aga, sogro do finado Jos
Maria da Paixo, agradece s pessoas que acom-
panharam o coipo do mesmo ao cemiterio e de
novo os convida para assistiren a algauM mssas
que manda dizer na O dem Tenvira do ^ armo as
7 horas da mauh.t do da 10 do corrente.
lili I I III 11 I II >
AVISO.
Hoje 3 de junho de 1873 fugio deste engento
Calf ma, em Serinhem, o escravo Gregmin,
com os signaes seguintes : crioulo. com pnaeo
mais de 40 annos de idade, mediana estatura, cor
preta, gecco do corpo, testa saliente, olhos vivos,
com falta de dentes na frente, pi regulares e os
dedos iguaes, tem urna marca di> queiinadura na
barriga, e varias marcas de castigo que lera sof-
frido, tanto as costas como as nadegas, por ser
muito fujiio, costuma mudar de nome e inculcar-
le forro, 6 mui.o fallante, cantador ecachimbero,
e tem as duas orelhas furadas : roga-sc as Illmas.
autoridades policiaes ou senhores capilim de cam-
po que o hajan de encontrar, o bgua capturar e
remetter a este engenho, ou na prava, na de
Pedro Affonso ao Sr. Joo Florentino Cavalcante
Jnior, que alem de lhes pagar o tea Irabalbo
lhes ser ohrigadissmo o proprietario Joio Flo-
rentino Cavalcante de Albuqueriu>:. _________
fJi. or verde,
Am
de, di
,1., V
ldia da
llKM
AVISO
cija
lindos lliiuru 11
llKM] i lid' '.
Espartilhos a diujueza.
Bmlados a ratrm e fin te decencia Ul /nne ^*-
lisf.izcm bem < capricho de quahiner scatwra nnr
mais ex cenle i|ue srj.i.
A (55000 a pt
de madapoln francez cun duas largaras i Om:
ra do Calinga n. 10.
Palmillas irci s a mmi
ultimo gosM r rirumrnte mfut4n* ^
vendem |K>r f>U(HM), na ra da 1
51!, loja da Ilusa Branca.______________
\o\ Nm'iim litro para mn
de Santa Antonio, t. Jaan
c H. Penlra.
Acallado ser puMicadi o lirro cima, o inal
enntein urna linda culle.vfio de IhuiUs, Hnm-
-anies e chistosas surtes, e gnalnvmte nma enl-
leccao de re .-ilativo*. nMH*Mlni f*M granlH e -
fainados poeta dfU poca.
Creinos que este livro um dos melhores intft-
tenimentus para as n mime-. I.iiniliares das lio fc-
tejada- C apreriaveiv hmmI'* cima ditas.
Acha-se a venda a I. o na livraria EeaxoM-
cao p do arco de Santo Ant-mio.....n ."lira*
Joaquim F. di s Santal
vend' em seu escripli r.0 a
Olinda n. : l.ai dar :
Caf do Itio
Cha em lita* v I libra
Fumo em Istaj
Familia ile uul.ili.'ca
Vinho deThoin.ir. em decinms_______________
Orculos (clphicos.
Sol 1 esle lilil.1 a al. .:u 'I
coenta pergiinlas e. re-[to>ta< para 1
de reunios familires as noiites de Santo Anto-
nio, S. Jii>i o Peill'..
Es*as pergunla* e resjioslai inleirajtfntP nfH,
sao nter.-*- mi rs e divoitilas. sem <\ne idfcii '..im
conveniencias ou regra- .. ile la ciefcjp. Vm
serem pnnrianteiitr n ^hp entre ntt injrcMTTMn
sortes. iralain do desvendar m mfXttt,
ntimos peiisamealos loiuru* *mc -*> -
pre adequadas as r- -'a* etpreario mtmji
vezos aipillo que 11;, ..''ovena na
ser em brinco, servindo o ollar ou o mmio de i
zer de d.ir-lln-s forca necessaria para ansHes
quem sao di is d n,
Cada baralliinlio c.i-ta U-W c acbam-o 4 vea-
.11 na livraria Erononiioa ao p di arco de Saat:
Antonio e Mitras.
oimbra (imuiaraes,
ra do Marqiw-f de
Lzinlii'ir.i
preeisa-se de um que entenda da sua arte, a
tratar no largo do Corpo Santo n. 19, Io andar, es-
critorio.________________________
**Ui*nm'
n o
S c "
B w
19 S ?
s3--ap
Aitiq ^a rua do
* dar, irecisa-se de urna ama
MOMA
Est encouragado 1 !
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivo na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir rua Duque de Caxias n. 36, con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereirn e abril de 187z,e nada cumprio;
e por este motivo de novo chamado para dito
fim, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu filho m
achava nesta cidade.
e.* "? S 3 m >*
V N y S ^
-
e
:=.2.s
r O
. w
tas =
n o c"*' o B _,
S *3B3S2f'!BS
Sg_2' 5B|" 33' '
gffg-^e.!
m
*mu%WUi
o E
'. "I
3"-
zgBSF
T3 "= = B "g
" B|g. s
G.3 cr
O O i o

O abaixo assignado avisa aos seos devndom
que venham pagar seus dbitos al o fin do cor-
rente, do contrario passario pelo dissabor de vc-
rem seus nonies e quantias por este Diario.
Recife, 6 de junho de 1873.
Antonio Gomes !: Mondn..
Ao commercio.
Os abaixo assignados tendo contrafado a com-
pra da armaclo da loja de iouca, sita rua Di-
reita n. 75, pertencente ao Sr. Jos Pires de Car-
valho, vempelo presente avisar a todo aqueta que
se julgar credor, queira apresontar-se como tal,
dentro do prazo de tres das, a contar desta data,
ficando os abaixo assignados sem responsabilidade
alguma, Recife, 6 de junho de 1873.
Mello & Macedo.
EBS>IWk>
p %'=> &?.-_

I
-
3
CORTES IE BRIM DECORES A 15500.
Vende-se cortes de brim de cores para
caiga, a 13S500 e 23000.
BOTINAS A 3-3000.
Vende-se botinas para senhoras, a 35000 e
3?500, a ellas antes que se acabem.
ROUPA FEITA NACIONAL.
Vende-se camisas brancas*, a 15600, 2-?,
25500, 35000 e 45000.
Galgas de casetniras de cores, a 55, 65 e
7900O.
Coletes de casemira, a 25, -7500, 35 e
45000.
Palitts de casemira, a 45, G5 e 85000.
Seroulas a Id e 15600.
BRIM DE CORES A 440 RS.
Vende-se brim de todas as cores a 440
rs. o covado.
LENCOS BRANCOS A 25000 A DIZIA.
Vende-se a duzia de lencos brancos, n
25000. Ditos com barras de cores a 35000.
Ditos de linho n 55000.
TOALHAS A 800 RS.
Vande-se toalhas para rosto, a 800 rs. e
15000.
GRAVATAS DE SEDA PRETA A 500 RS.
Vende-se grvalas de seda preta, a 500
rs. cada urna.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chita para coberta, a 280 e 320
rs. o covado.
BONETS PARA MENINOS A 15500.
Vcnde-se bonetes para meninos, a 15500.
ESPARTILHOS PARA SENHORA A 35500.
Vende se espartilhos para senhora, a
35500.
PENTES A 320 RS.
Vende-se pentes de alisar, a 2i0, 320 e
400 rs.
POS DE ARROZ A 240 RS.
Vende-se pos de arroz em caixa, a 240
rs., para liquidar.
ESPELHOS A 240 RS.
Vende-se espelbos de diversos tamanhos,
a240 e 320 rs.
TESOURAS A320RS.
Vende-se tesouras de diversos tamanhos,
a 320 e 500 rs., para liquidar, e outros
muitos artigos que se vende barato para 1-
quidaco de facturas.
Aluga-se a casa da roa do Mondego n. 61,' Precisa-e de 1:000* a juros, dando-se por
eomcoramodos para familia : a tratar na mesma hypotheea um predio liyre e desembarazado sito
roa, sitio do portio a. 3, oiarin. jav* a esta typographia
i trador.
a fallar com o adminis-
Aluga-se por 25 a casa n
ma, em Sanio Amaro, estando
novo : a tratar na ron da rVniti
Ir'or* Guia.
6 na rua
Precisa-se de om coznheiro ou cozinheira
para casa de homem solteiro : na roa Duque de
I, rival sem segundo.
G.t BSETE
Metlico-cirurgico \
RUA DO IMPERADORN. 73, ANDAR1;
0 DR. NNES DA GOSTA
MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
ESPECIALIDADES.
MoUsUai e jperacoei de.oihos.
Gura radical e n.si^ntauea Jos
eslrrit^metilos ra uretia.
Consultas: Das 7 s tO boras
da manua.
Cnaaiados : A qualquer hora.
Dentista de Pars
19 RUA NOVA 19
FREDERICO GAL'TIER, agraderendo ao respei
tavel publico em geral e em particular aos seus
amigos e numerosos clientes, os favores e a confi-
anga que lhe dispensaran! durante os quinze annos
de sua residencia nesta linda cidade, tem a honra de
lhe participar que cedeu o seu gabinetetfe crurgiao
dentista- ao seu sobrinho ediscpulo J. M. Leroux
o qual uchando-se hamais de dez annos na sua
companhia, est de sobejo habilitado para merecer
toda a sua confianca e executar os_ trabalhos os
mais dilfleeis e delicados da profisssao
O mesmo aproveita a oCcaio para pedir s
pessoas que lhe sio devedoras o especial favor
de manda-ls pagar quanto antes, pois retra-
se muito breve para Paris. aonde se achara sem-
pre prompto para o que puder prestar.
"COMPANHIA
DOS
TRILHOS RRPOS
DO
Hccife a Olinda c Beberibe.
De ordem do Ulra. Sr.
presidente d'assembla
geral, convido os Srs.
accionistas para, no dia
9 do corrente pelas 11
horas da manh.se reu-
nirem afim de eleger-se a directora que
tem de funecionar no anno corrente de 73
a 74 e le resolver sobre outros assumptos
adiados em sesso de hontem.
Recife, 3 de Junho de 1873.
O 2.* secretario,
Joo Martins de indrade.
Troca-se
a moradia de urna casa muito fresca e nova, na
Boa-Viala, com quintal, agua, gaz, banneiro, etc.,
etc., por nma pouco mais ou menos em iguaes
condif"e?, na rua da Camba, Concordia, Santo
Amaro, etc., etc., sendo perto t rua Nova : tra-
ta-se na roa Nova n. 36.
Avisa-se
a quem der noticia da escrava Guilhermina que
foi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos Sa-
tos, e aepois comprada ao Barao de Nazareth,
representa ter 2o annos, tem falta de dentes na
frente e as maos com cicatrizes de quemadura
de gaz, secca do corpo e muito regrista, que des
appareceu da casa de sobrado n. 26, da rua do?
Coelhos, que ser generosamente recompensado.
COMPRAS,
sobra-
H Compra-se alguma* casas terreas ou
dos nesta cidade : a tratar na loja da roa POO/M
de Caxias n. ii.
TASSQIMA8S41L
Em seus nrm.i7< us rua 1 Amorim
n. 37 e enes na \|hi11o n. 47.
tem para vender pnr presos commodos :
Tjolos encarnadla sextavo para larlw.
Cama de barro para esgoto.
Cimento Purtlnnd.
Cimento llvdraulier.
Machinas de dr-arocar algodo.
Macliinas de nnnrin.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cera.
Sag em garrafoes.
Sevadinha em c;irr;.!
l.eiiti has em ^urraliea.
Illiiiin da aJm.iiea.
Vinho do Port mIIio engarrafado.
Vinho do Porto suprior. d\ o
Vinho de Bnpanu, Ju
Vinho de Scherry.
Vinho da Maileir.-i.
Potes com linguas e dobradas infierna.
i.ei nhm nMon.
Cognac Gaiilliier Pnran
Latos de tniieinhii inglrz.
Bar is eom re|K Um em salmn
VrNDAS
0
0
*
0
0
MEDICO-CIRLRGICO
DO
Dr. J. II. Curio
ft
*
m
Rua do Mrquez de Olinda n. 2o, pri
meiro andar.
Consulta das 9 horas s 11 da manha. J*
Chamados a qualquer hora.
Esta s de jesuta !
0 Sr. J. C A. de F. nao quer amda attender
aos reclamos da pobre viuva que exige os alu-
queis e ehaves de sua casa, montando j os ala-
guis at 30 de abril a 320*000 ; o que sobre
tudo se torna revnltante o inquilino ter a casa
fechada ha mais de seis mezes, e nem chaves e
nem alugueis. ________________
No escriptorio da rua do Commercio
n. 32, de Joao Jos de Carvalho Monta*
vende-se o seguinte:
Caf do Itio de Janeiro.
Cimento de Portland.
Palhinha preparada.
Cera em velas.
Oleo de linhaca.
Couro de lustre.
Rezerros.
Chumbo de munico.
Gomma-laca, superior qualidade.
Cadeiras hamburguezas.
Ditas de balando.
Ditas para erwcns.________
Terreno.
Vende-se um magnifico terreno situado no ame-
no lugar -Chacn ao lado direito do no, lugar
que nao chegam as cheas, com 90 palmos de
frente e 400 de fundo e alicerces para urna casa
com 40 palmos de frente : tem bondosos arvore-
dos c muitas fructeiras: a tratar na rua do Mr-
quez de Olinda n. 40.______________________
I
m

Aluga-se
o sotrado n. 7 da rua do Commercio e o tercero
andar da propriedade n. 13 da rua do Bom Jess:
na rua da Aurora n. 51.
$<$@
CONSULTORIO
mi:: ciausaics
DO
Dr. Mallos Guerra.
Especialidades : molestias das mu-
'^ft lheres, das criancas, molestias venreas
S. e svphiliticas.
}' Consultas das 8 s 10 horas da ma-
nha.
vjp Chamados qualquer hora do dia e
.ios da noute.
w Gratis aos pobres.
i Boa da Imperatriz n. 36, primeiro,
andar.
I
Precisa $# de um homem fara moer caf, e se
tiver alguma pratica de torrar, melhor ser: na
rua Direita n. 30, deposito.__________________
A quem interessar.
J. Ramos k Machado raudaram sen escriptorio
de eOmmissdes e deposito de movis para o ar-
mazem n. tO da rua do Vigario. ____
Taverna.
As nicas verdadeiras
bichas liamliiirpueas que vm a ente marte*
m vendem na rua do Mrquez de Ohaaa n. 51, I
.indar.
SHERRY K1NA
VINHO DE miNolUA H\GIEM
PI.I.I'AllAlx) COM OS MtXMORKS VINMOS K. -
PAMIA HA F1KHA
CALV&IRAC A. G. C, DESEVILHa
I' .iliNKCEDoR DA SI A MACMTaM A UM
UIIOI'AMIA.
POR
THOMMERET GL1S
iarmarratira
KX-INTKRM DOS HOSPITAESnC fAntS
O SHERKY-klNA o vinho<
que hoje preferem a maior parto ka naeai-
cos de hospitaes, dos lentes da famWnde e
dos inembros da academia dn nc4iciaa.
Tem esta preferencia a sua expHenio ansio
que offerece todas as garantas que dnbanaV
se procuram nos productos demn
que MUITAS VEZES SESACnmCA AS
DES T.\0 FSSENC.IAF.S QUE* DO Vl>IIO,
Vende-se urna tavern* sita rna do Visconde
Inhauma, antiga do ngel, n. 53, com jkiucos
fundos, propria para qualquer principiante : a
tratar na mesma._________________________
Vende-se a armario e ferragens da loja da
rua de Marcilio Dias n. 45, propria para princi-
piante por ter pouco fundo, faz se tambem neg
ci somente com a casa : a tratar na mesma.
CASA.
Vende-se um sobrado em urna boa rn
ar na'rua da Imperatriz n. 8. loja.
Vende-se
urna escrava preta, excedente cozinheira e lava-
dera, sabendo tambem enguinmar, com urna lilha
de 9 annos de idade. tambem preta, viuda recen-
temente do Maranho : quem pretender compra-
las, dirija-se rua da Imperatriz n 36._______
Sortes de amendoas
Para os divertimentos de Santo Antonio, S. Joao
e S. Pedro, pelo baratissimo preco de 3 o cento,
na rua do Hospicio n. 61, taverna. Na mesma
casa recebe-se encommendas de diversas quali-
dades.
Muita attencao.
No progresso do pateo do Carao n. 9, vende-
se manteiga flor propria para bolos de Santo
Antonio, pelos precos seguintes : iogleza a toO,
600, 800, U e 1*400, dita franeexa 640 e 710
rs. a libra E' pechincha sem competidor.
CRIADO
Precisa-se de um para tratar de um cavallo e
mais algum servico, na rua da Cadeia do Recife
n. 80. _________________>_>_______
Offerece-se nm rapaz para criado, dando fia-
dor de sna conducta : quem pretender dirija-se
ao caes da alfandega, chafariz.
Terreno.
Vende-se meio moio de terreno na ilha de S.
Miguel e tambera permuta-se por predios nesto
cidade: tratar na rua Direito n. 99.
Fogo barato.
]tj, &fRua da ImperatriE41.
Armazem de Iouca de bar'
Existe nma grande p
baratas, garantind-se a i
pos menores do
de existe tambem urna gi
res francezes, baci a
muitos artigos por pre. vhto
estar se liquidando aflrn de se acal
do QcntQCiSA 'as vetes de ambos aos U
CROS DA I.SITC.l I Ai \o
Minerats. Do Dr. CONSTARTIN lkWm%
7.* edicto.
NICO DEPOSITO
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
BARTHOLOIEO ft C.
Rua Larga do Rosario n. 34.
Nao ha wisaWlis
braneos.
TINTURARA JUPOHEZU. .
Se nica approvada pelas ncadinaan V
sciencias, reconhocida superior a toxln
tem apparecido at hoje.
pal rua da Cadeia ao I
quez de Olinda, n. SI, 1.a
todas as boticas casan
reuvK_____________________
Pechincha
Calcado barato
Boneguins de beterr eariaiio, para
hornera a
Ditos pretos gas piado.*, para senhora a
dedur. i ? de cores a
m abeUei-
MOWi

nSat.
Sapa


f^J-.'T^pwppi's
6
fkWiagWi'-y.-xr ^13^-j7ri?nf,51grTT'"^
i' -
_, ~- HHi
8-de Junlio de 1873.

* 17 A i -i v
RBISTOL
r&*a%*i**<
CURA. OS CASOS MAIS DESESPERADOS I
A SAFSAPAIUULHA DE BRISTOL puri-
fica a raassa do sangue, e\pelle' para fra
todas as materias e fezes viciosas e impuras,
regula todas as secreedes, d wtalidade e
energa a todos os orgo s e d forga e vi-
gor ao systema afitn de poder melhor resis-
tir a todos os ataques da enfermidade. %'
pois este um remedio constitucional. Elle
nunca distroe o lira de poder curar; porm
constantemente assisle a natureza. Portanto
em todas as doengas eonstitucioruies e em to-
das as molestias locaes dependente d'um es-
tado vicioso eimperfeito do systema em ge-
ral, achar-se-ha que a Salsaparuilua de
Bristol um remedio seguro e efticassssi-
nio, possuindo inestimaveis e incontestaveis
virtudes. .
As curas milagrosas de
Escrfulas, .
(Jeeras, "
'liasuntifl:as,
ENE ER.UI DADES SYPHiLITICAS
ERYSIPELAS,
RHELMAT1SM0,
HEVRALGIAS,
ESCORBUTO.
ETC ETC., ETC.,
que tem graogpado e dado o alto renome
Salsaprrilha de Bristol
por to'riasas partes do universo, sao to so-
- mente devidas
1UC LEGITIMA ':'. ORIGINAL
SalsaptirnOia de Bristol
II. .fasto k C.
AGENTES.
NA PIIAHMACIA CENTRAL
Ra do Imperador d. 38.
Innocencio, pardo, Pcrnambuco,
s ; ignorase a iro'ftstia.
J_j1 V I U3 d V CIlULcl
Srs. acadmicos
ibras de direito, historia
e literatura, por commodos presos :
Pardtssus:Droil Commercial.
Villaun-Revoloton fraopaise.
Louz lilaac:Histoire de dix aun.
Vattel :Droit des gens.
Ventura :Le Pouvoir public.
Portera : -Cours de droit naturel.
Klubcr :-Droit des gens.
Kogron : Code de commerce.
Nesta typographia acbaro essas obras para se-
r em vendidas.
SEGREDO ECONOMA E CELERIDADE.
Obtem-se com o uso
DA
INJECgAO SHOST
nica, hygienica, radical einfalli val nca-
ra das gonorheas, flores brancas e fluxos de
toda especie, recentes ou chronicas; e que
offerece como garanta de salutares resultados
a continuada applicagSo que sempre com a
maior vantagem se tem feito della nos hos-
pitaes de Paris.
Unic deposito para o Brasil, Bartbolomeu
& C, ruaLargado Rosario n. 34.
Xarope d'agrio do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgos respiratorios,
como a phtysca, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com ptimos resultados no
escorbuto.
Vende-se na pbarmacia e drogara de Bar-
tholomeu & C, ra Larga do Rosario n. 34.
E' baratissiino
Basquinas e casaquinhos de seda ricamente en-
feitados e em milito bom estado, para sonhgras e
meninas a 70O:>.
Pechinchas.
Chapelinas e chapeos de palha, velludo e seda
para senioras e meninas, por prefs baratsimos
de 2/, 3J e 4.
Ainda pechincha.
Baldes em perfeito estado para senhoras e me-
ninas, a 14WJ0.
Para acabar.
Riquissiraos cinto com tacos e sem elle e de
gostos muito chiques a 400 e 5' 0 rs.
Entremeios e babadinhos a 400 e 500 rs. a peca.
Salas de la para senhora, l.
Estas pechinchas s se encontram na loja do
Pam, ra (. de Marro n. 7 A, antiga do Crespo.
mimi ioijis:
PILULAS
VEGETAES
BRISTOL
l ds bofes sadios e saos
Urna digestao vigorosa,
Um excellente appetite,
c*to algunsdos beneficios que se podein de-
'ar, fazendo-seum uso regular das
?ilulas vegetaes de Bristol.
-i cura certa e ellicaz dos intestinos,
Um remedio adiniravel para os ros,
Um tnico poderoso para o estomago,
"io as inapreciaveis qualidades medicas
' e podem encontrar, usando-se das
lulas vegetaes de Bristol.
aa medicina que nao produz dores nem
as.
n purgante que nao debilita nem en-
i... uece.
I m laxante que nao causa a menor
nausea.
Formam urna das muitas virtudes que
possuem a s
I*ihi!a vegetaes de Bristol.
Um medicamento suave e favoravel para
O bello sexo.
Um conectivo seguro dos desarranjos do
systema.
l"m remedio completo e seguro para as ir-
regularidades.
Sao oseffeitos sem falta, resultantes do
usoe r-mprego das
'lulas vegetaes de Bristol.
Urna compleicao clara, alva e transparente,
Lina pelle macia edelicadae um
Hlito doce e agradavel. i
Sao os resultados certoseinfalliveis, de-
pois de se
haver tomado algumas dses deste
melhor dos
Remedios as
Filalas vegetaes de Bristol.
Em todos os casos de molestias d'uma na-
tureza escrofulosa, ulcerosa ou syphilitica ;
ou quando a massa do sangue se haja tor-
nrlo turva ou viciada pelo uso de ferro,
mercurio,' ou por outra qualquer substancia
mineral a
ttalsaparrilha,de Bristol.
devora ser usada de conjuncto com as -pun-
as, e assim obrando-se, em restricta con-
formi lade com as direcces inscriptas no
enrolto; os doestes podem licar certos que,
urna vez usada conjunestmente urna cm a
outra, nenbuma ent'ermidade ou molestia,
por rnais severa ou arraigada que se ache,
nao po.lur resistir ao combinado poder se-
cretorio e sanitario destes dous
El
REMEDIOS.
Ambis estas medicinas acham-se venda
em todas as principaes boticas e
tajas de drogas.
Ach.i-se a venda-em todas as boticas.
H. Forster & C.
AGENTES.
Rival sem segundo.
Cheg-ram agulhas para machinas, do fabricante
Crow-iT & Baker. Duzia por 24000.
BICHAS DE HAMBRGO
As mais recentes e melliores.
Vendem-se na pbarmacia e drogara de Bar-
tholomeu & C, ra Larga dosario o Rn. 34.
Grande liquidaco de fazen-
das, miudezas, ferragens
e taboas de louro e ama-
relio.
Thomnz Jos de Gusmao, estabelecido em Olin-
da com loja de fazendas e miudezas c tambm
com armazem d' madeirns e materiaes, faz li-
quidaco de todas as mcrcadorias existentes em
seas estabelecimentos, cora grande redcelo de
preeps, por ter de mudar-se : tamhem tem gran-
de "quantidade de cera em vellas.
Moraes & Irmao
Em seu cscriptorio ra da Madre Deus
n. 5, 1. andar, tem para vender por prego
commodo :
Vinho do Porto superior engarrafado.
Cerveja Bass.
Cha verde miudinho de superior quali-
dade.
Na ra da Imperatriz n. 6,
loja ne louca de Scbastiao Marques do Nasci-
mento, vende-se em porcoes grandes ou a reta-
tho todo louca existente na mesma, por preeps
muito diminuios por ter o mismo proprietario
de fazer urna viagem a Europa a tratar de sua
sade; portanto, todos os freguezes que precisar
de ^e sorlir destes artigos, apresentem-se quanto
antes.
l^r*
Arlifleial
Valdivino da plvora, no sen armazem de sal
ra imperial n. 207, faz sciente ao respeitavel pu-
blico desta cidade, que se acha satisfactoriamente
prevenido de todo o fogo que mister para os
festejos de Santo Antonio, S. Joao e S. Pedro
assim como um excellente sortimento de fogo do
ar, bomba real e pistolas de quatro a seis balas,
ditas de duas e tres balas, unido a urna bella
Dollecco de outros foguinhos para brinquedos de
friancas que coslnmara divertir-so com as mara-
cilhosas rodinhas de salas.
Lzohas scocezas a 280
rs. o covado.
Ra do Crespo n. 20.
Lazinhas escocezas, padroes inteiramente no-
vos, pelo dimitmlo 280 rs. o covado,
pechinia o do-se aoottru aa loja "de Guiher-"
ine
Venden
equ
om h
raodi
Cra*
\
ha fra
frente
. Eugenhos veuda.
Vende-se os eugenhos: G.mieleira, com safra
de dous mil pies, s tuado no lugar denominado
Barra de Panellas margem do rio Piranvy,)
a 4 legua safrejar annualmonte de 4 5 mil pies: Corrien-
tes, com safra de dous mil pes, situado no dis-
tricto de Agua-Preta e 2 leguas da estacao de
Una : o pretendente a ambos, ou a qualquer um
dos dous referidos engenhos, entenda-se com
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, no Recife,
praca do Coqio Santo n. 17, ou com Jos Bap.'.is-
ta Marques Dias, no povoado dos Montes.
GRANDES NOVIDADES
Em fazendas de gosto .
LOJA E ARMAZEM DO PAYAO
K 60 Ra da Imperatriz N. 60
DE
PEREIRA DA SILVA & GIMARES
Os proprietarios deste importante estabelecimento, participam ao respeitavel publico
desta cidade e aos seus numerosos freguezes que acabam de recober pelos ltimos vapo-
res de Europa, um grande sortimento das mais lindas c mais modernas fazendas de gosto
e inuita phantasia para vestidos de senhoras c meninos, assim como tambem um grande
sortimento das melhoresfazendas de lei, que se vendem por precos muito em couta, s
com o i;n"de apurar dinheiro.
As pessoas que negociam era pequea escala, neste estabelecimento podero fazer
os seus sortimentos, porque se Ibes tender pelos presos que comprara as casas cstran-
geiras ; de todas as fazendas se dao amostras, deisando penbor, ou raandam-se levar em
casa das Exmas. familias pelos caxeiros*.
Este estabelecimento est constantemente oberto das G horas da manha s 9 da noute.
BRNOUS A 165000.
O Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, burnoos dos mais lindos gostos
que at boje sao conbecidos e em rclacao
das mais lindas granadinos preta com deli- SUa excessva barateza, convidam-se as
cadas listrasde cores epretas, que vende pelo | Exmas. Sras. para verem o que ha de mais
barato preco de 1&500 o c >vado. Ditas to-. novidade neste artigo,
das de cores com listras miudinhas em urna J BRAMANTES PARA LEHCOES.
s edr a 15*200 e 1^000 o covado. Ditas | o Pavo vende superior bramante de al-
pretas com listras de seda roxas a 800 rs. Di- godo, tendo 10 palmos de largura, que s
tas pretas com listras brancas, azues ever- precisa de 1 1/4 vara para um lencol a
des a 640 rs. o c -vado, ^sim como boni- lj!>600 o metro ou UJ800 a vara,
tas barejes de seda para Vestidos com as Dito do linho fino superior e muito en-
mais lindas cores a 1JP000. E' pechincha, corpado, com a mesma largura a 25400 a
na loja do Pavo. vara.
POUPELINAS A19600 E 2000 O COVADO.! Ditos francezes muito finos a 2?300 e
0 Pavo recebeu um elegante sortimento 35JOOO.
A 1JJ500, 15200, 800 e 640 rs.
0 Pavo recebeu umbrilhante sortimento
-Ra do Mrquez de Olinda 56 a
(outr'oru ra da Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conbecido como principal e ra
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com que sempre prima em ter
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas anicriramaa m
dao, desde 10 60 serras, e havendo em todos os Unannos diversidades de tjrrte-
mas e melhoramentos para perfeito e rpido dcscarogamento ; tornam-se dignas d
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, eocoulrarao
tambem mais :
Apurados vapores locomoveis, de forga
de 2'/i e 3lt cavallos com todos perUnras
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodo, ou para outro qualquer mister.
Hcsperiilina
\rdadeiro biter hesperidina, superior e acre-
ditado : a venda no armazem de Tasso Irmao &
C, ra do Amorim n. 37.
Cassas avariadas a 240 rs.
o covado.
0 Pavo vende finissimas cassas francezas do
cores com os mais delicados padres, por terem
um pequeo toque de avaria de agua doces Pe'e
barato prepo do doze vintens o covado. pechin-
cha : na lija do Pavo, ra da Imperatriz n.
0.
J chegaram os maravilhosos fogos artifi-
ciaes da China, para serem soltednos saldes e jar-
dins: caixinhas com vanado sarUmento e a pre-
cos desde 2 at 50i cada cafan : no armazem
. i do caes da alfandega.
Grrande p
Popelina
Farinha de millio.
Vende-se farinha de miHio moida *apor, da-
riamonte, pelos prepns seguintes : grossa para
migunza a !J(l rs., dita para angri, pinto e passa-
^^P a 100 rs., para cangica e pao de provenca
i0 rs, em arroba
lis harato : na rn do Cotovello n. 25.
Taverua.
ua Rirefta n. 78, tem pouCos
Mm afreguezada: a tratar na mea-
das mais lindas poupehnas de seda com os
mais lindos desenhos c mais bonitas cores,
que vende a 15600 e 25000.
SEDAS DE CORES A 25500 RS.
O Pavo recebeu um bonito sortimento
das mais lindas sedinhas de urna s cor com
delicados desenhos miudinhos, que vende a
25500 o c vado. Ditas com listrinhas, mui-
to boa fazenda a 25000. E' pechincha, na
na loja do Pavo.
CAM8RA1S ARERTAS A 95 E 105000
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais finas cambraias brancas abortas,
bordadas para vestido, que vende pelo barato
preco de 95 e 105000 o corto, tendo fazenda
bastante para vestido. E' pechincha, na loja
do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
LAZINHAS DORDADASA 400 RS.
0 COVADO.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais lindas lazinhas transparentes com
florinhas, bordadas, tendo de todas as cores
inclusivel rocha propna para viuva, e ven-
de pelo baratissimo preco de 400 rs. o co-
vado. E' pechincha, na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60.
LAS MODERNAS.
0 Pavo vende um bonito sortimento de
lazinhas listradas sendo das mais modernas
que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo
preco de 560 c 600 o rs. o covado. E' pe-
chincha, na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60.
ALPACAS LAVRADAS A 640RS. O COVADO.
Chegou para a loj do Pavo um elegante
sortimento das mais lindas alpacas lavradas
de cores sendo as cores mais modernas que
tem vindo para vestido*, e vende-se pelo ba-
ratissimo prego de 640 rs. o covado; E'
pechincha, na loja do Pavo.
CASSAS FRAMCEZA6 A 000 E 640 RS. 0
MliTRO.
O Pavo recebeu um magnifico sortimen-
to das mais lindas cassas fian ezas, de cor,
com os mais bonitos desenh s raidos e
grados, tendo padroes oscuros, e outros que
servem para luto, e vende a 600 c 6i rs.
o metro ou 360 e 400 rs. o covado.
LAZINHAS MODERNAS COM LiSTRA DE
SEDA A 640 rs. e 15200.
O" Pavo recebeu um elegante sortimento
de las com listras de seda assetinada, sendo
as mais modernas que tem vindo ao merca-
do e com as mais delicadas cores, e vende
pelos baratos precos de 640 rs e 15300.
Assim como outras muito bonitas com stras
sem ser de seda, que vende a 500, 640 e 800
rs., todas estas las sao modernsimas. E'
pechincha, na loja do Pavo.
Chita.* a *40,9SO,3SOe2GO rs.
O Pavo recebeu um grande sortimento de
chitas de cores fixas, que venie pelos bara-
tos precos de 240 e 280 rs. o covado. Ditas
escuras fazenda muito superior, com npvos
padroes a 320 e 360 rs. o covado.
Ditas milito linas padroes claros em teci-
dos de percales, com barra de cor ao lado e
sem ella a 360*6 400 rs.
Ditas pretas com tecdo de crctone, fazen-
da muito superior a 30 e 400 rs. o co-
vado.
Ditas de cores, miudinhas, proprias para
roupa de enancas a 360 rs. o covado. E'
pechincha, na loja do Pavo.
Baptistas a 500 rs. o covado.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais modernas baptistas de cores com
padroes miudinhos e grados sendo proprios
para vestidos, e roupa de crianca, pelo bara-
tissimo preco de 500 rs. o covado, afiangan-
do ser grande pechincha I
Cortes de eambraia. nltima no-
vidade, a 950GO.
O Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes de eambraia branca com ba-
badinhos ricamente bordados, tendo fazenda
sufficiente para vestido de qualquer modelo,
estes vestidos sao os mais modernos que tem
vindo ao mercado, e pela sua excessiva ba-
rateza tornam-sc recommendaveis s senho-
ras de bom gosto.
Ditos com babados de cor, tendo 20 me-
tros de babad s a 95000. E' grande pe-
cli .cha, no Bazar do Pavo rua da Irape-
ratiz n. 60.
CORTES DE CAMBRAI
O Pavo recebeu
eambraia branca b
vende pelo barato
CORTES DE CAMfiRAlA
MBIUIAfB
P^ de 2
0RDAD0S.
ricos cortes de
a vestido, que
205 6 305000.
BRANCA.
O Paveo reeebeu wn lindo corte de eam-
braia branca eom listras assetinadass que
vende pelo barato pre^o de 69000.
' Ditos com listras de cores, tendo 8 varas a
45 e55000. E' pechincha.
ESPARTILHOS.
O Pavo receben um gfaa4e sortimento
de esparlhos tan*o para seilhora como para
menina, que vende pelo barato preo do
muito finos a
Pegas de Hamburgo c panno de linho, ten-
do c >m 20 e 30 varas para todos os precos
c qualidades.
Ditas de bretanha de puro linlm, tendo 30
jardas, pelos precos mais baratos 'iie se tem
visto.
Pechinchas de finissimo esgui i ou silezia
com 6 jardas a 75000.
Pecjs de finiisima^ilezia com :J0 jardas
a 355000.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 25000 a vara.
Calcas de casemiru.
O Pavo tein um grande sortimento de
caigas de casemira, assim como cortes os
mais modernos que tem vindo nos ltimos
ligurinos e em fazenda, dos mais linos e
mais novos que tem vindo ao mercado, e
vande-se por Barato prego para apurar di-
nheiro, assim como caigas de brim branco e
de cores, por pregos muito razoaveis.
LENCOS ABAINHADOS A 15800 E 25000.
O Pavo vende duzias de lencos brancos
abainhados, sendo fazenda muito boa, pelo
barato prego de 25000 a duzia.
Ditos tambem abainhados, com boira de
cor a 15800.
Ditos grandes, fazenda muito fina, sendo
todos brancos a 35000,
Dito de eambraia branca, sendo em pega
a 35600
MEIAS CRIAS A 45 E 55000 A DUZIA.
O Pavo vendo duzias de meiascruas, n-
glezas pelo barato prego do 45000 e 55000.
Assim como ditas muito finas e muito en-
corpadosa 65000, 75000,85000 e 105000,
e um grande sortimento de mcias inglezas e
francezas, para senhoras, que so vende por
prego muito commodo.
MADAPOLAO FRANCEZ a 0-3000 E 73000.
0 Pavo vende pegas de madapolo (tan-
caz, que sempre se vendeu por muito mais
dinheiro o liquida-so pelo baratissimo prego
C3OO,e 73000, por ter feito urna gramU
compra. E'pechincha.
Algodaozinho a J-OOO.
O Pavo vendo pegas de algodozinho.
muito boa fazenda, pelo barato prego de
43 e 53000.
Dito largo muito encorpado, proprio para
toalhas e lenges a 63000 e 73000.
CAMBRAIAS.
O Pavo vende cortes de eambraia trans-
parente propria para vestidos a 23500
33000.
Pegas de dita muito fina, com 10 jarda,
tapada como transparente a 43, 53 e 65000s
at a mais fina que vem ao mercado.
PANNOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
O Pavo 4em um grande sortimento do
pannos de crochet proprios para cadeira de
balango, para ditas de guarnigo e para so-
f, que se vendem muito em conta.
COI.XAS DE CROCHET A 65 E 83000.
O Pavo vende cobas de crochet proprias
para cama de casal, pelo baratissiino prego
de 63 e 83000.
Ditas de fusto acolxoadas, sendo de co-
res e broncas, pelo barato prego de 46000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
cretone e de chita, que vende .por pregos
muito razoaveis.
CORTES DE PEUCAI.LES COM DUAS SAIAS
a 43000.
0 Pavo vende bonitos cortes de percalles
com duas saias, sendo fazenda de muito gos-
to a 43000. E' pechincha na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60.
BOTINAS PARA SENHORA, A 53000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Pereira da Silva & Guimares receberam
pelo ultimo vapor de Europa um elegante
sortimento de botinas pretas e com delicados
enfeites decr, proprias para senhora, garan-
ndo-se serem das mais modernas que ha
no mercado, assim como a boa qualidade,
por terem sido remettidas por um dos.nf
Ihores fabricantes de Paris, e vende-se peto
barato pregoA 6?, na loja do Pavo.
SAIAS SOPADAS A 53, G;5 e 83000.
O Pavao vende saias ricamente bordadas
de 4 pannos cada urna, pelos baratsimos
pregos de 55, 65 e 85000.
Ditas de um panno s e com muita rodas
guarnecida de pregas, pelos baratos prego,
de 25000 e 25300.
Ditas com guarnigo de pregas e borda-
do a 35500.
Algmlito enfestado m i500 a
vara.
O Pavo vende algodo americano enfes-
tado e muito encorpado, proprio para toa-
lha e lenges,.pelo barato prego de 15000 a
vara.
Dito francez. sendo trangado e muito en-
corpado, pelo baratissimo prego de -15280 o
metro.
Caiemiras a 65000 e J3000.
de casonra froMe-
superior que em-
dinheiro, e liqui-
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e
lade-
ra.
Carros de mo para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos cora vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Trens para cozinha.
Temos de bandeijas finas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para nadara*.
Pertengas avulsos par machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
.Monillos de diversos fabricantes para nu-
il io e caf.
Debulhadores vara milho.
A zo i te de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
('.anuos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferrciros.
Emfim muitos outros artigos, que s avista e neste estabelecimento podero s
examinados.
Pede obter em pouco lempo com o oso do melbor dos licoress SfraBad
HESPERIDINA
Faz'oito annos qne conbecido este precioso tnico, e difcil acbsr orna posa
qoa. tendo experimentado pesaoalmente, oo falle em sea favor, j como ton: ettonaci
a apetiaador, tomando om cliz della sotes de jaalar, oo como facilitador da difswh
{ucando-80 depois.
A BASE
da HESPERIDINA a LARANJA AMARGA, alo ba um s habitante do BRASIL (a terr.
especial das Saramas) qoe Dio conhega as propriedides medanles da doorad frnrta.
ora bem. a
em sen estado natural tem om gusto pouco agradavel, e o memo da HtsperHl:oa con-
siste em reter suas boas propriedades, e ao roesao iPtnpo ^presenta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL Dio tem nada qc iovei>r a
melhores iraportaces enropas de calhegr>ria scmelhant. Etts, qcaDdo coito. :*>m
ser costosas, porm a Hesperidina a combinago perfeiti lo
AGRADAVEL E SADAVEL
Para prova d e innocente, basta dizer-se que loi plenamente api rovada o uu.mada ptl
DE KYGIENE
do Rio de Janeiro, permillindo soa
ISO
ivre elaborago no imperio; oaira
i, PROVA
a acceitaglo geral que tem em t'.das as parit- onde apreseniads. Es IH64 wut#-
lecpn se a primeira fabrica em Bneros-.\;res; em 486! a legoftda era Montevideo ;
do da da ebegada de S. M. O IMPERADOR iaangurou-se i fabrica qre acttaten*
trahalba na corte. Em Valparaizo e em toda a c< sia do Pac:fico tem bus a.-cei;
tanto qne rara a casa que considera completo sea aparador sero otea garrafa d*
HSFEMMM
0 bomem velho loma Hesperidina para obter
VIGOR
O bomem doente toma Hesperidina para obter
SALDE
0 bomem dbil loma Hesperidina para obtar
Hesperidina para
iMar boa (flr
Ncs bailes as donzellas e os mogos tumam <
animago dorante os loncos gyros da
BARROS JNIOR 4 C, rna do Vigano Tenorio n. 7, I* andar, recebera as
grande especifico, e veni>em-no nos depsitos seguinte:
Joaquim Kerreira Lobo, roa da Imperatriz.
Zeferino Carneiro, roa do Commercio.
Marcelino Jos Gongalves da Eouie, ra da Cadea n. t.
Antonio Gomes Pires & C, ra da Cadeia.
Antonio Gomes Pires i C, caes "ii de Novembro.
Gomes & lrmao hotel da Passagem.
CK.VTKIFUCiO
Acaba de ser experimeniado no engenho Fragozo o apparelho para aprooipUr
sucar pelo sytema Centrifugo.
0 PROCESSO
E' muito simples.
Tirase a meladora das Uxas de coser, bolease dentro de qaalqMr M
:oalhar.
Logo que'esleja coalbado passi-se para o apparelho ea partidas de 3 1/1
de cada vez.
Send) assim ebeio e posto em novimento, dentro de 5 milos sUrt o
arompt. e em estado de ser logo remedido para *h veidido.
0 resultado
Foi fazer-se de 4 A/i p2es de assecar 21 arrobas de sodj;
itrabido pelo apparelho tendo sido em nada prejodica lo
aindo mel d'engenbo e na) mel de faro, prestou-se a
apparelho assocar de qualidade e pouco inferior ao
nesmo as formas lio bom resultado como se fosse ;
nas, aproveitando-se assn mais melada
Sendo lio evidente
Jera ser verificad
wparelbo, di
eegio dos 91]
pera
ID,
ado


f
*P

>
'
\
'
.

Diario de.Pernambuco Domingo 8 de Juaho de 1&73.
FUWDiraO DO BOWMAN
RA DO BR1H 1 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS enbores de engenbo e" ontros agricultores, e empregadjres de m
inmismo o favor de raa visita a seu estabeleciment, para verem o uovo orlimento
mmoletJ que abi tem; sendo todo superior em qaalidade e (orlidSo; o que om a ios
oeeco pess tal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENIJAOAO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDIQO
VaDOre% 6 rodaS d'affaa do8 is m>te"s flemas eem ta
* ** ** rnaohos convenientes para as diversas
iircunwtancias dos seataxes propietarios e para descamar alg jd3o. Q
DH06IldaS (Ifi CUTTflSi c'e lodos os t;,m:inu0S> as^meltiores que aqu
existen,
para .oimaes, agoaj vapor.
Rodas dentadas
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
para mandioca e algodSo.J
e para ferrar raadeira.
Podendo? todos
?er mo'iiios a mSo
por agna, vapor,
de patente, garantidas........ |uu animaes.
Todas as machinas e pe?3S de q,,e se co?,oaia precisar-
de macniismo, a preco mni resumido.
Faz qualquer concert
Formas de ferro
Encommendas.
mas compras
bes prestar a
tem as melhores e mw baratas existentes no fcer-
cado.
Incumbe-so de mandar vir qnalquer macbinismo von-
ude dos diento, leoobrsndo-lries a vabiagem de fazerem
r Dtermedio de pessoa entendida, e que em qnalquer necessidade pode
1I10.
e instrumentos ?gnco'a.
Arados americanos
RA DO BRUM N. 52
MIUDEZAS.
40
Caixa de linha branca muito boa com
oovellos, a 500 rs.
dem idem de marca, a 200 rs.
Mago de lita chincza, a 900 rs.
Duzia de pegas de cordo imperial, a
80 rs.
dem em carritel de linha branca, a 320
rs.
as cores e largu-
Idem idem carritel 200 jardas, a 15S0OO.
Lamparinas gaz, dando urna luz muito
boa, a l-rooo.
Abotoaduras para collete (sao baratas), a
200 rs.
Duzia de pecas de trancas caracol.branca,
400 rs.
dem idem lisas, a 200 rs.
Fita de velludo de todas
ras.
dem idem de sarja idem idem.
Talheres cabe de viado (imitacSo) a 35JOO0
duzia. t
Duzia de baralhos francezes canto doura-
do, a 3JP600.
dem idem boira lisa, a 295^0.
Grinldas para casamento, a 29 e 53JOOO.
Garrafa de tinta roa extra-fina, a 1J5000.
Caixa de botoes de osso para caiga, a
200 rs. -
Coques modernos, a 33J500.
Mago de tranca lisa, de cores, a 240 rs.
Espelhos-toucadores, a 29000.
Soares Leite & Irmaos, pedem as Exilias familias desta cidade, para virem sortir-se
de um completo sortimento de miudezas e perfumaras, por pregos baratissimos, a
taber:
Caixa de peonas l'erry, a 800 rs.
dem idem, a 400 rs.
Caixa de cnvclopes trajados de preto, a
500 rs.
Leques para senhoras,' a 29000 e 49000
dem idem de osso, a 69000 e 89000.
Indispensaveis de couro da Russia, a
109000.
T ivros para notas, a 320.
Kedes fiufeitadas, a 19300.
Duzia de collarinhos borjados para ho-
mem, a 89000.
dem idem lisos, a 69000. .
PERFUMARAS.
Garrafa de agua florida verdadeira a 19300
Idemkananga do Japo, a 1&200.
dem divina, a 19000 e 19200.
dem idem Magdalena (novidade) a 19500.
Frasco com tnico oriental a 19000.
dem de oleo Oriza verdadeiro, a 19000.
dem idem antique muito b >m, a 400 rs.
Opiata muito boa, a 19, 19500 e 29000
o frasco.
Caixa de pos para dentes, a 200 rs.
dem idem de pos chinez, muito bom, a
500 rs. e 19000.
Mago de sabonetes inglezes muito supe-
riores, a 600 rs.
Duzia de sabonetes de amendoa, a 29500
e 39600.
dem de sabonetes de anjinho transparen-
CO TURA DE HOWP
SOARES LEIE, IRMAOS
A"
Una do Barri da Victoria n. 28
As mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
foi concedido
a condecora-
e
Na exposigo de ^ris, em 1867,
Elias Howe Jnior, a medalha de ouro
gao da Legio de Honra, por serem as machinas mais per.
feita^do mundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Uowe Jnior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposigo de Londres acreditan)
estas machinas.
A 90000
Resma de papel pautado e liso, a 29600, tes, a 29200.
9800, 39500, 49000 e 69000.
Caxa de papel amisade, a 680 rs.
dem de sabonetes com flores, a 19500.
Lindas e elegantes caixinhas com perfu-
Idem idem idem beira dourada, a 800 rs. mes do autor E. Cudray e Gell Frres, pro-
Caixa de envelopes forrados, a 700 rs. prias para presentes.
Luvas de pellica com pequeo toque, a Sabonetes Glycerino transparentes, 19
500 rs. e 19000. Chapeos para senhoras e meninas.
BOLLAS DE BORRACHA
Grande sortimento de bollas de borracha e calungas por baratissimo prego, e mui-
ios objectos que se tornara longo mencionar.
28 Ra do Rara da Victoria 28
GRANDE
LQUIDACAO PARA ACABAR
DE
ROPAS FEITAS E FAZENDAS
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe. de Nova-
York, estaheleceu nesta cidade ra do Baro da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral, para em IYrnambuco e mais provincias se veniicrem as afamadas machinas de cos-
tura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeigao de seu trabalho,
empregando urna agulha mais curta corn a mesma qualidado de linha que qualquer outra,
e pela introduccao dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
otterecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens clestas machinas sao as seguintes:
Primeira.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel,
circumstancia de nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
da mo.
Segunda.Conten o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
Terccira.Ha nellas menor friegao entre as diversas pegas, e menos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Formam o ponto como se fra feto m3o.
Quinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se no consegu
as outras.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um outro lado,
e logo em seguida, sem modilicar-se a tenso da linha, cozem a fazenda mais
fina.
Stima.O compresser levantado com a maiorfacilidade, quando se tem de mudar
de agulha ao comegar nova costura.
Oitava. Militas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares* sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
mudaricas radicaos parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando, a opinio de Elias Howe, rnestre em artes mechanicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, e hoje uta altende a procura, posto que faga 600 machinas
por dia.
Cada machina acompanha livretos com instrucgdes em portuguez.
A 902>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMAOS
4'
do Baro da Victoria n. 2 8.
DO
Baro da Victoria
lANTIGA RA NOVA.
n.
24
Aderegos de*bri-
lhantes, esmeraldas
rubina e perolas,
voltasde perolas.
Obras de ouro e
prau de todas as
qualidades.
SAPHIRA
NOH LOJI^JIE JOIAS
N. 2 ARa ,8o CabugN. 2 A
L
IIAIIROS I
chano1 o-se completamente reformado este estabelecimento", e
tendo os seu*- proprwtarios feito ama importante acquisigSo d
joias as mais moderan vindas ao mercado, e de qijaTIdades superio-
res, convidam ao reJptavel publico a fazer urna visita ao sen es-
tabelecimento, afim de ap
prego razoave.
apreciar e comprar urna joia de gosto
BAZAR DA RA DIREITA
HOJE
IKIARC1LI0 DAS N. Si.
Este estabelecimento sempre solicito em offerecer a concurrencia do rcspcitavel pu-
blico um completo sortimento de miudezas, calgado francez, chapeos e quinquilharias a
pregos os mais razoaveis possiveis, para o que recebe quasi todos os seus fgos de pro-
pria encornmenda da Europa o America, vem dar publicidade de alguns artigos por cujos
pregos bem se pode avahar os pregos de outros muitos que se lornaria enfadouho pu-
blicar.
MIUDEZAS. MIUDEZAS.
Brincos dito de dito por 2#500.
La para bordar, da melhor qualidade, 1
libra por 5J500.
Agulhas francezas, fundo dourado, a cai- rs'
xinha com i- papis a 60 rs., 240 rs.
Voltas de fita de velludo com lindos co-
rages fingindo madreperola, a 500 rs.
Voltas paj^opescogo, fingindo camafeu,
companhadas com 1 par de brincos seme-
Ihante, tudo por 29500.
Linha branca de 200 jardas em carriteis,
propria para costura de machina, a 800 rs.
a duzia.
Dito de dita de Alexandre, numeragao a
gosto do freguez, a i#100 a duzia.
Diademas dourados de 19508 a 3JJ000.
Ditos de tartaruga com flores a 25000.
Ditos com borboletas a 19500.
Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
Ditos de plaqut de 500 rs. a 29000.
Ditos dourados, duzia de pares, a 19500
e 29000.
Voltas de aljofares com brincos, a 29500.
Ditas de ditos com corages a 19000.
Ditas de ditos de contas com cassoletas, a
800 rs.
Rosetas de plaqut a 19 e 19500 o par.
Gravatas de seda para senhoras de 19200
a 29000.
Parures com 2 lagos para cabega e peito
a 39 e49000.
Entremeios e babadinhos bordados de 36
rs. a 29400 a pega.
Gales*de seda brancos
e de cores, de
19500 a 29500 a pega.
Ditos de algodo e seda, de 19 a 19400
a pega.
Ditos de algodo, a 100 e 500 rs. a pega
Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
pega.
Leques de martira a 39 e 89000.
Ditos de sndalo a 49500.
Ditos de madeira imitando, a 29000.
Ditos de papelles a 19800.
Botes de setim pretos e de cores, a 800
e lvO a duzia.
Franjas brancas le seda de tenias as lar-
guras, a 19000 o WOrj o metro.
Ditas de cores e pretas a 800 rs. e 19000 o
metro.
Galdes pretos de seda, de muito gosto de
8(10 rs. a 19000 o metro.
CALCADO FRANCEZ.
Botinas pretas gaspeadas, para senhora, a
49500 o par.
Ditas ditas de duraque, gaspeadas, caano
alto, a 59000.
Ditas pretas enfoitadas, ultima moda, a
69000.
Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
a 59500,
Ditas para meninos, pretas e de cores, a
39 e 49000.
Completo sortimento de calgado de ase-
mira, Charlt, tapete e tranga, mais barato
10 % d que ern outra qualquer. parte.
CHAPEOS.
Ricos chapeos de palha d'Italia, para se-
nhora, a 119000.
Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
a 169000.
Completo sortimento de chapeosinhovpara
meninas e senhoras, de 29800 a 59000.
Chapeos de sol de seda, inglezes;cabo de
marfim a 169000.
Ditos dito de merino, cabo de metal mui-
to bonito a 59500.
Ditos dito de seda para senhora, cabo de
madeira, a 69000.
Ditas dito cabo de marfim a 99000.
DIVERSOS ARTIGOS.
Granadine para vestidos, fazenda da ulti-
ma moda, com listras de seda, a 650 o co-
vado.
Pannos de crochet para cadeiras, a 19800
e 29000 cada um.
f:
. uo Fpc,u <, pow. i Ditos para sof, a 39 e 49000.
Coques para senhora, a 39, 39500 e 49. \ -,,.,,.. ,*.nekn j
Aderegos fingindo cocal, compondo-se de' Toalbas de lmho P1"- rostoa i^00 *
alfinete e brincos por 29000. i01"8.- .
Dito dito pretos por 29500. i* Utu de algodo alcoxeados, a 640 rs.
Ditos de plaqut, compondo-se Te alfinete! CoU*8 de crochet para cama djj casal, a
e brinco, sendo de muito gosto, por 59000. WW-
------------------------_^----------------------------------------------------------------------------------------------------- "
Merino preto a 800 ra' o co-
vado.
Merino preto a 800 rs. covado, proprio para
vestido serve para luto, por ser'sem.lustro, na loja
as 6 portas em frente do Livrament.
Entremeios, tiras e bicos
500 rs. apega.
ntremelos, tiras e icos
irios para enfeitar vestid
nhas (toMIfea, peto baratsimo, pwco
peca na luja das 6 portas em inM
ment, dao-se pecas a mostra com penbor.
ndeijas
Amara!, Aabuao C vendem oaadeijas de me-
tal envernidas, e de verdadeiro charao, de todos
os manhos, para fbz, copes, bolos, etc., etc., e
um completo sortimento de kalaios, eabazes, etc.,
de vime, e rotim para flores, costuras, pi, etc.,
etc.: no bazar victoria, ra do Bario da Victoria
mero 2.
* Caverna.
Veade-se a tavaroa da Gamboa do Carmo n. i;
a tratar oa mesma.
COMO SiO LIADOS!!!
Os leques todos de madreperela.. branejs c de
cores e que trazem o disticoUMAO em leltras
tambera de madreperola cm alto releve, tr-
nando-se por islo apropriados para noiras, a NO
VA ESPERANZA ra Imque de Caxias n. 63
(anjiga do Qucimado) queni os tem.
Sao de tartaruga
Os brincos, broches, meios aderegos, cruie*.
coraces e cassoletas, que estao oxpostas ba
escolha das Bxmas. (amantes do chique) vende-se
na Nova Espcianca, ra Duque de Caxias
n. 63.
Aos meninos
A Nova Efperanca ra Duque de Caxias n.
63, acaba de recebor um lindo sortimento de bo-
necas de muilas qualidades, vindo entre ellas as
engracadas bonecas de borracha, assim lambcm
urna pequea quantidade de bonecas pretas que
se tornara apreciadas pela MU novidade.
bem util
A Nova Esperanca ra Duque de Caxias n.
63, lecebeu verdadeiro cimento inclez. prepara
gao para concertar porcelana bem mil.
Vestido perdido
Militas vetes um vestido turna-se inlciramente
feio, somonte por estar mal enfeitado: a Nova Es-
perau'.a a ra i uque de Caxias n. 63, rcinovc
este mal ; porque est bem provida dos melhores
galoes e franjas de todas as cana, onde pode es
colher-se vontade sobresahlndo entre eslas as
modernas franjas mosaicas, que pela sua varii-da-
de de cores, liea bem em quasi lodas as faaendas.
A ella antes que se acabem.
Bolas de borracha
Vendem-se de todos os lamanhos ra Dnque
de Caxias n. 63, na Nova Ks|Mjiaiica.
Cabellos brmeos s tem quem
quer
A Nova Esperanca a ra Ptiquo de Caxias n
63, cana de roeeber a verdadeira Untura il Des-
nous para tinjiir os cabellos, n ajM se annpH
(emprecando a) rom milita fai-ilidade. e por BsM
motivo, caliellns brancas tan qatn i|iier.
Estao na moda
Os cinturoes de couro, proprios para svnhoras,
qne recebeu a Nova Esperanca ra Duque de
Caxias n. 63. estao, sim. senhora. eslo na moda !
Se queris ter ou preparar um- rair.alhete de
cheirosos cravos branois para o wat ea-aroento,
ou para outro liui apropriado. necessario ir
Nova Esperanga ra Duque de Caxias n. 63,
que alli encontraieis os mel'ores ports J>.uiuets
que se pode desejar.
Talagarca
A NOVA ESPERANCA ra Duque de Cixias
n. 63, vende talagarga para bordarse de todas as
grossuras
A

no empenho de'bem servir aos seus freirut*** e
ao publico em gerai tem procurado prover-se do
3ue ha de melhor e da ultima moda nos merca-
us de Europa para expu-lo aqu venda, cer-
tas de que os seus artigos cario bem apreciados
pelos amantes do bom e barato ; passa a ennu
merar alguns dentre elles, como sejam :
ALUU-'S, os mais ricos que tem viudo a este
mercado, com capas de madreperola,
tarUiruga, mar;,ni, velludo e chagrn.
ADERECOS pretos e fuHaa pinprias para lulo ;
assim como, um hondo sortimento de
ditos de plaqu, obra lina e mudo bem
acabada.
BOTES |iara punbes, o que se pdt desejar de
melhor em plaqu,, tartaruga, madre-
petla, marin e osso.
BOLCAS de velludo, seda, pabia e chagrn,
ha de mais moderno e I ndas.
BICOS de seda c de algodo, tanto branco como
preto, de variados desenhos
CASSOLETAS pretas de metal e de madrepe-
rola.
CAIXINHAS para costura, muito ricas e de di-
versos form tos, cora msica e sem
ella.
COQUES a imilacao, o que pode haver de mais
bonito e bom gosto.
DEADEMAS, neste genero a Predilecta apr-
senla um grande e lindo eortimeub*
capaz de satisfazer os caprichos de
qualquer seuhora por hus cxigeute
fe soja.
ET de madreperela, marlim e sa>,
este um objecto indispeusavel as se-
nhoras do bom tom, alim do aspirar
o aroma das Sores sem o inconvenien-
te de uodoarem as luvas, m maucua-
r- ni as delicadas maos.
PENTES de tartaruga, de marlim e de bfalo, pa-
ra alisar os cabellos e tirar bichos.
PERFUMARAS. E sabido do publico que a Pre-
dilecta sempre conserva um importan-
te sortimento de perfumaras Je lino
odor dos mais afamados fabricaste:-,
Lubin, Piver, sociedade hygienica, Cou-
dray, Gosnes e Rimel, que incum-
bido da escolha dos aromas mais bem
aceitos pela sociedade elegante da
Europa, e por tanto, acham-se ua
possibilidado de bem servir aos aman-
tes dos perfumes.
A PREDILECTA deixa de enumerar urna im-
inensidade de artigos, alim de nao man-
sar aos leitores e se pede a benevo-
lencia do respcitavel publico em di-
rigir-se ra do t abug n. 1 A, pa-
ra convencer-se aonde pode comprar
o que bom e barato, assim como:
FACHAS ricas e modernas de tuquim e gurgurio
MjtC:
IMENSVETTS. Ricos yeslirnentos para meninos,
por baratissimo preco.
FLORES. A Predilecta prima em conservar um
bello sortimento de flores ao alcance
de qualquer bolea ainda que nao es-
teja bem repcela de dinheiro.
FITAS. ja bem sabido do publico que s na
Predilecta que podem encontrar um
grande sortimento de filas de selira,
tafet, velludo, linho e de algodo, por
commodo prego.
GRAMP0S de tartaruga, imitacao destes, pre-
tos e de cores, o que se pode desejar
de mais moderno e bonito.
GRAVATAS de seda c de cambraia para senbora,
lagos e golinhas de bonitas cores, tam-
bera tem um bom sortimento de gr-
valas e regatas para homem.
JARROS de porcelana e de vidro> muito boratos
para ornatos de sala.
Mei s de seda, de la e de algodio, pa-
ra senhora, meninas e homem.
LEQUES. Reos leques de madreperola, tartaruga,
marfim e de osso, os mais modernos <
por barato prego.
LUVAS de pellica, de seda e de algodio, para
homem e senhora.
LIVROS para missa, a Predilecta aprsenla es-
colha do respeitavel publico um bello
sortimento destes livros cora capas de
madreperola, tartaruga, marfim, sso,
velludo e chagrn, por precos mui
razoaveis.
Novidade.
A Predilecta, ra do Cabug* n. 1 A. acaba
de rebeber pelo ultimo paquete chegado da Eu-
ropa, um bello sortimento de corpinhos de cam-
braia bordados para senhoras e meninas, gol 11 -
nhas e pnnhos tambem bordados e de plianuzia,
saias bordadas, ditas com entremeios para senho--
ras, bonitas naMafiii de diversos upadinhos
e transparentes para meninas, que tudo vende
por barato proco.
Vasos de crystal para toilkt
Agaia B aara, ama toDmfmi
Caxias n. SO, r cefcn bawta gamitaba* e rrp-
taf em par ""^ """*J8*! ***'*** !*
prias pira amafia dNciet, te,
Anneis e colares elctricos
A loa d'agnia braaaa i m DoqM 4e
o. 30, recbeu nova remcna A* i
neis e eolarw dertriew, tiai a a
mensalmonle, pek) qae u|*e A
taes objectos
Diademas douRulos
A loja d'aguia branca nu Dwfia t
80, recebeu novan icnlo boartei mt^tm i
e eueiiados com iNilias e aljofares, lira
lo e phaulasia. Tamtwin rec.^lm nw f
preti ou allinHes c-hii flore* para a afceca.
Leques com bouquets c ou-
tros chinezes.
A loja d'aguia branra na Duque Jr Cana
n. SO, receben urna pequea quanii U4* <*
bonitos le<|iH's rus BooaaH* e nntrx* cbi
Cold creme para refrescare
amaciara pclle
A loja d'aguia branra a roa Dan'
B. 50. recebeu co|J creine do atan
He Lubin, Legrara e <<>ndra>
Diademas e grampos de
a((*o.
A loja da aguia branra. roa da Haaa a
Caxias n. Su, rerelieu novameaM lMiiuiti 4m*
mas e gra pos de acn.
Bicos de seda prct'>
flores de cores.
A loja da aguia branra. a rn Dnq.:- ',:
Caxias recetteu, rumo uovKbcb- b riew te
-i da pretiN roa ti n de eca. le imai- ae.-
les o preto com encunad'. > i
para barras e outro eiiieilr* 4e aMMai 4r gn-
nadine, uii medula, e outras ltn les. Pela romiiiodidade do* fV*p *+* bcaa lar-
nam-se mai rmniiiudn^ : 'i C n!.i#> > fMca,
preenve-. a ii:aesqurt outrw eafcMa.
Veos ou niaiitiiiha.N pretil
A leja da aguia Lranra. a i
XI n. ".(, reCeU-ll Itomt v
pretas de seda ci.ni flores, e i i.ir.. un : ?' "
cmcli, e Tend- a< |k'Iks barato* !**>* de 3,
\t e fiiOOU. A fairua I aaa -ti em pt *
*tailo, pelo que n-ntina a u-r | rempta exaar-
cao
Perfeita novidade.
Orampos rom lirMil-ta, 1m/ '
nhotos ilonrailua i\< i!i.
A loja da aguia branra. a roa n IH qae
Caxia a. 5l, reeolieii novo* grainpo* rnm I c
boielas, bezouri e gafanli >t -
perfeita aavid de. A quanii4a4a aapcaaa, :
por is-o em hrew -. cal
Novas gollinhasirid:isc( i
pelucia ou arminho
A loja d'aguia branca a ra D- wm '
51). rerebeii nina |>eqiiena '|u : lidaiie 4e ti-
s e aovas gollinha. irahaliio H i -!. -
oeitatla com ai un.dio. obra e-ia- 4c ni gama
e inte,rau.culi.- nova*.
Grampos, brincos c rozci
dourados.
A bija da aguia branca, a rea 4s fea^ar a
Caxias n !". rrtrh n anvaeii' !*..- gaau.-
pos. biinco* e nirea* d-iarad" ; r-mm
novos diadema- dr a'.-o. r emiHi *rwfir rrt>
na a vende-lo ji-.r j,ieei- ;-z
Caixinhas com p> d e pratcados, para oll(i
Vemk'-v na loj.-. da Aguia Itianra a raa ia-
i|ue de i axias n .i',.
Luvas depellit-a pr4tasc lie
outras cores.
A l"ja da Aguia Rraara. raa Paaa C Ca-
xias ii. .VI, receben novo ofliawii t hl< t
|iellia. pretas le oulra n*r*.____________
Joaquim Jos Qoncalv< s
Beltrao Si Filiiot
Teem para vender no en e-rriane raa 4a
("ommerriu p. .". <> ^fn.nte :
AGURDENTE 4e raja caixa 4. IS garratM.
de laran a. iem nlin.
ARCOS de pao para barril
CAL de Lisboa, lar lilemente
CHAPEOS 4e sol. para Inun-
de marlim e
FFIXES de l-no. |iara gasta.
FIO de cbjadJa lialna. 4a fabrica <' eBBe-
memlador Pe4rot LINHA de rork.
OBRAS de pal'eta.
PANNO de algodo da llahia. da f.Arira t m*-
mendador l'eilri-t><.
RETROZ de toja* a* quaiidadr*. ias clncac da
Peres e Eduardo Milita..
ROLHAS propria* para ludir
SAI.SAPARRU.IIA do Para
vELAS de cera de todo* o* tarnaabaa.
VINHO engarrafado do Porto, caiua 4e 12 gar-
rafa,
c dito Mosratel do Dooro, id -ra
dito Setnbal. caixas d I e 11
da Italia engarrafado, caitas da -.
rafa*.
< de Collares superior, em aaeoretat
de caj, caixa* de IS gar ata.
Malvasia do Douro, caixa* coa IS f-
raia*.
< Carcavello*, idem
Sanio Arrimo. S. Je
e S. Fdr*.
Aniaral. Nabnro 4 C. veaaai une*
vertiment) e festejo das aaata a> >aaM
S. Joao e S Pedro. vtema Tw
belet etc. Sao a* ira engracaca tjaa loa
ao mercado e pranhas pare sali-i: ia aa
caixas de confertos bnmnam e bair* o aag
proprios para illammacoe* eaai|eire. er ear.
na roa do Bario 4a IVioria 1 Katar tr
Insidias wtcoiiiras.
Amara!. Nabnro C. a
que estao snpprido* de ta*
graos para os que quiaeraa
ta que rostuma se a '
das respeiUveis loja*
abo.
Rap!
Princwa!
Massa batida.
ifafiada a *
de Ia qualidade para
libra, dita de pama*
Vende-se massa batida
ogos artificiaes a 640 rs. a libra, dita
da a S00 rs. : no armaaem de Sal da roa
107, de Valdivino da palnya.
ogo, fogo
e e melhor de todos os fogos s se obtem eom
a limalha dje ac, de ferrro, de inco, de eebre e
de agulha, que se vende por menos aa ptaar-
roacia e drogara de Bartholomeu & C, n. 34,
roa luga do Rosario.
Itrb!
O rap pnnceza taneade aar Jaat l
deJaaaire ha gara esa
-7. I*malar.
da Rocha aoWe
deposito ruado V
, roa 4o Vigara a. 7. I'aaaa
VENDE-SE
na mil mi da 17 mama da ttsse, aaarair* e
mm,rubam. : ejeamaratai4cr mancids-
rija-te imada
a-3,
A' vender por causa da
\iagem
Um excellesMe pas 4a fabrica Bea>
lot, em parleta eaxaaa.


V
8
Diario de Pernambuco Domingo 8 de Junho de 1873.
7)


UTTEMBM,
--------'W
Da constltulcto do poder legis-
lativo eni iim estado livre.
(Coiitinuago,
Esles individuos representarn as duas
cmaras o papel (pie o' poder moderador
representa no governo do paiz. Elles nao
deixaro que o partido em maioria esmague
a menora muitas vezes em detrimento do
bem publico, como quasi sempre acontece
quando somente os partidos fazem d'ellas
parte. Elles representara tambem o papel
do poder judicial deci lindo as questes en-
tre os ddnsgrupos partidarios, que dcixados
sos, como boje acontece, sao ao mesmo
tempo parte e juiz.
Km vez de um parlamento dividido em
duas secados, como querem alguns, cabendo
menora o direito de representado ou de
protesto e maioria o xeito de deciso,
importa ter um parlamento dividido eai tres
secges, cabendo s duas primeiras a tarefa
de discutir o terceira a de decidir com
justiga, porque nao parte no pleito.
Km quanto este desidertum nao l'ur con-
seguido, nao se,poder dizer com verdade
que a asseinula geral representa a naci,
como quer a couslituigo, c como o pres-
creve a boa razo, mas fomente una paite
d'ella, mais ou meos cousideravcl.
.Nao se poder diserque temos um govor-
no nacional, mas somente um governo de
parti lo, ou de lacran pnis que duveildo elle
estar de acecordn rom a assemblca geral, ou
polo menos, com acamara dosdcputados, de-
vera" representar o que esta representa : um
partido "ti nina far.cn, se que trucados os
papis, como entre nos acntese; nao a
cmara que reprsenla o governo, pois-que
factura delle e s delle.
K a isto que se chama geral mente go-
verno representativo, governo da nagopela
naci Lsearneo irrso I
Temos perguntado a dilerentes pessoas,
anda mesmo a alguns membros proeinuien-
tes dos differtfntes partidos se continuando
o processo eleitoral como presentemente se
executa entre nos, baver probabilidade de
ser ele i to deputadoou senador um cidado
que nao pertenra a nenlium dos partidos
militantes ou que nao seja rocommendado
pelo goveru ', einbora esse cidado rena em
sua pessoa as qualidades que |>odem tornar
iim liomem recoinmendavel, isto sabedo-
ria e virtude no grao mais clcvadf e todo'
nos tem respondido com siuceVulade que
nao ha probabilidade para um tal liomem
de ser eleito deputado nem senador, nem
mesmo eleilor, camarista ou juiz de paz,
pois que a sabedoria e a virtude nao sao as
qualidadesque os partidos niaisprezam, an-
tes pelo contrario deltas desconiiain porque
sabem pie os hoinens verdadeirameute sa-
bios e virtuosos eostumaui pugnar pelo direi-
to, o que ao* partidos nem sempre couvem.
K poder ser feliz, perguntaremos, um
paiz que se acha constituido em taes indi-
cos?
E poder ha ver serio desenvolviinento in-
dustrial, inrale intellectual em um paizem
que ha iucompatibilidade entre a sabedoria
e a virtude e as funeedes de legislador, ca-
marista e juiz de paz?
Nao negamos que muitos cidadaos, come-
cendo a sua carreira poltica afiliados a um
partido, pois nao pode ser de nutro modo, e
pratirando conseguintemente para merecer
as boas gracas delle. actos que particular-
mente reprovam,quando se achham elevados
posigo que ambicionam e da qual nao po-
dem mais ser apeados, recobran) a sua li-
berdade e independencia e tratam os nego-
cios pblicos como entendem que devem ser
tratados. Mu tos cvemplos deslcs temos no
senado, mas verdade para lamentar que
os cidadaos que se sentem dispostos a entrar
na carreira poltica sejam ohrigadosom prin-
cipio a transigir com sua consciencia, dan-
do preferencia ao interesse do partido de
que esperara a sua clevago ao verdadeiro
interesse nacional pelo qual se sentem apai-
xonados.
K' esta necessidade que explica a facilida-
de com que entre nos se muda de partido,
iassando-se iberal a conservador sem dahi vir nenhum
desarpara o individuo que assim procede,
pois todos sabem que conservadores e libe-
raes no Brasil sao animados por um s e
mesmo sentimento, o sen interesse pessoal,
salvas sempre algumas honrosas excepces.
K que ser preciso para que tendamos
urna representado verdaderamente nacio-
nal, isto urna representarao na qual todas
as opinies sejam legitimmente represen-
tadas, acabando-se assim nao smente com
essa dura necessidade que pezasobre aquelles
que ambicionara ser nella admittidos, de
alistarem-sepairaeira mente as bandeiras de
urna das parcialidades polticas militantes e
de se prestarem a tudo o que delles for exi-
gido para o bem da mesma, embora nao
esteja isto de accordo com as leis do justo
e do honesto, senio tambem com esta peste
de nova especie que dividindo a familia
braileira em dous campos iniragos, faz,
que cada um delles emprogue todos osseus
recursos e envide todos os seus esforcis,
hoem promover o bem da patria coramum
mas era procurar o auniquillamento daquel -
les que Ihe sao contrarios ?
K' o que passamos a examinar.
(Continuar-se-lia).
A CORVETA DIANA
::::r::::;.:::::::
ORIGINAL BRASILEIRO
POR
\ \ on Hoonholtz.
(Contnuago do n. 130j
XI
DESFECIIO.
Eis-ahi lugar onde eclypsou-se
O meteoro fatal s regias frontes !
( G. Magalhes.)
"Tornemos a Santa Catharina. .
Quando a escolta de policiaes e o Dr.
.Carvalho entrarm em Santo Antonio, j
nem indicio havfa dos criminosos, Joaquim
Faco e os seus tinham ido, mesmo de nou-
te, para a freguezia da Lagoa, e Dionapo,
s oito bofas da manh, entrava na cidade
pelo lado opposto como quem vinha do
Sacco dos Limis : infructferas foram pois
todas as indagagoes, porque na realidade
com urna noute d'aquellas e em trra to
pacifica, qual seria o morador das casinhas
la estrada capaz de deixar a amavel esteira,
onde estava a seu commodo para reconhe-
cer quem passava fra ?
0 doutor lembrou-se ento do nico
mcio ^ue lhe restava de chegar ao conheci-
ruento do lugar em que haviam occultadoj
ASSEMBLA GERAL
Uiscurso proferido na scssfto de
18 de malo de 1893.
O SR. GUSMAO LOBO :Sr. presidente,
nao llevo deixar sem immediato reparo a
parte do discurso do nobre deputado pelo
Rio-Grande do Sul, que a mim se referi
como a um orgo de ideas o vistas do go-
verno. Annunciaiido o.meu voto em favor
do projecto e contra as numerosas emendas
que lhe fazem apparotoso cortejo, nao pedi
inspirado a quem quer que fosse; tratava-
se, e trata-se, de um projecto de iniciativa
da cmara dos Srs. deputados, projecto que
vem desde o anuo de 1861 e a cujos desti-
nos ass ciou-se, entre oulrosdistinclos mem-
bros do partido liberal, o nobre Sr. conse-
llieiro Araujo Brusque...
O Sr. Florencio de Abreu :Podia ter
sido assignado um outro tempo por distinc-
tos liberaes, u nao ser opporluno as ac-
tuaos circuinstanrias.
0 Sr. Gus.m\o Lobo':Opportuno ou nao
que deva ser julgado, nao exprim nem ex-
primo seno uin iui/o puramente individual,
sobre que o gamftiio de nenhum^jude in-
Quencia (apoam>s), para o fazerlo7minha
consciencia pedi aviso, s obedec sminhas
iiiipresses, ao exame e apreciago das bem
entendidas conveniencias que se prendera
questo. Posso ter convieges ininhas, de
que s a mira devem caber a responsabilida-
ile. (Apoiados; milito bem).
Pude, portanto, tranquilisar-se o nobre
deputado .pelo Rio-Grande do Sul. Nao
esta una questo de natureza poltica (apoia-
dos) era que o governo tenha ura pensainen-
to a realisar; se as suas vistas esto defini-
das, nao as manifestara o gabinete por qual-
quer desses meios com que lhe permittino
pelo nosso rgimen intervir com a sua op-
liiio. Nesta como em todas as questes de
igual natureza, livre, inteiramente livre,
cmara pronunciar-se segundo os nicos
conselhos de sua sabedoria. (Apoiados).
Ao demonstrar a nopporiunidade da pre-
sente discusso, que emseu conceito deveria
ser reservada para a da reforma eleitoral,
nao deixou o nobre deputado escapar esta
primeira occasio de manifestar-se sobre este
importante projecto que, cercando das mais
ellicazes garantas o exercicio do supremo
direito do voto, submettendo-o a regras e
providencias as mais cautelosas e bem inspi-
radas, tornando possivel a realisago de um
verdadeiro ideal do nosso systema pela re-
presentarn das minoras, attesta por modo
irrecusavel quanto a nossa Constituirao fle-
xivel, quanto capaz de bastar a todos os
progressos ta ordem poltica. .Muitos apoia-
dos e nao apoiados;.
>'o julgueinos de afogadilho urna refor-
ma conscienciosa, que visivehnente se inspi-
ra as mais puras e rectas intences. Des-
concordando cora o systema que lhe serva de
base, a imprensa liberal fez justiga since-
ridade e ao escrpulo de ura grande nume-
ro de disposires do projecto. Nao queirao
nobre deputado ser menos justo que a im-
prensa de seu partido. Nao pode ser visto
'"no una illusao fcjta ao paiz ura acto que
i oiisagra ideas to adiantadas, como sao a
representarao das iiiinorias,. a permanencia
das qualifieares, a facilidade dos recursos,
e tantas outras, (no no..viria de molde re-
cordar neste^iionnnt. (Muitos apoiados,.
Kiitrando no exame do |A>jecto que nos
ecupa, e em que tautus inlersses so cora-
luniMii u cospi(am por urna soluco que se
me aliKiira altamente desconveniente, devo,
pi iineiro que ludo, declarar que nao sou de
nenhum modo intenso aos legtimos interes-
as que possara pleitear grandes e pequeas
provincias por sefazorem representar no par-
lamento por um numero de mandatarios jus-
tamente proporcional s suas necesidades ;
antes, c o meu intimo desejo que a represen-
tarao assente em urna base racional e equi-
tativa que, evitando desigualdades sempre
odiosas e inconvenientes, assegure a todas as
circumscripcoes elcitoraes do imperio a me-
recida influencia no andamento dos negocios
pblicos. Mas mesmo por entender que o
direito de representarao nao pode ser dis-
cricioiiariamente attribuido a grupos mais
ou menos numerosos, antes deve ser repar
tido mediante regras at um certo ponto in-
variaves que sinto-me obrgado a combater
urna a urna as 'different.es emendas que ten-
ia m elevar a representado de varias pro-
vincias.
Fazerdo parlamento a iinagem viva da
sociedade ideal a que de ha muito terapo 0 Sr. Cabneiro da Cumia :Augmentada
se encaminham as aspirares de quautos pela creacio do mais urna irovincia.
desejam a realidade do systema representa- 0 Sr. Gusmao Lobo :No rgimen colo-
tivo, urna preoecupaco d
espiritos cempetentissimos,
de ordem absoluta de quo se
as regras de proporcionali
este ponto ha duas opioi
gao ser tanto mais perfeita
copie a sociedade em suaft
tiplos interesses. E' quan
transportar o principio pira
constituirao dos parlamentos,
as difliculdades, offerecem-se
ensaiam-se os expedientes % abrem caminho poiado.
nte em- nial a circumscnpc.o que hoje comprehendo
rincipio as provincias do Para e Amazonas enviara
t'das s cortes da metropole cinco representantes,
sobre territorio do Rio-Negro, em que fui instal-
>enta- lada a provincia do Amazonas, era cutio re-
melhor presentado por dous mandatarios. K' por-
e mu- tanto irrecusavel que, embora o desmed-
ala de bramento da comarca que se constituio pro-
itica da vincia do Amazonas, tem o Para urna repre-
surgem sentago igual adotemjio colonial.
8 systemas. 0 Sr. Car.neiro da Cumia: NAo a
0 Sr. Gusmao f.ono : K' qnestn de fac-
opulago to, em quo nao podera hjiver duas opinies.
variavel e Peixan lo este ponto como definitivamente
uam-se revivido. Rea prestabelecido que a provin-
emendas, ciado Para desde tempo anterior in lepen-
pulacao delicia fui representada como hoje.
iaepro- O Sr. Carxeiro da Cumia:Nao eram
{antes at- deputados esses representantes, erara procu-
er neste radores da cmara.
a solu- 0 Sr. Gl'So Kobo :Como quer que se
|Rda urna, chaiuasseui, eram representantes daquella
_Moemrc- parte do territorio brasileiro. Esta objec-
gra imraudavel qu possa ser" nvanavel- gaoMb nenhum valor para o assumpto que
mente applicada sem attengo a_otras con- discutimos. Fossem deputados, fossera pro-
as mais diversas solugts.
Ha muito quem pense que
deve ser vista como base unic
inflexivel da representaco, e
esta escola os nobres autores
Quanto a mim, seconvenho que
deve entrar por muito em un
porcional distrihuigo dos rep'
tribuidos a cada provincia, e
assumpto o principal elemento1
gao adaptada s necessidades
nao exagero o principio at et^l
diges de desenvolvimento. (A
Materia esta alias em que
gra, como quer que fosse mol
Menta de inconvenientes.
O que d'aqui primeirament
necessidade de nao tentar urna
buico ou modificages ao actu
por informagoes e dados incompletos e mais
que deficientes.
Comer por impressionar-me, Sr. presi-
dente, que to grande numero de emendas
Os). curadores ila cmara, nao por isto menos
urna re- crto que o territorio em que foram consti-
ficaria luidas as provincias do Para e Amazonas
| mande va metrpoli! tantos representantes
lta a quantos hoje manda camera temporaria,
a distri-.Este o fado que tica a salvo dwcontes-
regimen' taco.
O Sb. SiyuKiiiA Mkxdes :Apoiado,
0 Sr. Gusmao Kobo :IV ah se revela
que desdo o rgimen colonial aquellajfcr'.i-
lissima regio attrahia as vistas e a atteiu-ao
abrigando-se disposico regimental que to-
teuhara acudido de tropel a 3* discusso, dos gobernantes. e ento para osnissos
dias ningunm dir que ella tem fu lo esta-
jera e autorisa esta pratfea de todo pomo cionaria, assim em popularo como era cora-
inercio e em industria. (Apoiados). Basta
inconveniente.
OSr. Car.neiro da Cunha :Muitas del-, ter era attem o o inoviinento d
sua carasobrinha, e voltou por tf.nto ci-
dade, donde despachou dous escravos e di-
versas pessoas com promessa de pingues
gratificages se dscobrissem os tragos dos
raptores ; depois dirigio-se ao hospital do
Menino Deusa visitar o ferido da vespera,
nica fonte na qual poderia beber alguma
idea luminosa sobre o escondrijo des sal-
teadores. All encontrou, com effeito, o
marinheiro Jorge, mas n'um estado to me-
lindroso que julgou perdidas todas as espe-
rangas de obter por este lado a mais ligeira
informago ; gragas, porm, ao bom trata-
mento e robusta compleigo do marujo, j
no fim de dez dias teve a satisfago de ou-
vir-lhe a falla e de conseguir claras respostas
s perguntas anciosas que lhe diriga; o
convalescente referio-lhe minuciosamente
tudo quanto j sabemos pelo capitulo prece-
dente, accrescentando todava os signaes
physionomicos de Joaquim Faco, as faga-
nhasd'esse scelerado e a complicidade de
Dionizio dos Santos no assassinalo pelo mes-
mo commettido na pessoa do fazendeiro
Abreu. 0 Dr. Carvalho sahio com osou-
vidos cheios de lgubres historias e o cora-
go esperangado de encontrar finalmente sua
sobrinha ; dirigV-se portanto pressuroso ao
chefe de policia, communicou-lhe o que
ouvira, e forga de pedidos e empenhos
conseguio por a policia em movimento
procura do assassino.
0 paulista, matreiro e experiente, iinha
achado prudente ficar na freguezia ddfcgoa
at podt transportar-se com sen pea
sua provincia, e n'estc interim fa^Hordi-
vertir-se, jogando e dansando tranquillamen-
te com os boos habitantes do Jugar ; urna
noute, porm, em que as suasiandes chi-
lenas mais bulha faziam retinimb no assoa-
lho com o sapateado de um quente fandan-
las foram apresentadas na 2* discusso.
OSr. Gusm.Io Kobo:Foram-no algu-
mas ; e ellas sao em grande numero. A
maior parte do data recentissima. Em to-
do caso u nobre deputado pela Parahybn
convir, sem difculdade, que este assump-
to grave, demanda estudo, paciente atten-
go sobre algarismos que alias nos sao es
cassos.
O Sb. Cabneiro da Cunha d um aparte.
O Sr. Gusmao Kobo : Isto advertiudo,
nao me proponho descer analys* de cada
urna : a mim. como aos nobres autores das
emendas, faltam-me dados seguros para re-
parar desde j as desigualdades a que talvez
se djva prover de remedio. Poden have-
las e devem have-las ; mas nao as podemos
nos conhecer com plena informago e segu-
ranga sem ter em attengo o valor de cifras^
decisivas que ainda nao possuimos.
Anda quando o algarismo da populago
fosse o nico a levar em conta, nao ha quem
ignore que nesta parte da estatistica nenhum
documento possuimos que possa ser, com
alguma razo, invocado como regulador.
As recentes operages do recenseamento ge-
ral, primeira vea tentadas no paiz sob a fe-
cunda administrago do actual Sr. ministro
do imperio, nao esto de nenhum modo
concluidas; devem s-lo dentro do prazo fi-
xado pelo regulamuuto, e este prazo nao foi
sem razio elevado a tres anuos. Um recen-
seamento geral da populago obra to til
quanto diflicil; nao basta colligir os dados,
mas c ainda preciso classifica-los por grupos
e segundo differentes indi vid uagoes, de ma-
neir que as cifras sejam a verdadeira lin-
guagem dos fados.
O que sei de boa fonte que os elementos
estatisticos' da populago do imperio, ainda
nao recolhidos os de algumas provincias,
apenas entrarm nessa demorada elaborago
de que a estatistica far sobresahir as suas
concluses; e Deus queira que, de par com
esperangas realisadas, ella nao venha trazer-
nos desilluses amargas. 0 recenseamento
da populago do municipio neutro em 1870
deve pr-nos todos de sobreaviso sobre a
incerteza de estimativas de puro valor scien-
tfico.
Imperfeitos e deficientes, como todos reco-
nhecem as informagoes que possuimos, fcil
convir que nao se pode firmar sobre base
to fallivel um juro discreto. (Apoiados e
nao apoiados).
Desde que assim ,' e que os algarismos
referentes populago nao podera ser*postos
margem, ha razo para concluir que nao
estamos em tempo de legislar sobre este as-
sumpto.
.0 Sr. Carneiko da Cunda :E' conside-
rago que se applica tambem a provincia do
Para.
O Sr Gusmao Kobo :Sob esta relago,
como sob muitas outras, a provincia do Pa-
ra est em condiges verdaderamente ex-
cepcionaes (apoiados da deputago do Para).
Quem ignora que o Para tem em nossos
dias urna representado igual a dos terapos
coloniaes ?
go, no qual fazia a principal figura, por
isso que alm de ter dinheiro com fartura
sabia dar muchochos e estalos com a lin-
gua, e tocar castanholas com os dedos,
n'essa noute, repetimos, embarafustou de
repente um homem pela porta dos fundos,
e ^amdo um salto at junto d'elle encostou-
lhe ao peito a boca de urna respeitavel pis-
tola eugatilhada, proferindo apenas a phrase
lacnica :
Entrega-te ou raorre 1
0 homem estacu, os dedos lhe ficaram
tesos sem concluirem o estalo prestes a
escapar-se e a boca fechou-se era raeio do
muchocho, trincando machinalmente a lio?
gua entre os dentes. A sorpreza fra com-
pleta, aquella fra carregada de armas como
um cabide, ficou immovel, sem soltar urna
exclamago nem procurar evadir-se e o va-
lente alferes Jos de Mello, que por direito
de conquista se tornara ento o rei da festa,
fe-lodesarmar pelos soldados, amarrar de
mos atraz e conduzi-lo a p at capital,
em cuja cadeia trancafiou-o na manh se-
grate.
Se para Joaquim Faco o castigle apro-
ximavaf outro tanto nao succedia a r.espeito
da Dionizio, a qtiem a Fortuna conceda
ainda um meigo e animador ^orriso ; raes
se a alguem fosse dado obsefTar de Verlo a
contraego dos labios desta caprichosa deusa,
veria era tal sorriso, antes irona e escarneo
do que bondde sincera, indicio evidente de
que ella, fatigada de tanta perversidade, ten-
cin a va emfim estancar 1 fonte da ventura
que at ento deixara correr abundante no
curso da sua vida.
Assim pois, na vespera justamente d
em que Jorge fizera no <|jpital to im
tante revelago, o paquetcrwlif sahia pa
a corte, roubando, sem o saber, um grandi
da receiia ge-
ral e a iucessante progresso da receita pro-
vincial para medir e apreciar de modo se-
guro o desenvolvimento da provincia do Pa-
ra ; basta conhece-la em seus inexgotaveis
recursos naturaes, emsua expontanei lae de
produeco. na riqueza o variedade de seus
artigos de exportago, alguns dosquaes nao
encontrara similares nos grandes mercados
do mundo, para ajuizar do largo futuro que
tantas condires de prospendade asseguram
aquella privilegiada regio.
No exercicio de 180818I'J, a receita ge-
ral arrecadada no Para attingio, deaprezadas
as fraeces, 3,900:000.3 e a receita pro-
vincial oreada a 1,000:0005. Estes algaris-
mos, acabo de ser informado que no ultimo
exercicio, de que nd posso dados exactos,
elevaram-se muito alm tiestas cifras.
O Sb. SiQUF.niv Mkn-des: A 2,000:0005
a receita provinciaL'
0 Sb. Gusmao Kobo : -0 movimento da
receita municipal nao offeroce un resultado
menos satisfactorio. No exercicio de 1870
1871 elevou-se esta renda a cerca de
287:0003.
Sem tomar a riqueza como base nica
para distribuir a representarao, o que traria
desproporges e desigualdades grandemente
offensivos ao interesse das pequeas provin-
cias, Dio so dir que esta consideraco deva
ser inteiramente abandonada ao fixar a re-
lago que tanto preoecupa os Ilustres auto-
res das emendas. Nao me demorarei a (tro-
curar termos de compararo, onde quer que
os podesse encontrar, e os encontrara fcil-
mente para demonstrar quo a representaco
do Para est desfavorecida. Mas o certo
que ella nao p le ser manltda em seu estado
actual sem grave injustica relativa, demons-
trada por factos irrecusaveis.
O elemento da populago, a que o nobre
deputado pelo Uio-Grailo do Norte figou
merecida importancia, conspira por sua vez
em favor dessa antiga reclamago do Para,
desde tantos airaos defendida na tribuna
parlamentar. Tomando por base o calculo
proporcional a que se soccorreu o illustre
deputado, propono que tora apenas um va-
lor hypothetico, e quo nao invoco seno por
amor da argumentaco, v-so que o Para
representado na razo de um deputado por
96,000 habitantes livres, emquanto outras
provincias veem reahsada na sua representa-
go urna proporgo muito mais lisongeira a
seus interesses. Assim qur a proviucia de
Minas-Geraes representada na rezo de um
deputado por um grupo de 00,000 habitan-
tes, Paran na razo de um por 45,000,
Matto-Grosso na de um por 30,000, Espiri-
to Santo de um por 23,012; e ainda esta
ultima provincia nao se julga representada
em justa proporgo.
(Ha varias reclamages).
Sr. Gusmo Kobo :J declaren, Sr.
presidente, que estesdadospodem terao mui-
to um valor scientiico, repousando sobre al-
garismos recebidos convoncionalinente. A
proporgo pode ser exacta como operago
arithmetica, mas os elementos sobre que se
exerce esta operago nao sao oliciaes.
Aceitando-os o colligindo-os de varias fontes
com uraa attenga.0 paciente, a reparticodo
estatistica, ou antes o seu director interino,
digno de todo o elogio por esse trabalho-
sa conpilago de informagoes esparsas, ten-
tou urna simples estimativa Como o declara
o Velatorio, estimativa que nao sem algu-
ma utilidade pratica, mas que pode distan-
ciarse muito da verdade. Nao sobro cal-
culos de tal natureza, e quando s<> acaba
de proceder ao recenseamento geral do im-
perio, que deve ser fundada a relago quo
debalde se procurara fixar para evitar des-
igualdades.
Vem por aqui os Ilustres autores das
emendas que nao por ura tal fundamento
que o projecto se me afigura digno do ser
consagrado em acto legislativo.
Abstrahindo do considerages que po le-
riam ser largamente addusidas do confronto
destes imperfeitos dados entre a provincia
do Para e varias mitras, insisto era que
neste assumpto nao seria do melhor conse-
l!io fixar regras por tal modo iullexiveis,
que possara ser applica lis a tolas as pro-
vincias, quaesquer que sejam as suas condi-
res de deseiivolvime.nto e tic progresso.
Anda quando possuissojnos exartas no-
roes do movimento e distriituiro da popu-
ag >, esta nao poderia ser por si s a ba-
se escolhda, sem consulta de outros inte-
resses de nao menos valor.
A populago nao podeofferecer base nica,
inflexivel, invarivel, proporcinatela le
Id representarao. Ne n a regra que desta
medida resuitasse poderia ser uvada as ac
tuaes circunstancias semespor a graves in-
convenientes, aos inconveniente, da desa-
oporro e desigualdade que debal lo se
tonta agora remediar.
0 nobre deputado pulo Rio-Granle do
Norte, que me convi Ion a vir A tribuna
completar o mea noiisaaento, manifestado
criminoso das mos da justiga, porque an-
tes de chegar ao Rio o seguinte paquete
com a competente precatoria, j elle pode-
costas ; mas
como desconfiara Dionizio d'aquclla denun-
cia, se elle nem mais se lembrava do mari-
nheiro que lhe fizera urna vez recordar-se
do seu ex-feitor 1 e como poderia adivinhar
os successos do seguinte dia?... 0 nosso
capitalista seguio n'esse paquete porque as-
sim tinha anteriormente deliberado quando
determinou ao seu correspondente, o Sr.
Abreu, que fosse buscar Amelia a bordo
do patacho, e alugasse urna chcara onde
podesse te-la fora das vistas curiosas de v-
zinhos, at a sua prxima chegada no pa-
quete do sul.
Como j vimos, o plano que tragara ia-se
desenvolvendo naturalmente o raarchava
com rapidez para o fim desejado. A sua,
viagem tambem realisou-se sob os mais fe-
lizes auspicios e foi sempre bafejada pelo
sopro da Fortuna, at ao portan da chcara
do seu correspondente Jos de Abreu ; ahi,
porm, apenas Dionizio deu o primeiro
passo ig alameda da entrada que sentio-se
de cholr agarrado pela gola c cercado por
tres vigorosos permanentes, to pouco de-
licados que sem mais prembulos nem at-
pur apartes, fez reparo em que se preteu-
desse para'tun lar uraa medida proporcio-
nal, ter em attengo o desenvoiviineiito eco-
nmico, a riqueza o outros elementos varia-
veis de urna a nutra cireumscripro, uisistin-
do era ver na populago o nico elemento
a levar em-ronti para distribuir a represen-
taco b attrbundo-rae um pensamenlo que
nao nianifestei.
Disendo-se to representante do homem
rico cmodo homem pobre, deixou enten-
der o honrado deputado que quelle como a
este nao reconhego direito a ser represen-
tado.
Km sustentar que o movimento dos factos
econmicos nao polo ser indilTerente li-
xago do numero de representantes, nao deil
fundamento ,1 aquella distinego. Mas o
que ninguem curtamente dir quo para o
exercicio do direito supremo do voto, o pri-
meiro dos gran les direitos polticos,* renda
cousa de menos prego.
Km todos os tempos as oonst'tuigos o
leis orgnicas preoecuparara-se de regular
assim o direito de eleger, como o de se/
eleito ; em to la a parte onde nao est ad-
railtdo o snffragio universal, o exercicio do
direito do voto submetlido a condicdel S
regras (pie o limitara e restringen! a um
certo numero de cidadaos. O iodo mais
aceito da manifestago dessa capacidade ou
idoineidade eleitoral a contrihuigo pelo
imposto.
Nao parega, pois, estranho qucao lixar-
se a representarao que a cada provincia possa
competir, se attribua una certa parte de in-
fluencia a argumentos tirados do desenvol-
vimento da riqueza.
O Sr. human GuimarAes d um aparte.
O Sr. Gusmao Kobo :- Observa o nobre
deputado que a adopro deste rriIrritan
attnbuiria ao municipio neutro o direito a
fazer-se representar por mu grande nume-
ro de mandatarios
Se a riqueza devesse par sua vez ser jul-
gada-a base nica dessa distribuigo, nentiu-
ina outra circurascripro eleitoral disputara
preferencia ao municipio neutro.
Mas assumpto oeste, e j o observei, e.n
que se nao podum estabeleeer regras seve-
ras e uniformes (apoiados,; admittida uraa
base com excluso de outra.
Onalquer que seja o alvtre que convenha
a adoptar, o queme parece irrecusavel a
incpportunidade de modificar por medidas
insoladas, e na ausencia de informarors se-
guras, oquadroda representago nacional.
Estes retoques seram por via de regra in-
completos, nao conduziriara ao lira que se
tera em vista e creariam por sua vez novas
desproporges.
Propz-se quo as emendas sejam mau-
ladas cominisso especial que tem de iuv
terpor parecer sobro o acto da reforma
eleitoral, a iim de fixar a regra e fazer a
distribuigo. Entro em duvida sobre a con-
veniencia deste expediente que poderia ter o
nico mrito de adiar e nao o de resolver a
diiiculdade. A que elementos de convic-
go poderia soccorrer-se a illustre cominis-
tas a sua JUi, e nao peto
que questo de tanta gravidade fUe ser
resol vida. (Apoiados). O que bm pere-
ce aconselhado as actuaos
aguardar a's revelages ao l
( Apoiados.)
O Sa. Florencio de Abreu di
O Sa. Gusmao Kobo : Uual tenso t
proporgo seria o preferido Um depvUdn
por io.ooo habitantes, por M,tM por
grupos de popularo mais OU SMBMS BM-
iii'.-rosos ? Esta seria a primeira difculade
e nao seria a menor; ainda mesmo prewm-
dindo da influencia de outras condices.
E nao sendo ao corto cunliecida a popn-
larao de ca la provincia, como se faria per
applicar a regra ?
I'erautc taej difliculdadus, que s O resal-
tado dofecciiseamento (Mnler desvanecer, a
com nisso BSpaaM nao p. d.-na mii*> fa-
zer SMeUoaii arbitrio.
Alm de que nao basu coubeccr a jKpw-
laro de ca la u ni pr .viuru, conh'-U
em globo ocoin imlividuages.
E'deprimeineiiileresse verilicar p >r dados
irrecusaveis como se distribu: a (Mpacidadr
eleitoral, a quantos cidadaos c cada provincia, (pial c a sua |topulagio ac-
tiva.
De outro mo lo tcri.imos que o Kio-(.raii-
de do Norte lindera eleer um reprvwutaii
t por cada grapa de ;O0 sWsssaj eatrstan-
toque outra qualqucr provincia, di rei Pa-
ran para SST agradavel ao nobre d<-|MJta
do. ao Sr. K. Correa; vina a ronslilUM'o>
seus maiidalarios |Mir grupo de 15t el-
IHM.
[Ha \aiiossaartav
O Su. (irsM.vo l.oiio:Jiao >ei < deu
bem claro o iiic-ii |M'iisainiito. Iii'vle ijiir
a represeiiUgo e ahulada s da populago e nao > ibrv a capaci lade eln-
toral, pi> dar-se que um certo numero dV
eleilores venha dar e.n tal circumscnpg.'
um re|ires.'ntanle, que em outra nao |>oJe-
ria ser ronstituiJo seno pr um nu ikt
muito mais elevado; d'aqui uraa dcsiirual-
da le....'apart''.
Este iiironvenienti seria de uiu gran le
alcance e e\|mna a ver la h-nos peng .
IHIc olTeiidiru, em muitos cas a livre
manifestago das minoras, este gcin-roso
principio to alto proclamado polo plano uV
reforma cora que o illiKtra I Sr. ministro
do asperee araba de deseinpenhar-s- (ie
mais urna promessa c mtrahida peranlc
o |iai/..
O Sr. PiMii.ir.o GuimarAes: Fantasa'
O Sr. GOMO* Kobo: Faiita/.ia ? Mk
que tem feHi a volta do mundo.
O Su. 1'iNiiKiiio (ii imvuVks :Ia fantasa,
porque nao se realizar.
O Sr. Gi smvo Kobo : A discusso vira
mostrar se era possivel rodeiar este aran U-
piiiuipio, esta verdadeira conquista do nos-
so tempo, esta suprema asprago da vida
politica.de mais ellica/.c-s r|couscieucias *>
garantas (Apelados.) 'lia vira provar-ixt>
que a representaco das minoras, o SMiho
e a arabigo de espiritos to adianlados, a
i lea do Thoma/. liare, deSaliiart Mili, dV
tantos outros Ilustres pensadores fex-si* a
sincera e patriolicis]|ireo<'upago de un go-
verno que nao vive seno da opiuioe para
a opinio. (Muidos apoiados S apartes.,
Sou .lili la o.na vez advertido que a ri-
queza nao o regulador do direito do voto.
BT sempre a mesma objeego. O direito aV
eleger o sur eleito nao (trtolas ascous
tituiges sabmettido a regras, a prorr-itos, a
con diges de i loneidade Em toda parte
a renda, manifestada pelo imposto, con-
sidera romo o mais seguro interpreto di capa-
cidad*: eleitoral. Vpoiados.)
Ouem o ignora ?
Espritus de ordem superior exageran a
doulrina at attrihuir a cada cidado urna
influencia pro|>orcional cifra de sua cna-
tribuigo. A M eleit'-ral franceza de 1781
presta hoinenagem a esta thiniria ; e varias
CODStituigOcs da Allemauha a consagrara.
Recordando o mecanismo com que
doutrina (' consagrada na pratica, nao am-
biciono ve-lo applicado em u sso paiz. Est*
sysWraa, dand riqueza urna preponderan-
cia esraagadora, seria a fonte das mais gra-
ves peilurbages.
sao! Sobre que dados repousaria o seu
juizo O arbitrario seria por fim de con-
tengo a) suas perguntas e ameagas foram- te na prosperdade, nao passava agora de
n'o empurrando at um coup de grades, no
qual se metterara por sua vez, eanduzindo-o
rpida e commodamente para a casa de de-
tengo, onde devia esperar que a justiga
pracedesso com vagar a mais ampias e sege-
ras^veiiKuages sobre a sua gloriosa fe de
dias depois o vapor .igt irania
Catharina, como reo aaiicia o
ade>Joaquim Faco, e baatssim em
fegussi 'urna precatoria contra o nego-
ciante Dionizio dos Sntos, aecusado por
diversos c-imes "graves. O honrado Dr.
Carvalho, com toda a sua familia, e o nosso
bom Jo'rgo Castigo, tambem vuham, o pri-
meiro como parte, e o outro, apezar de con'
valescente, para depor como testemunha da
aecusagonoprocesso^quese ia instaurilr aos
assdssinos de Francisco de Abreu e de sua
filha Mara E/lelaide.
A estrella feliz fue presida aos destinos
do malvado Dionizio dos Santos, offuscara-se
emfim ; o bafo pestilento da priso emba-
ciara o seu brilho comiscante o apagara de
urna vea a aureola* de prestigio e riqueza
que o tornara at ento invulneravel aos
golpes dos seus fracos inimigos. O processo
crime no qual se achava de sbito envolvi-
do crescia em volume de um molo espan-
toso,, os aecusadores pullulavam em torno
dos tribunaes, as testemunas multiplicavam-
se do dia para dia, e os depoimentos torna-
vam-se mcdonbos e atterratlores ; a pena de
morte era nfallivel e a forca devia terminar
em um momento aquella existencia incida
de tenebrosos crimes I Dionizio, desespe-
rando da sua salvago, recorreu ao jjltimo
expedienteo dirigi suas supplicas aavp-o-
prios aecusadores, Jos de Acreu e Dr.
Carvalho ; o homem indomavel e arrogan-
Pelo rgimen a que me refiro, a divisan
das circuinscriprikrseleitoraoc determinada.
nao em razo da populago activa ou inac-
tiva, mas do imposto c s do imposto ; se
urna cidade, contr.h.iinlo para a receita pu-
blica c un 300 rail francos, deve ser repre-
sentada por tre? mandatarios e dividida em
outras tantas circumscripgoes, representan-
do cada uoia uraaterga parle daquella con-
trihuigo, de maneira que em um collegin
bastara 100 eleilores para eleger um depu-
tado que em outro s por um numero decu-
pulo de eleilores pode ser eleito. Assim
que no rgimen eleitoral de grande parte da
Allemauha o imposto a primeira base da
representaco nacional.
(Cruzam-se apartes.)
Coniniuar-ie-h,
um miseravel cobarde, acabrunbaJo pelo
medo da morte, e que humilde e de rastos
imploravaa todos graga e misericordia para
o de urna vida que de direito
ha muito s sitos do carrasco,
decurso do processo o norae de Jus-
tiniano Carvalho dos Santos com que era
elle conhecido pelos vizinhos da fazenda
fra innmeras vezes pronunciado, bem co-
mo a sua historia,^mplamente desenvolvi-
da em todos os noroatjRs. de sorte que
nnpiorava a
Jpjkrcia ha
"Wodecurs

com indescriptivel espanto e dr descobrio
u'elle o Dr. Carvalho o tilho de Adeiia.
d'aquella infeliz amasia de seu irmo.
O pobre velho de proposito mudara-se
para o Rio de Janeiro com toda a familia.
nao s para reunir-sc sua querida Amelia,
de quem logo teve coticia, como principal-
mente para perseguir com energa o infaav
que to vilmente tentara manchar a honra
e reputago da suj prenla, edeste modo o
sen valioso deposlHto robustecen aiada
mais a accusaclonjMgo, j presa e pro-
cessado por crime oc duplo homicidio. O
reconhecimento por tanto, sobre o qual ehV
guardn com tu lo^yuaior sigillo, foi um
novo golpe, tcriij^K certeiro, que ese
acabrunhar compl^Bjente o malaveotura-
djancio c augmentar o peso dos desase-
tos queja o traziam curvado a tactteroe ;
elle empregan (oda a sua actividade e
grande parte de sua fortuna em
provas compromettedoras contra o sea pro-
prio sobrinho.o irmo natural de sua >
nagua,,o menino emfim que elle]
tera adoptar coapo filho, noleMo
da infeliz Adeua 1 O seu nico
vario ia pois ajs^aforcado por
que (ora elle, se^Bb, um dos mais i
aecusadores, c par tanto agora s I be
va lastimar to desgragado e
desfecho. Este recoced ment n
atordoou-o dareras ae^prisajiros
depois o infelil seJho poz a ampo m_
numerosos amigos, lancou miada
meios p?ra ver se consegua o asf ao
reo, e alajkou custo a rimasaUcis da
llsp.
pena em
perpetuas I...
(CtmtiMur-te-lui).
w
a
PYP DO DIARIO L-A DUQB M CA


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXEDQ21VA_X6T8H5 INGEST_TIME 2013-09-19T21:12:21Z PACKAGE AA00011611_12956
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES