Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12875


This item is only available as the following downloads:


Full Text
Tcr
---------
ANKO XLIX. NUMERO 7S
'j
.

PAUl A CAPITAL E LUGAS OSDK WA SE PACA POETE.
Por me iwoj allantados............ JU 8*000
Por se*jg jdwn............. 129000
Por u1 fcem ................;}m ai||f
Cad* naiae 9 avulo L.................
m
TERCA FEIRA I DE ABRIL DE 1873.
/tf*;:
PAMA E\THO E l'BA DA PBOVIKCIA.

pire mezes adiatatados.
w seis ditos dem. .
*#5r nifre olitoa idem .
Por um auno idem. .
: :
C9T50
13*500
M91S0
rimo
,
PR0PR1EDADE DE MAN0EL FICUEIROA DE FARIA & F1LH0S.

......
...
fe Srs. Gerardo Antonio Altes & Filiaos, no Para; Condal ves & Pinto, no Maranho; Joaquim Jos de Ouveiaj Flho, no Cear; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joo aria Julio Chaves, no Assi^ Antonio Marques da Silva, no Hatal; Jote tato
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, ua Paralaba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, em Nazaretb.;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna.; Francino lavaras da Costa, em Alagdas; Al ves d C, V |ah1a ; e Leite, Cerquinho & C. no Rio de' Janeiro.
PARTE OFFICIAL
4i(\erno da provlucia.

xnwKNTE DO w\ 8 o:; SUS?) DE 1873.
/." ser, ai o.
Actos :
0 presidente da provnda, vista di propos-
Ta do Dr. delegado ui'i.tim i d drurgio mor do
eserci, a, que se refere o offlcio do brigadeiro
'-mu.rajante il 14 aran; interino, de o do crreme,
*w n. 232, resolv- nam ir par o lugar da enfer-
mero d i taspita! militar o cidado Domingos Das
Vwira, em substituirn de Manoel Francisco d>:
Jess Veras que fallecen.
O presidente da provincia resolve uomear o
capitao reformado do exemlo, Manoel Claudino de
Oliveira e Crin, para exercer o lugar de naa-
|or da pra ;a 4o presidio de Fernando de Noro
nha.
Oficios:
Ao brigadeiro eomman lante das arma- inte
rin Tendo p ir portara desta data, a vista da
.proposta do Dr. delegado interino do crurgao
a-ir do exercito do lispit il militar. nomeado para
o tugar de enfermeiro da pielle estabeledmeiilo u
adadao Domingos Das Vieira, em suhsltuicao de
Manoel Francisco de Jess Veras que fallecen,
assim o communico V. Exc. para jteu conlied-
inento e em resposta ao seu officio de o do correute,
job n. 251
Ao mesina. -Determnanuo o Exm. Sr. mi-
nistro da guerra, no avi/.i circular de 28 de feye-
rero prximo lindo, que d'ora em diante seja diri-
gido a respectiva secretaria de estado o pedido de
aleado uecessario para um anno ao* corpos mo-
vis aqu estacionados, srvase V. Exc. de dar
'este sentido as convenientes ordens.
Ao mesmo.Constando do avizo do mniste-
cio da guerra de 2 de fevereiro ultimo que por
decreto do 22 desse mez, fui uoineado comman-
dante das armas desta provincia o brigadeiro Ma-
noel da Cunlu Wauderley Lias, que exercia igiial
cargo na di Para, assiin o communico a V. Exc.
.para seu conhecimento e direccao
Ao mesmo.Pode V. Exc, nos termos de
su* iufoiuiaco de 6 du correute, sob n. 258, con-
ceder ao anspe.ada invalilo do 1 Io corpo de vo-
luntario da patria, Cosme Paos de Lyra, peamisso
para ir esperar na cidade da Victoria a deciso do
governo imperial sobre sua baixa ou reforma, com
a obrigaeo, porem, de comparecer incnsal mente
as revistas de mostra. Fica d'estc modo deferido
O reqnerimento daquella praca, sobre que versa a
iu i citada informacao. *
Ao mesmo.-Deferindo o requermento do
soldado invalido do 51* corpo de voluutario da
patria. Be n ven uto Jos Prudente, sobre que versa
a sua informacao de 5 do crrente, sob n. 251 au-
toriso V. Exc. a cotreder-lhe permisso para ir
esperar na cidade de Olinda a deciso do governo
imperial acerca de sua baixa ou reforma, ceina
swrigaco, porem, de compareter mensalniente s
revistas de mostra.
Ao mesmo. -Tendo por acto desta data no-
meado o capitao reformado do exercito, Manoel
CJaudino de Oliveira e Cruz, para exercer o lugar
de major da Maca do presidio de Fernando de No-
ronha, em suhslitueo do major graduado do 2'
liatalhio de infatuara, Jos Libanio de Souza, que
sendo arregimentado nao deve continuar n'aquelle
cargo, segunda foi declarado em avizo do ministe-
rio da guerra de 27 de dezembro ultimo, assim o
CiMiiinunico a V. Exc. para seu conhecimento.
ao inspector do arsenal de marinha.-Recom-
mendo a V. S. a expedicao de suas ordens para
que por esse arsenal sejam (tostadas no caes do
Forte do Mattos as ombarcacocs necessarias ao
tran-porte at o vapor da companhia Pernambucana
<|je segu para o presidio de Fernando de Noro-
ulia. de desosis pracas da tt.)rvcta R-cife, e bem
assim de doze sentenciados, que seguem para aquel-
le presidio no da 10 do corrente, pelas 10 lloras da
manli.
Ao mesmo. -Mande V. S. adm'.ltir na com-
panhia de aprendizes artfices desse arsenal, se
ouver vaga e cumprdas as exigencias legaes, o
menor Virato, lilho de Jos Augusto do Ama-
ra I.
Ao mesmo. Deferindo o requermento de
Mara Izabel de Oliveira Maciel, e de accordo com
a sua oformacao de 5 do correute, sob n. 569. in-
tonso V. S. a'mandar transferir da companhia de
aprendizes marnhejros para a de artfices o menor
Joao (ioni;alves da Silva, rmao da supplicante.
Au commandante do presidio de Fernando de
Noronha. Expeca V. S. as convenientes ordens
para que regresse a esta capital, disposieio juiz de
diretto das execucoes crminaes, o sentenciado Mar-
tinhn Gomes Vital.
Ao mesmo.-Tendo por acto desta data no-
meado o capitao reformado do exercito Manoel
Claudino de Oliveira e Cruz para servir o lugar de
major da praca desse presidio, em substitnco do
major graduado do 2* batalhan de infantaria, Jos
Libanio de Souza, que devera reverter ao seu cor-
ito, assim o communico a V. S. para seu conheci-
mento e direccao.
Ao commandante do vapor de guerra Rrctfr.
Expeca Vmc. suas ordens para que, s 18 horas
d* mani do da 10 do corrente, esteja postada em
frente da casa de delencio urna forra de 16 pra-
^a* da guarnico desse navio, remmandada por
um ollicial, afim de receber all e conduzir at o
jir -sido de Fernando de Noronha 12 sentenciados
3ue tem de seguir para o mesmo prezidio em um
os vapores da companhia Pernambucana, certo
de que ao inspector do arsenal de marinha rerom-
mendo, nesta data que forneca as embarcares
necessarias ao transporte dessa forra para o men-
cionado vapor.
Ao director interino do arsenal de guerra
En avizo de 8 de fevereiro ultimo- declara o Exm
Sr. ministro da guerra! que o tecdo de algodo,
de que Vmc. remellen amostra com seu offlcio
4e 16 de dezembro do anno passado, sob n. 316,
Sode ser empregado com vantagem na confeccao
e bornaes lanto de infantaria como da cavallaria,
e i>a de alguns utensilios de enfermaras como
lences e loalhas de meza, em substitucao do pan-
no de linho; o que commuuico a Vmc. para sua
direccao.
Ao mesmo. Determinando o aviso circular
4o ministerio da guerra, de 28 de feweirq ultimo,
que d'ora em diante seja dirigido respectiva se-
cretaria de estado o pedido de calcado necessario
para um anno aos corpos movis estacionadosrfies-
la tronada, assim o commuuico a Vine, para seu
conhecimento.
2.' mdbIa.
Actos:
O presidente da provincia, de conformdade
com a proposta do Dr. r.hefe de polica, em offlcio
de huje datada, sob n. 493, resolve exonerar o ci-
dadao Francisco d Araujo Lima do cargo de sub-
delegado do districto de Cruangv do termo de
tumb
0 presidente da provincia, sob proposta do
Dr. che/e de polica, de hoje datada, n. 495, resol-
ye Bornear para exercer o eargo de subdelegado do
distfieto de Crnangy do termo de Itamb o alferes
d) corpo de polica Jos Pereira da Sil a.
U preii late da provincia, s ib nropjta do
lr. chefe de ptlicia, ero offi-io de 28 de fevereiro
potuno passado, n'. '449, resolve, nomear oara o
cargo de ysupplnlo do sublele^adj do !, dis-
tricto do Mino d > Triu npho, que se a;ha vago, o
eiddao Manoel de Siqueira Cmara.
0 pres lente di provincia, de conformdade em\
a prono.to do Dr. chefe de polica, em oficio de 5
do c Trente, n. 474, resolve exonerar o lente co-
ronel Hemetcrio Jos Velloso da Silvoira da eargo
do supplente do delegado do termo de Olinda.
Odicios :
Ao desenibargadur procurador da oroa. -
Sirva-se V. Exc emittir o seu parecer sobre sobre
o ortlco do 2.* juiz de paz do I,* districto da paro-
cha de Santo ntao da cidade da Victoria, que em
original a este aeompanha.
Ai Dr. chefe de polica. -Em resposta ao of-
fici i que V, S. me dirigi em 5 do crrente, sob u.
472, acompanhado de copia da informarn .minis-
trada pelo delegado do termo de Itamb "acerca do
r querimento do remita Manoel Bento da Silva,
team a dizer que faca seit r ao mesmo delegado
que loi Ilegal., violento e como tal merecdor da inais
acre censura o seu procedimeuto prendendo o sup
pl'cante como recruta o rcmettendo-o imme
diatainente para esta capital sem marcar praso
para provar a isenco legai que Ihe assista, certo
de que se mitro tacto igual praticar o farei res
p.mstbiUsar nos termos da lei.
Ao m !smo. Transmuto p"or copia a V. S.,
para seu conhecimento o devidos fTns, o avisa) que
iic expedio o Exm. Sr. ministro da fazenda em 25
de fevereiro ultimo, relativamente a apprehensao
nesta provincia dealgumas notas falsas do thesouro
nacional, e a priso de Sebastio Accoli Santiago
Hamos e on'ros, cumprindo que V. S. me enve
una copia do termo de exame a qnc se procedeu
em taes notas, para ter o destino indicado no nal
do citado aviso.
Ao mesmo. Pode V. S. providenciar no sen-
tido de serem transportados para o presidio de
Fernando do Noronha, em um dos vapores da com-
panhia Pernambucana, os 12 sentenciados cons
tantes da retacad que acompanhou o seu offlcio de
7 do corrente, n. 492 : rerto do que as 10 horas
da maiihi do da 1 deste mez estar postada em
frente da casa de detencan, urna forca commanda*
da por um offlcial do brgue barca Recife para es-
coltar taes sentenciados, al aquelle presidio, bem
como no caes do Forte do Mattos as emharcacoes
precisas para o transporte ao vapor fornecidas pelo
arsenal de marinha.
Ao commandante do corpo de policia.Nio
p xlendo continuar servir no corpo sob seu enra-
mando, em razio do seu mo estado de saude o
soldado da 6 companhia, Lourenco Pereira da
Guata, pode Vmc. dar-lhe a baixa por elle solici-
tada.
-Ao mesmo. -Pode Vmc. engajar no corpo sob
sen commsiid >, sendo idneos, os paisanos Antonio
Pedro de Souza e Jos de Santa Ritta, dos quaes
trata o seu oficia n. 147 de 5 do corrente.
Offlcos : |
Ao inspector da thesourara de fazenda.
T>.ido por portara desta data, e a vista da propos-
ta do Dr. delegado interino do rirurgiao mor do
exercito, a que se refere o offlcio do brigadeiro
commandante das armas interino, de 5 do corren-
te, sob n. 252, nomeado para o lugar de enfermei-
ro do hosojtal militar o cidado Domingos Das
Viera, em substituirn de Manoel Francisco de
Jess Veras que fallecen ; assim o commnniCo a
V. S, para seu conhecimento.
Ao mesmo.Communico V. S., que a 24
de Janeiro prximo passado, assumio o exercio do
cargo de juiz mnncipal lo termo de S. Bento o
1.* supplente, AntonioBerilo deOlivera, por adiar-
se de licetica o juiz effetvo.
Ao mesmo,Communico a V, S., que a 2 do
corrente, assumio o exercico do seu cargo o juiz
municipal do termo de Nazareth, hacharel Pergeti-
tino Saraiva de Araujo Galvo
Ao rtlesnixRecommendo a V. S. que a
vista dos prets juntos em duplcala, mandayagar
a Flavio G.mea!ves Lima, conforme solicifou o
commajidante superior do municipio de Tacarat,
em oficio de 8 de fevereiro pretrito os vencimen-
tos do destacamento da guarda nacional existente
00 districto de Campiuhos, relativos aos mezes de
novembro e dezeflbro do anno lindo, e Janeiro ul-
timo, segundo indicam os mencionados prets.
Ao mesmo. -A' Claudino da Silva liego man-
de V. S. pagar a vista do incluso pret em duplcala
que me renietleu o commandante superior do mu-
nicipio de Tacarat, com olflcio de 14 de fevereiro
ultimo, os venciinentos das pracas de cavallaria
da guarda nacional destacadas na villa de Floresta
concernentes ao mez de Janeiro lindo.
Ao mesmo.Comumnco a V. S., que 6 do
orrente. por molestia, deixou o exercico de seu
cargo o bacharel Lu:z Ferreira Maciel Pinhero,
i. substituto da vara especial do commercio.
Ao mesmo.-Transmuto a V. S., a inclusa
epott em duplcala, que me remetteu o capo do
porto interino, com olucio de bontem, sob n. 51,
afim de que mande pagar a Joao Francisco da
Silva Mendonca, aquantia de 5o000, proveniente
da impresso e encadernaco de 3 livros de 400
flhas cada um, para os registros daquella repar-
ticao, conforme estatu o artigo 8 do regulamento
de 19 de mao de 1846.
Ao mesmo.Commuico a V. S. para os devi-
dos (ns, que a 2 do corrente assumio u respecti-
vo exercieio o juiz de direilo da comarca de Na-
zareth, bacharel Joo Paulo Montero de Andrade,
ior ter sido para ella removido por decreto de 4
e dezembro prximo passado.
Ao mesmo.Inteirado do quanto expoe V. S.
em seu ollicio de 7 do corrente, dirijo-me nesta
data do Exm. Sr. bispo diocesano, solicitando a ex-
pedirn de suas ordens, alim de que pelos paro-
dies'das dilferentes freguezias do ntemr da pro-
vincia sejam prestadas aos respe -tvos collectores
as certidoes de nascimento e bito dos lillios li-
vres de mulher escrava, sobre que versa, o seu
citado otlcio, que fica assim respondido.
Ao mesmo. -Transmiti V. S. as dez inclu-
sas ordens, sendo quatro do thesouro nacional, sob
ns. 42 a 45, urna do ministerio da guerra, datada
de 27 do mez lindo, e cinco e n duplicata expedi-
das pela repartico do ajudante general, ns. 916 a
920.
Ao mesmo.Mande V. S. receber na agencia
da companhia de navega^d brasileira 4 caixoes
constantes do conhecimento junto, contendo 35
jogos de livros "para a classilicaco dos escravos
que tem de ser libertados nesta provincia.
__*\o mesmoConstando de aviso do ministe-
rio da guerra, de. 24 de fevereiro ultimo, que por
decreto de 22 desse mez, loi nomeado commandan
te das armas desta provincia o brigadeiro Manoel
da Cunha Wanderley Lins, que exercia igual car-
go na do Para; assim o communico a V. S. para
os fins convenientes.
Ao mesmo. Tendo por portara desta data
nomeado o capitao reformado do exercito, Manoel
Claudino de Oliveira e Cruz, para exercer o lugar
de major da praca do presidio de Fernando de No-
ronha, em substituido do major graduado do 2
batalho do infantaria, Jos Libanio de Souza, que
fica dispensado daquelle cargo; assim o comiru-
nico a V. S. para os fins convenientes.
Ao mesmo. -Expeca V. S. suas ordens, afim
de que por essa thesourara se ajuste comas e pas-
se gua de soccorrimento ao alferes do 2o batalho
de infantaria, Gercino Martns de Oliveira e Cruz,
ue segu no da iO do corrente para o presidio
ie Fernando onde vai destacar.
Ao inspector da thesourara provincial.
Autoriso V. s a rescindir o contrato que uerante
a junta dessa ihesoiiraria, fez Tlioinaz de Carvalho
So i res Brandan, para a construc;o daaaJBdado
Amool e sobre que' versa yu ollicio dfl > cor-
rente, entrando o arrematalhifflnKaJ cia
recebida, e flcando dispensada
dieSo de nada exigir a tittu^^H icao por
qulquer servicd|ykspezat.4wll
Ao mesmo.-Dctero a V. S- para seu eonoe- J"6*** ^f8 .mappas eettlisticos, da que trata o
cimento, que proredeado a impugnacio do Dr. *"*reto n. 3,57J de .tO de dezembro de i865, es-
procurador fiscal, acerca do examefeito na pessoa *ru .'lue *^* observada a disposieio do art. 22
de Domingos Sorano Al ves da Silva, porte iro des- y citad j decreto; azendo enviar a esta pres-
sa repart-, o. cuutpre que a junta medica uteii- dtoacia os parciaes do auno de 1872, que I lie l-
enme se o stipplcanldest physica ou moralinenta Wul>e "unistrar.
impo>sbilitado de continuar no sen empYego, de- expkwknte do skcrict.muo.
vendo o exame ter tugar na pre*en;a da referid* i nj-1. '* **-
junta, que para esse tim se reunir em dia u toara'. Oincios :
por V. S. designados. Devolvo-lhe o reqaeriiuento -Ao brigadeiro commandante das arma* in-
e uuis papis que vieram annexos i sua informa- W,ny De oriem de S Exc. o Sr. presidente Aa
co do 5 do correute, sob n. 85, toodente ao mes- l*v?ncta decalo a V^Jxc, e:u resposta ao seu
mo assumpto. i ^" o 6 Jo corr/nte, sob n. 256, que fica ex-
Ao presidenteemjmbros da A*socia-io Com- PdiiU a couvenente rdein para ser transprtalo
mercial Beneficente. < Nesta dataaxpeco ordem aeorte, no vapor que se espera do norte, o !.
aos agentes da companhia do navegacotresile- ***" ** sargeuto Jdse ElUiano da Silva Gi-
ra para que faena seuuir o vapt-r Pai para o* W**-
porto* do norte, araanba s 5 horas da tarde, em V": Aa mesmo.-S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vistas das razoes por Vv S. apresentadas em oH- ?Ca imada declarar a V. Exc, em resposta ao
co de hoje. ".Bc' de 7 do corrente, sob n. 259, que fica
a\f uecao. pedida a ordera necessaria para trans|iorte
Acto : Pf ornando dos quatro caixo>>, contendo far-
O presidente da provincia, tendo em vista a *,oen}0. P*ra ** praca do 2. batalhd de infau-
pr posta do director gural interino da in-truecio H a"' destacadas.
publica, em oficio de 5 do correute, sob n. 66, re- ~ Ao cautao do porto interuo. O Exm. Sr.
solve de conformdade com o art. 7 da lei n. 3* Presidente da nrovincia muida communcar a V.
de 14 de mao de 1855 exonerar do cargo de de- Ia* uesta ^J*a expedio ordem thesouraria de
legad i littcrario do districto de Pao d'iiho? Urbano f"^ eu''do de ser paga a Joo Fraudscj o
Jos de Mello, e nomear para substitu-lo o#adre r"f*a "endon/a a despeza proveniente dos livros
Antonio Domingos de Albuquerque Arago.
Oficios:
Ao Exm. Sr. presidente da provincia da Babia.
Deferindo os inclusos re luerimentos que V. Exc.
se servir devolver-me, do anspecada Eugenio Jos
da que tr.ta o seu oficio de hoiitem, sob n. 51.
!, 2.* secco.
Offlcos :
Ao Dr. chefe de polica. -O Exm Sr. pres-
dante da provincia manda declarar a V. S., que
Martns e do soldado' Firmino Joo Domingues, ^ armas mamtadas fornecer pelo arsenal dn guer-
ambos do 2* batalho de infantaria, rogo se digne ra eu ufiejo de 25 do m;z proxinu passado, sao
de providenciar no sentido de ser prestado por
de
quem competir um documento eomprabatorio da
allegaco feita pelas referidas pracas, de haveretu
marchado voluntariamente para a guerra do Pa-
raguay no anno de 1867, na qualidade de guardas
nacionaes designados dessa provincia.
Ao Exm. e Rvm. Sr. bispo diocesano. -Srva-
se V. Exc. Rvma de expedir suas ordens aos pa-
rochos das dilferentes freguezias do interior desta
provincia, no sentido de prestarem-se a dar aos
respectivos collectores, certidoes do nascimento e
bito dos filhos livres de mulher escrava e de bi-
tos dos escravos, como solicitouo inspector da the-
sourara de fazenda em offlcio de liontem datado,
afim de que possam esses agentes fiscaes bem des-
e rapen liar os seus deveres com relaco a esse ira-
portante ramo do scrvcti publico.
Portara:
A' cmara municipal da cidade de Goyanna.
Tendo sido extraviadas as copias authentieas das
actas das elei<;5es de deiteres proc'.tdidas em 18 de
agosto do anno passadw, as tres parocbas quo
constituem o municipio de Goyanna, recommendo
respectiva cmara municipal que com toda a
urgencia faca extrahr dos livros e inapetentes e
me remella novas copias das meninas eleic/ies, afim
de serem enviadas ao Exm. Sr. ministro do impe-
rio, e por seu intermedio cmara dos Srs. de-
putados. Recomineado outro sim a mesma cma-
ra que em lempo oppdrtuno faca romessa se-
cretara da presidencia de nutras tantas copias
para serem archivadas naquella repartico.
5.* seerao.
Offlcos:
Ao engenheiro chefe da repartico das obras
publicas. Informe Vmc. o que dispoe o contrato
com relacao ao recebmento da prestado, que se
julga com direito Antonio Vctor de S Brrelo,
arrematante do 5* lanco da estrada do Muritieca ;
visto como da informacao do engenheiro do res-
pectivo districto. que exig e rae foi remettida p<*
copia com o seu offlcio ~do hontem datado, sob n.
89, infere-se claramente que ao arrematante nao
assste direito ao recebmento da prestafo que re-
quer, e para cujo pagamento j se Ihe pasou cer-
tificado ; porqnanto, devendo receber 8:575x870,
apresenta apenas um trabalho inferior a 6: 0 'I.
Ao mesmo.Declara Vmc. quandn foi cons-
truida, e si por ad ninstrapo ou contrato, a ponte
do Desterro de que trata o seu offlcio de hontem,
sob n. 9i>; bem como, quanlos coucertos j soffreu,
e finalmente quanto se tem com ella dispendido
at hoje.
Ao mesmo Chimo a ttonco de Vmc
para o artigo da gazelilha do Jornal n Recife, de
hoje, sob a epigraphe Atoletro, alim de que man e
verificar so real o facto denunciado ; e, caso
tenha sido a companhia da illuminacao gaz a
causadora do estrago da estrada, a obrigie a re-
por a mesma estrada no estado em que estava,
Ao- mesmo.Para satisfazer o que deliberou
a assembla legislativa provincial em sessao de 7
do corrente, conforme se v do offlcio do res-
pectivo Io secretario, desta data, sob n. 4, haja
Vmc. de informar se o r mal quo pretende levar
a eil'eito a companiiia da estrada.de ferro do Re-
cife aoS. Francisco, prejudica o contrato celebrado
em 5 de julho de 1871, entre a presidencia e Jus-
tino Jos de Souza Campos, para o assentamentb
de trilh >s de ferro entre a estacao da Boa-Viagein
e o povoado do mesmo nome.
Ao Sr. George Leuzinger, no Ro de Janeiro.
-Tenho presente a carta de t. S., datada de 28
de fevereiro ultimo, aecusando a retnessa pelo
vapor Para, de quatro caixas constantes do co-
nhecimento que ella veio annexa, contendo 35
jogos de livros para a classiGcaco dos escravos,
que tem de ser libertados nesta provincia, como
Ihe fura ordenado rala secretara d'estado dos ne-
gocios da agricultura.
Ao gerente da companhia pernambucana.
Em additamento portara desta presidencia, do
f do corrente, mandando essa companhia dar pas-
sagem d'estado..pra para o presidio de Fernando
de Noronha a Firmraa Rita de Souza e a sua
Irma menor, tenho a dizer-lhe queessas passageus
correm por emita do ministerio da justca.
Portaras :
O Sr. gerente da companhia pernambucana
mande dar transporte para o presidio de Fernando
no vapor Curunpe, por conla do ministerio da
guerra, ao alferes do 2* batalho de infantaria,
Gercino Martns de Oliveira Cruz, sua mulher e
um lilho menor, e bem assim ao soldado do mes-
mo batalho, Andr Jos Martns, que para all
destaca com o dito alferes.
O Sr. gerente da companhia pernambucana
mande dar transporte para o presidio de Fernando
de Noronha, por conta do ministerio da justiea,
no vapor que para all segu prximamente, a Ro
zalina Man da Conceicao, mulher do sentenciado
Manoel Francisco de Novaes.
0 Sr. gerente da companhia pernambucana
mande receber e transportar para o presidio de
Fernando, por conta do ministerio da guerra, no
vapor Cururipe, quatro. caixoes contendo farda*
ment para as pracas do 2' batalho de infantaria,
all destacadas.
Os Srs. agentes da companhia de navegacao
brasileira mandem dar transporte para corte,
por conta do ministerio da guerra, no vapor que
se espera do norte, ao 1 cadete 2- sargento da
companhanhia de cavallaria, Jos Elsiario da Silva
Guinare-, que em virtude da ordem do da da
repartico do ajudante general, de 30 de Janeiro
ultimo, sob n. 913, vai praticar na escola do tiro
no Campo Grande.
Circular :
Ao ronsplbeiro presidente do tribunal da re-
lacao, presdeme do tribunal do commercio, juizes
de uirei'oda i" e2' vara civul, dos foi los da fazenda,
mecaI do commercio, de eapeltas e residuos, seus
aubslitutos. juizes de direito Jas comarcas da pro-
vincia, juizes iiiunicipaes, delegados, subdelegados,
juizes de paz e vigarios. Lenibraado a vs. Ss a
sois e nao d-i.
Ao mes uo. 0 Exm. Sr. presidente da pro-
vipcia manda communcar a V. S. que acaba de
eXfedir as convenientes ordens ao coinman lante
d/c irpo de polica, no sectido de Ihe serem apr-
senla dos 1 inferior e 2 pracas para escoltar em at
o Cabo a criminoso Joa i Guliherme da Costa, de
conformdade com a requisico de V. S., de 5 do
corrente, sob n. 471.
Ao mesmo. -O Exm. Sr. presidente da provin-
cia iiuuda rransmittir a V. S. o titulo incluso do
subiel: g.ido de Cruangv, de conformdade com a
proposta de V. S. de hoje'datada, u. 495.
Ao niaimo. -o Exm. Sr. presidente da pn-
viaea manda remetter a V. S. o titulo do I.* sup-
plante do subdelegado do I. districto do termo do
Tnoranlio, Manoel de Siqueira Cmara, d con-
formdade com a proposta de V. i. de 28 do mez
prximo passado. n. 449.
Ao juiz de direito das execucoes crminaes.
O Exm. Sr. presdeme da provincia mana cora-
monicar a V S., em respn -ta ao seu offlcio de
hoje, que acaba de expedir as convenientes or-
dens ao commandante do presidio de Fernando,
am de ser transportado para a casa de doten-;io
desta ddade o sentenciado Jos Antonio Mo-
re ira.
Ao bacharel Luiz Ferreira Maciel Pinhero. -
S Exc. o Sr. presidente da provincia manda acen-
sar o recAtoimenio do offlcio do V. S., da do cor-
rente, participando ter deixado o exercico do ssu
eargo, por molestia
3.' scelo.
Offlcos :
A presidente e secrotario da Associacao-
Comraercial Beneficente.O Exm, Sr. presidente
da provincia manda communcar a Vv. S*. qne
teve o conveniente destino o oficio que, para ser
encaminliado ao gaverno imperial, veio anuexo ao
de Vv. Sa, datado de hoje, sob n. 42.
4." secco.
Offlcio:
Ao Dr. Joaquim Correa de Araujo. 1. secre-
tario da as De ordem de S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia remeti a V. S., para ser presente assem-
bla Jegislati va provincial, conforme deliberou em
sesso de 6 do corrente, copia do acto de 11 de
outubro do anno prximo passado, que modilieou
os arts. 13 e 14 do contrato celebrado em 22 de
junho de 1868, com a compauhia da estrada de
ferro do Becife a Olinda e Beberbe, tirando des-
te modo respondido o seu offlcio de hontem datado,
sob n. 3.
5.' secco.
Offlcos :
Ao engenheiro chefe da repartico das obras
publicas. -S. Exc. o Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S. para seu conhecimento e
fins convenientes, que nesta data aulorisou o ins-
pector da thesourari i provincial a rescindir o con-
trato que, perante a respectiva junta, celebrou
Fhomai de Carvalho Soares Brando Sobrnho,
para a construc.-o da estrada do Ambol.
- Ao superintendente da estrada de ferro do
Recife ao S. Francsco.-De ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, mande V. S. dar passa-
gem nessa estrada de ferro, por conta do minis-
terio da guerra, e no trem de hoje, da estacao das
Cinco Ponas da Escada, ex-praca do exercito
Joaquim Antonio de Vasconeellos Grande, que vai
para sua residencia.
Aos agentes da companhia da navegaco bra-
sileira.O Exm. Sr. presidente da provincia man
da declarar a Vv. Ss. que o vapor foro, cuegado
hoje dos porto* do sul, segua para os do norte
amanha, s 5 horas da tarde.
DESPACHOS DA PRKSI08NCIA DE 29 M MARCO DI
1873.
Antonia Maria Moroira da Silva.Informe o Sr.
provedor da Santa Casa de Misericordia.
Alfredo Alves Pacheco. Entregue-se, mediante
recibo.
Braz Jos dos.Res. -Nao pretendo crear o lugar
a que allude o supplicante, e por isso indetiro o
que roquer. .
Conrado E mes t no Xavier Ramos.Informe o
Sr. inspector da thesourara de fazeida.
Comraissao encarregada de fazer os actos da
semana santa na matriz da cidade de Goyanna.
Deferido com oficio ao respectivo commandante
superior da guarda-nacional. '
Domingos Alves Matheus. -Indeferido, vista
da informacao do Dr. inspector da sade pu-
blica.
Francolino Americo de Albuquerque Mello.
Eniregue-se, nao barendo inconveniente, mediante
recibo.
Coronel Joaquim Cavalcanli de Albuquerque.
Informe o Sr. engenheiro chefe da repartico das
obras publicas.
Bacharel Jos Leandro Dantas Serra. -Inde-
ferido.
Coronel Joaquim Cavalcanli de AiLuquerque. -
Informe o Sr. engenheiro chefe da repartico das
obras publicas. .
Jos Polycarpo de Freitas Jnior. -Informe o
Sr. Dr. jui, de direito da comarca de Govanna.
Joao Carlos de Souza Santiago.-Informe o Sr.
commandante superior da guarda-nacional de
Santo Anlao e Escada.
Dr. Joao Capistrano Bandeira de Mello Flho. -
Passe-e portara na forma requerida
Jos Francisco de Barros Lima.-Nio havendo
presentemente emprego alguna vago, nao pode ter
o supplicante Jefermento.
Bacharel Joaquim Jws de Carvalho Siqueira Va-
rejo.D se.
Baeiurel Jos Eiysio de Carvalho Cauto. Mo
tendo sido a*nda arbtrala pelo governo imperial
competente a gratlica.-j a que tem o supplicante
direito, nao pode ter lugar o pagamento reque-
rido.
Jos Auiouiv Guedej. Deferido com oficio
desta'data thes tararla de fazenda.
Lenidas TitnLoureiro.Indeliro o recurso, em
vista da UTuiinaire disposi'o do art. 47 da lei
n. *52 de o de junho de 1868.
Coronel Manoel Goncalves Pereira Lima.In-
forme o Sr.-commandante superior da guarda-na-
oional do municipio de Santo Anto.
Manoel Tavares lie Almcida. -Sim.
Manoel Colho Gumares.-Ficara expedidas as
conveniente* ordens no sentido requerido.
Manoel Thomaz dos SanUfs Informe o Sr. ins-
pector da thesourara de fazenda.
Bacharel Miguel dos Anjos Barros. No estado
em que se acha o termo e couzara, nao tem lu-
gar o que requer o supplicante.
RepariicAo la .polica.
!.* seceo. Secretaria da polica de Pernainbuon,
31 de atarea de 1873.
N. 621. film, a Exm. Sr. Levo ao conheci-
mento 10.V. Exc. que, segundo consta das partid-
paees recebdas hoje nesta repartico, foram reco-
ihidos t casa de detencoos seguintes individuos :
No da 29 do corrente, ordem do subdelegado
Ai' Recite, o subdito inglez Charles, a requisico
da respectivo cnsul e Tlieodera Mxima da^Penha
por desturbios.
A' ordem do de Santo Antonio, Justina Roinual-
da da Costa, Francisca Mara da Concei/o e Mara
Amelia, por desturbios-, Andr, escravo do con-
vento do Carmo, a requeriuienlo do respectivo
prior.
A' orefh do do I* districto fie S. Jos, Justinia-
na Valentina dos Santos, Anna Mara de Lyra e
Blandna Florentina da >olidade, por desturbos e
oKensas a Tnoral publica.
No dia 30, ordem do sub Iclegado d i Becife,
Angelo. Rodete e Jaita! ioJovich, por destur-
bios. ,
A" rdem do do 1 districto de S. Jos, Floriana
Mari lito Canon, Elaudina Henrqueta da Soledade
e Rufina da Silva Ramos, por desordena e fiffensas
amoral publica.
A' ordera do do Po;o, Rarnv.indo, escravo de
Amaral de tal, por andar fgido.
Pelo delegado da Escada, foram recolhdas
esta repartirn, 13 armas defezas, ali apprehen-
dida?.
O delegado do termo do Liinoeiro, por officio de
20 do corrente commnnicou-me qne no da 8 do
corrente, no lugar denominado Bom Successo d*a-
quelle termo, Francisco Damaceiio- e Mello e um
seu escravo de nomo Quintlano, ferifam com
dua* freda' a Antonio de Oliveira Lima, que
tendo sido prezos em ftagranla conseguram eva-
dirse do poder da escolta ;-que fez o competente
corpo de delicio e proceder inquerito po-
licial.
Esse,-remetiera naquella data aojuizo compe-
tente, o inquerito que proceder contra Christnvao
Ferreira de Sant'Anna e Alexandre Caicara. auto-
res da marte de Luiz de Franca.
Com oficio de 29 do correnje, do subdelegado
de Crnangy, foram recolhidas a esta repar-
ti.i, 22 armas defezas por elle apprehendtdas no
districto de sua jurisdieco
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena. dignissi-
no presidente desta provincia.0chefe de polica
luiz Carreta de Quetioz Barros.
PEBNAMBUCO.
ASSEfflBLi PROVINCIAL
SESSAO ORDINARIA EM 26 DE MARCO.
PHF.SIDKXm DO S:l. J. CORREIA DR AlUUl.
Ao lucio da, feita a chamada, acham-se presentes
o seguintes Srs. deputados : Mello Reg, Lame-
tilia Luis, A. Correa de Araujo, Ges Cavalcan-
te, Albuquerque Lacerda, Freir Gameiro, Alniei-
da Pernambuco, Cincnato Camboim, Pinto Jnior,
Felippe de Figueiroa, Firrera de Aguiar, Tolenli-
no de Carvalho, Amaral, Gu .des Gondim. Firmi-
no de Novaes, J. Correa de Araujo, G. Goncal-
ves Ferreira, Vieira'de Araujo, Cunha c Figueire-
do, Artonco Silva e Oliveira Fonceca.
Abre-se a sessao.
K lida e approvada a acta da anterior.
0 Sa. secretario d conta do seguinte
exped entk :
Offlcos:
Do secretario do governo, remetiendo copia do
offlcio do mssionario capuchnho, encarregado das
obras da nova matriz da povoafao dos Montes, so-
licitando a valiosa cooperacao da assembla para
poder levar a elfeto o ac .amento de taes obras.
A' commisso de orcamanto provincial.
Do mesn, remetiendo as copias do contrato ce-
lebrado para o estabelecimento de carrs de ferro
nesta eidade, e do termo que modilieou o referi-
do contrato, conforme foi solicitado por esta as-
sembla. -A' quem fez a requisico.
Do mesmo, remetiendo um exemplar do Diario
de Pernanibuco de 22 do corrente, em que se
acham publicadas todas as pecas relativas ao con-
trato celebrado por differentes marchantes desta
cidade, cuja copia foi pedjda por esta assembla.
-A' quem fez a reqr.isico.
Do mesmo, remettendo o offlcio do inspector da
thesourara provincial, requisitando diversos cr-
ditos supplementares na importancia de........
119:2422X736 para occorrer as despezas at o tim
do adual exeicico. -A" commisso de orcamento
provincial.
Da mesa regedpra da irmandade do Senhor Bom
Jess dos Passos, convidando a esta assembla pa-
ra acoinpanhar, no dia 28 do corrente, a proesso
do Senhor Bom Jess dos Passos. Arehive-se.
Petiedes :
De Amando Francisco Mendes, barber) da ca-
sa de detencio, pe.lindo que Ihe seja augmentada
a diaria que ora percebe. A' commisso de or-
denados.
Do vigario da freguezia di Bezerros, Trajano de
Figueiredo Lima, pedindo que seja augmentada
a subvencio da casa de beneficencia daquella fre-
guezia. -A' commisso de orcamento.
De Manoel Lourenco de Mattos, engenheiro aju-
danta da repartico das obras publicas, pedindo
um anno de licenca com todos os venrimeutos, pa-
ra tratar de sua saude. A" commisso de pe
ticoes.
c Levino Augusto de Hollanda Chacn, pedin-
do 6 mezes de licenca com todos os seus "enci-
memos para tratar de su saude. -A- ommssao
de petiedes. c A-
E' lido, apoado, entra em discussao e fica adia-
do por ter pedido a palavra o Sr. Mello Bego, o
seguinte parecer :
A commisso de nstrucco publica a cuja
apcocacao foi sUbmeHda a peticao do professor
publico de nstrucco primaria de Villa Bella Joa-
quim Goncalves Ayres, vem hoje emittir seu pare-
cer acerca da pretenco do predto professor.
Pretende o supplicante que, nao podeudo conti-
nuar mais no exercico do magisterio, atiento o
seu estado valetudinario, se autorise o presidente
da provincia a conceder-lhe sua jublarao, com
todo o ordenado, contndose para esse fim o tem-
po que servio de amanuense na prefeitura de Flo-
res, visto nao ter anda 23 annos completos de ef-
.fectiv servieo do magisterio publico. Mas consi-
derando a commisso iue nenhuma razad aliegou
o supplicante que justifique abraca impetrada,
para se lie conceder a juilac) cm todo o orde-
nado, quando s tem direito a |>ari*deste, propor-
cional ao tempo que tiver efTeclivooinrte servido
no magisterio, como preceitua o art 29 da le
36 de 14 de marco de 1855 ; considerando ;
que os servcos prestados, na qualidade do
iiuense. pelo supplicante, a lena de r triaawi a
magisterio, foram sempre retribuidos, iegaaa ia
formn a thesouraria provincial; i iiniiiilnnado
filialmente, que o estado fiuaiireiro da |H*ova>ris.
uo perinille a concess de favorea qoe remkstm
onerar anda mais os cofres pblicos ; por lodo
isso de parecer que seja indeierida a petirio a\
professor publico Jo.H|uim Goncalves Ayres. Sa-
la das etmunissoes, 24 de marco de 1873. Alte-
ro Uchoa. Ci ranjn.
K lambem lido, apoiado e approvado o seguin
te re. piei im.-iiio :
liequeiro que por intermedio da presidencia
se p.'.-.i ao iii-p.-ctor da thesouraria a* seguale*
inforiiiacdes : i." quanto lem rendido os importe*
creados para o organisacio de urna companhia dr
bombeiros ; 2.' nue a applicaro se tem dad a
quantia arrecadada. -Pinto Jnior.
Sao lidos, apoiados e mandados imprimir oe pro
jectos de ns. 23 e 24.
Os Srs. V. Crrela de \rmuj* e ,%
l'crnainliiicoFatom alguuia consideraeOfs
em ordem a que. nos trahalhos desta casa sejam
apanliados pelo tachigrapho com mais regnlari-
dade.
ORDEM I) i uu
1." discusso db projecto n. 10 dests anno, au-
torizando o presidente da provincia contratar a
caualisaclo d'agoa potayel < ilnininafio a gaz.
para a cidade da Victoria E approvado
2.a di--iis-ao do projecto n. I deste afano, rovo-
gando os artigo* I.- e 2/ da Id n. 957 de 12 d.-
junho de i87l>.E" approvado.
2.' discusso do projecto n. i leste aooo. con
cedendo urna lotera em favor do qqiipirio V
alienados desta cidade.
Vau a mesa c sao apoiadas as sofOJates obmo-
laa:
Accrescente-se urna lotera de !2O:0MilnO.
a favor da nova matriz dr. Salgueiro. Offtwir*
Fonceca.Firmino de Sofaes.
Igual roncesso a reja de N. S. do Rosario,
de Pao d'Alho. Aranj. Pinto Jnior. F>-
yiicirija.
Igual favor para o Lyco de Artes c oaViws
Ijimenha Lins.
Encerrada a discusso, approvado o projecto.
bem como as duas primeras emendas, sendo re-
jeitada nllinsa
2.' discusso do projecto n. 4 teste aooo, de-
terminando que os limiles dos districtos de paz da
cidade da Victoria sejam os mesnaos dos dtotrkr-
tos pelictaes.K' approvado.
2.* discusso do ptotecto n. It desta aoao
sentando do imposto de dcimas as casas es
que funecionarem hospitaes.-E' approvado.
1' discusso do piojivto n. 12 deste ann, des-
membrando da freguezia de N. S. da Peana le
Villa-Bella o conslituindo urna nova (refaezia.
sob a invocarn de S. Jos le Betoaonie, todas a
aguas do nacho Boqueirao, da fazenda Careab
e oulras. E" approvado
2.' discusso do projecto n. 13 fesle auuo, 4o-
lenmnaiido que a freguezia de S. Pedro Marfyr
de Olinda, compt entienda todo o territorio dcsio-
minado ampo Grande de Bdem.
Os Srs A. 1'rrnaiNharn, ti. Parale
e Oliveira Faaeeea fazem coosiderasV-
sobre o projecto.
Encerrada a discusso, c posto a votos o arttfo
3.# approvado.
i.1 discusso do projecto u. 70 de 1871 pi-
eria o lugar de contador dos leitos proceasados a*
juizo de paz. E approvado.
Entrando em 3.' discusso o de n 39, do mesov
anno, ipie autorisa o coutralo para a estrada de
ferro de Timbaiiba. venlica-se nao haver numero.
O Sr. presidente designa a ordem do dia e le
vanta a se-so.
REVISTA DIARIA.
Vsspinblri provineial. Hontem fuor-
cionou com 23 Srs. de|*ulados.
Approvada a acta da antecedente, o Sr. I. se-
cretario leu o seguinte ex|iedoote:
Um offlcio do secretario do governo. remetteod
o orcamento e projecto de |tos(uras da cantara mu-
nicipal da villa do Bom Jardim. A r miiuis-*
de posturas negocios de cmaras.
Outro do mesmo. remetiendo o rdatorio, orca-
mento e projecto de posturas da ralbara nmnici
pal da Escada. -A" commisso de (tostoras e oe-
godos de cmaras.
Outro do mesmo, remetiendo |or ropa o pare-
cer que deu o Exm. bis|H> diowsano sobre o pro-
jecto n. 13 deste anno. A quem fez a requi-
sico.
Outro d > mesmo, remetiendo por copia a infor-
macao do Exm. bispo diocesano, acerca lo pro-
jecto n. 12 do presente auno. A' quera fez .
requescao.
Outro do mesmo, remettendo por copia o act
da presidencia da provincia que prorofou paji
annos o contrato celebrado com o Dr. Mano I Fi-
gueiroa de Para, para a publicaco do expediente
e mais actos do governo. A* commisso de le-
gislaco.
Urna pelicao de Jos Mara Marques de Carva-
lho, arrematante do imposto de lieencas du muni-
cipio de Santo Anto, pedindo uro abale da
quantia par quanto arremalou aqoehVimposto os
a"71. A' commisso de peticoes.
Mitra de Joaipiim Felippe da Costa, pedindo qu-
se autorise a cmara municipal de Olinda a ato
rar-lhe per|tetiiamente o terreno que arrendou
mesma. A' coiiimissio de negocios ia cantares.
Outra de Joan Bicarte Marinho, pedindo o paga-
mento da quantia de 860*" a barra do ro Una. A' commisso de petiedes
Foram approvadas as redaectes los projecto-
ns. 87, 10 \ 104 de 1872, 103 do 1871 e 8 (test-
auno.
Passando ordem do da, eonnuou a I.' dis
cussao adiada do projecto n. 17 deste anno,
crea mais cinco comarcas e foi approvailo sem de-
bate.Jsendo dispensado o interstido a requerimen-
t> do Sr. Bats e Suva
1-Voa adiada por 24 horas a 3.a discusso do
prejeeto n. 39 do anno passado, sobre a estrada,
de ferro desta cidade Timbauba, a requerimoa-
to do Sr. Mello Bego, e em seguida foi approvado
em 3* discusso, com urna emenda do sr. Gon
calves Ferreira, o de n, 88 de 1872, que concede
a Antonio Valentn! da Silva Barroca um privile-
gio para montar fabricas de lotiza fina e vidros.
e subraettido a 3.* discusso o de n. 97 do mwm>
anno vertficando-se nao haver mais numero par
votar, levanleuse a sessao, lepois de ser nome
da urna commisso composta los Srs. A. le Arau-
jo, Oliveira Andrade, Alvaro Uchoa, Mello Bogo ?
Vieira de Araujo, para examinar dar parecer
sobre a quesUo pendente entre a aitmohtracaf
da provincia e a companhia Becife Dramage.
A ordem do da para boje : c mtinuacao da
antecedente e mais l'idiscusso do projoctos a.
5 10, 14, 15, 17, 18, 20, 21 e 22 deste aooo ;
dos de ns 12 e 13 lo mesma anno, l
das emendas ao projecto n. 86 do 1872.
lar) do Recife. -Escollado o ce ni Bita t>
sentonea entrou em julgamento o reo Joo Joa ta
Arauje, pronunciado no art. 193 do amMfO erim-
nal, pelo ferimento moltal qne pratieou toa Maaool
da Paixio Nascimento na ponte do Santa IsaM.
aos 21 de jauero do anno findo; de tujo I
to resultoj a morte do offendido.


I


.0
Tfcl Mi \M M IMAi
de Pomambuco --- Ter^v feira 1 de Abrfl de 1873, \ UttiKil'/i J&-J/ U/./i
*******. ~*m ^wn^m^m&xmi^imfjim
YlilHun
da presidencia
Francisco Izidoro Rodrigues da Costa?
Em vi ta las^rnijjU's-do conselh) ulgador fi x elle coudemnaloA|(ffitforae anuos les c as custav^Wi advogado, poroto, appel-
au da sentenr:*74"5< *
. Por pvra>
de marro, fui
Damas-co c
fririm 'cont
InritQS.
dVpr-nincia, de 21
-declarada sem cfTeiio
Machado, para di
deia de Panema
B visito jui
piesid mcia da p
vidiJo o tormo di
Billa, em tres di
deeom o art. 6*
23 d ovombro
i. Villa d
ma villa, se
estrada de F
com a fazenda Cornabinha, taita*i estradi de
Villa-Bella, que tambern divide este tlaquelle ter-
mo, coin a fazenda Viges, tasa a estrada que vem
para dita villa, e com o sitio Bom-Jesut-
Jl Iniif, gas prHit*iaitili>U WMJMMtda tilia
iIfrfuMl ii Jl ItWMH%*.
MdftW' ^1\ViS^B Mi-VISTRATIVA
das a Antonio de Uiiveira Lima. "r': "?* >"* Mirg) nE H7
Tendo sido' presos em JragraiUe, evadiram-se. fifflofciftrm i**i. *" c.>.\ski.iikiuo
depois do poder da se ilta ,qaeos conduzia, l.j. ouut> muKWf5'8r'' l'F'R,t"1-
Nem estes fi'earam. A* lo oras danianln, presentes os Srs.de-
l'H*.
o convemaeto
da
Tim'mibu e entinuuid pela estrada do Jardim,
terminar nos limites da provincia da Para yba.
3. Lages, que principiando do referido sitio
Nr>'iMtadiofct i piando p-Li -.n ol de Samar
Tliereza, terminar lanboui nos, limites da provin-
cia da t'arahyha.
Tormu do Triutnpl. Por portara da
presidencia da provincia, dd 25 de marco, foram
nome.ulos suplientes do juiz municipal do tenn i
do, TriumpUo, na comarca 4* V4*V)iellu : Man j
de Suza TToleiro; "OaiuIiMi (oulcs da CuuT
Cluuterio Lupas da Corta
(>:i:tnl umiounl Por p >i"aria da pre
sidencia da provincia, de 26 dj marco, pandou se
dar guia de passa^uin. para o muuicijtiuilo Reci
fe, an.alferes do i -batal o de nftul-iru do mu
uicioio de Pao d'Alho, Francisco Xavier de Soma
Harris k
Ri*:trtiryn> das obra, publicas.
Por portarla da presidencia da provincia. 2t de
maiva, foi liouicado Freleriro Augusto Neiva Ju
nior ev-roveuty uterino da reparlicao d.is obras
publica-. '
Autoridades polieiaes. Por inf-
laras di pivsiduac a da provincia, de de mar-
eo, foram non-aijos : Joapiim Marcelina da Silva
v'ieira, priineiro suppleute do sublelegado do' li<-
tr!cto di- Rezerros ; Mauoel Kirinino di Cunlia a
Jj.i |;iiui I''i'.uk-sc.) Dezcrra Q^nga, priuieuo e se-
gn do siipu/enlijs do subdelegado do priineiro dis
Hielo do teinin de I.i li'jyiro.
Prr*'ss.(r uiiMico Por portara da
prj-ideurkiila p/oviueM, u- 20 de mar.o, foi no-
nidlo ()lynpi'o Carnciro de MiramW iljni-npies,
Bii'.v^eiwcJa^'iia.uueiUo, a ca, J.er v'de pri:Ur.w
liras, Tir apuio Ata tro gas Sil us.. 4
S:ci;ilad." (ii'ojia^'adi/i'a Ma. n>-
trACyan iiulli-a..) 27 de ma/co cclebriu
" cwiwliio sipi'rior d 'V;.t socielale llura de Mas
AW ordinari is cini a |jresJii;a de oiio de seus
uiinnbros .
Lida u,ayirov.ida *acla, doelarou o pie-l.lenU
1 coasflby [,; mevidenciado i|uai)to aos convites
fe i os pela presidencia a so'iedade para coiij>arecer
aj cjrtej>|ue a 2'i tuve lugar* e.n palacLi, bwri
ciai i a ilistrdjui.i do premios afls expositorei
p-'vin.-iaes. *
lg:ialm(jule.jue provi.!uicarai|ua:it> aos exa-
BlfS de 7 alulnaas di curso de habiliej i para 0
magisterio p/i'iinrio, ."i lis i|uaes lun a.iprova-
da.-, o Ii ije Ire^ientaui as aulas do segundo aun i
di til e n.H'oscptc iustitnicao ipie tanto prdme-
te a.pwviiuia coiu lusii.; para a sociedade. 0
'oiieliio ficoa iu!i:iradi.
I'oi Ii lo n olicio di> Jienemerito conselho pa-
rjcliial da frcgnqiiadj Sito Autiiuio, pulicipau-
do t mudado para o o lilcio i escola iioruiaJ o,
|ii:ito df suas reuniocs. ten lo estas lugar nos sab-
bad s. In'.eirado.
O Sr. pr.isideule d wlara que a escuta primaria
lia lada pelo c .msi-.liiu |iaroc'iial 4a Poi;i (uiu fun>
cio:i. lo regulir.uoute com a fie r.iencia de 16
alumnos. .
O Sr. [;je>i.ireiro propz que o eonscllu supc-
rw" f.djciiassu, louvando o conselUa> parocb aes
ifa Sa it i Antonio c Poco di P.iuella
f:.1
lo aue bao
fiti n-n prol da ustiucclo publica liiuda so-
cie lade. Fui appni.va|lo..
0 mesnio sr. llHsou,reo declarando ler de em
br.ve ir a Ettl'Ojfci, pede i|ue seja noiu-ado queui
" <:ibstitua, e ;w niesm i tonpo se dospele dos
ni Miliros presentes.
Ocmsejn syntindo n retirada tenpiranade
tai digno i; zelosn companliiro, desej.idlv pro'pe
ra vi i^e.n, ilt'signa u Sr. seuundo secretario Mo-
1 iiI Mlo. pira i'vrcr as fniv"i;>es de thesou-
roiro.
foi coiuinunicjifo ao coscHio que as Exmas.
Siin. aliaixo iqencionads se inscrevdrah na lisr.i
dos s icios, dando mais hrillu e futuro a socie-
dad!.
i Mirla Emilia Cava I can te Cam;ns, c-n sa d>
Sr. Ji-tiii i fos de Snuta hampos (IJoa-Vistnl
I). II..'.neteria Uermiuia do Moraes Carvalh.), es-
posa do Sr. !).-. J ,.-i [uiui Elviro de Moraes Carva-
i!i 1, ( liirieca.)
D. Henri jueta t'.arneiro Monteiro, (Po;o da l'a-
uidla.
I) Olynipi.i Cm.Miod' Miranda Renrique, rTo-
CO da Panella.i
' Cnmpaiiitaa Mantn Thereza.Todas
as scxtas-feia* das |i horas da manila a urna da
t rde, pasase o primero dividendo dosta cimpa-
nhia relativo ao semestre de julbo a deze.mbro de
iS7. na ia/, 1 Jo seis por cciiti, na ra do Viga-
rio Tlienorio n. l'\.
\.-i-!ii:i(u;K'S provinciacs. Vo
amanlii praea, peante a junta da tbesouraria
provincial: o sitio dos Rmnedi s, avahado em....
3:780Jki060; e as madeiras extrahidas da ponte
de S. Jo, avalladas em :J6000 Cada diuia d"
pr.iuehiVs.
l}nrui'si. Deve realisar-se ni da 2i) do
i-.; rente o concurso para provimento do lugar de
l"acaiite da aduiiiiistracao dos correios. versando
dle sobre cdligrapbia, ortbograpbia, arithmetica
uo.uies gorma de geograpbia.
Vapiivs esperados. Sao hoje espera-
d, dos p irlos do Rio da Prata e d> sul di impe-
rio, os vapores inglez Una e americano South A-
Instituto Areheolit^ico e Geo^ra-
p'iitra -Raaoe-e lioje, em sesso ordinaria, nao
m para a jkissc da nova administra* o, e disciis-
s4ji d*> 01 camsiuo |iaia o anuo social de I873-
87i, como para ouvir a leitura de urna menioriu
sabre a povoac.io do Poco da Panella.
Iliiili'.-iro. -Os vapores Ipojitci e .Mniid'i/iii
levnram para:
Araeaj. 2MH0OO
l'enedo. 27:0tt:iO
Mari. 2i:t;0()iH)ii
Ma-o. 887j7IO
O vapor Gii/ul tnmxe para :
Ferreira A. & Ii 7:00.')OOO
IVreira da S i I va k irmio. i: iO 440
lene Piulo da Cunha. I:5'il>j880
Antonio Ferreira de Olivara. i:5<(
Jojo Francisco de S iuz;l t :(MH) y 0
Reiiiiiuiciitos. No uta de marco arreca-
lar in as seguiiues reparti^oes tiicaes :
Alfandega. |,2I8: I0.4021
Oonsolaii i provincial. 13li:0.jo;W;t
'.apatazia. lti:tiS7iv>l
Recehmioria de r>iid:is geraes. I3:60i39t
Femando de \onnilia Cbegou bon-
tem ao meio Ha, des;o presitlio, o vapor 6efKt
.Nada occorreu digno de menci'io.
I.i vo l)e lia muito <|ue, em geral, o lixo
ameaija soterrar esta cidade ; nao los opixircmos
aos ini'iii.'S siuistros d: quem eaunta; toda-
va, diremos, assim como quum failassu a lisracs
amaos. Na travessa de Santa Tnereza, na do Pa-
triota o ra do (jihlereiro, o entulbo assume pro-
jKircoes amcacadoi as de formas pyramidae,
podem ser apuntados como futuros vulcoes di
exhalai;oes mortferas.
Variamos o estylo afn de vermos se seremos
mais attendidos.
AssiM*ia;ao dos .guarda Iivros. -
Est de novo convocada para a pioxnna quinta
feira, 3 fln me;, caifente, a renniao em assernblea
eral dos monibros dessa corporaeo, a qual
falta de DameV*. deixou M ler lii/ar antes de
liontem, domingo, 30 do mez lindo.
dury de Inffafieir.Em 18 do mez pr-
ximo lindo, sob a presidencia do juiz do direito in-
terino da Comarca de Finres. fv. Miguel dos Afi-
jos Barros, mstallou-so a primetra sessao do jurv
laijuelle terttiOr servindo de promotor publico.
Manuel Iterretto de U, visto achir-se doeate o
interino, fknacio Rifceiro Leo
Apenas wm proeesso foi apresentado, o do roj
apuellado Arttenio francisco dos Santos, pronun-
ciado ms petiaso art. 2 o do c4. 'oriraial^o
qual passaado a ser julfrado, foi unanimomento
;ibsolvdo.
Poi a*Vgdodo reo o Dr. Vicente Jansen de
Castro.
Nenhitm mais processo havend) a ser jatgado,
m nese mesmo dia narrada a tessi-). '
Armas deresas. Tiverain
?2 uela subjGHaria de r.ru^j
_Ja*rT HOIKm pefa manas .'cali
11 caes do CapilMiibe,..Vi'|Ximo ao eajf.-jriz, u
d-iter de urna inuIltSrfe cor parda.
(|n
r.iramilf
da mu
identidad
at ljome
5,^1^^
nfclieijs-da- pofi i|ie o cxamiHaitun o
tl.io,.poder pljBfsar.se si cerrojo gt
ir^1 de que liiyia 6ido victima a iujTeliz,
dide do pessoi aSo f' recotheida tan
ato e:n que escrovemw4>
ulK|a;1iS iiWS|i*<)MiMt>'du i|Wiit>i
ol victima de um crime, den-sc-llie sepultura som
ler se submettido o l^|*l^nt>)'l)a3|- (1'Q"US
parece, se Tazia misUfT ijrj JT 1 A
Pratdainas.TOTarif lhiosTT)Tlia*2:i Ifrror-
mhI*, na mirii de Santo Autuuio U.i.lUcifa. u< *o*
guinteji:
l'dennnciacao.
Fhiriano loan Paulo Was, co .1 Clara ufarla >U
Koneiio. 'r..J nlul. r,naH><
. Pedti I03J5 da Silva, com Rita Ferreira da Fon-
civ-a. .-i ^miiwt 1 Mii/ >JilX>? fli-'l

loaqnim hanoel i'a Crucom Tuerca. Maria da
".onceK'-ao. f ^'""11
Sergi 1 Rodrigues d'Oliveira, .com Maria Tolen-
liua.
E.nygilio Frani-rsco Je Souza MagaiaeT. COm
Am-Ha Augusta Madoira. ; 'va:
4' 2' denuiiciac5ii.
Mauoel Fulippc do Nascimento, com Noboria
Maria da Motta. ?' '
Joaquim Cirdozo de Al noida, coi* Maria Yir-
;iiot< Souza Ribairo .- W'*A
Marcelino Caudillo da Silva, com tucinijam
Carmo Bandetai .
iiisniauo losi1 da Cwta, coui Francia-A XaMer
(oocalves, 1 -i' ,
ioao^Francisco Soars, com Umlielina Madia.'da
Luz. *
3* denini'!a'.-.ao.
Antonio Vinm Cardoso da liiuia, com Ca-lota
Joaquina da (iuma. -,
Joo Aureliano il Castro Mascaren 'as, com
Joanna da Rocha Jautos WanderUy. t| .
goacio Fewreira dis Sautos, cain Emilia,Jet
suiua de Menezes pss., 1
'Finwimo dos Santos RostJ, cjm OlinJinx.l.ydia
da Silva. i '
Mainel Joa|niui,de -caut"Anna, com unjstaucia
ilariji de Sant.Vnia
Jos Au ouio dos Santos, com D. Mana da gB-
ria Cosa.
Miliuel Jos dos Priores, c mi D. Fortunata Jlj-
ra 'ie^Prazeres.'
Joaquim Jos de Moura, com Maria Gulberu'i
na Maci.d Caldas. .
Joio Damasio da Iva, com Maria do Patrocinio
da Cun'ua. .
Beneiicl > fondos Camiima, com Mana ToaiiOj-
na Maclcidi. >* >
Rapliael Arclianjo do Espirito Santo, com Mara
Ferreira do Carino. ...
LoterH.-A que se acba venda*' a^.', a
Iwaelieiu da |nroja de Nsja SentioA do Mpfe de
linda, a >|uil corre 110 dia J\
Lelfres.Conforme est annunciado ub pode
iir huar boje o leil' tb !eriiK;dio do agenii) 1'iut 1.
Ile.i ii d .miaub -'I d; abril, elTeCtua o ayoi+tq
into o leilai de miveis. lonja, c.ci'yst.ios,uxisteij-
les ni priineiro au lar do s ibiasl 1 da ra da Im
p ratriz 11. 12. e n-que r-jsidio a lamilia do Sr. Jos.
Ileurique Triudade. -.
Uiitm.- Iloje pelas II h iras da maalia, ef-
l'eciiar o agente Martins, o lilao de movis,
ra do lio&uicio, 11. 71'.
Hospital Pedro IL O Bovimonto deste
estalileeiiiijato, le2i ao dia 30 ite marco, foi o se-
liimte : rxisliam 3T, entraram i8, sabiram 'i",
l'alloceraiH existem 317, sendo : 217 hmiieus. e
ioo molbores. .1
Advertencia.
Foram visitadas as* ei.1 ferina lias nejles d:;if ',
ii 1/2, 8, 7, 7, 7, pelo Dr. Ramos; i* H, H
l;2. II 1/2. i. II t/, 12, pelo IH-. Sarniento : n-
0, 10, 10, 8 l/, 8 1/2, 8 1/2, [tolo Dr. Malaquias ;
as 9, 0, 8 1/2, 8 1/2, 9, !>, pelo Dr. Vianna.*
Fu! hados.
Aujo Thoniaz ; apoplexi serosa.
Ignacio Salusiiano ; tubrculos palnronares.
J,)5 Soares da Silva ; phtysica puun inifr.
Alexaudro Widem liiar.l ; febrt umarella.
Carlos Vctor ; feble auiarclla
I/.idra Perpetua ; eu'ei'ilis.
Casa de deteaeao. Movimento do fia
30 de marco do 1873 :
Existiam'(piVsos) 3>, entraram 0, saliiram 5*.,
existem 350.
A satxir : --
Nacioiaos 219, mnlheres W, estraai/eiros ii,
escravos 19, escravas 8 Total 33'J.
Alimentados a custa dos cofres oublicos 274.
Movrtnento da enfermara do dia 39 de mar.o
de 1873. >/'?k
Tivcaniileexa : "*
Jos Couivneo, r.fip- alacia.
Antonio, e-cravo de Joaquim Caelano de Carva-
II10, asthma.
Teve alta :
Vicente, escravo de Manoel Tinoco.
Passa-^eiros Sahidos para os portos do
sul no vapor Mandoln.
Dr. Spcridio Eloy de Barros Pimentel, Samuel
Clemente e sua senbora, Dr. Raymundo Pires
Lima, sua senhora-e trrtl criados, Maria Claudina
do Espirito Santo, Dr. Jus Leatvlro de Sena, Ma-
nuel C-M ireira, Jacome Clyssos, Lucrecia Ulysses.
Mano el da C. Albuquerque, um escravo, P'raneisca
Caniargo, cinco Oraos e 9on8 criados.
Sahidos 1 ara os portos do norte no vapor
Ipnjucn.
joto B. de Albuquerque, Dr. Jacintbo.S. Santa
R isa. Manoel G. de Cirvalho, Miguel P. A.*Tava-
res, Feliciano P. L. Tavares, Joaquim G. do Ama-
ral, Joo R. de Magailiaes e um filbo, Justino J.
da (osla, Julio M. de Rurros, Primo P. Bornes,
Galdido R. dos Santos, J is Francisco de Moraes
Jnior, Francisco I), de Araujo, Joan L. Pereira
Jiuiior, Ral'.hazar de M. e >'ilva, Bento Machado,
Alexandre Jos Vieira, Jos T. Feneira, Antonio
Jos Martins, Dr. Henrique Cmara, Jos Pedro A
'das hapa-i, Henrique R. Ci, Victorino Pacheco
da Fnnceca, Sebastian da Silva, Dr. Manad C.
ClnCTI Jnior, Joan R. A. Montenegro, Jos A. de
Barros, Ernesto A. Guedes, Jos L. Colares, Jus
P. de Aqninn, J(H C. do Mello sna senbora dous
lilhos, uma criada c tros escravos, Dr. Henrique
L Soares a ''amara, Ricardo P. de Sanl'Anna,
Miimena Manuel Sabino, Vicente F. Lemomt, M(-
noii Francisco da Cimba
- Chocados da Ilha de Fernand.i 110 vapor
Giqaiii.
Jo:io Angnstn de Atbayde, Joo Antonio de AJ'
ImqnerqiiH Idlroza, Joaqiim Ferreira Lofio, Qui-
nao Joaquim Madeira, Jos da Franca Leal, major
do exercito Jos hibanio de Sonza, 2 tenentu
Joao C. Pereira Arouca, 115 pravas do botalho
naval, I cabo, 6 soldados, 18 sentenciados 8* 3-
iiiullierts dos-mesmo*.
Ceinitert publico.Obituario do dia 19
do crrente:
Francisco, pardo, Pernambuco, 9 annos, &
lose ; de repente.
Cosme, branco, Pernambuco, 1 mez," Recife ;
eonvulses.
Pedro, pardo, Pornambneo, 8 ano, Boa-Vista ;
deiitii'o
Ale.viudrina Maria da Paz, Pernambuco, 20
anuos, solteira, Recife ; tubrculos pulmonares.
Frni Jos d Nossa Senbora da Sade, branco,
Pernamboso, H annos, S Jos ; apoplexi eure-
bral. _
Candido, branco, Pernambuco, 15 dias, Recife ;
entorile.
Maria, branca, PornambncvS dias, S. Jos ;
espasmo.
Antonio, branco, Pernambuco, 4 niezes, Boa-
Vista ; Mere.
Joo Benedicto Soares da Cmara, branco, Rio
Grande do Norte, 81 annos, vjuvo, Graca ; ente-
nte.
Jesnino Carvalbo de Mello Brasil, branco, Per-
nambuco, 33 annos, casado, S. Jos ; febfrc ama-
relia.
James Fedens,'branco, Inglaterra, 44 annos, ca-
sado, Boa-Vista ; fehre aniarella.
Uaudino, escravo, prot, Pernambuca, Ii annos,
Recifo ; erysipela.)
Severina Maria da Coneeiclo, parda, Pernambu-
co, 13 annos, solteira, Santo Antonio ; anazarea.
Bnertneia Leopoldina, parda, Pernambuco, 38
annos, solteira, S. Jos ; cerolizia. .
Firmino, esoraw, preto, 8 anma, aolteiro.
Boa-Visia ; enterite.
Liberato, escravo, preto, 45 amos,, solieiro,
Boa-Vista ; congstio cerebral.
Mara (rocem-nascida), branca, Peraamlnaco,
Recite; ao natceT.
De Algoncz .V
des a ra de POJBJ05*
o sea contrato sncrl que
embargad*- tanl, -i 'J
U<> Henrique Guil,lierme Stejiule, iusislndo,no
pedida -Ai taflurb da nsiiauo dws* il'iieiro
nej.i 11 > ara isso a impfiocddeucia da infonna-
p4e.dl.i-.wii-et.uiafniMvWiiuk' a quatfoi o se*
priineiro requerim nfo indeferido. -Junte a no-
|me.\-aa. ,^--------- .-_.....- c
~OB"MmJeA"-llv(7l?rVU.rfie"aith)!ir o registro "T
sen cmitratu do proroga6ode00iedad-' (piA JWn,-
lani. be 11 como, da procur.e.-ao diV socio ausente1,
para o m^sqjoJM| lloiic
rgador Jo^jWfefco Retnolaa
o para que Ihe fli a quaittia
JIOi de cusas, que fbraOfJMiara condeui-
nada. Aocontador.
iz de direito substituto
que
de sen
1 substi
f oIRcio
da.
z de paz da
:o o cida"
gar de e:
;io do
ise-se
1113, co
cargo na qnalidade
.eriHiqim.ni
mfe/ida queUe ;qae- por eHe assignou dito toa*
trato. -Vista ao *r .desembargadof llscal.
-Do Joaquim Motitaro- ruz, apnesimiimdo a W^
gistro a procuradlo pela qual donstituido proen-
rador de Grogorio aes d > Am.iral. Regis-
tre-so. l
De Antonio Jos Leal Res, declarando que del-
x de jan lar ao dis rato'social da viuva ile (ni-
kteiMne da Silva Gjiin*arAi Jt ff a procuracl
pela qual foi constituido roeuradV de R. mbe'
lina Libania Lomos Guimaraes/jior j se acliar erfa
nesle tribunal.- Esperado.
IKj l). Umbelina L'bioia LomosGainiares, Gre--
goiii l'aes do Amarol, Cim.ibjo Aeeofcio da Silra
i'apoula e' Jo.io da Silva LeuTis Guimaraes, rupre"
sentantes da- llrm^ viuva Guilberme da Sttya
GuiuiarescO!.. sotmitando regiitro do sen dW-'
trato do sjci*ljdA-; Vista no Sr. desemhargailetfl
fiscal. k. -
De Joaquim Mirmn de-Memionea, Joao MoreirtSl
do Meiidane -D. fiuilliir*BNia Mu re ira de Meiif
doea, herdeiros do fallecido sen irmao AntonTfr
M01 i-ira -dw Moiiaxft.'a, inlerrss.idWS'i'nos *noyo-
clos da lirma Cist I maos & C% 'por ter siduj
dito tinado tsemlwo da respectiva sociedade; pe-^
diudo ao tribunal ^ previdencia do art. 1V7 do dfi.
digo coinmeecial sobre da tkma Visfe'Vo Sff
deseaibargador liscal. l^ "
De E. R. Rabelio & C, juntando a nomeacaq.de
seu ciixeieo Manuel de Castro Foaceca, afim'e
se* rugistrad -lteconiecida a firma da nnfeartlo,
seja cata registrad, bavendo es sttpplieantes pW"
vado c4n a eertidao annexa ser brasOeirb p eaf*
MMTO 110111 -ado.
1) 1 D.^Imbeliin Rosa de Lima Pinlro c laJH
Fr.tnciiM-,o de Mira Jnior, pedindo o registro de
aeu contratoisoalt j tendo sido satisfeito o deS1
pacho do tribitnfli do iO do cerrenle. -Vista aoSr
deseiiiliargador fiscal. Temi a ST. dor liscal dado 9 -sen parecer, prnferio-sc o dis'
patrW seguinte :Proeeda-se ao ngistronos ter-'
mus do deerota n. 4,'OH. .
Roquisinao da secretaria, afim de scnmi unifor
misados U exempinros. Je emirato social de MeSi-
dns & CSeja feria a einendi de ipte trata a se-
l-erotaria. "
. dem de 'lilii pca'o m tajribeni de serenV un1
foruiisados os erceui|il;iies lo eoni-ato de societfi-
d de Rabelio c Iruio.Pin.-i-s a'corrvcca rth;
cassaria |iara qm queni semeHMiites os diverb'
exinitlares douuntraio. '
ini'oruiQcrwi da secelaria rtMnada por fasfft'
c'10 do tribunal de i3 do^sorrento'-daiKi etnVe-
qaeiimeuio do Nnw La*diHi and lirasilian Bank
luiited. -Aiiis/ac.i 11 pirocer fiscal, tendo o sup-
idirauteiBui vista'o que dismle dej.'idtiiorembro de -ftW.^e eoiWrijiidrhle com1
o an.dt do derrein n. ^ll de dezeinbrp1
do.l8i0.' ; ,_i''';
Semlo M horas e* I i da msnha. e uo Imvoiidfi
mais nada a Iratar'-se, o Exm. Sr. eonsoibeiro pre-
>iili;iitf 4!acirruu a sessio.
,
SESSO JITJJBCKAMIA 1i*M ti ME STARCO^
OMWft
I'IIKSIDI-.NCIA DO KXM. SU. 0 i.WHUIRIHO IflBCflM
raANflin MMbrn.
Stcret-irio interino, o official Torivs.
i/i de iiur.i dep.iis tle ineMiiia, aobmido-se
iieseiites os Sr. desembaegadores Silva fJMNM-
rci, Reis t fcirua ie Acdoli, e os ir* ftfjQOl >s
Oiin'.o Bastos, Lopes Marhado e Mti-pteirte'Perei-
ra Itcgo, talUnd o -r. depitta'li) Candido Aleo-
fjr.idu, o Exi. Sr. cojselheiro pwsidonte abri
a sesso.
Foi, depois de lida, approvada a acta da sesso
passada.
mnauftas>
Fura n suhuiellidos a assignatura Os que foram
proferidos na prxima passada ses**, nos feitos
entre partes : appellantes appollads Rjrnardi-
no Jos da Silva Mala c Francisco fofl Ferreira
(iiimaroa ; appeliautes os administradores da
niassa fallida oe Fernando Stepple da Silva, ap-
pellado Joo Cbristiani.
1UI^}A.ViINTOS
Sendo proposto o julgamento dn appetiaco en-
tre parles : appellante Jos Antonio Soares d
Azevedo, appelladi.i Juo Claudiano de Inojosa
Varejo ; sorteados os Srs. deputados Pereira
Reg e Lopes Machado, adimi-sa a pedido* dos
dilos, se ubi i res.
Sendo igualmente proposto o jiilgameuUi dn
appeilaiao em que sao appeRantos oe administra-
dores da massa fallida de Femando Stepple da
>ilva appellado Joo Christiani; sorteados os;
sobredi tos Srs. Lopes Machado e Pereira Reg,
foi lambeta adiado a paMMe de um d'elkis.
N .o tndo comparecido o Sr. deputado Candido
Aluoforado, nao pdde sor proposto e feito em que
i lie juiz ce.rto. entro partes : appeHanle Lui/.
llypolito Lima, appellado Jos Maria Goneslres
Pereira.
Contino sobre a mesa o fftito em que appe'-
lairte a baronesa de Jaragu, appellada D. Almi-
riua Fres de Mendonca.
PASSAftM.
Do Sr. deseomargadur Accinli' ao Sr. deseinbar-
gador Silva Guiuiarjes a ap jellaeao entre parte-1
appellaBle Mauoel Rodcigues- Teiieira, appellados
a viuva e herdeiros de Henrique de Miranda Hen-
riques, b lutor do menor e o curador geral.
iSneerrou-se a sessao ama hora da larde.
nMAHVMUlWCfPAL.
'.'.
SESSAO EXT.iAORDfcMARlA AOS 19 DE MARCO
DE 1873.
PHBSmRNOlA 00 !t. Dll. IWMTii COSTA.
ProsentBs os Srs. Guiueira, i'ego v. AUmquerque,
Dr. Villas-Roas, e Dr. Lobo Mosco-ot abrio-se aif
sessao, e foi lida. c appmvad.i a acta da antece-
dente.
Acando-se presentes na sala das esofee -os Srs.
verendores eleitos para o qualrieoiiie de 873 a
187*1, lente coronel Manoel Joaquim do Reg e
Albuquenpie, tenente coronel Ttteodon Mchalo
Frnre Pereira da Sil*, eapt.io Jiu Podre- das
Nevqs, lenle coronel Jeronynio- de Smkk Leao-,
lem nte Jos da Silva Luyo Jnior e capitao Joao
ila Cunha Soares tuim.. raes, leu-se o retatom dos
negocios mnnicipaes, do quatriennio de t%69 a
18/3, o qual foi mandado imprimir. Em seguida
os noves eteitos prettaram juramento,lo siylo,
e assuuiindoapresideaoio Sr. le.*nto,)i nuel Joaquim do Reg A.buquenpie, eorrvWou aOs:
demais veieadores a Mmarem aasenkKe idee'nrou
aberta a sessao.
Leu-se o sogninle
XCCBIINTB
Um oflicio do Exm. presidente da provinm, ac-
cusando a recepca de oftltio tiesta- caara Mi
data de 7 do correte, ao -fdal ifwnipanhoH a co-
pia autlienlica da ajMa da apuaar.io.gerai partMOB-
readores, pnredida n tinado d anneaeAodas
eleicoes das freguezias da Boa Vista e-Adgades
decretada pelo aviso de1 ti de nVrereifo nltimo, e
recommendando mesma cmara os empeteslM
diplomas aos eidados eleitos vereaderea. S Mei-
r;ida.
Outro, do secretario da assembla.provincial, ao
se reUrio'Avpridencia, oom despacho do Rxili.
presidente. Informe a secretaria.
Orttro, da nova cmara do Para, commeaioaado
que assumira o esercicio-de snai fueepoea. in-
teirada, e que se aecuse a recepcisx .
Outro, de Exm. provador da anta Casa de Mi-
mi', m
i I va
pedir'exi
va Reg,
Outn
o exercicio do
lhe
ira>
ir
ominan d .aliuiladea, quu
regujy^de jmi cju^i
Tmffi^t^omr^r raiiro mi19avlj^jfdoaa c^ar.a^iii^anQrMe da
Dltiloill^CTl
" l'resiilenle.
A. P. UJdL*.
Pelo secretario.
ALFAN'PEGA
1 a II. V
tas ii da 'Al

*.1
da
Hitas i
Navios ai
Alvared
No trapiejjat onecico ; r .
t 0
o,** f"
5j^in,kya
'1

^r.
nieiMdorias para al-
Wfead.irarpara altan-f
RECBeElMilUA 1E
a vea DE
Rendtn:inin '. dia
dem d i d4 U.
O
lauso dilHenldttdoo u
ente. Ao solici-
m parecer do eogcnheirQ cordiador^ sobro o
t or^meiito d*-irfya#eVJV estrada miin*Mpal i a
povoaco da Yarzca.Que se remeta a S. Exc o
'pretMeMala'pivMMcieiii^diiA ; Bdf.iU'Ui >* ,
Outro do mesmo, inlprmando >bre o artigo
u-ifeew bd^pilelfmilataSi^tf^'^Uu^ii'*^-
xfcs at o Campo das Princezas. Que se oftlcie ao
iMti. preaidonte d proviiu-in, romettondo-se- ee-
pia do parecer.
>dkiiM>do metiW), luformanfo urna petie&odo
gdlcutc aeHiBaaod.vferro dofteeife a Caxang.
~lmle*"rio-ar.
?Ini afhleiilo'prnodradnit liacndu ao eonlieci-
mentii desta> c.wtira nan onwdo de parte "oh
olijeeto |se poivordpm da muwna cmara foi re-
eefter no ajtseii d de-marinhr --Connnunlque-se ao
governo. : '
i Outro dn iiumo. icoiiHiiuuicaod i aclior-se al-;
guns.inqiiilinus das-casas-ipie fozera. partir do pa-
triiuouie destacmara em atra/.o. e consultando
se o deve xdontar.Que sisa.-
Outro do fiscal da freguezia de S. 'Brei Pedro
(encalves iinfiNninndo pelirao de Fdippe da
Costa I)ourad.MAo ontador. '-> '
Ootrofc fiscal da fcegaeaiade S/ Lonrenco da
Malta, d mili cuntas'do roceliimenlo do imposto
de400r*. por cabeca de'gado, saino o nvelhum,
morlo em sua freguezia. -JHKTttda.
Outro do fiscal da freguezia de Jaboatart, sobre
o mesmo assuinpto. -Iqteirado.
Outro do mesmo sobre o deterioramento 4ai
carnes verdes. Intoirada. I '
Um petiifw d i hacha re Luis Emigdlo Rodrigo es
Viniina advop.iiln dos presos pobres;-Que Se (Vffl-
dtUxa-senikia'pravinoM, solicStando que se no*
t* ha- oi*;amJnlo municipal urna* gratieacay ao*
seusj*ir*ic.is.
O Sa. presidente as commwsjoes', as (pmee foram comj>ostii< i da ma-
ueira seguinte :
Polltia, *-0 'EdihVa^o. Dr. Bentr Cxista e (Uidls Guirtw-
ries. '- i *!
, -Petitcs.QaAeira o Levo J#ukr.
Sad.le. LoljiMoscos'oncfl.imdiedi' :
-ttemilerio d:t cidade 'Nevos,e Dr. Lolo Mus-
cobo.
ieamitorirt de fra da- HMMt-*4ajtal tiCo e Cn
nha-Guimares i
. Mala.lmiro da cidade. -A Smiza Lefio & Cunha
jGuimarae^.
Mathdonro-do Rhw. Thtodoro da Sra e Dr.
DeiUn Cista.
. Planto c*onser;o do arrores. Gameiro e
Ttoendarn da Silva.-
.Negocios jinlifciaes. Dr. Bento Costa e Cunha
Giilinares.
Dospncharam-se as MafaSte de Antonio L#cio
Alvos ll'indeira. Antonio Feniandes dos S;ieais,i
Antonio -Jos Ferreira, Altan Patermm, Antonio
Menezes de Miranda, Bernardino de-Souza INntO,
: Bernardo Tavares Pimentel, Cr.imer Frey A
E., Domingos Jos da Costa, Frederico de Cas-
ti-oi Ctirwalho. Reibi Llns CavaJcaiite. .Kranr.eKne
OlMiimo Perca ra de 'Oiiveira, FateiM Josti la
Honajfca^ FraueLsn iNnnes Pires, gerente-da os*<
irada du ferro do llec'.:* Caxang, lleitor b
Sanipaio, Ignacio Estoves' Moreir* da lostl, i).
Isabel Cucas di Silva. Jos Feliciano Nar.arelh,
jes Tarares Pinheire, Joo da Silva Guimar.e*,
Joaquim Sori.iim Nonueira, Juaipiim Adtonimda
Silva, Jos Rioanii Coelhe, Joa |uhn Martins da
Criiz, las R. ; nardo do Sena, Jos da Silva Loyo,
J.iaquim P ir.heo i dn Silva, Juj h'caneisco l-'radi-
qu, Joo Baptista B Ki-Vcniw Rodrigues de Al-
io ida, Jos Francisco do Reg, Jos Villn- Verde,
Joa i Paulo do Siuza, Jos lioquim da Costa- Loi-
Ic, Joo Christiani, Luir Vicente Pinto, Luiz Jo^
da Suva Guimare-, Marcelliuo Jos dos Sant'is.
Manoel Joaquim Machado, Podro de Souza- Te-
norio e Tibiirc*! da Silva Alleai), e lvantou-se
a esso.
Bu. Louraneo Bczerra Carneiio da Cuiiia, se-
enHario, snbsorowi.
HmU Jonqoim ite Ruga Albuquerque. pro-pre-
sidcite. -i-ti Mari i Freir Ganuiro. Jos* Redro
das Nscrs. Jase Ha Silva I/)ya Jnior. HkeMtr*
ro Macluulti Freir Pereira da Silca. Jeronymo
deSttza Lem. ~ Joo da Cunho Soares Quima-
ri'i.-lienta Joi tli Ci>ta.~l)r. Pedro de Athayde
Lobo Moscmo.
THESOURARA DE FAZENDA
31 de mareo.
Foram remettidos ao Sr. Ihesouroiro para serem
eagos.
Officios : "
Da presidencia, nundiado pagar a Augusto
Caors a quantia de 8IJ5 KHI.
Da mesma, a superitendente da estrada de fer-
ro- do Recife a S. Francisco a quantia de.......
6USK).
Da mesma, aos agentes recenseadoros da (re
luezia de Villa-Bella e a Joaquim Carneiro d'An-
drade a quantia de .'iOi'Klo cada um.
Da mesma, Teixeira Marques A C a quantia de
212*1(0.
Bo juleo de orphos dcsta ca|iital, requisitando
a entrega da quantia de 2'H!0U0 a Eliziario Go-
mes de .Mello
Roquerimento de Jos Eduardo de Souza Lan-
dim. .
Sccretam da thesouraria de fazenda d; Per-
natnbuoo, 31 de mareo de IH7 I.
-Servindo de otncialmaior,
Jesuino Rodrigues Cuidoso.
'MiCACKS A PEDIOS
Srs; Redactores. S hoje deparamos em seu
Diario de 26 do expirante, sob n. 7i>, com um of-
ficio do Exm. Sr presidente da provincia, dirigido
ao Sr. director da nslrucco publica, no qual,
d'envolla com outros, vem o nomc do nosso auiigo
e Sr. Marcolino Antonio Xavier, da villa de Inga-
teira.
S. Exc. aceitando francamente informaccs de
pessoas que lhe.nierccc fj nao duvidou lanzar so-
bre esse funecionario publico um oppr-obrio que
oderia manchar-lhe a repiitafo, se nos que o co-
.mecemos desde tenra idade, c entretemos inli-
mas mla.'OeSvUai) viessemos do alto da impeensa
protestar centra semelhante injuria, como de faci
protestamos assegurando a S. Exc, que foi com-
pletamcuto illudido por quem quer que ininistrou
tima tao bisa, quanlo injuriosa informarao que
Ii cari pul verisada em face dos documentos e jas*
tificac.1 que aguardamos do nosso amigo. E to
, eerto estamos disto, que nao hesitamos em asseve-
rar aS. Exc que o seu informante nao passa de
um inimigo raneoroso, e desses que nao sentem a
[ro da eonscieooia bradar-llie ao ouvido es um
calumniador infame.
. A'quelles,poi,que nao con' ecem o Sr. Xavier.pe-
dimos que suspendm seu juico, at que possaiiios
volt-ir, acompanliado de provas ; pois qu&aquel-
ayque o couhecem, e teta entrelido sua amisade
lefio sguro juizo e aaberio atirax ao. despiezo
tao re volunte calumnia.
Recife, 31 de margo de 1873.
e. r.
5*
4*.
COMMERCIO.
PRACA DO RECIFE 31 DE MARCO
DE 1873.
A4fl 1$ MUS BA TARDB
V^atH^Sea lllraes.
Assuear-ma-cavado purgado 2/H por* 15 kilos
sabBado.
Assncar Canal 1|500 por i.i kilos.
Cambio sobre Londres a UO d,v. S7 d. e 87 7f8
d. por \t, sabbado.
Mito sobre dito a 90 drv. 27 d., c do banco 26
7)8 d. por i I, hoje.
iericordia, pedindo um prazo de 2 niezes para den 4atobio sobre Paris a 90 d|vT 351 rs. por franco,
tro delle, (lar-secoaieoo a deao^io de-fedto a. da banco, hoje.
Lugar inglez Syringa telhas de ferro para o
""para despachar.
barricas abatidas
para" o irapicTi" Qonceico, para dospa-
elKi
LAB
*fReha*imento do flia~1 a 29."
dem do dia 31.
1 ll:80s*>:t>
\-.iUvm
m:Kx/:.m
~L->-----i-^-------' mi
A'flfi.o*iW*M no dio SO
a'iflfHiHHIhfr-
u-
Anlilhas -
Bui-s
Barcelona patacho hospanhol Petuji. Tty.;.< i
Garrt*a,:c*|rfi>a*/edi'K *'!
Havre bajea franceza F*f*i/o. cajula > Dobu-
carpiialgodan centros tvnrwv. \r~
New-VorK patache inglez Silorio. capSo M
Leod, carga assucar.
A-n-'io entrado no dn M.
Ilha de Fenramm ''id hor.u. rapar i>ralir
ffi-fini. do 2*2 Ui eladas, riiiiiuiandanle J. i
Martins, cqiiipagcui 2V, carga xm;mpenar*,
a companliia l'KiiainbucaM.
AVii'io saliulo no mesmo Granjac portos intermedia, va-^r lir.i.-ll"n>
Ifojnca. eoiiimandantc Moura. carpa iUfferen
gneros.
Aracajii / portos intermedios, 'vapor hra-ikoro
Miinihlni. comniandante Jnho (. M >i\vn. raf-
ear*
kilos de
Bor-
com
ga vanos poneros.
Mampi ni itoads e-cuna in^b'za
carga assurar
qajiil io !', iloiiiey,
l )\>_______I 1
EBITMt
,'", nc FfoaMH
'
Jllilt
Pfttacho inglez Princess ferro j despachado
para o caes do Apollo.
Brigue allemo-.iio/pAo cemento j despacito
. i'.ifii^ para o'caes Apolto'. .' l" '}
Bajea dinamamueza (re;- Iliilfelt uboado
"*t< #-4epa(*W(jV>:ipffra o caps do Apollo. fin Grande do'SVpelo Rindo Jan iro lifipn<-
Brguealuman-/? ' pant-'o'Aie''4n> ApMw."1 sucar e entra gneros.
Barca iinjlcza Abeone rarvo i despachado Rio da prata patacho brasil-irn t)i
- Pra o-eee do Apojlp, i -Joeo Angudiide
Barca ingTza -Imogenebacalno j despachado j par.
i iin para o trapiche Geweas3o.
Banea iugluaatQtiiuriu -bacamo j despachado
l'ara-o trapiche Coneldo.
__
" I;nunuc*.
P'.Uifko inglez nivii., cinfia de.Liverpool cansi{h
nodo a Simpson'k C laonifcstoii:
Cirrao de pedra 338 lincludas aos consiipaU-
- ; i t.
DE-PA:H S DE E!CP0T.\CA0 ,N0 DIA 20 DE
MARCO DE'i873
A> t Para os ortos do exler'mr
.Vo briglie austraco Istriu, para Ljvernobl,
'airegiiram : 5f. Latlian & C. *ifc saceos com
31,638 kilos de algolo : A. Howie Ji C. G\8 diUs
com 'i7,0I7 1|2 ditos de dito.
.No brigue allemio Williba'd. para o Canal
carregaram : Keller 4 C- 28'J saccas com i7,93
kilos de algodo.
" M patacho inglez Forsf KiiHl, para o Canal,
carrogaram : R. Frliaimeltau i C. 700 saceos
conj o2,500 kilps d& assncar mascavado.
pJ- No vapri'r ngez Xeiai, para Londres,
rcjo''': 7. Ii. Miehelles l caixa com 30 kil
doc,;.
No vapor francez Rio Grande, para
,u,x, carrejaran) : M, Metf r it C 1 caixa
;..KMos- fle,. peona de ema.
-So brigud francez R Prata, crregoii : A. Bastos '50 pipis com 2i,O0O
litros de aguardsnte.
No litigue alemo Detphiin, para o l.io da
Prata, liarregarain : Aniorim limaos i C loO
barricas com 17,106 1|2 kilos de assucar branca.
' Na barca portugueza Triumplio, para o por*
to|carregou : H J. da C. Sobrinho 300 saceos
cuiji 22,o Hlos de assucar branco..
l galera portugueza lai'a, paraoPoito,
carregn,: ,H. M- S. Machado 50-saecos e 26 barri-
cas com 6,390 kilos de assticar branco.
"ni os pwflos do interior
r~ Para o CearJ, no vapor nacional Ipouca,
carregaram: J. J. da Rosa 12 barricas cun 821
kilos de assucar branco ; S. Jun incita A C 20
ditas com l,37i ditos de dito. Para o Natal, A. C.
Arnuj'o I'i saceos com 1,050 kilos de assucar reh-
ilad. Para o Par.i, Baha A. Loyo 8|3 Larri."as
c-ohi, i 13,kilos de assucar hrauco.
Pr o Para, no patacho portugucx Mirinw-
frnse, carregaram : P. Vianna A. C. lo pipas com
4,810'litros de aghardentc o 2 ditas com 96) ditos
de alcool.
Para Uruguayana, na escuna germnica Co-
th'irina, carregou : A. M, Sotua Machado 214 bar-
ricas com 21,6 '1 kilos de assncar branco e 47
Uitas com 5,335 i|2 diois de dito mascavado.
P.ira Macei, na barcaca F em veos, car-
regaram : J. M- B.arros Fdjios 4 C. 2 barris com
Uh} litros de alcool.
Para Macei. na barcada For dd B-trrn,
carregou : F. A.'Marhado I caixa com 30 kilos de
assuqar.
Para.Maco, na barraca RInchiello. rap-
gou ; J.' L. Radich 19 barricas com 1,23'J kilosf de
assncar branco.
CAPATAZIA DA ALFANDFGA
Rendimiaito do da 1 a 29- IG;!IAJ013
dem do dia 31...... o7.I8

16:6".7251
VOLUMES SAHIDOS
No dia I a 29......
Pruneirapurtano dia 11. .
Segunda, porta.....
TereciW porta .
Trapiche Cpnceica*) .
7.S31
D
capitao Man id Joaquim Perr--1ra Kstev.**.
\slheiro da imperial onleur da roa c jo'-./.
paz do I." anno destn freiniczia S. Jn d" I
na
*a-
R^*
gnezia
i-ife, em virtude ih l**i l te
Fa.o saber aos que a presente rarta V**ihVp
vireiii nii delb n liria tiverem. em winii Fra*iris-
co Jos l.eiie lile f |r escripln k pero Ao ili^er
se*'niiite :
lhn. Sr.juh de paz. Franfisfti 1<*<( l.-n>. **!-
inerriante iiiatriculadu residente ni>fa ri bde. e e*
labflerido, quer facer rilar a J* Lufas Km n*.
para auu.'avelmentelhe pagar a qnnirfi ?.....
3331960, importancia de uma letra ja v*rn*id:i. pm
que o supplirado h jo esteja i*m fugar ntrtm
nao sabido qn*T o U|*plicam> jn*Hfif.ir n .in-'-nca
do mesmo n proceder a renciHaeo p >r carta 4
edictos com apena de revlia e"en-4a*. IVt<- a
V. S. deferimeuto. E. R. *.E-lav i H.id.i nM
nina estainpilha inutilisadi pela f.rma Mmiie*.
Recife 7 de marco de 1873. Ipu.ici i Barreso He
MRo, pr-M-urador.E mais s nii (miaihe m
dita pfti.in aqui ro>i,-nla. aqual me emk> ipf-
sentada* dei o despacho seguinte. C uno rem"
Freguezia de S. Jos do Recife. K d mar-iA-
lipa.-Ferreira Estere.-E ms se tafavreott-
nha em dito d-sp.ncho, c cm seguinda pr**ln-i >
siipplicante snas le*temanhas. e siilialn-m- os
autos conclusos, seguinte :
Em vista dos depoimcfltos das trste*riintias di*
folhas e fol'ia* j:ii*-o jusunVarfc a a*-*ncia <
certeza do ligar da residencia d jmtifiraMo '
Lucas Franco : mo que mando que se pane cirl.
de cilicios com o praso de trinta das aftin de r
o meso" citado prtra o lim rjerlarado ira juM^aV*
uV-folhas dnas.e rart.-ts.-'refnem -l< f fns dV-
cife, i-S de marcii delH73. Manoel Jorqiiii:ifrrr**ira
Bsteves. K mais se nao coniinha cm d'ta fv-itrTi.-..
aqui piada por frr.a da qual n csrrrrloqni"
DsercVPti inssvj ,-i|u-f-eiitc enrta di erfc-tos cura
praso de 3 dias pela qual sen t'-.-or ** rti
e cita suppcado Jos Lucas Franco, e Im n
citado, para o lim declarad na pefi**to i rr
Iraneripta, afim de pie compare**-, nestr j
cm dita audiencia depois de lindo dito praso. para
se conciliar com o supplicante sol pata de rr***.
Pelo que toda e qualqtier "*~imm parent**. .fnr1*?"-*.
ou conhc'ud'is o poderao aaer arfcrH i i|
exposto. E o porteiro respectivo atixari i* pi; Ii
cara o presente no lugar do co-luinc, e pul le
pela imprensa. Dada e pausada nosta frcgiuzia V
S Jos do Recife, aos 17 de marco de l*7:t
En Jos Gi'ii;alves deS, esrrivAodu juiz de y... o
escrovi. Freguezia de S. Jos do Renfo d* W
M-.Hoel Joaquim Fenrirt Ester-
----- O procurador liscal da thesouraria provincial de Pernambuco, diran ao< contnbn.a-
tes do imposto de 6J rs pur litro de agurdente, do exercicio de 1871 1872, cargo dv t
lado'jirovlncial, que Ihes tica marcado o prazo improrigavel de -'10 dias, a contar da na*
blicaao deste, na conformidade da lei n. 891, art. 53, pan solicitareni da seceo do con-
tencioso as respectivas gulas, aflu de reeolhercm seus dbitos provenientes dos inrsmo-< rm-
postos, certos de que nao pagando dentro deste prazo, proreder-se-ha a coltanra judicialmfntr
l'azemlo publicar para isto a rclaeao dos devedores abaixo transcripta.
Secciio do Contencioso provincial de Pernambuco, 26 de mareo de UTO.
O procurador "liscal,
Cgpriuno Fenelon Guedes Alcoforado.
Relaco dos devedoros do imposli) du 60 rs. por litro de agurdenle c. .usumida na prorincMi.
que deixaiam Je pagar Lsous dbitos au exercicio de 17I 1872.
i

%
*3
t
B
3
sr.
I
Andr Barbuz i Searos
n. 3. Antonio Jos Alves
da
de
Bom Jesns 28.
Tiiom de Souza
Foococa
Mariz e Barros n. 4. Antonio Jos Alvos
Aniorim n. 17. Antonio Mariz d? ciiva
Moeda n. 29. Antonio Jos Pereira 4 C.
S. Jorge n. 86. Antonio dos Santos Mello
Viscoude de Inhauma n. 77. Anonso Jorge
Souza Barcellus
Marsilio Dias n. 35. Antonio Guilhenue dos
Santos
Dita n. 14i. Antonio Jos Pereira da Cunha
Vidal de Negreiros n. I. Antonio Ferreira da
Cosa
Dita n. 21. Amoi im A Souza
Imperial n. 262. Antonio de Miranda Castello-
Brineo
Carnario n. 17. Antonio Jiis Braga
Conquista n. i. Antonio Tavares Nogueira
" boceo da travessa do Principe n. D. Antonio
Jos de Souza Carvalho
Imperial n. Hit. Autouio Joaquim Tertuliano de
Melle
Direita *. 80. Antonio Joaqnii Ltfpes de Car-
valbo
Poco n. 20. Antonio Caelano Tararos
Encana ment n. 12. Antonio Simos da Silva
Lasa Forte n. 15. Andr Souto Lima A C.
Caxang. Antonio Joaquim da Gama
Jaboatao. Antonio Joaquim Botelbo-Bastos
Embirilieira. Antonio Joaquim Pereira
Boa Viagem. Antonio Jos Teixeira
I
Travessa dos Expostos n._18. Bento Jos Cor-
deiro
Mrquez do Herval n. 155. Bento Ferreira P1
mental
Imperial n. 169. Bazilino H. da Cunha Cavalcan-
te de Albuquerque
Jaboatao. Bernardo Goneulves dos Sanlts
i
Couimoi-cio u. 48. Carruir A C.
Baio da Victoria n. 71. Custodio Jos Pe-
reira
Imperial n. 198. Campos & Martins
Jaboatao. Canuto Sergio de Faria
Campia Grande Carlota Mariulio da Rocha
Falco
Jaboatao. Caetaifo Lourcn^ de Barra
341110
2*020
:W*IIOl
2lt*tt0
51 000
39*930
151000
47*910
13*960
47*910
6* IlAOu
9*870
LlltJMki
7pWi
2*370
17IW0
4*770
tt*7f<0
12*000
4J77
34*110
25*020
3 i*tO i
!l*0()
24*0 41
51.1000
39*93j
13*000
47*910
15*960
47WIO
6*000
15*000
12*000
9*570
9*0i<0
2*370
27*120
H7*550
4*770
4*770
12*71
:I9*930
39*930
12*000
4*770
6*139
Hfjl
l#MH
:ti7W>
3*175
2*160
9*180
2*700
71187
2*700
8**532
2*872
8*623
i#nsj
1*350
2*16(1
1*749
3*24(1
*426
2*4.
1*159
*8N8
M
itn
3*593
3*593
23160
;4**4>
h5*4 45*7*.
V*7.v
ItlcMM
n;t-
*7*'
:t2-('
lM*4Tt
;i3*7*i-r
104*444
I6/.T**
2**4*
ti
2f* .'->>
24*000 24*000 W3W
Erancisco Jeaqumi
Viseonde de lohama S. 53.
Correia Estoven
Marsilio Dias n. 6. Fernandcs A Pereira
tita n. 74. Francisco de Araujo rnar
4J*ftiO
13*960
3*990
9*570
30*0X0
ftt-ttMO
47*941
15*960
6*360
3*990
9*570
30*800
4I4MU0
18*000
*37l
*7i8
1*749
tMM
amo
m

KrV-
m.
w


' I- "
Diarto de Pernambaco "Terca %fr*F 1 de Abril de 1873.

7
,
ir
;
/
t
i
/
Christavao iCdmnbo n.. 14,- Francisca) Pcreira de
UereJles V f\
Antonio Hoanques n. 20. (rmesmo
Imperial n. 106. Francisco Paes Barrcto
fcaiVda Boa-Vista n. 61 Praaeiseo Goncslves
Ferreira "
Ditan..S3. Framaseo-Jot d Cueto Silva
5. Gonralo n. 27 Francisco Paulino Lopes de At-
' meida
Ventura a. 1. Francisco do Pauta Lima .. f
Aflictos n. 22. Francisco da Luna Fenjeir
> "fiantes .. .
Berso do Arraial 6. Francisco Martin da
Costa <^"aju
=:
farsa
Mar
es
de Apinpo/n.^|.jFiraM
de Souza Mendes O -
Estrada^ova. Francisco Manool de Olivara
Dita. FebxJr'Caetaao.
4iqui, a Jaboatau, Francisco da Costa Bastos
fundirn a,7.. GiWtencw Jos Antonio Pastor
Aera tica-n., 27.- Gemes rlrtnio
J,tboatJd.r.Cald^) Iwaqu^CavaJcanUJ
'
lorredi/rjip- & i.
11
,: y.u a,Jniqato. Ignacio Bateyes Moreira da
Costa
Dito. Ignacia Ferreira. dos Santos
lampina Grande. Isabel losepha CorTia
Visar tenorio n. 14. Jos do Reg Borges
4C.
Tlttti de Souza n. 1. Jos Das da Costa
Vigiri Tmorio. o. 1 i Joaquim Antonio Goncal-
ves de Souza
Viieonde dft Albnquerque n. 34.. Jos Carpinte-
ro da silva
TraveSs' das Cruzcs n. 8. Jos do Rogo Pa-
raWco .
.ilarabda-do Carino n. 3. Jos Miguel Barbosa
'Hamos fc
Penha a. H. Jolto de Beus Oliveira Santos
Viseonde de Inhaina n. 41. Joaquim da Costa
Andrade 4 C
Varsilio Otos n. 91. Jos Martins da Silva
Borges
IMreita do Rosario n. 18. Jos Joaquina da Cos-
ta Maciel
Liego de S. Pedro n. 1. Joaquim da. Silva
Lopes
Sarquei do Herval n. 132. Justino Percira Ra-
mos
iiideia Nova n. 7. Joaquim Francisco de Gus-
inio
Vidal de Xegreiros t>. 32. Joaquim Felippe da
Veiga
I)i u u. 133. Jos de Mello Trindade
Santa Cecilia n. 27. Joaquim da Costa Amorim
Travessa de S. Jos n. 2. Jos Joaquim Soares
Viseonde de Goyanna n. 10. Jos Dutra da
Rosa
Dita b. 1. Joo Martins Rodrigues de Mattos
Dita n. 147. Joaquim C. dos Santos
Crioulai n. 33. Joaquim Jos da Fonceca & C.
apuea n. 33. Julio Cesar Vieira de Amorim
r dxa Verde n. 2i. Joaquim Jos Dias Pereira
Principe n. 12 A. Jos Correia de Brito
Beln n. 3 B. Jos Dativo dos Passos Bastos
Titr.arineini n. 4. Jos Gomes Albergan!
Direita n. Si. Joib Francisco Regs Lobo
s Miguel n. 8i. Invino de Carvaho Cavalcanti
Dita i.. I4S. Jos Marinho H. Faleao
Dita u. 130 Jos Policarpo da Cruz
Estrada Nova. Joo Antonio de Souza
rorre. Jos F. Pereira
BoRgi. Joaquim Goncalves da Luz
Guanga* Jos Pacheco da Fonceca
Hattnca, Jos Macano dos Prazerea
.iqui'a Jaboato. Joao Machado Evaugelho
Dito. Jos Vieira Lima
losa Manuel do Espirito Sanio
Dito. Jos Joaquim de Sant'Aima
S. Loureneo. Joao Varia Ponch
Forma d'a'gua. Joaquim de Carvalhi
Haronea do Rerval n. 94. Lopes A Oliveira
Uiiclmelo n. 47. Lucas Antonio Evangelista
Barreiras. Luiz C. Cordeville
II
Comme'rcii n. 28. Manoel Francisco de Souza
iDde de llapanca u 6. Manoel Jos Pereira
meo Velho n. 3. Manoel Jos Pereira
Praga do Chaco n. 17. Minervino Severiano Gon-
calves
Estreita do Rosario n. 2. Manoel da Costa Campos
Livramento n. 9. Moreira & Braga
!alma n. 4. Manoel Mara Gomes da Silva & C.
. iei do Herval n. 133. Manoel Martins Gomos
! N'egreiros n. Oi. Manoel Jo Nasclmento
e Sil? .
| 141. Marcolno Ferreira da Luz
Imperial n. 81. Manoel Albino Bezerra
Dita n. H)7. Manoel de Paula Cavalcanti
-. Vollia n. 77. Manoel Goucalves Ferreira
Coi le do Boa-Vista n. 73.' Manuel Ferreira Cocino
Dita n. 87. O mesmo
Socego o. 53. Manoel Paren do Oliveira
; :;de de Goyanna n. 33. Miguel Jos Rodri-
gues Braga
S. Miguel n. 23. Manoel dos Santos Leal
n. 2. Manuel Duarte
Itodrigucs Pinto
Manuel Neves
de
Ponfo
liba. 0 mesmo
la para o engenho n. 7.
Parias
: iti da Nova. Marcolno Francisco da Silva
Giqui a Jaboatao. Maximiauo Jos Bezerra
Dito Manoel Benovato da Fonceca
S Loureneo. Manoel Antonio do N'aseimento
Payfisaadu n. i. Manoel Gomes Martins
Fraveua de Jlo, do Barros n. t. Nicolao To-
lentino do Sacramento
4
BmBO Sardinha n. 11, Oliveira Miranda 4 C.
taris da Victoria n. 53. Pacheco & Pinto
S. Jlo u. 19. Pedro Jos de Freitas
Giqui a Jaboatao. Paulino Antonio de Souza
Ayres
Anua. PamphUe Julio da Costa Cirne
Imperial n. 146: Ricardo Moreira da Cunlia
to. Ricardo Carlos Perei-a da SHva
-3151)20
315920
I8J0JO
234940
27^930-
124000
7*980
3*990
4*120
81760
3*990
18*000
'30*'-00
9*570
9*570
3*180
37*590
23*020
37*500
47*910
24*000
30*000
6*0UO
30*000
23*990
39*930
, 30*000
24*0C0
24*000
30&0I 0
24*CO0
15*960
15*960
23*940
18*000
23*940
27*000
11*970
27*930
19*950
6*000
9*000
18*000
7*000
6*360
9*000
3*990
7*980
33180
7*980
4*770
10*500
39*930
6*000
7*980
45*000
30*000
24*003
1850C0
19*140
23*940
l5*0Qp
9*000
47*910
31-3920
313920
15*960
7*98(1
15*960
3 i ISO
3*990
6*360
31*920
15*960
4*500
11
.'" do Panizo n. 31. Santos k Araujo
'. irgo da Penha n. 6. Santos a Primo
.ir"i!io Ijas #i. 72. Sebasiiio Jos Bezerra Ca-
valcairti
',, i do Conded'Eu n. 18. Silva 4 Parias
la para o engeohe. Silvino dos liis Gomes
Varen. Silvestre Francisco Al ves
T
Imperial n. 201 Trajano Jos Pereira
Anua n. Li. Thom Rodrigues de Carvaho
%
. do Rosario a. 37. Viriato sentcio Lopes
11*970
7*980
21*000
27*00)
39*930
l'*270
12*750
15*000
7*980
434000
31*921
31*910
18*00ti
23*940
27*930
12*000
47*910
7*980
3*990
24*120
12*150
8*760
3*190
18*000
30*000
9*570
7*980
9*570
3*180
25*020
37*500
47*910
24*000
30*000
6*000
30*000
23*990
39*930
30*000
31*920
40*500
24*000
24*000
30*0C0
24*000
15*960
15*960
235940
I8*0t'0
23*940
27*000
11*970
27*930
19*950
6*000
9*000
18*000
9*360
6360
33990
9*000
3*990
75980
33990
3*180
3*180
7*980
4*770
10*510
39*930
6*00,
7*980
45*000
30*1 iKi
21IIIM
J4400J
18*00; i
36*00)
19*140
23*940
13*000
21*000
9*000
27*000
47910
31*9-2)
23*50)
31*920
15*960
7*980
9*370
7*980
13*960
33180
9*370
4*770
3*990
12*000
6*360
37*5CO
31*920
133960
43500
6*360
11*970
i980
21*000
57*000
27*00!)
39|930
11**70
12*750
15*000
7*980
454000
5*745
5*7
33240
4*309
5*027
2*160
4*311
1*436
*718
4*341
1*147
i MM
*718
3*240.
3*400
1*749
21*000 1*890
*718
1**36
*572
3*375
4*303
6*750
8*623
4*320
5*400
1*080
53400
4*309
7*187
5*400
2*872
3*645
4*320
4*320
53400
4*320
2*872
25S72
4*3 9
3*240
4*309
43860
2*154
5*027
3*591
1*080
1*620
3*240
B491
1*144
*339
15620
*7I8
1*436
3359
3572
3286
1*436
3838
1*806
73157
1*080
1*436
8*1)0
5*410
1*390
4*320
35240
3*240
3*443
4*309
2*700
1*890
! 62*
2 430
8523
55743
1 295
35743
2*872
3718
861
l#436
2*872
3372
*831
42:'
718
1*080
1*144
3*375
5*745
5*472
5810
*572
2*154
1*436
3*780
3*130
4*360
73187
2*154
2*295
2*7i'0
13436'
8*100
Secclio do contencioso provincial de Pemambuco. 26 de mareo de 1873.
O fomcial,
Horacio Walfrido Peregrino da SUv*.
1394 no
39*240
"52*189
60*887
'.4160
52*221
17*396
8*698
52*581
13*897.
19*016
8*698
39*240
65*400
21*189
22*890
8*698
17*396
6*932
40*875
54*543,
81*750
.104*443
52*320
65*400
13*080
65*400
52*189
87*047
6554W
34*792
44*145
52*320
52*320
65*400
52*320
34*792
34*792
52*189
39*240
52*109
58*860
264091
6H4887
43*491
19*620
39*240
18*061
133864
4*349
19*620
8*698
173396
4*349
6*932
3*466
17*396
10*398
22*890
87*047
13*080
17*396
98*100
88*290
52*320
3*240
394140
41*725
52*189
32*700
22*890
195620
29*43)
104*443
973380
69*585
34*792
8698
10*441
525188
6*932
10*43!
5*199
83698
13*080
13*864
40*873
69*583
35*392
9*810
6*93!
26*094
17*396
45*780
62*130
58*860
87*Oi-7
26*094
27*793
32*700
17*396
98*100
Quirrta-ffira 3-diyWrente iree, devera
reunir-se a aministraeao dsla ompnihia,
lo escriptorio de suas sessds^ ra do Gnftti-
g.n. 6, a qal W lugar twmenoionado
din i 12 da ranliS.
OseeretaM4,
Jos /* U\ de Mtmzes.
Nauta cnua In inlworlrortlin Hocife.
v PREDIOS VEHDA
A junta adnHnistrativ da S^nta Casa ricordia do Rccife, compeientemcnt* auiorwaita,
leva pela ultima veza maja de veuda, no ili.iB3
de. abril peraule mesma junta, iva sala de
suas sessSes, os predios seguintes, 'tomando por
base os precos j offerecidos:
Largo da Campia.
Meia agua do....... 260*m
Ra de S.Jorge.
Casa terrea n. 92 e a de 85 dos Goara-,
rapes ......': 3:3GjaQ0
Roa de Antonio lltnrirHies.
Meia agua n. 26....... 18^r0
Ra. da JAestaurafH t
Sodrado n. 57 .'... 3:0u0*0r0
Ra do Amparo (OlindaV a
Casa terrea n. 29.......1:680*000
Beceo de-S.Pedro.
Casa terrea n. 8.......l:0604O"0
8ecretaria da Santa Casa da. Misericordia do
Recife, 29 de marco de 1873.
' Oescrivao,
Pedro Rodrigues de Soaza.


Tbunal do
Pret e rollun d
Thesou|Wa.
Juizo dos fetos.
Pagador da thesouParia de hienda de Per:
nambuco,' de abril de 1873.
Ooserivlo,
CyriMco Antonio dos Santos Silnv.
Paca-, a. Baha.
o hia" Gaiblii sage uestes pimcos'das : para
SANTO ANTONIO,
EMPREZA-VICENTE.
llv^nundimuio suicccafio !
3.' RECITA D ASSIO,NATL R.4.
do drama histrico em 3 actos e nm quadro al-
legorico de grande appaiato, intitulado:
Os jesutas
ou
0 baslardi) del-rei.
DENOMINACES.
acto.A entrega do testamento.
A noute da despedida.
0 envenenamento.
O dia da pronss,o.
-Os horrores da inqusico.
1."
2.
3.'
4.
5.'
Quadro.A expulsao dos jesutas.
Principiar s 8 1/2 horas.
Ao public
A empreza julga desneressario tecer elogios ao
drama que agora aprsenla em scena, urna vez
que as duas endientes completas das noutes de
sabbado e domingo, e os enthusiastieos e repeti-
dos a; plausos, com_que foi acollndo em ambas
as representaees, sao mas que sumeente garan-
te do seu merecimento e da excellente aceitado
com que foi recebido.
Aproveita smente a occasiao para annunciar
que se acham completamente obviadas as peque
iias irregularidades e indecisocs, que sempre
acompanham as priraeiras representacSts de urna
pega apparatosa.
Aviso
Esta recita 6> hoje ser a penltima do drama
antes da semana santa.
Pava o Kfttyttfcf o jBul
pretende seguir com mu Drevidade o patacho
nacional SuLsipuedes, tejn partoi 4o seu carrega. j
men| contratada ; para o restante auc lhe falta,
tr.ita-se com os seas con signa t-uios Antonio Luir
de Oliwira Ale vedo de (1, no seu escri. torio fu
do Bom Jess a. 57,oulr'ora ra da Cruz.
Para Maco
Par o porto cima pretende seguir cun muita
brevidade o palhabnUj nacional Joven. Artkur, re-
cebe carga a frea barato :<* tratar.cem.wes seus
censignamrios Antonio Luiz de Oliveira Azeved
C. no seu escriptorio ra do Bom Jess n. 57,
or'ora..rua. da Grm.'
-r-
rjttejla carga trata-^e'comnronitt.irio i;us-
" Viarma, ou ra do Amerm'tf/ 39
-----lO l'll I I..... t U- !! 1.
vfrsah umiw bpve o brt^. Portujuez. Tn-
smpko. Rcebe carga c asjjageros, a tratar com
rito.Livio Soares ; ra do Vigario n. 17. ,
Para o RiFCri-aiide dQ,Sul
retebecarg;. a,ffateab.irca brasneirn Mivtota, a
tratar a roa do Vigirio n. 1, priuairo andar, es-
erjoforfa) de Baltar Oliveira r^. '___________
sof de Jacaranda e 2-onqolos
de di o com pedra, cadeirascoai
I i*.ir*as pnra escriptorio. e piano,
I grande carteira homoepaihica
'etititura?, cadeiras de balan-
do, l guarda roupa cora espe
lhc,%ejuito3 ou^ros artigosdo
lUsoJfcLi^aestic \ aue esiwo pa-
tentes na
Iqtitrta-feira 3 do abril
Na
FEIliA SE\LVNAL
16*^rqa-jl<> Imperador n.- 16.
A.iuvr/.
Para o referid.") porte segu ci un poucos dias
de ilemern brigno portiiguez Ligtirb II,
capto.epratipp Jiohrc, porter ms. dedou*J
tercos d(( seu carrcgarepjiftt proqjptge para
o que lha,falta, que recf;h a frete comino-
do : trata-secom os consignatarios Joaquim
Jos Gonijalves BeJtra & Filho, rita do
Commercioa. 3.,________" ________
Para o Porto
pretende sahir multo breve a galera portugueza
iVorn Phnut II, por-tr grande parte do seu carre-
gamento prompto ; recebe carga qne lhe falta a
preeps mdicos, e tamben passageiros, para os
quae* tem ptima* fceommodacoes : trata-sevom
L. Soares, ra do \ gario n. 17.
LELOES
>F.
todas as fazemls, armago e mais utenci-
lios existentes no armazem incendiado da
ra do Vitrao Tenorio n. 10.
Hoj
A'j 19 horiui.
A requerimento de inadama Rosa Adour, e
mandado do Illm. Sr. Dr. juz dedireito especial
do commercio, o agente lVstana far leilo por
conta e risco de queai pertencer, de todas as fa-
zendas, mindezas, arraa< o e mais utencilios exis-
tentes no arnazem incendiado ra do Vigario
n. 10.no dia cima mencionado, s 11 horas da
manh, no mesmo. armazem.
-LEILAQ
DE
lavis de irii cllcgii'.'
sendo: 1 piano, 6 duz'uas de cadeiras, I secretaria
de mogno, cadeiras de braco-J grandes mesas,
de janlar,mezoes para aula, peora de fazercontas
mesas redondas. 1 sof de amarello, candeeiros
de gaz, arandellas, bombas de tirar agoa, por-
tas, cancellas, (aboas d pinho, telhas de zinco,
apparelhos de jantar e de almoco, talheres, co-
Sos, clices, comeres, compolciras, estantes, ra-
ides de parede e um trem de cosinha.
rmazen. -
GnurSTB VARIADO
Loilio
J JE"** DE
excQlli4i*moYes, boa, lou<;a -e finos crys-
taes,
4 amher:
Um plano forte de Blondel & >Vgnes, 1 estante
para msicas, i cadeira para o mesmo, 1 mobilia
(marfsM-H) de Jacaranda, 1 mesa de sof, quadros,
jarros para flores, 2 r1c0B r&ndieiros a gaz, de
crys(al, 2 llguras de brome, 4 casticaes e mangas,
3 laicas o cortinados, tapetes, escarradeiras e es-
teirai forro da sala.
,, Urna toylete de Jacaranda, 1 lavatorio com podra,
mdslr'd j'ogo, 1 mesa redonda de fharilo, 1 ca-
ma com colxSo de mola, 2 guardas-roupa, 2
guardas-vestidos, I espelho e 2 ramas de ferro.
Um secretaria de mogno, 1 estante, diversos h-
vros, 1 mappa, 1 globo geographiro, 1 machina
de costura (perfeita), 1 mesa com jogo xadrez,
1 taboa e pedras (jogo de gamo), cabides, 2ve-
neziartas, 1 titrteiro com campa.
Urna mesa elstica, 1 guarda-loura, 1 aparador
armri/i-'l ijuartinheira, 1 relogio, 1 sof, 24 ca-
deiras, 2 lavatorios, 1 quadro dourado. com llore-
de cera, 1 apparello para jantar. 1 dito para cha,
compoteiras, garrafa?, copos, clices, porta-garra-
fas, bandejas, roberas de rame, objectos de
electro-plate, bancos para jardim, vasos para flo-
res, escadas de abrn\ mesa e taboas de engom-
mar, mesas e trem de cozinha, e outros objectos
de casa de familia.
QUISTa-FEIRA 3 DI ABRIL
No" primeiro andar do sobrado da ra Impe-
ratrizn. 12
Jos Henrique Trindade, tendo defazer MM
viagem ao Bio de Janeiro, levar a leilo por in-
tervencaodo agente Pinto, os movis a mais objec-
tos existentes em casa de sua residencia, primei-
ro andar do sobrado da ra da Imperatriz n. 12,
onde se effectuar o leilo no dia cima.
O leilo principiar s 10 'horas o.~ ponto.
LEILO
seren muitos e differentec os late, eon-Lintcid
catlialogn em poder do mcuno a| os prctendentes ppderao examinar o 1 o rai-
do e apurado gusto dos referidos objcclos na vr-
peraediado leilo.-
Transferencia k liU.
O de fazendas avariadas amiunciado para Ur.
por intervencao do agente Pinte. Ara tra*sferMl-
para nutro dia, que ser amamenU ammnriad.
or nao terem saludo da alfandefa lodo* o *-
lililes com indicios de avaria.
P!
CS E CO
MISOS DORSOS
INSTITUTO ARCHEOLOG
uniPHICO PERNAMblfCANO.
Em observancia do artigo 87 dos respec-
tivos estatutos ter lugar a 1.* scso onlma-
ria do corrente auno acadmico terra-tin.
1. d'abril prximo, petas 11 horas da ma-
nh.
ORWF.M no IIIA.
1. Posse da nova mesa administrativa
commissdes da casa;
4.* Pareceres e traballios de commissde*
adiados;
3.* Discussao do ornamento |ini|Ht< > ara
o auno social de 1873-74 ;
4.a Leitura de MU memoria ufan l po-
Miac.io do Poro da Pauclla, sua f'.ili :.i<;n <
erec^o d acapella de N. Senhora da Saiidr,
hoje matriz d'aquelI.i freguraia, |'iSr. Me-
jor Salvador Henrique d'Albuqutrque.
Secretaria do Instituto, 88 de marro d-
1873.
J. SOARKS 'CCTUO,
Secretario pcrjietuo.____
.irep
S'i, m
Vil '.I'.
Ilij
O agente Martins far leilo de todos os movis
cima, pertencentes ao rollegio que funecionava
no sobrado da ra do Hospicio n. 79, os quaes se
acham milito ber conservados, e alguns novos.-
O leilo V-i lugy no aislar terreo do sobrado
n. 79 da ra do H^picio, .s II horas do da.
&ECURAC0ES.
Pela ihesoiiraria provino^ se fa? pnblico
: foram transferidas p;ira f'-'-AT3^e abril nro-
imo vndonro as seguimos arremataVc.es :
.Sitio, dos Remedios por 3:750'NH>.
Hadetras extrahidas da ponte de S. Joo por
i5.i0 cada duzia de pranchoes.
S'coetaria da thjsouraria provincial de Pernam-
.22db man.-.o de 1873.
Q ofMcil-maior,
> t M. A. Ferreira.
Pala admmstraeiOjdo correio desta provm-
.- Uz publico que nao tendo sido prvido o
higar de araticante da mesma por nao terem sido
i'ilirido* habilitadas os candidatos que concurre-
ran ao concurso que teve lugar no dia 21 de
evereica pretrito, oi mareado o di* 20 de abril
i orrente aane para novo concurso.
Os candidatos devero apresentar at o di 1
o dito, mea letba corrida e certidao de idade.
0 concurso constar de exejeifio de calligra-
ba, ortahra^fcja, arithmetjca elementar, compre-
iifodenjlo o uso do^ysleuia mtrico, e nocoes ge-
rv* de goographia.
'uUecnaentu das lingua estrangeiras dar
rWerejMIa.
C.,rero iejpubu.-,), i at marco de 1873.
-'aistxador interino
ye F. daPorciuneula.
Wt*?WkGE COMPANY.
*.
eiro tocanitompanhia Re-
afe Dhage mandi^jinlteo, qu,e tendo sido
at cU *au rrpaWIW, a cusa dessa empreza os
4nos causado nos apparli,.ajuer por descui-
de dos moradores querpor negfigeneia :'i'
tanW serio ditos 'rojura f.'ito d eonieri
com os artigos segu ntes do regulamento de 12 de
Janeiro de 1872.
Arl. 13. Os proprietarios ou locatarios das casas
em que houverem apparelhos funeconando, par
ticiparao no escriptorio da eompanhia, por escripto
datado, qualquer interrupo no servico dos mes-
mos apparelhos, mencionando a causa que a ella
deu lugar, se for delles conhecida.
Art. 14. Se dentro das vinte e quatro horas se-
guintes participaco da qse trata o artigo ante-
cedente, nao tiver a eompanhia mandado examinar
e concertar o apparelbo, os proprietarios ou loca-
tarios o couimunicaro ao engenheiro fiscal, que
providenciar pela forma do art. 15.
Art. 15 O engenheiro fiscal, logo que roceber a
communicaco de que trata o artigo antecedente
examinar ou far examinar per engenheiro da
eompanhia a iuterrupcao do servico do apparelbo
e a cansa desta.
$ 1." Se pelo exame conhecer-.se que a interrup-
r provm de negligencia da compaauia ou delei-
to, da obra, ser a mesma obligada a repara-las
immediatamente, sob pena de agaza multa de
109000 e perda das animidades em quanto durar
a interrupeo do.apparelbo.
2, Se, porna, a tnterrup?40~ provicr de ne-
gligencia por parte do proprietano ou hwaiafio,
os reparos sero feitos por conta oestes, sendo o
pagamento elleetuado dp^mesmo modo que a an-
nuidade, incorrendo**' mijJta de 10*000 se tiver
ha vid j*roiwaiU) jmnegligeMi.v
Reuiirticao.das doras pcthjicas, 27 de feverei
de 1873^^
O secretario,
Feliciafifi fodnigues da Silva.
Quarta-feira 2 de abril.
Carande e variada espectculo
eiu Iteiicicia lia assoinhroao
itccobata e equilibrista
hrasileiro
Joao Mipel de Faria.
Logo que a orchestra tiver executado urna das
suas melhores ouverturas, representar-se-ha a
chistosa comeda em 1 acto :
mmmw tabaco
Segue-se pelo beneficiado, no trapesio gigante
um dilllcil e importante trahalho em diversas no-
si c8es.
Em Seguida o actor Penante representar a see-
na cmica :
Ferro e fogo.
Onde ser mulber provisorameate.
Segu pelo beneficiado, arriscados e dilllceis
equi ibrtos no queixo.
i." Urna espada.
2. Duas espadas cruzadas.
3.* Uma espingarda com bayoneta calada. -
L A rozett de espadas.
8.* A palma do marhr.
6." A meza dos martynos.
Segue-se a niuito frenticamente aplaudida- co-
media em I acto :
0 ilialio aira/ ila ioi1;i
Terminar o espectculo, a pedido de, niuitas
Eessoas, com o trahalho chiuez executado pelo
eneciado :
O golotao de aeo.
E' este o espectculo que o beneiicado tem a
honra de apresentar ao rospettyvel panuco desta
uaptal, a quem se confessa grato.
Principiar j> 8 1{2 aoraa
DE
Um cabriolet. '
Quarta-feira 9 de abril.]
s 11 horas.
O agente Pestaa vender no anrazein da Fei-
ra Semanal, ra do Imperador n. 16, 1 ca-
briolet itiglez de 2 rodas, com 4 assentos e um
excellente cavallo ruco pedrez, grande e mag-
nifico para o mesmo ; asslm como, se vender I
sellim com pertencas.
Quarta-feira 1 de abril.
NA
l'eii'a Semaual.
LEILO
movis, ioiifa e vitlros.
DE
una caixa com vaquetas, I dita com be-
arro, uma dita com sola de lustro e 2
com mnrroquins, uma dita com botinas
avariadas para senhorns.
Sexta-leiru 4 de abril
s 11 horas.
Por intervencao do agente Pinho Borges, em
seu escriptorio' ra do Bom Jess n. 33, primei-
ro andar._____________________^^^
MYO LEILlO
NA
lo ja de calcado
1 ra de Marcilio Dias n. 98 outr'ora ra
Direita.,
Sabbado o de abril.
A'S II HORAS b.lMAMIA
O agente Pinho Borges, competentemente aut >-
risado, vender em leHan a referida loja. a qual
?c acha sortidade calcado nacionaes e estranpri-
ros, dadas de marroquins, ditas de bezerro, sola c
todas as pertencas c mais aviamcutos neeessarioa
para o fabrico decalcados; propria para qual-
quer principiante, por se achar em boa posicao e
bem afreguezada.
Para qualquer informaco os Sis. prctendentes
pedem se dirigir ao escrntoro do referido agente
i ra do Bom Jess n. 53, iirimero andar,
O leilo ser efTectuado na supradita loja.
no escriptorio do referido agente ra do Bom Je-
ss n. 43. -
QUARTA-FEIRA 2 DE ARRIE.
Sendo urna moJnlia de jacarando, com 16 cadei-
ras de guarnic-ilo, 2 ditas de bracos, 2 cogollos
com peura. e sofii, urna mobilia de mogno, um
guarda vestidos de amarello, uma cama franceza
de Jacaranda, um marquesao de dito, um dito de
amarello, uma mesa elstica de cinco taboas, 1
dita dita de 3 taboas, um guarda louca de ama-
rello, dous aparadores de columna, urna quartinhei-
ra.'um cabide, una commoda de Jacaranda com
secretaria, urna meia commoda de amarello, um
piano, duas serpentinas, un candelabro de crys-
tal, louca de jantar, um apparelbo de porcelana
para cha. ropos, clices, porta liem- de ehrystaf,
jarros de vidro para flores, frueteiras e outros
muitos objectos, que^ero vendidwpelo maior
Pelo agente Martins, no armazem da ra do
Imperador n. 48, s H loras do dia.___________
AOS 5:000#000.
BILHETES GARANTIDOS.
i' ra Primtiro de Marco ,'outr'ura ra
Crespo) n. 23 e casas do costum*.
O abaxo assignado tendo vi'nditbi ns s-us tr-
lizes bilhetrs. qoatro quartos n 917 em .V.flCOf.
tres quartos n 192 rom tW0|< 00, nm quart m.
980 com :tOUJOOO, dous quartos n. 2313 cth
100000, e outras sones de 40ou0 e UMMife
loti-ria que se acalxiu de extrahir (4*'). roavM^
aos p.pssiiidores a viriin recelxT na conf nnMaV
do costume sem descont algiim.
Acharase venda os felizes hilhctes gaunlid- -
da 4' parte das loteras a beneficio di igreii d
Nossa Senhora do Monte de OUna i4' i,
extrahir na segunda feira, 7 d> mez
PI'.IXOS.
Bilhcte inteiro 6*100
Meio bilhete 3AiX
Quarto UW
EM POtCaO DE 1005000 t'Akv CjMt.
Bhete inteiro .".^."^10
Meio bilhete 2*730
' Quarto 1*375
Mnnnel Ihrlitu /':-
A viuta do il's-iilnii--mlr lirana ao publico.
Tendo chegado ao ineu c iiImtiih-iiI que
Exm. Sr. bario de l'tinpa foi virtma de um furt.
auda-iuso na noe de 27 do rurraMr iqua-r
apresmtou-sc no patamil da ideada da casa de
sua residencia nesla cidaile. e]M>H de t kan.
uma iiiulher anda mora. alta, e em c>hi|kmIib ifc-
um menino, a anal aa aiinun i u rmaa vmv.1 d
desetnfaargador (.tirana t ilreve ra w rwy
cuniario : 6 do meu dever scieutilir.n- ao puboV
e especialmente aos amigos do meu Uado marial-'
ipie. apezar da extrema pobreza en que ti r:'" r"''
urna familia de is aataans, nao prewei linia V
pedir esmolas. |>orque un meu lho. kanhotl -
rail de familia, esta rtnartfnala oaaria* m i>"i i
pin e o fara al qne a aMoMnneu ini|rinl v-
nha em meu auxilio. ,
Aquellos que me conherem. -aliem q .
na ;:cma notado- ata \\Arw ti r a|ip)icaei i
nmo
Conrloo rhamaa lo para eatt (acto i iMi/ao l
Illm. Sr. Dr. chefe ie aaMa ; laaaaaMa jh i
iiifrlicdade porque acaM le aaanar, araar-M
mullier ou a qiiadrilha de que ella bl aarta, i -
tivo pata exercer sua industria, e Raquear a b '
f de um cidad-lo rr-.rit.iMl
Hecife, '.l de marco de 1873.
(lziiiheira.
MiMLMiWiasa?-
imvm BAHiivi
Ifaci, Penedo e Araeaj. .
B esperado at,9 .dia 7jje abril pxjnma. ftu-
ro, o vapor GasUwde Otkant, desta eeopaam.
Recabe carga e passageiros-par, os prtos ci-
ma, : a tratar com os seftaVajijautarios Antonio
Lniz le Oliveira Azevedo 4.C, To seu espriptorio,
pa d Bjojn-Joups n. 57 ^i
"i- *
LEILO
DE
bous movis
Neudo :
Mobil las completas de j ca-
ra rwl, amartillo e (fQJuiico, to-
das com taiopos de ledra oaiir-
mort'. goartla vestidos, cajjaas
aucezas de jacirand e ama-
rello, guarda lom-ade varirs fei-
tio. auaradores de diBertml&i\
go |t mi i, espelho^ doarados de j-
vereps tamaiiboi^,. maf hians d^
costara, cadetra de ferto para
jardijj*s e terraejr!?, menas elaali
d thesoararia de fazenda pa Paca o referido porto
late ottas : emora o hiate Olna, _.
-nica quolje W.a.ffa
loamni Jo* G
lhrfaf f ra daJ%m& l
icos dtaade
'Ja earga, e
Se com, o con,-
afc'leUm't.l^:
DE "
bous movis, finos crystaes, objectos de
ebctro-plate, prata do Porto, carros e
cavallos.
.Um piano forte do afamado fabricante KerU, 1
inobdia de Jacaranda a Luiz XV, 1 cadeira para
pianno, 1 jardineira, 2 devans, 4 grandes espelhos
deuiados, 1 dito oval, finos jarros e vasos para flo-
res. 6 sanefas escultadas e cortinados, tapetes avel-
ludados, escarradeiras e 4 almofadas bordadas.
Uma mobilia estufada. 1 secretaria, muitos e
dilerentes quadros com linas gravuras, 1 lustre
dentes para gaz.
Dous guardas roupa com espelhos, 1 guarda
vestido, 1 toilette, 1 lavatorio, 1 guarnicao de por-
celana de svre, 2 espelhos dourados, 4 capteis, 4
jarros, 8 ricos quadros a oleo, 6 porta-joas, mesas
de ferro com marmore, 1 Jogo de xadrez, 1 relo-
gio de mesa, tapetes de pelle de carneiro.
Uma cama franceza de Jacaranda, 1 aguia, 1 ri-
co cortinado de fil bordado, 1 sof do Jacaranda,
1 mesa de cabeceara, 1 mesa de ferro a imitaco
de charao, 3 laucas e cortinados, 1 reposteiro de
seda, 1 commoda, 1 sof,"tapete oleado e esleirs
forro das salas e quartwa.
Um lustre de crvstal, 1 mesa, elstica para 24
pessoas, 24 cadeiras de mogno, 2 gtiardas-louca
envidra^ados, 2 aparadores com lampos de pedra,
2 mesas com pedra para trinchar. 2 aparadores
torneados, 2 quartinheiras, 2 relogios sdourados, 7
quadros dourados com finas gravuras, i lancas e
cortinados, porcelana para cha e jantar. 5 amana
de chicaras- e pires. >
Objectos de fino crvstal.
Garrafas, frueteiras, porta queijos, compoteiras,
copos, clices e saleiras.
Objectos de electro-plate.
Uma rica fructeira com 3 ordens. 4 ditas com
pnitoe de crystal, 2 resfriaderas de champagne,
i cesta para pao, escova e bandeja, salvas, des-
gneos parajacas letreinos para garrafa, coin-
res, garios e porta-lier.
Objecto de prata.
Um apparelbo para coi, 1 guarnicao para toilet-
te, 4 casticaes e 1 palmatoria, 1 vaso para punch,
1 faqueijto dobrado, garios, facas, colberes, trin-
chantes, salvas, copo, 1 cesta para pao e 1 palV
teiro.
Urna mobilia de ferro parajardim, 24 globos de
vidro cortado para illummacao, 4 espelfos doora
dos. 1 lantexna magiea e 4 ettagers.
Uma mobilia de palna, mesas de jogo, cadeiras
.. avulsas, mesas de ferro, pannos par mesas, can-
deeiros a caz, tapeteSf-a/ialsos, 4 serpenOnas, ca-
deiras de balaoro e muitos outros objectos.
Carros e tavallo.
Omcap, 1 victoria franeeza. 1 carro america-
no, (ovo) i cavado preto para sella, 1 dito mella-
do para cabriolet, 1 parelba de cavallo* rosilbos
, 1 dita rodada el dita russa.
QUARTA-FEIRA 19 DE ABRIL.
terreo do
Precisa se de urna boa cozinbeira. a qual : .
boa conducta, preferndo-se escrava. para t
prar e cozinhar para urna pequea faindia, paya-
se bem : na ra da Imperatrii n :7
Aula particular.
SeiMinilno Jos de P'aria Sinioes. pn.fe^sor ar-
ticular, avisa ao respeilavtd publico, e rom e#p-
cialidadc aos pas de familia, que e-ta aberta a sin
aula na ra da Penha n. 2.i. 1' andar O metaa
prolessor tem aberto nm curso d<- prinieira* le
tras a n?nlfl para aquellas |ie'oa que iij.> p.io.u
frequentar durante o da.
ca> i piajjo fr*ucez de,3 cpiuia?,
lavatorios, raesrt pa^-advoga-
rTmda^'uir' loa, relajioi de paiJe. dit)a ;f tm ^*^ .. -'-.' sobrado da ra da iiuroen u. 6.
t* algtbejrd, fwfte^e^ pa^t, re-,
logie, oiybaex ctnbrta para
escriptori* ojbjeto de.pNPeai,
cadeii-a. d. baiauAi^ de aie,
urquezas larga a *)a|w>tav
. Jftao Cavalcantede Albuquerque, tendo de fazer
uma viagem Europa, levar, a leitfo por mfer-
veaao do agentltlnto. oiaovet, crytaes, oblec-
.tfTd electro-plate, obras prata, etnaiso**-
tos aginia mencionadas, existentes em casa de sua
'Iwcla, montada alienas ta am anno.jf
ilo principiar s,lt* bora
Arrendase o engenho Penedo de baixo. ru
freguezia de S. Loureneo da Malta : a Ihtar i
mesmo com a viuva de Francisco Joaquim daJ^o-
cha Faleao.________________________________
Escravo.
Precisase a I ligar um aarravo para l !
co : a tratar na ra du Cnaaa n. 6. m ao I
de Apipucos.______________________________
Terceiro andar.
Alugase o 3* andar ra do Padre K. .-.>
a tratar na ra larga do Rosario n 22._________
\m eslabelet'iiifBlo
I)F.
Carros miebres.
Ra da Paz n. 13.
Manoel tabral B nal t-nd cb.e2.iio ba
pouco da pr vincia das .Magdas. Mato K-
montar um iiup rtante estalwli-iiin.-nt i i-
carros fnebres, e se encarreiia le I 4 -
prepar s para qualquer enterr Sai -
nebre e t di.s < s mais misteres que di---*-
rem respeit a seu cstabeleeiment bfa>-
ra a c ocurrencia daquclles que >1* *
prestimo se quizereni utilisar, ivrt s de-i'
sera > bera servidos na pontualida le r un
preros.
Kspera-se pi>r estes dias uma bonita pt.rr+t
de burros, cora boas parellus para carro, tn**
grande numero mansos e passadrj : quem aaitnn-
oer comprar, dirjase aos escri(>torK< do* ir*.
Francisco Hibeiro Pinto Guimares, rtw il>
Rrum, Francisc de Assis Brito, a ra do Apl-
lo n. 8, podendo deixar seus nomes, alim d> *mm
procurados pelo proprielario dos referido aaimaes
Irmandade AcademcH de N.
S. doBomCousellio.
Sao coaridados todos os irmite da antjfa t -
va mesas adimnistrativas a cumpareenraaai
sistorio do convento Je S. Frno#co, qntate-Mr
3 de abril, lelas 10 Iwras da manta, afta de dar-
se posse mesa adminirtrajv* rieiU *ra.3
Reeife 31 de marco de IW3.
O secretario
Francisco Feraaade VSeira
afoaeel Gomes Martins, < .bt"
retira-se para Furopa,, a tratar de
deixa enearregado de seus negocio,
L Sr. Damin Pereira do Santos e eut
Sr. Manoel floncaly* Lettaa
Quera prerlaar de un
brar as mssa nos domjafM, dia *at s era al-
cumaribaldaerto desla eidade, dirv-aa ra*-
da Qlom a 8% gn ac*ai com aa <***
~IIOn>rc>,s7amTiiir^a laaafde *Jar
dim e hortaHca, tendo e meWw nmirt : a trai r
ato par 1 na ra do Mrquez de Otinda n. W, loia.-
#

I



/
>T.....
I !

Diario de Pernambuco Terca fe}ra 1 de Abril de 1878.
x
Escrava.
Ni roa do Crespo n. 6, precsate Je urna es-
eran para todo servido de urna casa de familia
em un dos arrabaldes da chinde.
Os abaixo almenados deelaram ao respeto
vel publico e epeiaTraonte ao corpo do coininer-
io que corapraram a taverna sita ra da San-
. ta Cruz n. 7i, que portencia ao Sr. Domingos
Martns Gomes, hvre e desembarazad de qual-
juer debito que possa apparecer, e i|uem se achar
con alguiu direito a mesma taverna, apresente-
se no praio de 3 das.
Pedro Jos de Medeiros & C.
Aluga-se um moleque ou preta que sirva
para vender : a tratar na roa da ^onceiQao n. ti.
Aluga-se urna escrava para vender bollos ou
nutra qual juer vendagem : na ra do Imperador
o. SO, tercei -andar. ^^.^^_ ______
Ao baeharel C R. roga-se o favor de mandar
indemnizar a quantia de vinte mil ris, que se
Ihe fez o favor de emprestar ao mez de abril do an-
no prximo passado, e nao o fazendo ver o seu
nome declarado por extenso.
Escrav fgido,
Fngio no dia 16 do corrente mez de marco o
scravo Henrique, comprado em 19 do niesmb a o
tenente-coronel Claudino Correia de Mello, do en
gento Alegreto em Pao d'Alho, onde se presume
elle esteja. Tem os signaos seguintes : 20 annos
de idade, pouco mais ou menos, bem preto, oljios
grandes e espantados, rosto redondo^ dentes al-
vos ; leyou caigas e camisa de algodo da Baha
e chapeo preto de manilha. Foi encontrado na
Estrada Nova, caminho de S. Lourenco da Matta.
Pede-se ai autoridades policiaes e eapitaes de
campo, que o apprehendam e o conduzam ra
do Bario do Tnumpho ns. 92 e 9i, antga do
Prom, que serta generosamente gratificados.
Allcillill.
Os abaixo assignaios, constando-lhes que o seu
ex-caixeiro, o Sr. Manoel Moreira Mal tez, tem to-
mado dinheiro emprestado a algumas pessoas, em
nome da firma Bourgard & C, participam ao res-
peitavel publico que nao se responsabilisam por
ousa alguma, visto que o mesmo Sr. deixou de
ser seu caixeiro desde o dia 16 de Janeiro do anno
corrente.
Recife, 29 de marra de 1873.
_______ ltoargard & C.
Ao comiiiercio.
Candido Alberto Sodr da Motta e los Domn-
guez do Cirmo e Silva tem dissolvjdo a sociedade
que gyrava si b a razio social de Candido Alberto
5>odre da Moita a C, ticando a cargo do ex-so-
eo (andido Alberto Sodr da Motta, e com a
nica responsabilidade deste, toda a liquidacao
activa 6 passiva.
Recife, 2'Jde marco de 1873.
Candido lbeito Sodr da Motta.
Jos Poniingues do Carmo e Silva.
AS/1
PAISA
A junta administrativa do
hospital portuguez alaga o
predio da ra do Gomniercio
11. 17, sendo um andar e ar-
mazem com grandes com-
modos e com fundos e sahi-
dapara o caes, propriopara
armazem de gneros de em-
barque: trata-se na ra 1.
de Marco, outr'ora do Crespo
n. 13, com Antonio Correia
de Yasconcellos.
VWP
Continase a foraecei almoco e jantar para
frapor preco romnpdo e com promptidao : na
ra estreita do Rosario n. 33, 1; andar, casa de
familia.
Hospital Poiiuguez de Bene-
ficencia em Pernmntmeo.
Para conhecimento dos socios 'leste hos-
pital, fazem-se publicas as seguintes delibe-
rantes, tomadas pela junta administrativa
em sesso de 1C do corrente.
Os socios que desejarem sei tratados as
enfermaras do hospital, bastar para serem
admitidos, que provena ser socio* e estarem
em dia no pagamento de suas mensalida-
des.
Outro si ni, deliberou a mesma junta que
toase celebrada polo ;npellao no oratorio do
hospital, urna missa por alma do socio que
fallecer; devendo ser apresentadoao respec-
tivo provedor o diploma do socio que nao
fallecer no hospital, alim delle fazer execu-
tar essa deliberarlo.
Secretaria do Hospital Portuguez de .Bene-
ficencia om Pernambuco, 20. 187.!.
Luiz Duprat,
Secretario.
Preciso-.- deum bom cozinbeiro para o
hospital portuguez : a tratar no mesmo hos-
pital, ou na ra Primeiro de Margo., ou-
tr'ora do Crespo, loja n. 13.
Aluga-se de novo o 1 andar la ra de S.
Jorge n. 74, com 2 alas, ti quartos, eoanha f fresco e pintado de novo : a tratar no 2* andar.
Pcrdeu-se ou foi furtado mu bilheite inteiro
ila lotera do Rio de Janeiro (iio.*; de n. 269o :
pede-se no caso que seja premiado, o especial
favor, a quem elle for apresenlado de nao fazer
negocio com o dito bilhete, visto ser o eu verds
deiro dono o abaixo assignado.
Recife, 28 de marco de 1873.
Antonio Jacintho Paes de Mendona.
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro de 12 a lo annos,
com pratica de tavi-ma : no pateo da Ribeira nu-
mero 23.
Precisa-se de um menino para caixeiro de
taveroa, na vla da Es?.'.('.a : tratar n.i rita
Direita n. 3>.
Pede-se a quem comprou os objec*os de ouro
que forain cubados, no dia 2 de marco, da Sra.
Antonia Mana do espirito Santo, urna volta de
ordo, ma liga de duas oitavas do ouro, don?
anneis, um alinete de peito, um brinco com dia-
mante, uma rozeta a bailo e mais dez tostos,
os quaes oraui roubados da mesa de jantar, ve-
nha traier ni loja do pateo de S. Pedro n. 4.
Engenho
Arren1a-o o engenho Estrella, junto i cidade
do Rio Finita* b' de animaos e com propor-
edes para i,o00 paes : os prelendentes podem d-
rigir-se ra Duque de Caxias n. 38, V andar,
que all terao informacSes.

laf3,I?IS"fe
II I* *s f
p-: i
$9*1
||a
5 p,
.- P o
, 3 *
?2. I
SlUo
rr
o
E
O
co
1;
8 b-
508
Contina ausente da casa do abaixo assignado,
desde 15 de novembro de 1872. a preta Mana, de
33 a 40 annos, natural da Baha, tendo os signaes
seguintes : baixa, magra, cor fula, andar faceire,
falla baixo, cara cemprida, nariz afilado, bocea
regular, dentes perfeitos, faltando-lhe um de nm
dos lados de cima, e malfeila de mos e ps, ten-
do o p e a perna esquerda mais grossa do que
a direita, usa de trunfa na caneca, levou de casa
uma outra de tarlaana verde, rosetas de ouro,
saia de cambraia, com lstras de cor e chale novo
de merino estampado com assento azul, foi com
prada ao Sr. Zumba Chaves por intermedio do
corretor Santos, tendo sido antes escrava de uma
preta da Costa. ^ Pede-se a todas as autoridades
policiaes e capites de camp1, ou a qualquer pes-
soa que a apprehender, levar ra da Aurora n.
1C9, que serao recompensados com a quantia aci
iha. Outro sim declara que desde j protesta de
haver os servieos da mesma escrava, da pessoa
que a tiver occulla.
Joio Athanasio Botelho.
PENHORES
Xa travessa da ra
das Cruzes n. 2t pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Francisco Jos Cardo-
so, artista alfaiate, transferio
sua officina da ra do Baro
da Victoria n. 46 para a ra
do Mrquez de Olinda n. 34,
primeiro andar.
Fugio
a 20 de favereiro o escravo de nome Joo, de 18
a 10 annos de idade, com os signaes seguintes :
altura regular, seceo, olhos grandes, nariz grosso,
denles perfeitos, rosto redondo e sem barba, ca-
bellos carapinhos, ps chatos e cheios de cravos,
bem esperto e Indino, canhto, eo;inheiro, tem
bastante pratica de armazem de carne secca ; le-
vou uma bolea nova com duas camisas, sendo
uma bordada, 2 ceroulas, 1 cami-a de meia, 2 pa-
res de meias e um chapeo de palha de arroz : em
dinheiro levou o, e mais alguma roupa perten-
cente a elle : roga-se, portanlo, s autoridades
e eapitaes de campo que o apprehendam e lefem-
no ao seu senhor, ra de Pedro Aflon?o n. 7,
que seroo generosamente recompensados._____
tora os callos.
O nico remedio contra os callos o em-
plastro americano e que sobre todos tem
oblido os melhores resultados, alm de alie-
nar as dores cura-os radicalmente.
nico deposito na Pharmacia America-
na, ra Duque de Caxias n. 57.
300#000
Ansantaram-se desde o dia 30 vje Janeiro do
corrente anno dous cscravos irmos, sendo um de
nome Lourenco, de idade de 26 a 27 annos, esta-
tura regular, "cheio Jo corpo. cor clara, cabello
estirado, rosto redondo e sem barba ; e o outro
de nome Andr, da mesma estatura, mais franzi-
no do corpo e mai novo, com os mesmos signaes
do irmao. sendo comprado Lourenco ao Sr. Clau-
dino de Albuquerque Mello, da comarca de Patos,
provincia da Parahjba, e Andr ao Sr. Joao Fran-
cisco Gomes de Amida, da comarca do Limoeiro.
SuppOc-se que seguiram a estrada do Limoeiro, a
Serra daTeixeira ou comarca de Patos; roga-se
a todas as autoridades policiaes e eapitaes de cam-
po que os apprebendanj e levem-os ra do Apol-
lo n. 30, armazom-de assucar, que se gratificar
com a (u nt a acjma.
Goinpanhia
Santa Thereza
4 Predilecta,
no empenho de bem servir tos sens freguezes e
ao publico era geral tem procurado | rover-se do
3ue hade melhur e da ultima moda nos mrca-
os de Enrona para expo-lo aqu venda, cor-
tos de que os saus artigo srrao bem apreciados
pelos amantes do bom merar alguns 'entn elles, como sejam :'
ALItU'S, o man ricos que lew viudo a este
merradn, com capas de madrrpi-rola,
tartaruga, marltiu, velludo e chagrn.
ADERECOS prvhM e v.ilta proprias para luto ;
assim como, uin ixni.to sortimento de
ditos de plaqu, obra fina e muilo bem
acabada.
BOTES para puno**, o que se pode desejar de
melhor em plaqu,, tartaruga, madre*
perola, marlim e sso.
BOLCAS de velludo, seda, palfia e chagrn, o que
ha de mais moderno e bndas.
BICOS de seda e de algido, tanto branco como
preto, de variados desenho
CASSOLETS pretas de metal e de madrepe- T ^TU S*- V
rola." *, 4as ellas, sua virtude especial ou poder
CA1XINHAS para costura, mnito ricas e de di
B versos form tos, com msica e sem
ella.
COQUES a imitaco, o qne pode haver de mais
bonito e bom gosto.
DEADEMAS, neste genero a Predilecta apre-
seata um grande, e liado sortimento
capaz de satisfazer os caprichos de
qualquer seohora por mais exigente
que seja. i | I
PORT-BOUQUET de madreperetaj rnarrn e sso,
este um objecto lndispensavel s se-
nhoras do bom tom, alim do aspirar
o aroma das flores sem o inconvenien-
te de nodoarem as luvas, ou manchar
rem as delicadas mos.
PENTES de tartaruga, de marlim e de bfalo, pa-
ra alisar os cabellos e tirar bichos.
PERFUMARAS. E' sabido do publico que a Pre-
dilecta sempre conserva um importan-
te sortimento de perfumaras de fino
odor dos mais afamados fabricantes,
Lubin, Piver, sociedade hygienica, Cou-
dray, Gomes e Rapbaei, que in-
cumbido da escotha dos aromas mais
bem aceitos pela sociedade elegante
da Europa, e por tanto, aclnm-se na
possibilidada de bem servir aos aman-
tes dos perfumes.
A PREDUiECTA deixa de enumerar uma im-
mensidade de artigas, alim de nao mas-
sar aos leitores e se pede a benevo-
lencia do respeitavel publico em di-
rig r-se ra do i abug i. 1 A, pa-
ra convencer-se aonde pode comprar
o que bom e barato, assim como:
FACHAS ricas e modernas dejtu de qnin cor, o
que ha de mais bello neste genero.
VESTIMENTOS. Ricos vestimentos para msninos,
por liaratssimo preco.
FLORES. A Predilecta prima em consen-ar um
bello sortimento de flores ao alcance
de qualquer boira ainda que nao es-
teja bem replecta de dinseiro.
FITAS. ja bem sabido do publico que s na
Predilecta que podem encontrar um
grande sortimento de filas de setira,
tafet, velludo, linho e de algodo, por
eommodo preco.
GRAMPOS de tartaruga, imitaco destes, pre-
tos e ?e cores, o que se pode desejar
de mais moderno e bonito.
GRAVATAS de seda e de cambraia para senhora,
la {os e golinhas de bonitas cores, tam-
bem tem um bom sortimento de gr-
valas e regatas para liomem. *
JARROS de porcelana e de vidro limito bonitos
Sara ornatos de sala,
lei s de seda, de I e de algodo, pa-
ra senhora, meninas e homem.
LEQUES. Ricos leques de madrepcrola, tartaruga,
marlim e de sso, os mais modernos e
por barato proco.
LUVAS de pellica, de seda e de algod.\o, para
homem e senhora.
LIYROS para missa, a Predilecta apresenta es-
coma do respeitavel publico um bello
sortimento destes livros com capas de
madreperola, tartaruga, maifim, osSO,
velludo e chagrn, por pre{os mui
razoaveis.
Novidade.
A Predilecta, a roa do Cabug n. 1 A, acaba
Je re.eber pelo ultimo paquSte chegado ropa, um bello sortimento de corpinhos d cam-
braia bordados para senhoras e meninas, golli-
nhas e punlios tambeni bordados e de phantazia,
saias bordadas, ditas com ntremelos para senho-
ras, bonitas calcinitas de diversos tampadilhos
para menina?, ricas fachas de taquim de cor,
que tudo vende por barato* preco.
Attenco
A abaixo assi^nada estando promovendo a ac-
K'o de divorcio com seu marido Antonio
s de Souza, e tendo requerido e feito seques-
tro em todos os bens de seu casal, nao tendo sido
encontrado ttulos e nem papis de dividas, e ten-
do a annunciante certeza que diversas pessoas
sao dovederas ao seu casal, faz cente a csses de-
vedores bem como ao publico que nao pague
suas dividas c uem facam negocio algum com di-
to seu marido sobre os bens de seu casa!, sob pe-
na de serem anunllados ditos negocios e cobradas
de novo ditas dividas.
Recife, 28 de marco de 1873.
Iria Maximlina Pereira de Moraes.
Aviso de utilidade.
O abaixo assignado faz ver aos senhores mora-
dores da frrgnezia d.i t'o .-o da Panel la, que ar-
rendeu ao Sr. Bento Jos Domingue, a padaria
sita na ra ;a Casa Forte, por eujo fim pede aos
seus amigos e eonbecMos da mesma treguezia a
sua protece no consumo de pao e bolacha, com-
promettendo-se a trabalhar com boas farinhas e
lmpeza, zello e promptida para melhor satisfazer
aos seus freguezes; a qual prioeipiar a traba-
lhar no da t de abril em diante.
Fregu -ia do Poqo da Panella, Io de abril de
1873.Hypolito Martns Gomes de Pnho,
AGRANDE PURIFfCAOH DO SALGUE I
Esta excelleute e admiravel medicina, t
preparada d'uma maneira a mais scienfi
x por Chinucs e Droguistas mui doutos e
l'uma instruccao profunda, tendo ti do mui-
tos anuos de experiencia ao par d'uma Ion-
?? e laboriosa pratica.
A sua composiv2o n3o consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
omposta d'extractos d'um numero de rai-
les, nenas, cascas, e folhas, possuindo to-
m curar as molestias as quaes teem sede
du essento, no sangue ou nos humores;
i estes difler en tes extractos vegetaes, acham-
ie por uma tal forma combinados ponto
le conservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada um de
per si possue. A raiz da -planta de Salsa-
parrilha, produzida as Honduras, a que
qs usamos nesta preparado, sendo a qua-
lidade que todos os mdicos mais prezam
9 estimam. Na cumposjgo da Salsa-
parrllha de Bristol entra mais de 50
por cento deste concentrado extracto. Ella
lio en cerra em si cousa alguma, que pos-
ta por leve ser perigosa ou injuriosa^ i
sade; e tanto n'este, como em quasi to-
dos os mais respeitos, ella inteiramente
iiversa de todas' essas mais preparacoes.
ts quaes debaixo do nome de Salsaparr-
Iha, sao acondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em doses
mui diminutas d'uma colher de cha por
cada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
mos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
im frascos grandes, e assim por este modo,
vidimos com os consumidores, o grande
proveito e vantagem alcanzado por aquelles
pie acondioionam sua preparacao emg '
rafas pequeas. Cada um dos frascos de
aossa Salsaparrllha de Bristol
oonteem a messa quantidade igual por?5o
;ontida naquellas garrafas pequeas, e alm
sso, possue ainda muito mais forga e
virtude medicinal do que aquella, que por
ventura se possa achar contida dentro de
eis garrafas de pequeo tamanho. Por-
lanto mui natural, que aquelles, que sej
icham oceupados em preparar e vender as
mas produeces, em garrafas pequeas,
amrmurem e gritem contra os nossos fras-
cos grandes: proclamando, que a nossa Sal-
saparrilha de Bristol nao possue a
menor virtude; porm quo effectivamen-
te s5o elles postos em silencio, quando indi-
amos, ou simpiesmente referimo-nos para
wm essas centenares de certides e les-
tmohos authenticos, por nos recebidos
ie todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles- lugares aonde as
cfferentes raizes, drogas, hervas, e plan-
tas de que se compem as nossas medicinas
3o produzidas, que nos habilita exer-
xr aquelle constante cuidado e disvcllo na
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excellencia.
Em quanto que, por outro lado, nos Dio
aos poupam.os nm dinheiro, nem dili
jencias ; afim de alcanzamos o melhor
8 nicamente o melhorde cada um artigo
)u ingridiente que entra na sua composi-
'2o; pois levados e compenetrados'. i
Eais rme e persuasiva confianca; que po-
jemos afoutamente dizer aos doentes de to-
las as nac3es, e de todos os paizes, que na
Nlalsaparrllha de Bristol. possuem
un remedio mais efficaz e seguro ; do que
lenhum outro, que vos tenha sido offere-
:ido at hoje, e o qual por certo nao hade
mallograr vossas expectativas, na prompta
3 effectiva cura das seguintes enfermidades:
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Feridas Ulcerosas,
Tinha,
Syphilis.ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofu-
losos,
Irregularidadesdc
Sexo-
Feminino.
Nervosidade,
Debilidade Geral
Febra e Malignas f
Febre e Sezes
Biliosas,
1. dividendo de G
l
.agamento do p'meiro dividendo, relativo ao
se.'lustre Cndo em dezembro, ter lugar s sex-
tas-feiras, das 1 i horas da manh 1 da tarde,
no escriptorio da ra d Vigario n. 13, Io andar.
Reefe 26 de marco de 1873.
0 gerente,
Justino J. de S. Campos.
.
Grande novidade!
Breve teremos o prazer de deleitar-nos com os
tiabaitios da primeira eompanhia de cavallinhos
onbecida em todo o mudo dos Srs.- Grenk Sl C.
para o que j ebegaram dous elephantes pertea-
centes a comparta, os quiss* nstario hoje todo
'] *!? ejPos, Para 1uei quizer ve-Ios, defronte
Je S< Francisco, na casa da fabricado de carro-
-;a<, junto rios-carros fnebre. Gi Jjs.

Alaea-se
o 3* andar do sobrado da ra do Vigario i. S, edrn
foons commodos para familia ou para qualquer so-
eiedade : a tratar no rmate r. 23 da "ravessa
lo Corpo ?anto.
NOVIDAM
i'ambres preparados, s libras e intui-
ros, com mscripses anlogas u sem
ellas.
Pas'eis, bolos, pes-de-l,' pudings e em1-
padaspara sobre mesas..
Vaude-se na ra do imperador n. 2'..
('(iDreiKira i* Campas.
iO C0M1RCI0.

_ De 10 palmos.
Sapotiseiros e sapoteros, e dahi para baixo, pi-
nheiras, fructa-po, oiti-cor, arkicum-a-p, aba-
cate, laranja-cravo, flanbovant ou brlihante, pal-
meira imperial, roseiras de qnalidade, alecnnss
parreiras coracio da india, romeiras e outra,
[antas : na Capnnga, ra da Ventura numero 0.
Avisase
a quem der noticia da escrava Guilhermina que
foi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos Sa- -
tos, e aepois comprada ao Baro de Nazareth,
representa ter 23 annos, tem falta de dentes na
frente e as mos cora cicatrizes de quemadura
de gaz, secca do corno e muito regrista, que des-
apparoceu da casa de sobrado n. 26, da ra dos
Coelhos, que ser generosamente recompensada
Casa foreira.
A casa terrea n. 85 da ra de'Hartas, perten-
cente Francisco de Souza Reg, e que vai
praca pelo Juiz dos feitos da fazenda, foreira
santa casa da misericordia de Loanda ; seu pro-
curador mora na ra da Cruz n. 19, Io andar.
tasull'ni medird-firiirrico
Br. Ferretra.
*Rua larga -de Bosario n. W, fantigo
gabinete de seu pai)
Gratis ao pobre?.
rumores
Vbscessos Apostemas,
Erupces,
Herpes,
Salsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remitientes,
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, achar-se-ha, que para o bom
resultado eperfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima apontadas o adian-
tamento da cora, grandemente promovi-
do e apressurado; usando s ao mesme
lempo das nossas mui valiosa punas
regetaes assncaradas de Bristol.
tomadas em doses moderadas em conne<>
fSo ou conjunjtamente com a Salsaparrilha;
8llas fazem remover e expellir grandes
quantidades de materias morbficas e 'hu-
mores viciados que se desprendem e livre-
mente circulam esp alhados pelo systema,
isto causado pelo utso da Salsaparrilha; e
por esta forma faciliar a volta e o exercicio
formal das operafes fuaccionaes,
i qual preparada somente pelos uaicoi
_____ PropMrietaos,___________
Casa
Aluga-se o t andar do sobrado da raa do Im-
perador n. 38, todo forrado e pintado, proprio pa-
ra qualquer escriptorio ou sociedade : a tratar na
roa do Imperador n. 73, loja, das 9 s 3 da Urde.
Os iilhos de /gostinho Jos da Silva, Jos
Goncalvcs dos Santos e Silva, Antonio (Juncalves da
Farias e Silva e sua* inns, veem por mio deste
prevenir ao publico que teem de pedir por Mi do
presente uma esmota, a qual fin por lim acudir a
perda de 1:G"9 que seu voltio pai perder da es-
tacao da Jaqueira estacan da rua de Santo Ama-
ro, quantia .esta pertenecnte a orpbos, e que,
como thesoureiro do juizo respectivo, tinlia de sa-
tisfazer i vista dos mandados que Ihe foram
apresentados no dia 26 do correte ; e por meio
do*presente apTesentar-se-uao rogando a caridade
dos benignos corac,5es a quem Ihe for pedido, a
concorrer para to justo fim, atfendendo tambem
sua idade, pobreza, e quasi loucura em que se
aclia com semelhante perda.
Aluga-se a casa terrea da rua dos Guarara-
pes n 12 em armazem, com um sotao grande e
quintal tambem grande, proprio para coxeira ou
outro qualquer neg >co : a tratar ao p n. 10 ou
na Boa-Vista rua do Bosario n. 26.
Aluga-se
o sobrado de um andar na rua de Aguas-verdes
n. 27, eonf bons commodos : a tratar na iua Di-
reita n. 8i.
Lniz Pereira Raposo.
Josepha de Farias Baposo, Justino Pereira de
Farias, Antonio Pereira de Farias, Marianna de
Farias Botelho, Isabel de Farias Humares, Cae-
tana de Parias Costa, Joaquina de Faria* Texei-
ra, Clementino de Farias Tavarcs, Hermina de
Farias Tavares, agradecem summamente a todas
as pessias que se dignaran) assistr as exequias e
enterramento de seu fallecido marido, cunhado e
to, Lniz Pereira Baposo, e Ihcs rogam o caridoso
obsequio de ass'stirem s nrssas do stimo dia,
que por alma do mesmo mamlam rezar na Vene-
ra ver Ordem Terceira de S. Francisco e na ca-
pella do cemiterio publico, terca-feira I de abril'
as 6 1/2 horas da manila. _____
Isabel Ribciro Pires Ferreiru.
Hcnrique Jos Alvos Ferreira,
Galdino Antonio Alves Ferreira e
Anua Eduarda Alves Ferreira-
agradecem cordialmcnte a todas as
pessoas que se diguarain acmnpa-
nharao cemjerio publicos restes
inortaes de. sua presada mai, D.
Isabel Bibeiro Pires Ferreira, e as convidan! a as-
sistirem s missas pie mamlam celebrar na capel-
la do cemiterio, igreja da Pcnha e matriz da Boa,
Vista, s 7 horas da manila do dia 1" de abril,
p'o que de-de j protestam o seu reconhecimento,

Isabel Bibeiro Pires Ferreira.
Henrquc Jos Alves Ferreira,
Galdino Antonio Alves Ferreira,
e Anna Eduarda Alvos Ferreira
agradecem cordialmente a todas as
pessoas que se dignaram acompa-
nhar ao cemiterio publico os restos
mortaesde sua prezada mai D. Isa-
bel Bibeiro Pires Ferreira, e as convidam a assis-
tirom as missas que mandam celebrar na capella
do cemiterio, igreja da Penlia e matriz da Boa-
Vista, s 7 horas da manh do da de abril ;
pelo qne desde j protestam o seu reconhecimento.
.No uia o de fes-ereiro de 1873 fugio o meu
escravo mulato, Jos, idade 20 annos, estatura 7
palmos, cabello corrido, falta de dous dentes na
frente no queixo superior, os dentes podres, os
dedos dos ps curtos, ps achatados ; levou cami-
sa de madapolo, calca de casemira parda de al-
godo, chapeo preto de massa : quem o p(gar
levar a seu sohor Sebastio Jos Mendos, nos
Afogados, no sitio do Boi, que ser bem recompen-
sado
Caixeiro.
Precisa-se de um caixeiro para ama taverna,
de 12 a 14 annos, preferindo-se portuguez : a tra-
tar na rua do Jardim n. li.
Nio novo o (al
Cha preto ra ponta branca
E cha verde perola superior
Porque vende-se na rua
'lor n. 2i.
Amas
Precisa-se lugar duas amas ; urna para
engommar e cuidar deoutros servieos do-
msticos, outra para cozinbor e lavar. Tra-
ta-se na rua do Capibanbe n. 40.
AMA
Precki-sc de uina ama escrava ou
lorra para runuirar e rnziohar : m
j-ua da-P.oda. *6, f andar. S
Urgencia.
Precisa-se de uma ama de
leite, que o tenha bom e
abundante e sem filho, pa-
ga-se bem: a tratar no pri-
meiro andar desta typogra-
phia com o administrador.
Ama para casa de familia.
Na travessa do Duque de ("axias n. 3, andar,
precisa-se de uma ama livre ou escrava, para
cozinhar e outros servieos proprios de casa do
familia. Paga-se bem agradando._____________
Precisa-s* de duas aaaas, uma de leite o ou-
tra secca : na rua Augusta n. 161.
AMA
Precisa-se de ama ama para pou-
ca familia estrangeira : na roa 4a.
Camlioa do Carmo h. 19, 1* andar.
AMA
gundo amlar.
Precisa-se de una ama para cozi-
nhar e comprar para ama s pessoa :
na rua da Senzaila-velha n. 110, se-
I ivo Precisa-se de uma na rua da Penha n.
AUld 83| j. andlr____________________
mCom urgencia precisa-se de urna
boa oozinhcira, que coinpn e engom-
me alguma cousa para casa do urna
pessoa soltoira ao pateo do Carmo n. 7, primei-
ro andar.
A-tMA Precisa-se de uma ama de boa con-
ixilla dacta, que compre a cozinhe : rua de R.
Francisco n. ii.____________________________
Precia-se de uma ama para
cozinhar : tratar no Armazc-i
Filelidade : rua do Imperador
A M A
n. li.
ABIETE
Medifo-oirurgico
RUA DO iMPF.BAl)0 N. 73. ANDAR
0 DB. NNES DA GOSTA
MKDICO OPERADOR E PABTEIHO.
ESPECIALPAOFS.
Molestias e operifoes de n.hos.
Cura radical e insta disnea dos
estreitamentos da uretra.
Consultas : Das 7 s 10 horas
da mar/iba.
Chamados: A qualquer Lora.
I

do Impera-
Confeitaria do Campos.
Escravo fgido.
F engenho Boa-vista da fr,egueza de S. Vicente, co-
mal ca de Itamb, o escravo Antonio com os sig-
naes segnintes : 35 annos de idade, pouco ma s
ou menos, alto, secco, cr fula, pouca barba, tem
cica'.rizes de ferida nas peinas, carapina, sabe
ler e escrever: qnem o pegar evo-o ai dito en-
genho, ou no Recife ao Dr. Laurino de Moraes
Pinheiro, rua do Bangel n. 7, que ser generosa-
mente recompensado.
i
Est encoura^ado!! !
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Millo,
escrivo na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir rua Duque de Caxias n. 36, con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometten a.
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
tins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872,e nada cumprio,
e por este motivo de novo chamado para dito
im, pois S. S. se deve lembrar que este negocie
de mais de otSO annos, e quando o Sr. son lilho se
achava nesta cidadj. ^_____________
Attenco.
Acaba de chogar navio de Genova com lndr.i' 10
do marmore, de IO, U e ti pollegadas, e ped*
de luzerna mui rija, e por isso propria para ladri-
lhar armazeiis: s desembarca a que lor v.-ndid
aqu, no annaz.m do K. A. Burlo \ C
Cabelleireiro
Preelsa-sede oflleian* di barheim c eakolki-
reiro : na rua da Cadoia do li-cife n. 51, pn-
meiro aiidir. _______________________
Na rua da Madre do Deus n. :. prcofoa-se ui
nm criado para todo o snico loterao.
1
\viso
20*000.
Frecisa-se alugar uma escrava qne engomme
porfeitamente bem, e far;a o mais senifip interno
de uma casa de pequea familia, composta de
duas pessoas, e de uma outra que cozinhe com
perfeicao : no largo do Paraizo n. 28. 1" c 2" an-
dares.
Offerecc-se un)
annos, para caixeiro
rapaz brasileiro de lo a ni
de mindezas, fazenda, ou
iutra cousa semelhante : quem precisar dirja-
se a esta typognphia, qne se dar as informa-
COOS.
Renaco.
AiNNOTj
Vende-se uma taverna em uma das meihores
localidades da freguezia de S. Jos : a tratar naj
r-.a dos Pescadores n. 1, padaria
Generosidade.
'Os arenantes desta cida !e. quereYlde dar ama
prava de sua pbilantxooia, decbraui que boje des-
de as 61|2 horas do dia at 3 da tarde, forneeem
carne de graca a todos aquellos que quizerem
utilisar-se de trrespontaneo doado, para" oque j
expediram ordens terminantes as encarregados
de talhos neste sentido.
subdito "
> a--.^
Jos Cardpso da Silva, subdito portuguez,
retira-se para Europa : a tratar a sua sandi
COHMENTARIOS
A leda reforma judicial ia
L^ AflTCOTO CAimO 2 fiOCBA
1 VOU'ME DE CERCA DE 300 PAGINAS.
BROCHADO 7JH)00.
ENCADERNAPO 855000.
Esta obra tem merecido elogios dos juris-
consultos e dos estadistas, sendo devidamen-
te classiticado cqmo ornis bofa elaborado
tralia!ho e o mais completo sobre o
jecto. "
Livraria Frartceza.
.
Aluga-se
Alaga-sc a loja do sobrado da rua do Impera-
or o. 27, e o armazem gue Ihe fica ao fundo,
o caes 23 de Jiovembro if. 22j: proprio feara gran-
de deposito de generes saeso oenjolfados, lon-
ja, madeins etc.: a tratar'na raa^d Bangel n.
7, 1. ou 2.* andares. ______ _
Criado.
Precisa-se. de nnjnieniuo de 12 a 18 ancos,
para criado : na rua dn Quemadon. Rl.
Vende-se a bem conhecida fabri:a d" rcfinaf-lo
a vapor, a rua da Concordia n. 32, com todos os
utensilios necessarios para reinar e crystalisar
assucar, e com todas os pertoncas necessaras ao
movimento mechanico, constando de grandequan-
tidade de formas propras para crystalisnco com
sous competentes andames e furos correntes, prc-
pras para qualquer agricultor que se queira avli-
ear ao methodo de crystalisaio por ser l'aciiimo
de comprehender para qualouer purgador de en-
Se".ho ; assim como, quantidade de tachos, cal-
eirasy depsitos, cubos de cobre, ferro e madoi-
ra, urna machina para reduzir a p o assucar,
2 liltros, 2 machinas a vapor, e os mais utonc los
pertencentcs ao estabelecmento, tudo se aetaa ox-
posto para os pretendentes verem, e tudo se ven-
de por baratssnio preco. Tambem se vende 10
escravos habilitados para todo o servico de reli-
aacao.
Mel de assucar.
Vendo-so pelo barato pre;o de 10*000 o bar-
ril de quinto : rua da Concordia n. 32.
Os Srs. Meuron (fe C, fabricantes de raje..
na rua do VtscondetteGoianin n. 157, preci-
sa:n de algumas mulhorcs p:ira trabalhar na
sua fabrica : a quomconvier, pode dirigir-sf
a mesma fabrica para tratar.
Fugio rio engenho Jundta, da comarca do >'aza-
fetli, m dia i do marco, o preto crioulo de n
llcmetorio. com os sifBM seguintes : 2V ann 0
de idade, baixo, cheio do corpo, tem falla do nm
dente di) lado .le cima, pouca barba, unibogud) o
levon calca de ritaaoo azul e camisa do algou, 1
braaco : quem o pegar leve-o ao son senbor o
tenente Antonio Bibeiro de Moura no dito euct-
nli'1, ou a Joaqnini Cavalcnlto do All.uquonpv
Mello no sitio do Forte freguezia da Varzea. qne
ser generosamente raenoMano. O dito escravo
foi encontrado em Caxangae supdo-sc ter chegado
ao Recife.
Precisa-se de rotuladores, no Largo do Arse-
nal de Marinha 11. 8.
lina escrava ofsiooe-se para ser ama de qna'-
quer casa e para todo o snico domestico, que-
rendo dar a quantia de 300i para a sua liberda-
uo, eando esta obrigada a pagar com os seus
ordnalos aquella quantia : rnieaa quizer p.dc
diiigir-se rua dos Pires n. 30. que achara com,
quem tratar.

m KA*.jt |t M**.* i .
******i' aja (?## i
Novo estabelecmento
de joias.

4**
J1

Rua do Cabug n. 19.
O proprietario deste estabelecimente
'~l recebeu entre muitos objectos de peque-
& nos valores, os seguintes: rozetasc anneis ~i-
:j de brilhantes, brincos e cazoletas, ade- jg
^ recos e melos adei-egos de rubins, esme *5"
S rada?, perolas, alfinetes para reta- Mi
WL tos, com brilhantes, rubn? e perolas, j**
^ porta-charutos muito proprios para me f
-:- sa, de delicados postos perfeita mao *=-
*i^ de obra, apparelhos proprios para almo- *
;^ 50 c jantar, para, meninos levar para o 'jJL
tollcgio, tudo se vender p.^r presos ra-.^
'^*! zoaveis, garantiado-sc todas as joias que ***

desto estabelecmento saia. Tambem se
aa
*#. fabrica o conceda qualquer Objecto ton- *
dente a mesma arte.
No dia 31 de marco prximo passado fugio
do engenho Bartholomeu a escrava de nome Sa-
bina, com os signaos seguintes: preta fula, cara
redonda e bexigosa, olhos pequeos, testa pequea
e batida, e com uma cicatriz, baixa-, grossa, mos
o ps pequeos ; ella costnma quando foge inti-
tular-se forra, e como tal engajar-se como ama de
casas de familias nesta cidade ; quem apprehen-
.de-la leve ao referido engenho, ouUu rua do fUab
gel n. 8. que ser generosamente recompensado.
Escravo fgido
150^000
No engenho Massiiajag, freguezia da Esrada, se
dar de gratilioaeSo acuantia cima a quem ap-
prehender tres cava|)es que uaquello engenbo
.foram furtados na noute do dia 29 para 30 do m-
veinlii'o prximo passado : o '..* tem 9 annos, e
^astanho e castrad 1, tera a orelha direita bastante
aseada, uma estrella na tota, e no quarto esquer-
do tom uma crui o 1 ruco, com pintas ver-
molhas nos qnartos, grande, -gordo, cm o [tes-
coco fino, castrado, tera os quadris fereos da
cangalba, ferrado cora a marca -1. R. do lado
diivito, e tem a idade do 9 annos; o 3.* rudado
sanhassd claro, curto grosso, nm pouco cambito,
castrado, pequeo, e est forrado com a marca
Ono quarto direito : gratificase com 50|000
por cada nm em presenca da pessoa, em cojo po-
der for encontrado qnalquor dos ditos civallos.
Precisa-se de um menino de li a 14 annos
anno< para taverna, embora nao tenha grande
pratica, con.tanto que seja de boa conducta : na
rua Imperial n 190._______________._________
- Na rua do Crespo n. 7, loja do Gaho Vifi-
, precisa-se de uma ama para cozinhar: pre-
-se escrava
Manoel Enedino Re-
Valenca.
go
Camba do> Ca
m. i.
##$$$999
V


* 1
'


Diario de Pernambuco Terca feira 1 de Abril de 1873.
/


AL.TA MOVID/tUB
PIANOS E MSICAS
ANTONIO JOSfi 11B AZEVfiDO
Ra do Barao da Victoria n, 11, armasem, e 12 1. andar, antiga ra Nova
mu ASKAssafi
aonie o publico em geral encontr, hempre o maior e mais esplendido sortimento depiauos de
Pianos, msicas e instrumentos de mnsicas para banda militar
e orchestra.
Acaba da abrir no primeiro andar do sobrado n. 12 confronte a
botica Ha arar, am grande saiao onde esli expottot os maga i ticos
d irmaro, de Pleyel.
de meia canda, do mesmo antor. ,
da H. Henri.
da Amede TbibouL
nico agente nesta eidade, dos celebres afamados
PIANOS DE AUCHER FRSRES
remiados em diversas exposi{dss om 14 medalbas de onro e prata.
Sao os onicos pianos qne aqu ven da Europa, peritamente afina-
los, fetos com elegan;ia a solidez.
Tambem receben grande sortimento de mnsicas pira piano, piano a
canto a entre ellas as lindas eompo9c5es do muito tyropatbico maeeiro
F. SAWTINI
A SABBR :
Walsa.
Voc me qner
Olga Mazurka.
La Separacioni Para caoto.
A Lu eleetrica, grande Walsa.
Frnco BrasiUiro Polka.
Tomada de Vllela GMope.
Joaninha Walsa.
A Libertadora Polka.
A Primeira espada Wal?a.
A Minha Lyra Walsa.
A Natalicia Polka
Stadieule Bo ka.
Ultima! publicarse
Felfas as offienas de mnsicas
do annnnciante.
Emilia, polka por I. Smolti.
Circaciana, tenotcb, por Smolu.
Jardim do Campo das Priceus,
[quadrilha, por J. Popoa.
Chova de Rosas, Walsa, por II. Al-
I bertazzi.
D'aqni anadiante continuar a annnneiar todas as publicares que se forem friendo oas snas offlcinas de mnsicas.
MEURON & C.
% % M S A. M
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenlio se pode
confundir com o d'aquellea.
Os apreciadores que quiserem do verdadeiro REA
PRETA, evem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & G, e a desig-
nado de REA PRETA.

MEURON ft il
FUNDIDO DO BOWMAN
BDA DO BRUH N. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS senhores de engento e oatros agricultores, empregadorea de m
chinismo o favor de orna visita a sea esta-belecimentu, para verem o lovo sormeDlo
completo que ahitera; sendo tado saperior em qoalidade e tortidSo; o qne cora a ins
peceo pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENgO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO
V&10T63 fi rodas d'ft0"nfl dos mais CJoJernos yernas eem ta
lapuxojo luuao ** a5 ft maobos convenientes para as diveras
circamstaDCias dos senhores propietarios e ptra descansar algodSo.
Moendas de canna delodos oslamaDhos' mejores ^ aqu
existem.
para animaes, agoa e vapor.
Rodas dentadas
Taixas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques*
Machinismos
Bombas
Todas as machinas
Faz qualquer concert de ma:bdismo'a w ttni resamid0-
Formas de ferro
Encommendas.
para mandioca e aigodo, 1 PodeDdo...todos
e para serrar madeira. f ser movidos a mSo
/por agna, vapor, .,.
de patente, garantidas........ |oo animaes.
e pecas de qne se costoma precisar!
do mer-
tem as melhores e mais barata existentes
cado.
Incutebe-se de mandar vir qoalqner macinismo von-
tade dol clientes, lembrndo-ihes a vantagtm d fazerem
oas compras por intermedio de pessoa entendida, e qne em qnalqner necessidaoe pode
Ibes prestar auxilio.
Arados americanos e iMtn"DeD,w ,8"fc
RA DO BRUH N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
GASAD00UR0-
Aos 5:000-3000
Bilhetes garantidos
Hua do Barao da Victoria (outr'ora Nova]
n. 63, e casa do costume.
Acbam-se venda 09 muito feliies l)ilhetes ga-
rantidos da i' parte das loteras a beneficio da
igreja de N. S. do Monte de OlinJa, que se extra-
hir no da 7 do mez vindour),
Precos
Inteiro 6*000
Meio 3OOO
Quarto #3003
De fOOrOOO para na.
Inteiro o#500
Meio 2*750
Quarto 1*373
Recife, 29 dejaron de 1873.
Joo Joaquim da Costa Leite.
Avisamos
Nos abaixo assignados fazemos sciente ao pu-
blico e especialmente ao corpo do comniereio des-
ta praca ou fra della, que as casas bancarias ou
particulares nao facam negocio em descontar duas
lettrasde Bento Ferreira Pimentel, sobre-pena de
perde-las por embargo d) aceitante Francisco Ro-
drigues Almirante, e do garantidor Jos Ferraz,
relativo ao engao de nossas contas, em virtude
da responsabilidade de Bento Ferreira Pimentel,
assignada e declarada por este Diario em 6, 7 e 8
de fevereiro de 1873, as quaes existen em nosso
poder valiosas e documentadas, por nio ter o dito
suppli;ante desembarazado legalmente seu nego-
cio, conforme lei; e para maior firmeza nos
asignamos Recife, 1 de marco de 1873.
Rodrigues 4 Pires.
Os abaixo assignados declaram ao publico
em geral e com especialidade ao corpo commer-
cial desta praca, que compraram o estabelecimefl-
to de molbados sito ao largo da Santa Cruz n. 3,
Sra. D. Maria Florencia de Souza Pinto, livre e
desembarazado de qualquer onus, ficando porm
responsaveis pelo passivo pertencente ao dito es-
tabelecimenio, como consta de urna relaco que
se acha junta ao papel de venda : se alguem mais
se achar com direito ao dito estabelecimento, ap-
pareca no praso de oito dias, a contar da data
deste. Recife, 9 de marzo de 1873.
_____________Gama & Silva Brito.
Caxeiro
No hotel de Apipucos precisa-se de um caixeiro
de 13 a 16 annos de idade, preferinde um que te-
nha pratica.
AO ARMAZEM
|R0
VAPOR FrUNCEZ
RA DO BARAO DA VICTORIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes e de
elegantes modelos, dos mais notaveis e bem co-
nhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse
Blondel, Henry Hers e Pleyel Wolff A C. : no
vapor francez, ra do liarlo da Victoria, ou-
tr'ora Nova n. 7.
Calcado francez.
Botinas de luxo e phantazia, brancas pretas e de
differentes cores, tanto para seunoras, como pa-
ra meninas.
Sapatinhos com saho no rigor da moda, brancos
e de cores para senhoras.
Botinas de Melis, de Suser e de Polak, para ho-
mens.
Sapatos de cordavio Mili spara bomens.
Botinas para menino de qualquer' tamanho.
Perneiras e meias-perneiras tanto para homens
como para meninos.
Sapatoes de Suser para homens e meninos.
Sapatos- de verniz com salto para homens.
Abotinados de muitas qualidades e precos para
meninos e meninas.
Sapatoes de verniz com sola de pao preprios para
sitios, jardins e banhos, sortimento para homens
e senhoras.
Sapatos de tapete, casemira, charlot avelludado,
de tranca portugaez e francez.
No armazem do vapor francez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n^ 7.
Perfumaras.
Finos extractos, banhas, leos, opiata e pos den-
trifice, agua de fl r de laranja, agua de toile-
te, divina, florida, lavando, pos de arroz, sab-
nete?, cosmticos, muitos artigos delicados era
perfumara para presentes com frascos de ex-
tractos, caixinhas sortidas e garrafas de diffe-
rentes tamanhos d'agua de cologne. tudo de pri-
meira qualidade dos-bem conhecidos fabrican-
tes Piver e Coudray,
No armazem do vapor francez, a ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Para viagens.
Muito boas malas e bolsas para viagens de ir
de caminaos de ferro.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Napoleao e a Guilher-
me, perneiras e meias perneiras para homens,
e meas perneiras para meninos.
No armazem do vapor france', ra de Bario
da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Mobilias de vimes.
Cadeiras de balanco, de brazo, de guarmzoes, so-
fs, jardineiras, mesas, conversaderas e costu-
raras, tudo isto muito bom por serem fortes e
leves, e os mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recreios.
No armazem do vapor francez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigos de differentes gostos e
Ithaiitazias.
js para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Joavin, de fio da Escocia e de camurza.
Caixinhas de costura ornadas com msica.
Albuns e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relogios.
Brincos iimitazio e botoes de punhos de plaqu.
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de couri-
nho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
ejioilette,
Pincenez de cures, de prata dourado, de ac
tartaruga.
Oculos de azo fina e de todas as graduazoes.
Bengalas de luxoj canna, com castoes de marfim
Bengalas dirersas ton grande sortimento para ho-
mens o meninos.
Chieotinhos de baleia e de muitas qualidades di-
versas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e par
barba.
Ditos de marfim muito finos, para limpar cabeza
Escovas para roupa, cabello, unas e para den-
tes.
Carteirinhas de madreperola para dinheiro.
Meias para homens e para meninos,
Grvalas brancas e de seda preta para homens e
meninos,
Campanhias de mola para chamar*criados,
Jogos da gloria, de dama, de bagatellas, de domi-
n e outros muitos differentes joguinhos alie-
mies e francezes.
Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami
nhos de ferro,
Maniadeiras de vidro de dar leite rnui fcil s
erianeas.
Argolinnas de marfim para as crianzas morderem,
bom para os dentes.
Bervos de vimes para embalanzar crianzas.
Cestinhas de violen para brazo de meninas.
Carrinhos de quatro rodas para passeios de crian-
zas.
Venezianas transparentes para portas e janellas.
Reverberos transparentes para c-ndieiros-de gaz.
Esterescopos e cosmoramas C3m escolhidas vis-
tas.
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmoramas.
Globos de papel de cores para illuminazoes de
festas. .
Balpes' aereostatices de papel de seda mui fcil
de subir.
Encerados bonitos para conservar as mezas de
jantar.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palba e de peunas.
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para qua
dros.
Quadros j promptos com paysagens e phantazia
Estampas avulsas de santos, paysagens e phanta
zias.
Objectos de mgicas para divertimentos em fa-
milias.
Realeios pequeos do veios com lindas pezas.
Realejos harmnicos ou accordions de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos de quinqui
Iharias difflceis de mencionar-se.
No armazem do vapor franez, ra dp Barao
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todo?
os brinquedos fabricados em differentes parte
da Europa para enlreteniraento das crianzas
tudo a precos mais resumidos que possivel_:
no armazem do vapor francez, rna do Bario
da Victoria, outr'ora ra Nova n. 7.
PARA PIANOS
, Pannos proprios de cobrir pianos.
Cadeiras de parauso e forro estu-
fado.
No armazem do Vapor Francez ra do
Barao da Victoria outr ora Nova) A7. ''
Cestinhas para costura.
Grande sortimento de bonitos- modelos
chegados ao armazem do Vapor Francez*
ra do Baro da Victoria (outr'ora No-
va) n. 7.

A MUI AFAMADA
GUA DE FLORIDA.
DE
ni'RRIV A L.4X.H.1.H.
He o mais delicado e mimoso a<5 mes
mo tempo o mais estavel de todos os per
fumes, e encerra em si, no seu maior auge
ie excedencia, o proprio aroma das verda
deiras flores, quando ainda na sua flores
cenca e fragancia natural. Como um mek
seguro e rpido allivio contra as dores dt
cabeca, nervosidade, onbilidade, desmaios;
flatos, assim como dectra todas as frma
ordinarias enteca s decid bystericos; dt
summa eflicacia e n5o tem outro queos
iguale. Igualmente, quando destemperads
com agua, toma-se um dentifricio o mai
agradavel e excellente, dando aos dentes
aquella alvurae aperolada apparencia Uk
altamente apreciada e desejada pelas Sp
o horas.
orno um remedio contra o mau balito
da boca, depois de diluida em agua, i
summamente excellente, faz remover neu
tranzar todas as materias impuras que s
criam roda des dentes e das gengivas
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riquez
e permanencia do seu fragrant aroma, ell
por certo, n5o tem igual: e a "sua supe
rioridade sem rival. Ella igualmente tor
na-se um meio mui excellente, para fazei
remover de sobre a pelle do rosto, toda i
qualidade de brotoejas, ebulicoes, sardas,
pannos, manchas, impigens e espinhas
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer urc
destes disfiguramentos, e que tanto desle-
anlas lindas feic5es do bello sexo; devera
se usal-a n'um estado de dilluico, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; porm no"
ratamento de-qualquer espinha, usar-se-ha
della pura em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio ile com-
municar as feicSes tiigueiras e paludas
orna pelle macia e d'uma transparente al
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa
para um tal fim, ella leva a palma a todo?
os perfumes que se teem inventado at bo-
je, e existe em plena soberana sem rival
Bem entendido tudo isto se refere nica
mente a Agua he Florida de Mlkay 6
Lanman.
As imitares que se tem feito na Franca^
Allemanha, assim como em oulras partes;
sao inteiramente inuteis e invaliosas ; por-
tanto recommenda-se mui especialmeritt
s senhoras, que tenham tuda a precau<;\
e cuidado, de quando comprarem, estejan:
ertas que compram.__________^^^
Criado.
roa Estrcita Jo
Precisase de um criado :-na
Rosario n. 28._______
Asociac9o Ion UiiardaM i.\ i-on.
Nao se tendo reunido, domingo 30 do correte,
numero legal dos Srs Mtociadoa para poder fue-
cionar a assemblea gerai desta assoeiacio, nova-
mente sao convidados todos os llustres cooseeios a
reunirem-se na sede de nossos trahallios, quarta-
feira, 3 de abril prximo, s fi 1/2 horas da tarde,
para o fim da anterior eeavocacjk.
Secretaria da assemblea geral di associacao dos
Guarda Livros, em3l de marco pe 1873.
Jo>>' da Sil. i Rodrigue?,
Io se Totano.
Allenfo.
Ausentou-sa em Janeiro prximo passado, o es-
cravo Abel, tardo, cabellos caraptnbos, pon u
um pouco cambetas, tem os olhos com dinerenea
um do outro, ps um tanto grossos, sondo seseo
do corpo : quem o pegar levo-o a praea do Con I
d'Eu u- 7, que ser gratificad. >. ________
Aj ifdanto de eozioha.
Independencia
Precisa-se de um
ra do Imperador n
no hotel da
N.
Tendo de retirar-se para a Europa Jos '1 \
Almeida Rabello, dcixa por scus prucnradores
Victorino de Almeida Rabello, Antonio da Costa
Almeida e Manoal Alves Santiago.___________
Aluga se nm raoleque, ou urna preta que
sirva para vender : a tratar na ra do Rosario
da Boa-Vista n. 22.
Aluga-se cm Santo Amaro, ra do Lima
n. 4 c 6, duas casas, urna para moradta, com
um grande soto, agua e gaz encanados, e a ou-
tra muito propria para rednaco ou pad-*ria, por
ter nm grande forno e ter tambem agua e pa?
encanado : a tratrar na ra da Guia n. 51.
I
*
i
i
0
0
I MEDICO-CIRURGICO
Dr. J. II. Curio
OPERADOR E PARTEIRO
0 Ra do Mrquez de Olinda n. 23, pri-
raeifo andar.
^ Consulta das 7 horas s 10 da manha.
wr Chamados a qualquer hora
04 O OOOwOO 0000
Jos Rodrigues Canhto, subdito portuguez,
retira-se para Europa a tratar de sua saude. e
deixa como seus procuradores los Custodio Lou-
reiro e seu irmo Manoel R. Canhto.
COMPRAS.
Na fabrica de cerveja ra do Brum n. 76
compra se laranjas da trra a 640 rs o cento.
rastes.
Compra-se e vende-se trastes notos
e usados : no armazem da ra di Im-
perador n. 48.

Chumbo
SGAR WAFFEBS
(VANILLA) _______
A melhor bolachinha at hoje conheeida,
tanto paja cha como pare dietas.
Vende-se na ra do Imperador n. 84.
Compra-se chumbo velho e estanho, em peque-
as e granees porches : ra Nova loja n. H, do
Azevedo.______________
Compra-se urna carroca cem boi que se:a
manso : a tf*r no pateo do Carmo, casa de
banhos.________________________________
Compra-st urna carroca com arreios para ca-
vallo, que seja em perfeito estado: na ra larga
do-Rosario n. 12.____________
Compra se armacoes usadas de chapos de
sol: na rna larga do Rosajto n. M".
' Compra-se o Diario^de Pernambuco de 16
le Janeiro de 1862, paga-se bem : na rup de
Pescadore? n. 1. ,
CHITAS
;t variadas
tn varia a 160,
.UadajiolHo.
< bitas cun pouca .varia a 160, 200 e 240 r.
o covailo.
Madapolao com ponca a varia a OOO e 30<)a-
a pe-.-a.
AI[jidao.
Atgodao com pnueo suj> a 34 e 3*500 a p.>ca.
Dito dito marra T a 3*50) e 1 fO a pe.a.
Chita para robera.
Chitas para coberta com avaiia a 200 o cavad''.
Merino azul.
Merino azul onfesta.lo fino, pniprio para r'"i
pas, a 2<(Xu covado.
lirim pardo
Brim pardo fino a 400 e 440 o covado.
S na na do Crespn. 20
Loja de GMillienik! Carneiro .la C. \ i,
Vende-se
urna boa casa terrea, em elio proprio. grande
quintal murado, >ervindo para familu, sita ra
das Ciioulas ('aponga). \en le-se lainU'in peffj
de urna outra e;<:i torna, em rita > profiri, >iu
ra da Veutu a (Capunga) : a tratar na ra !.
de Marn n. 7 A, t.- andar
Veade-se ral nova de I.i-bia [ieln mpn< s
prcfo do (|ue em outra parlf : na ra de Pedro
Alfonso u.
Salsa parrilha.
Nova e de primeira qualidade
Vende-se
roa Larga do Rosario n. ;)4
Islo que vender
haralo.
SO' O VIANNA A" RA LARGA DO 103 AI I
vi Milito i:.
l oaniteis de linlia poc MO
3 grvalas pretal a M cores por l
1 Bonito onfi;iir para seobora ; r 11
1 masa de i" Bles p ir 1 j.
1 peca de bioo por BOU rs.
1 par de beos para neaMn por i.
1 dito de dito de d'ii.iqiic para lioincm |v>r i i.
1 par de borzeguini francez para dito por K.
I peoa de ii eda|ioLvi muito lino por .*i.
1 corte do ca>i mira ; r ::..
I cobertor m l SO.
i par d..' boneguin? para Manen ior 4|.
l balio para senh ra pul l ,
Cnitas a o e 40 rs., nodapolae a 800 c
'i rs, alf lio rs.. cambraiM a ti r.-.
umitas oulras eooMS, que m la n nti por m- -
t. Bordadas a seda
Amaral. Kabnco t;. neataiai da .- .
pe ultimo vanoi meiai 'ara asnbora. de
Eseocia, brancas abenas no peito do pe, e i
das a se.a. u :y'' se pode chamar nuvidade,
s;\o da ultima moda om P;icj : \eiuloui
victoria, ra do Haraoda Victoria n 2.
Siti
10
Vende-se nm excellente sitio e m I
porto d<' una das estac V >l" rainal J^s AUliot-
na ra Coi in -:,:.__________'_______
- Ha para vendoi n *- ':; n. 20, ir
' ca ij' as.
Attencao.
Vende-se urna das melbores tavereasi*
fivffuezia dos Afufados, no logar Piara do Gi
mmlo propria para principiante por ter imucos
fun : : a tratar na mesma, com Joaqiiim Lucio
dos Santos.
Vende-se um : nn *ituad i na \
de haixo, na rna da tw enn SU pal
frente e 470 de fun "l iHw l n
ra de llorta.- i 53 com sen proprietario
Gomes d' l'asr.is.____________________^^_
Vende-Si' urna pequi u casa de taipa, I a
e :,.-truda, tem '' palm '. terrean do fiv..
170 de fundo, nn esti i nova do Deboriaa, paM
da segunda e8tacio de Apua-fri^, iende mensai-
mente 145, rende-se por preeo muito razo
p ssoa que pretender dirija-so ao largo da tata
Cruz n. 4, taberna, tratara m di, t tam!
sinar a lecalidade.________________________
Vendo-so um excellente bol tourino. ovo
mide, bonito o gordo; assim como urna barra
muito bonita : j.v.rda, nova anda nao o-t
mansa : no inlin da Saj icaia, em Bel
Mobilia.
Vende-s\' una mobilia
perfeito estado : a tratar na
Dens n. S. I" sudar.
de Jacaranda ::.
ra da Madi- le
Vende-se um escravo cozinlii-iro de 33 aa-
nos de idade, urna negrota nreta de idade de 13
annos, una mulata cabra u" idade de 11* aun
bonita figura, urna dita d" 2S annos de ida
com duas Albas, urna do | 8, todas pretas e a mi das crias cotinha
fi i--.ni.-j perffitar.icntc : na rna do Hurtas n. 110.
VEDE-SE"
a taverna n. 20 do pateo do Paraizo, rom pflMM
fundos, muito afrepiiezada para o retalho e pr-
pria para principiante : trata M coni o pgpfi
tario Jos Duarte l'er-ira, na mesma casa.____,
Cmaita.
Muito novos o graudos : vende-se na ra Di-
reita n. 14, esquina do boceo de S. Pedro.
Vende-se por 950 j urna scrava que cozot^.,
lava e engomma bem : na ra da Camlia v
Canno n. 20.

VNDAS.
*- Na padaria da ra da Guia' n. 54, vende-se
bistootos liaiaburguezes a 640 ra. a kiira.
i 'hc&'tK'm a a^rMiitle px>h!aarha
h 3--MW
o Mtoro com di-z cuias de milho ": a tratar ao tra-
piche Angelo, na ra da Cadeian. t. primer
andar.
VENDE-SE ,
urna armado envidraeada, na rna Dnviu n. n
HBatedo-st a. casa, \\\rt e desembaiac^o-
quem pretender dirija-se a mesma que eucouirar*
com qti'T.i tr itar.________________________,
Vende-se barato ama.prtt bociU fi
cura, cora idade de 18 a annos, rom urna fl-
Iha naseida a lo dias : a tratar na loja de louc*.
ra do Imperador n. 57.
Hotel e buhares.
Vende-se o acuito afregnezado hotel Cnueiro,
sito a ra do Barao da victoria a. 48 : a luui
no mermo-______________________________
Farinha de mandioca.
A melbor do mercado.
Vend J. F. S. Coimbra OdraatSea
Mrquez Je. (Miada n 3, I.* Hadar.
"AOS "5:OO0OO.
Estao vendaos folizes i*ilhclet> da lotera <*> Ba-t
iia, na casalolii do arco da Conceico, iou ooj
'eurives, no Rec.
i nu<


6
Diario de Pernambuco Terca fekaj de Afctil d 1873.
Fazendas em liquidado
NA
?
N. 60 Ra da Imperatriz N. 60
m:
DA SILVA &C.
Tendo o propietario desto importante estabelecimento, grande vontade de liquidar
todas as fazendas que tem em ser, tem resolvido vende-las por precos muito mais baratos do
qpe se vendom em outra qualquor parte, com o fira de apurar dinheiro, razao por que con-
fua o respeitavel publico a vir sortir-se, nao s de um avultado sortimento de fazendas op
Vs, como tambera de grande sortimento de fazendas finas e dos mais apurados gostB.
E previne queso vende a dinheiro vista, por estar em liquidajio.
OFFICINA DE ALFAlATB NA LOJA DO
GREUDHES
COM LISTR ASDE SEDA A 800XRS.O COVADO
PAVAO-
Neste graude estabelecimento encontrari
O Pavo recebeu um elegante sortimento o r disnoais liadas grenadines pretas cora listras ciaa de alfaiate, onde se manda execu'.ar
di seda do cor, tendo entre ellas coralistra qoalqaer pega de obra, tanto para bomaua,
rjxi propria para luto, que vende pelo ba- como para meoinos, com a nwior prei-
ritis&im j prego do 800 ris o covado ; assira tesa e perfeicao assim como para qaalquer
como dita muito lina com hstra encarnada, lato que de repente appareca, teodo na mee-
qp Tendea i$ooo res o covado. Esta ma officina om perito official destinado para
&nda treib pelo paquete chegado ultima- farda dos Ilm. Srs. offieiaes de goarda n>
mata da Einopa, e liquida-se na loja do cional ou tropa de liona', sendo esta oficina
}a\o ra da lraporatri u. 60. | dirigida pelo hbil artista Pedro Celestino
CIMBRIS \ BERTAS PARA VESTIDOS A Soares de Carvalbo.
07000 e 10^000 RS. ESPARTILH03 A 3*009.
O Pavao recebeu um elegante sortimento 0 Pavao tem um grande sortimento e
s mais finas cambraias brancas, abertas e esparlilbos, tanto para senhora come paca
tardadas para vestidos, que vende pelo ba- menina, qbe vende palo barato preco de
ratesimo procos de 95, e 103000 rs. o 3)5000. Ditos muito finos a 400 JO e50000,
corto, tendobastantefazeada.E'j)echincha,'sao dos mais moderos qae tem viudo ao
ea loja do Pavio a ra da Imperatris n. 60.
LA9INHAS BORDADAS A 400 RS.
O COVADO.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
das mas lindas lasinlias transparentes com
! miabas bordadas, tendo do todas as cores
inclusive rtfsa propria para viuva, e vende
pelo baratissimo preco de 400 rs. o covado.
F.' pechineha na loja do Pavao a ra da Im-
peratriz n. G0.
GRESADINES A GiO RS. O COVADO.
O Pavao recebeu um elegante sortimento
cas mais indas granadinos prctas com listras
as e de cores, sendo muito boa quali-
iede, e vende pelo baYatissimo preco de 5G0
rs. O covado. E' pechiuclia na loja do IV
*Ao a ruada Imperatriz n. 60.
COBERTAS DE FL'STO ACOI.XOADAS A
4-?(M)0 RS.
O Pavao recebeu um grande sortimento
- cobertas grandes de fustao, acolsoadas,
guarnecidas comfranjaem volta, tndo brau-
ease de todas as cores, e vende pelo baratissi-
i).' proco de 4>, rs. E' pechincba na loja
Jo Pavao a ra da Imperatriz n. 60.
Corte* ele cnstibruit. ultima no-
vidailc. a 10999.
O Pavao recebeu pelo ultimo vapor de
Europa cortes de cambraia branca com ba-
unos ricamente bordados, tendo fazenda
ientc para resudo de qualquor modelo,
t ..- vestidos sao os mais modernos que tem
i ao mercado, epela sua excessiva bara-
tez*, t imam-s"iv-niiHnui.laveis as senboras
josto. Bazar do Pavao, ruada
liriz n. G0.
LENCOS A 2^400 A WJZ1A.
'i '.';)-': i tona uina grande porco de len-
. raoei CQm barra de cor, muito bonitos
..: i.ili;, que vende por -23+00 por
!,'p iirao,
i lo los brancos abainhados muito fi-
:. ?- 00.
: :s com narra de cor, muito ti-
- i -.ti. E'grande pechincka, na loja
PsvSo.
>.; )'E5 E BRAMANTE.
1 i: lenjes de bramante mui-
. g i i deum nanoo s, pelo ba-
_..-,;,- p,^ ,,, >ytOO c.sila om.
maapoloes.
.PdtfiS de :u"lii)p;'i francs raoito tiao
. 0 jai I s a 5(550- e LiOOO.
Ditos c-m 24 jardas nuio superior a
!; ;.,:.. p0'.
Di o in f/.-n! i muito din 35000,
#)0 e ;> ,">>> t 1-ntJJO.
D:; fi \ ?-. e ngleavftj milito tiaoa de
pira diffcren'as preces.
" AL60DA0ZWH0.
O Pavii sude p.r orego mu:t>> barato
;as do aljo ISozmho americano muito
rni coa 18 jarJas a 4JU>)t.
Dito com i jardas a 45500 e 55000
li 60OJO.
Dito largo marca T muito eocorpado a
81000.
ALG3DO ENFESTADJ.
O Pavsi venda o verdadero a superior
aigcdaoziin) rtn dius largor! para lences,
eodo muito encornado 15 00 cala van.
Oil > trancado d< mes na largora 15280.
corte >: chitas a mo > e tmm.
0 PSxIo :-'. i- corM d rhjus francezas
L:-, com 10 p-vadoa .ielo di-nino'o pre?o
Ib i5V ') : la corte.
Ditas C'> > 12 covado pelo preco de
10880 tt* corte.
PaRAAQUARESMA.
l'iiaica.
1 PavSo recebeu as mais modernas tuni-
ssJ? preta, ricamente enfeitadas, que
.i t03 e G93000 cada urna.
CASAOUINHOS.
H linioscasaquinhosdegrosdenaplejpre-
ti muito bem enfeitados, a 163000 e
20JTOuO.
VEOS."
Ricos veos de seda preta, sendo bastante
grandes, a 103000 cada um.
GROS PRETO.
(irusJenaples muito encorpado com 5
palmos ile largura, a GvOOO o covado.
mo com 4 palmos muito encorpado a
*3ty0 o covado.
Dito com larsrola regular, a 43000 o co-
vado.
Dito dito a 13000, 2?000, 23500 e 33000
o covado.
Tudo islo pechineha na loja do Pavao
ra da Imperatriz u. 60.
ALPACAS LAVRADAS A 640 RS.
O COVADO.
Cbegou para a loja do PavAo um elegante
sortimento das mais bonitas Ipaeas de cores
lavradas, sendo as core* ais modernas que
tem viudo para vestid, e veode-se pelo ba-
ratissimo pre<;o de 64ft; tst. o covado. E'
pechincba na loja do Payo a rua da Impe-
ratriz n. 60.
LAS MODIRRAS
O >jtfo vende um, b#alo. sortimento
mercado.
CHITAS A 240 RS.
CHITAS A 240 RS.
CHITAS A 240 RS,
O PavSo vende chitas fraocezas proprias
psra vestido, sendo muito boa fazenda, com
padrees claros e escuro, pelo barato preco
de 240 rs. o covado, por ter um leve lo
qufl de mofo : pecbincba.
LIQUIDAQ0 DECALCXSDECASEftnRA
O Pavo tem um grande sortimento de
caigas de casemira de todas as corea e qaa ;
lidades, para lodos o prec s, e desejando
muito i juida-las, rdsolvau vende-las por
um preco maito em coat, para diminuir a
grande porcSo.
CASSAS FRANCEZAS.
O Pavo vende bonitas cassas francezas
com bonitos padres, e de muita phantasia
pelo baratissimo prego de 240 e 280 rs. -
covado, sendo fazenda de muito mais dinhei-
ro, grande pechineha, na loja do Pavo.
BORNUS A 163000.
0 Pavo recebeu pelo ultimo paquete da
Europa, bournus dos mais lindos gostos que
at hoje sao conhecidos, e em relaco er-
cessiva barateza, convidam-se as Exmas. Sras.
para as verom, para assim admiraran o que
lia de mais novidade neste artigo.
CORTES DE CAMBRAIA A 65000.
0 Pavo vende cortes de cambraia branca
com listas e lavores da mesma dr, tendo fa-
zenda para um vestido, e vende pelo barato
preco de G3000, por ser grande pechincba.
Ditos muito finos com babadinhos brancos
bordados a 83000.
Ditos ditos com listas de cores a 43000 e
53000.
- Ditos de cambraia branca com 20 metros
de babadinhosde cores a 93000. E'grande
pechincba na loja do Pavo.
BRAMANTES PARA LENCO'?S-
O Pavo vende soperior bramante de al-
fodio tendo 6 palmos de largura qae s
percisa de 1 '/i vara para um lenco), me-
tro 14600 e a vara f#80O.
Dito de linho paro superior muito encor-
pado com a mesma largura a vara 29400
Ditos francezes muito fios a 25500 e
35000.
Pega de Hamborgo e panno de linbo com
20 e 30 varas, pan todos os precos e
qualidade.
Pe;as de brelaaha do poro linho, tendo
30 jardas pelos precos mais barato qae se
tem vi-to.
Pechincba de finissimo esgniao sncelena
com 6 jardas 750OO.
Peca de finissimo celena com 30 jardas
i >.')' '0, atoalhado adamascado com 8 pal-
mos de largara a vara 2-5 i n.
CALCAS DE CASEMIRA.
O Pavo tem om grande sortimento de
alca de casemira, assiin como cortes os
mais moderaos qae tem vindo nos ltimos
fijaras e em fazenda das mais finas e mais
aovas ao mercado, e vndese por barato
preco para aperar dinheiro assim como cal-
as de beim hranco e de cores por precos
amito razuaveis para acabar.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
A '9500, 89000 E 109OO0.
O Pavao tem om grande sortimento de
cortinados para cama e jaoellas, qoe ven-
de pelo barat> preco de 79500; 89000 e
109000 o par, tendo at por 489000, assim
' rao colchas de damasco para camas de
ooiv s, e grande soriimento de tape'es tan-
to para 4cadeiras como para cimas, pianos,
portas, etc., todo vende por precos razoa-
els.
CAMBRAIAS.
O Pavo vende cortes de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 29500 e
350 "0.
Peca de dita muito fina com 10 jardas
tanto lanada como transparente a 49000,
59000 e 69000 at a mais fina qoe vem
ao mrcalo.
Obras de plianlasia.
A loja da Aguia Branca, rilh do Duque de
Caxi s n. iO, recebos um bello sortimento de bo-
nitas modernas obra de phantafeia,- sendo :
, Bric -s e cruzas pret.v, eoAdeurados e podras.
Outro8 de adfep rola ijueraada cora bonitos
enfeites de delicadas flores.
Outros cVli; donrado ctq pege los de re*.
Outrus ^^rnadoafilpiit/iiiildfl.
Rosetas'de mlb aouraao goi. pedias brancas,
Aderaos 4- madrperoli.
DitoB encamados. ,
Ditos imitando (Uk\f^ IpUrnatiaaesB af!
Ca-soletas de f^MAY g\\
Volcas, de jrpasos, aljofare de cor s.
Oulraj fe ditos pret s com donjadus.
Puloeiras da tartaruga com dourado.
Outras protus
Guampos pretos e de core.
Bonitas aboloaduras de fino dora'de, c.m pe-
Aros, ooral etc. para abertura .du camisas.
otCtes dourades.a da i oolras ^qtuUidaes, para
aberturas e colJarinho.s.
Bonitos leques^
A toja 4a Aguia Branca, ra 4a. Duque q*b
Caxia* 50, recobeu "bonit s legues d perfuita
phaHtaisia, pee o oom dourada1, e outros de apu-
rados costos;" assim como recebeu ou ros de ma-
dera iue se confunde oom a saadalo, lera al-
ies. Halos coloridas u > c ntrd, e anda, *iia ven-
d estes palo barato preco de 4*000 cada mu.
Vasos de crystal p^rft toiU^l
, iqja da Aguaj saca, a ra do Duque de
Casias p. 50, r ceben boaitas garrafinliw de crys-
tal rm par com ramagens douradaa e mui pro-
prins para arraujus de tuilut, oto,
Aunis e colares elctricos
A loja d'^guia.branca rna Duque de Caxias
n. SO,'recebeu nova remes*a dos, preveilososao-
neise colares,elctrica,, e continua a recebe-los
mensnhnente, pelo que sempre estar provida de
taes objectos.
Diademas dotrrados
A loja d'agnid branca i roa Duque de Caxias n.
50, recebeu novamente boni's diademas dourados
e enfeitados com pudras e aljofares, obras de gos-
(n e phantasia. Tambem recebeu novos grampos
prews bu-alfinees cora fiares jara a caneca.
Iieqnescom bonqaets e ou-
tros chiuezes.
A loja d'aguia branca ,i na Duque de Caxias
a. 50; recebeu urna pequea quantidade daquelles
bonMps leques com bouqueto e ontros -chioezes.
Cold creme para re'resear e
amaeiar a pelle
A lojad'aguia branca a roa Duque de Casias
n. 50, receben cold reme dos afamados fabrican-
tes Lubin, Legrara e Coadray.
Diademas e grampos de
aeo.
A loja da- aguia branca, ra do Duque de
Caxias n. 50., recebeu novamente bonitos diade-
mas e graspos de ac.
Bicos-de-- seda pretos com
flores de cores.
A toja da aguia branca, ra do Duque de
Caxias recebeu,- como novidade bonitos bieos de
seda pretos com flores de cures, sobresahindo nel-
les o prcto com encarnado, e todos mui proprios
para barras e outros enfeites de vestidos de gra-
nadme, ou medraa, e outras fazendas transparen-
tes. Pta commodidade dos precos esses bicos tor-
nam-se maft cammodo.s e pea novidade de gosto,
preferiveis a qasquer outros enfeites.
Yos ou mantiuhas pretas.
A loja da aguia branca, ma do Duque de Ca-
xias n. 50, receben bonitos veos ou mantinbns
pretas do seda com flores, e ourras a imitacao de
croch, e vende-as pelos baratos pre.-os de 35,
i e.6j000. A Tazenda boa e est eraper.'eito
estado, pelo que contina a ter prompta extrac-
Cao.
Diademas e aderecos de ma-
dreperola.'
Boti
mas
para senhoras, a
loja do pavo.
na
Pereira da Silva 4 C. receberam pelo ultimo
vapor de Europa, um elpgante sortimento de bo-
tinas prctas e com delicados enfeites de cores,
proprias para senhoras, garatindo-se sarem das
maii madernas qne ha no mercado ; assira como
a boa quajidade por terem sido remettidas por.
um dos melhores fabricantes de Pars, e vendem-
se pel barato prego de 6000 : n loja do Pa-
vo, ra da Imperatriz n. 60.
CHAPEOS PARA SESH0RA A t2000 R8.
0 Pavo recebeu um ligante sorranento
dos mais modernos bape'os de pajha, rica-
mente eneitadus, para sanhora, ccmi os seus
9ompetentes veos, e vende pelo baratissimo
prec/j de LWMO t. E*. pecbioen* na lo,
lo Pavo a ruada Imperaloz n. i%.
omeirwat avrtUtu
O Pawo recebeu pelo ultimo, vapor, ua.
de! lindo sortimento deromeiras pretas 'de fiW
Bnh,3slistradas, simIondas mais modernas com salpico*, cora lindos enfeitprctmed> *,
spetenTrindo ao raereaiq,, mIo baratissimo cores, e vende pejo barato preco de 3#000 '
jyp de 569 o G00 rs: o cfrvado. E' pe- cada um, por ter grande npr^Jo. '
caiQchana loja do Pavlo^ rus da Impra-1 Ditos todos de seda ricamente enfeitados aTTi K-KZ
lrn.0. IMWO.
A loja da Aguia branca ra r Duque de
Caxias n. 50, recebeu urna pequea poro de
diademas e aderecos de nwdreperola, obras de
apurado gosto.
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nhotos dourados e coloridos.
A loja da aguia branca, ra do D.ique de
Caxias n. 50, recebeu novos grampos com bor-
boletas, bezotiros e gafanhotos, o que do cerlo
perfeita novid de. A quanudade pepuena, el
por isso em breve se acabar.
Novas gollinhas ornadas com
peluda ou arminho
A loja d'aguia branca ra Duque de Caxias
- 56, recebeu urna pequea quantidade de bom-
s e novas gollinhas, trabalho de l e seda, en-
neitadas com arminho, obras estas de muito gosto
e inteiramente novas.
Grampos, brincos e rozetas
dourados.
A loja da aguia branca, ra do Duque de
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos gram-
pos, brincos e rozetas dourados ; assira eomo
novo* diademas de ac, e como sempre conti-
na a vende-los por precos razoaveis.
Farinha de mandioca a 3$ o
sacco.
Na roa da Madre de Daos n. 7 ; a ella, em
guante nao se acaba.__________
Xarope d'agriao do Para
Antigoe concekuado medicamento para
cura das molestias dos orgos respiratorios,
como a pbtysica, bronebites, astbma, etc.,
applicado ainda com ptimos resultados no
escorbuto.
Vende-se na pbarmacia e drogara de Rar-
tbotomeu & C, ra Larga do Rosario n. 34.
sem segundo.
Chegiram agulhas para machinas, do fabrcame
Crower & Baker. Dazia por ^4000.
F\lll\lll DE Illa
conuuoUo.
Venlera Cuaba Irmaos & C, proco
ra da Madre de Deus n. 34-
Aos Sis. de egenho.
Devendf^se mandar para o Rio de Janeiro o
saldo dos^utenctljos provenientes da refinaao do
Montetrp,. encajase os senhores de engenbo de
aproveitar esta occasio para eomnrax barato
utencilios de primeira 'qiialldade, fabricados pelos
melhores autires de Par i .
1.* una machina de Vacuunil de eobce. cam
odas as pertencas,
2.a quatrp filtro? grandes.
3. |-es caldeirs para co'zinhar, a vapor, com" o
funde do^rado. ,
fe urna dita com serpentina de cobre, com 2-
kilos de peso, A
5a (duas turblUs de Cail & C. *
6> duas cabjeira a vapoh de 7 metros de
comprmanlo, cada qma iwm: 2 agujadores.
7. un* mthiha a vapor V% cvalos de
orea, daofflwn da C, Siaw: 4 C;
9?bs&FMitotoiBnn rftbj( a^aucafc.
9.* ,4500 formas de urna arroba e meia.
W.- Quatro caldeirs para estufas.
os diamemetros.
amoaferSa^
ngleza : a tratar na
arto, *. S. BftrW
,,.Jw *snjaMl pauta mim
dar prano parmgacMj,^
DE ,
BAUTHOLOMEU & C.
3'*RA LARGA DO ROSARIO34
Catalogo de novos medicamentos, to-
U nicos, estimulantes, e estofnacaes,
recentcmente descobertos pelos
.yi melhores pharinaceutcos e
'-' cbJmicos da Kuropa
A SABER:
l'REl'AIt tDOS lb AHtH U..Viiihoferr.igi-
juisn torik-o- esftmiacal, w\vy-
rdilorna^rorYls ims" crinValcsrnti.', uas
fepres Ijpboi les, as ponas de saiiguo,
etic., etc. .
Xarope concentrado, com bal-
samo de tr.l e todo principios nutriti-
vos soluveisdo extracto de cara de Lie-
\w-, medicamento mais poderoso para
os pbtysieO, nAs ali'eces catarrhaes,
etc., etc.
. | Xarope de casca de laranjas
amargas, com todos os principios nutri-
tivos sokiveis do extrftctn de, carne de
Liefeg? o mia'poileVoso-dos analpticos,
para os temperamentos delicados e ner-
vosos, estomal por excellencia, etc., etc.
ANDURASi.Vinho ante-gotoso ante-rbeu-
matico, como grande' especifico.
PA'IJERES.Xarope ante-nervosor e inalte-
''ravel de bromureto de potassio, medica-
mento especial cuntra as affecccs nervo-
sas e convulsivas.
SHERR\-KINA.Viubo de quina, tnico
ante-febril de um gosto agradavcl, supe-
rior ao Madeira, e Vermuth.
THOMMERET (1EL1Z.Granulos xaropes,
banhos sirlfo-acidos, para o tratamiento
das modestias de pcito, garganta e de
pelle, de um grande proveito para os or-
gos respiratorios.
CHEVRIER.Vinho eelexir rou, tnico de ura got mulante, nutritivo eestomncM; empre-
gado-cwn graftde vant^igom as criancas
debis, as mulberes cblorotira, ataca-
das .de flores brancas, aos vcl >m fracos
pelaidnse epelas molestias, na ;fn iados
orgftos digestivos, as gastritis, gastral-
gias, etc., etc.
CARPEKTIEII.-Vinbo fexnginosn de rbui-
barbo, tnico e purgativo agradavel sem
produzir constipaces neni alieru^es no
estomaga.
SAVOR E jHOORS.Emulsao .pancreti-
ca,-muito estomacal, com grande pro-
veito no tratamiento da pbtysica, podendo
sor empreado com grande vantagem,
quando* oleo de ligado de bacalho nao
possa ser tolerado no estomago dos doen-
tes; sendo o tnico remedio que eorn
eflicacia facilita a digestao do oleo, fa-
zeudo apparecer o appetite e o augmen-
to da swtrico, etc., etc.
CHANTREL.Confcttos de bromureto de
potassio, grande especifico contra as-af-
feccoes nervosa, ataques hystericos, epi-
lepsia, tosse convulsa, coqueluche, in-
somuia, tristeza, delirio e todos os in-
commodos que tem por causa o crefhis-
mo nervoso.
KEIfTEL.Granulos de sub-nitrato de Bis-
iuutli. Este medicamentod'uma grau-
de efficacia contra as diarrhas, cboleri-
na,dyseiteria gastralgia c nos casos-de
digestes diflicieis e dolorosas.
L'. BKLiF.^Einubao vegetal de alcatro.
Lste mdicamente administrarse de una
manoira commoda e precisa. O alcatro
em cu mais perfuito estado de puaeza,
vantagom que uenluima outra prepara-
gao de alcatro possue.
ftR. CHOLA.Seboso de pyrophosphato
de ferro e seda. Esta soluco consti-
tue.um e.vcallente leparaaer das, lonjas,
obra tsempre as pessoas que temleni
para chlorose cre6.palli(las) anemia fro-
quoza geraL Esto proparado tem a- van-
tagem de nao ter nenhum sabor.
GR1MALD.Confeitos especficos, para cura
da incontinencia da urina, e os nconuno-
dos das senhoras cbloroticas, etc., etc.
CIIA.MBARI)Cha tnico purgativo & depu-
rativo, possue um gosto saborosc e um
aroma suavissiino, c as propriedades as
mais nstaveis sobre os embarazos do es-
tomago, dos intestinos e do figado, o
dosobstruente por excellencia na cons-
tipaba do ventre e nao tem resguardo
nenbum
L BEUFCoaltar Saponine, emulsao des-
infectante onergico. cicatrisante das
cbagas.<
H FLOXXarope unitivo e peitoral empre-
gado com vantagem na tosse frequerrte,
catarrho chronico, coqueluche, e etc.
etc.
MERTELGranulos de phosphate de cal,
medicamento til as molestias dos os-
sos, fracturas, diarrhas ebronicas, dia-
betes rachitismo, etc.
HOGtiPululas de peprina aciduladas, em-
prega-se as affecooes gastralgicas, e em
todos os casos em que a digestao difli-
"cil ou impossivel. Com 4rande vanta-
gem.
BLISS KKE.N & CExtracto hydroalcooli
co de' condurango, medicamento muito
estimulante u depurativo, emprega-se
contra a syphilis, scrofuhis, raomatis-
mo, ulceras, etc. ele.
VAUQUELLN LESLAURIERSElixir de qui-
na e caf-tonino especial contra as fe-
bles nevralgicas, enxaqueca, empobreei-
mento de sangue, fraquesa geral, cores
palllidas etc etc.
DR. CRO.MIERPululas anti-nevralgica,
omprega-se cm a maior cllicacia em to-
das as afTec^oes nevralgicas, nos inconi-
modosda menstru*4o, facilitando otluvi
sanguineo.
QUERUGela de oleo de figado do baca-
lha arontasado, com todos os princi-
pios activos do oleo de ligado de baca-
lbau. Esta gela nao irrita o estomago,
podendp os doqntes usar delle pqr moui-
to sem a mouor repugnancia. E' um
grande especifico para oqjjBtcj 'osso
consumpcao bronchial, tubercular, es-
crfula, debijidade geral, etc. elp.
JOHNS^^-E&sojnpia d#, sasuparrilha, ver'.
melha da Jamaica, einprogada como o
nico dopucativo immediato do san-
ELUXIR A)li7,-.USTHMATHX)--Sod!atvo IVi-
tocal, appbsado .com graniia, vantagem^
no tfa,tamento da asthma tosse convnlsa,
Ii^tuxos catharrfea#s fc.to.(asas. molestias
do,s pulmoes.,
Feijo cQtth-
A' ria da Madre dv llena ai. 9.
Pede obter em pooco lempo com o oso*o m'lhor dos licoresa samada
IIESPEIIIDINA
Faz^oilo anno8 qos conbetido este precioso tnico, e difficil acbar orna pessoa
qoe, tendo experimentsdo pessoa+mente, n3o falle em seo (avor, j como bom MM
e apetisailor, tomaodo om calix della antes de jantar, oo como faciudor da digestk
ljmndo-se depois. *- *- j
I kll
ABAS
da
e
ora
HESPERfDLNA a LAHANJ.v AMAKA, nao ba om s habitante do BRASIL (a larri
sf acial das laranj*8> que r,c coliO?a as nroprledade medicinaes da domada frocu.
" LAHANJAilMIA
em sen estado narnrst tem om gosto pooco agradavel, e o mrito da Hesperidioa con-
siste em reter soaa boai propriedades, e ao meame lempo apresesta-la como
EXQUISITO LIOOR
A HESPEItIDLNA cumo INDUSTRIA NACIONAL nao tem nada qoe BMtplff M
melhores importacoes europeas deeattiegoria semelbaoie. Estas, qoaado moiio, potfess
ser gostosas, porm a Hesperidioa a combinadlo perfeita do
AGRADAVEL E SADYEL
Para prova de que om artigo no qoal pde-se ter inieira connanca, por ser sen
e innoceole, basta dizer-se que foi plenamente approvada e antoriaada pela
JUNTA DE HYGIENE
do Bio de Janeiro, permittiido sna livre elaborarlo no imperio; ontra
a acceitacao geral qoe tem em tedas as partes onde aprsenlas*. Esa Ittoi eua^e-
ieceo se a primeira fabrica em Buenos-Avres; em 1869 a segunda esa Montevideo; a
oo dia da ebegada de S. II. O IMPERADOR inaogurou-se a fasriea qne aetaalsMou
trabalha na corle. Em Valparaso e em toda a costa do Paeifiss tem boa acceitacao.
tanto qne rara a casa qoe considera completo seo aparador sem sosa garrafa da
HESPRIDA
O bomem velho toma Hesperidioa para obter
VIGOR
O bomem doente loma Hesperidioa para obter
SAUDE
O bomem dbil toma Hesperidioa para obter
Nos bailes as donzellas e os mocos tomam a Hespafkbna para bter w U*
animagao dorante os loncos gjros da
BARROS JNIOR & C, roa do Vigano Tenorio n. 7, 1* andar, receberam eat*
grande especifico, e itomohm nos depsitos segoiotes :
Joaqoim l'erreira Lobo, raa da ImperaUii.
Zeferino Caroeir, roa do Commercio.
Marcelino Jos Gonc,a!ve3 da Fonle, roa da Cadea a. 5.
AntoDio Gomes Pires & C, roa da Cadeia.
Alonk) Gomes Pires dr C, caes 22 de Novembro.
Gomes Irmo holel da Paasagem.
m
Samuel Power Johns-
ton & 0.
o Ajxllo q. 38 e 40
SRua
Fazflm sciente aos seus fregnezes que teem
mudado o sea deposito de aiacblns a \>-
^S? por, moeadas e laxas da mwio acreditad
yy^j fabrica de LowMoor para ra So Apollo n.
^p) 38 e 40, ODiie conncoaoi a te? o mesmo sor-
^jj; tmenlo d-i costme.
;v-3 Fasen sc'anw lambeu qae eem Me um
''3?/X\ arran)0. eon) a uadicao geral, pelo.nue po-
?&}, ^sm oSerecer-sa para assDiar qualquer
i^J macbis(Miii) e meaoM garaMi-is.
a
GERAL r
Os pn-prietanos de rundir geral a-..-ro
iotaMM aos aeahssaa d -ogenr s>smsi
peseoa*, qae teum esubelecido ama luodi- -'#'"
r,i j de ierro e brouM a roa do Brun, jan- ^9
lo a e>ia(o dos Xonds, onde priatari ^
qnalquer obra de -ic lUimenda c..ia perfci-
(a e pr<:ii,pndao. f.X
Os bmmmm Naa .* pese* q qa>"i- j*\
ra ntihsar se de sao *erv\,j da daiLa- )Sk
rem a* eocouirii>>ndw eai caia dos Sr.. J- 'j'
nM\ P.iWt-r Jouosi ia h f. a ra d Apol- fi .
lo a. 38 e 40, onde achara.) pe'soa batlt- t-l/j
laA na quein po.^wa eD:and*r-.*. v^
Apparelbo para fabrica? tttocer, do sys'.Kma. '/"
WESl'O.N CBRTBFUGAL
nicos ageoies em Persarnac a fundic&ilterel.
Para tratar eai seu ecr'piorio a roa do Apollo n. 38 io.
TASSOIRMiOS&G.
Lm seus armazens ra do Aniorim
n. 37 e caes do Apollo n. 47,
tem para vender por pregos commodos i
Tijolos encarnados sextavos para ladrilho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento Portland.
Cimento llydraulicc.
. Macltiuas de descarocar algodao.
Maeiiinas de padaria.
PtHsa da Kussia em barr!.
l'liospboros de cera. '
Sag em garrafoes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentiihas era garrafoes.
Rhum da aJmaica.
Vinho do Porto vciho engarrafado.
Vinho do Porto superior, di o.
Vinho de Bordeanx, dito.
Vinho de Scherry.
Vinho da Madeira.
Pote com linguas e dobrada inglez3.
Licores finos sonidos.
Cognac Gaulhier Freres.
Latas de toucinho ingles.
Barris cora repolho em salmoara-___________
Cassas a-variadas a 240 rs.
o covado.
O Pavao vende fmissimas cassas francezas de
cores com os mais delicados padres, por terem
um pequeo toque de avada de agua di'ice, pelo
barato preco do doze vintens o covado. pechin-
eha : na loja do Pavao, ra da Imperatriz n.
IU____________________________________
Para a quaresma
Mantilhas prctas Bffasileiiss para senhoras
11*'00.
Ditas ditas madrileas para ritas a < e 8.
Franjas nieta* de eda com 8 metros a peca a
6*000.
Uvas prcta de torcal para senhoras, o par
lAOOn.
Galops pretos de seda, a peca a 5 e 6*.
S un bazar da ra Itireita h. 31 se encontra
destas pechinchas.________________^__
BICHAS DE HAMBORGO
As mais recentes e melhores.
Vendem-seiiftphannacia e drogara de Ba.-
iholomeu di C, ra Larga dusario n Rn. 3*
SEGREDO ECONOMA E CELERIDAD!..
Obtem-se com o uso
DA
INJECCO SHOST
nica, hygienica, radical e infallivel na c i-
ra das gonorbeas, flores brancas e fluxos 1
toda especie, recentes ou chro:iiras; eq1;
offerece como garanta de saluta.-v-resultad'
a continuada applicago que sempre corr.
maior vantagem se tem feito de'.la nos bo*-
pitaes de Paris.
nico deposito para o Brasil, Barlbol.:.r i
dt C, ra Larga do Rosario n. 34.
MS.FtZE.msttAMT.iS
NA
S'cniirmftipi, |K#h>.aa. jti dwta aaa^.nwii :aaual. 1L u*u* utu> hoa ae^s
bar.toiqiefli parte algwa a,.c#w,. ami^o. do
bom e barato.
Rap.
Na venda n. 22 ra da Imperatriz
VENDE-SE
1 libra de rap de ara fina por 900 rs.
1 libra de rap sopen, r por tOO rs.
1 libra de rap ara preta por.ljJOOO,
Grosdenaple prefco a 2#500.
Fatenda que val 3Jt : na ra larga do Rosario
numero 21
)!
VENDE-SE
eaM excelleute casa KeojB|lruida ujtimam
cora revestimento de azu@> na frapje, d<'
da estacio das Cjnco-wtnn. i, acta
Vidal de Negfeiros, a qual est rendendo
rtra
Peitos de linho bordados a agullia, para can.isa*
de bomem, a 1*0 0. grande pechincba.
T...illias felpudas a li'ci rs. urna
Colxas graudes com barras de cre* a l#oO.
Chales pretos de tneriao liunlad ~> a retroi:
sao grandes e de boa qnalldade a 810(0 para ac-
bar.
Atoaihado superior com duas larguras a la^Oo.
Chapeos de s4 a -"000 : sao de nierin traa; i-
do. muito elegantes e de armario moderna
Madapolio fino da marca M, O. venladeira. val
8>000 e vende so por 6*000 para acabar, na
Ra do Gabug u, 10.
ATTENCAO.
Vndese um excelleute sitio en Ueberibe 4e
baixo, junto a estapio do Fnndio. mural* a*
frente e portao de (erro, com una bonita caa V
pedra e cal, tepdo \ quartos, 2 sala* e smbIm
fra, tem 350 palmos de frente e l.fcm de fnSo.
sendo de mata, oom excelente cacimba de fui
de beber; assna como uu muro emtend* *-
palmos de frente e o mesmo fundo, lami uan
pequen rasa da tapa : qugm preteasef dlrj|-a
roa de Pedro Aitonso, antiga ra da rrala. mi- -
mero 37.
Vende-re o verdadeiro cimente de ParUanU a*
argiaaean da bola amarettt, ira\-essa da nu. d*
Imperador, ga*>Bje-se que riasaen o veas* poc
menos. ___________
se o hotel da ra daa Agua-Versas.
erada cap I --*n* S%JU e
Tan* ''ntaresaranj
VnitiniBstansa;
capal casi se,
Matar nu
do aesM Ipgar,
enea* SSf ter
SSSiSZ
.




-wXsade-!
talos par
paita, si ra
"Sf5*


. *
I* <-
Diario de\BermihMty Torga- Mtf< FERRO E
____T-DE MACHINAS
km'i* Mi i) Trhuiipho {m dita) ns. 100 a 1(M
CARD0S0 l IRMAO
.n.T.MSf.i I "i dC en8eahos ao Publico em geral, que teem recebido da Eiwopa
f^irrSn,? Cragef Para eaSenh0S e Para Uvour. e quaesquer outros" usos
e mistercsda industria agrcola, o quetudo vendern por probos razoaveis.
Formas para asquear Ditadas e gal anisa(Ias, de diversos tamanhos.
Vapores no"sontaeSevortlcaesj bemeonhocidos uestaprovii.cia o foca della, os
* melhores que teem viudo a este mercado.
Mopndaq .
* completas de diversos tamanhos, obra nlirito Tortee bem acabada.
MeiaS mOendaS ^ra a$sentai;m grades de madeira.
laiXaS de ferro dc ferro fundido e batido, de diversos tamanhos.
KodaS d'gUa ^ tamanhos.
KodaS dentadas do diversos tamanhos e qualidades.
Concei'tOS C0ncertom com promptido qualquer obra ou machia, para o que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
EnCOmmendaS Maiia'ra vir Por encommenda da Europa, qualquer r;.achinismo,
para o que se correspondem com urna respeitavel casa de Londres
ecomum dos melhores engeukeiros de Inglaterra; incumbem-sc de mandar assenlar
ditas machinas, e se responsabilisam polo bom trabalho das mesinas.
Ra do Sarao do Triumpho ns. 101, 102 e 104
F U N D I C O DE C A R D O S 0 & IRMAO
.' ,
. .1

Esmeralda
i
M1DEZAS.
Soares Leite & Irmos, com loja dc miudezas e perfumaras ra do Baro da Vic
tona n. 28, pedem muita attengo para os presos abaixo especilicados, a saber :
Sanatos de tanetH n.lra hnmnn pmnhnr iin -i-i .i,, .i.,..,..,,c>,i., ...,..,.i.. .
Sapatos de tapete para homons e senhoras
a 15200.
Abotoaduras para collete a 200 e 320 rs.
Wem dem para punhos a 320 rs. .
Talhcrescabcde viado (fimitacAo) a 35000
a duzia.
Caixa de linha branca com 40
500 rs.
dem idem de marca a 210 rs.
Mago de lita chiucza a 15000.
PERFUMARAS.
Garrafa lie agualorida verdadera a 15206.
dem idem kananga do Japo a 1(2200.
dem idem divina a 15000 e 15200.
dem dem Magdalena (novidade) a 15500.
Garrafa com agua.de colonia a 500 rs.,
15000, 25000, 45000 e 7000.
Frasco com Salsaparrilha verdadeira a
35500.
Duzia de sabonetesjde amendoa a 25500
e 35600.
MIUDEZAS.
! ivros para ntas a 320 e 400 rs. '
Redrs nnfeitadas a 15400.
Hesma de papel pautado e liso a 25G0O,
novellos a 25800, 35500, 45000 e 65000.
Caixa de papel amisade a C00 rs.
dem idem idem boira dourada a 800 rs.
t.aixa de errvelopes forrados a 700 rs.
dem dem de cores a 500 rs.
Caixa do pennas Perry a 800 rs.
dem idem a 400 rs.
PERFUMARAS.
Sabonetes de anjinho transparentes a
25200.
Duzia de sabonetes com flores a 15500.
Sabonetes Glycerim transparentes 15000.
Lindas o elegantes caixinlias de madeira
Acaba de ehegar a este estabelecimento um importante sortimento do ioiis de
ouro, do melhorgosto o qunlidade que tem vindo este genero, como cassolelas de
nix com lettras do diamantes o pinturas linos, nderecos e meios aderecos com podras ft
as, etc., etc. l
n~IlH8Tnnr0.'- ^5.^'F&,ne"tes Roslos e preco de 405000 ate 3005000, sondo estes ltimos do macWnismo mais aperfeicoado pos-
sivele guarnecidos com diamantes. v *^
Ditos de prata de 105000 e 405000.
RA DO CABUG ES.
MOIlEIltA MIAUTM C.

Idem cqm tnico oriental de kcmp a 150001 com perfumarlas do autor E. Cudray proprias
'O frasco.
MILDE^S.
Magos de irsagas d caracol branca, a
400 rs.
dem idem lisas n 200 rs. .
Duzia de pecas dc cordo i imperial a
320 rs.
Duzia de cachimbos p de gallinha a
25500.
dem idem de madeira com tampa a
35600.
Duzia de collarinhos bordados
nem a 85000.
dem idem lisos a 65000.
PEKEIMAKUS.
Frasco de oleo Oiza verdadoiro .
dem idem autique muito b un a 400 rs.
Opiata muito boa e fresca a 15, 15500 e
25000.
Caixa de pos para (lentes a 200 rs.
para presentes, assim como de paltia e pape-
o.
MODAS E MIUDEZAS.
Indispensaveis do couro da Russia para
senhorasa 105000.
Lcquespara senhoras a 25000, 45000 e
75000.
Vara de fita oscoseza larga (novidadel a
45000. ;
Laraparinas gaz a 15000.
Groza de botes de osso para caira a
para no- 200 rs.
Grinaldas para casamento a 25 e 55000.
Duzia de baralhos francezes canto doura-
doa 35600.
dem idem boira lisas a 25500.
Garrafa de tinta roxa extra-tina a 15000.
Pecas de lita de velludo de todas as cores.
dem idem de sarja de todas as cores
e larguras.
A LOJA BOM PASTOR
RECEBEU
Apparelhos de mesa de C. Christoflc de Paris, fabricante de
plaqueo mais acreditado na Europa, tanto-ua qualidade como
na riqueza dos seus modelos.
Faqueiros em caixa, colheres em duzia, apareluos de cha,
bandejas de todo tamaubo, galheiteiros, serpentinas, casticues,
saleiras, farinheiros,etc, te.
Reoebeu tambem
Grande sotimento dcqqafrros muitos ricos, com as estam-
pas, as mais bellas vinrtas nestapraca.
Recebe encommenda pura o I'orto, I.yon e' Paris.
ra deraUMMiis iwua^rjavS, c iiuaps


a 15000.
dem 'dem le pi',s chiuez, muito bom, a Sapatos de Irania, tapete, casemira e char-
ou j rs. g 1-vUiiu. lotft
Maco do sabonetes mglezes muito supe-1 Cliapos para senhoras e meninas.
Luvas de pellica muito frescas a 5300.
ESPELHOS
COSTURA

de mollura dourada de todos os famanhos, tocadores de quadio, caixa e zinco, e muita^
mmaezas que sena longo mencionar.
28 Ra do larao da Victoria -28
Arados para lavrar a trra.
Carrinhos de mo.
Camas de ferro.
Cofres de ferro.
Gestos d'rame para fi
Foges de ferro.
Baldes de ferro galvanisado.
Chapas de ferro galvaBisao para cobrir casa
Pregos americanos.
Tachos,de forro estanhado.
Machinas para descarocar algodo.
Maohinas de cortar fumo.
Cimento.
Salitre.
Balancas, pesos e medidas.
EM CASA DE SHAW HAWKES RA DO BOM JESS N. 4.
Adereces de bri- J
Ihantes, esmeraldas
rubias e iterlas,
voltasde peroas.
Obras de ouro e
prata de todas as
qualidades.


Bia do too k Akloriaii. 28
As mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
p. Ha esposico de Paris, em 1867, foi ooncedklo a
Elias Kowe Jnior, a medalha dcouro e a condecora-
cao da Legio de Honra, por seren as machinas mais per.
foitas do mundo.
A medalha de ouro, coiiefKia a E. Howe Jnior, nos
Estados-Unidos .por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposiejio de Londres acredi^am
estas machinas.
A 908000
NOVA LOJA DE JQIAS
2 ARa do CabulaN. 2 A
BARBOS t FIJLBO
Acb^9-8e,QW>letamwte reformado este estabelecimento, e
tendo os seus prc|iriUrios feito una importane acquisico de
joias as njajs modernas:vioda ao mercado, e de'qualidades superio-
res, convida ao respei^yel pubUco a azer urna visita ao seu es-
tabeleoaeolp,lalim de ap?eqiar e comprar urna ioia de costo por
prc.o razoav.el.
Grande laeo.
$o graveas guandes, aup laco, ultimo goato a
*}. ua toja da Rosa branca ra da mjperatrlz
W5.
Libra8~ste,rlkas.
Vende-ie no armaiem de aiendas Aa in S. 4a Otiveira k c, rna do^Sfdo fl {a
no de algodao da Babia e oal de Lisboa re-
cernemente chegado : ha para vender no' w-
eriptorio de Joaqun Jo Goncalves Itrio A Fi-
*o, 4 roa do Gommercion. 5.
Vender.
a casa terrea n. 46 da ra Vidal de Xegreiros, ou-
l ir'ora pajeo de Targo : a tralar na ra do Bario
da Vjaorja n.61.
Panno de algodao daBahia
da fabrica Todos os San-
tos.
Teem para vender no escriptorio Joaquim Jos
Gongalves Beltrao & Filho, i roa do commercio
C:.be-nos o dever de annunciar que a companhia das machinas dellowe de Nova-
York, estubeleceu nesta cidade ra do Baro da Victoria n. 28, um deposito e agencia
geral para em Pcraambuco e mais provincias se -venderem as afamadas machines de eos:
tura de Howe. Estas maclnnas s5o justamente apreciadas pela perfei^o de seu trabalho,
empreando urna agulha maifi curta com a mesma qoalidade de linha que qualquer outra,
e pela ntroducgao dos mais aperfei^oados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
olereccr ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagensdesias machinas sao as seguintes:
Pnmeira.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
circumstaucia de nunca terera apparecido no mercado machinas d Howe em segun-
da mo.
Segunda.Contem o material preciso para reparar q^alquec desarranjo.
Terceira.Ha nellas menor friccfio entre as diversas pecas,, -amenos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Formam o ponto como se fra feito mo.
Quinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os ,os, o que se noconsegu
as outras.
Sexta.Fazem ponto miudoiem casemira, atravessando o fio de um outro liado,
e logo em seguida, sem modificar-se a ,tens4ft,d* rfcnha. coiem a faienda mais
fina. '
Stima.0 compressr ierantado com a maior facilidade, quaado se tem de mudar
de agulna ao comecar nova costura.
Qitya-Multas compaohias de machio de costura,tm.tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora|)0|)ttUis*io. buje qnaaidesoennecidas, outeas soffreram
mudancas radicaesparapoderem substituir t^aolretanto a oompwhia dasmacbinas de^Iowe
adoptando a opjiao de Elias Howe* mesine em tartesJMhWMtfe tem constantemente
augmentado o seu fabrico, e boje np ende a procura, posto que faca ,600 maduras
por da.
Cada macheta acompflnna.livretos com instrucc/5es em portuguez.
NACIONAL
Ra da Imperatriz n. 72
DE
LourencoPereira leiesfiiurtei
CASEMIRA PRETA A 2^500 O CORTE. I COI.XAS DE R ST ^0 4 2^500.
Vende-se cortes de casemira preta para cal-1 Vende-se colxas de fusto, de
jas de homem a 23-500, 45J300, 5 e 6?D00. 2?o00 cmla urna.
ftl VITA IHIPTA nlivi .... ^ _____
PANNO PRETO FNO A 29500.
Vende-se panno entestado proprio
para
calcas e palitls a 2500, 33, 4?J e 55000 o' a 15200 e 15400.
COBERTORES DE PELLOS \ 15*01.
Vende-se cobertores de pollos c ppate
covado.
ALPACA PRETA A 500 RS.
^ Vende-se alpaca preta fina a 500 eCiOrs.
o covado.
CORTES DE PRIM 15500.
Vende-se cortes de brim para calcas de
homem a 15500 e 25000.
CHITAS BARATAS A 240 RS.
Vende-se chitas francezas largas, para
vestido a 240, 280, 320 e 360 rs. o covado.
CHITAS PABA COBERTA A 280 RS.
SAIAS BRANCAS A 2rO0O.
Vende-se saias brancas e de &** ?~ J
e 25500.
TOUIIAS I HW Ht.
Vende-se toallias clpnd; roto a 800 rs. cada urna.
BOLSAS PARA VIUIINS ntM>.
Nciile-sc bolsas para \ingenia 35, "' tt
e i-TOOO.
LENTOS BRANCOSA fcOOO \ DI/14.
Vuiulc-se lencos brancos a ^0 a t-
I 1584M
[o para
Vende-se chita finas para cobertas a 280 zia.
re- fSUl0; GROSDENAPLES PRI. I < I
MUSSELINA DE CORES A 400 RS. Vende-segmsd.n.ipl.s prH
Vende-se musselina linas, de cores para a 15800, 25, 25500, 35, i--00 ;<.; I
vestidos a 400 rs. o covado. covado
FUSTAO BRANCO A 320 RS. MADAPOLO UNO A .pHt.
Vende-se fusto branco para vestidos a Vendc-sc p. 320 rs. o covado. ',.-r,00, 55, 0?, 75000 e 8--000.
CASSAS FRANCEZAS FINAS A 360 RS.' ALGODO A 4r-()00.
Vende-se cassas de cores muito linas a 360 \>nde-se pe<;as dc algod> :..-n uj,
e 400 rs. o covado. 5500.55, o 05000.
C4MBRAIA BAPT1STA A 400 RS. ALGODO ENFL8TADO A OOfl RS.
Vendo-se cambraia baptista para vestidos J- t l'gnflll illllll I i Itl ::. )
de seuhora a 400 rs. o covado. metro.
RAPE REA FINA
i-.
fi
DA
IMPERIAL FABRICA
MOREIJA & C.


NA

BAHA
Moreira di C. solrcitam a attenro do publico da provincia ,1c IVi-iih:-
buco para o rapA rea Fina producto de fabrica fmmemt a lilbos
dopaiz, e cuja qualidade est conhecida |K;roitain<'iit<- igual do rerdo-
deiroArca Pretacomo o fabrica a casa primitiva na Baltia, lendo ala
disso a vantagem de ser viajado.
No intuito de tornar eonheeeido dovidami'nteapivci.i lo o rapa Ati i
Finaos annnunciantes acabam de autorisar tea agente ra l'eriu
a acceitar, mo grado, os obstculos o dircitos 4oaatrdcoao,a l i la
concurrencia, acompanhando-a nos abatiinentos dc paafO ate oada !ir
isso compativel com suas forjas.
Os annunciantes esperam encontrar na nobre |)opnlaro d> |Vr-
nambuco, o apoio que tm jus a actividade e os eslon.os ajoa ttaale a
empregado para, por assim dizer, nacionalisarcm um ramo de in que at boje s ao estrangeiro tem aproveilado.
O deposito em Pernambuco no escriptor o do Sr. Domingos Al-
ves Matheus, roa do Vigario n. 21. As vendas sao l'citas
fin libras
ou meias libras, vontade do comprador.
Preco 15000 a libra, com descont de 18 em poiro de 10 !L.-i>
para cima.
Babia, 21 do fevereirodc 1873.
Moreira &' C.
Ti
- '' T
a.

Ra do Bario da Victoria n. 28.
Lindos vestidos a 5$ # corte
Superiores cortes de cassa de edr, de organdy e de percalia com trra e de daus
saias, acompanhados dos competentes figHrinos a 55 cada corte. Vedem na ra Pri-
meifo de Marco (antiga do Crespo) n. 1, loja das columnas de Antonio Correa de Vas-
cellos.
HUZEO DE JOIAS
N. 4 Ra do CabiLg N. 4
JOSEPH l 15Al Si: DE
GOMES DE MATTOS, IRM40S
Neste importante estabelecimento, o primeiro nesse genero, contina a
verder variado sortimento de joias, sendo de brillantes, esmeraldas, rH>rolas
e rubins, com grande redcelo de preos, porque recebemos directamente
da Europa, por todos os paquetes, lindissirao sortimento do que ha dc me-
lbor.em ouro e pedrarias de valor.
Os proprieta rios do MUSEU DEJLAS, sero constantes sempre que tive-
rem occasio de verem suas palavras confirmadas pela voz geral, de que o
MUSEU DE JOIAS vende seus artigos a pregos mui limitados.
Alm do variado sortimento de joias de alto e pequeo valor, ada se
exposicAo obras de prata, de todas as qualidades, relogios lindissimos e de
acreditados autores, para homens e senhoras. Ditos de prata para to pregos. Caieias e trancelins de todos os gostos, e tudo o mais que fr de
manufactura d'ouro ou prata.
Sao avisados os senhores de engenhos, fazendeiros e lavradores, que to-
das as joias sahidas do MUZEU DE JOIAS sao garantidas.
Vendem-se os segaintes livros, nesta tvpo-
graphia.. por precos bpratitsimes :
Pardeasas Droit commercial,
Vlauui Revolution Frao^aise.
Kluber Droit des geas.
Rogron "Code de commerce.
Vattd Droi des gens.
^Ventura Pouvi- pubtic.
Porters Cours de droit naturel.
Lpuis.Blanc Histoire de dix ans.
Casa.
Vende-se um sobrado em urna boa
tratar na ra da Imperatriz n. 8, loja.
MEIAS
DOSE REFRESCAN!
OEPUA TlVt
DEPOSITO GERAL*'
' KA
Fharanacla e dratfaria
BARTHOLOMEU k C
34Rfta lar^a do Hopario34
AaiaraJ, Kaimco & C. ven- Aos Srs. ma^ons. -
dem as seguintes gualidades'nicird^iv^orgros0-vendem ia9i,ni*3 Btt4-
de meias de fio a&Escoeia :
Leqoes
Jabuco * Xjaja elegante sortimento de loques de madVepe-
imbr
Brancas, bertas nopeito do p, e bordadas a
atipara aentora,abortas, paaaifiBiuas, rut,
e,da..corfts, para hoaem.
DE ALGODO
Brancas e de coresjMira meninos, meninas, ho- tBTbranca tarrada para noivas, queiraada para
mens e senhoras. paaseio, bailes, etc. etc., de tartaruga hsos lavra-
DE LA dof e inarfim lisos e lavraaos e com ie4a, ala
De cores para nw nios, meninas homens e ae- eaao usos e lanados e com tefe de loas as atarea,
nlioras. do sndalo bordados a lantijoulas, c iu smb-
DE SEDA nas vende-se no bazar victoria, i ua lo Cario ra
Carraexia e rxas.para padres, ^pellas milite-: Victoria n. 1__________________________
res, conegon a bispo. Vende-se vinho superior do P.>rto e caaru-
No bazar Victona, ra do BarSo da Victori* tosjiB. Sania : na roa da Madre de "< a
numero 1 i. yar.


i.
I I '

*
8
Diario de Pernambuco Ter^a feira 1 de Abril de 1873.
VARIEDADE

DISCURSO PRONUNCIADO NO DA 25 I>E MAB^O
gO, SO PALACIO DA P.lESlDEMCIA, PELO EX-
POSITOR ANTONIO MAKIV OCONNELL JERSEY.
Senhoros.DesJC a mais remota antigui-
dade, at a primeira quaJra do presente so-
culo, a supremaca e forga moral'las nages
era hitla la pela forra numrica dos sous
exorcitos, pela tctica das seus generaos, e
pelo numero do victorias alcanzadas sobre
os seus nimgos.
Esta upiuio universal ento, e que ainda
Inje voga nos pajzes meio civisadns, foi.a
(jue fez considerar como U-res, alguns mo-
narchas e generaes, como Xorxes, Alexan-
dre, Annibal, Cesar, Tamorlo e Bouaparte :
todos estes fumosos deraolidores da esoe-
cie humana eram appollidadosGrandes
e isto porque, senb res ? porque para al-
canzar renome e poder faziam trucidar ini-
lhares de seus semolhautes, amigos e inimi-
gos, porque mandavam saquear, razar
e incendiar cidades, villas e aldeias s cen-
tenas ; porque faziam milhes de ornhos e
vuvas. !l
Eram estes ralos de Deus, que os povos
ento conheciam e acclamavam como pas da
patria, somi-deoseselevando os at ado-
rago 1
lloje, porm, as ideas sao outras : boje a
descoberta de um abundante jazigo de ca-
vo, ou mina de ferro, tem mais poder na
opiniao do que o gnu to de urna batal.ia; a
invent.o de um melboramento til s lla-
gos vale mais do que a conquista de u.n
povo.. ,
lloje a guerra deixou de ser gloria, anda
para o vencedor ; a guerra conliecida como
um grande crime de lesa humaui la le : e
ninguem venba citar-me o desvaneciinento
do orgulhosj, mas iutclligente Bismark por
ter com a guerra esmagado a briosa nago
franceza, nao; porque ueste cataohsma
que eu melhor descubro o triumpbo da scien-
cia sobre a ignorancia, a supremaca dos
instruidos olliciaes allemes sobre os igno-
rantes generaes fraucezes.
Eu admiro, senhores, e respeito a sciencia
dos famosos engenbeiros prussianos na di-
recgo dos seus bellos cauhes krupp ; es-
pauta-me a certeza de_suas pontarias a seis
millias de distancia II 86 o estudo acurado
e muito trabalho iutcllectual fazem estes mi-
lagros.... por tanto, scieucia e ao traba-
lho queeu me curvo, porque sao estes dous
doses da civilisago moderna os que asphi-
xiaram por urna vez o poder da torga bruta,
da forga s impedida pela materia.
Disse que. a sciencia e o trabalho eram os
dolos do progresso e civilisagao ^ da nossa
poca ; e por certo aqui estamos nos, senho-
res, que com o nosso modesto contingente
contribuimos para o grande campo de bata-
lua civilisadora que, era maio prximo, se
ha de ostentar na capital do imperio aus-
traco ; mas essa b Ualha nao custar san-
nem deixar orphos, nao far correr
brissemos o paiz de bons engenheiros prati-
cos a explorar nossas minas, abrir nossas es-
tradas, explicar aos agricultores os moder-
nos aperfeigoamentos da industria agrcola.
Se a par de cada eVigenheiro seguisse um
frade trapista ou capucho a demonstrar,
com o evangelho n punho, ao nosso povo
a intima allianga que se d entre o trabalho
aperfeigoado e o ehristianismo, como se po-
dem harmonisar perfeitamento os gosos des-
te mundo com os gosos celesaes; se onde
houvesse'trnta cabanas prximas collocas-
semos um preceptor, e o padre se encarre-
gasso de convencer o ignorante pai, da ne-
cessidade e interesse que tinha om mandar
nstruir o filho, quo felizes seriamos hoje,
senhores II Que papel distincto representa-
ramos agora na grande luta da civilisagao
om Vienna d'Austria ? I!
Mas nao descorocoeinos: somos um gran-
de povo, mas muito jovenpueri luidtuU;
meio seculo para a vida das nages cor-
responje a urna olympiada para a do ho-
mem : esquejamos essas pequeninas disseii-
ges politicas e religiosas que nada expri-
mem, mas que nos didom e gastam as for-
jas do espirito o do corpo.
Unamos uossos osforgos para tirar das ri-
quezas do nosso solo todas as vantagens, que
elle ollerece ao trabalho intelligente o sabia-
mente dirigido.
Instruamo-nos, senhores, e Deus abencoa-
r a nossa diligencia ; porque s elle gran-
de e sabio, e os seus filhos predilectos sao a
sciencia e o trabalho !!
Abracemos deveras estes dous queridos da
divindade, tolerando e respeitando mutua-
mente nossas opiuies religiosas e politicas ;
coadjuvemos e abramos francamente nossas
portas, sem ox-.orvos, sciencia e ao traba-
lho, e ento, s ento, seremos apontados
como o povo mais feliz do universo.
gue.
lagrimas, nem talar campos, era racen
r casaes
lia-
bem ao contrario ahi muitos sol-
dados do progresso aprendero melhor a
cultivar a trra, ahi se disputaro a prima-
zia e o poder as machinas auxiliadoras das-
ses soldados.
Ahi a Blgica dir Hussia: -vos so-s um
colosso de forga material, mas eu sou, ape-
zar de pequea, mais proveitosa huiaani-
dade, porque sou colosso de trabalho paci-
fico e til.
A Inglaterra dir ao Brasil :com as mi
nhas minas de ferro e carvo, comprei as
vossas de ouro e diamantes ; com a rainha
industria aperfeigoada sou senhora dos vos-
sos bollos productos ; o Brasil, porm, lhe
responder :se s senhora de nossas rique-
zas, nunca sers de nosso territorio, e e ues-
te que existe o germen de todo o nosso po-
der e gloria ; o que at hoje temos produ-
zido pouco em relugo ao muito que em
breve tempo havemos de arrancar do seoda
trra : Olhai para as bellas amostras dos
nossos mineraes, dos nossos productos agr-
colas ; olhai para as excellentes madeiras dos
nossos bosques, sem rivaes ; s nos falta o
impulso da sciencia e do trabalho ; aquella
j cultivamos com vantagem, e este adqui-
riremos com o numero de bracos que traro
a actividade e industria, que ainda nos fal-
lecem.
A Franga dir Allemanha : venceste-me
pelas armas, mas aqui suecumbirs I e a
l'russia lhe responder : toma juizo, e d
a teus tilhos nstrucgo solida; deixa-te de
bravatas, e faz o que eu pratiquei quando
fui suppriinula polo teu Napoleo ; aprende,
o aprende muito, e depois oceupars pela
sciencia o lugar que, pelajorga, j obtiveste
entre as nages.
Eis aqui, senhores, a aftilharia, cavalla-
ria e nfantaria, que se bao de debate*, no
grande campo de batalha de Vienna d'Austria
para o qual o nosso paiz contribue com um
brilhante corpo de exercito de caf, algodo,
assucar, madeiras e mil productos deste solo
abencoado, reunindo a elle o nosso Pernam-
buco urna das mais lusidas divises.
Eu, sceptico ha 20annos, para quem to-
das as veleidades politicas j findaram ; pira
quem o Sr. Bio-Branco vale bem o Sr. Za-
caras, e o Sr. Saraiva tanto quanto o Sr.
Cotcgipe ; rindo-me todos os das do ver, o
afn com que o nosso diocesano se esforc a
empurrar para o Lulheranismo e Calvinismo
alguns milhares de cidados, repellindo do
rebanho catholico ovelhas muito melhores
do que eu, que nao sou magon.
Rindo-me ainda, senhores, quando vejo
urna respeitavel sociedade dos melhores ci-
dados, catholicos a toda a prova, querendo
cxpellir em nome da liberdado de pensa-
mento (l I!) em nome do progresso da hu-
manidade fT?fll) urna dazia de homens cha-
mados jesutas, que pacificamente se occu
para em leccionar os filhos d'aquelles, que
os procuram, e que por experiencia propria
*ei quo sao excellentes professores I isto em
um paiz de onze milhes d'olmas, mas onde
os dez milhes ignoram os primeiros rudi-
mentos, e precisamque se lhes ensine quaes
os seus deveres e os seus direitos na socie-
dade II....
Quando vejo todas estas contradices e
anomalas, recordo-me da excntrica philo-
sophia de Democrito, ao qual dou hoje ra-
zio...
Soptico, pois, para essas pequeas ques-
tiunculas, que fazem a ordem do dia, creio
firmemente no nosso* progresso' intellectual
e mteral, e onde elle se aprsente attf-esta-
rei eu para o applaudir e coadjuvar com mi-
nhas iracas forgas ; e eis a razo porque
aqui se acba o mais pequeninoe humilde en-
tre estes obreiros da civilisago e do adianta-
mento real do paiz.
Se as forgas intellectuaes que gastamos em
inuteis puerilidades, as applicasserao6 de-
vassar as riquezas do nossso solo;-ae c-
PORMENORES. Demos noticiada con-
demnacao de um homcm, que ainda nao
conta vinte anuos, mas revela j instinctos de
umscelerado, bem aleito ao crime.Fallamos
de um vil desgranado sentenciado m.rte
pelo tribunal de assises de Seine-et-Mame.
Agora daremos alguns pormenores sobre
este repugnante e celebre processo.
O interrogatorio do reo e a inquirico
das testemunhas, urna das quaes era o pai
do reo, valem a narrado minuciosa do pro-
cesso.
O interrogatorio do reo foi assim :
O juta :Tendes vinte annos. Quando
devieis tirar a sorte (do recrutamento) T
O reo respondeu com voz abalada e bai-
xandoos olhos :
Neste anno.
Juiz :Dizieis ha muito tempo quo nao
vos alistarais no exercito ?
Sim, senhor.
Porque dizieis issoT Acaso -desde
muito preme litaveis assassinar vosso pai ?
0 reo, com voz sumida :
Nao, meu senhor.
Ento, porque era que usaveis seme-
Ibante linguagem ? Qual era o motivo que
vos da va a certeza de nao serds soldado, se
nao havieis formado o infernal projecto de
tornar viuva vossa mi, matando aquelle
que vos deu o ser?
0 reo nao responde, est prostrado, baixa
os olhos; as forjas o atraijoam visivelmente.
O crime foi por vos commettido, pro-
segue o juiz, em 25 de dezembro. Desde o
comeco do dia havieis procurad j urna espin-
garda ?
Nosei.
Do quem ora essa espingarda ?
De Basile Pi.
=- Que lhe dissestes, pedindo-lhe que
vo-la emprestasse ?
Que era para atirar aos corvos.
Escolhestes o dia de Natal por ser o
mais favoravel a vossos projectos; tendes
perianto concebido com antecedencia o pro-
jecto de assassinar vosso pai ?
Sim, senhor.
O juiz recorda-lhe ento as particulari-
dades da cruenta luta, na qual sou pai este-
ve a ponto de perder a vida. Todas essas
particularidades sao confessadas pelo reo,
negando apenas que ferisse tambem o pai
com o podo com que este andava traba-
loando no bosque, na limpeza das arvo-
res.
Persists em negar que vos servisseis
do polo
Sim, senhor ; foi meu pai que cahio
s bre o podo.
Pensastes que elle estava morto e por
isso cessastes de lhe descarregar mais goi>
Passa-se ao interrogatorio das testem'i-
nhas.
Vem em primeiro lugar o pai do assassi-
no. .
Chama-se Joan Seviu, de cincoeota e cin-
co annos de idade. Entra com a cabeca
envolvida em ligaduras; ainda mal conva-
lesceme da seus feriraentos, lvela a sua
commoo e evita encarar com o filho.
Em 25 de dezembro, diz o pobre velho,
elle (o filho) me disse qne fosse cortar os
ramos seceos para o lume no bosque. To-
mei o meu podo, o o afioi. Ello me disse :
Meu velbo,' pura hoje corta bas-
tante.
Nao o tornei a ver {o filhoj. Depois fui
desbastar os pinheiros mansos. Ouvi um
tiro de espingarda, elgo me sent ferid
na cabeca. Voltei-me, e vi um individu
agachado no tojo ; aproximei-me, e reeo-
nheci meu filho. Diase-lhe :
Desgranado, tu assassinas-me l
Ergueu-se, e, sem proferir urna palavra,
assaltou-me com a espingarda. Vi o come-
co, porm nao o fim. Nao tenho mais nada
a dizer, seno que" meu filho tem a cabeca
um tanto fraca.
Os mdicos fazem a deacripgio dos feri-
raentos, e affirmam que os dous mais gra-
ves foram feitos com o podio *b3 Sevin, s-
nior. A eurva desse instrumento se adap-
tava exactamente aos labios das feridas.
Interpellado novamente o reo pelo juiz,
torna a negar'que seservisse do podo.
Entra a testemunha Basile Pi, e conta
que Sevin lhe pedir a espingarda empresta-
da seis dias antes do crime, para oaga do
javali. Percebi, diz a testemunha, que sou
na conheca o seu assassino ; e acabou pur
me dizer que era o filho. Sahi muito im-
presionado ; e, encontrando-me com o filho
disse-lhe :
Tu s utn malvado ; foste tu que
commetteste crime ; teu pai m'o disse.
Sabes o que resta a fazer ; cumpre que vas
afogar-te.
A isto me contestou :
Nao teria coragem para isso ; sup-
portatei a miuha sorte, quando chegar aos
vinte annos.
Um guarda da prisio rela,ta que o reo
dissera all que uvera, por momentos, tenco
de volver atraz, para acabar de matar o pai.
0 ministerio publico pede um verdict allir-
mativo, sem crcumstancias attenuantes.
O advogado do reo produz a sua defeza.
0 jury, dando o crime por provado, fica
silencioso em quanto s crcumstancias atte-
nuantes allegadas.
Nestes termos que o juiz lavrou a sen-
teiiQa, coitdemnando Sevin filho pena de
morte, no lugar era que^o crime foi prati-
cado.
O reo pretendeu apresentar a desculpa de
que a rapariga chamada Eupberaie Sirop,
com quem pretenda casar, ao que o pai
delle se oppunha, fra quem o incitara ao
crime, afim de ser obliterado aquelle estor-
vo. Era isto urna calumnia infame, que
fie u claramente desajpscarada.
A Hespanba renuncia s guerras de con-
quista, e s o far no caso de ser atacada a
sua independencia.
g'J
FUZILAMENTO LEGAL. Teve lugar no
dia 7 do corrente, em Vincenues, o arcabu-
zamento de um soldado de engenheiros, que
no dia 27 de outubro ultimo, suppondo-se
injustamente castigado, erapregou to fortes
sevicias contra um sargento da sua compa-
nhia, que este suecumbio aos ferimentos.
0 soldado, chamava-se HoftveL
Ao'aproximar-se a h ra fatal, o condem-
nado deu mostras de arrepeudimento e de
coragem.
Quando o capello se apresentou na ce-
lula em que estava recluso Nouvel, este re-
cebeu a fatal ntiraacio com sangue.fri.
Chegando com a escolta ao lugar da exe-
cu^o, o seu passo nao vacllava. Despedio-
se soznho e pedio ao comiuandante da es-
colta oxecutora que lhe nao tapasse os olhos.
Ajoelhou, e dirigndoi-se aos seus camaradas
que o deviam ferir, disse-lhes : Nao te-
nham medo; merec a morte ; s urna vez
se morro. Vou l para cima I
A v >z de fogo, empregada segundo a no-
va alterajo feita na rdenanca, Nouvel cahio;
todas as balas haviain sido empregadas ; o
por isso foi dispensado o coup de grace.
COLONISACAO.E curioso o annuncio
que foi publicado n'um jornal de Haitte-
Loire
Resa assim:
No inlersse da colonisaco da Nova
Caledonia, a a lminstrai;o otlerece s ra-
parigas honestas que queiram ir para aquel-
la colonia, na expectativa d'ahi contrahirem
casamento com colonos de boin carcter.
1.* Um euxoval na occasio da partida;
2." Passagem gratuita :
3." Alojamento e sustento na colonia
no hospicio das irms de S. J s de Cluuy,
at que casem ou se estabelecam ;
4." D M constituido em um trato de tr-
ra de quatro hectares,
CASO SINGULAR. -No dia l'de feverei-
r apresentou-se na secretaria da prefeitura
de polciajde Pars um bomem muit idoso,
teudo mais de setenta anuos, e ahi docla-
rou que tendo roubado em 1831, na com-
muna de Genuevilliors, proxi.no de Pars, a
somma de 700 francos, a um visinho, que
mais tarde morreu, nao tinha tido desde
ento um momento de tranqullidade, e que,
percebendo que a morte so avisinhava, de-
sejava regular os seus neg icios de cous-
ciencia, e que, portanto, houvesse do o
prender o fazo-Id processar e julgar.
Deu minuciosas particularidades acerca
do roubo e da pessoa prejudicada na sub-
traeco.
Convencido o preleito de que que havia
naquellas declaranoes sincerdade, fez a von-
Ude ao relator de s propno, cousiderando-
o sob custodia.
Ao presente vive de um modesto empre- dos Estados-Unidos pronuilfou urna le (que
; sendo ajudado por dous filhos, dos antes fra votada pelas cortea), autorisando
quaes um artista pintor do talento, tendo 0 estabolecimonto do um cabo sub-marinu
os seus trabalhos sido muitas vezes admit- entre a America e a Asia,
lidos s exposices ; e o outro dotado de
rara habHidade com applicacjo a toilette DESAFIO.Em Pars, no bosque de
dassenhoras. VUle d'Avray, honve um encontr aoflo-
Pos bem, esse ancio to respeitado ver- rete entre o marquez F. de Gardas e Mr.
ga sob a aecusago de haver usado Ilegal- Charles.de Bussy.
mente a fita da legiao de honra. Ao terceiro pavte, Mr. Bussy recebeu
Que motivo, que causa in itou o seu ani- Uma estocada na virilha direita.
mo t importunar com uma honrara, que flo & Jiz 0 motivo do combate, na fo-
no lhe conferida. lha franceza aondo encontramos esta noti-
0 tribunal, posto que a lmitta circums- ca.
tancias attenuantes, ainda assim, condem-
uou o reo em tres mezes de pnso. i A HISTORIA DE CESAR.Sabera os lei-
tores que o impressor. Mr. Plon, intooUra
MAIS COLLISES NO MAR.Mais kduas uma acgo contra Napoleo III, por ao jul-
collisoes no mar annunciam os jomaes in- garcredor deavultada quantia, provindo
glezes, acontecidas no dia 26 de fevereiro. esse crdito da publicado da Historia d<-
Uma occ irreu entre dois vapores, o Ala- Cesar, obra que se diz escripta pelo finado
bama. e o Magna Cluirta (ambos inglezes), imperador, e da qual o mesmo Sr. Plon
em frente de. Shields. 0 segundo afundou- f0 editor.
se mmedi (ament. A tripulaco foi sal- Havendo, porm, passado a melhor vida.
va pelo Alabamu, excepeo do commis- tanto o autor como o reo, o tribunal julgou
ssrio, que morreu afogado. a ac^o circumducta.
O outro caso succedeu em Portland. A Agora, porem, os herdeiros de Mr. Plon
barca austraca .Qpncordia fez r a pique o renovarara o pedido contra os herdeiros de
navio Uloerston, d transporte de carvo. Napoleo III, ante o tribunal d'assises des
A equipagem salvou-se n js escaleres do seu Bouches-du-Rhono.
proprio nav.o.
BEM EMPREGADO.0 conde de Cham-
UM VETERANO DA GUERRA PENIN- Dorj ehviou ao papa um donativo para o d-
SULAR. No da 23 do mez de fevereiro imero je s. Pedro, com esta d i recelo :
fulleceu o:n Freshford ( Inglaterra ) o major ^0 veneraVtl prisioneiro do Vaticano, o
Bcnja nim Hutchins Edward, na idade de (proscrpto ua casa ae rran^.
80 annos.
Este militar servio no exercito inglez que reutORIO SOBRE A EXPOSICAO
batalh >u na pennsula ao lado dos s ldados'
portuguezes, desde 1811 at 1814. Fazia
parte, como ollicial do regiment portu-
guez de infantaria n 9, no famoso creo de
Badajoz, aonde foi ferido.
Depois, sorvinlo no regiment inglez n
43, achou-se nos combates de Salamanca,
Vera, Nivelle (tornando aqui a ser ferido),
Nve, Tarbes Tolosa.
Na concluso da guerra, recebeu a meda-
Iha commemjrativa da campanha pennsu-
'ar.
pes.
Sim, senhor.
Ento, o crime estava consumado ; e
s pensastes em assegurar a impunidade fu-
gindo, procurando desse modo a coarctada
de que nao vos achaveis nesse lugar no mo-
mento do crime. Entrastes rpidamente na
villa, o dissestes Sra. Dupar que vinheis de
arrancar estacas do campo do lado op-
posto.
Sim, senhor.
Quando soubestes da volta do vosso
pai?
No mesmo dia, prximo das quatro
horas.
Quando-vistes vosso pai, que lhe dis-
sestes ?
Disse-lhe : Quem te pez nesse esta-
do ? E elle me respondeu : Foi um
desgranado.
Vosso pai nao vos denunciou nnme-
diatamente; tema elle que fosseis acaba-lo.
Nao dissestes na priso de Melar que tinheis
pezar de nao haverdes acabado de mata-lo?
Sim, senhor, confesso-o. (Aqui a voz
do reo mais firme].
Dissestes no summario que outrapes
soa vos hara incitado a matar vossA pai. E'
isto verdade ?
(Depois de alguma hesitado, contesta
o reo) :
Sim, senhor.
HESPANHA. A Igualdade traz o pro-
gramma republicano hespanhol, em que o
Sr. Oreuse fonnulou o seu pensamento 4de
governo, logo depois de revoluto de se-
terabro ; um curioso documento, que po-
de guiar muito no que vai succedendo em
Madrdjv
Vejaro-lo:
Forma de governoRepblica democrti-
ca federal.
Poder legislativo Assetnbla nica, elei-
ta animalmente pelosuffragio universal di-
recto.
Poder executivo Presidente nomeado
pela assembla sem tempo limitado, e amo-
vivel vontade da mesma assembla.
Poder judicialNomeaco de juizes com
inteira independencia do poder executivo e
da assembla, e estabelecimento do jurado
especial nos casos necessarios.
Assumptos confiados ao governo ceatral
ou nacional 0 exercito e a reserva.
A marinha.
Os cdigos.
Os negocios do ultramar.
As relac,es diplomticas.
A estatistica.
As alfandegas emqpanto existirem.
Os correios e telegraphos.
Os conflictos das provincias entre si.
A igualdade de moedas, pesos e medi-
das.
A extinego da divida publica, vendendo
para ser pago em papel o patrimonio real,
todos os demais bens nacionaes e as minas.
Um grande systema geral de caminhos
vecinaes, executados sem levantar mo, e
como principal intuito do governo, garantir
a todos 'os bidados os d;reitos indviduaes,
que se declarem illegislaveis, e sao: a segu-
raba individual, a propriedade, a liberdade
de cultos, a liberdade de imprensa, e o d-
reito de associaco e reunio pacifica.
nicamente poder tomar-se, com indem
nisago, a propriedade para fazer estradas,
caminhos de ferro, canaes, ras e pravas
publicas.
Ficaro abolidas para serapre:A pena de
morte.
A escravatura dos negros.
Os recrutamentos e matriculas de mar.
0 estanco do tabaco e sal.
A amortisacao civil e ecclesiastica.
Os impostos sobre consumos.
Os direitos de portagem.
O imposto de hypothecas, deixando a ins-
cripto.
A priso preventiva, menos nos crimes de
assassihio.
0 papel sellado.
Os bilhetes de residencia.
As licenijas de uso d'armas, e as demais.
Reformar-se-ho immediatamente. As
paut?s, prindpiand) pela liberdade das pri-
meiros materias, para terminar na abolico
das alfandegas.
- Recuheceis hoje que fostes nica-, ? Os presidios ecadeias.
mente vos que tivestes a idea desse projec-
to?
Sim senhor..
Por muito tempe aecusastes Euphemio
Sirop de ter-vos incitado a assassinar vosso
pai. lloje Toltais verdade, e confessais
que essa ri^toriga que apenas conheceis,
nada tevo com o crime. Tendes razo em
assegurar.a innocencia dessa honesta rapa-
riga, que na freguezia goza da melhor re-
putarlo. Mas ento, necessario completar
a confisso e dizer a'-s senhores jurados o
motivo que armou o vosso braco homicida ?
Oreo nao respondeu.
__ Nao foi para arranjardes um cas) de
senc,ao, tornando-vos filho de viuva ?
Sim, senhor.
A esta resposta gerl a sensaco no au-
ditorio, que mal podo water sua indigna-
!uo.
Os processos judiciaes.
Declaram-se inviolaveis.0 domicilio dos
cidados.
Contribuic,es.Reduzir-se-ho a uma di-
recta geral para o governo central, provin-
cial e municipios.
Provincias de ultramar.Sero iguaes em
tudo s da pennsula.
Servidos pblicos. Pagar-se-ha fel
correspondencia, servido de telegraphos e
demais, o indispensavel para sustentar estes
servaos, bailando o seu custo conforme
augmentarem as receitas
Declara-seQue a guarda civil s tem a
TnissSo de persepr malfeitores.
0 exercito e a reserva a de defender o
territorio naonal
Os voluntarios, conservar a ordem inte-
rior, mas sem fazer guardas neta servaos
desnecessarios.
C0MMERC10 DE OVOS.Segundo a es-
tatistica aduaneira de Inglaterra, a imp >r-
ta$o de ovos naquelle paiz, meramente
com referencia ao mez de Janeiro ultimo,
jepresentou a valiosa somma de 117,027
librase sterlinas.
No anno de 1871, em igual mez, essa
iinportaco foi representada pelo algarsmo
de pouco mais de trezentos e quarenta e
nove contos de ris ; eem Janeiro de 1870,
tinha sillo apenas de cento e tres contos de
ris fortes.
Eis aqu um ramo de commercio que pa-
recendo de pouca monta sobe, a proporces
to importantes.
N0V1SSIM0 MODO DE FLRTAR.E' dig-
no de contar-se um novo iuvento na arte de
furtar, novissima unka quo nao seria capaz
de occorrer ao autor do famoso livro, quo
se encarregou deldescobrr todos os modos
ento cmhecidos de fraudulentamente se
apropriarem do que pertencesso aos cida-
dos em particular ou grande familia
chamada estado.
0 peregrino inventor belga ; a sua es-
tra fe-la em Bruxellas.
Eis o facto:
Um hornera com bom fato se apresentou,
ao araanhecer, em casa de um advogado,
com ares de quem vergava serlas preoc-
cupaedes, deixandj ver certo desalinho no
trajo.
advogado estranhou que tao matutina-
mente o pr.jcurasse um cliente ; todava,
sendo-lhe communicad a insistencia com
que pretendan! fallar-lhe, esfregou os olhos,
saltou da cama, enroupou-se por causa do
fro, ese dirigi ao seu escriptori .
Logo que assomou port? que para all
dava entrada por um gabinete, lhe foi diri-
gido, ex-abrupto, o seguinte discurso :
Meu senhor, venho conliar-vos debai-
xo do sigillo a que vos obriga a vossa pro-
fisso, que esta noite, aps uma orgia, om
rixa que Uve, mortalmente um hoinem.
Ponho om vossas mos a miaba defeza.
Pude momentneamente subtrair-me
captura ; porm, s valores que tinha comi-
go, perdi-os naquella barburdia, naquelle
immenso tumulto em que eu era um dos
primeiros autores ; e aqui sou estranho ;
a minha lamilla uma das mais considera-
das da provincia ; urgentissimo que eu v
ter com os meus parantes ; e nestas cr-
cumstancias pego-vos que me emprestis a
pequea quantia necessaria para esta jor-
nada- Em breve volvejei para conferen-
ciar comvosco mais largamente acerca des-
te fatal negocia
0 letrada, suppondo que lhe ia cair
as mos uma causa crime formidavel em
interesse e em gloria, foi mui lsto buscar
vinte francos e os entregou ao cliente... nao
delle seno dos mesmos vinte francos.
O cliente uo se demorou com mais
palavras, nem-se detve com mais ceremo-
nias ; foi se escoando o mais depressa que
pode pela portafera, e... at hoje, est o
bom do letrado esperand) pelo freguez. ,
FRONTEIRAS. -A demarcago da linha
da fr mteira entre a Franga e Allemanha fi-
cou terminada no anno passado. Tem esta
linha 50(5 killometros, atravessa 217 com-
munas, 103 allemes c 114 francezas; foi
preciso assentar 4,200 marcos principaes e
1,300 intermediarios. Cada uma destas
pedras valia cerca de 4#500 ( 25 fr.)
UM PAR DE MARAVILHAS F EMININAS.
Chegarara a Lisboa, de passagem para a
America do sul, duas notabilidades dediffe-
rente genero.
Uma, raademoiselle Rosa, giganta notavel,
tem 2 metros e 15-centmetros de altura,
e segundo diz o programma que temos vis-
ta, tem uma elegancia de formas, rara nes-
tes ph-nomenos.
A outra, mademoiselle Clara, tem dezoi-
to annos de idade e pesa a bagatella de 14
arr bas I
Diz o programma que mademoiselle Ro-
sa obteve o premio de 10,000 francos, na
exposigo de Pars,
ENIGMAS DA COMEDIA HUMANA. -Nao
sem grande admirago do auditorio, compa-
receu, pouco ha, perante o tribunal correc-
cional de urna das varas de Pars, um an-
cio de sessenta e seis ann s, cujo exterior
o de um homem respeitavel. N'outro
tempo foi commrcianto do fazenda, n'ou-
tre tempo em commercio importava o gyfo
demuitos contos de ris ; e a sua firma
commercial com quem transaccionava.
Vieram depois os revezes, as operages
desastrosas, a fallenoia ; mas, n'um acto
publico, os crederes declararam a quebra
devida a desfortunas "inmerecidas e que o
sen devedor em nada desmerecer da sua
estima.
A fortuna possoal do velho negociante
foi toda consumida naquelle desastre. *
UM GATUNO COM GUACA.Era servi-
gal n'uma hospedara em Troyes (cidade
do departamouto de Aube ) um rapaz mui-
to novo ; e antes desse emprego havia per-
corrid > outros estabelecimentos, donde ai-
ra cora fama de ser muito ligeiro e dex.ro
em se apropriar do alheio.
Teve, porm, Flix Mielle ( assim o no-
me do hroe) um dia a lembranga de -se
vestir de mulhere dse fazer passar como
tal. Dotado de bonitas feiges c claro, os-
canhoou bem a barba, e naturalmente co-
brio a epiderme com boa carnada de p de
arroz ; acmou-se com farta tournure, e an
dou mettido polas igrejas, pelas lojas de
modas o tambem pelos bailes pblicos.
Com tanta habilidade fizera a metarmopho-
se e sustenta va o seu papel, que custou a
desmascarar-se o embuste. Quando tudo
se descobrio, era j mui farta a colheta que
tinha realisado escamoteando vellas, sobre-
pelhzes, vasos, llores artificiaes, estatuetas,
toalhas de altar, tudo subtrahido em diffo-
rentes igrejas, mas'principalmente em Sain-
te-Madeleine, em Saint-Martn e Nois.
0 rapaz frequeutava assiduamente as igre-
jas, fingindo-se dama muito devota ; demo-
rava-se como beata, cujas orages sao inter-
minaveis : e ao achar-se s, estabelecia so-
cialismo com os santos, e c .megava a repar-
tir entre si e elles as alfaias a que melhor
poda langar mo.
Em uma occasio, cm que tinha andado
na fama de rocolher as vellas dos altares e
d lustre, do coro um padre que estava ro-
sando sentado n'um confissionario reparou
que o lustre fazia um mjvimento rotatorio
e nao tinha vellas. Olhou para toda a igre-
ja, e s vio uma senhora joven menos mal
vestida, a um canto, e com certo recolhi-
mento.
Nesse relancear de othos observou tam-
bera que nos altares faltavam vellas. En-
to aproxini-m-sc da menina e lhe fez al-
gumas observages, a_ que ella respondeu
com postiga indignago.
0 sacerdote, porm, foi procurar o sa-
christa e mandou chamar a polica.
Esta veio e prendeu o meliante.
As pesquizas subsequentes deram a sa-
ber toda a historia, indurado a do sexo do
rapazola ; que, nos bailes pblicos, chega-
r a fazer andar o cabega a roda a alguns
velhotes, com a formosura que inculcava
o seu donaire e desenvoltura.
ORgAMENTO DA GUERRA EM INGL\-
TERRA.O orgaraento submettido pelo go-
verno da Gr Bretanha cmara dos com-
muns, e por ella approvado em sess de
19 do mez passado, para o anno de 1872-74,
sobe magnifica somma de 59,541 contos
de res (13 milhes, 341 mil e quatroecntas
libras esterlinas) ; devendo notar-se que este
orgamento apresentava a diminuigo de....
1,836 contos, em referencia ao anterior.
CURA D'ALMAS POR ELElf.AO.No
grande conselho de Genebra, em sesso de
19, foi votado definitivamente, por 76 votos
contra 8, o "projecto de lei estatundo que
os curas d'almas sero eleitos pelo suffragio
popular, e sero nomeados pelo governo.
No comego da mesma sesso foi apresen-
tado um protesto dos curas catholicos do can-
to, contra o poder cantonal e contra o po-
der federal; protesto x que era redigido em
tefmos mui "euergicos.
A assembla, porm, desprezou o docu-
mento e a linguagem delle.
OUTRO CABO-SUBMARINO.0 governo
DI
GADO, 11AVIDA EM LONDRES.
Londres, 31 de dezembro de 1872.
lllm. e Exm. Sr.Nos cinco primeiro-
dias da semana que comecou a 9 d j do cor-
rente mez de dezembro, teve lugar nesta ca-
pital a exposigo annual de gado que o
club Smithfieldes costuraa regularmente fa-
zer nesta poca.
Na mesma occasio foram expostos, como
nos outros anuos, diversos accessorios e
principalmente machinas, apparelhos c uten-
silios destinados lavoura.
Como este assumpto pode offerecer algum
interesse ao ministerio a cargo de V. Exc.
julguei dever prestar a respeito as iiifonna-
ges que pude rpidamente colher em exa-
mes que fiz.como um simples curioso.
A exposigo fez-so no Agricultural Hall,
enorme edificio que oceupa em lslington
Green, cerca de tres geiras inglezasou pr-
ximamente 12.000 quadrados de terreno.
No grande salu central, de 384 por 217
ps (1 i7 por 66 metros;, com tacto de vi-
dro apoiado sobre columnas de ferro, foram
expostos o gado vaceum e o ovelhum. Ao
redor deste sali, e distribuidos em um an-
dar terreo e outro superior, estavam as dif-
ferentes machinas, apparelhos, ferramentas.
mudas e sementes de plantas, e outros va-
riados objectos, que nunca deixam de ap
parecer as exposiges, ainda que com estas
nenhuma lgagio tenham. Em reparti-
mento separado do sala- central, e prxi-
mo entrada principal do edificio, achava-
se o gado suino. De um e outro lado do
corredor da entrada viam-se arnezes e car-
ros de todos os feitios e para diversos rais-
teres.
Os premios de valor conferidos pelo club
Smithtield, alera dos de mera distinego.
consistiam: o primeiro em uma pega dr
baixella do valor de 100, que foi dada a
Mr. James Bruce.de Burnside, pelo seuboi
escossez n. 154 ; o segundo era outra pega
de baixella do valor do 50, que obteve o
duque de Marlbopough pelo seu grupo de
carneiros n. 317 ; om seto tacas de diver-
sos valores, valores, que foram tambem da-
dos a differentes pessoas.
Nao vi ainda publicado o numero da
pessoas que vsitaram a exposigo; ma-
deve ter sido consideravel, porque (embra-
me que na terga-feira concorreram
23.233 o na quarta-feira 44.000 pessoas
0 prego do entrada era de um schilling.
Em 1871 o numero de visitantes elevou-*
a 103.595, que produziram 5.479, ao
passo que na pnmeira exposigo desto ge-
nero em dezembro de 1799 a receita reali-
zada em tres dias foi apenas de ** 49.3 s.
0 club Smithtield foi originariamente ins-
tituido para o fim de animar o supprimeut' i
de carne barata e da melhor quahdade, e
este objecto somonte deviam os juizes tei
em vista ao conferirem os premios na ex
posigo de gado. Nao ha restriego quan-
to ao modo de alimeutago ; mas deve-><
attender qualidade da carne, ao pMR>
peso do rebutalho, idade e anticipagao
de maturidade. A este respeito ajuntou
uma folha diaria as seguintes considerages ;
<*. Qual ento, o animal de mais mo
jecimento ? Nao o mais pesado, >orque
peso poderia consistir em intil proporga
de rebutalho e de ossos.
Nao o de maior peso para a idade.
porque a qualidade da carne poderia ser
to pobre que tornasse a carcassa de me-
nos valor do que a de uin animal mais leve.
Nao o que tem a melhor qualidade e
carne, porque este merecimento poderia sei
devido a um sacrificio de tempo o de ali-
mentos, que tornasse a carne muito carj
em comparago cora outra produzida com
menos dispendio em animad mais novo
alimentado mais barato. E certamen!
nio o animal de formas mais symetritu-
ou de superior qualidade como typo de raga
enema feraeaque apresenta no mais alto
grao os signaes de sconstituigo e de abun-
dancia de leite. Em uma exposigo de ga-
do gordo deve o premio caber ao que reu-
nir as mais importantes dessas quabdades e
propriedades.
A misso dos julgadores uo era, por-
tanto, fcil, o as sentengas proferidas nao
podiam escapar censura. Lastimou-se
que, tratando-se apenas de premiar animae-.
para o agougue, fossem os arbitros na maior
parte escolhidos d'entre os raesmos criado-
res (breeders), que conferem as honras na>
exposiges de criago, e que ligara muita
importancia puresa de raga e a outros ca-
ractersticos, como esses, de valor secunda-
rio sob o ponto de vista dos engordadores e
carniceiros, para os quaes o melhor gado
o que contem a melhor carne produzida o
mais econmicamente possivel.
Direi agora alguma cousa sobre o ani-
maos expostos.
. as classes bovinas bouve 200 inscrip-
goes. Os animaes eram em geral extrema-
mente gordos e apresentavam magnfico as-
pecto. Notei um que pesava um pouco
mais do 28 quntaes ingleses (humoVed-
weights ou cerca de 98 arrobas ndssas. Pe-
sando de 24 a 27 quiutaes inglews haram
diversos specimens.
[Corrtinttar-se-lia-}
TYP DO DIA1U0- WA DW^K D W*
-


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EHC8L2MSZ_HDC18E INGEST_TIME 2013-09-19T23:18:13Z PACKAGE AA00011611_12875
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES