Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12842


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AXXO XLIX. MUERO 42
PARA A CAPITAX E LIGARES \DE SAO SE PACA PORTE.
Por tres m'ezes adiantados................. 65000
Por seis ditos idem................. 125000
Por ura anno idem........j ..'. 243POOO
ada numero avulso ,|................. m 320
DIARIO DE
QUHTA FEHU 20 DE FEVREH DE 1873.
PARA BENTRO E FBA BA PBOVMCA
Por tres raezes adiantados.
Por seis ditos idem. .
Por nove ditos idem .
Por um anno idem. .
...
...


(HW50
139500
205250
279000
RMMBCO.
PR0PMEBADE DE MANOEL FICHR0A DE FAMA & FilHQS.
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Goncalves d Pinto, no Maraco ; JoaquinT Jos de Oliveira d Filho, no Cear; Antonio Je Lemos Braga, no Anca* ; Joao Mana Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Mal, Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Paranyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulcao, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, emNazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagas | Alves d C., na Bahia ; e Leite, Cerquinho d C. no Rio de Janeiro.
PARTE OmCIAL
/
r
/
Govituo la provincia.
BXPSMERT&DO DIA 11 1)E t-'KVMIElIlODE 1873.
1' Si'f'-iiO.
Ufflrio :
ao Exm. bigadoii-o twminiuaauto d:is armas
.ierino. Sirva-so V. Ese. de militar anresentar
v ipto di porto, para serem depositados no
\ ,j. r de guerra Rmfi, como M resolvido, os re-
cratas destinado* armada, que se acham no
uarte! da Soledad, providon-iando ao mesan
tmpo para qoe esses rerrutas continen! a ser
receidos e Halados no hospital militar, eomo at
agora, visto a enfermada do arsenal de marinlia
Uio ollere er a necessaria seguranza.
A inspector du arsenal de marinha. Deter-
mine V. S. aos me Iros da euei inaria desse arse-
nal que, reunidos ao medico do vapor do guerra
fecifr, inspc.v.oiiein os recrutat desosados ao ser-
vico da armada.
Ao engenheiro das obras militares. Hemet-
ta-me VlUC. urna copia do arca nenio i|iie acom-
paohou ao seu offlcio de 3 de outubro do anno
passad i. da despeza a fazer se eom as obras cala-
dura e pintara do hospital militar
Ao meante. Para satisfaiera requisicao do
inspector d i thesouraria de lateada, eoutida em
offlcio do 7 do convine sol) n. 11, serie C, loma-
se necessario que Vine, me remeta com a possvol
breridade o or.-ameuto u descripeo das obras de
um paiol. que sirva de deposito de tuda a plvora
importada neta capital, como se exigi em 2o de
dezembro ultimo, devendo esse ornamento vil
acompanhado dus papis pie nosta dala Ihe foram
cariados.
>' secfo.
Acto1*:
u presidente da provincia, altendendo ao que
requerea Manuel Lvinode Artwrim Lima, lenla
i]uarlel-tti3Slre do batalhao W de infatuara da
guarda nacinil do municipio di Cabe, e i vista
da nota lancada pelo comman huile superior deste
municipio, a plente do dito tente, resolve man-
dar que soja aggrogado ao 1. batalhao de infan-
taria deste municipio, de e mformidade com o dis-
p isl no ari. io do decrete 1,130 de 12 de marco
do 1833.
O presidente da provincia, altendendo ao qoe
requeren o hachare! Augusto Goethe de Maraes,
prom tor publico da cotuarea do l.inio'.irn, resol-
needer-llio irinia diis de hornea, com ven-
CimentOS na forma da M, para iralar de sua sa-
de tiesta capital.
(i presidente da provincia) atienden.lo ao que
r-vpiercu o baeharcl Manoel los Mondes Bastos.
i >tor publico da comarca do Ho:n Consolho,
te coneeder-lhe triuta dial de lieenca, com
Inrimentus, na forma da le, para tratar de sua
. i onde Ihe ctmvier.
0 prssidonts da provincia, ;i visudoque ex-
Dr r.h i'.' Ja p Jicia. em eili.iio n. S93, de
9 do crrante, q i mo a i engao hari 1) na pro-
feita n i de u. lo:>, de tS do nua prximo
passada. clin rolarlo ao norne do cidado propos-
ti pa'a 2." snpplente do subdelegado do districto
(b Carato da Se, qual sa chaina Jos Marfblino
di Ponceea Mangninho, resolve que. corrigido as-
:: dito engao, se passe ao nomeado novo t'uulo.
ios:
A Dr. chafe de polica. Declare V. S. ao
delegado do termo de Serinhaura, que a Interpre-
taran por elle dada a le n. 1,066, de 13 de junlio
: i, que determinou que o eugenlio Cacnoeira
M perteucendo ao termo da Escuda, esta de
j irdo om a dita le.
Ao mesui). Chama a attencio de V. 3. BO-
bre o eontlicto que se dea a 9 do c urente em um
i vagos de 1* classe do twm que vinha de
'. inga as 8 liaras e 38 minutos da noule, e de
trata o ofBcio junto por copia,'do engenheiro
I, aiim do que nroreda du conformidade com
: contra os autores d is ferimentos havidos, de
modo a lerera punidos.
Ao roinmandanle sup ir u to Bonito. Ex-
pe(a V. S. as suas ordens, ati o 8 que, como pe-
de o Dr. chefe de polica em offlcio nJ)91 de 8
do correte, seiam dispensos do servico activo da
rda nacional as praeas do batalhao "h, de no^
i.i'- Francisco Bozerra de Vaseoncallos Lyra, Jos
,v loni i d Lima e Nemesio Bezerra da Silva, em
.' lo forein inspectores de quarleirao.
Ao juiz provbdor de cap lias. Remetto-lhe
capia o offlcio que hontem dirigu-meo Exm.
' tta. hispo diocesano, solicitando providencias
no sentido de ser observada a pena de interdicto
imposta irmandade do Divino Espirito Santo e
] la capell i, afim de que Vmc. providencie co-
r de iei.
Ao juiz do direito do 5." districto criininal.
Transmiltndii a V. 8. OS cilicios junios por co-
pia, llie id;muendo que, sem peda du lampo,
providencie em ordem ase concluir a formacao da
culpa do grumete do corpo dr, armada Halaquias
.1 u da Silva, que se acha preso ha quasi dous
annos na fortaleaa do liruin. como indiciado em
crims de furto de um cavallo. devendo igualmen-
I; prpeeder nos termos da Ici contra o escrvio,
tendo oj autos em sen poder por tanto tempo
ni Ihes den o devido andamento.
Ao juiz de direito de urcury. Informe
V com urgencia se algutn dos termos icssa
iv .-.are csUi nas condin">e.--, de que trata o art.
S l. do decreto n. 4,8i, de de uovembro
le H71. guaes.aos juizasde direito das comar
cas de Taearat, Laioeiro e Caruard.
Ad juiz de direito Interino da comarca do
Limoeiro. Queira Vine, remelter.-ine a relacao
n mal dos variolosos, a que se refere o seu ofll-
c- de i> do correnta, atim d"^ que esta presidencia
p ;,-,i rea ilver sobra a- gralii-ac.i i que deve ser
ida ao encarregado do Iratainento dos mes-
ni .
Al couunandante do corpo de polica. Po-
de Vmc. engajar no corpo sob se i couunando,
: neos, os paisanos t.eopoldino Francisco
; .i i Manuel Jos de Santa Auna, dos quae*
o seu offlcio n. %, de 8 do corrcnle.
3' Sen vi/i.
Oi i<
Ai< mspeetor da luesoiuaria da hienda.
'fransmittu a V. S. a folha. re -<<> nominal c pret
i?, afim de que mande pagar-a Jeronymo Pe-
reira Marins ou a Evaristo Mondes di Cunha Aze-
vedo, osvencimentos do destacamento da guarda
ii cioiial da villa du Brejo, relativo- ao niez de Ja-
neiro tiltim i, conforme slicllou o r ispectivo com-
mandanle superior em offlcio de i do corrala
sob ii- 131.
Ao inspector da thesouraria provincial.
Providencie V. S. no sentido de ser paga a Bento
J | de Macedo Pocas, avista dos documentos jun
toa, que nic remellen o Dr. chefe de polica, com
offlcio de 8 do corrente, sob n. 300. a quantia de
Itit, em que importou o aluguel de 6 mezes ven-
c > em dezembro do anno prximo passado, das
casas que no termo de Agua Preta, servem de ca-
deia e quartel do respectivo destacamento.
Ao inesmo. -Recommeudo a V. S. que vis-
ta da inclusa conta, mande pagar a Flix Pacheco
de Menezes, conforme solicito u o Dr. chefe de po-
lica,'em otDcio do 8 do crreme, sob n. 301, a
quantia de 22i 160, proveniente do concert feito
na cadoia do termo de Scrinhem, segundo se de
prebende da referida conta.
Ao mesmo. Em visti da relacao e conta
Juntas. ijuC me rcaietteu o Dr. chefe de polica com
. "offijio de 8 do corrente, sob n. 302, mande V. S.
pagv a queat se mostrar coLipeteuteiaente autori
sido, n quantia d '429J. cm qnc importou a des
peza l'eita nos mezes de agosto a dezembro do
anno prximo lindo, com o sustento das presos po-
bres da cadea do termo de Caruar, como .se v
daqaelles documentos.
Ao mesrm>.=Cominunico a V. S. para seu
conheciinenlo e fins convenientes, que em offlcio
de 8 d i corrente deciarou-me o Exm. e Rvm. his-
po diocesano haver em data de 11 de Janeiro ulti-
ma exonerado o padre Sesostris Abdon Freir de
Carvallo do cargo de coadjutor da freguezia de
Agua Preta, sendo esse lugar preenchdo na mes-
ma data pelo padre Cliristovio do Reg Barros.
Ao mesmo. Annuindo ao que solcitou o
chefe da reparticao das obras publicas, em offlcio
de 30 de Janeiro ultimo, sob n. 37. a que se refere
sua iiformacao de 7 do crrante, n. 3i. antoriso
V. S. a mandar entregar reoariii.ao a quantia de 905, afim de occorrer aos
pagamentos da desapropria/o de urna casa d
taipa ii-rlecente a J s .Vunes dos Santos, e dos
estragos cansados em dnas plantad-oes de algodao
de Maxmiano Francisco Ferreira e Manoel Fran-
cisco dos Santos, no 2 districto, visto ter de pas-
sar pur esa rea a estrada projeclada de Una a
Capoeiras.
4.' teccSo.
Om ;os :
Ao Exm. vce presidente ila provincia do Ro
Grande do Norte -Diclaro a V. Exc, em resposta
ao seu offlcio de 2o de Janeiro ullimo, que deixa
de ser sati'feita a requisi;ao nelle cuntida, por nao
have na secretaria desta presidencia exompjares
do reculamente approvado pelo decreto n. 5,136
de 13 de novembro do anuo prximo passado.
Ao Exm. e Rvm. Sf. hispo diocesano.-Em
resposta ao offlcio que V. Exc. me dirigi hontem.
solicitando providencias no sentido de ser observa-
da a pena de interdicto imposta irmandade do
Espiito Santo e sua eapella. cahe-me dzer qne
del sciencia ao Dr. juiz ptovedor de capellas da
matei1a"do citado offlcio, afim de que elle provi-
dencie como for de Iei.
Ao mc-mo. -.Ws,ta data dei eonheemento
tliesiuraria provincial de haver V. Exc. Rvm, con-
loriue dmTarou oin offlcio de 8 do corrente, exone-
rado n 21 de Janeiro ultimo o padre Sesostris
Abdon Freir de Carvalbo do cargo de coadjutor
da (regaezia da Agua l'reta, sendo esse lugar
preiichido na mesma d.ta pelo padre Christovo
do R !go Barros.
Ao Gonego regedor do gymnasio provincial.
Sirva-se V. Rvm de informar se nas contas que
renietteu, com referencia i despezas feilas nesse
estabeleciinento duraiilo o auno prximo lindo,
forain omttidas as que se nzeram com luz e agua,
8 o i caso nllinnaiivo. a ra-.ao dessa omissai.
Outro sni, informe qual o saldo pertenecnte ao
exercico de qne ^e trata.
Ao mesmo. Bematla-ma v. Rvm. o bataneo
da receita e despeza desse estabeleciinento, perlen-
eente ao anno de 187, acompanhado dos doen-
meiiDs comprobatorias, relativo; s despezas feitas.
5.* swfflee
Actos :
U presidente da provincia resoive" nouiear
urna commissao, composla dos engenheiros Manoel
linar pie de Macedo, Gervazb Rodrigues Campcllo
e Paulo Jos de Oliveira, para examinar os nrojee-
tos d5 reforma do ivgulameiito da reparticao das
obrar, publicas, e sobre alies emittir parecer ; pro-
poud) as altera^oes que entender mais con-
venientes.
O presidente da provincia, usando da autori-
sa'.ao qne Ihe confere o artigo 1." da le provincial
n. 833 de 22 de maio de 18S, e depois de aberla
a concurrencia por editacs para a concessio do
favor, de que resa a mesma Iei. aquello que con-
tratarse a illuminavao a gaz dacidade de Goyanna.
ten o examinado as duas propostas apresentadas,
e ouvido as respectivas repartieres ; e altendendo
a que a d i Justino Jos .le Souza Campos prefe-
rvel por offerecer maiores vantagens, resplve eom
elle contratar a mencionada illuinina^ao, mediante
as seguinles c .instilas, que serio remettidas i the-
souruii provincial, afim deserem redolidas a ter-
mo (om as formalidades legacs :
1.' A illumnacao comprehender a cidade de
Goyanna .c seus arrabaldes.
i" No permetro do lugar indicad) no artigo
precedente seraocollocados sessenta lampefles dis-
tribuid >s pelas ras e praeas nas distancias mar-
radas pelo governo. pagando este pela luz de rula
comhustor seis mil .* qiiinlientos ris ( 61500),
meada do paz, dorante 180 horas por mez de trn-
ta dias.
3. Pica o empresario obligado a augmentar
esse numero com os combustores que o governo
julgir necessaros pela mesma forma, pre/o e.con-
diciH's, contratadas para os sessenta.
4/Cada comhustor Tornadera urna luz equiva-
lente em densidade a doze velas de sperma'cete,
con-umndo cada um l'i'i graos1 de spermacete por
hora.
5.' A offlena para prodnccMl do gaz, a colloca-
cao das machinas, apparelhos. canos e tudo mais
qoe for concernente completa e efflcaz illamina-
(jio da cidade, bem como o fornecmento e custeia.;
ment dos combustores das ras e pravas, correrao
l>or conta do emprezario.
6.' O emprezario obriga-se igualmente a Ilumi-
nar os edificios e estab.'leciinentos pblicos, medan-
le o ajuste feito orne governo, na razao do pref-o
estabetecido oeste emirato, e tindo em vista as
despezas da collocacao dos combustores e respecti-
vos tubos de derivacao. Igualmente se obriga a
contratar com os particulares, mas nunca por maior
pe.o do qne aquelle que pagar o governo, isto ,
a razio de nove ris por pe cubico.
7 Os combustores se conservarao accesos du-
ran e toda a parle escuta das noites, segundo o
termo'medio seis horas por noite ou canto e oi-
lenla por mez de trnla das.
8.' A illumnacao ser numerada : cada com-
hustor ter o seu numero de metal estampado no
vidro do lampeao, de nian:ira que seja visivel du-
rante a noite.
9." 0 governo ser nuvido na cscolha do local
para o estabelecmentu das offleinas ou gazometr
e collocacao de manmetros para indicar a presso
supporlada [ ella variar.
lo." A illumiacao s peder funecionar depois
de concluidos todos o? trabalhos da einpreza, os
quaes sero liscahsados por agente do governo.
ti.* O emprezario obriga-se a dar coineco aos
trabalhos respectivos, ou a encelar a organisaao
de companhial no prazo de 8 mezes, a contar da
data da assignalura do contrato e a conclui-los no
de dous annos, a coatar da mesma data ; para
o que se sujeita a una multa de 3:000, no caso
de falta de qualquer ds dous prazos.
12.a Se com eleito organisar a companhia, o
prazo tara o coineco das obras ser contado da
data da publicacao do decreto c estatutos appro-
vados pelo governo imperial, devendo conciui-lo3
no de daus annos, como prescreve a clausula pre
codale.
13.* Para garanta da eondicao antecedente, <
emprezario obriga-se a prestar lianza idnea.
li.* O contrato e privilegio duranio porHrinta
anuos, a contar da data em que comecar a fune-
cionar ; e findp este prazo, o contratante ser
obrigado a renovar o mesmo contrato, tendo-se em
consideracao o estado dos prefos do combustivel e
salarios; e caso o governo prelira, podor comprar
aempreza polo valor que forenUo arbitrado, sen lo
o coutratante obrigado a annur.
I?.1 O governo da provincia obriga-se a ceder
por aforamaito quaesquer terrenos- devolutos ou
de majinhaf que sejao precisos para oe^abek-
cimento da offlena, gazinetros e mais dependen-
cias.
16.* As despezas feitas com alteracoes ou deslo-
ca^oes no material da illuniinagdo, em consequeu*
ca de Uabalhos pblicos, correrao por conta do
governo.
17." O governo provincial obriga-se a solicitar
do goveruo geral a iseacao de direitos dos machi-
isnios, utensilios, apparelhos, tubos, combustores
e materias primas, que forein precisis para a
Uuminago ; nodo o emprezario a porc.o de
materiaes precisos animalmente, perante a thesou-
raria de fazcuda.
8. Por cada combusto!- que se encoutraj; com
luz amortecida, pagar o empre ario 300 ris por
noite, e o do'oro por cada um que nao estivor ac-
ceso.
19 As multas serio descontadas niensalmente,
na importancia do que tiver de receber o empreza-
rio, da thesouraria, onde sero tanibem feitos men-
salmente os pagamentos do mesmo emprezario.
2 .* No caso de. paralysacao da illumnacao por
culpa do emprezario, correrao por conta do mes-
mo os excessos de despezas, que o goveruo lizer
com esse servido.
21.* O emprezario responder pelos prejuzos que
resollarem a terceiro. provenientes de omisso ou
deleixo de seus einpregadot ou prepostos no servico
da companhia.
22." O goveruo ter um ou mus age Mes incum-
bidos de examinar o estado do machinsino e ca-
nalisaco, para evitar sinistros, prestaudo-se o em-
prezario a todas as requsises.
23.* Fica reservado ao emprezario o direito de
transferir a outrem o presente contrato, approvando
o governo provincial a transferencia. Esta, appro-
vaco importar para o transferente a sua intaira
desobriga, passando assim para o novo emprezario
toda e qualquer respwnsabilidade c vantageus ou
privilegios derivados do contrato.
2i.* O emprezario extrahir o gaz das subs-
tancias que recomineuda o estado actual da scien-
cia, para se obter una luz brilhaate, suave e
inoffensiva ; c verllcand')-se na durajao deste con-
trato aperfeieoamento ou descoberta sclentfica de
outro agente productor de luz, de que possa re-
sultar meluoramento notavel nu dosempenlio dede
servico, poder o empresario lancar mi d'elle,
oblcndo previo consentimento do governo,
25." Todas as questoes suscitadas acerca do pr-
senle cuiilrato sorao decididas sem rocurso algum
por dous arbitros rioineados pelas partes ; os quaes,
no caso de discordancia, jiomearo um desenipa-
lador; e se nao couv;rem o'esse ilesemiatador,
ser elle nomeado pelo presidente do tribunal do
commerco.
26.' Fica prohibido terceiro o foraecm-ato do
gaz, seja porque systema for, ao governo ou parti-
culares durante o'tcmpo do contrato.
OOicios :
Ao engenheiro chefe da repartiese das obras
publicas.Manle Vine, orear as obras fazer-se
to recolhimento do Sautssimo Coradlo de Jess,
da villa de Iguarassi, informando se a quantia de
tiOOJl'KU, consignada no g & do art. da le d
orgameato vigente sufficionte paja os co:ice.-to>
mais necessarios. e brgtntds.
Ao mesmo. -Recenmend Vmc ao agenhei-,
ro que tein de seguir para o interior da provincia.
Iue orce os colicortos precisos na eaiV-a da fUla
e Cimbres, afim de torna-la mais segura e salu-
bre.
Ao administrador do crrelo. -Remelto a
Vmc. copia do offlcio que, em 31 do mes prximo
Ando, ibrigio-jin' o coininandaiite superior Ja guar-
da nacional dos municipios do Brejo e Cimbres,
afim de que providencie respailo pelo modo mais
conveniente.
Ao engenheiro Manoel Buarque de Macedo.
Por acto desta data nmee uuii comnissiocom-
posta de Vmc. e dos engenheiros Gervasio Rodri-
gues Campello e Paulo Jos de Oliveira para exa
minar os inclusos projectos de reforma Jos regu-
jamentos da repartidlo das obras publicas, e sobre
ellos emittir parecer, propondo as as altera.oi>
que entender mais convenientes, o que communco
a Vmc. esperando que dar mais etsa prova de
seu zelo pelo servido publico. hUati mntniis
aos outros nomea'Vos.
EXPEDIENTE DO SKCHBTABIO.
1' secnto.
Ollirio :
Ao eapito do porto.-S. Exc. o Sr. presiden-
te da provincia manda declarar a V. S. que fica
scienle de terem sido destinados como recrutas
para o servico da armada os matriculados Jos
Francisco c Jos Ferreira Estacio, de que trata o
seu offlcio do 10 do corrente, sob n. 3, que fica
respondido.
t* tecQo.
Offleios:
Ao Dr. chefe de polica.-^) Exm. Sr. presi-
dente da provincia manda conununicar a V. S. que
n'esl data acaba de autorisar a thesouraria pro-
vincial pagar as despezas de que tralam os seus
olllcios de 8 deslc mez, sob ns. 3'JO a 302.
Ao mesmo.O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S. que no dia 1 do
corrente se autorisou ao thesoureiro geral e pro-
vincial, no sentido de nagarem as despezas, de que
tratam os seus de 30 de Janeiro ulliiii), de ns; 215
a 218.
Ao commandante superior da guarda nacio-
nal do Recfe.-O Exm. Sr. presidente da provincia
manda declarar a V. S., para os devidos has, que,
por portara de 10 do corrente, fo nomeado alteres
da 3' companhia do 3o batalhao de infautara o
guarda Francisco de Paula Gomes, de conformi-
dade com a proposta que veio annexa seu offlcio
n. 5W de 6 deste mez.
Ao mesmo.-O Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda decarar a V. S. que, opr portara
de hontem, fo mandado servir na P companhia
do 4o batalhao de inf intaria da guarJa nacional
do municipio o alferes Jos Raymundo Ferreira de
Araujo Saidanha, de que trata o seu offlcio de 28
do mez prximo passado.
Ao mismo. -O Exm. Sr presidente da pro-
vincia manda declarar a V. S., para os devido^Jins,
que, por portara de hoje, fo mandado aggregar
ao 4" batalhao de infantaria deste municipio, o l-
ente quarlel-mestre do 51 do do Cabo, Mauoel
Sezno de Aniorim Lima.
Ao commandante superior do Brejo. -S. Exc.
o Sr. presidente da provincia manda communcar
a V. S. que a thesouraria de fazanda recebeu au-
torisavlo cagar a Jeronymo Pereira Matas, ou
a Evaristo Mendes da Cunha AzevedO, os venc
mentes da escolta da guarda nacionaljde que trata
0 seu offlcio de 22 dejanero prximo Ando.
Ao mesmo.S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda communcar a V. S. que a thesoura-
ria de fazenda tera ordem para pagar os venci-
mentos do destacamento da guarda nacional, de
que trata o seu offlcio de 4 deste mez, sob n. 151.
Ao commandante superior de S. Banto c Ca-
ruarii.v-O Eini Sr. presidente da provincia manda
declarar a V, S. que, a 1 do corrente, expodio or-
dem a thesouraria provincial para pagar a Moreira
& Braga os voncimentos do destacamento da guar-
da nico.oal, de que trata o seu offlcio de 23 de
Janeiro ultimo.'
Ao juiz de direito de Olinda O Exm. Sr.
presidente da provincia' manda communcar a V.
S., para os devidos fins, que, por portara de hon-
tem datada, fo determinado que os supplenles d >
ex-juiz municipal do termo de Olinda contiouam
se-lo do juiz substituto do dito termo, na ordem em
que foram nomcados.
B.' sei'io.
OJJicios ;
Ao engenheiro chefe da repart cao das obras i Ao mesmo.-Communco a V. S. para seu
publicas.S. Exc. o Sr. presidente 'da provincia c mhecimento e fins conveniente?, que por portara
manda declarar a V. S. que nsta dala aulorisou | de hoje nomeei LindolpboOlimpio dos ResCampel-
a thesouraria provincial a mandar entregar ao
thesoureiro dessa reparticao a quantia de 9U10J,
afim de occorrer ao pagamento da esaproprisco
e estragos, de que traa o seu offlcio de 30 de Ja-
neiro ultimo, sob n. 37.
Ao engenheiro fiscal da estrada de ferro do
Recfe Casanga. 0 Exin. Sr. presidente da pro-
vincia manda aeeusar a recep.o do offlcio de V.
S., de 10 do corrente, e:n que trata de um conflic-
to havido em um dos wagons de 2* classe do trem
que vultava do Caxang s 8 h iras e 35 minutos
da noute d3 9 deste mez. e do qual resultaram al-
guns ferimentos.
EXCEDIENTE DO Da 12 DE FEVElKlilO DE 1873.
i' seectio.
Otarios:
Ao general commandante das armas. -Intei-
rado de quanto expoz o antecessor de v. Exc, cm
offlcio de 15 de Janeiro ul uno, sob n. 6i, tenho
dizer, em resposta, que deixa de ser satisfeila, por
a isso se opporeui diversas disposicoes de leis, a
requisicao contua no citado offlcio, relatlvamonle
a nao serem pigos os reocimontos, ipi: se lieou a
dever ao ex-pnrtciro'Bo hospital militar, Ildefuiso
Luiz Monteiro da Fninca. servindo para indenin;
sacio da imp irtanea de roupas que, achan lo-se
cargo do almoxarifad do mesmo hospital, foram
por elle extraviadas.
Ao mesmo.Beferiodo o reqoerimeoto do
soldado invalido do 53* corpo de voluntarios da
patria, Joao Pedro de Jess, sobre que versa a sua
informarlo de 10 do corrente, sob n. 165, auloriso
V. Exc. a eonreder-lbe permaslo para ir esperar
na freguezia de Sant'A ma de Jaboato a decs io
do governo imperial cerca de sua baixa ou re-
forma, finando obrigado comparecer nas revistas
de mostra nesla cidade, e sob ebodicao de permicao cassaila, se por ventura p irtar-se mal
naqueila locahdadc.
2' secro.
Actos :
O presidente da provincia, altendendo a que
por justos motivos de suspei.;o aposentados pelo
promotor publico da comarca do Rio-Formoso, ba-
charel Sebastian CorJciro Coellio Curra, nao pode
elle fuucconar no processo, que se tem de instau-
rar contra Sebastio Santiago Accioli Ramos, Es-
perdio Barboza da Silva e Flix Cavalcante de
Albuquerque, por crime de ntroduccao de sedulas
falsas, e aaoconvindo aos nteresses da justica pu-
blica que esse to importante processo corra re-
velia sem assstcnca do promotor publico electivo,
resolve remover o mencionadobachanl para igual
lugar na do Bonit, e desta para aquella comarca
o promotor publico, bacharel Joao da Cost i Rihei-
ro Machado.
O presidente da provincia, vista do offlcio
do Dr. chef de polica, n. 307 da 10 do corrente,
resolve exonerar dos cargos de '!. e 2 supplentes
do delegado do termo de Ourirary o ci.'adao Joa-
qilim Por-Deis Bidrigues Selxa, eo alteres Fran-
Cbco Pereira do Lago, este por liaV.r se passado
para esta cidade, e aquelle i>oruoter prestado ju-
ramento. .
0 presidente da provincia, vista'do offlcio
do Dr. chefe d! polica, n. 3)6 de 10 do crtente,
resolve exenerar o cidado Jacintho Soares Bote
lho, do cargo de I." snpplente do subdelegado da
fregu-zia'do curato da S, do termo de Olinda, por
nao ter aceitado dito cargo.
O presidente da provincia, contormando-se
com a iircposta do Dr. chefe de polica em offlcio,
n. 3i)6 ue' 10 do eorrente,ivsolve nomear para o cai-
go de 1." supplcnte do subdelegado do curato da
S. do termo de Olinda, o actual 2." snpplente Jos
Marcelino da Fonceca Mangoinho, e para a vaga
deixada por este o cidado Caulidu Quedes Aleo.-
forado.
O presidente da' provincia, vista do oTico
do DrAchefe de polica, n. 308 do l." do corrente,
resolve^ conceder ao cidado Ilenique Nunes de
Lima a exoneac'o que pedio do cargo de l.sup-
plente do subdelegado do i." districto do termo do
Triumpho.
0 presideute da provincia designa para com-
pr o conselho de jufgamento, a que tem de ser
subniettdo, por crime de insubordina;o, o solda-
do da 2.* companhia do corpo de polica, Manoel
Flix de SantlAnna :
Presidente, o major Joao Francisco da Cunha ;
auditor, o DT. promotor publico ; vogaes, tenen-
tes cirurgio Joaquim Jos Alves de Albuquerque,
Camilo Machado Freir, alferes, Numerano Jos
de Barros, Marcelino da Costa Raposo, Manoel c
Raynero de Barros.
Oaicios:
Ao Exm. conselhero presidenta da relacao.
Sirva-se V. Exc. de mandar juntar ao presente
recurso de Belchior dos Reis Pawo certido das
pecas, que fallam para instruir o dito recurs,e de
coufonnidade com o disposto no decreto n. 1,556
de 28 de margo de 1860, e circular de 28 de junho
de 1865, visto-estarcm os.aulos Crimea originaes
nesse tribunal, e nao haver copia delles no car-
torio do juizo.
Ao juiz de direito da comarca do Cabo. -
Attendeudo s ruzoes por Vmc. apresentadas em
offlcio de 10 deste mez, resolv nesta dala dis-
ponsa-lo de fazer parta da commssao incumbida
de examinar as obras a cargo do engenheiro do.
2 o districto, Joaquim Galeno Coelho.
Ao commaudanle do corp i de polica.-Pode
Vmc. eliminar do corpo sob seu commando o sol-
dado Manoel de Hollanda Ros, que, segundo seu
offlcio, n. 102, de hontem datado, fui em inspeeefio
de sade julgado incapaz do servi.o.
3.' secnlo.
Aclos :
O presidente da provincia, resolve nomear a
Flavio Goncalves Lima para exercer uterinamente
o lugar de laneador da recebedoria de rendas in-
ternas, vago por talleciinento de Jos Jeronymo de
Souza Lmoeiro.
O presidente da provincia, tendO em vista a
informado do inspector da thesouraria de fazenda.
datada de 10 do corrente, n. 27, serie C, resolve
nos termos do artigo 5.* 8 7. do deefelo n. 2,881,
do 1. do fevereiro de 1862, abrir, sob a responsa-
bildade da mesma presidencia, dous crditos, sen
do um na importancia de 50:0003000 rubrica
Arsenaes e o outro n.a de 23:000,4000 rubrica
Corno He sawle e hospitaet, ambos pertenceules ao
ministerio da guerra, afim de poder a mencionada
thesouraria continuar a occorrer no actual exer-
ccio os pagamentos dos vencimeutos dos empre-
gados do arsenal de guerra, corpo de sade c hos-
pital militar, visto nao ter ainda o governo imperial
resolvido sobre o augmento de crdito que para
isso solictou aquella repart ;o.
Offleios :
Ao inspector da thesouraria de fazanda .Com
a portara junta por copia, pela qual resolv, nos
termos.do artigo 5 7. do decreto n. 2,884 do
l. de fevereiro do 1862, autorisar sob a respousa-
bilidale da presidencia dous crditos, sendo um na
importancia de 50:000*000 rubrica Arsena-s e
outro na de 25:000*000 rubrica Corpo de saude
e hospitaes, a cargo do ministerio da guerra, lica
satisfeita a requisicao de V. S., cotida em offlcio
de 10 do corretate, n. 27, serie C.
Ao mesmo.Em vista das razos allegadas
em seu offlcio de 10 de Janeiro ultimo, sob n. 80,
serie B, as quaes sao procedentes, considere V. S.
sem cuello a ordem que expedi era 17 daqnelle
ooez, no sentido de nio serem pagos os vencimen-
tos que se ficou a'dever ao ox-porteico do hospi-
tal militar, Ildefonso Lucio Monteiro da Franca,
Assim respondo ao citado offlcio.
considerado. Igual commisse (-ensilara da,
freguezia de Taearat.
IXTEMUm DO SECRETARIO.
lo para o lugar de amanuense da commisso do / seqao.
recenseamonto desta provincia, na vaga de Flavio Offleios :
Goncalves Lima, que tamben) por acto desta data \ Ao Exin. director geral da secretaria de es-
loi nomeado lanzador interino da recebedoria de tado dos negocios da guerra.N t tendo aconipa-
rendas internas." aliado o aviso de 21 de Janeiro ullimo, anota fe
Ao mesmo. -Declarando o Exm. Sr. ministra que elle se refere, de 23 do mez anterior, organi-
da inaiinha em aviso de 25 de Janeiro ultimo nao sada mt reparticao do quartel mestre general,
competir ao ministerio a seu cargo, e sim ao da di tardamente a fornecer-se s compaiihas de in-
agricultura, a%quem j o'llciou a respeito, as obras
do que necessita a rampa do caos da Lingne'a nes-
ta provincia; assim o communco a V. S. para
seu eonhecimento e fins convenientes.
4.' secro.
Olllcios:
Ao Exm. presidente da provincia do Para.
Tenho a honra de pasar s mos de V. Exc, para
os fins convenientes, o incluso reqoerimeoto em
que Olhela Arcelina Moreira da Silva Bezerra,
viuva do alteres do 1 Io batalhao de iiilantarr1, Lo- j
poldo Bezerra Cava cante, fallecido na campanos
do Paraguay, pede a V. Exc. a graca de mandar i
pastar para aquello bataluao e remetter para csta|
provincia a f de offlcio do seu finado marido, aliin
de poder ella requercr ao governo imperial a peo-
bol ira das provincias do Rio-Grande do Norte e
I'aiahyba, durante o anno de 1873, rogo a V. Exc.
se sirva de providenciar para que dita nota seja
rem;tlida a esta secretaria.
Ao mesmo -S. Exc. o Sr. presidente da pro-
vincia manda declarar a V. Exc. para os llns con-
venieutes, que se acham recomidos ap arsenal de
guerra desta provincia, viudos da corte no vapor
'aran, 33 volumes, contendo medicamentos, dro-
gas a bornaes, destinados ao hospital militar e ao
i." batalhao de infantaria.
2.* secro.
Olllcios:
Ao Dr. chefe de polica.-Transmuto a V. S.,
de crdom do Exm. Sr. presidente da provincia, os
ttulos juntos de nomcaco dos l. e 2.* supplentes
sao a qoe tem direito. do subdelegado do curato da S, do termo de Olin-
__Ao Exm. Sr. Manoel Antonio Guimares, 2" da, le conformidade c m o seu offlcio n. '106 de
vce presidente da provincia do ParanAcenso a 10 do corrente.
recepeo do olco circular que V. Exc. me dirigi Ao mesmo.Communco a V. S., de ordem
em lo de Janeiro prximo lindo, participando ha- do Exm. Sr. presidente da provincia, que porpor-
ver no mesmo da prestado juramento c assumdo loria d'esla data foram exonerados o cidado Joa
e o alferes Fran-
is de 1* e 2.' sup-
plentes do delegado do termo de Ouricury, de
lo de Janeiro prximo iinuo, participanuo na- uo i.xui. sr. presmenie ua pnni
no mesmo da prestado juramento c assumdo loria d'esla data foram exonera!
xercicio do cargo de 2* vce presidente dessa quim Por Deus Rodrgaos Seixas
ivincia por ter obtido demssao o Exm Dr Ve- cisco Pereira do Lago, dos cargo
o ex*
provincia por
nancio Jos do Oliveira Lisboa.Approveito a oc-
casiao para assogarar a V. Exc. os protestos de
perfeita estima e dislincta consdoiaijo.
Ao conego regedor do gymnasio provincial. -
Comuinnico a V. Rvma para' os devidos fins, que
nesla data deliro a petti.-ao de Francisco Pinto de
Carvallio, a qoe se refere a sua informado de 8
do crrante, concedendo que Irequeute a aula de
nstrucco elementar desse estabelecimento, como
alumno interno gratuito, no caso de haver vaga o
menor ABonsq, lilho no supplicante.
Ao Dr. director geral interino da nstrucco
publica.Fico intetrado pelo seu offlcio e 8 d >
corrente, de liaver V. S. marcado o dia 3 de marco
vndouro, as II horas da manha, afim de ter lugar
o concurso para proviineiito da 2' cadera de geo-
gfaphia e historia do gymnasio provincial, vaga
pelo nlecimento do Dr. Antonio Rangel de Torres
Bandelra.
Ao provedor da Santa Casa de Misericordia.
-Inteirado pelo seu offlcio de 7 do corrente. sob
u. 257, de haver participado Manoel Antonio de
Jess, que. cm virtude de recomiiiendacao de seu
finado pai tem de entregar seis nilheiros de tijol-
los de alvenaria grossa, para as obras do estado,
calie-me dizer-lhe, (pie pode mandar empregar na
obra da casa dos expostos, visto ser um edilicio
publco, a a isso nao se oppor o mesmo Manoel
Antonio de fcsus-, os referidos lijlos, como solcita
V. S. cm sea citado offlcio.
A Josejfiassa do Reg Brrelo, vereador da
canaia m oiiiifeM M? lilla do Cabo.-Altendendo
ao
b
conformidade com o seu offlcio n. 307 de 10 do
corrente.
Ao mesmo.0 Exm. Sr. presidente da pro-
vincia manda dclarar a V. S. que foram expedi-
das as convenientes ordena, no sentido de qua
traa o seu offlcio n. 202 te 8 de corrente, quanto
dispensa do servico activo de varios guardas na-
eionaes do batalhao 58, em quanto servirem de
inspectores de quarteiro.
Ao mesmo. -O Exm. Sr. presidente da pro-
vineia manda declarar a V. S.. que por portara
desta data fo concedida ao cidado Henrique Nu-
nes de Lima, a oxonoracao que pedio du caigo de
1." supplenle do subdelegado do 1." districto do
termo de Triumpho, de conformidade cjin o seu
olli:io n. 308 de 10 do corrente.
Ao juiz provedor de capellas.S. Exc. o Sr.
presidente da provincia mande transuitiir por co-
pia a V. S., para sea eonhecimento e devidos fins,
o requerimento que Ihe dirigir a mesa regadora
da irmandade do Divino Espirito Santo da igreja
do Collegio, relativamente interdccao imposta
mesma irmandade e aquella igreja pelo "Exm. e
Rvm. hispo diocesano.
Ao coniniaulinte do corpo de polica. -De
ordem do Exm. Sr. presidente da provincia trans-
miti a V. S. a portara inclusa, que designa os
o'licaes que devem compdr ti conselho de jufga-
mento, a que tem de ser submettido, por crime de
in.-.obordna'.o, o soldado d*esse corpo Manoel F-
lix de SanfAnna.
o que expoz o juiz de direito da comarca do Cabo,
acharel Adelino Antonio de Luna Freir, resolv
nesta data dispnsalo de fazer parte da commis-
so que tem de examinar as obras a "cargo do en-
genheiro do 2' districto, Joaquim Galeno Colho.
Ao juiz de paz mais volado da freguezia de
S. Fr. Pedro Goncalves do Recfe.Declaro a Vmc,
cm resposiaao seu offlcio de 10 do corrente. qoe
achando-se approvado a eleieo de el.-itorcsa qoe
ltimamente se procedeu nessa freguezia, tenho
designado a Kdomioga de abril vndouro para ter
lugar a reuniaVda junta de qnalilicacao de votan-
tes, convndo que sejam abservadas no respectivo
processo as formalidades da le de 19 de agosto de
1810 e mais disposcoes em vigor. ,
A Antonio Jos Dourado da Silva, 4o juiz de
paz da freguezia do Limoeiro.-Eiii resposta con-
sulta, feiW ein seu jfflro de 4 do correte, tenl:o a
dizer que, nao estando approvadas as eleieSes ull-
mamente procedidas nessa Ireguezia, e nao tendo
por este motivo ainda tomado posse deseas cargos
os juzes de pas do novo quatrennio. deve Vmc.
continuar em exercMo na qualidade de 4o juiz de
paz da mesma freguezia.
Ao inspector da sade do porto.Chamo a
attenco de V. S. para o que se acha publicado
na Recisln do Diario de P,ernim'juro de hoje, sob
a epgraphe -Carnes verdes.
Paitaras:
A' cmara municipal do Recfe. Chamo a
atteooo da Ulm >. cmara municipal do Recfe,
para o (po se acha publicado na Beoitta do Dio-
rio ile l'nii'tiii'juco de boje, sob a epgrapheCar-
nes verdes.
A' cmara municipal da villa de Iguarass.-
Com offlcio do inspector da thesouraria de fazenda,
de 10 deste mzz, sob n. 30, serie C, juuto por copia,
respondo aos que me dirigi a cmara municipal
da villa de Igtiarass, datados de 8 e 28 de Janeiro
ultimes, relativamente remessa dos padrees de
pesos e medidas do systema mtrico decimal.
Aetos
5.' secrao.
O presidente da provincia, atteudeodo ao que
expoz o juiz do de direito da comarca do Cabo,
bacharel Adelino Antonio de Luna Freir, em offl-
cio do 10 deste mez, resolve dispensado de fazer
parte da commisso encarregada de examinar as
obras a cargo do engenheiro do 2' districto, loa*
quim Galeno Coelho, e dar parecer circuuistancia-
do sobie cada urna dellas. ... ------
O presidente da provincia resolve nomear
Lindolpbo Olvmpio dos Reis Campello, para o lu-
gar de amanuense da commisso do recenseanien-
to desta provincia, na vaga de Flavio Goncalves
Lima, que fo nomeado laneador interino da re-
cebedoria de rendas internas.
Offleios:
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas. -ISesta dala resolv dispensar o juiz de
direito da comarca do Cabo, bac larel Adelino An-
tonio de Luna Freir de fazor parte da commis-
so encarregada de examinar as obras a cargo do
engenheiro do 2* districto, Joaquim Galeno Cecilio,
atientas as i zoes que apresentou em offlcio de
10 deste mez; o que comaiunico a Vmc. para seu
eonhecimento.
Ao mesmo. Paca Vmc. sentir ao gerente da
empreza-Recite Draiuage-que elle mesmo em
offlcio de 10 deste mez, assegurou Ihe que se com-
promottia a exhibir una declaracao formal do
conselheiro P6ranagu, em como o preco da ca-
nalisacjio justamente o que se le no contrato,
por acecido anterior feito entre as partes contra-
tantes. Outro sim, declaro-lhe para que fa?a cons-
tar ao mesmo gerente, qu; o governo do Brasil
anda nao foi acomado por empreza alguma, na-
cional ou estrangeira, de faltar aos seus compro-
misos c a f dos contratos que tem celebrado, e
que nenhum governo ou individuo foi anda ai-ca-
sado ou censurado ao menos, por ter reclamado
por um direito usurpado, ;ou amea?ado de s-lo,
pela fraude.Assim fica respondido o oflico do
inesmo gerente, de 7 do corrente, por copia aune-
xo ao de Vmc, datado de hontem. sob o. 55.
A' commisso censitara da freguezia de Ca-
brob.Acensando recebidos os trabalhos do re-
ceusoamento da populacho dessa freguezia, cabe- (:
me agradecer clouvar os servcos por Vmcs. pres- -
tados na qualidade de membros da respectiva com-
Santo Anio. -Recebemos hontem da i-
dade da Victoria, o Crrelo de Santo Antao, de 15
do corrente, do qual transcrevenios o seguinte :
No da 10 do corrente, installou-se a 1.* ses-
so do jury deste anno, sob a presidencia do Sr.
Dr. juiz de direito Cietano Estellila Cavalcante
Pessoa; promotor publico oSr. Dr. Manoel Joaquim
Ferreira Estoves Jnior, e escrivao o Sr. Bellar-
mino dos Santos Bulcao Filho.
i No mesmo dia foram submettidos a juramen-
to:Francisco Antonio dos s mos, ineurso no
art. 205 do cdigo criininal. Advogado, Dr. Mar-
colino Ferreira Lima. Absolvido.
Jos Lopes dos Santos, pronunciado no art.
'i. Advogado, \)r. .Nicolao da Ciuilia Lima.
Absolvido.
Dia 11. Antonio da Silva Campos, ineurso
ii. art. 193. Advogados Nicolao da Cunha Lima
B Aristarco Cavalcante de Albuquerque. Absolvi-
do, e appellado pelo juiz de direito.
Jacintho Soares de Alnieida, art. 193, pronun-
ciado por tentativa de homicidio. Defensor Dr.
Nicolao da Cunha Lima. Perempta a accao.
Da 12. Joaquim Manoel dos Santos, ineurso
ul art. 202. Advogado lente Alexandre Bezer-
ra de Albuquerque Barros.
Nao foram julgados os accusadosMan el Cao-
tao Ribeiro o Francisco Caetano Ribeiro, indicia-
dos na morte do tenenlc-coronel Alcxandrino Mar-
ti ns Correa de Barros, por nao terem compareci-
do as testemiinhas da aecusacao, e somente as da
defeca, depois de nina dscusso entre o promo-
tor publico e os advogados Drs. Jos Gop;alvt9
da Rocha e Nicolao da Cunha Lima.
t Euccrrou-se a sesso.
Consta-nos que em Manea, na noute de 9 do
correte, honren pancadaria velha por occasiao
de um rarallo marinho, e que all nao compre-
la a polica do districto.
t E para que ? Houve l "eleicoes Prec-
siu o caso de oslen lacio de torca e podero com
0 que ordinariamente se assoiiibrain os tmidos
t Ao digno delegado do termo, o Sr. tenenle
Jos Uul'uio Bezerra Cavalcante, pedimos eoergi-
cas providencias, no sentido de remover os males
que nos afflgeui, pondo na maior actividade a-
policia do j. districto.
Secretaria da presidencia de Peruooi-
buco, em 18 de fevereiro de 1873.
Illm. e Exm. Sr. Cumprindo a portara
de V. Exc., om queme ordena que informe
sobre a publicaran feito no 'Liberal de 15 do
correte, com relacao secretaria do gover-
no, cabe-ine declarar a V. Exc, que nada se
tem da lo nesta reparticao, que possa moti-
var as vagas aecusaeoes, que se contera em
dita publicado. .
Por minlia parto provoco a quoru quei
que soja, a apresentur um s faeto, que pssa
por em duvida a minlia reputaco de par-
ticular e em pregado publico : aguardo qu<
o Liberal declare se referoni-se a mim a?
suas allusL-s, e aponte os factos para defn-
d'jr-me.
Desde que sou empregado nesta secreta-
ria, nao me consta que o publico tenha for-
mulado severas aecusaeoes a esta repartigo :
por exlorsoes, exigencias ou outro qualquer
abuso; pelo contrario, esforcam-se todos os
empregados em cumprir o seu dever, procu-
riudo activar e facilitar o grande expediente-,
que sobre elles pesa, para que as parles nto
sajam demoradas na solurao de suas pre
tetiQes.
PJe V. Exc. proceder s mais minuciosas
syndicaucias, e estou certo que o resultado
dolas, confirmar o que fica exposto.
Quanto publicarlo que no mesmo jornal
feita sob a epigraphe Boatosrefiro:me
informaco que j Uve a honra de ministrar
o V. Exc. em oflicio de 28 de Janeiro pro-
^
misso; cortos de quetaes sorvicos serio oppor- j
tnnamente levados ao coohecmento do governo .JJ0 v**: v Fxc n
imperial, ime aao deixar de toma-Ios na de vida' Deus guarde a Y. Ucuim. e am. w.


Diam de? Pfefmmbuco Quinta fej
de.Feveeiro de 1873.

#
ommenddor Henriquo Poreira de Lue*n,'
digno presidente da provincia. O secre-
tario interino-, Adolplut Laywnha Lint.
MSPACHOS i.K PRESIDfc&TX D? 18 DK VBVKRKIHO
, Adolpho Siqueira Cavalcanti.Informe o
Sr. inspector da thesourarra "<4a fazanAT*-:
Domingos *Soriano Afwis da Sil.In-
forme o Sr. inspector darthesouraria provin-
cial.
Ernesto Augusto de Athayde.Apresante
o supplicantc o seu filh ao Rvar regedor
do gymnusio, para qun face delle, deoi'la
se tem ou nao a idadc que indica.
Hypolito CassiaW"do Soccorro.fSejai*-
peccionado.
Liberato Tiburtino de Miranda Macicl.
Seja relevado da multa.
MeiiQl Pereira Gavalcauti. Informe o
Sr. cominandante do corno de polica.
Pelino Joaquim da Costa Guedes.lle-
qucira o supphcante a entrega dos docu-
mentos ao Rvm. Dr. regedor do gymnasio
provincial, a quem foram elles remot-
tido.s.
Vicente Borges da Costa.Informe o Sr.
inspector, da tte.souraria de fazenda.
loaqifnn Cordeiro Coolho Cintra.Pas-
se portara ooncedondo a exoneraco que pede
O supphcante;
Secretaria da presidencia do Pernainhiico, lfl
le fevereiro de 1873.
O porteiro,
Silvin Antonio Rodrigues.
ICcpartictto la polica.
2." soeeo. Societaria da polica de Pernambuco,
19 de fevereiro de 1873.
N 367. Illin. e Exm. Sr. Levo an conheci-
menta do V. Exc. ipic, segando coasta das partiei-
paros recebidas Boje nesta repartico, foram hon-
tem recnlliiJos casa de detenoo s seguiutes in-
dividuos :
A' ordem do Dr. delegado da cajiiUit, Plii'te.*
Adeno da Cosa Doria, Joaquim Sovno Leal de
Barnis e Marcolino Bernardo Ferreira de Araujo,
nomo iudieiadi.s eai (rime de roubo e dispon-
cao do Dr. juiz do direito do V districto cri-
minal.
A' ordom do sub lelegado do Recifo, os subditos
inglezes John I. linllerony e Armar Noel, re-
qusiro do respectivo cnsul; Jos Antonio Cru-
teiro, reipiisicao do cnsul portuguez e Bene-
dicto, escravo da Jesuino Lopes de Miranda, aj
'reqnorimaato d'este.
A* mVin do de S. Jos, Cosme Dunnao, Joan
Bapti-ta de Sonza c Joairaim de Mattos Carolno,
por embriague* e insultos.
A* ordem do d<- Belem, Margarda, escrava de
Joaquim da Roza, por anda rugida. ,
Por olcios de 22 de Janeiro iiliimo e-4 do cor:
rente, reeebidos boje, coniniunicoume o delegado
do Btiique que cnegando ao sen conhecimento
que lia cinco mezes, oais ou monos, se tinha dado
um roubo n'aquella villi. proceder ao comp-
leme nquorito e remetiera ao respectivo juiz
municipal, para os devidos Un*; sendo quedos
fiiatro autores de semelhaiito Crirae, dous ja foram
re-olbiilos cadeia do termo. -
Qie.#pelas i boras da tarde do da 3 Jeste mez,
fea espancada era sua propria casa n'atjuella
villa, Candida Xaria do Espirito Santo por Pedro
Targino de Sonza Sampaio; e que a tal respeto
i" lera ao nquerito policial e o remet ra ao
jaizo competente.
Nesta data partlcinou-me osubdelegado de Be-
ba ibe. do termo de Olinda. que aoje remetiera ao
juift) competente os inqueritos p diciaes que liz?ra
s miv iis fados do espancamento pratieado a!li
por Manoel Rodrigues, escravo de D. Maria Gibsfra,
recomido detenerlo como pertencente a Pa-
ternock, e da morte perpetrada na pessoa de
Joanna Maria da Cmceicao. por sen proprn ma-
rio Joan de Deus, condecido por Jo Pequeo,
d.s qales tratei em minhas partes diarias de 20
d Janeiro ultimo e 13 do corrente, sob ns. 137 e
32 i.
Deus guarde a V. E\c.Illm. e Exm, Sr. com
im iidaffir Henrique Pereira do Lacena, dignissi-
mo presidente desta provincia.Oebefe de polica,
Lu: Crrela de Queiroz Barros.
REVISTA DIARIA
13
Municipio Bosti .lardn El o
do eorreoJe mi expedida /seguate portara :
O presidente da provincia, leudo em vista as
actas das eleicoes para toreadores o juize's de paz,
procelidas 7 de setembro do anuo paseado na*
paroclas de Nossa Senhora da Apresentaco da
vil i de Limoeiro e de Santo Amaro de Ta'quarc-
tinga, e a da a.oira^ao mita pala mamara munici-
pal di villa do Bn Jaidim, por nao ter-se reuni-
da i da Limoeiro pira proceder segnli apara-
gao ordenada por esta presidencia, pela falta de ob-
S'.-ryancia de formalidades lgaos na. priraeira, o
m lia papis relativos ;i esta eleica.i: attendendo i
ii" das actas da eleicao da parodiia de Nossa Se-
n^ ira da Apresentaeao da villa de Limoeiro, nto
consta os noraes^dos cidadaos que deixaram de
rotar por nao terem comparendo, sendo que, vo-
tando 981, deixaram de o tasar 1,023 votantes,
sep a qualifieacao de 2,0)i, o que constitne
Qlarid id substancial, em lista do art. 49 da
le de 19 de agosto de 18'tfi, e nos termos do aviso
n. 1 de 2 de Janeiro de 1871 ; attendendo tambera
a que das actas da eleicao da paroebia da Santo
Amaro do Taquaretinga verilica-se. que foram en-
cabadas em una so afta as tres chamadas, con-
tn o que dispoe o art. da lei citada, qoa determi-
na que a terceira seja mencionada em acta espe
.ia!, oque constitne irregiil.iridade substancial,
enlace do aviso n, lio de 3 de maio de 1871
i Molve, na eonformid.ide do art. 118 da le anona
r aviso n: 510 de 19 de noven tea d 1861, e
ia os disposirocs relativas em vigor, annullar M
eleres das mencionadas parochias expedindo-se
u.- de que continiieai em exercicio dos cargos r. ve-
readores e jnizes de paz d i nianieipio e districtos
respectivos os do quatrienno lindo.
Kseola normal para o sc\o l'.-mi-
nino.-Por portara da presidencia da provincia,
de i."> do correte, foi concedida licenca aos pro
feasoras pblicos Drs. Ezeqaiel Franco de S,
Augusto tarnciro Monteiro da Silva Santos e J.
Atistregesilo Rodrigues Lima, e Sis. Vicente de
Moraes Mello, Auto o Basilio Ferreira Barros,
Francisco de A-sis Monteiro Possoa 0 Joa0 l.ande-
lno Dornellas ('amara, para loo'ionarem as
ateras da E-cola Normal que o conselho direc-
tor da Sociedade Propagadora da lostfuccao Pu-
blica da parecida de Santo Antonio vai 'fundar,
aim de formar boas professoras de inslruccao pri-
maria.
DiviKopolivial-Por portara da presi-
den -ia da provincia, de 17 do eorreate, "foi dividi-
da m dous districtos de subdelegaeia a freguezia
de S. Jos d i Raeile, ten lo o 2" novamente creados
os limites sepililes : partir di travessa' do Pei-
xoto, e comprehender (daaKnba de casas de
lado do snl at a margem do rio Tapbaribe, a con-
tinuar pela me do predio do Muniz, todas as casas ao sul do oita'o
desta at a baixa-iaar.
Autoridades policiaes. Por portara
da presidencia da provincia, de i7 do corrente,
foi nomeado Amaro Jos dos Prazeres subdelega-
do do 2 districto da freguez'a de S. Jos do Rc-
cie .
Termo do Cabo.Por portara da presi-
dencia d%provincia, de 17 do corrente. foi dis-
Kosado ao majbr Joaquim Francisco ao 'ouza
5o, nomeado i sup|)lnte do juiz municipal do
termo do Cabo, o lapso de lempo d^corrido para
poder tirar o Ululo.
Tcruio do ttecife. Por portara da presi-
dencia da provincia, de 17 do eorrctite, foi aceita
a oesitenela qne ez Antonio Carlos de Almeida.
da sorveatia vitalicia o ollko de eserrrao prva-
vo do.crune .parante os Drs. ebefe de pol.cia t
delgalo do districto do termo do Recfe.
Cuarda nacional. -Por Porta ia da pre-
eicencia da provincia, de 17 do corrente, mi dis-
pensado a Antonio Cav Iranio d Attmq-mrque,
nomaado tenento da compntia.do |t esfiua-
drao de cavalLr.a do municipio doBuiqua,o Ii8j
da tompo decorrido para poder tirar patcnle
DlerAtMiariode Rittanien.. Por porta-
ra da presidencia dprorinra,' da 17 jw corrente
fui pro-.opda nr mais i mezes o rrsi marcado
ao Dr. zeforno de Alm-iJa Pmt'o. para coni-Juii-a
WpassSfl o publicago do Diccionario de Botni-
ca, orgam'adopwsai fa'lecMo irm'o Dr. Joa'ffm
de Altmliiiita a aontar A data- m mflaflttiaq
dai pronipto aquello trabalbo.
AdMtinlstrac&o do crrelos, -^or
poetara da, presidejicia da.pro.vincia, de 17 do cor.-
rento, foram nomcados os Srs. Dfs. Augusto Car-
neii-o Montciro' da Silva Santos e'Manoef Pereira
de tforaes Pinheiro, e o rrrajor Salvador Henrique
de Albuquerque, para examinaren! o concurso
rse vatyprafttder para pratRcbimento das vagas
. raneantes da administracio d03 correios desta
provincia ; sendo o primeiro era aritlim tica ele-
mentar, comprehendendo o uso do systema melri-
C'\ o segundo em ocois geraes de geograpma, e
ullii no ero^ exarccios de colligraphia e de ortlio-
grjiiibia.
IIxposiro provincial.-Einquantii nao
publicamos o relatorio e proposta dos premios da
ultima exposi>-iie> desta provincia, a<|ui damos a
liste, nominal dos premiados. Esies deverao com-
[lar-cer, por si ou por seus representantes, so-
lemnidade da distribuicao qua tara lugar, como j
annunciamos, no dia 2.*> de marc/i, i hora d tar-J
de, no salao de honra do p.dacl da presidencia.
Por essa occasao Ibes serao entregues, as ineJalbas
c diplomas por S. Exc. o Sr. presidente da provin-
cia.
Malalhas de prata.
i Antonio Joaquim de Vasconcelios.
" 2 A. Caors.
3 Ferreira 4 C., (pbarraacouticos).
i M. Buisson.
5 Jlo do Artiaral Raposo.
G Henrique Leiden c C.
7 Ferreira i C, (fabricantes de cerveja e lico-
res!.
"8 Jos Flix da Cmara Pimental.
9 Pinto & Goncaivcs.
10 D. Julia Waiiderloy.
11 CoJiegia das Orpbas.
12 '.asa das Ex postas.
13 Collegio de S. Vi ente de Paula.
I i Gomes k Silva.
13 ..rruda & Irmao.
IG Silva Cardoso ^ C
17 Ji.s de Barros.
18 Braz Januario Frnandes.
19 Marcellno Jos Gom;alves da Ponte.
20 Manoel Rufino de Barros.
l Adolpho C. Harinea.
22 Morcan.
23 Len Chapelin.
21 F. Pierch.
SS Roth.
2t Alberto Ilench.
27 Jn.io Ferreira Vllela.
28 Antonio Benivenuto Seln.
29 D irville k Guedes.'
30 Antonio Ricardj.
31 Antonio Rufino de Barros.
32 Jlo de Amoiini Lima.
33 Francisco Jos dos Passos Guimaraes.
'i\ Pedro Manoel da Trndade.
3o Livio de Souza c Silva.
36 Meuron 4 C.
37 Antonio Maia de Brto.
38 Jos dos Santos Villaca.
39 Francisco Gomes de Figueirdo.
'i0 Ricardo Farnier Braux.
41 Manoel Eduviges.
12 Fabrica do gaz.
43 Augusto Rufino da Almeida.
4i Antonio Leito de Magalh.ies Bastos.
'io Barao do Buique.
i(i Libano Lopes Morera.
Ueda&at de c Are.
1 Joaquim Augusto X. da Maia.
2 Anslricliano P. de Almeida Andrade.
3 Panoe] Braz 0. Pestaa.
4 Ferreira Maia 1 C.
5 Coronel Paulino Pires Falco.
6 Iriio Januario de Olveira.
7 Teuente-coronel Autoniu Juvencio Pires Falco.
8 Marques k C.
'9 Odiloo Doarte i Irmo.
10 Viuva da Beato E. de Souza Castro.
11 Anonio ltaynmmlo Paes de Lima.
12 Manuel Malaquias Catnargo.
13 Candido Jos de Ges Telles.
14 Antonio Jos de Azevedo.
lo Schiappa.
l'i Antonio Raymuhdo Falco.
17 fos Victorio de Paiva.
Mnades honrosas.
1 Cmara Municipal da Bonito.
2 Commandan e da Una de Fernando.
3 Rnparticab das Obras Publicas.
4 Arsenal de Marinha.
o Associa^So dos Artistas,
ti Collegio da Concccao.
7 D. Aogosta Guilbefmina Halliday.
8 Jos.1 Francisco Bittencourt.
9 Betuno Bastos da Silva.
10 Baro de Morenos.
11 Antonio Goncalves Ferreira.
12 Luiz Antonio Goncalves Peona.
13 Joao Pinheiro Catle.
14 B. Berenger.
13 Dr. Lourcnco Bezerra Carnero da Caoba.'
16 D. l'rraca Carregal.
17 D. Carolina Tneard.
18 D. Maria Clara Machado Ros.
19 D. Herotides de Olveira Castro.
20 D. Varia Fortunata Machado Ros. .
21 Antonio Doniingues Pinto. ^
22 Remigio Koneip.
23 Joo da Matta Rolrigues.
24 Alberto Carneiro da Silva Brito.
2o Antonio Maria O'Connel Jersey.
26 Joaqnim da dista Maia.
27 Antonio Venancio Cavalcante de A-lbuquerquc.
28 Coronel Coriolano Velloso da Silvara.
29 Manoel Jos de Olveira Lima.
30 Joaquim Francisco de Mello Ca. '
31 Majnr Joaquim Gomes de Albuquerque e Silva.
32 Costa Vaia & C. /
33 Jos Vicente Godinho.
34 Francisco Ferreira do Nascimento.
Vi Francisco Teixeira Barbosa.
36 Alexandre de Barros..
37 Mioel Cbrysostomo:
38 J. Marchiagiai.
39 Jacob Ferreira davCosta.
40 Manoel Gregorio do Xascmento.
41 Joaquim Bernardino de Castro.
42 Manoel Ribeiro da. Silva Cavalcante.
13 Francisco Jos"lasbda.
Inry. Em sessao de liontcm foi submettida a
julgamento Maria rcreira Lopes, pronunciada as
pedas dn art. 193 do cdigo criminal, por haver
m uto a parda Lucana, conhecda por Maria, es-
erava d. capitSo Henrique Eduardo da Costa
Gama, a 7 de marco do auno prximo lindo.
Compozeram o conselho de sentenea os Srs.: Je-
ronymo Emiliano de Almeida Castro, Joao Manoel
Ribeiro do Couto, Dr. Deudora Ulpia.no Coelho Ca-
tanho, Jos Joaquim de Siqueira Varejao,"Dr. Fran-
cisc le Paula Penna, Dr. Antonio de Siqueira Ca-
valcante, Capitalino Goncalves Lessa, Olympio
(loncalves Rosa, Dr. Antonio Witruvio Pinto Ban-
deira Ac noli de Vasconcelios, Dr. Bento Borges da
Fonceca, Dr. Antonio Epaiuinondas J'' Mello e Jos
Luiz Innoceneo Poggi.
A aecusacio corren pelo orgio da justi^a publica
o Sr Dr. Fonceca de Olveira ; e a defeza" foi agi-
tada pelo- Sr advagado Romualdo Alves de Ol-
veira.
Em consequencia das respostas dadas aos
quesitos, foi a arcusada condemnada s penas do
art. 194 grao mnima, visto as mesmas respostas
alterarema classicacito do.artigo da proniuicia.
yaeso religiosa. De ama carta diri-
gida de Goyanna redacijao da Verditk, consta o
seguinte :
Tendo alli chegado um frade do Carmo, com or_-
dens terminantes do Rvd. provincial para substi-
tuir no priorado do convento d'aquetla cidade a
frei Antn o, se por ventura persistisse em nio
alijarar da maeonaria, com menospreso das ulti-
mas doliberacOes do Exm diocesano, amotinou-se
a populacao goyanense e declarou formalmente,
que, como prior do convento do Carmo d'aquella
cidade prcreriam Frei Antonio com* seu mato-
nismo a qualquer outro que lhe quizessem dar.'
Frei Antonio, de feto, segando geralmente consta,
tem, por actos dignos de louvor, conquistado na ci-
hade deGoyanna bem fundas affei>Ses.
Rm mtio do tumulto algnem pparbcera offe-
recendo-se para prestar os meios necessaros
desojada retirada immediata do novo Rvd., o qnal
a isto aceedendo, di ment? tera partido, se a isso se nao oppozesse o
delegado de polica, apoia o na forea do destaca-
mento competente:neMe municfalo.
Procurando garantir a sega-aira individual da;
quee, ctmtra quem o povo, como'qpe quera desa-
fogar paiao de que estava possm'd^ o delegado I
f-lo tornar no meio da forcaj para o convento, onde'
foi rwolhido, continnahdoaqnella em cerco ao
convento a ultima Imn em que foi escripta a
carta a qua no3 referimos;
Diz mais essa carta, que "p^ra"^n"1l4r. s ma*on rio liguro r- entre aburile* queSkSe des-
ssombradafnimtftsenpp'izenifn retirada^e Fr.
Antonio ; que aquefle facto manifestou'apehas a
influencia da sympatliia qu'ff esta r>vd. ha sabido
inspirar a todos que o conheccra por suas manoi-
fas alfctoosas e actos d' sinr.i'rL'bgiosidadc;
lfcplis de nm ponco acalmados os nimos, jm
grupo de cerca de 6*nto e einenenta |>essoas.Sfa
ama musir e o Dr. Joaqim Tavares frente,
foi r.iiuipriiiiontar a Fr. Antonio, pelas angustiis
qiie o aisoberhan em tal conjunclura.
EK pois, o que ha dois dias tem alarmado a
cldae; correndu de mm modo vago, isento, contra-
dictorio.
I'rkii -*nrai.^aiws oriam do Oelegado
da cabal. como inetados em crime de roubo,
l'hiltes Adellno dacCeSla Doria, JoaquoT Levino
Leal V Barros e HarcoHno Bernardo Ferreira de
Araujo, que ostao dlsposicao de Dr. jaiz de li-
reito do 2 districto rimina I.
Kspain-ainento. NuMa dotarrenle ujez
foi espancala em sua propria casi, no tenno'do
Buique, Candla Ifcria do Espirito Santa, por Pedro
Tarquiuio de Soaia Sampaio.
Aj vio aeon Irado. Pelo ajpitao da
barca inglcza Marmeon. vinda de Glasgow, sabe-so.
Uer no dia 10 do cofrente, o mesmo coiimiunicado
na lat. 1" 31' S..lon|. 29* 26' de"Greoowifth, com
o brigue portagaec io Vov, que proeedente de
Montevideo, e destinava a Cork ; tudo a bordo ia
bem.
. *.; n i-.
Homena^cm Lv agradcImen(o
e saudade pela mortc de nteu
to vlUrlo de Uliayde Va-
eodHlloa.
Sr.'.fi^ocifc^Achando-se gravemente ^enfer-
d nt.' de Genova, sabe-se ter este fallada a 22 do
passado, na lat, 21 0' \., long. 25 7' S. de Paris.
com a barca italiana :l/an'na Peaggio, eom destino
ao Hio da Prata. A seu bordo conduzio grande
numerado p ssageiros, sem comtudO' haver novi-
dade alguma a bordo.
Hospital Portfisney..-No domingo (23)
deve rennir-se a assembla geral d.H accionistas
do Hospital P-urtugiu-z de Beneiicencia, alim de ou-
vir a leitura do relatorio do anno passado,; e do
parecer da eommissao de cantas, bem como assis-
tir pos-i' da nova directora.
Inspeccao desuudc do porto-Des-
ta data em (liante permitlido aos vaporea de re-
boque, alvarengas e esraleres communicarem no
lamarao com vapores transatlnticos ou uutra
qualquer einbarca<;io, antes de serem elles visitados
pela reparti.-o da sade do iiorto ; devendo, po-
rm, na volla atracareni na barrajde rigia.n. 1, alim
dse proceder visita. No caso de a em arcacao
qne es ti ver no lamarao trazer carta sujaou de lia-
ver se desenvolvido molestia contagiosa durante a
viagoin, ficarosujeilas qtiarentena todas aspas-
soas que com ellas tiverem conimunicado.
TrilhosarbanoK de Olinda.-A partir
de sabbado (22) deixa esta coinpanhia de expedir
trens extraordinarios nos salibados noiite, de-
pois do espectculo no theatro, visto a ausencia
completa de passageiros.
.Vapor Chrysolile.Chegou hontcm de
Liver|iool por Lisboa, nada adiantaudo em noticias,
por ter saludo a 2 do corrente do uKimo porto,
dous das antes do Pittagnuia, que anvnosso porto
toctiu SAgunda-feira.
Wiuareuhal Canrobort e lapoleo
III.l^mos no Fijar, de Paris :
Todos os notciaristas disseram que o mare-
chai Caurobert assistio aos funeraos de Napoleao
III.
Eis a este respailo nina anedocta que faa
alta honra quelle que nella figura como nere :
Quaudo soube da njorte daqivellc que havia
sido seu soberano e sen amigo, p marecnal Can-
robert eslava bastante deente com gota, segundo
dzein Desejoso. no enlanto. de emprehender a
viageto-a Cbisjehurst, consuliou previamente o seu
facultativo, o doutor Layille, sobre a maior'.ou
menor gravidade do seu estado.
Nao lhe aconsclho tal viagem, disse o dou-
tor ; sera imprudencia pi'ir-se a caminho.
Em vista da insistencia do Ilustre enfermo, o
doutor julgou dever dar mas importancia sua
consulta.
t Nao s seria imprudencia, disse elle, mas at
haveria perigo real.
Perigo.- de morte, doutor 1
O silencio equivala a urna affimiativa.
n Ncssc caso, concluioo marecbal, parlirei
amanha.
I.cilao Hojc eifecldi o asente Pinto olci-
lso de movis, na Passagcm di Magdalena), casa
em que morou o Sr. B. Woitman, para onde par-
tir as 1 1/2 horas um hond, que servir de con-
daccio gratis aos concurrentes.
Outro. Amanha (21) concluirlo os Srs. Pe-
reira de Mello 4 C o seu lel.io de fazendas co-
mecado no da 18 do corrente.
Sabbado as 10 horas em ponto, vender o
mesmo agente Pinto urna caixa com calcado* ava-
riados, em sen escriptorio, ma do Bou Jess n.
43 : as 11 hcaas vender em leilo os movei> tjj#-
tentes no 2.a andar do sobrado, da ra'do Apollo
n. 43.
Cemiterio publico.Obituario do da 17
do corrente :
Profiria, prata, 'Pernambuco, 2 annos, Recife ;
tosse convulsa.
Luiz Antonio G ipzaga, branca, Pernambuco, 56
annos, casado, Boa-Vista cachixia.
Abilio Eugenio .Ferreira Lopes, branco, Per-
nambuco, lo annos, solteiro, Boa-Vista; raclti-
tismp.
Francisco de Olveira Salvador, branco, Portu-
gal, 20 annos, solteiro, Boa-Vista ; febre am-
rella.
Ermiro, branco Pernambuco, 7 annos, S. Jos ;
varilas.
Roque, escravo, preto, Pernambuco, 8 annos,
Boa-'\ isla ; varilas.
- 18 -
Augusto, branco, Pernambuco, 3 mezes a meio,
Becife jconvulsdes. ,
Cecilia, parda, Pernambuco, 13 mezes, Boa-Yis-1
ta ; denticao.
Grozinda Candida Galvo, branca, Pernambuco,
37 annos, casada; S. Jos ; febre erniciosa.
Isabel Sebastiana, preta, Pernambuco, 68 asnos,
viuv.i, Boa-Vista, hospital Pedro II ; apoplexia.
Francisco Felippe de Olveira. pardo, Pernam-
-buco, 22 annos, solteiro. Boa-Vista; hospital Pedro
i! ; tubrculos pulmonares.
Pompeu da Costa, preto, frica, 36 airaos, sol-
teiro, Boa-Vista, hospital Pedro II ; diarrha.
Seraphim Rodrigues, braheo. Hespanha, 22 an-
nos, solteiro, Boa-Vista ; hospital Pedro II; febre
amanilla.
Joanna Mara da Conceico, parda, Pernambuco,
40 annos, solteira, Boa-Vista : asylo de mendici-
dade; anazarcx
Luzia Sctte do Barros Corfeia, branca, Pernam-
buco, 36 annos, pasada, Boa-Vista ; enterite chro-
nica.
Eliza, parda, Pernambuco, 9 mezes, S. Jos ;
convulsoes.
Antonio Rodrigues Castlh,- branco, Portugal,
2 annos, solteiro, Boa-Vista ; febre amarella.
Maria do Carino, preta, Pernambuco, 19 anuos,
solteira, Boa-Vista ; tubrculos pulmonares.
mo mea caro e sempre pranteado 4io o eapitio Hy-
lario de 'Aiuiyda Wsconcellos, o Bvm Sr. D. ab-
bade Jos de Santa Julia Botelho apenas teve seien-
eiada gravidadadk sua molestia, reloso como
sempre fora pela nossa santa religiao, correr com
grande avidez sua casa, alim de prestar lhe os
nof*orros espirirasH,- no que afci4ai frnstrado.
A molestia, porm. fazia progressos rpidos e
em breve-tempe meistio entr*gou-a alma twCrea-
dor. '. .
Entao o Rvm. D. ai)b.ide]redobrou;de dedicacao e
setoj-eavidou todos os esforcos para' que nada fal-
Outro.- Por c mmunicac* eHamr,-fc1*iffiJF&w?^Sme^he^nulua
alo capitao do patacl,o-ltalano^ff yfn, proce- %tZu?X' ^tTZ^ nllS
na caiiella do seu proprio engnho, denominado
Mara.
O Sr. D. abbade Jos de Santa Julia incontes-
tavelmente, distincto comprettendedar da alta mis
?o de padre, e desejavamos que todos aqnelles
que se dizetn ministros do Senhoi-j tomassem o Sr.
D. abbade como norma do mais ardente zelo e
piedade christ.
Anda n.i tudo : o Sr. D. abbade como cda-
dio e amigo, nao teve competidor ; sio servaos
estes (|ue s os coracoes ingratos poderao esque-
cer. i Eu, porm, qne presumo nao ser daquelle
numera, protesto jamis riscar do man coraro
tantas nuezas recebidas, das quaes me confesso
eterno devedor, assim como a familia do finado
raen tio.
Nao podemos deixarpassar em silencio o cava-
Iherismo do Rvm. Sr.,vigario Francisco Urbano de
Albuquerque Montenegro, deixando de aceitar o
que por direito lhe pertencia.
Dina palavra, pois, de agradecimento ao dignoje
nobra vigario, e bein assira s pessoas offi'iosas
qne se dignaram acompnhar os restos mortaes de
meu tio sua sepultura ; aos que assistiram sua
visitaeo de cova no stimo da, cuja solemnidv
de prestou-se o Sr. Rvd. Antonio Generoso Ban-
deira, n3 villa de Pedras de Fogo, na igreja de
Nossa Senhora da Conceico, e no trigsimo dia
na capella da engonho Mara, exequias celebra-
das pelo levita do Senhor, Rvm. D. abbade ; nio
ficando em esquecinieiito os services prestados pelo
Sr. Rvd. coadjuctor Flrmino Hercnlano de Fi-
gneir'edo, dando cora tao pi servico, uraa prova de
verdadeiros e dignos filhos da religio do Crucifi-
cado.
Quciram, os Srs. redactores, dar publicidade a
estas linhas no seu bem ronreituado jornal, de
cujo Livor lhe serei eternamente grata.
Antas, 21 de Janeiro, trigsimo de seu passa-
mento.
JWa Esteve* Alces V. de Albuquerque.
accio-^daoompanhia Indeinn'sadora 310* cada. fsRieres 1 raixaia M alaay Tsnete i caka a
ama. Monteiro Gregorio k C.
Cambio sobre Londres- a 90 d|v. 26 3|8 d.,
. Iji e 26 5|8 d. por UOUJ.
* iniiiourcq
Presidente.
, Leal Seve
Secretarlo.
-ti
ALFANDEGA
Aendimenlo do dia a 18, ,
(dem do dia 19.....
788:2*64639
33:211^039
821:4381678
tescarregara fioje 20 de fevereiro de 1873
Vapor nglez Ckrysoliie (atracado na ponte)
mercaderas para alfandega.
Patacho inglez Lady Martj -baealho j des-
pachadas para o trapiche Conceico.
Eacuna inglesa-ScetwibacaRi') j despacha'o
para o trapiche Conceice.
Lugar ingle-. Constanra Wilso'n -aducas para o
trapiche Conceico, para d pachar, a
farinha de trigo j despachada para o
caes do Apollo.
Barc3 pprtugucza Alexandre Herculano pe-
dras para o trapiche Conceico, para des-
pachar.
Barca nacionalS. Josgneros naconaes para
o trapiche da companhia.
Patacho allemaoWilhehn k Joseph farinha de
trigo j despachada para o caes do
Apolo.
Escuna inglezaflimpse -farinha de trigo j des-
pachada para o caes do Apollo.
Patacho norte-allemao Horisonleforro para o
trapicne Conceico, para despachar.
Barra francezaFgaro(atracado na ponte) mer-
cadorias para alfandega.
Lugar trancet lean Baptiste ferro para o
trapiche Conceico, para despachar.
Brigue portuguez Trinmpho varios gneros
para o trapiche Conceico. para despa-
char.
Brigue ingl-zJurabacalho j despachado pa-
ra o trapiche Coneeieao.
Vidros 3 caitas a Costa Soares. a J. *..
reir & (. 1 Th ChrlsHansen, 1 ordem.
Pe-
COMMERCIO.
Banco Cominirnal de
Pernambuco.
A directora do Banco Commercial de
Pernambuco convida os Srs. accionistas a
rcalisar, at o dia 20 de fevoreiro prximo,
no escriptorio do Banco, ra do Vigario n.
1, primeiro andar, a terceira prestaco de
10 % do valor de suris acotes, devendo tra-
zer as respectivas cautelas para se annotar
dita prestacao.
Rocife, 15 de Janeiro de 18T3.
Os directores,
Manoel da Silva Sanios.
Henriijue Hernardes de Olveira.
Joao da Silva Regadas.
. BANCO'COMMERCIAL
DE
PERNAMBUCO
Descorita lettras de cambio, de te rra
qnaesquer ttulos pblicos.
Recebedinbeiro em cont corrente simples,
em conta corrente com juros e por let-
'ras.
> Encarrega-se por commisso ,dc qualquer
opera^ao bancaria.
O espediente principiar s 9 horas da
manh c lindar s 4 da tarde.
Ra do Vigario n. 1, primoiro an-
dar.
f
UBMCACOES A KOlOfi.
Bem publico.
Para. S. Exc. o Sr. presidente da
provincia ver c providenciar.
Gracas s diligencias de nm agento da cmara
municipal, foi hontcm a saudo de algons habitan-
tes desta cidade resguardada da danmificacao que
Ibes poda produzii-'232 kilos do carne verde que
se acbavam expostos venda no mercado publico,
e De.us sabe, qnauto nao se passara daquelle con-
trabando as demaa freguezias I
V V. Exc. /que nao declamavamos, quaado di-
zamos (me essa astociarao de marchantes nos
eslava arruinando a bolsa e a vida I
Estos associados, revestidos de diversos cargos
pblicos para mclhor poderem usar da pressao
salanka sobre a ola mens necessaros aos olhos do governo, s fazem
entretanto scarnecer das lois do pa.
ET, Exm. Sr., o matadouro public um estabe-
leciraento da provincia que est e'tom estado al
hoje en quasi completo abandono e esquecimeuto
dos governos: a forma porque se matta alli o gado
para o consnmmo I da populacao sem bssisteneja
do um medico, por. parto da p<.licia ou municipa-
Iidade, a maneira nauseabunda porque a carne
transportada, tudo vai do desmazelo at ao crimel
Houve um tempo em que os creadores tenta-
ran! vlr matar o gado por conta propria; saba
V. xe. o que aconteccu ?
Cora o maior desplante da vida, inventaram os
mesraos individuos que b"jq Cazem parte des$
assotiacao, q;ie o gado ha va sido mordido por
ces hydrophobios, o .;ue de lugar a que um
sem.num ro da familiasm.iadase lancar lora
todo o;comesu'veI-C()m grandes projnizos seus.
Esto facto deve, constar dos annaes da polica.
As tropelias, de o hmlt ate a dannificacao,
com qae elles aterram os pr^tendentes i poncer-
renda'do commerco das ames verdes, sao as
bases eonstitativas deste terrvel menopotio.
E' a V. Exc, que hoje constitne urna das glorias
desta provincia, que ha de caber tambera'a de
ser prepheia era sua. trra, fazwodo. jugar sobre
quera quor que seja a deVida punioQ salvando
COMPANHIA
Phenix Pernarabucana
Toma riscos martimos em mercaduras,
fretes, dinheiro a risco e finalmente de qual-
quer natureza, em vapores, navios velaou
barcacas, premios muito mdicos.
RA DO COMMERCIO N. 34.
SEGUROS
C0NTRA-P0G0
IMPERIAL.
Ba do Coiunaerclo n, 3, pri-
liicira andar.
Agente,
W. G. FENNEM.Y.
Segara coDlfa-fjga
COMPAXHIA
Jiivl
Capital. "..... 20,000:0005000
Fundo de reserva. 8,000:000?000
Agentes,
Mls Latham C.
RUADAJCRZN. 38.
Seguro
contra-fogo
THE LIVERPOOL & LONDON GLOR
1NSUR4NCE COMPANT
- Agentes
SANDERS BROTHERS* C-2
11Corpo Santo11
companhijT allunca
seguros martimos e terres-
tres estabelecida na Bahia
em 15 do jaueiro em 1870.
CAPITAL 4,000:000(M)0.
., Toma seguro risco mnritimo em navio de vela e vaponos
para dentro e fora do imperio, assim eomo
contra fogo 9obre> predios, gneros fa-
badas.,
Agente : Joaquim Jos Goncalves ReltrSo,
rila-do Gommeroio 5, 1" andaii.
PRAA DO RECIPE 1? DE FEYERJflRa
DE 1JI73.
as l/2nWtXy.DAT.\BDE,'
Catitear* ofllriaes.
assimAs pobres victimas das garras dos aliutres. Algflto -de Maco l' sorte 10*000-por lo kilos.
, tr''Ki victima. Algaao de Pernambuco t" sorte IOOOO por t
19 de fevereiro de 1873. J kHos, hontem e hoje.
Itupwrtacjto.
Vapor inylez crysolitk, etndo de Liverpool por
Lisboa, consignado a Mills Latan, k C, man-
festn :
a Carga de Lishoa.
Amendoa lOgolpellios a J. C. Braga, alho 120
canastras a J. J. Goncalves Beltro. lO a Thomaz
de Aquino Fonceca Sureessoros, alpiste 150 sac-
eos a Rabello k G., arcos 200 rodas i ordem.
. Batatas 30 1/2 caixas a F. G. Bastos e S, 302
aCorreia Braga, ,2)0/2 a Constantino Bodriguos
Meadas, .'i \ i ,i Pereira Viauna 4 C, 30/2 a Fer-
reira Cruz, balanca 5 a J. J. Alves.
Ceblas oO caix'as a Constantino R. Mendes, 80
a Ferreira Cruz, 20 a 1. M. de Barros & C, 'iO a
F. G. Bastos & C, 20 a Prisco Barbosa, 30 a J. G.
Beltro. Carne 1 caxao a Miguel i. C Carduso.
Cera em veas 20 caixas a C J. Silva. Calcado i
ea\a a Netto Campos & C, la Manoel Nunes da
Fonceca i C, 1 a Porto Je Bastos. 2 a J. Francisco
da Silva, 1 a Morera Haliday & C Conservas 50
caixas a Guedes Araujo.
Drogas 2 caixas a Silva Alves. Doce 2 cai-
xas a L P. dos Santos Coimbra Cuimaracs.
Esieii i rolo a Bartb*lorafta & '"..
Fructas 7 caixas a J. C. Braga. Figo 23 gradas a
J. C. Braga.
Livros I caixa a J. Nogueira de Souza, 1 a Wal-
fredo & Sojiza.
Mostarda 1 barrica a M. A. Barlfbsa. Mercurio
1 caixa a Ferreira Guimaraes A C, 1 a M. S Pa-
ria i i-., Massas 20 a J. C. Braga.
Passas 25 a J. i. C. Br.iga. 30 atados a R.ibello
k C.
. lletroz 1 caixa a Tito Livio Soares.
.. Sardnha 20/2 barricas a I. J. Goncalves Beltrao
15 a Bosa Irinaos, 15 a Miguel J. Cardoso 30 a
Fonceca c Successores, 60 a J. J. G. Beltrao. Sa-
bugo saceos a J. S. C. Cunha.
Touciiiho loObanis a Thomaz de.Aquino Fon-
ceca & Successores 120 a Rabcll" i C. .
Vinho 1 barril a Viauna k Guinnraes, 3 a D. T.
Bastos.
Liverpool
Arroz 100 saceos a Magalhaes limaos, 230 a
Fernandas da Costa, 3( 0 a Olveira AzcveJo, Aci-
do 1 caixa a Domingos T. Bastos. .
Biscoitos 6 caixas a Pereira da Cunha k Irmao,
6* a Joao liamos, 11 a Confia & Manta, 25 a Maga-
Ihies Irntaos. Burra de ferro 1 a Guimaraes &
Alcolorado.
Cerveja 30 barricas ordem, 50 a Souza Bastos
& C, 100 a Frnandes da Costa, 67 barricas e 33
caixas aos consignatarios, 100 a Olveira Azevedo.
Cutilaria 1 caixa a Almeida k C. la Morera Hal-
liday k C, 2 a S. P. Johnslon. Cha 6 caixas a J.
C de Mnraes, 3 aos consignatarios. 3 a Lopes Ma-
chado, 11 a J. J. Costa, 4 a A. F. Correia, 40 a
Souza Bastos i C, 3 a i Inpps Brothers & C, 16
a Keller & C. Conservas 130 caixas a J. Correia
Braga Calcado 2 caixas a Olveira Sobrinho, 1
a Satyro S. Silva, 1 a Bastos Olveira & C, 1 a
Porto k Bastos, 2 a Lyra 4 Vanna, i a Carvalho
Moracs 1 a J. P. Arantes, 1 a Frnandes da Costa,
1 a Goncalves Ferreira. Chapeos 2 caixas a Men
teiro Gregorio k C, 2 a Mendes Azevedo, 3 a J.
Chrstiani, 1 a D. T. Bastos, 1 J. S. Nevos, 1 a Pin-
to S. Cascao, k C 1 a J. A. Araujo, 1 a Keller A C.
Dito de sol 1 caixa a Goncalves k Irmao
Couro 2 caixas a S. P. Johnslon, 1 a Prente
Vianna 4 C. Cannos 11 caixas a S. P. Johnslon,
18 a Amorim Irmos 4- C. Chumbo 100 barrili-
nhos a Saunders Brothers A C Cidra 40 caixas a
J. Christiniani. Candieiros 5 caixas a Sirapson 4
G. Cobre 33 barricas a S. P. Jobnston, 2 a "S.
Barroca.
Drogas 4 caixas a Caors.
Estopa 13 fardas a Carnero 4 Nogueira, 4 a J.
M. Palmeira, 10 a Saunders Brothers 4 C. Estera
2 rt los a Otto Bohers. Estofos 2 a Cramer Fry
4 C.
Ferragem 3 caixus a- Bastos Olveira 4 C. i a
Pereira da Cunha 4 Irmo, 2 a S. Castro 4 Al-
meida, 1 a presidencia da provincia, 68 a O.to
Bohers,-2 a Morera Halliday, 2' a Shanhaur 4 C,
8 a S. P. Johnslon, 4 (a Prente Vianna 4 C", o a
Goncarves Ferreira, 3 a J. J. (i. B., 1 a Frnandes
Irmo la J. A. Araujo, I a D. P. Bastos, 2 a trilhos
urbanos do Caxang. Ferro 361 barricas a S. P
Johnston. Folhas de (landres 125 embates a 9. P.
Jobnston. Ditas de cobre, 32 ao mesmo, 5 a D. T.
Bastos.
Livros 1 caixa a Lalliacar, 2 Parleibee. Liiiha
13 caixas a S. P. Johnston,! a S Leilo 4 Coimb a,
1 a Parias 4 Irmo, 1 a Okell Bindins, 6 a Lin-
den Weyaman 4 C. 1 a Carneiro 4 Nogueira Louca
4 caixas a S Leitao 4 Coimbra, 2 a Costa 4 Ir-
mo, 4 a I). A. Matheus, Luvas 1 caixa aD. T.
Bastos, 1 a Parias 4 Irmo,
Mantoiga 25 barris a Magalhaes 4 Inmo, 3* a
Pereira da Cunha 4 Irmo, 25 a J. M. Palmeira,
2o a Jobnston Pater 4 C, 30 a Costa & Irmo. 28
a Fonseca A Sucessores, 23 a Cardoso 4 Mesquita,
50a C 4 Martms, loa M. 4 Menteiro, 100 a Saun-
ders Brothers 4 C, 20 a Souza Basto C.,'23 a
Olveira Azevedo, 13 caixas a Correia Braga, 10 a
Tasso Inno 4 C. Mercaduras diversas 2 caixas
a Duarte 4 Inno, 5 a D. T. Bastos, 2 a Willson
Rowc 4 C, 2 a Vaz Jnior A C, 1 a Otto Boher, 4
a A. B. Otteilo, 2 a Carneiro 4 Nogueira, 5 a Du-
arte 4 Irmo, 6 a Oliveira Filho A C, 1 a l'araate
Vianna 4 C, 2 a Ferreira Costa, 1 ordem. Ma-
chinas 4 a S. P. Johnston, 1 ordem.
Objeclos de esgotos 20 caixas a c, nipanhia Drai-
nage. Dito de escriptorio 1-a Saunders Broiher* A
C, 1 a Cardozo Ayres.
Perfumaras 2 caixas a D, T. Bastos. 2 a Duarte
4 Irmo, 3 a CurAa' 4 Manta, penas 1 caixa a
Carneiro Guimaraes, i a Vaz A Leal. Presumo
5 caixas a-A. G. Pires A C Papel l caixas a pre
sideucia da provinciaJl i a,M Halldoy,5 a J. Al-
meida.
Quoiio 75 caixas a Oliveira Azevedo.
Renda 1 caixa a Faria A irmao, I a J. Almeida,
1 a Vz 4 Leal.
Salpetre 10 barris a S. P. Joluistoih Sellas 1
caixa aos consignatarios,' 2 a D. P. Wild. .
Tecidos 36 volumes a Keller 4 C, 31 a Mesquita
* Cardoso, 11 a Saunders Brothers 4 C.
62 a Sirapsom A C, 1 a Faria 4 Irmo, i
a. Duarte 4 Irmo, 29 a Aleoforado Vi-eira
<6 C., 16 a Okell Bindlo, 3 a Izidoro Bastos,
24 a Jehnston Pater & C. 23 a Rape Schammettau,
30 a D. P Wild, 1 aGongalves 4 Irmao, a 44 L. A.
siqueira, 11 a Pereira de ello A C, 2t a Monhard
Metller A C, -7o ordem, 16 a A. F Oliveira A C,
-2 a Phipps Brothers A Q, 3 a Bnrie A R_ 30 a
5i!fi Barroca,33 a Cramer Fruy. 4 a M. Hallid iy A
1A Almeida A Vianna, 24 a Carneiro .A Noguei-
ra, W'aos consignatarios, 28 a Wiat, 19 a Lopes
M.iciado, 16 a Ferreira 4 Matheu, 7 a Rodrigues
Irmo A Guimaraes, 11 a Cunha 4 Irmo, 12 a
Mendos Azevedo A C., 10 a Bastos A Silva, 6,a
Perdigan Oliveira A C, 60 a Mesquita A Cardozo,
32 a L. Goncalves Ferreira, O a Prente Van
C., 4 a Santos Aguiar, 5i a Linden Weyclman '
3 a Monteiro Gregorio 4 C. 1 a J. A. Araujo.
Barca franceza huaro, Wi nad a Burle kC, manifestou :
Alvaiado 30 barris a Cunha 4 Manta. Agua de
etre 1 caixa i M. S. Paria- Iriaio. Acido sulf-
rico 4 caixas a D T. Bastos.
Batatas 100 paneiros a J. J. Azevedo, 330 aos
consignatarios. 200 a Alves Lebre, 200 a M. D.
Rodrigue. 300 a J. A. Noves.
Rlhar 1 a J. C. Siqueira.
Cognac 20 caixas a J. S. Naves. Calcado 1 cai-
xa a S. S. Silva, 1 a Otto Bohers, 1 a Mendes Aze-
vedo A C... 1 a D. T. Bastos. Chocolate i caixa a
M. Iternell. Couro 3 caixas a Oiu> Bohers, 1 a
Izidoro BaMos. Chapeo 1 caixa a Mendes Azeve-
do A C.
Drogas 4 caixas a Cunha A Manta. Diversas
mercaduras 1 caixa a Cunha A Man'a, 1 a Men-
des Azevedo 4 C, i a D. P. Wild, 1 a M mhard A
1 i ii jitnntafc-
Kiher 1 caixa a Jeronymo J. Fiu a.
'rnrtas 30 caixas a J. S. Naves.
- Joias (sisad 1 caixa a Cunha 4 Manta.
Legumcs 25 caixas a J. S. Neves. l.apis 1 cai-
xa a D. S. M. |Monteiro.
Medicamentos 20 caixas a Cunha 4 Manta. I a
H, ). RoberL Movis 1 caixa a Bocha 4 C. ItSM
de [icdra I a J. C. C. Siqueira. Manteiga 100 bar-
ris e 130/2 ditos a O. Azevedo. 53 e 110/2 a P.
Carneiro 4 C, 46 e 61/2 a Costa Amorim, 50 c
60/2 a S Leito 4 Irmao, 20 e 3o, a Monteiro
Rocha & C, 40 e 40/2 a Rosas A Filho, 100 e
100/i a Sodri da Multa, 2.5 e 30/2 a Pereira Cu-
nha A Irma", 6 a A. A. Oliveira, IIS e IM/S ata
con guala ros. Machinas 9 a S. S & C. M.,i.i-
1 sarco aos niesmos.
Oleo 1 barril aos consignatarios. Objectos di-
versos 48 volumes aos mesmos.
Perfumaras i caixa a D. T. Bastes. Papel 10
fardos a Rosas 4 Filho, 1 caixa a I). T. BastDA
Porcelana 18 caixas a J. Robert, I a Manta...
Q leijo 40 caixas aos consignatarios.
Siilphalo i caixa a Cunha 4 Manta. Srdm'ia*
30o caixas a S. Uasto A C.
Tecido 1 caixa a Carneiro 4 Nogueira, 7 a Pe-
reira de Mello 4 C, 1 a Manoel 4 C.
Vinho 45 caixas a J. S. Neves.
Patacho aemSe noanoiw, viudo de Antuerpia,
consignad* a Keller > C, manifestou :
Cemento 20 barris aos consignatarios, ijirtu-
chames 2 caixas a Prente Vanna A C.
Kusis K caixas a Von Schosten & C.
Mercadorias diversas 320 volumes aos consigiw-
tarics. |8 a ordem.
Papel t caixas a Santos Agniar, 8 ordem.
Pedras 430 ai consignatario. Pregos 10 eaixa* i-
Urde n.
Tecidos 3 caixas ordem.
Vidros 350 caixas ordem. 110 a Von Selecto
&C.
Barca brasileira s. los, chuta dn fio de la-
miro, c nsignadi a Loyo 4 F<7Ao, manifest* :
Barricas va.ias 1.270 aos consignatarios.
Caf 50 saceos a Tito Livio Soares, 50 a Son-a
Bastos 4 C
Patucha .'nijlez bivai., rindo de Tena Sota, ..-
signatUt a ""W ilson Howe 4 C, manifestou :
Itacallia. .1.446 barricas aos consignalario-.
DESPACHOS DE EXPORTXCAO NO DI\ 18 Dt
FEVEREIRO DE 1873
Para os partos do exterior
Na barca franceza Coligny, pira o Havre,
carregou'. T. Freres 113 saccas com 8,18o kilos-
de algodao.
. No brigue inglez Quera o( tke F.x, para Li-
verpool, carregarm T. JelTei ies 4 C^30 saco*
com 18.730 kilos de assucar mascavaoal
No navio allemo Elegante, para o Canal*
carregarm : Ca valho 4 N'oguc ra 649 sacos
com 48.675 kilos de assucar mascavado.
Na barca lespanhola Carlota, para o Rio da
irata. earregon : A. Bastos 423 barricas eom
49,482 kilos de assucar branco.
No patacho brasileiro Constante Uniiio, para
o Bio da Prata. carregou : F. R. P. Guimaraes 10
pipas com 4,800 litros de agurdente.
' No hi igue nacional Tlterezinha, para o Rio
da Prata. carregou : F. A. Barros 2,000 coco
(frnrta).
.Va barca portuguesa Luzitama, para S. Mi-
guel, carre?araiii: Carvalho & Nogueira 10 bar-
ricas com 1,018 i|! kilos de assucar branco e 25
ditas com 2.747 1|2 ditos de dito mascavado ; e
para Lisboa, 400 saceos com 30,000 dil is de dito.
No brigue portuguez Damin, para Lisboa*'
Barragana) : E. n. Rabello A C. 658 couro? sal-
gados com 7,(.'0 i kilos.
Na barca p irlugueza Leopoldina, para o
Porto, carreg ra : M. M. Monteiro 81 saccas mm
6,379 1(2 kilos de algodao.
Na galera portugucia Firmeza, para o Por
to, carregarm : E. R. Rabello 4 C. 8,000 cbifres
e 219 couros salgados com 2,628 kilos.
Na barca portugueza Novo Silencio, para o
Perto, carregarm: B. Olveira 4 C. 4 saece*
com 300 kilos de assucar branco e 4 ditos com
300 ditos le dito mascavado.
Para os partos do interior
Para Maco, no hiate brasileiro S. Joao, esr-
regou : Lapa Primos 16 cascos com 1,920 litros.
de agurdente.
Para o racaW, no hiate brasileiro Gcaciosn,
carregarm : A. C. Araujo 20|2 barricas cor
1,208 kilos de assucar refinado e 10| ditas com
7(1 1|2 ditos de dito tranco ; G. de Mattos Irmo
6 barris com 57G'litros de rael.
Para o Rio Grande do Sul, no patacho bra-
sileiro Todos os Santos, carregou : L. Duprat 100
cascos com 8,799 kilos de a sucar branco.
Para o Para, no navio port guei Arabelta,
carregou : N. da C. Morera 300 barricas *com
7,135 1|2 kilos de assucar branco.
Para o Rio de Janeiro, no navio portuguez
Almedina, carregarm : i.unha Irmaos 4 C. K
cascos com 2,560 litros de mel.
\
<
V

V
f
'

>

-


*
H
>
'
y
CAPATAZIA DA ALFANDEGA
Rcndimonto do dia 1 a 18.
dem do dia 19. .
9:499*074.
433460*.

* 9:932676
, YOLMES SABIDOS
No dia 1 a 18...... 17,164
Yimeiraporta no da 19. . 14
Segunda porta..... Mfto
Terceira porta..... 194
Trapiche Conceico . 21t
'
- 17,81*'
t
5
SERVICO MARTIMO.
Alvarengas descarregadas no trapiA
da alfandega mi dia 1 a 18. .
Ditas ditas no dia 19. .
Navios atracados no trap. da alfandega.
Alvarengas.......- .
No trapiche Conceico ......
'
46
49
:
RECfcDEDOfllA DE RENDAS INTERNAS GE-
Rendimento do dia 1 a 18.
dem do dia 19.
27:031 3*H
989JOW
28:0404*
,
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do dia 1 a 18.
dem do dia 19.
/
123:8)3161
9:08305
132:891 *%
\:
i
!
ncvMtHio Dn hiutii.
Navios entrados no dia 19.
Terra Nova3 i dias, patacho IngleE Char-
lotte,a 208 toneladas, capitoRttehar Je
Palfrey, equijiasfem 8, carga 8,015 barri-
cal com bacalho; a Johnstori Paiet
Terra-Nova3 dias, patacho ingtea-Jfu>*^
,. de 214 toneladas, eapitio ft. B^sccrnV^
equipasen*; 9, carga 3,346 barricas cdh.''
, bacnfiao'; a Wilsou Rowe d C.
fAntuerpia80 dias, patacho alloma Hort-
son, de 146 toneladas, capitSo J. Gert-
jjp\ thior, cquipagem 7, carga difTorentes gene-
aujo^ ^w* ;^KcIlcr d C.
"
J


*-
<1.

"....."".......'- '" "" I "......' '"' 't '" > '.' ..lili 1 l i ...
Diario de Prtiambueo Quinta fera 20 de tvcteiro'dc 8?l
ildl
Havre63 dias,. barea franceza Figuro, Je, Wcn M J n. 51 I dita dem idem,consign-
is tonelada*, capitao D. Duhuissod.equi-
pagonr, carga ferragem e outros gere-
. ros; a E. A. Burle A C.
Liverpool por Lisboa23dias,sendo do ul-
timo porto -16, vapor ingiez Cltrysoli.'e,
di 476 toneladas, commaiulante W. W; 1-
lace, equipagem 25, carga fazendas e ou-
tros gneros ; a Mills Lathan C,
A*MsaTa--60 dias, patacho italiano Manj-
herita, de 13 toneladas, capiiao-Vngelo,
Gbrsi, .equipagefn 12, carga tffferentes
gneros ; a K. A. Burlo A C.
Glasgow96 dias, barca iftgleza Xarmioi.,
. de 291 toneladas, capitao R. Lbvering,
equipagem 10, carga carvao ; a Saunders
Brothers it C.
Buyos-Ayres 23 d:as, barca alloma Lai:.,
de 601 toneladas, capitao Guiarles Lin;,
equipagem 16, em lastro ; a j\morim I >
nios & C.
Rio de Janeiro -13 dias, patacho allemo
Nicolaos, de 136 toneladas, capitao D.
i,'itres, equipagem 6, em lastro; a Jos
da Silva l.oyo & Filho.
Navios vahdos no mrsmo dia.
Liverpool -Barca ingleza llabtca, capitao
Woodliue, carga algodao e assucar.
GanalBrigue ingle?. Para, capitao David
M. Ruvio, carga assucar.
es*
OITAES.
i De ordem do Win. Sr. Inspector na thesou-
rana de fazstlda desta provincia se tai publico,
para conhei-iinento des iuteressados, a retaran
aballo transcripta, dos oradores de dividas de
8 -r.-icios lindos, en jo pagamento l'.ii anlurisado
pela ordeni di i tribunal do thosouro nacional n.
11 de 21 de Janeiro prximo passadx
Secretaria da thesouraria de faze:da de Per-
nambueo, II de fevereiro de 1873.
O offletal-maior interino
Carlos Julio de Souza Crrela.
Relacao a que se refero o edita.' supra.
Jos Francisco de Salles Baviera 191578i
W ("...u.alves de Medeirus ttiJ782
Manoel Antonio Caldoso 16'i*:ii
Florencio da Caita Oveira 10il''.lU
Joao Baptista Sones 113722
Jos.'- Juvenal da i'az 1713600
Francisco Manoel dos PraieMfl 3825t!0
Antonio Joaipmn da Costa e Cunha 8'J463i
Aflgio Avelin.) da Costa Baiva JO>*0G0
Francisca Paulo de Moraes 494501'
Auna Puntes da Fonseca Figueiredo 2'i86I2
Ansa Lucia Pcreira Pinto Furtado de
Mendonfa I80*0t>o
CUrisleVio Pereira Pinto I47*8i7
: > liiiin Le niel de Alencar 3ti6>
Casiano Teixeira de Vello 20D5OIH)
feforio da Silva ot'>;7(>
Prometheu Jos da Silva 200*000
Manoel Joaqun) d Xa cimento 17798-"
*>odido Jorge Dias 53#376
Trajano (ornes da Silva 56SM"
Samarte Clau lino Hachado 18*991
Marmino Fidel.s ;!3"1(
Arito io Vicente Ferreira 3793800
Antonio Jos Dias 36*000
Amalia Neto de Mendimea 1:248*122
A'cmara municipal desta cidade, tendo decon-
ir&tar o fornednento das cadeiras que forem pre-
easas pan todo o proaesae aiaitural, comida eos
foruecedorag dolas a apresentarun nuaa propos-
las ciii caafx fechada, .no dia 19 corrente, indi-
cando] lo?o o menor preco porque forneao cada
urna diariamente.
Baao da cmara municipal do Rocl.'e, 18 de to-
oreiro de 1873.
Dr. Pedro de Atbabyde Lo > Moscoso,
Pr-presidente.
Jl.oureneo Bezerra Carneiro da Cunha.
Sec retalio.
o llloi. Sr. inspector da thesouraria provin-
vi ni al, em eimvriment > de orden do Kxm. Sr.
presidente da nromcia. manda fazer publied, m lia 27 ili currante, parante a junta di fazenda
da mesma" thesouraria. vai praei para ser arre-
> liado iir qaeM mats dr, o imposto de sessenia
601 por litro d'aguardeiite consumida na co-
t de Naareth, servindo de base o preco de
290J9M em ine est creada a renda anima do
iti onado fenpaslo.
Oprazo da artMAtacae serlsontadoda data
que sa Baer o contrato at 39 de junho de
W78.
.- pessoM que se prcpozerem a^ esta arrema-
tacin, oonMarecam na stm das lessoes da referida
i, no dia cima mencionado, pelo meio-dia, i
i:iie:U" habilitadas na forma da le.
para constar, se manduu publicar o presente
jornal.
Secretaria da thesouraria provinciana Peraam-
d.' revereifo dr 1873.
(i official-maior,
Migwi Affttto Ferreira.
!.(Hlnl n. .
Com prazi de 30 dias.
Pata inspectora da alfaadega dePernarntaco
M e/. publico, que achando-se as mercadorias
ciiiiil i- nos volamos abaixo mencionados no
ca.o de em arrematadas para eonsamo, ms ter-
termos do cap. 6." tit 3." do regniamenlo de 10
Ptemhro de 1860, os seus doooseu eonsigna-
,.- i>s deverao despachadas no prazo de 30 dias.
BOb pena de, lindo elli. seren vendidas por sua
iM!it.. sen que Ibes llqite eompetindo allegar con-
i ti s elfei'.'is desta venda.
Ai masen -Ponte da AUandega.
irea G H n. 50 100. 1 paeote, vimlo de Liver-
pool no uari) higlea Aconte, descarregaito em 11
je maree de I87i ignora-se a eonsignajao.
Aem'A C A, contra-maica T n 29. 1 dito viu-
J> le Livei|..x-l.no vapor in,'lcz Ariel, descarre-
gado em 2 de mar?o de 1872, ignora-se a eopaig
U.I-.'o.
o X M (i dos la A s e P em bai\o n. 297. I
' idem dem.
Idea V A I ii. .'10. 1 ditq idem idem,
lem triangulo ft n. centro n. 1. 1 caix.i vin-
U de Hamburgo no navio aHemao R-pubUl,; des-
tarregado em 9 de marco de 1872, consignada a
J Mi de Barros.
-ni A (i & C. seffl numero. 1 paeote idem
Hito, consigna 'u a J. d.- Araojo & (i
Idem JIC n. 49.90. 1 cuixa idem idem, con-
nada a J. R. Corva!.
dem A F Cu. 20,(4. 1 paeote dem idem,
eoaeigudo a A. Ferreira de Ca.-vaho.
im \ A L n. 1/100. 1 caixa idem idem, des-
egada em 12 e ignora-so a consignaeaa
'demletrtrieo n. 34. I paeote, vindo de Liver-
Kfooi no vapor ingle/ Imamait, destnrregado
mi 5 de maceo do 187 e eontigoado a Buurgard
A 0.
."dc;n M Ciilra-marca P n. 123. 1 paeote, vin-
1 do do Liverpool no vapor ingiez Tulifmnn, ddsnaf-
regado m o demarro de 1872c consignado a
MOtthard, M.'ttler A C.
(den t: angun A no ccniro n. 659,670. 1 ditj
il ui idem, lanpra-se a eoHaignacSo.
* J.iii J A A \ C. n. l,2ai. i axa viuda de
-pool no vapOT ingiez (lladintor, deseante -
da em le de marco de 4872, o consignada a J. A.
j'. Aranjo & C.
Idem eeiro sem numero. 1 pacoto vlndo do
hivrpool no vavio ingiez Amrim, ctsearroga-
da em II demarco de 1872. consignado a Joao
11 Bocha Silva.
den idorn seu, iramoro. "1 dito viudo ifi1 Bor-
lwux no vapor franco: Girowle, descarregado
60 11 de marco de 1872, conjugado a Vaz b
-imi.
dem' A A C. ns 161/170. 1 lata viuda de-An-
tuerpia no navio boilanduz Mida, doscarregada
em 20 de abril de 1872, ignora-se a consig-1
n;icao.
Idein B J n. 3.
di a Keller & C.
dem letreirosem numero. 1 pacute viudo de
.Soufbampto no vapor ingiez Xcon, dcscarrdgado
n 25 de abril do 1872 e cousigado1 a Gonoalv*
1 i niaos.
Idem 1 contra-marea triangulo B n-centro nf
4.109/4,111. 1 dito idem idorn e consignado a
Isidoro Bastos.
'dem D M M h. 21. i latinha tlnda de Liverpool
no vapor mglez Cognir, descarwgada en ."i d.-
maio de 1872, ignora-s a consigna<;ao.
dem M J <; n 57/61. I dita: viuda de I...bui -
da a Magalhes k Irmaos.
dem J S A n. 41. 1 dita idem idem, consigna-
da a Jos Seares do Amaral.
dem letreiro sem numero. 1-embrulho, via-
do de Southamplou no vapor ingiez Neva, descar-
regado em 26 de nftreo de 1872 e consif nado a
Femandes 4 Irmao. J
dem dem n. 8. 1 dito vindo de Liverpool
no vapor ingiez Stndent, descarregado em 29
de marco de 1872, consignado a Domingos A. Ma-
tbeus.
dem idem- n. 72. 1 paeote idem idem, con-
signado a J. A. de Araojo & C.
dem MCA contra-marca SL&C.d. 47. 1 cai-
xa, ajada de Qamhurgo no navio allomap Helene,
descarregada em 8 de abril da 1872 ,e consignada
a S Leitio fc Coimbra.
dem S M X contra-marca S L C n. 3,151/563.
1 caixa idem dem,
dem S L C n. 3,430. f dita idem idem.
dem A F C sem numero. 1 paeote idem dem,'
consignado a A. Ferreira de Carvalho.
dem R k C n. 3. 1 do klemtdem, consigna-
do a Monleiro Bocha k C
dem Main. 83. 1 dito idem Idorn, consig-
nado a Magalhes & Irmaos.
dem A A L as. 101/103. 1 latinha idem idem,
consignada a A. A. Lebre. .
dem 1 A A 4 C n. 12. i caixa vinda de Liver-
pool no vapor ingiez Jwist, descarregada em 2i
de abril de 1872, ignorare a conslgnaco.
dem I contra-marca triangulo B noi centro
n. 3,930. 1 paeote idem idorn, consignado a Isi-
doro Bastos.
dem EAB4C ns. 3.789/3,851. 1 dito idem
idem, consignado a E. A. Burle & C.
dem M A & G n. 610. 1 dito idei idem, con-
signado atiendes, Aievedo & C.
dem letreiro n. 19. 1 dito idem idem, consig-
nado a M. Gregorio tC. s
dem A contra-marca G n. 163/170. 1 caixa
idem id^m, consignada a Gonealvos Irmaos 4 C.
dem II W n. 4. 1 dita vinda do Havre na
barca franceza Sf. An&i, descarregada em 24 de
abril de 1872 econsignada a II. Wilmer.
Idoift A 1) n. 1.755 1/A 1 paeote vindo de An-
tuerpia no navio allemao Margareth, descarregado
em 23 de abril de 1872 e consignado a D. P.
Wild.
dem J 1 C n. 1,100. 1 dito vindo do Liverpool
no navio ingiez Ma> y tlock, descarregada em 7
de maio de 1372 cousignao a J. J. da Costa.
dem A C. sora numero. 1 dito viudo de Li-
verpool n i vapor ingiez Hembra, descarregado em
10 de maio do 1872 e consignado a Claudino de
Araujo Guimaraes.
dem letreiro sem numero.- i paeote vindodo
Havre no vapor francez Sindh. descarregado em
14 de maio de 1872 e consignado a Mouleiro,
Gregorio 4 C.
Idem C J n. 63/74. 1 dito vindo do Havre no
navio franrez S. Piem descarregado em 20 de
maio de 1872 e consignado a Corga Irmaos.
dem C A 4 ('. n. 224/373. 1 caixa vinda de
Hamburgo no navio allemao Alma, descarregada
em 31 de maio de 872 e Consignada a- l.uiz Jos
da Costa Amoriin.
dem letreiro sem numero. '1 lata, vinda de Li-
verpool no navio injilez Miry Block, descarregada
em 7 de maio de 18:2, ignora-se a eonsfgncftr.
Idenv.VF T contra-marca F sem mimdro. 1
barril viudo de Lisboa no navio portnguez Julio,
descarregado em 7 de maio de 1872 e consignado
a Veriat.i deFr-ilas Tarares.
dem V F T sem numero, 1 dito idem idem.
Alfandi-aa d Pemambuco, 12 de fevereiro de
1873. "
U inspector,
Fnbio A. de Carvalho B/eif.
Pela adiiaiiislraeao dos correios dcsUi pro-
vincia, se faz publlce "tpie foi espaeado para o dia
21 do eorrente s 10 horas*da manha. o concurso
para o lugar de praticante da mesma repart-
c5o.
Correio 17 de fevereiro de 1873.
O administrador interino
Vicente Ferreira da P^rcinnata.
SAMA CASA DA MSEKU'.OKDIA DO
lU.ClI'K.
A Illma. junta administrativa da santa casada
misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas se>soes,no dia 02 de fevereiro cor-
rente, pela- ;t horas da tarde, tero, de ser arrema-
tadas a qiieir. mais vantagens olferecer, elo tem-
po de un a tres annes, ;s rendas dos predios cm
seguida declarados
KSTABELLC1MHXTO DE CABIDADE
Pa do- Acnuguinhns.
Casa terrea :i 20 '..... 98O00
d,> Amoriin.
dem n. 26 ....... 308*000
Ra ie S. Jerge.
Sobrado n. 30 ........ 240^000
Vital ae Negreiros'Cineo Puntas}.- '
Casa terrean. H2...... 3103000
PATRIMONIO DOS OltPHAOS.
' ."" Ra das Larangeiras.
Casa teirea n. 17......3605000
!lua da Madre de Dos.
Casa terrea n.'4 ....... i:400000
Roa da Senzala-veiha.
Casa terrea ti. 16...... ?093f:00
Os pretendentes de ver'o apresen'ar no arlo da
arremataeai. a sua liancas, oo comparecerem
aroTpanhadt'S i..s reepertivos liadore, devendo
pagar alem da ronda, o-premio da qnanlia eci-
que for seguro u predio que eoutiver estab etiop
ment comuercial, assim como- o servico da lim-
peza c preces do; apparelhos.
Secretaria dr, san casa da misericordia do Re-
cife, 1 do (fevereiro de 1873.
O escrivao
Pero Horigues SANTA \>V DK MISERICORDIA DO
UECU-L.
Pre^i^ vetilla.
A junta administrativa da sania casa de mi-e-
ricordia do 'Recife, aulorlsada pela i residencia e
de AOfbTmldftde com 20 seu osumromisso, leva
praea de venda, ;ia sala das shas Sessoes, pelas 3
horas da tardo o. dia 0 do Crrente, os seguintes
predios, tomando por base asquantias olTerecidas.
Mei-oguu do largo da Campia n. 260*000
Casa terrea da ra de S. Jorge n.
92. e a casa terrea da ra dos
Guararapes n. 83 3:300*000
Casa terrea da ra da Matriz da
Boa-Vista 8. 56, 2:000*000
dem da ra da Gloria, boje Vizcon-
de de Albuquerqu-, n. 61 2:0 0*008
Hei-agua da ra d Antonio Henri-
qusn. 26 18)3000
Sobrado n. 57 .la ;:n da Guia, boje
Restanrafid 3:000*000
Secretaria >da santa cas de misericordia d Re-
cife, lo^e fevereiro de 1873.
O escriviio,
dro Rodrigue-i do_ Sonza.
OBRAS PUBUCAS.
A eammiss to .m-arrrgada de promover a desa-
propri.icfio dos terrenos' de inarinha comprehen-
didos no iiroj*to de passeio publico, :i ra da Au-
rora, convida aot Srs. Jos Al ves da -ilvaGaima-
rae, Joaquim Claudio Monteiro (herdeirosi, Anto-
nio Raui.-, Francisca Amalia Moreira. Hanoel Jos
Ferreira Machado, Jos Luiz do Piego e Jos Gon-
calves Ferreira, que apresentaram os respectivo
ttulos, lie posse.a cHiparecereui na repartido das
obras publica, as 11 horas do dia 22 impreteri-
vehnenie, afim de concordaren! sobre o preco da
dosapropnag.iri.
Roparti'o dM ohns publicas, 13 de fevereiro
de 1873.
O secretario
F4ir.iano Rodrigues da Sirva.

1 paeote idcm idem e consigna'
8 de maio de 18J2 e consignada a Manoel Jo,v
iiuim Gomes.
dem P H T n. 2,098/2,107. I dita wr. Idem,
causignada a p.miingos A. Matheus.
I i.jmi**o lo rsennl le
iMariilaa
De ordetn do lilm. Sr. iaspeetor aco pblico
que no dia ti do corrente-roez ser peta larceira
vez posta vouda em hasta- publica, na. porta do
abnoxarifado, nina porcae do ferro velho, s II
horas da roanh.
Inspocfio do rseiul da marinha do Peinombu-
co, 19 de fevereiro de 1873. "
O enrelario,
''Vi<*anilrdRW|,s dos Anjos,
iretant, na voRa atracarem na batea da'alfandega,
n. 1, para que esta teuha lugar: advertlndoi porom.
3ue, no caso do navio trazer carta suja, oh ter-se
esenvolvido durante i viagem alguna epidemia
ou molestia contagiosa abordo, que licarao sujeitos
a quaregtcna tolos quantos ti vereut com elle com-
itnicado, ca oaservageia ao que i determinado
por avfs# do nlbJisterio'aV imperio de 22 JS Janei-
ro deste anno. t
O secretario
Flix ie C. da S. Lobo.
-------------+
CORREIO GERAL.
Relace dos pbmtos regis^ailos existentes na ad-
relnfstracilo dos'correios desta cidade, para as
pessoas abaixo mencionadas.
Andr.C. Pereira-, Angelo Jos da Penseca Ra-
mos, Antonio de Araujo Santos, Gamillo Marville,
Deluiinda Thereza da Silva, Delio Luigio, Emilia
de Moraes Ferreira, Eduardo do Moraes, Felesmf-
na Josophina Beo de 4 Francisco.- Rodrigues
Mensa.>, Fredetico Dias de S, Francisca de Paula
Rosa, F. Thoophilo da. Rocha Bezerr, T-'elippe
P. Nabuco de Araujo, GHieriataa de Siqueira
Silva, Gcovani Caluchio, Gustavo finilherme GoiV
calves, Isabel Mara da'Cenreicao, Julio A. Teix4-
ra de- Maonlo, I>mal Francisco de Barros, L I.
Smedlev, Hermina; Sfafra,1 Joaquim de liveira.e
Souza, Joaquim M. da Silva, Jos 'Antonio Fer-
nando* Frdqu; Jos F-etrira de'Soura, Jos L
de Medeiros Reg, J. L, da Cf nha Alcanfor, Luiza;
F. de Souza Melh>, Luiz Kellor, AHgnel 'Bernardo,
Manoel Raposo JA,'Manoel ae C. Barretti, :Manoel
P. dos Santos, S. Ferreira de Souza, ^hoinaz A.
Eupiuca, V.'Ferreira d Barios ArjmK
' Admuiistrac.W de crrelo de PernambucO, 15 de
fevereiro de 1873.
O encarregftdo do registro,
Anaao G. dai S. Ranos.
i Para o Aracatv em direitura sahe nestes
oito dias o hiate nacional Maa Amelia, de 1*
classe, capitao e ortico Francisco Tbomaz de As
i, ja tem metadu de seu carregamonto engajado :
para o resto trata-se oom eu consignatario Anto-
nio Alberto de Souza Agui'ar, ra do Amoriin
n. 60.
THETRO
SANTO
a.
Previne se ao illnstrado publico desta cidade,,
amadores da bella folia carna alesna, que o thea-
tro de Santo Antonio abre suas portas para dar
quatro esplendidos bailes de mascaras, nos das
Sabbad 25; domingo 23, segunda 24 e torca 23
do cor ente, para rujo Jim prepara-s 0 edificio
com toda pompav'acein' etitilhartlismo.
O programma ser publicado brevemente pelos
ornaes. i. I.
iiiin i i a ij i
WSOSTATfiTMOS
C.OMl'AMllA l'ERNAMBL'CANA
DE
\in;a;ilo cwsteira a vapor.
PARAHYB.V, NATAL, MAC.O, MOSSOtlo', ARACA-
TY, CF.AK.V, MANDAIIL', ACAKACU' E GRANJA.
O vapor JpoJHca
commandante Moara,
seguir para ospor-
tos cima no- dia 28
do corrente, s 5 lio
ras da tarde.
Recebe carga at o di ?6, enrommendas at o
dia 27, passageos dinheiro a frete ateas 2 horas
da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte do
Mattos n. 12.________________________________
CO.MPAN'HIA PtllNAMBL'IUNA
DE
\ u -y-acaii co-*tri-a a v a|oi-.
NACK1, KSCALAS, PKNEDO E ARACAJL-'.
O vapor (iquid. com-
mandante Martios,
seguir para os-'por-
tOS cima to Dia 281
2 do crtente, s S
horas da tarde.
Recebe carga at o dia 28, encommendas ata o
dia 27, passagens e dinheiro a frete ale as 2 horas
da tarde do dia da sahida : escriiitorio no Forte
do Mattos n. 12.
Para oPrio
a galera porugneza Firmeza, capitao Justino Ro-
drigues Cardoso, vai sabir com brevidade por ter
a maior parte de seu carfegamento prompto :
para carga e nassageiros, para os quaes tem ex-
ceilehtes commodos, trata-se com E. R. Rabe lo 4
C., raa do Commercio-n. 8. ,
Rio do Janeiro.
Para o referido porto pretende seguir com a pos-
sivel brevidade o lirhjue. tef a naior parte de sua 'carga engajada, e para
mtuc lhe falta e escravos a hule trata-te com
os consignaUrios, loanuiu Jos Oon'/alve? Bdltro
& Pililo, rui do Conmiercio n. -i._____________
WH TOHTO
{itm-pouca demora miste porto deve ; seguir
viagem a gatera portngueza Asia, recebe carga a
frete barato e passageiros, para^is quaes tem ex-
wtentes accommodacoes : t(irt.vse cora Tito Li-
vio-*oara8.ruadq.\^rtH,,'l7.
Para o Rio- Gi-ante doSul
Rara o."porto achila prdtetidc seguir con rhuita
brevidade a escuna porlOgueza ChriM'ntn, tenv
parte de'seu carregamento, c para o restante que
lhe falta, trai.-i-serom 'os seos consignatarios An-
toaio Luiz do (Niveira Atevcdo A <:. no sen esr
ciiptorio ra do Bom Jesu ri. W, outr'ora ra
fiVT
i. M i
Para o iu.li.-a.lo porto, pretende seguir ctn piu-
cos dias de demora a vJeira- Iiarca i pwugueza
Soco 8kneio,-un\io de ^.' ctasse. capitao Ferreira,
por tur mais de dous tercos de seu carrogament
prompto e para o testo que lhe falta e passageiros
(para os.qnaes tem bonscoinniodos,) trata-se com
o* consigiiatarios Joaquim Goncalves Beltro k
Filhos ra do'("jumiiercio n. 5.
LEIO
O agente Pinuo Bargas (ac leilo de una cai-
xa com (temios, e ounros veituarioa piroprios para
o carnaval, os qnaes se tornam recommeadados
por serem todos de mnito bom Rosto; no sen es-
criptorio, ra do Bom Jess n. 53, primelro andar,
1 hora da tarde do dia 20 do corrente.
"Para o Rio o lugre pdflHguez Almcilijifr<(i salur at o dia 24
do corrente, a'pdde |u|eber ainda alguma carga :
trata-se com fe. R. Rabell i ('.. ra do Commer-
cio ii. 18.
LEILAO
DE
200 pares Je botinas para lioinens e 100 pa-
res de sapatos de difTerentcs qualidades
para strihoras meninas.
SAMADO 22 DO COIUIE.NTE
slO horas.
O agente Pinto levar leilo, por conta e risco
de quem pertencer, de urna caixa marca P P n.
83. avallada bordo do Vapor ingiez Chrytolitr,
na sna ultima viagem este porto ; o leilo ser
effectuado s 11 horas do dia cima dito, no es-
critorio do referido agente ra do Bom Jesus n.
LEILO
DE
movis, ta e cnslaes.
n
\ saltes*:
Um iano forte, urna mobilia de Jacaranda com
tampos do p'edra, candieiros a gaz. castitaes,
mangas e escarnideiras, tapetes, relogio de pa-
fede.
Urna cama franceza de Jacaranda, duas nielas-
commodas e um santuario.
Urna mesa para janlar, um guarda louca, mar
queza, doze cadeiras; louca para cha e jantar,
copos, clices, garrafas, compoleiras, tren de
cozinha e outros objectus de casa de familia.
Sabbado22 do corrente no secundo andar
do sobrado da ra d'Apollo n. 43.
O agente Pinto levar a leilo por conta e or-
dam de una faaiilia "quo mudou de residencia.
os movis e mais objectas cima metwionalos
^existentes no sobrado da raa do Apollo n. 43, on-
de se effectuar o leilo.
Principiar s 10 1|2 horas.
UilOES
As 11 l!2 da ranlu
O agente Pinlm Borges Tara leilo de duas ra-
xas, urna oontndo courq de lustre e oulra \S du-
zias dejeordavo ; no sonescriptorio ra do Bom-
J<.'sus n. 53. principo andar-
< OHl'\Mtl\
DE
lUVEtiCM BR4SILEISA.
BU1
dia
seguir para os do norte.
Para frotes e passagens,
ra do Commercio n. 8.
Dos portos do
esperado at o
2 dojeorrente um dos
vapores da compa-
nbia. o qual depois da
demora do costume
trata-se na agencia,
Baha.
Segu commui'a bre id d- para o indi ; do
porto o veleiro hiate faribald- : ca ga e frete
tratar com os 5>rs. Tasso .Irmaos 4 C. ra do
Amorini n. 37.
Para o Rio de Janeiro
Pretende seguir para o porta cima o brigue
portuguer D uni, lera parte de seu carregamonto
engajado, para o resto que lhe falta trata-sp eoui
os scus consignatarios Antonio l.uiz de Oliveira
AzeVedo i C, no seu escriptorio, ra do Bom
Jesus n. 5J, outr'ora ra da Cruz.
5) @ $<$ <
Horisonte. |
m


"**?
Keller C\ C. consignatarios deste n-i
vi i cnegado Iiontem de Antuypia avl-
sam ao- recebedores da carga -3k or-
dem de terem a bondade de co pa-
recer no seu e.-criptoiio ra do Boui)
Jesus n .'3, afim "de darem seus no-
nes. {*
*s> Recife. 10 de fevereiro de 1873. W
f.OMPAiHrA PERNAMBICANA
DE
\ii e^a;A i*f>lci'a a vapw.
mah^ncvapi:.
O vapor Coruripe, !com-
mnndaittu hilva^segAir para
o p >rto aciina no dia 28 dy
frrente, s 5 horas da tarde.
Recebe carga, encommidas,
lss pasfSgeiros e dinheiro a frtv
te at as 2 horas da tarde do dia' da sahida: es-
criptorio no Forte do Mattos n. 12. :j
Inspec^, de sfrde depoi-to
de Penlambiioo, em 1^! de
evefeirov^el%7-8.
Pr ordenWlllnL'jKioapaefor dasaud-'dd por-
jd no navio alfcmo Margareth, descarre^j.ii oa fo fac.i jtthl;cojnednora; cni'diante e-fprnit-
lidv-aps. vayoCes is aboijurt, alvareaga* eecale-
facomnuntaram com os ^adere transatlafilico
ou outra qu*lqu'er mbiTevin pu amarv totes
de sreffi visitadas P'"r c->li reparacao, dovndoen-
fti^raiiilc Sul
Pretende seguir oom multa i brevidade para o
Peterido porto o velolro pamabote Rosita, p r ter
a maior parto da carga engajada ; e para i que
lhe falta, frata-se com os consignatarios Joabuim
Jos'Goncalvi'BeRraa t Fimo, ra do Com-
mercio'p. -*>.
+
miudezas e ferraiens
Iloje
1 i 11 hora*.
Para fechanento de factura-, o agente ; Chibo
Borges far leilo da> miudi/.as seguintes:
Guamiciies para camisas, uta- de sarja largas e
estre tas, bkos e deudas, entre-meios bordados e
colarlnhos, linha> de cores E dita branca, extrac-
tos finos e agua de colonia, e mutas ferragens
c.iinirsejan meoaduras, ferrolios machados, pnas
ditas para nelojooiros nachaTnribas fiara j.irdinei-
ros, facas, talbere- rmtiS objectos pie se acham
no sen escriptorio ra do Bonj-Jesutf d. 53 pri-
inci o andar.
GRANDE E VARAJJO"
De movis, frysisies, lOHVH, carros,
nrreios f un namler
- A SABER
l'm pianno forte. 1 mobilia fle ; -.earaiid, lape
tes. jardineiras, elagcrs e onadros.
Una cama franceza d- Jacaranda, cdxoese
travesseirosr 1 goarda roop de inogno, 1 toilet,
3 lavatorios, 1 mesa de costura, 3 commodas e
Matantes anides, : marqiiexas e colxes, 1 cama
de ferro, cadeira> e Wpihos, 1 lavatorio ingiez.
Urna mesa elstica, 1 guarda-ionea, 2 aparado-
res, 12 cadeiras. louca para cha e jantar, clices,
copos egarrafa>de flno crystal. objectos de elec-
tro pate. 4 bandejas, I relogio, i quadaos 1
guarda-romida, mesas. aTmi de rosinha e nuitos
outros objecos de a*ade familia
HOIE
na Passagem da Magdalena sobrado -m frente ao
do conmendador Man: el da Silva Santos.
B. Whitmam teudn de ir a'Europa, levar a
leilo, por intervenco do agente Pmto, os mofis
e mais objectos existentes em casa de sua resi-
dencia na Passagein da Magdalena em frente a
chcara do eoatmendador Manee! da Silva Santos.
As 10 1/2 hora* da m..nha partir da estaco
da ruado Brum un bond que servir de pas-
sagein gratis aos concurrentes aa-!~il>. ,
O leilo-principiar II lleras em oiito.
Em continuaeao.
ral hora la tartle veiiiloi'
n*ui4 ii;-un* :
Um esealer rom 4 remos
Urna victoria en
para 2 cavalb.
Um rabriol-t unei
ar'eios.
novo}
perf-ito estado c-jin arreios
ceberto, d^ 4 rodas e
KASKDAS
Em C03itimia;no
o para eno!uso
SEXTA-E1RA 21 DO OOHUEJi I"E
Pereira de Mello 4c ('. eohclnlrn nrnanha J'l
do Corrente, o ?. r. leilo de fdzendas comc.ado
no dia 18 do corrente, m seu :rmazeii, ra do
Bom Jesus n. 83.
C
O novo e veleiro brigue portuguoz amio, ca-
pitao Pedro Martins Branco, o prmuiro navio
a saair por1 ter j a maior parte da carga pimmp-
ta, tem' bons waamodos para passageiros : seebm E. R. Rabello k ti, roa C5uinaerri nu-
mero 48!
1 '?*,.!------rr-5-----------------------^ "
Tassu firmaos A C, consignatarios da brigae4n-
gle? Airlo- procadente de 'Nv-Vork, fMM
sciente as recebedores de carga que o n4e#tno
conduz, de raandartkt droceder ao despacio na
aifandega, para, evitar u^uiosas .do d^arg4as
aivatengas, na ceftaz >- de*> q* -rtfcajMrty- kore
aquelles que derem causa a t..es douidos,,toda
as despem qne sobrevealiam ao navio.
armario, j.aius o perteu^as do aruTazom de
sal e gneros, do armaaoa e venda da rtia
Imperial n. I 17, b Sexta-I'eni 21 o eorrente
' 0 agenffi MStlins !''i ioilao, por autorisacao,
darmatao, paio toda** b perten^is do ai-ma-
zn de sal c taveri adma, a 11, lunas do da
n mesma tavenu. S ra de Vida! de >egre>r06
LEILAO
di;
10 caixas marca H 11, contundo orvilhrs o:u
conservas
SABBADO 22 DO CORRESTE
* O horas *m ponto
O agente Pinto levar leilo, por autor Uaco
do gerente do consulado de Franca, em presenca
e seu chanceller, e por ooata e risco de quem
pertencer, de 10 caix as marca R R cera efvilhas
em conserva, com avaria d'agua salgada : o lei-
lo ser elfectuado;is 10 horas do dia cima dito,
no eseriptorio do referido agente, ra do Rom Je-
sus n. 43.
DE
diversas fazundas, um cavallo, diversos obje-
ctos, dividas, cun terreno no lugar ha-
to Gritarte (engnho Capricho,
QfcARTA-PEUAA o DE .MARCO
Espolio do subdito portnguez Domingos An-
tonio Femandes.
O agente Martins far leilo no dia 'i de margo
prximo futuro, por autorisaoo do Illm. Sr. Do-
mingos Maria Goacalves encarregado do consula-
do porluguez uesla* provincia, de diversas fazen-
das, um excellenle cava'lo, diversos movis, divi-
das e urna parte de tena no lugar Prato Grande
doengenbo Capricho, do termo de Agua Preta,
comarca de Palmares : sendo que as asentas se
acham avahadas em lJ4330. movis e o cavallo
em 20o000. dividas na importancia de 2I3000.
e o terreno era 1:000OO: lodos estes objectos se
acham depositados em mo de Jqnquim Jom: de
Arolla.
0 leila.) ter lugar no dia cima, DO armazeni
da ra do Imperador n. 48. s 11 horas.
avisos DVERSOS
CASA DA timVl
AOS 5:00(U000.
BILIIETES (iAHAXTIDOS.
i' ra Primsiro de Marco {outr'ora rua de
Crespo) n. 23 e casas do costina''.
O abaixo assign'ado tendo vendido nos seos fe-
izes bilhetes um inteiro n. 411 com 800. dous
ineios n. 503 com 300, tres quartos n. S083 com
1003. contras surtes de IO e, 20J da loteria
que se acabou de exlrahir (3!)/) convida aos
possuidores a virara receber na tonmnidade
do costume sem descont alguin.
Arham-se venda os felices bilhetes garantidos
da 8* parte das loteras a beneficio do racolhi-
ment de Iguarass, (40.'), que se ettraliir nc
sabbado 22 do corrente mez.
PRECOS.
Bilhete Inteiro 60OQ
Meio bilhete 3 000
Quarto 1*506
EM. P0.Hg\0 1)E 1OTO00 PASA CIMA.
Bilhete inteiro 9fltt9
Meio bilhete 27.iO
Quarto 1J37S
Manoel Martins Fiusa. .
Moloque.
Precisa-se alocar um moleque ie 12 a 14 an-
nps-: tratar no arma em do Campos : rua do
Imperador n. 28._____________________
Preeisa-se de um criado na rua do I'.aio da
Victoria, loja h. 7._____________________
= Aluga se urna casa na rua da l'raia doCal-
dereiro n. 21 : a tratar na rua do l.ivrauento
n. 23.________________________________
Kscrivs f^ls
20#*#0
- Ausentaram-se dous esefftvos irmaos; sendo um
de noine Lourenco, coui-20 a 27 anuos de idade.
estatura regular, efteio do corpo, cor ciara, ca-
bellos estirados, rosto redondo e sem barba, levou
calca e camisa branca, chapeo de feltro prato.
U outrode noiue Andr, da mesma estatura, mais
novo um pouco do que o outro, tendo os nusinos
si^Hiaes do irmao, sendo comprados : I.r.ureneo
ao Sr. Claudino d'Albuquerqne Mello, da aomarca
de Patos, da provideia da Parab>la : e Andr ao
Sr: Joo Francjscu Gume de rruda, da Bomar-
ca do Limoeiro, tundo fgido aquello no dia 21
do- corrente (Janeiro), e osle boje 30 do mesmo.
SuppSe-sc qne seguiram a estrada to Limoeiro
Serra do Teixeira. Roga-se a todas as autorida-
des policiaes c capitSes de campo, que os ap!>re-
hehdam e os conduzam rua do Apollo n. 30.
armazein de assucar, que se gratificar coma
quantia cima.
w--------------------
_
uu:
D-:
tendo du& -olas,
uau casa terrw.
quartos, quintil, cozinha
na do
tlous
;uique|- na
o eoiele. da Boa-TUta D. lllljmu-
trota Qrmfr.to) Noto; --i v
mexta-foira <1 -Vetaf.
A^S lbWbkJiBAi'MAXti
O ageub* Pi|Il>-Bofgi'lr4 liiv i^a^upr idila
cp^porc<^JaHfjsct4as)ueiaj.eu^.c*)*vn< sea
eseriptorio rua do Bam-Jess n.-W iJraeii an-
dar.
Compankia pernambueana
j de navegaeao eo^teira'
vap(>r.
PelopreseaW sao convidados o,-> seuhores accio-
nistas desta companhia a reunir,o -e e:n assem-
bla geral no dia 24 do convide a 1 hora da tar-
de no 1 andar .de-seu i prir-se o'ispesio no artiga 24 cdpKtrie -S -dos es-
tatutos.
Kecife, 12 da-fcveiviro i|! 1873.
Os d rectores
, Satmders Brothers 4 C.
%e\\rt A C. ____
piiMim
IAE
BA11TH0LQME & C.
34RUA LARGA DO ROSARIO34
Catalogo de novos medicamentos, t-
nicos, gstimulantes e estomacaes,
rdteptninte lescobe'rtos pelos
mdthores plmrmaccuticos e
ohiniiios da Kuropa
A S.VBKR:
PREPARADOS DE ARDID.Yiuho ferrugi-
noso de quina, tnico estomacal, repa-,
radordns for<;as dos Jonvaliscentes, as
febres tj phoides, as ponas de sangiie,
etc., etc.
Xurope conconlrado, coiu bal-
sanno de tol e torios prnclpiu nutriti-
vos soliiveisilo oxfrarlo do carne de Lie-
hig, mudieameiito mais poderoso para
os phtvsicos, nas affeccoes calarrhaes,
etc.,etc.
Xaroje: de-casca de- laranjas
amargas, com tmlos os" principios nutri-
tivos soluveis do extracto do carne df*
Ltobig, o mais poderoso dos analpticos,
para os temperamento-. dfh< ab s e ner-
vosos, esternal por excllecr; etc., etc.
A.NDl'HAN.Vinlio ante^-gotoso anb'-rheu-
matico, corno grande espi-ilieu.
FALIKRKS.Xarope .-uile-niM vos> e inalte-
ravel de hroiuurclu de pot.'ssio, medica-
mcuto especial contra ts altec<;es nervo-
sas e convulsivas.
SHERRV-KI.NA.Vinho de quina, tnico
ante-febril de inn gosto agradavel, supe-
rior ao MaJeira, e Vermuth.
THOMMEREi' (.Ki.l/..Granulos xaropes,
baldos sulfo-acidos, para o tratamento .
das molestias de peito, garganta e de
ix1'!.., ,|e um gronde proveito para os or-
eaos respiratorios.
CllEVIUFR.^'fhloJ'*lexWle C.ocado, r-
rou, tnico de um gosto agradavel, esti-
mulante, nutritivo eestomacal; empre-
gado com grande vautagera nas crianzas
debis, nas mulhcres chloroticas, ataca-
das de llores brancas, nos venios fracos
pelaidade apelas molestias.na atoniados
orgaos digestivos, nas gastritis, gastral-
gias, etc., etc.
CARPENTIER. Vinho remigutoso de rhui-
barbo, tnico e pulsativo agradavel sem
produzir consliiiaeo."-ni'iii alterares no
estomago.
SAVORY I". -MOORLS.Emulsao pancreti-
ca, muito estomacal, com grade pro-
veito no tratjmenloilii phtvsica,|K>dendo
ser empregado oom pande vantagem,
quando o oleo de ligado di- bn alluio nao
possa ser tolerado no estomago dos doen-
tes; sendo o nico remedio que com
eflicacia facilita a digesto do oleo, fa-
eerjdo apparecer o appetile e o Wgmen-
to da autrieao, eu-., etc.
LHAMRLL.Conl'eitos. de brouiinio de
potassio, grande especilico coutoa as af-
occoes nervosas, ataques livsti'iffos, epi-
lepsia, tosse convulsa, coqueluciie, in-
somnia, tristeza, delirio e todds os in-
commodos que tem por causa o erethis-
uio ervos".
METEL.Granulos de sub-iiitrald de Bis-
muth. Este medicamentod'uBangran-
de ellicacia contra as dian licas, enoleri-/
na, dvsenteria gastralgia e nos pasos de
digestoes difflcieis e dolorosas.
L. BEUF.Emulsao vegetal-de lcatro.
Este medicamento administra-se de urna
mnoira conunoda e precisai o alcatro
em sen mais perfeito estado de pureza,
vantagem queTtenbpma outra frepara-
eau de alcatrio possue.
DR. ('.ROLA.Solur/'o de pyropiaosphato
de ferro o soda. Esta seduca consti-
tue um sxeallente reparador das forras,
obra seinpre nos pessoa* que tendem *
parachlorose cdrespallidas anemia fra-
queza geral. Est preparado leiS a van-
tagem de nao ter nenhum sabor.
GRIMAL'D.C.onfeit'is especificos, para cura
da incontinencia da urina, osincomi -
dbs dassenboras chloretic; -. etc.", eti.
CHAMBARDCha tnico purgativo e d :-
rativo, possue um '>-\." stborosa e um
aroma siiavissiUio, e s pcipriet|ades is
mais noiaveis sobre Os en b n*ai is df- es-
tomago, dos intestinos ednfigatlo, o
desobslruente por eicellencia na rons-
tipacao do ventre e nao tem resguarde
nenhum
LliLlTCoaltar Sapouine, e -a- des-
infectaiile enrgico, ricatrisaifle das
chagas.
II FLO.NXarope Unitivo o ...,,.-
gado com vantagem ii.m efjuetite,
atariho ehroQico, ootjnelttchr, etc.
etc.
MEXTELGranulos de phoafthats d< .'.
medicamento' uSil has-moteSti" di- os-
sos, fracturas, diairlii i? i-Iag micas -
beles rachitismo, etc.
IIOtiGPululas de peprin i ti iulad .-.
prega-se nas aflotrocs pastRilgicas, e
todos os casos em que a diges
cil ou impossivel. Cm Irajide rRtta-
gem.
BT.TSS KEEN CExtracto hjdwM*;.
.co de condurango, medicamento- iuu.'.o
estimulante e depurativa, i-nipn-ua-e
contra a syphilis. serofuki-. rliemi.i' --
mo. olieras, etc. etc.
VAI 01 ELLX DESLAimERSEiivifde qui-
na e caf-tonino especial rontaji as e-
bres nevralgicas, eMxaqueca, emobre '-
ment de sangue, fraques,! geffflj i
ndllidas etc etc.
DIt._ CH0M1EUl'illul.s anti-n8vY.tkica,
mprega-se comainoior elicacia en. to-
daas afleccot-s nevrlgti as/anos i1
mmlosda manstMiagftOfacultando d"fiato
sanguneo.
QUERUGel.-a de oleo de iAdo de bai-
lhau aromtisado. com to>.> ovpr'tu-
pios activos do oleo de ligado de baca-
lhau. Esto gela nao irrita o esnunagis
podendo os doentes usar dille ponbjoui- -
to sem a menor repugnancia. '' '
grande especifico jwra to**, tatar-roo
consumpcao brnehial, tub'.-rctilar, es*
crofula, dobidade geral, ete. ei,-.
JOHNSONEssencia de sftlsaparrUw vi
melha da Jamaica, empregwda, cerno f>
nico .depurativo mh '''. '
gue.
ELIXIR AMI-AST11MAV1GUalatli i I
toral, applicado enm graii'h* v uu.^.,,(
. no tratamento da (taina, tos* con|uls.
.? dfflwTOS cAtharriaaes e ? i^
dos pnlmiVs.

AVISO.
v
' Previae-seaofei. Jos&ntiii> d Silva, i.uda-
dorao,Aude o> Mato, ITegueiia da Gloria do
Utli um saa^icravA Thereza e sduas f'ias
suchamire^dTacadea desucidade.
;K
Prorira-.se &lugar uuuj>aa e
termo : u'a rua da Gnu u, 2a, 1* andur
. O Hiui. Sr. lir.'f ranewgo i^-totrnT*"*
uiua carta na rua do Imperador n. Va, tuinazen
do Campos.
saun
.



'i,;
Diario de Pernamtoico Qaina fira 20 de-Ferereiro de-1873.

I
r ^,
FMIigAO DE TRRO E BROME
/, FABRICA DE MACHINAS
V na 3 Bari :> Trianipho (na da Bruiu) ns. 100 a 104
CARDOSO 1RMA0
AV19AM aos Srs. de engenhos-e ao publico em geral, que teem recebido da Europa
grande-wrt'oientodercrragenspara engenhose para lavoura,e quaesquer outres usos
e mistere6 da industria agrcola, o quetudo vendem por presos razoaveis.
Formas para aSSUCar pintadas c galvanisadas, de diversos tamanhos.
VaDOIOS horisontaes e verticacs j bera conhecidos uesta provincia e fra deila, os
^m melhores que tcem viudo a este mercado.
MOejldaS completas de diversos tamanhos, obra muito forte e bem acabada.
MeiaS niOenOaS para assentarem grades de madeira.
laiXaS QC terrO de ferro fundirlo e batido, de diversos tamanhos.
xtOdaS Cl aglia de diversos-tamanhos.
liOlS uentaaS de diversos tamanhos e qualidades.
OonoPrto^ concertara cota promptido qualquor obra ou machina, para o que teem
vuutciiua suft fabrca bem monlada, com grande ebom pessoal. ,
KnOOmniPdl^ ^an^;"n v'r Por cncommenda da Europa, qialquer rsaclunismo,
flinouwiiio >- pflra Q qUe ^ eorreSp0ndem com urna respeitavel casa de Londres
e com um dos melhores engenheiros de Inglaterra; iricumbem-se de mandar assentar
ditas macliiaas, e se responsabilisam pelo born trabalho das mesinas.
Ra do Baro do Trumpho ns. 101, 102 e 104
F U D I r O Dj CARDOSO & I R M O
QUESTA0 00 DA.
AONDE EST
0 ARTISTA CABELLEIREIRO
BELP.ECH.
E' na ra Primeiro de Mareo n. 7 A, primeiro andar, aonde pode ser proenradb para
o m'steres de sua profissao.
No salao tem bons offieiaes para barbear e cortar cabello?, penteados de senhoras, co-
ques, tranca?, diademas e topetes, tudo da ultima moda.
Ra Primeiro de Maree n. 7 A, primeiro andar.
Assocapao de beneficios mutios
para ereaco de capitaes c rendas, e auorfsada pelo go
Terna imperta!
POR DECRETO N. 5022 DE 2i DE JLHO DE 1872.
Capital de respomalilidade administrativa
1,000:000^000
)
PRODZIR :
Com perda de capital
993^000
3:113*000
8'44*200
2:W2$300
5fl:(3tf709
i
CONVERSAD DOS CAPITAES DOS SOCIOS EM AP0LICES D DIVIDA P-
BLICA NACIONAL.
TAIIEIjTj.IS
ioc0oco pagos animalmente devem
No ti m de Sem perda de capital
o annes 680|oOO
10 sddos 2:372*000
lo annos 6:58**200
20 annos 17:088*500
2-5 annos 45:128*^00
Una inpoie/o on:ca de 1:100*000 deve produzir :
No fim de o annos 2:132*000
de:iOanno3 3.819*510
de 15'annc-s 6.839*000
de 20 annos 12:985*000
de. 25 aooos 2i!:55*000 .
O objeeto de'ta ass-p-ciac5o wdazir toas a3 clafae d sociedade, Manto os p br?s
coxto es r eos, i pensarera no porvir e a g-rsntirem, per meio da economa, a fortuna dos
Dlbes, o pao da vefbiea e a tranqolhdade do espirito.
A riqueza dos pavos, filo a riq'.iera particnlar e a riquza publica, tern o sen fun-
damento mal? jolid e a sua fcnte ma:s feconla na simples economa.
A fcopomia a proviso de futuro. O ]ue boje dos sobra qoai sempre nos falta
amacha.
Ssno a Popihir de-tinada principalmeate para cuidar do futuro das c!as?es menos
abastad da -.ced;de, a adrnirjiMracao, de c-mformidade com su estatutos, declara que
recbe subscriptor p^r qnantias mnimas at 10*000 e sera liaiite para maiores qnaotias.
Os subseriptres da Popular nao esto fujeitos a onus algnm de pxames mdicos e atiesta-
dos de vida: seos raices accnmnlados e arcrescidos vaotaj;smente pass&rero, em caso
de morte, a seos herdeiros naturaes.
As tobMripeooa da Popular Fluminense pcdein ser feitas de tres modos distinctos,
conforme o deseio do socio, a saber:
COMBINACES.
1* Pagamento das prestacoes aunuas ou semestraes (desde 10*000 st a maior
qoina cada om) podeno liquidar e retirar capital e lucios em qualquer poca depois
dos primeirrs 5 tunos ; sem perda do capital em nenbam caso.
2* Igual ao anterior, porm, com ptrda do capital e juros no eso de deixar de pa-
gar alguraa das prest:c,5es marcadas na apolise.
3* Pajtameoo de urna qnantia (nanea menos de 100*000) e de erna s vez esem
perda em nenhum caso rern do capital nem dos lucros.
A i' cou.binacao cITereca ao socio a vaotagem de nunca perier o capital que (ver
entregado;
A^2* 2rrs-a i capital, porm, o socio que pagar pontaalmente as prestacoes, aufe-
rir mais lucros qoe os qae perteosm i 1*;
A 31 Bombinaeio di re:e grenlcs vantaeens aos capitalistas, pois sem correr ne-
nhum risco pJr se gsraor (jue Be ho de aoferir, pelo menos, um juro de'12 0/0 ao anno.
Tde-se obter qualquer outra ioformarao no escriptorio dos agentes da a'scciago
nesta provincia, Augusto P. de Oliveira & C.'roa do Commercio n. 42.
fftS?<* PENHORES1
Xatravessa dama
das Cruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qnal for a quantia.
Na mesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
liispcrial r DE
[Rap areia fina da Bahiaj
de
I Mor eir & Gompmm
O abaixo assignado, nico agente dessa
fabrica, avisa ao publico que tcm aberto
o deposito de dito rap, no seu escrip-
torio ra do Vigjirio n. 21, onde os
freguezes encontrarao sempre a quan-
tidade que precisarcm.
Recife, 29 de abril de 1872.
Domingos Alves Matheus.
100#000
)
ireci*a-se de um menino, de 12 a 14 annos de
idade, forro ou captivo, para criado de una casa
4e pequea familia, com tanto que saiba fazer
compras e emenda de servido decopeiro. A tra-
tar na ra do Capibaribe n. 40.
Fugio do engenho Pontal, em Scrinbaem, no da
7 do prximo passado, o mulato Simao, com os
signaes seguintes: estatura regular, corfosecco,
cor alaranjada, barba serrada, cabellos carapi-
nhos e falla descanfada: quem o pegar leve-o ao
seu senbor o tenente-coronel Vicente Mendcs
Wanderley no dito engenho, ou no Recife ao Sr.
Bernardino de Sena Puntual, na ra da Madre de
Dos n. 36, que receber a gratificc,o de 100*.
Quem precisar fe urna escrarai mzinheira,
dirija-se ra de mi .^niaro n. 6, & andar.
Atten^o
Manuel & C^ teado de retirarem-se lireve para a
Europa, vendem todo mobiliado, vota piano, lou-
ca, cry.staes pora-lana, vidros efe, residencias no ATraial, lugar deneminado Coiiiei-
ros, travessa do .Acude n. 2, com ;tOo palmos de
frente e mais le dous mil de funflo. todo eere-
do, com niuit*< ffuMcifMi, i ortit de trro, ca-
cimba, deposito .d'agua, baubeiro-e gaz dentro da
casa, a qual foi -reedificada e lem -commodos para
numerosa familia; o lugar torna-se recommendavel
pela pureza e frescura do ar, pela sua situacao
pittoresea e agradavtl e distar pouco das estacoes
da Casa amareHa, Mooteiro e porta d'agua : quem
pretender, d rija-se i ra Nova n, 23, ou no mes-
mo sitio.
ADOLPIIO BIKGOS
RA DO IMPERADOR N. 37,
!. AND.\R.
ATTMCiO
Precisa-se de urna senhora que queira ir em
compauhia de urna familia para Portugal, pagan-
do-se a pa sagem e mais desperas, gratitieai do-
se-lhe o seu trabalho : quem estiver tiestas con-
dicoes dirija-se ra estreita do Rosario n 9.
CAZA DA FORTUNA
RA 1." E MAR.gO OUTR'ORA DO CRESPO N. 23
Aos 20:000$000.
O abaixo assignado tem sempre exposto yenda
os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
promptaraente, como costuma, at o premio de
4:000*.
Prep#.
Inteiro.......24*000
Meio........12*000
Quarto....... 6000
Manoel Martins Fiuza.
Cozinheira
Precisa-se de urna eozlnbeira para urna casa
estrangeira : a tratar na roa do Comraercio n. 38,
4* andar.
Urna pessoa que sabe fallar, escrever e tra-
^uz'u- a lingua franoeza, prope-se a insinar em
a casa ou em casas particulares, das 3 as 10
toras da noute : duem de seus prestimos quizer
utilisar-se pode deptar caita fechada H'esta typo-
graphia com as iniciaes M. A.
Exposi(}o de plantas vindas
- da Europa. ,
la Duque dtt Caxia* n. ft
for L. Pollorcc chegad nesses dias teda varie-
dade, de plantas, raizes, sement*, batatas, tanto
de flores omo de hnrtalioe, que a vista do cera-
jiraor.
Alnga-se o 2o andar e soto da casa n. Si
ma do Visconde de Itaparica, outr'ora Apollo,
com commodos para numen sa familia : a tratar
na mesma roa n. 51 com o Sr. Bento de Freitas
Guimaraes.
AUeicio.
Quer-se alugar urna escrava para o servioo ex-
terno e interno de urna casa de pouca familia : a
tratar na na do Imperador n. 25. 2 andar.
Aluga-se urna escrava recolhida, de idade
de 16 annos, que sabe coser, engommar e cozi-
nhar para o diario de urna casa ; bem como ou-
j tros servidos ordinarios : no pateo do Paraizo nu-
meio 16._____________________j_______
Sociedade beneficente Luzo-
Brasileira.
Por ordem do irmao presidente faco sciente
todos os senhores socio< que as sessdes da directo-
ra ficam transferidas paja as quinta-feiras s 7 ho-
ras da noute. Aos senhores candidatos approva-
jos convida-se virem iniciV-se.
Secretaria da sociedade beneficente Ltuo-Brasi-
leira, 19 de fevereiro de 1873.
# O* secretario,
Bmto de Souz* Mira. \
Soryete.
..Hotel da Independencia.
llua do Imperador n. 32.
Ha todos os dias das 5 horas da tarde em diante,
sorvete de todas as qualidades.________^^
Joo Antonio Gomes declara ao respeitavel
publico que tendo apparerido outro n me_ igual
ao seu, de'linje em uiante se assignar Joao An-
tonio Gomes Pereira._______________,_______
O agente de leilSe--, Francisco Ignacio Pinto,
pode ser procurado das 9 s 4 horas da tarde
em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 43, e
daquella hora em diante em casa de sua resi-
dencia na ra do Visconde de Goyanna n. 58,
(outr'ora ra do Mondego, casa em que c orn
o Sr. Jodo da Cunha Nevos).
Excommungado.
de sabir a luz e acha-se venda e;ta
ili.li,l.> nmruicinan rl() mUit
a n. 11,
Acab de sabir a luz e acha-se a vend
linda polck da actualidade, composicao do
sympathico maestro J. Poppe : 4 ra Nova
a'rmazem de msicas do Azcvedo.
ni 1
Terceiro andar.
Alnga se o 3o andar do sobrado da ma do Pa-
dre Floriano com 5 quartos, 2 salas, cozinha e
cambrone : a tratar ca ra larga do Rosario nu-
mero 22.
Preeisa-se de un hornera para pucha-
dor de roda, e um menino para recebedor de
papel : n'esta typographia.
Acha-se fgido desde o,da 12 de dezem-
1ro do anno prximo passado o moleque Altino,
de 15 para lo annos de idade, com os signaes
seguintes : cor fula, secco do corpo, olhos vivos,
pomas linas, muito ladino, levou vestido calca
c camisa de algodao de liMras; suppoe-se, elle
andar mesmo pelo Recife, ou pelo matto, na fre-
guezia de Ipojuca, no engenho Pinderama, onde
tem um irmao forro : ioga-.se a apprehensao do
dito escravo e leva-lo em Olinda -no sitio dono-
m nado Jardim Botan co, aos seus senhores, que
alm de gratos, rec mpensarao generosamente.
Escravo igido"
Do abaixo assignado fugio um seu escravo.
pardo, ou simi-branco, natural dcsta provincia,
de nome Joao, cabellos quasi carridos, pouca bar-
ba, de estatura regular, o qual gostava de carre-
Sar canecos d'agua para andar vendendo, t<;n-
o urna vcrilha quebrada, o qual est fgido ha
tres mates : quem o pegar ter oOOoO de grali-
ficaco, e leve-o a seu senhor ra do. Impe-
rador n, 75. de quem receber a mesma grati-
ficaeao ; e protesta o abaixo assignado usar de to-
do o rigor da lei, contra quem o ti ver oceulto.
Francisco Baptista de Almeida.
Saques
Sobre o Porte, saecam Cunha limaos & C, a
praso c vista ; ra da Madro de Deus n. 34.
Na furidico do Starr.
Precisa-se de um hbil moldador em ferro, e
de um ferreiro qu- seja capaz de fazer obras pe-
sadas e eom pcrfec,ao ; os que estiverem nestas
condicoes p dem apparecer no escriptorio daquel-
la fabrica.
Para cozinhar.
Precisa se de um ajudante e um criado para
todo servico : ra Nova n. 52. 1.* andar.
Precisa-se de urna ama para cozinhar o com-
prar : na ra do Imperador n. 1C, i." andar.
Precisa-se
de urna engommadeira perita, para duas possoas,
pagando-se bom salario : a tratar na ra da Ale-
gra n. 38.
Nao ha mais cabellos
brancos.
TINTURARA japoneza. .
So e nica approvada pelas academias de
sciencias, reconhecida superior a toda que
tem appareeido at hoje. Deposito princi-
pal ra da Cadeia do Recife, hoje Mr-
quez de Olinda, n. 51, l.9 andar, -e em
todas as boticas -e casas de cabellei-
reiro.
AOS 5:0001000.
Estao venda os felizes bilhetes da lotera 'da Ba-
bia, na casa feliz] do arco da ConceicSo, loja de
ourives, no Recife.
Esta fgido desd o dia 23 de junho do anno
de 1871 o escravo Luiz, mulato, alto, cabellos bem
crespos e principiando a bucar. Tem um peque-
no signal de cabellos no auelxo; e no braco di-
reitoaslettras-L. F. N. Sabe 1er, trabalha de-
pedreiro, envernisa e pinta.
Este escravo tem um irmo liberto, qoe traba-
lhava (e pode ser que anda trabalhe) de machi-
nista de vapor n'um engenho de Abren de
Una.
Pede-se as autoridades poHciaes c capites de
campo que o prendam e facam-no conduzir a ra
da matriz da Boa-Vista, casa n. 33, onde rec-
bente 150*000.
Precisa-se de um menino de 13 a 14 anno.
para caixclro: na padaria da ra do Rangcl n. 9s
$_ Offerece-se a am do hotel Central, portu-
Jueza, j de idade, Anna de Araujo, fiel, para ama
e casa de homem solteiro, ou memo para Mitro
hotel: a tratar no mesmo.
= Na ra da Palma n. 65 faz-sc fJlhs com
perfeicao, assim cmo aloga-se urna preta que
sirva para vender na jua. '
Am* de leite.
Precisa-se de urna jue tenha bom leite, e sem
filho : a tratar ra do Duque de Caxias, ou-
tr'ora Queimado n. 70. ___'
Ama de leite
Precisa-se de urna ama que tenha bom leite*
srm iillu>: Ha ra Duque de Caxias n. 91, loja de
iniudeza Uu rival sem segundo.
Com urgencia
Precisa-se de urna ama idosa que saiba cozi-
nhar, para casa de pouca familia : a tratar na ra
da Alegra n. 40.
^ r T^ Na ra 1. de Marco, amiga
\ VI \ do CresP n- ,7> ,0Ja> precisa-se
L\. IiJ. IX de urna ama, somente para cozi-
nar em casa de rapazes solteiros. ________
a ma a Na ra da Cruz do Recife.n. 42,
ni 9A arn,azem' precisa-se de una cozi-
n#m*.wm nnera forra ou escrava, pagando-se
muito bera.
A H1 o Precisa-se de uraa ama que saiba co-
- vuui zmhar e engommar para duas pessoas :
paga-se bem : na ra Direita n. 10.
\lTl) Precisa-se de urna que saiba engora-
AlUf mar: no Caldereiro, casa de Francis-
co Joaquim Ribeiro do Brito.
Amn No Corredor do Bispb n. 5 precisa-so
Milita ,je uma yjjj pj^ 0 se vq e uma cafa
de pequea familia. ___
i ir i Precisa
\ |i| X paracas
illflil o anHar
Precisa-se na Torre, de uma ama
de familia : a tratar na
Mrquez de Olinda n. 66,
2 andar.
Precisa-se de uma ama de leite na Capunga
tratar na ra da Ami>1e n. 45.
Na ra da Impcratriz n. 47, I* an-
dar, uma senhera tendo j grande pra-
tica do ensino, recebe discipulas de
piano, m- sica e desenho.
Ensino particular.
Salvador Henrique de Albuquerquc, presta-sc a
ensinar por casas e collegios particulares, nesta
cidade e seus suburbios, todas as materias do en-
sino elementar, a alumnos de um e outro sexo.
Ensin i e prepara as senhoras que se quizerem
habilitar para os concursos s cadeiras de instruc-
i;o primaria ; e todas as tardes em sua casa
pode leccionar aos estudantes da preparatorios
que precisarem de habilitar-se para o exame de
portugus.
Tambem ensina geometra e arithmetica com
todo o desenvolvimento e applicacoes.
Os senhores que se quzrem utilisar do seu
presumo, podem procura-lo no largo do Paraizo
n. 8, segundo andar; pela manha al as 9, e a
tarde das quatro horas em dianteJ____________
Melliodo (laslilho.
Ra da Penha n. 25, primei-
ro andar,
Secundino Jos de Faria Simoes, professor
particular de nstruccb elementar pelo methodo
Castlho, avisa ao respeitavel publico e com espe-
cialide aos. pas de seus alumnos, que est aber-
ta a sua aula desde o da 7 de Janeiro ; na ra
da Penha n. 25, 1. andar, aonde recebe pensio-
nistas por proco commodo : q mesmo professor
prometi muito se esmerar no adiantamento de
m's alumnos.
Hospital Portuguez de Bene-
ficencia em Pernambuco.
^So convidados os socios deste hospital, para
comparecerem assembla geral, que devera ter
lugar, domingo 23 do corrente s 11 horas da
manha, afim de se proceder eleicao de 3 mor-
domos em substituicao aos que declinaram de
suas nomeagoes. Em seguida ser lido o relato-
rio do anno prximo pa-sado e o parecer da com-
missao de contas e tomarao posse dos seus cargos
com a solemndade do costume os membros da
junta administrativa, que teem de funceionar no
corrente anno.
Hospital lVrtiigiiez de Beneficencia em Pernam-
buoo, 18 de fevereiro de 1873.
Luiz Duprat,
Secretario.
Carnaval.
Na ra do Duque de Caxias (antiga ra das
Cruzo*) n. 23, casa do bem conhecido alfa>ate An-
selmo A. de Azeredo, acha-se um complete sor-
timonto de vestuario! para o carnaval, nao so para
homons como para senhora, como sejam : pier-
rots de todas as qualidades, dminos, chicards,
vestuarios hespanhoes, sobresahindo um rico ves-
tuario de senhora.
0 abaixo assiguadd previne a todos os Srs.
que se dignaram assignar um volume de poesia
de seu tinado irmao o bacharcl Antonio Rangel de
Torres Bandeira, que breve tem de sahir do pe-
lo, que as nicas pessoas encarregadas de re-
cebimento das respectivas assgnaturas, sao os
Srs. Dr. Aprigio Jusliniano da Silva Guimaies e
o Rvd. conego Francisco Rochael Pereira de Bri-
to Medeiros.
Recife, 18 de fevereiro de 1873.
Joao Vicente de Torres Bandeira.
* Escravo fgido.
Acha-se fgido desde o dia 9 de Janeiro deste
anno o escravo Antonio, crioulo, de idade 22 an-
nos,lestatura e corpo regulares, cor preta, cabel-
los carapinhos, rosto comnrido, olhos flor do
rosto e amarellos em virtude do vicio de embrea-
guez a que se entrega, denles alvos ; consta que
so aluga como forro, j em Santo Amaro e j em
atros lugares desta cidade : roga-se a todas as
autoridades poliiaes e capitaes de campo que o
apprehendam e conduzam-no casa de seu senhor
Miguel Jos de Almeida Pernambuco, ra do
Barao de S. Borja (antiga ra do Sebo) n. 28.
Attetyo
Furtaram da ra do Sol, hoje Mrquez do Her-
val, n. 15, um par de ooulos de ouro, de grao n.
5, para miope : a pessoa a quem for offerecido, o
apprehenda e leve-o mesma casa, que ser ge-
nerosamente recompensada.
Aluga-se
A casa n. 7, Passagem da Magdalena.
Atienco.
Qier-sealugar umamulherlivre para o servio;
externo e interno de rana casa de pouca familia:
tratar na ra do Imperador 25, segundo an-
dar.
Livre ou escrava.
Precisa-se de uma ama ainda mesmo de meia
idade para uma familia de duas pessoas: a tra-
tar na ra do Cabug n. 3 A, loja do Collar de
ouro.
150#000
No engenho Massuass, freguezia da Escada, se
dar de gratificaco a quantia cima a quem ap-
nrehender tres cavallos que naquelle engenho
fcram fnrtados na noute do da 29 para 30 de no-
vembro prximo passado : o i. tem 9 annos,
castanho e castrada, tem a orelha direita bastante
lascada, uraa estrella na testa, a no quarto esquer-
do tem uma cruz ;ol" ruco, com piulas ver-
melhas nos quartos, grande, gordo, com o Des-
coco fino, castrado, tem os quadris feridos da
cangalha, ferrado com a marcaI. R. do lado
direlto, e tem a idade de 9 annos; o 3." rudado
sanhass claro, curto grosso, um pouco carobito,
e castrado, pequeoo, e est ferrado com a marca
-Obo quarto direito : gratiflea-se com"5000Q
por cada um em presenca da pessoa, em cujo po-
qer for encontrado qnalqner dosdito3 cavallos.
Terrenos.
Em Beb\Tibe a 3, O. 8 e lOj o palmo, com
fundos para o rio, na povoao : tratar nos do-
mingos eoui o Sr. M-d . Aviso
Fugio da oasa de seu senhor, pela manha do
5 do corrente, o escravo Henrique, idade li r-.n-
nos pouco mais ou menos, cir pipeta, dentes al-
vos, gengivas pretas, altura p^iuena, levou cal'.a
e camisa de riscadinho, chapeo de palha da terfa
feicoes miadas e bem ladino ; consta andar no
bairro da boa-vista, ou ter embarcado par a
villa do Cabo, e escravo de Francisco Romeu":
quem o apprehender e leva-lo na ra da Moda
n. 33, ser gratificado. Mu
Novo estabelecimento
de joias.

Ra do Calmar u. 12.
Neste estabelecimento se encontrar
um bonito sortimento de joias que se
9 veadem per tal preco que animar ao
S! comprador, attento ao vantajosn syste-
fma, ganhar pouco para veuder limi-
to, que cortamente til ao compra-
^ dor eao vendedor.
jS Tambem se compra ouro, prata e pe-
9 dras preciosas, bem como s^; fabrica e
2 concerta toda e qualquer obra tendente
S mesma arte.
'}.
O Sr. Antonio Jost- Ferreira, tenha a hondada
de apparecer na ra do Duque de Caxias n. 60
A, loja de Bento da Silva & C, successores de
Uanoel Ribeiro Basto".
i*,
.....
**;
(I
Attenco
Pereira da Silva & C, projirietarlos da loja do
pavo, roa* da linperatriz n. 60, rogam a t dos
os seus devedores (testa pra<\i a.virem saldar seus
d'bitos at o fim do mez de "fevereiro corrente ; e
todos aquelles senhores que se acham eom aeos
dbitos atrasaoes e niio liverent vinJo pagar du-
rante este praso, tero de ser ncomrnodados judi-
cialmente.
Escravo fgido
mHHm de orfieacao.
Ausentou-se desde o dia 13 de maio de 1872,
o preto de nome Alfredo, de ti inta e tantos aun s,
crilo, e bastante ladino; este preto perfeito
cozinheiro, estatura alta, maRro, olhos fraude*
j estove no engenho do Sr. Luid do Caiar, en
S. Lourenco da Malta, onde consta ter prenles,
foi escravo dos Srs. Adriano 4 Castro, e do Sr.
Jos Joaquim Goncalves Bastos, negociantes desta
praca; de todos estes Srs. foi cozinlioiro, tem sido
Tisto por pessoas que o conhecem, dizendo que
est forro, assim tem podido escapar de ser preso.
Pede-Se todas as autoridades e capitaes
de campo que o pegando leve-o a ra do Duque
de Caxias n. 91, loja de tniudezas do Rival sem
Segundo, que receber a gratificaco cima de-
clarada^______________^^___
Engenho
Arrenda-se o engenho Cidade de Paria, sito na
freguezia do Cabo, distante tres legoas da estac/io
de Olinda, ten muito bas obras, e bmn d'agua e
de excellente produeco : a tratar com o proprio-
tario, no sitio s. Fideli<, no m ' Sitio para alugar.
Aluga-se um sitio na Capunga ra das Per-
nambucanas n. 23, tendo boa casa de vivenda,
cocheira, estribarla, arvores fructferas o, agua
potavel: tratar na ra da Impcratriz n. 9, pri
meiro andar.
luunm
I GABINETE
lico-ciru-gico
RA DO IMPERADOR N. 73, ANDAR
0 DR. NNES DA GOSTA
MEDICO OrEP.ADOR E PARTEIRO.
ESPECIA LUiADKS.
Molestias e oprpr^es de olhos.
Cera radical e iDst3&t?oea dos
estreitamentos da uretra.
CoDsoitas: Das 7 s 10 boms
f, da matb3.
Cbamados : A qualquer bora.
Aula particular.
Jos Carlos da Costa, professor nrovisionado
pela instrueco publica, tem aberto sua aula par-
ticular de instrueco primaria, na ra da Guia n.
42; offereoe seus prestimos aos pa de familia,
pura quem delles quizer se utilisar.
*
0
I MED1C-CIRLRGIC0
*
m
m
DO
Dr. J. M. Curio
OPERADOR E PARTEIRO
Ra do Mrquez de Olinda n. 25, pri-
meiro andar.
Consulta das 7 horas s 10 da manha.
Chamad >s a qualquer hora.
*i-
^^c
w
Aluga-se o armazn) e o primeiro andar da
casa n. 20, da ra do Bom Jess : tratar com
Cramer Frey A C., n. 62, da mesma ra.
Perdeu-sc na tarde do sabbado 13 do corren-
tordo caes 22 de Novcmbro at a igreja de S. Jos
de Riba-mar, um p de lanterna de carro, de me-
tal principe : quem o achou, querendo restituir,
leve-o cocheira do Ignacio, junte a estadio do
arco de Sanio Antonio.
(laixeiro.
Precisa-se de um caxeiro qne tenha pratica de
taren e idade de 15 16 annos: na da Moe-
da n. 59.
- Precisa-se de urna cozinheira e compradei-
ra para casa de homem solteiro : na ra do Pa-
dre Floriano n. 69. 2o andar.
Associaco Portugueza de
Beneficencia
POS
Eniuregados no conmiereio e in-
dustria eiu PrrnaniltuCo.
Scientifico a todos os senhores assossiados que,
em vista de nao ter comparecido, no dia 9 do cor-
rente, numero sufficiente de socios com que po-
desse funceionar a assembla geral, foi adiada a
sessao para o dia de sexta-foira 21 do corrento.
Peco aos senhores associados queiram comparecer
pelas 8 1/2 horas da noute, nesta secretaria, no da
e hora designados.
Recife, 18 de feveyeiro d? 1873.
Salvador Y.F. (uimaraes.
secretario.
Escravos figidos.
200^000.
Ausentaram-se dous esravos irmos: sendo um
de nome Lourenco, de idade de 20 a 27 annos, es-
tatua regular, cheio do corpo, cor clara, cabellos
estirados, rosto redondo, c sem barba, levou calca
e camisa branca, e chapeo de foltro preto; e o ou-
tro de nome Andr, da mesma estatua, mais mogo
um pouco do que o outro, tendo os raesmos sig-
naes do irmao. Foram comprados: Lourenco ao
Sr. Claudino de Albuquerquc Mello, da comarca
de Patos, provincia da Parahyba, e Andr ao Sr.
Joao Francisco Gomes de Arruda, da comarca do
Limoeiro ; tendo fgido aquelle no dia 26 do cor-
rente (Janeiro) e este hoje 30 do niesmo; suppSe-se
ae seguirain a estrada d Limoeiro i Serra do
eixeira: roga-se todas as autoridades policiaes
e capitaes de campo que os apprehendam e os con-
duzara ra do Apolo n. 30, armazem de assu-
car, que se gratificar com a quantia cima.
Fogocs econmicos.
Nova qualidade de fogoes para cozinhar, os
quaes contem em si fornos para assados e caldeiras
para agua, de diversos tamanhos, pelo que se tor-
nam recommendados pela sua noa qualidade e
economa ; assim como os j conhecidos fornos
francezes, fogareiros para aquentar ferros com
muita brevidade, guarda comida e ferros para al-
faiate e chapeleiros : tudo na ra do Barao da
Victoria n. 39 (outr'ora ra Nova) loja de ferragen
de Souza e Guimaraes.
Escravo fgido.
Contina fgido o escravo Luiz, que tem os se-
guintes signaos : 22 annos de idade, pouco mais
ou menos, estatura regular, pardo, barbado, cabel-
los carapinhos, rosto redondo, tem uma perna in-
citada de erysiptla, e levou roupa de embarcadico.
Presume-se que esteja no engenho Sant'Anna, em
Santo Amaro de Jaboatao, onde tem parentee. Pe-
de-se a todas as autoridades policiaes e capitaes
de campo, que o apprehendam e o conduzam a
ra do Barao do Tnumpho, antiga do Brum, ns.
98 e 94, que serio fenenvamente gratificados.
liiiiz Antonio Conzaga.
t D.Adriana Francisca de Souza e
seus Olaos agradecem cordialmcnte a
todas as pessoas que acompanheram
ao remitorio publico os restos mortaes
de seu sempre chorado esposo e pai
Luiz Antonio Gonzaga, e convidam a
todos os seus pa rentes e amigos o e>
ridoso obsequio de assistirom as raissas uo MDM
dia de seu lallcciinento, que sero ditas no s.abba-
do 22 do corrente, s 6 horas da manha, na matriz
da Boa-Vista, do que liearo eternamente agrade-
cidos por esto acto de caridade e ruligio.
agradecem cordialmente s pessoas
que assistiram o enterro do tinado,
e do novo rogam a todos os seus
amigos para assistirom a missa do
stimo dia. que ter lugar na ma-
triz do Corpo Santo, quinta-feira 20 do corrente,
s 8 horas do dia ; assim como aproveit m ora.-
si o pata agradecer sociedade U. Luso Brasilei.-
ra a parte que tomou pela sea'ida morte do mes-
mo finado.
A presidencia da sociedade Rt -
creativa Jiiventudo convida aos
Srs. socios para asistir n una
missa por alma do dosso eom ?
rio fallecido Uanoel Caetano *.
Almeida, que devora ter lugar n>
dia 21 do corrente, pelas 7 horas
da m?nh. na matriz de S. Jos.
Secretaria da Sociedade Recreativa Juven! i h
20 de fevereiro do I*"*.
Francisco Viann.i.
1." secretario.
O \i_;af!( .loa<|iiiiu Cilla.
Sabbado 22 do corrente,
peias 7 horas da manha,
celebrase na igreja matriz
da freguezia da Boa-vista,
uma missa por alma do
padre Joaquim de Arago
Bbla, vigario collada na fregne/.ia do Muribecn,
fallecido na provincia do Cear a i2 de janoin
ultimo Para esse acto de religio e caridade so
convidados os parantes o amigos daguelle finado
Edgard Cmbaro J lines de francez, tan-
to para fallar como oscrever esa liii-
guaem pouco tetnpoc pruunethodo mui-
to fcil: na ra da Aurorad. 41,2." an-
dar. _________^__________^__
Est para alngar-so o Io andar da rasa da
travesea do Duque de Caxias n. I, pintado e caiada
O abaixo assignado avSa a todos os devedo-
res do seu estabelecimento sito a ra do Impera-
dor n. 26, que nesta data autorisou o Sr. Hugolinj
Giraldes a liquidar todas as dividas do mes-
mo cstabeleriHiento, quer eontrahidas sob a actual
firma, quer sob as de Rodrigues & C, e Rodrigue
& Fratasas quaes pertonecram o mesino estabolo;:!-
mento sob a denominado do braco de auro.
Recife, 19 de fevereiro de 1873.
fos Gomes de Freila*.
Ecri|torio eoininercinl, le coi.
uti*MO{>s c forense.
LIJIZFELiPPE LEITE.
Rua do Oiro 105 -- 1.
LISBOA.
Kv uta por commissio quaesquer or lens
das provincias ultramarinas, bem como do Brasil e ontros
paizos cstraogeiros.
Recebe consignando gneros naciona<'-,
coloniaes e do Brasil, para serem rendidis
no reino, ou fra dellc.
Executa ordens para compra e venda de
fundos pblicos, naoionaes e cstr.ingejro.--.
Trata da cobranea dos respectivos dividen-
dos.
Promovem-se no mesmo escriptorios, in-
ventarios, liquidai;es, causas-civeis, crimns
e commerciaes, appellaoes o recurso de re-
vista,
Tem os melhoresadvogados na capital.
Trata-se da arrec&dacio do hevancu e td-
ministraoSo de nena no continente do reino.
Obtem-se documentos de qualquer dioce-
se, distrieto administrativo, concclho, ou fre-
guezia do reino, ilhas e provincias ultrama-
rinas.
Solicitam-se dispensas matrimoniaes o
quaesquer outros breves apostlicos conce-
didos em Roma ou pelo nunciatura em Lis-
boa, annullacao de ordens, e quaesquer ol-
tras dependencias dos tribunaas da Santa Se.
N. B.As cotnmisscs sao reguladas pea
praxe desta prar;a.
Para os negocios de natureza especial,
como eausas forenses, adininistracao debens,
etc., querendo-se, pode preceder accordo
previo conforme a natureza do negocio.
Esta casa tem correspondencias serias em
todos os pontos do reino, em Inglaterra, V.a
frica-portugueza, era Maco (China) reino
de Sio,ilhas dos Acores e Cabo-Verde, e
acceita as propostas que das provincias di
imperiodo Brasil llie forem-feitas por corres-
pondencia effectiva ou eventual. Na mo-
dicidade de suas commisscs, na exactido
de suas contas e no crdito longamente esti-
belecido faz consistir toda a garanta de bom
acolhimento.
Para referencias em Lisboa, ds casas bar-
carias do Sr. Fortunato Chamico Jnior, e
dos Srs. Fonsecas, Santos & Viainia.
Lisboa, 13 de novembro de 1872.
Joaquim Jos Goncalves
Beltro.
Rua do Commercio n. 6, 1." andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco-
do Minho, era Braga, e sobre us seguintes
nlgares de Portugal
Amarante.
Arco de Val de Vez.
Barcellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.s
Covilh.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamgo.
Lisboa.
Mirandella.
Moncao.
Ponte de Lima.
Porto.
V
I

*

'
1
____




Diario de Pemambuco Quinfa feira 20 de Fevereiro, de 1873.
5
.
t
/
fr
r
%
Y
s
f;
zaez
MI Wl i
;v
'
iv
AI^TA MOVIDADE
PIANOS E MSICAS
JOS DE ,12EEllO
Ra do Baro da Victoria n/ll,armasem, e 12 1. andar, antiga ra Nova
aonde o publico ero geral encontr, hempre o maior e mais esplendido sortimento deptauos ae
Pianos, msicas e instrumentos de mnsicas para banda militar
e orchestra. ri
Aeabi de ibrir no primeiro andar do sobrado o. 12 confronte a
botica Maorer, nm grande salo onde esto ertpotos os magnficos
de armarlo, de PleyeL
de maja canda, do nwmo antor.
de H. Henrx.
da Amede Ttaibont.
nico agente nesta cidade, dos celebres afamados
PIANOS DE ftUCHER FRSRES
Tambera receben grande ?ortimento de msicas Pra. piano, piano e
canto e entre ellas as lindas composices do muito sympatbico maestro
f. s.i vri*i
A SABER :
Valsa,
D
Voc me quer
Olga
La Separacioni
Mazarka.
Pira canto.
radiados em diyersas exposi;6si om 14 melilhas de onro e prata.
Sao os onicos pianos que aqni vera da Europa, perfeitamente afna-
los, fettos com elegan :ia e soBdex.
D'aqui emBd'" continnari a annnnciar tedaa as pnblicacfe gsa se forem friendo as sns offlcinas de mnsieas.
A Luz elctrica, grande Wala.
Franco Brasilciro Polka.
Turnada de Vllela Galope.
Joaninha Walsa.
A Libertadora Polka.
A Primeira espada Wa|a.
A Minha Lyra Wl?a.
A Natalicia Pojfc*
Studiente Po ka.
Ultlmai pufo! lea ?es
Feita's as offlcioas de mnsicas
do s no uncante.
Emilia, polka por I. Sonolti.
Circaciana, fchotcb, por Smolls,
Jjrdim do Campo ,das Priceas,
quadtilha, por I. Popne.
Chova de Rosas, Walsa, por H. Al-
be rtazzi.

QUESTAO do da
(F pela barriga que mellutr se
Grande agtacao
tan I... escrevem I
rara... enio comen?
novena o mundo).
fallaM f------
Todos
. lastimarn-se I...
nao bebem f
cno
10 comein r au u*-utiu i
Eis a confusao! f
Meditemos, pois...
Alvicaras I... Alegrai-vos, bella e heroica ci-
dade do Recife, que vai desabar sdire a cabeca
de cada um de vossos invictos filhos urna n avem
prende de mgicas inspirares a veracidade
este annuncio.
Queris conseguir os fins T empregai os meios:
apurai a vossa imaginacao, vasai na vossa intelh-
gencia urna gota do inspiracao e jtereis resolvido,
fulminado aquesto do dia,(

Queris
?
Pois bem, fortilicai os pulmoes,
larynge, rgenlinai a voz, adquir o
desempedi a
dom da per-
uasaoa finalmente abracai sem hestacao a por-
tentosaUnspiVafao que vos offereco e tereis torcas
suficientes para discutir, convencer e.. .derrubar,
para sempre a magnaquesto do da.
Queris linio islo
9
Vinde ao milito frtsconisado armazem do Cam-
pos, ra do imperador n. 28, e comprai. 'crias
e especiaes viclualias, (exquisitas e excitar tes)
par dos coruscantes e tinos vinhos, nao esque ;endo
os" flnissimos e calmantes licores, lembrand-vos
dos rarissiinos o delicados acepipes, (alem de eu-
tras tmuitas cousinbas. boas que lcan oceulus
nestos.....para despertar a euriosidade dos aman-
tes da-i...) e veris que depois de teros saboreado
essas finas e delicadas iguarias vos appsrecera
urna to enrgica i.ispiragao (cousa inaudita) que
vos considerareis metamorpnoseado em lgum
propheta, abundando a vossa imaginacao de cal-
culos infalliveis que vos farao resolver en nm
pice o grande problema que prende to forte-
mente as. vossas attencoesquesto do dia.
Duvidaes ?
-Veste caso l vai:
Com a barriga vasia
A cabeca arde, enfraquece, i
O corpa treme, vacilla,
A ra;:o dcsapparece.
\ 28 roa do Imperador \. 28
FUNDICAO DO BOWMAN
RA DO BRM H. 52
(Passando o chafariz)
PEDEM AOS feohores de eng-nho e outros sgricnores, e etnpregsdores de n>
chioismo o favor de tima visita a sen estabelecimento, para vereca o dovo sortimento
completj que ataitem; seado todo saperior em qaalidade e fortid5o; o que com a ins
peccao pessoal pdese verificar.
ESPECIAL ATTENCiO AO NUMERO E LUGAR DE SA FUNDICAO
TTonnuaa a i*Arlao f\9a VapOrG* rOUilS U ^Jd maobos conveaientes para as diversas
cirenmstancias dos senhores propietarios e para descarofar algodSo.
Moendas de canna 08tMnaDh09'a8fflelbores qae qni
RodaS dentadas P^nimae^gnaevapor. .
Taizas de ferro fundido, batido e de cobre.
Alambiques 9 fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
para mandioca e lgodSo.j
e para serrar madeira.
Podendo todos
ser movidos a mao
por agua, vapor,
de patente, garantidas........ fon animaes.
Todas as machinas e pecas de qne se costama precisap*
Faz qualquer concert de machiismo'apreco mairS?mBo-
P'nr'iTlQ rtp f*A1*1*ll tem as me,hores e mais baratas existentes no mer-
TF'tiAnTvtTMATiiina Incnmbe-se de mandar vir qoalquer machinismo von-
CiilV/ JIIlinIlu.clS. ta(je os puentes, leaibrsndo-lhea a vantagem de fazerm
bu compras por intermedio de pessoa entendida, e qne em qnalquer necessidade p-fede1
Ibes prestar auxilio.
Arados americanos e Q8trDmen,9 8sricoIas-
RA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
CASA DO OURO
Aos .:00-
Bilhetes garantidos
lina do Bardo da Vktoria (outr'ora yova)
n. 63. e casa do costume.
O abaixo assigna/lo acaba de vender nos seus
muito felizes bilhetes a serte de iOO em biihete
inteiro de n. 737, alem do outns sortes menores
de 40J e 204 da lotera que se acabou de extn-
hir (39*); convida aos possuidores a virem reee-
ber, que promptamente serao pagos na fraia do
costume.
Omesmo abaixo assignado convida ao rapeita-
vel publico para W no seu estabelecimento com-
prar os muito felizes bilhetes, que nao deixnr de
tirar qualquer premio, como prova pelos m;smos
aunan ios.
Aebam-se venda os muito felizes bilhetes ga-
rantidos da 8* parte das loteras a beneficio do
recolhimento de Iguarassi, que se extratir no
dia 12 do corrente me?.
Procos
Inteiro COOO
Meio 34000
Quarto #5003
De 100(0000 para na,
Inteiro 5*600
Meio 2*780
Quarto 1*375
Recife, ti de fevereiro de 1873.
Joo Joaqum da Costa Leite.
BLl'B DOS mCRKS
AOS DIGNATARIOS
REDNlAO NA CAVERNA
DOMINGO 23 E TEROA-FEIRA 25
8 2 1\2 HORAS DR TARDE.
O comparecimecto depois dessa hora tiara
mnlta de lei.
V. deBorboleta,
Secretario do presidente.
Refinador.
Precisa-se de nm refinador
pateo do Terco n. 48._______
na refinado do
Carnaval.
Ka chapellerie des dames
se recebe toda e qualquer encommenda de fatos
para o carnaval. O pessoal deste estabelecimento
acha-se augmentado, afim de que possa baver
toda a pontualidade na entrega das obras : na
ra do Bario da Victoria h. 16.
Abuso.
Pergunta-se a pessoa que mandou buscar na
loia da Madresilv.a um livro de amostras de brcosl declarados no annuncio (a excepcSo
se anda nao achon portador para mandar traze- *"
lo, pois nao deve ignorar que sua falta torna-se-
nos sensive), por isso tenha a bondade de o man-
dar trazer se nio qaer ver seu nome estampado
neste jornal, por causa de nm livro de amostras:
Madresilva, praca da Independencia n. 38 40.
Consistorio da confraria de
N. S. daSoledade, 19 de
fevereiro de 1873.
Por ordem da mesa regedora convido a todos
os limaos confrades a comparecerem neste con-
sistorio no dia 2 de marc prximo vindouro s
10 horas da manha, aflm de reunirem-se em me-
sa geral, para eleicao dos membros qne faltam
para completar a mesa regedora e tratar de ne-
gocios de interese da confraria.
O escrivao,
Emiliano E. de M. Tamborim.
O abaixo assignado tendo comprado uma
burra, nos ltimos das de Janeiro ultimo, por cen-
to e sessenta mil re, a Antonio Jorge, morador
na propriedade denominada Ouro, e deparando'
com um annuncio publicado no Diario n. 24 de
30 do dito mez, em o qual se recommenda duas
burras, que foram furtadas no engenho Poeta, na
noute de 20 para 21 do mencionado mez, e con-
erindo alguns signaes da dita, com os que veem
do ferro)
vem pelo presente pedir encarecidamente ao Sr.
annunciante a bondade de mandar pessoa habi-
litada, e que lenba perfeifo conhecimento das
mencionadas burras, alim de verificar se ou
nao upia das ditas, para lhe ser entregue.
Engenho Uruc, 16 de fevereiro de 1873
Francisco Cordeiro Falcao.
FilhsIFilhs!
DUZENTOS MIL
Para os tres dias'de entrado
Domingo, segunda e terrea
Leia qnem quizer e encommende quem
poder.
10,20, 50. 100, 200, 500,1,000, etc.
Grande fabrico, grande fabrico.
- Duzento? mil filhs !!...
Dous mil litros de mel de assucar para
os mesmos.
Tom'-se desde ja encommendas de filbs at
a quanlidade di DUZENTOS MIL.
Para que nao haja falta era satisfazer todas as
encommendas que temos tido e rae venhamos a
Preeiaa-se alngar nina escrava qneenomme ter dos to preconisadot filhs aa nossa/fabri-
Serfeitamente bem, e fa^a o mais servido .nterno ca, estaraos munides de uma excellente machina
_e uma casa de pequea familia composta de apropriada, qne pode produzir duzentos mil filhs
COiPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
~ DO
Recife Olinda e Bekrik.
_Compra de solipas.
No esenptorio desta com-
panliia, comprase constante-
mente a preeos razoaveis,
solipas de oticica e sapu-
cai, das sepuintos dimen-
sdes : eompnmento 10 pal-
mos, grossura 9 pollegadas,
grossura 4 ditas.
Contrata-se com o abaixo a&siguado na esta-
cao da "roa da Aurora.
Estrada de ferro de Olinda, 23 de Janeiro
de 1873.
O gerente interino;
LaurentinoJos de Miranda.
Suppresso dos trens extraordina-
rios dos espectculos aos sah-
iiados,
Em consequencia de ausencia completa de
passageiros, deixar esta companhia de expe-
dir trensaossabbados, depois dos espectcu-
los, a comeear de sabbado 22 do diante.
Escriptorio da companhia, 17 de fevereiro
de 1873.
O gerente interine,
Laurentino Jos de Miranda.
208000.
duas pessoas : no largo do Paraizo n. t,
r 4BMM mjuml
Ka n Duque de Caxias n. 44
paga-' cm seis horas. S na confeitaria do Campos
ra do Imperador n. 24.
. n se dir quem
oa airara-mnneiro a loros so hypahecr. nesta na de Lomas Valentina
ttdade. Aguas-Verdes n. 64.
Precisa-se de um caixeiro para taverna : na
a tratar no hotel de
MOFINA
Est encouraqado!!!
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ra Duque de Caxias n. 36, i con-
cluir aquella negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada deste jornal, em
fins de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
p'assou fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo de novo chamado para
flm, pois S. S. se deve lembrar qne este negocio
de mais de orto annos, e quando o Sr. seu Bino se
achava nesta cidade.
MAZEJI
VAPOR FRANCEZ
RA DO BARA DA VrCTDRIA
N. 7Outr'ora Nova N. 7
PIADOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes c fie
elegantes mdulos, dos mais notaveis e bem ce-
nhecidos al)ricantes; como sejam : Alphonse
Blndel, Henry Hers e Plcyel WoIH 4 C : w>
vapor francez, ra do Barao da Victoria, m-
tr'ora Nova ri. 7.
Calcado francez. -
Botinas de luxo e pbantazia, brancas pretas e de
differentes cores, tanto para senhoras, como pa>
ra meninas.
Sapatinhos com alto no rigor da moda, brancos
e de cores para senhoras..
Botinas de Melis, de Suser e de Polak, para.ho-
raens.
Sapatos de cordavio Mili spara hnmens.
Botinas para menino de qrtalquer tamanho.
Perneiras e meias-perneiras tanto para hornera
como para meninos.
Sapatoes de Suser para homens e meninos.
Sapatos de verniz com salto para homens.
Abotinados de muitas quahdades e precos para
meninos e meninas.
Sapatoes de verniz com sola de pao preprios para
Sitios, jardins e banhos, sortimento para homens
e senhoras.
Sapatos de tapete, caerriira, charlot avelludado,
de tranca portugu^z e francez.
No armazem do vapor francez, ra do Baru da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
1 Perfumaras.
Finos extractos, banhas, leos, Opiata e pos den
trifice, agua de fl r de laranja, agua de toile-
te, divina, florida, lavande, pos de arroz, sabo-
netes, cosmticos, muitos artigos delicados em
perfumara para presentes com frascos de ex-
tractos, caixtafcas sortidas e garrafas de difTe-
rentes taroanhos d'agua de cologne, tudo de pri-
meira quaMade dos bem conbcidOs fabrican-
tes Piver e Coudray,
No armazem do vapor francez, 4 raa do Barao da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Mascaras para o carnaval.
O mais importante sortimento que tem vindo de
mascaras de massa, de rame e de seda, nariz
om ocnlos, barbas etc., preeos muito bara-
tos tanto em prosso como a retalho.
Ne armazem do vapor francez, i ra do Bario da
Victoria, outra'ora Nova n. 7.
Para viagens.
Muito boas malas e bolsas para viagens derrrar
de caminhos de ferro.
Estojos de viagens com os pertences necessai^
para barba.
No armazem do vapor francez, Bruaop arao
da Victoria, outr'ora Novan .7.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Napnleao c Guilher-
me, perneiras e meias perneiras para homens,
e meias perneiras para meninos.
No armazem de vapor france, ra de -Barao
da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Mobilias de vimes.
Cadeiras de balancp, de braco, dejguarnir^oes, so-
fas, jardineras, mesas, coaversadeiras e costu-
reiras, tudo isto muito nom por serem fortes e
leves, e os mais proprios movis para slelas e
gabinetes de recreios.
No armazem do vapor francez, ra do Barao da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Avtgtm de dHTerenftea gosios e
JtliantaxisN.
os para salas e gabinetes.
Loques para senhoras e para meninas.
Luvas de-Joavn, de fio da Escocia e de camua.
C.iixinhas de costura ornadas com msica.
Albuns e quadriuhos para retratos.
Caixinhascom vidro de augmentar retratos.
Diversas obras de otro bom de lei garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relogios.
Brincos fimitacao e botos de pnnhos de plaqu.
Bolsinhas e cofres ^le seda, de velludo e de couri-
nho de eores.
No vos objectos de phantazia para cima de mesa
ejjioilette,
Pincenez de cores, de prata dourado, de ac
tartaruga.
Oculos de ac fina e de todas as graduacjes.
Bengalas de luxo, canoa, com castdes de marfim
Bengalas diversas em grande sortimento para ho-
mens o meninos.
Chicotinho6 de baieia e de muitas qnalidades di-
versas.
Esporas de tarracha para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e para
barba.
Ditos de marflm muito finos, para limpar cabera.
Escovas para roupa, cabello, unbas e para den-
les.
Carteirinhas de madreperola para dinheiro.
Meias para homens e para meninos,
Gravatas brancas e de seda juvta para homens e
meninos,
Campanhias de mola para chamar criadov -
Jagos da gloria, de dama, de bagatejlas, de domi-
n e outros muitos differentes joguinhos alle-
maes e francezes.
Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami
nhos de ferro,
Mamadeiras de vidro de dar leite mui faeil j
crianzas.
Argolinhas de marflm T>ara as craneas morderem,
bom para os dentes.
Berios de vimes pari embalancar crianzas.
Cestnhas de vimes para braco-re meninas.
Carrinhos de quatro rodas para passeios de crian-
zas.
Veezianas transparentes para portas e jmilas.
Reverberos transparentes para cuidieiros de gaz.
Esterescopos e cosmoramas com escolhidas ris-
itas. -
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores era
vidros.
Vidros avulsos para cosmoramas.
Globos de papef de cores para illuminactes de
festas.
BalCes aeceostaticos de papel de seda mui fcil
de subir.
Encerados bonitos para conservar as mezas de
jantar.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palha e de pennas.
'esonrinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Tinteiros d louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para qua
dros.
Quadros j promptos com paysagens e phantazia
Estampas avulsas de santos, paysagens e phanta
zias.
Objectos de mgicas para dtvertimentos em fa-
milias.
Realejos pequeos de veios cora lindas pecas.
Realejos harmnicos ou accordibns de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos de quinqui
Iharias difficeis de mencionar-so.
No armazem do .vapor francez, roa do Barao
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todo*
os brinquedos fabricados em differentes partei
da Europa para entretenimento das enancas ;
tudo a precos mais resumidos que possivol :
no armazem do vapor francez, ra do Barao
da Victoria, outr'ora roa Nova n. 7.
iMTavomgio
Aosentou-se, dc?de o da 2 de fevereiro dente
torrente auno, o prelo de nonio llonodctn, di' i
annos poueo mais ou menos, o iouk-, bstanle
ladino, falla mnusa, cautailor de modas, bull
carpina, estatura alta,'espalando, barbado, um
poueo tato, tendo a testa pequea, faifa do dente.*
na frente, ps feios, e com uma cicatriz ou mar-
ca por cima do p esquerdo, que.fo um tallio de
toda largura do machado, nasccu nn en geni m Bu
jury de' Goyanna, tendo passado ao Sr. Luz Ca-
s-aleante, do Alhuquerquc, morador Ha cidade de.
Goyanna, onde 1em m i o prenles, e deste ao
Exm. aro Se Nazareth, tendo tambera pass do
muito tempo no Recife, levou em sita companhia
um menino orphao, de 13 annos de idade, pardo
tlaro, bom cabello e calado, cujo menino < tutel-
lado. Pede-se a todas as"autoridades e capit es de
campo queos pegando leve-os a ra da Pon an. 5,
ou no eiig*nho Fuma, da freguezia de Santo Amaro
de Jaboatio, trae ser generosamente gratificado.

furid
. ltenlo ao carnaval.
Na ruaestreita do Rosario n. 3o, I." andar, tem
um grande sortimento de ricos vestuarios de prn-
cipe, bord dos a ouro e dminos- de muito gosto,
vestuarios proprios para bailes, foilos cwi.i i>)do
gosto ; tem para alugar e vender tudo por. muito
barato prcco,Jvistuaiis cm muito bom estado, para
alugar a 5, 4S e 3i, e*>s ricos a :i ', 20 e 10,
dminos bordados novos e vestuarios do principe.
CURSO NORMAL
Propagadora da Insnict'^i.
De ordem do consclho director da paro-
cliia de Santo Antonio faz-so publico, que a
matricula para o curso normal de senhoras,
fecha-se no ultimo dia deste mez; assim
como, que se acham designados os das 27 e
28' do corrente para ter lugar os exa-
mes das senhoras que se quizercm mostrar
habilitadas tas materias do 1. auno, alim
de passarem logo para o '2.: e pois, aquel-
las senhoras que estiverem nesse caso, tratem
ijuanto antes submetter os scus requerimen-
tOs ao conselho.
Escriptorio.
Aluga se o !. andar da casa n. 20, ra lo Rom
Jess: a tratar com Cramer Frey A C, n. 6,
da incsma ra.___________________________
Aluga-se
A loia do sobrado ra da Conceicao n. 8 : os
pretendentes dirijam-se ao caf Impcratrz.
Uma pessoa competentemente autons.iia pela
directora geral da instruccao puclica, declara a
quem interessar possa pue contina a lesionar,
nao s nesta cidade como em seus suburbios to-
das as materias que constituem o ensino elemen-
tar, e bem assim o nsino d'i alguns preparato-
rios : pessoa que quizer utilisar-se de seu pres-
timo dirija-se a typogra>)bia commercial '
Geraldo, ra nstreita do Rosario n, 12.
Precisa-se de
para duas pessoas
do Sr.
ftliras de plaiiisia. ,,
A luja da Agnia Br.liC.i, ra" dn Duque de
Caxi s n. .'(i. icc<.4ii!ii um-lullo sorlimentode bo-
nitas niodern.-is obras de pluintafia, sendo :
lliine i o ciu/.es ivotas, com domados e pedras.
Outros de i; adrejt rola queimada com bonitos
nfeites de delicadas lloros.
Pntros i'e n 'dontado eem p nge les de cores.
OutfQB encarnados e de bonit s moldes.
lisetas de lino dourado com pedras brancas,
Aderecos d madreperola
Ditos dourados eoin cariiapheo preto.
Ilu encamados. .
Ditos imitando fedhas e liosos naturacs.
Ca si lela-; de madreperola
Vallas de gro-sos aljofares de cor s.
Oulras rc ditos pret s com di nrados.
Pulceiras de tirlaruga com dourado.
Outras pretas.
Urampos pretot e de cores.
BonUis abotoaduras de fino dourado, c m po-
dras, coral etc. para abcrtuia'de camisas.
lotoes dourados e de outras qualdades, para
aberturas e eolltrinhos.
Novas gollinhas e punhos
bordados.
A luja da Amia Branca na do Duque de
de Caxias- n. oO, receben novas gollinhas c, pu-
nhos lwrdadns,.c outros enlodados com cntreni-
e bicos ; assim" eonTO receben IgualBMn e novs
guarnieses degravetas com franjas e laces para
os cabellos, tudo do mclhor e mais mod mos ges-
tos.
Bonitos Ipques.
A lote da Aguia Branca, i ra do Duque de
Caxias n, o'>, recoben b mi a Icques d perfrtt
diautasia, pro o eem dourado-, c outros de apa-
rados ii'istis; a--i!n como refebeu ouiros de ma-
deira que se confundo com o sndalo, e tem -1-
les todos coloridos :i e n'.ru, e anda assun ren-
de es:e.- p..lo barato proco de 'i 000 cada um.
Vasos de erystal para toillet.
A loia da Agnia B anca, a ra da Duque de
Caxias n. 50, r ivneu boaitas garrafinhas de crys-
lal en par coja ramagena douradas e mu pro-
prias para ai ranjos de tuilot, ote, -
Aunis c colares elcetncos
A loa oTsgnia branca roa O&fijue de Caxir.s
n. 50, roe. bou nova reoiessa dos roveitosos an-
nois.o calares elctricos, e contina a recebe-los
mensidmente, pilo iue sempre tari prvida e
iaos objectos,
Diademas dourados
A loja "agala bracea ra Dnquo de Caxias a.
30, receben novamenle bonitos diademas dourad. -
e enfeitados com pedras o aljofares, obras de gu->
toephamasa. Tambera receben noves !'^;!' a
pretos ou alfraetetj com Dores para a eabseja,
Leques com bouquets e ou-
tros cliinezes.
A loja d'aguia branca ra Duque de Caxias
n. 50, recebou uma pequea quantidade daquelles
bonitos loques com bouquets e outros chmezes.
Cold creme para refrescar e
amaciar a pelle
A loja d'aguia branca a rna Duque de Caxias
n. oO. Seeabed cold reme dos afamados fabrican-
tes Lobin, begram e Condray.
uma escrava para alugar se
na ra Direita n. 67.
Ptelo.para alugar.
Precisa-se de um na padaria da travessa dos
Pires, padaria n. 9!_____________________________
Bom
negocio.
Vende-se 25 aceites da companhia dos trilbos
urbano? do Recife a Olinda : nesta typographia se
dini.
Urna pergunta ao Si*. Morei-
ra da ra Imperial
E' o senhor o proprietario da chapa e titulo dos
cigarros Murity c outro, ou o Fgucredo do
becco Largo ? O senhor diz em seus niassos de
cigarros, que o inventor, nao sei como pode ser
Vmc. o inventor hoje, quando elle ha mais de um
anuo diz : o fabricante pode como inventor desles
cigarros, que os consumidores reparem para a
firma do rotulo, visto haverem muitos fabricantes
imitantes. Vmc. diz hoje a mesma colisa, isto
Vmc. querer tirar o direto a quem pertence, pois
alem da chapa ser igual Vmc. anda diz, do fado
do masso o mesmo dir os consumidores; rao isto de parecer-se
com outro para poder assim vender sua fazonda.
Precisa-se

Ao commercio
Joao Baptisla da Silva tem justo e contralado
com os Srs. Costa A Rosa a coa pra do hotel sito
na casa da ruaestreita do Rosario n. 10. livree
desembaracado de todo e qualquer debito : por
isso quem se julgar com direto ao mesmo, queira
apresenlar sua reclama^o dentro do praso de
tres das, a contar de hoje, findo o qual nio ser
mais attendido. Recife 19 de gvcreiro de 1873.
fflasaras.
Mascaras.
Mascaras.
Aeabam]de ebegar gr.ndes facturas de masca-
ras com todos os sortiraentos, para vender-se era
gross e a retalho : no armazem do vapor fran-
cez, rea do Barao da Victoria, outr'oraNova a. 7.
de uma ama para comprar e co mhar para pe-
quea familia : a tratar na n a Duque do Caxias
a. 64, loja.
COMPRAS.
Compra-se penas de ema
da n. 19, 2. andar.
na ra da Moo-
Compram-se
Diarios a a arroba : na ra larga do Rosara
n. li. fabrica de cigarros.
V1NDAS.
E' barato
12 c-arreteis de lnha branca por 400 re.
3 gravatas bonitas por 15000.
1 peca de bico bom por 500 rs.
1 masso de pntes por 1 ai UO.
1 par de botes de plaqu por 240 rs.'
Por estes precos s vende o Vianna, ra larga
do Rosario n. 22.
CABRIOLET.
Vende-se um cabriolet americano, de dous as-
sentos, muito leve e em bom estado : para ver
na cocheira do Sr. Cerino, ra do Hospicio nu-
mero 86.
Bichas
Novamente chegadas.
Vende-se
Na botiea francera, raa da Cruz n. 22.
VENDE-SE
Barba para o carnaval.
Barba para o carnaval,
a 4#000.
Ra do Mrquez de Olinda
n. 51,
primeiro andar.
,117,111 W A
Grande galope
Para piano.
Por F. iJbamo Colas.
Acaba de publicar-se e acha-se a venda este
lindo galope com frontospicio especial e anlo-
go, ccraposto pelo muito taleMoso e simpattuco
maestro Colas.
Ereco J*000.
A" rea Nova n. 11, arma-era do Azevodo.
Vende-se um civallo ruco pedrez grande,
enslente para cabriolet; para ver na eexcira da
rea d Roda, e a tratar na rea Direita n. 10
Diademas e grampos de
le
da
le
ac,o.
A loja da aguia branca, roa do-Duque de
Caxias n. 50, receben novamente bonitos diade->
mas e grari pos de ac. '
Bicos de seda pretos com
flores de cores.
A loja da aguia branca, ra do Duque da
Caxias receben, como novidade bonitos bicos di
seda pretos com fl res fie cores, sobresabindo nel-
les o preto com encamado, "o todos mu propri s
para barras e outros ei feites do vestidos de gra-
nadino, ou medna, e outras fazendas transpai n-
tes. Pela eoaunodidade dos pre;os esees bicos tor-
nam-se ijiai- coininodo,s e pola novidade de gost',
prefc.riveis a quaesquer ootros onfeites.
Veos ou mantinnas pretas.
A loja da aguia branca, ra do Duque de Ca-
sias n. 50, recobeu bonitos veos ou mantinnas
pretas de seda com flores, e oulras a imitaco de
croch, o vende-as polos baratos preeos de
i o 6 jCOO. A taznda boa e est cm per i .
estado, polo que contina a ter prompta extrae-
ro.
Diademas e aderecos de ma-
dreperola.
A lija da Aguia branca ra do Duque
Caxias n. 50, receben urna pequea poroao
diademas e adereces do madreperola, obras
apurado gosto.
Para o carnaval!
Para o carnaval!
Para o carnaval!
Velbutina de todas as c.'res ; s na ra Duque
de Caxias u. CJ A, loja da esquina, de liento da
Silva & C.
Perfeita novidade.
Grampos com borboletas, bezouros e gafa-
nliotos dourados e coloridos.
A loja da aguia branca, ra do D Caxias n. 50, receben novos grampos cora bor-
boletas, bezouros e gafanhotos, o que de certo
perfeita novidade. A quantidade pepuena, 9
por isso- cm breve so acabar._______________
Rival sem segundo.
Veiidom-se camisas muito finas para homoin
a 3J00O e 3j500 : ra Duque de Caxias n. 91.
Venderse um terreno na ra Imperial, c-.:.i
110palmos de frente e 500 de fundo e a casan.
240 : a tratar na mesma ra, casa n. 236.
A infallibilidade
E
O poder temporal do su/nmo Pontifi.o
nos tem pos actuaes
POR
Joaquira Dias da Silva Azevedo Lemoa.
Opsculo religioso recentemente publicado :
vende-se na ra Primeiro de Marco n. 2, livraria
Econmica.
______________Prego 2j000.______________
Venderse a taverna donominada Flor Mi-
mosa em Olinda, com poucos fundos, pr pria
para principiante, tendo commodos para' familia
Na mesma precisa se de um caixeiro que tenha
pratica ; a tratar na mesma u no largo do Am-
paro n. 89.
Cha preto e verde
Vende-se no bazar victoria cha preto e verde
de muito boa qualdade : na raa do Bario da
Victoria n. 2, foja de Amara!, Nabnco A C
Madapolo avariaflo
a 3* e 44000 : na rita da Imperatrix n. 50, loja
da rosa branca.
Ven s-se a armacao e calcados, ou s a ir-
macao da loja n. 12 ra larga do Rosario : a
tratar na mesma, ou no Livramento n. 15..
VENDE-SE
uma taverna no pateo da Santa Cruz n. 2 por
causa do dono se retirar' para Europa a tratar
de sua saude : quera pretender appareca na
mesma.
Veude-se
duas casas de pedia e cal com S salas, 2 quartos,
e cozinha externa, cada uma, a\ Santa Crux dos
Milagros, em Olinda, com a frente para os banhos
salgados e os fundos para a linba de ferro, com
alguns cpqueiros : a tratar com Manoel Ignacio m
da Silva Braga, na ladeira da ribeira n. /, s
Olinda. ..
<



-r-
6
i
" Diario de Pernambuco Quinta feira 20 de Fevereiro de 1873.
, i
Fazndas em liquidaQo
M

asp
N. 60 Ra da Imperatriz N. .60
DE
'.PEREIRA DA SILVA & G.
Temi o proprioiario dcste importante estabeleciment, grande vontade de liquidar
t -das as faadas que tem em ser, toa resolvido vende-las por precos muito mais baratos do
que so venden em outra qualquor parte, com o fim de apurar dinheiro, razSo porque con-
vida o respeitavel publico a virsortir-se, nao so de um avultado sortimento de fazendas ap
1 ,-i, coino tamben de grand sortimento de faaendas finas e dos mais apurados gestos.
f. previne que.s vende a dinheiro vista, por estar em liquidacSo.
niF\\IM\FS I OFFICINA DE ALFAIATE NA LOJA DO
LO M I.lSiilAS DE SKIUV 800 KS.O COVADO Neste grande estabelecimento encontrar
O Pavao recebeu um elegante sortiinento o rdspeitavel publico, orna beca montada ffi-
dunais liadas granadinospretas com listras coa de alfaiate, onde se manda mentar
deaeda do cor, toado entre ollas com listn qualquer peca de obra, tanto para hornero,
roxi propria para luto, que vende polo ba- como para merinos, com a maior ipres-
ratissimo proco de 800 ris ocovado ; assim tesare perfeic5o assim como paca qoalqoer
como dita nu'iito fina com hstra encarnada, luto quede repenteappareca,tendo names-
que vendo a 1?000 ris o covado. Esta ma officina om perito oficial destinada para
ida voio pelo paquete ahogado ultima- farda dos Ilm. Sra. ofliciaes de goarda -
mente da Europa, e liquida-se na loja do cional ou tropa de liaba, sendo esta officina
Parlo ra da Imperatriz 80. dirigida pelo babil artista Pedro Celestino
CIMBRIS ABKUTAS PARA VESTIDOS A Soares de Carvalho.
W90Q o 100 RS. ESPARTILHOS A 30000.
yl'a\.:i.) recebeu um elegante sortimento O Pavo tem um grande sortimento \
das mais tinas cambraias brancas, abertas o esparthos, tanto para senhora como i para
tardadas para vestidos, que vende polo ba-
ratissimo precos de 9?, e 10j)l)00 rs. o
corte, tendo bastante fazenda.E'jiechincha,
a.t loja do l'avao a ra da Imperatris n. 60.
I.VSINHAS BORDADAS A 400 RS.
O COVADO.
O Pava) reeebeu um elegante sortimento
das mas lindas lasinhas transparentes com
fior/.inlias bordadas, tendo de todas as cores
inclusive rosa propria para viuva, e vende
peto baratissimo preco de 400 rs. o covado.
E' pocbincbanalqja do Pavo a ra da Im-
psratriz u. 60.
GRENADIXES A OVO RS. 0 COVADO.
O l'avao recebeu um elegante sortimento
las mais lindas grenadin -s pretas com listras
I raneas e de coros, sondo muito boa quali-
dade, e vende pelo baratissimo preco de 560
rs. o ovado. E* pechiucha na toja do Pa-
rto a ra da Imperatriz n. 60.
COBERTAS DE FL'STAO ACOEXOADAS A
4)000 RS.
0 Pavo reeebeu um grande sortimento
6 cobertas grandes do fustao, acolxoadas,
^ guarnecidas com franja em volta, tendo bran-
( i o do to las as tures, e vende pelo baratissi-
mo proco de 4, rs. E" pechiiiclia na loja
Pavo o ra da Imperatriz n. 60.
CHAPEOS PARA SENHORA A 12-5000 RS.
o.'\hjo reeebeu um elegante sortimento
unis modernos chapeos depaiha, rica-
ote eafeitados, para seohora, com osseus
c- Qoetentes voos, e vende pelo baratissimo
.. o de 12?DO0 rs* E' pechiucha na loja
Pavo a ruada Imperatriz o. 60.
LAS MODERNAS
i i ivo vende um bonito sortimento de
i! islistradas, sendo das mais modernas
tem viudo ao mercado, pelo baratissimo
je >''( 600rs. o covado. E' pe-
!t na loja do Pavo a ra- la Imper-
is i.
ILPA1.AS LAVRADAS A 640 RS.
O COVADO.
1 i -i para a loja do Pavo um elegante
- lmenlo das mais bonitas alpacas de cores
iradas, sendo as cores mais modernas que
ii viudo para vestidos, e vende-se polo 6a-
i) preco de 640 rs. o covado. E'
ba na toja do l'avao a ruada Impo-
iz n. 80.
Ca>rten de ettmbriala, uUui no
vil ule. a ??OS>i>.
O Pavo recebeu peto ultimo vapor de
1 ropa cortes de cambraia branca com ba-
t uunoos ricamente bordados, tendo fazenda
sufficioote para vestido de qualquer modelo,
>les vestidos sio os mais modernos que tem
i w mercado, e pela sua excessiva bara-
;,".., o ierecominendavois as senhoras
i gusto. Bazar do l'avao, ra da
ratriz n. v>r>.
LENCOS A 2#W V D171A.
0 Pavo tem urna grande porco de ton-
gos brancos com barra do ede, muito bonitos
>a qunlidade, que vende por 2? i 00 por
t-.-r grande porco,
Ditos todos branoos abarbados muito ft-
i >s a 2-3800.
Ditos chinezes com barra de cor, muito li-
i 33500. E' grande pe hincha, na loja
< Pavo.
tMlm 3?&9t>.
O Pavo recebeu pelo ultimo vapor, um
lindo sortimento de romeiras pretas de fil
n salpicos, com liados enfeite pretos c de
<'. ps, e vendo polo barato preco de 3-5000
la irn, por ter grande porco.
Ditos todoa de sola ricamente encitados a
000. ,
PARA 0 CARNAVAL.
Domin*
O Pavo tem um grande sortimento do d-
Jsdo tOjd is as qnalidadas goslos, proprios
io carnaval, ten lo tambera de merino
sauz muito interessantes, que vende ou
i por procos muito baral por ter gran-
i} porco.
LENCO'ES DE BR IMANTE.
O Pa*io veo le lences de bramante mui-
to grandes, sendo de nm panno s, pelo ba-
ratasimo prejjo de 5*00 cada om.
. MADAPOLOES.
Pec=is de midDolo francez moito fioo
om 20 jardas a 5.350C e 0^000.
Dlfscm 21 jardas moito SDperior a
Iviu.k) e 7(J00 i.
D'o ingle fazenda muito fiaa 5^000,
6,5)00 e toOOat ?0#000.
Dit s fraQczeseibglezas moito fiaos de
40 jrdas para di*3ren;es precos.
ALGOD0ZINH0.
O ?v51 veode por preco mnito barato
pecas do a!?oiloziob:> americano muito
bou) ca id jardas 400.
Dito com 24 jardas a 450Q e 5^000
at 6/OiK).
Di largo marca T moito encornado a
0009
ALGODAO ENFE3TAD0.
O Pavao vende o verdadairo e superior
algcttoziom de daas larguras para leofias,
aeado muito n-,orpado ljjOOO cada vara.
Dito tra icado i mesoia largura ^St80.
CORTES UZ CHITAS A 2J03.E iiSS.
O Pavo viaJ- cortes dar hitas francezas
Aqj^. 'on 1) cov:'do3 pelO' di amulo reco
> WUO e-ula corte.
:-ii. c- z&jS cada corte.
menina, qbe vende pelo barato preco de
330O. Ditos muito finos a UO'JQ e 5/1000,
sao dos mais moderaos qae tem viudo ao
mercado.
CHITAS A240RS.
CHITAS K 240 RS.
CHITAS A 240 RS.
O Pj'uo vende cbitas francezas proprias
psra vestido, sendo muito boa fazenda), com
padrfls claros e escoros, pelo barato preco
de 210 rs. o covado, por ter um leva to-
q<>* de mofo : pecbincba.
LIQUIDAQO DE CALg.\S DE CASIMIRA
O Pavo tam um grande sortimento de
caigas de casemira de todas as cores e qoa
lidads, para todos os precos, e deseando
mnito Iijuida-las, resolvea vende-la* por
nm preco muito em conti, para diminuir a
grande porco.
CASSAS FRANCEZAS.
O Pavo vende bonitas cassas francezas
com bonitos padroes, e de muita pbantasia.
pelo baratissimo- pre<;o de 2i0 e 280 rs. 9
covado, .sendofazenda de muito mai* drhefc-
rep, grande pechincha, na loja do,Pavo.
BOURNUS A 16&0Q0.
O Pavao recebeu pelo ultimo paqueteada
Europa, bournos dos mais lindos gostos que
a' boje sao conbecidos, e em relagoi ex-
cessiva barateza, convidam-se as E\ma$. Sr'as.
para as verem, para assim admirarem.o que
lia de mais noviciado neste artigo.
CORTES DE CAMBRALLA 639000.
O l'avao vende cortos de cambraia branea
com listas e lavores da mesrna cor, tendo a-
zonda para um vestido, c vende peloibarato
proco do CO000, por ser raudo pecbincba.
Ditos muito finos com babadinhos brancos
bordados a 8?000.
Ditos ditos com listas do cores a 155000 e
3^000.
Ditos de cambraia branca com 20 metros
de babadinhosde cores a 9JJ000. E' grande
pecbincba na loja do Pavao.
BRAMANTES PARA LENCO'ES.
0 Pavo vende soperior bramante de al-
odSo tendo 6 palmos de largura que s
percisa de 1 '/i vara para lj lencol, me-
vo 15600 e a vara 15S00.
Dito de linho pnro superior muito'eocer-
pado com a mesma largura a vara 23400
Ditos franeezes muito tinos a 2#>00 e
1,5)00.
Poya de Hamburgo e panno de linho com
20 e 30 varas, para tjdos os precos e
qnadade.
Pecas de bretanha dfl pnro linho, tendo
JO jardas pelos precos mais barato que se
tem vi.-to.
Pechincha de finissimo esguiao socelena
> ni 6 jardas ~&QQ.
Peca de fioissimo celena com 30 jardas
a 35A0, atoalbado adamascado com 8 pal-
mos de largnra a vara 2^900.
CALCAS DE CASEMIRA.
O Pavo tem am grande sortimento de
olea de casemira, assim como cortes os
mais modernos qae tem vindo nos ltimos
a,-.rins e em fazenda das mais finas e mais
aovas ao mercado, e veode-se por barato
preco para apurar dinheiro assim como cal-.
as de brim hranco e de cures por precos
mnito razuaveis para acabar.
TURKIS PRETAS.
O Pavo recebeu om grande sortimento
das mais ricas tnnic-s de groa preto, rica-
mente enfeitadas, e vende por preco moa-
va!. _
VESTIDOS BRANCOS BQQDADOS DE
3550000 AT 605000.
0 Pavo recobeu um lindo sortimento
dos mais ricos cortes de cambraia branca,
ricamente bordados, e com todos es enfei
tes necessarios, e vende pelo3 precos de
355000 at 605000, nao tem vinio nada
m; ii rico nem mais moderno.
4llen?ao!!! %
A^ HADRESILVA.
Praqa da Independencia
ns. 38 :e 40.
., Acaba a Madresilva de receber diversos
objectos, como sejam : -
* Ricos aderecos dcmadreperola brancos o
de eres<
Diademas de raadreperola, ditos durados'
ditos de massa ou bfalo, ricamente enfeita-
dos, cruzes lingindo brilliantos, cassoletas de
plaqu com -voltas e sem ellas, imitando
ouro, pulseiras, douradas, ditas imitando
tartaruga, rico sortiinento de grarapos para
cabello, sendo.borboletas.'besouros o beija-
flores e outras muitas-qiiafidades, tudo de
muito gosto, rico sortimento de gravatinbas
de lajos para senhora1, sendo velludo, sarja,
sotim, ga/o, escoosozas%e de urna s cor, fa-
zenda nteiraraente novidade.
i Lindo sortimento de leques de marm,
madrepejola, tartaruga,ditosdouradosi, com
seda e som ella, alm dostes de outras mui-
tas quabdados.que enfadouho seria mencio-
nar, tanto para senhoras como jiara me-
ninas.
Rico sortimento de pannos, c gollinhas
bordadas em cambraia de liulio e camizinhas
bordadas para1 senhoras.
Bonitas guarnieres ou dragonas para en-
eites de vestidos, assim como os muito deso-
jados corJOus.de seda,, fazenda intei rameo te
no-vidade ueste mercado.
Rico sor.trrtento de cajxinhas com prepa-
ros para <*stura, sondo de tampas de crystal
e de outras muitas qualidades e tamanhos,
ditas pana porta-^oias, porta-extractus, ricos
porta-relogio's, porta-charutos, porta-cinza,
tintoiros, casticaes,' tudo sao objectos de
plaqu, proprios para presentear a.qualquer
pessoa, assim cumo diversos objectos para
escriptorio, facas para cortar papel, carteiras
para notas, caixas para phospburos, canelas
bordadas e lisas,.-maracas, para, criancas, si-
petes para abrir finoias, caiascontfcndo urna
caeta, um lapis e um caivete, agullieiros
e dedaes, todos estes objectos sao de mlarfim,
fuonda inteiramente'uovidade, -assiio como
outros muitos ques-a vista dos preWnden-
tes bo podero mencionar.
Vestuarios para criancas, chapozinhos de
seda,sapatiiibos de merino e sotim, meias
de seda* deolgedoj brancase de coros,, tu-
do para b*plisados.
Rico sortneiito de babadores para crian-
|^as, -ligas de-:soda- para senhoras/ lencos
brancos.Com ramagens, meias de seda para
senhoras o meninas, ditas do fo de Kscossia,
o melbor que se pode desejar, assim como
meias de la, pnoprias para senhoras.
Rico s baleia; marchetadas de madreperola, para
roupa e cabello, e de-outras muitas,quali-
dades.
AGULHAS'fi LINDAS PARA MUGIIINAS.
A Madresilva acaba de receber una com-
pleto sortimento deagullias e linhas brancas,
de cOres o pretal para machinas, do fabri-
cantes Grover Bakr's, nssim como agulbas
de todas as qualidades e linhas de sedo para
bordar, e-para .crochet, ricas capelh com
lyos e^em ellespara noiva, ilbranco com
bonitas raniageusocora 7 palmos de largura,
fazenda especial: s na Madresilva.
Rico sortimento de flores de-laranja-em
ramas e sepas, do todos os tamanhos, para
enfeites de vestidos de noivas.
Rico sortimento de collarinhos e pannos
bordados e lisos, de linho e algodo, para
homens, assim como "chapos do sol com
castao de mai-um, eoutros muitos srtigos.
TEM A MADRESILVA
bonito eortiinento de jarros, casti'.aos com
iingentes, garrafas e copos para esphitos,
rseos, garrafiHhas de diversos gostos, pro-
[prias para toilattes, assim como acaba de re-
ceber um completo sortimento de espelhos
de molduras douradas, de todos os tama-
nhos, de3 a 9'palmos de altura e largura
Pede obter em pooco lempo com o aso do melbor dos licoresi animada
HESPERIDJNA
' Fazoito anoos que coabecido este precioso tnico, e difficil achar ama pessea
qne, tendo experimentado pessoalmente, nao falle em seu favor, j como bom estomaca
e apetisador, tomando em calis della antes de jantar, ou como facilitador da digestao
t mando-se depois.
ABASE

da HESPERID1NA a LARANJA AMARGA, nao ha um s habitante do BRASIL (a trra
especial das laranjas) qae ic conlieca as propiedades medicinaes da doorada frocta
ora bem, a
COSTURA
Cbegaram ao Bazar Universal da roa No-
va n. 22, om sortimoiiio de machiaas para
costura, das melhores qualidades que existe
na America, das quaaa muitas j.so bem
conhecidas pelos seos autores, como sejam;
Weller & Wilson, Grover 4 Boka, Sllen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
qne com a vista devero agradar aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalho que trinta costureiras podem
fazer diariamente e cozem com tanta per-
feigao como as mais perfeitaa costureiras.
Garaate-se a sua boa qnalidads e ensina-se
a trabalbar com perfeigao em menos de orna
llora, e os precos sao lao comuiodoa que
|eveo| agradar aos pretendtmtei
Na padaria alloma na ru;i la Gia n.
5i, tem para se vender o seguate :
Ervilhasde tres drferen tr-s q in-1 r- f'atles, fe-
jo hranco grado, repolho em b.i ricas, len-
tilhas, sevaiHnha (ferie,, tagQ, ameixas,
macas e cerejas seccas; tambera tem para
vender duas balanras grandes coii gauchos
e bracos, alguns pesos, duas rodiuhasde me-
tal para carrinho de mo, urna forma e um
forno para fazer hostias e obreias, e urna
bomba._______________________________
Lizinlias para vestido a 320
rs. o covado.
S na ra do-Duque do Oaxias n. 00 A, outr'o-
ra ra do Queiiuado, loja da esquina, de Bonto
da Silva & C._______________^^___^^
Rival sem secundo.
Chog rain agulhas para machinas, do fab cante
Crower & Baker. Duzia jior 2*000.
em sen estado natoraf tem om gosto pooco agradavel, e o mrito da Hesperidina con-
siste em reter suas boas propriedades, e ao mesmo lempo apreseata-la como
EXaUISITO UCOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL n5o tem nada qne invjar as
melhores importacoes enropas de cathegoria semelhante. Estas, qoando mnito, podem
ser gostosas, porm a Hesperidina a comb nacao perfeita do
AGRADAVEL E SADDAVEL
Para prova de que um artigo no qiwl pde-se ter inteira confianca; por ser puro
e innocente, basta dizer-se que foi plenamente-spprovada e autorisada-pel
JUNTA DE HYG1EE
do Rio de Janeiro, permiltindo sua livre elaboracS no Imperio", outr
BOA PROVA
a acceitaco geral que tem em ti das as parles onde apresenlada. Ein 1864 estabe-
leceo se a primeira fabrica em Bnenos-Ayres^ em 1869 a segooda em Montevideo; e
no da da ebegada de S. M. IMPERADOR inabguroo-se a fabrica que actualmente
trabalba na corte. Em Valparaizo e em tud; a costa do PacGco tem boa acceitac3o,
tanto qae rara a casa qae considera completo sen aparador sem ama gart afa de

CORTINADOS PARA CAMAS E JANELAS
A fim, 80000 E 10(100.
O Pavo tem um grande sortimento de
cortinados para cama e janellas, qae ven-
de pelo barat v preco de 70300; 8,?0O0 e
10.5000 o par, tendo at por 185000, assim
como colchas de damasco para camas do
no.vos, e grande sortimento de tapetes tan
tu para 4cadeiras como para^amas, pianos,
portas, etc., todo vende por precos razoa-
vels.
CAMBRAIAS,
O Pavo vende cortes de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 2/5500 e
3,50.0. :.
Fofa de dita mnito fina cota 10 jardas
unto tajada como transparente a 45000,
dOO e 6*000 at a mais flaa que vepr
>o mercado.
CORTES DE PERCALIA QOM DUAS SAJAS
A WOOO.
O Pav5o vende bonitosicortes de preealia
;oi duas salas, sendo lateada de mnito
gosto a 45000, Liechincha.
RAPTISTAS DE GRANDE Jq.YIDADE
O Pavo vendo nax grande sortimnlo
das mais modernis, baptiatas com lista de
cor, proprias pira vestido, com as core maje
novas qae tem viodi ao ..mercado, seja'do
mai ;o mai largas do qae as oh i ta* francezas,
vende pela baratissiajo pratq/.a^&OOril
cada oovado.
regular.
A MADRESILVA
acaba de receber um especial sortuoeato de
luvas de Jouvin, lencas, pretas e de bres,
para homens e senhoras, assim como tanir
bem para meninas e meninos de 3 anuos
para cima.
BONECAS.
Rico sortimente de bonecas de todos Cs
tamanhos e com rosto de cora.
BORDADOS.
A Madresilva acaba de recober um rbo
sortimento de bordados em cambraia de li-
nho, fazenda inteiramento novidade oeste
mercado, sendo babados e cntremeios.
Finalmente, a Madresilva, alm dos* tra-
gos que vos faz menrao, tem outros rditos
que enfadonho seria e\plcar-vos, por isso a
Madresilva ospera, que vos dignis visita-la
mais a mido, a qual vos liorna sdmpre
grata.
.




D
X
Excellente toucinho iiigli-z ein latas do qunlro
libras a 900 rs a libra : no armazem de Tasso
Irjpios & (L, na do Aniorim n. 37.____________
Libras sterlinas.
Vende-se no armazem de fazendas de Aososto
F. de olivoira & C, ra do Commercio i, te.
Novidade carnavalesca!!!
R(tn")ES PARA PLNBOS COM CASCA VEIS,
A" VENDA.
.'I =Buzar da ra l)ireta=31
Aelle?! a'elles! a ellos! que estao se aca-
baBdo,


6 bomem velho toma Hesperidina para obter
VIGOR
0 bomem diente toma Hesperidina para ob(er
SAUDE
- O bomem dbil toma Hesperidina para obter
Nos bailes as donzellas eos mogos lonam a Hesperidmipara obter boa cor a
animaco dorante.os loncos gvros da
BARROS JNIOR & C, roa do Vigirio Tenorio n. 7, t andar, recberam ette
grande especiOco, e vemm-no nos depsitos segaiotes:
Joaquim Ferreira Lobo, roa da Imperatriz;
Zeferino Carneiro, rna do Commercio.
Marcelino Jos" Goncalves da Fonle,.n:a da Cadea n. 2.
; Antonio Gomes Pires d C, ra da Cadeia.
Antonio Gome? Pifes A C caes 22 de Novembro.
Gomes A Im.o hotel da Passagem.
Chcg^iciii oiiaiilo antes!!
A5$0I)0!'S00! SIMM!
Lindos dMMSes campestres, da uldma ruoda.
para senh >r:v. s na ra do Duque d- ta*'as n.
60 A, loja da esgniBa, de Bento da Silva & C.
0 bazar da ra limitan, 'il
Vende :
[anadine rom listras de seda para vestidos
W1R 7(K) Its, O OOVADO.
A- uu'Riorea miiidezas, botinas o mais outr.is
qualidades de caljado trance chapeos para se-
nboras.
Tem um liado sortimento
Luvas frescas de Jouvin.
('rfumarias dos mata afamados fabricantes.
Parares on gravatiahas donlti.-o gusto, para
senho as,
AMigM de lu\o e plfsntasia,
Indo por prci.o ma 8 rasoavel do qne em outra
quafer parte.
\. :>lRazar da rua'I'irictaK. 51.
Vende-se
duas casas feitas d- taipa e em mt) es-
-- ^ tado, edificadas em chaos, proprios, na es-
-: Irada do Caxang e muito prximas
, ni'voai-ao. tendo o terreno 100.palmos de
fondo snfttcieute para se edificar um bom
;>r \?i c siii-i, jior ser o lugar um dos mai* alt< s
ds ;:i:i privoaeao : a tratar com o ronimendad'ir
T.-i^'Q.__________________________________
Mesa elstica.
Vende-M una ptima mesa para jantar, ir;--' *.
muitf1woi constriiila. e alegante c por pn?(o ra-
to '. : artnazem da Travessa do Corpo Santn.
15,
i- W.'H
BARTHOLOMEU et C"
Pharmaceuticos premiados em diversas expoei >

" Novo trata'mento da Asthma, tosse, convulsa, defluxo catarrhaet, e toda as ntolestias dos pulmtfS,
que tem feito importantes curas, e que noje o nico acceito pelos melhores Mdicos.
DEPOSITO GERAL, 34, ra Larga do Rosarur, PERNAMBUCO.

J'AROS -
:uQ tripas e di bra4; de vaeea in [rleza a 4/O00
ada un ." co- am'--ni de ra-so Iricaoi * C,
n Arrt ini n 37.
..: *'>
Vende-se o sitio da estrada1 da Grnz i*1 Alinas,
que fica entre ft-do commeodador Ta-s.: j o do
(deaombarn,dor Doria, eom isa de vivenda. d ffe-
rentes'arvrtredos, grande baixa de eapim',' etc.,
dando os fundos para a estrada dos trilhos roa-
nos ao p di estcao da Jaqueira : a tratar na
roa do ArrKirim n. 37.
Familia de mandioca a \\% o
SaCCO. ; C, ruataTgado Kosario n. 3i.
Na ra da aladre de Dos n. 7 ; i vHi, em
quauto nao se aoaba.
SKGKtbO LCiNOMIA E CELEIUUAW;.
Obtcm-so com, o uso
DA
INJECgO SHOST
l.iiica, bygienira, radical e infallivl na cu-
ra da? gonrheas, flores brancas e tluxos de
toda especie", recentes ou chronicas; e que
oflerece como garanta de sal otares resultados
a continuada applicagao que sempre com a
maior vantagem se tem feito dlla nos hoe-
pitaf- de1 Pars.
Unicb deposito para o Brasil, Bartholomou
LIiZ-EJlTE
Tinta Inalteravel
Para escrever
de P. MA1M k C.
PEItNA.V.lHCO



Esta tinta recommeuVse i>>la ssua com-
posica e fluidez como a'melhoi' e a mai*
segura de todas a* tinta? at lioje conheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, da at
tresexcellcntes copias?, mesmo muitos dias
depois de escrever, e preorivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se careca longa conservaca.

Vende-s na pharmacia de a: e; & C, roa Nova o. 25.
_u
BICHAS DE HMEURGO
' As nidis reclites e melbvres.
Ven dona-sena pbarmffHi e drogara d'- Ba--
ibolomeu & ('.., ra bMMldosario o Bji. 3'.
Xarope.d'agriao do Para
Antigoe conceituadQ medicamento paral' V.-nle-se ou arrenrfa-se o ejfcnho S. Sebaf tio.
iradamolestias dos arga06.resuira..rio3,lrsito "n,*-,,?'ifro da ^o'pniado Pimenteiras, fregiK-
como a nbivsica bntackit^ aithm* i-r 'jtoHomn : o melbor aue e posswelafua.
owuiu a pm\sca, Diencoitcs, asnua, etwM ^y^o b.ms terreno de plantaces, eo. propor-
ppcado Biadaeom ptimos resida-k.s i>o ^e-pare doa* m p.-s, -raiiilo boas: matas, nio
osoorbuto. s tem nlndraa de oonstruc(;ao. como do ama-
' Todde-se Tialpbarmacia e drogaran Bar* f"*''' tirar-se-fleW a Ou duzias poranno,
tholommi A r piiii Ij.ro lrtU^carU nV a'n"do lme eodro qae hn em abundancia
tnoiomeu a. u..raLarga do Kesane n,- 34,. Tm fl ^a^ ,ma, boa stillaw. dMlkmdo
\rPllH*aA ^ pi da a#ra8da de agurdenlo. As petooas
qaniiii prt4jfeBi por um ou oulro nf8.H.o,
ruaAla ia- pouorao so dirigir ao m*mo eo^enbo, ou fiMa
pr->. i. rr,a J)uquc_de Casias antipamente. $uei-
mado n 46, i." andar, ciue--,acharao com qnem
a. tratar. ,'
,r
Cera de carnauba em saceos :- na
dre de Deus n. S, 1. andar.
Uorfadh
Vende-se, borra lia para limas de cheiro. na en*
de Santa Cr* n. t.
''" -,
Mulatinho.
Ywde-se-uma exceHentc ca7.iirfia, feita de lijoly
e calV-itA na estfada nova do1 Oaxnc. proKim.i
u'Vdnde-Benin rtutafinho^hegado d tert le, 8ta.-lo drts bo"ndsJ -pqueo aWm (la Villa-Sejea)-
d Mannosda- idarfe e 'pjroprio pa> (ju!tittr pot pvee raaravet : miem a-protender diribt-se
i .sarvico: air.rt.f na !oia d>)PitviU, Ji ufl y ra da-Aurern a i:*; 2>an(tar, que dlfit
jiratii c Cadeiras oratorias cora ausento de paiblnba
SOFODO cada urna no caes do Apello, arma-
iem de Tso Irmos & C.
Mais del les.
Aaiieis cleciri^s.
EDap.'Jls anneis elctricos. t3o utei para .
nervoso, e flue a Magnolia, ra Duque ile <.:i- A verdadoirn cerveja da Baera, marca
das n. 45 tem vendido porco e que por seren **ri; de superior qualidale !
os nico- verdadeiros, mnito tem aprowitado ; m*e &('.._eia seu armazem
pelo ultimo vapor velo nova ranessa : elles an- numero .'!7.
i

a
L-.^n
d.i rua do Ar..orim
tes me se acabem. Na Magnolia n. 43, rus DKirne, Fio de algodo da Babia e calilo l.i.-l/a, re-
d> Casias. centcmentc chegadv-: ba para w-nder no es-
---------------------------------------------;---------'-----------'"' criptorio de Joaquim Jo G.'n.xilvei Beltrao. & Fi
mSSOIRMAO^lL
Ajtfwite.
-
Em seus armazens rua do Amorim
n. 3" e caos do Apollo n. >47,
tem para vender por iremos cwnmodos
TijoloB eocataadoa sextavos para hdrilho.
Canos de barro para esgoto.
Cimento PoUland.
Chnenlo HydrauJiec. %
MaeJiinad d*' dwoarocar algodio.
Machinas do padaria.
Potassa da Russia em barril.
fhospborbs de cera.
Sag em garrafoes.
h ;8evadii em gmTafes.
I.cntiihas m garrafoes.
BUum da aJmaica.
- ,Vnho do Porto velho engarrafado
Yittho do Porto superior, di o. -
Yinlw de BordeauKVdita.
Vinho 4*- ^herry.
Yinho da Madeii.1. >'
Potes com linguas e d*bfada iiijitru
- -feieef os finos sortidos.
I'; Cojnac Caulhiet Freres.
Latas toucinho rnglez.
2|Barris com repolho. om Salmoura.
' Criptorio de Joaqui:
Iho. rua do Cummercio n.
Vende-se.
lina uvarp'ea'-'dii-sw jMedpifc entrando
com atgum fapital: o motivo porque o dono
retira-soa.ttt,1r draua : roa da>Santa Crui
n. 74.__________ *_____
Vendo-sc
buascasas lorias iwvjrf, na m *<> n
,77 e 79 j.bsim.ooi.cvdoHs.bam trandes, cober
; Ws.de sola, sem usoialjrum : a tratar flrua do
Pedr Alfonso, "tirado'de m andar n. t.
1 ^oiiraeha! !
Yendf-ie WtW?$% \e^al Qu*lidade que
iodo prwc.o : na
loja de ferragen*
t-in vi
rua d# _
de Souza 4
uimasae>.
Ckarutos t& muir

no 'eseriptori ue
iim n^37.


-
^

1
V*

'
I

'I
V
Diaiitx de Peraambuco Quinta feira 20 de Feviereij-o de'SlSv
Soates Leite & IrmSos, com loja de miuduzas ra do BarSo da Victoria n.
tr ora Ifova) pedcra omita attenfao para os procos abaixo .especificados:
MIL'DEZAS.
.Abotoaduras para eollete a 200 e 320 rs.
dem idem para punhos a 340 Vs.
Talheres cabe do viado ( imitaeflo a 3^000
aduzia.
dem dem cabo branco 2 B a 5#o00 a du-
zia.
Caixa de linha branca com 40 novellos a
500 rs.
dem idem de marca a 2i0 rs.
Mac/) de fita cliineza a HP000. -
Coques modernos a 35*500.
Resma de papel pautado liso a 22800, 395,
89500, 45000 c 6^000.
Caixa de papel amisade a 600 rs.
dem idem idem boira dourada a 800 rs.
Caixa de envelopes forrados a 700 rs.
dem idem do cores a 500 rs.
I Caixa de pennas Perry a 800 rs.
. dem idem a 400 rs.
Livros para notas a 320 e 400 rs.
Redes enfeitadas a 13300.
Tranca do caracol branca, a 400 rs. o
ma^o.
dem lisas a 200 rs. o maco.
.Microscopios [sem vistas) a 2J000.
Duzia de pecas" de corlo imperial a
320 rs.
Indispensaves de couro da Russia a!
103000. ]
I,eques para sentaras a 23000, 43000 e
73000.
Vara do fita escoseza larga (boje grande
novidade) a 43000.
Duzia.de collarinhos borlados para ho-
mem f*3000.
dem idem lisas a 63000.
Duzia de cachimbos p de gallinha a
23500.
dem dem de madeira com tampa a
33600.

7
Duzia de meias para homem
63000.
dem idem para senhorasa 43 e 73000.
I.amparinas gaz a 13000.
Grosa de botes de osso para calca
200 rs.
Grinaldas para casamento a 23 e 53000.
Duzia de baralhos francezes canto doura-
do a 33600.
dem idem idem lisos a 23500.
Garrafa de tinta roxa extra-fina a 13000.
Pecas de fita de velludo do' todas as cores
e larguras.
dem idem de grosdenaple, idem,
Sapatos de tranca, tapete, casemira c char-
lte.
Mascaras'baratas. .
Chapeos para senhoras a 83000.
PERFUMARAS.
fiarrafade agua florida verdadoira a 13200.
dem idem kananga do Japo a l200.
Idem idem divina a 13200;
Idem idem Magdalena (novidade) a 13500.
Frasco de oleo oriza e philocome a 13000.
dem idem antique a 400 rs.
Opiata muito boa e fresca a 13, 1-^500 e
2-O00.
1 Tnico oriental de Kcm a 13000 o frasco.
Caixa de pos para dentes a 200 rs.
dem idem do pos chinez, o que ha de
melhor, 500 rs. e 13000.
Maco de sabonetes inglezes a 600 rs.
Duzia de sabonetes de amendoa a 23500
e 33000.
dem idom com flores a 13500.
Frasco com Salsaparrilha verdadeira a
33500.
Agua de eologne, banha em frascos e
muilas perfumaras de gosto o baratos.
MIAZEM DOS LEOSS
Ba Duque de Caxias n. 29.
0 proprietarios deste bem montado estaheleeimeoto scientificam io<
.-espeiUvel pablico dista provincia qoe se acham com iim variado e completo sort
neoto de movis, tanto nacionats como estrangeiros, sendo estes escolbidos por om doi
08io8 qoe se acha actualmente na Earopa. 0 mesmo tem contactado com os melborej
fabricantes daquellecontinente as remessas das maia ricaa mobilias foiUs all.
Na oficina tem os mais habis artistas deste genero, e por iaso pedem qoe e-
oham visitar o estabelecimento, aonde encontrarn a realidade do que acabao de expr
ue se pode examinar; ricaa e completas mobias de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, a-
marello, etc, ricaa e legantes camas deja caranda, pao aetim, amarello, etc., etr., gnards
vestido de amarello, guarda louc> de nogueira e de amarello com lampo de pedra, apa
radores de dito dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de Jaca-
randa, amreilo, pedra, secretarias da jacaraud e mognocostnreirai ae mo^no, san
taarios, titean para bordar, bercos, lavatorios com espelho, de pedea marmore e sen
pertences, cade iras privadas, bids; etc., etc., e muiios ootros artigos que deisamoa dt
mencionar por setornar enadonl-o
QUINQUILHARIAS
Mascaras, brinquedos para criancas, bollas de borracha, tambores, cobras de madei-
ra, etc., e muitos objectos que se tornara longo mencionar.
28 Una il tan ih Victoria 8
COSTURA DE IIOWE
DE
Torna os cabellos macios e
brilhantes!!
VIGOR
DO
CABELLO
Vende-se uas prfntfpaes
boticas.
?"d
<
o
3
ZD
o
o
3
O
p-
o
co
O
p
w
o
~J2
Esta mistura nao tem nada
: pernicioso.
VIGOR DO CABELLO
SOABES LE 1E, OTAOS
Ra do Barao da Victoria n. 28
Afl mais simples, as mais baratas e as-memores do mundo!
>'a eiposioo de
Elias Howe Jnior,
foi
Pars, em 1867,
a medattia de ooro e
Cao da. Legio de Honra, por serem as machinas mais per_
feitas do mundo.
concedido
a condecora-
A medalha de ouro, conferida a E. Ilowe Jnior, nos
Estados-Unidos por ser o inventor da machina de cos-
tura. -
A medalha de ouro na exposico de Londres acreditam
estas machinas.
A 908000
DE
AYER
i
Arados para lavrar a trra.
Carrinbos de mao.
Camas de ferro.
Cofres "de ferro. m
Cestos d'arame para flores.
FogSes de ferro.
Baldes de ferro galvanisado.
Chapas do forro galvanisado para cobrir casas.
Pregos americanos.
Tachos de ferro cstanbado.
Machinas para descarocar algodo.
Machinas do cortar fumo.
Cimento.
Salitre;
,__ Balancas, pesos e medidas.
EM CASA DE SHAW HAWKES t C.
^^^^ RA DO OM JESS N". 4.
Borrack fina de Santarem
para limas de cheiro.
Vende-se borracha fina de Santarem para
limas de' chf, da melhor qualidade que
tem vinde* este mercado, tanto7.a retamo:
comoem porco, epormenos do qtre rri
outraqualquerpart^WTuadoB&rtbda^ic-
tona_nM3, loja d ti. Jos.? floberto.
Camisas francejua forneas a
0 baalh>o- da Noruega em csixas meii
mas : co caes da Alfaodega n. 1, armaiem de
TasHo Irmaes & C
Cebe-nos odever de annunciar que a companbiadasmachinas de owe de Nova-
York, estabeleceu nesta cidade ra do Barao da Victoria n. 28, uin deposito e agencia
geral, para em Pcrnambuco e mais provincias se venderem as afamadas machinas de cos-
tura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeicao de 6cu trabalho,
empregando urna agulha mais curta com a mesraa qualidade de linha que qualqucr outra,
e pela introdcelo dos mais aperfei'coados apparelhos, estamos actualmente, habilitados a
oferecer ao exame publico as melhores machjas do mundo.
As vantagens tiestas mackmas sao as segidnks:
Primera.O publico sabe que ellas sao duradouras, para isto prova incontestavel, a
circumstancia de nunca terem npparecido no mercado machinas do Howe em segun-
da mo.
Segunda.Contem o material preciso'para. reparar qualqucr dosarranjo.
Terceira.Ha nellas menor frieco entre as ditersas pocas, e menos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Formam o ponto como se fra feito mo.'
Quinta.Pcrmittc queso examine o trabalho de ambos os fios, o que se nao consegue
as outras.
Sexta.Fazem ponto miudo em casemira, atravessando o fio de un outro lado,
e logo em seguida, sem modificar-so a tensio da linha, cozem at fazenda mais
fina.
Stima.O compressr levantado com a maiorfacilidade,'quando'se tem de mudar
de agulha ao comecar nova costura.
Otaya.Muitas cmpanhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandezae
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi deseonhecidas, outras sofTreram
mudancas radicaes para poderem substituir entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opinio de Elias Howo, mestro em artes mechanicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, o hoje n3o atiende a procura, posto que faca 000 machinas
por da.
Cada machina acompanha livretos com instruccSes cm portnguez.
A 9dm0 A' 9000O
SOARES LEITE, IRMA0&-
A"
Ra do Barao da Victoria n. 2 8.
CO^STIPACO
Flfaaui
lm
m
IWEUMATISlIOS
ittrllfili
lapiitm
ti mi
tlt.
S6B4Sel)aslopol-:
a
i
k
. GOMO. DOSE'RtFRESCANTE /*?
COMO OOSE PURGATIWl
rOHAl-ASAtlOETAn-SE I
In-
DEPURA TIVA
h tem pouca avaria.
O Vienna so vende por meu.de do scu vaJor as
fcuendas que pode arrematar e por isso andar
depressa que pechincha : raaTarga do R0,a-
rio n. zz.
- Vende-se um pitear comiodas o pe/lejfces
,em a ra larga dofioario v. i, i- andT
, Casa e terreno venda
Vended a casa terrek n. ft ttarraa do Hospi-
cio, a qual tem i salas, 4 qa rtos, cotrali fr a
quiDtal murado ; um terreno orar parle aterrado'
c parte ai aao, contiguo a casa n. 6i, com 70
palmos de frente e cerca de 43H.de fundo' tendo
duas frentes, tima para a ruado Hospicio e outra
para a nova ra 'projertada: a tratar eom o agen-
te Martin, na ra do Imperador n. 48.
i Vende-se a loja de miodezas da roa da Im-
' peratriz b. 78 A. liv,e desembaracada, com bonita
armacto de amarello e muito afreguezada, propria
para qualqucr principiante", a tratar na mesma.
DEPOSITO GERAL
NA -
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOME A f,
34Rna larga do lt9sario-*-34
Venderse ou aluga^e
0 sobrado tt 9 da ra do Rio1, na frepio:
>ia do Poco da Panclla, eem 3 sala*, 0
quartos, 1 saleta, idospeBsa, coeinba e quintal mu
rada eujo predio aeha-se concei tadoj taiado o
Ktadb de novo : a tratar com o commcadador
OJ
1 i-------- i ii i i 11 i ii i
Ultimo gosto. oi
. Cadeiras pretas douradas e marchetadas 'd' *&<
dreperola : nos armazens d Tasab- iemin i, &,
no caes do Apollo.
- i
Borracha
Vende-se borracha muito nova pava limas
2/ a libra: na ra do rog n. K), taverna.
Tjjl.is francezos sextavados
lie 4&?00 tt 5&9(NH>
o mllbeiro.
Btj t^os, fabricador de barro vermelhe con-
solidados tao os memorase os mais eronomicoa
pela aa barateza para ladrilbar os >avimemps
terreas das casas, porqnanto.jjouco mais custan:
do do que os feitos. no paiz, sao, sem comparacao
alguma, superiores a estes pela limpela de sao sbscepUMis. Castam alera disto menas da
decima parte dos d maf more, ja repruvados, e
dos de-diITerentes mosaicos, os quacs aao csto
certamente ao" alcance detonas as fortunas, e s
sao empreados e proprios para as salas princi-
paos. Almr dai vantgain:qB ka no mprego
destes tijolospara os p^imeotof erreos e casas
de cantpp,, -tem estes- anda a de serem os melbo-
res e rtiais Droprios para tadrlln^f corfnhS tos
sobrados te'eWMe,c awento'fcsna solidea epouco
peso, csUuldi mus quepiwad* jLCOHvcaiencia
de arm assoalhadas as corintias todas de tijok,
c nao l a jiai-te juuta ao fogao, no que ateas
cmpanhias de' seguros* se aeveiHani interessar.
Vendm'se nos artnsnftnsd* hrklha' de Tassb Ir:
maos A C, no eaeside Apolloli.o.
'Il i. I i i ,r f ........'
Vende-se,. arreuda se oa permuta-se, por,-
trras que sirvam para plantar cnna, umapadarla
sita ho^jated ti* feirt-%6 peWado dos Mrnter*"a
tratar com mu proprtetarto.nme,-)nw povoad? e
paraiaforiMooe, 4om os Sn. Rneka Lima & Gi-
marie, Pa do Bom Jesus (outr'ora da Ccuz) n-,
16, om com o Sr. Nicomedes MrW Freir, DO
Caes do Apollo, n'esta cidade.""
niiiji ii .i tiUf .i' i *' >'

Um hotel venda
Disboe-se de um hotel em excel'eiift' localidad*
desta Wdade,' bed? montadb p utto afregetado,
por se aebar doente e precisar tralar-se o dono }
auem iquizer dirija-se ra larga, do Rosario n.
30, que se dir com quem se deve negociar.
-
rUF
B
NACIONAL
RA DA IMPERAIRIZ N. 72
DE
Loiii'ciii'o Pcreira Mendos (iiiimara es
VIVA O CARNAVAL
Vende-se um grande sortimento do domi- GROSDKN.VPI.ES PRETO A 23000
nos de todas as qualidades, para homens e' Vende-se grosdenaple preto a 2-?, ^"500,
meninos, a prego de 2JS, 3J?, 45, 5??, 6#, e 3^500 o 59000 ocovado.
85J00O. PlfRO PRETO A 15300.
Vende-se um grande sortimento de vestua- Vende-se panno preto para calcas e p; li-
rios a carcter pelo barato prec.0 de 59, 89, tots, a 19500, 2-^500, 39, 4-T, o 5-5000 o
109, 139, e tambem se alugam. covado.
Vende-se um grande sortimento de masca-, CORTES DE BRIM A t^SOO.
ras de massa e do rame para homens e me-;
nios por baratissimo prego, e outras fazen-
das proprias para vestuarios: aqui se vende
muito barato.
OLINDENSE A 800 RS.
Vende-se urna nova fazenda de seda e li-
nho, por nome olindense, propria para
vestidos, a 610 e OO rs. o covado.
BAPT1STAS A 500 RS.
Vende-se urna nova fazenda por nome bau-
tistas, para vestidos, a 500 rs. o covado.
SITANAS A CiO RS.
Vende-se urna, nova fazenda de la e seda
por nome sutauas, para vestidos do senho-
ras e meninas, a GiO rs. o covado.
riumsiA a 8oo rs.
Vende-se urna nova fazenda lisa, por no-
me phantasia, para vestidos, a 800 o Co-
vado.
FUSTO BRANCO A 320 RS.
Vende-se fusto branco e de cores, para
vestidos de senhora, a 320 e 400 rs. o co-
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 840 RS.
Vende-se chitas francezas escuras e claras,
a 240, O80, 320 e 3C0 rs. o covado.
BRAMANTE A 19600
Vende-se bramante com 10 pabnos de
largura, proprio
25200 o metro.
com
para lcnces, a
19000, c
Vende-se cortes de brim para cali,a,'fa
19500 o 2-5000.
MADAPOLOA 35000.
Vende-se pecas de madapolo, a 39000,
45500, 55, W, e 89.
CHAPEOS DE l'.W.HAA 25000.
Vende-se chapeos de palha, do fi-ltrQ e 4e
castor, para homens u meninos, a 25,*2?id
35 o 49000.
ALGODO A 9000.
Vende-se pe<;asdealgodao americano, ^,
59, e 05.
BOTINAS PARA SENHORAS A 35000
Vende-se botinas para senliura, a 59000
e 59500.
CAMBRA1AS A 35000.
Vende-se pecas de cainbraias lisas pars
vestidos, a 39, 45, e 55.
CAMISAS BRANCAS A 29000.
Vende-se camisas brancas a 25 o 2~500.
Ditas do linho a 39, r'otO, 49000 e
59000.
Pahlotsde panno preto a 55000, 7C00O o-
89000. Palitots do casemira de cores, a
49, 59, e 89.
CHALES A 800 RS.
Vende-se chales de la, com quadrose lis-
tras, a 800 rs. e 15000, ditos de merino es-
tampados, a 25, 35500, 45 e 53.
E outras-muilas fazendas que se vende
sem reserva depreco, na loja do barateiro
Bazar Nacional.Ruada lnipeatiiz n. "2.
Aderecos de bri-
lliautes, esmeraldas
rubins e perolas,'
voltasde perolas.
Obras de ouro e
prata de todas as ^>
qualidades.
K 2 ARa
do
DE
CabugN. 2
BARROS tt FILIIO
Achando-se completamente reformado esto estabelecimento, e
tendo os seus propietarios feito urna importante acquisiro de
joias as mais modernas vindas ao mercado, e de qualidades superio-
res, convidam ao respeitavel publico a fazer urna visita ao seu es-
tabelecimento, aim de apreciar e comprar urna joia de gosto por
prec/) razoavel.
Samuel Power Johns-
ton & C.
Ra do Apollo n. 38 e 40
Os proprietarios da landiclo geral (a>em
scientes aos senhores de engenbo e mais
Fazem sciente aos seas freguezes que teem pessoas, que leem estabelecido nma lusdi-
nadado o sea deposito de machinas a va-
por, moendas e taxas da muito acreditada
fabrica de LowUoor para rna do Apollo n.
38 e 40, onde continan) a ter o mesmo sor-
timento do ccstunie.
Fazem sciente tambem que teem feito am
arraejo com a fnndcao geral, pelo que po-
dem offerecer-se para assentar qaalqaer
macbioismo e mesmo garant lo.
cao de ferro e brome a rna do Brum, jun-
to a e>:aoao dos bond, en le aprontarlo
qualquer obra de encommenda c m perfei-
cao e promptido.
Os me.-mos rogam as pessoas que qnei-
ram otilisar se de seos servicos de deia-
rem at eneommendas em casa do* Sr*. Sa
muel Power Jobostoo & C. a ra do Apol-
lo n. 38 e 40, onde acharao p<"soa habili-
tada com quem possam entefidar-se.
Apparelbo para fabricar assucar, do.systema.
WESTON CENTRKFUGAL
nicos agentes em Pernambaco a fundidlo geral.
Para tratar em sea escripiorio a ra do Apollo n. 38 9 40.
UZEO DE JOIAS
N. 4 Ra do Cabug N. 4
JOS MI KRAUSE & C.
spT^^KBiqBiaaaaisacpqQ aam
. DE
GOMES DE MATTOS, IRMAOS
Neste importante estabelecimento de primorosas joias, achara o respeitavel
pnbhe deste capital um grande e variado sortimento de joias de todos os
precos, queja existiam no Muzeo, que serao vendidas com grande reducto
de prejo, am dos novos obiectos recebidos directamente da Europa, que
se vaidero' por pre$o animador, bem como sejam, aderecos de brilhantes,
'polseims de ditos, broches e rosetas de ditos, ditos de diflferentes pedrarias de
presos; anneis de brilhantes e d esmeraldas, rubins e perolas, e de todos
-mais. objectos de valer, que possam ser desejados pelo bom gosto e apreco das
'fainikas, que sabem dar valor a objectos de primor.
Os proprietarios do MUZEO DE JOIAS, convidam as familias que se
queiram prover de exceltentes joias, a virem escome-las entre o variado
Taortifiento dellas, garantindo os proprietarios que sero 6noeros paTa todos
que se dignarem procurar seu estabelecimento.
. Eno>e.o grande sortimento de brilhantes, esmeraldas, peroks,- c obra i
siraplesmonto efe ouro de lei, se ver um elegante sortimento de obras de
t-praei primorosamente trabalhadas, que tambemos vendem prego reduzido,
bem como, relogios de ouro eprata dos melhores autores conhoctos, que.,'
*e vendem mediante- pouco dinheiro egaranta dos donos deste estabeleci-
inentoi
i Os hornero* d centro, que preoisarem do qualquex objecto de. grande
ou pequeo valor, procurem o MUZEO DE JOLAS, que serio servidos co
attenejao e sinceridade. *





mm-r


..! I I !!......f \ II
8
Diario de Pernambuco Quinta fera 20 de Fevereiro de 1&?3.
YiBEDAnf^"
" -----------------------------.---------
A MIRVfiEM, O ESPECTRO DAS RUINAS.
(Coi rl usio. )
Em 26 de junho desse mesmo anno ern
Hastings deu-s outro facto (inda.'mais asJ
sombroso.
Tola a costa da Franca desd Calais at
Dieupe, em nina distancia ni.ior do 50
milhas, e pjrlautonj paden lo ser retrata-
da, apptroceu no ar, nao invertida, mas
na sua posgo natural, durante o ospago
do tros oras, o que fui visto por centena-
es do pessoas que se juntaran nos caes.
\)"exempln mais notavel de tilos, o de
que trata o Dr. Viuce. he Ramsgate, as
quatro torres do castello Dover apparocem
em dias claros, sobre urna montanha inter-
mediaria, lina tarde em que o Dr. Vince
olhavanessa direccao, vio todo o castello,
nao suspenso no ar, mas a sen lado distnc-
ta mente. A inagera, diz elle, era tiio
permita que njo pude enchergar a raonta-
nha.
Ha costa do estreito de Messina ve-se fre-
quentemento urna miragem duplico, conhe-
cidapclo nomo de Fata Morgana.
As nagens de horneras, cavadlos, casase
navios, sao projectadas no ar com tolas as
particularidades, eat aatmosphcra asseine-
Iha-s i mil longo lago-, no qual to los ossos
ohiectos juntos se vem fluctuando no ar.
A sgunda especie do miragem que a
em que o objeeto desee, ein lugar de su-
birv6-se miis frequeiiteinonte nos ridos
disertos do Baivo Egypto, do que resulta
falta djagita para o viajante seqnioso.
Em torno das ruinas b.i eminencias, em
que osRlhosdopaizconslruem casis, para
ficarom salvos das peridicas ir.undagoes do
Kilo, e qnando o calor abrasa de da, a mi-
ragem apresenta a imagen) do firmamento
na planicie, a poucas milbas da caravana, e
proauz o efieitode urna envurrada de agua,
era que cada aldeola, que tambem. desee,
apparece como nina ilheta. Attrabidos por
to agradavel perspectiva, homens e ani-
maos Cheios de esperanzas emprebendem
tongas viagens para encontrarem essas aguas
e ilhaftqun eonstnntcmente vio-so-Ihes recu-
dido dos olhos, at que anoitoce, e ellas des*
appardcem ao mesino tempo. Tito perleita
a illasao, que aio s viajantesexperiroen-
tadose scientiiicos* como os prqprios Ara-
bes, multas veres illudemse.
A terceira especie de miragem s apparece
no come da montaulia de Harte na Hnngri.
E' conheci la alli pOr Espeotso das ruinas,
e e^>e espectro apparece sempre ao caliir da
tarde.
Apenas o viajante chega &oplatean no al-
to ila mor tanlia,a sua sombra ine-lonha e
gigantesca visualmente apparece n:i parte
cricnta] do firmamento, onde, em um espa-
go distioctu, muda ligcirnmcnto to
a* onipanhan lo todos os seus movknentos.
E' so* depois que o sol se recolhe qno o
phciiomcuo visivel tanto que a sombra
duplamente exagerada, cin primeiro lugar
pela distancia e nivel do sol, e depois pela
distancia da superficie sobre a qual ella
prejectada.
Cada una dessas diversas especies de mi-
, regent lera soaa causas especiaos, com quan-
to tu las dependan, para sua existencia, de
um estado especial da atmosphera.
Anteado phenomeno possivel que o ar
se divida em dilferentes graos de densidade.
Entioa miragem contina, urnas vezes por
refraegio, outras pelo reflexo, e tambem
pola projeego das sombras.
A etplcacio do espectro das ruinas
niuiro simples. A leste dasraontanhas llartz
ha sempre una atmosphera muito densa e
Bimevoada, to densa (|ue aprsenla urna
superficie capaz de receber a impressio de
urna sombra e rete-la ou conserva-la como
orna pande ou muralha. Ojiando, perian-
to, o sol desean iba para O occid -inte, as som-
bras de todos os objectos que (Icam prxi-
mos sua superficie, projeetam-se sobre
elle.
lugar,
emflnf bldanos todtjs
esfuri,os, rctirei-mo bastante pozafoso, e.
communiquei todo o occorrido ao Revd.
padre Joo.
Este anda nao de todo desanimado disse
me. Nao desistamos, voltoraos casa do
doenjte ; e tomando urna moejalha de Nossa
Senllpra inmediatamente sahinios.
Clicgados casa do^ enfermo vimos frus-
trados pela terceira vez aunis enrgicas
instancias. Nem o teinojffas penas eter-
nas, nem a quasi corteza da morte que
estava prxima llie incutia no animo a sa-
lutar resolucAo de reconciliar-se com Deus.
A vista de to audaz e incrivel pertinacia,
limitou-se o Revd. padro Joioa pedir-lhe
por obsequio que acoitasse a medallia que
comsigo trazia ; ao que promptamente
annulo o docnto, e poz com devogo ao pes-
clo ; e nos retiramos. Dahi a dez ou
quiize minutos, oh I mudanga prodigiosa !
o doente chama urna pessoa de sua casa e
euvia a buscar o Revd.- padre Joio, a quera
declara ingenuamente que quer se coufes-
sar ; logo se dispoe e trata sua reconcilia-
cao com Deus, rocebendo depois o Sagrado
Vi tico e o Sacramento d 'Santa Untgo,
Com signaes manifestos de orna verdadeira
converso. Dahi a seis ou oito dias dcs-
cansou na paz do Saibor, succedendo que
aquello, que por largo tempo do sua vida se
hara portado como de Deus esqucido,
viessH a terminar seus dias, graras mise-
ricordia da Santissima Virgem, com urna
morte, que na plirase da Sagrada Escriptu-
ra nao promeltida ao peccador que for-
malmente despreza a lei de Deus. (Juam
magna misericordia Domini, el propitia-
tio illnis convertentbw ad se! (Eccl. cap.
17. v. 28).
Este acontecimento presenciaran) entre
outros, Francisco Ferreira Torres, Francis-
co Rodrigues Lima e Luizda Silva Menezes,
quo O'podom testificar.
Padre Messias Marques Alfonso.
Santa Barbara, 27 do dezembro de
1872.
INSTIU'CCAO PUBLICA NA PRUSSIA.-
0 Sr. Folk, ministro da instrueco publica e
cultos, teve a eoragem de elevar o oroamento
do seu ministerio para 1873 ao duplo do or-
namento anterior, na parte da instrueco pu-
blica. De quatro passou a oito milhoes pr-
ximamente. Figurara na primeira linha os
augmentes dos ordenados, eoutros vencimen-
tos, dos professores e dos inspectores.
PLVORA JOUGLET. O Sr. Jouglet
offerece i arte da guerra e industria urna
substanciado plvora, cajacomposico ese-
creta, sendo j muito conliecidos oseffeitos.
Esta plvora arde com dilliculdade pela ac-
go do fogo, e nao faz exploso polo choque.
ui contacto com os cidos e com outras
substancias, a nova plvora manifesta urna
fonja igual ao decuplo da forca da nitro-
idycerina, o quasi trezentas vezes superior i
H
=
pama as pontas das bayonetas, fazajfflF
Ibes entender que se nao se decidissenj a es-
colher as victimas, morriam todos queima-
dos.,
N discussao da causa, o procurador da
repblica, n"um notavel discurso, fulmioou
o brbaro procedimento dos vencedores.
A historia da ultima guerra, disse elle,
designou este fado pelo rime de drama san-
guinario dwVaux. Cumpre fazer a cada un
a justica qua Ihe c devida. Saiba o mundo
inteirO os nomos dos diversos actores, e faca
delle a devida apreciaco. A tropa alfem
era a columna i do landwehr prussiano,
desUicada do campo de Bulzicourt, coinmn-
dida pelo coronel do Kraunn. Nao quero
qualilicar estes factos debaixo do ponto de
vista do dimito das gentes e da moral inter-
nacional, aconsciencia universal j os jul-
gou, esse o seu primeiro castigo.
Os moradores de Vaux designavam doas
guar las nacionaes movis, que estavain pri-
sioneiros e feridos. Estes, porcm, nao to-
rosa aceites, pela sua qualidado de militares,
e por nao screm da localidade.
Os prussianos apresentaram aos presos um
capete com 28 nmeros, pa*a tirarem osiinstrumento contund'*e, e quando elle
om vez de 60. Tambera augmeutado o
numero dos commissarios do policiaTicando
endo 15.
Com egto augmento do corpo do polica
civil, as estac<5s poteiaes numerar.) mais
viute e seis.
AGLTA NEGRV. Tenlo sido Napoleo
lll eavalleiro da ordem da Aguia Nogra
(conleeoraco alloma, como todos saben i .
o consolho da ordem celobrou urna reu
nio em Berlin, para ser lido parante elle a
necrologa do finado ; observando assim os
usos e regulamcntos da ordem.
MULHER OU PANT11ERA ? As autori-
dades jndinar.as de Oostmalle (Blgica),
tomaram conbecimento de unr acto do per-
versidade commettido por urna panthera
com formas de inulhcr.
Essa croatura, que apenas couta 30 anuos
matou s facadas seu proprio marido, ho-
inem que j contava cerca de sessonta an-
uos.
Conforme consta da* infonnacoes colh
las dra primeiro pancadas no marido com
\dmir.i\H |irotot*(>ito ile Uiii-in
Ha lempos que dosejava o.rr publicidade
a um prodigioso acontecimento, que muito
faz realear a ellicacia da intercessj da San-
tsima Virgem.
Como testemunha ocular deste aconte-
cimento, quo naturalmente dove excitar nos
aquella Senliora, tom-^i ao meu cuidado
icva-lo ao conhocinicnlo dos catliolicos.
Em dias do mozde outubro de 180, no
pequeo arraial do Morro-Veruielho, perto
da cidade de Cahotc, estava gravemente en-
fermo .loo Nepomuceno de Brito, catholicc
d deado que lia muilos annos nao se cou-
fessava. Os de casa, roceiando desua en-
fermidade'que nao apresontava bons symp-
tomas, o provinem que ora prudente se
coiifessar ; porin urna intempestiva recusa
da parte do doente os determmou a se en-
tonder com o Re,vd. padre .loo de Santo
Antonio, residente uaquelle arraial, pedin-
do-lhe por bem ir casa do doente, o cora
suas saudaveis admoestacoos o convencesse
da ufgente necessidade de cuidar ua sade
de sua alma ao menos tiesta occasio em
que a do corpo quasi j nao era esperada.
Com toda promptido se prestou o zeloso
missionario a to justo pedido ; mas suas
palavras nao fizeram impresso alguma no
insonsivel animo daquelle enfermo, em-
bora empregasso os esforcos de seu zelo
apostlico. As mais fortes razes, aos mais
tocantes motivos respon'dia com indileren-
co : agora nao quero.
No dia se^uinte achando-me neste arraial
de visita ao Revd. padre Joo, este se lem-
brou que se apresentando ao enfermo um
sacerdote estranho, talvez se desvanecesse
o terror pnico de que estava possuido para
cora o Sacramento da Penitencia, e encarre-
gou-mc a tarefa de ir exhorta-lo a se cort-
Fessar. Ao que me prestei espontneamente,
porm as rainhas palabras riio obtiveram
mais effeito que as do Revd. padre Joo.
Puz-lhe diante dos olhos a eternidadeda
vida futura sumraaraente feliz para elle se ao
menos naquella occas o se conyertesse,
summamente desgranada se resistisse s mi-
uhas salutares instancias ; e que um sincero
arrependimento unido a urna ingenua con-
-fissio era bastante para que mediante os
merecimentos do Misericordiosissimo Re-
demptor, obtivesse o perdfio de todos os" seus
peccados, o urna segura esperanza de salva-
. cao : mas infelizmente o doente obstinado
se escusava com o frivolo pretexto que se
confossaria quando sarasse. E quando eu
lhe declarei que os symptomas de sna mo-
lestia eram funestos, urna s palavra ouvi
da sua bocea, que anda susteve minha es-
peranza quasi aniquilada.
da plvora ordinaria.
OBSEUVACOKS DO PROFESSOR VOGEL
ACERCA DO* COLORI. Quando o acido
sulphurico, empregado na produco do al-
gOdo-polvora, destinado proparaco do
colodio, contm urna quantidade considera-
vel do acido ntrico, preciso diminuir
quantidade do salitre, para evitar que a pol-
lcula do colodio seja opaca e impropria para
a photographia. Se o acido sulphurico
isento de acidoniitrico, necessaro empre-
gar pesos iguaes de acido c de salitre. Quan-
do se opjra sobre mais de 30 grammas de
algodo de urna s vez, parecem modificadas
as propiedades pticas ; ose omosmo acon-
tece quando se emprega ammoniaco ein lu-
gar de alcool para lavar o colodio, e separar
os ltimos vestigios do acido.
MARI'l.M ARTIFICIAL.0 marfim inven-
ta le pe) Sr. William M. WeH'mg, cu jo pri
vilegio l'o agora prorogado por sete annos na
America, conipe-sc de : gomma-laca bran-
ca 10 partes em peso, acetato de chumbo 4
1/2, p do marfim 8 partes, e camphora 5
partos. Reduz-se tudo a p, aquonta-se
mistura-sc bem, e molda-sc era formas aque-
ci Jas, nas quaes o marfim artificial toma
forma que se desoja.
PROCRESSO.Em Janeiro de 1809
numero de estages telegraphicas da Russia
era 380, o o numero de despachos transmi-
tidos durante o anno anterior 1,491,834.
Em Janeiro de 1872 o numero de cstac6es
048, o o dos despachos transmittidos cm
18710 3,800,0'..
EPISODIO DA ULTIMA GUERRA. J
demos noticia da aeco intentada no tribunal
civil de Rocroi (Franca;, por Mara Camari-
na Renaux, vi uva de Luiz Jorge, contra seis
habitantes da aldea do Vaux, pedindo-lhes
urna indemnisaco pela morte de seu mari-
do, fuzilado pelos prussianos.
Em 27 de outubro de 1870, os prussianos
oceuparam a aldea de Vaux. As 2 horas da
tarde, rompeu o fogo com os franco-atira-
dores das Ardennes ; na refrega foi morto
um oficial inferior prussiano. Depois do
combate, os prussianos, sob pretexto de que
os habitantes da aldea tiuham feito fogo so-
bre ellos, prenderam todos os homens da po-
voaco, que eram apenas 28, e fecharam-uos
na igreja, onde os retiveram 72 horas. Ro-
unio-se um conselho de guerra, e o cura,
sendo chamado, jurou pela sua cabeca que
nenhuin dos habitantes tmha feito fogo sobre
as tropas invasoras. O maire Augustin Sin-
geny foi instado para pontar dous dos seus
administrados mais culpados, para serem fu-
zilados. O digno magistrado protestou pela
innocencia de todos os moradores de Vaux,
e implorou a clemencia dos vencedores, de-
clarando que nao designava ninguem para
ser punido, porque lhe pesava na sua
aconsciencia faze-lo, nao havendo nenhum
culpado.
O coronel prussiano propoz ao cura que
lhe indicasse tres dos seus parochianos mal
comportados, para sobre elles recahir o cas-
tigo. 0 cura respondeu:
a Era tMla a parte ha gente boa, me-
diocre e m. No caso presente, ninguem
deste sitio culpado, todos os moradores
esto innocentes, e por isso nao designo ne-
nhum ; qualquer que designasse ira soffrer
,uma pena que nao merecia.
0 digno pastor, como o Redemptor dos
homens, oereceu a sua vida para salvar as
suasovelhas. Este bom padre chajaa-se
abb Marteaux.
O com mandante prussiano, incapaz de se
commover com tanta dedicago, duro e fri
como o marmore, mandou que os prisionei-
ros fossem dizimados, e que escolhessem tres
d'entre si sorte. A soldadesca que guarda-
tres ;'sorte ; mas um propoz as victimas por
acclamago, approvando todos, para desvia-
rem de si o destino que lhe poda caber.
Foram, pois, fuzilados Joo Raptista De-
preuve, de 57 annos, casado, Luiz Jorge, de
03 annos, casado, e Carlos Jorge, de 23 an-
nos, solteiro, todos pastores.
A viuva de Luiz Jorge deuiandou a seis
moradores de Vaux, que indicaram as victi-
mas, para se subtrahirera sorte, pedindc1
Ibes 70Qfrancos de penso vitalicia, como in-
demnisaco.
O tribunal julgou procedente a acgo, e
condomnou os demandados a paga rom
viuva 700 francos de penso vitalicia, a con-
tar do dia 29 de outubro de 1870, em que
foi fuzilado seu marido, reservando o direi-
to dos condemnados contra outros quaesquer
que se mostraren) culpados.
EXECUCO DE TRES COMMUNISTAS.
Mais tres communistas sentenciados morte
pelos consol los de guerra foram mortos em
nome da lei no acampamento de Satory.
Chamavam-se Benet, Fenouillas e De-
camp.
Desde as 4 horas e meia da manh do dia
23 de Janeiro, os sentenciados haviam sido
mettidos em cellulas ao rez do chao ; e Ibes
permittirara de comer e beber o que pedis-
sem ; assim como lhes consentiram que es-
crevessem as suas ultimas vontades e diri-
gissein o ultimo adeus suas familias.
Benot e Fenouillas mostraram-se fleugma-
ticose com sangue fri, mas Decamp tomou-
so de grandissima exaltacao.
Decamp tinba servido em artilharia ;a.sua
estatura era cima do vulgar. Ao sabir da
prisio o seu exallamento cresceu, e nao fot
sem grandissimo trabalho que o metteram no
medonho vehculo.
Um sacerdote tomou lugar ao lado de Fe-
nouillas.
A chuva cahira incessantemente desde
muito tempo e isso afastou grande numero
de curiosos, principalmente em consequencia
da lama que, em Satory, eslava de atolar at-
cima dos tornozellos.
A um lado do campo das manobras esta-
vam cravados os postes fataes.
Ao serem os condemnados collocados enli-
gados cada poste, Fenouillas ficou silen-
cioso.
Mas Benot bradou : Viva a repblica-
democrtica e social I Viva a communa I
Viva o exercito I
E Decamp tambem bradou com toda a for-
9a:Morro assassinado I Fra asteste-
munhas falsas I Fra os advogados 1 Fra
Thiers 1
K'um abrir e fechar d'olhos todos os tres
desgranados estavam mortos.
Nota um jornal que desta vez o official
que commandou o peloto, nao se limitou,
como d'antes era uso, a fazer acenc* com a
espada, mas proferio a palavrafogo,
PROGRESSOS DOS AMERICANOS. -No-
ticias de Nova-York annunciam quo se rea-
lisu um projecto que os americanos haviam
formado da acquisic?o da baha o pennsula
de Samana, na parte oriental da ilha de
Hait (S. Domingos'). .Esta acquisigo m-
toressa aos Estados-Unidos, por lhes asse-
gurar nas Antilhas urna posipo que elles
desde muito ambicionavam. _
A baha e pennsula foram arrendadas,
urna corapanhia de coramercio americana
por 99 annos, a razo de 150:000 dollars
por anno.
Este contrato concluido pelo presidente
da repblica de S. Domingos, e ratificado
palo senado, transiere companhia o poder
soberano absoluto sobre o territorio aluga-
do, cora direito de legislar, lancar impostos,
instituir trbunaes, emfim de exercer todos
os actos de soberana.
A pennsula da Samana est situada so-
bre a costa do nordeste da ilha, e tem cerca
de 52 kilomefros de tonga e 300 kilmetros
de largura.
alguns dos seus
horneas mais
dignos, coiv*
WKf&Mese o Crcdttt Cnbminal da Fran-
ca Ievaram cadoia.Mrs. Caperon, Lepel
elior eJDetrez, (bndadores ou'agentes d'estas
emprezas fraudulerftas.
forme temos fegistado n'estas columnas.
Hoje traz-nos o correia a noticia do falle-
cimonto de outro gentkinan, altamente con-
siderado no seu paiz. 1
Succumbio lord Lytton, que na.republca DESAFIO.Para que se nio diga que s
das lettras oceupava lugar eminente. Os em Franca ha duellos, teve um lugar na Al-
seus discursos na cmara dos communs lomanha cutre o general von Bardelebeneo :
foram sempre muito considerados, e seus presidente von HaVdeuberg.
patricios os tiuham na couta de brhantea. A arma de combate escolhida foi a pistola,
specimens de eloquenca parlamentar. "j Nenhum dos combateirtes ficou ferdo.
MAO TEMPO. Segundo vemos n'umj OUTRO COMICIO.Poneos dias vio fe-
despacho publicado nas folhas inglezas, era corridos depois que noticiamos ter-se realis-
tamanho o vendaval no canal da Mancha,do um mceling em Inglaterra a favor do
no da 18 de Janeiro, que iienhuin vapor direito de sullrago para as mulheres. Pois
se atreveu a atravessa-lo para ir Calais. | j se celd-ou outro, no mesmo sentido do
cabio no chao, foi entilo que lhe fez deze-
nove golpes com urna faca. Depois tratou
de esconder o cadver, um ftlliito foi quem
dcir.mciou o crime viziiilKHKja.
A inulher at que deu entrada na cadeia,
nao raanfestava srrependinteBto polo crime
de que a argir m, nem procura va nega-lo.
Ol'TRA VICTIMA DO AMOR, Cunta o
Nacional, tolha franceza, que novia des-
apparecido decasa de seus pais BM ripari-
guita-do 17 anuos, deixando escripton'um
bocado de papel estas palavras:
c Nao posso separar-me feZbfrl Vou
morrer I .
Com elTeito, oito horas da noute- su"ic-
dou-se, segundo o-testeinunho de algUOias
pessoas, que viranx atirar-se ao Sena utna
mulher, cujas inJicaoes de estatura e trajo
coincidem com a? da pobre louca. 0 ca"!-
ver nao fra encontrado.
A mallograda rapariga dwvia-so enamC"
rado de um mancebo da mesuia ida le della,
que viviaem casa dos-pas da suicida.
Descoberta essa inclacjto o mancebo foi
posto fra de casa, e categricamente lfir-
mraarai a filha, que embora chegasso a
idade de casar, jamis o- consentira com o
tal estudante, por nao ser esse 9 noivo que
ella pensara em dar-lhe.
Alm disso, foi o estudante absolutamen-
te prohibido de tornar a por os pos em casa
dos pas da sua namoradau
Este ultimtum fez perder inteiramonte
o juizo desfortunada rapariga, e a lanrou
na desgraea de perder a vida o a>alma.
UM G.VU.O QUE TEM HISTORIA.Ga-
nhou celebridade um gallo branco de raga
cochnchineza, que pertenceu a un:a praca
do regiment de artilheri n. 23, do exer-
cito francez.
O tal gallo branco fez toda- a campanea
do Rliono ; foi prisioneiro de guerra em
Augsburgo teve seu quiuhao- na fomc de
Metz ?. assistio ao desentenamento des-ca-
v-allos para lhes extrahirem a. carne e ser-
As malas, por tanto, ficaram por expedir
para Franca.
Em Pars tambem no mesmo da cahio
um temporal desfeito, durando at domin-
go ; neste dia s 9 horas da noute, urna tro-
voada medonha acompanhava o vento im-
petuoso, a nove ca chuva.
Os zig-zags dos relmpagos erara ininter-
rompidos e o estampido dos trovden como
as grandes detonares-da artilharia no tem-
po do cerco.
Escrevo urajornaf francez que lhe parece
naoter herido jamis naquella. regio, no
mez de Janeiro, urna dosordein atniosplw-
rica de semelhante forma.
e grande npmcro de outas despojadas de
boa parte de sous ramos, rendo-so o solo
juncado com os destrozos.
As chaons dos fogoes, as beiras dos te-
lhados, portas dasjanellas,. tiveram se-
gunda derrota, pois ha poucas-semanasque
um forinidivvtl vendaval Ibes fiaera tambem
urna guerra fomiidavel.
O clarao dos relmpagos era ao mesmo
tempo magestOSO 0 aterrador.
se facultaren direitos polticos ao bello sexo.
A reuuo, que teve lugar em Prvida na?
Hall, Chunh-Street, foi presidida pelo re-
verendo LlewHyn Dvies.
Muitas scuhoras tomaram lugar ua plata-
forma que se armara para o efieito, e osaram
da palavra com desembaraco, allirranodo
os seus principios, attinentes realisacao' de
soas aspiracocs.
LIBERDADE DE IMPRECA.O tribu
nal de appellaco de Pars confirmou a sen-
toiira proferida em prueira instancia contra
o pcnodfco.a Repblica francaiw, centra o
qual se wrtentra processo-por haver aprecia-
1
\
%\
Muitas arvores 'appanjceran quebradas, g una sesso do consolhugeral do Loire,
PHENOMENO GEOLGICO. Acaba de
acontecer em Franca outro phenomeno me-
teorolgico anlogo aos que outro dia de-
mos noticia. Foi em Izon (districto de
Drrae) que um medonho deslocamento de
terreno se operou n'uma exteaso de tres
kilmetros, arrastaudo casas, vinhas, arvo-
res e fruco.
A perspectiva que apresenta aquello
chaos dizem ser oousa capaz, de aterrar os
mais animosos.
Era a expressio 1 va a igreja ameacava os desgranados que all
de alguma confianza n Santissima Virgem. les^avam encerrados, e mostrava-lnes molho
PARA EMENDA. 0 tribunal de Lon-
dres chamado Qaeen's Bench condemnou,
na multa de cem S i cada um dos dous
reos, que no dia 20 de Janeiro alli appare-
ceu a responder.
Os reos eram os membros do parlamento
Mrs. Onsiew e Whalley, ambos aecusados
de haverem u'umcomiciopublico]preferi-
do discursos, que pareciam ser attiuentes a
prejudicar o prximo julgamento de urna
causa judicial.
O juiz declarou na sentenQa que era con-,
sideragio pesigio dos reos, lavrara a sen-
tenga sem exarar a usual alternativa de ir
para a cadeia em quanto a multa e despe-
zasdo processo nao estivessem pagas.
Isto passou-se em Inglaterra ; se fra,
porm, em Portugal, os taes deputados fica-
riam impunes,- ainda quando houvessem
feito cousa mais feia.
POLICA EM LY0N. 0 governo fran-
cez vai augmentar muito a torca policial
na cidade de Lyon.
0 corpo de polica que se compunha de
500 gnardas passa a ser de 600. O nume-
ro dos agentes de polica secreta seraje 112
vr de repasto s esfomeadas pracs+le va-
rios reg montos ; sobrevivendo elle que .to
saboroso petisco seria ainda para estmagos
replectos; foi porm sempre-respeitado..
Em Gravelotte, naquello din. A infernal
carnificina, o bom do gallo conserveu-so
empoleirado nos-hombros de seu dono,
qual era um dos serventes da quarta batera:
to familiarisado ostava com o troar da ar-
tilharia, que se nao assustava.
De-madrugada ouvia-se oscu canto ma-
tutino, por entro o estampido dametralha.
Chcgou emfim o da em que o dono foi
chillido por urna bomba e morreu.
Um camarada do tinado, tambem artilbci-
ro, adoptou o gallo, e deste modo-conti-
nuou o emplumado vvente a acomp?nhar
o exercito.
Hoje vive ti-anquillaraenteem.companlua
de urna galhnha com quo graciosamente o
presenteou urna vivandeira do regimen-
t 33.
Este animal merece que- a. photograplna
delle se oceupe ; assim como ganbou jus
agradavel reforma do servig.0. militar que ao
presente desfructa.
EXQUISITICE. As autoridades de Mar-
seiba procederam agora a tomadia de urna
porgo de paco tes de tapioca. Porque mo-
tivo? Vo. sabe-lo.
Um commerciante daquella. cidade per-
cebera que era bom reclame para a sua U-
pioca^. collar nos pacotes o retrato de alguns
dosmerabeos da communa de maior uo-
raeada e era assim que era todos os involu-
cros se encontrava o. retrato de Rochefort
ou o de Protot, MiHlre, Conrnet, Cou-bet,
Peyrouton e outros.
Este facto cons'itue urna infraceaa contra
(teterminagoes p*eexisteut, que prohibem
a venda das veras, efligias daquelles maga-
nes; e por al lhe pagaram.
CUSTA-LHES CARQ.Na priso de New^
gate foram castigados com o cat (umacouto
tira teimasj cinco gatunos dos que roubam
nas ras do Londres, afogando_ as victimas
com arte especial ; habilidade que os dis-
tingue com a denornuiacao de garroters.
GR.ANDE CARREGACAO. Na dia 28 de
Janeiro parti de Toulo, s quatro horas da
tarde, um vapor transporto francez, levando
a seu bordo para Nova Celedonia 440 con-
demnados, entre os quaes se numeram va-
rios degredados polticos, nos quaes se in-
cluem o celebre ex-olficial de marraba,
Lullier, homem adoudado, porcm de urna
distincta valenta.
Se a memoria nos nao atraicoa, foi elle
que esbofeteou na ra, e ainda no tempo do
imperio, Mr. Paul Cassagnac ; c batoudo-se
com elle depois aollorete, o levou tambem
de vencida.
TBAGED1A.0 Cmer de l'EwreCOBU
um tristsimo- caso, succedido cn;tRugles.
Um hornera'j do quarenta o ta.tts an-
nos, matou durante a noute a mulher e
tambera o sogrov qnandb vinha acudir os
gritos da viclirntu
O homicida era-operario n'uma farica,
Depois do pradear aquello crime, foi* del-
tar-se n'uma lagoa prxima da casa eir* que
inora va, o ah acabou os das.
0 homem audava'dvsde-tompo suspekbso
da- fidelidade da mulher, qne pouca dilfe-
reuga na idade fazia do- marido, c crease
que fra essa a origeni do-orime.
Osogro do homicida tnha sessenta e oito
annos.
Encoutrou-se a> espingimla, quo era do
velho; coma corwili afeita cm pedagos, em|
resultado delle ter. diligenoiado arrombiv
convela a porta doquarto om que a filha
estava sendo victimada.
Ficarain dous filhos,. mas-j. adultos, e
que pylos modos nao viviauv om os pas..
FLC.A DE PRESOS: Da priso de Chan-
ters, em VorsaillcSiiugram tres presos, que
estavam condemnados deportacSo ; -ton-
do ap verificaren! bsou intento. Como lograran)
elle^ escapar-so de urna cadeia to bom
guardada?
$0111 ao mesmo tempo publicar o-extracto da
Sta sessio^ ontrariando assim a dwposigo
d le de 10 de agosto de 1871.
Osjurnaesfrancezes que iusireni e^a no-
t icia, dizem qyese nao queixam' ilos tribu-
naes,- quo fizeram justa apphca;O' d. lei,
poren? da mesuio- lei, que attenttort da
liberdirde de imprei*.si.
Opinan porque-se finen'le semelliante-lqi
e que se dirijam solkitagoes n'esse seufi'oo
ao corpo legislativo.
Por OU*ro lado, O'.ivi-nir ck la Sartas 8M
perseguidadminsvit*vaiiieute, ordenando-
0 prefeito a*proliibirao da sua venda nas-ras
por ter publicado artigo desagradaveis ao
general Ducrot I
O redacto* do mesmo'jiMnial protestou -pe!'
violencia ijue se commottia,. declarando que
tai pmyidenaa nao feria 1 jornal m< sua-
existencia poltica, porcm.s*oeiitesob oponri
io-dte vista commcrcial.
v>
1 BtiS ALVTC tlAS. O governo ingle?
autorisou a poitsa a ofterecer. um premio
quem prestar iformagoes- que possam
couduzir certeza, de quem fot o homicida-
que ratou um lavrador, quaudo volva a
Beckisgham de utaa fera em-Newark.
O GENERAL TROCHU.- Ft reformrdo o
general Trochu,.um dosmaievaleutese hon-
rados militares que a Fraut;a tem contado iu>-
qmido do seu esercto.
. Estabelcceraradhe urna penso de 9.0W)'
iranios em cada anno.1
O general Trochu serrio' boi frica, na
Crimav na Italia, cexcrcitounotempo do
cerco dfc Pars, antes da conmuna, o impor-
tante difficilinio encargo de -governador de
Pars, ao qual mostrou os seas grandes dotes
tatuase e o seu tilinto naa-oousas de admi-
histracao.
: LONt*VIDADE. Faikceu ha poucos
dias, em Bordeaux-a-Bastide uxoa mulhei
que contava conloe cinco anuos-e dez me-
zes.- A morte foi o.ecidental,. provndo de
queda pela escada da-casa em.que habitaya.
Nao padeca algujna eiiCTmidade, alm
da natural da velhica:- A vista era o sent
do mais aectado ; mas eia-> ceoapensagao
taha todos os dentes^e a audigaonao deixa-
va nada.ai desejar;
-.

-
1

TIL REPETICAi)/ Todas as vezes
que suceede desastre-por cania- di cayaHos
que tirarlas oquipagens ou simples, vehculos
AVR-VERDADEIRO. Cont um jorual.j haverem tomado o freio nos--dent& ou "

do Lyon que se roalisou alli um casamento
no dia 7 de Janeiro que ausou bastante
impoosso no publico.
Pkt.priso Saint-Joseph foi onde teve li>
garosas consorcio' entro um rapaz de dezd-
nora anuos pot, nomo Salva, o urna raparir
ga dedezosete, dotada de muita form-
siua.
O rapaz est eondemnado. cinco anuos
de trabalhos forcados.
A rapariga,.antes que o seu namorado
pasaaase para, a priso da. gal, quiz unir-
se- elle lsigimamento,. aiim de quando
ele partir para Nova Cahdonia, poder ella
irencontrar-se com ello- alm e viverem
antos.
O maire que. celbroj. ocasamcntocivil,
^dirigi urna exhortaco ao preso, lembran-
'do-lhe c deveres que a sociedade impoeaos
seus membros.
Muitocommovido e aom as lagrimas nos
olhos* respondeu Salva ao dito magistrado :
O'resto da minha vida ser consagrado
a diligenciar, por todos os modos possiveis,
tornar-me digno de urna esposa to dedica-
da e a obter da sociedade a minha ruhabi-
litagao.
r
ENLOUQUECEU. 0 militar, Mr. Ga-
veau, que fra comraissario do governo
republicano francez, junto do quarto cori-
selho de guorra, onde a sua palavra como
aecusador, e aecusador vehemente, se fazia
ouvir no julgamento dos communiitas, en-
louqueceu, e foi recolhido u'um asylo de
alienados.
0 pobre homem baqueou cora a vanglo-
ria de tor pedido tantas vezes que os reos
fossem fuzilados.
Mr. Gaveau havia feito parte da guarni-
gio de Strasburgo, ao tempo era que se fe-
ram as tem veis batalhas eolre fraucezese
prussianos. .
BITO DE UM HOMEM ILLl'STRE.
A Gri-Bretaha tora em poucos dias perdidq
ANTES ASSIM..Nio morreo a esposa de
Honri Rochefort, como se receava que acon-
tecesso pouco depois do sou casamento. Ao
contraro, de enlo para c, molhorouej
d alguns passoios. Aniraa-a a esperauga
de restabelecer-so ainda mais c poder trans-
portar-sc a Saint-Martn ou a Boyardvillo,
afira de ter ensejo de estar prximo da priso
do seu marido.
O governo da repblica segundo dizem,
tenciona demorar a deportago de Roche-
fort, conservando-o em Franga.
MODOS VIVENTES.Os trbunaes fran-
cezes teem u'estcs ltimos dias dado caca a
um certo bando de sociedades fmanceiras
engendradas por tratantes, com o intuito
evidente de enginar os inexpertos, e dema-
siadamente crdulos nos ttulos e annuncios
bombsticos cora que estas cspeculagoes se
decoravain e impunham s imaginages.
A primeira d'estas emprezas foi a socieda-
de industrial, cuja sede era na ra de Tait-
bout.. Esta sociedade tinha por presidente
do conselho de administrago Mr. Lefebvre
DuruO, antigo ministro d'agricultura era
1852 ; tnha sido instituida por Mr. Bureau;
o seu proposito era favorecer a emissio de
aeges industriacs que procuravam a sua
coadjuvago. Lu urna d'estas emisdes om
favor das sociedades das forjas de Liverdum
parece que-accorriam ao tribunal mais quei-
xas do que dinheiro caixa. Bureau foi
eondemnado em dous annos de priso e fu-
I gio para Inglaterra.
Outra sociedade creada por Mr. Clment
M ha vi
.I ilclo o governo por outra qualquer ci
alguein lembra que -umgrande erro, um
pessmc-ioeio do saWa^ao, o saltar dos ve-
hculos.
Est praticamente- mais quo prorado
o. que maior perigo, aquelle que tan-
tas mortes e ferimentos- graves ha occa-
sonado* estar no saltar do trem para
fra. Todava, a tendencia.de.quem se eu-
contra. em taes .usados quasi sempre
essa.
Em. urna folha. parisieuse encontramos
referido um desastre acontecido um destos
dias no bosque de Boulognea Mr. de laXr.uz.
Os criollos da caoruagem era que ia, aasbo-
earan*-se; elle,-seguindo8.costume, saltou
para fra, e ficou.h-um gravssimo estado,.
conset|uencia dos ferimentos e contusoes.quo-
adqnirio. g
Aocrescenta a mesmai folha que a esla-
tistica mostras.queera dez pessoas qpe
corroram aquello meto de falla/ salva^
oio ou noce foram victimas e quo itse-yl
sa, em dez pessoas que se doivarain licar UAi
carruagens, oito ou nove smente padecer*
um grande susto.
Tenham, pois, as pessoas, quo por-seu
regalo ou necessidade andera de trem, bent
presente na memoria estes factos coraprova-
dos, para naoceasiodo penga que de um
momento a outre- pode sobrevirh nao se per-
turbarcm tanto, e poderem rellectir no me-
Ihor expediente quo devem tomar, em seme- -
lhantes eon^uocturas.
.
,

N0VOC0MBUSTIVEL.0 Sioiss Times
annuncia que o Sr. Perrero, de Milo, &S-
cobrio ura novo combustivel,que pode subs-
tituir o carvao de pedra. Dizem que
muito abundante na Italia, e que o seu pre-
go nao excede 300 rs. por SO kilogrammas.
Falta saber se a raesma materia existo em
outros paizes, e quaes as oondiges da sua
exploragio.
MASSA DE MADEIRA PARA PAPEL.A
fabrica de Torpshammar era Sundsvall, na
Suecia (Torpshammars Tramnaassa Fabrik)
fomece esta massa em folhas delgadas, ou
grossas, formando pacotes de 240 libras sue-
cas, ,ou um dcimo de tonelada ingleza. 0
prego nao se pode fixar exactamente, mas
os clculos nao serio muito errados, quan-
do se adopte como base de 605000 a
705JOOO forte por'toneladaabordo.
O processo nesta fabrica mecanice, e
o pinho a madeira cujas fibras se aprovei-
tam-
CORTEZIAS REALENGAS. 0 je da
Dinamarca havia mimoseado, o re 'da^bue-
cia com o titulo de almirante;
o re da Suecia acaba

--.
de conferir ao da
Duvernos, que tambem foi ministro do com- Dinamarca o titulo, tambem honorario, de
mercio do imperio e o Banco territorial de generai dos exercitos suecos, e ao filho des-
Htspanha, que se propunha regenerar esta tG( 0 principe real, o titulo de general de ca-
uago, elevando-a sua antiga grandeza, vaiiana.
Houve pois troca de cortezias entre aquel-
les soberanos.
fazendo ao mesmo tempo a felcidade dos
accionistas. Estes entendern) que o seu di-
nheiro nao era directamente destinado a re-
generar a Hespanha e pedirn) a intervengio
dTcm^t navarro aragoma da fF WWW m WftaW <****

)
m
*.
I


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EXLSGV6DY_770KBS INGEST_TIME 2013-09-19T22:26:18Z PACKAGE AA00011611_12842
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES