Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12824


This item is only available as the following downloads:


Full Text
s
* V
{


AMO XLIX. NUMERO 24
i CHJ );f.
PARA A CAPITAL E Ll CARES ONDE N&O SE PAGA POBTE. '
Por tres irires adiantados ................ 63>000
Por seis ditos dem.................. l#000
Por um anno dem.................. 249000
Cada numero avulso '................... t J20 ,
. i
i.li '
0UNTA- FEUtA 30 DE JANEIRO DE 1873.
PARA REXTRO E FRA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados................. 61750
Por seis ditos drtn................... 13JS00
Por nove ditos dem ..."............... 20J250
Por ura auno ideni. ..'....,.,.......... 87*000
PROPRIEDADE DE MANDEL VI
T*-
V

DE FARIA & FILH0S.
n-----r-n
INiuti I
. i
Marduliao; Joactuim Jos de Olveir <& Flto', no^ear nos da Silva, na Paralaba ; Antonio Jos Gomes, na Vilia'j fejnha; IWtarmino ds Santos Bulco, era Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, em Vazaretli;
' I -*U.' 'Hl 1 '.I I i
Os Sis. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para; Gonr-alves Pinto, no
Pereira d'Almeida, em Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Paranyb
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Franciiuo Tavares.da Costa, ein dbgtytf; Al ve 'c>, na Bahia; e Leite, Cerquioho & C. no Rio ;de Janeiro.

'lUi \

3T
.........:'
i"'
PARTE OfflCIAL
llmistcriu do Imperio.
ii de Janeiro em 14 de aneiro de 1873.Ilhn.
r Ex&fe Sr. Cun tilirio d! 30 di? novembro do
anno lindo, submelteu a antecessor de V. Exc.
ideravo do governo imperial .os papis relati-
vos a elei'.o a que se procedeu, em 7 de setembro
1 n, na parochia de S. Jos do Horleaeio, para
vereadores do municipio dj S. Leopoldo, e Jaitas
de paz da dila parochia. Yerilicaudo-se do exame
d.i~ tetas i|ue, alm da precipita'.) com (jue se fez
i eieieao. as tres cliainadas dos votante i se oftec-
tuarara no da 7, dndose por concluido lod o
processo eleitoral no dia 8. declarada nulla a dita
'ici, a vista das disposi.oes dosntrts. 48 e 49
>U M u. 387 d t de airoso de 1846, 63 das ins-
truCfOflH de 3 de dezembro de 1863 e avisos de 41
do novembro de 1868. 30 te dezembro de 1869 o
, outro*. .Nao constituindo cata parochia, entretan-
to, ajnaioria do municipio, se deve proceder a nova
eWraa Mmenle para |uizes Je paz. Deus guarde
. V. Exc.Joo Alfredo Crrela de (Hiveira.Sr.
presidente da provincia do Rio Grande do Sat
Ministerio dos negocios do imperio.Rio de Ja-
mara em 13 de janeiro de 187J.lilni. e Exm. Sr
Com nfliciu do 21 de dezeuibi o lindo, sitbuietteu V.
Exc considoni'.u du governo iiniterial as artas
e mab papis relativos a elei.ao de vereadores a
jimvj de paz a t|ue se procedan em 7 u> setembro
.. amo, nis puMjuas di municipio de Cantegallo.
1>j tjite expdii V. Exc., e consta do exame feilo
Das respectivas actas, corrern) regularmente as
eieifON da todas a* parochi is do dito municipio,
con^. excep'.ao das do Ganan, onde foram recehidas
222 cdulas para voreadore* e 281 para juizes de
paz, verificndose nesta eleieao o excesso de .'ill
que Ihe altera o resultado, visto que apenas de
-.tos a difieren;.;! entre o l. votado e o 4 sup-
pleatt : paranlo declarada nulla a elei'.o feita
u parochia do Carnio, em vista da dtut'rina dos
avisos do 11 do abril de 1864, 17 de novembro de
I1M8 e 8 de Janeiro de 1809. Compre, pois, que
ira expedidas as ordena neeessariai para que
ni lita parochia se proceda i nova elei.ao gmen-
te de juizes de paz Subsist-ido as eleiries feilas
as demnis paroehias, deve a cmara municipal,
na apura.a que tem de fazer, sommar o< votos
das 7t cdulas para vereadores que Corara tomados
ein separado, per torean sido receidas sera rotulo,
a. parochia das Ditas Berra, fisto n o ser a falla
< Manwalj e deverem ueste cao aproveitar aos
eidadios a quem foram dados. Deus guarde a V.
Ex.JMo Alfreda Corran di O/wro.Sr. pre-
sideatte da provincia do Rio de Janeiro.
Ministerio dos negocios do imperio. -Rio de Ja-
oeiro em lo de Janeiro de 1873. -Ilhn. 0 Kxm. Sr.
Poi presente ao goremo imperial o ollicio de V.
Esc. de 2 do correte mez, acompanhailo dos pa
peis relativos a eleicio de vereadores e juizes de
paz a (ue se pn.ve.leu na freguezia d; Sant'Anna
da villa do Pirabv, Constido das respectivas
actas que se preripitaram os trabalhos cleitoraes.
nfv> .sendo possivel que em urn s dia. 8 de setem-
bro, se eifectuassein, observa.las as formalidades
d.. IeJ, a 3.' chamada dos votantes, contageni e ein-
1 amento das cdulas, redacefio e lanramento
da acta especial, com os nomes dos que faltaram
i apnraptode 1,174 cdulas; aecrescendo a cir-
eu. istancia de declarar a acia da S.' chamada dos
rotantes eda aporarao dos votos que os trabalhos
se co'iclui'am s seis e meia toras da tard; do dia
8, izando de urna jnstifieaco a que se procedeu
no juizo municipal se provoo que nesse dia a igre-
ja -e fechou das duas para as tres horas da tarde,
retirando-se nesta hora, sem que oais voltassem,
o j tiz de paz e >s msanos; declaradi nulla a
H .. 0 feita na freguezia de Sant'Anna da villa do
Piraliy, de accordo com a d- ulrina dos avisos ns.
ti de 20 de marco de 1859, 181 de 26 de feverei-
>> de 1870 a oulros. O que conitnunico a V. Exc.
para que expeca ordam alini de se proceder na
la freguezia eleieSo de; juizes de paz nniea-
mente, visto nao constituir n os seas votantes a
autora do municipio. Deus guarde >a V. Exc.
Joilo Alfredo Crrelo it Olveira.Sr. presidente
da provincia do Rio de Jane: o.
Ministerio lujiiwtiVa
;< uno x. 1,093 Di 11 d: jaxeiho DE 1873.
i' i por bein saneciouar o mandar que se exe-
cute a resolueio segoiate d;i assembla geral le-
gislativa :
Art 1" Os reneimentos dos secretarios das rela-
:')':da Babia, Pernambueo e Haranbtoso ele-
vi i >s a 2:40'JiOO, sendo l:l>O0jlJOO de ordenado
e 3) ))3'J de gratiiica;o.
Art. 2." Da mesma serte lio elevados os venci-
i),.Tilos do secretario da rea-ao da corte a......
3:60DiO0, sendo 2:4003000 de ordenado e 1:2003
de gratilicaeao.
Art. 3. Os veneimentos dos continuos das re-
lafSes do Imperio sao igualados aos dos continaos
do- respectivos tribuaaes do commerek).
Art. 4.' Hevogatn-se as SisposipSes em contra-
ria.
0 Dr. Manoel Antonio Duarte-de Azevedo, do
meu conselho, ministro e secreUaT de estado dos
ne.wios da justi.a, assim o tmlia entendido e fa;a
execntar.
Palacio do Rio de Janeiro, em 11 de Janeiro de
1473. 52." da independencia t do imperio. -Manoel
i ni mi i Ovarle de Azevedo.
fj'ianc.'laria-miir do imperio-.Com a rubrica
de kta Magostada o Imperador.Manoel Antonio
Duarle de Azevedo.Transitou em 14 do Janeiro
do 1873.Andr Augusto de Padua Fleury.
Rio de Janeiro, era 14Jde Janeiro de 1873.lllm.
e Kxm. Sr. Levoi ao conhecimento de S M. o Im-
(rador o offlcio de V. Exc. n. 160 de 22 de no-
vembro do anuo prximo lindo, cora a copia do
qne Ihe dirigir o adjunto do promotor publico da
eo il trea de Haroim, no termo do Rozario, consul-
ta! ido se poda, como procurador dos jjueixosos,
aceitar o patrocinio de causas crimes. meramente
particulares.
E o inesmo augusto senho.- manda approvar a
decisJo proferida negativamente por V. Exc. visti
serem tacs funci;ionarios substitutos e auxiliares
do-, promotores pblicos, aos quaes incumbe assis-
tir, como parle integrante do jury, a todos os jul-
ganientos inclusive aquelles em que baja aecusa-
dor particular, e dizer de fado e de direito sobre o
processo em julgameuto, na conformidade do art.
20 s !. do decreto n. 4,824 de 22 de novembro de
1871.
Deus guarde a V. Exc Manoel Antonio Daarte
de A zevedo.Sr. presidente da provincia de Ser-
jppft.
Ministerio da agricultura.
Rio de Janeiro, em 16 de Janeiro de 1873.-
lllni. e Exm. S,".No intuito de prevenir os con-
flictos de compe.enca que polessem appareeer en-
c poderes geraes e provinriass sobre a c?nces-
to de privilegios ou celebracio de contratos para
aconstruccio de'estradas (fe ferro, resolveu S.
M. o Imperador ouvir as serooes reunidas dos ne-
gocios do imperio e Justina do conselho de estado,
acerca das questoes propostas nos quesitos cons-
tantes de, consulta que por copia remetto a V. Exc.
E'Uodo-sc conformado o nwsmo augusto senhor,
per soa immediata resolueio de II do corrente
^^^Rom o partcer da mamria dos membros das
IHjbs soccoej, houve por bem determinar que
em quanto o poder [legislativo nao" decretar o con-
trjrio, se observen! as regras segunie's:
I.* Os poderes provineiaes sao competentes para
a concessao de vias frreas dentro das respectivas
provincias, sal vo ha vendo com a mesma .recejo
hall via frrea penencente admnistraco geral
'do estado, ou j estabelecida ou inciada pelo go-
verno geral. 2.' Os poderes provineiaes nao po-
dein contratar o prolongamento de taes estradas
sem que tenlnm obtido a necessaria permissao do
governo geral e expressa declaraflo de uao pre-
tender exeeatar o tuestno prolongamento. 3." No
caso de realisarcm os iwderes provineiaes pelos re-
cursos dos cofres das provincias o prolongan! :nto
de taes estradas, o governo-geral peder uesapro-
pria-las por utlidade publica, guando quizer uo-
I inga-las aletr. da provincia. 4." Compete aos Tu-
deres provineiaes dar concessoes para rainaes
convergentes a taes estradas de ferro, urna vez que
gio sejara files subvencionados pelo estado. 5."
Nao |)odc o governo geral.sem approvacao do poder
legislativo, conceder a crea;ao e orguisacao ou
incorpora^ao de sociedade anonymas para a cons
truc.o de estradas que sirvam a niais de urna
proviucia, de conformidade com o que iBspoe o art.
2. da lei de 22 de agosto de 1800. 6." Pode, po-
lom, o governo geral conceder a creacio eorga-
nisaeao ou incorpora-ao de sociedades 'anonymas
para a coiislruceao de estradas de ferro no iute-
rior de ama provincia, ou sejam ellas provineiaes,
concedidas pelos poderes provineiaes, uu geraes,
concedidas pelo inesmo governo geral, lima
vez que taes estradas nao tenhaui as garan-
tas a que se refere o art. 2. da lei de 26 de junho
de 1852. 7. O governo geral s pode conceder
estradas de ferro geraes nu interior das provincias
miando forem exclusivamente destinada ao ser-
vico da administrado geral do estado ou de inte-
res.-c comniuui deste e das provincias, e. tenham
por um ligar o5 graudes centros de popularlo aos
pintos martimos, e possara sel* cousiderad como
grandes arterias do inovimentocoinmercial da pro-
vincia. A respeito destas estradas coiumuns,
a competencia do poder gerale provincial cumu-
lativa e se resol ve pela iniciativa e pela presta-
cao de fundos. 8." Os ramaes que ligara pontos
do provincias diversas, sao considerados como es
iradas geraes c competem ao governo geral, e sao
dependentes do corpo legislativo geral se forem
exeeatados por meio de associacoes anonymas.
Eslabelecidas as normas que -convera observar
no interese reciproco do estado e das provincias,
que devele marchar sempre dj accordo etn as
sumpto de tanta importancia, como o de que se
trata, porquanto as estradas de ferro, alem de eu-
tenderera com o a fortuna publica e particular,
constituem urna das mais urgentes necessidades do
|iaiz, reeoininendando a V. Exc. o fiel eumpri-
uiento da mencionada rosoluc.io imperial, pela qual
iiam definidos os casos em que compete aos pode-
res geraes e provineiaes a-constrticco de taes es-
tradas e attendiJos os interesses do estado ellas
provincias por forma que longe de se prejtoic-
reffl, se auxiliarlo mutuamente.
Deus guarde a V. ExcfVant 'ayo i/o Reg Bar-
ro* liurreto.-Sr. presidente da provincia de,.,
llinwtcrio la Mnrhilia.
^ Rio de Janeiro, 13 de Janeiro de 1873.Illm e
Exm. Sr. Sendo improcedente* as razoes apo-
sentadas thesousaria de fazenda dessa |rowin-
cia pelo eommandante da companhia de aprend-
zes mariuiteiri.'S sobre a aboli'.-ao das revistas de
ni istia, determinadas pelo art. 34 do decreto n.
I,*il7 (te i de Janeiro de 18oi, declaro a V. Exc,
era resposia ao ollicio n. 33 de 8 de outubro ul-
timo, (pie as ditas revistas devem continuar a ter
lugar para cumplimento do artigo citado, o qual
adiase em inteiro vigor. Deas guarde a V. Exc.
J'i'iquim De!fino Hodrigue.i da Luz. Sr. presi-
dente da provincia da 'arahyba.
Rio de Janeiro, 4 de Janeiro de 1873. Nao sa-
tisfazendo aescripturavo do peculio dos aprend-
es artfices dos arsenaes de marinha do Imperio
as justas exigencias da liscalisai.ao; e convindo
torna-la mais consentanea com os legtimos inte-
resses dos mesmos aprendixea, pela prompta ver-
ficarao do deposito das quantias descontadas ;
determino que dora em diante, com reiaclo a
este servieo, sejam observadas as seguintes pro-
videncias :
1". Serio mencionados as folhas de pagamento
os descontos a (ue se retere o art. 43 do decreto
n. 2,61o de 21 dejulho de 1860, considerando 13
Como unidade e desprezando as traceoes (modelo
n. 1).
2*. A pagadora na marinha da corte e as the-
louraras as provincias entregaro o total desees
decontos ao oflicial de fazenda mediante a com-
petente carga em livro proprio a vista de re-
qusif des (modelo n. 2).
3'. O ofncial de fazenda apresentar mensal-
nieute contadoria na corte e s thesuurarias as
provincias urna nota com as seguinies indicaeoes :
I. Nome do aprendiz contribuinte.
II. Numero da caderneta.
II.I Ajimportancia da contribuicao.
Esta nota, depois de conferida com a folha de
p .gamenio, ser pela pagadora restituida ao ofli-
cial de fazenda na occaiao de satsfazer as requi-
lifdes, e servir nao s de documento para des^
carga do mesmo offlcial com o certificado do cora-
mandante sobro o destino das quantias inscriptas,
mas anda de contraprova aos lancamentos feitos
as cadernetas (modelo n. 3).
4*. Nos assentamentos dos aprendizes se inscre-
ver o numero da caderneta que Ibes perteucer e
as quantias meusalmente descontadas para for-
mai/o do peculio.
o'. Ha\>:r um livro deinonstrativo do inov-
mento det dmheiro, e por elle prestar contas o
offlcial de fazenda (modelo n. 4).
6'. As cadernetas e o dinheiro, emquanto nao
Bverem o destino legal, serio recolbidos no cofre
da companhia sob a resnonsabilidade do eomman-
dante c do offlcial de fazenda.
7'. Por ocjasio dos inventarios annuaes a con-
tadoria da marinha proceder conferencia das
cadernetas com as notas dos descoutos, coinmuni-
ea lili i secretaria de estado o que occorrer.
O que a V. S. communco para os devidos effel-
tos. Deus guarde a V. S.Jonquim Del fino Ri-
beii o da Luz. Sr. inspector interino do arsenal
de marinha da corte.
i \ eruo da provincia.
DESPACHOS HV PRESIDEXCIA DE 28 DE JANEIRO DE
1873.
Antonio Vicente do Nascimento Fetoza. Re-
raettido ao Sr. in spector da thesouraria de fazen-
da para mandar pagar ao supplicante.
Capillo Adriano da Silva Faria. Ao Sr. coro-
nel eommandante superior da guarda nacional do
municipio da capital, para deferir ao supplicante
como entender conveniente ejde justica.
0 mesmo. D"-se nao havendo inconveniente.
Tenente-coronel Alexandre Augusto de Frias Vil-
lar.Forne;a-se.
Celestino Diogenes Paes d'Albuquerqne.Passe
portara concedendo licenca pedida sem venei-
mentos.
Francisco de Paula Albuquerque Maranhao.
Informe o Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Guilherme Emygdio da Silva.Aguarde o sup-
plicante a decisao do governo imperial.
Joo dos Santos Silva.-Deferido com offlcio des-
ta data ao Sr. inspector da thesouraria de fa-
zenda.
Joaquim Clemente de Lomos Duarte. Inde-
lerido.
Juviniano trinen Paes Brrelo. Informe o Sr.
coronel eommandante superior da guarda nacio-
nal do municipio da Escada, ouyiado i comioaat
dantos lefloctivo e interino do batalho n .23, da
mesma guarda nacional.
Jos Ignacio d'AvUa. Satisf.ica o supplicante a
exigencia da thesouraria de fazenda.
Joaqnim Praeira. -Informe o Sr. Dr. juiz de di-
reito da comarca de Cimbres, providenciando logo
de modo a ser qsupplicante julgado.
Tenente Jos Gomes de Moraes.Informe o Sr.
coronel cominandante superior da guarda nacio-
nal do Cabo.
Jos Antonio dos Santos. Concejo quinte
dias.
Jorge Vctor Perreira Lopes Jnior. -Informe o
Sr. coronel couiuiondaute superior da guarda na-
cional do municipio do Recife.
Modesto do Reg Raptista e oulto. Encarai-
nhe-se.
Manoel Alves Guerra. -A proposla do suppli-
cante em vista da inforraaco do engenlieiro che-
fe das obras geraes, tao exorbitante, que nao
podo ser lo nada era consideraco um s ins-
tante.
Manoel d'Oliveira Lins. -Informe o Sr coronel
eommandante superior da guarda nacional do
Cabo.
Manoel Ferreira Rabello. -Siu, pagos os direitos
nacionaes.
Manoel Dionysio Gomes do Reg.Informe o Si
coronel coramandante superior da guarda nacio-
nal de Oliuda.
Thomaz de Carvalho Soares Brando Sobri-
nbo. Informe o Sr. inspector da thesouraria pro-
vincial. ,
Wlsou Row & C. Como requeren), obser-
vados os regulamentos da.satide e polica do
porto.
OTERIOB."'
rio ii; Jt\i:in
16 DE JAXKIIlo DK 1873.
Na cmara dos deputados, bontoiu logo dopos
da leitura do expediente, o Sr. Menczes Prado fun-
damentou o seguintc requeriinent cuja disciissao
licou adiada por ter pedido a palavra o Sr. Lean-
dro Bezcrra :
Pequeiro que o governo, por intermedio da
presidencia da provincia de Sergipe, informe
ipiantos individuos foram, depois da ultima elei-
ao, recrutados naqnella proviucia, e principal-
mente no termo da lina do Ouro.
Entrando-se na ordem do dia, a cmara appro
vou a emenda substitutiva offerecida pelo Sr. Dio
go Velho eia 31 de dezerabro ao orcamento, na
parte relativa despeza do ministerio da marinha.
Approvou depois, era urna s discussao, sera
debate, o projoeto que autorisa o governo a con-
ceder ao chele de soc;ao da thesouraria de fazen-
da do Maranhao, Luiz Carlos Pereira de ('astro,
um anno de licen.a, com seus veneimentos, para
tratar do sua sado onde Ihe convicr.
Approvou em seguida, eui i" discussao, depois
dealgumas observares dos Srs. Martinho Campos
e Cardoso de Menczes, o projecto que autorisa o
governo a despender desde j a quantia de. .
3:6705 para cumprimento da lei u. l.T.'j de 13
de outubro de 1869.
Approvou tambera, sem debate, varias redjP
fes sobre augmento de sold a militares, matri-
cula do cstudantes c veneimentos dos empregados
do thesouro, thesourarias de fazenda, recobedo-
rias c caixa da amortisa.ao.
Occupou-se depois com a Ia discussao do pro-
jecto creando mais seis remedes no imperio, de-
pois de algumas observaees, o Sr. Campos de
MeJeiros olfereceu o seguinte requerimento :
Requeiroque o projecto, sera prejuzo da i'
discussao, yolte s commisses reunidas de justica
civil e criminal, alim de que o reconsidere em vis-
ta do projecto por mira olferecido em sessao de 7
do corrente, e d com urgencia o seu parecer.
Depois de algumas observaees dos Srs. Marti-
nho ampos e ministro da justica, foram appro-
vados o projecto e o requerimento.
Em ultimo lugar entrou em discussao o or.-a-
mento para o oxereicio de 1872 a 1873 na parte
relativa ao ministerio da justica. Oraram os ?rs.
Duque-Estrada Teixeira e Costa Pereira, icando a
discussao adiada pela hora.
Foi offerecida a seguinte emenda :
c Art. 3.* O ministro e secretario de estado dos
negocios da justica autorisado a despender com
os objectos designados nos seguintes paragraphos
a quantia de 4,781:9743854.
A saber :
l. Secretaria de estado 163:0903000
2. Supremo tribunal de justi;a 165:7423000
3. Relacoos 452:5863000
4.' Tnbunaes de comiuercio 68:0003000
3.' Justicaj de 1* instancia 2,007:538390,1
6." Despeza secreta da polica 120:0003000
7." Pessoal e material da polica 330:7803750
8." Guarda nacional 140:0003000
9.' Condcelo, sustento e curativo
dos presos 101:8743000
10. Eventuaes 2:000*000
11. Corpo militar de polica 420:0003000
1 i. Guarda urbana 359:1403750
13. Caca de correccao da corte 183:490303J
14. Obras 50:0003000
15. Classifiearao e consolidaco de
leis 15:7333)24
a Sala das commisses era... de Janeiro de 1873.
Cunha Fiyueiredo.Henrioues.Jouo Mendet.
ti. Grava.-Souza Ledo. iogo Velho. RaiM
Leao.Pereira Franco, i
Foi creado, por decreto n. 5,106 de 11 do cor-
rente, um lugar de juiz municipal e de orphaos
em cada um dos termos de Cabo Verde Sote La-
goas, na provincia de Minas-Geraes.
Por decreto n. 5,194 de 11 do corrente foi mar-
cado o ordenado animal ac 8003 a cada um dos
Sromotores pblicos das comarcas de Santa Maria
lagdalena e de S. Joao da Barra, na provincia do
Rio de Janeiro.
Por decreto n. 5,193 de 11 do corronte, foram
declaradas de 2* entrancia as comarcas de Santa
Mara Magdalena e de S. Joao da Barra, creadas
na provincia do Rio de Janeiro.
Por decreto n. 5,193 da mesma data, foram ele-
vadas 2' entrancia as comarcas de Aquiraz, Ba-
turit e Granja, na provincia do Ceari.
Fcou subsistindo, pelo mesmo decreto, a clas-
sificacao das outras comarcas da referida provin-
cia a saber-: a da capital de 3' entrancia, as de
Aracaty, Ico, S. Bernardo das Russas e Sobral de
2', e as de Acarac, Crato, Imperatriz, Inharauus,
Ip, Jardira, Quixeramobim e Saboeiro, de 1."
No dia 14 a exposico foi visitada por 326 pos-
seas de dia e 450 noite, ao todo 776.
Desde o dia 1" as visitas foram 6,404 de dia e
12,818 noite, ao todo 19,222 visitantes, produzin-
do urna receita de 6:0503400.
Foi houiera experimentada urna lancha a vapor
construida nonosso arsenal de marraba e destina-
da ao servieo da repartilo de construccao naval
do mesmo arsjnal.
O casoo raede 52 pos entre as perpendiculares,
10 ps de bocea e 1/2 pos de calado, de novo
systema do constructor brasileiro Trajaao Augus-
to de Carvalho. A marliiu, de forca de 15 caval-
los nounaes, fotleka segn A* risco do ongeuhero
de machinas Paes de Andxad-; auxiliada por uiui
caldeKi tubular cylimlrica coa a pressao de 80
lihraijmr p.*lhtgada juadr.id, deu ella a laucha
ufl Jtalocidado de 10 3/4 miihas por hora.
Ei* como o Monitor Computa narra o assassi-
nato, que iiiictimos hontem, do infeliz fazendeiro
Jlo Aafonio Barroso do Siqueira :
No da 9 do crcente, das 3 para as 4 horas
da tarde, estn4o o Sr. Jos Antonio Barroso de
Siqueira a jantar, na sua fazenda da Boianga, na
freguezia de Sanio Antonio dos Guarnidos, era
roinpaiihh de ma stmliora, dous lilhos menores e
do Sr. Joo Francisco Ferreira Braga, da senhora
deste, c do erapregado dosta typographia o >r.
Luiz Jos de Azevedo Coda, as mucamas que ser-
viammefta, observando que alguns escrav se
aproximauM da casa cora Kns sinslros, ueram
grito de alarma, proveaindo a seu senhor que o
queralo matar. Feito isto tentsram impedir o
passo aos loalvados, que eram os seus parceiros
Antonio (pagora do onliaiv;a I) Agostinho, Lyroe
Amaro : purera estes, i uva, lindo a sala, dous pela
porta da cozuha, dous saltando (k>i urna das ja-
tuillas, avanparam arnad-isde lacas, fouces elan-
fas, contra oiadeftao e desacautelado senhor. Es-
te aterrado cam tao iuesperaia violencia, correu
a esconder-sa na copa, seguiudo-o a esposa e es
tinnios, mu o oscravo Amonio, tirando-. para
fira e dando-lh- urna foucada, ntregou-o sauha
brutal dos companhoirus dizeudo-lhes com o
niaiur cyuismo -sangrein-n'o Incontinente os
sceleradosmpod-sraui-se da victima, desfechando-
IIk! Agosnijx)s m:s desapieJados golpes.
* A ufolt*eahora, sempre abracada a seu ma-
rido e decndeiwlo-o com o seu coipo, supplicava
aos assassin >s, dehulhada em lagrimas, para que
nao o raatassetn I Ellos, no entanto, surdos s
suas v.izes, s o deixaram miando cadver.
Consumado o attentado e veudo-se a sos,
porque as jiessoas que estavara present ) haviam
saliido em diversas direccoes, aram ao escriptorio
da-victima, arrumbaran! a secretaria, rasgarara os
papis e dinlieiro irae encontiaram, quebraram os
movis, assonnorearain-sc de duas espingardas,
revolwers, polvarinhos, espoletas e chuinbeiros, e
dando vivas de alegra segurara para a adega, be-
beram vinlio, quebraram garrafas, sempre assa-
nhados e torozes t Antes, por a, de irem para
a adega, Amaro procurou a pobre seuhira, para
tambera assassioa-la, mas esta em um quarto
achava-se sob a protocrae de ura fiel escravo de
nome Rento, que buseava trauqitillisa-la. Amaro
invo.-tio contra liento e feri-o gravemente com
una fouce, e este, apezar do feriraento (jue rece-
bra, ropellio-o com urna faca, conseguindo de
tender e livrar sua senhora. Era quanto estavam
os facuoras na adega, lenlo, auxiliado por uraou-
t o escravo lambeta iiel, de nome l>omingos, con-
duziram sua senltora para urna senzala, onde a
couservararaelheservramde guarda at a ret-
rada dos assminos.
A pos o vaAalisni praliearto un casa, sahiraoi
os malvados para o terreiro. e ah aggrediram o
Sr."* (jue felizmenteescapou mirle por ser
lac por outros escravos, rerebendo, p>>rrn.
ter ...'iiu,s de faca nos bracos. Seguiram depois
.procura de um campeiro da fazeuda, para tain-
bVm assassina-lo, pois que este os havia denun-
ciado dias antes ao senhor, pelo furto e ni ule de
urna novilha. e nao o encontrando, por se ter re]
tirado ao saber da desorden! ua casa. I iinaraiii
calumbo da cidade.
Acontece, porm, que o Sr. bario de Itabapoa-
na, tio e vizinho do infeliz Siqueira. avisado lo-
go dessa desgraca, dirigio-se fazenda deste em
companhia do Sr. capitn Epiphanio Franco de
Miranda, de Jos Pinto Porto, Francisco Nunes Ma-
chad) Continuo e seus pageos Manuel dos Res e
Porfirio, encontrando no caminho os malvados,
dous dos quacs abrgaram-se na malta e dona sa-
hiram estrada Machado, Porto e os dons pageos
quizeram agarrar os dous, mas tararan Jo-se una
lula sanguinolenta entre Cyro, Machado e os pa>
Sens, os dous outros sahrara da ina'.ta, desfechan-
o Agostinho ura tiro queima roupa em Macha-
do que suecumbio instantneamente, recebendo o
pagem Porfirio facadas nos bracos e peito, e Ma-
noel dos Res um tiro era una peina, e Jos Pin-
to Porto urna facada no peito es(|nerdo. O Sr.
bario e capital] Epiphanio felizmente escaparas*
de qualquer aggressao.
a Depois deste nova carnificina, vinhain os mal-
vados para a cidade, quando foram margem do
rio encontrados pelo Sr. delegado da polica tenen-
te-coronel Costa, que, avsalo ante-honlem pela
madrugada pelo subdelegado do lugar, dirigia-se
para o theatro do conllcto. acompanhado de urna
consideravel forca policial. Neuhuraa resistencia
fizeram os criminosos, entregaram as armas e dei-
xaram-se conduzir prisao, onde j foram inter-
rogados e confessaran os deudos cora o maior cy-
nismo e rancor. J se fizeram os respectivos cor-
pos de delicto.
t Dos ferilos que sobreviveram acharase, se-
gundo nos informara, era circumstancias muit
graves e Jal ves perecam, o Sr Pinto Porto e o fiel
Bento.
Consta-nos que a viuva do infeliz Sr. Siqueira-|
pretende alforriar os escravos Bento e Domingos,
em justa recompensa de sua fidelidade.
construir e costear urna estrada de ferro entre Au-
darahy Pequeo e o alto da Boa-Vista, na Ti-
juca.
Oocupou-sc em ultimo lugar com a 2' discus-
na parle relativa ao ministerio da Justina. Ora-
ranios Srs. ministro respectivo, Ignacio Marti ns,
tluulia Ferreira e Silveira Martins,. ficando a ds-
cussita adiada pela hora.
O Sr. ministro da fazenda leu a seguinte pro-
no-ta :
Augustos e dignissimos Srs.
da uaiao.De ord
curapriinenlo do
temliro de 1862, venha apresentar-vos a proposta
para a approva ao d;is despezas autorisadas pelo
goeruo no iutcrvallo da sessio da assemb|a e-
ral por meio de trausporte de sobras de unas pa-
ra outras verbas e de crditos supplementares o
extra irdinarios nos exercicios de 1871 a 1872
e 1872 a 1873. em que vgorou a le n. 1,836 de
27 de setembro de 1870, ampliada ao prmieiro se-
mestre do segundo dos referidos
virtude dj decreto n. 2,035 de 23
1871.
As tabellas c documentos annexos demons
tram a sua necessdade
Art. 1. Ficaiu approvados os decretos ns.
\.M*, 3,124, 5.141, 5,ti7, 5.18. 3,155 e 5,166 de
26 de jiuiho, 30 do outubro, 9, 21 e 27 de novem-
bro ltimos e 11 do corrente, pelos quaes, em
cumprimento dos art\ 13 da lei n. 1.177 de 9 de
setembro de 1802 e 40 da lei n. t.507 de 26 de
setembro de 1867, foram transportadas de unas
para outras verbas da lei n. 1,836 de,27 de setem
bro de 1870, no exercicio de
cussao, o projecto que declara ter direito D. Ann
Rita Brossane, lilha do coronel reformado da ex-
tracta 2' linha Antonio Bressane Lefte terelra, a
monte-pio que competa sua rali, e metadedo
mesmo da data do fallecimento de seu pai era
diante.'
Approvou mais em urna s discussao o projecto
que autorisa o governo a conceder ao juiz de di-
reito provedor de eapellas e residuos da comarca
do Recife, Dr. Manoel Clementino Carneiro da Cu-
nba, um anno de Keenca com seus veneimentos.
dignissiinos Srs. representantes para tratar de sua sade na Europa.
**A* 1,l'J!,',(1r-1e em foi otrerecida a seguinte emenda pelo Sr. Por-
?* -_. y": 9dt' sf: ttl|:l 'l'M tambera foi approvada :
Fica o governo autorisado a conceder ao des-
euibargador da relacao de Pernambueo, Jos Pe-
reira da Costa Motta um anno de licenca com seti-
veiicimen'os, para tratar de sua sade onde Ihe-
convier.
Conlinuou era ultimo logar a 2* discussao do
orcamento para o exercicio ilc 1872 a 1863, n i
parte relativa despeza do ministerio da jastial
exercicios, era Or.uam os Srs. Gusmio Lobo, l)m|ue-Estrada Tei-
l' xeira e Pinto Lima, tirando a discussao adiada
pela hora.
--. v.
Os empregados da contadoria de marinha, que-
rendo dar urna demonstraeio de res|>eito e esti-
ma ao Sr. cortselheiro Manoel Antonio Duarte V
Azevedo, ex-minstro da marinha, collocarain an-
le-hontein, na sala de recepi;ao do respectivo con-
tador, o relalo do mesmo conselhiro ao lado dos
do> Srs. Alfonso Celso e barao de Coteg'pe.
Foram nesga uoeaeUo proferidos discursos pelos
Srs. contador Moraes Tavares. Pimenta de Laei
sobras olveira, Travassos e outros.
na ini|K)rtancia do 7.109:4193695. constante da ta-
bella A. Sua Magestade o Imperador acompanhado d
Art. 2- Alera da despeza votada na referida sull< semanarios visitou hontem a exiwsi.-ao, onde
le, e aberto ao governo no exercicio de 18/1- ^ ,i(.innr01, jas 9 horasJa maiih.1 at 1 hora da
1872 um crdito extraordinario de 4,293:0103121, ,.iraei ,en(]rj imx.ltnih ,udas M saIa:i.
.jue sera ,1,;,"b",d.t. l)eloi "'"rtenos e verbas ra- Aproveitando a honrosa visita alguns exposito-
1 res presentes deram explicaces e nformaces so-
Arrebatado pelo curae, o italiano Luigi Perra-
Di, morador ra da Ajuda n. 64, tentn hontem
s 3 horas da tarde contra a vida de sua nuilher.
Antonielta Coni, que se acha grvida. Armndo-
se cora una bayoneta Ferrari descarregou-lhe tres
golpes pouco profundos, mas que tem alguma gra-
vidade em consequencia do estado em que se acha
Antonietla
Ferrari foi preso e confessou o crime, de que
se mostrara arrepentido.
Compareceram no lugar do delicto os Srs. Dr.
chefe de polica, 2* delegado, subdelegado Macedo
Ferrao e lente Faria, eommandante da estacan
do districto.
Antonielta, tendo recebido dos Drs. MeJeiros
Gomes e Saturnino Soares de Meirelle os primei-
ros socorros, foi em seguida enviada para a San-
ta Casa de Misericordia.
-18 -
A cmara dos deputados appravou hontem o pa-
recer da 2* coramisso de inquerito sobre as elei-
foes de Silveiras e Sap, pertenceutes ao 2 dis-
tricto da provincia d S. Paulo.
Appprovou em seguida, depois"de algumas ob-
servaees dos Srs. Pereira da Silva, Ignacio Mar-
tins o Campos de Medeiros, o projecto relativo, ao
subsidio animal dos deputados e senadores.
Approvou depois em 3* discussao o projecto que
autorisa o governo a mandar contar o lempo de
servieo do escrevente do natrao-mr do arsenal de
marinha Carlos Jos dos Sanios Borges desde o
dia 20 de setembro de 1851.
Approvou. anda, era uraa s discussao, cem va-
ri.ts'emendas o projecto que autorisa o governo a
mandar admiltr a exame do i" anno do curso me-
dico da faculdade de medicina do Rio de Janeiro o
alumno dr corso de pharmacia Joaquim Serra de
Oliveira.
Approvou tambem, era 2* discussao igualmen-
te com algumas emendas, o projecto que autorisa
o governo a conceder companhia da estrada de
ferro Macah e Campos isenejo de direitos de im-
portaflo para o material necessario ao seu.sen'i-
co que reoeber da Europa.
Approvou anda, em 3* discussao, o projecto que
concede a Fslix Emilio Tauoay, a pernsso de
Art. 3." E' igualmente aberto ao governo pa-
ra o 1 semestre do corrente* exercicio de 1872 a
1873, o crdito extraordinario de 9,62l:035|659,
o qual se di tribuir pelos ministerios c verbas
mencionadas na tabella C.
Art. 4." As despezas provenientes destes aug-
mentos de crditos sern pagas pelos raeos vota-
dos na referida lei.
Art. 3.* Ficam revogadas as disposh.es em
contrario.
t Rio de Janeiro, em 16 de Janeiro de 1873.
Visconde d? Rio Bronco.
Por portaras de 15 do corren e. foram noniea-
dus :
Jos Orosimbro de Olveira Jacques. para o lu-
gar de 2o ofiical da secretaria da intendencia da
guerra, e o amanuense do arsenal de guerra da
corte, Jos Maria das ('.hagas Fernandes.de Brito,
para o de amanuense da mesma secretaria
Joaquim Jos de, Souza Guimaraes para o lugar
de poriero da reprtifjto das obras militare- da
corle.
Por decreto n. 5,197 de II do corrente foram
feitas diversas altoraeoes ne regnlamento n 4.679
de 17 de Janeiro de 1871, determinando-se o se-
guinte :
I* Que saja elevado a 17 anuos de idade o
mximo do 15 filado no art. 2 S l, para a aJ-
inissao matricula no extrnalo da escola do uia-
rinha.
2. Que sejam dispensados do exame prelemi-
nar a que refero-so o s 5* do mesme art. 2 s-
mente os candidatos que apresenlareiu aitesta lo-
da instruc.ao publica ou de estabelecimeutos de
ensino superior u i imperio.
3. Que para o ensino e exame sejam classifica-
das do seguinte modo as materias do curso, de
que trata o jj Io do art. 10 :
1." Mailieraaticas e desenlio linear.
' 2. Geographia e historia.
3.* Grainmalica (rtugueza, fraucez e..inglez.
V.' Que as materias cima indicadas sejam lec-
cionadas separadamente pelos dous professores Jo
extrnalo e por um dos adjuntos, ficando nesse
sentido alteradas as disposices dos arte. 22 e 30,
seai que, todava, seja elevado oiiumero de adjun-
tos actualmente em exercicio.
5:* Que deUilbado o servieo escolstico, como
fica determinado, em suas faltas e impedimentos
os professores e adjuntos reciprocamente se subs-
tituam, por designacao do director, do extrnalo, e
de modo que nao se" suspenda o ensino en qual-
quer das aulas.
6. Que as funeces de secretario sejam exerci-
das por um amanuense da escola de marinha, nao
obslaute o disposlo no art. 18 do regularaeuto do
extrnalo.
7.* Que de accordo com b que fica disposlo, se-
ja alterado o horario estabelecido no art. 5* do
regulamciito citado.
' Por decreto n. 2,092 de 11 do corrente foi saoe-
conada e mandada execular a resolueao da as-
sembla geral legislativa que elevuu os veneimen-
tos dos secretarios das relacoos da Baha, Per-
nambueo e Maranhao a 2:4003, sendo l:(i>) de
ordenado e 8 03 dt gratilicaeao ; os veneimentos
do secretario da reUcao da corte a 3:6003, seudo
2:4003 de ordenado e 1:2003 de gratificaste ; e
igualou os veneimentos dos continuos das relaces
do imperio aos dos continuos dos respectivos tri-
bunaes de comiuercio.
No dia 13 a exposicAo foi visitada por 83 pes-
soas de dia e 307 noute ; ao lodo 39.
Desde o dia 1" as visitas foram 6,487 de dia e
13,123 noute ; ao todo 19,612 visitantes, produ-
zndo uraa receita de 6:245 34 ".O.
Do Rio da Prata entrou o paquete ftancez Gi-
ronde. Temos folhas de Buenos-Ayres at 11 do
corrente.
As noticias do interior da repblica referem
que na provincia de Tucuman foram sangrentas
as eie.es, teHdo havdo numero consideravel de
morios e mides ; e que em Eutre-Rios contimia-
vam os assassinatos polticos.
Os te'egrammas do Pacifico vm carregados de
atrocidade.
Em Nova-Granada rebentou urna revolueao ca-
pitaneada pelo hispo do Parl contra o presidente
general Mosquera.
Em Guayaquil preparava-se tambem uraa re-
voluto que eslava eminente contra Garca Mo-
reno.
No Per houve vasta conspiraco. Minado o
palacio da presidencia, introduziram debaixo delle
barris de plvora e torpedos, cuja exploso foi tao
terrivel que alera do palacio voaram rauitas ca-
sas circumvisin'nas. O presidente Pardo foi assas-
sinado.
Dizeni que no intuito de fazer desapparecer al-
guns papis relativos a ura contrato de guano uraa
casa oommercial organisara a poder de dinheiro
esta conspiraco, fugindo depois os culpados.
Arada da Bolivia se anuuucia outra revoluc io
encaiiecada por Quevodo, apezar dos seus protes-
tos deadh&>o ao governo de Fras.
18
A cmara dos deputados approvou hontem era
una s discussao, com varias emendas, o projecto
que approva a pensao de 603 mensaes concedida
raen ir Gertrudes, lilha legitima do capitao de
voluntarios da patria Luiz Gomes Ribeiro d'Avel-
lar Werneck.
Approvou em seguida, tambe* em' (una. s dis-
Lie os seus trabalhos.
No dia 16 a exposico foi visitada por 49 pes-
soas de dia e 111 noute ; ao todo 160."**-
Desde o dia l as visitas foram 6,536 de dia e
13,236 a noute ; ao todo 19,772 visitantes, produ-
zindo una receita de 6:403340'.
19
Por portaras de 17 do corronte, foram Hornea-
dos :
Avelino Pereira da Cunh.i, para amanuense d-
hospita! militar da provincia d j Pernambueo, era
lugar do alferes Chrispuiianu Buarquc de Macedo,
que j nao exerce aquelle cargo.
O major graduado do corpo de estadn-maior d-
artilharia Ernesto Augusto da Camba Mallos, pan
servir na coinmissao de iielhoraiuentos do mate-
rial do exercito, durante o impedimento do briga-
dero graduado Ricardo Jos (lomes Jardim.
O lente Joao da Silva Torres, para recrutadoi
na provincia do Rio de Janeiro.
.Jiojiu 1" : oxjjosicTw foi visitada p,ftr.76 pes-
soas de du e 263 nonte ; ao todo SSft-
Desde odia tus visitas foram 6,612 de "da >
13,499 noute ; ao todo 80,111 visitantes, produ-
zindo urna receita de 6:5743900.
20
Pelo ministerio da guerra expedio se orJem pa-
ra ser dissolvida a dvIsSo de observaejio organi- *
sada no Rio Grande do Sul, regre sando a seu.
antigos (piarteis os corpos que a companham,
alim de ser dispensada a guarda nacional desta-
cada.
No Algrete es'abelecer-se-ha um rarapodema-
nobra', onde urna brigada de dous corb.?^".
exerctar as evolucoes de suas respectivas ar-
mas, devendo aqoelvs corpos ser subsiituidos por
outros de seis em seis mezes.
No dia 18 a exp'si.o foi visitada por 268 pes-
s as de dia 0 732 noute; ao todo 1,000.
Desde o dia Io as visit 18 lorain 6,880 de dia, e
14,231 noute, ao toda 21,til vistenles, produ
lindo tuna receita de 6:7743900.
-21
Do Rio da Prata temos folhas at 13 do cor-
rente pelo paquete inglez Royne, da linha de Sou-
thamplon.
Nada referem de interesso poltico rclalivamenU^
s duas repblicas platinas. A assembla geral
de senadores e deputados do estado oriental esta-
va convocada para 13 de fevereiro.
Os ltimos telegrammas do Pacifico reduzen
a menores proporcoos a> anteriores noticias da.*
revolu-'oes naquelles estados.
A Bolivia, dizern elles agora, eslava tranquilla e
os partidos preparavam-se para a lua em terreno
legal, sendo candidatos Adolpho Bollivan, Queved--
e Corral.
Em Lima nao chegou a haver revolueao, frus-
Irando-se a conspira.-ao que foi opportunamente
descoberta por denuncia. Continua va o processo
dos presos que haviam conspirado para assassi
nar o presidente, desmenlindo-se assim implicita-
mente a noticia da mor; deste.
O governo do Chile decreten urna exposico
universal para o anno de 1875.
Formou-se urna grande associacSo para lavra
das minas de carvo em Magalhies.
No dia 19 a expsito foi visitada por 1,006
pessoas de dia e 2,323 a noute; ao todo 3,329.
Desde o dia as visitas foram 7,886 de dia
16,554 noute: ao todo 24,440visitantes, produ-
zindo urna receita de 7:4403700.
- 22
A cmara dos deputados aecupou-se houteui
em primeiro lugar cora a elei^o da mesa que
tem de funecionar durante o mez, a qual ficou
assim constituida ..presidente, o Sr. Jeronyrao
Jos Teixeira Jnior; vico-presidentes, os Sr.
Innocencio Marques de Araujo Ges, Antonio Jos
Henriques e Joaquim Pires Machado Portella; e
secretaria, os Srs. Joaquim Jos de Campos di
Costa de Medeiros e Albuquerque, Joaqnim Lopes
Chaves, Martinho de Fre tas Veira de ilello e Luiz
Eugenio lio na Barbosa.
Em seguida o Sr. SveiraHariins fundamento
o seguinte requerimento:
Requeiro que se peca ao governo informacoes
das medidas que loraou para prevenir as epide-
mias que nesta quadra do anno e desenvolveui
na cidade do Rio de Janeiro, e principalmente da*
que loraou para obstar os progressos da epidemia
(jue devasta a cidade.
Depois de orarem os Srs. ministro do Imperio.
Ferreira Vianna e Duque-Eslrada Teixeira, o Sr.
Silveira Martins pedio para retirar o seu requeri-
mento.
Nao havendo, porem, numero para votar-se ficou
a discussao encerrada.
Por despacho de 18 do corrente, foram exo-
nerados :
Do cargo de t vce-presidenle da provine A
Piauhy o bacharel Manoel Jos Espinla Jnior,
por ter transferido para outra provincia a sua re-
sidencia, .
Do'de secretario do governo. da provincia u>
Santa Catharina, a seu pedido, o bacharel^Pedn
de Athayde Lobo Moscoso Jnior.
Foram Horneados:
Vi ce-presidente da provincia do Piauhy, os te-
nentes-coroneis Odorico Brasilina albuqaerquo
Rosa e Augusto da Cunb Castello-Branoe, o pri-
meiro para servir em primeiro lugar e o segunda-
em quarto.



c

1
n I II
!. ..




"-.
*
i
[j QJf4fi|)i4e Pernambuco QijU feira 30 de Janeiro de 1873*. i 4)H'AJ.U
Societario la
i) tobare) ledi
Jnior.
Mdicos effecii^
ro Antonio Flix )ftifin& e Drs. Jos Ribeiro de
Soma Fontes, Antfmwwibriol do Panto Fonseea a
"Rehel|, 'cOnsul drt
ttmsollteir Francisco
ESI
rio cen
dWmenifcJor Francisco

Antonio Teixeira'At^SAa
Ordem da Roza. Grao- tuz, o conde do Rio-
Maior.
Digattarioj. Man
ttrasil na cidade 1
Manuel de Mendon
Pinto Bcssa.
Commendador, Antoivo Attgu>iu do Agni-lr.
ente de chimicn >h anla porytrehm-a e direr-
tor do instituto .wyrial de bi-b < iodos sul-
ditos le sua ms.gcj|i|e liddissima.
OiBciaes. t>feacHar*fl AtpstilM de Carvallo
Dias Li a, dC*-ov!iia di Haba, eiu alteo-. V>
o* relevante*"!wvicos>w('ta(los ww* ordeu*
fiublica; o hachare! Jos Antonio ('.me* Xclto,
pdos relevantes s.-rviro-s que lera prestado ao es-
tado ; Joo Evangelista b Ara jo Macedo, da
provincia do Rio de Janeiro, era attenrio aos
WJatM Yr'C"1 prf"al"j can* tuvbli
-a e em relac.m guorra centra o governo d) Pa-
raguay.
i^avaHoiros. -Dmaso An unes de Lima, da pro-
vincia d> Santa Caltaarroa. pelos relmales ser-
vicios prestados em relacao guerra da Pa-
raguay.
Antonio Manoel da Fonseea, professor de dese-
nlia os principes de Portugd e subdito de sua ma-
gMftrfe ti (etissima. .
Forain concedidas :
As Honras de conejo da rathe-lr.il da ilo-'
de linda, ao padre Manoel Jos Martas Alves de
Carvalho, e da de S. Paulo, ao padre Bcnjaniiin de
de Toledo e Mello.
As seguimos., pensos : le tidj mensaes a I).
Mara Luna, da Suva, viuva do capit m do volun-
tara! da patria Fellcio Jos da Silva, tallecido em
cMisequencia le leriinento recelado em enlbalo;
ile 36 hteasaes a D. Joseplia Varia de Sant'Anna,
mai do atieres do voluntarios da patria Manoel
Patemiano Gantes, morto era combate ; de igual
luantia a M. Manuela Soares de Olivira, mai lo
alfares de coaiuiissao Jote Jerayme Palmera,
tallecido i-ni e< insipiencia de feriuient > recelado
. om combate ; do II >t mensaes ao capitn reforma-
da do exercito Francisco Antonio .Carneiro da Cu-
aba, nv-il.dado en 000K |ueuci;i de erimeiitos
receldiis e:n ronbate ; de 4IJO r#. diarios ao 2" ca-
dete do extineto 28corno dt voluntarios da patria,
Joaquim da Fonseea illa Nova, invalidado em
consequPncia de feriment recebido em QOadWtB :
de igual qnamia ao moldado reformado do exercito
Jos Ignacio dos Sanios, que se aclia impossibili-
tado do procurar os nicles lo subsistencia, em
jionsequencia da molestia adquirida em 6*-
panha.
Foi nataralisado o subdito, hespanhol Ag pito
Paradis Garca.
Por decretos le 18 do corrento foram no-
nn-ados :
Inspector em conunissaQ da thesouraria de San-
ta Ca'hariiia o t' escripturario da du S. Paulo, Joan
Rodrigues da Funseca llosa.
Dito dit i da tliesourari;. do Kspirito-Santo, o
chafo de neeeiQ da niesina thesouraria Torquati)
Laatane Smoes, Brando seui elleito o decreto que
momearapara igual conuaissio na de Santa Ca-
tharina.
Por decretos de ltf do torrante :
l'orain transferidoj para n eorp) do estado-
.iiuior de 2' elasse, na eonforiaidade das dispisi-
rtJes do art. da lei n. 1,971 de S de Rgoeto de
1871, o ten.mte graduado do ."I" Ji.itallii) de ar-
tharia a pi', Guillierme de Barros e Vascucellos
e otenente do 1* rerinunte de oavaliaria ligeira,
iMuardo Roberto de lruc.'.
Foi transforillo pira ai" i*4a*so do exercito, nt
iMufnrmida le da imaiediati ainii>erial resolucV)
de JUde jullio de i8;o. lomada mine consulta do
ramalb i supremo militar, o alferos do V" reg-
ment de eavaliaria ligeira, Manoel da Silva lia -no
Vilho.
Foi perdoada Si 2o cad.'I.Mlo !) balallno de in
.ufara Claudi Barb >sa de (Hiveira. a pena de
seis mezoj il pristo que I lie foi rapista p r sen-
ttrica d> eonseilio supremo militar de jasti.a !
H de dosembro do auno prximo passaoo.
''or p iriari i de lt do corrate toi nomeado
-i engenheiro (:islavo do lle o Macudo para liseal
di compaahiad carris de Ierro denominada Villa
Isabel
Pnrootra de igual data foi tamben Horneado o
eagmheiro (Gamillo de Leil s e Silva Jnior para
cargo idetico na denominada Santa Tneresa, Bea-
ta corta
Por oatra la niesma data, eonceden-se a Mieo-
iid JosTaveira a exoiieracao que pedio do lugar
de agrimensor ao servi.-o da comrai-sao enearre-
gada de fiscalisar os trabalhos de eonstracca da
estrada d; ferro do Madeira o Mamar; bem
e mi i d! medi;jo e de nansa;o de trras de olu-
tas nas margen* do Madeira, para o qual foi no-
meado por portara de i do correte.
Esererein-Boj de Valeu.-a em data d H d ii
. lis* :
t O Sr. coronel Manoel Jaehtbo Carneiro Xo-
. i (ira da Sami conead u liberJado sua eswa-
v.i AugusCi. rioula, idade 37 anuos.
O Sr. teiieiiie-eoioael Francisco Nicolao Car-
miro Nogui-ira da Gama e suamalbertambem de-
um liberdade suaescrava Vernica, parda, idade
I 32 anuos.
As respectivas caria* de liberdade foram re-
g tradas no eartorio do Sr. J"s;' Francisco 1 ; Arau-
! Silva.
No dia 21) a exposi.ao foi visitada por 391 p"s_
- ..i< de dia c 02) noute, a' todo 1.020.
Desde o dia 1 as visitas laram 8,277 de dia, e
7,183 nonti!, ao lodo 25,460 visitanic-, produ-
/.'ndo ama recoita do 7:981 s"- 0.
foi franqueada a ntrala gratuita aos aprendi-
t.'' das fabricas de aifaiate Pao Amuar, ede
.uros de 8. Joo t ffttheroky.
- 2.1 -
Por decretos de 18 do corrente foram rem -
. < idos os juues de direito :
Racha re Salvador Pires de Canraluo c Allm-
j lerque, do cargo de ebefe do polica da provin-
cia da ParabyiKi, para igual cargo na provincia do
Paran.
Bacharel Francisco Leile da Costa Belm, da C0-
marca di Piranga, de 2 entrancia, para a do Rio
las Mortes, de 3", ambas na provincia de Mina--
>raes.
Bacnarel Jos Antonio Alves do Brilo, da comar-
ca do Praia, de I" entrancia, para a de Piranga, de
2-, ambas na mesOM provincia.
Bacharel Jos Mara do Valle, da comarca de
Vasa Benhora da Grafa, do l* entrancia, ni pro-
vincia de Santa Gatbarina, para a de Santa Maria
Magdalena, de 2- ua provincia do llio de Janeiro
Foi dispensado, a pedido, o juiz de direito Er
ii:>t Julio B;md:ira de Mello, do .cargo de ebefe
! 14) ilieia da provincia do Paran,
Foi designada a eomarca de S. Joo do Principe
de primeira eafaneia, na provincia do llio de Ja-
-..;ro, para QsBa ter exreicio o juiz de direito
i'rnesto Julio Bandeira de Helio.
Foram nomeados :
i i juiz de direito Antonio (]etqtteira Lima, para
rm lugar de desembargador da relajo da Rabia.
O juiz o direito Jos Aitaiio de Mendonaa,
(ara o cargo de ebefe de polica da provincia da
l'wahyba.
O bacharel Ernesto Auguuto Pereira, jai- de di-
rato da comarca de Nossa Senhora da (-...a, na
provincia de Santa Catnariia.
Obacliarel El.iardoJ.js-: di.Maura, juiz de di-
reito da comarca de Jaguar/, na proviucia de Mi-
nas Ceraes.
i bacharel Petpne llibaiio dea Santos.Caour-
go, juiz de diroiio da comarca do Prata, na mearan
{H'ovineia.
O bacharel Luiz Gonziga Pereira .da Fonceca,
juil municipal e de orplidos d termo de Dores do
(iitUi, na ntesma pro vi un a.
O bacharelChrispimJic.il es Das Fortes, jui*
Municipal e de orphos do termo de B irbaeaa,
-iia mesma provincia.
O bacharel Folippo Gabrirt ds Castro Vasconcel-
lu, juiz municipal e de orplios do termo de Seto
l.ajpoaa, ni ni -s i-a-provincia
Foi reeonduzido o bachirel Jos Antonio -de
Araujo Pilgueiras no lagar de 9 juiz substituto da
/'>rte.
Foram nomeados para a guarda nacional:
-O major Antonio Luiz dj araujo Maciel, tenente
<>ronel coinniandante do bataihao de infantaria a.
* da provmeia de Sergpe.
O alferos Jeremas ua Rocha Nogueira, capito
ecretario gcr.il do iHimmaado su[ierior d>s muai-
ipios de' Am o annexos, na provincia do Rio
Orando d i Norte.
Oalferes Trinjuilino da Silva AntnneP, capitn
iartel-me-trp Ai ih-ihbo c. nmaado san ri >r
Fardan N -tu i a d Luee.ia, capito ciruiKto-
r du mes to enmrnan>Jo
4 eanjMi Maano *ugfls!o Gomes- do Ca^dTO,
; yor ajodante ileordens do coniinandi) Piipedor
O capito Joo 'Rabello Mendos, ra'ajor ajulilito
de ordens do commando superior ilos municipios
de r.urup e Porto le Moz, da .mesina provincia.
O tenente Jos miarte Rodrigues Sonto, capito
quartcl-racstre do mesino conuuando superior.
fttrm coneedfilas :
A'PWocisco Xavier Carneiro Lias, major aj
d me de orens do commando superior da cap
le rtemamliueo, passagetn liara a reserva, lican
agragado ao haalhao do tneamo aarvico.
Foram a pedido rofaraad. :
\afonio Itaynniiilo.Cavalcanti:. capito do
lalliaon. 20 da provincia lo Cear, lio posto
major. f
do Anlonlo da Costa, tenen'.e-c^ronel
sado.
Cdailwnilaiile n>laWP*i de infinitarla n. 4*,-da4 cscNfoo
provincia do Para, no mesmo posto le tenente-co-
ronel.
Fez se merc da srvenla.' vitalicia fos ^W^
para pie foram provisoriamente nomeados pelos
re*peciiws prosdMn>s :
A Candido Gonvalves do Olivira, dos de l" ta-
bellio e cscrivo de orphos, auzentes, capellas e
residuos do termo de Itamb, na provincia de Per-
aainbuco.
Ao major non >rario Justino Rodrigues da Sil-
veii a, los de cscrivo de orpliVis c annexps do
lermo lo Rio formoso, na mesma provincia.
Pez-se tambem merc a HaMJtM Agostinlio dos
Malos Lopes, da serventa vitalicia do lugar de
oilleial do registro geral das hvpothoaas do termo
da capital da provincia do P^ra.
>assiiaii, n.i da > do a':z Unjo, sea sanh
Jan FtflTein "ila Suva, segiu e.u-lirec_
provincia do ft^iaz. 'Ooquerra ao juiz municipal
carta precatoria geral para a captura d dito par-
Eta carta
ic os paroi
m ao eiii*..
vincia I
n o panl
i tad"ia ile
lerq
FelTeira
Bierren
iraca, Barros Cobra, E^trii|fari-a4{Mi|Ui1| ofotteOi
s Santos, Frelas llenriques. Maraes lte-
i Ges, Pereira FrWW'warliulio de
oraos Silva, Isilbino da Uipilia, Agesi
do Alba pierquo o Mirandar. Osario ; c'
os Sis. Pereira da Silva, Daqlle-Estiada
xeira, Florencio de Abren, Slrveir Martins,
Brusque, Menezes Pralo, Pauiino de Souza, Bcli-
achava refugiado em una casa sita ra do Impe-
rador, foi M9PMM| i^aviiAssjjsBiandt knvt
lirode pisMa. I) asnino Xa dia 11 do corrente, foi assassmdo o fcuor
Ro dia 21 a exposico foi visitada por 176 pes-
soas de lia e WM aonle ; ao iodo 88i.
Desde o dia 1- as visitas foram MN de da e
17.8'il noute; ao Mdu %6,Wt visitantes, produ-
zino urna receita de 8:I27">00.
DIARIO DE PESNaMBUCO
UKCIFK, 30 Di: JANEIRO DE 1873.
VntM'iax do ul il naprlo>.
Anianhecia-aai bonteni em nos*) porto os vapo-
res nglez Bmjne o brasileiro Mnwlnh, trazendo
latas: do Rio da Prata l-">, do Rio-Orande do Sul
12. le S. Paulo 17, do Rio de Janeiro 23, da Ba
lii i 27, de Sergipc 19 e las Alagi'ias 28 do cr-
rente.
Alni do i pie damos sob as rubricas Parle Offi-
ide fnttrioi; encontramos nos jornaesmas o que
fCgliC
MO-C.RAXDF. do srx.
Procedera-se no'dia H i eleico d>s membros
la assemiila provincial, e era i sabido na capi-
tal o resultado dos collegins do Rio Orandc, Pelo-
tas, Jag.uaro, Piratiny e Cangussii do 8 distncto,
nos quaes obtiveram votos os seguirrtes Srs.:
Dr. Henrique Francisi-o d'Avila 121, r. Satur-
nino Epamnondas de Amida 121, Dr. Jos'Fran-
cisco Diana 118, Dr. Joaquin Viera da Cunlia
118. Dr. Alfonso AiVes 117, D>. Timolheo Pereira
,1a H.sa II', Dr. Antonio E. de Camargo 117, co-
ronel Antonio Caetano Pereira 116, Dr. Candida
Lopes de Olivira 118, Dr. Francisco Antones Ma-
ri.;! lio, r. Antonio A. Ribas 113, Dr. Francisco
Kanes de Miranda 113, Dr. Menandro Fontes 113,
Dr. Antonio Soares da Silva 112, Silvestre (i. N.
V>;ra lio.
Dcu-se no dia 6 utn conflicto entre guardas
naeionaes e praias da policia, de (tuc resultaram
aignns feriineutos. Pripalara-se o boato de que
eslava so preparando entro maior entre estas pro-
cas e as do destacameojo da guarda nacional, epm i
r niseqocncia do primeiro.
Foram descobortO os autores do roubo de
.;;e I8ra vieliai i o actor Motta, sendo cllcs os mes-
mu- que ha 'i mezes punco niais ou menos arroin-
ii.aam un pen) dia a casa da Sra. D. Flora Ma-
chado, roubando-lhc a qnantia de 2:0W00O c al-
gamas joias de otiro c brilhantes.
Acham-*ej presas e inconimunicaveis, o ciiou-
l.i Saturno, ama parda, escrava de D. Luciana
Vieira o parti Fabiano, escravo do Sr. Marcos
Porciuncula. Ja est em poder do Sr. subdelega lo
de policia a quautia de 107 0 parte las joias de
onro ebrilhautes, perteneentes a u. Flora, ajne, se-
gn lo a confissao da parda, achavam-se em poder
de uuipreto velbo, que reside na chcara do fallj-
cWo Antonio Gom.alves.
Noticia o Diario do Rio-franiU :
0 Sr. Amaro de Barros encontrou na prafa
Tamandar o crenlo Felicio, escravo do Sr. loa-
quii Jos de Assunip.iio. que ha 15 dias niais ou
ulanos assassinon o capataz da xarqueada do sad
si'idior. O Sr. Barros que condeca esse crioulo,
, o: nioii um guanta nacional e um policia, o fez
a narrar e recolher cadeia. Ha dias que esse
crioulo era visto nesta sidade empregadocomosor-
vente le pedreiro, e dizia-se forro.
Durante o auno de 1872 foi este o movimen-
lo do porto do Rio-Crande : enlraram 6i8 navios.
sendo 70 a vapor e 578 vela, e sabiram 631,
sendo ii7 a vapor e oGi vela
Falleceram-se: no Rio Grande o guarda da al-
tandega David Antonio de Lima, em Pilotas lla-
phacl l'ernandes Braga e na pavearan de S. Lou-
ren.o Domingos Jos Borges.
L-se n: Commercial de 9 :
Aiite-hontem, noite, em una taverna sita
ra Viiitc e Quatro de Maio, esquina do largo do
Quartel. Manoel Rufino de Paria assassinou a Joo
dos Santos, dando-llie tres facadas. Ambos estes
infelizes, j- velhos, foram pra;as do exercito.
O assassiuo, que nao foi preso em flagrante,
resenlou-se volantariaraente nacadeia, denuu-
eiaudo o crirac que havia commettido.
t luformam-nos que este assassinato foi eonse-
querieia de una prolongada provoeaeae, tendo o
delinqiieiile receido urna bofetada. Foi nina tre-
miMida represaba. O delegado de policia compa-
recen no lugar em pie se leu o crinie e mandn
proceder a auto de corpo de doiieta
L-S6 no Artista :
'. Sucetinibio vctima de um triste desastre o
innocente Luiz, llio do Sr. Osear Lino.
E-uva elle no dia 6, s 11.horas da manha,
era um piarlo endose preparava um banlio, ten-
do apenas sido deitada a agua fervendo; em pian
lo urna criada foi buscar agua fra, debrucando-se
essa crian/a beira da banheira, perdeu.o equili
bro e cabio dentro, qnrimando se.
AcudJram imuiediataniei-te o = mdicos, mas
foram impotentes os recursos empregados.
Refere o Commercial do Rto Grande :
* Naufragan na praia de Mustardas, a 30 le-
guas da villa de S. Jos do Norte, no lagar deno-
minado S. Simao. o palhabote brasileiro Deus te
ijf>-iU. capital Francisco Goncalves Seixas, pro
cedente de Pernambuco, carregado de as c. nsgnado aos Srs. Antonio Japome Vllac.a f
O naufragio leve lugar 1 hora da madrugada
de >>.- A clirga quo conduz para Pelotas e' Porto
Alegre Consta-nos que o Sr. inspector da alfan
lega o os Srs. Villa.a & C. j providenciaran!
para ser arrecadado o carregamento. O Sr. Jos
Perreira da Silva Motta, socio da firma Villaca &
C, -'guio bontcm para o lugar do snistro. .
Dizem as folhas do Rio Grande pie o vapor
allemao Sanios, ao fazer no dia 5 una experien-
cia nc> porto de S. Jos do Norte, solfrra avaria
n'ttma pe a que perlencc ao hlice. Impossibili-
tado, por isso, do contar com a machina, ia fazer
a vagcni vela, at este porto, de onde, depois
do preciso coiverto, seguir para a Europa.
Da fregueza de Santa Anna de Ceblas es-
creveni ao Parahybauo :
t Os continuados dias de sol niuito teem preju
dicado s plantacoes de milho, cmnmaquad-a,
que de mais chuva ni>cessitavani ollas.Di caf
nada mais ha a esperar : a eolheita est inteira-
mente perdida.
Realisra-se no dia 8 a inaugnraci do ser-
v,. da empreza dos cante de ferro do Rio Grao
de. A linlia aberta ao trafogo foi a_"do Menino
Dtus. medindo 1,355 bracas de extensao.
S. PAULO.
'la'.iam chegado a Santos 130 colonos, manda-
dos-vir, segundo consta va, por canta da asgocia-
(ao t'in.rvjtoru da Colonisaio. Dizia-se quo rum-
ias criuicas haviam chegado doentes em conse-
quencia d longa viagem que fizeram.
Chegaram tambom a Campias,-no dia 1?, doze
familias do eolonos allemSes, ao do fli pnesoas,
com destino fazenda do Pao d'Alho, do commen-
dador Manoel Carlos Aranha.
-Escreveram de Iguap s folhas da eapital :
O calor aqni tem chegado nma intensidado
poner commum ; reria-se muito que appare;a
a varila, porquanto em anima ella grassa, tendo
j tullecido algnmas pe^soas. A 4 ehegou ao por-
to da colonia um vapor por conta do governo, cen-
duzindo colonos para a denominada rol aiia Pedro
II. Alguns desembarcaram em bra;o e falleeeram
pfo depois, ciji consejuencia de aeharem-se
doentes de varila Dizta se, porm, muilo pu-
ridade, que estes colonos eetvam affectados do
fehre amarella.
Naquella enmarca ha faite du meios, e-a
muilo que nao se vaccin'am as crianjas, per falta
de fz vaeeico. Ha wn aane dewm-se omt-J
da faeetida do iSr. Tliood-iro Ijee-
municipio. r.oasiMi-uosq^9iWisivi> d.vmajHiaj
fazenda vcrain a|PObutac flp o liad*, dinfl-sai
implicados no rrimc.
A 9 do rorrente, pte da inanbaVfra
(amagado i>or um wagn, que recuava para entrar
no desvio, ao lado da est*;J61*!,<'.arnpinas; ubi"
Irma do collector apadla cidade, de mime Joa-
quim Caridvlo Rodrignes He -AliinM-la. fts-o<('
a este res|>eito diz a follia supracitada:
As inliirmaeiies qiie lemos de prenlas do fina-
do, eonvcneuii-iios de que a morte foi inFde uro-
posito procurada por aquetto-do*veHtuiwlo iao--o.
ftabein todos uestn cidade de tactos n.U> ha multo
tompo, praticados por elle que indicavam pertu-
bacao de snas faeuWades Mteileetuaes. Ja 'em
conseqnencia disto um-de ate irmo o levara
para Araraquara a ver so com a viagem e madan-
a temporaria de residencia o doente conseguira
restabeleeer-sc. Com effeito ibirante todo o temjio
de sua estala I passou milito \mn.
t Tendo rollado ltimamente a esta cidade ca
hiu de novo no mesmo abatimemo eestado melan-
clico de ontr'ora.
N'aqtielle dia, achando-se s 9 toras em
casa do Sr. Morln, foi convidado e sontmi-so
mesa do atmeso. De censa 'alguma servie-w,' e
conservou-se quasi seinprc em sencio. Logo de-
pois seguio ein direccfio estaeo do cauinho de1
forro e ahi na occasio de nninobras de wagons,
abri um livro que disseram-uos ser a fJiblia e
collocou-se na frente do um dos carros no mo-
mento em que era levado para o desvio : o carro
passou sobre o iftfefe, que suecumbio poucas ho-
ras depois.
Falleeeram na capital : o proprietario Lacio'
Manoel Flix dos Sintss Campillo, leudo de idade*
75 annos e o faeendetro na J,imeira, Jos da SH-
veini Franco; em Santos o capito ieae Pinliciro
Santiago e o tenente Braziiio de Campos Mello;
em Taubat Antonin RoiTrignes Maeid.
Li;-se no .l#rV/iodo Sorocaba de 13 ;
t Informam-nos que a 3 o corrente, Pedro,
escravo do Sr. Pedro Fontonra, tendo pago a
ipianlia em que foi avaliailo, omquanto escreviarii
a caila de sua lilierdade, tripudiando do prazer,
sabio ra, alimdo c lamuniear aos seds amigos
a inmensa satisfaco de que se achava possuido;
e, passando a ponte, deseen ao Porto dos Jnarteis,
onde se acbavam as pH*eas o> na amisado, e
all, ao recontar a sua meffavel felicidade, cabio
morto na praia
nio dr j*!tRmn.
Na cmara dos deputados foi Ioa), ii i dia 18
do crrante, o Mguinte projeclo de reposta falla
in Ibroiio :
Senhor. No prazer co.n que Vosea MagesU-
d> Imperial vio a rcunio da assenibla geral, tra-
daz-se. mais nina vez para a cmara dos deputa-
dos e elevado apre.-o em que < 0884 Magesiade Im-
perial tcm as institui.-oes c a prosperidade da
patria,
Convencida fo que a felicidade ilo Brasil de-
pende essiMicialniontc da^ mais estreila aUiaaaa eu-
Ire o linn i u a narao, a cmara dos deputddtw,
agcadivemlo a exprsso'itaquelle patritico sent-
meato, assevnra a Vossa Magostada Imperial que
nao potreara esforios para o liel deseiiqienho do
alio mandato que Ihe foi conferido.
Begosija-se a cmara dos depotattOB pela
tranquillidaiie interna de quo gosa o imperio, e
cheia de conliaiv.a mis principios de jusli-.a e rao-
dera.Sa. que tem presidido aos actos d" governo
imperial, e na patriotismo e boni senso da na;o,
nutre a lisongeira e segura esperan;a de que
esse estado nao ser alterado.
Com grande cantentamento, scnWir, ouvio a
cmara que sao em geral satisfactorias as condi-
coes sanitarias lo imperio ; e rendando i-,
loncia Divina as devidas grabas nortaoa ?
d i bonclicio, del la espera, com vossa Ma^.es.iaf;
Imperial, a terminacao das melestias que tem
ciiznienle grassado em algumasde aosaas pov
coes, einbora sem maior intensidade.
A cmara dos deputados nao pode dallar de
applaudir a sabedoria e linnexa com que Vossa
Mag'stade Imperial mantera retardes pacilieas e
aangaveis cutre o imperio c as iiacoJs estrangei-
ras, como tanto c.mvin aos inloiesses reeipro-
eos, que de dia em dia se multiplicam e engran-
decem.
Com Vossa Magostad* Imperial, com o paiz
cougratula-se a cmara pelo accoido de 19 de
novembro do anno passado, que resolved sem
piebra los direito*je ila dignidale nacional, a des-
intellgencia occorrida entre o governo do impe
rio e o da Confederacao Argentina, relativamenie
aos ajustes definitivos de paz com a repblica do
Paraguay.
t Teni a cmara no devido apre;o a 'adebrafao
de tratados de extradifo com a repblica Argen-
tina, e com os reinos de Portugal, Italia e Gr-
Bretanha; e confia que nuiles locara respeilados
os principios de justica e os sentimentos de bu-
manidade.
a Felicitando-e pelo cresc-imento das rendas
publicas, que tem perm tido attender aos grandes
encargos provenientes da guerra do Paraguay, e
activar os melliorameutos moraes e maieriaes do
paz, ser soilcta a cmara los deputaln em au-
xiliar o governo de Vossa Magestade IrapcriaL nao
so na diifuso e anerfei;oamento da educacao, e
instrucCao publica, como tambem no desenvolvi-
monto dos mcios de communic.aao, e na acquisi-
cao de bracos utes, que venbain dar ao trabalho
mda pulso de pie tanto carecera.
A noticia da celcbracao do contrato para as-
sentamento de um cabo elctrico entre a Eu-
ropa o o Brasil foi satisfactoriamente aeolhidapela
cmara dos deputados, a pial muito aprecia os
grandes benenci s, que, para a civuisacae e
prosperidade patria, devem resultar de to
maravilhoso instrumento da actividade do lioso
scula.
t (>erto le que na liberdade do voto est a con-
deo principal e indeclinavel da realidade do sys-
tenn represeniaiivo, e de que compre, portinto,
garanti-la qnanto seja possivel para que a eleico
exprima se npre com vigorosa fidelidade a opinio
e for;a do voto popular, offoreeondo o respectivo
processo toda a seguran;* s maiorias e minorias ;
convencido da necesddadc de libertar a guarda
nacional, cujos relevantes servijos tem conquistado
a Kratidio do paiz, de obriga'.-oes que, memo em
cireumstancas ordinarias, a ofceram actualmente
cora prehiizo da industria e d liberdade poltica
do cdadio, a cmara, sephor, empregar todo o
seu desvelo em attender a tao imiiortantes as-
sumptos, que constituem a geral apiracio do
paiz.
Satisfazendo a urna das nacessidados indica-
da< por V dcliberacao d*> senado um projecto de- ici sobre o
recrulainento, o qual conformafldo-se com o esta-
do de nossa eivilisayao e com a natureza e digni-
dade do servico militar, attendera mefber s con-
veniencias da org3nisatjo do exercito, removen lo
ao mesmo lempo as queixas qne su levantam con-
tra o sy-tema actual.
Senhor, se o lugar que oceupamos entre as
nac-Ses cunas, atiesta o poder moral do povo bra-
sileiro, e seus grandes elementos de propriedade,
nao menos te- solicitde de Vossa Magestade Imperial pelo pro-
gresso e engrandec ment do imperio.
"Protestando ao governo- de Vossa Mafestade
Imperial o maisrfrancoe leal apoio, a cmara dos
deputados d.rige aos cw fervorosos votes pelo
esplendor do- throno brasileiro, roja estabilldade
assegnram a sabedoria do Vossa -Mageslade 1rep-
rial, o o votos da nacao agradecida.
Pa^i da cmara dos deputados-envf 6 de Ja-
neiro de 1873.51. /. Ntmrupif.J. F dtt Costa
Perein Jnior. Tarquiftio B. 4e Souza Ami-
rantko.
Entrando em discossao, no dia 21, orou doran-
te toda a sessa ,o St, Perreira Vann.
4>enteado, deoK genero iwo-teve vendas.
de Meni
Coelho
se na
!, 13 e
transacav
ules algarisi
1/2 a 'i o,
I a 5.311-.
5. a 5l
iro 30<5
r
- No mercado de importarn
Miado 'vdlfs^lrla(Mla,
(gurdente nao enconlra compradores, e o
O Rvm.' vigario da Victoria, padre J>i*e Mu-
nz (iabral Leal de Menozes,- oifo.v.vu l 0/,-le saa-
aingruaj ir.espaeo de a annos, contados do I.? do
corrente me/, e s exprtalas provenientes dos
entertaiiiciitos das pesseas .res la saa Iregue-
zia, em favor da instrueco publica. '
Achava-sc no porto a galera ingleza /nr-
lan, em viagMi^para- tuikbcvy, u^mIo a**i
bordo 468 cifrantes,
o cambia sbte.Loadre.r-glv 26 a 26
i/id.
A alfandega renden de I a 2i do '-Trente,
am3iia927:77397. *
eri-.o'-:. fi
drassava e ai iaten-dade. ncapiial, a va-
rila.
Fallecer* o octogenario FI--i-incio de Araujo
;ade les, Uiesouej > da tl.-ooraria de taz-aul*.
^*< AL100A8.
Fallecen, na capital, < antgo c
le Axaidrp'tf^ffi GWm-jraes.
eneros do
tendo
vendas de 480 a
EjkCaf leiam-e alnuraas
jmas a an-tAii. spaaccDo.
\*- Em fumo em rolo nada se fez.
t "So de importaeSo se nota mais aniina.'a(>para
ti ra ha de trigo, devido a urna especulars que
deu bom resnnado.
t Pelos navios SmiliiigMorle c Wilanis Gandul
eguiram pSra o Rio de lanelrb oito mil sacros
de dotis quintaos cada um, operario esta que deu
aigiim movnento ao nisso mercado.
Montcidro, lo de Janeiro. Para a mala deste
paquete re.llisaram-se fosde o dia 3 at hoje cerca
de ; 160.000 de 51 3/8 a 51 3/4 d, algarismo este
ultimo que fecha o mercado.
Sobre Franca e Antuerpia saccaram-so cerca
de frs. 1.660.000 de 5.51 a 5.60.
> Sobre o Rio de Janeiro na se fez,.cotando-sc
nominalmente razo de 9.4400 por St.
t No mercado de gneros de hnportaco notou-
se nos de procedencia brasilcira o movimento se
guinte :
Os acucares dessa procedencia tiveram trans-
ac.oes mais animadas, devido ao terem os possui-
dores estabelecido algnmas concesses aos pie-
cus anteriores em frente das diver-as chegadas de-
navios de Pernambuco com assucares novos, e de
estar a pra.-a com muito da safra velha c que li-
cara com pouca procura pela preferencia que do
os comiradores aos novos.
t Alenr das cargas vendidas do Malina e Ma-
nuela, que j noticiamos, vendeu-se para Buenos-
Ayres o carregamento do Jorra Adelia de Per-
nambuco a 17 1/8 reales fortes o braneo, 1." a 16,
ti hraneo .' a 15 o somenos, c a 13 reales o ter-
ciado.
Das qnallilades da safra velha venderani-so
em frac.-ees cerca de 1.000 votantes desde 2470 a
200 a arroba o branco I." de 2330 a 2 440 o so-
menos e de 24 a'irfS a arroba o terciado, despa-
chado.
t Para a agurdente a procura tem sido pouco
activa, devido em parte na > haver na chegada 19
graos, graduaco esta preferivel pelos comprado-
res, e ilevido a essa circum dido obter *76 pelos 500 litros despachados, po-
rm as primaras entradas que ebeguem, tendo
aquella graduaco obtena 578 ; a existencia em
nosso mercado de 500 pipas.
O caf tem estado bastante paralysado, porm
os procos esto bem sustentados por estar a nica
existencia de 600 saceos em una s'inao que o
vende de 21 a 22 o quintal, despachado, pre^o
este que iommmh- pafnr por agora os wimprado-
res, em viriude de pie a estacad fez diminuir o
consumo.
. Pelo muito c dar que tem feto, os comprado-
res pouco negocio leiu Jeito cora fumo em rolo,
circumstancia retarme augmenta o deposito, eque
se inicia urna baixa. Da marea pingo fresco e
garantido venderam-se algnmas peqaedas parti-
das a 1030 a arroba, despachado, e as ontraa
marcas sao fio acreditadas de 6 a i 10 a arroba.
No mercado de exportaran nolon-se mais acti-
vidade na quiuzena para as productos do paiz.
A carneadlo deste anuo est um lauto ati aza-
da pelo nio oslado dos pastos, t;r as chuvas via-
da tardas e fraqneza do gado destinado ao corle,
o que se faz erer ser o comeen de 15 de fevereiro
em diante.
O sal pelas varias entradas que tem bavido
supprio as poucas necessiilades quo sento o mer-
cado, tendo declinado alguina cousa dos presos :
receiando-se anda mais baxa, as entradas foram
niaioros. Cola-se para consumo o de Cdiz a 8
reales fortes a fanga, para Rueos Ayres lO rea-
les, e para os Rios 11 1/2 reales fortes.
't Rio Grande, 11 de Janeiro. Para o paquete
Caldern H>eram-se transae-.ocs aos seguintes al-
garisinos :
Sobre Londres a 23 1/2 d. nanearlo, 23 5/8 e
L'ommercian-
w in-12.,' %f\ ,i particular,
moa-l sr
Sobro Framja de 361) a 363 res o franco.
Sobre Hamburg-i a 700 reis m b.
t Sobre, o Rio, Baha e Pivnambueo, a 2 1/2 %
de descont a 90 d/v. e a 8 dias de vista, ao
par.
Os frotes regulara para :
Rio de Janeiro. Babiae Pernambuco, 300 400
e 500 reis a arroba.
Canal e ordens, couros salgados 42/6, idera
seceos UM,
t Estados Unidos, couros seceos, 55/.
Eis as noticias commerciaes do Rio de Ja-
neiro :
Foi pouco activo o movimento do mercado de
cambio, mas nao houve alleraco alguma a no-
tar-se.
Baeetaacaaa-se transaeoBaa menos que regu-
lares sobre Londres a 26 d. papel bancario, 26 D8,
26 1/4 e 26 3/s d. particular ; e pequeas sobre
Prasiea a 360 res por fr., e sobre Portugal a 110
% de premio vista, papel bancario.
Apenas nos cbnstou hoje a venda de um pe-
queo lote da soberanos a 94400 a dinheiro.
As apolices geraes de 6 % tiveram hoje mo-
vimento actv.;i, e seus preeos mostraran extrema
firmeza
Foram negociados cerca de 600 desees titulas
de 1:0454 a I:0i04 a dinheiro e a este ultimo
preeo pagamento o entrega em fevereiro futuro.
i Das do empreslimo nacional de 1 68 apenas
se venden urna partida insignificante a 1:1104 a
dinbeiio.
O mercado de acedes de bancos e conipanhias
publicas mostrou anma;o, elTectuando-se trans-
aeeoes avulladas ; os pregos, porm, em geral
nao apresen tara muita firmeza.
t Das do banco Industrial o Mercantil foram
negociadas cerca de 1,000 a 143 e 5 500 por ac-
5.10 a dinheiro, 55 a para fim de fevereiro. Em
aecoes de estabelecimentos da mesma natureza fo-
ram pouco activas as vendas aos seguintes preces:
banco do Brasil a 251 $ e 2 >2i por c-.-o a dinheiro
255i pagamento e transferencia em fim de mareo;
banco Rural e Hypothecario 22 a dinheiro;
banco Commurcial do Rio de Janeiro 85a ; banco
Mercantil de Santos tijSOO
c No mercado de accoes de companhias reinou
movimento activo para as da companhia de Nave-
gac.o Brasilcira, de que foram negociadas cerca
de 600 a 354 e 140 a dinheiro, e ao uitimo prc-
r.o para 16 de fevereiro futuro, e para as da com-
panhia da oslaada de ferro Soroc,diana, de que fo-
ram vendidas cerca de f ,00' a 40*, pagamento e
entrega no primeiro dia em que se aununciar o
dividendo.
Negocaram-se tambem pequeos lote do ac-
nd.i companhia Locomotora a <40 e 1504 a
eiro e ao ultimo preco para o fim do mez, e
da copipanhia de Carris de Ferro da villa Isabel a
160/a dinheiro.
t As vendas no mercado de productos foram
pequeas do caf e menos que regulares do assu-
car para consumo.
t Sabiram tambera paca cousumo cerca de 6,000
arrobas de carne secca.
t Fretaram-se : um navio para Port-Elisabeth,
caf, a s 200 ; um para Lisboa ordem, dito, a
32 s. 6 d., e um para Hampton-Roads, ordem,
dito, d 25 s.
- A alfandeqa rendeu de 1 a 12 do corrente,
2,239:322/637.
Salii-am para Pernambuco : a 15. galera
poriugueza Nova Goa, e brigne austraco Slavo O.;
a 17, escuna austraca M&risVta e galera portu-
gueza Aza ; a 18, barca ingteza Ria ; a 19. ga-
lera portngucza Firmeza e barca austraca \laria
C.; e a M, barca ingleza fajalt ofSaaanah e po-
laca bespanhola Frasqalta.
ama;
A dnectoriadoWcifctCthift flcou ascm or-
ganisada : pres(dente,-A."Mac Hair ; secretario o
Ihesoureiro, los '"MI; directores A. Ho*sel-
mann, W. ti. Dusson, W.C. Broad, J. M. Johns-
ton, W firamack e R. Pngg.
O presiden1 da pro'incia raandou vigorar
no* exereicio de !87t W73, o ori^amen^o do
wvat* l\ (VlfOHM fc IVlIVlllt 1 'UiillO. 1 l"
Acbavam se inscriptos com a palavra, a favor, I anterior.
osBrs. XVwta Pereira, own1o Ubo, Barto^de Arribaram ao porto da capital : o brigue
viau, Rocha Leio, Cjunelrt'eVfJn^'Wewlqbes,^ CMimje, ** a" drrporronle para Pernam-
Tarqunio-Araaraoto, Perreira dcAfn'ar, T- ixei- bwo, por:ter adoecido v-capftao ; e api tacho al-
fa da floeba, Caries Petaeto, Arejo es HRW, le*e /o*am proeedente de New-York, por ter
\o Tandtem ainanheceram hontenieni DOS80 porto os
vapores Para e tiicird, trazendo datas : do Ama-
zonas 10, do Para 22, do Maranho 23, do Ceara
26, do Rio Grande 27, e da Parabvba 28 do cor-
rente.
AMAZONAS.
Foi nomeado director geral oainstrccao pu-
blica o r. Felip|)e Honorato da Cimba Miuina.
liwnccou a publicar-sc cin Mauaos, no dia
Io o.jornal Diario do Amuoaas.
No dia 1" foi enllocada com grandes festas a
pedia angular do edificio que all se va levan-
tar para hospital da Cariddc, por subscripto po-
pular.
A directora daAssociaco Commercial
no corrente anno compiie-se los Srs. :
Jos Goclho de Miranda Lefio, presidente (reelcito).
Francisco Soares Raposo, secretario.
Jos Perreira de Barros, thesoureho.
Jos Antonio da Costa e Alexandre Paulo de Brto
Aniorim, directores.
O Sr. Jos Teixei1adeS1.ua deu carta de
liberdade a urna escrava sua de neme Anna.
Sob a epigraphc -Cadverescrevea o Amo-
zonas de 3 do corrente :
yAnte-hontem, pela manda, foi encontrado Junio
a pra da Ponte dos Remedios, o cadver de The-
reza, eslava do Sr. tenente Freno Porfirio da
Costa.
Conipareceu ao lugar o Sr. Aginar, subdele-
gado de polica e o Sr. Dr. Carneiro da Bocha,
para procederem ao corpo de delicio, o que nao
pode ser exeeutado pelo faci de se adiar o cada-
ver em adiantadissinio estado d" pntr-lacco, fal-
lando-lhe muito dos membros pnucipaes.
Ignoro-so a cansa deste desgranado aconte-
cimento.
a presidencia da provincia aunullara as
eleiedes municipaes de Borba e llantooro, A ve-
rea.ao da cmara municipal da capital, que no
dia 7 de Janeiro entrou em exercicio, Ttcou assiin
constituida :
Clementino Jos Pereira Guimaraes, Hilarfo Pe-
reira de Jess, Jos Justinano Ilraule Pinto, Fran-
cisco Antonio Mouteiro Tapajs, Jos Coelho de
Miranda Lefio, Manoel Francisco da Rocha Thury,
Sebastiao de Mello Bacury, Custodio Pires Garca
e Antonio da Cunha Mondes.
A recebedoria da fazenda provincial arre-
cadou no mea de dezembro 11:329/832, senda:
Para a provincia.....'. wlW/W
Para a Companhia Fluvial do Alio-
Amazonas...... S:0316363
l'ARA .
J se achava na capital, de volt, de na va-
geni Alcntara, o Exm. diocesano.
A nova directora da praca d 1 coniaiercio
ficou assim composta :
presidente, Francisco GaodencM d.i Costa,
Vce presidente, G. Sessetberg.
i- secretario, Luis AAtran.
2 lito, Fortunato .Vives de Souza Filho.
Thes mreiro, Bernardo Barboza.
Directores, Joaipiim Jos Teixeiu Ba^to. O. Bar-
rean, Joaqaim Nuues d'Almed 1, liento Rei'Hlo de
Andrade.
Arribara ao porto de Belem, o dias depois de
lar d'ahi sabido para Lisboa, a barca portgneta
Soco Paquete, por ter perdido duas ancoras em
frente ilha Santa Hoza.
Xo dia 3 do corrente, no sitio Manejo, dis-
tante tres leguas da villa de Mo tc-Alcgre, o indio
Jos Theodoro disparou una espingarda contra
nutro indio de nomj Adriano Antonio da Silva.
feri ndo -o morlalmente. Chegado o fado ao conhe-
cinento do delegado respectivo, toiuou este de
prompto as providencias que ocaso reclamava,
sendo preso o criminoso, e conduzido a dita villa
o offendido, que falleceu horas depois. A mesma
autoi idade procedeu a corpo de delicio, e pro-
gue nas demais diligencias para ponicao do cri-
minoso./'
.vbordo do vapor inglez Jerinnt chegaram
do Para cem iminiszrantes que se destinara em-
preza da estrada de ferro do Madeira e Mamor.
A alfandega renden de I a 21 do corrente
243:3714451.
KAMHHO.
Lemos no Paiz :
Tomn posse bontem a commisso da prae.a
que tem de servir no corrente anno, a qual ele-
geu dentro si os Sra. Jos Joaquim Pereira dos
Santos presidente ; Jos Pedro Ribeiro. ecrctario
e Antonio Justino de Miranda, thesoireire. Os ni-
tros membros da comuiis-ao sao os Srs. Luis Ma-
noel Fernandes. Franklin Jansen Sorra Lima, Je-
ronymo Jos Tavares Sobrinbo e Domingos Theo
toni'o Jorge le Carvalho.
O Sr. Jas Manoel Vinbaes, presidente da
commisso do anno passado, apresentou .1 aseem-
bla geSM dos assignantes um bem deduzido riJa-
toro.
Nesse importante trabalho oceupa-se do osudo
do cnminercio, dos melhoranientos qne o mesmo
reclama, da estatis'.ica commercial, das obras que
mais parlicularmente referem-se aos nteresses
coinniei'ciaes. Acouipanharam ao relatprio duas
representacoes, urna ao governo imperial, pedindo
a construc^io da va-frrea de Caxias Therezina,
e nutra, a assembla geral, pedindo a diminnicio
de 2 0/0 nos direilos de exiwrtaco.
Cita o rclatorio um facto, que consideramos
lamentavel, e a diminui.o dos assignantes da
Casa da Praca. O numero deles, que era de 207
no principio de 1872, est hoje redmido a 138 !
Cabe aipii perfeitamente a admiraran que 111a-
DJfesta a commisso.
No anno de 1872 transitou a piantia dp... .
64:4i835IH) em carias registra-las o o-uro* valores
declarados. \
t O seo movimento foi de 5,320 man-, conten-
do 384 giiinte:
Reeebea 2,651 malas, contende:
Ofilcios....... 31,340
Particular.... 173,8
Begistradas. 4,000
209,188
Remellen 2,669 malas, contemlo :
Ollcios...... 23,651
Particular ... 147,96a
Registradas. 3,383
174,899
A correspondencia odicial recebiua e remetti-
da foi favor do governo de rs. 20:685/1' 0. A
differenca para mais de 1871 foi de 3,W>i objec-
tos.
1 No Burity foi assassinado em 22 do passado o
capito Honorio Jos Gaspar por nm seu escravo
de nome Zacharias, que*-havia pouco** dias tmha
fgido.
t Estava o capito Honorio assistmdo ao queana
de urnas telhas noute. O assassiuo, protegido
pela oscuridao, aproximou-sr- at uns piinze pas-
sos de distancia e desfechou-lbo um tiro pelas cos-
ta?, que ftr.aram crivadas dehumbo, faflecendo a
vctima 2 horas depois.
O cambio regulava sobre Londi es 26 d.
A alfandega rendeu de i a 20 do corrente
103:239/600.
PIAUUY.
Fallecer, em Oeras o juiz de lireito da comar-
ca de S. Raymundo Nonato, t>r. Raymundo An-
tonio do Carvalho.
A assembla provincial approvou o contrato
ctdebrado pelo 1 nsidenJe com o r.ommissario da
Companhia Pernamburana do vapores, para que
os seus vapores loquera duas vezes .por mez no
porto da Amarradlo, com a subveac^o de 12:000^
annuaes.
CKAR.
Foi publicada a Ici do orcamonto, na qual slo
oreadas a receba prov.ncial em W0-8*97il98 e a
dospoza 0111'Jo7:2 4*107.-
, Leaios no Piro I:
1 Ijii ,'--.) da assco-oliVi geral don accionis-
tas da companhia eearonre da via-fcm-a de Batu-
rt, reunida no dia |k do correute, sob a presi-
denca do Sr. coronel Victoriano A. Borges, foi ap-
ftr<*%4r>'t.i|i>)^_Ar(i^(NA.ff'lircct:::.i tonti-
do na 'Xpsi^o.
\ Sei'tbcr-'s;-i v,ia vanifr- ta por raudo-
lilnrai i.vHei-i-'i, que. -'-^aalo o r.rlig
l o" dos ao>-oi-wHalinoH,M' a da vm-sa exclusiva
competencia.
Tendo o eorpolegislativo provincial decreta-
do para a empreza da via-frrea de Ba'turil. ai
leidlail.:rSIJo^czenjrb-|pmo passatlo, a
g rantti 110 iWTWnto obre indo o capital neee-
sarto para s (M^ntanai a sobras at o muui-
cipio de Hit :iilfc.a lise^lria dafoinpanhia tem
enlendiifo ^iMonJwiie ao ini"resa> ,|e|ia e..pr.--
bende.KVla esM|p-ajHBe ja, nao se limitandj a '
primrira' t-es^d, que iMHna na^racalaba.
< Como sabis, o capital 1* cvnipanhia.. ovi.
adv a e- rtis, o caital aata toda obra, euljas juros 1..-
raatejn Jm 2,100 e*nt.x -*mda pas pedir auto-
risacao ao governo imperial para emiltir mais a
quautia lio 1.800 contos.
Esta onussio deve ser fcita nas praca" do im-
perio ou da Fu ropa, segundo for mais prompta e
mais vanlajoia. <
Nos pedimos, pois que nos concedaes perms-
so :
1* para pedir faculdade ao governo imperial
para esa emissao.
2' para propr as niodficacoes dos HMMI
estatutos, que Utrcm -onse mentes 011 indispenoa-
veis para se roalisar essa omisso, o terem co-
meen desde logo as obras da segunda e teiveira
sessao da via-ferroa.
,'!' para dcspendei' a qnantia que li'ir ]< tnist^t'.
a lira de realizar a opcraeo sujeita directora
prestar snas contas opportnnaincMs.
As medidas qufe vos pedimos to le um Hire-
se, cuja detnonstraco excusada.
I" conveniente' porm,''vos declarar que iafc-
liziaente paro ama empresa de tamarilla futuro,
tem sido difllcil a acquisico de capitaes at men-
ino [lata com|iletar o quantum da primeira MMao
da obra.
. E' verdade que a procura se tem limitado a
provincia en nao lera sido feta fora della, sanio
por inlcrmedio de amigos, sem a inlervencao de
agentes estipendiados nas proras, c sem -sd-
pendios, ipie de eoslume c de necessidaile fa-
zi-r-se.
Entretanto a directora nao tem deixado de
dar tnde impulso s obras la primeira eec'> Pe
.malas bo;e o terminadas todas as quesillos irm se
levanlaraui entre a companhia e o empreiteiro Je-
ronuno I.uiz Bibeiro, os novos contratdores tra-
balham 1111 toda e-xtensao da linha desde a Fort.i-
leza al Paciiuba. sendo plano da directora em-
rluir enaa obras ate o lim l anno.
J est comprados lodos os materia- par a
subseceo do Arranches ; e encominendado ote<
tanta pata concluso dea primeira parte "da via-
forrea.
Dentro de alguns mezes os primeiros.trillo
eslaro assentados e a locomotiva, esse proriir-i-
d 1 iiiilu-lria, lia de .-ibillar pela primeira vez 4*
trra, enjo futuro vera firmar.
c Pedimos que deliberis, sobre os pontos ioCi-
cadns, e sobre o mais que vos suggerir a KHoasa-
bedoria
RIO-CHANDE.
Escreve era 27 do corrento o iios^j cor-
respoudoiHi: do Natal:
No dia -20 do corrente ulleeeu em S.
Jos de Mipib o soldado de [lolicia Antoo
Ppdro dos Santos, em coiisequeneia dos gra-
ves l'eriinen tos que lhe foram feilos 110 da 31
de dezembro ultimo, pelo individuo de HHM
Joo Paulino Pinto do Aguiar Junior, filho oV
padre Joo Paulino de Aguiar, alli residente,
tacto a respeito do qual j Ilie dei notioia 11
ininlia ultima de 19 deste mez.
Algumas diligencias tem sido feitas mo
delegado de policia tenente Joaquim Macha-
do para a captura do criminoso ; mas toda:>
tem sido infructferas, em visla da protec-
membros do sua familia, di/endo-se at-qu-.'
jd o mainlaiam para os Drejos, na provine*
da Parahyba, em companbia lo celebrof-
racina, que alli tem um cunhado de Borne
Adelino pezerra, em cuja casa, som duvida,
va elle lioniisiar o seu protegido.
No dia 19, no lugar Larangeiras dd
mesma cidade de S. Jos, por occasio **tV
una feira, que alli se costuma a fazer, Joa-
U|uim Jos de Sant'Amu praticou o crimo*k;
olfensas physioas na pessoa do negMeote
Manoel r'rancisco Alvos do Soto, ferind
tambem a Jos Ferreira le Lima.
0 criiitioso foi preso em flagrante *-
lieto, e tendo o delegado de policia precedi-
do aos competentes corpos do delicto o in-
querito policial, ramefteu todas essas pecas
ao promotor publico da comarca, por inter-
medio do jui/municipal, afrm deterkij,'u
a instaiirar;ao do respectivo processo.
Segundo noticias recebidas do dittrkto
de Santa Hita da Cacliocira, commetteratn-
se alli dous barbaros assassinntos : um no
dia 10, na pessoa de Francisco Amaro d'As-
sumpgao; cooutro no dia 11, na pessoa de
Trajano Barruso de Carvalho.
0 autor do primeiro, cunhado da vic-
tima, conseguio fugir e anda nlo foi preso:
nao se tendo dado o mesmo com o autor '.
segundo homicidio, um tal Jos Angelo, que
fora preso iiuiiietliatnmeiite.
O subdelegado do districto, Jos Fti-
cisco da Roche, foi solicito no cumprimc/i-
to das seus deveres : expedio as convenien-
tes ordens para a priso dis assassinos, e,
segundo cousta, ultimou os inqueritos poii-
ciaes, que remellen a autoridade competente
para os lins da lei.
< Por acto de 23 S. Fxc. o Sr. coroix-l
Bonifacio Francisco Pinheiro da Camafa,
concedeu a aposentadoria que Iba havia re-
querido o tbesourciro da thesouraria provin-
cial Vicente Ferreira Alvares, e nomeeupara
substitui-lo o chefo da Ia secQo da mesma
thesouraria capito Alexandro Thomaz Sea-
bra le .Mello, que rene a necessaria aptido
para o bom dosempenho daquello cargo.
Na mesma data foi exonerado o porten*
da secretaria do governo Canuto Ildefonso
hmcrenciauo Jnior, o nomeou para substi-
tui-lo o continuo Joao Pedro do Reg, cuja
vaga foi prcenebida pelo cidado Manoel
Joaquim llabello Gonzaga.
Por acto do mesmo dia resol veu S. Kxc.
tiausl'erir o platicante da secretaria do{o-
verno Antonio Jos Barbosa para a thesoura-
ria provincial, o o dosla Joaquim Jos fio-
mes do Albuqucrque para aquella repar-
tido.
k Por acto do 25 foram promovidos a
chofe de seceso, no lugar do capito Seabrv,
o Io escripturario Genosio Xavier Pereira v
Brito, a Io escripturario o 2o Basilio Soaros
da Cmara Pinto, e ao lugar dosto o prat.-
cante Antonio Jos Barbosa, que foi substi-
tuido pelo collaborador Jos Flavki Rodri-
gues Machado.
Todos estos actos foram aconselhaDs
pelas exigencias do servir^) publico, e-.lam
merecido a approvnr.ao de todos, ainda mes-
mo de adversarios pouco generosos o seogn-c
maldizentes.
De conformidade com a lei provincial
n. 072 do 14 do dezembro de 1871,, toi co-
rneado, por acto do 24 do primeiras lottras de Pat^ o cidadau Joa-
quim Xavier da Cunha, e jubilada ee ter-
mos do respectivo regnlameoto a^profeeaora
do Mossor D. Auna Ilusa Emilia.
u Uuuteme soldado daiWMi^anbia Ao 1*
inha Hearique de tal, osfaqueou Mana
Magdalena e^ um invali fo do exercitotle
no.no Mauocl Bezerra, ineraJores'A roa da
Aurora desta cidade. Os offendido nvbm-
feeiem perigo de vida, e o cruamoae *
preso em flagrante lelioto.



I

J


T
fe
7
Diario de Perrtamfcu<5 Qdata eka 30 de Jatfro de 1873.
=3
. para atontar <( &$Me desgranado o
qrjoatrestes ltimos lomaos Umii ch.'gaiio a
-ometlhia.doH*a.*V)rw tiesta provincia.
^.Parecjmufc m sin i/dalidaJaella se
t'OBdt Ue perversos q. junleitoivs.
. Ol'.vni. Sr. vhb-)i*sidotil.'vh tomar
s^ria acertadas providencias |:!.. remover
loploravol estado de f o isas. -
l'ARAHVBX.
Nadaoeeoireu digno'de uieiuj.
REVISTA DIARIA
- Antortilaile palieinl.Por portaras da
pWMdencit ila provincia, il 2o do corrate, foram
leudos : delegado da polica do 2districto do
nodo Recife, o hachar 1 Amaro Jonquim da
acera Albmiueique ; o .'" aonplaplri do delega'
; do do tnpftierqut'
INliwlontctia Hall a. Cartas da corte
diceiu estar Horneado presidente da provincia da
Haeia, o Exin. desembarga lor iogo Teixeira de
Macado.
lStMi.Segundo dizen os jomaos "cartas,
gsisaava.aui a .'ebre amarilla com aifcuma iuteu-
sMm
tlissus fnnel>rr>s. Vmanha as 8 horas de
.J^lBanda o Exra. Sr. dcsenbargadnr Accioli ce-
l'^ai', ,na groja da matriz da Boa-Vista, algnmas
missas pelo repouso eterno de sua irma a Eiras.
Si. H Carolina Julia Accioli Seto, fallecida
n. cora a 2 do corrate.
.A-ilUulre tinada libertan cm testal ato era*
coefttaade seus captivos, muito-; dos quaes fea
lumortanles legatos.
Irrematueao prvinial.-Perante a
.iiini* da jix'smirarc provincial vai praca boje a
na d i- reparos da estrada da Muribeca, entre os
engentaos Afore e Guararttpi*. sendo a inrnrf.in-.
cu total paga era presra l iitlade do Miada.-Domingo (2) daso lia-
se.- reunan da sociedade tonelico'.te Olindense,
na wisislofiu di. igreja dos Milagre*.
PAra a EawosMLCora 1\ recebidos no nos-
t-n itoiio. levou o Bogue 201 passageiros.
Vapor Para. -Tendo realisado, no Para, o
eoAeetrw da pe;f. da machina, chOgoU hontem ao
noo porto, com a ptima viageni & ijoatro TiJ*,
?-vapor Par, da companhia *r;i*il<'ira, seguir lo
a.del lioras da noule para a Babia e Rio de Ja-
Mira
Vapor Pirapanin.-F.m viagem para
i Urania e escalas cliegra "ao porto da Fortaleza
esa vapor no dia 2() ao oscurecer.
Frejruezla lo* onde lora procurar allivio sena padeeuen
liW; fallecen. n.l eidade da Fortaleza, no dia 22 do
crrante, o Rvdm. Joa.piim de Arago Kbja, vicario
o.!ido da fregmaia de Mv.rbec.i. e-a Pernam-
blMMD
tteunit-s eai'navalesi'as. inversos
iov-ns empregatloa no inniihriio. <(u \ se acham
!-. presente em OliirJ passando a estaj'o calmo-
-., wbaui de orgaui.-ar-umi sociedad', para dar
dous .senes llamantes nos das sabbado e terca-
Ora-do carnaval, no palacete encarnado da ra
:- i, Bento. Consta-nos que elles ti*dc envidan)
pardira* sejam essas reuniea coiv."iTidas aj-
IDidB-
\>-4-in-ia ille rrcio. Pela din t^ria g*-
i'u 'lrt corrcio-, na corte, acaba do ser creada
i.usa.agencia |k>slal em Frec leiras, pov&ado dosul
dJUUMHMiai ni. linha da estrada de ferro d*Re-
i-ifc ao S. Francisco ; Horneando para agente o
sr. Francisco Tranquilino de Almeida Bastos.
Oiulietro.. Os vapores //:.;;., Mandalt,
Uuiri e l'iirn trouxcram pira :
KeHrftr. '0:)(>')OOO
a:iue Schiniii.'tlau A C. 70:000-iOOO
lta:ur. Oliveira & C. .^:000000
f*Maurv 2?:133600
l'*ffim Manna & C- 22:2iH)*<>00
lTCW Carneii'oi ('. t):IWfl.0O0
Kaiic... Commerrial SO:iKM)OX
v. Hyvernal \ C. 13:000|"fl0
Cimba Minaos & C 6:000i000
i oiituim IV.-res *:oOO(H!ll
1 le Muura Holim i V:000000
!- da Silva Lpvo & Filbo :76;iOOO
Jirt Modngnes ik Soma :oOW)0
\fltonk) A. de Sooza Agoiai U700fiOOD
WistMes Cesar de Almeida ::J22i>000
;' ... Irraaos iOO
UliiHlraco llr-s|in nlla "Aiiut-
,.- Aun de chcgar para a respectiva agen-
>, i rua do Commonm n. 18, primeiro andar, o
8 do jorn.il madrileo l'lustwruo K InHl-'VdMn, tr;/.ud<> os retratos de d\us cliei'-s
carlistis na Catatunha, as vistas da colonia ingle-
" na Babia Branca no Rio da Prata a outras
i taitas
Xrfidpnte. Hontom, larde, .and) vol-
i'iv.-nlo visitar tiui docutc o Sr. Dr. 8 Pereira.
e,nc seu e; rro para papar opedagh) que sr
ora na haneira da ('apun/a, nio teme) sido des-
'n't> polo sigual pelo eual Sfl laz C ailioeer a
proaiinacao da m-forrea, nm io> amo !he baver
u nervado nada o viga, que se ach iva m 'ohser-
v i o, l'oi sirpreh'Midido de repent- p ia aproxi-
....= ;Su ilo treai, pira salvar-e do qaal entendsu
-. ur i' carra, eaitmde a Hvrar o I leeiro, com
.. .,ej'.i-i ile esiii-iganienlo di referida carro.
V-ji- oh- il- i ni fe havein chamado a at-
i do para o m kIo ara poico irrogular porque
so iav-in estes servijoj entte nos, no entretanto
o} tos se vi reprodadoilo a miado; porunto
M|ani isaatten/ao de quem cornpuleiiW far paro
e ileixaiuas ineneionatk'.
J.utrriu.A que s*' acha venda a :I7.".
'...neiieio da matriz da Kscada, anual corre liojo.
I 'ilrto. Hoje electiu o agente Martins, as
H bOras do dia, o le.lfio de movis, i;o primeiro
i lar do sobrado n. 82 da i na Direa
P*"4s:iirrtii*i<. -talega lis Iioi;-.i. dos por-
i !o tnl no paquete ingle* OoyM :
Ventura Castullo, losepha U. auve-mi, Carlos
A CSbla, loa I Canta. Francisco de O. Salvador,
i. .;(. d'AvelUc, Mmoel J.aimi:i.. Luiz A. da
>.. Campos, leoen W. Cti-;l.;>
! (oraos, Io*i A. de Aranjo. IB
Di ii de M. Fraga.
-- Ctagados dospjrtos dMwrte vajiar MtoH
- pracas, 3 reerntas e un voluntario, Gol-
I! Hngiics, Luiz Aurel' de Godoy Vascon-
c I orreira Hebo;as, : wemvii. dv-niharga-
l Mlverio F,iiiand.'s da Afaajo Jorga 1 cria-
MariaJoanna dos Pesiares, Hoimquo Hen-
- I I ,'nsem.
Chegados dos portosdo noii-:... ...por Guar
'ikiioei Pereir: da Cuuli;,, brlgadeiro Joio Gui-
l -ir Bruce, Jos.'; Pedro da Sva Saatos,. Anto-
ti .!. Barbosa,BdlarainuA. da Silva, Lourenpo
UoBQA.da S\ Muicl Jos': do >'r..-cii'-.':iito, Mig'iel
V',Xi.id da Sd\a, Henrimi da Cuahl Rodrigues,
1"-. Hayiniindo Braulio Pire, Lima, Dr. Manoel
Boteiuu Carneira de Mal os Guerra e sua l'amilia,
i arrw BorromattPcreira.ta Suva,Dr. Silvio Pe-
lii Raymundo Francisco Marques Rimos, Nelson
>-wra Lima, Bertholdo, Andrumc'o, Prudencia, Dio-
, Lucia, Dooewcio, Raj'iuuuiio, Jyuawa, Mara
! NPzareih, Umbelina, Fulgencio, Justina, D. Ma-
n Hozalina Souza Carvnlioe 1 croado, eoTge
K -t, Manoel Joaquim Silva Justo e 90* nulher,
i ,i Candido d; Barros, Jos Jacomode Anudo,
J i*'-Ci do .Vnaral, Jos dos Santos, Antonio Fer-
i\tri de B;irros, C. F. Vivnlde, Mano'I Medeiros
i Costa, G. S. Villar, Anlw> Luiz Leite, An-
<. i* An?7>'l.> IVrnandes, Prmoisco "ecnandes Li-
Uta seulwira, Dr. Ern-sM A. d Vasconcellos
-1 >. Antonio Justino Pereira di Silva, Carlos
1 Wnho Borges.
Hm transito
ento Jos d. Santos, Runiro ias d'Uliveira,
Li.t Gomes Pjreira, Manxl MadrogAM .Vnsoi-
j'.eoJowCu4nliil.> Fahricio (imnoM de. astro, Jos
toftieio Ga>38 di Castro, Estevaa .k Moraea
i':{&,Pedro Riyraundo Pereira^ inttjor. /Viriano,
-" Crh'eira.Pint.entel e sna,faiailij,,loaquiui" -los
'. fflnt'Anna, Jos Cesar da Silv Araaral. Dr. Be-
ROiictO de Barros Vasconcellos, Antonio da Sdva
Aibano, tenonte^odpd'AlrAntawioeira. Fran-
ex' Gonca*<5 Lirni. I P'M tes e jab enbora, Frederioo Maia, Jo* Pan-
Une Magpjhct'..
V.sr-.l) A. T.
rcial A. Pinon.
redos do '2 disfricto destinadas ao servico o es-
Igolo e assei il .lado, de cuja limpeza se aeha
incumbida a compautun Recife Drainage, qu sa
isCurca pela cuiiclusao dos eulros disU'ictos, o
quas caininhain adiutMSdofi, Wc.
' Estamo? cortos, que o Sr. Faria Lcmos se asshn
asseverou em seu relatorio, foi por iufonnaedes
robustas, e que estas nao podiam ser dadas seno
pelo Sr. engenheiro fiscal da referida corana-
llliia.
Assiin pois, rogamos encarecidamente ao Sr:
engeolieiro liscal-se digne declarar se alguna ap-
parelhos do 2" distrlco teeni, oof njlo diixado de
trabalhar regalarntclte. por tliferentes vezes,
por falta d'sgtia, proveniente de defeitos das
obras, ou se somente por motivos de outros des-
arraigos, pnilicados por malicia dos moradores,
como S. S. est anhunciando, que maliciosamente
os moradoras destrem os apparelhos; tenha pa-
ciencia com este pedido ; voMaremos sobre o an-
nuncio.
Relativamente aos esfercos que tem feito essa
celebre companhia para concluir as obras nao pa-
rece ; porque tem requerido e obtido prorogaedes,
sendo ltimamente una de seis mezes.
Recife, 27 de Janeiro de 1873.
Rectificado.
Conjtando-me que as assignaturas do protesto
de 3 de agosto de 1879, continuaran! ate 25 de Ja-
neiro de 1873, data de su publicidaile, c nao at
ao ultimo do auno passado, que foi tao somente-a
do protesto da casa capitular ; por isso tapo a pre-
sunta para evitar duvidas.
Recifi-, 2!> de Janeiro do 1873.
Padre Jos .\ffmiso de Lima e 6,
Para Alagoas, na barraca
carain : S. JiUftixalA C. I
kilos de assucar relinaib.
Ctntepi
w, carre-l dem diamante t L-L C 1\ n-.'Sf*-L'm fardo,
com 129
COMMBCIO,
lo
PKACA DO RBC1FK29 DK JANEIRO
DE 1873.
\s 3 1/2 non.\s da T.tttDB.
i otayfuvs oJi.w
Algodao de Peruambuco, fcac, 9A700 por
kilos, hantem.
Dito de d.to mediano 9300 por lo kilos, h inteni.
Dito de dito i' aorta 9950 por lo kilos, honlem.
Dito de dito dito 'WTO por 15 kilos, hoje.
Oubouicq .
Presidente.
Leal Scve
Secretario.
ALFAN'DKGA
Rendimento do dia 2 a 28. .
dem do dia 2*......
1,210:3393580
49:18 0*337
l,2(ia:519917
are
^pmpaiih^Il!raiftage.
H. Dtoiadc Pernmnbino n. 2S6, no raWorio
..j .r. desembargadoa Francisco oVi Fari Jnv,
pa.isan.lo a *jmipribi a i/ragt|k. ao Bxm.
Sr comm,ivlalor-:i^ejUQhFfa Lacena,
+*1m**meiyd,,M. ,- u
CDniiboanra funecionaj mpiUruM^.03ik.4||mI7
Descaiiegain hoje 3 de Janeiro de 1873
Barca inglezaHermtone- m'-rcadorias para al-
- fandega.
Barca trancen -AuyustiHdreto para o trapicho
Conceico, para despachar.
Patacho dinama'rquez Sarah A. Hulbrook -breo
j despachado para o caes do Brum.
Barca franeezaGranvilleviulio para de[>osto
no trapiche Cimba.
Banca i.ortuguezjiArabella caivao j despa-
chado i>ara o caes do Apollo.
liii|oi'tat;a<.
Vapor naci'iwit M.vnoahc. r/ii(/o| de Aracaju.
lOiisigHaJii 'i mmji'nkia Pernambncana, man-
fettou:
Algodo 1 !3 sarcas a Pereira, Carneiro i C,
414 ordein Assucar 100 saecus ordem.
Couro 219 a Babello A C, 37 a Pereira Carnei-
ro & C.
ruin.. 2 caixas a Antonio Martina Leite.
Podras de amollar 450 ordem.
Rieino 74 latas orderu.
Vapor brasileiiv Clara, vimhi dos porlusilo nor-
te. cousnnadv a Henry Fbrster c C, imtnjfes-
tu:
Arroz 100 saceos a A. s. Pinto Gaimaraes, 50
a Bastos e S.
Barricas raas SP tornos a J. J. Goncalves Bel-
11 ao. Borracha 2c*ixas a Burle & ('.., 2 a Miguel
Jos Al ves. 7 a Goncalves Beltrao, 2 a Carneiro &
Nngueira. 1 a Fent'ira Ji Malheus, 2 bonicas a
J. B. Oliveira.
Camarao cofos a Barros Jnior & f*.
i mima 30 encapados a Goncalves Beltrao.
Milho 300 saceos a Christiusen. Manleiga 3
caixas a Prisco Barboza.
Prees de pao 3 amarrados a Joo Pires Sea-
bra.
Salsa 2i rolos a Caors. Sola 210 ineios a Do-
mingo- r. Ma;a.
Tapioca 25 (anciros a F. G. Bastos c S.
DESPACHOS DK EXPORItACAO NO DIA 23 DK
JANEIRO DE 187)
Para o porlos do exterior
Vi barca sueca lhHond, para Liverpool,
earregaram : 'i'. leflWes & C. 2,000 saceos com
l5o.no 1 kilos de assucar mascavado.
Su -alna portngue-a America, para Liver-
pool, earregaram : T. Jelferies & C. 233 sacras
com 19.819 l|2 kilos do algodo.
o r.ivio io'lcz Colertdge,para o Canal, ear-
regaram Keller a C. 2,200 saceos com 165,000
kilo> de astacM bramo,
=m No navi) iii'.dez WiifA, pa a o Canal, earre-
garam : Keller (* "2,400 saceos com 180,000
Kilos de Msneai mascavado.
-- No navio Irancez Abertte. para o Caual, car-
regou H. D La Grange 3,000 saceos com
225.0; o \i'o de asnear mascavado.
No navio francez Jem liaslli, para Marseille,
earregaram: Keller & G 900 saceos com 157,500
kilos de assucar mascavado.
o navio alleinio,A/t>ie! para Gothemburgo,
earregaram Keller & C. 939 couros salgados
com 11.268 kilo.
No migue b.-spanbol Canceller, para Bar
c-llona. ariYgou : P. M. Maury 185 sacias com
13,054 kibs de algodo.
Na liarca porlugueza Amelia, para o Porto,
earregou : A. Loyo 3U0 saceos com 22,500 kilos
e assoeai sraaco e 500 ditos com 37,500 ditos de
dito mascavado : J. J. da Cosa Maia 18 s ceas
Com 1,310.1)2 kilos de algodo.
Na barca .porlugueza Claudica, pai'ao Por-
to, earregaram : Cnoha Irnios a? C. 300 saceos
eom 22,.'00 kilos de assucar mascavado.
Na barca porlugueza Luzitnna, para o Por-
to, earregou : I. B: de Oliveira 552 saceos com
22,0 kilos de gemma.
- Na sumara hespanhola Meretiita, Para Mon-
tevideo, car egaram : Amorim Irmos & C 200
barricas cea;-fi,:M Kilos de assucar mascavado, e
para Urnguavanna, 200 ditas com 22,840 ditos de
dito branra.
.Ve vapor inglez Beyne, para Lislwa, earre-
gou ; T. Tmirt 8 lats com 15 kilos de doce.
No brigue brasileiro Vtetoria, para o Rio da
Prta, earresrou : Ai de O. C. Leite 50 pipas com
14.000 litros de aguanlente.
No vavio allemao A. Catkurina, para o Rio
da Prata) carrejaran : B. Oliveira 4 C. 440 bar-
ricas -ira 47.783 kilos de assucar branco e 110
ditas eom 13,545 ditos de dito mascavado.
No navio germnico Ottq Grafzu Stolbug,
para V,\lparazo, earregou : M. S. Machado
laceas com 37,500 kilos de assucar branca.
- No lugre sueco Nerdstyrne, para llamptoii
Roods, earregaram : A. Baltliar Sobrinho 1,900
sacos corr. 142,500 kilos de assucar mascavado ;
M. AuattQ il C. 2,^30 ditos com 213,750 ditos de
dito
Pura o. partos do interior
1 Para p Rio Grande doSul, no patacho bra-
sileiro /"wwoi*, earrefaram : Amorim Irraaos
A C, 750 banMa com 63,013 kilos de assucar
l*ranco.
1 Para i- A> Grande do Sal no patacho bra-
srleiro Petua*, earregou : A. C. Moreira 31)0
.volumen-coi:: 2<,>4 lf-kkos de assucar brancoe
lOObarriCM com 11:3^1 ditos de dito mascav:ulo.
Para >o Hio airando do Sul, no patacho bra-
sileiro .SmkazU, earregou.: A- Loyo SOnpipas
com 2W00O litros d agurdenle.
Para o Cear,. no vapor brasiloiro Ipojuea,
carregaran; : J. F. Santos Bastos 30f2; barricas
cora-fot* kilos, da-acucar refinado-; para Aea~
rac, B Oliveira A G., abarrios com C52 ditos de
dito branco e 15 ba/rfJcom 1,440 litros de agur-
denle ; M*va t lfmao3d>arris cim 28*1itros d*
agaar(Wittei7'M<,*ae4.4draio G pipas com 2,880
dW4'>'do.!
Pfn S**^,- 00 logro brasileiro Amelia,
earregou A \ V) oM* Santos 10 pipa'* com
tros^i asuad*t>.
P|ftl 0 Arara*,- no tiate Ifasiloiro .V. S. s
.%tMi*j'riirrjfa*: J. A. M-Viamw 2dr2 totr-
riea%W4SW3l|f'Woodoossucar braneo.
im* Wliijijgt Bttroaoa' Rtactoteli, carre-
u.. ^^Jtomlirari-kas cora i.VM kilo
Jitififi)i-i' .Az-M., V*mu
"kilo 5 e assucar branco.
Para Mossor, na baraca Triiunpho do Re-
cife, earregaram: B..F. Gaimaraes6 barricas com
098 kilos de assucar retinado ; para Maca o, A. M-
Dtarto 2barris com 192 litros de agurdente ;
para Mossoro, J. L. Radieh 4 barricas com 293
kilos de assncar branco
Para Villa Ua Penha, na harcaca CnztMfdo,
earregaram : B. F TJuimara*i 4 barricas com 235
kilos de assncar branco; P-JG- deUrtlbiiquerque
2 ditas umi 120 ditos de-dito B. G.',Cocino 1 dita
com 58 ditos de dito.
Paca Villa da Penha, na barcada Ilsarique-
ta, carroaarain : B. Oliveira 4 C. 1 barrica cor.
63 kilos de dito relinado.
Para Natal, na barcaca Dous Amigos, ear-
regaram : M. F. -Pocas t C2d0 pares" de tamau-
cos.
Para Jdacei. na,barcaca Liwloga, earregou:
D. T. Bastos .3 barris com 288 litros de aliooi.
CAPATAZU DA AtJ-'AJsEGA
Rndin>oniodo,di*2ai. 15:734*044
dem do dia 2. ... 435*900
16:172*944
VOUIMES SAUIHOS
Nodia..a3b.. ._
Primeiraporlanoda29- .
Segunda porta .
Tcrccira porta.....
Trapiche; Gonceicao, {J.
43.J 7!t
149
390,
53 --
1,214
45,467
95
SERVICO MARTIMO
Alvarengas descarriwadas no trapwrto,
da alfandega no dia 2 a 28. .
Ditas ditas no dia 29......
Navios atracados no trap. da alt'andega
Arvarengas ... .
No trapiche Coneei^So.....
ildutj <>/
IKi'.LtEDOIUA DE' RENCAS lNTBBNlAS GE-
RAES D PHRNAMUrtlO
Rendimento do dia ia28i 42.236*905
Idomdo dia:*i: 446*000
,
VkWtiM
CONSULADO PROVINCIAL
Rendimento do Identdodla29...... 7:671#767
17*817*166
vihdo de LiverpWtt-no vapor ingle. Bladiator, ds-
carrogado em 19 de mareo de 187* e consignado
a H. Legar.
dem idam, n. 87. Um dito idom iitom idem.
dem V S B M, 11. 1952.-Um dito A-indo de Li-
verpool no vapor Inglez Gladiator, descarregado
em 22 de marco .de 1872, cornigiado a A. V. da
Silva Barroca.
dem idem, n. 151l'm dito ideiu dem dem.
dem diamante. H 47-L G B. n Hi.-t'm dito
idem idem, consignado a H. liOgOK'
Idatn idem, n. 84l'm dito idom idem iilem.
. Idam dem, n. 85.Hn dita idem idem idem.
Idom V S It M.-n. 1999.Urna calm vinda- do
Liverpool id vapor infles Gladiator. descarrega-
do em & 4o abril de 18731 e consignado a Antonio
V. da S. Barroca.
: Idemldau.n. 19af: la dita, viuda de Liver-
pool no vapor ingle/, .stiMlni/.-dcscarregada en 8
de abril de, 18721 consignada a A. V. da S. Bar-
roca.
lidcm V S*-B,,n. I554.-I'ma iti'.i idem idem
idem.
Idom idem, a. 1552.-Lina dita idam idem
idem.
dem MC P, n. 44. lina dita, vinda de Liver-
pool no vapor inglez studenl, descampada em 10
do abril de 1872; e consignada a Silva Sl Car-
ina
dem diaiuamv HAeS, n .Mi--Una dila, viuda
de Lvm'ihmiI un vapoe inglen Hembra, desca rega-
da eM 11 de^iiaio ,de. !*>*. consignada a Bastos
i Suva*
Alfandoga ito.-1'niiuiidmeo 2* de- Janeiro, do
1878.
K Ato A.larval Ik) lie i-.
porto o veleiro hiato Garibaldi: <"a ga e
tratar rom os Srs. Tasso Irmaos 4 i
Amorim n. 37.
frele
rua do
SASiU i Cid* I;. .MtWWCHWA DO
imim un
AdNma. jama-adfinOfsiratis-a. da-santa casada
mi8eriroi'diftRo>lt>ci(e'.:iiiand.'\ fazei1 publico que
na sala de-suas sessoes, no dra.,'M) de Janeiro cor-
renteiPehR Sltars" da"tarde, tem de serarremli-
taa>si'(fOi*inirai<: vaulayen* o#Teccr. pelo tem-
pe dm -a tros aaop?. 5 rendas 'dos predios em
seguila-declaradi-
ESTABKLECl MENT DK CARIDADE
Rfln ;fl- UM|i Casa terrea n. fl- '. .
Una. do. Acuorim
dem n. 26
Kua.i'lO S.Jirglf.:
98000
30:*000
24<*OO
Navios enlnuloi no dia. 2$..
Paraemdireitura-4 illas, vapor brasileiro Para,
de 1.320 toneladas, commandaute capjl o len-
te Pedro 1L Duarle, eqiiioagem 58, em lastro ;
a Henry Forster,.c.C. Nto troDxe passagpirps.
Para e portos intermedios-11 dias, vapor brasi-
' Iciro Guar, de 999 toneladas, coraraandante ca-
pillo teoente A. L. Teixcira, equipagem 49, car-
ga varios gneros ; a Heury Forster Jt C.
Aracaje nortos intermedios T das, vapor bra-
sileiro Siandahu', de 222 toneladas, eoinuian-
dante Julio Gomes da Silva, equipagem 17, car-
ga varios gneros; a compauhia Peruambu-
cana.
Rio de Janeiro e Babia 6 dias, vapor inglez Boy-
ae, de 2,084 toneladas, commandaute Beeks,
equipagem 114, carga diffcrenles gneros ; a
Adamson.Ilowie &,,C.'
Buenos-Ayres-7f> das, patacho hespanhul Julio,
de 128.toneladas, capi'Ao Miguel Boca, equipa;
gem II, rarga-caraa; a Pereira Carneiro & C
-V** suitt-. metmo din.
Soutliam|)t(in o nortos intermedios- Vapor inglez
Boyne, commandaute Beeks. com a mesilla car-
ga que Irouxe dos por os do sul.
LisboaBarca porlugueza IVints. capitn Rosa,
carga assucar-o cauros.
CanalBrigue inglez Mayfeeld, capitn Lloyd, car-
ga assucar.
Rio da PrataPatacho allemao Albatioa, capito
Brockwoldt, carga assucar e aguanlente.
Rio de Janeiro pela Baha -Vapor brasileiro Para,
cominandanto capkao lenle P. H. Duarle, em
lastro.
OoicwfWio.
Suspenden do lamarao para a Paralabi a bar-
ca ingleza Frry Hit. capitao R. Barclay ; com o
mesmo lastro que irouxe do Rosario.
dem idem para o Canal o patacho inglez Ca-
milla, capito Reed ; com o mesmo lastro que
trotixe de Macei.
EDITAES.
s
ALFANDEGA DE PERNAMBCO.
KDITAL COM PRA/.O DE 30 DAS.S. 88.
Pela inspectoi'ia da alfaudega de IVruambuco
sj faz pub ico que, adiando- e as mercaduras co-
udas nos voluntes abaixo meuciouados 110 caso de
seren arrematadas para consumo, nos termos do
Cap. 6. do TU. 3. do regulatnento de 19 de se-
tembro de 1860, os seus donos ou consignatarios
deverao despacha-las no prazo de 30 dias, sob peua
de, lindo elle, seren rendidas por sna coma, sera
que Ibes fique cornpetrado allegar contra os elFei-
tos dcsla venda :
ArmUzem n. 3.
Marca J sein numero.Un fardinbo, viudo do
Porto na barca porlugueza S"gttranca, descarrega-
do em 22 de. de.eiubro do 1869, ignoia-se a cou-
signacao.
dem A I. R, n..21.-l'ma caixa viuda- de I-
verpool no pataclto inglez M. Auna, Warregada
ein 5 de ni.no de 1870, coiisigiiida a Antonio Lo-
pes Rodrigues
dem 11. 102. Una dita vinda de Hamburgo uo
patacho norte-allemae Juliana, descarrogada em
7 de julbo de 1870,' consignada a A Lojies Roilri-
gues.
Idem MBM.eK fcO. S; n. 10. -Urna dita via-
da Oe Hamburgo no patacho norle-alleinSo Atlan-
tic, descarregada em 20-de julbo di-1870, e cm
signada a Ma'turino Barroso de Mello.
Idem A L R,n. 329.-Urna dita viuda da Ham-
burgo na escuna norle-allema ebrg, descarregada
em 4 de agosto de 1870, e consignada a A. I-opt*
Rodrigues.
dem diamante M I P, n. 18.l'm fardo vindo
de Liverpool no vapor iuglez Pascal, descarregado.
em 26 de agosto de 187?V consignado a Cramor
Frey i C.
dem J A A c C, 11. 1.Urna caixa. vinda de
Lisboa, no patacho portuguez Principio, descarre-
gada em 18 de outubro de 1870 o coasignada a
Joaqnim Antonio de Aranjo & C.
dem J MC L, n. :I84.Urna barrica viuda do
Havre na barca franeeza Jen* Brtpliste, descarre-
gada em Ode novembro de 1870 e consignada a
C. M. Bemol:
dem S. B, sein numero.- Um volume vindo de
Live.'p.l no vapor inglez Olmda, descarregado
em 5 de fevereiro de 1871; e consignado a Saun-
ders Brothers tAL -
Sem marca, sera numero.Deacjselea pesos vin
dos de Liverpool) na barca, iugjem Flyng Seud,
descarregados.*m .7 d marco? ignorarse a consig-
naeao.
Marca F Se I) H, n. 2ft.-Ura fardo viada de
Liverpool, no vapor igler. ChrgsolUe, descarrega-
do em 22 de mato, do W7I, igaoca-sa a coosig*
nacao.
dem ideai, n. 2*3.Umdit, idem, idem, idem.
Idem A Jr.C, sem nomero.-lima caixa viada
do porto h> briguo portugus Unido, descarregada
em 6 de. iiiahodo 1(W1, igaora-se a coasjHa|ioo
Idem F, E, n, 13^197.-Uhia caixa- viadade It
verpcol, no vapor inglez Talismn, descarregada
em 22 de jantm.d&lirU!-eoiuigoada a Jolmston
Palor &C
demG UL, n. 8j-Uadda vMdjHi-enwo)
no vapor ingle' Talismn, de>carregada em 7 de
dezembm do !74 e consignada a .w. d^fastos.
Idem E T Jo.C u *>v n. 1HP aiauli*a viuda do
livorpool,. "^ "r^r^-tf^ p-~-f?fffh"j ttitolira ,
gada emB de/e,vreuoaeJ872,coutgnada-i R. 1
A. Burle .&1C. ^ *
dem S'4-C: D-e P,-n. 2v274-.-Umdardo) viudo.
dftlAi-erpootJm.vapor-ingloa Untador,. ilasCairo- kt"
nelia, endo em 28 de fevereiro ita^-laVl.e i*ouaMnadlaKt \j*u
4 898 esquita CajdozoA.C.. f*
Satodorn, 30
itaP,u*i.Nofnftfos illueo Poutas).
CasatoawnwitSh......... mtm
PATlMttNW:-UMS OWttAOS^
Rua (Un-Launguira's.
Casaleeiean. 17.: ...... A3^0>*000
Pateo do Parida).
Primeiro andar 11.......301*000
Rua da Madre da Dos.
Ca-a torrea ru 4...... 1:400*000
Rua_da ,Scuzaia-jrc|h>
Casa terrea n. II ..:.' 7 : 2098000
Os prafeu,i**te i'*'*O aj.r^f.m'ar, no arto da
arrematu^k. I- si* uaig:;*,. ou. iMnipaa-eerem
aeo pandados d<^> respectivos Hadore*, devendo
jiagar alom da rend*. o- iirorajij 'd.1 quantia por
que for seguro o oredio qur coiiliver eslab eleci-
mento curpr|rcia}kasji|ii i-oaio.o servio da lim-
jieza e procosfifh apparelhos.
Sowe'arft-daisanj't c;e>a dtr, misrripprdiado Re-
cife, 17 de Janeiro du tova.
O efcrivo
Pen> Rodriants de Soma,
ttuis das Larngetrus.___________
~WSS)TK>it, l'|IWWi:|Al..
Avisa-so,por u-ta reparti.-ao, qne no dia 20 do
corrate abre-.-vrOMUf luia.n'Ci'peiio dos dille-
rentes iinpostos provniojaes designados na le do
orraiueiito vigente de 1872-73.; os quaes devem
ser salisfdtos dentro di 30 dias sem dependencia
da inulta de 6 0|O, em.que, iucpiTOo os cootr.-
Iiuintes que o dcixarom de fazer neste praso legal.
Consukulo pioviiKial. 11 dojaueiro de 1873.
O adrin strador
_________-Antonio Caroeiio, Macliado Rio?.
-.pitanin lo Mirto de Pcrnuin-
hu*o 4 iiV jtii*ii*o jb 1H73
A.VISO ,OS VAVCC.ANTKS.
Por esta capifani:; se faz publica a declaracao
abaixo transcripta, da capitana do porto da pro-
vincia da Paran\ha.
t Pela capitana du porto se declara que em
frente da povoaoia de- Tambri, litoral da costa
desla provinria. e na distancia de 15 militas ao
mar,; no funiUc de> 12 brava, punco mais ou me-
nos, so acha fuudoadoo casco do vajtor norte-ame-
ricauo Shep K:e J. V. }'.. de 1,590 tonelladas,
incendiado na madi uaila do da 2 do corrente
mez.-jf Capitana .lo porto do Pornambuco 4 de
janeti. 'e lt":t. C'ielano JUtti dr &*H3& Fil-
queirai
Est^eonibnne. 1) secretario,
Dfto de .\quin> Fonseca.
Liiiha d8s vajifresd? IJvorp aiile
Vilparaizi1-.
PAUlinilS DA l'iKAI. DIPYNHIA DE NA-
VFGACAO A VAPOR DO PACIFICO.
COMKl.O M l'AlirtDAS St.MA.NAtS
Os vapores abaixo mencionados ou outros da
mesma companhia, partir*) de Liverpool para o
Rio de Janeiro, Montevideo, Valparaizo, Arica, Is-
lav e CaHo.
Tambciu levando passageiros e dinheiro para
Bueuo.s-A)n-.
Sotla.. Ouarta feira. Janeiro 8.
() MaggellanQuarta-feira, jaHeiro 13.
GkiiuborosoOtiarla-feia, Janeiro 22.
() Palagonia Quarla fera. Janeiro 29.
Garonne Quarla-era, levereiio 5.
() CordilleraQuarja-feira, fevereiro 1*
CorcovadoQuarta-feira, fevereiro 19.
() .Iniraaiim Quarla-leira, fevereiro 26.
Tocando em Boidoaux e Lisboa, e as vezes nos
purUtt-dc Despalilla para desembarcar e embarcar
malase nansagiros;
() Tocando em Pernauumco e Babia para des-
embarcar malas e passageiros smente.
Voltando de Callao todas as quintas-l-ras, e de
Valparaizo todas as tercas-feiras.
Moreadorias. Podera ser carregadas por co-
nliecimento para a viagem inteira a todos os por-
tos na Costa Occidental (Wesi Coasi).
Padtc Sl^asii VAvi^aliiiirHupauj
l.inliti le vujmre* til5 l.\\ r-
le vmpmi*M ciilro
p.ool Yljarniz.
Ateo dia Me fevereiro twpemdo o
vapor desUi com|ianliia o Mayellau.
primeiro
1 qilal nao
ter comniiiiiicaeao com a tena e d.'semitareara
somente passaj^uosjjmid*vscguinil<) dejioispara
os portos de iuas escakis.
Para lod;we qualquer inorniaea > pojeni dirigir-
le aos agentes wilson Rowe f C.
14-BA DO COMIWHCtO-lif
----------------,
*-..-
CQHipanliia aicriraiia c Lrasilem
i!i |iat|.i,ics a vap. r.
At o dia 2 de fevereiro esperado dos portos
do sul o vapor americano Ontario, commaiidante
Slocum, o qual depois da donnra do costme se
guir para New-Vork. tocando no Para e S.
Thoinaz.
Para lietes e passagens, Uati-se com os agentis
Henry Forster 4 C, rua .lo cojumercio n. 8.
COM P \ MI IA PJill NA M Bl CANA
DE
WmveyacBao o.ioi.
MACEI, ESCALAS, l'K.NEU E AUACAJt'.
O vapor Gigni,
coiumaudanle .Mar-
tins, seguir para os
pintos cima no dia
31 do corrente. as 5
horas da tarde.
Recebe carga at o dia 29, eaeomOtoadas al o
dia 30, passagens e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte
do Mallos n. 12.
Para o Rio-Grande do Sul.
Segu ne.-tes dias o brigue nacional Amelia :
p.ara o es o da carga que falta trata-so com os
seus consignatarios Antonio Luiz de Olivis.
Azevedo, n seu esc ipt rio, rua do B m Jess n.
57 (outr'ora rua da Cruz.)
Pela thesouiarui provincial se faz publico
quc'foi transferida i*r o da 30 do crrante a
arcdmalacao da obra das reparos da estrada de
Mar ibera entre os engente Guarnrapcs e Novo.
Secretaria da !he-oiiiaii.i provincial de Per-
nambuco, 24 de Janeiro de 1873.
o oflicial-' aior,
Miguel Affonso Ferreira*.
AmiilsTitAXTi \n*r corrlios pe.pkrnam-
BI-TO 30 DK JANEIRO DE t73.
Malas pflo vapor Guar da companhia
l.-fasik'ira.
A correspondencia que tem de sei e'(pedida
hoje (.'ID) |vclo vapor cima mencionado para os
pollos do sul, ser r-'Celda pela maneira se-
guint- :
Macos de jomaos, raiptressos de qualquer natu-
reza cartas a registrar, at 2 Lora- da tarde,
cartas ordinarias a'.' 3 hot>*, e. oslas at 3 l|,
pagando porte duplo.
As carril e joriwe que se dirigirem ao Rio da
Prata,patsuao pr..\iuui.ntc, aipiellas a laxa de
300 rs. por lagrammas ou ffaccJode 15gram-
mas, e estes a de 40 r.-. por 40 grammas ou irac-
cao du 40 graiiimi>. na progrs.-o eslabelecida
na taltellas ^1. el' -aiuiexas s raatruceSos do
Io de- ileaembro .le 18t)0.
O .vlntnisirador interino.
Vicente Ferreira da Porciuucula.
JtlU
1
ivm\]
EMPHEZ^VICEiWL
A oit niela hora.
Penltima r(*j*resentaeo
ifi
WUiiaiilll DA HEUIZA
dNa-i:p*fn hontom 29,- tem. en-
Os bilhles
trada boje
v\BBAD0
3 ,.

lMaVMr oxta-IVtirrt 3i
m> GKASI SAiaU uiivafima CASAi l.M UVE
Ft-NGClONflMftMMBMlA.
. Reste eoamU tomaro parto o anona baixo
vani ScdM)tt Sku Magdalena Bonobmi, os
maestrOWbi-. e sua .-.eiihoca eoBixKrnricme
dem
Be IAver
da em
A.. Arau 4 C.
' demTVCebiC.
de Liverpool no lugar ln
20|2 dita- da em i de morco de Ifl
A .Me*dona.
1'*&*&** *-272-u,nVi caia.vjndal
poot. iv>-tt|ir**i fippWi, dosailregP
(t*.|W>k!ijMaMt>Ja
D.02j>.^-r-tlll*4UikV
fr:BepittiibMm!>.
y
-do:trada_ 2P00
Depois d
ro uui tnajiepr.
concurrentos.
Na vespera mi esoeetacalo -ser*- publicado
ogrMfe;
Para o Rio de Janeiro:
Pretende seguir acotes oto dias o brigue na-
conal Isabel ; para o re lo da carga que Ihe
f lia trata se com os eos c asignatarios Antonio
Luiz e Oliv ira Al-ved-, iu si escriptorio, rua
do Boiu Jess 11. 57 ( ulr'ora rua da Cru/.i.
COMPANHIA PKHNWMBUCANA
DE
Vil -'S'il > l-ll II llipOI'.
PAKAlIYItA, NATAL, HACO, MOSSOlto', AKACA-
TY, CEAU, MAMlAlli:', Al.AUVCl' K GHANJA.
0 vajior fjmt.ro,
commanoante Hon-
ra, seguir para os
portos cima no dia
a 31 do corrente, as 5
53*S* horas da larde.
Recebe carga at o dia 29, encominendas at o
lia 30, passagens e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da~>abida
Mattos n. 12.
escriptorio no Forte do
GLAUMNA
Para o Porto
Seguir com a maior brevidade po-sv.-l a ve-
leira e bem conbecia barca porlugueza Claudi-
na, tor ter parte da carga ongajaila : para o res-
to e passageiros, aos quaes olferece exeellentes
commodos nata-fe com Cimba limaos A C. rua
da Madre de Deus n, 34, ou com o mpitao, na
praca.
Ym iiir-iiraiiiio fo Sul.
Francoln.
Pan o referido porto recebe carga trate 0
patacho brasileiro Fraiualim : tratar com os
se s gnateonsarios Amorim Irmaos .* f\______
Para o i<\
vai caltir at o dia 8 de fevereiro a barca porlu-
gueza Arabella, de 1* classe, tem tres partes da
rarga prompla, e para o resto que fije falta, Ira-
ta-secom Ferreira de Almeida & C, rua da Ma-
dre de Dos u. 36.
Para
Seguir em poucos dias o paticho portuguoz
Adelinn ; para o resto da carga trata-se com Pe-
reira Vianna< C, na do Vigario 11. 11, pri-
m iro andar.
inovow e lip
Ncxia-I'cira 3t l< c A SABER :
lina mobilia di-jaCtirandii. jtUiix.Xy, roavi2
cadeiras de guarnicao, iit.s desbracos, 2 ditas
de bataneo, 2 coac los, 1 jardiuoiix com pedra o
sola.
lina mobilia de amarello, I dita.de pao de oleo
iropria para o malo, I mesa clstica de '1 tahoas,
i grande estante para litros, ti nuarda-vestdos de
amarello, 1 grande aparador de amarello compe-
la. 1 importante secretaria de faia, I par de ser-
pentinas de crysial, 4 bapra para advogado e2
eomraodas de amarello.
l'm piano. 1 machina de lavar roupa, 1 cama
franeeza de amarello. 1 mar.pii'zio de dito, 2ca-
bides, I lavatorio cora pedia o espelbo, cadeiras
para sala de jantar. rapio appai cilio delouca para
uiiar, camas para meninos, e outros niuitos
bjeclos que podcm ser 1 xaininadot con antece-
dencia.
O agente Martins faia lettao dos movis cima
por ordem do urna familia que se ro i ron para o
centro da provincia, os quaes sera.) vendidos pelo
inaior preco,
No armazeiii da rua do Imperador n. 48, sit
loras do da cima.
LEILOES.

I MOVIS
HOJiB
Rua .Dirrila n. 2.
I'11 nwlali .deJacaranda com *2 caieiraa de
guarmeaoy* ditas de bi aeos, 1 sof, 2 concoltos
e mesa redonda com podra. 1 oicellente relogio
de pared, "3 pares .de lurr* finos, i bollas de
cores, 2 redomas para-flores, 4 candeiro gaz,
i 2 pase* da.i'sCiUTadairas, 1 .cama iraarwa da
! amacollo com colAao,, 1 lavatorio grande com
podra,..! ,coluuipa.pta-vao,,t-iuea dejauiar, 2
aparadores- do-amareHo 1 ntinjueza de.ihto.
0"agerte Martina,far loilo, rr.r prdera.de un.
famra flue^,fn^u\'p'esta provincia', dos movis
aeriWa^xistentC3'io sobrado n. 88U nu Drreita,
ht.iolftrcrSo.Dias, _________________
MIAU
ruuitcr fresco*
ou mais lotes, hoje 10 boras da manlii. na par-
ia 1I0 annazera do Aunes.
LEIJaO
DF
cerca de 50 caixaj coiu massas sortidas
Hoje
Sel o vendidas para fechar factura, por coala
de quem pertencer, e iutetyenfao do agente Pes-
tana, 50 caixas com inassaa .surtidas, boje s 10
boras da manh, na pOrtTdo*arniazein do Aunes,
defronti da alfandega.
DK
100 caixas coi.i passas .sortijas era 1|4, l|->
eintairas, as tuais iuvis que ha no mer-
cado.
HOJ
O agente Pestaa far leilao por cunta e risa
de quem pertencer, de OJO caixas coin pssas, em
1 ou mais lotes, boje # lOtktras da utauha, oa
porta da alfandega.
LEILAO
di:
diversas jioqos Hoje.
4uiita-rii'ii O I cm-reote
s 10 1|2 horas em ponto.
For iiii'i\'iic ;., 1I0 ;ifft-iil<' i'oilM
IMCM
IJii sen escriptorio, rua do Bom Jess 11 53.
lo
A.
de
um terreno na rua Imperial 'solo propriej
com 110 palmos de trente, e cerca d
500 fie fundo, lodo murado, prompto
para edilieoco, [torto para descarga de"
material, estando um lado murado,
ni I.MA-I KIUV li DK -LYLULIKO.
.4*9 Si horaH,
Por nlorvvneao e nu esrrkitorio do agente Pin-
to, 1 na do Bom Jess 11. VI
'orla d'Agua.
L.K1I
DK
mu ftrando proiuiedide na
em Vpipucos.
CONSTANDO DI. :
Una casa grande de |edra e cal, Ixjira da es-
trada, rom 31 palmos de frente e 35 de fundo,
coui grande lerreno e ia baixa de capim.
rimeira, com 43
Urna Otaria para trillas r tdollus.
L'ma casa terrea em frente da
palmos de frente e 65 de fundo,
l'ma dita pequea que tvo de reeboira, cun i'J
palmos de trente e 'i .efHul <.
l'ma dita c'.' 12 palillos du reme e 35 de fundo
l'im dita rom 12 palmos de lenle e :J5 de fundo
l'ma dita sem repartiinento, eom a mesma frente
c fundo
l'ma dita dila, com um qnarto fura.
l'ma dita dita, com 2i palmos n,> lente e 49 de
fundo.
l'ma dita dila. com 19 palmos de frente e 19 de
fundo, todas edificadas cm chaos proprios, ao
lado la levada.
i.M ARTA-FKIBA 5 DK l'KNfiREIRO
Ao niei illa.
O agente Pinto levar leilao, hora do di*
cima do. e em-um solle, luda apronrjedade,
cima dita, -endo : cerca de 8 nonas partes por.
mandad'do lilm. Sr. Dr. ]ni'. de ilreilo privativo
dos orplifn-. em virlude do lequeiiioento da viu-
va de Joaquim Pires Carneiro Mmiteiro. tutor d>
SCUS Hlhos menores, e cerca de urna nona parte
por autorisacd do procurador bastante, dober-
ileiro que s acha ausente, o bachnrel AofOSla
Carneiro Monteiro.
Os pretendentes poderao examinar desde ja a
dila propriedade, a qual se torna recommendada
pela sua po-ieao. entenden.lo-se rom o mesmo
agente, e coucoirendo ao'loillo que deve ter lugar
Do escriptorio darcfcriia agent, rua do Bom Je
>u> n. 13.
I nutra j>val..i.
Henrielte Monteiro devdaai. ule autoisado pelo
iuizdf o.rphrios. reipiereu a vend das paitesd.
propriedade Porta d'Agna. p.osuda jor seu .casal.
Ao amiiineioda venda, Op|n S.inphnnoOlhm-
pio (le Queiroga o aviso publicado no Diario n.
285 d. II de dezembroprximo paseada Jada
butras Vezes Olimpio lem feito igoaos avisos toque
se lbr tein respondido.
Bill 8 re-posta que linda agora reprodiizimo..
A \iuva e lilho do lenle coronel Florencio
Jos Carneiro Monteiro contestara o aviso do Sr.
Svniphioiiio Olimpio da Queiroga, publicado He
Diario* da 20 e 21 do corrente declarando : 1 .
que o Sr. Sviiiplironio nao tein dominio plenn ih
terreno ,i qoe se refere. |icrtencente ao sitio da
Porta d'Agua do Monteiro. na- fomente direito a
foro, que poresse mesmo terreno pagava o finad
Fl.ir.-h.'ii i ultima administradora ilf) vincoto d.
Monteiro : 2. que i"sse foro tem sida recolhido a*
lepoailo.
ara
ser levantado peloSr. Syuplironio
Segu caov xjkitvM*'*** P^ra
Jpresuuts rauita frceo para fiambre,
de^'hjdos.hoiilcm.
. q O agtMajt.-Pii4tj.na farjl litilia por craJa o risco
np QjnjMjiit^caj'itia.fiirproiiiiiirri|in mua novos
iuiiii'do ijue emtajno-uwcaMo", eoerio -
3 ""que r.iecao por elle proposta pelo juizo muui-
cipal da 1.a vara, com o lint ib conurter o afta
ment existenle em arrendainento, depois de con-
testada, ucea ha mais de lOannos parada, a espe-
ra talve do resultado da nutra accao (conccnvnt*
a lerreno contiguo era idnticas circumstantiaso.
prjosto ielo juizo municipal da 2." vara, c qae
ainda pende de deciso dos ltimos einbargon l#
declaracao do mesmo Sr. Svinjilironioao accrda
do egregio tribunal da retarlo, que julgou nullae
Bcompetente-a mesma accao : i,* finalmente qnr
,1 circuii.^leneia de estar em litigio o referido ter-
reno, nao priva o.,2. conoslanle do pode vende r
as parles ('03 denuaii terrenos o das rman^ue ten
no sitio, nao. sngritas a litigio. .,
Convem, porctn, accresceot.lv o seguiulO :
Os titplos,|>eIo* quaes posiiia meU luiado mari-
do, e outros berdeiros do teuente coronel Floren-
cio Jo^( Carneiro Sfontetru o sitio da Porta d'Agu-i,
sao esc!'4>iuras authenliras, que existen cm puir
do Sr: agente do IcilOos Francisco I. linio, e quo
podem ser vistos lelos concurrente.
Quaulpaos foros de^-idos.re piereii raenmarid.
bi deposito, ese effecniou o dos cntao vencidos iks-
de 1 de agosto de 1088 at o ultimo de julbo a>
11361, raiao de 6*Wts\ Os dos rratn anuo*.
Heve igualmente ser,rsito na Ihesou-
raria, o qual di-ihi^'.*Ho*aal>'da venda o re-
rOlbido a deposito garante o direito de quem quer
que- 0 i-do-o jtga eom dimito, o en favotvd.
quem far.orden.ido o levntame*., viste-quopara
effe pas* a disputa, come 6 do le.
Nata-pode, jipis embargar a venda
Tondiaof. m f Aun x^'^d^de-i^milapasosolao [na cha
ws
l

"
J


-
i
Diario de Pernambuco Quinta feira 30 de Jaufchti d 18173.
^ropos), ra eos Martyrios n. 144,
contiguo igreja, com grande quintal, e
portao para a rua; do Calderero, o qual
d bom rend ment animal.
.OUjft?AFE[HA 6 DE FEVEREIRO.
s 11 Irl horas.
Por interveneao do agente Pinto, ein sea es-
criptorio, ra de Bom Jess n. 43.
Leilao
DE
um excellenle eliacara
*irnlo :
V.m grande soorada com 6 alas e 14 guarios,
quintal murado, alm do um grande sitio com
700 palmos de frente e 1,000 de fundo, cacimba
le agua de beber, quitos arvoredos, boa baixa
para eapim, e muitas outra', accoramodacoes.
Um. etrada de Jo tu de Barros
u. 4.
Qujita-feira .6 do fevereiro
s lt 1 |'i horas
Por interveneao do asente Pinto-.
Ein seu escriptorto, ra dnBom Jess n. 43.
LEILAO
DE
lOOcunhctes de ac era verguinhas^ava-
riado.
SEXTA-FEIRA 31 DO COMIENTE.
hora ein ponto.
O agente Pinto fara leilao, por conta e risco de
ijuem pertencer, de 100 conhetes com ac cm
verguinhas, avariado d'agus. salgada, vindos de
Liverpool no navio inglez Ruth, existentes no ar-
mazem n. 92 da ra de oi lingos Jos Martins,
antiga ra da Senzalla Velha, aonde se effecluar
11 leilao, no dia e hora acuna mencionado.?.
LEILlO"
DO
sobrado de 2 andares n. 16, era chaos pro-
prios, na Travessa dos Expostos.
Quinta-feira (i de fevereiro
slO horas.
Por interveneao do agente Pinto.
Em seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 13.
Os abaixo assignados declaram ao publico e
com espeeialidado ao corpo eommereial tiesta pra-
ca, (|ue nesta data dissolveraui de commutn ac-
ordo a MCiedade que tinham na taverna Ma
ra estrella do Rosario n. 47, de baixo da firma
de Antonio Luiz dos Santos & C, ficando todo o
activo e passivo cargo do socio Antonio I.uiz
dos Santos, e o socio Jos da Costa Cazeiro pago e
sallsfetto de sen capital e lucros atea presente
data e exonerado de toda e qualquer responsa-
bilidadc, Recife 27 de Janeiro de 1873.
Antonio Luit dos Santos*.
Jos da Costa Ca eiro.
10
DE -
I'uas casas terreas de pedre e cal na povoa-
;o do Melao, da provincia da Parahyba
do Norte.
Duas ditas na Baixa Verde, desta provincia.
Urna pequea fazenda de gado em S. Bento,
nesta provincia, cora nieia legua de terra,
toda cercada, o 50 caberas de gado.
QUINTA-FEIRA 6 DE FEVEREIRO
s 11 lloras.
O agente Pinto enmprindo o mandado do Illm-
Sr. Dr. juiz especial do conmercio, levara lei
lao os bens cima ditos, pertmeentes massa fal-
lida de Joaquim Silverio de Soira & C
O leilao ser cffertuado s II horas do dia
iiuarta-feira f de fevereiro, em o escriptorio do
referido agente.
LEILAO
DE
Movis, louea ervstaes.
SENDO
1 magnifico piano de Boisolet fils "ft C, 1 rica mo-
l>ilia de Jacaranda a Luu XV, 2 estantes para
msicas, 2 guarda-roupa de inoggo, 2 ditas com
-peino, 1 leito para casal, 2 bidets com tampo
de pedra, 1 lavatorio com pedra mnrmore, I os-
peino. 1 niesinha eom lampo de pedia, 1 dita
para jogo. 2 camas de ferro, 1 cadeira para as
-eio, 1 cabido, 1 par de escarradeiras do por-
celana e forros, taptese lustro para gaz.
I'aviiiicitfo terreo.
l i iliia americana, 1 secretaria, I estante, C
caixas com instrumentos cirurgicos, 1 machina
elctrica, 120 volumcs mpressos (medicina), com
estampas, 1 rologio, 1 machina de costura, 1
costureira, 1 guarda Iones, 1 aparador, linesa
elstica. 2i caJeirs do girnieao, 1 apparelbo
de porcelana para cha;, l cito parajaotar, 1 ba-
nheiro do fblha !' ('landres, copos, clices, gar-
rafas de cryslal. trein de cozinlia u 1 grande fo-
?o de ferro e outros pertenec de casa de fa-
milia.
SABBADO, 1" DE FEVEREIRO.
Por autorisacao do Sr. Dr. Jacintlio Soares Re-
bello, que seguio para corte, o agente I'inho Bor-
ges, vender em leilao todos os objectos cima de-
clarados, existentes emPowe dl'cha, no predio
infronte ao palacete do Illm. Sr. Dr. Augusto
l'iederico de Oliveira.
A's 10 1/2 horas da manhi partir da esta cao
do arco de Santo Antonio um trem, afim de con-
duzir gratis os concurrentes do leilao o qual prin-
cipiar dCDois da encelda di mesmo.
AVISOS DVF.RS0S
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife Caxang.
.No domingo 2 de fevereiro prximo, alm dos
trens da tabella haver d > Recife Caxang s
10, s 11 horas e ao meio lia, e do Caxang ao
Recife s 10 horas e 33 m utos, 12 e 33 e 1 e
35 do dia, tocando em todas as estacos da linha
principal.
A principiar de 8 horas da noute, os trens da
tabella serio substituidos por outros especiaes
que corrern dessa hora a meia noute do Mon-
teiro ao Recife. tocando as estaces da linha
principal, llavera tambem trens entre Monteiro
e Caxang durante as mesmas horas.
Serio vendidos bilhetes especiaes de ida e vol-
ta, somonte para o dia da festa, pelos conductores
3H trens, e no escriptorio dos bilhetes no caes
22 deNovembro e estaeo di ra da Sol, no sab-
Itado e domingo, das 7 hor.is da manha s 5 da
larde.
Escriptorio fia eompanhia, 29 de Janeiro
de 1873.
B.C.Batterbe,
Gerente.
PERDEU-SE
Hontem 28 do crreme, da ra da Roda de
J. de Marco, e desta at .Santa Rito iNova, um
-lubnli'i contendo 3 sedula-i d_j.duzentos mil rs.,
Tde cem mil ris, 1 de viite mil ris e outras
lidas, e duas contas de ssucar vendido e 1
varta : a pessoa que tiver a:hado, querendo res-
titoir a seu verdadeiro dono, poder dirigir-se
rna da Roda n. 27, offerecendo-se metode do per-
dido.
Atiendo.
To Caxang.
Precisa-se alegar mva casa pequea no lugar
cima, que fi'jue perto do rio e da estacan ra tra-
tar na ra cstreita do Rosario n. 3, phannacia
Oriental.
Fugio na noute do dia 23 do corrente a es-
crava Benigna, com os segrales signaes: cor pre-
ta, baixa, cabello rente, e tem a unha do dedo jun-
to ao mnimo da mi direita como blco de papa-
gaio, levou vestido de azulo e camisa de algodao :
3ueiu a pegar pode levar ao Chora-menino, sttio
a Qapellinha, pertenecnte Jos Antonio Mar-
ques, que ser recompensado. E desde protes-
ta con-a quera a tiver oceulta.
Olferece-se urna sen hora casada, p>rtugueza,
.cm filhos, e de bons costumes, para casa de fa-
milia, engomma com perfeico, o seu parido tem
occupaeo fra, so assiste ern casa as nute e dias
santo* : a pessoa que quizer, dando commodo
imilhcr e marido, annuucie sua resi.cncia por
este Diario para fer procurada. ___________
Canoeiro
Precisase de um canoeiro, preferindo-se saa-rc
vo : na ra do Imperador n. 0, 3o andar
Trapiche alfandegado do
Guerra.
Tendo passado a administraban deste trapiche-
oatrem, acha-se elle em estado de recolber quaes-
quer gneros por precos mais comraodos que ou-
tro qualquer. Os sennores consignatarios de bar-
cacas e de navios, enjos gneros precisarem de
ser rocolhidos com satisfacao e presteza, terao all
toda commodidade possivel. O algodao, bem como
toda casta de gneros seceos que se demorarem por
mais de 30 dias, sero seguros contra o fogo ex-
cnsa do administrador actual, ministrando os
eco I hedores urna nota de seus valores para a
ITectividade do seguro. Entrada pela ra do Vi-
gario Thenorio n. 3, e pelo caes n. 6.
AVISO.
Ao depois nao se queixem
Bernardino da Silva Costa Campos, com arma-
zem de vveres, na ra do Imperador n. 28, pede
encarecidamente, pela segunda vez, aos seus de-
vedores REMISSOS, o especial obzequio de virem
quanto antes saldarem os seus dbitos ; do con-
trario est definitivamente resolvido a chamar aos
mesHios por este Diaiio, declarando os seus no-
mes por extenso, quantia e tempo a que devem,
e se isto nao for bastante, laucara mo dos raeios
judieiaes ; pelo qne, conveniente que os seus
devedores (remssos) ijue nao quizerem passar por
essa iecepcao, dspertem do nocive indinerentismo
em que esto engolphados, vindo, logo que te-
nham conhecmento deste, saldarem os seus d-
bitos.
Aluga-se
junto do
esto na
Veude-se o engenho Velloso na margera do rio
Mamanguape, as seguintes condices : vanea
sufficiente para safrejar de i a 8,000 pies de as
sucar, sendo mais de metade de mallo grossa e
parte terreno de aguar; arisco para piantar-se
rocas, feijo e o mais nocessario para o costeio 1
um excellcnte cercado, feite qoaei toda a cerca
no correte anuo ; tem elle bastantes baixas, mi
de pelo verlo pode-se botar agua para refrescar ;
um segundo cercado natural onde pelo invern
pode se ter de 80 a 100 bois ; railes de canna,
planta, soca e rissocas para mais do 2,000 pies
de assucar, odas tratadas convenientemente ; ro-
cas velhas, etc.
Tem o engenho um excellente porto a poucas
bracas dos armazens, por elle passa todo com-
mercio de Mamanguape, quer feito por barracas,
quer por vapor.
Quanto edificacio sao de primeira or-
dem; porm segura, de gosto e commoda, sea-
do a maior parte feita de tijollo. O que precisa-
se em um engenho nejle se encontr. No dia qu
concluir a safra, tica pontado para a seguale.
Faz parte do engenho metade da matta deno-
minada Carapucema, onde sao consenhores
os Srs. tcnente-coroel Bruno e capillo Jos Pon-
cano ; mais a ter a parte da Matta de Japun-
gii, onde tem mais de urna legua de extensa*.
Adverte-se que sendo a venda feita em parte
para pagamento de eredores, vista, ou cousa
que isto val ha.
A venda comprehende tambem bois, animaes
de roda, carros e o mais que se convencional
Quem pretender pode apparecer no mesmo en-
genho de Janeiro de 1873 em diante a tratar com
o abaixo assignado e nao antes, por ter de seguir
para a comarca do Inga, onde vai residir.
De fevereiro em diante ficam enearregados de
seus negocios particulares os Srs. capitao Fran-
cisco Ivo d' Andrade e Dr. Benjamn Franklin de
Oliveira e Mello; para este fin (icario el le com
plenos poderes. -
Mamanguape t8 de novembro de 1872.
Augusto Carlos.
tuna casa pintada do novo, no Monteiro
sobrado grande : uara ve-la, as chaves
taverna do .k'r. .Nicolao.- Aluga-.se tambem o 2
andar do sobrado u. 11 da ra de Torres do bair-
ro do Recife, prximo da praca do Corpo Santo :
a tratar na ra do Imperador n. 37r 1 andar.
Avisa-se
Aviso.
Fugiram do engenho Dambuiral, na freguezia
da Escada, na noute de 7 do corrente, os escravos
seguintes: Theotonio, idade iO annos pouco mais
ou menos, prcto, altura regular, eheio do corpo,
ps apalhctados e feios, tem urna perna mais curta
que a outra, tanto que pelo andar se conhece, e
bastante ladino; Venceslao, idade 40 a 50 annos,
prcto, com marcas de bexigas~na cara, alto e cheio
do corpo, ps e nariz grandes. Arabos Ievaram
roupa de algodao azul. Paga-se generosamente
quera os apprehender e leva-Ios ao referido en-
geDho.
Criado.
Para servieo de casa e de algum mandado pre-
cisa-se de um criado de lo annos ; paga-se bem:
no caes do Apollo n. 69^_________________
Nos abaixo assignados declaramos que a
contaV de 31 de dezembro prximo passado dissol-
veiiio amigavelniente a sociedade que tinhamos
raa'da Madre de Dos n. 12, sob a firma de Bas-
tos t Lima, retirando-se o cx-socio Lima pago e
satisfeilo de seu capital e lucre, e desonerado de
qualquer responsabilidade tanto do activo como
do passivo da mesan firma, cuja liquidacao ficou
pertencendo ao socio Bastos, a qual contina no
mesmo ramo de negocio sob a sua firma indivi-
dual. Recife 25 de Janeiro de 1873.
Francisco Goncalves Bastos e S.
Joaquim de Souza Lima.
|5U$U0.
No engenho Massuass, frgueiia da Escada, se
Jar de gratificarn a quaotia cima a qnem ap
nrehender tres cavallos que naqoelle eogeiihi
luram lertados Da noote do dia 19 para 30 de no-
vembro prximo passado : o 1* uro 9 anno, e
eastanbo e c?nrdo, teo a orelha direita bastante
lascada, urna estrella na testa, e no qoarto esquer
do tem orna cruz ; o 2* me, com pintas ver-
me,has nos quartos, grande, gordo, com o pes-
eoco fino, castrado, tem es qaadris ferides da
csagalha, ferrado era a marcaI. R.do lado
direito, e tem a idade de 9 qoos ; o 3" rodado
sanhass Isro, curto e g^osso, um pouco cambito.
; ca-traio, pequeo, e esta ferrado com a marca']
Oso qoarto direito : gratiflca-se eom 30*000
por cada uro em presenca da peoa, em cojo po-
der for encontrada qoaJouer < MOFINA
Est encouraqado !!!
gRoga-se ao Illm. Sr. Ignacio Vieira de-Mello,
escrivao na cidade de Nazareth desta provincia, o
favor de vir ra Duque de Caxias n. 36, con-
cluir aquelle negocio que S. S. se comprometteu a
realisar, pela terceira chamada dvste jornal, em
fias de dezembro de 1871, e depois para Janeiro,
passou fevereiro e abril de 1872, e nada cumprio;
e por este motivo de novo chamado paja dito
fin, pbis S. S. se deve lembrar que este negocio
de mais de oito annos, e quando o Sr. seu filho se
achava nesta cidade.
Empreza do gaz
Respetosamente informo aos senhores
consumidores do gaz desta empreza, qae
ss contas entregues, devem ser pagas men-
salmete aos bossos cobradores, e na ao
senda deste- podem se dirigir roa do Im-
perador o. 31 oa fabrica do gaz, em S.
Jos, todos os dias uteis, desde as 10 boras
da manha at as 4 horas da tarde.
Previno aos mesmos senbores, sem ez
cepc3o, que no contiooarei a foroecer gaz,
aqoelle qae n2o pagar suas contas de
consomo de conformidade com este aviso,
Fabrica do gaz. 3 de dezembro de 1872.
0 eogenbeiro e gerente.
TbomasJVbwbujgiDg.
a quem der noticia da escrava Guilhermina, que
foi do tcnente-coronel Feliciano Joaquim dos San-
tos, e depois comprada ao Bario de Na'areth, re-
presenta ter 21 annos, tem falta de dentes na
frente e as mos eom eieatrizes de queitmdura de
gaz, secca do corpo, moito regrista, que desappa-
receu da casa de sobrado n. 26 da ra dos Coe-
lhos, que ser generosamente recompensado.
PENHORES
Na travessa da ra
das Cruces n. 2, pri-
meiro andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nhores de ouro, pra-
ta e brilhantes, seja
qual for a quantia.
Na raesma casa
compra-se os mes-
mos metaesepedras.
Quem precisar de pessoa habilitada para
balanciar qualquer ca<> de molhados, ou de fa-
zendas, diriji- c ra Impe i 1 en seguimeato
ao Afogados, casa n. 270 que encontrar das seis
horas da manha s. seis da tarde, por preco bas-
ante mdico. ______________
Fagio o escravo crioulo, de nome Domin
gos, pr priedade de Bartboloraeu L- urenco lera
os signaes seguintes: bem preto. 'llura regular,
sem barba, cabera pequen, orelhas pequeas
ollios grandes e vista espantada, gingador,
quem joga capoeira e naiz grande : roga
quera o pegar, leva-lo -ra do S bo n. l
ao seu escript rio.ni tua da M.dre de
2, que se grat ficr generosamente.
Precisa-se
' tS 11.
de um ajudante de cozinheiro e de um criado :
oo Restauran! Sa ta Isabel n. 2, rna da F oren-
tina, v
Caixeiw.
Na ra do Rangel n. 43 precisa-se de um cai-
xeiro que d fiador sua conducta.________
AOS 5:000|000.
Estao venda os felizes bilhetes da lotera da pro-
vincia, na casa feliz do arco da Conceiclo, loja de
ourives, no Recife.
954
A casa feliz do arco da Conceiclo vehdeu nes-
se numero a sorte de 5:000,1 da lotera da Babia
extrahida a lo do corrente.
Engommadeira e cozinheira.
Precsa-se de urna mulher^-que saiba cozinhar
e engommar com perfeico, e aceio : tratar no
engenho Jacar, comarca de Nazareth, ou com
Leal & Irmaos, na ra do Mrquez de Olinda n.
56, 1." andar.
Vende-se a armaco da loja u. 2 da'traves-
sa Duque do Caxias, antiga travessa das Cruzes.
Oflerece-se urna ama para casa de familia,
na ra da Concordia n. 80, portao.
Aluga-se
o predio sito na travessa da ra de S. Joo n. 8,
de um andar e sotan, com comraodos para gran-
de familia : a tratar na ra Duque de Caxias n.
86, loja.
Criada
Precisa sede urna que cozinhe e engomrnecom
Bjreicao, para casa de tres peseoas : ruada
nio n. 67, confronte ao muro do gyranasio.
Ple-se ao Sr. fiscal da frej;uezia de Santo An-
^tmo que lance suas vistas pira os acougues da
ra do Rangel, h^je Visconde de Inhama, afim de
f0oe as posturas, da cmara municipaTnao s vi-
rorem nos ai^ugues da ribeira da freguezia de
-S. Jos, relativamente a venda de carne verde
depois da hora exarada na ntesraa postura ebe-
Cade e escndalo a tal ponte de se tocar o buzio
fiara annunciar a venda das referidas carnes, de-
fiois da hora esjiulada: istt pede.
(i amigo da ,usti{a recta. j
O abaixo assignado confessa ser falso um
boato sobre Pedro Antonio da Costa, de receber
120*000 para a procura de i cavallos fumaos,
e se este fez diligencia em acha-los pela amiza-
de que me consagra e nao pelo interesse de gra-
tificado qualquer.
___________Manoel Augusto Pinto do Souto.
Criado.
Precisa-se de um criado livre ou escravo: pa-
ga-se bem; tratar das 9 as 4 horas da tarde na
rna do Mrquez de Olinda n. 40 1* andar, e as
demais horas no Corredor de Bispo n. 89.
- Tem-se para alagar ana perita
madeira e cestnreira : a roa de Hortas a
eugom-
l.
Companhia
SATA THEREZA
EMISSO DE ACgES.
De ordem da directora se faz constar que
at o dia 31 do corrente acha-se aberta a as-
signatura para a emisso de 1,000 acees de
50 cada urna, parte do augmento do capi-
tal autorisado por decreto n. 5,H9 de 27
de novembro ultimo.
Aspessoas que desejarem tomar acees
podein entender-se com o abaixo assignado,
ou com os Srs. directores baro da Soleda-
de, Francisco G. Netto e Joaquim Rodrigues
Tavares de Mello.
Recife, 15 de Janeiro de 1873.
O gerente,
_________Justino J. de S. Campos.
CAZA DA FORTUNA
RA 1.* DE MARCO OTR'ORA DO CRESPO N. 23
A'is 20:0008000.
O abaixo assignado tem sempre exposto venda
os felizes bilhetes do Rio de Janeiro, pagando
promptamente, cono costme, at 4:000.
FWBW.
Inieiro.......24*000
Meio........12#000
Qoarto....... 6*000
Manoel Martos Fiuza.
Fuga de escravos.
Evadiram-se no dia 20 do corrente, do engenho
Bcnto-velho, da freguezia de Santo Antlo, os es-
cravos segu ntes: E cquiel, pardo, Jos, preto,
Xo, preto, Jorgo, cabra, Martinho, acaboclado o
Sabino, mulato, todos imberbes, a excenro de
Jorge, que tem pouca barba, representando torera
de 16 a 24 annos de idade. Os cinco prtmeiros
escravos foram coraprad( s era dezembro prximo
passado ao major Jeronymo Theotonio, da Silva
Lourei o, professor em Paje de Flores, sendo
Ezequiel e Jos de sua posse, Jorge e Martinho
por procurarlo do Dr. Levno Lopes de Barros,
morador em Cabrob, e No por procurarlo do
Sr. Antonio Lote da Silva, morador em Caruar.
-ahiiin foi comprado ao Sr. Thoma< de Carvalho
Soores Brandao, morador nesta cidade. Rogamos
a todas s autoridades da capital e do centro da
Srovincia, onde, apparecerem ditos escravos, se
ignem segura-los, e prometlemos boa recompen-
sa a quem os capturar e leva-Ios ao referido en-
genho, ou der delles noticia.
Precisa-se alngar urna esorava quitandeira :
na ra da Falma u. 85.
R
inhar.
Trocos
.Sa ra do Rangel n. 7, troca-se cobre por se-
dulas, nao menos de 50j : quera quizer all podo
apparecer.
No engenho Jacar, da comarca le Naza-
reth, contina a precisar-se de um feitor de can>
po, nao se repara nacionalidade, paga-se bem :
quera estiver nestas condices dirija-so ao mesmo
engenho, ou a casa dos Srs Leal & Irmio, ra do
Mrquez de Olinda n. 56, 1. andar. _______
ara cozn
Precisa-se alagar una.amo, forra ou cap-
tira, que saiba.cozinhar o diario de urna
casa de pequepa fatniliai Trata-se na ra
do Capibaribc n. 40.____________________
Msica
. Vocal e instrumental
Manoel Augusto de Menezes Costa, tendo-se des-
pedido de professor da cadeira de msica do ar-
senal de guerra, propoe-se a tomar alumnos de
ambos os sexos para lecconar, tanto era sua casa
como as em que for convidado. Tambem se en-
carrega de lecconar e ensaiar a bandas de musir
cas militares, ou de alguuia sociedade particular,
tendo a seu favor a longa pratica de 2t> annos de
ensino, que Ihes tem conferido os meios mais con-
ducentes para o rpido adiantamento de seus dis-
cpulos, como bem patente ao publico : quem se
quizer utilisar de seu prestitno, pode dii iyir-se
roa Augusta n. 187, 3 andar. _______
Ao publico.
Quem leu o meu annuncio publicado nos Dia-
rios de 11 a 44 de dezembro do auno prximo
passado, e 1er o contraprotesto que ao mesmo
annuncio onpoe agora a Sra. Henriett Martins,
ver qne ella longe de destruir o que alleguei
em dito annuncio, mais torea Ihe d, p is confes-
sa seren nieus o terreno e a casa da porta d'a-
gua, que me deve muitos annos de renda do
mesmo terreno, finalmente que existiam e ainda
existem em juizo, accoes para desapropriar as
bemfeitorias existentes no terreno.
Nao exacto ser foreiro o terreno em qneatlo,
porque antes de pertencer-mc por compra que
fia aos herdeiros da administradora do vinculo
do Monteiro, fazia parte do dito vinculo, e o seu
administrador nao poda aforar. .
As rendas nlo recebi nem fui intimado para
ver recolhe las ao deposito : alm de que, a ren-
da que a Sra* Henriett tem de pagar-me do
250000 por anno, e nao de 6*400 como erra-
damente allega em seu contraprotesto.
Nlo sei qual a lei que me obrigue a vender o
mej terreno contra, minlia vontade por existi-
rera nelle bemfeitorias de outrem, quando ao con-
trario sao as bemfeitorias que esto sugeitas ao
solo.
Adnnra-me a facilidade com que a Sra Hen-
riett. declarando ser o terreno meu, expoe-no
venda como seu.
Ser sectaria do comniunismo ?
Contino a oppor-mc a tal venda, e protesto
haver da Sra. Henriett, ou de quem quer que
comprar, taes bemfeitorias c terreno, nao s^ as
rendas vencidas e por vencer ao preco de 250
por anno, como est declarado na acelo propos-
ta, senao tambera todo e qualquer prejuizo que
me possa resultar da raesma venda,
- __________Svphronio Qlympio de Queiroga.
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
1)0
Bciife Olinda c Bekerihe.
Compra de solipas.
No escriptorio desta com-
panhia, comprase constante-
mente a procos razoaveis,
solipas de oticica e sapu-
caia, das seguintes dimen-
s5es : compriniento 10 pal-
[ mos, grossura 9 pollegadas,
o abaixo a>siguado na esta-
eo da rea da Aurora.
Estrada de ferro do Olinda, 23 de Janeiro
de 1873.
O gerente interino,
Lamrntino Jos de Miranda.
Escrava fgida
Continuaausene de*deo dialtde dezembro de
1872 a escrava Manuella, negra, de idade de 4o
annos, estatura baixa, com urna orelha radiada,
pelo que nao pode pendurar br neos, falta de den-
tes na frente, ps grossos e com signaes de cravos
as ponas dos dedos ; levou vestido de chita es-
cura e chale de 11 com riscas do cor ; foi com-
prada a alguiis n ezes ao Sr. Francisco Jos Go-
mes, desta cidade : quem a capturar queira le-
va-la ra da Cadeia n. 6, ou na Capunga, ra
da Ventura n. 10, que se gratificar.__________
Jardineiro
Precisa-se de um jardineiro de idade, que tenha
bom comportamento para trabalhar em um peqoe-
^io jardim, e que se sujeite tambem earregar co-
mednrias da ra Imperial a ra Direita n. 10't.
Aluga-se o primeiro andar e sotlo do so-
brado n. 25 da ra de Santa Rita, estando elle
em bom estado : tratar na ra Duque de Caxias
n. 4i.
Precisa-se de urna ama
para casa de rapaxes *!
teiros; a tratar na ra f*
de Marco, outr'ora do Cres-
po n. 17, loja.
Furtaram do engenho Poeta, na freguezia
da Varzea, do capitao Manoel f orreia de Araujo,
duas burras na noute de 20 para o da 21 do cor-
rente mez, sendo urna eastanha amareila e aeu-
tra cinzenta clara, tendo a primeira os signaee
seguintes : urna estrella na testa, urna belide em
um dos olhos, urna marca de um talho eni urna
das ralos no lugar do piador, e tem a dita mo
mais grossa, tendo um ferro ; a segunda tem os
signaes seguintes : urna belide em tim dos olhos,
a sarnelha g ossa tem urna punta do quadrilho
mais baixa do que a outra, una mo na junta no
lugar do piador indiada e com o ferro segainte 8
em um quarto e no pescoco ; ambas est o bem
cortivadas do servieo, esto carnudas e sio bem
novas. No dito engenho Poeta d-se a gratifira-
cao de 50* por cad< urna a quem as levar ou der
ma no'ioia exacta deHas. ________^^__^_
Precisase de urna ama para com-
cosinhar para casa de peque-
preferindo-se escrava : a
a cstreita do Rosario n. 32, !
MPrerisa-s
\ prar c cosi
\ na ramilla.
andar.
grossura V ditas.
Contrata-se com
CARNAVAL
Na Chapellerie des D mes ra do Barai da
Victoria n, 16," prepa a- e qualquer costume a ca-
pricho, pro^rio para o caruavel: ogotdiira-
balho neste genero j bem conhecido pelos
amadores do carnaval portento inut 1 elogia-lo.
Hotel da Independencia,
ra do Imi
page a-se
rador n. 32, precisa-se de um copeiro
m.
Precisa-.se de orna a-i a para cozinhar para
stre pessoas : na ra de Sant i Amaro n. 28.
Cavallo
Desappareceu da ra do Soccgo, casa n. 31, um
cavallo alasao faca, com os signaes seguintes :
ferrado de ambos os lados, frente aberta, um p
calcado de brauco, tendo na parte direita do pes-
coco urna ferida proveniente dos arreos da car-
roca : a pessoa que delle noticia der ou leva-lo
dita casa, ser generosamente recompensada.
U ma senhora habilitada ao ensino de pri-
meiras leltras, offerece-se para ensinar em algum
engenho nao muito distante da capital : .quem
pretender dirija-Se ra do Imperador n. 5, 3
andar.
Collegi) \sccnsao de Hara.
Mara Felismina Pinto, devida men te habi-
litada pela directora da iostruccAo publica,
ha montado na freguezia da Boa-Vista, rna
Itnperatriz n. 37, um eollegio sob a ileno-
minaci0.deAscenso de Hara,tendo por
fim dar s meninas a mais apurada oducaeao,
quer pela instrueeao moral e religiosa, quer
pela instrueeao litteraria e scientitiea, oceu-
pando-se no que fr relativo a formar urna
boa mi de familia.
mi
paga-se bpm :
Frecisa-'e d um ama q^a jai-
bero cozinhar (forra oo ccravaj
a roa Nova, loja o. 11 ____
AMA
No largo do Paraso n. 28, pre-
cisa-sc de urna ama para en-
gommar e preparar sallas.
Precisa-se de um; para cozhhar
o outra para eng mmar : tratar
na ra do Hospicio n. i 6, ou Que*-
AMAS
mado n. 70.
Precisa-se de una ama para casa de auti-
lia, preferindo-se escrava; na rna Direita n. 86,
loja de miudezas.
AMA
zinliar.
a ra da Cruz n. 9, se-
gundo andar precisa-se de
urna ama para comprar e co-
Ama
Escravo fgido.
Contina fgido o escravo Luiz, que tem os se-
guintes signaes : 22 annos de idade, pouco mais
ou menos, estatura regular, pardo, barbado, ca-
bellos carapinlios, rosto redondo, tem urna per-
na indiada e [levou roupa de embarcadico.
Presume-se que esteja no engenho Sant'Anna, em
Santo Amaro de Jaboatlo, onde tem parantes. Pe-
dc-se a todas as autoridades policiaes c capitaes
de campo, que o apprehendam e o condusam
ra do Baro do Triumplio, antiga do Brum, ns.
92 e 94, que sero generosamente gratificados.
Na ra cstreita do Rosario, sobrado n. 35,
fornece-se comedorias para fra ; algumas pes-
soas que nao tiverein portador manda-se levar cm
suas casas, e as horas que determinarem, scrao
bem servidos, pois tudo se faz com asseio e com-
modos precos.____________________

OJSr. Francisco Agostinho Madeira queira ap-
parecer na roa Duque de Caxias n. 60 A, lojas de
gento da Silva- A C. Sueeessores e de Manoel Hi-
iciro Bastas-____________________________
Severino.
Anda fgido, desde o dia 6 do corrate, o es-
cravo Severino, pardo escuro, di altura regu-
lar, de 13 anuos, punca barba, ps chatos 3 maos
grandes, tendo em ambos os jarretes urna marca
foveira de queimadara, ;nculca-se de forro e an-
da calcado, veste, ora paletot sacco e ora justo,
ambos de panno : quem o apprehender ser ge-
nerosamente recompensado, trayendo-o ra do
Mrquez doHerval O., 31.
Cz
Precisa-so de nina cozinheira que seja boa : tra-
tase na ra do Lasserre n. 6, na Capung.i, ou na
ra do t'ommorco n. 48, escriptorio.
\viso.
1
Machado & Brandao, liquidatarios da extincta
firma Silva Rocha 4 Machado, previnem ao pu-
blico que ninguem faca negocio com Manoel Anto-
nio de Souza Hbeiro, relativamente a heranca e
legado que o fallecido tio Antonio Joaquim de
Souza Rraeiro lhesdeixou em testamento, visto
que o dito Manoel Antonio de Souza Etfbeiro lhes
devedor por letras vencidas desde 1869. Recife
27 de Janeiro de 1873. _____________^^^
Precisa-se de urna ama para tratar de
enancas : na ra do Visconde de Goy-
anna n. 161._____________________________
Precisase de urna ama para cozi-
nhar c comprar : na ra da Impe-
ratriz n. T>6._________________
Precisa-se de urna ama para o serv ;o in-
terno de una casa do pouca familia : a tratarlo
armazem u. 29, ra Duque de Caxias._________.
\nit Precisa-se de urna ama para andar
xVIllct com u:n menino de mezes : na ra Con-
de da Boa-Vista, antigo Caminho Nevo, n. 78.
A-M A
ma n. 76.
Precisa-se de una ama pa-
ra comprar e cozinhar para
una pessoa : na ra da Pal-
Precisa-fC de urna ama pa-
ra servir a duas pessoas, c
que saiba comprare cozinhar,
nao se olhando a preco ; ra da Palma n. 76.
Precisa-se alugar urna escra-
ou ama forra, que cozinhe e
ngomme para diminuta fami-
lia : na ma do caes ce Capiba-
ribe, na casa n. 34, com portao e grade de ferro.
Precisa-se de una ama para servieo interno
de casa de hornera solteiro, serve at escrava, en-
temiendo de costura e engotnmadi-: ra do
Padre Floriam n. 69, 2. anda-.
AMA
nao se olhando a pr?
klki
AMA
Ama de leite.
Precisa-se de urna sera filho, com bom e abun-
dante leite : em Olinda, ladei ra la Misericordia
n. 3. paga-se bem agradando.
Precisa-se de urna ama para cozi-
nhar e comprar : ra do Baro da
Victoria n. 28. outr'ora Nova.______________
A mi Precisa-se de urna ama para tomar
.Vllidi c,m(;l jc Dcninas, que seja de boa con-
ducta : na ra da Imperatriz u. 37, 1." and.tr.
\iYI1 l'recisa-se de urna ama, para servieo
.lint interno, de urna pequea familia : ra
Duque do Caxias n. 57.
wm
mM%
' '

CASADAFORTHNA
Rna I de Marca
(Outr'ora 4o Crea
Dabaixo asegnado tendo i
bies bhete* da iaMlf^ Jky n.
4:O00| em quatro quarhe de'n.
peesuidores a virem recetor, que
serlo pago*, como do costme.
Maaoel Martins Rozal
n. *S
nos seus fe-
sorte de
; convida os
promptamente
O desembargador Accioly, sua
mulher e filhos, tendo de mandar
rezar algumas missas pelo repouso
eterno da alma de sua mu prezada
irma, cunhada e ta D. Carolina
Julia Accioly Souto, fallecida na
corte a 2 do corrente, pedem aos
seus parantes e amigos o especial obzequio de as-
sistirara a esse acto de religilo e piedade, que te-
r lugar no dia 31 do mesmo mez, s 8 horas da
manha, na matriz da Boa-Vista ; pelo que lhes
ficarO summamente penhorados.
Atten^o
O abaixo assignado vem por meio deste decla-
rar ao respeitavel publico e ao corpo do commer-
clo, qne tendo Antonio de Reg Medeiros annun-
ciado que tinha justo e contratado a compra da
taverna sita ra da Santa Cruz n. 74, com o
mesmo abaixo assignado, e nlo tendo realisado o
mesmo negocio, declara que tica da data deste
em diante pertencente ao seu antigo dono, cu jo
abaixo vai assignado. Recife 29 de Janeiro de
1873.
Domingos Martins Gomes.
Sociedade Unio Juvenil
Pergunta-se ao Sr. director Faustino Cor-
reia Jnior, a raao por que nao procedeu
j a eleicAo da nova directoracomo deter-
mina a lei que rege a mesma sociedade ?
Ser por que tem tomado o gostinbo da
directora ? Ora I deixe-se dissoe faca
quanto antes a eletcao.
Nao queira S. S. imhar ao Sr. ex-director
Jos Correia Peres, que, segundo S. S., di-
xia que ella quera estar perpetuamente na
cadeira da directora. A lingua nao tem
osso : quem fallapaga.
Recife, 29 de Janeiro de 1873.
Um soca
Fugio hoje o men escravo Felippe, bem pre-
to, de 26 annos de idade, sem barba, boa altura,
ps grossos e chatos, esperto, cortado de chicote
as costas, nadegas e no peito, porm estas mar-
cas slo antigs, e foi comprado ao Bario de
Nazareth. 0 escravo natural de Pesqueira, foi
do fallecido Thomaz de Araujo e passou depois
para o poder de seu geuro Luiz Cavalcantej mo-
radores em Bitur : quem o prender e trouxer a
este engenho ser generosamente gratificado. Ta-
pera 23 de Janeiro de 1873..
__________Miguel Felippe de Souza Lelo.
Fugio hontem, 27 do corrente, o escravo Be-
nedicto, mulato, cabellos carapinhos, corpo grosso,
baixo, olhos grandes e muito flor do-rosto, sem
barba e representa ter 18 20 annos.
Este mulato natural da Parahyba, tendo sido
escravo do Dr. padre Moura e por este entregue
ao seu sobrinho padre Moura, coadjutor da fre-
guezia do Cabo, para vende-lo, como de fado ven-
aeu-o ao Sr. Joao Pedro de Mello, e este a mira ha
onze dias.
Quera prende-lo. poder conduzi-lo ra da
matriz, da Boa-Vista, casa n. 33, onde ser gene-
rosamente recompensado._______________
ATTEMAO
A sociedade carnavalesca de Nag de
Fan, declara quo nao responsavel por di-
vidas feitas por seus socios, a ttulo de ser
para a sociedade, e que os que se julgarem
eredores proeurem -eceber seus dbitos da
pessoa que os fez ou contrahio. _____*
Cozinheiro.
Precisa-se de um que seja bom, paga-se bem :
no hotel da independencia, na do Imperador n.
32.
GABINETE
Medico-cirutgtro
RA DO IMPERADOR N. 73, ANDAR
0 DR. NUNES DA COSTA
MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
ESPECIALIDADES.
Molestias e oper?c5es de olhos.
Cara radical e instantnea dos
estreitamentos da uretra.
Consultas:
da matiha.
Chamados:
Das 7 s 10 toras^
A qualquer hora, /j
Botica Popular.
Precisa-se de um offlcial com bastante pratica
do pliarmacia, e capaz. Da-se 1:000000 de
ordenado annual._________________________
Escrava.
Precisa-se de urna escrava para servigo de ca-
a : na ra do Visconde de Goyanna n. 161,
SITIO.
Para tratar de um pequeo sitio e mais algum
servieo, precisase de um homem que seja acti-
vo e cuidadoso : no caes do Apollo n. 69._____
Os herdeiros Bowman, faiem iciente ao pu-
blico que desencaminhon-se urna lettra n. 1632,
do saque dos mesmos herdeiros e do aceite dos
Srs. Claudino do Reg Barros e Victorino Jos
Raposo para 5:600^000 e que tendo elle saca-
do urna duplican fica a lettra primitiva de ne-
nliun valor. Lembram igualmente que-nem es-
ta nem qualquer outra lettra do saque dos mes-
mos herdeiros, pode jamis ter valor senao em
suas proprias mos pelo costume que tem de
nunca descontaren! seus saques.
Recife, 2& de Janeiro de 1873.
Furtaram.
Furtaram hontem das 4 para 5 horas da tarde,
da ra da Imperatriz o. 18, loja de relojoeiro de
Carlos Motta, o relogios de ouro cobertor sendo
um horisontal n. 2506, outro patente suisso n.
2:1430, sendo este de repetico, outro patente suis-
so n. 46088, outro patente suisso n. 17377, e ou-
tro patente inglez n. 204441: roga-se por tanto s
pessoas aquein lorem offerecidos o obsequio de ap-
prehende-los e dar ciencia m dito estabeleci-
menlo, que serio recompensadas generosamente.
0 Sr. Jto Romo Soares de arvaltao *ue-
ra chegar Cambo do Carme t. 3, a negocio de
seu l.terejse.
Os abaixo assignados declarara ao publico e
especialmente ao corpo commercial desta praca,
que nesta data dissolveram amigavelniente a so-
ciedade que tinham na taverna sita ra de Do-
mingos Jos Martins, outr'ora Seii'ala-velha n. 80,
de baixo da firma de Costa & Santos, ficando todo
o activo e passivo cargo do socio Jos da Costa
Ca eiro, e o socio Antonio Luiz dos Santos pago e
satisfeito de seu capital e lucros at a presente
data e exonerado de toda c qualquer responsabi-
lidade. Recife 27 de Janeiro de 1873.
Jos da Costa Cazeiro.
______________Antonio Luiz dos Santos. ^P|
Est fgido desde o dia 23 do jan! do anuo
de 1871 o escravo Luiz, mulato, alto, cabellos bem
crespos e principiando a buc-ar. Tem um peque-
o sigual ue cabellos no qiieixo; e no braco di-
reito as lettras -L. F. N. Sals lor, trabalha de
pedreiro, envernisa e pinta.
Este escravo tem um irmo liberto, que traba-
Ihava (e pode ser que ainda trabalhe) de macbt-
nista de vapor n'um engenho de Abreu d
Una.
Pede-se as autoridades policiaes e capitaes de
campo que o prendara e facam-no conduzir ra
da matriz da Boa-Vista, casa n. 33, onde rece-
bero ISOjOOO.
Aluga-se a casa n. 133, com comraodos para
familia, com gaz, sita ra da Concordia : a tra-
tar com Marcelino Jos Lopes, ra do Moudego.
olaria n. 63; a chave confronte a loja de marci-
neiro.
SS5i>
momio ni ruis
ADVO&ADO
RA DO IMPERADOR i. 37,
I. ANDAR
Aluga-se a casa n. 63 da roa da Palma: a
tratar com Bernardino de Sean Pontual, roa
da Madre de Deas n. 36, 1 andar






Diario dePernambueo Qinta feira 30 n:
fl
fl
i
l
r'
m
4 18

^*
-r- O couego Francisco
Rochael PerSra dtf Britto
Mediros est residindo na
ra da Uhiao n. 49. .*
I
I
ALTA MOVIDAD
PIANOS E MSICAS
ACTOTO JOS DE AZEVBDO
Ra do Bario da Victoria n, 11, armasem, e 12 1. andar, antiga m Nova
aonde o publico m geral encontra]sempre o maior e mais esplendido sortimento aepttuos
Pianos, msicas e instrumentos de msicas para banda militar
e orchestra.
Ledra perdida.
0 abaixo assignado perdeu na noute de segn-
-reir 27, urna lettra da quantia- de ni toe en tos
1 fis eom o lugar do secador em brafleo, acei-
ta era data de 18 do crrente a tres inezes de
prazo, a vencer no dia 38 4c abril, a qual de
ada servir a quem a achou visto como os acei-
tantes esto prevenidos a nao pasaren) send a
sea proprio dono, o abaixo asignado.
ReciCe, 38 de Janeiro de 1873. .
_______ Domingos Nnncs Ferreira.
Sitio para alugar.
Aluga-se urn sitio na Capunga ra das Per-
nambncanas n. 33, tendo boa casa de vivenda, eo-
xeira, estribara, arvores Iructiferas e agua pota-
vel: tratar na ra da Imperatriz n. 9, 1.a an-
dar.
de

Acaba de abrir no primeiro andar do sobrado n. 13 confronte i
botica Manrer, do grandj uiio onde estao expoMos os magnficos
PIAMOS d i armario, de PleyeL
-------di) me a canda, do mesmo amor.
-------- de H. Henrx.
-------- d< Amede Tbibont.
Onico agente cesta cidade, dos celebres afamados
PIANOS DE AUCHER FRSRES
remiados em divenas exposi;6ss om 14 medalhas de onro e prata.
Sao os onicos pianos qne aqu veo da Baropa, perfeitamente afina-1
dos, fetos com ciegan :ia e solides.
D'aqui emBdlante continnar a annnneiar todas as publicares qne se forera friendo as suas offleinas de musieaa.
V
Tambera receben grande sortimento de mnsieas pira piano, piwo e
canto e entre ellas as lindas coroposfcSes do mnito sympatbico maestro
f. SAnnriwi
A SABER :
Voc me qner Walsa.
Olga Mazarka.
La Separacioni Para canto.l
A Lux elctrica, grande Walsa.
Franco Brasileiro Polka.
Tomada de Vllela Galope.
Joaninha Walsa.
A Libertadora Polka.
A Primeira espada Wal.
A Mioha Lyra Walsa.
A Natalicia Polka
Stndiente Po'ka.
Ultimas pnbllea?5ei
Feitas as offleinas de mnsieas
do annunciante.
Emilia, polka por I. Smolti.
Cireaciaos, scholch.
por Smoltt.
Jardim do Campo tes Priceus,
Iquadrilba, por 1. Popo*.
Chuta de Rosas, Walsa, por H. Al-
bertasxi.
WuiJMiaSr,W^\'-T/.T-^MIf> '-^MSL^Sfc >JS S-/^ MfcfMfci Sai lia mk i Sii ile <8n tVllSTaii Vilf I
CAUTELA!
MEURON&C.

A portugueza cazada que quer prestar os
seus serviros era casa de urna familia, dirija-se
ra da Imperatriz n. 9,1." andar, que achara
com quem tratar. __________
Joao Lorte e Prospere Lnbain dissolveram
a sociedade que tinham nos tainos sitos no rogar
do Chora-Menino, r tirando-se o socio Prospero
Lubain, pago e satisfeito ; ficando desta data em
diante todo o activo e passivo a ca go do abaixo
assignado.
Recife, 87 de Janeiro de 1873.
____________________Joao Lortet.________
Massa fallida de Jos Pedro
Baptista Oarneiro.
t. dividendo de O o
Sao convidados os credores da massa fallida
de Jos Pedro Baptis a Carneiro, a receberem o
dividendo de 7 Opj, do da l* de fevereiro em
diante, no escriptorio de Manoel Seve Filho.
Manianguape, 37 de Janeiro de 1871.
Os administradores,
Manoel Seve Filho.
Jos Velloso da Silveira.
A'.ttur Castcllo Braoco tendo da seguirla
prox'ma semana para a Europa, pede desculpa a
todos os seus amigos se nao poder desped r-se
pessoalmente ; iede ("esculpa dessa falta involun-
'ariae offereca seus Iracos prestimos na cidade
de Liverpool.________'_________________
Na manh de 38 i-o correte mez fngio a
negrior.a Mara de 11 para 13 an os, com os
signaes seguintes : preta, cara redonda com mar-
ca de bexigas, nariz a rebitado i ara cima, com
doas dedtes pod es na frente, ps grandes bas-
tante regrista, desconlla-se ter ido para Ignaras-
\su, por ser ftlha do negro Silvestre, escravo do
Sr. Soares B and i o, no engesho Inhaman : pde-
se as autoridades e capitaes de Campo a captura
da mesma e leva-la a sen senhor na ra do Ct
pibarit e, casa n. 34, que se recompensar gene
rosamente.
Ao comineivio.
Os abaixo asiguados declaium ao publico e com
especialidad-' ao commemo desta praca, que ties-
ta data veiKi.T.iiii a r. Joaquim Jos da Silva
A evedo a (averna sha ra lo Bario do Trium-
ho n. 65, e que g> rava sol a llrma social ile
lOpes Andrad, fieando todo o activo e passivo
da mesma cargo do mesmo senhor, e os abaixo
signados exonerados de toda a respoiisabihdade
Recife 21 de Janeiro do 1873.
Manoel Lopes Alhciro.
Manoel Jos de Andrade.
DE FRAXCEI
Edgard fJambaro d lices do franeez, tanto lia-
ra fallar eonio escrever esta lingoa em iwuco tem-
i e por methodo nmito fcil : na ra da Aurora
n. 41,3* andar. ___________
Tendo o meu escravo, mulato Jovino side
encontrado no beceo do Veras era casa de duas
mulatas, na occasiao d ser preso fugi > polos mu-
ros- de cinco casas, e por isso pc;o a todas as au-
toridades policiaes e aos capiUes de campo que o
prendara qne serio bem recompensados.
Tcnente-coronel Joao Valentiin Villela.
.
COMPRAS.
Attencao.
Compra-se nma escrava de 35 a 50 annos, q*ic
saina cozinhar; na thesoiiraria das loteras, ra
1. de Marco n. j6. ___________
No armazem de materiaes da praca da Con-
cordia n. 1, compram-sc casas terreas, mesmo
em mo estado, sitas na ra Imperial, ou em ou-
tro ltgar que tenha porto de embarque.
Compr
a-se
Quarenta travs de qualidade superior com 40
palmos de comprimento e 10 pollegadas em qua-
dro ; bem assir, 100 caibros : na ra do lloiu
Jess n. 51, escriptorio.
Compra-se
urna escrava que saiba eottohftr na loja da Rosa
Branca, ra da Imperatriz n. 56.
VENDAS.
Ra larga do Rosario n. 22.
O Vianna tornou a arrematar mais pecliinchas
para vender barato.
Vejasu :
Cortes de brim branco trancado que
d urna calca
Ditos de dito pardo trancado muito fino
Ditos de dito ae linho puro (cor do linho)
Cambraias .
Chitas
Pecas de madapolo fino
Crotn.' para coberta
Borzeguins para senhora
Ditos de bezerro, cordayao e gaspiados
para homem, obra muito boa, que se
vende a ISj;, a
2 500
2 000
2$000
200
200
i 000
360
4 000
8O0O
A1!/*
MM
feri^ao de Olinda.
"0 arrematante da aferiqo de pesos e medidas
4o municipio de Olinda scientitica aos donos de
estabelecim ntos e negocios volantes, sujeitos a
afericao, qne o praso marcado para a mesma
afericao; findou-se em o ultimo de dezembro pas-
sado, e como at esta data t tem aferido um
pequeo numero de estab lecimentos o mesmo
arrematante chama a ftenejio dos Srs. coma er-
ciantes que anda nao aferiram afim de virem
fazer suas aforigoes, pois a Illma. cmara mu-
nicipal nao den prorogac.ao de pr.so.
O arrematante,
F. P. Advincnla.
^Precisa se de umi mu ter que entenda de
oslora, para Taz-r companhia a urna menina em
casa de homem solteiro: para tratar na ra de
S.'Fiancsco n. 30.
Ra larga da Rosario n. 22.
Mais pechinchas.
Baptis^s, fazenda mulo fina d bonitas cores de
1*300 a 500 rs. o covado.
Cas as muito bonitas de 600 rs. a 280.
Pares de bolees de i/laqc lino para punho.i de
11 a 340.
Maco- de pentes de alis r de 3*400 a IJ.
O Via na s vend o que barato e bom, an
dfm depresa rorqne o barato todos g.nniecr
Vende-se urna Caverna na ra da Casa Forte,
ertencente a viuva do fallec o Antonio Manoe
e xeira : quem a pretender dirija-so a mesma
taverna que achara com quem tratar. ^^^.^
JVesUTypographia precisa-se de um
para o trabalho de roda.
homem
Desapi>areceu na
corrente, d;
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PEETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois qu os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenlio se pede
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro REA
FRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botos tragam o nome de MEURON & O, e a desig-
nado de REA FRETA.
MEURON ft C.
DO
noute de 19 i ara 30 do
reguez a do Poco da Pauella, urna
burra com os sign es seguintes : castanha, car-
nuda, tendo a mao esquerda um pouco inchada,
tem urna marca na sarn ia, pr veniente de um
gerimu : quem a achar, ou della der noticia
exacta ser generosamente recompensad'.
QESTAO DO DA
(/?' pela barriga qne mclhor se
\ goverra o mundo).
Gnu'de agitacao !... Todos fallara I----gri-
tamt.*". escrevem!... lastimam-se 1... cho
rara... e nio coraem? nao bebem ?
Eis a confnsu!!
Meditemos, pois...
Alvicaras !... Alegrai-vos, bella e heroica ci-
dade do Recife, que vai desabar sobre a cabera
4e cada um de vossos invictos lilhos urna nuvera
prende de mgicas inspiracoes a veraeidade
oeste annuncio.
Olereis conseguir os fins ? empregai os meios:
apurai a vossa imaginacao, vasai na vossa intelli-
Sicia urna gota de inspiraco c tereis resohido,
minado aquestao do di,
fuereis ?
Antonio Ferreira de Oliveira Maia tem para ven-
der em seu estabelecimento i ra da benzala-nova
n. 1, chinellas para homens e senhoras, tamancos
e sapatos de tranca para os mesmos, borracha
para limas, ludo de sup/rior qualidade a {.or pro-
co enmmodo por ter vindo de sua gnita nropria.
JARROS
000
c,
wm tripas e doblada de vacca irp:en a
da uu> .' no rmazem de Tasso Iroios
rna do Amorim o. 37._____________________
Vende-se una escrava parda, perfeita en-,
gommadeira e eozinheira, < mon, o s para engenhn : na rna do Imperador n. 2 se dir
quem vende. ____________ __________
Cafe
de boa qualidade, do Rip do Janeiro, ven-
de-se a retalho ou em por^o, na ra lo
Commereio n. 32, 2o andar, por cima do
Loudon Brasilian Bank, entrada pela rna do
Torres.
FUNDICO DO BOWMAN
RA DO BRDH N. 52
(Passando o chafarz)
Os proprietarios desta fundido recommendam-se aos Srs. agricultores pela boa qua-
lidade das obras que durante mais de 30 annos, a casa lhes tem fornecido.
Poesuem sempre um avultado deposito de machinismo e implementos em toda a va-
riedade de tamanho, propriospara todos os naysteresda agricultura, e preparo do assuear
e algodio; entre os quaes algumas novidades nesta provincia, mcrecendo ser vistas.
Vendem a prazo ou a dinheiro com descontla vontade do comprador.
GATELLA
Avisam ao publio que diversas eneommendas dirigidas a esta casa, tem sido desvia-
das: pelo que, rogarc a exigencia da conta impressa, para prova da procedencia do que
se tties fornece. ,. ,
Outro sim, que por ahi andam especuladores lalguns empregados e obras em concertos,
etc.,) a inculcar eneommendas e compras de machinismo : acautellara aos Srs. de engenho
contra os taes, lembrando-lhes, pensem se sem interesse aquella industria: e quem paga
as peitas reeebidas pelos ditos inculcadores.
COMMISSOES
Fazem encommenda vontade do pedinte, mediante urna commissao. d qualquer
machinismo ou obra, dando ao comprador a vantagem obtida^por sua habihta?ao e costu-
me no negocio, tanto em respeito ao oreen como a qualidade, assim como todo o auxilio
em montar e trabalhar com o'machinismo vindo.
HERDEIR0S BOWMAN
por Albert B. Ghewy, Engenheiro.
RA DO BRUM N. 52
PASSANDO O CHAFARZ
Eseravo fgido
to0$000 de gratiEeaco.
Ausentou-se desde o da 13 de maio de 4872,
o iveto de nome Alfredo, de trnta e tantos asnos,
enlo, e bastante ladino; este preto perfeito
cozinneiro, estatura alta, magro, olhos grandes,
j esteve no engenho do Sr. Lnl de Caiar, em
S. Lourengo da Malta, onde consta ter prenles,
foi escravo dos Srs. Adriano & Castro, e do Sr,
Jos Joaquim Goncalves Bastos, negociantes desta
praca; ae todos estes Srs. foi cozinneiro, tem sido
visto fior pessoas qne o conhecem, dizendo que
est forro, assim tem podido escapar de ser preso.
Pede-se todas as autoridades e capitaes
de campo que o pegando lev.;-o a roa do Duque
de Caxias n. 91, loja de miodezas do Rival sera
Segundo, que receber a gratificarlo cima de-
clarada.
Pois bem, fortifteai os pulMoes, desempedi a
tarynge, rgentinai a voz, adquir o dom da per-
snasao e finalmente abracat sem hesitaco a por-
tentosa inxpintrao que vos offereco e tereis Coreas
saicientes para discutir, convencer e.. .demar,
para sempre a magna-questao do da.
(lucras todo teto ".'
Vinde ao muito jireconisado armazem do Cam-
pos, ra do Imperador n. 38, e eomprai certas
e especiaes victuaHias, (exquisitas* excitantes) a
par dos coruscantes* finos vinhos, nao esquecendo
os finissimos e calmantes licores, lembrando-vos
dos aarissimos o delicados acepipes, (aiem de eu-
tras 'Oiuitas cousinhas boas que ficam oceultas
nestes.....para despertar a curiosidade dos aman-
tes da___) e varis que depois de teres saboreado
essas finas e delicadas iguarias vos apparecer
nma lo enrgica inspiraco cousa inaudita) que
vos considerareis metamorphoseado era alguin
prophela, abundando a vossa imaginacao de cl-
culos infalliveis que vos Carao resolver em um
pice o grande problema que prende to forte-
mente as vossasattencSes-questao do dia.
Ihividaes ?
200#000 degratficaejo.
No mez de outubro do anno prximo paseado
kujio do engenho Ajudante da freguezia da Esca-
da, o escravo de nome Guiiherme, o qual tem os
signaes seguintes: 33 annos de idade, cor acabo-
colada, olhos grandes, naris um pouco arquiado,
cabello crespo, altura e eorpo regulares, ps eora-
prido e seceos, com algumas marcas de ferida
pelas eostas : levou comsigo um cavallo castanho-
rosilho, tendo no lado diireito esta marcaE.
Desconfia.se que tenlia seguido para a eidade da
Parahyba. Roga-se s autoridades policiaes e ca-
pitaes de campo a captara do referido escravo,
que poder ser entregue no dito engenho ao seu
senhor, Emilio Pereira de Araiijo, ou nesta pra-
ao respectivo correspondente Firmino Correa
es6a de Mello, ra do Apollo n. 56.
1004000
Fdfio do engenho Pon tal, em Seriahem, do
dia 7 da mez prximo pujado, o mulato Simio,
com os signaes sigoiotes: estatura regular,
eorpo saeeo, cor alaranjada, barba serrada, ca
bellos earapiobos a falla desoancada. Qaem o
pegar leve o ao sea senhor o teaeote-ooronei Vi-
cente Mendea WaoderleT, no d(|o enfeoho, on n
ReciCe ao Sr.Bernardino M Sena Pontoil, na roa di
Madre de Deas a. 38, qae receber a gratifleacio
Aluga-se
a-sala e aleova do 3* andar, e parta de
obrado o 70 roa Duque de Caxiae;
a loja.
solio do
a tratar
.Veste caso i vai :
Com a barriga vasia
A caneca arde, enCraquece,
O corpa treme, vacilla,
A razio dcsapparece.
N. 28 ra do Imperador Y 28
Aviso
Machado A Brandan, liquidatarios da firma Sil-
va Rocha di Machado, tem constituido seu procu-
rador ao Sr. Olimpio Elysio do Nasciracnto Wan-
derley, eora plenos poderes para cobrar amigavel
ou judicialmente dos seus devedores, residentes
Villa do Triumpho, Villa Bella e Cariris, quer
na
de urna ou de outra firma, cujos ttulos esto ven-
. ilos, ficando sem effeito a procuradlo que os
mesmos deram a Antero Francisco de Paula Ca-
valcante em abril de 1871. Recife 38 !e Janeiro
de 1873.
A' G1.V do Sup/. Arct.-. do
Un.-.
Convido a todos os membros activos da Aug.-.
Loj.\ Cap.-. Finnexa e Hamanidade, a comparece-
rem, ho;e 30 do corrente na ra do Imperador
g. 39, S. andar, pelas 6 horas 4a tarde, para se
tratar de negocios urgentes que diz respeito a
todos os Un.:
Secret-. da Aug.-. e Sob.\ Loi.-. Firmeza e Hu-
manidade, aos 30 das 4o mez d Janeiro de 1873
er.\ vulg.-.
Manoel dos Santos Villaea.
Secret-.____________
Preeisa-se de batedores de assuear para a
refinaco do largo do Arsenal n. 8.
Charutos de Havana
Knperiores
no escriptorio de Tasso Irmaos & C. ra do Amo-
rim n. '7._______________^_^___^__
Vende-se, arrenda se ou permutarse, por
trras que sirvam para plantar caima, tuna padaria
sita no pateo da fira no povoado dos Mentes; a
tratar com seu proprietario no mesmo povoado ; e
para informaodes, com os Srs. Rocha Lima 4 Gui-
maraes, ra do Bom Jesus (outr'ora da Cruz) n.
16, ou com o Sr. .Nicomedes Mara Freir, no
Caes do Apollo, ifesta cidade.
Vende-se a muito afreguezada taverna e
armazem de sal n. 137 da ra Vidal de Xegreiros
(outr'ora Imperial), propria para qualquer prin-
cipiante por ter poueos fundos o motivo porque
se vende se dir ao comprador._____________
Atteneao.
Vende-se dous excellentes terrenos muito bons
para qualquer edificaco no lugar do Arraial, na
ra da Harmona, tendo um 3o palmos de largu-
ra que extrema com o do Sr. Di'. Francisco de
Paula Salles, e o outro com oilenta e cinco ditos de
largura, na mesma ra do lado do riacho, pro-
prio para plantacoes de capim ou de qualquer
verdura : a tratar com Rufino Manoel da Cruz
Cousseiro, em sua residencia, na ra do capitio
Antonio de Lima, em Santo Amaro n. 36, ou em
sua offleraa na ra do caes de Capibaribc n. 8,
que melhor poder esclarecer aos pretendentes.
Vende-se a taverna sita a ra do \ hannrtn
de Pelota- n. 1, outr'ora do Aragao, propriajpara
principiante por ter poueos fundos.
Diademas e granipos de
ac.
A loja da aguia branca, ra do Duque de
Caxias n. 50, recebeu novamente bonitos diade-
mas e graTpos de ac._______________
Vende-se o estabeleimento u*e molliados sito
na ra de Maroilio Das 90, sendo a ca-
sa commoda para um grande progresso ; o ne-
gocio a satisfago dos prete denles:
VAPOR FRANCEZ
RA DO IUHA0 DA VICTORIA
N. 7Outr'ora NovaN. 7
PIANOS,
Aeabamde ebegar muito bons pianos Cortea-e de
elegantes modelos, dos maia notaseis e besa eo-
nhecidos fabricantes; como sejam : Alphonse
ltloinlcl, ll.iiiy Uers c Pleycl Wolff 4 C. : no
vapor fraocez, ra do Baro da Victoria, ju-
tr'oia Nova n. 7.
Calcado franeez.
Botinas de luxo e phantazia brancas pretas e de
dilereutes cies, tanto para senhoras, como pa-
ra meninas.
Sapatinlios com sallo no rigor da moda, brancos
e de cores para senhoras.
Bytinas de-Meli, de Suser e de Polak, para ho-
mens.
Sapatos de eordavio llilic apara homens.
Botinas para menino de qualquer tamanho.
Perneiras e meias-peroeiras lauto para horneas
como para meninos.
Sapatoes de Soaer para homens e meninos.
Sapatos de verniz com salto para hoatMad
Abotinados de umitas ([ualidades e prefOB para '
meninoa e meninas.
Sapatoes de vrniz com -ola de pao proprins para
sitios, jardins e banhos, soitimento para homens
e senhoras.
Sapatos de tapete, c.vemira. charlot avelludado,
de tranca portuguez e Craneet
No armazem do vapor franeez, rna do Barao da
Victoria, OOtr'ora Nova n. 7. -
Perfumaras.
Finos extracto?, bajthaa, oleo?, opiata e pos etn-
trifice, agua de II r de laranja, agua de toile-
te, divina, florida, lavando, pc'is de arroz, sabo-
netes, cosmticos, mulos Eroga delicados em
pet-ramaria pan presentas com frascos de ex-
tractos, caixinnas sortdaa e garrafas de ditie-
reutes tamanhos d'agua de eologoe, ludo de [ ri-
meira qualidade dos bem conhecidos fabrican-
tes Piver e Coiidray,
No armazem do vaoof franeez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
, Mascaras para o carnaval.
O mais importante sortimento que tem vindo de
mascaras de massa, de rame e de seda, nariz
com oculos, barbas etc., preoos muito bara-
tos tanto cin groso como a retalho.
No armazem do vapor fnm.w., rna do Barao da
Victoria, outraora Nova n. 7.
Para viagens.
Milito boas malas e bolsas para viagens de a--
de caminhos de ferro.
Estojos de viagens com o pertences necessai. t
para barba. .
No armazem do vapor franeez, ra do Barao
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Napoleio c a Guiiher-
me. perneiras o loeias perneiras para homens,
e melas perneiras para meninos.
No armazem do vapor france-, ra de Barao-
ila Victoria outr'ora Nova n. 7.
Mobilias de vimes.
Cadeiras de balanco, de bra?o, de guarnices, so-
cas, jardineiras, mesas, conversadtiras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por screm fortes e
leves, e os mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recreio-. _
No armazem do vapor franeez, ruado Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
Artigo* le liFei'Ciitos g.*<* e
phautaziiiN.
Espelhos dourados para salas e gabinetes.
Leques para senhoras e para meninas.
Lnvas de Joavin, de lo da Escoria e de camurta.
Caixinbas de costura ornadas com msica.
Allmns e qaadrinhos para retratos.
Caixinhas rom vidro do augmentar retratos.
Diversas obras de ouro bom de lei garantido.
Comentes de plaqu nmito bonitas para re!' ,
Brincos imitaco e botoes de pannos de plaque.
Bolsirilias 6 cofres de seda, de velludo e de coun-
nho de cores.
Kovos objectos de pnantaala para cima de mesa
ejioileitc.
Piicenez de cores, de prala dourado, de ac ede
tartaruga.
Oculos de ac lina, e de todas as graduacoes.
Bengalas de ImtO, caima, com eastnes de marfim.
Bengalas diversas em grande sortimento para ho-
mens o meninos.
Chicotinhos de baleia e de multas qualidades di-
versas.
Esporas de tarraeba para saltos de botas.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Pontea de tartaruga para desembarazar e para
barba.
Ditos de marfim muito fino-', para limpar cabe-ca.
Escovas para rnupa, cabello, unhas e para den-
tes.
Carleirinhas de mareperola para dinheiro.
Meiaa para hornera e para meninos,
Grvalas brancas e de seda preta para homens -
meninos.
Campanadas de mola para charnar criados,
Jogos da gloria, de dama, de bagatella?, de dorr.i-
n e muros amitos difirentes jogumhoi
mies e IVancezes.
Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami-
nhos de ferro,
Mamadeiras de vidro de dar leile mu i fcil as
enancas.
Argolinlias de marfim para as enancas morderem,
bom para os (lentes. ,
Ber.os de rimes par embalancar criancas.
Ceslinhas de vimes para braco de meninas.
Carrinhos de quatro rodas para passeios de cri.sn-
' Cas-
Veezianas transparentes para portas c janeBaa.
Reverberos transparentes para c^ndieims de gas.
Esterescopos e cosmoramas com escolhidas ris-
tas.
Lantcrnas mgicas com ricas vistas de ceres an
vidros.
Vidros avulsos para cosmoramas.
Globos de papel de cores para ilkiminacSes de
festas.
Baldes aereoslaticos de'papel de seda mui faeil
do subir.
Encerados bonitos para conservar as mezas de
. jantar.
Machinas de varios sy^mas para eaftu
Espanadores de palha e de peuCl'.-
Tesourinhas e caivetes finos.
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas.
Ti ltenos de louca branca, modelo bonito e bom.
Tiras de molduras douradas e pretas para qua
dros.
Quadros j promptos com paysagens e phantazia
Estampas avulsas de santos, paysagens e phanta
zias.
Objectos de mgicas para divertimentos em Ca-
raibas.
Chapeos de sol de cabo de
marfim a 23#000.
pechincha : na loja da Rosa branca, ra da
Imperafcriz n. 36.
Las do ultimo gosto.
A Rosa Branca tem as mais lindas las para ves-
tidos e vende a lfSOO o covado : na ra da Im-
peratriz u. 86.
Chapeos para meninas de
idade 6 mezes at 10 an-
, nos a i*$.
! A% Rosa Branca tem cnaposinbos mui'o deli
cados e o preroc barato, i roa dalmoeratnz a. w.



Realejos pequeos de yeios com lindas pecas.
Realejos harmnicos od accordions de todos os
tamanhos, e outros muitos artigos de quinqui-
lharias elidiris de mencionar-se.
No armazem do vapor franeez, ra do Bario d
Victoria, outr'ora Ndva n. 7.
Brinquedos para meninos.
A maior variedade que se pode desejar de todos
os brinquedos fabricados em differentes partee
da Europa para eniretenimento das crianzas >
tudo a precos mais resumidos que possivel :
no armazem do vapor franeez, ra do Barao
da Victoria, outr'ora j-oaNeva n. 7.
Mascaras.
Mascaras.
I
Aeatiam'de chegar gr.ndes Caetaras de masca-
ras com todos os soromentos, parajrender-se em
grosso e a retalho : no armazem do vapor fran-
eez, ra do Bario da,Vickria, outr'oraNova a 7.

, i

.*_;



6
Diario de Pernambuco Quinta feira 30 de Janeiro de 1B73.
V
Para acabar at o fim do anao
Na ra da Imperatriz n. 60
LOJ DO
DE
PEREIRA DA SILVA & .
Temi os proprieta ros deste grande estabelecimento, um avallado sortiooeoto de
faien.l's ena ser, e desejanlo liq'iida-la*, at o fim do correteaono, tena resobado veo-
de-las por presos omito omraodos, cora o fio de aparar dinheiro, a vista de qoe^
convidara o* Um. Srs. che'es de familia a virem sorti-re, nao s de /azendas de primei-
ra.iwsseci'laite, como de f zendas de. laxo e gosto, das quaes encontrarse om sormeio
das mais novas do mercado, chegadas pelos al limes vapores da Europa.
FAZLNDAS DE GOSTOS
FZENDASDE LE
CORTES DE ASSAS A 1&500 E 35 X>0.
O Payo vende cortes de cassas de cores,
com padra? milito boottoa pelo barato
preco de 2$500 e 30000.
CORTEA DE CHITAS A StfiOO E 258S0.
O Pao veode cortes de chitas francezas
finas, om 10 covados pelo diminuto preco
de 24 V 0 oda corte.
Di; is com 12 covados pelo preco de
23880 cada corte.
PEC\S DE CHITAS A 702CO.
O Pavo vende pecas de chitis fioas, lia-
dissiims pad.oes, tendo 30 covados cada
pee, pelo brato preco de 74200 cada
urna mni'o barato.
LENQO'ESDE BRVMANTE.
O Pavo vende lenges de bramante mui-
to graudes, sendo de um punno s, pelo ba-
ratMimc preco de 24100 cada om.
CIIAILES BARATOS A 1J0OOE 2JO0O.
O P.i So vende ctiailes do tarlatana gran-
des pelo barato preco do l|0Btt 24300.
Pitos 'le 15a estampados imitacrio de
merii 2,J0,0.
Ditos de qmdros modernos, muito en-
cubados 3(5000 e 44000 ; assim como
grande sortimi nto dos mis finos chailes
crepon e merino qoe se veodem por procos
ajile- em coala.
MADAPOLES.
Peg^s de nndaDnlao frncez muito fino
com 20 jard.s a 5550G e G4000.
Ditos c>m 24 jardas taoito superior a
6#P0 e 7500 \
Dio ingier. fazenda muito fina 540G0,
64-,>00 e 0500 at if0000.
Dit s franceses e tagleses muito finos de
IQ jardas para dTaren'as oreos.
ALGODAOZINHO.
O Pava i vende por pre;o muito barato
Oteas de algodiotiobo americano muito
boro com !8 jardas 14000.
Dito coro i jardas a 500 e 5<5000
aie 6dOi)0.
Dito largo marca T mudo eocorpado a
64000.
ALGODO ENTESTADO.
O PavSo veode .i verdaeiro e superior
'godaoxiabe de daas larguras para lenc/jes,
.-, lo muito encorpado I^OO cada van.
Dito tra cado di raesrm largura <480.
CHITAS LARGAS.
O Patio >eode esus execellentes chitas
.'. .',.- zis clara i e escoras com muito bom
p*D in ;i 240 rs. cada covado.
Dita muito fina 280, C2Q e 360 rs.
Peraltes oissimos miudiolios a 360 e
i.)0 rs. cada cvad).
CAMBRAIAS.
C Pavo vende corles de cambraia trans-
pon .t prupria para \estidos a 245G0 e
300 f.
Prfi de dita muilo fina com 10 jardas
I ato ia ada como traasparenla a 4)5000,
DO b 0^000 t a ma:s lina que vean
ao marca lo.
BRAVIANTES PARA LENCiO'ES.
O P*vj.i veode superior bramante de al-
eodo ten! 1 6
BAREJES DE SEDA A 140JO E 10400 O
COVADO
O PavSo recebea pelo ultimo vapor
francez, om grande sortimento dos mais
iindos barejes de seda, sendo em cores
e g09tos o melhor que tem viudo aomercado;
esta nova fazenda muito propria para
vestidos para bailes o a casamentos, ttate
entre esta fazenda delicados padres brin-
cos proprio para vest'dis de noiva.
MODERNSIMAS POPELINAS
Popelinas a i05JO e 20000" o covado.
O Pavo recebea om elegante sortimento
das m lis modernas e bodas popelinas de
IS e -eda, e linbo e seda qa- vendeos a
10500 e 20000 o covado, tendo padroes
librados mudo o graudos que parecer
propriameate. seda, assim como das mesmas
de noiva.
NOVAS SEDAS A 205OO"-:
O Pavo vende bonita e moderna, seda,
de urna s cor, tendo -.'e todas aa.rescam
delicadolavrores miudiobosevendes 20500;
o-ovado para ven 1er barato.
CORTES DE SEDA A 450000 E 500000:
O Pavao veode b mitos cortes de. seda,
f.tztnda de muilo gosti. tendo 18 oovaioe
cada corte e vende por 453000?
Ditos de 20 covados a 50J0001
Sao muito baratas em rdaco superior
qualidade d'estes cortes.
BAPTISTAS DE GRAND0 NOVIBADB.-
0 l'av i vende um grande: sortimento
cor, preprias pira vestido, com as.coresjBais
oovas que tem vindo ao mercado sendo
muito raai 1 largas do que as chitas francezas,
e vende pelo baratissimo preco de.OOfS'.
cada covado.
OFFICINA DE ALFAIATS NA LQJA DO
PAVAO.
^ palmos de Isrgora que s
percisa de 1 '/i vara para um lenco!, me-
Vi-i 10600 e a vara 10800.
Dito de linho puro soper or muito eocor-
cuo c m -i raesma largura a vara 2-5400
Hilos fraocezes m. ito finos a 2550O e
30600.
Pega da Hamburgo e panno de oho com
*i e 3Q varas, pan ti>.los os pregos e
qoalidade.
Pecas de bretanha do pt.ro linho, tendo
30 jardas pelos preoos m;is barato que se
Uim vito.
Pecbinrhi de fi.issimo.tsgcio socelena
com 6 jardas 70COO.
Pep de r.aissimo celena com 30 jardas
a 30.VO. atodhado adamascado com 8 pa!-
n:3 re |-rgara a vara 20'ifO.
LAZINH\S DE FURTA CORES.
O PavSu ^nde um elegite sortimento
de llsjfitlm de furta cores que brilho qua-
s; .i.ui) seda ten Jo de todas as cores, e ven-
d^ 300 rs. o covado.
CALQAS DE CASEMIRA.
O PavSo tem nm grande sortimento de
:j;a dii ca'mira, asm como cortes o-
m:i modernos qne tem v odo nos ltimos
Agarros o em fazenda das mais finas e m i-
lOYas'ao mercado, e vend) se por barato
prQo para aparar dinberro assim como cal-
as de bnm hraoco e de cores por prep>
anto raiiavfiis para acabar^
CORTES JE PERCALIV COM DASSAIAS
A 40000.
O t- -.'.! i vende bonitos cortes de precali
cem doas sias, sendo fazenda" de mut
gostoa i;50:iO, pecbiocha.
TNICAS PRErTAS;
T O P> 3o re:eben om grsnde sortimento
ja mais ricas tnicas de groa preto, rica-
awn'-i enfeitadis e vende por preco razea*
ve!.
VESTIDO^- BRANCOS BORDADOS DE
3530000 AT 600000.
OT*avl() recen om liilo sortimento
oi Wl* ricos cortos do cambraw branca.
' ricamente hortadoti e cora J.odos os^enfri
tes nyce?san'o, o-vend pelos prffos d*-
35^0' al 600000, tSa tsm vindj nada
mai rico ne'7> roas*mode*noj
CORTINADtiS PARA CAMAS E JANELLA9
A 01OD, 8,5000 E 10|80*.
O Pav.111 tem ira grande sortimento de
cortina 1is para cama e pniHft, qoe ven-
de celo h^rati pf^jo de 70IOO; 80000 e
100000 par, tendo at por 185000, assim
c> b; c i!oois_dii damasco para camas de
noi? *, o grande sortimeoto de tapetes tan-
t-> para Icadeiraj como para cimas, pianos,
portis, etc., todo vende pfrTpWOo'9 razoa".
A
Prft^a da Mependeneia
Acaba a Madresilva* de receter diversos
objectos, couio scjain :
Ricos aderaos d naasirepefola braucos B
deicowei-
1 iadonwrs d marejrerola, ditos doutados,
ditos da massa 011 bfalo, ricamente enfeita-
dos, cruzes tiugiudo brkaatesj oassoietas de
plaqu com voltas-e'swn ellas, imitamh)
9iA.r0, pulseiras' duradas, ditas imitando
tartaruga, rao sortiineate de gsamy^s para
jabelo, sendo brbbltas besouros o beija-
flres e outras muitas qualidades, tudO-de
muito gowtu, rito sortimento do gravatinbas
de-iacos para senhora, sendo ve*lodo, sarja,'
sjetim, gaze, escossezas e de urna s cor, &*
^ond"intrameiits"novidado.
Lind1 sortirnento'da leqoes de maTfim,
aiadrtperola, tartaruga, ditosdourados,com
da esem; ella,. alera destos de ontras muf-
ta*.qualidades, <}o enf.uloiiRa seria mencio
uaiy tarti> para sen horas corno parame-'
nmasf
j Rrcrj 'sortfrfliito" de punhos e gollinbas
bordada.-, em cambraiade linbo ooaiaizinUas
rrdadas para sen horas.
Boiiita6gaarnites pu dragonas para en>
fetes de resrifls/assimeomo os murtodefec-
udos cord^ee^.'faMndiaiiirteiiimente
novidadt noteanescado. >
; Rico sortimento de caixinbas cora prepar
ros parocoskira, ondo dotaiapas do crystal
o de outras mtktas qilaliOaifS e tamaWhOs,
ditas para porta-jo, port<-^rtracts ricos
porta-rek'gios. portandMTutos, porta-caza",
tinteiros, castijaesj tudoi/ sao objecto de
plaqu,; prpppipjijKiw pwentear a qualqner
pessoa, assim cu*o-diversos objootoe /para
keseptor, faaas para cort3r:pnpei, xsartairw
!?,,nS!.le,n braDCaS prpraS Par*wl*^ para'iWtaS,' cartas para phoephoros, canct
bardadas' c lisas, maracas para crianzas, si-
rJ para abrir firmas, caixas-coiittHdt urna.
eta, um lapis e um caivete, agulbeiros
a dedaes, tuilos estes ubjeotos -san de-marint,
faenda inteiramentn nwidade,^ assiancoino
quirosmurtos queso a vista dos pretendett-
'tf,se podeao aiBBcionac^
, Voituarii is para iwiam^s, icltapociulios da
ixla. sapatinho dtr merino o setJm, meias
d seda' e de algodc, brancas,e de;rw; tu-
d,.para baptisdos.
j Ricb sortimento de babadores parar.eriaiv
57 ligas, de eda "pora senliora^ ,lencos
raucos eom faniager, meias de^dW para
Senhoras e menkias,>diMs de firyde Kswwsht,
das mais modernas, baptisUs cotnlista de 'methor mu; se pod, desojar,/ assrot eomo
CAP nfn-i'io nini',1'11 Li n/\m *n AAnn MDiIa' > 11-. *i
mewsJc la, pjuprit-s p;*asonboras.
Riw sortine'iiin de escovas cun custaa-.de
bleia; marchetadas -de* madfepoivda, par
r,trpa;e eabcllo,' c de owtras muitas l" *f TI-'
darte*,
AWLHA&:.- LIN1US 1 \ HA MAl .ULNAS.
A Madrebilva caba< d*ecebor: ni1 ewn-
N-'ste^grande e-tabeleciraente encooirafi pletosortinlrntc'deagMlbaaclinhasbrancas,
dfteofesr- pretas para maclrinas, dos fabri-
cantes Groinr^i Bafcr's, .aeeiin. como.aguIUas
du tiKla* as ipialidadese.linJ*a,s de boda paa
bordar e para crochet, ricas..capailas com
veos e N-iii -e para noiva lil-branto toi.i
bonitas ramagens c com-7 pnloicw de -larguras
fatenda especial:i s na.Madrcsilva.
Rico softnnentny de- floras do laranja ean
rumas e sepas, do todos os tamanhos, para
cafeites de vestidos de noiva&
Rico sortiiaentij de. uollarUihos e j'umhos-j
bordados < lisos, do linh1 e algodo, para,
homens, a>sim como chaptos de sol corje
casto. de' m;wiflk, e ootcus-maiisas artigos.
TEH A MADRESflVA
bonito soitiintmto de jarros-,..casticaesjom.
ningentes, gawafas e copos para espitaos,
frascos, garrafinhas da diversos gos.tps,lpro-
prias para toiltltes, assim "como apaa de re-
cebef um completo sortirfteao. da espelho;?
de molduras duradas, de todos os tMB-
hos, de 3 a &'palmos de" ahura e largura,
regular.
A MADttESlLVA.
acaba de retener um especiad sortimento .de^
hivasde .!"uviii, brancas, protas e de cit-j>
para homens t -.enhoras, aseim como tam-
pm para meniws e moninos- do 3 .ami*
para cima.
BOflKTAS;
Rico jiirtimeiito de bonecas de todos os-
tamanhos c- com rosto de cera.
BORDADOS;
A Madiwlva acaba do receber um rico
sortimento de bordados em cambraia uV li-
nho, fazi-aila interramento- novidade nesto
mercado, sondo babalos e entremeioi.-
Finaknemte, a Mitdcosika, aVai dc*#irti-
gs quecos faz rncurao, tem outros rmiitos
que eufadouho aecia expjkar-vos, pcf.isso a
Madnesilva especa quo-vos digneis visita-la
mais a iv'.m lo, a qoal vos finar sempre
gtaw.
o rsfMilavel publico, orna bem montada fifft.
ciua alfaiate, on>le se manda pxecuiar
qualqner peQa di obra, tanto para "hornera,
como para meoinos, com a naior pres-
tesa e perfeico assim como para qoalqoer
lulo que de repente appareca, tendo- na mes-
ma oficina nm perito nfficial destinado para
farda dos lira. Srs. officiaes de guarda na-
cional oa tropa de linba, sendo este- oficina
duigida pelo babil artista Pedro Celestino
Soares de Carvaibo.
NO VOS VESTIDOS' A 40000.
O Pavo recebeu om elegante sortimen-
to de novos vestidos de cambraia branca
com bonitos bordados de cor, e vende ptlo
barato preco de \ > cada um: muito ba-
rato.
ESPARTILIIOS A 30000.
0 Pavio tem um grande soitimealo de
espartllbos, tanto para s*nhora como para
menina, qba vende pelo ba>ato preco de
35000. Ditos mnito finos a 40000 e 50000,
sao dos mais mcdi-rcos qoe tem vindo ao
mercado.
CHITAS A 240 RS.
CHITAS A 210 RS.
CHITAS A 240 RS.
0 Pi'.a i vende chitas francezas proprias
psra vestido, sendo muito boa tazenda, com
padroes claros e escuros, otlo barato preco
de 240 rs. o covado, por ter um leve lo-
que de mofo : pechincha.
SAIAS A 2-S0C0.
SAJAS A 20000.
O Pavo vende s.as brsncas de cma s
prca cooi fazenda equivalente a 4 pannos,
com bonitas pregas em volta, a 20000' e
25500.
Ditas coa pregas e bordados > a 30000,
pechincha.
LIQU1DAC0 DE CALCAS DE CASEMIRA
0 Pavo tem um grande sortimento de
calcas de casemira de todas as cdWs e qoa
lidades, para todos o preces, e destejando
mbiio limida-las, resolveo vende-las por
um prego muito em conli, para diminnir a
grande poreSo.
CORTES DE FSTO PARA VESTIDOS A
3001-0.
O Pav5o vende cortes de fustao braoco.
tendo 12 covados para ves idos a 30000,
pechincha.
CORTES DE VESTIDO DE CAMBRAIA A
0000.
O PavSo vende bonitos cortes de cambraia
branca transparente, om bonitas vistas e
hvores, proprios para vestido, teodo 8 va-
rscadacrte, pelo barato preeode 60000,
pechincha.
C.\SSAS FRANCEZAS.
O Pavo vende bonitas cassas firju+ceaas
com bonitos padre^ e de rrwittf phttntasia
pelo baratissimn prego de 240 e 280 rs. o
covado, sendo fazenda de muito mais diiuVi-
ro, grande pechincha, na lojaicrPa.Yfio,
BOIR.NLS A 1680M;
O Pavo recobeu pelo ultimo patnele da
Europa, bournus dos mais lbidos-gostoSiqie^
at hoje sao conhcciddSj e em relajo;' 'e\-
cessi va barateza, convidam-se as Btmas. Sras.
para as verom, para assim idmirarem o que
fia de mais m>\idade ueste artigo..
CORTES DE CAMBRAIA A-69000*.
i O Pavo vende cortes db ca:
com listas e lavores du-meRma cf, )dl fa-
zenda para um: vestido, exond'
pt-rico rJ 6t5O0O-, por ser graot
Bilis muito finos com babadihhos brancos
honrados a 89000.
Ditos ditos com listas dr c*esv tt9NfO
5tUOi .
Ditos de carnbraia branca com 20 metros
dbbabadhihosde odres a 99MHs 6^|^Mtftt1 e f.'^^deau^
pbcbiticte nvlojexH) Pavo.
' MACHINAS
n
Cbegaraa ao Bazar Universal da rna No-
va n. 22, um sorumeoto de machinas para
costura, das melbores qnslidades que existe
oa America, das qoaes muitas j sao bem
ennbeerdas pelos seus autores, corno sejam;
Welre'r'Wifwm Qrtmr-' Boka, Silen-
ciosas, Weed e Imperiass e oatras moitas
que com a vista devertr agradafr aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trsbalbo que trinta .cohMHras podem
fazer diariamaate e cozem eom tanta per-
feicSo' comoi" 'mais perfeif cosiurrt/as.
Garante-8e a sua boa qnalidar> e ensii>a-se
4 trabalhar cora perfeico emnjiMs de i?ma
oM>e os pracos sao taa cor^mudos que
evem agradaraoapretandentc<
liehiwitTTi-F'rrc* 'Piidem
Jiferas slerttnas. : a* ra do
Crespo n, 16, primeira^iidar,
HL SE SEGHDO
Caegarara agolbas pfra machinas, o fa-
bricanta Grover 4 Bikr. Dn?.a a 2.-JO0O.
D. U A.
M
Olinda
Tem sra vender os scRaiales c^jectoa abar>
maBOisoado?. pelus pregns mais resumidos, com
sejaoi Soque* modernos a JOflo. p^5as de en-
ireBjaioSiprdadn- dedi*r.as Urgoraa a 300 rs.
lluras da colarinho de inho a 4*580. ditos mai
tinte* S#tS0; le eos para algibeira a J00 rs. bo3
fazead, ahas de carritel de 200 jardas a 60 ra.
ia par bordar a 5*000 > libra, Icqnes a imiucat
de aaodalo a :*")( 0, lampannas a 60Vrs. a duzi^,
caiMi-.ccrc papel amizads a 600 rs. ditas com di
to superior a 700 rs., t-sfwlopes a 400'rs. o ceo-
lo, b-Hinas acionaes para hornero a iGG0, foca
paga, eraoras a 1<500, agolhas francezas a 40 rs
0 MJWi >eeies df alc.alro a 300'rs. a?ua tl>
rid verdaiJirn a 1*200 a garrafa, diu inferior
1*000. fraseos com sndalo a 1*000; os con
olea> phlocii)9 a 800 o likXH, ditos cera dito ba-
bn- a jO-rs. ditos cora agna de colojae a 240
e 400 t*. peas de gaiss branco para eofeites d
vaalidos de .orianc. a 400 e SOO rs.. raassos coa
12 paeas de branca branca a 240 n cilos cotr.
liii.de cu>es a 320 e 400 rs., duti.v de phjspbo
ros ejurar^A a i'*i rs. e a grosa_ a fltitO. e on-
iro multes artigns, que para nao toraarroo-no
enfadabos deixamos dt mencionar, os guaas v*o
deai ha barato* para acabar.
LSztrihas para -vestidos a-320
reoo cota S os raa da Duqa" d#Ojias n. 60 A, catt'or*
ru doQd,plmadn, Ic^a di esqnica, de Bento dx
Oiegeiii qiianlo .mies!!
t :;s!^! :*o#! :$ii!
Jndos chapeos campestres, da ultima moda,
para senhoi :i, na na do: Duque deCaxs n.
O A, toja da esquina, de tienta (ka Silv.-i & C.
'
B
Vndo-a^ -itw- te fica entr<- o do commendalor Tasso c o do
eaemkarg.'u];., H)r^l-coln^q|saada vivenda, d ffe-
ntes arvoredo> gmade Bait de captas, etc.,
anto os fundos liaran estrada dos trijhos urba-
s^afr-p^ dW'e*gSrt da Jarfaeira : a tratnra
nSMO Aorini-.-.17,
familia do mandioca a -3# o
, saecoi
N.V n.i il;i Shrv to. DAM
ito nio se aoatafe,
o. 7 ; a^Ua, mi
\eite
*se.
Urna boa casa terrea*,, ctl proprio, servindo
'anlri, sita.naru* da Crioolas (C-muoaa.l
'"'ta^b'ern'-pjrrli, d urna OUA casaTSr-

Msyw ru ......- .... n, .j>tf irKtoeara
j> .J* Jo, vende-se franjas e enfet'es de
CffCpCRnW.
A leja jh MWilf&m >A>FM d0 Du1Ui de
(xias ti. '^, rec^Leu jama pequea porco de
.'-AO- de- rnid/paer^la, 0W3j- de
Amaral, .fabuco f C. awam a rapazada car-
naVNteaca a aos haliiana-s do Cabo, Apipucos,
fi.' i.iass. l*-a-F(Mte? Lianoeiro. Afogabs, Gyaa-
:\t SanO> Antao, NazarciJi. Varita, Oada, Mn-
tfi'ttiumb eaos demais niantcs do carnaval que
Dr-isberajp uiv c(mipict. sortimento d-i-niascaias
loa papeJo. sera seda e rame, para qaahiner
dararfer;. franjan, lniaras donrada^c pratea-
d;i, ralx'l'-ii-i-, lantejoalas, vollas'elc. VenuVm-
*, iiu. Il:/;:i victoria, vado I'arao Ja Victoria
AZAIl VICTORIA.
Aaiaral; Nabuco \ S. acabam de receber da
Km-upa pelo ultimo vapor o seguinte. e covid ni
i> Kxrua-. M'iihora> a viifin ver:
Iticas^ cliapcliuas para visita, de palha, fellro,
velludo c seda, a liabagares Monti iMisier, ultima
moda.
(Itiipos de palka para passoioi
l-jji'iU's desetbvdfc euros e para-luto, para oa*
TTa de Sra.
Casluines depaubraia para Sra. coateodo ves-
do. chapeo i*.; eabeca o do sol tudo da mesnk
twida e df igua*> rufeites.
('rtes, de vestido* de la c seda, de cambraia
i dados, agjia, pintados e estampados, e de
.liilisias de cures.
Elegantes pi.u nii-oes de c#pa .para senheja,
ontcndrj 1 jiai'-te brincas, 1 nhinete, i pulreas,
1 ilindcma e fttia borlwlcta.para cabello.
I.iqncs de inadn'perob, branca ^ qncimaAi cr
fe, tosa, lai-ar ele. .etc. lisys,* bordados.
LcqBcs 'fc inarHrn,^lisos, bordados c coro soda,
! Lcques.de lantarqga..
; Leqnos de madcira, .sso etc. etc.
! Vendfltn-so. no. Bazar .Vltiuria, ruajdo, B:u:Tui da
icloria n. 2.
P
Vende-e balances deciraws tanto pequen
orno gandes : na rcaj^loiJiuncialor u. 29.
ElMieUtntij tuncioho ingle cu latas de qnatro
uDr.s a"00fj rs. a !i ra: w>. ancaiem da Tasso
|rnJti3 dt-.C., mi.do Auorlu a 31;
t*ode se a 12* o-cpwk, muito barato : n*
na d (>in-n. 24, 1 asear, sal|S de- cabelle-
etm.
'*

Ujjpr.ttBfitaqnati.did, marca. Devoi.^ vendera
^ira.da.'^titiilraiaja/ raa.do Marquii di
Otttfla.o.ii; 1> andar.
mm- DE H4MBURG0
As mais receltl e*ioe4bores'.
Vendem-sena pKarmacia e drogara ileBar-
holomeiriS C., ra I-argadOsariao Ru. 3'
Vwnl* um calrmlet'inple7. de doas r das
roai gmlnrnsdeny e um evcdlcnio eaA-atte na. a
mdnav.: w na, eochoira la rna-da Roda, ei
r narua lalrwte m 10.
-------
Pilraoearaval.
Hija do ririguei-
dourados e rWlea-
para ve
Libras* sfrlfias.
faBW-aa.tftSa^d"} fat nd;s Auapaia
I. drOllvira i ; rai 15 Cormercio o. W
4 *
?
Pede obler em pouco lempo com o uso do melbor dos* licoresa affamada
Faz'oito anuos qo conhecido eih> precioso tnico, e difficil achar orna pessot
qoe, teodo experimentado pessoatmeote, d3o falle cm sea favor, j como bom estomacal
e apetisador, tomando tm calix della antes de jantar, oa como facilitador da digeitao
tomando-se depois.
khtffl
da HESPERIDINA a LARANJA AMARGA, nao ha om s habitante do BRASIL (aterra
especial das kranjss) qae tac conlieca as propriedades medicinaes da doorsda frocta,
ora besa, a m
em sea estado natnral tem nm gosto pouco agradavel, e o mrito da Hesperidioa cen-
sista em reter soas boas propriedades, e ao mesmo lempo apreaenta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA coma INDUSTRIA NACIONAL n3o lea nadi roe mvejar s-
melhores importares europeas de catbegoria semelhnte. Estas, qaando mnito, podem
ser gostosas, porm a Hespentlina a combinarlo pereita do
p AGRADAVEL E MW El
Para"prova de qoa um artigo no qual pde-se ter inteira confiaj*?!. P' wr sst.<
innocente, basta dizer-se que foi plenamente approvad esoiOrtsadaper"
JUNTA DE HYG1ENE
do Rio de Janeiro, permiltindo sua livre elaborado no imperio; ovtra
BOA PROYA
a acceiiacio geral que tem em todas as partes onde aprsenteos. Em lS6itabe-
leceo se a primeira abr.ca em Boenos-Ayres; em 1809 -a seronda em "Monte vi dio ; e
no dia daebegada de S. M. O IMPERADOR inaogoros-ss a fsbrwa qoe acinakotale
trabalba oa corte. Em Valparaizo e em toda a costa do Pacifico lev boa acceiiag-o.
tanto que rara a casa que considera completo sen aparador sem urna garrafa de
l
O bornea wrAo toma Hesperidioa para obter
VIGOR,
0 homem ioente toma flesperidina para obter
SAUDE
O homem dbil toma Hesperidina para obter
Hesperidina para obler be cr-

Zk>3 bailes as donzel'as e os mocos tomam
airi;i;ac durant8 os loucos gyros da
I?&Rqs JUNKR & C, roa do Vigano Tenorio n.
grande especi6co, e vendem-no nos depsitos seguales:
Josquim Ferrek-a Lobo, roa da Imperatriz.
Zeferino Carnero, roa do Commercio.
Marcelino Jo? Goncalves da Fonte, roa da Cadeia n.
Antonio Gomes Pires 4 C, ra da Cadeia.
Antonio Carnes Pires 4 C, caes 2 de Novembro.
Gomes & IrmSo hotel da Papsasrem. .
7, Io andar, recbenles**
2.

S E PECHINCHA^
EM
FflZENBflS FIKiS E ROPAS FEiTAS
NA OFFICINA
DA
LOJA DO PAK
Tendo- por meslpe Mr. Cbacre Lancen-I
RA DA IMPERATRIZ"% 40
Meudes- & Carvalho scientificam ae respeitav^l pobHce> qoe aeabs de recebes
ccmpleto sortimento do fazeedas rias de todas as gaalidades, tanto de lia como da- v
d!o, seda e algodao, o qtie ha de mais- modernoe do-melbor Qito e^ortanto co#*
daaa as Exraes, familias am;gas da ec D@-PAPAGAI0, e verao que comprara fazend.-s bonitas e baratas por oeooi preco *.
jamis comprarlo.
CSalO SEJAM:
GranadiMs de seda d- ama s cor, lar- Cbitas fraeceas de todos-as qoalidi*,
ga* a U9t* de 32&,. ateos crelenes de 60 rs. u :
Poupelinas sarjadas do furta cor boa lar-' vado.
gara, a l^iOO o covado. | Corlea de eas.a branecs bordados ce.
AI paca o .le cores com- 9tras de set'a para babados de seda de cor, e branco, e obsto
enfeite, a SOftrs. o covado. bordaios co listras.
Laazinhas de corea, em grande qcontida- PARA LUTO.
de, de 329 a 500 rs. o covado.
Cachenez francezes para senhoras- e me-
nina, a 31900.
Cretonas francezes para cebarlas^ cor fixa,
a 800 rs. o covado.
Alpacas lisas e lavrsdas, de cores moder-
nas, de SOO a>890 re^osCOfado.
C' be?tas de fosto de.13 e de cetras
qu!idad*s, brancas e de cures.
Poopelicas de seda, de Qdr e de qnadro
a 10SM)o covado.
Pe?.s de carjttksia.bordaJa j>a corlmado
com 25 varas.
Dttas de cambtaia adamascada com 2 va-
ras, a i5000.
[' Saias bordadas muito 2c.i Ja *-e 5 pao-
nos.
Baloes de.cbita e de cambraia a 2/500O.
N9osouks e baptistas cois stras para ea-
eitar.
Diversas qualidde? de !3asinb>s e alpa-
cas em retallaos, para todos r* pre?os.
Bramantes de linho para lences, ds 2(Jr208
al 44k)00.
Dito de algodo muito largo a 1^800- a
vara.
Algodo largo para ences, a 10G0 a
vara*
Atoalhado adamascado ie linho e algo*
d5o.
Espartilhoa de liobo fios, de< 3<5000-para
cima.
USlzinbas largas com stras !) serl, a
800 rs. o covaoo.
1 Madspoloes inglexes e francezes de 54000
at 12*300.
Algodtosinho de todas is arree*,, diver^
sos precos.
Bareges. com listra de seda, a 500 rs. o
covado.
Cassas francezas de cores, fijeas lizas
com barras, o padroes mais bonito? qoe se.
leem visto.
, FORNECEM-SE
V3s do fil de seda pretos a 84000.
M -r i us para vestidos, bombazina, cao
Oo, ahacas, laazinhas, crep, casas* e-ch.
tas, todo ea qnaniidade, e para deno*
prefos.
iirosdenaples pretos, de 14600, 2* o
SiSflO at 54HXV .
Seda pteta.com listraeaaiselijadas paq
vestidos^
Coaj :i>s de sol de ssda para mecaa. -
140> 0, e frrados.
Ditos para homem da 1U0C0, at --0400o
DJos de alpacas dtfoi e prjto, para d.
versos presos.
Tpeles avelmdados desde os mais -e-
qoenoa ateos maisjes.
Damasco carmesim para colchas, o me-
lbor.
Psaeos decrecbS' pra :cade'*a& e so-
pbis.
Camliaias viifcwi de todos, os nwc
ro*v
Ditas transpareete* ir^leaiseseissai^tv,
a largura de tarlataaa.
Fil de linho e de seda, branco e preto
lito, de salpico e de fl Tes.
Camisas bordadas para seohora, de di
versos precos.
MeidS pas setiberas,,. das, mais- inferi re*.
at as mais superiores que lee appa**.
cidfiw,
PARA- HQIUsm- EMEfONQS,
Noite esUbe|efcimwto &e~ m>*>toB, uso.
ufficiaa, e qpalqi*f huetmqoe.qiMXW ve
tir com posto, achara moita varieoade em
camisas de cores, pannrs finos e casemos*
o D|8s1iefqfeib,li bo mercado, roopa feita
dnjqpaBtiada. assim com camisas frao
wee*wlplhst lisas e bordadas, cerouia
de I nlio e ae a|tiJo, .meias, collarinboa. en
grande qHa^idq^, gnvuyi de tedei.o
feitlos,.calisai .6.twtjit, sonima ev
tra de tedo qoe a-ecisar; fiwji" *meft'

posto e elegancia.
AS AMOSTRA A OLEM. AS-E*WfetirV tV4a% GURINOS AS
HRfiGUZAS D* CA14U

ln$glS HKttJIIBitilS.
Amaral, Xabuce' V jj. v^enJlm n?iijn.'0 a^o-
ilicas de diverso ge no Bjttar \ ict#itt, rtil
do Bar da VictSJeW. t.
JO um
4-aSSato^ F

"a
m
-je-




. '
i
Diario de iBenianibuco -- Quinta feira 03 7
ftwa wm
fKic>ii.sfm.)s v .-j doblan!, -c!
q : Jj tfrepeful o roiias eral twviSiiie e a melhor f izendf
Me merejo.
Perfuua
lias 4e era, le
seda, ludo espe-
qae tem viudo a
ias .
Neste artigo nao preei? lar exphcac5e9, basta
dizer se es bricautd."'ti Goaoeill, Coudrsy,
Labio, Himel e Legraod ; tas perfumaras deata
vez vieram em vas o." da modcllos novo;, e qae
sel toa leg&Btia se torna) proprios para um
lindo prsenle.
Traaos e franjas de seda
branca.
Dota vz o aoftlaunto veto rnf nifleo, (azenda
muito boa, modellos novos e de todas as largura?.
Bonecas do borracha
Destaj bonecas veio pee uena porcao e de diver-
sos laroanhos.
Diademas
Uses* e da raodellos novos, veio coosa muito
Quem 9avid*r venha ver
Decididamente a Magnoia ra Duque de Ca-
sias n. 45, convencer aos seus amigos e fregu-
tas, de sua epecialidade etn correspondentes, na
partemia elegante do mundo; agora mesmo o
chimo vapor enegadu da luropa troaxe nma par-
te de suas eocommendas iara o lempo de (esta,
constando do seguinte:
Para o biallo sexo
lindsimos brincos, alinele, cruies, pulseiras
e cazoletas de urtaroga iiordads? a ouro, assim
como bonitos grampos om perolas e oatras pe-
ora- para a caneca : a M.iguulu solicita do bello
sexo, que prima sempre no chique e na moda, que
venlia ver e.......
Laxo e bom gasto
Para enriquecer e afonaosear uma sala vieram
liado* jarros a jardmeiras de porcelana muito fina
e do bmitos modellos Itileiramente novos, coro
linios desenbos e djurados; asm como uma es
p -.-ialidade em pannos ce ebrocbet p-ra sof e
cadeiros.
Quiil
O moco chiqns e da moda que nao apreciar
ama linda guarolcio de msrrim, madreperola, oaro
e plaquet, coosa lindissima e de molde, especial e
nunca vindo aqu; mnito bons etiapeos de sol com
cbo de mirfim e bengalas imitacSo de nuicornio
com cafe de madreperola, por eerto nnhum dei-
xar de vir loja da lia inoia ra Duque de
Canas n. 43, escolber qaalquer desles objectos :
nao caro I __________________
Borracha para limas.
Vende-se borracha par lima?, chcg.ida hontcm
no vapor americano Ontd'to, por menos 12 por
eentopoique se vende em outra qualquer parte :
na ra Nova n. 61, o. no pateo do Ciroio n. 3,
pharmacia.
A verdadeira cerveja da Baviera, marca ban-
tira, de superior qualfdade : vendan Tasso Ir
o| & C, ero son armazem da ra do Acoran
. 47.
CONSflPACAO
ElUfaKl
Fkfait
i.i
tilii
HE1'M\TB(JS
(itpi|tll
Isiut
Mi,
^ErOPl/ftAT/VE$&
= 55B4 Sebastopol-
: purgativa!
In-
Mm
SAUDE
DEPOSITO GEllAL
HA
, Pharmacia e drogara
DR .
bartholomEu & r.
34Ra largar do Rosario-
-34
IEUOU
O bacalho da Noruega, em cixas e nuias
dita* : eo caes da Alfandega n. I, artraiem de
Taso IrmSns 4 C.
Para acbar at o fin do utez
RA DO MRQUEZ Dt OLINDA
OUTR'ORA
Cadeia do Recife n. 53
Tendo o novo proprietario de mudar os artigos deste estabelecimento, desejando li-
quidar at ao fin (testa mez, tem resol vi lo vender por preros muito commodos com o fim
de apurar diulioiro e liquidar. vista, pelo que convida aos Illms. Sr. chefes de familia
a virem sortirem-sc, pois a occasio opportuna, e encontrandoum completo soitimento
de chapeos.
Chapeos de palha de Italia para senhoras e menitias, com enfeites e sem feMwt
Chapeos de velludo com eneites. Gorros de velludo com enfeites. Chapeos de palha
de differentes qualidades, enfeitados, para senhoras e meninas. Chapeos de palha de Ita-
lia, enfeitados, para montara de campo. Chapos de palha para homens e meninos, de
differentes qualidades. Chapos de feltro para homem. Chapos de massa pretos e de
cores, para homens. Chapos de la para homem e menino. Chapos altos de pello de seda
para homem.
Bonets de differentes qualidades, tanto de seda, como do palha de Italia, panno, case-
mira e alpaca, tanto para homem como para menino.
Gorros de seda, velludo, la, tanto para homem como para menino.
E muitos outros artigos que so com a vista podero ser examinados, atianoa-se que
nao engeita-sedinhiro.
Fio de algodao da Baha e cal do Lisboa, re-
oentcmente chegado : ba para vender no es-
.riptorio de Joaquim Jo Goncalvos Beltrao & F-
ibo, ra do Commerrio n. i
A
0 juvlail i t^rniiilHiriiiii
% proposito fio aelual coulieto
rli;iso
Esta opsculo, que tem ti'lo tanta acceitacao por
parte do publico imparcial d'esta eidade, continua
a vender-se as livraria> Kranceza, Universal na
roa do Imperador, Industria] na ra Nova,, e na
ra da Cadeia n. 27
Preco 600 ris.
v
Por 35$000
barato
Vende-se una farda e uma blusa de panno
t:uo atada nova, urna espada, um talim c bonet,
profiri para olUcal de linha ou de guarda na-
cional : qiiein pois tmieer oiraprar, irija-se a
e'sta tjyiographia, a faU.ir cn o administrador.
i.i* 9 horas do da por tiiante. ___________
Vende-se niais de metade do sobrado da tf a-
veasa de ,;. Pedro n. 1 : a tratar na ra Direita
10, I .indar._______________________________
fogfes eemiMs
X a qnarl lade de logoes para eozinbar, os
conten em si forros para assados,e caldeira.
para agua, de diversos tamanhos, os quaeg se
trnam re nimendados pela sua boa qnilftade e
grande ceonomia ; aasiin como os ja eoBbwidos
lornos franee^ts. fogareiros para aqaentar ferro-.
<*onr muita brevidaiie, g arda-comida, ferros para
alfaiate e cbapelleiro: nido na ra do Baranda
Victoria n. 17, outr'ora ra Nova, loja de ferra-
g^ns, de Souza & Guimares.
rVitir di (.uiiiis IrMMS', a ra Marqjtz de
Olnda n. 2i, vend^m o jegainte :
Vaquetas para carrj a botas de viagem.
M;rr >qu ns.
IjTdavSS.
Grados para farro dt carro.
PJtassa ila Rosita.
Vinh dn P"rio. lino, em caix^s.____________
Vendem-se
duas casas terreas por preco commodo, e algons
DOM terrenos plantados com capim de planta,
todo no Porto ili \ adeira em Bberibc : tratar
'oni Tasso Irmaos 4 (',.
Borracha
muito Loa ; vende o R.unos da Camba do Carino
n. 3, tavenia.
Obras k thantasia.
A loja da Aguia Branca, ma do Duque de
Caxi s n. SO, receben un bello sortiinento de bo-
nitas modernas obras de phaaatsia, sendo :
Brinc s c crazas pelas, com domados e pedias.
Outros de adrep rola queiinada com bonitos
enfeites de delicadas llores.
(luiros r?e Un donrado tena puge tes do cores.
Outros encarnados c de bonita moldes.
Rosetas de lino dourado com pedras brancas,
Adrecos d madreperola.
Ditos douTados com camapbeo preto.
Ditos encarnado?.
Ditos imitando l'oibas e flores naturaes.
Ca soletas de aiadreperola
Voltas de grossos aljofares de cor s.
Oatras e ditos pret s com dbnrados.
l'ulceias de tartarnga com dourado.
Outias pretas.
Grampos pretos e de cores.
Bonitas abotoaduras de fino dourado, com (le-
dras, coral etc. para abertura de camisas.
BotOes dourados e de oatras qualidades, para
aberturas e collarinli?.
Novas gollinhas e punhos
bordados.
A loja da Affuia Branca ra do Duque de
de Caxias n. oO, receben novas gollinhas e pu-
nhos bordados, e outros enfeitados com ntremelos
e bfeos ; as-ini como receben igualmen e no ;is
giiamicoes de gra.vetas com franjas e lacos para
os cabellos, ludo do mellior e mais mod ruos gus-
tos.
Bomtos loques.
A loja da Aguia Branca, ra do Duque de
Caxias n, 30, receben bomt s loques d perfeta
phantasia. pre o com dourado?, e ontros de apu-
rados gostos; sshn como receben ou ros de ma-
(l<'iia que se confunde com o sndalo, e tem el-
le? lindos coloridos m c ntro, e anda assim ven-
de esic? pelo barato preco de 45000 cada um.
Vasos de erystal para toillet.
A loja da Agota B anca, a ra do Duque de
Caxias n. 50, r ceben bonitas garrafmhas de erys-
tal em par com ramageos douradas e mu pro-
prias para arranjos de toilet, ote,
Aunis e colares elctricos
A lola d'aguia branca -j. ra Duque de Caxias
n. 50, rec- beu nova remessa dos proveitosos au-
nis e colares elctricos, e continua a recebe-los
mens.ihnente, pelo qne sempre estar provida de
taes objectos
Diademas domados
DO
BAZAR NACIONAL
Sua da Imperatriz n. 7
de Lourenco Pereira Mende&Ouimarles
Declara ao reapeitavel publico que, tendo concluido o consrto qoe fez m seo m-
labelecinaento da roa da Imperatriz o. 72, declara qoe o sortio de novas fazendas pro-
proprias para a festa do natal, os preces s3o os mais baratos possive s a saber :
LASINHAS A' 120 RS. CORTES DE BRIM A' 1*500.
Vende-se I3asinhas para vestidos a 120 Vende-se cortes de brim para cale* a
80, 360, 400 e 00 rs. o covado. 15500 e 2-50' 0.
OLINDENSE A 800 RS. MADAPOLAO A' W'OO.
Vende-se orna nova fazeoda de seda e Vndese peros de madapoio a 30000,
linbo, por nome olindense, propria para 4(550(, 50000, 60rOOe 80000.
640 e 800 vestidos, a 800 rs. o covado. CHAPEOS DE PALHA A 2000.
ALPACAS DE-CORES A 440 RS Veide-se chapeos de palha, da fe'.tro.e
Vende-se alpacas de cores, lisas e lavra- de castor, p^ra homeDS e meninos, a 2#,
das, para vestidos de senbora, i 440, 500, 2>50i', 30 e 40000.
A loja d'aguia branca ra Duque de faxias "
50, receben novaincnte bonitos diademas dourados
e enfeitados com pedras e aljofares, obras de ges-
to c phantasia. Tambem receben novos grampos
pretos ou alfiK't'.- com llores para a cabera.
Loques com bouquets e ou-
tros ehinezes.
A loja d'aguia branca .. na Darme le Caxias
n. 50, reeebeu tuna pequea qnantidade daqnelies
bonitos leqnes e-im b uqnets e outros ebinezes.
Cold reme para refrescar e
amaciar a pelle
A loja d'aguia branca ama Duque de Caxias
n. 10, rec*h 'c reme do? afamados fibrican-
tes Liibin, Legran e Condray.
TV
Ti
Mais delles.
Anueis elcciiiKs.
Daquelles anneis electrices, tao uteis para
nervoao, e que a Magnolia, ra Duque de Ca-
xias n. iS tem vendido porr^*i e que por serem
^ nicos verdadeiro, muito tem aproveitado ;
pelo ultimo vapor veio nova remessa : clles an-
tes que se aeabem. Na Magnolia n. 45, ra D&que
ile Caxias.
ni mU
Ven-!e-se uta es.ee!lente cofre com segre-
io, obra teita na trra boob moila seguran-
za: a tratar na tfcesooraria 4as loteras,
ra Io de Marco n. 6. '
IAZEM DOS LEOES
Una Duque do Casias n. 29.
Os propietarios deste bem montado estabelecimento scicntificam ao .
i'espeitavel publico desla provincia qae se acham com um variado e completo sorti
ajecto do movis, tanto nacionaes como estraogeiros, sendo estes escoluickis por um doi
J0S08 qne se acha actualmente na Enropa. O mesmo tem contractado rom os melhoret
fabricantes daquellccontinenle as remessas das mais ricas mobilias feilas all.
Na oEcina tem os mais babets artistas deste genero, e por Seso pedem que ve-
nham visitar o estabelecmenlo, aotide cncontrarao a realidade do qae acabam de expr
ae se pode examinar; ricas e completas Mobilias de Jacaranda, mngno, faia, carv?!ho, a>
marello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao stim, amarello, etc., etc., gcard;
vestido de amarello, guarda looc^ de nogtieira e de amarellc com lampo de pedra, apa
radors d9 d to dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amarello, pedra, secreta-ia; da Jacaranda e mognocas tureiras oe megno, san
toaros, thears para bordar, bercos, lavatorios com espelho, de pedra rnarmore e sen
pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e muos ontros artigos qne deisamo de
mencioaar por se.icrnar enfadoabo
rs. o covado.
BAPTISTaS A 600 RS.
Vende-se orna nova fazen la por nome
baptislas, para vestidos, a 500 rs. o co-
vado.
SOTANAS A 610 RS.
Vende-se orna nova fazenda de l e seda
por nome setanas, para vestidos de seubo-
ras e menioas, a 640 rs. o covado.
PHANTASIA A 800 RS.
Vende-se uma nova fazenda li=3, por nome
phantasia, pa.-a vestido?, a 8C0 o covado.
Fnsto brauc a SiO rs.
Vende-se toldo bramo e de rres, para
vestidos, de senbora, a 3fD e 400 rs. o co-
vado.
" CHITAS FRANCEZAS A 240 R3.
Vende-se chitas francezas escoras e cla-
ras, a 240. 280, 30 e 36J rs. o covado.
ALGODO A' 4<500O,
Vende-se pegas d& algodSo americano,
llOOr, ?i<000 e 60"0.
BOTINAS PARA SENHORAS A 5000.
Vend-se botinas para senhori, a 5j5000
e 5500.
C^MRRAIAS A 35000
Vende-se pecas de esvbrain lisss par
vestidos, a UOZQ 45000 e KS'OO
CAMISAS RUANCAS A 2^000.
Vend se camisas braceas a 2iX)0 e 2#.
Dilas de linbo a 30, 3tf5C0. 4,5000 e
o000.
Palitots de panno preto a 53000, 7J00C
e H&OOo. Palitots de casemira de cores, i
45, KtfOOO e 5000
SAPATOS UE TRANQA A 5^00.
Vende-se sapatos de tranca e tapete, para
homens e senioras, a 15->00, 1^8(0 e 2
v m^SSSS i'T;,!^ aJSapatos de casemira pelos a 2500, 3e
Vende-se bramante com 10 palmos de n *
para lencoes, a 15600, U-
largura, proprio
e 2*200 o metro.
Grosdenaples preto a S^OGO
Vende-se grosdenaplJ" preto a 25OU0,
25500, 35500 e 55000 o covado.
PANNO PRETO A 1*300.
CHALES A' SCO RS.
Ven-'e s? chales de iaa cem qnadns e ul-
tra?, a 800 rs. e 45000. ditos de nsriD
esl?mpados, a 25000, 3*500, 45 e 000.
E ontras mr.itas fazenias aue fe vende
Vende-je panno preto para calcas e pa- sem reserva de preeo. na loj* do baraleiro
35(00, 450OO e' Bazar Nacional.Roa da Iopt-ratriz l.
itots, a ,5500, 25500,
5A000 o covado.
J8IAS
JOSEPII
i Ra do Cabug N. 4
TC1S & C.
f
-

Xarope d'agriao do Para
Autigo e foncpituado medicamento para
'ora das molestias dos orgos respiratorios,
como a phtjsica, bronchites, asthma, etc.,
applicaao anda com ptimos resultados no
escorbuto.
Vende-se na phavmacia e drogara de Bar-
tholomou d' r.., ru I^irga doBosario n. 34.
Novo estabelecimento
4! joias.
lina do (ulniga n. 19.
^, N-Bste estabnlqcimento se encontrar
S um bonito sortiinonio de juias que se
*>" vendem por tal ireoo que animar ao
.,'' cuuiprador albullo ao vantajoso syste-
^ ma, ganhar ponro para vender mui-
- lo, <|ue rertamente utU ao coinpra-
2j dor e ao vtndeor.
-^ Taiabein se compra onro, prata e pe-
g dras preciosas, bem romo se fabrira e -'
"!* concerta toda e qualquer obra tendent.
m a mesma arte.
TI! Salriaparrilha!!!,
Da mais nova que ha no mercad>; veno.:)
t'erflira Vianna & C., ra do Vigario n. 11, i
andar.
i.;i 2d#0Ci^cadanrtia no caen do Ap-dlo: ra
zem de Tasso ti ma, & c.
xa mi* ca
bransos.
Tinturara jsponeza.
So e poica approvada pi-lasioadcojias de
scicucias, recuuicciila superior a toda que
tem apparecido al boje. Deposito prin-
cipal roa ^a Cadeia d > Reeife, boje Mr-
quez de Onda n. 51, i. ndar, em lo-
ds a boticas e casas de cabelleireiio.
Tij bs -frncezes sexlavadns
file 45?O00 a 5.VrOOO
o mlheii*o.
Estes tijo'o?, fabricados de barro vermelho con-
solidado, sao os nielhores e os mais economiros
pela sua barateza para ladriihar os pavimentos
terreos das ca~as, porqnarrto, pouco mais rustan-
do do que os feitos no paiz, sao, sem comparacao
algnma, superiores a estos pola limpeza de que
silo susceptiveis. Custam alin disto menos da
decima parte dos de marmore, j rcproyados.e
dos do difiranles mosaicos, os quars "nao estao
rertamente ao alcance de todas as fortunas, e so
sao empregados e proprios para as salas pnci-
paes. Alem da vantagem que ha na emprvgo
destes tijolos para o pavimentos terreos e casas
de campo, tem estos anda a de serem os nielho-
res e mais proprios para ladriihar cozinhas os
sobrados da eidade, aliento a sua solidee e pouco
Seso, estando mais que provada a conveniencia
e serem assoalhadas as cozinhas toda* de lijlo,
c nao s a paite junta ao fogao, no que at as
companhias de seguros se deveriam intercssar.
Vendem se no6 armazens de farinna de Tasso ir:
maos & l'.., no caes do Apollo'.
DE ^^
GOMES DE MATTS, IRMAOS
Nese iniportarito ostabeleciinento de piimftrosas joias, achara o respeitavel
publico desta capital um grande e variado srtimento de joias de todos o*
presos, queja existiam no Muzeo, que sero vendidas com grande redfieco
de prer;o, alm dos novos objectos recebidos directamente da Europa, que
se vendnto por preco animador, bem como sejam, aderecos de brliantes,
pulseiras de ditos, broches e rosetas de ditos, ditos de dilTerentes pedrarias de
precos ; aniii'is de brilhanles e de esmcralilas, rubins c perolas, e de todos
mais objectos de valor, que pussam ser desejadospelo bom gosto e apret da*
familias, que sabem dar valor a objectoe d primor.
Os proprietarios do MUZEO DE JOIAS, convklam as familias que se
iiueiram provee de excellentes joias, a virem escolhc-las entre o variado
soitimento dolas, garantindo os proprietarios que serao sinceros para lodos
que se dignaren) procurar seu estabelecimento.
Entre o grande sortiinento de brilhantes, esmeraldas, perolas, e obra
simplesmente de ouro de lei, se ver um elegante sortiinento de obras de
prata primorosamente trabalbadas, que tambem se vendem preco rcduzHo,
bem como, relogios de ouro e prata dos melhofes autores conhecidos, qui-
se vendem mediante pouco dinheiro e garanta dos donos deste estabeleci-
mento.
Os homens do centro, que precisarem de qualquer objecto de grande
ou jMxpucno valor, proeurem o MUZEO DE JOIAS,- que sero servidos com
attenco c sinceridade.
mm

Samuel Power Johns-
ton & 0.
LpRua do Apollo n. 38 e 40
tmm\ ^*em ciente aos seus freguezes que teem
5 mudado o sea deposito de machinas a va-
^ por, rooendas e laxas da muito acreditada
VBo 'aDriea de LowMoor para ra do Apollo u.
38 e 40, onde continuara a ler o mesmo tor-
limento do coslume.
Fazem sciente tambem que teem feito um
arranjo com a fuDdicio geral, pelo que po-
dem offerecer se para as.-eniar qualquer
machioismo e mesmo garati lo.
172.
- >H.#
Os proprietarios da uulico pera! (aiem
seieules aos senborts e eug'nho r ;r.ais
pessoas, que teem estabelecido uma 'undi- r*
cao de forro e brouze a ra do Brimi, jup- va>
to a estagao dos boods, onde apnalurio ^m
qualquer obra de ?Dd>u:E.eda eoni per'ei- ',
gao e promplido.
Os inesmos roRam a? pe;nas que qor:-
ram ulilisar ne de seus Bervicos de deixa- ^s
rem as ecommendas em c-sa dos Sr*. Sa-
muel Power Jobnstun & C a roa do Apol-
lo n. 38 e 40, oede acharao pe?sua taabill- ^g
tada com qneui possain entender se.
Apparelho para fabricar assucar, do systeiua.
WESTON CENTIIEFUGAL fij
nicos agentes em Pemamtmco a fundigao geral. ujjgf
Para tratar em seu escnpiorio a ra do Apoiio n. 38 n 40.
Aderecos de' bri-
lhantes, esmeraldas
rubins e perolas,
Totean de perolas.
x#*
Obras de ouro o
prata do todas as
qualidades.
#5
SAPHIRA
DE JOIAS
X. 2 ARa do CabugX. 2
Achando-se completamente reformad') este estabelecimento, e
tendo os seus proprietarios Jeito una importante cquisiCyio de
joias as mais modernas viudas ao mercado, e de qualidades superio-
res, convidam ao respeitavel publico a fazer urna visita ao seu es-
tabelecimento, aftm de apreciar e comprar uma joia de gosto por
preco razoavel.
E lgico!
8E0REDO"ECONOMA E CELEUIDADI.
Obtem-se com o uso
DA
A cosinlia, a dispensa, os a-
paradores e a mesa.
Os moradores do Poco da Panella e seus sabur- offereC c0m'o garanta de sal u tares resultados
ios necesariamente devem receber em sua- ca- ,,....... ,;,, CQ,ro ^nni .
INJECCAO SHOST
nica, hygienica, radical e infalli\ ol na cu-
ra das gnorheas, flores brancas uxos de
toda especie, recentes ou chronicas; c que
bios -iiecrsaariamciin! uocm racoiar ni u4- ua- }lnnli^ara^i nne semnre com
sas algumas visitas na vpera e da da festa da a continuaaa appttcagao qut scmpie iom
padrocira daqndla freguezia c por isso preciso rnaior vantagem se tem feto della nos bos-
que de antemao se faja uma grande ivvolucao pitaes de Paris.
augmentando, sortindo e recheiando a corintia, nico deposito para o Brasil, Bartholomeu
a dispensa, o- aparadores e a mesa (ja se sabe, f /.. A^ Rosario n 34
co,. iguarias gratas ao paladar) sem o que nao a u na Larga ao Rosario n. di
se pode passar um dia folgazao e regalado.
Queris que principie a vos indicar um meio
fcil para conseguirdes o fim a que vosdeveis1
propor para transformaros, augmentares, sortrre
e recheiares as vossas cozinhas, dispensas, apa-
radores c mesas? nada mais fcil...
$ S##8 #
i-
CARNAVAL!
Horradla para limas.
Vende-se borracha de pi imo.ira qnalidade para
limas de rheiro,-nos seguintes lugares : naphar-
macia Ontral ma o Imperador n. 88. na mes-
ma ra n. M e m-pelen da matriz *vato-An-
lonio n. 4,-por preco razoavel.________________
Uliio. gost<>
Cudelras protas r> urafls e mar:betadas do na
dr i-roi? : das sruiM'-DP de Tss^o Irmi) AC-
HO oa <1q ''lln.
VMm qualiddo.
Ide a ra do Imperador n. i,
onde vires uma casa com a fren-
te pintada de encarnado, tendo um lampeo fo-
durado, rujo letreiro se l o seguinte : Couiei-
taria do Campos^
ellal... E ella I... K ella....
Afti deve-sc entrar e encommendar para cada
casa o seguinte: '
t Fiambre preparado.
1 Bolo iuglez.
I Po-de-l.
1 Pudifi de pao, arroz ou tapioca.
1 empatia de carnario ou gullinha.
I Torta de fruota.
1(0 pastis diversos.
1 Per assado no orno.
1 Peixc rdem dem.
1 Gatlieair* d la reine
Vnho8,cervvwvhoo-ea, bolachinhas, i*olos
para cha, cha wde suierior, passas, figos, amei-
as c ludo mais que mesmo impotente! lem-
lirar.
S nella, s nella.
Na coiifcitoria do Campos.
i
AfM9ADEOOR0.
\ff A. ra da Imperatriz
(Ck n. 50.
*& Acaba de recelier de conti propria,
pelo Bttmo vapor fla Europa, um com-
plete srtimento d 'objectos do prata
oe mais liiikisqu- tem viudo a etemer-
cado, sendo os seguintes : aderecos de
flla-grnna, obra de apurado gosto,vol- ca
*asl4rittces, reelas, arw, retofrioe. ^
[ffK palhiteiros, colheres etc. etc., pelos pre-
'W toa mais resumidos poaaiveie. Assim
coma um completo sortiuaealo de ofcra*
deuro : nHlsA;1irhaMtes,rozctS,
aderemos e*c> Wn*em eem trilhantf.
CHAPEiERIE DE!
10Riia do Ilarlo da Virloria16
objectos de gosto.
.
Machinas para limas.
Vende-se ptimas, B muito WJnvenrhtes para o
Vende-se borracha mnito boa, chegada nltlm*-! fabrico ras mesmas : na pnarmacla de Kerre*
mente, por menos qneem ontra qualquer parte : ., rea larga do Rosario n. 10, e na praea do
na ra da Concordia n 2, Uverna na pracA doj Conde d'Enn.-49, casa do Sr. Antonio M. M. Por-
Conde d'liu," esquina da ra do Aragio- 1 reir.
Catfftfaia ttrn^imiUra H aW' *
Alerta
Vndese mantiiga ingteza ir a 800 rs. l*0
e U280 a libra. > progresso do pat* do Carme
n. 9.
PRODUCTOS de J.-P. LAROZE
PHARMACBUTice, J, ue oes Ltoa$-$iaT-Pui, pars.
XAROPE DEPURATIVO
DE CASCAS DE LARAN J AS AMARGAS
Com IODllIKTO 4c POTASSIO
0 kdoreto de potessio um verdadeiro tlieri.1?, nm depurador Ac iMNlntml efB
cacia; combinado com o xaxope de cascas rte laranlas amargas, e aiuraao
m Dertartiacio aleum pelos lempcramenios o buu-fraeos, sem attertr as tnucces
aiiran mip elle contera pernntlem aos meaioos ae rece.i-i
eacrofuloaaa, tuberculosas, oanoe
letB pertorbacio aleui
ds estomaco- As doses maihemalicas qoe elle coniero penaitlem tos mea.co
para toda u complieacftes as iTeccdes escrofuloaasv tuberoui
rosas nos accidentes Intermittentes e teroelros; almdisw.ee
tfente o mus poderoso contra as doen9as rheumaUcas.
XAROPE FERRUGINOSO
da cascas de laranjas qnassta amarga
E' sob a forma liquida que mais fcilmen-
te se assimila o ferro; n'esla forma prefe-
rivel as pilulase pastilhasen todos os casos
em que s8o prescriplos os ferrm|inose.
MRO-PE TNICO NTI-NERVOSO
casoas ds laranjas amargas
M nnos de successos atteslao a sua effi-
caeia para curar: o doenfat nervotat,
agudas ou rhronicas, as gasiritet, gaslra-
uu; t facilitar a digettio.
DENTIFRICIOS LAROZE
Q01MA,
PYBETBRO E CAUCO
* dentirnrio, com base de magnuia
para a alvura e conservaeo dos demes,
provenindo a descarnadura, provocando o
trtaro de que empede a reproducao.
i; md Ptrnamhte, r. Manrer e C; a Mtcrio,
?C .^pIm, V.r.^ZTrZi 2 BoA. d. R.ch. em Porto AU,r.. W
!^ *S? TSSU* .VS2^- B^Am,. >,...
COM
Slixtr datfrici, para a alvura e een-
tervac2o dos denles, curando as dores
Causadas pela caria ou produaidas peto
contado do calor ou do fri
* pharmacia Maurcr ra do Bario da Victoria n/28.
I PATA
X
. r
>
^


- "
ipr
8
Diario de Pemambuco Quiuta fer 30 de Janeiro de 1873.
V
VARIEDADE
w
*.0LT!
prmein na seTFai
quem vij^Hpar n>y wenidasdtio jardin
das Plantas, em Paris, um mancebo omito
H^lebom porte.
pa espacos par i analysar osarbus-
^Entas raras.
K se consumi de todo o charuto
Ra na bocea, sentou-so n'um banco
Kciu cuidado da algibeira una caixa
i dentro dola un revolwer, o qual mira-
ttentamente.
Hbis dirigindo-se (.ara una arvore, eu-
bu-sea cija, e, virando contra o peito a
disparou duas vezes, cahindo logo de
devalo para o hospi.al, ahi inorreu em
instantes.
O suicida contav vinte sete anuos, o
eratiegociantu. a
O motivo que o levara a tamanlio desvai-
ramento da razo, fora, ao que se podo ave-
riguar, urna paixo exaltada por urna joven
que sempre repudiara amor que nutria por
ella.
JHYSTERIO.No cemiterio da edmmuna
de Nimy foi encontrado um volunte, que vi-
nha a ser.a cabera de un homem, umaper-
na e um braco, empacotados n'um panno do
faxer fardos de inorcadorias.
So braco esta va escrtpto um noine traca-
da em lettras feilas poivora.
PREMIO AO FABRICANTE DE MELHOR
AC.0 consellto da Society of arts, de
Londres, resolveu offericer a medalha de
Ouro de 1873 ao fabricante que apresentar
,0 melhor ac na exposi<;o internacional da-
quella cidade. Tem o concurso porobjecto
favorecer a produccao de urna materia eoni
a* melbores qualidades para a construccao
das locomotivas, tnaehii as, caldoiras, pecas
raecianicas, etc.
NOVO LIVRO DE T1ERS. As folbas
frauce/.as toem ropetido que Mr. Tbiers tra-
balha actualmente em una obra de philo-
sophia.
Os que se dizcm meli or informados, con-
iessam ([ue realmente Mr. Tbiers empreheu-
dora o referido trabalho, onde mantera as
Suas ideas de pbilosopbia espiritualista ; mas
que assuasoecupaces como ebefe do go-
veriiu o forcam a levantar mo de quaesquer
trabadlos Iliterarios.
Mr. Tbiers nao renuncia a cohclusio do
seu intento Iliterario, que elle considera
como o turnio de sua c; freir de cticas;
mas espera para isso que a poltica lhe dei.ve
o indispensavel descanso.
BARMETRO MONUMENTAL.Em Pa-
r?, no edificio da Bolsa, e por cima do ro-
logio, asseiitou-se agora um barmetro mo-
numental. 0 quadrauto tem t",2 de di-
metro, e pintado de amarello.
t*m pequeo barmetro arenoide move
uma roda, que comiutinica cora o pon-
teiro.
I M DESCENDENTE !)!: NAPOI.EO I.
Lima lollta americana falla de um francez
que vive como ermitao em urna gruta em
Dayucht-tiulcb, prximo da Virginia. Este
homem diz ser ti I ho de Sapolco I, chama-
se Sebn, e nascora em :! de abril de 1810,
de nina austraca, depois da batalha d'Es-
sling. A mili, no periodo de gravidez, viera
a I'aris, teve urna entrevista com o impera-
dor, que a enviou para Inglaterra, onde ella
residi com seu iilho, al que inorreu em
183:2. Sebn diz possuir documentos que
BttaStam quanto elle allega. Allirmam que
grande a parecenca deste homem com o
primeiru Napoleio.
ae extenso
'silicuasTTometricas;. Esta Traba trans-
portou no anno de 187!,o fabuloso humera
de 23,340,616 passageiros, numero prxi-
mamente igual a tres quintas partes da po-
pulacao do Remo-Unido.
0 numero de kilmetros pefoorridos pel-
los trens deste caminho de ferro, chega a
37,556,385 ; isto muilissimo maior dis;-
tancia do que a que separa a trra da la.-
ii.....i
o'
povo
0 NATAL EM LONDRES. Conta com
muita verdade o correspondente da lndt-
jKiidancc Delijc o que sao os eostumes in-
glans por occasiao do Christmas-dav (dia de.
natal).
Refero que anda no da -26 todos os ban-
cos, todas as casas de. negocio, todos os ar-
inazeus estavain fechados, exceptu da-
quelles em que se vendo confeccoes de pas-
telarias e doces.
As tavernas, as Basas de pasto, os museus
t todos os divert mentes pblicos esta va ni
apinhoados de gente.
Sos theatros se representan! pe^as phan-
t isticas que fazem as delicias da populacho
infantil, durante o tempo das ferias do natal.
O dia -25 estirara ainda. come'os anterio-
res, muito chuvoso ; mas, apezar disso, nin
guem deixou de festejar o nascimento do
Menino Jess, como de tradicional obriga-
eo, e prirneiro que nenluun outro
cliristao a observa o ingle/..
As associaces de soccorros aos pobres nao
s esquecem de quecos seus protegidos mais
suspirara ueste mundo, e por isso at a elles
chega a festa.
O inglez que naquelle dia nao tem o seu
roastbeef [rosbif tambera o uso autorisa a
oscreveri e o seu phnnpndding condern-se
o mais desventurado de todos os habitantes
deste mundo sublunar.
Essodcsejo ardentissirao de festejar o gran-
de dia da christandade leva at ntuitos a em-
pregarem meios reprovados para conseguir.
Foi assim que um pobrete compareceu ante
o magistrado por haver diligenciado furtar
u.ra pato. Era um gamenbo de poucos an-
uos, o qual, procurando desculpar-sc, disse
que furtra aquella ave para ter que comer
no dia de natal. O peior foi que o magis-
trado noad.nittio a desculpa, e julgou pro-
cedente a accusaeao para seguir seus termos
DO tribunal ordinario. Ao enviar o pobre
rapaz para a cadeia, recouimendou ao carce-
reiro de lhe nao dar era rosbif, nemplum-
pudding no dia de natal.
Um estrangeiro que chegue a Londres no
referido dia, accresceuta- o dito correspon-
dente, encontrar alm urna tristeza insup-
portavel. Arma/.ens, theatros e lugares pu-
bjicos ludo se fecha, e at rauitas casas de
pasto e tavernas.
C.onsidera-se'de rigor que todos passem o
dia em familia.
y lord maire, sir Waterlow, como chofe
da City, observou a tradco pelo modo mais
notavoL (jinvidou [tara Manseon-House,
toda a sua familia, no numero de duzentas
e dez pessoas, dasquaes cento e oitenta e seis
poderam aceitar o convite.
Entre os convidados, eslava o pai de sir
\\ aterlov, que j conta os seus 83 janeiros,
afora o quo vai correndo. Yie ancio via
em redor de si treze lilbos de um e outro
sexo i quarenta e nove netos e netas; e
quatorze bisnetose bisuetas. Osdemais erara
parentes em gr;o mais alfastado.
Com
' t.A MI MOS DE PERRO.-Para se for-
mar urna idea da inipor.ancia industrial e
econmica que os caminhos de ferro adqui-
rem n'um paiz, basta saber que a (Ir-Bro-
tanba cinta actualmente 899 companhiasde
caminhos de ferro, divididas deste modo :
nrai;a diz o correspondente : Eis aqui
um modo Verdaderamente patriarchal de
festejar e natal, e que ao est ao alcance
de todos os lords-maire?.
-
FOLHETtM
A \m\M DA UROfllZl
PELO
VISCONDE PONSON ) TERRAIL.
SEGUNDA PARTE
A creoulu.
111
(Continuayo do n. 22).
FILICIDIO.Em Saint-Brieuc um com-
merciante de pejxe matou o filho com duas
lat a las, sem ao menos ter tid(> motivo que
nem de longe atiende aquelle crime ne-
fando.
0 filho tinha 23 anuos e pertoncia ar-
mada, ondoservia como marinheiro, porm
eslava cora licenca.
Um dia de manha estando a ajudar o pai
em descarregar uinas camastras de peixe, este
rigi rajua
' forera
imo do pai
^tlvera-si-
isoes que lhe
dirigir. Isto bastou para o: malvado se
irar novamente, (mar urna faca 8 ferir im-
mediatamente o infeliz mancebo.
KXCELLENTES FINAN^AS^ I),z um
despacho de Nova-York que o ministro da
fazenda dos Estados-Unidos i o'rdenou Ven-
da no correuto mez, de -cinco milbes du
dollars era ouro e a compra de igual somma
de ttulos de divida do governo.
' Contina portante em larga escala a amor-
tisago da ^j i vida publica naquelle grande
paiz.
NOTICIA ASSUSTADORA. Refero um
jornal francez muito conceituado que o pre-
eito de Hrault (Franca) expedir urna cir-
cular a todos os maires daquelle districto,
precaveiido-os contra um facto gravissimo.
Consta quolle magistrado que em Uespa-
nha se orgauisra urna associacao para fabri-
car inoeda falsa de ouro, prata e notas do
banco de Franca; devendo ser introduzidos
esses falsos valores em grande qnantidade no
paiz vizinho, a Franca.
MYSTERIO.Um mancebo que andava
vendo os estragos das cheias do Sena, passan-
do pelo caes de Javel, vio urna garrafa ta-
pada com urna rolha de cortical e esta la-
crada.
Metteu-se n'uoi bote allj atracado e com
um croque conseguio, nao sem perigo de ir
parar agua, apanhar a garrafa. Vio logo
que dentro esta va ura papel.
Ouebrada a garrafa na presenta do com-
misserio de polica, leu-se o tal papel, que
diz assim :
Ouando se encontrar este bilhete, terei
morftdo com o raeu petil Charles.
Adeus familia (jue arruiuui e que se
regosijar cora a minlta morte, afora o seu
chefe.
Continha depois a assignatura da mulher
que o escrevra.
QUEM NAO TEM FORTUNA...Urna se-
nhora que possuia algum dinheiro quiz po-lo
a render e entregou 30,000 francos aura com-
raerciaute, o qual lallio e nada pagou aos
credores.
Passado tempo, a mesma scubora, fascina-
da com a mira n'ura lucro maior que aquel-
le que facilraeute poderia obter, depositou
namao de utn especulador 20,000 francos;
somma queforraava ento toda a sua fortu-
na.
0 especulador, que tinba citabelecido urna
casa de commissoes, jogou na bolsa, perdeu
e fugio.
A pobre senhora ao saber do segundo gol-
pe nos seus haveres, que a Ueixava corao
Job, pretendeu langar-se ao Sena: no que
foi impedida por alguem que a tempo pre-
senceou o estado de desorientadlo da infeliz
quando se encarainhava para a beira do
rio.
A NOITE DE 27 DE NOVEMBRO ULTIMO.
O Sr. Jorge Toucbet, na sua ultima revis-
ta scientilca publicada a semana passada no
Sick, falla pela priraeira vez na apparicao
extraordinaria de estrellas cadentes que tor-
naram raemoravel nos annaes da meteoro^
logia a noite de vinte e sete de noverabao ul-
timo.
Eis o que sobre to curioso e importante
phenomeno diz 6 Ilustre collaborador do
S tecle:
a Tendo de toda a parte chegado acade-
mia das sciencias (de Franca) indica^d^ e
retatorios sobre o phenomeno, o Sr. LeiVer-
rier foi o interprete dos numerosos observa-
dores que, era muitos pontos do territorio
francez e no estrangeiro, puderam estudar
aquella verdadeira chuva de astros, a que
os allemes, com as suas pretenijoes ao sen-
timentalismo potico, do o elegente nome
de moikcos de estrellas I
Em Pau, no espago de urna hora, das
seis e meia s sete e meia da noite, o Sr.
Bourdeau coutou m e duzentas estrellasxa-
dentos ; isto mais de vifte por 'raiuuto.
Era aples, pela Vdta das sete horas, con-
tavam-se, pelo menos, duaS >or segundo.
Em Macn, esSrs. I^mery e Puvis contaram
mais do mil em trinta e ciuco minutos. F-
halmente no observatorio do collegio roma-
no, o padre Secchi, desde as sete e meia at
i urna liora depois da meia noite* p.le regis-
trar a observacao exacta de treze rail oito-
centos e noventa e dois meteoros. O pheno-
meno apresentou a sua maior intensidade
pelas oito horas e meia da noite ; o numero
de meteoros ora n'aquelle momento de no-
venta e tres por minuto. Depois das onze
horas comecou a decahir o numero do es-
trellas ; e meia noite havia intervallos ora
que nao se viam. Entre a meia noite e urna
hora da manha apenas se contaram oitenta
e sete. Tendo apparecido grandes nevoas,
foi preciso interromper as observaces ; mas
is cinco horas, o co, ficaudo limpo de nu-
vons, reconheceu-se que o phenomeuo tinha
acabado.
tes era geralraeute fraca ; os mais formosos
tracavam muitas vezes curvas, em logar de
correr em liulia recta ; e o co achava-se um
tanto claro'ao puente e ao norte.
O padre Secchi termina a sua coramu-
nicaco academia, fazondo notar que a trra
naquelle momento achava-se no caminho de
um cometa condecido pelo nonie de Biela,
Esta observado lorna-se boje muito uteres-
sante, por que a opinio dos horneus da sci-
encia tende a assentar que as estrellas caden-
tes e os aerolitos formam a propria substan-
cia dos cometas. Foi a cauda de um desses
astros errticos que o nosso pequeo globo
encontrou, ou atravessou, na noite de 27 de
novembro ultimo.
REFORMA DO SYSTEMA MONETARIO.
O tratado que outro dia dissemos estar con-
vencionado entre a Suecia, a Noruega e a
Dinamarca, sobre reforma do systema mo-
netario nos tres paizes, foi sssignado em
Stockolmom dia 16.
Na noticia queja demos estao indicadas
as bases da reforma. O estalo da inoeda
passa, como j dissemos, a ser oro.
Tambera na Hollanda o estalo da moeda
vai ser mudado para o oiro. lima commis-
so que tinha sido noraeada para estudar o
assurapto, prouunciou-se pelo oiro.
LIBERDADE DE IMPRENSA.O jornal
L'U^ion Meridional) d conhecimento ao
publico do segrate documento, que a auto-
ridade administrativa publicou :
O prefeito da Alta-Garonne :
Visto o artigo 6.9 da le" de 27 e 29 de
julhode 1849;
Visto o numero do dia 20 de dezerabro
da Union Meridionale;
Attendendo a que o prirneiro artigo deste
numero injurioso para o presidente da re-
publica ;
Decreta :
A venda do jornal a Union .Heridionn-
le, as ras publicas e as csta*>es do cami-
nho de ferro, prohibida por um mez ueste
districto, a datar de 20 dezembro cr-
reme.
Tolosa, 19 de dezembro de 1872.
O baro sent um movimento de chime,
na-era muideiieado para o nao compri-
mir : e imitando o senhor deSimiane, des-
ecu, pela sua vez, do cavallo, e em quan-
to o raarquez ciininhava diante cumYvon-
noUa, tomou familiarmente o braco de
Heitor.
Meu tio muito se alegrar em o ver
disse o manceboha muro tempo que elle
o deseja e se informa da poca da sua che-
gada.
O senhor de Nossac est-emeceu.
Heitor tinha a voz de Samuel, como ti-
nha o seu rosto e estatura.
A duvida, essa cousa horrorosa, esse mal
quasi "incuravel, voltou-ldo ao espirito e
apossou-se d'ollo com tenacidade.
J viajou ?pargun ou elle, no tom
que tomara um juiz criminal, interrogando
um aecusado.
A'1' no, senhor respondeu triste
mente Heitornao tendo fortuna, sou fe-
liz ou infelizmente muito c rgulhoso, e para
viajar segundo a minda ; eraredia e nasci-
mento, preciso ouro. Nao o tendo.
Ao menos, j deixou alguma vez a
Bretanha ?
Nunca. '
Devers ?
A minha uxcursao ir ais longinqua foi
urna viagem a Nantes, onde fui ver o minis-
tro do rei.
Conhece-o 1 perguntou o senhor de
Nossac, interrogando semire o rosto ira-
eassivel e ingenuo ao niesmo tempo, de
eitor Kerdel. ,
Pouco. Mas meu tic, que foi coro-
nel de artilheria no mesmo corpodeexer-
'cito que elle, tinha-me dalo urna carta de
recommendac.
Entio, ia solicitar... f
A sua pYotecco, senhor ilisse Hei-
tor, sem' humildade nem arrogancia.
Nao o senhor d'AgtlloQ ?
Sim, sendor.
Conheco-o muito bera, e se poder...
Oh disse Heitor eu pedia to
pomo...
O que ?
t'm lugar nos mosqueteiros do rei.
E nao o obteve ?
Anda nao. Mas o senhor d'Aguillon
recommendou calorosamente a minha carta,
c espero...
Com a breca senhor, espere ; ser
um mui lindo mosqueteiro para, que o rei
naco aceite immediatamente.
Tem muita bondad*, sendor, mas
creio que a meldor das mindas rccominen-
dacoes...
E'... ?perguntou o baro.
0 nome de meu pai.
Com effeito disse o sendor de Nos-
sac, recordando as suas reminiscencias
de boa e velda casa. Os Kerdels sao bem
conhecidos e aparentados no oeste.
Meu pai era coronel dos suissos.
Lembro-mo agora d'elle, e creio at
ter servido com elle no Rdeno.
E' possivel, sendor, porque entrou
em todas as guerras da Allemanha.
Havia um tal tom de verdade as respos-
tas do mancebo, citava nomes to condeci-
dos e donfosos, que seria preciso estar lon-
co para se conservar ainda algumas duvidas
sobre a sua identidade com Samuel.
As ultimas suspeitas do baro come^avam
a desvanecer-se e tindam completamente
desapparecido, quando ao sahir de urna ira-
mensa fileira de freixos, vio Ievantar-se dian-
te d'elle a imponente massa do castello de
Kervgan.
0 senhor de Simiane nao tinha mentido,
quando tinha annunciado q castefto como
urna construccao do tempo cfc cruzadas,
um verdadeiro castello de cavalleiros que
tinda visto passar os seculos e que tinda
ficado de p, apezar da aza devastadora do
tempo.
Tinda torreoes massicos, janellas e setiei-
ras; via-se o seu campanario a muitas le-
guas em torno e os seus fossos eram pro-
fundos.
Mas sobre toda essa altiva attitude as
Iteras e o musgo da Islandia tinham espa-
lhado ura vasto manto de verdura ; grandes
bosques, prados em flor; coUinas cobertas
de arvores fructferas, urna natureza inof-
fensiva e ctrapestre pareciam attestar que a
sua raisso bellicosa estava Cumprida havia
muito tempo.
No pateo intra muros, outr'ora -campo
de manobra dos domens d'armas, tinham-
se deixado crescer castandeiros e acacias que
enlajavam os seus ramos era volta das ja-
nellas, encaixildando-as em caprichosos
festoes.
Emfira, como complemento do quadro e
para acabar de mitigar o aspecto de- veldo
castello, tindam deixado trepar pelos muros
urna vinha que prometti raaravildas, ape-
zar da aspereza do clima breto.
Os dous fidalgos e seus guias nao tiveram
pfecisao de tocar a trompa entrada da
ponte levadiza, porque ella estava descida
havia seculo e meio, e as cadeias que a se-
guravam tindam urna cor de ferrugem, que
testomunhava a sua inacc,o.
Atravessaram urna alameda ensaibrada,
aedaram a porta aberta eentraram n'um
vestbulo muito arruinado, corao todo o res-
to do castello, mas onde a joven castell ti-
nha mandado collocar, com profuso, vasos
e caixes de flores,dessas bellas flores do
campo, que se nao encontram nos jardins
de Cbaillot ou de Saiut-Cdauraont.
Assim como vestbulo, a escada e a
velda sala, onde a joven castell conduzio
os seus dospedes, e que era o sali de re-
cepeo, tindam um aspecto campestre e
apresentevam esse cundo de ingenua affec-
tac,o que urna joven pode dar a urna velha
cara ou a um velho esposo.
Emfim, abrio-se urna porta, e um criado
mais que octogenario, mas ainda fresco, an-
nunciou com urna voz enroucada, que se
esforcou por tornar solemne :
0 sendor conde de Eervgan!
IV
O conde de Kervgan era um bello velho
de setenta annos, bem conservado, apezar
da sua barba e dos seus cabellos inteiramen-
te brancos.
Era de alta estatura, e tinha no andar e
no gesto urna suprema raagestade.
Tinha at, ao menos pensou-o o baro,
urna vaga semeldanca com Bergdaussen,
estudante allemo que tio bem tinha des-
empendado o papel de calador negro. Mas
essa semeldanca era tio fraca, a idade tio
desproporcionada, que. o senhor de Nossac,
apezar dos seus perpetuos terrores, nao teve
durante um segundo o peasamento de que
poderia ser elle, e alm disso to expansivo,
franco, e por vezes falto de dignidade era o
rosto do castellao de Holdengrasburgo,
quo austero, solemne e magestoso era o do
conde de Kervgan.
Dirigile elle para os seus hospedes com
passo lento e imponente, cunaprimentou-os
com a ma e caminhou direito ao mar-
quez.
LADRAO AMOROSO.A scena que v-e
mos contar nao inventada, seno que efec-
tivamente aconteceu, em um dos das prece-
dentes, em urna das primeiras cidades da
Europa.
Era-promixo da noite. A chuva, que por
algumas horas havia largamente regado as
ras, suspender as suas torrentes por al-
guin tempo, para recoiuecar cora igual
abundancia.
Una dama, senhora casada, tendo ido fa-
zer algumas pequeas compras a urna loja
de modas, volva a sita casa, a passo um
tanto apressado. Seutindo que alguem a
ia seguindo inuto prximo, olhou de sos-
laio, e vio um laoalheiro, com seus ares
de gala, soffrivclmonte trajado. Nao se
deniorou, era aproveitar o reparo que a sua
pessoa motivara c mais se abeirou da dama.
Dirigindo-lde a palavra, disse :
Cdove tanto, minda senhora, vai j
to molliadinda, quo me arrisco a offere-
elle agrade-
Meu primo disse-lde
50-lde o nao ter esquecido um pobre veldo;
conservei to poucas relaeoes com o mundo
e o mundo esquece to depressa, que se me
alegra o coraco quando vejo ura amigo vir
cer-lhe o incu braco e metade do meu cha-
peu de chuva.
A senhora recusa um e outro offerecimen-
to, mas o' gala insiste com urna teimsia, que
em breve ira haver escndalo, se a dama
se nio calara, doixando que o chapeu de
chuva a resguardasse um pouco c que por-
tanlo o dono delle lizesse em parto a sua
vontade, to frisantemente manifestada.
Pouco se demoraram que nao chegassem
aporta do predio em que a senhora ha-
bita. '
Mas, o nosso homem nao quera dar por
terminada ahi a sin missao. As parases
apaixonadas que a principio apenas eram
disparadas em esboco, foram tomando tinc-
tas raais accentuadas, e. n'ura crescendo,
que chegou a um abraco teruissinio, se para
que os abramos sejam temos preciso seren
bem aperlados.
A pobre senhora, sempre receiosa de es-
cndalo, diligenciara fugir das raaos do
atrevido gala, quando o marido della enfia-
va sbitamente pela porta para dentro do
palio, accussa.lo pela chuva. A priraeira
idea que teve foi que surprodendera sua mu-
lher n'um colloquio amoroso.
Como a perturbaco o nao deixava ligar
duas ideas, dcixou-se sem diiliculdadc do-
minar pela exaltaco dds sentidos. Travou-
se um alto berreiro, altercacao, a qual at-
tiahio nao smente os curioso*, mas tam-
bera a polica.
Todos tres", lutilher, marido e yul fo-
ram levados ante o cominissario de polica.
Mal ah tinham chegado, reparou a se-
nhora que lhe fallava o relogio, a chatelaine,
um broche e um bolsinho cora dinheiro ;
occorrendo-lhe logo quem fra o roubador.
Accusa a falta daqueHes objectos, e um
guarda de paz, passa logo a revistar o lin-
dinbo amoroso, e acba-llte escondidos as
algibeiras os objectos subtrabidos se-
nhora.
Estava descoberto o motivo de to extraor-
dinarias sympathias pela dama, de to ar-
dcnte inclinaco, que para logo ia ao inli-
nito, audacia temeraria.
O-marido sentio-se alliviado de um peso
enorme, que o achatava.
A senhora nao se esqueceu de alli mesmo
mostrar o seu agastainento pelas sspoitas
do seu consorte ; o qual, se desfazia em des-
culpas e perdes, com o protesto de nunca
jamis tomar a por, ura segundo sequer,
em duvida a seriedade da esposa.
O yal upn'uonaiio foi para a cadeia, fa-
zer algum estudos sobre a "arte a que se ,'de-
dica a fim de, no futuro, quando recobrar
a liberdade, oxecutar melhor os planos quo
a sua imaginac,o lhe suggerr.
CONDEMNACO A' MORTE.O Iribunal
das assisses do Rhodano acaba de proferir
sentenca de morte contra dois reos c a de
trabalhos pblicos perpetuos a um terceiro.
Esses tres desgranados foram convencidos
de terem assassinado um hornera, que ja-
mis lhes causara mal voluntariamente e s
involuntariamente liria a prejudicar um dos
homicidas, sendo testemunha dada n'um
[vrocesso crime.
Vuillard, um dos condemnados, tinba um
pequeo caf, e um dia lembrou-se de allu-
raiar o estabelecimento a custa de um visi-
11I10. Para isso mottu um tubo delgado
no tubo conductor do gaz para o do visinho
e assim consuma a maior parte do gaz sem
passar pelo seu contador.
Esta fraude foi descoberta e um processo
crime se instaurou contra Vuillard.
Ora urna das testemunhas mais importan-
tes contra o larapio era com effeito Patricot,
piomera que vivia honestamente do seu tra-
balho.
Antes do dia aprazado para o julgaraento
de tal espertalbo, Patricot appareceu mof-
lo, em urna ra das mais escuras, com sig-
naes de ter sido a morte violenta.
A polica descobriu depois de muito tra-
balho quem baviam sido os matadores.
O julgamcnto d'esta causa durou oito das,
daveudo ddiates muito acalorados.
~7
w doj^owgp
icia (vo pi

PAO FABRICADO COM ACIA DO MAR.
L-se o seguate em urna folda franceza .'
O Dr. Liste acaba de cha mar de novo
entr-se ao meu fogo.
0 conde dirigio-se ao baro, o continuou :
Senhor baro, agradego ao meu primo
Simiane o ter tido a feliz idea de nos rela-
cionar. Somos vizinhos do campo e pro-
punha-me a ir vsita-lo, apenas soubesse
da sua chegada.
Considero-me feliz por o ter preveni-
do, senhor conde.
Nao tenho necessidade de lhe apresen-
tar minha tilda, a menina Yvonnetta do Ker-
vgan, nem meu sobrinbo, o senhor Heitor
de Kerdel; pelo que vejo, meu primo Si-
m iane eucarregou-se desse cuidado.
O baro inclinou-se.
Masproseguio o cond- espero ser
mais feliz e apresentar-lde minda sobrinha,
amarqueza de Bidan, que vera a Franca
pela vez priraeira.
Urna creoula, segundo creio disse
Nossac.
Filda de um de meus irmos, que ti-
nha fixado residencia as colonias.
E' viuva ? perguntou Simiane.
Viuva aos vinte e seis annos, de um
rico colono. Annunciou-me para muito
breve a sua chegada. Vem residir para
minha casa.
Ah I disse o baro, prestando me-
diocre atiene,o s palavras do conde, e con-
templando a oceultas o encantador rosto de
Yvonnetta, envergonhada por sentir o oldar
de Nossac pezar sobre a sua fronte.
0 navio que a tem a bordocontinuou
o conde esperado em Brest a todos os
instantes, e tindamos at tencAo, minda fi-
lha, meu sobrinho e eu, de partir para
esta cidad e ir espera-la ao desembarque.
* Com a breca Idisse Simianefarei
parte da jornada.
E' que continuou o conde, com
certa hesitacAoos meios de transporte sio
difficeis...
Yvonnetta chegou-se ao marquez.
Meu primo disse-lhe ella ao ouvido,
mas cora tudo bastante alto para que Nossac,
que estava perto delle, a ouvisse poupe o
amor proprio cte meu pai e nao insista. Te-
mos apenas um mo carro de verga... e...
bem- comprehende...
Senhor conde apressou-se a dizer o
senhor de Nossacsou da opinio do meu
amigo Simiane, e urna s difliculdade me.
embaragaria o weio de importunar com
a minda presenta tima primeifa entrevista
de familia,
Ol!disse o conde com um sorriso
domens como o sendor baro nunca im-
portunara.
Nesse caso, senhor conde, pormitta-nie
que lde offerega a minda berlinda de viagem
e um almoco era minha casa no dia da
partida. 0 meu castello aeda-so justamen-
te na estrada de Brest.
Aceito disse o conde cora simplici-
dade.
Quando quer partir ? perguntou Si-
miane.
Mas... mand, se nao houver algum
impedimento.
Seja assim disse o baro.
A conversa versou ento sobre banalidades
que sorviram parfeitamente ao baro, per-
mittindo-lde o oceupar-se exclusivamente de
Yvonnetta.
Os dous fidalgos ficaram para jantar.
Simiane nao tinda mentido : a pobreza
do castello era de boa casta. As iguarias
foram raras mas delicadas, e em quanto ao
vinho, a carnada de p que cobria as garra-
fas, atteslava a sua vclhice e a parcimonia
cora que era conservado.
Mas o sendor de Nossac nao o notou e s
pensou em Yvonnetta.
Estava collocado sua direita, tocava-lde
por vezes a mo. Que lhe importava o
resto?
A refeigo, apezar da sua frugalidade,
prolongou-se at tarde, e era noute quando
o baro c Simiane pensararn em so retirar.
Senhor condedisse ento o senhor
de Nossacpela minha vez offoreco-lhe hos-
pitalidade no castello por esta noute, para
que possamos partir cedo.
O conde pareceu hesitar, mas afinal deci-
dio-se.
Seja assimdisse ello.
Sua filha poder montar o raeu ca-
vallo, e o conde o de Simiane; nos remos
a p em corapanhia do senhor Heitor.
Oh nao 1disse Yvonnettaeu pre-
liro atravessar a charneca a p.
E eu tambemdisse Simiane.
Ento disse o baro interrogando
com um oldar o joven Heitorquem mon-
tar o cavallo do marquez ?
*Heitor calou-se sem duvida por timidez,
mas oldou para sua prima.
Ser Heitor disse ella mo caval-
leiro, e visto que quer servir na cavallaria,
preciso que se exercite.
Oselhosdo mancebo brilbaram de ale-
gra. ~ ,
a atteneu do/Cowgresso de Bordeus para a
importancia (Jo pi fabricado com agna do
mar. RefereSo Dr. Lisie que a idea de fa-
bricar o pao Rom a agua do mar e applica-
lo aos doentes j limpliacos e escrofulosos,
bem como aos que perdetam o appetite e as
forcas, me fora uggerida pelos pormenores
que lde dera umfcapito .de marinda raer-
cante, quando lhe* .eontou os episodios da
suajvida aveiituros- Achando-se um dia no
meio dos mares da India sem agna para
amassar o pao, occorreu-lbe a idea de ap-
pellar para a agua do mar. Contra os seus
clculos, o pao sahio accpitavel, e todos os
que iain 110 navio contiiiuaram a come-do "
durante a viagem, que foi de cerca de doui
mezes, obtendo resultados imprevistos. Tt-
nhara-sc restabelecido alguus marinheiros
fatigados e doentes, gozando todos os outrps
perfeita saude at arribarcm a Marselha.
Desde essa poca o capito nao tornou a
erapregar outra agua para o pao dos tripo-
lantes, succedendo nao adoecer nenhum
delles durante as suas expedic,ous que dura-
rain muitos mezes.
O I>r. Lisie julga muito racional o em-
prego da agua do mar no fabrico do pao,
pela vantajosa influencia que deve eiercer
sobre a digesto e a nutricao. conveiieendo-
se de que um podesta especie seria muito
til, especialmente em Pars, onde sao> tto
corainuus era todas as classes a atona funeces e a languidez do estomago.
TRAVESSURAS DE CUPIDO.Em me^
nos de dez dias houve em Paris duas tenta?-
tivas de suicidio'por causa de ciumes, em
ambas as vezes foram elles e nao ellas quem
pretenda por termo vida.
Prirneiro foi un mancebo, filho de gente
distincta e rica, por appellido Duval, que
desfechou um revolwer contra si, por causa
da senhora Cora Pearl rapariga muito co-
ndecida em Paris, por ser capaz de fazer
aiular a calieca roda do mais pintado es-
pertaldo ; depois foi Mr. Arroand J.ucy,
que igualmente empregou um revolwer
contra si, sendo origein dessa resoluco
una subora, que vivia desquitada do ma-
rido, com a qual Lucy mantinha retocos
desde muito.
Tanto urna como outra baviam feito de-
claraejfes tei-minantes aos seus respectivws
amantes de que estavam no firme proposilo
de mudarem de rumo-, e portante- que fofr-
sem pregar a outra freguezia.
Nao pensem porm os leitoros que este*
dois domens eram alguns marieas, algn
sendore.
Duval era um ,rapaz desembarac^ado, >
Lucy ( mancebo anda tambem ) anda da*
bem pouco provocou a d'uello um dos re-
dactores do Fgaro-, oSr. Edgar Rodrguez,
com elle se bateu ao florete e o ferio.
Vejara quanto pode o amor, que nao s
avassalla os nimos dos piegas, seno tam-
bera os espiritos de- incontestavet liombrida-
de.
DURO CASTIGO?. 0 tribunal superior
de Caen confirmou a sentenca dfada em pri-
meira instancia contra ura Sr. Dsir Au-
Lbert.
Este sugeito, parase ver vre- de um ca-
vallo adoidado que tinda, f-lo hallar urna
boa dse de opio, n'irma po^o. que prepa-
rou. Foi o cavallo para a feira^ eah pare-
ca raais manso que um borrego.
No dia immediat, perm, c avallo vol-
tou a fazer cousas do arco da velda.
O comprador do cavallo intentou acgo
contra o vendedor, e esto afinal foi coudem-
nado a redaver o cavallo, repir o preco, a
pagar duzentos francos de petdase dainnos,
e a ii para a cadeia durante um anno.
CASTUiO.O tribunal correccional do
Tintines condeHuwu quatro eperarios da fa-
brica de gaz'da Commerciat GasCompany
emStepney, os-quaeseram aecusadosde ha.-
ver faltado aos seus contractos, abandonan-
do o servico sera previo aviso, como era seu
de ver.
A sentenca iidlinge-lhe seis semanas- de
priso cora trabalhos obricados.
Muitos outros, como j dissemos, vcpror
xiraainente comparecer ante ostribunaes,.poi
idnticas quebras de contracto.

-
-
E' fogoso o seu cavallo ? perguntou.
elle ao baro.
E' vivo, mas nao fogoso.
Heitor saltou para a sella com inaudita, fa-
cilidade ; c sera duvida para dar un des-
mentido sua prima, comegou a fazer la-
dear o nobro animal com ura atreviraento
ipie nao era talvez sciencia, mas que- tinha a
sua gra^a.e sangue fri.
Posso mette-lo a galope ?
Corao queira, meu joven amigo.
Durante osse tempo o velho conde de
Kervgan tinda posto o p na estribo deva-
gar, mas com o motdodo e a sciencia de
um cavallciro consummado, e depois de
estar a cavallo tomou aos odos do baro,
que era condecedor, urna attitude soberba e
altiva quo recordava os cavalleiros da idade
media que pareciam pregados s suas sel-
las.
Vejamos disso elle se ainda me
lerabro do meu autigo oflicio.
E metteu a galope o seu cavallo atraz\lo
de Heitor, que j comeijava a desappajrecer
na floresta de velbos carvaldos.
Nossac, Yvonnetta e Simiane ficaram sos.
Entrarara todos tres na edarneca } depois,
o baro, por urna dabil manobra, encon-
trou meio de se separar do raarquez, e de
camindar s cora a joven, mudo anda,
mas com o coraco e a cabera nteiraraente
preoecupados.
Foi um encantador passeio que deram os
dous jovens, atravz dessas sebes floridas,
dessa charneca perfumada, sob um co azul,
que a briza da noute raatizava apenas de
algumas nuvens pardacentas ; e sem que
os seus labios se movessera, sem que a voa
lhes sahisse do peito, fallarara reciproca-
mente essa muda e potica linguagem do
amor, que pela Yez prmeira se revelava a
Yvonnetta, o que pareceu ao baro a sua pri-
meira sensago desse genero, to livre era
desss perfume material que at alli tinha
presidido aos seus outros amores.
D repente fez-se ouvir o galope de um
cavallo.
Era Heitor de Kerdel que voltava a toda
a brida.
Senhor baro I bradou elle minha
prima, a creoula, acaba de chegar ; encon-
tramos a sua liteira diante da grade, do seu
castello e meu tio Qtroduzio-a n'elle.


-

'
>
v.
-




>
k
(Continuar-se-ha.)
TVP DO DIARIO RA DUQUE DE CAXIAS.
IB
/
L
j
----------~


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EZO6RY6B3_2TPSUR INGEST_TIME 2013-09-19T22:19:08Z PACKAGE AA00011611_12824
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES