Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12906


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
i
t
-w--pa--j>
ANNO XLIX. NUMERO 106
PAIl.l A CAPITAL K LUGABES OXIDE KAO 8E PACA POBTE.
Por tres mezes adiaotados...............'. 6SO00
Vor sois ditos idom................... 12JWJ00
Por um anuo ideii).................. 249000
Cada numero avulso................. 320
SEXTA FEIRA 9 DE MAI0 DE 1873.

PABA DEXTBO E FBA DA PBOVIiffClA.
Por tres mezes adiantados. .
Por seis ditos dem. .
Por nof e ditos dem .
Por un auno dem. -. .

*
.
JfTSO
131*00
0W50
S7*H
I.
PEMAMBUCfr
PRQPRIEDADE DE MANOEL FIGEIROA DE FARIA & FILH0S.
Qs S. Gerardo Antonio Alves & filaos, no Para; Gonjalves Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na VillaM Penha; Belarmino dos Santos Bulep, em Santo Anto Domingos Jos da Costa Braga, em Nazareth;
^ Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alaglas; Alves C, na Baha ; e Leite, Cerquinho & C. no Bio Jde Janeiro.
PARTE OFFICAI.
-
*
Miilfoti-riui la niiiM'o.
1*or carias impertan* Jo 26 de abril, Turan nalti-
rali-ados os subditos portugiiezes Manuel Lupe de
Annrim, Antonia Corre* do* Santos, Julio Cirro a
Rodriga '- Manuel Di.i- Tarares Manual Guaie- de
Moraes c Man id de "osa- Suva.
Par i triarlas de 28 dd abril, foram demilli-
dos o (>adro lguieo Ferreira Campello. do lugar
d" capelln canto di imjierial eapella, e Jus Tiieo-
doro (miart, do d sacrista d.t mesan capaila.
Par despacho de 15 de abril:
Firi ap sentad > no omprego de inspector geral
do instituto vaceini :o da corte o i)r. Joiu Frauci--
cu de Sui/.a, coa o ordenado de I ()>. Usando
esta raerc de|Mjndeute daapprortieSj da asseui-
bla p-ral.
Kcirain exonralos :
Uj cargo de 1' viee-presidente da provincia das
Alagos, visto ter mudado a sua residencia para a
I.' firnambuco, o Dr, Siivoii.i Fernn le- de Arau-
jo Jorge.
Dj do s retarlo do govenro da provincia do
Pttuliy, bacharel Fernn lo Alfoiiso Ferreira, a
i psdido.
Foram u anea los vi ; p-.;.-il miI-s : da provincia
das Alagas, para servir en l' lugar, o Dr. Felip-
pe de Millo Vaso m olios.
Da dd Gayar, pira servir en 'c lugar, o l)r. Je-
ronyno de Campos Curado Fleary ; passanJu a
servir n 3* vice-presiden'.e, Di". Tbeadoro 11 dri-
ru < ib- Muraos, em 2' 'lugar, 0 6', oronel Fraa-
riseo Jos il i Silva, eoi 3*e o V" l)r. Benedicto Fe-
fe de Suiza, em ti".
Secretarios :
Do giv.-rio da proviucia do Amazonas, o hacha
roi Theodoro Thadou do Aasumpcao.
Du da provincia do l'iauby, u bacbarel Childeri-
co Araripe de Parias.
Ordem da llosa. Cuinmeodadores : Xatale
Aglicmo, chele de gabinete particular de S. M. o
Rci da Italia : o subdito portuguul Jos Mari de
Freilas o Vaseon,-etlos. pelos relevantes servicos
que prestou i instrucc.1) publica na provincia uo
Maranba.
O-Ilciae-: o l)r. Joa i Jos Pinto Jnior, era atten-
i idnticos servicos prestados na provincia do
l'^rnambuco ; e o subdito p trluguez Leonardo
Cela no de Araujo.
Cavallefros. o teen le honorario do cxcreito
los dot Passos Queiroz. pelos relevantes servicos
que prestou na guerra contra o governo do Para-
guay Francisco 11 nlrigues de A incida, em atten-
o as relevantes serviros que prestou a.) estado
i"i.i proftncia el! Maitu-Grosso ; o r. Augu-lo Car-
AajMonleiro da Silva Santos, os barbareis F.zo-
I Franco de S e Joao Diniz Ribeiro da Cunha,
' o piii'essor publico ''cenlo de Moraes Melb,
.antes servicos que prestaran em relu-
ci a jjnwpsf qwiblia .provincia do Pcrnam-
mcoTtWBWo be'-i'.uiii 'I Ai! -ni.i liodrigiies de
Campos, |)or idoo'i-u. -.,rvi. is prestados na pio-
ia do Espirito Santo : o. o cidado franeez H.
i la ttapcliere, uiembro dasociedade de acclima-
OrUeio de Cliristo.-Cavalleiro, o bacbarel Joao
Ki-.nanl -s Chaves, em attencia a >s relevantes ser-
vicos que tem prestad) aoestado na provincia das
Alagoas.
l-'oiain concedidas : a medalba de 1" classe de-
_ ada no arl. I" das m*tnic,;ocj a que se refere
i-rolo n. i,S7l de li de marco de 18'io ao i:n-
ial marinheir.i Joao d I) mis, ern altencao di-
di .V' nao coniiir.iiii lela linmanidado que mos-
treo, saivm lo tula a tripolaelo do patacho naciu-
n i! Wiz Oiieiilf. naufragado nos recifes da for-
ti ". de Villegaigujn na nuite de 27 de mareo al-
i
A i 'oguiu'es pensos:
De Mt mensaes sem p ejuizodomeio wldoqufi
I io competir a i). Euiilin de Oliveira Veiga, viova
da maj ir de infjintarla l> imiugos de Lima Veiga,
I :eid i e,n consequeacia de lerimento receido
i n combate.
De 603 rs. diario, ao ex-2" sargento do 'i0' cor-
i > de voluntarios da patria Joao Das Hibeiro da
*
De 100 rs. tambera diirios os sollados do o
ID" !>;.t ilhocs da inlantari.-t e do 13 corpo de vn-
r.u;:ar da patria Frani'isco Jos dos Sanios, Jos
Fraueisco dos Santos c Candido Pedro de Paria, os
i 11 's. b in como o referido ex-2" sargento, em
. I i uoi.i de ferimento recebido om combate.
Ucara1 imp issihi ita los de procurar os meios de
ana subsistencia.
Foram aceitas e con^rmadas as renuncias que
(ii un os padres Augusto Adolpho Soares d Ku-
\1 nioliii i Panheco do Amaral, das c-
deiras de conego de raeia prebenda que oceupavara
r.a cathedral da diocese de Oiinda.
lliaj.Ji>ri< lia. jsl*n.
Por decreto; de 6 de abril :
l mm eoicedidas as deraissoes que pedirara:
0 bacharel Antonio'Rodrigues vtonteiro de Aze-
vedo. do lugar de i* juiz substituto do municipio
d c irte.
O bacharel Vicente de Paula Caseaes Telles, do
lugar de juiz municipal e de orphaos do tormo das
Alagas na provincia do mesan nome.
For.ni"Horneados juizes municipaes p de orpjia i-:
O bacbarel Antonio Jos de Carvalho, do termo
cIjs Alagoas na proviucia do mesmo nome
o bacbarel Arsenio Simoes Cuim Atlu, do ter-
11 Rio das Eguas, na provincia da Baha.
' O bacbarel Louren;o Bezerra Vioira de Mello,
do termo de Podras de Pego, na provincia di Pa-
ran, ba.
J-'jrain Horneados para a guarda nacional :
O capitn Benedicto de Seu/.a Bril>, major aju-
ii mte de ordena do commando superior do mnni-
<;,!'.o de O'iras da provin;ia do Piauhy.
0 tenenle-coionel Joaquirn Carneiro da Costa,
t namandante do batalhao do infamara n. 21 da
provincia do Cear, ftcando san effeito o decreto
de i.) de malo de 18IW, que o reformen naquclle
po ',. -
(i i-apila Ravniundo-Antonio de Freitas, major
j:i.i.:andante da seeeo de batalbao da reserva n.
\, da mesina provincia.
0 aiferes Jos Tbeaistoelea Telles de Carjralho,
lecretaro geral do commando superior do
inanicrpio da lrapttratriz, na mesina provincia.
Oteneute Rayinundo Pinto Cavalcante, eapitao
iartel-mostre do mesmo commando superior.
los Toixeira Bastos de Queiroz, eapito cirur-
gii)-iflr, do mesmo commando.
Kaaoel Casimiro da Rocha Jnior,tenente-coro-
n-i corjunandante do i' balalho de reservada
provincia das Alagas.
Antonio Manoel Ferreira, maji)T ajudanle de or-
dena do c.omraand) superior du municipio de \ il-
la Nova da provincia d i Scrgipe.
Forara transfer Jos para a reserva :
0 mai ir ajudante de ordena du commando su-
i' d :.i:inici;.i, il- ijeiras da provincia do
'. :ieai.is'.los da Silva e Mello : Hcand
al soeeao d; batalbao.
iz-se iNFce da serventa vitalicia dos on
para que M pruvisoiiunenti1 nomead) peio res-
pective presidente :
A' ios Alexandre Rodrigues, de lira dosoffi
de pirtidor do teniKj de Alcntara, na provincia
do Maranhio.
Por aviso de i de abril, ceclarou-se ao pre-
, lie de Minas-leraes que a designaran de offi-
a. rgistro jeral das liypothecas foij pelos
presiden! s de provincia,na eoaformidide do art. 7
% 2* do decreto n. 3,Vo de 26 de abril de 1805, n"o
temo carater de dedal ti va, nio depende deappro-
vacio do governo, e pode ser cassada por motivos
de serrino publico, vista da doutrna do aviso
n. 101 de 9 de dezembro de 187J.
Remetteu-se i seceao de justica do consel!)o
de estado, sendo relator o visconde de iicruliy,
o o.licio do presidente do Rio-Grande do Norte, de
20 de marco ultimo c mais papis, para consultar
se, em vista d > art. da lei de de dezembro de
I8il, na esta revogalo o art. 141 do cdigo do
procosso, ou se subsiste a competencia das cmaras
municipaes para a nomeayio dos escriyies de jui-
zes de paz.
Circular. -Mimsleri i dos negocios da justica. -
Rio de Janeiro em 2o de abril de 1873.
Illui. e Exm. Sr. Sna magnslade o imperador,
conformando-se por immediata resolucaode lt o
corrate moz, eom o parecer da secle dos nego-
cios da justica do sonselho de estado, sobre as re-
gras que conven observar no arbitramento de
ajudas de ensto aos'juizes de d roitos removidos,
houvo por be.n decidir que nao compete ajuda de
custo ao juiz de direito quando a renicao dase
para comarca, pur elle pedida, ou soja de anleriar,
da mesraa eu de posterior entrancia, visto que em
qualqner-desses easos attsnde-se i ciinmodidade
do magistrado, e aquelle auxilio s aproveita aos
removidos ndepen lente de requerimento na for-
ma da lei. O que comnunico a V. Exc. para sua
ntellig'iici;, e em additamento circular de 2a"
de outubro de 1836.
eus guarde ; V. Exc. -Mmoe Antonio Du,,')-
le de Azcvedo. -Sr. presidente da provincia do Rio
de Janeiro.
Rio de Janeiro, em 21 de abril de 4873. Illin.
e Exm. Lotei presenca de Sua Magestade o
Imperador o offlcio de V. Exc. de 20 de novena-
bro do anno passado, sol) n. 4, com copia do que
Ibe dirigir o juiz provedorde capillas e residuos
dessa capital, consultando se compete ao julio de
orphaos ou ao da provedoria, em face do art. 83
do decreto n. i,82i de 22 de novembro. de 187',
fazer o inventario e p.iriilba dos bous dos fallec
dos com testamento, que nao deisarem herdeiros
orphai s ou interdictos, mas tiverem herdeiros au-
sentes.
E o mesmo augusto senhor, visto os pareceres
do presidente da relacio da curie e da seerjlode
justica do eonsetho de estado, manda declarar a
V. Exc que, nos casos de herancas do defuntos
testados, o juiz de orpha inventaro.
I." QiunJo houver berde ros orphaos ou inter-
dictos, em cojo.numero nao se eomprehendem os
ausentes, conforme se deduz do arl. 83 do citado
decreton. l,82i de 2.'de novembro de 1871.
2." Quando se livor de om.!;arpo!a arrenda-
caodjs bens, nos termos dos aria, 1, 2J, 3* e 2>
do reguraniento mnnxe ao dearein n. 2.433 d i 13
de junhode 1830, por nao existir na erra conju-
go, herdeiro instituido ou testamenteiro que aceite
a testamentaria.
O que V. Exc-far constar ao juiz provedor
de capellas e residuos dessa capital.
Deus guarde a V. Exc.Manoel Antonio Dnv-
le de Abeio. Sr. presidente da provincia do Ma-
ranhio.
_ Rio de Janeiro, 22 d> abril de 1872.llim. c
Exm. Sr. -O juiz dos feitos da fajeada dessa pro
viinia axpftz no offlcio por copia iuntS ao de V.
Exc de ; de marco ultimo, sob i. i I, que, tendo
os avisos de 12 e 27 de f.vereiro e 27 de mareo do]
anuo passado tdraittido a competencia do juiz subs-
tituto para as exectiQoes da- sentencas fisoaes de
HfOS e parocendo-lhequeo mesmo substituto devia
perceber a porcentagom das quantias provenientes
das execiicies era quo'bonvessc officiado, se dirigi
eerca do assuinii'.o a ti: arara g ral e provin-
cia : c p substituto poRentagem algumi, pede aquello ma-
gistrado que, ou seja alterada a doutrna dos cita
dos avisos, ou que se cstabelej, quanto as por-
centagens, urna regra para servir em ambas as
thesouraras.
Declaro a V. Exc, adra de o fazer constar ao
juiz dos feilos da f uenia, que a doutrna dos men-
cionados avisos nao pude sjr alterada, porque est
de conformidide cora a lei da nova reforma indi-
ciara ; o que o ministerio da fa-onda resolver
opporlunaraente sobrej divi-ao das poreentagens.
Deas guarde a V. Exc. -Mmoel Antonio Diutrte
de Azeved). Sr. presidente da provincia de Per-
namnneo.
2" seccao. llinislerlo dos negocios da justica.
Rio de Janeiro, em 23 de abril de 1873.
Lira, e Exm. Sr.-Em olficio n. 83 de 31 de
marco ultimo V. Exc. communicou haver declara-
do cmara municipal de Itajub que ni podem
ser excercidos simultneamente es cargos de sup-
tente do juiz municipal e ce procurad.r da c-
mara.
0 governo imperial approya a docisao de V. E:;c.,
por estar de aeccordo com a doutrna do aviso n.
t'J6 de 14 de junho de 1338, em que ella se
fundn.
Deus guarde a V. Exc. -Mmoel Antonia Duar-
te de A'zevedo.Sr. presidente Ja provincia de Mi-
nas-Geraes.
lIHlcro ila fuzemlii.
Por decretos de 7 de abril forara nomeados:
! escripturario da-tnesouraria do Cear, o rma-
nueuse Quintino Augusto Pamplona.
i* dito da do Rio-Grande do Norte, o amanuense
Jos Gabriel Gomes da .-ilva.
Io dito da do Paran, 2o dito Caetano Alberto
liunhs. .
1" dito da de Sania Camarina, o 2' dito Candido
Mclchiades de Sonta.
Por decreto dajuesma dala foi demilldoiMa-
xiiuino Francisco de Souza M.tdureira do lugar
de 1- escripturario da thenuraria do Espirito
Santo.
Sliiiwd'i'i un agricultura.
Por decretos de 86 de abril:
Foi concedida ao engenheiro Antonio Paulino
Limpo de Abreu a demissio que pedio do lugar
de inspector geral do trafago da estrada de ferro
D. Pedro II.
Foi Doeado para o referido cargo o engenheiro
Antonio Augusto Monteiro de Barros.
Ministerio a guerra.
Por decretos de 26 de abril:
Forara concedidas as hraras di postos militares,
na confonnidade das immediatas e imperaes reso-
lucoes de 19 do corrente, tomadas sobre con-ultas
do cunselrto supremo mi:lar, aos individuos abaixo
mencionados:
De aiferes ao 1 sargento reformado Solero Joa-
quirn de Almeida.
D I* eirur-'rto do corpo do saude do exercilo
;io ex-;* cirurgi o c mti itado Dr. Lucindo Ferreira
dos Passos Fil i'.
De lenle pliamiaceutio J. mesmo corpo, aos
ex-ienene pnarmaesutiro de corarntesSo Augusto
Alves de Abreu ; ex-alferee pharmac utii a d com-
missao Antonio Berculino de Castro aiferes nhar-
macentico honoVario de exerclto AnLnio Carlos
Moreira.
Forara roformades
Vencendo sold obrftdo de .olnnlffrio da patria,
na. conform.Jadc aa dSposicoes da ultima parte
do arl. 10 do decreto n. 3,371 de 7 de Janeiro de
1863 visto achar se inutilisado para o ser vico ao
exereito em censequencia de- grave enfermidade
adquirida em accio do servido de campanha, 0
soldado do 22* corpo de voluntarios da patria Ma-
noel de Souza Baptsta ; e com o respectivo suido
por inteiro na confonnidade das dspnsic5e$ do %
3* do plano q :e baixou|com o decreto de 11 de de-
zembro de 181.* o cabo de esquadra do 17' bala-
lio de iiifanlaria Antonio dos Santos, visto contar
mus de 'o anuos de servico e achar-se iucapaz de
conli mar no ihcsmo servico.
Foi mandado passar a aggrogado arma a que
portonce na confonnidade da immedala c impe-
rial resolin.io de 20 de julho de 187). lmala
sobre consulta do eonselho supremo, raililar o te-
nenie do 12" batalbao de iufanlara Joao Bautista
Correa.
Foi nomcado director do h tspital militar da
provinefa da Haba o major honorario do exereito
e coronel re orinado da guarda nacional Joaquirn
Antonio da Silva Caminal.
Foi concedida ao 2a eiruiyiao do corpo do san'
de do exereito Dr. Manoel Hotelho Carneiro de
Mallos Guerra a demissao que pedio do servico d
exereito. r1'-
Foram concedidas as horas do posh''de aiferes
do exercilo ao ex-2 sargento do W*MBorpo de
voluntarios da patria Joao Dial Ribeiro la Silva,
em attenco aos relevantes serviros por elle prs-
talos na guerra contra o Paraguay.
lliitror>o
tos negocios cstran-
griroM.
Rio de Janeiro.Ministerio des negocios esiraUjJ
geros, em 23 de abril ,de 1873 -lllm. e Exm.
Sr.Com o aviso que V. Exc. servo--e dirigir-
me era 14 do crrenle ruez, receb o requeruncnlu
do conselhuiro Polvearpo Lopes de Leio e Ega<
Monz (Jarreto de Aragao contra os emolumeulos
que exigera os cnsules genios do Brasil na Europa
por documentos que fornecem aos colonos que so
destinara ao Brasil.
Em resposla cabe-me declarar a V. Exc. qu
cm 1838 foram tomadas por este minislerio as
necessarias provdenc.is. alim de qiie nenhuma
retribuicao fosse exigida pe is paannorles ou
quaesquer bntros ducumcnioi do i|uo ueeessitas
sem os individuos que quizess*m emigrar para o
Brasil, como V. Exc. se dignar ver na iiclusa
copia da circular, que entao foi remetlidaaos con
subidos brasileiros, e da que ncsla dala enviada
aos msalos, pela qual se recom nenda a exeeui.u
daquella:
fievolvondo a V. Exc. o requerimento aatna
alhiddo, tenho a honra du renovar-llie os proles
tos da miatrfe mas alta eslima e mu dislincta
considerado. Visconde de Caravellas\ S. Exc.
o Sr Jos Fernandes d;> Costa Pereir.t.
Cojiia.Ro de Janeiro. -Ministerio dos nego-
cios eslrang'eiros, em 2.' de abril de 1873. Cir-
cular. Recominendo a V. que d a devida exe-
eueo circular de 12 de oulubro de i858, inclu-
sa p >r copia, pela qual se ordenou aos consoles
brasileiros (uo fornceam gratis nos colonos, que se
destinaren ao imperio, nio s os passaporles,
como'as escripturas ou contratos, certidoe?, publi-
cas-formas, legilisacoes e quaesquer oul#us docu-
mentos do que precisaren).
Reitero a V~.Vteonde ie Caravelas. Con-
forme O director geral interino, A'.cx fonxo de C'tmtllio.
Copia.Rio du Janeiro.Minislerio dos negocios
estraugeros, 12 de oulubro de 1838. -Circular.
O governo imperial, sempre desejoso de facililgr
por todos os meios a colonisa.ao. ordenou a>s
sena agentes consulares, por circulares deste mi-
nisterio, datadas de 2i de novembro de 1841 e 16
de junho de 18o6, que neubuma relribuicio exi-
gissem pelos pas-aporles con edidS aos indivi-
duos que quizessem emigrar para o Brasii.
A necessidade de attrahir colmos para este paZ
indeclinavel. cuino V... sabe.
Una das crcumslancias que, segundo consta,
mais ambararan) essa einigracao a de serein raui
pesados os emolumentos que,"ern virtude da tarifa-
annexa ao decreto n. 320 de II de junho de 1847,
se cobran nos Consulados brasileiros pelo rocon
cimento de cortos papis, e expedicau de ouf'
perteneentes aos colonos.
O governo imperial entende que em regra gal
estes nada de vera pagar, nao pudendo, porlai
sor-Ibes applicaveis os artigos da referida lab !-
la. Cun u lim (pie temos em vista, sera ura
contrasenso exigir delles,despezas que eslao na
absoluta impjssibilidade do saltsfazer.
O governo imperial reiolveu. pois, ordenar a
V... que de ora cm diante forneca gratis aos colo-
nos que se destinaren) para esl imperio, nao s
os passaportes de que precisaron, mas tamben, a*
escripturas ou coniratos, certidoes. publicas-HP
mas, legalisagoes e quaesquer oulros documentos
concernentes, considerando-se a expedicio delles
como encargo e.-sencal ao servico que nesse ramo
deve prestar esse consulado, ex-offivh, ou a re-
querimenio das partes.
Recomraemlo a V.. a fiel execucao da presente
ordem. Reitero, etc. Visconde de Maranauape. -
Conforme.O director geral interino, Alexandre
Aflonso dt Caratillo.
Tenenle Jos Lucio Lins. -Junto o supplicante
documentos que possam provar o uuc allega
Joaquim Fernandes da Rosa Informe o Sr.
inape?lor da lliesoiirana provincial.
fos Magalhaes da Silva. -Ao Sr. Dr. chefe de
piBcia.para que oug o supplicante.
*s Severo dos Santos.Requeira por interme-
dio de sen commindante.
Bacharel Luiz Antonio Pires. Informe o Sr.
inspector da Ihesourara de f; zonda.
*anool (regnrio Viera Luna. -Indcferido.
Bacharel Manuel de Siqueij^ Cavalcante -De-
ferido com offlcio desla data thesoitraria pro-
vincial.
Bacharel Manuel Rerira de Moraes Pinheiro. -
Informo o Sr. director geral interino da instruc-
i;iojublca.
9mesmo. dem.
Dr. Pedro de Athayde Lobo Hoscoso Deferido
ora as orJens exp lillas Ihesonraria provincial.
0 mesmo. -A' ihesonraria provincial foram da-
das as convenientes oidens no sentido ea que
reqiier o supplicante.
1 cente de P.uila.-Sim, medanle recibo, e nio
bavoiido inconveniente.
Secretaria (ki presidencia de Peruambuco, 8 dt
maio de 1873.
O porteiro,
Sihlno A. Rodrigues.
i 'm niiimo ilitxi armas.
OUAKTEL OESKIUL 00 COMMANDO DAS ARMAS
Dt l'El.NAMBl'OO, KM 8 M MAIO DE 1873.
0;(ci do din n. 126.
O brigadeiro coinmandanle das armas determ-
flina que os Srs. lfleaes promovidos ultimamen
te para cupos que se achnm fra da provincia,
lii|iiein addid' aos corpos a que pertenceram
nesi.i provincia, al que possara seguir a sous
deslios.
Lissignado.) J/.hjW tf'i Cunha Wanderlen
Coiforme. -Josa Ignacio Ribeiro Rnnn, lenle
ajudanle de ordons inlerno eucarregado do de-
taliie.

INTERIOR.
overuo la |iroviucia ,
DESPACHOS DA PRES10KN'i:iA DE 6 DE MAJO DE
1873.
Dr. Antonio de Vasconcelos Menesee de Drum-
mond. -irija-se thesouraria de faaeuda.
Antonio Vieira de Mello. -Indeferiio.
Antonio Eslulano Maria Seixas.Informe o Sr.
nspeclor da tliesouraria de fazenda.
Padre Albrao de Carvalho Lessa.Informe o
Sr. general coramandante das armas.
Companhia do; trilhos urbanos do Recife a Oiin-
da e Beberibe. -En vista da informa.o do enge-
nheiro fiscal, neg provimento ao recurso iinter-
posio.
I'ielden Brothers.Deferido com oSQcio desta
dala thesouraria de fazenda.
Frederco Chaves Jnior, Informe o Sr. Dr.
chefe de polica.
Tenente-coronel Joaquim Cavalcante deAlbu-
querque Bello. -Forneca-te.
Jos Ferreira da Silva Chaves. Iudeferido.
Jos Theodoro da Silva. -Indeferido, vista do
que informa o geueral cummandanle das armas.
Lucas Evangelista Soares deRrito. -Informe o
Sr. inspector da thesouraria provincial.
Miguel Ferreira Velloso.Informe o Sr. iuspec-
tor da thesouraria provincial.
Manoel Cardoso Ayre-.-Iudeferdo, visto nao
ler allegado o seu direito no prazo legal.
Major Marcelino Jos Lopes. D-s,e, mediante
recibo, e nao haveudo inconveniente.
Bacharel Nabor Caueiro Bezerra Cavbante. -
Seja r mettido ao Sr. Dr. joz de direito da comar-
ca do Bonito nara informar, e proceder nos ter-
mos da lei e de direito.
New London and Brasilian Bank Liraled.-Pas-
se poclana na forma requerida.
Bacharel Sidrono Lydio de Oliveira Magalhaes.
Sim, mediante rcc.bo. e nio.havendo inconve-
niente.
Abaixo as ignados, mofadores na esrada da
Joao do Barro?.A' vista da InfurmacAo do oage-
nheiro chefe da repartido das Obi as publicas, op-
portununeiii serio attendrdos os suppoantes.
Claudio Dubeux. -Informe o Sr. inspector da
thesouraria de fazeuda.
Clarindo Jos Stares. Requeira ao ministerio
da guerra.
RIO l>3: JVVllIHO
25 DE Ailltll. dk 1873
O Sr. dor-embargador chefe de polica, tendo re
cebido ante lionlon denuncia de que no lugar
denominado Penlura>ai,i, no Cosme-Velhu, se
cominollia u.n crime horrivel, expedio imnediata
mente ordem ao subdelegado da Gloria para que
proceAsse sera demora esnveaieutes diligen-
cias.
Aso bas da tarde, quando o subdelegado
icnipauiado do respectivo escrvo se dispunha
a inrur pira o lugar indicado, apresentou-se-lbe
o inspector do 3t' qanrteirio pedindo o seu ira-
mediato conipareclmtntb no Pendora-rSaia, adra de
providenciar sobre um meto horroroso que aca-
Dava de testemunliar c liara o qual sua atteucao
Bpresonr,!, como aufordade, linham sido solici-
tadas pjr dilfereutes pessas, entre as quaes os
Srs. Dr. francisco Jos Ferreira Baptsta e padre
Carlos Augusto de Sania Engracia Silva.
Acoresceutou o inspector que fura por elle deu-
da, ordem do -ub I "legado, un raulhcr, autora
do crime a que se refera ,
Colligiud) da n.irracii do inspector que o faci
de que es'e trataya era o masmi denunciado, o
subdelegado incoaliuenti dirigo-se ai Pendura-
Sai:, All, em urna ca.-a deshabitada, perleu-
cente a Joaquim Jos de Araujo Magalhaes, apre-
sen too-se ao subdelegado e s pessoas qiie o aeom-
panhavam um repugnante espectculo. Uma crian-
za de 12 anuos |de idade, d) sexo femenino e cor
prela corapl lamente nua, achava-se deitada de
qriK.'os no cilio sobre algumas raras'pabias; tinha
a puna e mao dreilas suspensas empresas por uma
corda de trabo auma velha canM de ferro. No corpo,
de extrema magreza, baria evidentes signaos de
sevicias reeentos; a perna e a m.to direijs estavam
muitoi nchadas em consequeucia da pressao da
orda nos pulsos e tornozelos; a criauea sollava
olorosos e surdosjgemidos ; aquelle recinto exhi-
l.i-.a um feudo iiitoleravel ". hava tros das que
aquella misera all se ach iva sera tomar abala-
los, sem urna gota d'agua !
Reeonhecendo que o caso ora Indubitavelmente
de priso era flagrante, como de tentativa de ho-
micidio, o subdelegado deu logo principio ao in-
querito, Interrogando a raul.er que se achara do-
lida, e que de cor parda e chamase Eraeren-
eiana Rcsa de Mariz. Foi tomada a informa;io
de urna escrava, as declara^oes do inspector e
mais de seis pessds.
Avisado do faci e da neiessidade de pritos
para o corpo de delicio, o Sr. deseinbargador chefe
Je polica comoareceu no lugar l hora da ma-
drugada, acoiiipanliadn dos Drs. 3'' delegado, Tilo-
ma z Ceelho e do conimandant geral da guarda
urbana.
Resolveu-se enlo que o corpo de delicio fosse
feito ua Santa Casa de Misericordia, para onde
foi transportada a crianza, visto que o seu esta-
do de extrema debilidade reclamava promptos soc-
corros.
fimerenclana fofyecolliida casa de delencao.
Segundo nos informara, procura ,ella explicar o
abandono da menor Domingas ( o nome da cran-
Sa) naquelle casebre desliabiado- pela necessi-
adt) de afa-la la, visto estar soffrendo de moles-
tia contagiosa ; n)as as cordas, a negatao de ali-
raento e oulras circumslancas parecen) tornar a
explicacao pouco aceilavel. .
O dono da casa onde foi encontrada a infeliz
Domingas e em cuj companhia viva Emeren-
ciaua, evadira-se no da anterior aquelle em que
teve lugar a diligencia.
Pelo corpo de delicio que lizeram, os mdicos
da polica reconheceram que a menor Domingas
acba-se em estado multo grave; uj foi anda
interrogada, porque est sem falla.
V M
A cmara dos deputados approvou boiitem as
en)endas do senado aos projectos da cmara ns.
287 e 299, mandando fazer exaine da 2' cadera
do a* anno da escola central os capilcs Diogo
Ferreira de Almeida, Francisca Baymundo Ewei-
tou Quadros e Saturnino Ribeiro da Costa Jnior,
e supprmindo as palavras : ou de quaesquer
tazas -no art. 1 que faz diversos favores com-
panhia de estrada de ferro de Macah e Campos.
Approvou em seguida, em uma nica dscusso
e acuuipanhadas de multas emendas, a resolucao
n. 282 aatorisaudo a matricular no Io anno da es-
cola central o estudante Alfredo Bernardno Ca-
nongia.
Occupou-se depois com a 3" discussao do or-
namento geral do imperio. Oraram os Srs. mi-
nistro do imperio e prestante do eonselho.
Foram inas ^presentadas as seguimos emendas:
o Ao gil do art. 8 accrescentese depois das
palavras -obras publicas100:000 para cont-
nuaco dos concerlos das estradas de Itajuba a
Pical, (h cilitdode Itajub ao alto da serra, e da
de i'.iepoaih recebraoria do l'icu', augmeutan-
do-se a respectiva vc.ba.
i Sala das soaao. em Vi de abril de l"3. .
Vaeira dos Santos. Camillo dxCunlia Figueit-edu
-Barros Cobra. --C Marta. Paula Fonceca.- C.
Peco. B da Cunha Ferreira. -Jos Calmon.
Pica supjirimido o i;i pasto addi ona! de dous
porcinto'J;nr.ado sobro os genere do expor-
tajio. V
a Se nao passar, proponbo o seguinte : O pro-
ducto do imp .'Sto addcional de dois por cenlo
lanzado sobre o> gneros de exportacio 'ser re-
colliida aos cofres das respectivas provincias para
ser applicado s suas necessidadev
Sala das sessoes, 2> de abril do 1873. -Duque
Estrada Texeira.
t Pieam concedidos aos vaporea da Companhia
de Navegacao Paulista os niesinos favores, leen- l,ar? se allenuarem os aflliciivos eib-ii*. d .
roes c privilegios de que cosan os vaporas das daciio que a-sol, oidade de Me e da* _,
companhias da navegaeju do Amazonas, da liuha J"|n'-'s JJ* me Wfirto. Em 2* de abril de
fluvial de Montevideo a'Cuiab, das c muanhias 1873. -Paabno de Snin,
de Liverpool e Brasileira para a navegacao GOSr y seguida o Sr. pre-id.-nie nxinou a eon-
- 30
A cmara dos deputal* h inlem, dep<< de at-
guinas explicanom trocadas entre o Srs. Pau-
lino de Souzi e ministro do imperio, cnnienUe na
retirada do reguinle requeriuviito, j
seu autor :
Requeiro que se pec.au. com nracncia,
verno, informa.ii<-s sobre as providen* i*
tora rJas'linhas do sul $ nrle do imperio -Piulo
Linia.t
Ao art. 2."... cmara dos deputados :
AcciLSoente-so a quaul a de 3).000 para
cnnideuacao e uipre-so dos annaes da cmara
dos deputados, anteriores ao auno de I8">7 om ouin-
priinentn da resulucao da oarnara de 21 do feve-
reiro de corrente anno. -Dr. Campos de Medoi-
ros.
t E' autorizado o governo para reformir o re-
gulainento da secretaria de estado dos negocio* do
imperio, dando a osla reparlcio a orgauisa.o
que juluar mais conveniente, e podando alterar
numero dos euipregaJos; bam com > a tabella de
se_us vencimoiitos ; eom a eondicAu, poi-ra, do
nu i>aver augmento na despeza que actualmenle
i faz cotii a inesma secretaria.-Dr. Cunpos de
>Jedeiros.
Em seguida procedeu-se a vota;ao e foi mes-
mo orcamenio approfado em todos os seus ar-
tigos e paragraphos, assira como as dnas catadas
do Sr. Campos de Medeiros, que boje publieanMM,
e as segrales da respectiva eomuiissio. sendo
ludo remetldo commsso de redacciu.
Mo-tero d imperio :
SoJ Mdo.ail. 2-em voz de56:OI2idi-
ga-se 31:81146*0. A. J. H-nrique*.-Joao Mon-
des. -Rocha Leio.-Souza Le.o. Cunha Figiioi-
redo Jnior.
Emenda ao art. i. j ^9 (Instilutodos simios mu-
dos) :
.. ..fiando o governo autorwado para raarga-
nisar o estabelecmenlo sem que seja augmentada
a despeza. Sala das eoiumissoes, 23 de abril de
1873. -A. J. Henrques, -Souza Leio.-II. Graca.
-Joao Menina.Rocha I.oo.
Emendas aos artigos addltivos sob ns. 16 e 17
do projerlo de lei do .remenlo :
Em v-z de cidade-s capitaes do imperio -di-
ga se cidades martimas do imperio onde hou-
ver alfandegas e logo depaii das palavras que
o i tiverem -acciv.seen'e-.-e-^-c que expressauente
se'Sujelarem aos iiiosmos o nis da Sania Casa de
Misericordia da corte, relativos ao tralamonto dos
tripolaiitei,
Sala das coramissoes, e.n 22 de abril de 1873.
-Cnnvia Fguelredo Junior.-A. I. Ilonriquos.- 'ur ullimooccupui -o acamara ren i t-renra
Joao Mendes.-H. Graca. -Pereira Fran-o.-Sou- WMsio do projetlo n. 7 d<->l a-rio. pi- w*
za Leo. -Rocha Leo.'. !',a'3 *f* 'elac.ocs no ,ip ., .. .....
AoS 19 do arl. 7.- -Em vez de -1,300.0 O* Heraelito Grac. .\i.,i|. i. \'ra ar
diga-s 1,' 8 M*Oi ; Al*. "''nJ-:' tr<
Sala das coramissoes, 2i de abril de 1873.-, roramanresenladas a- _
A, J. Hmri.jues. -Araujo Boas Jnior. Souza SOMrlanate art. & \*ietto n. '. de.
Lcao.-Cunha gueiredo Jnior. -Ria-ha Leo.. j U>'J~f-?ra.uJ.' Gots Junwr.
i Ao'art. 8o-aecrescenle-jj o segninte para*. Ar(-Os jui-cs de din da*
grapoo: comarcas d.- pura, ira enli..o.-.;a para a- de .
HaumauOes (o que prodnzh- as anotas do I0*" **" Mai as dr tare w r ntiroi*a-
undo de emaacpacio)." I de ". rari i oh. aafndu a Inm orpaiMrtd
Sala das com n'issies, 2i de abril de 1873. l'!'' WpwwIribaul aV jwtlrn tpndMh -ini-
A. J. Henrques.- Araujo G:.<\< Jnior.-Souza n1l>:1^1. JI!''''-;' ;,u -w-mik. Urbuuil l-ffa
Leio. -Cunha Pigueiredo Jnior.Rocha Leio.
Ao s lo do art. 2. aecrescente-aa a quantia
de 574:2005 c em vez de Itt.'S.OJ diga-St-------
880:710*ki0.
Alo S 16 do mesmo artigo, accrescenie-aa a
importancia de 8 )S;2JQi, e era vez de 39t:tU0-|
diga-se l,l9J.0l)00.).
Sala das coramissoes em 2i pe abril de 1871.
-A.
Leio
Ficam concedidas ao* vapores da eorapanbia
nacional de colonisa'.ao e transatlntica os mesatts
miaaao que i.vu fia nb de s. M. a Impera Jar. o
da, hora e lagar da s...., imperial de eaeerra-
ineiii) e ak-rtuia.
Mojeitou depois o< rcquoriiiiHtlB* dos Srs aoru
do S Joi do Ido Claro. Mu./ Prado. Floren-
cio de Abreu e OKtnfM C.alv | ,. -lind,. ver***
raiormac.'s sendo, porui. approvaJ.. o r> >r.
Tarquiiio de Suuz.
Occuiou->e, .-ni iillim i lugar, rom aU
di-ciusao do projedu n. 267, Vsta anno.
mais sele relaroes nu imp rio i irarani r* 9r?.
Ferreira Vianna e Gusin.Vi Lobo.
Foi apieseiilaila a seguiulo eiuendi :
Ao s ''. do arl. I.-, ac-i.-, n
0 torriiorio a Mil d id Grande, bm comu
o das aetUMI comarcas -i rnubjbI. Hii-
Nov., l.o.ipdjjiu a M irab di jiroviwu dr
Miua->-Geries, perleucora ao di-lriclo da rrac,..
da corta
Sala das so 8 de Barre* Cobra Jnior-Antonio da Rocha
Souza Leio.Jom- Cal nonJ.,-.'- r.-r.-ira ih San-
Ijs.A. C. da Cruz Ma -bal... -II de i P.-rrrir.
A. de Paula Fn.-.-.-.i -a! .Ibo-I de Andrad*
Brig.i.-Cand.lo Mura-I., i: llorta Burlhisa.
I." dr maio.
A cmara d..s dep-ita l < iiccfon-sq tM
em priuieiro lugar > >ni a di-cu-s.o da claeri.
do pn.joclo 11. 2.'<2 do-le anno. qu- faz direm?
concesses ao Barf-o do Bia-il. Or.ua
Cruz Mu liad.. PaModa \.,:.i pi-r.-irada!W-
va. licando a discuv-ao adiada p-la hora
Fui apresentado oM-guinte requorimnMa
Rei|neira que, Brana .11 art. im d reg-
meato, se consulte a cao se ., ,| ,p,,,. n> | !.>
art. 3.' do projocl >. ruja re n- di- -ut m-
volve neo erencia ou abwrdfi atanNM K t, rrjmt-
vida arta consulu ailimuiivaii.anta, m nirr na
discu>-".i da ni.i na para .faz r-*i- esnbnra-
V", loligindo essr par 1 votarlo.
Cruz Machado. >
Approvou depois a relee'. I > pr^i-to dn
or.ani.nl,) gerafdo iuqieii. o-ir u..iwl*nd ad-
miliir a malricula do prim 1 1 onseieo da
faculdado da corle, o e-lul.,
Figuera.
der qu;.l|ii-r vaga.
Arl. As rolaoe. do imperi.- .-'il.iiri 1 3 m-
irancias. Sera aterveira entrancia a 1 Ri d J.-
neiro ; mi de M^nnda > .la R.lua a Pemaan-
buco, e .le priweira : ..i.,.,- i,u- N.-iiunmta
de direilo sera nom -ad J para
a-rea.oes de piiuieira nliaucia. a n mi-acia e#
. voriii.-,ra p.r uiligni -ia.l.- al-, loa. \ rrmo-
A. J. Uenriques.-Araujo Goes Jnior. -Souza v? os deseiiuaig.d .,-, para abunda e Ser-
ioCunha Figueiredo Jnior.-Roe a Leo. PCaja)traB)C*a 80 factnnra como a dot jinzeaiP
Arl. O lugar de juiz d don 1! ~t* arMacafid.
favor s senees a privilegios do que gozara os va- I'1"' """ --'"/T "" I '...... !V< F**>*- )-
poro- das conmanliias de navegacao d. dmatonas, w_s suostiiulos, juizo.. mumcipae,qor coaianm
da llnha lluvial de Muilevide, a Cuiab, das com- 'Ia-1''0 ,"""; "U mais d<- tlTecl.vo rxrraria, e o*
panhia-de Liverpool a Brasileira para a navega- j ~*2a*'* '*""*' fle hv.-r.-m ses ra ai*
cao cosleira das liuhas do sul e norte do imperio. all,,"> !' ;"''' "......lerr-mpid 1 do --ro O po-
A. J. llei)iuues.-C. Figueirodo Jonior.-H Gra-, J""1".Prtte r-goiaim-ui.. pan -inelhaatt
ca.-Araujo Ges Jmnor.-Joao .Mondo.-. '\-*< "J" o r in,i>.. pr ceder r^rMlFj
' Artigo aitivo. -A prsenle lei l-ra vigor no l";s" >'' '' m ajinlonri 1 do* f*e-
exercicio delS73. -71 ora as eguintes altera-, ~ *" Pwn fm*.
' pruraofor pabir o .:; 01, ..ira

augmento 91:173*. Fa-uldade de direilo(1 23)
augmento 70:40 *. Faculdado de mediana (S -i
augmento (>7:200. Inatnieeo primaria a se-
cundara do municipio da corte (S 26), augmento
I26:620, sendo 46:300* para a crearito de 10 es-
colas Acadomia das Bellas Artos (S 27), aug-
rlfceivn
na magislralura ; emu lodo a ordenada tjen
ci.uiaroiii mais de Irinla eom ons l rea* daor-
denado os que oanlarein ma.s de tinte ; eom nat
letra ns que contaren) mais do dze amos.
,.r. 1.. oi"tt; 'Tivtivo na mafr*-
.] |.i '-imlor ftaSfc-
tralura o presiado n.
BM
i. . Rio Grande do Sul, Sania Calharina r Matlo-Craa-
s>, coai sido na cidado de Porto- Alegre.
No n. 9 do mesmo s diga so : d.' Mina- I Goya
ni oda Li de i)uro-l*retO.
Suppiiinam--o os n*. I') e II.
Guarda urbana (S 12), augmento 139:7004.
sificac.au e consolidaeao das leis (5 li), augmento
43:4494676. I
3.' Ministerio dos negocios eslr ing/n-M (art.1
4.) : legacoes e consulados (| 2-i augmento
69:573/. ~Conmutados de limites
lo 30:0:0i000.
7o), augraen-
No 11 Mippri-iiam-st' as palavras i as de
.11.. 1!...,.. .O. A.
r^steriod. **(. o^corpu "fffRSl5tf
No 5 4 diga se em vez do
da armada e classes annexas ( 5 8.- 1 augmento -w ^ff^T J" U : uJ^n>
190:0644. Batalbao naval (S 9'). augmento..... etc., o ,eg,n!e o governo maniera,
22:9884. Escola de marinha e ouos estaboloci-
menros scientificos (% 18)v auajn^ento 13:1703000.
t 5.' Minisierit du guerra (art. 6.-1. instruc-
cio mititar, 1$ 5") augmento 36:9204. Arscnaes
(s; 6), augmento 31:0004. .Corpo de saude e
lenr o regiment como mais runveaiente ISr. B
acroscente-se : seni pn*den'- d 1 tribunal do
commercio o juiz do cumracrcra. c lical a pro-
motor publico da sede respectita. Ne* ngatr-
era que houver mais de um juiz do roznn*roo ou
gualmente por
dos de reparticoes extractas ( i 6 ) augmento -
26:7494306. Thesouro e thesouraras de fazenda .
(| 7.) augmento 238:0384590. Estacos de arre-
cadaco (5 9), augmento 50:3054300. Casa da (
moeda e olllcina de eslampara (8 10), augmento
O gov
lar o destino da> aphellae/k-s pendentes e oprnto
Continuar a applicar-sr na ran*e
commerciae o direilo mercantil r sen pt-
ce-so.
No s O.' supprimam-se aspalavra* : na iegla-
32:9044. Tvpographia nacional e Di rio Oficial .^ViT?'0'- a ..-;,
(8 12), augm-nto 32:0764.. Gratificares por Ira-!. V g" 2f2tE
rfalhos fra' das botas do%xpedien,e (S 16., aug- (**^'^^'^
memo 20:0004. Obras 19 augmento 69^;0004. "^* h>rt?ffiani^Ximi^Si
Alistaraento da garanta de 2 por cenlo provino ?'-e^^JS, Ki 647 Mi) m
. Paulo (| 21), diminuicao 350.0004000. I fmmmkt 0 ,r;isjaa para a remesaa do auto*.
8 7.* Ministerio dn agricultura, cominercio e No art. o." suppriraause as palavras : t nodi*
obras pnbttou { art. 8'), garanta de juros s es- Hielo de sua jarisc-o e ah Ac
tradasde ferro (S 1') red icci I6>:0:04000. |te-se : A aniiguidade de servico don
a Sala das coramissoes, 19- de abril de 1873. dores ser contada como a dos juizes de tTiretlo.-
A. J. Henrques.-Cunha Figueiredo Jnior.H. II. Graca.
Graea. -Joan Mandes. Roer.: Leio.
Todas as outra emendas forara rege-Radas,
Teve lugar honlem a reuuiao da astenabla ge-
iia
Approvuu deptis cm primeira dscusso a reso- raidos accionistas da companhia-KsairaarT
lu;at> que crea mus uma freguezia no 'municipio dial -, para a leitura do parecer da ro*nmi*oatf da
neutro sob a invocacio de Noean Senliora da Con- contas e approva.io de suas concia***.
ceicao do Engenho Nono. I lhspen-ada a leitura do dito parecer, por IrtVn*-
E:n ultimo "lugar oceupau-se- com dscusso viJo previa publicaran delta, foi o aaeaaao apan-
de dver-os requerimenus, im Beou encerrada, vado com as cont*n*5t* seguinte* :
tendo orado sobre o apresentado pd Sr. CMympio !. Qu- sejsra ap|)rovadas as o
Galvao 0; Srs. Teixeira d ^ "ha '-' Casaii. loria.
M
da


'*. .. .
'* '" "1. "' W- *
*.. 1
Uio de Pernambuco Semita feira 9 de Maio de 1873.
-
=
. lX&ae CqiW a mrsma directora ajdwrlsjida a co^MaettMi Cirila com
proceder tos termo s indicados no presente pa- Jos Teixeira.
rccT > ^
3. $ae n assr,niMa geral dos accionistas con*
fira aada nin Uos Srs. directores, Joaquim Jos
Ooncalves Fcrtvira, Jos Pinto da- Cpsta 6 Marcos
Rosenw.tld, up.i voto detouyor e eonflancn em re-
conheciinenft dos bons servicos prestados com-
panhia.
=02
A paeochia do Nossa Senliora do Desterro do
Canpo tirando, segundo os (pudrs orgamsado;
pela <4rectoria da estatistica, tom 1 ,Mit casas ha
ntidas, 7 deshabitadas e 1,467 ogos. Sita poputa-
%l6 osera vos.
Quanto aos livres si : 3,1 horneras e 3,.'z7
'mulheres, o,t7 solteiros. 1,393 caados e 371 vi-
vos ; 6,931 cAjtolicos .6,63* brasileos e 29o es-
trangeiros; s bera lr e escrever 1,233 o sao
analphahctos ,.'8. Da populacao escolar de 6 a
15 MUMS do dado 303 individes freqnentam es-
colas e 1,366 nao frequenlam. lia na parochia
d cegos, 7 snrdos-maJos, Vi abijados, 11 de-
mentes e alienadi. t"
(Juanto aos escravos sao: I.MO horneas c 1.386
mallicres ; 2,687 soltoiros. 101 casados e 28 viu-
vos; 2,816 calhoKcos : 2,510 bra-nleiros e 306 es-
trangeiros ; sahem lr e escrever 10 e s*o anal-
f habotos 2,806; ha entre ellos 4 cegos e 2i aloi-
jados.
Considerados os habitantes em relami sua na
eionaUdade estrangeira, sao : africinos 417, por-
tuguezes 163, lies pan Im tes .'i, italianos 4. para-
guayos .1, attemae I, belga 1 e francos t.
Considerados em rolaran s proflssSes, sio : re-
. ligiosos 2, olliciees de justiea 3, mdicos 2, phar-
maeenticos 6, parteuM t, professores e Horneas de
lettras 8, enjpregados publices 5, artistas 16, mili-
tares 2, capitalistas c propietarios 6, raanufac-
tureiros e fabricantes 18, cominerciante:. gaarda-
livros e caneites 151, eostnreiras 138, operarios
(38, laveadoree 5,377, criados, jornaleiros e etBi
preaos no servico domestico VSt, e nao teem
prollssao 1 Ante-hontem noite, bordo da barca ingleza
Iinlun, apeeirada no nosso porjo, dous tripolantes
levantar.mi-se contra o piloto do mesino navio,
deram-lhe nina lacada na enteca e frarturaram-
llie um braco.
O capitn ronseguio depois prender os dous
inarnhciros nsnnoidinados, que levados prc-
sonca do respectivo consol, foram por este remet-
idos para a polica O Sr. L'r. 3." delegado foi
prnceaer a*eurpo d; delicio nos ferimcnios do iv-
ferido piloto.
una farad
:. o atiassino foi perso
no
RECIPE, 9 Di: MAIO DE 1873.
V's-'ii* I-i niiI lo iiuperio.
Aii ni'i ee!i !i mi mu <>iii nosso porto o vapor
brasHciro Par, Imzeiido datas : do Rio da l'rata
22, Minas-Gera^s 20 S. Paulo 2ti de abril, Rio
de Janeiro 1', llab:a 4 e Alagoas 7 do correte
U'-.w do que damos boje soh as rubricas Part
0!ji;,ii | interior, so eneontraates nos jornaes o
que segu.
I'AXAOIAV.
T(defamiiias de Corricnics, datados de 17 e 18
de abril, recibidos em Moutevide, dizera :
Cliegam gravo noticias do Paraguay.
general Caballero (esta das forcas revela-
c'nnarias reani las depois da ultima derrota, re-
passou o Tibiipiaiy.
Aos clicfe rev. luetonaros reuniram-se Ma-
tbias e Serrano. r
As foivas de Caballero sebeo a 2 mil borneo
isto nos parece exagerado.
O epofe rcv.tluci uario Escobar atacan em
Villa-Rica as torcas d governa coiumandadas por
Gonzales. .
Este Coi fcrido gr.ivemeate e snas fercasder-
rotadas.s
As foreas d gov i no e da revoluco baterain-
se eiu Sapuciy.
i. Luiz G niales, cliefa legalista, gravemente
ferilo.
O capitn Cecilio Vallejos foi morto.
A revolora i c m'a com deas mil bomens.
n(U D\ P8A.TA
Da Confederado Argentina dizein os jornaes
correr o boato du que o ministro das relacoes ex-
Mriores declarara ao presidente da repnbliea estar
disposto a renunciar a pasta por cansa dos nego-
cios da provincia de Sm Juan.
Km Montevideo continuara a febre amanilla a
fazer estragos.
Penda da decisao das cmaras nm projecto
ereando nina eompanbia, cajo lim weeorror os
navios que naufragaren! as costas orientaos.
NAS-ORRAKS
Refere o Monitor Sn!-Minin, da eompanhia da
Princeza : -
No prsenle anuo leni-se eifeetuado no ter-
mo da Bulad-; de Lavras as sog tintes mainiinis-
tes, alm d ojlras de que nao temos deta-
Ihadas noticias:
a No testamento com nne faUoccu, deixou D.
Joaquina, viuv.i ,pie lo i de Antonio Manoel da
Vei-
a, lio rtas tres de suas esenvas.
Pelo p'iilantrnpic i 'ommendador Jis Estoves
d' Andrade Botelho, foi liberto nm casal de escra-
vos fleos -devemlo-se inais ao riiti conuneiidador
aliberdade de nm ontro casal de escravos, porten-
rente a Joan Correa, por ler sido elle queiH faei-
loii os ineios para a acquisifo do dinneiro sufli-
cieate.
Por sua niorte dnixou livres o capito Antonio
Joaqun Alvos, da Cachoeira, dous escravos. E
acalia de fallecer cin Lavras, o eidadlo loSO Pe-
dro Ferrara, que lambem deixou livres dous de
fleos escravos.
( Alm dos escravos referidos, libertos por ge-
nerotldadee pbilaniropia, obtiveram mais sua l-
terdade no crrante anno, mediante o proco de
snas avali.icois. que apresentaram por occastio dos
inventarios, os sgnintes : \ que nertencerara ao
c.isil do finado Bernardo Antonio Rolrigues <. um
iue fora da referida 11. Joaquina, viuva de An'.o-
i.i i ManoeJ da V'eiga.
a Nodistrictode S. Goncalo, deste municipio,
nm ni wndio consumi lia poneos dias a asa da
l'azenda do Sr. Jos da Costa Itios, quemando se
os trastes, roupa de cau e oais de 30'J em di-
nlieiiu Felumente nenbuma morte ha a lamen-
iar-sc..->
Bserevera da villa do B>m Suecesso (provin-
cia de Minas-(jeraes) :
Prjeedendo se em Santo Antonio do Amparo
a inventario e partillias dos beus da tinada D. Au-
na I.uia de S. Jos, seus herdeiros eonoBderam li-
berdado, sem condico alguma, eserava llmlicli-
n.i, parda, era remuneracao dos boas servicos que
a referida eserava prestou sua Aado senhora.
Xa mesma occasio os herdeiros Pedro Alves
e Juvenei i, alforriarain o escrav'o Joo, africano,
mediante o proco de sua avaliac.no. A herdeira D
Francisca Franc lina de Jess, concedan liberdade
sua eserava Justina, cujo preco Coi indemnisado
m Felisinino Jos do Luna, 61 lio da mesma Jus-
tina.
s. PAILO.
A nnrte foi instaruanea
guid.i c preso.
Km Taubat, o dia 4, fcourenctj- de tal fura ns-
sassinado por Wenceslao. Delphino Harcondcs, que
fei logo recollo adeia.
Apresentara*sc priso e fora enviado para o
estado maior do qaariel de liulo, ta.capital, o al
feres Antonio Mariano Garda,. protluneiado a>
art. SOS. do cdigo criminal
Tmhaui sido capturados :
Na freguezia de S. Pedro do Turvo, termo de
I.inces, polo respectivo subdeiegado.de polica,
o ico Juaquin Tboodoro Alvos, vulgo Joaquina
Ivo; um dos autores dos assassinatos de Francisco
Soares Pimenta e Felippc de tal. _
Pelo suJidelegado de S. Oomingos\do mesm1)
termo; Antonio Leonel de Souza, ido de crime norte.
Pelo subdelegado da villa do Socwrro, termo
de Rraganca, o criminoso Severino Luiz Dias,.reo
de tentativa de morte na pessoa do Flix Rodri-
gues da Silva. ^V
Na capital, nm filtw do ten 'Felisiiiino Viei-
ra Cordciro, menor de 4 annotT^ra victimado
una grande queinudura.cii todo o ventre at o
-Msto, por ter-se incendiado em suas mos urna
caixa de phosprioros, com que brincava. Esgo-
4ados lodos- os soceorros mdicos, a infeliz crian-
ea siiccumbio.
Ld-ae no Diario de S. Paulo :
O Sr. Joaqnim Francisco de Moraes, fil o do
Sr. Jos Joaquim de Moraes, residentes no baiiro
dos Pinbeirus, e mais tres companbuiros, indo ao
encalco de dous escravos fgidos, que consta se-
ren ldroes de cavallos, e que achavam-se^ aloja-
dos em terrenos perteucentes ao Sr. capitao Joa-
quim Ponanles da Rosa, solTreram una embos-
cada por parte doi mesmos; o Sr. Joaquim Fran-
cisco de Moraes foi victima de uin tiro de espin-
garda, cuja carga acertou llie no crneo, escapan-
do anida da faca com que o mesmo escravo que
llie dera o tiro o perseguir at grande distan.'ia.
0 ftido aetia-se em tratameulo.
respectivo juiz de paz, capitao Francisco de
Paula Xavier de Toledo, logo que soubc daoccor-
rido, requisitou forja, e para all dirigio-se, nao
podendo capturar os delinquentes, por se baverem
evadido.
Tinham chegado a Campias o seguindo logo
para S. Paulo, no dia 23,10 indios procedentes
de Cuyab, os quaes iam solicitar da presidencia
da provincia a concessao de Ierras na culonia do
Avauliandava e as ferramentas iiecessarias para
se entregaren! lavora.
U Yp inem'i, peridico de Sorocaba, referindo-
se col.ieita do algodao, diz o seguiute em data
de 20 do corrente :
t Kst em principie a colbcila. Sobre a q.iali-
dade nao se pode exigir melbor, se bein que os
teui|ioraes de fevereiro e mareo llie fossem um
tamo adversos.
t Seria conveniente que os compradores logo em
CotnOyO louussem o expediente-da classilica^ao co-
mo um meh) obligatorio para grande parte de nos-
sos lavradores beneliciarein-no melbor, pois o
(iouco caso no benelicio vem em deUimeuto do
artigo.
1110 DE JA\i:!:.0.
Ni senado tinliase concluido a discussao da
proposta de torcas navaes, sendo o respectivo pro-
jecto de le remedido i san rcao imperial.
Na cmara dos deputados, na sessio de 30
do passado, foi apresentad^, como boutem disse-
nios pelo le!e.gi-aiiiina recebido de Macei, o pro-
jecto de reforma eleitiral, precedendo o Sr. minis-
tro do imperio do seguiute discurso a ieitura do
projecto :
O Si: Crrela de Oliveita ( ministro do im
perio ) : Sr. presidente, peco a V. Jxc. que
Consulte casa se me concede urgencia para apre-
seutar uin projecto.
( Consultada a casa, consente na urgencia pe-
dida, i
O Sr. presidente : Tem a palana o Sr.
ministro do Imperio.
0 Sr. ministril ds imperio ( nioviinento de at-
tencao) : Sr. presidente, venho enmprir a pro-
messa que, em ndme do governo, liz de um pro-
jecto de reforma eleitoral. Kmbora o projecto ex-
prima a opiniao e o mais perfeito accordo- dos
ministros, entendemos, todava, que, por sua ma-
teria e em respeito s opinioes manifestadas, nao
devia ter a forma e o carcter de urna proposta
do poder exesutivo. (Multo bem).
A falla do tbrono, com que foi abena a pre-
sente sessao, insistindo em opinioes anterior-
mente emittidas, annunciou unta verdade incou-
testavcl. (piando disse que a fiel expressao e a
forja do voto popular dependem em muito de
qnalifica^oes verdadeiras (apohdos).
De aecurdo com estb enunciado, o governo
csttidou attenta e conseienciosamente os ineios de
melborar o nossoprocesso de qnalifleacao, tiran-
do a esta, quanlo possivel^o carcter que presen
teniente tem de instabilidade e variacao; tornan-
do os recursos muito mais facis para as inclu-
soes, e dilllcultan lo as exclusoes dos votantes, li-
mitadas pido projecto poucas casos oxpressos e
definidos.
Ha na falla do tbrono outro enunciado, a sa-
ber, que convm limitar-se o arbitrio das mesas
parochiaes, eorrigmdo-se os abusos que lao fre-
quentemente se do no processo eleitoral, princi-
palmente :-a vorilicaeSo da idendade dos vi-
tantes.
Este ponto foi tambom aUentamente estndado
I*irld*m?f'*e debilito o anoio que os gaWiKtes recebam di
cmara temporaria, f Ap dado;-muito tem. )
* fnruce-Hi'Slamtein, Sr, presidente, a mm
aos jneus eoliCAWS, flue o conhftjMHMfls ivre-
^ulanlad .- ijoiiimeUidAS -as eleiffles das cmaras
mphcijaes b iiiLs de p^zdeve passar.uo jjovertu
para o poder j*liaho, quo secundo o projecto,
ja llca om uaiores e mais importantes attribui-
{ Alem da (aramia fle imparclalidado que _
magistratura dte hlTereeor aos partido (apoiados),
obvia c evidente a conveniencia de tirar-so ao
averno, urna tUribui.ao que elle exerce com tal
oit qual (suspeifao, tend de juljar interesses eloi-
lomes dos seos amigos polticos e do partido qu
representa no poder.
Ha, Uiialniente, Sr. presidente, nutro principio
que o projecto amplia, obligando os votantes, siD
jtena de molla, a coniparecerem as assemblas
jtarochiaes.
0 voto olirigatqrio est admitido entre nos
para as eleicTtes nmalcipaes ; nao vejo raza.)
para que se nio extend s eleiedes primarias,
Adoptado o principio, que iniciamos, consequen-
l a anvenienia do que todos os cidadao, no
maior numero possivd, representando as opinioes
que'se deoalem no paiz, concormni ao processo
eJettural. ( Apoiados; muito bem).
Militas outras providencias que nao indicare!
mas cujo valor nao escapar sabedoria da c-
niara conspiran, Mo systema do projecto, em pre-
venir e pbnir a fraude s tantos outras lamenta-
veis abusos, me costumam perturbar e viciar a
livre expressaoda vontade pupular.
A cmara dos Srs. depulados compete julgar
.este trabadlo, e eu espero confiadamente de suas
luzes e patriotismo, que o examinar com a mais
solicita allencao para fazer-lhe as correccoes de
que possa precisar. { Muito bem muito bem )
(0 Sr. ministro t'umprimentado por grande
numero de Sis. deputados ) >.
Km nossa 8." pagina damos boje esse projecto,
para o qual chamamos a atteaco dos leitores.
No da 27 o ministro da guerra passou revis-
ta em Nitheroby, aos dous batalhoes 15.a e 16." de
infamara, chegados ltimamente do Paraguay.
Assistirain a este acto, bem como a missa', que
celebrou-se antes,' os Srs. conselheiro ajudante-
general bario da Gavea c 4esembaridor presi-
dente da provincia do dio de Jineiro.
O aspecto, que aprsenla csses doas corpos,
boin.
Consta que o IV segu para o Cer.r no dia !
de mato.
A asamblea provincial do Rio di> Janeiro ca>
mecou suas sesses preparatorias ao dia 29 do
abril.
S. M. o Imperador, em demonslracio de seu
profundo pezar pelo fallecimento de S. A. deal a
Princeza Mara Aiinunciada,fillia de S.A.dcal o Sr.
conde de I rapani; de S M. a Imperatnz de. Aus-
tria, viuva, Carolina Augusta ; de & II. a ratona,
viuva, de Wurtemberg, ede S. A. Imperial e Gri-
Duqueza Helena da dussia, liouve por bem tomar
luto com sua corte, pela primeira das ditas augus-
tas senboras. por espaco de dous uizes, um pe-
sado c nm alliviado ; pela segrinda por 21 dias,
II de luto pesado e 10 alliviado ; pela tercera
igual luto, e pela ultima por 7 dias, i pesado e 3
alliviado ; devendo os tres ultimas lutos Bear coni-
prehendidos no primeiro, comecando todos no dia
19 do corrente.
Em 2o de abril declarou s;, pelo ministerio
da justiea, ao presidente de Peruambuco, em res-
posta ao ollicio n. 6% de 10 do abril, que Jos Se-
rapi.io Becerra de Modo, partidor e contador do
termo do Bom Jardim, deve soldar para llie servir
de titulo o decreto de 3 de jullio de 1872. rcrnet-
Kncerraram-se no dia 21 oslrabalbos da aseen-
bla provincial.
No mesmo dia foram abertas as aulas maiores
.da faculdade de direito.
O estado da cidade da Frsnca inspirava serios
cuidados.
Referindo se a noticias da ultima hora, diz o
Diario de S. Ptnrh, de 26 o seguinte :
t Um faeio de sumnu gravidade acaba de ter
lugar naqiiWla cidade.
No dia 31 do mez'prximo lindo, o snp-
plente do subdelegado do distrieto do Carmo, Joa-
(juim Nicc.'io de Mesquila, em viagem para acida-
de, receheu urna descarga de cinco lieos, licando
gravemente ferido na mo esijucrda ; nao obstan-
le, pode continuar sua viagem e ebegar referida
cidade, onde o delegado de polica procedeu ao
competente auto de eorpo de delicio.
Declarou o mesmo eidad&O quo tirilla funda-
das suspeitas de que os seos oRensores, que o es-
perarara de emboscada, fossem membros de una
lamilla que na Qaseta de Campnas do 24 de de-
rembro de 1871, prometleu assassina lo, coincidi-
do esta derlaraco com reunioes de homens arma-
dos, promovidas por c-efes daquella familia em
suas casas, dentro e fora da eidade.
a Sltenlo de taes reunioes, aquelle cdado re-
tirou-se para a sua resiaen:ia no distrieto do Car-
mo, onde tambem por sua vez reunie guardas para
sua defesa.
A' vista deste estado de cousas, aehando-se a
fipulacao da' Franca sobremodo aterrorisida, e
ondo de pouca-forgao respectivo delegado, r'e-
imou este providencias das autoridades supe-
rfes.que immediatamente deram aquellas que o
caso exiga, e continuaran! a dar oulras que de
pro rapto nao poderam ser tomadas.
No dia 21 do eorrente s 4 horas da tarde no
bmw do Areal, freguezia do Santa Iphvgenia, Ja-

e o projecto consagra ineios de coarctar taes abu-
sos o de obligar as mesas, por disposieoes adap-
tadas o offleazes, stricta observancia da le e ao
respeito do direito dos cidadaos. (Muito bem).
< Enuncioo em lerceiro lugar a falla do throno
o principio da reprosentacao das mnrias, e o pro-
jecto o consagra, pelo systema da pluralidade sim-
ples, que ao governo parecen mais fcil e ade-
qoado aos nosos hbitos e condijues.
Sei bem, Sr. presidente, que tlieoricamente
Dte systema, clasificado como empyrico, menos
perfeito' de (pie mudos oulros (jue esto sendo
objecto do serios estudos e eonstituem generosas
aspiracoes de talentos nolaveis ; mas u Inglaterra,
atientas as circumstancias especiaos em que se
aehou qnando fez a sna ultnia reforma eleitoral
Om 86', adoptou o veto limitado ou incompleto,
que 6, como o systema da pluralidade si nples,con-
siderado empyrico, c soin duvida nenhnma mais
imperfeito do que este, porque deixa Um partido
em trente do ostro, e nao da lugar a que diversos
granos de importancia se facam representar ao
paramen! i.
Tambcni nos Estados-Unidos, estudando-se o
principio da reprosentacao das minoras, nao se
tem dado preferencia, cunu na Dinamarca, a qual-
quer dos systemas chamados racionaes, mais sim
ao voto cunmlativo.
< Senhoies, o essencial que iniciemos o gran-
de principio verdadetro, justo, liberal e pacifico
(Apoiados ) Digo pacifico, porque, posto em pra-
lica, de esperar que os partidos ou os grupos,
em vez dessas Iotas violentas em que as paixoes
se excitao tanto, venham a contentar se com a.
justa reprosentacao quepolem ter, isto urna re-
presentajo proporcional sua torca num-
rica.
Rstudado na pratica, experimentado e desen-
volvido, com o andar dos lempos poder este ge-
neroso principio ter outra forma OU meio de apli-
caco, (e accordo com as as|iiraooes que, como j
observei, fazem objecto de serios estudos.em ou-
tras nacoes.
a Sabe-so, Sr. presidente, aue a reprosentacao
das minoras, comquanto nao esleja praticada em
iudos paizcs, fez-se una aspirajat geral, j na
Europa, j na America ; e creio que chegada
occasiao de eraprehendermos una reforma de to
grande alcance. ( Mudos apoiados ).
O projecto, Sr. presidente, man leve a eleico
indirecta nao s em respeito aconstituicao poltica
do imperio ( Apoiados ), como porque o governo
pareceu inconveniente a muduva em ijue ltima-
mente tanto se tem fallado (apoiadoB).
Nao sei como se possa admittr, n'utu tempo
em quo se clama tanto pula extensao do direito do
sufragio, que o povo fique csbulhado do voto que
a constituijao llie atlribuio as assemblas poro-
chi km. ( Apoiados ).
residencia ; nao podendo, vista do art. So do
decreto n. 1159 de 22 de abril de 1868, ser apos-
tillada a carta ora devolvida, pela qual o mesmo
Jos Serapio obteve anteriormente a serventa vi-
talicia de partidor e distribuidor do tenno- do Li-
moeiro. .
Lomos no Jornal do Commercio :
as f tilias de Campos encontramos as seguin-
tes noticias desta localidade:
t l'ma carta de pessoa de concedo (diz a fazeta
de 20) dirigida a um respeitavel negociante desta
praca, aanvora que cm Maeab esta grassando
nao so a febre ainarella como a typhoide.
i As vctimas da inuudaco coiitinuavam are-
ceber auxilios de todos qantus dispoem do tecur-
sos para minorar-llies os solTrimentos.
0 Sr. Visconde de Araujo olterecera se para
fazer todas as desp'.zas do hospital de S. Joo Bap-
lista, no corrente mez de abril.
O Sr. tenento-coronel Joaquim Jos Rodrigues
Torres lizera a mesma offerta para o mez de maio,
e alem disso mandara alugar seis casas expensas
suas, por seis metes, para serem nellas recomidas
ses familias pobres, quo o Sr. delegado de polica
julgar mais necesstadas.
O Sr. Barao de Araruana enviara casa de
caridado a quantia de 1:2004000, producto de urna
snbscripcao (pie S. Exc. agenciara ciu favor das
referidas victimas.
Kis as noticias commerraes da ultima data :
O mrcalo de cambio estove hojo poueo acti-
vo, mas firme. EITectuaram-se no'.pienas transac-
coes sobre Londres a 26 e 26 1/8 de papel parti-
cular, e regulares sebre Franca a 362 rs. por
franco.
Notou-se na firmeza na pesicao dos sobera-
nos, sendo negociados pequeos lotes a 943*i0 a
dinneiro.
As anolices geraes de 6 0/0 conservaram-se
ainda extremamente firmes e activas. Ospossui-
dores conseguirn! obter fcilmente de l:t'604 ato4
1:06? a duhero, prejos a que o mercado fechou
firme. -Das do cinprestmo nacional de 1868 ape-
nas se vendeu urna pequea partida a 1:08^3000
a dinheiro.
Foi ainda hoje extremamente apatbico o mo
Arl. 3. As fllhas e filh.is gozaran do beneficio
repartidamente, na falta das maes.
Art. 4 Os venetmeutos para as aposentado-
ras serio regulados de conforiuiade-co:n os arta.
.* e 4." da lei n. 1.031, do 21 te junis de 1868 e
a. I.* da resoiucao 1,130 de i" dejunho de I8a
Art. 5. Em beneficio do monte-po correiiio
animalmente quatro loteras.
> Art. fi.Sevogam-se as disposicoe-. em con-
trario.
Sala das sessoes da assembla provincial,
I de abril de 1H7.1. =J. Martins Baggi.
foi lionlein ( l.) lido na assembla provin-
cia, e remetlido s commissoes de consliluico e
de cmara municipaes, um rofluerimontt de Joa-
quim Viconte da Costa Canoa, pedindo autersacao
para con truir urna praca de mercado na cidade
baixa, que ser situada sobre o mar, encostada
um dos caes; e ficar fronteira aos dous mercados
de Santa Barbara, e tendo por lmites na largura
as duas paralellas que demarcara a praca de S.
Joo, e na extenso por um lado o caes e peta par-
te do mar a Imha que pela extrema do porto da
alfandega se tira parallelamente trra.
Como com a reausacao do tal plano fica sup-
pressa a escada de pedra que confronta com a
praca de Santa Barbara, o proponentc obriga-se a
substitu-la por duas escadas de pedra, collocan-
do-asnas duas panes laleraes da ponte projectada.
O peticionario nao pede privilegio, mas ape-
nas o direito de usufruir a praca por 30 anuos,
nudos os qy.aos passar o mercado a ser proprie-
dade .municipal.
As 7 horas da manha do da 17 do prximo
lindo piez, falleceu em Caelt, o bacharel Piinio
Augusto Xavier de Lima.
B,lf:("l,ci''0' r'ado om Pernambuco no anno
de is71, obteve no sen ultima exame distinoeao a
que fazia jus, pelos scus talentos, dedicacao aos
esludos e amor s lettras.
Desde moco dedicou-se com afn litleralu-
ra, c a imprensa pernambucana foi-Ihc sempre
franca para dar expansao a seus trabadlos, princi-
palmente luteranos.
Como poeta, era dotado de suavidade es-
pecial, sobresanando ctin partifi'ularidade no ge-
nero humorstico.
? Gozava de geral estima entre seus companhei-
ros, e sua morle bastante lamentada, pois era
um dos mocos de esperanca dosta provincia.
f Um marmhero norte-americano do paquete
inglez Pascal, ao che?ar a esto porto, indo debru-
jar-se sobre a escotilba do porio, levou tai panca-
da as pomas, que o precipilou no poro, onde
eahio mortalmente ferdo.
Foi conduzido arquejante para o hospital da
Santa Casa de Misericordia, onde talvez j falle-
cesse. >
No lugar denominado M-ichadink da villa de
branles, pelas}2 horas da noule do 26 do cor-
rente, foi assamnado com diversos golpes de (once,
e una estucada o infeliz Cvriaco Marques da Hora,
por Khziario de tal, Eugenio de tal, c o escravo
Jos que foi logo capturado, conseguindo os ou-
tros dous assassinos evadrem-se.
o No da 27 de abril, reunidos em assembla
geral ordinaria os socios do gabinete portuguez
de Ieitura, approvaram o reiatori da direccao, e
em seguida procederm elei-.-o, a qual deu o
seguinte resultado:
Mesa.
Presidente-O Sr. D. Manoel de Saldanlia da
Gama.
Secretarios -Augusto da Silva Mandes e Joa-
quim L. de Carvalho.
o DireccSo.
Jos Gon.alves Belebior, Aucusto Jos da Sil-
va Marcelino, Francisco Jos Rodrigues Pedieira,
lulo em 8 do dito mez e auno a secretaria dessa fcietano Alves Pinto Leile, Joaquim Bernardo Men-
des, Manoel Soares de Olivcira e Jos Montcro
Mascareuhas.
Exame de contas.
t Jos da Silva e Souza, Francisco Navaes Mon-
teiro e Benriqne Palmeira.
O cambio regulava sobre I nndres 2o 1/2, e
sobre Portugal 110 % de premio.
AI.ACoAS.
A alfandega de Macei arrecadou no mez de
abril 44:4933620.
PERMMBCO.
viniente do mercado de aejoes. Apenas tivemos
conhecimento da venda de um lele das do Raneo
Industrial c Mercantil a 32000 e da Compa'nhia
Locomotora, 2' enussao a 1834000 por accao a
linlicro.
As vendas cfTeetuadas hoje no mercado de
productos foram insignificantes de caf c menos
que regulares de assucar para consumo.
Saturara tambom para consumo, cerca de
3000 arrobas de carne seeca.
S nos constou hoje o fretamento de um navio
para carregar madeira em Canavieras, com desti-
no a Bremcn, por S 500.
A alfandega rendeu no mez de abril.....
2,993:1303198.
- Sahiram para Pernambuco : a 26, barca por-
tuguesa Josephina I; a 25, patacho brasileiro
Cardia : e a 27, Ingre grego Ecangelistra.
baha.
O Sr. Gusmo Ijibo : -A reforma Deste pon-
to popularissma.
liberaos quo sustentem um tal principio.
O Sr. ministro do imperio :-Ha ainda um pon-
to importanta na reforma qnj icnho a honra de
a presentar cmara dos Srs. deputados.
t) projecto amplia as incompatibilidades. Par
receu ao governo que nao podamos deixar de ad-
miltir ou aceitar urna aspiracio, que tem sido ma-
nifestada por todos os partidos e apoiada pelas opi-
nioes mais respeitaveies.. ( Vtuitos apoiados ).
As disposieoes que este ponto se referem at-
tendera, t., ao abuso possivel da auttridade, ac-
tuando sobre a eleico om orovelo proprio ; 2.,
conveniencia de ligar aos s>5us erapregos fue-
cionarios, cuja forca moral dimnue ou perde sem-
pre as lulas da poltica activa ; 3." com relacao
ao parlamento, necessidde de arredar toda idea
A assembla provincial prosegua em seus
trab'allios, que foram proregados por 20 dias.
A populacao queixava-se da m qualldade e
do elevado preco da carne verde, na capital.
No mez de abril arrceadaram as seguntes
reparli.fles :
Alfandega......... 802:7304690
llecebedoria........ 93:7333770
Mesa de rendas provinciaes. 94:4554752
Gorreio......... :497$535
Kutraram arribados com falta d'agua, o bri-
gue hespanhol Nuevo Vigilante, que ia de Buenos-
A y res para Ha vana ; e com agua aberta, a galera
hotlandeza B H. II, quo a de Java para Rotter-
dam, com 118 dias do viagem.
Lomos no Jornal da Baha :
Foi approvado em l.J discussao na assembla
provincial o >etai ite projecto n. 383.
A assembla legislativa provincial decreta :
Art. 1. Fica creado nesta provincia um mon-
te-pi de aposentadorias sob as seguintes ba-es:
a l.' Deduzir-se-ha um dia de cada mez dos
vencimentos dos empregados pblicos provinciaes,
e dos que forera aposentados, de conformiflado com
o 4.'.
2. Essas n,ensaldades sero recolhidas ao
cofre da thesouraria, pagando a provincia no cor-
rer do 2. anno o juro de 6 por cento da quantia
em que ellas importarem.
% 3 o No 2. anno e nos demais que se segui-
rera at completarse o primeiro quiqueno da pro-
mulgacao da presente lei, a thesouraria capitalisa-
r os juros vencidos no anno que anteriormente
se lindar, com as mentalidades recebidas era eada
um dos mesmos annos e com o lucro das loteras
que correrem em beneficio do mesmo monte-pio.
4. Findo o quinquonio, principiar a pagar
a thesouraria os ordenados dos empregados que
forera sendo aposentados, com as mensalida-
des que rrcm se recetendo : e guando stas nao
chegarera, com ns juros do capital at ntao aecu-
raulado.
Arl. 2. Pallecendo o empregado aposentado,
gosaro de metade do ordenado deste e por meta-
de do tempo que elle servio :
1." A.* i uva, em quanto permanecer no es-
tado de viurez.
i 2. As frihas.
J .1/ Os filhos. era quanto menores.
B i.- As, mies, na falta de filhos.
g 5. Na falta destes, as rmis que viviam a
expensas do mesmo.
REVISTA DIARIA.
iVs.sembIca provincial. Funccionou
honteni com 2 Srs. deputados.
Approvada a acta da sessao antecedeute, o Sr.
1* secretario leu o seguinte expediente :
Um offieio do secretario do governo da provin-
cia, transuiitiindo as infitrmaoSes prestadas pelo
inspector da thesouraria provincial acerca do
projecto n. 40 deste anno.A' quem fez a requi-
sicao.
Oatro do mesmo, remetiendo os orignaos das
resoluces ns. 1,074, 1,075, 1,077, 1,081, 1,083 e
1,091, sanecionadas em 24 de abril ultimo.-Ar-
c ive-se.
Urna petif-o de Paula & Mafia, estabelecidos
com casa "de carros luiiebres, protestando contra
o privilegio que se pretende conceder para o ser
V150 de enterros. Complete o sello.
(Jotra dos propietarios, negociantes c lavrado-
res da fregu;za de Murbeca, pedindo a creacao
de urna cadeira de instroeejko primara para e
sexo masculino no povoado denominado Demar-
cado-A' coniniisso de instruccao publica.
Foram lidas e approvadas as rodacooes dos
projectos ns. 37 a 41 deste anno, este sobre fa-
bricas de gaz e illumnacao nesta cidade, e aquelle
aulorisando a nomeac o" de D. Isabel Francisca
Monterodo Quintal Barros para profetaora de
instruccao primaria independente de concurso, e
bein assm 4 pareceres : sendo um das commis-
Jfreunidas de redacco de leis e nstrucco pu-
bW, apresentando, redigido para ser impresso
no jornal da casa o projecto n. 5i do anno pas-
salo c emendas que Iho foram ofl'erecidas ; oulio
da commisso de posturas coucluiudo por um pro-
jecto que foi mandado imprimir, approvando, com
algumas alteraQoes, as posturas da cmara muni-
cipal da Escada : e os dous ultirios da commisso
de peticocs, um declinando para a commisso de
tawmda e ornamento a petcao dos propretarios e
mocadores na freguezia de Afogados, que pedem
nm chafariz e lampeos para o povoado de Reme-
dios, e_ nutro concluiudo por um projecto, que foi
a imprimir, defenndo a petico da compaiihia de
Olinda e,Beberbe.
Passando ordera do dia, foi approvado em I*
discussao o projecto n. 54 deste auno (orcamento
provincial; depois de orarem os Srs. Gomes P-
rente e Mello Reg, sendo dispensado do intersti-
cio a requerimento do Si'. Joaquim de Araujo, e
bem assm a 2' discussao, sem debate, o de n. 5'1,-J
que autorisa o presidente da provincia a ratificar
o contrato celebrado com Antonio Gomes Netto;
e entrando cm 2' discussao o de n. 49, tambem
deste anno, que autorisa o presidente ua -provin-
cia a conceder privilegio para a constnic^o de
urna estrada de ferro do Goyanna .Timbaba,
com ramificaedes para o inlerior da provincia, ve-
rificando-ge nao havor mais numero paraj, tar,lf >i
levantada a sessao.
A ordem do dia para hoje : continuaco da
antecedente ; 2' discussao do projecto n. 34 e 3"
do de n. 32, ambos deste anno.
Noticia importante. Carta da corte,
de pessa circumspecta, diz que S. M. o .Impera-
dor ficava bastante incommododo do figado, do--,
vendo, dentro em poucos dias, seguir para a pro-
vincia do Rio Grande do Sul, por conselho dos
mdicos, afim de obter melbora em sua saude.
Instituto dos advocados.-Deve haver
amanh, s 2 horas da tarde, sessao ordinaria co
conselho director do Instituto filial da ordem dos
t idvof idos brasileiros etn Pernambuco, na sala do
ribuuai do jury.
Aesembar^ador.-Ha urna vaga na rcla-
cib doMaranho,por ter fallecido o Sr. desembarga-
dor Francisco Xavier de Cerqueira, e o governo,
para dar-lhe successor, exigi, e o supremo tribu-
nal de justiea j enviou, a lista dos quinze juizes
de direito raals antigos, que sao os Srs.:
Antonio Henrlque de Miranda, Joo Caetano Lis-
boa, Francisco Lourenco de Preilas, Joao Salom
de Queroga, Sebastio Jos da Silva Braga, Luiz
Gonzaga de Brito Guerra, Francisco Rodrigues
Sette, Joaquim Francisco de Faria, Antonio de
Souza Mendes Jnior, Angelo Francisco Ramos,
Quintiliano Jos da Silva, Felippe Raulio de Sou-
za Ucha, Ignaeioarlos Freir de Carvalho, Fran-
cisco Goncalves da Rocha e Luiz Francisco da C-
mara Leal.
Novo Jornal.Acaba de encetar sua publi-
cacao, na cidade da Victoria, o jornal Municipio,
de propriedade do Sr. Jos de Olveira Maciel Reg
Barros.
No seu artigo de introduccao, consigna elle o
seguinte:
Surge hoje entre os iidadores da imprensa o
Municipio, paraeom ellos trabalhar na grande
obra da civilisacao, ainda que no procure fazer
alardo de suas debis forcas.
niais na escala.do progresso, a publica.- u de um
jornal, porque nobre e ei vi lisa lora como a im-
prensa,-todo pequeo peridico (quandoniodis*
virtua sna jtubluno misso) tem mais- ou menos
urna parcelbi do utilidad-^.
Assiin o Municipio um filho dilecto dos so-
nhos favoritos dessa-mbeidade rdeme e jubilosa,
3ue atira-se cheia de vida e bizarra nos bracos
o progresso.
E' o brado de alerta proferido por essa falan
ge, que adra ra a celerid ide sem par do eavallo
dyamico, e do rame otaravilboso quecinge o glo-
bo, c fa-lo communicar-se em todos os pontos
n'um s instante.
O Municipio, como o seu nomo o indica, as-
pira a que as forcas vivas deste torro ahencoado,
sejam postas em jogo, a ponto de produ/.'-em be-
nficos resultados.
Aspira a que o elemento muuicpal nio conti-
nu a soffrer amargas deeepcoe, a ser completa-
mente Iludido, complelawoflle minificado.
Do ha muito quo" o municipio nada exprime
na org.inisacao do paiz : tao descurado, lao ese-a-
visado, lao mistificado tem sido. O uuesto sys-
tema de tudo centralsar o tem pado e enflaque-
cido por forma tal, que no vegetal inerte ehi que
vive, nada Mide fazer por si, nao tem a mnima
iciciativa.
Preciso pois que levantem-se lirados em fa-
vor do niunicipilismo que se reanime a sna qua-
si extncta accao, fazendo-se assiin nm beneficio
real e de magna importancia ao povo.
O Municipio desprende-se da intolerancia po-
ltica, porque sen norte 6 o bem ser do povo, de-
bellar os abasos do poder, profligar as arbitrarie-
dades, e bastear por sua vez na praca publica a
bandeira da civilisacao.
Nao vem cantando marselhezas concitar
as massas populares, nao vem apregoar, como os
hypocritas polticos, dontrinas de um faotaseado
bem publico ; nao vem desmoronar nossas bellas
fnslituc.ues; nao vem lornar-se cm suinnia o echo
privativo desta ou daquella poltica.
Todos os malizes polticos o Municipio acata,
porque, seu partido nt ter partido.
Crente e religioso, elle nao dallar de man-
festar-se sempre em prol das ideas religiosa-.
o Nos artigos individuaos saber dizer a verda-
de em linguagem anda que enrgica, docente c
cheia de coinedniento.
Nascido no secuto X(K, n deixar de ser
decidido apologista das ideas de fraternisa<; en-
grandecimento, luz e civilisacao das naoDes, m-
xime do seu paiz.
Vai pois correr.mundo o Municipio.
Para os bomens de boa f tile merecer ao
menos um sonriso de benvola sympatliia; para
os tiypercriUeos nada valer, mas estes, que tam-
bem nao teem pena nem glora, nao podero ani-
quilar o Munuipio.
Instituto historie c phikosnuh-:
Domingo passado reuni se esta sociedade, seb
a presidencia do Sr. Bandeira de Mello.
roi lida e appr cada a acta da ieao anterior.
O Sr. I secretario leu o seguinte expediente ;
Varios pareceres da couiinissao de syndi ania
sobre diversas peopostas para socios etl'octivos e
correspondentes.-Approvados.
Acbando-sc presente-o socio proposlo e aceito, o
Sr. Viera da Silva, tomn afenlo, sendo felicita-
do pelo orador, a quem respondeu, agradeeeado.
Pas-audo ordem do da, orou o Sr. lian I
de Mello, dando o desenvolviniente de sua ihese
sobre o ptder espiritual e temporal dos paitas
Findo o que, sortean-se urna nova Iluso, e foi
extrahida a seguinte do Sr. B. de Mello : 0 cor-
so < coru ser incompiticel c m a Hbe.dide t
independencia da igreja ?
Foram sorteados para a dueuasio da nio.sma
thesc os Srs. Frederico Siqueira, Sant'Anna W 0
F. Codeceira.
Nao havendo mais nala a tratar, o Pr. pro-,
sdenle assigna a ordem do dia da sessao vindoiira
e levanta a sessao as 2 horas da larde.
Tropa de Italia. -Adiase a bordo do va-
por Para, com destino provincia do Coar, onde
vai estacionar, o 13 balalho de infantaria de li-
nha, coniposto de 27 ollicaes e 298 p'racas.
Anniversar. -K' boje o da resta.iraca
da provincia da Babia.
IMnliciro.O vapor Pon trooxe GOOJ para
J. Quirino d'Aguilar & (',., e 12.5O0 para Carva-
lho 4 Noguera.
Livro novo. Lomos no Jornal do Commer-
cio da corte :
t Recebemos um cxemplar da obra Temiwia
de libros simplificad^ por el ciegj Ramn M. Pa-
lath.
E' como ndica o titulo, um compendio de es-
eriptoraco mercantil por partidas doblada-, es-
cribi em be :panboi. Sju autor o Pr. Rain m M.
Palacio, ceg lia longos anuos, compz e pnUicou
esta obra tm Venezuela no auno proxlnn lindo.
Sao numerosos os tratados sobre cscripturacio
de livros e pou?o se pode boje adianlar sobre tal
assuinpto. entretanto ollvro doSr. Palacio leni al-
guma novidade ; a exposleao do methodo de es-
cripturar feita com grande simplicidado e escla-
recida por figuras grapbicas intercaladas no texto,
as qiiaes nio s facilitara o ensno, como podem
auxiliar o guarda-livros no transporte das coutas.
As detiniees sao concisas c claras, e o jogo das
diversas cuntas posto ao alcance de todas as iitel-
ligencias.
Termina o compendio com a exposico de al-
Elcilterio Band -ira, Antonio Luii de
ni" Snrapiau de CarvaHm, i^lsee Sun-ll. I m-i--
Iho'*, Grctrio Cu da, los1 Pedro de Alcaajar..
A. L. V. Williams, Joaqumi Fer.-cira de Anata*
Modesto', Jos de Souza Itran lt, Mara Aeoufi
Pinieiilel c 2 fiihos. Manoel Lias Girneiro de 41-
huqueriiuo, Marrolino fontinlin, Antonio da Sil'*
Reg, TheodroBrasack. Antonio Femantes Pnr
to, Jos Hilario Corre 1, Urbano Jos de Souza. I>
tevio de Moraes, Benlo Jos Mbeiro, Francia.
Rodrigues Costa, B.-|thaol Fabri, 29 praca
exercto, I praga da armada e I eserava.
Km transito para o norte :
Simn llageenaner, Dr. Lourenco Becerra \ce-
ra de Mello, Jola Canteante de Allniqucrquc, l'r.
Kaymundo Fclgiiciras, 15 Latalhio de infintir.a
de lnha imposto e 27ofllciaes 0 298 pnoas, \.l
piaras avulsas.
CGMMUNICADOS.
.11
guias regias pelas quaes.se possa conheccr com
facilidade qual o titulo da luiuidacao geral a (|ue
corresponda cada conta. Toda a obiy tem um ca-
rcter pratico que principalmente jjdistiugue de
oulros escrptos sobre esta especalioade.
1 Posto que cscripto em hespanhol o livio do
Sr. Palacio, gra.as seraelhanca enlre este idioma
e o portuguez, pode ser devidamente apreciado en-
tre nos.
Louvavel.-Constando aus Srs. Espinel A
Penante, emprezarios do tlieateo Gymiutsio lira
ma'ico, achar-se gravemente enfermo o artista Jo-
s Ildefonso das Neves Freir, desenhi-ta da IHus-
tracti Pcrnambucaifi, e necesstando de retirar-
se para o centro da provincia, sem que disponlia
dos meics necessarios para fazc-lo, reaolveram
ollereccr-lhe cm seu theatro um espectculo .em
beneficio do irmao desvalido que nelle encontrara.
E este espectculo ter lugar no sabbado prximo
10 do crreme.
O procediraento dos emprezarios do Gymna*o
Dramtico digno de encomios e da attencAo pu-
blica.
Pobre, gravemente docnte e sobrecarregado de
numerosa familia o artista de quem fallamos,
nuiguem negar por corto o seu concurso ao acto
de amor c carida le, que aquelle espeetacul > re-
presentar,
Vitva llarinonia A sessao desta socie-
dade que devia ter lugar hontem, foi transferida
para boje s 6 horas da tarde, ra dos Marty-
rios h. 144, primeiro andar.
Lunar suspeito. Pedem-nos de Olinda
que chamemos a attencSo da polica para a gente
que habita em urnas palhocas existentes no ia-
tumo do Olinda, em sua parte oorresitondenie
igreja de Nossa Senhora dos Milagros, e crcun'
viznho do lugar denominado Camani 1?, a qual
pela mysteriosa vida que leva, se torna suspeita.
PcrversidadcO delegado do 2. distrieto
policial da capital scente deque urna tal Mara
Joanna da Concecao .espancara brbaramente
um menor de nome Amancio, filho de Joo Elias
Cardoso de Mello, j falleaido, procedeu de con-
formdade com a lei, vindo a verificar-se que ef-
fectivamente a crianca havia sido torturada por
aquella mullier.
Conflicto e Sangue-Km Belteribe tra-
varam-se de razoes Felippe Manoel Jos da Silva
e Joaquim Jos de Mello Andrade, a 0 do corren-
to, e passando a-vias de facto resultou ficar o ul-
limt levemente ferido e o primeiro prero em fla-
grante.
A autoridade tomando inmediatamente conhe-
cimento do occorrido, procedeu como manda a
lei.
EyasaoEm Cimbres e a 27 do mez ultimo,
evadio-se do poder de tres praeas que o escolta-
vam. o criminoso Manoel Louren;o da Silva, por
alcunha Capoeiro.
As pracas foram logo recolhidas priso para
responderem pela negligetica coraraettida.
Kspancamento. Pelas 8 horas de hon-
tem, foi. espancada no caes da Aurora, ben con-
fronte ao Gyranasio, urna das mulheres de m vi-
da qcc por all vi vem ao tempo, offendondoV mo-
ral, e a respeito das quaes nos e oulros collegas
estamos reclamando providencia da polica.
O offensor foi um individuo de cor preta, e a
esbordoada urna das taes de cor parda e coheci-
da pelo nome de Mara Dainada.
Veremos se agora a polica faz alguma cousa.
. .el,,*-" HJe 9> effectua o agente Pinto o
leilao de moveu annunciado para o armazem da
ra do Bom Jess n. 6,
Passageiros. O vapor Para trouxe os se-
grales para esta provincia :'
Baymundo Ferreira Barbosa, Diogo Jos da
Costa, Elisa Hallet e um filho, Francisco Muniz da
Silva Ferraz, Joo Cardozo Pereira, Dr. Manoel
Botelho Mattos Guerra, Francisco da Cunha Pe-
4diun'-,|i-:icHo la pi-ntiuria.
\l
Os servicos prstalos peb Exm. Si. eomin-n
dador Hcnri pie Pereira d- Lucelia, no curto pra
zo de sua ausiiciosa adiniuisiracao, jamiis p-xi -
rao ser obscurecidos, por mais ci leu lado aa*
seja o tfapasias da noluv opposic.io que, Im
seando-se em futes raz'es. contin a em suas pt<
cipitadas amK.'.iarVs, ebeias de fel,oimtiindo Un-
ios e repetmos actos mereced oes Al lonvor, para
occupaKte exclusivaniinte >la falU con que s-
Exc. declarou aberlits < trabal os da a-seirl' 1
provincial.
Sem se inspirar cm Interaasaa de ordem aaWiea
e abandonando os principios eternos da jusl;a.
nobre opposicao lanca-ae contra S. K\c, em- 1-
ra-o, ataca-o pessoa I ment", seivii,! -se d wmm
linguagem acruMoniou e iaeapat de aaflBMC'
que prezam sua digaidade.
Analjsanilo o ndalorio, os orfaos da obro ap-
posicoa Pr vincia e principaluicnte o Um
usan de una arzumeutac.i 1 sopbistica e naja p -
intaco est na venale" dos faclos que se -
presta a iiiulil.i.ao, inversao dos beneliotS'i*
sudados ja bem apro dados na imprensa lirr-
acedos pelao|uniio unparcial e sen-ata.
O relaloiiii boje a chava 1 para essa grita i.--
abrda, para essa systematiea opposirM, em
tentaco da qual se tem proeoradu interprotacw-
toreadas, deduc.oes itlugieas wdosoes Bon
das em um falso snppoah sempre variavd,
gundo os movimentos do peiisameulo em I la
abena com a razao.
A provincia inteira, acomp.inhandu a MaMa*0"
dos actos adniinistrativos, v o aaodo doaval
por que se ha prtalo S. Exc. na gestan d gocios do publico nteres*'.
Aquella indiierenca de passadaj adinnislrarr--
hoje supprida por urna activilade inandila, in; -
ni esi.ula por urna serie d aronterimentos, qo.'
levara a convicc'.o a ccrlcza de que S. Kxc impar -
vial em o seu governo, procura rom alineo pro-
mover somonte o eagrandeesOeeaio de sea pro-
vincia natal, favorecer IncessanltaiiitL o AaMai-
volviineiito de nossas abundantes Imites de :
queza, presoindindo da pol tica e em itcrf.-
abandono das conveniencias particulares, soaapre
nocivas em qoalqoer das pteaa.
De relio, aquelic ndalorio que t*m servido
alvo para um cliuveiio de iuipnqKTios e insadar
conten a enunciacao de ideas, flJM vio mtf*
miffocadas pela nobre oppoaieSo, masque nwalraii
os conliccimeiUos vatiadissunos de que dr>poe
Ilustrado presidente, que se ha mostrado Sern
lestavobneote proflrienle as atera.*, que hm
os diversos ramos do servico publico.
.la considerarles reluliras ao aperfeiroimen
(/( tnslini.-cao publica, o inicmmentndr nocas NO-
de communia:rilo terrestre, as mem pon o
gressivo aniimento das renda* publicas e ootn-
iudos melbora men tos indcalos naqu-lla pe-
sio ttulos valioissiinos, sao docum-utos iisiiski
tos e irrecusaveis, i|ue do S. Kxc. ps* const- -
raedo que adqiiirem os pspiritK justos dotada,
de criterio. Esta a verdade. Entretanto 1 nal *
opposicao, zeltsa coinosoe ser. receja que o BU
dimenlo que ha manifestado s! Kxc. a que Ihe w
feilo angariar lanas affci. Oes de libcraes siaeer<,
venlia alguin iba abrir brecia em suas fileiras.
gubdividir ainda o partido, cijas ideas defuate.
Por isso rompen as Iregoas a que st havia i
posto para com S. Kxc, esqueceu as |talavn~
justiea que j Ine dirigir por actos impareia-
d.i sua administraran, e ei la com sorprenden!
injustica a apreciar de modo inconveniente e ene
notavfl alteiae.o .iquelle relabmo. absUndo--*
do terreno dos lons principios e da crcuni-p>
para entregar-se ao da difuaueao.
Censuravel proceder I
So o relatorio de S. Kxc. aun se prr.-la
oommentarins sem lase e partidos de um capn-
;ho de opposl.-o, nao |M'ide tambem ser cxproln ,
dd o .cu proceder nos negocios tendentes ao q n
> administrativo propraincnte dito.
De facto : quaes os actos censuraveis e
despertam na nobre opposicaa lio mi v.mu-1.-
pira rom S. Kxc. ?! n.ial a vinganca esaM .
por S. Exc. para com o partid da pposicao
Ap mtein os lacios c procedam ento mais ripo-
rosa analysc ; mas nao se desviem para o reUt-
no, mide nada eneontrar--) que nao seja dige i.
ltuvor, que nao seja motivo de ag'adeeinvnl
pelos melhoraiiientos qic se dispensa pro-
vincia.
Falle-se a puridade : imparcial se lia mustio
do S. Kxc. desde que se nao tea levado aaaal
gencias polticas, desde que adminislra por r
sem as previas consultas, allende as suas inspir*-
ces e nao faz setVccao na nomea.o dos fu
-- .^,., ninmg ii.iu'.-riuj ni..ii\o.> jiaia i.,
era exprobraco por parte dos que consete
sanente devinn fazer a S. Exc. a justiea
E'sempre um facto, que assignala um passo I drosa, Benedicto Jos'dos Santos

llllr
narios nublicos estipendiados pelos cofres e o
na das autoridades policiaes, que lia reeabidu
cidadaos honestos sem distiorcao de poltica
vaodo-se lmele pelo merecmienlo real e alte,,
divel ante um administrador que, como S. K.v
jamis se lera transvado da linha do jusl. 1
honesto, inostrando-se aBMN amigo devotado d -
liberdades publicas, ajustlo do progresso e t";i
te incansavel da prosportdads de que endf 1
esta provincia.
Km cinco mezes de administrarn -, se S. I'
nao tem promovido lodos os ineihtrnnicnt*-
cuja falta se rsale a provincia. BOOM asan -
procedentes da crise linanceira e do pouro lenq
tambera f..mecido ni.livos para t M-
consetenci
lica -i
merece e que tem direito.
Nao acompanharenv s a nobre opposi;4o no 11-
grato terreno de que se prevalecen, e, ao cooli--
rio prescindir mos de consideraces ajamas e la
linguagem virulenta, parafaHar a verdade, u.
do os factos que diariamente se succeden. n 1
tual adiniuistraco.
Kscriptas estas paavras em resposla ao que 1 1
timameule lein dito a nolire opposicao, -contne. ,-
remos na tarifa que nts iinpozemos, passaad
ainda esta vez a fazer um ligeiro transumpto ri -
actos administrativos d.i Exm. Sr. roinmcndad 1
l.ucena, iiicncionand I aa acuiitecuneiitos segun-i--
as particinacaes publicadas na folla otlici.il
Alli se v que a adu.inistraco sobrese compa-
rativamente a outras. e lorna-se cada vez m.ii
DOtavelj nao so a respeito da punico do criim
priso dos criminosos, seno cono 110 que diz re-
pcito aos melhoramentos concern mies prosperi-
dade da provincia ; snbresahindn ainda com rela-
ca) liscalisa?io dos dinh -iros publico-, malb.11 .-
tados sem o escrpulo que deve 1n1prcss10n.11
um.adminislrador circumspecto e lioitrado.
Alli se v tambera que S. Kxc. se musir inca
savel na expedco de suas orden? para a maau-
tencio da o'idom e tranquillidade publicas, procu-
rando a priso de criminosos que, dis|ters pe
mudos dos importantes lugares da provine..!, vi-
vera tranquillos e sem o receio de puntean acia
proteccao que.lhes dispensara influencias de l<
as polticas.
Nestas vslas insiste em dirigir-se ao Dr. elu-
de polica e s autoridades judic.iarias, i-lnniaad
a sua attenco, qur para as instauraces do- pr
cessos, que devero ser cercados das devidas pra-
vas e quer para a priso dos criminosos, c mo m
le dos oflicios varios juizes e prmiioteres, pr
(idos nos diarios ofici-ies sob- *s.8S,88e 0.
' Em o sen relatorio tao analysado, S. Exc. en
irou em urna serie de ronsideracoes que Ihe par?.
ceram convenientes e aproveilaveis sobre as rolar-
mas c melhoramentos dos diversos ramos do orn-
eo publico.
Dest'arle vai S. Kxc. demonstrando exuberan-
temente, que nao ihe sao indnerentes esees mal"
supremos que depreciara a provincia, e procu-
rando remediados, tem n meado rommissoes de
vultos importantes de ambos os partidos, caaaei
dades reconhecidas e respetadas para c*tudrori
os defeilos dos regulamentos das repartiedes
cas e proporein as medidas que se torada 1
sartas para o seu melhoramento.
Ninguem desconhece que entre os auis ffftef
defeitos do nosso rgimen administrativo irttssalu
niorosidade, e nio raras vete* a falu da ookt-
rencia as decisoes dos. negocios de iatareeae pn-
bheo, mas o Exm. Sr. commendador Loceoa, aaSr*
e urna inna,|ser expedito e nao protelar o expadiaate fw c
1
\


J
f"
Dfeifo de Petfmmkeo 'Sexta'feira'^'de Mfcto d 18T3.
.
~.
KM

'
I
*.
-
I*

pende, tem ja-orivaoj 'pautar o sen pro
anspareccndo dosseus
^Hff a meti'T transigencia de interesses inconfes-
ts ; porm a apreclaco das conveniencias ge-
m e d ntilidade publica.
Seatinella vigilante dos cofres pblicos, procura
)xe sustentar o equilibrio das iinancas e nao
Ptett difflculdades para que nc futuro nao fiqnem
abalados os crditos da provincia.
Assim pensando, n.r> s a-calis* asreceitas^e
despeas i cargo de differentes rspartieocs, sesao
omo acah cora os contratos i icjiuliciacic lesivas
fazenda ; ordenando a reaeiso de varias arre*
luatace? de obras cujas eonclusoes teem sido in-
definidas e impondo inultas aos cjutiaetantes e ar-
rematantes remi-sos, como consta dos expedenti
\ '-se anda do ofllno dirigido ao engonbeiro
chefe da ronaruVao das obras publicas o publicado
ii diario officki sob n. 88.
Anuulland i as eleicoes de diversas parochias,
.m virtudc das violencias emprega las pelas pol-
ticas e candidatos, que eareeiam de elementos suf-
icientes ii.ir.i oHtef o triumpho das- urna, fio tem
deixado de mandar proceder no forma da lei contra
os que se aehan cm culpa poresses faetos, pro-
vancfcV desee iodn que em a sua administrarn
justic se acba' cima de tilde e no pode desap-
parecer ante considera-oes pessoacs e interesses
polticos.
Desviando am poueo as vistas para nutra-ordem
de considerares, vemos quo 9. Exc pretende do-
tar a provincia de estabelecimanto.i de imprescin.
divl necessidade. 8em fallamos novamente no
isylo de meodicidade.' o cuja factura j foi assig-
uaiada eom a celloeacao da priineira pedra, vemos
3ue projecta a eonstruecao do hospicio de ahena-
05. sem que dalii surja onus para os cofres j
exhaustos sem o concurso de S. Ene., que nao po-
de acarrla r coui a culpabilidade de baver aggra-
vado o dficit que nos amedronta.
Oemais : os infujies alienados vivem sob a
pressao de horriveis torturas, oncerrados ii'uin
hospicio inconveniente e lastimavel, nao s por Ihe
faltaron acrommodacoes r.dispensaveis, como por
iuas ms condiedes hjrgenicas' e pola iusalubrida-
de local, tornando-se urgente a ne.esssidade de
construir-so um nutro edificio, e S. Esc, compade-
endose da sorte, desses entes dignos de comisc-
r.uvio, projecta a construc.Ao de um novo hospi-
cio que Ihcs pronoreioM melhoros c mimodos.
A inanil'.vtacaj de tal idea abracada .'oralmen-
te faz levantar-se diariamente donativos de toda a
-*ppcie e olferecimontos de bmelieios, de sorte
que dentro em pouco ser realisnda a eonstruecao
do mais ulil dos estabelecimcalos sem grvame
para a provincia. .
Entretanto se tem procurado desvirtuar esses
sirvios e desnaturar as vislas e ljuvaveis inten-
.loes de S. Exc, que so se ha inspirado no bom
publico.
Convenca-se a nobre opposicio de (|ue nao for-
mar opiii e era olfatear a gloria conquistada
jielo Ilustrado presidente, e as adheses exponta-
ueas e sinceras que ibes tributara prnarabucanos
le todos os partidos.
Accredite a nobre opposioao, que suas palavras
e seu empenho nao podero jamis ovnltar os ser-
vicos de S. Exc. o Sr. cominendador Ur. Lucena.
Elle est julgado pola provincia e nao ser um
grupo limitado do dse, intentes que, cora suas pa-
lavras dissonantes e eivadas da mais definida par-
i-ialidade, destruir a sua opnio j formada
I siriamente robustecida.
Recife,-Maio-1873.
P .
admnistracao,
dit
id SI Ej. o que se fatf
qu se- suppunha havor no
fflBUCMQES 8100.
O director das obras publi-
cas ao publico.
Se nao loase o compromisso que coalrabi de
jSStiftar-mo perante a opin lo publica, corta-
monM nio viria combater as iudebitas aecu-
icoes formuladas em urna Iraguagom impro-
pria de um....... cavalbeiro que deve ter certo
pundonor, ce.-to brio, se nao cm relacio sua
- ja, o mems ao lugar elevado que oceupa.
O publico "tem visto a mancira calma por quo
nwtWihn defendido das invectivas do Sr. inspector
da sade : a inaacira por quo demOnstrei que so-
nante elle foi quera CQDCOrrSQ para ijue a presi-
nela eoncedesse companhia Dramage fazer o
porto.
De novo vou aida ama vez os.-lareccr ao pn-
'lico o que se pasaos por occaiio dessa con-
eesaSo.
E' fra de duvid que quando a companhia
Dratnage re luereu fazer o esgol i parcial, j saba
nal a opimas do camarista c do insoector da
- vi le do porto ; e foi biKcienle dlsso que ella
diiniou-se a pedir tai graudo alteragSo do con-
trato. A presidencia inamlou-me ouvir: imme-
diatimento iaformei contra, em data de 3 de mato
de 1870.
A' vista da minba inTornufao, foi ouvida a c-
mara municipal ; esta por sua vez mandou ouvir
119 Srs. Drs Pitonga e Moscoso, cujos pareceres
forani-publicados no Diarto de 7 do crrente.
V presidencia de novo mandou-me ouvir ; entao
liz ver cm oIBcio de 7 de jnlho, que o esgoto
Coito dentro do porto, collocaria esta cidde as
paesmas condicoes anti-hygienlcas d'outr'ora,
qn assim, em ve: dos despejos seren feitos
am diversos pontos do rio, erara apenas era um
-, o sujeitos ao tluxo e relimo d*s aguas do mar.
-: que assi-n as materias Ifeeaes erara ora trazidas
rio cima para dentro ra cidafle, ora erara lanca
das na praia do istlimo de Ulinda, c outras veces
depositadas, segundo o sen peso, no fundo do
porto. A presidencia vendo que na verdade, era
isso um assampto que dizia respeto salubridade
! i c.[o, mandn ouvir ao Sr. inspector.
O publico leu cortamente a resposta do Sr. Dr.
Moscoso. a qual detenninou a portara da presi-
dencia de 5 de agosto do mesmo anno, conceden-
do a licenca pedida.
So tive scieucia dessa portara quando recebi o
iilRcio da presidencia, cominunicaudo que naquella
lata tinba feito tal coneessio. Fiquei realmente
s >rprend.do cora a noticia, porque sempre pensoi
que estando eu oni formal opposico as ideas do
-amarista e do inspector da suide do porto, e
endo elles o mesmo individuo, quo presidencia
uto me attendendo e nem ao Sr. Dr. Moscoso, no-
raeasse urna commisso de hygiene publica.
Ora, tendo eu e o Sr. Dr. 'itanga emittido opi-
niao contra, e tendo j o Sr. Dr. Moscoso sido ou-
vido como camarista, S. S. devia se dar por sus-
i to, visto ter j emittido sua opnio, e concor-
dar eom a nomeaoio da commisso do hygiene.
Deveria eu acaso, depois do um acto consum-
inado e eom as inforinaijoes do estylo, sera ter
do ouvido acerca do parecer do Sr. inspector da
; inde do porto, ir ofllciar presidencia dizendo
que elle tinba sido precipitado nessa questo ?
Certamente que nao )
Tanto em mea olicio de ."i de maio, como no de
7 de jnlho de 1870, a v.ihiha opposieao so baseava
sob o ponto de vista da h\giene publica : era esta
a questo primordial.
A questo de economa para a companhia era
colisa de priiiieiri intuioo e saltara aos olhos de
todos; e so assim nao lora, porque que ella
pedfa a mudanca do cigoto? Seria em bene-
'icio da hygiene publica, sera ser isso reclamado
por umajunta medica, o por seu motu proprio ?
Creio que ninguem admittir semelhante hypo-
thse : d'ondc se oonclue quo-o flm da compa-
nhia era obter um lucra qualqner.
Ora, nao teixlo cu sido ouvido acerca do pare-
como quena ello qe emittis=e mou juizo sobre o
seu to bem elaborad > parecer ?
E mesmo nao sendo isso materia de minha eom
petaseis, appelle, como no je de novo appello,
para que urna commisso d s hygiene publica di<
parecer acerca de urna ma'eria to grave e de tan
funestas consequeneia*.
Passo agora a demonstrar ao publico qual tem
sido o meu procedimonto como fiscal da compa-
nhia Drainage.
Alm da opposicio que fiz para que o esgoto do
bairro do Itecie nao fosse parcial, cm data de 2',
du Janeiro do anno passado oppuz-me a que o cn-
canamento das materias fecaes do bairro da Boa-
Vista passasse pela ponto lo mesmo nome, em
vista de seu estado de rtiins, e sira pela de Santa
Isabel. Replicando a companhia,mostrando, pela
planta approvada. que o governo Ihe concears.
nassar por aquelle lugar, de novo me oppuz, e in-
? 1? fverno que so podia eonsentir passar
pelo fundo do rio, afastando-se de urna certa dis-
tancia, de raaneira que nao Dffendesso aos pegues
da nova ponte. Nesse sentiio fez o governo n
-concfssao.
Em 'data de 20 di julho ccnsultei a presidencia
acerar da intorpretaflo de dive sos art igos de
-contrato, que a companhia n3o so qtreria sujeitar.
AaolScao fot dsasi-toda \oravel a minha con^
soTla, e contra a companhia, como o publico ver
<>ftlo offlco, que ha de ser pirb/ioado na parte of-
eiaL
Logo no eo;
particular co
lava acerca do
contrato.
Est no dominio do lodos a accao energiea que
S. Exc. imprimi a esse negocio,' e como elle foi
aeolhido pelo publico, que ancioso espera urna
solucio lina!.
Anda em data de 5 de marco do corrente anno,
oflieiei presidencia sobre a interpretacao que a
companhia quera dar a urna nova classe de ap-
parcljios; o (fue a preiidencia decidi de acord
eom o meu |>arecer ,- como o publico ver no of-
licio que ha de ser publicado na parte otncial.
a' vista, ppis, dest meu coraportamento, cabe-
rae a pecha de advogailo da companhia e do inepto
nocumprmelo de moas deveres?
Agora passo a apreciar o oifacto dosr. camarista
e inspector da saude do porto.
Quem tiver acompanbado os artigos do Sr. Dr.
Moscoso ha do con'vir que elle lem-se esfort;ado
para retirar o sevi xeh pela salubrkladc publica,
porem somente no (|uc diz respeito ao mo estado
em que se acham alguns apparelhas da companhia
Dramage; porque julga ser esse o melhor diapso
para gfangear proselyl os.
Felizmente o Sr. Dr. Moscoso bem conhecido
nesta provincia pel seu apremiado ztlo.
Quanto, porem, s i mnundieias das mas, beccos
e pateos, mrmente os de bairro do Recife,' dos
miasmas que exalao os caes que bordara esta c-
dade, ao nauseabundo cheiro de algumas ai varen-
gas, e ao rebol ico constante e os miasmas das ma-
terias fecaes lahcadas bem dentro do parto ; o Sr.
Dr. Lobo Moscoso nem urna s palavra tem arti-
culado acerca de tudo isto.
A nica razo que se pode dar de semejante
parcialidade na denuncia ao povo e aos poderes
pblicos, de semulliantes focos de inmulfdicia,
que a membrana pituitaria do Sr. inspector tem a
propriedad de se tornardormente ou mullo sen-
sivel, semelhante ao ferro doce, qne se torna mag-
ntico pelo contacto da corrente elctrica.
A membrana pituitaria do Sr. Dr. Moscoso sof-
fro cortamente dessa ir termitteneia.
Aualysemos o defeito do orgo nasal do Sr. ins-
pector la saude do porto.
> S. S. vai examinar um apparelho da compa-
nhia Drainage, aeha putridinoso e foco inainovivel
de infecc, tal a accao" da mesma membrana
que se toma nimiamente sensivel; se, porem, se
dirige aos beccos, pracas e caes que se acham in-
mundos e expostos aos raips solares,cxalando mias-
mas, ento essa menlbraua perde. a propriedado
do oifacto, torna-se dormente c. insensivel. S anda
S. S. volta a oxamrnar no vos apparelhos, de novo
tambem sensibilisa-sc immediatamcnte 6 mesmo
orgio ; e eis -os mesmos focos de infeccao ; se,
entretanto, e por acaso passa pela travessa do Pe-
lourinho, no bairro &> Recife, ou vai algumas
alvarengas, os que uovamente essa delirada mem-
brana se entorpece e 9 S. nada sent.
Est por tanto explicada a razo porque o Sr.
inspector da saude nao clama contra todas efssas
inmundicias que impostara esta eidvde. Elle
inconsciente dessa leso orgnica e por conso-
grante irresponsavel pelos seus actos que depen-
dem do oifacto.
Se o Sr. Dr. Moscoso tem robusta cnnviceao de
que a sua opinio tem todo o fundamento c
razao de ser, porque tambera nao pede a S. Exc.
o Sr. presidente da provincia a nomcaco de una
commisso de hygiene, e da qual S. S. faga parte,
aim de sustentar a sua opinio eom argumentos
scientilicos, dando assim maii una vez occasiao a
seus nobres cullegas e ao punlico de apreciarem
to raro talento ? CunpreoSr. Dr. Moscoso nao
perder a opportunidade de exhibir to bellos
dolos.
O publico leu certamente o meu offlcio de 5 de
abril em resposta ao do Sr. inspector de 4 de marco
do corrente anno.
O que eu disso no meu offlcio a verdade ;
nao exagerei, eraquanto que o do Sr. inspector :
alera de exagerado, deelmou erros de physica,
indiseulpaveis sua alta.posioao e-sabedorla ; e
porque S. S tambem nao fallou no foco de infec-
cao das materias fecaes bancadas no porto ; acaso
nao ser isso una grande infeccao?
E" que o Sr inspector da saude do porto soffro
de estrabismo, v as cousas ao viez..
Tanto em jiieu rotatorio presidencia, como-no
offlcio de 5 de abril di corrente anno, tornci bem
patente o estadi era quo se aehavam mtiitos appa-
relhos, e a falta d'agn, a ponto de em offlcio
companhia exigir a eoUcSrao de ihii novo enea-
menlo e reservatorio no bairro de Santo Anto-
nio.
Como iiois que o Sr. Dr. Moscoso, julgando-se
o nico'zeloso, quer especular eom a opinio dos
homens sensatos, acarretando'sobre niim o odioso,
jaleando assim rehab:ltar-se perante a opinio
publica ?
Quanto ao gesto architectonico das minhas obras
e aos seus defeitos, direi apaas quo todas sao
visiveis c mais ou menos remediaveis. Quanto
aos ornamentos direi ijue tenho sido cauteloso, e
os faro de harmona eom o regulauento desta
rcpartigo, que era r.rtigo especial manda que
seja attendivel o erro de calculo, e as omissoes
de obra,
Assim, pois, os meus erros esto todos patentes
luz meridiana, ao passo que a maior parte dos do Sr.
Dr. Lobo Mocosoesto sob una carnada de trra
de 1 a 2 metros de prafundidade.
J ve o respeitavel publico que pode o Sr. ins-
pector continuar na sua tarefa angloria, certo de
(pie nao melcausar afllicco, pori|ue tenho cons-
cienca do que sou e da norma de meu proceder.
Aillicto p bera afllicto ver-se hia o Sr. Dr. Mos-
c so, s.) as victimas d; seus erros descessem do
oulro mundos o perseguisse a todos os mo-
mentos.
Ha cerca de um me* S. Exc. o Sr. presidente
nomcou nina commisso para examinar o estado
dos apparelhos, as suas faltas e o meio que se
deve erapregar para sanar estes defeitos Ora'
sendo o esgoto das materias fecaes do bairro do
Recife, fyito dentro do porto, podendo esse grande
foco de infeccao. concorrer para desenvolver a fe-
bre amarella uos navios surtos no mesmo porto,
afuyentando assim a viada de navios, c acarre-
tando un mal ao commercio, estou convencido
que S. ExcTCCOnheccndo agravidade da questo
e desejoso de concorrer para o bem estar desta
cidade, nao se oppor era nomear urna commis-
so de gygiene publica, afim de que, estudando
a materia, aprsente a sua opinio, sobre a con-
veniencia ou inconveniencia do esgoto das mate-
rias fecaes do bairro do Recife Yeito dentro do
poito desta cidade.
governo anda est em tempo de remediar
esse mal, fundamentando-sc na decisao da com-
raissio hygienica, acabando assim cora esse foco
de insalubridade publica.
E" mais um servico que S. Exc. prestar sua
provincia natal.
Torminando. peco desculpa ao publico se, em
minha exposico nessa discusso, empreguei al-
gura termo menos conveniente.
Recife, 8 de maio de 1873.
Jos Tiburcio Pereira de Magalhes.
B Mara Tnercza da Silva Gomes.
D. Adelaida Joseliua de Mira Conrado.
D. Mara GbncTves Perrelra C5sra.
D, Maria Alves de Oliveira Maia.
D. Maria da Cunh Magalhies Seve.
B. Lilia Drandao de Souza lltanga.
t.' Celecina D.'GuiHiermina Ferreira Pinto Porto.
. Annunciada Camilla Alves da Silva. :
D. Antcna Mara da Conceico Saldanha.
D. Leonor de Araujo Amazonas Villas-Boa?.
D. Antonia Amelia Pereira dos Santos.
D. Antonia Themotea de Albuqueruue Peggi-
Consistorio da confraria do Sennor Bom Jess
da Via-Sacra,3 de maio de 1873.
O conego vigario.
Themistocki Roma, Pereira dos Santos.
Sr. redactores do Diario de Pernambuco. Irio
posso deixar de protestar contra a noticiu qute-
te o Sr. Dr. Manoel Barbosa' de Arauja eos ssns
amigos de que na miaa casa tivesse havido reu-
nido para organisaoae da chapa para eleilores da
freKezia da Boavista, ou de outra qualquer.
O Sr. Dr. Barbosa sabe que nao tenho entrado
em semelhantes lulas; e que nem ao menos te-
nho prestado o meu voto.
.Nao se supponha que .me quero justificarde
presente e de futuro ; porque .esto'n resolvido em
uo entrar mais em lulas eieitoraes.
Quinto a copia da qualkaeo deque falla o
Sr. Dr. Barbosa, devo dizer- que verdade ley
fornecido urna que possuia, ao Sr. Feli Jos Fer-
reira, que m'a pedio, dizendo que queria procu-
rar" votos para si, embora nao tivesse entrado em
nenhuma chapa.
Explicado assiia esses tactos, paco *) Sr. Dr
Barfosa, e a quenrquer mafs qne seja, qne nao
esvolva o mea humilde' rtome' era tstes questflea,
para miitl de nenhum importancia.
Recife, 8 do malo de 187,
Dedo de Aqnino Foncem.
KiTrttaw
PRA1NCIPAES, QU ESC.VPAUAMSO PARECER DO
DR. ANTO.M.D&VASCONCEU.OS SENEZF.S DE
DRUMMO.Iby ^UW PERNAMBUCO DE 2 E 3 DE MAIO D 1873.
No Diftr'io de i'.
1.a columna.
Linhas Erros Emendas'
30 o testamento seu testamento
,122 Praxe Orph. Proc. O'rph.
133 volido ct voluta soluto et soluta
140 respeito dos
152 tjinfication
2/
36 reg
70 seu
85 Caseta
9li e art.
121 a tenlia
1VO Ao 8." quesito Aos
lil vicio
1
37
91)
101
10'i
109
111
130
O
21
28
3i
35
03
83
80
93
117
120
127
1U
117
1+8
150
11
.'2
30
50
61
65
09
73
96
97
111
134

125
129
132
respeito do dos
gnificatione
columna.
rege
seo
Gazcta,
c do art.
o tenha
8.e9.quesitos
vicios
3.a columna.
Risquein-se as palavras em que
No Diario de 3.
1.a columna,
conselheireiro
vlvez
lrmos
especiaes
verdade
interpretar
universal
effeitv
2.a columna,
mais e
duviJa
leg
uc
conciliar-so
que havia
reconhecid
(lestes
dp
cissanle
ooticorrencia
geralmentu as
consellieiro
viuvez
irmos
espurios
em verdade
interpretacao
universal
efpiito
incontraverso
equiparadas
3.a columna.
mais de
devida
teges
ac
couciliar-se
que o havia
reconhecid
destes
do
cessante
concurrencia
gravemente
eom outro
incontroverso
equiparados
o
HMttt sentcntia
illicita
do
o
msrw sententia
Ilcitas
de
risque-se a palavranao
sna
primeira,
escndalo
llogr.u
artltenticio
provr
propoeila
val
l.aijibus
o naturaes
prejndicadoo
4.'columna.
sua.
primeira
escndalos
Kogron
autlientico
prova
proposita
vel
Leqibus
os naturaes
prejudicado.
23
57.
58
123
127
Olelcito ilos ir ni ii os que Irm de
reger a confraria lo Wenlioi*
Bem Jesns da lia Nuera, no
ano compronaissal de 1893 a
Provedor.
Manoel Doraingues da Silva Jnior.
Escrivo.
Theodoro Jost Tavares.
Theseurcro.
Domingos Jos da Silva Nogueira,
Procuradores.
Elias Baptista da Silva Ramos.
Francisco Alves de Carvalho.
Definidores.
Jos Lui Alvos Viflela.
Marcolno Jos Pupe.
Antonio Fernande dos Santos.
Henrique Luiz Ferreira Leal. .
Manoel Jos de Araujo.
Antonio Martins de Carvalho Azevedo.
Jos da Costa Ferreira.
Manoel Maria Rodrigues do Ifascimento.
Manoel Antonio Cardozo.
Euthichio Mondira Pestaa.
Julio Jcs da Costa. *
Antonio Luiz Baptista.
Provedora.
D. Maria Joaquina de Hendonca Ribeiro.
Eseriv.
D. Marianna de Faria ISotelho.
Definidoras.
D, Mara Salustiana do Amorim.
D. fdalioa de Siqueira da Costa Monezes.
0'. Marta das Dores Perstti.
!). Delmira Herculana da Siha Cardozo.
D. Alexaudrina Marques de Amorim e Silva.
D. Anna Amelia Muniz de Almeida e Maia.
D. Ignez Francolina de Meti Pinheiro.
Sareneia de Bemfica.
aneza de Campo vefda.
D. Emilia Amella Luzla Doosnely.
casamento casamentos
rpour mariage
cele i ci celui-ci
os enxergo se enxergar
preexisterts preexistentes
5.a columna.
92 que quando
94 quando visto como.
102 risque-se a 2.a palavraque"
6.a columna.
17 eadem idem
a debal debel
50 prejudicando prejmlicarn
E outros anda eseaparam, os quaes a in-
telligencia do leitorcorrigir faedmonte.
OMMERCIO.
PRAHA DO RECIFE 8 DE MAIO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TARDB.
CotaeSes ofliciaes.
Assucar bruto baixo 13850 por 15 kilos, hon-
tem.
Assucar-Canal 11650 por lo kilos, hontem.
Dito dito 1 j6oO por 15 kilos, hontem.
Algodo1* sorte lOtOO por 15 kilos, hontem.
Algodode'Pendo sem inspec^o 94200 por 13
kilos, hontem.
Algododo serto sorte 10*400 por 15 kilos,
hoje.
Cambio sobre Londres a 90 d|V. 25 1[2 d., 23
o|8 d. e. 25 3(4 por UOjO, ibontem.
Dito-sobre dito a 90div. 25 1(2 d., banco e par-
ticular, boje.
Cambio sobre Pars a 90 d|v. 375 rs. o franco,
do banco, hontem.
uDourcq
Presidente,
ueal S.ev~
Secretario.
. taiapoPtacao.
rntos do sul vapor nacional Para, consignado
a Pereira Irrato & C manifestou:
Rio.
ChapM de chile b fardo a Ferreira 'Mathen?, 1
a MTos^P||ho C.
Pumo H8 latas, 76 roles a C. A Sodrda Mot-
ta, 128 ditos e .14 caixas a Oliveira Azevedo, 80 ro-
los aosossignatarfo, 20 n J. A. PmvHra, 32 di-
tos, 23 eaixas e 65 latas a J. MJ Palim-ira, 10 latas
a Unos A. Barbosa, lOpacotes a Joaa amos &
Machado.
Tinta 1 barril e 2 caixas a Bourpml 4 C
Vrane 15 caixas a Alberto B. Ghewy.
Babia.
Altazema 40 sawas a Fraga & Rocha.
Lharutos.4 eaixas a Domingos C. Ferreira, 1 a
Antonio M. Gomes da Silva, 3 a Gregorio Seabra,
8 a Luuilh ir' Mana; t a l. Jf. Palmeira.
Doce t mallas a L. GonV-alves da Silva & Pin-
to;
Panno de dlgcdlo 80 fardos a Amorim lrm;ios
?..** 89 aos consignatarios, 80 a Goncalves
Betrrao-* C., a Jos da S. Luyo & Filho,- 12 j
Luiz Duprat, 23 a Ribeiro Pinti Guimaraes.
Rio Grande do Sul, patal portugaez Rocha,
consignado a Ainoriin Irmos & |C, inanifestou :
Azeite de moet 50 cirxas.
S2!Xiifm kW 4'70J kiloi-
Sb* ti Mrrfcas,
arqde 193;6(J3ldl6s'ao consignataricfs.
OESPAUHOS BE EX.PORTACA0 NO DI A 7 DE
MAIO DE 1871.
Purai ot portos do extetior
-M. navio ingles Manara, pira o Bltico,
S?5!PW*: G- Xeesen k c- 'l0 sacc*s ,:o11
29,866 kilos de algodo
Na barca ingleza Magna Otarte, para Liver-
pool, carregaram : T. JefTeriej 4 C. 130 sacca eom
1M79 kilos de algodo.
No vapor ingle Patagonia, para Liverpool,
carregou : A. F. C. Oliveira 1 caixa eom 40 kilos
de doce e 1 dita eom 15 ditos de assucar branco ;
L. A. Siqueira 2 ditas eom ti ditos de doce.
Na barea franceza Ww Grande, para o Ha-
vre, carreganw: a. Burle 4 C. 311 couros
salgados verdes eom 6,531 kilos.
- No brigue nespanlwl Eecurso II, para o Ro
da Prata, carregaram : P. Carneiro & C 300 bar-
ricas eom 36,429 kilos de assucar branco.
la esenna allem, Annn k Ida, para o Rio
da Prata, carregaram : P. Carneiro & C. 709|2
barricas cora 78,83 kilos de assucar branco e
150(2 ditas cqm 17,326 ditns de dito mascavado.
No brige portugaez Bella Figueirense, para
Lsaoa, carregaram : Carvalho saceos cora 37*300 kilos de assucar mascavado;
,E. R. Rabello C 24 couros salgados cora 283
kilos, e 3 hipas eom 1,440 litros de cachaca.
Na galera portugueza Audma, para "o Porto,
carregou : M. C. Antones G. 1 caixa eom 44 kilos
de doce.
Para os portos do interior.
Para Uruguayana, no brigue hespanhol e-
cum, carregou : L Duprat, 400 barricas cora
4,807 tilos de assucar branco.
Para ottio Grande do "-"ni, na barca brasilei-
ra ATorm'i, carregaram : Oliveira Filhos 4 C. 300
barricas cora 33.21J lulos de assucar branco.
Para Sintos, no patacho portuguez Lima,
carregaram : J. S. Loyo A Filho 200 saceos eom
ll,75ii kilos de assucar mascavado.
Para Santos, no lugar inglez Viola, carrega-
ram : J. S. Loyo A Filho .O.iO saceos eom 60,'JOO
kilos de assucar branco.
Para o Itio di> Janeiro, no brigue portuguez
Colele, carrego'u: H. J. C. Sobrinho 25 pipas cora
12,000 litros de agurdente.
Para o Rio de Janeiro, id brigue brasileiro
Veloz, carregaram : S. da Sil a & 2'5 pipas eom
12,000 litros de agurdente.
" Para o Rio Grande do Norte, na barcaea
Dtmt Amigos, oarregBMm : J. C. Figueira 5 pipas
cora 2,40) litros de agurdente ; Fernandes A Ir-
mi) 1 caixa cora 10!) pares de tamancos.
GAPATAZIA DA ALFANOF-GA
Rendimento do da 1 a 7 4:00*36)
dem
e 824 de fundo, eom a frente para o poeilfc; tnn-
fHiando ao norte eom o sitio de Jeronymo Emi-
liano Gomes da Foeeca, e ao nascenle cora um
terreno de-rtroibrado d sitie do brigadeiro Joa-
quim Bernardo de Figneiredo, pertefrente a Luiz
Gomes, e ao sul coui diversos terreno?, desmem-
brados do sitio e aforados diversos ; tendo 1
casa terrea eom 30 paliaos de frente e 90 de fun-
do, eom duas salas, urna na frente e nutra no fun-
do, 6 quartos internos e dons extornos, cozinha
fra e diversos torracos amurados, avahado tudo
por 5:0003, cujo predio e sitio, vo praca por
execueflo de Peneira A Martins cm liquidiro
contra Andr de Abreu Porto e sua niulher a
quem perrencen dito predio c sitio. E na falta de
licitantes, que mi.rain o preco da avaliacao ser
feita pelo preco da adjudioa?ao cora o abatimenlo
da lei.
E para que chegue ao conlwcmento de todos
raandei fazer o presente edilal que ser afllxado
era lugares do costume e publicado pelos jor-
naes.
Dado e passa lo uesta cidade do Recife de Per-
nambuco, aos 0 do mez de maio de 1873.
Eu, Ernesto Machado Freir Pereira da Silva,
escrivatf o subscrevl.
Sebastitio do Reg Barros de htcerdi.
/. -..-. i
X 4.777*631
VOLUMES SAHIDOS Xo dia 1 a 7...... Primeira porta no dia 8 Segu/ida porta..... Tercleira porta Tranjrho Conccicao . 7,831 122 3)8 128 4,508 12,047
SERVICO MARTIMO
Alvaiengas descarre'gadas no trapiche
da alfandega no dia I a 7 .
Ditas ditas Ao dia &......
Navios atracados no trap. da alfandega
Alvarengas .....:..
No trapiche Conccicao ... .
3i
RECE.';EDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAES DE PERNAMBUCCr
flendmento do dia 1 a 7 13:5344068
(dem do dia 8 1:3765177
lG:9l!>i243
ftendirnento do dia
dem do dia 8 ,
CONSULADO PROVINCIAL
1 a7
8i:485037
1:4804791
83:965i828
MOViMlNTO M PORTA.
Navio entrado no dia 8.
Rio de Janeiro e portos entermedios7 das, vapor
brasileiro Par, de 1120 toneladas, commandan-
te capito tenentc Peiro H. Duarte, eqnipagem
52, carga varios gneros; a Pereira Vianna
AC.
Navios sahidos no mesmo dia.
Porto-Galera portugueza Audacia, capito Jos
Antonio dos Santos, carga assucar, couros e ou-
tros gneros.
Rio da Prata -Barca hollandeza Isabetla Joanna.
capito Van Brink, carga assucar e agurdente.
ALFANDEGA
Rendimento do dia 1 a 7 .
dem do di 8.....
273:172*280
33:1851824
306:337*804
Descarregam hoje 9 de maio de 1873
Brigue ingle lato GosdgCar carvio ] despa-
chado para o 4* ponto.
Barca americanaCascataboado j despachado
para o caes do Apollo.
Palhabole americanoBottie Baskette-vmoi g-
neros para o trapiche Conceicao, para
despachar.
Barca iemx-Ellida varios gneros para o tra-
piche Conceicao, para despachar.
Brigue hollandez -ThoSbecfc vario* gneros para
o trapiche Cohoeico, para despachar.
Patacho inglz-l>nui-mercadoria9 para alfan-
dega.
Caetano Cyriaco da Costa Moreira, major
commandanto interino do 1. batalho de
infantaria da guarda nacional do muni-
cipio do Recife, e presidente do conselho
de qualiQcaco da t'reguezia do Santo An-
tonia, por S. M. Imperial, a quem Deus
guarde, etc.
Fago saber que em virtude do disposto
nos rts. 20 e 21 da lei n. 602 de 19 de
setembro de 1850, e arts. 1 e 9 do decreto
n. 1,130 de 12 de mar^ode 1853, se reuni-
r no consistorio da respectiva matriz, ds 9
horas da manha do dia 18 do corrente, o
conselho de qualificaco e revisti da guar-
da nacional dessa freguezia.
E para que chegue a noticia a todos, raan-
dei: publicar pelo* jornaes e flxar o presente
edital na porta da referida matriz.
Quartel do commando Interino do 1. ba-
ialhao de infantaria da guarda nacional do
municipio do Recife, 3 de maio de 1373.
Caelano Cyriaco iki Costa Moreira,
Major commandante interino.
de foiha corrid pelo pretenden os logara* **
pnMmsta desta repartir**, con 'por WrWro
se exigi no anmincio de 26 do mez >s
sado; deveado, \mrm, os wuusr
curaento que prove a sua be* to _
Thesouraria de fazenda de l'ernaiabora 1 la
maio de 1873. ^^ m
O i.* escripturari ervindo de secretara
Carlos Jiti* deStuza Cerreia.
EDfTAI. N. 122.
Pela inspectora da alfandega se faz nubiieo que
nao tendo sido despachadas as mercaduras abai-
xo mencionadas, anunciadas par consumo por
edital n. "ti de 0 de Janeiro ultimo, se ho de
arrematar as mesmas raercadoras livres de direl-
tos porta desta repartico, as II horas do dia,
12 do corrente.
KTafeVV L F $987: Um caixa vinda do Ha-
vre no navio francs- Joo Baptista, descarregada
em 6 de abril do anno passado. consignada a H.
Leger, conteudo urna moldura dourada de gesso
avaliada por 4.
Marca E A II n. 6. Urna sa(a vinda de Marsei
le, no navio francs F. Maria, descarregada em 8
de abril de 1873, consignada a E. A. Burle A C,
contendo 49 kilos de praenla negra em p, ava-
liadapor. iGlK).
Marca J PL n. 1. l'ina aixa vinda do Havre
no navio francez Grane lie, descarregada em 23
de maio de 1872, cansgnada a J. P. de Lemus,
contend) um vdro para espelho, ova!, avahado
por 314200.
Marca A L R n 1083. lina caixa vinda do Ha-
vre no navio francs Graucille, descarregada a
27 de maio de 1872, consignada ordem, conteu-
do 76 kilos as caixinbas de papel, para escrever,
dourado, avahado por 76, 25 kilos nos envolto-
rios de ehvelopes avahados por 50|.
Marca J D P D o. 581. Urna caixa vinda do Ha-
vre no navio francez Granville, descarregada em
29 de maio de 1872, consignada a J. de Pate
Borges, contendo urna caixa cora folhas avahas
iuipressiis avaliada por 74200.
K ihe Schmettau A sem numera. Um embrnlho
viudo no vapor inglez Alice, descarregado em 31
de Janeiro de 1872 e consignado a Rabe Schmettau
A C, contendo amostras, sera valor.
VazALeal n. 546. Um dito vindo ie Sou-
thampton no vapor Deuiv, descarregado em 26 de
Janeiro de 1872, consignado a Vaz & Leal, con-
tendo amostras, sem valor.
Joaquina A. Araujo A C. sem numero. Um dito
vindo de LiverpooUno vapor inglez Studenl, des-
carregado em 30 de Janeiro de 1872 e consignado
a Joaquim A. A. Araujo A C, cuiitendo amostras
sem valor.
Marca C F A C n. 9 l|?. Um dito idem idem
dem, consignado a Keller A C, ciiendo amos
tras sera valor.___________________________
De ordem do lllm. Sr Dr. director geral hi-
terino tajo constar as professeras, cujos n mies
vo declarados as relaces abaixo publicadas,
que o mesmo lllm. Sr. de confonnidade eom a de-
li'ieraco da presidencia da provincia de. 6 de ju-~
llio do 187'', tem marcado o prazo di dous mezes
as proessoras mencionad;^ na relaco n. I, e de
3 mezes, s da relacio n. 2, aura de que cntrem
n exercicio de suas" cadeiras, sob pena J.) nao o
fazendo no prazo cima dito, a contar desta data,
licarem sem elFeito as respectivas nomea.oes. E
para que chegue ao conhecimento das mesin ?,
se faz" o presente, quesera publicado pela im-
preisa.
Secretaria da nstroeail publica de iVrnainbuci
8 de maio de 1873.
O secretario,
Aureliano A. P. le Carv lho.
Relrdes o que se refere o edictal cima.
N. I.
D Maria Candida de Figueiredo, nomeada (ara
a cadeira da villa de Ingazeira, cm l de abril pr-
ximo lindo.
D. Vicencia Alves de Carvalho Dara, nonna.la
para a 1* cadetra de'Alegados de Ingazeira na
mesma data.
D. Felippa Floripes de Faria Mello, noraeada pa-
ra a de Olho d'Agua dos Rredos, dem idem.
D. Anna Ignez da Silva Ramos, nomeada para
a de S Jos de Ingazeira, idem idem.
Conforme. O secretario, Aureliano A. P.
de Carvalho.
N. 2.
D. Maria Isabel de Mello Motira, nomeada pa-
ra a cadeira de Taearat. em t de abril ultimo.
D. Wadeltrudes Primitiva da Fonceca relies,
nomeada para a de Cabrob, na mesma data.
D. Joaquina Ayres de Lima, nomeada para a de
Villa Bella, idem idem.
D. Urania Nympha da Silva, nomeada para a di-
Granito, idem dem.
I. Bernardina de Oliveira Cavalcaote Machado
nomeada para a de Salgueiro, Idem idem.
D. Lucinda Rosalina do Mello, nomeada para a
da villa de Ouricury, idem idem.
D. Rita Francisca dos Anjos Chacn, nomeada
para a da villa da Boa Vista, idem idem.
D. Maria Augusta da Silveira, nomeada para a
da villa de Petrolina, idem idem.
Conforme. O secretario, Aureliano A. P.
de Carvalho.
5UOJ
r-'ioto
6:000*00
16004000
Santa casa da
Recife.
PREDIOS A VENDA
A junta administrativa te SaaU Casa da *-
ricordia do Recife, competentemente autoritada,
leva pela ultima vez prava de veada, at o a i
de abril perante mesan junta, na sala *
suas sessoes, os predk sagaiates, Kraaao par
base os prejos j ufferecidos :
Largo da Campia
Meia agua d n. 5......4084*109
Ra de S. Jorge.
Casa terrea n. 92 e a de 83 do Guara-
rapes .........3:J-'044p
Sobrado de um andar n. 30 2:'M4fM
Dito mei-agua.......
Ra de Antonio llenriqucs.
Meia agua n. 26. .
Ra da Itestaaracio.
Sobrado n. 57 ...... .
Rus d o Amparo (Olinda i
Casa terrea n. 29.......
Bicca de S. Pedro.
Casa terrea n. *.......i
Forte do Mallos.
Melade do sobrado de tres andares a.
13 por.........5:."MJ
Beceo do Abre*.
A 3" parte do sobrado n. 1 g
Boceo do Teixeira.
Casa terrea n. 5.......2504000
Largo das Cinco Pona-.
Terreno.........1:000*000
Ra da Assiuopcm.
Terreno.....* 4DO40O
Secretaria da Santa Casa da Misericordia 4e
Recife, 29 de marco de 1873.
Oesorivio,
____________Pedro Bodrigiips de Souza.
Cnmmanilo nnperer.
0 lllm. Sr. conuicl cominnidante supe-
rior interino, tendo designado o dta 9 do cr-
rente mez para ter lu,rar nesta secretaria a
reunio da junta medica, manda convidar
aos Srs. ofliciaes que requererain ser ins-
peccionados a comparecerem no menciooa-
do dia s 10 horas da manda.
Secretaria do cominando su[erior da
guarda nacionat do municipio do Recife, 6
de maio de 1873.
CEOUIMMEI
- De ordem do lllm. Sr. inspector da thesou-
raria de fazenda, se faz publico, que no dia 21
do corrente mez, perante a junta da mesma the-
souraria, pelas 2 horas da lardj, ser arremata-
do por quem maior vactagem offerecer' fazen-
da, o forneeimento du* objectos necessarios para
o expediente do secretario do commando superior
da guarda nacional desto municipio, e dos res-
pectivos conselhos de qnalificaco.
Thesouraria de fazenda de Pernambuce. 0 de
maio de 1873.
O 2." escripturario, servindo de secretario,
Carlos Joao de Souza Correa.
0 Dr. Sebastiio do Reg Barros de Lacerda, juiz
de direlto e especial do commercio da cidade do
Recife de Pernambueo, por S. M. Imperial, que
Deus nuarJe, etc.
Faco saber pelo presente que no dia 19 do cor-
rente se ha de arrematar por venda, a quem
m is der em praca publica duste ju$a>, depo s da
audiencia retjMJ|IT^-, o sebrado.silo 6 ra da Ca-
cimba n. 6, da freguezia de S. Fre Pedro Gon-
Slves tendo na freate duas portas e urna janel-
, varanda do ferro no priraoiro e urna janeila
Ida saccada no sttao, contendo no primeiro andar
iuma sala de frente, um quarto e urna sala no
Ifqndo servindo da cozinh, e no soto urna sala
de frente e um quarto, raas una sala no fundo,
e.pequea sot ji empea que serve de cozinha,
avalado em 3:OOfiiODQ.
Um siti na estratfa fle Joio de.Etarros, fregue-
zia da Boa-Vista n. 19, eom 80o Pmos de frente
Pela secretaria da cmara municipal desta
cidade, se faz publico, que a mesma cmara prin-
cipia sua V sesso ordinaria deste anno, em o dia
9 do corrente:
Secretaria da cmara municipal do Recife. 7 de
maio de 1873.
Lourenco Bezerra Carneiro da Cunha,
Secretario.
i oiiNiila Por esta repartico avisase a quem interessar
possa, que cora o praso de 30 das successivea, a
ciiutar do t* de maio prximo vindotiro, est aner-
tu o rejebiremo da naportaneia dos apparenW
collocados pela llrrife Drainage l'umpany nos
predios sitos as roas abaixo deafnnnna, e igual-
mente da respectiva annuidade al o ultimo >
junho de 1872.
Outm sim, de confonnidade rom a p >it:.iia do
lllui. T. inspector da iliesouraria |iroviucial de 19
do corrente mez de abril, faz--.- M-iente que flra
para opporlunanienle ser ico-hilo <> rusto da ca-
naaaean interior dos mes nos pn-dios. tcnoVmte ao
loraerimento Tagua aos apparelho-, vi-to depea-
der anda de medir i; Ih-ui cuno que os 204000
de differenca no preco dos apparelhos da 3- classe
e dos de lo'.-a, que estn em uso, di-v-rn ns (iro-
p ietarios pagr.-lus directamente a Iteeife Drainnar
Comp inij.
As localidades a que se refere n t> o-biincBlo
ko as seguintes, conforme a nula torneada pela
eompaatanv
Campo das l'rincczas, ra de Saata Isabel, roa
ia Florentina, ra Bella, roa le s. Franrisro, bee*
11 do Cime, ra da i; -i i, travessa da roa Bala,
largo do Paraso, trave.isa do tmvidor, ra e>
Quarleis, beceo tapado da inntril, trave*sa da
inc-ma. ruados Buostos. r.. J> ?.<'.<*. roa da
S. Bom Jess, ra d i i, Iweee do Caf,
ra de Samo Amaro, ra 1 S !. ra I)|ue 4c
Caxias, ra do Crespo, ra d Cabng \. na \
eaes i- de Novenbro, ra d > lu endor, ra lar-
ga do Rosario, ra da- Lar ingahM, ra das Triu-
cheiras, ra da Camli'.a do lorian, travessa do
Carino, nadas Fb res. i na da l'az. na estreita
do Rosario, trav. ssa das Crutes, rua do Livra
monto, na Direita, ma da Vlraeao, rua 4o Fng
travessa da S. Pedro. L -c-o di Padre, beceo de
Sarapatel, beato da i: ;.i l.u-go ,\- s. Pedro,
rua das Agus-Verde-. largado Carao, rua dV
Hoias, rua da Palma, largo na GaaaaHnX rua da
.mesma, rua do Bartlu l> meu. bi eco da llmela.
travessa dos Martyiins, :.n j do Collegio, traresn
do Qucimado, rua da S iota Tkera a, ru das Cal-
cajas, rua dos Acouguinbos e rua do Jar.hm.
Consulado provincial, ii de abril da '87-1.
Serv i lo de aduiinistrador
A. Witruvio P. II. de AcrioK e Vi.-eoncWlo*.
TRIBUNAL 1M) COMMKRaO DE I.R~
WMBII.O.
Por esta sc:retoria se far <-<>n>t;ir i|ito neMa data
foi admittido matricula di- romnierciaiite o Sr
Candido Jos da Silva ("uimaics. ndadin brasi-
leiro. de dado de 38 anuos.. -label-cido coas cant-
inareio de gneros de estiva p dade da Recife.
Na mesma data supra laariMM M
matricula de oomroerciante a Sr Fraacisra
d i Silva Ouinar.-s, ddadia nraHWaa, de
de 37 anuos, aslabeterido em Beaaroa de
por groase acata cidade do Ikaehm
Secretaria iU trjimal o ronunerri namkneii 5 <* maki ikt:;.
II Olial-:iiai' 1' interino
Iilitoeeiicio Antones de Faria* Torres.
I*
Consulado de Portugal
Convida se os senhores credores do finado sub-
dito p rtuguez Joo Baptista Fernandes para cora-
parecerem pela 1 l'ora da tarde no dia 9 do cor-
rente, em a rua da Cruz n. 62, a negocio de inle-
resse dos mesmos.
DeclaFacao.
Commisso enca-rregada de nominar os
apparellios da companhia Recife
Drainage.
O abaixo assignado convida os membros da
coramiss) supramencionada a se reunirem no
palacio da presidencia da provincia a i meio dia
de 9 do corrente mez.
Recife, 7 de maio de 1873.
Dr. Joaquim T'Aqnino Fonceca.
Juiz ihs fritos du fazeiula.
Eserivao Tarrea B.indcira.
Sxta feira 9 de maio prximo futuro, na sala
das audiencias, perante o Sr. Dr juiz substitu-
to dos feitos da fazenda, s 11 horas do dia,
i rio praca pon venda as casas ns. 20 e 22 do
largo dos Remedies, frgueza do* Afogados, ten-
do urna 40 palmos de frente, 69 ditos de fundo,
janellas de frente, urna porta no oite, 2 salas,
4 quartos, quintal em aberto, um quarto e eo-.
xeira ao lado, avaliada era l:i>004; e a outra 40
pdmos de frente, 45 ditos de fundo, 2 janellas
de frente o nraa.porta avahada em W04, para
pagamento das execncoes por decimas contra Ma-
noel Antonio Ribeiro.
Recife, 26 de abril de 1873.
O solicitador da fazenda provincial,
J. Firroino Correa de Araujo.
No dia 14 do corrente, Isj || horas da mi-
n'-.i, sero pos tos em arremataco os euncerto-
autorisados pelo E\in. Sr. presulease da provin-
cia : no hospital militar: os da fenda do oita i
do asphaltamento e rajadura do xadrez. errada
estes era' 1594870. e aqoelles em t'.'Uieu, a ao
quartel das Cinco ]*inta*, o encalicamento da ra-
berta da casa do'rancho parte da arrees Jacio,
oreado em 32"4i90. As pessoas que p
rom executar qualquer distes servico apre tem no referido dii, na reparti;o das obra-
publicas, as suas propostal oni cana lechada. (K
ornamentos acham se na mesma reparticaa.
Pemambuco, 8 de maio de IK7:t
ChrysolMo F. de Castro
Engenheiro da* obras i
ADMI.NTSTRACAO DOS CORREKIS i>K IIRNAM-
Blt.0 9 DE MAK) DE 1871
Malas pelo vapor Para da compaahia
iuasiieira.
A correspondencia que tem de ser expedida
hoje (9) pelo vapor cima mencionado para o*
portos do noite, ser; nvebida pela maneira *e-
guint* :
Macos de jornaes, impressos de quabruer aatn-
reza e cartas a registrar, at 2 horas da tarde.
cartas ordinarias at 3 horas, e estas at 3 l|2.
pagando porte duplo
(l administrador interino
Vicente Ferreira da Poreinneola
SANTO ANTONIO.
EMPREZA
De ordem do lllm. Sr. inspector desta thesou-
rart^fdScTars que1, So nece'snrlli a exhlblcio
reta
do
Sabahdo 10 df maia.
&SA5JS SCCO
Ouaru rapreaeotacao da nanita a|
la burlesca, em 3 actos, original
\ T0RRE EM mm
tliLsi^a d:i maostrii Cnls.
DENOMINACES
1.* acto. Os dous candidatos,
2. dito.Vermelhos i
3.< dito. -A cabala e a
Toma parte
Hl VBM9AJL MR Sft
eieifae. ^w





Diario de Pemanibuco. Sexta feira 9 de Maio de 1873.
ejecutando no final do 3.* teto o
GRA.NNDE caterete.
Tenninara. com a sempre applaudida comedia
jKtpulir etn 1 acta :
# lrmAM 4mm almas e os pe-
dreiraa livre*.
Prineipiari as 8 1/z horas.
Aviso.
Depois do espectculo haver
Trem para Apipucos
tocando nos pontos intermedio*.
Domingo II.
As 8 horas em ponto.
A opereta eui 3 actos :
A (erre em concorso
t a comedia popular em 1 acto :
Os rimtoN das almas e as pe.
drciros livre*.
nheiro_a frete no escriptorio no Forte de latios
n. tir__________;___________________
Para o Porto
Sretende sahir muito breve a gilera oertugueza
'ova Fama II por ter grande parte do sea ear-
ragamento-prompto. Recebe a carga que lite fal-
ta a prt eos mdicos, e tambera passageiros, para
os quaes tfin ptimas aecoinmoiacoes : trata-se
com Tito Livio Soaros, ra d i Vrgario n. 17.
COMPANIHA PERNAMBCCANA
DE
\u* cgan coMtelra a vapar.
MAMANGUAr-K.
O vapor Coruripe, com-
mandante Silva, seguir para
o porto cima no dia ti do
corrnte, s 5 horas da tarde.
Recebe carga, eneommen-
das, passagens, e dinheiro a
frete at as i horas da Urde do dia da sabida:
esGriptorio no Forte do Mattof n. II.
THEATRO
Sahbado 10 ib corrnte
Grande espectculo ein beneficio
do desenliista da alllustrac&o
Pernambucanal
JOS ILDEFONSO DAS NEVES FREIR.
Representar se-ha o drama em i actos, sempre
applaudido :
0 PODER DO OlliO
Fiada o espectculo com a muito applaudida
comedia em 1 acto, ornada de msica :
O
Reconiiiienilado de Lisboa
Principiar s 8 1|2 horas.
O beneficiado pede a prnteccao do trabuco, cu-
ja philantropia to neo hecida.
Aviso,
Prapara-se para a prxima semana o grande
e apparatoso drama em o acto?, do Dr. Carnoiro
Viilela :
Os maqons e os jesutas.
Aclia-se venda as livrarias Franceza, Indus-
trial e Econmica, assim como no billieteiro do
tliealro, a scena cmica do Penante :
Jesuta na garganta
LEILOES.
Leilo
DE
movis em bom estado
HOJE
Por inleronc&o do agente Pinto
No armazem da ra do Boro
Jess n. 6.
Grande e importante
da roupa, cadeiras de balance, mesas com pedaa,
t excelente machina de costura e i machina de
engommar.
Urna msa elstica. I guarda louca, aparado-
res, cadeiras, louca, apparelhos de porceUana
para chae jan* ar, copos, clices, garrafas.
Um fogio americano, trem de cozinha e oatros
obieetos de casa de familia.
Ura cavallo e un selim inglez.
Qiitartu-feirit 14 ile mala
H. J. Canman, tendo de faier urna viageni a
Europa, far ieilo por intervencio do agente
Piulo, dos movis e niais objectos arima descri|>-
tos, existentes em casa de sua residen*, nos Af-
llictos.
A's 10 1/1 horas do dia cima dito partir da
esU'.o do arco de Santo Antonio o trem expes-
so que servir de conduzir gratis os prelendeutt-s
ao ieilo. -
O leiltto principiar A as 1 i hars.
DE
novis
avisos MARTIMOS
PARA'
Para o referido porto pretende seguir com pou-
ca demora o patacho portuguez Olinda, por ter
a maior parte da carga engajada, para o resto
que l-.e falta tratase com os consignatarios Joa-
quim Jos Gonqalves Beltrao k Filho : ra do
Commercio n. o.
Pacific Slean Navigation Cnitipany
Royal )h\l Seanters.
fiinlin <|iinzeiiul
E* esperado dos nortos do sul a todo momento o
o vapor 1'nln'j nt-i, o qnal seguir no mesmo dia
da chegada para Lisboa e Liverpool.
Pan passagens c mala informacocs, dirijam-se
aos agentes wilson Rowe & C.
11 Ra do Commercio.- li.
Ate o dia 11 do correte esperado da Europa
o vapor Galicia, c seguir para Bahia, Rio de Ja-
neiro, etc.
N. B.-Emquanto durar a quarentena no Rio
da Prata nao se recebe passageiros nem encom-
mendas para os purtos do sul, e para informacoes,
aos agentes Wilson Rowe 4 C.
t RA DO COMMERCIO li.
4'OlllM.VI t
DE
N.MMC8 RRVSILEIRV.
Por tos lo sul.
At dia 12 do cerrante
c esperado dos portos do
norte o vapor Guar,
o t|ual depois da demora
do costume, seguir para
os do sul.
Paraearga. cncommendas, valores passagens,
trata-se no escriptorio da agencia, ra do Vigario
n. 7._________________________________
Para o Porto,.
Segu com a possivel brevidade o briguc por-
tuguez Judith. Para carga e passageiros trata-
se com os consignatarios Thomaz do Aquino Fon-
ceca 4 C. successores, rua do vigarion. 10.
Rio Grande do Sul
Para o referido porto pretende Seguir com pou
ca demora o lindo e veleiro lugar portuguez Jos
Estevao, de 1* classe, por ter a maior parte da
carga engajada, e para o resto ijue Ihe falta trata-
se cora os consignatarios Joaquim Jos Goncalves
BeltrSo & Filho, ra do Commercio n. o.
MESSAGERIES MARITIMES.
. No dia lp do crrante mez espera-se dos portos
do sul o vapor francez Mendoza, cornmandante
Benigni, o qual depois da dem ira do costume, se-
Sir para Brdeos, tocando em Dakar (Gore) e
boa.
Para condicoes, fretes e passagns, trata-se na
agencia, ra do Commercio n. 9.
O
Rio de Janeiro
o brigue portuguez Corete vai sahir com brevida-
dr, e anda pode receber alguma targa a frete :
trata-se com E. R. Babello 4 C. roa do Commer-
cio n. 48._______
COMPANIHA piWa1bCANA
DE
Mnvcgaro casteiraa vajior.
GOYANNA.
O vapor Parahyba,
cornmandante Pedro,
seguir para o porto
cima no dia 12 do
corrnte, s 9 horas
da noute.
Recebe carga, encommeodas, passageiros
Por intervenciio do agente Pitlo.
No armazem da ra do Bom Jess n. 6, ( Recife )
A saber:
- Um piano forte, urna excellenle mobilia de Ja-
caranda a Luiz XV, 1 me*a do charlo, t espelho,
1 cama He Jacaranda, 1 guarda-vestido, 2 commo-
das, I prensa de copiar, 1 moinho grande de fero,
3 camas de ferro com colehoes, jarros e quadros,
1 mobilia do mogno com podra, t di a de amarel-
lo, i grande e magnifico guarda louca, envidraca-
do, ( que bem pode servir de estante para livros)
1 mesa redonda com pedra, I mesa de sof, cadei-
ras de balanco, sofs, mesas e cadeiras, e muitas
outros movis existentes no armazem da ra da
Cruz n. 6.
O Ieilo principiar s 10 horas.
avisos DVFBSOS
CASA DA FORTIA.
AOS 5:000|000.
BILHETES GARANTIDOS.
' rua'Primeiro de Mar$o (outr'ora ra do
Crespo) n. 23 e casas do costume.
O abaixo assignado tendo vendido nos seas fe-
tlzes bilhetes, dous me>os n. 1810 com 5:O00J0nO,
um inteiro n. 1431 com 800*000, um mek) n. 1569
com 100*000 e outras sortes de 10*000 e 20*
da lotera que se acabou de extrahir (49.*), convi-
da aos possuidores a virara receber na conformi-
dade do costume sem descont algum.
Acham-se venda os felizes bilhetes garantidos
da 1' parte das loteras a beneficio da matriz do
Bom Conselho (SO"), que se extrahir na quarta-
feira, 14 do crrante mez.
PRECOS.
Rilhete inteiro 6*000
Meio bilhete 3*000
Quarto 1*500
EM PORgAO DE 1009000 PARA CIMA.
Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Quarto 1*375
_______________Manoel Martins Fiuza.
Cavados furlados.
Pela subdelegada de Beberibe fbram deposita-
dos dous cavallos alazoes, que consta terem sido
furtados no rancho de Jos Fernandes, na es-
trada nova do Caxang, e pertencerem a mora-
dores do Brejo da Madre de Deus : quem se jul-
gar com direito a elles trate do reclama-Ios pe-
rante a mesma subdelegara.
0 subddelegado,
Paes de Andrade Gouvin.
Consultorio medico
DO
Dr. Murlllo.
RA DA CRUZ N. 26, 2. ANDAR. 5f
Recem-chegado da Europa, onde fre- W
quentou os hospitaee de Londres e Paris, CI
pode ser procurado a qualquer hopa do Q
& dia ou da noute para objeclo de sua ffl
r) prolisso. j
J5 Consultas de meio dia s 2 horas. Q
M\ Gratis aos pobres. J*
Jf, KtpeeioKdadet.- Molestias da pello, de
>5? manca, e de mulher.
& F.irqirega no tratamenlo das molestias
de sua especialidade as Duchas e banhos
q vapor, para os quaes trouxe os appa-
r'elhos mais modernamente empregados
na Ruropa.
Tambem applica com grande suxesso
o tratamento das molestias do tero a
ectricidade, pelo preces o do "Dr. Triper.
i
I
.EIIA0
DE
urna casa terrea na villa da Escada, no ter-
mo de Santo Anto desta provincia, sita
ra da Barra, propria para qualquer
estabelecimento.
SABBADO 10 DE MAIO
s 11 horas da manh.
O agente Pinho Borges competentemente aute-
risado, vender cm leilo a supradita casa, no
seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 53, primej
o andar, onde desde j os Srs. pretendentes podem
raver as informacoes e eselarecimentos.
LEILO
DAS
seguintes accoes:
20 da companhia pornambucana.
10 da dos trilhos urbanos de Olinda.
20 da de Santa Thereza.
1 da dos boii'Is, ou Pernambuco Street
Railway C.
SEGUNDA-FEIRA 12 DE MAIO
Ao iueio dia
O agente Pinho Borges, autorisado, vender em
leilo as stipraditas accoes por conta e risco de
Juera pertcncer, no su escriptorio, ra do Bom
qesus n. 53, primeiro andar.
2
armat;o gneros e mais perten^as da taver-
na da ra do Rosario da Boa-Vista n. 2.
Segunda-reir l' do corrnte.
agenle Martins far leilo, por mandado do
Illm. br. Dr. juiz especial do commercie, da-ar-
macao gneros e mais pertencas da taverna ci-
ma, a qual foi arrestada a Mariano Feliciano Mar-
tins por Bento Jos Cordeiro. *
A's 11 horas do dia cima na mesma taverna.
movis, louca c crystaes,
objectos de electro-plate, 1 fogo de ferro, 1 car-
ro americano com 4 assen'os para 1 cavallo, e
1 dito com aireios, obra de gosto e talvez un
ca visto, para 1 ou dous carneiros.
TKRCA-FEIRA 13 DE MAIO
Na ra Formosa casa n. 24.
Era que residi o Sr. Jos Joaquim Goncalves
Bastos.
(Todos es objectos em bom e perfeito estado
e conservado.
O agente de leudos F. I. Pinto autorisado pelo
Sr. Jos Joaquim Goncalves Bastos, vender oni
ledo no dia 13 do crrante, os movis e mais
objectos existentes cm casa de sua residencia,
ra Formosa n. 24.
A SABER:
Um piano forte, 1 mobilia de Jacaranda, 1 espe-
lho oval dourado, finos jarros para flores, escarra-
deiras, tapetes, pannos de crochet e 1 machina de
costara.
Urna cama" de Jacaranda, 1 commoda e santua-
rio tambem de Jacaranda, camas para meninos,
marquezas, toilette, magnficos e solidos guardas-
roupa e guardas-vestidos, e cadeiras de balanco.
L'ma mobilia de junco preto cora tampos de pe-
dra, candieros a gaz, jarros e tapetes, 1 mezinha
de ferro e enfeites de cima de mesa.
Urna mesa elstica, t guarda-louc,a, 2 appara-
dores de armario com pedra, 2 ditos com pes tor-
neados, 1 quartinhera, 1 sof, 12 cadeiras, 1 rc-
logio de parede, 1 costureira, 1 apparelho de por-
celana para jantar, 1 dito para cha, copos, cali-
ees, compoteiras, garrafas, pprta-queijos e rtiuitos
outros objectos de crystal, garfos, facas e colhe-
res de electro-piale.
Um fogao de ferro americano, trem de cozinha,
mesas de engommados, latas de (landres, potes e
mais accessorios de casa de familia.
U leilo principiar s 10 I [2 horas.
Desde j aluga-se a referida casa, cedendo-se
as bemfeitorias constantes de tapete, forro de sala,
candieros a gaz e outros objectos.
LEILO
DE
meveis, louqa e crystaes, 1
cavallo e selim.
QUARTA-FEIRA 14 DO CORRNTE
Nos AfTiictos, sitio n. 15.
A saber:
Um piano forte, 1 mobilia de Jacaranda, can-
dieros a gaz, lastres, tapetes e esteiras forro das
las e quartrs, e quadros com finas gravuras.
iraa de latao, ditas de ferro, commodas, guar-
Vs empoladas,
furunculosas e ulceradas, victimas de humores es-
crofulosos, que arrastais vossas inmundas pessoas
na rompanhia de gente melhor, tomai_ a salspar-
rilha de Ayer e purgai a corrupeo de vosso
sangue.
Restaurai vossa saudc e nao somente gosareis
melhor existencia, porm tornareis a vossa com-
panhia mais toleravel quelles em cuja sociedade
vivis._________________________________
O Baro de Palmares, testamenteiro de D.
Margarida Francisca da Silva, por mais diligen-
cias que at agora ha empregado, anda nao pode
descobrir quem sejam os tiihos de Mara Joaqui-
na, casada com Francisco Jos Nogueira, aos quaes
a testadora deixou um legado da quantia de 400*,
e por isso recorre ao presente annuncio, pelo qual
convida os djtos legatarios a que se apresentem
devidamente habilitados, podendo elle para tal fim
entender-se com o Dr. Innocencio Seraphco, no
seu escriptorio, ra estreita do Rosario n. 23, Io
andar.
AVISO.
Pede-so ao Sr. Antonio Manoel do Sacramen-
to, ofical le pedreiro, o a Sra. D. Anna de Souza,
moradora no pateo do Carmo. o favor de virara
pagar o que dcv6m na ra daPenlia n.4-________
O Sr. Manoel Bernardino Vieira Cavalcante
rogado a que mande, ou dirija-se ra do
Amorim n. 37, a negocio de mutuo interesse.
0iKS>Q^>^3 ? QS30QQi30&
Aluga-se
o andar terreo do sobrado n. 59 ra do Hospicio
cora ura salao estucado, deposito de agua do Prata,
e accommodacoes para pe mena familia, por m-
dico proco : a'tratar no mesmo sobrado, das 4
ohrasda t arde om diante.
Attencao
na ra do Aragon. 32 contina a prepararse
bandejas de armacao com bolinhos, ditas com
pastis de nata, bom boceado, po-de-l, bolo
de baca, dito nglez, bolo de Cairo, arroz de lei-
te, cangica, man do co, doces, papos de anjo,
altria de ovos, com armacao, e semdo. Pre-
para-se presepte com asseio. e enfetados, enche-se
pers, lombos, gallinhas e pixo; faz-so empadas
de tedas as qualidades e bouquets tanto de gom-
ma como naturaes; encarrega-se de preparar
qualquer mesa para baptisado, casamento*, bai-
les e partidas, ludo com limpeza, promptido e
cemmodo prejo : qualquer pessoa que quizer fa-
zer suas encommendas, podera dirgir-se a
mesma casa a toda qualquer hori do dra, e com
oito das antes. A mesma casa j c bem contie-
nda pelas encommendas que tem feto pafa di-
versas pessoas d commercio.
- Carolina Francisca' de Magalhes e Silva,
viuva de Francisco Jos Goncalves da Silva, es-
tablecido cora lo;a de miudezas ra da Im-
peratrz n. 78 A, participa todas as pessoas que
entretinham relacoes commerciaes no estabeleci-
mento de seu finado marido, que venden esse es-
tabelecimento ao Sr. Jlo Das Martins, quo ficou
com todo o seu activo, responsabisando-se elle
pelo respectivo passivo, do qual tem a annun-
ciante plena quitaco, segundo o balanco ultima-
mente effectuado. A annunciante est, pois, exo-
nerada de tudoquano possadizer respeto esse
estabelecimbnto.
Recife, 4 de maio de 1873.
Para S. Jodo
Novissimo 1 vro de sortes ao gosto moderno, e
brinquedos espirituosos, conhecidos porjogosde
cesta,: no bazar acadmico, ra da Imperatriz
.13.
Os Srs major Mergulhio e Pedro Guima-
res, fllhoda viuva Guilherme da Silva Guimaries.
tem cartas na ra do Imperador n. 24, confeitaria
do Campos, e por se ignorar suas moradas, faz-se
o segrate annuncio.
Andam alerta.
'Pedo-se ao Sr. Francisco de Paula Rosa, ma-
chihista da estrada de ferro de Olinda, o favor
de entender-se, na travessa de S. Jos n. 27, so-
bre a carraca que estava em seu poder alugada,
e que nao so os alugueis, como dita carraca at
o presente nao tem dado solucao, isto desde 25 de
Janeiro do csrrente arno.
O Dr. Ermi io Coutinho mudou o seu M
^ consultorio medico para o primeiro an- S
V dar da casa n. 37, ra do Mrquez de
Olinda, onde contina no exercicio de M
5 sua.profissao. ^
9 Consultas de 1 s 3 horas da tarde, w
Bom engenho.
Vende-seumengenho moen-
te e corrnte, distante da
praca 4 leguas, com boas
obras e trras para safrejar
2,500 paes, vende-se s ou
com a safra actual: quem
pretender dirija-se a esta ty-
pographia que achara comJ
quem tratar.
Terrenos baratos de 3$ a
nos Afflictos, e 3)? no Sal-
gadinho.'
N Antonio Jos Rodrigues de Souza vende-
terrenos de seus sitios de trras proprias, aos
palmos, em a nova ra quasi em frente a
igreja dos Affhctos -r e do Salgadinho com
a frente para a estrada de ferro de
Olinda e oitao para outra estrada ao lado do
mesmo sitio ; a tralar com o Sr. Tristo
Francisco Torres, na thesouraria das lote-
ras. __________ __________________
ATTENCAO.
Os abaixo assignados tendo comprado aos Srs.
Faria & Lessa a armacao c mais pertencas da
sua loja sita ra da Imperatrz n. 26, fazem pu-
blico, para quem se Julgar com direito a mesma,
se dirija ra do Conde da Roa-Vista n. 26, no
prazo de 3 dias, a contar do dia de hoje.
Recife, 6 de maio de 1873.
Miguel Antonio de Figueiredo.
Antonio Figueiredo i Oliveira.
Engenho para arrendar
Arrenda-se o engenho Goiabeira, prximo a po-
veanao de Jaboato : a tratar na ra do Mrquez
de Olinda n. 4._______________________________
" O abaixo assignado tendo de retirar-se para
fra da provincia vem por meio desc pedir a to-
dos os seus devedores o obsequio de virara pauar
seu crdito por estes dias. Assim como os meus
devedores de transaccoes na taverna da ra da
Penha at o dia 30 do crrante, e dessa data em
(liante serao cobradas judicialmente, para isto me
acharo no ra da Penha n. 4. Aproveito a occa-
siao para pedir des ulpa do mcu proceder a mui-
tos senhores que merecem muita considerarlo.
_______Manoel Lopes Ferreira.
-- Aluga-se o sobrado de umanlar na ra dos
Copiares n. 3 : a tratar na ra das Cinco Pontas
n. 31.
Ansentaram-se no dia de Janeiro do crrante
anno, do engenho Oiteiro de Pedro, da fregnzia
da Luz, comarca de Pan d'Alho, dous escravos.
marido e mulher, ambis atolos, o escravo tem V>
aunes, a eserava 18. Marcos, cor prata, rara larya,
punca barita, altura regular, clteio do corno, ps
grandes e largos, mosgrossas. eofUmnappamer-
Ihe cravos nos ps ; e Escolstica, baixa, er pre-
ta, pouco-corno, faltara Ihe os denles da frente no
queixo superior, ps pequeos e espalmados, e tes-
ta grand.
(iinsla ao abaixo assignado ter sido encontrada
a eserava em lora de poitas, uo Recife. Poder
entrega-bit a pessoa que os pegar, ao Sr Belisario
de Souza Bandeira, na rua da Penha n. '>, que
receber a gratificacao de 20JOCO ; ou ao abaixo
assignado em seu engenho.
Oiteiro de Pedro, 20 de julho de 1871
________________Joaquim Coelho Incite._______
Precisa se de 5:00P| a premio de 1 t|2 por
cento sobre hypotheea em casas : quem quizer
annuncie para ser procurado.
D-se de 50 a 500& a juras com garanta:
nestatypographiadir-se-ha quem da, cquem deve
ser procurado, das 10 heras ao meio da.
Alaga se doas casas com commodos para fa-
milia, sendo urna na freguezia de Santo Antonio e
outra na Capunga : a tratar na Capunga, rua das
Crioulas n. 25.______________________________
Precisa-se alugar urna prcta que seja esera-
va, para o servico de casa de pouca familia :
ratarno ces de Capibaribe n. 2. __________
Fogo, fogo
Fogo de hcugala.
Novos foguinhos chinezes artifiriaes proprios de
saldes, varandass e jardins etiegados de encom-
menda propria, e especial para os festejos de
Santo Antonio, S. Joo e S. Pedros procos re-
sumidos, tanto em pequeas caixas, como re-
talbo : no armazem do vapor francez.Jrua do Ba-
rao da Victoria, outr*ora jmva n. 7.
Engenho.
Arrenda-se o ragcntio Mearin, 4a frf _ia 4 *
Bonito, bom d'agua e de excedente CBnfeh, pu-
dendo safrejar de 3 a 4,000 p> d^ a>socar, aw
distante das estacA-s dV Agua Prcta ou Una ata-
as tres legoas : qnem pretender \titt dirigir *
a Paulo (_valeantc de Albuqucnnie, no engenl
Pcndcraca. M nesta nrara (Un|ms, Rapnw 1^
C, no Jargo do Cano n. 1^___________________
^0 NOVO MEZ OE MARIA
*'va edlcA rrrrr e
r ladn.
Este livrinbo, alera do mez de maio. *efni*a
da dt'viK-ao do Curarfcn de Mara, otilen a a-
inas dit purgatorio, noticia da medaiha nn|Tii"i
novena de N S". da Penha e da Coneeicio, antdb
lacio do Rosario, modo de ouvir missa <,_K*_>>
para confissao e eommunhao, etc., eiicaenia,
pelo commodo preeo de SI : na hvraria do* i-
toras, rua do Imperador n. 54.
MEZ DE MARA
Canucos o hyimios devotos
118 CNTICOS DIFFERESTES
reunidos em um bonito volunte encadenado
Rs. 1A000.
___________LIVRARIA FRA.NCF.ZA.___________
Protesto
O abaixo ass;gnado protesta contra a venda i
hotel da rua das Larangeiras n. 29, por estar jeito m pagamento da quinta de 292x500, m-
portancia de objectos qne para o mesmo Tendea,
e que pelo juizo competente ir haver dita qnan-
ita de quem quer que o comprar, o que declara
para nao se chamaren) ignorancia.
Brcife, 6 de maio de 18/3.
Martinho Jos de Fari.
Attencao
Offcrecese ura /eitor pratico para engenho :
quem precisar dirija-se rua da Boda n. 48.
"onfraria de S. Jos de _, go-
ma
Por delibera.ao da mesa regedora, despacho do
Exm. Dr. provedor de capellas, e em cuinpr-
mento do art. 48 do nosso compromisso, convido
a todos os nossos irraos que esliverem no goso
de todos os seus direitos, para 'comparecer em
nosso consistorio, no domingo II do crrante,
para em reunio de mesa geral, proc.;der-se a
eleijao da mesa regedora, mw tem de funecionar
da 1873 a 187*, o queter lugar s dez horas da
manh.
Secretaria, 7 de maio de 1873.
N O secretario,
Manoel Vieira de Magalhes Jnior.
200S000.
Autos perdidos.
Tendo o abaixo assignado perdido os autos de
inventario do seu fallecido sogro o Exm. Sr. com-
mendador Antonio de fiqueira Cavalcante, da es-
ta^ao da rua da Aurora, da estrada de ferro de
Olinda, do Varadouro ; pede, portanto, a quem
os tiver achado, que es queira entregar ao Sr. ad-
vogado A. de Straeira, na mesma rua, casa conti-
gua a dita estagao, que ser generosamente gra-
tificado. Recife, 7 de maio de 1873.
Antonio da Costa c S.
Urna senhora competentemente habilitada,
prepoe-se a ensinar em qualquer engenho, por
commodo preco : na travessa de S. Joo- n 13.
AOS 5:
Estao vendaos felizes bilhetes da lotera daBa. C
hia, na casafelizj do arco da Conceicao, loja 1 = |
ourives, no Recife.
Aluga-se urna boa casa em Jaboato, com
muitos commodos e fresca : a tratar na rua do
Mrquez de Olinda, armazem n. 62.
Ao commercio
O abaixo .assignado faz publico que nesta data
vendeu aos Srs. Borges Costa 4 C., a sua ta-
verna sita rua 24 de maio n. 15, outr'ora rua
da Cadeia, livre e desembarazad i de todo e qual-
quer onus.
Recife, 30 de abril de 1873.
_________________Francisco Ribeiro Guimares.
Jjs Mendes Ferreira de Meirelles, ofllcial
de caldcireiro, vai a Europa para tratar de sua
sade.
Notavel escripto do Sr. Dr.
Sarment pai.
Acha-se venda as livrarias Econmica, rua Io
de Marco n. 2 e Industrial, rua do Baro da Vic-
toria n. 12, um opsculo dedicado aos- II.-. do Bra-
sil com o seguinte titulo :
Antagonismo de alguna dos caones do ultimo
f concilio de Roma com as leis e os principios
constitutivos das liberdades dos brasileiros, e ne-
cessidade de modificar as relacoes do estado e
da Igreja.
Desenhando com aa mais vivas cores os horri-
veis males, que a intolerancia religiosa tem derra-
mado por todo o universo, e mostrando, quanto
absurda e funesta a existencia de religioes de es-
tado ; conclue o eximio escriptor, .propendo, a
substituio do art. 5 da nossa constituico, pelo
artigo correspondente da consttiu\-ao Belga.
Aos II.-. diz elle na dedicatoria, que nao ser,
nem com mcias medidas, nem com violencias, .que
se ho de sanar os nossos males, mas com a mo-
dificacae tal das leis. que torne poesivel a-Igreja
livre no Estado livre._________________________
Desde o dia 14 do corrate ate o dia 18 esta-
r na estacao da Escada urna grande e bonita por-
co de burros venda. Havendo lindissimas pa-
relhas para carro, de tamanhoc cores iguaes,
aniraaes reforcados para o servico de carracas,
cargas e almocreves: do dia 18 em diante seguir
para as immediacSes de Apipucos, onde ter al
guns dias de demora. O proprietario e vendedor
convida aos Srs. de engenhos e mais pessoas bem
como ao arente da companhia dos bonds,_i sorti-
rem-e n esta occasiio; pois nao o podero fazer
em 1874, em razio da grande scea que lavra as
provincias da Bahia e Minas, a qual nao permitto
o transito de tropas muars em urna extenco de
16u legoas. A tropa pode ser vista escomida
vontade.
Atiendo.
Dous criados.
Prccisa-se em ura collegio para servico interno,
de dous criados, quer livres quer escravos : a
tratar na rua de Imperador n. 71, 1 andar.
CASA DO ORO
Aos 5:000-000
Bilhetes garantidos
Hua do Bardo da Victoria (outr'ora Nova)
n. 63, e casa do costume.
O abaixo assignado acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a sorte de .'1005 m quatro
quartos de n. 2695 e um inteiro de n. 2450 com a
sorte de iOOJ, alem de outr-s sortes menores de
40000 e 20GOO da lotera que se acabou de
extrahi (49a;; convida aos possuidores a virara
receber, que proniptamente sero pagos na forma
do costume.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para vi' no seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes,que nao deixaro de
tirar qualquer i remio, como prova pelos mesmos
annun ios.
Acharase a venda os muito feliies bilhetes ga-
rantidos da i* parte das loteras a beneficio da
igreja matriz do Bom Conselho, que se extrahir
no dia 14 do mez crrante.
Preco
Inteiro 6*000
Veio 32000
Quarto 1500
De lOO-OOO para cima.
Inteiro 53500
Meio 2*750
Quarto 1*375
Recife, 7 de maio de 1873.
Joao Joaquim da Costa \itr,
Irmandade do Divino Espi-
. rito Santo.
O irmao procurador fiscal, em cumprimento do
disposto no art. 68 do compromisso, convida aos
irmos, membros do conselho fiscal, a reunir-se
em nosso consistorio domingo 11 do corrnte.
pelas 9 horas da manh, afim de dar-sc execucAo
o disposto no art- 97 do mesmo compromisso.
Secretaria da irmandade, 7 le maio de 1873.
Aiuga-se a ca a terrea da rua do Coronel
Lamenha n. 26 (outr'ora Prazeres) : a tratar na
rua do Boro Jess n. 31, Io andar.______________
SHERRY KINA
(VINHO DE QUINQUINA IIYGLENICO
PREPARADO COM OS MELHORES VIMIOS DE HES-
PANH\ DA FIRMA
CALVAIRACA.G. CDESEVILHA
Evadi-se no dia 15 do corrnte o eseravo
riques, com 23 annos de dade, mulato be claro,
cabellos cres|>os, falla um pone descansada, t
rosto liso e sem barita, a perna direiu om pnoco
atarla, o dedo grande do | em lar onhas prove-
niente de urna ferida que teve, tem o andar um
pouco banzeira, tem as costas rhcas de panno*
brancos, j foi vaqueiro. natural morador na serra do Teixeira, fui eseravo de IV
Victoria Mara dos Anta viuva de Manoel Joa-
quim da Silva, ambos j fallecidos, coulte depon
por heranca a D. Joaquina Mara da Conceieao,
tilha legitima da finada D. V doria M ra dos Ao-
jos e Manool Joaquim da Silva, mulher do finad"
capitn Silvestre Kodrwues de Camino, e depoi*
do fallcciraenlo do referido capitn Silvestre pas-
sou a seus herdeiros, c elles venderam a Antonio
Cesario Italiano, e este venden ao Raro de Naxa-
reth, onde o comprai ; levou um cavallo alasao
dourado, frente aberta, crinas, topete e canda eom-
pridas, boa altura, tres ps calcados, pernas um
pouco finas, muito ardigo, bem novo, tem a cane-
ca acarncirada, muito rincho, inteiro : quem o
prender e quizer restitui-lo ao seu dono traga ao
engenho Canzanza, que ser recompensado com a
Juantia cima; e no caso delle ja ter vendido .?
to cavallo e alguem achar e quizer o trazer, tia-
ra i pelo cavallo 50*.
DR. FERREIRA
medico operador, rua larga do Rosa-
rio n. 20, vaccina gratuitamente s
quintas-feiras.
i*r oa "t*3 U~ Aas Scio jtV*3 %**>
Troca-se
a moradia de urna casa na rua do Hospicio, com
quintal, agua encanada, banheiro, etc.. etc., por
urna em iguaes condiedes as mas da Concoroia,
Camboa do Carmo, etc., etc., sendo porto da rua
Nova : trata-se na rua do Bario da Victoria mi
mero 36.____________________________________
Cozinheiro.
Preciza-se de nm, livre ou csvravo. e quese en-
carreguem tambem de comprar, para easa de i
pessoas: a tratar no Corred r do Hispo n. 59.
Alienen.
KitHNKCEDOR
5
DA SUA MAOKTtDB
d'hespanha.
A RA1NHA
POR
THOMMERET GLIS
Pliarniaccutico
EX-INTERNO DOS HOSPtTAES DE PARS
O SHERRY-KINA o vinho de Quinquina
que hoje prci'crem a maior parto dos mdi-
cos de hospitaes, dos lentes da faculdade e
dos membros da academia de medicina.
Tem esta preferencia a sua explicarlo nisto
que offerece todas as garantas que debalde
se procuram nos productos desse genero em
que MORAS vezes se sacrificam as qualida-
des tAo essenciaes quer do vinho, quer
do quinquina (as vezes de ambos) aos lu-
cros da especulaqao (Ver Guia das Aguas
Mineraes. Do Drv CONSTANTIN JAMES,
7.a edicto.
NICO DEPOSITO
NA
PHARMACIA E DROGARA
DE
BARTHOLOMEU & C.
Rua Larga do Rosario n. 34.
Dcseja-se alugar duas cscravas, sendo tuna co-
zinheira c outra para ama seeca, agradanco, paga-
se bem._____________________________________
Prccisa-se do um otpeiro que entenda per-
feitamento deste senico, e que d fiador a sua
conducta : na rua da Aurora n. V>.
Jos Francisco do Regn, eaarrvmMB da h-
quidaco da firma de Jc- nt Santos N.-ves k Ir-
mao, cujos sik-o' lia f.illrri 11, convidaos que se
julgarem credores da mesin. lirma a qne Ihe
apresentem seus ttulos no prazo de 15 dias, con-
tados da presente data, para o qne pode ser pro-
curado na rua do C.res|o n. 17. 1" andar, do meio
dia s 3 horas da tarde. Recife, de maio de
187.1________________________________________
De 40 palmos.
Sapotiseiros e sapoteiros, e dahi para baixn, pt-
nheiras, fructa-pao, oiti-cor, ariticum-a-p, aba-
cate, laranja cravo, flanbovant ou brilhanle, pal-
meira imperial, roseiras de qualidade, alecrinss
parreiras, coracao da india, romeiras e ontra,
lanas : na Capunga, rua da Ventura numero M
I G.a BNETE
Meclico-cirurgico
RUA DO IMPERADOR N. 73, AXDAR|j|
0 DR. NNES DA GOST A
MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.*:
ESPECIALIDADES.
Molestias e operarles de olbot.
Cnra radical e instantnea dos
estreitamentos da uretra.
Consultas : Das 7 is 10 horas
d'. manb.5.
Chama'ios: A qoalqoer bora.
)
)
Eseravo fgido.
Fugio do engenho Roacica, freguezia de Ipoiuca,
no dia 27 do passado, o eseravo Estevao, tendo os
signaes seguintes: alto, gordo, cara larga, com
pouca barba, ps grandes, tem ,o andar pouco Gr-
me por soffrer de cravos nos ps, tem um dedo de
menos na mao esquerda, a qual costuma trazef
embrulhada com a jaqueta ou capote, suppde-se
estar nos limites da freguezia do Cabo, Escada e
Santo Antao, onde ja esteve fgido 9 annos: quem
o capturar pode entrega-lo no Recife, escriptorio
da rua do Bom Jess n. 51, ou no engTtho Boa-
cica, que receber a gratificacao de 100^. ,
Precisa-ee de um caixeiro que tenha prati-
ca de padana : na rua dos Pescadores n, 1.

Vo publico.
A abaixo assignada declara que tem vendido ao
Sr. Joapuim Crreia Vieira de Mascarenhas hotel, da rua das Larangeiras n. til, livre e desea
baracado de qualquer debito que possa appareeer.
Beccifc 18 de Janeiro de 1873.
Anna Theresa da Silva.
Manoel de Fontes Gomes, subdito portugus,
retira se temporariamente para Portugal, e deixa
encarregados de seus negocios, durante su au-
sencia, como procuradores aos Srs. Jos dos San-
tos Moreira, Manoel Fonseca de Medeiros e Fran-
cisco dos Santos Moreira.
Attencao.
O abaixo assignado pede ao Sr. Joao Henrqaw
Pessoa o favor de vir entender-se com elle sobre
aquelle negocio que o mesmo nao ignora, sob
pena de ver por este jornal a especie do negocio.
Marcos de A. Lima.
~ Avisa-se
a quem der noticia da eserava Guilbenniaa #jm
foi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos Sar-
tos, e aepois comprada o Bario de Nazaretk,
represenU ter 85 annos, jem falta de telas m
frente e as mos com cicatrize de quemadora
de gaz, secca do corno e muito regnsta, que dea-
appareceu da casa ae sobrado n. *, da roa do
Coelhos, que ser generosamente reconniwtda,
Francisco Jos Cardo-
so, artista al faiate, transferio
sua officina da rua do Baro
da Victoria n. 46 para a rua
do Mrquez de Olinda n. 34,
primeiro andar.
\


^


/

'
Diario de Pernambuco Sexta feira 9 de Maio de 1873.
5
ss=
MOMA
Est cncouracido !! !
Hoga-s* ao lllm> Sr. Ignacio Viuira Je Mdlo,
crivao na cidade de Nazareih desta provincia, o
COMPRAS.
RiTa
LIOniUCAO
0t
^was
Mm% a % ibes
PIANOS E MSICAS
Comprci-se um coiic pro*
faw de \r rua Duuuo de Caxias n. 36,cun-. ___
fluir incite negocie que S. S. se cnmpnrowtWU a Vl realisar. nula tercena chamada dvsic jornal, cm, % ,a:
flns do toembro do 1871, e den.** P* janrin, UJSOCIO, COmt&nto QUe CStCja
passouifeverirn eabril de 187St,e nada cumprio; i ______
b por este motiv. de n.vo chamado para dito em bom-estado, na travessa
ta, peia S. S. se deve lembrar qw este negocio -
i* tnais de oito annos, e quando e Sr. seu iilho se
chara neatt edade.
L ja fa i'
.V ra 1" dclfai^oB. 7 A (an-
tis-a do Crespo)
ANTONIO JOS HE AZEVEllO
Ra do Bar&o da Victoria d, 11, armasem, e 12 1. andar, antiga ra Nro
iranio &KBAEifi
'ooaofe o jmMico em gra enconara ]se*pre mator e mais esplendido sttrtimento depmuos de
Pianos, msicas 6 instrumentos de msicas para banda militar
* e orchestra.
O abata) assignado previne a todas as pes-
aoas que caram a dever na Inja de ourives a
roa estreita 4o Rosario n. IQ, qne so edm elle,
on com sea procurador JJoao Baptista Gilirana, a
3uem den poderes para cobrar amigare! ou ju-
icialmente, se poem entender acerca de seas
debito*, viste ler domado conta do activo e pas-
slvo desde Janeiro prximo passado. 'Outro sim :
do Vigario, no Recife, n. 1,
Io andar, escriptorio.
VENDAS.
Innin-
dadese pircos de diversa* mercad.
que i vista delles r*" aprwr qne ii ifi
'..o de no<*as harndni orna r ^"rtm.
Kseolbci l'i-ni I vontade : .
Chapelm:.s, rhapns de p..lln. vHIudn,
fil para senhoras e nx-iiitias ite 31 ^.
Basquinas c casa uinh. le seda in ,*V~r
de crocite prw
Acata de abrir no primeiro andar do sobrado d. I cooTronte i
ootica Mamar, ara grande sali onde esli expostos os magnfRces
ri/|j,lv9 de armar, de PlejeL
-------- de neia canda, do mesnio actor.
de H. Beor.
---------- de Amede Tblboot.
nico agente nesta cldade, dos celebres afamados
PIANOS DE ftUCHER FRRES
;"#miaes em diversas exposi^oss om 44 medalhas de onro e prata.
Se os onteos pianes qne aqni vem da Europa, porfeitamente a Jfca-
Om, fetos com elegancia o solidez.
D'aqni mCdianie continuar a annoneiar todas as publicares que se forem friendo iras snas offlcmwde mosteas.
Tambero receben grande sorthnento de msicas pirra piaoo, piano -e
eanto e entre ellas as lindas compesiedea do ronito syoajatbieo maeeiro
A SABER:
Voce me quer Walsa.
0>ga MaiaHta.
La Separacioni Para eaoto.|
A Lnt eleetriea, grande Wslsa.
do pro
fuella
que
-data em diante promover o sen direito.
os da C. Olrreira e Figueiredo.
AMA
gando.
Precisa-se de na ama que engom-
me com perfeioao : na ra Duque de
Casias n. 91, loja do rival sem se-
Attencao
Vendese a taverna da praa do Conde d"Eu n.
: a tratar na inesma.
lindos l"-r-
Escravo cosinheiro
V moce e sadio : na roa Duque de Caxias n. 58, 2*
andar.
cltlraas vabllea^es
Franco Brasilelro Po*a.
Tomada de Vllete G?lope.
Joaoinha Walsa.
A Libertadora Polka,
A Primeiri espin Wnbn.
A Mioha Lyra Walsa.
A Natalicia Polka
Stndieote Pok.
Feitas as oficinas de musiera
do aoooncianto.
Emilia, poka por I. Smoltt.
Cireaciaoa, senoteb, por Smolte.
Jardim do Campo das >Prte quadrilha, per J. Popo*.
Cbava de osas, Walsa, 'per I. Al
bertaiii.
A AI 4 Preotsa-se ^e uma
AMA que saiba bem en-
goniffliar e faaer o mais ser-
vico interno &> uma casa de
pequea familia : no teroei-
ro andar desta typOgraphia
se dir.
Farinha de mandioca.
A nte'.hor do mercado.
Vende J. F. S. Coimbra Guimaraes : ra do
Mrquez de Oftnda n. 3, l.* andar. _________
marfim AMA
Precisa-se de ama ama
para coanhar e ngommar
para casa de ponca familia,
prefere-se estrangeira : na
ra do Visconde de Goyan-
a Urna Na'roa-da Imperatriz n. 37, primeiro
J\ASldi xotar,' precisa-se de uma ama forra ou
[escrava, qne seja le boa conducta para andar e
llavar roupa-demeninos.
CAUTELA!
MERON&C.
A IA wm
Precisase de una ama forra
ou escrava : na roa do Impera-
.der n. 17, confronte ao S. Pran
cisco. _______________________________
Precisa-se de uma anta que saiba cozinhar e
\M
Grande quoiina!
CALCADOS BARATOS
8-RA DO BABAO DA VICTOHIA-8
Botinas kigiezas para seuhora a OCM)
Ditas de duraque decores para dita a 5*000
Ditas gaspiadas de verniz a "'"
Botinas de bezerro para, meninos n :t0H0
Ditas de verniz, sola grossa, para ditos a :t00(>
#itasde pellica ingleza a 3*000
itas de vaqu ta a 3J000
Focos de vaqueta a 2*300
Ditos de cores, pona de metal, a 1*000
Loja de Lyra & Vianna.
Casa<|ti.nlios e mmeiras
brancus de 2* a fi.
Vestidos de ra itbiaia brama con
dndna a 5i lov
Camipnnas da ramt.raia branca a **<< ""
Mangnilos c g-llinhas a **>. tSf e 3 rr
Cintos de todas as qnalidade* para jiaanrn n
50 a '** w ,m
Lencos bordados de labyrWM de WW a n#
Coque de 14 \ '***
Loqni'S de iuadrexnda
Mona i*.
"Chales a imitaradr boinns d> merino pW
Safe*da de c-oobraia a \t, ~>* p **^. _
Camisas bordadas pan senhor, para lonoa os
prejos. ,
Capellas de cera a .jOC r.
Redes para coques a :<* e n ^
Corles de rantbraia :il _.
Corles .lo tarlalaiia bordado* a seda *#,
Cindirain dt cor o i lin.lo padrnVs
o c*'V>
4u li^as de
, -..
iH liranw n yn* ryaa a ;.>; ^
,le Hnho feo PW* a branc. de .< a
que
nilia
:
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PEETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabdea e nome diver-
so, e com papel 4a mesma ota, cujo desenho se pode
confundir com o d'aqnelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro ABE A
FBETA, devem para nao serem engaados vr qne
os botes tragam o nome de MEUBON & C., e a desig-
nare de ABEA FBETA.
engommar, para sasa de familia de duas pessoas:
na ra Dreiu n. 28, 2. andar. _____
Precisa-se de nina ama que
saiba coziahar e comprar para
casa de hom solteiro : na ra
de Pedr Alfonso n. 7, antiga rea da Praia^____
AMA
Ama
Precisase de uma para cozinbar, ra
do Corredor do Bispo o. ti, ______
Ama
n. 54.
Precisa-se de uma ama para cozinhar e
comprar : na ra Duque de Caxias
Ama de leite
Magnficos putdrdes de oleados para mesa, de i a
10 palmos de I argura, com pello e sem pello, pre-
ces mdicos: na praca da Independencia ns. 18 a
20, loja de Finheiro 4 B ritilo.______________
Vende-se dus casas de taipa, as areias do
Giqui, tend.o cada una 40 palmos de frente a 311
de fundo, '.'om plantacoes, sendo o chao foniro
perpetuo : qu qualquer lempo ao dito lugar, ou a esta typogra-
phia, que se dir quem vende.
Na ra do fiarao da Victoria n. 5, !.andar, pre-
cisa-se de uma ama de leite.
Precisa-se de uma ama para comprar e co-
zinhar para casa de pouca familia : no pateo do
Carino n. 30, segundo andar._________________
Ama de leite.
Precisa-se de ama
25, 2.' aavdar.
na na do Imperador n.
ATUT-A Ppocisa-se de una ama para com-
** prar cozinhar e engommar para duas
pessoas : a tratar na ra de S. Francisco n. 31.
Antonio Joaquim da Gama pede aos senho-
tee abaixo mencionados de entender-se com elle a
degocio qne os mesmos sniores nao ignoram :
Francisco Augusto de Almetda.
Fflkmto do Reg Barros Pessoa.
Lnic da Veifa Peseoa.
- p
MEURON t C.
Pernaiirtnico Street liHwq 4 C.
Oabaxo ass'ignado ex-thesoureiro da compa-
ahia Pernambuco Street Railway, declara pelo pre-
sente que, de accordo com o contrato celebrado
no Rio de Janeiro, em 13 de marco de corrente
anno, entre a directora designataria da dita com-
panhia e a administracio provisoria da mesma,
tendo entregado ao Sr. Gustavo Adolpho Sch-
mit gerente aetuaJ da compan'nia e procura-
dor da administraeio provisona, todo o dinheir.o
pertencente a mesma corr.panhia a eeu cargo,
tanto em conta geral xomo em conla especial,
para o resgate de bilhetes da compaaliia com
sua asignatura, fiea o abaixo assignado Jivre .e
desembaraQado de toda e qualquer responsabili-
dade dos ditos bilhetes actualmeute em circula-.
eao. Os bilhetes sero reeebidos como sempre.
os narros da campanilia om pagamento de pas-
aagens e trocados por dinheiro no escriptorio da
roa do Broa.
Recife, 8 de maio de 1873.
Por i. i. Suift.
Ex. asst. Treasnrer,
________________Al fred C. Surft._______
' -^ No dia 13 do correnle mez, fugio deste en-
genho, o mea eseravo Firmino, mole^ue, de 18 a
20 annos, cor fula, j de boa altura, rosto bem
limpo e redondo, faka de um ou dous dentes na
frente, quando vai andando roca um joelho no
outro, ps um ponco grande, porm, bem Jimpos,
^G^PHIA Altoty
' iiiaiici|ii';ii) de escravos.
A junta de emancipacao de eseraros creada pe-
lo art. 28 do decreto n. 8,133 de 13 de novembro
de 1872, faz publico que est unceioaando no
paco da cmara municipal todos os das uteis de
nove bras da manhS s 3 da tarde e que, sao
obrigad&s todos os senhores de escravos deste
municipio a dar no pozo de 3 mezes uma rcla-
co eniduplicata de todos os seus escravos, afim
de serera classificados, declarando nella o nome,
idade, estado, profi6so, aplido para o trabalho
o valor.
Observatdo-sc que a classiflcacao ser feita,
por familiae e individuos e que, na libertaeo por
familias preGrirao :
L Os coajuges que forem escravos de differen-
tes senhores.
%? Os conjiiges que tiverem fllhos nascidos li-
vres-em virtude da lei e menores de 8 annos.
3. iOs conjnges que tiverem fllhos livres meno-
res de 21 annex.
4. Os conjnges com filhos menores escravos.
8." As ajis com filhos menores escravos.
. Os.conjuges sem filhos menores.
(ue na libertaeo por individuos preferiro :
1." & mi ou pai com filhos livres.
2.a Os.de J2 a 50 annos, comer-ando pelos mais
mocos no sexo feminino e pelos mais velhos no
sexo masculino.
Que no ordem da emancipacao das familias e
individuos sero pceferidos:
i. Os que por si ou cor outrem entrajem com
certa quota paca sua libertaeo.
% Os mais morigerados a juizo dos senhores.
Km igualdade de condicoes a sorte decidir.
Que finalmente ineorrero o:i pena de priso
aqelles que de m f nao derem na classficaoo
os nones de seus escravos.
Qlind.1. 4 de maio de 1873.
Manoel Antonio dos Passos e Silva,
Presidente da junta.
Braz Florentino Henriques do Souza.
Francisco Antonio da Silva.
Tendo concluido o concert da noesa galera, esta-
| naos" as ordens do respeitavel publico.
Recife, 8 de maio de 1873.
. Alberto Henschel & C.
Por 6004 -cada um, e por preciso, vende-se
dous pretos de ?i0 annos, robustos, proprios par
relinaco, padaria ou sitio, ou mesmo ganlio na
ra, sao baratsimos : na ra d I lorias n. 96.
Vende-se dous moleques do 18 e 2o annos
peritos rozinheiros, o de 20 engomina e hitloh, sen-
do perito nestas tres habi idades, sao pecas : na
ra de Hortas n. 96.
Vende-se nma taverna bem afreguezada :
quem a pretender dirija se ao pateo do Terco n.
11. O motivo se dir ao comprador.
Laziohas escocezas a 280
rs. o covado.
Ra do Crespo n. 20.
Lzinhas escocezas, padroes intciranieule no-
vos, pelo diminuto preco de 280 rs. d cono,
pechincha c do-se amostras na loja de Guil ur-
ie C. da Cunha 4 C.
A 6#000 a peca
de madapoln francez com duas larguras e fin \
Cambraia Victoria.
verdadeira c fina a i000 a peca para acabar :
na ra do Cabug n. 10, loja d'Ainerica.
Xarope d'agrio do Para
Antigoe conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgaos respiratorios,
como a phtysjca, broehites, asthma, etc.,
applicado ainda com ptimos resultados no
escorbuto.
Vende-se na pharmacia e drogara de Rar-
tholomeu & C, ra Larga do Rosario n. 34.
= Vende-se una travo nova, de qnalidade. ja
apparelhada, com 32 palmos de co-nprida : na Ca-
pupga, ra da Ventura, cata n. 15.__________
Vende-se dous escravos proprios para todo
e qualquer' serviep. e por pouco dinheiro : na
ra Duque de Caxias n. 4i A. __________
Saceos de estopa
Avariados para milho e farinha a 320 cada u m
na ra do Crespo n. 20.
de eres j:ra

aU
a 320 rs.
Alpacas de lindnnnwin fe# e
sedas de 4 Grande nrthmMo oe.U para_ _
Crixli"
F de Hitan Han p
rs. a vara.
Voslirrios deftistao branro
meninos de tf a fi. ,
GravaUse mantas de 320 I I* radannu.
Chonana de cankn Im Chape.n na intm < & "*""" l"*10 v*n
"SL d,- lint, i lim 3*
i 5 a dalia.
Peilos da linho a 600 rs.
Dit.s bor.la.losa li1'
Corles de volitlo Iwrdi
Bii-ni prelo-v;.ra 1.
4 rronnni ? Rnha rlnmi Ui.u.u ft^., t
randas e 2 atan ni nm 9 <: a oatro*
ligos p( r precos biralis>imns.
CliupcoN |hi* rriiiuca r
i iiiin E<> i'<>'!a.
?ende se lindos chapos .1. v. iludo, pallo
de soda ricamente eulri'a.l de bl'ii 1. priH'ii"- pan ninas de
escola, pido baralissimt pceo Jie 3* cada
um : na loja do I'asso, ra do Cresj.., jui.lo ao
arco do Santo Antonio.
I.fjn ilo Puco i-u:
__________?*_ __
OHnda.
I ende-sc um -obrado de um andar na
do Aljube ao sal ri da 8 Rcin
pretender dirija-- .i minr i rua d> Orrasw l*i-
ns n. i6.
Attencao
Vende-se a (averna di rua Imperial n ti, cm
milito" Ihiiii local e com ba''antes cominndaa, MR>
to propria para principian'.' i r.. 1.1
J rlii'|!aram os inaravn1
ciaes da China, para seren solio- nos sakVs
dins: caixinhas mm variado s rlinMinlo e a pre-
ces desde 20 al ."iOj cada caixa : a.
n. 1 do caes da alfandrga.
\mm
Aviso
0 engenhe denominado d'Agua, da comarca de
$0.000 ItS.
0 commandante da fortaleza do Ruraco,
em amadas, cnellas'tm unia marea de lerida, iguarass, o qual foi praca por execugo de!d a gratificago cima a quem descubrir o
a roupa qne levou foi, duas camisas, ama de ma- jos Camello do Reg contra o fallecido Dr. Fran- autor ou autores que na madrugada de 7
dapolao e outra de algodio de listras, seronla do cgco j050 Carneiro da Cunha, e hoje contra a Dar- o 0 corrente tocaram (asa nn -mu ha-
mesmo algodo, uma calca de brim pardo j ve- viuva e herdeiros, nao podo ser adjudicado a Jos {T? "TT1^.,,.,.80 n. S6U b
Iha e outra de quaorinho mudo, um chapeo de CAml\0i com 0 abate dV5 parte, porque os ere-, nbeiro, promettendo guardar segredo a quem
palha novo com as beiras viradas para cima, dto3 soramados sao superiores a avaliaco de descobnr.______________________________
e dita roupa em uma trouxa e em lenco encarna- 6o:6G0*, por quanto foi avahado o engbnho e foi Precisa-se de 5001 por hypotbc* sobre
da : quem apnrehender dito eseravo, traga a este praf8) como esla pr0vado nos autos da execucao,! um terreno com 150 palmos de frente e 200 de
ongonno Meja de Cima da fregueza de Sio Lou- 0nde existe junta uma petj.ao demonstran va, re- funi sit0 no Arnh, m a ^ Amarena e
raneo de Tejucupapo, que, sera recompensado. ; qUerendo-se para em lempo o juizo tomar em con- outro em Beberibe de Baixo na m;i de 0|infa
Meja de Cima, 24 de abril de 1873 aldernelo, afim de ser o engenho adjudicado pela' ,, 280 pa|mog de frente tem ba
Hennque (Mympio Tavares da Pocha. | a,aiiacao de 65:0k0#, e sobre esU peticao o juizo pim e ^ de ^^^ qaem Mr ^ este
ainda nao deliberou : outro stm, alera destes ere- negocio dirija-se em Beberibe-de baixo, taverna
ditns, o engenho est obrigado ai pagamento de q padre.
1 disposcSes testamentarias. Voltaremos.
I Comarca de Iguarass, 4 de maio de 1873.
0 Sr. Joo Galdino Cavalcante de Albuquorque! Um credor.
continua autorisado a receber as joias e men-
Veneravel Irmandade deN.
S. da Luz.
Tendo em vista o que dispoe o art. 30 de nosso
eompromisso, eonvido a todos os meus amados
irmaos, para que no domingo 11 do corrente
nez, s 10 hora* da manh, comparecam no con-
sistorio de nosaa irmandade, afim de que reu-
nidos em assembla geral, tratar-se da eleico
para os novos.funceionarios que teem do admi-
nistrar a irmandade no anno de 1873 74.
Secretario da irmandade de Nossa Senhora da
Luz, 8 de maio de 1873.
Manoel Rodrigues de- Oliveira,
Secretario interino.
Camisas bordadas a 5#000
Na Rosa Branca.
"lio camisas com peito de esguio bordado o
paiiiu muito lino que valein 8000.
UMA VEZ POR TODAS.
Repetimas que a Hosa Branca nao exagera a
qnalidade de suas fazendas, aquillo que annuncia
justamente o que se encontra.
Rna da Imperatriz n. 56.
Xa rua da Imperatriz n. 6.
loja nc luuca ile seba-tiio Mar pi. <1. >
nu-nto. vende-se em prand on a rrta-
tho lud loii'.a existente na mesma. pnr taafM
omito diminutos pr loro m sino ,>runneia de Buer uma afni a Kuropa a tratar n> mm
- i.l.': p-riati'o. ti,.! .-Mnei na nrcdmr
Jo -e son ir i!'-te artigo, .pi tiiiitm ie nnnntn
antes.
SI:t. K;>0 rXO.NOMIA E (H.F.RIDAM.
Oblcm-se rom o uso
INJEC?0A SHOST
nica, h}gciuc.i,radicaleinfalliral nca-
ra .las gonorlieas, llores brancas e (luios d
toda especie, r.ri-nli-s ou chr.ni olToreee como garantad-saluuresresullndos
a (ontinuada aj.plicario que sempre com a
maior vantagexi se tem frito d< !la dos bon-
pitaes Lnicodep'isito paran Rrasii, Rartholom^-n
& C, rua Larga do Rosario n. 31.
Moroes < Irmao
Km sen oaeripaatio i rua da M#lre Den*
n. 5, l. andar, tem pira v; 1. r ,^>r j.
comtnodo :
Vnbo do Porto superior engarrafado.
Carvajo Rass.
Cha verde miudinlio de superior q
dade.
Allciifilo.
Aviso.
saudades dos 9rs. socios da Propagadora da Ins
trcelo pnbca, da parochia de Santo Antonio,
truceao pnb'ica da p&ronia ae sanio Amonio, suasauue, u ueixa por ^eieine uo scu obuiucibvi-
danclo aos mesmos senhores quitarjao com reci- ment o Sr Jos Tertuliano de Albuquerque, e
O abaixo assignado vaj a Europa tratar de
sua saude, e deixa por gerente de seu estabeleci
bos asslgnados pela thesoureiro o Sr. commen-
dador Albino Jos da Silva.
Recife, 8 de maio de 1873.
J. Ferreira Villela,
Secretario.
como Io procurador o Sr. Jos Antonio Barbosa,
enearregado das compras para dito estabelecimen-
to, e 2a o Sr. Antonio Ferreira Alberto, e 3 o Sr.
Jos da Coala Bispo. Recife, 8 de maio de 1873.
Antonio Ferreira Praca.
P^rTiVirtii.o n Amw.n,ln,'n Alvga-se uma casa na rua do Caldereiro a
tOZmneira e engommaeira J9( com Um gabinete, quintal grande, cacimba e
Na rna do Imperador n. 73, loja, precisa-se de cambrone : a tratar na roa do Rosario da Boa-
tuna ama coz.mheira e engommadeira, quelr seja' Vista n. 5), segundo andar, por sima da refina-
escrava oo forra. Icio.
Attencao
O abaixo assignado, gerente interino da com-
panhia Recife Drainage, faz publico que o Sr. Ro-
ben Wingard, qne era o enearregado das recla-
maces e conservaco das vlvulas e encanamen-
tos do districto de Santo Antonio e S. Jos, dei-
xou de ser empregado desta companhia desde o
dia 30 de abril do corrente anno.
Recife 8 de maio de 1873.
___________________R. Rrotherhood J.
Precisa-se de uma ama para casa de fam-i
lia, para cozinhar: a tratar na rua do Rosario da
Boa-Vistan. Ift .
Alheiro, Oliveira & C. fazem sciente ao publico,
que ninguem faca negocio com a casa sita em
Serubim, no curato do Bom Jardim, pertencente
ao Sr. Antonio Canda Guimaraes, por estar a dita
casa hypothecada a"s -Srs. Alheiro, Oliveira &
f., por qaantia superior.
Recife, 9 de maio de 1873.
i Alheiro, Oliveira 4 C.
Arrenda se o armazem n. 9, do largo da
assembla : quem pretender, dirija-se ao arma-
zem a. 5, no caes da alfandega.
L'm padre aqui residente, nao podendo conti-
nuar por motivos poderosos a'exercer o ministe-
rio da predica, tem resol vido vender algumas de
suas obras oratorias: os pretendentes podero
dirigir-se rua do Bom Jess (amiga da Cruz) n.
63, F andar. As obras sao as seguales l
Bossuet, 12 vols.; Le Glay la voe dessaints, 12
vols.; De Montargon Dictionaire Apostolique, 10
vols. ; OEuwrcs de Massilon, 4 vols. ; liridayne, 7
vols.; Macearthy, 4 vols.; Texer, 9 vols.; Blin,
4 vols.; Cambaceres, 3 vols.; Gulois, 2 vols.;
Fortn," 2 vols.; Blastier Mois de Marte, I vol. ;
Discursos Evanglicos, 4 vols.; Fr. Francisco, 5
vols.; Pulpito Jtespanhol, 1 vol ; Pregador Ca-
thoiico, 1 vol.; Mara Mi de Christo, 2 vols.; Voz
Evanglica, 9 vols.; T,,esouro de Pregadores, 2
vols.; Novissimas O-aeoes, 2 vols. ; Epstolas e
Evangelhos, 2 vols.; OraetJes Sagradas, 2 vols. :
Pregador Inslruido, l vol.; Reg; 4 vols. e mais
algumas que deixa de numerar.
Libras stcrlinas.
Majeza no armazem de fazendas de A
C de Oliveira & C, rna do Cominerrm
Vende-se
Vende-so na rua de Mareilio Das n. 119, uma
armajo propra para relojoeiro, com vidraca e
mais pertencas : a tratar na mesma loja de 9 ho
ras at meio dia.
1008000
de gratificacao receber quem pegar e levar a
rua da Madre de Deus n. 36 o moleqne Elesbo.
Este moleque foi visto hontem 1. do correnle na
Ribeira pelo seu antigo senhor o Sr. Jos Rodri-
gues Pereira, que soube depois estar elle ser-
vindo como criado com o nome de Luiz a um le-
gista na rua Direita. Promette-se nao ser casti-
gado^__________________________________
Aluga-se a casa terrea que devia servir para
asyla das convertidas, em Santo Amar, na rua da
Lembranca do Gomes, com bastantes commodos
para grande familia, e pro. oredes para algura col-
legio : a tratar na rua do Gapibaribe, caea n. 3,
com Ignacio Barroso.
H
Uma casinha de pedra e cal, sita as Aroas do
Giqui, com 2 salas e 2 quarto<, cozinha e cacim-
ba, terreno com 230 palmos de frente o 300 de
fundo, afforado a 60 rs. o palmo, a casa em bom
estado, est oceupada com negocio r quem qui-
zer dirija-se a Thomaz d'Aquino Cesar, as Areias
da povoaeao do Peres.
Casa em Olinda.
Vende-se uma casa terrea com quatro quartos,
na rua de Mathias Ferreira, muito perto dos ba-
nhos sainados e por multo barato proco : a tratar
no grande armazem de linas da rua do Impera-
dor n. 22. ^____________'
= Vende-se a quarta parte de um sobrado na
rua do Coronel Suassuna, e de outro na rua do
Imperador: a tratar na roa do Imperador n. 67-
Iobj
TODA ATTE\C\0 NICA
Ao sexo amavel.
\(iham mocas e nao tard.m
l m lirdo lequ comprar,
Olhein.... que pelo preyo e de graja,
Se tardarem nao ho de encontrar.
lu lequ do mariiu \\wx m*.
Qual a senhora que se escusara possuir
um lequc, ohjecto esto tao til ao sea eeio,
e alm disto jwr uma ridcuUria ?
(inesparlilho p-r I$M\
yual n que deixar de munir-se (e por tal
proco; de um to imp rante auxiliar para
a feitura do uin esbelto corpinho *
Uma facha de seda por9aJ,
Qual a que nao desejar possuir unan lin-
da facha de seda, e de um effeito magnafint
por tao diminuta quaiitia 7
E ({Hall
Finalmente a que, leudo com a devida at-
tencao estoannuncio, nio deixar escapar do
seus labios as seguintes palavras I
PARECE 1NCRIYEL!
Neuhuraa por certo. Todos ates artinjos,
assim como inuitos outros ae encontram no
VAPOR DAS NOVIDADES.
lina da Imperatriz 36.
Padaria
Vende-se uma pequea padaria eom forno noro
emais pertences, propria para prinripiaMe: anana
pretender dirija-se i roa do Visconde da AJnn-
querque, Tjutr'ora rna da Matriz da Bna-VtsU a
o4, que achara com quem tratar. j|
Vende-se feijao mulaiinno novo a 14 a anW
na rua Direita n. t.
\



1-T"- "*
mm
Vasos de crystal-para toillet.
f.t^K $. Af^- B anca- a ra do Duque de
Diario, de PeWKnkc i* Sexta^ira i q M&fo 18T1
^^^
aSKtCVBMM*.
S^t ~, obeo bomtas gTaJinhas decrys-
frfnE C0"1 famf "s douracLis e inui pro-
pias para arrapos de tole, ate,
Anneise colares elctricos
a m V dK Knia ****** r"3 Dufle de Caxias
*>. re,- Deu nova remessa dos proveito?osan-
1 colares elctricos, e continua a recebe-los
rastmieiMe, polo qu seoipre estar provida de
ues ol)j"rlos
A Predilecto,
Diademas dourados
sAd^uia bra?eau* "* a1U0de c'as *1
^reerbeu navamente bonnos diademas dourados
e afeitad. eompeoras e aljofares, obras de gj.
pean ou alnnetes cora flores par, i cabera
Leques com bouquets e an-
tros chinezes.
vOICl Ceme nar. raA.rto- ~
amaciara pelle
Diademas e grampos de
a<*o.
*iasJ Kn argma bra"ca> rua "o Duque de
Bicos de seda pretos coib
llores de cores.
ua do Duque
A loja da aguia branca, i
uaxias receben, como novidadf bonitos bicos
de
def
mA- .,.-,1 .._ ------- .""raouo UIIIIIIU3 UII7US ae
to prehis cora flores de cores, sobresahindo nel-
n,,-?^ "" encarnadf'. o* ruuiproprios
psi aban-as e outros eufeiles de vestidos de gra-
oadme on medmae outras fazeodas transparen-
te*. Pela eoniinodidade des prados essos bicos tor-
aam-se mai ommodo,s e pela novidade de costo,
ptv*mou.a quaesquer outros enfeites.
v eos ou mantinhas pretas.
; ^i* "Sfi branca- a rua do Duque de Ca-
Su"AHrtCebettnbon,OBTM ou mantinhas
ufe seda com llores, o outras a imitacao de
mi7. jende as polos baratos penos do 3
i SsiH,,.! tazenda boa e est em per.'eito
astuto, pelo que J^faa a ter prompla exlrac-
Oiadei as $ aderezo de ma-
dreperla.
i:' d> Aguia branca rtia do Duque de
tedas u. 80, receben urna pequea porco
diadema-* e aderecos
parad i eosto.
de -ndreperola, obras
erfeita novidade.
Qnmpos com borboletas, bezouros e gafa-
iibotos dourados e cidoridos.
A loja da aguia branca, rua do D"quo de
Eaitas n. 8',' recebeu novos grampos com bor-
:>. bezouros c "gafanhotos, o qnc de certo e
nrfeita rovid de. A quanhdade pepuena, e
i brevfl se acabar.
Horas gollinhas ornadas com
peluda ou arminlio
a i'agttia braaca roa Duque de CaxlasJ
di ti una pequera quantidr.de de boni-
i,ivas gollinhas, trabalho de la e seda; en-
ditadas com arminho, obras estas de milito gosto
era. ente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, :i rua do Duque de
..,!. a. 50, receben novamente bonitos gram-
i.- e rozetas dourados ; assim como
diademas de ac, e como seinpre conti-
a i v ide-los por presos razoaveis.
Galxinhas com pos dourados
e prateados, para cabellos.
VB;e-si na luja da Aguia Branca ;i rua do Dn-
rac d-1-alias n. o.
tvas de pellica pretas e de
outras cores.
da Aguia Branca, rua Duque de Ca-
n .'::. receben novo sortimento de lavas de
- e de outras cores._____________
Kfto ha mais cabellos
brancos.
TiMTUBARIJa JAPUZ. ,
Se nicaapprovada pidas academias de
loeias, reconbecida superior a toda que
ido at boje. Deposito princi-
pal rua da Cadeia do llecife, boje .Mar-
quez e Olinda, 1|. 51, 1. andar, e em
as boticas e casas de cabcllei-
o. ___________________
Cursa pralico ilc pedagoga
POR
Mr. Daligault,
tinado a"s alaranos-mestres ilas escolas nor-
: primarias, iraduzido em portugus, i vol.
. |ir > 5*000 na livraria Universal, rua
*> taiperador n 5i.___________________.
no enipenho de'beni servir aos *ous freguuzes e
aHfiiblico em geraljert procurado prover-se do
ano lia de melbor e- da ultima moda nos merca-
dos de Europa para expo lo aqui venda, cor-
tos ae que os seus artigo sero bem apreciados
pelos amantes do.bora c barato ; passa a ennu
Aierm cgUD8 d'e,tr9 elles> conM) S(ain :
ALBU. S, os, mais ricos que tem vinde a este
mercado, eom capa de madroperola,
tartaruga, marlim, velludo e chagrn.
|AIREyOS pretos e rollas proprias para hito <
assim como, urn bonita sortimento de
ditos de plaqu, obra lina e multo beta
acabada.
BOTOE para imnhejt, o r,iuc c pode deiojnr de
melhor em plaqu,, tartaruga, madre-
^nerola, marfim e sso.
BOLEAS le vt'Hudo, seda, pallia e ehagrin, o que
fia de mais moderno e I udas.
BICOS de sda fi de algodao, tanto braneo como
p,-eto, de variados desenhos
CASSOLEAS pretas de metal e de madrepe-
mla.
GAfXl-VHAS para costura, nraito ricas ie di-
versos vm tos, com musioa e sem
elln.
COQLT86> a imtoc-o, o que pode haver de Mais
bonito boxu Josto.
DEADEIAS; nesfc genero a Predilecta apw
senta um grande e lindo sortimenTe
capae de- satisfazar os caprichos da'
qualquer aenhora por mais exigente-
ue seja.
PORT-BOUWET de madreperola,. marflm e sso
est un objecto indiafensavel s se-
nboras do bom lom, aAm da aspirar
o aroma das flores sem ioeohvenien-
te de nodoarem as juvas, ou mancha-
ren! as delicadas ni.io*.
PENTES d.-! tartaruga, de mar-lm e de fcuftlo, pa-
ra alisar os cabellos e tirar MctWK
PERFUJIARIAS. E' sabido do publico qse a> Pre-
dii'ecla sempre conserva na importM-
te .sortimento de psrarnarias de fia*
odor dos mais afamados fabrieambs,
Lubu, Pirer, si>cieda*hygieHica,Gn-
dray, Gosaes e .lime, que mraMt
bido da escoiha dos aromas- mais' leal
aceilos pela-jiociedade ek^-aoto -dfc'
Europa, e wr Utato, acfiam-se, ca-
apossibilidad9 de bein servar aos aniaa
it*s dos perfunwsi
A PREDILECTA deixa de enumeTap urna im
iiie.n.-idade de artiyos, afint de nao mas-
sar aos leitores-e se pede a benevo-
l'-n.--i.a do respoitare,! publico em di-
rigir-se rua do a ug n. 1 A, pa-
ra o.nvencer-se aora? pode comprar
o qu: bom e baraHK, assim eomo:
FAQIAS ricas modernas do- to|a 'm c aurgurao
se la
VESTIMENTOS. Ricos vestimaoto* para meninos,
por karatissimo pra;.o.
FLORES. A Predilecta prima, em. conservar' um
bello sortimento d rvs ao alcanee
do qualquer bob,a anda que nao es-
teia nem replecta dadinheiro.
FITAS. ja bem sabido do mMico que so na
Predilecta que poiiem encontrar uta
grande sortimento da- fitas de Setha,
tafet, velludo, nho e-de- al|odao>, per
enmmodo prefo.
GRAMIVS de tartaruga, imitiao des tes, pre-
tos e de coros, o quo'ao pdjB desejar
de mais moderno e bonito. .
GRAVATAS de seda e de cambraia- para senhora,
lacas e golinhas de boaitas eones,, tam-
bem tem um bom soi'&'nnenfo de gr-
valas e regatas para hocaem. ,
JARROS de porcelana e de vidr muifc .bonitos
para ornaL's de sala.
Mei s de seda, de la a de aajMa, pa-
ra senhora, meninas e hornero.
LEQL'ES. Ricos leques de madreperola, tartainiga,
marlim e de.osso, os mais modevi ios e
por barato preco.
LUVAS de pellica, de seda e de algodo, park
hoineni e senhora.
LIVROS para missa, a Predilecta apresenta es-
coiha do respeitavel publico um bello
sortimento destes livros cora capa s de
madreperola, tartaruga, raarftm, jjso,
velludo e chagrn, por presos mui
razoavejs.
Aderecos de" bri-
lliantes, esmeraldas
rubios e perola,
vollasde perolas.
Obras de ouro e
prata de todas as
qualidades.
BAZAR DA RUA DIREITA-1
HOJE
MARCIUO DAS N. 51
5este estabeleoimento encontrar o respeitavel publico o mais completo sortimento
do miudezas-, chapeos, calcado francez e artigos de Juxo; e recebendo quasi todos os tea
artigos de proprin encoramenda de Europa, acha-se as condic,6es de retalbar mais barato
do que qualquer outro, e quem duvidar veja :
NOVA
2 A-
LOJA BE JOIAS
-Rua do CabugjSt. 2" A
BARROS^ a I IIIIO
^Achaadiwe t50mpletamente reformado este estabeleoimento, e
tendo os seus propietarios feito urna imprteme- acquisi?ao te-
jofts as mais modertas tidas b mercado, e de quididades superio-
res, convidam ao respeitavel puMreo a fazer orna/riaa ao seu cs-
.tabeteermento, afim de-apreciar reomprar urna jcHa- de gosto por
pre^fr ratOdtel j
iARATEIRO
NACIONAL
\ Kua da Imperatrlz n. 72
. DE
LdJirenp Pereira leiies Giiir*raes
CASEMIRA FRETA A 250 OCORTE. I COLLAS W. FUSTO A 2fS0O.
Tende-se cortesde casemira preta para cal- j V-ende-se oolsae- de fustacj- .e cores,
gaexte'homem 2^50i>, 45?500, 5 e &i?000. 2gS00 cada urna.
PANNO PRETO FfiVO A' 2500.
Vende-se panno enfiestado- proprio para
60BERTORES BE PELLOS A J200.
Vende-se oobertere de pello*- papados
caJjaae paltts a--2&oO0, 3^;.4 e55)00 o a 19200 e 13400.
eovado. SAIAS BR;tlAS A 25080.
ALPAC4. PRETA A 500 RS.. ."Vende-se saias baifeas e de cre 2C000
Vende-se alpacpreta fina a 500 e-040 rs. e 2S9500.
o-corado; TOAI.HtfrA 80* RS-
CORTES DE BRIJ1 A 1*500. Vende-se tcalha fefywlas prt-wa* par*
Vende-se cortes & bnm para-caicas de rosto a 800 rsv cada-amo.
homenv a 1500 e 2?fOOO- BOLSAS PARA VIAGENS A 3&0O0.
CHITAi> BARATAS A 240'RS. Vemle-se bolsas para viagens a 35, 3?500
Vende-se hitas francezas largas, para e 45)000.
vestido a 240, 280, 320 e 300 is. o ovado. LOCOS BRANCOS-A 2?M)00 A DUZIA.
CHITAS PARA C8BERTA A 280 RS. j Vende-se lencos brancos a 2*8 a du-
Vende-se chita finas para cobertas a 280 zia.
rs o eovado. fiROSDENiELES "PRETO A 19800
MUSSELINA DE CORES A 400= RS. Vende-se grasdnaptes preto para vest*,
Vende-se msseboa finas, de eores para a 1?!8O0, 2?, 25300, 3??, 4??000 e-5J0O0 o
vestidos-a 400 rs. o eovado, eovado.
FST'ABftAW;OA320RS: MADAPOLO SINO A 4$00Q.
Vende-se fustao braneo- rwra vestidos a Vadc-se po-jas de madapolo, a- 45O00,
320 rs, eovado. 4JSOO, 5-5, 6?5; 7000 e SpOOO.
Novidade.
A Predilecta, rua do Cabu{,'i n. t A, aeaba
de re eber pelo ultima paquete chgado da Eu-
ropa, um bello sortimento de curpinhos do cam-
braia bordados para senhoras e meninas, golli-
nhas c punhos tambem bordado* e de plantazia,
saias bordadas, di las com entremeios para senho-
ras,. bonilas calcinitas de diversos tapadinhos
e transparentes para meninas, que tudo vende
por barato proco. ______
1ASSAS FRANCEZAS FINAS A 360 RS.
Vende-se cassas decores muito finas a 360
e 400 rs. o eovado. %-
CAMBRAIA BAPTISTA A 40O-RS;
Vende-se cambraia baptista par vestidos
d*senhora a 400 rs. o eovado.
ALGODAO A 45000.
Vende-se pecas de igodo bci a 4JS,
4?K0, 55, e 65000.
ALGODAO ENFESTADO A 900' RS.
Vende-se algodo entestado a 9*0 rs. o
metro.
baratissimo

Novid
aae
piim lines dos Santos tem para vender
rinhO porp de uva branca, com especial paladar.
oniw viudo a este mercado, em b;>rris de 5 e
inivi7.eii:ido no trapiche do Machado, e a re-
talho --1-80D rs. a parrara : no armazem crniser-
.. largo do Terco n. 23. ________
Su rua do Commerciol. 32, 2." an-
. entrada pela rua do Torres, vende-se
-> segu uto :
Couro de lustre.
Bezerros.
Oleo de linbaea.
Cadeiras americana;.
Hilas de balando.
Ditas para enanca..
Palhinba preparada.
Gomma-laca, superior qiialidade.
Folha de Flandres.
Vidros para vidraca.
Chumbo de munieao.
Cale do Rio de Janeiro.
Manteiga ingleza.
Dita frapceza.
l'hospboros de seguranea.
Vende-se rua do Commercio n. 32,
3.a andar, entrada pela rua do Tor-
res. ___.___
Basquinas e casaquinhos de seda ricamente en-
feitados e em muito bom estado, para sonhoras e
meninas a 7l0.).
Pechinchs.
Cliapelinas e chapeos de pallia, velludo e seda
para sen' oras o meninas, por precos baratissimos
de U, 35 e If.
Anda pechincha.
Baloes em perfeito estado para senhoras e me-
ninas a ljioOO.
Para acabar.
Bi<|ui*siraos cintos eom lacos e sem elle e de
gustos muito chiques a 40 e a 0 rs. .
Entremeios e babaJinhos a 400 e 500 rs. a peca.
Saias de la para senhora, t.
Estas pechinchs so se encontram na loja do
Passo, rua i de Mar. o n. 7 A, antiga do Crespo.
i ni ni
AVISO
r
na da
Na taverna n. 22,
Imperatriz
VE5DE SE :
Rap^ areift-na a 990 rs. a libra.
Rap superior aOOOrs.'
Rap area-prela a i00
HS.htiaa inglezajiliiiSO.
Dtofrvea'IJlpl'te.
E ( 3 precos commodo.-
veud-se a laverna da rua 'Dimita c. 72
iOBienie porque a dono po pode a'lniinistra-la
ax-sb negoci eottaiodo, a tratar ca mssma,-
Pela ppiiicira vez aqui aos
uiiiaiites lo caf.
Caf de Java.
E*o caf moido melhcr que se pode desejar ; e
s se vende na eonfeitaria do Campos, rua do Im-
perador n.-2i.
A respeilo de acepipes nao precisames mais
annunciar, puis est no dominio de todos que a
confeitaria do Campas um verdadoiro centro do
que bom e grato ao paladar._____________
Panno de algodo da Bahia
.da fabrica Todos os San-
tos.
Teem para vender no escriptorio Joaquira Jos
Gojicalves Beltran & Filho, rua do como ercio
TASSO IRMOS&C,
Em seus armazens rua do Amorim
n. 3T e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por pregos commodos,
Tijolos encarnados sextavos para-ladrillio.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento Hydranlicc.
Machinas de descarocar algcxlao.
Machinas de padaria.
Potassa da Russia em barril.
Phosphoros de cera.
Sag em garraf3es.
Sevadinha em garrafSes.
Lentihas em garrafSes.
Rhum da aJmaica. .
Vinho do Porto velho engarrafado.
Vinho do Porto superior, di o.
Vinho de Bordeaux, dito.
Vinho de Sctoerry.
Vinho da Madeira.
Potes com linguas e dobradas inglezas.
Licores finos sonidos.
Cognae Gaulhier Freres.
Latas de touciuho ingles.
Barris com repolho m salmoura. ______
Mangabeira
X. 2Q=ma do OmpoN. 20
Casse-laiite com pares linites-.pelo di- r. Baptistas loas de tires com \ t Irnos
minuto proco de 209 rs. o eovado. de largura, a 100 r* o eovado.
Lasinhas de cOres, padres aeiramciiktl. Merino trancado fitrta-cr, d* 2 larguras
novos, a 20 rs. o eovado. proprio pr.ra roupas. a 2^000 o eovado.
Poupeliiia de sda, a 15*200 o eovado. Cambraia Victoria tina, a 39800 a peca.
Dita de 13-linbo, a 800 rs. o eovado. 1)ila t.auspaicnte iioa a '.?o00 a peca.
Merino assctinado, proprio para vestidos* Lencos-de cassa com barras, a irOOO a
a 360 rs. o eovado. Idzia.
Brim pardo trancado, pouco-mfo, a 3i>0> [
rs. Q eovado. ) Dilos de dita beascos abaintiados, a 2-SOOO
'aduzia.
llicos transparentes para ianellas, a
109000.
Diademas dourados de 15300, a 29500.
Ditos de tartaruga, a 39.
Ditos de bfalo, a 500 rs. e 19500-
Gravatas de seda parasenhrtra, a 1#300.
ParSirs de seda muito finos com 2 la^oa,
(de 39a 59.
Pfelas de madrepeTofa, a 19.' *
Vestuarios para baptisados, ricamente en-
fe^ados, a 259."
Cachos da flores muito finas, conteni 6
ramos, por 39.
Cahinhas com perfumaras, muito pro-
pinas para minios, de 49500a 69.
Ricos vasos de porcellana com fina ba-
nha, de 19 a 29.
Boies eom dita dita, a 500 rs-.
Latas grandes eom dita, a 200 rs-.
Voltas de veludo para pescoc,',-ooiir cora-
(esde madreperola, a 500 rs.
Unha de carritel de 200 jardas-,-a 800 rs.
a dizia, excellente para machina.
Dita de dito de core, de 100 Ato}, a-'320
rs. a duzia.
Dita de dito branca, de60 dita, &280.
Entremeios o babadmhos bordados, de
400 rs. a 29500 a> pega.
Galoes de seda de 19200 a 29000 a
pega.
Ditos de algodo de 100 a 200 re a
pega.
Trancas brancas d caracol a 40 rs a
pega.
Gaixinhas com 4 papis de agulhas fran-
eezas por 240 rs.
Ricas eesunhas para-o bra^o, muito bem
enfeitadas, de 29 a 39.
Ricas golinhas com manguitos, para s-
nhoras, a 49.
Camiziabas para sentaras, ricamente er>
fekadas, a 49500.
Casaquinbos de la para-ditas, muito bo-"l
ntta'nltos, a 79500.
Gollarinhos bordados para dita* de 500 rs.
a 19.
Espartilhos muito finosra 49 e 50.
Grvalas para homem, pretas e de cores,
a 240, 400, 500 rs. e 29500%
La para bordar, a 59500 a libra com-
pleta.
Finissimos leques de marfim, a 89.
Ditos-tlito de dito, a 59.
Leques de sndalo, a 59.
Dit s de madeira imitando, a 29.
Ditos de papel, a 19800.
envernisados, a
E*covas finas para dente*, a 4M rs.
Ditas mais inferiores, 1300 ra.
Caias de melal muito Andas com pos de
arroz, a 19.
Abafedores finos com lacos, a 19500.
Ditos ditos, a 29500.
'Ditos dito sem la?os, a 19400.
Ricos espeto de diversos tamaitos, com
moldura dourada, modelo oval, de 99 a
139.
Ditos'dito coro moldura
29500.
Ditos do com olamnas de Jacaranda, de
29500 a 39.
Bengala** 19. '
Collarinhos de papel a 400 rs., a du-
zia.
Cbapasinhos do palha para senhora?, a
C900O.
Dito de dita para menina, a 29800.
Ditos-de dita para mangas, 19380.
Rico ehapos de palha esetw para se-
nhora, a 169000.
Ditos ditos de Italia para dita?, a f 19.
Gorros de veludo para meninos, a
49000.
Chapeos- de palha ingleza- para homens.
a 39.
Ditos de fertro finos parsitos, de 39 a
49500.
Ditos de sol de merino, muito lindos, com.
cabo de metal, a 69.
Ditos de seda eom cabos e pegadores df
marlim, a 16*
Neias cliapelinas para sentara-a 69.
Duz,a de camisas de cretoe de cores ff-
\'xis> para horneo-, 339.
Botinas francezas-para sentaras, a49600.
Ditas ditas finas- enfeitadas, de cano alto.
*09e79.
Sapatos Charlet eom salto e sem salt
para homens e sentara, de 39 a 39800.
Sapatos do Portoy de tranga, a 19900.
Sapatos de tapeto; a 19400.
Socos para meninos, de 29 c 29500.
Alfinetes e brinco de pedra cravados, a
rnoo.
Ditos ditos de perola o filagran, a
29000.
Pofisepartouts para retratos, a 500 rs.
Agulhas de crochet com cabos de mar-
fim, a 800 rs. a caisa.
Granadino com lietras de sc-da, fazenda
para vestidos, a 700 o eovado.
Corentcs de plaqut para relog'.c*, de 29
a 39000.
E muitos outros artigos que s a vista do comprador poder certificarse da tai
cidade dos presos, por quaato vende O BAZAR DA-RUA DIREITA N. 51.
Pode obfcr em potico i*aipo com o nso do melbr-r dos
coresa samada
MNA
Faz^oito anoos que ccabecido este precioso ordeo, e diSBcil acbar una pesso
que, tendo experimentado pessoaluaeDte^ nao falle em sen favor, como bom estoma.-
e apetisador, tomando rjm ca'ii dea antes de j^r-t-ar, pd como 'fiet'i'.dor ds digfsiJ
tom^do-se defQis.
A BASE
Cobertores oscuros, a 29000 um.
Toalbas felpudas, & 500 rs.. urna.
(ruilhcTHe Carneiro
Leoces de bramantes, a 39000 um.
PARA ACABAR
Loj ne
C.V: Cunha &-C.
LIMA & WYILM
Cahelieireiros
A
America meridional.
Tendo comprado' & estabeleciment Traaca.
monsteo que o Sr. atyr'o Jos de Moraes pos-
suia rua do Du-jue do Caxlas n 23, nulld aca-
bara de fazer graariea reformas no sentido dc!
bem satisfazer ao respeitavel publico desta ci
dade. .
O gosto o asseio com oue pst organisa eftabeleciment'j, o capricho e presteza em seus
trabaluos, sao- a nica divisa dos novos. proprieta-
ries, sendo que seus mais ardentes desejos se|am
merecer a honra da ce ocurrencia pimlica.afim
de que possam couvoneer-se da realidade do
que leva dito. -m>
Alm, da execueao geral nos trabalhos de ca-,
bellos, encaregam-sa mu especialmente dos" pen- i
teadoa de senhoras, para o qne recebem por to-
dos os paquetes da Europa o jornal dos cabelleirei-
ros, que os collocam em mutuo contacto com as
modas de Pars.
Lima & Wyelm
CABELLEIRE1ROS DA AMERIC v MERIDIONAL
gu Bwt|He de teias n. 28.
Engenhos venda.
Vende-se' os engenhos : Gameleira, com safra
de dous ipil paes, s tuado no lugar denominado
Barra de !"mellas margem do rio' Pirftmy, e
a 4 leguas a estacao de Una, eom terreno para
safrejar ai talmente de 4 J5 il pes: Comen- _._ h nnivi-a a rna
tes, coni saVra de rtous mil bk .situado no dis- ^egznm ao Bazar Universal da roa No-
tret de Agua-Prt e 4. leguas da cstacao de V9 D "* ara sortimento de macriinas para
l'na : ojretendente a amHb's, ou a qualquerum'cofllOa, da9 dtalfores qalidade-a qtie existe
dos ffoas refer^ ^ngen'hps-mtendi-se com; oa America, das quaes mudas j sao bem
ta-Marques Dias, no povoado dos Montes. Weler 4 f^Kn"'st*'flr & BoRa, Sil?n-
ciosss, Weefl%*Iafp8rracB' odras moitas
que cem a vista devero agradar ao cora-
da BESPERID1HA a LARAWA AMARGA, nao ha n bai.ilaota do BRAS3L (a terr;
espacial das-laranjas) que rao ccntica as prooriadades medicinats a doorada frrjc':.
ora hem, a
CflSTUR
em son estado natoral tem um gosto ponco agradavel, e o merKo da Hespadni <-
sis' em roter snas boa9 propriedades, e ao mesao tprnpo aprewati-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA. NACIONAL d3o t?a Bada q<:3 2ve,ir u
nwibores importarles enropas de cathegoria semelbanie.- Eslaa, qnaado sao, podam
MI gostosas,. porm a HesperidiDa a corob)D2$3o perfeita to
p AGR1DAYEL E SADAYEL
Para prova de que -ura art go do qos: pcde-5 ter iotsira eonfinc. y>' wrparr
e innocete> basta dizer-se que foi plenamente approvada e atrifada pf>.
JML
do Rio de Janeiro, Dermitiindo sua livre elabepatio no impiio; ootra
BOA PROVA
a Kttftafio geral que tem em todas as partos ODde ap:4eBl3fla. Sa 1864 tta^
leceo-8e a primeira fabrica em Buecos-Ayres; em 1869 a segnrda ^ Montevideo; a
nodia dach?ga!a de S. M.'O IMPERADOS iuaogr.ron-so a fabricj ^.e actnala^a**
trabalba na corto. Em Yalparaizo e em toda a costa da Pacifico tea boa cceia?3o,
tanto gna rara a casa qne considera completo sea aparador -sen coa garrafa de
HYGIEHE
Vende-se ou aluga-se um sit>o com urna casa
de taipa e cacimba, porto da estapo da casa ama-
relia, tend 101 palmos de frente e 600 de finido;
parta i atarse rua Direitan. 8,16)a de funieiro, J
Yitiho Collares
A espeiaudnde do VlH Collares, s se pode prafl^res.
'- tose Ferandes Lima I Esta? ffircMris tem a vantagem de fazer
lo tffifto' qne trltta costtireiras podem
n onvArln fazer diariamente e cozem com tanta per-J
J: ,^ m ;fico como as mais perfectas costortivW
Sf^^fh^u..6.^ fa^fM, Garante-se a saa boa dnlUdsdBO nlts-se
rs. o covaoo, 6 barausslmo : na lojaw) pa?so, ,j jjjj. Uu^mI- _4 *
a trabaiarttHtJi-ficiJo em menos de cma
encontrar no armazem de Jos Ferandes Lima &
C, na rua NVa a. 3.
XISo"
O bomem velho toma Hesperidioa para obler
VIGOR
0 bomom ioenie toma Hespen Jna para oble?
sau:
0 homem dbil toma Hesperidina para obler
Nos bailes as donzellas e es mocos tomam a Heaperidi&a para oblar boa eflr
animacSo dorante os loncos gyros da
BARROS JNIOR C, roa do Vigario Tenstio n. 7, 4 aadut recbana
grande especifico, e venu^m-no nos depsitos seguales :
Jottrjirt Ferreira Lobo, roa da Impeatriz.
Zeferno Carneiro, rna do Commercio.
Marcelino Jos Goocalves da Foule, rua da Cadeta a. 1.
Antonio Gomes Pires oV C, rua da Cadeia. J
Antonio Gomes Pires d C, caes 22 de Rovembro.
Gomes d IrmSo hotel da Passagem.
Veidc-se
'CasBas avaria-das a 240 rs.
o cova O Pavno t6de finissirnas rasgas tranceos de
cores rom os mais delicados pidrSes, por tere
rna i de Margo a.i7 A, antiga ao Craspo.
Y^k-se't^,'tav,ecdan ffbcjb ()'.P^ai*
: quem a pretender dIriji-S a rneStila casa.
'bbraV. 'e bs' pteeos 8io to
r
commt>ioi qoe
ate.
rjs de parreras de d'versas qualidades, j era
cestos proprios para mudar-se, por preco oontmo-
do, no ftlo unto a entrada do eneanarento, em nm peqttWio Inqne de avsria de agua
'Parriameirim, e mftlto boa gomma de arartrta era barato pre;o do dore viatens B corado,
**-.> e a retaHt :. na rua Duque deCaxias, an- cha : na loja do Pavao, i hra da "
a\HsCtare^,n..H.
Rival sem segundo.
Chegiram agulhas para machinas, do fabiicant
O-ower Baker. Duzia por fOQO.
cha
0.
Ao eommerciow
Tendea una taverna htm iltailiiiaii
arrabaVies fiesta Mada,iiaA USt >Mi>ia
ra mformacSes, no Arraial, taveraarWVa.
9*
A








!i>
..
* y
\
.'.
i*m
mi m
*
*m
Diario deTewiaoibuco Soxia feir* Oddo Mftio -de*1?3.
Soares Leite & Irmos, pedera as Exraas familias desta cidade, para virera sortir-se
4e.uipiCOni|dato.sorliaieiii.) d miudezas e perfsmarins,, por pregos baratissimos, a
saber:
Caixa de lipha branca muito i^a cora 40
npvljos, a 00 rs!
Idem-idcm d marca, a 200 rs. Caixa de envclopes trajados
Mago de fita chiueza, a 9J0 rs. 500 rs.
Duxa de pegas de cordo imperial, a Leques para senhoras, 29000 e 4^000
| dem idem do osso, a 6900Q o SPOOO.
Capa d^ peanas Perry, a 800 rs, *
dem idem, 400 rs.
de preto, a
-80 rs.
dem em carritel de linha branca, a 320
rs.
dem idem carritel. 200 jardas, a 19000.
Lamparillas gaz, dando urna luz muito
boa, a 155*000.
Abotoaduras para collete (sfio baratas), a
200 rs.
Duzia de pegas de trongas caracol branca,
a 00 rs.
dem idem lisas, a 200 rs.
Fita de velludo de todas as cores e largu-
ras.
dem idem de sarja idem idem.
Talheres cabe de viado [i imitago) a 39000
duzia.
Duzia de baralhos francezes canto doura-
do, a 39600.
dem idembeira lisa, a 29500.
Grinaldas para casamento, a 25 e 59000.
Indispensaveis de couro da Russia, a
109000.
livros para notas, a 320.
Redes afeitadas, a 19300.
Duzia de collarinhos bordados para ho-
mem, a 89000.
dem idem lisos, a 69000.
PERFUMARAS.
Garrafa de agua florida verdadeira a 19300
dem kaoanga do Japo, a 1&200.
dem divina, a 19000 e 19200.
dem idem Magdalena (novidade) a 19500.
Frasco com tnico oriental a 19000.
dem de oleo Oriza verdadeiro, a 19000.
dem idem antique muito b >m, a 400 rs.
Opiata muito boa, a 19, 19500 e 29000
o frasco.
Caixa de pos para den tes, a 200 rs.
dem idem de pos cbinez, muito bom, a
Garrafa de tinta roxa extra-fina, a 19000.' 500 rs. e 19000.
Caixa de botdes do osso para caiga, a Mago de sabonetes inglezes
200 rs.
Coques modernos, a 39500.
Mago de tr.nga lisa de cores, a 240 rs.
Espelhos-toucadores, a 29000.
Resma de papel pautado e liso, a 29600,
29800, 39500, 49000 e 69000.
Caixa de papel amisade, a 600 rs.
dem idem idem boira dourada, a 800 rs.
Caixa de envclopes forrados, a 700 rs.
muito supe-
riores, a 600 rs.
Duzia de sabonetes de amendoa, a 29500
e 39600.
dem de sabonetes de anjinho transparen-
tes, a 29200.
dem de sabonetes com flores, a 19500.
Lindas e elegantes caixinhas com perfu-
mes do autora. Cudray e Gell Frres, pro-
! prias para presentes.
SOASES LEIE, IRMOS
NICOS MENTES
A' -
iia 1I0 llaro da Victoria 11. 28
As mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposigo de Paris, em-1867, foi concedido a
Elias Howe Jnior, a medalha do ouro e a condecora-
go da Legio de Honra, por sorem as machinas mais per.
feitas do mundo.
cos-
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Jnior, nos
Estados-Unidos por ser o iuventor da machina de
tura.
A medalha de ouro na exposigo de Londres acreditam
estas machinas.
A 90S000
Luvas de pellica com pequeo toque, a' Sabonetes Glycerino transparentes, 19
500 rs.e 19OOO. i Chapeo para setihora e meninas. i
BOLLAS DE BORRACHA
Grande sortimento de bollas de borracha e calungas porbaratissimo prego, e mui-
tos objeetos que se tornara longo mencionar.
28 tina i) liar da Victoria 28 -
FNDICAO DO BOWMAN
RUADO BRI1 N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senbores de engento e ontros agricultores, e empregadores de m
ebiisrao o favor de urna visita a seu estabileciment, para verem o novo sortimento
completa que ahi tetn; seado tudo superior em qualidade e (ortidao; o que com a ins
pecgo pessial pdese verificar.
ESl'ECIAL ATTENCO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FNDICAO
Vnntxva a rnAn* ri'acrna dos mais ->olernos eternas eem ta
apiOae 1UUO.O u, agu<* maunos convenicutes para as diversas
ircumstaocias dos seobores proprietarios e para descarogar algodo.
Moradas de canna a os ,am3nhos' M melbcres qae aqoi
Bodas dentada para animae8-agaa e vapor-
Taixas de ferro fundido, batido 0 de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques.
^fTmlt *\fmnQ para mandioca e algodo, I Podendo todos
4S.CI/111L OIIUS eparaserrarmadeira. f ser mo.idos a mo
"Rninhfln lpor agaa' vapor'
'iuuiuaj do patente, garantidas........ jouanimaes.
Todas as machinas e peca8 de se costma precisar:
Faz qualquer concert dt macbiljismo*a preco ffi0i mmii0-
Formas de ferro
Encomiendas.
no mer-
Cabe-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
York, estubeleceu fiesta cidade ra do Bario da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral, para cm l'ernambuco o mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
tura do Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeigo de seu trabalbo,
empregando urna agulha mais curta com mesma. qualtdatd* de linha que qualques outra,
e pela introducto dos mais aperteigr>aib>s nppnrelhos-, estamos actualmente habilitados a
oterecer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens destas nackinas sao as seguintes:
Primeira.0 publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, 8
circumstancia de nunca tetero apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
da mo.
Segunda.Conten o material preciso para reparar qualqucr desarranjo.
Terceira.Ha nellas menor fncgo entre as diversas pegas, e menos rpido .estrago
do qu fias outras.
Quarta.Formam o ponto como se fra feto mo.
Quinta.Permute que se examine o trabalbo de ambos os fios, o que se nao consegu
as outras.
Sexta.Fazcm ponto miudo em casemira, atravessando o fio de um outro lado,
e logo em seguida, sem modilicar-se a tenso d linha, cozem a fazenda mais
fina.
Stima.0 compressr levantado com a maior facidade, quando se tem de mudar
de agulha ao comecar nova costura.
Oitava.Muitas companhias de machinas d costura, tm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
mudangas radicaes parapoderem substituir : entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opiniiio de Elias Howe, mestre em artes mechqnicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, c boje nao atiende procura, posto que faga 60,0 machinas
por dia.
Cada machina acompanha livretos com nstrcgoes em portuguez.
a 90^000 a mtm
SOARES LEITE, IRMOS
Victoria n. 28. *
GRANDES NOVIDADES
Em fazendas de gosto
NA
DO PAVAQ
LOJA E
N. 60
Ruadalmperatriz N. 60
m<:
PERORA DA SILVA & GUIMARES
Os prqpnetanos doste importante estabelecimento, pai licipam ao respeitj.vd puhlio.
desta cidade e aos sous numerosos freguezes que acabam de receber pelos ltimos *^-
res de Europa, um grande sortimento das mais lindas c mais modernas fazendas de
o muita phantasia para vestidos de senhoras c meninos, assim como tambem nin
sortimento das melhores fazendas de lei, que se vendem por pregos muito em conti
cora o fim de apurar dinheiro.
As pessoas que negociara em pequeua escala, neste estabelecimento podero tm*
os seus sortimentos, porque se Ihes-tender pelospre;os que compram as casasstrai
geiras ; de todas as fazendas se dio amostras, deivaudo penhor, ou inaiKl.ini se levar tm
casa das Exmas. familias pelos caxeiros.
Este estabelecimento est constantemente aborto das 6 horas da manha as 0 da not
BLR.NOIS A 169000.
O Pavo recebeu pelo ultimo yapor 4e
Europa, humos dos mais Mndea jms*
que at hoje sao conliccidos e em relai^o a
A 1J500, 1^200, 800 eCiOrs.
O Pavo recebeu um brilhantc sortimento'
das mais lindas granadines preta com deli-' s'ua excessiva baraUsza, rnn\
cadas hstrasde cores epretas, que vende pelo Exmas. Sras. psra verem o que ha a>
barato prego de ltfoOO o c .vado. Ditas to-' novidade ueste, ai tico,
das de cores com listras miudinhas em urna' BR 4 MANTS PVRV I FM'O'S
s cor a 9200.e l?000 o covado. Ditas'
pretas com listras de seda roxas a 800 rs. Di-
tas pretas com listras brancas, azues e ver-
des a 6i0 rs. o c .vado. Assim como boni-
tas barejes de seda para vestidos com as
19000.
mais lindas cores a
na loja do l'avo.
O Pava vende suparior braman* 'ie f
godao, tendo 10 palmos de largura, qo
precisa de I II vara |tara urn Wx>r,'A a
19000 o mi tro 011 19800 a vara.
Dito de linho tino superior e muito
largura a .""iGfl *
E' pechincha, corpado, co n a mesma
vara.
FOUFELINAS A rCOOE 29000 O COVADO. Ditos francezes ..mito linos a jr'.
O Pavo recebeu um elegante surtimento 35000.
ua do Baro
A'
da
Lindos vestidos.a 5 o corte
Superiores cortes de cassa de cAr, de organdy e de percalia com barra e de daus
saias, acompanhados dos competentes figurinos a 59 cada corte. Vendem na ra Pri-
meiro de Margo fantiga do Crespo) n. 13, loja das columnas de Antonio Correa de Vas-
cellos.
tem as melhores e mais baratas existentes
cado.*
Incumbe-se de mandar vir qnalquer macbinismo von-
tade dos clientes, lembrndo-lhes a vaoiagem de fazerem
snas compras por intermedio de pessoa entendida, e qne em qualqoer necessidde pode
ibes prestar auxilio.
Arados americanos ***""*+**
RA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
\ annazeii! de Jon(|!iiiu Lopes Macluuio fC
Travessa do Corpo
Santo N. 25.
Vapores locomoveis de forga de 2 a 4 i-avallo?.
Correias para machinas.
Palias de diversos tamanhos.
baquetas para cobertos de carros.
Solas de lustro para gaarda lama.
fontas de lauca para carro.
Chicotes para carro.
Galoes largo e estreito para carro.
ITegos com rtibeca de marfm, idem.
Queijos do serto.
jjende-se na ra Dircita n. Xi mai^baralo do
E Jein outra qualijuer parte. ________
BICHAS DE AB0RG0
As mais recentes e melhores.
Vendem-se na pharmacia e drogara de Bar-
tholomeu & C, ra Larga diisario o Rn. 34.
Caf do Rio.
Vende Joaqaim F. S. Coimbra luimaracs: na
ra do Mrquez de Onla n. 3, 1." andar.
Vende-se porcao de epo, soleiras c conloes
na ra Nova n. 27, leja do selleiro.
GHF0U AFLNAL
A EXCELLENTE E JA' MUITO CONDECIDA
AGUA OIRCASSIANA
nica usada por todas as familias rcaes e no-
brea da Europa Appro^ada pelos mdicos mais
eminentes e por toda a imprensa estrangeira. Tor-
na os cabellos brancos sua antiga cor, louro,
castanho ou preto.
Nao enchovalha o facto, tira completamente a
caspa da cabeca. Na Franea, Inglaterra, Al lema-
nita e America o uso da AGUA C1RCASS1ANA
disptnsa buje todas as outras preparacoes e tintu-
ras to damnosas para o cabello ; a sua_ applica-
Qao pode ser feila sem a menor precauofto.
nico deposito
NA PHARMACIA CENTRAL
Ra do Imperador n. 38.
Atteneo

i\"a ruado Rangel n. ti, vndese urna taverna
em muito boa localidad :. a tratar na mc>ma.
CASA,
tra-
Arados para lavrar a trra.
C; rrinhos de mo.
Camas de ierro.
Cofres de ferro.
Cestos d'arame para li
Fogoes de ferro.
Baldes de ferro galvanisado. ,
Chapas de ferro galvanisado para cobrir casa
Pregos americanos.
Tachos de ferro estanhado.
Machinas para descarocar algodo.
Machinas de cortar fumo.
Cimento.
Salitre.
Balanzas, pesos e medidas.
1M GASA DE SHAW HAWKES RA DO BOM JESS N. k:
Seda pura a 1#500 o covado.
Seda de cores de muito lindos e differentes padrOes, gostos modero ts, pelo baratis-
mo prro de 19500 o corado, vende na roa i. de marco Cantiga do Crespo) n. 13, loja
das Columnas de Antonio Correa de Vasconcellos.
Escravos.
i VENBE-SE
Vende-se dons, senda um mulato de 40 annos' nma casa de taipa com um terreno proprio com
.de idade, apto para qualqner serv jo e muito fiel, 60 palmos de frente e 400 de fundo, tem 2 frn-
enla escrava de 25 annos de idade, lava,engom- tes, nma para o becco do E-pinheiro e eutra para
ma, cozinba e boa quitan-leira : na ra do a ra Nova: a tratar na ra larga do "
Hospicio n. 81. |n. 14, fabrica de cigarros.
Vndese um sobrado eiu urna boa roa :
lar na ra da Itnperatriz n. 8, loja.
Aos devotos do mez
de maio.
Na ra estreta do Rosario n. 3o, sobrado 4e um
andar, tem flores de todas as quali 'ades para en-
feites, sendo arcos, capellas, palmas, rosas, bou-
quets, tudo por preco muito ccmniodo, tanto de
panno como de cera e de papel, qnalquer encom-
menda para fra que se queira adiarlo prompU,
boida-se fitas a ouro para lajos,-enIeitm-8e reas
para enfeitar se altares e capellas para as meni-
nas, tudo proprio para o mez de maio. Na mes-
ma casa faz-sc gorros borlados a ouro, cbarutei-
ras, fitas para noivas, reos bouquets para noivas
e para bolos ; e vender grasas de folbas de flo-
res, sendo de papel a I a grosa._____________
VEM-SE
urna boa casa terrrea, tm clifio propre, com 5
Suartos, 2 salas, cozinha externa, cacimba, gran-
e quintal, plantado c morado, sita na ra das
Crioulas (Capunga) : a tratar na ra da'Flarea-
tina n. 14.
nma preta boa cozinheira
na ra do Cuj n. 40.
VENDE-SE.
e lavadeira
a tratar
Vende-se urna escrava que cozinha o
ale
diario
para urna casa, e rogomma alguma ecfnsa : a tra-
tar na roa do Viseonde de Pelota?, oulr'ora do
Aragia, n. H.
Olnda
Vndese o sobrado de um andar e soto com
frente para o pateo de S. Pedro e oilao para o pa-
teo do tarmo, as melhores condicSes possiveis,
nao s para negocio, como para morada e uso de
banhos salgados : quemo pretender dir ja-se ao
Sr. Bemardino de Sena Pontual, ra da Madre
de Dos n. 36, escriptorio.
Boa iqiiisif a.
Por seu donoterde retirar-se para
a Europa, onde vai residir algum
tempo, vender um ptimo predio
de um andar e soto, n'uma das me-
lhoros localidades, de Oliuda, da qual se
descortina nao s todo o ocano desde o
cabo de Santo Agostinho-ot muito alem da
ponta de Olinda, bem como, pelo lado de
torta, as lindas paysagens. do poente e sul;
tendo um quintal regular, comarvoredo novo
plantado ha dous annos, terreno muito fr-
til ; urna acimba (pago) d'agua.para o gas-
to diavio, e urna cisterna de agua potavel;
tendo onze quartos e tres ptimas salas, um
grandeermazem o que pode servir de co-
xeira ou do residencia de oscravos, alm de
um soto, proprio pora dormida ; muito are
jado em toda a iep ca do nno ; com illu-
minacioi gaz ; e em vesperas de teragua
canaUsada. Acha-saprapacado convenien>-
temente, noi'S dos raoveJstiadisponsavefs
qualquer familia, como de todos os apres-
tos de coeinha e'de mesa. VenoVse a di-
nheiro, ou como'seacha, ou retirndoos
movis. Qein-quieer veUo, pode procu-
rara chave na mo do Sr,Luiz doaRegO;
Barros, regeate do hospicio de alienados : e
a tratar nesta typographia, das 9 horasida.
manhs3 da tard, ou no Pooo da Panella,
li-rgo da matriz, palacete amarello, dessa
hora at 7 e meia da manh.
Vende-se 1 machina do costura, 2 ricos qua-
dros sacros, mais 2 ditos mais pequeos : na ra
do Sebn. 42. Na mesma casa aluga se tres es-
cravos muito bons para servico de campo e criado,
e precisarse de urna mulher capaz que lave bem
Rosario | de varrella, e sabao e engorrone, com perfeijo rou-
pade omh ehm e seora.
Livros venda
Aos Srs. acadmicos
Vende-se as seguititee obras do direito, historia
e litteratra, por commodos preeos :
Pardessus:Drit Commefclal.
Villiaun: -Revolutibn franeaise.
Louiz Blanc :Histoire de dix anns.
Vattel :Droit des gens.
Ventura :Le Pouvoir publc.
Poiiers: -Cours de droit naturel.
Kluber :-Droit des gens.
. Rogron: -Code de commerce.
Nesla typographia acharao essas obras para se-
r em vendidas.___________________________
,Fio de algodo da Bahia e cal de Lisboa, re-
eentemente. ehegado : ha para vender no es-
criptorio de Joaqnim Io= Goncalves Beltrao & Fi-
ho, roa do Commercio n. o.
das mais lindas potipohuas de seda com os
mais lindos desonhos e mais bonitas cores,
quo vende a 15X500 c 2300.
SEDAS DE CORES A 2?o00 RS.
O Pavo recebeu .um bonito sortimento
das mais lindas sedinhas de urna s cor com
delicados desenhoi miudinhos, que vende a
2J500 o c vado. Ditas coin lislrinhas, mui-
to boa fazenda a 2-rOOO. E" pechincha, na
na loja do Pavo.
CAMBRAIS ABEKTAS A 9-5 E 103K)00
O Pavo recebeu um elegante sortimentq
das mais finas catnbraias brancas abortas,
bordadas para vestido, que vende pelo barato
pre^o de 95 e 102000 o corto, tendo fazenda
bastante para vestid). E' pechincha, na loja
do Pavo a ra da Imperatriz n. 60.
LAZINHAS BORDAASA 400 RS.
O COVADO.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais lindas lziuhas transparentes com
Horrabas, bordadas, tendo de todas as cores
inclusive! rocha propria para viuva, e ven-
de pelo baratissimo proco de 400 rs. o co-
vado. E' pechincha, na loja do Pavo ra
da Imperatriz n. 60.
LAS MODERNAS.
O Pavo vende um bonito sortimento de
lziiihas listiaas sendo das mais modernas
que tem viudo ao merca lo, pelo baratissimo
proco de 560 e 000 ors. o covado. E* pe-
chincha,,na loja do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60.
ALPACAS LAVRADAS A 640RS. O COVADO.
Chegou para a loja do Pavo um alagante
sortimento das mais lindas alpacas lavradas
de cores sendo as cores mais modernas que
tem viudo para vestidos, e vende-se pelo ba-
ratissimo prego de 610 rs. o covado. E'
pechincha, na loja do Pavo.-
CASSAS FRANCEZAS A 600 E 6i0 RS. O
METRO.
0 Pavo recebeu um magnifico sortimen-
to das mais lindas cassas fran ezas, de cor,
com os mais bonitos desenh s miados c
grados, tendo padroes oscuros e outros que
servem para luto, c vende a 600 e OVO rs.
o metro ou 300 e 400 rs. o covado.
LAZINHAS MODERNAS COM I.ISTRA DE
SEDA A 640 rs. o 19200.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
de las com listras de seda assetinada, sendo
as mais modernas que tem viudo ao merca-
do e com as mais delicadas cores, e vende
pelos baratos preeos de 6i0 rs e 1JJ200.
Assim como outras muito bonitas com listras
sem ser de seda,que vende a 500, 6'vO c 800
rs., todas estas las sao modernissimas. E'
pechincha, na loja do Pavo.
Chitas a 40, SO,3Oe30 rs.
. O Pavo recebeu um grande sortimento de
chitas de cores fixas, que ven le pelos bara-
tos prec s de 240 e 3SO rs. o covado. Ditas
escuras fazenda muito superior, com novos
padres a 320 e 360 rs. o covado.
Ditas muit > finas padres claros em teci-
dos de percales, com barra de cor ao lado e
sem ella a 360 e 400 rs.
Ditas pretas com tecido de cretone, fazen-
da muito superior a 3:0 e 400 rs. o co-
yado.
Ditas-de cores, miudinhas, proprias para
roupa de crianzas a 360 rs. o covado. E'
pechincha, na loja do Pavo.
Baptistas a 500 rs. covado.
0 Pavo recebeu um elegante sortimento
das mais modernas baptistas de cores com
padres miudiuhos e grados sendo proprios
para.vestidos e roupa de manea, pelo bara-
tissimo preco de 500 rs. o covado, affiangan-
do ser grande pechincha I
Cortes de oaiubraia. ultima no-
vidade, a rrooe.
O Pavo- recebeu pelo ultimo vapor de
Europa, cortes de cambraia branca cora ba-
badinhos ricamente bordados, tendo fazenda
sufficiente para vestido de qualquer modelo,
estes vestidos sao os mais modernos que tem
vindo ao mercado, e pela sua excessiva ba-
ratezatornam-se recomraendaveis s senho-
ras de bom gosto.
Ditos com babados de cor, tendo 20 me-
tros de babad s a 99000. E' grande pe-
chincha, no Bazar do Pavo ra da Impe-
ratriz n. 60.
CORTES DE CAMBRAIA BORDADOS.
O'Pavo recebeu os mais ricos cortes de
cambraia branca bordados para vestido, que
vende pelo barato prego de 209 e 309000.
CORTES DE CAMBRAIA BRANCA.
O Pavo recebeu um lindo corte do cam-
braia branca: com listras assetinadass que
vende pelo batato preao de 690OO.
Ditos ora listras de cores, tendo 8 varas a
49 e 59OOO. E' pechincha.
ESPARTILHOS.
0 PavSo recebeu um grande sortimento
de espartilhos tanto para senhora como para
menina, que vende pelo barato preo de
39000.
Ditos muito finos a 49 e 59000. Sio
mais modernos que tem vindo ao
cado.
Pecas de Harnburgo e panno dclii b
do c m 20 e M varas para \om <
C qitalid.tdes.
Ditas de bretanha de paro linho, viido jft
jardas, pelos presos mais b*MM ;;icsc!b
visto.
Pcchinchas re linissimo esguia ou si
com 6 jar las a 7JH)00.
Pegas de lini-sima silezia com 30 jar -
a 359000.
Atoalhado adamascado com 8 pairar* -
largura a 2^000 a vara.
C a leas de asentir.
O Pavo tem um grande soitinn'iito
caigas de casemira, assim coma -M
roais modernos que h-m \indn
ligurinos e era fazenda, dos mais lin
mais novos que tem vindo ao nivi 1 ,
vonde-se por barato preco para npiu
nheiro, assim como caigas de brun bran
de cores, por pregos minio tazo.;\iis.
LENCOS ABA1NIIADOS A irsoo 1 j.
O Pavo vende duzias de h-m; (h
abainhados, sendo fazenda muito boa, p
barato prego de _?00 a duzia.
Ditos tambem abainhados, ca Iwtj
cor a 19K00.
Hit s grandes, fazenda muit litn,
todos btaiKos a 3-7600,
Dito de cambraia branca, sendo tm ,-
a3r000
MEIAS CREAS A 49 E 59000 A li./t
O Pavo vende tluziasde niei.^crua-.
glezas pelo barato pra-go da i--iti(i.
Assim coinodhai di ;' Une i
ooepadosa 69000, 7900U,8OOO. I
e um grande sortimento ale incias :.!^
fraii'f/as, para sttnhoras, que M' vui
prego muito coiniBodo.
MADAPOLAO FJtANCIZ a tpM6 !
O Pavo vende pegas de majapola > |
cez, que naprate venoVu por iouit>> ra*.
dinheiro c liquida-sc pala bar;-:.
69000 c 79000, por ter feito urna
compra. E'jiechinelia.
AlffodAozinha a -irOOO.
O Pavo vende papa muito boa fazenda, pido bar..: 1 |
49 c 59000.
Dito largo muito eocorpa lo, praj ; 1. pa-i
toalhas e lenges a 6C<00 <; 79000.
CAMBRA I AS.
O Pavo vende cortes de canil.:, i
patente propria para vestido* 1 *
3-^000.
Tecas de dita muito fina, com 10 j 'rd*.
lapada como transparente a 19, o~ < COOf
at a mais fina que vera .10 m-n a I' .
PANNOS DE CROCI.l PA1AG4IM \VA<
O Pavo tem um grande lortiiBi
pannos de crochet proprios pan I
balanco, para ditas de guarmgo e
f, que se vendem muito em coiita.
COLXAS DE CROCHET A 69 E H-T*
0 Pavo vende colxas de crochel pi
para cama de casal, pelo baratissmi ,.
de 69 e 89000.
Ditas de fustn acolioadas, sendo da>
res e brancas, pelo barato prego de 11
"E grande sortimento de ditas de da:::;.
cretone e de chita, que vende por
muito razoaveis.
CORTES DE PERCALLES COM DI A- UA
49000.
O Pavo vende bonita cortes de |mi. ,0.
com duas saias, sendo fazenda de mi.i: ifoa-
to a 49000. E' pechincha na loj,< U Pa-
vo ra da Imperatriz n. 60.
BOTINAS PARA SENHORA, a 590M.
Na loja do Pavo ra da Imperatri- n. 60
Pereira da Silva & Guburi 1 m '.erare
pelo ultimo vapor de Europa um lajgaii...
sortimento de botinas pretas e com deliead
enfeit decr, proprias para aenbora, par
tindo-se scrcm das uihs modernas que i-
no mercado, assim como a boa q
por terera sido remctUdas por ura dosat
lhores fabricantes de Paris, e vende
barato prego de 69, na loja do Pavo.
SAIAS BORDADAS A 59, 6& o 89000.
O Pavo vende saias ricamente bordada*
de 4 pannos cada urna, pelos baratkaiaioc
preeos de 59, 69 e 89000.
Ditas de um panno s e cora muita roda*
guarnecida de pregas, pelos baratos prega,
de 29000 e 29*00.
Ditas com guarnjso. de pregas e borda-
dos a 39500. ____^
AlgodA* entestada a !? a
* vara.
O Pavo vende algodo americano eufea-
tado e muito encorpado, proprio |>ara toa-
Iba e lenges, pelo barato preco de 19f*i
vara.
Dit> francez sendo trancado e muito
corpado, pelo baratissimo preco de 19*80 e
metro.
Casetiiiras
O Pavo vende cortes
z, sendo fazenda muito
oJdBn se vendeu por mais
r:
m Ditos
a 79000 o corte,
a 69000.
:


m m>
8
Diario de Prnambuco Sexta feira 9 de Mai de 8?3.
ASSEMBLA GEL
,---------------_.
CMARA DOS DEPTADOS
REFORMA EUIT01UL.
A assembla geral rosolvo :
Art. i." A le n. 37 de 19 do agosto .le
186 e os decretos legislativos ns. '* O D, 5 3 5,
8i2"e 1,082 de 9 do agwt.ide 18i8, IQils
julho de 1850, 19 de set-imbro de 1855 o
18deagostp de 1850, soro observados con
as seguintes alt .-rucos:
cvnxuLo i.
Da QUAUKK'Vj.lO DE VOTANfl-.S. '
Art.St0 As jcitis pirohiaesdo qualilies-
g ser) coiv,).)shs : do juiz da paz n-,
vo'a lo do districto da m itriz, cnnj presi-
dente ; d dous m -mb.-o; oleitos pilos eleito-
res di paroMiia, e de dras outros eleitos
pelos dez m dores proprietarios da parochia,
que como taes teuhara silo qualiliealos
pelo juiz municipal ou substituto do juiz de
direito me liante o processo que ser esta-
sWeci lo era regulaniento.
-Nao fica privado do seu direito como
niaior propietario o ciJa lo que fr tam-
bero eleitor.
1. Se a parochia nao ti ver eleitores
porterardo anuullada a eleico dos da le-
gislatura corrente, sero convcalos os d.i
legislatura anterior; e tanto aquolles co.no
estos e caso de impedimento, sero subs-
titu los pdos respectivos supplentss. Os
proprietarios qiie nao comparecero-n, sero
substituidos pelos inmediatos na ordem da
qualificaco.
8.* Para vorilb-ai-c apurar os trabalhos
d;s juntas parochiaes consituir-se-ha na
sede de cada municipio urna junta munici-
pal composta (fo juiz municipal ou substitu-
to do juiz il*! direito com > presidente, e de
dous membr .s, um eleito polos verea lores
da cmara e outro pelos dez maores pro-
prietarios do municipio.
que trata o 5* lista gera dos votante*
la parocbia com todas as inlicaces do V
e comas observarles convenientes para es-
clarocimento e dociso da junta municipal,
ser publicada pela form:i determinada no
nrt. 1 da lei de 1!) de agosto de 1846, e
tambem pela imprensa, se a hpuver no mu-
nicipio
I)> mesmo m do se proceder com a lis-
ta sipplemont ir depois do s oguii lo prazo.
8. Concluidos os trabalhos da junta
parochial e remetti-lfis ap juiz municipal ou
ao substituto do juiz de direito, este convo-
car, com antecedencia de 10 dias, os va-
readores e i i ladeos que tiverem de elegero?
outros dous membros da junta do munici-
pio, p ira que no da o hora designados com-
piregam no paro da cmara municipal, ou
em outro e lifieio que olfercca mais commo-
didtde.
Abi presentes em acto, publico se offec-
tuar a eleico com as formalidades, no
quo fr applicavel, que esto es'abeleeidas
para a co npo.i<;o das juntas de qualifica-
eo c mesas parochiaes pola legislado vi-
gente ;e de tudo selivrar urna acta cir-
oinnstmcia la, a qual ser assignada pelas
pesadas que nlervierem no acto e por
aquellos dos cidados presentes que o qui-
zerom.
9 Installada a junta municipal, o pre-
sidente distribuir pelos membrus della as
listas p.irochiaes, paro que ns examinen*),
u man lar aoniinciar por .editaos e pela mi-
prensa, onde a houver, odia e hora em que
overa) co.necar as sessoes ordinarias para
3." Para substituir os membros das
juntas paroebiaes e municipaes impe li los,
sero eleitos na mesma occasi em que o
forera aquellos, lo mesmo modo e pelas
inesinas turmas, outros tantos supplerrtes.
Na falta de mis e outrr* far-so lia a substi-
tuiijSo, conforme a origem dos substitu los
pelos mais votados doscleilores ou verea do-
res, o pdos proprietarios segundo a ordem
em que tiverem silo qualiSoados.
i. As listasgeraes que-as juntas paro-
chiaes devera organisar, conteni, alm dos
i cues dosciladaos quulica los, a ida le, o
estado, a prolisso, a doelaraco de sabor
ou nao ler eescrever, a iaco, o domici-
lio e a renda Conliecida, provada ou presu-
mida, devendo as juntas, no ultimo caso,
declarar os motivos de suri prosumpeo o as
fjiites de informadlo a que tiverem1 recorr
do.
1. Tum renda legal conhoci li ;
'N. t. Os offlciaes do exercito e da arma-
da o os dos cornos policiaca, da guarda na-
cin :le da xtincta 2a lioha, comprehendi-
dos os activos, da reserva, reformados c ho-
norarios ;
P. 2. Os cidados que pagarem anuual-
monte i"1 ou mais de imposiees e taxas
geraes, provinciaes e municipaes;
K 3. Os que pagarem o imposto pessoal
estabelecido pelalein. 1,507 de 20 de so-
tembro de 1807 ;
N. i. Em geral, os cidados que, a ttulo
do subsidio, sold, voncimeuto ou pensfto,
recebaren) dos cofres geraes, provinciaes ou
muniepaes 200)9ou mais por auno.
li. Considerara %o' cono ten lo renda le-
gal conhocida, salvo, prova em contrario :
N. 1. Os advogados e solicitadores, os
mdicos, cirurgides c pharmaeeuticos, os
que tiverem qualquer titulo conferido ou
approvado pelas faculdades, academias, es-
colas e institutos "ile ensino publico secun-
dario, superior e especial do imperio ;
W. 2. Os que exercerem o magisterio par-
dar como directores e professoresdecoi-
1 sgios ou escolas que sojam' frequentadas
por 10 ou mais alumnos ;
N. 3. Os clrigos seculares de ordens
sacras ;
K. i. Os titulares do imperio, os officiaes
i QJalgos da casa imperial, c os criados
deSta que nao foroiii de galo brauco ;
N.
o. Os negocia utos matriculados, os
corretores o os agentes de
eilo ;
guarda-vios c caixeiros
N. Os guarda-vios c caixeiros de
commerciaes que tiverem 2005 ou
mais de ordenado, e eujos ttulos cstiverem
'lados no registro do commereio ;
N. 7. Os propietarios e administradores
do fazendas ruraes, do fbricas e de oiri-
cinfts ;
H. 8. Os capites de navios marcantes, e
os respectivos pilotos que tiverem carta de
exame.
111. Admitto-so como prova de renda le-
gal :
N. 1. Justificaco judicial, da la poran-
leojuiz municipal ou substituto do juiz
da direito, e em que se provoque o justifi-
cante tem, polos seus bens de raz, indus-
tria, commereio ou etnurego, a renda an-
nual de 200?, deduzidos os gastos da pro-
due$ao ;
K. 2. Documento de estar,ao publica,
pelo qual o cidadao mostr recebor dos co-
is geraes, provinciaes ou municipaes ven-
11 liento, sold sold ou penso de 2009,
pelo menos, ou pagar o imposto pessoal ou
outros na importancia de 6? annualmentc ;
R, 3. Kxhibicao de cpntrato pelo quil
prove o cidadao que rendoiro ou locatario
por prazo nao inferior a tres annos, de ter-
renos que cultiva, e pelos quaes ,'paga 20&J
ou mais por armo ;
fli. k. Titulo de propriodade immovel,
cujo valor locativo nao seja inferior a 2003?.
5.* Ficam elevados : a 30 dias o prazo
do art. 20 c a 10 dias o do nrt. 22 da lei
de 10 de agosto de 1846.
No ultimo ouviro as juntas parochiaes
ts queixas, denuncias e reclamages que
Ibes forem feitas, e reduzindo-as a termo
issignado pelo queixoso, denunciante ou
reclamante, emittiro sobre ellas a opinio
rocimentos ; mas s podero deliberar s bre
a icluso de"nomes que tenham sido omt-
tidos.
- 6. As juntas parochiaes trabalharo
durante.seis horas em cada diafsuas ses-
sero publicas, e as deliberacoes sero
tornadas por rnaioria de votos.
Todos os interessados podero requerer
v?rbalmcnte ou por escripto o que julgarem
a bem de seu direito e da verdadeda qua-
aco. daudo-se-lhes-nm prazo razoavel,
o iis. pJia aproaentaren .as pro-
.1:, tncgares.
Das occurreiicias de cada da se lavrar
u.naacla, aquai ser asignada pelos mem-
bros" da junta e pelos cidados presentes que I
o quizerem.
'7. Oiganisadas no primeiro prazo U1
d
a verilicacao e apuramento de cada urna das
refer las listas, prinipian(l>pelas dasparo-
cliias mais distantes.
^ 10. Esta reunio da junta municipal,
que devora comecar 30 dias (lepos de en-
cerrados os trabalhos das juntas parochiaes,
ou antes, se fr possivel, durar o tempo
que for necessario, com tanto que nao exce-
da de um moz ; e poder sor interrumpida
dopois do 15 dias, se bou ver muita afluen-
cia de trabalho, para se recomegar era dia
que ser annunciado pelos meios do puWici-
da leja indicados.
jj 11. A'junta muiii-ipal compete :
I. Apurar eorganisardelintivamente, por
parocluas, disti icios de paz e quarteiros a
liste geral dos votantes do .municipio, com
a declaraco dos que sao elogiveis para elei-
t^res, servio do-separa esse fim : dos traba-
lhos das juntas parochiaes; des informaQoes
que devem prestar-lhe os agentes fiscaes
das rendas geraes, provinciaes o municipaes
bom como tolas as autoridadese ebefes do
reparlicoos administrativas, judciarias, po-
liciaos, civis, militares e ecclesiasticas, fi-
nalmente de to los os escl irecimontos e meios
do prova necessarios para a verilicacao da
existencia dos cidados alistados e dasqua-
lidades com que o devem ser.
II. Incluir na quaIrficu(oos cidados cu-
jos nomos tiverem sido omittidos, pelo co-
nhecimeato que dalles tenha a junta ou pe-
las provas que derem de sua capacidade ci-
vil e poltica.
III. Excluir"os que tiverem sido indevi-
damonte qualicados pelas juntas paro-
chiaes, devendo neste caso notilica-los por
oditaes nllixados nos lugares mais pblicos
onpela imprensa para allegaron esustenta-
rem o seu direito.
IV. Ouvir e decidir, com recurso neces-
sario para o juiz de direito, todas as quei-
xas, (renuncias e declaracoes que versarem
sobro a regulan la le dos trabalhos das-jun-
tas parochiaes; assim corno tomar conlieci-
mento ex-dfftcio, o com o mesmo recurso,,
de quaesquer irregularidades, vicios ou nul-
b da des que descobrircm no processo dos
trabalhos das juntan parochiaes.
^ 12. As sessdes da junta municipal 'se-
ro publicas e durarlo seis horas em cada
da; suasdeliberares sero tomadas por
rnaioria de votos.
Todos os interessados podero requerer
verbalmente ou por escripto o que julgarem
a bom do sou direito e da verdade da qua-
IHicace, c toro um prazo razoavel, at
cinco dias, para apresentarem as provas de
suas allogacos.
Das oceurrencias de cala dia se lavrar
urna acta, a qual ser assignada pelos mem-
bros da junta e pelos cidados presentes que
o quizerem.
5 13." Hovistas.e alteradas ou confir-
madas as listas enviadas pelas juntas paro-
chiaes, sero publicadas na sede do muni-
cipio e devolvidas s ditas juntas para que es-
tas tambem as publiquem as parochias. A
publicaco ser fetta durante dous mezespor
e litaos, o quatro vezes, com intervallo de
15 dias, polos jomaos se os houver no mu-
nicipio. Ao mesmo tempo se enviar copia
de cada urna das ditas listas ao juiz de
direito.
IV.0 Decorrido o prazo de dous mezes
marcado para a publicaco das listas no
paragrapho antecedente, as juntos muni-
cipaes reunir-se-ho segunda vez durante
10 dias, afim de receberem recursos de suas
decisoes para os juizes de direito das respec-
tivas comarcas; o que ser annunciado
com 8 dias pelo menos de antecedencia.
as comarcas em que houver mais de
um juiz de direito, competente para cO-
nhecer dos recursos o da primeira vara
civel.
15." Os recursos podem ser tnterpos-
tos: pelos nao alistados ou por seus espe-
ciaes procuradores, quando se tratar de sua
icluso; por qualquer cidadao da paro-
cbia, quando se tratar da excluso de ci-
dados alistados na mesma parochia.
Devem ser acompanhados de documentos
que facara prova plena, ou de justificado
processada comeitaco do promotor publico
no primeiro caso, e dos interessados no
segundo.
16. Presentes os recursos junta mu-
nicipal, esta no mesmo diaou no immediato,
se as partes nao requererern a dilaco do
12." os decidir, lancando despacho nos re-
querimentos dos recorrentes, e mandando
transcreve-lo na acta do dia e publica-lo
pelos meios estabelecidos.
17." O despacho favoravel da junta,
no primeiro caso do 15., produzir effei-
to immediato, salvo o recurso devolutivo,
que qualquer cidadao pode interpr para o
juiz de direito; quando, porm, houver
indeferimento, seguiro os papis no prazo
de tres das para o sobredito juiz, podendo
os interessados produzir novas allegares e
documentos.
Tambem seguiro para o juiz de direito,
qualquer quo soja a deei*0 da junta mu-
nicipal, os recursos do seguirlo caso do
13- -
18. O iwnr*os*n|.>r>O5t09sobro q.'u-
lif:' i~ i }?r.'i i. leci li ''':'' I 'Urcito,
h lindara > pt*w in
GVcl do trinla di is.
. proluzi desdo i-go iodos 05
seus effeitos. Todava, no caso de exclusa*,
podero os cidados interessados interpr a
todo tempo recurso para a relaco do dis-
tricta, a qual o decidir promptamente, na
conformi 1 ido do art. 38 da lei de 19 de
agosto de I8i0.
Se, porm, a decisio versar sobre irregu-
larilalos o vicios que iinportem tullidade
da qualilicaco, haver recurso necessario
e suspensivo para o mesmo trsbtfeal, o qual
o decidir no prazo improrogavel de trinla
dias, contados d"quelle em .que os papis
tiverem entrado na respectiva secretaria ; e
se o recurso nao for prvido dentro deste
prazo, bavor-so-ha por firme e irrevogavel
a deciso do juiz de direito.
19/ Satisfeitas toJus as formalidades
proscriptas nos paragraphos antece lentes, c
angadas pelas juutas municipaes em livro
especial, que lloara no archivo da cmara do
municipio, as listas geraos, est ultimada e
encerrada a primeira qualificaco ; e a
j todos os cidados irrevogavelmente inserp-
tos na lista so passaro ttulos 'de qualifica-
co, que podero ser impressose extrahidos
de li-vr >s de tala .
20." Por meto de editaos publicados
pelas folbas diarias ou peridicas, onde ns
houver, e lllxados assim na porta da cmara
municipal, como na de cada urna dasigrejas
matrizes do municipio, sero convidados os
cida los votantes a ruceber pessoalmonto
seus ttulos. A entrega ser feta pela junta
parochial ao proprio cidadao a quera o ti-
tulo perlencer; elle o assignar perante a
mesma junta, se souber escrever, e em livro
proprio passar recibo por si oo por outrera
a sen [oJido.
>s ttulos nao entregues sero conserva-
dos em um cofre do tres chaves, di quaes
ter orna ca la inembro cb junta, a cujo
presidise cabera* a guarda do cofre.
21/ A qualificaco feit era virtude
desta lei permanente para o effoit) de ny
poder Detmom cilalo ser eliminado1 sen
provar-se que fallecen ou que perdeua esv
pacidade poli tica para o exercicio do1 direito'
eleitoral por algum dos fados designados
no art. 7/ da Constituidlo do Imperio1.
22." A \nvvae da perda da capacidade
politiea de um eidiido devo ser a mais-oom1
plpta, o incumbe aquello qOe requer a
eliminago. Iterar! ser feita perante* a
junta municipal, qpanJo reunida, por mr-io
de certido authewtica de algum dos facto
de que resulta a perda d capacidade, OH
por' meio de sentew;a- proferida pelo juiz de
direito da comarca em processj regular,
instaurado com citago pessoal do elimi-
nado-quando se aclwr em- lugar conheeido,.)
e envtoilo caso com citaco edital de quaes-
quer terceiros interessados.
A ehrainago por morte, poder ser feta
ex-oflkio pela junta municipa";rcom exhibi-
go da* certido de bito; qiie-.. sua re-
quisigov lhe dever ser ministrada pela re^
paniego' competente.
23* Podero Ser tambem! eliminados
da listado urna parochia durante a reunio
das juntas- municipaes- a- que se refere o
14/, os cidados que tiverem mudado de
domicilio'para municipio-differente-jou para
paiz estrangeiro.
Se a mudanca fdr de urna para outra
parocbia- do mesmo municipio, ou de um
para outro- districto da mesma parochia,
far-se-liao nas listas as alteraces coBsequon-
tes.
% 21/ A qualificaco'pelo proeesso or-
dinario estabelecido nos paragraphos ante-
cedentes ser leita no fe no 3/ auuo-de
cada legislatura.
25/ No intervallo de urna outra
dostas qualifica^oes os juizes municipaes,
com recurso para os juizes de direito, e
sobre infbrmago dos juizes de paz, parochos
e quae&quer outros funecionarios-qiie os
juizes municipaes ou de direito jplgarem
conveniente ouvir,. conbecero dos requeri-
mentos para icluso dos que tiverem ad-
querido a capacidade poltica depo6 da ul-
tima qualificaco ordinaria, para a elimi-
naijo dos que a tiverem perdido, ou.tiverem
fallecido ou passado a-paiz estn-ugeiro. e
para a tranferencia dos que tiverem muda-
do dn domicilio dentro do mesmo muni-
cipio.
As decisoes, assim 1 do juiz municipal
como- db juiz de direito, quer sejam defi-
nitivas, quer pendam de recurso para o 2/,
ou deste para a relaco do disfricto nos
termos do 18/, nao podero-produzir
effeito irnmediato, se-no forem, proferidas
tres mezes pelo menos antes de-qualquer
eleigao.
28/ Ao ministro do imperio no mu-
cicipio da corte e aos presidentes nas pro-
vincias, nos termos do art. 21 da lei de 19
de agosto de 18'tO as juntas municipaes
enviaran copia da lista geral do-que trata o
, 19/, e em todos-os annos no. mez de Ja-
neiro, copia da lista complementar, con-
tendo es nomes dos cidados. excluidos da
lista geral, ou sella novamente incluidos
durante o anno anterior.
27/ Sao millos os t rabal los da junta
parochial de qualificaQo :
I. Tendo sido a junta presidida por juiz
incompetente ou nao juramentado ;
II. Tendo concorrido paca a eleico dos
membros da junta pessoas. incompetentes]
em tal numero que poessem ter influido,
no resultado, da eleico :
III. Nao se tendo fcito a convocaco,.
nos termos do art. 4/ da lei de 19 de
agosto de 1846, dos eleitores e proprietarios
que deveriam oencorrec para a eleico dos
membros da junta j vicio este que, entre-
tanto, se considerar sanado pelo compare-
cimento voluntario da rnaioria dos ditos
eleitores e proprietarios;
IV. Tendo a junta deixado de funecionar
no lugar designado para suas reunios, salvo-)
o caso do forca maior, devidamente com-
provado;
V. Tendo, por causas justificadas e at-
tendiveis,. funecionando em lugar diverso
do designado para suas reunios, sem fazer
constar por editaos o novo lugar das
remudes;
VI. Tendo feito parte da junta pessoas
sem as qualidades de eleitor ;
VII. Nao tendo se reunido a junta pelo
tempo e nas occasies marcadas na lei;
VIII. Nao tendo sido feita a qualificaco
por districtos e quarteires, e com tgdas as
declarages exigidas nesta lei.
28/ As irregularidades nao especifica-
das no paragrapho antecedente nao nnnid-
lam o procosso da qualificarao, so este for
em sua substancia confirmado ou corrigido
pela junta municipal; e apenas do lugir i
responsabilidad-.} dos que as m.'tvaiji,
urna voz que su verifique ter havido culpa.
29/ 84o nullos os trabalhos da junta
municipal:
I. N s casos marcados no 27/, ns. I,
II, 1II, IV, V, VI e Vil;
II. Nao se tendo feito a convocaco, nos apuradas, dispensadas assim as actas espe-jjjvel para feread'or e outra h de u
term >s do 8/ deste artigados vereado- ciaes da formaco da mesa e da apuracao da0 elogirel para juiz de paz da parochiT
res e proprietarios que devenara ter con- dos votos de que tratara os arts. 43 e 49
corrido para a eleico dos dous membros da lei de i9 de agosto de 1846*.
da junta; o que cora ludo se considerar Na mesma occasio dirigir a mesa paro-
ssnado pelo compjrsimento voluntario da chi.d um officio ao juiz do direito da co-
majoria dos ditos Jveroadores e proprie- mana, communicando-lhe o estado do pro-
tarios; cesso eleitoral. Se o juiz de direito resi-
III. Nao tendo sido foila a qualificaco dir em outro lugar, de modo que nao pus-
par patochias, districtos e quarteires, o sa recebor no mesmo dia o oflicio, ser este
com todas as declarages exigidas nesta depositado na agencia do correio, da qual
lei; se cobrar recibo.
IV. Nao se ten lo feito a- publicaco da A acta do cada dia, depois de lida eassig-
lista geral da qualificaco pelo tempo e.mida, ser publicada.
modo prescripto no 13/. 13. Servir do diploma ao eleitor um
30/ applicavel aos trabilhos da resumo da votago, datado e assiguado pelos
junta municipal a disposii.o do 28/, se membros da mesa, segundo o modelo que
fdr estabelecido em regulamento pelo go-
verno, Hecebc-lo-ho os cidados elegi-
ris que tiverem reunido rnaioria de votos
as irregularidades nao forem das mencio-
nadas no paragrapho autecodeute ou pudo-
rem ser suppridas em tempo.
CAPITULO II.
DOS ELF.ITOHF.S.
Art- 3.* A respeito dos eleitores para de-
puta los assembla geral, membros. das as-
somblras legislativas, provinciaes e senado-
res do imperio, haver as seguintes altera-
res :
$ 1.* Logo que estiver concluida a pri-
meira qualiieacao feita 11,1 conformidade do
capitulo antecedente, o ministro do imperio
na coi to e os presi Jeiltes nas provincias li-
prcsttfcmes nas jiro
lorio o numero de eleitores de cada ora
das parochias do imperio.-
Cada parothia ter tantos eleitores quar
tos- forem os mltiplos- de &Wotantes nolla
quaBrados. A que, amde um mltiplo
qualifucr de 25, conbver "uin reato nao
menor de 15 qualicados-, ter mais um
eleitor,
2.'' Fixado o numero de eleitores de
cala parochia, s por lei pxler ser altera-
do, para thas ou para menos,- de & em 5
annos, vksta das modilicai;oes qvtc ti-
verem occonrido na lista gera* da qoaW-
cac&o
j 3/ A efci^k> de eleitores geraesi-onw-
gar era todo o-i-mperio no pritoeiro1 cfta
til do mez denovembro do q-uiir.o aiwo
di'-cala legislatatvi-.
Ksceptua-se o'caso de dissolucjD'da c-
mara dos deputades.ern quo ogoverno mar-
caro*,, dentro do pntni' de quatro ntmBS* con-
tados-da data do deoreto-dc dissolilQ&o; um
dia til- para comegarem os trabalhos dft-nova
eleigt"
k* As mesas das- sswmblas paro-
chiaes term coustitu-idas do modo es>r.4>ele-
cido nesiit lei, art. 2/'o sevis- ij 1/ e 3/
5; Nao se admiuir qpsestao sotefa
elegibilidde de qulqaer clado para rosra-
ibro da mesa, so o seu nomo sstiverna ista
fl qnaliliessjto como chledo-efegivel, o ao
Maver doeirao, proferida' tres mezes a-o-
tes da eleico, quo o- mondo elinH>
Har.
Exceptua-se o caso de-exlilr-se prou
deque o dito>>eidado adese ptronunciadr
por sentenca nassada cmjnlsrado>r a qual o
su jeito prisin e livramentc.'
^6." Compete mesa du-asseaiila paro-
chial:
I Fazer as chwnadas doovgSaaBBS pola lis-
ta geral da qualit-agao da> parochia e pela
complementar de cidados- qualifieados at
tres-mezes antes-da eleico ;r
lli Apurar as-cedulas recebidia;
III. Discutir-decidir as q-gestos do or-
dem que forera-suscitadas por qualquer
membro da mes'SU cidadao-v^tunto da pa-
rochia ;
IV. Verificar a-dJentidad dos Otantes,
procedendo a talrespeito ucs-tucnsu-o do
17/ deste artigo*;
V. Expedir diplonaas aos eeitores-;
VI Enviar ao ioltegio eleitoia! a quo pjr-
tencenca os eleitsM ama cuida aususnUca
das actas da eleico,. urna igmdao ministro
do imperio na corte e ao respoctivs presi-
dente em cada prcviueia, e outxa> put inter-
medio depntades ou do senado, esrdbrme for a
e.eicao^ de eleitores gwraes ou especiaes para
senador
,<5 7. Ao presidenta da mesa da assem-
bla parochial incumbe:
I- Fazer, nos tema-es do art. 44 da lei de
19 de-agosto de 18*46 e mais Ugistsefio en
at ao numero de eleitores que deve elegei
aparochia.
14. E' applicavel aos cidados eleg
veis que tiverem recebido" votos para
eleitores a di*p )5(,*o do 8.* deste ar-
tigo.
15/ No arto da eleico nao se adrait-
tir protesto ou eclatnaco que nao seja es-
cripta e assignada por cidadao* votante da
parochia. Admittem-sc, porm, ol>serva-
quo residir, ou do districto, se
tiver mais de um.
A primeira cdula ter no sobrescripto
Pura vereadore a segundaPar* juit
de paz do... districto.
3. S piera ser versadores os cida-
dos elegiveis, residentes no municipio por
111 ni1 de 2 annos.
4. S pdein ser juizes de paz de
una parochia, ou de um districto, se a pa-
rochia livor mais de um, os cidados elogi-
veis residentes na mesma parochia por mais
de 2 anuos.
5/ Se o municipio lar constitiluida
por urna s parochia a mesa parochial, in-
da a eleico, expedir logo os diplomas as-
sim a s juizes do paz, de como aos vereadors
eleitos, e fazenJo extrahir duas epias au-
tbenticas das actas, remetter urna cma-
ra municipal para seu coiihecimente', a ou-
tra ao juiz de direito da comarca.
$ (>/ Se o municipio compreteii ler
mais de urna parochia, as respectiva mm-
sas parochiaes expedirn os diplomas s6 ao
juizes de paz, e, cxlrahidas as duas cyi
das actas dar-lhes-ho a destino indicado m
paragrapho antecedente.
A (amara municipal, W iits depois da-
quaila un qie tiver combado a elricao,
proceder piiraco geral d< votos para
voleadores, e disto lavrar urna act*, da
qual remetter copia aojuiz ik* direito da co-
nurc, alera das pie deve remetter como
diplomas aos novos eleitos na Irkina do art.
IO da lei de 19 d..* agosto de f84.
I Ujuiz de direito cxamimtn>io as
actas das mesas psfOCUsSSS, e, no-caso -lo ^
'f, a da apura'.ao girral feita pcW cmara
nMUlicipol, iloclarar. valida a elii^V., ou
psOnuoetor sua nulh le.-, !.e verificar o/e
deu-se algum dos casos, n lhe forem f-
pli-M-eis, ib art. 2* J{ 17* desta lei, ou
que houve fraude plenamente provaJa, a
qual projudique o resultado da SlsSfit;
lar rutimar o seu despacho- por corta d >
escrivcdo*jsry, na > s camira inunici-
pd, como-a ca-k un dos nv>r!>ros dj me-
sa paroihial. o por edital aos-demais li
resudas.
Do despacho q*-** appruvar a efei^ > s<4
haver o 1 icurso- volnulario dequaquer ci-
dadao voto-ate do municipio, q.!e o dever
interpr dentro de* 30 dias contados da pu-
blicarao edital do-iraesio despadie : do que
porm, anuuaHar eh;o, alm do-recur-
so que aqualnaer ci.|lJo licito interpr.
Iwn.'r racSHW'SMBasaria para a relaco do
districto.
$ 8/ As capias da- que tratara os -M i*
Nos-c:isosdiduda, ce-oj^o, ou t ^ ierite, em arto e^itiouo cor.clTs.
queranento do res *s .-lovtoresou F""--'-dos respectivos tral.an1(,s,---------ffi .las
paes i'fopnelanos deque falla o art. *'-!>....,, ---'- -___________el
veram.-s.i tonar o-voto em'separado cora
i;os que, por bem dvi ordem e rcgfltaridade
dos irah-ilhoSi queira1 verbalmonte iaer al-
gum votante.
Admittido o protesta*,- a reclamago ou
as observacos, s aos membros da rsesa
eabe dseuti-los edescidir pelo voto da m-ao-
ria.
S 16/ Os protestos deuVtiailamente es-
leasos sero siraplesracnte mencionados, e*
ni)rtranscriptos nas actas ; ni*- sato inte-
gral Dente transcriptos no livro- das actas,
em seguida ultima, o a transcripcao ser
encerrada coma rubrica de toJos-os mjm-
bros da mesa.
Ouando exlrahii*em-se as cpias-dws actas
para o mis declarados no art. 12-1 da lei
(le 19 ilo agosto de 1840, ser 1 ncllis co-
pia los os sobredi tos-protestos, sob pena de
responsabilidade de quiern sem ellos as ex-
Irauir.
17." Ai IranspostG'fto, erro de nomo iu
^TOnfestarao db i L'iiti-lade nao poder servir
de pretexto pira que deiao de sor alinittido
1 votar um ci la lo quetacu lir chamrda,
SpvesQDUr o sea1 titulo V quolificago, toj*
Dooiaro de ordem co'tnci'Ju- com o da lista
geral, evescrevendo-stu moas- perante a ms-
sa, rios^ir.u- quo 9 letra igual da assig-
Datura do titulo, m\, nao ss-bendoesoreu',.
probar com o testc.munho de possoas lili1
lignaqne qualiftado.
tolas as-dedaraedes eeessarias-para justi-
i- ir o seu- proco monto,.
CAPITULO III.
IA ELBSCjbe* V\R\ DEWTfADOS I .VSStMIJLK.V
GERAL,.K MliMlillOS DAS ASSKIIIBBAS MOM-
I.ATIVAS l'H.OVl.MMV;> .
Art. 4/ O modo de proceder nos colle-
Uoseleitor-ies- eleico da deplitados as-
tembla gura!, e de membros das assem-
Mas legislativas provineiaes, fia- alterado
da maneiinseguiiite
1." A- reunio dos collegios-yieiljraes
..e rearz-rc. >45 dias dep-s.is (laquefio i-a> que
tKer comecadb-a eleico primaria-
2 ." l'ana a eleico dos dois secretarios
S-dois escrutadoresila 111 ;aifictita-ilo -.vi-
teio, os eleitores votaroem um se- wme
: sr eleitor pvesente. Apurados os voto, se-
i3ao declarados misarios o- quatro- chjilores
finis votados, .dos quaes os dois | itOUSOS
parvirao deseosttWlOS, osnlois outros de es-
crutadores.
% 3/ Cada eleitor votar era- ura s
sidado para deputadn asscmbk'H. geral,
su.para membro da assesnbla kgisiatria
vigor, a convocacat) dos cilado.s- velantes e
dos que sao chaira-dos a ceoooraet para a
eleico-dos membros da mesa;:
II. Dirigir os trabalhos da cr-ganisacao di
mesa e os desta p.
ILii Regular a discusso das questse
que se suscitar-era,.dando ou- negando a [>a-
lavra esuspendeodo ou prorogandoos tra-
balhos ;
1V-. Desempatara vutago dosassumptos
discutidos pela mesa ;
V. Manter a erdem no interior do edifi-
cio,.onde nem urna autortdade poder in-
tervir, sob qualquer pretexto, sem requisa
Qo.sua, foit por escripto, ou verbal-
mente, se nc fr pos&iyel por aquelie
modo.
8. Insta-llada a assembla parochbl,
comecaro as chamadas dos votantes, cada
um dos quaes.depositar') na urna urna ce-
dula fachada por todos os lados, conteni
o nome de uras cidadao elegivel da paro-
chia.
9/ Posto quo asollamadas continen*
a ser feitas, como est estabelecido, votante
por votante, comtudo licito aos cidados
votantes de diversos quarteires o districtos
d paroehiaconstituitem-se em turmas, que
tenham, pelo menos, um numero de votan-
tes equivalente a um eleitor, na conformi-
dade do 1/ deste artigo, e requererern
que os seus votos sejam tomados em primei-
ro lugar e seguidamente. O requerimeiito,
verbal ou por escripto, devera ser acorapa-
nhado da relaco nominal dos. cidados vo-
tantes que se constituirem em turmas, na
ordem em que se acharem inscriptos, e cora,
os nmeros que tiverem' na lista geral a.
qualificaco.
10. As turmas de votantes, de (pie
trata o paragrapho antecedente, tero prefe-
rencia nas chamadas.
Se diversas turmas tiverem requerido cha-
mada, esta coraegar pela mais nume-
rosa ; e se tiverem o mesmo numero de
votantes, pela que primeiro tiver reque-
rido ; o que se verificar por uin numero
de ordem, escripto por extenso, pelo presi-
dente da mesa na relaco que cada turma
apresentar.
11/ Os trabalhos da assembla paro,
cirial continuaro todos os dias, comec,audo
,-is 10. horas da manh a suspendendo-se s
ijcovincial.
4." Apurados os ti te&v a mesa -lo
tdiegio maadarsl transcrerw a acta no li-
*tt de aotas-do> tabollio do lugar, na for-
ma do art. 1 i 10 do decreto 11. 342 de
it> de setembao-de ld55, o eatrahs>atras
spias autheneas de que trata o art. 79
da lei de 19da agosto dp 18 i(i 4 ib.-quaes
remetterurna i cmara municipal da ca-
M'al da provincia, outra ao ptesidSBle da
provincia e a tercena ao nMSllstei i.> do iin-
Sprio. Na eleico de mebaos das>aasan-
blas legislativas provinciaes-a lcr.ei.ra o-
pia ser remeltida i respestiva assembla.
o. A cmara municipal- da capital
proceder apurago geral dos votos dos
eleitores de toda a provincia dois raexes
depois de finda a eleigo, ou. antes,, se boa-
ver recebide todas as aulbentieasy era da
breviamentc annunciado- c observadas as
formalidades prescriptas nos arts. 86, 87 e
88 da lei de 119 agosto de 1846..
CAl'ITimiV.
DA F.lEir.VO DE SS&S\D0RES.
. Art. 5/ Na eleigo de senadores as al-
teraces serao as seguintes :
1/ A orgamsa$o> das; mesas paro-
chiaes para eleico dos eleitores especiaos,
a ordem. dos tiabalhos o modo-le proceder
eleico.dos. eleitores, a.orgamsaco da me-
sa nos collegios -eleitoraes e a ordem dos
respectivos trabalhos, sero os- mesmos es-
tabelecidos nos capituk).2' e 3' desta lei.
2/ Entre a eleico primaria e a se-
cundaria mediar o mesmo tempo marcado
no Io do art. 4*
3/ Se a eleico-fr deum s sonador,,
cada eleitor votar era um so cidadao ; vola-]
r em dous, so fr a eh;ii;o. de dois senaior
res, e assim por dianlc
4/ Feito o que determina o art. i1^
4o desta lei, a cmara raunicipil compoten-
te, procedendo apurago geral no terapo e
pelo modo prescripto no 5 do mesmo
artigo, organisar. a lista triplico com os no-
mes dos tres cidados mais votados, se a
eleico fr de um s senador; com os dos
sois mais votados, se a eleico fr de deis
senadores, e assim por diante.
CAPTULO V.
Da ELEtO.VO. BE VERF.AD0RES E Ji IZES DE
PAZ.
Art.. 6/ A eleigo de voreadores das c-
maras municipaes e de juizes de paz conti-
nuar a ser feita de 4 ora 4 annos, cora ai
alteraces seguintes :
i / A eleico se far no primeiro dia
til do mea do julho do ultimo anno do
qnatrionnio, observando-se na nrgwia
da mesa parochial, e no rocebimenta o apu-
4 da tardo, snlvo se aesta horase estiver ta>: raco das cdulas dos votantes Uvlo qoanto
imada de alguma turma de vo-j nesta lei osla dotermiha l;i para a eleiclo U
lo'rs, a (pial dever car terminada. I eleitores at a expediento dos diplomas, a
,^ 12.' \' bora em que cessarem o; Ira-, respeito di qual se observara o di-,
balhos do cada dia se lavrar urna acta, na. '\ e O1 deste artigo. .
qual se declarem as oceurrencias do dia e o 2. Cada cidadao .volante depositar
estado do processo eleitoral, com expressa' na : urna duas listas ou.cdulas disuadas,
men^o -,!q numero de cdulas recebidas ou; urna contondo 0 nomo de um s cidadao el' -
mesas parochiaes c p'la- tramara iiinr.ii-ipal
ao juiz de direi'O.1 I^te dever proferir o
MU despacho no j.razo irapr>rogiive; de 15
dias-, sonta lo da data em pe recaba'* as
copias uthentica- c no-caso de recurso.
diver minar as retas cora o seu despatho
DSatPKadb c com as atesw.'acs e docu-
nuntos. do recorrente, no prazo '.?.t\-
bom de-15 das, cv^.Halo- dh> dala da iater-
post-jto d> recurso,-. aotnri>lade surerier
1. mpeteate, a qual'o deciar defini-vi
irwrugivebiv.Mite nos termos- da ultime ar-
te de-$t?do art. -L*.desta-ki.
CAPIH I.O' Wl
*s l50OSSSStVIMUMMBi
M. ".' Sao podtr S'T v
iiiiftbio ('sasass-m! k;.i> !i-^i*-latias pri
ciae-,- dapasados a.-sombl gesal ou s.na-
d >m>$-,-nas provincias -uir.qua esowweiu ai.Ui-
riJ-:-iie, jiMi^lii-r.'io 1 j funrr/-1- pmbliiM
L. Os praaidentas 'la pro*inL!8. e seus ^#
creti sios :
W Os BH-pos, os-vigarif*. capitlale-
os gnvenia V-ns de bisyafr-$
113. Osocoiman Itiiiles de arirans. as v
nor-its- emi ebefe de :-na t-u : 111.o,
oonsMBMkaattsi dase rpos ijiitares Ai pe
licia-,. os cteles- de estancosnaA,-ese os l.
ti 11 poUS-i ;
IV. Oa-inspectores-cu diaecteaes
d 1 rncro publica ;
\. <*" inspectores: das thes.rari.'- ;o
BSate provi.oial, es procurad..^
Rscaes m >l-*> fastae-da fazsodV os iit-
tort-i-.'.s-aiijwhlegas;
VI. Os d-.*-s*mbar4ador'vOsaizesd3l -
rcilo, osjpaiemuiiic'^aas e os de orpl: .>.,..
os cheles da psicia, sera daleglos e
deleaedos- .*
MI. "vs premotoaas paUsa s os de
zo ecc'.tisiastk-o, os Ir -capetas c residu./, e-
os curaJire> geraes Je es^Moa :
VIH. t)svigarios gerats, pSMMW, -
rio-, furaiieos e parochos.
% i." A incompatibilidad*; eleitoral ;. :-
valeee-:
I.. A.respeito do>sobreditos funccioi.srios
e dosseus substitutos legaes. que tiveretr
esta !o e.n evercicio dos 1 espectiros ompcego>
dentro dos s^is me/es anteriores deu.*'
seciuidaria ;
II. A respeito nos-dos substitutos qui
evercerem os empregi>s dentro d"s referido*
sei mozos, como tambem a respeito dos.
que Ibes precodem na ordeaa da substitu
e- que doviam ou 1 odiara assumir o eir-
cicio ;.
III. A respeito dos fu&ccionarios efiV
vos desde a data da aceit-veo d > en prego
unceo pnblica svaail mozos depois que c
tiverem deixado em virtude de remoca,
accesso, renuncia ou deraisso.
^ 2/ O prazo.de s mezes, de que've
ta o S antqsedente, reJuzido ao de '.1-
me/esiocaso de dissulucao da, cmara dos
doputados.
3/ Tambera nao podero. ser votados
para in-mbro das assemblas provniaes.
deputados assembla geral ou senadores, -
nas provincias, ou districtos era que os res-
pectivos contratos possam creer tufluen* ia
e durante o tempo destes, os directores, con-
trata lores, arrematantes ou interessados 11a
arrematarlo de rendiinsutos, obras ou for-
uecimeulos pblicos.
4. E' manlida, mututis nmtund4. a
disposico do art. 2 \ das iustruec/es de 22
le agostado 1860.
Art. 8/ Salva a disposiea > do art. 3i da
Constituigo do Imperio, durante a lisisla-
im .1 incorapativel o provimento de depu-
tados em empregos retribuidos pelo estado e
de nomeaco do poder eiecutivo. Excep-
tuam-se; I.' os -tecessos legis ou? Ihes
ia : 2/ o cara con>elheiro de
estadu ; 3/ as preaidetMas de prorincis,
missoissdiplonaticas especia** e commissOe
Continuar-te'
PYP DO DIARIO EA DfttJB DE UAXUa
^
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EWE40HL97_O5J5LG INGEST_TIME 2013-09-19T21:31:27Z PACKAGE AA00011611_12906
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES