Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12840


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AMO XLIX. NOIERO Ai)
r
'

PARA A CAPITAL K ll'GABBS OXDE SAO SE PACA POHTE.
Por tres mczes adiantados................ 65000
Por seis ditos Jem................' 125000
Por un anuo klem............. ..... 245000
dda numero avulso.................. 32
TERCA FEIBA 18 DE FEVEREIR0 DE 1873.
PARA DENTRO E FRA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adianta*dost............,
Por seis ditos idem. x.............. .
Por nove ditos, idem................
Por um anno idem.................
65750
135500
205250
275000
W<
DE MMOEL FIGEIRO DE PARIA & FILH0S.
L. Gerardo Antonio Alvos & Filhos, no Para; Guacalves & Pinto, no Maranhao; Joaquim Jos de OhveiraFilho, rioCean; Antonio de temos Braga, no Aracaty ; Joo Maria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamanguapc ; Augusto Gomes da Silva, na Paralaba ; Antonio" Jos Gomes, na Villa da Penfey Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, emNazareth;
Antonio Ferrcira de Aguiar, em Goyanna ; Francino Tavares da Costa, em Alagas; Alves & C, na Babia ; e Leite, Cerquinbo & C. no Rio ; PAITE OFEICL.
Giovenio la |>rovi:scin*
SRSAUHS DA IMKSIDKNUA !>:: 1") D KEVERKIUO
M IS7:.
Tenente-eoronel Alox.iudro Augusto de rte
Villar. -Forneea-so.
Antonio Cavlcante de Albuquenjie.Passe pa-
Alivies Antonia Joaquim ele Barros Lima.Pas-
- portara na forma requerida.
francisco de Assis Athelaiio d-a Sonsa. Infor-
me a commissao lomeada pira emLlmoeiro pres-
tar soceorresaos indigentes atacados de varilas.
Jos Vicente Forreira. Prove <> snpplieante
. marco. *u voluntariamente para a guerra.
los Mara do Rosario PMheiro.Sim, com re-
cibo.
Jos Antonio Anselmo Morcia.Juate proeu-
racao.
osSoaresde Oliveira. --Proveo supphcante
que marchou volunl.iriainen e para a guerra.
Jos Vleira de Mella. Coacodo oilo dias.
Manoel Antonio di Xascimeuto. Tend.i sido
too lilho do snpplieante, nada ha que deferir
Maura & 0. Informe o Sr. director do ar-
senal de guerra.
Pergentino de Miran la Pimcntel. Passe por-
ua
Salvador Matureji. Recorra o supplieante a
autoridad.- judiciaria.
3ociedade Propagadora da Inslruccao publica.
,'asse portara na forma requerida.
Vizconde de Suassuna -Informe o Sr. direcior
das obras publicas.
Secretaria da presidencia de l'ernambuco, 17
d*> favoratro de 1873.
O pnrteiro,
Silcino Antonio liodrbj n
Re]iirti('tt di jinliria.
trio.Secretaria da polica de Peruan
2.' ceca >.
ruambuco,
17 de fevereiro de 187:1.
\. :317. lllm. e Ex n. Sr Levo ao conheci-
monto de V. Exr que, segn b consta das parlici-
pae.'s recbelas boje nesta repartico, foram
rebolludos casa de deten/o os seguiutes in-
dividuos :
No dia 13 do correte, minha ordem, Manoel
Caetauo Ribero Carneiro e Antonio da Silva Cam-
>.. viudos de Sant) Anto como criminosos de
poi
marte.
A' ordeni do l)r. delegado da capital, Thereza
Bogaran Maria, eseravas de Jos Kieuterio da
Silva, por andarem fgidas.
A' ordem do subdelegado de Santo Antoni), Be-
nedicto, eseravo de Zeferina Maria da Concecao,
a equerimi'nto d'esta.
A' ordem do de S. Jos. Manoel Rodrigues Pi-
uhi iro, por disturbios e insultoss.
A' ordem do do l'.ie >. Joso -elto, par disturbios.
.No dia 10. ordem do subdelegado de S. Jos..
Antonio Angelo los crimes de tentativa de morte, re-istenca e feri-
mentos.
A* ordem do da Boa-Vista, Luisa, eserava de An-
tonia Maria de Miranda Seve.a requerimento d'ejta.
i subdelegado do 1" districto dos Afogados, bar
Ofili io de li d'este mez, communieou-me que na-
quella data, lizcra remessa ao Dr. juizdc direito
districto criminal, do inqnerito que procc-
dera contra Ernesto Gomes dos Santos, de quem
tratei "mi minha parte diaria sob n. 303 de 10 do
co Tente.
Em data ile ." do c, irrente eran nanlcou-me o ue-
'. do termo do lien Conselho, qne india l' do
crrente, no mata lomo publico d'aquella villa, fura
gravemente ferido com urna lacada o menor Lou-
. i Bezerra .le Castro p ir Jos Angelo, que lo-
evadir-so ; que sobre scmelliante fado pro-
,..(,.,,.... .i,,,-,, opelente inqnerito policial, o-qnal
i'.; :io referido dia -"i ivneKi I > ao r.-qi.-clivo Dr.
iinicipal para os d:\idis ta-.
i oti-io datad i de 8 ommnnicou-me ainda
aqu I! delegado que, em yirtuda d" requisicao do
i municipal do termo, caotnrarae rceolliera a
re uva cadeia o suprdito ros Angelo.
. olieio de 10 doCorr-inte, me puticipoa o
delegado do Cabo, que no dia 7 foram pre-os pelo
legado do districto do Arariba, d'aqnelle ter-
mo, Joaquim Barbosa de Vasccncellos, em fla-
grante delicto de furto de cavallos, e Alexadrina
Maria da Concelgao, tambera em flagrante, pelos
de injurias o orneabas a autridade policial,
e [ae no da 0 fftra ainda pra m j3io subdeleg do, Francisco, Ferivira da Silva.
por rime de offensas prsicas; que, acerca de lo-
di%esses fictos procolen-se aoa competentes in-
querll i pciciaes, os quaes foram lego renjeltidos
a. respectivo l>r. juls municipal.
Con i ollicio de 13 do crreme, o delegado da
Bseada recollieu esta reparticao lo armas prohi-
bidas por elle tomadas no dtstricto de sua juris-
(lic.'lO. '
Com officio de 8 ueste mei o delegado do torra i
! Bom Consellio, taiiibeui reeollien esta repar-
., l annis dofezas afli ajiprehendidas.
Segundo eommunicou-mo o delegado de Sen-
Dhom, por offleio de 15 d'este mesmo mez, as 3
horas da tarde do dia 7. em trras doengenho
i. do ip districto d"aquelie termo, Louronfo
Justiniano dos Santos, feriragravemente a ?eupro-
i Irmio Laurentino Ferreira, logrando evadir-se;
o (pial

proeedeq-se ao respectivo inqnerito poeial, o qual
o remetti lo ao juiz > competente para os de-
\ lins.
Hesta dala lommunicoii-ine o Dr. delegado di
capital, que hontein pelas ci ico e raeia lunas da
Urde, na praia de S. Jos. Antonio Angelo do
M ntc. teutn assassinar asna propria mnlher,
nao levando a ell'eito sen perverso intento, por ter
MM pitos da victima acutlido em seu soccorro
toldado do I-batalho de infantera de buba.
d conseguio prender o d.-linquenle, depois de
jlguma resistencia e de ser por este fendo n-essa
. no: .pieo respectivo subdelegado procede a
speilo, e que do resultado de semelhante
l ..-.liiiieuto, me dar scieucia, logo que'estiver
I ultimado.
enen n! a V. Exclllm. e Exm. Sr. com
lador llenrique Pereira de Lucena. dignissi-
iii) presidente desu provincia.-Ochefe de polica,
i,n>: Cunda de Queiroz Uniros.
DiaRIO DE PERNAM8UC0
RECIPE. 18 DE FEVEREIRO DE 1873.
noticias la Kui'opa.
Anianhcceu hontom em nosso porto o vapor in-
i\-.i I'atagonia, da linha do Pacifico, trazend da-
tas de Portugal at 5 do crrante.
Dos jomaos c cartas rneebiflos, colhemoso que
:
FRANCA.
0 presidente da repblica franeeza, o Sr. Thiers
tem ido cojninissio dos trinta para dar o seu
parecer a respeito dos projecios della, os quaes
consistem em admittir para o futuro urna segunda
cmara e affastar desde ja da assembja a presen
ca do Sr. Thiers.
A commissio concede ao presidente o que elle
reclama, mas so para Ihe servir em relaco as-
olea futura, e quer j a compensacao que o
priva dos roeioe de convencer a assenibla.
O "Sr. Thiers vai conteiaporisando para evitar
rrajW desintlligencias em quanto os estrangeiros
o&$m Wratfio raacei.
Ka coramissaO dos trinta fui votada a emen-
da .1 > duque Decazes, autorisando o presidente a
fazer-se ouvir na discussao das leis, quando Ihe
aprouver e annuneiar por urna mens&gem essa
iulen.o ; este calenda fui votada porm com a
reserva de que em ontro artigo se autorisaria a
iul'iven;ao do presidente da repblica na discus-
s.lo das interpellacoes.
A direita nao se atreve a aflrunta| o espirito
publico e vai-se conteotaudo em adiar constante-
mente as hiiestoes em que nao pude levar a mo-
Ihor.
Nadiscusso relativa ao conselho superior de
(nstrucco publica conseguio o governo que^ pri-
nieira nomeaca > fosse s por dona anuos, e que
fieasse a facilidad.- de demttir os nomadoe quan-
do a julgasse conveniente.
A asserablea nacional rejeitou por 42!) vo-
tos contra 33, a pryjpsla de Jubnston censurando
o ministra de insruc.ao publica pela sua circu-
lar modifican lo o systeina de uosino.
Dizem de Ver'sajlles, que entrarara no.the
waro 2,20) milhii.'s de francos a conta dos 3,000
inilhoes do emprestimo.
O governo pagou Allemanha no dia 22 13J
milhoes por cuita do quarto inilhar da indemni-
sacio de guerra.
Estao terminados os interrogatorios relativos
ao proeesso do inaiechal Bazaine ; tem sido ouvi-
das centenas de tosteinunhas e inuitas teem sido
inquerid is >Ht mais de urna vez.
l!m dos principaes meios de defeza do raarechal
Bazaine, que acensado de nao ter soccorrido a
lempo o mareehal Mae-Mahon, fazendo una vigo-
rosa surtida combinada com as peracoes deste,
consiste em dizer que nao tinha recebido o ultimo
despacho de Mae-Mahon de 23, no qual este Ihe
partieipavn que avancava com as suas tercas na
direceo de Metz, e que desde entao se Ihe tornou
impossivel eommuniear para fora e concertar-so
por eonseguinte com o camnnnduue em chele do
exercito que devia render-se em Sedan
No dia 26 uu 27 eontou um jesuta belga, o pa-
dre Boetman, que ia em caininlio de ferro, aos
scus eonpanheiros de vagem, que voltava de
M itz onde tallara com o mareehal Bazaine, que Ihe
entregos por essa oceasiio urna carta mettlda em
dous subscriptos, para ser entregue a urna senbo-
ra residente em l'aris, a qual deva faze-la chegar
s iiia>s da nuilaer do niarochal.
laqeridas a e.-te respeito .las das pessoas que
ouvirain aquellas paUvras ao padre Boetman, con-
firmaram-nas iuteiramente.
Sao dous depoimentos importantissimos. porque
piuvam qne aquella data ainda o mareehal Bazai-
ne nio tinira corlado as relacoes com o exterior.
Afllanca-se que est fota a prisao dos orlean s-
tas e legitiinistes.
Algnnsjomaes r.-ferem que o conde de Paria de-
clarara que nao liavra dora em diante senao
urna monarehia em Franca, e um s re. Entre-
tanto esla declaraeao n.io tem i>or ora carcter of-
lirial.
ITALIA.
O sanio padre recebeudo grande numero de i
luos da nobleza e burgueza apresentedos por
sens paK rtrmn^cTrftftfrl'F, depoi? de diversas pes-
quzas julga ter i cene nitrado na greja dos Santos
Apostlos, os corpos dos apostlos S. Kelippe e S.
Thiago.
6 senado ratiftcou a le que supprime o ensino
theologico.
A Aeoiogia nao ser ensinada senao nos semi-
narios.
AbolittdVse^o ensino da tbeotogia as universi-
dades, e entregndose exclusivamente^ greja,
os esteblecimeuto3 religiosos nio poderlo conser-
var a soa eomptela independencia, oque desvirta
um ponen aquella medida.
O Mtsre itore rumano, diz que, os calmbeos nio
podero tomar parte na subscripelo para o monu-
ment d>- apOleo III. pois que este fol causa do
estado actual da Italia, e porconscquiica da sua
igreia.
Alguns raembros da cmara proppem, que se
angmonto a- lisia civil do pana, deixando-lhe o
cuidado de i'i'over sustenta-ao das casas capitu-
lares das orden- religiosas.
Este meio termo proposto dara indirectamente
em resaltad o encerramento daquelTas casas, por
isso que o papa recusou e continuar a recusar a
poosao offerecida pelo governo de Italia, cuja
aceitacao elle considera um acto de simona.
Nao-ae sabe pois qual ser a redaeco definitiva
di) artigo da lei sobre as ;orporacoes religiosas que
diz respeito aquellas casas.
Sl'BClA K NORUBGA.
O re da Sueeia e .Noruega abri pessoalmente o
parlamento Sueco. No discurso da cora promette
a reforma do exercito c da marraba, a defeza do
littoral, caminos de ferro, e da instruccao publica,
principalmente a secundaria.
No seu discurso o rci recoca o proeedmento
dos res da dyna-tia dt Beruardott e: assegura que
os deseiOi do" rei 93o de ver desenvolvido o pacto
de uuio que existe entre a unio que existe entre
a Saecia e a Neruega. Falla das relacoes amiga-
veis com a Dinamarca, e exprime o desojo de ver
adoptar a convenci monetaria scandinava.
INGLATERRA.
O parlamento Imglcz deve abrir-se a .0 de fe-
vereiro.
E' esperado em" Londres o Sha da Persia.
emnaixador do Sha da Persia era Londres
nega o tratado que se dizter sido concluido cora o
czar, pelo qual se cede Bussa parte do terri-
torio persa.
. Dizem de Calentt em 21 de Janeiro que 400
soldados e voluntorios inglezes atacaran) urna po-
voa^ao de indios rebeldes, que, se tinham entrin-
cheirad) [lerlo de Klanath, Oregon. As tropas ti-,
veram de retirar dep ns de um combate que duron-
tedo o dia. perdendo 40 hoiuens entre morios e fe-
rid m,
Us Jornaet inglezes preoecupara-se com a sorte
futura das Das Sandwich e dissimnlaS conforme
p dem o erante que les inspira a exteisao do po-
jer dos Estados-Unidos.
O Timts recouhece que a influencia dos ameri-
canos infontestavel eque, cedo ou tarde o grupo
das ilhas avai ser annexadaaos Estadoe-Unidos.
Cun a fina de 5. Domingos suceeder naturalmen-
te oiuesmo.
Urna cc.iopanha de negociantes americanos ar-
rendou por noventa annos a baha de Samana, urna
das regioes mais feriis e a mais importante sob
o poni de vista militar c coramercial. Este con-
trato fo approvado pelo senado Jdc JS. |Domin-
gos, e, graeas aos embaracos tinanceiros da repu-
blica dominicana, nao tardar que o resto do seu
territorio cate em poder dos americanos.
O llailv nao ter melhor sorte.
ReaHsou-se era Lceds o congresso das socieda-
des operaras.
Os operarios inglezes procurara influir na poli-
tica do seu pala, applicando sleleicoes o mandato
imperativo, e ameacam com urna derrota eleitoral
os aembros da cmara dos- comtnuns que nao
prestara una sullcientc attencao aos interesses dos
operarios.
Todos os anuos o congresso geral das sociedades
cooperativas vota um certo numero de projectos e
de resoluroes que devem ser submettidos ao par-
lamento ; este anno, que foi a quinta reumo do
congresso, nomeou urna commissao parlamentar
encarregada de iscalisar a execujao das medidas
vetada*.
O ralatorio di- congresso muito importante; in-
dica os resultados ja obtidos :sob a sua influen-
cia, votou o parlamente a lei que impde novas obn-
gac5e aos proprictarios de minas e lhos prohibe o
empregar na explorac/io, muflieres e crean;as me-
nores de dez anius ; a iei que ostabelece a arbi-
tragein entre os patroes c os operarios tendente a
evitar as gravea, por urna parte, e por outra, que
us patroes pottsam despedir em globo os operarios.
Militas outras medidas torara voladas por sua in-
fluencia no parlamento.'
Na sua ultima sess.o resolveu o congresso. pe-
dir : t. a liberdade da PicieltHtj ou propaganda
grevista, que consiste era esperar os operarios
porta das offlcinas para os decidir por todos os
meios lcitos ou UlicUoi a consiiturem-se em gra-
ve ; 2."a interdccao do Irabalho as prises.
congresso re.coinineiida rm.iluient um movi-
mento cletoral para fazer eleger representairtes das
elasses operaras ao parlamento, e propOe dirigir
a este una memoria aeonselliando o estaheleci-
ineiito de'uin cdigo de leis iuteruaconaes ede um
tribunal internacional.
Sao aflictivas as noticias recebidas dos dstrictos
mineiros de Southwales : as minas est) abando-
nadas, as machinas inutlisadas, e o futuro da ex-
(lora'.o infunde serios receios. Largos annis de
Irabalho serao necessarius para reparar os da ra-
nos da grave actual.
A situaijo dos mineiros desgraeadissma. Os
eliefes da Traites Union c os ineuibros da inter-
nacional, que exploran a grave c que pouco se
impratara com os sortrimentos e privaijoes que ira-
poemaos gravistas e s suas polirs familias, ex-
ercem sobre aquelles ura pader dsspoteo e rato
consentem que deseara aos pocos a conservar em
boni estado os caminhos c as galleras, ganhando
algu.ni dnheiro cun que mantera' a fome que Ibes
bate porte.
As muflieres pedem para substituir os maridos,
poique antes de tudo, querem dar de comer aos
lilhos.
()s proprietarios intentara accoes contra os ope-
rarios por violaco de servicos e quebra dos con-
tratos, x
Esperara-se condemnacoes severt'. e as que al-
cancarem os caberas tera applauso publico.^ O
governo est disposto a manter a* con lenmacoes,
apezar das peticoes que Ihe tem sido dirigidas pelos
delega los das associacSes gravistas que para esse
fin, lizeram um raeelig.
AIDauca-se que o governo ottomano telegra-
phou ao seu cncarregado de negocios em Ingla-
terra, ordenando-Ihe que querellas*} do Times por
causa da publicado da circular apocrypha do
Khabt-pacli, que annunciavaa supposta unifica*
cao de toda a divida ottomana.
Parece que o governo inglez dirigir Sublime-
Porta una nota, recommendando-lhe a adop.ao de
urna poltica interna menos variavel.
nussiA.
Os Jomaos inglezes afflrmam que o conde de
Sehonwanoff deiiara Londres sera ter conseguido
fazer mudar a attilude do governo inglez na ques-
'to da Asia central.
Nio est isto de accor.lo com o que naRussia se
pensa relativamente aos resultados da missio do
conde.
. A Gazeta ofial de S. Petersburgo diz que
as negucu^tus c#in a Inglaterra relativas i Asia
central comernram em 18/0 e que a ultima raissJo
de que fora encarregaJo a Sr. Schonwaloff nao
mostrara nenliuinadliculdade importante.
Escrevem de Beiiira ao Times, dizendo que a
iuiprensa russa recebera ura aviso ofllcal, afim de
seabster.le qualquer allusao, mesmo indirecta a
respeito de Khlva, e aos preparativos de campanba
contra este paz.
O DailH X'ws recebeu de Vienna ura telegram-
ma iioticiando-llie a appariete de um despacho
circular do principe de Ooitschakol aos agentes
diplomticos da Bussa no estrangero relativa-
mente a expedie) contra o Khlva de Khavo.
Assevera-sc que a Rnssia est prompta a re-
conhecer a neutrahdade de Afghanstan.
O gran duque Nieolau vae acompanhar a expe
dicao contra Khva.
Era Inglaterra a irrprensa mostra-se receiosa de
que a Russia se apodere do po.to da Persia.
KOLMA.NIA.
A cunara dos deputados dq Bncharest votou
unnimemente una mensagem imperatriz Euge-
nia, viuva de Nanoleo III.
Annuncia-se de Belgrado algumas desordons
de Zevorniek.
Turcos armados quzeram obrigar o Ktan 'ton
a derrubar o sino da igreja. de (|ue resultou espa-
lliar se o pnico pelos chrslaos.
ORECIA.
A Fran.a c a Italia aceitara a medeaco da Aus-
tria no negocio das minas de Lauriuno. Se a
Grecia nao aiinur a sto, quebraren as suas rea
e5es diplomticas c ira o governo de Athenas.
ALLK.NUMIA.
Sao cada vez menos cordiaes as relacoes entre
a Prussia, c a Baviera. O rei da Baviera, contra o
parecer dos seus ministros, nao quiz seguir a
Prussia cortando as relacoes diplomticas cora a
Santa S, mostrando deste modo ura firme propo-
sito de se subtrahir o mais possivel dominado
prusiana, que pesa era demasa sobre os estados
secundarios da Allemanha.
Contara os jornaes bavaros um incidente des-
agradavel para a Prussia, entre o rei da Baviera e
o burgomeslre c conselhciros municipaes de Fuscn,
quo no dia de Natal tinham ido apresentar os seus
cuniprimentos ao rei.
O rei da Baviera rospondeu ao discurso do bur-
gomeslre, cora toda a seceura : As palavras
nada significara; os actos que eu aprecio ; e
quando o burgomestre Ihe ia responder, para pro-
testar contra a insinuaco de deslealdade, o rei in-
lerrompeu-o dizendo :
A cidade de Fusen mostrou excessivo cnthu-
siasmo por occasiao da recepeco do prncipe
da Prussia quando elle veio fazer una inspeccao
s tropas bavaras.
6 Burgomestre deu as suas desculpas, dizendo
que aquellas homenagens se dirigiara ao general
do exercito de Baviera e ao vencedor de Woerth.
O rei rospondeu : Ja eu tinha agradecido sufli-
cientemente ao principe, quando as tropas re-
gressaram a Munich. Quando o principe estove
era Fusen tinha apenas b carcter de inspector.
Acho inconveniente esta exhibidlo geral deban-
deiras prussianas, c sobre tudo das novas Dan-
ce deiras prussianas. Nao se pode ser ao mesmo
tempo bavaro e prussiano
A cmara dos deputados prssianos discutio
durante dois dias o projecto de lei sobre a edu-
ca^ao preparatoria dos padres catholicos, aptsen-
tada pelo Dr. Falk, ministro dos cultos.
O govenio, disse o ministro, nao ponsa era oppri-
rair o clero catholico, mas como alguns bispos se
teem insurgido contra as leis do estado, iulga no-
cessario recordar-llics que todo o cidadio dove
obediencia s leis.
O presidente do conslha declarou tambera pela
sua parte que havia o raaior accordo entre os
membros do governo, sobre a necessidade de op-
p6r um dique s tendencias invasoras de Roma.
Foram modificados os dois principaes artigos
da lei relativa aos cultos.
Os dois artigo3 determinara que as diflerentes
religioes se organisem interiormente como quize-
rara, mas (candi sujeites s leis do Estado ea'sua
nscalisac.
Portencem-llies as instituicoes e capitaes desti-
nados ao culto ; nstruccao e caridade. O go-
verno nomcia os padres e capellaes do exercito 9
dos estabelecimentos pblicos, e marca os limites
da disciplina ecclesiastica. Sao os artigos 15 e 18
da lei.
AUSTItO-llliNlilU .
AinJase nao sabia so os deputados di.Galli-
cia toraarain assento 110 parlamento.
- Os tebeques representara contra a lei eleit >
ral que Ibes concede o suffragioeleitmal directo.
HRSI-AMIA.
Acerca deste reiao escreve msso correspon-
dente de Lisboa :
A iiwurn-ieo carlista vai senda siiiTocada I
Os insurgeules paracem mostrar-se menos audases
depois das batidas qne ultimameie teem sollrido,
e de ijuc me tenbo aqui oceupado. Politiciiueiiie
a iraprensa de Madrid raostra-.-e priiicpalmente
preoecupada com um facto queoccorreu na capital;
que ter o duque de La Torre c meorrido ao paco
e conferenciado com o rei Amadeo. Desde que
sabio'do ministerio em principios de junho do anno
prximo lindo o general Serrano, pao voltara a
palacio do Oriente, era sendo convidado, e a opi-
ni) publica avancava que elle nao voltaria all
mais e eslava propensa a acreditar que se-ia collo-
car em oppusicao, actual ordem de cousas : natu-
ral pois, que se inipres-sonassc cora o. aonteci-
mento referido. Sio varios os juizos sobre as
causas d'islo. Sabe-se que 1). Ainade.i mandn
chamar o duque, e que elle acudi promptamente
ao charaaaiento : diz-se que fallaram de poltica,
mas que o pretexto do convite foi consultado so-
bre assimpt^s'relativos ao prximo nascimento c
baptisado do filho. Qualquer que fossem, purera,
as causas, os elTetes sio clanssin is : -o duque de
La Tone, qu'os conservadores da revolnrao, at
os anti-d) nVrqos, .dizem ser o seu chefe, nao
abandona ii revolu.ao de setembro nema dynastia,
com a (pial continuar, portante, a marchar todo
esse partido, que pareca correr em debaiida.la
para o aTonrisnn. Boa nova, pois, qne b* doin-
fluir muto provavelinentc a todos os rspenos,
Ver-se-ha o Diario HrspvM, '>>; ac'*!,a g" l'lz'>r
que s reconh-ca no partido o general Serrano,
abandonar o anti-dviiastisnii intransigente cm que
se tinha eollocado.' Ver-se-lia a Poltica que sein-
pre Ihe foi nmito affecta, arrefecer par isso 111 seu
inontpensierismo? Contaremos.
da lles|ianha. e em brete estar de totlo acabada ;
ontro tanto Ihe nio posso dUgr da Catalunha e
Valencia, onde prosegue altanadamente. Apezar do
novo capitao general, nada se tem podido conse-
guir. Os carlistas nao abandonara o seu systema
favorito de fiver custa dos potos, ou inesino de
negociar com a guerra : a poca diz que a sua
campanba principal seinpre recolher fundos.
Quanto ao prelcndente, dizem que partir da froii-
tera, seguiudo para Riom, no de|wrUment 1 da
Gironda ; nao se diz, porem, se por moto proprio,
ou por ordem do governo fr uicez. Alguns jornaes
diverteru-se em dizer que a liltia de D. Miguel de
Braganca. esji isa do irino, entrara cun es'.e na
Catalunha vestida de amazona ; sendo comtudo
mais pie provavel, que ambos estojara em Franc.a
livres de risco e ncommo los. A opposi.ao espalha
boatos era tudus os sentidos para enflaquecer o go-
verno. Agora diz quo Cordova sabe doniinisteno, e
que o general Peralta pedio a de nis-o do cargo
de conaii';a qie oceupa ; o t|ue dizem e inau
agouro para os radieaes; pois que elle tem bom
faro poltico. .
Falla-se era que D. A-naden, pasa mais prender
o duque de La Torre, o os constitucionaes, de
quem chefe. trata (pie a duquesa ft'.a a apres.-n-
tae'io ) infante que ha de nascer, e que o duque
seja o' padrinlio por prucura.ao de el-ret 1). Luiz
de Portugal.
No congresso o ministro da fazenda aniiuu-
ciou que apresentar brevemente a eomptela e de-
finitiva solu;ao da questao nancoira. sera novas
einissoes, e vspeilando, finalmente, todjs os dirci-
tos. ....
No lc de dezeiubro ultimo importava a divida
ilueiiiante de IL-spanha a 403,380:432 pesetas :
durante o mez de dezerabro soflreu um augni,-nt 1
de |MLW3:3H pesetas e una diminuicio de-----
211 3\ 2;.>3t;; assim que no dia Io sle Janeiro
Borrante mportata a dita divida em 385,497:47
D6S6I99
Chcou a Madrid eslac> do norte o ca Ja-
ver do duque de Medinacelli, que pela linha do cir-
c-univalaco foi trasladado a estacan do sul A s.(
horas da'tarde, ve-ifieou-se a condueo aocenn-
t*riO de S. Nicolao,- onde se ergue o pantbeon da
familia do Aado. Ao enterro concorreram, alera
dos embregados da casa e do clero da parochia,
militas pessoas que tiverara noticia do acontecido
e outras que do defunto duque receberam mces-
santes beneficios. _
A partida conimandada pelo cura Santa Luiz
entrou tm Aya exigindo 7;000 reales qne nao p ide
haver, em consequencia da aproxraiacao das tro-
A partida qne conimanda o cabeclha Rada n-
contrara-se nos ltimos dias em S. Martn d l gisr.
onde se Ihe reuuiram alguns homens. Este parti-
da conta cerca de 308 homens.
Era S. Sebastin os carlistas cortaran! a rana
frrea entre Rentera e Irnn, por se persuadirem
que cheeavara naquene dja as barras de praia e
ouro consignadas ao governo hespanhol.
O capitao general de Valencia este cncarregado
de perseguir activamente as fac.oes de Maes-
trargo, que se compoc das partidas de Polo e cu-
o s peridicos de Valencia do extensos por-
menores da completa derrota daquelle ultimo ca-
beclha. Fcarara 110 campo 33 martes e hzeram-
se 32 prsioneiros.
A
compo
direceo Ozorpiieta.
"A compaiihia Gnias de Fortoza prestou lti-
mamente um relevante servido, prendendo na es-
taeo do caramba de ferro de Amposta.na occasiao
de subir para o trem, o cabeclha Blan.piel. que
a encorpurar-se urna partida carlista. O preso
foi conduzido a Tortoza.
Foi roubada em Marcia a Igreia parochial. le-
vando os ladrees varias joias de valor e outros cb-
Jeetos de culto. ,
O comliov do correio de Logroo para l am-
plona foi sorprendido pelos carlistas, :.ntes de
chegar a Estella, no monte de Arqueta, roubando-
lhe toda a correspondencia official e particular de
Madrid. No alte de Mencrn foi de novo detolo por
outra partida, roubando-lhe a correspondencia ofli-
ciil de Estella a Cyranqui.
a N'am dos prximos dias, ao meo da. ouvi-
ram-se emTafalla alguns tiros de artilhana. cujas
detonacoes pareciam vir dos lados de Pamplona.
Era a dita praca (pie saudava a entrada do gene-
ral em chefe.
a Chegaram a Madrid pelo coniboy de Audaluna,
cora destino aquella praca, 60?,000 cactuxos de
espingarda e 341,800 para os carabineiros de ba-
ragoca, Rurgos. Cada-de-Rodrigo e Valladohd.
a A povoa-Ao de Tremp acaba de ser assaltada
depois de 4 horas de vivissirao fogo, por 8i
Portugal, o raarqnez de Buille, ministro da Franca y^ d-a|| (|UC os benvolos e o directorio
em Madrid. republicano re imam o ascendente qne liveram
Os carlistas queiuiaram a estacao do caininho n partido cem nome de todo este, Castellar pede
de ferro do norte, llernani, e fu ilarain Miguel
.leuz
As tropas voluntarias partirara iinui:diataiiiente
era sua perseguirn.
Era Santa Coloma (Tarragona) verificou-se
um 111111111 mili una partida de carlistas e as
tropas, dssolvendo'se aquella ao prinieiro fogo.
Cicgarain a Valencia no trem de Barcelona,
80 prsioneiros carlistas.
Ferrar e Panera cora uns 100 homens, (liri
a uniao de todos os liberaos contra a unio que
se vai realisando de todos os reaccionarios. A
iraprensa radical allude cora enthusiasnio a tal
I esta c a taes deca raroes.
Pude-se, concluir, pois. de tudo que o governo.
de accordo com os republicanos, se propoe fazer
rosto a reaccionarios e conservadores, estando,
portante, a jugarse a sorte da monarehia demo-
1 ratiea ; leudo esta por parceiro o republicanismo
|ue naturalmente espera ganhar-lhe o bolo, em
gem-se para o Ehro ; quatro columnas do exercr- segmida oartlda, se ambos nao perderem fri-
to perseguem-os activamente. meiro.
Moones eomeoon as operacOfes activas con-. ,;omo p#lava aimncad0, verificou-se o bap-
tra os carlistas de Navarra e das provincias \ as- sa(]o do il|lau|e Lm> Alliadeu na capella real de
congadas. Madrid.
O deputado Aguiar perguntou ao ministro da >- n;|Ve prno|l;1| dividida em ipiatro tribu-
fazenda, se 110 caso da opiuio publica se mam- ,-,as t.stavam os raembros do coi po diplomtico e
testar contraria ao pagamento du terco dos eou- g^ St.h0ras, as commissdes de ambas as ca-
pons em papel, erara dsposto a modlBcar a pro-
xiina lei do orcamento. Kchegai y responden que
se os possudor.-s da renda Ulterior se. reunissem
e maufestass :in tai desojo, preferndo outro im-
posto, faria voluntariamente qualquer modifica-
cao.
Ao regressar de Iruin Pamplona, o general
Mariones fez fogo ao trem qne conduzia o parti-
do do eura Santa Cruz, ficaudo ura soldado feri-
do. A faccao era composu de ns 100 homens.
u Em varias povoacoes de Navarra comecaram
niaras, os ministros e suas enli ras. as autorida-
des ti vis e militares, os generaes,.os altos func-
i'onarios do estado, etc.
Estavam tambera os altos empregados de pala-
co, gents-homens e camaristas de semana que
nao se achavam de sondeo.
No espaoo central, formado pelas tribunas, e
d.baxo da cpula do santuario, tinha sido collo-
cada a pia baptismal, de prata, cora adornos de
ouro. e robera por um rico docel. Ao lado,
sobre ura banco forrado de tapessaria. via-se o
a organisar-se corpos 'de voluntarios para bater Sl.ry(.(, pnr;i 0 .sagrado acto todo de ouro e pri-
os carlistas. morosamente cnzelado.
Era Irura verificou-sc una conferencia entre () ro entrou precedido dos camaristas de se-,
o general era chefe do exercito do norte, e o ca- maMj gents-homens e ineuibros do gabinete, c
pito general das provincias Vascongadas, Sr. i,J1Uull J-,, dehaixo do docel do tbrono. armado
Gonzales, com o lira de emprehenilerein de rom- ;i eS(|1,e,da. conservando-se senq.re de |n'-.
mu accordo, e de tira modi activo e eneas, as A- fruta do tbrono collocu-se a cuftdessa
operacojs contra as partidas iniraigas. de Almina. dama de servido.
' A faccao Oseara, coraposta de 300 homens,; velo continuo chegou, dehaixo do pallio, pre-
/oi batida entre Jazei c Araniz pela columna^do l0dida e rodeada pelo clero, a esposa do erabaixa-
brlijadeiro Fernandez, perte de Irum, caurando-' dr portugnea, com o infante nos bracos, acompa-
Ihe morios o ferido-. e tras prsioneiros, e sendo n\Vkl,]d ,\ duqneza de Prim, camarera-mr da rai-
apprahendidas mais de 100 armas de fogo. O ha, e de alguns altos funecionaros.
mesmo succedeu as fccoes Ferrar e llenera.
O? res de llespanha visitaram o asylo
dos
vi'lhos, estabelecido na ra llortalra, n. 4S, e de-
i'norando-se all cerca de urna hora, prodigalisa-
ram aos recolhidos toda a especie de consolaco.
0 orgao do coro comecou a locar e a fronte
do novo memoro da casa de Saboya lecebeua
agua lustral do baptismo christao.
F.111 seguida passou o clero da capella rea!
para a esqnerda do throno. o pr i-capellao mor
No asylo do Prado ex>tiain no i." de dezera-. defini ao rei e a esposa do embaixador. cuno re-
0 ultimo 441 asylados : entraraui no mesmo presentantes dos res de Portugal, os vnculos es-
ez !)J; sabiram 102, licaram pois, exisluido, pjrjtuaes (pie acabavani de eonlrahir, retirando-
pnsioneiros. .
l partida enmmandada pelo cabeclha Mosa.
osta de fil) lioiuens, passou em Bernete com
ciosos commandados pelos famigerados Nasasre e
Cainate. Nao occorroram, comtudo, as desgranas
que se espsrarm depois do assalto, pois s ficou
morte um voluntario e outro ferido, havendo da
parte dos carlistas 5 mortos e 15 feridos. Quei-
maram todo o edificio da cmara municipal, im-
pendo depois aos habitantes urna contnbuic.ao que
monta a 2,700 duros. Os voluntarios refugiron-
se na igreja onda, permanecerara at ao dl* s*5-
gunte, em que se entregaram aos carlistas, por-
que estes apoderaram-se de suas familias. Deixa-
ram-os, porm em liberdade e seguiram para Pobla
de Legur, onde faro ignacs gentilezas,
a Foi agraciado cora a gr cruz de Chritn, de
bro
mez
429.
Brevemente se dar no grande theatr do li-
ceu de Barcelona, una recita era beneficio da
commissao de padres e iuteressados no prmeiro
batalho de voluntarios calales de Cuba.
Fallecen all, o antigo advogado D. Jos Xu-
riacb y Fabra.
A depulaco provincial de Santander, subs-
creveu cora 4*(KH) reales p ra a compra de salva-
vidas para aqueito porto..
A rainba deu a luz, no da 29 do mez lindo,
pelas 10 horas da noute um robusto menino. Mai
e lilho nao inspirara cuidado. O ceremonial fez-
se no dia 30 com as eostumadas etiquetas.
a Dizem que este principe se deve chamar Luiz
pelo facto de ser alunado do rei de Portugal.
u Ha esperancas que os carlistas abandonen! a
ferocdade que desde lempos ostentara, c que eu
tenbo relatado cora as exprassoes mais frisantes.
Dii-se que o pretndeme ordenara qne se absti-
vessem de fuzilar. Bom seria para se evitar o
grande numero de victimas que se fazem diaria-
ramento.
Entretanto parece que contina a guerra
aos cofres pblicos e particulares J 6 desgra-
ea de partido.
Os conservadores constituconaes resolvern)
que os seus deputados e senadores VOitassem a lo-
mar o seu lugar as cortes.
lia. pois, mais um partido era plena altitude
de opposico legal. ,
U que, porm, nao est ainda bein definido,
o seu proposito quanto a dyna-tia. nao tendo o
general Serrano contradilo a indisposeo que
Ihe allribiiem a respeito do re Amallen, e exis-
tndo grupos anti-dynastcos que o dizem seu
chefe. Portal razo, os aflbnsinos Dan ha mei-
gnice que Ihe nao facam, como nao Derdoain
a Topete a decisao que esl mostrando a fa-
vor da dynaslia de Saboia. e do inesino modo nao
poupain agora meios alguns de se organsarem e
forlilicarein.
Acabara de aprovetar os anuos de I). Alfonso,
convidando ao circulo affoiisino de Madrid, mesmo
os nao declarados all'oiisiuos como alguns antigos
unionistas de l'adif se Ibes uniram, incitara a
todos os domis a que sigam aquelle exeraplo ; e
sobretodo raanubrara cora a grande alavanca dos
circuios bespano-ultraraarinos, e Iyo-nacional,
mculeando-se como os verdadeiros salvadores da
integriJade do territorio.
Ser, entretanto, para estimar que o general
Moones rom-ce a perseguico aos carlistas; de-
ven, lo Garnnde fazer o mesmo; porque os peri-
dicos de Madrid, fazem ver que a insurrei(;ao c-
tala e mesmo a das Vascongadas e Navarra se
tem tornado imponente.
O governo prosegue lutando contra as nanitas
dlliculJades que 0 cercara, mas infelizme te, nao
musir desmerecer inteiranicnte a iinputacaode
impotente que Ihe dirigem noquj teca a carlistas.
u Na poltica, corlo que vence as cortes; mas
na iraprensa v a liudo batidos os seus orgos._
Quera se mostra ainda cora menos loica sao
os conservadores constituciouaes.
Os affonsinos navegara em man'- de rosas
produzindo em Cuba o maior desagrado os pro-
jectos do governo sobre a escravido.
Rebentaram novos conflictos entre os ofllciacs
d'artilharia de Tarragona, por causa da noniea.o
de Hidalgo, general de infantera, para comman-
dante d'aquella divsao. J relalei a causa de tal
desaguisado, que manifesta. a meu ver. urna in-
suburdinacao ; pois um general, pelo faclu de ser
d'in'antara ou cavallaria na deve deixar de
conimandar nina divisao, onde, necessariamenle
deve pertencer, um ou mais corpos do artilharia.
No ultimo conselho de ministros realisado, o
governo resolveu abondonar o poder priraero,
do que ceder a taes exigencias. Zorrilla trans-
muto) a el-re tal resulucao.
Fez-se a leitura no congresso do relatorio
sobre a abolicao da escravatura. Muilos deputa-
dos pedirain a palavra. para fallar contra O
presidente respondendo a Collantes, manifestou a
opiniao de que a discussao deve ser completa, c
continuar etnquanto houver deputados que quei-
rara tomar parte n'ella. O ministro dos negocios
eslrangeiros approvou.
o Para se apreciar bera a siluaco do paz, devo
notar : que a monarehia democrtica de D. Ama-
deu est apenas amparada com a forca que d o
poder, infelizmente entregue a um partido que
tein mostrado nao saber aproveitar-se della;
que muito duvidoso que o general Serrano
Jucira empregar os meios para a salvar, frente
os conservadores constituconaes; que os repu-
blicanos esto boje abatidos e a,us carlistas nao
pode conceder-se futuro ; os affonsinos comecam
a mostrar que sao realmente para ella ura grande
e eminente perigo, a nao ser que Montpensier
cora os serranistas venham enfraqupce-los, apre-
sentando-se mais um p-etendente ao throno.
Os artistas de Madrid deram um jadiar em
honra de Emilio Castellar. Sao notaves os dis-
cursos que por tal occasiao se pronunciaran!, e
sobretudo o sao, as declaracocs que o grande
orador all fez. /
pntuaes que
se aquella senhora cora o re sua es.pierda, a
camarera-mr direita, e atraz a condessa de
Almina.
Fechavam o cortejo os ministros, gents-ho-
mens e dentis altos funcionarios que tinham
precedido o inonarcha entrada.
Eis s ultimo- telegrainraas aqu recebido:
Madrid. 2.-No congresso. Zorrlia apresen-
tou um projecto abrindo um endito de 12 milhoes
para o desenvulviniento da rede telegraphca.
Respondendoa una pergunta du deputado Santa
Mara, deplorou os attentados que os carlistas
coiniiietlem. Disse que o governo en.pregaj.
maior energa ; as guerrilhas do Maestrazgo esto
aniquiladas; Saballs foi derrotado e a guerrilha
de 1.20 carlistas completamente debaudada, per-
dendo 38 mortos, dois dos quaes enrtn padres.
Podi-i afllan.-ar que a insurreco terminara
brevemente e que se resiabeleceriain as coromu-
nicacoes com a Franca. Respondendo a Lagune-
ro, repello a aecusaco de tolerantes dirigida s
autoridades Iraneesas, Disse que a Franca
amiga da Hespanba e que procede bein internando
os carlistas.
Madrid, 3.-A Gazelo diz que era consequen-
cia da accao de Aya. as tropas lomaran aos ban-
dos (tilo e Santa Cruz 8t0 espingardas Remington,
.'IdO de diversos syslemas, muflas caixas de mnni-
coes, plvora, pravisdes, papis, mais de 60 mor-
ios, 100 prsioneiros; e 1 cura morlo, outro fe-
rido e ontro prisioneiro. Os voluntarios de Eibar
repelliram o ataque do bando Olio. 80 carlistas
pediram amnista. Os.carteiros de Madrid deda-
raTam-se era grrt esta manila. Os bolelineiros4e-
eg ra piucos o agentes de polica foram encarrega-
d.:s da distribuic-i do correio. Julga-se que serao
despedidos todos os carleiros.
POUTILM..
Em 2'i de Janeiro escreve nosso corresponden-
te de Lisboa:
Depois do interesse que suscitara os debates
politices da resposta ao discurso da cora, sao a
qnesto de fazenda e as propostas (pie llie dizem
respeito o assurapto que est prendendo mais a at-
tenciio publica.
Dga-sc, porm, a verdade. c fura do recinto
do parlamento nao ha o calor opposicionista neni
o enthusiasnio governamental que all se manifes-
ta as pbrases apaixonadas dos oradores dos dous
grupos.
Deve chegar a Lisboa no da prmeiro de
abril on prmeiro de maio o priraero vapor da
companhia Lttekarfwn retmit, que acaba dees-
tabelecer-se em Pars.
a A carrera para os portos do sul do Brasil.
Tenrona a mesmo companhia estabeleccr urna
carrera para o norte d'aquelle imperio. Sao
agentes nesta cidade os Srs. Pereira & La Ro-
que.
Falleceu o Sr. Jos Candido d'Assumpcao,
contador geral da junta do crdito publico. Fal-
la-se em que ser nomeado para aquelle lugar o
prmeiro ofllcal do ministerio da fazenda o Sr.
Antonio Mara Pereira Carrilho. Oulros dizem
que ser cscolhido o Sr. Francisco Costa 'e Silva,
que fui do extracto conselho ultramarino.
No domingo 26 faz o Ilustre traductor de
Moliere, visconde de Castilho, 72 annos. Grande
numero de scus amigos costumam colebrar todos
os annos em bomeiiageiu ao prmeiro poeta por-
tugnez da actualdade, um sarao litterario em ca-
sa do nobre visconde.
Continuara a editar-se livres portuguezes com
declaraeao de qne a propriedade da obra per-
lenoj a subdito brasileiro o Sr. Fulano ou Si-
crano.
b Chegou ba dias a Lisboa o bispo de Vizeu.
A sua grey de reformistas foi espera-te os-
tacao do caininlu de ferro.
c O ilustra prelado est em ptima disposco
de sade e energa. Houve nessa noile reuniao
poltica em casa do Sr. Latino CoeltiQ, onde o re-
ferido prelado compareceu.
A corte inda esto de luto pt-la morte de Nano
leo III. Baque eu-me na minha ultima citar-lhes
a forma pela qual o Diario do Governo, na parte
official, annunciava o luto de lidias, pois declara-
va que era em demonstracao de senilmente pela
morte de sua magestade o imperador Napoleao III,
como se a disposicio deste soberano e a existen-
cia da repblica-nao fossem factos poliiticos oB-
calniente reconhecido pelo governo de Poitu-
gal.
o A iraprensa mais independente censurou o
lapso de bureamocratico% da chancellara offlcial,
pois nesse caso, o governo nortuguez poda fallar
no Sr. D. Miguel III, na rainba de llespanha Isabel
II, etc., etc Isto pouca importancia tem, mas
prova de lemlidade.
As ultimas noticias da India portugueza sao
de 21 de dezembro.
a Contrauam a relatar as proezas dos salteada-
res, apezar de esterera redutidos a 1J, s*ff^
dizem os jornaes de Goa. Foram assassmaewe
mais dous individuos, sendo um dells um pro-
prietario i-i portante das Novas Conquistas, e
outro um uoqpntque se linha posto em sen.st

i
1 11111111 j



'
Diario de Pemambuco
v '----------*-------------
Terca feira 18 de Fevereiro de. 1873.
i

do governo para pcrscgai<;ao dos facinoras. Os
salteadores cortaram-lhes w maos, os ps e ra-
been.
Anda nao est providj lugar de directo
gerl do iastruc;ao publica, vago" ek fallectaen-,
todiDr. Antonio Je Carvalho. Falla-se no Dr.
Mogo Pereira Forjaz de San-pavo lente da univer-
sidade.
Tambern se tem htdigitado o Dr. Mamedc c
Dr. Thomaz de Carvalho.
A faculdade de philosophi da universidade
de Coimera, na sua ultima congregacao, comme-
morn oih termos milito honrosos as virtudM do
seu fellecido vogafo Dr. intento de Carvalho fir-
mao do nosso fallecido mtnstro na corle d > Rio
de Janeiro) c decidi unanimementi' que se lan-
casse no livro das acias un voto de sentimento
iwla p?rda deste professor.
o O Sr. Dr. Aut hm> de Carvalho deixou um
imjiortnte manuseripio s;bie a Flora Porlnn.--
za, ein i|ue Irabalhava ha nitiitos annos. O oh-
joeto desic traltallio versa sol)re a intiga Flora de
botero, f izondo notaveis iBtnftettSes e eruditas
notas do livro do celebre botnico nortuguez. e da
a deripcao do novas especies de plantas.
O gran o oriente Luutano unido voton, sob
proposta do seu activo vogal Francisco Paulo dos
Santos, que todos os anuos se dessem premios
pecuniarios aos professores primarios do estado
que inaior numero de discpulos procreasen ter
aprosentado a exame eom approvaoAo, e bem a<-
sim ouinis pmniufl s creanr-is mis applicadas
'das referidas escolas.
a Murreu em Lisboa o general de brigada S -
/.'mando Ribeiro Arthur, antigo coomiandanto do
regiment de infantnria n. 17. Era comniendador
le Aviz e tinha a medallia das campanbas da li-
berde, algarismo n. 9, e a ile prata da expedie-o
a Hespanlia Sentara pra.a era 1824 c fiVare-
formado phi 1869.
Contimia a expisico d'recem-nascidos pe-
las eocadas dos predios. Da lias foram depor um
menino na oseada da rasa onde mora na ra da
'jaiittinha o Sr. Andrado Curvo, ministro do> ne-
s-'n-i :s cstrangeiros, e interinamente da mnrinha e
ultramar
GontinAa a imprensa do reino a clamar para
que soja substituid i o Sr. Jos Maria da Ponte
H irla, governador gerai da provincia de Angola.
Parece tambero-que este funecionario instara j
par.i a Metiopole para que o exonerem quanlo
antes. A imprensa local nostHisa-o. O prestigio
uo preciso aos governadores das colonias, j elle
eom on s.mii ra o perdn, e por isso insustenta-
rej a sua postilo.
O Sr. iVuvo foi interpelado na cunara dos
depntados acerca dos negocios "Angola c insur-
retcjto dos Dcmbos. <) ministro nao se explicon
saiisiact oi.uneiue, mas den a sua palavia de que
pelo prximo paquete mandara providencias" ener-
;-i<-as. A inais urgente de tudas a presenta alli
de una for? respeitavel de I'uva enviada do roi-
a i. Pare o t idavia, que as noticias, apear do
\v-. niio s i dese'p rada .
Km :t do corrente aocrosecnia o nosso cor-
respondente de Lisboa :
Abrio-se no Porto, ao publico, no lia 20 do
corrente mez. a fabrica Auri/kia, para eomme-
inerar o :! anuiversario deste tao utd, quanl i bem
nntado esiabeleciiii'iit).
u A fabrica tomon-se patente s 9 horas da
'innlia; pois at s :| oras da larde estove cons-
taatetneute chela de visitaste}. Durante o lem-
po que t importante esiabele-ment est iv i era
'\;. :i -o. tocn a banda do regiment de infanta-
lia n. 18.
Trabalharaiu entretanto as seguistes machi-
nas : De earpinteria, serragem de madeiras, de
ajtregagem, corla leirasde tornos mchameos, batan-
e*, de cnnhagem de medalhas, de polinagem de
pi'mi-, etc. To lo o ediueo estiva ricamente ad
. nad do'ii bandeiras, llores etc. Dopois das \
horas da larde pervio-se o jantar, a que assistio
lodo o pessoal da fabrica, assim eom -, alguna con-
vidalos, sendo ao todo 120os talheres. Occupou
.i presidencia o Sr. eommedaiior Ifanoel Maria da
Costa Leite. havendo durante e banquete divers -
brindes, e ncerran lo-se eom um brinde de honra
.-i S. M. el-rei o Sr. D. I.niz i.
J se procedeu, no Porto, avistoria nec.ess:fria
pira a expropriaeSo dos diversos predio- que
ie -n do ser demolidos para a abertura daera
roa que tem de unir a pra.a de Carlos Alerto
>. > ii a ra de Santa Thereza.
Coostituiram-se em grce 'culo e tantos ope-
rarios da fabrica lie t ibaejs. Li.sa-llritanica, inon-
la la em l.lsli'ii. Coiii-se o caso pelo mulo se
gaiate havia na fabrica nm tralialln que era
mal pavo, on pouco rendoso, e que os operarios
execntavam cu nul divamente comoutro, nao sen-
lindo, assim, tanto as consequoncias de ganharem
menos por aquella uo de obra. Os directores
resolvern] que a I il Miela lo-se dada, em certos
das d i semana, o nos outros o trabalho mais ren-
<\ -se. Os operarios na i estiveram por isto, e diri-
ii.-am--e em conini's- i a u:n dos proprietarios,
que procurou eo!ivenee-hs: mas sem resultado.
Altmdonaram. pjrtanti, o trabalho, e foram
apreMotarjisua pendencia federa cao.
Os macbinistas o outros operarios do cami-
titio de ferro do n irte e leste, requereram ao di-
rocl >r para que reailmittfsso aliuns operarios des-
pedidos por pertencerem fraiernidade. Odiree-
lor nao respuudeu. A assoeiaco Fraiernidade
participoa ao ministro das obras publicas o que oc-
coirera, e que os operarios estavam resolvidos a
saspendor o trabalho at os ou".ro< serem readmil
tidos. Piibliearam, mais tarde, um aviso dzendo
pie quiuta-feira 30nio isabalhavam. BfTectira-
mente o comboyo que devia partir s li horas e
t da manb das Devezas (Porto) nao pode partir,
.-lieirando. porm, o eomboyo do correio de Lisboa.
A"s *> horas da tarde, pelos esforcos da direceo,
nao deixou de partir o correio, sob a direceo do
-lele, do depasito de Villa-Nova de Gova, levando
au fora preventfv! de indantaria, commandada
par um ohwial inferior. At esta data nao teeni
'ido iiuerroinpida> as viag- ns lo correio. por ter
.: companbia lancado mi de recursos superiores
,) :pedio ao gov< rao os sapadores macninis-
tas, attandega varios maeliiu stas de vaporas, e
ji arsenal de marmita os macliiniitasefogueiros ;
estea oom 4 macbinistas que nao assnmirara a
_i'-ve e que teem feito o serv o dos corretes. Os
- tmboyos de mercad nas estiverara suspensos iwr
pouco lempo.
Foram mettido-: em nroeeiM todos os grvit-
tm da classe dos maetiinistas. porque oregnhmOB)
i do caniinlio de ferro, impoe a pena de 6 mezes
i sin a dous annos, aos mactiinstas que abando-
naren o servieo son que li ijam prevenido e im-
[anbia dous mena ai tes d o (axerem.
Onuine o de grevistas ohega a i.)().
A cur.pauhia est drnoste a resistir.
" BsperAva-se pela groe as liabas de sueste,
ms ate agora nao se mauilestiu. Foi digna de
iouvor a energia que moetron o engeobero Ma-
.ioel Espesgneua, nesta coajniictura.
No -lia Si do corn ote foi o proeesso do vis
eoade de Ougiudla eom viste s partes. Est em
poder de |iassar para o reares al do ministerio pu-
Mieo, e wn seguida par.: o rel.it ir. Tem so no-
tbdeado varias pecas doproees.o como cima dei-
xo dito. Sao depoime.'ios das testemanhas. .'
ao bou pasto para a imprensa,
Alguna capitalistas e negociantes da cidade
de.Braga, reuniram-se ha diasi sob a iniciativa de
um que lembrou a vantagem qu: resul'.aria para
o commercio. da creara d'nm novo banco, que
eve tomar o nome d -Baiico Commerclal de
Braga,-cujocapital* r l laccSes de ifOi, ca-
da urna. Poi Macos presentes nna-
'ini"".''/! a; pro-ala lal lemliranca e proposte,
eentreo pie n s e alguna outros amigos que
"iisiaram 'ca I iio, abrirn) nm rateio de
diversas acco^
Dorelatorio e coates da g'reacia da direceo
i Monte Pi Gcral de Lisboa, no auno-de 1872,
. ah os seguinte eselareeimentos notaveis, por
.inais de um motivo.
A raeeita propria ^alisada foi d 97:0i't7'i">.
'superar mn 0:941.4720, a do a mo de 1871. Bea-
ta receita pertoncia ao fundo disionivel 66: V*<3356V,
e ao fiindo.permanente, 30:.fftil8i. Do fundo
ii.^iir.ivel, depois de pagas as peasGos e todas as
dcniais.despezi3, leon um saldo de I5:0V54M5, o
pa! inlio receita propria difund penmnen-
t", perfajum augmento efectivo Jde 45:8 64686,
oeste funjo, que ssim ficou elevado totalidade
ue 627:040jlti6.
Puram admittidbs no anao findo 81 so
-augmoourain 0.capital, !t; reassiimiram direitos
7 ; eod -ram diroiti., f; diminuirn) o capital, 20;
perdern ogdireitos, 1 i ; e fil.eceram 2.
~* O augmento da eoatriauioSo annual foi de
. 88) c a iliminaiiji) em t il r,-:eoi!a di.....
1:2*>VO, fijando, portento, um accrescimo de
reccite de 672 USO e um augmento de l* socios
que, ao toilo, completan o numero do 1,796.
Comparando -ste m violento r..m o do anoo
de 1871 reconh,e.e-se as seguintes dTeren-as :
paramis admiuidos2." ; au^meito de capital,
J'; rea*nissao, 6 ; ceasSo de direitos, 2 ; purda'
e ilin'itoe, 8 ; fyUedmimo, i ; para meaos
diminnifio de1 capitel, 4,
O aogmeato real das ti da |-.5o9480
elevando a resp-ictita lotalidade a 39:14V439.
Der.vt>se vagas e habiliteram-se 3 pen-
sionistas.
." Fallecen, nodia 29 do nvz de Janeiro prxi-
mo lindo, pelas 3 horas da madrugad:, 110 hotel
Leo d'onro, no Porto, onde esteva hospedado, o
Sr. Jos Goncalves Reltrao, natural do Mindello e
negociante em Pernainbuco, onde deixou testa-
mento.
Succumbio a longo paderimento do hydropi-
sia. Tinha viudo Portugal em companbia d'um
sen socio.
Resaram se responsos no dia 'inmediato as
Igreiasdos terceiros do Carmo.
Em virtude do contrato ltimamente celebra-
do eutre o correio britnico e a companbia de-
nominada de navegacao vapor do mar Pacifi-
co, os barcos desta companbia que lieam con-
siderados como paquetes subsidiados, faro via-
gens semanaes eutre Livorpool e a America do
Sul, tocando em Lisboa, donde partirAo na terca-
feira de cada semana.
Este disposicao comecou a vigorar 110 dia 14
de Janeiro prximo lindo.
Estes paquetes Cario sempre escala pelo Rio
de Janeiro, Montev do e Valparaizo, ias o que
partir de Lisboa no dia 21 do dito mes, e os que
depois dellc se seguirem de lo em lo dias, toca-
rao tambeni em Pernainbuco c Rabia, terminando
todas as suas viagens em Callao, u > Perii
n Pelos referidos paquetes exoedrr-se-lilo m das
para os portos supia-iuditvidos, o para Dueaos-
Avres. .
As annulaeoes do parecer da commissao as-
cal c que foram apresmilad is em assemblea geral
do banco de Portugal no dia 2 do corrente me/ de
fevereiro, sSo as seguimos:
Que se anprovcm as coutas e balancos relati-
vos ao anuo de 1872, apresentados |iela direceo.
. Que a futura direceo fique autorisada a fa-
7er adiantamentos ao goveroo e a enaarregar-se de
operaoSes por elle nropostas, tendo en vista as
resolu'coes da assemblea geral, e em eonfonnida-
de eom o accordo de 26 .de dezembro ultimo,
quando esteja convertido em lei;
s< Que se continu a abonar o juro de 3 por
cento aos depsitos das calas econmicas;
Que se prosiga no empenho de apressar a co-
braaea de dividas eminora, e de concluir pleitos;
Que se cnipreguom os matee de attenuar as
coates do perdas a indeninisar ; que fique auto-
risada a direceo a vender os terrenos c predios
possuidos pclo'banco do Porto ; que se proroguc
at 30 de jimho de 1873, o prazo para o accordo
eom os Srs. Lourciros, em couforinidade eom as
bases approvadas pela assemblea em 4 de Janeiro
de 1872 ; que sed um voto de louvor direc-
eo pela sua gerencia ; que aos lucros 1 iquidos do
anuo, que, visto i se terem distribuido 2lOoontos,
se acham em 3w 762^267, se d o seguiate des-
tino : 294:9514300 para dividendo de 4 por cento
s acedes em circulaco, em maosde accionistas ;
10:32239 >2 para grtilicaco direceo, em con-
lormidade eom o ait. 101 do regulanieuto ; .....
6;161#404 para amorlisar letras nsoluveis, e ou-
tras verbas do activo, jnlgadas misdidas; .......
34:3361419, para attenuar a verba de perdas a
indeinnisar.
Falla-sc que a rainha de Portugal a Sra. D.
Mua Pa-, ir exposie.o de Vicua, logo que
acalie olut.
Chegou no dia 29, das possessoes da frica.
0 vapor aire,.depois de ter arribado na M'deira
par ge Iba partir o lome.
As noticias de Angola pouco adiantam. K
sahida do paquete estavam do novo em operaeoes,
1 odas as breas.
11 Uarehou a primeira companliia de cacadores
n. 3, armada eom as novas espingardas, com-
111 ailada pelo eapilo Uou.a.
Tinliaiii recebido 110 dia 1 s 7 horas da noite
ordenpara estere) pramptos e marchares) no
dia 2 s horas da madrugada.
Contina eom o eommando superior das for-
ras, o coronel Ahneida.
a cidade de Luanda licaram uos 30 a 40 sol-
dados de caradoras >, que estavam addidos a casa-
dores 3: urna igual forea de caradoras 4, nao
preteteBdo, ao t ido, mais do que 1K) bomeds.
Em S. Tbtego de Cabo Verde, era regular o
estado sauitari >, e em consecuencia das rigorosas
providencias que w liaviam tomado, irpedidoo
desembarque de pessoas atacadas da varila, se
tinha ennsegnido que nao se deseavolvesse a ter-
rivel epideinia.
K-lava-.-e em perigo de urna Crise monetaria
'porque tem sido grande a importecSo c inui os-
eassa a exportecio, de modo que t idas as transac-
eoes lem sido feilas a dinheiro de contado, pelo
que tem sido grande a salida de numerario.
A eolhoita do presente anuo promette ser
poaco abundante."
Parea purgareira nm appareciam comprado-
res.
A eoicet.a D. Joo, onde foram praticar, como
disse n'uina das passadas correspondencias, os
guardas-mariaba que coneluiram o son curso, lem
experimentado amitos ravens na sua viagem.
No dia30, pelas 3 horas da tarde, indo a entrar
a barra do Porto, o patacho inglez, Jonng-Dorokea-
ter, eom earregsnie'ito de carvo, consignado a
Augusto Gullherme Moller, naufragou em conse-
queacia de haver entrado em segaimento de ou-
tros navios, sem ter recebido pil to. Os peritos da
barra, vendo que elle nao trazia o rumo devtdo,
fizeram o.signal d-vido, pira que se afasiasse mais
para o norte; sendo tal aviso de pouco proveito
porque aehando-se a embarcarlo, prxima da res-
tinga do Cabedello, e vendo os tripolantes o gran-
de perigo em que se aehavam, tratarain so ile sal-
vari navio e alguma carga. Faram eomtudo bal-
dados bidos os esfjreos, pois una volla de mar s
arremesaou para o Cabedello. O navio levara 7
pessoas de tripolaeo, que foram salvas por um
cali de vai-vem, upando algunas muho mal tra
tadas. Urna hora depois do naufragio, esteva o na-
vio completamente desfeito. A carga e o casco
estavam seguros em eompanliias inglezas.
A' ii do corrente addieeioizav esse nosso ze-
ioso correspondente :
A" cerca di testamente deS. M. Imperial a se-
ahora Daqueza de Bragatxa, cuja morte leve lu-
gar a 20 de Janeiro e cafa fuera! foi a 29, levau-
tem-se agora dnvidas grandes de que a imprensa
jeoiaecou a oceupar-sc discretamente.
Bis o que escrevia o Diario Popular hontcm:
" DiZ-^c que por pm^; dos herdeiros da Sra. i).
Maria l ,se vae intentar demanda afim de seren
aanullados o testamento e i idicillo con que marren
sua magestade a mperatriz. Accre5ceala-se que o
faldamento da aeeSo nao se, ter feito moacao,
onando falleceu o Sr. D. Pedao IV., tirando pro
imlieiso a casa, que deveria ter sido parthadi en-
tre a augusta flada, a inl'-liz praceza D. Amelia
e os outros Blhos do imperador.
O / mal do Commrcio de hoje, eom a epi.
graphe, Pormenor^, escr via detidamente sobre a
fortuna da ; ci laiimperatriz, a qual, segundo_a
voz publica, se elevara milbres de conloe de ris
mas que actualmente, como se'verifica pelopro-
pr testamenta se achara consideravelmente
diminuida. Sao curiosas as transcripriies que se
Icemno referido artigo, de trechos de discursos
parlamentaros "qnando se tratera da dotaeo de S
M. Imperial.
Basceuno pwpriodia 29 de Janeiro um in-
fante em Hespanha, iiho do Rei Amadeu, irmao de
S. n. a rainlia de PortgaL A Sra. D. Maria Pia
e madrinha e El-Rci D. Luiz, pidrmho d-> recem-
naseido. Tocaram por toadrinbo e midnnha o
nosso embalxador na corte de Madrid, o Sr, Mea
des Leal, e sua esposjl a Sra. Rosa Riester Mon-
des Leal.
0 Sr. Fernando; de los R;o;, ministro de Hes-
panha neste corte, adion para dcnQis dos oito dias
de nojo da corte p Maganza, as demostraeo"s fes-
tivas na casa da embarcada para celebrar o nas-
ciniento do seu principe.
Tem produzido alguma sonsaca a publicida-
do queJbC tem dado a varios dcpoiniea'.os das teste-
manlias do celebre proeesso da ravoite. Encon-
traro os mau- amigos esas pe.-as ( que san em
extremo longas ) no CotnmenUo der Porto, inseridas
ii is caitas de Lisboa quea fo'.ha. Algnnsjornaes
da capital tem transcripto as mais curiosas, i-al-
la-ee naqoeltes depoiinsatos em tentativa preme-
ditada que dizcm ter havido de fazer dewncarrilhar
o eom') lo em que SS. MM. vinham de sua digres-
fiio s provincias di norte do reino ; falla-so em
eouibina jaez; em conlums cem a internacional, em deposi
cao f irmal da dynatia portugaeza, em proclama-
cao da repblica federal, em amitos nomes de pes-
soas que j csteo em prooceso e custodiadas,
n'outras sement indicadas porFuto t FUSo so-
cundo as praxes do proeesso, quande justica
nao convem .indicar nomefi, rof estarem ainda
fra da suaxac;ao os indiciadas.
Emim, a ser verdade que o risconde de Ou-
gnella publicar todo o proeesso na parte que Ihe
relativa, e que na wrdsle parece abranger os
principaes depoimentos, eu procucarei remotter-
Ihfti o veame, ou ft>lto assim qae elle sahir dos
prls.
Tudo isto tea) mais interasse para quem co-.
bice os nnssos riomns o aa nossas eouras, do que
a mais hiterasf .ate novella. /Se, t ra verdade nos uepoiaientos ( do que muitos ainda
duvidan,) enio digo-lhes que a energa d*go-
veiuoa Sr. Pontea ineritoria par
terevitedo gi'aiidi's caiastrophus a ortugal. eo
terrivel Qagcllo da puerca civil----pelo menos.
o A imprensa pertugueza, transcrovendo esses
do|ioimeiitos, tem usaUo da mais diserela abstencao
de commentarios.
Pelo menos, ainda nao occasiao dcjulgar
fados' cujTis elementos, cujas causas, cuja razio de
ser anda nao sao do dominio publico. O tempo e
os tribunr.es do paiz se encarregarao de esclarecer
tudo isto.
Produzio aqui, como em tod as pracas da
Europa a maior indigua.o o fado de uin ablroa.
ment de vapor desconlieeido sobre a galera orlk
fleel, que esteva carjugada de passageiros emi-
grantes. Foi a pique iinmediatemcnte e poucos se
salvaran), perecendo mais de 3 K) pessoas. Do va-
por abalroante nao se fez a menor diligencia ou
esforco para salvar os nufragos.
Ora, poucos dias depois de tal facto ser noti-
ciado, appareceu 110 Tejo o vapor hespannol Mu-
rillo e nao largou as mallas que trazia. Logo se
suppoz que fosse deste vapor que proceden o de-
sastre e que se praticasse a bifamia. Soube-se
pouco depois por telegraininas dirigidos ao con-
signatario ( Alcobia) que o capitio, piloto e tripo-
laeo, foram todos prosea em Inglaterra e mettidos
em proeesso, como suspeitos do crime de abando-
no de tantas victimas que o embate das duas em-
barcacoes produzira.
Nvos lelegrammas, porm, dio' eom 1 cir-
eumstencia atteauante na > se eacontrarem ararlas
110 Murillo, nem outros vestigios do abalroamento,
donde parare inferir-e que oMtrilli passara pela
galera Norlh fleel antes do sinistro, e que um ou-
tro navio ou rapar o occasionara. Este desgraca-
do successo t mi oceupado os noticiarios de toda a
Europa, oestes ultimas semanas.
Foi muito concorride no dia 3 do corrente o
cortejo de pezanies que bouva no paejo d'Ajuda.
Tem estado muito doeute, sobre tudo depuis
do fallociiucuto de S. M. a imperatriz, S. A. a in-
fanta D. Isabel Maria. Di em os assistentes que
nao todava desesperado o seu estado.
, Continan em grande escala os preparativos
dos nossos industriaos e agricultores para a expo-
sicao de Vienna d'Austria.
Na cmara popular proseguio a i do corrente
a discusso da resposte ao discurso da cora. Fal-
lou largamente o nsronde de Moreira de Reig. A
voiaciio dora dar maioria ao goveroo. Ha muito
que se nm davam batalhas campaes na resposta
falla do throno.
Chegaram os navios : Colete a 2-1, Pereira
Barga a 27 de IVraambuco.
Sahiram os navios: Fbrt a 2o para Peraam-
buc.i, ra< I a 1 dem, Chnj-olyte ( v. i a 2 idem,
c Lisbonense ( v. ) a 2 para o Maranho c Para.
a E-to carga os navios : Anglica para o Ma-
ranlio, L-geira e Adetatde para o Para.
\lifia. ila Atiiprica.
Por via de Lisboa recebemos as seguintes no-
ticias :
Diz um telegramma deNew-York que um navio
a vapor desembarcara em Lino | Cuba ) urna
grande quantidade de armas e sessente volun-
tarios.
Diz un de Washington que a nota do Sr.
I'ish. e a resposta do governo hespannol relativas
a Cuba, cuja existencia negada na Europa, fa-
zem parte da correspondencia diplomtica aprc-
sentada ao congresso americano eom a mensagem
de Urant.
PEEKMBB09.
REVISTA DIARIA
Ciuai'ilit iifionuI.-Por portera da pre-
sidencia da provincia, de 13 do do corrente, foi pr-
valo do posto de alferes da 2." companbia do 1."
batalho de infantera do municipio do Reefe, por
os ar ciinprehendido na disposicao do artigo fio
1." da lei n. 602 le 12 de setembro de ttO, Pedro
da Silva Lemos Guimares.
Hi'p.ii'it'i'ii das ohras pulteaK.
Por portara da presidencia da provincia, de t-t do
corrente, fui exonerado, seu pedido, Joaqun) Al-
vares dos Santos Son a, d> lugar de c inductor da
repartieiio das obras publicas
I*;iss;i liento. Xo dia 26 de Janeiro, no seu
palacio na cidade de Lisboa, den a alma ao Creador,
apea longos padecmentos, S. M. a Sra. Duquezadc
Rraganea, viuva de S. M. I. o Sr. D. Pedro IV de
Portugal e I do Rrazil.
Em a nossa 8.a pagina damos ama noticia mi-
nuciosa acerca da Ilustre li tada, qual junta-
mos copia djis seus testamento e codcillo.
Ctuntrato de encananiento d'a-
i^nn. Por deliberara} de S. Bxe. o Sr. commin-
dador presidente da provincia, datada de i4 do
correnle. foi firmado o contrato celebrado eom o
Sr. Justino Jos de SoaraCampos,para a canalisa-
c$0 d'agua potavel na eWade de Goyanna, cuja
faite alli sensivel.
S. Exc vai dando exuberantes provaa de sua
dedicaco aos niLdlioramentos da provincia, eeffoe-
tivamente acaba do (Mondar a necesidades tao
palpitantes dauuella cidade, que tora de recob'-r
semelliante noticia eom grand satisfago.
Ainda mais: S. Exc. confiando nao s es*m-
preza como a da illun'iiuaeao gaz, (tembein lia
poucos dias eontractada) ao mesmo Sr. Justino
Campos, procedeu mu acertadamente, pelas hajn-
litacies do contratante para leva-las a effeitd; o
que' podemos affirmar pelas recentes provas, que
nao sao desconhecidas ao publico, pela execucao
de emprezas de igual saturen aa cidade deOliuda
realisadas sob sua direceo, eom presteza e econo-
ma, a par da regularfdade do servieo nao s do
supprigientod'agn.comoda illuminacao gaz, at
aqui seu reclamaeoes e na melhor ordem possivel.
Nossas feeitaoGes aos habitantes da cidade de
Govanna.
jury do Reclfn.Foi hontem submettido
a julgaiento o reo Francisco de Amorini Lima,
prenunciado no art. 205 do cdigo criminal, sendo
seu defensor o Sr. Dr. Feliciano Euzebio Das dos
Pra eres.
O eonselho de sr.ntonca compoz-se dos Srs. :
Ignacio Airas Haotoiro, Jronymo Emiliano de Mi-
randa Castro. Aulonio Goncalves Pereira Lima,
Antonio Jos, uarte, Caeteoo Pinto de Veras, Dr.
Antro Manoel de Medeiros Furtado, Dr. Joaqun)
Francisco de Miranda, Aatonio CrJdas da Silva,
Amonio Leonardo de Meneara Amorin, Florencio
Domingues da Silva, Joao*Maaoel R.beiro do Coulo,
Pedro de Alcntara d"S ijvumar.- Peixoto.
Foi julgada perampte a aecq.
Luto ofTieial. Resolvendo S. M. o Sr. D.
Lu'z que a naeao portugaeza tomasse luto pelo
tempo de dous njezes, sendo a primeiro luto pezad,
como manifestecAo de sentimento pela morte de
S. M. a Imperatriz viuva: o Sr. cnsul portugus
nesta provincia i^so convida os subditos de S.
M. Fidelsima, em deelar icao que vai n'outro
lugar inserta.
ruM*ao publi:*u. Teve lugar no dia lo do
corrente, presidida pelo Sr. Df. Oiympio Marques,
. bso extiaordinaria do ccnsclho directir da
parochia de Santo Aatonio, para a installai-io do
curso"normal para senhoras.
. s 7 horas e mete da noute, aciundo-se reimi-
dos na grande sala da escola 1101mal.de professo-
res, ra de Pedro Alfonso, amiga da Praia, to-
dos os memoras do eonselho director da parochia
de -auto Antonio do Recife, os membros. do con-
selht) superior da propagador.": da instrucclo, di-
versas autoridades civis e militares, cjieics de re-
parti; e Geographico Pernambucano c da assoeiaco dos
guarda livros. assim como 108 das alumnas ma-
triculadas, e grande numero de familias e pessoas
gradas residentes nesta cidade.
O Sr. presidente abre a sessao, e depois de pro-
nunciar um discurso anlogo ao acto, declara ins
tallado o curso normal para senhorae que se quei-
ram preparar para o rnigisterio primario.
Pallaran) em seguida os Srs. : Dr. Carneiro
Monteiro da Silva Santos, professor do curso nor-
aial que se acabava de instailar, fazendo um dis-
curso de eireumstancia J. Ferreira Vitlala, secreta-
rio dn eonselho director, mostrando a obrigac o
imperiosa ijue corre aos'goveraos de curar da
educac o nacional, as vantageas da instrneco po-
pular, o a aptido provada das seahoras para o
estado e para o exeracio do magisterio.
Victoriano Pa'haros, jpombro relator da,a-.socia-
5 o dos jruarda-livrus, fdcitando em nome desta
associa') ao eonselho director pela.obra de rege-
neraeao social que encetou.
E o Dr. Pinto Jnior no duplo earaeter de di-
rector da in-truce5 publica na provincia 'c di-
rector do eonselho suprior da ar.pagadora de
instroejito, folcitaado ao conselno ulrecor e reco-
nhecendo c proclamando os sens relevantes ser-
vidos o sacrificios era prol da iastruee^o primaria,
o termina dirigmdo aos Sr?. professores do eurso
Ionv.ires pela philantropi'a e ptriotiamo eom qae
acudiram as vozes do i/onsJho, pondo generosa-
mente e sem a menor retribuirao suadisposl.uio
os seus oonhoriinonlos o servi.-.s inagistraes.
Itespond-ram : ao Sr. Dr. Carneiro Monteiro, o
Sr. Dr. Franco de S membra do-couscllio direc-
tor ; ao Sr. Ferreira Vi lela, o Sr. Dr. Jos Au-
gusto Femara da Giste, igualmente membru do
mesmo eonselho ; ao Sr. Victoriano Palhares, o
Sr. Ferreira "Villela, secretario do eonselho ; ao
Sr. Dr. Pinto Jnior, o Rvra. Sr. conego Lino do
Monte Carmelo Luna, vice-pretidente do eonselho.
A' cada um dos oradores que fallaran) em pri-
meiro lugar foi offerecido um bouquet de flores
oaturaes por aquslles que Ihes rpoadcran), elo-
giando e agradeceudo em nome de todo o eonse-
lho aos seus discursos.
Nao havendo mais quem uzasse da palavra, o
Sr. presidente do eonselho declarou que o curso
normal encetari regularmente os seus trabalhos
ao dia 17 do andante mez, e recommcada s sc-
nlioras que se acham matriculadas, c se julgarcm
habilitadas a fazer exame das materias que cons.-
tituem o primeiro anno do curso, a se.inscreverem
quaato antes para ser designado eom a maior bre-
vidadu o dia dos exames, afim de poderem fre-
qnentar as clnsses do 2o anno.
Levanton-se a sessao s 10 horas da noute.
Facililla.le- de; dire.ito. Achando-se
aberras as aulas do curso preparatorio a faculdade
de direito, funcrionando: ^ de gcographia c liis-
is%s 9 horas da manba;
loria, o de pbilosophia das
as de inglez, e de rhetorica das 9 s 10; as de
geometra e arithmetica, e do lingua nacioaal, das
10 s 11, a de francoz das 11 ao meio dia, c a de
"atim das 10 ao meio dia.
As matriculas de scicncias poden ser realisadas
at o !. de abril prximo, e as de lnguas al 31
de julh?.
\avio novo. Lemos no Commercio to
Porto :
Foi lancado agua do esteleiro do Ouro, a no-
va barca Delicia, da qual proprietario o Sr. Jos
Coellio de C.astro. A nova embarcaco cabio bem.
A barca Delicia destina-se carreira entre este
porto e o do Rio Grande do Sul ; cavilhado e
forrado de cobre pelo systcma Clyper, sendo seu
eaixa nesta cidade.o Sr. Eduardo da Costa Corroa
Leite. A sua construc.o foi dirigida pelo hbil
constructor naval o Sr. Joaquim Carlos de Aacve-
do Vareta.
Vapor francez Gambie. Informa o
comman lauto, do vapor Patagonia que, tendo sa-
bido de Bordos no dia 22 eom destino ao Rio da
Prata e escalas o vapor francez Gambie, da cam-
pnula' das Messagerios Maritimes, encontrn mui-
to mo tempo, sendo obrigado a voltar a 21 qucl-
le porto, afim de desembarrar 22 pessoas feridas
pebs fragmentos do gorups, que foi partido por
um glande vagalho, bem romo reparar as araras
queso'frcu. Dos feridos falleceu, pouco tempo
depois de desembarcado, o inmediato do vapor.
Ein transito. Foram 406 os passageiros
que no Patagonia passar.un hontem para o sul.
Vapores do Pacifico.O Patagonia, que
hontem tocou em nosso porlo, um grande va-
por, de 1,778 toneladas de lotacao, eom vastas c
ptimas accornmodacoes para pissagemos, e de
marcha mais que regular, como melhor se pode
ver pela rpida viagem qae fez de Lisboa ao aos
so porto em 11 dias, tendo perdido cerca de un
dia ein S. Vicente a tomar ca rvao.
O P fagonia leva cerca de 2,300 toneladas de
carga, a maior parte da qual para os portos do
Pacifico.
Asegrate viagem ser feita pelo Cadillera.
Soros carnavalesco.evem realirar
se no sabbado (22) c na terca feira (25), no salo
do palacete do pequeo seminario, as duas reu-
nios dansantos carnavalescas, organisadas por
diversos cavalheiros de presente na cidade do
Olinda. Coasta-nos que os encarregados lem en-
vidado tudo para que sejau ellas animadas o con-
corridas.
Ailiaoiciito. O concurso para lugar de
pr.tticnnte vago na reparticao do correio, foi adia-
do para o dia 21 do corrente, as 10 horas da
manli.
Tentativa de rouho. E" doloroso,
sobretudo degradante que, de corto tempo para c.
lobamos de noticiar diariamente roubos, assassi-
natos, toda a casta de violencias praticadas nes
ta cidade eom urna repetico insistente.
Emfim, cada diremos mais sobre assumpto lio
debatido e entretanto tao despresado, podemos
dizer.
Abi vai mais um facto dos tacs
Pelas 11 e | horas da noute de 15 do corrente
tentaran os ladroes penetrar en casa do teuente-
coroael Joo Valentini Villela, na Soledade, 'pro-
curando arrancar a solcira da porte da eoanha,
e forcar a [echadura da sala de jantar.
Quando, isto se d en urna casa, como aquella,
paredes-meias quasi de nm quartel onde existe
um corpo de lnha, o que diremos das qae nao
esto em taes coudicoes?
E cada un tratar de si.
Criminosos. -Viudos do Santo Auto, fo
ram rccolhidis casa de detencao, como crimi-
nosos de morte, Manoel Caetano Ribeiro Carneiro e
Antonio da Silva Campos.
Prisao.-Pela subdelegada de S. Jos foi an-
tes de hontem, Jos Antonio Angelo da Motta, pre-
so em flagrante polos criines de tentativa de mor-
te, resistencia e lerimeatos.
Facaila. Xo mtadouro publico da villa do
Rom Conselno, era o t* do corrente, Jos Angelo
ferio gravemente eom urna facada aa menor Lou-
renfo Bezerra i< Castro, o qual foi posteriormente
capturatVTem virtude de rcquisi;o dojuiz muni-
cipal do respectivo termo.
Calas.Em-trras doengenho Tema, do 2'
districto do termo de Seriaaaem, Lourenco Justi-
niano dos Santos ferio gravemente a seu proprio
irmao Laurcntino Ferreira, logrando evadir-se
aps o dolido.
Tentativa de niorte. -Antes de hontem,
pelas 5 e X horas da tarde, na praia de S. Jos,
Antonio Angelo do Monte tentn matar sua mu
Iher, nao consegrando realisar seu intento por ha-
ver acudido urna pra;a do 2" batalho de infanta
ria de linha aos clamores de soccorro erguidos
pela victima, o qual pdc prender o criminoso de-
pois de alguma resistencia e de ser por elle ferido
nessa occasiao.
Entendemos que esse soldado deve ser remune-
rado [lelo acto de denodo e humanidade que prati-
cou, con risco da propria vida
Em flagrante delicio. Pela subde-
legada de Arariba, do termo do Cabo, em 7 do cor-
rento, foaam presos em flagrante, Joaqun Barbo-
sa de Vasconcellos, por crime de furto de caval-
los : Alexandrina Maria da Conceicao, pelos cri
mes de injuria e ameaca auloridade, e Francis-
co refreir da Silva, por crime de offensas phy-
sicas. -
Armas defezas.Pela delegada, da Esca-
da foram apprehendidas lo armas prohibidas;
pela do Bom Conselho 4 ; as ajotes tiverem o con
veniente destino.
Lotera.A que se acha venda c a 40' a
beneficio do recolhi nento de Iguarass, que corre
no dia 22.
Casa de detencao.Morimcnto do dia
.16 de fevereiro de 1873 :
Existiara (presos ) 348, entraran) 2, sahiram
i, existen) 349.
A saber :
Nacionaes 229, mulheres 12, estrangeiros 44,
escravos 53, escravas 11.Total 349.
Alimentados acusta dos cofres pblicos 281.
Movimentoda enfermaria do dia 16 de fevereirc
de 1873:
Teve baixa :
Antonio da Silva Pinto'bronchite.
Pa*>ssap?eiros.Sabidos para os_portos do'
sol no vapor nacional SI ndahu :
Francisco Tavares da Coste, Antonio Feruandes
Porto, BentJ Jos Ribeiro, Luiz Aatonio Ribeiro,
Joaqun da Silva Torres, Francisco Pereira da
Silva, Antonio Joaqun) de Para, Jacratho Jos u-
os Leite, Dr. Joo Firmino C. P. da Cucha, Ma-
noel Jos Lopes da Silva, Victorino Joo dos San-
tos, Francisco Ignacio Ferreira, Manoel Vieira de
Andrade, Francisco Rodrigues da Costa, Jos Auto,
Leopollino Teixeira de Albuquerquc, Simplicio
Xavier da Fonceca. Marcionillo Gomes Coutinho,
Joaquira Jos de Araujo O iveira do Vasconcellos,
tenente-coronel Manoel Alvos de Acular, Francis-
co de Assis Raptista Maronlino Jos Baio, Euze-
bio de Barros e Pedro de Barros. H
Sabidos para os portos do norte ao vapor na-
cional Piravama :
Jacome Ul/sscs c sua irmS, Manoel Jos Carnei-
ro Pinho e 1 cria lo, Francisco Feraaados Lima,
sua mulhe* e t criada, Luiz Feppo Cavalcanle,
Dr. Joo Zeforino Piros da Lyra e 1 criado, Joo
Evangelista Carneiro da Cunha, vigario Bartliolo-
meu da Rusha F., Antooio Lau Ldto, Fraocisco
Jos. Gomes, August 1 Craujer, Antonio Soaro-do
Macedo, sua snahora, 1 filha, 2 cunhadas e 3 cria-
dos, Manoel Candido Maciel de Rrto, M. Forol,
Primenio Cesar Duarle Ribeiro, Feliciano Pereira
de Lyra Tavares, Lucio da Silva Aaluues Girard,
Man >el do Nascirnento Lima, Pabricio Gomes de
Ibuqnerquc Maraohao, Jo.- Alves Vie:ra d'A-
ranjo, J0S0 Duarte da Silva, tenente-coronel Gni-
Iherme Pereira de Asevedo, }&*+. Moreira, Manoel
Jos de Uiveira.
. Vindo dos portos do sul no vapor braseiro
Giqttt : *
Capito Joi J i-e Rodrigues, sua sealiora e umaJ
criada, conego Maiceliuo Pacheco, Manoel Ciernen-
tibe o 1101 criado, Jos Lauguiho da Costa Leite
e sua seubura, una oruh, dous menores e urna
praca do 9." batelliao, Luiz Barboza, Daniel Elias,
Joo dos Santos Cossera, Vicente Ferreira dos
Santos, Carlos Pierre, Maria Anglica da Silva,
Joseplia Maria Barros Leite, Jos Antoaio dos
Santos.
-Viudos da Europa no vapor inglez Patagonia:
Jos de Ahneida, Jos B. Gustavo, Mme. M. A.
Oradlas, Julia de Ornellas. ililha) Charles A. Fc-
vry, De la Graage.
Hospital Peilro II. O movimento deste
estabelecimento de 10 ao da 16 de fevereiro
foi o segbate : existiam 3 i I, entraran 53, sahi-
ram 71, falleceram 12, existen) 391, sendo : 193
homens e 98 mulheres.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras oestes das as 8,
7 1/2, 7 1/2, 7, 7 1/2, 8. 9 1/2, pelo Dr. Ramos; as
10 1/2, 11 1/2, J2. 11, 11 i/i, i i, pelo Dr. Sar-
niento ; as 8 1/2. 8 I '2, 8, 9, 9, 9, ti, peloDr. Ma-
laquias; as 9, 9, 8 i/2, 8 1/2, 9, 8 1/3, pelo Dr.
Vianna.
Falleadot.
Hanvic Emite ; febre amardla.
Maria Francisca; tubrculos pulmonares.
Angoste Henry Fouruier ; febre amardla.
Felinpe Pallot"; febre amarella.
Rraire Joan Mario ; febre amarella.
Gu teve Dandeville ; febre amarella.
Maria Joaquina do >'ascmcnto ; hepatite chro-
nica.
Joseptia Maria Francisca de Lima ; entorile chro-
nica.
jPietro Procuris ; febre amarella.
los do Carmo ; cachexa.
Marcelino ; tubrculos pulmonares.
Francisca Maria da mceicao ; diarrhea.
Ccinitcrlo piililico. Obituario do dia 1G
do corrate :
Lourenca Maria de J> sos, parda, Peraambuco,
60 annos, solteira. Santo Antonio ; enterite chro-
aica.
Manoel, pardo, Pornambuco, ignora-sc a idade,
Roa-Vista ; espasmo.
Francisco Alves do Mello Jnior, branco, 8 an-
nos, Poco; phtysca.
Joaquim da Silva, brinco, Portugal i'i annos,
casado, Boa-Vista ; febre amarella.
Pedro, escrgvo, preto, Ro Grande do Norte,
22 annos, soltciro, Recife ; hypertrophia do eora-
qfio.
-lexandrina, parda. Peroamboco, 4 annos, Boa-
Vista ; ascite.
Aprigo, branco. Pernambieo. 1 mez, Santo An-
tonio ; es asmo.
Jos do Carmo. pardo. Pornambuco, 70 anuos,
viuvo. Boa-V*tn. hospital Pedro II; ulceras sy-
pbiliticas da garganta.
Joaqun deSouza Duarte, branco. Portugal 12
annos, Santo Antonio : febre amarella.'
Maria Caetana do Espirito Santo, brauca, Per-
nambuco. 90 anuos, viuva, Boa-Viste ; vclluoe.
Jos Poem, branco. Franca. 18 annos, solteiro,
Bo* -Vista ; febre ama rolla."
Carlos Zaherir, branco, Italia, 28 annos, casa-
do, Boa-Vista ; febre amarella.
Jos, pardo, Pernambuco, 18 mezes, S. -los ;
bexigas.
Amelia Anua deS-uza, branca, ignora-se a na-
turalidade, 33 aanos, solteira, Santo Antonio
phtjsica.
Laurana Maria tkis Virgeas, preta, frica. 80
aanos solioira, Santo Antonio: intlaramafo.
10 -
Manoel, branco, Pornambuco, 1 hora, S. Jos;
o sin sino.
Francisca Maria da Conecicao, parda, Parahyba,
32 annos, casada, Boa-Vista, hospital pedro II ;
enterite dironica.
Marcelino, preto, Maranho, 46 anuos, solteiro,
Roa-Viste, hospital Pel l II ; tubrculos pulmona-
res.
Guilhernie Murphy, branco. America do Norte,
24 annos, solteiro, Boa-Vista ; febre amarella.
Emilia, preta, Pornambuco, | anno, Recife ;
bronehite capiular.
Joo Baptiste Pereira Goncalves da Cunha, bran-
co, Portugal, 52 anno-;. Afogados ; congestao.
Emilia, parda. Pornambuco, 9 mezes, Recife ;
eonvulsoes.
Mainel, pardo. 2 m nj, Sinto Antonio; eonvul-
soes.
quaesquer. li.tulos pblicos.
Heopbo dfeeiroemeonta corrente simptes,
erri contaVcaiBpte eom juros e por le-
Iras.
lincarr.^iMe por commissao deuaU(i
oporaoao llaucana.
0 expolieiit- |irindpar.l s 9 hora* manha o fin dura s 4 da tarde.
Ra do Vigario n. 1, primeiro, an-
dar.
COMPANHIA
Phenix Pernambucan
Toma riscos martimos om mercadorias,
frotes, dinheiro a risco e finalmente de qual-
quer naturoza, em vapores, navios vela ou
barcadas, premios muito mdicos.
RA DO COMMERCIO H. 3i.
SEennos
CONTRA -F0GO
H1111 nieiro.nmlnr.
Agente,
\V. G. FENNEI.LY.
Seguro wtiitp
COMPANHIA
-NORTHERN.
Capital. .... 20,000:000y060
Fundo de reserva. 8,000:000900U
Agentes,
Mills Lalham C.
RA MJCRUZN. 38.
Seguro eoBlra-fogo
THE LIVERPOOL & LONDOX & GLOR
INSURANCE COMPNY
Ajcmteai
SAUNDERS BROTHERS C5
11Corpo Santo11
C01PANHU ALLUNCi
segaros martimos e terres-
tres estabeleeida na Baha
em 15 de Janeiro em 1870.
CAPITAL 4,000:000-000.
Toma seguro de mercadorias e dinheiro
risco martimo em navio de vela c vappres
para dentro c fra do imperio, assim ci
contra fogo sobre predios, gneros c fa-
zendas.
Agente : Joaquim Jos Gongalves BUr ,
ra do Commercio n. 5, Io andar.
PRACA DO RECIFE 17 DE FEVEREIRO
DE 1873.
AS 3 1/2 HORAS DA TAUDE
(JoiucffcM oflicaet*.
Couros-salgados seceos MI rs. por kilo. tafabMio
Cambio sobre Londros a 90 d|v. 26 1|2 d. o S;
7(16 d. por 13000. sabbado.
Dubourcq
Presidente.
Leal Scve
Secretario.
ftjIBliCACOES A PEPiM-
Bem publico
Para N. Exc. u Sr. presidente
la jjroviiie. Icr e providen-
ciar.
Vivo a infeliz popu --.a cidade sol o peso
da mais terrivel oppressJo de urna miscar<'da,
como nome de o$$ociio ou contpanAia &e carnes
verdes, que mostrando s autoridades e ao publi-
co em face da lei, urna phase toda benfica c eco-
nmica, entretanto procura esconder o lado into-
resseiro que a inspira.
Vivemos, Exm. Sr., depois da creauao dessa as-
soeiaco, amelados de morrer fome. O prego
da carne verde, nolizutente, o nico genero ali-
inonticio de nossa populado, attinge presentemen-
te a um cambio exageradsimo : o pobre, o ho-
mcu menos favurecido da fortuna, nao pode
usar dclle pela exorbitancia do preo ; o rieo fi-
ca muitas vates S''in ter o que comer, pela grande
osracez que delle lia no morcado. E' a V. Exc.
que cuinpre, como legitimo defensor dos interesses
communs da populacho, prevenir taes inconve-
nientes.
Se encararmos ;; questio p-ilo lado hygieuico,
olla digna do maior reparo da autoridade c depo-
nente da nossa civilk
Nos paizes, onde a aeejte benfica da autorida-
de una realidad'- salmer, a alimentagao do po-
vo prooecupa sobro maneira as vistas d)s go-
vernos.
Entretanto, o que vetaos entre nos ?
A populagao soffrendii Uesapiedadamente na bol-
sa e na' vida ; em benefici 'rnente de meia du-
zia de Srs. marchantes.
A assemblea provincial esta prestes a abrir
es|ieramos que V. Exc. dar em sua alta sabeo-
ria mais una prova d sua sympathica adminis-
tragao, curando o legitimo ten estar do urna po-
puiaoao RoUredora.
Recife, 17 de fevereiro de 1873.
Urna ticcima.
ALFANDEGA
Reodimento do dia i 15. .
dem do dia 17.....
711:27**981
iS:830*W:
751:118 #W7
p
Caxa filis*
Brasil em
em '"
k llamo (lo
Pernambuco,
Paga-se o
38." dividendo das ac$M do
Banco do Brasil inscriptas nesta e\tict caixa
razfto de 85000 por accao'; ra do Mr-
quez de Olinda n.
Recife, 30 de jinetas c 1873.
Banco Gonnereial de
PenanbKO.
A directora do Banco Commereial de
Pernambuco convida os Srs. accionistas a
realisar, at o dia 20 de fovereiro prximo,
no escriptorio do Banco, d ruu-do Vigario n.
1, primeiro andar, a teroeira prestado de
10 % do valor de suas accoes, de vendo tra-
zor as respoctivas '-aturdas para se nnnotar
dita prestaco.
Recife, 15 de Janeiro de 1873.
Os directores,
Manotl mi Soa Santos.
Jlenrique Bernardas tie Oivttra.
Joo da Sua Regadas.
BANCO C0MMERC14L
DE
PERMMBitfit)-
Desconta lettras de cambio, de terra

*4
Decai'ivyaui hoje 18 de fevereiro de 1873
Barca portugoeza Alexandne Herculano \*-
rios gneros para o trapiche GoBceiOM
para despachar.
Brigue portuguoz Triunqiho varios genor-
para o trapiche i onceieao. para despa-
char.
Lugar ingle- Con trapiche Honeeicio, para d ipacnr, e
l'arinha de trigo j despachada par., o
caes do Apollo.
Patacho allemao W'ilhetm & Joseph farinha do
trigo j despachada para o caes S3 de
Navembro.
Patacl inglez I^dij Mary mil barricas rom
bao libio j despachadas para o trapi-.U-
Conceicao,
ImportacAo.
Lugre inglez constance wellsos. i rulo de NttB-
York, consignado a Wilson llowe C, manifis-
ton :
Rarrieas aba'idas ;{,00 voluinos a Saufdl i -
Brothers & C.
Farinha de trigo 230 barricas aos consitiw-
tarios.
Graxa tres barricas a A. R. Barboza.
Petrleo 800 caixas ordem.
Relogio 12 caixas a Frederico Hosckel.
I'ai-ich) allemao WiUUUH i joskmi, vintk) de
triture, consignado a Henry Forsler Je C, nvmi-
festou :
Farinha de trigo 2,210 barricas aos consignata-
rios.
Mercadorias diversas 3 caixas a J. Geragfo
Bastos.
Patadio inglez un iarv, rindo de Teha .'.o.a.
consignado a Johnslon Patee Racalho 2.700 barricas aos consignatarios.
DE3PACH S DE EXPORTACAO NO DIA IS IE
FEVEREIRO DE 1871
Para os portos do exterior
Xa barca francoza Co/igny, pura o H.,v t
carregaram : T. Jefferios & C. 734 saccas emu
5.1,243 kilos de algoao.
-* Na barca sueca Falco, para .o Canal, carr<-
garam : R. SchmmeiUu & C. 20i saccas con
15,378 kilos de algodo.
No navio inglez Arabia*, para o Canal, ar
regou : II. De La Grang* 1,300 saceos eom WfiM
kilos de assucar mase.ivado.
Na barca hespanhola Carlota, para o Rio d*
Piala, carregou : A. Bastos 173 barricas eom
21,420 kilos de assucar inascavado e 236 dita
eom 23,828 ditos de dito-branco.
No lugar allemao A leda, pan o Rio da Pr
t, carregou : A. Bastos 130 barricas eom 13,904
kilos de assucar branco.
No'patacho brasiloiro Constante Unido, car-
regou : F R. P. Guimares 2J pipas con 9,wk)
liU'os de agurdente.
Xo patacho braseiro S. Luis, para o Rio da
Prata, carregaram : P. Carneiro A C. 50 barritas
eom 5,726 l|2 kilos de assucar branco.
No brignn portuguez Datniao, para Lisboa.
carregaram : E. u. Rabello & C. 300 saceos tan
22,300 kilos de assucar branco e 900 dites r 67,300 ditos de dito mascavado.
Na barca porlugueza Now Silencio, para o
Porto, carregaram : J. O. Pirrbo 2 barricas eom
115 kilos de assucar branco ; B. Olivoira & Q.
200 saceos eom 15,000 ditos de dito mascavado r-
6 voluines con t9t ditos de dito branco.
Para os portos do interior
Para o Para, n> navio "pon guoz Ano*
carregou : N. da C. Moreira 300r barricas eom
.22,417 kilos de assucar branco ; L. Duprat ir-Q
ditas eom 19,047 ditos de dito.
Para o Rio Grando do Sul, no brigue brasi-
lero Pir&ngy, carregou : F. R. P. Guimares/W7
voluntes eom 36,373 kilos de assucar brapco
- Para Uruguay auna, no patacho portuauez
G'tms de Caitm, carregaram : Carvalho & Nr
tuoira 150 barricas eom 6.797 ktloa.de assucar
brauco c 2 0 d.tas eom 21,846 ditos de dito n*s-
cavado.
Para o Rio do Janeiro, no navio portugac*.
A.'.,iJ.a, carregaram : Carneiro 4 C S7.MP*
eom 7, ;6) liiros de aguardonto
Para Santos, no brigue inglu Ky Bats, atr-
J
'

i
-
N
.
.
.
'




1
i




;>
m
a
iario de Periiambueo
TerqaTfei

eir 18 de Fevereiro de 1873.
regou.: P. M.-Maury 30 pipas com U,40D litros
dt iguardr
Para o C ara, n> vapor brosUoiro Pirapam t,
carrefarlmi : B. Oliveira C. I caixa coai 200
{ares de Umaucos.
Para Alagoa t> na barraca Mirobcllu. carra-
arara : Argones M_trv_llu 3 barricas c m 300
tos de acucar rmnado.
- Para o Rio Grande do Norte, na barcaca R.
d njos, oarregaram : Fraga A tiorba 10 volt
mes cora 732 kilo? de assucar rcnado.
CAPATAZIA DA ALFANDF.llA
Mendnient > do di. I a 15. 8:3251404
U.Mii do lia 17....... 77til.>0
rdem do tribiuial do thesonro nacional
21 do Janeiro prximo passado.
jaratara da thesouraria de fazeada de Per
buco, i I de fevereiro do 1873.
O offleial-maior interino
Garlos Joan de Sou/.a Gorreia.
Relaoao a que se refere o edilal supra.
ViI XOES SABIDOS
V dia la l-'i.....
Pataaeif* porta no lia 17. .
Segunda porta ....
Terceira porta _.
Trapiche Coneejao
O-.lOUa^
S __/
JF I4,tt9fl
f 523
670
63
IG,_28
sKRViar MARTIMO
Alvarengas de^-a .-regalas no trapicha
da alCan'de_.-i di* t a 15. .
Ditas ditas n<> dia 17. '.....
Navios atracado* no trap. da alfandega
Alvarengas ........
Ni> trapiche Cmivico.....
M
w
1
1
t
GE-
BT.hMSDORIA DE RENDAS INTERNAS
RAES DE PERNAMBUPX)
Kcmiimento do dia I a 13. I_:3a8jtt6
Idem do dia 17...... 2:948*059
23:4% 5325
CONSULADO PROVINCIAL
itc.uliinento do dia l a 15.
dem do dia 17. .
105:6213348
9:88 WK&i
115:5!)2'J'>2
Tose Francisco de Salles naviera 19t*78
os Gon.alves de Medeiros 191*782
Manoel Antonio Caldoso 164*384
Florencio da Cosa Oliveira 109*390
Joao Baptisto Soares 11^722
Jos Juvenal da Paz 171*600
Francisco Manoel dos Prazeres 382jo!i)
Antonio .loaipinn da Costa e Caoba 289*63!
Aggio Aveliuo da Costa Paiva OOi'OOO
Francisca Paulo de Montes lb9500
Anna Ponles da Fonseca Figueiredo 248*612
Auna Lucia Pcreira Pinto Furtado de
Mendonoa 180*000
Cbristvao Pereira Pinto 147*847
Joaquim Leonel de Alencar 36*660
Cassiano Teixera de Vello 2005000
Gregorio da Silva 56*070
Prometheu Jos da Silva 200*000
Manoel Joaquim do Na cimento 177*985
Candido Jorge Das 83*370
Tiajauo Gomes da Silva 8_f7 0
Jannario Claudino Machado i8.!)0
Belarmino Fidelis 3*310
Auto io Vicente Ferreira 379*800
Antonio Jos Dias 36*1X10
Amalia Neto de Mendonca 1:248*12
n. .tas eiii carta fechada, no dia 19 cofreote, indi-
cad) logo'o menor pre-.J porque Jurneje cada
una diariamente.
Pajo da cmara municipal do Recife, 15 do fe-
voreiro de 1873.
Dr. Pedro de Athahyde Lobo Moscoso,
Pr-presidonte.
JI,ooren?o Bezerra Carnelro da Cunha,
Secretario.
WtHHMENTP m porta
.Vil-oi s'iln'dos no din lo.
? Lto.il-=Brigue inglez Ernerul, capitao Petrel Noel;
mi ga assucar.
Barcelona Sumaca hospanhola Msnngeira, capi-
tao Pedro Bertrn: carga algodao.
Liverpool -Barca inglesa Victoria Juttham, ca-
(litio R. W. Wiute; earga assucar a algodao.
). -rpool Barca sueca Hollnnd, capitao Pelerson;
carga algodao e assucar.
\ --orle-ns -Vnpot inglez aluden!, aominandan
te Birnet; caiga assocar.
Msrselha Brigue ranees fjexandrin Julicn ca-
pSo Joaflrett ; carga assocar.
Granja a |wrtoi intermedias Vapor brasileiro
'irnpjini, r uauKMlbnle Aseved), carga di It-
renles gaoeros.
Srn'.aj e partos intermedios Vapor brasileiro
GiqHi. eommaodanle Martius; carga varios ga-
naros.
Obtenafio.
Ni" liouvc entradas.
Nieto entrado* no din t>>.
i'uoire64 dias, pataclio allem.ui WcUum k Jo-
ujpke, de 207 toncl.Has, capitao C Halle, e.pii-
pagei 7, carga 22111 barricas eom'farnba de
trigo c antros gneros.
Navios tullidos no mttmt) din.
PortoBacca porlafueaa Marmouit, capitao Croa,
carga assucar e antros ganaros; llenry roster C.
Kio-Graode-Do SulPatacho braaitero Pelicano,
capitao Costa ; carga assucar e outros gene-
ro*.
Mu>:io.i futrado* no dia 1:.
Lifferpaal por Lisboa W dias, vapor inglez Piin-
gtnia, de 1396 lonoladas, commandante James
. Petera, eqdlpaiaH 102, carga varios gneros ;
a y\Tilsou Row tic .
Sew-YorfcH 1 ias, lugre inglez Continua Wil-
.'. de 178 toldadas, capitao Rohcrtson, equi-
pagem 8, carca mercadorias diversas; a Wii
n Ri va i C.
t .....1 Nova -30 dias. patacho inglez Lmbj Mari-:
de ll7 toneladas, capita) I eroy. eqiiipagem 8.
rarga 8,700 barricas coiu baealho ; a Johustou
Pater* C
Babia -10 dias. nrijroe inglez f7oefC,de 249 to-
nela'las, eapito Edward, equipagem 9, ein las-
tro de assucar e Jacaranda; a Sa Leit) Irni.lo.
i: de Janeiio -lo dias. barca Ingleza Virainian,
de 308 ton ;la.!as capitao Walter Cnig, equipa-
, na 10, eiu la-tro ; a Lidstone Robiliiard & C.
id. iu-20 dias, larca inglesa Vtilliom Jones, de
8\ toneladas, capiao Priman, equipagem 9, cm
lastro ; a Augusto F. de Oliveira & C.
\ricajii porto* intermedios 5 dias, vapor brasi-
leiro Giquto, de 2.2 toneladas, commuidante
Martins, ei|uipagein 24, carga varios gneros;
a companhia Pernambucana.
Navios tahidotno mesrno dia.
Bi,i da Prata Lugre hollandez AhUa, capitao
Van Luvk, carga assucar.
Itio da Prata Pataeho allemao Vutior, capital
Hob, carga assocar.
analBarca sueca talco, capitao Santersen, car-
ga .assucar e algodao.
IHo da l'rata Patadi > bospanh! Saplio, capitae
M-imoo, trga a.-ucar.
Partos do sai Vapor ingle* fvUujom-i, ciuunan-
danteJ. S, Peters, com a mesma carga que
tr mxe la Euroga.
Canal -Barca indeza radianOftit^capitooFroend
irga assuca*.
Obsc-vocdo.
Kitsnendeu '! 1 lamarao para afaoaai a barca in-
{lesa Priaem Mee, capitao Franks, com o mes-
Utro que aouxe da Babia.
Edital.
Pela administraeao dos covreios dosta provin-
cia, ae taz publico que, no dia 17 de fevereiro do
torrente anuo, ter lugar invmesma repartirlo o
J.COOC rso paia o provimeut*da vaa de pratican-
e, do couformidade como S 1.* do art. 2._do re-
gulamenlo a que se refere o decreto n. 4713 de
dejunhode 1871, c art. 38 do regulaucnlo
approvado pelo decreto n. 3411, de 12 de abril de
1865. ,. ,
Os candidatos dovera 1 aprsenla r, at o da 10
do dito mez, folha corrida e cartidao de idade.
O concui-so constan de excrcicio de ealigraphia,
orlograpbia, aritltmetici elamentar, comprehen-
dendo o uso do syslema mtrico o nac&cs geraes
de geographia.
O conhecinnjnto das luiguas estraagoiras uara
direito a preferencia.
Carreio de Peniaiabueo, 2i de Janeiro de 18/3
O administrador interino,
Vicente Ferreira da l'orciuncnlu.
PITAES,
tj'.i: los N.cilau Tolentiuo de Carvalho.^uiz
aabslituto di orphos do tormo do Recife iwr
S A. a uueui Deas gnarje etc.
.) sauer aos tina-o presente edital vrem,
nuepor este j: i o se hade arrematar por venda,
.1 mea maiS ilor, lindas tres pracas consecutivas,
os bens tegaiates:
('nacasa terrea situada no boceo dos Peccados
tfortaaa, n. 2, com li palmos di frente o 39 de
tundo, prta e janella, 2salas, 1 'u.uto e cozmha,
araada por 1:2 0i. _
t una lita diu, situada no beeeo de oaa Fran-
cisco, freguezu da Boa-Vista, n. i5, com 18 pal-
mos de fente e ii4 de fu 111', porta e janella, 2
das, 2 quarta, quiutal, coznnae cacimba, ava-
llada por 2:0(0*.
-Cujos bens /ao a pra-.-a a cquerimento de D.
Resauaado Sampaio Gamos da Silva, inventariante
lo'a>al dese't tinado manilo Casimiro ReisGo-
111 ), da Silva a Curara incluidos ein sua meiacao e
-jeitos as dividas passivas do mesmo casal.
K para que chogue ao eonheeimenlo de todos
adei passar o presente que ser publicado pela
MMtreusa allixado 110 lugar do aoainnie.
Dado o passado nesto cidade do Recife de Per-
iliuco. aos 7 de fovereiro de 1873.
Ecu II,pililo Silva, escrivao, eserevi.
' Joii Nicoiaa Tolentinoie Ca/xnlho.
Itecife, S de fevereiro de 1873.Hypolito Silva.
Ao sello 300 rs. -V. S. S. ex-caisa.-Tolen!ino
! arvallio. ________^____________
_ () il'm. Sr. inspector da lliesouraria proviu-
viucial. em cuin'riiiHMiti de ordem do Exm. Sr.
presidente da provincia, man la lazor publico, que
na dia 27 do crrante, parante a junto da fazeuda
dt mesnr.i tinsourana.nai a pi\\c\ pira ser arre-
matado por q om maisdr, o imposto-de sessenta
' res (68} porlitrO d'agoardente consumida na co-
marca de fciareth, servio la dbase o pree de
-i*900 omnne est creada a renda annua do
mencionado ioaplo.
. 0 prazo ilivarrematacao ser contado da data
que s! i zer o OKttrato :U 3) de junho de
\to9k
Xa pessas que se pfomzoreni a esta arrema-
taoa, coiupacecaia na -ala das#essoes Ai referida
iuuta, no da cima mencionado, polo meio-dia, e
previamente babililadas na iopraa da le.
E para constar, se manden publicar o presente
'O** jornal. <
Secretaria.dnaliest'uraria Irovincial do Pernam-
. 14 de wtwreirode 18
O offllial-maior,
Miguel Afonso Ferrrin
l.iilal 11. 95
Com prazo de 30 dias.
Pela inspectora da alfandega do Pernambuco
se faz publico, que adiando se as mercaduras
contidas nos volumes abaixo mencionados no
caso de se em arrematadas para consumo, nos ter-
tennos do cap. 6.a tit. 3." do regulamento de 19
de seleinhro de 1860, os seus donosou consigna-
tarios deverao despacba-las no prazo de 30 dias,
si ib pena de, findo elle, sercm vendidas por sua
anata, aaaa que lhes Tupie competindo allegar con-
tra os eneitos desla venda.
Arinazem-Ponte da Alfandega.
Marea G B n. 50/100. 1 pacote, vindo de Liver-
pool'110 na vi) inglez Acorn, descarfagado em 11
de mar^o de 1872. ignora-se a consiraaaao.
dem A C A. contra-marca T n 29. 1 dito vin-
do de Liverpool no vapor inglez Ariel, descarre-
gado em 2 de mareo-de 1872, ignora-se a conso-
nado.
dem X M G dos lado- e I' em baixo n. 297. 1
dito dem dem,
dem V I n. 510. 1 dito dem idem,
dem triangulo K n. centro n. 1. i caxa viu-
da de Ilamliurgo no navio aUemo RepuMH; dfls-
carregado em 9 de marco de 1872. consignada a
J. M. de barros.
dem A G i C sua numero. 1 pacote dem
idem, consignado a J. de Araujo & C.
dem JI ti 11. 49/90. I caixa idem idem. con-
signada a J. R. Cnrval.
Idem A FC11. 20,64. 1 pacote dem idem,
consignado a A. Ferreira de urvalho,
dem A A L n. 1/100. 1 caixa idem dem, des-
carregada cm 12 e ignora-se a consignajao. .
Idein letreieon. 34. 1 pacute. vindo de Liver-
pool no vapor inglez Talaman, descarregado
em S de mar-o de 1872 e cm.-iguado a Bourgard
4 C.
IdeniM conlra-marca P n. 123. I pacote, vin-
do de laverpool no vapor iagtei TaUtmon. descar-
regado em 5 de inar.;n de 1872 e consignado a
Monliard, Maular 4C.'
dem triangulo A do eenlro a. 639/670. I dito
dem dem, ignora-se a consignaran.
dem J A'A & C. n. 1,285. 1 caixa viuda de
Liverpool, no vapor inglez Gladiator, descarrega-
da ein 18 de inar.o de I72. e consignada a i. A.
de Araujo & C. ...
dem letreiro sem anmcro. 1. pacote vindo de
Liverpool no vavio inglez Acorn, descarrega-
do em II do marco de 1872. consignado a Joao
da lincha Silva.
dem dem sein numero. 1 dito vindo de BOJT-
deaux no vapor francez Giivnde. descarregado
em 11 de marco de 1872, consigado a Vaz &
Leal.
dem A \. C. us 161/170. 1 lata viuda de An-
tuerpia no navio hollando/. AUa, descarreijada
em 20 de abril de 1872: ignora-se a cousig-
iaco.
dem B J11. :'.. 1 pacote dem idem e consigna-
do a Keller & C.
Idem letreiro sen) numero. 1 pacote vindo de
Southamptn na vapor inglez .Ver./, desearrogadu
ein 25 de abril de 187 e consigado a Goncalves
[roaos.
Idem 1 contra-marca triangulo D 110 centro 11.
4.ID9 4.111. 1 dito idem idem e consignadla
Isidoro Bastos.
dem D M M n. 21. 1 latiuha viuda do Liverpool
no vapor ingle/. Cognac, descarregada em 5 de
ni,110 de 1872. ignora-se a consigna, fio.
dem M J G 11. 57/61. 1 dita viuda de llainbnr-
go no navio alleniae Maraareth. descarregada em
18 de maio de 1872 e consignada a Manoel Joa-
quim Gomos*
dem P II T n. 2,098/2.107. 1 dita idem dem,
consignada a Damiagos A. Matheus,
dem M & J n.5l. 1 dita idem idem,consigna-
da a Magalhaes 6c Innos.
dem J S A 11. 41. t dita dem dem, consigna-
da a Jo> Soares d-J Amaral.
dem letreiro sem numero. 1 embramo, vin-
do de Southampton no vapor ingle/. Neta, descar-
regado em 26 demarco de I8*i o consignado a
Fernandos <\- Irniao.
dem idein n. 8. 1 dito vindo de Liverpool
no vapor ingles Stndent, descarregado em 29
de marco de 1872, consignado a Domingos A. Ma-
theus.
dem idem 11. 72. 1 pacote dem idem, con-
signado a J. A. de Araujo & C.
dem M C A contra-marca S L C n. 47. I cai-
xa, viuda do Qamburgo no navio allemao Heleiw.
descarregada em 8 de abril de 1872 e consignada
aS Leitao & Coimbra
dem 8 M N contra-marca S L Cn. 3,13l/o63.
1 caixa idem idem.
dem S L C n. 3,450. 1 W idein idem.
Idein A F C sem numero. 1 pacote idem idem,
consignado a A. Ferreira de i'.arvalho.
dem R & G n. 3. 1 dito idem idem, consigna-
do 1 Montoiro Rocha i C.
dem M v I 11. 83. I dito idem dem, consig-
nado a Magalhaes & Irmaos.
dem A A L ns. 101/105. 1 latnha idem dem,
consignada a A. A. Leb.-e.
dem J A A k C n. 12. I caixa viuda de Livor-
pool no vapor ingles Jwi.it, descarregada em2
de abril-de i872, ignora-se a ronsignacao.
Idem I contra-marca triangulo B.no centro
n. 3,930. 1 pacote idem idem. consignado a Isi-
doro Bastos. .
dem EAIliC ns. 3.789/3.851. 1 dito dem
idem, consignado a E. A. Burle & C.
dem M A & C n. 610. 1 dito ideaj dem, con-
signado a Meada, Azevedo & C
L-bLARACOEl
*
Pela administraeao dos correios dsta pro-
vincia, se faz publico que Coi espacado para dia
21 do correte s 10 horas da maub, o concurso
para o lugar de praticante da mesma repart-
cao.
Corrco 17 de fevereiro de IS73.
O administrador interino
Vicente Ferreira do Ptrchmada.
SANTA CASA J)A MSERICOllDIA DO
RECIFE.
A Hlma. junta administrativa da sania casa da
misericordia do Recife, manda tazer publico que
na sala de suas sessoes.no dia 02 de fevereiro cor-
rente, pelas 3 horas da tarde, teiu de ser arrenia-
tadas a quein mais v.nntagens olferecer, pelo tem-
po de mu a lies anuos, sa rendas dos i>redios em
seguida declarados.
ESTABELECI MENT DE CARIDADE
Ra dos Acoiguinlios.
Casa terrea n. 26 ..... 98*000
Ra do Amoriin.
dem n.26......... :M)3*000
Ra de S. Jar ge.
Sobrado u. 30........ 240&OO0
\ iial ae Negreiiw (Cinco Pontos).
Casa tonca 11. t!2......, 340*000
PATRIMONIO. DOS ORPHAOS.
"" Ra das l^irangeiras.
Casa terrean. 17.......360*000
Ra da Madre de Dos.
Casa terrea n. 4....... 1:1003000
Rua da SvH'ala-veiha.
Casa terrea n. 16......
Os pretendentes devero aBresen'ar
anemata?o as suas bancas,
aro r panhados dos respectivos
N. 18 de Bernardo Alves Plnhoiro 900*000
N. o de Anua Tliereza do Sana-
mente. 200*000
N. 24 de Mauool Joaquim Rodrigue
de Souza 'iOOOO
N o de Antonio Ferreira Braga 200*000
N. -28 da irraandade das almas da
freguezia do Santo Antonio. 200*000
N. :j0 do D. Joanna Mara dos San-
tos Maraes 2O0000
N. 32 do Dr. Antonio Joaquim de
Muraos e Silva 200*000
N. 34 de Manoel Jos do Amaral 2iX)*000
N. 36 de Antonio de Paiva Ferreira 200*000
N. 42 de Jeronymo Pereira Villar 3()0()0
N. 44 de Joao Pereira Ramos 300/000
N. 46 do :\jitonlo Jos Rodrigues de
Souza 300J000
Ns. 48 e 60 dos rtlhosltle D. Mana
Carolina de Brito Curneiro 00*000
N- 52 dos orphos Uihos de Francisco
Ferreira Gomes de Menezes 200*000
N. 56 de Jos do Reg Pacheco. 200000
N. II de Manoel Ferreira Braga 250*00:
N. lo de Jos Leopoldo da Silva 300 50 0
N. 17 de D. Emilia Carolina Madeira
Ferreira 400*000
N. 19 de Emiliano de-Mello dos Ao-
jos Paula 2001000
N. 21 de Joaquim Pacheco da Silva 200*000
N. 23 de'AuteHo do S*utos Vieira 200*000
N.' 13 de Ignacio de S Lopes Fer-
nandes 200*000
N. 27 de Fejix Autonio Alves Mas-
carenhas MOJOSO
N. :ii de Miguel Joaquim da Cesta 200*000
N 33 deBern'ardiod Alves Pinheir 200*000
N. 33 de Mai a, Francisca da Con-
ivieao e Silva 200*0000
N. 39 de herdeiros de. D. Joaquina
Mara Pereira Vianna 300/000
N. 41 de Paulo Maaques e Antonio
Francisco Macota 200*000
N. 43 di lilhos de i**. Radrigiies do
Passo 200*000
N. 47 de Marcelino Jfs Goocalves
Fonles 400*000
Travessa da ra da Roda
X, 2 de Domingos Joro F.-rrcira 200*000
M. 8 de Iguacio de Loyola e S 200*000
Ra das Larangeira
Gasa terrea n. 17 360*000
Pateo do Paraizo
1. andar n. 28 301*000
Recebe pmpostos em todos os dias de sesso as
ipiistas-foiras, ati> 20 de evereiro vudouro.
1 Sacrotura da Sanie Casa ih-Misiricordiado Re-
cife, 20 de Janeiro de 1873.
O escrivo.
Pedro Rodrigues de Sonsa.
Para o Rio de Janeiro
o lugre portuguoz Almedina vai sahir at o dia 24
do eorrentc, e pode receber ainda alguma carga
trata-se. com E. R. Rabelli & C, ra do Cpnuuer-
co n. 48.
\ viso
1
Tassg Irmos & C consignatarios do brigue in-
glez Airlo procedente do New-York, faseni
scientcaos aecebedores de carga que o ni'.-iiii
condnz. do 'mandaran proceder ao despach na
alfandega, para evitar demoras de descargas da6
alvarengas, na ccrtezi de que recabiro sobre
aquellos que derem causa a toes d cuidos, todas
as despezas que subreveubain 00 navio.
IE0ES.
L
DE
FAZENDAS
Hoje-
Pereira de Mello A C. levarao a lei:aopcr intr-
voncao do agente Pinto, un completo e variado
sortnento de fazendas francezas. inglezas, aojssai
e allemas. existentes em seu arinazem da na do
Bom Jess n. 63. onde espera a concurrencia de
seus freguezes.
LEIIO
Qiiiutn-feira SOilo eoi*i*eni(r
As 11 l|2 'la manila
O agente l'inlio Borges Cara leilao de duas sai-
xas, urna contento couro de lustre eoutra 15 du-
zias de cordavaa ; rm seu escrqitorio ra do B0111-
Jesus n. 53. prmeiro andar
. 109*000
no acto da
011 coniparecerein
Dadoras, devendo
pagar alem da renda," o premio da quanlia eci-
que for seguro o predio que conliver eslab ebop
ment commercial, assim como o servico da lim-
peza e precos dos apparelbos.
Secretara da santa casa da misericordia do Re-
cite, I de fevereiro de 1873.
O escrivo
Pedro Rodrigues de Souza._____
SANTA CASA DE MISERICORDIA DO
RECIFE.
Predio* vetada.
A junta administrativa da santa casa de mise-
ricordia do Itecile. auiorsada pela 1 residencia e
de confonnidade com 20 seu compromiso, leva a
praca de venda, na sala das suas sessoes, pelas 3
horas da tarde do dia 6 do Crrente, os seguinics
predios, tomando por liase, asquantias offerceidas.
Mei-agua do largo da Campia 11. 3 fBOjOOO
Casa terna da ra de S. Jorge n.
92. e a casa terrea da ra dos
Guararapesa.85 3:300*000
Casa terrea da rua da Matriz da
Boa- Vista n. 36. 1:000*000
dem da rua da Gloria, boje Vizcon-
de de Alhuquerque, 11. 61 2:0 0*008
Mei-agua da rua de Antonio Henri-
qnes 11. 26 18 '000
Sobrado n. 37 da rua da Guia, hoje
Rcstouraeo 3:000*006
Secretaria da santa casa de misericordia do Re-
cife, 1" de fevereiro de 1873.
O escrivo,
Pedro Rodrigues de S011/.1.
Nuitu casa, da misericordia do
Recite.
Pela secretaria da -anta sosa da misericordia do
Recite se convida ana prenles das menores em
seguida declaradas, para qi e as vo recollu r ao
colegio das orphas emOlinda,. visto ja ter havido
ordem para seren aili aduuidas.
Digna, lillia de Joaquina Francisca de Sal'An-
na Barros.
Erminia, lilba de Jiaquinia Rosa dos Prazercs
Souza
Anua, Alba de Sopbia Carolina de Moraes e
ilva.
Joaquina, lilba de Francisca Mara d 1 Espirito
Santo.
Mara, lilba de Amelia Augusta de Mello Alhu-
querque.
Secretoria da anata casa da misericordia do Re-
cife, 6 defeverero do i873.
O escrivo
Pedro BotTrignes ie Sonsa.
Pinho
DE
miudezas e ferragciis
Ouinta-eira 20 do correi/le
AVs S horas.
Para fechamento de facturas, a agente
Borges far leilao das miudezas seguintes :
Guarnides para camisas, litas de sarja largas e
estre tas, bicos e denlas, entre-meios bordados e
colarinbos, linbas de cores e dita branca, extrac-
tos finos e agua de colonia, e militas ferrgeos
como scjaiii feehaduras, l'errolli.is madiados, pas
ditas para relojoeiros machadinhas para jardinei-
ros, facas, talheres e mais objectos que so achara
no seu escriptorio rua do Rom-Jess 11. 5! |>r-
mei o andar.
.m 14 rariFi\.
- AOS,5:000#000.
NUIETES GARANTIDOS.
A' rua Primeiro de Marro [cutr'ora rua do
Crespo) n. 23 e casas do costume.
0 abaixo assigivad tendo vendido nos saus fc-
lizos bilhetes um inteiro n. 411 com 8001, dous
nieios n. 593 com 30QJ, tres quaitos n. 2983 eom
100, e oiitras sortes" de 40 e 20 da lotera
que se acabou de exlrabir (39.") eonvida aos
possuidores a virjm receber na confonnidade
do costume sem descont algum.
Achaiu-se venda os Celizes bilhetes garantidos
da S* parte das loteras a benelicio do recolhi-
nicnto de Iguarass. (W.-), que se extrahir m<
sahbado ii do corrente mez.
I'RECOS.
Bilhete inteiro 6*000 .
Meio bilbcto 3J.600
Quarto 1."W.)
EM t'iuii;\o BE 100-(lt)0 i'AK v CIMA
Bilhete iuleiro 5*500
x Meio bilhete 27!
Quarto
1*37-5
Manoel .Warfuis fnzn.
( iiiMi'oulo provincial.
Na dia 2A do corrente termina o prazo para
recehimento, sein de|ienileiicia de multa dos impos-
tes provinciaes. pertencentes ao anuo laanceira de
1872-l7.t. e que sao ahaixo declarados :
60 ris |)or litro do agurdente ; I.Oo* por ga-
ranta de bilhetes de lotera ; 21 por santa sabr
estabdecimentos de coiimiercio em grosso e a re-
tolho, fabricas de rap, depsitos, casas de drogas,
boticas botis, rmateos de algodao e trapiches;
s por coato sobro escriptonos, consultorios c car-
torios ; i por rento sobre eslabelerimentos coin-
merciaes lora da cidade, pliotugraphias, botequins,
casa de pasto, cocinaras, cavbanlas de alague!,
fabricas; SOO* por tasa baoearia, empresa aaony-
ma, 011 agenda ; 200 j por casa de cambio;
2:i.00* por casa de pesbores ; 1:0005 por casa de
joias em grosso ; 1:0004 por e-tabeleciuiento 011
escriptorio em que se agencie 011 efectu venda de
plvora ; 2u0* por deposito de kerosene ; 1 '* por
casa que vender Jcaaosenc a retamo; HO por
casa (pie vender roii|ia Celta, obras de selleiro, de
marcineira ou de nutra q.ialquer artel feilas ein
paiz esiaangeirO I00J por correter commercial
e agente de leiloes; 2iO por casa de transaccSes
sobre escravos ; 50 por casa de modas ; 4o* por
cas: de buhar ; 30-j por octavo enipregado em
servico de alvarengas 011 canoas de carga e descar-
ga no porto; IgttSO por tonelada de alvarengas ;
2*000 por bote ; 2-3000 por escravo gaahador ;
16*000 por cairo particular de 4 rodas ; 10* por
dito de 2 rodas; 30* por dito de aluguel; 25*
por onnibus; 4<) por carro fuuebre ; 6* por
canora ; 5* par ravallo de aluguel 2:0 03 por
joalhe'iro que mascalrar na provincia; 20* por
mncate : fiti por (avernas (pie vender miudezas
ou outros quaosquer objectos ; 5* por estabeleci-
mnto commcrcLil; 2 pedra; 1:50J* mr casa 011 agencia de seguros ;
ii 5 por cenlQ sobre o capim vendido na oidade do
Recife.
Consulado provincial. 10 de feyexeiro de is,.i.
o administrador,
I. Comen o Machado ROS.
SANTO ANTONIO.
Previne so ao Mostrado publico desta cidade,
amadores da bella folia cania .desea, que o tbea-
tro de Santo Antouio abre suas portas para dar
qnalro esplendidos bailes de mascaras, nos das
Sahbado 22, domingo 23, segunda 24 e terca 25
do cor ente, para cujo liui prepara-se o edificio
com toda pompa, aceio o brilbanlismo.
O programma ser publicado brevemente pelos
jornaes.
""!V>SlgS_MARITiMOS,..
Baha.
Segu com mui'a bre id d para o iudi do
porto'o veleiro hiato Garibuldi : ca ga e Irete a
tratar cun os Sis. Tasso iranios 6.a rua do
Amorim o. 37. .
movis, tonta e emfaes.
A Maiaer :
Un iaim forto> urna roobUia do Jacaranda com
Umpos de pedra, candieiros a gas, castitaos,
mangas e e-ca radar, is. topetes, rehuio ile ia-
rede.
L'tna cama francesa le Jacaranda, dua- nwia-
eommedaa e ninaantnario,
l'ma mesa para janlar, um guarda louca, mar
qiii'/.a. dose caleiras, louca para cha e amar.
copos, eahc.es. garrafas, eompotejras, trem de
costana e outros objectos de casa de familia.
Sexta-eira -21 do correte DO segundo an-
dar do sobrado da rua d'Ajiollo i). 43.
O agente Pinto levar a leilao por coala e o r-
dem de una familia que mudou de rendentia,
os movis e mais objectos cima mei eionados
existentes no sobrado da rua do Apollo a. W, mi-
de se eirectuar o leilao.
l'rincipiaru s 10 lyl horas.
COMPANHIA
DOS
TRILH0SURBANOS
1)0
Bcrifi Olida e Wserile.
"Compra de solipas.
No escriptorio desta com-
pauliia, couijirase constante-
mente a preeos raioaveis,
solipas de o icica e sapn-
caia, das seguintes dimen-
soes : comprimeote 10 pal-
mos, grossura 9 pollegadas.
grossora '1 dilas.
Contrata-se com o abaixo assguado na esta-
i;ao da r a-da Aurora.
Estrada de ferro do 01ii*da, 23 de Janeiro
le 1873.
0 goroiitc interino,
Launittiio Jos de Miranda.
MOMA
Est encouracado !! !
Roga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de Mello.
scrivao na cidade da Kasarcib desta provincia, o
favor de vir rua Duque de Caxias n. 36, con-
cluir aquelle negocio que S. S. se coinprometten a
realisar, peta terceira abanada desta jornal, ein
Ins de dezembro de 1871. e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
i por este motivo do novo chamado para dito
Im, pois S. S. se dcvo-lciiibrar que osle negocio
le mais de ulo snnos, o qnaado o Sr. seu lilbo se
ichava nesta cidade.___________
Ja na Duque de axas 11. 'iV s^ dir quem
da algum dinhebo a juros sob byp the.a nela
cidade.
Perdeu-sc
aontem l." do l'.vereiro um relogio de senbora.
unta'iiente com 11111 alfinele ludo do 011ro, esde
\ eaa do Conde d"Ea, atorro de IM-visla. pou-
te, ra do Batan da Vitoria, Labugi atea rua
I." de Man.-o: qtiem os adiar e .mzer 'ratrega-
!#, pode-o fazi-r na praca do l/oide- d'Ku 11. 9
I. andar, que sera gratificado.
Moleque.
Precisa-se alugar um moleque o l.' a II na-
nos : tratar no arma ein do Campos : rua 0\
Imperador n. 28.______________________
Rio (ranile do Sul
Pretende seguir com muita brevidado para o
referido porto i' veleiro palliabote Rosita, p r ter
a 10 iior parlo da carga engajada ; e para a que
Ihe falta, trata-se com ns consignatarios Joaquim
Jos Goncalves Reltio i Filho, rua do tom-
mercio u ";____________
dito
idein idem, consig-
; fe cu cmdo Illm. Sr
- *_wi de f_z- a Ja 4mU pm
psM -eonhe"**)-*-
biw> trao*Tipt.i, A
inspector da t!
'incia se faz publico,
los, a relacio
de ividas de-
jo pagamento foi 'autorisad'/
dem letreiro u. 1!>. I
nado a M". Gregorio C.
dem A cantra-marca G n. 165/170. 1 caixa
idem id 111, consignada a Goncalves Irmaos & C.
dem II W n. i. 1 dito viuda do Havre na
barca franceza St. Aud'. descarregada em 2ijle
abril de 5872 e consignada a H. Wilmer.
Idem A I) n. 1,733 1/2. 1 pacote Viudo de An-
tuerpia 110 navio allemao Margare!*, descarregado
em 21 de abril de 1872 e consignado a P.
Wild.
IiHh J I C n. 1/100. 1 dito vindo de Liverpool
no navio inglez Ma-y Rlock. descarregado em 7
de maio de 1372 consignado a J. J. da Costa.
dem A C. sem numero. 1 dito viudo de Li-
verpool n vapor inglez Zembra. deaartagado em
10 de maio de 1872 e consignado a Claudino de
Araujo Gui.naraes.
dem letieiro sem numero. 1 pacote viudo do
Havre no vapor francez Siiulh. descarregado em
14 de maio de 1872 e enn?igualo a Monteiro,
Gregorio k C.
Idem C J n. 63/7. 1 dito vindo do Havre no
navio francez S. Pfcrr desearregado em 20 do
maio de 1872 e consignado a Corga Irmaos.
dem C A k C n. 221/373. 1 caixa vnda de
Hatuburgo no navio aHemao Mina, descarregada
em 31 de maio de 1872 e consignada a Luir. Jos.
da Costa Amorim.
dem letreiro sem nunr;io. 1 lata, vmda do Li-
verpool no navio ingto M-t*g Rlock, descarregada
em 7 de malo de 18-2, ignorase a eonsignacao.
Idm V F T contramarca F sem numero. 1
barril viuda ds .Lisboa no navio pprtuguez Julio.
descarregado em 7 de maio de 1872 e consignado
a v"eriato de Freitas Tavaras.
Idcrh V V T sem numero, 1 dito idem idem.
Alfandega d Pernambuco, 12 de fevereiro de
1873.
inspector,
AMio.il. de -Carvlho neis.
, cmara municipaMesta cidade, teddo de eon-
clmenteJas cadeiras qusforempre-
0 preeesso riettoral, convida aos
das a apresentorem suas propos-
OBRAS BBLKAS.
A eommissao enoarrrgada de promover a desa-
propriaco dos lenos de inarinba conipreben-
didos no projeclo d passeio publico, rua da Au-
rora, convida aos Srs. Jos Alves da Uva Guima-
raes, Joaqnim Claudio Montoiro 1 herdeiros), Anto-
nio Ramos, Francisca Amalia Morena, Manoel Jos
Ferreira Machado, Jos Ltliz do Hego e Jos Gon-
calves Ferreira, que aprcseiilaram i> raspee I i vo
ttulos de posse,a c.iniparece-eai na reparticao das
obras publicas, as 11 boras do dia 22 imprejer-
vebnente. alim de cbnPomrem sobre o preco da
desapreptjSo.
Repar'ti;o das obras publica.-.
de 1873.
1 O secretario
Feliciano Rodrigues da Silva.
13 de fevereiro
Para Lisboa.
O novo c veleiro brigoc portugus Damiao, ca-
pitao Pedro Martins lranro. 0 piiuniro navio
a sabir por ter j a maioi parte da carga promp-
ta. teo boas cummodo |iara passageiros: trata-
ra eom E. R. Rahello & ('.., rua do Coinmercio nu-
mero ^8.___________________ .___________
Para o IN Ho
a galera porlugueza Firme:', capitn Justino R-
rigues Cardoso. vai sahir com brevldafle por/ter
a inaor parle de seu carregomento prompto :
para carga e pas-ageiros, para os ipiaes tem ex-
i-.len!es'coinmoil is. Irata--e com R. Rabe lo k
1;.. rua do Commertrio n. t8.______________^^
DE
urna enso terrea, leudo duas salas, dous
quartos, quintal, cozinlia e tanque, na
rua do conde da Boa-Vista n. 118, 011-
trora Catninho Novo.
Sextu-feira *5I il corrente.
AS IIHORAS DA MAM
O agente Pinho Borges far leilao da supradila
asa, por cunto e risco de quem pertencer. no su
escriptorio rua do Rom-Jesus 11. 53 prinieiro an-
dar.
- __ Para o Aracaty em direitu;a sabe uestes
oito dias etrate nacional Jsoria Amelia, de 4'
classe, capitn e pratico Francisco Thomaz de As
sis. j tem matada de seu carregameiito engajado :
para o resto trata-se com sen consignatario. Anro
nio All>erto de Baaaa Agolar,
n. 60.
rua do Amorim
Rio d Janeiro.
Para o referido porto pretende seguir com a pos-
sivd brevidado o brigue Celiu Culharinense, por
lera maior parte de sua carga engajada, e para
a que lhe falto e escravos a frete trata-se com
os eonaignaANoa, Janguim Jos (ion.-alvos Bcltrao
\ l'iiho. rua do Gminiercio n. o._______
l
<
laasperao da urseanl de
mariaaha
Di> ordem do Illm. Sr. inspector fajo publico,
-que no dia 1? dn corrente mez contina a s.ir
losto venda em hasta publica, na porta doal-
moxarilado, urna porcio de ferro velho.
Inspecgao d$ arsenal de ntavinha de Peram
buco. Ii de feverero do 187 i.
O peerotario;
. Alexandrc Rodrigues dos Ar.jos.
SANTA (L\SA DE MISERICORDIA UO RECIFE;
A II na. junto administrativa da Santa Casa de
Misericordia, autorisada pelo Ex 111. Sr. presdeme
da provincia, por ofliew com data de W do corren-
te. e de copformidadt cora o disposto no, S 0 do
art. ht dosea compromissos, iiennuto por, apoliiv.
da divida publica o dominio direeto. des terrenos
em questo edificadas as casns ahsixo declaradas,
tomaniJA'se por base os precos da a*Blia,?ao.
Rua da Roda.
.Vs. 2 e 16 de Galdino Antojio Alve*
' Ferreira iOiOOft
Ki. i e ito-Mosteiro de-S., Rento.
Ns. 8, 10 e 12 da Irraandade de San-
tjssimo Sacramento de Santo Ante- jf
nio

Com pouca demora ueste porto deve seguir
viagein a galera p atagoasa Atia, recebe carga a
frefe barato e passageiros, para os quaes tem ex-
ceHentes acominodaf-oes : trato-se com Tito Li-
vio Soares. ama do Vigario n. 17.
Para o Rio Grande do Sul
Para o porto cima pretende seguir com muita
brevidade a escuna porlugueza Christina, tem
parle de seu carregamente, e para o restante que
lhe Calta, trato-se com os seus conv.gnatanos Au-
tonio Luiz do (Uiveir.i Aievodo & C no seu es-
oriptorio rua do Rom Jess tt. 57, outr'ora rua
da Cruz.
i ulseira deouro pefdida
Na cidade de Olinda purden-sfl orna polseira
menii m a ai ras d s. Itent, Pa- Ca>lelh.i-
no. .-. Podro at Mattiiai Ferreita: pede-se -
passoa que a acbou o Db gar na mesma edade ao Sr. l:i-!:n 1 l'.anip >s ri a
de > liento, pin ser uratificad)._______~
Prerisa-se de 11111 cria lo na roa do i! nao da
Victoria, luja n. 7._______________,____________
Furia rain, boje, Ii do ciineiUi'. al 11.1
da iv.ule d>; un Sriiiazeni nos Coelbos. tres ence-
rados-, sendo um novo para carga 1!.' cavallo.
mrcalo com as letras iinib de li.uxo, OUtro
de carro, concertado de imw e alcatro do, e o
lerceiro. lambem de can*, imv 1 e pintado de en-
carnado : quem del
Apollo 11. H. sei.1 gratificado
Ver noticia na rua Vviso.
GRANDE E VAIUADO
LEILAO
!' nnveis, rrystacs, loue", utos,
ari"*is e 111 esealer
A SARER :
Cm piaas forte, I mabilia de Jacaranda, lape
tes, jardineiras, etagers e quadros.
l'ma cama fraucu/.a d-< Jacaranda, cdxese
travesseiros, 1 guarda ruupa de mogno, I toilet.
.'( lavatorios, l mesa de costura, 3 coimnodas e
otantes, cabidos, 3 marquezas e colxoes, 1 cama
de ferro, cadeiras e espelhos, 1 lavatorio inglez.
Una mesa Blastics, 1 guarda-iouca. i' aparado-
res, 12 cadeiras, louca para cha e jantar, clices,
copos o garrafas de lino crystal, objectos de elec-
tro pate, 4 bandejas, 1 relogio, i quadros. 1
guarda-comida, mesas, trem de cosnba e muitos
nutras objectos de casa de familia.
Quiita-ieira O de levereir
na Rassageui da Magdalena sobrado ata frente aoj
do coinmendador Manoel da Silva Santos.
R. Wliitinain tendo de ir a Europa, levara a
leilao, por laterveacao do agente Pinto, os movis
e mais objectos existentes em casa de sua resi-
dencia na Passagem da Magdalena, em frente a
chcara do co.mmendador Manoel da Silva Santos.
As 10 1/2 horas da manh partir da estacao
da ruado Rrum um bond i|uc servir de pas-
sagem gratis aos concurrentes ao l.-ilo.
0 leilao principiar s 11 horas em tonto.
Em coiitiuuacao.
e a hora da tarde veader
menino agente :
Um escaler com 4 remos (novo).
uma victoria em perfeito estado com aawioi
para 2 cavallos.
Um cabriolet americano, coberlo. de i rodas e
ar'eft.
h
Sal'- id *. c. 11.1. 10 ICO ClMItmil 0 no crini--
fugio da casa ito -en senhor. '-' i*saravn r.
to conbeciilo n 1- estrada- >la cidade do Iteci-.
|irinco..ln. .1! nos Ing.re- da .Vi iiineVa. ivi
eraailli etoJ I ti arVtl '.- 'al', j : 11 --
IM l..nv. .' 1 r 1 -e jili".1 .o 1 .-\iioi: 1 i'.n
O pre 1er |.;Ve-o para C.eloi.i. ipp!
cado. -
A |7s.-.">a q.ii- an ......MTVii
da Otiw e erav 1 nuinhair.i lva leira :
de 50). .-ir.p .-.-i 11.' riH. l.i ir
outr'i.va Ai :;i':-'a. n
s TI
TV, I
VICO 1
ie|n ii|
:i Su --"
:y-
:r ,'...111 '."d./,IM
1 1. ..... 1 .. 1 ...
avisos ovfHSOs
rara
1 Oililll.
WZENTtH Mil.
di !'.-.
0j, 0ou;i ... -....'
Lea quem quizer e cocoiuinenV quem
pinler.
10,-20,oO. 100, 200, o!0, 1,000, ou
timada fabrico, ramio fabrico.
Duzentos mil lillis '....
Dous mil litros de mol do assucar ic-
os mosinos.
Tom -se desde ja cncomm.i.da de lilis :
a quanlidade d OU/.E-MtlS Vil-
Para que nao baja falta e;n satisfacer todas
encoiniiiendas que temos lido e hob veiihaiiio.-
ter dos to.preconisado fi|b6s da aossa tr:
ca, eslamos munid'.s de nina exi eileiite madiin.
apropriada, quopde produtia duzeatos mil luto*
em seis horas. So na confeilari i dp lampo a
rua do Imperador H.2V____________________
Convida-so ti>dos os devotos e devotas p 1
irein em romaria ao -povoadode Meatao adm...
una nova divindade que alli se
vurarao de Uoos Mercurio '.
Precisa-se alugar nina
vender na rua, paga-se bt 111 :
n. 2. sobrada.
venera, sob a >o
Vm derotn.
saii
per.ei. '
e.-erava
a 1:1a do
?ue
Hipe
= Aluga se urna casa na
dereiro n. 21 ; a tratar na
n. 23.
rua da Pi aia do Cal-
ma do Livramento
ltentelo.
Antonio Alve de Oliveira Braga, por me
modos de saude, tendo de se retirar para Em
vende o seu arniazem de motilados, no Varad
10, em Olinda : quera, qui er. pois, um bom
belecimento, sem duvda o ui.u- mp utanti: '-
liM-alidade. a elle e irija. Bem como
seus freguezes que Machan debitados, oubse
guio de saldar as suas ron tus eom brevidade. _
Offlereceiu-se umu Iwman^portuguezes. 1 .
criado em qnalquer ca-a altrajigeira e para : '
o servido : a tato* na roa d 1 Rangel 11. 5l.
Para o indicado porto, pretendeseguir com pe u-
eos di de demora a veleira barca pt'l'tugnea,
A'ot pOr fuf rsai de dous tercos de sen caiTdgamento
4*M00^ p^pto para rnelo que lhe Calt.1 passageiros
fp8r o wnae tem bonscominedos,)irsJa-se com
os-consignatario Jbaaalm (i 1 : fcltrao k
000*000, PthV* ra *><^m>rcio n. 5.
O abaixo assignado, tendo se retirado de Ja-
boato. convida aquel'ao pessoaa que se jnlgarein
jcus odores para rompa rucaren) ao p iteb do Ter-
co n: 89. ou aguardeio sua prasenra em dito lugar,
alim de serem pagas.
Recife. 17 de fevereiro de-1873.
Francisco Xoviev Camlcxtnle.
Exi>osi<5o de plantas Ttadas
^aEui'opa.
Rhh Ibnque de Caxii.,* u. 9%
for Ij. Pollorce chegado nessos dia; toda vari-
dade, de. plantas, raizes, sementes. batatos, tonto
de Ib. de hortalice,qae so. a vUa do
ir, ________ '_________________
Offereeo-e a aia* do hotel intral, porft--
cueza, j da idade, Am^ do A .na
d8 casa de homea-eoltolro, ou mesma para outro
[hotel: a tratar o* mesmo.
Companliia prniambuea
de iaavegaeao toeteira;1
vapoi|
-Pelo presente sao onvi.l.i I
nstas desta eompMibia a
bla-geral no da 24 do c bura da
de no andar ilo sed pre ii 1 11. 12. am I
prir-se o Asjk**o no artigo 2;
tatutos.
I'ecife, tide fcvereiro deis::!,
O d refl
____________ _____
Previna-se ao Sr. Jo silva, mor.'
dor no A?nde do Bfei Gloria i
tioit, que a sua esc. e adu
su acaia recoftjda cadeia desta cidade.
_-


'4
Diario de Pernambuco Terga feira 18 de Fevereiro M 1873.
' i
*.
FNDICAO DE FERRO E BRONZE
FABRICA DE MACHINAS
(ra d^Briim) ns. -100 a 104
CARDOSO IRMAO
.V na
Qitew precisar de urna escrava cozinheira,
dirija-9C rua de ranto Amaro n. 6. i* andar.
IV
AV1SAM aos Srs. de ongcnhos c ao publico em geral, que tecm reccbido da Europa
grande sortimento de ferragens para engenhos e para lavoura, e quaesquor oulros usos
e misleres da industria agrcola, o que tudo vcndem por pregos razoaveis.
formas para aSSUCar pintadas c galvanisadas.de diversos tamanhos.
ViHOrPS horisontats e verticaes j bem conhecidos nesta provincia e fra della, os
" mclhores que tecm viudo a este mercado.
' JM.OeiKiaS completa; de diversos tamanhos, obra muito. forte e bem acabada.
MeiaS mOCdaS para asseutarem grades de madeira.
laixas de ierro de ferro fundido batido, do diversos tamanhos.
Rodas d'aglia de diversos tamanhos.
KodaS dentadaSi de diversos tamanhos e qualidades.
C/OIloertoS coBcertam com proraptidao qualqucr ubra ou machina, para O que teem
sua fabrica bem montada, com grande e bom pessoal.
FnOOmiiendl^ M-0-81* v'r Por cncommnda da Europa, qualquer rsachinismo,
' para o que se corresponden! com urna respeitavel casa do Londres
e eoni um dos melhoros engenheiros de Inglaterra ; incumbem-se de mandar assentar
ditas machinas, o se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas."
Ra do Baro do Triumpho ns. 101, 102 e 104
F U N D I C A O DE CARDOSO OilESTAO DO DA.
AOXDE EST
0 ARTISTA CABELLEIREIRO
BELPECH.
E' na nu Primeiro de-Marco n. 7 A, primeiro andar, aonde pode ser proenrado para
ti n'stenp d<> -un proflsso.
No Mlio ten boas oflkiacs para barbear e corlar cabellos, ponteados de senhoras, co
que?, tranca*, diademas e tpele?, tudo da ultima moda.
Ra primerio de Maree n. 7 A. primeiro andar.
"r 1 PQrattf FLtnmiiEKS'"
Asioc.aoao de beneficios muiros
ara creaco de capitaes e retidas, c autorisada pelo go
POR
ftpitu!
CONVERSAD D0
ie
PRODUZIR :
Com p-rtfa de ca al
9935000
3:11 #000
8l44$SOO
23:403*300
36:637*700
com

verao Imperial
DECRETO N. 8022 DE _4 DE JULIIO DE 187*
responsabiidi'ie administrativa
1,000:000^000
S CAP1TAES DOS SOCIOS EM AP0LICES D DIVIDA P
6LICA NACIONAL.
TABELLAS
IOO0OCG PAGOS ANNUALMENTE DEVEM
No flm-dfi Sera perda de capital
3 IDDOI 6805300
|f sobos. 2:37250OO
13 aoao* o:38?#h0
JO annos 17:058*500
23 mhkm 43:I28_M>0
i':";, it[ fio unes de t:(00'00 lleve producir :
No fim deglO ddoi 3 8i93;0
iie i' anm s 6.839*000
de 20 annos I2:9*3COO
de 23 annos 23:265*000
" v eto deita isseeiicio mduzir todas as c.'a'fe' t sociedad?, taco es p bres
\ neosra p-u-arem du porvife a giranlirem, per meio da tetmamia, a fot tima dos
a ps-j da velbice e a iraDqothdade do espirito.
A rqsetf oo povos, iato a riq'ieza particular a riqueza Bob'lca, tero o sea fun-
damento mata solido e a sua L-ute mais fecunda c-i simples economa,
A sraanli?. ^
Sji'trTPj-iilu- destinada prioeipalmentc pan cnidar do fatnro i'.i classe menos
aba-t.f' c > lade, a adminivracao, de eooformidade cora estatuto*, declara qoe
recele ptofts p r qonnas mioimsa a! 10*0 KJ a sem limite para maiores quantia?.
Oj mb^eriptore t Popular nao eatio jeitos a cnoi algara de esames mdicos e atiesta-
dos de v,Ja : feos capiUtt cjumolados e acerescid anta je ament passarem, em ca^o
de raorte, a seas berdciros naturaes.
As MJbaefipcoei da Popular Fluminense podem ser feitai de tres modos disDCtOS,
conforme-o desejo do soeio, a saber :
CQMBWAQE5.
1* Panameoto das prestagfles anaaes oa semeftnes (de-de 10*000 Jt a roaloi
quan'.ii cl\ ums) podendo liquidar e retirar capital loen i era :-alquer poei depois
os primeir':s o antii?; sem perda. do capital em nentiuru cato.
2* Igaal ao anterior, porm, com perda du capital e jnros no oso de dtixar de pa-
bit ufan d; preh;8e* marcadas na apeliee
i1 Pafameslo da urna s qrnntia (ouna irero de 100*000.1 d3 ama ; v-z e sem
perda i ni Deobau v.-aso Lem do capital uero dos lucio?.
"A *" combinadlo cITerece ao socio a vacitagein de naoca perler o capital qae liver
e::rog;. lo;
A 2' arrisca o capal, porm, o socio qae p^g'.r p"nta;lTent 5s preatte^Sef, sufe-
rit m^i? lacros qee os qae petteccam ;
A 3 comWnaijJi cll r-^.'e gnoies van'agen^ jes eapilalists, poia sem correr
nkum~ri>co. role fe garantir qoese bao deaufenr, pe,, meops, do; juro de 120/0 ao acno.
rde-se obtci qialqaer oairs infirmara> nu e-cripi-rio di- at'Dtes da assceiaco
nesta proviucia, Ao;.nsto F. Je Oliv-ira & C, la ao Cjmxercio o. i2.
IB
'.Acy^'i-cv-. t.
PENHORES
Xa travesea da ra
dasCruzes n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro Bobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na mesma casa,
eompra-se os mes-
mos metaese podras.
Escravo.
Precisa-se de urna enerv que desempenhe
oJjrig?'.'oe8 de ama de urna pequea familia :
nujargo do Paraizo n. 28, sobrado. ________
O aliahc asslgnado previne ao respeitavel cor-
po do cowmercio de nao Qw transaecJo nenhn-
tna rom nna le'tra aceita pelo mesma abaixrr as-
srrnado-em faror do Sr. Migad Guerra, vtoscr
0 dito toluol Gi-eira dcveiWT da qnaata d-.tira
conio t is d.i BicsiHo abaixb asslgnado.
I. V. Girarde.
Atten^o
Manuel & C, tendo de retirarem-se breve, para a
Europa, vendein todo mobiliado, com piano, lou-
ca, cTystae?, porcelana, vidros ele, o sitio de soas
rcsidajioias no Arn.ial, lugar denominado Coquei-
ros, travessa do A<;ude n. 2, com :i03 palmos de
frente e mais de dous mil de fundo, todo cerca-
do, com mullas fructeiras, i orto de ferro, ca-
cimba, deposito d'agua, banbeiro e gax dentro da
casa, a qual foi reedificada e tem commodos para
numerosa familia; o lugar turna-se reeommendavel
pela pureza c frescura do ar, pela sua sitnarao
pittoresca e agradavel e distar pouco das estar;oes
da Casa amarclla, Monteiro e porta d'agua : quem
pretender, d rja-se ra Nova n. 23, ou no mes-
mo sitio.
AMA
Preclsa-se 4e mraa *ma que
saiba cozinb&r perfeilamentc e
com rar -para casa de horheai
solteiro; na ra de Pedro Affoaso n. 12, antiga
ra da Praia.
Ama de eite.
Prccisa-se de una que tenha Iwm leite, o sem
fillio : a tratar ra do Duque de Caxias, ou
tr'ora Queimado n. 7".
Proela so d uuia ama para cuzinhar e
comprar : ra do Duque de Caxias n. 6i, loja.
m A l'reeisa-se de urna, que co-
/% !wl /% z'mhe e engomme para urna
gel n. 9, t. andar.
so pessoa : na ra do Ran-
Irril Precisa-se de urna ama para comprar
iVilll e cozjnhar : na ra da Imperatriz n 36
Precisa se de urna para cozi-
nliar e comprar : na ra Bella
(boje liba do Carvalho) n. 23 ;
paga-se liem agradando.
AMA
Rl'A DO IMPERADOR
. ANDAR.
uuimio BIRGOS
ADVO&ADO
ATTE^CAO
Precisa-se de una senhora que quejra ir em
eompanhia de urna familia para PortDMl, pagan-
do-se a pa sagem e mais desperas, gratifica' do-
se-lhe o seu trabalho : quem estiver tiestas con
di'.oes dirtja-se ra estrea do Rosario n 9.
Aluga-se una escrava mona para o servido
de casa : na ra de S. Jorge n. 7i._________
CAZA DA FORTL'XA
RA 1. DE MARCO OITU'ORA DO CRESPO >'. 2
ios mmsm.
O abaixo assignado tem senipre exposto venda
os frli/.fs bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
Eromplamente, como costuma, at o premio de
:000#.
Preeof.
Inteiro .
Meio .
Quarto
...... 21*000
...... 12000
...... 6*000
Manoel Martins Fiuza.
ATTENCA0
Urna escrava que precisa de 100* para comple
tar o valor de ua liberda e, otTereee a locaeo
dos scus servieos a qualq'te- pessoa qm he
adiante cssa quantia : a tratar nesta typographia.
Collegio Abilio.
Os estatutos dcsie afamado estabelecimento de
insti uc.ao' primaria e secundaria, sito no Rio de
Janeiro, acham-se em distribuieao na IJtraria
Franceza, onde se presta rao tedas" as informaeoes
exigidas, pelos interessados.
Aluga-se urna casa n uito fresca, na Capn
ga, com 3 quartos, 2 alas, eozinha fra, ea-imba
e bom quintal : no largo do Haspital n. 14.
Na fabrica de cerveja
cisa-se de trabal fiadores.
ra do Brum, pre-
Sorvete.
Hotel da Independencia,
Una do Imperador n. 32.
Ha todos os dias das o lloras da tarde em diante,
sorvete de todas as qualidades. r
Jotro Antonio Gomes deelara ao respeitavel
publico que tendo apnarecido ouiro n me igual
ao seu, de boje em fiante se assignara Joao An-
tonio Gomes Percia.
O agente de leiloes Francisco Ignaeio Pinto,
pode ser procurado das 9 as i horas da tarde
em seu escriptorio, roa do Bom Jess n. 43,
daffuella hora em diantc em casa de sua resi-
dencia na ra do Visconde de Goyanna n. 38,
(outrora roa do Hondego, casa em que tiorou
o Sr. Joo da Cimba News).
Na botica* da ra do Rangel n C-2 se precisa
de urna ama forra ou escrava.
Excommungado.
Acab de sabir a luz e aeha-se venda esta
linda polck da aetoafidade, eomposlcjk) do multo
sympathico maestro J. Poppe : roa Nova' n. 11,
armazeni de msicas do AzeveSe.
Quem precisar de amas secca ou de leite,
dirija-se ao pateo de S. Pedro n. 3, loja, que
achara com quem tratar.
Unido Comiiiei'cittl tteiH'flceitte
Haver sessao do consellio director no dia 18
do corrente s 7 horas da tarde, no lugar do cos-
tme. Pedc-se o' compare:im?nt3 do eodff -
socios.
Ordem do dia.
Tropostas para admissao de so
Secretaria do conselho director da sociedade
Uniao Commercial Benefieeate, 13 de fevereiro de
1873.
O secretario,
M'-d-lros Jun .
Preeisa-se de um menino, de 12 a lk annos de
idade, forro ou captivo, para,eflado de una casa
de pequea familia, com tanto que saiba fazer
compras e entehda de ser,ico de copmro. A tra-
piharibe n.
iisperial liilirica .
! DE I
Rap a rea fina da Baha j
DE
Moreira & Companhia I
O abaixo- assignado, nico agente dessa g
fabrica, avisa ao publico que tem aborto 1
o deposito de dito rap, no seu escrip- |
torio ra do Vigjirio n. 21, onde os 1
freguezes encontrarao sempre a quan- I
tidade que precisarcm.
Reoife, 29 de abril de 1872.
Domingos Alves Mathcus. II
1001000
Fugio do engenho Fontal, em Serinhaem, no dia
7 do prximo passado, o mulato Simo, com os
signaes seguintes : estatura regular, con o secco,
cor alaranjada, barba serrada, cabellos carapi-
nhos e falla descancada: quem o pegar leve-o ao
seu seobor o tenente-coronel Vicente Mendes
Wanderley no dito engenho, ou no Recifc ao Sr.
Bernardino de Sena I'ontual, na ra da Madre de
Dos n. 36, que receber a gralifieeao de 100*.
Aluga-se o 2o andar e otilo da casa n. 3i
ra do Visconde de Itaparica, outrora Apollo,
com commodos para numerosa familia : a tratar
na inesma ra o. 31 com o Sr. Bento de Freitas
(Tuimaries. ,
Terceiro andar.
Alagase o 3" andar do sobrado da ra doF*
dre Floriano com 3 gqartos, 2 sala, eozinha e
cambrone : a tratar na ra Larga do Rosario nu-
mero 22.
Precisa-se de um homem para/ pucha-
dorderoda, e um menino para roc^bedor de
papel : n'esta tvpograpliia.
Avisa-se
a quem der noticia da escrava Guilhenn.na, que
foi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos San-
tos, e depois comprada ao Bao de Na areth, re-
presenta ter 2 annos, tan falta, de dentes na
frente e as maos com cicatrizes de queimadura de
gaz, secca do corpo, muito regrista, que desappa-
receu da casa de sobrado n. 26 da ra dos Coe-
lhos, que ser generosamente recompensado.
A m*l Precisa-se de urna ama para cozinhar:
^vilt numero 13
Terrenos.
=#
EmBebvribe a 3S, 65, 8' e I0*\o Plipo, com
fundos para o rio, ua pov tratar nos do
mingos com o Sr. Medeiros.
Aviso
T
Ama de leite
Precisa-se de urna ama que tenha bom leite e
sem fllho : na raa Duque de Caxias n. 91, loja de
miudeza- do rival sem secundo.
Livre ou escrava.
Precisa-se de urna ama para o servico de duas
pessoas : na ra do Bom Jess das Crinlas n
33, sobrado de um s andar, sendo a escada pela
roa do (albouco.
Fogio da casa de seu flMhor, pelaMiianha do
3 do corrente, o escravo Henriqn, dale 14 an-
nos pouco mais ao menos, rtir |wets, entes al-
vos, geugivus prelas, altura peptena, levoucal^a
e camisa de riscadmho, chapeo de palha da trra
feicoes miudas o bem ladino : consta indar no
bairro da boa-vista, >t ter embarcado) para a
villa do Caboj e escravo de Francisco > Romeu :
quem o apprchender e leva-lo na ra da Moe u. 33, sera gratificado. UQcM s v
Novo estabelecimento i
*? i s-
de joias. :g
tua lo Cnhug n. 19.
3 Neste estabelecimento se encontrar %r
^ um bonito sortimento de joias pie se B
I vendem por tal proco que nnimai ao 4*^
comprador, attento "ao vantnjeo sysic- ''
ma, ganhar pouco para vender mni- --
to, que certamentc til ao compra- J
dor c ao vendedor. S
Tambem se compra ouro. prata e pe- m.
* dras preciosas, bem como se fabrica e s*
3 concerta toda e uualquer obra tendente j|
^t mesma arte. --
Escrava
Precisa-;.' alngar urna escrava xqne saiba en-
r, etc. : na na do Calinga n. II, loja de
gommar
joias.

Aviso.
200|000 de gratificado.
No iiicz de outubro do anno prximo passado
fugio do ngenho Ajndanle da freguezia da Esca-
la, o escravo de nome Guilherrae, o qual tem os
'ignaes seguintes : 23 annos de idade, cor acabo-
Miada, olhos grandes, naris um pouc arqulado,
cabello crespo, altura e corpo regulares, ps com-
pridos e seceos; com algumas marcas de ferida
pelas costas : levou comsigo um cavallo castanho-
i. rosilho, tendo no lado dreito esta marcaE.
'Oesconlla-sc que tenha seguido para a cidade da-
l'arahyba. Roga-sc s autoridades policiaca e ca-
pitaes de cani|)o a captura do referido escravo,
que poa\er ser entregue no dito engenho ao seu
senho-, Kmilio Pereira de Araujo, ou nesta pra-
ca, ao resWtivo correspondente Firmino Correa
renoa de Meflo, ra do Apollo n. 56.
Promptido, asseio e
V 1\f A Precisa-se de urna amafpara o scr-
ilJ,lil vico de urna casa de pouca familia :
tratar ra da Cruz n. 18, 3." anda'.
Com
urgencia
Precisa-se de urna ama idosa que saiba cozi-
nhar, para casa de pouea familia : a tratar na ra
da Alegra n. 40.
\nQ Aluga-se urna escrava: na ra Di-
Aind reiUl n_ 6L
Ama
Precisa-se de urna ama para comprar
e cozinhar: na ra Duque de Caxias
numero 75.____________________
Na roa 1. de Marco, antiga
do Crospo n. 17, loja, precisa-se
[Y. TJL fl de urna ama, somente para cozi
nar em casa de rapazes soltelros.
AMA
CARNAVAL
Na Chapellerie des D mes ra do Barai da
Victoria n, 16, prepara-'e qualquer costume a ca-
pricho, -pro. rio para o cari avel: o go t > d > ra-
balho nest genero j bem conhecido pelos
ar ad i es do carnaval portanto inut 1 elogia-Io.
O abaixo assignado declara que comprou' a
taverna sita na ra da Bestauracao n. 36, antiga
ra da Guia, livre e desembaracada de qualquer
debito, e pertencente ao Sr. Genuino Carneiro da
Cunha : se alguem se julgar com direito mes-
ma, apresente-se no prazo de 3 dias, a contar da
data oeste, findos os quaes nao se attender re-
clamaco alguma.
Recife, 31 de Janeiro de 1873.
Joaquim Gomal ees de Andrade.
Na ra da Imperatriz n. 47, Io an-
3&
dar, urna senhera tendo j grande pra-
tica do cosino, recebe dUeipulas de
piano, m sica e desenho.
Attenqao.
Toina-se a qu.ntia de 800iO00 dando-se urna
boa escrava, cozinheira e lavadeira, pelo juro do
dinheiro : pessoa que quizer fazer este nego-
cio, dirija-sc a ra do coronel Suassuna n. 264.
lllcnrao.
Na ra do Arago n. 32, contina a fazer en-
commendas tanto para casamentas como para bai-
les, ^como sejam : bandejas com bolinhos e com
armaran, ditas com pastes de nata, bom bocea-
do c aletria de ovos com arma;ao, bolo ingle
pao-de-l, podings semedo, penis, lomho cheio,
e empadas ; tambem se prepara prezuntos de di-
versas qualidades. Recebe se encommendas de
bouquels de cravos para' bailes e casamentos,
com caixos de gomnia e figuras. Encarrega-se
de preparar qualquer mesa, ludo com aceio
perfeico : quem pretender pode dirigir-se
qualquer hora do dia que achara com quem tra-
tar.
ATTENCIA0.
Toma-se a quantia de 3f^0000, dando-se una
boa escrava cozinheira c lavadeira, pelo juros do
dinheiro : a pessoa que quizer fazer este negocio
dirija-se ra do Coronel Suassuna n. 264.
Na ra da Imperatriz n 50," precisarse de urna
pessoa forra ou escrava, para entregar pao das
o 1|2 da manila at 8 horas ; paga-se 20000 por
mez :a tratar na padaria.'franceza.
Escrava.
Precisa-se alugar urna escrava para servico in-
terno : na ra da Cruz n. 38, 1 andar.
j Aluga-se
un)a casa na Tone por um proco muito rasoavel,
com os commodos seguintes : 2 salas, 3 quartos e
oozinlia; a tratar na ra do Mrquez de (linda
n. 66 2. andar.
Aluga-se urna boa casa torrea nos Coelhos,
ra dos Prazeres : a tratar na ra das Cruzes a.
34, 3.' andar.
Precisa-se de urna neg^rinha para andar com
urna crianza : na ra Direita n. 8, segundo an-
dar.
O abaixo assignado deixou de ser procura-
dor do Sr. Lenidas Tito Loureiro.
Recite, 10 de fevereiro de 1873.
Jos Luiz da Gesta Gomes.
ltenlo.
tar na ra do Cipiba
40.
A pessoa que aehou nina caixa de tartaruga
com pequea firma de onr j, no caminho de Santo
Amaro, ao amanhecer de segunda ^einw,querendo
restituir, ser gratificado; na ra da Santa Cruz
n. 56.
OiziHeira
Precisa-se de urna eozint eir para urna casa,
, *;trangeira : a tratar na roa do Commercio d. 38,
i* andar.________^^
Precisa-se
de nina a.ou para comprar e co nnar para pe-
rro pintadas de preto, eom tr.1
Qner-se alugar urna escrava tara o servico ex-
terno e interno de urna casa de pouca familia : a
tratar na roa do Imperador n. 23, 2o andar.
O abaixo assignado pede aos consumidores
de seus.cigarros que prestem attencao ao nome
que tem em cadajnasso de cigarros por elle fa-
bricado, que ba boje urna chapa igual com o
nome de More ra, ra Imperial n. 149, pois como
todos sabem a e, ha mai* de um anno.mandei por
ao lado de caa masso um annuncio chamando
a attenclo dos consumidores, e at to mesmo
tem como se fosse elle o primeiro, e para livrar
> equivoco fao.este annuncio pedindo que leiam
o nome de Figueiredo, que sao os verjjadeiros por
elle fabricados. t
________Jos Antonio Domingas de Figueiredo
quena familia
n. 64, loja.
a tratar na r a Piiqnr
Precisa-se de urna ama para lavar'e engoni-
mar, paca-se bem: a iratar na Passagem da Mag-
dalena, largo to chafariz, sitio" com grades de
ferro pintadas de preto, eom tres ps de coque-
ros na entrada.
Acha-se fgido desde o da 12 de dezem-
bro do anno prximo passado o moleque Aluno,
de 13 para 16 annos de idade, com os signaes
seguintes : cor fula, secco do corpo, olhos vivos,
ponas finas, muito ladino, levou vestido calca
e camisa do algodao de listras; supp5e-se elle
andar mesmo pelo Recife, ou pelo matto, na fre-
guezia de Ipojuca, no engenho Pinderama, onde
tem um irmo forro : toga-se a apprehensao do
dito escravo c leva-lo em Olinda no sitio deno-
m nado Jardim Botan co, aos seus senliores, que
alm de gratos, rec mpensarap generosamente.
"Aluga-se
urna escrava recolhida, para servico de casa de
familia : a tratar na roa do Crespo v.. 7 A, loja.
Escravo fgido
Do abaixo assignado fugio um seo escravo,
nardo, ou simi-branco, natural desta provincia,
de nomo Joo, cabellos quasi tarridos, pouca bar-
ba, do estatura regular, o qual gostava de carre-
jar canecos d'agua para andar vendendo, teu-
do urna verilha quebrada, o qual est fgido ha
tres mezes : quem o pegar tora 50lOuO de grati-
ficaca/), "e leve-o a seu senhor ra do Impe-
rador n, 75, de quem receber a mesma grati-
ficado ; e protesta abaixo assignado asar de to-
do o rigor da loi, contra quem o tiver oceulto..
Francisco Baptista de Almeida.
Ensino particular.
Salvador Henrique de Albuquerqae, presta-sp a
ensinar por casas e collegios particulares, nesta
cidade e seus suburbios, todas as materias do en-
sino elementar, a alumnos de um e outro sexo.
Ensln e prepara as senhoras que se quizerem
habilitar para os concursos s cadeiras de instrnc-
cao primaria ; e todas as tardes em sua casa
pode leccionar aos estudantes de preparatorios
que precisaren de habilitar-se pura o exame" de
portuguez.
Tambem ensina geometra e arithmetiea com
todo o desenvolvimento e applicaeoe?.
Os senhores que se quizerem utilisar do seu
presumo, podem procura-Io no largo do Paraizo
n. 8, segundo andar; pela manila at as 9, e a
tarde das quiltro horas em diante.

1$$*; ;
Vllencao.
0
m
0
economa.
Francisco Jos Cordeiro, alfaiale, par-
ticina ao respeitavel publico pernambu-
cas", (ufe abri a sua oflcina na ra do
Baleo ua Victoria, outr'ora ra Nova, n.
46. primeiro andar. Espera ser procu-
rado tos cavalheiros di bom gosto, pois
rano mis i .ivaiiieuos uo ijoiii ijusiu, |iui ^
9 encoiitraiao trabalho pelo gosto da Euro- W
fi pa, e por procos muito menos do que em Y
y\ outra parte. C?
19 i ara 20 do [ Est fgido desde o dia 23 de jvinho do anno
de 4871 o escravo Ltiiz, mulato, alto, cabellos bem
crespos e principiando a botar. Tem um peqQe-
no signal de cabellos no ipieix; e no braco di-
reito as leltras-L, F. N. Sabe ler, IrabaUa de
O Sr. Antonio Jos Ferrelrn, tenha a bondade
de appareccr na rua do Duque de Caxias n. 60
A, loja de Bento da Silva Je C, siceessores de
Manoel Ribeiro Basto._________
Desappareceu na noute de
corrente, da fregoez a do Pono da Paiella, una
burra com os sign es seguintes : caslanba, car-
uuda, tendo a uiao esquerda um iouco indiada,
tem urna marca na sarn ia, pr veniente de um
germu : quem a acliar, ou della der noticia pedreiro, envernis'a e pinta,
exacta ser generosamente recompensad". Este escravo tem um irnia
onipi
Eustaquio Jos das Chagaa.
Urna senhora conipetentemento habilitada e
autorisada pela directora da instruceao publka se
ofereee ensinar primeiras lettras, grammatica
portugueza, aritbmetica, coser, bordar, e outres
misteres de sua prolissao, em algtnn engenho per-
to da pra^a : a pessoa que quizer niilisar-se do
seu prestimo, dirija-se praca do Cande d'Eu nu-
mero 13.
Attencao
Pereira da Silva & C, proprietarios da loja do
pavo, ruada Imperatriz n. 80, rogan a t'dos
os seus devedores desta praca a viren saldar seus
dfbitos-at o fim do'mez de fevereiro corrente ; e
todos aquellos senhores que se acham eom seus
dbitos atrasados e nao Uyerem vinJo pagar du-
rante este praso, tero de ser meommodados judi-
cialmente.
Escravo fgido
loO^OOO'dc pk^to.
Ausentou-se desde o dia 13 de maio de 1872,
o preto de nome Alfredo, de trnta o tantos ann s,
crilo, e bastante ladino; este preto perfeito
cozinbeiro, estatura alta, magro, olhos erandes,
j esteve no engenho do Sr. l.uhi de Calar, cm
S. Lourenco da Malta, onde consta ter parentes,
foi escravo dos Srs. Adriano & C -tro, e do Sr,
Jos Joaquim Goncalves Basto-;, negociantes desta
prac.a; de todos estes Srs. foi cozinheiro, tem sido
visto por pessoas que o eoohecen, dizendo que'
est forro, assim tem podido escapar do ser preso.
Pede-se todas as autoridades e capitaes
de campo que o pegando leve-o a rua do Duque
do Caxias n. 91, loja de miude.T.s do Rival sem
Segundo, que receber a gratificado cima de-
clarada.
Aos Srs. de engenho
Fugio no 1' de Janeiro do corrcu'c anuo o es-
cravo Martinho, mulato de cor alaranjada, natural
da ilha de Itamarar, altura regular, fornido do
corpo, cabellos um tanto aeabociados, com um
talho na testa entre as sobrancclhas, proveniente
de um coucc que levou em pequeo, pelo que se
torna bem conhecido; tendo mais n'uma das ve-
nillas, ou cm ambas, cteatrizes bem vizrreis de fe-
ridas em consequencia de brtbdes que soU'reu.
Este escravo ainou fgido mais do uin anno, ten-
do sido capturado nos fins do novombro de 1872,
no lugar d Agua-Fria, do termo de Olinda, quan lo
vinha do engenho Mussupinho, do termo de Igua-
rass, para um sitio em Beberibe, lugares esses
onde'elle mu conhecido n costnmava trabalhar
a jornal, dizendo ser forro e chamar-so Joaquim;
tanto que em .Mussupinho tratado por Joaquim
Butijao. Ha toda certeza de ter csti escravo con-
duzido ullimainente de trras d'aqn le engenho
urna mulher livre, de cor preta, cham i la Joscpna
(com quem dizein se ter elle casad) durante o
lempo da primeira fgida) com um ilho do pon-
eos mezes e um quartao magro eom cangalhas e
cassuaes, tomandj a directa i do Pasmado, onde a
predita Joscpha tem um irniao alli morador, ho-
mem preto, conhecido por Ignacio Cabalo. A'
vista de taes predicados, pelos quaes se torna f-
cil a captura do sobredito escrava, rogase aos
Srs. proprietarios ds engenhos, qae tenban em
lembran^a este annuncio, dando snas ordens a
que seja elle agarrado, por onde de presente pos-
sa andar, e conduzido a esta cidade ao terceiro
andar do sobrado n. 34 da rua das Cruzes, onde
encontrarao pessoa autorisada p.'.ra o re-'ebor e
bem gratificar. _____ _________^__
Engenho
Arreuda-se o engenho Cidade de Pas, sito na
freguezia do Cabo, dishinte tres legoas di estacao,
de Olinda, tem muito boas obras, b'>m d'agna e
de excellente produccao : a tratar con o proprie-
tario, no sitio 5. Fidelis, no mesmo engenho._
o lilierto. que traba-
Iba va (e pode ser que anda Uaballiei de machi-
Dista de vapor n'iim engenho de Abreu de
Una.
Pede se as autoridades poliiiaes c capitaes de
campo que o prendan e faeam-no conduzir rua
da matriz da l!oa-Visla, casa n. 33, onde rece-
barlo 150/001.
% Consultorio medico g
2 cirurgico.
Joao Ferreira da Silva pode ser
m
Sitio para alugar**-
Aluga-se um sitio na Caiunga T rua das Per-
nambucanas n. 23, tendj^ boa cas id* vi venda,
coeneira, estribarla, arvores ruc:iferas e agua
Nethodo (laslilho.
Rua da Penha n. 25, primei-
ro andar,
Secundiuo Jos de Fara Simoes, pro fes sor
particular de instruccojelemcnlar pelo methodo
Castilho, avisa ao respeitavel publico e com espe-
cialide aos pais de seus alumnos, que est aber-
ra a sua auia desde o dia 7 de Janeiro ; na rua
da Penha n. 25, 1. andar, aondo recebe pensio-
nistas por proco commodo : o mesmo professor
promette muito se esmerar no adiantamento de
seus alumnos.
Hospital Portuguez de Bene-
ficencia em Pernambuco.
V Sao convidados os socios deste hospital, para
comparecerem asserabla geral, que devera ter
lugar, domingo 23 do corrente s 11 horas da
manh, afirn de se^oceder eleicao de 3 mor-
demos em substitaicao aos que declinaram de
suas uomeacoes. Em seguida ser lido o relato-
rio do anno prximo passado e o parecer da oom-
missao de contas e tomarao posse dos seus cargos
con a soleninidade do costume os membros da
junta administrativa, que teem de funceiouar no
corrente. anno.
Hospital Pertuguez de Beneficencia em Pernam-
>aco, 18 de fevereiro de 1873.
Luir Duprat, -
Secretario.
potavel: tratar na rua da Iraprltaz, n. 9, pri-
meiro andar.
i i-vi^kti: I
Medico-cirurtrifo
RUA DO IMPERADOR N. 73, fANDAR W
0 DR. NNES DA 60STA
MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
ESPECIALIDADES.
Molestias e oper?ces de olhos.
Cora radical e usuotaoea ios
esireilaento9 da uretra.
Consultas: Das 7 asi noria
da manh.
Chamados : A qualquer bora.
r, Dr. iVWI rrucil* uci 0UT |l-uv 3 jj
tg, procurado p ra o exercicio de sua pro- \jd lissaaem geral, e especialmente opera-
Q coes e molestias cirurgicas no antigo
q consultorio de sen pai, ama larga do
n Rosario n. 10.
r Consoltaa das 9 ao meio dia e das 3 f)
0\ s 5 bonfB da tarde. Chamados a qual- ff\
)t ipier hora. Gratis aos pt bres. M\
^SSSSSSCSSS^ 'iXSMiXSaX^
l'rerisa-se de um menino de 12 a 14 anno.
para caxeiro : na paitara da rua do Rangel n. 9s
Aula particular.
Jos Carlos da Costa, professor provisonado
pela instruceao publica, tem aberto sua aula par-
ticular de iiislruccao primaria, na rua da Guia n.
42; ofi'erece sem prestimos aos p >is do familia,
liara quem delles quizer so utilisar.
i
1 MEDIC0-CIRLRGIC0 i
Dr. J. II. 'iirso .8
OPKKADOR i: PARTEIRO
Rua do Mrquez de Olinda n. 23, pri- &
meiro andar. X\
Consulta das 7- horas s 10 da manha. J
Chamados a qualquer hora. V
Urna pergunta ao Sr. Morei-
ra da rua Imperial
E' o senhor o proprietarlo da chapa e titulo dos
cigarros Maurity e outro, ou o Figueiredo do
becco Largo ? O senhor diz em seas massos de
cigarros, que o inventor, nao sai como pode ser
Vmc. o inventor hoje, quando elle ha mais de um
anno diz : o fabricante pede como inventor dostes
cigarros, qne os eonsnmideroe reparen para a
tirina do roalo, vtsllavenm minios fabricanli"
imitantes. Vmc. diz hoje a mesma cousa, isto
Vmc. querer tirar o direito a quem pertenee, pois
alcm da chapa ser igual Vmc. ainda diz, do lado
do masso o mesmo que lie. para poder confun-
dir os consumidores ; m.io i com outro para poder assim vender sua hienda.
aaawfiMM* *"* "w* r-nesiMG***!****
Mara Cundida Coin-ilves convida
SOS prenles e ain pos de seu finado
n arieo Manoel l.ni/. Go- calves, pan:
assistirem a missaque manda resai
no dia 19 do cor ente, s 7 horas da
manha, na ordem 3' de S. Francis-
co, Io anuiversario do HO fallec'-
nicnlo.
O geuro, ODOS e mais pan mi-
do linado Manoel Antonio Vieira
agradecen cordialmente s pessoas
que assistiram o enterro do finad,
e de novo rogam a todos os seu>
amigos para assistirem a missa d"
stimo dia, que (era lugar na ma-
triz do Corpo Santo, qninta-feira 20 d correnb.
as 8 horas do dia ; assim como aproveit m < occa-
so pata agradecer sociedade B. Luso Brasile-
ra a parte que tomou pela sentida morte do mes-
mo finado.
Flor! imI a Prxedes de Nant' Ann
Por alma desta.fmadam, manda o
seu sobrinho Joao Pereira da Sii-
reira Jnior e siia mulher dizer
una miss i na ord|fi 3.* do Carmi..
7 1(2 luir s dr dia, quarta-feira
do rente, 7. dij do seu p ?-
uual convida a seus panales.:
ute acto de caridade
!
)
r
Argentiro Pereira da Silveira c sua ojOMr Acu-
ciara Pe eir da Silvelra, agradecenj i petsoas
cpie acompanharam o cadver de >#g*uiiiresad..
tra, Florinda Prxedes de Sant'Annlj aocemitero
publico, os mesnios convidam os seS parentes e
amigos para assistirem a urna missa que tem de
mandar rezar na ordem 3.' do Carmo, s 7 hora'
da manh do dia 19 do corrente, stimo do seu
passamento.
i
Aluga-se o armazcm e o primeiro andar da
casa n. 20, da raa do Bom Jess : a tratar com
Cramer Frey de C, n. 62, da mesma na.
Fugio.
No dia 11 do corrente o escravo Herculano,
crioulo, estatura baixa, ps oqueaos, prneipiode
barba, cabellos carapinhos, bo;ca e nariz re-
gulares, tem cgo o olho esquerdo, proveniente
de urna bellido, andando apressado nelina-se
para a frento por ter um deleito na porna, pare-
ce ignorante mas o ladino : roga-s a captura
do referido escravo e sua conduccao ao armazem
do sal, na rua daConceirao n. 6, onde se recom-
pensar.
- Perdeu-se na tarde do sabbado 15 do corren-
te, do caes 22 de Novombro at a igreja de S. Jos
de Riba-mar, um p d Linterna de carro, de me-
tal principe : quem o acbou, querendo restituir,
leve-o cocheir do Ignacio, junio a ostacao do
arco de Santo Antonio.
___________________-----------_;._
Offerece se urna mulher para eng_J___r em
algum collegio ou em casa de familia : r.o C
dor do Bispo n. ^|.________
Manoel de Jess da Silva Pedrozo e Antonio Sa
bino Ferreira Callado, agradeecm as pessoas que
acompanharam o cadver de sua mui presada mj,
Florjnda Prxedes de Sant'Anna ao cemiterio pu-
blico: os mesmos convidam os seus parentes e
amigos para assistirem as missas do stimo dia
que tero lugar no dia 19 do corrente s 6 horas
ua man lia no convento de Nossa S.mhora do Car-
mo"
El
Consulado de Portugal em
Pernambuco.
Sendo fallecido no dia 27 do passado Sua Magos-
tade a Imperatriz,viuva, daqueza de Bragsnfa, au-
gusta avd de Sua Magestade EI-Rei de Portugal,
resolver o mesmo augusto Senhor que sotme
luto geral pelo teinpo de deus mezes, sendo o pri-
meiro de futo pesado, o que levo ao cnhecimento
dos subditos de Sua Magastade Fidelissima resi-
dentes no ditricto consolar a meu cargo para os
devidos effeito-.
Consulado de Portugal em Pernambuco, 17 de
fevereiro de 1873.
Domingo* Mara Goncalves.
Contal eacarregado do consulado.
I
f
1
\

A pessoa que
cavallo, pode dingir-se a
Preci
ra pai
dre Florian
s
>
r
Aluga-se o segundo andar da casa da roa
das Triocniras, com janellas para i s 2 oites
a tratar na rua do Imperador n. 67, segundo an-
dar. _________
ie de urna cozinheira e
ia Jl<
Pa-
l'n 6, 2o andar.

"
.


-
s
j
j
/
t
f
s.
\
:r=:v
Diario do Peniambuco Torcaffeira 18.de Fevcreiro de 1873.
/%1L,TA MOVID/tDE
PIANOS E MSICAS
A\TO\IO JOS 1IE 1ZEVEUO
Ra do BarSo da Victoria n, 11, armasem, e 12 1. andar, antiga ra Nova
* *
aonie o.publico em geral encontr,}sentpre o maior e mais esplendido sortimento depiauos de
Pianos, msicas e instrumentos d$ msicas para bknda militar
e orchestra.
i
r-i
Acaba de abrir no primeiro andar do sobrado d. 12 confronte i
botiea Maurer, am grande sa o onde estao expoftos os magnficos
(TAGI
de armario, de Pleyel.
da meia canda, do mesmo actor.
de H. Ilenn.
de Amede Thibcot.
nico agente Deata eidade, dos celebres afamados
PIANOS DE AUCHER FR^RES
Tamben) receben grande portimento de mnMoas para piano, piano e
canto e entre ellas as lindas eomposicoes do moito ympatbico maes'ro
F. S.WM*I
A SABER :
Voc me quer Walsa.
re miados em diversas exposi ;oss om 14 medalhas de onro e prata.
Sao os onicos pianos que aqni vem da Europa, perfetaineote afna-
los, fetos com elegan :ia e solides.
D'aqni emdiaote continuara a annnneiar todas as publicares que se forem friendo as suas officinag de msicas.
. Olga Maiutka.
La Separacioni Pura eaoto.
A Lu elctrica, grande Walsa.
Franco Brasileiro Polka.
Tomada de Valleta Galope.
Joaninha Walsa.
A Libertadora Polka.
A Primeira espada Wal.-s.
A Minba Lyra Walsa.
A Natalicia Polka .
Studieote Po ka.
UHIutai publicares
Feitas as offleinas de msicas
do snnunciante.
Emilia, polka por I. Sraoltz.
Circaeiaoa, . Jardim do Campo das Prictia?,
quadrilba, por J. Poore.
Chava de Rosas, Wafsa, por H. Al-
bertaui.
auESTioDODiAipuNI)I(.l0 DO BOWMAN
RA 00 BRUM N. 52
(Passando o chafariz)
(/," pela barriga que melkor se (
Qoverra o mundo).
Grande agtaeo I... Todos fallam (----gri-
sam I... escrevem I... lastimam-se I... cbo
rara... e nio comera? nao bebem f
Eis a miliisao!!
Meditemos; pois...
Alvcaras i... Alegrai-vos, bella e heroica ei-
dade do Recife, que vai desabar sobre a cabeea
de cada um de vossos invictos lilhos urna nuvem
prende de mgicas inspiraeoes a veracidade
deste annuncio.
Queris conseguir os fins t empregai os meios :
apurai a vossa imagir agio, vasai na vossa intelli-
i'encia urna gota de i ispiraeao e ytereis resolvido,
'ulminado a-questao do diaj
Queris ?
Pois bem, fbrtificai os pukndes, desempedi i
larynge, rgentinai a roa, adquir o dom da per
tentosa inspirarao que vos offereco e tereis forcas
uncientes para discutir, convencer c.derrubar,
para sempre a magnaquestao do dia.
Queris ludo islo
9
Vmde ao muito preconisado armazem do Cam-
pos, a ra do Imperador n. 28, e comprai certas
e especiaes victualim, (exquisitas e excitantes) a
par dos coruscantes e tinos vinhos, nao esquecendo
os inissimos e calmantes licores, lembrando-vos
dos rarissimos o delic idos aeepipes, (alem de eu-
tras imuitas cousinha* boas que ficam oceultas
nestes.....para despertar a curiosidade dos aman-
tes da....) e veris qile depois de teres saboreado
"ssas finas e delicadas iguarias vos appareccr
urna tao enrgica insptraco (cousa inaudita) que
vos considerareis mutamorphoseado em algum
propheta, abundando a vossa imaginacao de cal-
culos infaliiveis que vos farao resolver em um
pice o grande problema que prende tao forte-
mente as vossas attencoesquestao do dia.
Duvidaes ?
Teste caso l vai:
Com a barriga vasia
A cabeea. arde, enfraquece,
O corpas treme, vacilla,
A razao dcsapparece.
5. 28 ra do Imperador 128
PEDEM AOS f enhores de engenho e outros agricoliores, e empregadores de a
chioismo o favor de orna visita a seu eslabelecimentu, para verem o lovo eoriimento
completo qoe abi teco; seado todo superior em qualidade e fortidlo; o que com a ios
pecc5o pessoal pode-se verificar.
ESPECIAL ATTENCO AO NUMERO E LUGAR DE SUA FUNDigAO-
VannrAa a rndaa ({taima do9 mais moJeraos ystemas eem ta
V apures rima U agua maQh0S conveoientes para as diverjas
circumstancias dos senhores proprietarios o para descarocar algodSo.
Moendas de canna ygj 9 lamanbos'a8 melhores qQe qi
Rodas dentadas *vntolMvipiei^:
Taixas de ferro fandido, batido e de cobre.
Alambiques e fundos de alambiques.
Machinismos
Bombas
para mandioca e algod3o,J
e para serrar madeira.
Podendo todos
ser movidos a mao
por agua, vapor,'
de patente, garantidas........ | ou animaes.
Todas as machinas e p^as d ^ue se cosloma precisar-
Faz qualquer concert d9 n,acbii!mo>a w mi r88umido-
PVtTOlil.il P ffiTfrn tetD as mtlDore3 e mais b3ntas existentes no mer-
t?T1Pr\TTimcaTi-lae Incumbe-se de mandar vir qualquer macbinismo i von-
Killl/VJlUIUoliUaa. \ZQ os clientes, lembrando-Ibea a vaatagem de fazerem
eoas compras por intermedio de pessoa entendida, e que em qualquer necessidada pode
lhes prestar auxilio.
Arados americanos *?*
RA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARIZ
MEURQN&C
itvisAin
E
jscravo
umd
o
as compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA FRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois qu os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro REA
FREA, devem para nao serem engaados ver que
os botes trgam o nome de MEURON & a, e a desig-
nado de REA FRETA.
AO ARMAZEM:
VAPOR FRANEZ
RA DO BARAO DA VICARIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
PIANOS.
Acabam de chegar muito bons pianos fortes c de
elegantes modelos, dos mais notaveis bem co-
nhecidos fabricantes; como sejain : Alphonse
Btondel, Henry Hers e Pteyel Wolll 4 G. : no
vapor francez, ra do Barao da Victoria, ju-
tr'ora Nova n. 7.
Calcado fraucez.
Botinas de luxo e phantazia, brancas pretas e d
differentes cores, tanto para senhoras, como pa-
ra meninas.
Sapatinhos com salto no rigor da moda, brancos
e de cores para senhoras.
Botinas de Melis, de Suser e de Polak, para ho-
mens.
Sapatos de cordavao Mili spara horaens.
Botinas para menino de qualquer tamanho.
Pwneiras e meias-perneiras tanto para homens
como para meninos.
Sapatdes de Suser para homens e meninos.
Sapatos de verniz com salto para homens.
Abotinados de umitas quahdades e preeos para
meninos e meninas.
Sapatoes de verniz coin sola de pao proprios para
sitios, jardins e banhos, sortimento para homens
e senhoras.
Sapatos de tapete, ca*emira, charlot aveiludado,
de tranca porluguez e francez.
No armazem do vapor francez, ra do Barao da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Perfumaras.
Pino? extracto?, bantias, olens, opiata e pos den
trilice, ^gua de 11 r de laranja, agua de toile-
te, divina, tlorida, lavande, pos de arroz, sabo-
netes, cosmticos, muitos artigos delicados em
perfumara para presentes com frascos de ex-
tractos, caixinhas sortidas e garrafas de dille-
rentes tamanhos (Tagua de cologne, tudo de pri-
meira qualidade Jos bem conbecidos fabrican-
tes Piver e Coudray,
No armazem do vapor francez, ra do Barao da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Mascaras para o carnaval.
O mais importante sortimento qne tera viudo de
mascaras d massa, de rame e de seda, nariz
com oculos, barbas etc., preeos muito bara-
_ tos tanto em grosso como a retalho.
No armazem do vapor francez, ra do Barao d?
Victoria, outra'ora Nova n. 7.
Para viagens.
Muito boas malas e bolsas para viagens de nrt.
de caminhos de ferro.
Estojos de viagens com os pertences necessau.
para barba.
No armazem do vapor francez, Bruaop arao
da Victoria, outr'ora Novan .7.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Napoleao e a Guilher-
me, perneiras e meias perneiras para lioinens,
e mei.is perneiras para meninos.
No armazem do vapor france-, ra de Baro
da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Mobilias de vimes.
CaJeiras de balancodc braco, de guarnieres, so-
fas, jardineiras, mesas, cnversaa(iras e costu-
reras, tudo isto muito bom por serem fortes e
leves, e os mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recreios.
No armazem do vapor francs ra do Barao da
Victoria, outr'ora Nova 7.
Quinquilharias.
Ar4gs de diffierentes gostos e
JiIutiilaAias.
>s para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Luvas de Joavin, de lio da Escocia e de camua.
Caixinhas de costura ornadas com msica.
AUrans e quadrinhos para retratos.
Caixinhas com \idro de augmentar retratos.
Diversas obras'de ouro bom de Ici garantido.
Correntes de plaqu muito bonitas para relogios.
Brincos jimitacao c botes de punhos de plaqu.
Bolsinhas e cofres de seda, de veUudo e de couri-
nho de cores.
Novos objectos de phantazia para cima de mesa
ejtoilcfle,
Pincerna de cores, de prata donrado, de agp
tartaniga.
Oculos de ac fina, e de todas as graduales.
Bengalas de luxo, canna, com castoes de marfkn
Beoglas diversas em grande sortimento para ko-
niens o meninos.
Chicotinhos de baleia e de muitas qualidades. di-
versas.
Esporas de urracha para saltos de botafi.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e par*
barba.
Ditos de marfim muito finos, pira limpar cabera.
Escovas para roupa, cabello, unhas e" para den-
tes.
Carteirinhas de madreperola para dinheiro.
Meias para fcomens e para meninos,
Grvalas brancas e de seda preta para homens e
meninos,
Campanhias de mola para chamar criados,
loges da gloria, de dama, de bagaUHIas, de domi-
n e outros muitos difierentes joguinhos alie-
mies e francezes.
Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami
nhos de forro,
Mamadeiras de vidfo de dar leite mui fcil as
enancas.
Argolinhas de marfim para as criancas morderem,;
bem para os dentes.
Ber. os de vimes pan embalancar crianeas.
Cestinhas de \imes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro roda* para passeios de enan-
cas.
Venezianas transparentes para portas e janellas.
Reverberos transparentes para cimdieiros de gaz.
Esterescopos e cosmoramas com escolhidas vis-
tas.
Lantenias mgicas com ricas vistas de -cores em
vidros.
Vidros avulsos paia cosmoramas.
Globos de papel de cores para illuminac5es de
festas. '
Baloes aereostaticos de papel de seda mui faeil
de subir.
Encerados honitos para conservar as mezas de
jantar.
Machinas de varios systemas para caf.
Espanadores de palha e de pennas.
'esourinhas caivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas c lanternas.
Tinteiros de lonea branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para qua
' droa.
Quadros j promptos com paysagens e phantazia
Estampag a\nlsas de santos, paysagens e phanta
zias.
Objects de mgica* para divertimentos em fa-
milias.
Realejos pequeos de velos com lindas peca.*
Realejos harmnicos ou accordions de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos de quinqui
Iftarias dlceis de menciouar-o.
No armazem do vapor francez, roa do Barao
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Ansenloo-se, desde o dia 2 iTe (t^'weiro tkwt<
eonvnto auno, o [ii\-m de H0iOe 1! nctii-'m, le i
anuos poiuvi mais oamciKi-, ciu& A ba.^aCu
ladino, tilia mansa, cniitittior ik> iiHidwi,
Carpina, e-'.atura .-rita. ospaJaud, barbado nm
pouco tato, tendo a testa poqueua, falta de dentu
na frente, ps* feios, e com una cicatriz on mar-
ca por cima do p esquerdo, que foi um tal m de
toda largura do macha jo, ftsteo no engealfii Bu
jury de Goyanna, tendo passado ao Sr. Lu Ca-
valcante de Albn>|aerque, morad.ir na rMade de
Goyanna, onde toni m i e parantes, e deate ao
Exm. BarSo de rfltareth, tmilo tanibem pa>s do
milito lempo n jI(ecife, levou em sua eomnnnhia
nm menino orphao, de 13 annos de idade, [ardo
claro, bom cabello e calado, cujo menino mul-
lado. I'ede-se a todas as autoridades e capitos de
campo queos pegando leve-os a ra daPen a m. 5,
ou no eiigonho Furna.da freguezia de Santo Amaro
de Jabo.itao, que ser generosamente gratili ado.
,1
13
Rna larga do Rosarii, ra do .ivr.imoiito,
ra do Uungel, ra Dircita, Piara da Pe-
nha e pateo do Ten;o.
Em urna dessas mas precisa-se alagar urna
casa terrea que tenha i salas na frente, anda que
pequea, ou urna pequea toja com um andar ou
sotao para a ra, ou o Io andar com a luja, por
tres nnos, pouco mais ou menos, damlo-sc fiador
contento , sendo os pagamentos
feitos mentalmente : ipiem tiver e queira contra
tar, annuncie por este jornal a ser procurado, po-
dendo-se effectuar o contrato aiuda mesmo que
falte mais dias ou menos dias, a retirada d gum inq ilino. que por este ou acuelle motivo a
pretenda deixar.
Dinheiro perdido.
O t> ente-coronel Manoel Joaqnim do Pego Al-
buquerque, perdeu sexta-feira 14 corrente, do
eugenho Peres esta eidade, a quantia di um
cont e eincoenta mil ris, sendo tres sedulm de
duzentns mil rs., duas de eom c cineo de rfneoen*
ta : quem achon este, dinheiro, se o restituir ser
.'enero amonte recompensado._______________
Attencao.
i
A pessoa que sabbado 13 do corrate receben
1 barril de vinho branco, que por engaa car-
regaram de junto da igreja-da Madre da Deas, o
favor detlar parte na travessa da Madre de l)eus
n. I, armazem de Perra & Pereira.
Compia-se ptiuis de ema
da n. 19, 2.a andar.
na ra da Moe-
Compram-se
larga do Ro-.nio
Diarios a o3 a arroba : na na
n. li. fabrica de cigarros.
VINDS.
E' barato
' 12 eaneteis de linba branca por MO rs.
:{ gravatas Ixmitas por ltKH).
1 peca ile Meo bom por .300 rs.
1 nia'ssi) de pentes por 1 t 00.
1 par do boloes de plaqu par 210 rs.
Por estes preeos s venda o Vianiia, ra larga
do Rosario n. 22.
VENDE-
una Uverna, ou d-se sociedade, entrando com
algum :apital; o motivo porque o dono retira
se a tratar do soa saude : ra da Sania Cruz
n. 7i.
.V instrueco publica no Bra-
sil.
PELO CONSEUIEIUO
Mr. .Ius*; I.iJ'jv,j| nari'tw.
l!m volume de 270 paginas por 75000.
Vende-se na livrai-la Econmica, ao p do arco
de Santo Antonio.
A inftillibilidade
E
O ?: temooral do sumnio Pontfice
nos tempos actuaes
POR
Joaquim Das da Silva Azcvedo Lemos.
'Opus"culo religioso recentemente pnblie.ido :
vende-su na ra Primeiro de Marco n. 2, livraria
Economiza.
Preco 2 5000.
Vende-so urna casa de sota na freguezia le
"Santo Antonio, em milita bom estado, por pree.o
com ouo "vi-fta dorendimento della, da I 0|0 ao
mez, bom negocio para quem quer empregar ili-
nheiro.secr.ro : no largo do Ilospita1 n. li se dir
quem v^nde.. ___________
Vende-se a taverna donominadaFlor Mi-
mosae::* Oliilla, eom poucos fundos, pr pria
para principiante, tendo commodos para familia
Na mesmi precisa se de um caixeiro que tenha
pratica, a tratar na mesma ou no largo do Am-
paro n. 80. _______ '
Cha preto e verde
Vende-se no bazar victoria cha preto e verde
de muito boa qualidade : na ra do Barao da
Victoria n j.i de Amara!, Nabuco & C.
Yende-se
Urna mobilia de Jacaranda, em bom estado :
na ra da Imperatriz n. 1, 1. andar: a tratar das
4 as horas da tarde.________,____________
Camisas francezas de creto-
ne de cores a 5$.
, pechncha porque se vendem a 8J : ra
litrga do Ifi)sa o n. 22 loja do Vianna.
Madapolo avariado
a 3* e 4000 : na raa da Imperatriz n. 36, luja
da rosa branda.
Ven e-se a armado e calcad**, ou s a ar-
macjto da loja n. i ra larga do Rosario : a
tratar na mesma, ou no Livramei? u, io"____
Borracha
Vende-se borracha muito nova para linu
2 j a libra : na ra do Fogo n. fO, taverna.

VENDE-SE
urna vMcmz no pateo da Santa Cruz n. 2 por
causa do dono se retirar para Europa a tratar
de sua saude :v quem pretender appareca na
mesma.
0!r ptailasia.
ra ilu Dtiqne d<'
d, -i, i ;.: kim'In lio .-ortimeniM de
. mdo :
I riM e ciu eom domados e pedia-.
<'otros de adrep rola iiueimada com bonitos
nfeites de delitadas fl
( litros i'e fin doorada em p npe-tes de CQ
iitr. s i iir.,rn...liis i de bonit s moldes.
Ri seta? de fino fcuraik) rom podras brancas,
Aderecft d madiepen la.
Hitos douradoa eom ranupbco preto.
Ditos encarnados.
Hilos imitando follus e Hora* naturas.
Ca sclets .le madreperola
Voltas de i-|[ so" aljofares de cor s.
Outras i e ditos pret s eom iterados.
Pulceiras de tartaruga eonf-dourado.
(unas pretas.
(campos |irelos e da BMT0S.
Bonitas abotoadnras de lino domado, cem pe-
dras, coral etc. para abertura de camisas.
HoMes donmdos e de mitras qualidades, para
aberturas e collarinnos.
Novas gollinhas e punhos
bordados. .
A luja da Aguia Branca a ra do Duqoe Je
de Caxi.is n. LO, receben novas gollinhas e pa-
lillos bordados, e outros enfehados com ntremeles
e lii tos ; tnjsBi ernno recebeu iguahnene novas
^'iiainieoes-degrav.'.as com lianjis elaeospara
os cabelle*, tudo do nielhor e mais mod rnos gos-
tos.
Bonitos leques.
A loja da Agua Branca, ra do Duque de
c.axias n, 50, recobwrboBU s leqcs d nrteita
liliaiiiasia, pie o on douraio, e outros de apu-
rados gostos; as?im como receben ou ros de ma-^
ileira une se confunde rom o sndalo, e teuj ti-
les lindos coloriilus n c nt; i. c anda assim ven-
do e. pelo karata prego ilc V000 cada um.
Vasos de orystal para toillct.
A loja da Apuia B anca, a ra do Diifnc >.
Calas n. 50, i' ceben bonitas garrafthaa de erys-
tal em par eom'ramagens douradas e nmi pro-
prias para ai'ranjus de toiiet, etc,
A i uicis e colares elctricos
A lo a d'agoa branca ra Duque de Casias
n. 30, roe. Inm iiuva remesas dos proveusos.
neis e colares elctricos, e contina a reeebe-lts
mensalmente, pelo qne sempre eslari prvida s
taes objectos.
Diademas dourados
A loja d'aguia branca a ra Duque de faxias n.
30, recebeu novamente bonitos diademas dou.ad s
c enfeitados com pedias: aljfar, s, obras de go--
toe phantasia. Tamben) receben dotos gramp'.j
pretos mi aliti s eom florea para a cabera.
Loques com bouquets e ou- '
tros chinezes. -
A loja ,1'aguia branca ra Duque de Casias
n. 30, recebeu umi p -uena quautiJade daquelle3
bonitos leques com bouquets e outros chinezes.
Cold cierne para refrescar e
amaciar a pelle
A loja d'aguia Llanca a rna Duque de Caxi;.-
n. 50, receben r iH en me dos afamados fabrican-
tesLnbin, Legrai e Condray.
e grampos de
a^o.
A loja da aguia branca, a
Canias n, 30, n ceben novanaento
mas e gra; pos de ac.
Bicos de seda pretos com
noves de cores.
A loja da aguia branca, ra do Duqne j
Caiisj receben, como nevdade*boaits Mcos
seda pretos com Adres de cores, sobresahind" n
les o preto eom encamado, e todos mui propn.s
para barras e muros enfettes de vestidos de
aadine, ou medina, e outras hiendas tranapari -
les. Pela eommodidade dos procos essss bicos tor-
nam-se mai- conunodeyi e peta novidadede gosio,
preferiwlsa njiaesquor outros enteMea
Veos ou mantiuhas pretas.
A loja da agu 11 ranea, a ra de Duque de Ca-
xias n. 30, recebeu bonitos veos ou mantinha-i
pretas do seda r m re?, e ontras a imitara
croch, e vende baratos preeos de
| 5 e 6 1000. A faz.'.la 6 boa e est em pereito
estado, pelo que c.i.du.! a ter prompta extrac-
Diadcmas e auer%^os de ma-
dreperola.
A laja da Aguia branca ra do Duqu.-
Caxias n. 30. recebeu urna pequea p
diademas e aderemos de m?dreptlrola, obras de
apurado goste.
Para o carnaval!
Pai*a o carnaval! .
Para o carnaval!
Velbntiii.i de odas as coree ; s na ra D.'
de i axlas n- 00 A. loja gilva & C.
Perfeifa novidade.
Grainpos coraborb.,Iotas, in/ouros e ga .
nhotoc ilouradns coloridos.
^ A loja da aguia bi'auea, a, ra do Duqne do
Caxias n. '0, recebeu novos grampos com i
boletas, bezouros e gafanhotos, o qu de asno1
perfeita, novidade. A qaanttdade pepuena e
jior is-o i-ni breve se acabar.
fe^ E lgico!
A cosinha, a dispensa, os a~
paradores e a mesa.
Os limadores do Poco da Panella o sen? subur-
bios nceessariamente devem receber om sua- ca-
sas algumas visitas na vespera e dia da festa da
padroeira daquella fnsguea c por isso prcc;so
que de antemo se faca urna grande revolucao
augmentando, sortindo e recheiando aeozinha.
a dispensa, o aparadores e a mesa (j ae sabe.
con. iguarias gratas ao paladar) sem o qno nao
se pode "bassai mn dia folgazao e regalado.
Queris que principie a vos indicar um mcio
fcil para couseguirdes o fim a que vos dveis
propor para transformares, augmentares, sortires
< recheiares as vossas cozinbas, dispensas, apa-
,.la^res e mesas ? nada mais fcil...
Diademas
ra do Duque de
bonitos aiilt-
Casa e terreno venda
MEURON ft C.
Brnquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todof
os brnquedos fabricados em differentes partes
da Europa para eotretenifnento das criancas ;
tudo a preeos mais resumidos que possvel :
no armazem do vapor franoez, ra do Barao
da Victoru, outr'ora ra Nova n. 7.
Mascaras.
Mascaras.
Mascaras.
Vende-se a casa terrea n. 6i da ra do Hospi-
cio a qual tem 2 salas, i qu rtos, cozinha fra o
quintal murado ; um terreno com parte aterrado
e parte al gado, contiguo a casa n. 6i, com 70
palmos de frente e cerca de 420 de fundo, tendo
duas frentes, urna para a rna do Hospicio e outra
para a nova ra projectada : a tratar com o agen-J
te Martina!, na ra do Imperador n. 48.
Rival sem segundo.
Vendem-se camisas muito finas para hoinem
a 3j000 e 3300 : ra Duque de Caxias n. 91.
Vendc-se um terreno na ra Imperial, com
110 palmos de frente 8C0 de fundo e a casa n.
40 : a tratar na mesma ra, casa n. S36.
Taverna.
Acabam'de chegar grandes facturas de masca-
ras com todos os sortimentoe, para vender-se em
grosso e a retalho : no armazem do vapor fran-
cez, ra do Barao da Victoria, ontr'oraNova a 7.
Vende-se a travern da trrvcssa da ra das Cru-
ses n 8 com poneos Tundos, propria para priueipi-
ante: a tratar na mesma.
Vende-so a loja de miedezas da rna da Im-
peratriz a. 78 A. liv.-e desembarcada, com bortita
armacao de amareljp e muito a freguezada, prof ia
para qualqjier principiante ; a tratar na mesma.
Ide a rna do Imperador n. Ji,
mde vires urna casa com a fren-
te pistada de eh'"arnado' tcndo ura lampeao pen-
durado, cpjo letreii^ EC '^ o segtiiflte : Confi-
tara do Campos. v
ella!... ella!... h ella- .
Ahi dove-se entrar e oicm.yieoilir Paia e?'1:*
casa o segu ule:
1 Fiambre preparado.
1 Blo.inglez.
1 Po-ded.
I Pudin de p.o, arroz u tapioca.
1 empada de carnario ou gallinha
1 Torta do fructa.
100 pastis diversos.
i Peni ass'ado no forno.
1 Peixe dem dem.
i Gatlieaux d la i
Vinhos, cerraja/, licores, bolachinhas, bol n
para cha, cha verde superior, passas, figos, amei-
xas e tudo mais que mesmo impossivel lem-
brar.
S nella, so nella
.Va confeiiaria do Campos.
Machinas para limas.
Vende-se oplmos, e" moito convenientes para o
fabrico das mesroas : na pharmacia de. Ferreira
? 3 "?4 ,krea lo Rosario n. 10, e na praea do
Conde d Eu n. 19, cas* do Sr. Antonio ItlTPor-
reira
Vende-se
Cora de carnauba em' sa.
dre de Deus n. .3, i. andar-
ruada M:
>
r


6
i
A
Diario de Pomambuco A Terca feira 18 de -Fevereii) de
4
Fazendas em liquidaco
GZD
N. 60 Rua da Imperatriz N.
DE
PEREIRA DA SILVA & C
Tejido o propri todas as fazendas que tem era ser, tem resolvido vende-las por precos rauito mais baratos do
que so venden em outra qualquer parte, com o fnn de apurar dinhoiro, razao-por que con-
vida O respeitavel publico a vir sortir-se, nao so de um avultado sortimento de fazendas ep
lei, como tambem do grande sortimento de fazendas finas e dos mais apurados gontos.
E previne queso vende a dinheiro vista, por estar em liquidado.
fRF\UH\FS OFFICINA DE alfaiate na loja. do
lA\l LSTRAS DE SBDA A 800 RS.O COVADO Nesle grande estabelecmeoto encontrar
O Pa'vio recebeu um elegante sortimento o r-speitavel pnblieo, orna bem monlatUoffi-
dasmai? lindas granadinos pretas com listras cia de alfaiate, onde se manda Pxecutar
de soda de cor, tendo entre ellas comlistra qaalqasr pega de obra, tanto para hornera,
rosa propria para luto, que vende polo ba- como para meninos, com a maior pres-
ratisstmo preco de 800 ris ocovado ; assim tesa e perfeicSo assim como para ,oalqoer
como dita milito fina com listra encarnada, lato quede repente apparecj, tendo nmes-
que vendo a 155000 ris o covado. Esta ma ollicina nm perito offlcial destruido para,
fazenda veio pelo paquete chegado ultima- farda dos Um. Srs. officiaes de goarda ns-
mente da Europa, e liquida-se na loja do ctoml ou tropa de liaba, sendo esta oficina
Pavo A ruada Imperatriz n. 60. dirigida pelo hbil artista Pedro Celestino
CAMBR.US BERTAS PARA VESTIDOS A Soares de Carvalbo.
9BW00 e lO000 RS. ESPARTILHOS A 3o*0O0.
OPavao recebeu um elegante sortimento O Pavio tem am grande sortimento de
das mais tinas cambalas brancas, abenas o es.oartiihos, tanto para snhora ,como para
bordadas para vestidos, que vende pelo ba- menina, qbe vende pelo batato pe?o d
ratissimo precos de 93, e 10JJ300 rs. o 3000. Ditos maito finos'a MOJO i 50000,
eorte, tentlobastante fazenda.E'jwcbincha,
na lojad) Pavio amada Impcratris n. GO.
I.SINHAS BORDARAS A iOO RS.
O COVADO.
O Pavio receben um elegante sortimento
das mas lindas lasinhas transparentes com
florzinhas bordadas, tondo de todas as cores
inclusive roa propria para vi uva, o vende
pelo baratissimo prego de 400 rs. o covado.
E" pichincha na loja do Paito a ra da fm-
peritriz n. 60.
wi:nvrini:s a go rs-.'o covado.
O Tav-ao rucebeu inri elegante sortimento
das mais lindas grenadines pretas com listras
Iwaneas c cores, sendo muito boa quali-
dade, e vendo pelo baratissimo prego de SGO
rs. o covado. E' pechincha na loja do Pa-
vio a ruada Imperatriz n. GO.
GOBEKTAS 1>K FSTAO ACOLXOADAS A
4#e00 RS.
O Pavo receben um grande sortimento
de cobertas grandes de fustao, acolxoadas,
guarnecidas com franja em volta, tendo bran-
case de todas as cores, cven:1e pelo baratissi-
mo prego de &, rs. E' poebincha na loja
do l'avao a rua da Emperatriz n. 60.
CHARCOS RARA SKMIOR.Y A 12?000 RS.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
dos mais modernos chapeos de palha, rica_-
mente ent'eitados, para senhora, com osseus
'lentes vos, e vende pelo baratissimo
.prego de 122900 rs. E* pe-chincha na loja
do l'avao a ruada Imperatriz n. GO.
LAS MODERNAS
O l'ava i vende um bonito sortimento de
rhas listradas, sendo das mais modernas
, tem viudo ao mercado, pelo baratissimo
;o do 560 e G00 rs. o covado. E'pe-
chincha naioja do Pavo a ra da Impera-
ra n. 60.
PACAS LAVRIDAS A GO RS.
O COVADO.
Chegoij para a toja do Pavio um elegante
v>rttmonto das mais bonitas alpacas de cores
tarradas, sendo as cores mais modernas que
tem vio f i para vestidos, e vende-so pelo ba-
rattssimo prego de G'i-0 rs. o covado. E'
pechincha na loja do Pavio a rinda Impe-
ratriz u. GO.
Cortes c! cambraia, ciltfcna lia
vbbutoia 9-r>09.
( l'avao receben pelo ultimo vapor de
Europ i cortes do carabraia branca com ba-
badinno; ri i ponte bordados, tendo fazenda
sulliciente para vestido de qualquer modelo,
estes vest los sao os ra aj i rao lomos que tem
viudo ao marcado, e pela sua eicessiva bara-
tan, toroam-se rerommen lavis as senhoras
\>- hora g isto. Bazar do Pavio, ra da
Imperatriz n. GO.
I UNCOS A f>--',00 V Dl'ZIA.
o Pavo lera nina grande poncio de lon-
gos broncos com barra de cor, muito bonitos
'boa qualida le, que vende por 2? 100 por
r grande porcao,
todos brancos abainbados muito fi-
nos ?300.
Ritos c; lezas com barra de cor, muito fi-
i 35500. !'.' grande pichincha, na loja
do Pavo.
S2ticira. 3?ftOO,
O l'avao recebtu pelo uhimo vapor, um
lo sortimento de romeiras pretas de fil
som salpicos, com lindos enfeites prctos e do
V 8, iodo >elo barato 'pre;ode 39000
j ia ara, por fer grande porfi.
- Dito; te los de soda ricamente enfeitados a
WW90.
PARA O CARNAVAL '
?>um nH
(i I'.iv.Vitomuo grande sortimento de d-
s to is as quali lides goslos, proprios
10 carnaval, tendo tambem do merino
oscossez muito interes-autes, que vende ou
aluga por presos muito baratas, por ler gran-
de poreo.
LE>qO'i:5 DE BRVMANTE.
0 Patio v.t i le lenc()ea de bramante mili-
to grandes, sendo de rno panno s, pelo ba-
ratisSHDo preco de JBO.cadi ora.
MADAPOL'ES,
Pacas de.midaoolSo francs moito fioo
:oci 20 j-S.s i 5#50D e t<500.
Dito -.-f 1 i "jardas muito superior a
85510 c 7$M
Di o fagie f.izendi mnito flna 5^000,
$OOO e ( 500 at IGpOft.
Dit"9 f' o: zp.,1 e inglezes mnito finos d
40jardas pir.i difT^ren'.es Drecos.
at.oodAozinho. *
O Pava) i por preco maito barato
flecas de ak-oRviziuho americano moito
bom com 13 irlas a 45000.
sao dos mais modernos que tem vindo ao
mercado ,
CHITAS A 2i0 RS.
CHITAS A 240 RS.
CHITAS A 240 RS.
O Pavo vende chitas francesas proprias
psra vestido, sendo moito boa'fazenda/com
padrees claros e escaros, pelo barato preco
de 240 rs. o covado, por ter nm; leve to-.
qnn de mofo : pechincha.
LIQUIDAgAO DE CALC\S DE CASEMlRA
0 Pavio tem nm grade sortimeoto de
calcas de casemira de todas as cores e qua
! ids. para todos os preces, e desej-indo
mnito ti jaida-las, res ilveu vende-laa por
ora preco omito ern. conti, para dimionir a
grande porcio.
CASSAS FRANCEZAS.
O Pavo vende bonitas cassas francesas
com bonitos padres, e de muita phantasia
pelo baratissimo prego de 240 e 280 rs. o
covado, sendo fazenda de muito mais dinhei-
ro, grande pechincha, na loja do Pavo.
BOURNUS A16W)00.
O Pavo recebeu pelo ultimo paquete da
Europa, bournus dos mais lindos gostos que
at boje sao condecidos, e em relacfio ex-
cessiva barateza, convidam-se as Exrnas.Sras.
para as verem, para assim admirarem o que
ha de mais novidade neste artigo.
CORTES DE CAMBRAIA A 6^000.
O Pavio vende cortes de cambraia branca
com listas c lavores da mesma cr^ tendo .fa-
zenda para um vestido, e vende pelo barato
prego de 65000, por ser grande pechincha.
Ditos muito finos com babadinhos brancos
bordados a 85000.
Ditos ditos com listas de cores a 45000 e
55000.
Ditos de cambraia branca com 20 metros
debabadinhosde cores a 05000. E'grande
pechincha na loja do Pavo.
BRAMANTES PARA LENQO'ES.
O Pavo vende soperior bramante de al-
rodlo ten b G pdraos de largura que s
oercisa de i '/? vara para nm lenco!, me-
tro 15600 e a vara 10*800.
Dito de linho paro soperior muito encor
pado con a mesma largura a vara 23400
Di ios fraocezes muito finos a 25500 e
ItfGOO.
Hti de Hombuf-go e pann de liobo com
O e 30 varas, para todos os precos e
qnalidade.
Pe^as de brean.ha de poro linho, tendo
10 jardas pelos precos mais barato qae se
tem vi to. -
Pechincha de finissimo esgni5o sncelena
:om 6 jardas 70OO.
Peca de finissimo celena rom 30 jardas
a 355'X), atoalhado adamascado com 8 pal-
mos de brgnra a vara 25(0.
C\LCAS DE CASEMIRA.
O Pavo'tem um grande sortimento de
calca de cassmira, assim como cortes a>
mais modernos qae tem vindo nos ltimos
acorras e em fazenda das mais finas e m ii-
novas ao mercado, e vende-se por barato
preco para apnrar dlnbeiro assim comocai
as de brloi hranco e de cores por prefos
maito razoaveis para alabar.
TNICAS PRETAS.
O Pavo recebeo ora grande sortimento
das mais ricas tnicas de grs preto, rica
mente enfeitadas, e vende por preco razoa-
vel.
VESTIDOS BRANCOS" BORDADOS DE
3550000 ATE 605000.
O Pavo receben ora lindo sortimento
dos mais ricos corles de cambraia branca,
ricamente bordados, e com todos es enfei
tes necessarios, e vende pelos precos d?
355000 at 60/WOO, n) tem vindo nada
mais rico neto mais moderno.
.Utenea!!!.
A, MADRESELVA.
Fra^a da Independencia
ns. 38 e 40.
Acaba a Madresilva de receber diversos
objectos, como sejam :
Ricwaderecos de ibadrepcrold brancos e
de cores.
Diademas de rhadraperola, ditos dourados,
ditos de massa ou bfalo, ricamente enfeita- -
dos, cruzes fingindo brilhantes, cassoletas de
plaqu com voltas e sem ellas, imitando
ouro, pulseiras douradas, ditas imitando
tartaruga, rico sortimento de grampos para
cabello, sendo borboletas, besouros e bija-
flores otfas muias qualidades, tudo de
muito gosto, rico sortimeito de gravatinhas
de lagos para senhor, sendo velludo, sarja,
setim, gaze, escossezas e de urna so cor, fa-
zenda inteiramente novidade.
Eindte sortrniento de lequcs de 'ma^fim,
madreperola, Urtaruga, ditos dourados^'coril
seda oseit ella, lm-destes de outras mili-
tas qaalidades, que enfadonho seria mencio-
nar, tanto para Senhoras como para me-
ninas.
Rico sortimento do punhos o gollinhas
bordadas em cambraia de linho e catnizinhas
|i>ordadas para senhoras.
1 ** Bonitas girarngOes ou dragonas para en-
feites de vestidos, assim como os muito deso-
jados cordes de seda, fazenda inteiramente
novidade neste mercado.
Rico sortimento de caixinhas com prepa-
roi.para costiia, sendo de tarapas de crystid
e de outras muitas qualidades etnmanhos,
ditas para porta-joias, porta-extractos, ricos
porta-relogios, porta-harutos, porta-cinza,
tinteiros, castigaos, tudo sao objectos de
plaqu, proprios para presontear a qualquer
pessoa, assim como diversos objectos para
esoriptrio, facas para cortar papel, carteiras
para notas, caixas para pbosphoros, cajftetas
bordadas e lisas, maracas para crianeas, si-
oetes para abrir firmas, caixaseonteno unw
caeta, um lapis e um caivete, agulheiros
e~dedeos, todos estes objectos sio de marfim,
fazenda inteiramente novidade, assjm como
outros muitos que s a vista dos pretenden-
tes se pdenlo mencionar.
Vestuarios para criangas, chapozinhos de
seda, sapatinhos de merino e setim, meias
de sedae de algodo, brancas e de cores, tu-
do para ba plisados.
Rico oortimento de babadores para crian-
gas, ligas d seda para senhoras, lencos
brancos com ramagens, meias de seda para
senhoras e meninas, ditas'de fio de Escossia,
o melhor que se pode desojar, assim como
meias de li, proprias para senhoras.
Rico sortimento de escovas com costas de
baloia, raarchetadas de madreperola, para
roupa e cabello, e de outras muitas quali-
dades.
AGUUIAS E LIN1IAS PARA MACHINAS.
A Madresilva acaba do receler um com-
pleto sortimento deagulhas e linh isbrancas,
de cores e pretas para machinas, dos fabri-
cantes Grover & Rakr's, assim como agulhas
de todas as qualidades e linhas de seda para
bordar e para crocljet, ricas capailas com
veos e sem ellespara noivas, filbranco com
bonitas ramagens e com 7 palmos do largura,
fazenda especial: s na Madresilva.
Rico sortimento de flores de laranja em
ramas e sepas, de todos os tamnhos, para
enfeites do vestidos de noivas.
Rico sortimento de collarinhos e punhos
bordados e lisos, de linho e algodao, para
homens, assim como chapeos de sol com
castao de marfim, eoutros muitos artigos.
TEM A MADRESILVA
bonito sortimento de jarros, castigaos com
pingentes, garrafas e copos para espiritos,
irascos, garratinbas de diversos gostos,-pro-
prias para toiloMos, assim como acaba de re-
ceber um completo sortimento de espelhos
de molduras douradas, de todos os tama-
nh&s, de 3 a 9 palmos de altura e largura
regular.
A MADRESILVA
acaba do receber um especial sortimento de
luvas de Jouvin, brancas, jiretas e de cores,
para homens e senhoras, assim como tam-
bem para meninas e meninos de 3 annos
para cima.
BONECAS.
Rico sortimento de bonecas de todos os
tamnhos e com rosto de cera.
BORDADOS.
A Madresilva acaba de receber um rico
sortimento de bordados em cambraia de li-
nho, fazenda inteiramente novidade neste
mercado, sendo babados e ontremeios.
Finalmente, a Madresilva, alm dos arti-
gos que vos faz raengo, tem outros muitos
que enfadonho seria explicar-vos, por isso a
Madresilva espera que vos digneis visita-la
mais a raido, a qual vos ficar sempre
grata.
COSTURA
Cbegaram ao Bazar Universal da roa No-
va n. 22, nm srlimento de machinas para
costora, das melhors qualidades que existe
na America, das. quaes muitas j sao bem
conhecidas pelos seu autores, como sejam;
Weller A Wilson, Grover Boka, Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
que com a vista devero agradar aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalho que trinta costuraras podem
fazer diariamente e cozem com tanta per-
feigo como as mais perfeitas cosiureiras.
Garante-pe a saa boa qnatidade e ensina-se
a trabalhar com perfeico em menos de urna
^ora, e os precos sao lio cooiiu.dos que
devem agradar aos pretendi-ntes
- -Na padaria alloma na roa la Guia n.
5i, tem para se vender o seguinl.-:
Ervilbasde tres-ditcrenlt-squ.^li lades, fei-
jaobranco grado, repolhoem barricas, len-
tilhas, sevwdinha (l'erle,, sag, ameixas,
magas e cerejas seccas; tambem tem para
vender duas Galangas grandes com ganchos
ebragos, alguns pesos, duas rodinhasde me-
tal para carrinho de mo, urna forma e um
|forno para fazer hostias e obreus, c urna
bomba. ______________
Lzinhas para vestido a 320
rs. o covado.
. S na ra do Duque de Caxias n. 60 A, ontr'o-
ra ra do Queimadn, loja da esquina, de Bento
da Silva & C._______________.^_^_^^^
Rival sem segundo.
Che? rain agulhas para machinas, do fab; icantc
Crowcr & Baker. Duzia por 000.
T
i
ED
n
Ditt rom 24 j.ird a 4500 e 54000
at 66>t..
Dito largo marca T muito eocorpado a
000.
ALTfODlO E>FESTADO.
O Pavo vmiI o verdadeiro e sapaiior
algodozi o h dais larguras para enges,
sendo mait,) (Qorpado l/{-t)0 cada vara.
Ii msHina largara 15i80.
A 2^*00 E fiSStl.
i>! de i'hius fr*or
't r>trt'diajinatQ prego
CORTL
O v
Snas,
da *4fi
Ditas
2^880 i
CHIT S
das
corte. .
pelo preco ds
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
A ',5500, 8/J000 E 100009.
O Pavo tem um grande soriimento d
cortinados para cama e janellas, que ven-
de pelo barat > prego de 70500; 80OOO e
100000 o par, tendo atr por 185000. assim
como colchas de damasco para camas noivis, e grande sortimeoto de tapefes tan-
to para 4cadeiras como para cmias, pianos,
portas, etc., tudo vende por preoos razoa-
*els. m
CAMBRAIAS.
O Pavo vende eortes de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 20500 e
300' 0.
Pega de dita mnito fina com 10 jardas
tanto taiada como-transparente a 40000,
50000 e 60000 at a mais fina que vem
o mrcalo.
CORTES DE PERCALIA COM DUAS SAJAS
A 40000.
O Pav3o vende bonitos cortes de preealia
cora daas saias, sendo fazenda de mato
gosto a 40000, Jfechnch8.-
. BAPTISTAS DE .0|ANDE NOVIDADE
O Pav.3o vMq om grande sortimeato
dasmais modernas, haptistas comletade
cor, proprias para vestido, com as eor.es nls/
novas que tem"*iodo ao^ mercado- sendo
mnito mais largas do que as chitas francesaf, j
Chegiiem qnanlo mies!!
AS$0()0!3S90!S$fl90!
Lindos chapeos campestres, da ultima moda,
para senhora, t na rua do Duque de Caxias n.
60 A. loja ila esquina, de Benlo da Silva A
' M*,l
Exrellenlc toocinho inglcz em latas de quatro
libras a 900 rs a fibra : no arninzm de Xasso
Irinaos &. C, rua do Amuriiu n. Ti._________
Libras sterlinas.
Vende-se no armazcm de fazendas de Augusto
F. do Oliveira & f.., rua do Commeirio n. 42.
Novidade carnavalesca!!!
.BOTES KARA PUNHOS COM CASCA VEIS,
A' VENDA.
5ixa=I}azar ia rua Uireilaol
A elles a elles! a elles! que estao se aca-
bando.
0 tenia na imlau.ol
Voude :
Oranadine com listras de seda para vestidos
POR 700 Bs, O COVADO.
As melh'ores miiidezas, botinas e mais outras
iiualnlades de calcado france-, cliapeus para se-
aoras.
Ti-di um lindo soriimento
Luvas frescas de Jouvin.
Perfumaras, doe mais afamados fabricantes.
Parares ou gravatinhas do ulii i o gusto, para
senho as,
Artigos de Inxn o phantasin,
Tudo por prc<;o ma s rasoavil J que eni outra
qualquer parte.
N. 51Bazar da rua B/riftaN. 51.
Vende se um rabriolet americano, de dous as"
sentos, muito leve e em bom estado : para ver
na rochara do Sr. Cerino rua do Hospicio nu-
tnero 86._______________________________
Vende-se
si
duas easas feias d laipa c em mo- es-
tado, edilica'Sasem chaos proprios, r.a es-
trada do Catanga e mnito prximas a
povoarao. tendo o terreno 100 palmos de
tundo siiilieienle para se edificar nm bom
predio e sitio, por ser o lugar um dos mais altas
da dita povoacao : a tratar com o commendador
Tas*'.
Vende-se o sitio da estrada da Cruz de Almas,
que flea entre o do commendador Tasso e o do
desembargador Doria, com casa de viver.da, d tfc-
rentes arvoredos, grande baixa de capim, etc.,
dando os fundos para a estrada dos trunos urba-
nos ao p da estacao da Jaqueira : a tratar na^
rua do Amorim n. 37.
Farinha de mandioca a 3$ o
sacco.
Xa rua da Madre de Dos
quanto nao se acaba.
n. 7
a elhv es)
Mesa elstica.
Vende-se urna ptima mesa parajaRtar, ingleza,
muito bem construida, e elegante e por preco r.i-
toaveT: annazein da. Tras'essa do Corpo Santo n.
JAKK08
un inps e .1' hra-la da
rada um : ro srrnazem
roa do Amorim n .17.
meen, ingleza a 4 000
de Ta.-go Irmos Se C,
Xarope d'agriao do Para
Antigoe coBWtuado medicamento ^rail
cura das molestias,.dos or^os respiratorios,
como a phtvsica, brouchites, asthina, tc.f
apph'cado anda cora opliraos resultadti no
escoebuto.
Vonde-so na pharmacia e drogara de Bar-
tholomeu* C.,- rua Larga do Rosario a. 3V
- Vende ss urna casa terrea, sita uia tili
Bicca dos Quatro-i.'antos a ti. toado
nma porta e duas j.inells: a tratar na ma'
Padre Floriano n. 21, loja.
ha,
Aniar.tl, Xabueo a C vendem trancas, franjas,
lantijililas, douradas o prateadas. detiids as qua-
lidades o larguras, vojtati prateadas, de todas as
(|a1id.i;les e larguras, brincos, cabelleiras bran-
cas,.calcas .de meia de algodao e de srda, capace-
tes de massa e (Je metal, etc. ote., o tudo quanto
necessario para fazer-sc um chieard, ultimo ves!
uarie, o mai- moderno e bonito para um baile
de mascara, gusto francez : no bazar Victoria,
rua do Baro da Victoria n 2.
SEGREOO ECONOMA E CELERIDADK.
Obtem-se %com o uso
na
INJECCAO SHOST
l nica, bygienica, radicaleinfaflivol na cu-
ra das gouorbeas, Qores brancas efluxos de
todariespecte, recentes ou chronicfc; e que
offerece como garanta desahitares resultados
a continuada- appItca(o auesemnje com a
maior vantagem se tem feto della nos bos-
pitaes (Ve I'aris.
Pede obter em pouco trmpo coro o aso do milbor dos licoresi pimada
HESPERID1NA .
. Fai'oilo annos qoe cenbeddo este precioso tnico, e difficil acbar orna pessoa
qoe, tendo experimentado pessoalmente, nao falle em seu favor, ja como, bom estomaca
e apetisador, tomando Eta calis dclla antes de jantar, oa como faci'itador da digestSi
tomaodo-se depoii.
ABASE
da HESPERIDINA a LARANJA AMARGA, nao ba om s babitaote do BRASIL (a ierra
especial das iaranjas) qae i;Sc cotbefa ai propriedades medicioaes di doorada frocta.
ora bem, a
om seo estado nataral tem omgoslo pouco agradave!, e 6 mrito da Hesperidioa con-
siste em reter suas boas propriedades, e ao mesmo ifinpo preienta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL n5o temnadj qae invjar ii ^
memores importaces enronas de cstbegoria semelhante. Estas, qoaodo moito, podem*^
ser gostosas, porm a Hesperidina a combinacSo perfeita do v.
AGRADAVEL SADAVEL
Para prova de que om artigo no qoal pde-se teriotiraconflanca, por er por<.
e innocente, basta dizer-se qoe foi plenamente approvada e autorissda pela
JUNTA DE HYGIENE
do Rio de Janeiro, permittindo saa livre elaboracao no imperio; ontr
B#A PltOVi
a acceitafo geral que tem em todas as parles onde apresentada. Em 1864 estabe-
lecen se a primeira fabrica em Boecos-Ayres; em 1869 a secor'da em Moetevido; a
no dia da^ebegada de S. M. O IMPERADOR inaogoroo-se a fabrica qoe actoalmente
trabalba na corte. Em Valparaizo e em toda a costa do Pacifico tem boa aeceitaclo.
tanto qae rara a casa qae considera completo seo aparador sem nma garrafa de
0 hornera telho toma Hesperidioa para obter
VIGOR
0 homem doente toma Hesperidina para obter
SAUDE
O homem dbil toma Hesperidina para olrter
Nos bailes as doozellas e os mocos tomara a twsperidiua para obter boa cor e
animacao dorante os loncos gyros da
BARROS JNIOR & C, roa do Vigario Tenorio n. 7, I* andar, receberam eat
grande especifico, e ven momio nos depsitos segaintes :
Joaqoim Perreira Lobo, roa da Imperatriz.
Zt-erino Carneiro, rna do Comniercio.
Marcelino Jos GoncaLves da Fonle, roa da Cadea n. i.
Antonio Gomes Pires & C, rna da Cadeia.
Antonio Gomes Pires & C, caes 22 de Novembro.
Gomes & IrmSo hotel da Passagem.

BARTHOLOMEU et C*
Pharmaceuticos premiados em diversas exposicoee
ELIXIR SEDATIVO
ANTI-ASTHMATICO
PEITORAL
->'..
ESPECIALIDAE
Novo tratamento da Asthma, tosse, convulsa, defluxo catarrhaei, e todat as molestias dos putrnes
que tem feito importantes curas, e que hoje o nico acceito pelos melhoree Mdicos. '
DEPOSITO GERAL, 34, rua Larga do Rosario, PERNAMBCO.
r
'^L-Z'AEIITS
Tinta Inalteravel
Parrbiscrever
de P. MATJRER C4.
PEBAA91UICO
Esta tinta recoirsnenda-se pela sua com-
posica e fluidez como a melhor e a mais
segura de todas as tintas at hoje conheci-
das. Nao ataca as pennas de ac, d at
tres excellentes copias, mesmo muitos dias
depois de escrever, e preferivel a qual-
quer outras tintas particularmente para
livros de commercio, documentos etc de
que se caroca longa cohservaca.
Vende-se oa pharmacia de or et & C, rua Nova a. 25.


*-l
BICHAS DE HAMBURGO
As mais recentes e mc-lhores.
Vendem-sena pburmacia edntuiade >.
.' tholomeu & C, rua Larga dospno o Rn. 3'.
Cadeiras oratorias c-.ra aeseoto ce palhinba
iO^OOi oda urna na cae3 do Apollo, arma-
tem <\e Ta*o Irroos & C.
Mais delles.
Anneis eleclrifds.
Daquelles anneis elctricos, tao uteis para o\
nervoso, e que a Magnolia, rua Duque de Ca-j A verdadoira cerveja da liaviora, -marea ban
xias n. 45 tem vendido porcao I e que POT ttem ieira, de Mjp^rior qualidaJe : veaAem Tasso ir
os nicos verdadeiros, muito tem aprowitado ; mos 4 C. eia ku anuaiem da nw do Ai;.oi:.-
pelo ultimo vapor veio nova rernessa : elles an- nunu'iM 'XI. ,
tes que pe aeabeni. Na Maguolia n. i&, rua Duque [ Fio de algoso da Bal c c&Oe Lisboa. r:-
a?- centeo:onte rhegado : lia para vmor no es
eripturiode Joajtiim }q4 6oMalv#aj)fflrao ^ l'
Ihn, rua do t^mjmerwo ti.- 8.________
Ce
u*\
eja
de
Vende-se borra la para limas de pheiro: na roa \"u'" 'lqK>sito.parao Brasil, Bartholomeu
-1-----L----
m d. t.
Mulatinho.
Vonde-seum mulatinho chegado
ratrta n. 60.
'.dada eavado.
A C, rua Largarlo Rosario ti. 3'i.
Vende-se ura sitio, no
com 18 ps de coqueiros de
coquen
i i I H
Ironr q^mtratar.
aterro do Giqui,
fructos e bastante
n fjwm
har
TASSO IRMAOS & C
tm seos armazetis rua do Amorim
n. 37 c caes do Apollo n. 47,
tem para vender por presos comtnodos :
Tijolos enramados sextavos para ladrilho.
Ganos de barro para sgoto.
Cimento Portlaml
Cimento Hvdraulicc.
Murrias di! dewroear aJgfxfio.
Machinas de nadara.
Potatsa da Rusela em barril.
Phospnors de cora.
Sag em garrafoes.
Sevadinha em garrafoes.
Lentilhas em garrafoes.
Rhum da aJmaica.
Viih do Phii viiio cBearrafdo.
mha do Porto tuperior i o.
Vh* de Bprdeaux, dte.
Vha'de Scherrv.
Vinho da Wadeira".
Potes com haguas e dobradas ingl--
>
LatM d^loufinho iofrlez.
fJBarris com repclho em salmoura.
A
BililgKSa (HticiOMR.
Con! ra pauo*. sardas emaucliai
ila |olle.
Belloxa 1 rosto e brllho da
cntiw.
Vende-se na loja dos Srs. P L4Ho,F< .i i A
C. : rua do.Duque de Caxias n. VL
Pernarabuco.
Ckaruto Jo Ilafrana
_
" :
Aaw
/
Y


I"'"?
Diario de Pernambuco Ueraja fcira 18 de Fevereiro de 1873.
7
r.
, >
i
m
\
Soares teite Irm&os, cora'loja de miudezas rua do Baro da Victoria n.
tr'ora Nove) pedem muiti attengao para os presos abaixo especificados:
MIUBEZAS.
28 (ou-
Abotoaduras para collele a 200 e 320 rs.
dem idem para punhos a 320 rs.
Talheres cabe de viado imitado a 3#000
adunia.
dem idem cab^branco 2 B a 5*500 a du-
zia.
Caixa de linha branca com 40 novelos a
500 rs.
Mem idem de marca a 240 rs.
Mago de fita chineza a 155000.
Coques modernos a 3$50O. >
Resma de papel pautado liso a 2&800, 33?,
3*500, 4JK)00 e 69000.
Caixa de papel amisade a 600 rs.
dem idem idem beira dourada a 800 rs.
Caixa de envelopes forrados a 700 rs.
dem idem de cores a iOO rs.
Caixa de pennas Perry a 800 rs.
dem idem a 400 rs.
I.ivros para notas a 320 e 400 rs.
flodes enfeitadas a 19300.
Tranca de caracol branca, a 400 rs. o
mago.
dem lisas a 200 rs. o majo.
Microscopios (sem vistas) a 2*000.
Duzia de pecas de cordio imperial a
320 rs.
Indispensaveis de couro da Russia a
10*000.
Leques para senhoras a 2*000, 4*000 e
7*000. I
Vara de fita escoseza larga (hoje grande
novidade) a 4*000.
Duzia de collarinhos be lados para ho-
mem a 8*000.
dem idem lisas a 6*000.
Duzia de cachimbos pe' de gallinha a
Duzia de meias para bomcm a 3*, e*5*
6*000.
dem idem para senhoras a 4* e 7*000.
Lamparinas gaz a 1*000.
Grosa de botos de osso para caiga a
200 rs.
Grinaldas para casamento a 2* e 5*000.
Duzia de baralhos francezes canto doura-_
do a 3*600.
dem idem idem lisos a 2*500.
Garrafa de tinta roxa extra-lina 1*000.
Pegas de fita de velludo de todas as cores
e larguras.
dem idem de grosdenaple, idem.
Sapatos de tranca, tapete, casemira e char-
lte.
Mascaras baratas.
Chapeos para senhoras a 8*000.
PERFUMARAS.
Garrafa de agua florida verdadeira a 1*200.
dem idem kananga do Japo a 1^200.
dem idem divina a 1*200.
dem idem Magdalena 'novidade) a 1*500.
Frasco de oleo oriza e philocome a 1*000.
dem idem autique a 400 rs.
Opiata muito boa e fresca a 1*, 1*500 e
2*000.
jfcTenico oriental de Kem a 15>000 o frasco.
Caixa de pos para dente^ a 200 rs.
dem idem de pos chinez, o que ha de
melhor, 500 rs. e 1*000.
Maro de sahmeles inglezes a 600 rs.
Duzia M sabonetes de amendoa a 2*500
e 3*600.
dem idem com flores a 1*500.
Frasco com Salsaparrilha verdadeira a
2*500.
dem
3*600.
idem de madeira com tampa
3i500.
a' Agua de cologne, banha em frascos e
1 muitas perfumaras de gosto e baratos.
MAZfiH DOS LEO
Rua Duque de Caxias n. 29.
Os propietarios dcste bem montado esUbeleciineoto sdenlifkam ao
i-espeitavel publico deata provincia que se acham com am variado completo sorti
meato de movis, tanto nacionats como estrangeiros, sendo estes escolbidos por umdoi
iosios que se acha actualmente na Europa. 0 mesmo tem contraelado com os melhoret
fabricantes daquellecontinente as remessas das mais ricas mobilias feitas all.
Na oficina tem os mais habis artistas deste genero, e por isso pedem que re*
oham visitar o estabeleciment, aondp oocontrarSo a re*lidade do que acabaa de expr'
ue se pode examinar; ricas cu/Ljth>|a mobdias de Jacaranda, mogno, faia, carvalho, a
marellc, etc, ricas u elsgauef -ii:ib i!*v caranda, pao xetim, amarello, etc., etc., guarda
vestido de arnareilo, guarda r.ug> Je .vueira -ie a roa re I lo eom tampo de pedra, apa
radoi es de d to dita, peli to ittea e?v-. .abMfiu pan faier a barba, toilettes de {tea-
randa, aoBreilo, pedia, riJ.via .j.. :' toarics, thears para unui. heneo*, uvaturto com bpelho. da pedra marmore e sem
prtenos, caurins privjHW, i-.i.;. ri.. i.. e Duuitot* mencionar i>c-r Be.iaraar plai/M!.
QUINQUILHARIAS
Mascaras, brinquedos para criangas, bollas de borracha, tambores, cobras de madei-
ra, etc., c muitos objectos que se tornara longo mencionar.
28 Ra do liara (la Victoria 28 ?
V
c
CARNAVAL
NO
BAZAR NACIONAL
RUADAIMPERATRIZH.72
DE
L o ii r o ti r o Pereira tiendes tinimaraes
VIVA O CAMA VAL
HOWE
V. do C.
SOARES LEIIE, IRIAOS
NICOS AGENTES
A'
Ra do Baro da Victoria n. 28
As mais simples, as mais baratas e as melhores do mundo!
Na exposigo de Paris, em 1867, foi concedido a
Elias Howe Jnior, a medalha de ouro e a condecora-
nte da Legio de Honra, por serem as machinas mais per.
feitas do mundo.
A medalha de ouro, conferida a E. Howe Jnior, nos
Estados-1'nidos por ser o inventor da machina de cos-
tura.
A medalha de ouro na exposigo de Londres acreditam
estas machinas.
A 90$000
Quediaehoeisto???
Solucao dar-se-ha depois!
irados para lavrar a trra.
Carrinhos de mo.
Camas de farro.
Cofres de ferro.
Cestos d'arame para flores.
Foges de ferro.
Baldes de ferro galvanisado.
Chapas de ferro galvanisado para cobrir casas.
Pregos americanos.
Tachos de ferr estanhado.
Machinas para descarogar algodo. ~
Machinas de cortar fumo.
Cimento.
Salitre'
Balangas, pesos e medidas.
EM CASA DE SHAW HAWKES & C.
Rl'A DO BOM JESS R. 4.
Cabe-nos odever deannunciar que a companhia das machinas de Howe de Nova-
York, estabeleceu nesta cidade < rua do Baro da Victoria n. 28, un deposito e agencia
geral, para em Pernambuco e mais provincias se verolerem as afamadas machinas de cos-
tura de Howe. Estas machinas sao justamente apreciadas pela perfeigo de seu trabalho,
empregando una agulha mais curta com a mesnia qualidaue de linha que qualquer outra,
e pela introdcelo dos mais aperfeigoados apparelhos, estamos actualmente habilitados a
ofi'erccer ao exame publico as melhores machinas do mundo.
As vantagens tiestas machinas sao as seguintes:
Primeara.O publico sabe que ellas sao dursdouras, para isto prova incontestavel, a
circumstncia de nuna terem apparecido no mercado machinas de Howe em segun-
da mo.
Segunda.Contem o material preciso para re arar qualquer desarraujo.
Terceira.Ha nellas menor faceto entre as diversas pegas, e menos rpido estrago
do que as outras.
Quarta.Eormam o ponto como se lora feito mo.
Ouinta.Permitte que se examine o trabalho de ambos os los, o que se naoconsegue
as outras.
Sexta,Fazesa ponto miado em easemka, atravessando o fio de um outro lado,
e logo em seguida, sem modificar-se a tensao da linha, cozem a, fazenda mais
fina.
Stima.O compressr levantado com a maior facilidade, qando se tem de mudar
de agulha ao comecar nova costura.
Otava.Muitas companhias de machinas de costura, tm tido pocas de grandeza e
decadencia. Machinas outr'ora populares, sao hoje quasi desconhecidas, outras soffreram
mudancas radicaes parapoderem substituir: entretanto a companhia das machinas de Howe
adoptando a opinio de Elias Howe, mestre em artes mechanicas, tem constantemente
augmentado o seu fabrico, e hoje nao alteada a procura, posto que faca 600 machinas
por dia.
Cada machina acompanha livretos coi instruccoes em portuguez.
A 9000 A 908000
SOARES LEITE, IRMOS
A'
Rua do Baro da Victoria n. 28.
COCTTPACO
Itpi
Wk
HEIMAllMS
tofijr.i
O
diis
Ctwo IrmSss 4
mmw
Borracha fina de Sahtarem
para limas de cheiro.
Vende-se borracha fina de Santarem para
hmas de clieiro, da melhor qualidade -que
ITP-n da RnQsirin n 99 ,0:n vindo a este mercado, tanto arctalho
^ariOn. como emporio, e por menos- do que em
outraqulquerparto, na ruado Baro daVic-
ba;.alho da .Norufga, eia cana e meias
r.o caes da Alfandejja d. i, arnai-m de!
C.
sores de
da
Mais pechinchas.
Buiit'ts, fazenda mui o fina d bonitas
UiOO aSOO-wi ocovado
Ca as muito bonita* ce 6<> .rs. a 280.
Tares de botes de i iaa fino para punhoi
*a40.
Maco de pentes de alis r de 2*00 a l.
O Via na vnd < qoo barato e bom, an
" ei a>pre^8a or iae o barato todos q.mincT
Um hotel (i venda
S1^"!? dlura botel cm ^fclonto localidae
Z^ZS&Am.rnnnt;,d0 ,! muUo afroBuezad-),
^^'-'^tflePreci'ar fuar-* **m:
5T^f0O Jd'T" r,,;' ,ar* Rosaron.
30, qne se dir coro qBem e deve negociar.
- Vende-se ura bar aun todos
tona n. 13, lojado H. Jos Roberto.
"i a rua larga k> Rosario
os periencfs
o. 31, l'aaoar.
Camisas *ancezas brancas a
2$, tem pouca avaria.
0 Vianna s vende por metad* dq bou valor as
lazcndas que pode arrematar e por isso andar
depresa que pechincha : roa larga do Rosa-
rio n. 22.
DEPOSITO GERAL
NA
Pharmacia e drogara
DE
BARTHOLOME A f.
34Rua larga do rtosario34
Vende-se ou aluga-ge
o sobrado p. 5 d* rua. do Rio, na iegue-
iia do poco da Panilla com 3 aJaf, 6
quartos, 1 saleta, despensa, cozinba e quintal mu,
rado cujo predio acna-se concertado, eaiaSo e
pintado de novo : a tratar com
Tapeo.
ljalas francezes sextavados
o milheiro.
i Eitfi %.'os, fabricados de barro vermelho con-
solidado, sao os inelliores e os mais econmicos
pela sna barateza para ladrilhar os pavimentos
terreos das casas, porquanto,j9ouco mais custan-
do do que os feitos bo paiz, sao, sem comparacao
alguma, superiores, a estes pela lunpeza de que
sao| suscepuvets. Custam. alm disto menos da
decima parte dos de marmore, j reprovados, e
, dos! de differentes mosakos, os quaes nao estao-
, cortamente ao alcance de todas as fortunas, e s
sa^erapregadose juoprjospara as salas princi-
Saes. Alnj da vantagem que lia no empr>go
B^tes lijlos j^ra os pavimentos terreos e casas
decampo, tem etes anda i de .\rem'os mettio-
res e mais proprios para hdrilL. r cozinhaa nos
spbiradce, tt>,cid,ad% atteiBto a sua solidez o poneo
peso, estando niais qn,e pruvada a conveniencia
de serem, assoalhadas as' cdzinhas todas de tijolo,
e nao s a parte junta ao fogao, no que at as
companhias de figures se deveriam mUressar.
yandem se,aos rmateos de (anana de Taaso Ir.
rpios 4 C., no caes do Apollo.
Vende-se um grande sortimento de dmi-
nos de todas as qualidades, para homens a
meninos, a prego de 2$, 3$, i?1, 59, 09, c
89000.
Vende-se um grande sortimento de vestua-
rios a carcter pelo barato prego de 59, 89,
109, 159, e tambem se alugam.
Vende-se um grande sortimento de masca-
ras de massa e de rame para homens e me-
ninos por baratissimo prego, e outras fazen-
das proprias para vestuarios: aqu se vende
muito barato.
OLINDENSE A 800 RS.
Vende-se urna nova fazenda de seda e li-
nho, por nome olindense, propria para
vestidos, a 610 e 800 rs. o covado.
BAPTISTAS A 500 RS.
Vende-se urna nova fazenda por nome bap-
tistas, para vestidos, a 500 rs. o covado.
SUTANAS A CO RS.
Vende-se urna nova fazenda de la e seda
por nome sutanas, para vestidos de senho-
ras e meninas, a 640 rs. o covado.
PHANTASIA A 800 RS.
Vende-se urna nova fazenda lisa, por no-
me phantasia, para vestidos, a 800 o co-
vado.
FUSTAO BRANCO A 320 RS. -
Vende-se fustao branco e de cores, para
vestidos de senhora, a 320 e 400 rs. -o co-
vado.
CHITAS FRAiNGEZAS A 240 RS.
Vende-se chitas francezas escuras e claras,
a 240, 80, 320 e 3C0 rs. o covado.
BRAMANTE A 19000
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura, proprio para lenrcs, a 19G0O, e
29200 o metro.
GHOSDEHAPLES PRETO A 29000
Vende-se grosdenaple prcto a 2"\ 2-T'iOO,
39500 e 59000 o covado.
PANNO PRETO A 19500,
Vende-se panno preto para calcas e pal-
tots, a 19300, 29500, 3,*?, 49, e 59000 O
covado.
CORTES DE llUIM A 19500.
Vende-se cortes de brim para caiga, Ja
19500 e 29000.
MADAPOLO A 39000.
Vcnde-se pegas de madapolo, a 39C00,
49500, 59, 6, e 89.
CHAPEOS DE PALHA A 29000.
Veode-se chapeos de palha, du leltro e da
castor, para homens e meninos, a 29, 29500
39 e 49000.
ALGODO A 49000.
Vende-se pegas de algodo americano, 49,
59, c 09.
BOTINAS PARA SENHORAS A 59000
Vende-se botinas para senhora, a 5900
e 59600.
CAMBRAIAS A*3,7000.
Vende-se pegas de cambraias lisas para
vestidos, a 39, 49, e '-'i*-
CAMISAS BRANCAS \ 2900C.
.Vende-se camisas brancas a 29 e 29300.
Ditas de linho a 39, 39500, 49000 e
59000.
Palitotsdo panno neto a 59000, 79000
89000. Paltots de casemira de cores, a
49, 59, e 89.
CHALES A 800 RS.
Vende-se chales de la, com quadrose lis-
tras, a 800 rs. e 19000, ditos de merino es-
tampados, a 29, 3^500, 49 c 59.
E outras muitns fazendas que se vende
sem reserva de prego, na loja do harateire>
Bazar Nacional.Ba da Imperatrz n. 72.
Aderecps de bri- jj
lhantes, esmeraldas!
rubins e perolas, jf
voltasde perolas.
Obras de ouro e
W (trat de todas as \J|
qualidades.
K0I LOJA DE JOIAS
N. 2 ARua do
DE
Cabugr- N. 2
Achando-se completamente reformado este estabelecimento, e
tendo os seus propretarios feito urna importante acquisigao de
jotas as mais modernas vindas ao mercado, e de qualidades superio-
res, convdam ao respeitavel publico a fazer urna visita ao seu es-
tabelecimento, afim de apreciar e comprar urna joia de gosto por
prego razoave._
25
ton & C.
^ Samuel Power Johns-
7Rua do Apollo n. 38 e
"s Fifai sciente aos seus (reguezes que teem
'i ujuJao o sea deposito de machinas a va-
^.;' por, mohedas e taxas da mnito acreditada
'?/> fabrica de LowMoor para roa do Apollo n.
5Sg) 38 e 40, onde continaam a ter o mesmo sor-
^/p, tinento do costme.
i Fem sciaoie tambem que team feito um
W' arranjoorn a fundicao geral, pelo qne po-
"$', ^em offerecer-se. para assentar qaalqaer
% maobinismo e mesmo garant lo.
Os proprietarios da fundicao geral fa.em
scientes aos s?nbores de engenho e mais
pessoas, que teem esUbtiecido uma !uai-
gao de ferro e brouze a rna do Brnm, jun-
to a etagio dos bonds, onle aprontaro
qualquer obra de enccmmends e.w rjerei-
gSo e promptidao.
Os me.-mos rogara as pe^o?* que quei-
rsm ntili?ar se de seos servidos de deixa-
rem as encomraendas em casa qoj rs. Sa-
muel Power Jobnston C a rea do Apol-
lo n. 38 e 40, onde acharan persea babili
tada com queui possam entenderse.
Apparelbo para fabricar assocar, do systema.
WESTON CENTREFUGAL
nico? agentes em Pernaraba'-o a fundigio geral.
Para tratar em seu escripiorio a rua do Apollo n. 38 9 40.
Aproveta.
Vende-se urna expeliente carinha, feta do liwio
e cal, ita na estrada nova do Caxaug, praxima
a esta- ao dos bonds, (ponco alm da VU-eeca)
por prego razoavel : quem a pretender dlriia-se
a rua da Aurora n. 43. i. andar, oae achara
eom quem tratar.
Vende-se um terreno no Becco do Es-
pinheiro^fazendQ esquina para a rua de S,
Joaquim, e muito prximo da estrada dg fer-
ro de OHnda; a tratar na praga da Indepen-
dencia n. 39.
Ultimo gosto.
fa>iras pretas douradas e marchetaoas de ma-
dreperla : nos armazeos de Taseo Irmao & C,
ni caes do Apollo.
Vende-se, ai renda se ou penuuta-se, por-
o com mandador I trra quasinam para plantar canoa, urna padaria
iW no pattto da foira no^voado dos Mutei, a
tratar epm, pn broprietai o uo mesmo povoado; e
para lufrraagos, com os Srs. Rocha Lima 4 Gui-
marSee, 'raa'io'Som' JesnsfOTtr'ora da Ouz) a.
i6!,:oa: eomoiSr; rttombos Mara Froir ao
Ces do Apollo, n esta cidade.
Vendaba, os doiis beiQ conhecidoa bois
carros do finado Antonio do Azevcdo Jnior : a
tratar na rua dos Gtwrarapes u. I i.
i ... i------------1----------------------
^ode-sa o botyl i.a.rua.da Somalia Velha
n. 18, com muito boa fre^uezia por ter n seu
proprietario de tratar de sua saudo ; a tratar no
mesn
MUZEO DE JOIAS
N. 4 Rua do Cabug N. 4
joseph i; i; a i se & c.
E r ^
GOMES DE MATTOS, RMAOS
"es.e importante estabelecimento de primorosas joias, acbar o reaoeitavd
publico desta capital um grande e variado sortimento de joias de todo6 os
precoe, queja existiam no Muzeo, que sero vendidas com grande redueco
d prego, alm dos novos objectos recebidos directamente da Europa, que
se vender por prego animador, bem como sejam, aderegos de brilhantes,
pulseiras de aitos, broches e rosetas de ditos, ditos dedilTerentes pedrarias de
pregos anneis de brilhantes e de esmeraldas, rubins e perolas, e de todos
mais objectos de valor, que possam ser desejadospelo, bom gosto e aprecodas
familias, que sbem dar valor a objectos de primor.
Os proprietarios do ML'ZEO DE JOLAS, couvidam as familias que se
queiram prover de excellentes joias, a virem escorbe-las entro o vAriado
sortimento dellas, garantindo os proprietarios que sero sinceros para todos
que se dignarem procurar seu estabelecimento.
Entre o grande sortimento de brillantes, esmeraldas, perolas, o obra
simplemente de ouro de lei, se ver um elegante sortimento de obras de
prata primorosamente trabalhadas, que tambem se vendom preg re.luzido,
bem cmo, relogios de ouro e prata dos melhores autores conheci.'os, nu
se vendem mediante pouco dinheiro e garanta tles donoa deste estabeleci-
mento.
Os.homens do centro, que precisarem de qualquer objecto de grande
ou pequeo valor, procurem o MUZEO DE JOIAS, queserao servidos ooaq
atleugu e sinceridad*:.


8
Diario de Pernambuco Terga feira 18 de Fevereiro de 1873,
VARIEDDE
Morir le M. n 11; prratrtz viu-
va do lli*al, iliiqucza de ISru-
ajauea.
Succumbio aps dolorosos padecimentos
moraes o physicos do mu tos' nuilosS. M. a
Imperatriz n:i m I rugada rio -2 S deste mea.
AS cinco da tarde 6 que as pvimoiras salvas
( fnebres das fortal 'asedos navios de guerra
surtos no Tejo annuneiarum pnpulaCM
contristada o falleiimento da augusta prin-
"/' raeto carit ra soubo ser durante a
sua attribiil.t la existencia.
A imprensa portugueza lera pago unnime
. a niais sincera homenageni .de saudso jres-
pfito A memoria da virtuosa viuva de D Pe-
dio IV.
A infeheidade a aoompsnbou sempre, sob
fojas as formas, anida as mais crueis, nesta
boa trra portugueza, sua segunda patria, e
que de o verdes anuos [he foi ocaso de
aeiooes.
A Emperatriz era fillia de Eugenio do
Heauharnais, |ll,u de Aiexandre, viscon le de
r.eayhamais, (pie i'm general da repblica
franceza, e morreu guilholinalo por so ha
vertoriiado suspeito quando contiiiha os
prussianos ein Laudan, e r.;eiis*n lo-s: obe-
decer s intimacoes dos ivpre, 'litantes, en-,
viou fcsa demissao de general, retiran lo-se
para as cercanas de Blos, onde foi preso
punco depois, o con leiuna :o qnasi sem pro-
ra ,tendo amorto ein recompensa das suas
passadas facanhas de Soissons, como era des-
lino daquelles que haviam nosta a. sua espada
ao.servido desses loucos sublimes "que docr -
tavam a victoria, o que impunhain aos seus
i apilaos o fatal dilomma do trimnplio ou do
calafateo !
viuva des!:' ni u tu-da vpublica fran-
ceza'Jcontiuuani..-. seus bio.i-.-apios, dequeni
meuermitto, n.s'.e ap-rto le tempo, apro-
priro: mais essem-ial Josephina Tascher
de la. Tagua >, oriunda I' urna das princi-
pacs.familias da Martinica, ;U-;>osox em se-
gundas nupcias o grande Napuleao, com
quein partillinu por punco tempo o fastigio
dothrono imperial, con jui-t to sobre osde-
lo terror, e qtic'a vpudiou em 1809.
Seu fillio, Eugenio do Boauhariiais, ao
servico dimperador, distinguio-so pula sua
pericia como general, pela sua bravura e
pela sua lealdade ao portentoso bere, a
quem so conservou fiel no momento ifa ad-
crudade, quando nquellcS que tildo I!l0
me Jeviam o abandonavai e'C!:i,"5ara.iJU.tel
ou o alraieoavam, assoiiando-so aos seus im-
placavifis ininiigos.
Eugenio de Boauliarnais,que por um
rasgo de amor filial, indi redamar a Boua-
a espada de son pai, conquisten o
to do grande liomem, e lhe fe/, estabele-
cer relaeoes com sua mai, d'onde derivou o
- casamentl com esta senliora,depois de
r servido sob oconim:>:ilo do general
Hucbe, a quem seu pai o rocommendra, fez
a campanha il Italia ea do Egypto, tomou
em Malta urna bandoira o inimigo, foi gra-
vemente ferido na cabera por umestilhaco
d; bomba no cerco de S. Joo de Acre, as-
Napolea, tendo apenas 17 anuos, ligoua
sua serte do Sr. D. Pedro IV, Imperador
do Brasil, que enviuvra de sua primeira
mullier, a archiduqueza d'Austria, D. Leo-
poldina. Seguio, pois, caminbo do Rio de
Janeiro, deixaudo a patria o o lar paterno, e
viudo aventurar-se ao mar tumultuoso da in-
constante poltica, em cujas vagas flucta va,
Combatido pelos elementos em guerra quo
pobre elledescncadeava uin temporal violen-
to, o baixol do principo consorte.
No vigor da sua mocidade, era urna
dama formosissima, dossa belleza que attra-
he e domina pelo esplendor e pela gravidade,
e muilo esbelta.
A 30 de agosto embarcava em Ports-
moutii em compaohia de sua onteada a Sra.
D. Mariana Gloria, ao depois rainha do Por-
AugaL, a qual tendo viudo Europa para fa-
zer a sua e lucai;ao om Vicua d'Austria, a
entao reclamar de seu pai" o auxilio preciso
para a collocar no tlnono que llio liaviu da-
do, e ao redor do qual *e agita va j sangui-
nolenta o fratricida a guerra civil. As duas
son lloras foram portadoras da noticia do pri-
meiro luito ile armas victorioso do conde de
Villa-Flor (duque da Terceira), n,i illia Ter-
Cira a favor da causa da rainha.
KJ.">a laa Sra. I). Amelia digittdade
imperial, oompartilhando com seu augusto
esposo o seeptro do um dos mais feriis e
vastos paizes do mundo, tolos poderiam
alma I)tl's encestando iranquillamente a laceos do dilTurcntes companbias industriaes
face sobre fi il mofa Ja ecom a placidez do prevalecen J a clausula anterior com rela-
justo. A intoil'j^ncia de sua magestade con- cao as pensoes vitalicias, a cargo deste 4e-
servou-se at os uJii'nos instantes da vida gado,
perfeitissima, como fra s:npre. Aino pou- At a maiorida le dos sobrinbos ou seu ca-
co antes do passamento fez sua magestade re-
roiiiineii lacoes paraserem, era determinados
dias, executados actos do caridade com quo
ella li ibitualmente enxugava as lagrimas e
prevena a Come de centenares de pessoas e
do familias.
*
sistio batalha de Marengo, onde ganhou o
posto de chefe de esquadrao, ganbou a bata-
lha de Haap, na Hungra, contra o archidu-
que .loao, avancou at quasi is portas de
Vienna, fez a sua juneco com o exercito
francez, em Sommering, merecendo os
maiores elogios de Napoeao, c contribuio
valiosamente para o bom xito da deWa-
grara, sendo brlhante a sua retirada na ltus-
sia, quando o immens'j e imprevisto cala-
clysmo desabuu sobre a calieca que sonbra
cingir () diadema universa!. Entilo o gene-
roso e leal soldado,que as pocas esplen-
dorosas do fastigio e podero do imperador,
seu padrasto, governrasabiamente a Italia,
como vce-rei, na curta dada de 21 anuos,
animando a industria, a agricultura e a ins-
ti uccao publica, lcsdcnbou a eora desse
bello pai/., ipie Ih olToreciam a troco da
traicao ao seu cliefe, e logo depois da queda
deste, retirou-se para a Baviera, onde s con-
servoy o titulo de duque de Leucbteraberg.
Seu lilbo 0. Augusto foi o primeiroma-
i de S. M. a-rainha Sra. 1). Mara II, com
quem se ligou pelos lac/w do matrimonio
:.i lejaueiro de 1835, falleoendo dous
rzes e meio depois, a 16 de mano seguin-
te. Era um principe Ilustrado e esclareci-
do, a quem a natureza nao favorecer muito
generosamente com os dous da formosura,
. que tinba cin compensacao generosas
qualidades de espirito e de coracao.
c A rainha Hortencia que despospu Luiz
RapoleSo, re da Hollanda, de cujo matrimo-
nio nasceu o ex-imperador dos france/.es, ha
pouoo fallecido, era irml le Eugenio Bcau
harnais, clillia, como elle, do conde Ale
xandre.
Pelo lado materno era S.M. a Impera-
ti z descendente da casa do Baviera, por sua
mai, a princeza Augusta Amelia, filba do re
bavare Maximiliano I, qual Napole&OchV
ii; i as mas memorias a mais bella o mais
virtuosa das prime/as de seu tempo.
a A' nobreza bordada, alliava a augusta
senil >ra a nobreza das virtudes, sendo por
sob to los os aspectos, dignarlo egregio
consorte, que a bavia escolhido para sua
affeotuosa companheifa, o qual fra o Io im-
ni ador do Brasil, o 28" rei de Portugal, o
94' dos Algarves, o 22 duque de Braganca,
o 17" de Barcellos, o 19" do Guimaraes, o
21' marque/, de Villa-Vieosa, o 23 conde de
Ourem, de Barcellos, de Paria e de Neiva, o
25 de Arraylos e o 20 de Guimaraes, o
que a todos estes ttulos nobiliarchicosjun-
tava o do ser um maguan.mo coragao, um
valoroso soldado, um safcio legislador, um
intrepidd defensor darliterdade, um bere
que deixou o seu no'e eseripto na memoria
de todos os^seus companheiros de armas o no
livro iinmenso onde a humanidade archiva
as tradicoes dos feitos glor.osos.
s S. M. a Imperatriz era dama das ordens
de Santa Isabel, do Portugal; de Pedro I,
do Cruzeiro e da Bosa, do Brasil; do Santa
bibel, da Baviera; da Cruz'Estrellada, da
Austria ; de Mara Luiza, de Hcspanha;
gl-cruz de Nossa Senbora da ConceQo de
Portugal, nao havendo assim quasi neuhuma
distinecao principesca que a virtuosa senbora
nao possuisse ; o que a nao impedio de cho-
rar como mulher, entre as angustias da mi-
sera bumanidade, fundindo no cadinho do
coracao esses diamantes do sentimento, qu
a dr enva aos olhos em aljofares crystalinos
Eara adornar a cora de martyrio aos infe-
zes.
D'outra biographia tomo tambera os se-
guintes periodos :
.Nascida a 31 de julbo de 1812, terceira
fha do prncipe Eugenio, duque de Leuch-
temberg e principe de Eichstadt, e da prin-
ceza Augusta Amelia, e eiucada nos mais ri-
gorosos principios da moral familiar e da re-
gio, a Sra. D.._Aea. Augusta. Eugenia
presagiar Giba do Eugenio Beauliuruais
tuna existencia risunlia o feliz.
Mas nao foi assim.
As diss-ucos polticas obrigaram D.
Pe 1ro IV a abdicar o titulo de Imperador do
Brasil, ea princeza quo sompre-imitoii; quer
sobre o throno, quer na adversidade, as ra-
ras virtudes de sua av'a imperatriz Josepbi-
na, deseen do solio com a resignado das al-
mas fortes, dedican Jo-so a animar e consolar
sen esposo na adversidade. Esta princeza,
di/.ein dous historiadores francezes, exerceu
no marido benfica influencia, tomando
mais pronunciadas as boas qualidades de que
ello era dotado.
D. Pedro IV embarcou para a Europa
no auno de 1831 com sua esposa e lilha na
fragata ingle/.a Yohtr/e, do que era comman-
danto lord Coleheslor. A familia imperial
foi entao residir ca Franca. Este periodo
da sua historia tem o carcter do um verda-
doiro desterro. .Mas o amor adocava-o. A
l de dezeinbro de 1831 nascia ein Meudon o
priraeiro fructo do Ilustre consorcio.
Quando o duque de Braganca se dispoz
a detxar a Franca para conquistar o throno
pie dora Sra. I). Mara II, 1). Amelia disso
a seu esposo, otTereconJo-lho urna espada :
Aqui teas a arma que trazia habitual-
mente meu pai, que foi chamado soldado
tana >enr nt reprodte.
Vencedora a causa da rainha D. Maria
II, ao fin dessa hita cruenta, que lautos cui-
tados e lagrimas custra, o quando a duque-
za ile Braganca coutava gozar em paz as de-
ieias da familia, veio a inerte arrebatar-lhe
o esposo, que o fra o curto espaco de cinco
anuos Kxpirou aquello bravo soldado no
palacio de CJucluz as 2 o meia horas da tarde
le 2i de setembro de 183i, aportando a mao
la esposa idolatrada e dizendo para o coro-
nel Pimental o para um soldado : Ho-
nens bravos recebei este abraco o levai-o ao
exercito que tanto amo.
A tai) profundo golpo succoJeu outro a
curto intervallo, o que de novo lhe ferio a
alma com a morte de seu inno o principe
I). Augusto Carlos, duque de Leuchtemberg
c Santa Cruz, principe de Eichstadt e primei-
ro esposo da rainha a Sra. >. Maria II, sue-
co lida a 28 de marco de 1833. Desde entao
asa existencia substanciou-so toda na filba
adorada, anjode candura, educada na escola
da virtude e do amor, formosa, esbelta o
simples como olla.
Mas Dous nao quiz deixar-lhe gozar
essethesouro dcaffectos, que pareca desti-
nado a matizar-lhe de candidos sonrisos as
profundezasdo seu luto. A filba, seu enle-
vo e consolarlo, a princeza D. ..Maria Amelia
Augusta, morreo na ilha da Madeira a i de
feveroiro de 1853, victima do urna cruel
phtysica. Sua mai fora-lhe enfermeira at
i lima final, o aconipanbou, cheia da forca
que a virtude d, o corpo at Lisboa.
Alanceado por dores tao consecutivas,
aquelle coracao sensivel receben de Deits a
resignacao precisa para resistir a transes tao
crueis. Dcsprendeu-sc das galas do mun-
do, acolheu-se ao seu palacio das Janellas-
Verdes, e passou alli a vida n'um verdadeiro
encerr. Nunca os esplendores da corte,
as multiplicadas diverses que a capital offe-
rece o com que sorprohende e attrahe aiuda
os nimos mais rebeldes, alizcram orguer o
veo da viuvez, largar a sua mesta solidan.
\lli viva escondida nos seus aposentos,como
a mais modesta particular, administrando
.por si a sua casa, dirigindo os mais insigni-
ficantes trabalhos, alimen'tando-se sobria-
mente, o mostrando aos seus servidores a
mais franca singelleza de trato. Eranao
lisonja, verdade eloquenteexemplar dig-
no de mai do familia. 0 nico laco que a
prenda sociedade. exterior era a benefi-
cencia. Na Madeira fundara, em memoria
da lilha idolatrada, um hospicio para os en-
fermos que vao procurar os beneficios da-
quellc clima salutar ; em Lisboa era presi-
lentc e protectora caridosa da sociedade das
casas de asylo da infancia desvalida e soccor-
riaoutras instituices de caridade. Subsi-
diava muitas familias desvalidas, a quem pa-
ga va alimentos e renda de casas. Alguns ti-
tulares pobres viviam do seu bolsinho. Os
invlidos militares e alguns recolhimentos de
religiosas gozavam generosos subsidios. 0
seu testamento diz mais eloquentemente
quacs eram os impulsos do seu coracao.
Talis vita fins ita.
S. magestade expirou a 2C no seu pac,o
das Jancllas Verdes, com a resignado que a
f inspira e com a tranquillidade que d a
paz da consciencia.
El-rei D. Luiz chegara momentos antes de
sua av dar a alma a Deus.
Eis o que diz em algumas folhas da manbi
de 27 acerca dos ltimos-momentos da au-
gusta senhora :
Sua magestade a imperatriz passara o dia
de sabbado 25 no mais grave estado. As
alllicc.oes que se tinham pronunciado ha qua-
tro dias, quando a hydropisia subi ao pei-
to, cresceram progressivamente. A flaque-
za era sobretudo extrema, porque sua ma-
gestade apenas podia tomar como alimento
algum caldo com vinho do Porto desde os
ltimos dias. Houve todava no sabbado
anda momentos de sensivel allivio, que in-
felizmente nao continuaran!. Denoite o es-
tado de sua magestade aggravou-se anda,
mas nao obstante pode descancar alguns mo-
mentos com certa placidez. Todava as tor-
cas diminuiram de instanto para instante,
at que s 5 horas da raanh, sera agona, e
quasi sbitamente, sua magestade rendeu a
Sua magestade el-rei D. Luiz, a rainha,
el-rei D. 'Fernando eoSr. infante 1). Augus-
to foram mais de urna voz sabbado, de dia o
de noite, informar-so do estado da augusta
doente, manifestando um intoresso nexce-
divel. 0 Sr. 1). Fernando foi noite para
velar junto ao leito do sua magestade impe-
rial, mas nao o verifioou para evitar a impros-
sao moral que causara a sua magestade im-
perial, cuja vida seesporava contiiniasse an-
da mais agumas horas. 0 presidente do
consellio de ministros voltou sabbado d noite
a saber de sua magostado, e mil liares de pes-
soas foram a todos os momentos informar-so
com extraordinario nteresse da saJe da au-
gusta enferma.
TESTAMBHTO DE SU.V M. I. A SENHOIU DL-J-
\ K BRAGANC.t.
O administrador do Bairro occidental (de
Lisboa) abri no dia .26 do maulia com as
fo mal dados lgaos, e na presenta do Sr.
bario de Japrera, ministro do S. \t.- o Impe-
rador do Brasil nesta corte, do presidente do
consefho de ministros o Sr. Fontes Pereira
de Melliw, e dos testamenteiros, o testanento
de S. M. Imperatriz viuva do Brasil suin
codicillo. O testamento escripto em frawccg
e todo do proprio punho db Sv M. 1. O <>-
dicillo igualmente extenso--,. Foi feito o tes-
tamento a 6 db Janeiro de i8# cm Lisboa- e
o codicillo a 9 de janeo de-1$73, fazenlo^
lhe algumas alteracaes.
Foram testemcHihas do tesunento os Srs.
bario de Itamarac' (Maciel Monteiro; mar-
quezde Pombal, Mrquez do Ficalho, conde
de Sobral, e Carlos de Caula. Os- testamn-
tenos nomoados por S; M. 1. sao- es viscon-
des d'Almei la e de Aljezur, e no-seu.impe-
dimento a senliora eondessa do Bo Maior
(viova). 0 testamento tem 50 paginas*
Muitos legatarios iusttue sua magestade na
Suea e Allemauha, Brasil e Portugal';; mas
o herdeiro principal a inna, sua raegesa-
de a rainha mai, da Suecia, que estove lia
tonco em Lisboa, e a quem lega o remane-
cente da horanca. A fortuna que tem no
Brasil (leixa-a aos quatro tilhos do lt ma-
trimonio do Sr. I). Pedro,-representa'to-iio8-
filhos os- que j nao existire-mi Contempla
muitos dos seus puentes, eos seus ereadtjs-e
servidores.
No ?eu testamento, sua raagestade recomr'
monda a sua rma Josephina, rainha da
Suecia, a fundaco permanente do hospital
para doenc,as de pcito hospicio da princeza
I). Maria Amelia que instituto no Funchal.
Pedeao rei de Portugal, seu amado neto,
que o enterro se faca o maissmplesmente pos-
Stvel o sem oragao fnebre, mostrando de-
sejo de nao sor exposta em cama d'estadO'e
ficando no leito at o momento de ser collo-
cada no caixo.
Pede um panno preto, um veo sobre a ca*
beca c nada mais.
Prohibe absolutamente quese lhe faga wm
topsia e desoja nao ser embalsamada.
Sua magestade declarou depois verbal*
mente ao Sr. visconde d'Almeida que con
descenda em ser embalsamada pelo sysie-
ma moderno, (d'injeccao.)
Ouer que se lhe digam 200' missas por
alma, 150 em Lisboa e 50 na Madeira.
Observa que os filhos do- imperador seu
marido, que amou como se fosseo seUs,-as-
sm como os seus queridos notos, encontrar
rao naqaelle documento a cxpresso dasu
ternura maternal e a do seu vivo ceconbec-
nento pelas provas d'affecto que constanto-
cidade, 503POOO a cada
ouros, encatrega a baroneza Carolina Steu-
samonto, estabolece quea 'rainha de Suocia
administre os legados, deixaudo accumular
os juros se hou ver exeo louto annual, satisfe-
tos os encargos. Estabelece a clausula ante-
riormente citada pava tu caso do falloeimen-
to do algum destes sobrinbos, hordarom os
seus raos sobrevventos. -
Estabolece mais que sua irma Josephina
por testamento, codicillo ou urna simples
carta, dever designar a pessoa ou as pessoas
na Baviera, que em caso de morte a substi-
tuam na adininistrago dos legados, a lira de
que a sua ventado expresad e formal seja
cumprda.
toga especialmente rainha da Suecia
sua irmO, igual sorama de 2*0 mil llorins,
tambera em fundos existentes na Baviera, cm
acodes de companbias industriaos. A rai-
nha ser usufructuaria, passatiJo a heranca
ein partes iguaes para o seus quatro filhos,
(irlos, rei da Suecia e 'seus jasaos Osear,
duque de strogorthia e Augusto, duque de
Da! 'carlia ea stia sobrinba Eugenia da Suecia
A rainha o seus lilhos nao poderao, poi'm',
entrar no gozo da renda do legado, nemdis
por do capital, eeoao medida que as penfioes
vitalicias a seu eargo so (brgai progressiva-
mente exting-uinfo. No caso da morte dos-
SObrinhos, antes-da abertura do testamento, respoito a Amia Dregier,
a rainha pdedisportivreinenU', lisrando um Concede
VBCouIc d'Almeida, todas as'caixas em quedaros,
esto. fechados os ditos papis deverao serjUm, '
transportadas Suecia o entregues rainha Ao hospital -da S. Luit dos francezes de
A' associaco dos. pobres
i 2239000. A-" eondessa
Josephina. Declara quo a baroneza Caroli-
na Stongcl, sua dama, sabe onde esto as
referidas caixas.
Quanto aos seus papis pessoaos, cartas e
gel, de os por em orJem e do Ibes dar o
destino que verbalmente indicar.
A sua guarda-roupa de adornos, roupa
branca, vestidos, modas etc., dever ser
distribuida polas duas creadas do quarto
Luiza do Germerslieim o Maria Dullhofeii,
a exeep^-ao dv>s objoco-s do preco, taes como
vestidos e capas d ctr, pellos, blondas, ren-
das, cachemiras, lencos ricos guarnecidos
de rendas, etc., que destina a sua irma, bem
como outros objsctos do toilette que ella de-
sojar conservar.
Encarrega a baroneza Carolina- de Stcn-
gel e viscondessa d'Almeida de fazorem urna
lista dos ohjectos do seu guarda-roupa, es-
perando as ordene de sua irma e licr-
deira. ,
Almda peJDo sua croada # do quia?to
Luiza de Ccrmoslieiin' di-fhe para a viajf.ni
do rogresso Baviera mil ttonM o ma s 3?>0-
pa pof casa, e seis niezi-s da ordenado a-
titulo de gratlicacao. A creada Maria Dol-
lhofen, al<;m da pnelo annual,. dojs anuos
leordena cos para >agciu. O mesmo observa com
Lisboa 45070Q0.
allemaes de Lisboa
da Ponte, D. Maria There/a,'pra educacao
dous'orphos 500?M)00. A' niarqueze
d.
mente lhe deram e quo lhe serviram de doce
consolado as penas e provac,es de que foi
povoada a sua existencia, banca a todos a,
sua bencao e pede a Dous que vele por ellos
c os proteja. a
Igualmente observa que sua irma JoscplnT
na. seus sobrinbos, sobrinhas oemgeral to-
aos os seus parentes, encontraro no mesmo
documento a expressao do seu reconheci-
mento pela sua affeicao, bem como as. pes-
soas do seu servico manifesta a sua gratidae
pelo seu zelo, dedicacao e cuidada em parti-
cular a sua boa Carolina Stengel, na qual
encontrn todos os sentirnentos da amiga de-
votada de toda a sua vida, madamc Fanny
do Maucombl, cuja perda tanto ella como sua
nagestade muito haviam chorado.
Pe le perdao a todas as pessoas que pudes-
se offender durante a vida e declara perdoar
lo fundo do seu coracao aquellos que lhe t-
kessem causado desgosto.
Recommenda aos tostamenteiros que pro-
cedam immediatamoute ao bataneo dos seus
haveres e que fac,am compor as listas do n.-
rentario do tudo quanto possue e de que baja
a pagar diceitos de registo ou de transmissao
de propriedade, desejando que o inventario
nao seja judicial.
Quando se refere a qualquer irapossibiU-
dade dos testamntenos designadosejnomeia a
Sra. eondessa de Rio Maior, D. Isabel, decla-
ra conhecer a profunda dedicar desta se-
nhora, de que j lhe havia dado muitas pro-
vas, persuadida de que se nao recusara a
provar-lhe mais urna vez, que podia contar
serapre com ella, acceitando a missao que
lhe confiava.
Desejando que uina parte da fortuna que
herdou de seu amado pai, o principe Euge-
nio, duque do Leuchtemberg, volte aos filhos
do duque Maximiliano de Leuchtemberg, seu
presado irmo, eaos da princeza Theodolin-
da, eondessa do Wurtemberg, sua presada
irm, ambos j fallecidos, e que urna parte
volte tambem rainha mai Josephina da Sue-
cia e depois a seus filhos, dispoe :
Legar aos 6 filhos do fallecido duque Maxi-
miliano Nicolau, Eugenio, Sergio, Jorge, Ma-
ria e Eugenia de Leuchtemberg urna somma
de 280 mil ftorins, para ser igualmente divi-
dida entre elles. Esta somma deve ser tira-
da da porfi dos bens queexistera na Bavie-
ra e se compoem de fundos pblicos diver-
sos, e acedes de diferentes companbias in-
dustriaes. Nao podero, porm, dispor deste
capital nem entrar no goso da renda do so-
bredito legado senflo a medida que as pen-
ses vitalicias deixadas a seu cargo se forem
progressivamente extinguindo. Tendo mor-
rido qualquer dos sobrinbos antes do falle-
ciraento de sua magestade, herdam os outros
irmos sobreviventes.
Aos filhos da princeza Theodolinda, seus
sobrinhos, Augusto, Maria, Eugenio e Mathil-
de, eondessa de Wurtemberg, lega urna som-
ma de 280 mil flor.ns, para ser igualmente
dividida pelos quatro. Esta somma ser ti-
capital sulficicntc py fazer lace s pen-
sos.
No logado aos* filhos d\Sra. 1). Maria II,
estabetece, que so algn bUeceese antes da
sua morte, herdaasem'os'-ipnifies sobreviven-
tos. E ordena qu os seus wetos possam' dis-
por livremente da proprie tade do Maraco
[posteriormente vendida como* consta de ro-
idicillo) quer sejavendendo-a, p;ira partilhn-
;rc-m entro s-o capital, eu'conse van Jo-a para
;ipar conectivamente do* seu producto, dose-
janrlo vivam>nte que todos eswessem dei
accoi-do no que fosse mais vasrtajoso aos
seo* naspectivoaioteressBfc
jjianto s aprdices, impe que cada um
dosseus netos, pela parte-que lhcd*/ res-
peito-, nao poss-disp6r de- eapital nttn cn-
trai itogoso da Bernia, sono medida que
as pensoes vitalicia asen cargo-se- forem
progressHvamentcittingumdlMi
Determina queasapolici" sejam Inscri-
ptas enr nonio de seus enteavIB e netay se-
gun.te-a' parte qiit tocar a cada um, uVen-
do o usufructo servir de garanta ao paga-
mento* das referidas pensos.-
No caso de nao ter effectudo> em suit. vi-
da, como entrava oe-seu proposito, a doac-o
da suaterrade Staia>na Davi^ra, ao archidu-
que Fernando Maxiubano, d'Aitstria, bg*-
Ihe a sobredita ter-wi'de Staire coio tudo que
lhe pertcnta e contiver no momento da suo
morte, quorendo por.essc raedO"provar4bp
que o estiiava couO'um lillsc,>.e -que teria
sido feli ein. t-l p>p seu g.iHcoi, se Dcns
lhe tivesse conservado'sua amada llia Ma;\,
Ameba. i
Declai,-.que a glande floresta charaadU
Hohenbewr, outr'cca de Secn .Ja* parte aa<-
tualmeitte da. terrai te Staia. o lega alem.
(lisswaocBebiduque-uai capitel< da 40 it.
llorins, dii fortuna existente aaitaviera, pa>.
ra servir-k'.explorar.ao>da tetra de Stain e
de sua tbvica de eeveja. Qibaulio de Se-
cn, outr'ora um convento^ com as poqta-
nas llorsstas que Ifeus? sao dteandsntes e a
herdade-di Nahre-X declara, (J8C nao fazenv
parte den torra de- Stain o (tafllao na maesa,
ra heranca,
Estab*lece mae/jue se o anchi Juque E-sr-
naUdo MaximiliiuiO'viudo a.mocrer sem li-
lhos do.matrimoiii com* arebiqueza Car-
lota, princeza da Blgica, nesse caso a fierra
de Stain reverter a favor do seu sobiinio
Nicolau. de Leucbtenberg.
Alm da peiisio o logado .em.dhihciro*. ao
Sr. marqeez de -Uczcudc-^ deixa-llie toda a
mobilia de son aposento-,, tal como se ins-
creveu no regieto da casa,
Alm da pSQfiio coucedi^a ao Sr. viscon-
de d'Almeida,. seu camatista depois da morte
do imperador, ao qual,.diz, nao ctssou de
dar provas de dedicacao. e devotamento,
acompanhaifo-o conxo voluntario na.expedi-
eao ao PorU> em ISoj e participauclo com4
elle todos os por ge* o fadigas da guerra, da'J
como presente doiscavaltos la snti cavalba-
rica, a escolha.
A' t-oreneza Carolina Stengn alm ila
pensc.annual, rail llorins para o sou regees-
sa Baviera e faz-lbo presento, se o. nao
ti ver j feito dorante a vida, do piano que foi
de sua'fllha querida, a princeza 1). Ameba,
bem como os dois tamboretos, bordados m
tapossaria, que pe-itenceraa e sao obra da
sua fiel e fallecida, amiga madama Fanny
de Maucombl. Accresconta (pa estes ob-
jectos lhe recordarao Lisboa e a Madeira !
.Dos 90109068 de penso a Sra. mar-
queza, de Cautagallo depois da morte desta
Sra., C009000 passaio s suas duas filhas
solteiras, Amelia Be[u e Maria Margarida
Borqu, 30O-"?00O a cada urna, emquanto
nao casarem.
Quanto ao Sr. Primislo Sporling. declara
que lhe den tantas provas do zelo o dedica-
Cao, que julga poder contar, nao se recusar
a prestar a sua irma a rainha da Suecia os
servaos que deponderem delle; cjue lhe
poder pedir por conseguinte, relativamen-
te aos pagamentos a fazer em Lisboa, as
pensoes designadas no testamento.
Referindo-se ao Dr. Barral, deseja que
enoontre alli particularmente a expressao da
sua gratido pelos cuidados tao desvellados
que lhe prestou, bem como polos servigos
empregados na fundac&o do hospital da Ma-
deira.
Pede-lhe que contine a interossar-se por
aquelle hospicio e que dea sua irm a rai-
nha da Suecia, todos os conselhos e esclare-
cimentos que ella possa podr7lho a tal res-
peito.
O legado de mil libras ao deao da S do
Funchal, Antonio Joaquim Goncalves e
Andrade, nao se verifica, porque esto ec-
clesiastico nao existe j.
Lega a Mr. Adolpbe Otto, era Munich,
conselheiro da administrac,&o de sua alteza
o principo Carlos da Baviera, a somma de
15 rail florins. Se tiver fallecido, este le-
gado passa viuva e aos filhos.
Lega 9.180 florins ao estabelecimento
militar do corpo real dos cadetes de Munich,
fundado pelo duque Maximiliano, e que
tem o nome Leucbtenberg.
Encarrega o visconde de Almeida do exa-
me e classificaco dos papis que lbe vieram
do imperador seu marido, dando-lhe o des-
tino quo verbalmente lhe faria conhecer.
Deste cuidado encarrega nica e exclusi-
vamente o visconde d'Almeida, sem que ne-
uhuma outra pessoa deva ver esses papis ;
t;t-
como gratilic'Mjao sois WBBOi de
ordenados on salarios lixoS>, a tolos-os ser-
vidores de siw casa, desde o mordoino at
o nlmo, exceptuando as pessoas s quem
estakeiece gratwcaces.
Lega a Julio* Cesar de Amwal -Rcgor fcm-
pregado do escriptorio de sua casai o cipii-
valento a 0 mezfs- dos- seus honorarios a -
tule dc-gratilicai;u-!.ieulo o ames de srr-
vieo eo-dubro, tenjIo^lO.
Ao.jardiiieiro. alm*da penstor d a me
zes do ordenados a itirto' degratil taco.
Obsorvoque a penso coucedida 6 Mari
tiortrudes-daConceic-io; caso d'est -ter fal-
lecido, dcv-'vseinprc ser empregada ua-edu-
ccao dos rio orphaos- Alfredo o ilarolina
llosa, cujo tiai, HanoeJ Jos Luiz foi du-
rHite muitue atnios ivicm.o-da sua estriba-
rla.
Lega a D. foabsl, eondessa de Pcejaberg
e ddquoza > (ixgaz 1,000 libras sterli-
nas ; a sua lidia Amelia renberg, sua> al-
lha' de baptismo, 500 libras; a Carios
de AloMda, seu atilhado, Hio> do riscende
d'Almeida', 1,0<)9 libras, A Mr. Brunhubcr,
administrador da proprieitade de Stain,
l,00)kQt)rius. ,&> hospital da Greancas, em
Munivh, dirigiJ*>*|xJas irmis da caridade,
800 torins.
Aos pobres enfermos da paicohia de Sa
tos-oVelbo, para--ser distribuido polo prjur
c regedor I OOOfMtt.
A' ueoola Lancastiiaimo de meninas.
Funi.lwl 100-^.
A' baronesa Carobna Stengel 225-?0Cft
para JSstiibuir as soguintes pessoas :
. D- .Maria da Piclado de Verna* Bilsteii.H
18^000;.a Ccrtrudos Urbana de Lima
VascjuceHos, lilha. da ama de imperador
seu marido, 18-?00O; a D. Justina Mara da
Silva. Dantas, 13C500 ; a Fernando Bonto
do Campos e Antones, 13?5t)t) a Jos Pes-
soa,. pvofessor de instruccao primaria 139500
a Bcrnanlo Ferrcira, idom, 13^500 a D.
Mar;crida Ferrcira Chaby, 13^500; a D.
liara Justina Riben-o, 133?oOO ; a D. Fran-
cisca, da Coilcei(;ac-, 1>. Maria Rita de Belle-
garde da Silva, 1). rena Thcodcra de Sou/.a
Xavier, 1). Maria Iguez de CasteUo Brauco,
D. Murta Margarida de Lima, D. Maria Cons-
tancia Yaz Vellko, D. Maria de Dromont,
Barbara Maria Alto, Gertrudis Magua de
liveira, Helena Rosa. Maria da Assump
gao^Antonio Maria, O-ruOO a cada um.
A>& estabeleeiiaeutos de beneficencia
rgidos polas irroaVde car dado*no Rio de
Janeiro e Babia is5009. Kst;s. somma SCfi
rerietida imperatriz do Brasil, para a d$
tribuir da mancha que julgac conveniente.
A's grojas catholicas de Kosckobn Suc-
csa.) e do Cluiitiaua ( Norwcg.), 500 libras
<;aJa urna.
As pensos vitalicias a cargo da heranca da
rainha da Suecia, montain a 4:520J?820. As
soturnas debuidas como teoobraneas ougra-
tilicacoes, sahomala massa da heranca-.
- Manda baroneza de Stengel entregaros
recibos s pessoas que Uieeram llovedoras.
Entre os.nomes das pessoas que teem di-
raito i distribuicao dasjoias, figurara, seus
enteados.Januaria c Joinville ; 8 ufctos,. Cl-
quite do Orlcans, Maria^ Jorge de Saxo, An-
tonia de Hobenzollcrn, Izabel e, Leopoldina
do Brasil; Pedro de C-leans e Luiz e Filip-
po das duas Sicilias; sua cunlu-da a gran-
duqueza Maria c 7 sobrinbos ; Eugenia da
Suecia, Maria o Eugenia de Leucbtenberg,
Augusta, Maria,Eugenia e MatliiMe de Wur-
tecaberg.
As suas tias a imperatriz mai, d'Austria, o
rcluduqueza Sc^raia d'Austria ; as rainhas
Maria e Amelia (le Saxe, Elisa da Prussia e
duqueza Louiza da Baviera, o a suas pri-
mas a rainha Maria de Baviera, Augusto
Leopoldo da Baviera, Adelgunda, duqueza
de Modena lbldegarde, arebiduqueza d'Aus-
tria, Aiexandre de Baviora, o Josephina de
Hohenzolleru; a rainha Maria Amelia, a
princeza Zouiga de Shensy Schloig-Shves-
tritz e princeza Eduarda d'Altenbourgo
princopc C arlos do Baviera, o archiduque
Fernando no Maxitnilia d'Austria e D. Isa-
bol eondessa de Frenberg, duqueza Gyaz ;
D. Maria de Yasconcellos e Souza, marquez
de Rezende, visconde d'Almeida, baroneza
C. Stengel; W. Primislo Sperling, Luiza
(Vermerstein, baroneza Roza Aretin, a eon-
dessa Carolina Sandizoll, Mn. Jannor, de
Bourdi; Mine. Huspon, de >Iaucomble,
irma de su,a querida Fanny, Mmo. Tbcrcza
de Cerini, de Milau e h.aroneza Fanny de
Starmfedcr.
di-
Deixa s sociedades das casas de asylo da
infancia desvalida de Lisboa 3:0003>000 ;
ao asylo dos orphaos da Ajuda, 1:000*000
s casas de asylo de infancia desvalida do
Coimbra, Vianna de Castalio, Evora, Elvas,
Villa Beal, Barreiro, e Campo Grande
500)000 ; a cada urna; a asylo da
mendieidad de Lisboa 500JJ000 ; ao da
Villa da Praia 400J5000 ; associaco
consoladora dos afllictos 1:5009000; as-
sociaco protectora das mulheres pobres
5009000 ; ao hospital de Runa 2:0009000 ;
aos pobres invlidos de Santos-o-Velho
1.0009000 ; ao convento de Santa There-
za, em Carnide, Madre de' Deus, Santo Ar-
berto, Francezinhas, Sacramento e Flamen-
gas de Alcntara 509000 a cada um ; ao
hospital da Misericordia do Funchal, aos
asylos de infancia, e dos orphaos do chole-
ra, da raesma cidade, 1009000 a cada um ;
recolhimento dos
, ao convento das Mercs,
rada dos fundos existentes na Baviera, em e no caso imprevisto de impossibilidado do I orphaos, do Bom Jess,'hospital dos La-
de Ficalho, para esmolas que sua magestade
d;va par intervenco d'est senhorar,
50O5.0O0. Deixa grande numero de pe-
queas pensoes e logados a pessoas pobres.
O codicillo altera algumas, poucas, disposi-
(;0es das cimas indicadas. Sua magostad-
mandou continuar at Unal complemen-
to a educacao dos orphaos que tutelava.
Ao Dr. Barral, seu medico assistente ficam,
aliin da penso, por urna vez 500 libras, e
ao-Dr. Teixeira 100 libras. Ao visconde de
Aluokla, alem da penso, 1:000 libras por
urna ve/ e 11111,1 quaiitia samelhaste aseu hlbo.
De xa ao sacbristao da sua capella 509001
animaos; niaiid pagar a educacao completa
doSr. PedroBerquO; de quatro filhos do
Sr. visconde da Qberruada, por gratido
memoria doconde de Farrobo, e slilhas di-
um trintanario; e de- um veterano. Manda
comprarnos- Prazore um terreno para enterrar
OS padres la/aristas epmIb da caridade^
Mais pensoes annuasft-a: D. Anua Ban-
do.ra, deixa-llw 1009009; madame Fcliit
Uanswirtb, viu*a, HSfttOM ; madame Fr:m-
eisi-a Romana SMioreyer Bremeu), 1029000;
lounna Maria, vkiva Silvestre, 89OO0 ; Ma-
ria Any Metzeuer, 5790O0 ;. Francisca Ro-
mana Bree, 579600'; Mari* ifo Sacramento.
349560; Thereza de Jess Mara, 28T800:
Maria-duFiiearnacOi 3-^700*; at>jardmeiro
Jos da-Bocha, I159S00; Mara Gortrudes
da Coi'c. iivi.j, para seu sobrinbo Alfredo
Jos Cabretro u sua -brinlia Carolifu Rosa,
86940O.
A' Sra.. eondessa de Rio Maior deixa o seu-
boiiquet ('.idianaiitesI.ornado,de-15* peras
de perola. Pedo raiaba da Suecia que a
qualquer pessoa da sua familia > nao mencio-
ia la em taatonnto ou eodicilloposterior,llie
il qual(|uer joia de veior; meucroua 33
pessoas para tfcuberein cada umariima joia.
Entre estas nVuram suas magestades- o> iui-
perador o im[)ertriz do Pni/il, sua- naages-
tadea senliora >D. Maria Va, el-rei Dr-Lute,
o Sr. infante D. Augusto) el-rei D.-Fe-"
11,.Mil,., infanta IV. Isabel Maria, viseando de-
Almetda, marrpi/a de Cautagallo, Dr.-Br-
ral^tnkoda vatneilral do- funchal, etc.,.
ficando a este i/ftbno 1:000^060 par gastar
em ebirjis de madeira na cathedral, sem-in-
tervenco do governu.
Ao- Sr. marques de RezenA-fica a pernio
animal de i:20W5O0. Na* pons/ies- aas
criados-tlistinguc c de 20, I5v 10, 5 e-me-
nos, a: mw, deixaiMlo* aos primeiros aanuab
mcuie O'ordenado por iuteiro. as segundes
dous tanjos, aos terceiros moieyaos qnaatos
um ter^o, e dous snnos de ordBoado aos-de
do menos servii;o. Ein 183'in*pprta*aesta
encargo em ^2:501^7(10 annuaes.
As peeras que pesa va m sobos a horanca
do principe Eugenio e da imperatriz I6se-
phina, e que sua magestade- avocara .si,
niontavaatem 18et, a 2:UU0itb>rins. Ton
estas disposQoes e'*vam-se a 17,318-^ flo-
rins.
A' ca-'godos filhes-e netos-do imperador
D. Pedio i deixa este penerai nnoran t -.i
insirquea. do Cantagallo, 0OOW00; a D.
Maria A. Gomes da.Silva, 30*4*000 ai Mr.
P. Sporlog, 720-^tX; ao liF.A. Barral,
7*20-7000 ;;ao Dr. Moaoel C Teiieira,,,...
:300-T00;:a D Maria do Carmo Xavier;Lei-
te, 270POO0 ; a Di Henriquel Louraieo Si-
mas, AOOgOOO. l'twem ser pagas pcJe ren-
dimonto-dc 134:0(. da interna brasilei.-i.
, A', cargo da rai.*ba, mai,.da Suecia o do>
filhos de.seu fallcsado irnv o duqie Maxi-
miliano,, e do sua irm a caodessa do Leuch-
temberg ficam is. soguintes pensoes. an-
n uaes-:
xAo>visconde da-Almeita 1:6009;- tJfUe
l.uA!.(,T.-!iiei>i.tiii:, O1 llorins: : 1). ("ar.j-
lina Stengel, 2:04)0 lorin* do imperio; a Al.
Maria de Dolhcfcn, :ti*n florins.; a. Anna
Dreyler, 300; a,Thcodolinda katt, 93 a viu-
va ianner,.80i,;: aopuufessor Kanstemana,
600; a Solfranck,. 100; a Cecilia Stahe,
3C-0; a Henrique Jansen, 622 ; a Francisca
Romana Zunner, 400; a Jorjina Jansen,
600 ; a Francisca Sthreyr e sua lilha, 93 ;
;> Francisca Romana Augusturn, 700 ; aClo-
Lildo de liaron, 700 ; a David Rawelt,
033 ; aos pobres da com mu no de Stem^. Ba-
viera, cujos. nomos serao dados por Otto de
Munich, por a testadora as ter esquecido,
48 florins.;. a Carolina Lefeubure e sua filha,
500 ; a viuva llanstetter,. 72 ; a Mme, The-
reza Spanbcrgo, 160; aj. Schmio\. 120; a
X.avior Uacekl, 30 ; a Mme. Salom Siller,
120.
Parece que a fortuna de sua magestade a
imperatriz viuva, asrendia a 7K000:00-rO00.
fortes.
O legado'de 258*000*000,. moeda fraca,
que a imperatriz deixou aos filhos do priraei-
ro matrimonio do imperador, tom de ser di-
vidido igualmente pelo imperador do Brasil,
pelas princezas I), .lanuaria e D. Francisca e
pelos filhos da Sra. D. Maria II. Cabera
perianto a el-rei D. Luiz, ao infante D. Au-
gusto, e s infantas IK Maria Anua e D. Ma-
ria Antonia 8:6209000 a cada um, moeda
forte o cm ttulos do divida publica brasilei-
ra. Este legado do 258:000*000 ainda
captivo das pensoes animaos a quo j hon-
tom nos referimos.
Sua magestado a imperatriz deixou dispoe-'
to em testamento que fosso el-rei D. Luiz
quem so oncarregasse do funeral, pedindo-
Ihe que nao sefizessem as solemnidades que
se costumam celebrar no pago, em conse-
quencia do que foram estas dispensadas.
Estes sao os apontamentos dispersos por
diversos jornaes qoe tenho vista.
0 Ilustre acadomico o Sr. marque de Re-
zende, foi encarregado de escrever o epita-
phio para o caixo de sua S. M. Imperial.
Ei-lo: *
DEO PTIMO MXIMO
CONDUNTUR. BIC.
MORTALITATIS EXUV1AE. AUGUSTISS1MAE.
AMELIAE LEUCHTENBERGENS1S.
PRINCIPIS. EUGENII FILIAR. IMHORTALI
PETRO. PRIMO. BRASILIAE.
IMPERATORI QUARTO UT, ,
REG. PORTUGALIAE. desposatae. et.
1NS1GNIS FIDE. ?PE.
ET. CHARITATE. NATAE. MUNICH.
PRIDIE. CALENDAS. JULII.
ANUO. DOM1NI MILLESIMO. OCT1NGENTESIMO.
DCIMO. SECUNDO.
OBIIT DIEM OMNIUM. FLETO. SPTIMO.
IDIBUS. JANUARII
ANNO. DOMIM. MILLESIMO.
CCTIN'GENTESIMO. SEPTIGENTESIMO. TERT10.
SIT. ILLAE. TERRA. LEVIS
_________________Continuar-ae-ha._
T"iT DO DIARIO RA DUQUE DE CAUAA
)
*




j
m


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ERAQ06DT1_71L005 INGEST_TIME 2013-09-19T23:22:35Z PACKAGE AA00011611_12840
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES