Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12821


This item is only available as the following downloads:


Full Text
. ANNO XLIX. NllERO 21
i i i i mi a
A CAPITAL E LCASES TOE W* E FACA
f or tM mez adiantados..............'..* #000
*or aeis ditos idem .......'........... 1WOO0
Fot un anno Mem............'......'. i#000
Cada numero aVolso ...*...........*.... 320
SEOJNDA FEIBA 27 DE JANEIRO DE 1875.
^^^ ..... i imm^M^ i M ^ii^iiaaa^n
FABA PILTRO E FBA A PROVl\i|A.
Por tres mezes achantados. ..'............... 60750
Por seis ditos idem. .-......*............ 1500
Por nove ditos dem -.................. SOfStO
Por una anno idem..........'......... 27*000
DIARIO DE PERMMBUCO
PR0PRIEDADE DE MAN0EL FICEIR0A DE FARIA & FILH0S.

Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Para; Gonralvcs & Pinto, no Maranho; Joaquina Jos de Oliveira & Filho, no Cearl; Antonio de Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'AlmeMa, c-n Mamanguape ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha; Belarmino dos Santos Bulco, em Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, craNazareth; .
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Francino Tavares da Costa, em Alagdas; Alves & C, na Baha ; e Leite, Cerquinho & C. no Rio de Janeiro.
\
PARTE WTICIA1.
Gverno din provincia.
EXl'SOll.NTB t>0 DA 20 K JAKE10 DE 1873.
i." mcao.
Oficios:
Ao coronel commandante das armas interino.
-Mande V. S. apreseular ao iuz de direilo da 1.
vara cvel urna praea de cavallaria para conducir
aos diversos subdelegados j>s otticios que Ihes s
dirigidos para a eonvi cacao do jury.
Ao mesmo. -Deferinde o rei|uerimento do
soldado invalido do 2. batalho de infantaria in-
cluido no deposito de recrulas Joao Rayniundo Al-
vos Faltosa, autoriso V. S. a conceder-lhe perms-
-.'.. para ir esperar na villa do Pau d'Alho
pela decisao do goveruo sobre sua baila ou refor-
ma, Arando obrigado a responder s revistas de
inostra nesta cidade de dous em dous mezes.
Ao ni 'si iu i.Man Je V. S. pi'r em liberdade o
recrute Martnian* Jos Elias de Gouvea, visto
to*- provado isencao les al.
Ao inspector do a-seal de marinba.Com
inclusa copia da inf irmacio da contadoria da th
? ouraria de fazenda, a que se refere o oficio d
respectivo inspector de 17 do correnle, sob n. 782,
serie u, respondo ao de V. S. de 27 de dezembro
do anno prximo pasad sob. n. 491, relativamente
ao pedido feito pulo earitw do porto, de utensilios
para o moho da guarnido aquella capitana,
que incluso devolvo.
Ao engenheiro da; obras militrres.Das duas
propostas que inclusas devolvo, o a que se refere
o seu oficio de 23 de dezembro ultimo, relativas
i-atadura, pintara e mais concertos precisos no
forte do Buraco, autoriso Vine, a aceitar por ser
mata vantajosa a fazenda nacional a de Manoel
Hamos de Souza, pois que, sendo todo aquelle ser-
vico oreado em 8iMiH), offereee-se ella a execu-
ta-lo com o abate de 10 por ceuto, fcando assim
redunda quantia de 7824160, segundo consta do
citado odie o, que fica iissim respondido.
Portara :
Ao eonselho de compras de inarianha. An-
provo os contratos que celebrou o conselbo de
compras d; iiurinha com diversas pessoas para
o fornecimonto do almoxarifado do arsenal de ma-
Cinha, de vveres, dietas e outros objectos necessa-
rias ao consumo dos navios dii armada e estabele-
cimento de marinba no trimestre de Janeiro i
marco deste anuo, bem como do carvb de pudra
para a ofliciqa de fevereiro por tempo de tres
mezes. *
Deste modo Oca respondido o oflicio do mesmo
eoaselho datado de 21 de dezembro do anno pro-
simo passado.
2.* seccao.
OfAcios:
Ao Dr. chefe de polica. J estava interado
da captura do criminoso Jos Gcraldo de S Cas
pelo oflicio, que me dirizio o juiz miuiiripal do ter-
ma do Tacarat, quera louvei, bem como ao de-
legado, por esse servico prestado sociedade,
couvindo que V. S. nao cesse de recommendar s
autoridades policaes toila diligencia, para que se-
jam capturados o&jlemais criminosos, que em di-
' versas localidades^iffrontam le.
Ao mesmo. Remeti par copia a V. S. o of-
licio, que acabo de dirigir aos inspectores das the-
.nirarias geral e provincial acerca do repesamento
dos algodoes que eoncorrerem ao mercado, nos
armazens do caos do llamos e Forte do Mallos,
afina de que interado do seu conteudo, providencie
de modo a que as autoridades policaes cumpram,
na pacte qae Ibes diz r-?speilo, quanto nelle se de-
termina.
Ao mesmo.Foram dadas as necessarias pro-
videncias para serem reinettidos a V. S. ;dguns
tubas de pus vaccnico com destino ao delegado
de S. Bentc, como solictou em cilicio de i7 do
torrate, que Sea assim respondido.
Ao cominandanie superior da guarda nacio-
nal do Recife. Designe V. S. 3 offleiaes superiores
para faterem parte da junta, que em ultima Ins-
tancia deve julgar 28 do eorrente, ao meio da,
Oeste palac o, o soldada do corpo de polica Jos
Francisco Gomes da Silva.
Ao juiz de direito la i.* vara cvel da capi-
tal.Designo V. S. para fazer parte da junta que
em ultima instancia teta de julgar, 28 do cor-
rente, ao meio da, neste palacio, o soldado do cor-
pa de policia Jos Francisco Gomes da Silva, cujo
proetSM de julgamento incluso llie en-io, para
aprsente* o relatoro do estylo dita junta.
- ^^Ai)_jui_de direito do Buque. -Fo am expe-
didas ~ne conve'meTrtiSH'Fdejis, aflm de ser relor-
;.ado, como solicita em seu "oTucie- de 4rcb-
rente, o destacamento (lean localidade, e espero
que V. S., de aecordo com o delegado, se ulilsar
desea forea para tuer i ma incessante penegoicao
ao.~ criminosos, que infestam essa comarca, nao
tendo consderacao alguma s opinioes polticas
de seus protectores, nem posi^ao social, que pos-
sam ter.
Ao ju;Z de direito do Ouricury.Nomcei V.
S. para, com o promotor publico dessa comarca e
o president da camera municipal de Grauito, dar
parecer sobre a conveniencia da arquisirao do pre-
dio, a ue iie referem os ppete inclusos', declaran-
do se ello so pode prestar com vantagem a servir
de paco da cmara municipal, casa para o jury,
prisao cquirtel do destacamento em dito termo de
Granito. -No mesmo sentido mutatat mutandit, ao
promotor publico da comarca de Ouricury
Ao juiz municipal de Flores, Io supplenle,
LVdro^Pessa de Si(]uei,ra Campos. Declaro
V'nic, em resposta ao seu offlcio de 3 do corren-
. te, que e motivo que allega nao o exime da res-
[iniuabilidade ein que incorreu por nao ter dado
andamento s queixas, que Ihe foram aposenta-
das. Vine, deve saber que a lei marcea prazo
para a formacao da culpa, e que o juiz que o en-
cede sem motivo justificado-coinmette urna fal-
ta merecedora de punico. Por esta vez limit-
me esta i imples advertencia, porque nutro a lir-
ia esperanca, que no prximo mappa nao per
deroccasio de convencer esta presidencia, deque
no foram o deleixo e a incuria que o Impedirn)
de cumprir um dever tao recommendado pelos
principios de justtea e humamdade, e sim as cau
sas que apinia.
8.' secano.
Actos :
U presidente da provincia, attendendo aVo
que repre*:ntou o inspector da thesouraria pn
vincial em ofBcio de bontem, sob n. 33, e tendo
em vista a demonstracao que acompanhou o rita-
do ofHcio, resolve abrir un crdito supplemftntar
ao art. 12 2o da lei do ornamento vigeidi, na
importancia de 30:7071042, para fazer facefao ex-
cesso de despeza que se deu com o pagamento
realisado ao London & Basilian Bank Limjjred pro-
veniente de um saque feito em favor do/Banco do
Brasil, para indemnis;ico da primeiga prestacrio
da amortkaeSo da quantia de 1,600:0004, recolbi-
da aquella thesouraria por conta do /emprestimo
de. 1,800:01)04 bem orno dos respectivos juros
^ncidos de julho a dezembro d anno prximo
;i usado, segundo se depreliendwla mencionada
demonstracao.
de tevereiro de 1862, autorisar thesouraria de
fazenda a dispender, sob res|ioiisabilidade da nies-
ma presidencia^ ipiantia de 3004 para occorrer taes
pagamentos.
Oficios :
Ao inspector da thesouraria de fazenda.
Transinittindo aV.S. para a devida execucao, co-
pia da iwrlaria desta, pela qual resolv aulori>a-
lo, sob minha res|Knsabilidade, dispender a quan-
tia de 5004 com o pagamento do transporte dos
caixoes, contondo listas de familias para o recen-
seaiiiemo, remettidos esta capital pelas respec-
tivas agencias do correio do interior, recoinmendo
a V. S. que mande entreg r n referida quantia ao
niwmo administrador, que dever prestar qppor*
tunamaute contas.
Ao mesmo.Transmiti a V. S. para os pus
convenientes, as inclusas conta's documentadas da
recuita e despeza da enfermarla militar do presi-
dio de Fernando, relativas a antes de setembro,
outubro, novenibro e dezembro do anno prximo
lindo, e bem ass m o parecer da junta de inspec-
cao, ipie i.e.'s contas examinou na forma da lu e
achou-as regulares.
Ao mesmo. Attendendo ao que expoz no In-
cluso requerirnento, Joio Doiningues Ramos, capi-
todo 9 batalho de inlauaria do exercito, a que
alinde sua inforinacao de 17 do corrente,sob n. 783
serie B, autoriso V. S a mandar abonar ao sup-
plieante um me>. de sold, paralbe ser desconta-
do integralmente de seas .vencimentos, segundo
dJspde e art. 10 das instrucedes de 21 de julho
de 1837.
Ao mesmo. Confurmando-nie com sua in-
formacid de 18 do correnle, sob n. 788, serie B,
acerca do pagamento da gralilicaco que compe-
le ao 2 sargento do corpo de polica desta pro-
vincia, Jos da Silva Guinares, por haver appre-
hendido o soldado do 2 batalho de infantaria de
liaba, Joao Miguel Archanjo dos Anjos, tenho a
dizer a V. S. que mande elfectuar esse pagamen
to, segundo o dispo-to na portara de 29 de dezem-
bro ils 1824, e para esse A > devolvo-lhe o attes-
tado em duplcala, que veio annexo sua citada
nformacio.
O presidente da pfovinci?
o oficio do administrador inte'
provincia, era que representa
correr-seno pagamento*da c
\ remettidos pelas respectiva -
iiiicndo listan de fan ia
e nieadeno a qne nao e.
fim, rewlve, dos termos
ido en vista
conatos da-
lade de oc-
caixoes
i interior,
):ttnenlo,
ra esse
i do l".
*
Dito ao mesmo. Constando por notoriedade
publica que os algodoes que concorrem ao merca-
do desta capital sao roubados no peso de un mo-
do escandaloso, e conviudo garantir os direitos da
la enda nacional e ao mesmo tempo os dos pro-
ductores de um to importante ramo da nossa ex-
portaejio, recoinmendo a V. S. que d commfsso
a unidos empreados dessa repartirao para lisca-
lisar o pesamento do referido genero, nos arina-
ens do ces do llamos, dando-Ihe para esse lim
as convenientes instrucedes, entre as quaes se in-
cluir a de requisitar inmediatamente a interven-
cao da autoridade poeial o a do llscal da muni-
eipalidade, quando ]ior ventura os donos dos ar-
mazens ou prensas se recusaran ao repesamento,
quer por exigencia dclle empregado, quer do do-
no da mercadoriaIgual ao inspector da thesou-
raria provincial cqih relaco aos ann zens do For-
te do Maltes.
Ao inspector da thesouraria provincial.Es-
tando prestes a reunio da assembla legislativa
provincial, e convindo tomar-se providencias con-
eernentes ao equilibrio da receita e despeza da
provincia, e a boa direccao c regularidade do ser-
vico dessa reparticao, e das que Ihe sa) subordi -
nadas, e cujos reglamenlos me parecem sobre-
modo deficientes, lembro a V. S., cuja longa pra-
tica, illustraco e zelo pelo publico servico sio ge-
ralmeiite reconhecidos, que no relatoro por mim
exgelo em oflicio de 7 do correnle, indique as
medidas qae devem ser adoptadas, quer em rea-
cao ao estado pouco lisongeiro das financas, quer
a respeilo das reparticoes por onde sao'ellas ar-
recadadas, tendo em vista, no.tocante a este ultimo
objecto, a siniplificacao possivel do trabalho e a
reduccio do numero dos empregados.
-y Ao mesmo.Remetto a V. S. copia da por-
tara desta data, pela qual resolv abrir, vista da
demonstracao que veio aaaexa ao seu oflicio de 17
do eorrente, sob n. 33, um crdito supplomentar
ao art. 12 2 da lei do orcamento vigente, na im-
portancia de .'10:7074012, para fazer face ao ex-
cesso de despeza que se deu com o pagamento
realisado ao London & Brasilian Bank Limited,
provenie te de um saque feito em favor do Ban-
co do Brasil para indeumisafo da primeira pres-
ta cao da amortisaeao da quantia de 1,600:0004,
recomida essa thesoureria por conla do empres-
timo de 1,800:01)04. bem como dos respectivos ju-
ros vencidos de julho a dezembro do anno pas-
sado. y"
Ao mesmo.A' vista do que expcS" enge-
nheiro ajudante da reparticao das obras publicas,
no onicio junto por copia, "rexonunonde V. S. ao
r&Jura@Brador- fiscal dessa esouraria, que sem
perda de tempo reqaeira, trovando o seu ne-
nhuin fundamento, o levaiitamenlo do embargo
opposto por mandado do Dr. juiz de direito da 2'
vara extraeco de trra que se eslava fazendo
no terreno peftencente a Feliciano Pinto de Vas-
concellos, c sito mardem da estrada do Caxan-
g, |iara tapamonto dolrrombo da mesma estra-
da, em frente ao engeario Poeta.
Ao mesmr ^ ffdo nesta data autorisdo o
engenhero ch reparticao das obras publi-
cas a mandar pela quantia de 23U400J, em
que eslao oread os reparos de que precisa a
pontezinha deno. inada da Batalha, na ramifica-
cao da estrada do sul para a de Muribeca, prxi-
ma estaeao dos Prazeres ; assim o communico
a V. S. para os lins convenientes.
Ao mesmo.Mande V. S. entregar ao por-
teiro da secretaria desta presidencia, Silvino Anto-
nio Rodrigues, i vista da inclusa conta, a quantia
de 30iO, alim de poder elle occorrer ao paga-
mento da despeza feita com o expediente litbogra-
phado na mesma secretaria, devendo essa entrega
ser elTectjiada pe verbaeventuaesse na res-
pectiva nao bouver mais crdito.
Ao mesmo.Em vista do incluso pret em
duplica!;, que me remetteu o commandante supe-
rior do niuuicinio do Cabo, com offlcio de 15 do
eorrente, mande V. S. pagar a Francisco da Costa
Maia oR vencimentos do destacamento da guarda
naciopal existente na villa de Ipojuca, concernen-
tes ajo niez de dezembro ultimo, como se eviden-
cia/ do mencionado pret.
4.' secnlo.
Actos:
O presidenle'da provincia, attendendo ao que
requereu Maria Presciliana Vilella dos Santos, pro-
fessora publica do Pilar de Itamarac, e tendo em
vista a informacao do director geral interino da
instruccao publica, de 8 do eorrente, sob n. 9, re-
golve cnceder-lhe dous mezes de licenca com
vencimentos para tratar da sade de sua Alna, on-
de Ihe convier.
O presidente da provincia, attendendo ao
que requereu Pacifico Paulino Malaquias, pro-
fessor de instruccao primaria da cadeira da no-
voacao de S. Benedicto, e tendo em vista a infor-
macao do Dr. director geral interino da instruc-
cao publica, do 4 do eorrente, resolve ooncder-lbe
o prazo de 20 dias para entrar no exercicio de sua
cadeira, a contar da data do que Ihe foi marcado
por aquella direcioria para semelhaute lim.
Offlcios :
Ao director geral interino da instruccao pu-
blica.Devolvo a V. 8. as provas do concurso ul-
timo, para provimento das cadeiras vagas do sexo
feminino, e os pareceres da commlssao encarrega-
da de reve-las e dos examinadores, a que se re-
fere o seu ffloio de 10 do eorrente, alim de que
estes e a cummijgao referida dem parecer cir-
eumstaneiada, apreciando cada urna das provas
de per *it "Votando os erro? qne neltas cneorylra-
rem e emittindo ao mesmo tempo opiniao sobre as
habilitacoes das concurrentes, tundo ein vista,
nao si') as provas, como o exame oral, segundo
prescreverem as instruccoes de 11 de juuho de
1859.
Ao masmo.Nesta data neguoi a Anna Ci-
rolina_ Cesar de Mello, professdra publica de ins-
truccao primaria da cadeira da povoaco da Pedra,
de Buique, prorogoco do prazo para tomar conta
de sua cadeira ; o que communico a V. S. para
que faca ellectira a perda da cadeira, so a referida
professora nao seguir immediatamcnte para seu
destino.
Ao vice-provedor da Santa Casa de Miseri-
cordia -Acenso recebido o oflicio' de V. S. de
hontem datado, em que me communiea o facto de
ter fleado no hospital Pedro 11, sem sepultura, du-
rante 3o horas, um subdito inglez, protestante, de-
vido isso a haver o respectivo cnsul se recusado
dar guia para seu enterramento c negar o empre-
zario do servico mortuario, a conduecSo par? o
cemiterio, sem o visto do Dr. chefe de policia,
e pede providencias para que nao so reprodu-
zain factos idnticos. Em resposla eabe-me
dizer-Ibe que, nem a nacionalidade, nem a re-
ligio do indingenle, que por caridade reco-
Ihido ao hospital Pedro IJ, autorisam proeedunen.
to dilTerente do que o observado para com os ra-
cionaos que professam a religio catholica, e sao
recolhidos quelle pi" estabcleeiuienlo. Nao ha-
via, pois, motivo para se fuer una excepcio to
odiosa a respoiw do subdito inglez, que ialleceu
ltimamente no hospital, recolhido all pela cari-
dade, devia tambem ser sepultado pela caridad?
no cemiterio publico no lugar reservado aos aea-
tholieos. A exigencia do emprezario do servico
morluario so pode ser salisfeita no caso em que
os indigentes estrangeiros forem recolhidos a pe-
dido dos respectivos onsules, correndo a despeza
do tratamento por conta destes.
Ao regedor do gymnasio provincial. -Devol-
vo a V. Rvma. as relajees inclusas dos pensionis-
tas da provincia, que acompanharam o seu oflicio
de 17 do eorrente, alim de serem descriminados
nellas os pmsionistas, meios pensionistas e exter-
nos.
Ao co>.imissario vaccinadorprovincial. -Re-
melta Vrac. sem demora, aoDr. chefe de policia al-
guns tubos de pus vaccinieo, com destino ao dele-
gado de S. Bento.
Ao presidente di cmara municipal de Itara-
b.Em resposta ao oficio de Vmc, d'! 7 do eor-
rente, tenho a declarar-lhe que, nao sendo obri-
gatorios os cargos electivos, nao se pode obrigar
aos cidadaus elcitos vereadores e juizes. de paz a
prestaran juramento e entrarem em exercicio de
suas funecocs, cumprindo que Vmc. convide os
i inmediatos em votos para substitui-los.
Ao presidente da cmara municipal do Gra-
nito. Nomeei Vmc. para com o juiz de direito c
promotor publioo da comarca de Ouricury dar
parecer sobre a conveniencia da acquisicao do pre-
dio que se referem os papis inemsos, no oficio
dirigido ao juiz de direito, declarando se elle
?de-se prestar com vantagem a servir de paco da
cmara, casa para o jury prisao e quartel do des-
tacamento dessa dito termo de Granito.
Portaras :
A.' cmara municipal do Recife. Remetto
por copia cmara municipal desta cidade o ofli-
cio que acabo de dirigir aos inspectores das the-
sourarias geral e provincial acerca do repesamen-
to dos algodoes que concorrer ao mercado nos ar-
mazens do caes do Ramos e Forte do Mattos, aflm
de que interado do seu conteudo providencie de
modo que os liseaes dessa municipalidade com-
parecam naqtielles armazens logo que forem cha
nudos. Cumpre, eutrosiin, que de oito em oito
dias sejain aferdos os pesos e bataneas dos men-
cionados armazens perante o empregado da fa en-
da geral ou provincial, encarregado da liscalisa-
(odoservico de que cima se trata.
A mesma Chamo a attene.o da cmara mu-
nicipal do Recife para o mo estado em /qiic se
acham a calcadas de nimias mas desta cidade,
como seja a da ra de Marcilo Dias, alim de que
trate de coagr os proprietarios ao cufiprimento
dos deveres que a respeito lho sao imposlos pelas
posturas em vigor.
cmara municipal da villa de Nossa Senbo-
ra do 0' de Ipojuca. -Accuso recebido o oficio da
cmara municipal da villa de Nossa Senhora do O"
de Ipojuca, ein que me communiea terem ido
praea diversos impostos, para cuja arremataco
deixaiam de aparecer licitantes, por acharan os
precos elevados, pedindo a necessaria autorisaco
para quinta-las.
Em resposta tenho a dizer essa cmara" que
para poder resolver, cumpre me declarar, se foram
afixados editaes nos lugares pblicos, aununciando
a referida praea, o me remetta um trativo do rendimento de taes impostos durante o
ultimo triennio.
5." secrdo.
Offlcios:
Ao engenheiro chefe da reparticao das obras
publicas.Pode Vmc. mandar fazer os reparos de
que precisa a pontezinha denominada da Batalha,
na ramlicaco da estrada do sul para Muribeca,
prxima estaeao dos Prazeres, na importancia
de 2304000, segundo o ornamento annexo ao seu
oflicio de 17 do eorrente, sob n. 21, que flea assim
respondido.
Ao mesmo.Tendo nesta data determinado
ao inspector da thosouraria provincial que por in-
termedio do Dr. procurador flseal respectivo re-
queira o Icvantamento do embargo opposto ex-
traeco de trra que se estava fazendo no terreno
perteneente a Feliciano Pinto de Vasconcellos. para
tapamento do arrombo da estrada do Caxang, em
frente ao engenho Poeta; assim o communico
cao de que trata o seu oficio de 7 do eorrente, triaco, no conflicto franco-prussano. O Sr. de
oh ii .11 Grammont disse que a Austria estava disposla a
J.' seqao. tomar por sua a causa franeeza, e auxiliada quan-
Offlcios: to fosne possivel. Os jornaes francezes duvidavara
Ao commandante superior d> Oabo.S. Exc. deste facto, e os jomaos austracos procuraratu
d Sr. presidente da provincia manda declarar nega-lo peremptoriamente.
V. 8., me nesta data expedio ordsin thesouraria O duque de Grammont ein urna carta ao conde
provincial no sentido de serem pagos a Francisco de Daru eni 28 de dezembro ultimo, diz que a 23
da Costa Miia os vencimentos do destacamento da de julho d* 1870, fura ter oin elle ae ministerio
guarda nacional, de que trata o seu offlcio de 13 o principe da Metternich, embaixadw d'Austna
deste mez. em Pars, e que Ihe entregara dnas notas, autori-
A* juiz de direito da 1 vara cvel da cap- samlo-o a tirar copias, n'uina das quaes se deela-
tal.O Exm. Sr. presidente da provincia manda rava que o governo auslco-huiigaro licaria neutral
declarar- V. S., em resposta ao sen oficio de 18 durante a guerra; e na outra se lia oseguinte Mi-
do correte, qltj nesta data se expediram as con- riodo entre outros qu- nao tornamos agora p-
blicos :
Queira repetir a S. M. c aos seus ministros
que nos consideramos como nossa a causa da
Franca, e que haremos le contribuir para o
triumphu das suas armas nos limites do pos-
e Mello.-Rcqueira! *& ,'
Os jornaes austracos em vista dos documento',
j confessam e accrescenlaiii que o governo aus-
traco tema o desequilibrio europeu, e para o evi
tar, principiara a eufender-se com a Italia ; que este
plano nao tivera elfeito por cau-a da attitude da
venientes ordcnsNiara Ihe ser apresentada a [irac^
mmirad, que peda.
DKSPACIIOS DA PllKSIDK.Ni:|\ DE 21 DR JANEIRO DR
187>
Joaquim Pacifico de Arruda
ao gaverno Imperial.
Joajana Pereira dos Santos.O supplicante fa-
ca apreseutar a menor de que se trata ao provee-
dor da s
santa casa de misericordia.
Joaqujm Pereira d i Silva. Certifique.
O mesmo. idem.
Joaquim Antonio Cameiro da Cimba Miranda.
Iutortii) o Sr. Inspector da thesouraria de fazen-
da,' oyiodo o Sr. Hr. procurador flseal.
Jos? Augusto da Costa Ciiimaraes.Pasee por-
tara urofogando a licenca .por mais seis mezes.
Russia, pelas disposicoes da pcpulafio allema di
imperio, bosiis Franca, pela declafaco do par-
lamento de Posth em favor d i neutralidade abso-
j lula, pelo estado nsufllciento du exercito au ' co, e |K>rque os acontecimentos correrain mais
i depressa do ime era dado osperai-se.
Gonclve* Pereira de Lima.-! A puhlcacao destes documentos e a discusso
1 d\ imprensa explicam os motivos da demissao do
Corm Manoel
Como remer.
Manoel Joaquim de Miranda e Souz Infor-, c,)n',e de Beusl, quando a poltica austraca pas-
; o*r.- inspector da thesouraria provincial. soa.a 3ft,r mteuamente allema. e pouco antes da
projectada entrevista de Berlim.
A segunda qnestao relativa aos negocios de
Hespanha. O governo imperial era acensado de
me
proviuei
Deferido com
inspi
Mara los Anjos S Barretto
ofllci.) dewa data ao Sr. inspector da thesouraria
de faamda,
laaro Ferrdira da Silva.Informe o Sr. Dr. che-
fe. (le policia. ,
Sabino Joao Climaco da Cruz. Requeira pelos
canaes competentes.
Vindemial Ribeiro Soares. Passe portara, na
forma raruerida.
RVpjirticrto ila polica.
2.' secei).Secretaria di polica di Pernambuco,
23 de Janeiro de 1873.
N. 175. Illm. e Exea. Sr. Levo ao conbeci-
inento de V. Exc. que, segundo consta das par
ticipacoes recebidas hoje nesta reparticao, foi
hontiii apenas recolhido casa de detenco o
seguinto indiviiIii. i:
A ordem d> subdelegado de Sa'ito Antonio,
Galdino, escravo de Capituiino de Gusmo, a re-
querirnento deste.
O Dr. delegado da capital, por oficio desta da-
ta, contrnunicou-ine que o subdelegado la Boa-
Vista, Ihe participara que ante-liontem pelas 10
i|2 horas da nato, constando aos inspectores da
ra da Imperatrz que manifeslara-se uin incen-
dio em um predio da dita ra. drigram-se ao
lugar indicado, que ora a loja n. 52, perteneente
Joio Francisco Paredes Porto, e ah fazendo
uStir a porta, vcriflcarain apenas a existencia de
algiaa fHuwea provenieniede alguma roupa velha
que principiava a arder, igiiorando-sc todava
como comer ra o incendio qne felizmente foi
com facilidaJle dominado.
Que o subdelegado do Peres Ihe comiminirra
que hoje pelas 3 e 1|2 horas da inanba, o preto
Antonio, escravo de Thoniaz de Carvalho Soares
Brandan, conduzindo urna carroca carregada de
ssuear, ao ebegar a ladeira do Barro, cahira
esta sobre o mesme preto dentro do vallado que
que all existe, matando-o instantneamente; c
linalmonte que lizera a competente vistoria e
mais diligencias recommendadas por lei.
Deus guarde a V. ExcIllm. e Exm. Sr. com-
mendador Henrique Pereira de Lucena. dignissi-
mo presidente desta provincia.0chefe de policia,
Luiz Coma de Quetroz Barros.
DIARIO DE PERNAMBUCO
Vmc. em solucao ao seu offlcio de 17 do eorrente,
sob n. 22, incluindo a representacae que acerca
desse embargo Ihe dirigir o engenheiro ajudante
dessa reparticao.
Ao administrador do correio.Respondo ao
seu oficio de 17 do eorrente, sob n. 13, declarando
que .thesouraria de fazenda est autorisada a en
tregar-ltie a quantia de 5004000, de que prestar
opportunamente eontas, atira de ir occorrendo ao
pagamento das despezas com a eonduccao para
esta capital dos caixes remettidos pelas agencias
do interior, conteudo listas de familias para o re-
-censeainenlo. Ao gerente da companhia pernam-
bucana reco.nmendo a expedicao de suas ordens
para serem transportados a esta cidade nos,.seus
vapores os eaixoes que se acham na agencia de
Goyanna, a que alluue Vmc. no Anal do seu citado
offlcio.
Ao gerente da companhia pernambucana.
D Vmc, suas ordens para que sejam recebidos a
bordo dos vapores dessa companhia e conduzidos
a esta capital varios ca toes, que se acham na
agencia do correio de Goyanna, conteudo listas de
familias para o recenseamento, os quaes serilo re-
mettidos para bordo pelo respectivo agente ; cor-
reado essa despeza conta do ministerio do im-
perio.
EXPEDIENTE DO SECRETARIO,
.' secano. .
Oficios:
Ao coronel commandante das armas.S. Exc
o Sr. presidente da provincia manda declarar a V.
S., que por despacito desta data se concedeu oitoi
dias de prazo ao remita Joao Caplstrano Damasce
uo para provar isencao legal.
Ao mosmo.S. E*c. o Sr. presidente da pro^
vincia manda declarar a V. S. que nesta data ex-
pedio a conveniente ordem a tbesouraria de fazen-
de
UKC1FE, 27 DE JANEIRO DE 1873.
Vwicius da uropn.
Ainanlieceu hontem em nosso porto o vapor in-
glez Domo, trazando dalas de Lisboa at li d)
eorrente s 10 horas do da.
Dos jornaes o carias recebidos, colliemos o se-
grate :
fran<;a.
Terminan) as ferias parlamentares durante as
quaes a comaiisso dos Tiinta se tem reunido ou
em casa do Sr. Thiers, ou em casa do seu presi-
dente o duque de Brogle.
O governo tem em cofre 830 milhoes e come-
cava a iiagar em Janeiro prestacoes mensaes de
00 milhoes at Anal pagamento da ndemnisac.o
de guerra:
O Sr. Thiers deu urna queda por urna oseada, e
licou alguma eoasa magoado, mas logo depois
trabalhou com os seus ministras.
No do anno houve os c.umprimentos do esty
lo, (pie este anno foram mais solemnes que nos an-
teriores.
O presidente da repblica sabio s 10 horas da
manha em carruagem acompanliado de todos os
ministros, e com batedores e escolta de cavallaria,
dirigio-se para o palacio da assembla nacional,
para cumprimentar o presidente della e prestar
homenagem soberana nacional.
Os questores esperavain o Sr. Thiers no patim
que precede a escada de marniore. O Sr. Grevy
estava porta da grande sala. A visita durou dez
minutos.
As ti horas o presidente da assembla nacio-
nal, com os secretarios e os questores em seis
carruagens, e com escolla de couraceiros para pa-
gar a visita ao Sr. Thiers, era recebido pelo co-
ronel Lamben. O Sr. Thiers com todos os minis-
troi esperavam-os na sala das rceepcoes.
O Sr. Grevy demorou-w pouco, entrando em se-
guida os deputados, depois o m .recbal comman-
dante do exercito de Versailles e o sen estado
maior. Seguio-se a recepeao gera, principiando
pelo corpo diplomtico, incluindo os representan-
tes do Japao, e do imiperio do Birman, e depois
conselbo de estado, da Legiao de Honra, do insti-
tuto, da academia franeeza, do clero catholico de
Pars, excepeao do arcebispo, que- na ve pera
bovia cumplimentado opresidenle da repblica;
seguindo-se o clero dos. outros cultos, a munici-
pallade, e todos os principaes funecionarios
ter promovido a candidatura Hohenzollern pela
opposicao feita candidatura Montpensier. O Sr.
Mercier de Laslende, que fui embaxador franre-
em Madrid, publica ein e posta urna carta do im-
perador, e OutKM dos ministros para provar o con-
trario. O imperador escreria de Biarriiz a 3 de
outubro de 1868, que recouheeeria inmediatamen-
te qualquer governo proveniente da eleicaopopu
lar e recomnwn lava que n dissesse bem alto sem
nenhuma reserva acerca de Montpensier, e por
deferencia para cun a soberana popular, e para
cora o sentimento nacional; accrresceiHava, po-
rm, que se Montpensier fosse eleito, as dlllculda-
desseriam taes que nio poderia conservar-se por
omito tempo.
Oeste documento conrlue-se evidentemente o
dsete de afiastar a candidatura de Mont|ensier ;
e como Napnleao nao diz na sua carta quaes se-
rian) ds dificuldades, abrangia de certo as qHe
elle proprio o o seu governo teneionavam promo-
ver ; e tanto isto assim que o Sr. de Lavalette,
ministro dos estrangeiros ordenava otu 16 de fe-
vereiro de 1869 ao Sr. Mercier, que, se visse pro-
vavel a candidatura de Montpensier, pretextasse
negocios particulares seus para sahir le Madrid e
vir a Franca.
J chegou a Franca o ultimo prisioneii fran-
cs que estova na Allemanha, e era aceusado de
envenenar soldados prussianos. Foi agraciado pe-
lo imperador Guilberme.
I)iz-se que o Sr. Thiers ir a Tarbea para
visitar a fundico de pecas de artilharia.
Dizem de'Bruxellas" que o acto de cedencia
dos caminhos de ferro de Lnxemburgo compa-
nhia parisiense fura assignado no da 3 de Janeiro.
Reunio-se no dia 8 a assembla de Versai-
les com iras 100 deputados. As conversacoes ver
saram sobre os trabalhos da commissao dos triuta
que se reduzio principalmente a demorar a solu-
cao e acerca das questes de Roma cujo interesse
iliniinuio ninito desde que se soube que o Sr.
Courcelles licra junto do Pontfice.
A assembla nacional contina a discutir a pro-
posta de Broglie sobre a reorganisaQao lo conse-
lbo superior de instruccao publica. Broglie e -
patiloup defondem o projecto. Julio Simn deve
responder brevemente.
HOLATBRBA.
Dizem de Londres que se julga provavel urna
modilieaeo no gabioete, antes da prxima sessao
do parlamento.' l)iz-se que o Sr. Forster deixara
a pasta da instruceco publica, para ser substi-
tuido por quera po'ssa, sem faltar aos seus ante-
ee lentes, introdaair no ensino as reformas libe-
ra s reclamadas pela opiniao publica.
Os inglezes j evacnaram a ilha de S. Joao,
cuja posse era contestada pelos Estados Unidos da
America, e que tendo sido escolhido como arbitro
0 imperador Giiilherrae nesta pendencia, este dera
razan aos americanos.
O gabinete inglez tenciona chamar a atlencao
das potencias para a questao da successao ao im-
perio ottomano, para que conectivamente se faca
sentir em Coustantinopla o perigo que haveria era
urna inovaco sobre o modo de successao.
Os chraezes aproxiraain-se das possessoes in-
glezas na India ; lomaran) de assalto a eidado de
Talifu, c estao sitiando Mousin, (pie tica perto da
fronteira.
Estas noticias produzrara uraa certa sensacao,
e o governo inglez vai tomar rpidas providen-
cias.
lira telegramma dos Estados Lmdos diz que
a morte do rei das Unas llavai tem alli causado
grande impressao e qu* se vai manifestando um
forte movimento en favor da annexacao daquellas
ilhas confederarao americana.
A Inglaterra e os Estado- Unidos vo man-
dar navios de guerra para as ilhas Saudwicb, aflm
de protege-las.
Os mineiros de Cardiff nao se constituiram
em grve, conforme a ameaea que tinham feito aos
proprietarios de minas.
Os operarios do gaz que fizeram grve, foram
condemnados a um anno de prisao com trabalho
como conspiradores. A opiniao publica julga ex-
eessiva a pena, e abolida a lei (pie a impoe.
SUISSA.
O conselbo nacional aceitou por unaniraidade,
menos um voto, urna proposta para que o eonse-
llio federal d para ordem do dia a revisao da
constituicao helvtica. O eonselho dos estados
emittio tmbem um voto quast unnime era Tavor
da revisao da constitu .ao federal.
__Parece que por oceasiao das ultimas ques-
tOes religiosas, os catholicos liberaos es-reveram
ao padre Jacintho, pedindo-lhe que aceita sse as
1 funceoes qne excrcia Mr. Marmillod, ein Genebra,
' e qae este pedido seria feito oficialmente, logo que
fr votada a lei que eoncede ao povo o eleger os
seus parochos.
Diz-se mais que as ideas de Roma sao nofnear
hispo
E' certo que rauitas vezes nos outros res so-
mos mantidos na ignorancia do que se passa em
torno de no- ]iur aquelles que de n< se aeercam,
e por isso supponho que Vosea Magesiade nao tem
conheciuiemo do infame estabelecimento, cujo an-
nuncio cy meo su l no Jornal de Roma, que envo.
estabele
cenes.
estabelecunento contiguo a urna escola de adoles-
r
Nao houve discursos. Q Sr. Thiers trajva ca-
saca preta aboloada, eom a gra-cruz da Legiao do Mr. Marmillod, causa dos seus embarae*.
Honra, o Toso de Ouro, e na casaca urna rozeta titular de^ansanna com o que Qcaria dffminan-
com muitas condecorarles. do ainda na dioeese de Genebra, podendo mesmo
A Franca, apear da repblica, nao presetndo do habitar nesta cidade.
fausto iraDcrial Esto intoirompidas as rela^oes diploinaneas da
Foram chamados a Paris todos" os prefeitos. Santo S com a Suissa. O encarregado do papa
Est qnasi justo a convencao .postal com os' em Lucerna esperado em Roma com o pessoal
iiJm 'J.L. a n/u-to dac i ITALIA.
Nao posso admittir que Vossa Magesiade o
autorsaria, se tivesse sido informado da sua exis-
tencia. P/jxi Pi IX.
O guarda nobre, portador du earto, foi recebido
no Quirinal pelo re,que depois de a ter lulo, res-
ponden que os dselos de sua santldade seraiM
satisfeitos que, julgando-se feliz por ter rcalisa-
do a unidad^ da patria, lera comtudo um imie
ponto negro.na sua vida, e o de nao ter podid
reconciliar-se ainda com o santo padre.
Efectivamente o tal palacio de cltristal foi man-
dado fechar.
Pedio e obteve a sua demissao de embaxa-
dor da Franca junto de sua intu ule o Sr. Bour-
going, diz-se que por causa da creaeo de um
cnsul em Civita Veehia com exeqmatur do go-
verno italiano e por causa das visitas do 1* de an-
no. O Sr. Fournier, embaixador francez em Ita-
lia, erdeuou aos oficiaes de marinba franren qu
nesse dia se abstivessem do r Unto ao Vaticaui
como ao Quirinal.
O Sr. Bourgoing fui muilo felicitado pela sua
resoluco, pela maior parte da nobreza romana e
foi noineado pelo papa grande oficial; que Ihe
deu o seu retrato em que escreveu pelo proprio
punbo alguuias ludias de elogios que coiu-cain :
t Ao .o querido /lho, etc.
Na audiencia de despedida quando o Sr. Bour-
going qniz beijar o p, sua sanlidade levanten o
embaixador, e beijou-o as duas faces, dizendo-
Ibe:
Niio. meu caro conde, i-i soi* daquelles que c
papa beija.
Fui Humeado para o substituir ao agrado da
corte pontilicia o Sr. de Courcelles, apresentou as
suas credenciaes no dia 30 sua sanlidade, par-
lindo logo depois para Versailles. Diz-se que a
Sr. de Courcelles nao quer aceitar a embaixada, e
suppe-se que a sua partida para Versailles tem
por Am renunciar o seu cargo. Sua santidad*
absteve-se de Ihe dar eonselho algum a tal res-
peito.
As festas do Natal servirn) no Vaticano de
pretexto para as protestac^cs da parle dos catlio -
lieos contra os faclos consummados.
O pana convocou um consistorio, no dia 26 a
que assistiram 26 cardeaes. O S. Padre pronun-
ciou uraa allocueao em que se referi s perse-
guicoes de que a igreja catholica est sendo cu-
ma na Italia e na Allemanha, dizendo que en
urna inanifestaeao d'essa perseguico a lei qu"
supprimio as eorporae,oes religiosas em Roma, lei
(pie elle condemnava, declarando milla a acqui-
sicao dos bens das corporacoes religiosas.
Disse mais que alguns ca'ntoes suissos parecm
marchar as pegadas da Allemanha, e que a le
da dotaran do clero em Hespanha era contraria
s concrdalas e justica.
Depois da-allocnro "preconisou II bispos c re-
ceben as felicitacoes dos cardeaes.
As cantaras* italianas estao era ferias at 15
de Janeiro.
A commissao especial da cmara eleila pan
dar o seu parecer sobre a lei das corporacoes re-
ligiosas votou que fossem exceptuadas as casa*
dos jesutas, qne poderq ser conservadas em
Roma ; este voto, porem, catisou ao principio
grande sensacao. mas reflectio-se depois que a
suppressao das casas dos geraes dos jesutas cons-
titua uraa excepeao odiosa, que nao seria appro-
vada pela cmara; oque seria um perigo tanto
para a prnpria lei c para o ministerio que a
aprsenla.
A cmara approvou provisoriamente os or-
caraentos para a cobranea dos impostos antes di
disciissao.
O Sr. Riootti npresenlou un projecto de le
cerca do recrutainento. em que todos os cidadaos
sao abrigados ao servico militar. A sua durara
ser de doze annos. Cada contingente dividido
ein tres eatbcgorias; al'cal' comprellendem
osndividuos destinados a servrem successivamente
no exercito permanente, na milicia movel e na
sedentaria; 3* calhegoria perteneem aqueles
que por cerla< razoes de familias sao dispensado*
do servico no exercito permanente
Diz-se que se prepara o reconhecimento pu-
blico e solemne do casamento do rei. Diz se qu
Rattazi e Menabrea sao favoraveis a este projecto,
e que o principe Humberto e o governo se Ihe op-
poera.
ALEEMAXHA.
O principe de Bismark deu, como sabino, c
sua demissao de presidente do eonselho prussiauo.
Picando chanceller do imperio allemao. Foi subs-
tituido pelo general Roon que era ministro da,
guerra. Julga-se que una das causas d'esta de-
liberacao a necessidade de mostrar que a Prus-
sia"se nao pretende esquivar fusao com o impe-
rio a que desoja obligar os outros estados. Com v
o principe de Birmark ministro dos negocios es-
trangeiros na Frussia, e ct>an*cller do imperio e
nesta qualidade nao pode ficar subordinado a
presidente do eonselho prussiano, diz-se que sera,
nonieado chanceller da Prussia, para presidir
quando tiver de tomar parte as deliberaces do
eonselho prussiano, ereando-se q lugar de vice-
presidente pjira o substituir.
Na recepeao do dia de anno bom o imperador
disse ao principe de Bismark : Tivc de fazer
na vossa situaco varias mudancas, que rae fo-
t ram penosas, mas foi-me necessario resignar-me
. para vos conservar, e yokando-se para o gene-
ral Roon disse que a mesma observaban Ihe era,
applicavel, e que esperava que ambos Ihe conti-
uuassem a prestar o seu apoio.
O general Roon acaba de ser promovido a feld-
raarechal e o principe de Bismark recebeu do- ira
perador a condeeoracao da Aguia-Negra/'guarnc-
cida de Brilhantes.
Os jornaes alleiues receberam erdem d*se
absterem de publicar'qualquer passagem da allo-
cnc j do papa contra a Allemanha.
principe de Bismark est disposto a conti-
nuar na luta contra a igreja e que prepara um
protesto offlfial-em resposta aflocu^ao do ppa.
e que sobre este negocio tem tdo muitas confe-
rencias com o imperador.
O Sr. Stuntme encarregado. de negocios da Alle-
manha junto do papa, sabio de Roma, e julga-se-
que por emquanto nao ser substituido. Esta par-
tida pode-se considerar urna ruptura de relaefie*
diplomticas, que attribuida attitude do Vati-
cano.
Os jornaes atiendes e austracos inspirados p*.
Sr.de Birmark dirigen os seus ataques Santa
. A Tages-Priss publica um artigo violento ent
que aconselha o imperador Guilberme a cfreR-
ponder linguaecm do Vaticano com medidas rt-
0 santo padre informado que um estabelecimento
suspeito chamado palacio de rhmtal, se tinha ras-
tallado ao lado da escola dos jesutas, e receloso
Estados-Unidos. "O porte das cartas ser .de qua
renta cntimos. .
Embarcaran para Nova Caledonia 5W de-
portados dos implicados nos desvarios da commu-
na ; vo 24 muflieres e o Dr. Rastoul. O Sr. Ro-,
chefort nao vai em altenco ao seu precario eU-. daquella vismhan^a, escreveu a segrate carta a
do do sade Vctor Manoel:
PelaimDreu a peridica agilam-se duas ques- SeultorSou mais velho que vossa magesta-
es partidarias que dao bastante luz alguns de, e antes della tere* de dar contas .a Deus des
faclos historeos. molas acedes.
A primeira versa sobre a afirmativa do duque t Mas ha de ohegar o dia, era que Vossa, Ma-.
no sentido de ser paga ao argento do cospo de Grammont, ministro dos negocios estrangeiros gestado sera tamlftm chamado a resnonsahilii
policia Joaquim da Silva Gnimaraes a gratifica-- do imperio, aceren dos intuitos do goveruo aus- dos seas actos, em brosenca do suprroo Juiz.
V
:<
pondera linguagem
gorosas. .
c E' preciso que se rogulem definitiva e imme-
diatamente as relac5es entre a igreja e o estad >.
Urna vez emancipadas as Dopulaces do jugo d
clero, nao daro grande attencao aosanathemas de
Roma. 0 que em Bale e em Genebra ousaram fa-
zer, nao se atrevou a faz-lo o poderoso imperio al
lemao, e por isso que o papa fofla ao un'4>9no,
eorao nao ousaria fallar Suissa.
-m Ja foi 3ancionada a lei sobre orgamsacao
dos circuios. ministro do interior tem tornado
as disnosicoes necessarias para por em execujao
essa ei. Os governadores das provmcias rece-
<


8
BUtoJJ^Pemambuco femda feira 27 de Janeiro de 1871. iWtt. i\ U
.,-
nram ja instru cedes milito iesWva* *fUi WttiMi'4, *p* isfeo Manetasi-."* Wlnitts ltBa A rommissao foi-rec-liida iw # cumprimento, f \ip;se formar as assembtas dos raculdade para legislar sobre o assumpto em gues- ra da tarde, por sua magostado,
circuios, que foTniiV a baxc das nova, inrtilui- lio.- Pmvou analmente *e nao. lia (tilia de jwr-f1 l*JMl la dtaieguinte decreto,
^Jes. sintona, nem dppnccatpics coui u Tarto etoqimnto jamba i prti*teaem b Sr. S Vargas,"
de que dosde.WW eos~ os ovemos vinhaw es- urosiJoalc o,Sr. Imrcia l'aldeira,
tildando a asainpta, que nao para outra censa ljigo juramento e tomaran*, logar;
se aprsenla um projecto' s' cortes," seifao par tos os* 9rsv PrancrSco da Cosa
oe o c-xaminem e discutam convenientemente. Mello,
osla do Sr. Besen-a, que :.-e^U)w> a mate l>*di
vottpft, subte as tribunas aa*Biini"ro do upplentes
Br, qttft passon a lro projeolo ein qtrcstao. ""
|dig do proce-so bh.
t d'acjai cni dia-ite n
i.- C-nser"? o> u^tl^Kastu-
hu alguna ipercMn-imefctus de
Os funccionarifi-Wic' que na cmara dos
scnhores deputadoi viitaram -ontra a loi dos cif-
ulos, oram inhalados" a cocer a saa eadoira do
liai, ou o sen ousprego publico.
O ministro do ce
irussiana um-proj
le um caminhi d
Met, licaudo
Berlim.
Publicoa-se I
lew comecar Ceder&cao .gunuanr
mes nacin se^g ti
<:odigo frtmcmr
Os reprcseateit- s ios edad -> do sul da Alleitta-
nha nioparecemdispostos a sicsndar s vistas do
overn prussiano, q"ue pretende verificar a rga-
ni rom o cdigo penal parecen dar rano aos que
uugnan pe i autenomia judiciaria de cada estado.
Estaquestao pode dar lugar a a'gum conflicto en-
tre os estados de segunda ord<*m c a Prussia.
<*s ministros da B&vicra e do Wtirtemberg que
repiosentaram estos paizes ua conferencia destina-
da a preparar as bases para a unidale judiciaria
alterna, pronunciaram-se contra a creaco de um
tribunal supremo sn* Certim.'
Por causa de urna questao pouco importante
de administraci, > governo de Brunswik dirigi
asiembta dos eitados urna mensagem eni que
lia considera mo i>sivel a eventualidade da au-
nexacio futura d'auuclle ducado a Prussia e ex-
prime a certera de ipae, a ua ; ntonomia ser man
lida.
A Gaz'tu ie Spntrr rununea-so enrgi-
camente contra a oplnio do ministerio do ducado
de Hrunswiek, contida no se:i manifest de 6 de
dexembro, segunde a qual pertence sueceder na
vtrda por mortc do duque reinante, o ex-rei do
Hauover ou o seu filiio.
As cmaras de Hess loram abortas polo
gran-dn:|tie que no seu discurso rccouhecei) a ne-
o.'ssidadc deazer dcsapparerrr cada vez mais a
vida atitousmica, Irausfermdn para o imperio alie*
niai grande furic das attribu;("ws polticas do es-
lado da ronfederacio, reservando-se apenas as que
sao neresMrias a>" progresso interno.
AnmiRcioB a apresentarao de varios projectos
todos oecebidos cm sentido liberal e no partido
lib ral <'scoMieu para presiderte da cmara dos
deputad - A Gazcta da Allemanha do Norte desm :nte a
noticia dafta peles jomaos ingleses a respeito de
urna nota coHectivs que elles afflrmavam haver
Mo enviada a Ath Mas pola Allemanha, Austria c
Rssia sobre o negocio das minas de Laurium.
J est em Nreshaden o principe imperial.
A'ae nu>JlK>r.
O imperador Giiilherme foi eonvidado pelo czar
a ir no mez demaio a S. Petersbiirgo.
kl STRO-IIUXGIII.I.
O imperador d'Au-tria tanibem est convidado
pelo imperador da Kussia a ir a S. Petersbnrgo
liando fir aMi o impTador da Allemantia.
O conde de Andrassy, que actualniente se
teda em Pesth doclarou que as promesas de in-
tenencio armada da Austria a favor da Franca
no caso de guerra rom a Prussia que o ir. de
i.ramrnont, que foi ministro do imperador dos
francezes, diz terem sido feitas pelo presidente do
ministerio hngaro, nao podiaiu ter existido de-
poisque o Keichstag hngaro, fallando ein nome
da npinio publica se pronunciara pela mais strie-
la neutralidade ; nem se poderla adniittir (|ue
ii um paiz constitucional o ciefe do gabinete con-
servarse o ou posto, ijuando a resobicao tomada
peM governo estivesse em tal desaccordo com a
opiniao do paiz.
Parece, poiviu, q.ie o governo austro-linngaro
est decidido a iiis| ens.ir os servicos do conde de
Hejst; <|ue embaixa lir em Londres. Healisan-
d--se eta noticia, licain eonfirniadas as a^si-rcoes
do Sr de Gramiuont.
NaDieta magiar falharam as tentativa* de
eonciliacao coui a Croacia, mas os croatas dese-
jam transigir |ior cansa do seu dficit que de
i O rail llorn?, e que o tlicsouio hngaro recusa
nigar sem que venham a areordo oompleto. En-
eontra obstculo a transformara o do goverui mi-
litar em civil nos chamados coi.lins militares, que
'veiu transformar-se ern provincLis hngaras.
O gabinete hngaro actualme ite presidido pelo
-ea que quaudo piesidido pelo conde Lonijay.
(I Sr. Swndy acata de ser nfineado niinisiro da
(Mal publica na il mgria, Turando aSSMl eomple-
0 g.ibiueie S/.lavv ; a exlre.na es pierda apro-
bHou a occasii da disciusio il l eniprestimo para
le.ip"ir que se rei'us.ussem as medidas lluanceiras
que o gaiinete Sxiavy tinha apresenlad); porea
.. esquerda moderada recusou -'iindaC os radi-
i, antes pelo orgw do seu chele o Sr. Tiszade-
larju que approvaria aipicllas medida*, urna vez
que o governo aeeitasse un iuqiierito parlamentar
*obre a geiencia linancejra.
O partido liberal aceita a eleieao Jirocta fei-
' i-I'H grupos como es|ieranca deque venlia a
: !"!ar-se para ip futuro a ab.ilii-o ilos guapea,
a povo. seja i'lianiado I slefor sem distincco.
0 cnade de Aulrass\ pn>te*tou perante o
. werno iialiano per cansa da Ir i das corporacoes
OMS ; o governo austriarc entende pe a9
<*a*as capitulares da- ordens mo ia leven nao ter sido < omprelieuliJas na prescrip-
i geni d.eieuula jielu parlamenlo italiano.
'sjornae* lioerata eensoraoi esta iogerencia
iniuistic austro-linjigaro no: negocios de Ua-
IHzem de Bnenaresl que o governo da Roa-
na seqoestrou os bens do patrurcha de Jeru-
- il'Mi, por causa di scisma religioso a que a
i-4patio da igreja blgara deu origein.
A Servia celebrou recentemente o anniver-
-.0vi da inependaacia, Vem a proposito dizer-
- que este principado o nice wtado emopeu
; :;jo lem divida publica, u ainizar de su*teutar
n exercito bastanh- niiaieroso ue comprar mnit<
i ferial d.' raercae de pagar um tributo a Tur-
na de (00,1,100 Iranios, aeba modo de ter exeeess
reeefta sobre i despea.
M BOA i: MIRIK..\.
Dpois dejun con&eUio de miistros acerca da
. <*n panisacio da esquadra, o ministro dos nego-
es estiangeiros, coide Platea, den a sua demis-
o ; ) substituid! pelo general lijorn-Ujsniu.
uiinistro sueco na Kussia.
O novo ministro o Sr. Bjornstjf raa adoptar, se
, id.- se diz, urna poltica svmpathica a Alienta*
:a.
Parece que o rei actoal nao prtillia a* prevea-
t* do sea antecessor ontra a l'russia.
O governo aesigoon ama convenejk) monetaria
a Diiiamarca.
0 rei accitou o titulo de almiriute da esquadra
*' nam.irqueza.
Rosea.
a Rselaea Iuglaiena eetloile accordo sobre
tiva *ituaeio na Asia Central.
ird Loflus eotregon una nota ao principe de
rortscBakof em que o governo iuglet declara que
:-.o intervir em relara'o marcha da Russia Ccn:
ral, >c o AfglKinistan e os principados sVaados a
Oante 3o Rio Amor nao forom amea^ados.
A Pussia de accordo com a Austria e a Allcma-
':ii|ienharam-se com a Grecia para que satis-
. nclamacdcs d-; Franca e da Italia sobre a
to L.iuriuni.
O principe herdeiro d;i Russia foi atacado de
a robre tvphoidc. (H symptotnas da doen^a
,.o sao por eniqiian:c a-sustadors.
que
liara s<
e Ricardo

lUROAJU-
A Sublime PorU dirig urna circular ^ toios
*s governadores das pruvineias mandando por em
vigor o systeiiu metriio a partir do prximo mez
dr marco.
Hr- Procopo, uvdiispo de Gaza, ioi reconlic-
coma patciareba f re^o de ierusaim em subs-
lituicao de Mr. Cyrillo que fura ileposto.
O governo turco ne;on a permi isao para entrar
y>> ardanellas a fragata americana i/u/w.
Eslava autorisado a esta negativo pota tratados,
ais tinha-se concedido a optras oacoe?.
Renovase agora a antiga usanej.
Praparam-se no Oairo grandes festas para so-
1 moisac os prximos casameotos de varios prin-
cipes e jirinc'dzas, entre os quaos se oonta a ilia
as aova do Kliedive.
0 sulto e a saltara raandarao os seus repre-
v'litantes ; as festas serio de. jjande magnifi-
eneia.
UtiPASHi.
Acerca desse reino esei'ov anucf corespon-
.'.nte de Lisbja :
Gomecp esta seecao por nolic'ar que foi lido
uo congressso o projecto de abolicio Ja oserava-
lura m Porto Rico. Sem o menor accidente ter-
minara lio solemne acto, so o Si". Jve y Hevia
nao houvesse jfclgado opportuno jiedir a palarra
ra combaier o passc do govorm, casunmdo o
prejeeto bqs mconstrtKhinaL e por Utitp de par-
ciffloaia. Sao era difllcil respostar a $s desastrado
ataejie, e o ministro Jo ultramar redondea ha-
i-.^en!?,, njstrando quo o projert^ e)-a consiita*-
Kis o projecto
Art t." Rea totamiontc abolida jara sciopro
a eJrvatura.na provincia de Porto Rico. Os es-
eravos ti carao livres de di rei lo, ao linda rem os
quatro meres seguints puMicacodesta le aa
llanta NMcial da dita provincia.
Art. x.* Os seebores dos esemaros emaueipa-
dos sero indemnisados do. seu valor-no termo x-
PpTesso no artigo precedente, conforme as disposi-
coes da presente lei.
Art. 3." O importe da indemnisacao a que se
refere o artigo anterior, ser lixado pelo gnwerno
por proposta de urna commissao composta do go
vemador civil de Porto Rico, presidente do centro"
econmico, do liscal da audiencia, e de tres indi-
viduos unmcadns pelos cinco proprietarios, pos-
suidores na ilha de maior numero de escravos. Os
accordos desta commissao serlo adoptados pela
maioria de seus individuos.
Art. 4.* Da somma lixada para a indemnisa-
cao se entregar 80 [tor cento aos waaeree dos es-
cravos emancipados, metade por conla do estado,
c outra metade por conla da provincia de Porto
Itici, licando a cargo dos mesmos senhoies os
20 por cento restantes.
Art. .t." governo Oca autorisado para arbi-
trar os recursos necessarios e adoptar todas as
disposicocs coiiduceutes ao exacto cumprimealo
dostalei, no termo lixado no art 1." e 2..(Assig-
nado) O ministro do ultramar, Tkmaz Urna
Masi/iirra.
A tal leitura seguio-se una salva unnime
de palmas ; fechando-se a scsso logo depois de
tao elevado acto.
No da 2(1 do mez do dezembro lindo, iiouve
em Madrid urna importante e numerosa reimiao
da Tertulia progressista. Zorrilla pronuncien nm
longo discurso, repellindo a idea de ingerencia
eslrangcira uo assumpto da reforma das colonias,
dizendo ijue se as corles votaren), a coroa appro-
var, c a abolido da escravatura ser applii ada
a todo o rusto. Conlirmou que reforma alguna
ser applicada ilha de Cuba em quanto alli
houver rebeldes. Uisse mais que o governo est
perfeitamente segare, e que a integridade do ter-
ritorio nao corre nisso risco. O discurso fui amito
appluudid. Dcram-se vivas liberdade o ao rei
Amadeu. A Tertulia approvou por unanimidad:
a proposta, manifestando confiauca uo governo, e
adherindo a todas as deca raeoes de Zorilla.
Apezar de taes protestos, certo quo os ad-
versarios nao se descuidam, nao cessando a liga
de annunciar o augmento das suas forjas, iifaiun-
dose bastante com a manU'eslacao que acaba de
fazer a grandeza de Hespanha.
Contina sendo a principal arma dos col'ga-
llos, exaltar os seus in uitos patriticos, e deprimir
os que atlribue ao governo e seus amigos, a quem
nao duvida tratar at de traidores e vaneas. Por
ultimo, chegam a indicar que em Londres se dis-
poz de .'l.(0:000001 para alcancar as reformas
de Porto Rico E' certo, todava, que taes mane-
jos llu' sarao mais prejudiciaes que proveitosas
pois na poca actual odioso cymbater a abolieo
da osera vidao.
O modo como a recepeo official do auno
hora, corren, leve fazer mpresso e leva o poli-
tico consciencioso a consideracoes de bom agouro.
Se a festa dos Res correr do lesmo modo, e se o
duque de La Torre comparecer, coma faz esperar
a Poltica, poder-se-ha concluir que est de todo
passada a tormenta que tanto tem amaacadu o
paiz.
PORTUGAL.
Em 13 do corrale escreve nosso corresponden-
te de Lisboa :
Realisou-se no 1. do cri-ente a recepcaoem
grande gala, no paco da Ajuda. Foi immensa-
meat concurrida pelos funecionarios que casta-
mam comparecer em semelhantes actos. Fez a
guarda de honra un regiment da capital e loca-
ran! no atrio do oalaeio todas as bandas de msi-
ca do* carpes da guarnico. As entradas de auno
sao um costume tradicional, e exigem os cunipri-
mentos do eslylo.
Aproveito a occasio para dar tambem as
boas festas aos aossos leitores.
No dia 2, pela nina hora se no palacio das cortes a sesslo real da abertura
do parlamento. Fez-se com todas as solemnida-
des anniiuciadas na folha oflicial, havendo parada
geral. Fl-rei proininciou o sagniBte discurso :
Continan) sem alteraco as relacoes de ami-
sade e harmona com as potencias strangeiras.
Na digresso que liz s provincias de norte,
foraiu tao espontaneas as demonstrantes de s\ m-
patla que os povos me deram e a raate, piin-
cip-.'s e irmao, que me deixaram profundamente
i&ttsfeiio
') governo, tendo eonheeimento de que al-
gnns individuos de diversas classes conspira'..un
contra a ordem pnblica, tomou providencias ipie
mantiveram a segu-anca publica e entregou aos
ti-ibunaes o prdeesso dos reas para serem jal-
gados.
Alguns tumultos agilaram diversos pontos do
reino ; a ordem foi completamente restbeleclda,
o o poder judicial occopa-se do proeesso.
losando da autorisaco concedida por loi de
o de marco de 18.'S, contratou o governo um em-
prestimo que se realisou cm parte.
Igualmente usou o governo da autorisaco aue
llie confere a carta de lei de 2 de julho de 1867
a, no pr
brancas e
No segaufo oscrutiBte enaramn 39
hindo elei)s%s 8rs. vlnandea los Oh
Montariole os Si, i'.urfa e Silva e Han. e
t Como j'de presumir, estas eessocs iiao
rece graic interesas para c e muiio i
de torna vjagi'in. Corresponde ao armar
Duvido, porin,
para a construccao docaminbo de ferro doMinho,
cujos trabalhos loram comecados c progridem.
Perseverando nos principios da justa ecoiiwnia,
o ministro da fazonda apresealando-vos o ornamen-
to para 1873a 1871. submetter vossa aprecia-
pa i varias prop istas do lei que alteram parte da
legislaeo tributaria existente. Esta importante
OUestao eslon certo que vos ha de merecer a mais
desvelada atteneo.
Este discurso, sendo como de responsabili*
dade ministerial, discute-so. A impreasa da oppo-
sicao cabio-llic em cima com tremebundas diatri-
bas por inuilos pontos viilncraveis e algn* irri-
lantes, que inconveniencia de marca mii ir pjr
na bocea do soberano.
A opposieao parlamentar dar assalto na dis-
cussao falla do throno, e depois prepara-se para
combater o governo na di*cussao das medidas de
lazenda.
Consta que el-rei recebcu cartas da rainba de
Inglaterra e do Sr. Thiers, fdicilando-o pela paz
que reina em Portugal, pela dicura dos seus po-
vos e excellencia das suas instiuicoes. Revelan!
taes documentos tuna grande harmona entre os
ebefes das tres nacaos e signiOcam, seguramente,
boas relacoes polticas, que um dia pdenlo tradu-
zir-se n'uiu valioso apoio para o Caso de urna even-
tuaidade dillicil e pergosa.
Na cmara dos pares procedeu-se eleicio
dos secretarios, licando elcitos os Srs. Ramiros,
por 21 votDs e Soares Franco, por 17 ; para vice-
secretarios os Srs. Mello Carvallio. por 22 votos e
Xavier da Silva, por 19. Foi lida c approvada a
aeta da sessao preparatoria. Procedeu-se eleifao
de dous membros para, com o presidente, formu-
brem a resposu ao discurso da cora, ficando
eleitos os Srs. Moraes de Carvalho, por 18 votos e
Martens Ferru, por 16.
Poi nomead a deputacao que deve participa]
drea entre dous jugador*'
acaSem a partida.
Na cmara dos pares, o conde de Rio Maior
reqnerou tomar assento na cmnra. Igual pedida
Yoz o conde de Vivoirws. tflJ sv
Na cmara dos deputados o Sr. Serpa (minis-
tro ila fazenda), presentou as s'egiiiutes proposlas
de lazenda :
I." Alterando osfmpostos do reaHl'afu.'rt
reduzindo a 7 rcis por litro de vinbo, vendido a
iniudo as trras de 2.a ordem ; a 6 as de 3.a e
i.'; a o as de ."i. ; e a \ as de 6.'.
A 47 reis o imposto as bebidas alcoolicas.
O vinagre ser equiparado ao vinbo, sendo o sys-
tema de verificacao por meio de guias.
As vendas grossas pagarn mais 3 reis om
litio.
2. Accordo com o banco de Portugal.
3.* Modificar a lei do sello, autoris^nd). o
governo a substituir a pena de nullidade por fal-
ta de sello, por multas, revogando as isenooes de
sello.
'i." Regulando a uitribuieao do registro
no caso de transmiso de titulo oneroso.
*i." Regulando os direitos de raerc. Nao
serio publicadas, nem autorisadas as giarase
mercs honorficas sem serem pagos os respecti-
vos direitos.
C Reduzindo a 10 classes as pautas da
alfandega.
7. Lancando a taxa addieionl de A %e
alterada a 1/2 cabida as morcadorias J; pa-
cbadas lelas alfandegas e barra* do reino) t
Ficam sentos do real (Pagua o aproa, com
casca ou descascado, entrando pela alfandega de
Lisboa.
E' rcduzido a 8 idis o imposto sobr o arroz.
llavera 3 fiscaes do real d'agua em cada eonse-
Iho, que serio nomeados por proposta do escri-
vio de fazenda.
O ministro presentou tambem a proposta fi-
xando a contnbuicao predial, e outra |r'formaiido
as reparticocs de fazenda dos consclhpV
U Sr.Preira de Miranda presentou^fihf pro-,
jecto abolindo os gremios por casse.,
Foram eleitos para a comra ssio d respbsta
ao discurso da coroa os Scs. Carlos Rento da Sil-
va, Das FciTeira, Mello Gouveia, Texeif, "Vas-
concellos, Barros e S c Coi rea 'laldcra. '.
_ OSr. Barros & Cimha presentou "Amft vao^
rao cmara cm qa'c afflrma que sao matiaiaveis
no povo portuguez os sentimentos de amor pelas
nstituicoes Kberaes, respeito c affeicSo pj dy-
nastia constitucional, e que a naci far os lti-
mos sacrificio* para manter a independencia. Mui-
los ipoiados como era de esperar.
O Sr. Luir.de Campos presentou uoi1 projet
to de lei para a construccao do caminho de ferro
da Reir, parlindo da Mafbada e mediante a garan-
ta do jnro de cinco por cento,indo at Almeida.
As pautas do registro, vacaturas existentes,
reduziram o dficit A f6fi cohtos ; mas para fazer
face s despezas extraordinarias calcilla o dficit
em 700:000/.
Na sessao de 8 foi approvada nomri&lmente
a raoco do Sr. Barros & Cunta. O Sr. Candido
de Moraes dirigi urna interpellacao ao Sr. miuis-,
tro da guerra sobre assuinptos militares. O Sr.
Francisco M-mde* presentou novameote o pro-
jecto da reforma da carta.
Foi apresentado polo Sr. Barros e Cunha um
projecto para serem suspensos os subsidios e os
theatros lymeai de Lisboa e Porto. Grande ep-
posico nos jornaes de Lisboa
A commissao a Iministrativa tato composta
dos Srs. Viseando dos Olivaos, Claudio Kunes. c
Jos. Mara dos Santos. Para a c rnmissa* de fa-
zenda loram eleitos os Sr-. iraamcanip, Carlos
liento, Dias Ferreira, Mamede, Arro as, Barros e
C.unlia, Mello e S, Mello Gouveia, Wattos Corroa.
Antonio Toixeira de Vasconcellos, Placido de
Abren e Jayme Muni. ..
Falla-se na nomcano do conselheiro Dia* o
Olivcira para a pasta da marrana, vagancia ntida
do Sr. Jayme Muni/.. e na nonteacari destx cava-
Iheiro para o lugar vago de director ge al de iiis-
tru -cao publica, por fallec ment do Dr. Antonio
de Carvalho, irmao do nosso ministro na corte do
Rio de Janeiro o Sr. Malinas de i arvalho e Va-
concellos._ O fallecido por cansa de seas padeci-
mento*. nao tinha chegado a tomar posse do lugar.
Logo que costou o seu fallec monto, todos
os einpregados do ministerio di reino sedrigiram
ao Sr. A. R. Sampayo (ministro daqnilla repart
eai>i pedndo-lhe que uomeasse definitivamente o
ao: selheiro Antonio Mara de Amorim, chefe da
primeira repartco, servindo interinamente de
director geral. O (|uese a?enton cm conselho.de
ministros, foi em nomear o Sr. Jayme Muniz.
Reuni se no dia 7 do corrento a as-
amblea geral dos accionistas do Hunco Com-,
merciat do Porto. Presidio-a o barp de S.
tdurenrp, e foram secretarios os Srs. com-
mendador Antonio-Al ves da Silveira e Anto-
nio Jos Ferreira. A direcro leu o relato-
rio e nelle propoz o dividendo de 4 por cen-
b
to de jornaes e publicafBfe^rUdit
onaes e estrangeirajs^.^nra uso ex-
dos socios, bem como mu museu qu
i de modelos de inaiixuas e instru-
fl agrcolas e borticoka^^roductos na-
turaes etc. etc.; crear urna escola praticade
rdineir
e sel
mar.
orias:
ectivoi
o povo qu se
ios ; pegando^
ntrada o* a qiiotevti'iigilile
horas jiodc,rA(>.,kmlufia(?r
a ol-rei a constitucao da cmara. Foi lida a carta
regia, nomeando par do reino o vsconde de Seis-
sal. Ficou nomeada urna commissao para dar o
parecer, composta dos Srs. Martens Ferrao, conde
do Cabrai e Costa Lobo. Lavrou-se um voto de
sentimento pelaraorte dos Srs. conde de Rio-Maior,
e Siqueira Pinto, pares do reino.
Na cmara dos deputados servio de presidente
na scsso preparatoria o Sr. Costa e Silva e de se-
cretarios os srs. Godraho e Peixoto.
Estiycram presentes 8CMleputados. Procedeu-
se eleieao da lista quintupla para a escolha.de
prosidente e vice-presidente.
Na primeira votaeao entraram na urn.i 47
listas, sendo 3 brancas, e o>Sr. S Vargas, que era
0 presidente na sessio anterior obteve 44 votos.
Ka segunda eutrarara 47 listas, sendo 2'bran-
cas, o o Sr. Corivia Caldeira obteve 45 votos.
Naerceira entraram 46 listas ohtendo os Srs.
$. viscondes de Montriol e do? Olivaos, 46 vq-^
tos cada um.
Para secretarios ntraram na urna 44 listas, e
sabio eleito o Sr. Francisco da Costa por 43 votos.
Prociedendo-se segurada ejeicao, sahio' eleito
o Sr. Rkardo de Mello,^por 45 votos.
Para vice-seeretarios entraram na ama 38
Islas, e sahiram eieitasros Srs. Agostinbo da Ro-
cha, por.38,votos.a .Alfredo,Beixoo, por 37. <
A commissao encarrogada de aposentar a el-
rei a lista quintupla fleo cmpasta dos. Srs. Bar-
ios e Cuoha, Saraiva do Carva, Santos o Silva,-
falcio da Foaceca barao do Jfco 2eiere, viecon-i
des de Arriaga e de Villa-Nova da llainha.
o por aec;o, para o segundo semestre; que
com o dividendo j dado no primeiro semes-
tre, porfaz um juro do 8 por cento, ou 165
por necio, l'rocedeu-se eleigo da mesa
da assembla geral e recabio nos mesmos
seobores cima designados. j\a eleieao da
commissao de contas que tem de presentar
o parecer acerca do relatorio, foram eleitos
os Srs. visconde de Lagoaco, Mauool Gomes
dos Santos c Francisco Jos do Araran.
Foi entregue ao ministro do reino o re-
latorio da commissao encarregada de apre-
sentaro plano para o hospital civil de Lisboa.
< Andar por 250:0005 (fortes) para se-
rem amortisaaos em animidades de 30:0005>.
A diroccao da sociedade hespanhola de
bctieficoneia do Porto entregou ao Sr. cnsul
Itespanhol a quantia de 456-5560, para as
familias das victimas do naufragado vapor
hespanhol Perseoeraiipa, quantia que foi
distribuida em partes iguaes pelas familias
das infelizs victimas.
Heunio-se no dia 22 de dezembro, na
rodac;o Ao Jornlele Horticultura Praticu,
no Porto, a commissao installadora desta so-
ciedade. Presidio o visconde de Villar
AUen. A commissao encarregada da elabo-
raeo des estatutos, apresentou-os e foram
lidos e discutidos, fazendo-se-Ibe as altera-
(,'Oes que se suscitaran). Os estatutos da so-
ciedade declaram que ella tem por fim :
Fomentar e desenvolver a horticultura e
agricultura em geral; os seus ramos corre-
lativos ; investigar os seus interesses e ne-
eessidades; proteger, errrfim, tudo que tenha
relacoes cora este importante ramo do traba-
lho e a nobre classe que o profossa ; crear
um campo de experiencias e oceupar-se da
neelimaejio de plantas uteis e ornamentaes ;
fonpar collecoes completas, se assim for
possivel, de todas as fructas indgenas, dili-
genciando principalmente organisaf a flor-/
pomolqgica^ nacional; introduzir todas as
semerrtes e plantas uteis e ornamentaes queJ
sejnlgarem deatilidade para o paiz j facili-
tar aos seus socios a acquisi<;o de plantas e
sementes de utilidade e ornamento por um
prago .relativamente baixo, ou distribuindo
ver cor
no acto!
reis. I
mittidas como sucios," papinw a joia de
Lirada de L30Q0 e a quota annuaJ, je 1*9200.
W 29 -i-CrrespoiMkntoFormada drjs re-
sidentes no cstrangeiro.
3.*HonorariosFormada de lados in-
riviateos de (|*alq|twr uacionalidade que a
sociedade nomeit como taes, cm attoncao aos
servidos prestados a esta associacao ou s
scicucias em geral, nao pagando quota nem
joia.
Yitalicios'Formada d'aquelles que se
quizercm inscrever como taes, pagando' por
urna so vez, a quantia de 1005W00. Com o
tim de desenvolver os conheciinentos agri-
jdas sero admittidos gratuitamente para
socios, os lavradores d pequea cultura e
operarios horticrilas que possam coadjuvar
a sociedade. A's i horas- fechou-se a sessao,
licando encarregados os socios os Srs. Oliveira
o Silva, Mello e Faro, Oliveira Jnior, de
proseguirem nos trabalhos.
, ( Foram assignados, o tratado de com-
roercio e navegaco entre Portugal e Hespa-
nha, c o da abolicio do pena de morte nos
crimes sujeitos extradieco.
Foi entregue na direcro geral do mi-
nisterio da guerra, para ser presente a S.
Exc. o ministro, a oxposicao feita pela com-
missao nomeada para a reforma do rcgula-
mento geral do servicrj de sade do exercito,
lembraado as mais urgentes necessidades
que reclama este ramo de servicrj publico, e
que nao podem ser attendids n'um regula-
mento.
Esto concluidas as negociacoes preli-
minares para a nova convenci postal que
se vaiestabelecer entre Portugal e Hespanha.
Este tratado de summa vantagem presen-,
temeute, nao su para igualar com facilulade
o transito dos livros entre os dois paizes ao
dos jornaes e outros impressos, como para
facilitar o transporte das malas fechadas de
Portugal para Hespanha, c em transito de
Portugal para Hespanha para os drffcrentcs
paizes e vice-versa. Por parte de Portugal
sao cscolhidos plenipotenciarios, o ministro
de Portugal em Madrid, o director dos cor-
reios, servindo de secretario o Sr. barao
Ferreira dos Santos. Estes dois ltimos se-
nhores j partiram para Madrid.
Publicou-se na folha oflicial urna por-
tara encarrogando o Sr. inspector de eoge-
nharia Souza Brando de examinar os esta-
tutos j feitos para a construccao do caminho
de ferro da Beira, e de proceder a outros se
o julgar necessario, para habilitar o governo
a resolver qual o tragado que deve adop-
tar ; sendo-lhe remettidas as representagoes
ijas diversas cmaras interessadas no tragado;
assim como a respectiva consulta da junta
das obras publicas.
0 vapor inglez Tayus ao sabir a barra
de Lisboa metteu ao fundo, defronle d Be-
lera, o hiato Bismarek, da praca do Porto,
que eslava carregado com 6,600 arrobas
d figos, sendo salva a tripolagao. Fez
igualmente, nos hiates Recreio e Gloria dt
Portugal. Foi causa de taes avarios o denso
nevoeiro que baixou n'essa occasio.
Chegou a este porto a fragata ingleza a
vapor Chattanger, viuda de Portsmouth em para queconvidou as familias mais distinc-
tas da cidade.
*AfJ s*iMr flo 'tAM t^c* ^--Mo
eonjos.de r>;is. jXotavel progresso n'.um
ramo tpo im porta nte da iudustria agriipla.
; A;campanil;! da Zambczia um. Mocaiobi-
que, licou adiada para os tos de janeirq
at meiado de fevereiro. Devom ir os
ous vapores^itpe e Tttti alm de uu^uas
lanchas a jvorlk B> Jk
u Em Mil imana furmu-selua oomjia-
nhia (pie*JHern um capital de *l,t)00iibris
para exptorago de miaffde forro e de car-
vo no distri to dn Tete. Hogoererarn ao
governo que llie: concedetee a explorajo.
O promotor da companhia o Sr. Baia
Raposo.
k Foi alli muito festejado o anniversario
Q>Sr. U.~.ui/, mandando o governador
;eral d.u 10f> mil rTS para melhorar o ran-
cho das pragas de pret de cacadores, um dos
presas u dos veteranos.
Noticias da InJia, que alcangam at
18 do passado mez de noveinbro. dizem
que se es'avam fazendo grandes preparativos
cm Bombaim, para receber com o mximo
esplendor o vicc-rei da India ingleza. Erain
alli esperados 75 rajes e chefes com os seus
numerosos squitos para assistirems festas.
0 vice-rei presonter, por occasio da mo
cliogada, a [irinceza de Bhopal, com a me-
dalha de ouro da ordem da estrella da In-
dia, que a rainha de Inglaterra lito conferio.
Aquella princeza a nica reinante do seu
sexo na India. I" muito elegante, inlelli-
gente e grande cavalleira. Casou ha pouco
com o presidente de ministros. Entrou em
Bombaim seguida por urna divisao de ca-
vallaria de 3,000 amazonas e mais pessoas
do seu squito, todas do sexo feminino.
Ac bou o cholera na possesso portu-
gueza de Damao. Oe 300 e tantas pessoas
atacadas, fallecern) mais de 200.
Da terrivel cohorte de salteadores que
infestava a Iridia nos seus pontos mais im-
portantes, inierrompendo o commercio, e
espalhando o terror cm 'todas as trras, res-
tain ap-.-uas uns 17 ou 20, que esto aco-
Ihidos as montanhas de Talanhin e Cuma-
rim, na provincia de Arlragad, junto ao ter-
ritorio inglez. Pelas autoridade britannicas
de t'.arerar, foi preso Blenxotte, que ha 5
anuos har fgido do arsenal de (loa, onde
estava uumprindo sentenga. Segundo a sua
confissu, nao fazia parte das ultimas qua-
drilhas. :-
Na ilha Brava (archipelogo de Cabo
Vcrdc/ houve arHde novembro repetidos
aljalos do trra. Um d'elles foi tao violento
que deitou por terrafTO casas. Tiveram de
construir-se barracas jra as pessoas que fi.-
caram sem alojamente. Nao houve a las-
limar sent a morte d'uma creanga que fi-
cou enterrada as ruinas d'uma das casas.
Na ilha dia um violento abalo.
A viagam da nossa corveta I). Joao, at
Cabo-Verde foi tormentosissima. No dia
1. de dezembro, urna vaga levou pela bor-
da fra dous guardas marinha, trasen-
do-OS depOis, podenda entaoagarrar-sc a um
caito com o auxilio do qual se salvaran).
As noticias de Maeau confirmam que
teve urna solugao amigavel a remogao dos
postos liscaes em Macau, afastando-seo posto
cliusz, e removendo-se os barcos da lisca-
lisago da Ribeira (Irande; na ilha da tapa,
para as agoas do Bugio Pequeo. 0 vis-
conde de S. Jauuario manteve a sua pri-
meira deliberago apezar das repetidas raen-
sagens do vice-rei de Canto.
O governador do Hong-Kong e sua
familia tinliam chegado a Macau, hospedan-
du-se no palacio do governo, onde foram hri-
ihantemente hospedados e dando o governa-
dor em honra aos seus Ilustres visitantes
im concert, n'uma das abites prximas,
?'
'*
i'
-t,-
REVOTA DUXI.
trozo dias.
No dia 3 do corrente, por volta fias
quatro e meia horas da tarde, indo a entrar
a barra do Porto o vapor inglez Cintra,
encalhou na ponta do Cabcdello, tendo acto
continuo de sabir o barco salva vidas para
conduzir trra a tripolagao do mesmo va-
por. Quando, porin, o-salva-vidas deposi-
tava parte dos passageiros na praia, o mar
arrebatou-o, levando-e barra lora. A outra
parte da tripolagao, incluindo o caprtofoi
salva por um cabo de vai-vcm, soffrondo por
isso bastantes iuroinmodos. Os tripulantes
foram para trra apenas, com a roupa que
vestiam. 0 casco do vapor est perdido.
Proceda de Liverpool com dez dias,.com
urna carga importante de fazendas branca^,
baetas, pannos, etc., para os Srs. A. Mitler.
& C. O vapor est quasi em socco, e a maior
parte tom-se tirado sem arara, porque nao
fez agua. Ignora-se anda quaes os compa-
nbias em que esto seguros vapor e carga ;
um e outras estao avahados em 600 contos
de ris.
Ordcnou-sc aos directores d'obras pu-
blicas dos diversos districtos do reino, que
remellara photographias cm modelos dos
edificios, trabalhos pblicos, casas de habita-
goes, theatros, cadeias, hospitaes e escolas,
de apparclhos para elevar e transportar
grandes materiaes de construego que exis-
tan) om cada um dos seus districtos, e que
sejam dignos de menguo.
< Vai-se organisar urna forra de 300
pragas, com olliciaes inferiores para i rem
para Maco.
Chegou o transporte India de Mogam-
bique.
Falleceu em Pars o Sr. D. Luiz Lorena
lilho primognito do Sr. marquez de Minas.
Veriticou-se no dia 6, noite,. no Porto,
urna scsso solemne na Academia Religiosa,
com assistencia dos sacios] da Associaco
Caiholica e suas familias, recitaram-se nota-
veis discursos, figurando o do- conde de
Samodes, que. discursou sobre a solemni-
dade do dia e raostrou orno a Providencia
havia encarnado para redimir os homeus.
A sessao durou 3 lf2 horas. '.
Continnam os salvados do vapor Cintra,
que na rainha ultima disse ter encalhado
as ponas do Cabedello ao entrar a barra
do Porto. At o dia 6 poderam-se salvar
todos os volumes de fazendas, sendo tudo
remedido para a alfandega, nao existindo
|do lugar do sinistro, nem mesmo dentro do
vapor, volume algum de fazenda, a nao
ser carvo e ferro que so anda salvando.
O casco anda se conserva direito e era bom
estadq e acha-se a salvo no local do naufra-
gio o veame e massamo e mais objectos
pertencentes ao mesmo vapor. Fe/-se-he
urna vistoria. Decidirn) desapparelbarlo
Ksteve muito concorrida a recepsfo
no palacio do governo, no dia 31 de outu-
bro. Tem este laclo, nao pequea impor-
tancia ; pois alem de provar o tffecto e res-
peitq(iO'ipovode.Macautera pela augusta
pessoa do soberano do Portugal, mostra
claramente o sem numero de sympathias que
goza na colonia o actual governador. Este
fnno?ionario teve a satisfago de receber de
e!-rei D. Luiz, um telogramma, agradecen-
do-lhe, e aos habitantes de Macau, as eli-
citages quelhe haviain sido dirigidas, em
telegramma, no diaf supra indicado, anni-
versario natalicio de sua magestade,
. a Foi derrotado o regulo Muassaquanto,
em Mozambique, com grandes perdas, sendo
apresentados ao governador 11 reguos.
"^i^Chegaran os navios: Braganza [v.) a
22 diHaranho, llersiliu a. 27 de Pernam-
buco, /i !':;'iHiyo a 1 idem, Aguia a tidem.
o Sahiram os navios: AUxandn Hercu-
lanot 22 para Prijambdcp ferm* [t.) a
31 para o Para e Cekrd Veareme, (vj a \
| B pnra Para.
Aeham-se carga tfi navids: Furto e
/- pr-a Pernambuco'-'>''", eitWoi-
(' para o Pura.
i 11
da falta em
'tirando do ets-
a eriapreoc-
azes cultos.
inos dizer.
Anniversario. Com>letam-sc hoje 2l'
annosjue se realUou a exualsao dos hollandezes
do sol |erna|Bano. r
Pen.-|ior|hWue, Jnsail ai- de dous se-
clos nao tenlwils :iiia |iroefcra'l() resolver <
urande iiroblenu bisb** de ** ext.'ncia |k,-
btica :"Ser ou ni" gloria do raasil a cxpon&O
dos hollandezif 7
Tenhamos menos eonsc
pw havemos persistido al lio
fado dessas quostdcs insanas.
eupaeaN dos espiritos elevados'
A escob .qnC ema a p"ri
ainda nao foi aberta ao espirito, alias pujante,debi-
ta nacao de cmeoenta annos. Anda bein que sol
este ponto de vista, pouco ou nada ha estranha-
vel : que agora que coinecamos : dz-*e.
^jnr-.......- ni
Por causas orijinarias, orgnicas, evidentemen-
te a nossa existencia poltica, a nica que explica
a nossa existencia geograpbica, tem sido vasada
por moldes muito estreitos, os estreilissimos mo):
des que uos deixaram os tempos coioniaes. IVaj i
um abaixamento geral de vistas, una limitaeae
do pensmento, pode-se. dizer, s neeessidades ma-*
teraes da vida, que ha como que mantido defeza
ao espirito propr ament brasilciro a esphera lit-
teraria, na aceepcao que o seclo ha !>* **.';t
palavra ; queremos dizerscientra, or iwuta
pbil .sopliica.
Mas, certo tambem, (pie a geraci k aoje ja
conla um grande numero de esforzados aposl)-
los. que, atravez de mil obstculos, conscios d;i
missao que KM foi predestina'a. sbenv-flcvorai
s caladas o desgosto do incentivo que Ihes falta.
c saberao um dia, ao cahirem esmorecidos no lim
da peregrinacrio, dcixar escripia a primeira W-'a
da lei nova" para os hebreas de ci :
F.' o que nos consola e anima.
Entretanto, mi honra ao dia de hoje. que o po-
vo tem tcitamente e?fabelecido considerar dia 4e
gloria para a provinHa. liranio fechadas a" repar-
liodes publicas, por delibcracas do Exin. Sr. pre-
sidente da provincia que, pernamhueano como ,
assim d solemne tcsteinnnbo de amor e immMto
s sitas tradicoes.
E' de e?pcar que a sessao magna Jo InstKulo
Arcneolosteo, que hoje tem lugar, e que como
que o aliar consagrado festa inspirada pdr
aquello acontecimento. seja muito concorrida.
Ao Instituto Archeo igico, dignmos, leve-f-0 o
despertamento no espirito publico da provincia
das recordacoes que o dia de hoje ront'in, ftoto a
margem o julgainento que a critica hisroma, a
sen lempo, pro-eder sobre a nature a da gtoria
de tal da.
Como quor que seja, pnrm, reconhefemo* i
muito que se avanca sempre que 6 possivel aeor-
dar no c pirito popular essas ideas elev-dae >pe
o estimulam, pinprc que possivel nmstnr llw>
exemplps que o moralisem. D'ahi um triuiUfli"
(incmtilto applaudin para aquella a*>oci-vca>
respeitavel pelos seus l'ins, respeitavel ainda pels
Ilustre* caracteres que a onslituein c honram.
Por falta de certo amor proprio, que afina ewn
o pundonor, a melhor expressao do amor de^gi-
ria no individuo como no povo ; temos a Mr* m
o nao ter mais avancado essa assiiciacio cm sea*
nvestigaedes arch jologicas e histricas. Todava
pelo que na conseguido em meio social tao aves**,
como o nosso, s cousas de tal orde n, razees d**
sobra j lia para tiarmos em melhores resnlta*!'"*1
futuros. Porque tambem em todo, tudo *n
mocar. -.
A cmara municipal do Kecife, cidade que cea
lamauha importancia Pgurou durante o do*nh)i<>
liollandez no Brasil convidou sens mnnicipK a
urna illuminaco geral das casas da cidide emre-
gosijo desse anniversario, que mais de perto lh-
diz a ella respeito, por aquelle mesmo panel m-
i eprcsentou aos pes do invasor.
Presumimos que nao s accedern a tal on\i
te, como prestarlo outras manifestaedes l0Mri* s gratas recordacoes do dia de hoje.
Estrada de ferro do Recife it N.
Francisco.No prximo fiado auno de 1872,
esta va de commiiiicacao
llendcu 90't:3.7Ci(t
Despeodea 449:798-:
Dando de saldo cm prol da ga-
ranta de juros i8i:549#6li
A relacSo entre a despeza o a receita foi de
48,11 por cento.
No mesmo periodo transitaram na linaa.....
2:t.'i,ut)0 jiassageiros ; e foram transportados :
929,694 kiloL'iaminas de bagagens, 7.1.109:878 k-
logruuimas de mercaduras e o.CO animaos
Xas meicadorias eslao cumprelicndidas : 24,i!W
saccas de algodo, pesando 1,912:488 kilogram-
inas ; e KiSJflS saceos de assuear, pcsai
22,14*:9o8 kilogrammas.
A mportaucia da garanta de
juros elevou-so a 902:1HU5i
Da qual abatondo-se o saldo do
balaaoa v-se que resta o go-
verno imperial a companhia pela
rantia de juros l7?:?Wf9M
Desta (iiianiia pertence ao go-
verno geral, pela sua garanta de
7 por cento sobre o capital de
1,683:660 40307o*:,:
E ao governo provincial pela sua
garanta de 2 por cento sobre o
capital de E 1,200:000 74:890*-:8.S
Morte.No lugar do Peres, um preto csciav
do Sr. Thoniaz de Carvalho Soares Brandao, de
nome Amonio, guiando urna carioca com assurar.
ao eliegar ladeira do "Barro, caliio aquella sobre
o mesmo preto dentro do valado que a ladeira taro,
mattando-o instanumeamenle.
Trincipio de incendio.Na noite ik
23 para 24. manifestou-sc incendio no cstabeleci-
neiito do Sr. Paredes Porto, ra da Imperatriz
n. .'i2, descoberto a tempo, foi immediatament*-
abafado.no havendo prejuzo algumalamenlar-se,
porque t nha comecado por quemar alguma roapa
reina, nao tendo' sido possu! saer ao nie
atlribui-lo..
Imiicratriz viuva. O nosso correspon-
dente de Lisboa communica-nos,que leem-st-
Vit[<* da A.
ca.
for vi de Lisboa receben) as seguintes:
gramiiamnie, ^uanilo. assim se entender ; ie tiiar-oe .juntamente algum carvo ; afim
crear urna rmjmiaiu onde .os associados pos-
sam nwar os seus productos ou amostras
facilkando-lhes assim unja venda prompta e
vantajosa, mediante urna pequea agencia
para a sociedade, e por conla e risao do to-
cio remettente ; formar urna brWiotheca de.
obras agrcolas e 'borticotes, ou sciencias
correlativs,' onde se ncoBtre urna variada
de er se as mares altas conseguem safa-lo.
. Casou ha dias o Sr. Pinto Coelho, advo-
cado legitimista, cora urna irmado visconde
de hancelleiros, lilho do finado ministro,
Manuel Antonio de Carvalho.
A sericicultura vai tendo- em Portugal.
um nota ve I incremento. S no districto da
Guarda (Beira-alta) produzio no anno
LSTAUOS-INIDOS.
So cougresso foram apresentataas varias
l-ropostas tendentes a modificar as disposi-
Coesdaconstitut^o relativas presidencia
da eonfederaolo.
Urna dessas propostas feVj pov Mr.
Summe:, prohibindo a reelei^o di Pden-
le om exeroicio. >''
Urna proposta de outro deputadr} pede
qus a eleieao do presidente seja direv<*i cm
vez de indirecta, como actualmeute.
Q Sr. de Tejada, presidente dtf lxi-
co, tomou posse das suas luncyes e recebeu
os cumprimontos de todo o corpo diplod131!"
co. Esperavam-se grandes festas no mV*"
co, por esta occasio. Profiri Diar chegoV
capital e teve urna entrevista satisfactoria^
com" o presidente.
OSr. Ledo de Tajada, assignou um de-
creto creando embaixadas em Allemanha e
Da Hespanha. 0 rei deste ultimo paiz ti-
nha-lhc escriplo una carta.
0 caminho de ferro de Vera-Cruz ao Me-
dico est terminado.
.No'ticias fidedignas da America do
Norio desraentem as ultimas noticias de
Now-York relativas a Cuba; dizem que a
insucreicae, em vozde progredir, perde ter-
reno.
,0 correspondente especial que o Heral de
New-York havia mandado a Cuba, telegra-
phou dizendo que achando-se constante-
mente exposto a ser assassinado peros insur-
gentes ou pelos voluntarios hespanhes, ro-
nunci&w a sua missao, e ja regressar palo
prximo paquete.
Vai instaHatr-se em at urna com-
missao hespanhola americana, para fazer
urna syndicancia sobre as reclama^es dos
subditos emericanos..
agflravado uestes ltimos dias os padecimentos te
S. M. a Sra. duqueza de Braganca.
Interdiccao. Para 29 do corrente con-
vocada una reuniSo em mesa geral da irmaauadc
das almas da matriz da Boa-Vista, afim de se deli-
berar definitivamente sobre a sentea? de inter
dicc/io imposta mesma irmandade, pela autori-
dade episcopal.
Posse.Nao offectuou-se honle'm, como ci-tava
leicrniinado, o acto de posse da nova mosa da jr-
mandade de .Nossa Seuliora da Soledade, por au-
sencia do Sr. Dr. juiz substituto da provodoria
('apellas; comuuinicando S. S., por othcio dirifrido
ao Sr. juz da respectiva mesa, ama deixava de
comparecer por motivos mdependentes de sua ven-
tado, e que opportunamente marcara dia para la!
acto. '
Muitas pessoas conpareceram igreja para aa-
sstir cen^moiiia
Rcuniao.E' para amanh, ao meio dia, no
largo do Corpo Sanio, que est annunciada, pela
niaconaria, a reuniao daquelles que quizercm
acomp;mliar a entrega das represenlacoes popula-
res que, por intermedio da presidencia da provin-
cia, leem de subir aos altos poderes da nacae.
Kspcrtezas.-Segundo somos informados im-
preciso que a polica lauco suas vistas sobre mein
duzia de espertalhes que invadem o pateo externo
da estacao da estrada de ferro do Recife a Sao
Francisco, as Cinco-Pontas, s ebegadas e sa-
hida- de i re o. a lim de Uudirem e roubarcm rom
LtransaecoLV- simuladas o vendas de ouro ttbocoio
verdadeiro, aos matulos inexperientes (me por alli
iisitam.
apoleo III.Das notieias ultima- hora
nal chegadas honteni da Enropa pelo Douru
eouN seguite:
(lorreu em Cluslehurst no dia 9 de Janeiro, a
me0 da, o imperador Napollefo ID. Aos seus l-
timos ipomentos assistiram mnitos dos sous amagos
do Parir.- a rainl Victoria, o principe de Gallas,o
grande ^umero de porsonagens da aristocracia.
'"? dlavA I'' >ffrido urna aova opera**
da taa senflo-lhe extrahida wna tua> P** ;
fra chioro&ni^ **> ^crwimiraintlama-
"- es, macau om Pars no aasaete
de abril de 1W. Seu .putei
ador Luiz Napojeao Bonapaite
incipe honrado qoe disseen
tes, efiuad m patarras .te
nao ra poaaivai tmntar
coa f do povo, sujos dm-
1 rogar. Osirnoe de
lorreram, nm, Napel
parador dos fin
das Tnlheiias
o irmao do in
rei da HoHand
do throno ser
sen filho, ir
os intireesc
linos tinh?
arlos l.i
Carlos,!
tro, Na|
do de
<. cidade da Haya, e o oi-
I
orli, cade foi
na e expirou, ap/*45os
*


I
.1
K
~?
m


:' IH&rb'cb:FemainliuM '** Seguad* #ra, 27 de weii&Jk MZ.
3
assor
Sir.Ji
I ISajnn*.Com je
wlrafh i
-.^abtanles. com'wmi-
*'. Ir>iolsro TVW Soares, saijiele-
Da <|haricto, que tendo eouseienraa dt
ji cumplid eus dme*, estiva u-
^*rf*Sraos qne fora exagerada a in-
natas s*broue baleamos o nosso reclamo
pJieia; visio coma apouas em a noe de 23 do
-.onantaatii aifareceraiaun desordeiros conten-
uandu ubi trusaua*, contra os quaes har
immediatammleprovideiiciado, auxiliando-so com
unta orea do fcrt'batalho de lijiha ; e que ludo
oaoniuMcn i autorid; de competente.
Ante- aisiin. Restau (achia a verdade do factor
lotuanios ao, til', Pacho-o Soares, pelo zelo com
que-'exerce. o sou ospinhoso cargo; e ao nosso
iNlaettnaate-. rogamos-iin teja tao phantasioso para
nstrararez.
*'ft|Hre.i JraHsftlaiiliM. Di carta do
dosst) correspondente d! Lisboa extrahimos o so-
mne:
Antes do Imb devo prevenir (pie a 21 deste
TfiOT -tar-ar hi Lisboa o paquete Maijellau, da
campsahia de navegaciio a vapor do Pacifico, ajos
vaaofes razem viagens romanaos, entre Liverpool
e Amafie* do Snl, (oeaudo em Lisboa, donde
Sattlf&a na teren-irft'dn cada semana, a cenagar
a 14 do eorrente. Estes paquetes taran sni-
or Meaja telo Rio dm Janeiro, Mentevido e
Vaparaizo, mu oque partir de Lisboa no dia 21
deste me/, e 08 em 15 (lia*, tocaran timbera om Pernambuco e
Babia, termhaudo todas as suas viagens em Callao,
no "Per*.
Palos referidos paquetes expedtr-se-hao malas,
pM'a os.pon os cima indicados o tambem para
uno-Airts,
t A 23 deveni tocar aqui o Cambie das mensa-
gefk-s tnaritimes de (Burdeaux) eoTuriste, de
Liverpool.
A 4 de fevereiro, o Patagonia, da linba do
Parifico.
A 13, o tftva da Royal Mail, de Soutlampton.
A 18, o Garonne da linha do Pacilico.
"A 23, o Frrmcez da:; mensagerics.
O Student, de Liverpool, larga d'aqui para
Pernambuco poncas horis depois do Douro.
. .ciH'ros de estiva.O Douro trouxe:
cli 14 voluiues a L. A. .iqueira, 3 a J. Lopes Ma-
chado & C, 10 a Moahard M. St (\, 75 a P. Car-
neiro & C. 2ft a A. A. Lebre ; mantejga 30 bar-
ris e 20 meii 4 a Th. Christiansen ; queijos 30 cai-
xas a Monte i o Rocha & C., 6a' orga, 82 or-
lieni. 63 aB; rrus Rifaos, 28 a J. I. da Costa, 38 a
1. J. tioncalves Bellro, il) a J. J. de Azevedo, 6 a J.
I. Alvos, 40 a Alfredo A Barlwsa, 10 a A. A. Lebre,
20 a J. S. do Amaral, i6 a L. J. da Costa Amorim,
24 a A. G. Pires 4 C, 21 a Rraga & C, 10 a Tas-
so. c 2 a Amorim Irmais.
Porto lie LiverpoolReviam sabir par;i
IVrnaoihucn : a 13 de Janeiro o navio Cham~
i, km Uelle, e a 20 o vapor JwitL
Telejjr:ninivs nominerei: es. Os
das casas dos Srs. Khow les & Fjster e Pinto Leite
A Soberanos, em I i d > .'oriente s 5 horas e moia
tki tarde, dizem o seguate:
O algodii > frouxo com baixa do :i/8 sobre os
procos : de 10 .i/8 a 11 1/2, o de Pernambuco, de
tO 10 1 2, os ,la Pra ivba e de Macei, de 10
1 '4 a 11 12 o ilo Mar iao, de 10 a 10 1/2 o do
Rio Grande do Sarta, e a 10 S/8 o do Gear.
O assucar frouxo com baixa de 6 d. sobre os
in-e^s: de 24 a 27 6 o brauco e de lljK a 23 o
mascavado.
O caf tirme nos prams : de 70 a 83 o lo Rio
de Janeiro, de 76 81 o da Rabia, e de 73 a 77 o
do Cear.
Loleriii.A que se acha venda a 37,*,
beneficio da matriz da Cacada, a qual corre no dia
:10 doeorrente.
Oasn le leten?i\o.Movimento do dia
de Janeiro de1873 :'
Existan* (presos) 358, eutrou 1, sabiram 4,
y^ieni 3i.'i.
A saber :
Darionacs 231. mathena 10, eslrangeiros 48,
escravos 49, escravas 7.Total 315.
Alimentados a custa ilos cofres pblicos 27o.
Movinienlo da enfermaria do da 24 de Janeiro
de 1873.
Teve baixa :
Ornato, escravo de Jos Francisco de Barros, In-
di gamo.
Piksss}jelros.Sjguem no patacho nacional
.ti 1*3 para Santos :
Jacintho Mara Cabral de Vasconcellos, D. Hara
limilia de Arago, una lilhae dous lilhos, Manoel
da Ponto, Fortunato l'erreira, Joao de Azevedo,
Anfonio Raymuao, Francisca Candida, Mara Isa-
bel, Maria MathUde e Emilia.
Sabiram na barca Saphim para Lisboa :
IdMi de Oliveira Mata, Joo Bernardo de Maga
lhe e Manoel da Costa.
Yindoj da Europa no vapor inglez Douro :
J.r.'u, Th.nnaz Pereira, Manoel Tbomaz, Joaquim
\ entura, Antonio Marqies de Almeida, Jos fe-
re ira da Silva, Joaqun i omingues Pereira, Jos
li..i.uimda Silva Maia sua senhora e 4 tilhos,
1 '. H Antonio de i'arvalho e Silva, Ricardo de
f'reitis Guimares, Jos Antonio Barroso, Joaquim
da Silva Azevedo, Joainrirn Jos dos Santos, Hen-
rique Bernardo de Oliveira, Romana Maria da
Coneeicio. Manoel de Souza,. Jos Antonio Fer-
nandas! Francisco Ferreira Monteiro, Jwiquim (5
Bastos, sua senhora c I lilho, Carolina Esteves de
Carptntefrc e 1 Tilho, Francisco Pires, Tlieodoro
Monteiro Ferrara da Silva; Joaquim Oliveira Pin-
to, Folgencia Migues Rodrigues, Joaquim de Hes-
aa, Joaquim da Rocha, Antonio Pereira Sampaio,
Josi1 Ferreira da Silva, FYancisco Luiz Teixeira,
Miguel Evaristo "Barbosa, Francisco Jos Pores,
Manoel Homao Ramos, Manoel Gomes Larangeira
e sua senhora, Barao ile Guararajies, sua senhora.
e 1 criada, Arminio Coriolano Tavares dos Santos,
W i zahora e 1 tilho, Lonreni}o' Augusto da S.
AHrm(tierqiee sua senhora, madama V. Roedin-
j-, Rvd. JorS Antonio Rabello, Antonio Marques
%gueira, Antonio Rodrigues Branco, Agostinlio
Ferreira di Silva Leal, Antonio da Costa Pereira.
Segiiem para o sol :
Arsenio Arvelos, Jacintho R. Renevides, Manoel
Ignicio de 'ouza, M. Pacheco, M. da Silva, Dr.
Antonio Jos Rodrigues.das Cotias, Manoel Morei:
ra Otas Jnior, Antcnio Jos Pinheiro, Manoel
lijas Correan | fllho, Antonio de A. Borges, A.
Manoseo. Joao M. Alfonso Barroso, Joio R. de
Souza. Amonio H. da Silva, Or. Joo Paulo Gomes
de Mattos, 1 lilho e uria criada, Amelia Maria de
Jess e Francisco J. C rrbett.
Cemiuerio publico. Obtuario do dia 23
le jaueirc de 1873 :
Jos Ardonio de Liria, pardo, Pernambuco, SO
anuos, viuvo, Graca ; bexigas.
Lacrois Bon, brnce, Franca, 43 annos, soltei-
r>, Boa-Vista, hosottal Red II; fcbre amarclla.
Jos de Altnaida, branco, Portugal. 26 annos,
sottfiro, Boa-Vista, hospital Pedro II; febre ama-
Maaeel Jos de Furias, pardo, Pernambuco, 34
annos, viuvo, Boa-Vista, hospital Pedro II; hyper-
trophia do coracao,
Joaquim, branco; Pernembuco, 9 mezes, S. An-
tonio bexigas. i
Birtoloiaeu, branco, Pernambuco, 8 mezes, S.
Antonio.; tobarculns.
Auna, branca, Pernambuco, 6 annos, S. Jos ;
-Wampsif,
A^ierko, branco, Pernambuco, 48 mezes, Boa-
\is!a ; enterite.
- 24
l.izAii|oni, brinco, Portugal, 44 anuos, casa-
11, ttoi-Vista ; febfe rniarella.
Jo*'- Ssltio, branco, Portugal, 2 annos, soltoi-
II. oo-Visti; ebre aniareUa. .
Aatoni->, beanoo, Ptrrtngal, 8 daas, Recife ; con-
vuWes.
.Fraacio Jacintho Sergio de Oliveira, pardo,
t*ii*mbu, sobeiro, Boa-Visia tu-
brculos nuinMMuytw.
Arthu-, branco, Pernantbnco, *aieze, Boa-\ is-
ta; gastro enterite.
t'toiviK-ia Hara 'lo Carino, parda, Pernambu-
co, Fio. aoBdi, soiteini, S. Joo ; cyrrho.
\ icen el liara, da Conetcao, branca. Pernam-
buco, &i HBlios, wm, Aogido ? diarrhea.
escwva.pr(5ta, frica, S annos, soltei-
c, Macaos; Ipwa-se; nitittr, -BoaVisto ,-Ud
tatlte.
L. Eveqac Vicler M Aime, branco, FraTOjk 3f
ycasi^,ijft>Wsja,bo,spital^te)Il,3olrt)
cr m Aime, Dranco, rrantaK ai
oaquim Arda, branco, Hewpanha, 27 annos, sol-
teiro, Boa-Vista, hospital Pedro II; enterite ehro-
ica.
Maria, parda, Pernambuco, 4 inees, Boa-Vista;
enterite.
Jos, branco, Pernambuco, 5 das, Boa-Vista ;
Hv. aeaJtiritMi.|| k oiupauliia
EMIlHXOtBOIIl
Para saiisfazer o |iroceito que nos impoem os nos-
sos estatutos, solicitamos a prefentc retinlao para,
prestar-vos contas de nossa gerencia durante o'
anno prximo fiado.
A fortuna tratou-nos com demasiado rigor cau-
zando-nos comideraveis prajni'is, djs qaaes se
acha paga a quantia de I0:73628, resundo
anda algnns jue pendem de liquidaco; eomtndo
anda nao se pode considerar dezauimaUor o es-
tado actual dacompanhia, visto que iermittemie
se destribna agora um dividendo de 40#00l> por
accao, cpie junto ao de 12*000 do 1* semestre
profaza quantia de .'i2#000 por accao, dividendo
do anno, Meando anda um saldo na conta de lu-
cros e perdas de 61:420*849, que' julganios am-
plamente sufflciente para fazer face aos prejuizos
a liquidar.
Repetiudo-se eoin frequencia os incendios, prin-
cipalmente em predios onde existiam ostabeleci-
inoutos commeciaes, o haveodo fundadas suspi-
tas do que a fraude nao era nteiamenle acucia
a desses suecessos, resolvemos em lins de iunho
prximo passado suspender as operacoes Je se-
guros sobra mercaduras, at que sendo melhor
orgauizado o servico do extinegao de incendios, o
qual actualmente feito de urna maneira milito
lilliiiente (nao obstante "j pagarse um imposto
para esse melborainento) possam mais fcilmente
?er encontradas as provas da, fraude, as quaes
actualmente desaparecen!,, porque geralmenle s
se extingue o fogo quando este j nao encontra
materia que o alimente.
Nao podemos" dcixar de sustentar um litigio
sobre um estabelecimento de miudezn? incen-
diado.
Sendo a quantia segurada 40:000*030, e exi-
gindo o segurado esta somma, verificou se pela
escripia salva do incendio, que o verdadeiro va-
lor existente era menos de metade da quantia exi-
gida.
Em trez pontos consiste a nossa impugnaeao :
1" Tanda sido comprado o estabelecimento com
o abatimento de 30 0/,) pela deterioracao e depre-
ciainento das mercadorias, pretende o segurado
que se Ibe pague a importancia total, sem atten-
i-ao dita porcentagem,' isto exige cem por
aquillo que Ibe custou setenta.
2* Sendo o objeto segurado um estabelecimento
de iniudezas, apparece envolvida na conta da re-
clamacio a importancia de um estabelecimento de
fundara com a competente armado, danilo-sc o
cazo bastante singular de um estabelecimento con-
tar outro!
3 Faltando escriplurar as transaccoes de algn?
mezes, e dzeudo-se que os livros auxiliares forain
consumidos pelo fogo, foi apresentada a conta das
entradas durante esse periodo, a qual aceitaino-,
nao obstante conter objectos inteiramente alleios
natureza do estabelecimento; nao nos sendo
porem possivel aceitar a conta das sahidas, que
no mesmo lapso de tempo, nao chegaram meta
dedo valor das entradas; exigindo nos que o
calculo fosse feito, tomando-se por baze as sahidas
de igual espaco de tempo, constantes da eseripta
existente.
Por esta siugella exposicao roconhecereis que
nao nos era possivel tranzigir Com tao descpffl-
munaes pretencoes.
Tem esta companhia procurado sempre evitar,
questoes, e o faci de ser este o segundo ploito
que sustenta no decurso de cerca" de dezoito annos
que tantos tem.de existencia, c tendo ambos a
mesma origem incendio -, [trova evidentemen-
te iHe so razdes muito fortes nos fariam aceitar
esse litigio.
Temos confianea nos tribunaes, e acreditamos
que nesta questa nos ser feita plena justica
como aconteceO com a outra.
De conformidade com a praxe seguida n'este es-
tabelecimento, aprezenlamos o seguinte quadro
circumstaociado das operacoes realizadas, pelo
qual melhor se conhecer a situacSo da compa-
nhia.
Seguros martimos.
hj>Ma,
deste porto
tt**
para o
apolice
dem dem dem
- apolice 7JOft
dem idem dem dem
apouae 7,747
Buili total de.juerca
doritis, na barcaca
Alabm* dastoporto
~para AlagOjs apulice
7,774 .
dem ideai, ua barraca
Yirgem doPoto, deste
porto para Colinguiba
apolice 7,746 '
Avarias em mercadorias
' uo Migue Oliilda des-
te porto para oftjo da
Prata apolice 7,932
dem (dem no birgoe fraii
cuz, Fidelit, do Havre
para este porto apoli-
7,338
dem- dem, na escuna
allemaa AMine, deste
porto para o Kio da
Prata apolice 7,799
1:800*270
3:267*358
flOMOt
3.-750JWO
2:9I?J713
tsoiooo
13:746*3 Premias respectivos
Apohces.
Menos a importancia
dos extornos
77,216*120
8S0*3O0
78:116*620-
2:219*332 7o:897*2->8
Seguros terrestre.
Premios respectivos 60:865830
Apolices 1:161*300 62:031*350
Desconlos.
Renden esta verba
Saldo da conta de lucros e perdas
em 31 de dezembro de 1871
32:103*345
81:739*2*3
lutkmniaares terrestres.
Avarias, em mercadorias
seguras no predio 6b,
da ra. da- luipcratriz,
occasionadas pelo in-
cendio do predio conti-
guo, apolice 2,692 :!:300*0 0
Valbr das mercadorias se-
guras no predio incoa-
oiadoviu 11. da ra- do
MarqiadeOIiiidaapo- -_ '
lice3,2lV 14:00'*000
dem do predio incendia-
do n.4tj da rtia d*Vb-
cond de hihauma i)0-
lice 3,348 7:000*000
dem idem n. 11 da ra
da"Moedaapolicc3,18i 18:000*000
Idum, idem ns. 7 e 9 da
ra do Mrquez de 0-
linda, e o que Tica nos
fundos "com frente para
a ra do Bispo Sardi-
nha apolice 3^22- 24:000*000
Despezas por conta da
reedificaco da casa ter-
rea incendiada, n. 55
da ra de Marcilio Dias
apolice 3,080 1:250*000
Reparos em diversos pre-
dios, apolices 2,70 i,
2.727, 3,034, 3,447,
3,303, 3,515; 3,532 1:611*380
41.395J548
laJ i
68:361#(8U
Total das indemnisacoes '
Diversas verbas.
Despezas geraes
Conunisso e garanta da direccao
Scgm'ados fallidos
Dividendo do i* semestre, a razao de
12*000 por accao
Dito do 2. semestre a razao de 40*
Saldo da conta de lucros e perdas,
nesta data
109:756^928
7:5503300
19;756*397
1:311*732
12:00Q30OO
40:000,5000
61:420*849
251:796*416
aratlifln amalmh intraBimMtaaBto.mi a
wm tal OCDMiflMMigada patos sobrcaos
ponltcos GtenwnfeXI, Rendicto XIV, fta
VIU La XK, Otymi XVI e Fio IX, de-
clarara no s nao pericncer Ikasociedatle,
como tainbeni ^ue nao Jeve catholico alguna
digno ^ifvpe utt BWp* mencionacl
0*abaix5Tlftl|AwlBWr^wrlm da letldad
dos outros seus rmris clrigo^ iTestiuliocese,
qutfpWWjffrW petsm.'^'tiStflthntx. os
inesmos seutimeiitos da fidt-'lidu'le'e adbesiO
^e.os.abai^ jigimoo presentemente exr
pOBl.
Roerle, *dagosto de 1*72.
Coiiegf) Joao Chrysostomo de Vaiva Torres.
J?atlro ioaquin Graciano de Arauju.
il^aire Agootinho de Luna t.avalcante de La-
corila.
Padre Ttt^fnrstodes Romao Pereira dos San-
tos.
Packo raocisco Auiano de Araujo.
Padre- Francisco Al ves de branles.
O conego Vidario Antonio Marques de ("as-
tilha..
Vigario Augusto lVanlvIjit Moreira da Silva.
O vigario .V*>tono Mnnoet d'.4ssamp<;o.
Padre los Viecnlb deGouva Accioli.
Padre Dr. FiauaUco do Hago Maia,
Padru Valeriano de AloJuia Crrela.
Paibra Clirvstoviiode rtoHamla Cavalcantc.
Padre Antonio de .Mello e Alboqaerque.
"Padru .eonai'lo Joo (Irego.
Padre Thmaz Coelbo Estima.
Padre Juvenci Verissiiuo dos Aojos.
("Padre Vid^irio Josi; dos Sontos Fortunato.
Padre Jos Esteves Vianna.
Padre Francisco Jos Vives.
Padre Tose Gregorio d Silva Carvalho.
Padre Jojia Srvulo Teiseira.
Padre Iletculao Marqnes da Silva.
Padre ll.iMiniio Jos da Silva.
f-Pdr 'retosfjhoro de Paak> Augusto.
Padre Ernesto Ferreipa da Cunlia.
Padre Joaquim (FAssump$ao.
Padre Candido Ferreira da Cunba.
aidre yicenle Pereira, da Sllva^Guiroaraos.
i'adro Jos Francisco da Silva Borges.
Padre Frederico Augusto 'Raijoso da
mar..
Gooego Litiq do Monte Carmello loma.
Padre Jos Aotiso de Lima e S.
radre Ignacio Francisco dos Santos.
Padre Flix Barrftto de Vasconcellos.
Padre Miguel AmericO Pereira do Swizo.
O vigario Joao Baptista da Silva.
Padre Jos Rayiundo Baptista.
Padre Graciano VUlar Barreto Coutinl.
Padre Getulio Vespasiano Augusto da Costa.
Vigario Altado Firmo
cante.
Jnior 4 s'TTosr m zffklb de asucar branca
Para o 4%^|aud*/lb|B; M brigne L
leiro PinngijfrgfOttj \. M. nito Cuiuia aui
330 volumes WHrA|MnUsae,r'
Para MosSoro, naDaTeaca7Tvam^r4o do Re-
cife, carregaram : Barre Jnior A C. 4 pipas com
CAPATAZIA DA ALFAMDEGA
lteHdmirnto do dia 2 a 23. li: dem do da SR...... W#i90
15:333*rt44
Nodia2a2ii .u- } -*
Primeiraportaji uialo. .
Segunda porta .
Tereeira porta .....
Trapiche; (imceicao .
38,228
393
140
23
2,683
41,'iu7
Janeiro de 1875.
a i".
'orto, no pntarho
em 18 de jancu n
rii.^-Mahiaunli), i
iaVnT,
Por occasiao de urna viagena que fez o Sr. Jos
da Silva Loyo, foi chamado ijara sup[>rir o seu lu-
gar o Sr. Francisco Ferreira Bailar, como I.* sup-
plente de director, cargo qu tem exereid) desde
9 de setembro prximo passado.
Sao estas, Srs. accionistas, as informacoes que
nos occorre uiinistrar-vos, e se algumas mais de-
zejardes, promrtamentc seris satisteitos.
Recife, 23 de Janeiro de 1873.
Os Directores.
Jotro ia Silva Regadas
Antonio Jos Leal feis.
Francisco Ferreira Baltar.
ALANDO D.\ COMl'ANUIA HE SEGUROS MAUlTi-
MOS E EKUESTItES l.NDEMMSAUORA SO SE-
GUNDO SEMESTRE HSDO, EX 31 DE Ol/.EM-
BRO DE 1872.
Activa.
SERVCO MARTIMO
Alvareugas desrtincgadas no trapiche
da airndola bo dia 2 a 24. -0
Ditas ditas no dia 4a. .....
Navios atracados no trap. da alfandega
Afvarengaa........
No trapiche Conceicao..... 2
-
RECfc'tEDORIA DE RENDAS INTERNAS GE-
RAE? DE PERNAMBUCO
Rendimento do dia i a 24. 37:042*675
dem do da 25...... 1:131*434
38:174*129
Ca-
da Silveira Caval-
SOMMERetO
CONTRA FOGO
Accionistas
Bens movis
Caixa
Lettras descontadas
Segurados martimos
Seguros terrestres
Eslampilhas
Pasi'ro.
Capital
Fundo de reerva
Dividendo 5
Comniisso e garanta da direccao
Lucros e perdas
800:000 *00
1+700*00)
16:977*933
330:356i27'J
38:819*820
21316*115
363*400
1,210:733*549
1,000:000*000
100:000*000
40:680*000
8:632*700
61:420*849
Run la cViuuercl u. *^*.
uieiro aullar.
Agente,
W. G. FENNELLY.
para-
231:796*406
4Kfc
per.iaHAnco,45 dia% 8(*-Vista ;
ip., preta, pernamlmco. 50;
aoaWf8r^Wa"f7ta";7ero-iRe.
Mara, prota, frica, 9S annns, viuva, S. Jos ;
i^aora-se a nolegtia .
Joanr a, pu-da.J^iajpjnijajB, |4 mezes, 5. An-
tonio, casa ilo
ais BenediajBiiiri 'ernambuco, 90 annos,
irra, 18 aaao,
Praambu-
Esta somma teve a seguinte applicacao :
ndemnisacie* maritihas.
Avarias em mercadorias
no patacho portuguez
Mirlmelense (leste porto
para o da ilha de S.
Miguel apolice 6,375 143*350
dem idem idem idem
apolice 6,332 76*14t
dem dem idem dem
apolice 6,392 43*810
dem idem idein apolice
6,398 429*014
dem idem idem apolice
6.396 164*400
dem Idem idem apolice
6.397 l6o*90u
dem idem, no vapor Ja-
guaribe deste porto pa-
ra o Cear apolice...
7,219 243*000
dem idem idem apolice
7,379 90*740
dem idem, no vapor
Para, deste porto para
o Para apolice 7,241 938*884
dem idem idem idem
apolice 7,351 76*750
dem dem idem idem
apolice 7,346 70*380
dem idem, na barca
Amizade de Montevideo
para este porto apolice
7,260 1:063*775
dem idem, no vapor Para
deste porto para Ma-
ranhao apolice, 7259 90*744
Pcrda total de mercado-
rias na narra pprtu-
gueza Firmeza apolice
7,478 4:a<*>*CM
Avarias em mercadori-
as no vapor Gegui,do
Araraty para este por-
to apoUce 7,303 269:WO
Avarias em mercadorias
no vapor Paran deste
porto para o do Para
apolice 7,534 405*477
dem idem, no vapor Cea-
r apolice 7,564 83*108.
dem dem idem &*u
apolice 7,566 96*828
dem, ideai. na oseuna
Hollanem Conato,
deste porto para o Rio
da Prata apolice 7,337 54*3 -
dem idem, no patacho
portuguez Pavaente, de
LWboa para este porto
aaolieeW W*04i
dem idem.no briguepor-
tuiaejiGa/^djeftte.ppr-
Man ioui idam ttVttn
dem idem idem idem
apolice *hm 431*447-
; dem dem tdem jfxfi
apobce'7^
dem ideen,
Amelia,
'"^ufaSSaSS^ **7l
dem idem a *raa
1,210:733*549
Pernambuco, 31 de dezembro de 1872.
Senhores accionistas da companhia ndemnisa-
dora.
Acommissao fiscal tendo-se reunido para proce-
ceder ao exame de ledas as contas e valores em
carteira, de conformidade com o que proceituam
os artigos 30 e 31 dos estatutos, achou tudo de
accordo com o Maneo que nos apreseutado pela
direccao, pelo que, intende que as contas devem
ser approvadas com um voto de apradecimento
mesma direccao pelo mcancavel zelo e dedieaQao
com que dosenvolveu interesses da companhia.
Escriptorio da companhia ludemnisadora 25 de
Janeiro de 1873.
Miz Jos da Costa Amorim.
Joao Querino de Aguiktr.
Jos de S Uitm Jnior.
PU6UCAC0ES A PEDIOS.
Sr*. redactores. Como signatario do
protesto de adlicsao S. c. Rvma., devo
fazer uina declaraco. A imprensa adversa
causa da religiao tem procurado diminuir
o valor daquclle documento, -allegando que
nao foi elle assignado pelos Rvds. padres,
cujos nomes foratn publicados, o que o auno
passado assignaram. verdade, um protesto,
porm differente do que foi publicado e que
nelle apenas diziam nao pertencerein seita
maijomca.
E' verdade que o protesto primitivo em
que assignaram 39 padres nao na forma o
que foi publicado. Mas substancialmente
o mesmo; e se alguns padres concordaran!
em que passassem as assignaturas do pri-
meiro pata o segundo, foi porquo o corpo
capitular tendo assentado fazer outro protesto,
dando-lbe o carcter de actuaHdade, e sendo
idntico ua substancia, ueubum inconve-
niente havia em que passassem as assigna-
turas para o novo protesto.
Quem tvssignou o primeiro, assignaria o
segundo, se o tempo Uvesse pcrmittido para
a assignatura.
PRAGA DO RECIFE 23 DE JANEIRO
DE 1873.
M 3 1/2 ROBAS 1K TAROK.
CoacScm tlllfiaes
Assucar ma^cvvado purgado 2*330 por 13 kilos,
V honten.
Asucar Imito americano superior 2*200 por
15 kitos. hontem.
\lgododa Parahiba 2*150 por 15 kilos, posto
a lwrdr a frete de :|6 e 3 0[0, honteiu.
Algodao de sorto 9*850, 9*900 e 10* por
43 kilos, hontem.
Algodao-do Rio Grande do Norte tOtfOO por lo
kil.s posto a bordo a fete do i|2 d. e
0(0, hontem.
Cambio sobre Londres a 90 dv. 2b l|i d. 2b
3(8 e 26 lt2, e do banco 26 1[4 d. por t*,
hontem e hoje.
Cajnbio sobre t'ortugal a 90 d[v. 102 0|0 de pre-
mio.
Descont -deletras 10 e II 0|0 ao anno.
ubourcq
Presidente.
Leal cve
tecretario.
COilSULADO PROVINCIAL
Rendimento do da 2 a 24. i$(:t72*776
idem do dia 23...... 6:467*131
16-1:939*907
MOVIMENTO 00 PORTO
f'avios snhklos no dia iS.
Santos-Patacho brasiirRro Ama', cap tao Amnro,
carga assucar e outros gneros.
Liwp-'ojbarca inleza Catie Me. Domld, ca\-
tio D. A. Me. Jmiis, caiga assucar.
Canal-Barca inglcza Panujero, capitao J. TottffBj,
cai'ga assucar.
Anlilhas-Barca ingleza Bftiney Brotheriy captlo
N. Blaney.'em lastro.
Obser vacuo.
Nao houvo saludas.
Yuiho* entrados no dia 10.
Soulhampton e poitos intermedios13 dias faajOf
inglez Douro, do 2,225 toneladas, conimaudantr
J. Thwaits, equipagem 114, carga fazendas e
outros gneros ; a Adamson ilowia A C.
Rki de Janeiro2i dias, sumaca liespanhola Des-
pejada, de 140 toneladas, eapkab Ezequiel Ma-
ristany, equipagem V> em lastro ; ordem.
Aracaty-20 das, liiaaa brasileiro Maria Amelia,
de 55 toneladas, capitn Francisco Tliomaz de
Assis, equipagem 6. carga goauna e outros ge-
nerirs ; a A. A. de S. Aguiar.
Montevideo30 dias, barca franceza Agostin, de
356 tonelad:, capitao Montn, equipagem 10,
carga 4,243 saceos com farinha de trigo c ou-
tros gneros ; a Burle A C.
Rio deJaneiro21 dias, patacho Allemfio Eleonor
re, de 197 toneladas, capitao, E. II. Someto,
equipagem 7, em lastro ; a Kcller & C.
Sahidos no mesmo dia.
LisboaBarca portugue a Suphira, capitao Ji-
uha, carga assucar e.goinnia.
Canal Patacho inglez Xonlwroii, capitao Hi Wil-
liam, carga assucar.
New-YorkBarca americana Sacramento, capitao
C. II. Robbins, carga assucar.
Marselha Barca franceza Maria Cetina, capitao
ieanard, carga assucar.
Lisboa-Lugre portuguez Julio, capitao Joao de
Barros, carga assucar e outros gneros.
LiverpoolBarca ingleza Seraphina, capitao J.
Cherman, carga algodao.
Itio da Prata e portos intermedios -Vapor inglez
Douro, commaudante Thwaits, carga parte da
que trouxe dos portos da Europa.
ch(U1ense, dscar
a conrigoadas
llareta i -
portuguez Ot/nd
de 1772,. mwa-$e a cJhwgn
cm marca sem nomern..
idom, klam.
T K l^jaiaiiiaaei'p. l sa^co vmo da illia
de S. Miguel'no potlcho liwrtuguc! AK.kaelensf,
descarrefjado em 2? de Jwfr d <$P2, consif-
nado ordem.
Marca S B sem mnism-o. 1 bairlca, viada..
de Liverpool no vapor ingit Sitien!, daatar-
regada em -iO .de Janeiro da ViTi, eonsifaado a
em I de fevereiro de 1872, consignada a hefler-
Idein n. 126. i dita, idetu /dan,
dem n. 129 1 dita, idem Idem.
dem n- 130. 1 dita, idem dem.
Marca diamanto V no centro S- B dos lados,
sem nuinoju. 1 ban, vmd.. U* Liverpool oo
vapor inglez Jvrisl, ilescarre^adin|l3 de feve-
reiro de 1872, consignado a SauftltFS B others
d< C
Marca V, san nnmeivi. O palteHae. viuda?,
de Liverpool no vapor inglez Ar'u-I, escarre-
gailas em 20 do mareu t-J3t, aoaalgnadaS a
Patente Vianna.
Alfandega de Perpainhuco, 1 de jaociro de
1873. O inspactor, J-'nMio A. Carralho Brs.
BaHtal n. W.
Pela mspectoria da alfandega ao Mima agen-
cia da companhia que seguroa a cai.va uuic^S E
S 4 C. n. 3,247. vindado Havre u, harta fi^QAia
.s. Un:, eiarada neste porto um. Al u d.ueiqMo
ultimo, pan* vir despnclta-la denthi d i |u;i}p Mp
tres dias, visto ler sido a mesma cauta abandonada
ao seguro, pop Souza Si i C .-ob itoaa de, lindo i
e*te prazo, ser a referida caixa vcuUnlaj sem llie fique competindo allegar contra ua ~
ta venda.
Alfandega de Pernaniboeo, 23 de,
1873'.
inspector,
Fabio Ai-de- arv.rilio He4s.
___________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________'._________________________'.____________________________________ ....'
i:liE iwN.
Pida ins|KXtoria da alfandesase faz pulilico ffc-
s II huras do da 2.R di'v nrente *e ha de ar-
rematar, livre de direitus, porta desta reparticaii.
as rareadorasabaixo declarada abandonadas aos
direitus por Costa Maia A C.
Armazem n: 1
Marca CM. A C. 11. 20. Un caixa, eontendo 96
dvipos de lecidu de la j.-aiiados, no valor d-
'.'6*000 viudo dollavro no vapor iu+dez Jurisl.es-
carregado em 3 de dezembro de STi.
Marca idem u. 22. Una diii contenda 120 cba-
pos de palba da Italia enl'eitadbs. para meninos,
avariados, no valor de 121 UOU, idem idem.
Marea idem n. 21. lima dita conU-ndo 116 ditos
tte dito, no valor de ilOOO, idni"tdem.
Ail'aiidega de Pernambuco, 23 d Janeiro de 1873.
O inspeetar,
Fabio Alexandrino de Cawaio Res.
1-H.l UC, IHIt I
da; sem qi^ ,
, cffeitos des- V.
sjaneij-o de- \^
imku.
ALFANDEGA
Kendimento do dia 2 a 24.
dem do dia 23......
1,112:8825137
52:598*624
1,163:480*761
Deaearreaan hoje 27 de Janeiro de 1873
Vapor inglez-Douro -(esperado) mercader as a
bagagens para alfaudega.
Barca, inglezallermione mercadorias para al-
faudega. .
Barca portugueza -Arabella carvao ja despa-
chado paca o caes do Apollo.
Barca franceza-Granii'/fe-vinbo para deposito
no trapiche Cunba.
Patacho dinamarquez SaraJ A. Holbrook kero-
zene a aduelas para o trapiche Conceicao,
para despachar.
.UTBRAClo NA PAITA DOS HH8COS_ DOS GK.NKRO
SBITOS BiaKlTOS DK RXrOBTA'JO, NA ****
DB 7 DO COBBKNTF. M i" M FBBKRKIRO DE 187.1.
Algodaoem rama ou la 620 rs. o kilo.
Gomma120 rs. o kilo.
Assucar-mascavado 131 rs. o kilo.
Alfandega de Pernambuco, 25 de Janeiro Ue
1873.
Godufrodo.
DE-PArB S DE EXP01VT*CA0 NO DI.\ 24 DE
JANEIRO DE 1873
Pura os poiioa do exterior
Na barca ingleza SerapAi'na, para Breuien,
carregaram : G. Neesen A C- 303 saccas com
22,410 kilos de algodao.
Na barca ingleza ItlaadBetle, para o CanaL
carregaram: S. Brothevi.* C. 000 saceos com
43,000. kilos de assucar mascavado.
No brigue inglez Mergfield, para o Canal,
carregaram :" A llowie 4 50 saceos cora
tf,730 kilos de assucar masca vado.
No prgne allenu Malhdd, para o Canal,
carregou : Viuva Bastos 2^000 saceos cora
130.000 kilos de assucar maseavado.
No naVio inglez iVwifcor.m, para o Canal,
carregou : A. M, etiza Machado 1,220 sceos
mu 91,500 kilos de assucar maseavado.
No brigue mglez Domiw, pira Btieuos-Ayros,
carregaram : ? TSieirO A C. "50 barricas oou
88,205 li* kilos de ^sncar branco 26 ditas
com 30,:t08 Ir2 ditos de dito maseavado.
'K> navio allemao .4. Cath\wia, para o Itio
daPraU. carregaram ; B. O,v,eira 4 C. 40 bar-
ricas com <4,?7 Jultfs de assucar miscavado e 60
ditas com 6,746 rll de dito. -
No patacho llemSo AHw/roei, para o Rio d*
rala, caffegou :' A- Bastos 206 barnaas cor
21,071 kilos de asacar amipvado e W pipa
com 9,600 litros de Ignraenfe.
fio navio alian Alune. i^G^eiuburgft
carranamsa'-. fieHac:-* C 4UW **
couiltuae kflos.
tiara osmwtost tnlaru)r.
para que ninguem explore a increduli-
dade dos ignorantes, pocij-mes que publi-
quen) o urotesto primitivo, cujo-original de-
posito as mos de Vv. 6s. para ser visto
por quem quier.
Por este modo ver o publico que quem
assignou o raiSj ppdia assignar o menos.
Gapunga/* de Janeiro to 18T3.
vjkaiip,
AitQtysU) fraiiAlin Mortlra da Sile.
tis o data ppoto4to:
ItS'i'EMNUO BE ADHE&VO AO LXM. E
REVM. 8H. BWPO DICESAWJ.
Vtm. tjfcvm. Sr. 0^ ababo assi^a
dos, tnewflflos 4o ulero Ae*t my&& e cea-
dentea nostas pklades do Ractia a Oiinria, t-
Ibo obeditrf de V/E ver *MWp solemnameme [$$$* ^88^5553^^3
severajao malvola e falsa do pertodicT-is)**
jnico A Vewmukj o qual em seu n. 6, nao ^"d.
icvi&mWtffo-*'* u -
ticpte\lj)|liMsr em u#i artigo dirigido as
V.W. RVaia. qua a-w-jstswla b ehrf Z
MrMw'Ct^fWmrla'
Os abaxo assisnados. routando a rmio-Tdk
Gtlitnl n. ?.
Pela inspectora da alfandega de Pernambuco
se faz publico, que achando-se as mercadorias
conlidas nos volumes abaxo mencionados no ca-
so de seren arrematadas para consumo, nos ter-
mos do cap. 6* do til. 3 do regulamento de 19 de
setembro de 1860, os seus douos ou consignatarios
devero despacha-las no prazo de 30 dias, sob
pena de, lindo elle, seren vendidas por sua con-
ta. sem i|ue llios fique competindo allegar contra
os elleitos dessa venda.
Armazem n. 1.
Marca M L A C, contra marca L. N. 3487 urna
caixa, vinda de Bordeaux no vapor francez Ama-
zon- descarregada um 9 de Janeiro de 1.872 e con-
signada a Mello Lobo.
Marca triangulo H. L. contra marca L. & V. N.
3232 una dita vinoa do Havre no navio francez
Jean Baptiste, descarregada em 6 de abril do
mesmo anno e consignada a 11. Leger.
Marca VAL. contra marca FN. 3987 urna di-
ta idem dem em 8 idem idem e consignada a Vaz
& Leal.
Marca E A B. N. 6 urna dita viuda de Marselha
no navio francez F. Maria, descarregada em 8 de
abril de 1872, e consignada a E. A. Burle & C.
Marca B S N. 8 i urna caixa, vinda do Havre no
navio francez S. Aor descarregada em 24 de
abril de 1872 e consignada a Bastos & Silva.
Marca W. N. 3193 urna dita idem idem em 30
dem e consignada a II. Leiden & C.
dem. N. 3196 urna dita idem idem idem.
' dem. N. 3197 urna dita idem idem idem.
dem. N. 3198 urna dita idem idem idem.
Mar,ca J W M. N. 9 una dita dem idem consig-
nada a J. Walfredo de Medeiros.
dem N. 8 urna dita idem idem descarregada
em 1 de maio idui.
dem. N. 10 urna dita dem idem dem.
dem. 11 urna dita dem dem idem.
Marca J P L. N. 1 urna dita, vinda do Havre no
navio francez Granville, descarregada cm 23 de
maio de 1872. consignada a J. P. de Lemos.
Marca triangulo II L. contra marca L & V.
N. 3260 una caixa, vinda do Havre na barca
franceza Granville, descarregada em 24 de maio
de 1872 e consignada a IL Leger.
Marca A L R. I?. 1083 urna caixa idem dem om
27, idem consignada a ordem.
Marca J D P B. N. 581 urna dita idem idem em
29 idem consignada a J. de Pinjio Borges.
Rabe,Scliuettau&C. Letreiro. Um einbrulho,
viudo no vapor inglez Al ice dcscartegado em 3 de
Janeiro de 18J2, e consignado a Rabe, Schmettau
&C.
Yaz A Leal. Letreiro. \Im dito, vindo de. Sou-
thampton no vapor inglez Douro, de3cairegado em
29 de Janeiro de 1872; consignado a Vaz & Leal.
Joaquim A. A- & C. Letreiro. Cm dito vindo da
Liverpool no vapor iuglez Student desearregado
em 30 de iaueiro de 1872, consignado a fcaqtum
A. A. A C. 1U ..
Marcj C F & C 31. a ji um dito idata dem
dem, consignado a Keller & C.
Alfandega de Pernambuco. 20 de Janeiro de
1873.O.inspector, Faiib A. tk Carvalho Reis.
Edtalo. NO.
Pela inspectora da Ifaadega se faz publico que
uchandu*sa 9 mercadorias optidas nos volumes
abaxo meeiuuailos ng c^so, do sorom arrema-
tadas para consumo, nos ferinos do cap. o.* do
tit. 3.' do reguJ|Bjhto*e<9tde aatemlmi de 1860,
os seus danos ou consignatarios dpver o despa-
clia las no prazo. de 30 dias, s >b pena de, fmdo
elle, seren Vendidas por sua conta, sem que llie
fique competindo aHejar ca/itra es effeitos desta
venda: i
Amtem a
Marca T G S, sem numero. -- I felxe de vSf
souras. vindg do Porto na barca portugusa So-
Edital il 84.
l'eta inspectora da alfandega urfat publico que,
nFto se tendo ellectuado a venda da-polvura abaixr
ilt'clarada, annunciada loiUio por ifStai^, ns. 71 o
79, se tiausfere, pela tereeira vez, a mesma venda
l>ara as 11 horas do dia 28 do conreine porta
itosta reparticaOj onde ene ntrarao os beitantes
amostra ca referida plvora.
Fortaleza doRurac>>.
Marca diamante T. 120 barris, pesando nquii-
legal 1,692 kikigrammas de plvora, variada, no
valor de i:393000, viudos no patacho inglez
Eclrptie, entrado neste porto cm 2J tte dezembro
do anuo prximo passado, e consignados ordem.
Alfandega de Pernambuco, 24 de-Janeiro de
1853.
O inspector.
_________Fabio A. dC. Beis
Edital n. 85.
Pfcla nspecloria da alfandega se intima aos d .
nos ou consigaatari s das merra'Joriaa-abaixo A-
claradas, para despacha-las dentm do prazo d
tres dias, visto se aeharem as niesmaa mercado-
rias em mo estado, sob pena de findo1 este praz>>
seren vendidas, sem que Ibes fique" eoinpetiudo
allegar contra os effeitos desla venda.
Armazem n. 6.
Marea S. 1 canastra eontendo nozes, consigna-
da a L. de M. Sarniento, vinda do Rio de Janeiro
no vapor inglez Neva,' eulrado eui dezembro de
1872.
dem Serodio. 1 caixa eontendo sanguesug.v.
consignada a ordem, vinda de Bordeaux no vapor
francez Mendoza, entrado em 10 do corrente.
dem J P F-2 caas com batatas e castanhas.
consignadas a Jos de Souza Barreno*, viudas no
mesmo vapor.
Alfandega de Pernambuco. 24 de Janeiro a>
1873.
0 inspector;
Fabio A. de C. Seis,

Edital n. 86.
Pela inspectora da alfandega se faz publico que.
nao se tendo effectuado a venda. annunciada por
editaes ns. 74 e 78, de tres escaleres inntilisados,
destinados ao servieo externo da guarda-mora,
se transiere a arreraatacSo pela tereeira vez, dos
mesmos escaleres, para's 11 horas do dia 28 do
correle, porta desta rqiarlicao.
Alfandega de Pernambuco. 2i de Janeiro i<
1873.
O inspeetor,
__________________Fabo A. de-C. Reis.
Kdltal a. 99.
Pela inspectora da alfandega se-faz publico qne
Oca transferida para o dia 2'J do eorrente a ter-
cena e ultima praea da plvora annunciada i lei-
lo por cdil n. 81 de 22 deste muz, alim de que
poss ter lugar nova vistura que se vai proceder
na mesma plvora.
Alfnndega tte Pernambuco, ?4 de Janeiro de
1873.
0 nspectoc,
Fabio Alexandrino frfrjrtalho Re*.
DECLARAC8E1
Eseda fcml.

- P^iaaAraca* hiata imikita 4T-%4MiP. 4(niefadb>m Wde Jumo de 1W1, con
NauESvww *> >'ajo bsnWi 4tuto (toma los* dbs Santos Callado.
BSi
_0RlAl
rafeas. as-ncar reaado ; "HoMelf. > JUn
i^ ^^ iaa iii^ ii dito i. Sxttt
ldiaas a>dft*Wraa1o, .ca*e<>m
^ri doce, e 100 pares de tamaacoe ; M. Y
"Marca A G C, sen numero. 1 c ixa viuda de
aera.I vohit
me de ferra, vtBjJwteUwrrpool aa barc^ injteta
w'^Mv**), ^fertrtjy1 om 30 da uMbro de
MarcalMiinuteM.-^ftcaixss, vadas
da Ijba de Ojfeuel napacboportugiw alt
Faz-se publico a quem interessar possa que. **
matriculas desta escola abrem%se no dia 13
eorrente e encerram-so no flm do mesmo ,;:
devendo os que se quizerem matricular no 1* a nao
apresentar:
1* Certidao de idade maio' d '.6 annos.
2* Certidao de que sae-ler, %screver e conta.-
3 Certidao de nao ter si lo c mdemnado por
crime offensivo moral ou religiao do estado.
E para que chgue ao conhecimanto de toas*.
mandoU o Sr. Dr. director lavrar c publicar o
presente.
Secretaria da Escola Normal de Pernambuco,
40 de jaaeiro de 4*73. i --.~r-
Ajues do Albaqucrque Gama
_______ Jactetaro.___________
De ordem do Hliti. Sr. inspector da tnasour
raria de fazenda s fV mullico para conheciiueni
de quem interessar, que no dia 29 do correte es-
tar novamente em pra;, para sor arrematad'
por venda e a quem inaior lanco offereter o pro-
prii nacional dooomiBade Calabouco sito ama
desse noine, por datraz do quartel de polica .
sendo este proprfe aiBanHniem terreo cun 84 12
pabnos de freat' e 86 li palillo de fundo, scr-
vindft de basa a aireuiaWicio a quaatia up 2:2Vla
j otereciJ
Os. pretendantes podarlo eompaxacer ua refcrid.i
ieaouraria m> uta. ua arreui Ucao a 1 hora aa
tarde, e antes dissv a iinalquer hora de seu expc
diente para proejisar esclarecim'-
Secretaria 'daipiesoaA ^bflfajfcd de Pe-
nambueofem 24 de iauairo de m 3
m Seh^-etaaor,
_______ Mapoel Jos Pinto.
"De ordem do Han.' r Dn. hirertor ^eral
interino tato consUr a A^ma Carolina Cesar I*
:da Pedra
H*a nvo-

i.
interino faro
nomeadajat^a cWi'jia da
fio, %


Segante

SANTO ANTONIO,
EIPRI3HUXHTE.
Terca-fera 18 e Janeiro k 1873
preseiar-se-lu, o grande o apparatoso drama
martimo em I pwtogo- e"4 actos :
O NAUFRAGIO
FMGATAMEDUZA.
(Jomecar as 8 \\i horas,
CONCERT
\W;\L E MSTII.l!IEAL
9e trr lugar e^taa-felr* 31
Jeja
r janrii-o
EM OLINDA
QUE
NO GRANDE SA1J.O A ANTIGA CASA EM
nmcciasou a academia.
Neste concert temario parte o artista baixo
1'iiovani Scobrt, a Sra. Magdalena BrHcionf, os
Srs. maestro Pope e sna senhora e e Sr. Henrique
Jansen.
Bilhete Reentrada 2J060
Depois do concert partir douro um tremexpressoe servir de conduccao
sos concurrentes.
Na vespera
rrogramma.
4 espectaculd ser publicado o
4VIS05 MARTIMOS
Real
mora do
tocando nos portos
Montevideo.
ixMfittiilitt ile paquetes
agliese* a vapor.
Al o ia 27 do
corrente, espera-se
da Europa, o vapor
iiglez Douro, com
mandante Thwaits, o
qual depois da de
costiime, seguir para Buenos-Ayres,
daBahia, Rio do Janeiro
No da 28 do crreme, espera-se dos portos do
sul, o vapor ingle* Boyne, commandantc Recks, o
qual depois da demora de costume, seguir para
Southampton, tocando nos portos de S. Vicente e
Lisboa.
Para passagens, frotes, eto : trata-se na agen-
cia, ra do f.ommeroio n. 40.
COMPAlrA PERNAMBIXANA
- DE
Viuesarao costeara a vapor.
HAalKGOAPB.
O vapor Coruripe, com-
mandantc Suva, seguir para
o porto cima no dia 28 do
corrente, as 5 horas da tarde.
Recebe rga, encommendas,
passageiros p dinheiro a fro-
te ateas 2 horas da urdo do (lia da sabida: es-
rfiptorio no Forte do Mattos n. 12.
COMPANHIA PERNAMBLCANA
DE
avcgac&o costeira a vapor.
MACE1, ESCALAS, PNELO E ARACAJU*.
O vapor Giqti
commandante Martins
.Jb^4v
f wmw&
soguira para os por-
tos cima no dia 31
do corrente, as o lio
r is da tarde.
Recebe cargante o dia 2, encommendas at o
dia 30, passagens e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da sabida : escriptorio no Forte do
Mattos o. 12.
COM I'A NIIIA PERN AM BUCARA
DE
lavegneAo coatrira a vapor.
PAIUSYBA, NATAL, M.VC.O, MOSSOUO', ARACA-
TY, C.KAI, MASDAlIl', AC.iRACtl' E GRANJA.
O vapor Ipmuca,
c:nnmandantc Mou-
ra. seguir para os
pinos acuna no dia
31 do corrente, as 5
li res da tarde.
Recebe carga al o dia 2!), encommendas at o
dia 30, passagens e dinheiro a frete at as 2 horas
da tarde do dia da sabida : escritorio no Forte do
Mattos n. 12.
CLAUDINA
Para o Porto
Seguir coni a maior brevidade possivel a ve-
leira e bem eonhjcida barca portuguesa Claudi-
na, por ter parte da carga engajada : para o res-
to e passageiros, aos quaes ollerece exccllentes
eommodos: trata-se com'Cunda Irmos 4 C. ra
da Madre de Deis n. 34, ovi com o capitao, na
1 iraca.________________________!_______
Para Kia-iiramlp do Sul.
Francoln.
l'ara o referid} porto reosbe carga trete o
patacho brasileiro Francolim : tratar com os
se s ignateonsarios Amorim limaos & C.
LEILAO
, DE
UO presantes para flathrr.
Terca-feira 28 do correle.
O agente Peetaua far leilo por conta e risco
de quecn pertencer, de 60 presuntos para fiambre,
e serio vendidos em um ou inais lotes, terca-feira
28 do corrente, s i 1 horas da manh, na porta
do armaiem do Aanes, defroate da alfandega.
LEILAO
DE
uout caixa marca P V, contra marca R, a.
8,565, coittendo 50 duzias de botinas
para senhoras, avarjadas d'agua do mar,
vinda pelo vapor inglez Gassendi.
Terca-feira 28 do corrente
V* O hars do da.
Por conta e risco de quem pertencer
Por intervengo do agente Pinto.
Era seu escriptorio, ra do Bom Jesu* u. 43.
LEILAO
DE
100 cunhetes de aro em verguinlias, ave-
riado.
TERCA-FEIRA 28 DO CORRENTE.
* a 1 hora cita poni.
O agente Pinto fara leilo, por conta e risco de
quem pertencer, de 100 conhetes com ac em
verguinbas, avariado d'agua salgada, viudos de
Liverpool no navio inglez llutk, existientes no ar-
mazem n. 92 da ra de Domingos Jos Martins,
aatiga rna da Senzalla Velha, aonde se cffectuar
o leilo, no dia e hora cima mencionados.
LEILAO
DE
1080 caixas com 2160 latas com gaz ava-
riado, 'sentlo ; marca C & M 200, trian-
gulo PC I 600, e idem A 280.
Quarta-feira 99 do carrate
A's 11 horas da manh.
O agente Pestaa legalmente autorisado far
leilo, por conta e risco de quem pertencer, de
1080 caixas com gaz avariado, vinds de New-
York na barca ingleza Ouk Pvint, arribada com
agua aberta S. Thomaz, e ltimamente de S.
Tbomaz para esto porto, no tingue inglet Floren-
ce, rhegado em dezembro de 1872, cujo leilo se-
r foito em presenoa do Sr< cnsul dos EsUdos-
Unidos, e de um empregado da alfandega, para
isso nomeado, no armazem alfendegado do baro
do Livramento n. 2, ra do Brum, no dia ci-
ma quarta-feira 29 do correante, s 11 horas em
ponto.
Para o" Para
vai cahir at o dia 8 de fevereiro a barca portu-
gneza Arabella, de 1" elasse, tem tres partes da
arga prompta, e para o resto que fhe falta, tra-
ta-se com Ferreir. de Almeida & C, ra da Ma-
dre de Dos n. 36.
Para
Seguir em poicos das o patacho portuguez
Adelina; para o resto da carra trata-se com Pe-
reira Viannafe C, ra do Vgario n. 11, pri-
mero andar.
BAHA
Vai sabir com (neos diat de demora a polaca
italiana Sara, podando reeeber aiguma carga, por
-4*o, qaem desejar car regar pode entender se com
o consignatario Joaqun) Jos jincalves Beltrio, i
rna do Commereio n. 5
LEILOES.
\ LEILAO
DE
5i saccas com arroz, marca F C & C, ava-
riado com agua do mar.
HOJE
O agente Pestaa far leilac, por conta e risco
de quem pertencer, de SI saccis com arroz ava-
riado com agua do mir, viudas de Liverpool no
vapor Gassendi, entrado neste porto no corrente
mez, e serao vendidas no armazem do Annes, no
dia cima s lljnras da mana.
DE
urna grande propriedade na Porta d'Agua,
em .Apipucos.
OBSTANDO DE :
Urna casa grande de pedra e cal, beira da es-
trada, com 31 afinos de frente C 35 de fundo,
com grande terrerfo e boa baixa de capim.
Urna olaria para temas e tijollos.
Urna casa torrea m fronte da primoira, com io
palmos do frente e 63 de fundo.
Una dita pequea que serve de cochoira, com 19
palmos de fronte e 43 de fundo.
lina dita do 12 palmos de frente e 3o de fundo
Urna dita com 12 palmos de frente e 3o de fundo
Urna djta sem ropartimonto, cem a mesan frente
e fundo.
Urna dita dita, com um quarto fra.
Urna dita dita, com 22 palmos de frente e 49 de
fundo.
Urna dita dita, com 19 palmos de frente e 49 de
fundo, todas edificadas em chaos proprios, ao
lado da levada.
(UARTA-FEIIU DE FEVCREIBO
Ao nielo dia.
O agente Pinto levar leilo, lora do dia
cima dito, e em um s lote, toda a propriedade
cima dita, sendo : cerca de 8 nonas partes por
mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de dircito privativo
dos orohos, em virtude do reqnerimento da viu-
va de Joaquim Pires Carnero Montoiro, tutora de
seos lilhos ni'iiores. o cerca de una nona parte
por autorisacao do procurador bastante, do hor-
doiro que s acha ausente, o bacharel Augusto
Canieiro Monteiro.
Os pretendentes podero examinar desde j a
dita propriedade, i qual se torna reconiniendada
pela sua posico, i'iit-.'iidnndo-se com o mesmo
agente, e eoneorrendo ao leilo que deve ter lugar
no eseriptorio d ireferfdo agente, ra do Bom Je
sus n. 43.
Contra protesto,
Honriette Monteiro devidamento autorisado pelo
juiz de orphos, requereu a venda das partes da
propriedade Porta d Agua, possuida por seu casal.
Ao annuncio da venda, oppoz Symphronio Oliym-
pio de Queiroga o aviso publicado no Diario n.
283 de 11 de dezembro prximo passado. J de
outras vezes Olympio tem feito iguaes avisos aoque
se Ihe tem respondido.
Esta a resposta que anda agora reproduzimos.
A viuva e filho do tenente coronel Florencio
Jos Cameiro Monteiro contestam o aviso do Sr.
Symphronio Olympio de Queiroga, publicado nos
Diarios de 20 e 2J do corrente declarando : !.
que o Sr. Symphronio nao tem dominio pleno no
terreno que se refere, pertcncente ao sitio* da
Porta d'Agua do Monteiro, mas somente direito ao
fro, que por esse mesmo terreno pagava o finado
Florencio ultima administradora do vinculo do
Monteiro : 2.* que esse foro tem sido recolhido ao
deposito, para ser levantado pelo Sr. Symphronio :
3 que a aeco por elle proposta pelo juizo muni-
cipal da i.* vara, com o fin de converter o afora-
ment existente em arrendamento, depois de con-
testada, ficou ha maisde lOannos parada, a espe-
ra tal vez do resultado da outra accao (concernente
ao terreno contiguo em idnticas circumstancias),
proposto pelo juizo municipal da 2." vara, e que
ainda pende de deeiso dos ltimos embargos de
dcclaraeo do mesmo Sr. Symphronio ao accordo
do egregio tribunal da relaco, que julgou milla o
incompetente a mesma accao : 4,* finalmente que
a circumstencia de estar em litigio o referido ter-
reno, nao priva o 2. contestante de poder vender
as partes dos de mais terrenos e das casas que tem
no sitio, nao sngeitas a litigio. ,
Convem, porem, accrescentar o seguinte :
Os ttulos, pelos quaes possuia meu finado mari-
do, e outros herdeiros do tenente coronel Floren-
oio Jos Cameiro Monteiro. o sitio da Porta d'Agua
sao escripturas authcnticas, que exstem em poder
do Sr. agente de leiles Francisco I. Pinto, e que
podem ser vistos pelos concurrentes.
- Quanto aos foros devidos, requereu meu marido o
o deposito, e se efTectuou o dos ento vencidos des-
de I de agosto de 1838 at o ultimo de julho de
1864, rzo de 6 400 rs. Oslos outros annos,
deve igualmente ser recolhido deposito na thesou-
raria, o qual deduzido do producto da venda e re-
colhido a deposito garante o direito de quem quer
que a elle se julgue com diroito, e em favor, de
quem for ordenado o levantamento, visto que para
elle passa a disputa, como de lei.
!fada pode, pois embargar venda annunciada
Sr. Dr. juiz. especial o^HiunercJo, Icwr M
lio os bens acha altos pertenceates *-mss Tul-
lida de Joaquim Svcrw de Souia C
O lcflao ser eMpetuado s 11 netas do dia
quart-eii& S*o lovereiro, em o scriptorio do
referido yeote. ^^
LEUiO
DE
veta, lowea e rrvMtaeM.
SENDO:
l magnifico piano de Beisolet ftls & C, I rica mo-
Wia de Jacaranda a Luit XV, 2 estantes para
msicas, 2 guarda-roupa de moggo, 2 ditas com
espelho, 1 leito para casal, 2 bidets com tarapo
de nedra, 1 lavatorio com pedra marmore, 1 es-
pelho, 1 mesinha com tampo de pedra, 1 dita
para jogo, 2 camas de ferro, 1 cadeira para as
seio, 1 cabide, 1 par de escarradeiras de por-
celana e jarros, tapetes e lustro para gas.
Paviatemto terreo.
1 mobilia americana, i secretaria, I estante, 6
caixas com instrumentos cirurgicos, 1 machina
elctrica, 120 volumes impressos (medicina), com
estampas, 1 relogio, 1 machina de castura, 1
costureira. 1 guarda louca, 1 aparador, 1 mesa
elstica, 24 cadeiras de guarnicao, 1 apparclho
de porcelana para cha, 1 dito para jantar, 1 na-
nheiro do folha de Flandrcs, copos, clices, gar-
rafas de crystal, trem de cozinha e 1 grande fo-
gao de ferro e outros pertenecs de casa de fa-
milia.
SABBADO, 1 DE FEVEREIRO.
Por autorisacao do Sr. Dr. Jacintho Soares Re-
bello, que seguio para corte, o agente Pinho Bor-
ges, vender em leilo todos os objectos cima de-
clarados, existentes em Ponte d'Lchoa, no predio
confronte ao palacete do lllm. Sr. Dr. Augusto
Frederico de Oliveira.
A's 10 1/2 horas da manha partir da estacao
do arco de Santo Antonio um trem, alim de con-
duzir gratis os concurrentes do leilo"',o qoal prin-
ciniar denois da chceada do mesmo.
Fuga de escravos.
Bvadiram-se o dia 20 do corrente, do engenho
Bento-velho, da freguezia de Santo Antao, os es-
cravos segu ntes : E equel, pardo, Jos, preto,
No, preto, Jorgo, cabra, Martinho, acaboclado o
Sabino, mulato, todos imberbes, a excepeao de
Jorge, que tem pouca barba, representando terem
de 16 a 21 annos de idade. Os cinco prmeiros
escravos foram comprados em dezembro prximo
Eassado ao major Jeronymo Theotonio da Silva
ourei o, professor em Paje' de Flores, sendo
Ezeipiiel e Jo4 de sua posse, Jorge e Martinho
por procurarlo do Dr. Levino Lopes de Barros,
morador em Cabrob, e No por procurarlo do
Sr. Antonio Loite da Silva, morador em Caruar.
.-anio fui comprado ao Sr. Thoina. de Carvalho
Sooros Brandio, morador nesta cidade. Rogamos
a todas s autoridades da capital e do centro da
Srovincia, onde apparecerem ditos escravos, se
ignem segura-los, e promettemes boa recompen-
sa a quem os capturar e levlos ao referido en
[gento, ou der delles noticia.
AVISOS DVERSQS
Irmandade de S. Josd'A-
gonia.
De ordem da mesa regedora convido a todos os
nossos irmos a reunirem-se em nosso consistorio
no dia 27 d corrente, pelas 4 horas da tarde,
para em mesa conjuncta resolver-se sobre as-
sumpto grave, que diz respeito a todos.
Secretaria da irmandade de S. Jos d'Agonia, 23
de Janeiro de 1873.
Manoel Pereira Camello Tessoa,
Secretario.
No Caxang.
Prccisa-se alugar urna casa pequea no lugar
cima, que (iime perto do rio e da estacao : a tra-
tar na ra estreita do Rosario n. 3, pharmacia
Oriental.
Alug.i-se
i sala e alcova do 3 andar, e parte do
obrado o 70 a ra Daine de Caxi^s :
i loja.
sola i di
a traiar
i:\
Vende-se o engenho Velloso na margem do rio
Mamanguape, as seguintes condicoes :, varzea
siifliciente para safrejar do 2 a 3,000 pues de as-
sucar, sendo mais de metade de matto grosso e
parte terreno de aguar; arisco para plntar-se
rocas, feijo e o mais necessario para o costeio
um cxccllente cercado, feito quasi toda a cerca
no corrente anno ; tem elle bastantes baixas, on-
de pelo vcro.pode-se botar agua para refrescar ;
um segundo cercado natural onde pelo invern
pode se ter de 80 a l'io bofe ; rafees de canna,
planta, soca e rissocas para mais de 2,00) pes
de assucar, todas tratadas convenientemente ; ro-
cas velhas, etc.
Tem o engenho um excellente porto a poucas
bracas dos armazens, por elle passa todo com-
mereio de Mamanguape.. quer feito por barcacas,
quer por vapor.
Quanto ediflcacao nao de primeira or-
dem ; porm segura, de gosto e oommoda, ma-
o a maior parle feita de tijollo. O que precia-
se em um engenho nclle se eucuntra. o dia^pae
concluir a safra, tica acontado para a seguinte.
Faz parte do engenho metade da matta deno-
minada Carapucema, ende sao consenhores
os Srs. tenente-coronel Bruno e capito Jos Pon-
cian ; mais a terca parte da Matta de Japn-
g, onde tem mais de una legua de extenso.
Advertc-se que sendo a venda feita em parte
para pagamento de credores, vista, ou cousa
que isto valha.
A venda comprehende tambem bois, animaos
de roda, carros e o mais que so convencional-.
Quem pretender pode apparecer np mesmo en-
genho de Janeiro de 1873 em diante a tratar com
o abaixo assignado e nao antes, por ter de seguir
para a comarca do Inga, onde vai residir.
De fevereiro em diante ficain encarroados de
seus negocios particulares os rs. capitao Fran-
cisco Ivo d' Andrade e Dr. Benjamn Franklin de
Oliveira e Helio; para este lim licaro elles com
plenos poderes.
Mamanguape ,8 de novembro de 1872.
______ Augusto Carlos.
-se
urna casa pintada do novo, no Monteiro junto do
sobrado grande : para ve-la, as chaves esli na
taverna do *r. Nicolao. Aluga-se tambem o 2*
andar do sobrado u. i 4 da roa do Torres do bair-
rojdo Recite, prximo da praca do Corpo Panto
a tratar u ra do Imperador n. 57, 1* andar.
Trocos
Na ra do Rangel n. 7, troca-se cobre por se-
dulas, nao menos de 50J : quen quizer all pode
apparecer.
FESTA DO P0C0
ESTRADA DE FERRO
DO
Recife a Caxang.
De 23 at o fim do corrente mez nos dias
uteis ha ver um trem do Recife, s 5 horas
e 40 minutos da tarde para o Caldereiro,
donde voltar s 9 horas e 25 minutos da
noute, tocando em todas as estacos inter-
mediarias.
Escriptorio da companhia, 18 de Janeiro
de 1873.
R. C. Dalterbe,
Gerente.
Vistes ? olhaelle!
Segundo sem rival, Sr. Cazuza I cuidado, sen^o
a 1 ja vai embora ; ser nos pastoris I eu nao
sei, elle contina, ado bom, cautella.
O frisa esquerda.
No engenho Jacar, da comarca de Naza-
reth, contina a precsar-se de um fetor de cam-
po, nao se repara nacionalidade, paga-se bem :
quem estiver nestas condicoes dirija-se ao mesmo
engenho, ou a casa dos Srs Leal & Irmo, ra do
Mrquez de Olnda n. 36, 1. andar.
Precisa-se de urna ama : na ra do Cres-
po n. 7, loja de miudezas.
Ao publico.
Quem leu o meu annuncio publicado nos Dia-
rios de 11 a 14 de dezembro do anno prximo
passado, c 1er o contraprotesto que ao mesmo
annuncio oppoe agora a Sra. Henriett Martins,
ver que ella longe de destruir- o que alleguei
em dito annuncio, mais forca lhe d, p is confes-
sa serem meus o terreno e a casa da porta d'a-
gua, que me deve muitos annos de renda do
mesmo terreno, nalmente que existiam e ainda
existem em juizo, accoes para desapropriar as
bemfeitorias existentes "no terreno.
Nao exacto ser foreiro o'terreno em quest,
porque antes de pertencer-me por compra que
liz aos herdeiros da administradora do vinculo
do Monteiro, fazja parte do dito vinculo, e o seu
administrador nao podia aforar.
As rendas nao recebi nem fui intimado para
ver recolhe las ao deposito : alm de que, a ren-
da que a Sra Henriett tem de pagar-me de
250f000 por anno, e nao de 60400 como erra
llmente allega em seu contraprotesto.
Nao sei qual a lei que me obrigue a vender o
meu terreno contra minha vontade por oxisli-
rem nelle bemfeitorias de outrem, quando ao con-
trario sao as bemfeitorias que esto sugeitas ao
solo.
Admira-me a facilidade com que a Sra Hen-
riett, declarando ser o terreno meu, expoe-no
Kenda como seu.
Ser sectaria do communismo ?
Contino a oppor-me a tal venda, e protesto
haver da Sra. Henriett, ou de quem quer que
comprar taes bemfeitorias e terreno, nao s as
rendas vencidas e por vencer ao proco de 2500
por anno, como est, declarado na aeco propos-
ta, seno tambem todp e qualquer prejuizo que
me possa resultar da mesma venda,
Syphiouio Olympio de Queiroga.
LEILAO
DE
-urna caixa com chapeos e urna dita com
miudezas (ambas a variadas.)
Terea-feiVa 9dW- corrate.
A'S 10 HORAS DA MANH
O agente Pinto- fara leilo, por autorisacao do
Sr. gerente do con miado de Fiaaca, em presenta
de seu chancelier e por coate e riseo de quem
pertencer, deumi cixa marca C4M n. 108,
ortendo chapos avariados bordo do vapor
Jraucez Juritt, e orna dita ma-na P. S. & C, A. L.
n. 1833, contendo nimlqzas avariadas bordo do
.vapor Iraneez Meniozu. O leilo ser effectuado
no dia e hora cima mencionados, no eseriptorio
do referido agente, a ra do tem jess n. 43.
LEILAO
DO
sobrado de 2 andares n. 16, em chaos pro-
prios, na Travessa dos Expostos.
Ouarta-feira 5 de fevereiro
s 10 horas.
Por intervengo do agente Pinto.
Em seu escriptorio, rna do Bom Jess n. 43.
Atten^o.
Gratica-se com 8000 a quem entregar ou der
noticia de 2:8OO0,que foram hontem das 5 para 6
horas da tarde perdidos desde a renaco do pa-
teo do Paraizo at casa do Sr. Luiz Corroa
Duarte, na ra Duque de Caxias, antiga ra das
Cruzes em seguimento ra de S. Francisco, ra
do Imperador, travessa do bilhar dos arcos ao
sahir no caes onde a estacao dos trhos urbanos
ao Caxang, pela ponte 7 de Setembro, caes do
Apollo ate o largo do chafariz, ra do Brum, onde
mora o abaixo assignado, cuja quantia eslava em
duas notas de 5000 do governo, 1 dita da caixa
filial do banco do Brasil, 3 notas ou 4 de 2000,3
ou 4 de 1000,-3 de 500, sendo dnas do governo e
1 amarclla do mesmo banco do Brasil, e mais ai-
guiiias sedlas de 10, 20,100 e 200 : pede-sea
qualquer pessoa a que n forem dadas a trocar, o
favor de ver as costas de urna das notas de 5000
do governo que tem escripto-Receido de Silva
& Alves 7350640, outra sodula de 5000 do banco
do Brasil tendo escripto com tinta de escrever
5010 na face da nota em lettras grandes para se
differencar das de 1000 do niesmo banco, outra
de 500, 4* estampa, tambem tem escripto rece-
bula ou trocada pelo moco que comprou o saque,
urna outra de 500, 4* estampa, ambas do governo
c de u 6,966 ou 6,696, tambem est escripia as
costas.
_____________Manoel dos Santos Villaca.
Alvaro Augusto d Almeida Mello declara
a seus fregu os que o Sr. Caetano Mancio Bote-
lho deixou de ser seu caixeiro desde o dia 21 do
corrente.
Leilo
DE
Duas casas terreas de pedre e cal na povoa-
q&o do Mello, da provincia da Parahyba
do Norte.
Duas ditas na Baixa Verde, dest provincia.
Urna pequea fazenda de gado em S. Bento,
neeta provincia, com raeia legua de Ierra,
' toda cercada, e 50 cabecas de gado.
QUARTA-FEIRA 5 RE fETERRO
s 11 horas.
D agente Pinto cumprindo mandado dollhn-
. Monte Pio-Portuguez.
De ordem do film. Sr. presidente do conselho
fiscal deste Monfc-Pio, sao pelo presente convi-
dados os demais Srs. funecionarios do mesmo
conselho, a reunirem-se no, lugar do eostume,
quarta-feira 29 do corrente mez pelas 6 IrJ ho-
ras da tarde, atim de ser apreciado o balance-
te das cuntas relativo ao trimestre de outubro
a dezembro de 1872; assim como o memorial
que o acompanhou, enviado pela iUustrissima
directora.
Secretaria do Monte Pi Portugus em Per-
na' buco, 27 de Janeiro de 1873.
Jos da Silva Rodrigues,
!. secretario.
Precisa-se de batedores de assucar para a
refinacao do largo do Arsenal n. 8.____________
COMPANHIA
DOS
TRILHOS URBANOS
DO
Recife Olinda e Beberihe.
Compra de solipas.
No escriptorio desta com-
panhia, comprase constante-
mente a procos razoaveis,
solipas de oticica e sapu-
caia, das seguintes dimen-
soes : comprimento 10 pal-
mos, grossura 9 pollegadas,
gfossura 4 ditas.
Contrata-se com o abaixo assiguado na esta,-
cao da roa da Anrora.
-Estrada de ferro de Olinda, 23 de Janeiro
de 1873.
0 gerente interino,
Laurentino Jos de Miranda.
Precisa-te alngar unta escrava qartaadeira!
na ra da Palma n. 68.
Para cozinhar.
Prccisa-se alugar urna ama", forra ou cap-
tiva, que saiba co/.inbar o. diario de urna
casa de pequepa familia. Trata-se na ra
do Capibaribe n. 40.
Msica
Vocal e instrumental.
Manoel Augusto de Menezes Costa, tendo-se des-
pedido de professor da cadeira de msica do ar-
senal de guerra, propoe-se a tomar alumnos de
ambos os sexos para leccionar, tanto em sua casa
como as em que for convidado. Tambem se en-
carrega de leccionar c ensatar a bandas de msi-
cas militares, ou de aiguma soeiedade particular,
tendo a seu favor a ionga pratica de 2b annos de
ensino, que Ins tem conferido os meios mais con-
ducentes para o rpido adiantamento de seus dis-
cpulos, como bem patente ao publico : quem se
quizer utilisar de seu presumo, pode dii igir-se
ra Augusta n. 187, 3 andar._______ _______
Escrava fgida
Contina ausen'e desde o dia II de dezembro de
1872 a escrava Manuella, negra, de idade de 45
annos, estatura baixa, com urna orelha radiada,
pelo que nao pode pendurar br neos, falta de den-
tes na frente, ps grossos e com signaos de cravos
as pmitas dos dedos ; levou vestido de chita es-
cura e chale de la com riscas de cor ; fui com-
prada a alguns n ezes ao Sr. Francisco Jos Go-
mes, desta cidade : quem a capturar queira le-
va-la ra da Cadeia n. 6, ou na Capunga, ra
da Ventura n. 10, que se gratificar.
Jardineiro
Precisa-se de um jardineiro de idade, que tenha
bom comportamento para trabalhar em um peque-
no jardim, e que se sujeitc tambem carregar co-
modonas da ra Imperial a ra Dircita n. 104.
Aluga-se o primeiro andar c soto do so-
brado n. 25 da ra de Santa Rita, estando elle
em bom estado : tratar na ra Duque de Caxias
n. 44.
Collegio AscencodeMaria.
Mara Felismina Pinto, devidamente habi-
litada pela directora da instruc(;o publica,
ha montado na freguezia da Boa-Vista, ra
Imperatrizn. 37, um collegio sob a deno-
minacodeAscensao de Mara,tendo por
fim dar as meninas a mais apurada educarao,
quer pela instruccao moral e religiosa, quer
pela instruccAo litteraria e scicntifica, oceu-
pando-se no quefr relativo a formar urna
boa mai de familia.
Joaquim Pereira dos Santos, agr
dece do intimo d'alma a todas as
pessoas que se dignaran acompa-
nhar ao ccrnjterio publico os restos
mortaes de sua mui presada e sem-
nre lembrada esposa, Marcelina de
Oliveira Santos, e de novo roga-lhes o obsequio de
assistirem a missa que por alma da mesma finada
se ha de celebrar na igreja do Carmo, s 8 horas
da raanhaa do dia 27 do corrente.
.*; h v
-"-
i.,*-**> i
Joaquim de S Lopes Fernn
des agradece do intimo d'alma
a todas as pessoas que so digna-
ran acompanhar ao cemiterio pu-
blico os restos mortaes de seu pre
sado irmao, Jos de S Lopes Fer
nandes, c de novo roga-lhes o obze-
quio de assistirem as missas de stimo dia que por
alma do mesmo finado se ha de celebrar na igre-
ja do Espirito Santo, s 8 horas da mauh do dia
29 do corrente.
I'in amigo do fallecido Jos de
S Lepes Fernandes manda rosar,
terca-feira 28 do corrente, nina
missa pelo repouso eterno de sna
alma, na igreja do Espirito Santo,
pelas 7 horas da manha, pedo aos
seos parentes e amigos a assistirem
a esse acto de caridade e religio.
Precisa se alugar urna prota para vender
bollo : tratar no pateo do Carmo n o7.
Escravo fgido.
Contina fgido o escravo Luiz, que tem os se-
guintes signaos : 22 annos de idade, pooco mais
ou menos, estatura regular, pardo, barbado, ca-
bellos carapinhos, rosto redondo, tem urna per-
ita inchada e [levou roupa de enibarcadico.
Prosume-se que esteja no engenho Sant'Anua, em
Santo Amaro de Jaboato, onde tem parentes. Pc-
de-se a todas as autoridades policiaos c capitaes
de campo, que o approhendam e o condusam
ra do Baro do Triumpho, antiga do Brum, ns.
92 e 94, que serio generosamente gratificados.
Sitio para alugar
Ainda aluga-se o sitio do fallecido Rios, no prin-
cipio da estrada do Hospital portuguez n. 1, onde
sempre parain os bonds, com mitos arvoredos de
ructos, baixa para plantacoes, viveiro de peixe, e
casa de azulejo com bastante commodos para gran-
de familia ; os pretendentes dirijam-se ao mesmo-
sitio para ver, e tratar na ra de Santa Thereza
n.oOj___________________________________________
Precisa-se de um menino de 12 a 14 annos
de idade, para caixeiro de taverna. com pratica'
ou seni ella : na ra das Nvinphas n. 4.
Na ra estreita do Rosario, sobrado n. 35,
fornece-se comedorias para fra ; algumas pes-
soas que nao tiverem porlador manda-se levar em
suas casas, e as horas que determinaren), serlo
bem servidos, pois ludo se faz com asscio e>com-
niodos procos.
Aviso aopovo.
A commissao encarregada de executar as deli-
beraeoes tomadas pela assembla soberana do no-
vo maconico, tem resolvido fazer chegar s maos
do L'xin. Sr. presidente da provincia, no dia 28 do
corrente, a representaco que vai ser dirigida ao
poder executivo, protestando e pedindo providen-
cias contra os abusos e attentados praticados pelo
Sr. bispo e jesutas aqui residentes.
Convida-se a populaco desta cidade, bem como
todas as sociedades benefieentes, artsticas e lute-
ranas, e r .daccoes de jornaes, para que encorpo-
rados todos nos dirijamos palacio, alini de fazer
entrega ao Exm. presidente de dita representaco.
O ponto da reuniao ser o paleo da igreja do
Corpo Santo, na freguezia de S. Fr. Pedro GoBOjal*
ves do Recife. a c meio dia.
Avisarse
a quem der noticia da escrava Guilhermina, que
foi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos San-
tos, e depois comprada ao Bario de Naiareth, re-
presenta ter 25 annos, tem (alta de dentes na
frente e as maos com cicatrizes de queimadura de
gaz, secca do corpo, mnito regrista, que desappa-
reeeu da casa de sobrado n. 26 da ra dos Coe-
Iboe, que ser generosamente recompensado.
Hotel da Independencia,
ra do Imperador n. 3t, precisa-se de um copeire
pafea^aebem._________ ;: _______
J0A0 MOREIRA DA mVA BRAGA
tem urna carta na loja da ra da ImperatrizJ
O. 56.
Mudanza
Francsco Antonio de Albuquerque Mello mu-
dou seu estabelecimento alfandegado de rccolher
algodo, no caes do Apollo ns. 73-75, por estar
em concert, para o lado do arsenal de guerra nu-
mero 3.
Irmandade das almas da ma-
triz da Boa-Vista.
De ordem do irmo juiz convido aos nossos cha
rissimos irmos para eompareeerem no dia 29 do
corrente mez, pelas 6 horas da tarde, em nosso
consistorio, afim de en mesa geral deliberarnos
sobre a sentenca de interdiccao que foi lancada i
mesma irmandade, viste j se aenar em disenssio
a mesma materia e nao se ter concluido, visto no
acto da votaco ter se retirado alguns irmos pre-
entes, o que dea lugar a flear adiada a discussio
por falte de numero legal.
Consistorio em mesa geral, 24 de Janeiro de
1873.
O escrivio
Francisco das Chagas Peitira.
Precisa-se de um criado que saiba cozinhar
para casa de homem solteiro : na ra da Caraba
do Carmo n. 21, -1" andar.
Urna casa para alugar, com 2 pequeas sa-
las, 1 quarto, quintal, precu de I4 por mez, sita
ra de S. Joo n. 48 : a tratar na ra estreita
do Rosario n. 17, Io andar. _____
Precisa-se
de um caixeiro com pratica de taverna : na ra
Se Goncalo n. 27. Prelere-se portuguez.
ATTENClO.
OJSr. Francisco Agostinho Madera queira ap-
parecer na ra Duque de Caxias n. 60 A, lojas de
gento da Silva & C. Successores e de Manoel Ri
teiro Bastos'__________^_____________
('um milita urgencia.
Precisa-se de urna ama idosa que tenha bons
costumes para andar com urna menina de 10 me-
zes, e tambem de um criada de 12 a 14 annos,
forro ou escravo : a tratar na Passagem da Mag-
dalena, botequim do Bento n.27._____________
"Precisa-se de urna ama
para rasa de rapaxes sol-
toiros; a trater na roa I*
de Mareo, outr'ora do Cres-
po n. 17, loja.
Furlaram do engenho Poeta, na freguezia
da Varzea, do capitao Manoel f orreia de Arante,
duas borras na noute de 20 para o dia 21 do tor-
rente mez, sendo urna eastanha amarella e a en-
tra cinzenta clara, tendo a primeira os signaos
seguintes : urna estrella na testa, urna bel de em
um dos olbos, urna marca de um taino em ama
das maos no lugar do piador, e tem a dita no
mais grossa, tendo um Ierre ; a segunda tem os
signaos seguintes : urna belide em um dos olbos,
a sarnelha g ossa, tem urna ponte de quadrho
mais baixa do que a outra, urna mo na junta no
lugar do piador inchada e com o ferro segunte 8
em una quarto e no pescoco ; ambas- est o bem
curt va Jas do servico, estao carnudas e sio bem
novas. No dito engenho Poeta d-se gratifla-
cao de 50 por cadi urna a quem as levar ou dr
urna noiciaexacta dellat.
Ausentou-se.
. 0 escravo Pedro, de 15 annos deidad
mais ou menos, com os signaes seguintes :
cor parda, cabellos corridos, alguns signaes
de bexigas, levou vestido camisa de chita,
calca de casemira: roga-se as autoridades
policiaes e aos Srs^caprtes de campo de o
prenderen) e leva-lo casa de seu senhor na
ra da Imperatriz n. 4 1. andar, ou na
ra da Madre de Dcus n. 5 1. andar.
AMA
andar.
YHfcY
goramar
dar.
AMA
paga-? bei :
Precisa-se de urna ou
na ra da Imperatriz n. 84.
AMA
AMA
AMAS
niado n. 70.
AMA
Aragao n, 37.
Ama
AMA
zinhar.
Precisa-se para cozinhar e comprar
de una ana : na ra nova de Santa
Rita n. 63.
A iv o Precisa-se do urna ama para cozinhar
. v 11 i.i e pnT,nnmar para duas pessoas : o tra-
tar na ra do Bario da Victoria n. 37, no segun-
do andar.
GABINETE
Medico-cirurgico
RA DO IMPERADOR N. 73,1 ANDAR
0 DR. NNES DA GOSTA
MEDICO OPERADOR E PARTErRO.
ESPECIALIDADES.
Molestias e operacoes de olbos.
Cara radical e instantnea dos
eslreilamentos da uretra.
Consultas:
da maiib.
Chamados
Das 7 s 10 horas
A qoalqoer hora.
Botica Popular.
Precisa-se de um offlcial com bastante pratica
do pharmacia, e capaz. Da-se 1:000*000 de
ordenado annual.
Escra
va.
Prcclsa-se de urna escrava para servido de ca-
sa : na ra do Visconde de Goyanna n. 161,
SITIO.
Severino.
Precisas de uavcoainheiro de ftrno e fogae
que seja perito na sua arte, paga-se bem, e de um
ejajiro para o hotel: na ra do Bispo Sardinba,
aflp do Encantamento, n. I.
Anda fgido, desde o dia 6 do corrente, o es-
cravo Severino, pardo escuro, de altura regu-
lar, de 13 annos, pouca barba, ps chatos e maos
grandes, tendo em ambos os jarretes urna marca
foveira de queimadura, enculca-se de forro e an-
da cacado, veste, ora paletot sacco e ora justo,
ambos de panno : quem o appcehender ser ge-
nerosamente recompensado, traxendo-o ra do
Mrquez de Herval n.;31.
Precisa-se de um caixeiro para casa de pur-
gar de um engenho tres legoas distante da via-
ferrea, sendo casado, e com preferencia se enten-
der de destilacao : a entender-se com o Dr.
Christovo Xavier Lopes, ou com o Sr. Bernardi-
no Pentual._____ _
Caixeiro.
Quem precisar de um caixeiro com pratica de
taverna, dirija-se rna do Padre Floriano n. 8,
taverna, que achara oom qneg tratar. ______
Engommadeira
Precisa*ee de urna ama. para engomma
mais "servico em casa de pequea familia
do Queimado n. 8), loja de faxendas.
Para tratar d um pequeo sitio e mais algum
servico, precisa-se de um homem que seja acti-
vo e cuidadoso : no caes do Apollo n. 69.
Precisa-se de um caixeiro com pratica de
taverna, de 14 a 16 annos : na Camboa do Carmo
numero 3.
INDEMNISADORA
* A diroccao da companhia IadenmlfMUfors
convida os Srs. accionistas a se reunirem en) as-
sembla geral no escriptono da companhia ao
meio-dia de 27 do torrente, alim de serem pres-
tadas as contas das operaeSes relativas ao anno
prximamente lindo, e proceder-s eleicao dea
respectivos funecionaries.
Recife 23 de Janeiro de 1873.
Os directores
" Joo da Silva Ragadas.
Antjnio Jos Leal Res.
Francisco Ferreira Saltar.
Perdeu-se entre a estacao da estrada d-
ferro de Olinda e a ponte da Boa-Viste, nina car
U dirigida ao Sr. Frederick Joule VSS Fencharch
London : roga-se a quem tiver achado de a le-
var ao London & Brasilan Bank, que ser receas-
pensado.
Caixeiro,
Deseja-se um menino de 14 a 16 annos, de boa
e aaer Kmducla, para uta estabelecimeoto 'de molhado?
na mal no fiiqui : quero se achar nestas eondioaes: diri-
] fa-se a ra do Coronel Suassuna n. 149.


)
Precisa-se de urna ama para com-
prar e cosinhar para casa de peque-
a familia, preferindo-se escrava : a
ra estreila do Rosario n. 32, 1
l'ircir-r de uma Ojn pa-
ra ca..a de faailia de doas
petioas para eoz'cb i tratar na ma Direila o. 28, 2* n-
Prrci-a-.e d. uo* oia que st-
b-in coz'Dhar (forra oa escrava,)
a roa Nov. loja n. II
duas amas de le te :
No largo do Paraso n. 28, pre-
niH/A cisa-se de uma ama para en-
gommar e preparar sallas.
Precisa-se de uma : na ra de S.
Bom Josus das Creoulas n. 3, sobra-
do, entrada pela rna do Calabouco.
Precisa-sc de urna para cozi: har
c outra para eng minar : tratar
na ra do Hospicio n. 46, ou Quet-
Precisa-se de uma ama para
comprar e cozinhar: ra do
Visconde de Pelotas, antiga do
Para casa de duas pessoas de fa-
milia, precisa-sc de uma ama para
cozinhar e engommar : a tratar no
Passeio Publico n. 54, loja.
Precisa-se de uma ama para casa de fami-
la, proferind-se escrava; na ra Diroita n. 86,
loja de miudezas.
Precisa-se de urna ama que saiba co-
zinhar : a tratar na praca da Indepen-
dencia n. 39.
\ lll Presisa-se de uma ama, forra ou es-
XMIIm orava qUe se proste a tojo Servico ;
agradando paga-se bem, casa de pouca familia :
rna do S, Francisco n. "A.
m Precisa-se de uma ama para o ser-
vico interno de casa de uma pequea
familia, ra Duque de Caxias n. 54
Precisa-se de uma ama
para casa de uma familia,
que saiba engomiar c co-
zinhar : tratar na pra?a
do Corpo Sant) n. 17, pri-
meiro andar.
A TT11 Precisa-se alugar uma escrava para
. vi n.i servio interno e externo de casa de pou-
ca familia : tratar na ra de Mariz e Barros n.
11, armazem de gneros._______^^
Na ra da Cruz n. 9, se-
gundo andar precisa-se do
uma ama para comprar c co-





"t
f



Diario de Pernanibuco Segunda.feira 27-de-Janeiro de 1878.
-r-t-
* w
,r
AMJWAL IOVIDADB
PIANOS E MSICAS
AMTOOTO JOSfi DE AZEVEDO
Ra do Barto da Victoria n. 11, araasem, e 12 1. andar, antiga ra Nova v
aonie o publico em geral tycontra ]sempre o maior e mais esplendido sortimento de pianos de
Pianos, msicas 6 instrumentos de msicas para banda militar
e orchestra.
>
Acaba da abrir no primeiro andar do sobrado o. i 8 confronte i
botica Maorer, na grande sali onde esli expoatos os magnficos
PMA]^ tf S e armario, de PleyeL
- de meia canda, do rnesmo autor.
-------->]e H. Henrx.
de Amede Tbibout.
i nico agente netta cidade, dos celebres afamados
PIANOS DE AUCHER FRERES
remiados em diversas iiposi;5ss ont li medalnas de onro e praia.
Sao os onicos pistos que aqni vem da Europa, perfeilamente atina-
dos, fetos c.om elegan: a e solides.
Tambem receben grande sortimento de mnsieas para piano, piano e
canto e entre ellas as lindas composicSes do mnito sympatbieo maestro
F. SJlWTIMI
A SABER :
Voc me qner Watsa.
Olga Mazuika.
La Stparacionl Para canto.|
A Lns elctrica, grande Walsa.
IJtimas publicar
Franco Brasileir Polka.
Tomada de Valleta GMope.
loanioha Walsa.
A Libertadora Polka.
A Primeira espada Wal-a.
A Minha Lyra Walsa.
A Natalicia Polka
Stndiente Po'ka.
Feitas as offieinas de msicas
do annonciante.
Emilia, polka por I. Smolti.
Circaciana, scboteb, por Smolts.
Jardim do Campo das Prima*,
Iquadrilha, por J. Popo*.
Chava de Rosas, Walsa, por H. Al-.
I berlazzi.
D'aoni emBdiante continuar a annnnciar todas as publicares que se forem friendo nai.snas offieinas de msicas.
r
CAUTELA!
MEURON&C.
AVIA11
aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, que reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de ontra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
confundir com o d'aqnelles.
Os apreciadores qne qnizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver qne
os botes trgam o nome de MEURON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
wmmk
*&
MEURON a C.
r
i
FNDICAO DO B01MAN
RA DO BRHM H. 52
(Paseando o chafariz)
Os jn-eprietarias desta fundi$ao recommendam-se aos Srs. agricultores pela boa qua-
lidade das obras que durante mais de 30 annos, a casa lhes tem fornecido.
Potttuem sempre um avultado deposito de machinismo e implementos em toda a va-
riedade de tamanho, proprios para todos os mysteresda agricultura, e preparo do assucar
e algodao; entre os quaes algumas- novidades nesta provincia, merecendo ser vistas.
Vendema prai'-o ou a dinheiro com descont vontade do comprador.
CAUTELLA
iviMa ao publico que diversas encommendas dirigidas a esta casa, tem sido desvia-
das : pelo que, K>{;am a exigencia da conta impressa, para prova da procedencia do que
se lhes crnece..
Outt! sim, quo por ahi andara especuladores (alguns empregados e obras em concertos,
etc.,) a ineulcar eoeommendas e compras de machinismo : acautellam aos Srs. de engenho
contra as peitas reeebidas petos ditos neulcadores.
COMMISSOES
Fazem encommenda vontade do pedinte, mediante urna commisso. de qualquer
machiniano ou obia, dando ao comprador a vantagem obtida por sua habilitaco e costu-
meno negocio, tanto em resperto ao preco como a qualidade, nssim como todo o auxilio
em montar ttbalhar com o machinismo vindo.
HERDEIROS BOWMAN
por Albert B. Ghewy, Engenheiro.
RA DO BRUM N. 52
PASSANB0 O CHAFARIZ
Escravo fgido
i:0S(M)0 de ralilininm.
Ausentou-ae desde o dia 13 de maio de 1872,
o preto de nome Alfredo, de trinta e tantos annos,
crjlo, e bastante ladino.; este preto perfeito
cozinheiro, estatura alta, magro, olhos grandes,
jesteve no engenho do Sr. Lul de Calar, em
S. Lourenco da Malta, onde consta ter prente,
foi escravo dos Srs. Adriano & Castro, e do Sr,
Jos Joaquim Tkmeal ves Bastos, negociantes desta
praca; de todos estes Srs. foi cozinheiro, tem sido
visto por pessoas que o conbecem, dizesdo que
est forro, assim tem podido escapar de ser preso.
Pede-se todas s autoridades e apitaes
de campo que o pegando leveo a ra do Duque
de Caitas n. 9!, loja de miudesas do Rival sera
Segundo, que'receber a gratiieacao cima de-
clarada.
200JMHM) degratificacao.
5o raez de outnbro do anno prximo passado
fugio do engenho Ajudane da freguezia da Esca-
da, o escravo de nome Gnilherme, o qual tem os
signaes seguintes: 23 annos de idade, cor acabo-
colada, olfios grandes, naris um poneo arquiado,
cabello crespo, altura e corpo regulares, ps com-
pridos e seceos, com algumas marcas de ferida
pelas costas: cvou comsigo um cavallo castanbo-
rosilho, tendo no lado diireito esta marcaE.
Desconfla-se que tenha seguido para a cidade da
Parahyba. Roga-se s autoridades policiaes e ca-
pitales de campo a captura do referido escravo,
que poder ser entregue no dito engenho ao seu
senhor, Emilio Pereira de Araujo, ou nesta pra-
ca, ao respectivo correspondente Firmino Correa
Pessa de Mello, ra do Apollo n. 96.
1004000
Fogio do engenbo PontaLem Seriaaaem, no
dia 7 de mes prximo passado, o opiato Simio,
com os signa** aiguintes: statura regnlar,
corpo secco, cor naranjada, barba serrada, ea
bellos carapinhos e talla deseancada. Quem o
pegar leve o ao sea senhor o tesMte-earonel Vi-
cente Hendes Wandsrley, no dito engenho, on m
Recite ao Sr.Bernardioo de Sena Pontoal, na roa da
Madre e Deas n. 3C, qw recebar a fraMeacio
da IQOa.___________.
Preosa-se ataa/ para tesar compras na
roa, cosinbar e engommar perfeitameote urna ama
forra on eecrava, para serva) de penaena fami-
lia, paga-se bem: na ra da .Aurora n. 39^*
andar. .^P-
34^RA LAJlfi B# ROSARIO3i ]
Catalogo de novos medicamentos, t-
nicos, estimulante e esfomacaes,
recen tmente descobert os pelos
melhores pharmaoeucos e
chimicos da Europa
A SABER:
PREPARADOS DE AROUD.Vinho fieroigi-f
noso de quina, tnico estomacal, repa-
rador das forcas dos convalescentes, as-
febres typhoides, as perdas de sangue,
etc., etc.
Xarope concentrado, com bal-
samo de tolo e todos principios nutriti-
vos soluveis do extracto de carne de Lie-
big, medicamento mais poderoso para
os phtysicos, as affec$des catarrhaes,
etc., etc.
Xarope de casca de laranjas
amargas, com todos os principios nutri-
tivos soluveis do extracto de carne de
Liebig, o mais poderoso dos analpticos,
para as temperamentos delicados e ner-
vosos, estomal por excellencia, etc., etc.
ANDURAN.Vinho ante-gotoso ante-rheu-
matico, como grande especifico.
FALIERES.Xarope ante-nervoso e inalto-
ravel de brornureto de potassio, medica-
mento especial contra as afiecc,ocs nervo-
sas e convulsivas.
SHERRV-KNA.Vinho de quina, tnico
ante-febril de um gosto agradavel, supe-
rior ao Madeira, e Yermuth.
THOMMERET GELIZ.Granulos xaropes,
baidios sulfo-acidos, para o tratamento
das molestias de peito, garganta e de
pelle, de um grande proveito para os or-
gSos respiratorios.
CHEVRIER.Vinho e elexir de Cocado, P-
tou, tnico de um gosto agradavel, esti-
mulante, nutritivo e estomacal; empre-
gado com grande vantagem as crianeas
debis, as mulheres chloroticas, ataca-
das de flores brancas, nos vemos fracos
pela idade e pelas molestias, na aton iados
orgos digestivos, as gastrites, gastral-
gias, etc., etc.
CARPENTIER.Vinho ferruginoso de rhui-
barbo, tnico e purgativo agradavel sem
produzir constipares nem alteracdes no
estomaga.
SAVORY E MOORS.Emulsao pancreti-
ca, muito estomacal, com grande pro-
veito no tratamento da phtysica, podendo
ser em pregado com grande vantagem,
quando o oleo de figado de bacalho nao
possa ser tolerado no estomago dos doen-
tes; sendo o nico remedio que com
efficacia facilita a digestao do oleo, fa-
zendo apparecer o appetitc e o augmen-
to da nutrirlo, etc., etc.
CHANTREL.Confeitos de brornureto de
potassio, grande especifico contra as af-
fecQes nervosas, ataques hystericos, epi-
lepsia, tosse convulsa, coqueluche, m-
somnia, tristeza, delirio e todos os in-
commodos que tem por causa o erethis-
mo nervoso.
MENTEL.Granulos de sub-nitrato de Bis-
muth. Este medicamento d'uma gran-
de efficacia contra as diarrhas, choleri-
na, dysenterfa gastralgia e nos casos de
digestoes difficieis e dolorosas.
L. BEIIF.Emulso vegetal de alcatrao;
,Etc molir/miento administra-se de urna
maneira commoda e precisa. O alcatrao
'em seu mais perfeit estado de pureza,
vantagem que nenhuma outra prepara-
do de alcatrao possue.
DR. CROLA.Soluto de pyrophosphato
de ferro e soda. Esta soluro consti-
tue um excallente reparador das forcas,
' obra sempre as pessoas que tendem
para chlorose (crspaludas) anemia fra-
queza geral. Este preparado tem a van-
tagem de nao ter nenhum sabor.
GRIMAUD.Confeitos especficos, para cura
da incontinencia da urina, e osincommo-
dos das senhoras ohloroticas, etc., etc.
CHAMBARDCha tnico purgativo e depu-
rativo, possue um gosto saboroso e um
aroma suavissimo, e as propriedades as
mais notaveis sobre os enibaracos do es-
tomago, dos intestinos e do figado, o
desobstruente por excellencia na cons-
tipa?o do ventre e nao tem resguardo
nenhum
LBEUFCoaltar Saponine, emulsao des-
infectante enrgico, cicatrisante das
chagas.
H FLONXarope unitivo c peitoral empre-
gado com vantagem na tosse frequente,
catarrho -chronico, coqueluche, e etc.
etc.
MENTELGranulos de phosphato de cal,
medicamento til as molestias dos os-
sos, fracturas, diarrheas.chronicas, dia-
betes raehismo, etc.
HOGGPululas de peprina aciduladas, em-
prega-se as affecQes gastralgicas, e em
todos os casos em que a digestao diffi-
c ou iiapossivel. Com irande vanta-
gem.
BLISS KEEN CExtracto hydroalcooli-
co de condurango, medicamento muito
estimulante e depurativo, emprega-se
contra a syphilis, scrofulas, rheumatis-
mo, ulceras, etc. etc.
VAUQUELIN DESLAURIERSElixir de qui-
na e eaf-tonino especial contra as fe-
bres nevralgicas, eHxaqueca, empobrecir
meato de sangue, fraquesa geral, cores
palllidas etc etc.
DR. CROMIERPululas anti-nevralgica,
ompregase com a maior efficacia em to-
das as affeccoes nevralgicas, nos incom-
modosda menstruaco, facilitando o fluxo
sanguneo. '
QliERUGela de oleo de figado de baca-
lhau aromatisado, com todos os princi-
iios activos do oleo de figado de baca-
ha ti. Esta gela nao irrita o estomago,
podendo os doentes usar delle por moui-
to" sem a menor repugnancia. F um
grande especifico para tosse, catarrho
consumpedo bronchial, tubercular, es-
crfula, debilidnde geral, etc. etc.
JOHNSONEssencia de snlsaparrilha vr-
melha da Jamaica, empregada como o
nico depurativo inmediato do san-
gue.
ELIXIR ANTI-ASTHMATICOSedativo Pei-
toral, applicado com grande vantagem
no tratamento da asthma, tosse convulsa,
defluxos catharrkaes e todas a* molestias
dos pulmoes. f
Jo&q\riui Josv Goucalvc-
Beltrao.
Bu do OoM*rto u. a, i. andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o banco
do Minho, en Brasa, esnbre us seguintes
lugares de Portugal:
Amarante. \
Arco do Val de Vez.
Barcellos. +
Beja,.f> '
Chaves.
Coimbra.
Covilh.
Faro.
Guarda.
Guimares.
Lamigo.
Lisboa.
Mirandella.
Mongo.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do Castello.
Villa do Conde.
Villa Nova de Famalico.
Villa Nova do Portimao.
Villa Real.
Vizeu.
Valenca.
Figueira.
Engommadeira e cozinheira.
Precisa-se de urna mulher, "que saiha eoznhar
e engommar com perfeicSo, e accio : tratar no
engenho Jacar, comarca de Nazareth, ou com
Leal & Irmaos, na ra do Mrquez de Olinda n.
96, i. andar.
COMPRAS.
Attencao.
Compra-se urna escrava de 35 a 50 annos, que
saiba cozinhar; na thesouraria das loteras, ra
i. de Marco n. 6.________________________
No armazem de niateiiaesdapraca.da Con-
cordia n. i, compram-sc casas terreas, mesino
em mo estado, sitas na ra Imperial, ou em nu-
tro lugar que tenha porto de embarque.
Compr
a-se
Quarenta travs de qualidade superior com 40
palmos de comprimento e 10 pollegadas em qua-
dro ; bem assim, 100 caibros : na ra do Boin
Jess n. 51, cscriptorio.
VrNDA^.
DO
H12EM
VAPOR FRANCEZ
ItlA DO 0VltAO DA VICTORIA '
K 7Outr'ora TovaN. 7
Antonio Ferreira de Oliveira Maia tem para ven-
der em seu estabelecimento ra da Senxaia-nova
n. 1, chinellas para homens e senhoras, lamancos
e sapatos de tranca para os mesinos, borracha
para limas, tudo de superior qualidade a or prc-
co commodo por ter viudo de sua conta'' propria.
Diademas e aderemos de ma-
dreperola.
A loja da Aguia branca ra do Duque de
Caxias n. 50, recebeu urna pequea porcao d
diademas e aderecos de maureperola, obras de
apurado gosto.________________________'
Engenho Bom Nome, sito na
freguezia de Gamelleira, 2
leguas distante da estacao
do Ribeiro.
Vende-se com 8 eseravos. 16 bois de carroen. 2
carros forrados e 4 quartos por 6:0000U0 a di-
nheiro com 30:0004 prazo; ou alias d-se por
50:0004 a vista* O dito engenho oflerece a vanta-
gem de ser bom e moer com agua Est montado
com destillacao estufa, assentamento de rtame,
casa de bagado, 4 sitios de lavrador com rasas de
telha; safreja dousmil pes por anuo, como agora
se est safrejando e com pouca for^a: quem o
pretender dirija-se ao mesmo engenho, que l en-
contrar o dono.
Xarope d'agrio do Para
Antigo e conceituado medicamento para
cura das molestias dos orgSos respiratorios,
como a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
applicado ainda com ptimos resultados no
escorbuto.
Vende-se na pharmacia e drogara de Bar-
tholomeu & C, ra Larga do Rosario n. 3i.
Precisa-se de um feltor para tratar de um
pequeo sit,e jautamente de urna ama para'enm-
rar e coiinhar : na nudo Coronel Suaesuna n.
, antiga roa de Hortas.
A orafessora publica da _
gea Santo Antonio funcoiona no 2o an
sobrado n. 43 da ra de Marcilio Das.
I* cade ira da fre-
adardo
Libras storliaas.
Vende-se no armaiem de fazendas do Angnsia
9. d Oliveira & C. raa do Commerclo d. 42
Per*ir 6* QonbS Irra5o, rna Marquei de
Olinda n. 21, vendtm o segninte :
Vaquetas para carro e b.>ias de viagem.
Marroquios.
Crdavoes.
Oteados para forro de carro.
i-illa*- da Rueaia.
Viohe do Porto, flan, pm caiia.___________
Ra larga do Rosario n. 22.
O Vianna tornou a arrematar mais pechinchas
para vender barato.
Vejam :
Cortes de brim branco trancado que
d um calca
Ditos de dito pardo trancado muito tino
Ditos de dito de linho puro (cor do linho)
Cambraias
Chitas
Pecas de madapolao tino
Crotone para coberta
Borzegains para senhora
Ditos de bezerro, cordavao e gaspiados
para houiem, obra muito boa, que se
vende a 12|, a
um
24000
200
200
44000
360
'. 000
8(W0
Arabain de chegar muito bous pianos fortes e de
elegantes modelos, dos mais notaveis e bem co-
nlM-riibis fabricantes; como sejam : Alphonse
Blondel, Henry Hers e l/lejel Wolff C. : no
vapor franrez, ra do Brao da Victoria, ju-
tr'ora Nova n. 7. .
Calcado francez.
otinas de luxo c phantazia, brancas pretas e de
dilferentes cores, tanto para senhoras, como pa-
ra menina?.
Sapatinhos cun salto no rigor da moda, blancos
e de cores para senhoras.
Botinas de Melies, de Snser e de Pitlak, para ho-
mens.
Sapatos de cordav'o Mili spara homens.
Botinas para menino de qualquer tam&nho.
Perneiras e rneiajj-uerneiras tanto para homens
como para meninos. '
Sapates de Suser para' homens e meninos.
Sapatos de veruil cora salto para homens.
Abotinados de inuitis qualidades e precos para
meniKts e meninas.
Sapates de verniz com sola de pao nroprios para
sitios, jardins e banhos, rnrtfnirnjo para homens
e senhoras.
Sapatos de tapete, ca^onra, cbarlot avelludado,
de tranca portuguet c francez.
No arinazcm do vapor' fi.mcei, .rua do Bario da
Victoria, oulrora .Nova n. 7.
Perfumaras.
Finos extractos, bandas, leos, opiata c pos den-
trilice, agua de 11 r de laranja, a?ua de toile-
te, divina, florida, lavande, pos de arroz, sabo-
netes, cosmticos, niuitos artigos delicado? em
perfumara para prsenles com frascos de ex-
tractos, eaixiabas sortijas e garrafas de dilfe-
rentes tamanhos d'agua de colgne, tudo de pri-
meira qualidade dus bem eonhecidos fabrican-
tes Piver c Coudray,
No armazem do vapor franez, rita do Bario da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Mascaras para o carnaval.
O mais importante sortimento que tem viudo de
mascaras de massa, fle rame e'de seda, nariz
com oculos, barbas etc.,. precos muito bara-
tos tanto em grosso como a retamo.
No armazem do vapor francez, ra do Barao da
Victoria, outroia Nova n. 7.
Para viagens.
Vuito boas malas c bolsas para viagens de mar e
de caminhos de Trro.
Estojos de vigens com os pertences necessarios
para barba.
No armazem do vapor francez, ra do Bario
da Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Botas de montara.
Novo sortimento de botas Nanoleao e a Guilher-
nie, perneiras e rr.eias perneiras para homens.
e meias perneiras para meninos.
No armazem du vapor (raaeey ruade'Baro
da Victoria outr'ora Nova n. 7.
Mobilias de vimes.
fadeiras de balanco, de braco, de guarnt^oes, so-
f?, jardineiras, mesas, conversad? iras e costu-
reiras, tudo isto muito bom por serem forte? -1
leves, e os mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recivios.
No armazem do vapor francez, ra do Barao da
Victoria, outr'ora Nova n. 7.
Quinquilharias.
rtigos le liiTercKtcN gestos r
pliaialaziaM.
Espelhos douruos para salas e gallinetos.
Loques para senhoras e para meninas.
I.uvas do Joavin, de to da Escocia o, de ramu
Caixinhas de costura ornadas com msica.
Albuns e quadrinho para retratos.
Caixinhas com vidro Je augmenta: rrtral -
Diversas obras d*onrp bom de k\ garantido.
Correntes de plaqu milito natritas para rok
Brincos imitacao e botes de pannos de plaqu.
Bolsinhas e cofres de seda, de velludo e de couri-
nlio de cores.
Novoj objctos de phantazin para cima de mesa
ejoilee,
-I'inconez de cures, de prata dourado, de ac e ':
tartaruga.
Oculos de ac fina e de todas as graduacoes.
Bengalas de luxo, caima, com castCes de marfini.
Bengalas diversas cni grande sortimento pai-a ho-
mens o meninos.
Chieolmlios de balcia o do militas qna!id.ic!.-< di-
versas.
Esporas de tarracha para saltos fle lwta?.
Pinteiras do espuma para charutos e cigarros.
Pentes de tartaruga para desembarazar e para
barba.-
Ditos de marfim muito fino?, para limpar eabeca.
Escovas para ronpa, cabello; unhas c para don-
tes.
Carteiriuhas de madreperola para d'mheiro.
Meias para homens e para meninos,
Grvalas brancas o do soda presa para homens
meninos,
Campanhias de mola para chamar criados,
Jogos da gloria, de dama, de hagatcllas, de domi-
n o outros muitos dilferentes jogoiboe alie- -
mies e francezes.
Malas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami-
naos de ferro,
Mamadeiras de vidro de dar leite mui fcil
crianeas. ~
Argolinnas de martina para as crianeas morderem,
bom para os dente?. ,
Berros de vimes par* embabucar crianza?.
Costinhas de vimes para braco de meninas. ,
Carrnhos de quatro rodas para pxsseios de crian-
cas. *
Ve'nezianas transparentes para portas e janellas.
Reverberos transparentes para candieiros de gaz.
Esterescopos e cosmoramas com cscolhidas vis-
tas.
Lanternas mgicas com ricas vistas de cores em
vidros.
Vidros avulsos para cosmoramas.
Globos de papel de cores para illuminacoes de
festas.
Baloes aereostaticos de papel de seda mui fcil
de subir.
Encerados bonitos para conservar as mezas de
jantar.
Machinas de varios systemas para caf. ^
Espanadores de palba' e do penoas. J*
Tesourinhas e caivetes finos. *
Tapetes com vidrilhos para mangas e lanternas
Tinteiros de louca branca, modelo bonito e bom'
Tiras de molduras douradas e pretas para qua-
Quadros j promptos com paysagens e phantazi
fcsumpas avahas de sanios, paysagens e phanta-
ZMS.
Objeotos de mgicas para divertimentos em fa-
milias.
Realejos pequeos de vetos com lindas pecas.
Realejos^ harmnicos ou aecordions de todos os
tamanhos, ?!,tros muitos artigos de quinqui-
lha,rias difflceis de racncionar-'se.
No armazem do vapor francez, ra do Bario da
Victoria, outr'ora Novan. 7.
Vende-se um boi e urna carroca ; na pra-
ca da Concordia n. 3.______ _______.
Diademas dourados
A loja d'aguia branca ra Duque de Caxias n.
60, recebeu novamente bonitos diademas dourados
e enfeitados eom pedras e aljofares, obras de gos-
to e phantasia. Tambem recebeu novos grampos
pretos ou alfinetos eom flores para a eabeca.
Leques com bouquets e ou-
tros chinezes.
A loja d'aguia branca na Duque de Caxias
n. 50, recebeu urna pequea quantidadc daquelles
bonitos leques com Douquets e outros chinezes!
Cld creme para refrescar e
amaciar a pelle
A loja d'aguia branca a roa Duque de Caxias J A maior variedade>mie se pode desojar de todof
n. 60, recebeii cold creme dos afamados fabrican-
tea Lubin, Legrara e Coudray.
Caf
d boa qualidade, do Rip de Janeiro, ven-
de-se retalho ou em porQo, na ra do
Gommercio n. 3i, 2o andar, or cima do.
Londo Brasilian Bank^entrada pela ra do
Torres.
Casa.
Vensk-se una pequea casa sita i ra impe-
rial n. 1891: a tratar na roa larga, do Rosario
&. 14.
Brinquedos para meninos.
os brinquedos fabricadas em differentes partes
da Europa para entrateaiment das crianeas ;
tudo a procos mais resumidos que poesivel :
no armazem do vapor francez, ra do Barao
da Victoria, outr'ora ra Nova n. 7.
Mascaras.
Mascaras.
Aeabam'de chegr gr
ras com todos os sortimentosi para vender-se em
grosso e a retalho : no armazem do vapor fran-
cez, ra do Bario da Victoria, ootr'oraNova p, 7.


'6
Diario de Pernaibco -Segunda feira 27 de Janeiro de 1873.

UilSlIlffliU
*
Para scabar at o flm do anno
IWMMH
A MADRESILVA.
Na rui da Imperatriz n. 60
LOJA DO PAVO
PERGIRA DA SILVA ft C- ,
Temi os propietarios desto grande estabelecimento, nm avallado sortimento da
fazendas em ser, e deiejando liqcida-Ia, at o Sm do corrente auno, tena resojvido vea
de-Us por presos maito commodos, com o fffll de aparar diaheiro, a vista do que
convidad os llm. Srs. cbefes de familia a virem sor-f e, nao s de fazenda* de primei-
ra,nessecidade, como de fizendas de laxo e gosto, das quaes encontrarlo om sormeto
das mais novas do mercado, cnegadas pelos nliimos vapores da Europa.
FAZENDAS DE LE
CORTES DE :ASSAS A 20500 E 30:00.
O Pavo vende cortos de cassas de cores,
com pidres maito benitos pelo barato
preco de 20300 e 30000.
CORTES DE CHITAS A 23400 E 24880.
O Pavo veQe corles de chitas francezas
finas, com 10 covados pelo diminuto preco
de 25ICO cada corte.
Ditas com 12 covados; pelo preco de
25830 cada corte.
PEQ\S DE CHITAS A 702CO.
O Pav5o venda pecas de cbit3s finas, lia-
dissiraos padres, lendo 30 covados cada
peca, pelo barato preco de 70200 cada
nma maito barato.
LENQO'ES DE BMMANTE.
O Favao vende lences de bramante mai-
to grandes, sendo deum panno s, pelo ba-
ratsimo preco de 25V00 cada ora.
CHAILES BARATOS A 10000E 20030.
O Pavo vende chailes de tarlatana gran-
des pelo barato preco de 1,5000 e 20000.
Ditos de 13a estampado.; imitar] de
merino i 20000..
Ditos de quadros modernos, mnito en-
celados 30OOG e 4^000 ; assim como
grande sortimenlo dos mais finos chailes
crepoa e merino qoe se vendem por precoz
muito era conts.
MADAPOLES.
Pec^s de midapr.lo tanca mnito fino
com 20 jardas a 505OG e (5)5000.
Ditos com 24 jardas maito superior a
60500 e 75001.
Dito inglez fazenda muito fina 55000,
65)00 e 65500 at 105000.
Ditis francezes e inglezos maito fiaos de
40 jardas j)ara diiTren'.es pregos.
ALGODOZISHO.
O Pavjio vende por preco mnito barato
pCas de algodiozinho americano muito
bDm com 18 jardas 45000.
Dito com 24 jardas a 4500 e 55000
at 65000.
Dito largo marca T muito encorpado a
Woo.
ALGODO ENTESTADO.
O PavSfl vende o verdadero e superior
algodioziaho de duas larguras para lences,
secido muito encorpado 15 00 cada vara.
Dib trancado da mesma largara 10280.
CHITAS LARGAS.
O Pavi vende estas ej.ecellentes chitas
fratcasas ciara; e escoras c^m muito bom
panno 240 rs. cada covado.
Dita mnito fina 280, 020 e 360 rs.
Percalies rioissimos miudinhos a 360 e
400 rs. cada covado.
CAMBRAIAS.
O Pavo vende corles de cambraia trans-
parente propria para vestidos a 25500 e
30O-O.
Peca de dita mnito fina com 10 jardas
taate ta ;;ada como transfsrente a 4500O,
50;)OO e 65000 at a mais una que vem
ao mrcalo.
BRAMANTES PARA LEXgO'ES.
O Pa\ai venda saperior bramante de al-
gOdSo ten-J > 6 palmos de largara qae s
percisa de i % vara para um lencol, me-
tro 15600 e a vara 15800.
Dito de nho [puro soper:or muito encor-
pado com a mesma largur.'i a vara 25400.
Ditos fraacezos mnito linos a 25500 e
35000.
Poja de Hamburgo e panno de linbo com
20 e 30 varas, para todos os precos e
qualidade.
Pecas de bretanha do pero nho, tendo
30 jardas pelos precos mais barato que se
em visto.
Pechincha de Snissimo esguio sucelena
com 6 jardas 70GOO.
Pega de linissimo celena com 30 jardas
a 305'X), atoalhsdo adamascado com 8 pal-
mes de l.rgura a vara 25ICO.
LAZIMUS DE FURTA CORES.
O PavSu vende um elegtote sortimenlo
de llazlobs* de torta cores qae brhao qua-
si como seda tendo de todas as corea, e ven-
da 360 rs. o corado.
CALCAS DE CASIMIRA.
O PavSo tem ion grande sortimento de
cal;a de casemira, assim como cortes os
maii modernos que tem viudo nos ltimos
fieorins e em fazenda das oais finas e sMk
nov?s ao mercado, e, vende-se por barato
prco para aperar dinbeiro assim como cal-
as de brim brinco e de coras por precos
muito rszoaveis para ajatar.
CORTES DE PERCALIA COM DITAS SAIAS
A 40000.
O Pavo vende bonitos cjrtes do precaiia
com duas saias, sendo fazenda de mulo
gosto a 450OO, pecbincha.
TNICAS PRETAS.
ZO P.i\2o receben om grande sortimenlo
das mais ricas tutucas de grs preto, riqa-
menla .nfitadas, e vende..por preco razoa-
veT
VESTIDO? BRANCOS BORDADOS DE
3550000 ATE60000.
O Pavo receben om lindo sortimenlo
os mais ricos coitos de caoibraia branca,
ricamente bordados, o com t )dos os enfei
tes necessarje*, e veade pelos precos de
385000 at 600000, nao Um viada nada
mais rico nem mais moderno.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLA3
A /55O0, 80000 E 0*000.
O Pavo tem um grande sortimenlo de
cortinados para cama e iaoaitfas, qoe ven-
de celo barat) pasto de IffyK); 85000 e
105000' o par, tendo at por 185000, assim
zimo colchas 4f damasco pura camas de
aoivos.a grajalasiirtimenlo le tape'es tan-
M para 4cadeir?s coffl,oera camas, pianos, I Dito; de cambraia 'brjmc'a com 20 metros
portas, ele, tolo veade por procos razoa-jdeJwbiwlMiliosde rea*. 9b*0, Vptriz
U, iptwtioclia nt toja do Pavio.
FAZENDAS DE GOSTOS
BAREIES DE SEDA A 150J0 E 15400 O
COVADO
O Pavo receben pelo ultimo vapor
francez, um grande sortimento dos mais
lindos barejes de seda, sendo em corea
e gostos o melhor que tem vindo ao mercado,
esta nova fazenda amito propria para
vestidos para bailes ou casamento, toado
entre esta fazenda delicados padrees bran-
cos proprio para vestidos de noiva.
MODERNSIMAS POPELINAS
Popelinas a 15500 e 25000 o covado,
O Pavo receben, om elegante sorlimeoto
das rrnis modernas e liadas popelioas de
l e Mida, e liabo e seda qoe veodem a
15500 e 25000 o covado, toado padres
letrados miado e graados qae parecem
propriamente seda, assim como das meamas
tambera tem brancas proprias para vestidos
de noiva.
NOVAS SEDAS A 25500
O Pavao vende bonita o moderps seda
de ama s cor, teodo tfe todas as* edres, com
delicadolavroros raiadinhose vende a 2550(3
o covado para vender barato.
CORTES DE SEDA A 455000 fi-900000
O Pavo vende benitos cortes de seda,
faztnda de muito gost), tendo 18 covados
cada corle e vende por 495000
Ditos de 20 covados a 505000
Sao muito baratas em relaco superior
qualidade d'estes cortes.
BAPTISTAS DE GRANDE NOVIDADE
O Pvio vende um graode sortimento
das mais modernas, baptistas com lista d
cor, proprias pira vestido, com as cores mais
novas qu) tem viudo ao mercado sendo
maito raaii largas do qoe as chitas francezas,
e vende pelo baratissimo preco de 500 rs.
cada c .vado.
0FF1CINA DE ALFAIATE NA LOJA D
PAVAO.
Ncst? grande estabelecimento eacoatrari
or spiitavfilpublico,Dfttabemmootada offlt
cioa de alfaiate, onde se. manda eieCotar
qaalqner peca da obra, tanto para homea,
'do para meninos, com a maior prs-
tesa e perfeigo assim como para qoalqer
lulo que de repeate appareca, teodo-na rbes-
ma oflicina nm.perito official destinado para
fard3 dos lira. Srs. officiaes de goarda na-
cional ou tropa de linha, sendo esta officina
dtiigida pelo babil artista Pedro Clostioo
Soares de Carvalho.
NOVOS VESTIDOS A 45000.
O Pavo receben nm elegante sortiaei-
to de novos vestidos de canflbraia branca
com bonitos bordados de cor, e vende p'.-(o
barato preco de 45 cada um; maito ba-
rato.
ESPARTILHOS A 35000.
O Pavo tem um grande sortimeato de
esparti'bos, tanto para senhora como. para
menina, qbe vende pelo barato preco de
350C0. Ditos muito finos a 45030 e 55000,
sao dos mais modernos que tem vindo ao
mercado.
CHITAS A 240 RS.
CHITAS A 240 RS.
CHITAS A 240 RS.
O Pa-.) vende chitas francezas proprias
psra vestido, sendo muito boa fazenda, com
padres claros e escurs, pelo barato preco
de 240 rs. o covado, por ter um leve to-
que de mofo : pechincha.
SAIAS A 250CO.
SAIAS A 250OO.
O Pavo vende saias brancas de orna 6
peca com fazenda equivalente a 4 pannos,
com bonitas pregas em volta, a 25000 e
25500.
Ditas cpn pregas e bordados a 35000,
pechincha.
LIQUIDAQO DE CALCAS DE CASEMIRA
O Pavao tem um grande sortimeato de
calcas de casemira de todas as cores e qoa;
lidades, para todos os precos, e desejando
moiio lijuidi-las, resolveu vende-las por
um prego muito em coala, para dimianir a
grande porco.
enea
as. 38 e*40.
Acaba a-. JUadreatlva de reoeber diverso*
objectos, como sajata:
Ricos adare^os. de-madreperola brancos
de cores.
Diademas de-ma Jroperola, ditos dourado,
ditos de iaassa ou bfalo, ricamente nf.'ita-
dos, cruzes fmgiiwlobriHiantes, cassoktns d
plaqu eoia votas- caenellas, imitando
ouro, pulseiras douradas, ditas imitando,
tartaruga, rico sortimento da grampos paraj
cabello, seiidwborboletas, testmrusc brim
flores e oairas umitas qualidades, tu-io d0
muito gosto, r00 sortimento de gravatlnhasj
de lacos ptra entera, sendo velludo, sarja,
sotim, gaze, escossezas e de urna s or, fa-j
tonda iiitoiraineiite aovidatte.
Lindo sortimento do leques de marfnn,
madroporola, tartarof a, ditos dourados, com|
aedaesem ella, alm destes de outras nuii-
tas'cpiadados, que enfadoubo seria raencio
nar, tauto paira senboras como paa mo-
oinas.
Rici socmento da pmihos e gollinhas
bordadas en cambraia do Hubo o camizinhas
bordadas para sen huras.
Bonitas guarni^des ou dragonas para en-t
foites de vestidos, assim como os muito deso-
jados conloes d>sodav fazenda intiramonto
norklade oeste mercado.
Rico sortimento de cahiinbas com prepa
ros para costura, sendo de lampas d crystal
e de oOtTas umitas qtalidades o tamanlius,
ditas para portaTJoias, porta-exractos, ricos
porta-relogios, porta-charutos, porta-oinza
tinteiros, casticaes, tudo sao objectos dd
ptaqu, prhpriorpara prOsentear a qualijoor
pessoa,/assim como diversos objectos para
escriptorio, facas para cortar papel, carteiras
para notas; oarsas psra pbosphoros-, caetas
[bordadase lisas, maracas para.enancas, si-
netos para abrir firmas,cai'vascoiitcndo urna
caeta, um lapis e umcaiiivet, aglheiro
o dedaes,'todos' estes objectos s5o de marfimj
fazenda inteiramente novidado, assim como
ntros-muitosqnes a rfeta dd preteudeti-
Jtes so podorao mencionar.
Vestuarios para criancas-, chapozinhos do
soda, sapatinhos de merino osetim, meias
de seda e do algodio*-brancas e de cores, til-
do para baptisodos.
Rico sortimenlo de babadores para crian-
gas, ligas de seda para senboras, lencos
brancos coir ramagens, meias d seda para
senboras e meninas,-ditas de to do Escossia,
o molhor que se pode desojar, assim como
meias de l, proprias para senhoras.
Rico sortimento de escoras com costas de
balcia, marchetadas de madroperola, para
Poupa e cabello, e de outras muitas quali-
dades.
AGULHAS E LIMIAS PARA MACHINAS.
A Madrosilva acaba de roceber um com
pleto sortimento'deagulliase linb&sbrancas,
de coros o pretis para machinas, dos fabri-
cantes Grovor & Bakr's, assim como agulbas
de todas as qualidadese'liiihas de seda para
bordar o para crochet,- ricas- eapdlas com
yos e sena ellespara noivas, fdbrancO com
bonitas ramagens e com 7 palmos de largura,
fazenda especial': s .na'Madrosilva.
Rico sortimento, de flores de laranjn em
ramas e sepasi de todos os Isswewfcnii para
eiKeites de vestidos de'noivas.
Rico sortimento de colLarinhos e punhos
bordados e lisos, de linbo e algodo, para
homons, assim cmno chapos de sol' com
castao de ntartim, eotitrosmuitos artigos.
TEM A MADR^ILVA
bonito sortimento de jarros, casticaes com
pingentes,.garrafas e copos para espiritos,
frascos, garrafiiha de diversos gostos, pro-
prias para toilettes, assim como acaba de re-
cebor um completo sortimento de espelhos
de molduras douradas>. de todos os tama-
ubos, de 3 a 9 palmas de altura c '
regular.
A MAURE9ILVA
acaba de roceber un-especial sortimento de
luvas de Jouvin, brancas, pretas e de cores,
para homons e sanhoras, assim como tam-
l)em para meninas e meninos de 3 anuos
para cima.
RO.W.AS.
Rico sortimente de bonecas do todos os
taraanhos c com rosto de cera.
BORDADOS.
A Madrosilva acaba de receber um rico
sortimento de bordados em cambraia de li-
nho, fazenda inteiramente novidade neste
mercado, sendo babados e entremeios.
Finalmente, a Madresilva, alm dos arti-
gos que vos faz monce, tem outros rauitos
que enfadonho stTia eiplicar-vos, por isso
Madresilva espora que vos digneis visita-la
mais a miado, a qual vos ncar sempre
grata.
MACHMS
DE
COSTURA
Cbegaram ao Razar Universal da rna No-
va b. 22, um sortimenlo de machinas para
costara, das melhores qualidades que existe
na America, das quaes muitas j sao bem
ennhecidas pelos seus autores, como sejam;
WWfi A Wilson, Orover A Rika, Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
que com a vista devero agradar aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalho que- trinla costuroiras podem
fazer diariamente e esees con tanta per-
ffticlo' como as mais permitas costr.reiras.
Garante-se a sua boa qualidade e ensina-se
a trabalhar com perfeigo rm menos de ama
sor e os precos sao to .crameos qoe
devem agradar aos pretendnte
- Ijefimann Fueres veirdem
fibras sterhnas a' na do
Crespn, 16v prinaettaandar,
RIVAL SEM SMlDO
Cbegaram agulbas para machiias, do fa-
bricante Grover 4 ftker. Duzia a -20C0.
n i/v hSP
do Mrquez de Oiinda
n,
A.
Tan para vender os seguiotes objecto* aba'tx
ihenelOnados, pelos pregas mais resumidos, come
ejn : Coques modernos a 5J0OO, pegas de en-
tremeios bordado^ de diversas larguras a 500 rs.
dotiag di co'larinhos de linbo a 4*500. ditos mai?
finos a 5*000, icngos para algibeira a 200 rs. boa
fazenda, linhas de carritel d*s 200 jardas a 60 rs.
15 para bordar a 5*000 libra, leques a imiiagac
de saodalo a 1*500, lamparinas a 600 rs. a duzia,
caixas cora papel amizade a 600 rs. ditas com di
to superior a 700 rs., envelopes a 400 rs. o een-
lo, botinas nacionaes para homem a 4*500, foco
para chancas a 1*500, sgulhas francezas a 40 rs
o papel, sabnnetes de alcatrao a 500 rs. agua fl>
rida verdadeira a t*2G0 a garrafa, dita ioferiori
i*00O, frascos com sndalo a l*G00, ditos con
oteo philocome a 800 e 1*000, ditos cora dito ba-
tata- a 310 rs. ditos com agua de cologne a 240
a 400 rs. pegas de galftes branca para enfeites de
vestido- de changa, a 400 e 500 rs., masaos coro
i] pegas de irmo branca a 240 rs, ditos con:'
Mim de core a 320 e 400 rs., duzia- de phjspho
ro* aefuraog aliO rs. e a grosa a 24M'0, e oa-
tros muitas artigas, que para nao toraarmo-ncv
enfadaobos deixamos de mencionar, os qaaes -d-
demse baratos para acabsr, ^
Pede obter em pooco lempo com o oso do melhor dos licoresa aflamada
fflSPERIDINA
Faz'oilo aoaea qae conbecido este precioso tnico, e diflicil achsr orna pesaos
qoe, tendo experimentado pestoalmeote, nio falle em sea favor, j como bom estomacal
e apetisador, tomando tm calix della antes de jantar, oo como facilitador da digestSo
t mando-se depeis.
ABASE ^*#
da HESPEEIDJNA a LAHANJA AMARGA, Dio ha om s habitante do BRASIL (a trra
especial das Iaranjas) qoe to coaheca as propriedades medicinaes da doorada fracta,
ora bem, a
LABAIJA AMARGA
em sen estado natnral tem um gosto pouco agradavel, e o mrito da Hesperidina con-
siste em reter soaa boas propriedades, e ao mesmo lempo ipresenta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL, al toa nada qj iovftpr j
melhores importacoes europeas de cathegoria semlnante. Estas, qoandd maito, podem
ser gestosas, porm a Hesperidina a combinac3o perfeita do
AGRADAVEL SADAVEL
Para prova de qoe um artigo no qoal pde-se ter inteira cotanta, por sea poo
e innocente, basta dizer-se que foi plenamente approvsda e aotorsada pela
JUNTA DE HYGtENE
do Rio de Janeiro, permittindo soa livre elaborado no Imperio; outra
BOA PROVA
a acceitacao gerai que tem em todas as parles oade apreseatada. Em 1864 estabe-
leceuse a primeira fabrica em Buenos-Ayres; em 4869 a segunda em Montevideo; e
no da da ebegada de S. VI. O IMPERADOR maognrou-se a fabrica qoe actealeeaate
traba Iba na corte. Em Valparaizo e em toda a costa de Pacifico tem boa acceiucac,
tanto que rara a casa que considera completo sea aparador sem urna garrafa de



O homem velho toma Hesperidina para c+fer-
VIGOR
O homem doente toma Hesperidina para obUr
SAUDE
O homem dbil toma Hesperidina para obter
* Nos bailes as donzeas e os mocos tomam a Hesperidina para obter boa car e
nmaca"o dorante os loncos gyros da
BARROS JNIOR C, rna do Vigario Tenorio n. 7, Io andar, receberam esta
grande especifico, e vendem-no nos depsitos seguintea :
Joaquina Terreira Lobo, ra da Imperatriz.
Zeferino Carneiro, rna do Commercio.
Marcelino Jos Goncalves da Fonle, roa da Cadeia n. 1.
Antonio Gomes Pires A C, ra da Cadeia.
Antonio Gomes Pires & C, caes 22 de Novembro.
Gomes & Irmo hotel da Passauem.
.
Amara!, Xabuco 4 C. avisam a rapazeada car-
navalcsra c aos habitantes do Cabo, Apipacos,
fgauesd, CaatrFarte, Limoeiro, Afogados, Goyan-
na, Santo AnlSo, fasretb) Vanea, Olimla, Ho-
tociilumb o aos demais amantas to carnaval qoe
receberaiu um completo fortiincnto de mascaras
de papelo, sera. soda, e rame, para quatiftier
carcter : e franjas, trancas douradas e pralea-
das, cali.'lli'iras, lanlejoulas, vullas etc. VenJt'iii-
se no Bazar Victoria, ra do Barao da Victoria
BAZAR VICTORIA.
NVIDADES E PECHHNCHA^
EM
CORTES DS FUSTO PARA VESTIDOS A
3000.
O Pav5o vende cortes de fast5o braceo.
tendo 12 covados para ves'idos a 3,5000,
pecbincha.
CORTES DE VESTIDO DE CAMBRAIA A
65000.
O Pavio veade bonitos cortes de oambraia
branca transparente, com bonitas vistas e
livores, p:oprios para vestido, teodo 8 va-
ras cada corte, pelo barato preco de 6/1000,
4 pechincha.
CASSAS FRANCEZAS.
O Pavao vonde bonitas cssas frHicezai
com bonitos jxidroes, e de muiia phantasiaj
pelo baratissimo preijo de 240 e 280 rs. q
covado, sondo fazenda de muito maisdinhei-
ro, grande pechincha, naloia do Bavao.
BORNS A ltMp.Op,.
O Pavao recebeu pelo ultimo pacfate daj
Europa, bournus dos mais liados gostos que]
at hpjc sao conhecidos, e em relajeo ex-J
cessiva baratoza, convidam-s as Exmas. Sra*.
para as verem, par assim anrrcsoem o que
ha de mais novidade neate^rtigo.
CORTES H i^VlHR.#A A 65000.
O-Pavo vende cortes de cambraia branca
com Hilas e lavores da mosiaa edr, toado at-
zuda para um vestido, e vende peto -barato
piteo de 6&8Q0, swr ser graode fnnhqMSia.
D*M>i uito finos com babadUrot brancos
bordados a 85W)00.
ftito ditos com listas de cf8S a 5*000 e
Vendi-se na ra do Imperador n. 20 um
molerme crionlo, d 18 para 19 anuos, boa figura,
sadio, com osofflcios de tecedor de palhinha e do
Lazinhais para vestidos a 320
rwa o oovado
S na ra do Dniac de Caxias o. 60.A, cntr'ora
rna do Qoeimadc, loia da esquina, de Bento 4
Silva & C.
maremeiro.
Chegiiwn tjiiaulo tules!!
A 5$fl0! $$m! 5$0W!
Lindos chapeos eniseitre,. da ultima moda,
para senhpra, s na na do Duque de Casias n,
BO 'A. tj da esquina, de Bento da. 3llva iSc C.
Alttga'se un ecrava para todo o servido da
urna casa de familia : tratar na rna PrtnViro
de Marco amigamente do Crespo, loja do Passd
junto ao arco de Sanio Antonio.
Amaral, Xabiu-n ^- C. acabaiu de roceber da
Europa pe-) ultimo vapoi o seguinte, e coovid.m
s Biias. senhora; a virem ver:
Bieas cliapeliuas para visita, de palha. feltro,
velludo e seda, a Babagarcs Hontpensier, ultiraa
moda.
Chapeos de palha para passoio.
lnfeites de seda, de eores c para luto, para ca-
ceca de Sra.
Costuines de cambraia para Sra., contend ves-
tido, cbam't) de clices e de sol, tud da mesma
fazenda e de igofis enfeites.
CiTtes de vestidos de la e seda, de cambraia
bo dados nguilia, pintadusc estampados, e de
baptislas de cores.
Elegantes gaaricde3 de cores para senhora,
poniendo 1 par Je brinco*. I afnete, 2 pntcelras,
i diadema e una borboteta para cabell.
l.iipirs de madreperola, brafleo e queiinado pr
de rosa, laranja ele. ete. lisos e Iwfdauos.
Leques il; ni.iriim. lisos, bordados e com seda,
Loques de tartaruga.
Lwroes de Uiadeira. s VendVm-se no Bazar Victoria, ruajdo Barao da
Victoria n. 2.
FAZENDAS FINAS E ROUPAS FEITAS
NA OFFICINA
DA
LOJA DO PAPAGAIO
Tendo por mestre Mr. Charles Laurent
RA DA mPERATEIZ N. 40
Mendes de Carvalho scientificam ao respeitavel publico, qae acabara de receber a
completo sortimento de fazendss finas de todas as qoalidades, tanto de 13a como de :
nbo, seda e algodlo, o qoe ha do mais medernoe do roelbor gosto, e portanto conr.
dam as Exmas. familias amigas da economa do mestica, a virem ou maudarem na J>h
DO PAPAGAIO, e vero qoe compram fazendas bonitas e baratas por menos preto qx
jamis comprarlo.
COMO SEJAM:
Granadinas de seda de ama s cor, lar- Chitas francezas de todas as qoadaa*
gas a 1,5600. de 320 rs, al os crotones de 560 rs. o c*
Poupelinas sarjadas de forta cor boa lar- vado.
gura, a 10200 ocovado.
Cortes de casfa brancos bordados coa
Alpaco de cores com listras de seda para babados de seda de cor, e branco, otro<
enfeite, a0O rs. o covado. bordados com listras.
Laazinhas de cores, em grande qnantida- PARA LUTO.
de, de 320 a 500 rs. o covado. Veos de fil de seda pretos a 80000.
Cachenez francezes para senhoras e me- Merinos para vestidos, bombazina, cat
ninas, a 30000. to, albacas, ISazinhas, crep, cassas e cb.
Cretones francezes para cobertas, cor fixa, tas, tudo em qoantidade, e para diverso
a 800 rs. o covado. precos.
Alpacas lisas e lavraa>, de cores moder- Groadenaples pretos, de 10600, ?0OtO
as, de 500 a 800 rs. o covado. 20500 at 50000,
O bertas de fustlo de 11 e de oatras s*da prcila con listras assetinadas pin
qoalidatks, brancas e de cores. vestidos.
Poopelinas de seda, de Or e de quadro Chapaos de sel de seda para meninas, a
a 10800 o covado. 40O Pecss de cambraia bordada para cortinado Moa pafa.almenad* 40JWGO at 20o
com 25 varas. Ditos de alpacas decora f reto, para di
Ditas de cambraia adamascada com 20 va-'tersos precos.
5 m
man p-
me-
Tende-fe bataneas TcIffiaSs tanto pequen
como gjpdi's : na run EiCElIenie touthhb \u?i >m 'ju da q na tro
!it)ti'a9fjO rs. aff*ra": Ao. arwzem dd Tasio
trttSra '& C, r a" do Amorfa .o. 37.
Vende-se o si.tio da esirada da Cru de Almas
ne ffea entre n o cohmSenaador Tsso e o dol
esembargador D 'Fia, ortt M*a de viver.da, d ffe-
xenles arvoredw, grande tu i xa de capim, etc.,'
dando os fund# para a esirada fJos trifhas rba-
nar
nos ae p da QstS'cao da Jaqueira : a tratar na
rtfa dn Amaran n."37. ______
Farili* de ubHiio^a a 3 o!
Na rtia da
quauto alo sV i
fe ,fc T^o a, 7; a

emj
bic.ii s de famburgo
Vende se a l? n cent i, maito barato : os
rn da Cruz n. '>, t* andar, salao da cbel!et-
reiro.
Kerosene
de prlrora qdaltdade, ojarta TieMjej, venJeni
Pfrfllra da '!nnha truin, % 'ra io Slarqa-i d--
Ofind d. 21. I* lindar.
so-
Tapetes avellodados desde os
qoenosatos vaiores.
Damasco carmezim para colchas, o
lhor.
Paraos de croch p*ra cadeiras e
pfee.
Cambraias tfcloras de lodos oa come
ros.
Ditas transparentes ingtezis e soiseai, cost
a largara de lrlatana.
Fil de nho e de seda, branco e pratu
Uso, ale kalpico e de fl res.
Camisas bordadas para senhora, de >
tersos precos,
Meias para senhoras, das mais Inferiora.
at as mais saperiores qoe teeaa appar
cido.
PARA HOMENS E MENINOS.
Neste eatabelecimeoto se aMbtoo i.
ofticioi, e qoalqer hornea qae qnwar ytt
tir com gosto, achara moita variedad* eo
Madapoles ingleies e francezes de 50000 camisas decores, pannes finos e casem-.ras
roopa fei*
ras, a 120000.
Saias bordadas muito finas de 4 e
nos.
Rales de chita e de cambraia a 20000.
Nansouks e baptistas com listras para en-
silar.
Diversas qoalidades de ISasinhas e alpa-
cas em retalhos, para todos os precos.
Bramantes de linho para lences, de 20200
at 40000.
Dito de algodSo muito largo a 10800 a
vara.
Algodo largo para lences, a 10000 a
vara.
Atoalbado adamascado de linho e algo-
dao.
Espartilhoa de linho fiaos, de 30000 para
cima.
Laazinhas largas com listras de seda, a
800 rs. o covado.
BICHAS DE HAMBURGO
As mais rocf&tObo ni !ion.-.
Vendem-se m pliarmaca e drogara de Dar-
tbolomeu & C, ra Larga dosario o Rn. Si,
.eesa .Wa,-aaa^.iaoari>, jerrp*.
, 9(4 M rato. *w Crioiiiaa^apiimfai
se Umbam parte de is Outra eaan Sar-
~>-r -
&
Muita attenco.
VmMQ *e uva pura da ilha do S. Migu 1; te-
i corrtQ pctxeAj djver as qu^Uiades ein 1 ar-
>!em OKvein Jfflranda, A C-, A ra. do1}
cMaincnto n. I
yrtimwevt retfl-oezhevo: no tarto h
Cinco Pontasn. 114.
carnaval.
Jfe ia4M,ltfuiftlM*a9 AL Jeja 4a oiriu^^^
fwide-ge fraaja* ejafeitas doarado e pr&tea-
para vestuanos de mascaras.
as mareas.
.
at 120000.
Algodiosinho de todas
sos precos.
Breges coa stra da seda, a 300 rs. o
cpvado,
Cassas franceaas da coras fixas e lizas
com barras, os padres mais bonitos qae se
teem visto.
FORNECEM-SE
eeY lfla do mercado,
iei assim com) camisa.? fro
_ezas, lisas e bordadas, ceroola*
de 1 Bho aa algotJo. aias, cailarihfs en
graode q*antidada, rava^s, da sodps q
feitiws, amiaa* da a, am somma gpcoa
tradaitHJft.qpe p eciaar -para ftjr'cwi>
I gosto e elegancia.
Boa acqiai^io,
^Vendem-se as .duas casas, i ra do
de do Herval nf\|f e 897wfratar aVi
Senzala Velha *..
Vende-sc^uaT eaas terreas edul
ti
bns
Silgar Water*.

"


I
r
J
1

i

Diario de Eeraaibiuc Seguuda feira 27 de Janeiro de JtfiW.
-i-.
aal-nmMMle l *> Mor*f ^etnfWtl
mm marat*. u
Perfumaras
Neate artigo wa preei*a dar e*pliMc5e, kt
dizer-se ci falirieaotesl*u Oosoeili, Coaify,
Lubio, Rime! Lif rnd ; tas perfumaras dista
ver viento en vasos da tao4Mos otos, que
M lefaie e,tera>a> prtprk para um
uado presente.
Trancas ffijas de seda
tonca.
DeU ve i) tortimtUo veio magoifieo, laxeoda
multo ba, milellot noves e de todas as larguras.
Bonecas de borracha
Dess hoMtas Teio pequea porosa e do diver-
sas t&maahes.
Diademas
Lindos, e de inoiellos no vos, velo colisa moito
boa.
Quem iuvidar venia ver
Decedidasetile a Magnolia roa Duque de Ca-
sias u. 45. convencer aos seus amigos e fregu-
zes, de saa especialidde um correspondentes, na
parle ais elegante 4 mundo ; agora mesmo o
ultimo vapor ciegado da Europa Irooxe ama par-
te de soas eneompMndM para o tempo de feala,
constando dossguinle:
Para o bsllo sexo
Lindiashns brincos, alfitetes, erutes, palseiras
e ca^o'etas de tartaruga berdadas a onro, assim
orro bonitos iirampoa eoin perolas e outras pe-
dra- para a cabega : a Magnolia solicita do bello
sexo, que prima sempre no chique e na moda, qae
venba ver e.......
Laxo e bom gosto
Para enriquecer e aforo:osear tima sala vieram
lindos jarros e jardioeiras de porcelana moito fina
e de bonitos modellos ioleiramente novo?, com
lindos desechos e douradon; assim como ntna es-
pecialidde eio pannos do cbrocbet para sola e
ca deiras.
Qaal?
O rnooo etiiiras e da moda que nao apreciara
otra linda guarnir i > de marflo, madreperola, onro
e plaqoet, coosi lindissima e de molde especial e
nunca vindo a jui ; moito cons cbapeos de sol com
cabo de marfil e bengalas imitaclo de unicornio
om csti de madreperola, por eerto nnhum dei-
xar de vir loja da Mag lolia a roa Duque de
Caxias n. 4.1, escoiher qualqoer desies objectos :
nao caro r
----------------------- .i,
Borracha para limas.
Vendc-fp boirraclia para limas, cliegada hooiem
lio vapor americano OnUxto, por menos 11 por
i*ento porque se vende em outra qualquer parle :
na ra Nova n. 61, e no pateo do Carmo n..3,
ptiarfnacia.
Borracha para limas.
Vendle bu radia de p-imeira qualidade para
limas de clioiro, c por pree,o rasoavel ; na pisar -
iiiacia imperial, praca do Conde d'Eu n. 1
Vende-so por procos (|ue muito conveuj,.sac-
cos com milho itiuito novo, carris co o breu e cai-
\a* com bisco os ingleses : no armazem da ra
le Do Tingos Jos Martins, oulr'ora Senzala-velha
n. 106, de Matlicus Atistir & C
Fio de alzodao da Baliia e cal de Lisboa, re-
oentcmente cnegado : ha para vender no es-
riptorio de Joaijuim Jo
Goncalves Beltrao d Fi
lio, na do Cnimercio ii. 5.
4 terdadeira cenrTBja.d BtiieM, marca bat-
ua, de superior (joaUdade : veodem Tasao -Ir
ios & C em sea armsiem da ra do Acsorim
uV. "
cotsilrACto
rttfui
tu
lili.
v
^-7 DEPUATIVEZ %
MfECNATISMOt
iHnlfirt
lB,lffll
liau
i.
V
I-
II
IC0M0D0SE PURGATIVA!
70VAL-ASAdOEITAfS i
.COMODOSEREFBESANTE
te
DPUfAI/VA
w
SAUDB
DEPOSITO GERAL
NA
Pharmacia e drogara
DE
BARTIIOLOME & C.
34Ra larga do Rosario34
CIIEGOU
O bacalbio da Noruega, em cixas e m u-
ditas : no caes da Alfandega n. I, armazem de
Tassn Irmaes di C.
0 \w\h Pcrnaiubueano
A prposto d ictnal conflicto
i-clift'ioxo
Este opsculo, que tem :;ido tanta acceiUwjao por
part" do publico imparcia. d'esta cidade, continua
a vender-se as u'vrarias Franceza, Universal na
mi.i (loluipcradur, Industrial na ra Nova, c na
na da' Cadeia u. 27
Preco 600 rk
^_______________
Singer.
titea pcittl qui* se retira para Un da provin-
cia voride mu machina de costura do afamado fa-
bricante Singer, tendo apenas 2 uiezes de ppaco
-o. Par,i ver e tratar ni na .Augusta n. 236.
Por 35S000
E barat.o
Vende-* una farda e una hlua de panno
10 anda nova, inna e-pada. nm tatim e boni>t,
ptoprio para offlcial de linlia ou de guarda na-
i ional : qaetn poig oniair comprar, dirija-se a
esta typographia, a fallar com o administrador.
las 0 horas to ilia por di inte.
= Vende-e a armaco e alguns utencflioa da
tararea Jo pateo da llih'-ira: tratar com An-
touio da Sih-a Jnior, no patoo da Ribcira n. 1.
Obras de nbiiasia.
A loja da Aguia Branca, ra do Duque de
Caxi s n. 80, recebeu un bello sorliinento de bo-
nitas i modurnas obras de jiliantasia, sendo :
Brinc s e cruzes pretas, com dourados e pedras.
Outros de madrep rola queiniaila com bonitos
nfeites de dt>licadas flores.
Outros c'c Un i dourado com p nge tes de cores.
Outrus encarnados e de bonit s moldes.
Rosetas de fino dourado com pedras brancas,
Aderecos d madreperola.
Ditos dourados com oamapheo preto.
Ditos encarnados.
Ditos imitando fulhas e flores naturaes.
Ca soletas de madreperola
Vokas de grosaos aljofares de cor s.
Outras ("c ditos pret s com donrados.
Pulceiras de tartaruga com dourado.
Outras pretas.
Grampos pretos e de cores.
Bonitas abotoaduras de fino dourado, com pe-
dias, coral etc. para abertura de camisas.
Hotiies dourados e de outras ijualidades, para
aberturas e collarinhos.
Novas gollinhas e punhos
bordados.
A loja da Aguia Branca ra do Duque de
de Caxias n. 50, recebeu novas gollinhas e pu-
nhos bordados, e outros enfeitados com entremeios
c bicos ; assim eomo recebeu igualmen c novas
guarnieses de gravetas com franjas e lacos para
>s cabellos, tudo do nellior e niais mod rnos gos-
tos.
Bonitos leques.
A loja da Aguia Branca, ra do Duque de
Caxias n, SO, recobeu bonit s leques d perfeita
phantasia, pre'o com dourado1, e outros de apu-
rados gostos; assim como recebeu ou ros de ma-
deira une se confunde com o sndalo, e tem el-
les lindos coloridos n c ntro, e ainda assim ven-
de estes pelo barato preco de 44000 cada um.
Vasos de crystal para toillet
A loja da Aguia B-anca, a ra do Duque de
Caxias n. 50, r cebcu bonitas garrafinhas de crys-
tal em par com ramagens douradas e mui pro-
prias para arranjos de toilet ote,
Armis e colares elctricos ,
A loja d'aguia branca ra Duque de Caxia
n. 50, rec ben nova remessa dos proveitosos an-
ncis e colares elctricos, e contina a recebe-los
mensnlmente, pelo que sempre estar prvida de
laes objectof:
Para acabar at % Ihh k m
RA DO MRQUEZ DE OLINDA
Ol'TIt'ORA
Cadeia do Recife n. 53
Tendo o novo proprietario de mudar os artigos deste estabelecimento, desejando 1-
3uidar at ao fun dcste mez, tem resolvido vender por presos muito commodos com o fim
e apurar dinheiro e liquidar vista, pelo que convida aos Illms. Sr. chcfbs de familia
a virem sorlirem-se, pois a occasio opportuna, e encontrando um completo sortimento
de chapeos.
Chapeos de palha de Italia para senhows e meninas, com enfehes e sem clles.
Chapeos de velludo com eufiites. Gqrroa de velludo com eneites. Chapos de palha
de differeutes qualidades, enfeitados, para senhoras c meninas. Chapeos de palha de Ita-
lia, enfeitados, para montara de campo. ^Chapeos de palha para homens e meninos, de
dilterentes qualidades. Chapeos de fcltro.para homem. Chapeos de massa pretos e de
cores, para homens. Chapeos de lparaupmem c menino. Chapeos altos de pello de seda
para homem.
Bonets de diffejentes qualidades, tauto de seda, como de palha de Ilaln, panno, case-
mira e alpaca, tanto para homem como para menino.
Gorros de seda, velludo, l, tanto para homem como para menino.
E muitos outros artigos que s com a vista podero ser examinados, afianga-se que
WfT
fH
DO
. nao engeita-se dinheiro.
attpcao
Vemle-se um excelleote cofre coui sepre-
do, obra feita na trra com muita segnran-
fa: a tratar Da thesouraria as loteras,
ra i de Marco -o. 6.
S'iwira ijiialidde.
Vende-se liorracha muito boa. dragada ultinia-
meate, por menos que em outra qualquer parte :
na ma da Concordia n. 2, taverna na prac,a do
d'Eu. esquina da ra do Arago-
jae:ros
com tripas ( dobrada da
vS.i nm : no armzem
ra do Amorim n. 37.
vacca ingleza a 4*000
de Taso Irmoe & C,
Vende se tuna mobilia de aniareiio com
moito pouco uso : a tratar na ra de S. Miguel
dos Affogadoe, casa n. 20.
' M LARGA DO ROSARIO
laja do Yiaima
Comprou em leilio grande quantidade de fazen-
, as qiues vende com pequeo lucro, por se-
guir o systema deganhar pouco e venderdepressa
quem Ihe comprar tera certosa que compra por
pouco mais de metade c'o que se vende em qual-
quer outra parte. E' preciso vir ver depressa
porque acaba-se logo, como sempre lhe acontece
quando tom pechinchas como agora.
Baldes com arquinhos para Senhoras, de \l a 1J.
Chitas esemas e claras, de 00 a 240
Ditas percal,as muito fi as, de 480 a 330.
Cassas de flores c de listras, de 800 a 160.
Ditas miudirrhas, de 640 a 240.
*Rjssas de madapolao fia?, de 9 a !<000.
Ditas do dito de ti i a 5ft000.
Ditas de dito de 7f a 4.SOO0.
Ditas de algodo, de 6J a 4/000.
Meia casemira de 33 a l.^COO. *
Algodao anvTirano de li.siras, de 520 a 4320.
Pasaas de auguran muito fino de 284 a 204.
Nao lia mai% cabellos
brancos.
Tinturara japoaeza.
S e onica approvaoa p?'3S zesderoias de
fciencias, reconhecida enperior a toda qoe
lem apparecido at bflje. Deposito pria-
cipal ra da Cadeia di Recife, boje .Mr-
quez de Olinda n. 5!,!. andar, e em to-
das as boticas e casas' de cabe'.leireiro.
lijlas francezes se\Iavads
De 4.B-OOC a 55-rOOO
o milhero.
Estes tijo'os, fabricados do.Lao Vermelho con-
solidado, sao os melhores e os niai? econmicos
pela sua barateza para ladrilhar os pavimentos
trreos das casas, porquanto. pouco mais custaii-
do do que os feitos no paiz, sao, sem comparacao
alguma, superiores a estes pela linipez de que
sao susceptiveis. f.ustam. alm disto menos da
decima parte dos de marmore, j leprovados, e
dos de differentes mosaicos, os quaes nao estao
certamente ao alcance de todas as fortunas, e s
sao eniprcgados e proprius para as salas princi-
paes. Alm da vantagem que ha no emprego
(lestes fijlos para os pavimentos trreos e casas
de campo, tem estes ainda a de serem os melho-
res e mais proprios para ladrilhar cozinhas nos
sobrados da cidade, atiento a sua solidez e pouco
peso, estando mais qtic pi ovada a conveniencia
de serem assoalhadas a cozinhas todas de tijolo,
e nao s a parte junta- ao fogo, no "que at as
companhias de seguros se deveriam interessar.
Vendem-se nos armaiens de farinha de Tasso Ir:
maos & C, no caes do Apollo. ______
ARMAZEM DOS LEES
Eua Duque de Casias n. 29.
Gs propietarios deste bem montado estabelecimento scienifkaui ao
respeitavel publico desta proviocia qae se acham com um variado e completo sert
eto de movis, tanto nacionaes como estratgeiros, sendo estes escolbidos por nm dos
fabricantes daquellecontinente as remessas das mais ricas mobias feitas all.
Na oScina tem os mais habis artistas deste genero, e por isso pedem qae ve>
oharn visitar o estabelecimento, sonde encontrarlo a realidade do qoe acabam de expr'
ae se pode examinar; ricas e completas mobias de Jacaranda, mogno, faia, carvaibo, a-
marellc, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao setira, amareilo. etc., etc., goarda
vestido de amareilo, goarda looca de nog<.era e de amareilo com taropo de podra, ape-
radores de dito dita, peti toilettes especialmente para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amareilo, pedra, secretarias da Jacaranda e mognocus tureiras oe mogno, san-
tuarios, tbears para bordar, bercos, lavatorios coa espelbo, de pedra marmore seo
pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e mohos outros artigos qoe drizamos d
mencionar por se}toroar enladonbo
MUZEO DE JftIAS
* N. 4 Ra do Cthug, X. 4
JOSEPH KRALSE^C.
^3^-lfCQCCtLaSS3aDI22.I^S3
DE

m
Vi
i
I
3

CALCADOS
..orzeguins de canno^bxo para Senhta a i450(.
Ditos de di'o alto para senhoras-a 5*.
GRANDE PECHINCHA
Bonegums franceees para homens, de btaerro,
ciirdavao, pspiado, com iwtoes* I2# a I4, e
di 6|.e 9#.
Grande sortimento dt todas, as memores quali-
dades de ealc>kJB, para homens. seahoraj, meni-
nos e meniMs. Turo' endig bafato.
Nora qosiliude lia fogRes para eniinbir, (-
quaes coates -em ai fai wa para arjaadaa^ c&rdaira
para a^u;, dediuersi* laraanbos, ns.fpiMf i.
tornam reJonnaenaads jpela ana boa qnaftlade e
- crande eonomia : sciro ort os ja eobheddos
ftrnos frasee ee, fcgamirai pava aejoeatar ferros
com rnuita brev^i% 1(uar<*MWila, tem331%
alfaiate e chajieeiro: luda m ra do Bario da
Victona n.as, aatr'ora ra teva, iota de fecra-
m
(0MES DE MATTOS, IBMAOS
0 Nesc importante estabelecimento de primorosas joias, adiar o ttpoitavel
publico desta capital um grande e variado sortimento oe joias de todos os
procos, queja existiam no Muzeo, que sero vendidas com grande lotlueoo
de proco, alm dos novos objectos recebidos dipeotamente da Europa, que
se >endero por proco animador, bem como sejam, aderemos de brilbantes,
pulseiras de ditos, broches e rosetas de djitos, ditos de diflorentes pedrarias de
presos; atinis de brilhanles e de esmeraldas, rubins e porolas, e do to tos
mais objectos de valor, quepossam ser desecados pelo bom gosto e at>recoda?
familias, que sabem dar valor a objectos de primor.
Os proprietarios do Ml'ZEO 1>E JOIAS, convidara as familias queso,
queiram prover de excellentes joias, a virem escolhe-las entre o tUBto
sortimento dellas, garantindo os proprietarios que sero sinceros para todos
que se dignaran procurar sou estabetecimento.
Entre o grande sortimento de brithantes, esmeraldas, jterolas, e obra
simplesmente de ouro de lei, se ver um elegante sortimento de obras de
prata primorosamente Irabalbadas, que tambera so vendem pre<;o reduxido,
bem como, relogios de ouro o prata dos melhores autores conhecidos, que
se vendem mediante pouco dinheiro e garanta dos donos deste estabeleci-
mento.
Os homens do centro, que precisarem de qualquer objeeto de grande
ou pequeo valor, procurem o MIZEO DE JOIAS, que sero servidos com
attenco e sinceridad;.
BAZAR NACIONAL
Ra'da Imperatriz n. 72
de Lourenco Pereira MendesGuimar&es
Declara ao respeitavel publico que, tendo concluido o constrte qoe fe em sea es-
tabelecimento da rna da Imperatriz n. 72, declara qoe o sortio de novas fazeodas pro-
proprias para a festa do natal, os preces sao os mais baratos possiveis a saber :
LASINHAS A' 120 RS. CORTES DE BRIM k' 4(5500.
Vende-se IJasinhas para vestidos a 120 Vende-se cortea de brim para caifa a
WO, 360, 400 e 500 rs. o covado. 1*500 e 2W 0.
OLINDBNSE A 800 RS. MADAPOLAO A' 30'.00.
Veoda-se orna nova fazenda de sedae Vende se pecas ds madapolao a 3*000,
linho, por nome olindense, propria para 4,j50( 5*000, 6*C00 e 8*000.
640 6 800 vestidos, a 800 rs. o covado. chapeos DE PALHA A 1*000.
ALPACAS DE CORES A 440 RS Veide-se chapeos de palha, de feltro e
Vende-se alpacas de cores, lisas e lavra- ds castor, para bomeDs e meninos, a 2*,
das, para vestidos de senhora, 440, 500, 2*50c, 3* e 4*000.
rs. o covado.
BAPTISTaS A 500 RS.
Vende-se orna nova fazcnla por nome
baptistas, para vestidos, a 500 rs. o co
vado.
SOTANAS A 6i0 RS.
Vende-se orna nova fazenda de 13 e seda
por nome sclanas, para vestidos de senho-
ras e meninas, a 640 rs. o covado.
PHANTASIA A 800 RS.
Vende-se urna nova fuzenda lisa, por nome
phantasia, para vestidos a 800 o covado.
Fnsto branco a 3 SO rs.
Vende-se fwta > branco e de cores, para
vestidos, de senhora, a 323 e 400 rs. o co-
vado.
CHITAS FRANCEZAS A 240 RS.
Vende-se chitas francezas escuras e cla-
ras, a 240. 280, 320 e 360 rs. o covado.
BMAMANTE A 1*600.
Vende-se bramante com 10 palmos de
largura, proprio para lenfoes, a 1*600,
e 2*200 o metro.
Crosdenaples preto a 9000
Vende-se grosdenaple preto a 2*000,
2*500, 3*500 e 55000 o covado.
PANNO PRETO A 1*500.
Vende-e panno preto para caigas e p3-
litots, a 1*500, 2*500, 3*C00, 4*000 e
ai000 o colado.
Samuel Power Johns-
ton&C.
JRua do Apollo n. 38 e 40
Fuem Miente aos seos fregnezes qne teem
mudado o sea deposito de machinas a va-
por, moendas e taxas da muito acreditada
fabriea de LowMoor para rna do Apollo n.
38 e 40, onde eontinnam a ler o mesmo sor-
lioiento do costnme.
Fazem sciente tambem que teem feito om
arratijo com a fandicao geral, pelo que po
dem offtrecer-se para assentar qualquer
macbinismo e mesmo garant lo.
ALGODO A' 4*000,
Vende-se pecas de algodo americano,
4*00f, MOOQ e 6*000.
BOTINAS PARA SENHORAS A 5*000.
Vende-se botinas para senhora, a 5*000
e 5*500.
CAMBRAIAS A 3*000-
Vende-se pecas de cambraia lisas para
vestidos, a 3*0C0 4*000 e 5*000.
CAMISAS BRANCAS A 2*000.
Vende se camisas brancas a 2*500 e 2*.
Ditas de linho a 3*. 3*500, 40000 e
5*000.
Palitots de panDO preto a 5*000, 7*000
e 8*000. Palitots de casemira de cores, a
4*. 5*000 e 8*000.
SAPATOS DE TRANQA A 1*500.
Vende-se sapatos de tranca e tapete, para
homens e senhoras, a 1*500, 1*800 e2*
Sapatos de casemira pretos a 2*500, 3* e
3*5(0.
CHALES A' 8C0 RS.
Vende-se chales de 13a cem qaadros e Ul-
tras, a 800 rs. e 1*000, ditos de' oaerin*
estampados, a 2*000,3*500, 4* e 5*000.
E outras muilas fazendas qae se vende
sem reserva de preco. na loja do barateiro
Bazar Nacional.Roa da Imperatriz c.
72.
Os proprietarios da luodicao geral laem
scieates aos seubores de engenbo e mais
pessoas, que teem eslabelecido urna fnndi-
(o de ferro e brouze a ra do Bruoi, jun-
to a e>ia\'o dos bonds, onde aprontarlo
qualquer obra de eneommeoda com perfei-
cao e pru'nptidao.
Os mesmos rogam as pessoas qne qnet-
ram utilisar se de seus servicos de deia-
rem as eocommeadas em casa dos Sr?. Sa-
muel Power Johnston A C. a ra do Apol-
lo n. 38 e 40, onde acbarao pessoa habili-
tada com quem possam entender-se.
Apparelbo para fabricar assucar, do systema.
WESTON CENTREFUGAL
nicos agentes em Pernambuco a fundidlo geral.
Para tratar em sen escriplorio a ra do Apollo n. 38 a 40.
Aderecos de bri-'
Ihantes, esmeraldas!
rubins e perolas, ]
voltasde perolas.
A SAPHIRA
DE
Obras de ouroe
prata de todas a*
qualidades.
N. 2 ARa do
Cabugr-N. 2
A
Achando-se completamente reformado este estabelecimento, c
tendo os seus proprietarios feito urna importante acquisi<;o de
joias as mais modernas viudas ao mercado, e de qualidades superio-
res, convidam ao respeitavel publico a fazer urna visita ao sen es-
tabelecimento, afim de apreciar e comprar urna joia de gosto por
preeo razoavel.

:;^^52^5SS
6EGRG
:i.fri
CARNAVAL!
Borracha para limas.
Vende-se borracha do primeir.1 qnalidade para
limas de cheiro, bos seguintes lugares : na phar-
macia Central ra do Imperador n. 38, aa mes-
ma ra n. 22 e no pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 4, por preco razoavel.______________
Ultimo gosto
Cadeiras pretas donradas e mar:! atadas ca-
dreperola : nos armazens de Tasso Irmao & C.
oo ca>s do AdoHo. ^_^_
Farinha de mandioca,.
Vende-se no trapiche Ctrmpanhia chocada ha
fouco do Rio de JaneTO: a tratar cora Thomaz
de Aquino Fonceca 6t C. snecessores, roa oo Viga-
rio n, 19.
Novidade.
Ricos chapeos para senhora, de palha de Italia
te de seda, cousa inteiramente nova neste merca-
ido : so se encontrm na Predilecta, ra-do Ca-
ibog b. I A, a eDes antes qne se acabem
Abds elctricos.
Dqultes'aneis elctricos, tao nteis paja
nervoso, e que a Magnolia, rna Duque de Ca-
xia*. 48 tem veaado porcao I e qne por serem
as nicos verdadetros, multo tem aproveitado ;
pelo ultimo vapor veio nova remossa : elles. an-
tes gae se acatem. Na Mapolia n. 45, ra .Duque.
Jto'&Hiiw.
KONOSIA 1 CE
Obtem-se com o uso
INJECCAO SHOST
nica, hygienica, radical emfallival na cu-
ra das gonerheas, flores brancas e finios de
toda especie, recentes ou chronieas; e que
Os moradores do Puco d> Panella e seus subnr- offerece como garanta de salutaros rebultados
bios necessanamente devem receber em sua a- rnyiftftwim ilii nnl^*. nu(imnn, Pnm a
saa algumas visitas na vespera e dia da festa da conteiuadaappIiea?*o que sempre com a
padrocira daquclla fregnezia e per isso preciso maior vantagem se tem feito -della nos 1
que de antemao se faca urna grande revolurfio pitaes 3g^K lgico!
A cosinha, a dispensa, os a-
paradores e a mesa.
augmentando, sortindo e recheiaado a czinlia,
a ispeusa, o i aparadores e a mesa (j se sabe,
con. iguarias gratas ao paladar) sem o que nao
se pude passar um dia folgazao o regalado.
Queris que principie a vos indicar um meio
fcil para ronsegnirdes o fin a que vos devois
propor para transformares, augmentares, sortires
e rechoiares as vossas cozinhas, dispensas, apa-
radores e mesa? nada mai fcil...
Ide a ra do Imperador n. t;
onde vires urna casa com a fren-
te pintada de encarnado, tendo um lampeo ma-
durado, cujo lelreiro se l o seguate : Confei-
tari do Campos.
ellal... E eHa !... lia..,.'
Ahi deve-se entrar e eacommondir para cada
casa o seguinte:
1 Fiambre preparado.
i Dolo inglez.
1 P5o-del.
1 Pudn de pao, arroz ou tupka.
i ouipada de carnario ou.gauinlia.
1 Torta de fructa.
100 pastis diversos.
I Per assado no tono.
1 Peixc dem idem.
i Gatheaux'd* la reine.
Vinhos, cervejas, licores, bolacnjahas- bol nbos
para-cha, cha verde superior, passfls, fteoa, amei-
ixas e tudo mais qqe mesmo IrnposstreJ 1eTn-
fcrar.
S ella, s neUa.
Na confeitaria do Campos.
1
nico deposito para o Brasil, Bartholomeu
., ra Largado Rosario n. Si.
_____SSS'Sl
ACOROA DE ORO. |
.4 ra da Imperatriz 199
" ** m
Acaba de receber de eonta propria, ^s1
pelo ultimo, vapor da ui qfa. nm com- 49)
pleto sortimento de objectos de prata ^W
os mais lindos que tem vinde a esto mer- Si
cado, sendo os egumtes : aderemos de
la-gpanna, obra 4e jurado f oeto, vol-
ts,iiacos, comas, salvan rologios,
palhitejros, collieres etc. etc., pelos pre-
sos mais resumidos possiveis. Assim
coma nm completa sortimemo de obras'
de -wo : onnew 4e tobaales, aozetas,
aderecos etc. e tambemitem brtiaates.-
1,11 MIIM IPll
0 Machinas para limas.
Vende-se opthnag, e muito coavenieWes pira o
fabrico das meam : na pbarmaoia de Perreira
Maia & C, ra larga do RaNe*. 4s e na pra-
ca .do C#nae d'Eu n-. 19, casa do Sr. Aeiomo Lie
ll'rerreira. ^h
CAHBRAIAS
4i 4> .a.pecA.
CaM*nia ?wfflflrmt na, a 3
ruado Crepo n. 30, loja m
Cgubajit:
O
AIS F09SH0S0
TNICO E FEBRFUGO
MINIADO FOM I ACADEMIA DE MEBCIXA, Dt PAMIM
Onro.
auiNA
LAROCHE
Premio
i6,0OO
ELIXIR TOXICO, FEBRFUGO, FORTIFICANTE E REPARADOR^
* superior a o* Vlnhaa o aropc de falauu
Experimentada com pleno successo nos hospit5es, a Qiha Laroche (ou Extracto compL to
de Quina) urna preparacao excepcional, por ser privada do amargo da Quina. Agrada po
canseguinte as pessoas as mais intolerantes e aos paladares os mais delicados, pois nem
muito doce nem muito viscosa, sendo de urna limpidez constante. Emprega-se com muito
proveo nos casos de : gastralgia, dyspepcia, neuralgia^.anemia, marasmo, cacluxias,
majrtut, fattio nm causa appareuU, convaUtcencas demorada), calorse e etcrophulas.
E 0 ESPECinCO DAS MOLESTIAS FEBRIS.
EM PARU,
15, rae Drouot.
QUINA LAROCHE FERRUGINOSA
Remando todas as propiedades do Perro et da Quina.
Na pharmacia Maurer ra do Ba* da Victoria u. 25.
(V

*
Vende-se manteiga, iqgiaza fjor a 800 rs. i #000
#280 a libra, no progresso do pateo do Carmo
Novo estabelecimento
de joias.
Ruado Cabug u. 12.
-Neste estabelecimento se encontrar*
nm bonito sortimento de joias que se $$-
vendem por al preco quo animar ao <*-
comprador, attaato ao ventajoso syste- S.
i ma, ganliar jkhco para vender mui-
t, que cortamente *HI ao compra-
or e ao vendeaor.
Tambem se compra ouro, prata e pe-
oras, jcaeiasa^ tmm como se aric* e
coneexta toda e qua)quer obra -tendente Z
)
Boa aoquisi^o
Vende-se om terreno na rna Imperial, solo
propf io, com i tO patanc de frente e ;t0 de fun-
da, todo Aterrado, ptompto par edificar, porto
para descarga d material, estando um lado dv-
rado : a ve na mesma ra, casa a. 436, e a tra-
tar na ra Nova, laja n. 7. -

Yende-se na-,ra do Imperador
i -elle
cabrlolet americano
novo e muito elegante.
lmper
rodas
com
n. SO
*rss
1J! Salsaparrilha !f
Da luaisiwva que.t no merrajfi Vl*f7ei-.i
Pereira Vianna & (X, rua do Vi^
anda?_____1____,------r
Insignias inacjnieas.
Vendem-ie
iduas casas terroaa uor preco comm^o, e aiguns
bins terranos plantaloa com capim, de planta.
ms trranos plantados com capia, t
Amaral, Nabnco* C. vendem insignias maco- tudo no Porto da 'Vdita em BeHUrism : a tratar
nicas de diversos giW: d Oca** VtoWria, roa cam lrmaos l.____________
do Bai4o d* Victoria a. 1 | Vcnde-seumicrrnb m" o^-
1. l_V.U...'...., .. .ili.. aTli: ,
. Catiras oratorias com a<;eoio ae
S0X e*da urna no caes do Apollo
imd e Trnso irmioi C
3,mii)bi' da do AmMe cot.^oilte ao ak> de TaHMio JosC
f Srrma I de HeHo, com 80 palni e freata > e to-
llo : a.tratar ms*f 4* al(aod#ga#- *


Diario de Pem-mtmeo 5 Segunda feir 27 de Janeiro de 1873.
LrnraMPRA.
Institu* Ul*riee titira-
ph.< Brawllrlr..
DISCURSO DO M. IIESUAMI-i FIUNKLIN RAMIZ
GALVAO, FAZI1HM AS Vf ES ME ORADOK NA
SKSS.VO MAGNA.1 CK-LKlllAlA KM 15 DE
DF.ZEMBRO DE 187:2.
(Cunt usa.)
Ainda esto .vofie por ah os laurea a
-fama os discipu os quo ouviram o grande
proossor de operar jes, incisivo, cloquete,
nobre no gesto e na diego, arrebatador an-
da quando explicava as ingratas minuden-
cias da anatoma topograpliica e da arte dos
apparelhos.
E ardua tarefa colher llores em urna es-
trada juncada de u res ; mas no meio des-
sas'diiliculdadct resplandeca o talento, como
no cadinho se prova o ouro.
A audacia c valenta de suas proposiges
demonstrava bom o que alli a convego
plantara cm solidos fundamentos de certeza.
Anda no recinto da escala resoam, e de
bocea em bocea se perpetu im na tradco as
memorareis palavras com que o defensor da
torsao rematara uma do suas lices arreba-
tadoras : Se meu lilho o?tivesse a expirar,
uiziaelle, victima do uma bemorrhagia as-
sustadora, c os cirurgies do mundo inleiro
optassem pela ligadura, catorcena a arteria,
porque salvara meu lilho
IS'a pratica, senlioms, a inais feliz audacia,
e urna pericia consumada, deram-lhc em
pouco tempo na corte a palma da um dos
primeiros, senao a de primeiro cirurgao
brasileiro.
ii'entre suas operages mais famosas sla-
nos licito mencionar aqu a que lbe valeu
elogios e ttulos honrosos le varias associa-
gdes europeas : a ligadura da aorta abdomi-
nal, que antes tlello s dufis vezes fra pra-
ticada no Yelbo mundo e com resultado me-
ii >s lisongeiro do que os colhidos pelo dis-
tincto professor da escola do Rio de Ja-
neiro.' *
0 Capitolio estar porto, e em meio de
ovaces ostrondosas o batarhador tinha j
vencido as mais alcantiladf.s agruras da jor-
nada.
Mas ah 1 porque a Circe traidora da poli-
tic* veio seduzir a bemaventurado romeiro,
segredando-lhc ao Ouvido mysteriosas espe-
xair.as de uma eclebridade falaz?
Engaadora irai d'agui, porque attra-
histe com promessas o auspicioso berdeiro
I poimn elegante d* uto de seus illustres cora-
pan hei ros de juaculide', fiel suas opinies,
zeloso da Jiberdade e independencia de sou
juizo, conslleiro altiva at a spera ostenta-
cao de firmeza, Candido Borges Monteiro
pu iba o cumprimento do seus deveres de
representante da nago e de homem poltico
cima de queesquer putraf eorisderagoes.
della. Pois bem, seubore l Itana, ao lado (es mais dosconhocidas do nosso continente,
f mu Imperador, bi alvo de attences sus- tratiscrevemos com prazer as seguintes con-
loadas pelo proprio mrito, e pddedjzer que siltragoes feitas em relatorio dirigido ao
anda engolfado nos raios do sol, seu brilho ministro da marraba do Chile pelo cominan-
no empallidecra de todo, dante SimpsTJli, que tem sob seu commando a
Raia nos confit dourrkl d hrizoiite mpt* Cfacabucoc que foi ltimamente en-
bordada de rosicler e purpura, a aurora de "rregado 4o fazer uma viagem de explora-
31 de maro de 187
. -. 0 pavo se amonto* V*> s*s prageiu.
#;oes lo patfo cotones- ,las rilM e prafts> um rft0 $, ingente ale- J as;
pecialidade ipessoar de S. 1. o Imperador, Igrja ett)a docastollo i Tijuca ~ o impera-
mereceu desde 184t> a honra de ser nomea-
do medico daimperial cmara, e neste ca-
rcter assistio ao mtsoimento das seronissi-
rnas princezas as Sras. D. Isolwl e D. Leo-
poldina, o do principe D. Pedro.
Foi designado mais tarde, com o Sr. ba-
ro de Petropolis, para medico privativo das
duas-serenissimas princezas, enoineado offi-
cial-mr da casa imperial.
Os anuos corraram, sonhores, e quando
em 18GG a graciosa o chorada princeza a
Sra. i). Leopoldina fez em companbia de
sou^augusto esposo a sua primeira viagem
Europa, nao hesiten em reclamar os servidos
do Ilustre lr. Candido Borges, que havia
assistido ao nsci monto do seu primeiro li-
lh, e quo ao cabo dess digressao recebeu
em premio de tao distiucto servic^s o titulo
ile bario de Itana; anda tove- depois a
honra de auompanha-la otn seus tres partos
subsequentes, e assim na segunda como na
terceira viagem que os auguctos principes
Iterara Vcortes do mundo civilisado.
Ai I cmnmilecem aqu os labios do orador
ao rememorar uma pagina de loto, que an-
gustiou o Brasil inteirodesde ocorago ex-
tremoso de um pal at o do uUlhwcidado
dedicado pessoa de seus querido mouar-
chas. Ha frulas, Srs., que se nao tocam, im-
punemente ; en respeito a dr solemne e
eloquentissima em sua mudez; ma6 per-
mitti-ine dizer: O baro de Itana. nao
eslava ao bulo do anjo brasileiro no momen-
to angustioso de seus soffrimentosv. talvez
porque a mesma mo da morte o alistara
receiosa e traiepeira e alli estivora,. qne*m
sabe ? prodigio de dedicagao obrara prodi-
gios ; lutra, gigante que elle era, lulata
com Asrael maldito ; no derradeiro transo
offerecera-se eiii holocausto, e talvez a vossa
estremecida lilba vivesse, porque o aujp de
grava e de bondade mereca viver 1
das glorias d.8;tley Cooper, e o enredaste
no torvilho fatal da paixoe e das lutas ami-
noas de uma poltica esteiil*
Fallaste-lhe de palacios encantados de
rystal, de nymphas alvinitenteS, de rubis
c diamantes 1 Crystal quebradiQOj que se
despedaza ao bater infreii; dos incaresses ;
nymphas que so' transliguram em serpes
dolosas, cuja arma a calumnia vil; rubis
que nao sao sent aB gottas de sangue tan-
tas vezes derramado n hita dos partidos,
que a paixao conseguio transformar em
jogos de circo.
Mas a Circe mentirosa obteve o fructo de
seus encantos, e Borges Monteiro que mar-
chava caminho da gloria, afrento da pleade
cirurgica do paiz, foi sentar praca de soldado
na legio dos polticos. Em 1848 elerto
vereador da cmara municipal, e consegue
subir presidencia por morte de Gabriel
GeUilio; logo depois deputado assembla
provincial do Rio de Janeiro cm duas legis-
laturas consecutivas; em 1853 deputado
geraJ pela mesma provincia, e em 17 de
abril de 1857 escollado senador do imperio.
0 que se pode dizer do bomem pulitico?
Todas as vezes, Srs., que houveoccasio de
ostentar o seu brilhantissini o talento, Candido
Borges, forcj de nobre capricho, soube
manter a nomeada que a preceder no
recinto da assembla.
O semprc lembrado Manoel l'elizardo
devcu-lhe umadefezaciceromca, quando na
(amara dos depufdbs houve quem aecusas-
se este insigne cidadao de prevaricaQes
indignas do seu mrito superior. E quando,
logo aocomegar a legislatura de 1853, alli
3e discuti a validado dos ttulos da eleieao
do Para, foi ainda Candido Borges quem se
atreveu, nico, leal, e sobrancoiro diante de
urna maioria compacta, a pugnar pelos direi-
tos de um dist.ncto liberal, seu adversario
poltico. Este acto de verdadero cavalhei-
rsro Ilustrar sempre o nome de nosso
tinado consocio.
No senado, teus primeiros decursos forana
eloquentssimos o todos mereceram sempre os
gabos c louvores de gregos e troyanos. Fiel
8 snas opinies, disse-o ainda ha pouco a
FOLHETIM
A V1I6&ICA U WM!
PELO
VISCOMDE PONSON DU TERRAIL.
PRIMEIRA PARTE
O casiello do ca$a (Continuago do n. 19).
XX
A ferida do sonhor de Nossac, bem que
terrivel, nao era mortal.
Quando vltou a si do desmaio e apezar
dafebre delirante que o consuma, pode
ver que o corpo de Roscben tiuha desappa-
recido, que os estudantos j nao estavam no
seu quarto e que esta va deitado na cama.
A' sua cabeceira, sentada n'uma poltrona,
eslava uma mulber que pieparava ura appa-
relho.
Essa mulher era Gretcben.
0 baro reconheceu-a, e o delirio acom-
metteu-o e lantou-o repentinamente n'esse
mundo phantasco e terrirel em que a ima-
ginago se refugia, quando o corpo est in-
capaz de aeco.
, Quanto tempj durou ese delirio, nunca
o baro o soube.
Mas atravz da nevoa da febre e nos .seus
raros momentos, lucidos, via, sem cessar/
Gretchen ua cabeceira.
Gretchen, inquieta, atienta, preparando
tudo por suas raaos, med camentos e appa-
relhos, ligando-lhe a ferida, depondo-lhe,
por vezes, um beijo na fronte, sorrindo-se
para elle, com um bom sorriso de esperan-
za, mandando fazer tod.18 as noutes uma
cama vobjnte no seu quarto, levantando-se
vinte vezes cada noute pa :a interr tensidade da fel>re, o grto de pulsacfto do
seu coragio, o estado da sua cabera desvai-
rada e povoada pelas visoss.
- E durante essa longa vida, nebulosa e"in-
decisa da doeng, durante essa dolorosa ago-
ia, emque a morte se aproximou tantas
Em 1861 o Dr. Candido Borges Monteiro,
j conselheiro, recebeu a sua jubilac^de
lente da escola de medicina, e de uma. vez
por todas julgou romper com as glorias que
o elevaran) na primeira phase de sua vida,
publica. Mero engao, porque o grande
talento do cirurgao anda deveria acordar
em meio do vastssimo theatro das celebri-
dades europeas. Em suas viagens a Alle-
manha mais de uma vez tentou aperfeigoar
os estudos de medicina operatoria, que havia.
algum tempo abandoura, praticou opera-|
(Oes nos'bospitacs, recebeu numerosas sau-
dacties do homens inuito notaveis da scien-
ca, percorreu clnicas com amor, e chegou
a estudar especialmente ophtalmologia, no
intuito de vir prestar servicios ao seu paiz
quando aqu voltasse.
Nao teve opportunidade de presta-Ios, por
motivos muito diversos. A poltica o. enre-
dara denuda nos aunis engaadores, de sua
coma, e quando em 1868 subi ao poder o
partido conservador, representado na pessoa
de seu ebefe o visconde de Itaboraby, o ba-
ro de Itana foi chamado paia presidir a
provincia de S. Paulo. Era exigir muito do
tidado que j se senta alquebrado de far-
das ; mas o baro do Itana seguio para a
desempenho de sua commisso, prevendu
embora todos os espinhos e todas as dores
que o esperavam, porque os homens forana
sempre os mesmos.
Em 1871 sabio designio labora na mente
deS. M. o Imperador, e.assim que Ih'o per-
mitte a naco, resolve sua partida para Eu-
ropa, onde o augusto imperante tinlva desejo
muito justo de restabelecer a sade de S. M.
a Imperatriz e o de admirar os fructos in-
gentes da civilisaco e do progresso, que o
continuo e indefesso governo desde o albor
da juventude lbe nao consentir ver e estu-
dar de pecio, como se faz necessario a quem
quer que dirige ou impera. 0 baro de
Itana ainda o medico escolhido para esta
honrosa misso, e l se foi no magestoso
nouro, sulcando o tmido ocano em procu-
ra das hospitaleras plagas do velho mundo.
Saudacoes e vivas, bomenagens realeza
e ao saber, tudo isso que lizeram aos impo-
naos viajantes nesses doz inezes de afanosa
digresso, cari eternamente gravado na me-
moria dos brasileros, porque se a saudade
os pungi pela ausencia, o justo amor pro-
prio nacional se dosvaneceu com os fructos
vezes e recuou sempre, um pensamento
nico, dominante, tenaz, absorveu o seu
espirito e a pouca razo que lhe voltava, por
intervallos.
Esse pensamento era que amava Gret-
chen.
Emfim, a febre diminuto, o delirio desap-
pareceu, succedeu-lue um somno, e uma
manh, acordando, o baro vio o seu quarto
deserto.
Grctechen tinha desapparecido. Onde
eslava ella ?
0 baro, fraco como estava, teve for para se levantar e para se chegar a uma mesa
onde tinha visto uma folha de papel dobrada
em quatro. Abrio-a precipitadamente e
leu :
.Est fora de perigo e por isso deixo-o.
Quiz divertir-mc c aproveitar-mc de uma es-
tranha parecer ; perdoe-me o drama ter-
rivel que teve lugar, por rainha culpa.
Nunca me tornar a ver ; posso, pois, fa-
zer-lhe uma conftsso ; arao-o. Adeus.
Gretclten Walkenuer.
O baro leu por muitas vezes essa carta ;
depois, arrebatado pelo seu amor e por um
resto de delirio, correu para fra do quarto,
perorreu, meio n, 'o castello, e encon-
trou-o deserto.
A' porta estava um cavallo sellado, o nos
coldres da sella encontrou o bario a sua
bolsa.
' Teve forca para por o p no estribo e para
esporear o seu cavallo, dizendo :
E' forzoso que encontr Gretchen,
ainda que tenba de percorrer todo o mun-
do.
E tomou o caminho de Heidelberg.
XXI
0 senhor de Nossac chegou a Heidelberg,
informou-se da habitado de Gretchen Wal-
kenaer e acabou por a encontrar.
Mas, em vez de Gretchen, vio'apenas ura
velho alfaiate, que, em rsposta sua per-
gunta, lhe disse, chorando :
*- Mnba filha Gretchen est morta e en-
terrada ha dous raezes.
Havia Justamente dous mezes que, a acre-
ditjr-se a narraco do vampiro, a deunta
dortque cliega. Elle volta ao lares da.pa-
itria, contente de a ha ver enuobrecido entre
as nai.oes cultas, contontede vet novamento;
lestes cos e este montes, esta baha fornosa
e os til los que seu augusto pai redimir/
itana alli vein amparando os ten ros orpbos
da senipre chorada princeza, talfez sonhai-
do com os louros qute o futuro reserva para
estas mgonteas vicejantes do throno l>em
ainado brasileiro.
Em premio de seus ltimos servidos, se-
nhores, o mosso illustrado consocio foi agra-
ciado por S, M. o .imperador com o titui de
Visconde de Itana'.
ilavia chegado o menino-bomem de 1927
meta dos soifios ardentes de sua mocidh-
de, faltava-lhe aiguma cousa pora completa-
los*
Nao, as honras do mundo, pert|ue em sei*
peito brilhavam a dtgnitaria da< ordem da
Rosa, commends da de Christo, as gr
cruzes de Christo eCnceigo de Portugal, a
da. ordei Ernestina du casa Ducal* de Saxo-
nia.,.e a do Cora de ferro da Austria.
No',. o favor' e a adtriiraco de seus con-
terrneos,, jorque o bonraram comprovas de
estimav conlbndo-lbe coramissoes importan-
tes-? e laureando-o coop o diploma 'te mes-
tro- dos-cirurgfioes do Brasil, nao as prwvas
degratido duinouarcha,.que sohcito'oele-
vow sempre ita ordem de seus merecimentos
e oW servicos- prestados^ sua imperial
casa
Quelhe faltftva, sehhoro? Os ben*. da
fortuna? mas o naenino-boioem n dSlem-
ma fatal dos t5anos trocara o ouro yeto
livroveere umealma grande, que anda. u*s
lutas-da pobrezadwmrosasabi*conservar Uwb
a sua.magestade-eiudependeta!
ltf faltava-4be um .sacrificio, para qm>-o
sednuU) da poltica, engaadora nao deivas-
se de-tragar a ultima gotta do calix fat-
dico.
Lia.il de abiiL os seus covreligionaito
exigeru do Visconde-de Itana,. que aceite a
pasudo ministre-da agricultura* obras pu+
blicas^ e em verdtde ninguemu mais do que
elle estava no casde bouecian o paizcou
melltocamentos de- toda a ordem, porqu*-
acabeva de ver e examinar os nogressos du
civilisaco moderna, nos pames que per
tantas-vezes visitara.com olbos- perscrutad-
res de pbilosoplko..
>L* era um sacrificio, consaeios, porqjte
o iuad Itana uaoaceitava o> fleumaueo
oaatriho de Cynaas.e as suas. torgas pbysi-
cas. de todo lhe ugam. Ira*, voz secrota
lhe bradava aos ouvidos aquellas .nobres uar
lavcas deArnaudi:. vous repsrser! vous
rejtoatr / n'avoas. vous pos pour, le r^^as
Itaiina j alquebrado pela enferndade e> pe-
los anuos, trabalhava com aico e ineace-
divel activdade-iM gerencia dos-negoc06-que
corriam pela sua pasta.
Estava escripto que imitaejio de Vespa-
siano cahiria como rei: decet imperatorum
antera mor* Atassalhado- .pela clumuia
o pelo ridiculo*, atado ao poste da flagella-
co, amargura/Ib,e desgotoso, mas.trabalhan-
do sempre, referendou o decceto relaVo ao
cabo telcgrapbico transatlntico, e havenoo
assignado a- sua immortalidade morceu, por-
que devia cabjr como rei.
Aiparte occidental da Latagonia soiu du-
vfua, geolgicamente fallando, uma subleva-
gao recente.
Parapersuadrmo-nos>.lesta, basta conside-
rarmos o aspecto angular de suas routanbas
e ilhas, pois no decorreu axla tempo suifi-
ciunte para suavisar seus contornos, neni n-
eber as depressoe que hoje em da oceupam
aguas profundas uva forma de estoiros, ca-
iwes c lagas, notawdo-sc' muito pouco ter-
reno plano. '
As1 innameras ilhas que formar os archi-
pcla^os. ile chonos e gifcitecas, pecerffl ter
sido- aoojaJas da cordilheira prioiTpol,. pois
que os ca raes qUe corrcio* ao p dsta,. so
muitrniais profundos do (pn o mar as-cos-
tas dc8ceane>, onde encendra-se fundo a' 50
bragas de-distancia, coma scao desprende-
rem-sc jb- ilhas houvessem d^xado uim pro-
fundo sirico; qurreonstitue o canal Morsfcda,
em contiiiagO'do>golpho do Corcovado e-da
enseada do-Belonca*4, onde terimna o vaH
neutral do Rhile.
Este canid'isegue sem alterago' de formo-
at'0'EstreitO'de Magalltes, sendo'apenas in--
terromwdo por um; geteiro cahidb> sobre a
latvia de S. Raphael, e-formou alguns Ierre-
nos- baixos em frente pennsula db Taitu.
k propria ci >rdiliieu\,.r.u toda esto regia
nao a seno outro archipelago de mootanha
de maioros demensoes, *$e deviam fcr sido
Ibas- quando a Palagonia> oriental ac*va-se
anda auhmergidia, mas que hoje est>scpa-
rada satuent.? em parte pe^a agua c folian-
do osesteiros ou bragos de mar que kter-
nam-se;.desde a parte occidantal, em 'ades
que communicam como succede eauAy.sen e-lluemules,. re-
ges queexploranuts.
A razio porque osesteiros sao atravessnm
boje competamente- as aj|las montanhas pa-
rece ser uma subletagc makr dos terrenos
baixos de leste, a qual determinou a deriva-
gao dasaguas para o oeste, acacretando enor-
me quantidades de delrictos, que-os vo ator-
rando pouco a pouco i. E' cornudo, evidente
i simples mvestigagio^ que antes- communi-J
cavara per.toda a esteoso do territorio.
Alm dirto muito de notar-se que qua&i
todos estes esteiros u-valles encotram-sc de
fronte das grandes cauaes que atravessamo
archipefcgo exterior;: assim ojie, o valle
Unemuks-corresponde com o canal ,de Pu-
lucle, a Ayseuo como-Agea, o l^aetlat com
o Nimalac, o Palenaeo Jictoc como unafo,
como ,se-em lempas yassados houvessem sidoj
outros tantos estreitos como o de-Magalhaes.
Ouuto Patagonia.oriental, pelas razes-|
dadas na.descripgo desta viageroy.uo pode-
mos poBetrar nella. bastante paradar urna.,
deaexacta de sua conformago distancia
l'ternit toule entur? ? e ovisconde de das montanhas; mas^ logo miaba chegada
VARIEDADE
A l*lajoiiia.
O territorio da Patagonia como se sabe,
assurapto de titigio internacional entre a Con-
federago Argentina o a repblica do Chiles.
L'm e outro estado pretendem exercer soj
bre essa parte da America a soberana a que
se julgam com direito, buscando cada qual
fundamenttr a sua pretengo em ttulos de
posse garantidos ou pelos tratados, do tempo
colonial, ou pela oceupago effectivade urna
parte delle por torgas e estabelecmeatos mi-
litares ou por povoages inclinadas s rela-
goes de cada uma das referidas repblicas.
Nao nosso intento intervir nessa polmi-
ca secular que mais cedo ou mais tarde amea-
ga interromper as boas relages entre os dous,
povos limitrophes.
Sendo, porm.esse territorio uma daspar-
a Valparaizo pude obter a obra do comman-
dante da mariuha hcitamica G. C. Musters,
intitulada : Athoim ictth the Patagonia-nsA
publicada em flus, do anno passado (1871j
na qual elle descreve sua recente excurso de
mais de um anno.desde o Estrato de Hagarj
lliaes.at o Ro Negro. Segundo este oflicial,
toda a regio vsinnado Atlntico estril, re-
cebe pouca ch uva eso tendo susceptivel de
culUira os valles.dos ros que baixam da cor-
dilheira, em numero reduzido ;. succede, po-
rnt, que para.a. cordilheira o teneos co-
berto de bosques e regado, tal,como nos o
vimos, na pacte occidental.
Em toda esta regio, cuja conformacao
[regularmente-cortada por montculos c valles,
eiiste abundante caga que consiste em vea-
dos, lees, rapoias, avestruces o muitosou-
tras aves .-iqtiacas e terresti-es. Enedotranv-
se tambera diversas qualidades de frustas sil-
vestres e boas raizes farinceas.
As tribus nmadas do patagoes ou tenel-
ches que percorrem o paiz sao pouco nume-
rosas, e avaliam-uas em.uns 15 os individuos
atcliegar as margens do Rio Ni^gro, onde
vivem. as Pampas e ouras tribus guerreiras,
que sao mais numerosas, altivas.* traigoeiras,
em quanto aquellas^iodoceis e bospitaleiras.
Andam sempre a cavallo e empregam-se na
cara, usando para isto de pelotas, que atiram
cora muita destreza ; verdailc que lambem
poasuem algun\as armas de logo, que obtein
das colonias de brancos era troco do pelles,
etc.
O Sr. Musters internoa-so na cordilheira
porum pontoque parece corresponder com o
Helena tiuha roubado os vestidos de Gret-
chen, morta como ella, e tomado o caminho
do castello de Holdengrasburgo.
Tudo isso era tp extraordinario que o
senhor de Nossac quiz convencer-se por s
mesmo, da veracidade do alfaiate.
Obteve, nao sem custo, a exhumago de
Gretchen, e reconheceu o seu vampiro ;
smente, o infeliz pai exclamou :
' Roubaram-lha o seu vestido, o seu
sudario o a sua cruz de ouro l
Sua filha nao era amante de um es-
tudante chamado Hermann perguntou o
baro, fura de si.
Nunca exclamou o velho indig-
nado.
E' estranho murraurou o sonhor
de Nossac comego a crer que estou lou-
co I r
E fugio, desorientado, como se quizesse
justificar a suspeita que acabava de emittir
sobre a sua razo.
valle de Palma, onde encontrou touros sel-
vagens, mas. nao penetrou at o Pacifico, do
qual creio que ficou longo. No quo respeita
a metaos so faz menguo do ferro, mas os in-
dios nsam adornos de prata.
Em toda a regio dosul durante o invern
cabe nev passageira e costuraam soprar gran-
des borrascas de oeste, no verao, porm o
clima muito mais suave, o para dizer a ver-
de todo o paiz deve ser mais habitavel do
que outros pontos do hemispherio septentrio-
nal, onde Iwoina numerosa populaco, e at
nao sera aventurado dzer-se que preferi-
vel a certas partes da Valdivia Llanquihue e
Chilo.
Esta de.scripeo concorda com atheoria.
Sendo a direcgo geral dos ventos pelo oeste,
do norte a sul, as montanhas d^ Cordilheira
interceptam a maior parte das chuva, e as
aguas que sobram inliltraw-se antes de rikc-
gar aoAttlantico, s chegandb at l de vez
em qua+tdoasque sao mpelli"das por grandes
"temporaes-; em consequencia disto esta mar-
gem estril. Mas aprox**lando-se da
t-ordilherira1 observa-so maior komidade, e
disto se deduz que ha muita variedade de
clima.
Em frente aos bwqjuieiroes natnfai de ca-
liir mais ag*w-,- Queque alli as nu^ns nao
encoWram obstculos',, se bem quo 05- ven tos
sejam* mais rijes'.-
Pelanossa porte, experimentamos ama
temperatura niit'uuMs-agradavel na auna
oriental, sendo .f transigi muito ser.tivel
na volta, que foi mais papida do que na
ida.
Durantco inveriiO' faz bastante fri na
costa occidital, eche muh'nove e quainEt
ha calma, chega a gelar a'sapeFcie dos cv
teinos-, mas om corapensaco parece qi
chove menos e que o-tenipo*inoito melhor
no verao, estjro em qpe reinan as virages-
do sul.
Um diario porque ci-goei qps* talvez
soja o primeir ferto eaV Taiighae- por um
individuo intelUgented- soeiedade de Ciac-
caluga a Garat, que iiietnou all-o anno
passado, diz i*) mesr; De- hoje em
diante esto estableciniento>poderproporcio-
nar dados a este cespeito, que antes-na exis-
tiam emeosequeuria dos toabalhadores aban
donarem: sempre o aroliipelago fft prin-
cipios do'invernoi.
Azona frtil da Patagonk opientaljjeTteu-
ce mais ao Pacith do que ao Atlntico,
sendo mate acceesivel per nqnelle lado'; de
modoqtwpareceq a-natBFeza presoreveu
soberiMiia do Qiile sobre aqncHa re-
Parece-mc que pira occupa-la bastara
por ora estabeleccr 'tna colonia penitencia-
ria no valle do Ayseu, onde se enconram
pontos vantajosos, e emprear os prestidia-
riosem fazer caminho-para teste, o quo se-
ria tanto ais fcil, quando a maior eteva-
Mouao pKssade lo* metros sobre o- nivel
domar, sendo quasilodoo terreno plano
nao aprcsentaudo'maisdifliculdadfcs do
que urnas pequeas emineneias que teriam
de escalar^ e o passo do roem alguns-luga-.
res. Este trabalho liria de fazer-se com o
puxilio di animaos, pois .0.rio nao pude di-
zcr-se navogavel, sendo antes uma toprente
easexcursoes a p nocessariamente se limi-
ta m. ao numero de-lias de viveros, que
preciso rarregar-sc s costas alm do mate-
rial indispensavel, cwoo nossuccedeu.
Com a-colonia penitenciaria tamaem po-
deria obter-se dados exactos sobre o clima
no invern e aceraa-df natureza recursos
do pa,.para mais. tarde estabelecer outra
colonia iiidustrial, se fosse conveniente,
obrndole deste irscdo com o coubecimento
de causa.
" .Umaicolonia intUistrial nesta situago te-
na sempre a. grande vantagem de oceupar
um ponto' central qpe seria ponto de parti-
da jra. o norte e- j>ara o sul,, e donde se
estaa em constante commianeago com
o Chile, que gacanteria sua. existencia cm
todas, as circum&ancias.
EDUCACAO AGRCOLA NA PRL'SStA,. -1
Difiicil apresentar era um artigo de
peridico um quadro quo comprehenda to-
dss as instituiges que oxjstem na Peussia
para o ensiuo da agricultura, polsno s ha
grande numero de cstabelecimentos dedica-
dos, ao ensino da agricultura cm geral, quer
sob. o ponto de vista theorico,, quer sob o
ponto de vista pratico, ou quer sob ambos os
pontos de vista ao mesmo tempo, accrescen-
do mais que ha tambem mifhares de estabe-
lecimentos dedicados ao ensino das especi-
alidades : vouv pois, dar a conhecer, tra-
gos largos, alguns destes estabelecimentos,
consignando o fim a que se dedicam.
. SEGUNDA PARTE
A oreoul.
I
Meu caro barodisse o marquez de
Simiane, depois de ter seriamente ouvido o
seu amigo, o baro de Nossac, que acabava
de lhe contar a sua historia, mais que ex-
traordinariaj consultaste ura medico ?
Nao. Porque?
Porque me pareces atacada de lou-
cura.
E' o que eu comego a crer, marquez;
e ha oertos momentos em que nao sei, na
verdade, se tudo o que me aconteceu nio
foi um sonho.
E eu estou muito persuadido d'isso.
De repente, o senhor de Nossac bateu na
fronte e exclamou :
Nao foste ferido, ha alguns mezes,
nos arredores de Heidelberg ?
Fui. Ento ?
E. nao foste tratado, por um estudant
chamado Hermann, de Holdengrasburgo T
Sem duvida 1 um rapaz muito espi-
ritoso elle muito boa cara.
Pois bem I viste a sua amante, essa
Gretchen que tanto se pareca com minha
mulher ? t
Nao. Hermann nao tinha amante.
E' estranho murmurou o baro
com melancola.
I Tens razo. E nao podesto encontrar
esse phantasma, esso vampiro, que depois
de te ter sugado o sangue, so converteu ein
enfermeiro para te curar ?
Nao disse tristemen'.e o baro -
procurei-o, com tudo, por toda a parte ; ha
tres mezes que peroorro a Allemanha e a
Europa inteira, era todos os sentidos, ha
tres mezes quo nao vivo, que sonho acor-
dado... ha tres mezes quesoffro... Oh!
continuou o baro, levando a mo o cora-
gomuito soffro I...
Pateta I disse o marquez com
ludo ceiamos muitas vozos juntos, passamos
muito boas noutes, para que estejas ou de-
vas estar ao abrigo de uma paixo vulgar,
de um amor de estudant, de abbade no-
vigo.
O senhor de Nossac encolheu os hom-
bros.
Meu carodisse elle o amor asse-
melha-se a essas maces da America, to
frescas e de to bellas cores, com as quaes
uma crianga brinca um dia inteiro, fazen-
do-as saltar as mos. Se tem a desgraga
de.as morder, matam-a.. Brinquei como
amor parte da minha vida, toiuei-o a serio
durante/im minuto, e envenenei o qne me
resta d'ella.
Ha ura remedio para esse veneno.
Qual T
Amar outra.'
lo o poderei fazer...
Experimenta... .
Loucura f *
Cora tudo, ha perto de dezoito mezes
que ests viuvo ; expirados os dous annos, a
fortuna de tua mulher voltar aos seus her-
deiros.
Bem o sei. Que me importa ?
Me carodisse o marquaz com des-
denhosa philosophia -^ persuad-te bem
d'isso; que de lodos os males mais iacu
O ensino asjncort superior icha-se estabe-
lecido as quatro academias de Eldena, de
Proskou, de Peppoltdor e de Valdan ; alm
dsso ba dous institutos agrcolas annexos
universidade de Berlina e de Haya, que
tem quas que a mesma importancia das
academias. Mas estas academias agrcolas
estto muito long de ser o qu sao as esco-
las de* agricultura hespanholas, francezas,
italianas e portuguesas ; estas escolas sao
ura grvame para o estado e rame muito
oneroso, ao passo que as academias prussa
as nada custam ao governo, e at dar-lhe-
hiam pingues productos, se os nao empre-
gassera em beneficio' do mesmo ensino.
Ven'dar uma ligeira dcseripgo da academia
de Eldena, segundo os dados apresentados
na Exposigo de Pars.
A real academia de Eldena, aggregada*
universidade de Greifswafc), est estabeleci-
da em um vasto edificio que era um con-
vento da ordem de Cister. Esta escola tem
nm territorio' de 300 hectarnv Mantem-se
dle 26 cavaos de carro, 17 bois, 70 tou-
ros e vaccas^e 1,200 carneirds Neste
tem;no ba estabefecida uma fabrica de cer-
vej, uma fabrica de tijollos c tuna fabrica
de tubos de osgoos; 50 hectares esto plan-
tados- de bosques- pora- qne os dfocipalos
possar* estudar a :-ilv.cultora.'
Gorcxf se comprekend'e, estes fundes- hio
de prodUzir grandes rendiraentos i do- pro-
ducto lflpoido separaw-se 5>,i00 talbers- pg*-
ra formairum fundo que sene para cprp-
veitoda academia, o resto- oV produc*1 i-
qudo se emprega em mclhorar o predio' e
em esteudsfl a sua expforago^
Para sev-se admittido* nessa iscola ne-
cessario twsido approvdo nos- estudos m--
dios ( o segundo ensino* e'parte-da faculdH*
de de scenria).
O ensino dura dous annos e sasta 390
jfrancos durante os dous annos.
Os alumnos-nao viverana. escola, mas
iiospedam-se em asa dos adeoes des'povoa-
ds rizmhos, poia os allemes nao gostam da
*ftgiomerago d pessi>asr e desfovam
bwhitamente-a'vida de colttgio. -
Ura dos prineipaes cuidedea do riatsstro
urrrversitario i -procurar qv pela propria
iwffe das cousas; os alumnos de agricnltu-
ra qne tem de faaer seus esttdos em otro
estabefecimentodrverso dos dnaais cursos do
Estado-,' nem porises se isofera^ assim sque
j ms testas cvicas, j as fsttridades domi-
nieaes, j na vida de famKa? j, em swm-
m,' ,em todas as-ooeasoes qir se appresen-
teiBv. o governo-e- o claustro- nniverstaria
proouram evitar o isolamcoto de urna olas-
so, para que no-succeda como na Hespa-
nha^onde algur zo para outros, porqae estesiiao se chamam
universterios on porque ums sao superiores
e outros profissionaes, etc., etc.
t!. 'eosio que ao- d na escola agrcola de
Eldena omprenh'ende : a c montan poltica
e a economa rural'fundada: as estticas ;
a agrierdtura, asarboriculrora, e a silvicul-
tura ;. como appIScagoes agrieoas indfis
triesy o fabrico dte assucar, .o db. eerveja, o
doslrjollos e o dos tubos parai dissecec ;
como applicagoes-scientificas, a neralogia,
a botnica o a i -himic a cor trabalhos de la-
boratorio e excucswes; com* mathematicas
af)plicadas trigonometra, a.tapographia e
a ni-i-hanic.i: o b-atameato, dos animac-,
u a practica^ veterinaria ; o finalmente,
o.direito rural, a historial do- poz e o direito
donsttucionaU
Alm desta* quatro academias reaes e d*s
institutos anteriormente- mencionados, exis-
tem 19 escolas de agriunlturaestabo lecidAs,
as differentes provincias do reino. No an-
no del8Ga.assistiram! a.estas escolas 232
discpulos, eustandn ao Estadio uma suhven-
gode21,1S8 thalersque valem 29,21-2
reales, de sorte que- sabe caba discifulo a
uns mil o-duzentos-reales annuaes.
Estas tO escolas, sao vordadeirameote li-
vres; o governo as subvenciona db modo
que dissemos e mspecciona o ensino sem ter
absolutamente iienhuraa outra intervengo.
Todo- o proprietario pode estabelecer na
Prussia uma destas escolas ; mas- em cada
povoago nao pode ha ver mais deque uma
sbuencionadn pelo Estado; para solieitar
esta subveneto preciso apresentar as con-
tas do predio no ultimo quinqnonnio, para
provar quo nao se cultiva em pura perd,
pois os prussianos dizem que. quem nao sa-
be fazer produzir suas terrasK mal pode en-
sinar aoutrem.
(Continuar-st-ha).
raveis o peior a miseria. S dificilmentc
so cura um homom d'olla. T veste felici-
dade da primeira vez, e fugiste das garras
dos teus credores com certa destreza ; acre-
dita-me, nao tentes o acaso, o acaso como
as mulheres, gyram com todos os ventos.
Que queres pois que eu faga ?
Quo to cases, com a breca 1
E com quem ? e como ?murmurou
o baro com profundo desanimo aa voz.
Meu caro, ha tres castas de casamen-
tes para fidalgos como nos : o primeiro o
casamento de conveniencia, isto uma
harmona muito respeitavel e enfadonha de
jerarchas, de nascimontos e de fortunas.
Este -nos prohibido quando estamos arrui-
nados como tu o eslavas e como eu o estou.
0 segundo o casamento desigual, mas in-
teresseiro. Para dourarmos o nosso escudo,
darmosfeno aos nossos cavallos, desposa-
mos a filha de um burguez que nos traz o
ouro n'uma dobra da camisa, cujo pai nos
chama senhor meu genro e nos detesta cor-
dialmente, pensando que obrigad a pagar
muito caro a honra de nos ter na sua familia.
0 terceiro o casamento de nelinago ;
este ad Hbitum : procuramos mulher
n'um velho castello arruinado, nos basti-
dores da opera ou no caminho dos Porche-
rons ; isso pouco importa I ningnora tem
nada que lhe dizer.
Ora o primeiro era-te prohibido por im-
mensas razes; contrahiste o segundo, e
este ultimo forneceu-te os meios de con-
trahires o terceiro.
E's rico bastante para que tua mulher
tenha o direito de ser pobre.
Sem duvida murmurou o baro
em tom que significava : Que me mpor-
ta tudo o que me dizes ?
Mascontinuou o marquez pre-
ciso que te apresses, meu caro ; dentro em
seis mezes, se nao tiveres escolhido mulher,
sers o fidalgo mais pobre de Franga e Na-
varra.
7 Que rae importa 1disse ainda o.ba-
ro encomend os hombros.
Com tudo continuou Simiane se
eu te nwstrasse a'um recauto de Paris, ou
da provincia a mais linda cabega de joven
quo possas imaginar ; dezoito anuos, ca-
bellos de um louro, acinzeotado, ps de
chineza, olhos de virgem e pobre, uma jo-
ven que de fazer enlouquecer...
Dizes quo pobre ?
Oh I respondo-to por isso ; fia de nou-
te para sustentar seu velho pai.
Entogente ordinaria?
Pelo contrario, nobreza de velha cas-
ta I Mas eonhooes o proverbio : Grande
nome, manto roto I 0 pai recebe deze-
sete balas no corpo, e nunca teve dinheiro
bastante para lhe tapar os buracos 1
- Eis ah pobreza que tem ura perfume
de cavallaria, marquez I
Espera, meu caro, nao tudo. No
anno passado, um fornecedor enriquecido,
passou, na sua carroga dourada, pela por-
ta da sua choupana. Quando digo chou-
pana, digo mal, porque um bom e velho
castello das cruzadas, cora ponte levadiga
forrugenta, fosso lodoso, torres carregadj
de musgo e campanario arruinado. Inven-
to geme sob as portas e no3 corM^ores ; as
tapegarias caheflv aoi-perisgs, os ornatos
de madeira apodrecem e os escudos teem'
uma veneravel carnada de fumo, que os vai
ennegrecendo de seculo a secuto.
E no meio d'essa miseria, baro, ha um
velho castellao com ares de grande senhor,
que impde respeito aos mais atrevidos, e
uma joven castell com o aspecto de uma
rainha.
Depois, tres criados que nao recebem
soldada, que trabalham at para sustenta-
rem seu amo e nunca ultrapassaram os l-
mites d'esse profundo respejto, que outr'ora
os vassallos tinham por sou senhor.
Sao os cortezbs da desgraga, na mais
completa accepcio da palavra.
Emfim, um mancebo, um orphao, sobri-
nho do castellao, um lindo rapaz, uma
crianga de dezoito a vinte annos, Uto delica-
do e louro como sua prima.
Ah I disse o baro, franzindo o so-
br'olho e ella am*-o, sera duvida.
_ (Continuar-se-ha.)
[TYP DO DUOW RA JMIUHMS UMAS.
.
i

t
i


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EVVD2MH04_TJ5PMW INGEST_TIME 2013-09-19T20:16:49Z PACKAGE AA00011611_12821
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES