Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12953


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLIX. NUMERO 128
PABA A CAPITAL E LUGARES OXDE H*0 SE PAGA POBTE.
Por tres mezes adiantados................ 69000
Por seis ditos idein.................... 12j>000
Por um anno dem.................. S4&000
Cada numero avulso.................. 32o
QUIMA FEIRA S DE JIMIO DE 1873.
PABA OTRO E tOH 1 DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados.............- .
Por seis ditos dem...................
Por nove ditos idem..................
Por um anno dem...................
75
1**
PROPRIEDABE DE MANOEL FICEIROA DE FARIA & F1LH0S.
Os Srs. Gerardo Antonio Al ves d Filhos, no Tara; Goncalves & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de Oliveira & Filho, no Cear; Antonio de Leiuv* Braga, no Aracaty ; Jot, ria Julio Chaves, no Ass; Antonia Marques da Silva, no .lata!; fafl Mi
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahvba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penlia; BeUrmino dos Santos Bulco, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, em Suarotlt;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Francino Ta vares da Costa, era Alagaos; Al ves C, na Bahia ; e Leite, Cerquinho C. no Bio ;de Janeiro.
PARTE ornciAL
Guveni dn provincia.
XjVKDIKNTE DO DA 12 DE ABRIL DK 1873.
/.* SeCCO.
Acto :
O presidente di provincia, tendo em vista a
proposta da director dojhospial militar, annexaao
oficio do brigadeiro immiBMMMtti Jas armas in-
terino, de 8 du correntesob n. 38U, resolve nomear
aJos Garneiro Maciel da Silva para servir inte-
rinamente o lugar de escrivo do mesmj hospital,
em substituido do ;apto honorario Joaquim
Agripino Furtado de Maudouea, |ue foi noneado
adjunto do director do arsenal Je guerra desta
arovucia.
Oficios:
Ao brigadeiro commandante das armas Ma-
noel da Cunha Wanderley Lius. -Pico inteirado
pelo seu oficio de 10 do Brrente, sob n. 386, de
hoyar V. Exc. assumido no dia anterior o exer-
cicio do cargo de counnandaiite das armas desta
provincia, para o qual lora removido por decrdo
de 2 de feveiro ultimo.
Ao mesuio.Teudo o brigadeiro Joo Gui-
llierme de Bruce de, em cumprimeuto das orden
imperiaos, proceder a iasneeeao dos corpos da
guarnico desta provincia, a principiar polo 11 ba-
talho do infantera, conforme loi determinado em
aviso do ministerio da guerra de 14 de outuhro
do anno passado, sirva-se V. Exc. de dar suas or-
dena para que o dito batalho seja para essc lim
posto a disposi.o do mes;no brigadeiro, e bum
assim para i|ue o tenente Jeronyuo Ignacio dos
Santos, pertenceute ao referido batallio, passe a
exercer interinamente as func<;oes de secretario
daquella inspeeco, em quinto nao se aprsenla!-
o oficial incumbido desse servico e que por do
ente fcou na capital do Amazonas. Outro sim,
providencie V. Exc. igualineule para que o i"
sargento do mesiuo 9" batalho, Joo Domingues
Pnentel, lipie as ordons d) mencionado bri:i-
deiro.
Ao inesmo. Fico inteirado pelo ofeio do
seu antecessor, de 8 do corrunte, sob n. 381, da
proposta foila pelo almoxarife do hospital militar,
e approvad pelo respectivo director, de Gandido
Alves do Lima para o lugar de porteo e liel dos
faldamentos, e de Jos Figueira Guiado para o de
comprador e dispenseiro, ambos daquelle estabe-
Jecimeuto. em substituir) de Manuel Diogo Cha*
ves, que exercia taes ug iros, e foi exoturado
por conveniencia do ser vico.
Ao inesmo.Tundo por portara desta dala
Horneado a Jos Garneiro tiaciel da Silva para o
lugar de escrivo do hospital militar, vago pela
nomeaeao do canino honorario Joaquim Agripino
Furtado de Mendonca, que o exercia, para adjunlo
do director do arscual de guerra desla provincia,
assim o coiumunico a V. Exc. para seu conheci-
nntoe parafazer constar ao director daquelle
eslahelecimento.
Ao inesmo. Tomando em c msideraco o
que o antecessor de V. Exc. me represen!ni em
oicio de 8 do correte, sob n. 83, acabo de re-
cotntnendar ao coiumndatito superior da guarda
nacional de Oliuda, para que providencie alim de
oao serem mais remullidas presas para o forte
dr> Buraco piacas da inesiua guarda nacional, at-
ienta a inconveniencia de seren ellas all detidas.
Ao Exm brigadeiro Joao Guilherine de
Bruce. Peto seu oficio de t do correule, sob u.
i, neo inleirado de que V. Exc. vai, em cumpli-
mento as ordens. iuiperiaes, procelcr a in-jpcceo
do corpos da guaruicu desla provincia, princi-
piando pelo O- batalho de infanlaria ; e em res-
posta ten'.O a dizer que licam expedidas as cou
venientes ordens no sentido de serem salisfeilas
todas as requisieoej constantes do dito ollicio, e
que sao precisas ao bom duseiupuuho de sua com-
Di ido.
2.' Strn'i i.
Actos :
O presidente da provincia, de conformidade
COU) a proposta do l)r. chufe de policia, em olli-
cio de o do crrante, sob u. 072, resolve exonerar
o culadao Francisco Givalcante Jayms Galvao,
do cargo de delegado de polica do termo de Igua-
ra-s. |ior nao Iiaver prestado juramento.
O presidente da provincia, de conformidade
con) a proposta do Dr. chufe de policia em ollicio
de 5 do corrente, n. 1)72, resolve tiomenr para
oxercer o cargo de delegado de polica do termo
de [guarass, o eidado Francisco Joaquim Gaval-
cante Galvao, e para os de 1 e 3" supplentes do
va 9Smo delegado os cidadus soguintos, na ordem
em que vao collocados: capilao Antonio Joaquim
da Fonceca Galvio, Manoel i avaluante de Albu-
querque Lins.
0 presidente da provincia, de conformidade
coa) a proposta do Dr. chefe de policia, em olli
ci de 5 do corrente, u. 072, resolve exonerar do
Cargo de subdelegado do Io districlo do lertDi de
Iguarass c cidadao Francisco Joaquim Caval-
caote Galvao.
0 presidente da provincia, da conformidade
coai a proposta do L)r. chefe de policia, em ofi-
cio de o do corrente, n. 072, resolve nomear para
exercer o cargo de subdelgalo do 1" districlo do
termo de Iguarass o cidadao Francisco Cocles
Teixeira de Araujo e Silva, u para os do 1, 2 e 3
aupplentes do mesmo subJulugado os cidadaos se-
guintes, na ordem em que vao collocados: Manoel
do Reg e Albuquerque, Emygidio de Souza Gos-
ta, Jos Cavalcantede Albuquerque fladelha.
O presidente da provincia, de conformidade
cora a |>roposia do Dr. chefe ue policia, em ofi-
cio de S do corrente, n. 67 resolve exonerar do
cargo de snbdelegado do districlo de Itapissuma,
do termo de Iguarass, o cidadao Francisco Xa-
vier de Andrade Jnior, por ser este cargo in
coaipativel com o de supplente do substituto do
jiiiz de direilo, para o qual foi nomeado.
0 prosidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. c >cfe de policia em offi
co de 5 do corrente, n. ti72, resolve nomear para
exsreer o cargo de subdelegado do districlo de
Itajiissuma, do termo de Iguarass, o c'dadao
Joao Lui Antonio da Silva, e para os de Io, 2' e 3o
gapplentes do inesmo subdelegado os cidadaos se-
puintes, na ordem em que vao collocados : Bra-
ziliaoo Bodaigues CampeHo, Joo Gavalcante de
Albuquerque Lias, Jos Ignacio da Fonceca e Silva.
O presidente da pro -incia atlcndendo ao que
reqttereu Agricio Rodolplio de Araujo Lins, alfe-
res do batalho n. 39 de infantaria da guarda na-
cional do municipio do Gaw, e vista da infor
inaijio do comman Jante superior dos de Santo An-
taoe Escada, em ollcio de 21 d; pareo ultimo,
resolve que sed ao dito alferes a guia de que tra-
ta o art. 45 do decreto n 1130 de 12 de marco de
1833 para o 2 dos ltimos municipios, onde tem
fixado sua residencia.
Onicios :
Ao Dr. chefe de policia.Inteirado de qiiau-
to expoz e:n sua informacao de 17 do corrente sob
ii 371, com referencia a reqnerimento do hacha-
re Joaquim Jos Ferreira da Rocha Jnior, forne-
ceder dos presos pobres da casa de detencao, te-
nho a dier a V. S. que d'ora em diante convm
sejara txtrahidas e remettidas thesouraria pro-
vincial contas espsciaes das despezas feilas com o
sustento dos presos pobres de outras provincias, re-
colhidos Daquelle estabelecimeato.
Ao commaudante superior de linda. -To-
mando em considerado o que representou-me o
brigadeiro commandante das armas interino em
cilicio d 8 do correte sob n. 38, recommendo a
Y. S. que providencie afirn de que nao sejam mais
remettidas presas para o Forte do Buraco, pracas
da guarda uicional sob seu commando superior,
atienta a inconveniencia de serem ellas all de-
tidas.
- Ao commandante superior do Cabo. -Mande
V. S. dar ao alferes do batalho n. 39 de infanta-
ha da guarda nacional desse municipio, Agrieto
Rodolpho de Araujo Lins, a guia de que trata o
arL iodo detfrutnitilo tte 12 de raV de r833
para o da Escada, onde tem litado sua residencia.
- Ao juiz de direito de Florea. Remeltendo a
Vine, o ollicio incluso por copia do Dr. chefe de
policia, de i do corrente, acompanhado de outro
tamban por copia, do delegado do termo de Fio
res, de 27 de fevenij prximo passado, tenho por
lim recoiiimendar-llie que trate de averiguar se
sao procedentes as gravissimas aecusacoes feitas
ao juiz municipal daquelle termo, 1 supplente,
tenente-coronel Pedro Pessa de Siqueira Campos,
e que, no caso afirmativo, sej instaurado contra
elle o uoiiputente processojde responsabilidade, de
cujo resultado dar conhecimento a esta presi-
dencia.
Ao promotor publico da comarca de Flores.
Remetiendo por copia a Vmc. o oficio junto do
Dr. chefe de policia, de 4 do corrente, aeoinpanha-
nhado de oulro, tambem por copia, do delegado do
termo de Flores, de 27 de fevereiro prximo pas-
sado, lenho por tim recommendar-lhe que trate de
averiguar se sao procedentes as gravissimas ae-
cusacoes feitas ao 1o supplente do juiz municipal
daquelle termo, tenente-coronel Pedro Paseo* de
Siqueira Campos, c que, no caso afirmativo, pro-
ceda de eonfoimidade|cin a lei contra o dito sup-
plente, trazeodo o resultado do processo ao conhe-
cimento desla presidencia.
3.* secqj.
Ollcios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Tomando em con;ileracao o que expoz o bario de
Aracagy no incluso reqnerimento, autoriso V. S. a
mandar abonar Ilie sob a responsabilidade da
presidencia, nos tarmos'do decreto n. 2884 do 1'
de fevereiro de 1862, a juda de custo que tem
direito, visto ter de seguir para a corte a tomar
assnto na cmara temporaria, na qualklale de de-
pulado por esta pnviucia.
Ao inesmo. -Cominunico a V. S. para seu
conhecimento e lins con\entontes que o brigadei-
ro Manoel da Cunha Wanderley Lins assnmio no
dia 9 do corrente o exercicio do cargo de com-
mandante das armas desla provincia, para o qual
tora removido p ir decreto de 21 de fevereiro ul-
timo.
Ao mesmo. Remello incluso a V. S. o titu
lo pulo qual loram concedidos seis mezes de li-
eeuea com rencimeoto ao padre Tito de Barros
Corri, vigario collado da freguezia de Quipap
para sur entregue a quem se mostrar autorisado
para rucebe-lo, depoia de pagos os direilos respec-
tivos.
Ao mesmo. Coiuinunico a V. S. nara os fins
convenientes qoa o Rvra. padre Joao Felisdorio da
Silva Dias, provisionado vigario encommendado
para a freguezia de Nossa Senhora da Conceicio
da villa de Aguas Relias, tomou pa.-se e entrou em
cxercieio da respectiva administracao cin 16 de
fevereiro ultimo."
Ao mesmo. -Para os fins convenientes com-
munico a V. S. que a 7 do corrento o conselreiro
presidente da relapao coiicedeu tnnta dias do li-
cencia com ordenado na forma da lei ao juiz mu-
nicipal do termo de Ingazeira, bacnarel Miguel
dos Anjos Barros.
Ao mesmo. -Vendo por portara desla dala
nomeado Jos Carneiro Maciel da Silva para o
lugar de eserivio du hospital militar, vago pela
nomeaeao do capilao honorario Joaquim Agripino
Furtado de Mendonca para ajudante do director
do arsenal de guerra desta provincia, assim o eom-
muniro a V. S. para os devidos uifuitos.
Ao mesmo.-Transmito a V. S. para os fins
convenientes as inclusas conlas em duplcala na
importancia de 20U2oO, proveniente das despezas
tniudas feitas no arsenal de guerra no mez de mar-
ca ultimo, as quaes me loram remetiidas pelorjs-
peclivo director interino com ofllcio de 8 do cr-
lenle, sob n. 3 >1.
Ao mesmo. Para os fins cunvenientes, com-
munico a Vr. S;que a i do corrente o ai', muni-
cipal cdeorphaos do termo de Caruar, bacharel
Antonio Paulino Gaval;ante de Albuquerque, pas-
sou o exercicio das funejoes do seu cargo ao 1"
supplente, para entrar no goso da Iicen;a que lhu
foi concedida.
Ao mesmo.Devendo o brigadeiro Joao Gui-
merme Bruce, em cumprimeuto das ordens impe-
riaes proceder a inspeccao dos corpos do exerci-
to estacionados nesla provincia, a principiar pelo
9" batalho de infantaria conforme foi determina-
do em aviso do ministerio da guerra, de 14 de ou-
luhro do anno passado, recommendo a V. S. que
preste ao mesmo brigadeiro os esclarecimentos de
que elle tiver preeiso c emularan dessa repartido,
relativos aos abonos effectuados e s quantias en-
tregues aos referidos corpos. Declaro, oulro sim,
a V. S. paraos lins convenientes que os tenentes
Jos Pedro da Silva Sotito e Jeronymo Ignacio dos
Santos, aquelle honorario do excrcilo, e este do
mencionado 9 batalho, fazem parle do es'ado-
maior do mesmo brigadeiro ; o primeiro na quali-
dade de sen ajudante de ordens e o ultimo na de
secretario interino, emquanto se nao apresentar
nesla provincia o oficial incumbido de servir ef-
feclivamcnteesse lugar, e que por doente scacha
na capital do Amazonas.
- A > mesmo.=Pde V. S. acechar a proposta
que fez Tiloma/, de Carvalho Soares Brandao So-
brinho para a construeca da obra do paiol da pl-
vora pela quanlia de 46:000*000, mandando des-
da j lavrar o respectivo contracto Quanto, po-
rin, inconveniencia do local apuntado em seu of
ficto de 3 do corrente sob n. 434 serie C, lenho a
dizer-llic que, sendo aquelle designado como o mais
apropriadj pela ommissao nomeada, e nao exis-
tindo outro meihor, nada ha que providenciar a
rospeito.
Ao mesmo.-Constando de oficio do briga-
deiro commandante das armas interino, de o do
crreme sob n. 381, Iiaver o brigadeiro director
do hospital militar a;iprovado, segundo Ihe com-
municou em oficio datado do dia anterior, a pro-
posta feita pelo respectivo capilao almoxarife de
Candido Alves de Lima, para o lugar de porteiro
e liel dos fardamentos, e de Jos Figueira Casado
para o de comprador e dispenseiro, em substitui-
Qao de Manoel Diogo Chaves, que xercia taes lu-
gares e foi exonerado por conveniencia do tarri-
co ; assim o communico a V. S. para ws devidos
amitos.
Ao inspector da thesouraria provincial.Em
vista da inclusa conta em duplcala, que me re-
melteu o Dr. chefe de policia com oficio de 8 do
corrente, sob n. 683, mande V. S. pagar a Antonio
Bispo da Cruz a quantia de 18*000 dspendida
durante o trimestre de Janeiro a marco deste anno
com o aluguel da casa que no dislricto de S. Lou-
ronco da Malta serve de cadeia, como se v da
mencionada conta.
Ao mesmo. Ficando scente de ludo quanto
V. S. expoz em sua informacao de 8 do corrento
sob n. 133, acerca do pagamento das despezas com
o sustento dos presos pobres de outras provincias,
recolhidos na casa de detencao, que pede o forne-
cedor desse estahelecimonto, bacharel Joaquim Jo-
s Ferreira da Rocha Jnior, lenho a diter que
remeta a esta presidenciajas contas j liquidadas,
afim de ser solioitada do3 respectivos presidentes
a indemnisacao de taes despezas.
Ao mesmo.Em resposta ao oficio de V. S.
de 27 de marro ultimo, n. 114, sabmetteado ap-
proyaco desta presidencia a arrematado d) for-
necimento do sustento dos presos pobres da casa
de detencao, no trimestre de abril a juuho prxi-
mo futuro, e vista de sua informacao em oficio
de 3 deste mez, n. 124, tenho a dizer-lhe que ap-
provo a dita arremataoao.
4.' seccao.
Oficios :
Ao Sr. tenante-coronel Thomaz Lins Caldas.
Accuso recehido o abaixo assgnado de 31 de
marco ultimo, firmado p>r V. S. e outras, cominii-
nicando a rcsolucao de fazereui a sua custa mu
edificio apropriado para nello funecionarem as es-
colas publicas de instruccao primaria dessa cida-
de do Rio Formoso ; e uni respo-ta cabe-me dizer-
lhe que o louvo, bem como os demais signatarios
|)or esta prova de patriotismo coin que muito lu-
crar a instruccao publica dessa iocalidade, e da
qual vou dar conhecimento ao g iverno imperial.
Portara :
A' cmara municipal da villa do Brujo.
Accuso recebido o oficio da cam ira municipal da
villa do Brejo, de 2 do corrente, e fico inleirado de
haver procedido a nova apura.-ao para ver adores
que lhu foi ordena la por esta presidencia; descon-
tando os votos do dislricto de Jajarar que foram
recebidos na paroeba de Taquaretinga, por ter sido
annullada.a respectiva eleico, bem assim que con-
vidou os juizes de paz da pielle dislricto e do qua-
trennio (Indo para assumir o exercicio do referido
cargo
5." secco.
Acto :
O presidente da provincia, atlendendi ao que
requereu o bacharel Luiz Antonio Pires, ihesou-
reiro dos correios desta provincia, resolve conce-
der-lhe um mez de lcen-a com ordenado para tra-
tar de sua sade na mesma provincia.
KXP.DIEKTE DO SECKTAB10
Oficios :
Ao brigadeiro commandante das armas. -
Nesta data se mandou salisfazer o pedido que veto
afinexo ao oficio do antecessor de V. Exc, de 9
do corrente sob n. 383. O que communico a V.
Exc. em resposta ao citado oficio.
Ao mesmo. De ordem de S. Exc. o Sr. pre-
sidente da pravincia, communico a V. Exc. em res-
posta ao oficio de seu antecessor, de 7 do corren-
te sob n. 377, que nesta data se mandou satisfazer
o pedido, annexo ao citado oficio.
Ao director interino do arsenal de guerra.
O Exm. Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. S. que nesta data remetteu thesouraria
de fazenda para os lins convenientes as contas que
vieram annexas ao seu oficio de 8 do corrente sob
n. 394.
2." secro.
Oficios :
Ao conselheiro presidente da relaco.De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia, accu-
so o recebimento do oficio di V. Exc. de 7 do
corrente, participan I j tur napiella data concedido
30 dias de licen^a com ordenado na forma da lei
ao badarel Miguel dos Anjos Barros, juiz munici-
pal e de orphos do termo de Ingazeira.
Ao Dr. chefu da policia, -O Exm. Sr presi-
dente da provincia manda communicar a V. S,
3ue a lliesiuraria provincial f> i atitorisada nesta
ata a pagar a Antonio Bispo da Cruz, a quantia
de que trata o seu oficio de 8 do corrente, sob n.
683.
Ao mesmo.De ordem de S. Exc. o Sr pre-
sidente da provincia transmiti a V. S. os inclusos
ttulos das autoridades policiaes do termo da Igua-
rass. nomeados por portara desta data, do con-
formidade com a proposta de V. S. de 5 do cor-
rente, n. 672.
Ao juiz municipal c de orphaos de Caruar.
O Exm. Sr. p-esidente da provincia, manda ac-
ensar o recebimentj do oficio de V. S. do 1." do
de conformidade com
corrente, participando ler naquella dala passado o
exercicio das funecoes do seu cargo ao 1' supplen-
te, para entrar no gozo da lcenca que he 1 )i con-
cedida.
5.* seccao.
Oficios :
Ao Dr. Joaquim de ]Aquino Fonseca, presi-
dente da commissao nomeada para examinar os
apparelhos da companhia Recife Drainngt.De or-
dem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia, re-
meti a V. S. copia do ofllcio que o gerente da
companhia eeife Drainage dirigiu ao engenheiro
chefe da repartiese das obras publica?, no qnaf
declara nao ser necessaria a nomeaeao de outra
commissao por parle da mesma companhia, para
proceder de acord com a que nomeou o mesmo
Exm. Sr., por portara de 3 do corrente, e pede
ser avisado das reunios para comparecer a ellas
e prestar quaesquer informacSes que sejam pre-
cisas.
Ao engenheiro chefu da reparlicao dasjobras
publicas.='J Exm. Sr. presidente da provincia,
manda communicar a V.S. para os fins conveniente
que nesta data remetteu-se por copia ao presidente
da commissao nomeada para examinar-se es appare-
lhos da companhia Recife Drainage, funccionam
regularmente o oficio que o respectivo gerente di-
rigi o V. S. em 7 do corrente, e que, tambem por
copia, veio annexo ao de V. S. datado de 8 pob n.
130.
Ao administrador da reparlicao dos corretos.
S. Exc o Sr. presidente da provincia manda
commu car a V. S. para seu conhecimento e fins
convenientes que por acto desta data conce leu ao
bacharel Luiz Antonio Pires, thesoureiro dessa re-
parlicao, um mez de cenca com ordenado para
rotar de sua saJe dentro da provincia.
-EXPEDIENTE DO DU 14 DE ABRIL DE 1873
2* seceo.
Actos:
O presidente da provincia, de conformidade com
a proposta do Dr. chefe de policia em oficio de
2o du marco prximo lindo, n. 609, resolve demit-
tir o cidadao Jos Henr que de Barros Wanderley
do cargo de 2o supplente do suhdelegado do i"
districlo do ter no do Rio Formoso por nao ter
prestado juramento.
O presidente da provincia, de conformidade
com a proposta do Dr. chefe de policia em oficio
de 26 de marco prximo lindo, n. 609, resolve
nomear para os cargos de 2* e 3o supplentes do
subdelegado do Io districto do termo do Ro For-
meso os cidadaos seguintes, na ordem em que vao
collocados:
Jos de Gouveia Accioly.
Jos Antonio da Rocha Wanderley.
O presideule da provincia, atlendenJo ao
3ue requereu Ursulino da Cunha Torreio, tenente
a 8* companhia do batalho n. 40 da guarda na-
cional do municipio de Ipojuca, resolve. de confor-
midade com o di-posto no art. 43 do decreto n.
U3J de 12 de marco de 1833, designar o 2- bata-
lho de infantaria da guarda nacional deste mu-
nicipio para ser elle aggregado o suppli-
cante.
O presideate da provincia, atlcndendo a pro-
posta do capitn commandante interino do bata-
lho n. 46 de infantaria da guarda nacional do
municipio de Agua Preta, de 5 do corrente, e a
informacao do respectivo commandante superior,
da mesma data, resolve preencher as vagas exis-
tentes no dito batalho pjla maneira seguinte :
3* companhia.
Alfereso guarda Jos Alves Matflel.
5* companhia.
Capitoo tenente Manoel de Bastos Mello.
6' companhia.
Tenenteo alferes Bellarmino Alves Maciel.
O presidente da provincia, atlendendo que o
batalho de reserva n. 11 da guarda nacional do
municipio do Bom Jardim a S8 acha porfeila-
mente organisado. resolve .
o disputo no art. 71 da Id n. 02 de 19 d selem-
bro de IH30, e vista do aviso n. 8i do 13 de fe-
vereiro de 1860, nomear o cidadao Rog.berto Bar
bosa da silva para n posto de capilao da 3J com-
panhia do dito batalho, e para o de alferes da
2', o qidado Urcesino Sev.-ro Pereira de Quu-
roz. f
Oficios :
^ Aoconi nandantesupirior do Recife. -Paraos
j fins convenientes communico a V.S., que por porta-
ra desta diti designui o 2* batalho de Infantaria
da guarda nacional deste municipio para sur a elle
aggregado o tenente da 8- companhia do batalho
u. 41 de infantaria da guarda nacional do munici-
pio de Ipojuca Ursulino da Cunha Torr .o.
M, 3'seccao.
Ornaos :
Ao inspector da thesouraria de fazenda. -
Tundo approvado o contrato que em cumprimen-
jo das ordens do quarlel general de mantilla, ce-
lebrou a capitana do porto desta provincia com o
pratleo Antonio Francisco Pestaa para conduzir
a polaca nacional de guerra Rio N'gro at as sa-
linas .do Grao Para mediante a '.gratificacao de
4"0, racoes e alujamento a r, e seu di eito
pasiageo du volt i, assln o communico a V. S.
am de ime opportnn miente mande pagar dita
gratificacao ao ruferido pratico, ap .sentando este
o atlcstad > do commandante da mesma polaca,
em que declara ter elle feilo a vug-m e cumprido
seus doveres.
Ao mesmo.Tundo seguido com licenca para
a provincia do Maranho u 1* coutorente daalfan-
dega Raymundii Ferreira Bat bosa, que servia de
vogal no c iiis.-lli i de compras do arsenal de gu r-
ra, naja V. S. de indicar um outnajkempregado
daquella reparlicao, que possa substituir o referido
1 conferente em dita commissao.
Ao inesmo. -Para os lins convenientes com-
munico a V*. S. que o 2" supplente do juiz substi-
tuto da vara de orphos desta comarca, bacharel
Luiz Lopes CasVllo.Branco, tirou o respectivo titu-
lo e piestou juramento do sea cargo.
Ao musiin). para os lins convenientes com
munico a V. S. que, terminndose no dia 27 de
marco prximo passado a licencia concedida por
esta presidencia do juiz de direito da comarca do
Ouricury, bacharel Manoel Caldas Brrelo, partid-
pou este em oficio de 28 que continua no goso da
proroga.o que Ihe foi dada pelo Exm. Sr. minis-
tro di jtistica.
Ao me;mo.-Para os fins convenientes com-
mmico a V. S. que a 4 do corrente o juiz de di-
reito da comarca do Rio Formoso, bacharel Ma-
nuel Cwrreia da Cmara Tamari do, por motivo de
molestia passoa o exercicio do cargo ao bacharel
Jos Jtilio Regudra Piulo de Souza, juiz munici-
pal do termo do Rio Formoso na qualidade de seu
1* substituto.
Ao mesmo. Annuindo ao que solicitou a
commissao censuara da freguezia de Leipoldma,
em oficio de 20 de marco ultimo, autoriso V. S. a
mandar pagar nos termos do art. 9 $ 4* do regu-
lamento de 30 de dezembro de i87l, aos agentes
roeunsiMdoro d'aqaelU treue/.ia, Oium Francis-
co da Silva Braga, M.yss Gon.alves Li na, Maria-
no di Costa Arauj) J.ijiass i, Coriolano da "osla
Oliveira e Aluncar, a quantia de 40 a cada um, e
bem assim a Marcelino Rodrigues do Nascimento
a de 68, proveniente da despeza com a conduc-
ho dos elementos origm es do recunseameuto da
mesma freguezia para secretaria desla presi-
dencia.
Ao mesmo.-Mande V. S. pagar, de confor-
midade com e art 9' i 4o do regulainento de 30
Id dezeuibro de 1871, a Manojl Rodrigues Pache-
cij, um dos agentes recenseadores da freguezia dos
Montes, a quanlia de 3< em retriboicao de seus
srvico-, com i pede no incluso roquer.ineuto do-
cumentado.
Ao mesmo. Tomando em consderaco o
que expoz Gandid i Emigdio Pereira Lobo no in-
cluso requerimeiilo, a que se refere sua informa-
cao de 9 do corrente, n. 506 serie G, autoriso V'
5. a mandar pagar ao supplicante sob a responsa-
bilidade da presidencia, nos termos do art. 5 $ 7
do decreto n. 2,884 do 1 de fevereiro de 1862, os
veiicimeiitos que llie com|>etireiii na qualidade du
oficial da secretaria lo arsenal de guerra.
Ao mesmo.Communico a V. S. para os lins
convenientes, que a 20 de marco prximo passado
o primeiro supplente do juiz municipal do termo
de Cimbres, tenente coronel Sevenano Camello
Pessua Gavalcante, assumio o exercicio daquelle
cargo poMinpedhieuto do elfectivo.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Mande V. S. foruccer ao commaudante do corpo
de policia, come solicita em oficio de 8 do corren-
te, dous livros em branco de papel hollanda pau
lado, com cen folhas cada um, para o lancamento
da escala dos olliciaes inferiores.
Ao mesmo -Recommendo a V. S. que jvis-
ta da relacao nominal e prels juntos em duplcala,
que me mmat'w o commandante superior do mu-
nicipio de Serinhem com oficio de 8 do crren-
te, mande pagar os vencimentos do destacamento
da guarda nacional estacionado n'aquella villa,
correspondente ao mes de marco ultimo, como se
v da mencionada relaco e pret
Ao nwsuio. -Em viaja do incluso pret em
duplcala mande V. S. pagar a Manoel Joaquim Pe-
reira os vencimentos do destacamento da guarda
nacional existente na villa *Agua-Prela, concer
nenies ao mez de mar^o ultimo, conforme solici-
tou o respectivo commandante superior em ofido
de 5 do corrente..
Ao mesmo. Declaro a V. S. para os devidos
fins que, segundo consia de oficio do priuu ini se-
cretario da asseiubla legislativa provincial de 8
do corrunte sob n. 32, o Sr. deputado Dr. Manoel
da Silva Rugo veto da capital do Cear onde
exerce o cargo de chefe de polica, e deixou de
ser incluido na relaco nominal que acompauhou
o oficio desta presidencia de 31 de marco ultimo,
por ter chegauo elle posteriormente.
4.' seceo.
Actos :
O presidente da provincia, em cumprimento
do disposlo lio aviso do miuisterio do imperio de
18 de setembro do anno prxima passado, resolve
nomear urna commissao composta do baro de Ja-
boato, bario de Campo-Alegre, baro de S. Braz,
vigario Jos Luiz Pereira de Queiroz, conimenda-
dor Paulino Pires Falco, tenente-coronel Jos de
Moraes Gomes Ferreira, tenente-coronel Antonio
Jos Vielra da Cunha, Joo Luiz Goncalves Fer-
n ira e R >lulo Tolentina de Figueirdo Lima, afim
de promover a acqusicn de donativos para a edi-
licaco de urna casa era que devam funecionar as
escolas de instruccao primaria da freguezia do
Cabo.
O presidente da provincia, atlendendo ao
que requereu Joio Fernandos Vianna, professor
puhlieo da quinta cadeira de primeiras leltras da
freguezia de S. Jos desta cidade e teudo em vis-
ta a informacao do director geral interino da ins-
truccao publica de 22 de marco ultimo sob n. 87,
resolve conceder-lhe trinta dias de licenca com
ordenado na forma da lei, a contar do dia 24 d'a-
quelle mez, afim de poder acompanhar at Gara-
nhuns a pessoa de sua familia, que se acha gra-
vemente doente, obrigando se porm o supplican-
te a deixar que-n o substilua lurante osse lempo,
como propo: em sua pe icio.
Oficios :
Ae director geral interino da instruccao pu-
blica.Sirva se V. S. devolver, no menor prazo
possivel, a petclo de Antonio Teixeira de Men-
donca Belm, cora a respectiva informacao, que
diz V. S. em seu ofido de 8 do corrente sob n.
102, depender o examo da commissao do ronsellw
director, para isso nomeada a 10 de marco do an-
no passado.
- Ao provedor da Santa 'isa de Misericordia.
Sirva-se V. S. devolver com a opimo da Junta
administrativa dessa Santa Casa o parecer da com
misso nomeada por esta presidencia, para propor
a reforma do servi.-o medico cirtirgico dos estalie
lecimentos. cargo da mesma -anta Casa.
- Ao inesmo. Incluso remello a V. S copia
do orcamento organisado pela repartirn da< obras
publicas, na importancia de 81:301*57 para a
construeca de mu rain do edificio projectado a
servir de Asylo de Mundcdade.
Portara :
A' Illma. cmara municipal do Recife. J
tundo mandad o aterrar o terrea destinado ao jar-
dim publico, com as areas extrahidas pelas dra-
gas, e couvindo que esse aterro, que por tal meto
nao consumir menos de 4 anuos, seja feilo no
tenor prazo possivel, lembro Illma. cmara mu-
nicipal do Recife a idea de providenciar no sentido
de ser aquelle local indicado para deposite de lixo.
5.' seccao.
Oficio:
- Ao engenheiro chefe da reparltoao das obras
publicas. Pode Vine, concudur a aut risacao que
pede i companhia Recife DraOMft, pan fazur a
modilicace quo propoe nos apparelhos de latrina,
que j esto collocados as cas as e nos que vo
ser assenlados, como opinou o inspector da sade
publica, em oficio de 3 do corrente.
Ilrpurliril U pallo!*.
!.' m-ivn. Secretara ,|,, aadhm -U- tVnmatT.
i ile jimli'i ite IMT-l.
X HHi. Illiu Exm. Sr.CuMpre-a* trim-
tificar a V. Exc. >|ue, das |ailtri orw< i < l<4a-
hoje nesta repaicin, cu-i. que fotant nT-
Ihidos a casa Ju i >> individual e-
pahmas:
A" ordem ilo sub l.-l-ga 11 I .II i.. >s nbdr
tos ingl-/.es Ndsili e Vid t, i l JiHir di r*-
pUi'liVu COIIMll.
A' ordem do do i >litri<*< i d-i S. I i ijau
Aluxandrina IVn-ira d- \uidi.' Aaaamn na
ria do E pililo Santo. |x.r lisiirliMrt
A' orde ., do da Itoa-YiitU, AiiLpm.. it-v.. 4r
Anua Rudriyues da C-.sla, a m|URrimml. 4
A' ordeai do di .tillo Anwi bs Sal:.. IU-
cia varia da Omicuch. i>^ dc<.lwli-ih i .
O MlliiMcgado il S. ~r ar*a r n uMMM-
car-nie, (iriiiieirn. .pie liunlcm Icnd i.. e-n d
3 ue havi un si.lo rotiliid.i- dn.-ras ferr i nr<,
e nina i.Ilicina darua M de Saja Ki a. fmr*
alli H dirieiri ( fez o rotilprt-n'e i [ir
cura descubrir o anl'T d> criui-. r rn.ra
inesui'i |irm-.-d'T n que boje, pula llianh, AiiIihii l S,iii!'~ l'.a
ferio le eiieoile r"!ii mil i tarada a J .
du Sant'Xnna ; que fez u CHinjft.-ni.' r>>r| V
deliutb e |iM-rLiii\ n-s l riiM- do inqnefVk
l>-iis guarde a V. Exc. lllin Exm Sr nm,
ineiididei Dr. Ilunriqne I', reir d- l.t-m. *f
nissimo presidente testa provincia. cl4e o<-
Van-el Tiflult imt Thm.Z \lr.-
"PERNAMBTflO
T
1j
Portara: |M>licia interino,
Os Srs. agentes da companhia de navegacao riqMrt.
brasileira inandeui dar transporte por conta do
ministerio da agricultura, cominercio e obras pu-1
blicas, at a cidade de Mace, a t do primeito
vapor dessa companhia, que pira alli fapjrir, ao i
estacionario de 2- classe, Joo Muniz Pereira Ju-j
nor, que vai sur ompregado no servico tulegra-
phico daquella cidade.
1.' seccii).
KXI'KUlKNTS DO SKCHKTAKIo
Oficios: i'H'sitiKNia o.) sr H.m:iR( n >mi::
Ao capito do porto interino. -S. Exc. o Sr. Ao meto Jb. fdi a a rli mu < ;n-irnii-s- rc-.-i-
presdenle da provincia manda declarar a V. S., em tusos se^umi s Sr-. deptitad : AlnndB Pi-r-
resposla ao seu oficio de 10 do corrente sob n.: namburo, A. Correa ie AiattJM. II ii- mv^. J
86, que nesta data expedio a necessaria ordem Correa de Araujo, VMra de Aran
tbu.-ouraria de fazenda, alim de ser paga ao prati- cante, Vieira du Mello. T\>- < irva! *: .Mi-
co Antonio Francisco Pesia na, contractado pan pa* Cuta, taw Prenle, (nnli- tmaflm I
conduzir al a provincia do Para a polaca de guer- nlia Lins, Fruiru Camuir. Firminu >U- '
ASSEMBLfii PROVINCIA
SESSAO ORDINARIA EM 2 HE MAJO
ra Rio .Veijra, a graiilicaco de 40l)i0 0.
2.* $ecc(Ji.
Oficios :
Ao commandante superior de Liuioeiro. O
Exm. Sr. prndente da provincia manda commu-
nicar a V. S. que, por portara de-la dala, foram
nomeado* para O posto de capito da 3." compa-
nhia do batalho du reserva n. II da guarda na-1
conal do Bom Jardim, o cidadao Rogjberto Bar-
bosa da Silva, e para o de alferes da 2.' do dito oficio da cmara municipal do
batalho o cidadao Urcisino Severo Pereira de, motivo p.r que nao t Queiroz. l,'>14 de 13 de juulio de |M7">. -A qn<-m tez a r
Ao juiz municipal !. supplente em exerdeio' quisico. ,
do termo de Cimbres.3 Exm. Sr. presidente da| Da cantara municipal
provincia manda aecusar o recebimento do ollicio remetiendo um projerl i
Mello Rugo, ll-nripi- M uw le. R.n r v) 4ter
ley. Ferreira de Aguiar. Anural-(Nynipi Mar-
ques.
Abre-se a sussto.
E lida e appr-iv.ida a acta da "mtaafnf
O Sr. I* aetratao da ritma d -.-fiii,iie
KXrihIKNT-'.
(I.lietos :
Do scrutario d i vi-rn >. renwlt-i4' c.^<
Itecifc r\\
t
ni.
I-, |
de V. S. de 20 de marco prximo passado, coin-
municando ter naquella data assumido o exer ici
do cargo de juiz municipal desse termo |wr impe-
dimento do juiz elfectivo.
Ao Or. Joaquim Curreia du Araujo, |. secre-
tario da assumbla legisla iva provincial. X. 7 '. -
De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da provincia
passo smaos de V. S., alim de ser prsenle a essa
illustre aasembia, a copia junia do odicio de !>
do co rente sob n. 134, em que o inspector da
thesouraria provincial d a razo porque aida
nao forncea o orcamento da receita para o exer-
cicio du 18/3 a 1874.
Ao mesmo.X. 71.De ordem du S. Exc. o
Sr. presidente da provincia transmiti a V. S., alim
de ser levado ao conhecimento dessa Ilustre as -
sembla que lomar na devida consideraco, o ofi-
cio junto por copia em que a cmara municipal
do Recife solicita a concessi de urna qtiota para
erigirse mu tmulo onde sejam depositados os
restos inortaes do conde da Boa-Vista.
Ao mesmi. -N. 72.De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia transmuto a V. S., alim
de serum prsenles assembla legislativa pioviu
cial, as conlas, balances e orcameulos que para
teretn ese destino foram remedidos ao mesmo
Exm. Sr. pelas cmaras mnnicipaes de Pao d'Alho,
Nazareth, Ipojuca, Agua Pruta, Bezurros, llaaaW,
Panellas, Buique, S. ltenlo, Pctrolina, Granito, e
Salguuiro, como ver dos olBrios juntos por copia.
Ao inusm.i. -X. 73.Du ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia passo s mos de V.
S.. afim de ser presente assembla legislativa
provincial, a inclusa copia do ollicio de 2 do cor-
rente sob n. i, em que a Illma cmara munici-
pal do Recite expoe o motivo porque deixou de
realizar os pagamentos ordenados no 4.* do art.
2. da lei do orcamento municipal vigente.
Ao mesmo. -N. 74.De ordem de S Exe. o
Sr. presidente da provincia passo s mos de V
S., alim de ser presente a essa illustre assumbla,
a inclusa copia do oficio de 4 do corrente, em que
o director da companhia de Beberibe presta os es-
clarecimenlos pedidas com relaco a mesma com-
panhia. Deste modo lica salisfeita a requisico
constante do oficio de V. S. de 26 de mareo ulti-
mo, sob n 16.
Ao mesmo.X. 73.De ordem de S. Exc. o
Sr. presidente da provincia passo as mos de V.
S, alim de seren presentes a essa illustre assem-
bla, as informacoes prestadas pelo inspector da
thesouraria e administrador do consulado provin-
cial em 12 e 14 do corrente, sobre as casas que
loram collectadas para pagamento dos impostes a
que se refere o oficio de V. S.. de 4 deste mez sob
n. 27, que assim tica respondido.
5.* seteno.
Oficio :
Ao engenheiro da linha telegraphica, Jos
Francisco Colho. -S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. para seu coiheci-
mento, e em resposta ao seu oficio de 12 do cor-
rente, que nesta data fleam expedidas as conve-
nientes ordens aos agentes da companhia brasilei-
ra, alim de mandarem conduzir at a cidado de
Macei, no primeiro vapor que para alli seguir, o
empregado a que se refero o seu citado oficio.
DESPACHOS DA HUHUMHCU DB 3 DE JUXHO t'K
1873.
Antonio dos Santos Oliveira. -Xesta data solicito
do governo imperial o necessario crdito para pa-
gamento do supplicante.
Candido Jos da Silva Guimares Entrcgue-se.
Jos Luiz Netlo de Mendonca.-Informe o Sr.
inspector do arsenal de marinha.
Francisca da Fonceca Meira Lima. Informe o
Sr. inspector da thesouraria de fazenda.
Francisco de Azevedo Carvalho Siqueira Varejo.
Da-se. nao havendo inconveniente.
Jos Vieira de Mello.Informe o Sr. comman
danto do corpo de policia.
Maria Barbosa da Silva Ta vares.Informe o Sr.
inspector da thesouraria de fazenda.
Manoel Menelio Pinto.Encaminhe-se.
Tenente coronel SebasUo Jos Basilio Pyrrho. -
Forneea-se.
Vicencia Paula Almelda Catanho.Entregue-se,
nao havendo inconveniente.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, i
de juuho de 1873.
O porteiro,
Sil>ino A. Rodrigues.
da rida.te da \ id
! r"-'ira para -rr ,
d (pisturas
!
c..ii
te jar da
II 1 :.
1* -:. provado..V niminissa 1
ras.
PulinVs :
Du diversos ncg"..-
conlra < modo poique tem cbralo i nr>^'
de 3 0| pstabi'lecido ra Id ti. 777 a 1
doquu induvidaini-iile Ih-s l-ni si.1.1 rdaMam A
iMinmissa 1 da legislar*).
De Fulix Cavalcui'e ilc Ve-qu!a r r-nlP-, -
ra lores na f lade da V e-I ria, prdiwdn -': m 1
pira ven larsa hpH e p Jvira. A" commhsii V
posturas ni'tnicipa<.
De Hilario Urbana di > I 1. lmiMi
Escala, p.'dmdo jagaiu 1 rm<\
tancia de i.'i.'iW. \' riimmi>si<< .1
municipal.
onnrM H Ha
l* dJtmMAn do plajelo n .Hl d--le art |H>-
autorisa o presidente da proviiH-ia a rrrlii -r <
con'r.il 1 celebrado um I8 din Anlonm li-iw *
Xuiln.
Encerrada a discus-o c post a v.*>. I* ap
privado.
O Sa. Vikihv da Silva pjdu i1i>;hmi- i d> iater-
ticio do punjan que acaba de Mf v itadn. .ilin d*-
entrar para a ordem do dia.
Consultada I ca-a. fd riinculida
Conlinia a dis-usvio adiad 1 11 papanwdk u.m-
inisso de omslitiii/n u |miteres -o' re p-nfaiBfj
de Ici nao sancionado anno pausad", < du te-
qi.ieriiiieiiiu a presentad i jm-I- ^r. Oliveira T.me*ct
na Mafia panwaahv
O Sr. Olivkiha Foxiikca nao devidvea o *n
discurs 1, justificando sen ruqin*rimcm'i.
0Su. \if-ira db Araij.) nao devulvra s^a V-
curso.
0 Sn Oi.tvKiit.v Foxckiv ni dev-lvcu mi dis-
curso.
O Su. Vieira ds Abai n faz anda a'guma nrn-
sideracoes sobre a materia em dicun, jtMi:i-
cando o parecer da commissao adiado c opnnd<-
se ao rui|iiurimento o Sr. Olivdra Fonrwa.
OSr Ot.ivKiRA FoxcKi fai alnimas cin*i>ra-
voes u justifica o sen requet iiin-nti. rus|i md.-n
do ao preredente orador.
O Sr. Ratitt e Kilvn Sr. (mt-hWpIp.
nesla questo que se levanta acerca da mtorffv-
laco do arl. lo do aclo addiriuiial. cu n* liiadii
a iretuncao de vir trazer luz a casa ; apm; P'-
ro explicar as raziVs |Mirqiic. Iav
niuu espirito os argumunl ai>ie-eoiate* p4' a*
bre deputado pido .V districlo. i-lava di.f volar por ellas ; \*cjn, norm. agora, deawi dr
mais madura n lanao. Sr praatAanta, qiie ad a
questo versa sobre o ii A questo toda esta na verdadetra iaictkp'Mcia
do acto addicional; c inaBntdJnjaji ma poocw da
intclligcncia que Ihe da o nobre dupntado, aiBMia
me relir,'. vou umillr minh 1 npinin
Primeramente pergunto en quando o presi-
dente devolvu um projeclo |x>r dua< ou tre* ra-
zos, que o levain a deixar de tanrd< na-te, e a
assembla o modifica om nina d -ina raaf* -
mente, nao se ixmIc dizer que esta | r***"
modificaJo *
Eti emendo que sim entend que esta
cado, desde que quaiquer mudaaca.
turaco su faz em suas dispcisicdes.
Mas, disse o nobre depiitato. qns e#a andiU-
ca;4o duve-se estender a Indos os artigo* iiu*-
uados pelo prusidcnle, lormando qua*i q' urna
nova Id. N 1 paaaa i-sim
O acto addicional se expressa deste nodo
I U)
Do espirito da lei se t, Sr. presidente. ( e
que eu cogitando indina-"com|awndii u
razocs aprusuntadas pulo> nnbrr* desalad.* qa
sustentam a parecer da connni->a bla nao piule fazur niodilicaco alguma, otranha
s razoes allegadas pelo prc ao pripeeto.
que o projeclo se diz modificado, desde qu quai-
quer mudanca se Ihe faz, rom lano qne ';a Hit
no sentido das razoes do presideate.
E' este a espirito da Id ; as*im que ere ser
ella entendida. .
No sentido de todas as raaoes a tere <
dente Upara devolve-lo, nao M eaaa
dificado o projeclo, foi,
Acomnusaio acata
prc qne se aceita aav
urna modillcacao ; o qoa a lei nie ajnar i ajataaaa
modiflcacio soja alheia da aaateria do pn
nem d> sentido das raaSes aMafadaa pna
dente.
Se duas ou tres oram as raaiea i*


-. "' :.:--- .- m L1*M

Diario de Pernambuco Quieta feira 5 de Junho de 1873.
e a commissao aceita urna r,u duas, nao deixa norias qu.intii que durante a minha ausoncia havia
isso d Icr havido modiliracao, eroio que nao se receido, at )>or causad qffls nao vi, c pelo (x-
pode deixar do dizer que o "projecto est modiw
cado.
Assim doixo explicado o meu voto, havendo
dito que a argumenlacao do nobre deputado pelo
S* distrcto, me parecen prima facie razoavel e
conveniente, de modo que priori callaran! no
meu espirito a* observa roes por elle tejas, nao
me havia todava comprnmettido a volar por ellas,
; nem ainda a favor do parecer da commissao.
Agora, porm, depois da discussao que trouxe
luz materia, entend que se deve votar pelo pa-
recer da commissio porque procedeu ella total-
mente ; porquanto, em *ista do que dispon o aelo
addirional. qualqner modifiraejio qe soja fcila no
sentko das raedes apresentadas pelo presidente.
basta, para que nao se possa deixar de dizer que
o projecto est modiliado nos tormos da lei.
Asuini, tendo explicad o meu voto, declaro
que voto polo parecer da ommissao muito bem,
inuito bem).
Encerrada a discussao e posto a votos o roque-
rmente, rejetado e, approvado o projecto.
Entra em :t" disoossan o projecto n. 90 do anuo
passado, que croa o lugar do contador dos fetos
no juizo de pazApprovado.
2* discussao do projecto n 33 desle anno, que
manda considerar como ordenado a gratificaba o
concedida aos escrivae* da hunda provincial.
Vai mesa e apoia-sa a segante emenda :
Accresoente se -o olliciaes de jusli.a. -Alca-
/.) Ucha.
Encerrada a discussao approvado, bem como
a emenda
Continuando a 2- discussao di projoeto n. SI
do anno passado, dcixou-se do vota* o art. 42 por
taita de amaro.
O Su Pus-irntk designa a ordem do dia, e le-
vanta a sos si. i.
REVISTA DIARIA.
Asseuihlca provincial.Honlem func-
cionot Com 2G Srs. depuudos.
ApprovaJa a acta ua sessao antecedente, o Sr
I.* secretario leu as reJac\oes dos projeclos ns. C
e 30 deste auno, que approva o contrato do calen-
iiionio desla cidado e que concede liconea a di-
versos emprgados provinclMs, as quaes foram
approvados.
Em seguida fui lida a redacto do projecto de
ornamento municipal, declarando o Sr. presidente,
que esta lieava sobre a mesa para ser vista pelos
Sis. diputados, e votada na sessao seguate.
Pastando ordem do dia foram approvados: em
2." discussa i o projecto n 07 de-te anuo, que ati-
lorisa a com'jssaj do novo pra o para cooclusao
la estrada do aorta, sendo dispensado o intersticio
a requenmenfo do Sr. Ralis e Silva ; em 3.' o de
n 40 (pie manda pagar ao ex-arrematante da es-
trada do Pao d'Allio, eoni nin subslifulivo do ,vr.
Mello neg, lie.nido por isso depedente do uuia
oulra discussao.
E ontiaii :o em 3.* discusao o projecto n. Si do
1872, que reforma a instrueeao publica, foram
auresenudis varias emendas, deixando-se da vo-
lar por falta do numero, polo que foi levantada a
testo.
A ordem do dia para boje : eontinuacao da an-
tecadente, 3.' discussao dos projecto* us. 67 deste
auno o i,' de 1872.
6)M*is;io presidencial. -Tendo o Exm.
e llvm. Sr. hispo diocesano, em 14 de abril or-
denado ao Uval, capellio do cemilerio publico
que soni demora disse principio benrSo de cada
sepultura em qu<3 tivessede ser enlerrado cadve-
res de pessoa* eathoiieas, apostlicas, romanas, e
havoooo a cmara municipal do Racife so oppoto
ao cumplimento dessa ordem, o Exm. e Rvm. Sr.
bispo diocesano pedi i presidencia da provincia
providencias no sentido do cessar semelnrote abuso,
a, depois de ouvir a aquella corporaco, deu o Exm.
Sr. eomuiendador presidente da previo :ia a se-
guite doeisao:
Palacio da presidencia da provincia do Per-
Bambuco, 3 do jiinlio de 1873. A' lllusliissiina
cmara inoaicipal do Racife.Declaro dlas:ria-
sima cmara municipal du Recfe, em reepasla ao
n offieio do 28 do ino7. lindo, que nao proceden
as raides era que se funda para impedir que o ea-
pilln do ceiniterio obedeca a determina;ao do
Exm. bispo diocesano, quanto a bencodas sepul-
turas, por quanto nao podo nem deve essa illas-
n is-ima cmara obstar a que o dito capcllao re-
ceba directamente ordeas do sen prelado, e as
compra, qu indo estas so reforirem a objecto do son
ministerio, isto quando forcm puramente espi-
rituaes.
( facto de ser o capelln empregado da c-
mara, nao da :i asta direito para expedir .ao admi-
nistrador do ceiniterio ordem oaquelle sentido,
porque, se dessa, cotao nao poderla lamben o
En, prelado, pelo mesmo principio, dar ordens
aos parocbos, sem sor por intermedio da presiden-
ca, fate como e-tes sao tambein considerados
comn.empragados pblicos.
Sendo, pois, nina tal doulrina contara li-
berdade e independencia da igreja, compre iuo
essa illiisirissiina cmara seabsteonade assim pro-
ceder, biendo cessar a ordem alludida.
t';i ni :. :<-:t de Tii-ai';it. Por portara da
presidencia da provincia, do 2 do crrante, foi de-
signada a villa de Floro-la para nella residir o
juiz. do direito e promotor publico da comarca de
Tacarat.
Arroraattt&es proviiiciacs. -Foram
Iransl'eiidas : para o dia li do crrante as dos
pedagos da Magdalena, Gequi, Ponte dos Carva-
Ibos, Tacaruna. liujary, Jaboatao, Caxang, Man-
goinho e Capuoga, S. Joao, .Morenos, Motocolomb,
e Tapacur, a do forneeinioato da abmenlacao e
dietas aos presos pobres da casa de detencao, a
das impressoes dos trabalbos das renartiooes pn>-
vioeiaes (menos a secretaria do govarno) ea
venda do sitio dos Remedios.
Vapores esperados Do da 6 a 9 do
oorrente o mglez Cusco e o brasileiro Paran do
sal do imperio, o inglez Sorala e o francez Mo
(runde da Europa, o brasileiro Cruzeiro do Sul
do norte do imperio.
Trillitts uriatios le Oliiida. Deve
reunir-se nodia i) do Brrente, s 11 horas da ma-
nha, a assenibla geral dos accionistas desla com-
panhia, aliin de procoder-se eteieao da directoria
para o anno di! 1873 874.
Pa^aliria le fa/.emla. >esta eslaeo
pagam-se boje as seguintes folhas :
Culto publico, empregados do recenseamento,
guarda nacianal, ali'audega e aposntalos.
Feriuieitto. Hontein, pela maiiha, Antonio
dos Santos Piulieiro torio levemente com una fa-
cadaa Joao Joaqun) de Santa Anua, na freguezia
de S. Jos.
Lotera. -A que se aeha a venda a 53', a
beneficio da groja do Itusario de Santo Antonio do
Recfe, aqual corre no dia C de junho.
Leilu. Iloje, no armazem do,largo do Gorpo
Santo n 48, f rleilo o agente Pinto, sendo de 10
all oras, de fazenda ingleza cam avaria d'agiia
salgada, como sejain: madapolao, chita e algodo,
e de 11 horas em diante, de movis, louca etc
etc., somo se v dos seus annuncos no lugar com-
petente deste Diario.
Casa le detenga. Movunonto do dia
3 de junho de 1873 :
Existiam presos 352, entraran! 0, sahiram 4,
ex iston1356.
A saber :
Nacionaes 234, mulheres 13, estrangeiros 44,
aeraros 83, escravas 12.Total 356.
Alimentados acusta dos cofres poblioes 276.
Movmento da enlerniaria do dia 3 de junho
de 1873.
Teveram baixa:
Jos<- Alves de .arvalho, labra.
Jos Roberto da Silva, sarnas.
Joo Jos de Lima, dem.
Teve baixa :
Ivo de Faras.
to le Ihe havrem sido reroetidas por consituiu
(CS DllMlS,
Amo verdade, e por isso don lestemuiriio.
d'>;ia, fazondo-o comanla maior salisfac^ki,.quan-
to desta vez a verdade pode ser til. a um amigo,
a quem tanto prao pelas altas qualidades que o
distinguem, ionio o Sr. Dr. Joaqnini Correa de
A raujo.
Rio do Janeiro, 11 de maio do 1873.
Tnrtjuinio B. de Soma Amaranto.
MUCACPES 6 PEIMO.
Para o futuro.
Consta me que o Liberal de 3 do correute ac-
comnietteu-ine brutalmente, covardeiueute, trai-
Qoeirainenle.
Fiqnei assonibrado mas terca c dizer qne o
potro do Sr. Dr. Jos Mariano Carneiro da CsMa,
desla vez, pelo menos, escouceou em vao.
O conceiio que a opiniao publica deve ter fir-
mado a meu respeito. sement por urna fatalidade
podera ser abalado.
Com a genlallia borlada do Liberal da ra da
Aurora, portal, outra a questao :
Covardes e vis, prova de e.ymldeiradas foram
depois coreados de /xo :nada mais lgico. Ago-
ra que : Sois iniullaveis.
Que me queris ?...........................
Nada pode haver de roinniuiu entre nos.
I'ois nao Podis subir: eslaes em regra, es-
Iampilhados. Subi Agora, sim, que valis
iilijuma canta.
A historia vos saja leve.
o de junho de IW3.
Victoriano Palhares.
Ao publico.
Tendo protestado no Diario do 1 do abril ulti-
mo, contra una nfonuacao ministrada ao Exm.
Sr. Dr. Lucena, e cen relaeiio ao Sr. Marcelino
Antonio Xavier, da villa do Ingnzeira, em cojo
protesto pedi ao respeitavel publico a suspensao
de sen juizo relativamente torpe calumnia que
se Ihe irrogou no Diario de 26 do marco do cr-
reme, venbo boje mostrar Ihe, que nao fui preci-
pitado, porque nutria a presuinpcao de que o meu
dito amigo havia de provar quanto foi injusto, se-
nao calumniador, este informante, que S. Exc. jul-
gou fidedigno, talvez levado por zeio no proposito
de bem desempenhar as faneedes de sua adalinis-
lra<;ao.
Como qner qne fosse faco juslica a um, e ao
nutro sainara Iba direi, que, se pretende assim ga-
bar conceito peranlo S. Exc, nao s perdeu o
lempo, como cabio em sen desapreco, para de baje
em (liante aquilala-lo om sen vordadoiro mrito.
As-iin. pew, aprsenlo um protesto dos morado-
res do termo de logaMirn, assignado por crescido
numero de cidadaoa respeitaveis, caja idonedade
nao pode ser posta em dunda.
Recite, 4 de junho de 1873.
C. B.
i 'sEiicit* iE (Pulida.
No domingo Io do crranle, leve lugar o acto de
consagrario do .bV: Mariano, na motril de S. Pe-
dro do Olmda. Esta devovio, que, ha anuos, cos-
toma fazer all o Sr. conego Manoel Joao, no pr-
senlo l'oi leia com mais proveito e solemm'dade, o
sempre inuito concorrida, divido isto por corto,
aos sentidas doalnoaes feitos pelo mesmo Sr. co-
no), durante o mez. A fasta estove muito ani-
mada o grande foi o numero das commnnboes.
O acto foi encerrado com Te-Den* tarde, oc-
cupando i ir essa eecasiaa a tribuna sagrada o
Rvm. Miguel America, secretario do hispado, que
muito satisfez ao nnmemso auditorio com a sua
oraeao teila anloga ao acto.
V. assim que a devocao do Mez Mariano entre
nos vai so toin nido ama das piincipaos fastas, ji
por sua propagaoo, mesmo as casas particulares,
j.i pela pompa o silomnidade co'ii que feita em
militas igrejas.
aj o-iivcrgariaiii a pela se esta lhes desse o pfl-
thr\
E scito,,quando o quem foi que mandn bas-
car ns fiihns de Loyoia, lhes deu o prnn.ssor.ito,
liies eitiri-gi)!! os esahelecimeiilos e ele, ele. ?
Outrem o dir anda !
Di rao : eslavamos engaados \a Esta-
fis no poder !
Ainanba oceupeis S. Christovao, e S. Ignacio
mor era v, -os abracoSj^gfffuallM'iiue hoja di-
sais nunli/r d kerfies se^Hor vs espaldeirados,
como loni sido tantos vezei!
A libordado nnn-a Ijl svnanlmn de desor-
dem, nunca crqou se ci*m as roupagens da anar-
cbia, nunca tete a pliysioaamia do crimef
Danton, Robespierre,' Mrai o Cootlrm jtiflca-
ram a necessldade de Sapoleao, o grande, como
Barb e LB&Ulanc-, servirn) a Naporeao, o pe-
queo.
A liberdude s4teple> como na Suissa, gran-
diosa como na patria de Wasinglhon.
Ella oVrnibn os lyramios com a Hecha de Tell,
oii drsfralda o pavilho estrellado como Wfcsimj-
thon !
A liberdaJe tanto fespeita o direito do Hd+vi-
do, como o das multi loes. Como o sol a todos
vivifica. Como ens a todos perdoa e ampara I
Filha de Christo, a lberdade a estrella dos
magas que conduz a humandade ao ber^o do por-
vir. Ella nao pude amar o crime e a desordera,
porque o crime \-il e a desordeni condemnavel.
A lberdade qusbra o grilhao do escraro e nao
o sida, e aamba do despotismo, quer elle venha
dos individuos, quer das multiddes !
Vos, que em nomo della, fazeis autos de f e
carnificina, vos que contra ella pregaes o intole-
rantismo, os odise a guerra civil, desenganai-
vo A Irberdade ra avante, porque ella i
sopro de Deus que agita a humandade.
So alguem prejudicou a sua causa, foram aqncl-
les que se dizem sens sectarios I
Sej-* since a a Verdade, e reconher isto.
(Cae.: Boza Cruz.)
A' Verdade.
COMMUNICADOS.
Confirmo quanto disse cora referencia .a mim o
Sr. Dr. Joaquim Correa de Araujo.no seu commu-
nicado inser > no Diario de Pern- mbuco de 8 do
corrente, o qual agora me veio as maos.
Tendo de vir tomar asaente na cmara dos Srs.
deputados, qual tenho a honra de pertencer, e
desojando entregar as causas que corriam pelo
meu escriptorio de advocada, a um collega que
podesse inspirar aos meus constituimos toda a
confianca, acetei o olJerccmento que mui espon-
tanea c graciosamente me fez o Sr Dr. Corroa de
Araujo, meu collega c particular amigo, o qual
levou sua generosidade para comigo ao po-uo de
nao querer aceitar para si nenhum honorario que
. me podesse competir por causas, que durante a
minha ausencia rae fossem enviados.
Uuando ltimamente estive na cidade do Recfe,
jnde fui pa-a de l trazer mnha familia, o Sr.
Dr. Correa d' ^ raujo, a despeito de instancias mi-
jfcas em contraro, me entregou fielmente todas
Permita a Verdade que contestemos o seu artigo
d- ten lo do 28 do correnle.
Nao tammjttmkut, nossa assignatara o prova
Perloiicemos ao numero daquelles que, sendo
das novas gen^oes, combatem toda a exhorbitan-
cia do poder.
(ki.no a Veril de sentimos desprazer pela face
que 'em lomado nltimamente a (juestao religiosa,
mas divergimos quan'o causa que assigna a
essa modanca.
Entendemos que a circular pontificia, ccrollario
do tgllainu, atacando a maeonaria, aleui do cir
culo em que poda afaca-la, um lacho de dis-
eordia queso pode trazer em resultado perturba
coes aos oslados, e prejuizo religiao.
Entendeuios como a Verdade que preciso com-
ba ter esse thenei cismo int- leante, contrario ao
espirito do ebristianismo, todo piz e candada : que
preciso oppor diques as aspiraeoes de dominacao
temporal que desoja a curia romana, que esto
lindos os lempos de Gregorio, o grande e de Bene-
dicto XII.
Que nao possivel voltar a paseados lempos a
humandade, renegando tantas conquistas compra-
das cusa de tanto sangue e tanta hita.
Ciemos que depois da reforma e da revolucjio,
depois de Wasinghton e Frankln, de Fullon e de
Cuthcnihcrg nao possivel que nuvens de vam-
piros, cobertos de purpura ou de negro, possam
fazer sombra, mxime na America, aos raios ar-
(lentes do sol.
Deus fez o hoiiiom para ser ivre deu-lhc intel-
ligencia e forra, nao para ser escravo, mas para
attingir perfeicao.
Tambem por isso concordamos que a questao
religiosa que boje so agita entre nos, urna ques-
tao de interesse geral, urna questio univers-1, que
ella se redas a saber, o que deve prevalecer se a
lberdade ou o despotismoo que devenios ser ho-
mens ou cousasperide cadver.
Por isso tambem entendernos que a 'ula devia
ser extreme de partidos no terreno das ideas, no
campo da opiniao. que se devia vencer cora a ra-
zan e o direito, com a lei o com a civlisacao I
E" por isso que condeinnamos os vergonhosos
fados de 14 deste mez, as tumultuosas demons-
tracoesdesse da e de 16, mas que ludo, o tornar-
se urna questao de interesse de lodos, questao
de partido, que com ella quer agitar e anegar a
seus fin;!
Aquella fine vos ascreva, tambem tentn que
a questao fosse geral, que nella nao intervesse a
poltica, essa poltica doudcjaute, egosta, pequeni-
na, capaz de sacrificar ludo um da do nadar, de
ludo pratiear, ataban por um errado clenlo, com
tanto que cliegue a seus tras I
A linguagein das folhas de um partido levantou
a ponta do veo, o procedimento de 14, a reunio
de 16, o manifest desse paitido 17, foi o iat
lux que tudo arclarou I
A poltica se havia mascarado por algum lempo,
mas afinal julgou asado o ensejo, e largando a
mascara da questao religiosa, apresentou-se s cla-
ras as peitadas ao poleiro I i
Sempre interesses mesquiulios sacrificando os
grandes interesses, sempre as individualidades
querendo fazer escabello das generalidades Indi-
vidualismo e nao liberalismo.
Miseria em vez de grandeza !
Se os filaos da viura sao irniaos, para que essa
I uta de orientes ?
O quo quer dizer partir de um oriente a agita cao,
a I uta?
E que o grao mestre deste quer despoieirar o
daqnelle e inda urna vez a instituirn serve fins
profanos I
Quaes os que se apresentaram as pi uncirs
reunies ?
Chele- ou entidades de um s partido !
Quaes as folhas que aproveilam da agitacao
para fins polticos ? As do lado liberal.
Quaes os promovedores, os oradores, o cumpri-
mentado do dia 14 ? Todos desse lado,
Quem faz de carroca tribuna, concita os nimos
e conduz alguns exaltados aos condemuaves factos
desse dia ?
Um liberal (lal se proclama) redactor de urna
folba desse norae, apresenlado como hroe e martyr
Selo directorio do partido a quo perlence, e coroa-
o afinal pelo rotundo sacerdote d o templo po-
pular I
Quem se comprometiendo approva as desordens
e crimes do dia 14, provoca os aconleciraeatos de
16, e esquecendo actos do passado, faz de. tudo
grito do guerrae arma de liiiputs ? Os liberaos,
sempre os liberaes I
E depois de tudo isto, depois do manifest de
17, da sessao directorial do partido, soi disant, li-
beral, ainda quer a Verdade que se diga que a
questao n.o jwlitica ?
Por que razao deixram os Ir.-., nao liberaes, do
tomar parte na lula? *eria porque sejam jesutas?
Nio I Porque nao quizeram concorrer para os
clculos ferrados) de seus contrarios I E estes I
pouco se importara cora bispo e jesutas. Elles I
llai'colino \iiIonio \uvi-r ao
Un. Sr. las iniciacs CB
no Ibiai'io lo Pci'uniubuco de
f lo correaste saiez.
Muito agradeco o haver. V. S. no Diario cima
mencionado protestado contra a parte de um offl-
co de S. Exc o Sr. presidente da provincia, diri-
gido ao lllui. Sr. Dr. director gersl da instruccao
publica c inserido no Diario de 26 de marco, na
qual se me arguia de um vicio, que. a ser exac-
to, o nao a mais torpe calumnia, me exporia ao
jus'.o desprezo do publico o ao de mens amigos.
V. s.asseverou em seu protesto conhecer-me
desde a infancia, e que nunca me condecen com
tal vicio.
Pois bem : se V. S. disse ou nao a verdade, es-
lavam no mesmo caso os signatarios de outro pro-
testo no mesmo sentido do de V. S., sendo elles
as pessoas mais grdas e abastadas deste lugar,
que. segundo me aflirmaram, seguio para essa ci-
dado para ser publicado ; porm, em todo caso,
dever V. S. com elle ficar quite para com o pu-
blico, segundo se coniproinetteu, sahindo-se em
miiilia defoza no Diario do Io do corrente, fican-
do cu, entretanto, em eterna divida para com
V. S.
Nao andoi pedindo altostados (Deus o sabe se
o faria) a exapr.o dos dons que vao com esta
ser publcadosTe estos pelos motivos que adianto
dare.
Esses cavalleics que assignaram o protesto, o II-
zeram espontneamente elles comprehenderam
minha posicao, o rae conhecem perfeilamente ;
agradeco-l' es, pois, do fundo d'alma tao relevante
quao importante servico que me ai-abam de
prestar.
Requer os dous attcslados de que trate, por-
que, cansteu-me nao estarera assignados e>ses
dous funeeionarios pblicos no proteste ; que nao
Ih'o haviarn apresenfado, por serem elles inorado-
res de pouco lampa nesle termo ; entend, que
nao poda prescindir delles, sem causar um certo
reparo ; um do Illin. e Rvm Sr. vigario desta
freguezia, o nutro do lllm. Sr. Dr. Miguel dos Ali-
jos Barros, juiz de direito interino.
Queirain. Srs. redactores, por obsequio dar pu-
blicidade em sen conceiluado Diario presente,
com o que muito obligado Ihe flearei.
Ingazeira, 21 de abril de 1873.
Marculino Antonio Xavier.
Illm. Sr. Dr. juiz de direito interino. Marco-
lino Antonio Xavier, professor publico de inslruc-
co primaria desta villa, querendo justificar-se
d'unia imputai-ao revolianteinenlc calumniosa,
que se ada publicada no Diario de 20 do coran-
te mez. no expediente do Exm. Sr. presdeme da
provincia, por nformacoes que Ihe foram mins-
iradas, de vi ver o supplieante em continuado
estado de embriaguez requer que V. S. se digne
atlestar-lhe o que a respeilo Ihe constar.
Nenies termos o supplieante pedo a V. S. defe-
rimento. E. R. M.
Villa de Ingazeira, 23 de abril de 1873. -Mar-
colino Antonio Xavier.
Atiesto e jurarei, so necessario for, que a impu-
tadlo que se l no Diaria de 26 do mez passado,
na parte nfficial, que trata do expediente do Exm.
Sr. presidente da provincia, do dia 4 do mesmo
mez, quando, exigindo informaeoes do Dr. direc
ter geral interino da inslruccto publica, trata da
embriaguez continuada do supplieante, como pro-
fessor de instrueeao primaria desta villa ; falsa,
oo seu autor alem de nao ser pessoa digna de
f, revela ser um calumniador, que nao pode ti-
rar nem firmar a reputacao de alguem. O que
attesto sob o juramento de meu grao.
Villa de Ingazeira, 23 de abril de 1873.
Miguel dos Anjos Barros
Illm. e Rvm. Sr. vigario. Marcolino Antonio
Xavier, professor publico de instrueeao primaria
desta villa, querendo justificar-se dama imputa-
ran rovoliantemente calumniosa, que se acha pu-
blicada no Diario de 26 do corrente mez, no ex-
pediente do Exm. Sr. presidente da provincia, por
informaeoes que Ihe foram ministradas de v-
vor o supplieante em continuado estado de em-
briaguez requer que V. Rvm. se digne attestar-
Ihe o que a respeito Ihe constar.
Nestes tormos o supplieante pede a V. Rvm.
deferinicnto. E. R. M.
Villa de Ingazeira, 23 de abril de 1873. JJ\W
colino Antonio Xavier.
JoSo Vasco Cahral de Algonez, presbytero do ha
hito de S. Pedro, vigario encommenddo da
freguezia de S. Jos de Ingazeira, por S. Exc.
Rvm. a quem Deus guarde.
Atiesto ser inteiramente calumniosa a assercao
de andar o supplieante em rontinuo estado de
embriaguez. Na verdado desde que conheco o
supplieante nunca o achei em semelhante situa-
cao.
Nio me consta nada a este respeito. Entretan-
to o supplieante merecedor das atlencdes devi-
das a pessoas respeitaveis, e por isto todas as pes-
soas distinctas desta freguezia indistinctamente
se sentirain indignadas ao saber que o suppliean-
te fora victima de semelhante calumnia Ita in
fide parochi.
Ingazeira, 2.1 de abril de 1873.
O vigario, Joo Vasco Cabral de Algonez.
maior da guarda nacional.
isidro da Cruz Cerqneira, ommandantc supe-
rior interino de Flores.
Scveriano Martyr de Ccrqueira, delegado de
pnl'cia.
Comido Ferrera da Silva Mello, subdelegado
de S. Pedro.
Joio Francisco da Luz.
Jos Correia Barbosa, vercador.
Jos Francisco Pessoa, vareador.
Esperidio de Sequeira Campos, capillo com-
iirandanto interino do bata!li|o.
TeBenle Joaduim Raphnel da Cruz
Ruino Jos feoares da FoRccea.
hvi Caetano Madeira. veretdor.
Joao IgnfcdoHibciro Lima, porteiro da cmara.
Francisco Alves dos Passos, juiz de paz da po-
voacao de Varas.
Manoel Themomteo da Silva, juiz de paz sup-
plentc.
Francisco Pereira da Silva, juiz de paz sup-
plente.
Domingos Tlieotonio Nogueira.
' Seguem-se ainda cncoenta e urna assignaturas,
todas reconhecidas por tabeHiio.
Tomai
salsaparrlha de Ayer para purificar o sangue,
purgar os humores e uer esappareccr as bor
bullas, as espinhas, furnculos, tumores e quae-s
quer ncommod s da pelle, que nao sc mais do
que symptomas da corrupcao do sangue.
Hol-slias los riM.
Julga-se que Juas larfM partes dos habi-
tantes oivilisailos do mundo soffrem mais
ou menos molestias dos rins e do ligado.
Nao padece duvida alguma que as enfermi-
dades dos rins durante estes ltimos anuos,
teem-se tomado mais irequentes e obstina-
das, com specialidade nos paizes quelites.
Nada ha que pareca produzir um tao pro-
nunciado eiTeito, e que uielhor as subjugue
como seja justamente a salsaparrillia de
Bristol.
Quando os cidos ricos e lilhicos se
acham em excesso na jjoreflio ourinaria (e
isto o que exactamente acontece na maior
parte das molestias em questao), as quali-
dades alcalinas da salsaparrlha, prompta-
inente poem um termo eontinuacao do n-
commodo; em quanto que a sua oporacao
tnica, fortifica os orgaos relaxados e resta-
belece a sua ao natural. As pilulas as-
sucaradas de Uristjl, devero ser tomadas
conjunctaineiite com a salsaparrlha, para
que o ventre possa melhor assistir os rins
em expellir para fra (ie si a materia viciada
posta em circularn pela salsaparrlha.
prazo, ; vontado do tomador, sobre as se-
guintes pracas estrangeiras e nacionaes :
IMrar*.Sobre o i.mon bask of
LO.MM..N [di responsabilido'le Ilimitada) e
varias firmas de 1.a batn.
Pars.Sobre os Srs. UARcuARn a-
or & C."P. GIL, e A. BLACQUE VIG.tAL A
C.a DANyUEIROS.
llanihiir^o.Sobre os Srs. joao senr
BACK & F1LH0S.
I.islioa.Sobre os Srs. fonsecas, san-
tos & VIANNA, C SEBASTIAO JOS D'ai:REU.
Porto.Sobre o banco un lio do por-
to, e o Sr. joaquim pinto da fonseca.
Pura.Sobre o banco commbrcial do
para, eos Srs. francisco gaudencio da cos-
ta & FILUOS.
llaranhita.Sobre o Sr. jos ferre-
ra DA SILVA JNIOR.
Cear.Sobre ns Srs. j. s. de vascon-
CELLOS & SONS.
Baiiia.Sobre os Srs. siari.mios & c'.
Rio le Jauciro.Sobre o banco in-
dustrial E MERCANTIL DO RIO DE JANEIRO, C
0BANCO NACIONAL.
PRACA DO RF.CIFE 4 DE JUXIIO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDK.
' "lucr,e Algodao -de Peneilo sem insiwerao 8ji00 par 18
kilos.
Cambio sobre Londres a 90 d|v. 2o '\\ i. por
140O, honlem.
Dito sobre dito a 90 d|v. 25 l|2 d. por 14000.
boje.
Cambiosobre Paris a 90 d|. 378 rs. por franco,
do banco, honlem.
atu
Presidente.
i.eal Seve
Secretario.
Iniprcs-iVs Jos trakilhos J repart.
vinciacs i nu-n< arretaria di pwwiwa) pnt
lempo de 1 anno, a contar do I.* d jaiHo pw-
\ uno viudoure.
Secretiria da lhe< ur.iria pnvinci I d r
buco, 30 do maio de 1873.
i) oIBcialmaior,
______________Miguel AITmiso Ferr!..
O lllm. Sr. mspeelor da i*e*>nraia~p7
rincial faz puldlro i|uu foram traa odia II de junho prximo vindanro as arr lacftes dos sepiiinte* |H>dagfo< :
l'rcco anniial.
Magdalena 7:9M4SnO
Giquii i:M4600
l'ont- dos CarvaHl s fteJ4'"0':
Tacaruna wi3WM'
Hujarv 5S4<)
Jaboaio .!>*4l
Caxang i:J7.i4 O"
Manguinbo c < jqtunga 2:6.1:14901
S. Joao 2:0 \f7Sli
Morenos 1665*40'
Motecolomti 1:65141
Tapar urj I:V.ia:0
Todas oslas aneni.itacoi- ,,
3 anuos a conlar do |. de jnlbo de 187
Secretaria da thesouraria provincial
narabuco, 3:1 de maio de 1873.
O oflirial-raai a-.
M. Aiftiitsu Ferien a
iURACuFl
-tend mente
dem do dia
MiPANDRGA
do dia 2 a 3 .
4.....
87:7025(89
35:4874570
Consulado provincai.
Do priiueiro de junho vindoiiro enm^ <
o prazo para pagamento do 1* itaari te .
linanceiro d. 1872 a 1873. d->s iii|.six d. -J
ma urbana, i r>. |.r litro do a(!iurd.uio, '
O/o sobre a renda dos bem de laii pertaafaM^
as cor trav-oes de mo mora, incorremlo na
lado 6 0/(i, os coiilritiuinlo^ que oentro do :-
nio prazo n*o satisiuorom as r^-.iiv
Consulado provincial, 27 de main te |H7J.
o adiiiiisiratkr,
A. i'.ain.irc Macli.ido h*^
SANTA CASA
123:189C5'.I
ingredientes
Entre n saile e a Mepultura
nao existe mais do que una franzina separa-
gao, e de S.uppr, que todos que aprecian)
a vida estejan desejosos de fazer todo o pos-
sivel ao seu alcance alim de evitar que a mo-
lestia o nao derrube. Ouem ser o louco
que espere o ataque final, quando o primei-
ro assalto pode ser repellido cora as pilulas
assucaradas do Bristol ? lima preparaco
o genial e balsmica, tao investigadora, e
no entanto tao fortificante, que ao par que
ella rebate a eiifennidade, e expulsa a sua
causa, ella restabelece e d robustez cons-
tituio do doente.
A sua composirao conten
auti-biliosos e vegetaes catharticos, sen Jo
nina seguros e investigantes ; o nico muio
de cura contra os desarranjos do estomago,
do ligado e dos intestinos, as quaes so pu-
de confiar debaixo de todas as eircumstan-
cias, sendo a sua acedo invariavel em qual-
quer clima quo seja.
A idea de dores merecidamente associa-
da com esses purgantes ordinarios; porm
as pilulas assucaradas de Bristol, nem se
quer produzem o mais leve incominodo que
seja, sumi a sua operaclo branda e suave,
l'or ventura ser mister dizer-se que ellas sao
o melhor cathartico e alternativo de familias
at boje condecido? Ellas se aedam acon-
dicionadas dentro de vidrinbos, e por isso a
sua conservado duradoura em t^dos os
climas. Em todos os casos provenientes ou
aggravados por impureza do sangue, a sal-
saparrlha do Bristol dever ser tomada con-
junctamcute com as pilulas.
*y^.' nracncaxam
mmam.
Ao publico.
No expediente do governo de 1 de marco deste
anno, publicado n > Diario de Pcrnambucb de 26
do mesmo mez, vindo pelo crrete de hontem, de-
paramos com um oteio de S. Exc. o Sr. presiden
te da provincia directoria geral da inslrueclo
publica, dizendo que pessoa de f, em viagem
para a capital informara < que o professor de In-
gazeira vive era continuada embriaguez I I
Sendo, porem, inteiramente inexacta semelhan-
te, e tao insnltuosa informaeao ministrada ao
Exm. Sr. presidente, recorremos imprensa, nos
que somos moradores oeste termo e onde enlre
nos reside ha mais de 20 annos o mesmo profe-
sor, para bem alto protstennos contra.
Somos teslemunhas oceulares do contrario, e
afflrmamos, que o professor desla villa, o Sr. Mar-
colino Amonio Xavier, lem ptimo comportamen-
te, dedica-se com zelo ao magisterio, sendo sua
escola frequ miada por crescido n mero de alum-
nos, segundo o lugar, apresentaudp elles aprovei-
tamenlo, pelo que estimado e respeitado como
cidadao distincto, e exqmpjar pai de familia.
lta(anto essa pessoa de f qne dea ao Exm.
Sr. presidente a informaeao, contra a rjual protes-
tamos, foi como provarel, illaqueada era sua
probidade por algum inimigo gratuito e pequeni-
no do mesmo professor, aproveitando-se da pas
sagem dessa pessoa parafimpingr Ihe essa gros
seira e revoKanle mentira, de que trata o referido
ofllcio, na parte de. que nos oceupamos, o qne
nio provou e nem jamis poder provar, e llcan-
do certo esse calumniador que sera impotente pa-
ra marear a reputaoao do mesmo professor.
Villa de Ingazeira, 90 de abril de 1873.
Francisco Miguel d Cerqneira. chefe do estado
Banco Commercial de Per-
nambuco.
0 banco sacca por todos os paquetes so-
re as pravas de Lisboa e Porto.
Seguro Ciiiilrii-fjp
COMPANHIA
INORTHERN.
Capital..... 20,000:0009000
Fundo de reserva. 8,000:000j000
Agentes,
Mills Lalham & C.
RA DA CRUZ N. 38.
Descarregam ho;s o de jnnho de 1873
Vapor inglez S'udent atiacadoi mercadorias
para allandega.
Barca ngleza-F.s-i--mcrcadoras para alfan-
dega e carviio j despachado para o caes
do Apollo.
Barca ingleza -t dega.
Patacho inglez Gloria dormentes e machinas
para o trapiche Conccicao, >m desca-
char.
Barca portugueza Despique II vinhos para
deposito nos trapiches Barbosa e Cimba.
Barca norueguense Wenkabetarinha ja despa-
chada para o 5* ponto.
t luiportaeAo.
Terra-Nova, esenna ingle a Ifsry Lizzic, con-
signada a Jobnston l'ater & ('.., manifestou :
Bacalbo 2,38$ barriris aos consignatarios.
HB8PACD S DE BXPOItTACAO -NU DI \ 3 DE
MAIO DE 1873.
P'jra os Dorios do exterior
No vapor inglez Stactatl, para Liverpool, car-
regaran : A. F Balthar Sobrinbo 1,900 saccoa
cora 14?,bV0 kilos de assucar masravado ; R
Sidimmettau & C. 330 ditos com 2(',230 ditos de
dito.
Na barca portugueza Rapid i, para Liverpool,
ca-regaram : J. Paleov C. 8l<0 saceos cora 60,000
kilos de assucar masca vado.
Para os porros do tuttrmw.
Para o Rio Grande do Sul, no patacho por-
tuguez Virginia, carregarain : Oliveir- Filhcs k
C. 3 barricas com 33u' i]2 kilos de assucar mas-
cavado e 348 ditas cun 37,131 ditos de dito branco.
Para o Rio Grande do Sul, no pala lio bra-
sileiro Joevm Artlmr, carregou : L. J. S. Guima-
raes 200 barriquiahas com 12,068 kilos de assucar
branco.
Para o Rio Grande do Sul, no lugar portu-
guez Jos Est?vao, carregaram : B. Oliveira k C.
lo barricas com 1,690 kilos de assucar branco.
Para o Para, no brigue brasileiro Rato, car-
regou : M. J. Alves 15 pipas com 7,200 litros de
agurdente.
Para o Rio Grande do Norte, na barrara
Uniao, carregaram : A. R. Maebado 1 barrica
com 88 kilos de assuar refinado ; B. Gomes n C.
I dita com 7o ditos de dito ; B. Oliveira & C. i\\
ditas com 31 ditos de dito.
Para o Rio Grande do Norte, na barcada Ria-
chueilo, carregou : F. I. Lima Cabral 2 barricas
com 120 kilos de assucar branco.
Para Alagoas, na bareaca Bemfica. carrega-
ram : Nery Irmo i C. 1 barrica com 86 kilos de
assucar branco.
.APATAZIA da alfandkga
Kendmento do dia 2 a 3
dem do dia 4 .
SEGUROS
CONTRA-F0G0
IMPERIAL
Rua do Conaiiaercio u. 38, pri-
Hieira andar.
1:68U9!'2
6(/2878
2:284870
IV MISERIdilUilA \")
RLC.IFK.
A Hlina. junta adminislraliva da ata cau -la
Misericordia do llccife, manda faz.-r |HiUi>
na sala de saas sessd, no dia 5 4* juata
3 horas da tarde, lem de ser armnv
mais v.uitagens o^-iih-.t. pelo leni|o d. .: ..
tr s anuos. s renda- dos predios cm -
decbndna.
ESTAI!ELEr.|"KNTOS DK CARIDAD!:
Rua da Guia.
dem n. 29..........
Rua di Anrrim.
Sobrado de 2 andares n. 26. .
Roa do l'adn Florian.
Ca-a terrea n. 45.......
dem n. II.........
Un. das Cal.adis.
2"
2*.
2.*

dem 11. ||
IJem n. 4.
Rua le Sania Tl-i.-za

4ir* ntmn
ftin
lar>|ir>
42l*Ot
pl
IM#
24i-
VULUMES SAHIIKiS
No dia 2 a 3 .
Priincira parta no dia i .
Segunda porta.....
Terceira porta.....
Trapiche Conceicao .
SERVICO MARTIMO
Alvarengas descarriadas no trapiche
da alfandeca no dia 3
Ditas ditas no dia 4......
Navios atracados no trap. da alfandega
Alvarengas........
No trapiche Conceicao.....
5,617
RF.CEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE
RAES DE PERNAMRUCO
Rendimento do dia 2 a 3 3:2021276
(dem do dia 4...... 2:154*940
3:337*216
CONSULADO PROVINCIAL
Kendirnento do dia 2 a
dem do da 4 .
W. G.
gente,
FENNELLY.
COMPANHIA ALLIANQA
seguros martimos e terres-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,0e0:000?X>00.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro s
risco maritimo em navio de vela e vapores
para dentro e fra do imperio, assim como
contra fogo sobre predios, gneros e fa-
rondas.
Agente : Joaquim Jos Goncalves Beltro,
rua do Commercio n. 5, Io andar.
Seguro contra-logo
THE LIVERPOOL LONDON & GLOB
INSURANCE COMPANY
Asentes
SAU^DERS BROTHERS A C.
11Corpo Santo11
Angust F. d'Oliveira Sl C.
A casa commercial e bancaria de Augusto
V. d'Oliveira Cr*., rua d^Conunercio n.
i2, encarrega-se de eiecuco de ordens para
embarque de productos, e de todos os mais
negocios de comraJsso, quer cotnmerciaes,
qur barcarios.
Desconta lettras, e toma dinheiros a pre-
mio, compra cambiaes, e saca rista, e a
6:60o*093
4:846;4i0
II:45I|8I3
VtOYiMNTO 00 PORTO
Navios entrados no dia .
Bahia12 dias, polaca lepndola Temeraria,
de 178 toneladas, capitao Carlos Rojos, equi-
pagem 13, em lastro ; a P. M. Maury.
Terra Nova-32 dias, escuna inglea Mary Lizzie,
de 148 toneladas, capitto Richard Ward, equi-
pagein 8, carga 2,583 barricas com bacalhao ;
a Johnston Pater 4 C
Navio sahido no mes nio dia.
S. ThomazPatacho hollandex Ladele, capitio
Laurazen, em lastro de ara,
Aracaty-Hale brasileiro Rio Grande do 2iorte,
capito Antonio Jos da Cosa, carga ditTcreutes
gneros,
EDITAES.
- 0 Illm. Sr. inspector da thesouraria provin- Kgual fV*' J*'?'* Pf
lial manda f?pr niihlico tina om ,.m,.....i a. 00 em JUnno de l>7. a U
Rua larga do Rosario.
Segundo andar do ara lo n. 2i A
dem i lem n. 24.....
Terceiro andar id.m dem .
Rua de ilortas.
Solirado n. O.......
PATRIMOMO IK)S OWHAOS
Kua da S.-ii ala-reHia.
Casa terrea n. 16......
Rua do Imperador.
I'riineiro andar do obrado n. Hl .
Segando dito dito......
Luja do mes no.....
Larto d Panizo.
Lata s>'guiila do snbrado n. fli .
Loja 3.J dito dito......
Rua de S. Gtmcalu.
Casa lerrea n. 22......
Ruada Madre de Den-
dem i. 8........
Boceo das llnias.
Sobrado n. 18 .......
Ilua da Lapa.
Casa lerrea n. II......
Hua do Burgos.
Caea torrea n. 19 .....
dem n. 2o.........
Rua da S-uzalla Wlha.
Casa terrea n. 18.....,
Rua da l>uz.
Sobrado n. 12.......
Una da S. hn iPil;in
Can lerrea n. 103...... *?*>
Os pretendeules devoro ajm^en'ar no ;
arrematarlo as suas Tuncas, ou r>mpart aci'i'panhados dos respectivos liad<>rcs, devenr*
pagar aluiii da renda. picniio di quantia %
i|ue for seguro o predio que eontiwr c-1..
nienlo commercial. a--im ciino o servico d. i
peza e precos dos appandbo>
Secre'ana da sania eaaa da MtalMAl Ra-
cife, 2 de juinho de IK7:i.
O escrivi
Pedro Radrignet de Sowra.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A junta administrativa desta Santa Casa, ter-
dous terrenos que possue no lugar dos Arrumba
dos, hoja Du irle Coelho, soh ns. 39 e 4 trMir
aquelle 390 palmos e este 309 de frente e amfc*
de fundos at a baixa mar
Secretaria da Santa Casa de Miserirorra
Recife, 7 de abril de 187 J.
O eserivao.
Pedro Rodrigues de Sooza.
Obras militares.
Tm de ser contratadas, para o quartel 4o llu-
pici, a collocaciu de um apparrlho para e\tta*ir
agua da cacimba, nn.ado em 165*681, e a nern
c.ao dos re|>aro$ a fazer-se no rano de enfolo c m
cab;anclito da ntrala do arsenal rte goer a, cr-
eados em 6!<(t51 : as pessoas que deltes se ojiuif
rem enrarregar apresentem suas pr postas m
carta fechada, a 4 de junho, ao meio dia, na re-
partifao das obras publicas, onde se arhan m (T-
famentos.
Pernambuco, 29 de maio de 1873
O engrnlwiro
Chn-sotilo V. de Castro Cii>--
CONSKIHO DE COMPR.1S \*\ ARSKMI
DK MARINHA.
O conselho no dia 5 do correnle met contrata
vista de prosistas rerebidas al as 11 horas oa
manhi. e sob as condicoes do estylo, os segmaM~
fornecimentos por lempo de tres nmes lindos em
selemhro prximamente vindouro.
De cemento para as oras do porto, de car*-
COOk e dito de ferrriro para o arsenal de mar (-
nha : e de vveres, dietas e outro* objecto* de
consumo, para os navios da armada e eroNlr
cimento* de marinha, romposfo n torntrimelo n
seguinte :
Assucar branco grosso, armz do War
agurdente de 20 gr, azehe doce a>
assucar branco refinado, aletria. ararnta,
bolachiuha americana, bacallum, halaos, rali a
grao, caf moido, carne verde, carne erra do Ma>
Grande do Sul, da hysson. cevadmlia. raraaajta
em velas, conserva preparada, cebla*. f*ij h
rinha de mandioca da Ierra, galinhas. I cha. mal-
te, manleiga ingleza. manleiaa fraareta. pit. al.
saiiio massa, steanna em velas, steahna de 8 etr
libra prnpria para lanlernas, tourinho V
tapioca, lijte de alvenari groan, lelha,
Lisboa, e vinagre de Lisboa.
Tambem o eooselho no iMnriaaad* da e i
cial manda fazer publico, que em cuinprmento da
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia de 2ti
do corrente, vai novaraente praca no dia 11 de
jun^o prximo vindouro, para ser arrematado a
quem mais der, o sitio dos Remedios, servindo de
base aquantia de 3:730* porque foi adjudicado
fa enda provincial.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da the*ouraria provincial de Pernam-
buco, 27 de maio de 1873.
O oficial maior
_____________________M. A. Ferrera.
Pela thesouraria provincial se faz publico
o^ue foram transferidas para o dia i 1 de junho
prximo vindouro as seguintes arreraatacoa*.
junho de 1*74. a lavagm de
fermaria de marinha os servien
mesma ; assim como promove a
oculos de alcance, e de 25 loros 4a
14 a 17 palmos de comorimento.
Teem os contratantes de fazT
do qua for de peso e ae4i4a peto ayatoaw
Sala das seaades do conseno 4a
marinha de Pernaanbaoo, S 4a mkm 4t
O
Pela tbeaawaria provuMial
que do dia 3 do comal* en
varcinentea do*
ao mez de maio i
Secretaria da Ukaeuraria prevnoitJ 4e IVr

I
Fornecimento da alimenlacio e dietas aos pee-1 buco, 2 de iunbo de 1673
sos pobres da casa de detencao por tempo de 31 q o#cial-.
raezes a conlar do I." de julho prximo nndouro.l M. X Ferrera.


Diario de PernambC ^- Quinta fera 5 de Juiho de 1873.
T
,A
yiuii
lilil
EMPREZA
ESPIUCA A Vi.\\\Wl).
Quinta-feira 5 de junho.
Kpectaculo em banefleio do
guardaroupa da (heatro.
Reprcsentar-se-ha o applaudido drama cm 4
artos e 1 prologo.
As multares de marmore.
Termnwr o espectculo com a comedh em 1
acto:
0 dial aira/, da porta.
O beneficiado ped nroteeQio ao publico a quera
antecipa os seas agradi-cimentes.
Principiar s 8 i\i DOTO.
,V|-ff '
l'.VHV
SPI\3C\ & VENANTE
SaSiabd? 7 e dDiningo 8.
i'RLUElRA RECITA DE ASSIGNATURA
aJepois que a orchestra ti er executado a walsa
.^Iravagante
imm jesutica
: npusi^Ao do actor Santos Silva, representarse-
hx pea prime-ira vez o importantissimo drama
01 i actos, composicao do intelligente escriptor
)r. Carneiro Villela
IHIIM E OS MITAS.
Personagons.
Jistevao, majnr reformado
Eduardo, guarda livros
Padre Nicolao, je uita
Or. Marciano, idem de casaca
mos, amigo de Eduardo
t.trios, idem idem
Azevedo, idem idem
Lopes, idem idem
[sute!, viuva e mi
> Adelaide
Francisco (escravo) vendido
aos jesutas
Maroas, povo e escravos.
DENOMINARES.
acto.O pacto de ouro.
Thomaz.
Penante.
Correia.
Praga.
Henriques.
Silva Bastos.
Paiva.
Lyra.
D. Olympia.
D. Henriqueta.
Procopio.
1.'
.'
*.
.V
A moral jesutica.
- A be ra do tmulo.
Os dous jesutas.
- O templo maromeo.
Personagens do ultimo acto.
s-'.s'evo, (iy. 33, venera/el da
Loja Beneficencia e Segredo Thomaz.
liamos Gr.\ 18, mestre de ce-
remonias Henrqtic.
Lopes, Gi.\ 3, Lyra.
Azevedo, Giv. 3>, secretario Paiva.
Cirios G.\ 18, orader Silva Bastos.
t* vigilante i Henrique.
2.* dito 3 Antonio.
Eduardo, Gr.-. 18 Penante.
l>r. Marciano Braga.
Padre .Nicolao, jesuta disfar-
cado. Corroa.
J'ranciseo, liberto Procopio.
D. Isabel D. Olympia.
. Adeiaide D. Henriqueta.
Macons das duas columnas, aprendizes, compa-
nheiros, mostrea e todos os graos elevados, povo,
:vos etc.
O primeiro acto 6 passado no jardim da casa
de D. Isabel.
O segundo, terceiro e quarto actos, em casa da
caesiM senliora.
<) quinto acto, no templo maconico da muito
. e Sul>.\ Loj.-. Beneficencia e Segredo, em
rj magna, no grande da de S. Joiio.
Finalsando o drama peto hymno maconico can-
lado por todas as pessoas que se acham no tem-
A empnv.a nao poupon sacrificios nem aespe-
tit para convenienteme te anresentar ao publico
de Pernambiico a mimosa coniposicao do Sr. Dr.
Orneiro Villela.
O scenario dj quinto acto que representa um
vmplo inaconico todo novo e copiado ao natu-
i de urna Loj.'. desta cidade.
A's 8 1[2 horas.
CO.MPANHIA PERNAMBUCANA
DE
Itnvcgaeto costetrn a vapor.
GOYANNA.
O vapor Parahyba,
commandante Pedro,
IBMir para o porto
cima no dia 12 do
crrente, as 9 horas
da noute.
Recebe carga, eueommendas, passageiros e di-
nheiro a frete no esiriptorlo no Forte do Matlos
n. 12.________. ____________________
Rio Grande do Sul
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ea demora o lindo e veleiro lugar portuguez Jos
Estevao, de 1" classe, por ter a maor parte da
carga engajada, e para o resto que llie falta trata-
re com os consignatario Joaquim Jos Gancalves
Beltrao & Filho, ra do Coinmercio n. 5.
PAIW
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ca demora o patacho portuguez Olinda, por ter
i raaior parto da carga engajada, para o resto
que Pe falta tratase com os consignatarios Joa
quira Jos Goncalves Beltrao 4 Filho : ra do
Lommerco n. 5.
DAS
MESSAGERIES MARITIMES.
At o dia 8 do corrente mei e-pera-se da Eu-
ropa o vapor francez Rio Grande, o qual depois da
demora do costume seguir para Santos, tocan-
do na Baha o Rio de Janeiro.
Para condicoes, fretes c pasagens, trata-se na
agencia, ra do Coinmercio n. 9. ^____
im*

Pacific Sleam Pa\igaliiin Companj
inyal Mail Seamcrs.
Liialia qufauenal
E' esperado dos portos do sul at o dia 6 de
junho o vapor Cuzco, o qual seguir no mesrao
dia da chegada para Lisboa e Liverpool.
Para passagens e mais informagoes, dirjam-se
aos agentes Wilson Rowe & C.
li -Ra do Commercio.-14.
E' esperado da Europa at o dia 8 do eorrente
o vapor Sorat', o qual depois da demora do costu-
me seguir para o sul
N. B. Nao se recebe passageiros nem carga
para os porta do sul emquanto durar a quaren-
tena no Rio da Prata a tratar com os agentes
Wtlson Rowie & C, ra do Commercio n. 14.
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direto e-
pecial do commercio, o agente Pinho Borges le-
var a leilo as referidas Tettras.
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 53
primeiro andar. _
Leilo
DE
30 pegas de brira avariado.
Hoje
s 11 horas.
O agente Unto levar a leilo, por autorisaco
do gerente do consulado de Franca, em presenca
deseu chanceller, e por conta o risco e quem per-
tencer, de urna caixa marea G FfcCn. 1183,
avariada a bordo da barca franceza Fidelit.
O leilo ser effectuado no armazem do_ largo
do Corpo Santo n..., por ocasio do leilo dos
objectos de escriptorio e movis all eiistentes.
Leilo


DE
Unta magnifica e solida bim
ra fprova de f pria para qualquer casa banca -
na, oa comnurcial, earteira?,
ba'cio, pratileiras para fazen*
das, almarios, mochos, mesas,
tnlanqas e t'scadas.
Urna porco le eordas de co-
res para armar r es.
Urna i esa com prensa para
copiar cartas, l secretaria, 1 re-
partimento de escriptqrio e
mais accessorios.
Hoje
Pro intervengo do agente Pinto
No armazem do lar^o di Com-
mercio n. 48.
LEILAO
DE
urna casa terrea na villa da Escada, no ter
rao de Santo Antao desta provincia, sita
ra da Barra, outr'ora do Compra Fiado,
propria para qualquer estabelecimento.
As 11 1|2 da nnnlia
ao correr do marteUo.
0 agente Pinho Borges competentemente auto-
risado, vender em leilo a supradita casa, no seu
escriptorio, ra do Bom Jess n. 53, primeiro an-
dar, onde desde j os Srs. pretendentes podem ha-
ver as informadles e esclarecmentos._______
COMSffl*
DE
MVEGACAO BAIIIANA
Para Uacci, I'eneilo. Aracaj
o Bahia.
E' esperado dos portos do sul at o dia 13 ou
14 o vapor Gastao de Oiieans, o qual segu para
os portos cima.
Recebe carga, passageiros o dinheiro a frete a
tratar com os seus agentes Antonio Luiz de Ol-
veira Azevedo & C, ra do Bom Jess n. 57.
Para o Porto
pretende sabir muito breve a gilera portugueza
ora Fama II por ter grande parte do seu car-
regamento prompto. Recebe a carga que lhe fal-
ta a prt (os mdicos, e tambem passageiros, para
os quaos tem ptimas accommoda.;oes : trata-se
;om Tito LivoSoares, ra di Vigi'io n. 17.
l&............
A empren chea de reconhecimento, agradece
a todas as associacSes beneficeutes o acolhimento
;ue deram ao seu pedido, certos de que corres-
leram perfeitamente idea que a suggerio,
;,inngindo a altura do espirito da fraternidade que
yt desenvolve com a sublime mxima evanglica
<>;ie manda amar ao prximo como a s mesino.
Pede-se aos Sis que lizeram a honra de assig-
nar as quatro recitas que pretende dar esta em-
presa com a annunciada peca Os Macons c os
tas o favor de vir ao theatro escolher os
- lugares, alim de malhormente ficarem satis-
e reeeberom os seus respectivos bilbetes.
TV SO S;~U i RJTIMOF

COMI'ANHIA PERNAMBUGANA
DE
\avcgactIo costeira a vapor.
MAMANGL'APE.
O vapor Coruripe, com-
mandante Silva, seguir para
o porto cima no dia 12 de
corrente, s 5 horas da tarde.
Recebe carga, encommen-
das, passagens, e dinheiro a
frete at as 2 horas da tarde do dia da sabida
wrintorio no Forte do Mattn? n. 12.______
COMPANHIA PERAMBLCA?iA
DE
\ ni ('tcito costeira a vapor.
->0-,T0 DE CAI.INIIA, RIO F0UM0SO F. TAMANHAU
O vapor Parahyba, cora-
mandante Pedro Nolasco,
seguir para os portos
acuna no dia 15 do cor-
7.._Jl.lJiaaL^^' rento, s 9 horas da non-
te. Recebe carga, encom-
raendas, passageiros e di-
nheiro a frote : escriptorio no Forte do Mattos
n. 12.
COMPANHIA PERNAMBILANA
DE
iivcgaeilo coMteira a vapor.
AEC, ESCil.AS, PEIEDO E ARACAJU*.
O vapor Gituia, com-
mandante i. Martina,
seguir para os por-
tos cima no dia 14
do correte, s 5
horas da tarde.
Recebe carga at o dia 12, cncommendas at
" dia 13, dinheiro a frete e passagens at as 2 ho-
ras da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte
do Mallos ii. 12._________________
COMPANHIA PERNAMBUCAWA
DE
Havega^So eosileira a vapor.
rAIAUVBA, NATAL, SMlCitO-, M8SS0R, ARACk
TY, CIAft, jU:ARACt'' B CANiA-
O vapor Pirapama,
commandante Felippe,
seguir para es por-
los cima no da 14
do corrente, s 5 ho-
ras d*rde.
arga ate o da 12, eacommendas at
.1 i 13, pasiagens e djnheiro a .frete at as 2 ho-
ras da tard dfl dia da sahida r escriptorio no
do Mattos a." 11
Para
O brigue Riio recebe a frete o resto da carga
que falta engajar para o referido porto : a tratar
com seus consignatarios Amorim Irmos A C.
4 OtltMMII\
DE
mm0 BR\SILEIR\.
Portos lo sul.
Dos portos do norte esperado al o dia 8 do
corrente o vapor Cruzeiro do Sul, o qual depois
da demora do costume seguir para os portos
cima.
Para carea, encommendas, valores e passagei-
ros, dirjam-se ao escriptorio da agencia, ra do
Vigario n. 7.
AGENTES PERE1RA YIANNA & C.
LEILAO
DE
chapeos de sol de seda
E
Fazendas avariailas
HOJE
A's 11 horas.
Por intcrvenco do agento Pinto
Xo armazem da praca do Commercio, do Sr. R.
Ligthown.
Em continuaqo
s'ender-so-ha tambem 1 mobilia de mogno, 1 bur-
ra prova de fogo, carteiras, repartimentos para
escriptorio, pralileiras, prensa para copiar cartas
e outras portcncas oe Rscriptorio._____________
Grande leilo de livros de di-
reito, historia, litteratura,
etc.
O agente Martins vender em leilo, ao correr
do martello, urna grande collecco de obras de d-
reito. historia, litteratura, em muito bem estado, a
ra do Imperador n. 48.
O agente Maatns far leifto por rrandado do
lllffl. Sr. Dr. juiz especial do commercio, db arma-
cao, gneros o mais perlen?as da taverna cima,
pertencenle raassa fallida de Jos Narciso da Sil-
va & C; o balando pode ser examinado em mo
do agente.
A's 11 horas do dia cima na inesma taverna.
GZ3
flanella e cordavo ivariado.
SEGUNDA-FEIRA 9 DO CORRENTE.
O agente Pinho Borges vender em leilo por
ordem da companhia Recfe Drainage, duzias de
pellos de chagrn decores, ditas de cordavo fran-
cez e flanella para selleiros, ludo com] avaria d'a-
gua di'ice.
Era seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 53,
primeiro andar.

liatt^
~
a^ao
No m-iitaif^ni da fu
do
Imperador ti. 45.
I) Ciintlieiro a.^a/,de broa-
te e er^ta!, arHinlpIhiSf, ch fa-
Hae?, lavalorw s, |>orla-chapeo0,
bamba para jardim, mesa de
ferro, tubas f Vg ireiro?, mangas
de vidr.s baro(ni(tr^, lampari-
lla'*, esla na m -bronxe, ferr- e
porcelana e muiUis oulros ob-
jectos que esluirao ao exame
do> cotir*urr< ntfs
Terra- Vvira IO de junho
AS 10 1|2 HORAS DA SA.NHA.
Por interven^ao do agente Pinto.
No armazem da ra do Impe-
rador n. 45.
FUNDIDO DE FERRO E RMRZE
FABRICA DE MACHINAS
4 rn:i I Bardo il> Iriiiiiipii: (na diSiren) is. Ma IM
CARDOSO <6 IRMAO
AVISAN aos Srs. de engenhos e ao publico em geral, qaereofcei grande sortiuicuto de ferragens para eugenhos e para lavoura, qoMtquer oalrai
e misteres da industria agrcola, o que tudo vendem por preons rmowm*.
V apOreS horisontaes de i, 6, 8 e 10 cavados, ot melhorea que ve* *i wuja.
AlOenaS completas, obra forte e bem acabada.
iMeaS mOenaS para assentarcm grades de maWra.
TaixaS de feJTO fund'd0 e batido, de todos tamanh dos tfUiBi^i ari-
cantes.
KodaS d agua do diversos lmannos.
lOaS dentadas do diversos tamaunos c quabdades.
Arados americanos dc diversas quabdades.
C OrmaS para aSSUCar grandes, pintadas e galvaniMtlas.
Conoei'tOS concertam c0m promptido qualquer obra ou macuina, ptrj o jw
sua fabrica bem montada, com grande e bom pos>oal.
EllCOmmeudaS ^'aiu'ain v'r Por cncomminda da Europa, qualqui-r i.adn
para o que se correspondem com urna respeitavel t I
e com um dos melhores engenhoiros de Inglaterra ; incumbem-w as ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom traballio das mcsinas.
RuadoBaro do Triumpho (ra do Brum) ns. 100 a 104
F U N D I C 0 DE CARDOSO d I R M O.
!J
'- '-I- '-J "- -'-''
O mesmo agente avisa aos Srs. Drs. advogados
e acadmicos que, entre outras obras de impor-
tancia, existem as seguintes :
Collecro das leis do Rrasil de 18. a 1871 em
perfeilo estado; obras de Lobao, Pereira e Son-
za, b. Carneiro, direto civil; C. Teles, digesto
portuguez; Ramn, garantas individuales; Bon-
jean. traite des actions; Foucart, elemcns du
droit pulilic, dictionairo du droit canoniqne, dic-
tionaire hislorique d'education, legislatios penal
compare, dictionaire de l'academie francaise, co-
de civil et motifs; Champagny, traite de la plice
municipale. droit commercial, maritime; Prou-
dhon, omme dc propriet; E. Vincens, legisla-
tion commcrciale, assentos das casas da supplica-
(o, G. et Mergur, dictionaire du droit commer-
cial.
0 leilo principiar s 11 horas em ponto, em
3 de junho, ra do Imperador n. 48.
C0.11PAMH1A
DE
NAVEGADO BRASILEIRA.
Portos do norte.
Dos portos do sul esperado at o dia 8 do cor-
rente o vapor Paran, o qual depois da demora
do costume,seguir paraos portos cima.
Para carga, encommendas, valores e passagens,
trata-se no escriptorio da agencia, ra do Vigario
n. 7.
Pereira Vianna 4 C.
Agentes.
O
Rio Grande do Sul
sahir cm poucos das o lugar nacional Rio Bron-
co, : para alguma carga a frete*, trata-se na ra
do Vigario n 7, 1 andar.__________________
Para o Rio Grande do Sul
pretende seguir com muita brevidade o patacho
nacional Mariu EiitUi", tem parte de seu carre-
gamento engajado, e pan o resto que lhe falta,
trata-se com o seu consignatario Antcnio Luiz de
Olivoira Azevedo, no sen escriptorio, roa do Bom
Jess n. 57.

1111 !.. .
LEILOES.
DE
quatro lettrw na importancia 3:0000D,
pertencentes massa fallida de Martins
A Leopoldo.
s TI horas
LEILAO
DE
Livros francezes.
Hojo
s 11. horas
No armazem da praca do Corpo Santo, onde
haver um outro leilo de fazendas, movis e mais
objectos de escriptorio,_____________________
LEILO
DE
movis, loip e cryslaes.
A SABER:
Urna mobilia de Jacaranda, com I sof, 1 jardi-
nera. 2 eoncolos, 2 cadeiras de braco e 18 de
guamico, 2 cadeiras de balanco, 2 serpentinas, 2
pares de jarros para flores, pannos de crochet, ta-
petes, escarradeiras e quadros.
Urna cama franceza, 1 cortinado 1 rede nova,
1 guarda vestido, 1 guarda roupa, 1 toueador, 1
mesa com gavetas, i toilette, camas para meninos,
ca bids, lavatorios e marquezas.
Una mesa elstica, 1 guarda-louija, 1 aparador,
1 panno para mesa, 2 eoncolos, 2 cadeiras de ba-
taneo, 12 ditas de guarnilo, 1 relogio, apparelbos
para cha ejantar, copos, clices, garrafas, comno-
teiras, garios, facas, colheres, trens de cozinna.
flandres, camas de vento, candieiros a gaz, taboa
para engommar, jarras, moinhos, lampeoas, 1 car-
rinho para menino, e muitos outros accessorios
de casa de familia, existentes na casa n. 11 do
Corredor do Bispo.
SEXTA-FEIHA 6 DO CORRENTE
Joo da Silva Leite, tendo mudado de residen-
cia, far leilao por intervencio do agente Pinto,
dos movis cima mencionados, existentes na ca-
sa em que residi, ra do Corredor do Bispo a.
11.
0 leilo principiar as 10 1(2 horas em ponto.
Os bonds passam pela frente d| casa.
AVISOS OVf^SOS
m DA FORMA.
AOS 5:000#000.
BILDETES GARANTIDOS.
.4' ru Primeiro de Marco Joulr'ora ra do
Crespo) n. 23 e cW&s do costume.
0 abaixo assignado tendo vondido nos seus fe-
lfees bilbetes, dous meios n. 2387 com 800, um
meio n. 2811 com :t' OfiOOO, e outras sortes de
WOO e 201000 da lotera que se aeabou de ex-
trahir (52.'), convida aos pussuidores a viram re-
caber na conformidade do costume seni descont
algum.
Acham-se venda os felizes bilbetes garantidos
da 5" parte das loteras a beneficio da igreja do
Rosario do Santo Antonio (KM, que se extrabi-
r na sexta-feira, 6 do mez vindouro.
PRECOS.
Bilheto inteiro 6000
Moiobilhete 3|000
Quarto 1*500
EM PORQ\0 DE 1003000 PARA CIMA.
Bilheto intoiro 54500
Meio bilhete 2 730
Quarto 1*373
_______________Manoel Martins Fiuza
leo graliiis.
De ordem do irmao juz, e em virtude do artigo
41 do compromiss, convidamos aos nossus eha-
rissimos runos, para comparecerem em nosso
consistorio no domingo da Santissima Trndade, 8
do corrente pelas 9 horas da maulla, alim de ele-
germos a mesa regedora que tem de funecionar
no futuro anno compromissal de 1873 1871.
Consistorio d;i Veneravcl IrmanJade do SS. Sa-
cramento da matriz de Santo Antonio do Recife,
o de junho de 1873.
Q escrivao,
Jos Kufino Chinaco da Silva.
Irmandade do SS. Sacramen-
to do Recife.
De ordem do Exm. Sr. juiz, convido a todos
os maos a reunirem-se em mesa geral domingo
8 do corrente pelas 11 horas da maulla alim de
eleger-se a mesa regedora para o anno de 1873 a
1874.
Consistorio i de junho de 1873.
Jos da Silva Loyo Sobrinho.
Escrivao.______________
Os abaixo assignados fazm scienle ao com-
mercio que nesta data dissolveram amigavelmente
a sociedade que tinham no estabelecimento de
molhados sito no engenho Grvala, ficando a car-
go do socio Pedro Miliano da Silveira Lessa Fi-
lho todo o activo e passiva, e o socio Laurino da
Fonceca Luna, exonerado de toda a responsabili-
dade e pago e satisfeito dos lucros que lhe toca-
ram.
Engonho Grvala. 21 de maio de 1873.
Pedro Miliano da Silveira Luna Filho.
Laurino da Fonceca Luna.
WYOGADO
O bnrliarel Jos Giti-
rana encarrega-se de quaesquer
servicos relativos a sua profissfio,
na comarca do Bonito e (aruar :
p--de ser procurado na villa do Bo-
nito; ra Direita a. 16.
^TSSsasir

lm lro\idale,
Urna pessoa provisonada competentemente, ten-
do de ir a Goyanna tratar de alguns negocios ju-
dicaes, presta-se ai fazer cobrancas amigavel, ou
judicialmente, dando idneo fiador de sua con-
ducta ; pelo que, aquellas pessoas que lhe qui-
zerem encarregar de quaesquer negocios din-
jam-se ra do Imperador n. 33, sala da dentro.
uestes tros das, pois a referida pessoa sabe na
segunda-feira prxima.
arniagao, genqrQ
verta dapraga
massa fallan
4C. 4
o mais pert8 do Onde d'Eu, n. 38,
(k* fos Narciso tfa Silva
Quem precisar do algum carro de 4 rodas
para coqduiir assucar da estagao das Cinco-Pon-
tas para o trapiche, dirjase rua de Lomas
Valentinas, antiga rua das Aguas-Verdes n. 34,
que tem para alagar, por- pre;-o muito commodo,
a qualquer pessoa que. aprsenle sua fianza, ou
d>'' dous mezes adiantados; na mesmo casa to-
ma-so quatrooonfos mil ri? a juros, de 2 Ojo
ao-inez, pelo tempo de dflu- anaos: quem qui-
zar fazr ste negocio dirija-se, ou annuncie por
este jornal. Na mesnja casa vende-se um
terreno em Agua-Fria, rua deSanto i\ntonio, ten-
do de frente 500 palmos e de fundos 300, a oito
mil ris ; quem fjnizer dirija-se qfte achara quftm
! ....... --------
RAPE REA FINA
IMPERIAL FABRICA
& C
UL-
NA
BAUSA
vende
Ti
roca-se
U-moradia.de. una casa muito fresca e nova, na
ia-Vifta, coia quintal, aga, gaz, banheiro, etc.,
per tnna fiouee mais ou menos em
* *,. codicSs, qaru du Gamboa, Concordia,
Sexta-feira ft dooorretite Ir^A^'*""'
llorara dc C. solicilam a atteiiQo do puUIic-o da provincia natnbucopara o rapAKKIA FINAproducto de fabrica |MTtnn-.-nif n
lillios do paiz cuja quaiidadfl oM reconhocida igual a do vcnl.i
mARHA l'UKTAco-no o fabrica a casa primitiva na Baha, leudo
alm disso a vantagein de ser viajado.
No intuito de tornar conhecido o dovidamente apreciado o rap
AKKIA FINAPS anntinciantps acaban) de autorisar x-u agci.l etn
l'ernambuco a acceitar, meo gno s obstculos edireitos dc intro-
dueco, a hita da coacurrcncia acoiupanbaiido a nos abatitiH-iito* do
pre^o al onde fr i?so compativol com suas for._.i.
Us aiiiiuiiciantes esperam encontrar na nobre populaeo do iVmnm-
buco o apoio que teem jus a activiila pregado para, por assiin dizor, Jiacionalisarein um ramo do iiuiustna
que al hoje s ao attfMmra tem a]irovoit.nlo.
O deposito em Poniaiiilmeo no os: riptorio ioSr. DtMillglH I
Matheus, d rua do Vigario n. 2
As vendas so feitas em libras ou m meias libras, i tooUJ
comprador.
Preco l-^OOO a libra, com danonto dc 20 e:n ponjo ii-- '
para cima.
Bahia, 18 de abril de IfT.
Moreim d~ C.
m-*c
m
IIIH
OGG, pfaarmacratlco, t, rae 4e Vm-nlfllme, A Ptir,
*
OLEOEDHOGG
DE FIGADOS FRESCOS DE BACALHAO
Tsica, affecccs escrofulosas, tosse chronica, rheumatiamos. fnquei
dos membros, gotha, debitidade geni (engorda c fortalece), doce e fcil
de tomar. Menco honrosa.
Exigir a marca dc fabrica aliaixo indicada encobrindo a capsula de
cada frasco de forma triangular.
Deposito em Penamlneo, A. REGORD, c as principae* pbarmacia*.
nico deposito, a onde se acha avonda na
Kua do baiiio da
<';';
s,t do T. Maurer A 'C
DICCIONARIO UNIVERSAL
lE
EDGUCAO ERSlllO
TIL MOf.IDADE DE AMBOS OS SKXOS, \S MUS Id PAHUA, !!
PKOFKSSOKFS, AOS DIRECTORES K DIRECTORAS DE COLI.D'.IOS. \s
ALUMNOS oc si: preparar para FAAMCS.
Contendo o mais essencial da sabedoria ln::
tosa a oscia inuiAsmn! A??uc:r: v:::;:::::
I. De ciliicru*.
Couhecimento ediracfiio los caracteres, (acuidades, di rilfli e aptidr.- ]
giao, moral, philosophin.Lgica, rhotorii-a, potica.!.it. rotura. peAfngu.
vilidade, cscriptores mtigos e modernos. agudezas, proorbi>. ;i .i\m. -.
graramas, etc.
t.'-Ue sfriicc primarias.
Leitura, escripia, clculos, problemas, formulas, sytewa inclri-o, Wd i-!ifMa
Lingua portugueza, orthographia usual e grammatical, i '.
homonytnos, synonynios, raizes, etymologia.M<-lh de execugo.Historia univ. rs1 de cada je ule, vanVs oobrioNali.-
factos assignalaveis.tieograpbia descriptiva, c i la l's princi|Ko>. iu !
e productos de todos os paizes, monumentos eolebros, p,inor;MH., cMrinaia4i I-
toda a especie.--Noticia las scioncias usuais, arte-, mMMM pr^ttaatt*, ele.
S.Instriicrao .oniniUrin.
Lingnas : portugueza, fracceza, latina, hespanhola e inglcza.tiool'-i.i, u.,i, ,
botnica, zoologa.Physica, chimica, astronoma, merhanica. \iiln.
btt, geometra.Industria, hygiene, desenlio, agrimeii-snr. nrvrA
tura, etc.
SEGU
ETTM0L0G1C0 OE TODAS US PAL&VRAS TECHHICAS
PROVENIENTES DAS LMHil AS C.REGA K LATINA
Tudo simplificado ao alcance os alumno- t meramente v ir %n*t*
pao, cow flucidacoen l/ioprnprunspos metiretquanloproreilo
REDRGIliO COM A COLLABORACO DE KSt.RIPTORKS PK(
P6R
DIRECTOR DE COLLEGW
Trasladado portuguez
POR
GAMILLO CASTELLO BRAACO
E
AMPLIADO PELO TllADl'CrOR NOS AKTIOOS nEFIf.lt.NTKS F. ASSi:|'
PORTUGAL EBRASIi..
A Obra constante de 50 cadernetas ser terminada no currar do 1(173.
A assjguatura razio de 300 rs. a cadernota, dtvid*4o para uiw
duas series, cada urna de 25 caderuetas, ou 7?f00. As 10 primeir cadruUl entrep--
se desde j.
LIVRARIA FRNACEZA


Diario dePernambuco Quinta feira 5 de Junho de 1873.
.50S000
Dase a quantia cima a quem pegar e conduzir
a na do Unim n 74, arniazom de assucar, 09 es-
favos abaixo mencionados Vilalino, fgido em
23 de fevereiro do corrente anuo, preto, crioulo,
de 23 a 26 annos, alto e cheio do corpo, ps gros-
sos. (piando falla encolhe c beico superior, ponra
barba, e fumaras de vaieUa hi arompanliado
do iiin escravo de .Manuel Franeisro Marques, ru-
jo escravo do Cear, para mide so suppoz que
ellos Icnbnm seguido, n:tir;l de Cr i rentes, foi
escravo do capitao Thoniaz Tlioooro de Albn-
ijuerque v Nasova morador oni Papacara, enjo
ludia nina lazeada em lluique, de que elle en
vaqueire.
Primeira Rea^oT
CARTAS A ENTREGAR.
Os seguintes Srs. queram vir a ra do Impera-
dor d. 21, Confeitaria do Campo, rece-
ber cartas que llie sao dirigidas.-A saber:
Anotnio Goncalves Porto.
Feliciano Prazeres
Francisco Jos da Costa
Jos Mara da Conceicao Ferrelra
Jote da Silva Fcrreira (alfaiate)
Jeao Americano
Jos Meirelles de Sonza Ramos
Jos Ainancio de Oliveira Guimaraas
Manoel Jos Ferreira ( Bcmtivi)
Napoloao da Costa Moreira
Pedro Guimares
Quintino Moreira Dias
Theodoro Perera da Silva
Francisco Augusto de Almeida.
Os abaixo assignadoe fazera sciente ao corpo
do coBiinerc o que disolvern aimgavelmento a
sociedade que linliam na ttverna sita travessa
dos Martynos n. 8, no dia M de mato, fleando a
caego do socio Manoel Carlos da Silva todo o xc-
tim-e passivo e o socio Dutra pago e tatisfeito de
sen capital e lucros. Recite, 31 de mato de 1873.
Joao Adriano de Mello Dutra.
Manoel (irlos da Silva.
Lendo no Diario de Ptmnmbt p, Jornal
So Rrcife de boje, dep.ir mos coin o annuncio da
Urina de Rodrigues <\ C. omvoeando leus ere-
ilores para deliberaren) acere i de sens negocios
eoinmercaes ; sobre esses aniinncios protestamos
ser falso e por emquanto nS-- mndame* publicar
e nem atitorisomos p.s>oa alguina para lal fazer
2 de junho de 18;3.
Rodrigues 4 C

id*30t
I MDANCA
a do

"lHV.l soi)fi)5B3
i"u ti 'NHVMB tpmutqd cp uuqi) m
r.ui.-n n ibbj Qjpjiai o a 'TIimHnHO ,a
f unicnar'l r. ;oi:<>pojd >o sopuj iu o
aptupwn '--v.ij o sjiIojpx so g.icJ i|Sin
Tumrom IStllf!(rt sO OHdSGKddAH 30 SVInlId
BBS3J :-0 OlIMdSCHdOdtH 30 dOBVK
Al PUBLICO
Oueiii iiis(Miimnodo(florece?
Incontestavelnientc a luja de calcado estrangei-
ro que mais comniodo olTercce em geral, com espe-
cialidade ao bello sexo, o PARS NA AMERICA
i na Duque de Casias n. 59, primeiro andar (an-
lifia do Queimado) e a razao ? a razao simples :
mu cavallieiro (amante do chique) por certo se
in :ommoda qoando, para comprar um par de bo-
tinas, v-sc toreado a experimenta-la sobre um
pequeo e pueroso pedaco de tapete (systema ma-
carrnico) nao pndeudo desta forma conheeer se
a botina he lica boa, pois, nao tem espaoo para
experimenta-la, ao menos que nao a estrague dan-
do apenas um passo, que chegarlogo ao immun-
do ladrilho ; o que nao acontece no Pars na
America, onde pode se passear vontade e desla
forma conherer-se se fica bom o raleado : para o
bello sexo, entao quasi impcssivel, que urna se-
nhora (do bom tom) queira sujeilar-se a experi-
mentar calcado ao lado de um balcao, onde en-
tra qium quer, anda mesmo para comprar : o
Part na America nao resentc-se desta falta ; tera
nm bem preparado gabinete reservado, para as
Bxmas. que all poderao estar em perfelo commo-
do para a esculla do calcado.
Nao terminan) al i as vantasens ou commedos
do Pars na America ra Duque de Caxias n.
o), primeiro andar, consiste tan bem no bom sor-
liniento de botinas para homens, dos melhores e
mais afamados fabricantes da Europa, como Me-
lies, Suscr, Polak, etc., etc., e grande variedade de
chnellos e rpalo*, assini tambem nm lindo sor-
liin Mito de botinas para senbora, e sapatinhos de
militas qualdsdes que poderao satisfazer a esco-
llia da mais capichosa senhora (do bom gosto);
pelo que fica expendido, est claro que a loja de
calcado estrangeiro, que mais vantagens oferece,
I o Pars na America, ra Duque de Caxias n.
59, primeiro andar, antiga ra do Queimado
muan sa oiiHd^oH^p.tH 30 stnintd
t?3 30 OHSCHdOdH 30 JdOX
OGS 33 OlIHdfOKdOdAH ?3 3dCI>VX
r en i!j.cnu jQjAH
" i-
NA
Preparado por
Laiinian kemp
para iisica 8
toda a quali'lade
le lenlas, quer
soja na garganta,
peito ou bofes.
Kxpressamente
escolbidodosme*
lhures ligados dos
quaes se extrahe
o oleo no banco
da Terra Mova
purificado chimi-
kcalmente, e snas
[valuareis propri-
edades conserva-
das com todo o
cuidado, em todo
o frasco se garan-
te pe rfeit a me li-
te puro.
Este oleo tem
sido submettido
aumexamomui-
to severo, pelo
chirnico de mais
talento, do go-
verno hespanhol
em Cuba e foi
pronunciado por
elle a conter
-MAIOR POBCAO DIODI.NA
do que outro qualquer oleo, que elle tem
examinado
IODI.NO UM PODER SALVADOR.
Em todo o oleo de ligado de bacalho, e na-
quelle no qual contm a maior porco desta
iiivaluavel propriedade, o nico meio para
curar todas as deencas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, bronebistes, asthma, catbarrbo,
tosse, resfriamentos, etc.
l'ns poucos frascos d carnes ao muito
magro que seja, ciara a vista, e d vigor
a todo o corpo. Nenhum outro artigo co-
uhecido na medicina ou sciencin, d tanto
jiutimento aosystema e inco*mmodando quasi
nada o estomago.
As possoas cuja oiginisaeao tem sido des-
truida pelas afiecedes das
ESCRFULAS 01' RHKL'MA'riSMO
e todas aquellas, cuja digesto se acha com-
Menino desapparecido
Tendo vindo de Fragoso, ha cerca de
duas semanas, o pardo escuro Manoel, de
13 para U anuos de idade, afim de servir
do criado ao Dr. Manoel de Figueira Parla,
tendo mandado no dia 3 do corrente a fazer
compras, tleixou de voltar para casa; e
como so ignore o destino que teve, visto ser
elle orpho, faz-so o presente annuncio,
para evitar duvidas futuras.
Atten^o
Engommn-se com perfeicao nsupa para
homem, ra do Forte n. 9.
C0LLEGI0
11\. Seohorada Sade
g p.^ra
Hiliicaciii de meninas.
A Directora deste collegio, abaixo assig-
nada, faz sciente nao s aos pais de suas
. alumnas, como a lodos os chefes de fa-
I milia que quizerem confiar lhe a educa-
cao de suas filhas, ojue transferio o sea
collego da fregueza do Poco da Panella
para a fregueza da Doa-Vista, sobrado
h. 45, sito ra Forthosa.
As .toninas deste collego receberao
nma edueacao esmerada sol as bases da
boa moral e da reflgio, como convm
a senhoras de um Ipaiz catholico ; e te-
rao por mestres, nrofessorts escolhdos
entre os mais habis, os quaes serSo en-
carregados do ensino de leitura de prosa
e verso, calligraphia, arithmetica, siste-
ma mtrico, lingua verncula, historia,
geographia, franeez, inglez, msica vocal,
piano, desenho, dansa, croch, labyrintho,
obras de la, bordados a matiz e Juro etc.
E porque a abaixo assignada conrera
hoje, por una tonga experiencia, que
nao pode a altencao de urna directora de
collego subdividirse, por um crescido
numero de alumnas, sem prejuizo e gran-
des inconvenientes para a educacio des-
tas e crdito do estabelecimento ; por
isso est a mesma abaixo assignada re-
solvida a limitar a vinte o numero de
suas discipulas, com o que jolga dar ao
respeitavel publico desta cidade urna
prova de quanto se acha compenetrada
de seus deveres e urna garanta aos
pais de suas alumnas de que ser soli-
cita e zelosa em cerca-las da vigilancia e
carinhos |ue nunca, qnando bem distri-
buidos, sao de mais para to innocentes
creaturas.
Quanto ao asseio da casa, acommoda-
coes e distribuido do servico, acha-se
tudo providenciado de forma que a or-
dein ser rigorosamente niantida. e que
nao serd alteradas as boas condicoes
hygencas da casa em que se acha
estabelecido este eollegio.
Boa-Vista, 29de mato de 1873.
Mara Helena da Rocha
CASA DO ORO
Aos 5:000000
Bilhetes garantidos
Hua do Barao da Victoria (oatr'ora Nova)
n. 63, e casa do eos turne.
O abaixo assignado acaba do vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de luOOOO em
quatro quartos de n. 646, alein de outr s sortes
menores de iOSOOO e 20(!00 da lotera que se
acabou de extrahi (oi'i; o convida ao? possuido-
res a virem receber, que promptamente serio
pagos na fnna do costume.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vi ao seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixarao de
tirar qualquer i remio, como prova pelos mesmos
annun ios.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da o parte da lotera (33) a beneficio da
igreja do Rosaaio da fregueza du anto Antonio,
que se extrahir no dia 6 do mez de junho vin-
douro.
Presos
Inteiro 6JOO0
^eo 3*000
Quart" Uo(Kl
Ue lc <(K para cima.
alta r%% ai %ik
PIANOS E MSICAS
ANTONIO JOS SiE AKEVEIIO
Ra do Burilo da Victoria i\ ll,aim:isemf e 12 l.'aular, antiira ra Nova
mwle o publico em geral encentra'sempre o maior e mais espndilo tortimento deptmm de
Pianos, msicas e instrumentos de msicas para banda militar
e orchestra.
Acaba de abrir oo primeiro andar do sobrado n. 12 confronte
wfiea Morer, um graode saio onde estao expoftos os maeaificos
* mi^fFS de armio, de Peyel.
------- de meia canda, do mesmo aotor.
-------- de H. Henn.
de Amede Thibont.
nico agente nesu eidade, dos celebre afamado
PIANOS DE AUCHER FRC.RES
rtuM.do? om diversa expoi:6s- nm li med!has de euro e pral.
Sao os ouicus piaoos qne aqu veo da Europa, perfeitaicente afina-
>, fetos com elegan -,ia e solidez.
D'aqni emtdiatle continuar a annoneiar todas as pn.!ica<;5es que se foma frz-uJo tm NW ojlju r msica.
Timbera rcebeu erande sorUm-r.t.i de masieai pira piaoo piteo
canto e entre ellaj as liadas eoroposic5< fn r-nto vnpathieo aa;ft>
F. SHV!
A SAB8R :
W me qner W?.U.
0!f; Mznilca.
Li S-'parjiciooi P A Lat Haetrtea, grande W a.
Pranee Ri il-tro> Polka
T-m-al d- Vallt-U G'lrpe.
J .'un 'hi W?N.
A I.ibeiladnra Polka.
A Primara esp*da Wa'-a.
A Mioha Lyra Wafaa.
A Natalicia I' 'ka
SludiftOte Po k i
l'Ulinn pwblleicr.
Pelas ras (ftlcn d> iicwa*
(o tiMUcluflf.
Emilia. [H.ik c.r I. S i< ;i
Oir<-aciana. rhilrh. |H-r $.r lu
Jardiin d lampo 4a< Vl>r.-ur-,
quartnih, i r J. PuP.
Cbava m, Ka, WNa, | r I! *-
b>nni.
% "V t
Inteiro
.Veio
Quarto
51800
2575(1
11375
Recife,30 de mato de 1873.
Jn" loaqmm la Costa Lett.
?*
TV
m
-.
--
I
1
I
CtiSilorio iticdifo
DO
r. II.uillo.
RA DA CHUZ M. 26, 2.. ANDAR.
Recem-chegado da Eurepa, onde fre-
quentou os hospitaes de Paris e Londres
pode ser procurado a qualquer hora do
da ou da noute para objecto de sua pro-
lissao.
Consultas do meio dia s duas horas
da tarde.
Gratis ao? pobres.
i?i/>tfC/a//<'(i>.=Molestias da pelle, de
criam.a e de mulher.
Emprega no tratamento das molestias Q
de sua esiieeialidade as duchas fras e
1
!
'iVvi'iu tuinar
DE BACALHO
pletamr-nto rlr-sanaiija !a,
O OLEO DEFIGAO
DE
l-ANMAN & KEMH
Se quo l.-sojam v.-r-so livi os e sontas le
enfermiadi's.
Acha-se a *enla nm to drogaras. H. PorsterdO., agentes.
De 10 palmos.
Sapotiseiros e sapoteiros, e dahi para haixo, pl-
nheiras, frueta-pao, oit-cor, ariticum-a-p, aba-
tate, laranjacravo, flanboyant ou brilbante, pal-
meira imperial, roseiras de qualidade, alecrlnsi
Darrciras, cofteo da india, roraeiras e outra,
fantas na Capunga, ra da Ventura numero JO.
iiii.iiiieuiu oas moiesuas ao tero a X-
ctncdade.pelo processo do Dr. Trepier.W
I00S de gralilicaeao.
Ausentou-se da rasa do abaixo assignado no dia
2 de marco de 1872, a escrava de nome Rosa, de
24 annos de idade, baixa e gorda, rosto redondo,
urna cicatriz no rosto do lado direito, proveniente
de dor de dentes, e do outro lado tem um arra-
nhao, tem dous dentes na frente quebrados, do
lado superior, gaga, connota, anda de um lado,
e boa engommadeira ; tem sido sempre vista
pelos arrabaldes, e ainda o mez passado foi en-
contrada na igreja do Corpo Santo, na semana
anta, e est servindo de ama : quem a pegar, ou
delia der noticias, dirjase ao seu senfcer em Api-
pucos que receber a quantia cima.
Lourenco Bezerra C. da Cnnha.
BE.MISTA DE PAMS
19- RUY NOVA9
J. M. Leroux, cirur-
gio dentista, succes-
sor de F. Gautier, es-
pera continuar ame-
% recera confianca dos
clientes da casa, edo
respeitavel publico em
geral.
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 47
da ra da inperauiz ; quem o pretender encon-
trar as chaves na loja do mesmo sobrado, e se
entender com seu propriet.-irio ra do Hospicio
n. 33.
aos compradores do bem conhecde a acre litado rap
REA PRETA, que reparem nos botes 6 meioi botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cuj desenho se pode
confundir com o d'aqnelles.
Os apreciadores que qaizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
MEURON a C.
!*
1^-

;-.-

-
Comedorias.
Aluga se a vende-se urna casa construida
de ferro e madeia, sita em Sant'Anna, perto da
esiaeao : para inforaMtjOea trafa-se na ma do Im-
perador n. 4o, annazeiii. As chaves esto com o
guarda da mesma esiaeao de Sant'.Anna.
150I000
Noengenho Massuassu, freguezia da Escada, se
Jara de gratificacao a quantia cima a quem ap-
prehender tres cavallos que naquelle eugenho
foram furtados na noute do dia 29 para 30 de no-
vemhro prximo passado : o tem 9 annos,
.astanho e castrado, tem a orelha direito bastante
aseada, urna estrella na testo, e no quarto esquer-
do tem urna cruz; o 2. ruco, com pintas ver-
melhas nos quartos, grande, gordo, com o pes-
Joc4i fino, castrado, tem os quadris feridos da
sangalha, ferrado com a marca- I. R. do lad
direito, e tem a idade de 9 annos; o 3. rodado
sanhass claro, curto grosso, um pouco cambito,
castrado, pequeo, e est ferrado com a marca
- Ono quarto direito : gratiflca-se com 50*000
por eada um em presenea da pessoa, em culo po
der for encontrado qnalquer dos ditos cavallos.
Engenho para arrendar
Arrenda-so um engenho na freguezia de Agua
Preta, moente e corrente, tem proporcSes para sa-
frejar tres miljiaes aonuaes, um bom cercado, e
perto da estacao urna legoa : quem pretender d-
rija-se no Recfe ra do Imperador n. 50, que
lhe informa rao._______
Aluga-se por 23* a casa n. 6 na ra do Li-
ma, em Santo Amaro, estando j concertada de
novo : a tratar na ra da Restauracao n, W, oa-
tr'ora Guia.
Confraria de S. Jos d'Ago-
na.
Por delineracao do nosao irmo provedor, e em
comprimento do nosso compromisso, convido aos
irmaos eleitos para os cargos da mesa regedora
de 1873 a 1074, a comparecerem em nosso con-
sistorio no prximo domingo 8 do corrente, pe-
las dez horas da manh, aflra de seren empssa-
dos em seus respectivos cargos.
Secretaria, 4 de junho de 1873.
O secretario interino,
agalhies Jnior.
Precisa-se de um eozinheiro no collegk de
orphos: a tratar no mesmo ra da Gloria o.
Fornece-se comedarias para fra, no [sobrado
da ra estreita do Rosario n. 35 : as possoas que
precisarem du*ijam-se a dita casa que acharo
com quem tratar.
Joaquim Jos Goncalves
Beltro.
Ra do Commercio n. 5, 1. andar.
. Sacca por todos os paquetes sobre o banco
'lo Minho, era Braga, e sobre os seguintes
ulgares de Portugal:
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Bareellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilh.
Faro.
Guarda.
Guimares.
Lamgo.
Lisboa.
Mirandella.
Moncho.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do|Castello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalicao
Villa Nova do PortimSo.
Villa Real.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
es>
\
DE
CABELLEIREIRO
Ra do Imperador n. 381. andar.
O artista Andrade, antigo e acreditado efficial da casa de Dolsuc, participa as F.\ira%
famlias eao respeitavel publico desta capital, que acaba de abrir este noto salto, aornto
se aprompta com perfeic,o toda e qualquer encommenda tendente sua arte.
Prepara-se pentendeados e postiros, pentea-se coques, cabclleiras e rarhe-peig es,
concerta-se toda e qualquer obra em cabellos e faz-se com perfeicao toda obra de rabeilei-
reiro sobre encommenda ;tudo 10 por cont mais barato do que em outra qualquer
parte. "^
Alm desta grande vantagem compromette se em servir com pontualidade, peribt-
o.o e asseio, para o que tem babilissimos artistas.
Outro sim, avisa as mesmas Exmas. familias que em seu grande salo, ba continua-
damente sortimente completo de coques, cacbe-peignes e topetes, tudo de modenMMM
gostos.
Ra do Imperador n. 381. andar.


GRANDE
DO
fiBTAXi
Composto de manac ante-rheumatico e depurativo
PELO
Precisa-se um de 12 a 14 annos, que tenha pra-
tica de taverna e qne seja portnguez: a tratar
na ra das Calcadas n. 1
Precisa-se de um rapaz de 14 a 18 annos,
com vJguma pratica de fazendas, para urna loja
em urna das estacoes da via-ferrea, e que ga-
ranta a sua conducta : na ra do Mrquez de
Olinda n. 58, loja
Aluga-se urna mobilia completa de amarello:
na ra de Borlas o. 86, sobrado.
E' preparado este xarope de manac e mais algumas plantes indgenas do ju
no contm preparado algura mercurial. Cura com rpidos rheumasino, dores nos
erupges syphiliticas e dartrosas, escrfula e todas as molestias que depeadarasi
desses virus. A sua compose,o foi approvada pela junU central de hvpHMM-
blica.
A cada garrafa acompanha urna explicacio para a forma de asar. Preco dt cada
urna 8J000.
nico deposito nasta provincia ra do Bario da Victoria o. 18, dMseflaa da
Monteiro & Silva.


Diario de Pernambuco Quinta feira 5 de Junho de 1873.
AO ARMAZEM
|BO
VAPOR FRANCEZ
KUA DO BARAO DA VICTORIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
PIANOS.
Acabara de ehegar muito bons pianos fortes e de
elegantes modelos, dos mais notaveis e bem co-
nhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse
Blondo^ Henry Hers e Pleyel Wolff & C. : no
vapor francez, a ra do Barao da Victoria, .u-
tr ora Nova n. 7.
Calcado francez.
Botinas de luxo e phantazia, brancas pretas e de
aiirerentes cores, tanto para senhoras, como na-
ra meninas.
Sapatinhos com salto no rigor da moda, brancos
e de cores para senhoras.
Botinas de Melis, de Saser e de Polak, para ho-
mens.
Sapatos de cordavio Mili spara bomens.
Botinas para menino de qaalquer Umanho.
Perneiras e meias-perneiras tanto para homens
como para meninos.
Sapatoes de Saser para homens e meninos.
Sapatos de verniz com salto para homens.
Abotinados de militas qualidades e precos para
meninos e meninas.
Sapatdes de verniz com sola de pao proprios para
sitios, jardins e banhos, sortimento para homens
e senhoras.
Sapatos de tpete, cajemira, charlot avelludado,
de tranca portuguez e francez.
No armazem do vapor francez, na do Barao da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Perfumaras.
Finos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
infice, agua de fl r de laranja, agua de toile-
te, divina, florida, lavande, pos de arroz, sabo-
netes, cosmticos, muitos artigos delicados em
perfumara para presentes com frascos de ex-
tractos, caixinhas sortidas e garrafas de diffe-
rentes tamanhos d'agua de cologne, tudo de pri-
meira qualidade dos bem conhecidos fabrican-
tes Piver e Goudray,
No armazem do vapor francez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Napoleao e a Guilher-
me, perneiras e meas perneiras para homens,
e meias perneiras para meninos.
No armazem do vapor france, ra de Barao
da Victoria outr'ora Jiova n. 7.
Mobilias de vimes.
Cadeiras de balanco, de braco, de guarmeoes, so-
fas, jardineiras, mesas, conversaderas e costu-
raras, tudo isto muito bom por serem fortes e
leves, e os mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recreios.
Phvsiologia da iniilriinaiwi
IIMORi.V NATURAL : fc.'ICA
tac.;
e ia nihi-T casauss
as -as mais ciirtoa parlieularidades
THEOIUA N:,\.\ DA l'RQCtiK.ACAO WKFILHOS
do scx'i msoiliiH "i (oinuiiii i ;i viini.-ido dos ron-
jopes Kstrrili !:::( h>|n.ii-ncia linpr-rfei-
Tus gemines : no:.. di1 ri-paia-h.
Ihgicne eap.rial ,:,i mu n grvida e Jo
ror''Mlll .m-|Oo
POU
A. IIEBAV.
Tr. da scxagcsiina-sogiinda edi^o francoza
iPH
\. I. F. dos Res.
i vohime cm 8." 4.000.
I.ivrnriii l'Ymiccm.
-se
o sobrado n. 7 da na do Cnniiiiotvjo n ttrcem
andar d.i propriedado n. |:| da ra itu Rom Josu:
rta na da Aurora n .'I.
A!ii.'.i-so o pri n.'ir.) ii ftir ilo siilira
  • na
    ra do Santa Hita n. lo : a tratar na lujada ma
    os Pedro Rodrigues da
    Silva.
    Pedro Ernesto Rodrigues da Sil-
    va e Antonio Juvencio R. Silva nes-J
    ta cidado, Dr. Manoel Juvenal R.
    Silva, Jos Pedro R. Silva, Jos
    Rapiista Carfteiro da Cimba, Auna
    Generosa, Annelina do Caria C. da
    Cnnlia (ausentes), a ora e notos do
    fallecido Jos Podro R. Silva, fendos de pungente
    dr pelo passnmonto do sen setnprc e asss chora-
    do pai, sogro e av, mandain resar ligninas niis-
    sas pelo repouso cierno de sua alma, na ordem
    terceira do Carme, no dia quinta-ft-iraode junho,
    pelas 6 l|2 huras da manli; e rogain aos amigos
    e parentes daquello c dcstes o picdoao comparec-
    mento a este acto de sincera e verdadeira religio,
    pelo que se confessam j agradecidos.
    Na, travessa da ra
    dasCruzes n. 2, pri-
    meiro andar, d-se
    dinheiro sobre pe-
    nhores de ouro, pra-
    ta e brilhantes, seja
    qual for a quantia.
    Na mesma casa
    compra-se os mes-
    mos metaesepedras.
    Ama *** 'f*' mm a,n;1 f,)rri a Um niano de mesa em honi oslado I
    i v ?VP' P?a c,,zinhar ; Paa-e honi : aprender e pjr preco barato : a tratar na rua do
    a_niaJSova, luja n. II. Mondego, sitio do porfi n. ti:|
    Prensa-se de urna
    ama para cozinhar e
    OlTerooe se nm cozinheiro de e->ndae*a para
    comprar para fina* passoas : a tratar a ruado casa de familia on pan snltWro wra f.*lo f.oi.o
    I.Kraiiyitfo n. j.pT.rtia_______________Wyiy : "*'" **jn Ja bmMt-Mi n. 16.
    . Precisa- Je nnu sna
    \ zinhar e compra
    fA oa: na rua da
    * *- rasa terrea.
    quintal cun flores fin roda
    |ra .>- Aluga-o urna oasa un i >.i< 7 ii ,. i,.-.
    arjwrauma sopes- Iwawaulu, nm brw a Uura ..,..,,. Mm .
    senzalanova n. J.f, qnartnsda casa le bmHas, le i:n Irrate n,
    _________________ ll'''1"'- ,-l"n randa de f-n-.i. nm penfci de ferm,
    - Prooitaie de iimi ama para casa de faini- 'l,!"l,a com flores ftin roda da \.-.i. r oatnmu-
    lia de duas.pgsttia-i na na do Cabog n. I, luja. Knindo para cra^ ih i'uu.l A casa n. ;ii
    Pr-i.A ifc nm m nno aih"a UJu A|ecrim, tein penna l'afu BMR bom
    ireusa-se de urna ama que saiba banheiro: quein pret-nd.-r diriia- rua Aiiaus
    eozmhar e engommar, para casa de '
    familia : a tratar na praca do Corpo
    Santo b. 17,3 andar.
    A Prplilwia,
    Escravo figido
    No armazem do vapor francez, rua do Barao da
    Victoria, outr'ora Nova n. 7.
    Quinquilharias.
    Artigos de dflerentes gastas e
    Jthantazias.
    s para salas e gabinetes.
    Leques para senhoras e para meninas.
    Lavas de Joavin, de fio da Escocia e de camurca.
    Caixinhas de costura ornadas cora msica.
    Albuns e quadrinhos para retratos.
    Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
    Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
    Correntes de plaqu muito bonitas para relogios.
    Brincos a imitacao e botSes de punhos de plaqu.
    Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de couri-
    nho de cores.
    Novos objectos de phantazia para cima de mesa
    e toilette,
    Pincenez de cores, de prata dourado, de ac
    tartaruga.
    Oculos de ac fina e de todas as graduales.
    Bengalas de luxo, canna, com castoes de marfim:
    Bengalas diversas em grande sortimento para ho-
    mens o meninos.
    Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades di-
    versas.
    Esporas de tarracha para saltos de botas.
    Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
    Pentes de tartaruga para desembarazar e par
    barba.
    Ditos de marfim muito finos, para limpar cabeca,
    Escovas para roupa, cabello, unhas e para den-
    ^ tes.
    Carteirinhas de madreperola para dinheiro.
    Meias para homens e para meninos,
    Grvalas brancas e de seda preta para homens e
    meninos,
    Campanhias de mola para chamar criados,
    Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de domi-
    n_ e outros muitos differenles joguinhos alle-
    mes e francezes.
    Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami
    nhos de ferro,
    Mamadeiras de vidro de dar leite mui fcil s
    enancas.
    Argolinhas de marfim para as criancas morderem,
    bom para os dentes.
    Berros de vimes pan embalancar criancas.
    Cestinhas de vimes para braco de meninas.
    Carrinhos de quatro rodas para passeios de crian-
    cas.
    Venezianas transparentes para portas e janellas.
    Reverberos transparentes para c-ndieiros de gaz.
    Esterescopos e cosmoramas com escolhidas vis-
    tas.
    Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
    vidros.
    Vidros avulsos para cosmoramas.
    Globos de papel de cores para illuminaooes de
    fes tas.
    Baloes aereostaticos de papel de seda mui fcil
    de subir.
    Encerados bonitos para conservar as mezas de
    jantar.
    Machinas de varios systemas para caf.
    Espanadores de palha e de pennas.
    Tesourinha8 e caivetes finos.
    Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
    Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
    Tiras de molduras douradas e pretas para qua
    dtos.
    Quadros j promptos com paysagens e phantaz
    Estampas avulsas de santos, paysagens e phanta
    zias.
    Objectos de mgicas para divertimentos em fa-
    milias.
    Realejos pequeos de veios com lindas pecas.
    Realejos harmnicos ou accordions de todos os
    tamanhos, e outros muitos artigos de quinqu'
    Iharas difflceis de mencionarse.
    No armazem do vapor francez, rua do Barao
    Victoria, outr'on Nova n. 7.
    Brinquedos para meninos.
    A raaior variedade que se pode desejar de todo;
    os brinqnedos fabricados em differenles parte*
    da Europa para entretenimento das criancas
    tudo a precos mais resumidos que possivel :
    no armazem do vapor francez, rua do Barao
    da Victoria, outr'ora rua Nova n. 7.
    PARA PIANOS
    Pannos proprios de cobrir pianos.
    Cadeiras de parafuso e forro estu-
    fado.
    No armazem do Vapor Francez rua do
    BarSo da Victoria (outr ora Nova) n. 7.
    Cestinhas para costura.
    Grande sortimento de bonitos modelos
    chegados ao armazem do Vapor Francez,
    rua do Barao da Victoria (outr'ora No-
    ra) n. 7.
    Ausentftii-se da casa de si'U scubor, e vaga po-
    las ras dosla cidade, o escravo Manuel, crioulo,
    Cr preta e de 32 anuos de idade, altura boa, olhos
    vesgos, bar ado 6 lem o vicio de embriaguez,
    do qual torna-se muito fcil a prisao por uo oc-
    cultar-se e dedicarse ao servion do descarrego
    de canoas, na Hoa-\'ista, Santo Amaro e outros
    lugares. Pede-se as autoridades puliciaes e cap-
    taes de campo a ta prisao, e leva-loa rua larga
    do Rosario u. i, i.* andar, que so gtntlflcara.
    0 InstrucQao primaria e 0
    j secundaria, 0
    0 O profeSor Thome Augusto da Silva ^
    )W Villar, competentemente habilitado, faz j
    relente a todo* os i-nefet de familia qae ^
    Sjr, qizercm cuiiliar-lhe a adueaco do ous
    ^ limos, quetem aherU) no sobrado grande fii
    2 da Soleuaden. 5*. desda o 1" do correle, 9
    & una aula particular para o sexo n.isou- S
    g lino. Us alumniis rocohero uina educa- g
    Jb cao distincla ; para esse lim, o professor
    emprega todos os sons esl'orcos e meios @
    A para conservar na sodedade compre ere- x
    dito, e tainhem mocos euthnlieos e cfvili- j'
    sados. 0
    CONSULTORIO
    MEDICO CISSSIC3
    9
    %

    DO
    9
    Dr. Mallos Guerra.
    jto Especialidades : molestias das mu-
    V? lheres, das crianfas, molestias venreas
    gfc e syphiliticas.
    Jy Consultas das 8 s 10 horas da ma-
    nha.
    Chamados qualquer hora do dia e
    fj\ da noute.
    vi? Gratis aos pobres.
    i* Rua da Imperatriz n. 36, primeiro,
    *y andar.
    n S '5 '* 3 < < 55 3 3
    Ama de leite.
    Precisa-se de urna sem fi-
    lho, que tenha bom e abun-
    dante leite : no 3o andar des-
    ta typographia.
    AMA
    Precisa-se de urna : a tra-
    tar na praca do Conde d'Ku
    n. 5, 2.* andar.
    \lTlfl Na rua Dlreita n. 8, andar, precisa-
    ia> se de una para cozinnar e comprar.

    #
    A 11 i Precisa-se de urna que saiba com-
    \ 11 A prar e cozinhar p^rfeitamente, pagan-
    tl.i.Xn do se bem, para casa de homem sol-
    teiro : na rua de Pedro Affonso, antiga rua da
    Praia, n. II _________ c
    Precisa-se de urna ama para cozinhar e com-
    prar para duas pessoato : a tratar na rua do Pa-
    dre Floriano u. 69, 2'andar.____________
    Precisase de urna ama que aiba cozinhar:
    a tratar rua do Hospicio n. 37, ou 16.
    ta, casa terrean 250, onde inora a "propietaria.
    Sociedade Uniao Beneiceiite
    Martima.
    Por ordem do conselho administrativo sio con-
    vidados lodos os socit.s para comparecer a rennio
    da assembla geral no dia C do corralo as 7 ho-
    ras da noute para tratar-sc de negorioj urgente
    da mesma sociedade
    Secretaria da Sociedade Uniao I! meieenlc Ma-
    rtima em Pernambuco, 3 de junho de 1871.
    O secretario,
    _________________Antonio Jos Alpi'Ti.
    A companbia Hecife Drainage recebe pro
    postas para > fornecimento do capim para rmt
    a tratar na rua do Imperador n. 26.
    animaos
    1 andar.
    Precia-se alagar urna prota coziulieira : na
    rua do Itangel n. 9, paitando-se bom alugiiel.
    Precisa-se de um homem para foitor de um
    engenho que tenha pralica de servioo, me nao !.-
    nha vicios e d fianoa sua conduela ; entm-
    der-sc com o Sr. Bernardino Puntual, rua da Ma-
    dre de Deui n. 36.
    - _.> 3-^>
    - '* ? Q. 9__
    *" 3
    ! ^.s
    it '---s-ilS. _. 5
    ?-^ ^-l I? "* = 5 ^^*
    * ? =-_ T~i = fl 3S.S
    -5 3 P 5 K-3J* B: v-'">
    '-- i.i _,*
    t= 3 O. =;i2
    H. A ]
    31

    Radical para
    I Escbofls, Chacas Antigs, Ulceras,
    Feridas Ulcerosas
    tumores, abgessos
    [POSTREMAS, ERUPgOS, HERPES
    Impingeos, Lepra, Tlnha
    e todas as Molestias da Pelle
    RADICALMENTE TODAS as MOLESTIAS
    SYPHILITICAS
    Poderoso Preservativo
    CONTRA
    As molestias Syphiliticas
    e ai
    Febres amar ella e Typhoide
    TRATAMIENTO
    PELO
    VINHO
    DEPURATIVO t RECONSTITUIRTE
    Di D" DELOR, de Pars
    DEPOSITO 4, boulevard St-Martin. Pars
    Agentes Geraes para o Brazil.
    F. RODDE (ao grande mgico), rua do
    OuvHor, 118, Ro de Janeiro.
    w -5 a .'^ c o o -
    a<3 -r-
    O 3. o P
    Zi
    -.
    M0F1NA
    Est encoura^ado 11!
    Roga-se ao nim. Sr. Ignacio Vieira de 'Mello,
    escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
    favor de vir rna Duque de Caxias a 36, con-
    cluir aquello negocio que S. S. se comprometteu a
    realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
    fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
    passou fevereiro e abril de 187,e nada cumprio;
    e por este motivo de novo chamado para dito
    fim, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
    de mais de oito annos, e quando o Sr. sea lilho se
    achava nesta cidade.
    Cozinheiro.
    Preciza-se de um, livre ou esvravo, c. quese en-
    aarregnern tambem de comprar, para easa de 2
    pessoas ; a tratar no Corred r do Hispo n. .
    - Precisa-sede l:000 ajaros, daTidi^sTi'or
    nypotheca um predio livre e desembaracadu Mo
    nesta cidade : qnem rroizer dar dila quaniia, diri-
    ja-se a esta typographia a fallar com o adminis-
    trador.
    Aviso.
    Desappareceu da Basa de sua senhora de-do o
    da 2o de mato do crtenle anno o esrravo Lut
    crioulo, idade ai) anuos, pooeo mais ou menos,
    com os signaos seguimos : alto, magro, cabecaia
    pintando de branco, usa liig de e pouca barba no
    queixo, tem falta de dentes e pucha pela porna o-
    querda por causa de urna (onda que toin cima
    do calcanhar : quera pegar o dito ajcnvo o leva
    lo rua do Cotovello n. 8 ser gratificado.
    COMPRAS
    n*s2-ftsfa*
    5 3 = ^ 5 = -s, ~ 2. o
    ?yg-??3g-Vgse-?s-
    Mugase
    A excellente casa sita na Capunga, a
    da
    Ventura n. 23, com grandes accommodaces, e
    excellente quintal todo murado e plantado com
    grandes pos de fructeiras : para tratar rua
    larga do Rosario n. 3i, botica.
    Attenqao
    Quem precisar de boas amas eccas e de leite :
    dinja-se ao pateo de S. Pedro n. 3, loja.
    Avisa-se
    a qnem der noticia da escrava Guilhermina que
    toi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos Sao-
    tos, e oepois comprada ao Barao de Nazareth,
    representa ter 25 annos, tem Taita de dentes na
    frente e as mos com cicalrizes de quemadura
    de gaz, secca do corno e muito regrista, que des-
    appareceu da casa de sobrado n. 26, da na dos
    Coelhos, que ser generosamente recompensado.
    I $ti^-***-****
    P
    P
    m
    Ausenton-se de casa de sua senhora, no dia
    6 de maio, o melato Matbeus, e tem os signaes
    seguintes : alto, ps e mos grandes, cor de laran-
    ja, bons dentes, fa'Ia mansa e um pouco Dna,
    barba um pouco branca, cabellos crespos e re-
    presenta ter 40 annos : pede-se a quem o appre-
    hender de leva-lo rua do Hospicio n. 81, que
    ser gratificado.
    Trapassa-se
    Resulta 'a- i~ms; i'<;! da. |h ias siumni--
    lados incicuadas buapiuM Ue l'aiif, i]uc o Xnropa
    H'lto kl b.-'-nrrirn do Ms>!l>alO fl '1! -.:! proRMBO"
    'AiutELi.ii c aiipiigmln Com lillfKiWO MlUipre igual
    para curar *
    tS ItlFLAHllcJtS bOS BKRCbiU l AFt.COES 00 FEITG
    .:..:,.,: a> p'l- :- im
    BRONCHUES AG'iP'.b OU CHRONIGM
    Tiini". n*pi> ''vs. ciTnm -<
    lK.!...Xvb, l<*aou< l*JtfUau*tef txt'.'\*o db VuZ.
    AMASS."'!"< u-'>r-rn-.-..3rtarpHabor,um
    i'recioso i i-. :. a:, "i. i ..... 's oaM|i'j viajam, v
    So ohrtijail'M a fulla : n'io. Paris, Pharmai i
    VAOI'KHN-D'SHriiihKS. niadeCI.'ry, 31.
    i ei i Ih r un ai ili .
    PhanDciade P. Maaurergias
    R( v
    CAZA DA FORTUXA
    l.P
    .Ui-;o :':.. '...'. ;i., ..;:.SPO N. 1$
    Fogo, fogo
    Foco de bengala.
    Novos foguinhos chinezes artificiaes proprios de
    aldea, varandass e jardins chegados de encom-
    tienda propna, e especial para os festejos de
    Canto Antonio, 8. Jlo e S. Pedros presos re-
    lamidos, tanto em pequeas eaixas, como re- = Aluga se urna rasa nova, na Capunga, nos
    Jho : no armazem do vapor francez,Jrua do Ba- Quatro antos : a tratar cora Joo Jos da Cnnha
    da Victoria, outr ora 7. I Lages, ma do Vigario n. 33, !. andar.
    < > abaixo assignado tem seni| re exporto vei. la
    os C'|;7" l"|ivfi'8 dn R:. ra pando
    prOUI,<_..'.i....v, Cuatto C ,;la...a, ale j ulClllio de
    4:000*.
    Proco.
    Inteiro.......24*000
    Meio........I20:0
    Quarto......6i0c0
    Manoel Martins Fiuza.
    Ao publico.
    0 abaixo assignado declara que urna letra de
    seu aceite, sacada pelo Sr. Jos Gorgonio Paes
    Barreto, e vencida iiltimamente, nao Ihe foi apre-
    sentada nem leve aviso da pessoa que a possue, e
    ignorando quom soja seu dono, protesta nio pa
    gar juros pela demora no recehimento, visto como
    est com o dinho ro prompto e a disposioo do por-
    tador delta. Villa de Gamelleira, 31 de mai de
    1873.
    ____________J"s Pedro Velloso da Silveira.
    - No dia 3 de f.vcreiro de 1873 fugio do en-
    genho Canzanza, frognezii de Jaboato, o escravo
    de nome Cypriano, c un os signaes seguintes: ca-
    bra, grosso, andar banzeiro, e para maior si^nal
    tem nina orelha lascada : quem o apprehender e
    levar ao referido engenho, ser bem recompen-
    sado.
    MEDICO-CIRURGICO *
    . DO W
    Dr. J. II. Curio ^
    0 Una do Mrquez de Olinda n. 23, pri- _h
    Smeiro andar. _K
    Consulta das 9 horas as 11 da manha. %k
    (fr Chamados a qualquer hora. jh
    =0 obaixo assignado tendo contratado comprar
    a Elisio Alves da Silva Filgueiras, a taverna
    sita rua Imperial n. 42, oo quer realisar dito
    negocio sem ciencia dos credores da casa ; e
    pi r isso os convido a apresentarem-se no prso
    de tres dias, soc pena de nao ser attsndida qual-
    quer reolamaQao.
    Recife, 31 de maio de 1873.
    ____________Manoel Pacheco da Silveira.
    Engenho
    Arrenda-se ou vende-se parte de dous engenhos
    silos na freguezia de Ipojuca, sendo um movido
    por animaos e oulro movido a agua, bem obrados,
    de ptimos terrenos, e com proporeoes para salre-
    jar de tres a qualro mil paes, distando do porto
    de embarque apenas urna legoa, e da estrada de
    ferro tres legoas : quem pretender dirjase rua
    do Apollo n. 3o, 2' andar, que achara rom quem
    tratar.
    Publicacao jurdica
    Apontamentos sobre a condicao dos escra-
    oos e libertos no Brasil,
    contendo as principaes questoes relativas essa
    especie, com as decisdes proferidas a respeo pe-
    los tribunaes superiores e do poder executivo,
    bem como toda a legislacao patria, amiga e mo-
    dernsima acerca de cada urna deltas; polo Dr.
    Antonio de Vasconcellos Menezes de Drummond,
    lente oalhedratico da 1/ cadeira do 4. anno de di-
    reilo civil da facnldade de direito do Recife e ad-
    vogado Deste foro. Assignase livraria franceza
    e a livraria do Sr. Nogueia, no arco de Santo An-
    tonio.
    Ao commercio.
    O abaixo assignado declara que, se julgando
    habilitado para fazer escripias por partidas sim-
    pies e dobrada, vera por meio deste annuncio o'-
    ferecer seus serviros a quem interesar possa,
    nao so casas estrangeiras, como brasileiras, me-
    diante urna paga muito commoda. A tratar na
    rua de Marcilio Dias ( outr'ora D.reita n. 32 A )
    com o Sr. Ladislao Rodolpho de Aranjo Cesar, ou
    rnm o mesmo em Olinda, rua de Femandes Viei-
    ra, outr'ora de Mathias Ferreira n. 21
    Cidade de Olinda. I.'de iunho de 1873.
    Manoel Cavalcante Ferreira Mello.
    A loja da rua da Imperatriz n. 7, com bonita
    armaco e casa para morar familia : a tratar na
    rua do Commsrcio n. 12 Hotel d'Europa.
    Medico-cirurgico
    RUA DO IMPERADOR N. 73, f ANDAR
    0 DR. NUNES DA GOSTA
    MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
    ESPECIA LIr'A9rIS.
    MoWtias e opersces de olhos.
    Cora radical e instantnea ios
    eMrcitamentor da uretra.
    CoDsollas : Das 7 s 10 horas
    da mai'ba.
    Cromados: a qnalqner hora.
    M__
    Compra-so um sobrado de um andar, do
    duas ou tres portas de Brete, ou um i aaaa terrea
    de tres ou quatro portas do frente, nos balrros de
    Santo Antonio, Boa-Vista ou S. los : a tratar na
    loja da rua do Qneimado n. i 4.
    Compra-se algumas casas terreas ou sobra-
    dos nesta cidade : a tratar na loja da rua Duque
    de Caxias n. 44.
    no oiii| nh.i d .,-aim a poli i arad > r
    \>* i i .i .; Kinija
    i'i^> i
    untar |mb :
    Al.l' S. a- xmta a e4t
    iiHir.i.iu. ;i catM.4 de
    lailaniga RMirSM, vdMa i
    AHKIiECOS pi i:a ,ii,ijhu< para
    assim r< nm, nm n.|s i uipiwi _ii e
    til w. Jo |4.i pi, 4)i a fina c anaMn hrm
    I k
    BOTOESiora \v.>>, .. .r rr*W .1 ^.r e
    mHti >r |M4.|i,. Urtaraja, __4rf-
    l-'lida, i,,
    IIOI.CAS de \;-V _H_ f n^m,
    ha de ma- m ira* >- Indas.
    llICOs do s.da .! ;, -mi,,,, um hramm f.*r.*
    r-.o^ .-J',vt" 'I'' .:iad.w .Linaliai
    (.ASSOLETAa piolas ,le mHal e de MriMf
    i'tla.
    CAIXINHAS para ; ra, __* ricas e de <.
    l :.n l-, i m musir e .->
    olla.
    COQl'ESa Ma. 1><,lle hjver de i_jl
    boaliii e i
    DKAIiKMA.s. i ;, PredMifla afw
    : '.i nm .., v
    rapaa d. r n rafn.-b..* r
    qinl'pi.r st-ib.ia |..- mai xir***:*
    ltltT-I5oru(i;i' de madniemla marfan %
    ee>lo um lj mdi<|.ii-avH .
    iiimI.is .1,. |...ni Iimii, atim do apirr
    <> ari.ina das ll im mi o mwewcn-
    te de ll'hl. :i|i n .'i- I.IV;k, "Q m__c -
    riim as .1
    PENTES de lartarnjra, dr Marta t 4. h_fc|. (.
    ra aliar us i tarar Ih-l
    PERFIMARIAS. K ...l.id.i .1. ( rMhs. ^
    diii'o!; M'inpre oo-rva um Mnatttftao-
    lo KiriniK-iito j,- fumara 4e ta>
    airar ta mais ata-tai ULnum,
    l.uliin, Piv!. ,.\pirajica,Ca>.
    dray, Sevanrai i Hasf, ^m iurmm-
    Ind 'I. i- aiomas ma tai
    .'rritos pila m -Hilado rttfatrtr a
    Kiir..|.a, ajar laaia, arkMN-^ ta
    |H*silNt!(!i ics dos ierfiiwf>.
    A PH':i)ll.KMA Ir.. ,u mmmr na
    i'ii'li-id.id.- dr
    >..r S4M h il ;.- i
    leaeia i r. -,.. ,
    ngu-sr a rua 4o i al.'^a a. I A. p.
    ra esarr. ..-_._ "ta '-ou i -.ra ajaajat
    KALHAS no,,- .- m na- do diq r aigaji>
    rala
    IMENSVKTTi >. Ro .,, para r.rtavS
    por barali -iin.i pi.'.n.
    FLORES. A Produca pi:h.i em cnnrrvar na
    I-lio sm-iii.'ni i a,. d..n-> ao airaawr
    FITAS.
    do qil.il.pi ;
    toja Ikmi ivjiI
    V. ja bom >;
    Predi lecta

    \aolia mais cabellos
    brancos.
    ^^?
    Dentista de Pars
    Se nica approvada jielas academias de
    sciencias, reconhecida superior a bula que
    tem apparecido at boje. Deposito princi-
    pal rua da Cadeia do Recife, boje Mr-
    quez de Olinda, n. 51, l.u andar, c ta
    todas as boticas e casas de "abfdloi-
    reiro.
    19 RUA NOVA 19
    FHEDERICO GAUTIER, agradei endo ao respei-
    tavel publico em geral e em particular aos seus
    amigos e numerosos clientes, os favores e a confi-
    anza que Ihe dispensaran! durante os quinze annos
    de sua residencia nesta linda cidade, tem a honra de
    Ihe participar que cedeu o seu gabinete|de cirurgio
    dentista ao seu sobrinho e discpulo J. M. Leroux
    o qual cchando-se haniais de dez annos na sua
    companhia, est de sobejo habilitado para merecer
    toda a sua confianca e executar os trabalhos os
    mais dilHceis e delicados da profisssao
    O mesmo aproveita a occasiao para pedir s
    pessoas que Ihe silo devedoras o especial favor
    de manda-ls pagar quanto antes, pois retira-
    se muito breve para Paris, aonde se achara sem-
    pre prompto para o que puder prestar.
    Esta s de jesuta !
    O Sr. J. C. A. de F. n3o quer anda attender
    aos reclamos da pobre viuva que exige os alu-
    queis e ehaves de sua casa, montando j os alu-
    gueis at 30 de abril a 32 tudo se torna revollante o inquilino ter a casa
    fechada ha mais de seis mezes, e nem chaves e
    nem alugueis.
    Fogo, logo
    e o melhor de todos os fogos s se obtom com
    a limalha de ac, do ferrro, de ?inco, do cobre e
    de agulha, que se vende por menos na phar-
    macia e drogara ce Barlholomeu & C, n. 34,
    rua larga do Rosario.
    .No escriptorio da rua do Commercio
    n. 32, de Joo Jos do Carvalho Aloraos,
    vende-se o seguinte :
    Caf do ilio de Janeiro.
    Cimento de Portlaml.
    Palhinha preparada.
    Cera cm velas.
    Oleo de Imhaca.
    Couro de lustre.
    Bezerros.
    Chumbo de municao.
    tiomma-laca, superior qualidade.
    Cadeiras hamburguezas.
    Ditas de balanco.
    Ditas para criancas.
    .1 r i i'ii '''"''
    que |i.ij.-iii piiti Ntrar ira
    grande rl.mriitu do fNaj 4<- *rtnr.
    tafo, ata) liiilm <; ile algodao. p <
    ciiiitihhIi j. ron
    GRAMPOS de tartaruga, ii.iil.icui r-tr<. f -
    tos c t'e oir*, o qn-'-r p.lr ^-^ i
    do iiiai- i,
    GRAVATAS le < 11
    lar i-
    beiu lew un nral'i ,| ^ _
    v:i';i- c repa'.i- para !, .,
    JARROS de porcelana ,' vj.lrj muilib
    jora nriial is dr sala.
    Mri s d.- -,-da, dr la r r?o alfr-dlo, r-a-
    la srnhora, mrnmas l.omrm.
    LEQUES. Rio..-lo,|(i.-do i,,.. : ., .-.. r r c\
    arta d-- ama, a uaaa aaodi t n -
    por
    LITAS dr priNra, de s.-.ia r .!
    Iiono-m r senh-na.
    LIVROS para taan, atatail
    rolha t'n res|Mila\ ;
    S"-l ll -ll i. I
    a'p -!..
    i
    ri'-lll'-i .i r-
    hta Mo
    t ca|a-
    Vemle-se una machina do costura cm bou
    estado : naBaixa Verde n. 4 (Capunga).
    Aluga-se
    urna casa terrea sita na rna do Pavsand n. 3,
    com commodos para familia, com quintal mura-
    do, agua encanada do Beberbe : a tratar na rua
    do Rosario n. 3!.
    Precisa-se de um cozinheiro ou cozinheira
    para casa de homem solteiro : na rua Duque de
    Caxias n. 91, rival sem segundo.
    COMPANHIA
    DOS
    TRILITOS URBANOS
    DO
    Retire a Olinda e Belierilie.
    De ordem do Illm. Sr.
    presidente d'assembla
    geral, convido os Srs.
    accionistas para, no dia
    9 do corrente pelas 11
    | horas da manha, se reu-
    nirem afim de eleger-se a directoria que
    tem de funecionar no anno corrente de 73
    a 74 e le resolver sobre outros assumptos
    adiados em sesso de hontem.
    Recife, 3 de Junho de 1873.
    0 2." secretario,
    Joo Martins le indrade.
    Na rua do Rangel n. 9 deseja-se muils fallar
    com o Illm. Sr. Domingos Martins Monteiro de
    Barros, a negocio de seu interesse.
    Banderas
    Amsral, nata 4 C. vendem bandeijas de me-
    tal envernisadas, e de vordadeiro charao, de todos
    os tamanhos, para en, copos, bolos, etc. etc., e
    um completo sortimento de balaios, cabazes, etc.,
    de vime, e rotim para flores, costuras, pao, etc.,
    etc. : no bazar victoria, rua do Barao da Victoria
    numero 2.
    madreperta, tartanaga, marfim.
    I atajrha, i |>rrrn
    razoavris.
    Novkiade.
    A Predilecla, rua do Chtaf) n. I A, arate
    ilo re elioi pelo ni! : ^_ ___
    ropa, um Ih-IIu .-rti
    braia bordados para srnnorai
    nhas c punhos tanibrn Ixirda-I..- l ptaMtak,
    saias bordadas, ditas o i ra ta-
    ras, bonilas calcinhas dr div.-i tapatafea*
    e transparentes vira meninas, qae lado rrt>
    por barato prreo.
    Obras fio direito.
    Vendo .-^ : Ir.a.. N.t.iral. p i r.'.narWli. V
    lumes. Drrito Ado ni-ii iliv i. p |
    voluntes: uo larga tu Parata s. s-
    Ha -ar.
    .01 I. I
    m
    romano.
    Citzinheirii
    Preci*a-se d3 um bom cozinheiro para um bom
    hotel: a tratar na rua do Imperador n 31, arma-
    zem uniao e commercio.
    Esl fgida a escrava de nome Bernarda, de
    idade 25 ann^s, pouco mais ou menos, levou saia
    de ganga e camisa de algodio tem marca de fajo
    na na perna direila, e tem os olhos grandes e abo-
    toados: roga-se as autoridades policiaes e capi-
    Wes de campo o obsequio de pega-la e leva-la
    seu senhor, no Cammho Novo n. 110, sitio, ou na
    rna da Cacimba n. I, que serio generosamente
    recompensados.
    Terrenos baratos de 3$ a
    nos Afflictos, e 3$ no Sal-
    gadinho.
    Antonio Jos Rodrigues de Souza vende-
    terrenos de seus sitios de trras proprias, aos
    palmos, em a nova rua quafi em frente a
    igreja dos Affnctos ; e do Salgadinho com
    8 frente para a estrada de forro de
    Olinda e oito paraoutra estrada ao lado do
    mesmo sitio ; a tralar com o Sr. Tristo
    Francisco Torres, na thesouraria das lote-
    rias._______
    Precisa-se do ama ama : na rua da Concei-
    CJO n. 43._____________
    Aluga se a casa da roa do Mondego n. 61,
    com coraraodos para familia : a tratar na mesma
    rua, sitio do portio n. 63, que tem o titulo de
    olaria.
    Precisa-se de nm menino de 8 at l annos,
    portoguez on nacional, para ir praticando na loja
    de fazendis da Casa Forte, dando fiador sua con-
    tacta : a tratar na mesma loja.
    Vende-se um breviario romano, novo c rica-
    mente encadernado : a tratar no andar desta
    typographia.
    J? A' vender por causa de S
    S viagem,
    d Um excellente piano da fabrica Bois-
    Mf. selot, em perfeito estado.
    fjt Baratsimo 560/U00.
    _3 A tralar na rua do Bom lem n. 53,
    f} armazem. J_j
    ilQSSQ&iiaoy c*k>xux500 9
    Vende-se 1 machina de costura de um pos-
    ponto : na Baixa Verde n. 4, Capunga.
    ASSO IttMAOSiC
    hm seus armazr-ns i ma do Amorim
    n. 37 c caos Vpollo n. 47,
    tem para vender pa r precos cxMMBptioa
    Tiji-los tarar nata arxtiwa psra ladr
    Caaoi do barra i-aia -.,m>.
    Cimento Portland.
    Cimento II>di.ni:i Machinas de drscaroc.-ir
    Machinas de
    Potaaa da tata ni
    l'hosphoros do -. i.i.
    Sag em gai rafiVs.
    Sevadinha em parral
    l.onti Ii.,-
    Rhum da alaaaica.
    Vinho do Parlo tata --liga, laado.
    Vinho do Porto surn-rior, .
    Vinho do Rordcaui, di!.-.
    Vinho dr Srhrrry.
    Vinho da Vade-ira'.
    Potos com linpna" o d Licores fi:as sortidt<.
    Cognac G iiillier F:
    Latas de toucinho inglrr.
    Barris com n |-.lh.> em -aliioura.
    As nicas venlaleiras
    bichas hanil'iirgiieMS que vm a rste mcrrakki
    so vendem na na do Mrquez dr Olinda a. 81, 1
    andar.
    Farinha de milho.
    Vende-se farinha do milho moida a vapor, dia-
    riamente, pelos precos seguintes : grossa para
    migunz a 90 rs., dita para ang, pinto e passa-
    rinhos a 100 rs., para cangiea e pao de provenca
    a 120 rs., e para cuseds a 140 rs, em arroba e
    mais barato : na ru do Cotovello n. S.
    Taverna.
    Vende-se a da rua nirefta n. 72, tem poucos
    fundos, e bem afreguezada : a tratar na mes-
    ma.
    Terreno.
    Vende-se um magnfico terreno situado no ame-
    no lugar Chacn ao lado direito do rio, lugar
    que nao chegam as cheias, com 90 palmos d
    frente e 400 de fundo e alicorees para um casa
    com 40 palmos de frente : tem bondosos arvore-
    dos e muitas fructeiras: a tratar na rua do Mr-
    quez de Olinda n. 40.
    Repolho a 400 rs. a libra
    n. 84.
    rua da Guia
    Fogo de salo e artificial.
    Em eaixas sortidas, chegadas ltimamente de
    Hamburgo : vende-se i rua do Mrquez dj Olin-
    da n, 21, 1.* andar.
    SHERRY KINA
    (VINHO DEOiINUUYl HYllIF.NIf o
    PREPARADO COM OS MEI.H0UES VIMIIOS IIF BtS-
    PAMI.V M 11KMA
    CALVAIRAC A. G. C, DE SEVILHA
    roR.NKCF.iH.it da sr ArrsTaK a arwl
    D HfcsTA.NHA.
    POR
    THOMMERCT GLIS
    Plaaar m nrml ica>
    K\-lNTEh>0 DOS linSPITAESK PARS
    0 SHKltRV kl>A n vinho de Oumquuui
    que linjc preferem a maior parta tai aata
    eos de hospitaes, dos lentes da facuktak e
    dos memlirns d.i academia de medicina.
    Tem esta preferencia a sua explirarfc tato
    que offereco todas as UMNIM qe dehalde
    se proctirain nos producto! tato fraxiu em
    que MllTAS VEZES SE SACRIFICAH A* fTTlIWj
    DES TAO MMUH Ql'ER M TIRSO, OAR
    do QuiNQfiNA (as T07..-S de ambosi ao* u~
    cros da ESPEcri.Aclo ;Ver G*i* 4m$ ftuu
    Minera. Do Dr. CaONSTaSTIN JAMB,
    7.a odic.io.
    NICO DEPOSITO
    PHARMACIA E DROGARA
    DE
    BiRTHOLOKD t C.
    Rua Larga do Rosario u.34.
    -------r


    6
    Diario de Pemanibuco' Quinta feka 5 de Jualio de 1873.
    Te:n ufo jrcsenliHl a;> publico
    Durante o cspaco
    DE
    4 0 A N N O S.
    RBISTOL
    CURA OS CASOS MAIS DESESPERADOS
    A SAFSAPARRILHA DE BRISTOL puri-
    fica a massa dosaogue, cxpelle para tora
    todas as materias e fezes viciosas e impuras
    regula V-das as secre^es, d vitalidade e
    energia a todos os orgao s e d fonja e vi-
    gor ao systeraa afi:n do poder melhor resis-
    tir lodosos ataques da enfermidade. E'
    pos este um remedio constitucional. Elle
    cunea distroe alim de poder curar; porm
    constantemente ussiste a natureza. Portanto
    em todas as doencas amstituciomes e em to-
    os os molestias lome dependente d'um es-
    tto vicioso o iinperfeito dosystema em ge-
    m, acliar-se-ha que a Sai.saiaurilha de
    Bkistoi. um remedio seguro e eflicassissi-
    eeo, possuindo inestimaveis e incoiitestaveis
    wrtudes*
    As curas milagrosas do
    ffccroftilas,
    llcmis,
    Chajj iautiga,
    ENPERMIDADES SYPU1I ITICAS
    ERISIPELAS,
    KllEl IMATiSMO,
    .NEVUALG1AS,
    ESCORBUTO,
    ETC., ETC., ETC.,
    que tem graogeado e dado o alto reuome
    Salsaparrilha de Bristol
    por ludas as partes do universo, sao lo so-
    monte devidas
    l'.MCV LEGITIMA B ORIGINAL
    SedsaparrSka de Bristol
    EL Ventar i 6.
    AGENTES.
    NA PHARMACIA CENTRAL
    Ra do Imperador n. 38.
    Innoci'ii io. pan!* vriwnliui'o, 4 mezos, S. Jo
    ipnora-su a n ofostla
    :"
    mmu zicroBTAirTss
    riU <8LJ .ELtf SL Cf
    V GETAES
    M
    quo nao debilita nem en-
    que
    BRISTOL
    l ;5 bofes sudins e saos
    fina digesto vigorosa,
    Uob excellente appetite,
    dguns dos beneficios que se poden) de-
    . l i/i-it lo suum uso regular das
    ''Jlttiaa vegetaMM Je Blrisll.
    tira certa o cilicaz dos intestinos,
    I tn remedio a lmirave! para os rins,
    Um tomco poderoso para o estomago,
    loas aprecia veis qualidndes medicas
    dem encontrar, usando-se das
    alas vegetaes . 111 nedicina que nao produa dores nem
    icos.
    '.' ; irganto
    .V .
    lavante que
    ea.
    I >rmam nina das muitas virtudes que
    : .as
    lia egeiaes S "tvhiiol.
    Uno.;: licamento suave e favoravel para
    lio s ixo.
    i in c rectivo seguro dos dosarranjos do
    ima.
    fin reme lio completo e seguro para as ir-
    . iridades.
    >> i fulla, resultantes do
    i das
    Plalas vogeiaeaj de Bristol*
    impleig&o clara, alva e transparente,
    Urna pelle macia c delicada e um
    Hlito doce e agradavel.
    ; resultados cortoseinfalliveis, de-
    I i ;
    baver tomado algumas dses deste
    ir 'ios
    i, nedios as
    Viiuhi'% icgi'dies ilc Bristol.
    Em todos os casos de molestias j'uma na-
    escrofulosa, ulcerosa ou syphilitica;
    guando a massa do sanguc sehaja tor-
    lurva ou viciada pelo uso de ferro,
    uno, ou por outra qualquer substancia
    iral a
    Mstfsi|iirr"!ha 3*r>l.
    r ... r osa la de conjuucto cora as pilu-
    issim obrando-se, em restricta con-
    la le com as direcces inscriptas no
    ; os doentes po lem car certos que,
    vea usada toujunciainente urna com a
    nenhuraa enfermidade ou molestia,
    iqos severa ou. arraigada que se ache,
    u i lera resistir ao combinado poder se-
    anuario deatos dous
    ES, E mu
    usiiu.nios.
    is medicinas acham-se venda
    em todas as principaes boticas e
    tojas de drogas.
    i-s i a venda eoi todas as boticas.
    H. Forster & C.

    AGENTES.
    zias escocezas a 280
    rs. o covado.
    Ra do Crespo n. 20.
    Lianhas escopetas, padroes inteiramente no-
    ts, pcij diminuto prejo de 28) rs. o covado, 6
    "".-chincha e dio-se amostras na loja de Guilier-
    mt C. da Carina & <:.________________^^
    '=v>nh na iha de S. Krgaef, meij rtol
    > terreno muko perto da cidade : a tratar ms
    roa Dire i n. 99, tavt;rna. ________
    Vende-se
    (< rck-iro paiar.ho porlugnez Lice do 18o tonela-
    das, d.'iiiandaBdo depois de carregado 10 pl de
    afua. forrado de metal e basificado 5/6 A t-1,
    corn dua.s andainas de paunu u baslauteg sIjj^
    saBen .ptn a navetar para qualiiuer par-
    Ir : jiTom pois, o pretender, pode mandar exa-
    mina lo no ancoiaJouro da descarga da carne
    secra, e para tratar Mu c seu on'ifiltariO''
    -'..juuiui Jos4 Goflr-alwe Beltrao & lIMw, na
    Ai Icajmcfeo. n. o, aond se acb* Livros venda
    Aos Srs. acadmicos
    Vendc-se a seguintes obras de diretto, historia
    e litteratura, por commouos presos :
    Pardessus:Droii Goinmercia'l.
    Villiaun: Revolution francaise.
    Louiz Blanc :Histoire de dix anns.
    Vattet :Droit des gens.
    Ventura :Le Pouvoir pnblic.
    Purlers : Cours de droit naturel.
    Kluber :-Droit des gens.
    Kogron : Code de commerce.
    Nesta typographia acliaro essae obras para se-
    r em vendidas.
    SEGREDO ECONOMA E CELERIDADE.
    Obtem-se com o uso
    D
    INJECCO SHOST
    nica, hygienica, radical e infalliral na cu-
    ra das gonorheas, flores brancas e fluxos de
    toda especie, recentes ou chronicas; e que
    offerece como garanta de salutares resultados
    a continuada applicac,fto que sempre com a
    maior vantagesi se tem feito della nos hos-
    pitaes de Paris.
    nico deposito para o Brasil, Bartholomeu
    & C, ra Larga do Rosario n. 34.
    Xarope d'agrio do Para
    Antigoe conceituado medicamento para
    cura das molestias dos orgaos respiratorios,
    como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
    applicado ainda com ptimos resultados no
    escorbuto.
    Vende-se na pharmacia e drogara de Bar-
    tholomeu & C, ra Larga do Rosario n. 34.
    K bamlissimo
    Basquinas e casaquinhos de seda ricamente en-
    feitados e em muito bom estado, para sonhoras e
    meninas a ~s>i()h
    Pechinchas.
    Qiapelinas e chapeos de palha, velludo e seda
    para senioras e meuin;is, por preces baratissimos
    de ifi, 3t c 42.
    Ainda pechincha.
    BalSes em perfeito estado para senhoras e me-
    ninas a lioi).
    Para acabar.
    de
    Biqui^siraos cintos com lacos e sem elle e
    gostos muito chiques a 400 e ir 0 rs.
    Entremeios c babadinhos a 400 e 500 rs. a peca.
    Saias de la para ? en luir, 12.
    Estas pechinchas s se encontram na loja do
    Passo, ra t. de Mar.-o n. 7 A, antiga do Crespo.
    Rival sem segundo.
    Cheg ram agulhas para machinas, do fabiicante
    Crowcr A Baker, nzia por 2O00.
    Saceos de estopa
    Avaiiadw pira milito e farinha a 320 dada um
    na ra do Crespo n. 20.
    BICHAS DE HAMBURGO
    As mais recentes e melhores.
    Vendem-sena pharmacia e drogara de Bar-
    tholomeu & C, ra Larga dosario o Rn. 34.
    Grande liquidaco de fazen-
    das, miudezas, ferragens
    e taboas de louro e ama-
    relio.
    Thomaz Jos de Gusmao, estabelecido em Olin-
    da com loja de fazendas e miudezas c tambem
    com armazem de madeiras e maleriaes, faz li-
    quidaco de todas as mcrcadorias existentes em
    seus estabelecimentos, com grande reduccao de
    preeoe, por ter de mudar-se : tambem tem gran-
    de quanlidade de cera em vallas.
    Toalhas a 6$000 a duzia e
    pechincha.
    Toalhas alcoxoadas, sao grandes, a 6i a duzia .
    na ra do Crespo n. 20.
    Chitas verdes c de cores a
    200 e 240 o covado.
    Na ra do Crespo n. 20.
    Moraes & Irmo
    Em seu escriptorio ra da Madre Deus
    n. 5, 1. andar, tem para vender por prego
    commodo :
    Vinbo do Porto superior engarrafado.
    Ceneja Bass.
    Cha verde miudinho de superior quali-
    dade.
    JAI
    m
    m
    Na ra da Imperatriz n. 6,
    loja ne louea de Sebastiao Marques do Nasci-
    mentn, vende-se em porQoe3 grandes ou a reta-
    dlo todo louca existente na mesma, por precos
    muito diminutos por ter o mismo proprietario
    de fazer urna viagem a Europa a tratar de sua
    sade; portanto, todos os freguezes que precisar
    de se sorlir destes artigos, apresentem-se quanto
    autes.
    Vende-se.
    a casa n. 134 da ra do Coronel Soassuna (antiga
    dos Martyrios): a tratar na ra do Yigario The-
    norion. :"l, 2' andar.
    vj;b
    Valdivino da plvora, no seu armazem de sal a
    ra imperial n. 207, faz sciente ao respeitavel pu-
    blico desta cidado, que se acha satisfactoriamente
    prevenido de todo o fogo que mister para os
    festejos de Santo Antonio, S. Joio e S. Pedro
    assini como um excollente sortimento de foco do
    ar, bomba rea! e pistolas de qaatro a seis Balas,
    ditas de duas c tres balas, unido a urna bella
    colleccao de ontr.is f iguinhos para brinquedos de
    vriapcas que coslnmam divertir-se com as mar*
    cilhosas rodinhas de salas.
    Engenhos venda.
    Vende-se os eDgenhos: Gameleira, com safra
    de dous mil piles, s tuado no lugar denon^nado
    Barra de Panellas margem do rio ftrai?y,)
    a 4 leguas da estao3o de Una, con terreno para
    safrejar annualmente de 4 5 mil pes : Corrien-
    tes, com safra de dous mil pes, situado no dis-
    tricto de Agua-Preta e 2 leguas da estacao de
    Una : o pretndeme a ambos u a qaajquer um
    dos dous referaos engenhos, entenaa-se coro
    Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, no Recife.
    praca do Corpo Santo n. 17, ou com Jos Bap lis-
    la Marques Das, no povoado dos Montes.
    Hesperidioa
    Verdadeiro biler hesperidina, superior e acre-
    ditado : venda no armazem de Tassoulrmaos C, ra do Amona n. 37.
    GRANDES NOVIDADES
    Ein fazendas de gosto
    NA
    DO PAVO
    LOJA E
    N. 6fl
    liu.il/JJUIJ
    Ra da Imperatriz N. 60
    DE
    PERBIRA DA SILVA & GUIMARAES
    Os proptietaries daste iiajicrtiiite estabeleeimento, parlicipam ao respeitavel publico
    desta cMa^e* a#^3U6wnefafosireguezes qq acabamde receber pelos ltimos vapo-
    res de Europa, um grande sortimento das mais lindase majs modernas fazendas de gosto
    e milita phantasUparaVestiilosjde senhoras e meninos, ossim como tambem um grande
    sortimento m. milhons faatMlis delei, que se vendem por precos muito em conta, s
    com o fim de apurar dinbeiro..
    As pessoas que negocian) ero poqaena osala, ueste estabeleeimento poderao fazer
    os seus sortimentosi porque *clbes vendar pelos preces que oompram as casas estran-
    geiras ; de todas as fazendas se da casa das Exmas. familias pelos caxeiros.
    Este estabeleeimento est constantemente aberto das 6 horas da manha s 0 da noute.
    mstwss mmis mmo-
    A 15500, l00, 80fr e 0 rs.
    O Pavo receben um brittianto sortimento
    das mais lidas granadines preta com deli-
    0 Pavflo recebeu pelo ultimo vapor de
    Europa, bu ruos dos mais lindos gostos
    que at hoje sao conhecidos e em relago
    sua excessTa barateza, convdam-se as
    cadas listrasde cores epretas, que rende pelo (Exmas. Sras. paraverem o que ha de mais
    barato preco de lf&OO o cjvado. Ditas to- novidade neste artigo.
    das de cores com listras miudinhas em urna BftAMAKTKS PARA LENCOES.
    s cor a ii?200 e 1000 o covado. Ditas, O Pavo vende superior bramante deal-
    pretas com listras de seda roas a WOrs, Dir godo, tendo 10 palmos de largura, queso
    tas pretas com listras brancas, azues e ver- precisa de 1 1/4 vara para um lcncol
    des a 640 rs. o evado.y Assim como boni- I316OO o metro ou 1J5800 a vara.
    tas barejes de seda parfe vestidos com as Dito de linho fino superior e muito en-
    mais lindas cores a 40#0. E' pechincha, corpado, com a mesma largura a 29400
    na loja do Pavo. i tuna..
    POUPELINASAl#600E2JM)0OOCOVADO.i Ditos francezes muito finos a 2^500
    Cassas avariadas a 40
    o covado.
    rs.
    O Pavo feceheu um eltgiute sortimento
    das mais liadas poupelaas do seda com os
    mais lindos desenhos e mais bonitas cores,
    que vende a 13600 e 20.
    SEDAS DE CORES-A 300 RS.
    O Pavo recebeu um bonito sortimento
    das mais lindas sedinhas de urna s cor com
    delicados dosenho miudiubos, que vende a
    25500 o c ,vadoi Ditas com listrinhas, mui-
    te boa fazenda a 2W>00. E' pechincha, na
    na loja do Pavo.
    CAMBRA1S ABERTAS A 9j? E 10J5000
    0 Pavo recebeu um elegante sortimento
    das mais finas cambraias branoas aliertas,
    bordadas para vestido, que vende pelo barato
    prego de 99 e OJOOO o corte, tendo fazenda
    bastante paca vestid-). E! pechincha, na loja
    do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
    I. AZI MAS HDlt KA HAS A 400 RS.
    O COVADO.
    O Pavo recebeu. um elcganlc sortimento
    das mais lindas laiinlias transparentes com
    florinhas, bordadas, tendo de todas as cores
    inclusivel rocha propria para viuva, e ven-
    de pelo baratissimo prego de 400 rs. o co-
    vado. E' pechincha, ua loja do Pavo ra
    da Imperatriz n. 60.
    LAS MODERNAS.
    0 Pavo vende um bonito sortimento de
    lzinhas listradas sendo das mais modernas
    que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo
    prego de 560 e 600 o rs. o covado. E' pe-
    chincha, na loja do Pavo ra da Impe-
    ratriz n. 60.
    ALPACAS LAVRADAS A 640RS. O COVADO.
    Chegou para a loja do Pavo um elegante
    sortimento das mais lindas alpacas lavradas
    de cores sendo as coros mais modernas que
    tem vindo para vestidos, e vende-se pelo ba-
    ratissimo prego de 640 rs. o covado. E'
    pechincha, na loja do Pavo.
    CASSAS EUANCEZAS A 600 E 640 RS. O
    METRO.
    O Pavo recebeu um magnifico sortimen-
    to das mais lindas cassas fran-ezas, de cor,
    cornos mais bonitos desenh s midos e
    grados, tendo padres escuros e outros que
    serven) para luto, o vende a 600 o 640 rs.
    o metro ou 360 e 400 rs. o covado.
    LZINHAS MODERNAS COM LISTRA DE
    SEDA A 640 rs. e 1^200.
    0 Pavo recebeu um elegante sorlimento
    de las com listras de seda assetinada, sendo
    as mais modernas que tem vindo ao merca-
    do e com as mais delicadas cores, e vende
    pelos baratos pregos de 640 rs e 1JJ200.
    Assim como outras muito bonitas com listras
    sem ser de seda, que vende a 500, 640 e 800
    rs., todas estas las sao modernsimas. E'
    pechincha, na loja do Pavo.
    i hitas a 'i lO. 80,330c360 rs.
    O Pavo recebeu um grande sortimento de
    chitas de cores fixas, que venle pelos bara-
    tos preges de 240 e 280 rs. o covado. Ditas
    escuras fazenda muito superior, com novos
    padres a 320 e 360 rs. o covado.
    Ditas muito finas padres claros em teci-
    dos de percales, com barra de cor ao lado e
    sem ella a 360 e 400 rs.
    Ditas pretas com tecido de cretoue, fazen-
    da muito superior a 30 e 400 rs. o co-
    vaJo.
    Ditas de cores, miudinhas, proprias para
    roupa de criangas a 360 rs. o covado. E'
    pechincha, na loja do Pavo.
    Baptfota a 300 rs. o cavado.
    O Pavo recebeu um elegante sortimento
    das mais mederjws baptistas de cores com
    padres miudinhos o grados sendo proprios
    para vestidos e roupa de manga, pelo bara-
    tissimo prego de 600 rs. o coTado, affiangan-
    do ser grande peclncba I
    Cortea le canabraia. nltinia na-
    vitluile. a 3c4MM>.
    0 Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
    Europa, cortes de cambraia branca com ba-
    badinhos ricamente bordados, tendo fazenda
    sufficiente para vestido de qualquer modelo,
    estes vestidos sao os mais modernos que tem
    vindo ao mercado, e pela sua excessiva ba-
    rateza tornarn-se recommeadaveis-s. senho-
    ras de bom gosto.
    Ditos, com bajeados de cor,, tendo 20 rae-
    tros de babad s a 95POOO. E' grande pe-
    diiDcha, no Bazar do Pavo triada^ Impe-
    ratriz n. 60. ,
    35OOO.
    Pegas de Hamburgo e panno de linho, ten-
    do c ita 20 e 30 varas para todos os pregos
    e qualidades.
    Ditas de bretanha de puro linlm, tendo 30
    jardas, pelos pregos mais baratos que se tem
    visto.
    Pechinchas do finissimo esgui-j ou silzia
    com 6 jardas a 7?9Q00.
    Pegas do tiimsima silezia com 30 jardas
    a 3555000.
    Atoalhado adamascado com 8 palmos de
    largura a 29000 a vara.
    Calcas de casemira.
    O Pavo tem um grande sortimento de
    caigas de casomira, assim como cortes os
    mais modernos que tem vindo nos ltimos
    ligurinos c em fazeuda, dos mais finos
    mais novos que tem vindo ao mercado, e
    vende-se por barato preco para apurar di-
    nheiro, assim como caigas do brim branco e
    de cores, por pregos muito razoavois.
    LENCOS ABA1NHADOS A 1800 E 2$000.
    0 "ravo vendo duzias de lengos brancos
    abaiubados, sendo fazenda muito boa, pelo
    barato preeo de 2?000 a duzia.
    Ditos tambem abainhados, com beira de
    cor a 15800.
    Dit^s grandes, fazenda muito fina, sendo
    todos brancos a 3J5000,
    Dito de cambraia branca, sendo em pega
    a 35600
    MEIAS CRL'AS A 45 E 55000 A DUZIA.
    O Pavo vendo duzias de meias cruas, in-
    glezas pelo barato prego de 45000 e 55000.
    Assim como ditas muito finas e muito en-
    corpadosa 65000, 75000,85000 e 105000,
    e um grande sortimento de meias inglezas e
    francezas, para senhoras, que se vende por
    prego muito commodo.
    MADAPOLAO E1UNCEZ a 65000 E 7?000.
    O Pavo vende pegas do madapolo fran-
    cez, que sempre se vendeu por muito mais
    dinbeiro e liquida-so pelo baratissimo prego
    65000 e 75O00, por ter feito urna grandt
    compra. E'pechincha.
    iilgodAozinho a -i?000.
    O Pavo vende pegas de algodozinbo,
    muito boa fazenda, pelo barato prego de
    45 e 55000.
    O Pavo vende finissimas cassas francezas &
    cires com os mais delicados padres, por taren
    um pequeo loque de avaria de agu dce, pelt
    barato prero do dore vintens o cavada U peobiu-.r
    cha : na loja do Pavo, ru da Imperatriz d.
    Ja chegaram os maravilhoso foste artfll;
    ciaes da China, para seren soks,eos< }o( jai*
    djns: raixinh.is rom variado sortimento e a pre-
    ces deste l at 50* cada cat*a : no armazem
    ft, t dcaes da alfandega.
    CORTES DE CAMBRAIA BORDADOS.
    0 Pavo recebeu os mais ricos cortes de
    cambraia branca bordados para vestido, que
    vende pelo barato prego de 205 e 305000.
    CORTES Df> CAMBRAIA BRANCA.
    0 Pavo recebeu um lindo corte de cam-
    hraia brju)ca com listras assetinadass que
    ypnde pelp bai ato pre^o de 65000^
    Ditos com listras de cores, tendo 8 varas i)
    6 55000. E' pechincha.
    ESPARTFLH08.
    O. ravo recebeu um grande sortimento
    deespartilbQS, tapto parft^enhiora como para
    menina, que veade,.pote bajado, pre,jo d>
    38M00.
    Dito* swito 8n> rtftie IA04u> Seo dos
    mais modernos, qi Wm vindio- ao tneru
    ^do.
    Dito largo muito encorpado, proprio para
    toalhas e lenges a 65000 e 75000.
    CAMBRAIAS.
    O Pavo vende cortes de cambraia trans-
    parente propria para vestidos a 2~500
    3-000.
    Pegas de dita muito fina, com 10 jarda,
    tapada corno transparente a 45, 55 c 65000s
    at a mais fina quo vem ao mercado.
    PANNOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
    O Pavo tem um grande sortimento do
    pannos de crochet proprios para cadeira de
    balango, para ditas de guarnigo e para so
    f, que se venden) muito em conta.
    COLXAS DE CROCHET AOJE 85000.
    0 Pavo vende colxas de crochet proprias
    para cama de casal, pelo baratissimo prego
    de 65 e 85000.
    Ditas de fustifl anchoadas, sendo de co-
    res e brancas, pelo barato prego de 46000.
    E grande sortimento de ditas de damasco,
    cretone e de chita, que vende por pregos
    mu i lo razoavew.
    CORTES DE PEKf.ALI.ES COM DUAS SATAS
    a 45000.
    O Pavo vende bonitos cortes de porcalles
    com duas saias, sendo fazenda de muito gos-
    to a 45000. 1" pechincha na loja do Pa-
    vo ra da Imperatriz n. 60.
    BOTINAS l'AUA SLNllORA, A o-^OOO.
    Na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
    Pereira da Silva & Guimares receberam
    pelo ultimo vapor de Europa um elegante
    sortimento de botinas pretas e com delicados
    enfeit"s de cor, proprias para senhora, garan-
    tindu-se serem das mais modernas que ha
    no mercado, assim como a boa quaidadc,
    por terem sido remettidas por um dosrnr
    boros fabricantes de Paris, e vende-se peto
    barato prego de 65, na loja do Pavo.
    SAIAS BORDADAS A 55, 6( e 85000.
    O Pavo vende saias ricamente bordadas
    de 4 pannos cada urna, pelos baratissimos
    pregos de 55, 65e85000.
    Ditas de um panuo s e com muita rodas
    guarnecida de pregas, pelos baratos prego,
    de 25OOOe25500.
    Ditas com guarnigo de pregas e borda-
    dos a 35500.
    ll^odo enfiestado a I--OOO a
    vera.
    0 Pavo vende algodo americano entes-
    tado e muito encorpado, proprio para toa-
    lla e lengcs, pelo barato prego de 15000 a
    vara.
    DH) francez sendo trangado e muito en-
    corpado, pelo baratissimo prego de 15280 o
    metro,.
    Caseualras a 50 JcOOO.
    O'-Pavo vende cortes de casomira france-
    za, sando. fazenda rauitp, superior que sem-
    pre se ywdew por mais dioWo, e liqui-
    .dan- W0W""> forte.
    Ditos a 0WM.
    uutr te*.'.
    IA8T0I
    56 aRa do Mrquez de Olinda 56 a
    (outr'ora ra a (adela)
    LOJA DE MACHIMAS
    re
    cth ler
    ii-
    da.
    Sendo este antigo estabeleeimento assaz conhecido como principal e
    dado pelos grandes depsitos e bons sortimentos com quo sempre prima
    melhores, mais acreditadas e verdadeiras machina* aanerleaaas aura i
    do. desde 10 60 serras, e havendo em todos os tamaitos diversidades de ave-
    rnas e melhorameutes para perfeito e rpido descarocamenlo ; turnam-se dignas rir
    serem vistas o apreciadas pelos Srs. agricultores; os quacs, alm disto, enrontrw*-
    tambem mais :
    Apurados vapores locomoveis, do forga
    de 2'/j e 3'/j cavallos com todos pertengas
    precisos para trabalharem 4 machinas para
    algodo, ou para outro qualquer mister.
    Machinas para lavar roupa.
    Arados americanos para varzea c ladei-
    ra.
    Carros de mo para atierros.
    Tinas de madeiras.
    Baldes de dita.
    Ditos de ferro estanhado.
    Ditos com vlvula para lavatorios.
    Ditos de madeira para compras.
    Apparelhos para jardins.
    Guards-comidas.
    Tampas para cobrir pratos.
    Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
    Dita dita ditos de madeiras.
    Turnos de bandeijas finas.
    Correles para arrastar madeira.
    Cylindros americanos para nariarias.
    Pertengas avulsos para machinas.
    Salitre refinado.
    Breu superior.
    Moinhos do diversos fabricantes par mi-
    llio e caf.
    Debulhadores para milbo.
    Azaile de spermacete para machiip-.
    Camas de ferro.
    Bombas de Japj.
    Ditas americanas.
    Cofres de ferro patente.
    ('.anuos de ferro esmaltados.
    Ditos de dito estanhado.
    Ditos de chumbo.
    Ditos de borracha.
    Folies para ferreiros.
    Trens para cozinha.
    Emfim muitos outros artigos, que s avista e neste estabeleeimento pode: 5
    examinados.
    Pede obter em ponco tempo com o oso do mlbor dos licorei tjfad>
    HESPERIDINA
    Faz'oito annos que conhecido este precioso tnico, e difficil aobar orna p^aao*
    que, tendo experimentado pessoalmeote, nao falle em sea favor, j como bom ettomac*
    a apetisador, tomando om cliz della antts de jaotar, oo como aci'iudor da difeatl*
    tomsndo-se depois.
    d HESPERIDINA a LARANJA AMARGA, Dio ba um s habitante t. BRASIL (a larr.
    especial das iaranjai) qoe cao cobega as propriedades medicinaes di donrada fncta.
    ora bem, a
    em seo estado natnrai tem om gosto pooco agradavel, e o meriio da Hejperid.ai o-
    siete em reter sua toas propriedades, aao mesmo lempo prcsent-Ja corr.
    EXaOIfflTO LICOR
    A HESPERIDINA COMO'INDUSTRIA NACIONAL nli tem nadi pi nv?, .
    oaelboresimportaQes europeas de catbeforia semelhante. Estas, qn?ndn mttito, .. <
    ser costosas, porm a He?ppridina a combinao perfeita do
    mmm i saodavel
    Para prova de qne nm arfgo do qna' pdele ter inieira conSaoca 9-" **
    3 innocente, bagia dizer-se que iui piena^Bnle ap n vad i utou: j.la peu
    JOT 0 INGIERE
    do Rio de Janeiro, penmttimlo sna livre elaborago no impeli ; MM
    KOI PI).M>^t
    a acceitago geral que tea em t< .as partes onde apresentada. Em I8G4 ei *
    lecen se a primeira fabrica em Buenos-Ayres ; em I86P a egordi c-m Moctevid i
    do dia da cnegada de S. M. 0 LUPERADtt inaogurou-se a fabrica qce iC.oalBac
    tnbrlha na corte. Em Va'paraizo e era toda a esta do Parfio; tem boa s:,?:.:',i
    taato qae rara a caa qce considera completo sen aparador sem urna garrafa d
    mniNUA
    O hornera velho toma Hesperidina para obter
    VIGOR
    O bomom doente toma Hesperidioa para obter
    SAUDE
    0 homem dbil toma Hesperidina para obter
    Ncs bailas as donzellas e os mogos tomam a Hesperidioa pir4 ritarlH
    animagSo dorante os loucos gyros da
    BARROS JNIOR de C, roa do Yigario Tenorio d. 7, Io aodar. raoete::m ut
    grande especifico, e veDtm-no nos depsitos seguicte9:
    Joaquim Ferreira Lobo, roa da Imperatriz.
    Zeferino CarDeru, raa do Comraercio.
    Marcelino Jos GoQgalves da Fume, ra da Cadeii o. 1.
    Antonio Gomes Pires & C, roa da Cadeia.
    Antonio Gomes Pires & C, caes 22 de Naveabro.
    Gomes d Irmo hotel d Passagem.
    C1fL\TBlF4JGO
    Acaba de ser euperiraaniado no engenho Fragozo o appare'uo para aprom:
    sucar pelo sytema Centrifugo.
    0 PROCESSO
    E' moito simples.
    Tirase a meladura das tasas de coser, botea-se dentro de qoalqcar vjajtbl [.ui
    ;oalhar.
    Logo que esteja coalbado passa-se para o apparelho em partidas de 3 1/2 arrbaa
    le cada vez.
    Seodi assim cbtio e posto em movimeato, dentro da 3 moutos atar o awccar
    prempti) e em estado de ser logo remettido para aer vendido.
    0 resultado
    Foi fazer-se de 4 i/i paes de assocar 2t arrobas de somenas I .* wrta. O
    ixtrabido pelo apparelho tendo sido em nada prejudicalo pelo processo qae sofre, n
    aindo mel d'eogaobo e n me! de furo, prestoo-se a ter ovwentc coale, lana oc
    ipparelbo assocar de qiialidade e pooco inferi' ao do 1.* processo, dandi a'em Jba.
    mesmo Das formas lo bom resoltado como sa fosse passado lugo das tuaa par ac an-
    sas, aproveitando-se assim mais metade do rpel do que con o aotigo nsteaa.
    Sendo tao evidente as vantagens produzidas por semelbante apparelto. fat fa-
    jera ser verificado pelos proprios seohores d'engeaho, esperam os proprit>r:o? rije i
    jpparelho, depois do risco qne errrerma coa seatdoaale,exfriwcii. meecre .
    eccJo dos lostradoB seoborea d'eogeoho.


    Diario de Peruambuco Quinta feira 5 de Jimlio de 1873.
    MIDEZAS.
    Soares Leite & IrtASos, pcdem as Exmas familias desta cidado, para viiem sortir-se
    de um completo sortimento de mludezas e perfumarias, por presos baratissimos, a
    Caixa de pennas Perry, a 800 rs.
    dem dem, a 400 rs.
    Caixa de envelopes trajados de preto, a
    500 rs.
    Leques para senhoras, a 2#000 e 45JOOO
    dem dem de osso, a C$000 e 8?000.
    Indispensaveis de couro da Russia, a
    tOflOOO.
    Livros para notas, a 320.
    Redes finfeitadas, a 1??300.
    Duzia de collarinhos borlados para ho-
    mem, a8N)00.
    dem idem lisos, a 65OOO.
    PERFUMARAS.
    Garrafa de agua florida verdadeira a 1J5300
    dem kananga do JapSo, a 1#200.
    dem divina, a UOOO el5*200.
    dem idem Magdalena (novidade) a 1JS500.
    Frasco com tnico oriental a 19000.
    dem de oleo Oriza verdadeiro, a 155000.
    dem idem antique muito b >m, a 400 rs.
    Opiata muto boa, a ij>, 15*500 e 25JOOO
    o frasco.
    Caixa de pos para dentes, a 200 rs.
    dem idem de pos chinez, muito bom, a
    500 rs. e 1JJ000.
    Mago do sabonctes inglezes muito supe-
    riores, a 600 rs.
    Duzia de sabonctes de amendoa, a 25500
    c 395600.
    dem de sabonctes de anjinho transparen-
    taba de linha branca muito boa com 40
    uovellos, a 500 rs.
    dem idem de marca, a 200 rs.
    Mago de Ota cbineza, a 900 rs.
    Duzia de pegas de cordo imperial, a
    *80rs.
    . dem em cawtel de linha branca, a 320
    'S.
    dem idem carritel 200 jardas, a 1JW00.
    Laraparinas gaz, dando urna luz muito
    ooa, a 19000.
    Abotoaduras para collete.so baratas), a
    200 rs.
    Duzia de pegas de trangas caracol branca,
    i i00 rs.
    dem idem lisas, a 200 rs.
    Fita de velludo de todas as cores e largu-
    ras.
    dem idem de sarja idem dem.
    Tallieres cabede viado (imitagao) a 35000
    duzia.
    Duzia de baralhos francezes canto doura-
    io, a 35600.
    idem idembeira lisa, a 25500.
    Grinaldas para casamento, a 25 e 55000.
    Garrafa de tinta roxa extra-fina, a 15000.
    Cmu de botes de osso para caiga, a
    200 rs.
    Coques modernos, a 35500.
    Mago de tranga lisa de cores, a 240 rs.
    Espelhos-toucadores, a 25000.
    Resma de papel pautado e liso, a 25600, tes, a 25200.
    5800, 35500, 45000 e 65000. dem de sabonetes com flores, a 15500.
    Caixa de papel amsade, a 600 rs. Lindas e elegantes caixinhas com perfu-
    Idem dem idem beiradourada, a 800 rs. mes do autor E. Cudray e Gell Frres, pro-
    Caixa de envelopes forrados, a 700 rs. prias para presentes.
    Luvas de pellica com pequeo toque, a Sabonetes Glycerino transparentes, 15
    500 rs. e 15000. I Chapeos para senhoras e meninas.
    BOLLAS DE BORRACHA
    Grande sortimento de bollas de borracha e calungas por baratssimo prego, e nim-
    ios objectos que so tornara longo mencionar.
    28 lina do liaran da Victoria 28
    COSTURA DE HOWE
    SOARES LEITE, IRMA0S
    NICOS MENTES
    A'
    Ra do Harto da Victoria n. 28
    As mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
    foi concedido a
    a condecora-
    Na exposigo de Taris, em 1867,
    Elias Howe Jnior, a medalha de ouro e
    gao da Legio de Honra, por serem as machinas mais per.
    taitas do mando.
    A medalha de ouro, conferida a E. Howe Junier, nos
    Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
    tura.
    A medalha de ouro na exposigo de Londres acreditan)
    estas machinas.
    *
    \~
    '^z^d LSj
    m
    LIQUIDACAO PARA ACAlAK
    DE
    ROUPAS FEITAS E FAZENDAS
    i1
    DO
    Bar
    ao
    da Victoria
    IANTIGA RA NOVA.
    II.
    i
    Vasos de crystalpara toillet. fftllft <\i\ I |\||f|W
    Aloja da Aguia Banca, a ra do Duque de iiV" l.l" Ll.llfml
    A 908000
    FUNDICAO DO BOWMAN
    RA DO BRUffl N. 52
    (Passando o chafariz)
    PEDEM AOS senhores de engenho e ontros agricultores, e ern pregado res de m
    cbioismo o favor de orna visita a seu estabelecimento, para verem o novo foriimento
    omoleti que abiten); sendo ludo superior em qualidade e (oriido; o qie com a ins
    oeccio pessial pode-se verificar.
    ESPECIAL ATTENgOAO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDIQAO
    Vannrp a rnr!Q rl'ao'nn dos mais moJerQOS ^ternas eem ta
    apuro O lUUdS Udgua maobos convenientes para as diversas
    ircumstancias dos enhores proprietarios e para descarocar algodln. -g
    IWOftTldftfl (6 CtLiina, (Je,odos os lam3nhs> ISfB^om que aqni
    existem.
    para animaes, agoa e vapor.
    Rodas dentadas
    Taixas de ferro fundido, batido*e de cobre.
    Alambiques a fundos de alambiques.
    JSachinismos
    Bombas
    para mandioca e algodo,]
    e para ferrar matleira.
    PodendoJ todos
    ser movidos a m5o
    por agua, vapor,
    de patente, garantidas........ |ou anituaes.
    Todas as machinas e pec"de q"e 8e mmmprecisar-
    de raachiismo, a prer,o moi resumido.
    Faz qualquer concert
    Formas de ferro
    Encommendas.
    tem as melhores e mais baratas existentes no mer-
    cado.
    Incumbe-se de mandar vir qnalqoer machinismo von-
    tade dos clientes, lembrando-lhesa vantagem de fazerem
    mas compras por intermedio de pessoa entendida, e qoe em qualquer necessidade pode
    h* prestar auxilio.
    Arados americanos e iDStrnnienl08 3ricola8-
    RA DO BRUM N. 52
    No arazein de Joaqun) Lopes Machado AC.
    Travessa do Corpo
    Santo N. 25.
    Vapores locomoveis de forea de 2 a 4 cavallos.
    Correias para machinas.
    Polias de diversos tamanhos.
    baquetas para cobertos de carros.
    Solas de lustro para guarda lama.
    tontas de langa para carro.
    Chicotes para carro.
    Gales largo e estreito para carro.
    Hugos com cabeca de marfim, idem.
    Aderecos de bri-
    lhantes, esmeraldas ]
    rubins e perolas,
    voltas de perolas.
    Obras de ouroe
    prata de todas as
    qualidades.
    Cabe-nos o dever de annunciar que a cmpanhia das machinas de Howe de Nova-
    York, estubeloceu nesta cidade ra do Baro da Victoria n. 28, um deposito o agencia
    geral, para em l'ernambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
    tura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicao de seu trabalho,
    empregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de linha que qualquer outra,
    e pela introdueco dos mais aperfei^o.idos apparelhos, estamos actualmente habilitados a
    ollerecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
    As vantagens destas machinas sao as seguintes:
    Primeira.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
    circuinstancia de nunca terem npparecido no mercado machinas d Howe em segun-
    da mo.
    Segunda.Contem o material preciso para reparar qualquer desarranjo.
    Terceira.Ha ncllas menor tafia ontre as diversas pegas, e menos rpido estrago
    do quo as outras.
    Quarta.Formam o ponto como se fra fcito mo.
    Quinta.Pennitte que se examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegu
    as outras.
    Sexta.Faxes) ponto miudo em oasemira, atravessando o fio de um outro lado,
    e logo em seguida, sein modilicar-se a tenso d* linha, coaem a fazenda mais
    fina.
    Stima.O compressor levantado com a maior facilidade, quando so tem de mudar
    de agulha ao comecar nova costura.
    Oitaya. Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza e
    decadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
    mudanzas radicaes parapoderem substituir : entretanto a compnnbia rfas ma-ehinas de Howe
    adoptando a opiniao de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
    augmentado o seu fabrico, e boje nao altende a procura, posto que faca #00 machinas
    por dia.
    Cada machina acompanha livretos com instruidos em portuguez.
    Os leques lodos de tu:tli r.l.i
    euros e i|iie tra/.'-m o di-liciil'M.Mi ,
    tamlmm d>; niailr.(ni l.i ciii ;!(< n i a
    naiulit s<* pnr i*l" apt '|>ri:i VA ESPERANCA i roa Imfmn Cju
    (antiga di O.iciinadii i|iicim ... i \
    Sao Os brinri.s, l>n lies, incida .-nIcKCrt. ej>u-
    coracm-s e rass.lclas, ipic -',* k-*
    estofia !:- Rxmas. (amantas d k-n*
    na N'.va Emeranea, na l'r rt
    n. 6.t.
    OS 11/''uios
    Caxias n. 50, r ceben bonitas garrafinhas de crys-
    tal em par eom ramagens duuradas e mu pro-
    prias para arranjos de toilet, etc,
    Aunis e colares elctricos
    A loja d'aguia branca ra Duque de Caxias
    n. 50, reet-beu nova remossa dos proveitosos au-
    nis e colares elctricos, e continua a recebe-lo.-.
    mensalmente, pulo que semprc estar provida de
    taes objectos
    Diademas dourados
    A loja d'aguia branca ru.i Duque de 'nxias n.
    50, recebeu novamente boDiioa diadcnias dourados
    e enfeitados com pedras e aljofares, obras de gus-
    to e plianlasia. TainLeni receben uovos granmos
    pretos ou allinetes com lloros para a cabeca. a *** h'er;.nca i ru n ,
    Leques com bouquets e ou- ecas de mmas qi^ii,b..i... x..-i
    +.^a nlii'nn./oa engraca.las lluecas de lir.,li. .
    11 Ub lyIlIUCZ.t;b. una pequea <|iiantid.id de !
    Aloja d'aguia branca na Duque de Caxias ornan a|ireriiM p la hu
    n. 50, recebeu urna pequea quawtada daquelles
    bonitos leques com bouquets e outros chneles.
    Cold creme para refrescar e
    amaciar a pelle
    A loja d'aguia branca a na Duque de Caxias
    n. 50, recebeu cold creme dos afamados fabrican-
    tes Lubin, Legram e Condray.
    Diademas e grampos de
    aqo.
    A loja da aguia branca, ra do Duque de
    Caxias n. 50, recebeu novamente
    mas e gra i pos de ac.

    Ebt'M "f/
    A Jf*%.
    63, ecebeu venlailcim cimeniM ii
    t;aopa#a c acertar porclaua h :ilif
    Vestido MU'dlo
    Mnitu vem nm eetMe tm*-*r im
    feio, sonienie |i.r e>ur nial eni.iii I v
    pcran;a ra I oque de CufcM l
    este mal ; porque est Icm pruviiLi
    galocs e franja de tudas a i
    coiher-se vontade snl.re-abmd-i 11
    modernas franjas m .i -,.~. i|ii' ,. m>
    bonitos diade- de de cures, liea liem em qiu-i I...1.
    A ella antes que -e a< >.. :u.
    Bokxsdeburv(/ui
    Yendem-se t I im lamanl"' i ral
    de axias n 83, na Heve bscraac
    A loja da aguia b.anca, jua^do^ue de Cak'UoS bOHCOS st< ...- y
    Bicos de seda pretos com
    flores de cores.
    A 905)000 A
    SOARES LEITE, IRMOS
    V
    do Barao da Victoria n. 28.
    BAZAR DA RA DIREITA
    HOJE
    N. U.
    Este estabelecimento seinpro solicito em ollerecer a concurrencia do respuitavel pu-
    blico um completo sortimento de miudezas, calgado francez, chapeos e quinquilbarias a
    precos os mais razoaveis possiveis, para p que recebe quasi todos os seus artigos de pro-
    pria encornmenda da Europa e Ainencaj vem dar publicidade doalguns artigos por cuios
    presos bem se pode avahar os precos de outros amitos
    blicar.
    MIUDEZAS.
    que se tornara enladonho pu-
    I .MIUDEZAS.
    La para bordar, da melhor qualidade, 1 Brincos dito de dito per IfSMh
    libra por 5?oOO. Botes de setim pretos e decoros, a 800
    Agulhas francezas, fundo dourado, a cai- rs. c 1^000 a duzia.
    xinha com 4 papis a 00 rs., 2i0 rs. I Franjas brancas de seda de todas as lar-
    Voltas de fita de velludo com lindos co- guras, a 1-5000 e 1i00 o metro.
    SAPIIBA
    NOVA LOJA DE OAS
    N.
    2 ARa do CabugN. 2 A
    DE
    IM Hit0*4 FULHO
    Achando-se completamente reformado este estabelecimento, e
    tendo os seus proprietarios feito urna importante acquisico de
    joias as mais modernas vindas ao mercado, e de qualidades superio-
    res, conridam ao respeitavel publico a faier urna visita ao seu es-
    tabelecimento, afim de apreciar e comprar urna joia de gosto por
    prego razoave.
    racoes lingindo madreperola, a 500 rs.
    Voltas para o pesclo, lingindo camafeu,
    acompanhadas com 1 par de brincos seme-
    Ihante, tudo por 2$50O.
    Linha branca de 200jarJas em carriteis,
    propria para costura de machina, a 800 rs.
    a duzia.
    Dito de dita de Alexandre, numerado a
    gosto do freguez, a i #100 a duzia.
    Diademas dourados de 15500 a 35000.
    Ditos de tartaruga com llores a 25000.
    Ditos com borboletas a 15500.
    Brincos encarnados 1 par por 500 rs.
    Ditos de plaqut de 500 rs. a 25000.
    Ditos dourados, duzia de pares, a 15500
    e 25000.
    Voltas de aljofares com brincos, a 25500.
    Ditas de ditos com coracoes a 15O00.
    Ditas de ditos de contas com cassoletas, a
    800 rs.
    Rosetas de plaqut a 15 e 15500 o par.
    Gravatas de seda para senhoras de 15200
    a 25000.
    Parures com 2 lagos para cabeca e peito
    a 35 e15000.
    Entremeios e babadinhos bordados de 360
    rs. a 25400 a peca.
    Gales de seda brancos e de cores, de
    15500 a 25500 a pega.
    Ditos de algodao e seda, do 15 a 1540O
    a pega.
    Ditos de algodSo, a 100 e 500 rs. a pega.
    Trancinhas de cores, a 100 e 500 rs. a
    pega.
    Leques de marfim a 85 e 85000.
    Ditos de sndalo a 45500.
    Ditos de madeira imitando, a 25000.
    Ditos de papellesa 1580O.
    Coques para senbora, a 35, 35500 e 45.
    Aderegos fingindo coral, conpondo-se de
    alfinete e brincos por 25000.
    Dito dito pretos por 25500.
    Ditos de plaqut, corrrpondo-se de alfinete
    i e brinco, sendo de muito gosto, por 55000. : 65000.
    Ditas de cores e pretas &800 rs. e 15000 o
    metro.
    Gales pretos de seda, de muito gosto de
    800 rs. a 15000 o metro.
    CALCADO FRANCEZ.
    Botinas pretas gaspeadas, para senhora, a
    45580 o par.
    Ditas ditas de duraque, gaspeadas, canno
    alto, a 55000.
    Ditas pretas enfitadas, ultima moda, a
    65000.
    Ditas dita de cores, canno alto, enfeitadas,
    a55500,
    Ditas para meninos, pretas e de cOres, a
    35 e 45000.
    Completo sortimento de calgado de case-
    mira, Charlt, tapete e tranga, mais barato
    10 % Jo que eftl outra qualquer parte.
    CHAPEOS.
    Ricos cbajios de palha d'Italia, para se-
    nhora, a 115000.
    Ditos ditos palha escura, da ultima moda,
    a 165000.
    Completo sortimento de cbapeosinhos para
    meninas e senhoras, de 25800 a 55000.
    Chapeos de sol de seda, inglezes, cabo de
    marfim a 165000.
    Ditos dito tte -merino, cabo de metal mui-
    to bonito a 55500.
    Ditos dito de seda para senbora, cabo de
    madeira, a -65000.
    Ditas dko cabo de marfim a 95000.
    DIVERSOS ARTFGOS.
    Granadme para vestidos, fazenda da ulti-
    ma moda, com listras de seda, a 650 o co-
    rado.
    Pannos de crochet para cadeiras, a 15800
    e 25000 cada um.
    Ditos para sof, a 35 e 45000.
    Toalbasde Imho para rosto, a 15300 cada
    urna.
    Ditas de algodao atcoxeados, a 646 rs.
    Colxas de crochet para cama de casal, a
    qner
    A Nuva Esperapea i m l'n "i"

    Caxias recebeu, cumo novidade
    seda pretos com flores de cores, sobresahindo nel-
    les o preto com encamado, e todos mui proprios
    para barras e outros enfeites de vestidos de gra- A Nova Bfpefavra i m t'n |oe
    nadine, ou medina, e outras fazendas transparen- 63, ara! a de rerebr ;. wadrirs m i i
    les. Pela commodidade dos precos es>es bicos tor- nnus para tintn m cabale. m*
    nam-se mai comraodo,s e pela novidade de gosto, (empiveaiido-ai9m% umita MMWv.apH
    preferiveisa quaesquer outros enfeites. motivo, cabdUs braa-.-s tan <><
    Veos ou mantinhas pretas. | Entilo no wmm
    A loja da aguia branca, ra do Duque de Ca- Os entorile* le r uro, pmprii ; i
    xias n. 50, recebeu bonitos veos ou uiantinha* QM receben a Nova EsfcrMiea a ra
    pretas de seda com flores, e outras a imitacao do Caxias n 0. eiao, -ini. Kabwa, ai. *>*. '
    croch, e vende-as pelos baratos presos de 3, 8 ejfHb ler nu mbmm mu rawalti
    e G000. A fazenda boa e esl em per'eito cheirtKns rraTtw Imatm Mar > > .\-:.-
    estado, pelo que contina a ter prompta exlrac- par.' aulro lim pruf>fia4... < i. .
    gao
    Perfeita novidade.
    > i
    Nova >peranc:i i i p
    que alii en 'finareis o h
    que M jJ-- il- aejar.
    Takigarco
    A NO\A KSIVItAV -, ni.. I":
    n. 6.'t. v-ini.- UfasfBfHab l.l'i I .s
    mtraraa
    Juaquan F. ta Santo) i ir.l ia
    rende en ttn rMri|4oriu i -r -v
    Olinda n. '! I n dar :
    Caf do Me
    Cha (i em latas I lina
    Fumo a em Intaa
    Farinba le maiidi; ca
    Viiiho de Thoinar. tm utbnw
    Massa batidt.
    Vcnde-se uia.sa I ..i da m\
    __ Vende-seo engenho Mimjuilo, situado a meia
    Merm DretO a 800 rS O i.* "*?'*'" dopwio de embarque dacida-
    * v""v"Vi"' v w- de do Rio Formoso, com proporefles para grandes
    vado.
    Merino preto a 880 re. o covado, proprio para
    vestido serve para luto, por sersem lustro, na loja
    das 6 portas em frente do Livramento.
    Entremeios, taras e bicos a
    500 rs. a peca.
    Vende-se entremeios, tiras e bicos bordados a
    retroi, preprios para en/eitar vestidos e roupl-
    nhas de crianza, pelo baratinroio preeo de SOb ti.
    a peca na loja das 6 portas em frente do Livra-
    mento, do-se pecas a mostra com penhor.
    proporjfles para
    safras, e ainda eom terna dtepoB?*!1* d im-
    mensa fertiMade para levantar-so um novo enge-
    nlio, muito abundante de mattas, e o melhor pos-
    sivel de moagem d* agua ; trata-se nesta cidade
    do Recife, A ra do Brum n. 84, 3* andar.
    Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
    nbotos dourados e coloridos.
    A loja da aguia branca, ra do Duque de
    Caxias n. 30, recebeu novos grampos com bor-
    boletas, bezouros e gafanhotos, o que de certo
    perfeita novid de. A quanhdade pepnena, e
    por isso em breve se acabar.
    Novas gollinhas ornadas com
    pelucia ou arminlio
    A loja d'aguia branca ra Duque de Caxias
    - 50, recebeu urna |iequena quantidade de boni-
    s e novas gollinhas, trabalho de Id e seda, en-
    neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
    e inteiramente novas.
    Grampos, brincos e rozetas'a0^ar
    dourados.
    A loja da aguia branca, ra do Duque de
    Caxias n. 50, recebeu novamente bouilos gram-
    pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
    novos diademas de apo, e como sempre conti-
    na a vende-los por preeps razoaveis.
    Caixinhas com pos dourados
    e prateados, para cabellos.
    Vndese na loja da Aguia Branca ra do Dn-
    que de la xias n. 50.
    Luvas de pellica pretas e de
    outras cores.
    A loja da Aguia Branca, ra Duque de Ca-
    xias n. 50, recebeu novo sortimento de luvas de
    pellica, pretas e de outras eores.__________
    Joaquim Jos Gonc,alves
    Beltro & Filhos
    Teem para vender no sen escriptono ra do
    Commercio n. 5, o seguinte :
    AGUABDENTE de caj : caixa de 12 garrafas.
    de larana, idem idem,
    ARCOS de pao para barril.
    CAL de Lisboa, recentemente chegada.
    CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
    de marfim e osso.
    FEIXES de ferro, para porta.
    FIO de algodao da Bahia, da fabrica do commen-'
    mendador Pedrozo.
    LINHA de roriz.
    OBRAS de pal. ca. '
    PANNO de algodo da Bahia, da fabrica do con?
    mendador Pedrozo.
    HETI10Z de todas as qualidades, das fabricas de
    Peres e Eduardo Militao.
    JtOl.HAS proprias para botica.
    SALSAPARRILHA do Para.
    VELAS de cera de todos os tamanhos.
    VINHO engarrafado do Porto, caixa? de 12 gar-
    rafas,
    a dito Moscatel do Douro, idem idem.
    i dito Setubal, caixas de i e 2 durias.
    da Italia engarrafado, caixas de 6 gar-
    rafas,
    de Collares superior, em crelas.
    de caj, caixas de 12 gar afas.
    a Malvasia do Douro, caixas com 12 gar-
    rafas,
    t Carcavellos, idem idem.
    cariada a 200 rs. ; n- anua
    mperial n. 207. de VaMMno da |'..h i.
    ~Par, 36. Ru Vlvienne. D
    IH.FiV.JM lQEfl! Sltilll
    ds r.inr.uhd' n> mkiis, 4a rrc-raaB
    i:-.t.. 1 iirriictrt t* KMN.
    rnawfa m >mpm-
    1 irf,riinv*. T-
    """i r t-
    ciMM 4o
    ru, (wikvM m-i ttfwc. Xi'ope w> -Ul
    srm MercarteV Dprala >r|rlm
    % MUUMi I..W-.1 1
    semana, segaindo o irartameai* r,-*t.il e
    eiaprei:a Kstr Xarnp Gir-r: t
    ierra ir C\ A ntf, "m
    mni.-rt .(: >eaie .- < -
    |iii'r /mifi' '"fe, t Iri'i' tir,
    t ixiuiuiciiu: j. u-.tt r Jltrt l*m*cr
    raullieres. KsUi 1 ajee ca V*mm n*ir*'
    eom Xarope de cilacii ilt ftm.
    mi*rraiaa>Poiii.da<|Hr asn.ran 't-.a.
    POMADA AMTIH BPITI-A
    Contra' na ajtcfon a i,,nat t rm,
    PILLAS VE3ETAES DCPURATI.AS
    do Ckabie, cada fra** vrai aee-" ,%4
    4t um felaela.
    AVISO AOS 8R8. MDICOS.
    Cara eaatrr***
    rfmelmekti m .
    mtrmm $m m I
    (Mm i mi a. fi.ii
    av pttm, 1 ..-la av Jeaaaa
    nata colhe rrhdea aatc tarea 1 D* totcCT.
    r. CII1BU ea Part, rm Ivtcaaaa, 90.
    Deposito em casa de Augusto Cmn n. 15J
    ra da Cruz.
    DEPUffATT
    i.. SAI\G
    PLUS DE
    COPAH
    Sirop du
    D'FORGET
    VENDE-SE
    Sauto Antonio. S. hu
    t S. Pedro.
    Amaral, Nabuco 4 ('.. venden s.rle< para 1'.
    vermenlD e festejo das noules de auto .jhomb,
    S. J.iao e S. Pe.lrn. s\stea T belet etc, Sao as mais engraradasmu km viuda
    ao mercado e proprias para sali; asaba r.m
    caixas de confeitos bomlumi e baliea d> pa.ttl
    proprio* para laminaeoes campar, etc. ele.:
    na ra do Bario da lletoria n J. Bazar V
    Cha, prelo e verde.
    Amaral. .\abuc<> A C.. vendem cha preto e ver-
    de, de mnilo boa qualid de e rnenadn m nltiiu
    um moleque de 17 annos de idade, pedreiro e vaPor c 'aF (nnrn no B"*r vrt ria, roa 1
    copeiro, robusto : quera preteider cmpralo di- Blri0 doria n. 1.
    rija-se na da Imperatriz n. 36, prlmeiro andar.' '
    Atteni^o.
    Veade-M a fabrica de cigarros e charutos da
    ra a Marcio Das n. H4 : tratar na mesma.
    Venderle um soto da um terreno proprio,
    no im da ra Duque de Caxias : a tratar na ra
    de Hortas n. 86,
    Grande pechincha
    No trapicha Angelo veude se saceos com mllbo
    muito novo, pelo barato preco de 5*, regulando
    dez cuias, para acabar.
    Insidias niaconicas.
    awaeas
    IfH HU
    Vende-se duiias de linhas de carretel de 100
    ardas pe'o diminuto preco de 5t 0 rs.: venham
    ao rival do Recife, ra do Mrquez de Olinda nu
    mero 80 .
    Amara), Nabaro & C. av
    que esli sufridos de as
    graos para os que qnizeresR abtfr a
    U que costumatei fajera S. **.
    das respeiuveis lojas aMetatcas no dia
    nao.
    P
    CASA.
    Vende- mb sobrade em aau boa m
    u na ra da Imperab n. 8, loja.


    8
    Diario de Pernambuco Quinta feira 5 de Juiho de 1873.
    VABIEDADE
    o segredo da nossa forja ?
    k-s salvaran* duas vezes a
    IM PRINCIPE INCGNITO.Refere um
    jornal franccz que morreu ha poucos das,
    em Courbevoie, o iio de um imperador.
    Era o filho legitimo de Iturbide, que rci-
    nou no Mxico, coiu o nomo do Agostinho
    I, e fora fuzlado em 1824 em resultado de
    una revolujao.
    Este principe imperial, nao tendo de que
    viver, metteu-so a tavernoiro, e tinha um
    estabelecimento de vmhns muito concorrido
    na trra em que falleceu.
    CAM1NII0 DE FEUDO Ti:KCO. Urna
    folha turca, A7 feffei, aununcia que se
    constitue em (Jonstauttuopla urna companhia
    para construir urna liuha lenca entre Djedda
    i Moca, e entre Meca e Medina, ilous santua-
    rios do Islamismo. Nesta empreza nao po-
    dem ser emprezarios se nao os inusu I ma-
    nos.
    A BATALHA DE UTZEN. Os saxouios,
    refere um jornal, celebraran) ainda este
    auno, como entre ellos de uso tradicional,
    com msicas e versos, o anniversario da
    batallia e Lutzen, ganha em 3 de maio 1813 pelos frauce/es e os nxotios ento
    seus alliados. Esla batalha fui ganha con-
    tra os russos e prussianos, que ahi perde-
    r m ilez mil homens. Como bem de erar
    os jornaes prussianos esto indigna los desta
    commemorajo dos seus coufe lerados de
    boje.
    raidos. Qual
    E quo os V.;i
    Franja.
    Nao pode ser maior a ridicula impru-
    dencia.
    NORTE DE UM HOMEM ILLIISTRE.
    O jornal (ranea a Ikmocraaa iln Mcio-dia
    d a triste noticia da morte de Mr. John
    Stuart Mili. Falleceu em Avinliono dia 9
    de maio, de idade de G3 anuos.
    John Stuart Mili era unidos niais eminen-
    tes philosophos e publicistas da Inglaterra,
    e urna das illustrajoes do presente seculo.
    Sao numerosos os trabalhos Iliterarios deste
    grande escriptor : entre outros, e como os
    primeiros, citaremos o seu Systema de lgi-
    ca, Principios de Economa Poltica, A Li-
    berdade, .1 l'hilosophia de Homilton, Mo-
    ral Utilitaria, A Svjeicao da Miillic.
    E* um grande espirito que se apaga m
    a sua inllueiicia ser duradoura em^odos
    os ramos das sciencias sociaes.
    TRES SUICIDIOS.Cootara os jornaesde
    Lille o triste lira que tiveram dous namora-
    dos.
    Em urna reunio se haviam encontrado
    urna rapariga de de/.oito anuos o um rapaz
    quasi da mesma idade ; viram-se o ama-
    ran!-se.
    As familias de cada um delles nao aore-
    ditaram em quo fosse to seria aquella affei-
    jo e oppozeram-sa quo ellos casassem.
    Esse fado produzio naquellas almas ura
    desvairamento criminoso e funestissimo.
    Juraram por tim vida, c assim o realisa-
    ram.
    Alagaran) um quarto n'uma hospedara,
    c tendo para ah entrado s sote horas e meia
    da tarde, quando erara duas e meia da noi-
    te, foi ouvida a detonajo de arma de fugo,
    por duas vezes.
    Ao arrombarem a porta do quarto em que
    se haviam recolhido os dous loucos, jaziam
    ambos bandados no seu sangue e j cadve-
    res.
    O corpo da desgranada rapariga estava
    . sobre a cama, e o do rapaz no chao. Sup-
    pe-se pie a mfio do suicida que praticou
    ambos os homicidios ; quor dizer que elle
    disparan sobre sua uamarada, o nao foi ella
    quem a si propria se ferio. A posijo do
    corno iodicava tur sido collocado em cima
    da cama, ao lempo queja estava reduzido a
    cadver.
    Tambera refere um jornal de Roma
    que o arcipreste Sinigaglia se suicidara na
    manb de um dos primeiros dias de maio.
    O cadver foi encontrado na capaila privada,
    aportando urna das regeladas raaos a pistola
    com que se forira.
    TRABALUOS EM \ AO.O principe Je-
    rnimo Napoleo dirigi a sua circular aos
    eleitores da Corsega, propondo a sua can-
    didatura, como stygma sobro o decreto de
    proseripro de que victima. N'essa cir-
    cular, diz o principe:
    Somos proscriptos, porque somos te-
    CONDEMNAgAO MOUTE. Foi con-
    demnado pena capital, no tribunal de Bra-
    bant (Blgica), um tecelo, que matara o
    dono da fabrica em que trabalhava, pelo
    motivo do patro o ter despedido por se
    comportar mal.
    BOM PREMIO.Publicou o jornal cha-
    mado Dublin Guzette, um aniiuncio feito
    por lord I.ieutenant, offerecendo a recom-
    pensa de cinco mil francos a quem capturar
    os assassinos de James M'Cullagh, cujo ca-
    dver foi encontrado no rio Lagar.
    PARA BOM FIM.- Aflirma urna folha,
    e diz saber do boa fonte, que Mr. Fremy,
    governador do Crdito Territorial de Franja,
    fra a Chislohunt depr aos ps da impera-
    triz Eugenia tres milhoes de francos para
    ajudar a restaurajo do imperio.
    REHABILITA SE A RACA MIJAR.Era
    Argelia, na cidade de Orleansville, deu-se
    um caso mu bem verificado e authenticado
    de concepjo e parto de urna nula.
    O machinho nascido perfeitamente con-
    formado e viavel. E' caso de muito valor
    scientifico por confirmar a exactido das
    doutrinas de Darvin, quando diz : Os cru-
    zamientos entre especies, ou os productos hy-
    bridos sao feralmente esteris ; todava, es-
    ta estorilidade, nao pode no estado actual da
    scioncia ser considerada como absoluta e
    universal.
    A opiniao dos que allirmavam corno lej
    immutavol a esterihdade dos cruzamentos,
    fica pois plenamente refutada.
    UM PROCESSO SEN ICIJAI..Debate-so
    n'um dos juizosdo civel de Marselha, urna
    causa que constitue especie nova no foro.
    Um logista requercu judicialmente que o
    proprietario do predio em que o requerente
    tinha o seu estabelecimento, fizesse certas
    obras attinentes a evitar a humidade que
    proviuha do mo estado dos tubos conducto-
    res de agua. O tribunal ileu razo ao quei-
    xoso e procedeu-se solicitada reparajo.
    Ao sondan a tubagem encontrou-se em moe-
    das de ouro a somma de dous mil francos.
    A natural curiosidade levou a procurar-
    se saber porque modo teria ido para alli se-
    raelhante dinheiro.
    Soube-se ento que haver dez ou onze
    anuos, no caixeirode um commerciante, que
    habita va a mesma casa, haviam recahido
    suspeitas de ter distrahido aquella quantia ;
    e que o pobre mojo desesperado por nao
    poder comprovar a sua innocencia, morrra
    de paixo.
    A familia do desventurado rapaz apressou-
    se a entregar ao patrao os dous mil francos.
    Apparecendo agora aquello dinheiro, isto
    , urna somma perfeitamente igual aquella
    que misteriosamente desapparecra e estava
    ontupindo a tubagem, a familia do finado
    mancebo exige-a do proprietario, e este re-
    cusa-se a entregar-lh'a.
    E' este o ponto da demanda.
    Ha supposinoos de que o rapaz era sujeito
    accessos de somnambulismo.
    MACHINAS DE GUERRA.Esto-se eje-
    cutando em Toulon experiencias cora uns
    novos torpedos, cuja aejose exerco debai-
    xo para cima, sem produzirestragos nosob-
    jectos que estejam prximos, e que fiquera
    em linha horisontal.
    i'stes torpedos sao destinados a servir de
    base ao estabelecimento de um systema de
    defensas submarinas nos principaes portos o
    Londres, recebeu por conta de urna heranja Um dos empregados da companhia que
    31:500-7000, edevevir a receber raais tal- explora aquella buha, subir a ura carro
    vez 60:0005000, raoeda forte. que conduzia mecadorias, para um fim
    Ainda que poucos annos de vida Ihe res- qualquer, quando, d'ahi a pouco, o fio tcle-
    tem, ao menos nao morrer com o nome do graphico que corta va a buha era sentido
    asylada, de pobre, seno com o de muito transversal, colbendo o infeliz pelo poscojo,
    bem remediada. o derrubou, e indo cahir entre dous wagons,
    o corpo lhe (icou dividido em tres partes.
    MORTE DE UM TENOR.Conta a In- 0 infeliz contava 28 annos.
    dependance lielge, que no dia 31 de marco Conta seque no seu espirito existia ura
    falleceu, era Bologue, Domeaico Donzelli, presentmeuto que o preoecupava : toda a
    na idade do 8 i anuos. vez que ouvia fallar era accidentes nos ca-
    Domcnico Donzelli ra ura tenor drama-'minbos de ferro empallidccia ; uprojectava
    tico de grande nomeada. Abandonara a brevemente deixar o servijo militar.
    scena aos (0 annos. Era italiano e na Italia' ----------------
    fizera os seus esludos musicaes. Tendo si
    do escripturado na opera italiana de Pars
    era 182(5, alli seconservou at 1832, sem
    interrupjao ; e depois, por differentes vezes,
    novamente cantou no mesmo theatro.
    Refere o mesmo jornal, que Donzelli foi
    quem croou o papel do Bravo, na opera
    leste nome, de Mercadante ; opera que pela
    primeira vez se cantou era Mlo no anuo de
    1840.
    CAO AMESTRADO. Varios logistas de
    Pars se queixavam do desapparecimento re-
    pentino de varios objectos que tinham em
    exposijo, sera terem ainda podido deseo-
    brir o ladro.
    O furto de um chapeo fez descobrir o tal
    ladro ; era um cao amostrado, que nboca-
    va o que o dono lhe indicava, e partia fu-
    giudo.
    PEIOR QUE CHAGA.Cahio em tarto
    (triste sorte !) a sir Becker agradarse de
    urna italiana por nome Mariquita Roraag-
    nioli. /
    O pobre hornera (pobre apezar de ser rico)
    quiz um da desfazer-se do ombrechado ; po-
    rm ella que nao esteve pelos autos e rea-
    gio com tenacidade, que tem sido levada ao
    infinito.
    Sir Becker fugio de Inglaterra para a
    Blgica ; d'ahi a pouco l estava a rapariga.
    Urna bella manb safou-se para a Hollan-
    da ; nao tardou raais do que horas, que
    noeslivesse ladeado pela joven Mariquita.
    O hornera cada vez raais intrigado, corre
    de cidade ern cidade, e sempre com o mes-
    rao resultado.
    Resolve-se a volver a Londres; ei la de
    volta tambera, e sempre repetindo os mes-
    mos protestos de o nao deixar descansar um
    momento naquella perseguijo.
    Para abreviar basta dizer que quarenta e
    urna vezes tem sido levada ao tribunal, por
    injuriar sir Becker.
    A quadragesima-primeira vez foi condem-
    nada era seis dias de priso e as custas,
    au s por insultos ao triste perseguido, se-
    no tambera pelo ter ameajado de morte.
    Das precedentes vezes tinham sido multas
    as penas impostas.
    Sir Becker nao tinha ao menos o recurso
    de casar com a sua apaixonada, por isso que
    casado.
    Aquella desvio matrimonial tom-lhe cus-
    tado caro ; e quem sabe em que vira aquillo
    a parar.
    LADRA VIAJANTE.Na viagera do vapor
    Provence, de Manilla para Marselha, urna
    passageira hespanhula, rapariga de 22 an-
    uos, furtou a outra senhora, tambem hespa-
    nhola, alfaiasuo valor de3:6U09000, raoe-
    da forte.
    Ao chegar o vapor a Marselha, a Sra.
    Villa foi participar o facto polica.
    . As diligencias por esta feitas, deram em
    resultado prender a hespanholita, que se
    chama Fernanda Soleda, em poder de quem
    se encontrou o furto.
    BEM CASTIGADO.Em um dos tribunaes
    em certas paragens das costas fraucezas, que criminaes de Londres foi julgado e condem-
    nado o eraprezario de urna fabrica, um Sr.
    Firebrace, em virtude da lei sobre o trabalho
    as oficinas (Workshop Act).
    Havendo-se provado que elle empregra
    ura menor de 13 annos, dando-lhe trabalho
    por mais de 6 horas e meia, e sem lhe ter
    presentado attestado de frequencia da es-
    cola primaria, o tribunal condemnou Fire-
    brace em 10 schillings, e as custas.
    1 CORVETA DIANA
    BOiajuimo
    ORIGINAL BRA8ILEIRO
    l'OR
    A. von lloonholtz.
    IX
    O FILHO MALDITO.
    (Continuajo do n. 127,/
    Neste momento bateram porta do ga-
    binete.
    Entre quem gritou Dionizio.
    Um homem de m cara, com grandes
    barbas negras, meltido n'umas botas de
    couro cr e vestido com um longo poncho
    de baetao, entrou no aposente.
    0' l, com bons olhos o vejo, Sr. Joa-
    quim, ento como vai o nosso negocio?
    Muito bem, sim senhor, vai muito
    bem ; os homens e os animaes j esto
    promptos ha muito tempo para o servir a
    Vmc. muito obrigado.
    Mas onde esto elles?
    Em Sambaqui, e quando quizer em
    menos de urna hora na cidade, para o servir
    a Vmc. muito obrigado.
    Escolbeu bons animaes e homens de se-
    gredo e de aguentar o repucho ?
    Pois nao, n'isso l n3o ponha duvida,
    para servir a Vmc. .
    Muito obrigado interrompeu Dionizio
    dando urna granderisada.
    Sim senhor, nao tem de que :
    Pois ento has de vir c todos os dias
    receber as minhas ordens; o sujeito a quem
    eu pretenda eclipsar quando te mande
    buscar, j foi posto margem, mas actual-
    mente tenho aqueile outro planozito que de-
    ves levar a effcito' para nao estares vadio e
    nao teres vindo intilmente de S. Paulo :
    trat*-se como sabes de tirar ura passaro do
    ninho, negocio facilimo e de decidir-se
    n'um instante sera grande ncommodo. J
    exploraste o ninbo que a tal chcara da
    nao sao naturalmente protegidas contra um
    desembarque de tropas inimigas.
    Tambem as docas de Cbataiu se procede
    construejo de ura novo vaso de guerra,
    que ser baptisado cora o nome de Terne-
    ra ir. Sua capacidade ser de 5,535 tone-
    ladas e sua forja de 7,000 cavallos.
    Este navio ser revestido de urna couraja
    extremamente espessa, e comportar um ar-
    mamento formidavel.
    FORTUNA.Urna velbinha de 81 annos,
    recolhda n'um hospicio de caridade em
    Praia de Fora,junto aponte ; ba em casa
    apenas um velho e cinco meninas, pois os
    escravos morara muito no interior ; nao ba
    pois que recear d'elles, estar de tucaya o
    na occasio mais propicia, zas, dar o bote
    e agarrar o passarinho que j conheces, en-
    trales ?...
    Sim fenhor, mas os dous capangas c
    os animaes que esto promptos a servir a
    Vmc.,.
    Muito obrigado acudi de novo Dio-
    nizio.
    Nao senhor, nao muito obrigado,
    nao senhor, que os capangas e os ani-
    maos...
    Esto promptos a me servir.
    E precisara, comer gritou o homem
    com forja.
    Mas eu nao Ibes prohibo que comam.
    Ento corae-se sem dinheiro ?retor-
    quio o paulista em tom do zangado.
    Ah, jsei, queros mais dinheiro?
    De certo, pois Vmc. julga que 103J000
    chegam para nos sette comermos em dous
    dias, sendo tres pessoas e quatro animaes ?
    assim nao acha quem o sirva.
    Qual, deixa-te disto, eu estava brincan-
    do, porque inda pouco ia mandar-te cha-
    mar para dar-te mais dinheiro acudi Dio-
    nizio fazendo por sorrir-se toma l;olha,
    cobres nao faltara I
    Mas estes seis mil ris p'ra quantos
    dias ?
    Para a manb e depois. Queres-me ou-
    vir, Joaquim, por ora nao os gratifico l
    muito generosamente, para nao protelarem
    o negocio, mas estando este servijozinho ar-
    ranjado... depois... emfim, entendes, nao?.,
    depois de eu ter em meu poder o que deso-
    jo, podes contar com duzentos bicos e cada
    um dos outros com cem. Falla I que dizes
    agora ? nao acho assim quem me sirva ?
    Pois nao, sira senhor, para o servir a
    Vmc. muito obrigado.
    Ento vai descanjado, sabes que pago
    bem, por isso te quero prorapto minha
    primeira ordem e leva l os seis mil riszi-
    nhos! anda raagano, depois diz ainda que
    nao sou generoso I
    O homem do poncho sahio pouco satis-
    feito o tinha apenas dado alguns passos na
    ra, quando se esbarrou cora um marinhei-
    rogroMeiraraeute vestido e que llie dirigi a
    palavra.
    O'ro purde-me Vmc. o iuterrompe-lo,
    COMO AS DESGRACAS SUCCEDEM.
    No carainho do ferro de Tirlemont a Namur
    aconteceu urna desgraja lamentavel.
    mas sab'r Vmc. dar-me alguraas nbas do
    sinhri Jinquim Faco ?
    0 paulista fez um gesto de espanto ao ou-
    vir que o tratavam por aquello nome que
    ello lizera to temido em S. Paulo com as
    suas atrocidades, mas tranquillisando-se logo
    vista de um individuo desconhecido, res-
    pondou bruscamente.
    Nada lhe posso dizer, porque nao co-
    nhejo tal hornera,e continuou a andar.
    Deixe-se l dixo, c pro amigo Jorge
    Castijo, Vmc. nam se pode negari, que o
    cunhejo como as palmas das minbas raes.
    O' meu Jorge, pois tu por aqu, e fei-
    to marinbeiro I
    E' burdade, o que b, o o grande
    causo que nam bollo raais pro diabo da tal
    bidnba de faitor. A'rrel... escapei arra-
    nhando d'estari agora l no dumonio da oi-
    trp. bida.
    Ento quizeram ir-te ao pello ?
    Sira sinbori, mas bamos a turaari ua
    pinguiuha, e em caminho diz-me c ; esse
    janota que mora alli donde sahiste nam o
    Jistiniano que cajou com a aminba, e que
    dizem, enbunenou-a ?
    E' elle mesmo.
    Maix como o diavo est mudado I Si
    nam fosse o modo purque me applicou os
    luzios oitro dia, talbez que o nao conhicesse.
    E cal o nugocio que tens agora cum elle ?
    nam hade ser coisa vfio-a.
    Nol grande cousa, trata-se de
    roubar una pequea.
    Sim, heim 1 e que tal ella ? onde
    mora?
    Tu s de segredo, meu Jorge, por isso
    vou-te contar a historia : a menina boni-
    tinha e dizem que urna santa, mas nao
    gosta nada de Dionizio.
    Dionizio ?
    Sim, elle chama-so agora Dionizio,
    mudou o nome por causa das duvidas ; mas
    como ia dizendo... ella nao gosta nada del le
    e como o bicho embirrou em querer gozar
    por forja a menina, resolveu rouba-la.
    Pois o dumonio inda quer se casar de
    nbo?
    Qual casar, elle o que quer destruc-
    la-la e depois dar-lhe ura pontap, ou fazer
    o mesmo que tua ana.
    Mas a puquena de vo-a familia ?
    Oh, se I o tio mora em urna boa
    chocara na Praia de Fora e homem que
    tem coco.
    iITTRATUBA,
    Da cintUuito I pmloi- legis-
    lativo ea un estado llvre.
    (Continuajo)
    VI
    Que ao tempo em que foi promulgada en-
    tre nos a consti'uijo do imperio, nao ba-
    ria um so empregudo publico,fosse qual fosse
    a sua cathegoria, professor, lente, ollical
    militar, magistrado, etc., etc., que tivessepelo
    seu eiuprego, um ordenado de 2:000-^000,
    quantia que corresponde a 4:000-J00o de
    nossa raoeda actual; igualmente os cidados
    possuidores de muitos prodios urbanos e
    rsticos nao recebiam delles to grande ren-
    dimento, consegumtemento nenbum podia
    ter o gozo do direito de votar por lhe fal-
    tar a renda liquida de 1009000 exigida pe-
    la mesma constituijo, a calcular-so esta
    renda pelo modo polo qual calculada na
    obra a que respondemos, o com elles seriara
    excluidos tambem pela mesma razo mui-
    tos industriosos e comroerciantes.
    Quera nao v que a constituijo nao po-
    dia ter querido assim excluir todos esees
    cidados do exorcicio do direito te voto, e
    que mui poucos seriara os que o tivessem a
    regular-so por este systoma a renda liquida
    por olla requerida?
    O absurdo desta opino reveb-se ainda
    mais claramente, atleinL>ndo-se para os ar-
    tigos 9i, 95 e 45 da mesma le.
    Com effeito, quera ha ahi entre nos que
    podesse ser eleitor, deputado e senador, se
    para o priraero destes cargos se exigisse
    o rendiinento animal de 4:0005)000 ; para o
    seguu lo o de 8:000O00u ; e para o terceiro o
    de 16:0003*000, como sendo aquellos somon-
    te que podem deixar una renda liquida an
    nual de 200^000 4003)000 e 800?000
    que sao as quo a constituijo exige para
    taes lugares?
    E se tomassemos em considerajo a dif-
    ferenji do valor da moeda era ura e outro
    tempo, como j se acha determinado por lei,
    seguir-so bia que presentemente quem nao
    tivesse de rendiinento animal a quantia de
    8:000J>000 nao podara ser escollado eleitor;
    quera nao tivesse 10:00^0000 nao podara
    ser eleito deputado; e quem nao tivesse
    3:OOO5000 nao poderia ser eleito senador I I
    O proprio autor de to extravagante opi-
    niao, que j se apresentou candidato depu-
    taje e senatoria, nao po Jeria sor eleito
    para neuhum destes lugares por falta de
    rendimento legal, e o quo mus, nao po-
    deria raesmo ser escolhid eleitor, o pela
    mesma razo, muito enibora seja um dos
    mais doutos e distnctos lentes da faculdado
    de direito desta cidade, e tenha sido mereci-
    damente agraciado cora o titulo de conso-
    Iheiro, e se voria seu nome incluido na lista
    dos votantes de sua freguezia, deveria isto
    somonte no perigoque poderia ha ver era ser
    della excluido, visto perlencer classe dos
    lettrados, conforme a sua opino cima
    enunciada.
    Este'modo de calcular-se a renda liquida
    ainda nao foi lembrado era parto alguma do
    mundo, to extravagante assim como en
    nenhuma parte do mundo nao foi tambem
    proposto nos tem pos modernos o systoma de
    confiar-so somonte dos ricos o direito de es-
    colher os representantes da najo, como os
    nicos capazes desta nobre misso, sendo
    para admirar que tal pretenjo parta entre
    nos de cidados que so dizem liberaes!
    E' que dizer-so liberal urna cousa e se-
    lo de veras outra muito dilTerente.
    Com effeito, quando por toda a parte essa
    escola trabalba por estender ao maior nume-
    ro o direito do sulTragio, admira quo no Bra-
    sil seus afiliados procurem restringi-lo, ex-
    cluindo do gozo desse direito, contra o que
    Morana Praia de Fora?... em que
    lugari ?
    N'uma chcara muito bonita, com
    gradil de ferro, perto do urna ponte.
    Com rail diavos, ahi que estebe o
    Sr. tenenti Alfredo.
    Quem esse tenente ?
    Ninguem, quero dizeri, tu nam n'o co-
    nheces, mas olba l que eu debo muitas
    obrigaxes a essa gente.
    E que voltajqueres que eu de agora?
    j tenho tudo prorapto e estou s espera
    do signal para cahir sobre a moita c carregar
    com a poinbinha.
    Nada, isso nam senhori,j t'o dixe
    que sou amigo d'exa familia e purtanto nam
    hades fazeri l ixo.
    Porque razo ? ento uo queres que
    ganbe dinheiro ?
    Ah, o nugocio de dinhairo?... en-
    tonxis maix bou eu ganhari em te dinun-
    xiando polica, intendes?
    Que dizes ? bradou Joaquim Faco,
    parando, e olhando assustado para o seu in-
    terlocutornao te lembras meu caro Jorge
    que somos amigos volhos ?... e depois, se me
    denunciares eu digo que foste meu cmpli-
    ce no assassinato do sogro de Justiniano.
    Diz l o que vem te pariceri, a minha
    cunxiencia est libre e tara libre como a cu-
    tobia que nam st aprisoneirada.
    Ora, Jorge, porque bavemos agora bri-
    gar por urna cousa de nada ; os duzentos
    bicos do Dionizio fazem-me um conto, e
    para recebo-Ios tenho do roubar por forja a
    menina.
    Si insistes bou diraito a pulixia...
    Escuta, horaem de Deus ou do diabo,
    posso roubar a menina e engaar ao mesmo
    tempo o homem das botas.
    Como?
    Tu arranjas urna casa ou que eu a de-
    posite ; no dia aprazado furto-a e em vez de
    leva-la para onde elle quer, fajo conduzi la
    para tua casa.
    E cumo oque t'o hade elle pagari, em
    nam incontrando a puqnena ?
    0 trato d'lle nos pagar d'aqui a
    duas leguas, na villa de Santo Antonio, o por
    tanto depois de receber l os cobres, carre-
    go-a para tua casa. Sao.apenas duas horas
    rnais para voltar de novo cidade.
    0' diavo, pois entonxes leba-a ojtra
    hez pro ninho, e ixcusa eu andari por ni
    cata de casas I
    determina a constituieo, todos aquellos que
    nao titerera u n gran le ron lira ;nto quo a
    elles se Ibes afigura como necessario para o
    bom doscmpeiilio do mesmo diret).
    De sorte quo aquellos que nao tiverem
    esse rendimento, e elles formara a grande
    maioria da najo, novos ilotas, ou parias,
    nao poderlo, quaesquer quesejam suas ha-
    bilitajes, tomar noobumaparte, noto directa
    nem indirectamente, nos destinos di patria,
    porque sao n ligaoi >\>. li gran 1" honra.
    Para os ricos Indo ; para os que nao o fo-
    rera nada, p >rquc dignilado poMOelo-i po-
    breza <5 lluso I
    Tristes aborrajos do pensamento huma-
    no !
    Felizmente os partidarios da eleijo directa
    acham-se al la neste ponto era 11 igranta
    contradicho.
    Ao passique uusque-em que grande par-
    te dos cidados brasileiro* sej;m despojados
    do direito de volar que boje oxercera era vir
    lude da constituijo para cnulia-lo someute
    aos ricos, outros, raais equitativos, p<>stoquc
    menos lgico-, quor m aproas a reforma do
    modo da eleijo sem que se arranque a nin-
    guem o direito que a masuM constituijo
    lhe garante.
    Elles querom que es ci la Ios qu.; boje
    escolhem os eleitor es oseotham logu os depu-
    tados e os sena loros e ua la raais, sen se lera
    brarem que nao pudendo as inraif causas,
    obrando era circu nstancias Jonucos, deixar
    de produzir os mesmos efivit >s, ntopodaM
    deixar de escolher raaos depatado e maus
    sonadores aquellos que nao saben podem escolher bons etuitores, obrando do-
    baixo das mesmas influencias.
    Vil
    J viraos que todo meinbro do estado, so-
    monte porque O tem direito coran homum
    e direitos como cida lo.
    Vimos tambem que sen lo os direitos matea
    para ura ser racional u lvreconseguir o seu
    lira, o exorcicio delles nao po le ser perinit-
    tido aos qu i dtSSQ forera incap i/es, isto no
    proprio interesse JasSOS seres (piando se tra-
    a do direitos civis. e no interesse do esta lo
    quando so trata de direitos polticos.
    Esta doulr#ia acha-so consagrada nos ar-
    tigos 7 e 8 da nossa constituijo.
    0 primeiru destes artigos determina os
    casos era que o cidado brasileiro parda os
    seus direitos, e o segundo as causas pelas
    quaes se lhe suspende o exercico daquelles
    clesses direitos que elle exerco, nao era seu
    nomo, mas em nonio do estado.
    Estas causas sao :
    1 Ineapaeidade pbisica ou moral ;
    II Sontunej eondemnaVira priso ou
    degredo emquanto dorarem os seus obitoa.
    Mas, sendo o lireilo do votar ura dos di-
    reitos polticos mais importantes pois que
    tem por lira principal a boa esculla dos re-
    presentantes da najo, de razo que a es-
    tas causas genes para suspenso de seu
    exercico so addcionem alguraas nutras como
    garanta do bom deseponli i do mesmo di-
    reito,
    E' isto mesmo n que sabiamente dipe a
    constituijo B/S artigos 91, 02 e O*.
    Tem voto na eleicoos piiinarias, diz
    ella no priraero destes artigos :
    I Os cidados brasleiros que esto no
    gozo de seus direitos pi uticos ;
    II Os estraugeiro natnralisado*.
    V-so por este artig que neiibui cidado
    brasileiro, physica ou inoralmente incapaz,
    ou queso achecondemnado por sontenca
    priso ou degrado (art. 8 $$ l. 2.) pode
    ter voto as eleicos primarias, isto na-
    qucllasque tem por lira inmediato a esco-
    Iba dos elboros, dosjuies de paz e dos ve-
    readores, o isto porque, como vraos, taes
    causa suspenden o exercicio do todos os
    direitos polticos do cidado.
    Mas a constituijo,"de accordo cora a boa
    razo, nao quer ainda que todos os ifUS nao
    se achara coinprehendidos nos casos cima
    marcados, tenbam voto nessas eleico*'se para
    isso estabelece duas outras pnanmpcow de
    ineapaeidade que sao falta de sutUcieute dis-
    eernimenio e taita de sulliciente iodonan-
    diraca. Sao exclu los de votar as assein-
    blas paroebiaos, du id a no artigo H :
    I Os menores de viuto e cinco anuos, nos
    quaes se nao comprehendein os cnsailos, t
    os olliciaes militares que forera niaiores de
    vinte e ura annos, os hachareis formados o
    clrigos de ordens sacras.
    II Os filhos familias, que estiveran na
    Nada, n'essa nao caio ou, porque os
    vizinhos c os escravos nao bao de licarde
    pernas cruzadas.
    Entonces st dito, bou desde j bur-
    dijari pur csses lagos e eslrailos a bar se
    hispo alguui anciiradoiro siguroondo poxa
    fundiari aquella goletinha. No mais adeus,
    e nam mudes do rumo sem m'o pruguu-
    tares.
    Os dous antigos cantaradas separara.n-se,
    Jorge contente por ter feito aquella desco-
    berta importante, que lhe dora occasio de
    reconhecer Justiniano, de quem protestara
    vingar-se, quando, como foitor da sua fa-
    zenda, soube ser elle o assassino do bom
    velho paulista eda sua querida ama ; e por
    achar tambem urna opportuuidado de ser til
    a Alfredo, salvando da deshonra urna fami-
    lia a quem se achava ligado por tanta amiza-
    deegratidc. Jorge atravessou pois con-
    tente a pracj da Matriz, cantarolando urna
    chula portugueza.
    Joaquim Faco, porm, ainda de humor
    mais azedo por encontrar aqueile horaem
    que vinha por cm duvida a sua seguranja
    individual, dirigio-se carrancudo para a [ira-
    ca do Mercado, onde costuraava comer.
    o RAPTO.
    La doulenr e?t un side,
    et la mor un moment.
    (Gveut.)
    Depois do inesperado encontr cora q
    afamado Joaquim Faco, Jorge audou todo
    odiagyrando pela cidade em procura de
    urna casa que podesse servir para depositar
    um thesouro to precioso. A'snovo da nou-
    teo bom marinbeiro cansado do pensar no
    assurapto chegara a considerar no perigo a
    que se expunha alugnndo urna casa para
    receber urna moja raptada n'essa mesma
    noute, cora violencia, do seio de sua fami-
    lia ; resol veu pois dar um passo mais acer-
    tado, o entrando n'uma tavorna pedio um
    quarto de papel e escreveu co.no pode algu-
    mas linbas, feito o que dobrou o bilhete
    dentro do lenjo, metteu-o na carapura e en-
    camjnhou-se para a Praia de Fora. Junto
    ponte um horaem lhe sabio ao encontr.
    Ola, Jorge, tu por aqu a esla hora ?
    E' burdade bim a espaireceri; maix
    tu taravem purqui nubidade.
    companhia de seus pais, salvo se senirrai
    ollicios pblicos ;
    III Os criados do servir, en cuja di
    nao cntram os guardas-livros e pri
    caixeiros das casas de coraroercio, os cria da casa imperial que ote forera de galio
    branco e os administradores das fu^nda*
    ruraes e das fabricas.
    IV Os religiosos e quaesquer individuo
    que vivara em cornmunidade claustral;
    V i's que nao livorom ilc nii la liqui arara al cem muris porbens f raz, indus-
    tria, coiii.nercio ou einpn go.
    A bid 19de agosto -le 1846 eomile-
    rou como exclu los de toraarem parte na
    aso ubicas parorhiacs, conforme o espirito
    da constiinic.io.as pMjas.|.. prrt .lo evTrito
    e arma la e da for.;a pob.i.l, os marinbn-
    ros dos navios de guerra.
    A primeira excluso deste artigo da cr
    tituiyo funda se cvifili-in*nte u.i fali-i pr^-
    Sllinivel de sulliciente disr.rniuioiito, a
    outras na falta prcsumivel de MiMi.i.-uie in
    de|wndeiicia.
    Quauto i primeira, m>s(ra com ii.it,, a
    experiencia que a inadtiroza da id t W qu<-
    traz desenvolv ment i'a int.dlig^Miv I
    reflexo, e que 'Ssa madun'M t*m Inflar, no
    maior numero de pessoas, na i dad* M-iina
    marcada, mas deveudo-se pTMSUinir e des'iivolvimeuto no boinem rusa.loc no oth-
    cial militar por isso que uns e outros ten
    abaixode si subordinados qii' dinein, isto
    o homem casado, mullet e filhos e mul-
    tas vez- criados ; o oflirial militar, .tolda-
    dos, com razio marrn a onstituijo para
    estes como sulliciente a idade !* ms de
    vinte e un anuos, dis|Mndo o o>t".ioo a res-
    ucito dos hachareis formado i Icr^ir. ir
    ordens sacras, por causa da illuslrajo qu*
    nelles se presume.
    Quauto s outras excbisoesqu a *sla w
    soguera basta o simples b >ihs>>n para cora-
    prabender-se que os lilhos familia qu- <-
    to il servir, os caixeiros das casas d<- coiniwrrm.
    a nao seremos prmeiros ou os piarla
    livros ; os que trabalhain |>or conta de *u-
    tn-m as fa/en las rura>-s e as tabii\*>, a
    nao seren os administradores oVIla, os
    religiosos e quaesquer outros individuos
    que vivara em commuuda le claustral, n*'
    tora sulliciente in lepen leiiiia |tara votaran
    bvn'meute.
    F. nao sendo bastantes estas excluso-spot*,
    que era preciso que tambera lox-m cului-
    dos os mendigos, os vagabundos t >-
    aquellos que nao tivessem um meio licito de
    vida de todis conlterido, determinou ainda
    notamente a constituijo que alm los in-
    dividuos incluidos as quatro primiHras ex
    clusoes fossein demais excluido os que na<>
    tivessem bens de raz, e einprego publico.
    ou que nao exercissein algum genero de
    cominercio e industria dos qma*s tirassera
    urna renda liquida animal nunca menor d>-
    cein mil ris.
    D'ondo resulta:
    I. Que nenbuin individuo que nao foi
    casado, ollical militar, b.-iclwn-l .rm.id-.
    ou clrigo de ordens sacras, pode tomar
    parte em nossas cleijocs seno ti ver p(d"
    menos 25 anuos de idade, e nem inesmr>
    aquellos o po-lerao fazer se neo tiverem
    mais do 21 ;
    II. Que nenlHim filho familia que viva
    em companhia de seus pais sera se achar
    emancipado por qualquer dos modos esta-
    blecidos na lei, poder tomar parte nVlla
    qualquer que seja a sua idade-;
    III. Que nenbum individuo que estoja
    a sollo de ovlreui, quer como criado de
    servir, c.iixiro ou traballiador nao [ )
    tomar parte n'ellas, ipialqu4*r que s>*ja su.-
    idade e rcndimeiitos.
    IV. Que iieiiu n religioso, ou ootr
    qualquer que viva era cominuntdade raos-
    tral poder tomar parte n'idla. quaesqu.1
    que sejain tambera sua idade eren limen
    to.
    V. Finalmente, que nenhum in-livulu
    que ni> seja proprietario ou erapreg.alo pu-
    blico, ou tpie nao exerja por sua conta al-
    guin genero de commercio ou industria,
    tendo uns e (Hilros a renda liquida .mnual
    de mais de cem mil ris. poder am I
    tOMOT parte n'ellas, quaesquer que sejam
    tambem suas idade c esU'iu.
    iGndtnasjnnWhs^.
    N tal, etou rondando o uinh
    para nao errar o bote.
    Kulonxesqueres desniuhari a piquen .
    boje mesmo ?
    Que duvida ; d'aqui a alguma hora
    O'so viltre, poix eu nioi t'o dixe
    abjaces antes ?
    E quem te den a ousadia de m*- toma
    res conta ?
    Queini ? poix tu nam sabes, Jmquui.
    Faco, qu'eu te poxo penleri ? que tua l
    verdade dejionde da minha voca .'
    Assim como a tua vida das luiuha-
    ra s, atrevido cachorro ; morra e depoi*
    denuncia-me.
    Dito o que, o antes de Jorge podr* defen-
    der se, j o assassino lhe havia era' a lo dua
    ou tres Tacadas ; o mariuheiro cabio re damente sem soltar um ai e o aggressar,
    i
    Igando-o morto, ab.iixou-sc e anastiMi->
    al ponte, da qual o lanjou no rorrrgu.
    A noute se havia lo ruado tenebrosa, gros-
    sa chuva impellida p r vento cascarro zu-
    a pela folhagcm e bata com grande estre-
    pito no toldado e as vidracas da rasa do
    Ur. Carvalho ; pela clara-boia da sala de
    jantar penetrav a de momento a momenri o
    claro brilhant* e avarmelhado dos n-laapa-
    gos que assustavam a familia ahi ramilla e
    davam, da parte de fora, ura aspeen ne-
    donho e sinistro natureza. As nan a
    porta do pateo recebendo cm ebeio alguma
    violenta rajada, ceda um ponco a iiipctuo-
    sidade do pampeiro e deixavs penetrar palas
    frestasnm golpe da vento que gema aoro
    smente como alguem que a empurraste
    as agonas da morte. De repente urna laz
    raais viva illuiiiinou toda a na e um estam-
    iid) immediato fez estremecer o edificio e
    >\ estalando e ribombando.jromo ura loajo
    rolante de artilharia, pelas sorras e nuo
    do continente ronteiro.
    Meu Deus exclamou Amelia, juntando
    as mos protege aos pobres nave^amne
    livrai-os da furia dtste temporal.
    Segaio-se um momento de profundo si-
    lencio.
    F." tempo de dormirdina v
    sao mais de onze horas e prejcn
    vio se deitar, inhibas filhas, e man
    oraj3S para que o boiu anjo nos
    das iras celestes.
    (Continnnr te k+4
    PYP LO DUU10- CHA DUUS DC OUA


  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EKCQZE8AR_7AA4AF INGEST_TIME 2013-09-19T21:19:39Z PACKAGE AA00011611_12953
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES