Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12951


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Ai\i\0 XLIX. MUERO 12i>
V..
PARA A CAPITAL E MCABES OXIDE !* SE PAGA PORTE.
Por tres mezes adiantados................ 69000
..... ............ 129000
................. 21JWO0
................. 320
w
Por seis ditos klein
l'or um anno idem
Cada numero avulso
TERCA FEIKA 3 DE .11MI0 DE 1873.
PARA 1IEXTRO E FRA DA PROVISO*.
Por tres mezes adiantados.................
Por seis ditos idem...................
Por note ditos idem..................
Por um anuo idem...................
20WS0
17HM
MAMBUCO.
PR0PR1EDADE DE MANOEL FlftJElROA DE FARIA & FILHOS.
0* Srs. Gerardo Antouio Alvos di FilLos, no Para; Goncalves & Pinto, no Maranho; Joaquim Jos de Oveira & Filho, no CearjLtonio de Leu** Braga, no Aracaty ; Joo aria Julio Chaves, no Ass; Antouio Marques da Silva, ,k, Natal; Jo*. ix>Xm
Perda u"Alrao Autonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Fraucino Ta vares da Costa, em Alagas; Al ves & C, na Bahia; e Leite, Cerquinho & C. no Rio ;de Janeiro.
PARTE OFFICIAL.
LE N. 1093.
Uoveru* LEI S. 1092.
O Li.i<-1 i.i-.-l II(Miri']ii'- Pereira de Loceos, commendador da im-
perial ordein da llosa, cava] eiru da de Chrislo, juiz de direilo a
presidente da prov.neia Je Pernambuco :
Faco saber a todos os seus habitantes que a assembla legisla- ^adas iais as seguintes :
tva provincial deTolo 1 e eu naecbnoj a resolucau seguate : A da Vicaria, (jue se compor doiu,uihci(h.> fJ-Sonto \b-
Artigo l. Fica aberlo um crdito stippl,-mentar as verHPUT ^ desmembrado da Es;ada, li rindo a esta co;narea annexado o
ledo ornamento vigente, na importancia d.< t JJ'hiiiM rs., sendo municipio de Gamelleira.
O bacharel Delinque Pereira de Luceua, commendador da im-
perial ordem da Rosa, avalhero da de Christo. juiz de direito e
presidente da provincia de Pernambuco :
Faco saber a lodos os seus habitantes <|ue a assemola legislati-
va provincial decretou e eu sanecionei a resoluco segrate:
Artigo. 1." Alen das comarcas ex-tentes n a sua distribuico fela assim
ti Art 4. .
; l> idem idem.
55 i idem idem.
Sj 2 idem 3.* .
g 1 idem idem..
s I idem (i.- .
2 idem idem..
ti idem K). .
2 idem 8.- .
1 idem 7." .
2 idem l. .
."i idem T." .
1 idem 10." .
S 4 idem idem .
5 3 idem i lem .
i 7 dma idem. .
i 9 idem idem. .
i idem 13.*. .
I liein II."
g idem lo."
* 2 idem 2.<
4.
19.20UOOO
4:078*000
2:600000
1:5514700
l:i2U333
2OU0OO
6315010
2").Ol6 i98i
13:448*045
10:213 60;
6:618*917
55J133
1:8704461
l:8IO86i
2:0005000
1:3994228
ll:21S|966
6004000
5:1015730
11:3154000
500 000
.8
2 A de Jaboatio, pie se compor da freguezia leste nome e
tfuribeea, licaiido llvalo categora, de villa n povoado de
Mando, portanto, a todas as autoridades a quemo mnlieciinen-
to t execra; io da presente resoluco pertencer, que a cumpram e
facam cumprir Uo inteiramente como nella se conten.
O secretario interino da presidencia desta provincia a fa.a im-
primir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernombuco, 2i de niai de 1873, 52'
da independencia e do imperio.
L S. Hearique Pereira de Luce na.
Sellada e publicada a presente resoluclo nesta secretaria da
presidencia de Pernaiiibuco, aos 24 de maio de 1873.
O secretario interino,
Joo Diaiz Htbeiida Cunha.
; da de
Jaboato.
3." A de Bqui Jardim, que se compor do municipio do mes-
j mo nome e dismembrado da comarca do Limoero.
S 4." A de Panel las, que se compara do municipio do mesmo
! nome e desmembrado da comarca de Caruar.
5." A de aserros, que se compor do municipio do mesan
1 ame o desmembrado da comarca do Bonito.
! Art. 2 Pica constituido municipio a troguem de Alagoa de
' Baixo, cuja sede ser na povoaco deste nome, que fica elevada
villa sob a mesan denominaco.
Art. 3." Fica transferida a sede do mimicipio de Agua Prela
; para a povoario dos Montes, que lica elevada categora de villa
sob a denominaco de Palmares.
Art. 4. A villa da Escada fica elevada categora de cidade.
Art. 5. Oescrivo do jury do termo da Espada exercer por
distribu", o coiu o actual o offlcio de la belliao de notas.
Ait. 6. Ficam revogadas as disposieoes em contrario.
Mando, portanto, a todas as autoridades a quom o conliec-
ment e execu'/iio da presente resoluco pertencer que a cumpram
e fajan cumprir to rateramente com nella se cin.m.
O secretario interino da presidencia desla provincia faca im-
primir, publicar e correr.
Palacio da presidencia de Pernambuco, 21 de maio de 187), 8f
da independencia e do imperio.
L. S. Hc.nriqu Pereira do Lucena.
Sellada e publicada a presente resolucao oeMl secretaria da
presfdeaek de Pernambuco, aos 2i de maio de 873.
O secretario interino,
#> Jm'io Diniz Rilieiiv da Cmika.
KMHBRTB
d-i da 9 di:
1' sereno.
ah 11. oh 1873. Jde 31 domes prximo passado, recommendo-lbe
Offlcios
Ao cummandanle das arma
olucao ao olllcio de V. Exc. de 7
que providencii' no sentido de ser preso e proces-
I sado o individuo de nome Joaquim Ferreira de
interino -Don A,,u>e- 'l'ic evadio-se do quarlel do destacamen-
do orrei'.-e mb i ,0 d;i \'illi' dc l"0J"M-
5IO000, sendo arrematante o bacharel Beato los
da G)8li.
4.' uetto.
Actos:
0 presidente 'da provincia, tendo em visla a
11. 3/6, dizendo Ihe que faca nsor para a cuite i ". Ao ecmmadae superi..r du- Olinda e Igua- proposta do director geni interino da instriiccao
l sentenciados que se ac.ham vaccinados. .r*f'1!'.-|,-*l,e,:-a \ ^ su.as f*. al!") .* I o jpuulica e
tmenle os
Ao mesan -Expeea v. Exc. mas ordena
para que urna gua-da si-ja postada no anual de
uiarinha boje s 5 horas da larde para i'azer a*
honras devidas ao Exm. presidente uoni'ViJ i para
a provincia do Para, bacharel Domingos .lose da
Fainha Juni.r.jpie segu no vapor Paran, deven*
-lo a fortaleza do Bru dar a salva do estyllo por
ijCjeasiSo do mencionado vapor demandar barra.
Ao mesnio.Vislo ter provado isencio legal
1 raeraia Antonio Bernardo Ferreira, providen-
cie V. Exc. para que seja elle posto em lber-
tojo,
-- Ao me.-iuo.Constando de aviso do ministe-
rio da guerra de 31 do mire.) ultimo terse expe-
dido ordem intendencia da guerra, alim de re
metter para esta provincia 4,00 pares de sapalos
e ;W0 de cothurinj para o lornecimento da forca
de liaba e remitas, assim o deca-o a V. Exc
para tea conhecimento e devotos eiTeilos, devende
por consegninle nos pedid is de faldamento que
*'. liveremdi; facer excluir aquello artigo e.nquan-
lo durar esse proviinent'.-Igual ao director in-
terino do arsenal de guerra.
Ao mesmo. Tiaismittoa V. Exc os dous in-
cluso cxemplaresiuiprc-sosdo iclatorio rom que
nbrio a sesso oa assemb a legislativa provincial
n 1 da Io de mareo do corrale aun. Igoaes ao
l-ptvtor do arsenal de taarinha, director interino
A > arsenal de guerra, capital do porto interino,
oiumanlante do presidio de Fernando de Xoro-
ulia e director d i< obras militares.
ao inspector do arsenal demarinba. -Mamb
V. S., logo que ote receber, collorar junto rain
pa do Campo das Priocezas nina lancha, alim de
eoaduzir agencia da eompaobia de navegaeao
brasileira 17 caixoes, contendo elementos origi-
naos do recensement, que tem de segnir para a
corte.
Ao mesmo.Constan lo de eominiuiicacauda
secretaria de estado dos negocios oa mirinia. de
mareo ultimo, ter sido nomeado Mauoel Hedaviges
da Silva para o lugar de mestre da ollicina de
machinas desse arsenal ; assim o declaro a V. S.'
para sen conhecimento, e alim de que determine
00 nomeado que solicite o seu titulo na thesoura-
ria de (aseada.
Ao director interino do arsenal de guerra. -
Constando de communicaco da secretaria de OS-
tadrf do< negocios da guerra do primeiro do cr-
renle, lerem sido nomeados Jos Alfredo de Car
val o e Joaquim Pedro Barretio de Mello llego J-
nior, aquelle para o lugar de amanuense do
iferripturario do ajudante dessa directora, e este
para o de amanuense do almoxarifado desse arse-
ual; assim declaro a Vine, para seu conheci-
mento, e alim de que determine aos nomeados
lite sollicitem seus ttulos na thesourara de fa-
zenda.
2.* seclo.
Actos:
O presidente da provincia, sobre, proposta do
Dr. chee de polica, em offlcio de l do corrente n.
59, resol ve exonerar, a pedido, o cidadao Luiz
Francisco de Paula Gavalcante de Lacerda do
cargo de delegado de polica do termo do Cabo.
O presiden.e ua provincia, sobre proposta do
r)r. chelo de polica, em oilicio de 4 do corrente,
n. 659, resolve nomear o cnladao Paulino Pires
Falcan para exercer o cargo de delegado de poli-
ca do termo do Cabo.
O presidente da provincii, attondendo pro-
posta do tente-coronel commandante do bata-
hao n. 3i de infantaria da guarda nacional do
municipio de Tacaran!, do 16 de marco prximo
fmdn, e informaci de 19 do referido mez, do
respectivo commandante superior, resolve nomear
o primeiro sargento da primeira companhia, Apo-
lina rio Comes da Silva, para exercer o posto de
alferes secretario do referido bata I o.
0 presidente da provincia, atteodendo ao que
raquereu Antonio Gracindo de Gusmao Lobo, ca-
ptao do corpo de polica, resolve conceder-lite
quarenta dias de hcenca eom vencmentos na fir-
ma da lei, para tratar de sua sade fora desta ci-
dade.
0 presidente da provincia, attendendo ao
que requere 1 p lente da quinta companhia do
.V baialiiio de infantaria da guarda nacional des-
te municip o, J >s Candido de Barros Jnior, in-
l-irma;ao do respectivo commandante superior em
oiDco 11. 586 de hoje datada, resolve conceder-lhe
domissao do dito p-;sto, visto sor, Cono allega, ca-
/lilao honorario do excreilo
OTicios:
Ao Di. choto de .cia. -P|>nvidea.isle V. S.
em orden a ser dora em diante jtomeatada a
HsU presl lenna a lista os pi>siz,i.>s l.ig.i que
Kind'arem os vap.-res no pon., rtest.i cidade.
Aoiik'sm. Para seo conhociinenln lins
c civeiuentes, incluso riunetbi por copia a V S o
offtoio do 9 lo crreme, do engenb ico fiscal iate-
riao da estrada do ferro do lleeif,. Casangi par-
lielpando a loortedo 11 n individuo vimsIoW pe-
lo Urna da mema estrada ao eoegar aquello po-
voado.
Ao mesmo.BcspoqJofldo o offiew de V. S.
balalbo da guarda nacional do municipio d'Olin-
da, sob o seu commando superior no da 13 do
corrente acoiapaaae a prociaso da Ressurreco,
que tem de fazer a mesa regedora da irmand'ade
do Senhor d 1 lloin-Fiui da dita cidade.
Ao mesmo. -Expeca V. S. suas ordens para
que o segundo balalbti da guarda nacional do
municipio d'Olinda, sob o seu commando superior,
aciiinp.iiilie a .'acro-sanla imagem do Senhor Mur-
i em procisso, que no .lia 11 do corrento pela*
6 horas da tarde lem de sabir da ordem terceira
de S. Francisco d*aquella cidade.
Ao juiz de direto das execu^Ses crimnaos.
Para os litis convenientes, remeti a V. S. os
inclusos aulos de vestoria e idenl dade de pessas,
que, sendo procedidas nos radaveres dos senten-
ciados de justica, Manoel Ferreira do Nascimen-
1 Cruz, da provincia do Rio-Grande do Sul, Mar-
linho Gomes Vidal e Malinas (escravo de D. Mi-
chaela) desta provincia, me foram remettidos pelo
commandanle do presidio de Fernando de \oro-
nha com offlcio n. 262, do 1. de fevereiro prxi-
mo passado.
Ao juiz de direilo do Cabo. Inlerado do
quanlo exnoz Vire em seu offlcio de 27 de feve-
reiro pii'Ximo passado, sobre o qual informo o
Dr. chefe de oolicia em 31 de mareo ultimo, re-
commen |o-lhe que providencie em ordem a ser
preso e proeessado Joaquim Ferreira de Atalude,
que se evadi do quarlel do destacamento da villa
do Ipojuca, i-erto de que opportuuamente ser o
dito destacamento substituido por outro.
Ao commandante do corpo de polica.Po-
do Vine, eliminar do corpo sob o seu commando.
como solicita em offlcio de 21 de fevereiro prxi-
mo lindo, a praca da quarta companhia Silver o
Pereira da Silva, visto ler sido considerado inca-
paz de continuar 110 servco.
3'. sereno.
Offlcios:
Ao inspector da tlesouraria de fazenda. -
Declaro a V. S. para seu conhecimento e lins con-
venientes que, attendendo aoexposto no incluso re-
querimeuto pelo promotor publico da comarca de
I.imoeiro, bachirel Augusto Coelho dc Moraes re-
solv abonar as faltas correspondentes aos dias 6
a 15 de fevereiro deste anno, e do 17 a 26 de mar-
co ultimo, em que por doenie dexou o exercicio
de seu emprego.
Ao mesmo.Para os lins convenientes, eom*
munico a V S. que a 7 do corrale o bacharel
Gaspar de Vasconcellos Menezes de Drummond
assumio o exercicio do cargo de promotor publico
da comarca de Sanio Anto.
Ao mesmo.-Transmit* a V. S. as seis in-
clusas orditas, sendo duas do ministerio da guerra
datadas do I. e 3 do corrente e quatro em dupl-
cala da reparlicao de ajudante general, sob ns 924
a 927.
Ao mesmo.Para as fins convenientes, com-
munico a V. S. que a 26 do mez prximo lindo o
promotor publico Ja comarca do Limoero, bacha-
rel Augusto Coelho de Moraes, assumio o exerci-
cio do seu cargo.
Ao mesmo. -Para os fins convenientes, com-
munico a V. S. que a 2i do mez prximo passado
o promotor publico da comarca do Bom Conselho,
bacila re Manoel Jos Mendes Bastos, reassumi) o
exercicio do seu cargo.
Ao mesmo. -Tomaudo em consideracao o
que expoz Goncalo Gomes de Souza no incluso
requerunento, a que se refere sua nformacao de
7 deste mez, sob n. 47 i serie C, resolv, nos ter-
mos do artigo 43 do regulamento do 1. de dezem-
bro de 1871, relvalo da multa imposta pelo col-
lect >r do municipio do Limoero, por nao haver o
supplicante dado matricula dentro do praso legal
urna creauca do sexo masculino, lillia de sua es-
crava Joaquina. O que communico a V. S. para
os lins convenientes.
Ao mesmo.Transmiti a V. S. a folha, re-
lacao nominal e prel junios, alim de que mande
pagar a Jeronymo Pereira Marins ou a Evaristo
Mendes da Cunha Azevedo os vencimentus do des-
taeamcnto da guarda nacional da villa do Brejo,
relativos ao mez de marco ultimo, conforme solici-
tou o respectivo commandanle superior em offleo
de 30 da melle mez.
Ao mtsino. -Traajraill) a V. S., para os fins
convenientes, os inclusos ttulos de nomeaco de
Jos Alfredo de Carvalho e Joaquim Pedro Brrelo
de Mello llego Juuior, ambos para o arsenal d
guerra, bem como de Manoel Heduvges da Silva
para o lugar de musir da offlciua de machinas
do arsenal de marinha.
Ao mesui-i.Para os fins conveniente;, trans-
miti a V S. o titulo de re.noca 1 do dosemb irga-
dor Silverio Feruandes de Araujo Jorge da rcla-
rao do Maranho para a desta provincia.
Ao inspector da Ibes turara provincial In-
lerado de qnantii V. S. expoz em sua informaca
de 5 do corrente, sob 11. 1 ;8, com referencia ao
olUcio dessa insioecloiia de 17 de mar/o ultimo,
u. 115, leulio a di/er que approvo a arrematadlo
do imposto de 60 ris por litro do agurdenle, que
for consumida na comarca de Vazareth no Iren-
uie a termiuar cm Junlio de 1875, c no valor de,
m offlcio de 3 do crrenle, sob n. 95, re-
solve exonerar Tliomaz de Araujo e Albuquerque.
a seu pedido, do cargo de delegado litterario do
districto da freguezia de Santa gueda
O presidente da provincia, atteudeud > ao que
requeren Cecilia Librala .le Oveira Santos, pro-
fessora publica de nstrnceo primaria da povoa-
aa de Caiihotinho, e leudo en vista a infotinacao
do director geral interino da iuslruc^Ao publica,
de 31 de marco ultimo, gub 11 93, resolve prorogar
por inais 30 Jias a bceuca que liio foi concedida,
a contar do dia em que ella expirou, com os ven
cimento.* ua forma da lei.
Offlcios :
Ao Exm Sr. presidente da provincia do Ama-
zonas. A remsssa do puz vaccinieo que pede V.
Exc, no seu offlcio de 18 de marco ultimo, nao
pode ser satisfeta, por nao existir desse preserva
tivo na respectiva repartiese e ti.io ter chegado
anda o que foi solicitado do ministro do imperio.
Ao Exm. Sr. desembaigador Manoel Jos de
Freitas mrassos, presidente da provincia do U.o
di Janeiro. Accusaudo a -recepeo do offlcio de
V. Exc, de 26 de marco ultimo, em que me com-
inunica haver naquella data assuuiido o exercicio
do cargo de presidente dessa provincia, aproveito
a opportundade para aprseniar a V. Exc. os
meus protestos de subida estima e dislncta con-
sideracao.
Ao juiz de paz inais volado da freguezia dc
S. Benlo.-Em resp sia ao offlcio de Vine, de 17
de mareo ultimo, tenho a dizer-lhe que, nos ter-
mos do art. i do decreto n. 1,812 de 23 de agosto
de 1836, tendo sido annulladas as eleicSes de elei
teres e de juizes de paz dessa freguezia do actual
quatriennio, devem ser envocados para a organi-
saco da junta de qualificacao os juizes de. paz do
quatrienmo ultimo; entranJo oeste numero os que
se acham esidudo em outra parochia por des-
meinbrayao territorial, se ella affectou a collegio
eleitoral diverso, porque ueste caso licam as cou
sas no seu au(go estado, al que o poder compe-
tente re.-olva sobre a mesma desioembraeio De-
terminando o decreto citado que na especie devem
ser convocados os oito cdadios inmediatos em
votos ao presdeme da junta, o 5.' votado estando
no lugar do 4.*, que nao nrestou juramento e est
cm estado de cegueira. deve representar a turma
dos eleitores. se este nao comparecer para tal fim,
visto como a cegueira nao o priva dos direitos po-
lticos :viso n. 368 de 8 de agosto de 1863, nem
o juramento exigido em tal caso: -aviso de 18 de
margo de 186i
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
Em resposla ao offlcio de V. S. de 4 do corrente
sob n. 360, tenho a dizer-lhe que autonso a juuta
administrativa dessa Santa Casa, como por ella foi
solicitado, a coulractar para o hospital dos Lazaros
irmos de caridade, e ueste sentido brevemente
tralarei de reformar o respectivo compromisso
nesta parte.
Portal ia :
A' cmara municipal do Recite.Em res-
posta ao offlcio da Illma cmara municipal do Re
cife de 2 do corrente, tenho a dzer que nesta data
offlcio ao e igi-uheiro chele da roparticao das obras
publicas para providenciar sobre a sua reclama-
cao, relativamente s ras cscavadas na freguezia
da Boa-Vista pela collocacao dos canos da compa-
nhia Recife Drainage.
5." seccao.
Offlcios :
Ao engenheiro Francisco Pereira Passos, era
Londres.Accujo a recopcao do offlcio que em 28
de fevereiro ultimo dirigime Vmc, participando
ler rerebido os desenos e oreamento da nova pon-
te da Boa-Vista, nesta capital, osquaes Ihe remet-
teu o Exm. Sr. ministro da agricultura, commer-
co e obras publicas, e fazendo algnmas conside-
rarles sobro a eonstruccao da momia ponte. Em
resposla. declaro a Vine, que a iuformaco por co-
pia inclusa, prestada pelo engenheiro chefe da re-
partigo das obras publicas desla provincia, satis-
faz os esclarecimentos pedidos, e que, segundo
ella, nao sao precisas as modlicacoes por Vmc.
propostas.
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. Remello incluso por copia o offlcio da
lllma cmara municipal desta cidade, latado de 2
do corrente sob n. 13, alim de que Vmc. providen-
cie com urgencia no sentido de serem restableci-
das no seu antigo oslado as ras excavadas, na
freguezia da Ba:-Vista, para a collocacao dos ca-
nos da companhia 1 ecu'e Drainage.
Portaras :
Os Srs. agentes da companhia de navegaro
brasileira manden dar transporte para a corte por
ROM 1 d 1 miuisierio da marinha, no vapor Cruzei-
ro do Sul, aos reerutis, Autm'o Carolino e Jos
dos liis So ares de Miranda.
Os *r*. agente- Ja companhia de navegaban
brunVira man lea dar tr ilusorio at a Rabia, p.>r
cmla do ministerio da marinha, no vapor Cruzei-
ro do Sul, ao t- cirurgi 1 l>r. UIIoi Uaptisia de
Oveira.
Os Srs. agentes da companhia de navegable
brasileira m.indom dar transporte para a corle,
por coala do iitiuiMt io do imperio, no vapor de9-
sa tbmpanhia, que se espera do hu te, aos dezese
le eiixdes que a esta acompanham, contendo o*
elementos originaes do receuseameuto procedido
1 osmunicipios de Goyanna, ItamlM, Rio Formoso,
Agua Prela, Santo Anto Escala, os quais teem
4e ser all entregues directora ee.ral de esta-
tifica.
uman do saommmo.
JL 1 secaio.
Omcios :
Ao commandante das armas uterino. S.
Exc. o Sr. presidente da provincia manda decla-
rar a V. Exc, em resposla aos seus olllcios de
hontein datados, sob ns. 38 e 385, que licam ex-
pedidas as necessarias ordens para serem trans-
portado* no vapor Cruzein do Sul, para a corle o
segundo cadete Domingo* Paula Cab al e para as
Alagas c desertor Joo Bautista dos Sanios.
Ao mesmo. S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia imnda declarar a V. Exc, em resposla au
SM offleo desta dala sob n. 387, que licam expe-
didas as netessarias ordens para serem trunspor-
* acorte-os sete recrutas mencionados em o dito
offlcio.
Ao commandante do vapor de guerra Recife.
S. Exc o Sr. presdeme da provincia manda de-
clarar a V. S., cm resposta a > seu offlcio de huii
tem sob n. 345, que nesta data expedio a necessa-
na ordem, alim de ser transportado a Bahia o 2*
ciruigiau da armada, Dr. Odilon Baplista de O-
veira.
Ao eapitao lo porto interino.-S. Exc. o Sr.
presidente da provincia manda declarar a V. S.,
em resposta ao seu offlcio dio 8 do corrente sob n.
83, que fica expedida a conveniente ordem aos
agentes da companhia de navegaeao brasileira,
para mandaran transportara corte nov.por Cru-
zeiro do Sal os dous rccrulas de que trata o ci-
tado oflieio.
2.' tecco.
Odie i os:
Ao Dr. chefe de polica. -Transmuto a V. S-,
de ordem do E.m. Sr. presidente provincia, o
"litulo junio de noinea-ude Paulino Pires Pairan
para deleg'do do termo do Cabo, de conformidade
rom o seu offlcio n. 659 de 4 do corrente.
Ao mesmo. O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda a-cusar o recebiuiento do offlcio de
V. S. de 2 do correle, commuoicando que nessa
data Ihe foi apresentadii pelo administrador inte-
rino dos crrelos o earteiro Sebastio Lins, contra
quem o juiz criminal havia expedido mandado de
pristo,
^ Ao commandante superior do Recife. O
Exm. Sr. presidente da proveia manda comiuu-
nirar a V. S. que portaria desta data concedeu a
Jos Candido de Barros Jnior demissao que pe-
dio do posto de lente da 5* companhia do 3- ha-
talho de infantaria da guarda nacional sob o seu
(ominando superior, da conformidade com a in-
formaco de V. S. de hoje datada.
Ao commandante superior de Tacarat. O
Exm. Sr. presidente da provincia manda commu-
ncar a V. S. que por portara desta data, e de
conformidade com a proposuque veio annexa ao seu
offlcio de 18 do mez prximo pissado, ncmeou o
o i sa/gento da companhia do batalhftoii. 3i
da guarda nacional desse municipio, Apolinario
Gomes de Si, para exercer o posto de alferes se-
cretario do referido balalhao.
Ao commandanle superior do municipio do
Brejo.O Exm. Sr. presidente da provincia man-
da commnnicar a V. S. que nesta data expedio
ordein Ihesouraria de fazenda para pagar a Je-
ron y m 1 Pereira Marins ou a Evaristo Mendes da
Cimba Azevedo os vencmentos da guarda nacio-
nal de que trata o seu offlcio de 30 de marco ul-
timo.
Ao S'. desembargador silverio Feruandes de
Araujo Jorge. De ordem do Exm Sr. pre-identc
da provincia, communico a V. S. que nesta data
remetleu-se para a Ihe oujaria de fazenda o titu-
lo de sua remof-o da relacao da provincia do Ma-
ranho para a desta.
= Ao bacharel Gaspar de Vaseoncellos Menezes
de Drummond. -O Exm. Sr. presidente da pro-
vin.ria manda aecusar o recebimento do offlcio de
V. S. de 7 do corrente, participando ter nessa da-
ta assumido o exercicio do cargo de promotor po-
bheo da comarca de Santo Anto, para o qual fui
nomeado.
Ao promotor publico da comarca do Bom
Conselho.-De ordem da Exm. Sr. presidente da
provincia, accu*o o recebimento d > offlcio de V. S.
de 24 de marco ultimo, participando ter nessa data
reassumdo o exercicio do seu cargo.
Ao promotor publico da comarca do Limoe-
ro.-O Exm. Sr presidente da provincia manda
aecusar o recebimento do offlcio de V. S. de 26
do mez prximo lindo, participando ter naquella
data reassumido o exercicio do seu cargo.
Ao bacharel Francisco da Caoba Castello
Branco De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da
provincia, communico que por portaria de 12 do
mez prximo passado -foi V. S. nomeado 3 sup-
plente do substituto do juiz de direilo de orphaos
desta capital, e nao 2", como por equivoco s; Ihe
communicou em M deste mez; devendo V. S. apre-
sentar nesla secretaria o respectivo titulo para cor-
rgir-se o equivoco de que se trata.
4' secr/ie.
Offlcios :
Ao Dr. Joaquim Correia de Araujo, secre-
tario da assembla legislativa provincial.N 68.
De ordem do Exm. Sr. presidente da provincia,
passo s mes do V. S, alim do ser presente a
essa Ilustre assembla, o incluso projeclo de pos-
tura, organisado tara tal um pela cmara munici-
pal da villa de Pao d'Alhn, como ver do offlcio
junto por copia.
Ao mesm >. Y 96 -De ordem de S. Exc o
5r. presidente da provincia, passo s mos de V.
S, alim de ser presente assembla legislativa
provincial, que tomar na devida consideracao, a
inclusa copia do aviso datado de 29 de marco ulti-
mo, em que o Exm. Sr. ministro da agricultura,
commercio e obras publica, declara haver a le-
ga;o imperial em Londres solicita lo a interven
cao daquelle ministerio para que seja paga a
Charles B. Vignoles a quantia a que se juiga com
direto como arbitro na queslao havida entre esta
provincia e Eduardo de Mornay.
Ao Dr. director geral interino da instrueco
publica. S. Exc. o Sr. presideute da provincia
manda communiear a V. S para seu conhecimen-
to e lins convenientes que, em visla de sua pro-
posta era offlcio de 3 do corrente, sob n. 95, re-
solveu p. r acto desta data exonerar Tliomaz de
Araujo Albuquerque, a seu pedido, do cargo do
delegado litterario do districto da freguezia de
Santa gueda.
5'KCCOO.
Offlcios :
Ao engenheiro Paalo Jos de 01vera.-0
Exm. Sr. presidente da provincia manda aecusar
o re chimen tu do offlcio de V. S. de 8 do corren-
te, no qual participa que o trera sahido do Recife
s 8 e meia horas da noute, ao chegar ao povoado
d) Caxang, malou um hornera de cor prela, que
eslava sobre a estrada.
Aos asents da companhia do navegaeao
br.i-ileira O Exm. Sr presidente da provincia
manda acensar recebido o offlcio de Vv. Ss., desla
data, '.'.11 que comniuuicam ler chegada hoje dos
putos di 11 irte o vap.tr Cruzeiro do Sul, e que se
destina am intu aos do rill.
Ais Srs. Auto lio Luiz de Oveira Azevedo Jn
CO "Xiii. Sr. presideute da provincia manda
aecu-ar a reo -pean do offlcio de Vv. Ss, de hon-
tem, 010 que participara que o vaoor Oastn de
0?km*s: chegado 'Jesse da da Baha con escala
pelos portos de Sergipe e Aligaos, regressar com
a uiesina escala hoje s 4 horas da tarde.
2 seccao.
Ufflcu:
Ao eommandantt superi r do liecfe. Srva-
se V. S. do dar suas ordens para que s 6 horas
da manha do da 13 do corrente se aehe postada
em frente da groja matriz do Corpo Santo una
guarda do honra, aura de acompanharo SS. Viati-
co, que tem de sabir cu procisso para os emer-
mos daqoella freguezia.
5 seiviin.
Portaras:
Os Srs. agentes da companhia de navegaeao
brasileira inaudein transportar curte sor conla
do ministerio da guerra somonte os sele r COBslaoles da relacao junta, l'ieaado sera effeito a
portarla de 7 do corr.-ute que 111.10 I m transpor-
tar aquello deslio > 3) recluas.
felwao que M re'ere. a portara IMSST,
Antouio da Silva Cgano, llellanuino Correia de
Souza, Gabriel Nones Salvador, Ignacio Jos Rul
no, Joaquim Heinario do Prado, Jos Ruwnund
durado, Manoel do Nascnuento Bezeria.
Os Srs. agentes da coiupauhia de uavegacao
brasileira maudiMii transportar corte por cunta
do minv-tei io da guerra, uo vapor Cruzeiro do
Sal. o 2- cadete Domingos do Paula Cabral, que
assentou praca voluntariamente nesla provincia,
cora destino a um dos coq>os da guarnico da
mesina curte.
Us Srs. agentes da campanilla de narega.-o
brasileira dccio suas oidens para que seja trans-
portado provincia das Alagoas por conla do ini-
uister o da guerra no vapor Cruzeiro do Sul, que
para all segu boje, o desertor da compan ia de
infantaria da uiesina provincia. Joo Baplista dos
Santos.
DKSPACHOS DA l-HKSIDR.NCIA M 31 DE HAW DE
1873.
Antonio da Costa e Sa -Certifique, nao haven-
do inconveuieiit'.
Clementino Teixeira de Magalhes.- -N'ao lenlo
sido anda multado o supplcanle, extem|oraneo
o seu recurso.
Estanislao Ko-nk de Albuquerqne. IVove o
supplcanle ser o unic i herdefro de seu fallecido
irmo, ou autorisado pelos deraas, para receber
a quantia que pede.
Fiejden Urothers. Defer lo cora offlcio desla
data ti esouraria provincial.
Irmandade di Senhor Bom Jess dos Marhtio*.
Deferido com oilicio desla data Ihesouraria
provincial.
Joaquim Ignacio Goncalves da Luz.-Informe o
Sr. inspector da Ib -souraria de faz-na, ouvindo
o collector respectivo.
Tenenle-coronel Jo- Soares de Mello Avellius.
Deferido com offlcio desla dala ihesouraria
provincial.
Jos Barbosa de Oveira. O supplicante ser
opportunamente submeltiJo a julgamento.
Jos Candido de Souza Costa. Como roquer.
Jos Rodrigues Campellu. Requera o suppl-
canle s autoridadef judiciaos, para isso compe-
tentes.
Liliosa Siivipa de (liveira c Silva. Indeferido.
Padre Mauoel Lopes Rodrigues de Barros.In-
forme o Sr. nsqeclor da thesourara provincial.
Marianos Augusta da Rocha Bastos. Informe o
Sr. engenheiro che'e da repartilo das obras pu-
blicas.
Manoel do Carino Ribeiro. -O supplicante exi-
ba a planta do terreno que desoja transferir.
Marta Paragoassd de Albuquerque Marauho.
Ao Sr. inspector da Ihesouraria de fazenda
para informar, ouvindo t estacan respectiva.
Pedro Antonio da Silva.Em vista da informa-
eao do coinmandante de polica, nada ha a de-
ferir.
Silvestre Ribeiro de Albuquerque. Aguarde o
supplicante a ordem do thesuiiro, que n > polle-
ra tardar.
Vicente Teixeira Bacelar. Recurra o suppl-
canle ihesouraria de fazenda, que a compe-
tente para tomar conhecimento da materia e de-
ferir como i'r justo.
Secretaria da presidencia de Pernambuco. 2
de jiinbo de 1873.
O porteiro,
Silvino A. Rodrigues.
ICcpurticilo I policiu.
i.' seccao. Secretaria da polica de Pernambuco.
1' dejunhode 1873.
N lii2.6lllra. e Exm. Sr.Cuiupre-me scen-
tilicar a V. Exc. que, das parlicpacoes recebidas
hoje nesla reparticao, consta que foram hontem
recolhdos casa "de detencao os individuos se-
guimos :
No dia 31 de maio ultimo, minsa ordem, Ma-
noel Francisco Antonio, viudo do termo le bo-
nito ; e os desacisaios Joo Ferreira da Silva, e
Francisco Lcao de Sao Pedro, at que possam ser
adiniltidos no hospicio dos alienados,
A' ordem do subdelegado da Ba-Vista, Amelia
Mara da Concecao, por offensas moral publica.
No dia do corrente, minha ordem, Ananias,
escravo de Joo da Silva Ferreira, por deserdem.
A ordem do subdelegado do Recife, o mar-
timo Th una', requisco do cnsul francez.
A' ordem do de S. Antonio, Vicente, escravo de
Jeronymo de Figueredo, sem deelaraco do mo-
tivo ; Pedro Alexandre Baptisla, por crime de fe-
rmenlo, e Ivo de Parias, minha disposico.
A' ordem do do 1 districto de S. Jo;, M itheus
da Silva Soares, por uso de armas defezas,
A" ordem do de Santo Amaro das Salinas. Ma-
noel, escravo de Manoel Jos dc Araujo, a ro-
quiseo deste.
A' ordem do de Belem, Luiz Alves de Souza,
por crime de ferimentos graves.
Por offlcio desta data, particpou-me o subde-
legado da Ba-Vista, que hontein pelas 10 s meia
horas da manh, Leonarda e T.-ereza, escravos
de Antonio Joaquim Ferreira Porto, morador ne
2* aniar do sobrado n. 22 ra da Iraperatriz,
travando se de razo-s, e desla* resultou sabir a
segunda com a cabeca quebrada ; que nessa oc-
casiio, subindo Porto para a sua casa, e teniendo
Leonarda ser castigada, precipion se do terraco,
cahindo na offlciua' de marcineria de Remigio
Kneipe, resultando disto (car com a coixa di-
reita fracturada ; e que apenas leve conhecimento
deste fado, drigo-se a aquelle lugar o fez as
competentes vistoras.
Finalmente a ordem e Iranqnillidade publica
nao soffreram alieracan.
O qne ludo communico a V. Exc, como me
compre.
Deus guarde a V. Exc. IIIm. e Exm. Sr. com-
mendador Dr. Herir i pie Pereira de Lacena, dig-
nissiino presidente desta provincia.O chefe de
polica interino. Manoel Tertuliano Thomiz Hen-
rioncy.
^RNAMBUCtt
REVISTA DIARIA.
\ -isr-mbla. prnvliirinl. Hontein fuoc-
riioioii ,; iu 27 Srs. d-vuU.l* ;
ApprovaJa a acta da n*edeaU', o Sr. !. se-
cretario lu o seguinte expelieiile :
lima peleao de AleNaiidrina Marques Mascaro-
nhas, professora da villa do Tiioinplio, pedindoo
pagainenU) da quantia du 31*320.A' commissio
do orvamoato provincial.
hu lido.julgado obj-ctode deNtwra<-ao efe
pensado da iiiipress io um pnoerln da rowwi.i .
de justica civil c criniinal. d -(erm*. a peOfSji J-
Luiz Ferreira Bandoira
offlcios de labellii.) do pulnVo e judicial qnr er.m
exereidis por F.-aa.risco X ivier I jvlcanle
Foim n em NtOS lidase appiov.i.la- as rrdacre.
dos pro.ectos ns. 74 e 75 ilesle mm.
Passando a ordem dia foi a|qirovado ew I.*
diseussao o proj.-clo n. 67 d**ie nao, utorisjn lo
a coneess.) de um praa para i-uncli** 4>* U t
bailes da '--trada do norte. m'ihIu ili.-pesa tersticio a requeriuii-nlo doSr. Ralis Silva. tu**
assim can 2* diseu--o o pruMUft W, que re-
gula o servco dos escrivies deU enm al-
gunus eineudas e di-|M-nsa lo o iiiler-li a i.|i*
rmenlo do Sr. Comes Prenle ; '-m 3- o f a. fft,
qtii! autorisa a iBMOtiWia do ex-temnite d->
eerpe de paMi han POMlm Lg" : fin ihsm-
le em 3' o de n. 51. iore eoi-nto p|ovmnal| com
inais alg'ious eoi.,11 las. manilo -s Ca-
valcante, (unes Prenle iMynqiio Mar*'**, ti
can lo |mii- isso u projeclo de|M.|i ient. de urna ou-
tra discusso na forma a sapaaoon,
Tendo dado a hora Sr. paosHsjmj ^van-
la a sessao e d para onl-in du da. aleta V
materias | designadas a j. i|icus-o do prni*.-!*
n. Ii7 c -i' d i le n. ti'.', a-ubo. il. -l. mu .
< illrc( taria da presidencia da provincia, dr 1* dc auii>
foram Horneados para as collcclorias (r..\iiKae-
dos seguinli's muuicipios :
liaiqne. Fiscal indiin mssst Aiitom Mar
ques de Albuquerque I'.aval ante : eoNcrtic. c|ii-
tao Doniido da Cunha Lima ; firnn. Tiiriaau
Nanea dos Keis Campidlo; cbralo. Pouria
CassaHa e Si noira Cavaioants
RamCmrlho. Fiscal, bao arel Manod Jar
Mendes Bastos ; collector. Man H llsrocira (jt|-
cante dc All)iiquer rieo Infante Mariuho Faicio : c 4|krOiv
Ciiires de Arauj \
'"'"'i'Iiiiik riscal interino, icncnie rua^l
Antonio Vctor Correa ; coll-ctor. Eu alio Kih|*.
nio de Freilas Vilella ; cscriv o, 1 Silva.
II .,i,h,. Fiscal. Iiaeb.irel Jo-e Mana fes Arao-
jo; collector, Teicsphoro Marques di Silva e>-
crivo, Jo- Polycarpo de Freila* Jnnior.
Caruar. Fiscal, bailiard Kh-urio Augn-i..
de Moraes ; escrivio, Mgoel Aiclianj d.' Mea
doea Jnior : cobrador, k**' Kodriguo Jacu-
bina.
Imams. Fiscal interino. Man^-I Hcaarra
dos Sanios ; collector. Francisco Apollme aVaer-
ra de Vasconcellos.
Pa Helias. Fiscal i niel mo, (>>ai o B iievto, .
FalcAo : collector. Arseno Cordciro Rilx-un Caai-
|mis : escrivo. Peregrino dc IbObS MagiMiac*
cobrador. Wenceslao Florentino tos Sanli.s.
Brejo da Madre de Deus. Fiscal, karbaicl
Marco Tullio dos Res Lima.
Caujirrin niii-iwnal. Por pmOmfeai da
presidencia da provincia, de 31 de inai > : maa-
dou-str dar guia de (lassagem para o municipio >
Recife a Jos Carnciru de Smiza Caslrn, rajHlao da
6* compan ia d) 7* kalal'io de revivado sa'i-
ncipio do Recife ; e di-pensou po decoirid". para po l.-riirar titulo ik-ntro do pi
zo de i.'i dias. a Antonio Basilio de Mello monead >
alferes da 1* companhia do .*iu- balalha > d<- iinaaie -
ra, du muniejpiu de liaianliiius.
Comarca dr (aranliasm. P-r ar-
larla da presidencia da provincia, de 31 Ai- mai .
foi nomeado Manoel Joaquim Pereira N-II". ad-
jiinto do promotor publico da cumarra tiara-
nbiins.
KrrKiirxia Ir S Podra Mrtir eV
Olinda. Por pro\i>o Jo Kxm < Kvm Sr
bispo diocesano, de 31 de maio. foram aoiiN-adus
para essa fe^efSMSJs : vigario enconmm^lado
Rvm Frei Joo de Santa TUerez, e coadjutor <
Rvm. Juvenciu Verissimo dos Anjo.
Curato da .S. Por arwMi do mesa.
K\m. e Rvm. Sr. foi exoneraikt. a seo |--U4". dc
cura da Se de Olinda, o Rvm. nsi >az dc Gu-
tierres.
Oril.'iis inrnorrM. Ante-Innitcio, plt-
7 horas da manhl, m capella do palacio ept-o
pal da Solcdade, S. Exc. Rvm. coaerto ordos
menores aos seminaristas, Tln-inM-vl Cmralve.
de Andrade. Antonio Man el dc Caslillio Hraadao.
Joao Marques de Souza Jnior e Jo.:." da
Bezerra de Carvalho.
Procisso Anda .inichonlcm
una procisso da Senhora da< Meri-c%
igreja de S. Jos de Riba-mar. pcrrorrrndo Inti-
mas ras dessa freguezia.
O arompanbaii enlo era fonn.wlo por graade
nninero de meninas, vestida de branco cora nta
azul liracoio, e a guarda de honra dos aiffm
do arsenal de guerra com sua msica a frote.
Mea Mariano. No saldado badarasa-x*
os exercicios do mez iran.uio n< igreja* de i.
Francisco, Santa Cruz, (loria, Carmn e fcah* :
e no domingo, as de Sanio Amaro, de S. los d
Mauguinho, (iraca. S. Jos de Hila-mar e Madre
de Deus ; havendo em algunas atissa* chalada*
ladainhas, e era nutras cominiiuho geral, (Ba-
sas cantadas e Te Itenm.
Era diversas casas particulares de-la cidaV
houverara por igual motivo ladainha- uieaaacs.
Festividad*- reliariasH Hunve, asar
hontem, na igreja de S. Francisco, a toiwiridade
do Divino E-pirito Santo, mandada celebrar pti*
irmandade da Sanlis*ima Trindade.
Pregn ao Evangelho o Hvm. Leonardo Joi>
Grego.
I'orto de Triratr. Subre a rubrica
Commercio, encelamos boje a publieaco da resis-
ta eommer.'ial dos rs W. II Oft>nandt. a pra-
ca de Trieste, de onde vera ao nosao mercad" praa-
de por-.-o de farinha de trigo. RecenaaModasat
a sua leilura aos nossos assignanle*.
Ferias no fora. Omecaram dnesiaan a*
do Espirito Santo e devem terminar ao dia 8 (d-i-
uiingo) prximo.
Cidade de Olinda.-No dominio I* do
crreme, encerrou-seo mez mariaaao aa igreta >
S. Pedro Marivr de Olinda, oeeuaaadn a iran
sagrada o Rvm. Sr. padre Miguel Araerico IVrrira
de Souza.
Sao boas.Das 10 para a< II knra* da asa-
nh de domingo ultimo, Leonarda e Taerraa, *-
cravas de Antonio Joaquim Ferrera r\to, nwra
dor no 2.a andar do predio n. 12 da raa da ha
peratriz, travando-ae de raaei eai rasa de asa
proprio senhor, paasaram a vas de tarta, i
do d'ahi flear a segunda com a cabrea
pela primeira. Esta, ao sentir qne o senhor mTd-
para a casa na occa-io em que tinha lugar n rea
de i
dicto, recis as consecuencias delle, e
raiva e snsto simultneamente corre ao i
casa e precipila-se deMe indo raba*
na de marcineria dc Remigio Kneipe, fr
a cirxa da perna direita
Tendo conhecinMOto a
compareceu ao lagar e procedo as it taris
Paaradoria de rasoda -eatai
pagam-se boje aa seguales Moas
instancia, peas al da polica, ea
cia/s do exercito e oalraa,
irurinhagem e guardas da ;
einprtgados da estrada de farra.
Hospital rartBMrsaea Ts4e
adiuinistraMO n'erma deste bosaital aa i
de nkirdixaa de as'isencia Mn. Sr.
vedor Joo Jos ftatrigiv-^
exercicio de snas nsBrciVa m rum* Sr lata-
no Jo* da Costa Aran/a. O ufTioK-at te *
i


PPI



Diario de Pcrnambuco T^rqa elra 3 de Juuho de 1873.
31 do pasado fui o eeguintc : existiam doenlcs 6 '
ntraram 13, sabara u 11, fallecen 1. evMcm Si*.
AiMiissintat*.Infnr.nam-iius que i rriMl i
llanca! Soares, que noiieiaui .s icr dosappareei la
quando e lava pescando d.fronte d plurol, n'um
los das da semana pausada, nlo pereceu victima
da casualidad.; como cato disseqios, mas sim suc-
cu'iihio ,i ar.na homicida, vibrada por traieociro
inimiga, que gj apr ivt-iiou do momento em quo
dio euealhoii a jangada no aieial diliruin. O
dosso informante os pede para leinlirarinos ao
digno subdelegad i da ieguezia di Recito \no lias
diligereias q ao proceder se nao esqueja iulcr-
logar culi eilidad OKl< individuas un .lis quaes
diz ler ouvido un tiro na noule em que so leu o
dc$apparccimeiito,dd Soares, a nutro que coili esto
leve grava dosiiitelllgenria poneos dias antes da
iior'o.
Pi'uirlaiaaK.-Porun liis na dia 1 dcjunli >,
na matri de Santo Antonio :
l'denonciafio.
Mamvl F r'.unata da Costa, eo:u llorala Ma-
ri i da Conceicao.
Innoceiieiii Joaquini de Saut'Anna, com D. Mi
lia do ftpin'lo Sanio *Miveira. a
Januario auas da Sdva Lina, co:n Rila Mara
da Coneeicio.
Jos Antonio Jo Smu Bflo=, coai D. Amelia da
UeoOtfieau de 01 veira Az -ved <.
Agoslinha Vrela dos Santos, com Lucinda Ma-
i a da Coueoir.lo.
Franeise> Ln- (.avalente, eoiu Felicia Tliend i-
ra de Danos liis.
2' donunetaeJb>.
Chinero Alvos de Parias Pudroso, com Maria da
Coneeicio Olveira Figneiredo.
Franeise.i Manad di Luz, eon Julia ffheroa
llitieneourt.
Aiitonii J ii piim Dias com D. Ana da Concei-
i;o turbosa.
8' ileniineia':.ao.
Munal MeadiH lionealv.'s, con SeaonlkM M li-
des Hran dan.
Joai da Votta Mont-j.ro, com Marcolina da Con-
reirn Ner\.
I.'tt*ri:i. A que se echa a venila a 53", a
lieaelieio da igr.-ja do Rosario de Santo Antonio do
lti eife, a >|ual corre no da 0 de fundo.
LeUaYfW. Hije(l) deve partir s 11 e niei a
horas em pot>idi estaca> di arco Je S. Auto
nio o Ir.'in que servir do condcelo gratis aos
oii.-iirrentes di leillin que deve ter lujar na Ca-
puaga, casa rio Sr. J. S. Lambley.
- Quinta-loin, 3, clleoliia o agente Pinto o
leilao di burra, preasa e mala objeeioi do acata-
zem da pra;i d > ijiinmereio n.. atrita como diffe-
reates fazea.las avariadas alli existentes.
Cusa ate Bailara y Iba Moviuieuto do dia
I* de junto de HJ73:
Existiam presos :ti, entraram 8, existen) 3'i2.
A saber :
Xaeionaes 2,6, mnllieres t 1, estraugeiros 43.
-cravos .'il, esclavas II. Total 3;>2.
Alimentados a cusa dos cofres p:ildicos 270.
Mavioieat i iia enlerniaria du da 1" de jimba
dj 1873.
TeviM.un baixa:
! du.ii.lo Vieeate C-ilangro,indigestan.
PraneMM Xavier Saltan, cidicas.
.'>a lim Alvos da Lu, plearodini.'i.
IHch.or dos l'i'is l'avaa.
Vsente, esera odeJuroayino de Figneiredo, fe.-
rim intos.
II >oit>! kP4ro II. O mov.nenio destr
slalniieriiik-at >, de t de maio ao dia 1" de imho,
Te o segninte : existiam 347, entraran) :I8, sabi-
ntm 18, l'alle-er.iiii .'i, exislexi 3V, sanda : 33 ba-
rr vis e l i ni illu-res.
Ail.i'iieiiiia.
I''.>r.i:ii visjiala- as e.ierm nias neslos das > 10
II, 8, II. 8 1/3, 9 I/.'. 8 1/2, pala Mr. liellraa,
p.r ais.-n-ia da l)r. Ramo*; as 8 l/i, 9,9 /i,
8 I 3.1 '/i. 8 l/i, paloDr. Malaquias ; 8 1/9,
i'. !. 8 l/ 8 11 \\ pela th\ \ i.llllia.
Falleadot.
J:iiia : gangrena enssesnsiva.
Mara da Lux doperoeimt'iiU) geral.
Qaileria Mari, da onfiei;\>; tubrculos p.ilnio-
narjs.
-Giovani Traemnaia ; tebraamuella.
Joanna d Kspiril Smta ; cachexia.
Oiuitefid pubiiet. Oliituario do dia 31
de maio:
It.niai Mtriad) Epfili Santa, parda Per-
nimliueo. W amias, siltira. Ilaa-Visla ; bepa-
lile
Joanna, parda. Pemambueo, I'i dias, lloa-Vis-
la : hemorrhagia umbeieai
Cari, branco, Pcrnambuco, anuos. S. los ;
varilas.
Heuri ineta Rodrigues dos Sant is. parda. Per
nambucii, 29 aunas, solteir.i, S. Jos: laringite.
Vicente, escravo, preto, Pernambuca, 30 anuos,
solteiro, S. Antonio ; colite.
1" de juuio.
Antonio Comes Pe.-soa, branco, Paraliyba, 2.*i
amos, solteiro. Boa-Vista : abeessa par congestao.
Joanna do Espirito Santi. preto, Pernambu-o,
30 amias, solteirra, B.Vi Vista. b>-ilil Pedro II;
rac.iiexia.
Mirla,parda, Pirnamliuc, 5 meses, r. Jos ;
varilas.
Jos Antonio d.i Cila, preto, frica, 61, anuo-,
salteira, S. Antmii ; ignona-se a moieslia.
Rojiiniann, es-rav.i, prot-t, IVrnambuco. 10 au-
nas, snlieira, H.'i.i-Vissa ; v.uil.is. .
Grave, l'erai'u'cici, Fc.ri.M, ii annis, silteiro
Keeife ; ferimoal.
Galdiuo Migiel Fransisc, parJo, ignora-se a
naturali I.i le. .'J anuas casada, S, Anton.u ; gastro
enterite.
Osirina, parda, Pernambueo, 7 dias. Boa-Vista;
c mvulsoes.
Si'i;>:iii ti: > un rrc'tt.
A'IIA DA SESSAO ADMiNlSTK.VTlVA DK 29 DE
MAJO UE l73.
lilKSI0KW.IV l KXM. Sil. C iNSKI.IIEIIIO A.NStLM
PIIAKCUGO l'RIIKTTI.
A's 10 horas da mauli'i, pceseutes os Srs. de-
putadas, aeerutario CKinto Bastos, e Sr. supplenle
Sa Leitao, fallan 1 > o Sr. dauattdo Candido Alcofo-
rado e d -ixau I > d > C nn;iarecer a presento sessa >
o Sr. supplenle Csete em consecuencia dos mo-
nvos constanles d is o lelos abaixo indicadas, S.
lixe. o Sr. consellieiro presidente dei larou abarla a
sessao.
Foi lida o approvala a acta da sessao de
KXI'KIHKNTK.
Olcij do presidente da provincia, re.lativainen-
le ao estabeleciinento da New London and Urasi-
lian Bank, com a dala de 27 o canferencia no of-
licio do tribunal de 1!. Foi enviado para o ar-
chivo.
O Heio da Sr. deputadCandido Alcoforado, par-
ticipando que e:u cousequencia das clie;adas de
dous vapores, buje deixa de comparecer a sessio.
O tribunal licou iuliaiado,
O.Ii.'ii) da Sr. supilante Pedro Goncalves Perei-
ra Ciscao, em resposta ao do tribunal de 20, acei
tanjo osen cmvite e deixandi de comparecer a
presente sessao por motivos imperiosos.dem.
O livro da correspondencia ofllcial regularmente
escriptuiada ai o n. 87.
Foram rubrica os livros seguate.*: diarios de
Pedro Osario de Cernieira, de Si Leitao Irnrms,
de 0 >m a de Mattoa & Irm'ios e copiador de An-
r mi Corroa do Vascancellos.
oksp.vchos :
Ri'querimentos;
e Jeraiivm i dt Costa Lima e Ueleodora Fer-
nindes da Cnia, registro do dislralo da sociedade
que tinham sob a fuma Lima A Cruz Vista ao
Sr. dosembargador liscal.
De ios Alexan le Pereira, cididao brasileiro,
casado, cmi 43 anuos de idade, residente e esube
lecide nacidade do \racaiy, com casa de negocios
de gneros uacionacs e estrangeiros, pedindo ma-
tricula de commerciantc.-Vista ao Sr. desembar-
gador fiscal.
De Vaz i Leal, podido que so lhe d por certi-
io se a sociedade commercial sob a firma Fran-
cisco Antonio Pereira & C, tem contrato registrado,
se ou nao em commandila c se Francisco Anlo
nio Pereira o gerente da mesma.Como pedem.
De Jos Amonio Mareira Dias, solicitando*er-
tidio do registro da noineaeao de seus caixwros
Custodio Moreira Dias c Joaquina Ignacio Pessoa,
e se continuam a ser seus ca:xeiros. Passe-se do
que constar.
e Manad Estanislao da Costa Jnior e Tertu-
liano Estanislao da Costa, para quo so Ihes certifi-
que se Joio Jos Rodrigues Mendes ou nao ne-
gociante matriculado e se os supplicantes sao ou
nao seus caixeiro.Sim.
De Manoel 'os Teixe!ra Ponte, para certificar-
se lhe se a nomeacao de seu eaixeiro Tbomaz de
Aquino Forjceca foi ou nao registrada no auno pro
ximo passado, e se o mesmo ronce; continua a
er caixeiro. -Certifiqese.
De Antonio Arves aa Silva, do 26 annos de ida-
Je, portuguez, casado, residente e estabelecido
jesta cidade, com casa de cammcrcio de artigos
strangeiros em grosso, sob a firma Bastos 4 Silva,
pedindo matricula de eo:n nerciante.-Vi.-ta ao Sr. Luiz Jas da Silva Guimaraes. e a iiifarmaca)
de eaibargador fiscal. -secretaria da la sobre a p.-lic'io do Okel liindl s
En cansequencia ile achirse incani;ileto o AC,
Iribiin il pelo na > cimparecimt>uto de tlous ile s sis O trib.inal iVSnlveu que b >nv ssc sessao ai
membros, licarain adiadas us petiev.!'- rvguintes : q tinta feira.
De Jas Francisr do Reg Mello, do Vaz Jnior Ao uioio dia S. Exc. o Sr. coasclbeii* pro -
&C, de Moreira Biptista A C, do Pereira da denla oncerrou a sess i pir nada mais haver a
Cunba Irmaos, de Finhino'Pereira da Cimba, de despachar.
TABELLA D<) RBXIMMENTO.DA ALFAXDEGA DE PEUXAMBOO DO MBZ DE DE MAIO I
DO CBRENTE AXXO F1.NA.NCEIRO, COMPAlt\DO:COM O E IGUAJtS MEZSS DO
IH)i:s ANNOS LTIMOS.
Importarlo
Direttot de ons-nno.....................
Dito de augmento de 40 /., 3 /. o 28 %
D.lade dito de 3i -/., i.......
Ditas addiciouacs de 5 %.................
Exp diente de 5 "/ dos gneros livres 0c di
reito* je consuoi).....................
Vraii/.enagem...........................
Df.ifHUJW M'llilllH
Vncoragem.............................
E.r/)0//(/i-i7o
Direitos de lo % do pao brasil.............
Ditos de 9 % de cxporlaco...............
Ditas de 2 I/2 ; dem....................
Ditos de I I/2 % do ouro em barra.......
Ditos de I % dos diamantes...............
Expediente das capatazias................
Interior
Renda da hpagrapbia nacional............
proporcional por verba......
lixo.................."....
adhesivo..................
Emolumentos ......_....................
Imposto de transmissao de propriedade, h sa
Iit : ile 5% da venda de vinharcac.io...
Dito de I % da arremataeSa de beus movis.
Extraordinaria
itecei'a eventual........................
OaawrMISl
H pasitos de diversas origens.............
Dizimos da provincia das Alagas..........
Dito da provincia da Paraliyba............
Dito da provincia do Rio Grande do Norte.
Conlribuirao para ca i7 JS73
o2fl:90072l
138:719J930
3:i.al*33l
102:22 3 0
2.6S9
,5810
S:66800
128:735*3-50
030
siooo
100*880
MMiOiHI
68J*890
764300
1:81627I
911.235447;
3 700432o
1132o! I
11:213510)
1:7104137
927:9964389
Allandegade Pernamlmco, 2dejunlio de 1873.
1H11 WJ
:i72:49l 4018
I ."i 1:69033
-- 3itf94lU3
IO--.0V4336
2:8014119
1:8734612
6:3214230
2;t3:7i84883
234350
4000
81346 10
7705010
3V64300
24030
1:733*246
i#~0 1871 ,
1,83.6394098
10:02 5988
148*3-8
10:1084577
1:7354760
1103:6114811
390.007.
129 W
1:16
*0:37i*3:t
'2-fJ8*0i6
11:763**18
4,509^00
I 3:801*921
87M36I
61*210
619*600
S09t9M
477*000
8*0W
648/1314
717:202*801
333i906
4 286*715
62125921
894776
-.7614912
7:30:0934067
Sarwllda ite rh-fe da 2" sercSe,
Anselmo Jos Pinto de Souyi.
mmwm i pejidb>
A'
P
rovmcut.
Se ba escrptores que riem i
Dio Timn; elle ri-se, sim,
impedir que abjuus desordriros fizesiem o que fize-
Tim m. inda urna vez, cumprimenta o redactor
di Prooinca, com qnern conbnnar a tratar, em
rinanto a ili-cussao se conservar em terreno digno
de li irmns que se presam.
A Piwincii tem razao : Ti non compreiiende o
seu papel Esse papel, o di liomein desapaixo-
nadu ipie naoq'ier iieniir e n en engaar ningucm,
ipie por causa algiima fallar a verdade, emhnra
com isso desgoste outros. Amieas Pinto sed aini-
CUS W lilis.
riem de roa conscioncia,
mas datinelles qu
por intoresse poltico sicrilicam a venlade c pec-
c.iiu contra 0 Espirita Santo.
Os augures romanos liam-se, como devem rir-sej
m utos lili -raes desta trra de liberdadeiros, que.
falla ni de liberdade p ir obras de despotismo; e a
pt >va, a primeira impriisa qneimada no anna da
iraca de 1873 !
T ni iii rise salisfeito com MU conscicncia, por-
que disse n que pensara e julga verdadeiro, o ri-se!
.. .das eowiis ptquMiiuM que se agitam com fu-'
w ris de ijijintes n.-s'a Ierra de Tabocas c Gua-'
ra rapes !
Nao s a presidencia e os escriptures, toda a'
provincia, sa > todos os que pensaran reflectida-!
niente qn.reconlieceram as aeotecinientos lti-
inainenle bavidos os frtelos p>xcos de un part da
polilico E o que mais; sois vs mesinesque'
assini o iHMisaes c dstes prova disto !
E' boje eoosa incoal'siivel e que passou em Jal-
gado Se isso vos desgasta, ten le paciencia f
S aquelles que esperavam pese ir einujuns tar-
en'', sil aquellos que appearaui para a desordem
aiiin de oblar o que almcjam, condemnam o ac-
tual presidente, e o que na verdade ningucm arme I
ron, fui ver um partido polifilo dar o cspectacoloj
que est dando aqnclle, deque soisorgaa! Se
trica, para que tanto esforco d-' rosea parte cm
negar o que por pciisainenln. pataens e obras ti-!
testes todos conhecar 1! '
0 lim com que Cuestes de nina quest'io religiosa
una poli tica, vos bem o sabis; e fcil conbecer,
- aproveilar a agitacAo e a questao como causa
vussa, apavonar-socomessas reumoe?, como sondo r
ledos eompartilhantes das mesinas ideas, fa er.
desordem, desacreditar a situacao, etc. Na patria ,
do absurdo eslranbavel que tenbacs ideas extra-,
vagantes e absurdas?! Tanto ;ao que as lives-
teis!
Se livescis a maioria di provincia nao atacaras,
por certo, o collegio dos jesutas, qae ueste nego-
cio nao eiilram se nao como lim ostensivo : mas
nao tendo essa maioria, precisa era que obrasseis,
como diz o privo, enn M&) deaito. Mandaiteis,
alguns l'azer os arlos de civismo, em qoant por;
detiaz da cortina, vos & companlia iirotestasses |
contra os actos maus, acusaves a autoridade e
li'jscaves ablala.
E' a poltica ingleza O Crecan attenlava
dentro de n issos porto? oontra nuata soberana,
por ordeiu occulla do gabinete de S. James, que
entretanto desappaovava o acto do eommandante !
Ergiurieis a bandeira a peito deseobcjto ?!
Cuma ? vos, (s iiilroduclores dos jesutas, vos que
Ihes desles o ensina, vos que Ihes entregastes o;
estabeleeimentos pos, vos cuja c'^efe Zacharas
agora mesmo, se mostra sen defensor, podis acaso
cuinbater o jesuitismo? eis isto seriamente ou
internamente rindo ?
Se sois csse partido forte, que dizeis, para que
mo combates no terreno legal f Poique nao
aprosriitas essa vitaldade e foiva essa homoge-
neidade dos grandes partido- ?
Qaal vossa bandeira ? Quar-s voasos princi-
pios ?
Sais na verdade grandes I Com que adiis pouca
a desordem bavi la ?! O dircito de pr ipiielade at-
tacado, um domicilio invadido, ermitas espavori-
da, urna capclla profanada, padres feridos c es-
pancados, urna unprens doslruida, a liberdade de
pens.imcnto nella violada, ludo sto vos oorgo do
grande partid.) adaos tr sido ii'ukirin e com
esse rjso que denata mais que cinismo, resums
ludo huncos quebrad:s e cachico-s em j su las !
Desde quando no Brasil o individuo deixou de
ter garantas! Desde quando o estranoiro3 se deve
cousiderar entre nos em Ierra de sclvagens ? Desde
que vos ffiUepartido, achaea que nao nada,
ou antes aafoi de civismo a desordem e o erime !
Planejastes, sim, a desordem. Queris a prova?
Perguntai ao cumprimen!ado de 11 se na* disse
que ios seus cu-religionarios, promovieis essa reu-
na.) gue elle ju'.gua inconveniente, perguutai-lhe
se nao declaran que upems uin.t comniisstl.i o ira
cumprinvntir,e se ao depois-nwj mandn dizer
por seu secretario que vossos generaes tinham re*
solvid'J fazer machar toda a columna.
Perguntai ao ultimo orador que fallou de janella
do gymnasio, se nao sabia do plano que o redac-
tar principal de vossa fulba tinba de levara cfTefo
e que cuectuou fallando de sobre a ca roca ; per-
guutii a este, que o declarou em sua correspon-
dencia se nao se gloria do haver quebrado estes
banc s e dudo esses cach'icves. Que o digam vossos
lillios que louvam o engrandecen! tacs feitosAe-
roic s ib crimes, vosso c ir ado-- confortado a cora
cvica ao hroe de 14 c martyr de 16!
1 non nao vos fallou em recolucao, ueiu ao me-
nos di-se quo lvesse havdj a 11 urna rcvollu, o
que dsse foi que vos hayiets plancjaJe umi desor-
dom Que dessa reuniao por vos convocada, sanio i
un grupo capitaneado pej mais trefego de vossts.i
amigos, para coininetler os a'.tentados sabidos, que
vos sabicis e coouves com esses factos, que por.j
c;Jculo a principio os desapprovaste al o momeri-1
to que jugaulo asado a vossos firi3 de agi'ai;>:\o
os adoptasteis a approvaitea ouroand c aiogiaudo |
seus autores a lim de atacar a auloridade.
Do mesmo modo qu-- so planejam as revolucOes,"]
se fazem as desorden?, enm a diiTercnca que "para
esteB se oscolhem cabos de ordem inferior e ellas
se dio no momento oppoi tuno com toda a rapidez:
quando a polica ebega, o bando j vai longe, as
jportas que se fecharan), abrem-se e ella x encen-
tra algum ferido, destrocos e maisnada I
0 que planejastes se deu ; quebrastes bancos e
iestes cachacoes em emitas, para dizer vede que
autoridades I nos buscamos c m nosta grande in-
fluencia manter a ordem, ma-s n ' o en'hmiasmo de momento pode mais que nosso
prestigio, e apezar de sennos 4fi00, nao podemot
rain r
N'um pata d- mleH/lcaeSe conlaes com ella;
para enjampird^s n simples dt espirito ; que
dzem as sagradas feuts, sito iiiiumero; niwte
mundo.
Timn j mostrou que nao houve somno a II,
neni embriaguez a 16 I
Se alguma cansa ilormio naipielle da foi a le>l-
dude, n honra, a dignidade d'.iqnelles que con-
canvram scientemeiiM para taes acto) I
Se alguem eslava embriagado a 16, foram os
polticos que nao enchi-garam, que querendo
nesse da continuar as desordens de 14, compro-
mettiam sen partido e sua causa, som proveito e
sem vantagom !
E tanto queries continuar taes desordens que
alem do que j disse o Timan, um estrangero,
ameacado de ver sua tyriographia e estabeleciinen-
to fazer novo auto dif semdhmte ao de 14,
protestava por perdas e damnos. e pedia garan
lias !
Timn poda desagradar-vos, podia nao ter bem
tratado da questao, certamente omitlio muiti
causa que pmiia dizer, mas nio quiz encher co-
lumnas, apias Iratou c o artigos dislinct.is de
pontos diversos de tal modo encadeados e eottM-
qumtes, que vos faz perder a paciencia qnerendo
refuta-I l. Timan nao quiz nada, o vosso cumprimentado
que declarou que o seria por umi emunissd), e
corn elfeito se houces inconveniencia de ir urna mullid la para frente de
um eatabtMpcimttttO publica de instruc;o, de um
intrnalo, dar linles de ta' quilite palrinlic> a po-
bres cran;,is, e astas ouvirem da boca de sea re
gedor c dos fugas is oradores esse ver'.m encades-
cont, que gerando o heroic- enlhusiusmi dos ami-
gos, levou-os a pratiear na feitos de cirismi de
q'tehrar bancos e d ir eaclueoes em jesutas, ousas
ess/is certamente mutJ lion'tis e leg es 1
Tanto vos coube a carapuca talluda a certa
ciaste, que desojaos tira-la da cabera para encai-
xar cm outros, n is quaes |>or cerlo ni se ageita
como as vossai batlaa frontes!
O partido conservador nao se sangrou como vos
na viia da MM le, frote-lu lo por preveaea > con-
tra os indicios e proas pie haviain de apparecer,
e o que celebre p ir vos BMantO ministradas !
Nao f ir.iin os chefesda narfllo conservador que
convocaram o povo para urna ovaciio ao amigo e
correligionario; nao foram elles que faliaram s
massas; uo foi de seu ladi que sanio o capitaoe
o grupo que eflbBtoon os celebres ocio? de civismo;
seus escriptares niojustilicaram a desordem, nao
reduzram lodos essc< actos de selvageria a bancos
quebrado* e eaehaco's em jesu'tas, e nomcomaram
por elles a redactor e membro algum de sen gre-
mio ; nlo ameacaram rom nnviinentos generosos,
nao pregaran) o assassinio das autoridades, c
nem quizeram tornar solidaria do seus excessos a
provincia!
O partido da aul iridade conteve a desordem, e
protestoa solemnemente contra os principios pe-
troleiros, rcsalvando os bros da provincia.
Se vos mesmo diz-is que a chamado do vossos
chefes corresleis praca publica, eomo negaes que
a reaniaa de II ni foi por vos feita e por elles
convocada ? E se assm com > queris escapar
responsabilid ide do occorrido ?
Nio passe, porem, sem raparo o vosso pavonea-
ment.
Quando Timn disse que a columna marchou
com generaes frente, porta Hinchados em pilolao
e cur.os ii em multidiio j esperava que quzes-
seis empingir gato por lebre e apresentar como
formad.- um s partido toda essa gente que ahi
foi.
Tirados os vossos generaes c esse grupo que fez
limpamenle o seu sercico, tudo o mais, eram cu
rio o* que queriam apreciar o espectculo gra
tal. !
Em todas as cidades abundan) curiosos e nada
mais fcil que pararan individuos, vendo outros
parados !
Qoanias vezes nao temos visto obtruidas as ras
por causas futeisl
Ha tem pos appareceu um dentista que tirava
denles sem ddr; que de vezes nao se vio elle cer
cado do mullides compactas!
Um outro dulcamara, semelhantea lantosou tros,
fazia peloticas para vender snoo que tirava no
do s ou elixir para caldee o nunca deixou de ter
auditorio inmenso!
Ha poucos dias dezenas de pessoas se debru.a
vam as grades das puntes e sobre as correles
dos caes, para verem um burro, inoro, que boian
do, pass,,va I
Se os dulcamaras e esse burro morto. attrahiram
tantas pessoas, ser de admirar que te congre-
guen) individuos para ouvir fnllaedes que devem
estourar como roMat Jorca do gaz ou bombas
trovejantes de elctricos oradores ? Por eerto que
nao; e nor isso foi que disse o Timn que vos
eris poneos e o curiosos em mnltidao,
Entretanto, como previo, vos em vosso artigo
dacs os 4000, todinhos, eomo pertencendo ao vosso
grande partido! Ora bota, dizia um de vossos
chefes !
Por demais esto tirados a limpo os acontec
mentes de 14 c 46. As autoridades j di^seram o
que tinham a dizer, e vos pela vossa parte fazeis
epiipiVis a vossos feitos e coroaes vossos neres,
Nao eavejamos vos*a gloria, e certo de que vos
.chaes arrependidos, vos pedimos descuida, se em
defeza do quedissemoo, aggravamos vossasaflUccoes
e da um voz permita que nio deepeea de vos,
dando um conselho de amigo : elle que estaes
fazendo triste figura I
Timn.
CitaijiiiuIM Uraiua^e.
Mous concidackos. No Muri de Wernambuco
d 23 de abril paesado, est eslampado e edital
do* consulado provincial para ir-mos pagar os
mimosos apparelhos- de latrinas desta companlia.
sendo muitos com caixas de pinbo, madeira m-
propria para o no-so paiz, que esta companhia,
tem enllocado em nossas propriedades, contra a
nossa vontade, em vista da innovacao do contrato
obrigatorio e por isso incunstiliicional, firmado
pelo ex-presidente da provincia o Sr. Paranagu.
No Diario de Pernimbuco de 30 de Janeiro do
corrente anuo publiquei um artigo em que per-
guntei ao Sr. director da repartiese das obras pu-
biieas fiscal d companhia irainage se os appa-
relhos do 2districto funecionavam regularmente,
como declarou o ex -presidente da provincia o Sr.
de-emkirga lor Faras Le nos, em sen rea torio na
Pitre.'a da presidencia, provavelmente par infor-
iiik;o.!< iib:i>tas do Sr. engenlieiro fiscal, que li-
jo acuoio lio l>: tri i de 31 ila r..-fe.d i j meiro, de-
clarando ser verdade que lilultoi apparelhas tem
f.ilta-lo supiin.neiito d'.igu.i, m irm ule os que cs-
to collocaios no 2', 3' e 4* andares; porm uo
esta falta nao tem priva lo que os moradores del-
les fae.vn uso, o que ja baria requisita lo com-
panlia a eeBBtrurc.io de um Mervaiorio.
O Si. ongenli'ira liscl sabe que a utilidade da
empieza Drajuage funecionarem os apparelhos
com snppriinr-ut) d'agna, do contrario nenhum
presliino tem, e que os pruprielarbs tem de pa-
gar o alto RNca de 7.'iO r.-. por cada um palmo de
canno decBninbo di canalisajio, porque i reta-
lito compra se a 250 rs. o palmo e a companhia
atada compra-o por maito menos, porquo o man-
-ia vir tluBrop o aln disto est sent do pa-
gamento do impo.-to.
Por ventura os ditos apparelhos e outros j se
acbain fuirc mando com supprimento d'agua. e
bem assini j a companlia construio o reservato-
rio re misilado pelo Sr. engenheiro liscal ? Quem
i*abe.
Sejamos francos.' salgum apparelho funeciona
cun agua p ir pouaos das e outros can dimi-
nuta agua e fallando por militas vezes eoutros es-
ta i funecionando sem agua.
Meus concidadaos Vamos pagar. Eis o resul-
tado do exame feito no livro em que lavrou-se o
termo da referida innovacao do contrato, o qual
foi julgado pelos peritos visivelmente falsificado,
cj:no deciarou o actual Exm. Sr. presidente da
provincia em sua Ilustrada falla, por occasio da
abertura da assembla legislativa provincial. Eis
o resultado das nossas rcpresenlacoes aos pode-
res do estado contra a empreza Eis o resultado
da nossa ultima repre; intac.io dirigida ao ex-pre-
sidente da provincia o Sr. desembargador Parias
Lemos, hoje affecta assembla provincial. Eis
o resultado Jos exames dos apparelhos pelo digno
inspector da saude publica e do quanto tan es-
cripto, mostrando os defeitos da dita empreza, quo
um foco de perenne o pestilencial podrilo. Eis
o resultado do que mesmo declarou o Sr. enge-
nheiro liscal, que umitas apparelhos nao funecio-
navam com suppriuiento d'agua.
A lei proviucial n. 769 paz a cargo da thesou-
raria provincial a eobranea, sendo por isso caixei-
ra de-ta companhia ; nao obstante ser urna em
preza particular, gozando de semelhante "privile-
gio, case nunca visto; porque o proprietario que
deixar de pagar ser executado pelo Sr. ti-co pro-
vincial. Sim, corramos e vamos pagar no cansa
lado provincial a morte que nos bularan) porequi-
dade cm nossas casas, por cssi innova.5o de
contrato approvado por lei provincial I!
Em quanto a mim, por em quanto deixarci de
pagar, indubitavelmente serei executado, seguro
O juizo,peco vista e apresentarei por certido o
termo da fasiucaf) c mais documontos, e so-
mente pagaici depois que for coudemnado pela
Jusea.
Todos reconhecem que a cidade do Recife pre-
cisa de asseio, na* a empreza Drainagc nao tem
correspondido e nem preenchido o lim que conlra-
tou com a provincia em vista da falti d'agua dos
apparelhos e alm disto mu onerosa.
Finalmente que o termo do contrato est visi-
velmente falsificado, como se tem demonstrado,
nao resti duvida, mas os falsificadores ainda nao
sao conlieciJos!! Esses patoteiros que alardeen)
entre nos por dilferentes formas.
Quem quzer que me acompanuc. Nao procu-
ro offender pc.-soa alguma, apenas escrevo con-
forme posso, contra a innovacao do contrato da
comnanhia Drainage, o que semprc tenlio feito,
nao obstante ser um pequeuo propretaro.
Recife. 28 de maio de 1873.
.V. /. Lopes.
Tomai
salsaparrlba de Ayer para purificar o sangue,
purgar os bu ores c fazer desapparecer as bor
bullas, as espiabas, furnculos, tumores c antes*
quer taeommodjs da pello, que nao sa- mais do
que symptomas da corruprjiio do sangue.
Oleu pin* luctlictii! de bia<*allio. de Luiiinuii *4
Kenap.
Os Drs. de ine.liciiia reconheccram. faz
alguns aniis, som oceultar o seu asMjinbro,
que as maleslias pulmonares e hepticas,
com nenhuma outra cousa so podiam cu-
rar, mas sim poderiam sor complutamentu
extirpavlas com o ol.o do fijado de baca-
lho.
Apenas se animacin um ttil successo,
quando para logo o mercado so vio inun-
dado de toda a casia de eoniposicajjs de
aceite de baleia, le phoca, de maos de
vacca, de toucinho c uinsem numero d'ou-
tras, a as quaes se ajuntou o nome do espe-
cifico legitimo, porm sem possuirem ne-
llhuma re suas reaes virtudes. Porm,
agora temos no oleo puro medicinal de
ligado de uacalho, de Lanman & Kemp,
uin artigo cuja porl'eita legitanidade de ex-
cellencia se acha comprovada pela facul-
dade medica.
>' is bospitacs militares, navaes o civis
dos oslados-Laidos da America, elle to
bem conbecido como na pratica particular
dos principies mdicos.
Nenliuma classe de tosse, resriamento,
affecco dos bronchies, molestias dos pul-
mes e do ligado, ou alTeccoes escrofulosas,
podem resistir a sua maravilbosa accao me-
dicinal.
Sem rebaixar o mereeimento de outras
preparar;oes legitimas da mesma natureza,
pode-se afianzar que aquello superlativa-
mente oxcellente.
(iaranto-se a sua boa conservacAo om
todos os climas.
Agut de Florida de Laminan rt
kenap.
Que os poetas embora fallem dosares
odorferos da balsmica Arabia, porm,
apezar de tudo pode-se muito bem por om
duvida, se jamis algunm d'esses florescen-
tes bosques de caneeras ou laranjaes pro-
duziram ou derramaram incens e perfume
mais refrigerante c deleitavel, do que aquello
delicioso e delicado aroma que exbala e
dimana desta adrniravel esceucia, colhida
dos campos virgioaes de Flora.
A atmosphera, a qual rouba e diveste a
fragancia quasi todas as mais aguas chei-
rosas, parece produzir bem pouco effeito
sobre a exqusiita raridade d'este aroma, a
qual pertence por excellencia a esta prepa-
rado sublime refrigerante.
Ella encerra em si, por assm dizer, o
condensado respiro e vida das llores as mais
exquisitas e odorferas do reino vegetal e
sua fragancia parece inexhaurvel, inoxge-
tavel, mesmo depois de ter sido exposta
urna prolongada evaporado ou diffuso.
N'este rospeto ella assemelha original
agua de Colonia de Faria, e preferida
por toda America do Sul e as Anulbas,
nao obstante o valor e custo dobrado d'a-
quellc outro perfume.
Milh Latham & C.
IIU.1 D.V CRUZ N. 38.
SEG-HOS
CONTRA -F0G0
IMPERIAL.
Umi de i oniiin-iTo si. lis. pri>
meiro andar.
Agente,
W. G. FENNEI.LY.
OOlPAlHirALLUICi
seguros martimos e terres-
tres estabelecida na Bahia
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL i,060:0007000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro a
risco martimo em navio de vela e vapores
para dentro o fura do imperio, assm como
contra fogo sobre predios, gneros e fa-
roadas.
Agente : Jonquim Jos Goncalves Beltro,
ra do Cornmercio n. 5, 1 andar.
Seguro
LIVERPOOL
ll-Ii
CDMMERCIO.
Banco Commercial de Per-
nambueo.
0 banco sacca por todos os paquetes so-
re as pracas de Lisboa e Porto.
Seguro eontra-f ig;>
COMPANHIA
liNORTHERN.
Capital.
Fundo de
reserva.
20,000:0009000
8,000:000?|i000
Ageotes, -
HE LIVERPOOL & LONDON CLOB
INSURANCE COMPANY
.4jt;entesi
SAUNDERS BROTHERS & C.
11Corpo Santo 11
PIIACA DO RECIFli 2 DE JI'XH")
DE I87:t.
AS .'I 1/IHmUI DA TARDR
Cota*oe olUciaes.
!amliio sobre Londres a 90 d|v. 2'i \\ i. por
liO'O.
Janourcq
'li'sidcuto.
t Scrivlano.
M-FANPEGA
tendimento do dia i ei:?G.'Ji3a;
Descarreijam l'.njf '( de jnnho de 187:1
Vapor inglcz Studenl (aturado) mer.-adoria-
para altandega.
Barca iuglez.1-G'izci/c-mi r.Mdorias para alfan-
dega.
Barca iugloza-Ftf/iV'-mercadora5 para alfau-
dega C carvo j despachado para o caes
do Ap dio.
Patacho inglezGloria dinucntes a machiuUnt i
para o trapiche Coneeicio, p ra desja-
tttr.
Brigue sueco Esmeralda varios genera para o
trapiche Cuuccicao, para despachar.
Palbabolc amerieano larriele Brewettr breu
j dopachado para o trapiche Conceieio.
Barca branlcirainp:d- ferra para deposita no
trapiche Harto do Uvranteato.
Barca portugueza Despique U vinhos para
deposito nos trapiches Barbo-a c Ciiuha.
Barca ingleza Tttmaa -bemene j deapaena
do para o raes do Apollo.
Barca norueguenseWenkabet farinha ji dospa-
chada para o .") ponto.
Patacho portugui-z Cavlella -gneros nacionae?
liara a eotapanhia pernambneani.
Patacho nacional Morid Emilia -generas nado-
Mes para o trapiche da companhia.
Iiii|ir(acIo.
Rio de Janeiro, patacho brasileiro Maria Emi-
lia, consignado a Jos L Daviui, manifestou :
Barricas vasias 28.1 volumes a QodejStves Bel-
tro A Filho, 283 a Antonio J. Furlado.
Caf 100 saceos a Monteiro Rocha & C, 30 a
Silva Brasil, 65 a Fraga & Racha, 33 a Jas Z. de
Mello, 30 a Costa Amariin, 100 a SoUU Bastoa k
C, 30 a (Joules da Luz, 23 a M de Barros Filho A
C, 2 a Lima Bairaa, 30 a Muraos A Irmo, 250
J. J. Casia. 30 a Soarea da Silva, 30 a Bastos A
-, 43 a Tito Livio Soarea, 3 a Lima 4 Silva, 10
a Domingos da Costa Lage*
Fogo ta China (2 amarrados a Souza Bastas &
C.
Mobilia 31 e.igrad.ulas a Jos A. d'.S Bastos.
Marinare artificial S'l oaixai a Abren Lima.
Ass, hiato brasileiro Ailelino dos Anjos, consig-
nado a Cunia A Irm'ia, manifestou :
Algo lo KM) gaeeaa a diverso*.
Sal 300 atmioiros a" eapitao.
Rio de ianeiro, patactio portuguez Caulella,
consignado a Itabcllo A C manileslou :
Barricas vasias 30 i volamos a P. Canieiro A
C, 300 a Beltrao A Flu.
Caf li 0 saceos a J. J. Leitao, 100 a C. Martins
A C, 130 a J. J. Costa, 41o a Antonio F. Carga,
W a J. J. Alves, 100 a Rosas A Filho?.
Sal 760 alc|ueires aos consignatarios.
Rio Grande do Sul, patacho brasileiro 1W Santos, consgnalo a Ainariin Irmao A C, mani-
leslou : |
Couros 30, graixa 9 pipas, dita om bexin 8,7H
kilos
Sebo 45 larris.
Xarque 126,389 kilos aos consignalari >-.
Paysand, sumaca hespanhola Manuela, con-
signada a Luyo A Fiiho, manifestou :
Couros 12.
Xarque 136.9;0 kilos aos consignatarios :
OESPA IB S DE EXPORTACAO NO DI V 31 M
MAIO DE 1871.
Pdru os portas do exterior
No vapor inglez Humbolat, para Liverpool,
carregaram : T. JeiTeries 4 C. 540 taeeas com
43.070 kilos de algodao; Borslhelman A C. 43
ditas com 3,693 l|2 ditos de dito; R Schmmettau
A C. 100 ditas com 7,788 i|2 ditos de dito.
No brigue russo Alexandre, para o Bltico,
carregaram: G. Neesen & C. 21 saccas com
1,535 l|2 kilos de algoJai.
Na barca inglesa Tilisman. para Hampton
Roods. carregaram : P. Brolbets C. 3,400 ;ac
eos com 225,'00 kilos dt'assacar mascavado.
Para s porto do inteiior.
Para Maro, na barcaca flrin/ia dos Anjos,
carregou : M. A. Barbosa 2 barrifjuinhas com
2,084 kilos de assucar branco.
REN'IMENTO DA EMPREZA DA>
CAPATAZIA DA ALFANDEGA DE
CUCO, RELATIVO AO MEZ DE
1873, COMPARAD) COM O DE
1872.
Verbas de receita '872
Taxa de embarque 604*360
Dita de desembarque 3:940*630
Dita de armazenagem 7:543*948
Dita de embarcaees 371*900
Dita de alvarengas part. 1169*3>0
Dita de bagagens 80*000
Dita de diversos 1:034*598
OBRA* E
PERN'AM-
MAIO DE
MAIO DE
1873
340*70^
3:136*731
9:26*0-8
52*t00
1:018*550
140*000
1:514*520
Total 14:744*786 15:468*089
Thesouraria da empreza das obras c capatazia
da alfandega de Pernambueo, t de junho de
1873.
Antonio !os Lf-al Res Filho
Fiel do ihesoureiro.
ConformeFrancisco Jos Galvao
Agente auxiliar interino.
oaPATAZIA DA ALFANDEGA
.Readimento uo da 2 681*976
VOLUMES SABIDOS
Primeira porta no dia 1 44
Segunda porta..... 4
Terceira porta..... 51
Trapiche Conccicao 2.37'i
2 674
Ka trapiche O-nrrifaj ....
RECEIiEIHUMA HE RENDAS INTERHAS tft
RAES DE PEII.WMtMI.O
Rcndimento (ki dia t .... 1'JMlK"
CONSULADO PBOVINCIAL
rtendiimnto do da I .... li*Vt
Praca !
amhiiro
l* l*ri*
>4JmsWclM9S
iAronvAijM) aii M amo.
fW' etti'ifteir t
UwrpKil3,23 sacra* de atg1*"
78 rcinrat-.
10,928 imcm Av assa at niasra4t.
Canal 2,535 sarras de algurts.
32.0*1 sacro de r.ssucar nia?cava*V.
Marselha-1,650 mccos di- assm-ar riwsravj4".
Narwa 1,921 sa.-.-as de alfHMliio.
New York 2.200 sa-n de asurar mssr.v4 .
Il:impt"n R'inds 4,100 asjaajrji do asurr nape*-
vado.
MuntrealI2.5C.O sacros dV snrar masrav4r
Rio da i'rata 240 pipas de aguantmlr.
11,330 barriras fie asMirar liraax-
2,245 dila> de dito iiiasrav.ido.
Lisboa "M roiini-.
'I |.i|i.i- de aguardmir
H00 sari:, i de as-m-at t>raiir<'.
1,650 ditos de dilo inasrav. il .
Porto 1,354 sarcas de alfada.
1,977 cairos.
27 pipas de "al
1.840 sari-o- de asaacaf branre.
o! ditos de dil" masravio.
Vurl tln llmsil
Ri i Grainli' du Sol 192 pipas de agiianleti
10 ditas ile espirito de vinh.
20 diu> de md.
1,343 sarcos de assoear liranei
3,388 harneas de dito dito.
200 RMBH de dil'i BMBBrffl I I
400 barricas de dito ditu.
Rio de Janeiro f 3 munts.
IM't ineiits de sola.
164 pipas de agurdente.
33 ditas da esp.ritn.
7,377 sarros de assurar branrn
Santos 1,800 sarros de assurar branr
9,i 00 ditos de dito mascavad.
I i'> pijia- de aguardeole.
llaranhaoUO saceos de asura." Iranro
31 liarreas de dito dito.
Para 8 pipas de spiil"
2,430 barriras de assurar loan.
\ss -i ii-.a i ". minep-ial Ri-nelkenli-. 2 I aad
de :8 3.
J. V. Ferinra l/ip .
Archiva-ti.
Vli<-:i conanarrriarsi.
Tnifs ri:, 4 M Mil im I87:t.
Piren* enneutrs dos Se*. M'. // ttaen'ant
l'reros da fawfJM de triga de IVst (ilunfii >-':
de Trieste, par barrica, |'-l" a b irdo,
zas nem co;iiii>m"i-s alguinas para >- conipi
res, salvo o frete e segnin martimo:
0,'t : CC COi
Concordia....... E-t. 53 3 .'.2/ Sd/ \f-'
C/| A B C
Buda-Pest....... 54/10 52 H 49/O 4*11
ooa ,*''
Victoria........ t 53/9 >/<.
Elis;ibeUi....... 3i,2
Panonia......... j3.''
Aspad........... '/l.
Lotusa........ 33, ti
Blum.......... **V*
Fabrisksh.f..... ***
Cylindro........
0/1 SSSF
Moinho de Trie.-'- 46/ W
Fontana....... N. O su|H-rf. 44.-1.
.......... N. I Ba l" '
0/1 AAAA -r
Eeonomica...... 30/ 47/ 41
Os precos de numilius nao colados sao os aja-
no* de que os outros pouco mais <> menos.
A iniiili.i ultima revista do mercad i de laiiDl *
era datada em 4 de abril. Visto que o ton) di
mercado da triga na tem mudado e i pn-.- i
diJos iiiesm i com a |kiiic.i esculla, sendo o mes-
mo-, nlo u-nha allera.ric- iin|.ortanles a registrar
nos pre.os das familias que tuubcm ruotiuuam
lirnus, sem que alguns moinhos, qne tem uina exh
loada maii.-r as qualiJaJe- saperiure*. e-t.-an
di-postos a fazerem roncesses sulire as rola
Porm aos algarismos dados abaixu, divei^as -vi-
gas foram r uiln.tadas e que agora vio mtar
do. Se roiitiiuiar o lempo favoravel que d m
do baje, poderenios contar s-ibrc urna gran*
colheila.
(Pd.-o a os amigos de sempre ronsiderar a-
5<*)Cs dalas i-ama nominaes; sao as que 4* *
moiuhos todas as semaiias c que sao sujeita- -
variacocs do merral para atril aa para met
Os'pivc s das (mrimhmt de Pesl finta harn
llainbnrg ; saluam cerca dt 3/6 a 4/ c-1. (l*5H'i
por barrica m.ii- caro ; isto e, poria, qua;i r-,m-
punsado pelos fn-les que sao nuit< maw l
da de la la ana ilaqui pira a Brasil.
Os fretes sem alteracoes 7 navios foram fi -i
dos durante o mez. para Pernambueo uu Bahu a
receber ordens a ."i e 52.6 e 5 u/0 e um par.
Rio de Janeiro em direitura 30/ e 3 0,0. Para
Rio-Grande do sul a cotar;o era 60 e 3 0/1. H."-
grande falla de navios pequeos. Pelos vap-.n
Via de LverpxJ. eom conhecinienlii- em din it.n
embarra se laruihas para o porto d> n. n <<
e 65/e 10 0.V; para PornamiMiru de 75/ e
10 0/0, sendo por lonelladi ingleza, frer de\e-.
lo ser pago a pr. seii.io a primagem d OOf
As sabidas dcste porto para todo o Brasil.
direitura, foram :
No mez de Janeiro 9.'<70 4>am:N>.
No mez de wwraira MU
No mez de marco 10,913
Na mez de abril 17.642
faajj 43.748
Ao prceo de 53 cst para os ns. O, I juntis --
hiaa barrica, posii bordo no lamarao do Pi
nambuco, rom o fele de 50/ e 5 01) o canJn- !
27 d. sobre Londres 25*590.
Eis os navios que sahiram da pii pan Pein/
buco no mez de abril :
A' 7, lugre hollandez Solide, rom 200 barrica*
Concordia, 100 Louisa, I.OtW Fuona. 200 Buda-
pest, 3 10 Panonia.
A' 9, lugre inglez r7o*n O" Moray, rom 147
barril as a Moinno de Trieste, 1,000 Panmtia, BOJ
Riller I* qualidade, 600 C^mcordia, 32) Bndi-
Pest. 546 Fontana. 50 Econmica.
A' 9, brigue hollandez Wi/W rm Ve WaVft,
com 1,929 b..rrieas Fontana
A' 17. patacho austraco Carla S.. ^^ra 7( bar-
rica Fontana, 400 Panonia, 400 Victoria, 275 oi-
uho de Vento.
Eslao eairegand i para Pernambueo os navios
hollandez Catkarini 2,200 barrica* EcoataRca,
sueco Nordhonn 2,50 diversa, anslriaeo Ha 5.
2,20-J Fontana, dinamarqiiez Jlaav *>r B.laJJ d.-
versas, inglez Sort'.crn Craown 2,400 diversas, in-
glez Mar-nha-j 3,000 diversas.
SERVICO MARTIMO
Alvarengas descarreandas no trapiche
da alfandega no dia 2
Navios atracados no trap. da alfandega
Alvarengas. ........
vtOVIMEHTO 00 PBBTB
- .\arios entrado no dia /.
Rio (iramI.- lo SulB6 dias, palacio
silciro Todos os Sanios, de 17i tonela-
das, capillo Agostiiilio Gomes da Silva,
equipagiun 9, carga 10,800 amabas de
carne ; a Amoriin Irmaos dr C.
Paysand27 dia, sumaca hespanbol
Manuela, du 110 toneladas, caiNla H-
riano Ramcnlol, equipagem 9, catan
3,000 quint ios do carne ; a Jos da Sil-
va Loyo l'illio.
Rio de Janeiro18 dias, patacho brasileiro
Maria Emilia, da 61 toneladas, capitio
Bi-lmiro B. de Souza, equiajagaai 10, car-
ga caf o outros gneros ; a Joai Loae*.
Davin.
Navio sahidono mesmo dia.
Liverpool Brigue francezTyhit, caaio F.
Radel, carga assucar.
Avio si'kt n 4-n 9.
LiverpoolVapor inglez rTaad
mandante E. Jonhus, carga
godio.
Oaarnweio.
Nai Ikhive entradas.
I-


* .
f
F .x
Diario de Pernambuco Tem feira 3 de Junho de 1873'.
DITiES
O Ilim. Sr. inspector da thesouraria provin
al, em cumprinicnto da ordem do Exrn. Sr. pre-
sidente da provincia, de iC do crrante mez, man-
da fazer publi'o qnn doixam de ser arrematados
s impostes proviociaes das comarcas do Bonito,
Garuar, Garanhuus, Bom-Cotiscllio, Buique, Ore-
jo, e i inibres corno 90 acliavain annnnciados, por
ter o raesmo Exm. Sr,de conformidado com o
lisposto no art. I.* do regulamento de 30 de abril
ultimo, creado colloctorias as ditas comarcas ; li-
caudo, po:m, |i:rra isr arrematados no dia o de
junho prximo vindouro os referidos impostes
da? comarcas seguintes :
Proco annual.
Tac.iratd
Mores
Villa-Bella
Cabr bo
Oca-Vista
Onricury
V. para constar se
te pelo jornal
Secretaria da thesouraru provincial de
luir.uuco, 17 de maio do 487:t.
O ollicial-iiiaior.
Miguel Afouso Ferreira.
2:3071800
3:670*700
3:670i70('
l:t\6fi78
823A33
82333!>
maudou publicar o proson-
Per-
O Illm. Sr. Inspector da thesonraria pro-
vincial faz publico que forain transferidas para
0 da II de jimbo prximo vjndottro as arrema-
tacoes dos seguintes pedagos :
Proco annual.
Magdalena 7:36!200
Gii|ni 6:298*60!)
Ponte dos Carvalh s 8o3*u00
T.uaruna 803SO00
Bujarv 3534'HW)
Jaboataa 4:!iii00
Caxang t: 275* .01)
Maaguinho e Capunga 2:633320 >
S. Joio 2:0 4*75(1
Morenos 1: 6Go5^0H
Motocolomb l:63l*li:0
Tapacur 1:490*300
Tudas estas arrematarles serio por ojpaco de
:i anuos a contar do 1" de julho de 1873.
Secretaria da thesouraria provincial de Per-
uaittbuco, 3 de maio de 1873.
O official-maior,
_________________M. Alfonso Ferreira.________
O IJIm. Sr. inspector da thesouraria provin-
cial manda fazer publico, que em cumprimento da
orden do Exm. Sr. presidente da provincia de 2 >
I-i i-orrenle, va nivamente a praca no dia IV de
junio prximo vindoo.ro, para ser arrematado a
quem niais der, o sitio dos Remedios, servindo de
hasc aquantia de 3:7503 porque foi adjudicado
la enda provincial.
F. para constar se mainlou publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesouraria provincial de Pernam-
Inu, 27 de maio de 1873.
O olflcial inaior
M. A. Ferreira.
Pela thesotmrfa provincial se az publico
une foi transferida para o dia o de junho prximo
vindouro, a airematacao do fornecimento dos me-
dicamentos e u'eneis precisos enferma; a da
casa de detencao por tempo do um anno.
Secretaria da tliesour ira provincial de Pernam-
n-imbuco, 16 de ma'.o de 1873.
O offieial-maior,
Miguel Alfonso Ferreira.
Pela thesouraria provincial se faz publico
queforam transferidas para o lia II dejnnlio
prximo vindooro as seguintes arrematares.
Fornecimento da alimentac/m e dietas ao pro-
sis pobres da casa de detencao por tempo de 3
mezes a canter do l. de julho prximo vindouro.
Impressoes dos trabalhos das repartidnos pro-
vineiaes ( menos secretaria do govorno) por
1 'upo de I anno, a contar do I." de julho pro-
yimo vindouro.
Secretaria da thesouraria provjnd 1 de Pernam-
buco, 30 le maio de 1873.
O offieial-maior,
Miguel Alfonso Ferreira.
.-LAiUCOEfc
SANTA CASA DA MlSEKlCOltDIA DO
RECIFE.
A liiui.1. junta administrativa da sania casa da
Uiaorfeordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessoes, no dia o de junho, pelas
" horas da tarde, tein do sor arrematadas a quem
mais vautagens olferecer, pelo lempo de um a
tr s anuos, aa rendas dos predios em seguida
declarad a.
ESrABELECI':ENTO.> DE CAR1DADE
Ra da Guia.
dem n. 20..........200000
Ra do Amorim.
xim* fulurj, l*!,il ilo r em pra^a porajiU' o,
mesmo juiz, Jopis da respectu. audiencia,
una rnobilia a Luiz XV, d madoira mogricj, cornposU ioumofd, mu par do
consolas com lampos do pe.lra innnnore,
ama Hiela de raeio do sala com tampo tem-
bein do pedra, quatro cadeiras Je bro ditas ditas lo balaceo e 18 cadeiras de guar-
nico, ernom estado, avahada em.........
1609000, cuja mobilia foi peo horada a Jos
Joaquim da Silva Gomes por eter.uco do
l). Maria Jos da Annuncincao Haplista.
{onsulado provincial.
Do primeiro de junlio vindouro comer correr
o prazo para pagamento do 2. semestre do anno
linanceiro de 1872 a 1873. dos impostes da deci-
ma urbana, 6) rs. por litro do aguardme, e 5
O/o sobre a renda dos bens de laiz pertenconles
s cor ra>;oes de mi morta, incorrendo na mul-
la de 6 (i.o. os coutribuintes que dentro do mes-
mo prazo nao satisfuerem as respectivas quotas.
Consulado provincial, 27 de maio de i 873.
O administradi r,
____________A. Carneiro Machado Rios.
Santa Casa de Misericordia
do Recife.
A junta administrativa dcsla Santa Casa, afora
dous lerreiu>s que possue no lugar dos Arrumba-
dos, boje Duirte Coelho, sob ns. 39 c 40 lendo
aquelle 390 palmos e este 309 de frente e ambos
de fundos at a baixa mar
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do
Recife, 7 do abril de 187J.
O earivao,
Pedro Rodrigues de Suuza.
Obras militares.
Tem de ser contratadas, para o quartel do Hos-
picio, a eolloeaeSa de um apparelho para extrahir
aji.ua da cacimba, oreado etn 163*680, e a execu-
cao dos reparos a fazer-se no cano de esgoto e no
calcamento da ntrala do arsenal de gner a, or
fados em 683) : as pessoas que delles se quizo-
rem encarregar apresentem suas pr postas em
carta fechada, a 4 de junio, ao meio dia, na re-
partila das obras publicas, onda se achaia os or-
camentos.
Pernambuco, 29 de maio de 1873.
O engenheiro
Cbrysotito F. de Castro Chaves.
CNSE1HO "DE COMPRAS DO ARSENAL
DE MARI.NHA.
O conseio no dia 5 do corrente me. contrata i
vista de propostas recebidas at as 11 horas da
manh, e sob as condieSes do estylo, os seguintes
forueciinentos por tempo de tres mezes lindos em
setembro prximamente vindouro
De cemento para as ooras do porto, de carvao
COCk c dito de ferreiro para o arsenal de mari-
nha; e de vveres, dietas e outros objectos de
consumo, para os navios da armada e estabele-
cimentos de marinlia, composto o fornecimento do
seguate :
Assucar branco grosso, arroz do Varanhao,
agurdente do 20 graos, azeito doce de Lisboa,
assucar branco relinado, aletria, araruta, bolacha,
bolachiuha americana, bacalho, batatas, caf em
grao, caf muido, carne verde, carne secca do Rio
Grande do S11I, cha hysson, cevadinha, carnauba
em velas, conserva preprala, ceblas, feijao, fa-
rioba de mandioca da trra, galinhas, lenha, mal-
te, manteiga ingleza, manteiga franceza, pao, sal,
sanio massa, slearina em velas, stearina de 8 em
libra propria para lanternas, toucmho de Lisboa,
tapioca, lijlo de alvenaria grossa, teiha, vinho de
Lisboa, e vinagre de Lisboa.
Tambem o conselho no mencionado dia, o de
igual forma, contrata por tempo de um anno, fin-
do em junho de l7i, a lavagem de roupa da en-
fermara de marinha e os serviros de barbeiro
inesma ; assni como promove a compra de dous
oculos de alcance, e de 2.3 toros de genipapo com
14 a 17 palmos de comorimento.
Teem os contratantes de fazer o fornecimento
do que for de peso c medida pelo systema mtrico.
Sala das sessoes do conselho de compras de
marinha de Pernambuco, 2 de junho de 1873.
secretario
Alexandre Rod'igues dos Anjos.
Offerecese para ama de leite urna mulher
moca e sidia : a tratar na na da Florentina n o,
no interior do preJio, no quarto do soldado Lou-
roneo.
Precisa-se do ama ama : na ra da Concei-
eao n. 43.
Quinla-fira o de junho.
Gsptctaeulo em haneflcio lo
X>'ti da theatro.
Repreccirtar-se-ha o apiilaadido drama em 4
actos e 1 prologo.
4$ muflieres de marniure.
Terminar o espectculo com a oomcdi'i cm I
acto:
0 diah aira/, da porta.
O beneficiado pode protacco ao publico a quem
antecipa os seas agraoVclmentos.
Principiar s 8 i|2 lioras.
Sala de jant.ir.
; Urna mesa elstica para ifc pataoa*,
Ineia, c iirolos. i en leiras de)
4 visos- martimos.
A'
o
Para o referido porto pcetende-soguir com pou
ca demora o patacho portuguez Olinda, por ter
a inaior parte da carga en zajada, para o resto
que I e falta trata se cflm os consignatarios Joa
quiui Jos Goncalves Bcllrao & F1II10 : a ra do
Commercio n. 5.
mrmx
MESSAGERIESfARITIMIS.
At o da 8 do corrente ni"z e-pera-se da Eu-
ropa o vapor francoz Rio Grandevo qual depnis da
demora docbstame seguir para Santo9,tocan-
do na Baha e Rio de Janeiro.
Para condictoes, fretes e pas;agens, trata-se na
agencia, rita do Commercio n. 9._____________
Para o Rio de Janeiro.
|Pretende seguir com brevidade o patacho por-
tuguez Jos, por ler a maior parte da carga en-
gajada, e para a que Ihe falla trata-*e com os
consignatarios Joaquim Jos Goncalves Beltrao &
Filho, na do commercio n. 5. ____
hk Sleuiii tavigaun Conipanv
Koval i!;iil Seamers.
liiuha f|uinzcnnl
E' esperado dos portes do sul al o da 6 de
junho o vapor Cuzco, o qual seguir no mesmo
dia da chegada para Lisboa c Liverpool.
Para passagens c mais informaoes, dirjam-se
aos agentes Wilson Rowe & C.
I' Ra do Commercio.-14.
N. B. Espera-so a todo o momento da Europa
o vapor desta companha Isln, o qual seguir no
mesmo dia para o sul, para onde nao se recebe
passageiros nem encomniendas emquanto durar a
luarentena no Rio da Prata.
V. esperado da Europa at o dia 8 do eorrente
o vapor Sorat o qual depcisda demora do costu-
me seguir para o sul
N. B. Nao se recebe passageiros nem carga
para os port >s do sul emquanto durar a quaren-
tena no Rio da l'rata a tratar com os agentes
Wilson Rowio.& C, ra do Cominercio 11. li.
-...................,...... -. ,..........., I apara-1 guarnilo, 2 cadeirai de Illanco,
dir com lampo do pedia, 1 guarda -lauca, 6 ca- pares dje jarros para flores, panno*
diras de tnogno, 2 ditas do balaneo, 2 etliagers, *i petes, escirradeira c quadros. ;"
qiadros, 1 apparelho de porrellana para Tantar,
Mito para ciui, 1 dito do electro-plato (obra de
gpsto) 2 galheleiros, frueteiras, poria-qucljos,
rmp til, bandejas, trinchantes, garfos, lacas, colheres,
qiiebra-nozes, descancos de faca- de electro-plato
pratos de vidros.
1 ? Salto,
Una meza redonda, 1 estante para lvros, I
glarda-conii la, 2 lampeos, 1 mesa para esere-
v(r, I aparador, I caixa de ferramenta, 1 porta-
Baapos.
Saht da dormir.
lona cama do laten, grande, e colchos, I toilette
com pdra# l-lavatnio, 1 gnamico, l commoda,
1 toucador, 1 guarda-vestido, 3 tapetes, 2 portas-
tonlhas, 2 rabides, I e-pelho oval, grande.
Ojiarlos.
Cm guarda-roupa, 2 cominodas, 1 cama.de eaj-
fo, 2 lavatorios, I cesto para roupa, 1 cabido, I
cs/ielho, .'i eamas de vento, mesaa cadeiras.
!Diffenntes lotes de lvros ingfcaes-o vinhosdo.
dMcrenlcs qualidades.
Iiisjieusa e cozmha.
\Im fogao americano, mesas ae cozinha, ditas
dopngommar, i relogio de parede, 4 cadeiras
americanas, jarras, g a da-comida, escadas de
abrir, potes, Flaudrer. carr do mo, trem de jar-
dime mtiitos outros obje tos de tasa de familia
Cafnmrja, ruada Verdu-
ra n. 22.
Jpseph S. Lainbley leudo de fazer urna viagem
Europa, levar a fcilo por iiiterveucao do agen-
te Pinto, os movis e mais obfetos existentes em
casa de sua residencia, ra da Venlnra, casa n.
22 (Capnnga).
Trem.
Ai|f 10 1|2 horas em ponto parir da estacao
do arco de Santo Antonio um trem expresso, que
servir de coudiuir gratis os concurronlcs ao let-
lo.
O lcllilo principiar s 11 horas.
LEILO
DE
urna vacca luriua.
Na Capunga, por occasio do leilao na casa de
residencia do Sr. Joseph L. Lambiey.
LEILAO
1>E
l'v meiascaixascom batatas, viudas do Lis-
ba pelo vapor Studinl, marca J S S.
O agente Martins far leilao por conta c risco
de quem perteucer de 24 rucias caixas com bata-
tas.
No armazem do Annes defr^nte da alfandega.
AS 11 HORAS DA -MANI1A
LEILAO
DE
quatro lettras na importancia 3:900^000,
pertencctites massa fallida do Martins
& Leopoldo.
Ql'I.NTA-FEIRA 5 DE JUNHO
s 11 horas
Por mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito es-
pecial do commerei, o agente Pinho Borges le-
var a leilao as referidas "lettras.
Em se escriptorio, ra do Bom Jess n. 33
primeiro andar.
braco o 18 de
2 serpentinas, 2
do crochet, ta-
petes. '
Urna cama franceza," I cortinado I redo nova.
I gnardi vestido, 1 guarda ntupa, 1 toucador, I
mesa com gavetas, i toilette, camas paro meninos,
cabides, lavatorios e marqueza*.
Una mesa elstica, 1 guardaloua, I aparad t,
i panno para mesa, 2 canelos, 2 cadeiras de ba-
taneo, 12 ditas de guamteao. 1 relogio, apparel os
paracb ejantnr, copos, clices, garrafas, campo-
teiras, garfos, focas, eolhores, trena de cozinna,
Flandreii, camas de vento, eandeiros a aaz, lab > 1
para engonitnar, jarras, moiabos, lampens, 1 oar-
rinho para menino, e inuitos outros aecssorios
de casa de familia, existentes na casa n. II do
Corredor do llipo.
SEXTA-PURA G DO TORRENTE
Joao da Silva Leite, tendo mudado do residen-
cia, far leilao por interveneao do agente Pata,
dos mov acuna mencionados, existentes na ca-
sa em que redlo, na do Corredor do Bispo n.
II.
O leilao principiar s 10 l| horas em ponto.
Os bonds passam pela frente da casa._______
armacao, gneros e mais prtenlas da l-
venla da praQa do Conde d'Eu, 11. 32,
massa fallida de Jos" Narciso da Silva
& C.
Sexta-feira 6 do corrente
O agente Maatins far leilao por mandado do
Illm. Sr. Or. juiz especial do coiimercio, du arma-
cao, gneros e mais pertencas da (averna cima,
pertencente massa fallida de Jos Narciso da Sil-
va & C; o balaneo pds ser examinado em mao
do agente.
A's 11 horas do dia cima na mesma lavern.i.
Terrenal baratos de 3 a 63
nos Aliotos. c i\& no Sal-
gadinho.
AirVNO Jon r'drij,'isde Souu v.-mle-
lerrenns de sct;s sitios de torras |roprM, mm
paliitua, mu a w>\.t rw quafi -' !'<***
Igreja los \:iii"> : do Salgadii.lk roo,
a In'i.l- poto a olrada m km* 4r
Olin la e oitn para uitra rslraU jmi ludo *
tiH'suio silin ; a tralar cun Sr. Tnal*
Francisco Torns, iu Uiix>uraria laa Inlr-
riaa. _J*
- Alnga-s.' inneM-rai
IjBM i'iali-o : Klf andar *t
das Cxaejc.
p:. loria, o ir*"
|.iad.i .*.ri
Comedorias.
Pornee-M eaaniaffaa \a>rx !. no HiWa4*
Leilo
Sobrado de i andares n. 26. 3C.'000
Ra do Padre Floriano.
Casa terrea n. 43.......200 SOI)
dem n. ti.'i.........230^000
Ba das Calcadas.
dem n. 34........200*000
Ba de Santa Thereza
Mea n. i.........240*000
lina larga do Bosario.
Segunda andar do sobrado n. 24 A 3094000
lo n idea n. 24......4074000
Terceiro andar idun idem .... 2324000
lio., de liortas.
Sabrado n. di........6014000
PATRIMONIO DOS ORPHOS.
liua la Sen (. isa terrea 11. 16...... 2094000
llua do Imperador.
Primeiro andar do sobrado n. 81 oOOOOO
Segundo dito dito......nooiooo
Laja do 111es.no..... 8u0.0j0
Largo do Paraizo.
Loja scgunla do sobrado 11. 29 11234^00
Loja 3.' dito dito...... 964000
Ba de S. Gonpalo.
Casa terrea n. 22...... 2404000
Ba da Madre de Deus
dem 1. 8........i 0OI4OOO
Becco das Boas.
SoLrado n. 18 ....... 1214000
Ba da Lapa.
Casa terrea 11. II...... 2024000
Ra do Burgos.
Casa terrea n. 19...... 1654000
Uem n. 20......... 1324^00
Ra da Senzalla Velha.
'asa terrean. 18...... 24340O0
Ra da Cruz.
Sobrado n. 12.......1:4004000
Ra de S. Jorge (Pilai).
Casa terrea n. 103...... 2064000
Os prelendeutes dever o apresenlar no acto da
aiTmataca as suas Bancas, ou comparecerem
acorpanbados dos respectivos liadores, devendo
pagar alem da renda, o premio da quantia em
cjue for seguro o predio que contiver cstabeleci-
mento commercial, asshn como o servico da lim-
-; .a e presos dos apparelbos.
Secretaria da santa casa da misericordia do Bc-
eife. 2 de jmnlio de 1873.
O escrivao
redro Rodrigues de Souza.
Pela ad ninistrac;* do eireio se ( z sciente
ao publico, que desta data em (liante principia a
f'incconai a agencia do carona ltimamente crea-
da na esla.o das Cinco Puntas.
As cartas pie se dirigirem a esta capital, acom-
panhando eariegamentus embarcados na via-fer-
io do Reeifo a S. Fraucisco, _seja de que eslacio
for a sua procedencia, dever.lo ter 110 sobre-es-
cripto as sezuintes palavras-Cinco Ponas era
Ligar de-Recife-como cos'.umam por afim de
i'uilitar a sua disiribuio ni mesma agencia. As
artas, porm, que se dirigirem s estacSes do in-
terior, devero ser postas na referida agencia das
t'.neo Pontas, devidamenle selladas para nao ha
ver retardamento em sua entrega.
Previne se aos senhores passageiros e mais pes
soas oceupadas no servico da mesma estrada le
orro, que expressamente prohibido conduzr-se
artas sem estarem devidamente franqueadas) e
para maior clareza se transcreve o art. 16 das ins-
truc}<>au do Io do dezembro de 1866.
Art. 16. As pessoas quo couduziiem para onde
houver correio cartas do interior ou exterior sen
fstarem devidameme franqueadas pigarao de cada
umaSO^'OO demola.
Esta multe ser de I00| para os cmmandantes
e capites do navios, chefej e mais empregados
dos frens das estradas do ferro e quaesque- indi-
viduos oceupados no transporte das malas do
correio.
Administraijo do* correk do Pernambuco, 1'
de tnnfco de k873.
O adminiatrador interino
Viecnte Ferreira da Purciuucula.
Em audicueia do Hlm. Sr. Dr. juizdf>
direito da 2.a vara, 4o dia 5 SANTO ANTONIO,
EMPREZA
Quarta-feira 4 de junho.
Importante espectculo!
Reduccao de precos!
Successo garantido.
Tereeira representa;ao do magnifico o apparato-
so drama phantastico em 1 prologo e 5 actos, ou
8 quadroos :
0 JH
original do popularssmo romancista francez
EUGENIO Sl'E
c traduzido livremente pelo acadmico
A. DE SOUZA PINTO.
Toma parte toda a companha.
NMIDAE !
Neste espectculo exbibir-sc-lia no 2. acto (4.*
quadro ) o importante e magestoso quadro pano-
rmico do
\i'l'ilH
do vapor e do brigue, as costas da Picarda, o
qual nao pode ser apresentado uas priineiras re-
presentates.
O espectculo principiar s 8 horas em ponto
e aeabar a
me! noii11>.
Agradecimento.
A empreza deste theatro agradece eordialmente
ao Ilustrado publico desta capital as duas gran-
des endientes que tiveram lugar com as priinei-
ras representacoes do importante drama O Ju-
dou Krrante dando asshn urna prova irrecu-
savel de que aculhen benignamente as razoes
apresentadas pela empreza para o augmento de
precos. Est sobejamente provado que nao ap-
pellou de balde para a generosidade e philantro-
pia do hosptaleiro publico pernambucano, o qual
acaba de dar-lho a mais animadora prova do
sympathia que podia receber, fortificando-a n
opinio de que vale pena se* artista, quando so
encontra um publico que sabe fazer justica e re-
compensar o trahalho.
Picam portante restabeleedos os antigos precos
pelj
foripa seguinte :
Camarotes de frente 122000
Ditos de lado 104(00
Cadeiras de prmeira classe 34000
Ditas de segunda dita 24000
Geraes 4000
Em ensaios
o excellente drama, traduzido do italiano :
A. mmi DE GAKVE
rm^n
,1V1
COllPAMllA
DE
NAVEGACAO BAIIIWA
Para Macelo, Pnenlo, Ai'aeaj
c Habla.
E' esperado das partos do sul at o dia 13 ou
14 o vapor Gastao de Orleans, o qual segu para
os portos cima.
Recebe carga, passageiros e dinhero a frete a
tratar com os seus agentes Antonio Luiz de Oli-
veira Azevedo ft C, ruado Bom Jess n. 57.
Para o Poro
pretende sahir muito breve a gilera portugueza
iVoo Fama l por ter grande parte do sen car-
regamento prompto. Recebe a carga quo Ihe fal-
ta a pr* eos mdicos, e tambem passageiros, para
os quaes tem ptimas accommndacSes : trata-se
,om Tito Livio Soares, ra d Vgrio n 17.
Rio Grande do Sul
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ca demora o lido e veleiro lugar portuguez Jus
Estevao, de 1* classe, por ler a maior parte da
carga engajada, e para o resto (ue Ibe falta trata-
se com os consignatarios Joaquim Jos Goncalves
Beltrao & Filho, ra do Commercio n. a.
namn reims.
Companha franceza de navegaco a vapor, linba
mensal entre o Havre, Lisboa, Pernambuco, Ba-
ta, Rio de Janeiro e Santos.
Avisa-se ao commercio que os vapores desta
nova iinha entraro sempre dentro este porto,
quer na vinda, qner na volta para Europa ; e que
as mercaderas sern entregues na alfandega
expensas da companha, sem o menor accrescuio
d9 despeza para o carregador, sendo ao mesmo
tempo os fretes, e preco de passag menos do que as outras grandes nhas.
Dentro do imperio os fretes sao guaes aos da
tabella da companha brasileira, e preco do passa-
gens to 0/0 menos, sem augmento por excessode
bagagem quando nao for exagerado.
Para fretes, encommendas e passageiros, para
os quaes tem excellentes accommodacoes e por
precos reduzidos, trata-se com os consignatarios
Augusto F. de Oliveira 4 C, ra do Commercio
n. 42, entrada pela ra do Torres.
LElOES,
Grande e vari*
LEILAO
DE
liip cmslacs
objectos de electro-plate, vitihos e livros in-
glezes.
Hoje
A saber:
Sala de visita.
Um excellente piano novo e forte,- de bem eo-
nbecido fabricante Cari Scheelin Cassel, 1 nwbf-
lia de jaearand a Lmz XIV, I norta-maseV 4
lindas cadeiras de papier moch Baradas,1- ifte*
petes de earneiro, 2 lindos lampees [hii dnpho,
i jarros para flores, 5 qnadro* com Unas gfara- '
ras, 2 mesas do jogo e 1 secretaria.
DE
30 pc^as de brim avariado.
QLK>TA-l EI11A o DE JIMIO
s 11 horas.
O agente I inte levar a leilao, por autorisacao
do gerente do consulado de Franca, em presenca
de sen cbanccller, e por conta c risco de quem per-
tencer, de urna caixa marca G F 4 C n 1183,
avarada a bordo da barca franceza Fidelitc.
O leilao ser effectuado no armazein do largo
do Corpo Santo n..., por ocasio do leilao dos
objectos de escriptorio e movis all existentes
VISOS P,BS0S
CASA DA
AOS 5:000^000.
B1LHETES GARAYnUOS.
1' ra Primeiro de Marfo (oulr'ora na iU
Crespo) n. 23 e casas do costumt.
O abaxo assignado tendo vendido nos seus fe-
lizes bilhetes, dous meios n. 2587 com 8004, un
meio n. 28i4 com 3'040O0, e outras sortes de
404000 e 204000 da lotera que se arabou de ex-
trahir (52.), convida aos poasnidores a virsm re-
eeber na conformidade do costuinc sem descont
algum.
Acham-se venda os felizes bilhetes garantidos
da 5* parte das loteras a beneficio da igreja do
Rosario do Santo Antonio (33*), que se extrahi-
r na sexta feira, G do mez vindouro.
PBfipOS.
Bilhete inh-ir OiOOO
Meiobilbcte 34000
Quarto 14500
em poitgA.0 de 100^000 PARA cima.
Bilhete inteiro ftf&OO
Meio bilhete 24750
Quarto 14375
limoel Martins Fiuza
tteneao
Os abanto assignadoB, tendo receido lo Arara-
j, do Sr. Joaquim Fnicopio Freir de Andrnde, i
urna carta capiando diversas 'antas e papis ida-1
tivos ao embarque de 150 saccas on fardos com
algodao em rama, all feito para Liverpool na bar
ca ingleza Dougl'is, de conta dos eomm rciantea,
marcadas com as suas iniciaos F. F. A C, ni
assim os conhecnientos respectivos assignados
pelocapilao da dita barea.de uoine Robert Woorc,
se nao nos falha a nnonona; acontece, pofAn, pi
da ra eslreiU th> R-sario u. ;i5 : >> |UMa i.
pn cisareni di'ij^in-1 a dita casa qu achari
con piein tratar. ___________
Joaijuim Jos Goncalven
Beltnlo.
RlIK li ('niiiuirri-ia a. S. I.
Sacca |x>r todos os |iaM{uutt*> x>br* I
lo Minhn, 0R1 Bravo, < sidin- % --niHilr
Igarna l! Purtu^al .
Amarante.
Arco il" Val le Ve/.
Baiivlbis.
LVj.i.
Cliaves.
('.liinliia.
C.vilh.
Faro.
(inania.
(iiiiin.ires.
LainA(ao.
a
DE
Una magnifica e solida bur-
ra I jjr.iva de f< go) grande e pro-
pria jjara qualqu' i casa buica-
na, ou coiniii rcial, c-rleira?,
I>a cao, prati!^i't-< pan fizen-
rJa^ a marios, mchrs, mesas,
bilancai e tscadus.
Urna porqao de cortlaa de c-
iea pura rmar r es.
Una e-a coai prensa para
rofar curts, l s.c elarin, 1 te-
parliiu nt de escriptorio e
mais accessonos.
Quinta-feira 5 de junho
Pro intcrvcnpod'./ agente Pinta
Noarmazem '!> lariro di Com-
mercio n. 48.
Lisboa.
MirwMieU.
Miii;>.
Ponte l- lina.
I'nrii..
Ta\ii.i.
V'ilnnanua.
Vianii.i l'ijr.asbdlo.
Villa lo i.iui'le.
Villa Nuva '! Faiiinlnan
Villa Nova lo l''irtini.i').
Villa Ui-.oi.
Yinm.
Vnlanca.
Figunira.


Na rua do RMig'-l n. ifc-s.*! >- inniil* telar
con o Illm. Sr. Ii>">i M M.irims MhiI.to le
|:,ori-o<. a u>'ir vio b- o i'M -. _______
SHEKKY l\l.\A
VIMo IU: ni I ".'I \\\ IIVItICM
i>ni:i'.u;.\i. con Bt HU I :.>:.:. u\iin> m>-
cilhiiKlksbuu
l *.l\
I. l'M.lO.ll II ll\ >l Mi :
I. ll>M'\Vo\.
IH)H
raOMMERE 6LIS
i.\-:mi.i.\" W*S ':< SI i II -ie i'sr.f.
0 Slli.ilHV-klNV i 0\illll<>'!<' OlllN|MlM
que li"j'' piftisin .\ion parte I >s tnrli
eos le h sriitaes, '!>> I nt"< d* Im niilndr
dos iiieiul.ios da a;. !! lia i N
Te eala nwfcwmii mu -a, i
que ull roer tu las |fl i,\i;imo ImW*
sendo peloSr. Fortunato Josti da Cuuha metiidoL,, j,,,.,,,,,, nu, ,-,,.|u.-t..- i..... mem
que vcitas vfju teunGum .1 M u.u>\-
l)KS T.VO l>r-iN'l\IS 1.1100, li. Mm|i>. VI H
LEILO
DE
urna casa terrea na villa da Escada, no ter-
mo do Santo Antao desta provincia, sita
rua da Barra, outr'or'a do Compra Fiado,
propria para qualqucr estabelecimento.
QUINTA-FEIRA 5 DE JUNHO
As 11.4(3 da manh
ao correr do marteUo.
O agente l'inho Borpes competentemente auto-
risado, vender em leilao a supradita casa, no seu
escriptorio, rua do Rom Jess n. 53, primeiro an-
dar, onde desde j os Srs. pretendentes podem ha-
ver as informacoes e eclarecimfcntoi.
LELAO
DE
chap)s de sol, de seda.
Fazendas avariadas
i
Quinta-feira 5 do corrente.
A's tft liortiM.
Por interveneao do agento Pinto
1 No armwem Liftnown.
Em cotinuaco
vender-se-ha tambem 1 mobilia de mogno, 1 bur-
ra prova de fogo. carteiras, rcpartirnenMs para
eseriptoris, pratileiravl'C^sa.'pala coptr crlas
6 outras pertencas ue esmplorio.
b ~
novis, 1oocx e cryslaes.
A SABER:
Urna mobilia de Jacaranda, com I sof, 1 jardi-
taes conhi'cmentos na nlpibch n, os pentera em
do corrente, pelo que desde j protestem portera
e qualquer lransaci;rio que dos inesnios se puan
fazer, mesmo porque laes coiiliecimentoa ato pna-
sados em nomc do dito Joaquim l'rocopio Freir
de Andradf, e sua ordem, protestando t.onil'iii
de usar de todos os meios pennitlidos cm dn-iio
para fazer valer o sen linjito contra toda a alhea-
eo que de sua oopricdn? inclusiva se pretenda (
fazer, c ca-o fcita d.i c v '-.!> ae-ao commer-.
cil, prometiendo era'ilicu 1 quem os entrevar.
Baha, 26 de maio de 1873.
Fortunata Filho \ C
Ensillo prliciilar

Salvador iienrique de Albuquer|Ui?, prOsta-66
a ensitar por casas particulares, testa eidade e
seus suburbios, todas as materias do enso ele-
mentar, a alumnos de um e outro sexo.
Ensina e prepara as senhoras que se qnizereni
habilitar para os concursos s cadeias da ins-
trueeao primara; e aos Srs. estrangeiros e ea-
trangeiras tambem pode aperfeicoar nos conlnei-
mentos indi?pen cipiando pela parte material dos vocabulos.
Todas as tardes em sua casa, pode lecrionar
aos estudantes de preparatorios pie pnvi ain de
habilitar-fe para o exame de portuguez.
Tambem cn-ina geometra c aritlimetica aun
todo o desenvolvimento e appliiaioes a todos s
Srs que quizerem tilisar-se de seu preslimo.
O curso da lingua nacional par os estranen
ros poder ser Buttto em casa do anonetanta mi
em localdade conveneionaila, logo que ah se pos-
sa reunir seis alumnos pelo menos.
Largo do Paraizo n. 8, segnndo andar._______
A' cmara municipal e as
obras publicas.
Pedo-se a quera competir que ollie para o pes-
simo estado em que vai continuando a rua de S.
Miguel, freguezia dos Afogados! aelia se em tal
estado que nao possivel transitarse ; esper
mol que com esta reclamaco seremos alleudidus ;
Algiins M'rrailores. I
O abaxo assignado procurador bstente do
Sr. Antonio Antunes da Silva, negociante da villa
de Pao d'Alho, declara ao Sr. Antonio JoaqtHni!
Cavalcanto de Albuqucrqae, senhur do engcui:u
Pantorra, da freguezia do Cabo, que a escrava
crioula de nome Mara, que se acha cm ?eu po-
der e que foi escrava do seu cimbado Manar I
Jos Victoruno de Barba, prupriedade do Sr
Antonio Antunes da Silva, da referida villa S
Pao-d'Alho, e fugio do poder do abaixo assignado, I
a quem eslava wnifiada
O mesmo abaixo assignado pede ao mesma ?r
Cavalcanto de Albuquerque a mande entiivjar na
villa do (nabo aos Srs. Joao da Silva Salgado, ou
a ilfanoel de Barros Rodrigues Cainpello. que sa-
tisfarao qualipiw despeza com os portadores, e ra-
so S. S. nao se queira prestar a este pequeo fa-
vor, queira entrega-la autorlade polidal, para
esta reculhe-la cadeia daquella villa, alim de
que S. S. fique livre da responsabldade e DM
diz no seu annuncio de 31 do pamada mez. A.l-
vert o annuueiaule a S. S. que dita escrava nun-
ca, leria ido para o seu engenbo, se nao fosae ;c
dnzida por alguem quo a quizesse comprar por
diminuto e.re$u oibora sacrifleasse a reputaioo
de outro qualquer.
Recife 2 de junho de i873.
Ncomedes Uara Fruir.
lid i! IM.HINA .13 Vi-/'- Ir .lll!i 1.1
Otos i'.v !.si'..ii.M v r "
/ .. |!,. H. r.ON'STANIIN J\MI-S.
Nlf IHJWITI)
PIlAHMAUAKimo^ARU
b aRTHaitin t c.
Rua Lardado Rosan:i n. 34.
Na travessa da rua das Crnxes n. li, J
andar, ha una ama escrava para alugar-se.
Os abaixo assignado* fazem sciente ao corpo
do commerc o que dis sociedade que tinhara n3 Uverna sita travessa
dos Martynos n. 8, no dia 26 de maio, ficante a
cargo do socio Manuel ('jarlos da Silva todo o ac-
tivo e najsj,vo e o sucio DiUra naga e -atis'eito di
seu catitel e lucros. Bacila, 21 de maio de 1873.
Jote Adriano de Mello Dtili i.
Manoel Carlos da Sifc-a.
Radical para
EacaoFOLAS, Chacas Ahtigas, l'i.rtnsj, |
Femdas l'Lcnasas
TUMORES, A1CESSO
POSTHEMAS, ERUPgOS, HERPES |
nplBfMM, Lep^ Tin*
todas aa Holtstina da Palto
GURA
RADICALMENTE TODAS as MOLESTIAS]
SYPHILITICAS
Poderoso Preservativo
CONTRA
As molestias SypkOUicm
t m
Febresamarella e Typhoide \
TBATAHraTt
PILO
VINHO
DErillATIYt e MCMSTITOHTII
Da i" KL01. Ai te
DEPOSITO 4, hmnttri St-Mmim. Pabm |
Ageates G P. ROODE (aa grande mgica), rua U
OuTidor, 11S, Ra ac jAsanna.
Lendo no Diario de Penumhucv c Jornal I
do Rectfe de hete, dapar mo entre o annunn
firma de Rodrigues V '". convocando seus ere-
dores para deliberarem acerca de seus
enimerciaes ; sobre *s annuncion pr
ser also e por emquanto nao man lamo* p'oWicar,
nnm.aHtaritemo r**oa> alguma para tal fezer.,

DtV/Ml^'ELIN
lUa dt nli^rivk. li. p^-lM m M.U'
datr n*'K-a> i Ii-^|*w i''i r<- pfaBM"
-mi -riW|ifr I
pura <-'irai
1 n 'riw tr
aoBA> ou entmnean
,- 4 rn.
? ptkwmym MpM,
-. WarK nm-. i
BR0RCHIT>3
>- itw,
ih-oiiv i
AMV- ,
lirrciuM okoi*-
1*001
2 de junho de 1873.
'I'] GEBAL

Rodrigues !Pll

AO


Diario de Pernambuco Terca feira 3 de Junho de 1873.
,TA MOVID/tDE
PIANOS E MSICAS
ANTONIO .lOSlfi HE ASEVEDO
Ra do Birao da Victoria n. 11, aTmasem. e 12 1. andar, antira ra Nova
U1NM0 AMM&WM
aonie o publico em geral encontr, \ Pianos, msicas e instramentos de msicas para banda militar
e orchestra.
Ataba de abrir no primeiro ailar do .oi.ra.ij o. 12 confronte
ootiea M.urer, uib grande sa ao onde esiao expoMos os magnficos
r m m ^ ^P <1e armario, de Pleyel.
-------- de roeia canda, do mesara aotor.
-------- de H. Henrt.
de Araede Thiboui.
J*>
Unieo agente nesta cidade, dos celebres aUa.sdi*
PIANOS DE AUCHER FRRES
rimados em diverja expo;os oro II medalhas de
Sao os ouicuf piaoo* una aqni vem da Europa,
. fetos eom Hegao :ia e solidez.
onro e praia.
perfeiameule afina-
Tambera recebea grande sorlimnoto de arasieas para piano, piano t
canto e entre ella* as linda compr>sic5-s do moito sympatbieo maeairo
A SABER :
Voc roe qner Walsa.
ildina pablleaetc*
Peitaa as offleinaa de mancas
do annnneianto.
Emilia, polka por I. Smolti.
Cireaeiana, fchoten, por Snolts.
Jardim do Campo daa Priceu*.
quadrilna, por J. Popoe.
Chova de Roas, Walsa, por H Al
bertatti.
Olga Mazorka.
L Separacloni Par canto.
A Lurleetrica, grand s Wa'i-a.
Frnco Brasilero Polka.
Tomada d Joaninha Walsa.
A Libertadora Polka.
A Primeira espada Wal-a.
A Mnha Lvra Walja.
A Natalicia Polka
Stndiente Poka.
D'aqai eudiante continuara a annoociar todas as publcaos qne se (orem Friendo as snas offlcinas de mnsieas.


TELA!
r?
v-*A
T
,%m/
r
% M
aos compradores do bem conhecido e acre litado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenlio se pode
confundir com o d'aquelle
5.
Os apreciadores
que qaizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao seren engaados ver que
os botes tragam o nome de METJRON ft C, e a desig1-
naoo de REA PRETA.
HEURON ft C.
lllfl*
flffii
IrHl!
n Q.
e r,
>Q S I
3?S
!.fI5
s. >
o 2 o
e 2 2
rol I
l*.'g-E,
8 Ifi
* E s *
-i
fifi

S1 f -a
8
M
n

CS3
DE
CABELLEIREIKO
Ra do Imperador n. 381. andar.
O artista Andrade, antigo e acreditado offi' tal da casa de elsuc, participa as Ernas,
famlias eao respettavel publico desta capital, que acaba de abrir este novo salo, aoixle
' se aprompta com perfei^o toda e qualquer encommeu la ten lent< i suu ai te.
Prepara-se pentendeados e postioos, pentea-se coques, cabellouas o caclie-peigncs,
I concerta-se toda e qualquer obra em cabellos e laz-so com jtorfrifao toda obra de i.abellei-
| reiro sobre encommenda ;tudo 10 por cento mais barato do que em outra qualqic-r
parte.
Alm desta grande vantagem compromette se r-m sorvir com pontnalidade, perfei-
Qao e asseio, para o que tem habissimos artista-.
Outro sim, avisa as mesmas Exmas. familias que wn suu grande salao, ba continu.i-
; damcnte sortimente completo de coques, cache peignes e tojietos, ludo de mi>deruisnios
| gostos.
Ra do Imperador n. 381."andar.
Francisco Jos Cardo-
so, artista alfaiate, transferio
sua officina da ra do Baro
da Victoria n. 46 para a ra
do Mrquez deOlindan. 34,
primeiro andar.
De 10 palmos.
lu
PROTECTORA DAS FAMILIAS
ESTADO EM 31 DE MARCO DE 1873 .
CAPITAL INSCRIPTO CAPITAL REALISADO
liis 25,521:167^698 Res 6.2*7:021434
\PQIACVaS 1VV HlVm\ TCBU^A, JMMMTO tt M\ CFATO
Ris 8,338:7001000
(VALOR NOMINAII
NUMERO DE COiNTIUCTOS
AS CERTIDOES DE VIDA
dos segurados devera ser apresentadas
na corte, e dentro dos primeiros qua-
tro mezes dos annos de liquidando
de cada contrato : tal prazo linda
a 30 de abril.
CS COUTSACTCS
podem fazer-se nao s com risco i>e
PF.ROA DE CAPITAL I". WCMM OO caso
do morte ; mas lambe.n com re-
servado capital ou dos
lucros.
na
contratos devem ser |irtwH torio, e at 30 de tetembro
do atino anterior ao da oa
liqnidacn.
O agente nao autorisado pela associa(jo para receberdinheiros; pode rccebe-fo*
sob sua nica responsabilidade e risco de quem lh'os entregar; pois que o recibo do
Sr. thesoureiro do Banco Rural e Hypothecario o nico documento que obriga a asso-
19,0%
<>S AVISOS TARA REST.ISAO
los
ciacao.
Jos Jmtimmw Rodrigues.
Inspector geral.
mdahca\
DO
I C0LLEGI0
X Senhora da Sanlc }
8 P-RA
7 F.diii'iicn de meninas. %
A Directora deste collcgio, abaixo assig- 0t
V nada, faz sciente nao s aos pais de suas Mj
rs. alnmuas, como a todos os chefes de Fa- s
jf milia que quizerem runfiar Ihe a educa- m
Q gao de suas filhas, que transferio o seu
Cl. collegio da freguezia do Poco da Panella fU
para a freguezia da Boa-Vista, sobrado Q
/*J a. 25, sito ra Formosa. O
l* As -..lumnas deste collegio receberao ft
m nma educacao psmerada sod as b;ises da m
't boa moral e da religio, como cjnvm \
<*. a senhoras de um paiz catholico; e te- s.
m rao por mestres, professoro iscolhidos jf,
V entre os mais habis, os quaes serao en- fg
Z carregados do ensino de leitura de prosa Q|
Q e verso, calligraphia, arithmetica, s>ste- @
Ct ma mtrico, lingua verncula, historia, rj
Bcographia, francez, inglez, musir vocal, Q
"so
AVISO
los Henrique da Silva Guimaies I-cLhi ih-Io
presente que |)de ser procurado na ra da Me-
dade n. ti, sitio onde morou o Dr. \ illas-Goas,
para qualquer negocio tendente a si ou rom o
casal de ;eu fallecido pai Joao Hcnrii|uc da Silva,
por ter deixado do c infinitar a orfiinar o t* an-
dar da ra Duque de Caxiai n. M K no caso de
notas ou recado, na botica da ra Nova ti 51, de
Joao da Silva GaimaraVs.______________________
Aluga-se a casa da ra do Mondego n. fil,
com commodos para familia : a tratar na mesma
ra, sitio do portio n. 61, que tem o titulo de
olaria.______________________________
Aluga se ou vende-.-e urna casa construida
de ferro o madeira, sita cm Sant'Anna, porto da
esincao : Dan InformaeSes frata-se na roa do Im-
perador n. 45, armazem. As chaves estao com o
guarda da mesma ando de Sant'Anna.
GASA DO OUKO
\mm
I
piano, desenho, dansa, croch, labyrintho, W\
obras de l, bordados matiz e ouro etc. M\
E porque a abaixo asignada con era s
hoje, por urna longa experiencia, que y
nao pode a alten iio de urna directora do Gf
collcgio subdividir-se, por nm crescido
numero de alumnas, sem prejuizo c gran-
des inconvenientes para a educado des- Q
tas e crdito do estabelecimento ; por H
isso est a mesma abaho assignada re- m\
siilvida a limitir a vinte o numero de Jf,
suas discipulas, com o que julga dar ao
respeitavel publico desta cidade urna
prova de quanto se acha compenetrada
de seus deveres e urna garanta aos
pais de suas alumnas de que ser soli-
cita e zelosa em cerca-las da vigilancia e
carinhos que nunca, quando bem distri-
buidos, sao de mais para to innocentes
creaturas.
Quanto ao asseio da casa, acommoda-
coes o dntribiiicAo do servico, acha-se
tudo providenciado de forma que a or-
dem ser rigorosamente mantilla, c que
nao serd alteradas as boas condices
hygienioas da casa em que se acha
estabelecido este collegio.
Boa-Vista, 29de maio de 1873.
Mara Helena da Bocha
Aos 5:OOOSOOO
Bilhetes garantidos
Ra do Baro da Victoria (outr'ora Nova]
n. 63, e caa do costiime.
O abaixo assignado acaba de vender nos seus
milito felizes bilhetes a sorte de lu0O0O em
quatro quartos de n. 646, alem de outr s sones
menores de 40 000 e 205000 da lotera que se
acahou de extrahi (52'j; e convida aos possudo-
res a virem receber, que promptamente serao
pagos na forma do costume.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vir ao seu estabelecimento com-
prar os muto felizes bilhctes,qnc nao deixarao de
tirar qualquer i remo, como prova pelos mesmos
annun os.
Acham-se a venda os muito felizes bilhetes ga- P
rantidos da 5' parte da lotera (33) a beneficio da "
igreja do Bosaao da freguezia do Santo Antonio,
que se extrahr no da 6 do mez de junho vn-
douro.
Preco*
Inteiro O 000
Meio 3*000
Quarto 1*500
lOOrOOO para cliim.
Dase a quantia cima a quero pefar e
i ma ilo Brnm n 74, armau-tn d assucar. m m-
cravr abaixo inrii'-ionad >s : ViUlinn, (uf wf < mm
%\ de revereiro do corrrnte arnn, prrln, eri
de 25 a 2fi ann<. alio e rltoit 4n r>-p >, p .
sos. quamlo falla enrolhe e lirirn siiimtit. pomex
barba, e fumaras de valrntao ; lm an.iiinaitddn
de nm esrravn de Manoel Pranei^eu Marqae*. en-
jo esrravo do Oar, para nnde se -i'j>f> i <{
elle? fenham seguido, n. toral de O m n*. *M
rsrravo do capitn Tfmrnaz Thnorin de Alta-
qiicrquo \ illanova. moraAr em faparara, cj
finita urna fazenda em Buiqnc, di- ^ne rile erv
i vaqtteira.
Primeira Relajo.
CARTAS A E.TTRKAB.
i Os segiiinlo Srs. i|iieratn vir a ra do In.per-
dor n. 2, Confcitarl do (amprn, rec*>
1 hiT eartM que lite ii-i dirig la*. -A alwr:
Aiii'lnii fiiineatvi's Porto.
Elias Augusto la Almeida
Francisco Augusto de Almrida
Feliciano Pratere
Francisco to da Oh
Joa Mara da (.onci'ii-ao Ferrelra
lord da Silva Korreira (alfaiate)
Jeo Americano
Jos Mein-lies de Soma liamos
Jos Amando de Ohveira Guimaraas
Manoel Jos Ferreini ( Bemivi)
N:i|io|o;in da Costa Moreira
Pedro liiiiniari-s
Quintino Moreira Diat
Theodoro l'ereira da Silva
Escravo fgido
150^000
De
Inteiro
.Meio
Quarto
5*300
2*750
1*375
Engenho para arrendar
Arrenda-so um engenho na freguezia de Agua
Preta, moente e corrente, tem propor.-Ses para sa-!
frejar tres mil paes annuaes, um bom cercado, e
perto da estacao urna legoa : quera pretender di-1
rijase no Becife ra do Imperador n. 50, que
Ihe informaran.______________________________
Escravos fgidos. j
Fugio do engenho Jaguarbe na madrugada do
dia 28 do corrente, os escravos segittnles: Luiz,
cabra, baixo, cabellos carapinhos,tesla larga, olhos
grandes, nariz gmsso, bocea regular, rosto oval, j
barbado, tem as rateas muito carapinhas e pouca,
mais tendo em todo rosto, ps grossos e curtos, fi-
ltra do lugar Mara Preta, da comarca de Paje,'
foi escravo do finado major Antonio Bernardo, e
depois passou a ser do tenente \ cente Fcrreira
Lima, morador no Cajoeiro de Paje.
Leao, crioulo, dade de 25 annos, soltero, sem
ofllcio, natural de Pedras de Fogo, foi escravo de
Manoel Leilao, morador dentro da villa, que ven-
deu a Alexandre lavalcante Albuquerque, mora-
dor em Campia Grande deS. Louronco da Malla,
tem todos os dentes, olhos pequeos um pouco
encovados.nariz chato, bocea regular, cabellos ca- rn pq
rapinhos, mos bem;fetas e ps finos, est escravo; lo-co.
acode pelo nome de Leoncio. | De ordem do Pr. director scentifico a todos os
Manoel, crioulo, ilho do Brejo da Area, foi all socios desta sociedade, que as sessdes ordinarias
escrava de Antonio Isidoro Delgado Cavalcante, continuam a ser oes das de tercas-feiras.
tem todos os denles, olhos grandes e bonitos, nariz O 2.* secretarie,
grosso, orelhas pequeas, tendo a esquerda como Pedro Paulo dos Santos,
no cimo della urna bera aparada, na face esquer-
da urna secatrz, surrado, bocea grande, ps pe-
Becife, 30 de maio de 1873.
Joo Jnnquim da. Costa Ltilt.
TASSO WMk C.
Em seus armazens ra do Amorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por preeos commodos
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydraulicc.
Machinas de descaroenr algOdao.
Machinas de paitara.
Potassa da Bussia em bar*il.
Phosphoros de cera.
Sagu em garrafoes.
Sevadinha em garraf3e.
Lenti has em garrafoes.
Bhum da aJmaica.
Vinho do Perto velho engarrafado.
Vnho do Porto superior, di o.
Vinho de Rordeanx, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Potes com linguas e dobradas nglezas.
Licores finos sonidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toucnho inglez.
Barrs com repolho em salmoura-____________
Imperial Sociedade dos Ar-
tistas Mchameos e Libe-
No engenho Masstiarad, freguezia da Eaeada, m
dar de gratificarn a quautu cima a fM ap-
rehender tres cavados que naqurlle eagcaw
tnram tunados na mHite do dia *' para 30 de -
vembro prximo rasgado : o tem 9 annoa, 4
asianho c castrad i. tem a orelha direita bartal
acada, urna e do tem uina cruz ; o 2.* raen, rom pintas ver-
melhas nos quartos, grande, gordo, coa o pan-
coco lino, castrado, tem os quadns ferid< 4a
eansalha, ferrado mm a marca I. R. 4
di i no, e tem a dade di' 9 aanos; o 3.*
sanhass claro, curto grosso, nm poueo
castrado, pequeo, e est ferrado rom a marra
- Ono quarto direilo : gratifiea-se rom 5o*Oi3
por cada um em m'H'nra da nessoa. em cuj.i pe-
der for encontrado qnalquer dos ditos eavatMR
CAZA A FORTUNA
RA 1. M M.\U <> outr'ora IH) CRRSPO R. 33
O abaixo assignado tem semnre exposto i venda
os felices bilhetes do Rio de Janeiro, nagaade
fromptamente, como costuma, at opr
:000*.
Precm.
Inteiro.......2iS'H0
Meio........12*000
Quarto....... 6i000
Manoel Martns Fiuza.
at opraio 4a
Os abaixo assignados fazem hMi ao pu-
blico e com es|ieeiaiidade M eorpo do commereio
que a contar do da 5 do corrente dioolvtrnM
amigavelmente a socirJade que tinham sob a Ar-
de Monteiro & Rjbeiro, na luja de fazenda
ra do l.ivrain -uto n. 32, fnandn lodo o activo
e passivo cargo do socio Mooteint e o socio Ri-
beiro, pago e satisfeito de seu capital e lucro*.
Recifc, 30 de maio de 1873.
HiTiiardmo Jos Monleiro.
Jos Gancalves Hibriro.
I
Aluga-se por 25* a casa n. 6 na ra do li-
ma, em Santo Amaro, estando j concertada de
novo : a tratar na ra da Restauracao n. 51, ou-
tr'ora Guia.
1; o o I
i
%
35
O
i r" n ti j
ce o:
te
o So
o
$ s

=. 3 o o o
B"> o-s- y
J33" ^ s-
GRANDE DESCOBERTA
DO
Composto de manac ante-rheumatico e depurativo
PELO
Sapotiseiros e sapoteiros, e dahi para baixo, pl-
nbeiras, fructa-pao, oiti-cor, artcum-a-p, aba-
eate, laranja-cravo, flanboyant ou brilhante, pal- _.
de (rualidade, CL l
E' preparado este xarope de manac e mais algumas plantas indgenas do Amazonas,
nao contm preparado algum mercurial. Cura com rapidez rheumatismo, dores nos ossos
erupges sypbiliticns e dartrosas, r^crofula e todas as molestias que dependerem
desses virus. A sua composico foi approvada pela junta central de hj'giene pu-
blica.
A cada garrafa acompanha urna eiplicaco para a forma de usar. Praco de cada
meira imperial, roseiras de (rualidade, alecrinss
Jarroiras, coraclo da india, romeiras e outra,
atas : na Capunga, ra da Ventora numero JO,
nico deposito nesta provincia i ru do Bario
Monteiro & Suva.
da Victoria n. 38, chapellara de
i 3.
.a >
c
a
i o
3
a

<(*
DE.YSTA DE PAliIS
19- RA NOVA19
J. M. Leroux, cirur-
gio dentista, succes-
sor de F. Gautier, es-
pera continuar ame-
recera confianza dos
& clientes da casa; edo
%. respeitavel publico em
S geral.
gffflffffffflffff^l^ffff
Aluga-se o primeiro andar do sobrado n. 47
da roa da Jmperatriz; quem o pretender encon-
trara as chavea na loja do mesmo sobrado, e se
entender com seu proprietario ra do Hospicio
33.
3
R
cr
1
a-
i!
9
a
e

s
3
2. -
- -


quenos e feios, f8 annos, altura baixa.
Simeao, cabra, idad-. 32 annos. cabellos de ca-
boclo, alto, rosto oval, olhos grandes, tendo a
palpebra superior um pouco dcscida, nariz chato, ^
orelhas grandes, bocea regular, beieos tinos, tem )@H?O?GC?!550 ] Ck?>O>0!QQ
na face direita urna pequea marca, e na esquerda
abaixo do olho um ligcro tal o, ps e mo bi
feitos e grandes, todos os dentes, sendo limados
de cima, filtra de Plane e foi all escravo de
noel Boque da Fon reca, morador na villa da
sercordia na provincia da Parahsba, tendo i._
outr'ora escravo de um tal Lopinho, all morador, | U t
nao tem barba, cm todo rosto apenas na ponta do (5 g5
queixo e um pequeo bigode. \ Ou> o 3 "2
Herculano, cabra, alto, de 30 annos, soltero, com : #^ % 3
principio de coznhetro, filho da provincia da Pa- j t fc |
rahyba, no lugar Garga, foi escravo do Dr. Salus-' =r = sr -
tino Gomes da Silveira, que all morava, e depois
pertenceu a Joao A Ivs da Crur, be n feira de
ps e mao, rosto oval e descarnado, barba a ca-
vagnac, olhos pretos e tamanho regular, muito
expressivo.cabelos pouco carapinhns, mas grossos,' ^1
ventas largas, todos os dentes e bocea pequea ; r
gratiflea-se bem quem os appre ender, dirigi-
do-se o mesmo ao engenho ou no Recite, ra
Tan. 8.
2
I
j.
l
i
a
o
S
&

g
1
fi
se 55 na
s
5C
a
D
* P
p
\
i
si

> l
Ouoi jss fiiiiiitod,) (fTi-rerr ?
Iiicmleslavelmintc a loja de calcado estrancei-
ro que mais cimimodo olTerece em geral, com espe-
calidade ao bello sexo, o l'ABIS NA AMERITA
ra Duque de (lasias n. 59, primeiro antar (aa-
tiga do QueimaJo) c a razao ? a razan simples :
um cavalheiro (amante do rhpir) por corto a
in.'ommoda quando, para comprar um par do la-
tinas, v-se Coreado a experimntala sobre oaa
pequeo e puemso pedaco de tapete (systenu ma-
carronicoi nao podendo desta tortita coaheeersa
a botina (he Tica boa, (mis, nao tem alpaca para
experimenta-la, ao menos que nao a estrague osa-
do apenas um passo, que chcgarlogo ao imm jn-
do lad'ilho ; o que nao acontece no Pmra M
America, onde nixte se passear vontade e desta
forma conhorir-sc M tica Inim a calcado : para
bello sexo, entao qnasi imr*ivol. qne ni e-
nhora (do bom timi) qiteira snjeitar se a experi-
mentar calcado ao lado d um balean, onde as-
ir qum quer, ainda mesmo para comprar : e
PMfe m Arntrie nan reentr- nm bem preparado gabinete re*erva to, para as
Exmas. que all poderao estar etn perfco eomnm-
do para a esculla do calcado.
Nao terminara a' i as vanlatens oo
do Paris na America i na tinque de
59, primeiro andar, consiste ten neta MMH atr-
tmenlo de bolinas para honren*, dos momerfi
mais aCamados ubricantes da Eampa, romo Ma-
les, Sawr, Polak, etc., etc., e grande varie4a4 4a
chinHIos e sapatos. assim lamhem nm H4o sor-
timento de botinas para senhora, e apatmhNW 4a
miitis qnalidades ue poderao afbfazer a oaoa-
Iha da mais eapichosa senhora (do bom paste) ;
pelo que fiea expendido, calcado estrangeiro, que man vantagena uMoreea,
o Pars na Americ, roa Duque 4e Caiiaa a.
59, primeiro andar, antiga roa do Queimado
ijK'rial siM-iHadf s artistas
Pede-se ao Sr. diaeeter das aulas que luja 4e pro-
hibir ]ue o |>rofes*or de primeira* teUras eiie 4
discusses sobre o hispo na hora da* aulas P"^*
desta nianera n -
xa os outros professores Caxerem,
tretido* com a mesma disvustio,
porque desejo o adanumeoto i
pois e*ta* -
mn paqe4
Precsa-se de nm
para fetor de um angada
n. 30, se informar.
na ra do Boa* Jcaw

Precisa-se de um h> nrem para tenor 4e am
engenho que tenha ortica 4e servico, foe ale ?-
nha virios e d ianca i sna onmlueta ; A catea
, der-se com o Sr. Berna rdino Puntual, ma 4a Ma-
de um fettor : a tratar na loja do Passo, roa do' *n de peo* n. 38.
Crespo, junto ao arco de Santo Antonio.
. Precisa-se
Engenho para arrendar,
Arrenda-se o engenito Cananduba, prximo a
povoaeao de Jaboatlo : a tratar no mesmo enge-
nho, ou na ra do Mrquez de Olinda o. A.
oarreguem terobem
peswas: a tratar no
Cozinheiro.
Preciza-se de um, Hvre oo etvrava,
de comprar, pava ata 4e 1
Oirred r do tapo a. Pl.
tTa
- 0 Sr. Jos da Cruz Fmitaa
roa do Mrquez deOUaa a. antoja.


Diario de Pernambuco Terca feira 3 de Junho de 1873.
AO ARMAZEM
|BO
VAPOR FRANCEZ
RA DO BARAO A VICTORIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
PIANOS.
Aeaham de cbegar milito bons pianos fortes c de
elegantes modelos, dos mais notaveis e bem co-
nhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse
Blondel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C : no
vapor franccz, roa do Bario da Victoria, iu-
tr'ora Nova u. 7.
Calcado francez.
Botinas de laxo e phantazia, brancas pretas e de
diferentes cores, tanto para senhoras, como pa-
ra meninas.
Sapatinhos cora salto no rigor da moda, brancos
e de cores para senhoras.
Botinas de Melis, de Suser e de Polak, para ho-
mens.
Sapatos de cordavao Mili spara homens.
Botinas para menino de qualquer taraanho.
Perneiras e meias-perneiras tanto para homens
como para meninos.
Sapatoea de Suser para homens e meninos.
Sapatos de verniz com salto para homens.
Abotinados de militas qualidades e precos para
meninos e meninas.
Sapatoes de verniz com sola de pao proprios para
sitios, jardins e banhos, sortimento para homens
e senhoras.
Sapatos de tapete, ca de tranra portuguez e francez.
No armazem do vapor francez, na do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Perfumaras.
Pinos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
trifice, agua de fl r de laranja, agua de toile-
te, divina, florida, lavande, pos de arroz, sabo-
netes, cosmticos, muitos artigos delicados em
perfumara para presentes com frascos de ex-
tractos, camuas sortidas e garrafas de diffe-
rentes tamanhos d'agua de cologne, tudo de pri-
meira qualidade dos bem conhecidos fabrican-
tes Piver e Coudray,
No armazem do vaoor francez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Napoleio e a Guilher-
me, perneiras e meias perneiras para homens,
e meias perneiras para meninos.
No armazem do vapor france-, ra de Bario
da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Mobilias de vimes.
Cadeiras de bataneo, de braco, de guarnicdes, so-
fas, jardineiras, mesas, conversad iras e costu-
raras, tudo isto muito bom por serem fortes e
leves, e os mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recreios.
No armazem do vapor francez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
Jihantazias.
os para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Joavin, de lio da Escocia e de camurca.
Caixinhas de costura ornadas com msica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relogios.
Brincos imitacao e botdes de punhos de plaqu.
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de couri-
nho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
e toilette,
Pincenez de cores, de prata dourado, de ac
tartaruga.
Oculos de ac fina e de todas as graduacSes.
Bengalas de luxo, canna, com castoes de marfm.
Bengalas diversas em grande sortimento para ho-
mens o meninos
Chicotinhos de baleia e de multas qualidades di-
versas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e par
barba.
Ditos de marflm muito finos, para limpar cabeca.
Escovas para roupa, cabello, unhas e para den-
tes.
Carteirinhas de madreperola para dinheiro.
Meias para homens e para meninos,
Gravatas brancas e de seda preta para homens e
meninos,
Campanhias de mola para chamar criados,
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de domi-
n_ e outros muitos differentes joguinhos alie-
mies e francezes.
Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami
nhos de ferro,
Mamadeiras de vidro de dar leite mui fcil as
crianzas.
Argolinhas de marm para as criancas morderem,
bom para os denles.
Berros de vimes par embalancar criancas.
Cestinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas para passeios de crian-
gas.
Venezianas transparentes para portas e janellas.
Reverberos transparentes para c-ndieiros de gaz.
Esterescopos e cosmoramas com escolhidas vis-
tas.
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmoramas.
Globos de papel de cores para illuminac<5es de
fes tas.
Saines aereostaticos de papel de seda mui fcil
de subir.
Encerados bonitos para conservar as mezas de
jantar.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palha e de peanas.
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
TinfeiM de loop branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para qua
dtoa.
Quadros ja promptos com paysagens e phantazia
Estampas avulsas de santos, paysagens e planta
zias.
Objectos de mgicas para divertimentos em fa-
milias.
Realejos pequeos de veios com lindas pecas.
Realejos harmnicos ou accordions de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos de quinqu'
Iharias dideeis de mencionarse.
No armazem do vapor francez, roa do Bario
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de lodo?
os brinquedos fabricados em differentes parte*
da Europa para enlretenimento das criancas
tudo a precos mais resumidos que possivel :
no armazem do vapor francez, ra do Bario
da Victoria, outr'ora ra Nova n. 7.
PARA PIANOS
Pannos proprios de cobrir pianos.
Cadeiras de parafuso e forro estu-
fado.
No armazem do Vapor Francez ra do
Bario da Victoria (outr'ora Nova) n. 7.
Cestinhas para costura.
Grande sortimento de bonitos modelos
chegados ao armazem do Vapor Francez,
ra do Baro da Victoria (outr'ora No-
ja) n. 7.
Fogo, fogo
Fogo de bengala.
Novos foguinhos chinezes arttflc iaes proprios de
laloes, varandass e jardn* ci egados de encorn-
ada propria, e especial para os festejos de
^Antonio, S, Joao e S. Pedros i precos re-
tanto em pequeas caixas, como re-
tino : ho armazem do vapor francez,rua do Ba
da Tutora, oair'ora nova n. 7.
Plivsiologia do nialriinnnin
historia vvrnt.u, k medca
|H|
Iiokmi c (i:t t: hIIk' casados
as mas mais curiosas particularidades
THEORIA NOVA DA PROCREACO DOS FILHOS
do sexo masculino on feminin a Yantada dos pon-
juges Esterilidailo Inpnteneia Imperfei-
eik's penitacs : meio de repara la.
llygienc espfcial da inuliier grvida o do
recem-nascido
por
A. IHllW.
Tr. da sexagesima-segunda edicto franceza
kPOR
A. I. F. dos Reis.
1 volume em 8.* 4*000.
liivrai'in l D. Candida Emilia Delsuc
Jeronvmo Delsuc pungido do
mais doloroso sentimento pela irre-
paravel perda do sua sempre cho-
rada esposa D. Candida Emilia Del-
suc, manda resar urna missa pelo
*eu eterno repouso, segunda-feira
i de jun-o, nalgreja de 8 los do
Manguinho, as 8 horas da manlia"; e para este
acto de verdadeiro christao, roga a assistencia de
todos osseus amigos e parentes.
Jos Pedro Rodrigues da
Silva.
Pedro Ernesto Rodrigues da Sil-
va o Antonio Juvencio II. Silva Ties-
ta cidade, Dr. Manoel Juvenal II.
Silva, los Pedro R. Silva, Jos
Baptisla Carneiro da Cunba, Amia
Generosa, Annelina de Caria C. da
Cunta (ausentes), a ora e netos do
fallecido Jos Podro II. Silva, feridog de pungente
dr pelo passamento de seu sempre e asss chora-
do pai, sogro e av, mandam resar algnnias mis-
sas pelo repouso eterno de sua alma, na ordem
terceira do Carmo, no dia quinta-feira 5 de junho,
pelas 6 li horas da manh; e rogam aos amigos
e parentes daquelle e destes o piedoso comparec-
menta a este acto de sincera e verdadeira roligiao,
pelo que se confessam j agradecidos.
Wf
**
i!i|iM1!M.W.'1'l
D. Lacia Mara d Reis Pardclha,
D. Maria Francisca Pardelba da Sil-
va, baclinrel Paulino Ferreira &>
Silva (ausentes), D Francisca Ma-
ria dos Beis e Elizia Pardeiha.
mulher, tilha, genro, cunhada e
alilhada do fallecido Joao Francis-
co Pardelba, agradeeem do fundo d'alma a canda
de que tiveram os amigos e prenles da mesmo
fallecido em acompanhar o enterramento que leve
lugar no cemiterio publico no dia 21 do correnlc,
e os convida novamente a assi-tirem as missas do
stimo dia, que serio resadas na matriz do Corpo
Santo, as 7 horas da manh do dia 3 do corrente.
D. Justa Rufina dos Santos
Portugal.
Pompeu Colonna Casa-
nova, Virginia Casanova de
Agniar, Leopoldina Casa-
nova Luz e Silva, Josephi-
na Maria Magdalena Casa-
nova, Eugenio Colonna Ca-
sanova Angelina Mariana
Casanova, capito Alvaro Conrado rerreira de
Aguiar, Maria Emilia de Figueiredo Casanova,
Joao Manoel da Luz e Silva Jnior, filbos, gen ros
e ora, agradeeem cordialmente a todas aquellas
pessoas que se dignaran acompanhar ao cemi-
terio publico os restos mortaes de sua sempre
lumbrada mi e sogra Justa Rutina dos santos Por-
tugal, e de novo convidam para assistir algumas
missas no dia quarta-feira 4 de junho, pelas 7
horas da manh, stimo dia depois do seu falle-
cimento, na igreja convento do Carmo, pelo que
desde j se confessam eternamente gratos.
ama**** rruffflP '.'i, ?~ $&$
Vicente Thomaz Pires de Figuei-
red Carnario.
Julia Clementina Tamargo, filhose mais paren-
tes do finado Vicente Cama dialmente as pessoas qne tiveram a bondade de
assistir os ltimos sufragios feitos ao dito tinado,
com especialidade ao Sr. tenente-coronel Decio de
Aquino Fonceea e seus offlciaes e de novo os
convidam para assistirem a mis-a do stimo dia
que se tem de rezar na matriz da Boa-Vista as 7
horas da manha no dia 4 de junho.
Vicente Thomaz Pires de Fi-
gueiredo Camnrgo.
O bacharel Manoel Innocencio Pires de Figuei-
redo Camargo (ausente), D. Isabel Augusta Pires
d Figueiredo Camargo, D. Maria Isabel Camar
go da Silva, D. Ermelinda Henriqueta Camargo de
Albuquerque, major Hyppolito da Silva. Antonio
Bezerra (avalcanti de Albuquerque, irmaes e cu-
nhados, agradeeem cordialmente a todas as pes-
soas que se dignaram acompanhar ao cemiterio
publico os restos mortaes do seu prezado irmo
e cunhado Vicente Thomaz Pires de Figueiredo
Camargo, e de novo convidam para assi>lircm a
missa do stimo dia que ter lugar no dia i de
junho, na igreja da Santa Cruz, as 7 horas da
manh.
D. Thereza Wanderley Bar-
reto Netto.
Francisco Lins Paes Bar-
reto, sua mulher e filhos,
convidam aos seus paren-
tes e amigos para assisti-
rem a una missa as 8 ho-
ras do dia 4 do corrente,
na igreja do Paraizo, sti-
mo dia do passamento de sua querida filha e ir-
m, D. Thereza Wanderley Barreto Netto, falleci-
da no dia 2S do passado, na provincia da Rahia.
Eduardo G-onqalves Va-
lente.
A viuva e filhos presentes e an-
zentes do fallecido Eduardo Gon-
calves Valente, agradeeem a todas
as pessoas que se dignaram acom
panhar o enterro do mesmo seu
prezado marido e pai, e de novo
as convidam para assistirem algu-
mas missas que mandam celebrar por sua alma,
no dia 4 do corrente s 7 horas da manh na
igreja do Corpo Santo.
Escravo fgido
Ausentou-se da casa de seu senhor, e vaga p
las ras desta cidade, o escravo Manoel, crioulo,
cor preta e de 32 annos de idade, altura boa, olhos
vesgos, barajo e tem o vicio de embriaguez,
do qual torna-se muito fcil a prisio por nao oc-
cultar-se e dedicar-se ao servico de descarrego
de canoas, na Boa-Vista, Santo Amaro e outros
lugares. Pede-se as autoridades policiaes e capi-
tes de campo a sua prisao, e leva-Io ra larga
do Rosario b. 44, I.* andar, que se gi a lili cara.
8&*H8ft $$*$&#$
0
0 Instrueeao primaria e 0
secundaria. g
W O profesor Thom Augusto da "Silva 1
M Villar, competentemente habilitado, faz
^ cente a todos os ehefes de familia que
0 qi'iizerem ronfiar-lhe a educado de seus
m tilhos. que tem aberto no sobrado grande
* da Soledade n. 5", desde o do corrente,
9 urna anla particular para o sexo mascu-
flino. Os alumnos receberao urna educa-
do distincia ; para esse din, o professor ^
emprega todos os seus esforc,os e melos 9
a para conservar na sociedade sempre ere-
J dito, e tambem mocos cotholicos e cvili-
9 sad.js.
90 & 90*> mm0Mm^9
Prcisa-se alugar urna preta cozinheira : na
roa do Raugel o. 9, pagando-se bom aluguel.
fl

m
Aliiga-se
o sribradn n. 7 dn i na do ('..imin-ivio c. u tf reeim
andar da |iro|>iie.|;.ilo n. J.| da roa do Rom Jesu--:
na i na da Aurora n 81. _______
AlupiSM o p.iiMiiM .ni lar !< Sobrado na
ra ile Sauta RKa u. t'i : a tratar na lojada pul
do Duque do Caxias n. 41.
anuo
IPENUOBES
Na travessa da ra
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
mes-
compra-se os
mos metaesepedras.
CONSULTORIO
f MEDICO CZnK&XCQ
DO i
Dr. Mallos Guerra. %
Especialidades : molestias das mu- g<
' Iheres, das criancas, molestias venreas >*'
, e svphiliticas. gi
' Consultas das 8 s 10 horas da ma- w
5 Chamados qualquer hora do dia e 5?
m da minte. /^v
xa/ Gratis aos pobres. v?3r
jot Ra da Imperatriz n. 36, primeiro, (A
& andar. W
Fst (tifNh a escrnva de nome Brnardn, de
Hade iS anuos pouco mas ou nicuus, leVttu saia
di:anga e ramixn de alg-idao, tem marca de fu-
ji.ii a perna direita. c tem os olhos grandes e
a!' 'iMadi'S : roga-so s auloiidades policiaes t: ca-
pi'es Je campo o obzequio de pega-la e leva la a
Hit mu o no Calumbo Novo u. 11 siti, ou na
rita da i'.acimha n. i, ipie stro generosamente
reeonre-n^ados.
t -
c_ -
c
o
I
i
Wl 51 i
9 ES]si
liasf
. 3 9 3 i.
iIlili
- =
3^ 3 3
o 2, a O O
3 3^ 5
t g-5 2 2 2
a
Mugase
A excellente casa sita na Ca unga, ra da
Ventura n. 23, com grandes accommodacSes, e
excellente quintal todo murado e plantado com
grandes ps de fructeiras : para tratar ra
larga do Rosario n. 34, botica.
Attenco
Quem precisar de boas amas seccas e de leite :
dirjase ao pateo de S. Pedro n. 3, loja.
Avisa-se
a quem der noticia da escrava Guilhermina que
foi do tenente-coronel Feliciano Joaqnim dos Sa i-
tos, e aepois comprada ao Baro de Nazareth.
representa ter 23 annos, tem falta de dentes na
frente e as mos com cicatrizes de quemadura
de gaz, secca do corpo e muito regrista, que des
appareceu da casa de sobrado n. 26, da ra do
Coelhos, que ser generosamente recompensado
i CONSULTO! %
% MEDICO-CIRIJRGICO *
W DO 9
0 Dr. J. II. Curio 0
@ Ra do Mrquez de Olinda n. 23, pri- m.
meiro andar.
Consulta das 9 horas s li da manha. JR
f Chamad..s a qualquer hora A
fifi -QSSfi^iiEf &l&&9f2
Precisase
de um feilor para engenho, prefere-se portuguez:
a ti atar na pra>.-a de Corpo Santo, armazem n 9,
ou na Passagem da Magdalena, passando a ponte
grande o i." sodiado
O Sr. Manoel Beruardino Vieira Cavalcante
rogado a que mande, ou dirija-se ra do
Amonm n. 37, a negocio de mutuo interesse.
=0 obaixo assignado tendo contratado comprar
a Elisio Alves da Silva Filgueiras, a taverna
sita ra Imperial n. 42, oo quer realisar dito
negocio sem ciencia dos credores da casa ; e
\i. r isso os convido a aprese Harem-se no praso
de tres das, soc pena de nao ser atlsndida qual-
quer reclamado.
Becie, 31 de maio de 1873.
_______ Manoel Pacheco da Mlveira.
Engenho
Arrenda-se ou vende-se parte de dous engenhos
sitos na freguezia de Ipojuca, sendo um movido
por animaes c outro movido a agua, bem obrados,
de ptimos terrenos, e com proporedes para safre-
jar de tres a quatro mil paes, distando do porto
de embarque apenas urna legoa, e da estrada de
ferro treslegoas : quem pretender dirija se ra
do Apollo n. 55, 2' andar, que achara com quem
tratar.__________________________________
Alnga-se o 2* andar do sobrado n. 30~da
ra da Imperatriz. cora 2 grandes salas e 2 gran-
des quartos, forrado e pintado a gosto do locata-
rio : a tratar no 3* andar.
Publicacao jurdica
Apontamentos sobre a condifo dos escra-
vos e libertos no Brasil,
contendo as principaes questdes relativas essa
especie, com as decisoes proferidas a resucito pe-
los tribunaes superiores e do poder executivo,
bem como toda a legislado patria, antiga e mo-
dernsima aceica de rada urna deltas ; pelo Dr.
Antonio de Vasconcellos Menezes de Drummond,
lente cathedratico da i. cadeira do 4.* annode di-
reito civil da faculdade de direito do Recife e ad-
vogado oeste foro. Assigna-se livraria franceza
e a livraria do Sr. Nogucira, no arco do Santo An-
tonio.
Ao coinmercift.
O abaixo assignado declara que, se julgando
habilitado para fazer escripias por partidas sim-
ples e dobrada, vem por meio deste annuncio of-
ferecer seus servicos a quem interessar possa,
ni" so i casas eslrangeiras, como brasileiras, me-
diante urna paga muito eommoda. A tratar na
ra de Marcilio Das ( outr'ora Direita n. 32 A)
com o Sr. Ladislao Rodolpho de Aranjo Cesar, ou
com o mesmo em Olinda, ra de Fernandos Viei-
ra, outr'ora de Mathias Ferreira n. 11
Cidade de Olinda, |. de junho de 1873.
Manoel Cavalcante Ferreira Mello.
A na Rrecisa-se alugar nina ama forra ou
'* escrava, para eozinhar ; paga-so bem :
i ra Nova, loja n. II.
\m
t izinhar bem :
ebria ti. 28.
IVcLv .*. .]( un,a jiii i para casa d.: lainilia
de duas pessoas na ra do Calmg n. kija.
\ M \ rrr,*a *ti ,,,s l",,a forra, ou escrava,
-t*-u*"'v |tar sorviflii interno : tratar na ra
da Cruz n. 8.
Ama Ptedsa-se de iua ama snwnN para
-'V a* cozinnar eiu casa de rapaz solleiro : a
tratar na ra do Crespo n. 17, loja.____________ i
Precisa-se de urna ama para coziuhar e
comprar para duas pessoas : a tratar ra do
Livrainento n. 3, taverna
Precisa-se de ama ama para co-
zinhar e comprar para nma s pes-
sua: na ra da Senzala-nova n. 33,
casa terrea.
Ao commercio.
O -abaixo as-gnailo, tendo eompado ao ?r.
Francisc.j Cmiealves Maia a sua tavem, livre e
ra di bario da '.'e*ein,|iirabada do qualquer debito, m s qncm se
|nl'ar ei'i-Jii Hiln a h>wh le- d il-ripir-sc ra
i.'.tta djltiarii N. ti. I \ J ciyawui, i -lei'n-
Pnvisa-se alugar uina aun que -aiha
A

i
! III i. 3J.0X.I .;.--lrll iiln. ih.' Iimil lio 2
AMA
11
I
I
Ama de leite.
Precisa-se de urna sem fi-
lho, que tenha bom e abun-
dante leite: no 3o andar des-
ta typographia.
Precisa-se de una : a Ira-
/% M /% tar na praca do Conde d'Eu
imlTUi. n 6,1 andar.___________
MOFINA
Est encoura^ado!! I
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivo na cidade de Nazareih desta provincia, o
favor de vir rna Duque de Caxias n. 36, A con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
flns de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
a por este motivo de novo chamado para dito
Sm, pois S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu tilho se
achava nesta cidade.
Ausentou-se de casa de sua senhora, no dia
6 de maio, o melato Matheus, e tem os signaes
seguintes: alto, ps e mos grandes, cor de laran-
ja, bons dentes, fa la mansa e um pouco fina,
barba um pouco branca, cabellos crespos e re-
Krcsenta ter 40 annos : pede-se a quem o appre-
ender de leva-Io ra do Hospicio n. 81, que
ser gratificado. __________
Trapassa-se
A loja da ra da Imperatriz n. 7, com bonita
armario e easa para morar familia : a tratar na
ra do Commsrcio n. 12 Hotel d'Europa.
C tilffVETE
Merlico-ciru'-gioo
RA DO IMPERADOR N. 73, f ANDAR
O DB. NNES DA 60STA
MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
KSFEClALlUADrS.
Molestias e operarles de o'hos.
Cura radical e instantnea los
btreiUmenlo da uretra.
Consultas : Das 7 s (O horas
d? marib?.
Chamados : A qualquer bora.
Deulisla de Taris
19 RA NOVA 19
FREDERICO G.AUTIER, agrade>endo ao respei-
tavel publico em geral e em particular aos seus
amigos e numerosos clientes, os favores e a confi-
anza que Ihe dispensaran durante os quinze annos
de sua residencia nesta linda cidade, tem a honra de
lhe participar que cedeu o seu gabinelejde ciruryio
dentista ao seu sobrinho e discpulo J. M. Leroux
o qual echando-se hamais de dez annos na sua
companhia, est de sobejo habilitado para merecer
toda a sua confianca e execular os trabalhos os
mais dilllceis e delicados da profissso
O mesmo aproveita a occa pe?soas que lhe sao devedoras o especial favor
de manda-ls pagar quanto antes, pois retira-
se muito breve para Paris, aonde se achara sem-
pre prompto para o que puder prestar._________
Nilo ha mais cabellos
brancos.
di is, lindo u ijual uio s uUenJ a :ia:n.i(;j i al
,'iiii.i.
Rcd'o, :il Je mato ifc 187.1.
____ ______ Kranwwii Vom-s de 1'aul.i.
m niano de mesa em bom estado para
aprender e p proco barato : a tratar na ra do
Mondego, sitio do porto n. 63.
Offerecese um eeaiaheiro do condueM para
casa de familia ou para solteiro, para fugo, forno
e compras : a tratar na rna da Conccicao n. 36.
7EBBDIS muir
PILIIL
TEGETAES
DE
BRIST.OL
Lilis bofes sadios e saos
lima digestao vigorosa,
Um excellente appetile,
sao alguns dos benelicios que se podem de-
rivar, fazendo-seum uso regular dos
Filalas vegetaea de Uristol.
Urna cura certa o eflicaz dos intestinos,
Um remedio admiravel para os rins,
Um tnico poderoso para o estomago,
Sao as innpreciaveis qualidades medicas
que se podem encontrar, usando-sc das
Plsalas vegetaes loBriwtol.
Urna medicina que nao produz dre nem
clicas.
Um purgante que nao debilita nem en-
fraquece.
Um laxante que nao causa a menor
nausea.
Formam urna das muitas virtudes que
possuem a s
Filalas vegetaes de Brlsfol.
Um medicamento suave e favoravel para
o bello sexo.
Um correctivo seguro dos desarranjos do
systema.
Um remedio completo e seguro para as ir-
regularidades.
Sao os elTeitos sem falta, resultantes do
us e emprego das
Pululas vegetacs de Bristal.
Urna compleico clara, al va e transparente,
lina pelle macia e delicada o um
Hlito doce e agradavel.
S8o os resultados certoscinfalliveis, de-
pois do se
haver tomado algumas dses deste
melhor dos
Remedios as
Pilulas vegetaes de Bristol.
Em todos os casos de molestias i'uma na-
tureza escrofulosa, ulcerosa ou syphitica ;
ou quando a massa do sangue se baja tor-
nado turva ou viciada pelo uso de ferro,
mercurio, ou por outra qualquer substancia
mineral a
Salsaparrillia de Bristal.
devora ser usada de conjuncto com as pilu-
las, e assim obrando-se, em restricta con-
formidade com as direcQOes inscriptas no
envolto; os doentes poJem tcar cortos que,
urna vez usada conjunetamente urna com a
outra, nenhuma enfermidade ou molestia,
por mais severa ou arraigada que se ailie,
nao poder resistir ao combinado poder se-
cretorio o sanitario destes dous
l([ 113 IHOV
Ambis estas medicinas acham-sc vend.i
em todas as principaes boticas e
lojas de drogas.
Acha-so a venda em lodas as boticas.
H. Forster & C.
AGENTES.
COMPRAS.
Compra-so um sobrado de um andar, de
duas ou tres portas de frente, ou urna casa terrea
de tres ou quatro portas de frente, nos bairros de
Santo Antonio, Roa Vista ou S. Jos : a tratar na
loja da ra do Queimado n. 41.
rii
Se nica approvada pelas academias de
ciencias, roconhecida superior a toda que
tem apparecido at boje. Deposito princi-
pal ra da Cadeia do Recife, hoje Mr-
quez de Olinda, n. 51, i. andar, o em
todas as boticas e casas de cabellei-
reiro._____________________________________
Permuta-se por outro em iguaes condicoes
pouco mais ou menos, voltando-se de 500 para
baixo, um sitio c< m urna casa de taipa, ha pouco
acabada, e muito bem construida, em um dos ar-
rabaldes desta cidade : os nretendentes podem di-
rigir- e ra Augusto n. W6, Uverna.__________
Esta s de jesuta !
O Sr. J. C A. de F. nao quer anda altender
aos reclamos da pobre viuva que exige os alo-
quis e chaves de sua casa, montando j os alu-
gueis at 38 de abril a 320*000 ; o que sobre
tudo se torna revoltante o inquilino ter a casa
fechada ha mais de seis metes, e nem chaves e
nem alugueis. ____
Precisa se de um cozlnhciro ou cozinheira
Sra casa de homem solteiro : na ra Duque de
xias n. 91, rival sem segundo.
~Cflft^ArI
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife a Olinda e Bekrihe.
De ordem do lllm. Sr.
presidente d'a^sembla
geral, convido os Srs.
accionistas para, no dia
9 do corrente pelas 11
horas da manh, se reu-
nirem afim de eleger-se a directora que
tem de funecionar no anno corrente de 73
a 74 e le resolver sobre outros assuniptos
adiados em sessao de honlem.
Recife, 3 de lunho de 1873.
0 2.* secretario,
Joao Martin de indrade.
Boa iii'i|iiisirai.
P' r seu dono ter da retirar-sc para
a Europa, onde vai residir algum
lempo, vende-se um ptimo pdio
do um andar e sotao, n'uma das mc-
Ihoros localidades de Olinda, da qual M
descortina no s todo o ocano desde o
cabo de Santo Agostinhoat muito alcm da
ponta de Olinda, bem como, pelo lado de
trra, as lindas paysagens do poente e sul;
tendo um quintal regular, com arvoredo novo
plantado ha dous anuos, terreno muito fr-
til ; urna cacimba (poco) d'agua para o gas-
to diario, e urna cisterna de agua potavel;
tendo onze quartos e tres ptimas salas, um
grande armazem o que pode servir de co-
xeira ou do residencia de escravos, alin de
um soto, proprio para dormida ; muito Mo-
jado em toda a ep ca do anno ; com illu
miiiacao gaz ; e etn vesperas de ter agua
canalisada. Aclia-se preparado convenien-
temente, nao s dos movis indispensavefs
qualquer familia, como de to los os apres-
tos de cosinha e de mesa. Vende-se a di-
nheiro, ou como se acha, ou retirando os
ouiveis. Quem quizer ve-lo, pode procu-
rar a chave na mo do Sr. I.uiz do Reg
Barros, regente do hospicio de alienados : e
a tratar nesta typographia, das 9 horas da
manh s 3 da tarde, ou no Poco da huidla,
\rrgo da matriz, palacete amarello, dessa
hora at 7 e meia da manh.
AUoCr.
Alnga-se
urna casa terrea sita na ra do Paysand n. 3,
com eliminados para familia, com quintal mura-
do, agua encanaos do Heberibe : a tratar na ra
do Rosario n. 31.____________________________
Manoel Fernandos Mascarenha retirndose
para Europa e nao pudendo, por motivos de sa u
do, despedir-se pessoalmente de todos os sdes-
amigos e conhecidos, vera pe > presente pedireai/
culpa de tal falta, e otTerece o seu pequeo pr-
iimo onde se achar,
Vende-se a fabrica de cigarros e charutos da
ra Marcilio Dia* u IH : tratar na mesma.
Nao ha falta de telhas
nem de alvenaria batida, ladrilho comprido e dito
quadrado, tero na olaria de Jos Carneiro da Cu-
nta 60 milheirosda melhor qualidade, e vendes
muito em conta a dinheiro : na ra do Corone
Lamenha n. 50.
Vende-se a taverna da ra Imperial n. 42 :
a tratar na mesma.
Vende-se
urna negrinha de 13 annos, perfeiamenle sadia e
de liada figura, com principio de algumas habili-
dades, podenose aflancar que a venda de dita
degrinba por precisio c nao por defeitos: na ra
no caes do Capibaribe, casa n. 34, podendo ser
drocurada de 7 at 9 horas da manhi, e 4 da tor-
pe em diante, ^______________
Taverna.
Vende-se a da ra ">irefta n. li, tem poneos
fundos, e bem afreguezada : a tratar na mes-
ma.
uo einpeiiliu a<> pul. "cu aw f>ni t'in i-i h ir-.i ,r.i\rrim4>
rw ka d Ki'i a pai.. >p
u..~ ile i o- -i -r. >' '*'"' j'i'ci4...
pelos :iui.o.l.-> do l i a rMMi
merar atjnms 'n h '
ALIH" S, o? : I* a c>|r
increado, uiin c|is ile nhi|ww1a,
laitaniga, niari.in. vi-IIihI. e rtogr.
ADEREC05 pelos c v-H.i* pmprias para Ma ;
,iiii n iik>. un l-n ln iliiauNn e
iMm de |d:iqii, i lo.i lina c iuimIii tasa
acali.nl t.
BOTOES para punios, o ipi. '.-triar de
meto r e:n |4ai|ii'; Urtarjga, i
|irola, inariii......
BOINAS de vclliKlo, sul i. p.llia e Hi iria,
lin Ae m:r- HMi uio n n.l.i
UICOS de seda e de :i-oJ;m., iuiO brscro
piet.i. Je Vir.idos il-*eni;ir.
CASSULETAS nvlas ;. ie t rola.
CAIXIMI\S pan easMO, MsJb ricas e O) A-
versoj for.u to<, n in niu-tea
ra.
COQl'ES a imita vio, o que p-xl-j haver 4a
Ihiiio e Iniih ; lo.
DEADEMAS, nc-te grwri a Pre.lil.rta
wuta um ranil e lindo tai '
npaa naMkaar rapnrW a>
qunl |'N i -... r < (Xif/***
pie srja.
POIlT-HOl'jC'ET de m.ire| l.i, niar.im e (mn,
i e-te um olijee;.i indis|i :i-avH H
lili..ras do Im-iii toin, alita 4o a^firar
o armna tas llores -cim o n rMumiei;-
le ile inloiicii a> I\js, leiil a- del >:!. luios.
PEITES de taiiain-n. de mnrtim I bufa*., pa-
ra alisar n* .-.-i..!!,~. tira li.-|t,x
PERFUMARAS. E al.i.Ii .! poli .joca "r-
ili'eila inpre pun'iva um iasjMlaa*
te sari imada de wHaaaava i<- ia
imIoi- i]< ni,!- annwas faliricji*^,
tata, I' ver. i il '. li>gi ilray, Coques c l.ii:H, law !paa-
Iti.lo la e.-coili.i .'. lomas ma> Com
aee!is |.la : i-- Kur.ij.a. e par Maaa, ariam-sc ta
p'itsil.i!. I. i -! -1 Aa l-i-i -irvir is uma-
ls .|. s piTfuines.
A PREDILECTA I.! ..i .1 n::nrir rnna im-
liien-iJa.lr li.ailiv
sai aos ie.:. i. <
leticia di rc*|i4avul pii ,. uiuu-
rijiir-se a ra .li ai>ii{: n I A, pa-
ra eaiMRr-M aonde i !.....oqcar
o ipie i liofi a bal .1 BK
FACHAS rica- a moeVnu- ri o-1 '
-
IMEXSVETTliS. Ricos v.-tiactaV* par ;.:. niaoa,
i< r i iraii-;oio pvapa.
FLORES." A Predilecta prima .m i um
baNa soriiio uio de tara aahmaai
Aa ipialqu. r I. I a
leja be;n replx'la !! dinl.ciro
FITAS. E j.i bt'iu >jU..o J.i |ni!. na
Predilecta < i;.-
grande sortimcalo 4n fila d** <-tim,
lafet, velludo, Unio .- ,'., a!plii. p.*
Coliilodo p-ero.
GUAMPOS de lartaiuga.'a imil;i.;o de-li. pr*-
los e i'e ci'.|v. o i|-i | d^eja^
de tli:i- lii'..!-i lo c I-. ;,.'
TiRAYATAS de soda p .le rambriia para nbora,
la ros e ;*.>liiiha de Im.m- tam-
bem |e::i um li .;n soili:'K-nlo de gra-
valas c reta.i- para Im>i
JARROS de porcelana e ile viilru iiiiiiIj kaa*M
Sira ornal i de -..la.
ei s de seda, de la d.! algodio. pa-
ra senhora. lii.'iiii.i- .- li.4ii.-io.
LEQUES. Ricos loque-de tii.-t.lie]n-rola. l.,ri.iiiifa,
lliarlilll e de i-- os m,i.
por barata preeo.
LUVAS de p.-lli -a. Aa m la a 4c alg-l.i... para
boa em e seiilmia.
LIVROS para missa, a lYiibbcl.i apn^rati a ea-
colba do respeilavel p: Mtr. mu IV4i
sol iiiento de-te- li : r .i i rafas >
ui.-iilreper..!a. tartaruga, iiiarlia.
vellud i e eliijrrm, | r |4reaa ma
nnoavfis.
Novidade.
A Predilecta, ;i roa do Culmp n. I A. rala
de re eber pelo iilluno paqu. le r.. .nd.i da Eu-
ropa, um bello surliinenio de c..r,iii:H* d ra-
liraia bonl.nl >s para anahaw e ataariataa, t>dli-
nhas e punhos tambem hunlaAo- aaia,
saias btirdadas, una* rom eulmiM-ios |mra wim-
ras, bonitas rakiidas Aa div-i- i.. ...i .idv>
6 lranspareii!>a para nienira-, ue ludo ves4e
por barato preeo.
{tap!
t
Prnreza !
liocliii !
O rap Priaraaa hhrtraAa p^r Jos Pranriseo
da Rocha no Rio de Jan i; i MI para ven r p.
deposito i ra do Vicaria n. 7, I andar.
Vende s*o engenho M u,i.:ii. sta-t '
legua de distancia do pul Al endmraae Aa fu
de Ao Rio Formo-,., rom |>rofrrOr | ara pr?d
safras, c aind i con terreno di)ioa vel e k- im-
lli.'iisa terlilidade par lev. : i -. inri n -
nlio. inui'.o abun anl de niiU<. ni^p .
sivel de moapem de agua : Irala-M1 n.^!.
da Recife, rna d Mi ion u. H. :l- andar
= 'cudese na iiha de S. Migue n
de terreno muito |>crto da cid.ule : a tratar ire
ma Direita n. 119, taverna.
Cidade de Goyaima.
Vende-se a rasa de podra e ral, c|a rna
Rio n. 31, edificada em chao urpri<.. eaatsatos
e 2 ipiarlo-, ha peiici ree.lilica.ta. em rel-
ente quintal com ailll palin i- de ionio
ni ais ou iii.'ii'i-. con'endo .-ligninas sr. r d- frue-
lo : quem a pretender paAaf* lirurir para qoal-
quer eX|ilicacao com o Sr. Ki.in.elin > Firntra
Craapa, uaquella eidade. e ue-U paca oitn .
broprielaao. na lrave--.i to M Frangen n 14.
nairroda ma-Visto, ou na ra do ca pilan Aato-
nio de l.eai-i- a. 38.
As nicas verdadeir
bichas
aa
ra Ao Marajfi Aa Oatoto Al, !


6
Diario de Pcmambuco* Tensa foira 3 dc Jimh de 1873.
O INKXmTiVEL
PERFUME
A celebre
Florida
apa
D
MI 1*31 i V A L41H.4I.
l/ma pura distillaro das mais raras flo-
res dos trpicos. Cuntan), para assim di-
ar, quasi o odor odorfero das flores do
trpico da America, esua fragancia quasi
inexhausta anda uiesino por continuada
evaporaco e diffuso. N'oste respeito
incomparavul a qualquer outro perfume
qro? lie de venda para :
HKSMAIOS, ATAQUES NERVOSOS, 1)011
DE CABF.CA, DEBILIDADE E
HISTRICOS.
B uin certo e ligeiro allivo. Com ofcbom
ton, tem conservado sua influencia para
cima de vuite e cinco annos sobre todos os
perfumes, as Indias Occidentaes, Cuba,
Mxico, America Central, e do Sul e nos
KM toda a confianza o recommendamos
como um artigo, pelo sen aroma milito de-
licado, riqueza de odor e permanencia, nao
pode ser igualado. Tambom faz remover
la pe le:
ASPEREZAS, EMPOLAS,
QEIMADURAS DO SOL*
SARDAS E BORJKJLHAS.
Sendo redonda com agua, so torna urna
xcellento mistura para banliar a pello,
dando um aroseado e cor clara a complei-J
cao nblala, sendo applicada depois de
barbear, evita a irritaco que geralmente
occorre, assim como tambem gargantendo-
se, o oheiro do cigarro desapparece, e lue-
Ihora a conliro dos denles e gengivas.
Como ha militas imitaces, as quaes nao
possuem nanhumas d'estas proprio lados,
dove-se tomar cuidado e contar smeute o
<; famoso perfume e cosmtico do sul
Ameuca, chamado:
FLMIB.I
Livros venda
Aos Srs. acadmicos
Vende-se as scjruintes obras de direito, historia
e literatura, por comraodos procos :
l'ardessua:Droit Cotumercial.
Villiaun: Ravolulion francaise.
Louiz Blanc:Histoiro de dix anns.
Vattel :Droit des gens.
Ventura : Le Pouvoir nublic.
Porlers: Cours de droit natural.
Klubcr :-Droit des gens.
Itogron : Code de comniercu.
Nesta typographia acharao tsas obras para se-
rem vendidas.
Ha
SEGREDO ECONOMA E CELERIDADE.
Obtero-se com o uso
INJECgO* SHOST
nica, hygienica, radical o iafalli val na cu-
ra das gonorheas, flores brancas e Huios de
toda especie, recentes ou chronieas; e que
offerece eomo garanta de salutares resultados
a continuada applicaco que sempre com a
maior vantagcsi se tem feto della nos hos-
pitaes de Pars.
Unicw deposito para o Brasil, Bartholome'j
& ('.., ra Largado Rosario n. 34.
Xarope d'agrio do Para
Augoe conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com ptimos resultados no
escorbuto.
Veude-se na pharmacia e drogara de Bar-
tholomeu C, ra Larga do Rosario n. 34.
E' baratissimo
Basquinas e casaquinhos de seda ricamente en-
lejiados c em muito bom estado, para sonhoras e
meninas a 700).
GRANDES NOVIDADES
Em azendas de gosto
LOJA E
N. 60
wu*w 1)0 PAVAO
Ra da Imperatriz N. 60
:
PERIIRA DA SILVA k GUIMARES
OS propnetarros dcsle importante eslabelecimento, iwrticipam ao respeitanol publico
dosta dado o aossous numerosos freguezes queanrabam de receber polos ltimos vapo-
res de Europa,, um grande soi tunantadas mais lindas c mais modernas, fazendas do gosto
e multa phaatawa gara vestidos de saoboras e merino?, assim como tambem um grande
sormento dasaliemores ftzendas de le, que se tmidem mr procos muito em coma, so
com o .u do aburar dinheiro.
As pessoafquc egoeiam em pequena esculo, ncslo eslabelecimento podero fazer
os seus sorttnrantos porque so lb#s \ender polos presos que comprain- as casas cstran-
geiras ; de todasi fazendaSse'dio amostras, deinand.0 penhor, ou mandam-so levar em
i das Exmas. familias pelos caxeiros.
Esteestabelocimento est constantemente oberto das 6 horas do manha s 9 da noute.
casa
l.lt\\\PI\tS
BIRNOLS A lttWOO.
O Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, burnoos dos mais lindos gustos
que at hoje sao conheeidos e em relami 6
excessiva barateza. convidam-se as
mais
Pechinchas.
Cliapclinas e chapos de palha, velludo e seda
para sen oras e meninas, por precos baratissimos
de U, 3 e 4j.
Anda pechincha.
perfeito estado para ser
(6.
Para acabar.
Baldes em perfeito estado para senhoras c me-
ninas a 1 iiii..
M
.lIURft.ll'
Se aclia ven la
di:
A
rJ.AXM.t.*'.
em to los os
e perfumaras da moda.
i] foguistas
M
iDTBiieno
n i V,
l
I N A
Preparado por
l.anrnan (fe kemp
para tbisiea a
tu la a qualidade
de doencas, quer
soja na garganta,
peito ou bofes.
Expressamente
escomido dos me-
Ibores ligados dos
quaes se cxlrahe
O oleo no banco
da Terra Nova
parificado chimi-
ilc, o suas
r ala veis propri-
lados conserva-
das com todo o
cuidado, omtodo
o frasco se garan-
te pe rfeit a me-
te puro.
Este oleo tem
sido subincttido
aumexamemui-
to severo, pelo
chimico de mais
talento, do go-
verno bespanhol
em Cuba o ("i
pronunciado por
elle a conter
HAIOR PORCO D'IODINA
n que outro qualquer oleo, que elle tem
"vammado
IODI.NO i: UM PODER SALVADOR.
Km todo o oleo de liga lo le bacalho, e na-
qoolle no qual conten a maior porfi destd
iiivaluavel propriodade, o'inico meio para
eurar to las as m encas de
GARGANTA, PEITO, BOFES, FIGADO,
Phtysica, broncliistos, asthma, catliarrho,
tosse, resfriamentos, etc.
I ds poneos frascos da carnes ao muito
magro quo seja, clarea a vista, e d vigor
a todo o corpo. Ncnhum outro artigo co-
nhecido na modicina ou sciencia, d tanto
lutimoiito aosyslcma e incommodando quasi
nada o estomago.
As pessoas cuja orgaasagio tem sido dcs-
Irnida pidas aleccoes das
ISCROPULAS OU RHEUMATISMO
e todas aquellas, cuja digestao se acha com-
pletamente desarraojada, devem tomar
O OLEO DE FIGADO DE BACALHAO
DE
I,AXMA.\ & K8MP
Se que desojan! ver-se livres eiseotasde
euformi Jados.
Acha-s; ven la em todas as boticas e
drogaras. II. Forsler C, agentes.
Siquissiraos cintos com lacos o som elle o de
us muito chiques a 4uu c' 5' 0 rs.
Entrcmeios e babadinhos a 400 e 500 rs. a peca.
Salas de la para senhora, 15.
Estas pechinchas s se encontram na loja do
Passo, roa i.* de Mar;o n. 7 A, antiga do Crespo.
Rival sem segundo.
Cheg rain agulhas para machinas, do fabiicanto
CrowiT \ liakcr. Duzia por 200:).
Saceos de estopa
Avallados pira milhi e fariuha a 3i0 dada um
na ra do Cresno n. 20.
BICHAS DE HAIBOR60
As mais recentes e melhores.
Vendem-sena pharmacia e drogara de Bar-
tholop.ieu & C, ra Larga dosario o Rn. 34.
A 15500, U02AO, 800 e 640 rs.
O Pavo recebeu um brmante sertimento
das mais lindas granadinos preta eon> deli- sua excessiva bartela,
cadas hstrasde cores epretas, que vende pelo Exmas. Sra3. para verem' Q ha dc
barato preco de 1WS00 o evado Ditas to- novidado'neste artiao. 4
das de crescom listras miudinhaa'ein urna; BiM-.H*FrTB PARA LEN0OE5.
s cor a 1^200 e 15?00 o covado. Ditas 0 Pavo vende superior bramante, de al-
que s
loncol a
3P600 o melro ou 1*800 a vara,
tas barajes de seda paravestidos comas Kto do linho fiuo superior e muito en-
mais lindas cores a 1W>00. L pechincha, COrpado, com a mesma largura a 2*400 a
Ilil 101& UO I J\d(l. VITA
POUPELIMS A 1*600 E2JW00 O COVADO.; Ditos francezes muito finos a 2--300 e
O Pavao recebeu um elegante sortimeato 3.^000
das mais lindas poupehnas de seda com os Pecas de Hamburgo c panno de linho, ten-
7 on r- -LTi c-n n"S- O Pavo vende superior braman^
pretas com hstras de stda roas a 800 rs. Di- godo, tendo rd'paimos de largura,
tas pretas com listras brancas, aaaes e ver- pwcsa de t ^^^ para lun 1(
des a 640 rs. o o vado. Assim como bom- tjur.nn,. maim n iim *>
Grande liquidacao de fazen-
das, miudezas, ferragens
e taboas de louro eama-
rello.
Tlioniaz Jos de Gusmao, estabelecido em Olin-
da com loja de fazendas c miudezas c tambem
com armazem de madeiras e materiaes, faz li-
qoidaglD de todas as mereadorias existentes em
seos estahelecimentos, com grande reduccao de
procos, por ter de mudar-sc : tambem tem gran-
de (iiiaulidade de cera em vellas.
Toalhas a 6,^000 a duzia
pechincha.
Toalh.-is akoxoadas, sio grandes, a 64 a duzia .
na roa do Crespa n. 20.
Chitas verdes e de cores a
200 e 240 o covado.
. Na na do Crespo n. 20.
Montes & Innao
Pin seu cscriptorio ra da Madre Deus
n. 5, l. andar, tem para vender por precn
com modo :
Viuho Uo Turto superior engarrafado.
Cerveja Bass.
C.h verde miudinho dc superior quali-
dade.
Na ra da Imperatriz n. 6,
loja ne louca de Sebastiao Marques do Nasci-
mento, vndese em porcoes grandes ou a reta-
tln todo loupa existente na mesma, por precos
muito diminutos por ter o mismo propnetario
de f.izer una viagem a Europa a tratar de sua
sade; purtanto, todos os freguezes que precisar
de ;e sorlir dites artigos, apresentem-se quanto
antes.
Vende-se.
a rasa n. t5i da roa do Coronel Suassuna (anliga
dos .Mai-tyrius): a tratar na ra do Vigario The-
norion. 3, 2' andar.
Lziiilias escocezas a 280
rs. o covado.
Ra do Crespo n. 20.
Lteinhas eseoepzas, padroes inteiramenle ne-
vos, pelo diminuid prejo de 28'J rs. o covado,
pocMocha c dio-so amostras na loja do Guiller-
mo (;. da Cunha & '".
Fogo, ogo
e o mcllnr de tojos os fogns soso obtem com
a limaiha de sao, de ferrro, do inco, de cobre e
do agiillia, nue se vende por menos na phar-
naca o drojraria .o liartholoiaea A C, n. 34,
roa larga do R.sario._________^^_^^__
Merino preto a 800 rs. o co-
vado.
Merino preto 8ft'> r. o covado, proprio para
vestido servo para luto, por sera ni !nstro,na loja
cas Cportas etn frente do UnamcnU.
Entremeios, tiras e bicos a
500 rs. apoca.
Vbnde-so entremeto*, tiras e bicos bordado* a
retroz, aroprkw para enfeitar vestidos, e reupi-
nhaiMe rrtnr. peto fcwrj;W!nimo ppeco a pe^a na loja iWis 6 portas em frente do Livra-
mento, Arlffleial
Valdivino da plvora, no seu armazem de sal
ra imperial u. 207, faz seieato ao respeilavel pu-
blico desta culada, que se acha satisfactoriamente
prevenido de todo o fogo que mister para os
festejos de Santo Antonio, S. Joo e S. Pedro
assim como um excellente surtimento de fogo do
ar, bomba real e pistolas de quatro a seis balas,
ditas de duas e tres balas, unido a urna bella
eolleci;ao de outms foguinlios para brinquedos de
vrinneas que costuniam divertir-se com as juara-
cilhosas rodinhas de salas.
Engenhos venda.
Vende-se os engenhos: Gameleira, com safra
de dous mil paos, s tuado no lugar denominado
Barra dc Panchas margem do rio Piran? y, i
a 4 leguas da cstacao de Una, com terreno para
safrejar annualment de 4 5 mil paes : Corrien-
tes, com safra de dous mil pes, situjdo no dis-
tricto do Agua-Preta e 2 leguas da estaco de
Una : o pretndeme a ambos, ou a qualquer um
dos dous referidos engenhos, entenda-se com
Joaquim Rodrigues Tavares de Mello, no Recife,
praca do Corpo Santo n. 17, ou com los Bap'is-
la Marques Das, no povoado dos Montes.
Hesperidina
Vend-*; ia solo de um terreno proprio,
ao fu) da ra Duque de Caxlas : a tratar na ra
deHorUu' c. 66\
Verdadciro biter hesperidina, superior e acre-
ditado : venda no armazem de Tasso lrn>aoe> &
C, ra do Amorim n. 37.
Cassas avariadas a 240 rs.
o covado,
O Pavao vende flnissimas cassas francezas de
cures com os mais delicados padroes, por tereno
um pequeo toque de avaria de gua doce, pele
barato preeo do doze yintt'ns o ovado. peehio-
cha : na loja do Pavo, ra da Imperatriz o.
o.
J rhegaram os maravillosos fogos artifi-
eawa da China, para seren soltos nos saldes e jar-
dins: naixinhas com variado soi'toeoio e a pre-
cos desde 20/ at 50| cada caixa : no armatem
i a. 1 do caes da alfandcga.
mais lindos desenhos e mais bonitas cores,
que vende a UPC00 o 2J5000.
SEDAS Dt CORES A 29500 RS.
O Pavflo recebeu um bonito sorti ment
das mais lindas sedinhas de urna s cor com
delicados desenlio miudinhos, que vende a
23&00 o c vado. Ditas com listrinhas, mui-
to bOa faseoda a 2J000; E' pechincha, na
na loja do Pavo.
CAMBRAIS ABERTAS A 99 E 10J000
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais finas cambraias brancas abertas,
bordadas para vestido, quo vend) pelo barato
prego de 99 e 109060 o corte, teiido fa/enda
bastante para vestid i. E' pechincha, na loja
do Pavo ra da Imperatriz u. 00.
LAZINHAS BOR'MDASA 400 HS.
O COVADO.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais Rndaaliiziuhas transparentes com
florinhas, bordadas, tundo de todas as cores
inclusive! rocha propria para viuva, o ven-
de pelo baratissirao prego de *00 rs. o co-
vado. E' pechincha, na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60.
LAS MODERNAS.
O Pavo vende um bonito sortimento de
lzinhas listeadas sendo das mais modernas
que tem vindo ao mercado, pelo baratissimo
prego de 560 c 600 o rs. o covado. E' pe-
chincha, na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60.
ALPACAS LAVRADAS A 640 RS. O COVADO.
Chegou para a loja do Pavao um elegante
sortimento das mais lindas alpacas lavradas
de cores sendo as cores mais modernas que
tem viudo para vestidos, c vende-so pelo ba-
ratissimo praco de 640 rs. o covado. E'
pechincha, oa loja do Pavo.
CASSAS FRANCEZAS A 600 E 640 RS. O
.ULTRO.
O Pavao recebeu um magnifico sortimen-
to das mais lindas cassas fran ezas, de cor,
cornos mais bonitos desenh s midos e
grados, temi padroes oscuros e outros que
servom para luto, e vendo a 600 e 640 rs.
o metro on 360 e 400 rs. o covado.
LZINAS MODERNAS COM I.1STRA DE
SEDA A 640 rs. c 19200.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
de las qoaa listras de seda assotinada, sondo
as mais modernas que tem viudo ao merca-
do e com as mais delicadas cores, e vende
pelos baratos precos de 640 rs e 19200.
Assim como outras muito bonitas com listras
sem ser de seda, que vende a 500, 640 e 800
rs., todas estas las sao modermssimas. E'
pechincha, na loja do Pavo.
Chitasn 840, *80,3SOc300 rs.
O Pavao recebeu um grande sortimento de
chitas de cores fixas, que ven le pelos bara-
tos prec/ s de 240 e 280 rs. o covado. Ditas
escuras fazenda muito superior, com novos
padres a 320 e 360 rs. o covado.
Ditas muit-i finas padroes claros em teci-
dos de percales, com barra de cor ao lado e
sem ella a 360 e 400 rs.
Ditas pretas com tecido de crctone, fazen-
da muito suf erior a 3.0 e 400 rs. o co-
vado.
Ditas de cores, miudinhas, proprias para
roupa de criancas a 360 rs. o covado. E'
pechiacha, na loja do Pavo.
Uuptistas a 500 rs. o cavado.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais modernas baptistas do cores com
padres miudinhos e grados sendo proprios
para vestidos e roupa de crianga, pelo bara-
tissimo prego de 500 rs. o covado, aliangan-
do ser grande pechincha !
Cortes de cambrau. ultima ao-
villado, a 99*,
0 Pavo recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes do eambraia branca cora ba-
badinhos ricamente bordados, tendo faaenda
suficiente para vestido de qualquer modelo,
estes vestidos sao os mais modernos quejem
vindoaio mercado, e pela sua excessiva ba-
rateza tornam-se recommendaveis s senho-
ras de bom gosto.
Ditos com babados de crr tendo 20 me-
tros de babad s a 99000. E' grande pe-
chincha, no Bazar do Pavo & ra da Impe-
ratriz n. 60.
CORTES DE CAMBRAIA
O Pavo recebeu os mais
BORDADOS,
ricos cortes de
eambraia branca bordados para vestido, que
vende pelo barato prego de 209 e 30J5000.
CORTES DE CAMBRAIA BRANCA.
0 Pavo recebeu um liado corte de eam-
braia branca cora listras essetinadass que
vende pelo baiato prevo de 6f000.
Ditos c >m listras dq cores, asndo 8 varas a
49e 59000. E'pechincha.
ESPART LHOS.
O Pavo racebe.u um grande sortimento
de espartilhos tanto para senhora.como pata
menina, que vendo poto barato proco de
39*00.
DHos muito finos a 49 e 5WIO. 8#e dos
mais moderaos que tem rindo ao raer-
Gado.
do c m 20 e 30 varas para todos os pregos
e qualidades.
Ditas de bretanha de puro linho, tendo 30
jardas, pelos pregos mais baratos que se tem
visto.
Pechinchas do linissimo esgun i ou silzia
com 6 jardas a 79000.
Pegas do finissima silezia com 30 jardas
a 359000.
Atoalhado adamascado com 8 palmos de
largura a 29000 a vara.
Calcas de easemira.
O Pavo tem um grande sorlimento de
caigas do easemira, assim como cortes os
mais modernos que tem vindo nos ltimos
figurlos e em fazenda, dos mais linos e
mais novos que tem vindo ao mercado, e
vonde-se por barato prego para apurar di-
nheiro, assim como caigas de brim branco e
do cores, por pregos muito razoaveis.
LENCOS ABA1N1IADOS A 19800 E 29000.
O Pavo vende duzias de lencos brancos
abatollados, sendo fazenda muito boa, pelo
barato prego de 29000 a duzia.
Ditos tambem abainhados, com beira de
cor a 19800.
Di'l s grandes, fazenda muito fina, sendo
todos brancos a 35000,
Dito de eambraia branca, sendo em peca
a3j600
ME1AS CRIAS A 49 E 59000 A DUZIA.
O Pavo vende duzias de meias cruas, ia-
glezas pelo barato prego do 49000 e 59000.
Assim como ditas muito finas e muito en-
orpadosa 6?00O, 75000,85000 e 1C9000,
c um grande sortimento de meias inglezas e
francezas, para senhoras, que se vende por
prego muito commodo.
MADAPOLO FBANCEZ a 65000 E 75000.
O Pavo vende pegas de inadapolflo fran-
cez, que sompresc venden por milito sis
dinhero e liquida-so pelo baratissimo prego
65000 e 75000, por ter feito urna grande
compra. E' pechincha.
.4l^rodtoznbo a 45OOO.
O Pavo vendo pegas do algodozinho,
muito boa fazenda, pelo barato prego de
49 o 55000.
Dito largo muito encorpado, proprio para
toalhas e longoOS a 5000 e 79000.
CAMBRAIAS.
O Pavo vende cortes do eambraia trans-
parente propria pura vestidos a 25500
35000.
Pegas de dita muito fina, com 10 jarda,
tapada como transparente a 49, 59 e 6900s
al a mais fina que vem ao mercado.
PANNOS DE CROCHET PARA CADEIRAS.
O Pavo tem um grande sortimento de
pannos de crochet proprios para cadeira de
balanco, para ditas de guarnigo e para so
f, que se vendem muito em conta.
CUI.XAS DE CHOCH! A 69 E 89000.
O Pavo vende colxas de crochet proprias
para cama de casal, pelo baratissimo prego
de (i9 e 85000.
Ditas de fusto aeolxondas, sendo de co-
res e brancas, pelo barato prego do 46000.
E grande sortimento de ditas de damasco,
cretone e de chita, que vende por pregos
muito razoaveis.
CORTES DE PEHCALLES COM DUAS SAIAS
a 45000.
O Pavo vendo bonitos cortes do percalles
com duas satas, sendo fazenda de muito gos-
to a 45000. E' pechincha na loja do Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60.
BOTINAS PARA SENHORA, A 55000.
Na loja do Pavo ra da Imperatriz n. 60.
Perciba da Silva Cuimares receberam
pelo ultimo vapor de Europa um elegante
sorlimento de botinas pretas e com delicados
enfeitos decr, proprias para senhora, garan-
tindo-so serem (Jas m*is modernas que ha
no mercado, assim como a boa qualidade,
por terem sido remettidas por um dos.nr
Ihores fabricantes de Paris, o vende-se pelo
barato prego do 69, na loja do Pavao.
SAIAS BORDADAS A 59, 63 e 89000.
0 Pavo vende saias ricamente bordadas
de 4 pannos cada urna, pelos baratissimos
pregos de 59, 69 e 89000.
Ditas de um panno s e com muita rodas
guarnecida de pregas, pelos baratos prego,
de 29000 e 29500.
Ditas com guarnigo de pregas e borda-
dos a 35500.
Algedo enFestado a IrOOO a
viera.
O Pavo vende algodo americano enfes-
tado e muito eneorpado, prcfro para toa-
lha e lenges, pelo barato prefo de 19000 a
vara.
Dit' francez sendo Iraugado c nuiilo en-
corpado, pelo baratissimo prego de 19280 o
metro.
CasenUros a 690OO e 3?000.
O Pavo vende cortes Jq casamira franee-
ea, sendo faseoda muito superior que sem-
re se venden por mais dinheiro, e liqui-
im-se a 790OO o corte.
Diu a 69000.
56 aRa do Mrquez de (Minda 56 a
(outrora rasa 4a adria)
LOJA DE MACHINAS
Sendo este amigo eslabelecimento assaz conhecido como principal e rrrnimu
dado pelos grandes depsitos o bons sortimentos com que sempre prima n ter i*-
melhores, mais acreditadas e verdadeiras machina* airrira para aleo-
do, desdo 10 60 erras, e haveinlo em todos os tamaitos diversidades de syate-
mas e melhoramentes para perfeito o rpido descarocamento ; toraam-se dgaos V
serem vistas e apreciadas pelos Srs. agricultores; os quaes, aleni disto, encoatrario
tambem mais :
Apurados vapores locomoves, deforca
de 2l/s e 3'/j ca val los com todos pertencas;
precisos para trabalharem 4 machinas para
algodo, ou para outro qualquer mistor.
Machinas para lavar roupa.
Arados americanos para varzea e lade:-
ra.
Carros de mo para atterros.
Tinas de madeiras.
Baldes de dita.
Ditos de ferro estanhado.
Ditos com vlvula para lavatorios.
Ditos de madeira para compras.
Apparelhos para jardins.
Guards-coraidas.
Tampas para cobrr pratos.
Tarrachas para fazer parafuzos de ferro.
Dita dita ditos de madeiras.
Trens para cozinha.
Temos de baudeijas linas.
Correntes para arrastar madeira.
Cylindros americanos para nadaras.
Pertengas avulsos para machinas.
Salitre refinado.
Breu superior.
Moinhos de diversos fabricantes para mi-
lbo e caf.
Debulhadores para milho.
A zoilo de spermacete para machinas.
Camas de ferro.
Bombas de Japy.
Ditas americanas.
Cofres de ferro patente.
('.anuos dc ferro esmaltados.
Ditos de dito estanhado.
Ditos do chumbo.
Ditos de borracha.
Folies para ferreiros.

Emfim muitos outros artigos, que s avista e neste estabelocimento poder*
examinados.
Pode obter em pouco tempo com o oso do melbor dos licoresa junada
HESPERIDINA
Faz oilo annos qne conbecido este precioso inico, a difcil acoar urna posto,
que, tendo experimentado pessoalmente, d3o falle em seo favor, j cono bor estoma'j
a apetisador, tomando om cliz della actes de jamar, oa cobo facilitador da difeaii*
tomando-se depois.
ABASE
da HESPEBIDINA 6 a LARANJA AMARGA, n3o ha um s habitaote do BRASIL (alarr.
especial das laraojas) qae ule coahega as propiedades medicinaes di dourada frocta.
ora bem. a


em S3U e9tado natrral tem um gosto pouco agradavel, e o mrito da Hesprida a cos>
siste em retar suas boas propriedades, e ao mesmo tempo ^presenta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL nao tem nada
meiberes importacoes europeas de caUegvria K-melhante. Estas, qoando
ser gostosas, porem a Hesperidina a combinacao perfeita do
qoe a\i,,:r a*
mito, r >'a
E SADAYEL
Para prova de que om artife no qnal pde-se ter ioteira conflaaca. poi *t
e inaoceme, basta dizer-se que foi p'enamerte api r. vada e autorizada p^.-
n
I
.r

OE HVGIENE
do Rio de Janeiro, perniiindo sua iivre elaboragr.r. do imperto; colra
a acceitagio geral qne tem em l das as partas oads apreaenlada. Em 1864 Hlr
leceo-se a primeira abrxa em l no da da chegada de S. M. O IMPERADOR inaognrou-se a fabrica qne sctaalmeiito
trabalha na corte. Em Va'paraizo e em toda a c sla do Pac:fico tem boa rcentelo
tanto que rara a casa que considera completo seu aparador sea ama garrafa da
O homem velho toma Hesperidina para obter
VIGOR
O homem doente toma Hesperidina para obter
SAUD?
O homem dbil toma Ilesperidioa para otier
Ncs bailes as doozellas e os mogos tomam a Hesperidina para obter boa cor
animago dorante os loucos gyros da
WBOBU
BARROS JNIOR & C., roa do Vgano Tenorio n. 7, t* andar, reesberm mu
grande especifico, e venuem-no nos depsitos segnintes :
Joaquim Ferreira Lobo, roa da Imperalriz.
Zeferino Carnero,.roa do Commercio.
Marcelino Jos Gongalves da Fooie, roa da Cadea o. z.
Antonio Gomes Pires d- C, ra da Cadeia.
Antonio Gomes Pires d- C, caes 22 de Novembro.
Gomes & lrmao hotel da Passa^em.
Acaba de ser experimeoiado no engenho Fragozo o apparelho para apremptar o as-
mear pelo .'jtema Cenlrifugo.
0 PROCESSO
bolease dentro de qaalooer vasiiha para
o apparelho em partidas da 3 i/i arroba
estar o aaucar
E' moilo simples.
Tira se a meladura das laxas de coser
;oatbar.
Logo que esteja coalhado passa-se para
Je cada vez.
Sendi a-sim ebeio e posto em movimeato, dentro da 5 minutos
premptj e em estado de ser logo rentettido para ser vendido.
0 resulto do
Foi Lzer-sc de 4 1/2 p5es de assecar 21 arrobas de sonjeoos l.1 sor le. O me;
itrahido pelo apparelho leudo sido em nada prejodicalo pelo proceiso qae sofTranv u
aido mol d'engeoho e n3 > mel de furo, presin se a ser Bovunenta eoado, itom m
pparefbo asocar de qualidade e pouco inferior ao do !. processo, dando alm
nesmo as formas lo bom resollado como se fosse pissade logo das tatas tira as
as, aproveitando-se assim mais melada do mel do qoe com o amigo Eritema.
Sendo iSo evidente as vantagens pratluzldas por semelhaote apparalbo, o tM fn- y
Jera ser verificado pelos L-ruprios seubores d*rugejb, osptraa os proyatarioi da dit. /
ipparelho, depois do risco qoe c *rerma con sem.lhiole experiencia, nMoecaram a pr
ecgo dos illuslraios senbores d'engenbo. '
V lisiar com os Srs. S< mu J Power Jobos m K.,1 roa do Apollo a*. 38 e. }%
J



Diario de Pemambuco Terca feira % de Juulio de 1876.
f..
MIUDEZAS.
Soares Lurte A h-mos, pedem as Exmas familias desla ciJade, para virern sortir-se
de um completo sortimento de miudczas e perfumaras, por pregos baratissiraos, a
saber:
Caixa de ponnas Perry, a 800 rs.
dem idem, a 400 rs.
dem dpm do marca, a 200 rs. Caixa de envclopes Irajados de preto, a
Maco de Gta chineza, a 900 rs. 500 rs.
Duzia de pocas de cordo imperial, a Loques para seahoras, a 2&000 e 4J>000
Caixa de linha branca muito ba com 40
uovellos, a 500 rs.
S80rs.
Idea era carrilel do liaba branca, a 320
rs.
dem i3em carrtel 200 jardas, a 1?5000.
Lamparinas gaz, dando urna luz muito
boa, a i>000.
botoaduras para colleteJ(so baratas), a
200 rs.
Duzia depec,as de trancas caracol branca,
'.00 rs.
dem idem lisas, a 200 rs.
Fita de velludo de todas as coros e largu-
ras.
Idea idem de sarja idem idem.
Talberes cabe de viado (imitafiio) a33>000
j duzia.
Duzia de baraluos.lrancezes canto doura-
dem idembeira lisa, a 2#500.
Orinaldas para casamento, a 23* e 55000.
dem idem de osso, a 6&000 e 8$000.
lndispensaveis de couro da Russia, a
109000.
Livros para notas, a 320.
Redes afeitadas, a 11*300.
Duzia de collarinhos bor lados para ho-
mem, a8?O00.
dem idem lisos, a G3>000.
PERFUMARAS.
Garrafa de agua florida verdadeira a 1&300
dem kananga do Japao, a 1&200.
dem divina, a 15H)00 e 19200.
dem idem Magdalena (novidade) a 19500.
Frasco com tnico oriental a 19000.
dem de oleo Oriza verdadeiro, a 19000.
dem idem antique muito b -m, a 400 rs.
Opiata muito boa, a 19, 19508 e 29000
o frasco.
Caixa de pos para dentes, a 200 rs.
dem idem de pos chinez, muito bom, a
Garrafa de tiuta roxa extra-fina, a 19000. 500 rs. e 19000.
Caixa de botes de osso para calca, a Mago de sabonetes inglezes muito supe-
riores, a 600 rs.
Duzia de sabonetes de amendoa, a 29500
COSTURA DE HOWE
\m
WAti
300 rs.
Coques modernos, a 39500.
Maco de tranca lisa de cores, a 240 rs. e 39600.
Espclhos-toucadores, a 29000. I dem de sabonetes de anjmho transparen-
Resma de papel pautado e liso, a 29600, les, a 29200.
9800, 33500, 49000 e G3000. dem de sabonetes com flores, a 19o00.
Caixa de papel amisade, a 600 rs. Lindas e elegantes camnbas com perfu-
Idem idem idem beiradourada, a 800 rs. mes do autor L. Ludray e Gell rreres, pro-
Gaixa de envelopes forrados, a 700 rs. proas para presentes^
I
SOARES LEE, IRIAOS
NICOS AGENTES
A"
Ra do Bardo da Victoria i. 28
As mais simples, as raais baratas e as memores do mundol
Pa esposicio-de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Jnior, a medalba de ouro e a condecora-
do da Legio de Ilonra, por sorem as machinas mais per.
feitas do mundo.
A medalba de ouro, conferida a E. Ilowe Jnior, nos
Kstados-l'nidos por ser o inventor' da madrina de cos-
tura.
A medalba de ouro na exposico de Londres acreditam
estas machinas.
LOUIDAGO PARA ACABAR
DE
ROUPAS FEITAS E FAZENDAS
no
Baro da Victoria n. 24
IVNTIGA RA NOVA.
Luvas de pellica com
600 rs. e 19000.
pequeo toque, a
Sabonetes Glycerino transparentes,
Chapeos para senboras e meninas.
ir
BOLLAS DE BORRACHA
Grande sortimento de bollas de borracha e calungas por baratsimo proco,
vts objectos que se tornara longo mencionar.
28 Rua do Bario da Victoria 28
e mu-
A 90S000
FNDICAO DO BOWMAN
RA DO BRUM N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS seahores de engeoho e ontro* agricultores, eempregadjres de m
ctinismo o favor de cma visita a seu eslabelecimenlo, para verem o aovo sortuneoto
complet que abi tem; seado ludo superior em qualidade e fortidao; o que com a ids
*cco P ^J ggS, A0 NMER0 E LUGAR DE SUA FNDigAO
rr 4 jtin,,ft dos mais molernos syslemaa eem ta
VapOre3 6 rO&aS Uagua manos convenientes para as diversas
circumslancias dos seuhores proprietarios e para descansar algodao.
Moendas de canna SS 81hos" as'me,hores qoe aqui
Rodas dentadas *+"*'-"'
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
York, estabeleceu nesta cidade ra do Baro da Victoria n. 28, um deposito c agencia
geral, para cm Pemambuco e mais provincias se venderem os afamadas machinas de cos-
tura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicio de seu trabalho,
empregando urna agulha mais curta com a mesma qualidade de lmha que qualquer outra,
e pela ntroducc,ao dos mais nperfeicoados apparAos, estamos actualmente habilitados a
offerecer ao exame publico as mclhores machinas do mundo.
As vantagens destas machinas sao as seguintes:
Primeira.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
circumstancia de nunca torera apparecido no mercado machinas d llowe em segun-
da mo.
Segunda.Contera o material preciso paxaxepar.arqualquer desarranjo.
Terceira.lia ncllas menor liiccao entro as diversas pecas, e menos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Formam o ponto como se fura fcito mao.
Quinta.Permitte que se examino o trabalho de ambos os fu, o que se uo-consegu
as outras. .
Sexta. l-azcm ponto miudo em caseniira, atravessando o fio de um a oulro lado,
e logo era seguida, sem mudHicar-so a touso da linha, cozem a fazenda mais
Stima.O comprcssr levantado com a maior facilidade, quando se lera de mudar
de agulha ao comecar nova costura.
Oitava.Muitas companhias de machinas de costura, lm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao boje quasi descoruiocidas, outras swffreram
mudabas radicaes parapoderem substituir entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opiniao de Elias Howe, luestie em artos mechaiiicas, ten constantemente
augmentado o seu fabrico, e boje uae attende a procura, posto que fa<;a C00 machinas
por dia.
Cada machina acompanha livrelos com iustruccoes em portuguez.
A90>000 A 90^000
SOARES LEITE, IRMOS
A"
do Baro da Victoria n. 2 8.
para mandioca e algodao,! Pudendo^ todos
e para ferrar madeira. fser moridos a mSo
/por agua, vapor,
de patente, garantidas........ lou anicoaes.
Todas as machinas !*.*m
y* i AM.MMMM4-#x de macbiuismo, a preco mu resumido.
Faz qualquar concert
Formas de ferro
Encammendas.
tem as melbores e mm baratas existeotes no mer-
cado,
locumbe-e de maodar vir qoalquer macb nismo a von-
iade dos clientes, lembrando-lbes a vantagem de ^"rem
.aas ooaprts por intermedio de pessoa entendida, o que em qualquer necessidade pode
r.as prestar auxilio. ,
Arados americanos mti',mmM 'tm]"-
GRANDE LOUIDAGO NO BARATEIRO
DO
BAZAR NACIONAL
Ra da Imperatriz n. 72
DE
LourencoPereira lleudesGuimardes
Vasos de crystal para toillet TAlIft $\{\ li\|lftS f !
Aloja da Agua Banca, a ra do Duque de IWJIW L,'WWil *
Caxias n. 50, r eobeu bonitas garranhas de crys-
tal em par com ramagens douradas e mui pro-
prias para arranjos de loilet, etc,
AnEcis e colares elctricos
A lo a d'aguia branca rua Duque de Caxias
n. 50, nemea nova remessa dos proveilosos an-
cis c colares elctricos, e contina a rerelte-lo:.
mensnlmenli!, pelo (juc scuipre estar prvida de
tacs objectos
Diademas dourados
A loia d'aguia branca ru;i Du(|ue de filias n.
30, rcccbcu novanicnlu Imniios diademas dourados
e eneitados com pedias e aljofares, obras de gos-
loe plianUi.-ia Taliiliem leri-l.i.u uovus glani(>(
pretos ou allinetus cun llore pata a cabcea.
Leques com bouquets e ou-
tros chinezes.
A luja d'aguia blanca i rua Duque de Caxias
n. 50, receben una pequea (pianlidadc daquelles
bonitos leques coin bouquets e outros cbinezes.
Cold creme para refrescar e
amaciar a pelle ,
A hjad'aguia brama a rua Duque de Caxias
o. SO, recobeu cold creme dos afamados fabrican-
tes Lubia, Legram e Condi ay.
Diademas e grampos de
a^o.
A loja da aguia branca, rua do Duque de
Caxias a. 30, recebeu novamenle bonitos diade-
mas e gra > pos de ac.
Bicos de seda pretos com
flores de cores.
A luja da aguia branca, a rua do Duque de
Caxias recebeu, como novidade bonitos lucos de
seda pretos com flores de cores, sobresabiudo nel-
les prcto cuui encarnado, e lodos mui ranos
para barras c outros enfeites de vestidos de gra-
nadine, ou medina, e outras fazendas transparen-
tes. Pela commodidade dos pre.os esses bicos tor-
nam-se mai ctmuuodo,s e pela novidade de gosto,
preferiveis a quaesquer oulros eufeites.
Veos ou mantinhas pretas.
A loja da aguia branca, rua do Duque de Ca-
xias n. 50, recebeu bonitos veos ou mantinhas
pretas de seda com flores, e outras a imiUcau de
croch, e veudc as pelos baratos pre.os de 3,
f e 6/000. A fazenda boa e esta em per eilo
estado, pelo que contina a ter pronipta exlrae-
cao
RUA DO BRUM N. 52
Ko mam de tepta Lopes Miado C
Travessa do Corpo
Santo N. 25.
Vapores lot\moveis de forfa de 2 a 4 mallos.
Correias pat\machina?.
Folias de diversos lmannos.
'aquetas para cobertos de carros.
Solas de lustro para guarda lama.
fontas de lanca para carro.
Chicotes para carro.
Cales largo c estrello para carro.
Wegos eom caneca de marfim, idem.
CASEMIIU META A 2?500 O COUTE.
Vende-se corlesde casemira preta paracal-
ras de homem a 29500, 4?J500, 5 e 65600.
PANNO METO FINO A 25500.
Vendc-se panno enfeslado proprio para
calcas e palitts a 25500, 35, 45 8 55000 o
covado.
ALPACA META A 500 RS.
Vende-se alpaca preta tina a 500 e 640 rs.
o covado. .
CORTES DE BRIM A 15500.
Vende-se cortes de brim para calcas de
homem a 15500 e 25000.
CHITAS BARATAS A 240 RS.
Vende-se chitas fraiicezas largas, para
vestido a 240, 280, 320 e 360 rs. o covado.
CHITAS PARA C0BERTA A 280 RS.
Vende-se chita finas para cobertas a 280
rs. o covado.
MSSELINA DE CORES A 400 RS.
Vende-se musselina finas, de cores para
vestidos a 400 rs. o covado.
FUSTAO BRANCO A 320 RS.
Vende-se fusto branco para vestidos a
320 rs. o covado.
CASSAS FRANCEZAS FINAS A 360 RS.
Vende-se cassas de cores muito linas a 360
e 400 rs. o covado.
CAMBRAIA BAPTISTA A 400 RS.
Vende-se cambraia baptista para vestidos
de senhora a 400 rs. o covado.
Pcrfeita novidade.
Aderemos de bri
lhantes, esmeraldas
ruliins e pcrolas,
voltasde perolas.
Obras de ouro e
prata de todas as
qualidade?.
SAPHIBA
NOVA LOJA DE J0IAS
N. 2 ARua do CabugN. 2 A
DE
lt VllItO* A I'ILIIO
Achando-se completamente reformado este estabelecimento, e
tendo os seus proprietarios foito urna importante acquisi<;ao de
ioias as mais modernas vindas ao mercado, c de quahdades superio-
res, convidara ao rcspeitavel publico a fazer urna visita ao seu es-
tabelecimento, afim de apreciar e comprar urna joia de gosto por
prec,o razoave.
COLXAS DE FUSTO A 25500.
Vende-se eolias de fustao, de cores,
25500 cada urna.
COBERTORES DE PELLOS A 15200.
Vendc-se cobertores de pellos e papados
a 15200 e 15400.
SAIAS BRANCAS A 25000.
Vende-so saias brancas e de cores a 25000
e 25500.
TOALHAS A 800 RS.
Vende-se toalhas felpudas proprias par
rosto a 800 rs. cada urna.
BOLSAS PARA \ IAGKNS A 35000.
Vende-se bolsas para viagens a 35, 35500
e 45000.
LENCOS BRANCOS A 25000 A DUZIA.
Vende-se lencos brancos a 25000 a du-
zia.
GROSDENAPLES PRETO A 15800
Vende-se grosdenaplcs preto para vestidos,
a 15800, 25, 25500, 35, 45000 e 55000 c
covado.
MADAPOLAO FINO A 45000.
Vende-se pe^as de madapolo, a 45000,
45500, 55, 05, 75000 e 85000.
ALGODO A 45000.
Vende-se pecw de algodao bom a 45,
45500, 55, e 65000.
ALGODO ENFESTADO A 900 RS.
Vende-se algodao entestado a 900 rs. o
metro.
Grampos cora borboletas, bezouros e gafa-
nhotos dourados e coloridos.
A loia da aguia branca, rua do D' que de
Casias n. 50, recebeu novos gramas com bor-
boletas, l>ezouros e gafanhotos, o que de corto
perfeila novid de. A quantjdade pepuena, e
por is-o em breve se acabar.
Novas gollinhas ornadas com
pelucia ou arminho
A loia d'aguia bracea rua Duque de Caxias
- 50, recobeu urna pequeiia quantidadc de boni-
s e novas gollinhas, trabalho de la e wda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteirair.ente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, rua do Duque de
Caxias n. 30, recebeu novamenle bonitos gram-1
pos, brincos e rozetas dourados ; assim como
aoves diademas de ac, e como sempre conti-
na a vende-los por precos razoaveis. |
Caixinhas com pos dourados
e prateados, para cabellos.
Vende-se na loja da Aguia Branca rua do Dn-,
que de taxias n. 50. |
Luvas de pellica pretas e de
outras cores.
A loja da Aguia Branca, roa Duqne de Ca-
xias n. 90, recebeu novo sortimento de luvas de
pellica, pretas e de outras cores.________________
Joaquim Jos Goncalves
Beltro & Filhos
Os leques Mi' de u,..ii.-mt.>1-.. lua ir o i*
cures e que Vtuem o dwtro'TSIAO cm Irtira
lambem de madr.'prr da cm ah-< r. *-
nand.. s.- Mr islu a|iro|iiiad'^ pHI imh*.*, a ."*
VAESPERAXCA rua tuque Ae (jixias .*!
(aatiga d i Qui^uado) qnem os hm.
Sao de tartaruga
Os brindis, brachas, Mfca aderoco. era
coWBoaa c cmuleU*. que rstie Ri^iwtM Im
csnlha la-; Kxiuas. 11 ii.uil<- do rlii |UC
na Nova l-'|H'ian>;a, na Du.|i:- d '
D 63.
Aos mininos
A Siira Etperaafa rua Duque i .- -.
8. acaba t'.e n.....bar um lin-. mtUi. i.: :. I-.-
uecas de mitins qualidade*. viinl. entr* .ta* *
engranada* BMlocas de borra< li.i. ? un i:.iiil
una |'.'(|iii'i:.i |;i.mtidad del.....CM pii'a- fia
se loriiaiu aproria*Ha pela m n bem ut'
A Nova lifMraM a i oa I im- a (- iam
6:i, ecelteu vei.ladiii" rJMM iii'rT7.. pr.ar*
^aupara CuMearlH' purcdana(' bom til
1 Vestido perdido
Militas vetes um vestido t-ira*M' inl-irs**!
feio, smente p.r estar mal enMlad i: a N"*a l>
peran.a rua > uque de Cavia- n < r i <
este nial ; porqu.' e-!a bem prvida d.- v f-
galo.* e franjas de todas as cores. ct\> i-* ?
colher-sc vonlade s4n'-aliiiid'i ifiU< -'
modernas franjas mHsaicat, qu | .-ua vari
de de cores, liea Imiii em qna-i l da- a- fa n
A ella antes que acaln ni
lilas de borracha
Vcndem-se de IiuJik os tamaito rua D^.-
d>; Caxias n. 6'\. ua Nava V-\hiw
Cabellos brancosstem gi>
mr
A Nova F-speranea a rua X\\y\<- '' Carta
63, ac'a de iwabrr a vrriad ii i iin m >
nous para Ungir M caMb*. *r fjj*pw
(euqirecando ai cmi mulla I i i
niolivo, calcllii- bran-os so Uut q tem quer
Entilo na moda
Os ciiitunn-s n .uro, pi.<| ; fmn
que recebeu a Nova Ks|teranct a rua lMi<|
Caxias n 63, e-la .. rim, l*ta. m*> W "-'
Se queris kf ou pnparar Mi taitaUeV -
clieirosos rravos branctM |*.r:i o v-w <
ou para oiilin lim aur-'oriad r MU wmin i
Non Ksp-ranca ;. itia Ihi-im* u "as
que all eii>-tmlrarei-. u m-l U> i-l,;
que M pode earJMr.
T< daga rea
A NONA ISm vN
n. 63, vendo laaflBrfi para rdar ? kW
roawM
do eswmart. As dates isathemaUcas que ella oaalani jteaMUaataw ras-
para todas as complMaclles as affeccoes ojaorofuloaa*. tuberauIosaa^oauM
rosaa noa accidentea internaittoiitoa a toroelrot;
agente o mais poderoso contra as doeogas rheumatica.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE ^
PHARACBUTICe,1, Wf ttllS4UIT^ai|t, PARS.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARANJ AS AMARGAS
Catan IODIRETO ale rOTASfll
0 lodnreto de poUssio um verdadeiro alUrante, udepurador d inconiesuvel cffl-
cacia; combinado com o xaxope do oaaea* do Ursm smnargaa. /tarado
sem perturbacio iknma pelos temperaroaaias i tasas incoa, sato assarar as nieles
ithemalicas que ellaoaotampermUeaaaos motaetM > receit&i-o
loaaoj, osmoe-
alem d*isso, o
XAROPE TNICO AMTI-NERVOSO
da eaaaaa d laraajaa ajatargaa.
35 anuos de soccessosaUestao a so effi-
cacia para curar: as doenfa* nervoitu,
agudas ou rhrmicas, as gastritis, gastraU
fim; facultar iigtelmo.
IAR0PE FEBRUGINOSO
aaoaaaaa laaonjaa a 'aoa a ferros liqsuavquemais fcilmen-
te se assioila o ferro:o'esta forma prefe-
rivel as randas e pastillas en todos os casos
e/aa altt pau.uHolas os fernsginasos.
DENTIFRICIOS LAROZE
COI QB1*A, T1T
calt^t
VO dMtUViaio, eom base de magnesia
para a alvura a conservadlo dos dentes,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empatie a reprodncfto.
Deposito em i* Janeiro, b. che*ui; en ^eraattetico, r. Maar C>; sm Mactie,
ralee Btaa; em PsMai, Attera 1*m; ea Mia. ta *; em PorU AUgn. lm
Beu em sTavaaUo rerrelrm C| em O-f* freso. C. f. V. Weleesn Soaa CalAa-
n%a aehmtelt em Maatmdee 8. Impert em But**-At>ru, suehef.ra.
bIit daatirrlaia, para a altura e cn-
semelo dos dentes, curando as dores
causada pala caa oa predatidas pelo
contado do calor ou do fri
Joaquim 1'. di* Sanios ( imbra (.'
vende em seu cscriptorio rma ."'aiqueaV
(Unida n. 3 I" a! dar :
(.al do lii'i
Cha em latas de I libia
Fumo >> em latas
Farinha de mandioca
Vinho de Thomar, cm decin;fts;_______________
Masa batida.
Vende-se mafsa balda de I* w.-li'
ogos artificiaca a f>O i, a id i.. asta I !! avariada a Sin rs. : n .iriii:i7riu ao : a! Ja tu
mperial n. 5(17, de Valdiviim ... j.alv. i ..
' ^risTaerRua Vlvlenne, D
rarnnn mnch svmw.
a wipraiai"a s Mas, rre.ntu
r. tir, ftLTcitoa o uv.ii
~MMt>eatatii >'-
ftmi^milmea- y- pt.
irnn.roB iaes.*T^
weni.i. r atorar, ri-
ramt n ngr '+-
(a a> af Xariiw afrast
sem ntcrcnrioV seeail*
% ass^a* taawa-M a i
temaos, sefainao o irscum*n o Oejwrat- :
(mprecail* "'* tiirsma awJ I F.tt Xrp Otr.-I i Je
|ferrae>CII>ai.r.'a
m.dnlii"'a1'- eial-
I tacr pare, ae rea
I rtfno. 4<*'l *r,
... e /ere.- tramees *
roulheres. KsU ioiecc" henigat empre****
eom o Xarope d> Cttrarto de /erra.
BlBlllllll"l***"i'1'""*"'""l"t
POMADA AHTIHIRPET1CA
Contra- nssfljfccac'-'c;ir e ramimn.
PILULAS VEGETAES DEURaTlva$
do a, camal, cata fraaoa wai aceuica.' t
te ubi folkclo.
DEPURATIF
da SAIVG
ras, e PLUS DE
COPAHU
i
luir.
Teem para vender no seu escriptono rua do
Couimercio n. 5, o seguate :
AGURDENTE de caj : caixa de 12 garrafas.
de larana, idem dem,
ARCOS de pao para barril.
CAL de Lisboa, recenlemente chegada.
CHAPEOS de sol, para homem e senhora, cabo
de inarlim e osso.
FEIXES de ferro, para porta.
FIO de algodao da Babia, da fabrica do commen-
mendador Pedrozo.
LINHA de roriz.
03HAS de pal; eta.
PANNO de algodao da Bahia, da fabrica do coro-
RETROZ dfS?w quaWajes, das fabricas de VJj||||(| \||{'r|)()t JjJ|
Peres e Eduardo MUitao.
ROLHAS proprias para boca.
^ i < a i '"i|l I -* '*"---
AVISO AOS 8R8. MDICOS.
Cara caMrrAw, *
eaq:.-huhei irrrf<*
Sirop du
DrFORGET
ctiMiaain
_________ ___I pest; \* nu eoltie rtstea Oaett taras B> roaaw
r. caiaJaaj tt Pru, rm u
lteposito em casa de Augusto G"i
rua da Cruz.
*:
SALSAPARRLHA do Para.
vELAS de cera de todos os lamanhos.
VINHO engarrafado do Porto, caixas de gar-
rafas.
dito Moscatel do Douro, idem dem.
dito Setubal, caixas de 1 e i durias.
da Italia engarrafado, caixas de 6 gar-
rftftM
de Collares superior, em ancoretas.
de caj, caixas de 12 gar afas.
Malvasia do Douro, caisas com 12
rafas.
Carcavellos, idem idem.
gar-
VENDE-SE""
um moleque de 17 anuos de idade, pedreiro e
copeiro, robusto : quem pretender cmpralo di-
rija-se a wia da tmperatrB ti. 36, prlmeiro andar.
e S. Pedro.
Aniaral, Nabuco *'.. vendem snrtw par *
vertuneiuj e fo4aius das ulules de aatu Abmismii.
S. Joto e S Pedro, svstema Toorbcbou ttaor-
belet etc, Sao as mais engranadas qne Unu *asV
ao mercado e proprias para saH; a*ii" cav
caixas de eomfeitos bombutn a ajas da pMsJ
pnqirios para illjmina<;oc* camaualtaa, ar.
na rua do Bario da llcioria a. 2, ataaBr >
nico deposito, a onde se acha a venda na casa de P. Maurer < [C.
Rua do bario da Y
Grande pechincha
No trapiche ngulo vende se saceos com mlllio
muito novo, pelo barato prec/i de oA, regulando
dez cuias, para acabar.
Vende-se duzias de linhas de carretel de 100
ardas pelo diminuto preco de 5 0 rs.: venham
ao rival do Recife, rua do Mrquez de Olinda nu-
mero 50 A.
Cha, prolo t______
Amaral, sabuco 4 C wodem cka preta a a*r-
de, de muito boa qualid e e <* vapor e ap francs : ao Bazar Vletona, roa eV
Baro da Vctoria n. 1

lias DiaCoBicas.
Amaral, Naboro & C avisam aoa i
ajaaaatao soppridoe de Atas mac asir*
graos para os que quizerem asaMir a
ta que cnstnma-se a fa.
i das respeitaveis l.tjas aaaeaair- <
nbo.
* ja
CASA.
Vanda sa jmh sobrado em nsu ba
ar a* rua Ulmper athz n. 8, k+i
ana: A *a-



.
- I 4->

_..-

3
ASSEHBLE4 GERAL
Diario de Pernambuco Terqa feira 3 de Junho de 1873.
SEN VDO.
DISCUSSAO HAVI1..V t'WIOCOASlAo lE SE TRATAR
I)IJ REQUER)! ENTO DO SR. VIEIUA DA SILVA
SOBRE OS ACTOS 1>fS BISPOS DE l'ERNAMBU-
CO E DO PARA.
[Oioelualo]
O Su. Me.ndes de Almeida Temos o
pape su bserviente I
O Su. ViscOEtDK iik Souza Franco : -
Subservienic mi director a qneslo seria a
mesinn. Dero, purera, fozer no summo-
pontce a justiga de erar, porque respeito
m'ii'o o ch.-feda igreja, que elle nao toma
parte nossas ordena que violara a oinstitui-
go e leis do imperio, que atacam a autori-
dade dogoverno e pem era sobresaltos
habitantes ilo paiz.
O Sr. Mekdes de Ai.meida: K' urna
gran le honra que V. Exc. Ihe faz.
O Sr. Visenos de Souza Franco :A
grande dado comente militas vezes condes-
cendencias que nao seteriam no vigor dola.
O Sr. Menes de Almeidv : K' urna
conjectura do V. Exc.
OSr. Visc.oxde de Souza Franco : Sera
do vida conjectura. porm com bases, por-
que estamos vendo que OS jesutas acoderu
em grande Damero ao paiz e que osados de
usurpago da autoridade temporal teem
coincidido com a recente cbegada de agentes
jesutas c sao por ellos defendidos no pulpi-
to e na imprensa.
Para cbegar ao ponto de arrostraren es
les comogou-se por dnsprexar e abertamen-
10 violar o al vara das faculdades de 14 de
abril do 1781.
O Sr. Menes de Ai.meida E' nia 1
O Sil. VlSCONDE DE SotZA FRANCO :
.Nao dogma, mas lei para todos e tam-
bero para os bispos, que esto abrigados a
eunipn-la. Estaremos, os brasileiros, so-
monte sjenos ao cumprimento dos dogmas,
e sem leis que regulem nossos actos e os ac-
tos dos funcconarios ecclesiasticns ? E' o
que pode parecer do aparte do nobre sena-
dor.
O altar das facilidades determina que os
prelados, assim que se dr vacancia de
qualquer beneficio ecclesiastico e cura d'al-
ma. o pouham em concurso e apresentem
at o numero de tres, os que melhor [trovas
tivorem ao governo para escolher um, a
quem a autoridade ecclesiastica confero a
eollago. A maior parte dos bispos do im-
perio nao poz mais em concurso as grojas
parochiaes, tentando assim evitar que o po-
der temporal tenha influencia sobre a esco-
lia dos paroehos.
Esta esculla que a lei ronfere ao governo
supremo, os bispos de grande parte das dio-
ceses brasileiras chamaram a si para domina-
rem os paroehos que, sendo pela mor parte
encommenda 'os ou temporarios, esto sujei-
tos demisso ou remojo vontade dos
prelados.
E agora a regra que v se nosjornaes a
nomoago temporaria para as paroehias do
Kio de Janeiro : vigarioencu nmendadopara
tal freguezia, por um anno, para tal outra
por umanno, oque publican) os jomaos
da corte.
Sempre so disse que o vigario se casa com
a sua igreja, perpetuo; boje nao. E
con isto nao era anda bastante comegou-
se a nornear para vigarios encommendados
a sacerdotes estrangeiros que sao boje os
preferidos aos sacerdotes nacionnes.
Senhores, cu nao deixe passar dosaperce-
bida esta nova especie. Em pareceres do
conseibo de estado, em 1863 e 1804, notei
a inconveniencia da escolha de padres es-
trangeiros, deixando-se margein brasilei-
ros muito dignos, sacerdotes de tanto ou
maior mrito do (pie os estrangeiros desco-
nhecidns, e os quaos me pareciera poder me-
lhor desemponhar os encargos de parodio.
nhum brasil iro fo escolhido para parocho:
os r,o"! .....'(' teem direito a empregos
pblicos.
Como se ainda nao bastasse, yeio a sus-
penso o interdicto ex-informata comeim-
tta pdr os sacerdotes brasileiros merc dos
hispo;.
Temos noticia de um ultinn acto do Rvra.
hispo de Pernambuco praticado contra um
dos sacerdotes de mais illustrago, de mais
respeitabihdade, de mais moralidade no Bra-
sil (apoiados), suspenso ex-informata cons-
cientia.
E oque qnor dizer suspensoex-informata
consaeiUia? Quer dizer suspenso pelo ni-
co juizo do bispo sem provas nem procos
so ; suspenso a que nao se d recurso al-
gum, e dura o tempo que o bispo quzer :
at a porpetuidade I...
0 Sr. Mendes de Almeida :Tem o re-
curso ecclesiastico.
0 Sr. Visconde de Socza Franco : -
Nao tem recurso nenhum ; nao o pode ter
aproveitavel porque nao ha processo nem
provas que regulem o juizo ad-quem e se
tivosse recurso deixaria de ser deciso ex-
informata conscienlia cabiudo por si mes-
mo o dctame da conscienca do bispo quan-
do sujeito a outro juiz.
0 Sr. Vendes de Almeioa sNao cahe.
0 Sr. Visconde de Souza Franco:
Seria tambero a negocio do principio (que
nao adopto] que preciso dar aos bispos to-
da a forca para disciplinar o clero...
0 Sr. Mendes de Ai.meida : E' outra
eousa ; isto sao pretoncoes do poder tem-
poral.
0 Sr. Visconde de Souza Franco :
Pelo contrario foi o poder temporal quem
deu esta autonsacio aos bispos no decreto
do 28 de margo de 1857. A respeito do
exercto, em que urna disciplina rigorosa
precisa, ninguem se tero lembrado de dar aos
generaos, aos chofes e aos subalternos, o direi-
to do impr penas sua vontade e nem anda
na marinha. Foi so a classe sacerdotal, alias
mais Ilustrada, e na qual a desobediencia
rara esera porigo inminente, quesejulgou
necessario sujuiiar ao arbitrio dos bispos,
porquo esta a verdadeira traduego da ex-
informata conscimtia.
0 Sr. Mendes de Almeioa :Nao exac-
to ; V. Exc. est engaado.
OSr. Visconde de Souza Franco:
Se a conscienca se leva pelos factos, se ella
est sujeita ao juiz, a vontade tambem o est
e quando se diz a vontade, pde-se suppr
a vontade Ilustrada, bem dirigida. No en-
tretanto nao ha una autoridade que tenha o
direito de impr penas aos seus subordina-
dos, de os condemnar sua vontade...
0 Sr. Mendes de Almeida :Nao ha
tambem na igreja.
0 Sr. Visconde de Souza Franco : ...
eslava este arbitrio reservado aos bispos...
0 Su. Mendes de Almeida :Est enga-
ado ; nao apoiado.
0 Sr. Visconde de Souza Franco : -
... que captivaram assim o clero do Brasil...
0 Sr. Mendes de Almeida :Lancem mo
do recurso ecclesiastico.
0 Su. Presidente : Attengo I
0 Sr. Visconde de Souza Franco : -...
onde ha tantos sacerdotes quo estou certo,
so declararan] contra os ltimos abusos e
invasoes do poder temporal, so nao estives-
requenmentos. terraram as suas machadas de combate, es-
v k V|SS,0:<0E DE Som^ Franco:- colheram para chele o valente Jack o mais
vou acabar. Eu os acato, mas nao os sup- audaz de todos, c romperam as hostilidades
ponho superiores aos outros homens, nao matando todos os colonose destruindo todas
Ibes altribuo quahdades que s pertencem as propriedades.
SK2S 1 KB.r PdereS de qUe kceiosw da chegada do tropas federaos,
r*ri.n^2Tt .&b^0"caconcor- foram abrigar-se junto ao lago Tule, eahi
22 J ?.U. s"ham altr,bu'des contra- pelas condicoes excopc.onalmente favoravois
n^nl (?' Ve "?0 ente que do terreno abrupto o escarpado, propararam-
ninguem soja julgado seno em vrtude de se para a defeza
.omT^nf'(0S '1*4 neUa rnarca(Jos Uma C0,um"n de 30 WaJ'.comman-
e cora a, pena, tambera anteriormente xa- dada por um coronel foi enviada contra
a k v c'les P0, governo de Washington. Esta
0 bmeplacito tambera esU conderanado oxpedco apezar do seu animo e valenta,
no%tfa6>n.90econdemnado por todos foi completamente anniquibJa ; poucos fo-
o. nossos bispos que escrevora at pela im- raro osquerauidifficultosam-iifi 'seaparara,
prensa contra el e; entretanto estando ello 0 presidente firant, orno militar exper-
pescriptonoSUdoart. 02 da constitu- mentado, percebeu iog a rapossibilidTde
i i T Fnir^T ^ 0br,S'1:)1ll le vngar esta affron.a cora os inoios mili-
o su tentar. Enera se diga que a assembla tares ordinarios de que dispoe. o em luKar
geral, por exeraplo, nao e competente para de insistir emquerer vencer os iirnigos p?da
omdraeer da convemenc.a da publicagao das forca, procuro!, pactuar com ellos. PrL-
buUas. A assembla geral nao tem de co- muido que da pirtode Meacham bouvera,
nhecer das draitnnas theologicas ou religio- como causa d. rebellio, excosso de rignr
sas, mas se a bulla ou cartas apostlicas, deshuma. lade ou desattencto para as q.iei-
respoitan lo as doutnnas aceitas pela igreja, xas da tribu agora reholla la, antes de so
nao usurpara poder o jur.sJ.cco temporal, prestar as Instigacdes dos .pie logo aconse-
Eisohmdo beneplcito: garantir o po- Ibavam guerra violenta aos revoltosos, en
Costantes pnnnlnreai.
MA FOCEEIRA DE S. PED
DllO
Jer temporal contra asusurpaces da curia viou Ibes urna commissJo com propostas d<
romana
romana.
paz, o para ouvir os seus aggravos autos de
Sr. presidente, vou aumpr.r a reco.nmcn- contra ellos proceder com to la a energa.
dacao de V. Exc. pondo fim ao mou discur- A* testa d'esta commisso a o distinetog,.-
so Em outra occasio dare maior desen- neral Canbv. mui conhecido pelo seu esni-
volv.mentoaalgumas das quostes do que rito justiceim, conciliador e pacilco. 0 ge-
^'.f','- nera' oMuzia outra columna de 300 sol-
relizmente temos na constituigao, as bis dados.
e decretos em vigor os mcos do conteras; O intuito pois do presidente Grant era
invasoes das autoridades ecclesiasticas, o to- terminar esle conflicto cedendo quanto fosse
as esperamos que o governo os execute razoavol aos selvag-ns que a excessiva seve-
com a energa necessana, energa que nao rilado tiuha impel! lo para os expedientes
exclue a prudencia. E nao o demovara do. barbaros e violentos.
cu.nprunonto desse dever as palavras ou \ Chega o plenipotenciario prximo do ter-
ameacas do nobro senador, que diz: Ten- reno inimigo, comocam as negocia.oes. O
tom-osesao capazos, faca ni, etc. Des- capitn Jack finge aceitar as condicoes, e
gracaao de nosso paiz se os ullramonjanos va.; demorando a conclusao do tratado al
poaessein dizer com razio ao governo! nao bem conhocer a posteo e os rocursos do
executai a cunstituigao, nao pondo em exe- inimigo.
cuco as leis contra as usurpares das auto) Em lira Jack convida os plenipotencia-
ndades ecclesiasticas, porque seris vencido ros a urna entrevista onde a paz devia ser
e derrotado. concluida.
Vozes :Muito bem. 0 general Canby, acompanba lo de tres
"'-' _______ _______ commissarios, de Mr. Meacham, do Dr. Tira-
na/., de mais alguns individuos, e de rios
medocs, que erviam de guia, apresentase
para a indicada entrevista em ponto afastad),
onde Jack e cinco dos seus o esiavam espe-
To los os medocs traziam um ro-
VAfiiUAD
A Siierrii 9m medacs.
Os medocs s;io urna das raras tribus indi-' Wdo.
genas que vagueiam nos confins das nn^oesj wolver cintura.
confederadas da America do Norte. De da j Chegados junto de uro pequeo ribeiro,
para dia o infatgavel cultivador americano avanca os seusestabelecimentos sobre o ter- <>s negociadores e comecou a conferencia,
rtorio vago e inculto, e a onda incontrasta- Depois de nevaran fallado os commissarios
vel da civilisago estreita o espado, ainda do governo, Jack tomou a palavra c propoz
boje tolerado aos primitivos possessores! seu ultimtum: Nos queremos disse elle,
sem sujeitosao arbitrio dos bispos, do qual
d'aquellas vastssiraas regies.
A poltica seguida pelo governo dos Esta-
dos-Unidos cora respeito s tribus indianas
do seu territorio, tem sido sempre inspiradas
de certas ideas ,u ;.: _l:i--------_
volver ao nosso antigo estabelecimento as
margens do Lost.
Os commissarios declararam-lhe que esta
exigencia era inadmissivel. N'esse ponto Jack
ergueu-se e disparou um tiro de rewolver
na cabeea de anby ; Meacham e o Dr. Tho-
maz foram igualmente assassinados polos
outros inimigos. Os utros, posto quo fe-
Estamos na noite de 29 de junho do
J&7, na cdado de Ouro-Prete, capital da
heroica provincia de Minas, patria de. muitos
o mostrados varoes, quo so teem mmorta-
lisado as artes e as lettras; o fri en-
rogelador, como se sor em tal poca do
anno. Farraochos do mogas e mocinhas,
morenas e bellas, como sao as nossas patri-
cias em geral, envolvidas em anua ampios
cache-nez, apenas mostrara os negros e bu-
lic; .sos olhos, o aunis de leus bastos e
azviclialos cabellos, un luanles era torno
de suas faces cor do jambo. As velhas,
quasi sempre nervosas, embucalas em espes-
sas capas do la, agrupadas e:n derredor de
u:n fogaroiro, onde crepita um bem alen-
tado fogo clamara contra o hampo, especi-
alraente contra o sol, cuja ausoncia se nota
lia mais de oito das: as moi;as numnlam
s velhas o Ibes prometiera una noite ale-
gre e quonte : os rapazes, uns entrara em
casa carregados de lgos artificaos, outros
passeiam com as mogas, e uns e outros se
mostrara anciosoa para que ebegue a noite,
na qual esporam gosar os folguodos proprios
do urna fogueira do S. Pedro. Dentro em
pouc s os ardoutos desejos dessa lio ruidosa
sjcielado sao satisfeitos o al mojada noite
substitueo dia, cora olla eonegaudu mais
animado o prazor d'ossa intima sociedatle.
Como diasemos, estamos em Ouro-Preto,
ora urna chcara. Sao 7 horas da noite, e
diversas familias, urnas aps outras, vo
chogando da circuiiivisinbanga, as quaes
sao recobidas ao estrepidu de logo du ai a
da China, boa bas, ele, o prazer e a alegra
se niaufesla BOSroStOi : as mogas o rapa/.os
coriein, gritam, fallara lodos ao mesmolem-
po, os foguetes estou rain, os vivas so repe-
lem ; os velhos zaigaoi se, as velhas reme-
morara cousas do seu lempo, mas em todo
o caso a folia contina sempre descont,
animada o alegre.
Sao horas do ac.ender-se a classica fo-
gueira, e eirocUvameuttj lera isso lugar, o s
primoiras linguas de logo quodella sao lan-
ga.las, uraa gritara infernal atia os ares,
do vivas, bombas, foguetes e risos.
A fogueira feita no pateo da chcara,
era forma piramidal, do centro da qual er-
gue-se uraa arvore, quo os do lugar cha-
maincaptao da fogueira : as labaredas,
de uro vcrinelbo claro mais
modar todos os indagadores do fau.ro, e
pois, urna parte das folgases, priiK-ipJ-
roenle os rapazes, dispersam-se pela parto da
chcara e suas dependencias, alonfeaodo
ar com suas festivas saudac/oes e sous Majas
laucados a esmo ; turio prazer : uia mm-
sanenlo triste sequer paira no cenaVu de
to alegre reunio.
Por ura momento interrompe>se a inqui-
rirn das sortes; um outro passatem|iu cha-
ma a novo arraial o alegre bando : vao
cantar modinhas.
Tolas as mocas mais ou menos onln-
huem com o seu cahedal para a alegra da
casa ; cada hoinem exhibo tambem uiais mi
menos bem o seu contingente, at que se au-
nuncia a ceia, durante a qual reina euns-
tauleinente a inesina aU>araa, o mesmo ri-
dento prazor, e terminada da mesma
forma.
Os fogos continuara, os bal.* sobera ao
ar, sempre saudados c,m *i frentica, e
logeles de b.^mbas, se |Kr ammam sole
com feliz Mama ; su o cas .unlrarm.
as apupadas apparecem, as grita,*. i,tm
ouvir desenfr.a lamente, ludo eheilo di
mais extremo couteutamentn.
E esta algazarra o estas saudaedes se re-
petem tantas vezes quanUs sao os oseen**
feb/.. ou nfelizes dos estimados baloes.
E' bou) nao esquecer a clas,ica Uilau
doce, que, desde que funecioua a (ugueia,
tero percorrido, em urna bandeja, todos os
circumstantes.
Toda esla inuoc ule e prasenteia f.-slj,
tamltein acuiii|Minh.ida, i parte. plos creuv-
los do lufror, quo pr seu tumo comineni..-
ram o dia de S. Pwlro, coni polos i f.>-
gueira, toques de (lauta de bamb, eU ..
etc.
E uestes ingeuuosede*culo*.s fo|Kuedu>.
o tem|M) va passando desapercebi>lamea4e.
e o cauto do gallo da madrugada annuncia
ruidosa e inquieta suredade qne e Uinp.
de terminar, pos que a noite limh : o*
primeiros raios da aurora coun-gam a appi-
recr !
Eis urna fcsta sfogueiras de S. Podn, na
rainlia trra.
Bernardino de Buito.
ASCENCO AEROSTTICA. Em um
dos ltimos das de abril subirau n'um
balea os Srs. J. Cnue-Spinelb, eugenheir,
Agora accrescentarei outro argumento : o
lugar do parocho emprego publico, o es-
trangeiro nao o pode oxercer...
0 Sr. Mexdes di: Almeida. Nao a-
poiado.
0 Sr. Visconde de Soiza Franco :...
nao ha exemplo de sua collagao. Tambem
os padres estrangeiros nomeados sao muitos
delles regulares, quando nunca regular ne-
A CORVETA DIANA
fiomesjunmuo
ORIGINAL BRASILEIRO
POR
A. voiillooiihnli/.
VIII
TI AMA.
(Contnuago do n. 122j
Ei-la ; ambas igualmente infelzes, po-
demo-MM unir as nossas alFlicc,oes e amal-
dicoar aquelles entes fingidos e perversos
que a esta hora se regosijam com os nossos
padecmentos,e Laura tirou do bolso a se-
guinte carta, que leu com voz commovda,
e interiompendo-se frequentemente.
Bordo da Diana em Montevideo, 6 de
julho de 18...
Exma. Sra. D. Laura,
a Estranho Ihe devo ter parecido a nossa
conducta, bem como aos demais amigos que
l deixamos n'essa pittoresca ilha dos amo-
res. 0 motivo porm do nosso silencio
licara justificado se V. Exc. lembrar-so de
que, excepeo de Ricardo, somos mocos e
quasi todos solteiros, sendo por consequen-
cia difficil resistir s dstraegoes que nos
proporcionara estas formosas senhoritas,
cuja graga e attractivos proverbiaes nos fa-
zem s vezes esquecer aquellas mesmas pes-
soas que mais presamos. As nossas patri-
cias nao creem no poder do olhar destas
Andalusas da America do Sul, mas infeliz-
mente acham agora urna occasio bera triste
de seconvencerem da ve-dade. 0 nosso
Alfredo, aquelle Plato moderno que quasi
deixou-se morrer de desgosto e de fome com
saudados da sua amada, mm foi a primera
victima do fogo desbrido pHos olhos atre-
vid s das Orientaos ; bon'eii polio em casa-
mento a lilha mais moga do um destes co-
ronis fcitos pressa quo tachen) as repu-
bliquetes do Prnta : sinto este tacto porque
nao hade ser muito de gosto da nossa boa
D. Amelia, mas por outra parteestmo que
bucana.
0 doao da cathedral do Olinda, ha pouco
suspenso ex-informatu conscientia pelo
Rvm. D. Vital, diz-se que o foi porque so
l.ie attrbuia alguns artigos a respeito dos
jesutas. Este fado, se houvesse delle re-
curso para o juizo eclesistico, o Rvm. bis-
po de certo o nao praticaria. Nao se sujoi-
taria elle do corto ao examc judiciario do
acto, a que se assignala motive, que sendo
to condemuavel, me parece al inacredi
lavel. Fosse, porm, qual fosse o motivo,
o acto merecedor do censura.
0 Su. Mendes de Almeida :Asseguro a
V. Exc. que nao.
0 Sr. Visconde de Souza Franco :
Senhores, todos rospeitamos os nossos prela-
dos. Eu acatos bons...
OSr. Presidente:Nao desojo nter-
romper ao nobro senador. Mas pego licon-
ga para lembrar que j passou a hora dos
de justiga e philantropia.
Por isso pratica constante, se urna tribu
querdeixar a vida vagabunda e aggressiva,
e se abstem de saquear e assassinar os cul-
tivadores, desde logo se Ihe designa um ter- j "Jos gravemente, Acarara era condiges do
ritori reservado, onde a nenhum colono se acolhere.n ao acampamento americano,
permiltido estabelecer-se. Nesse terreno! A pequeaforga militar, advertida do tris-
reservado, por cinco ou dezannos, segundo te acontecimenio, tomou armas iramedata-
. as convenges, rocebem os selvagens, ins-, mente c parti para o campo onde se com-
re^tdode.nnnr.lo^rl.; I ', frumentos ruraes, sementes e vveres, at metiera o alienado. Os medocs j tnham
SJr^^^^^J9^^: que elles possam viver do seu proprio ira- desapparecido : exis.iam all apenas os ca-
IS alto, cargos da igreja pernam- balho. F V |daveres das victimas, despidos o horrivel-
Em 1866 a tribu dos medocs declarou. mente mutilados.
querer submetter-se aos Estados-Unidos e o A tropa avangou para o campo ondeos
agento do governo noOrengo, Mr. Meacham,'medocs se oceultavam, masera iusufliciente
luou-lhe o distncto de Klamat, como terri- para lhes dar assalto, e antes dal chegarora
torio para ellos reservado. Ora, osta dispo- j os inimigos os haviam diziraado dos seus
sigao inconsiderada e inpolittca collocou os escondrijos e emboscadas. Nestas circums-
medocs em contacto com outra tribu que era tancas liveram do retirar, deixaudo mais
sua implacavei e tradicional inimiga. Por de trila morios e muitos prisioneiros, entre
este justificado motivo requereram elles que'estes um lente quo commandava a torga.
hes demarcassein outro terreno, accrescen-| A retirada foi ura verdadeiro pnico, os
lando a razio j indicada o excessivo fro soldados cheios de susto pela certeza do tiro
do districto de hlamath, a que nao vvam dos sous inimigos invsiveis e naccessveis
acostumados. A sua pretengo foi desalen- entre os ormidaveis peohascos, fugram em
tilde eos medocsretiraram-se para as re- dobandada uns, outros eseonderam-se em
gioes temperadas e nais ferteis, onde seus urna caverna onde so conservariara ate a
pas lintiain vivido, e que elles haviam resol-; chegada de reforgos.
vido agora dexar contando com vida maisi ntreos morios achara-se tres alferes e
leliz e socegada no territorio reservado, um cspto, cojoscorposfora.n espedagados
3a regiao para onde se haviam retirado a machado.
foram intimados para voltarem a Klamath, | Tal a situago em que a falta de tropas
o que elles recusaran!, e desde logo desen- regulares collocou o governo amaricado
ptente e principiara os fogos artificiaos.
As velhas e os velhos soutem-so um pouco
mais confortados, gragas ao calrico presta-
do polas madeiras inflammadas ; as mogas,
jovens ou quarentouas, os rapazes, as cran-
gas, os fmulos da casa, todos, todos brin-
cara e se alegrara satisfeitissimos ; apenas as
meninas, como mais sensiveis, de voz em-
quando se assustam ao estampido de urna
bomba quo rebentou porto dellas ou do ar-
ranco inesperado do um foguele do ar, que
nao virara no momento do ser atacado. 0
prazer nao cessa ; pelo contrario, lauto mais
se ra adantando a noite, quanto elle mais
so anima.
Os velhos, j que os seus anuos e achaques
DOO lhes pevmiUem tomar parle no folguedo
da juveutude, e contentando-secoin loinbra-
rem oque j em outras nocoe bem remo-
tas por iguaes occasies lizoram, matero o
tempo referindo leudas o episodios de sua
meninice ; de repente, um dos convivas so
aprsenla com o indispensavol livrode sor-
tes acompanhado dos uto menos indispeii-
saveis dados, o ahi veris immedialainuute
cercada a mesa por toda a ruidosa s ciedade
de nocas e mog.s, qual mais a mira ando-
so p.r saber o destino de seu futuro, quo
sempre se Iba apresante mais ou menos r-
sonho. lina desejava saber noticias do bem
ausente; outra desoja sabor como corres-
pondida no seu amor ; outra se casar cedo
ou tarde etc., etc. ; c conforme as mais ou
at altura de cinco mil metros, cima do
nivel do mar.
A* temperatura que ahi encontraran! era
eutoo de sete graos abaixo de zero. Mas, i
poaco menor allura, ao meio dia e cinc
minutos, a tera(>eratura era de viule graos
abaixo de zero.
Um sol radiante, n'um co do mais pur
azul, torna va supportatel para os aeronau-
tas essas siberianas tem|ieraturas.
N aquellas enormes alturas, a respiracao
era accelerada, assim corno as pulsar?* lo
pulso; o palto sen ti -se oppriimdo ; o son
menos claro e o ouvido delorosamenle op-
primido.
Sao estas as priiu ipaes observace, leitas
pelos arrojados viajantes aer<*.
PENA CAPITAL.-O tribunal los assise
de Brabant, conderanou morte um tal
Wintermans pelo crime de ossassinato na
pessoa de urna srahora chamada Louise
Vermeire, a quem roubira, tendo bavi-lo
escalamento para se perpetraren) esses
erimes,
A execugo, segumlo |rescreve a sea ten-
ga, ha do ter lugar n'uini das proras pu-
blicas de Bruxellas.
o mou amigo fosse to feliz, pois encontrou
um verdadeiro thesouro na sua escolhida.
Fernando parece-ine quo va seguir as
manobras de Alfredo, porque j mandou fa-
zer l mesmo no Desterro urna rica grinalda
de noiva, ejulgo se casar no mesmo dia
que elle. Se a matrimoni-o-mama decla-
rarle a bordo, receio bastante pela minha
mdividualidade, porque at o commandan-
te, apezar de viuvo de um mez, j achou
em Montevideo quem Ihe fizesse esquecer
tudo, e at aquella a quem agora finalmen-
te podia lomar feliz, o que nao admira por
que mesmo em viagem confessara publica-
mente que a louquinha da D. Julieta nunea
fra para ello mais do que um inspido pas-
sa tempo.
Creio portento, minha senhora, que nlo
sahiremos o Prata tao cedo, e se isto aconte-
cer ser para toda a parte menos para o
jardim do Brasil, porque nao s o com-
inandante, como os outros compromettidos
desejam evitar o encontr desagradave das
suas espirituosas ametades com as bellas,
que illudidas, n'elles depositavam as suas
mais doces esperangas. Assim pois, pacien-
cia, resignago e confianga na Providencia,
que lhes reserva sem duvida melhor sorte;
lembrem-se sempre disso : onde ba ver-
dadeiro amor nao sobreven) to depressa q
esquec ment.
Adeus, minha senhora, console-se e
procure consolar as suas amigas, porque
mogos nao faltam e senhorascomo Vv. Excs.
acham sempre bons partidos.
Sou com respeito humilde venerador e
riado.
Dr. Alberto deGusmdo.
Amelia nao ouvira o final da carta, seu
peito oppresso pela dr arfara com violen-
cia, sua respirago tornara-se difficil, e fal-
tando-lhe o ar recostou-se mansamente ca-
beceira do leito sobre o qual estavam sen-
tadas e desmaiou ; I,aura preoocupada cora
as proprias maguas, s depois de linda a
leitura foi quo olhou para sua amiga e per-
cebeu o sou estado : chamou immediata-
mente, gritn por soccorro, e leve ainda
bastante prosenca de espirito para derramar
lia fronte da sua .;om|ianheira de infortunio
um Irasco mteiro d'agu.1 fl>vi:ia que baria
HO toilette, rau*^.*;.: Hj >v,.-'.u i ;c.obrar os
seni.vM i .-.i pioii<;ii;iiai.!ii di'puis ambas
! i'uai p.-,r...'i.optugij, '
Como porm nos corre o dever de darao
loitor urna explicago desta carta e dopro-
cedimento desleal do nosso hroe, ah va-
raos desenrolar a meada muito em segredo
para que as duas amantes nao saibam do
trama antes da occasio opportuna.
0 primeiro paquete que soguo para Mon-
tevideo depois da corveta, o mesmo que
leyou a mssiva do doutor e de sua sobrnha,
foi tambem o portador de urna carta de
Dioniziopara o seu correspondente, orde-
nando-lhe que sacasse do correio todas as
cartas que fossem de Santa Catharna, diri-
gidas s pessoas cujos nomes ndoava n'uma
lista, onde figuravam o commandante Octa-
no e os outros officiaes ; para este fim mui-
toi recomrnandava ao seu correspondente que
nao se descuidasse em ser o primeiro a
mandar ao correio logo que chegasse qual-
quer vapor: essas cartas deviam ser raetti-
das em novos enveloppes e a elle enderega-
das. Deste modo usando do mesmo expe-
diente em Santa Catharina, nterceptava Dio-
nizio toda a correspondencia dos officiaes
com as suas amadas, e tornando-se senhor
dos segredos mutuos, zorabava do seu rival,
e preparava o campo -para seu triumpho.
Com essa tctica fina e com a engenhosa
carta que a sua imaginario pervert Jo for-
jara no silencio da noute, conseguio derra-
mar o fel amargo da descreuga nos coragoes
at ento puros o innocentes d'aquellas po-
bres meninas, destruindo todas as suas espe-
rangas e inspirando-lhes o deseio de vin-
ganga.
A visita de Laura apagou para sempre o
ultimo facho de esperanga que ainda bru-
xoleava inceto no intimo da alma crente de
Amelia, porm, oh caprinho de mulher I
mais ainda infiaramou o fogo da paixo que
senta por Alfredo. N'este ponto falharam
pois os planos de Dionizio, que tentando
insuflar cora suas vis intrigas o deseio de
represalias no espirito agitado da altiva ca-
tharinense, pensou tornar-se assim com fa-
cilidade o seu confidente, o que s almeja-
va, porque saboria aproveiter-.se das cir-
cumstanrias e de tel sorte compromette-la,
que ella nao tivesse depois remedio sen
render-so sem condignos ; o nfau;,- j nao
qirria casar, iwetendi sini s-duzi la, para
depon atira-la 40 seu amante, quando a po-
bre deshonrada fugisse justamente de encon-
trado ; era esle o cumulo dos seus desojas
I do tenebrosa vinganga.
Mas o carcter lime de Amelia soube re-
pellir com despreso todas as suas misera-
, veis insinuagoes, o faze-lo bem depressa co-
nhecer quanto se havia engaado a seu
respeito ; o malvado abragou portento sem
j demora outra idea mais segura e expedita e
para o bom oxito da qual j esteva de ha
muito preparado.
Efectivamente, desde que chegara ao co-
nhecimento de Dionizio o modo porque Al-
fredo era tratado em casa do Dr. Carvalho,
manifestando-se a'predilecgopor este mogo
a ponto de ter-lho servido de enfermeira a
propria sobrinha do doulor, aque la mulher
a quem jurara possure queso com satyras
e ironas responda aos seus protestes de
amor e ventajosa offerta da sua mo, desde
esse momento o orgulhoso capitalista poz
era campo to los os meios a seu alcance para
inutlisar o feliz rival, j mandando buscar
S. Paulo um sou antigo cmplice, assassino
de prolisso, j escreven lo alguns pode-
rosos amigos da corte para fazerem retirar
de Santa Catharina aquella maldita corveta;
seguro assim por duas amarras esperou o
resultado, que foi a ordem de sabida repen-
tina da corveta Diana para o Rio da Prata.
IX
menos desencontradas repostas do infallutl
orculo, nina estront'osa gargalhada irrom-
pe de todo o auditorio, e por um momento
torna impossvel o ontenderem-se.
Santo placidez de espirito I invejavul e
innocente passa-tempo, queja nao vemos na
nossa civilisada corto I
A mesa, onde se d este curioso o inaprc-
ciavel espectculo, tao cheio do peripecias
alegres, pequea para em derredor acoin-
o fu.no maldito.
Possas tu, solado na ierra,
Sem irrimo e sera patria Vagando,
Rejeiudo da morte na guerra,
I Rejeitado dos bomens na paz,
j Ser das gentes o espectro execrado;
Nao eocontres amor as mulheres,
Tutu amigos, se amigos ti veres,
Tenham alma inconstante e faliaz!
(Gonfalves Das -Y juca pirania.)
Deixemos reinar a tristeza com seu cortejo
de suspiros nos lares das encantadoras apai-
xonadasdos officiaes da Diana, eesta no
porto de Montevideo reparar as suas grandes
a varias, proporcionando por esse meio muito
trabalho guarnigo e serios motivos de
distraego aos saudosos namorados, que,
encerrados noute nos seus camarotes,
suspiravnm tambem vontade, e maldziam
na forma do costme, a carreira de ma-
ririln.
it.'iiiouterao nos a urna poca atrazadae
passenuw em revi-Ma as sceuas que anderam
n'uma rasa da ra do S. Dion (no lliu de
Janeir) 47 annos Jantes do que levamos
dito.
1 Duas horas da madrugada acabalara de
soar o completa oscurido o um silencio |iro-
fundo envolvan! essa ra, at onde nao ti-
nha ebegado sequer a illuminago deazete
que clareara os lugares mais frecuentados
da cdade, mas nao obstante, quero estivesse
espreita podoria distinguir um vulto enco-
petado esguirando-so pela sombra, o avan-
gar subtilraento at urna pequea casa de
porta o janella, abi ve-lo-hia doler-so e tos-
sir algumas vezes, a janella abrir se, o vulto
trocar meia duzia de palavras, muito baixi-
nho, com quera a abrir e saltar para dentro
sem rumor.
0 desconhecido achando-se dentro da casa
cerrou de novo a janella, e atravesando a
saleta conduzido pela mo do urna mulher,
ponetrou na alcova fracamente ahumada por
nma simples lamparina. A visitada era urna
linda moga de quinze annos, cujos olhos tor-
nos e expressivos faziam mais ainda realgar
a belleza do seu rosto. 0 emhugado ficou
por alguns momentos exttico a contempla-
la, como duvidando de tanta ventura, depois
descobrio-se e trou a larga capa em quo se
euvolvia ; era um mancebo de 23 a ti an-
nos, alto, claro.de cabellos negros eluzidios
eseu corpo esbelto sobresahia com o garbo
que Ihe ajuntava uraa bem talhada sobre
casaca de marinha.
Adelia, exclamou elle, langando-se de
joelhos aos ps da sua amada quanto te
agradego esta entreviste que ha tanto tempo
solcito e que etnfim me (concedeste; quanto
te agradego esta prova de amor que me das.
Agora sira tenho certeza We ser amado.
Levanta-te, querido Justiniano, Jres-
pondeu a mocao langou-se nos bragos de
seu amante, mas diz-me ; verdade que
tu me estimas com sinceridade ? ser pns-
sivel queeu seja a nica possuidora do leu
corago ?
Pois ainda duvidas ? meu bomzinho
disse o mogo, apertando-a docemente nos
bragos, tu e smente tu, dominas como
senhora absoluta sobre mira.
Meu Deus, esse o cumulo dos meus
desejos de felici.lade ; tu me amas o bors
meu marido, nao assim, meu querido?
De corlo, meu anjiuho, logo quo as
eronDistancias mo perra liara e.wirei con-
' responden o mogo ron -1 v > co a-
movi la eoi olhos arjoiltos e cha n >nj ml.-s.
BOM PRESENTE.- De Lundrcs, como
era de esperar, partirn) para Vienaa de
Austria muitos dos jnck pockets, os quees
se propoem a alliviar quanto possam os
visitantes da cx|Msco iiiteruocioial.
A policia de Londres, pira contramiiur
quanto |ossa os explorag.ks d'aquellas boas
almas, remellen palmie. de Vienna ama
collecco do photogrophias. em que esta.,
reproduzidas os veras etluties d'oquclles
amigos do alheio, para que os possam n.-
nhecer e trtalos como inen-cem.
Alguns mozos ai.:'.;.-ssi enlrovisti, .apa-
rentes de Adelia descobriu lo a vcrgonlia de
sua familia, nao trataran) de occulta-la e
expulsaram de casa com escndalo a infeliz
victima de urna louca paixao. 0 cominis-
saro Justiniano Carvalho dos Santos, ose-
ductor, alugou urna pequea cosa, tomou-a
para sua compauhia e pouco tempo depois
leve o prazer de receber em seus bragos o
fructo d'aquelks amor criminoso.
Dous annos viveram juntos, mas final-
mente a paixo foi arrefeceudo, o v luvel
mogo procurou novas conquistes, acobou
emliiii por se casar em Sania Cathanna,
abandonando Adelia a um outro amonte,
que ha muito procura va de balde seduzi-la.
mas quo lho servio de excellente pretexto
para to criminoso proceder. A infeliz
tornou pouco depois o ser abandonada, e
toye de entregar-so aos horrores da prosti-
tuigo ; a pobre mulher sem arrimo nem
protecgo viveu oito annos n'essa vid/- disso-
luta que arrasta comsigo os enfermidodes, a
fome e todo o seu coujuncto de miserias; e
o pequeo Justiniano foi crescendo sem edu-
cago, e no meio das scenos de devassidio
praticadas pela immoral sociedade que (re-
quentevo sua casa.
A infeliz Adelia nao pJa finalineme re-
sistir por mais tempo a tantos excessoseCoi
atacada de uioe grave alleccao pulmoaar ;
algumas ratilheres, suas vizinhas, compa-
decendo-se do seu estado forom-ltic prodifa-
lisando os soccorres que estavam'o suu al-
cance, mas conheeeodo afinal quoo odian-
teda se ochava essa torrivel molestia chama-
ram um medico que ara n'essa poca a pai
dos pobres.
0 doutor era um hornera de 30 aunas,
de agradavel presenca. a maoeiras Ibones,
conheciam-no geralmento por medico dos
pobresou simplesmento, Dr. Carvalbo, o
doutor eutrou pois em aasa de Adelia com
a satisfagio propria s almas borai
quando sabem que vio pralicar ui
de caridade; exaiainou cuidodusameate o
estado melindroso da enferma, nxciiau
escravou por b.iixoI*, m. c, trrt lignau
cabalstico* que os boticarios Seos conlteci-
dos estavam cuslumados a de. ifrar useim__
Pouha na minha conta ; .hpois do M
tomou o rhopn c ilis|Ntz-se o sabir.
(^mfimnr es mi i
iwT-u Diiu- ';:* infr v\"


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E6XQIM5QL_DSRJY9 INGEST_TIME 2013-09-19T19:48:11Z PACKAGE AA00011611_12951
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES