Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12955


This item is only available as the following downloads:


Full Text
*
A.\.\ XLIX. MlUtltO 130
PARA A CANTAL B MIGASES OIDK VOO MB PA6A PORTE.
Por tres mezes adiantodos................ 69000
Por seis ditos dem.................. liJOOO
ror ura anno idem.................. 4J>000
Cada numero avulso.................. 320
SABBADO 7 DE JIMIO DE 1873.
PARA I>E\TRO E FRA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados................. 47M
Por seis ditos idem................... ISMtO
Por note ditos idem.................. SQBtto
Por um anno idem................... ITBBBt
MAMBUCO.
PROPMEDADE DE MANUEL FIGfcffiOA DE FARIA & FILHOS.
Os Srs. Gerardo Antonio Alves di Filhos, no Para, Goncaives d Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira d Filho, no Ceara; Antonio de Mmm Braga, no Aracaty ; Joo ra Julio Chaves, no Ass, Antonia Marque, da Sra, no M, M J.*.
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahvba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penna, Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Aullo ; Domingos Jos da Costa Braga, em Nazaro.;
Antonio Ferreira de Aguiar,em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagas; Alves d C, na Babia ; e Leite, Cerquinho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE ornciAi.
C-overno ilu provincia.
EXPEDIRTE DO WA I" M AIIP.1I, DE 1873.
/.- secrdo.
Portaria:
Fica nppprovada a compra que eirectuou o
coa tal no de camorra de manaba, nano participou
em seu oflicio de ii de marco ultimo, de varios
objeetos de material da armada, peta) pregas Indi-
cados no eitadu ofllei i, para foriieeinieiu do al-
moxarifado Jo arsenal de mariaba.
Oflicios :
Ao brigadeiro .eommadente das armas.
Reo inleirado pelo sen offleio de boje datado,
sob n. 403, da proposta fcia pelo aluioxarfc do
hospital militar, e approvada pelo respeciivo di-
rector, do cidadao Jo'io do Prado da Cmara San-
tiago para o lugar de pormifo, vago por nao o ler
aceeilado o cidadao Candido Alves Cima, e de Ma-
noel Caelano da Paz para ajudiutc do niesm.i e
del das roopas e utensilios, visto n,o baver sido
prvido csse logar. Bevolvu a V. Exc., nao s o
offieio da pielle director, mas tambem a referida
proposta, como solicita.
.ao inspector do arsenal de marraba. Con-
cedo a autorisac'io que V. S. s letou em sea ofli-
o n. 581), de 28 de marco ultima, para comprar
.asa e imn ircial de Siaw H:iwkes de C. 40 ps
de chumbo em lene! a M0 rs. o kilo e eom o
abate de dez por Grato, se fu elleetuado o respec-
tivo pagamento dentro do prazo de 30 das.
A capitn do porto interino. -Visto ter sido
julgado incapaz do servieo da armada o recruta
Alexandre Bento da Silva, segundo consta do seu
oTicio de 12 do carrete soli n. 88, providencie
Vmc. para que jeja elle |kis!o em liberdade.
'. sereno
Ollictos :
Ao r. chele de polica. Em vsposla ao
offleio de V. S. n. 711, de 15do (torrente, acompa-
abado de copia de outro do delegado do termo de
Cimbres, em que requinta rarluxos e espoletas
para o servieo do destacamento daquella villa, te-
nbo a dzer-lhe que, para poder esta presidencia
aolorisar esse foru< cimento, fax-se preciso que o
matmo delegado declare que adarme c numero de
espoletas sao necessarios.
Ao niesine.-A' vista de sua inlWmacao cun-
tida em offleio n. 713,de lo do corrate, acerca da
petieao de Joo Flix da Cruz e Florencio Vieira
ta Cruz, presos desde 1858 por crime de homici-
dio no termo de Villa-Helia, providencie V. S. no
sentido de seremos ditos presos sulmieitid is, como
mandn o tribunal da rclacu, a novo julga-
meato
Ao mesan.- Reeebi o offleio de V. S. de it
do correte, n. 7 6, aeotnpanhado de urna cunta
da quaatia de 1511930, despendida com o traa
manto dos pret pobres da cadeia do termo d'A-
ua Prota por Joaquim Pereira da Silva. .Nao
teado aquella desprza sido autorisada por nsla
presidencia, deixa por isso de ser paga, al n de
que nao se acta ella legalisada e por deinais
exeessiva o que a V. S. communico em resposta
a seu citado offleio.
Ao commaudante superior do Cabo. Con-
sultando V. S. cin offleio de 14 do crrente si na
ilis>oln;,io do destacamento da guarda nacional
da villa de \ussa Senbora do O* do Ipojuca, or-
dena la por esta presidencia em offleio de 3 do cor-
rente, deven ser oompreheodida as duas pracas
destacadas na fortaleza de Gaib, tenho a dizer-
Iba era resposta que esta ordein limita-se smente
ao destacamento daquella villa.
Aojan de direil i provedor de impelas e re-
sid jo. Remetto por copia a V. S o ollicio que, em
datado 13 do crrenle, me dirigi o Exm. bispo dio-
cesano, para que, inleirado do seu conledo, trate
de. providenciar como eoober em snas atribu-
toes.
Ao jlliz de direito das excucoes criminaos.
Providencie V. S. para que sigam com deslino ao
presidio de Fern udo de Nuronha no pro imo va-
por os coadeninados a penas graves, que seacbam
rccolhidos casa de detencao.
Ao juiz de direito de'Cimbres.Nao j'xisliu-
dj inais na secretaria desta presidencia cxompla-
resdodecreto n. 3-172, de 30 da desearon de 18(>3,
que Vmc. reclama pan coneccao dos respectivos
Oappas eslalislie is, deixa por isso de ser satisfeila
a sua requisicao em ollicio de 4 deste uicz; eom-
|i.;i;: I i-jhe, todava, reecorrer eolleccjto de leis
daquell anno, qne Vmc. de ve ler na qualidade
d ;uiz, onde achara comprehendido o referido de-
ereto.
A o juiz mnnicipal do termo da Estada.
Em re p jsta ao offleio de Vmc. de 7 do correte,
teuho a dizer-lhe que deve abster-se de convocar
o coiHelho municipal de recursos na 3* dominga
atieste mea, por n;\o se haverem reunido as juntas
e qualilicacao de volantes que dependem da ap-
provaclo da eleicao de eleitores di actual legisla-
tura ; cumprindo que o faca, guardados os prazos
legaes, depois (pie veri.icar-ie essa reunilo.
Ao cominandante do corpo de polica.Para
lumar ua consideraco que merecer, incluso re-
metto a Vmc copia do o.lcodo Dr. chefe de po-
lica, n. 710, de 13 do correnle, e de oulro da de-
legado do termo de Cimbres, acerca da necessida-
de que ha de permanecer naquelle termo o sar-
gento desse corpo, Joaquim Flix Bezerra Caval-
cante.
3.a Sfceo.
Acto :
O presidente da provincia, attendendo ao que
requeren Tito da Silva Guiniares, cx-licl addido
:i alfandega, c tendo em vista as nforniaroes mi-
nistradas a esse respeito pelas estacos comperen
les, resolve conceJer Ihe 3 mezes de lieeneu com
veocimaotos na forma da lei, para tratar de sua
sadc fura da capital.
OIBCI09 :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Tendo nesta dala auU>risado u inspector do arse-
nal de marinba a comprar casa commercal de
SlilW Hawkes l C. i >0 ps de chumbo em leneol
a 440 rs. o kilo, dando-se o abale de dez por con-
t, -i for paga a respectiva importancia dentro do
nrazo de 30 dias ; assim o comniunico a V. S.
para su conheciinenlo e fins convenientes.
AolHRino. Tendo nesta data apnrovado os
contractos que o conselho de compras de inarinlia
elebrou com diversas pessoas pan fiirnecimento
do a'moxarifado do arsecal de inarinha, do mate-
rial di armada, constante do termo que o referi-
do eoosolho dever remetter a essa tliesouraria :
assim o communico a V. S. para seu conheri-
fiient1".
Ao mesmo. -Informe V. S. com urgencia ?ei
o colector provincial do municipio do Gbo, Jos
Paulo do llego Darreto, est alcanzado para com a
fazenda geral na quanlia d 8:000000, desde o
lempo que fui escrivo da eollocjoria geral do re-
ferido municipio.
Ao inesino.Constando de olB;io do briga-
deiro c j:n nan j me das armas, desta data sob n.
403, haver o brigadeiro director do hospital mili-
tar approvado, segundo lh'e eommunicou em offleio
tambem de hoje sob n. 467, a proposta feita pelo
respectivo capitao almoxarife do cidadio Joao do
Prado da Cmara Santiago para o lugar de portei-
ro, vago por nao o teracceitado o cidalo Candido
Alves de Lima, e de Manoel Caetano da Paz para
o lugar de ajudante do mesmo e del das roupas
e utensilios, que ainda nao havia sido prvido ;
assim o communico a V. S. para seu conhecimen-
to e devidos effeitos.
Ao mesmo. -Trasmiti a Y. S. o incluso pret
em duplcala, afim de que mande pagar, eonforme
solicituu o brigadeiro commandante das armas em
offleio de hon'em sob n 403, os vencinuntos das
pracas entongadas no deposito de recrutas, cun-
cernentes prin.eira quinzena de-te mez.
Ao mesmo.Para cumpriinento do aviso do
niinislerij da fa enda de 23 de l'evereiro ultimo,
reeommendo a V. S. que me envi urna copia do
termo do exame, a que se proeedeu nessa thesou-
raria relalivainenle as notas falsas la llicsouro nu-
conal apprehendidas por OceasO da prisao de
Sebastiao Acciol Santiago Hamos e oulros.
Ao inspector da thesouraria provincial.-Em
vista das inclusas relaojas que me remetlou o l)r.
chele de polica com Ai de liontem sob n. 619,
maude V. S. pagar ao careereiro da eadeia da
villa du Cabo, Andr Aveliuo do Espirito Santo, a
quantia de 5ti800 em que importou o sustento
dos presos pobres daquella cadeia nos mezes de
Janeiro a ni irQo deste anno.
Ao mesmo. Hecommendo a V. S. que a vis-
ta das coutas juntas documentadas mande pagar
ao bach-ire Joaquim Jos Ferreira Rocha Juuior,
conforme solctiu o Dr. chefe de polica em olli-
cio de hontein sob n. 720 a quantia de 4:27U771
despendida durante o mez de marco ultimo com
o sustento dos presos pobres da casa le detencao,
segundo domon-tram n mencionadas conlas. "
Ao mesmo A Antoniu Domingos de \lme-
da Pocas mande V. S. pagar, vista da inclusa
conta em duplcala que me reinetteu o Dr. chefe
de polica cun o Hcio de ti de marco ultimo sol)
n 3 ;fi, a quantia de 104890, provenidle do for-
neeimento de luz e agua ao quarlel do destaca-
mento do termo de Santo Ailo, no mez de feve-
reiro deste auno, como se v da refe ida conta.
Ao mesmo. Expe.a V. S. suas urdens no
sentido de seren pagos, vista do incluso pret em
duplcala que me loi remelldo pelo commandante
superior interino do Cabo com offleio de 14 do
crrenle sob n. 45, a Francisco da Cosa Mala
es vencinienlos do destacamento da guarda nacio-
nal existente na villa de Ipnj ica, relativos ao mez
de mareo ultimo.
Ao mesmo. -Para os devidos fias communi-
co a V. S.| que por portara de 4 de margo ull-
nio o Exm. hispo diocesano exonerou do cargo de
coadjnctor da fregaezia de liom Jardim, o livm.
Severino Konicio los de Araujo, nomeando para
siibsttui-lo o livin. Jo- Francisco de Souza Bar-
bosa.
Ao mesmo.Mande V. S. entregar ao Hvm
capnchinliu fre Caetano de Messina indepeiulenle-
mente de Banca, a quantia de i.00d000,para au-
xilio das obras da groja matriz da freguezia dos
Montes; sendo yue essa entrega devera correr por
.'dakL'i do oreamtntu vigente.
iro a V. S. para seu co-
ntentes (pie nao s rele-
a Antonio lien! > de Oliveira,
s di acude de S. liento, da
mulla em que incorreu por nao ter concluido den-
tro do prasj marcado as obras do seu contracto,
mas tambem dei o seguinle despacho a sua pelicao:
Seja o suppllcante relevado da mulla ; obrndo-
se, porm, a extrahir o furinigneiro qne exisle
junto ao balde do acude, e de trata o conductor
da repartilo das ouas publicas um sua Informa-
cao. Quanto ao pagamente requerid >. o suppli-
cante sp.ider ser atteadido depois que concluir
as obras a que alinde odele daquella repartala,
anquera dever dirigir-se.
4.* seceiio.
Offl^ios :
Ao Exm. 8r. presidente da provincia do Uio
Grande do Xarte. -Transuutlo por copia a V. Exc.
conta do art.
- Ao inosi
nbeciinento c\
vei por acto d
arrematante da-
o ollicio que dirigi o provedor da Santa Casa di
Misericordia desta cidade, acerca da reuiessa para
essa provincia da desvalida]luliana Xavier,afim de
que inteirado do seu conteudu providencio no sen-
tido de fazer-se effeclva essa loinessa.
Ao Exm. e Hvm. hispo diocesano.Acenso
recebido o offleio de V. Exc. Rvm. de 13 do cor-
renle, e tico inteirado de ler sido exonerado por
portara de 4 de marco ultimo do cargo de eoad-
juclor da freguezia do liom Jardim o llvd. Seve-
rino lienico Jas de Araujo ; sendo Horneado para
subslituil-o o llvd. Jos Francisco de Souza Bar-
bosa, do qne dei scienca, para os devidos lins, ao
inspector da thesouraria de fazenda.
Ao mesmo.Em resposta ao offlcic de V.
Exc. Rvm. de 15 do correte, em que se qucixa
do prncedimento da irmandade do Santissimo Sa-
cramento da matriz de Santo Antonio desta cidade,
inipedindo qne o Hvm. conego vigario celebrasse u
sanio sacrificio da missa na i|iinta-feira santa, te-
nho a scenllicar-l e que nesta dala remetto copia
do alludid) ollicio ao Dr. juiz de capellas, para
que tomando a materia em consideraco. trate de
providenciar como eoober em suas attribuiroes.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
Em resposta ao offleio de V. S. de l do cr-
reme sob n. 364, tenho a dizer-lhe que concedo a
anlonsacao solicitada pela junta administrativa
dessa Santa Casa, para prorogar por seis annos os
arrendainentos dos predios ns. 57 e 59 ra do
Mrquez de O.'inda, tetus com Prente Vianna &
C. pela quantia de 2:000^0 >0 por cada um, e inais
4:000000 como esmola para as obras da casa dos
expostos, obrigando se ellos a pagar o premio
conipanhia, onde estao seguros os predios e os ap-
parelhos e animidades da companliia Hecife Dni-
nnge; devendo im ncionar-se no contracto a clau-
sula de que, no caso de serem vendidos os ditos
predios, nao podim o< locatarios reclamar cousa
alguma a titulo de indemnisacao.
Au mesmo.Seja admittido no collegio das
orpbaas, quando houver vaga, us termos de sua
nformaar. de 14 de fevereiro ultimo sob n. 271,
a menor Mara que ella se refere
Ao mesmo.-Em resposta ao offleio de V. S.
de 13 do correnle, sob n. 74, tenho a dizer-lhe
que, para conceder a autorisacao solicitada pela
junla administrativa dessa Santa Casa, e resolver
sobre a venda do predio n. 37 silo ra da Moe-
da, faz-se mister que seja reniettida lima descrip
cao do mesmo predio nao s no tocante sua
dimensao, como ao seo estado de canservacao.
Aos Drs. Aprieto Jusniano da Silva Gui-
niares e Joaquim Frankln da Silveira Tavora,
presidente e secretario da sociedade Lraio do
Norte. -Accuso a recepcao do offleio de 14 do
correnle, em que Vv. Ss. declaram haver a socie-
dade historic-lillcratia Unido do Norte approvado
urna moco para que se solictasse desta presiden-
cia a impressao das biographias e obras do viga-
rio Francisco Ferreira Barreto e de Fr. Joaquim
do Amor Divino Caneca. Em resposta cabe-me
dizer que nesta dala subme'.to a deliberacao da as-
sembla legislativa provincial, que certamente nao
deixar de tomar na devida consideraco, a pa-
tritica solicitacao da mesma sociedade ; aceres-
contando que desde ja nao se contracta a impressao
de taes obra- pela iusuDIciencia da verba votada
na lei do orcainenlo vigente.
Portara :
A' cmara, municipal do Kecife. Em res-
posta a consulta da lllma cmara municipal do
Recife, em seu offleio de 9 do correnle sob n. 26,
tenho a declarar que, nos termos do art 2 da lei
de 19 de agosto de 1846, a funecao de presidente
da junta de qualilicacao prefere a outra qualquer,
e so por impedimento physico ou moral pode o
juiz de paz deixar deexerce-la ; nestas condiedes
nao pode elle e;tar em exercicio do cargo de ve-
reador, tendo deixado aquelle por doente.
5.* MCfO.
Actos :
O presidente dap rovincia, atteniendo ao que
requereu Antonio Bento de Oliveira, contractante
das obras do acude de S. Bento, e tendo em vis-
ta a nforniaeao du engenheiro chefe da reparli-
cao das obras publicas, de 16 do correnle, sob n.
162, resolve releva-lo da mulla em qne incorreu
por nao ler concluido aquellas obras no prazo
marcado ; obrigando-se o referido contractante a
extrahir o fonnigueiro que existe junio ao mesmo
agude.
0 presidente da provincia. resaUa noniear o
bacharel Innoconcio Seraphieo de ssts Carvalho,
o major Salvador Henrique de Albuquerque e o
professor Miguel Arcbanjo Mindello para exami-
narem nodia 21 do correnle os concurrentes aos
lugares de pralicanles da reparticao do crrelo
desta provincia : o 1- em iiocSes geraes do geogra-
pha ; o 2 em exereicios de calligraphia e orto-
grapftia e o ultimo em arithmetica elemenlar.com-
prehendeudo o uso do systema mtrico decimal.
Offlcios :
Ao engenheiro chee da reparticao das obras
publicas. Informe Vmc. a respeito do que publi-
cou o Liberal de 17 do correnle sob a epigraphe
-Theatro de Santa Isabel.
Ao mesmo. Communico a Vmc. para os
fins convenientes que, uio s relevei por aclo des-
la data Antonio Bento de Oliveira, arrematante
das obras do acude de S. Bento, da multa em que
incorreu por nao ter concluido deutro do prazo
marcado as obras de seu contracto, mas tambem
deioseguinte despacho sua petjio : Seja o
supplcanle relevado da multa ; ebrigando-se,
a porn, a exlrahir o orniiguero que existe Junio
ao balde do acudo, e de eme trata o conductor
da repartilo das obras publicas em sua infor-
maeau. Quanto ao pagamento requerido, o sup-
t plicante s poder ser attendido depois que con-
t clur as obras a que allude chefe daquella re-
particao, a quem dever dirigir-se.
Ao Dr Innoconcio Seraphieo de Assis Car-
valho.-Por aclo desta data nomcel Vmc, o major
Salvador Henrique de Albuquerque e o professor
Miguel Arehanjo Mindello paraexaminarem no da
21 do correnle os canJidalos aos lugares de pla-
ticantes da reparlieao do correo desta provin-
cia ; o que Ihe commu.iico para que, enteudendo-
se com a administrador daquella reparticao, pres-
tese ao lim cima indicado. Mntntis mtUnndti
ao major Salvador Henrique de Albuquerque e ao
professor Miguel Arehanjo Mdello.
Ao administrador interino do i correios.De-
claro a Vmc, em resposta ao seu offleio, de hon-
tein, sob n. 88, nue por acto desta dala nomeei o
bacharel Innncencio Seraphieo de Assis Carvalho,
major Sal .ador Henrique de Albuquerque e o pro-
fessor Miguel Arcbanjo Mindello para examina-
ren! no dia 21 do crrente os candidatos aos lu-
gares de praticanies dessa reparlieao; sendo o 1
em naadas geraes de geographia ; o 2 em calli-
graphia e orttagraahL-i e o ultimo em arithmetica
elementar, coinpreliendendo o uso do svste.na m-
trico decimal.
Ao engenIHro fiscal da estrada de ferro du
cimento, como o de um asvlo.onde se abriguem
aquellos que liveram a iufelicidade de perder o
uso da ra*ao.
bravbsimas e serias preocoupaees nie priva-
ran! de responder logo, como era e do meu
restricto dever ; p.irem. agora o lazendo, peco a
v. Exc. Disculpa da minba grande inorosidade,
assegusaoj eu ter eila sido involuntaria.
Apioveiti o azo para oforocer a V. Exc. os
meus sinceros protestos de respeito e considera-
cao. Deus guarde por dilalaitos aunus. -
Exm. Sr. Dr. Henriqua Pereira de Lucena, dignis-
simo presidente da pYovincia. Montes, 26 de
mato de 1873. B^nlliafimn serva e venerador,
o vigario, Joo Oiympin de Hnm lajro.
k.spachos oa raasucMOA DU 3 l lU.XHO DE
1873.
Antonio Jus Silva do Brasil. Passe portara
na forma requerida.
Antonio Carlos de Pinho B nges. Informe o
Sr inspector da thesouraria de fazenda.
Teiiimie-cnronel Alexandre Magno Pexoto de.
Ah-ncar. i asse portara, c un ordenado na forma
da lei.
(Iludido Eniygdin Pereira LuIhi. Deferidu cun
offleio desta data a thesouraria de fazenda.
Domingos Ferreira das Heves .iimaraes.In-
forme
me 0 Sr. inspector da thesouraria proviicial.
''nuicitcu Luiz Bellrau. o Sr. coinmandan'.e
lo corpo de polica, para attenler a o suppliiaule.
Padre Herculani Manpies da Silva.-Passe por-
tara.
inspector
Reeifc a Caxang. Fico inteirado pelo seu olli-
cio de hoje do triste aconlecmento turnio hontetn
larda nessa estrada de ferro, do qual resnltou
a niorte do nienor Praiw*L Lavra, que imprudentemente tentara snbir para
um dos carros dessa coinpaahia, estando e Oeni
em movinienlo.
KXI'KDIKNTE DO RCRKT.VHIO
4.' tecrio.
Offlcus :
Ao Dr. Joaquim Corral de Araujo, 1" secre-
tario da assembla legislativa provincial, n. 79. -
De orden de S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia, passo s caaos de V. *., afim de serem presen-
tes a essa Ilustre assembla, as inclusas copas
das infurmacoes ministradas em 14 do Correte
pela thesouraria provincial, sobre a importancia
da renda cobrada pelo consulado no anno prxi-
mo lindo, e vencimentos que tiveram es respecti-
vos empregados. Fica assim satisfeila a exigencia
da mesma assembla cuntida, no offleio de V. S.
de 5 desle mez sob n. 28.
Ao mesmo. >'. 80. De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, transmiti a V. S.,
aflu de ser levado ao conheciinenlo da assembla
legislativa provincial, que lomar na devida con-
sideraco, o offleio junio por copia em que a so-
ciedade hisloricu-liieraria L'niau do Norte so-
lcita a impressao das biographias e obras do vi-
gario Francisco Ferreira Barreto e de Frei Joaquim
do Amor Divino Caneca, segundo o trabalho falto
pelo venerando commendador Antonio Joaquim de
Mello.
Ao mesmo. N. 81. De ordem de S. Ese.
o Sr. presidente da provincia, passo s mos de V.
S., afim de serem presentes assombla legislati-
va provincial, as inclusas copias das informa^es
prestadas em 7 do corrente pela directora geral
da instruccio publica sobre o projeclo n. 19 des-
te anno que altera a le n. 1,033, do anno passa-
do; ficando assim satisfeila a exigencia da mesma
assembla contida no offleio de V. S. de 31 de mez
findo sob n. 20.
Ao mesmo. N. 82. De ordem de S. Exc.
o Sr. presidente da provincia, passo s maos de
V. S., afim de ser presente assembla legislativa
provincial, a inclusa copia do parecer que em 15
do correnle emltu o Exm e Rv.n. Sr. bispo dio-
cesano sobre o projeclo n. 5 deste auno, que trata
da transferencia do terreno do engenho Ca-me-vou-
siobo perlencenle freguezia dos Montes, para a
do Rouito. Deste modo fica satisfeila a delibera-
cao da mesma assembla, constante do ollicio de
V. S. de 29 de marco ultimo sob n. 18.
Ao mesmo. N. 83. De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia, passo s mos de V.
S., aiiiu de serem presentes a essa Ilustre assem-
bla, as inclusas copias das informadles prstalas
em 15 e 16 do correnle pelo administrador do
consolado e inspector da thesouraria provincial
sobre a p etencao constante do requermento que
devulvu, du continuo daquell cousuladn, Antouiu
Carlos de Lemos Duarte ; ficando assim satisfeila
a deliberacao da mesma assembla couda no of-
licio de V. S. de 3 deste mez sob n. 26.
A Boaventura Rodrigues de Amorini, secre-
tario da sociedade provisoria Philoiimia. S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda declarar a
V. S. para que d sciencia sociedade provisoria
Philolima, que muilo agradeceu o ollerecimento
da quanlia de 200 com a qual deseja concorror
a mesma sociedade para a edilicaco do asylu dos
alienados, segundo o seu offleio de hoje datado,
louvando-a por esse acto de liumanidade, e que
opporlunamente ser indicada mesma socie-
dade a pessoa a quem de va ser entregue essa
quantia.
5.' secr-ao.
Offleio :
Ao engenheiro fiscal interino da estrada Je
ferro do Recife ao S. Francisco. O Exm. Sr.
presidente da provincia manda aecusar recebido
o offleio de hontem sob n. 48, em que V. S. par-
ticipa que a loe nnoli va do trem de passageiros,
sahindo da eslacao das Cinco Pontas s 5 12 hu-
as da larde de ante-hontem, ao transpr a povoa-
cao de Afogados, soffreu um desarranjo no cylin-
dro do lado direito; e que, alem da demora de
quazi tres horas at a chegada de outra locomo-
tiva, viuda da estarlo do Barbalho e que conduzio
o trem ao sen destino, nenhum incidente, feliz-
mente, se deu.
Exm. Sr. Com subida honra accuso a recep-
Sao do offleio de V. Exc. datado de 4 de Janeiro
o corrente anno e recebido ha dias. e em respos-
ta a elle tenho a dizer-lbe que indizivel satisfa-
cao deu-ma o seu auumpto, e esforcar-me-hei
por adquirir qualquer bolo, adra de que effectue-
se a edicaro de lao almejado e pi esiidjeleci-
Jos Ignacio d'A rila. -Cuino requer.
Jos Ignacio de Mello.Informe o Sr. i
da thesouraria de fazenda.
Jos (tabello Padilha Fornec.a-se.
O mesmo. dem.
Joapiim Jos de Abren. -Eociuiinh!-se.
Juiu da Canta Uagalhios.-Passe portara no
form requerida!
Joo Capistrano Bandeara de Mello. -Sim.
Luiz Jos da Silva Cavalcante Filho. -Entrege-
se os documentos, mediante recibo e nao baveiido
incoo veniente.
Manoel Garrid i 4 CN.-io procede o recurso,
P>r quanto esui provadii que os supplicanies li-
li .un como caixeiro, euo eomo^criado, a Minoel
Garrido, que se presume ser seu prente.
Tenenle coronel Manoel Francisca de Souza
Lei. -De.eri 11 com offleio desta data thesoura-
ria provinaial.
lia :h irtd Manoel Figueira de Baria. Informe
o Sr. iaepao/al da toesoiiraria provincial
Manoel CaaiaflO da l*az. Indeferdo, a vista das
infunnie'kM. licaadu salvo o direito de reclamar
ao guverno imperial.
Urbano Nones ilactado Autune-,Aguarde o
suppllcante a cheala d i prximo vapor, em que
se espera ordem do thesuuru para se dar o paga-
mento que pede.
Irania Xyiiipha da Silva. liule/erido.
Secretaria da presidencia de Pernambucu, 6
de juiiImi de 1873. .(
Oporteiro,
SHriiM A. Rodrigues.
ii i i ..... i n
asaiatio o Sr. Lanfrev, ministro da Franca em
Berne.
O presidente da confederaran approvou com-
plelamenle as medidas Inundas pela polica de
Genebra.
ITALIA.
A cmara italiana adnplou o artiga do projeclo
sobre as corporacoes religiosas relativo casas
dus geraes em Boma.
O ministerio por preciu.aa orden >u que a
guarnicao de R una fosse refonvada ; ehegaram
ah 5 balalhoes e erara esperados inais cinco.
Houve prses em Floren.i par causa ile
nos eartam que se aflkaram, uns ameaeando os
individuos que fossem em peregrinaco a Impru-
ncta, e oulrus in que se reaja contra M clerieaes
O papa est OHiipletainenle rcslalM-lecidu da
constpalo.
Ja sa no il is seus aposentos para roreberoronde
Nicolai, que achou o seu estad > muilo sasfac
torio
-No dia 20 houve grande recepcao no Vaticano.
Afflrmam cartas de lt.tli.-i que em visla du 'voto
da cmara relativo a > prejectn sobre as uarnaro
cues religiosas, o Sr Mancni retirara a proposta
para serem expulsus ooaseletaaaeane h jesuias
seus filiados. I
ta*
A cmara resulveu excluir o geral dos jesu'as ;,].< ,\.,.ni,n''
los beneficios concedidos aos geraes das unirs Dizia-s.-laniw
A (iceta d> Madrid poMimai
u n divnrto aiifonsand i os militares a
iildepciideiiiPiile JP U.-eiica.
> O cinselho de inini-tm-s reulvf>i
eleiees cin Cuba.
Parliripam ndre< a ti do rnrn-
um ouir. aaaasaoaalwai *> Bbaj Yrl
chamado Prtoe, fui jiresu na Hirana p<4w
p-inhues.
Di'.ia-se em Ma Irid, segundo crU c >cmav
faeo givernn tinli.i graud- mai-ra. eme a
quest.o .t.i sber j leriam s-ipre(m-ii >h nym
bliranns velbus, ou lr. norns.
A nppu*irii imagjn que Castellar 4r guardar rarta l.-g.h.lade. rigu-ra< r-rarar am
ni -ios revolucionarios r ifoc ne.y i..ul ha 4>-
accorlo.
Diz se t.imhcm qne na rnla divera^nrin ao-
Ire aa radteaea. Dan faaaoBi Bal
Ir.is partidos, e ..iitr.w iuo alm>tl mam i.
Di- elee-o-s, conla se qn- forata la >
na-las, cano as do lempo da in-mar-liu '
Ao* governadnre- rivi ipi- rfrfrnm u-
aos oulr.is, chaman os jornaes rxnpanaa aV
Segil'iK mull.,< .
Kspalh.ir.vse qne na naViaea *r\-r4m 4a
anliga artilh ira se queriam f*T -artiga*. i>
d
ordens.
Affirma-se qu? M delegados d > prajpa M
ilissideiites da malicia conferenciaran! rom o Sr.
Lanza o Ihe expozeram as suas idrrii; aap is do
Sr. Lanza conferenciar com os seus collegas di>
gabinete, se chegou a um aecurdo.
INT.LATKHIIA.
Cmtinua a Inglaterra en ser o principal nbjeet.i
das p.eoccupaces do mande politio as omferen-
eia* republicanas celebradas em liiriiiinghan, e
cujo lim a orga ni sacio do partido republicano
""le*, obtida pela unilicacao das diversas e nil-
DI a K10 DE
\MUJ';u
HECIFE, 7 DE JU.NIIO DE 1873.
\oliriii' ila Kurojin.
Honlein s 5 horas da larde fundeou no lamaro
O vapor fraaeez Rio Grande, di buha de Rurdus,
Irazeudu datas de Lisbua at 24 de mato, s 8 ho-
ras o meia da niaubi. Eis o que colhemos dos
jomaos o carias:
KilANQA.
O Sr. Thiers uao quena fazer modillcac.oes mi-
nisleriai's antes da realierlura da assenilila nacio-
nal i mu o Sr. Goulard insisiu tanln pela sua de-
misso antes desse dia, demisso de (pie s desis-
liria, se o Sr. Thiers Ihe sacrifieasse o Sr. Julio Si-
mn, i
Desta desinlelligencia resullou a crise, cuja no-
ticia recebemos pelo Pooo.
O iiiinisterio fleoo completo, sendu u Sr. Casimir
Perier nomeado ministro do interior; o Sr. de Re-
inusat, dos negocios eslrangeiros; o Sr. Dufoure,
da juslica ; o Sr. Len Say, da fazenda; o Sr.
Fotuton', dos cultos; o Sr. Waddinglou, da ius-
truccao publica ; o Sr. Berenger, das obras publi-
cas; o Sr. Tisserene dellort, do commerclo ; o Sr.
Cissey, da guerra ; e o Sr. Pothuau, da inarinha.
Os novas ministros Mr. Casimier Perier, Beren-
ger e Waddington pertencern ao centro esqnerdo.
Reuni-se novauente a assembla nacional
no dia 19 do mam. Cento e sessenta membros da
direila da assembla pedem que se inlerpeile o go-
ame sobre a modlicacao ministerial e a neces-i-
dade da poltica conservadora.
O Sr Dulaure apresenton o projeclo de organi-
saco dos poderes pblicos, e a crearo de una
segunda cmara.
governo no seu relaturio insisle na necessida-
de de organisar praticainenie o governo republica-
no para Ihe dar a for..a necessana para resistir ao
embale dos partidos; o governo segundo o novo
projeclo de lei ser formado peto senado, pela c-
mara e pelo presidente da repblica.
A eleicao do presidente da repblica feita pelo
chamado congresso presidencial que ser formado
pelo senado, cmara e pelos delegados de todos os
conselhos geraes, que sero enviados tres por cada
conselho.
Os projectos constitucionaes ainda que sanecic-
nem a forma republicana, sao inspirados pelo esp-
ritu conservador, e tirarao todo o pretexto aos
partidos extremos para nevas agitacoes.
Assegura-se que a esquerda republicana, e o cen-
tro esquerdo vo formar um s grupo poltico cuja
direecao ser contlada ao Sr. Grevy. Parece tam-
bem que o centro direito se fraccionar em dous
grupos; um, formado pelos monarehistas syste-
maticos que so uni' a direila, c outro, dos des-
engaados e que mpossivcl constituir niunar-
cha, o qual apoiar repblica conservadora con-
tra o radicalismo.
O Sr. Peyrat, chefe da extrema esquerda propoz
que se fixe em 15 dias a poca da dissolui.u d.
assembla. Foi rejelada a urgencia, por grande
maoria.
Foi tambem apresentado pelo Sr. Dufaure o
projeclo de lei eleitoral.
Foi lixado o dia 21 para a diso sso da inter-
pellagio sobre a crise ministerial.
A sessAo de 21 foi devinada para a eleicao
da presidencia. O resultado do primeiro escruti-
nio foi de 359 votos ao Sr. Buffet contra 289 que
obleve o Sr. Martel, candidato da esquerda.
No primeiro escrutinio forara eleitus vice-presi-
dentes os Srs. Guulard, Renoit c Vite!.
No primeiro escrutinio o Sr. Martel que era o
inmediato em votos nao obleve maioiia absolu-
ta ; leve pois de se recorrer a segundo escrutinio
para preeuulier a quarta vaga de vico presidente, e
nesse obleve o Sr. Martel, candidato da esquerda,
330 votos contra 323, que obteve o Sr. Larcy que
era o candidato proposto pela direila.
snssA.
Foram presos em Genebra niiis dous refugiados
francezes : um memhro da communa de Pars, o
um commandante dos federados.
Estos prsdes assim como as precedentes, teera
ligacao com estas pesquisas, sobre as quaes se
guarda absoluto segredo.
0 presidente da confederado helvtica e o
chefe da reparticao de polica de Genebra tive-
ram em Berue urna ooufereooia, parte da qual
m_
merosas as semiuadas n >s Tres Reinos. Os r -piiblicaiius in-
glezes quereni ser finalmente um partido nacio-
nal.
N i segunda coin'ereiicia, celebrada sob a presi-
dencia du Sr. Cooper de Norwch, os delegados
assentaram n'nnm grande numero de principios,
que furmaru por assim dizer, a religiao poltica
profanada pelos republicanos inglezes. Bala novo
partido considera a forma republicana como a
nica digna de um povo rivBwado.
Fojinulouse na segunda conferencia nina de-
linic) clara e precisa de repblica. Assenton-
se apa os negocios cuncernenles espicialiiR-nle
Irlanda, Esencia e Inglaterra, deveriam ser
lisculidus pur parlamentos lenos e distmrtos,
segundo os desejos manifestados pelas pruprias
popnlaca, mas que em ultima instancia deveriam
ser dsrididus pelo governo federal.
A conferencia concorden em que a posse ta
prypriedade territorial dataria Bear sujeita ai
eonsi leraedas de uiilidade geral, e ata seria
a Imittdo a favor dos proprieaii.- ..-....- >
reta em ronlradican cun as iiecessid.ntes so-
cirtt-a c Lovaaiiiiiie J* aojato. A cnnlerciina ap-
provou ainda nutras propostas, tendo por lim a
separaco da igreja e do estalo, a abolici da c-
mara dos h'ds e a des exerctos iH'rinanentes.
A cmara dosjconiiiiiiiis|rejeitou pur 3-6 vulus
contra 61, um prujeclo de Mr. Miall para que a
igreja protestante dexasse de ser considerada
como religiao do estado.
Os iiIih'os telegraminas de Londres fazem
presagiar ipie o dseonto no aaoeo de Londres
aprsenla tendencias para subir e at inesuio ele-
var-se at 10 por eeoto.
A razan desta crise est na sabida de iiunie-
raro, e no grande pedido que ainda se espera ;
como era de presumir a cotaeo de tolos os filu-
dos, incluindo os portuguezes tem-se ressentidu
bastante-
Parte da iniprensa, previa ja de ha milito a
crise, e para Ihe modificar o ulfelo, julgou de-
ve-la altriluiir perda das sementeiras de btalas
no Reino Unido. au se lembraran, porein, de
que ha ainda milita btala para semear.
ALLKMANHA.
No reich>lag, no decurso do debate s-bre a
relaturio aiinual da Alsaeia Lorena, o Sr. de Bis-
inark declarou que a dictadura naquelle paiz
acabara no I- de Janeiro de 1874, e que a re-
pressao das sympaihias francezas era necessaria
no paiz que a AHemanha adquirira para segu-
ranea das suas fronteiras ameacadas. ha duzeuios
anuo-.
O imperador Guilherme nao se encontrara
em Vienna com o czar, e julga-se que partir para
all em 16 de junho.
Dizem de Weidelberg que se celebrara
naquella cidade as exequias do principe Cuu.-a,
que foi soberano da Rouinania, e apa falleceu
naquella cijade de una bronchite aguda. O corpo
sera embalsamado, e transportado paia a Mol-
davia.
O conselho de estado do imperto allemao
decidi por unanimidade a expulsan dos redemp-
toristas, dos lazaristas e das_ congregacoas do
Espirito-Santo e Sagrado carasio.
Os respectivos convenios de vera ser despejados
no prazo de seis mezes.
Cominunicam de Berlitu que a cmara dos
deputados adoptou em segunda leitura por grande
maioria o projecto de lei para a emissao de ura
emprestimo de 120 miliies destinado ao desenvol-
vimeuto dos caminbos de ferro.
ArSTBO-HUNUniA
A situacAo financeira parece melhorar. O
commerciono soffreu grandes prejuizos cora a crise
da bolsa. O ministro da fazenda urden ni toa com-
misaarioa do governo encarrilados da tiscalisacio
das corapanhias por acues que lizessein apresen-
lar o acti oc passivo actual destas empiezas para
ser examinado, afim de se conhecer se algnmas
dellas devem liquidar ou fuodir-se.
Por intervencao d > conde de Andrassy o
principe do Montenegro concedeu aos emigrados
que residiam na Austria pnnisso para vollare.n
livremento sua ptria.
RUSSIA.
Desmenle-se a noticia da tomada d Khiva
e diz-se que o Khan de Khiva decretou o levan-
amento em massa.
Era esperado em Moskuw o scliak da Per-
sia, onde leve uina recepgao enlhuslaslica.
tubwia.
Foi nmito sentida a demisso de Savfel-Pach
do cargo de ministro dos negocios estrangeiros.
O novo miiiislro d s negocios estrangeiros Ras-
hid-Pach inleiraniente desconhecido as corles
eslrangeiras.
Rasiiid-Pacha 'ser substituido no ministerio das
obras publicas por Ashmel-Moukhlar-Pacli, vale
de lera-n.
0 embaixador da Persia Mohsin-Pach, apre-
sentou ao suliao as suas cartas credenciaes.
A ceremonia da audiencia foi de um brilhan-
tismo excepcional.
O governo ottomano resolveu enviar Be-
thlem ura commissario especial para fazer urna
syadicancia
gus e os"
A
pondenle
0 boato;
haverem os
Londres, des
i
conflicto entre os gre-
nosso corres-
tanta importancia, de
do nm emprestimo em
offlcialmenle.
Os fundos befnnhoes continuam a desear.
Os internos esto a 16,40 ; os externos a 11,50.
nibcm iftie os o}."pii d
a i governo diividavam lomar .emi E
d i simplesiiM'iile.
Adinnava se i onl. -m ipvo p>v-Ti ruajaojan
de proposil.. M fon-a- do- rarb-la-. pira t
n-i iNirle .. na Caialuiiha d-
exercito, ns Boaoi dari un a H pau P>sse neces-ano
K-|i -ravi-e un niinife-io d- Rvrro em rN
|Msia a-i do niiiipn-/ d- Sird->al i :kv> i tLi
diid o celehn- demag.^o iagtot ItroiK ara l>
vava MfHicitacVs o|x.-ta ia-de Itiniiinghan. far.
lio pira Lisboa, oml- poneos du' tomaran.
.No seu ragKSM a Madrid > lt- rrer milito festejado.
A Sim. I) Oaaoopafeai An-nal f-n omaia^da
pelo mini-lo <|a jiistica iaapea d* frrf* 4a-
llMtlhere-. Aquella ra. liuli.i Mto iKioif-a-la o
ministerio de /.nrrilla vir>V i
ninas, e anda exerce o rarg->.
ih fed-raes fallara ihi vellhi mar | '-
da ( o Sr. Orense) para presidir ;> fraaaaBaBi
<)s carlista, enmunndad >- |ir Tr**ian\ r p-
lo inf inte D. Affi nao aUrarara a paoaafl ile 11
va Hoja onde eslavam BaOOaaaaaa lana la aa
Imtanos umbili de f'.alatrava. Ha prin-ipio a rar.Jtana nim-
quasi toli etn |tnder do-. rariiii, ma-. raata a
llareta, que #jp ,\* de || BSffaa da l'i'a. u rarOa
la* foram oitrigadus a retirar--e
(h jorn es fallain de algun- fu/il inv nm m
los pelaf forras de D. Carb.
Tcm conijnuadu os ataques i r-Hnlio>o ?
raminho de ferro na< provincias de ll.i ljm r >
Ciudad lie.il. _____
W muro uk iii>|i.iiiii.; ritr ^.-
l>r cent.
Ha 3 dias afftrmava-se em Madrid no cirrn-
liis laooaaaraa que o mMata da faz- n4a proj^eta
equilibrar rutnpletainonle o* or-aineiito- por tmrt
de economas nos orcaracnlos da gneiTa ^ mari-
nha. rediizindo metade tjuro da di-ida 4> 3 "*
enal, mas asseguramio o M pagainrnto "...
E-la noticia foi ir.iuMiiitiid i i >Jekfraa
para tolas :i< praris da Bajroaa. N*> a>lmira
pois, que os fundos be-pinb |Hn>igam aaMxa
o Os intraii-g>nles pr .p.ta i aasaaOomn a*r
declare a incniniutibilidad" absoluta dv qnalrnr
emprego publico, remunerado mi hnnnriuV \ r,m
omindalo de denulade. e proporao q subsidio .i i. dcpnlados s> neiil-para a. fraaaM
cortes da repuldica
Sabio |e Pamplona |Kira o raii| c geiierd Mald>nud>i.
Era quasi 1 .pos ns punios bi Ata Arago px
onde lecn p:i-ado a partidas carli*l^<, b,,, *
quciinados o- Maros aa reai*tro civil.
Os viajantes rhegado. n nm ito- pro\nn< s da
a Madrid, procedente* da Franca :r.iio d-
iielos carlistas na Salinas, prfloae V'utatia, ooA-
tecm eslabelccida lanib ni una ii|iiena alfan-
dega. Os facciosos nlfP-eptaraiii hta a m<
nondencii, deixando (b-pois os viajante* w
Jade de continuar sen raminho ftn Ufs c
o menor daino,
Na all'andeg." i-slalidiTida peliscurli-la* pert.
de Pennacerra la .i^egurli-se q ie a-i-.-mli- o ho-
porte dodinheiro diario aV arriradac-M a 3 oa I
mil Naftas,
A-1 prca- c.ir;i>',,< q-ie dep-n lem do cina San-
t.i Cruz, faiiiigerado ralx'cilba c ul -i c-lao eairar-
regados de fazer luda a rlasse de fimi'ik psaiTai-
e envia-la* ao monte d" Arrhitogui. onde c^aiatJ-
ceram un deposito, com o lira de pn rrwt m
contra a eecassez que denlre era poaro odrera
a previncia.
Os carlistas decretaram nma eaanro^aftaaa a>
4O.0"t) duros sobre todos os lilxTars inrtVridiH'-
suspeitos que habitem on tenham prefav
em Rartan. dos quaes ja formarain as romniH
listas. Itilbao ronsla que est em estado 0> si.
posto pelos carlistas Ela columna eomnaanaada
pelo narquez de \ aldespina Por Ierra ai eean -
plelamenle incom-nunicaTel. ____
t D'um encontr da gaerrilha de Dorregaray.
com as torcas ia coronel Navarra, (aove ana
grande aeran, re-rallando r.ihirem pri*ioneiro
poder da faeco. :'o rhefc*. enlrc rtV o cora
Navarro, c 404 individuos de tnaj. Eatre a
perdas devem coniar-se varios moro, entre rta-
les e offlciaes e 4 5 contusos. O resto da n do moa
fugio em debandaiia, refogiando-e em FsteHa
Este resultado animou por tal surte auto rar
lisia, qne. juntamente com algum dtnhHrn *
puderain ananjar, lecm posto em campo. BBBBB
torcas e rom suffriveis resultados.
Dorregaray, pelo sen brilhanie talo datnaai
foi promovido por I). IMaO, ao posto nV ha*ole
general dos reaes exercito*.
Tiveram logar as eleico perari rom
maior soreg e cordura. O re-ullado ronv> jnaxo
ter-lhes dito na minba ultima carta, f a mais fam
ravel aos repubbean's frderaes. I re.'ntalw I"
apnramento definitivo foi de 33 fttrv*,
npposicionisUis de lodos os partidos.
Em vi ilude de decidida* vanlagen* aar
facones carlistas leein ob'id obre algomat fon*
republicana*, o governo c im- >rdon. a graa
conselho, em enviar a Navarra < Catloa*ia '
as forras do exercito do reato da pwiin*!a, dei-
xando a guarda das provincias incnanada gamr-
da cvica e voluntarios da repblica
Nova ronspiracio fa 0>col>cTta em Madrid
Por mein de vistas domiciliarias ciwiriiia
prender tres conspiradores. Sagast i sata. Hf
de Madrid.
Por ura decreto foram supprimida as afoo-
cias linaiiruci em l.on Ires e Par. O
Kra o pagamento des jaros, aaraieBos
lo, acanto all um enrarregado dar
counons, e 4a sua raaaeaaa para Madrid.
do delles recibo. Quodo a
resolver a sattsfaae-lae, tai a i
para o aagameoto da raaaasarra Java.
O Times, revolia-se aaaora tal ayalaaaa, e dk
que nm novo meto de deaaora ao da afta taar
os pagamentos. O dedert aeaaal da ll.ftft) BP
libras.
a Foram expulsas das ca*
os partidistas de D. Carlos d iTaan. a i
!de Madrid, e o proprto D. Cartas.
-



ttj Diario de Fcrnambuco Sabbado 7 de Junho de 1873.
o*.
Os legilimistas francecs, que urologom aher- I
ntente o movimento enlista, rosblveram entre-
var a.i cabecista* Volasco, duas pecas de artillara
o 5,100 espingardas do systema mais moderno c
adoptado.
Contina a enerra dos carlistas as difiranles
companhias de e..r:inhns de ferro. Asseveram al-
guns que s terminar quaudo acuellas resolvc-
rem subsidiar os diferentes centros de movi-
nieuto.
A faccao sabariego* smtenfou um combate,
perto da fronleira de Pnriuj;al, na Galizh, rom
nina columna de carabifeeiros.
Hoave pedas gramil, e parte a parte, tendo
a gncnilha de fugir emdireecio da fron.etra por-
tugueza. Iguacs derrotas tetin soffrido oatros ca-
becilhas.
" As festa a S. Izidro feitas cm Madrid em 15
de maio tiveram lugar, oom o maior soego, ape-
lar da extrtma mneursencia.
Os carlistas amuiHciam nova revolla na Man-
cha.
Na uoile de lo do rorrente apresentou-sc na ci-
dade de Matar urna avancida carlista, en forea
Ue iOU hornea*, leudo lieaJu [ora Saballs cout '.00
infantes e 50 cavados. Lomara uns 2):0()0 rea-
te! da alfandega, c unas 8 pessoas, entre ellas o
juiz de 19." instancia, secretario da cmara, e al-
guns coniraercianles Houveram alguns feridos,
pela resistencia que aprescnlaraiii os voluntarios
da repblica.
A julgarpelo que so pode ibsorvar dos movi-
mientos carlistas, trata este partido de eifectuar
ora novimeito de conoontracao, obedecerlo a or-
deus e planos secretos.
o governo da repblica rao prohibir o casino
la rcligio catholica as escolas de inslruecao pri-
maria: j est redigido o 'olatoiioque lia de prece-
der o decido.
Dizem que Castellar pedir adeinissologo que
soja eonheeldo a resultado definitivo das elei-
eos.
P0BTO0XL.
S. M. el-rei D. Lniz tinha passado ligera-
mente incommodadu desde a saluda do Puno.
Couec.ira a 19, no tribunal da Roa Hora, 0
julgamento" los reos civis no processo da revolta,
tendo so empregado o lampo at 13 na leitura do
processo o audiencia de lestemunlias.
Seisava em Lisboa calma abrazadora, peto
que as familias, que dispunhain de meios, trata-
un de trocar a residencia da capital pela do
campo.
An depois publicaremos a carta de uosso cor-
ii'-pondenle de Lisboa.
PERHAI3IJI
ASSEMBL4 PaOVIHQU,
MAIO DE
SKSSAO ORDINARIA KM "i DE
l 73.
mu hidkkcia no si. reBunaa ik anuan.
Ao nu'io dia, feita a chamada, acbniu-so presen
lOS os segrate* Sis. deputa los : l'oppe de Fi
jii-iia, Ralis -Iva, Laiuenlia l.ins, Vieira de
M-lli, Ucli.1 Civali-oiie, Albuquerque Lcenla,
CiiK'-alo Cambeira, Ferreira de Aguiar, Oliveira
Andrade, Almeida Peraamiuco, A. Correia de
Araujo, Firmino de Novaos Has Cavalcanto, lien
rique Mamede, Vieira de Araujo, Oliveira Foncera,
Cttnba e Fig teirto, Mello Reg, loaquim Correja
de Antojo, l'.u'.i Jnior e Gwuos Pareule.
R" H la e :it<;=; iva la a Reta da amorto?.
o Su. i" SKCARTMio d cunta Jo seguinte
EXPl.WKNTK :
Ofcios :
Do seeretari i de governo da provincia, cominu-
iiii-anl) queii Kxm. Iisji> diocesano declarara oui
uffleio do 20 do moa proemio passado, que para
poder informar sobre pnjoctu n. 31 doste
auno, liavia exigido esrl.iiccnueiitos precisos
u a rospoctivi s paiMcliiis.Inteii'ada
Outro do inesiHn,rometteodo |"r copia o ojHoto
i\ i Exm. iiiqo di cesan >, no qual da seu parecer
sobro o projeeto n. 13 do 1872. A' quem fiaa rc-
i)'iisii;ao.
Oatro do mesmo, pemefunJo por copia a iutor
macan ministrada pula rop<>riicu das ulnas pubii
cas, Acerca da peticao lo enrooel Joaquhn Cavsl
cante ile Alliuqnerque, utwcnrailor do Dr. oao
Ca valcante do Albuquerojuc.A' uoem fez a reun*
sicio.
Fui li.lo, j ilgad i ubjeetJ de dolib.Taco e man-
dado bnprimir o proji.cio assignauo pelo Dr. Fi-
gueira e oatros, doterrainando que Bque sub a di-
reccao da Sania Casa do Misercnrdia desta cid
lendo a'iii''s':ia Santa Casa contratar com Aura
& C. ou 6E m quem nn-lliores vaiHageos oerecer,
sab as iiilTorentcs bases cuntidas no mesmo pro-
ject.i.
Poi lambam lido e approrado o segninte reque-
rimenlo:
lie pieiro que se peca com urgencia presi-
dencia da provincia : I.' Copia los contritosce-
b'lirailus pira a eonstruocao da estrada de ferro
de Jalioaifi i e Victoria, a.* Copia das alteracoes
feitas ikmsi contratos ora virtude da lei n. 1,000.
"!. Copiadas alteracoes tollas no contrato da es-
trada de ferri a Lunoeiro em virtule da lei n.
O'.i. 'i. Q ,.,| ,, estado ,.|, que se acham os nego-
cios desta o.-trada, e se o sea contratante j den
eamprimeolo ao disposto no arl. 3" do referido
contrato, e no caso negativo, qual a medida toma-
di tobre i sen objeelo e sobre o disposto no arl.
'"./ V oitUKM DO DU.
I* dissusso do prajacto n. 50 doste anuo, que
abre crditos suppleinentares lei d oreamoato vi
gente.Fui approvado.
O Sr. J. C hihkia dk Akaj.i pede dispensa de
intersticio c impresmo do protocto, para ser dado
para a ordeui do dia.-'oncedida.
2" discussao do projecto u. 30 desle anno, que
autorisa o presidente da provincia a conceder 0
iiiezes de licen;a a Manuel Lonrenco de Mattos e
a l.ivim Augusto de llollanda Cliacon.
Vio i'meta e i' apoiadas as legointes emen
das :
Depois de Manoel Lonren.ro se 6 metes de liceaea com vi ncimentos. J. de
Arauj .
< Igual favor se conceda profesoora da Gloria
de Gou, Marcoliua Furtado da Silva Cabial. Go-
WU Parale.
a Igual a U. Anna Be erra Cavaleante da Silva
Costa, professora da pnvoacao da Venda Grande.
J. Tolentiun de Carcnlho.*
Accreseente-se un auno de lieenca com veuci-
meuto a Dr. Manoel de Kigueiroa Faria, professor
de geograp ia do g|maaeto provincial.1. de Mel-
lo Keijo.'
Seis niezes de licenca com ordenado a Gui-
lliermiiia Basilissa d< O.iveira, professora de Quei-
madas, Sra. Ijeopcldina Machado, professora de
Malbadinha. Jos Lucio do Albuquerque Mello.
pratie.inte das obras publicas, ao Dr. IIu(ino m-
eoslo de Almeida, administrador da casado deten-
cao, a oao Jos Rodrigues, professor da Gloria de
Goit, sendo a este ultimo abonadas as faltas que
teni dado do Io de fevereiio at esta dati.Piafo
Jnior. Gonratres Ferreira.'
O Sr. J. ohbeia ue Araujo ustiiiea a emenda
que mandou mesa.
O Sr. Meu.o Raoo tambera justifica a sua
emenda
O Sr. ToLmrrnra dk Carvai.ii pugna pela sua
ir.enda.
O Sa. Pinto Jurum faz consideraces justilican
do as emendas apreseaUdas pela commissau de
peticois.
Encerrada a discussao e posto a votos o projec-
to approvado; be.ui eoiuo todas a? emendas
apreseniadas, ex cont a 2' parle da emenda que
concede lieenga ao professor Joao Jos Rodrigues,
a qual foi posta a votos por parte requisi.o do
Sr. Mello llego.
Uniea discussao do projecto n. 117 do anno pas-
sado, que approva as posturas da cmara munici-
pal da villa do Triuraplio.Approvado.
I' discussao do projeeto n. 31 deste anuo, que
autorisa o presidente da provincia a rever e alte-
rar o contrato feito com Antonio da Costa e S,
para conducejio de carnes verdes do matadouro
para os apougues desta cidade.
O Sr Oi.iv.-nnv PotfCCCA nao devolveu o sou dis-
curso.
O Si. Vifira de Araujo nao devolveu o seu dis-
curso.
O Sn. Oliveira Fosp.bcv nio devolveu o seu dis-
curso.
O Sr. Vieira de Araujo nao devolveu o seu dis-
curso. ,
O Sa. Gojikk Parrtts nao devolveu o seu dis-
curso.
Encerrad i a discussao e posto a votos o pro-
;ecto, approvado.
Contina a t* diseussio do projeeto n. 84 do an-
i passado, que reforma o ensino primario e se-
nndario da provincia.
Art 52. O presidente da provincia dar regu-
amento ao gymnasio provincial, reorganizando o
eternato sob as seguimos bases :
I." O estadio Iliterario ser ncroorrido mn sois
l" Aos alumnos, que o frcqucntnrcni, mere-
i approvaca oin cada nina das disciplinas
que forinain o curso, ser conferido diplomarte
hachare)' om bellas- lettras, que s<;r assignado
pelo inspector da instruc?io publica, regedor do
ioternato e professor do ultimo anno;
3.' O systema de estudos ser simplificado, cs-
labeleciJo um programma obrigalorio para os a
pirantes ao diploma de bacharel e outro faculta-
tivo ;
4.' A parte scient'fiea flear sob a inmediata
mapaccjto, dircc.o e liscalisaco do inspector da
instruscao publica, comiietindo ao regedor a su-
pirinti'iidencia de todo o servico econmico e admi-
nistrativo do intrnate;
5 E' elevada 504 a retribualo mensal paga
ao instituto pelos alumnos internos, 25j a (tos
meio-pensieni-tas o 8 a dos: externo, devemlo
ser o pagamento, como at agora, por trimestres
adiantados c guardada a dispusicao do aiT 130 in
fine da lei n. 369 de 14 de maio de 1855;
ti.' A admissao gratuita de alumnos, ja como
internos, como inoio-pensioni-tas, sonante ser
eoneedida a meninos pobres c de prorada inteMi-
gancia, sendo preferidos em igualdade doconmeoes
os lillios dos servidores do estado e os que, subsi-
diados pela provincia com o vestuario concedido
aos indigentes, tenbamsc feito racoinmendaveis
pelas snas prava ;
7. Podein ser retirados do intrnalo os jilum-
nis pobres que, em nm anno do estudo nao te-
nha.n revelado applicacio ou vocaco para as
lellras;
8." Peder ser augmentado o numero de repeti-
il iras.
Vai mesa e apoia-sc a seguinte emenda substi-
tu iva :
Art. 5?. Flaa lamben aotoalsado o presidente
da provincia a dar nova organisa^o ao gymnasio
provincial, podando diminuir o numero de cadeiras,
atimr a ordem das materias, methodo dos exa-
mes, as attribuieoes dos professores, e lulo o mais
que for tendente ao rgimen e disci[ilina do insti
tuto. U. Gavillante.'
Verificando se nao haver numero, o Sr. presi
sidente designa a ordem do dia e levanta a ses-
siio.
-------- miiIiiHI I f[ k II i || i-------------
REVISTA DIARIA.
Vssenildca pi-oviiical. Houtera fuuc-
ioiiou com it scnbores deputados.
Approvadas as actas da sessao de \ o rcuiiiao
de 'i do Borrante, o Sr i. secretario leu a redac-
Bo do projec'o do orcamento provincial, o pial
por d'lilieraco do Sr. presidente licou sobre a
mesa para ser examinada por todos os senbores
denotados.
Pastando ordem do dia foi apprasmda a re-
daeeo do projeeto n. 35 ( orcamento municipal).
A requeriinento do Sr. Alvaro Uchoa foi sub-
meltido 3.a discussao e an irovadn, com algonUU
emendas, o projeeto n. Si do auno passado, que
refirini a insliuccao publica, cando snjeito, na
forma do ragimenlo, a nina Mitra di-cusso.
Km seguida entra em 3." di-cossao o projeeto n.
60 deste auno, que determina a modo porque se
deve fazer o servico mortuario e de carros tine-
Idd-, o qual foi approvado, sendo rejeilaias al
emendas dos Srs. Figueiroa e Pinto Junnr, sendo
a vota. i nominal a requerimonto deste senhor.
Foi mais approvrdo em 3.a discussao o projeeto
n. *>7. que autorisa um novo prazo para a conclu-
sivo de iidi lauco da estrada do norte, c entrando
am i' discussao as em aulas apresantadas em 1 *
ao pneeio u. 40 taraban! deste anuo, verieanda-
se ni i haver mais 'iinnim para velar, foi levmta-
da a sossao.
A ordem do dia para boje 6 a coiitinnaeo da
Hteeadente.
Aulocidudes jniliciaes. Por portara
da presidencia da provi c.ia, de 5 do corrente, to-
para nemeados subdelegado. I,", i." e 3." supplen-
tes do distrirlo de Riacho do alto, do termo de
Agua-PreU : Ma.iano Jos Baptiata, Alexandra
Jo- de -liveira Cidrao, Joao Francisco da Cimba
e Antonio Francisco Canuto Jatob
Distrti-it policial.Por portara da pre-
si leucia da provincia, de 5 do corrente, foi creado
U'ii di-tricio policial no termo de Agua-Preta, com
a denominaeao do Riacho do Malto, o qual ser o
stimo daqnelie termo, eenmpre ender os larra-
nos que ficara da barra do Itiacbo do Macaco, Har-
a do Riacho Secco, TiVo de Canda, Trenipe a en-
c ntrar a divisio do pnmeiro districlo, e da pri-
meira barra ao rio Jacuipo a limitar com a fre
Santa Casa de .Hisnrieaivliiv. Por
portaria da presidencia ua piovinci, le o no cr-
lente, foratn exonerados, a ssu pedido, de morde-
mos da Santa Casa de Misericordia, s Srs Anto-
nio Jos Silva do Brasil e Joao da Ciinha Maga-
lliaes.
(.iii(t:i iiacianal. Por paataria da pre-
sjdeneia da provincia, de 5 do corrente, (orara de-
pignado9 para exereerem as funecoes de najores
Ciscaos dos batalliocs ns. 57 e 58, este do munici-
pio de Bonito a aquello do de Panadas, os capitaes
Jos Cordi'iro dos Santos e Manoel Be erra dos
Santos Jnior.
lui'ispi*u:I(*nca.- Chamamos a .huo.-jo
dos nossos leitores para um Irabalbjo impnrtinto
do Sr. Dr. Antonio de Vascoiicellos M. de Druin-
mond, que sob o titulo cima (publicamos era
nossa 8.* pagina.
Conipaiihia di B<*bM-ile.-Devo rea-
sar se terca-feira prxima (10) a reuniao da as-
Mmbla geral dos accionistas desta eompauhia,
alini de se deliberar sobre as tontas do anuo liiian-
eeiro ultimo, appr iraivm t eivamento viiidouro, e
elegerse a nova administracao. De conformidade
com o art. 23 dos respeciivo's estatutos lera lugar
a assem'ila geral com os accionistas |uecompare-
rarem.
Yapares a sahir. \o da (2 o Par hyba
para Goyanna, e o Cmnrp$ para .Mamanguape ;
a 14 o l'iriipmwi para a Granja B escallas, e o
Gequi para Aracaj e escallas ; a 15 o Par-ihyba
para Porto de Gallinbas, Rio Pormoso e Taman-
dar.
'C'rillios iii'ltann.s do Cnvang. A
eomacar de segunda feira ( 9 ) o (rem que parte
do Caxang as 8 horas e dez minutos da manha,
paraar a sah r s 8 e ., e o que larga do Rccife
s !t e un quarto da manila, partir s 9 e 10
minutos.
Para o sol do imperio. O vapor fran-
eez Jt'o Grande, bontem a tardinba enegado da
Europa, tira boje Mas malas para o ul do impe-
rio a 1 liora da tarde.
Diario de Ieroaoinueo -Se cliegarem
hoje ns vapores ingieres Cusco e Sorata, distri-
buiremos amanba o nosso numero de segunda-
feira.
Adininistraeao do eorrelo.No mez
de maio arrecadou esta reparticao 8:853*23-5, sen-
do de :
Sellos 2:96>J390
('arlas 2:5664530
Premio 37*400
Assignaturas 8004000
Mullas 148*200
Extraordinaria 91*2.0
Agencias 372*465
Movimento de I un los i :868*000
S. Jos do Man^uoho. AmanhA pelas
8 horas do dia haver mfctd cantada nessa igreja,
actual matriz de Nossa Senhora da Graca, depois
da qual se celebrar o acto da rcnovacao'dos actos
do baptismo.
Tlieiitro Santo Antonio. Remetiera-
nos o seguinte :
t Faz um auno que nesle theatn funeciona a
mana Vicente. Nunca o tbealro dramtico te-
ve entre nos tao longa vida, e, o que mais nunca
fimoi urna concurrencia tai regular. Est prova-
do que u nosso publico gosta do tbeatro, frequen-
ta-o, e que as companhias beni administradas vi-
vem do eu trabalho e gozara de merecido concei-
to. Dispondo de um repertorio variadissimo, a
einpreza tem lido a rara habihdade de levar o pu-
blico ao th-atro, sempre que annnncia urna novi-
dade. Este, por sua vez, acredita no programma
annunciado e concorre, arada me uno com augmen-
to de preces, porque tem a certe a de que nao
ser Iludida a sua boa f. O drama O Jadea
Errante, que ainda hoje vai scena, a prova
mais evidente de quanto a empreta se extorca por
agradar ao publieo.
E' pena que a companhia tenha de retirar se
brevemente para o norte, onde a esperam os tbea-
tro i do Uaranbao efar. Depois do espectculo
de hoje haver um trem especial para Apipueos,
tocairlo em todos os pantos da Jinha.
Frstividade religiosa. Com todo o
esplendor celelirar-se-ht amaaha a festa de Ncssa
Senhora de Belm, em sua capaila da freguezia de
Nossa Senhora da Graca.
A's 6 horas da Urde de hoje ter ui .Juvan-
tmento da bandeira com a aftltie dV|
nhora, a qual ser proeissionalmente conduzin
meninas menores de 8 ann? enlparem caticos
sagraoo?.
Pregar ao Evangelio Fr. Augusto da Im macu-
lada Gonccic-lo Alvos, pregador da capeHa impe-
rial. ;
A' noute b ivoii lalaiaha, msica, baloes c um
pe |iieito fog i de artificio, que se queiruri depois
da retirada solemne da bandeira, e cora que
terminar o acto.,
Oatra. AmanhS ter tambem lugar no con-
vento de S. Francisco a festa da Sanlissima Trin-
daife/-orando ao EvairaaffjajRgador da capella
imperial kY Jhio de Salta Ibatfza, c ndute, n=
Te-Dnim,o tambis pregador-.da capella impo
rial l'r. AugnsUi Ja Iraniai-ulada Concaicao Aivel
Siii-lednili- ln/.o Itravnilcirail Ama-
nha, s H tioris do dia haterasesso extraordi-
naria desta as apresentado pulo thesour -iro, e nutras materias
do siunnia i'iip'irtarteia ao interessas societario-.
Socledade proplimadora. da Ins-
tniofAo inHillm-Heve Teunlr-se hoje o
eonseluo superior, alim de tratar-se do negocio
urgente; no lugar ediora di eosttmo, para < qne
sao convidados todos os saus merhro>,
Instituto histrico e nlitlosopliico.
I >.wningo roiinto-se esta oooiedade sob a presiden-
cia do Sr. Bandeira do Mello.
Foi lida c approva la a -Ata da sessio ante-
rior.
O Sr. Io secretario den eonta do seguinte expe-
diente :
Vario* pareceres da eommissSo de syndicancia
sjbte diversas propostas para socios elTectivos.
Approvado.
Toinaram asseolo os Srs. Rosa e Silva c Ber-
nardina de Carvalbo, que, sendo felicitados pelo
Sr. A. Saldanha, em falta do orador, respondern)
agraderendo.
Passou-se ordem do dia, discussao da these so-
bre as cruzada-, orando os Srs. Pacheco Soares,
MagalhAcs e Silva, Isaias Guedes. A. Cirne, Mathias
Carlos a F. Rorges. Foi ainda adiada a discussao
da mesma these.
J muito adiantada a hora, o Sr. presidente adiou
o niesino modo a diseussio da these : Que bene-
ficio trouxe o clu-isthnwuo com reanlo fa-
milia ?
Levantou-sc a scasao as (3 horas da tarde, depois
de marcada a ordem do dia da prxima sesso,
amanba domingo, s 10 hnras do dia, lugar do eos-
turne. (
Congresso Iliterario. Na quinta-feira
(5 do corrente) reunio-se esta soeiedade.
Foi lida i; approvada a acta da sessio ante-
rior.
O Sr. Io secretario leu o seguinte expediente .
Um offleio do -Novo Parthemonconvidando o
Congream para a sesso solemne de posse.
Varias pTOpastat para socios ellecllvos. -A'com-
inissao de syndicancia.
Acbando-se presente o Sr. Dias Vieira, socio
proposto e approvado, introduzido no recinto
coiii as formalidades do estylo, e felicitado pelo
orador, a quem responde agradceme.
Era seguida procedeu-se nova eleic.ao o obte-
ve-se o f oguinto resuludo : presidente, o Sr. Cha-
ves Jnior; Io vice-presideiile, o Sr. Vieira da Sil-
va ; 2 dito, o Sr. Moreira Alves ; : dito, o Sr.
Corftit la Araujo; i* sscretario, o Sr. Assis Silva;
2o dito, o Sr. Antonio Pedro ; orador, o Sr. P. Die-
gues; adjunto, o Sr. Dias Vieira; thesoureiro, o
Sr. M. Rosa; procurador, o Sr. A. Maranho;
eommissao de syndicancia, os Srs.: Cypriano, Pau-
la Pessoa e Ren-ivides; de redactan, os Srs.: An-
tonio Pedro, Vieira da Silva e Moreira Alves; de
coilas, os Srs.: J. Tosta, Pralo Pimenlel c.'Moreira
Gomes.
Convidando o Sr. presidente os socios eleilos a
tomarem posse, agradeeeram todos com palavras
animadoras, em que transparecia o interesse que
Miaran pela soeiedade, os cargos para que forain
nomeados.
N.10 baranda mais nada a tratar, o Sr presidente,
aps de marrar a ordem da dia da sesso vinlou-
ra, encerrou a sesso s 2 horas da tarde.
I'asadoria de fa/.enda.-Nesta estaclo
pasain-se ;aije as soguintes folias:
Hospital mil,lar e quaesquer funecionarios iwe
nao lenham raeebido seus vnicimentos nos dia)
quellie i'or.n marcados.
Irmandade do Sunlissiiiio S-.iera-
niento da Boa-Vista.- Reunir-se-ha hoto
[telas 6 horas da tarde esta Irmandade, alim de
res Iver-se o que devora fazer no caso- de ser ton-
cada a pena de interdicto sobre a mesuia irman-
dade.
Todos os ii-maos sfln convidados a comparecer.
Monte nio Santo Amaro. Esta soeie-
dade faca amanba a sua primeira sesso de ini-
ciado, na ova casa consagrada sede da mesma
asaocMcAo, sita ra do Lima n. 7.
Soeiedade nenefleentc dos typo-
n-i-a olios. Amanhi Ma 10 Iiatm da *' 1,a
ei.i sesso desta.uciedade, u lugar Jo costume.
Tentativa de roiibo.Na noule de antes
de hornera para hontera forcaram os ladroe as
portas do estabelecimento da praca da Indepen-
dencia, ns. I a 5, nao consegrando, porm, pan -
Irarera no mesmo. Antes assim.
KoiM.-Na nout de4 para 5 do corrente
penetraran os ladros na taverna de Manuel Mar-
tins Pires A C, sita no lugar denominado Geqni.
freguezia de Alegados.
Consegrando arrancaren), a soleira de urna das
portas por abi invadiram o esiabelecimento c delle
roubaraui nitenta e tintos mil ris em dinheiro,
diversos objeclos de ouro e papis de circumstan-
cin, que se aehavam em urna carteira, que foi ar-
rumbada pelos taes.
Lotera.-A que se acha venda a 54', a
b'. nelleio da matriz do Cabo, a qual corre no
dia 14.
Casa de detencAo. Movimento do di*
3 de junho de 1873 :
Exisliam presos 364, entraram 9, sahiram 15,
BJriaiam3?8.
A saber :
Naeionaes 337, mulheres 10, estrangeiros 42
moreras 34, escravas 15.Total 3'>8.
Alimentados aeusta dos cofres pblicos 278.
Cesniterio publico. Obituario do dia 5
dejunho :
Abilio, pardo, Pernambuco, 6 e meto anuos, Po-
co ; anazarca.
Francisco Xavier dos Santos, I raneo, Pernam-
buco, 63 annos, iguora-sc, Boa-Vista, hospital Pe-
dro II; diarrhea.
Amelia Carneiro Pinto, branca, Pernambuco, 22
annos, solteira, Boa-Vista ; tubrculos pulmona-
res.
Antonio Cozinheiro, preto, frica, 71 annos, sol-
teiro, Boa-Vista; diarrhea
Cosme Jos de Torres Bandeira, pardo, Pernam-
buco, 30 annos, casado, Boa-Vijla, hospital Pedro
II; phtysica pulmonar.
Jos Galderone, branco, Hespanha, 34 annos,
casado, Boa-Vista; febre amarella.
Domingos Jos Marques, branco, Paralaba 60
anuos, viuvo, Santo Antonio; affocco do cora-
gao.
Cosme Jos de Oliveira, tardo, Pernambuco, 43
annos, casado, Boa-Vista; ostupor.
M1SUGACQES A PEDIDA
Cetu-M.
Sr. redactor.Li o Pedro II de 11 de
abril, que patonteou ao publico em sua epi-
graplieJury da opinio publicao quaato
incompetente para julgar os actos coos-
cienciosos do Ilustrado administrador da
provincia, o Exm. Sr. Dr. Maciel, quando
em outros lempos tantos elogios lho prediga-
lisou !...
Mas este procedimenlo hoje exigido pe-
las conveniencias da coligacSo, que fez es-
quecer as mais graves injurias...
Nao serve de licAo ao Pedro II o que Dio-
genes proferio em sua mxima:Temos
bons por amigos, afjm de que te animem a
fazer o bem ; o os nios por ioimigos, afim de
que te sirva de impedimento para nao (azeres
o mal.
Ileroslrato immortalisou o seu no me pelo
sacrilegio quepraticou com o incendio do
templo de Diana.
Ser o Pedro II que se quer celebriear
com outras tantas fa$aoUas, exterminando
com seu colligao, o Ceurmse, a boma e o
que ba de mais precioso dos seus des-
airelos.
Sou um roceiro ; porm quaudo lia o
Pedro leo Cearense em opposicdo, lasti-
mava a diseottha, que existia entre conter-
rneos ; boje, cheio de sentimento, lastimo
a gana de ambos na celebridade I
0 Exm. Sr. Dr. Maciel nao homem que
apoie a transgresso da lei; o seu paseado
todo honroso a melhor respotta qito pJe
Oeftocer s dialibres da opposioAo; S. Exc.
nao i: desses magistrados que so doixam ca-
lar com tricas e linearas; por si e sua fa-
milia, queconta mombros Ululares e conde-
corados, tem um nome rcspeitavel.
Nao ambiciona empregospor amor delles,
ote os aceita c para prestar os seus serviros
mi paiz etn pochd que delles precisa.
Vejo o Pedro l apurando o C$areme, e
este aquello 1 tjuem o conservador T E'
aquello qoo se liga ao seu rencoroso antago-
nista ?
A resposta nao duvidosa.
Grita o Cea reme, clama o Pedro II; am-
bos no nraamo sentido I
J vos esquecestes, Srs. do Pedro II, dos
unos do 1865, 00, 7 o 08, quaudo pediois
e no eris servidos; quando clamaveis e
eris despodidos com aineacas e insultos,que
levavam ao desespero o constemaoao vossos
irmaos om crenijas ?
De certo j estis esquecidos.
Felizmente, para os crditos do Exm. Sr.
Dr. Maciel, e da situando conservadora, sois
bem conbocidos, e nio tereis jamis forcas
para ibater a quem marcha com gloria e
applausos.
Iligne-se, Sr. redactor, de dar publicidade
estas linbas, como um protesto contra o
indigno procedimenlo da colligacao contra o
distincto administrador desta provincia.
Tamboril, 12 de maio de 1873.
O Tabira.
AsIteveriiM!
Descobrto-se a final I A meterapsicose existe !
Os espiritos transniigram da uus para outros
corpos, mas sempre consorvando os instinclos f
O tigre ser sempre sanguinario, o macaco brin-
calhao, o rato roedor.
Vem de rapa I
Gomos animaos os espiritos nao desmonten) sua
primeira essuneia, sao o que forain !
Consulte-se Alian Hardec c elle vos mostrar os
espiri".os malficos e os zonibeteiros a la/.erem das
suas !
O que porera elle nao descubri foi o espirito da
rolha I
E a rolbalera espirito...mxime quando nelle
se embebe.
E' muitas vetea espidi de familia. O batuque
da pipa de Heidelberg -deve ter atentos I
Ha dias -Vdoscolirio varios espiritos transmi-
grados, mas einbalucou com o que fallamos
Parafusou, parafusoii, qua t A c>rtica era de
especie nova, a mili i licou inluravel !
Se H. liman vivesse faria um cont! Mophisto-
pheles nao a perdera para a sua scena de ta-
verna I
l'ui espirito arrolha'o poda estourar I Isso de
rolba s bom para as asseinblas !
Para bem do todo* o espirito atirou com a rolha
aos ares, e zas, foz sua pmss u de f.
A historia nao diz qual o mdium. Provavel-
mente alguem de club.
O espirito conten sua historia floreada e disse
ego tumi
Merce de I)eus,o espirito nao fez temer nem tre-
mer ninguem, mas guindou-se como toe cjm ga-
lhardia de mu rojo.'
0 auditorio espantado pergunlou-llie quem etf
O Asheverus da legenda!.. .disse Como t Pois
o suirano sacerdote dos coromhs o caminli nte
elem", o Judei errante i...
Accuda-nos a saude publica O cholera acom
panba o judeo dos seeulos !
Quem suspeitaria tal !
Pois possivel que nesse todo gordurho, rolico,
redondo, baixote, inacisso se podesse aceouiudar o
espirito de Ashverus ?!
Assim elle o Cwflfesea.
E'elle quem o dizouvi I
Tvulto caminliado, caminho, ctuninharei sem-
pre ( credo .' ) at que seja realisado o meu pensa-
ment de cada noite !
Queris mais claro ? S Asheverus camiiiou,
ominha e camiuhar sempre I S o inalfadaio
Judeo nao pode dormir de noite, nao sei se pelos
chor s das ciucas e orphSos ( quem sabe ) mas
de corlo pula voz do aojo do castigo, que llie grita
cumiaba J caminka
.\sneverus nao deseanca !
Se tosas mu pemil.uigo...inda bem Mas com
aquellas perninhas de ealunga de potttiro.. .
para fazer eh rar I.
Pobre Asheverus!
Ei-li nos das pilos, salla de um para o outro
pela liga, mas sempre a raminhar, cuitado carre
gado de prateleiras de amos onde se maldjzem
viuvas e orpliaos I l
E o pobre diz lacrimando !
Nao parorei cunda que fique s e solado !
Quauta grandeza !
Irmos I nao o deixois nesses apuros eia
acompanhai o I acoinpanliai-o era sua peregrinaio
eterna pobre nao tem Ufanea, s reoolhe al-
gumas cousas!
No pararei em meu constante C uninhar
E poderieis faze-lo, Asheverus ? Nem que como
Jove convertesse linio em ouro que recolhesses as
tuas algiberas! era que o ocano se olevasse
em ondas 1 que o Chimhoraso te inlercepitasse a
passagein I
Irmos I auxilio a vosso mestre vede irmos !
que Asheverus o nico rometro do progresso so-
cial e poltico ( tomai bem sentidoo tnico!).
Elle que isso diz porque o sabe s j dora
conhece seus bois I I
Vede bem, imos! que elle nao depori o bas
Ido (ae empunha, sopesa, ( aviso s ambicies de
vos outros!) basti que em menino j sopesava
E quando vier a raorle ( se Asheverus inorrer
pode !) ella adiar um crneo enorme vasio de
milos, porque o espirito de Asheverus todo fu-
inapa de amliicoes e vjidades !
E vos, irmi'ws oihareis para vosso mestre coaao
os patetas que acompanham nos ares o baldo que
vai queimar-so ou perderse em distancia sem o
ar que o retinha I
Eheu I Eheu Pobre Judeo errante I...
Sr. Vicente agarro o hornera para seu Santo
Antonio! No club popular elle nao faz en-
diente !...
Herodia%.
i oiiipanhia llocife Draiaage.
S hoje pude ler un artigo aue vem na Pro-
vincia jornal, sob a epigraphe justa reclamacSo.
Devo em primeiro lugar congratularme cora
o redactor desse artigo pelo cempost da phrase e
comedimento de suas expresses, o que mostra
que o seu digno autor c pessoa que se interessa
de coradlo pelo bem desta provincia, que est em
lutas com o maior dos veixames^e que a ninguem
licito augurar at onde poderao cfcegar os ma-
les que tao de perto a ameacam.
Tenho dito em alguns de "meus commtraicados,
em relapio s obras da companhia Becife Draina-
ge, quanto sufflciente para todos liearem rertos
3ue a companhia nAo pode satisfazer as condices
o seu contrato sem urna substituido dos appare-
Ihos automticos que adoplou, porque nao ha mcio
na sciencia physica de az-los funecionar, e o
mesmo acntete a respeito dos encanamentos da-
gua- porque impossivel mathemallco, que cora
canos de duas e quatro pollegadas se possa forne-
cer agua a apparelhos de quarleiroes inteiros de
casas.
Com mais vagar apontarei outros entreves que
a companhia creou para seu trabalho e quo hoje
collocam-n'a na impos'ibilidade completa de sa-
tisfazer as innmeras reclamacSes diarias que Ihe
sao feitas, e s qnaes a companhia nao d remedio
de qualidade alguma, ainda que envi urna outra
vez os seus rahabeis operarios, cuja maior paite
parece nao ter conhecimento agum do genero de
trabalho de que se achara ellos incumbidos.
Ninguem se Iluda : sou um dos que mais an-
ciosamente esperava e desejava ver cumpridas as
promessas dessa fatal companhia, e creio que co-
mo eu todos desejariara ver dotada esta cidade de
um melhoraraento tao importante. Em lugar del-
le temos as nossas casas convertidas era focos de
podrid ao.
Pens ae'tenho di reato de sor acreditado peto
Miaeter do artigo da Provincia, jornal, pela boa
f e lealdade cora que tenho exposto ao publico os
grandes inconvenientes que esto cansando os p-
tridos apparelhos da companhia Drainage e as jos-
las appre enses que todos tem, e com toda a ra-
zan, a respeito dos males que pare o futuro podem
nos perseguir.
Cora ecaa mesma boa f e lealdade peco ao sin-
cero at lela que enriela a lanoa em favor deta ci-
dade, que mo informe, ou particularmente on por
meio da imprensa
to empregattos^om vuirtafcm os apparelhos de
qualidade igual aos que aqni eoltocon a compa-
nhia Iteeife Drainage.
2. Onde existe o parecer dado por cssa nume-
rosa c habilitada eouiinis.so qu,. examinou ssaa o
outros systemas dilferenies e pretorio o que adop-
ten a companhia nosta cidade.
Espero da generosidade do distincto cavalleiro
que escrevon o artigo jiutareclamofo, que vem
no jornal Provineia de 3 do crreme, qoe como
um delirado obsequio que me faz, e um relevante
servico provincia de Pernambuco, que nao se re-
cusar a proporcionar-me um meio de dissuadir-
me da idea que m-> domina, e que converto na se-
grate propositan :
A companhia B ci;e Drainage nao pode preen-
cher as obrigaeoes a que est obrigada sem subs-
tituir os apparelhos automatices por outros dos
systemas adoptados na Europa (e qnc s.io inodo-
ros) e sem mudar os encanamentos d'agua que
sao insullicieutos.
Cont que serei altoudido em tao justo pe-
dido.
Becife, 6 de junho de 1873.
Dr. T. Lobo Mvscozo.
-APATA7.U D.V tl.FAM.fr.A
Resultado ilu espectculo que teve
lu^ai- no tlientro Santa Antonio,
na noute de 90 de marco de I s :i
ein Iteneflcio do asylo de nliena-
dos.
Imiiui tancia arrecadada, como se v
ao Diario de Pernambuco de 6 de
maio ultimo 3:778/1*0
Flix Jos Ferreira, cadeira MO00
Antonio Domingos Pinto, camarote M20K>
Jos Antonio Moreira Dias, cadeira 10flOO
Major Miguel Jos de Almeida Per-
nambuco, dem 204<)0
Antonio Marques de Ainoriin, idem o000
rtendimeuto do Uia
dem do dia 6
2a
^idaVaS
Matul
VOLOIIRS SAHI1K.S
No dia 2 a "i......
Pnmoira porta no dia 6 .
Segunda mrta.....
rereeira porta ....
Trapiche Concdoio .
SEHVICO MAlUTIMu
Alvarensas descarregadas no irapi I
da alfandega no dia "i
Ditas dita* no dia 6......
Navios atracados no trap. da alfan i :
Alvarengas ........
No trapiche Qiaaiisjb.....

RECEUEDOItlA DE llt-VDAS ITTEICCA! r RAES DE PERNAHHl i
R i-ndimento do dia 2 a S r,|f.iMt
dem Jo dia I......
:*J:'
COXSn.ADO lltOVI.Ni'.UI.
Dinheiro apurado porta do Iheatro
:!:Kii000
73*000
Falta ainda re ".eber-se
camarotes e cadeiras.
DESPEZA
Importancia do trem para Apipueos
Alugnel de 12 duzias aj) cadeiras e
condueco
Enveloppes
Papel cartonado pare bilhetes
Impressao dos niesinos
Annuncios no Jemal do Recite
Said at agora
3:9194000
o producto de alguns
25 000
.il:iiio
'< ion
9*890
I2<>00
2*760
:i:813*180
i't'jr.-sf nina ;>[-asnle e importan
Ir as eminentts qualilades medicas da anara-
huita, arvore esta que cresee as iunnediaces do
Tampico, no Mx co. O Peitoral Anacahuila de
Keniji. composto e preparado com o balsmico
sueco de dita arvore, tem enehido o mundo de es-
panto c admiracao. Os proorios mdicos confes-
sara que nunca se Ihes havia entrado na idea de
que se podesse extrahir de nenhura producto da
ierra um especifico tao maravilhoso e completo
para a cura das enormidades da garganla e ios
igaos da respiracao A losse de um carcter o
mais confirmado e violento, desapparece sob a
sua mgica influencia, dentro em pinicos dias, a
s venes mesmo dentro dalgumas horas, de-
pois de se haver tomado urna garrafa do mesmo.
A rouquido por mais cavernosa e profunda M
seja, prouiptamcnte desvanece se e a ra d'entro
em ponco recobra e adquire toda a sna cnstnma la
ciareza e sonoridade. As bronchites se nlliviam
mediante o seu uso. Cura os pulmes feidos e
inflanimados. Os que |iadeieni de astbma prin-
cipiam por respirar rom derafoge e regnlaridade
logo depois de se haver tomado aa primeuas d-
ses. O catharro declarado incuravel dtsapparece
ordinariamente ao cabo d'uma semana Imii-
lim a sua excellencia e efflracia nao teve, nao tiin
c nem tere igual, por meio de todas as mais me-
dicinas tendentes para o mesara fim.
DMMEROIO.
Banco Commcriial de Per-
nambuco.
0 banco sacca por to los os paquetes so-
ra is pr.i^oa do I.iaba c Porto.
PKACA DO RECIFK 6 DE JUNHO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS M TM1DE.
'Cotacdes ofOcacst.
A-suear- Canal 1/600 por 18 kilos.
Algodo da Paralijba 1" aorta 990J por 19
kilos posto bordo a (rete do l|2 e I 0|0.
Ditode dita 2* surte 88O0 |mr lo kilos posto a
bordo a froto do l|2e o OjO.
Algodo de 1" serte regular 9l00 por l-' kilos,
bontem.
Ditode dita escolbiio 9*600 por II kilos, hu
tem.
Ditode dita regular bom 9*300 por lo kilos,
hontem.
Courossalgados seceos G6i r>-. o kilo.
Cambio sobre Londres a 90d|v. 23 M i. por
1*0:0, bontem.
Dito sonre dito a 90 d|v. H 3|4 d. por 1*000,
hoje.
Cambio sobra Lisboa visto II" 0|0 de premio,
banco.
Cambio sobre o Rio de Janeiro a 30 div. I OjO
de descont, hontem.
Daoourcq
Presidente.
L,eal Seve
Secretario.
ItendiuiLiim do dia 2 a
dera do dia 6 .
II SCI FE DltAINAF..
Readiifwnto 11 l i 2 .
dem do bi I......


: ih*'.
llii* :
ViCVMWTC 00 PORTi.
.Yf Rio-Grande do Sul 21 dias, escuna portin-o -
Christiua, de 2li tonelada, rapid" J
da Silva Loureiro. equipagem 10, I"
killos d) carne; a Antonio Luiz de Or
Azevedo & C.
Ilio de Janeiio \2 dias, sumaca tw -|.**b i.
Imita, de 138 loneladas, cajeta.. Catr.d -
restany, equipagem "0, carga l*n,o|6 kill
carne ; a Rabilar Oliveira A C
Rordeaux e purtns inteniK'dios 16 du>. v;.j
francez lli ilrand.. d 1393 lonelad:
inandan'.e ("e is', equipagem 95, carga I
gneros ; a Tis-.! rre.
.Vacio sahulo no me*
s. TluNiiaz sata aamrausai BsmM .:-'
capil. Squeres : em lastro de arria.
Sania Casa de Misenconli.'i
do Rccife.
A juma administrativa dista Santa C**a. a* r.i
iasjB torivno< qnc pus-oie no lugar d." '.
Jos, boje Da Ule Coetbo. wdi .
aquello 390 palin<>< e osle .119 de frente e anaV-'
de fundos ate a baixa mar.
Secretaria da Santa Casa do Sliv-rc.li-
Recife, 7 de abril de 1871.
O fsrrivfci.
1'e.tn Ko.lricuc de Soma.
Pela tle-s ,ni ana provincial se lai ;>nl
que foram iransfeiiilas (tara Ma II d<> cri--'-
as BTCniataces d iii|hjsUis pro vi
ve o du diurno, na* enmarcas abaixo nienri nada
Tacara t, por anno 2-.>i7*i*m
Flores, idom 'I:7n#7f0
Villa Polla, dem
Cahmh. dem I6lf.*i_s
Bas vsia, ideni
O'.iricury, idem P23*339
Outro 'fin, so faz publico, que ir
mo corrente mez liavera MaSM mffBJSmMu
junta de fazenda para que se possara habilitar *
prelendenle> ;i aftas BCW inalacoe.
Scorclaria da tliesoiiraria provu ial > P-n
buco, *) de junho de 18*3.
O ofaVial-nuior
M. 1. Fe
lendimento
'dem do dia
ALFANDEGA
do dia 2 a 5 .
6.....
i:>7:329.?6 9
33:450*931
192:780*340
escarregam boje 7 de junho de 1873
Rarca inglezaFusdiermercaduras para alfan-
dega e carvo j despachado para o caes
do Apollo.
Patacho inglez Gloria dormentes e machinas
para o trapiche Conceieo, pin desca-
char.
Rarea ingleza GazUe canos de ferro pira
deposito no trapiche do liaran do Livra-
mento.
Escuna inglezaMaree lAmi bacalbo j des-
pachado para o trapiche Coneeicao.
Lugar inglez- Halmia baalho j i despachado
para o trapiche Conceicin.
Iiiaportactto.
Montevideo pelo Rio de Janeiro sumaca hesp-
nhola Venturtta, consignada a Baltbar Oliveira &
C, manifestou:
Couro 30.
Xarque lo),OI6 kilos aos consignatarios.
Ass, hiate nacional Nossa Seiiora das Nave-
gantes, consignado a Bartholomeu Lourenco, ma-
nifestou :
Sal 580 alqueires ao consignatario.
5 DP
OESPAai S DE EXPORTACAO NO DI \
MAIO DE 187).
Para os porto do exterior
No vapor inglez Student, para Liverpool, car-
regaran) : T. Jeireries 4 C. 430 saccas com 37,942
kilos de algodlo.
Na barca franceza Rio Grande, para o Ha-
vre, carregaram : E. A. Hurle 4 C 202 saccas
com 3,873 kilos de algodo.
No navio allemio Miranda, para o Rio da
Prata Carregaram : B. Oliveira A C. 60 barriqui-
nhas com 4,467 kilos de asquear branco.
Na sumaca hespanhola Sol, para o Rio da
Prata, carregaram : J. S. Loyo 4 Filho 240 bar-
rlquinhas com 22,060 kilos de assu;ar brano.
No vapor inglez Curco, para Liverpool, car-
regou : J. A. Thom 2 barricas com 31) abacachi*.
Para o porto do interior.
Para o Para, no brigne brasileiro Raie, ear-
rega-am : B. Oliveira & C. 275 barriqumhas com
t9,8i2 kilos de assuoar branco L. Duprat 50)2
barricas com 4,018 ditos de dito P. Vianna 4 C
MHMIIA
no
b:biEribe:
San iiovami ule envi Urina i>s S
nistas para se n-uuirciu c iss.-ml'!
DO dia lOriocorrentf mez anajaeioriii ,
respectivo r-' riplori-i ra rio l'abug u. 1*3.
\i-l> .loi ter compaei'i ido ijiiinn Icfjal l<*r*
que ti\esse clTettiviila le no .lia f
iiii'lo, p.iro.ilee.iii M-.m li'lo i iinn-5jj 1 "
dos arligos 29 e 44 rirx estatutos. M\l .
rem sobre as contas il.t anuo li
ta companhia, approvar o orr.-u
riouro, e eloger a nova administrarn,
venrio nesta occasiio s-r lirio o ieUt ,
Sr. vice-director que ser apresen".. b>.
Ira lo mostramlo o esta Jo da ctnup,inlii o
anno liurio em 30 ri abril ultimo. <- P
accionistas s:n prevenirios de que ne
(10 de jiuiiio,, a asscinblca geral ser insta1
laria com o numero rio socios que com pe W
cerera, eosoodispoe o artigo i3 dos e*ut -
tos.
Kscriptorio da ooin|anhia, ? de >ui>i.
le 1873.
II secretario,
______________/".se // H. de Mearse.
Obras militares.
Se contratar cora quera ineJhores rantafra
ferecer a fazenda a construccao da entorta. i\w
tem de ser feita na casa de mica da ajmvtei de
SiedaUe ; serrieo oreado em 3Vi."*i*a): qmm r
quizor propr aprsenle seus landos san caita le-
chada, 10 du corrente ao neto dia, na repart-
cao das obras publicas, onde se acha o oratHem.i
Pernambuc". 4 de junho de 1873.
O en(tnhcir.i
_______________Chrysnlito F. V Castro Chav..
Pela thesourara provincial se faz puhbc< ojsm
i transb-rida para o dia 11 do r.irrrnie a arre -
matacn do forneciraenlo e utoam preaos a ea-
o'inaria da rasa de deteuca i |tor lempo de am
anno, a contar do I de julho proiinio rmtmrr.
Secretaria da ilu-souraria provinrial S> TVnum-
buco, 6 de junho do 1873.
O official-mator,
______________________II. A.' Ferreira.__________
IO
l. Quaes sio *s eidades populosas em que es-Jbranoo,
o pipas com 3,360 litros de agurdente
Para o Rio tirando do >ul, no patacho brasi-
lero S. Bartlioiotnem, carregaram : Amorim Irmos
& C. 300 barricas cora 34,276 if kilos de assu-
car branoo ; L. J. S. Guimaraes SOO ditas com
37,119 i|2 ditos^de dito.
Para o Jilo Grande do Sal, no patacho por-
tugus Virgmiu, carregaram : 01 i rer Filhos 4
C. 130 barriquinhas oom 4,970 1|2 kilos de assuear
SANTA (USA DK .MISLHICORDIA
KKC.IFE.
Forneciment di 28:000? anuuees
A junta administrativa da santa rasa da
ricordia do Recife precisa contratar t 'niecimeB -
to dos gneros abano declarados, qnc ifa V eem
sumir lodos os estalielecimentus pos a sen caifa,
no trimestre de julho a seteaabro do rarwsm,
anno. Recebe propostas na sala de suas asias>'.
netM 3 horas da larde do dia II do corrale
Aletria, kilogrammo.
Agurdente, litro.
Aceite doce, idem.
Arroz do Marahno, idem.
liacalho kilogrammo.
Itanba de porro, dem.
Rautas, idem.
Cha hysson, ident.
Caf em grao, idem.
Carne secca, Mem.
Ceblas cento.
Parinha de mandioca da ierra, bar-
Keijo mulatinho, idem.
Farello, sacca.
Fumo du Rio, kilogrammo.
Gac, lata.
Milho, sacro.
Manteiga franceza, kilogrammo.
Potassa, idem.
Rap, idtm.
SrImo. idem.
Sal, litro.
I Tapioca, kHof remano.




Diario de Pernambuco Sabbado 7 de Junho de 1873.
I

Toucinho, dem.
Velas 'de carnauba, idem.
Vinagre," litro.
Vinlt tinto de Lisboa, idem.
Yinho branca, idem.
Velas stearinas, kilogrammo.
8
TANTA CASA DA Y] [SE IIICOK DA DO
RECIPE.
Vornecimento de 33:000* annuacs
\ junta administrativa da santa casa da miseri-
cordia do Recife precisa contratar o forneciuiento
de pao, bolacha o assucar que houver de consu-
mir os estabeleciraenlos pio> i seu cargo no tri-
mestre de julho setembro do corrente anno.
R-veho propostas na sala das suas sessoes, pelas 3
horas da tarde do dia 13 da corrente.
Foraoamanto de 30:001$ por anno.
A juma administrativa da santa casa da mise-
ricordia do Recife precisa contratar o fornecimen-
to da carne verde que houver de consumir os
*>tabelecmentos seu cargo no trimestre de julho
setembro do corrento auno. Recebe propostas
na sala das suas sessoes, telas 3 horas da tarde do
dia 13 do corrente.
Secretaria da santa casa da misericordia do Rc-
cfe, o de junho do 1873.
O eserivlo
Pedro Rodrigues de Souza.
ea
THEATRO
ESPU3CA & PENTE
1.a E 2.e RECITA DE ASSH1 NATURA
Nii'iaiid; 7
c domingo 8.
Itepois que a orchestra ti er exeeutado a walsa
extra vagante
mum jesutica
"iiiposico do actor Santos Silva, representar-se-
da pea primeira vez o importantissimo drama
em 5 actos, romposieao do intelligente escriptor
Dr. Carneiro Villela
Personagens.
stevao, niajor reformado Tliomaz.
T-Muardo, guarda livros Penante.
V dre Nicolao, je uita Correia.
I>r. Marciano, idem de casaca Braga.
Ramos, amigo de Eduardo Henriques.
i ros, idem idem Silva Bastos.
' vedo, idem idem Paiva.
Lupes, idem idem Lyra.
"Isabel, viuva e ini 1)'Olympia.
O. Adelaide HenriquMa.
l'raneiseo (escravo) vendido
nos jesutas Procopio.
Maeons, povo e esc ravos.
DENOMINAOOES.
i.' acto.O pacto de our.
2.* A moral jesutica.
'.'>.- A be ra do tmulo.
'. Os dous jesutas.
>.' O templo maconieo.
Personagens do ultimo acto.
!-;>'evo, Gr.\ 33, veneravel da
Loja Beneficencia e Segredo Tliomaz.
us 8tV. 18, mestre de ce-
remonias Henrique.
Lopes, Gi.-. 3, Lyra.
Azevedo, Gr/. 3>, secretario Paiva.
Carlos G.\ 18. orador Silva Bastos.
1 vigilante 3 Henrique.
2 dito 3 Antonio,
lluardo, Gr.-. 18 Penante.
Dr. Marciano Braga.
Padre Nicolao, jesnita disfar-
.ado. Correia.
I tncseo. liberto Procopio.
- Isabel D. Olympia.
D. Adelaide Ilenriqueta.
Maeons das duas columnas, aprendizes, compa-
nheiros, msstres e todos os graos elevados, povo,
v-ravos etc.
' primeiro acto passado no jardim da casa
de D. Isabel.
segundo, terceiro e quarto actos, en) casa da
sma senhora.
O (plinto acto, no templo masnico da muito
Aug.\ e Sub.\ Loj.. Benelicencia e Segredo, em
- issto magna, no grande dia de S. Joao.
Kinalisando o drama pelo liymno maconieo can-
K'.Jo por todas as pessoas que se acham no teni-
plo.
A empreza nao poupou sacrificios nem despe-
-i- para convenenlenie te anresentar ao publico
de Pernambuco a mimosa composicao do Sr. !)r.
neiro Villela.
<> scenario do quinto acto que representa um
iplo maromeo todo novo e copiado ao natu-
I" urna .oj.-. desta cidade.
As 8 1|2 horas.
X lim do drama ser distribuido pelo respeita-
mblieo :
0 byaino suplico,
!'ue-ia do lllm. Sr. Dr. Carneiro Villela, msica
estro Marcelino Cleto K. de Lima e dedica-
tnaeonaria pernambaoana.
graikiiiieiilo,
A empreza chca de reconhecimento, agradece
a todas as assoclaeSes lieneficeules o acolhimento
que deram ao seu pedido, certos de que corres
leram perfeitamente dea que a suggerio,
at'ingindo a altura do espirito da fraternidade que
Jisenvolvc com a sublime mxima evanglica
manda amar ao prximo como a si mesino.
Pede-se aos Sis que fizeram a honra de assig-
..- quatro recitas que pretende dar esta em-
(; -za com a annuneiada peca Os Maeons e os
estrilas o favor de vir ao theatro cscolher os
lugares, alim de malhormente ficareui satis-
i1 e roeeberem os seus respectivos bilhetes.
SANTO ANTONIO.
EMPREZA
Nahbado 7 c .mbj>o 8
\< 8 horas em ponto.
ILilMSKEl'RESEmtMS
COM
Reducgo de presos
DO
Successo da paea
iiide e apparatoso drama phantastico em i
-1 i "'"i dividido em 8 quadroos :
r
Jim m\m
gioal do popularissmo romancista francez
EUGENIO SUE
traducido livremente por
A. DE SOUZA PINTO.
Tena parte toda a companhia.
Pessool de -4 figura!
Pecuario lodo novo I
Yistuarios c accesorios
novo* !
DENOSHXACES
quadro.O estreilo de Behring.
i*
u.
es 7.' t
8.
A estalagem do Faleo Branco.
O jesuta Rodia.
O casteUo de Cardovillo.
A mulher de Dagoberto.
A rainha das Baechantes.
A casa da ra de S. Francisco.
A punicao dos culpados.
APPARIC9ES.
1."Aurora boreal.
2.'-Rosa eUran,-a.
0 principe Jalma.
4."-Thiago Rnunepoiit.
. .".'Adriana dii Cfrdj.ille.
6.*Gabriel o issionario.
QlADRO PANORMICO
O aantrogio as costas da Pi-
carda.
Grande apoikeose final !
Quadro vivo!
O espectculo acabar
uieia noute.
A' pedido
de mutas pessoas, depois do espectculo de sab-
bado haver trem para Apipueos e* bonds para a
Magdalena no sabbado e ilominf o e bein assim
depois de todos o espectculo d'aqal em diante
THEATRO
SANTO ANTONK).
Siiciedade particular
Gremio HDramatico.
Recita oferecida pelos socios desta so-
ciedade a Sociedade Beneflcente Luso-Brasileira.
Quarta-feira 11 de junho.
Depois que a ofehestra 'egida pelo maestro Co-
las toear urna de suas simphonias, subir a sce-
na o drama em 3 actos :
LICCIA D1DIEK
Fiualisar o espectculo com urna linda come-
dia.
lua uiulluT de ialenlo.
Os bilhetes para este espectculo sao passados
pela directora da Sociedade Luso-Brasileira.
Urna commissao da mjama sociede agradecer
em um dos intervallos acuellas pessoas que se
dignarem concorrer com seu bolo para o thro-
no da caridade.
Principiar s 8 1(2 horas.
Rio Grande do Sul
Para o reterido porto pretende seguir com pou-
ca demora o lindo e veleiro lugar portuguez Jos
Estevo,de I classe, por ter a maior parte da
carga engajada, e para o resto que Ihe falta trata-
se cora os consignatarios Joaquim Jos Goncalves
Beltro 4 Filho, ra do Commercio n. 5.
Para
O brigue Ruio recebe a frete o resto da carga
que falta engajar para o referido porto : a tratar
com seus consignatarios Amoriui Irmos 4 C.
4 OsI9>V\IEI%
DE
AO BRASILEA.
Portes do sul.
Dos portos do norte esperado at o dia 8 do
corrente o vapor Cruzeiro do Sul, o qual depois
da demora do costurne seguir para os portos
cima.
Para carsa, encommendas, valores e passagtv*
ros, dirijsin-se ao escriptorio da agencia, roa do
Vigario n. 7.
AGENTES PEREIRA VIANXA 4 C.
deloutjaparajarikflr, i ditop.ru
alnje^o, l resfriadeira de brro,
tapetes, oofTinioda* Uejacani
e.iiigCT, dbides, quarliiihei-
C9 e outrj muitos artigos (b
U8o l niestijco, que epta ao pa
t&it?8no releri o dia
,-Peo.geute Pinho Borges.
"SlSOS DVFRSS
i V
AVISOS MMITIMOS.
COMPANIUA PERNAMBUCANA
DE
Mave^acAo costeara a vapor.
MAMANCIAPE.
O vapor Coruripe, com-
mandante Silva, seguir para
o porto cima no dia 12 do
corrente, s S horas da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passagens, e dnheiroa
frete at as 2 horas da tarde do dia da sabida
oscriptorio no Forte do Mallos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Navcgacito costeira a vapor.
POUTO DE GALIMIA, RIO FOKMOSO E TAMANDAR
O vapor Parahyba, com-
niandante Pedro Nolasco,
seguir para os portos
cima no da 15 do cor-
rente, s 9 horas da nou-
te. Recebe carga, encom-
mendas, passageiros e di-
nheiro a frete : escriptorio no Forte do Mattos
n. 12.
OlIIVWIIIt
DE
\AVEGACAO BBASILE1RA.
Portos do uoi-le
Dos portos do tul esperado st o ta 8 do cor-
rente o vapor Paran, o quhl npois da demora
do costume,seguir paraos portos cima.
Para carga, encoinmeadas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio da agencia, rita do Vigario
a. 7.
i'ereira Vianna 4 C.
_________ Agentes.
O
Rio Grande do Sul
sahir em poucos das o liga- nacional Rio Bran-
co, : para alguma carca a frele trata-se na ra
do Vigario n 7, andar.
COMPANHIA PERNAMBLCANA
DE
Mavegacito costeira a vapor.
MACEI, SCALAS, PENEDO E ARACAJU'.
O vapor Giijuia, com-
mandante J. Marlns,
seguir para os por-
tos cima no dia H
do corrente, s 5
horas da tarde.
Recebe carga at o dia 12, encommendas at
o dia 13, dinheiro a frete e passagens at as 2 ho-
ras da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte
do Mattos n. 12.
COMPA NHIA PER N A M RI(. A N A
DE
Navegacito costeira a vapor.
PARAHYBA, NATAL, MACO, MOSSORO', ARACa.
TY, CEAR, ACKkACC' E GRANJA.
O vapor Pirapama,
conimandante Felippe,
seguir para es por-
tos cima no dia 14
do corrente, s 5 ho-
ras da tarde.
Recebe carga at o dia 12, encommendas at
o dia 13, passagens c dinheiro a frete at as 2 ho-
ras da tarde do dia da saluda : escriptorio no
Forte do Mattos o. 12.
Para o Rio Grande do Sul
pretende seguir rom murta Arevidade o patacho
nacional Marta EtnHii, ten parte de seu carre-
ga-nento engajado, e para o resto que Ihe falta,
trata-se com o seu .consiputario Ant< nio Lniz de
Olivoira-Azevedo, i seuescriptirio, ra do-fiom
Jess n. 57.
Vende-se
o veleiro patacho portuguez Lice de 18' tonela-
das, demandando depois de carregado 10 ps de
agua, forrado de metal e classficado 5/6 A 1-1,
com duas andainas de panno e bastantes sobre-
salientes, prompto a navegar para qualquer par-
te : quem pois, o pretender, pode mandar exa-
minado no ancoradouro da descarga da carne
secca, e para tratar com os seus consignatarios
Joaquim Jos Goncalves Beltro 4 Filho, ra
do Commercio n. 5, aonde se acha o inventario.
AOS 5:000#000.
JILHETES GAMOTIOOS.
i Vua Primtiro dt Margo (oir ora ra de
. Crespo) n. su e canas do costurne.
i^/*0 ampiado ten*> vendido nos seus fe-
ts bilhetes, dous meios n. 290 com 3001, um
"ir?- W7 rom i,:**0. e outras sortes de
4W00O e 20*000 da lotorfa que se acabou do ex-
tiyir (53.*), convida aoe pnseaiilores a virem re-
coser na conf wmidade do cootume sem descont
algvm.
Achani-se venda o fezes bilhetes garantidos
da.!' parte das loteras a beneficio da matriz do
Cabo (8A") que se atrahira no saWiado 4 do cor-
rate me.
PRECOS.
Bilbete intlin, 61000
Meiobilhete \ 34000
Qaarto i 1*500
EM PORCAO DE OJHOOO PARA CIMA.
Bilhete intein 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
: ______Manoel Martina Fiuza_____vi
SEGUROS-"
MARTIMOS
CONTRA O FOGO.
A companhia Indemnisailora, estabelecida
nesta pra^a, toma seguros maritiuios sobre
navios e seus carregamentos e contra fogo
"m edificios, inecadorins e mat)i4ias: na
0 Iiistrueco primaria e 0
2 secundaria.
9 O profesjor Thomc Augusto da Silva ^
10, Villar, competentemente habilitado, faz n
q, scicnte a todos os befe* de familia que *
W q-izerem conliar-lhc a educacan de seus
A hihos, quo teiu anerto no sobrado grande f
^ da Soledade n. 5* desde o i do corrente. *J
urna aula particular para o sexo masco- &
S liii'i. Os alumnos receber.io urna educa- JK
X "ao distncta ; para esse fim, o professor X
W emprega todos os seus esforcos e mekts %f
0 para conservar na sociedade sempre ere- A
X dUo. e lamlieni mocos cotholicos e cfvili- !?
Ao publico.

a Mnenlo torreo.
LEiLOtS.
css
COMl'A.MUA PERNAMBLCANA
DE
.\a%'e;'ui'ii<> eatera a vapor.
GOYANX.V.
0 vapor Parahyba,
commandante Pedro,
seguir para o porto
acuna no dia 12 do
S corrente, s 9 horas
da noute.
Recebe carga, encommendas. passageiros e di-
nheiro a frete no escriptorio no Forte do Mattos
n. 11________________________________
Para o Porlo
pretende sahir muito breve a gilera portugueza
Nova Fama II por ter grande parte do seu car-
regamento prompto. Recebe a carga que Ihe fal-
ta a prtcos mdicos, e tambera passagoros, para
os quaes tem ptimas accom moda enes : trata-se
:om Tito Livio Soares, rus d i V-igrio n. 17.
r
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ca demora o patacho porlugnez Olinda, por ter
a maior parte da carga engajada, para o resto
que l'.e falla trata se-com os consignatarios Joa
uim Jos Goncalves Beltr.io & Filho : a ra do
ommercio n. 5.
Pacific Sleuoi Mgaliui Conipanj
Royal Nail Sieaniers.
I.inlia quiizenal
E' esperado da Europa at o di 8 do eorrente
o vapor Sorati, o qual depois da demora do costu-
rne seguir para o sul
N. B. Nao se recebe passageiros nem carga
para os port s do sul emquanto durar a quaren-
tena no Rio da Prata a tratar com os agentes
Wtlson Rowie k C, ra do Gommercio n 14.
imum
DE
XAVEGACAO BAH1ANA
Paria Mlaeelo, Penedo. AraeajA
e BaIiim.
E' esperado dos portos do sul at o dia 13 ou
14 o vapor Gattaode Orlean$. o qual segu para
os portos cima.
Recebe carga, passageiros e dinheiro a frete a
tratar com os seus agentes Antonio Luiz de Oli-
velra Azevedo 4 C, ra do Boni Jess n. 57.
flaneila e cordavo avariadu.
SEGUNDA-FEIRA 9 DO CRREME.
0 agente Piur.o Borges vender em leilao poi
ordem da companhia Recife Drainage, duzias de
penes Ue cd^iiu ccd-ci, ditoo do cordavo fran-
cez e flaneila para selleros, tudo com afana o-j-
gua doce.
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 53,
primeiro andar. _____________________
LEILO
PARA
liquidado
No
do
arriiazeni da ra
I mperador n. 45.
De candieiro a ga?, de bron-
ze e crvstal, araiulell-i?, ch; fa-
rize?, lavatorios, porfa chap)?,
bomba para jarim, mesa de
ferro, tubo?, fogireiro?, mangas
le vnlro, barmetros, lampara
as, esta ua de bronze, ferro -
porcelana e muitos outros ob-
jectos que estarSo ao exaina
?os coiicurreut'S
Terea-feira O de junho
A s'lO 1|2 HORAS DA MAN'H.
Por interveneio do agente Pinto.
No armazem da na do Impe-
rador n. 45.
ra do Vigario n.
Fugio hoje G do correte, do sitio do
Sr. Jos Antonio Pinto, em Ponte de l'clia,
um cao do Rio da Prata, branco com ma-
Ihas cor de caf com leite ; pode-se a quem
o tiver encontrado o favor de levar ou
mandar levar no referido sitio, que ser
recom pensado.
Festa da Santissima TSn-
dade.
Amaolia 8 do correutu tem lugar esta festi-
vidade no convento dos religiosos do Patriarcha
S. Francisco, pregando no Evangelho o pregador
da capella imperial fre Joo de Santa Thereza,
executando-se nessa occasiao a missa denomina-
da Rom Conselho, do muestro Giovanni Aldega,
sob a regencia do professor Jos Coelho Barbo-
sa. No TeDeum ocenpar a tribuna sagrada o
pregador da capella imperial, frei Angusto da
Iminaculada Concelcio Alves. sendo preenchidos
esses actos pela banda militar do l. batalhao de
iufantaria da guarda nacional.
Os abaixo assignados faz;m sciente ao com-
mercio que tiesta dala dissolvoram amigavelmente
a sociedade que tinham no estabelecimento de
molhadus sito no engenho Gravat, cando a car-
go do socio Pedro Miliano da Silveira Lessa Fi-
mo todo o activo e passiva, e o socio Laurino da
gWftca .nna. exonerado de toda a responsainii-
dade e pago e saustetto aos meros que me loca-
ra Al.
Engouho Grvala, 21 de niaio de 1873.
Tedro Milioo da Silveira Le.-a Filho.
Laurino da Fonceca Luna.
I ADVOCADO I
O bacharel .los Giti- *
ana eneam ga-se de quaesquer
s .erviens relativos a sua profisso,
o na comarca do Bonito e (aruarn :
P"!de ser procurado na villa do Bo-
nito, ra Direita n. 10.

^^
-**., -~
iv>
Lei
rlO
DE
movis, loufa e crjslaes
Tereo fVira O lo eorrente.
A's I l horas da manha.
No sobrado da ra do Crespo n. 17, pri-
meiro e segundo andares..
O agente Pinl.o B
orges
ven-
der por conta de urna familia
que niudou de reid* ncia os se
guintes objectosa -aber:
Urna mobilia de jticarauda
com tampos de pedra marmore,
l piano de arma io de Scords,
Isecretnrii de mogno, 2 cau-
dieiros a gz, 1 candelabro de
metal, i guarda roupa grande
de amare!lo, urna toilette de
amarello, i guarda commida
aparadores, armarios para dis-
pensas, espeliUs d'<4urado5, I
rtiobiliadejc^ianiVgo toanti-
go, 1 machina de costura, lan-
ternas com mangir. lavaiorios,
I burra de ferro fcofre), l cama
franceza- de jac.irao ', espre-
guic,adeiras, eadeiras debalan-
qo, copos, clices, l apparelho
AiESfAO
Km imidade,
Ciupesai a provisionada compctenlemente. ten-
do de ir a Goyanna tratar de alguiis negocios ju-
dciaes, jirest-se a fazer coliraneas amigavel, ou
judicialmente, dando doeo fiador de sua con-
ducta ; pelo que, aquellas pessoas que Ihe qui-
zerem encarregar de quaesquer negocios din-
jam-se ra do Imperador n. 33, sala de dentro,
nestes tros das, pois a referida pessoa sabe na
segunda-feira prxima.
O abaixo assignado declara que una letra de
seu aceite, sacada pelo Sr. Jos Gorgonio Paes
Brrelo, e vencida ltimamente, nao Ihe foi apre-
sentada nem leve aviso da pessoa que a possue, e
ignorando quem seja seu dono, protesta nio pa-
gar juros pela demora no recebimento, visto como
est com o dinheiro prompto c a disposicao do por-
tador della. Villa de Gamelleira, 31 de maio de
1873.
____________Jos Pedro Velloso da Silveira.
Quem deve e nao paga, sem-
pre deve.
Uro caboclo que tanto tem de orgulho, como de
infame, j foi vendedor de gallinhas e de pana-
gaios, mas com tonta felcidade que adquiri di-
nheiro para ter um sitio onde fez um palacete o
leve dous ramos de negocio, sendo retinaran pa-
daria ; disto ja nada lora, tudo ven leu ;" porque
foi mal ganhado e pertencia ao que mor.. que e..
s.. cunh...
Futurisando o caboclo que seus crodores Ihe
queiram mal, procura o meio de Hits pagar, in-
commodando a polica, dizendo: com aquella
liomem que anda armado de punhal. Do (]* me
deve, j dei por perdido; mas com v que lenho
i azao, procura dizer que son seu inimigo. Nio sou
seu inimigo, nem disso tonha elle mel; sao s
30 que elle deve pagar-me, para reslabelecer o
seu socego.
- No dia 3 de fevereiro de 1873 fugo do en-
genho Canzaoza, fregueza de Jaboatao, o etenm
de nome Cypriano, com os siguaes seguale* : ca-
bra, grosso, andar banzeiro, e para maior si.nal
tem una orelha lascada : quem o apprehender e
levar ao referido engenho. ser bein recoiniien-
sado.
= Albga se una casa nova, na Capulina, nos
Quatro i autos : a tratar cora Joao Jos da Cunha
Lages, ra do Vigario n. 33, I. andar.
---^mmwi
Joao Francisco da Costa Campos
manda celebrar urna missa na ma-
triz da cidade da Escada, no dia II
do corrente, as 7 horas da manha,
por alma de sua muito presada co-
madre a Exma. Sra. U. Joaima do
Rosario 3/aehado; convida aos seus
amigos e os da finada a assstirem a este a:to de
religiao e caridade, pelo que ser elcrnamente
grato.
D. Mara Accioiy Lins
Jos Henriques de Salles Ahreu* Gerlrudes The-
reza Accioiy Lins de Ahreu, Francisco Aecioly de
ouvcia Lins, Sebaslio .\icolao Acciolv Lins, Jos
Henriques de Salles Ahreu Fdho e Hacia Aeewi)
de Salles Ahreu, gen-n, tilhos, irmo e netos dii
linafla I). Mara Accioiy Lins, agradecen! cordial-
mente as pessoas que lveran a bondade de asis-
tir aos ltimos suffragios feltos mestna ; e de
novo as convida para a missa que se tem de re na groja matriz da Boa-Vista, segunda-feira do
corrente, s 7 horas da man a.
CRIADO
cava!,
do
Precisa-ae de tira para tratar de nn
mars algum servini, na na da Gadeia
0.50.
I
irf 5 2 < e 3
?" ^=
OS5iix>J OkKSJvV^X?
\llliJI-Si'
o sobrado n. 7 da na do Comm -mi.....t.rr#ir.
andar da profiriedade n. 13 da r i. Km !.-
na ra da Aur ira a. 51.
Aluga-se o primeiro n lar *4
ra de Sanu Rita n. 15: a tratar na Hada nn
do Duque de C.ixias u \\

C0VS1ITOKIO
mu: cisuegic:
no
llr. Mallos (iinrm.

das 8 as 10 h.ra- da ma-

ai
AVISO
O abaixo assignado avisa ao seus imttm
que venliam pagar seus dbitos at o lim do cor-
rente, do contrario passaro pelo dissalmr de ra-
rem seus nomes cquantias por este Diario.
Recife, de junho de 1873.
Antonio Gomes de Mendon"\
T
roca-se
a moradia de urna casa niuo fresca e nova, na
loa-vista, com quintal, agua, gaz, hanheiro. etc.,
etc., por urna poueo mai ou menos em iguaes
condieoes, na ra da Gamboa, Concordia, Santo
Amaro, etc., etc., sedo perlo da ra Nova : tra-
ta-se na ra Nova n. 36.
ESTRADA DE PERRO
DO
Recife Caxang.
Pe segunda-feira 9 do
correte em diante o
trem que sabe do Ca-
xang os 8 horas e 10
minutos damanhasaliir
as 8 e 5, e por esta ra-
zao deve chegar tas estaroes seguintes 5
minutos antes da hora mai cada na tabella ;
beto como o trem que sabe do Recife as 9
horas e lo minutos, tambem da nanh, sa-
hir as 9e 10.
Esrriptorio da companhia, 5 de junho
de 187:1.
K. C. foterbe.
Gerente.
OlTerece-se um hornera para feitor de
engenho com as necessarias hal-ilitaroos, e
niaoca sua. conducto, para iformacoes no
piteo do Carmo n. 9, e para tratar, no en-
u'nho Cai.roeiru Liza em (lamelleira.
4o commercio.
Os abaixo assignados leudo coniraado a com-
pra da armarao da foja de lonea, sita a ra Di-
reita n. 73, pertencentc ao Sr. Jos Pires de Car-
valho, vera pelo presente avisar a todo aquella que
se julgar credor, queira apreseii|Rr-se como tal,
dentro do prazo de tres dias, a contar desta data,
fleando os abaixo assignados sem responsabilidade
alguma, Recife, 6 de junho de 1873.
Mello & Mcedo.
zoopooo
Continua a estar ausente desde o dia 13 domez
de abril o escravo Henrique com os signaes segra-
les : mulato bem claro, cabellos crespos, rosto li-
so, sem barbas, altura regular, chelo do carpo,
andar banzeiro, cadeiras largas, a perna direita
aberta, quando assenta o p direito de banda, o
dedo grande de p direito aborto aera unhas, ten
marcas de bichos, as costas com pannos bramos,
quando e;t serio carrancudo, olnos encovad -.
D olhoesquerdo um poueo aperlado, levou um
cavallo de estribaria, alaso dourado, dinas, tape-
te e cauda eompridas, frente aliena, caeea acar-
neirada, altura de 7 palmos, 3 ps calcados o un
pintas de foveiro, tem urna mancha braaca radao-
da em cima da anca esqutrda, j tem dttttl
bradns da cachaca, inteiro : desconli.-i-sc ala ji
ter vendido o cavallo, (quem adiar e cavallo e
fue o tronxcr lera 0/) O mulato naflceu na Ser-
ra do Teixeira e ahi esteva at a idade de l an-
nos, foi dos herdeiros da viuva D. Victoria ara
dos Anjos, que vendenm-no ao Sr. Antonio Ceta-
rio Italiano c este vendeuo ao bar." o de Xazare-
th onde o comprei e possuo ha 2 annos : qual-
quer pessoa que o traga ao seu senhor Antoniu
Carneiro Rodrigues Campello no engenho Canzan-
za. fregueza de Santo Amare de Jaboatao te: a
quanlia cima.
Sociedade kenelieente dos ty-
po^raphoM em Pei'iitimbuco.
De ordem desta sociedade sao convidados lodos
os socios a comparecerom casa de suas sessoes.
ra velha de Santa Hita n. l'i, no domingo (8 do
corrente) pelas 10 horas da manha. para asssti-
rem sessio que all ter lugar.
Recife, 6 de junho de 1873.
O I." serretarin,
Belmiro Fer reir da F. Cada ral.
Espedalidades : ni.4''-lii- i
Iheri's. das rriancas, ni h-4ia
@, e syphiliticas.
_> Consultas d
nha.
Chamados a qualquer h ra do du e
da nonti-,
tralis tus pobr.-.
(Qk Kua da Iniperathz n Mi.
CASA DO OUliO
Bilhetes ^anintidos
lino do llardo da Yirtnrin "itr'orn jflMrf
i. 6*', e nr i i/o tostme.
O abaixo assignado taahi '. > -nW im mc
muito eJizes iiiiinii- i Mirle o> :.:.u4if)ii
bilhete inli iro > n. I'iii.! | |i l>in>i
quatro ipiartos do u i" outr. -
neaores de kOtonn r Sujnio da Hera q"
acabou do extralo '.:!' : e e ivil.i is pwsoi-
i >< a virem neaki r, quo 11 iiipliii 1l serio
pagos na forma do rostume
omesmo abaixo aign.iilo r>nvla ao itbcTi
vcl publico para vi ao -t..lx-l>Tinnilo raas-
prar os muito Nian Mfh< -,ipje n*> iMxarao V
tirar qualquer renin, pon > prava pHoi m+mmi*
anniin ios.
Arhara-se a venda os nmiio felii |.
nadoi da l parle da lolrria a hfnffi<*i
matriz do ("abo, quo se extrahir n dia ti '.-.
eorn ule mex.
a rtiy
Inteiro 6f
Weio 3|0fM>
Quarto 11.100
IOO"f>00 |!ra elnan.
I>e
Inliiro
11 -1
(juario
Beata, i de junho
Jixif
27-i l.:t::.
da !-"
Ju'l'7'l'M .'u (.
Sr. J"< Fumino Rihmro. ; i"i -
de Pedra rapada. Sen pai Jo-J .,
o manda de novo chamar, para R prn; d
dial vir tirar una eonfa nort] i
sua casa eooimercial a io I 31
sim como ronta das randa* da* n .
de 'SUI a 1871 em cuja almin
ve de pmse d s le aquell i di m >
Impreasa p >r pie ja a lendn r- i i
ni' !>"ii aeeiidi I 11 'ii.-ii rfcam
Xa ra de s imnr Bi:n i
l). si. preri e i|ii.- st'ja li.-l. '.ara v.
O pairo ]om' Marcelino !
ten lo de retirar w para i
despedirse peso lmenle do 1' ,
o honraran) crin -na ami'id-' I
annnncKv
Li\\M\
! i
l'reeisa-se de um que enteada
tratar no largo do Corp* Santo n
criptorio.
I'.v i- mh
Alleiicilo.
Precisa se de um homem para moer caf, o se
tiver alguma pratica de torrar, melhor ser: na
ra Direita n. 30, deposito.
Precisa se alugar metade de urna casa no
bairro de Santo Antonio : quem tiver para alugar.
dirjase ra da Gloria n. 47.
Sociedade Beneficente Luso
Brasilea.
Em cumprimento de ordens da directora con-
vido aos Srs socios a comparecereni a sessio do
Assembla geral, domingo prximo s II horas
do dia, tendo de entrar em ordem do dia o ba-
laneete da receila e despexa apresentado pelo Sr.
thesouroiro, qecessario o compareciraento de
maior numero de socios.
Sala das sessoes da Sociedade Renelicente Luso
Rrasileira, 5 de junho de 1873.
O 1." secretario,
Souza Mira.

- -
* B a
- i
-


Antonio Carlos Pereira de Burgos Pence de
Len, indo a ETuroua no prximo vapor, deixa en-
carregado de seus negocios forenses a seus ami-
gos os Srs Drs. Angelo Heariques da Silva, e
Jos Maximiano Alves Cavalcante; assim como a
seu filho o bacharel Adolpho Pereir de Burgos
Ponce de Leou, e os Sr. solicitadores Joao tlar-
bosa Xordero e Carlos Pereira de Burgos, e de
seus negocios particulares a seu filho Antonio
Carlos Pereira do Burgos Ponce de Len. Outro
sim, nao tondo tempo de despedr-so pessoalmen-
te de todos que o honrara com sua amisade, c fax
pelo presente, pedindo-les deeculpa desta falla in-
voluntaria.
Aluga-se por 25 a casa n. 6 na ra do Li-
ma, em Santo Amaro, estando j concertada de
novo : a tratar na ra da Reetauracao n. 54, ou-
tr'ora Guia.
em interessar.
J. Ramt s 4 Machado mudaram seu escriptorio
de Wmmissoes e deposito de movis para o ar-
mazem 10 da ra do Vigario.
a quem der noticia da eser;\ i fiun ,t
foi do tenente-conmel Feliciano Joaq
tos, e aepois comprada ao Raro d NaxareO
i epresenta ter t' annos, tem (alta da ilnltn a..
frente e as mi* com cicatrixe de q"im? I
de gaz, secca do corpo e muito rearla, que de*
appareceu da casa de sobrado n. 2fi. da ru..
Coelhos, que ser geaerosameaie iutmieun I
m
m
0
g MEDIGO-CIRURGICO
W no
r-j Dr. J. M. (nrie
t Ra do Mrquez de Olinda a. H, pri-
meiro andar.
W Consulu das 9 horas as 11 da marta.
f Chamados a qualquer hora.
Esta s de jesuta!
O Sr. J. C "
:
A. de F. nao quer
aos reclamos da pobre viuva que alfa
queis e ehaves de mu casa, momamd ja
gueis at 30 de abril a 310*00 ; o *
tudo se torna revollante o aquilino lar a
fechada ha mais de seis mexes, e
uem alugueis.


Diario dePernambuco Sabbado 7 de Junho de 1873.
FUNDICAO DE FERRO E BROBZE
FABRICA DE MACHINAS
V na d> Harn d:> Triomph:i (na h Rrain) ns. 100 a 104
CARD0S0 & IRMAO
AVISAM aos Srs. de engenhos e ao publico cin geral, que receberain da Europa
grande sortiiueuto de ferragens para engenhos e para lavoura, e quaesquer outros usos
e misteres da industria agrcola, o que tudo vender por presos razoaveis.
Vapores horisontaes de 4, 6, 8 e 10 cavallos, os melhores que vem ao mercado.
MOCClaS completas, obra forte e bem acabada.
MeiaS mOeilaS para assentarem grades de madeira.
TaxaS de ferro fun(*ido e batido, de toJos os tamanhos c dos melhores fabri-
cantes.
KOCiaS (1 aglia de diversos tamanhos.
IvOQaS QentaQaS de diversos tamanhos c qualidades.
Arad0S americanos de diversas qualidades.
Formas para aSSUCar grandes, pintadas e galvanisadas.
OoiirertoS concertam com promptido qualquer obra ou machina, para o que teem
*^ sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
' "('OTTimPndlS Man,k"n v'r Por encom:n ndada Europa, qualquer machinismo,
v" para o que se corresponden com urna respeitavel casa de Londres
com um dos melhores engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
a litas machinas, e se responsabilisarn pelo bom trabalho das mesmas.
RuadoBarao do Triumpho (ruado Brum) ns. 100 a 104
FUND C O DE CARDOSO & IRMA O.
FAZENDAS PARA ACABAR
Na ra do Crespo n. 20.
LOJA DE
Guilherme Carneiro da Cunha & 6.a
[uo<... |.l.arm..c.-.iilr.,..r. de l'aittlgllone, Parit, nnleo proprietarlo e preparador.
EmaiB
DE
PEPSINA
DE
HOGG
1 Pilulas alimentosas de Hogg com pepsina acidula, proprias par molestias
gstricas dyspepticas, etc.. e nos casos de digesto difcil ou impossivel.
2o Pilulas de Hogg com pepsina unida ao ferro reduzido pelo hydrogeneo,
para molestias chronicas e as doctas que das mesmas rcsulto (escorrimentos, fluxos-brancos,
I menstruacOes difficeis) e para restabelecer as snudes debilitadas.
| Pilulas de Hogg com pepsina e proto-ioduro frreo inalteravel, para molestia
escrofulosas, lymphaticas e syphrliticas, para a tsica, a cachera chlorotica e para as affeicoes
atonicaB geracs do corpo.
Em, frascos triangulares de 100 et 50 pilulas; precos indicados sobre os frascos.
Deposito em Pernambueo, A. BEGORD, e as principaes pharmacias.
ffVVffffffI
Cozinheiro.
Pwcizase de um, Hvre ou esvravo, e qnoe en-
nrreguenn lambeta de comprar, para easa de 2
l .i-: .i tratar un Corred r do Bisuo n. 33.
De 10 palmos.
Sapotiseiros e sapoteiros, c dahi para baixo, pi-
nheiras, frneta-D&o, oiti-cor, aritieum-a-p, aba-
cate, lar.inja cravo, flanboyant ou brilhante, pal-
meira imperial, roseiras de qualidade, alecrines
panyiras;Aw;iu CAZA DA FORTUNA
RA 1." PE HARQO OUTn'GIU DO CRESPO N. 23
Aos 2MM0IN.
O abaixo asignado tem seniora exposto venda
os felizes bHieles do Hio da Janeiro, pagando
prompumente, como eostama, at o premio de
4:000.
Prcoos.
Inteiro.......21*000
Meio........125000
Quarto....... 6000
Manuel Martins Fiuza.
Primeira Rclacio.
CARTAS A ENTREGAR.
Gsscgnintes Srs. qneram vir a na tln impera-
il'ir ii. i, CouVititria ber cartas que llie sao dirigidas.-A saber:
Anotnio Goncalves Porto.
Feliciano Prazeres
, Francisco Jos da Cosa
i Jos Mara da Conceicao Ferrelra
Jos da Silva Ferrara (alfaiate)
Jeiio Americano
Jos Meirelles de Sonza Ramos
,. -----------.. ........ iii,.i.,., .. .-
Manoel Jos Ferreira ( Beraiivi)
Napoloao da Costa Moreira
Pedro Guimares
Quintinn Moreira Dias
Theodoro Pereira da Silva
Francisco Augusto de Almeida.
Menino desapparecido
Tendo viudo de Fragoso, ha cerca de
duas semanas, o pardo escuro Manoel, de
13 para 1+ annos de dado, alim de servir
de criailo ao I)r. Manoel de Figueira Faria,
sendo mandado no dia 3 do correte a fazer
compras, dcixou de voltar para casa; e
como se ignore o destino que leve, visto ser
elle orpliao, faz-se o presente annuinio,
para evitar duvidas futuras.
Attencjlo
Engomma-se com perfeicao reupa para
faomem, ra do Forte n. 9.
Aluga-se urna boa casa terrea nos Arromba-
dos, em 'tlindi, pelo preco de 12 mensaes : a
tratar na ra t de Mareo, amiga do Crespo, na
loja do Passo junto ao arco de Santo Antonio. As
chaves acliam-se na astacio do caminho de ferro
perto da mesina casa, onde chefe o Sr. Vianna.
(Mercese um caixeiro com pratica de pa-
dilla e molhado*, a tratar na ra Imperial n 7 ;
d conheciniento de sua coniucta.
Aviso.
OITerece-se um homem para administrar um
engenho, ou sob e qualquer contrato entrando
com seus servieos e niais tres eservas do servico
de campo, aHanca sua conducta, para informaeoes
no pateo do Carino n. 9, e para tratar no engeuho
Caxoeira Lisa, em Gamelleira.___________
Advertencia proveitosa.
Lemforase ao Sr. Draga, ofllcial de calJereiro,
que consta trabalhar em urna fundicao na ra do
Brum, arvorado em engenheiro, ou machinista en-
carregado de fazer os encanamentos d'agua pota-
vel para as casas particulares, o rigoroso ever
em que se acha de ir a casa da ra do Aragao n.
12, afim de dar cumprimento a respeito do enca-
namento que fez, visto ter assentado urna pipa
com um rombo Upado com um pedaco de panno,
abusando assim da boa f da pessoa que o encar-
regou de izer o mencionado encanamento do quo
ja tom sido avisado por dilferentes vezes.
Recife, 4 de junho de 1873.
Aluga-se a casa n. 133 rna da Concordia,
a moderna e com gaz ; a chave acha-se confron-
te na loja de marcineria, e tratase com Marcel-
lino Jos Lopes, no Mondego portio n. 63, com
o letreiro -Olario
(>ll('!ll iiis C0WBI Incontestavelmente a loja de calcado estrangei-
ro que mais commodo offerece em geral,com espe-
cialidade ao bello exo, o PaRIS NA AMERICA
ra Duque de Caxias n. 99, priineiro andar (an-
tiga do Queimado) e a raz.o t a razo simples :
um cavalheiro (amante do chique) por certo se
injommoda quando, para comprar um par de bo-
linas, v-se forrado a experimntala sobre um
pequeno e pueroso pedaco de tapete (systema ma-
carrnico) nao podendo desta forma conhecer se
a botina Itie lica boa, pois, nao tem espado para
experimenta-la, ao menos que nao a estrague dan-
do apenas um passo, ijuc chegarlogo ao immun-
do ladrilho ; o que nao acontece no Parit na
A ntrica, onde pode se passear vontade e desta
forma conheeer-se se fica bom o raleado : para o
Isello sexo, ento quasi impcssivel, que nuia se-
shora (do bom tom) queira sujeilar-se a experi-
mentar calgado ao lado de um bale ao, onde en-
tra qut ni quer, anda mesmo para comprar : o
Pars na America nao resente-se desta falta ; tem
nm bem preparado gabinete reservado, para as
Exmas. que all podero estar em perfeito commo-
do para a escolha do calcado.
nao terminam al i as vantagens ou commodos
do Pars na America ra Duque de Caxias n.
59, pnmeiro andar, consiste tan bem no bom sor-
meuto de botinas para bomens, dos melhores e
mais afamados tabricantes da Europa, como .Ve-
lies, Smer, Polak, etc., etc., o grande variedade de
ehinellos e sapatos. assim tambem nm lindo sor-
mento de botinas para senhora, e sapatinhos de
niuitaa qualidades ijue podero ?aiisfazer a esco-
Iba da mais capichosa senh ira (do bom gosto);
pelo que fica expendido, fst claro que a loja de
calcado estrangeiro, que mais vantagens offerece,
o Pars na Amrica, ra Duque de Caxias n.
H9, primeiro andar, antiga ra do Queimado
Precfea-se de um preto para alugar, queTr-
v para tudo servico : a tratar na rna velha de
Santa Rita n. i 7.
Engenho para arrendar
Arrenda-sc um engenho na freguezia de Agua
. Preta, moente e corrente, tem propor.'Ses para sa-
i fre jar tres mil paes annuaes, um bom cercado, e
I perto da estacao urna legoa : quem pretender di-
rija-se no Recife ra do Imperador d. 50, que
llw informarao.
Precisa-se de um homem para feitor de um
' engenho que tenha pratica de servico, que nao te-
' nha vicios e d fianca sua conducta ; enton-
der-se com o Sr. Remardino Pontual, ra da Ma-
dre de Deus n. 36.
PENHORES
Na travessa da ra
das Cruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Ausentou-so de casa de sua senhora, no dia
6 de maio, o melato Matheus, e tem os signaos
seguifltes: alto, ps e mos grandes, cor de laran-
ia, bons dente?, fa'la mansa e um pouco fina,
barba nm pouco branca, cabellos crespos e re-
presenta ter 40 annos : pede-se a quem o appre-
hender de levado ra do Hospicio n. 81, que
sera gratificado.
mudahca\
JO I
DO
B G0LLETJ0
\\. Senlionida Sadc
Q P*RA
g Uwmp de mollinas.
m A Directora deste colleglo, abaixo assig-
K, nada, faz cenle nao ? aos pas de suas
rs. alnmnas, como a todos os cheles de fa-
i- milia que quizerem conliar Ihe a educa-
i;ao de suas tilhas, que transferio o sen
collegio da freguezia do Poco da Panella
rj para a freguezia da Roa-Vista, sobrado
n i. 28, sito roa Formosa.
Wi As i-lumna deste collegio receberio
' nma educaco esmerada sob as bises da
boa moral e da reJigiao, como ejovm
a senhoras de nm paiz cathoheo; e te-
rao por mestres. professor*s escolhidos
entre os mais habis, os qnaes serio en-
carregados do ensino de leitura de prosa
e verso, calligraphia, arithmetica, s>ste-
^j ma mtrico, lingua verncula, historia,
geographia, francez, inglez, musir vocal,
piano, desenlio, dansa, croch, labyrintlio,
obras de la, bordados matiz e ouro etc.
m, E porque a abaixo assignada coni'eca
f- hoje, por urna longa experiencia, que
nao pode a atten';o de urna directora de
collegio suhdividir-se, por um crescide
numero de alumnas, sem prejuizo egran-
Q des inconvenientes para a educaco des-
jrN tas e crdito do estabeleciment ; por
m isso est a mesma abuzo assignada re-
r solvida a limit ir a vinte o numero de
' suas discipulas, com jo que julga dar ao
respeitavel publico fdesta cidade urna
prova de quanto se jtcha compenetrada
de seus deveres e urna garanta aos
pas de suas alumnas de que ser suli-
*"-' cita e zelosa em cerca-las da vigilancia e
carinhos que nunca, quando bem distri-
m\ buidos, sao de mais para lio innocentes
'm, creaturas.
S Quanto ao asseio da casa, acommoda-
/ Qoes o distribuido do servico, acha-se
\g tudo providenciado da forma que a or-
Q dem sera rigorosamente mantida. e que
(5) nao serd alteradas as boas condicoes
hygienicas da casa em que se acha
estabelecido este collegio.
Boa-Vista, 29de maio de 1873.
Mara Helena da Rocha
!KX
gralias.
De ordem do irmao juiz, e em virtude do artigo
41 do compromisso, convidamos aos nossos cha-
rissimos irmaos, para comparecerem em nosso
consistoio no domingo da Santissima Trindade, 8
do corrente pelas U horas da manha, alim de ele
germos a mesa regedora que tem de funecionar
no futuro anno compromissal de 1873 187*.
Consistorio da Veneravel Irmandade do SS. Sa-
cramento da matriz de Santo Antonio do Recife,
5 de junho de 1873.
O escrivo,
Jos Rufino Climaco da Silva.
r-
<*
--
Z
-.
--
m
m

Irmandade do SS. Sacramen-
to do Recife.
De ordem do Exm. Sr. juiz, convido a todos
os irmaos a reunirem-se em mesa geral domingo
8 do corrente pelas 11 horas da manha afim
eleger-se a mesa regedora para o anno de 1873
1874.
Consistorio 4 de junho de 1873.
Jos da Silva Loyo Sobrinho.
Escrivo.
!$',:H: ::*;:::: :[:)
DENTISTA DE PARS
19- RA NOVA19
J. M. Leroux, cirur-
giao dentista, succes-
sor de F. Gautier, es-
pera continuar ame- :g
recer a confianca dos *
clientes da casa; edo
respeitavel publico em
geral.
m n mtutrn n t w iinin
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 47
da ra da Imperatrz ; quem o pretender encon-
trara as chaves na loja do mesmo sobrado, e se
entender com seu proprietario ma do Hospicio
n. 33.
1501000
No engenho Massuass, freguezia da Escada, se
dar de gratificacao a quantia cima a quem ap-
prehender tres cavallos que naquelle engenho
foram furtados na noute do dia 29 para 30 de no-
vemhro prximo passado : o '. tem 9 annos,
:astanho e castrado, tem a orelha direita bastante
aseada, una estrella na testa, e no quarto esquer-
do tem urna cruz ; o 2." ruco, com pintas ver-
melhas nos quartos, grande, gordo, com o Des-
coco fino, e castrado, tem os quadris feridos da
eansralha, ferrado coma marca-1. R. do lad
direito, e tem a idade de 9 annos; o 3." rodado
sanhass claro, curto grosso, um pouco cambito,
castrado, pequeo, e est ferrado com a marca
- Ono quarto direito : gratifica-se com 50*000
por cada um em presenca da pessoa, em cuio po-
der for encontrado qnalqucr dos ditos cavallos.
Contraria de S. Jos d'Ago-
na.
Por deliberacao do nosso irmao provedor, e em
comprimento do nosso compromisso, convido aos
irmaos eleitos para os cargos da mesa regedora
de 1873 a 1074, a comparecerem em nosso con-
sistorio no prximo domingo 8 do corrente, pe-
las dez horas da manha, afim de seren empossa-
dos em seus respectivos cargos.
Secretaria, 4 de junho de 1873.
O secretario interino,
.Wgalhcs Jnior._____
Prei'isa-se de um cozinheiro no collegio de
orphos : a tratar no mesmo ra da Gloria n.
95.
?j Consultorio medico
a
%
DO
Dr. Huiiilo.
RA DA CRUZ N. 26, 2.. ANDAR.
Q Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
iy quentou os hospitaes de Pars e Londres
fj pode ser procurado a qualquer hora do
Qi da ou da noute para objecto de sua pro-
r lissao.
ff\ Consultas do meio dia as duas horas
2rt da tarde.
rf*. Gratis aos pobres.
g, Especialid'des.=yLo\esas, da pello, de
lg cranca e de mulher.
rJ Emprega no tratamento das molestias
fi de sua espeeialidade as duclias fras e
bankos a vapor, para os quaes trouxe
os apparelhos mais modernamente em-
pregados na Europa.
Tambem applica com grande proveito
no tratamento das molestias do tero a ^
J9S electrieidade.pelo processo do Dr. Trepier.W
Offerece-se um rapaz para criado, dando fia-
dor de ?na conducta : ^juem pretender dirija-se
ao caes da alfandega, chafariz___________
i
Caixeiro
Precisa-se de um caixeiro com pratica do taver-
na, de 14 a 16 annos de idade : a tratar na Cam-
ba do Carmo n. 1
ALTA MI%IU/tUH:
PIANOS E MSICAS
AMTONIO JOS BE AKBVBIIO
Ra do Barao da Victoria d. ll,armasem, e 12 l.anlar, antiga ra Nova
aonde o publico em geral encontr, hempre o maior e mais esplendtto sortimento de pimo* de
Pianos, msicas e instrumentos de msicas para banda militar
e orchestra.
Aeaba de abrir no primeiro andar do sobrado n. tt confronte i
Kitica Murer, um grande saiao onde esiao expotos os magniScos
PIADOS
de armio, de Plejel.
de meia canda, do mesmo autor.
de H. Henrz.
de Amede Thibont.
Unieo agente Desta cidade, dos celebres afamados
PIANOS DE AUCHER FRHES
ortmiidos em diversas expoji;os om 14 medslhas de ooro e pria.
Sao os onicos pianos qne aqni vem da Europa, perfeitameote afioa
ii, feHos com siegan :ia e solidez.
D'aqni emfdiacie con ti nn ara a annnneiar todas as publicares qne
Tambem receben grande 'ortimento 4> maricas pr
canto e entre ellas a* Hadas composicd>< do moilo ^rtopaihii
F. ^1^ ll\l
A SABER :
Voc rae qner Wala.
Oiga Mainrlca.
L S'parcioni P*ra calo.
A Luz elctrica, grande Waisa.
Iltim-n plillrar Pr*nco Brisiliro Poik<.
Tomada da Vallrta G'lope.
Joanioha Walsa.
A Libertadora Po'k.
A Primeira espada Wal-a.
A M nha Lyra W.lo.
A Natalicia V ka
Studente P, ka.
Ffitas aa < meinae nwntm
do >.
Emilia, po'ka por I. $mt,ttt.
l.ircacuta, chotea, por S'n'-Hs.
Jardia d> Camko u Pr-e.
quadrilba, \*r I. Poer*.
Choa le HBS, Wal.a, p* R Ai-
txrtszzi.
se forem friendo as sons cIBciois de toosie.
CAITE
i
A: -i

r
% m7 e s a. mm
iS
y)
aos compradores do bsm conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botos e maios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que qriizerem do verdadeiro ASEA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C., e a desig-
nado de REA PRETA.
MEURON a- c.
Comedorias.
Fornece-se comedarias para fra, no [sobrado
da ra estreita do Rosario n. 3o : as pessoas que
precisarem dirijam-se a dita casa que acharo
com quem tratar._____________
Joaquim Jos Goncalves
Beltro.
Una do Commereio n. S, 1. andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
do Minho, era Braga, e sobre os seguintes
ulgares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Bareellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
CovilhS.
Faro.
Guarda.
Guimares.
Lamgo.
Lisboa.
Mirandella.
Monc,o.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna dojCastello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalico
Villa Nova do Portimo.
Villa Real.
Vizeu.
Yalenca.
Figueira.
(3
CABELLEIREIRO
Ra do Imperador n. 381. andar.
O artista Andrade, antigo e acreditado oflirial da casa de Delsuc, participa as Limas,
famlias eao respeitavel publico desta capital, que acaba de abrir este novo sallo, tonto
se aprompta com perfeicao toda e qualquer encommenda temiente 4 sua arle.
Prepara-se pentendeados e postigos, pentea-se coques, cabelleiras e cache-peignes.
concerta-se toda e qualquer obra em cabellos e faz-se com perfeieo toda obra de rb-lt*t-
reiro sobre encommenda ;tudo 10 por cento mais barato do que em outra qualquer
parte.
Alm desta grande vantagem comprometi-se em servir com pontual idade, perfe-
So e asseio, para o que tem habilissimos artistas.
Outro sim, avisa as mesmas Exmas. familias que em seu grande sali, ha continua-
damente sortimente completo de coques, cache-peigocs e topetes, tudo de modeniisimos
gostos.
Ra do Imperador n. 381."andar.
GRANDE DESCOSERA-
DO
mm&L
Caixeiro
Precisa- se ura de 12 a 14 annos, que tenha pra-
tica de taverna e que seja portnguez: a tratar
na ra das Calcadas n. 8._________________
Precisa-se de um rapaz de 14 a 18 annos,
com tlguma pratica de faxendas, para urna loja
em urna das estaedes da via-ferrea, e que ga-
ranta a sua conducta : na ra do Mrquez de
Olinda n. S8, loja. ____
Aluga-se urna mobilia completa de amarcllo:
na ma de Hortas n. 86, sobrado.
Composto de manac ante-rheumatico e depurativo
PELO
E' preparado este xarope de manac e mais algumas plantrs indgenas do I
nAo contm preparado algum mercurial. Cura com rapidez rbeumatismo, dore i
erupcoes syphiliticas e dartrosas, escrfula e todas as molestias que
desses virus. A sua composico foi approvada pela junta central de hvgione
blica.
A cada garrafa acompanha urna explicacio para a forma de usar. Prefo de M
urna SWO00.
nico deposito nesta provincia ra do Bario da Victoria n. 38, chapeUaria
Monteiro A Silva.



I
>
Diario de Pernambuco Sabbado 7 de Junho de 1873.
m
m

FOGO ARTIFICIAL PARA SALCES
PARA OS FESTFJOS DE
S. ANTONIO, S. JOO E S. PEDRO
NO
ARMAZEM DO VAPOR FRANCEZ
7 RA DO BARIO D4 VICTORIA 1
(OlTKOIIt Hit NOVA)
Chegaram grandes facturas destes lindse apreciadosfoguinhos artificiaes japone-
zes, francezes e allemes, da vistas mufto bonitas, e especialmente fabricados para senho-
ras e meninos poder^m saltar sem medo algara de serem oflendidos, e a precos baratos,
nao s a retalho, cmo e;n caixinhas sortidas. Alm destes foguinhos ha muitas pistolas,
craveiros e rodinhas, fabricados por um dos mais Sainados artistas desta cidade, e tam-
bero tem grande por$o de traques chinezes, que se vendem era cartas e em caixinhas io-
teiras.
BALOES AEREOSTATICOS
Pequeos bales de 8 a 10 palmos, de papel de cores bonitos e facis de
solta-los das janellas e varandas.
Estas novas e interessantes sortes, alm da leitura agradavel, contem dentro
diversos objectos de divertimentos que fazem augmentar mais a alegra entre as fami-
lias, as noites de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro.
GLOBOS PARA ILLUMiNACES
Globos de papel de cores para as illuminases destes festejos, e que muito
realc,am nos pateos e nos jardins.
PAPEL PARA ENFEITAR BOLOS
Estes papis rendados para enfeitar bolos sao muito baratos e principalmente
vendidos era duzias.
Botinas dos melhores fabricantes para homens, senhoras, meninos e meninas.
Quinquilharias de fantasa,
I IAAS PERFUMARAS
E
Brinquedos para meninos
Todos estes artigos vendem-se baratos por serem recebidos era direitura e
pelos abatimentos obtidos dos fabricantes era attengo s grandes e repetidas encom-
mendas.
ATTENCO

Tambera recebe e vende muito era conta excellentes pianos, tanto do fabri-
cante Blondel, como de H. Hers e de Pleyel; assim como mobilias de faia e de
vimes, e cadeiras avulsas de brac,o e de balanco.
7 armazemdo vapor francez 7
0 BAR ATURO
DO
BAZAR NACIONAL
Ra da Imperatriz n. 72
DE
Loorenco Pereira Alendes Gaimaraes
Declara a seus freguezes que tem resolvido vender o mais barato que for possivel, a
saber:
CUITAS A 160 E 206 RS. O COVADO. I
Vende-sc chitas francezas largas com to-
que de avaria, a 160 e200 o covado. Di-
tas limpas a 240, 280 e 320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS A 320 RS.
Vende-se cassas francezas a 320 c 360 rs.
o covado.
LSINHAS A 200 RS.
Vendo-se lsinltas de cores para vestidos,
a 200, 360, 400 e 500 rs. o covado.
ALPACAS A 400 RS.
Vende-se alpacas para vestidos a 400, 500,
640 e 800 rs. o covado.
COBERTAS DE CHITAS A 1J5600.
Vende-se cobertas de chitas de cores, a
I&600 e 23*000. Ditas de pello a 100.
Colxas de cores a 13)200, 25500 e 42500.
CHALES DE L A 800 RS.
Vende-se chales de l de quadros a 800
rs. e 19000.
Ditos de merino a 2?), 3$, 49 e 59000.
CAMBRAIA BRANCA A 39000.
Vende-se pecas de cambraia branca trans-
parentes e tapada, a 39, 39500, 49, 49500,
59 e 69000.
SAIAS BRANCAS A 29000.
Vende-se saias brancas e de cores, para
senhoras, a 29000 e 29500.
BONETS A 500 RS.
Vende-se bonets pretos do seda para ho-
mens, a 500 rs. Chapeos de palha, pello o
rnassa, a 29, 29500, 9000 e 49000.
MADAPOLO A 39000.
Vende-se pecas de madapoUo enfestado a
39000. Ditos inglezes para os precos de
49, 4?>5Ja\ 59, 69000 e 79000.
ALGODAO A 39500.
Vende-se pecas de algodo, a 39500, 49,
e 59000.
BRAMANTE A 19600.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura para lencol, a 19600, 29 e 29500 o
metro.
GRANDE LIQUIDACAO DE SABONETES 280 RS.
Vende-se urna grande porgo de sabone-
tes inglezes, a 200 rs. Ditos francezes om
eheiro a 320 e 500 rs.
Agua de colonia,{a 200, 320 e 500 rs. o
frasco para liquidar, e outros extractos
muito barato.
CORTES DE BR1MDECORESA 19500.
Vende-se cortes de brim de cores para
calca, a 19500 o 25000.
BOTINAS A 39000.
Vende-se botinas para senhoras, a 39000 e
39500, a ellas antes que se acabem.
ROPA FE1TA NACIONAL.
Vende-se camisas brancas, a 19600, 29,
29500, 39000 e 49000.
Calcas de casemiras de cores, a 59, 69 e
79000.
Coletes de casemira, a 29, 29500, 39 e
4,$000.
Palitts de casemira, a 49, 69 e 89000.
Seroulas a 1,-5 c 19600.
BRIM DE CORES A 440 RS.
Vcnde-se brim de todas as cores a 440
rs. o covado.
LENgOS BRANCOS A 29000 A DUZIA.
Vende-se a duzia de lencos brancos, a
29000. Ditos com barras de cores a 39000.
Ditos de linho a 59000.
TOALHAS A 800 RS.
Vande-se toalhas para rosto, a 800 rs. e
19000.
GRAVATAS DE SEDA PRETA A 500 PS.
Vende-se gravatas de seda preta, a 300
rs. cada urna.
CHITAS PARA COBERTA A 280 RS.
Vende-se chita para coberta, a 280 e 320
rs. o covado.
BONETS PARA MENINOS A 19500.
Vcnde-se bonetes para meninos, a 19500.
ESPARTILHOS PARA SENHORA A 39500.
Vende se espartilhos para senhora, a
39500.
PENTES A 320 RS.
Vende-se pentes do alisar, a 240, 320 e
400 rs.
POS DE ARROZ A 240 RS.
Vende-se pos de arroz em caixa, a 240
rs., para liquidar.
ESPELHOS A 240 RS.
Vende-se espelhos de diversos tamanhos,
a240 e 320 rs.
TESORAS A320RS.
Vende-se tesouras de diversos tamanhos,
a 320 e 500 rs., para liquidar, e outros
muitos artigos que se vende barato para li-
quidaco de facturas.
Engenho
Arrenda -si- n vi'iidrsi: parte de dona CHgdBbo*
sin s na trt'gitevi !! |k<|uoa, sendo mu movido
I r animai-* o ouiru movido a agua, betii obrado ,
de o|)iimos terrenos, e com propor.oes para salro-
jar de tres a qualro mil pies, distando do porto
do embarque apenas urna lego, e da estrada de
ferro tres legoas : qnem pretender dirija se ra
do Apollo u. 53, 2* andar, que achara oom quein
tratar._________________________________
Publicacao jurdica
Apontamentos sobre a condifo dos escra-
os e libertos no Brasil,
contendo as principaes questrjes relativas essa
especie, cora as decisoes proferidas a respeito pe-
los tribuuaes superiores e do poder executivo,
bem como toda a legislarlo patria, antiga e mo-
dernsima acei i-a de cada urna dellas ; pelo Dr.
Antonio de Vasconcellos Menezes de Drummond,
lente cathedratico da 1/ cadeira do 4.* anno de di-
reito civil da faculdade de direito do Recife e ad-
vocado oeste foro. Assigna-se livraria franceza
e a livraria do Sr. Nogueira, no arco de Santo An-
tonio. ______________^_
Cozinheiro
PrecHa-se de nm bom cozinheiro para um bom
hotel: a tratar na ra do Imperador n. 31, arma-
zn uniiio e commercio.
Terrenos baratos de 3$ a 6$
nos Afflictos, e 3$ no Sal-
gadinho.
Aut'MiHi hmi H-clri^'Uis do So'ua vetulr-
terrenos de seus sitios do ierras proprias, aos
palmos, om a nova ra ittiai em frente
igreja dos Atiiictos; o do Salgadinho com
a frente para n estrada de ferro de
(lumia e okiio para nutra estrada ao lado do
niesm sitio ; a tralar com o Sr. Tristo
Francisco Torres, na thesouraria das lote-
ras.
- Est fgida a fscrava de noroe Bernarda, de
idade 25 ann >s, pyuco mais ou meos, levou sala
de ganga e camisa de algodio tem marca de fajo
na na perna direita, e tem os olhos grandes e abo-
toados: rogase as autoridades policiaes e capi-
tes de campo o obsequio de pega-la e leva-la
seu senhor, no Caminho Novo n. 110, sitio, ou na
ra da Cacimba n. I, que sero generosamente
recompensados.
iOO
K-t ausente desde o dia 3 de abril do correnle
anno o escravo Miguel, com os signaes seguintes :
cabra, cabellos carapinhos, rosto liso, sem barba,
altura e cirpo regulares, ps e mos bem feltos,
falla mnito descansada, est descorado, tem marca
de nm taino na palma da mao direita, foi das Ala-
goas, j o pojsuo ha quatro annos, fez urna fgida
ha um anno e foi preso em Baixa-Verde : quem o
pegar leve ao sen senhor Antonio Carneiro Rodri-
gues Campello, no engenho Camama, que ter a
quantia cima._____________
Irmandade do SS. Sacrrmen-
to da Matriz da Boa-Vista,
De ordem da mesa regedora convido a todos os
nossos irraaos a reunirem se em mesa geral no
dia 7 do corrente pelas 6 horas da Urde aflm de
se tratar de negocio de grande interesse.
Consistorio, 5 de junho de 1873.
4t O escrivio,
Simplicio |da Cruz Ribeiro.
COMPRAS.
Comprase alguma* casas terreas ou sobra-
dos nesta cidade : a tratar na leja da ra Duque
de Caxias n. 14.
VrN0AS.
A eompanbia Bccifo Drainage recebe pro-
postas para o fornecimento de capim para seos
animaes : a tratar na ra do Imperador n. 26,
l^andar.
A "\f A Precisa-se de urna para cozinhar e fa" I
2\-)XiJ\. zjr maj8 aignin servico de casa de fa*
niilia, no Corredor do Bispo n. o.
Precisase alugar urna ama : na ra do Co-
ronel Suassuna n. I.
Amn Precisa-se alugar urna ama forra ou
-*-Illtl escrava, para cozinhar ; paga-se bem
ama Nova, loja n. 11.
Precisase de urna ama para cozinhar e
comprar para duas pessoas : a tratar ra do
Lvrameuto n. 3, taverna.
Ama de leite.
Precisa-se de urna ama de leite que nao tenha
ilho : na ra do Mar juez de Olinda n. 40, pri-
meiro andar._____________________________
Quem precisar de urna perfeita
A costureira de toda e qualquer obra
/-A p -**- dirjase ra do Brum n. 104, Io
andar.__________________________________
Precisase de urna ama para casa de fami-
lia de duas pessoas : na ra do Cabug n. 1, loja.
No escriptorio la ra do Commercio
n. 32, de Joo Jos de Carvalho Moraes,
vende-se o seguinte:
Caf do Rio de Janeiro.
Cimento de Portland.
Palhinha preparada.
Cera em velas.
Oleo de linhaca.
Couro de lustre.
Bezerros.
Chumbo de muirn.
Gomma-laca,superior qualidade.
Cadeiras hamburguezas.
Ditas de balanco.
Ditas para enancas.
Precisa-se de urna ama que saiba
cozinhar e engommar, para casa de
familia : a tratar na praca do Corpo
Santo n. 17, 3 andar.
AMA
AMA
Precisa-se de urna : a tra-
tar na praca do Conde d'Eu
n. 3, 2. andar.
Ama
Precisa-se do urna ama que -aiba cozinhar:
a tratar ra do Hospicio n. 37, ou 16.________
Prccisa-se de urna ama para comprar
c cozinhar para casa de familia : na ra
do Passeio, loja n. 58.______________________
PreMsa-se de urna ama pa-
ra cozinhar e comprar : na
ra Bella n. 23, hoje Ilha do
AMA
Carvalho.
AMA
ferece-se urna ama de
leite sem ti I no : no beceo das
Barreiras n. 9.
m Na ra do Bom Jess n. 9, segundo an-
i vuui ai", precisa-se de urna ama para cozi-
nhar e outra para engominar._______________
romano.
Vende-se um breviario romano, ftovo e rica-
mente encadernado : a tratar no 1* andar desta
typographia.
fi A' vender por causa de S
I viagem, |
s Um excedente piano da fabrica Bois- 's
K selot, em perfeito estado. O
W Baratsimo 5600O0. U
(Jl A tratar na ra do Bom Jess n. oo, Q
/5 armazem. C)
Terreno.
Vende-se um magnifico terreno situado no ame-
no lugar Cha:on- ao lado direito do rio, lugar
que nao chegam as cheias, om 90 palmos d
frente e 400 de fundo e alicerces para urna casa
com 40 palmos de frente : tem bondosos arvore-
dos e muitas fructeiras: a tratar na ra do Mr-
quez de Olinda n. 40.
Repolho a 400 rs. a libra : ra da Guia
n. o i.
Pechincha
MOFINA
Est encouragado !! !
Roga-se ao Ulm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivo na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ra Duque de Caxias n. 36, con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
(ras de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereirn e abril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo de novo chamado para dito
nm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu fllho le
achava nesta cidade.
Calcado barato
Borzeguins de bezerro e cordavao, para
homem a
Ditos pretos gaspiados, para senhora a
Ditos de duraque preto e de cores a
Ditos de meninos e meninas a
Botinzinhos de couro, de enfiai, para
menino a
Sapatos de tranca para homem e se-
nhora a
Ditos de tapete para homem e senhora a
Veode se na praca da Independencia n.
de Porto k Bastos.
81000
4 000
64000
30U0
1JG0O
1J500
1*000
39, loja.
Taverna.
^^
m
P******

IBOETE
Yledico-cirurgico
RA DO IMPERADOR N. 73. f ANDAR
0 DR. NONES DA GOSTA
MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
ESPECIALIDADES.
Molestias e opmces de olhos.
Cura radical e instantnea dos
eslreitamentos da nretra.
Consoltas : Das 7 s 10 toras
da manba.
Chamados: A qualquer hora.
Vende-se urna taverna sita ra do Visconde
Inhauma, antiga do Rangel, n. 53, com poucos
fundos propria para qualquer principiante : a
tratar na mesrna.
Vende-se a armacao e ferragens da loja da
ra de Marcilio Dias n. 45, propria para princi
piante por ter pouco fundo, faz se tambem neg
ciosomente com a casa : a tratar na mesma.
Venda de terreno
Vende-se no lugar denominado Beberibe de Bal-
xo, um terreno com 75 palmos de frente, e 650
de fundo, em chao proprio : quem o desejar com-
prar dirija-se ao Sr. Antonio Francisco, ra de
Hortas n. 100.
Alnga-se a casa da roa do Mondegon. 61,' Precisa-sede 1:000 J a juros, dando-se por
om commodos para familia : a tratar na mesma
ra, sitio do portao n. 63, que tem o titulo de
oiaria.______
Precisa-se de um menino de 8 at 12 annos,
portuguez ou nacional, para ir praticando na loja
ne fazendis da Casa Forte, dando fiador sua con-
ducta : a tratar na mesma loja.
hypotheca um predio livre e" desembaracado sito
nesta cidade : quem quizer dar dita quantia, diri-
ja-se a esta typographia a fallar com o adminis-
trador_________________________.___
Precisa-se do um cozinheiro ou cozinheira
para casa de homem solteiro : na roa Duque de
Caxias n. 91, rival sem segundo.
Deutisla de Pars
19 RA NOVA 19
FREDERICO GAUTIER, agraderendo ao respei-
tavel publico em geral e em particular aos seus
amigos e numerosos clientes, os favores e a confi-
anza que lhe dispensaram durante os quinze annos
de sua residencia nesta linda cidade, tem a honra de
lhe participar que cedeu o seu gabinetejde cirurgio
dentista ao seu sobrinho e discpulo J. M. Leroux
o qual i'chando-se hamais de dez annos na sua
eompanhia, est de sobejo habilitado para merecer
toda a sua confianza c executar os trabalhos os
mais difflceis e delicados da profisssao
O mesmo aproveita a occasio para pedir s
pessoas que lhe sao devedoras o especial favor
de manda-ls pagar quanto antes, pois retira-
se muito breve para Pars, aonde se achara sem-
pre prompto para o que pnder prestar.
COMPANHIA
DOS
TR1LH0S URBANOS
DO
Rap!
Priiceza!
Rocha !
A Predilecto,
no empeuho do'bem servir aos ams frepuezc* e
ao pnhlifo em r-i-:iI tem procurado i iwer-se itt
\v.<; lu djptii IIkt : dos do Kir.i, .i ara t \|..<-ln .iq;ti l > n ;.i rel-
io de que os seus artigos htm Uxn j|imcMM
pelos amantes do bom e baralo ; pj erar alguns dchtie elle>, tmm sijam :
ALliL' S, os mais ricos que ton vin.l- i r*w
mercado, cun rapas de iiudrcpcrola,
tartaruga, marlim, velludo c chagrn.
ADERECOS pretos e vollas proprias para lulo ;
assim exilio, um bon.to soilimeuto de
ditos de plaqu, obra lina c muito bem
acabada.
UOTOES para pmiaos, o que so p.lc dosejar fa
mellior em plaqu,, tartaruga, madre-
perola, marlim e iVsso.
BOLCAS de velludo, seda, pallia e chagrn,
ha de mais moderno e I ndas.
BICOS de seda e de algodo, tanto bramo como
preto, de variados desenhos
CASSOLETAS pretas de metal e de madrepe-
rola.
CAIXINHAS para co>tura, muito ricas e de di-
versos fonn tos, coui msica e sem
ella.
COQUES a imitacSo, o que pode haver de mais
bonito e bom gosto.
DEADEMAS, neste genero a Predilecta apre-
sewta um grande e lindo sortimeutu
capaz de satisfazer os caprichos de
qualquer senhora por mais exigente
que seja.
PORT-BOUQUET de madreperela, marfim e sso,
este um objecto indispensavei s se-
nhoras do bom tora, alim do aspirar
o aroma das flores sem o inconvenien-
te de nodoarem as luvas, ou mane ha-
rem as delicadas mos.
PENTES de tartaruga, de marfim e de bufalo, pa-
ra alisar os cabellos e tirar bichos.
PERFUMARAS. E' sabido do publico que a Pre-
dilecta sempre conserva um importan-
te sortiinento de perfumaras de fino
odor dos mais afamados fabricantes,
Lubin, Piver, sociedade hygienica, Cou-
dray, Gosnes e Rimel, que incum-
bido da escolha dos aromas mais bem
aceitos pela sociedade elegante da
Europa, e por tanto, acham-se ca
possibilidada de bem servir aos aman-
tes dos perfumes.
A PREDILECTA deixa de enumerar urna im-
mensidade de artigos, alim de nao Ma-
sar aos leitores e se pede a benevo-
lencia do respeitavei publico em di-
rigir-se ra do t abug n. 1 A, pa-
ra convencer-se aonde pode comprar
o que bom e barato, assim como:
FACHAS ricas e modernas de tuquim e surgurao
se la
IMENSVETTOS. Ricos vestimentas para meninos,
por baratissimo preeo.
FLORES. A Predilecta prima em conservar um
bello sortiinento de llores ao alcance
de qualquer bola ainda que nao es-
teja bem replecta de dinhriro.
FITAS. ja bem sabido do publico que s na
Predilecta que podem encontrar um
grande sortimento de filas de stira,
tafel, velludo, linho e de algodo, por
commodo preco.
GRAMPOS de tartaruga, imitaco destes, pre-
tos e t'e cores, o que se pode desejar
de mais moderno e bonito.
GRAVATAS de seda e de cambraia para senhora,
lacos e gulinhas de bonitas cores, tam-
bem tem um bom sortimento de gra
valas e regatas para homem.
JARROS de porcelana e de vidro muito bonitos
para ornatos de sala.
Mei s de seda, de la e de algodo, pa-
ra senhora, meninas e homem.
LEQUES. Ricos leques de madreperola, tartaruga,
marfim e de sso, os mais modernos e
por barato preco.
LUVAS de pellica, de seda e de algodo, para
homem e senhora.
LIVROS para missa, a Predilecta apresenta es-
colha do respeitavei publico um bello
sortimento destes litros com capas do
madreperola, tartaruga, marfim, Asa*.
velludo e chagrn, por precos mui
razoaveis.
Novidade.
A Predilecta, ra do Cabug n. 1 A, acaba
de re:ebcr pelo ultimo paquete chegado da Eu-
ropa, um bello sortimento de corpinhos de cam-
braia bordados para senhoras e meninas, golli-
nhas e punhos tambem bordados e de phantazia,
saias bordadas, ditas com entremeios para senho-
ras, bonitas calcinitas de diversos lapadinhos
e transparentes para meninas, que tudo vende
por barato preco.
TASSO IRMOS&C.
Era seus armazens ra do Amorira
n. 37 e raes do Apollo n. 47,
tem para vender por presos commodos
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descantear algodo.
Machinas de padaria.
Potassa da Russa em barril.
Hhosphoros de cera.
Sag em garrames.
Sevadinha em parrafees.
Lenthas em garrafes.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Porto velho engarrafado.
Vinho do Porto superior, di o.
Vinho de Bordeanx, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Potes cora linguas e dobradas inglesas.
Licores finos sortidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toucinho inglez.
Barris com repolho em salmoura-
O rap prraceza fabricado por Jos Francisco
da Rocha no Rio de Janeiro ha para vender no
deposito ra do Vigario n. 7, l. andar.
CASA.
Recife a Olinda e Beberibe.
aurjUECT De ordem dolllm. Sr.
presidente d'assernbla
JLlt -rt A 1 geral, convido os Srs.
accionistas para, no dia
9 do corrente pelas 11
horas da manha, se reu-
nirem afira~de eleger-se a directora que
tem de funecionar no anno corrente de 73
a 74 e le resolver sobre outros assumptos
adiados em sesso de hontem.
Recife, 3 de Junho de 1873.
0 2.* secretario,
Joo Martinsde indrade,
MENCIA.
Precisase fallar ao 3r. Jos Candido da Silva
Braga, na ra do Coronel Suassuna n. I, a respei-
to de urna escrava sua.
Vende-se um sobrado era urna boa ru :
ar na ra da Imperatriz n. 8, loja.
Nao ha mais cabellos
brancos.
TINTURARA japoneza. .
Se nica approvada pelas academias de
sciencias, roconhecida superior a toda que
tem apparecido at hoje. Deposito princi-
pal ra da Cadeia do Recife, hoje Mr-
quez de Olinda, n. 51, 1. andar, e em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
As nicas verdadeiras
bichas hamburguezas que vm a este mercado
se vendem na ra do Mrquez de Olinda n. 51, 1.*
andar.
Vasos de errstol para toflV
hija da Aguia II anca, a ra fa BaajM fa
Caxias n. 30, r ribni InuMas aawtsafaa >
tal i-m par ttm Tintan I* ara-
|*a> ;::'.! > "e '
AtinfM* ia
.\ |,i.. 't ,iiri ''I'"* '
II. ':>!. re lell lov : i.
nn (- r.il.:!- el i-irtV -
mmtmimmth pl bjh BMpM war pr< Lies objectos
Diademas (lomudos
A loja d'aguia hranra roa Ihwine fa Taxia* .
30, reo Im'ii tioiamoate hamUm i4tm$n fawaaii s
e enfeitado!
loe phanUM.1 Taiob-ili hi-.-Inii riiVim glMMf>
pretos i alfim>t.>s com llores para > raltira.
Leques com bou(|Ucts e ou-
tros chinezes.
A loja J*:iguia branca nu Do u. SO, recebeu unta peqmiia quaatifafa fatjaMlaa
bonitos leques com Ihhh|iiHs t natraw rfeftMM*.
Cold ceme para refrescare
amaciar a pellc
A loja d'aguia branca a i na lti'|tir de Caxi-s
n. SO, receben cold eretif ik>s afamados blricaii-
los Lubin, l.e^r.im CKttNf.
Diademas c grampos de
ac.
A loja da aguia branca, i roa do
Caxias n. 50, nv-rlM-ii imvatmnie bnstaa
mas e gra pos de ajo.
Bico8 de seda pretos com
flores de cores.
A loja da aguia branca, a ra fa Imqr- e
Caxias receben, romo imvnl:,d.- I, nitus Ihths fa
seda pretos com fans fa rotes, sobres^biafa avel*
les o preto com encamad* e tufa* urai atpate
para barras e c-ntms eiifilp* le vr^sW'. iV ra-
nadine, ou nii-dina. e cultas f. renda tian-)crea-
tes. IVIa coiiiioiididade !
uam-se ntat eaaMSwfa^s ,-la n<>\iib4<-fa fast%
preferiveisa qua Veos ou mantinhas prctas.
A loja da aguia braara, a ra fa baque de C--
xias n. 50, receben I. .i wsv ;.':.-
pre'.as de seda c..m III te.-, r ;.::.. \ it.
crocit, e vende as pelo* tralos pre.it? fa
i| e 6000. A fazettda i l>a e est etn per'Hai
estado, pelo que uaaa a lar iniaijla extra..-
cao
Perfeita novidade.
Grampos com borbulHas, hma e gta-
nlu'liis doiiradnsi" ciiluii'!i>s.
A loja da agnia bratna, a roa fa U a fa
Caxias n. "i", recelu-u it
boletas, liezouros e ataanaa a ,. aa*
perfeita novid de. A aaaaH.il.ifa c i^mena, -
por isso em breve se acabar i
Novas golliiihas oreada se
ucia ou arminho
peh
Fogo, fogo
e o melhor de todos os fogos s se obtem com
a limalha de ac, de ferrro, de tinco, de cobre e
fa agulha, que se vende por menos na pbar-
macia e drogara ce Bartholomeu & C, n. 34,
roa larga do Rosario. _______
Grande pechincha.
Popelina de seda a ljo
covado
Sao gostos muito bonitos e mnito boa fezenda
e nao tem defeito algum ; nao jnlgue o que por
ser barato fazenda ordinaria : quem quizer po-
de mandar buscar as amostras, mandando penhor:
na ra da Imperatriz n. 56, loja da Rosa Branca.
SHERRY KINA
(VINHO DE QUINQUINA HIGINICO
PREPARADO COM OS MELHORES VINHOS DE UES-
PANHA DA FIRMA
CALVAIRACA.G. C, DESEVILHA
f0rneced0r da sua m vcfstadb a bainha
d'hespanha.
POR
THOilERET GLIS
Pharmacciitico
EX-1NTERNO DOS IIOSPITAES DE PARS
0 SHERRY-KINA o vinho de Quinquina
que hoje preferem a maior parte dos mdi-
cos de hospitaes, dos lentes da faculdade e
dos membros da academia de medicina.
Tem esta preferencia a sua explicaco nisto
que offerece todas as garantas que debalde
se procuram nos productos desso genero em
que MlilTAS^VEZES SESACRIHCAM AS QUALIDA-
DES TAO ESSENCIAES QUER DO VINHO, QUER
do quinquina (as vezes de ambos) aos lu-
cros da especulacao (Ver Cuta das Aguas
Mineraes. Do Dr. CONSTANTIN JAMES,
7. edicto.
NICO DEPOSITO
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
BARTHOLOMEU I C.
Ra Larga do Rosario_n. SA
Fogo de salo e artificial.
Em caisas sortidas, chegadas ultimamenla'de
Hamburgo : vende-se ra do Mrquez di Olin-
da n, 21,1.a andar.
A loja il'aiHiia branca na Danaa i
- :, raotaai uma aaaaaaa aaMsfc aa
s c novas polmitas, irabalho aa 11 11. <^i-
ucitadas com ariiiinho. obras e.-'a-'de rnmln f
e inteiranente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da agnia branca, a roa ki Duqn* de
Caxias n. 50, recrtteti novamen* rn^iiti-< it-:-
pos, brincos : '' t< il :n
novos diademas de a.o, e fumo ,;fmrire c-
na a vctido-los por precos razoavn-
Caixinhas com pos dourados
e pratcados,para cabello
Vende-se na li.j.\ aa Aguia Uianca a roa do Da-
que de t axias n .*".
Luvas de pellica preta e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, rita I>tiqno la Ci-
xias n. 50, ri'i-i-bou novo si-rtimeiito < ln\
pellica, prelas a de oulra< core._______^__
Joaquim Jos Goncalves
Beltrao & Filhos
Tcem para vt-idcr no sen escripiTto ra :
Con'mercio n. 3, o sfgtiinlf :
AGUARDKNTC 4a caj : caixa fc U jjarrafi'.
t de laran a. ulcm dem.
AltCOS de pao pata banil.
CAL de Lisboa, nfeutoinente chepada
CHAPEOS de sol, para honieiu i fenh. i*,
do niarlim e im.
FFIXES de ferro, para porta.
FIO de algodo da Babia, da fabrica '
mendador Mpaa*.
LIXIIA de roriz.
OBRAS de pal reta.
PAXXO de algodo da Baha, da fabrif .1 *t> foa>
memlador l'edn BETBOZ de todas as ipialtdades.das fabricas tif
Peres c. Rduardo Mililo.
BOLIlAS proprias para botica.
SALSAI'AIIHII.HA do Para.
vELAS de cera de todos os tamaahos.
VINHO engarrafado do Porto, caixas de 15
rafas.
dito Mr.sc ttcl do Dotiro, idem idim.
dito Setttbal, caixas de 1 e 1 dorias,
c da Italia engarrafado, caixas de S %*t-
rafas,
de Collares superior, emancontas.
le caj, caixas de IS gar afas
.Malvasia do Douro, caixas com 11 far-
ra fas.
Carcavellos, idfin ktem. ^^^____
A loja da America recebeu
lindos Buornous de la e seda e vende por cosa-
modo preco.
Espartilhos duqueza.
Bordados a retrox e sao de elegancia Ul roe sa-
tisfazem bem o capricho de qual<|ner seaanra p<*
mais exigente que seja.
A 6*5000 a pec,a
de madapoln franre com duas larguras e aa
ra do Cabug n. 10.
l'alniezas in (ispfs[ tle sfda
prdos a 40$0 ultimo gosto e ricamente enfeitaans que loics
vendem por 60*000, na ra da Imperatriz n
50, loja da Bosa Branca.
\n\i**imt II^T psir a ataaslra
le Santa Anlania. M. Jasla
e 8. I*ealra.
Acaba de ser publicado o Hvro acitaa, aaaJ
conten urna lida culleccao de bonitas, n,***-
sanies e chistosas sortes, e ifuahaaaae aa>a ee-
leccao de recitativos, cmaoslo aar iranes e a-
famados poetas desta poca. ^ ._ ..
Cremos que este livro um aos <***"* ""
tenimentos para as reunide* toaaiaaiaa aa tto fe-
teiadas e apreciaveis noules adasa aa-
Achase venda a laOfO na livrana Eroam....
caao p do arco de Santo Antoaw e am outras
Joaquim F. dos Santos Coimbra Gnimarie?,
vende em sen escriptorio roa do 1
Olinda n. J L" atdar
Ufe do Bk)
Cha em latas de 1 tmt
Pumo > em latas
Farinha de mandioca
Vinho de Thomar, em dedaaor
I
Vende-se duzias do linhas de earrat
ardas pe o diminuto proco de & 0 rs.:
ao rivado Becite, roa do Marqaei de (
mero 80 A.


6
Diario de Pernarakuw r iSabbado 7 do Juaho de 1873.
rv
Trlumpho da
nimi Miii
Em tem posjmodernos nenhum doscubri-
mento ope uromaior revolugSo no modo de
curar anteriormente om vyga do que o
MIIHIL DI JULMIiM!
TANTO NO TRATAMENTO
DA
Tosse, Grupo,
Asthma, Thisica,
Uouquido, Resfriamentos.
Bronchites,
Tosse Convulsa,
Dures de I'eito,
Expecturago de Sangue.
Como em toda a grande serie do enfermi-
dades da (argHiita, do I'eito e dos
Orillos da roMpiracSo, que tanto
atormeiitam c fazem soffrer a humanidade.
A maneira antiga de curar consista geral-
inonte na applicago de vesicatorios, san-
gras sarjar ou npplicar exteriormento un-
gentos fortissimos compostos do substan-
cias vesicantes, afim de produzir empolhas ;
cujos ditferentes modos de curar, no faziam
senao enfr.iquecor e diminuir as forcas do
pobre doento, contribuindo por esta forma
duna maneira mais fcil o certa para a en-
fermidade a destruigo inivitavel de sua
victima Quam differente pois o elfeito
admiravel do
mma de aecasiia!
Km vez de irritar, mortificar e cauzar inau-
ditos sollrimentos ao doente,
Calma, modifica e suavisi a dor,
Alliviaa irritaco,
Desenvolve o entendimento,
Fortifica o corpo
o faz com quo o systcma
desalojo tl'uma maneira prompta e rpida
ate o ultimo vestigio da enfermidade. Os
melhores votos em medicina da Kuropa, (os
entes dos collegios de medicina de Berlim)
testifican) serem exactas e verladeiras estas
reiagoes analgicas, e alm disso a expe-
riencia de milliares de possoas da America
ILipanliola, as epiaes foram curadas com
este maraxliioso remedio, sao mais que sufli-
es para sustentaren! a opinio do
PE1TORAL DE ANACA1IIUTA !
Deve-se notar que este remedio se acba
i amonte isento de venenos, tanto mine-
raes, orno ve^etaes, emquanto que alguns
destes 'iltimos, e particularmente aquellos
Tue sa dados sob a forma de opio, e aci-
> IndiOcianico, formam a basedamaior
'te d( j Xaropes, com os quaes tiio fa-
ient( se engaa a crcdulHade do pu-
. 4. composicao de anacabuita peito-
cha-se linda e curiosamente engarrafada
Vascos da medida de cerca de meio
.ilhu cada um, e como a dse que se
s d'uma collicr pequea, basta
mate applicaco d'um ou dous fras-
ara i effectuacao de qualquer cura.
;ha-oo a venda em todas as b ticas.
':os'.ers A' C, agentes.
, i,
Para ai)oaconservac,ao
DE
VOSSO CABELLO
USA! DO
a quoda prema-
lustre aos ca-
1 um preventivo seguro e certo contra
8 calvice.
Ei i'i e restaura forca e sanidade pelle da
cabera.
le prompto faz cessar
tura dos cabelles.
Elle d grande riqueza de
bollos.
doma e faz preservar os cabellos, em
qualquer forma ou posigo que se dese-
je, ii'uin estado formo-so, liso e macio.
faz crescer os cabellos bastos e compri-
dos.
Kilo conserva a pelle eo casco da cabeca
limpo e livre de toda a especie de caspa.
Kilo provino os cabellos do se tornareni bran-
I iS.
conserva a cabeca u'um estado de fres-
cura refrigerante o agradavel.
i. nao demasiadamente oleoso, gordu-
:i) ou pegadieo.
I nao deixa o menor cheiro
ral.
o mollior artigo para os cabellos das
enancas.
I o mellior e o mais aprasivel artig)
para i boa conservago e arranjo dos ca-
bellos das senhoras.
I e o unicortigo proprio para o pernea-
do ibis cabellos o barbas dos senbores.
NEN'BUAi TOUCiDOi DE SENHORA SE
pooEcossiDiaua como com-
pleto SE M O
TNICO. ORIENTAL
tal preserva, limpa, fortifica e aformosea
O CABELLO.
Acha-se venda nos estabelecimentos de
II. I'orsior di C, agentes. E em todas as
prineipaes bijas (1h perfumaras e boticas.
desagrada-
Livros v enda
Aos Srs. academi
Vendc-se as seguales obras de direito
e lteratura, por commodos uregos :
Pardessus:roii Commercial.
Villiaun:Revolution fraucaise. '
Louiz Blane:Histoire dedix aons.
Vattel :Droit des gens.
Ventura :Le Ponvoir pnblic.
Portis: Cours do droit ualurel.
Kluber:-Droit des gens.
Rogron : Gode de comnierce.
Nesta typographia acharao essas obras para se-
rem vendidas.
SEGREDO ECONOMA E CELERIDADE.
Obtem-se com o uso
DA
INJECCO SHOST
nica, hygienica, radical e infallivol na cu-
ra das gonorheas, flores brancas e fluxos de
toda especie, recentes ou hronicas; e que
offerece como garanta de salutares resultados
a continuada applicago que sempre com a
maior vantageai se tem feito della nos bos-
pitaes de Paris.
nico deposito parao Brasil, Bartholomeu
& C, ra Larga do Rosario n. 34.
Xarope d'agrio do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, astbma, etc.,
applicado ainda com ptimos resultados no
escorbuto.
Vende-se na pbarmacia e drogara de Bar-
tholomeu C, ra Larga do Rosario n. 34.
E baralissimo
Basquinas e casaquinhos do seda ricamente en-
feitades e em muito bom estado, para sonhoras e
meninas a 7/000.
Pechinchs.
Chapulinas e cbapos de palba, velludo e seda
para senhoras e meninas, por prefs baratissimos
de 2, U e i.
Ainda pechincha.
Balees em perfeito estado para senhoras e me-
ninas a ljuou.
Para acabar.
de
Riquissimos cintos com lagos e sem elle e
gostos muito chiques a &00 e 5'O rs.
ntremelos e babadinhus a 400 e 500 rs. a peca
Saias de la para senhora, t.
Estas pechinchs s se encontram na loja do
Passo, ra 1.* de Mar.o n. 7 A, antiga do Crespo.
Rival sera segundo.
Cheg-ram agulhas para machinas, do fabcante
Crowi-r Je Baker. Duzia por 2/000.
BICHAS DE HAMBURGO
As mais recentes e melhores.
Vendem-se na pbarmacia e drogara de Bar-
tbolomou C, ra Larga dosario o Rn. 34.
Grande liquidaco de fazen-
das, miudezas, ferragens
e taboas de louro e ama-
relio.
Thomaz Jos de Gusmao, estabelecido em Olin-
da com loja de laiondas e miudezas c tambem
com armazem de maeiras o materiaes, faz li-
quidaco de todas as mercadorias existentes em
seus estabelecimentos, com grande reduccao de
presos, por ter de mudar-se : tambem tem gran-
de quantidade de cera em vellas.
Moraes & Irmao
Em seu escriptorio ra da Madre Deus
n. 5, 1. andar, tem para vender por preco
commodo :
Vinho do Porto superior engarrafado.
Cerveja Bass.
Cha verde miudinho de superior quali-
ilado.
Na ra da Imperatriz n. 6,
loja ne louca de Sebastao Marques do Nasci-
ment'i, vende-se em porgues grandes ou a reta-
tho todo louca existente na mesma, por pregos
muito diminutos por ter o misino propnetario
de Euer urna viagein a Europa a tratar de sua
gade; |>ortanto, todos os reguezes que precisar
do se sortir destes artigos, apresentem-se quanto
antes.
Vende-se.
a casa n. 154 da ra do Coronel Suassuna (antiga
dos Martyrins): a tratar na ra do Vigario The-
norio n. fl, 2' andar.
FOGO
Arifu'ial
Valdivino da plvora, no seu armazem de sal
ra imperial n. 207, faz sciente ao respeitavel pu-
blico desta cidade, que .se acha .satisfactoriamente
prevenido de todo o fogo que mister para 03
festejos de Santo. Antonio, S. Joao e S. Pedro
assim como um excellente sortimento de fogo do
ar, bomba real e pistolas de quatro a seis balas,
dttaa de duas e tres balas, unido a urna bella
celleccaQ de outros foguinhos para brinquedos de
vrim;as que costuinain divertir-se com as mara-
cilhos3 rodinhas de salas.
Engenhos venda.
Vende-se os^engenhos : Gameleira, com safra
de dous mil paes, s tuado no lugar denominado
Barra de Panellas margena do rio Piran?y,>
a \ leguas da estacao de Una. eom terreno para
safrejar annualmento de 4 5 mil paes : Corrien-
tes, com safra de dous mil paes. situado no dis-
tricto de Agna-Preta e 2 leguas da estacao de
Una : o pretndeme a ambos, ou a qualquer um
dos dous referidos engenhos, entenda-se com
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, no Recife,
praca do Corpo Santo n. 17, ou com Jos Bap'is-
ta Marques Dias, no povoado dos Montes.
GRANDES NOVIDADES
Emfazendasde gosto
NA
LOJA E ARMAZEM DO PAVO
N. .60 Ruadalmperatriz N, GO
DE
PEREIRA DA SILVA & GUIMARES
Os proprjeionos deste importante estabclocimento, participam ao res,peitavel publico
dosta oidde e aossous nwnirosos (reguezes que acabamdo recebor pelos ltimos vapo-
resd Europa, um grande sortimeiito das mais lindas e mais modernas fazendas de gosto
e murta phantasia para vestidos de senhoras e meninos, assim oomo tambem um grande
sprtimento das melhores aiendas de le, que se vendem por presos muito era conta, s
com o flm de apurar dntofo-..
As, pescas que ne^ocam ero >eqpena escale, neste estabelecimento poderao fazer
os seus sertioietitos, porque se'foes ^erideM pelos precos que eompram as casas estran-
geiras ; de todas as fazendas se dito amostras, deixando oenlior, ou maudam-se levar era
casa das Exmas. ,fam.lias pelos caxeiros.
Este estabelecimento est constautemepte aberto das 6 horas da manha s 9 da noute.
mmm
a iinoo, teeoe, mo ecors.
BLRNdus a waoeo.
0 Pavao receben jpdjosijtimo vapor de
Europa, burnoos dos mais lindos gostos
O Pvo recebeu um bnlhante sortimento que at boje sao conhecidos e em relago
das mais lindas graaadiues pwtapomdel-!sua excessiva barateza, convdam-se as
cadas bstrasde eflresepretas, que vende pelo Exmes. Sras. para verem o que ha de mais
barato preco de 1D5O0 o ovado. Ditas to-
das de cores com listras miudinhas em urna
s cor a 15J200 e 19000 o covdo. Ditas
novidado neste artigo.
BRAMANTES PARA LENCOES.
0 Pavo vende superior bramante de al-
pretas com listras de seda roas a 800 rs. Di- godjto.tendo 10 palmos de largura, queso
tas pretas com lisias bwocas, azues ever- preeisa de 1 1/4 vara para um lencol a
des a 6*0 rs. o c .vado.i Assim como boni- 1JJ600 o metro ou 1#800 a vara,
tas barajes de seda pa* vestidos ornas Dito de linho fino superior e muito en-
mais lindas cores a.lWQO. E'pechmcba, corpado, cora a mesma largura a 29400 a
na loja do Pavo. vara
POUPELINASAl?W50a,E2WOOOGVADO.| Ditos francezes muito finos a 2?500 e
0 PavSo recebeu um elegante sortimento 3^(00.
Hesperidina
Ltinhas ewoeezas a 280
rs. o covado.
Rua do Crespo n. 20.
LIzinhas oscocezas, padroes meramente no-
iliniiriuto pre?o de 280 rs. j covado,
pechincha >' in-se amostras na loja de Gnilier-
r:; ('.. da Cunlia t i\ __________________
Vende-se a casa de solea da travessa da
Bomba n. 8, era o partos, 4 salas, cozinha ra
e aiutal e ni cacinjba, com 3 portas de frente
am baixo e ." JanelUa em cima, e por preco com-
modo ; na rua Buipie.de Casias (anjgamente das
Cruzes)n. 355 se dir quera vende.
. Verdadeiro biter hesperidina, superior e acre-
ditado : venda no armazem de Tasso Irmaos 3
C, rua do Aiuorim n. 37.
Cassas avariadas a 240 rs.
o covado.
O Pavo vende tinissimas cassas firaacezas do
cores com os mais delicados padroes, por terem
nm pequeo toque de avaria de agua dce, pele
barato preco do doze vintens o covado. pechin-
cha : na loja do Pavao, rua da Imperatriz n.
0._________^__^__________________
J chegaram os mamvllMosoi fogos arti
ciaes da China, para serem sollos nos sldese jar
dius: caixinhas eom variado sortimento e a pre-
ces desde 20 at 50 j cada caixa : no armazem
n. I do caes da alfandega.
Firinlia de iiillio.
Vendo-ie farinha de nuiho moida a vapor, dia-
riamente, pelos prejj^s segulntes : grossa para
mjgunz a 0 rs., dita para angd, pinto epassa-
rinhos a 100 rs., para caBgioa e pao de provenca
a 120 r., e para ruseds a 140 rs, em aryoba
mais barate : na ru do Cotovello n. 2i.
Taverna.
Vende-se a da rua Direfta n. 72, tem poneos
fundos, e bem afreguezada : a tratar na mes-
n.
das mais lindas poupelinas de seda com os
mais lindos desenhos e mais bonitas cOrcs,
que vende a 1$600 e 23000.
SEDAS DE CORES A 2!?500 RS.
O Pavo recebeu um bonito sortimento
das mais lindas sedinhas de urna s cor com
delicados desenhos miudinhos, que vende a
2JP500 o cavado. Ditas com listrinhas, mui-
to bda fazenda a 23000. E' pechincha, na
na loja do Pavo.
CAMBRAIS ABERTAS A, 95 E 105000
O Pavo recebou um elegante sortimento
das mais finas cambraias brancas abertas,
bordadas para vestido, que vende pelo barato
preco de 93? e 10?M>00 o corte, tendo fazenda
bastante para vestid i. E' pechincha, na loja
do Pavo rua da Imperatriz n. 60.
LAZIMUS BORbADASA 400 RS.
O COVADO.
0 Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais lindas lzinhas transparentes com
orinhas, bordadas, tendo de todas as cores
inclusive! rocha propria para viuva, e ven-
de pelo baratissimo preco de 400 rs. o co-
vado. E' pechincha, na loja do Pavo rua
da Imperatriz n. 60.
LAS MOERKS.
0 Pavo vendo um bonito sortimento de
lzinhas listradas sendo das mais modernas
que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo
prego de 5G0 e 600 o rs. o covado. E' pe-
chincha, na loja do Pavo rua da Impe-
ratriz n. 60.
ALPACAS LAVRADAS A 640RS. 0 COVADO.
Chegou para a loja do Pavo um elegante
sortimento das mais lindas alpacas lavradas
de cores sendo as cores mais modernas que
tem viudotpara vestidos, o vende-se polo ba-
ratissimo prego de 640 rs. o covado. E'
pechincha, na loja do Pavo.
CASSAS EllANCEZAS A 600 E G40 RS. O
METRO.
'O Pavo recebeu um magnifico sortimen-
to das mais lindas cassas fran ezas, de cor,
com os mais bonitos deseuh s raidos e
grados, tendo padroes escurse outros que
servem para luto, e vendo a 600 e 640 rs.
o metro ou 360 e 400 rs. o covado.
LZINHAS MODERNAS COM LISTRA DE
SEDA A 640 rs. e 15200.
0 Pavo recebeu um elegante sortimento
de las cora listras de seda assttinada, sendo
as mais modernas que tem vindo ao merca-
do e com as mais delicadas cores, o vende
pelos baratos precos de 640 rs e 13200.
Assim como outras muito bonitas com listras
sem ser de seda, que vende a 500, 640 e 800
rs., todas estas las so modernsimas. E'
pechincha, na loja do Pavo,
Chitas a O, SO, 3*Oe SCO rs.
O Pavo recebeu um grande sortimento de
chitas de cores fixas, que vende pelos bara-
tos prccf s de 240 e 280 rs. o covado. Ditas
escuras fazenda muito superior, com novos
padroes a 320 e 3G0 rs. o covado.
Ditas muito finos padroes claros em teci-
dos de percales, com barra de cor ao lado e
sem ella a 360 e 400 rs.
Ditas pretas com tecido de crctone, fazen-
da muito superior a 30 e 400 rs.*o co-
vado.
Ditas de cores, miudinhas, proprias para
roupa de enancas a 360 rs. o covado. E'
pechiooha, na loja do Pavo.
Baptistns -a 500 rs. o covado.
O Pavo recelieu um elegante sortimento
das mais modernas baptistas de cores com
padroes miudmhose grados sendo proprios
para vestidos e roupa de^criamca, pelo bara-
tissimo prego de 500 rs. o covado, afiangan-
do ser grande pechincha !
Cortes lo caiubraia. ultima no-
vMauV.u J3000.
0 Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes do cambraia branca eom La-
badinbos ricamente bordados, tendo fazenda
sufficente para vestido de qualquer modelo,
estes vestidos sao os mais modernos que tem
vindo ao mercado, e pela sua excessiva ba-
rateza tornaw-se reeommeadaveis s senho-
ras de bom gosto.
Ditos oom baados de cor, tendo 20 me-
tro< de babad s a 93J0O0. E' grande pe-
clii cha, no Bazar do Pavo i rua da Impe-
ra'., iz n. 60.
CORTES DE CAMBRAIA BORDADOS.
O Pavo recebeu os mais ricos cortes de
cambraia branca bordados para vestida que
vende pelo barato greco ;< W.3l0f000.
CORTES l CAWBRAli-fWNCl.
O Pavo receben um lindo corte de cam-
braia branca oom listras assetinaxlass que
vende pelo barato preito V6J90.
Ditos com listras de cttrtes, tendo 8 varas a
4$ e 59000. E' pechincha.
EShattmjIOeV
0 PaiOi recebeu i um glande sontmenVo,
de esparttthos tanto para setthofft'como para
menina, que vende pelo barato prego de
3$000.
Ditos muito finos a 4JS e 5&000. Sao dof pre sa voldou por mais jaheiro,
mais moderaos que tem yindo ao merv dam-se a 7O0OO o corte.
cado. Ditosa6000.
Pegas de Hamburgo e panno de linho, ten-
do om 20 e 30 varas para todos os pregos
c qualidades.
Ditas de bretanha de puro linho. tendo 30
jardas, pelos pregos mais baratos <;ue se tem
vis'to.
Pechinchs de finissimo esguia > ou silzia
com 6 jardas a 75)000.
Pegas de finsima silezia com :0 jardas
a 353000.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 23000 a vara.
Calcas de casemiru.
O Pavao tem um grande sortimento de
calcas de casomira, assim como cortes os
mais modernos que tem vindo nos ltimos
ligurinos o em fazenda, dos mais finos e
mais novos que tem vindo ao morcado, e
vande-se por barato prego para apurar di-
nheiro, assim como caigas de brim branco e
de cores, por pregos muito razoaveis.
LEAOS ABAINUADOS A 13800 E 23000.
0 Pavo vende duzas de longos brancos
abaraados, sendo fazenda muito boa, pelo
barato prego de 23000 a duzia.
Ditos tambem abainhados, com beira de
cor a 13800.
Ditos grandes, fazenda muito fina, sendo
todos brancos a 33000,
Dito de cambraia branca, sendo em pega
8 33600
MEIAS CRIAS A 43 E 53000 A DUZIA.
O Pavo vende duzias de meiascruas, in-
glezas pelo barato prego de 43000 e 53000.
Assim como ditas muito finas e muito en-
corpadosa 63000, 73000,83000 e 103000,
e um grande sortimeuto de raeias inglczas e
francezas, para senhoras, que se vende por
prego muito commodo.
MADAPOLO FKANCEZ a 63000 E 73000.
O Pavo vende pegas de madapolo fran-
cez, que sempre se vendeu por muito mais
dinheiro e liquida-so pelo baratissimo prego
G3U00 e 73000, por ter feito urna grand
compra. E' pechincha.
AtgodAoziiiho a 4-3000.
0 Pavo vende pegas de algodozinho,
muito boa fazenda, pelo barato prego de
43 e 53000.
Dito largo muito encorpado, proprio para
toalhas e lenges a 63000 e 73000.
CAMBRA IAS.
0 Pavo vende cortes de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 23500
33000.
Pegas de dita muito fina, com 10 jarda,
tapada como transparente a 43, 53 e 63000s
at a mais fina que vem ao mercado.
PANNOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
O Pavo tem um grande sortimento de
pannos de crochet proprios para cadeira de
balango, para ditas de guarmgo e para so-
f, que se vendem muito em conta.
COIXVS DE CROCHET A 63 E 83000.
O Pavo vende colxas de crochet proprias
para cama de casal, pelo baratissimo prego
de 6 e 83000.
Ditas de fustn colxoadas, sendo de co-
res e brancas, pelo barato prego de 46000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
cretone e de chita, que vende por pregos
muito razoaveis.
CORTES DE PLIU.ALI.KS COM DIAS SAIAS
a 43000.
O Pavo vendo bonitos cortes do porcalles
com duas saias, sendo fazenda de muito gos-
to a 43000. E' pechincha na loja do Pa-
vo rua da Imperatriz n. 60.
BOTINAS PARA SENHORA, A 53000.
Na loja do Pavo rua da Imperatriz n. 60.
Pereira da Silva & Guimares receberam
pelo ultimo vapor de Europa um elegante
sortimento de botinas pretas e com delicados
enfcites de cor, proprias para senhora, garan-
tindo-se serem das mais modernas que ha
no mercado, assim como a boa qualidade,
por terem sido remettidas por um dos me
hores fabricantes de Paris, o vende-se pelo
barato prego de <5J>, na loja do Pavo.
SAIAS BORDADAS A 53, 6# e 83000.
O Pavo vendo saias ricamente bordadas
de 4 pannos cada urna, pelos baratissimos
pregos de 53, 63 e 83000.
Ditas de um panno s e com muita rodas
guarnecida de pregas, pelos baratos prego,
de 23000 e 23500.
Ditas com guarnigo de pregas e borda-
dos a 33500.
Algodfto eaifestodo a 1300W a
vftra.
O Pavo vende algodo americano enfes-
tado.e muito encorpado, proprio para toa-
Iha e lenges, pelo barato prego de 13000 a
vara.
1', Dito francez sendo trancado e muito en-
corpado, pelo baratissimo prego de 13280 o
metro.
Casemfras a e 13QOO.
O Pavo vende curtes djtt&sdmira fraoce-
za, sejjddj ftuenda rauila JpVior que sem-
56 aRua do Mrquez de Olintla 56 a
(outr'oru rua 4a Cadeia)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este antigo estabelecimento assaz conhecido como principal e recoaaaMu-
dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com que sempre prima em ter da*
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machinas amcrlcaaMS para *%
diio. desde 10 60 serras, e ha vendo em todos os taraaenos diversidades de systc-
mas e melhoramentos para perfeito e rpido descarocameato ; toraam-se dignas d-
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, alm disto, encontraran
tambera mais :
Apurados vapores locomoveis, de forga
de 2'/ e 3'/s cavallos cora todos pertengas
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodo, ou para outro qualquer mister.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e ladei-
ra.
Carros de mo para atierros.
Tinas de madeiras.
Baldes do dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-comidas.
Tampas para cobrir pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Temos de bandeijas finas.
Correntcs para arrastar madeira.
Cylkidros americanos para padariac.
Pertcngas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Brcu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lho e caf.
Debulhadores |ra nuiho.
Azoito de spennaceto para machinas.
Camas de Ierro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
Camos de ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos de chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.
Trens para cozinha.
Emfim muitos outros artigos, que s avista e ueste estabelecimento poder.;
examinados.
Pode obter em pouco lempo com o oto do mlhor dos licoresi ifiBadi
HESPERID1NA
Faz'oito anuos qne conbecido este precioso tnico, a difficil acbar orna r. e**-w
que, tendo experimentado pessoalmente, nao falle en sen favor, ji oomo boa Umac
a apetisador, tomando om caiix della antes de jantar, oa como facilitador da digastaa
tomando-so depois.
ABASE
da HESPERID1NA a LARANJA AMARGA, nao ba um s habitante do BKASIL (i t.-rr.
especial das aranjaa) que t.o conhega as propriedados medioinaes da doorada frrta.
ora Lora, a
AMASIA

em sen estado Lateral tem nm gusto pouco agradavel, e o mrito da Hesperid:ci :.>a
sisle em ter suas boas propiedades, e ao mesara lempo apreseoU-la como
EXQUISITO LIGOE
A HESPERID1NA como INDUSTRIA NACIONAL nao tem nada qr* ai M a.
melhores importaees eompas de cathegoria semelbante. Est?s, qoando mito, ; '
ser "ostosas, porm a Hesperidioa a combinarlo perfeita do
AGRADAVEL E SABAVEL
Para prova de que om artigo no qual pde-se terinteiracu. 3an.a. poi *
e innocente, basta dzer-se qne foi plenamente ipprovida e lutofisa : p<
L

DE HYGiEE
do Rio de Janeiro, permittindo sna livre elaborado m imperio; Wtfra
BOJL PttOVA
a acceitagSo geral que tem em tedas as parte.-* onde aaraaeutada. Em 1HT>4
lecense a primeira fabrica em Boenos-Ayres; em 1869 a segnnda em Montevideo : i
bo dia da ebegada de S. M. 0 IMPERADOR inaognroo-se a fabrica qce actBlmasu
trabalha na corte. Em Valparaizo e em toda a cesta do Pacifico tem boa coeitaca.
tanto que rara a casa qne considera completo sen aparador sem orna girraa d
DINA
0 hombm velho toma Hesperidina para oblar
VIGOR
O homcm doente toma Hesperidioa para obter
SAUD
O homem dbil toma Hesperidina para obttr
Nc9 bailes as donzeas e os mogos tomam a Despendida para :Ar
animago dorante os loncos gyros da
BARROS JNIOR 4 C, roa do Vigano Ten- rio n. 7, i' atria:. recab
grande especifico, e ven(im-no nos depsitos seguiste* :
Joaquim Ferreira Lobo, roa da Imperatriz.
Zeferino Carne ro, roa do Commercio.
Marcelino Jos Gongalves da Fonie, mi da Cadeta a. X.
Antonio Gomes Pires A C, roa d* Cadeia.
Antonio Gomes Pires A C, caes 22 de Novembro.
Gomes A Irmao hotel da Passagem.
i
Acaba de ser experimentado no engenho Frngozo o appzrelbo para apremptar o a*-
iOcar pelo svsteroa Cenlrifog.
0 PROCESSO
E' moito simples.
Tira sa a metedora das tasas da coser, botea-se dentro de qoalqoer vaailha para
:oalhar.
Logo que esteja coalhado passa-se para o appareiho em partidas de 3 1/2 arrahaa
le cada vez.
Send) assim ebeio e poeto em movimento, dentro da tt m utas estar o sainar
orompto e em estado re ser logo remettido. .para ser vendido.
0 resultado
Foi aer-se de 4 Ifi p^es de asstvcar 21 arrobas de si.' serte. O a*i
jxtrahido pvlo eppaielholefldo sido ftn nada prejodicao pelo profMW nne wWo, m
bindo mel d'engeaho e nS> Me! de furo, prestrm se a sfr neVsBienle cosida, daoda
appareiho aasoear de qnalidaoe e powo inferior ao do I.' processo, dando tal dMfc
r,esmo as formas rio bom resultado cano se fosse paseado logo das taxat para at Ma-
nas, aproveitando-se assim mais metade ) mel do que com o antigo vsKefea.
' Sendojao evitente as vantagens prodrzfflai por sraelbaote pparelba, o que m+
i ore-
jar ser varifleado pelos proprios seBbores d'tngeaho, esperam os rroprietrtM
5 tiqui-ppparelho, depois do risco qne corrermaco:semela3DteexperiOTcia.mereceTtm
ecf,-ao dos iHastradoe senbores d'eogeoho.


Diario do Peniambuco Sabbad 7 de Jnnlio de 183.
7
4

MIUDEZAS.
Soares Luile i Irmios, pedem as Exmas- familias desta cidatle, para virem sortir-se
i qiq comploto sortimento de miudezaa e perfumaras, por presos barassiinos, a
taber:
Caita de linha branca muito boa com 40
oovellos, a WO rs.
Mero idem de marca, a 200 rs.
Maco de fita cbineza, a 900 rs.
Duzia de pe^as de cordo imperial, a
180 rs.
dem em carritel de linha branca, a 320
rs.
dem idem earritel 200 jardas, a 1$000.
Laraparinas gaz, dando urna luz milito
boa, a 1JW00.
Abotoaduras para collete^sio baratas), a
200 rs.
Duzia depe<;as de tramjas caracol branca,
100 rs.
Idem idem lisas, a 200 rs.
Fita de velludo de todas as cores e largu-
ras.
dem idem de sarja idem idem.
Talheres cabe de viado ( imitacS) a 3#000
i duzia.
Duzia de baralhos francezes canto doura-
lo, a 39600.
dem idem beira lisa, a 2$500.
frinaldas para casamento, a 29 e 555000.
Garrafa de tinta roa extra-lina, a 1??000.
Caixa de botes de osso para cal$a, a
200 rs.
boques modernos, a 35P500.
Ma;o de tranca lisa de cores, a 2i0 rs.
Espelhos-toucadores, a 29000.
Resma de papel pautado e liso, a 29600,
19800, 39500, 49000 e 69000.
Caixa de papel amisade, a 600 rs.
dem idem idem beira dourada, a 800 rs.
Caixa de envelopes forrados, a 700 rs.
Luvas de pellica com pequeo toque, a
500 rs. e 19000.
Caixa de pennas Perry, a 800 rs.
dem idem, a 400 rs.
Caixa de envelopes trajados de preto, a
500 rs.
Loques para senhoras, a 29000 e 49000
dem idem de osso, a 69000 e 89000.
Indispcnsaveis de couro da Russia, a
109000.
vrospara notas, a 320.
Redes enfeitadas, a 19300.
Duzia de collarinhos bor Jados para ho-
mem, a 89000.
dem idem lisos, a 69000.
PERFUMARAS.
Garrafa de agua florida verdadeira a 19300
Idemkananga do .Tapo, a 1^200.
dem divina, a 19000 e 19200.
dem idem Magdalena (novidade) a 19500.
Frasco com tnico oriental a 19000.
dem do oleo Oriza verdadeiro, a 19000.
dem idem antique muito b >m, a 400 rs.
Opiata muito boa, a 19, 19500 e 29000
o frasco.
Caixa do pos para dentes, a 200 rs.
dem idem do pos chinez, muito bom, a
'500rs. e 19000.
Maco de sabonetcs inglezes muito supe-
riores, a 600 rs.
Duzia de sabonetes de amendoa, a 29500
e 39600.
dem de sabonetes de anjinho transparen-
tes, a 29200.
dem de sabonetes com flores, a 19500.
Lindas e elegantes caixinhas com perfu-
mes do autor E. Cudray e Cell Frres, pro-
' prias para presentes.
Sabonetes Glycerino transparentes, 19
i Chapeos para senhoras e meninas.
!
BIZAS DA RA DIRECTA
COSTURA DE HOWE
mm
VI
BOLLAS DE BORRACHA
Grande sortimento de bollas de borracha e calungas por baratissimo prego, e mui-
ios objectos que se tornara longo mencionar.
28 Ra do liaran da Victoria 28
FUNDICAO DO B0f MAN
RA DO BRM I. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS 8eobore8 de engenbo e outros agricultores, e em pregad o res de m
cainismo o favor de orna visita a eu eslahelecinvrit.., para verem o novo fiortimento
completi qoe ahitem; sendo todo soperior em uualidade e fortidSo; o qoe com a ins
oeccSo pesft>al node-se verificar.
ESPECIAL ATTENQAO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDIQAO
XTa-nrwex ~ A vnrlao H'aa'no ^os m3's aio3ernos ^ternas eem ta
Vaporo^ O iOUaS U ttgud maabos convenientes para as diversas
ircnmstancias dos senhores proprietarios e para descarriar algodSo. Q
Moendas de canna S^! 9 ,am3Db08' as'raelQ0,e8 qoe aqoi
Rodas dentadas para 8Dimae8'agoa e vapor-
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques.
fTar aitMslimioiUUO ep3ra ferrar madeira. ser molidos a m5o
"Rnmhfl* por agaa' vapor-
luuiuas de patente, garantidas........ | on aniraaes.
Toda* as machinas e pefas de que 8e C08lma precisar'
Fas qualquer concert d*raachiilisffi0' w **""**
Forman P ffllTO tem as melDOres e ra3i3 bara,as "sientes no mer-
l?n/)nmmanriaa Incumbe-se de mandar vir qnalqoer rnachinismo vpn-
FjIIL Jlllilltf LlilaS. la(je M clientes, lembrando-lbea a vaotagem de fazerem
?as compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qoalquer necessidade pode
;bes prestar auxilio.
Arados americanos
e instrumentos agrcolas.
RU DO BRUM N. 52
8
SOARES LEIE, IRMOS
NICOS AGENTES
A*
Kua do Bardo da Victoria 11. 28
As mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposico de Pars, em 1867, fo concedido a
Elias Ilowo Jnior, a medalha de ouro e a condecora-
do da Legio de Honra, por serem as machinas mais per.
fcitas do mundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Jnior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na expsito de Londres acredittm
estas machinas.
*^' .-' HOJE
MRCIUO DAS N. 5i.
Este estabelccimento sempre solicito M ollerecera concurrencia do rcsjH-iUvcl pu-
blico um completo sortimento du miudezas, calcado francez, chapeos o quin jiiilliarus
precos os mais razoaveis possvois, para o que recebo quasi to los os na artiay* le prr-
pria encommenda da Europa e America, vein dar publicidad.* de alguna artigis por tmjr
preces bem se pode avaharos presos de outros muitos que s> tornara cnla Um.Imi p>-
blicar.
MUDE7.AS. MIUDBA&
La para bordar, da melhor qualidade, 1 Brincos dito de dito rwr i?.V0.
libra por 5J500. Botes le sem prvU o lecon-s, a 80e)
Agulhas francezas, fundo dourado, a cai- e i**0 luzia.
xinha com 4 papis a 60 rs., 240 rs. i Franjas brancas le seda de tolas as lar
Voltas de fila de velludo com lindos co- g. 1^*00 o 15.00 o metro,
raedes fingindo madreperola, a 500 rs. "Itas dt <*'"* c Prols H0 r^-' ''
Voltas para o pescoco, lingindo camafeu, metro,
companhadas com 1 par do brincos seme- Hmm P:tos de s>*la, le mun
Ihante, ludo por 2#500.
\ 90S000

Cabe-nos o devor de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
York, estabelcccu nesta cidade ra do Baio da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral, para em Pernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
tura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeico de scu trabalho,
empregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
e pela introdcelo dos mais aperfeicoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
offerecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vwitagens destas machinas sao as seguinies:
Prmeira.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
circunstancia le nunca terem apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
da mao.
Segunda.Conten o material preciso para reparar qualquer dcsarranjo.
Terceira.Ha nellas menor friccSo entre as diversas peijas, e menos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Formam o ponto como se fra feto mSo.
Quinta.Pcrmitte que se examine o trabalho de ambos os (los, o que se n5o consega
as outras.
Sexta.Fizem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um outro lado,
e logo em seguida, sem modilicar-se a tenso da linha, cozem a fazenda mais
fina.
Stima.0 compressr levantado com a maior facilidade, quando se tem de muda
de agulha ao comegar nova costura.
Oitava.Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares, s3o hoje quasi deseonhecidas, outras soffreram
mudanzas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opinio de Elias Howe, mestre em artes mecbanicas, tem constantemente
augmentado o scu fabrico, e hoje nao attende a procura, posto que faa 600 machinas
por dia.
Cada machina acompanha livretos com instruc^es em portuguez.
A 90|>000
SOARES LEITE, IRMOS
A'
do Barao da Victoria n. 28.
*,
800 rs. a I-"MJ00 o mIr.
(AINADO FIIANCEZ
Botinas pi-elas nas|H'aiits, p.-im
'"oOO o par.
hitas ditas do duraqu< };*[halas, ry,
alto, a.'i-rooo.
Ditas [netas enlaitadas, ultima iii-i ':
Linha branca de 200 jardas em carriteis,
propria para costura de machina, a 800 rs.
a duzia.
- Dito de dita de Alexandre, numerario a
gosto do freguez, a 5100 a duzia.
Diademas dourados de 19500 a $5000.
Ditos de tartaruga com flores a 9000. 69000.
Ditos com borboletas a 19500. Ditas ,llla ,ori' (;,l,,i(J ll1"- ;
Brincos encarnados 1 par por 500 rs. a 6*500,
Ditos de plaqut le 500 rs. a 29000. i KlH para meninos, pr.tas .le c*r*. t
Ditos dourados, duzia de pares, a 19500 3?c MNM.
e 29000. Completo sortimento de aira li '
Voltas Ditas de ditos com corares a 19000. 10 X Jo que em outra qualu* p
Ditas de ditos de contas com cassoletas, a' CUAPUIS.
,S(in i- I Ricos chapeos! palliail Italia,
Bosetas de pla|iit a 19 e 19500 o par. jnbora. a II--OUO.
Gravatas de seda para senhoras de 19200 i DiU-s htos pallia escuro, da u iia
a 29000. i aleono.
Parures com 2 lagos para cabera o pcito ; -ouipleto surtiuHmio de t-!i;.p. .
a 39 o 49000. ;meninas e s-nhoras, .Ir 2--miii
Entremeioschabadnhos bordados de 360 i Chap ik mI Je sJl, H
rs. a 29400 a peca. 'marfim ;| ^">-
Cales de seda bramos e do cores.de Ditos dito d-in.ni., ah.. !
19500 a 29500 a pepi. I K> uomto a .>r.,oo.
Ditos de algodo e seda, de 19 a 19400! ,,|los (i" ,,,, *5 la Pflra "
a peca.
Ditos de algodo, a 100 o 500 rs. a peca.
Trancnhas de cores, a 100 e 500 rs. a
pega.
Loques de marfim a 59 e 89000.
Ditos de sndalo a 49500.
Ditos de madeira imitando, a 29000.
Ditos de papelloesa 19800.
Coques para senhora, a 3?, 39'iOO a i9.
Aderecos fingindo coral, cot pondo-se de
alunte e brincos por 29000.
Dito dito prctos por 29500.
Ditos de plaque!, compondo-se de a Bnete
e brinco, sendo de muito gosto, por 5?000. 69000.
'madeira, a 0--OO0.
Dii.is dita cabo da asarfini n 10.
DIVLBSUS ABiil.U-.
Granadine para vestidos, 1 la nln
ma mola, om li^tra< le sla. a I >" 1
vado.
Panooa de crochet para calir*s, a "*
e 29OOO cada um.
Ditos para sof, a 39 e i^KH.
Toalha* de linho p ; '.
urna.
Ditas de algodo alaOTMina, a %\
CoKas de craeM 'ira ranaa
Bandeiias Sanio Antonio. S.
y
l*
h aiM/ci do .loijiiim Lopes flacliado iC
Travessa do Corpo
Santo N. 25.
Vapores loconioveis de (uta de 2 a 4 ravnllos.
Correias para machinas.
Polias de diversos tamanhos.
Vaquetas para cobertos de carros.
.Solas de lustro para guarda lama
fontas de lauca para carro.
Chicotea para carro.
Gal5es largo e estreito para carro.
Fregos com cabera de marfim, idem.
Auiral, Mabueo i C. vendem bandeijas de me-
tal envernisada?, e do verdadeiro charlo do todos!
os tamanhos, para cr, copos, bolos, etc.. c'.c, c I
un completo sortiment) do balaios, cabaaw, ele,'
de vime, o rotim para llores, costuras, pao, etc.,'
etc. : no bazar victoria, ra do Barao da Victoria
numero 2.
c S. Pfdn.
c
garros.
Na ra do Conde ila Boa-Vista n. 87 la para
vender cigarros especiaes de tjdas as qualidades
e por barato praaa.
Merino preto a 800 rs. o co-
vado.
Merino preto a 800 rs. o covado, proprio para
vestido serve para luto, por ser s;m lustro, na toja
das 6 porlas em frente do Mvramento.
Entremeios, tiras e bicos a
500 rs. a peca.
Vndese entremeios, tirase bicos bordados a
retroz, proprios para enfeitar vestidos, e roupi-
nhas de crinea, pelo baratsimo preco de 300 rs.
peca na loja das 6 portas em frente do l.ivra-
mento, dao-se peras a inostra com penhor._____
Cha, preto e verde.
Amaral, sabuco & C, vendem cha preto e ver-
de, de muito boa qualid.de e chegado no ultimo
vapor e lape francez : no Bazar Virtoria, ra do
Bario da V.ctoria n. 8.
Amaral, Salmeo 4 wt:1'm -
vertiment) c iV-I'Jms das n-ut<
S. J.ao o S !' Ii svi-i..;i T i i
belet ele, Sao as mais eiigra';:nl: .. i-m <
ao mercado a MpHaa aara laaV
raixas de cmfeitm hmnlwii !
propriM prca ill.iiiiin.:." -
na ra do taran da Heturia ii i. \U\ut
Insignias macouinis.
Amaral, Nabora A C avi.au: *<< mm> .:... *
queeslao sii|i|"!i'l >s d' til iii.ivn i '
graos para os que quizerem
ta que r -tuni.i a fazer a S. I "
das reapeitavei lejaa ina';onica> ao a i .!
nho.
Alleiif.
Vende-se a fabrica de cigarros
ra A Varcilio Dia< Hl : i tra'ai
Massa batido
Vende-sc massa batida .! I i
ogos arliliriaes l '0 rs. a ni i.i. M I
avahada a 200 rs. : no annazcm >*' o t.
mperial n. 20", dcValdivino da pd _____
Taverna.
Vende-se a laverna da Caaab<'a aV Cana
a tratar na nnsma.
5.
GERAL
DOS PREMIOS DA PARTE DAS LOTERAS CONCEDIDAS POR LE PROVINCIAL N. 402, A BENEFICIO M JOREJA DO ROSARIO DE SWTO ANTONIO, EXTRAHIDA EM 6 DE JUNIIO DE 1873.
rss. PKEMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PISCIS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. PREMS. NS. nos. NS. PREMS. NS. PRE'
i 6 231 64 3M2 o 590 64 776 6 968 io 1120 64 1296 6 1536 64 1699 64 1837 104 2022 ZO0 2252 64 2429 65 2592 O* 278fl
12 38 98 91 77 ._ 69 64 28 97 38 1700 38 64 35 64 57 30 99 87
15 __ 46 ^^ 99 ,i 98 _ 84 __ 75 30 1303 47 2 ! 1 44 58 34 2604 -w Itt t
18 MBB 48 _ 405 604 _ 94 _ 88 ._ 36 18 60 3 44 02 67 40 36 ' II 1
22 __ 51 ^p^ 7 * 7 ^_ 96 90 37 20 70 6 --- 46 59 68 64 38 J 32 18 90 96 27
33 37 52 56 10 14 64 13 15 803 5 93 94 40 41 22 31 82 85 *- 13 14 49 51 _ 61 69 _ 70 74 *04 64 43 47 : 35 36
38 H 57 ,^_ 16 ^mm 16 ^_ 8 96 O 42 33 92 15 ---1 55 73 76 49 42 ^~
39 64 59 M4 19 4 19 _ 11 _ 99 64 45 41 -J 94 18 57 74 79 52 45 ^^
40 60 __ 23 _ 23 __ 18 __ 1002 __ 47 48 95 21 --- 64 78 82 55 __ 48 _ ni _.|
49 too,} 62 28 to 25 w 29 __ 3 __ 51 -49 16l * 22 74 89 84 57 53
59 6 65 --- 34 u 30 *. 30 _ 4 _ 52 52 4 io> 26 80 93 88 71 54
65 68 37 35 _, 32 5 _a. 59 _ 54 - 9 6^ 28 --- 84 2101 99 74 55 02 65 75 99 290! 16 17 9 40 44
73 __ 87 ^M 40 _ 43 - 40 _ 12 ^^. 65 65 11 29 85 28 ^^ 2308 78 104
77 89 _ 48 O 47 _ 41 __ 14 *, 66 66 13 34 --- 1901 29 9 79 64| 7*
81 * 91 --- 55 64 50 42 _ 26 - 71 73 15 35 3 36 17 87 _ 73 ^^
84 m 95 _. 56 __ 54 _ 47 i 28 7a 74 19 39 --- 6 38 21 89 a ai
86 6 99 SOOA 57 t04 58 49 29 --- 74 90 21 50 --- 8 40 37 91 -
92 124 " 302 8 69 59 61 64 62 68 55 60 34 38 --- 80 81 : 93 -1403 &:0004 24 33 404 53 57 _^ 40 19 I 42 49 MM 39 48 92 95 B^BH 2706
28 10 73 _ 72 _ 61 m 42 83 _ 4 64 35 64 62 20 55 --- 55 96 7 "*
30 13 __ Si ^B 80 79 ^mm 44 84 48 36 .i 66 104 26 m --- 60 97 13 ^^
34 14 lO 85 ai 89 _ 83 ... 46 --- 85 . 51 37 i 70 64 30 59 62 ^ 98 15 ""^
40 26 68 97 --- 94 86 t04 60 --- 86 65 -t 40 i 79 T 36 64 --- 71 *04 2513 22
52 27 . 503 104 701 38 64 61 t 99 69 48 - 81 37 68 74 64 15 39 ^^"
57 34 . 4 64 13 __ 900 64 1201 70 * 82 47 83 --- 76 4 16 41 "
62 30 tw 13 16 __ 12 104 72 2 _ 79 51 -* 81 49 104 85 79 4 17 -1 50 51 _; u ^ 99 57 O) 79
64 43 _ 16 24 18 64 74 --- 6 86 to* 54 82 58 64 91 83 31 ~
65 55 __ 24 __ 25 26 _ 79 --- 19 104 91 64 55 _ 94 --- 84 3 84 *04 33
73 - 62 _ 28 . _ 26 __ 39 0 2 64 95 8004 58 96 85 94 --- 88 64 34 ^^
74 m 1 40 35 33 __ 92 ---' 31 ^i W07 6* 61 > 1801 88 4200 2401 40 J 58 61 4 ""^ 79 79 81 89 99 01 99 99
76 - 70 40.J 47 *004 i i 43 -r 94 --- 40 9 M- 66 ' 3 89 6 12 41
81 __ 77 f 50 6( . 42 47 ^ 1101 _ 43 __ 13 70 6 , .91 7 --- 15 44
83 _ 79 60 48 __ 60 * 2 _ 53 15 13 10 . _ 2001 14 --- 17 46
86 84 _ 71 49 ^_ 53 % 3 m^ 61 te 77 17 4 21 --- 19 50 ti ^~
210 85 ^ 78 m^ 54 _ 60 .^ 4 I 73 - 28 - 78 It 24 8 34 --- 27 50 - 7* ^
11 87 80 63 62 9 --- 88 32 83 28 16 45 --- 28 67 ^^
27 * 90 86 71 66 1 16 """ 92 * 34 "Oal
L




8
Diario de Pernambuco Sabbado 7 de Junho de 1873.
\
JURISPRUDENCIA.
Con mi 11.
Jeaquim legou a sua sobrnha Cecilia,
casada com Joaquim Jos diversos predios,
sb a cou dicgo das palavras seguimos :
Declaro, (jueeslc leyado dnsdez moradas
de casas, existentes o das demais, que pos-
suir ao lempo do mea faliecimento, tem a
condicco inseparavelde nao poderjm ser
vendidas, trocadas, hypnthecadas, ou por
qualquer maneira alienadas; pois s a"
poderd detfructar em toa vida aquella mi-
nha sobrinlm e seu marido Jouquim Jos;
e por morle de ambos passardo d seta fi-
laos legtimos, os quaes as desfructardo,
em quanto vivos forem, em iguaespartes
de seusrendimentos, san que.possam igual-
mente vender, trocar, hypothecar ou por
qualquer maneira alienar, e por morle
d'estes passardo a seas fdlios legtimos,
que as possuirao e daminardo, sememba-
razo, nem condiccao algnma.
Cecilia Rosa e sen nutrid Joaquini Jos,
deixaram somonte urna iilha Mara, casada
com Manuel. Morrn, porm, Maria, de-
xando diversos filhos do sen consorcio com
Manoel. o qual lew de proceder o inven-
tario dos bens do son casal para dar parti-
dla a sens lillios.
l'ergunta-se:
1. Por nosso DiroitO, sao permittidas as
institu caes fideieommisearia em mus de
vm gru ?
2." At que gru sao permittidas assubs-
tituieoes fdoicoininissarias ?
3." Si sao ellas permittidas at o segundo
gru, inorta Maria, em quem o segundo
gru realisou-se, toron nao Manoel direilo
i meiago das casas, de ipic trata a dis-
pnseo supra transcripta?
\ *oi>Aiti,< i:n.
i
Ouant) aosprimeiro o segundo quesitos
da presente consulta, entendo que, polo I)-
reito Civil Prasilcro, sao permitidos M MW-
littticocs /deirommismrias at o segundo
gru, como o de que se trata.
Os Alvars de 7 de junlio do 177o, art.
50; 10 de setembro de 1750, ."; 13
de agosto de 1751, 51 ; c de 8 de junho
de 1773condieco 14pormittiam fidei-
commissos temporarios, ou mesnio perpe-
tuos, para as aegos das Coinpanias do
Gram-Par o Maianliao, dos vinhos do
Alto-Domo, do Pernambuco e do Algarve,
volitado dos seus proprietaros.
K' corto qu o Sr. l)r. Teixeira de Freitas,
na Consolid. das leis civ. (i.'edicgao) .nota 2.*
ao art. 73, opina do seguate mudo, ptico
mais ou menos -.que a lei de l de outubro
de l83."prohibindo o eslabelecimento dos
margado*, capellas e outros quaesquer vn-
culos, ti: qualquer natureza ou denomina-
cao aue sejam, e nao se conbecendo outros
vinculas que nao sejam os morgados e ca-
pcllas vinculadas, na accepgo rigorosa e
especial da palavra, isto o encargo per-
petuo de substituirlo, impossivel 5e torna
saber quaes sejam esses vnculos de diversa
nature/a ou denominarlo, que alludea lei
de 1835; e por conseguint; ella inintelli-
givel, ou alias, prevonio o que a de 3 de agos-
to de 1770, j bavia prevenido; sendo que
tambera nao se poJia referir aos fuleicom-
missos famUiare perpetuos, porquanto
l.obo os chama tambem moryados.
E poisreleva concluir que esses outros
vnculos, de que trata a mesma lei de 1835,
se devem entender os /ideicommissos tem-
porarios, ou institincoes /ideicommissarius
ilo >.' gru mi diante.
U mesmo Sr. l)r. Teixeira de Freitas,
na primeira edigo em 1857 da dita Con-
solidaeo nao enchergou essa sua doutrina
oxposta na segunda a respeito d'essos lidci-
commissos.
Sendo anda consultado sobre essa mes-
ma especie, melhor explcon a razo, pela
qud assi.n pensava, aos 11 de agosto de
1808, as soguintes palavras textuaes:-
Que entenda a lei n. 57 de G de outubro
de 1835 com a mawr amplitude posskel,
sein estrauhar a opinido dos divergentes,
porque a sna redaedo fo pouco acurada.
Que toe /ideicommissos sao verdaderos
vnculos, na accepcao lata d'esta palavra.
o expendido sncondue, que o Sr. I)r.
Teixeira de Freitas considera de pouco tem-
po paracaexlinctosporaqueH* lei de 835
os /ideicommissos do ?." gran -lebaixo da
accepgo d'ella e quaesquer outros vncu-
los de qualquer nalureza ou denominaedo,
que s>-jam, porque elle outros vnculosndo
conhece.
II
Mas, por corto elle olvidou-se que, para
serem considerados vnculos taes lideicom-
missos, faltam-lhes os seus principaes carac-
teres assim como que os inalituidos n'esses /idei-
commissos sao tidos apenas com direitos e
obrigaces de rerdadeiros usufructuarios.
segundo insimiam Corroa Tollos, Dig. Port.
liv. 3." art. 1.029, Coelho da Rocha
$ 497.
Alm d'isto, fcil era de entrever, que
essas palavrws consagradas na dita lei de
1835e quaesquer outros vnculos de qual-
quer nalureza ou denominaedo que sejam,
em seguida stlr. rno'-g.idos e capellas,
deveram referir se, debaixo d'essa for-
mula indeterminada, todas as outras es-
pecies, ou equipolencias dos mesmos vn-
culos existentes ainda menos propia-
mente assim qualilicadas, quer: l.8 os
monjados irregulares, que pida lei de 3 de
agosto de 1770, tomavam tambem a natu-
reza de margados. 2." os fuUcommissos
familiares perpetuos, considerados morga-
dos pela lei cit. Abncida o Soiva,Morgado,
cap. 10 11; 3 as capellas ou encargos
pos, alias se.n voeacfio do administradores,
de quenos fallam Mello Freir, liv. 3." tit.
0, & 20, tit. 10, Gama.deciso 30, Dig.
Porl. liv. 3." art. 1,372; 4." as dotaces
/'citas para decente manntenedo do ornato
das Ermidas ercc'as para missas particula-
res, cit Dig. art. 1,373 etc. etc. ; quer
outros quaesquer vnculos ja* constituidos
ou anda, possiveis todos estes impropria-
mente denominados -morgados, ou capel-
las,mas somonte equipolentes.
bogo, evidentissirao que aquella le de
4 de outubro do 1835 nao s refeno-se aos
morgados e capellas, propriamente ditas ou
regulares, (quando o instituidor adoptava a
mesma ordein de successao admittida no
reino de Portugal,) seno lamben esses
cima enumerados, denominados margados
irregulares (quando o instituidor se afastava
d'aquella ordem de successo), islo
todos esses vnculos, quer at ento exis-
tentes, quer a outros quaesquer possiveis
no futuro; mas nunca aos fileicomminos
at o 2 gru,. os quaes jamis liveram
aquello intrnseco carcter de perpetudade,
que acompanha aos mosmos vnculos, ao
passo que sao instituyos succossori.is pu-
ramente temporarias.
III
E pois por nao ter sido acurada a re-
dago dessa lei de 1833, como pronun-
ciou-sc o Sr. Dr. Texoira de Freitas na ci-
tada nota 2a ao art. 73 da Cons. Ci.
ferivel s extremas dos Sabinianos, e Pro-
culeanos, porque os primeiros sabiam bar-
monisar oespiriti da lei com asna letra,
ao passo que os segundos materia lisa va m
a lei por amor da letra, e os ltimos sacri-
ficavam esta por amor do espirito.
IV
A propria Franca reconsiderou jtdiciosa, e
maduramente sobre esta mesma materia, esta-
tuando (depos do seu Cod. Civ.) pea sua
lei de 10 de maio de 1>26- que dos bens
permittidos, ao testador dispor, nos termos
dosarts. 1)13,918e9iGdomesmoCod., (isto
, quando tenham descendentes ou ascenden-
tes ) podorftosor dados total ou parcialmen-
te por actos -nlre vivos on testamentarios.
um ou mais descendentes do donatario,
quer nascidos, quer nascituros, at o 2" grdv
inclusivamente ; o que sen duvida consti-
tnie verdaderos fdeicoinmissos at esso
grao.
Esta dsposgo ainda-mais robora a mi-
nha opiniao, de que tal hoja a doutrina
gerabnerite recebida
Longo de prevalecer aquella opiniao por
individual e por demas extensiva, do Sr.
Dr. T. de Freitas, como elle mesmoqualili-
cou-a, observo que ainda no nosso paiz
subsistem alguns desses li leicomissos at o
2 gnu, quer instituidos antes daquella lei
n. 57 do 1835, quer mesmo posteriormen-
te, os quaes vigoram sem a mnima conies-
taco.
V
S -naminha familia -hae vigoram dous
d'ollos som a miri na contestar.ao, saber,
-um instituido por meu av materno, em'
testamento, o Sargt/nto-mr Man el Pinto
de Souzapara seus filhos e flh.isr netos e
notas, -emum sitiolno Manguinho, eem um
sobrado ra do Vibrio d'esta Cidade, de
quefoi usufructuara minha av materm ; e
do mesmo modo outro instituido, em 18i2,
(depos d'aquella le), por minha mii D.
Anua Mara do Sacramento Regueira Pinto de
Drummond, hojo convertido no Engonbo
Anjo, em Sorinbaem; tendo sido usufruc-
tario meu pai, at o respectivo falleci-
mento. Km 18i6 ou 18V8 (tambem dc-
pois d'aquella lei), Francisco da Silva,
Negociante d'esta praca, instituio ou-
tro fi leicommisso em diversos predios para
seus filhos e netos, o qual ainda vig ira sem
opposicao alguma.
Outr.isim, o Supremo Tribunal de Justiea
do Imperio mantuve, por Accordao de 2i
do abril de 1869, um idntico fideicommisso
at o 2. gru, cono se v da Revista Jur-
dica, tomo 8 (dejunhoadezembrode 1870),
de pag. 314 316; e por igual tem sido
julgado por outros Tribunaes Superiores do
nosso paiz.
N'em conheco razo alguma plausivel para
vnculos, que sempretivessemadministra- accordo com l.obo %>tas d Mella liv. i.'
dores legtimos, ou dativa: -como por ex- tit. 13, 22; baseaudo-se esta opiniio em ser
emploos doquetrato os AlvarasdoSde'se- inalienavel a heranca grava la de lideicoin-
tembrode 1786; 27 de marco de 1788; misso, visto como tem de ser transmitida
20 do maiode 1796 ; lide j.noro de l#07; aos herdeiros t lecommissarios, que no caso
15 dejunho, e 20 de agosto de ItfJ, etc. vertente sao os filhos de Maria.
E tanto foi este o ponamenfo, qne nessa Entretanto, entenlo, que Manoel cabe o
discussAo se consideraram n'io comprehen- usufructo dos bens constitutivos do fi lei
didos n'aquelle projedo.convertido na citada co.nmisso portencente seus lilhos, por isso
le, e por isso excusa los do Sirem contem- quo taes bens sao por direito adventicios
piados em sua redado ospreprins bens cuja proprie lade pertenee-lbes, bemcomi
vinculados, que administraos corporares o usufructo e a lministraco delles -aquello
de mo morta, cujosreiuUmenUssaoappli- seu pai. Or. liv. 4.* tt. )7, $ 19, tit. 98 ;
caitos para as necessidades, c soccorros pu lei I, tit. 88 6, consl. -I col. do bonil
Micos; os quaes alias ain 11 subsistem em Maternis (660)
toda a sua plenitude cdnorai n-c s;aria- Assim pomo, o opino, salvo melhor
monte subsistir, emquanto Dos nao permit-1 juzo.
tjr, que prevalec aquella opiniao in li vi- j Itecife, 20 de mao de 1873.
Dr. Antonio V. lenezes de Drummond.
UCTERATRAT"
lllt 'OllSlilllit'tll lo poilt'i' l'^>-
Intivo em um i'siuilt livre.
(Continuaf;o)
Por oulra, pu lo:n votar entre nos as
eleices primarias, segundo a coustitui^ao,
aquellos d'entre os cidados brasdoiros e
estrangeiros naturalisa los quo estando no
goso de seus direitos politicos o tendo polo
menos 25 anuos de idade ou mais de 21,
dual, ou interprotaca.i latissima prestada
pelo Sr. Dr. Teixeira de Freitas, em mans-!
(esta opposicao ao espirito d'aquella lei, islo
, adversa & tolas, e quaesquer nstituicoesI
fideicommssarias, anda que temporarias'
(cono as do 2." gru) que somonte por te-1
rom pintos de contacto, onsomelhanca, ou ,
seren un pouco equipolentes aos vnculos,
elle eonsiderou />vo fado el ipso jure
desdo ligo abolidas.
VII
Suliida fineza b.ii polerix prostar-m:;
aquel I eximio JurisconsultoBrasidirosi
meexplicasse como ser possivel conciliar
aquella sua absoluta doutrina -con a dis-
posicio do Decreto n. 1,22 i do 20 lo agosto
sondo casados, olliciaes militaros, hachare.s
le \Sbi -que autoris.i-s Lorporafe*de foninjos 0 c|crigos de ordens sacras, fo-
mdo morta pan convsrter em ap dices da
divida publica (consideradas como mino-
movis -cit. Consolidado- Not. I ao art.
3; osbens7e adquirirem; nina voz, que
as reas desses mesmns bous tenham do
ser applicadas animalmente para cortos Ibis
pios, cumo dotaces para casamentes do or-
pbs, csmolas para sustento de puliros etc.,
etc., deaccorlo com a Or. liv. 2 tit. 18
I." !...
Serao, on nao fi loioommissari is essas
ustiluicos, equipolentes, ou com carcter
proxino de viados? Serao ou nao ellas
-vigentes entre nos ? Dar-se-ha por ven-
tura alguma excepto mesma lei de 1835
a respeito da especie vertente pelo citado De-
creto u. 1,225 de 1864, quando alias ello re
fere-se especialmente sinstituifdqs idnti-
cas ana teem por fundamento preexistente
aquella Ord. liv. 2 tit. 21 tit. 18 f ?
Eril magniii Apollo!
Para completar a demonstradlo desta mi-
nha these, e pulversarde ama voz -
aquella singularissima opiniao do Sr. Dr.
Teixeira de Freitas, em meu apoio veio a
resolucu lomada por unnnimidade de vo-
tospelo numeroso, e Ilustrado Instituto
dos Advogadus Brasileros na Corte em sossao
se proscreverem taes substituiees fidecom-[de 12 de dezembro de 1872 declarando
(2*clicQo) entenlo, que se th nao deve
dar inteapretaed) Ida extensiva e tan lata,
cono essa. que Ihe aprouve prestar.
Paroce-me tomeridade querer no silencio
e obscuridadoda le, dardho urna interpro-
laco tal, que importa vsivelmente supprl-
a ou amplial-a, ou, pelo menos concluir
peluabsur lo; principio altamente condemna-
dopor to los Jurisconsultos, como Bousquot,
Dict. du Droit verb. Jailemphyleutique;
ao passo que a verdadeira e s hermeneuti-
cajuridica, pratica ouexegtica, offerecesem-
pre a melhor soluco e outros muilos recur-
sos, e ministra toda a possibilidade de pe-
ii)lrarse o espirito e o alcance de qualquer
lei dofeituosa em sua rodaoo, ou duvido-
sa com relar o aos factos oceurreutes, ou
mesnio silenciosa, sem alias o Jurisconsulto
ou Interpreto constituir-so, por aquello no-
do, um elemento do Corpo Legislativo, e
d'ahi rccullarem ainda as fataes consoquen-
cias do lot capila, lot s-ntcnlue, que sao
anomalas evidentes o repugnantes em ca-
sos taes.
Na interpretarn ou reconstruccao do pen-
samento cuntido na lei, nao se deveadstrin-
gir supersticiosa observancia da sua letra,
era ultrapassar c distender de sua in^nc-ao,
mas siiii manter a maor barmonia entre
esses dois elementos, que essencialmente a
conslituem, Lex esl quod lex voluit.
A escola dos Erciscundos sempre fo pre-
inissarias at o segundo gru, quando vejo
que, pelos principios rasoaveis e justos om
que ellas se baseiam, alguns cdigos civis
modernos as acceitam, como o da Prussia,
parte 1 atit. 12, art. 55 ; o do Chile, art.
7^4 e segs., art. 1164 a 1*66 ; o de Por-
tugal, art, 1867 i. e 2., era reiacao
aos netos e mais descendentes do testador; e
assim outros Estados da Allemanha;
a Inglaterra, o os Estados-Unidos at
com inaior latitude e onde alias a proprieda-
de se acha constituida sb mais solidas ba-
ses do que na F'ranca, a qual pelo art. 806
do seu Cod. civ. prohibi taes substituiees,
bem como para mi'a-la praticou a Blgica;
sendo que na mesma Franga essa disposi-
eo fo abrogada pela supracitada lei de 10
de maio > 1826.
A COPETA DIANA
ORIGIXAL BRASILEIRO
POR
.4. von IIoonliollz.
X
O RAPTO.
(Continuago do n. 129J
Mas quelh'eide eti fazer? Stou assim
com repentes de ir ver se a consol, mas
que diabo lb'ede eu dizer, heim ? Se for
conversar com ella talvez que a aborreca
ainda mais, e mesmo quem sabe se me vira
com algum pedidozinho de nao a entregar
pessoa a quem vai consignada ?
Ento o melhor ficar calado e dei-
xar-e de conversas.
E' o verdadeiro,replicou o mestre;
e ambos cncaminharam-se para proa.
Duas horas mais tarde era noute cerrada,
a corveta havia desapparecido no nevoero
do horisonte ento transformado n'uma bar-
reira negra e impenetravel aos olhares da
infeliz amante ; ella levantou-se pois e dei-
xando escapar do mais intimo de sua alma
torturada um suspiro longo e profundo,
desceu cmara, dirigio-se s apalpadelas
para o seu camarote, fechou-o por dentro e
atirou-se de novo sobre o estreito beliche,
nica testemunha da dor cruciante que dila-
ceraba sua alma afllicta.
Tres das depois o contra-mestre annun-
ciou a Amelia que estavam em frente bar-
ra e pedio Ihe que subisse tolda porque
n entrada do porto a distrahiria e Ihe faria
bem. A passageira, ou melhor, a prisio-
nera, obedeceu, e fraca como se achava
foi-se deixando carregar para cima. Seriam
dez horas da noute, a la em crescente esla-
va quasi a sumir-se por detraz do Gigante
de pedra, que, com o jogo suave do navio
pareca por urna illusao de ptica baloucar-
se em seu leito verde escuro. Nenhuma va-
ag perturbava com seu bramido aquella
quiotag.ao da natureza, e amar de endien-
te e viracho do sul impelliam o patacho ve-
lozmente para dentro.
(Juc maravilhoso espectculo, que pay-
sagem magnifica se ia dosenroando ante
aquelles olhos cansados de chorar. A ba-
ha deGuanab?ra, qual lago encantado dos
contosOrientaos, reflcctia com3 um espelho
os raios prnteados fia la prestos a escon-
der-so, e simulava urna segunda abobada
onde se achavam encrustadas myriades de
estrellas mais brilhantes do que os astros
que ornavam o proprio firmamento ; sobre
essa lisa superficie repousavam em profundo
silencio centenares de embarcarles, cujas
sombras bizarras se alongavam em formas
espantosas. A' esquerda, soberbos e gigan-
tescos montes projectando no espago suas
negras comas e orlados na base pela zona
luminosa dos lampeos a gaz, pareciam os
guardas fiis d'essas habitag-es apinhadas
urnas sobro outras e que abrigara sob seus
tectos quatrocentas mil pessoas de todas as
classes e condiges ; aqui Botafogo, Flaraen-
go c Gloria ; mais alm a cidado e ilha das
Cobras ; direita e do lado opposto brancas
casas, que, agglomeradas ou esparsas pela
extensa margem da bahia, formam a riso-
nha ci lade de Nitheroy e q aprazivel bair-
rode S. Domingos ; no fundo, finalmente,
longinquas trras que se afastam em peque-
as collinas e se vo elevando ateos azula-
dos pincaros da imponente serra dos Or-
gos.
A moga esquecera-se de si mesmo, sua
vista fatigada percorria com intoresse e cu-
riosdado todo esse conjuncto maravilhoso
da natureza e da arte, quando o mestre co-
mee, >u a manobrar, mandou forrar o panno
e fundeou o patacho junto fortaleza de
Villegaignon. S ento foi que Amelia, des-
pertando d'aquella especie de attonia cabio
de chofre na triste realidade da sua posigao,
e langou a vista inquieta para o lado do an-
coradouro ; algumas dezenas de embarca-
ges de alto bordo alli se achavam Tundea-
das, mas entre ellas deetacava-se urna cor-
veta rasa e compridaj^ Um vislumbre de
esperanga reanimou a joven e apontando
para o navio que tantas vezes contemplara
da sua janolla, perguntou a um marinheiro:
a Aquella nio a DSano (
Qual?-- Ah, aquello, casco negro?
Ora quem nao conh-jcer^^Bf spadago
VI
Finalmente, da propria discusso bavida
sobre o projecto d'aquella lei n. 57 de 6 de
outubro de 1835quer no senado (sesses
de 19, 25, e 26 de setembro de 1834, 8,
14, .5, 16, 22, 23, o 25 do mao de 1835),
quer na Cmara dos Deputados (sesses de
4 do junho, 5, 25 e 29 de setembro de
1835), emque tomaram parte os Senadores
Mrquez de Caravellas. Visconde de Con-
gonhas eCaeth, Paula e Souza, forges,
Saturnino, Carneiro de Campos. Joao
Eimnqesta, Rodrigues de Carvalho, Malla,
Bacellar, e os Deputados Conde de Valenca,
Visconde de Goyanna, Bento, Barroso, Cus-
todio Das, Luiz Jos, etc. etc., segundo
consta dos jornaes do commcrcio desses
dous annos, bem se evidenciaque a inten-
go nica d'aquelles legisladores foi abolir
smente os morgados, capellas, e os outros
que nosdeuto furiosa sova. E'ella, sim
senhora, foi a tal que nos registrou na al-
tura da Canana.
Pois quero Ihe pedir o grande favor de
levar urna carta a seu bordo.
Nao ha duvida, da minha parte estou
prompto ; mas o caso est em ter um bote,
porque a nado nao diego l ; e de mais a
mais, so amanh depois da \isita que nos
p demos communicar com os outros navios.
Olhe, se vossa merc quer que a carta v
com toda a seguranga pega ao ofllcial de
visita que a leve, porque elles l sao olliciaes
o servem-so com gosto ; isto no caso de
ser a carta para algum dos olliciaes da cor-
veta...
E' dirigida a um tenente que meu
primo e a quem desejo communicar quanto
antes a minha chegada.
Pois o que Ih'o digo.
A moga conformando-se com as razos
aprosentadas pelo marinheiro, desceu c-
mara e escreveu o seguinte :
Sr. Alfredo.
Existem sobre a trra creaturas que nao
sei para que nasceram, pois a vida lhes corre
de principio a fim por entre martyros e afilie-
ges ; eu sou urna dessas infelizes engeitadas
que nada tendo gozado dos prazeres e ven-
turas deste mundo, s d'elle bao condecido
os padec montos pbysicos e moraes.
Ha quatro mezes senta-rae apenas in-
feliz pela cempleta orphandade a que o
destino rae condemnara, mas a minha m
sina conduzio ao meu encontr um homem,
que me magnetisou com seus olhares de ro-
go e a quem ame como urna louca.como s
urna louca e inexpnente donzella pode
amar I... Confiado n'elle e no futuro ven-
turoso que me hava assegurado suppuz-me
feliz e soceguei o raeu espirito... Porm
nao recordemos esse amor que rae mata
risque-se por urna vez da memoria a lem-
branga d'essas horas de ephemera fecida-
de... agora dirijo-me, nao ao meu dolo de
outr'ora, que desprezou-rne, preferindo tal-
vez algnma seductora vbora que o faga
ainda arrepender-se dos soffrimentos que me
tem causado, mas sim a dm homem que
deve ser grato minha familia e que sopor
considerarlo a ella nio se recusar a salvar-
me das garras de um vil e infame seductor
aue me arrancou com violencia da casa
de meu to, atirou-me no patacho que foi
que pela legislacao patria sao permillidot
os fdeicoinmissos de mais de um gra, os
quaes nao podem ser considerados as espe-
ces, de que trata a lei de G de Outubro de
1835, segundo foi transcripto no Diario de
Pernambuco n. 109de 13 de Maio
ultimo.
Seja-me licito pois applicar a respeito o
julicioso dito de Horacio.
Indigno!'quandoque bonus dormitat Ilo-
merus.
VIII
Por tolas estas considerages, concluo
que a lei n. 57 de 4 de outubro de 1835
nao se poda referir taes /ideicommissos
temporarios, ou at o 2." gru smente, os
quaes nunca foram considerados vnculos,
como alias equivaliam os /ideicommissos
perpetuos (segundo Hernecio ad l'andect, p.
5, nota 218 ; Almeidae Souza, Tratado dos
Morgados cap. 108, n. 18) bem como to-
dos aquellos retro mencionados, adduzidos
do Dr. Romanon. 159 ; ao passo quo os
supraditos mais se haruioisain com o espi-
rito das lois patrias e das uages modernas ;
pelo quo devem ser attendidos do preferen-
cia. Lei de 18 de agosto de 1769 9.,
segundo insina C. Tulles Doutrina das
Acedes, nota ao 165.
IX
A respeito do torceiro e ultimo quesito.
estou convencido que Manoel, viuvo de Ma-
ria, fiduciaria, nenhiira direito tem
meiago daquelle fidei commisso instituido
por Joaqun), porquanto da propria natu-
reza de taes fideicomuiissos, deixados a
qualquer dos conjuges, a incommiinicablida-
de entre elles. Coelho da Rocha, 245, de
registrado em viagem pela Diana, eordenou
ao mestre que me trouxosse para o Rio, on-
de devo ser entregue nao sei a quem !
Salve-me, Sr. Alfredo, salve-me pelo
amor de Dous antes de mo virem buscara
bordo, e restitua-me outra vez minha fa-
milia. Fui raptada por Tionizio e mais
dous sicarios em urna noute horrivel e tem-
pestuosa, c quando, presa da mais viva in-
quietago, acabava justamente de orar por
aquelle que com tanta ngratido se esque-
ceu da pobre
kmelia.
Esta carta em que Amelia quizera mos-
rom proprietarios, euiprega ios pblicos, ou
exercerem por sua conta algum genero de
commercio ou industria, salvo suuient m
primeiros caixeiros c guardas-lvros das casas
de coinrnoreio e os administradores das fa-
zeudas ruraes o fabricas, tendo toJos urna
ronda liquida animal nunca menor de com
mil ris.
I'ra d'estes cidados neiihum outro mais
podei votar entre nos.
Que legislacao mais sabia e mais provi-
dente se pode desej.ir no que esseini.il
para urna boa cloigo ?
Aquellos quo nao oscrupulisam M de-
preciar o que nosso por falta de bem o
conipreiilieuderem, para s acharcm bom o
que alheio, atiram-nos cara rom a le-
gislacao portugueza e belga, som saberem
que no quo ha do essoncial sao estas legis-
lages, quasi simples compilaces da nossa,
variando smente na part regulamentir.
Mas dirn os contradictores do noss i le-
gislador coustitunte, nao assim que se
pratica no paiz, pois entre nos tuina n parte
as eleiges primaria; nao somonte os pro-
prietarios e cuipregados pblicos e os quo
exercem por conta propria algum genero de
commercio e de industria seno tambem
todos aquelles que por qualquer genero do
trabalho, qur exorcido por conta propria,
qur por conta alheia, tem de ron la liquida
animal a quantia do com mil ris.
Confossamos que assimso pratica infe-
lizmente, mas que islo nao foi sempre
assim.
Esta pratica contraria ai que dispe a
constituigao, o o quo mais ao simples b m
Sonso, sendo d'ahi principalmente que re-
sultan) todas as desordens que de corto
teinpo para c se tem dado em nossas elei-
ces.
E' contraria constituigao porque exdu-
indo ella positivamente do exercicio do di-
reito de voto os criados do servir, declara
quo n'esta elusse nao entrara os guardas-li-
vros o primeiros caixeiros das casas de
commercio nein os administradores das fa-
zendas ruraes s das fabricas, d'onde seguo-so
que esto india incluidos todos os mais
caixeiros de ditas casas o todos os quo tra-
balhara as fazendas ruraes e as fabricas,
nao sendo administradores d'ollas.
Estes individuos equiparados com razo
pela lei aos criados do servir, nao podem
conseguhitemenlo votar, qualquer que soja
a renda pie tenham porque esta nao Ibes
d a independencia de que carecein.
E' contraria ao bom sonso porque aquel-
les que trabalhaui por conta do outrem a
dia, a mez ou a anuo, o. d'osse trabalho
tiram a sua subsistencia, vivom na depen-
dencia do individuo que o enproga o nao
podem conseguintomeiite votar com a pre-
cisa liberdade.
Alguns replcaro ainda, os guardas-li-
vros c primeiros caixeiros das casas de com-
mercio o os administradores das fazendas
ruraes e das fabricas
caso, pois sao Uiobna
que os empregain.
E verda lo que essas iariiviatos ato i
por aquelles que os emprogaas,
verdad que se scbmbb Uo
d'elles c mo os ullisaos CMuirss^as
cotnmerciaes e os simples trata
fazendas rui jos e das fabricas.
0 negociante, o faaendeiro, s
por amor do seu proprio ii
pedirn to prouipumeefe ss
prcgidos de seus esUbdm-iaMatos, tos
quaes umitas vezes depuii dos ini'sinus, cun > aos uutms qur fa
te podem srr substituidos.
1 temis quom ii v que a pssicto to -
nao a uiosuu que a do> -Kilrus?
I ns maiilam, os ou Iros sao narladu.
Execute-so liolmente a codsUUiH.o, ^w.-
dasapparecero para lugo
inconvenientes que se d.i oin iki
'."oes, pois s a ellas coiM-orn.Tao,
Ir'ora, cidados in ojmi inii^s,
por coiiS'-guiute do prestan> jos raprovaitos que os ptriil.K
einpregar pira lcau<;arein a vi.ioru.
VIII
Cromos ter dito bastante quanto a > dirai-
to de voto que perteuce a todo >i < i Ij-I.
souieuto pela sua qu.ibda h- de mewhwti -k
eslad. e quanto ao exercicHi d'ete dirato,
que si'i pode -or por.mttido aquella qm- nao
tem r.-Hi'ra si nenhuma das in< ;i|m< idaitrs
reconli"' i las p -la boa raza i o;n nip-di
ment para o linn dcsvinp*ilio dr tao iin-
porl.inte missao; quantu,poma,a i'leieao omisa diversa, |mis j. nio c poje
mular com essa simplici lado prmiiiva ou
antes rom rss- patri ilisino iioto de outr.i-
eras que nu permitlia que iimgu-iii .-sj
culasse con o be: ,|n .-sl.i lo.
lloje, infelizmente, eiimn-ns nun-r .
d'aqiiellos que se apres-utain ca.ililu
doputaco geral e i pruvunial, n.i > p irqn
osli'jan convencidos que polom, :ii-||,
que outros, d -l.-n iei, sustentar o pronto* -i
o bom do paiz ou di provincia, mas purqu
o lugar d: lopitido geral ou provincial
Ibes pro|Krciona nssiui de appireccr, .
occasi de mellior pwasover.mi .> nitr-
resses |>essoaes.
Convencidos d'isto, elles atiliau-ae lugo
em ii.ii dos p.-iiti lo* pohtk-os que guer-
reiain no pai/., alo por anror do beaa pu
blico, mas por amor do pobsr, e para m-
rocero n ser oduidqs na ctopa por aaae*
partidos apresentada, nao tovidain pre,
lar-so a lu lo que delles exigeui ik resp--,
tivos iheles, pois que a tU subMirvietici
que riles chamara snicos prestadas.
Eleitos deputados, elles trata n priraairu
que ludo de atteuler a tido que os elegeu, pois sabcn quo sao as
escolhidos d'osse pait ) e nao da naga. >
militas vezes acoiil'i-.: nu seren uiesMao t,.
escull i los de neabiim part lo, mas si.n|ib->
creaturas de algum dos dulas 4'sssss par
tilos que assim procodotn a ) kdo to al-
gum amigo, principalnvnt" son lo uHr rm-
uistro de estado un prosi Ionio de jioviiicia.
E este o mal que importa cuniMlei.
visto que d'elle derivam toilos n. natnts.
Importa fazer que a cmara I > I-pula I -
e o sonado, quem a coii'.liluigj kjhoii .i
nobre missio de fazer a le o de iinpe nar procedimeuto do poler rterulivo, -
componham dos indivi Iiiik mais rapa/"-
que luuver no paiz, embora nao p^rtaaigasBi
aos dilTerentcsparlidos que n'dle roastoSna,
pois somonte assim o bem geral prevatoser
n essas corporares sobra o bem partiealar.
Importa que o parlamento saja a imagt-a
da naco e como quo rspelhn em qaa aii.
so rellicta para que se po>sa diier sea ver-
dadeiro representante.
Para isto o preciso que, assim como ni
naco ha conservadores, hiieraes I iiapar
caos, assim soja o parlamento nuuposdi d-
inlivi dous pertenoentes a todas estas <
isto individuos quo apoea o
individuos que gucrrcie.ii o t ivenw, a m
dividwus que nao apnein nam guerreirui
ogovi-rno, someiile ponjue govenw ; in-
dividuos ipie, sem perloiicerein a aettku i:
dos do;is partid >s iinlilJile. voh'in com o-.
con>.Tva luces quando estes tiveram razo -
votem cora os liberae quando a razo r-
tiver do lado d'estes.
bote com um modo to bondoso e paternal,
que a moga nao pode repdli lo ; desceu,
trmula de susto, mas confiada em Deusquo
nunca abandona os infelizes.
lita carro os esperava junto ao caes Pha-
roux, n'elle entraram o velho e Amelia.
Este homem chamava-se Jos de Abreu
e era irmo do sogro de Dionzio, d'aquelle
fazendeiroaquem o malvado mandara assassi-
nar no diasubsequenteaoseu casamento; Jos
de Abreu fra illudiik), como seu infeliz ir-
mo,pela hypocrisia'de.Dionizio, e recebera o
como filho quando vio-o chegar viovo e
trar-se fria c indifferente foi sellada com o inconsolavel em procura de distraeges para
t "nituiinr-m-hm .
seu pranto, e a moga guardou-a comsigo
para entrega-la no dia seguinte ao oHcial
da visita. O resto da noute pareceu-lhe
um seculo de crueis angustias, e ao romper
d'alva j ella se achava na tolda ; o lempo
tornara-se carrancudo e grossas nuvens pre-
nhes dechuva caminhavam lentamente para
I'Este : pouco depos c >megou a chuver e s
sete horas a agua dsspenhava-so em catadu-
pas sobre a cidade e bahia de Nicthoroy. 0
mo sem ha ver colindo mais do que iator-
acoes vagas o s por oucir diztr, porqi.
niiiguem quena rompruaaetler-sa sss ser
primeiro a acensar abertaiaenle a asa ho-
mem to poderoso como o capitalista Dio
nizio dos Santos. Era pois mister guarda
0 maor sjgrolo s proceder coas asasaa
(irudencia, |ara nio errar ogo'pe, obran 1.
Krecipitadam-nto. Cinco Mezes per is*
aviara decorrdo as asasa myateriaaa
pesquizas, at que de repSMs tadss acia
rou com o denoiineulo Ja enliga macataa
ile Mara Adeila le, a qual, vemlo-se presa
confessou sem rebugoluver propiuato ve
neno i desventurada senhora, por anead.
do prupno marido e seduzida pelas tabulo
sas promessas de alorria e de abose toen
tivos. A isto veio logo juoUr-je a na
menos i.iiportante noticia da recento vienaan
Sania Catharina do celebre faciawraea-
quiui Faeo, acensado pela voz pnMica eo>
moexecutor do assassinato perpetris no
1 izen leiro Francisco de Abran por srtom
do proprio genro.
s suas magoas; o bom e honrado nego-
ciante encarregara-so de molu-proprio de
gerir os negocios do seu sobrinho, e com
tanto zelo e proficienca o fez que em pouco
lempo conseguio restabeleccr e augmentar
consderavelmente a fortuna j um tanto
abalada pelos gastos desordenados d'esse
abominavel ente, s no curto prazoem quo
a aduistrou por si.
Por occasio em quo o filho do Adelia to-
ofical da polica assentou pois que nao mava ares em Santa Catharina, alguns an
havia pressa em visitar os navios entrados' nos depois de ter voltado da Europa, re-
de noute, e como nao apparecia a bordo do' solveu o Sr. Abreu emprehender urna via-
patacho, Amelia resolveu-se"a confiar a car- gera a S. Paulo, para, como seu procurador,
ja do marinheiro a quem fallara na vespe- tratar de urna demanda acerca de duas fa-
ra ; soutoe meia, porm atracou um bote'zenda3 que Ihe deviam tor cabido por bo-
de ganho com um homem bem trajado que'ranga dos le a morle do sogro. Em quanto
representava ter 60 anuos de idade, o cuja'se oceupava n'isso recebou grande numero
physionomia era sympathica, bem quo seu de cartas anonymas as quaes Ihe lancavam
olhar fosse firme e severo. Esse senhor em rosto o seu vil procedimento de advogar
subi tolda e perguntando pelo mostr on- com tanto interesso e boa ventado a causa
tregou Ihe urna ordein em que o autorisa-'do miseravel soldado desertor que crmino-
vam a vir a bordo antes da visita, afim de smente se apoderara d'aquella fortuna por
levar comsigo a passageira de Santa Catha^meio dos homicidios commettidos as pes-
rina. soas de seu irmo Francisco de Abreu e de
A moga foi por consegrante avisada por su sobrinha Mara Adelaide.
um marinheiro de que devia immediata- Jos de Abreu licou desapuntado e apo-
niente desembarcar em companhia da pessoa zar de nao dar inteiro cred encarregada de conduzi-la a seu destino ; cias, com ludo nao s estas cartas, como as
elle desconfiou que fosse algum dos compli- frequentes indirectas dos mais antigosuabk
ces no attentado d'essa tenebrosa noute, o tantes do lugar, fizeram-n'o ir pouco aD^'^u.,^""''^'^ 0
qual, no paquete se houvesse adantado para pouco desconfiando de Dionizie ; poz-sg ILlerores e os factos au
espera-la. Fundada n'esta suspeita apro- per tanto de sobreaviso, c quand* jusU- Seldoose
.N este ponto acha varare asi.
do Dionzio escreveu do Destorro a
peitavel correspondenle a
que o incumba da infame
Ihe de CastuiUino, e ao
cuuiniuuicjfa sus prxima
te no paquete Brasil.
.....
^eflaV
O Sr. Abfsu sentou se ao lado de anees e
em quanto e carro rodava velozetento em
dreccao is l.arangeiras, o
pro ligalisava as masanir
ile mudo^quo ao apeiar-se ne perito to
urna deliciosa chcara, onde
mogas e urna agradavei senhora a
ram nos bracos, Amelia j
tranquilla, e cora facilidad* foi
a esperauca de sal vacio e o llanto
-para contar-Ibes miudamento a
ximou-se deliberada a resistir com todas asMnente, comegava a colher as mJB iffej
suas forgas tal^volascia.^e a clamar pot bom nadadas provasettes aUen%los, I
[Continuar ss UJ
soccorro, cnD a quizassmi dbrigar a seguido de recolher-se sem demora drW ^m ra
para a casa do misertrel que tanto oustl^a^ zo de urna grave e repentina enfermidade
0 velho porm deu-lhe a mi com til de sua esposa,
amabilidade e convidou-a a embarcar o Vio-so ento forgado a largar tuio por PYP DO UHJa^r
seu desgranado



Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ES61NQLCU_S1B5H9 INGEST_TIME 2013-09-19T21:05:09Z PACKAGE AA00011611_12955
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES