Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12817


This item is only available as the following downloads:


Full Text
ANNO XLIX. NllERO 17 ">'

PAItA A CAPITAL E IXGARKS ODE Si SE FACA PORTE.
Por tn* mezas adiantados ........... .^ .... < 09060
Por seis ditos dem.............., 139000
Por um anno idem.......'....-...'....< aifOOO
jtda numero avulso ................... 390
DIARIO DE
PROPRIEDADE DE MANOEL
0UARTA FEIRA 22 DE JANEIRO DE 1873.
PABA nH\TB(> I, FBA VA PROVINCIA.
Por tres mezes diantados.............., '. #TS0
Por seis ditos idem.....,. ;............. 139600
*-'' Por nove ditos idem.............:.....' 209250
Por um anno idem................... 87*000
RMMBUCO.
EIR0A DE FARIA & FILH0S.
T-P
s
i
Os Srs. Gerardo Antonio Alves & Filhos, no Tard; GonraKes d Iluto, no Maranuao ; Joaquim Jqp. de Oliveira Fifio, no Coaro AuWnio de Lomos Braga, no Aracaty ; Joao Maria Julio Chaves, no Ass; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos Justino
Pereira d'Almeida, em Mamangnape ; Augusto Gomes da Silva, na Paranva ; Antonio Jos Gomes, na Viuda1* Pcuha; Bvlarmino dos Santos Bulco, em Sauto Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, em Nazaretli;
Antonio Ferreira de Aguiar.em Goyanna; Francino Tavaiesda Costa, em Alig1*; Alves A C, na Baha; e Leite, Cerquinho & C. no Rio de Janeiro.

-*-
PARTE OFnCIAL
. I iiiiiuiiiito Muperior.
0t A1H H. DO COMMASDO SUPERIOR ll.V (CARDA
NACIONAL DO MUNICIPIO DO RECIPE, 17 BE
Urano de 1872
Ordem dn dio h. 97.
"ara seienra dos cornos sob sen cnmmando o
.iV'iio- nccessarios, mu ma o iiim. Sr. eonunandan-
ii superior fazer publico que, por portara da pre-
:tdeoeia, datada de 1H do corrate mes, M desig-
nado o batalhao de reserva para ser elle ag-
gregade o Sr. capitn lo !* batalhao de infantaria,
Thouiaz J.s. Marinhi, por haver sido julgado in-
capaz dw servico active em in llanda i .'mmente fazer publico que, em data
le hontem, apresen! -se e assumio, na forma da
lei, o eommando interino do 1 balalhin 3e infan-
taria, o Sr eapitio Antonio Jos Cord-im Simos,
-j ue se achava iloente ; e recommenda ao Sr. capi-
tao Elias Gom-alves Pedir da Cunlia que passe o
nominando do 1 esqtiadro de cavalliria ao sen
roipacMwi rommainianl o Sr. major Antonio Jos
Alves de Bruto, qtiem considera pro'mpto
K ftoalnimte, manila elogiar e agradecer ao
mesmo Sr. cunti Elias os serviros que prestou
*> periodo de commandante interino de Io esqna-
dro.
foiolpho Joi Barata de Almeii", coronel ehefe
interino do estado-maior.
C'wuiMiitntlo dous arman.
> All l KI. DO COMMANDO DAS ARMAS DE PER-
NAMBVCO, 21 DK JANEIRO DE 1873.
Ordem do da n, 092.
fj coronel commandante das armas interino, em
vuiuprimento a ordem da presidencia cuntida em
*cie de 17 do corrente datado, determina que,
una brigada composta dos batalhcs 2. de infan-
tera da guarda nacional deste municipio e 9* da
otesiua arma do linha comm;mda M-nte-coronel Joaquim lavbante de Albuquerque
h^Ho, se ai-he postada em frente ao convento do
Carina, 27 deste me/., atlm de soleinnisar a ses-
>*> que te:a de celnbrar o Instituto Archct ilgico,
4hi cotnmemoraciu do tnnversari da reslauracao
desta provincia do dominio dos Ilollaiidezes.
K brigada ir umuiciada para dar as descargas
niasao ieestylo.
) ,->r eoBaadante da brigada escoBMr os
fui empriiia'lis dentro os offlciaes dos referidos
eorpos.
MMgnadoJus Maria Ildefonso Jaro-
tf.A lo Vfiga Pemoa t Mdlo.
Conforme-fos Ignacio Wbeiro Roma-,
f*nHte ajudantc de jrdens interino eOQwre-
H*o do detalhe.
INTMOR.
Rio de Jiiut-Iro.
O DK MN URO Di; 1873.
t^r portara de 3 do crreme, foi Borneado ar-
Tnivisla da se.-retiria arsenal de guerra da cr-
i.<, Jos Ferreira de Aievedu.
Por portara de l do c irreiite foi Horneado o bri-
% ideiro Francisco Gomas de Freitas, presidente do
-.v-lli de compras, de conforinid.ide com o art.
K" do regulamento doj arsenaes de guerra de 19
Mto.OUtaro do anno proxiino linilo.
Sr. ministro da uiurinlia, aeompaubado dos
SfS inspector il)*arsen.il, cheles do quartel-gene-
ri.1 e da estaca'), assistio houtem experiencia que
i' o transporte LeopoUin lora da barra.
Os rospectivos engenlieiros e constructores ve-
i iiicaram que com os coneertos ltimamente fei-
1*4 est o transporte ein boas condi^ies, por isso
?:. com vento sueste Ireseo deitou 12 milhas.
0 transp>rte airha-se elegantemente preparado
r*n >ceomiMdae5es para paasageiros.
Sen Coiiiinandante o capilfio-tetiente M. M. CT-
ii-, offorectii aos seos convidados um bem servido
/<*.
No dia 3 a exposieao foi visitada por 2i7 pes-
-<* de dit e 3-J6 noile ; ao todo 7J.
!> MI8 noite, produziulo urna roceila de.....
II&MM0.
0 pre.o da entrada boje de 200 ris.
Tndo sido promovido ao [Kisto de brigadeiro o
N- quartel-me?,tregeneral Francisco Antonio Ha-
l*o, os empregados denla reparticao, precedidos
l urna banda de nanea, dirigiram-se ante-bou-
lea i rasa de residencia do mesmo Sr. Raposo e
v.n pile congratularam-se por aquella promo-
.
o dia o a exponicao foi visitada por 1,979 pes-
SOM de dia e 2,93 noite, ao todo 4,913.
Desde o dia 1 as visitas foram : 2 ,13 de dia e
1.149 noite, ao todo 7,082 visitaules, produzindo
*uaa receita de 145JI0U
0 preqo da entrada boje do 203 ris.
O iaquete inglez Ebr>. da linha de Southamp-
">', U uxc bontem folbts do Kio da Prata at 1
do corrente.
iea neste meamo dia que em Buenos-Ayrcs de-
iii proceder-se eleico de i nombro do congres-
im Corriam diversas" lisus de candidatos, com as
fuaes se ocoupavain lula a imprensa; enfetanto
> interesse que inspira>a este assumpto era devi-
4; pela di?cu>i sobre se alguns casos de mo-
taba* suspeita, seguid;! s de morir, haviam sido
reaimente de l'ebre am;-relia.
Os peridicos de Montevd j prineipiayam a
lrdi.- ao governo med las contra o contagio que
poda vir da ontra marrein do rio, clamando que
Aira tal perigo nunca se pederan cautelas de-
maataa.
Meeta ultima cidade iiuugurra-s solemriemen-
- i 11 dique Man, que j antes disto havia
"iiciiMadoi prestar servico; recebendo a canho-
weira liospaahola Ceiea
Gom pequeas exce|K^ies era coiihecklo o re-
saludo das ek-icoes em todos os distrctos, resul-
tado q, como se previa apenas, da va ao partido
w> ama pequea miona, necessaa para en-
tmtar a par no K^udo Oriental.
Havia telegrainmas de Valparaizo ate 23 de de-
eeAbro. As cmaras chilenas votaran) tranquil-
iaiueate os ornamentos para 1873,, e em seguida
vsnes propalen de estradas de (erro e contrato de
mprestimo de 8 milh 0 governo eslava all em hita aberta com o par-
tido clerical. Apreaontoi-se no congresso um pro-
yecte augmeatindo 25 C/O os ordenados de lodos
os entregado. Os elericaes alguna liberaos op
poserau-se a iMte augim-nto em massa, ponieran-
do que nao se devia, sera maduro estado, onerar
em mais 409/100 pesos o erario que j nao eslava
milito folgado. Ento apresentou-se urna emenda
eteltado-M dio augmento os emprogado eeele-
Dtaalioos, e declarando > ministro da faienda que
u^ttea termos poda be na o thosoure com o .aggrd-
?> da despeza, a cantara dos deputados votou por
sraade maioni o prometo assim emendado.
%% Per dDin que n governo de Pardo entrara
irMcaineule ni carreira das represedes, primden-'
do Mliloa ciios por motivo de raatufe; lacees
feitas contra os rovos impostas. O Cammercio de
inri sustentava a iheoria do que representantes
da ii.ir.".., nao tinbam direito de inleqtellar os mi-
u i si ros ; a ser exacto d-nos isto bu dea das li-
berdados republicanas.
A cmara dos deputados approVou boulem o pa-
recer da commissao de poderes sobre diversas etah
ijoes do quarto districto da provincia do Kio de Ja-
neiro.
Ocrupou-se depos com a discussao do parecer
da mesma commissao relativo as uleicoes da pro-
viucia do Piauhy. Ora rain os Srs. Coollio Rodri-
gues e Agesilo, fraudo a discusso adfada pela
hora.
Em ultimo lugar continen a segunda discussao
do orcamenio para o exereicio de 1871 a 1873 na
parte relativa a despeza do ministerio da martnha.
Oraram os Sis. Hrusque, Wilkeus de MaNo*.rntns-
tro respectivo e Ignacio Martins, licaudo igtlalmen-
le adiscussai adiada pela hora.
Foi olfereeida a seguinte emenda :
Ao | <) Sendo com o molhoramento e exea-
vaca) do porto da l'arahyba do Norte 40:000*.
A. S. Carneiro da liunha.Uiogo Velho.-Henri-
ques.Elias de Albuquurquc.
Poram apresentados os seguintes projectos :
A assembla geral resove :
Art. |. Fica exlincta, nos IribQuaes do com-
mercio, a jurisdiegao de julgar, em segunda e ul-
tima instancia, as causas cuiumerciaes, e devolvida
aos tribunaes de relacio, onde serio as sobreditas
causas jujeadas de conformidade com o que dispoe
a lei n. de 23 de setombro de 1871, para as ap-
pellaooes e aggravus veis.
i 1. Os tribunaes do commercio contiuuarao
a exercer a jurisdic;ao graciosa c administrativa
que Ibes foi marcada pelo cod. commercial e con-
servada e ampliada pelo decreto n. 1,*>97 do 1* de
tu.o., de 18'>r>.
c I 2. Fieam derogad is os arts.... do titula ni-
co do cdigo commercial na parte soinente em que
I -le-mua que os iisvaes dos tribunaes do com-
mercio sejam necessarimente de embarcadores.
Art. 2." Sao creados mais seis tribunaes de
relacao as eapiUes das provincias do Para, Cea-
r, S. Paulo, Hio-Grande do Sul, Minas-Geraes e
Matto-rosso.
!. 0 tribunal da rebico da corte lera 15
desembargadores: os da Balua e Pemambuco 11;
os do Maranhao. S. Paulo, Rio-Grande do Sul e
Minas Geracs 8; e os do Para, Cear, e Mato-Gros-
su o.
t I i.' O governo lea autorisado ;
t 1. a marcar a circumscriptao lerrilorial das
relaoSes do imperio, lendo e vista a maior com-
modidade dos povo*.
11. A remover das acluaes para as novas re-
lajes os desembargadores excedentes do numero
fixado nesta lei e que forem mais modernos.no ca-
so de que nenbuiu dos mais antigos queira vo-
luntariamente ser removido.
III. A conceder a ca da unidos de-embargado-
res removidos, nos termes do nmnero aataredento,
urna ajuda de cu>to eotre o niiimo de 1:300* e o
mximo 3:0:)0*.
IV. A ftxar o numero dos empregados c ofi-
cios de justica que deve ler cada urna das relacoes
do imperio, marcar os venCimentos dos emprega-
dos tas relaco-s aovas; e elevar de modo equita-
tivo os dos continuos das quatro relacoes existen-
tes.
t V. A rever e alterar de modo mais conve-
niente de conformidade com a lei n..... de 23 de
setembro d.( 1871 o regiment das relacoes de 3
de Janeiro de 1833.
S 3. O lieaeinbargador nom vido ou removi-
do para urna relacao, nao podara sob pretexto al-
giim, ter exereicio em outra ; e os actos em que
intervier como juiz de segunda instancia lora do
districto da relacao para que f )r nomeadu ou re-
movido, serao de pleno direito millos.
4 Os desembargadores, por qualquer mo-
do impedidos do exereicio de suas funecoes por
mais de ipiiuze dias. serao substituidos pelos jui-
zos de direito mais antigos das omarcas visinhas
da sede da relacao, e a estes caberlo as |ropinas
e gratilicacao dos impedidos.
% o." Os lugares dp secretarios das relacoes e
de escrivaes de appellacoes serao prvidos median-
le concurso publico de provas escriptas e de dis-
cusso oral entre os concurrentes, na conformidade
do processo que o governo estabelecer em regu-
lamento. Esta dispo.-icao, comtudo, poder ser
dispensada as primeiras nomeacoes que se bu-
rerem de fazer para as novas relacoes, so dentro
do prazo de tres mezes depois da publicagao desta
lei ninguem livor requerido a abertura do con-
curso.
6." Os actuaos escrivaes de appellacoes
eommarciaes pastarao a servir as relacoes dos
respectivos distrctose serviro commulativamense
com os outros escrivaes de appellacdes as cansas
criminaes.
". Sao applicaveis aos desembargadores as
disposices dos arts. 1, :t, 4* e o" do decreto n.
560de'28dejunhode 1830.
t Art. 3. Sao revogadas a lei n. 799 de 16 do
setembro de 1854 e o decreto n. 1,397, de 1 de
maio de 185o na parte somente relativa ao julga-
mento das appellagoes e aggravos commecciaes
pelos tribunaes do commercio; e bem assim quaes-
quer outras leis e disposi oes era contrario.
Cmara dos deputados, em 7 de Janeiro de
1873. Dr. Campos de Medeiros.
A assembla geral resolve :
Art. 1." E' creado, na corte do imperio o car-
go de procurador geral da coroa, soberana e fa-
zenda nacional, com os vencimentos e honras dos
ministros do supremo tribunal de justica, brando
subordinados e constituidos em corpo herarchico
os orgos seguintes do ministerio publico :
1. Os procuradores da con'ia, soberana e fa-
zenda nacional, que terao os vencimentos e as hon-
ras dos desembragados ;
_ 2 Os fiscaes do? tribunaes do commercio, que
terao os vencimentos e as honras de juizes de di-
reito; i
t 3. Os promotor pblicos, promotores de c a-
pellas e residuos e os curadores geraes, que terao
os vencimentos dos juizes municipaes ;
< 4. Os adjunto- dos promotores pblicos, que
continuarao a peroeber os vencimentos que ac-
tualmente percebem ; os olliciaes do registro das
hypothecas e os solicitadores de capellas e resi-
duos.
Art. 2." O lugar de procurador geral da coroa
de commissao e amovivel a arbitrio do governo
imperial; mas a pessda que de lie for dispensado,
se ti ver sabido da classe dos magistrados perpe-
tuos, volta ao lugarque oceupava na magistratu-
ra, e que nao ser prvido durante a commissao,
ou ir oceupor aquelle a que livor subido por ac-
cesso :
| 1. Sao aKribuicdes do procurador geral da
cora :
c i.0 Fazer a aceuacao de que trata o art. W
da coastituico do imperio.
c %' Exercer, perante o supremo tribunal de
justica, os offlcios que ah actualmente exerce o
procurador da coroa, soberana e fazeoda nac-io-
ni,l da corte.
J. Proceder na corte e provincia do Rio de
Janeiro, as diligencias proscriptas nos arla. 24, 25
e M do decreto n. lii de 5 de (evereiro de
1842.
4.a Consultar com o seu parecer por eseripto,
sobre os asiumptos em que for mandado ouvir
pelo governo.
*.) Superinteoder, dirigir efflscalk todos os
servicos do ministerio publico, IransmUtiade as
ordeas e daado w iustrueces, que jidfar con v-
monos e todos os agentes snbalterDos, cujos de-
veres vigiar que sejam nimpriios com zt^tti -intat
ligencia a inteireza.
| 2." Todos os outros lugares do iitMMiurio
iublico sero prvidas por accesso das classes i<
wiores, sanio os de adjuntes de promotor publi-
co, os de offlciaes do registro das hypothecas e os
de sollicitadores de eapeAs e residuos prvidos
por concurso de provirs-publicas, escriptae e oraes
parante a relaea.) do districto em que sederem a*
vagas.
Art. 3. Fica o goveruo autorisado. nos ragur
lamentes que expedir para a execucao desta |ei, a
fazer a clas.-it.-acao dos didereutes agentes ilo mi-
nisterio publico, definir as suas attribuicoes, osla-
belecer as panas disciplinares indispensaveisjiiboi
ordem da corporacio, e as regraa para W acoes-'
sus e concursos, sigeitando tildo a approvacio da
assem'iftM geral legislativa.
Art. 4." Kicam revogada- as disposgoes em
conlrario.
Cantara dos deputados, 4 de Janeiro de 1873.
l)r. Campos de Medeiros.
Por decreto de 4 do correntes :
Foi declarado de nenhum estallo o decreto de
13 de setembro do auno passado, que nomeou o
bacharel Ildefons de Andrade ello, juiz de di-
reito da comarca da Palma de primeira entrancia
na provincia de GiYz, por nao ter seeitada a no-
me gao.
Foram exonerados a pedid > :
O bacharel Francisco de Paula Prestes Pimon.-
t-1, do lugar de juiz municipal e de rplios da
termo de Barbacen na> provincia de Hinas-Ge-
raes.
0 bacharel Venancio Jos Gom s da Costa, do
de juiz municipal e de orphos do armo de Ara-
xa, na mesma provincia, para o qtiil fra tani-
bem a pedidos, removido do termo dalrnaca, na
provincia de S Paulo.
Foram nomeados :
O bacharel Joaquim Celidonia Gomes dos liis,
juiz municipal e de orphaos do termo do Ar s
na prov nc a de S. Paulo; Luiz Marintio da. Silva
e Oliveira, eseripturario serviodo de secretario
da poliei. da provineia de Matto-Grosso.
O capitao Belsario Froderico du Almeda e Al-
buquerquo, major ajudantc de orJens do eom-
mando superior do municipio de Maraanguape,
na provincia da Parabyba.
O teoent Jos de A anjo Lima, capitao secre-
tario geral do ee Salviano Baptista de Araujo, nwjor apidante
de ordens do eommando superior dos municipios
do Principe e annoxos da provincia do Rio-Gran-
de do Norte.
O capitao Jos Gongalves Pedreira, major com
mandante do 5.a esquadro de cavallaria da pro-
vincia do Piauhy.
O tenente-coronel Joo de Iteus Pires F rreira,
coronel-commandante superior do municipio de.
S. Bernardo, na provincia do Maranhao.
O major Fabricio Espindola a Silva, tenenle
coronel ch fe do estado-maior do mesmo eom-
mando superior.
O j I fe re. Clemente Pires Ferreira, tenente-co-
ronel conimandante do 1. corpo de cavallaria
do mesmo municipio.
Foram aggregados ao estado maior- do com.
mando s perior do municipio o Brejo, os seguin-
tes ofliciaes perte eentos ao districto de S, Ber-
nardo da provincia do Maranhao :
Coronel commandante supe ior Miguel Furta-
do de Meudonea.
Tenente-coronel chele de estado-maior Alexan-
dre Francisca Rodrigues.
Tenente-c ronel commaiulaute do 1. corpo do
cavallaria Marcolino Francisco Rodrigues.
Foram a pedido reformados :
0 capitao secretario geral do eommando supe-
rior do municipio de Sobral, na provincia de
'.ear, FreJerico Rodrigues Pimentel, no posto
de major,
O capitao do 5." batalhao de infamara da
corte Joio Antn o Fratelli de Siquo r.i, no posto
de major.
Por decreto do 4 do corrente :
Foi transferido para a 2.* classe do exerc-
i.i. de conformidade com a inmediata e imperial
resolucao de 20 de julbo de 1870, temada sobre
consulta do conselho supremo militar, o 1." l-
ente graduado do 1." batalhao de arlilbaria a
p Francisco Rodrigues Lima,
Foi transferido para a arma de infantaria, na
conformidade das disposiges do art. 3." da lei n.
1843 de 6 de outubro de 1870, o capitao gradua-
do do 4." batalhao de artdhara a p, Merino
Jos Teixelra Campos,
Fo am concedidas as honres do posto de bri-
gadeiro do exercito, de conformidade com o pa-
recer do conselho supremo militar, exarado em
consulta de 28 de outubro do anno prximo tiri-
lla, ao Dr. Joo Vieira Couto de Ma./alhes, em
attengio aos servigos prestados como presidente
da provincia de Matto-Grosso, commandante do
corpo de voluntarios cuyabanos e chefe da ex-
pedigio que retomou Corumb.
Foi concedida ao capelln alferes da repartigo
ecclesiastica do exercito, padre Francisco Bueno
de Sampaio, a demisso que pedio do servigo do
mesmo exercito.
Por portara da mesma data foram con-
cedidos ao Dr. Jos Maria Lopes da Costa, chele
de secgio da secretaria de estado dos negocios
da guerra, dous mezes do lieenga, com o res-
pectivo ordenado, para tratar de sua saude onde
Ihe convier,
Por decreto de 4 do corren e foi aposen-
tado, a seu pedido o bacharel Francisco Xavier
Pereira de Brito no lugar d procurad..r fiscal
da thesouraria do Ro-Grande do Norte.
Foi nomeadu Antonio Jos RJbeiro dos Santos
para o lugar de thesoureiro da thesouraria do
Espirito Santo.
Por decretos de 31 de dezembro foram no-
mead is segundos cirurgides do corpo de saude
da armada os doutores em medicina Francisco
Lzaro Tourinho e Joo Damasio Jos.
Antehontem, s 11 horas da manh, a mes-
tranea das diversas offlcinas da directora da con--
troccao naval do arsenal de marinha da corte, di-
rigio-se casa do Sr. Bario da Laguna, inspector
do mesmo arsenal e oflereceu-lbe em neme dos
operarios das ditas offieinas o seu retrato a oleo,
de que j demos ha dias noticia, manifestando
nessa occasio um dos metres, em seu nome e no
dos seus collegas, o reconhecimento de que se acha-
vam todos possuidos pela bonJade c*m que o Sr.
bario sempre traten os seus subordinados durante
os oito annos que tem estado frente do primeiro
estahelecimento naval do Imperio.
O Sr. inspector responden agradeeendo a aapon-
taneidade da ofterta, e declarando que os bruan-
tes resultados obtidus no arsenal sob sua inspoecao,
durante a diMcil qaadra que atravessoa oestes
ltimos annos, foram principalmente devid is u-
telligencia e zek> dos seus directores, mestres
operarios em geral.
Fiado este acto, a que assistiram diverses offl-
ciaes generaos e superiores da armada, e grande
numero de pessoas gradas, foi servido am delicado
e abundante copo d agua, em que se ftzoram mni-
tos brindes e discursos.'
No dia a exposico foi visitada por 840 pes-
soas de dia e i 184 a ooitt: ao todo m
Desde o dia Ia as visitas foram i 3.471 de dia
5,633 nonte ; ao todo 9,10 visitante,
zindo um renda de 3;457d*#Q.
_Tr_------.----------------------------------------------
.O preeo da emrada boje de 500 rs.
i -
A cmara dos deputados reoouheceu Itoutem do-
pataitos pelo 3* districto da previo ia de S. Paulo
atan. Deltino Pinheiro de l"ba Cintra Jnior,
mande S. Joo do Ro Claro e Autuuio da Silva
Brado.
.,Contiauoii depois a discu.o do parecer da Ia
eowmiasio de inquento, reconbeceiulo deputados
Mh) naico districto eleitoial da provincia de Piau-
M os Srs. Manuel Pinheiro de Miranda O* rio,
Thomaz de Moraes Reg e Agesilo Pereira da
ya. Orou o Sr. Doria, k-ando a discusso
amada pela hora.
.' Foram concedidas as exoneracoes que pediram :
: .9 bacliarel Vauancio Jos de Oiiveira Lisboa, do
eargtt de presidente da provincia do Paran.
: i> bac-harel Jes.' Bernardo Galvo Alcoforado
Jnior, do de secretario do govirno da do Cear.
- 4'oram nomeados :
HO-bacharel Carlos Augusto de Oliveira Figue-
rmlo^presidi'nie. da provincia do Paran.
ii t" vice-presideoie da dita provincia, bacliarel
Afnstiaim Ermeliuo de Lea, e o 4, corenel Ma-
nuel t Antonio Guimares, |ara servireni aquelle
Ora primeiro e e-te em 2a lugar.
O barharel Juao Zelerino Pires de I.yra, secre-
tario du governo da provincia du Cear.
Offlciaes da ordem da Roza : Antonio Moreira
de Araujo, da provincia do Rio de Janeiro, em
atkmfao aos relevantes servieo prestado* ao Es-
tad, i Basilio Hesketh, em attengu aos relevan-
tes servigos prestados instrueco publica na pro-
vinoia do Maraiiliiu, e em relacao a guerra contra
o governo do Paraguay.
Cavalheiros da mesma ordem : Jos Deltiuo dos
Santos, Estanislao Valerio da Cwiceico, e o major
Jos Feliciano Alves do Brito, da provincia de
Santa Catliarina, todos em attengu aos relevantes
servigos prestados em relacao i% guerra do Pa-
raitiiav.
Fea-se mere :
De (uro de mogo fklalgo com exereicio na casa
imperial ao lldalgu cavaiheiro bacharel Francisco
Leopuldiuo Gnsmo Lobo.
Do de Udaigu cavalueire ao bagare! Pedro Au-
gusto P ritra da Cuaba.
Fui concedida a peao de 4O0 rs. diarios ao
soldado do II' baUUiio de infantena, Sabino Es-
tavo da Silva, invalido em constspi-ncia de feri-
inento recebido em combato.
Foram naturalisados os sabditos portuguezes
Antonio da (>*ta, Joaquira Sobral Pereira, Anto-
nio Francisco da Costa, Jos Pinto de Sa, Manuel
Gongalves da Cos, Constantino (iaspar, Faustino
Joaquim <'.eellm da Silva, Jos da Silva Lisboa, e o
padre Manee I M'lides Pereira de Vaseoncellos.
Por portara de 7 do crrente foi nomeado o
bae -arel Francisco Iguaiio Marowdes Homem de
Mello, para exercer o cargo de mspeeter geral da
inslruccau primaria e secundaria do municipio da
corte, .;m.piante ealtwer con asseato na cmara
dos seuadiiri's, o coseNieiro Jos Beato da Cuuba
Figueiredo, por ter sido ronegu Jos Joaquim da
Fauceea Lima exoneradi> a sn pedido de seue-
Ihanb- rommssu.
. Por purtaras de 7 du corrate le rain nomeados:
Para servir de coadyuvante dw curso.prepara-
torio da escola militar, nos termos do art. 295 do
regulamento de 28 de abril de 1863, o major do
estado-maior de artilharia Brasibo de Amorun Be-
cerra, o qual continuar no rtercicio de instructor
de 1* classe na mesma esculn, sondo, poreni, dis-
pensado do cargo de riscal do b.tallio de enge
nbeiros.
Para o cargo de major Jisca! du batalhao de en-
genher-s, o major do estado-maior de 1" classe
larlos Jos da Costa Pimenlel. ficando extincto o
lugar de ajudantc que oceupava na escota militar,
nos termos do decreto n. 4,773 de 23 de agosto
de 1871.
Para a vaga existente de subalterno no batalhao
de engeaheiros, o alferes de e-lado-maior do 2*
classe Miguel de Oliveira Salazar, Arando extincto
o lugar de agente que oceupava na escola militar,
ua couformdade do decreto n. 4,771 de 23 de
agosto de 871.
O capitao de estado-maior de artilharia Albino
Rosir, para o lugar de bibKetheeario dt escola
militar, sem prejuizo da commissao que tem no
batalbio de engenbeiros.
Em 4 deste mez nuuieuu-se o capito-tenente
Jos Manuel de Araujo Cavalcaote de Albuquer-
que Lins, para exercer interinamente o lugar de
capitao do porto da provincia de Santa-Catharina,
com os vencimentos fixades pela tabella n. 2 an-
nexa ao decreto n. 4,883 de 5 de fevereiro do anuo
prximo pa sado.
- Por portaras de 31 de dezembro prximo
passado e ue 3 do corrente, foram Horneados para
a commissao encarregada de inspeccionar os tra-
bamos de construeco da estrada de ferro do Ma-
dera e Maraor, bem como de medigo a demar-
caga de Ierras devolutas as margeus do Madei-
ra: Antonio Alvares dos Santos Souza, ebefe ;
eapitio Antonio Alvares Pereira Salgado, ajudante;
capitao de artilharia Feliciano Antonio Benjamn
coadjuvante ; Henrique Scheid, conductor de Ia
classe ; li-rnardo Caulier e Misseno Jos Taveira,
agrimensores ; e o Dr. Francisco Julio Xavier,
medico,
Por decreto n. 5,178 de 16 do passado foram
dnel iradas de Ia entrelas as comareas da En-
cruzilhada, Livramenlo e Piratiny; de 2a as de
Taquary, Cachoeira e a de Pelotas, ereadas na
provincia de S. Pedro do Rio-Grande do sul.
Por decret* n. 5,179 de 16 do passado foi
marcado o ordenado anuual de 890* a cada um
dos promotores pblicos daa comarcas da Cacho-
eira, Encruzilhada, Livramento, Piratiny, Taquary,
e Pelotas, no Rio-Grande do Sul.
No dia 7 a expeeico foi visitada por 587 pessoas
do dia e 1,666 a noule, ao todo 2.5-1
Desde o dia 1 as visitas foram : 4,060 de dia e
7,299 noule; ao todo 11,359 visitantes, prodiizra-
do nina reeeita de 3:907*700.
O proco da entrada boje 1*000.
Por portara de 8 de Janeiro coneedeu-se Hcenga
para residirein:
Na provincia do Cear, o anspegada reformado
Lzaro Theodjro de Panla.
Na provincia do Rio Grande do Norte, o soldado
reformado Luiz Gomes; devendo ser pagos os seus
sidos pelas tbesourarias de fantula das ditas pro-
vincias.
Foi conferido o grao de baeharei ent seiencias
matheinalicas e pnrsicas ao Sr. eapitao Amarillo
OMada de VasconoHos, alumno desta escola.
No dia 8 a pesie* foi vi itada por 168 pea-
sans de dia e 398 Houte ao todo 566.
Desde o dia 1* as visitas foram : 4,228 de dia
7.697 noule; ao todo H.W5 visitantes, produ
zado orna reeeita de 4:190*700.
O prego da entrada do boje de 300 rs.
Entrn jle bontum em aoeso porto a corveta
ttaaoa GarMdt, procedente de Gibraltar.
Traz ella i sen bario, fasondo parte da guarni-
da, amo imarda-marwha, principe Tbomaz,
staquo do Genova, do annos do i-laoV, (Uno do
duque do mosmo titulo, o sobrioho do rei Vctor
anoeL,
A mat tem montadas oito pecas do calibro
4M, e tu riafom do mosnccio rodado mundo;
sr moj emo dias aamr para CaJw da Boa-
II -
Pelo paquete inglez Republic, da linha do Paci-
fico, recebemos bontem Mitas do Rio da Prata at
5 do corrente.
At onde havia noticias das Majaes dcmeinbrus
de eongrp.se que na din 1 se proceden na Rep-
blica Argentina, linham ellas corrido pacificamen-
te. Sobre o resultado relativamente aos partidos
militantes, nao se poJia, porm, formar juizo al-
gum por ora, mesmo porque algunos destas elei-
ges eram ilnpnjnadas e ai-oimadas de Iraudii
lentas.
Nao havim sido d>'scoberios .mua os assassinos
do governadur de S. Juan. Pela centesima vez
quic fallava-.-e numa invado de I.epoz Jurdan
cm Entre-Itios. dizendo-se que os parcaes de-te
caudi'ho tinii.cn msassinado nuis dous ebefes
contrarios, oujos noiues Comtudo se nao mura-
vam.
Nao passavam .-tu provavelmeiite de urna mven-
gio para lins eletoraes.
No Estado Orientel nada oecorrera de unpntv
lanicia.
O governo paraguayo cassou o exequtur ao
cnsul fraucez Viscunde de Abzac por decreto de
24 de dezembro, em que se do como fundamento
o abusivo prucedimento que aquelle cnsul na ad-
minisliaco e liquidaciw da heranga du francez
Edmundo Berclion des Essards, com grave prejuizo
dos herdeiros, e n;i falla de deferencia e respeito
para com os tribunaes do paiz, e finalmciile a sua
fuga bordo de urna canhoneira italiana, aban-
donando o consulado sem dar aviso ao ministerio
rompe ente.
Por portara de 9 do crrente, fui nurueadu Eu-
doxio Aureliane de Oliveira para o lugar de pliai -
inaceutco do arsenal de guerra da provincia da
Bahia. !#
Por decreto de 9 do currante lu nomeado o en-
genbeiro Antonia Paulino Linp" de Abreu. para o
lugar de inspector geral do trafego da estrada de
ferro D. Pedro II.
Por portara de 10 do coirenle foi removido u
bacharel Domingos Jos Rodrigues, da inspectora
geral das obras publicas da corte, unde se achava
empregado, para a provincia da Parabyha do Norte,
percebendo os venciuiintos de engenheiro de 2a
classe com transporte pelo ma me, em substitui-
go do engenheiro Joaquim Jos de Almeda Per-
mmbuco, que lica dispensado da commissao em
que se achava naqnella provincia,
Reuaio-se hontem, sob a presidencia du Sr. con-
solbeini Joo Jos des Heis, a assembla geral dos
accionistas do Hunco Commercial do Rio de Janei-
ro, ; lida e approvada a arla da sesso anteceden-
te, det'laruu o Sr. presidente que o tlm da reunan
era eleger "o conselho director, de conformidade
com o art. 36 dos estatuios approvados pelo gover-
no imperial.
Proceilendo-se vota gao, ficen o conselho com-
jiosto dos Srs.: veador Jos Carlos Maynnk, con-
se.lhein Joan Jo-e dos Reis, Joaquim Pinto de ar-
vallio Ramo* Sanios, Elkin Hinte e Joo Martins
Cornelio dos Santos, endo OS qnalro primeros
reeleitos.
No dia 9 a eipoeido fui visitada |ior 67 pessoas
de dia e 205 noule ; ao todo 272.
Desde o da Ia as visitas foram : 4,295 de dia c
7.9 2 noute: ao todo 12.197 visitantes, produzin-
do urna reeeita de 4:462*700.
A exposigo tamhein fui visitada gratuitamente
pelos e.lurandus do asylo Agrcola.
O prego da entrada boje de 200 rs.
Fallecen hontem, pela 4 horas da tarde, na ida-
de de 62 annos, o cummendad *r Jos Antonio Ai-
rosa, anligo negociante desta praea e ltimamente
faznndeiro na provincia do Rio de Janeiro.
Quer em urna, quer em entra carreira, soube
sempre o finado grangear a estima de todos quau-
tos com elle tiveram relacOes.
- 12 -
Por portara de 10 de Janeiro concedeu-se Iran
lerenda do 6' batalhao de infantaria para o 3* da
mesma anua, ao alferes Jos Joaquim Alves Be-
zerra.
Por portara de 4 do corrente, foi exonerado o
engenheiro Francisco da lamba Galvo da commis
sio relativa estados para e prolongamento da
estrada de ferro da Bahia.
Foram nomeados pela commissao superior para
compor o jury geral que tem de julgar os preduc
tos expostos os Sis.:
Viseoade de Prados, presidente; Dr. Joaquim
Manuel de Macedo, secretario geral; Alexandre
AITonso da Rocha Sattamine, secretario adjunto.
Membros. Drs. Agostnbo Jos de Souza Lima.
Agostinho Vctor de Borja Castro, Antonio Achules
de Miranda V'arejao e Antonio Correa de Souza
Costa, Antonio Luiz Fernandos da Cunha, Dr. An-
tonio de Paula Freitas, coronel Dr. Antonio Pinto
de Figueiredo Mendes Antas, Antonio de Serpa
Pinto, Arthur Silveira da Molla, (capitao de mar e
guerra), Drs Augusto Fausto de Souza e Augusto
Francisco Maria Glazion, Bardes de S Clemente c
de Mau, Drs. Benjamn Frank in Ramiz Galvo e
conselheiro Candido de Azeredo Coutinho, desem-
bargador Dogo Teixera de Macedo, Drs. Domin-
go' de Araujo e Silva e Epiphanio Candido de Sou-
za Pitangh, Eduardo Laemmert, Drs. Ernesto Go-
mes Moreira Maiaj Francisco de Assis Vieira Bue-
no, Francisco de Paula Bicalho e Guilherme Schu-
ch de apanema, capitao de fragata Henrique An-
tonio Baptista, Drs. Herculano Velloso Ferreira Pen-
na, Honorio Bicalho, Joio arlos de Souza Ferreira,
Drs. Joio Joaquim Pisarro, Joo de Souza Mello o
Alvim, Jos de Saldanha da Gama, Jos Sevorino
Mendes Brura, Ladislao de Souza Mello e Netto
Matheus da Guaba, Miguel Antonio da Silva, Nico-
lao Joaquim Moreira, Pedro Dias Gordilho Paes
Leme e Vicente andida Figueira de Saboia, Vis-
conde de Tocantins.
A cmara dos deputados approvou hontem o
parecer da Ia commissao de inquerito reconhecen-
do deputado pe o Ia districto da provincia de Per-
nambuco o Sr. Antonio Joaquim de Moraes e
Silva
Em seguida foi tambem approvado o parecer da
mesma conuiussao reconh "cendo deputados pela
Srovincia do Piauhy os Srs. Manoel Pinheiro do
liranda Osorio, Thomaz de Moraes Reg e Agesi-
lo Pereira da Silva, sendo rojeitado o vol em se-
parado e todas as emendas.
Oceupou-se depois a cmara com a 3a discusso
do projecto augmentando o sido dos offlciaes do
exercito earmada, pracasde pret do batalhao naval,
empregados do tnesonro e thesourarias de fa-
zenda.
Foram otTerecidas as seguintes emendas:
a Proponbo que o J 3* do art. 1* soja substituido
pelo seguinte:
t O sold dos offlciaes da armada, bem assim
dos offlciaes dos corpo* de saude, culto e fazenda,
Oca augmentado com anas tercas partes do sold
existente. As pragas do batalhao naval percebe-
rio augmento do sold corrospondooto ao que fr
marcado para as pragas de pret da arma de arti-
lharia.
t Eai lugar do pamgrapho nico do art. 2* di-
ga-se : A melhoria dos vencimentos para o eier-
cito e armada empregados do theaouro e thesou-
rarias de fazenda comocar a vigorar de Ia de Ja-
neiro do oorronla anno.-JiT Para ser coUoeado onde convier.Os refor-
mados quaado estiverem emprefado em servico
militar tem direito se sold e mais vantag-twa qur
percebem os effeclivos.Joao Manoel Elias de
Albuquerque -h-aiulru BezerraCampos de M-
4eir s.
Ninguem pedinde a palavra fica a dj^tjjflfe)
encerrada, nao se votando por falta de nume/o
legal.
Continuou em uliifaa lugar a discusso do re-
querimeuto do Sr, Florencio de Abreu sobro o re-
crutameiito na provincia do Rio-Grande do Sul.
i li ul i e4Mpub>4j!vinl.i'o do uiM pa^sade. Ora
ranms SrsTirTnistro' da gutjna..p Costa Pereira.
tirando a disousfio adiada pida hura. ,
A corveta Xitkerolty, de nossa marinha de guer
ra, tem de fv.cr mais urna viagom de inatruegio
que ser a da ultima turna de guardas-marinha :
bontem pela maulla, estando a bordo u respectivo
cutumandante, capitu de mar e guerra Joaquim
Francisco de Abreu, a oincialidade d>' bordee de
outros navios e varias familias, fez a corveta urna
viageui de experiencia da machina, que, segundo
nos informaran!, anda precisa de alguns melhon
mentes.
Turnou-se a experiencia em verdadeira les la
proporcionada pela oflicialidade de bordo aos con-
vidados. Dejuis da danga foi ouerecido um deli-
rado almoco e as 5 horas da tarde deseinbaiearam
os convidados penhorados pelo acolhiueolo qne
tiveram a bordo.
- 13-
No dia 11 a exiiosicao foi visitada por 345 p*?-
soas de dia e 1,176 noite; ao todo 1,321.
Desde o dia Ia as visitas foram : 4,738 de din c
9,409 noile; ao lodo I i,147 visitantes,' produ
/.indo urna reeeita de 4:981*400.
O prego da entrada boje de 500 rs.
Hontem, logo depois da leitura do ex|iediente, o
Sr. bario de S. Juu do Rio Claro fundamentou o
seguinte requerimento, cuj discusso ticen adiada
por ter podida a palavra o Sr. minisu o da jus-
tn-1 :
Retmeiro que se peca ao governo informace-
porque nio tem decidido as propostas tendentes
ao prolougamentu da estrada de ferro da cidade
de Campias i de S. Joo do Rio-Claro, da pro-
vincia de S. Paulo.
Entrando-so na ordem do da, a cmara appro-
vou successivamente os parecer.-, da commissao
de poderes approvando diversas eleices primarias
da provincia de Minas-Geraes.
Approvou em seguida o prujoete sobre o aug-
mento do sold doi ofDciacs do exercito e armada,
e vencimentos dos empregados do uVsoore o tbe-
sourarias de fazenda, com a segunda parto da
emendado Sr. Escragnolle Taunay que diz:A
melhoria dos vencimeiitus para o exc rilo e arma-
da comecar a vigorar de 10 du crrente mez o.
anno. Fui rejeitada a emenda do Sr. Joao Ma-
noel.
Approveu de|Hiis a camra, com varias emen-
das, em ama discus?iu, o projecto que auterisa
o governo a mandar admiti a examc das mate-
rias do Ia anno da faculdade de direito do Roe i fe.
o ouviiite Beinardu Antonio de Mendooga.
Approvou mais em ama s discusso, lambe m
com algumas emendas, ,o parecer, concedendo
penses ao capitao honorario do exercito, Augusto
Dmiz Goucalvcs e ao ca{ito Aristides Anuin .
Guaran.
Entrando em discusso o proieclo sobre o aug-
mento de subsidio dos deputados c senadores, o
Sr. Campos de Medeiros otfereceu a seguinte
emenda substitutiva que fui approvada, Mando
prejudicado o projecto
O subsidio anuual de seis mil cruzados para
os dcputad.iA e di nove mil cruzados para os se-
nadores, marrado nos 55 2' e 4a do cap. 9a da*
instruc oes que baixaram com o decreto de 26 de
marco do 1824 para a Ia legislatura e lixado para
as legislaturas posteriores, deve sor entendido se-
gundo u padro monetario da poca em que foram
promulgadas aquellas iusiruccoes e pago do prin-
cipio ila actual sassao legislativa em diante
com 1 correspondente differeng do valor; da
nieeda.
Continuou em ultimo lugar a 2" discusso do
orgamento para o exereicio de 187;t a 1874 na
parlo relativa i despeza do ministerio da ma-
rinha.
Orando o Sr. Silveira Martins, trocam-se alguns
apartes entro os Srs. Cardoz-i de Menezes e Marti-
nlio Campos, e havendo grande agilacao, o Sr. pre-
sidente suspendeu a lano ; pouco depois, con-
tinuando a, levaiitou-a por se terem retirado mu-
tos Srs. deputados
Por decretos de II do corrente foram removi-
dos os juizes de direito :
Bacharel Augusto Casar de Medeiros, da co-
marca de Jaguary. de I* entrancia, na provincia
da Minas-Geraes, para a de < achoeira, do 2a, ni
de S. Pedro do Rio Grande do Sul.
Bacharel Luiz Francisco da Cmara Leal, d
comarca de Vassouras, de 2a entrancia, para%<3
Valenga, de 3a, ambas na provincia do Rio de Ja-
neiro.
Bacharel Bento Luiz de Oliveira Lisboa, da co-
marca de S. Joo do Principe, de Ia entrancia.
para a de Vassoura, de 2a, ambas oa provincia do-
Rio de Janeiro.
Foram mais removidos, a pedido :
O juiz de direito Francisco Ferreira Corroa, da
comarca de Itepemirim, na provincia do Esptrit9
Santo, para a de S. Joo,da Itarra, na do Rid de Ja-
neiro, ambas de 2* entrancia ; Picando sem effeito
a sua remogo anterior para a comarca de Ara-
mama. .
O juiz municipal e de orphaos, bacharel Jos
Vntonio Gomes, do termo de Saquarema para o de
Santa Maria Magdalena, ambos na provincia do
Rio de Janeiro.
Foi dispensado, l pedido, o juiz de direito Jo*
Colho Bastos, do cargo de chefe de pocia da pro-
vincia de Minas Geraes.
Foi designada a comarca de Araruaina, de 2' en-
trancia, na provincia do Rio de Janeiro, para Bel-
la ter exereicio o juiz de direito .Joao Colh*.
Bastos.
Feram nomeados juizes de direito : o baeharei
Jos Augusto do Nascimento Pereira, da comarca-
da Palma, na provincia de Goyaz ; o bacharel Ma-
noel Jorge Rodrigues, da, comarca da Eac-ruzima-
da na provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sal;
o bacharel \bilk> Alvaro Martins, de Castro da co-
marca de Piratinym, aa mesma provincia.
Foram nomeados juizes municipaes o deorpha**
o bacharel Joaquim Pereira de Norooha, do termo
da Cruz-Alta, na provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sul o bacharel Leopoidmo Cabra) de-
MeUo, do termo le S. Jus do Norte, da mesma
provincia ; o bacharel Tinslao Crdese de Meee-
im, do termo de Ponta-Grossa, na provincia da Pa-
ran ; o Dr. Jos Pereira Terra Jnior, no termo
de Saquarema, na provincia do do Rio de Ja-
neiro.
Foi concedida ao bacharel Joaqun Joas Be-
zerra Montenegro a demisso que pedio do lugar
de juiz municipal e de orptros do termo de Peala-
Grossa, na provincia do Paran.
Foram nomeados para a guarda nacional
Pemambuco : O tenente-coraael Luis da AJ-
buquerque Maranhao, coronel eeammaaaaie su-
perior do muiripio de Pao d'Albo.
Fetx-ae aere da serventa rilasieia dea offlenH
para que foram provisoriamente aameadm Befos
respectivos preeidentoates : A Jos Vieira Saes-
paio, do de 2a UtoaUiie e eacrivio do ivei cri-



~Hti'lQn*)9 dt Pernambuoo.r Quauta tena 22 de Janeiro de 1873.
m
enp) foran,aomea-
nenuraitt 4o Bio
pncisco oBles 4a
fea de Santo, e
agua. I.MfeJMo A a
ti o termo de -Marei, na fmvinrfrta Ata
neas. A Rrmciscodn Souza :.stro. ikhuM-
Im e c.MTiv.io tW orejaos c amientes,I .termo de
Kiririca, na prodncia 4e S. Paulo, Ao ca Ri) ho-
norario do exerco Allierto Jos i. Ribiro' da'Bar-
ros, do de escrivio c orphios" e-anientes 4o
(mo de S. Josa dd-Tlaneiru, ni mesma provincia.
Ao major hooorario do exereilc, Augusto Jos Pe-
reir, do de tmellio (Lvnestno termo e provin-
cia.
Por decretos
dos : Procurador
Grande do Norte, <
Sirva, 1 eonferenM
utfda nuil addide
.amara Lima.
i or decreto 4*14 do afrente :
Frram noiuapeMs .cres alnunos d. ejercito,
na ronfonninmVdaslfcpostes iloarl. J do y_
fulamente approvailo pele ueci ero n. Inj3 de 2
de abril de 1848, o .alumnos da escola nil'tar
.-dtaixo mencionados : oldado do batalho de en-
geaheiros, Augusto de Meneze s Vasconcellos de
brummond, 2' sargento do dito batalho, Pedro
l,eopotflo da'SItveira, t* cadete fto 2 regiment de
avallara ligeira, Henrique Guatmosim Ferreira
da Silva, i" sargento do 1 batalho de artilharia
a pe, Antonio Guilhorniino de lacerda Bitlencourt
partipular Io sargento do 1 regiment 4e artilha-
riaacavaUo, Henrique Valladares, Io cadete do 1"
liatalliaa de artilhana a pe Pelippe Ferreira Alvos,
2* cadete do dito batalho, Medesluo Augusto de
Assis Martins, part estar 2o argento do batalho
deengeaheiros, Antouio Vicente Bibeiro Guima-
res, 2* cadete doj* regiment de eavallaria li-
geira Luiz Antonio de Medeiros, particular 2* sar
geato do Io batalho de animara a pe Alfredo
Jeoqnim Correia da Silva, soldado do dito batalho
Alfredo Hartos Muller de Campos, soldado do ba-
idh.io de engenher>s, Constancio da Franca
Amara!.
Foi nomeado Bnlduino Sabino Borges para o
lugar de escrivo-ehefedo cscriptorio do .'ajudante.
do arsenal de guerra da provincia da Babia.
Foi nomeado professor da lingua verncula da
escola militar, o repetidor da mesma escola, hacha-
re! Antonio Carlos de'Oliveira '3uimaraes.
Foi transferido do 5' batalho de artilharia a
p para o corpo de estado-maor da mesma arma
capito Miguel Mara Girard.
Foram transferido:*, na conformidade das dis-
posicoes do art. t* da le n. 1,973 de 9 de agosto
dr 1871, para al." eompanhia do 5.' batalho de
artitOara a p, o capitn do 17' batabio de in-
famara Dionysio Evangelista de Castro ferqueira
a para a arma de artilharia o 'lente da compa-
nhia-de cav diaria da provincia de Pernambuco,
Carlos de Otiveira Soares.
Foi reformado, vencendo sold dobrado de vo-
luntario da patria, na conformidade das disposi-
ves da i.hima parte do art. 10 do decreto n. .1371
de 7 de Janeiro de 18*5, o 2* sargento do 40
ilc voluntarios la patria Francisco Melchiades da
rosla, visto acfiar-se m itilisado para o servico do
exereit em consequanria de ferimenlo receblo
in combate.
Antc-hontem, pela: 4 horas da lude, diversos
eavalheiros reunidos no salo da Pinaratheca da
aclemia das Bellas- rtes, enregaram ao eoin-
tMAK Peilro Ameiico de Figueredo, p.hiio ho-
ineuagam ai talento qne produzi > o quadro lia -
laJha do f*MHpi firinili. mu i euroo do ouro,
foita com o producto de urna subscripciio agencia-
da j> >r alguns amigos e admiradores do disneto
artista.
No arto da entrega os Srs. ronselhehos Salda-
nha Marinh >, QuintnB Borayuva e um di-cipiilo
da academia das Bollas-Artes, cujo nome ignora-
ino#, pronnnciaram discursos aailogos M acto.
Km soguilla, algumas das psanos presealeB
:ic tmpanharam o comn icndador Pedro Americo
casa de Mi residencia,
diversos discursos.
AUMft) t ^*fm&i tjt lijt '"Jd tettL4airado com o mats i*fS e esmerado
aVpiita V-ete^rclew moa qtimnftaKIm. ntro dos m!o~i rom nos lados ergu
V. 1 -T.rV
Pontos.
Manjeral ito
Teueute-gi
faramajiho. unicu. A pcllipria. tliw_vecWHi-
t'os -coneAirtos era virtnde dsta resolocio vigora-
ra para 4c jan>sr<)
de W7-S, e para os enjQregados do thesonro e d\e-
wnrarias de- fazenda dsele .o 1.* de juiho. de 1672.
i Art. 3.* Ficam revogadas as dtsposices em
QWUario.
Sidos. *
Ko '00.
iOOlOS
po :too
240,
?00,
I60|06f
140H8D
100*000
V'f
Xa
lili;
Ten
MaJ
Ca|
Teainle oa i
KlM,iiaicfMg,r4i)n3>stetitavam-sG aira1
e frst-s 4e vjn>ilas core* as |wvU
ttadAs a beneitoen1*, forinanilo lindas p "
n (ff1* bel;**o!iirolacava-se simj
Noartn d* iwu|urac5o do basar, o Sr. vi
cnsul portugnez Francisco Joaqiwn da Bocha,
roferto nuu altoeurao anloga, ual publca-
los em utr* tagir
lotta.
coraael
AUerea on 2. teneuto 601000
N-2.-Tabella do sode 4m jn-aqui tV >r do
extr*mr>
Armas
ArtHha- Caval-
na.
Sargento-ajudante 15000
Sargento quartel-mestrc 1000
I sargento
Ia sargento
Sargento-mandador
Furriel
Cabo
Anspeeada
Soldado, inclusive o-
trabalhadorcs
Soldado artilice ou coh-
dnetor
Mostr de msica
Msico de 1 *classe
Msico de 2.* elasse
Msico do 3.* plasse
800
5420
15200
5320
1200
1140
laria.
15000
15000
5800
5420
Infan-
laria.
15000
150!
5700
5400
5320
4200
5140
53<
5loO
5130
5120 5120 4110
onde ainda se trocaran
No di,1 12 a e\p isieao fui visit;.da p.)l" 1,207 pc.-
*>is de dia e 2,012 n lite ; ao todo 4,119.
Desde o Uia I a visitas foram 3,94; de da C
I.32I a noite; ao- todo 18,266 visitantes, predu-
/indo urna reeeita de o:8035200.
O preeo da mitrada boje de 200 res.
l'uNieou-sc a ntatorio apre.wntado pelo Sr. di-
rector geral interino da reparlico de estatisea ao
Sr. ministro do Imperio i-iii datada 20 de abril le
IH72. Nao sonidos ainda os resultados do reeen-
seamente geral a que se, procedeu em todo o Impe-
li, nao poda apivscntai-se aqui Wdio um calcu-
lo aproximado fundado em wfernncj3ea imperfei-
tas. Segundo este a populaca total seria de
10.093:978 almas, sendo 8,627 :"l 4 livres e......
1.683:864 escravos. Os indios ontram com um
'.euingonlp de 215,0 0. A apiracao que va i fa-
/T-se do recenseamonto geral drB provavclmente
algaiwm nals elevado
lintretinto, se a respaito da jiopiilaeao nao foi
possivel passar de tuna estimativa, encontramos
neate Fenterio importantes dados e quadros aeftre
divisao administrativa, eleitoral e ecclesiastirn. di-
Na4a do territorio de cada provincia, municipio e
awadWa, raooMa e di speaa e divila activa e passi-
va das provincias, e estabeleeimentos publieus e
pPculares de nstriippiio primaria e secundaria.
()< quadnx. cujo numero subido, sao minu-
cio*os e dio prova de aturado e pantaata traballio,
como o n'latorio todo, precioso pelas informac es
|:ie ministra, da testem.iuho do zeto. JedfBaCJn e
Titerta con que foram dirigidos os di varaos servi-
ros desta importante reparticao a cargo do Sr Dr.
)aqum Jos do Campos da Costa de Mcdeiros a
Albuquerque, seu director geral interino.
-15 -
A cmara dos deputados apprc'vou hontam soe-
.-Mvamente os pareceres da 2.* e I." commisso.'s
! inqnerito sobre as tdatafn primarias das parn-
hias (k; S. Vicente de Paula da villa do Hio-Boni-
to, e de Nossa Senhora da Concoicao da Boa F.-
lii-ranca. do 2. distrieta tor.tl da provincia do
Rio de Janeiro ; 'e das de Prang, Rosas Senhora
de Olveira, mtU Spnhora da CeiKWieao doTurvo.
"-. Jos do Ohopot, S. Caetano c, Chopot e Nossa
Senhora da Piedade da Boa-Esperanea, da de Mi-
oas-Geraes.
Approvou depois, em urna nica discurri, o
prujecto que autirisa o govocDjO a conceder ao de-J
-embargador da rclac > da Babia, Antonio Ladis-
lao de Figueiredo Bocha, um anuo ito hecnca, aom
itdos os seits veni'imontos, para ITatar de ana saa-
de onde llie eonvicr"
Foi offerecida p.lo Sr. Araujo Ges a seguinte
oinenda, que tamben foi approvada ;
t Igual favor aos di-st mlurgailorus Mauod joa-
vuia Babia o Antonio Augusto Preira da^Cunba.
Approvou cm seguida, em 3.'iliscussao, o pro-
.jecto que inepta do Mpsata da ileomm uibana os
'.tificios em que (uiiicioiain os bospitaes das ve-
neravei* ordens de S Fiamisco la Penitencia, de
Nossa Senhora do Carm >, de S. Francisco de Paula
e da Sociedade p.irtngu<3za de Bneflceneia.
^.pprov u mais, em 2." discuss.io, o ppajlfta que
antorisa o governo a rrdozir a amortizacao das
mitas do banco do Itra-1 em cinmiacao.
ixmtinaou, em ultimo lugar, a 2.*'discussao do
TcamcBto para o ex?rcicio de 1872 a 1873, na
parte relativa despeza do miis terio da marinha.
Oraron os Srs. Silveira Martins; Gusmo Lobo o
Bernardo de Mendonca. (cando ;i discansac encer-
rada.
I'oi otiereeJa a^seguinte emenda :
Picando o ministro da marinha autofisado a
despender a^quantia que julgar |rocha com os es-
tnios c orpaincnto do iiielhoramonto do porto da
Pajussara, em Macei Bi-nmrt-de Mcnimqm.1
Foi a imprimir a :*giinte reilacpio :
A assernWa. geral resol ve :
Art. I Os omeian-' e pracas de pret doexer-
i-ito perceberao os suidos flxados as tibellan an-
nexas sob ns. 1 e % guardadas as otBerv.a(joes
<|ueas acoraianham.
t." O augmento de rpw tral* ente artgo,
oio poler. aprovettar aos oblciae-* que torem re-
forraados par irregularidad tie nandeta on faltas
gravan contrarias disciplina mittiar, na eontor-
Miidade do t ?. da art a* da iei.nv 648 de 18 de
agosto da-1833, os qnaet. prreebrio- o suido mar
cado na mesma ni.
Flca o governc> antoriado para igualar
as vaatagena dos officiae* do exurcHo s que era
'perrabem on vierein i p>-reeb-r os da marinha,
en comnvinres aaa'oga, rWajumM, come jlgar
man? envBsaiante, a iKareatoa Jimominacoes dan
nnesman vsintagens.
S3.*0saWo ao nflaitn da armada edaa
pravas do batalho naval, bem assim dos orBciacs
m aaapaa 4a aadda, ,*> -i i randa, dea aag
uiauti mn dan V-t tsaa. \ aran ta so!d. x-
5150 -
15201 15200
55O0 5500
5300 5300
520" 3200
Ooerrafes.
Os voluntarios perceberao, pmquanto forem
piaras de pret, mas urna gratiflcacao igual a
metade do sold da primen-a praca (de soldado),
segundo a arma em que servirem.
Os voluntarios c recrutados que, lindo o sen
lempo de servir, continuaran as (ileiras, com
ou sen engajamentn, percpberao mais lima grati-
flcaro igual ao sold da primeira praca, tambem
segundo a arma em que servirem.
Os clarins, trombetas, cornetas e tambores-mo-
res, que forem mestres das respectivas bandas,
veneerao o sold de 2.* sargento das armas a que
pertencerem ; no caso contrario o de cabo.
Os pifaros, tambores, cornetas, clarins e trombe-
tas, tero o sold de cabos de esquadra da res-
pectiva anua.
Os espingardeiros, roronheiros. serralheiros,
selleiros, carpinteiros de sege, coeheiros e fer-
radores veneerao o sold de soldado da respectiva
amr
Os arTiflces da fogo perceberao 0 sold de 2."
sargento da respectiva arma.
O batalho de engenheiros pertenee i arma de
artilharia.
Sala das s=s5e, em 14 de Janeiro de 1873.
i'unh:} Fhjui'ireiln Jnnior.Fnus'n de Aguiar.
Joa Maniii-1. ,
O paquete inglez Syriut, da linh de Liverpool,
trouxe Motan folhas do Bio da Prata at 8 do
Marate.
Donla de ter cumplido qnarentena bordo de
um v.ip.ir Je guerra posto pelo governo sita dis-
posicao, o general Mitre desembarcou em Bne-
nos-Ayres no dia 5, rom todas as honras devidos
soa cathagoria de ministro plenirnitenciarto.
Foi ser-llie olferecido um sumptuoso banquete, mani-
ii'staiiilip-sc-lhe geral giatido peto serviro que
acabara de prestar firmando a paz com o Brasil.
Conliuuavam a correr boatos aterradores rela-
gvamcate provincia de Entre-Bio*. Tnham che
gado a Uiienos-Ayres noticias de um movimento
de (breas revotacioMM compostas de 150 entr-
nanos. O leitor brasileiro difllcilmenle ligir
idea de colisa seria a ama revolucao de 150 ho-
mens do lito da Prata, porm. com muito'menos
se l,i/ grande barulho, e logo m Ihe aijdicionam
outras mnilades. Assim neste caso accreseenta-
va-se que o coronel jordanista Carmello Ocampo
eslava prestes a invadir a provincia pela l'rontei-
ra brasileira.
Ao raesmo teinpo publicavam as folhas os se-
guinles telegraiumas ditados de Nagoy a 20 e 31
de dezembro e dirigidos ao governador de Entre-
Bios.
Sr. govornador. Celestino Mndez acaba de
BGBasanaj o commissario da campanh^, major
Tiancoso, um tenente e dotissoldados ; marehou
Con SO homens en direcco tinab-guay.
O secretario da rhefatura,*
Sr. go\prnador.Os assassinos eram uito ; fize-
ram sabir Muoz com a ameaoa de queimarem-
b o a casa ; alaram-no e apiinha!aiamno. Tran-
cuao que era valcnte, saino de casa com dona sol-
dad >s para defendi'-lo, mas sabio (rido por tuna
bala, e logo Ihe metieron tima faca na nuca, di-
zendo que assim se matavam os colorados. Estes
detallu s foram dados por um lilao de Muoz,
enanca de oito anuos, que assstio earnilicina.
- 0 secretario da che fot tira.
De Sania lo dizem que o govenucl >r loado de-
nuncia de que queriam assassina-lo, mandara
prender alguns individuos suspoilos.
It lativameule ao Estado Oriental, nada encoo-
Iramos de nteresse.
Por decreto de 11 do crrante, houve S. M. o
Imperador por bem determinar que o coasul ge-
ral i'.n dispoiiiblidade, Miguel Joaqun da Souza
Maobado, pas partamento de Loreto, repblica do Pei.i.
Por portara de 13 de Janeiro de 1873 to
transferido para o 3. baJalhao de infantaria o al-
l res do 4." da mesma arma Manuel Lab dos
leja.
il nten as 5 e neia horas da tarde sanio sabr
a nossa baha um violento, mas felizmente rpido
tul'ao.
Tin escaler da barca russa Oiaun. que aquella
har vinha vela de bordo da mesma barca com
dirceco ao caes Pliaroux, ao passar por parto da
barca de banbos, virou, cahindo ao mar dous mari-
nlieirosque o tripolavam. De bordo do patacho
l.'seia largou inunediatamente am bote com quatro
h')inens, que conseguirn! salvar os dous marinhei
ros da Oclawa, que lutavam com as ondas : o es-
calar virado foi levado pela cirrenteza.
Um bote di estaco da praia dos Mneiros que,
carregado do vivefes, procurava mesma hora,
airacar corveta Haitiana, submergio-se, per-
tonilo-se qaani todo o rancho. Felizmente nao
houve maiores desgrana a lamentar.
No dia 13 a enmiele foi visitada por 133 pes-
soas de dia c 47 noute ; ao todo 180.
Desda o da I." as sitas foram : (1,078 de dia e
12,368 noite ; ao todo 18.446 visitanles. produ-
zindo nina reeeita de 5:8955200.
DIARIO DE PEhNAMBUCO
Art E" o~ govHTio ulorisadrj para anfr-
tnenton aVnde Jrna venrrmvnCts dos empr^gafli'
Oathanonrn, Uiamwarii d di^-nd*, nraa4o-
raa ma.da anornmQa>,, 0fmNt sirtmlidear n
narvioo dennas reparieoMn, aaa,ide- u-prinin-
donaji'*|uanwa a^nlinr ananenv-n^, eamnato
n4a nb mmuejmt nmnfWB^to d > pe,;l
nwxianmto ;*a>q* o aaajnionaoeiteiieWtl
S por k impx 4a-actua pj^elia*
RECIFE, 22 DE JANEIRO DE 1873.
Nioficia do norte do imperio.
Amanheceu hontem em nossa porto o vapor bra-
sileiro Ipojuca, trazendo datas : do Ceara 13, do
Bio Grande 19, da Parahyba 20 do corrente. Eis
o que comernos dos jomaos e carta.
CBAn.
Pela presidencia da provincia foram Hornea-
das as seguimos commissoes para dar cumprimen-
to s leis da as-embla provincial mandando rever
a reformar os regulamentos das seguintes repar-
licdes :
Secretaria do governoDrs. Joaquim Mandes
da Cruz Guimaraes Jimior, Francisco Goncalves da
Jasta, e major Joo Severiano Bibeiro.
Instrnccao publica. Br Manoel Soares da Sil-
va Bezerra, Flix Jos 40 Souza, e Goncalo de Al-
meida Sonto
Obras onblicaa.Drs. Luiz Manoel de Albnquer-
qne Salvao, e Jos Lopes do. Abroa Barrozo, Adol-
pbo Herbster.
Corpo de poMciaDr; Manoel Francisco P. de
Plguareido amargo, coronel Jos Nanee de Mello,
e tenente-CTonel Joo Theodoro Pereira de Mello,
F.ram Romeados promotores pblicos das
c mareas: 4l!iiwatriz,bacriarpl Daniel Alvesde
da Lina;4Ipir,bM arel Franeise Marea!
Olkreira Garda : u> -Acarae, bacnaiel Alexan-
dve Bodriguas tfos Anjan. y
A alfandega raoden no ma^ de deeembro...
D7;2;05741.
Leos na &Ntre*te:
Tev lagar m dia 5 do corrente, no edmeie
onda funecionara owr'ora o dub, a exposivo e
ldJadc*objtiett6fltertad pela ppatelo desta
capital sociedad portugueta de ban?ew;
? As 4 huras da tarda, gnrmdors e munieas an-~
Biaciavam a-ioiBlMatl I feM. O'odMcio entim
R
orre
Eia l1
[llanto do
< Algaa|Htos desagapan
no interior 4fc* provinniv*
Em-llalia Cruz dCtelu
14 do narttassadn una ren
lentim dW, Mannel, irnai-
OcnvjanVrTerreia UiaJTCatMi
Martmiano de tal, Alexandre Jos de Valenca, com
saus 4nV* Jos Alexandre e Jaao P*k
nVssalampiitarel poiiictoresttltnami w limi-
tes de Alexandre Ferreira Bravo e' os TerTmentos
graves de Joo Paulino e Jos Alexandre, -qua- se-
gundo consta, acliam-se'em pcjgo dajida. ^
M Dizem qileftOsjiectIn) sadel^PIo pmafjdaa
a rorpo-dc delicio nos offendidos, e que prosegue
ns diligencias preeisas para a prisao dos cul-
pados.
- No disrriet> de Gitam/irr, Jo6o Modesto' da
Silveira assassinou com urna faca de penta a um
tal Antonio Prllatb, Mi morador, dando lugar
esse .mentado una quest o de cilimes.
O a-iwssino foi capturado pelo inspector de
quarteiro, que pa do assassinad, mas, remet-
tendo o preso para o districto de Cuissnra afim
de ter d'alli o conveniente destino, succedeu que
em caminbo fugisse elle do poder da escolta, que
o conduzia.
Omsta que o Dr. chefe de polica Interino ex-
pedir ordens mui terminantes |ra a priso do
reo evadido, liein como para a dos criminosos de
Santa Cruz, que se arhaui asylados no districto de
IMrfcd
Chegaram ha pouco a esta capital os criminosos
de morte Joao Ramos e Joaquim Fernandes, o 1.'
capturado pelo tenente Hercules Pindahyra de Car
ralbo, commandante do destacamento da cidade
da Imperatriz, e o 2." pelo subdelegado de polica
do districto de Sania Cruz da Cachoeira
Em das da ultima qninzana do mez panado
fugo em camlnho para a cidade do Mossoro ni-
iniuoso Jos Bodrigues da Cunta, que vmtra re-
mettido do termo de Garantas onde fora responder
ao jury.
ODr. juiz municipal deixon de proceder cri-
minalmente contra o guarda nacional destacado
Joauuim Fnincisco de Medeiros, de cujo-poder se
evadir o preso, por nao estar bem certa se ornes
mo guarda, por esse facto, eslava snjeito ao foro
militar, ou se eo foro eommum, n*i se. recordando
talvez das decisoes do governo em avisos ns. 17 de
4 de abril de r843. 373 de 15 de jrJnlto da IfH, a
outros.
No dia 2 do crrante Joaquim Jes de San-
ta'Anna. condecido por Fininho tentn, assaseinar
nesta capital, a Manoel Jos de Aranjo, vulgCh Ma-
noi'l da Vella.
0 criminoso foi preso em flagrante delicio, e
contra elle j se instaurou o competente pro
cesso.
t Na cidade de S. Jos* de Mipibu os crines se
vo reproduzindo da urna manera espantosa
As cansas ellicienles de tao deptoravel 'estado
de cousas sao conhecidan a esto ao alcance de
todos.
t A hbil e perigosa intriga all manejada per
parte de ccTtoS figurn, a insuflaco aon-.-ietos re-
provados e criminosos, o apoioo proteceo, qne se
disponsa :u>s valenloes, on aos que lem genio ar-
dente, o nenhum respeito autoridade subalterna,
que, por accano^ da superior na comarca, v-se
umitas vezes desprestigiada e em completa desino
ralisacao, sao dengrajadamente as-cansas primor-
diaes da tristaitiatje,em'pieseachamospaciWes
habitantes d'aquetla locadade.
' Em poneos das deram-se all 2 ferimantos
graves, acbando-se os olfendidon em perlgo de >1da
a saber; o sldadmto Antonio IMdro e eseravo
Sebastao, sendo autoras de .empinantes allantados
ttm filho do padre Joao Paulino, a um tal Antonio
Sebo, morador am Hoa-Vista.
Na noute do Beis ( 7 do corrente y por orea"
siao de um briqued) popular, que se cosmmala-
zar, travoii-se um grava conllicto entre paisanos a
soldados do destacamento, que servan de patru-
Iha, resultando muitos ferimmtos nos masroon sol-
dados a em alguns aggressoren desles.
por acto de 14 foi exonerado do cargo e dispensada
do destacamento da guarda nacuma! emque se acha-
va en i'oininisso sendo substituido pato tenente
Joaquim Jos do Bego Barros.
Corre, porui, como corta a noticia do-qu as-
sa d 'in'sso f ra resol vida, nao porque aquclto ofli
*ial fosse um pouco molleinlo no servico ita poli-
ia, ni is por ter sido negligente no rumprimonto
de urna ordem de prisa contra o ex-eollector da
rendas geraas daquella cidade, Domingos Mariana
da Cunta Moreira. que d'all se evadir ao lempo
em que o mesmo delegado recebera o competente
deprecado.
" Ante-hontem foi jubilado o professor de pri-
neir latirs do Ass, Manoel Mara da Apresen-
tapo, e para preencher o seu lugar, que llcou va-
go* removeuss o profassor da cidade ;da Impera-
triz, Elias Antonio Ferreira Souto, moijo intelligen-
te a dedicado ao servico do magisterio.
e Por acto de 14 do corrente foi nomeado pro-
fassor da cadeira de mathematcas elementares o
Dr. Hermogenes Joaquim Harbosa Tinoco.
S. S severo adversariopolitico, liberal de ri-
ja tempera, um dos redactores do jornal, que se
diz orgao do sen partido, a que neste semestre to-
mou o nomo de Liberal, de 0MI de Dezembro qVie
foi, de Correio Xalalense que era, e de Liberal do
Norte, que acaba de ser.
Mas S. Exc. o Sr. Dr. Clemontino Chaves, na
larga esphera de suas vistas generosas, sempre que
se trata de assumptn to importante como a
instrnccao publica, nao conhece cores polticas,
na decretaco de sms actos apiovcita smento as
aplidoos, onda quar que elias estejam.
Entretanto espiritos acanhados nsdveraM
que o Ilustre Dr. Hermogenes nao aceitara o lugar
porque, desde 16 de julbo da 1868, ella dizia nada
querer desta situaco gusta, podre, corrompida, e
inmoral como ellos a qua iticam.
t Nada mais edilicante do qua o escrpulo
quando esle bom.
Se o Dr. JolTerson Mirabeau nao tivesse faito
o enorme sacrificio, ou a obra pia de aceitar o lu-
gar de procurador llseal da thasouraria provincial,
quando era aeeusado por esses maldizentes de
haver feito iguaes inanifestacdes; se nao fosse con-
Iristador o estado, em que boje se acba o republi-
cano Dr. Cy.-neiros, qne vai servind > de prom dar
interino ou ad-hoc na comarca de Canguaaetama,
talvez o Ilustre Dr. Hermogenes nao solicitasse o
sea titulo, nem assumisse o exercicio da seu ma-
gisterio.
-Depois dos tristes acontecimeitos relativos
surra de chicote que soffrera as ras de S.Jos o
capito e subdelegado de polica** Miguel Pereira
da Silva, depois Am ameaeas que ltimamente fo-
ram dirigidas D. Marcelina, senhora digna de
acatamento e rospeito por seu estado, poseao, ida-"
de e familia; depois que Joaqnim da Geracina ftaara
revelacoos que mnitcj e )mpremeetam a davem as-s-
tarao Dr. juiz de direito Pedro Franeelino Gtoiarae,
esle de eniao para c tenvse conservado em com-
pleto isolamento naquella cidade, des|irez do de to-
dos os homens de bem chegand > a ponto de ece-
ber pasquina, oserevendn-se-IHe as paredes Ha
ea-a de sari residencia as mais affrontosas inju-
rias
Ninguera odefende ; e aqn-ile magistrado tra-
ta de retirar-se. j rompreheiideu qne all nao po-
de residir um momento, quauto mais ser jmz ead^
minwtrar justiea I
O articulista do /omal do Reeife de 80 de no-
vembro n. 280, aquel.t here da villa de Goiaiioiiiha
o que dir agora f
-e estiv !' em seus momontoe lucidos, fura de
accesso da loucura, qne J ntam'p >sto na corra-
te por vezes, se efle, como adveajado nio sn aehar
muito oceupado em farmular qnei as e dmoneft
contra os proprios irmos, para sercm pro-essados,
trm dos quaes j tam twp mdtdw a chipo precessos
como juiz municipal suptente de Goiannmlra, e-
to, leremos de ver o einawnspeetoMBnsor appa-
reeer outra vez na imwvnsafon o sen -proiavit
-para ser aceito nakamen peta dmndake, *
quem rende offldosa tamaijgw. s v
No dia 31 de dezernbnr u\ ox mo findo termi-
naram-se os trbame dn Jury *r rra>mirn--
Foi snbmettido a Jwtganeam-um y pfnn#
por crate de morm;
am-se muitos legeles, iu.
a iletempo, isto antes* ua vWcPfi
va sar dada pelo canilimdfnacio Ama-
agastou-sc, e aconselha aos uutros para
paguen) as despeas da fa-ta
lecc naquella villa no da 14 ^o coiTonle
negociante Jos Joaquim4aCastro Barroca,
e em S. Jos no dia 10 aeahou seus das, victima
de aBtigospadecjmenlos, o velho Ignacio-de Al
quonjne mgranho, pi^ytglanmmDastaii e
aBe nnis fazendMe do Biboaflam.
< Buje delxa a admmstmcaM I profMcia por
bmammodaaA sada; o Eira, f Dr. Francmao
rs
n
as radea
rooel Boi
Do al
cularam-s
t
Vaseonrcllos Chnres, o qua I segu
ra a capital 40 imperio, passando
verno ao 2.* viee-presldente o co-
Francisao l'inbeiro da Cantara.
setembre do a nao assad matri-
toda a provincia Ityltii ascravos.
BendeW aalfandegai maz 4e dezembro..
18:6935969.
ABAHtBA
Nada occorreu digno de inenso.
iiu.LJ in ^assemmm
.\oli-ia* do- nuI do imperio.
Hontem ao meio da fundeou em nosso [iorto o
vapor brasileiro Cruzeiro do Sul, trazando datas
ilo Bio de Janeiro at 15, da Bahia 18 c das Ala-
gas 20 do corrente.
Alm do que damos sob a rubrica Interior, so
encontramos nos jornaes o que segu.
COLUMBA.
Corra em Cartagena o boato de que o general
Mosquera concebera o plano de separacao dos Es-
tados de Autiochia, Bolvar, inca, Magdalena e
Panam.
Esta idea j tem sido aventada em diversas po-
cas e pelo que parece ainda esta vez nao encon-
trar apoto nos povos dostes estados.
Como medida preventiva o governo tinha acan-
tonado forras no Panam e ia mandar algnma tre-
pa para Cartagena.
l'ERt'.
Esta repblica gona de paz e concentra todas
as suas Aireas no dcsenvolvimento da industria e
na consolidacao de suas institulcoes polticas e so-
eiaes.
Em Lima descobrio-se ao abrirem-se alguns
barris de cimento hydrantco que efles continliam
grandes quantidades da moda de cobre com os
emblemas da Boiivia. A autoridade fiscal, descon-
fiando de algum projecto de faliicaco, proceda
a averiguaces severas.
Deu-se principio a estrada de ferro de Antofa-
joata as Salinas, que deve, prolongando-se, unir-se
com a de Caracoles do Norte.
Neste departamento tem-se verificado que, por
porcito que os trabalhos das minas progridem,
muito manir a quantidade de ouro qne se en-
comia. Na mina Marqueza, tem-se lirado barras
do precioso metal de um tamanho admiravel.
BM.rvu.
"De|Kis da catastrophe da que toi victima o pre-
sidente Murales a Htuaeo da Boiivia a mais
tranquilla.
0 presidente interino D. Thomaz Fras marcou
o dia da aleicao presidencial a convocou para 23
de abril prximo a reuma.- da' assembla geral.
No dia 6 de dezembro QiiinlinoQuevedo desem-
barcou em Tacna, onde foi ecebido com mani-
festacoes de nmito apree* (>ela populaco.
Pouco antes de seguir de Zqnique para Arica
este general publicou um manifest, que foi assig-
nado por quasi todos os emigrados bolivianos, de-
clarando a mais franca adhesao ao presidente
Frws.
Snppie-se que Quevedo apresentar-se-ha candi-
dato presidoncia da repblica. E", porm, op-
nfto geral, que a candidatura de Adolpho Balli-
vian tenha a victoria decisiva. Todos na partidos
tem aceitado da bom grado a ailunnistraco de
Fras.
Melchor Terrasas, ministro da justiea, culto a
nstrucco publica, pedio sua demissao.
Na calhedral de La Paz lzaram-se no da 12 de
novembro as honras fnebres ao general Mo-
rales.
A este acto, que foi concurrido por urna multi-
do immensa, assistiram o presidente Frias e todos
os funreonarios pblicos da capital.
as ras por onde desfilou o urestito, tixias a<
janellas entavam roberas de colcha* negras A
dlscripco qne desta ceremonia faz a Reforma de
La Paz de produzir coinmocao.
O general Aurelio Sanchos, aeeusado de eompli-
nidade no assassinato de Melgarejo, foi absolvklo.
CIIILK.
O nico facto notavel que enooatraraos nos jor-
naes o do urna tentativa de evaso de, presos da
cadeia da capital. Tinham alies preparado urna
mina que dovra terminar na ra, e quando t-ste
trabalho eslava concluir-se, um dos presos de-
nuuciou os companheiros ao administrador da
priso
Em eonsequenria foram tomadas todas as me-
didas preventivas e os pies s mudados para diver-
sas salas
Succedeu, porenv que um delles, de nome Toro,
e que cumpla seiitenca por crine de roubo, re-
solveu vingar a traico" e apunlialou o delactor.
Itio ORARH 00 SUL.
SIo de o do corrento as ultimas datas.
No dia 3, pela 1 hora da madrugada, um vio-
lento incendio reduzira a Pinzas, no Bio-Grande, o
armazem de molhados de Jos Joaquim de Moura
Bastos, sitio ra dos Priucipes, c o edificio con-
tiguo em quo tinha toja de fazendas o italiano
Francisco Zappi.
A Wtalid.rde dos prej izos avahada am.....
30:0005. Durou o incendio Ires horas. Nao leu-
do as autoridades dado pr ividencias inmediatas,
s a copiosa chuva que calio pelas 2 horas da
madrugada pide i npedir que o fogo se contami-
nasse aos predios mais prximos. 0 armazcm es-
Lava seguro n eompanhia Esperanza.
Haviam-se dado no Bio-Grande alguns casos da
labre amarella : apeno1 Ana o delegado da sanan
pnulica deliberara que ficasem por em juanto su-
jeitos a urna observacao sanitaria todas as proce-
dencias de Pernambuco, Babia e Bio de Janeiro.
Os trabalhadorcs da hydraulica Rio-Gran-
dente, em numero de 17, foram aceommeftidos na
manhade 2, de urna ligeira mdisposico, que se
attribuc comida, preparada em vazilhas de co-
bre. Assu-tou-se a populaco da cidade, pensan-
do que os ditos trabamadores eram victimas da
febre amarella ou de algnma rratra epidemia, que
comecava a grassar.
Pelas 3 horas da madrugada de 30 do pas-
eado cahira sobre a ei lado do Porto-Alagre um
terrivel furaco, que occasonara algumas mortes.
Dosab.iram diversas paredes, entre outras algumas
do edificio em conslruccao para estaco de bonds,
lienndo sepultadas sob as suas ruinas'seis pessoas,
aue se achavam no mesmo predio na occasio
do desastre. Desarvoraram alguns navios surtos
no porto, g rraram outros e perecaram afogadas
diversas pessoas. Foram extraordinarios os pre-
juizos.
Commnnicaram do Cerro Largo que eslava
detido na cadeia d'alli, ordem do chefe poltico
daqualle departamento, o individuo Manoel Hibeiro
de S raza Gonva, vulgo Rocambole, que leve toja
de alfaiate no Bio-Granle, de onde se ausentara
repentinamente,' so prestar contas, e levando
eomsigo at a chave da easa em que niorava.
Beferem as folhas os segnintes assassina-
tos:
No districto do Herval tora encontrado junto ao
Cerro da Pal-na o caclavor da Amaro Gomes, lilho
dn viuva Aniceto Gomes, e junto ao eadaver um
cavallo degollado, tms arreos e um par de botas
j usada*, e veriflnou-st! pertencerem ao dito
Amaro A pntrefaeeao do cadver nao daixou co-
nhecer emo fura morto.
N i freguezia de Santa Isabel, nm tal Joo Cres-
eeneio Marqus asrassinara e.m cinco lacadas o
porttrgn-z Joo Anr loares, capataz da graxeira
na xarqupada do Sangradouro, a cargo de Gomes
BTaga & C.
Na xarqueada do capitalista Joaquim Jos da
A sumpcao fra tambem assassinad o capataz
Jlo Paredes Viffar, -vulgo Joao llenno, por um es-
eravb da mesma xarinoada, eoraprado, havia pun-
co tempo, no Jagnarlo.
Bis o q'ie a este respeito diz o Jornal do Com-
mercio de Pelotas!
0 malvado andava fgido; sendo agarrado e
crmdnzido a dita xsrqoaada, ee'va prestes a re-
cf^ier a p> eels.1 correccio quando consegoio no-
vnmaftto lagir. O mfaliz Jo o".monton a cavallo
Kra o persegirlr, send aeomnanhido por uwou-
> esnmi a p, que levara r.'ma faca.
Em breve alcancaram o.>ugMvn, pie, deses-
peWdiT'Himjm-sean-eserave que linba a faca.eati-
raa-IX travande reidHda ton, da Mal tHUno
inr'nneidnld wM mrdtwne. VmW Isto, Joao
O reo Antonio losada j*^ w najBHeJy|na>^ ia descarregar
ama pancada n < escravo dnabetteata, este mais
dextro e chelo de carazera pela forca da raiva,
lh* algn- paotamo golpes ^e rni-
teidiaiarnytg aprattialwr senfvi.la? r>assnssmo
tn>n1 para *a mana ip-gr. Pontoara, aJN pao-
*-'......
*FaUeoeram ; an *me-Alegre, O. Mara Con-
de a gales p- rpnnn>^nmno^na^vnpnjen*p najna ;
miee do 4.* auno- Jn Ctrailln dti winloj in*
ros,
A sessio foi
lPipe Dr. FfM
nacfneOemrind da no .
dosa recapflo por parte de
nao, onpoaa do corunol-Barcti;
ajnisrsri: um.i fllha lo fenenie-comnel SlanMel
Lucas da Souza, de nome A'aela ; no Ho-lirandex
o profassor do piano Lonrenco Beuna e o tenante
AnacletO Aiftonin d Mdeirs.
Teat;; i suicidar-se no Bio-Grande tomanJo
forte dse de vordepariz, o francez Loureneo An-.
gusto, maior de 6!) annos, chefe de numerosa fa-
milia e ha muito. domiciliado all. Empregava-se
na escripturaat) de. livroi an algump casas de
coininercio. v
Haviam sido recolliidos ao hospital da Saiia
Casa do Hio-drande dous individuos procedootcs
desta corle, qn; se achavam aflommetuos pela fe-
bre a i na relia. Fallecer un apelles a a outro en-
trara em coovalescanca. Logo que o delegado da
liygiene livara coiilieeiineuto dato, offleiara aojps-
pentorda barra, declarando-lhe quo nrgenaPera
sujetar quarentena todos, oa navios, spm exeep-
cao, saludos do Rio de Janafro depois de 15 do maz
findo.
* No Passo da Taqn*|B|t, cinco leguas dis-
tante de D. P*e>lri|i, o naliano Nicolao Colorano.
to desasadainanie se houve doscarregando um re-
wolver, qne seferira no paito esquerd, fallecendo
dahi a pouco,
Dizem as folhas de Porto-Alegre que, no dia
21 de dezembro, pozara termo a seus das, enfor-
cando-se, a menina Amelia, de 11 annos de idade,
lillia de Antonio Jos Pereira, que, com numerosa
familia, vive na indigencia em urna pequea casa
as Pedras-Brancas. A autoridade, teiido conhe-
cimento do facto, dirigtra-se ao Ingar em que Ame-
lia se achava sepultada e proceder extiumacao
do c daver, respectivo wane e mquirico iiiis-
pensaveis para verificarse se houve algum pul-
pado nesse erime.
No Jaguarojroitbaram ao actor Souza Motta,
8OO5 em dinbeiro, urna orden no valor de 3:0005,
diversas acedes e papis importantes.
Falleceram ; em Pelotas, Virgilio Pot e D.
Joanna Baptista Bibas : em Sant'Anna do Uvfa-
mento, Theophilo Vaqneiro no Jaguaro, D. Ma-
ria Helena dos Santos Palma.
Le-se no Progresso de Pa-jsatulu de 20do inez
findo:
0 distincto capitao-tenente Estanislao Prawo-
dowsky, commandante da esquadrihla brasileira
no rio Uruguay, que se acha no porto do Salto es-
perando agua para seguir rio cima, araba de le-
vantar urna planta hydrographiea do dito passo
na qual se acbam dislincta c esmeradamente de-
senliados os escolaos do famoso Salto Grande e o
seu nico canal navegavel durante as endientes.
O desenlio representa o passo as vasantes do
rio Uruguay, e indica com toda a precisad o lugar
em frente a Fraile Grande, onde naufragou o va-
por Ijincon.
Existem a poneos passos d'ali quatro pacas
de ferro, calibre 6, deixadas pr um dos navios da
esquadrilha de Rosas, quando esta foi perseguida
por Garibaldi.
A planta conten csclarecimentos importantes
para a navegado do rio aeima do porto do Salto.
V-se nella, por exemplo que o rio, qmndo as
aguas sobem at o caes das ras nesse porto, tem
12 palmos de fundo no Passo do Salto o Grande
A planta foi levantada desde o Cerro-Grande
a 31 ti' lat. S. e 14M4' Ion. O. do Bio de Janeiro
e revela ponhecimentos sentilieos ponco vulgares.
Infornraram-iios que, aim deste importante
trabalho,o capito-tenente Prawodowsky quer em-
pregar o tempo em que se v toreado a estacionar
no porto de Salto, levantando timnein a planta da
pangan d-i Rio Uruguy, chamada Hervidero,
acompanhado-a de notas, que sarao da sunima
ntilidade para a navagapo desse lugar, em que os
navios tao frequenteinente batem nos esclitos.
Eis a notiieas commerriaes:
3 de Janeiro. ('ambio. Depois di entrada du
Cames, a 24 da passado, o cambio sobre Lon-
dres eslava a 25 9/4 d. papel bancario, e io
7/8 d. particular. A 30 receberam-sj telegrammas
noticiando alta do cambio no Rio da Janeiro, o que
fov subir o preeo do popel na nossa prara para
26 d.
Semam as operacors : sobre Londres ."3.000
a ?*i 3/4 d., papel bancario ; 2' 7,8 a 26 d. parti-
cular : sobre Franca cerca de trt. 200,003 da 33 i
a 360 rs- por franco ; e sobre o imperio cerca de
270:0005000 a 2 o 2 1/2 0/0 de descont.
MclaesO comeen dos trabalhos da nova sa-
fra veio occasionar maior procura, effectuando se
vendas de oueas a 315400 e de soberanos a 94500
a dinheiro.
Exportarn. A respeito da nossa exportacao se-
gu a nova* afra muito vagarosa, montando a ma-
tapa a 30,000 retes. As continuas noticias das
grandes expedidles do Rio da Prata e a m situa-
co dos mercados consumidores tem desanimado
completamente os. compradores que se acbam reti-
rados do mercado. Por cmqnanto s conhecida
a compra de carca de ."0,000 arrollas, das quaes
cerca d. dez mil do melli r genero que se encon-
trn obteve de 35300 a 35400 e o restante ven-
.laii-sa da 25200 at H52O0.
A secca que se tem feito sentir pela campanha
concorretfpira as matoneas nao serem sido mais
avalladas por nao se encontrar o gado em boas
condicoes de corte, e com quauto oa xarqueadores
nao conten dispor de proinpto do xarqne. os con-
tratos eme tem feito con os couros salgados a
presos favoraveis os animaram.
Para as gorduras nao apparecoram compra-
dores para o imperio, porem os estrangeiros re-
solveram especular com ellas para Europa, tendo
pago a graxa de 45 a 4J200 por arroba. Para o
sebo nao nos consta que houvcssem pretenden-
tes.
- De cornos vaceuns seceos nao tem havido qua-
si existeneias por falta de entradas da campanha.
Os'poneos que tem appareeido tem sido para satis-
fazer coinpromissos de contratos que se haviam
feito a 363 rs. por libra ; algumas pequeas par-
tidas tivres de eonvencws te-ii-se pago a 370 rs.
a libra. Para o Porto tem-se vendido os detarnei-
ro a 393 rs a libra.
Os vacuns salgados eonservam se muito pro-
curados a nem ha quantidade sufficiente para sa-
tisfazer a procura, cotando-sa hoje a 200 rs. a li-
bra, muito Urnas.
Sal. -Nao melhorou da posica-3 em eonsc:]uan
eia das grandes entradas do e-te ior, O da Cadix
e do Lisboa vende-se da 8J(la 9 0 rs. e o de ou-
tras proppdeneias, mesmo o ordinario de Lisboa,
de 640 a 750 rs. por alqueire.
MINAS CERAKS.
Sob o titulo Crimc hotToroso, o EVfto de Mi-
Mara Ferreira, velha inolTensiva, viva na
povoapiio do Jequiry da caridade publica e deres-
ponsar Santo Antonio ; muitos dias nao foi ella
vista na pivoaeio. falta notada potos saus prote-
ctores e fretruezes qne drigiram-se pequea casa
onde sozinha resida a infeliz, mas qual bo foi a
espanto que se apoderen de todos ao presentrem
exalar de dentro da casina o ebeiro de carne
humana em putrofaceao rae rreram autori-
dade policial, que man lindo arrombar a porta da
casa deu entio com o cadver sobre o leito per-
fetamente caberlo, mas nao se encontrn ne n a
mag-m enem o oratorio de Santo Antonio ; pro-
cedeu-se ao auto te corpo de delicto, opinando os
parilos ter a infeliz suecumbido de um ataque de
congesto I mas o povo vendo o neseoco do cada-
ver, suas mos, posico, etc, nao acroditon em
tal cougesl i e dizia que Ferrara tinha fallecido
s mos de alguraa alma perversa ; decorreram
alguns mezas sem que nada de positivo se son
besse deste drama terrivel pelas sua peripecias.
at qne soube-se pela bocea do proprio matador
da inf diz Ferreira ter sido ella quem em um dia
horas monas arngindo-se a casinha da infeliz,
batendo porta, entrara e tora logo apenando as
guellas da masma at aslixia-la pondo-a sobre o
leito e cobrindo, feito o qne, apoderara-se 4 ora-
torio com a iuiigem e ao sabir uvera o cuidado
de fechar a porta, e deixar a chave debaxo, oc-
cnl ando a imagem em o sotao da casa do pai. e
indo em procura de sua mnlher, que estranhtindo
to extraordinaria ausencia, e volta para easa
qnellas horas soubeentao a raza* da demora, e
o fim que mover a-sassinar a infeliz, por ella
res|>onsar a Santo An'onio.
Joo Baptista dos Beis confesaara"ao interro-
gatorio feito parante o delegado de potteta o-facto
com todas as circnmstanci.T, pelo qne aorra-ae' re-
comido cadeia da cidade da Ponte Nova.
< Do n 11 lento policial a que proceden o snp-
plente do subdelegad oSr. Antn Ganen, Icou
patente todo facto, com suas circumstancaa. neo
do esta digna iiuioridade ejaan deorobriaelbgnr
onde achava-se oceulta a magna de % Alrnio.
pelo que e pela hinarcialidade *im n ste negocio merece os touvares dos lame fe
bem.
Befere o Pharol de 10 do correla:
. Na manh de 6 do crrante m analat da
Ranchara, dea-se o seguinte asina na
Antonio do Nasumento, par lo, ca tn una
viva separado da iuulher por naos tratos qua
dora, onamnrara so a afaial arananinw-'aamuna
mnemha de cerca de 14 anasn, pa* a mnito ca
ra e com a qual vm ra poucoe dias aaf aor das
poulevio faial datan qiw ? anannViWn. can-n-
, armad d oraaneaa da ana na de piUto,
barbarananta a aasaaniaou.
i
O cadarerda vg>in apnrafitav.-i mu braco
quebrado, diversas rontusiVs nos" paitos, iiiuIh
1'ariiiMtntos n!is eosian, raski e parias pudenda--,
tac eramos resnKadsdo afenj4#rrime.
a NascimenU f.i preo em flagrante .del
Sracas aclivirLule das autoridados e a oonneu
e um insppctor que ffectuou prise do malva-
do, o qual foi entregue ao rapa$o Emilio Bastos,
que condu'io oaileia dostn ekeV-
i 0 nosso infornainte dla-nofSl era voz p. ral
no Iggar do delicto quo o rriinMnV homem ('
^nr'ios instinctos e pessnios costum-s. o qne l- n>
re vedado repetidas vezea.
Um nosso amigo, actualinente-Ba Bio Novo, -
trausinittin. i-i.i dala de anle-hxntan. o se^iiint*
telegranima :
t Anta-honlem (4) foram assnanados am Ula.
Mwkm'I Sabino e un filbo, aclnnlasa presentes o
atfdelegado a vina e tantas pencas. O crintoo-
so evadi-se.
r APARA,
Pela mcia noute. pouco mais ou menos do da
1 do corrente, ouvira-se em Anlonina um grande
estampido, e em seguida um grande numero de
detonaces mais Tracas, qne parecan explosoe,>
fogos de artificio. Accudindo o povo art lugar.
veriAeoo-ae que se dera realmente urna exptosri
na casa de fogos de Joaquim da Silva Pereira, on-
de comecava a lavrar un iucendio, que foi fez-
nieiite atablado logo. ,
Befere o Dezenoce de Dezembro, folha de Coii-
tiba. que no dia 23 do passado recolhera-se vo-
luntariamente cadeia da villa de S. Jos ds Pi-
nhae- o criminoso Isaas Preste* Maeiel, co-ro de
Antunio Gamillo e Manoel le Souza Nuaes, pro-
nunciado no termo daquella capital era i dajunt:..
de 1S67, como incluso no art. 192 do cdigo eli-
mina! pelo bomieidio de Manoel Alves- da Cruz.
commattido em 23 de marco do mesmo anno do
districto de Iguass, por occasiio de un pareo de
cavallos.
Beeollicu-se tambem misma cadeia o i^o An-
tonio de Lima, pronunciado por < rima do tentativa
de homicidio contra Joo Jos de. Barros.
s. paulo.
t Conforme noticiamos, dera-se no da 6, na
calhedral, a posse do Bvm. hispo nomeado para
aquella dioresc, D. Lino Deodalo Rmlrigues iiV
t'.ai valho, na pessoa do Bvm. Dr. arcediago Jwt-
qiuin Manuel Goncalves de ndrade, tennioanda o
acto rom um Te-eum, a que assistiram o -prc-i
dente da pro\inca c grande numero de funccM-
narios pblicos, civis e militares.
Tiie a sido intenso o calor na capital duiaafe
os ltimos dias.
Em Santos, diz o Correio PaulittJno, tal o
rigor do vero qua grande numero da habitantes
tomn o expediente da trazar esleirs para as cal-
cadas das ras e ah passar as noules. As naifes
do caminbo da Barra seecaratn, mor cinto os pti-
xcseexalando-se dellas horrivel mo cheiio tos
ralos ardentissimns do sol.
i A popularn cornaca a nquk'tar-se se.riai.vB
te, lano mais que cniecam de apparecer :>
quentes casos de febre com visos da que c de-
nomina amarella. Tam havido diversos casos te-
taos, sendo apontados entre ellas os que lavar#oi
sepultura dous oidados conheciuos, os Sr4
Brasilio de Campos Mello e Joaqnim Jos dos Sor
tos i ruz.
O Diario de Santos, assevera que a apiaio
geral dos mdicos que nao tinha appareeido an-
da caso algum doss terrivel epidemia.
J se tinham realisado algumas venda de
tropas na foira de Sorocaba, regulando os preoos
de 405 a "05 |or animal, parte vista e par* a
prazo. Urna ponta de animaes escolhhto alean
para o preeo da 805 por cabera. (^Icnia-^n) n
feira este anno em 23 a :M) mil nimaes. -
Na noite de 30 para 31 do passado tentaram
roubar a collaetora de Sorocaba. Arremnatam a
pona do quintal da rasa e esforcarani-se por a*rir
mais duas. urna alcova a outra la sala, en *fne
est a reparticao, mas nao o conseguiram.
Appareeiam repetiilas qneixas sobre o per-
nio estado da estrada que de Sorocaba se aSrig
s divisas de Itapetininga.
Estavain prestes a abrir-se, em Campias, n*
escolas gratuitas de ensinp primario, nma n>)etnr-
na fundada pala associaco feomotora da lm cao, outra pela toja maconira Fideliade.
Consta nos, diz o Correio de Taubat, que *>es
caern armados, nao se sabe de quem, aneaUn-
ram e arrombaram um armazem sito na raid da
sorra de S. Bento do Sapucahy-mirim, |erteacei)-
tc a I). Francisca de Godoy, bom defronle tu*
fazenda. 0> ladrdes, dirigiudo-w rama de cai-
xeiro, daclararam-lhe que morrena ne grilasse, n.
leulasse evadir-se. Conseguido o que e sabenrto
onda se achava o dinheiro, apoderarjm-se de 3505
e depois da camerera saidinbas e o oais que m-
contraram, muito sua vuutade, i: fcebendo *if-
frivelmento, doxaram, felizmenU o caxeiro.
Cahira em Pindamonhangaba, aa dia 14 o%>
passado, palas 3 horas da tarde, nm violento j
de vento, que produziria enormes estragos se iv
dnrasse to poueo tempo. Arraneou arvore*
lelhados e lancou tclheiros por trra.
Appaivceram novos casos de bexiga em Tau-
bat. ,
Em Quehu grassava 0 typho, qua j tinha ca-
fado bastantes vi las.
Befere o Mosquito de Arcas':
t O delegado de polica, Or. Joaquim Fianei?*-.,
Rihcir i Coutinho, suspeitando de nm individuo >
m apparenr.ia, que passava ha dias por esto ci-
dad.i, apompanhado de urna mulber a carregaiMb
uni volumoso sacco seoslas, mandn chama-lo a
sua presenca, e da conversa que com elle teve.
resolveu hospeda-to na cada, como indiciado em
urnas mortes quo se p Tpetraram no rancho do
Pinhairnh, tarmade Baependy.
O bom do viajante, depiis de declinar litar-
los noinas, assegurou afinal ehajnar-se Franc-
M mira, da Silva, apezar de ser conhecid no lo-
gar, em que deu-se o crime por Chico Luciano.
Segundo infonnam pessoas que foram v-to n
cada.
Tratova-sc da fazer re ipparecer em Sanas a
Revista Commercial, cuja piibiiea fra suspen-
sa ha te npos.
Dos trabalhos apresenlades pela oommsx>
censuara respectiva, collige-se o seguale iw
eai Santos 1, 07 predios, dos ouaes : 1,160 da mi
pavimento, 229 de dous e 18 de Ires ; sendo 1,168
halutaJos e 239 deshabitados. Comprahendcm-v
na t talidade os escripiarios commerciaes, am..-
zens da deposito e cana quasi concluidas. O ca-
dastro predial de 12,000:0005 e pje-se ajen-
iar o rendimento em 96 >:00Jf.
> Durante o anuo findo entraram em Sanios
2,047 passageiros nacionaes a 1,600 estrangeiros.
ao todo 4,317 ; sahiram 2,670 ditos naeionaes a
l,2IOe*tringeiros,aotodo 3,880.
> O movimento de navios no mesmo a-mfci a>
216 nacionaes entrados, e 316 estrangeiros 4tw.
ao todo 462 ; e 203 naeionaes sabidos e VA k-
trangeiros dit s, ao todo 449.
Beferem as-folhas de 8 do corrente':
Aiite-honie:n pela volta das 9 horas da noite
deram as torras sigaal de incendio. Alan una'li
a cidade, porm o desastre era natal maior 4
que um incendio, ara una scena horrivel e deso-
a lora que cansn grande numero de victimas.
Dava-se nessa noite, no coll gio do Sr. rane-
ro, urna represanlaco dramtica ergamsada pe-
los alumnos lo mesmo collegio. sala estaa re-
pleta de scnhiiras a cavallieiros e c +ria alegre a
divertida aquella festa infantil, quando deTOpente'
despanh >usa do tocto un lustre de kerosene, que
cahindo sobre as senhoras que assisoan ao espec-
tculo ateou fog' nos seus veatides.
E fcil de romprehender o susto, o horrar, e>
qne ento se apoderaran todos, a confuso, cn-
liin, que reinara ao ver-se as chaimnas elevarein-
so a grando altura, e no meio dellas milita ea
nhoras perdidas, algumas ensopad s 4e petralaa >
complatamaata incendiadas. Era um quadra de-
sviador, horrivel f Cada um gritava por soccano*
cada um prorurava no meio da catastrophe ama
pessoa que Ihe pertencia, e ninguno sabia nnes
eram as vittimas.
c Emfim, o resultado, o quadro desramado dn
fatalidad! foi o seguinte : grande prejuizo m.nanji
a. r. capito Isidoro; mudas viciimas asloraan-
do-se na mais craeiantos dores, a tro ellas ai Sai
D. Joaquina i.uirlanJa, que, borrraaineote
nada expiren lontem s 10 horn 4a manh
do levada da casa do Sr. eapa*0 fcadnrot
falleceu, ao ce.niteria da orden dor Onaaa, a k*
Wae da arde; a Sra, J"* Sartorio teite
que Ikon gravnmente quoiraada fallee hon-
tam tambem a S horas Ja lando ; a Jm, B. ana
Itibeirada Uva nia-flcon coro fcrinnnpannM*-
nm b/ae.ejrletirado ; a ambarada i..4n
neta-an taraesMaii ;a Srn. D. Manado
antena; os am dennaargaioraB Qnrio,
neiseato li < LeiM, a an.aliuaa e> tnmn
nnaim om m nio? f mirnaPa* : *
[nniit, mbo dn r Bornsa leinara Lnnil
eam urna das cxas qnabra la. .
\ < Atdm llantas, ,oita wudaa pennoa ipOji*
arara foridaa, outrs eoatasnr e >w\tnv4ewBan-
te qnnndas, notiodo-se entro a*, opa-.auflrtMkn
enotnaies, pro venientes da quedas aaSaw-. n Gar-
lla Caara e soa irmi D "
iihBB-^


- Qoaita 4bi
*!
___

i -

in-ooiatKM-se ;#i i* jane I.
oatins m HIHP 'am'
keahora
ura- em$i g ftataem all
por ud* jaUW ttifiok le Te ha
eiun.q nafta ** sahida, mde
< aspajiladas.
-si' no Diario d**: "
aah, pelas 4 tfHwras da tardo, pecante
, lOHia pe*!* do bispadi o Exm. e teta.
Jle*dali.RoJrigt.i do Carvalho, Mspn
l deMadiaeOse, ai pessoa di mu ba<-
taute-proeuradoi o Exm. Sr couefo areediagj Dr.
Joaqini Maooel Guanal ves de, Andrade, eafita-
do-sJjeai seguida um Tc-Urnan Latutaiimt em
aceao db-graca.-. Acham-s! convidados para-o
T'-Deum S. Exc. o m\ presidente da provine-a,
autoridade* eivis militare e mais empregado*
pttMicos. > /ji
Refero a C.izela de Oimpint :
No dia 31 d) nuz proxi no passado a etrava
vtto acotnpanhal* lo um l'.iru tiifao di ven'o,
causando varios estragos. Avultam entre tiles os
qtw satfrerum iis do.ttt ar.iia'.i:as d carcas ua es-
taeaoda estrada de forro, cujas coberturas -de
ziaca, que a'orig.im a plataforma na face frontera
* cidade, forana completanien e arraaeadas de
una exlremidade a outra, Ikando tambem cons-
deiavelm inte damnifcalo o- lelhado na mesma
zienso. i.'aleula-se que j prejuizo nao ser
nuur de 1:03JA. Alm distes, nccorroram ott-
tro' era propiedades particulares, mas do foque-
no valor.
RIO DK JA. Sillo.
Q senado, depois de ilguma dscussio, aa-
provou diversos requerimeutos mandando roinet-
tert a commissoes respectivas varios prefectos
dee-stavamem ordem do dia; eapprjvou eu -'
L-cssio, para ser remettlda sanceaj imperial,
proecto antorisando a em. sao de 40 mil cautos
d? res' de papel moeda.
Aalfandega da corte renden de 1 a ii to
Crrente t,.;i0:082jlo3.
Eis as noticias eouunerciaes da ultima data :
' 0 mercado de cambio colinuou hoje sein alte-
raeio', e'ei'tnanlose pequeas transacedes [sobre
I, ndres luid papel banrario, 26 1/8, 26 1/4 d.
particular, e sobre Franca.'a 362 rs. por franco pa-
pel baneario o 360 rs, paricular.
. i Nada se fez em soberanos, que esta Armes a
:i'*00.
As apolices geraes de *0/0 continuaram a mus-
trar-se firmes do 1:030 J, l;03,i a dinheir >. Das do
emprestimo nacional de 1863 negociou-se um lote a
i.moi, pagamento e Irans'ereucia at3 de feve-
rin>*.
Foi animadissimo o movimento das acedes lo
banco do Brazil de 230* a i'M por aecao, a dinhei-
r>, e de 261 i a 263* para o ultimo da detransfe-
r-ucadeste semelre. Apeasse elTectuaram,alm
deslas transac^iks, pequeas de acc5es da cumpa-
.iia de carris de ferro de Pernambueo a 280, da
'ouiitanliia d seguros Previdente a 15 j por acc.0
4 dinhdro, e di Integriidadj a 4950J.
i As veudas no mercado t e productos loram mais
i irregulares de caf e regulares do aasucar para
.asumo.
e Sahirain'tambm para consumo cerca de o,000
af roteas de cwneseeca.
Satiiram para nosso porto : a l.brigucsportu-
'a^t Damio c briguesalTeiiiaoLtvHWv ; a o, bar-
i'i rianceza Gore fe Matkilde; a 6, barca porlu
sSa/i Nro Silench ;a 12, briguc inglez Ro-sekol.
KSP1IUT0-SAKT0.
K.'fetoemos foNn da capital at 2 do eucrenta :
>fodia 23 flb psMde assumira a adnihrfstraolo
i i nnmneto o presidente Dr. Juan fbom da Silva.
Fdra assentada iw dia T-- a |>odra fundamental
>.i 3asa de mei-ado da caj ital. Assisti..m a esta
.'lemonia o vico-presidente da provincia, coronel
KascanohaS) a cmara municipa, nonos funecio-
i u*ioa pblicos e cidadaos ie diversas ctesses.
Fmeeera a 27, depnis le prolongada enfernti-
ftim, o inspecibr da (hesonraria de fazenda geral
Tltom AjveUoS Espinla
Na dia 18 lin'iam entrado no porto da Victoria
M navios s (i'riit e Mortii or VVc;i. procedente do Ham-
0180, coiuliizirKl.) o priinnio230 colonos eo se-
cando 27'i eooi destino caloniada provincia.
0 cid.ulo Joao Barboza das Neves olferecera
gr auiltmeate oar um auno, urna casa de sua pro-
irtedade, para Delta funecioaar a aula de priinei-
ra. letras de i1 cas-.' de lugar denominado Tan-
ipie, da fregue7ia de f.ariacica.
II 1I1A.
A tliesouraria provincial, para .-atisfazer aos
-ua comprouiisso^ contraliio com a Caixa ECono-
nicx um emprestiino de 60:0'.)0 ao joro de 8 )|0
' Mino.
\o dia 13 do c urente a Associacao Coinmer-
. i. proceden ele.cao da sua directora, qpe fi-
oa .usini c imposta':
Francisco de Assis e Souza 122
i.iuario Cyrillo da Costa 122
H mondailor Antonio l'Jeiia de CarvaUiO 118
Cammeadador Jos Lupus da Silva Lima 107
-LUoiiio de Lcenla 10!
.?aquim Klvsin I'ereira \iarinlio 102
Jes da Costa Pinto 100
Eduardo Benn 9S
Teodiri. Teixcira Gomes '.'0
loaquim Jos Rodrigaes 71
^.iMiiinendaJiii' Domingos Soares 'oreira 73
Manuel Erancisco Alineida Brando 53
Fallecen, com 80 aunes de iiL'tde, 3 capio
'orinido Cuatodio Fernindes (enipapeiro.^
0 cambio rogulava : sobre Londres 26 d.,
rifen Taris 3C2 rs., e sobre Hambargo 148ri
alag Us
l.einos no Diario ;
.( Aute-himtem tve lugar, DO sulu da
\oeaeao ('ommercial, urna reunin Je no-
{ciantes de algodo desta pra^a, a-qoal we
i'H' liui, acallar amigavolmentccom as dosiu-
tattigancias, |uo ha poucu tompo derano lu-
^r fimccionarem sepiradamsote doas ins-
i/i'roes de algodao, ui a da associarao, ou-
[T9 de divoreos negociantes exportadores
late genero, do que resultava graves prejui-
'..m? 'iuiios embararo as trazacc/Jes com-
:iinrciaes.
Felizmente chega.am a um acedrde e
;:binaram-sc os hfteresses e opinin di-
, gentes ; lieando assentado que as duas
.iiiieccoes fissem redu/.idas amas, com
> inspei-tores, sendo aproveitados, dos
'juatro existentes, os que obtivessem maior
ieao.
, l'rocedeu-se logo a otetgo dos tres ins-
..-'ores, e"rccolheram-se urna S2 sedu as,
pi apuradas, rJpram o segviinte resultado:
vi '.audido Francisco Soares 32 voto>.
. Antonio JeronMuo Mar
'J'.'fS........
Manoe! Antonio Sup.trdo.
Candid a Venancio dos Sau-
u........
Forain, pws, re.'uiiliocidos^
do inspectores do algodo desta praca
'.,ez uais votados.
-ae/., espallioii-se ncsla cidade "a noticia de
que exista uo lugarBiixu da Cacimba,
Jo Taboleiro d< Pialo, o cadver de um
NCravo parteocente ac cazal do tinado ba-
io de Jaraj;iu, de uome Hypolito, o qual
uav sido amarrado espaiuado por um
4o-) herdeiros do ioesrjo baro.
< A polica Tez seguir logo urna escolta
A* dez pragas &b o ctnnaaado de um infe-
riw a qua chdgaudo ao referido lugar oftii
.irontrou o cadver ; seguindo d'abi pela
estrada de l'eruao Velho, onde residera al-
gunsdos herduifosdo finado baro, editen-
qwftota as ala* c nus dependencia;.
d'aquelie wabelecimuto, pelos quaes pro-
wdendo a rig-wjsa msea nada encon'tra-'
^aija.
\ Proieguiido a polica era suas iudaga-
5<*es, eoosou-ioos qn uo dia seguinte ['), a
*-. Br. ladnflio inragnd, declarara persne I
O jr. chef! de polica quv? hava
t>e^af1M Jilo esciavo, e que nos* ccasio
aa pewoa que o pe^irata tleram natie olgu-
mas pancadas, d ib rpsuttou le.s 'Jefi-
meois, e jue p oprojmtaria a pocia.
27
22
15
'e declara-
os
^.i dia Opela tnallh i(j|iegAiltK>j|^l%u|a,e,,,>' eam*lo do quartel aneraf % f&
Lt-XDJp] tima eiaoa, escotada pn:'
ua
gnus soldados, conduzinlo um cadver em
dacoiiposio adiantada, ojjual sendo eu-
contrdo botando as, aguas da ltgoa da
Norte, fora pelo subdelegado daqtella villa
remettido ao Dr. chefe de polica.
.-Uta vitta das noticias que corriam, o^
apparecimeuto dosse'cadver, pareceu a to-
los a confirmac-o dellas i pois u corpo
apresetitava signaos de violoncias aotl'ridas,
alm de que era da mesmn cor o de esta-
tura igual a de Hypohto.
O Sr. delegado de polica tere ordena
do Dr. chefo de polica para proceder a
corpo de delicto, e para e9te ftm foram
convidados os dous mdicos Drst Joo Sa-
bino Vieira e Francisco Homein d Car-
valho.
l'rocodendo aquelles facultativos a exa-
me e autopsia no cadver, ora presenca do
mesmo delegado e com assistencia do Dr.
promotor publico, fizeram as seguintes de-
claraces : Que o cadver trajava camisa
de algodo do riscado azul e caiga de brim
pardo ordinario, tendo na cintura um cor-
do ; que achava-se o decbitos dorsal ten-
do aS pomas o os bracos em pequea flexao,
apresentando o penis urna occluso do pre-
pucio, seu cumprimento regular, sendo o
mesmo cadver de musculatura normal, .re-
presodtando ter 28 a 30 annos de idado ;
cabellos carapinbos frouxaraente, apresen-
tando o dedo mnimo da mo direita mit-
rado na ultima phalange, parecendo tor
s-flrido neite dedo.
ue so acbavatem adiantada putrofaego,
parecendo que o falleeimento tivera lugar a
tres dias pouco mais ou menos, havendo
descollocamento da pelle no dorso do p di-
reito, da perna esquerda e do todo o couro
cabelludo ; r lingua projeetnda por entre as
arcadas dentarias; hava despregamento de
pellos : os olhos cerrados e os dedos de am-
bas as mos voltadas para a face palmar.
Alm das echimoses cadavricas, nota-
vam-se grandes contusoes em ambos os
bracos, em toda sua extengo na parte pos-
terior e auterior do tronco, sendo em al-
gn pontos da ultima parte algumas nos ps
e as pomas, tornando-se saliente a fume-
faeco subsequente s contuzes. Que nao
hava fractura em parte alguma.
ColWado o cadver no decuhioto dor-
sal e examinadas as visceras thoraxicas, a-
charam os pulmoes com as suas bases con-
gestas, e nos vrtices apresentaram, alm
de gazes, urna colorago lvida, nada de no-
tavel apresentando nos domis orgos. Os
msculos correspondentes aos pontos con-
tundidos acliavam-se iufiltrailos pelo derra-
mainento dos pequeos vasos e lvidos.
Em concluso responderam os peritos
que houvo a morte ; que a asphixia por sub-
tneisao fora a sua causa immeJiata, atiento
o estado do pulmo; que as coutusos des-
criptas poderiam ad f'uturum produzir a
morte, mas que na occasio em que foram
praticadas nao eram moraos ; e finalmente
que dellas nao foi que resultou a morte ao
oTendido.
-um seguida proceded o mesmo delegado
a um auto de reconherimento do identida-
de, no qual declararam testotminhas sob
juramento, que por turcm perfeito conheci-
medto do escrave Ihpolito e mais porque
o cadver apresentava siguaes idnticos aos
d'aquelie cscravo, e tambem pela roupa que
trajava, aflirmavm em conscemia ser o
cadver do ditr cscravo embora ja -;e achas-
so em decomposico.
Depois de urna pro va to positiva, mu-
guem mais admittia duvida de quo o escra-
vo Hyp dito fora realmento assassinado o
que era inteiratnente verdadeira a noticia
que vaga va.
U> herdeiros, porm, do bario, sobre os
quaes recahiam as suspeitas do assassinato
affirmavam, que Hrpolito estava vivo em
Fernao Velho, e pedindo algumas praijas ao
Dr. chofe de. polica, para alise derigiram,
trazando o mencionado Hrpolito, com pas-
mo de todos que o reconnoeram, e mais
anda naquelies que o tinha roconheid uo
cadver.
Hrpolito, veio realmente com diversas
i.'outusoes, proiedendo-se a corpo de delicto
que as cousiderou leves.
Como quer que seja ha um mysterio
anda a descobr, o cadver que appareceu
revella, em vistas do exaine t'eito, que um
erime atroz foi praticado e a polica cum-
pre emprogar todo o osforco para descu-
brir se esse novo ciime urna mera coin-
cidencia, ou se tem alguma ligac,o prxima
ou remota com as pruiMtras notifias.
REVISTA DIARIA
Ministerio da Fazoutla. Por este mi-
nisterio foi expedido o seguinte decreto :
< Doereto n. 3,193 de 11 de Janeiro de
Determina ana as disposices da resoluco n. 2,0.
de 23 de setenibro de 18/1, Qquem extensivas
1873.
2,033

receita e despeza do segando semestre do exerci-
cio de 1872 a 1873, nmi|uanto pi for promulgada
a respectiva lei do ore amento.
t Hei por beni sanecionar e mandar que se ese-
cute a seguinte resolucio da asseniulga geral :
Art. 1 As disp i-icoes da resolucio n. 2,033
de 21 de setembro de 4871, ficam extensiva ro-
peita e de>p-7.a dr> seguudn semestre do exercicio
a
Ministerio da Justiru. Foram expedi-
dos os seguales avisos:
t Ao presidente da provincia do Rio de Janeiro.
Rio-de Janeiro, 3.de Janeiro da 1873 Ium. e
Exm.Sr. '"orno nVte f V. xi de9 de deiembr
do anno lindo foi aposentada A S. M. o Imperador
a resolucio em que essa presidencia deelarou ao
jull! de tflrelta dgtomm fr 8. Fidefc* qoe o*
supplffuts d i Jrffr'mumciprtl e o adjnnto do pro-
tnotor ntiMIfco illwm ser IHrluldos na Hga dos Ju-
rados do rftsp'ctito tennn, ma* duptadHiri 'putu-
do designaos pela serte.
E- o mesmo augusto seiihor manda comuiunicar
a V. Exc, para o fazer rwnstar ao feredio juiz
de direito que tae*- fonecionartos eslta eompro-
hendidos na exceiicao do arL 23 do cdigo do
processo criminal" sendo iocoinpaflleis com as
tuneces de jurado as ioi suplentes do juiz
municipal pela eooperay.iio activa, e continua quo
prestam nosuactos da formacao da culpa, e as do
adjunto do promotor pelo interesse que sustenta
e defeude por parte da jnstica. publica. Ieus gar-
le a V. Exc. -Manel Antonio Hitarte i? Atendt.
t Ao presidente do Piauliy foi dirigido o se-
guinte aviso :
Rio de Janeiro, 3 de Janeiro de 873.Illm e
Exm. Sr. Sua Magestade o- Imperador, a cuja
presenta levei o offlcio de um dos antecessores de
de V. Ext., com data de 6 de fe ereiro de 1871,
pedindo e Ihe declare se o,u nao incompative o
exercicio dos cargos de promotor a de. jnir muni-
cipal com os de profesar de lingoa nacional e de
plidosopliia doltcea deesa capital,-manda respon-
der-llie, na eontOTmldade da consulta da seccio
de justica do epo^elhn de estado de 13 de maio do
mesmo anno, q%c n9o pd1 Jtflz municipal aecu-
mular oemprego da professor' devendo-se. porm.
tolerar qae seja para elle nomeado o prometer pu-
blico sement em caso especiaes, determinados
pela necessidade lo sorvico ou por falta de pessoal
habilitado que sirva soparadaioenle os dnus ear-
!os. Deus guarde V. Exc. -Manofl Antonio
htarte de A.vedo.
Ferlinento-No termo de Sernhem, em
19 do correntj, JoioRaymunlo de.Lyn coriheci-
d9 por Joao Taquary, ferio a Geraldo Correa, con-
si'L'uindo.evadir-se.
fAcadiwNo Pojo da Panella, Francisco Al-
ves Ferreira, em 20 d corrate, ferio a seu pro-
prio innao Vicente Alves Ferreira com urna fa-
ca la que lhp alcancou rima das pernas.
Declaraban.-------De conformidade cotn" a
reclamacao que nos dirigi o Sr. Paul '.hauvin,
declaramos que o Sr. seil pai Jean Eduard f'haiiviii
sepultado em 17 do corrente, era casado e nao
viuvu, como erradamente o considerou o obitua-
rio d'aquelie dia publicado no Diario de fu ; as-
sim como que o engao nao foi nosso.
Yssocii'ao portngueza de bene-
ficencia.Teve lugar no dia 19 do corrente a
reuniao em assembla geral dessa associacan, afim
de procedef-se a eleicao dos respertivos funciona-
rios, para o corrente anno." o que se effecluarido
den o seguinte resultado:
Direccao. Jos Rodrigues da Si|va Rocha, di-
rector : Antonii J'iaqaim Rarbasa Vianna. vice-
director ; Ricardo flarbosa Montir#, primeiro se-
cretario ; Domingos Jos da Silva Nogneira, t
dito; Domingos Jos Antones (itrimaraes, the*ou-
rmro. Vogaes.^Uistodio Jos Reg de Aranjo,
Joaquim Ferreira Ix>bo. Jos Prudencio dos San-
tos, Manoel &>n-alves i;a.*ern, Antonio Teixerra
de Figueirodo Jnior e Domingos Martins Gomes.
Assemtila geral.Jn^Goocatves da Silva Bri-
to presidente; Manoel Francisco Pocas, primeiro
vice-pre-iJente; Francisco Teixeira Mendes, se-
gundo vice-presidente; Salvador Jos Ferreira
Ciiiimaraes. priuroirosecretajio; Jos Ignacio dos
Santos Porto, segundo secretario
i ommiss o de coalas. Daniel lavares_>"oelho,
Antonio de Saua Neves e Joao Jos de Oliva.
snsprl<-6i'- de masistratos.Por por
taria da presidencia da provincia, de 17 do cor-
rente, de conlormidade eran o art. 11 da lei n.
2033 de 20 de setembro de 1871, foi mandado que
as suspeicoes, postas aos juie* de direito das co-
marcas nao especiaos desta provincia, sejam de-
cididas pelos das mais vizinha* aos termos, em
que forem ellas suscitadas, servindo para regular
a ordem da proxitnidade reciproca de cada co-
marca o mappa demoostrativo das distancias entre
as fregueaa, ltimamente efganfcudtl pan Wr*'
tira-i das obras publicas.
'Guarda nacionalPor [.orlara da pre-
sidencia da provincia, de 17 do correte, mandou-
ie dar guia de passagem, fiara o municipio de
limla, ao alferes Joaquim Ignacio da F-mceca,
do 4" batalho de infantaria, do municipio do Re-
eifft.
Professora publica Po portara da
presidencia da provincia, de 18 do corrente, foi
removida, a seu pedido, a professora publica Ale
xandrina Uiiibelina de Freitas l'cha, da ca(lera
de liuiqtie para a do Rrejo.
Dinbero. Os vapores Cruzeiro Jo Sal e
Ip jttcit trouxeram para .
London and Brasilan Bank 77:0005000
Pereira Viaiuia i C 7:OO-50^
Bario do Livramento o:163750
Joao Carlos Basto de Olveira :j:0JOiO00
Arminio \ Moreira i: 1205000
Beltro, Olivsira .V C. i:"09i0tX)
Francisco Vieira Perdigan 1:6964000
Carnetro Alheo, Oliveira & C. 1:161*000
Moraes kmaos 1 000*0.0
Souza Junqueira ii C. 1:000*000
A. Augusto Ferreira Luua 1:000*0; 0
Joaquim Jos Gonealves Beltriu 1:< 00*000
Alfredo Garca A rmo 1:000*000
Jos da Cunlia Lages 962*000
Luiz Dudrat 913*070
Santos M. & C. 864*01)0
Jo< Rodrigues de Souza 800*000
Augusto Cesar Ue Abreu 706*000
Dr. Joao da Silva Rann :!97*00O
Jos Fernandes dos Santos Bastos 2i7*610
Incendio. -H mtcm. pouco depois das 8 ho-
tambem unft 'pequnnar ftMiorfiec .para .qnwrfOK
qurteri'in dos livn.J ntits:.!
I o,esperantos-, istes os nicos bene-
tKSm mover em todas as ireguozia* em que funecionam
cooselhos paroChiaes a realiaco dos lins da so-
ciedade, qae nao sal) otitros que o nanbate a ig-
nlaai#jt* #ao erro.
U na> Itsaniaem osles ovos cruzados da
Wt,Miie vejan feelisados os ns tfuc abnejam,
e ae\' s quaes faz votos esta redaeco
jR^ftl Janeiro. -Reilveu o,Exm. Sr. pre
siaente 3f provincia, que lesse dia fechassem as
reparlicdes pirtJlwi*, em solemnlsarJo do annivej-
sjfri fa-restaudfco desta previncia da* poder
btate. 1
a mvertidas. RP*tlven o
BW; nonemeiirj monseehor Muniz Tavare ar
em Wlao, com todo quantonella existo de adorno
e fiaramcritos, es **> IJUe srt com o divino ao-
xnw p seos recursos pecuniarios ediflcou e pre-
paro*! coavenleirtenicnte para o llm piedos, ijue
tinha em vista, depositando o respect vo prodito
em um dos bancos desta capital para ser reparti-
do; flepois de sna" morte. r dotes aquellas orjihs
desvatidas, ene S, Exc. mdtear em seu codirilki.
Depoi* d tantos esforcos, S. Exc. levado a
esta-resolucao; porque "nao pode por si mesmo
encarregar-se da competente admmislracao, j
p#r sna dvanoada idade, em anuos, j por ilo re-
sidir nesta cidade, nao tendo podido lograr echar
pessoa>autorisada e possuida de espirito de verda-
deiraAridade evanglica e de ido apostolizo, qu
o qudfsse rrubstitriir etn encarafi rio ptedoso.
Como quer que seja, a intoncao de S. Exc assim
transformada nao menos meritoria ; e sob a face
em que, hoje se extema ella, a divina providencia
ha de faze-la fructilcar em beneficio a socieJade.
Inipostos irrovlneines.Comeoou o re-
eebimeoto dos difiere te* impostos Provineiaes.
pertencentes ao corrate anno finanreiro de 1872
1873, anto-hontem no consulado provincial, e
sem dependencia de multa d-se esse rceebimento
ne espete de 30 dias.
Caruar. Dessa cidade eommunicam nos a
residencia all de Mr. Charles Gme. Browne. cida-
di> intlez e distincto medico, qne em sua protls-
iio h prestado bono serviros humanidadeda-
HaetVs- conlorrtos ; pofs qe dotado de nobres
seiitimentos-, nao Ihe sao indiffrentos os males
alheios.
Em pontos retirados das pitaes o medico
sempre um beneficios; e quando assim se compe-
netra eite do seu sacerdocio, esse beneficio um
dardo dom da Providencia.
l'assamento.No dia 11 do corrente deu
a alma ao Creador, no seu engenho Belm, do mu-
nictpWd S. Ja "de Mipib, na id.ide de 74 an-
i.os, o ah.asta.lo agricultor do Rio Grande do Norte,
0 S. Ign .ci de Albuquerque Maranhao. natural
dessaprvincia, onde sempro viven, e fiho di fi-
nado capitao-mr Joao de Albuquerque Maranhao
e de sua mullier D. Antonia Josepha-do Espirito
Santo Rilieiro de Albnqtier ine Maranhao.
O finado omipoii importantes cargos na sua
provincia, ta-s omol cnente-Voronel do milicias, de-
legailo de polica, eleitor de parochia, e gor.ou
sempre de grande influencia entre os seus distric-
lanos.
sua familia nossos sinceros pezames.
Hatatlouro Achando-se concluido e promp-
td para o servios o da freguezia do Poco da Pa-
nella, da i.' de fvereiro prO-iroo a vante s alli
deverao ser moras ,v rezes destinadas ao consu-
mo da pmulaciu da mesma freguezia.
Troco. Aclia-ae alierlo na thesouraria geral
o troco da moeda de brouze. pela de cobre actual-
mente circulante, e tambem por iotas do go-
i
mava vullo. oo-Uiaor (lublico eeUveata- ?*
ve, |>rooNMirle v<*rfifar a rerded do *
de 1872 a 1873, emquanto n.ao for promulgada
respectiva lei do ornamento.
i .un co. A verba de 500.000* consignada no
S 20 de art. 7. da le n. 1,836 de 27 de setembro
de i870, para pagamento das dividas de oxercicios
lindos, li.'.i elevada a 800:000*000.
Art. 2.- Revogio-se as disosiQoes em "on-
trario.
O Viscoirde do Rio Branca, rtmselheiro de Es-
tado, senador do Imperio, presidente do canselho
de ministros, ninistro e secretario de estado do
negocios da fazenda e presidente do tribunal do
lliasouro uacioaal, assim tenha entendido e faca
executar. Palacio do Rio de Janeiro, em 11 de
Janeiro de 1*73, 53 da independencia e do Impe-
rio. Com a rubrica de S. M. o Imperador..t'i-
ronde do Hio-Branco. >
Ceaneerlim mor do imperio. Manoei Anto-
nio Duarte de Azeeedo.
Transiten aos 11 de jaaeiro de 1873.ertdr
\u:]usto 4e Paiiuu Fleury.
c Publicado na secretaria de estado dos negocios
da fazenda, em 11 de Janeiro de 18rd. Josi Se-
rerinno da Rocha.
Ministerio da Fazenda.Foi expedido
o seguinte avise :
Rio de Jaaeiro, em 3 de jaeairo de 1873S.
M. o Imperador, conformando-se com o parecer da
inaioria-da secjao de auerra e maninha de onse-
selho de otado, exaralo en consulta de 21 de no-
vitmb uutto, sobre 4 duvida por V. S. pronta
ej oficio n. 1,143 de 21 de outubro do aanu pro-,
xkns fiado, houve por baui mafldar declarar, por,
iainodiata resoluoao, tmala a 28 ite dezeaibrii,
JM ** praca de prat coaducorada com a ordem
a Jiwsa, que eitivereiu campriudu a pena da jwi-
so coiii lr.U)alho, por sso privadas do uto da
ioiga4 da iii*ii:i oMeja, aio o sujeiUs-ao aa-
al de pancada*, que, correccin almao-
ras da noute, as igrejas do Rente derau. signaes
de um incendio que se nanifestava no paviaiento
terreo de um predio de dous andares, que fi.rnia
o ngulo d 1 ra das Trincheiras com o pateo do
Cario, na fregueiia de Sai.to Antonio. Atteara-
se o incendio na pequea forja de um ourives al>
estabeiecido, no compartimento numerado com
2 A.
O incendio foi insignificante e neuaum prejuizo
causou alem do estrago da referida forja. Fui ex-
tincto em poucos minutos com o simples concurso
de alguns visinhos do predio eai que so deu d aciH
dente.
Asphixia.- Ao bordo di brigue brasileiru
I'irtoria, entrado liontem n'este pino, procedentu
do R!o de Janeiro, deti-se um lamentavel accidente,
eujo resultado foi a morte de um dos tripolanfes
do referido navio.
O comu andante do brigue ordenara queRe.
tripolante, que era escravo do proprietario do na-|
vio, o Sr. Marinlio, da Babia, que fosse desarro-
Ihar unas pipas ffagua salgada que tinha bordo;
assim prateou o infeliz escravo, mas f-lo ti!
desasad eineonveoientemante que, recebando de
face as exhalacpes dcleterias do oonteudo de una
das pipas, fai por ellas suflbcafto, |>erecndo pouco
depois victima d'esse asphixiamento
Propagadora da Instruecao Hohli-
a.Pedem-uos a puWcacio do seguinte :
Folgamos de chamar a attenco dos nossos
leitores para as bases orgnicas do curso normal
para habilitarlo desenhoras ao magisterio prima-
rio, que expensas da sociedaee Propagadora da
Instruccao Publica vai abrir-sc a lo do mez pr-
ximo futuro na edificio em que funrcoua a escola
normal.
A matricula j se aeha aberta, e as senhoras
que at agora lutavam com didleuldades para po-
derem liabilitar-e aaica profisio que nossas
les Ihe facuttam com carcter publico na socie-
dde, poderao de, ora eai diante alli receber a
mstrue.cao aecessara para bem desempenuar a
nobre missao de perceptoras.
.io s este o taaegcio ejue^tao humanitaria e
patritica sociedade j p xle prestar provincia ;
varios de seus ocios teem feilo valiosos oieneri-
RWtos qae redunda rio em bonete io eae e das elasee* -neeeuitadas. assim uo oM
Sr. Jos Fraaeiece Ribeiro de Souza, dinastoc dot
coliegio Saato amaro, como socio daVmpagadera
da Instruccao, edereeau-ee para receber e *-'
inar em dte eritegk), qa> joonueito aanoe dai
fuadaeao, at 30 ataa externo, quer Hateada!
da eataw primario, a>aer aos de ieeuadria,ett
em sua escola primaria na freguezia a aoeifej
A Exuu. tira. b. Mam'Oleleuda Aeeha, breetora
do eoltofiode Ketaa faabora da Sede, no Poeo,
ifuatrnaate at peompta a admear alli as alea
es exieraas) ewoa*etidanente pebres e
geradas* que daaam afeeeataiat. {efe
Macn aria. -Por suas diversas lojas ap
estabsleciias, a Maconaria promove urna subs-
erMfli em favor dos desventurados nufragos do
Erie recolhidis < ilha do Pina mi lamentavel s
tado.
I11 contestavelmeole a caridade .- a maior e mais
bella exprs sao do chri.-li auismo.
Oatra interdicyo. -Acha-se lamben)
interdicta a irmandade das Almas da matriz da
Boa-Vista, nos inesmos termos da do Sacramento
de Santo Antonio. ,
Concurso. Na repartilo dos eorreiosha
ver concurso no dia 17 de fvereiro prximo
vindouro pam proviir.enlo do urna vaga de pra-
ticanle da niesuia repartico.
Os pndandentes deveinguiar-se pelo respeativo
edital, que vai publicado no lugar eooioetente.
Leilao. Hoje efTectua o agente Martins ;:s
11 huras do da o leilao de movis, um cofre
prev de fogo o um dito francez : 110 arma em da
ra do Imperador n. 48.
Moje, conforme est aniuiuciadu .1 secQo
competente dese Diario, effectua .0 agente Pinto
o leilao do Aneadas e Dudeza srarladas: em seu
escriptorio ra do Rom Jess n. 43
Casa de detcncan.Movimento do dia
20 de janeiru de 1873 :
Existiam (presos) 357, entraran 7. sahiram 10.
falleceu 1. existein 3St.
A saber :
Naeiunaes 237. raolneret 13, eslrangeros 48,
escravos 18, esrravas 7.Total 153.
Alimentados acuita dos cofres pblicos 278.
Movimento da enfermara do da 20 de iainiro
de 187.1.
Tiveram baixa :
Jo,- Bretra Rarbosa, fridas contusas
Monoel, escravo de D. Mara Patou. feriiivntos
Maxiiniano, escravo de Jos Lopes Machado, ulcera
Tiveram aita:
Bellarmino de Salles
Joao Vieira de Mello.
Jos Joaquim de Saut Auna
Cjpriano Francisco do Nascini'-eto.
Falleceu :
Arno Ferreira Ramos, tubrculo-- pulmonares.
Passagciros.0 vapor Ipojiua trou.xe a
seu bordo os seguintes :
Antonio Tiimi da Silva, Dr. Pergeutino da Cos-
ta Lobo! Francisco Teixeira, Francisco Pinbeiro
de Alineida Castro, Jos de SiMua Vieira, Manoel
d'Agonia, \!iguel tioneakes, Dr. Augusto Pinto
Alvos Pequeo. Cyprino Romero, Manoel Rento
Rorges da cmara, Jos*'- da Costa, Augusto Cesar,
Dr. Octavio Affinso de Mello e 1 creado, Dr. Joao
Gomes de Mattos, 1 menor e 1 criada, Antonio
Cherlano, Francisco de ttouveia da Cuaba Rabxl-
1o e 1 criado, Raymnndo A. Pereira, Firmi
no Francisco da (iun'ha, Vicente Marques da Silva
Peixoto, Dr. Jos Pereira da Silva Moraes, Ifilhi
e 2 cread' s, Antonio da Silva Medeiros, Jos da
Silva Medeiros e 2 escravos, Feiisberto F. de Oli-
ieoettfjuyoT. (Ji^ conununico a V. *. para aa
deigdeV eSei.-Deu guarde aIV. S.btipum
rwfl*o Httiro da Lw.-4r. eoaeelu^ire Barao d,
noel Felippe da Rocha Bezerra, Pedro Soares de
Araujo Pilho, Jovimano Marlius da Costa, Luiz
Fernandes Torres Marinlio e ua familia, Rento
Pinheiro da Cos 1, Julio Card >so da Cesta Araujo,
Laurindo Pereira da Silva, tenente coronel Anto-
nio Hrauiio Ribeiro Danta e 2 Olhos, Jos-' Manoel
da Silva, Abdon Nepomoceno Rarbosa, Pedro Jos
de Vasconcellos, Jos Sebastiao Leite, Antonio Jos
Ribeiro, Dr. FranciscoClementino do Vasconcellos
Chaves, t fiiho e 1 creado, Joao Cavalcante de Al-
buquerque, Maneel Mara Danta Cavalcante, An-
dr Carsino Pereira. Francisco Tavares Pessoa de
noel BapbsU, J.fsdfciMta IbrTa. Ainela Torres
hi Das d^C^^Man/tah> .Aaiionio Rezeira Mnteno .aorario G^m;alvc.
Ferreira Peixoto e sna- seaiora, Antonio Jos Al-
metda Co la, Carlos Francisco Ferreira Rorges.
/ofc Ferreim Silva, Joao Tavares Cordeiro, Candi-
do Jos Oliveira e sua filha, Antonio Joe Vieira,
-Adriano da Costa c sua mllier,. Ramundo Leo-
poldim de Jess e 2 filhos, Cliristiano Almeida
braos, .IBria creada 3c Januario Peixoto.
Em transito :
Manoel CJemcntiuo c. fl AranlM, los Avdino
Silva JicqueS, 3 innas de caridade, Severino Ca-
valcante Bultio, Luiz Thaumaturo Machado, Dr.
Joaquim Antonio Cruz e sua familia, Jovino Pinto
Ayres Ejiiplianio Pedroza, Agripino Abren Flalho,
Ryinutido Marques Mattos, Antonio Balio Silve-
rio, Eduviges Maria; Silrerio, Jos Venancio Bap-
tista, Saturnino A. Carvalho, Joao dos Santos, 10
pracas, 8 escravos.

Ai) piililirii.
Leudo 110 Diario n. 8, do 11 do corrente,
um communicado elogiando a administrado
desta provincia, pela maneira por quo S.
Exc. tem visitado as repartieaoes publicas, to-
mando as medidas que Ihe parecem acerta-
das para a boa ordem daquellas repartieres,
e por outro lado tomando a mais segura ga-
ranta da moralidade publica, j com exone-
raedo de o/ficiaes de polica e em]>rwjados
contra os quaes exhibiram-se aecusaces
que nao foram destruidas, vero o abaixo
assignado protestar, por sua parte, visto
como tendo pertencido ao corpo de polica,
foi exonerado, mas a seu pedido, e pelos
motivos que passa a expr.
vercendo o abaixo assignado por mais de
um anno o cargo de subdelegado do PoOa da
Panella, foi removido no mesmo cargo para
o termo de Boberibe, onde Ihe era inteira-
mente impossivel preenchers atisfactoriamen-
te, com a dignidade o independencia que tal
cargo exige, visto corno, alm dos poucos
recursos de que dispe para acudir a cortas
necessidades, nao tinha no lugar um desta-
camento, e ero, to pouco o Exm. Sr. pre-
sidente quiz mandar para alli algumas pra-
gas para manutenir a ordem e moraidadle.
Vendo-se, pois, o abaixo assignado na im~
possibilidade de aceitar nquelle cargo pedio
ao Exm. Sr. presidente exonerarfto delle, o
que Ihe foi negado, sendo assim fundado por
si a exonerar-se igualmente de oificial do
corpo de polica, o que fez com a maior
consternarlo, por ser abrigado a separar-se
do seus eofnp.mheiros, com quem viveu na
maior harmonia, e do digno commamlante
daquelle corpo, que sempre o distingui
com a sua amizado, e a quem jamis deixa-
r de votar-lhe toda a sua gratido.
Com a presente publicai.ao s ton por tim
o abaixo assignado mostrar ao publico e aos
seus amigos, que foi exonerado do corpo de
polica seu podido, e pelos motivos cima
expostos.
Ileff, li de Janeiro de 187.1.
Ftlicistimo de Azevedo Mello.
.uperiTOB paaaabml rosaaoaaa, e al
atante le a exaaat #ra. O Mam Krlm>lal fflib>41ao^^>'*-larto*-
qnaMe *saa'ertiajio s* naneada
ftos septeneiados de coinnortaateata >sob a deaoniihacao de Ascengao de Maltet
K JefaeMkU Poco (aa foveac^da^laai
aai aaaciedada pr todp <*i tea anfauMU^
cola, haveada, no edificio *m que dew (uaeai*a*r
Araujo Jnior, Francisco Alfonso do Reg Mello,;
D. Ricardma Mam da Coneeico, B. Henrque
Rodrigues Ycas. Antonio Mello, padre Manoel Js-
eoine Pereira vndaanW, Tobas Annanias Bezer-
ra, Antonio Joaqoim ds Santos, Alvaro de Carva-
lho, Fernando de Carvalho Dr. Joao Barbalho
L'cha Cavalcante, W, tiames de S, Francisco
l'edro de Lima Mindello, Amero de tal, D. Maria
Manoela de Meti, 1 creada, teneuto coronel Sa-
hafme E. Cawwrro da Cunha, 3 escravo a en-
tregar.
Entrados dos portes do sut no vapor Cruzei-
ro do Std :
Edmundo Ribeiro dmares, Luiz Furtadp Oli-
veira Cabra 1, D. Francisca Firmina de Caldas Bello
e .5 flluos, Feliciano Francisco Martins., Jos Anto-
nio de S Leitio, Dr. Joo'Paulo Mjnteiro de An-
dxade, Arthur Castalio Braaco, Antonio l^aacio
Santos. Jos Rodrigues de Carvalho Jnior, inuhcr
sagra a i lhos, Cuclavo, oreado do Dr. Anorade,
Pedro Jos Oveira, Beuta Caotano Munu e sua
mulher, Dr. Antonio Qoelbo odrigues, Odilon
Fock Romano, sua senbera e 1 irma, Honorato,
escravo de Bello. Mebame, escravo de Machado
Portel la, Dr. Hearioue Maphado Lins Alywiiki, !-
oeta de Giovani, Alfredo Atbuquerquo Itetto, Adol-
f ArtnKpnerque flrtfe, 3 ex pr?as a ^HTnada,
pracas, e i ex ditas do exercito, Ankio Csar
Oliveira Vianon, fos Joaauini Se-ibra, Adolnoo
fienlil, Pedro Regiualdo Teixeira, niom J>*
fteira, Frederwo Dias de i>oua, KiwaCik, H
1 Ueoww, Jaba atartaa, Ftaoeisc Gneal-ei Sd>-a
H .SahriBbA Viciorioa Maa da Cooceca^ Beliaaxio,
> UaclqauckeWv, Im Piada Cordeiro,M>ooa| Fran-
- cisco Ou*eira Cava.uint. im Aaoaio QJivaira,
im Fr#at*aw Caaario
ijlba ejearo,
Ca^eaTN-
JaaXa-
Mao atado meu sou oreado 1 responder j ani
artigo do-Sr. Dr. Joao da Silva Ramos, publicado
no Diario de Pernambueo de i do correte, em
defeza de seu particular amigo, o celebre Dr. Al-
varenga, em conseqneneja de um outro artigo,
que sol a epigraphe Escndalo de um medico
- fora estampado uo mesmo jornal de 31 dede-
zenibro ultimo.
Ptiotenhoem vista travar polmica eom o 3
Dr. Ramos, nao s porque S. S. protestos nao rol-
lar imprensa por eircumstancia alguma a tra-
tar deste a-sump!o. como porque nao disponho de
tempo e nem tenho (breas Parrv !u,ar com eelebri-
dades, e se ouso escrever estas linhas fi sement
para restahelecer a verdade do facto, fio alterada
por S. S. que a todo o transe e com o maior desaso
quiz defender o cu distincto collega e hospede.
nao trepidando para esse im pretender iiuniilhar-
me, dand 1 sciencia ao publico de que BOU pobre
e orgulhoso, esqiiecendo que o mesmo publico sa-
be, talvez ielhor do que S. S.. as razes que me
occasionaram a pobreza, e que emprego dia e
noute meios lieitos e honrosos para espancala.
razoes e meios pelos quaes lenho conquistado,
nierc de Deus, o oneci, a estima e a enfianaa
dos horneas honestos e sensatos da sociedade em
que eu e o Sr. Dr. Ramos vivemos.
Ainda pnigido pela acerba dor da peda de ini-
'iha querida lillia mal po*so ajustar minlias ideas
para rallar de um facto. que tanto me aviva a me
.noria para tristes recordace> de 11111 passado nao
remoto, de leinbrancas tp aflictivas mesmo para
un pobre orgulhoso. Mas a verdad- sobrenada e
pouco me bastar para |rt>-la a descoberto a des-
pedo dos louros do Dr. Alvarenga, e dos esforcos
d" Sr. Dr. Ramos em torcida-la.
O nome qualidade secundaria, e, porm, quan-
do nao o fosse. talvez que, nome por nome. o de
um pobre p esa conseguir maior crdito do publi
co, (jue, juiz recto, malpresa esses enfatuados,
embora na apparencia. por conveniencias -ociaes,
iinj.i houra-los.
E;n verdade diilicil crer qi-' o Dr. Alvarenga
es>e medico consumado, esse liomeni Ilustre, que
oceupa o mais flecados cargos em Lisboa, prati-
casse a accao, de que um amigo meu deu noticia
no Diario de 31 de dezerabro ultimo, sem previa-
mente me consultar, o que permitUo aigumas pe-
queas infidelidades, que com o que paseo a axpdr
licam corrigdas.
Afflrmo, sob pajavra, que exacta a miaba Dar-
raiaj. e su nao foss>- eu orgulhoso citara o teste-
munlio de pessoas serias, como o Sr. Dr." Demo-
crito Cavalcanti de Albuquerque. commercante
Mauoel Jos da Costa Fereira e Dr. Jorge Doniel-
las Ribeiro fossoa, que vieram visitar o* nieus
doenU^s, sendo que tefe ultimo asaisfio a grande
parte da scetia escandalosa, o qual retirou-se in-
uignaclo por ser ella em demasa revollante.
E> a narrac" sincera :
Tendo adueculo miuha mulher de er\.-pela 110
dia 24 de dezembxo uliimo, por informaces e a
instancias de linas amigos, por intermedio de
um deUes convidei o Dr. Alvarenga para trata-la.
visto como se me assegurava que esse Sr. era es
penalista em semejante molestia, e que alm dis-
so possuia um lquido milagroso, panacea com
que lia de salvar-da morte a humanidade toda.
Em consequencia de meu convite compareceu
o Dr. Alvarenga no dia 2o em nossa casa. exami-J
nou a doente, e predit^ logo a cura radical do
mal na perna aeeometuda e grande inellioraineii-
tos na outra perea, tambem invadida antiiior-
mente peto uteemo mal 4 appcou wn ambas o
elixir milagroso, com o qual mandn eontiuuar a
applic.aco na primeira, c ua segunda com o li-
quido resultante da coiobiuaco de 30 grammas
de selicate ae piilassa iO gramaus de agua,
cuja receita milito r-ccotnuiendou quo fosse aviada.
na botica central, como eftectivamente o foi sob o
n. 9222.
ta que, segundo me quer parecer, clle* pliaritsiou
por prevcncSo, visto como 1 erysipella naliiTi
mente derlinava.
Aggravando-se coiisidravejiikiuie e> solfrkn^i-
tos de. miaba lilha, chamei u Sr. Dr. Pitanga, me-
dio daeasa, nao s por ella o ter aedklo, conw
porque nao poda eu contar como Dr. Alvarenga,
preste* a partir para a Europa, e que apenas rfr-
ceitra a lignina urna nnica vez e accrdentahneo
te ; ccrescendo ainda que na alRiceSo, em Qie
eu e todos de ininlia familia dos achavamos^iiome
era permiftido guaidj"' t sfrirtamente etiqudta%
9<' provoitosas ao medico, anda mesmo da Eu-
ropa.
Quando no dia 2, quarto e dWmo *i suas vi-
sitas, comparecen o Pr. Alvarenga ca nossa eawa,.
vio que se applcavam sanguesugas en minha fl-
Uia. cujo mal attingia propolrtocs aMustaderas .
pelo qoe possesso, perguntofl-me cora modo des-
abrido por ordem de que se fazia aqttetle trntt-
mento, accresceutando em altas vozes que na En
ropa nao se proceda assim; explique! crm coanr-
dimentoc mansidio o que sepassara, e procure
ilesrulpar rae, aflm de evitar augmento de sefl>-
mentos de minha filha, qn presenciava afSct* o
fcto, e de minha mullier, qoe se acnava de or*
accommettida de sen nial ; mutlo ine custandb es-
colher palavras e razis coarinrentes para unv
sabio, que nem ao menos atienden para a desdla-
caoem que lodos nos acbavaawa.
Mas isto nada ; veja o pnltco que o Dr. Al-
varenga usou de meto ridicilo para vingar-sede
nro. Fingi moderar se, v. tet qtte mudara di-
sentir ; examinou minha mullier, voltandO'-s*'
para mini, disse :
Ora bem. o mal de sHt nitilmrt atn
em ou4ro periodo, e o tralamenln < .ettaifi*
niio pc.e ser o mesmo.s
E mandando esvaslar e lavar os fias de Ai-
xir miraculoso e do selicate de potas** (marta, Sr.
Dr. Ramos f) preiiarado na botica c ntrat sentrm-
se mesa e escreveu :
Pelas visitas que na qr.alidade de medlce tbt
esposa do Sr. Castellao 803000;
E entregando-me semelhaale conta, disse gri-
tando :
Ora ayora a consa esta I!
Em outra qualquer eircumstancia respondera
ao Dr. Alvarenga deinancira diversa ; mas attn-
dendo ao estado em que se aeliavam minhas mu-
lher e lilha, que no leifo da dr e na mesma sala
da pequea casa em que moro, presene avam tud'
isto, e nao tiravam atterroradas os- nios demim.
eontive-me. e uwri do lingimg.-m e maneiras mais
doces e delicadas possiveis, c fal ando em voz baix.t-
disse-lhe que, sendo eu pobre, nio poda pagar
Ihe a quanlia que de mim exiga, e ottereci-nV-
pelas quatro visitas a quantra de 24 qne de an-
lemao tinha inclusa ao envelope que Ihe apresee-
tei ; recebeu-o elle, e abrindo-o, disse :
Ora agora ramos rr o que tem ahi dentro
Contou e guardou o dinbero, tomn-me a conta
* escreveu d mo modo o recibo, sem declarar
que (cava p.go da conta, acereseentou era aRa*
vozes do maeira escarnecedora :
Ora agora, te este mesmo dinheiro na
pode dar, eu lito restituo, e mesmo potso dar-ll
mais algum para remediar sua pobreza.
E aiuda nao satisfailo dirige-se ao leilo de mi
nha mulher, e de igual inaneira ella repete 1
niesmas palacras, e tomando o chapeo despede-s*
de modo digno de tal cavalheiro e sabio.
Agora diga o publico qual mais verdadeira :
se a aecu-acao do Di.ir 10 de 3 de dezembro ulti-
mo, se a defeza do Sr. Dr. llamos do Diario d>- .
dn corrente, na qual contesta a verdade dos acto-s
que venho de narrar, sabidos de todos os mcus
amigos e at d pessoas indiferentes a tudo isto
Entretanto nao tinha eu interesse em trazer es^
negocio aluine ; mas desde que. o Sr. Dr. Ranv,
que bem poda callar-se, nina vez qiie sabia a
verdade. fez a sua desccala public vcab. tornou
se necessario que en piocedesse, como agora'
faco.
Por minha vez asseguro ao Sr. f r. Ramos, que
niio voltarei a imprensa para tratar de assumptu
to desagradare! ; nao terpiinarei, porm, sem ac-
crescentarque se vozes a pobreza anda ie
mdoi dvhis com o orgtrlho. tambem algiiinas v*.
tes, infelizmente, anda a riqueza do ntana dadds
eom sentimentos poden at res, a eiyidadd coni .1
gr i-ei'h. a caridade com a audacia e ganancia,
e, o que mais contraditorio, a sciencn com o
ehail.itr.nismo.
Rerflb, f\ de Janeiro de 187'
Francisco Gome Cui-telln
Agradecinieuto
Nos, abaixo assignanVs. stimmamente agradoci-
dos ao Sr. tnente-roroiie Dr. febasti* Jos Ra
silio Pyrrho, commaiulaut.- da fettaleu do Rrurn.
pelas maneiras delicadas o obsotuiosaa rom qm-
tritiu ao nosso collcga Dr. J s Zachaias de Car-
valho, durante o tempo sos pri4o nn mesma
fortaleza, vimos por meio deste manfes'ar aquel
le senhor o nosso reconltecimento.
Recife, 17 de Janeiro de 1873.
Ciriirgio-mr de brigada Dr. Flix Brando. d
legado do cirurgio-mr do exercito, Dr. Joo to
norio Bezerra de Menezes. 1." cirtirgiao do coipii
de saude do exercito, Dr. Jos Marques da Sihw
Bastos, i.' cirurgiao do corpo de san I- do exern
to, Dr. Fortunato Angust: da Silva cinirgio de
brigada graduado, Dr. Joviniano Reginaldo Alvim,
2. cirurgiao do corpo de saide do exercito, Dr
Francisco Uorges de R;irros, 2. cirurgiao do corno
de saude do exereito, Dr. Franciso Jacinttio Pe-
reira da Molla, 2; cirurgiao, Joaquim Jos Alves
de Albuquerque, cirnrgi o contratado, Ph. Lucio
Flosculo da Silva. Dr. Francisco Gonealves de
Moraes, 1." cirurgiao reformado, Dr Ernesto Fe
lciano da Silva Tavares, 1 cirurgiao reformado.
Dr. Luiz Jos Correia de Sa, 2 cirurgiao co.utra
tado do exercito.
COMMCRCIO.
No dia 2fi, segundo de suas visitas, asseguro* a
cura da enferma na parle atacada, e disse que sen
PRACA DO RECIPE 81 DE JANEIRO
DE 1873.
VS 3 t/2 HORAS DA MHKBM.
C'atnuciaoM oliirincs*.
Assucar ina-ca\;ulo regular de Macei ijlJOO p*>
la kilos, posto a bordo, hatem.
Assucardo Rio Grande do Norte 2*.'>0
kilos, posto a bordo.
Baralho loi600ior barrica, hontem.
Cambie sobre Londres a 90 d|v. 26 t|2
lOOO.liCHitem e hoje.
Dito sobre dito a 90 di>. 16 i\% por
banco.
Cambio -sobre Pars a 90 dfv. 358 rs. per fraae
De-seouto
  • letras de 6 mezes 12 00 ao.aniw
    Duboure)
    Presidente
    , Leal Seve
    Secretario
    por Ui
    i. pul
    \ik
    ALFANDEGA
    Rendimento do da 2 a 80. .
    dem do dia 8*. .-' .
    51 t88|!7K:
    93o:3I68*..
    ta partir paj-a a Europa no dia seguinte por nao
    ter tempo de deuar tambeut inteiraincute curada
    a outra perna, mas, que dara instrucoes bastan-
    te^ para a conlinuacao do tratamento. com- o qual
    se obteria o resultado desejado, no entretanto re-
    ceitou um laxante de suiphato de magnesia, sem
    se esquecer da botica central, recommendaco que
    nao attendi por impertinente e me ser incom-
    moda.
    No erceiro dia (87) compareceu. mandn sus-
    pender o uso do liquido mysterioso.e appHcar era
    amba< apernas da enferma om aovo, liquido, re-
    snltado da seguinte reeeita 60 grammas de se-
    lieate de potassa e 200 grammas tfc agua, isto ,
    a mesma primeira receita eui qoantidade dupa ;
    pelo que nossa uccasilo, 'onfesso (*ae oom razao
    ou sem eHa me veio lembranea o vinho Madei-
    ra do ta-.alaawawi Mease a ee awaitamaraai
    os prirutiros ucommodos da mortal onfermidade
    de mina. Mba. e ao concluir a visita, e a convite
    de minha mullier, examinou a menina, disse que
    aquiHo era um pequeo ncommodo passageiro,
    que fcilmente se deheilava eom apphcaco de pa-
    pau aV iiabaca no pescoco, e gargartios de *esi:
    aento-da-mespa imtac* ; ap. se esoueeeado de,
    ao retirar-se, previnir que nao ebe^acido o vapor
    sena no da seguinte, anda voiiaria, mi
    to na ultimaba recei^ia miaba mulher, pa
    ra c*r-J* da un taft.iwar?*ii ao flfade, awies
    De^carreetm hoj 22 de Janeiro de 18T.3
    Palarlio aJfemaoE/^uiiV-inrrcadorias para a!
    fandega.
    Barca ingierart-mioncmwcadorias para al-
    fcvadt-ga.
    Barra portugueza -Arabeila podras para w le
    niclie Conreic-i I.-spachar.
    Palaebo. inglez -Ufa'y ShmW *av. o ja de.s|a
    chado para o deparo a coananbia>R<*-.
    cife Rrainage C.
    Htat*nacional D. Luiztt-Bpecros aacjouaesp
    ra o trapiche Avila.
    Palaebo bollandez *w Cornetmm -ferro e-
    taboas para o trapiche Caaoeicio, para
    despaejiar.
    Vapor nacional pusuca gneros uationae par*
    a eompanhia pi.'rnauiburaiia.
    Vapor inglez l/morkMre -/perada? mereado-
    rias pana alfaodega.'
    Hiate americano Hattie Hnskett kerosn* adueias para o trapice C^nceica^, P"
    despachar.
    Barc* franoezaQrmriH*-trinUo > para dejtasit^
    no trapiche Camba
    Barca amereana-.&tf-4ito -r-acmh* de trw'
    j despachada para o caes do Apoko

    ii
    Vapor trastiiro Cmzane ae-A., VMntt*
    porttu de *lml. consitmdo m Me*r*j *6r$t*r C .
    muni/fitou :
    Carga do Rio. \
    Cominho 16 saceos a i\mz Dupral
    Fumo M8 rolos a Candido adr da Motta, 57 1
    fisnira Vianaa <'-,. 10 ralos e 1 eaiea a Jota
    Palmeira, 40 latas e 39 tardes a Antonia 9
    valho. 3 oaixas a JoSo Ramos.
    <5raxa 10 caixas a Mcnhard Metter & C
    Hesperedina 8* caixas a Cunha t tomaos
    Louca 3 eaixae a i. d. eneants t
    Uebma I? caita* a rnrtme Cianea C

    X
    V


    Diario de Peraanroco Qarta feira 32 jfe Janejro de 1813.
    L
    Objectos de ueriptorio 1 eaia ao Dr. S. Con- 1
    lint.
    Vidros 1 caca J. M. S. Cmtinlio.
    Baha. -
    Cigarros 1 barritas a Bfeiron & C. Charuto;;
    4 caitas a Cuohi Manta,'! a Bourgard & C, i!
    a D. P. Wild, i u J. M. Palm eir, 1 oittem. Cafj
    90 saceos. Chapeo de sol 1 caixa a Goncalve<
    Beitrio, 1 a Bar* I: C
    Fio de algodi) IB accos a Goncalves Beltrc.
    Tecido de al ge dio 10 tardos a Loyo k Filho, 2(>
    a Goncalves Torres, 13 a Baitar Oliveira k C, Wfl
    a Perora ViannJi k C 2S a Pinto Guimaraes.
    KujMir ttocioNiJ Isojocx, fiado de Cmiy'o, com-
    qnada a commuMo Perwunbucana, mawfes-
    (tu:
    Algodao 48 sjoeas ordem.
    Carnauba i5 lianis, 101 ecos a Lagrange, 24
    ditos e 47 barricas ordem. Cafe 30 saceos a I.
    B. de Castro e Silva Jnior, 20 a F. Coelho da Sil-
    va 8 Rolim.
    Couro 75 a Miveira & Filho, 199 a Keller ix
    C, 108 a Costa Mia, 50 a F. N. da Silva & C,
    107 a Goncarf es 600 a J. L. Davia. til a S Ldilo 6c Irmo, 780
    a J, de arvalhc Moraes, i',0 a Barros Jnior s
    C, 260 a L. G. ii. Pinto, :0 a Jo9 Ramos, 545
    a J. P. costa Mesara. C)gnac 1 caixa a La-
    grange.
    Gamma 8 saceos a Alheivo Oliveira 4 C.
    Kersck 1 caa a JLagrange. Milho 100 saceos
    ordem. Mercadorias 1 caixa a Parias & Ir-
    mo.
    Ovas 1 caixole a Alheiro Oliveia k '.
    Sola 118 mojos Moraes & Irmo, 330 a S Lei-
    tao k IrmesJ
    P(tf*o mmtrquez Sahoh M. Holbrrook, pin-
    d de New York, consignade a D. A. Matkeus, ma-
    uifestou:
    Agua florida 50 eaixas a Carvalho Guimaraes,
    20 a fhipps Brochare k C.
    Brea 200 birris a J. S Ama ral. Banha 100
    narria.
    Cadeiras 27 eaixas a umha & Manta. t-irtu
    chames 2 eaixas a Caneiro k Nogueira. tha
    eaixas a Cunaa k Manta.
    Farinha 4 eabus a Cuaba Manta. Ferragem
    1 caixa a Cancro Nogueira.
    Graxa 4 eaixas .ios mesmos.
    Mercaduras diversas 1 caixa ordem, 2 a O
    nba di Manta, 1 a Carneiro k Nogueira.
    Oleo 1000 eaixas a Pereira da inha k Irm&o,
    500 a Rosas & Irmos, KCOa orga, 500 a J. A.
    Amaral, 300 ios consignatarios, 200 a A. L. O.
    Azevedo, 200 a Cuaba & Maula.
    Papel fardos a Carneiro k Xogueiro, 240 a A.
    L. O. Azredo.
    Beworvers, 1 caixa a Carneiro A Nogueira. Rei-
    dador 1 caixa a Phipps Br >thers k c.
    Tnico 2 saltas a t.arva lio Guimaraes, 11 a
    Carneiro A Nogueira. Ttcido 5 eaixas ordem.
    Traques 50 c;ixas a J. A Amaral. Terebentm
    30 eaixas a Phipps Brothers k '.
    Vermfugos 2 eaixas a Phipps Brothers k C.
    Vellas 5 eaixas a tunha 4 Manta.
    Patacho aliemio Noowxors, and da Bahia, ron-
    piado a Manoel da Silvr, Mala, inamfestou:
    Couros 60- ... ,..
    Graxa 70 pitia?. Dita em bexiga 8,8/? kilos.
    ScbaJ53 barris. Dito em pies 2 380 kilos.
    Xarque 136,'i02 kilos tudo ao consignatario.
    Brigue bruseiro Victoria, vindi do Rio de Ja-
    neiro, consignado a ianoci Teixeira Bastos, ma-
    nifestou:
    Pipas vasias 100 orden.
    DESPACHOS DE EXPORTAgAO NO DI \ 20 DE
    JANEIRO DE 1873
    Para os portar- do exterior
    Na galera portuguca America, para Liver-
    pool, carregaram : T. Je feries k C. 352 saccas
    com 25,579 1[2 kilos.do algodao.
    No navio inglez Colerida, para o Canal, c*r-
    recaram : Keller C. 2,800 saceos com 210,000
    kilos de assuear mascavacio.
    No lugre infdez Asrasia, para Valparai-o.
    arregou : P. M. Maury 50 saceos com 3,750
    kilos de assuear branco.
    No lugar portagnez .'lio para Lisboa, e.ir-
    regaram : Carvalho 4 Nogueira 100 saceos enm
    30.000 kilos do assoear miseavado.
    /'./.' ot partos interior
    Para o Rio Grande do Sol, na barca brasi-
    leira oca Mari'inn't. eamauam : Oliveira Fi-
    lhos C. 930 sacaos cun i9,7 0 kilos de assu-ar
    branco, 75 hai ricas con 7,500 ditos de dit. 2i
    ditas com 2.588 dUos de .lito maseavado o :!00
    saceos com 15,000 ditos de dito.
    Pararugnayanna, no navio germnico *r-
    coline, cariV.iri'm : Carvalho k Nogueira 487
    barricas com 48.6W i|2 kilos de assuear h aneo
    e 10 ditas com 1,06a ditos de dito maseavado.
    Para o Para, na laica p irlugueza Ckmer.-
    (W, carregaram : B. Olivera k C. 292 voltiles
    com 19.427 kilos A-: a-arir brinco.
    Para o Ri i rund d) Sol. no brigue brasi-
    Jeiro Amelia, canegaram : Silva & Cascan 570
    volumes com 33/47 i| kilos de assuear brar.co
    e 10 ditos com l,85 i|2 ditos de dito mascarada
    CAPATAZIA DA ALF.ANDEGA
    Rendiinento do dia 2 a 20. ll:HU;.7i
    dem do dia 211...... 1:00/3:!60
    EDITAES.
    O Dr. Augusto Egydo de Caslro lesus, jujt nm-
    nieipal do termo de Serinhem, por Sua Jges-
    tade Imperial e Constitucional, a quein Deus
    guarde, etc.
    Faeo sabar pelo presente, que nos termos (te arL
    ! do -decreto n. 1,695'de 15 desetembro de 186v,
    dentro do praao de trinta dias (exceptuando todo
    o feriado) contados da pubticacao deste edita!, re-
    eeher este juizo propostas em cartas fechadas pa-
    ra arreinataeao por venda dos escravos : Arcidlo,
    crioulo, avafiado em 1:300*, Samuel, por 1:200*,
    Thomat, crioulo, por 1:300*, Porfirio, Angola, por
    &KM, Lucio, crioulo, por 980*, Manoel, crioulo,
    por 1:200*. Guilherme, por 600*, Jos, crioulo,
    por 1:100*, Julia, por t.000*, Flora,por 1:000*.
    Andreta, por 400*. Anna, por 600* ; cujos escra-
    vos foram nenborados |tor execuco de Manoel
    Alves Ferrar, a seu devedor Francisco das Cha-
    ai Cavaleante, e se scham depositados em po-
    Jer do depositario particular, Dr. Jos Eugenio da
    Silva Ramos, morador no engenho Quileba ; sen-
    do prefixo para a arrematacao o dia 27 do mez
    de fevereiro do anuo prximo vindouro.
    E para que chegue ao conhecimento de todos,
    mandel passar o presente que ser publicado e
    afflxado no lugar do eostume.
    Estava urna estampilha de duzentos ris inutili-
    sada com a data e assignatun. segulnte :
    Villa de Serinhem, 8 de dezembro de 1872.
    Eu, Joo Affonso Regueira, escrivao o escreri.
    Augusto Egydio de Castro Jess.
    Est conforme ao proprio original, ao que me
    reporto.
    Villa de Serinhem, 18 de dezembro de 1872.
    O escrivao, Joo Affousu Regueira.___________
    Pela admiuistraco dos correios desta pro-
    vincia se faz publico que, no dia 17 de fevereiro
    do crlente anno tera lugar na mesma reparti-
    cao o concurso para provimento da vaga de pra-
    tieante, de co-ifurmidade com o f l.' do art. 2.
    do reculamente a que se refere o decreto n. 4743,
    de 23 de junho de 1871, e art, W do regulamen-
    to approvado pelo deeret n. 33 de 12 de abril
    de 18i 5. '
    Os candidatos deverao anresentar, at o da 16
    do dito mez, folha corrida e certido de idade.
    O concurso constar de excrcicios de, caligra-
    pbia, orthograpbia arithmetica elementar com-
    prehendendo o uso de systema-metrico e nocSes
    geraesde geog aphia.
    O conhecimento das lingua estrangeiras dar
    direito a preferencia.
    Corrcio de Pernambuco. 21 de Janeiro de 1873.
    O admnistralor|interHO,
    Vicente Ferreira da Porciuncula,
    ditii! ii. JO.
    Pela Inspectora da alfandega se faz publieo que,
    nao se tendo cffectuado a venda da plvora abaixo
    declarada, annunciada leilo por odital n. 71, se
    transfere a mesma venda para s 11 horas do dia
    2i do eorrente porta desta repartieo, onde en-
    contraro o licitantes amostra da referida po'-
    vora.
    Fortaleza do Buraco.
    Marea diamante J. lO barris peso liquido legal,
    1,692 kilos de plvora avariada no valor de......
    1:395*90, viudas no patacho inglez Ecliptie, en-
    trado neste porto em 20 de dezembro do anno
    prximo passado, e consignados ordem.
    Alfandega de Pernambuco, 21 de Janeiro de
    1873.
    O Inspector,
    Fabio A. de i arvalho Reis.
    ranja, 1 volumes de 3 .caixa* agua de rosa
    F C M.^l caixa de tosphoro?.
    Queiram mandar mv os respectivo* fretes no
    escriplorio de Tassolruo* 4 C., na do Jkmo-
    rim n. 37.
    Bahia.
    Segu com mUa breridade para o indicado
    porto o veleiro hiato GwtheU : cana e frea :
    a tratar eom os Srs, Tasso Irmaos 4 C, ra do
    Amorim n. 37.
    4epa^i.
    v
    Al o dia 27 do
    corrate, espera-ee
    da Euroaa, wpor
    iagles mtf, eajw-
    mandante Thwate, o
    qual depois da de-
    mora do eostume," seguir para Buenos-Ayres,
    tocando nos portos da Babia, Rio de Janeiro e
    Montevideo.
    No dia 28 do correte, espera-'se dos portos do
    sol, o vapor inglez Boyn, commandaatc Reeks, o
    qual depois da demora de eostume, seguir para
    Southampton, tocando nos portos de S. Viceato e
    Lisboa.
    Para passagens, fretos, etc: traU-se na agen-
    cia, ra do Commercio n. 40.____________ _
    Para o Porto
    sjalmneo, qnos, osflkes e um par de serpeatmas
    de cryetkl e enfem inultos objectos.
    Oagetc Martins far leilo no dia cima, por
    conta de quem perteneer dos objectos supra-men-
    donados, no annazem da ma do Imperador n.
    48, as U horas do dia.
    LEBLlO
    DE -
    scovas, luvas de palka, owdalhaa. cruces, alfi ne-
    tas, pautes, ollares, brincos, botoes, linha e dia-
    dema de. cobre, contedo da caixa marca C G
    4 C a 64, avariada a borde do vapor francs
    Menoz*.
    HOJE 22 DO TORRENTE
    As 10 1/2 horas em ponto.
    No escriplorio do agente Pinto.
    LEILO.
    DE
    fazendas limpase agriadas
    4>Hnt*k-r-rM 3 to earreato
    Bastos 4 Silva fro leilo por intorvenclo do
    agente Pinho Borges de um grandes eeplendido
    sortimento de fazendas inglezas, francezas e alie-
    mies, todas conhecidas e propinas deste mercado,
    onde esperam a concorrencia de seus freguezes,
    em seu armazem ra do Mrquez de Olinda n.
    42. O leilo principiar as 10 I|2 horas da manh
    VOLUMES SABIDOS
    No dia 2 a 20......
    Primeira porta no dia 21. .
    Segunda porta.....
    Terccira porta ^.
    Trapiche Conceicao .
    12:481*834
    27,737
    -,!32
    166
    1,523
    1.007
    30,725
    SERVTCO MARTIMO
    Alvarcngas descarregadas no trapiche
    da alfandega no dia 2 a 20.
    Ditas ditas no dia 21......
    Navios atracadas rro trap; da alfandega
    Alvarcngas........
    No trapiche Conceicao.....
    SO
    si
    HECEBEDOB1A DE RENDAS INTERNAS GE-
    RAES DE PERNAMBUCO
    Rendimento do diJ i a 20. 31:921*5-98
    'dora do dia 2:1...... 1:087*849
    33:009*047
    CONSULADO TROVINCIAL
    ikndimentododiiaO. 135:798*502
    dem do dia 21. .' 2:714*540
    138:513*142
    MPVIMENTO DO PORTO.
    Navios intrads no dia 21.
    New-YorkI4 dias, patacho dinamarquez
    Sarn A. Halbrook, de 164 "toneladas,
    eapito BJd Juey, equipagem 8, carga
    varios gneros; a Domingos Alves Ma-
    theus.
    Rio de Janeiro50 dia, brigue brasileiro
    Victoria, lie 44 tonsladas, eapito Ma-
    noel de Castro, equipigem 10, eir lastro ;
    a Manoel Texeira Bdstos.
    Cabo da Boa Esrieranca~3'2 dias, lugre in-
    glez Annit S'Tphia, de 195 toneladas, ea-
    pito A. H. Gardner, equipagem 9, em
    lastr; rctem.
    (rranja e portos intermeJw9 dias, vapor
    braaileiros Jpojuca, de 360 toneladas,
    commaodinte Moura, equipagem 30v
    carga algoo e outros gneros ; a compa-
    nhia Peraimbucana.
    Rio de Janeiro e portos ntenaedios6 dias,
    vapor bra:leiro Cruzeiro do Sul, de
    1119 toneladas, cemmandante capitiio
    tenentc Teive:, equipagem 65, carga vi-
    rios gneros; a Hnry Forster C.
    Navuittahiotramesmo dta.
    >alporaizo'Lupe inglez Aspasia, capitiio
    Wellefinos, carga assuear.
    Rio da Jarata -JLugreallemoo Fedes, car*-
    ' lio Clauaaan, uarga aisucar.
    Portland Patacho amei'icamv/o/in H. leiv-;
    nedy, eapito Padeflord, carga assuear.
    PECIARACOES.
    CONSELBO DE COMPRAS DE MARINH.
    O eonselho manda fazer publico que o annun-
    cio com data de hontem, para a compra no dia
    22 do eorrente mez, de diversos objectos do ma-
    terial da armada, comprehende o contrato concer-
    nente ao forneeimento por tres mezes, de cemento
    de boa qualidade para as obras do porto.
    Saladas sessoes do eonselho de compras de
    marinha, 17 de Janeiro de 1873.
    O seeretari)
    Alexandre Rodrigues dos Anjos.
    Peguir com a maior brevidade possivel a ve
    leira e bem eonheeida barca pertugueza Cla%di-
    na, ror ter parte da carga engajada: para o res-
    to c passageiros, aos quaes oflerece excellentes
    commodos : trata-se com Cuaba Irmos 4 C. ra
    da Madre de Deus n. 34, ou com o eapito, na
    praca.______ x
    Para Lisboa.
    A barca portugueza Saphira, sahe em poucos
    dias. Para o restante de carga e passageiros, tra-
    ta-se com os consignatarios Thomaz de Aqnino
    Fonceca 4 C. Successores, ra do Vigario n. 19
    Para Lisboa.
    Tem de sabir brevemente o lugre pertuguez
    Julio. Para o resto da carga e passageiros, tra-
    ta-se com os consignarlos Thomaz de Aquiao Fon-
    ceca k C. Successores, ra do Vigario n. 19.
    Para o Rio Grande do Sul
    Destma-se para o indicado porto o patache por-
    tuguez Rocha, e recebe carga a frete : a tratar
    com os seu? consignatarios Amorim Irmos 4 C
    BAHA
    Vi ihir eom ?&acos dia d* demora a polaca
    italiana Sara, podeodo r*eeber alguma carga, por
    sso, qnsm desejar carrfgar pode entender se coff'
    o eoosigoslari! isquim h*i G mcalvas Beltro, i
    roa do Co'vniflrco 0. ____________________
    Rio Grande do Sul
    Para o irtu cima indicado pode ainda receber
    alguma carga a frete o patacho brasileiro Pelica-
    no : a tratar na ra do Vigario Thenorio n. 1, !
    andar, escriptorio de Balthar Oliveira A C.
    LEILO
    do presente anno
    coneute Janeiro,
    DE
    MovrU. lourn < crvstavesi.
    SENDO:
    1 magnibeo piano de Boisolet fils 4 C, 1 riea mo-
    bilia de Jacaranda a Luis XV, 2 estantee para
    msicas, 2 guarda-roupa de moggo, 2 ditas com
    espelho, 1 leito para casal, 2 bidets com lampo
    de pedra, 1 lavatorio com podra marmorc, 1 es-
    pelho, 1 mrsinha com tampo de pedra, .1 dita
    para jogo, 2 camas de ferro, 1 cadeira para as
    seio, 1 cabide, 1 par de escarradeiras de por-
    celana e jarros, tapetes e lustro para gaz.
    Pavimenta terreo.
    1 mobilia americana, 1 secretaria, 1 estante, 6
    eaixas com instrumentos cirurgicos, 1 machina
    elctrica, 120 volumes impressos (medicina), com
    estampas, 1 relogio, 1 machina de castora, 1
    costureira, 1 guarda Iouca, i aparador, 1 mesa
    elstica, 24 cadeiras de guarnicao, 1 apparelho
    de porcelana para cha, 1 dito para juntar, 1 ba-
    nheiro do folha de Flandres, copos, clices, gar-
    rafas de crystal, trem de cozinha e 1 grande fu-
    gan de' ferro e outros pertnces de casa de fa-
    milia.
    SABBADO, 1 DE FEVEREIRO.
    Por autorisacao do Sr. Dr. Jacintho Soares Re-
    bello, que seguid para corte, o agente Pinho Bor-
    ges, vender em leilo todos os objectos cima de-
    clarados, existentes em Ponte d'Ucha, no predio
    confronto ao palacete do Illm. Sr. Dr, Augusto
    Frederico de Oliveira.
    A's 10 1/2 horas da manh partir da estaco
    do arco de Santo Antonio um trem, alim de con-
    duzir gratis os concurrentes do leilo, o qual prin-
    cipiara depois da chegada do mesmo.
    MITO AfiCHEflLOGICO E GEQ
    GHAPK1C0 PiMMBillM
    Ultima sesso ore inaria
    social, quirta-fcira 23 do
    pelas lt horas da niauh.
    '. ORDEM oO Dl\.
    1. Pareceres e maistrabalhos de commis-
    soes; '
    i." Providencias a tomar para a festa do
    anniversario ;
    3." Palestra litteraria.
    Tendo o Instituto Archeologioe Geographi-
    co Pernambucano de celebrar ol." anni-
    versorio da sua fundac^o no-dia 27 do cor-
    rente Janeiro, pela 1 hora da tarde no salao
    da Bibliotheca publica provincial, no conven-
    to de Nossa Senhora do ("armo, sao convida-
    dos para semelhante elTeito em assotnbla ge-
    ral todos os socios que se iicharem no Recife,
    eflectivos, honorarios e correspondentes
    Nao conheceiido o Instituto a sede (las
    differentes associaes litterutias, scientift-
    cas, artsticas e de benecencia que existem
    nesta cidade, tem a honra de convidar pelo
    presente edital a cada urna de taes associa-
    edes a assistir solemnidadc do dia 27, ou
    a fazer-se ahi representar. E para conhe-
    cimento das corporacoes ou possoas que ti-
    verem de ornar a sesso com a sua palavra
    autorisada, aqui se transcreve a ultima parte
    do art. 28 do regiment do Instituto :
    Se na sala existem socios ou pessoas ou-
    tras que desejam lr algumas memorias
    interessantes, participam-no ao Secretario
    perpetuo, para este prevmir o Presidente,
    o qual d a palavra aos autores das me-
    moras; a leitura de cada una das quaes
    nao pode estender-se alth de meta hora.
    Porm nenhutna memoria ou trabalho
    pode ser apresentado e lido em sesso pu-
    blica, sem que antes seja submetido a urna
    commisso de exame, para isso nomeada,
    a qual tem voto decisivo sobre' a con ve-.
    niencia ou inconveniencia da leitura.
    Depois dos discursos ofliciaes, e los da-
    quelles socios e convidados a quem fr con-
    cedida a palavra, ser lida, por ultimo, pelo
    Dr. Aprigio Gttimarlea urna memoria sua,
    sobre o thor de vida de Joto Fernandes
    Vieira com relaco aos hollandezes, at o
    rompimento da luta, si)br.> os estiniulos que
    o ievaram a ferir essa pugna heroica :*ro
    futaQo de varias assetroes do- Sr. A.
    Warnhagen, n'um seu remle escripto.
    Secretaria do Instituto, 17 d Janeiro .de
    1873.
    J. SOAB.ES n'AZEVEDO,
    Secretario perpetuo.
    LEILOES.
    LEILO
    De ordem do Illm. Sr. inspector da tliesou-
    raria de hienda se, faz publico para conhecimento
    do quem interessar, que no dia 2a do eorrente es
    tara iiovanicnte em prnca para ser arrematado
    por venda e a quem inaior laen ollerecer o pro-
    pri > nacional denominado Calbouco, sito ra
    desse nome, por detraz do quartcl de polica;
    sendo este proprio um armazem terreo eom 81 1|~
    palmos de frente e o(i I|2 palmos de fundo, ser-
    viudo de base a arrematacao a quanlia de 2:210a
    j offereeida.
    Os pretendentes poder-0 comparecer na referida
    thesouraria no lia da arrem taeo a 1 hora da
    tarde, e antes disso a |ualqner hora de seu expe-
    diente para procurar esclarecimeutos.
    Secretaria da thesooraria de fazenda de Per-
    Dambuco em -1 de Janeiro de 1873.
    Servindo de offleinl-maior,
    Manoel Jos Pinto.______
    lii-iMirticao uh obras publicas.
    Tendo em multas casas sido adiados os canos e
    apparelhos da companhia Recifu-Drainage damni-
    lieados maliciosamente, o engenheire fiscal faz
    publicar para conhecimento do publico os seguin-
    les artigas do contrato de 18 de dezembro de 1865,
    0 do regulamentn de 12 de janeo de 1872, a
    saber :
    Artigo 24.
    Os moradores dos predios devero commu-
    mear sem demora empre a qualquer desarran-
    ji que se der nos apparelhos, e canos pertencentes
    as suas casas, sendo responsaveis pelo valor lo
    concert, quando se conhecer que taes desarran-
    os provem de malfeilorias ou negligencia delles.
    Artigo 19 do regulamenio.
    As obras da companhia relativas materia do
    con rato, sero consideradas obras publica', fican-
    do assim aquellos que as damnificaren! sujeitosse
    penas da lei e regmamento das obras publican
    Repartieio das obras publicas i 1 de Janeiro de
    l7.-t.
    O secretario
    Feliciano Rodrigues da Silva.
    DE
    fazcmlas francezas e inglezas
    'com avaria d'agua salgada.)
    BOJE.
    O i i* horas
    Por intervencio do agente Pinto.
    Em seu escriptorio, ma do Bom Jess n. 43.
    [nxpeetto do arsenal de
    marinha
    De ordem do Illm. Sr. inspector faeo publico
    que no dia 23 do eorrente mez, s 11 horas da
    manh, ser posta venda em hasta publica, na
    porta do almoxarifado, urna porcao de ferro velho
    lnspecco do arsenal de marinha de Pernam-
    buco, 17 de Janeiro de 1873.
    O secretario.
    Alexandre Rodrigues dos Anjos.
    CONSF.LHO DE COMPRAS DO ARSLIUL
    DE MARINHA.
    O conseho no dia 22 do eorrente mez, avista
    de propostas recebidas at as 11 horas da manh,
    e sob as condieoes do estylo. promove a compra
    dos seguintes objectos do material da armada :
    6 barris.de alcatro da Suecia, 20 arr bas de
    almagre, 24 baldeadeiras de folha, 10 arrub s de
    en'', .'-"O eolheres de ferro estn hadas, 6 facas para
    co-inha, 40 cadernos de papel mata-borrao, 1 res-
    ma de papel bollanda liso, 500 pu aros de folha
    grandes, 2 lebolos com 4 palmos de, comprimento
    c 1 do largo, 10 pecas de tapeto, 24 garrafas de
    tinta superior para escrever 300 tijolos inglezes,
    12 duzias de taboas de pinho da Suecia, de < Ir2
    polegada, 2-> toros de ginipapo, 6 duzias de taboas
    de cedro de 3|4 de polegada de grosura, iOO vas-
    souras de junco e 10 arrobas de zareo.
    Sala das sessoes do eonselho de compras de
    marinha de Pernambuco; 16 de Janeiro de 1823.
    O secretario
    __________ Alexandre Rod' igues dos Anjos.
    ADMINISTRADO DOS~CORREIOS HE PERXAM-
    BUCO 22 DE JANEIRO HE 1873.
    Malas pelo vapor Cruzeiro do Sul da companhia
    brasileira.
    A correspondencia que tem de ser expedida
    hoje (2 i) pelo vapor cima mencionado para os
    portos do norte, ser recebida pela maneira se-
    gu nt :
    Macos de jornaes, impressos de qualquer natu-
    reza e cartas a registrar, at 2 boras da tarde,
    carta ordinarias at 3 horas, e estas at 3 1)2,
    pagando porte duplo. -
    O administrador interino,
    Vicente Ferr-ira da Porciuncula.
    i ni i
    4.V.S03 MARTIMOS
    Aviso martimo
    Os senhores refiebedores dos volumes abaixo
    especificados, viedQS deHarseile pela barca han
    ceta liarle Celine, cuosnoroes se ignoram, por
    virem manifestado 4 ordem
    w 1*4 C v 1 caiadfl Derfu/narias.
    PHC.-4 vetamos de 3 eaixas agua flor le la-
    Di-.
    machinas americanas para cozer, do afa-
    mado fabricante 1. G. Folson Maker,
    sendo : I para mo e %2 de mesa.
    BOJE.
    O agente Pestaa far leilo, por conta e risco
    de quem pertenec-, de 6 machinas cima m 'ncio-
    das as quaes seiiio vendidas no dia cima dito
    quarta-feira 22 do eorrente, 9 11 horas da ma-
    nh, no armazem da ra lo Vigario n. II.
    AMA
    andar.
    Prec?a-*e de urna ama par eom-
    prar e cosinhar para casa de pssjue-
    na familia, preferindo-se escrav :
    ma estrena do Rosario n. 3t, %
    \M&
    gommar
    dar.
    I'recua-st) de orna ama pa-
    ra ca de familia de doae
    pessoas para eozinbir a-
    tr-tar o toa DireiU o. 28, u>
    PreetM-> o> am> ama-qa
    bem CAzmhar (forra ea etf at,)
    paga-se bem : a roa Nova, loja n. II
    vjiv
    * Pieeisa-se de urna ou
    na ra da Imperatriz n. 84.
    duas amas de Wte
    No largo do Paraiso n. 28, pr-
    cisa-se de urna ama para en-
    gommar e preparar sallas. ________^^
    AMA
    AMA
    Prccisa-se de urna : na ra de S.
    Bom Josus das Creoulas n. 38, obra
    do. entrada pela ra do Calabonw.
    Para casa de urna peqnena
    famil a precisa-se de urna ama
    que saiba bem engomar t fri-
    sar, c utra que emenda de
    costura e ensaboada ; paga-
    se bem : em S. Jos do Mao-
    gninho n. 2.__________________________
    Precisa-se de urna para cozi bar
    e outra para --iig minar : tratar
    na ra do Bospicio n. 'ifi, ou Qaei-
    AMAS
    mado n. 80.
    \ mA Precisa-se de urna pan comprar e co-
    . v tiltl znnar para ra?^ .i., rtous homens sol-
    teiros : tratar na praca da Independencia n
    18 e 2t.
    LEILO
    DE
    10 barricas eom enxadas de 3 i [i libras.
    HOJE
    O asente Pestaa tara leilo para fechar factu-
    ra, de'10 barricas com enxadas de 3 1(2 libras
    cada urna, as quaes sero vendidas por conta a
    risco de quem petteneer, emlou tnais lotes,
    quarta-feira 22 do eorrente, s 11 horas da ma-
    nh, no armazem da ra do Vigario n. 11._____
    Leil&o
    MOVIS
    novos e usados.
    HOJ
    0 agente Pestaa legitmente aulorisado por
    urna familia que se retiroo para fora da provin-
    cia, far leilo de 1 excellcnte mobilia de Jacaran-
    da o mais moderno em go?to que tem apparecid,o,
    guarda-vestidos, commodas, toilets com cspeHio,
    mesas, espelhos, camas, cadeiras, vidros, apara-
    dores, marquezas, secretaria, etc., e muitos outros
    objectos necessarios para casa de familia, e tudo
    ser vendido sem reserva, piarta-feira 22 do cor-
    rente, s 11 horas da manh, no armazem n. 11
    da ra lo Vigario.
    LEILO
    DE
    2 eaixas com movis, 1 dita com brins, 1
    dita com rniudezas, tortas com avaria de
    agua salgada.
    Hoje
    s 10 lr2 horas.
    0 agente Pinto levar leilo, por autorisacao
    do gerente do consulado de Fringa, empresenta
    de seu chancetler e por conta e risco de quem
    perteneer, differentes volumes a variados bordo
    do vapor Mendoza, e barca franceza S. Luiz, em
    seu escriptorio, ra do Bom Jess n. 43._____
    LE1L40
    De urna rxrelente seraphlna
    propria para collegio, re-
    ja etc.
    Hoje
    O agente Pestaa vender por conta de quem
    perteneer urna rica serapbina propria para qual
    quer igreja, coHegio ete., e ser vendida por con-
    ta oe quem perteneer quarta-feira 22 do crrante,
    as 11 horas da manh, ra do Vigario armazem
    n. il.
    DE
    urna grande propriedade na Porta d'Agua,
    em Apipucos.
    CONSTANDO DE :
    Urna casa grande de pedra e cal, beira da es-
    trada, com 31 palmos de frente e 35 do fundo,
    com grande terreno e boa baixa de capim.
    Urna otaria para telhas e tijollos.
    Urna casa terrea em frente da primeira, com 45
    palmos de frente e 65 de fundo.
    Urna dita pequea que serve de cocheira, com 19
    palmos de irente e 43 de fundo.
    Urna dita de 12 palmos de frente e 35 de fundo
    Urna dita com 12 palmos de frente e 35 de fundo
    ma dita sem repartimento, com a mesma frente
    e fundo.
    Urna dita dita, com um qnarto fra.
    Una dita dita, com 22 palmos de frente e 49 de
    fundo.
    Urna dita dita, com 19 palmos de frente e 49 de
    fundo, todas edificadas em chaos proprios, ao
    lado la levada.
    QUARTA-FEIRA 5 DE FEVEREIRO
    Ao me i o din.
    O agente Pinto levar leilo, hora do di
    cima dito, c em um s lote, toda a propriedade
    cima dita, sendo : cerca de 8 nonas partes por
    mandado do Illm. Sr. Dr. juiz de direito pr vativo
    dos orphos, em virtude do requerimento da viu-
    va de Joaquim Pires Carneiro Monteiro, tutora de
    seus ilhos menores, e cerca de urna nona parte
    Sor autorisacao do procurador bastante, do her-
    eiro que se acha ausente, o bacharel Augusto
    Carneiro Monteiro.
    Os pretendentes podero examinar desde j a
    dita propriedade, a qual se torna recoinmendada
    pela sna posi;o, entendendo se com o mesmo
    agente, e concorrendo ao leilo que deve ter lugar
    no escriptorio do referido agente, ra do Rom J e
    sus n. 43.
    Leiito
    DE
    Duas casas terreas de pedre e cal na povoa-
    o do Melo, Ja provincia da Parahyba
    do Norte.
    Duas ditas na Baixa Verde, desta provincia.
    Urna pequea fazenda de gado em S. Bento,
    nesta provincia, com mcia legua de terra,
    toda cercada, e 50 cabecas de gado.
    QUARTA-FEIBA 5 DE FEVEREIRO
    s 11 horas.
    O agente Pinto eumprindo o mandado do Illm-
    Sr. Dr. juiz especial do commercio, levar lei
    lo os bens cima ditos, pertencentes massa fal.
    ida de Joaquim Silverio de Sou a A C
    O leilo ser elfectuado s 11 horas do dia
    quart feira 5 de fevereiro, em o escriptorio do
    referido agente.
    AVISOS DV1RS0S
    De importantes movis, loucas,
    vidros e um cofre a prova de
    fogo.
    HOJE
    Sendo nma mobilia de Jacaranda a Luiz XV eom
    pouco uso, uma dita de amarelki fambem rum
    poucp uso, tendo os. consokw e jardineira com
    pedra, i guarda iouca, 1 guarda vestidos, 1 me-
    sa elstica de amareilo, 1 grande espelho so-
    bre columnas de mogno, 2 cqtos minores com
    molduras douradas, 1 mei commoda de ama-
    relio, i lavatorio de mogno, 1. dito de ferro eom
    ump de pedra, 1 secretarla de faia, I piano de
    Jaearanfl, cofre a prova de fogo, i, grande
    aparador com pedra, x santuarios, cama fran-
    cezas, Iouca de porcelana para jamar, dita para
    ESTRADA DE FERRO
    DO
    Recife Caxang.
    De 23 ate o fim do cor-
    rente mez, nos dias uteis,
    haver um tren do Recife
    s 5 horas e 40 minutos
    da tarde para o Caldeirei-
    _ ro, donde voltar s 9 ho-
    ras e 25 minutos da noute tocando em todas as
    estacos intermediarias.
    Escriptorio da companhia, 18 de Janeiro
    de 1873.
    . C. Batterbe,
    Gere/ite.
    BANDEIRA
    DE
    Jos Joaquim da Silva Guimaraes, commercian-
    te e morador ra de Paulino amara n. 44, em
    resposta ao annuncio de uma pessoa de igual no-
    mo, que foi publicado no Diario de 20, ileclara
    ter elle muita honra e summa gloria de nerteu-
    cer sublime ordem maeonira e ser memoro
    effectivo da loja sob o titulo distinelivo Restaura-
    co Pernambueana.
    Jos Joaquim da Silva Guimaraes.
    \ trifl Precisa-se de. uma-ama para servir
    AlHa uas pessoas, na cidade de Olinda : tra-
    ta-se na mesma cidade, casa amarella, junte ao
    seminario, ou na ra de S. Francisco n, 71
    - Precisa-se de uma ama para dentro de ca*a:
    na Gamboa do Carino n. 3I;________________
    Precisa-se de urna ama para
    cuidar de duas meninas, e para
    oulros serviros domsticos : a
    tratar na ra'do Mondego n. 64
    AMAS
    m urgencia.
    Precisa-se de uma ama idosa que saiba coz-
    nhar para casa de pouea familia : a tratar na Pas-
    sagem da Magdalena, botequim do Sr. Rento nt 27.
    Precisa-se de uma ama par*
    comprar e cozlnhar : ra do
    Viscondc de Pc.otas, antiga do
    4MA
    Arago n, 37.
    AMA
    Matriz de Santo Antonio.
    A mesa regedora da vencravel irmandade do
    SS. Sacramento da matriz desta freguezia, em
    virtude do disposto no artigo 30 de seu compro-
    misso, convida a todos os seus irmos, com excep-
    cao dos eomprchendidos no final do 2o d art.
    10 do dito compromisso, a eomparec-rem no dia
    (inlnta-feira 23 do eorrente, pelas i horas da tar-
    de, em nosso consistorio, nao s para Ihe ser pre-
    sente a pena de cnterditao que por sentenca de
    S. Exc. Rvm. o Sr. Hspo Diocesano, de .data de 16
    do andante, foi lancada irmandade ; .como tam
    bem discutircm e delibararem com josliea e equi-
    dade o que for a bom geral da mesma.
    Consistorio da vencravel irmandade do SS. Sa-
    cramento la matriz de San! Antonio do Recife
    20 de Janeiro de 1873.
    O escrivao,
    Jos Rufino Uimaco da Silva.
    Precisa-se de uma ama que
    saiba cozinhar : tratar na pra
    ea da Independencia n. 30.
    Vina
    Precisa-se de uma ama para cara de
    familia de duas pessoa, sendo mes^o
    de mcia idade, paga-se bem : a tratar na ra do
    Cabug n. 3 A, loja do collar de ouro.________
    Precisa-se de uma ama para comprar
    e cozinhar para uma pessoa : na ma da
    Palma n. 76.
    Ama
    crava
    Para rasa de duas pesseas ie f;
    precisa-se de uma ama par
    cozinhar e. engommar : a tratar "
    'asseio Publico n. 54, loja.
    Precisa-se de uma ama para casa d
    familia de duas pescas, prefere-se es-
    a tratar na ra do Cabug n. 9 A, loja.
    Mco!n.
    Passei
    Ama
    Precisase de uma ana de leite que seja li-
    vre c sem filho : tratar na ra de S. mrge, ou-
    tr'ora do Pilar casa n. 40. _____________
    Precisa-se de uma ama para homem
    solteiro : na ra do Imperador n. 4.
    AMA
    2 andar.
    Dontra protesto,
    Henriette Martins devulamente aulorisado polo
    juiz de orphos, requeren a venda das partes da
    propriedade Porta d'Agua, possukla por seu casal.
    Ao annnnclo da venda, oppoz Symphronio Oliym-
    pio de Queiroga o aviso publicado no Diario n.
    18o de 11 de dezembro prximo passado. J de
    outras vezes Olympio tem leito iguaesavisos aoque
    se Ihe tem respondido.
    Esta a resposta que ainda agora reproduzimos.
    t A vuva e filho do lente coronel Florencio
    Jos" Carneiro Monteiro contestara o aviso do Sr.
    Symphronio Olympio de Queiroga, publicado nos
    Diarios de 20 o 21 do eorrente declarando l.
    que o Sr. Symphronio nao tem dominio pleno no
    terreno que se refere, pertencento ao sitio da
    Porta d'Agua do Monteiro, mas smente direito ao
    foro, que por esse mesmo terreno pagava o finado
    Florencio ultima administradora do vinculo do
    Monteiro : 2.* quo esse foro tem sido recolhido ao
    deposito, para ser levantado pcloSr. Symphronio :
    3 o qu a accao por elle proposta pelo juizo muni-
    cipal da I.- vara, com o fin de onverter o afora-
    mento existente em arrendarnento, depois de con
    testada, ficou ha mais do 10 annos parada, a esi>e
    ra talvez do resultado da outra accao (concemente
    ao terreno contiguo em Idnticas circnnwlincii),
    proposto pelo juizo municipal da 2.J vara, e que
    ainda pende de decisao dos ltimos embargos de
    declaracao do mesmo Sr. Symphrouio ao accordo
    do egregio tribunal da relacjio, que julgou nullac
    incompetente a mesma acijao : 4,* finalmente pie
    a cirenmstencia de estar em litigio o referido ter-
    reno, nao priva o 2. contestante de poder vender
    as partes dos de mais terrenos o das casas que tem
    no sitio, nao sugeitas a litigio.
    Convem, porem, accrescentar o seguinte :
    Os ttulos, pelos quaes posuia meu finado mari-
    do, e outros herdeiros do tenentc coronel Floren-
    cio Jos Carneiro Monteiro o sitio da Porta d'Agua
    sao escripturas authenticas,que existem em poder
    do Sr. agente de leiles Francisco I. Pinto, e que
    podern ser vistos pelos concurrentes.
    Quantoaos foros deridos, requereu meu marido o
    o deposito, e se effectuou o dos ento vencidos des-
    de 1 de agosto de 1838 at o ultimo de julho de
    1864, razo'de 6*100 n. Os dos outros annos,
    deve igualmente ser recolhido deposito na thesou-
    rari.i, o qual deduzido do producto da venda b ro-
    colhido a deposit garante o direito de quem quer
    que a elle se julgue com direito, e em favor de
    quem for ordenado o levantamento, visto que para
    elle passa a disputa, como de lei. .
    Nada pode, pois embargar wnda annunciada
    Nossa Senhora da Sade do
    Poco da Panella.
    Quinta-fe ra (23 do eorrente) pelas 7 e 1/2 horas
    da noute ser annunciada, por meio de uma salva
    real o levantamento da bandeira de Nossa Senho-
    ra da Saude, sendo em seguida, e de conformidad^
    com as ordens episcopaes, conduzida a mesma
    bandeira at o centro do pateo da igreja, para ser
    icada e col locada no mastro preparado para tal fim :
    depois do que haver um pequeo, mas mni lindo
    fogo artificial feito pelo bem oonheoido artista Leon-
    cio Fonceca
    Em todo; esses actos tocar a msica marcial
    do corpo de polica, a qual partir da odade as 5
    boras e 40 minutos da tarde, executando d-versas
    pecas em seu trajecto, e bem aasim no pateo da
    igreja anteriormente aos ditos actos.
    A commisso encarregada da festa nao tem pou-
    pado esfu^os para que eda tenba a magnificenrja
    e esplendor de que digna a Eaceisa Padroeira
    da fregueiia_;_________________________j
    Alnga-se o andar do sobrado n. 88 da ra
    Duque de Caxias, para escriptorio : a tratar na
    loja do mesmo.
    Criado.
    Precisa-se de um menino de 12 14 an-
    nos para criado de compras e servico' de
    mesa. Tracta-se na roa do Capibaribe
    n. 40. ________________________.
    Para cozinhar.
    Precisa-se alugar uma ama, forra ou cap-
    tiva, que saiba cozinhar o diario do uma
    casa de pequapa familia. Trata-se na ra
    do Capibaribe n. 40.________^^^^^^
    Precisase de urna ama para casa de fami-
    lia, preferindo-se escrava; na ra Direita n. 88,
    loja de mindozas.
    Ama de leite.
    Precira-se de urna ama de leito: ra do Du-
    que de i.axias n. 54. 2.* andar.
    OA BNETE
    Mediro-'i'urgico
    RA DO .Jl PER A DO UN. 73, i ANDAR
    0 DR. NONES DA GOSTA
    MEDICO OPERADOR E PARTEIRO.
    SPEClALrWDES.
    Molestia, e operacoes de olhos.
    Gura radical e instantnea Jos
    ebirtilaineuto da uretra.
    Consultas :
    da maiib.
    Cliamados
    Das 7 s 10 boras
    A Tjalqoer bora.
    Aliento.
    Pioc>a-sfl Jo um criado de 13 a 16 annos de
    idade, e que tenba boa conducta : tratar na ra
    de S. Bom Jess n 53, das 10 horas s 4 da tarde.
    Sobrado.
    Aluga-se o 2o andar, soto e loja do sobrado n.
    9 da ra da Aurora, a tratar na ra da Imperatriz
    n. 8 loja.______________________________
    Aluga-se o 2o andar do sobrado n. 3 da ra
    da Imperatriz: quem preteuder dirija-se mes
    ma ran. 1.________________________^_^
    Collegio S. Sebastio, rua-do
    Brum n. 73.
    Manoetla Augusta de Mendonca Mello Reg'
    autorisada pela directora da instrucc o publica,
    tem a distincta honra de cnmmunicar'ao respeita-
    >el publico que tem aberto na ra do Brum n. 73
    o collegio de S. Sebastin, destinado odurafo de
    meninas ; sendo as materias do mesmo as seguin
    tes: primeiras lettras, grammat ca porkTgueza
    com o seu desenvolvimento, leitura dos evangelho
    e nocoes geraes de arithmetica desenvolvida, fran-
    cez, inglez, desenlio, msica applicada biano ;
    igualmente cnsina-se i ambem tocios os trabalr*
    de costuras e bordado, inclusive o tordado a
    ouro e flores. A directora alem do esforz que
    emprega por si, auxiliada por professora e pro-
    fessores para isso contratados, garantindo-se, to-
    dava, cuidado e zoilo pelas, aiumnas que Ihe ts
    if ni confiadas.
    Msica
    Vocal e instrumental.
    Manoel Augusto de Menezee fosta, tendo-se des-
    pedido de pro/essor da cadeira de musir d i ar-
    senal de guerra, piopoe-se a tomar alumnos de
    arabos os sexos para ieccionar, tanto em sua casa
    como as em que for convidado. Tambem se en-
    carrega de Ieccionar e ea msi-
    cas militares, ou de alguma soriedade pariienlar.
    lendo a 'seu favor a longa pratiea de 26 ann-.s de
    ensmo, que Ibes tem conferido os meij mais con-
    ducentes para o rpido adiantamenio de sena di-
    cipulos, como bem patent ao publieo : quem *e
    quizer ntilisar de seu pre-timo, pode dtrigir-se
    ra Augusta n. 187, 3- AatUr.
    Aluga-so urna casa moderna com encana,
    mvnto de gaz n. 133 na roa da Concordia defrontc
    de um sobrado: a tratar na ra do Mondego, sitio
    com porto n. 61, de Marcelino Jos Lepes, ou no
    Arraial._________________________
    Francisco Xavier oarneiro da Cunha, mora
    dor no engenho 8. And f eguezia de Muribca
    declara que desta data era diante mudou seu no-
    me par a Francisco Car iro Rodrigu s Campello
    por encontrar outrooora orne igual.
    Muribca, 21 de Janeiro de 1873.__________
    Nao se tendo re tusado no dia lt do cor
    rente a retiniao geral dos eonsenbores da proprio
    dade Apipucos por falta de numero, de novo
    convoco os mesmos senhores para se reunir
    no dia 26 deste mez las 10 horas da mnhi na
    capella da propriedade, para deliberar respei
    to -dos assumptos indicados no relatorio ; a-sa-
    be- : approvaco das cooUs da admimsaoio,
    das despe as da capeUa, da arremata das ma-
    tas, lo ordenado do escriplurario, e autorisar
    a dmini-tracao para tratar cus questocs ral tiv s
    a proprie ade, e para noniear orna commisso
    para rever e equiparar a* ruadas das terreno*
    que oceupam diverso*.con uhore.
    Esta euhio se olfcetuar com o numero de
    con enhores que romperabt>rem e s podar do
    liberar sobre o objecto pan que convteada na
    conformidade do arL 18 os Matulo.
    Ad.iiinif.tr-cao da prpriedade coramuin Apipu
    o, 20 de Jaaxiro de 187 .
    ot Camello do-Rago Barros,




    Diario dcPewtfuibuco Quarta feira .22. de Jaueiro de 18(0.

    ,4

    AI.
    *P
    MOVIDADE
    PIANOS E MSICAS
    Precisa-se de um ro taheiro a ra 4o Go-
    do niz n. l,*casa terrea,
    * t ^ < '-------' ** -
    Luzeiro daVerdade.
    D. ordem 4o irmao presidente eonrfdo todos
    o* noMOAiraiosMneenparecerem nagdedes-
    U Mociacio Boifia 13.do torrente, i* 6 horas da
    urde, aflm de tratar da importaste quesio re-
    Hgioaa que ora oceupa a lteoslo da sociedade
    pern-mbueana. /
    Secretara da assoetacao do soecorros mutuos
    Luzeiro.da Vefdade, 19 de Janeiro do 1873.
    0 secretaria,
    Pedeiros htnier.
    Sociedad ^e#ce*Lte Liiso-jl
    Bfafileira.-.
    Puf orden da'dr*tmia eV-sta soejedade sren'i
    fleo aos senhorr.s socios jik* as seseos da directo-
    ra trao lugar nasauartas-feiras s 7 horas da
    noute, as quaes podRiicar-*e qualquer cwcli-
    dato ejue tenha sido approvado.
    Secretaria da sociedade Luso-Brasileira, 19 de
    Janeiro de 1873.
    O Io secreta rio,
    dfc *f falte ^- %p;" Mira.
    n
    AXTomo jrosfi de izevedo
    Ra do Bario da Victoria n, 11, armaseni, e 12 1. andar, antiga ma Nova
    aon&e o publico em geral encontrahempre o maior e mais esplendido sortiiAento depiauos de
    Piano, msicas e instrumentos de u sicas para banda militar
    e orchestra.
    Acaba de abrir no primeiro andar do sobrado o. 12 confronte
    botica Mamar, no grande taiio onde estad expottos os magnficos
    rlAM VQp de armar.o, de PleyeL
    ---------- de meto canda, do mesmo antor.
    le H. Henn.
    1
    ---------de Amede TbibonL
    nico agente nauta cidade, dos celebres afamados
    PUOS DE AUCHER FOES
    f
    I
    %
    I

    remkdos em diversas Sao os onieos pa jos que aqni ven da Europa,
    dos, fsttoe eom legan ;ii e solidez.
    ooro e prala.
    perfeilamenle aflna-
    Tambera receben grande sortimento de msicas para piano, piano e
    canto e entre ellas as lindas composiedes do moito tympatbico maesiro
    F.
    Voc me quer Walsa.
    Olga Mazatka.
    La Separaciooi Pira canio.l
    A Luz elctrica, grande Walaa.
    StVUM
    A SABET:
    Franco Brasileiro Polka.
    Tomada de Vllete Gk>pe.
    Joaoinha Walsa.
    A Libertadora Polka.
    A Primeira espada Wal-a.
    A Umha Lyra Walsa.
    A Natalicia Polka
    Stndiente Polca.
    i Ulnia* pablleaf c
    Pellas as oficinas de msicas
    do snnoneiante.
    Emilia, polka por I. SmolU.
    Circaciana, senotch, por Smoltz.
    Jardira do Campo das Pricezas,
    [quadrilba, por J. Popne.
    Chova de Rosas, Walsa, por H. Al
    Iberlazzi.
    . Precisa-se de um feator para tratar de um
    pequeo sitio,e juntamente de uma ana para cro-
    1 orar e co inbar : na ra do Coronel Suassuna n.
    1, antiga ra de Hortas.
    Precisa-se
    de dous serventes para um hotel, prefere-se es-
    eravos : na ra das Larangeiras n. 4: a tratar
    no mesmo.__________________
    AVISO.
    Ao depois ido se queixem
    Bernardiao da Silva Costa Campos, com arma-
    zem de vveres, na ra do Imperador n. 28, pede
    encarecidamente, pela segundn vez, aos seus de-
    vedores REMISSOS, o especial obzequio d virem
    quanto antes saldaren os seus dbitos ; do con-
    traro est definitivamente resolvfdo a chamar aos
    mesmos por este Diario, declarando os seus no-
    mes por extenso, quantia e tempo a que devera,
    e se isto nao for bastante, lancar mo dos meios
    judiciaes ; pelo qne, conveniente que os seus
    devedores (remissos) que nao quizerem passar por
    essa decepio, dispertem do nocivo indinorentLsmo
    em que esto engolphados, vlndo, logo que te-
    nham eonbecimento deste, saldarem os seus de-
    bitoe.
    No engariho Mi^as-Novas, em Serial,iom.
    precisa-sc- de um ptM tugues qne saiba destillar
    agurdente aada masmo-'qne nao soja perito : a
    tratar ua ra Augusta n. 91.
    Jtto FranciMco Marquen
    D. Francisca Antonia de Siqucira Marques, seoi
    filhos, genro, irmaos, sogra, eunhados c sbranos
    agradecem do in imo d'alma a todas as pessoas
    que se dignaraui levar ao cemiterio publico os
    restos mortaes de seu muilo presado esposo, pai.
    sogro, cunhado, filho, irmao e tio Joo Francisco
    Marques, e de novo Ihcs rogam o caridoso obse-
    quio de assistirem missa do stimo da, que por
    alma ilo mesmo finado mandara c lebrar na igre-
    Sdo' orpo Santo pelas 7 horas da manh do dia
    do corre nte.
    r
    Imperial Sociedade tistas Mechan belaes;
    Por ordem do Sr. .lirector merino du Ijceu
    desta sociedade, sclentideo aos arsus em gerai,
    que dodc o dia 15 do correte se acham aber-
    las ai- matricidas de t.idas as aulas do mesmo
    lyeeu; para este*, seus ttlhw, {reates o aggre-
    gudus; e para esse flm tttm se dirigir a se-
    cielaia Uo estabelueiinenio ra da Imperatrz
    n. 17, L* andar, nos das uteis das 6 lit as
    horas da noute. *
    Recire, 20 d' jan-.'iro de 1873.
    O secretario,
    P. P;iolo dos Sanios.
    D'aqui tafldiat.te continuar a annaneiar todas as publicares que se (orem friendo as suas offleinas de msicas.
    MEURON&C.
    m. W m s a. mm
    3
    ra*
    aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
    REA PRETA, qu reparem nos botes e meios botes,
    pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
    so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
    confundir com o d'aquelles.
    Os apreciadores que quizerem do verdadeiro REA
    PRETA, devem para nao serem engaados ver que
    os botes tragam o nome de MEURON & C, e a desig-
    nado de REA PRETA.
    t:
    vsH

    hLil
    MEURON ft C.
    GRANDE UQDIDAyiO DE CHAPEOS
    - Pam acabar at o lim do niez
    RA DO MRQUEZ DE OLINDA
    OUTR'ORA ^
    Cadeia do Recife n. 53
    Tendo o riovo preprietario de mudar os artigos deste estabelecimento, desejando li-
    quidar at ao fim deste mez, tem resolvido vender por presos muito commodos com o fin
    de apurar dinbeiro e liquidar vista, pelo que convida aos Illms. Sr. chefes de familia
    a virem sortirm-se, jwis a occasio opportuna, e encontrando um completo sortimento
    de chapeos.
    Chapeos de palha do Italia para senhoras e meninas, com enfeites e sem elles.
    ChapO'jdo velludo com enfeites. Gorros de velludo com enfeites. Chapeos de palha
    de differente; qualidadjs, enfeitados, para senhoras e meninas. Chapos de palha de Ita-
    lia, enfehados, para montara de campo. Chapeos de palha para homens e meninos, de
    differentes qualidades. Chapeos de feltro para homem. Chapeos de massa pretos o de
    cores, para homens. Chapeos de l para homem e menino. Chapeos altos de pello de seda
    para homem.
    Benets de differentes qualidades, tanto de seda, como de palha de Italia, "panno, case-
    mira e alpaca, tanto para homem como para menino.
    (krros'*d seda, velludo, la, tanto para hornera como para menino.
    E muitos outros artigos que so com a vista podero ser examinados, afianc,a-se que
    nioengeita-^edinheiro
    Ausemxm-ge.
    O escravo_ Pedro, mais oo nvtno;, com os signaes seguintes:
    cor parda, cabillos corridos, alguns signaes
    de bexigas, levou- vestido camisa de chita,
    cal{ de ctksemira: r.)ga-se as autoridades
    pouciaes e tos Srs. capit&es de campo de o
    prenderem e kva-lo i^sa de seu senhoi' na
    ru da Imperetriz n. 4 i.* andar, ou na
    roa da Madre de Deus n. S l.9 andar.
    Precisa se alugar para fazer compras a*
    nia,eenbar e engommai perfeitameote uma ama
    forra oo eecra va, pan nirvieo de pequea ami-
    lia, pagase tem : na roa da Anrur n. 30, !.
    ~ Pr*jai*i7ie
    reflnaeloolsiri
    le bate* lores de assuca
    lj-gc do ArstnalB. 8.
    para a
    MOFINA
    NEst encouraqado!!!
    * Roga-se ao Ilhn. Sr. Ignacio Vieira de Mello,
    escirivao na eidade de Nazarean desta provincia, o
    favor de vir rna Duqne de Caxias n. 36, eoo-
    duir aquello negocio que 8. S. se eomprometteu a
    realisar, pela terreira chamada deate jornal, em
    lins de dezemb*) de 1871 e depbU para Janeiro,
    passou fevereiro e abril Be 1871, e nada cumprio;
    e por este motivo de novo chamado para dito
    flm, poe S. 8. se deve lembrar que este negocio
    de mais de oito annoe, e quando o Sr. seu filho se
    achava natta cidade. ,
    Avisa-se
    a quem der noticia da eserava Guilherniina, que
    foi do tenente-coronel Feliciano Joaquim dos San-
    to?, c depois comprada ao Bario de Na areth, re-
    presenta ter t annos, tem falta de dentes na
    frente e as mos com cicatrizes de queimadura de
    gaz, secca do corpo, muito regrista, que desappa-
    receu da casa de sobrado n. 26 da ra dos Coe-
    lhos, que era generosamente recompensado.
    CONSULTORIO
    Medico-cirargico
    Dr. JodO Ferreira da Silva
    pode ser procurado para o
    exercicio de sua profisso etn
    geral, e especialmente opera-
    edes e molestias cirurgicas, no
    antigo consultorio de seu pai
    ra largado Rosario n. 20.
    O abaixo assignado avisa ao corpo do com
    mercio,.que nesta data tem comprada aos Srs.
    Gomes de Mattos Irmos, a loja de joias sita a
    ra do Cabug n. 4. sob o titulo de Muzeu de
    joias, livre e desembarazada de qualquer onus ;
    o que avisa para os devidos lins.
    Recire, 14 de janeiro de 1873.
    Joseph Krause A C.
    Ckaruteiros.
    Precisa-se de alguns officiaes dessa arle
    beco Largo n. 1 A, fabrica do Figuoiredo.
    no
    Criado
    para tratar de dnus cavados e mais algum serv-
    ___________co de um pequeo sitio.___________
    Collegio de Santa Genoveva.
    65=Rna do Hospicio 65
    As aulas deste collegio funecionam desde 13 do
    concille mez.
    i Arrenda-se na ra do Imperador n. 80 a
    propriedade denominada Barra de erinhaem, na
    freguezia do mesmo nome, bcjra-mar e beira-rio,
    propina para qualquer estabelecimento de seceos
    e molhados, com muitos pes de coqueiros des-
    fructar, e muitas rendas do solo a cobrar animal
    mente. ____________
    O professor de latim da freguezia de S. Jos
    desta cidade, abaixo assignado, tendo i ecebido da
    directora geral da instrucejio publica, segunda or-
    dem revogando a que ha va dado, acerca das fe-
    rias de sua aula, faz sciente ao publico que desde
    o dia 15 do correte se acha aberta a matricula
    da mesma, e que os seus trabalhos lectivos come-
    carao no dia 3 de fevereiro prximo vindouro:
    quem se quizer matricular dirija-se ao sobrado
    n. 5, no largo da ribeira da referida freguezia.
    Manoel Francisco ("oellio.
    Attencao.
    Acha-se aberta uma officina de marcineiro no
    oitao da matriz de Santo Antonio n. 2", enearre-
    ga-se de qual tuer servige quer de concert, quer
    de altiuma obra para se fazer, como tambem cem-
    pram-se e vendem-se obras_ usadas relativamente
    a mesma.
    Caixeiro.
    Precisa-se de um brasileiro de 12 a 14 annos de
    idade com pratica de taverna no beco do Poci-
    nho n. 7.
    Aviso.
    Precisa-se
    de un> menino para caixeiro de uma loja de cal
    cado na ra Direita u 11.
    O abaixo assignado faz sciente as respeitavel
    publico e especialmente ao corpo do commercio,
    que tem Justo e contratado com o Si. Domiagos
    Martins Gomes, sua taverna sita ra da Santa
    Cruz n. 74, livre e desembarazada de qualquer
    debito, e no caso que algum se julgue com direi-
    to ao mesmo estabelecimento, pode entender-se
    com o abaixo assignado no praso de tres dias, e
    dos os quaes nao se responsabili
    debito que possa apgarecer.
    Recife, 2o de Janeiro de 1873.
    Antonio do Rogo Medeiros.
    Jilisa por qualquer
    Jolmston Pater d: C avam gue o Sr. Thomp*-
    son Pater (preseBtemeiHe residindo na Bahia) des-
    de o dia do correte deixou por mutuo accor-
    do de ser socio da mesma firma. Pernambuco 17
    de Janeiro de 1873.
    Trapiche alfandegado do
    Guerra.
    Tendo passado a administracao deste trapiche
    p trem, acha-se elle em estado de recolher quaes-
    quer gneros por precos mais-eommodos qne ou-
    tro qualquer. Os senhores consignaurios de baf-
    caas e de navios, cujos gneros precisarem de
    ser recolhidos com satisfa?ao e presteza, tero alli
    toda commodidade possivel. O algodao, bejn come
    toda casta de gneros seceos que se demorarem por
    mais de 30 dias/ ser seguros contra o ogo ex-
    pensa do administrador actual, ministrando os
    recogedores uma nota de seus valores para a
    effectividade do seguro Entrada pela ra do Vi-
    gario Thenoro n. 3, e pelo caes n. 6.
    Precisa-se de um menino de If a 14 anuos
    de idade, para caixeiro de taverna, com pratica'
    ou sem ella : ha roa das Nymphas n. 4.
    Aluga-se a casa n. 63 na ra da Palma: a
    enfender*-?e eom tf Sr. Bemardim PontuaJ, na rna
    da Madr< de Dos n. 34, i* andar.
    Precisa se de um caixeiro brasileiro ou por-
    tuguez, cora pratica de molhados e de padaria :
    ua Imperialjt. 2<>4. Garante-se boa
    ordenado.
    Fugiram do engenho Bamburrnl, na freguezia
    da Escada, n noute de 7 do corrente, os escravos
    seguinles: Theotonio, idade O a-mos pouco mais
    ou menos, preto, altura regular, cheio do corpo,
    ps apalhetados e feiqs, tem uma perna mais curta
    que a outra, tanto que pelo andar se conhece, e
    bastante ladino ; Venceslao, idade 40 a 50 annos,
    Sreto, com marcas de bexigas na cara, alto c cheio
    o corpo, ps e nariz grandes. .Ambos levaram
    roupa de algodao azul. Paga se generosamente
    quem os apprehender e leva-Ios ao referido en*
    geoho.
    Caiveiro,
    Deseja-3.; um menino de 14 a 16 annos, de boa
    conducta, para um estabelecimento de molhados
    no Giquia : quem se achar nestas condigfles, diri-
    ja-se ra do Coronel Suassuna n. 149.
    Alnga-se um sitio com casa propria para ne-
    gocio, em N. S. das Gracas, ou Capunga-nova : a
    tratar na mesma.
    Trabalhadores.
    Precisa-se de algnns para todo o servieo : no
    hotel do Universo n. 2, ra do Commercio.
    Gabinete Portuguez de
    I.eiluru
    O expedient neste estabelecimento principia
    segunda-feira 20 do corrente.
    O secretario
    _______ Francisco Antonio Pereira.
    Existe um colchao no pateo da Santa Cruz
    0. 2 : quem fdr seu dono appareca, que dando os
    lignaes certos, Ihe ser envegue.
    Com umita urgencia.
    Precisa-se de uma ama idos* que anha bons
    costumes para andar com uma menina de 10 me-
    zas, e tambem de um criado de 12 a 14 annos,
    farro ou escravo : a tratar na Passagem da Mag-
    dalena, botequim do Bento n.t7.
    Severino^
    Anda fgido, desde o dia 6 do corrente, o es-
    cravo Scverino, pardo escuro, d altura regu-
    lar, de 13 annoe, pouca barba, ps chatos a raaos
    grandes, tendo em ambos os jarretes uma marca
    foveira de queimadura, eueulra-se de forro e an-
    da calcado, veste,*ora paleto) sacco e ora justo,
    ambos de panno : quem o apprehender ser-ge-
    nerosamente recompensado, trayendo o ra do
    Mrquez de Hervafn. 31.
    ., Precisa-se de um caixeiro para casa de pur-
    ar de um engenho tres legoas distante da via-
    urrea, sendo casado, e com preferencia se enten-
    der de destilaco : a entender-se eom o <>r.
    Uwistovio Xavier Lopes, oo com o Sr. Bernardi-
    qqPemual.
    Cptao Joao Francisco Mar-
    ques.
    Um amigo do fina-
    do Joo Francisco
    Marques convida os
    seus prenles e ami-
    gos para assistirem
    as missas que jior
    sua alma manda retar na igreja do Cor|>o Santo,
    no dia 22 do cor. cate, das 7 ii2 horas s 8 da
    manh.
    Rodrigo Pinto Moreira

    D. Marianna Athan sia Moreira.
    Manoel' Joaquim Pereira Jui'ior,
    Joaquina Brgida Moreira Jnior e
    Manoel Pinto Moreira, viova, genro,
    e filhos, do fallecido Rodrigo Pinol
    Moreira,airadecem ordialniente a
    todas as pessoas de; sua amizade que se di narara
    acompannar ao ultimo jazigo os restos mortaes de
    seu sempre lemfcrado esposo, e de novo os c invi
    dam para assistirem a missa do 7" dia que lera de
    ser celebrada na ordem 3' de S. Francisco no da
    24 do corrente pelas 6 l|2 horas da manh*.
    A mesa ivgedora da veneravel iruiandade
    das almas, erecta na matriz da freguezia de Santv
    Antonio, era cumprintento do art. 5o de seu eom-
    jiromiss.), convida todos os sCus irmaos a com-
    parecerera no dia i d i i-orrenh-, pelas 3 horas
    da larde no consistorio d. remida rmandade,
    no s para dar scioocia da pena de interdiece
    que foi laucada a iriuandad por septenca de S.
    xr. Rvma. o Sr. hispo diocesano, como tumben
    deliberen o que for a bem da mesma.
    Consistorio da veneravel irmandade das Almas.
    erecta na matriz do Sauto Antonio, 21 do iaucir de 187.1 '
    O escrivio,
    ______________Tihurlino Mondini Pestaa.
    Pergunta-, d rec0a da sociedade Amor e
    Beneficencia, dr bres do carne verde, ejual
    foi o socio della que w a soltura de Felippe
    Eneas da Costa, e poi ipte forma, quando houYt
    pessoas parlicuurw que pode oV alguma frm*
    obter dita soltura.
    Criadoi
    No collegio de Santa i'.'no\.;va, ra do Hos-
    picio n. precisi-se deum criado que soja livr.
    ou escravo, \
    COMPRAS.
    * Compra-se urna eserava preta que saiba co-
    zinhar e oogoronar com perfeicjo, agradando pa-
    ga se bem : na rna Direita n. 8.
    Atten^ae.
    Compra-se urna eserava de & a SO annos, que
    saiba cozinhar; na tfie?oararla !us loteras, ra
    1. de Marco n. .
    Manoel de Mesquita Barros
    Wanderley.
    Um amigo do tinado Manoel de
    Mesquita Barros Wanderley nund*
    celebrar urna missa no da 2* do
    corrente, trigsimo do seu lalle-
    cimento, na matriz da Villa de Se-
    rlnhem, s 8 hores da manh :
    con ida aos parent s e amigo do
    mesmo fallecido a assi tirem es e acto de c rida-
    de.
    Eserava fgida
    Continaausenc dedeo diaItde dezemuro de
    1872 a eserava Manuella, negra, de idade de 43
    annos, estatura baixa, com uma orelha radiada,
    pele que nao pode pendurar br neos, fal'a de den-
    tes na frente, ps grossos e cora signaes de eravos
    as ponas dos dedos ; levou vestido de hita es-
    cura e chale de l com rscas do cor ; foi com-
    prada a alguns ezes ao -r. Francisco lose Hu-
    mes, desta cidade : quem a capturar queira le-
    va-la ra da Cadeia n. 6, ou na Capunga, ra
    da Ventura n. 10, que se gratificar.___________
    A devooao do Senhor Bom Jess do Boiiifira.
    que festejam os Bahiannos na igreja da Madre de
    Deus, celebrar sua resta no dia iti do correle.
    Coilrata-se
    Os Srs, empleiteiros que quizerem tomar uma
    obra por contrato^ dando-se apenas o dinho.iro-
    em presta^oes confirma se eonvencinnar : diri-
    ijam-se ra do Bom Jess n. 51, escriotorio.
    Jardineiro
    'recisa-'e de um jirdiiieiro de idade, que leona
    bom coinportainenlo para trabalbar era um ;,i: -
    no jardira, oque se nujeile tambera carregar eo-
    medorias da ra Imperial a ra Direita n. 104.
    Aluga-se
    uma casa pintada do novo, no Monteiro junt do
    sobrado grande : para ve-la, as chaves esli na
    taverna do !r. Nicolao. Aluga-se lambepi o S>
    andar do sobrado n. l't da roa do Torres do bair-
    ro do Becife, prximo da praca do Corpo -auto :
    a tratar na ra do Impera lor n. "7, 1 andar.
    Fuga de escravos.
    Evadiram-se no dia 2!) do eorreaie, do ente ibo
    Bento-velho, da freguezia de Santo Ailo, os es-
    cravos segu ntes : E eqiel, pardo, Jos, reto,
    No, preto, Jorgo, cabra, Martralio, acaboclado e
    Sabino, mulato, todos imberbes, a exrepco do
    Jorge, que tem pouca barba, representando lerem
    de 16 a 24 annos de idade. Os cinco primeiros
    eravos foram comprad s era de/enibro prximo
    passado ao major Jeronyno Theotonio da Suva
    Loara o, professor em Pajcii de Flores, sendiH
    Ezequiel e Jos de sua possn, Jorge c Martinlio
    por procuracao do Dr. Lsvino Lopes de Barros
    morador em Cabrob, e No por procuracao do
    Sr. Antonio Loiteda Silva, morador em Cmara.
    abino foi comprado ao Sr. Tooma de Carvallm
    Soores Brando, morador nesta ridade. Bogara -s
    a todas s autoridades da capital e do centr > da
    provincia, onde apparecerem daos escravos, se
    di g ni-m segura los, e promettemos boa recompen-
    sa a quem os capturar e leva-ios ao referido en-
    genho, ou der driles noticia.
    Na ra estreita do Rosario, sobrado n. 35,
    fornece-se comedorias para fra ; algumas pes-
    soas que nao tiverem portador manda-so levar era
    suas casas, e as horas que determinaren], serio
    bem servidos, pois tudo se faz cora asseio o com-
    modosprejios.-
    Ao publico.
    (.llegando a esta cidade no dia 14 do corrente
    para me queixar a meu cnsul, do espticamen-
    te e roubo que soffri no dia 25 de dizembro do
    anno prximo passado, nao o pude fa er por en-
    contrar minha mulher a espirar, o que succedeu no
    mesmo, da da 8 para 9 horas da noute. Hoje
    foi que pude enderessar minha petico de queixa
    ao mesmo Sr., para que elle procure das auto-
    ridades sup* rieres a pnnicao de meas offensores.
    Admira que o Sr. delegado do -termo do o-
    nito d-me como author do fe ment de Candi-
    do Francisco dos Aojos, pois quando eu fui
    arrastado de minha casa para a roa pelo mesmo
    Candido e seus companheiros eslava desarma-
    do, como publico naqueile lugar. Admira tam-
    bem que teudo (como diz o Sr. delegado) sido
    eu qnem ferl Candido n o tivesse Sr. subdele-
    gado instaurado o competente processo durante
    minha estada alli, que oi desJe m prximo pas-
    sado at 13 do corrente.
    Portante, o Sr. delegado foi mal informado. O
    corpo de delicto que para em Bonito mostra
    bem as boas obras do Sr. andido e seus compa-
    nheiros. Per ora piro a |Ui.
    Becife, 21 de Janeiro de 1873.
    ________ Diog Pereira de Souza,
    Para Hto-iiraie ri Sol.
    Francoln.
    Para o referido
    patacho brasileiro
    seos consignatarios
    porto recebe rarga trete o
    Francolim : tratar com os
    Amorira Irmaos > f.
    0*reee-se uma mulher esO-aofMra .
    ama de homem sokeiro: quem precisar dirija-se geiro : quem precisar dirija-se
    ao beco do Veras, asa do Sr. Jos Pinhalra rn. 8.
    Offerecem-se duas mocas solteiras, ebegadas
    ha pouco de tora, para(azeram o servio d >mes-
    parajcoae uma casa de hornera solteiro, sendo ostran-
    ra da Rodi
    Botica Popular.
    Precisa-se de um oficial cofa bastante pratica
    de pbarmaeia, e capa. Dase 1:0004000 de
    ordenado annual._______
    Aga-se iirimeiro andar e otodosiv
    brado a 28 da ra de Santa Rita, estando elle
    era bom estado : tratar na ra Duqoe-de Caxias
    O Dr. Prancisco Ago-tinho Madeira qu
    parecer na ra Duque do Caxias n. 40 A.
    Bento da Sirva
    ^eiro Bastos.
    V:
    M LARGA 00 ROSARIO .
    loja do Vianua
    Coinprou em leilo grande q'uant dade de fazeu-
    das, as quaes vende rom pequeo lucro, por se-
    guir o sistema degauhar pouco e vender depressa;
    |uem-lne comprar lora certesa qne compra por
    muco mais de metade do que se vende em qual-
    quer outra parte. E' preciso vir ver depressa
    porque acaba-so logo, como sempre lhe acontece
    guando tem pechinchas como agora.
    B;>lites cora aiquinlios para Senlioras, de 48 a 1*.
    CbJtai escuras o niaras, de 400 a 2it
    Ditas percalias muito ti as. de 480 a 320.
    *assas il.' n.ir s deHslras, de Wa *6tV
    Ditas miudlnhas, de GiO a 140.
    Pessas de madapoln lino, de 9* a 1*000.
    Ditas de dito de 8* a 3<)00.
    Hilas de dito de 7 a OuOO.
    Ditas de algodao, de a 4000.
    Meia caseraira de 34 a tdfiOO.
    Algodao americano de listras de 520 a 320.
    Pessas de esguio muito lino de 28* a 20*.
    CALCADOS
    Boizeguins de canno'ibaixo para Senhia a 4*500.
    Ditos de dito ajto para srnhoras a 5J.
    GRANDE PKCHINCHA
    Borzeguins franeezes para honnras, de hezerro,
    cordavo, e gaspiado, com botfies de 12* a U3, e
    de 85 e 15.
    Grande sortimento de lodas as melhores qnali-
    lades de calcados, para liomens, senhoras, meni-
    nos r meninas. Tul 1 vende barato.
    Insignias niaconiras.
    Amara!, Nabuco A- C. vendem insignias maco-
    meas-do diversos traos: no Bazar Victoria, roa
    Jo Baro da Victoria n. 2^____________________
    - i.h inra vtiptta* cun "juuin fle paili if
    50*00!> e*d om n > cada do Apello, arma-
    'm de t*Mo Irmift A C
    (-aleado barato.
    \ ato
    54 00
    UOOQ
    2*000
    Botinas BOsmaaa pira senhora
    Das para Domem
    Sapatos de conl-ivao
    rodcAios de bezerro para menina
    Di'os ae cano ideni'
    Na praca da Independencia
    Ys. 13 e 15. loju do Arantes.
    Vci'de-se nina boa va.va de leite.' da pri-
    m.'ii'a lia riga : na ra do t*otovello n. 2o.
    Vende-se d a aas terreas edifleadas de
    novo na rna de S. Joao ireguezii de S. J. s ns.
    77 e 79 : a tratar na- ra de Pedro Affonso, sobra-
    do n. 1.____________________________________
    Vende-se uma nobilia de aniarello com
    muito pouro uso : a tratar na ra de S. Mfi-uel
    d. s Aftogados, casa 11. 20.
    AllNicao.
    Na ra de S. Francco n. 70, vende-se azeite
    de peixc a 35-MK) a caada, e a MO s a garrafa,
    violto xcrc'du 14 a.iiius a a garrafa._______
    Borracha
    Borracha
    Borracha.^
    Vende-se borraaha especial tiara limas de chei-
    ro, era porco e a retalho : na ra iravessa da
    Madre de Dos n. g._________________________
    Borracha para limas.
    Vende-se borracha para limas, chegada hnntem
    no vapor americauo Onfa w, por menos 2 por
    cent porque se vende em 7>ura qualquer parte :
    na ra Novan til, e 110 pateo do jCrmo 11. 3,
    pharinacia._________^^_______- _________
    - Vende-se um terreno no axang, na entra-
    da do Ambolt confronte ao sitio- de Tneotooio Jos
    e vello, com 60 p linos de frente e 230 de fun-
    do : a tratar no caes da al'andega n. -t.


    i'tgjjcseeiii^meos
    Nova qualidade >do fogoes para cozinbsr, o
    quaes contera em si fornos para asados,e caldeira
    para agua, -de diversos taannos, os qna^s se
    tornam roeommendados pela sua >oa qnalidade e
    grande econimiia ; assim como os j conheci tos
    forn>'trauco es, P>gareiroe para aquen'ar erroe
    com mita bramarte, guarda-comida, ferros j>.ra
    alfaiato c chapelleiro: tudo na ra do Baro da
    Victoria n. 37. outr'ora ra Nova, lija de ferra-
    gHis, do Souza .& Guimar.'es.__________________
    Vendo se uma arniaco por pouco preep.
    propria para quabiuer negudo, -e garante-se as
    chaves ao comprador : a trabr na rna Direita
    lEnfSho^om Nottfe, sitoTa
    freguezia de P9*^'}
    leguas distante a 6sWao
    do Ribeirao.
    Vende-se eom 8 escravo, M bois d^ esrroca i
    carr s forrados e 4 quartons por 60:000*0 o a di-
    nheiro rom 3tl:00f4j praz ; ou alias d-*e por
    W ;000n ri-ta.' O dito encentro oflerece a vanu-
    gem o> ser bom e mopr enm agua Bst raoitado
    com rtnt llfteio estura, assenlamento de reame,
    casa de bagacn, 4 sitios de lavrador om rasas de
    eir ap- elha: safrej. dous mil pe- por ann, cuna agora
    . loas dB a. esttfcafrejamh e omi pouei forea: onera o
    din a-se ao mesmo engeubo, que l ea-
    uulura o dono.


    Diario de Pemambuco Quarta feira.22 de Janeifo de 187$.
    Para acabar at o flm do aauo
    V
    Ni roa da Imperatriz n. 60
    LOJ DO PAVO
    PEREIRA DA SILVA ft C-
    Tendo os proprietarioii deste grande estabelecitnento, am avallado sortimroto de
    fazendas em ser, e desojando liqaida-las at o fim do correle ando, lea rewlvido veo-
    de-las por precos muito commodos, com o fin de apurar dioheiro, a vista do qoe
    convidara os llm. Srs. ebefes de familia a virem sortke, o5o s de fazendas *e primei-
    ra nessecidade, como de fazendas de loxo fl gosto, das qoaes encontrarto om sortimeto
    das mais novas do cuereado, chegadas pelos nltimoi vapores da Earopa.
    FAZLNDAS DE GOSTOS
    FAZENDAS DE LE
    CORTES DE 1ASSAS A SJfoO E 30000.
    O Pavo vende cortes de cassas de cores,
    com padrdes muilo bonitos ^elo barato
    preco de 20300 e 3OoO.
    CORTES E CHITAS A 2*100 E 1&880.
    O Pavao vende cortds de mitas francezas
    fiaaj, com 10 covados pelo ciijiinuto preco
    e j>i'-u oda orle.
    Ditas com ii corados [.el o prego de
    248S0 cada cort.
    PEg\S DE CHITAS A 702GO.
    O Pavo vende pecas decbitas tinas, lin-
    dsimos padrees, tendo 30 covados cada
    peca, pelo b>rato preco de 7$OO cada
    ama e mni o barato.
    LENCO'ESDE BRUZANTE.
    O Pavao veode l?oces de bramante mni-
    to grandes, sendo de om panno s, pelo ba-
    ntiwny preco de 2*100 cada om.
    CHAILES BARATOS A UDOOE 20000.
    O Pavo veode cbailes de larlatana gras-
    as pelo barato prego de 4*0 JO e 20 X 0.
    Ditos de la estampados imitago de
    aoeriQ 2*000.
    Ditos de quadros modernos, mnito en-
    corpados 3*000 e 4*000 ; assim como
    graade soriiuatnlo dos mais fios cbailes
    crepon e merino que se veodem por prego*
    muiti em cont.
    MADAPOLES.
    Pcgs de midapollo francez maito fino
    :om 20 jardas a- 5*50G e tjflOOO.
    Ditos coro 24 jardas moito superior a
    3*500 e 7*00'.
    Dio ingiei faxenia moito fina 3*000,
    0*000 e t500a'. 10*000.
    Dil s francezes e inglezes muito fiaos de
    40 jardas para difiranles precos.
    ALGOUOZINHO.
    O Pava vende por prego maito barato
    pecas de algodSaaiabo americano maito
    fcam cotn 18 jardis I 4*000.
    Dito cora 24 jardas a 4 J500 e 5*000
    al 6,jo.'iO.
    O
    Dito largo marca T muito encorpado a
    000.
    ALGOAO ENFESrADO.
    O Pavao vsnde 0 verdadsiro e superior
    algodloiinbo de rines larguras para lenges,
    ieod inulto encorpado I i 00 cada vara.
    Dito lran?ado da mes*na krgora 1*280.
    CHITAS LARGAS.
    O Pifia veode estas execelleotes chitas
    fraoc zas clara; e escoras cem moita bom
    nao 140 rs. ;ada covado.
    Dita ro.iito fina 280, 30 e 360 rs.
    Percaiies finissimos raiudiahos a 360 e
    iOO rs. Cada covado.
    CAMBRAIAS.
    O Pavi vende cortes de cambraia trans-
    parente propria pira vestidos a 2*500 e
    30 >0.
    Pga de dita muito fina com 10 jardas
    tanto ta ada como transparente a 4*000,
    *vS900 e 6*000 aCe a mais fina que vem
    10 mrcalo.
    BRAMANTES PARA LENCO'ES.
    *0 Pa'-i vende superior bramante de al-
    jdo tend 6 palmos do largura que s
    parcisa de 1 4/t vara para am lengol, me-
    tro 1*600 e a vara 1*800.
    Dito de linbo paro soperior muito encor-
    ado com a raes roa largura a vara 2*i00
    Di os francezes muito E.nos a 2*500 e
    3*000.
    Pe; a de Hamborgo e panno de linbo com
    20 e 3') varas, 'para luds os pregos e
    .jualilade.
    Pe;as de brelanha de- pu"o oho, tendo
    30 jardas pelos ore jos mais barato que se
    tem vMo.
    Pechincha de iiui^simo e.gu5o sacelena
    .om 6 jardas, 7*000.
    Pega de ikjissimo celena com 30 jardas
    i 3*5'X), atoalbado adamascado com 8 pal-
    mos de l.rgura a vara 2*X0.
    I.AZINH tS DS FURIA CORES.
    O Pavfh vend-i nin elegante sortimento
    Jo llamabas de fort cores qae brilbo qua-
    li como seda teste de todas as cores, e ven-
    de 360 rs. o covado.
    CALCAS DE CASEMIRA.
    - O Pava o (era iim grande sortimento de
    caica M casimira, a&sim como cortes os
    mais modernos q ie tem vindo nos ltimos
    arios em fazonda das mais finas e mais
    aovan ao mercado, e vendo-se por barato
    prego para aporar d nbeiro assim como cal-
    as de bnm bramio e de cotes por pfeo
    mnito razciaveis para ajabar.
    CORTES DE PEFiCALIA COM DASSAIAS
    A 4*000.
    G Pav^o vende benitos cortes de precalia
    com daas s*ias, sendo (azenda de mnito
    gasto a 4*000, peibiocba.
    TNICAS PRETAS.
    20 Pav2o recenta om grande sortimento
    das mais ricas tnicas de grs preto, rica-
    mente enfeitadas. e rende pjr preco razoa-
    vel.
    VESTIDOS BRANDS BORDADOS DE
    35*0000 ATTE 6X*000.
    O Pavao receben um fiado sortimento
    dos ruis ricos cortes de cambraia branca,
    ricamente bonMftos, e. com todos os enfei
    tes necessaflbs, e Vihiw ^.*io j>rCM
    35*000 al^)Oa, naj tam vjndi nada
    maij rico nem. maf moderen.
    CORTINADOS PAQI. CAAM8.E JANELLAS
    a ,'*5oo, 8la):Jo)|iooo.
    O Pavjo tem um gwod suriHieQlo de
    coriiados par* can 14 jaaeMaa, y* wo-
    ewlobarat) pepo da 7**00; S#000 4
    10*000 o p*r, Mido at por 48*000, ajaim
    como colchas de damasco para camas doj
    naivos. e graode sor-JaeDA de -tapetes {a* t^OOO.
    13 para 4 c-ieir*t censo pa*i camas, piraos,
    portis, c.,Wdo -verte pwr prtc rlzw-
    BAREJES DE SEDA A 1*0J0 E 1*400
    COVADO
    O Pavlo recebea pelo ultimo Vapor
    francez, um graode sortimento des mais
    lindos barejes de seda, sendo em core
    e (ostos o melhor que tem Titilo ao mercado,
    esta nova fazenda mnito propria para
    vestidos para bailes ou casamentes, tendo
    entre esta (azenda delicados padroes bran-
    cos proprio para vestd is de noiva.
    MODERNSIMAS POPELINAS
    Popelinas a 1*5G0 e 2*000 o covado.
    O Pavao recebea om elegante sortimento
    das miis modernas e lindas popelinas de
    li e .eda, e linbo e seda que vendern a
    1*500 e 2*000 o covado, tendo padrees
    letrados miado e graodos que parecem
    propriameote seda, assim como das mesmas
    tambem tem brancas proprias para vestidos
    de noiva.
    NOVAS SEDAS A 2*500
    O Pavao vende bonita e moderna sedi
    de urna s cor, tendo c delicado lavrores miudinbose vende a 2*500
    o '.ovado para vender barato.
    CORTES DE SEDA A 45*000 E 80*000
    O Pavo vende b mitos cortes de seda,
    fazenda de muito gosto, tendo 18 covados
    cada corte 6 vende por 454000
    Ditos de 20 covados a 505000
    So muito baratas em relago soperior
    qaalidade d'estes cortes.
    BAPTISTAS DE GRANDE NOVIDADE
    O PaviSo vende om grande sortimento
    das mais moderois, baptistas com lista dr
    cor, proprias pira vestido, com as cores mais
    oovas qaa tira viado ao mercado seod'i
    maito maii largas do qae as chitas fraocezas,
    e vendo pelo baratissinn prego de SOOrs.
    cada c >vado.
    0FF1CINA DE ALFAIATE NA LOJA DO
    PAVAO-
    Nesta grande e^tabelecimeot encontrar
    o r spiitavel publico, orna bem montad^offl*
    cia de alfaiate, onde se manda- execuiar
    qoaiqoer pega de obra, tanti para bomeuo.
    orno para meoinos, com a maior pres-
    tida e perfeig2o assim como para qualqer
    luto que de repente apparega, tendo oa mes-
    illa iiflicina om perito official destinado para
    farda dos llm. Srs. offieiaes de goarda na*
    cional ou tropa de iinba, sendo esta offiema
    dirigida pelo babil artista Pedro Celestino
    Soares de Carva'bo.
    NOVOS VESTIDOS A 4*000.
    O Pavlo recebeu um elegante sortimen-
    to de oovos vestidos de cambraia branca
    com bonitos bordados de edr, e vende p*lo
    barato prego de 4* cada um; muito ba-
    rato.
    ESPARTILHOS A 3*000.
    O Pavo tem um grande sortimento i>
    espartlbos, tanto para sa.nhora como para
    menina, qbe vende pelo La ato prego d
    3*000. Ditos mnito finos a 4*0J0 e 5*000,
    sao dos mais moderaos qae tem vindo a o
    mercado.
    CHITAS A 240 RS.
    CHITAS A 240 RS.
    CHITAS A 240 R5
    O Pai5o vende" chitas franceras propriS
    psra vestido, sendo multo boa fazenda, com
    padroes claros e escures, ptlo barat prec
    de 240 rs. o covado, por ter um' leve to-
    que de mofo : pecbincha.
    SAIAS A 250C0.
    SATAS A 2*')00.
    O Pavlo vendo saias brancas de orna s
    paga com fazenda equivalente a 4 pannos,
    com bonitas pregas em volts, a 2*000 e
    2^500.
    Ditas com pregas e bordados a 3*000,
    pecbincoa.
    LIQIDACAO DE CALCAS DE CASEMIRA
    O Pavo tem um grande sorumeoto de
    caigas de casemira de todas as cores- e qoa
    lidades, para todos os pregas, e desejmdo
    muito liuida-:33, resolvea vende-las por
    cm prego mnito em cont, para dimio'jir a
    grande porglo.
    CORTES DE FUSTAO PAH\ VESTIDOS A
    3*0C0.
    O PavSo vende cortea, de .stao branco.
    teodo i i covados para V8S idos a 3*000,
    pecbincba.
    CORTES DE VESTIDO DE CMRRMAA
    6*000.
    O Pavao vende bonitos corles de cambraia
    branca transparente, com bonitas vistas e
    livores, proprios para vestido, teodo 8 va-
    ras cada corte, pelo barato prego de 6*000,
    pecbincba.
    IVSSASlRA.V17.Ai..
    O Pavo vende bonitas cassas fraucezas
    com bonitos padres; e de multa, pjiantasia
    I>elo bara,tissimo prego de 240 o 2^0. kl o
    covado, sondo fazonda de muito. nia.is ftihei-
    ro, grande pedhinclm, ualoja do Pavo.
    BORNS A16MQ0.
    O Pev-Ao rocebeu pelo ultimo paquete da
    Europa, bournus dos mais lindos gostos que
    at hoje sao condecidos, e era relago ex-
    (essivubfi.rateza, qonvidam-se a^> Ewnas, iras,
    para as vocean, para assim admirarem o que
    lia do mais ovida*e -ueste artigo.
    CORTES DE CAMBRAIA A e>000.
    O Pavlo vende cortes de ambrina branca
    com sUs-e iavoresldaftesma or^-ttdo a-
    zeuda para um vestido, e vende f&&barato.
    precode'8fO0,jMr i*r.graa/le pjrifcncha,
    itos omito finos com babadir
    bordados a 8#000.
    Ditos ditos ceen bstai.4e ****> -a 49000
    A MADRESILVA.
    Pn/qb-b ndependencm
    na. 38 e 40.
    Acaba a Madresilva de rocober divemo*'
    objectos, como sejain
    Ricos adrecos de madrepcrola bfanoos
    de cores.
    Diademas de madroperola, ditos dourados,
    ditos de massa ou bfalo, ricamente enfcita-
    dos, cruzes fingindo brilhantes, cassoletas de
    plaqu com voltas e som ellas, imitando
    ouro, pulseiras douradas, .ditas imitando
    tartaruga, rito sorlimeflto do'grempos para
    cabello, softd borbeletas, besouros e boija1-
    flores e outras muitas qualidades, tudo de
    muito gosto, tino sortimento de gravatinhes
    de lagos para sftuhora;-sendo veHudo, sarja,
    setim, gaze, escossezas e de unaa cor, fa-
    zenda teiramente novidade.
    Lindo sortimento de loques de mm-flhl,
    madreperola^ tartaruga, ditosdourados, com
    seda e sen ella, alrft destes de otras mtti-
    tas qualidades, qnc enfadonho seria mehclo-
    nar, tanto para senbors como para me-
    ninask
    Rico sdrtimonto de punhos e gollinhas
    bordadas em cambraia de linho'e camizinhas
    bordadas para senhoras.
    Bonitas guarniges ou dragonas para en-
    feitfes de vestidos, assim eomo os muito dese-
    cados cords de seda, fazenda inteifament
    novidade neste mercado.
    Rico sortimonto de caixinbas com prega-
    ros para costura, sendo de tampas de crystal
    e de outras muitas qualidades e tamanbos,
    ditas para porta-joias, porta-extractos, ricos
    porta-relogios, porta-charutos, porta-emza,
    tinteiros, castigaos, tudo sao objectos de
    plaqu, proprios para presentear a quajquer
    pessoa, assim como diversos objectos para
    escriptorioi facas para cortar papel, carteiras
    pa^a notas, caTxas para pbosphoros caetas
    bordadas e lisas, maraes para 'enancas, si-
    netes-para abrir firmas, caixascontendo'TBna
    caeta, um lapis e um caivete, agulhefros
    a dedaes, todos estes objectos sao de marftm,
    fazenda int'eiramente novidade, assim como
    Hiutrds muitos que s a vista dos pretenden-
    tes s6 poderao mencionar.
    Vestuarios para criangns, chapozinhos de
    seda, sapatinhos de mth' e setim, meias
    de"seda e de algodo, brancas e de cores, tu-
    do para baptisados.
    y Rico sortimento de babadores para criaii-
    eas, ligas de seda pira senhoras; lencos
    brancos com ramagens, meias de seda para
    senhorase meninas, ditas de fio drEscossia,
    o melhor que so pvd desyar, assim como
    meias de l, proprias para senhoras.
    Rico sortimento de e'scovs com costas de
    baleia, raarchetadas de rnadreperola, para
    roupa e cabello, e de o'utras muitas quali-
    AGl'LHAS E LIMIAS PARA MACHiNAS;
    A Madresilva acaba de receber um com-
    ptet'sofmiento deaglirlras elinhas brancas/
    de crese pretas para machinas, dos fabri-
    cantes GroVer & Bakr's, assim como agulhas
    de todas as qualidades e linhas de seda para
    bordar e para crochet, ricas capellas com
    rbse sem ellos para noivas, fil branco cOrtr
    bonitas ramagens e cor'7 palmos de largura,
    fazenda especial: s na Madresilva.
    Rico sortimento de flores de laiauja em
    ramas e sepas, de todos os tamanhos, parn
    enfeits de vestidos de noivas.
    Rico sortimento de collarinhos e punhos
    bordados' e lisos, de linhfe e'algodo, para
    homensv assim como chapeos de sol com
    castao de marfim, eoutros muitos artigos.
    TEM' A M!A1)RESII.VA
    bonito sortimento de jarros, castifaes com
    pingentes, garrafas o copos para espiritos,
    frascos, garrafinhas de diversos gosto*. pro-
    prias para toilettes, assim como acaba de re-
    ceber um complet sortimento de espelhos
    de molduras douradas, de todo? os tama-
    mil

    MACHINAS
    DE
    COSTURA
    Cbegarara ao Bazar Universal da roa No-
    va n. 22, om sortimeolo de machinas para
    costura, das melbores qualidades que existe
    na America, das quaes muitas j sao bem
    conbecidas pelos seus autores, como sejam;
    Weller d Wilson, Grover A- Boka, Silen-
    ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
    que com a vista devero agradar aos com-
    pradores.
    Estas machinas tem a vantagem de fazer
    o trabalho que trinta costura.as podem
    fazer -diariamente e cozem com tanta per-
    tfeigao como as mais perfeitas costureiras.
    Garante-se a sua boa qaalidade e e"nsna-se
    a trabalhar com perfeigao em mer.os de cma
    bora, e os pregos sao USo coram -dos que
    devem agradar aos pretendenes ______
    Pede obter em~ pooco ttmpo com o oso do melhor dos licoresa adamada
    HESPERIDINA
    Faz'oito annos qne i conbecido este precioso tnico, e diffic achar ama pessoa
    qne, tendo experimentado pessoalmente, n5o falle em seo favor, j como bom ealomacaJ
    e apetisador, tomando om cliz delta antes de jantar, oa como facilitador da digeetao
    t mando-se depois.
    ABASE
    da HESPERIDINA a LARANJA AMARGA, nio bi om habitante do BRASIL (a Ierra
    especial das laranjas) que l5o conhega as proprledades medicinaes da dourada frocta,
    ora bem, a
    LARANJA AMARGA
    em seo estado natural tem om gosto pooco agradavel, e o mrito da Hesperidioa coa-
    siste em reter soas boas propriedades, e ao mesmo lempo apresenta-la como
    exquisito nooa
    A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIOftAL riM tem dld qne ibVlffr &
    melbores imporlages europeas de cathegoria semelhante. Estas, qoaodo maito, podem
    sor gostosas, porm a Hesperidioa a combinagio perfeita do
    AGRADAVEL E SABAVEL
    Para prova de que om artigo oo qoal pde-se ter otetra conflarj^ por ser pwo
    e innocente, basta dizer-se que foi plenamente approvada e autorisda pela
    JUNTA DE HYGIEN
    Lehmann Fires vemlem'
    libras sterlinas : a' rita do
    Crespo n, 16, primera andar,
    WVAL SEM "SMODO
    do Rio de Janeiro, permittindo sna livre elaborago no Imperio; ootra
    HO t PROVA

    a acceitagSo geral que tem em todas as partes onde apresentada. Em 1864 stabe-
    lecea-se a primeira fabr.ca em Buenos-Ayres; em 4869 a segooda em Montevideo; e
    no dia da chegada de S. M. O IMPERADOR inaogoroo-s a fabrica qe acloliBflnTB
    trabalba na corte. Em Valparaizo e em toda a costa do Paciico tem boa aeceitaciO,
    tanto qae rara a casa que considera completo seo aparador sem orna garrafa de
    Chegarara agulhas para
    bricante Grover dr Biker.
    Uiatfaioas, do fa-
    Du7.ia a UMO.
    i BfU

    Ditos, de cambraia branca cap
    lebabadmbosde edre* nWm.
    eebineki oa Ioa d* Pavlo.
    nhbs, de 3 a 9 palmos de altura e largura
    regular.
    A -MADRESILVA-
    acaba de receber um especial sortimWrto de1
    lavas de Jouvin, brancas, pretas e de cores,
    para horneas e senhoras, assim como tam-
    bem para meninas e meninos de 3 anuos
    para cima.
    BONLTAS.
    Rico sortimento de boneeas de todos os
    tamanhos e com rosto de "cera.
    BORDADOS.
    A Madresilva acaba do receber un rico
    sortimento de bordados em cambraia de li-
    nho,'fazenda inteirameute novidade ueste
    mercado, semlo babados e eirtremeios.
    FirramifMite, a Madresilva, alrn dos arti-
    gos que vos faz menguo, tem outros muitos
    que enfadonho seria explicar-vos, por isso a
    MadresiKa espera que vos dignis, visita-la
    mais a miado, a qual vos ficar sempre
    grata. ___________________________
    Lazitthas para-vestidos a 320
    rets o covado
    S o ra do Daqae de.Cxi* B. 60 A^ nair'ora
    ra do QaeimaJo,
    5,la &.C
    loja d c.-q;ica, da Beato da
    Engenho S. Matheus.
    Vendase, um engenlio d'agua. moentc e corrente
    com muitas bba^ ultras, meia' W-vd. distan!' da via
    frrea, estacio de Gamelleira, i>elo mdico prego
    de Iti.OOUiQO, didlteiro vala. TaiiJj.Mii vnde-
    se dando 6:0009001 vista. e dez dividido em
    cineo paeainentos annuaes, sei),do quo as. lettras
    desconiias'^ 1 %ao me, rodiizafn fc dftz contos
    de reis : a tratar a ra do Lavranaeoto n. 19, !.
    andar.
    Vende-sc na. ra do Imperador n. S>) um
    molerme,crioulo, d tp pifa 1 annos, boa figura,
    sadjOj em os offltios de' lecedor 'de ualhinlia e de
    ma/ciaeiro.
    (Ihegucra quaiito antes!!
    APi!bIHI!5t|!
    tifltV', f^w^ camftstref, da nteu uioa,
    para sjjihM-a, mj nrus dv Duerna de Casi a.
    60 A, toja da i -niiiui, de liante 4 $lv* & C. >
    Ahiga-se urna esenva para tiidn o serrico de
    urna casa de fainjla : rata/ aa ra Primeira
    de Ijarco ajitiaieotp \) ftcesjo, llia. do P^eso
    JWJo a5 ar.co*3 Sanjo Antoafl.
    -------
    ^
    a?

    ? ?
    ', atk entre o do comjpieijyur faaso e o fa
    IWH'Hfm^lm^ -. Wiaft a TIC
    j, arUnf" otfxa ae eaj
    m jarn i esrfwailSfl rjft
    ma
    iitLLot
    &
    quma m *e afaba
    aeHa,

    Rea do Mrquez de Dunda
    n. 50 A.
    Tem para vender os seguinte? objectos absix.
    mencionados, palos preces mais res^mJdos, come
    sejam : Coques moderos a 2000, pecas de ea-
    rcmeios bordador de diversas larguras a 500 rs
    dolas de cn'larinhos de linho a 4*5)0, dos nnu
    fios a 5*000, Icbqos para algib-ira a 200 r?. boa
    fuenda, linhas de earritel de 200 jardas a 60 rs.
    li par berdar a SiOOO Ibra, leqnes a imiucac
    Je sanda'o a 1*5(0, lampancas a 600 rs. a duna,
    raixas com papel amiiad8 a 600 rs. rutas com di
    to soperior a 700 r?., eovelopes a 400 rs. o cen-
    ta. botinas cacionaes para humero a 'tiSOO, (cos
    para craor;as a 1*300, agoihas francetas a 40 rs
    o papel, sab.metes de ilcatrlo a 500 rs. aifua flo-
    rida verdadeira a 1*V0 a garrafa, d'ta inferior
    t<000. frases com saodalo a t'^OO, ditos con
    oleo phitr.eome a 800 e t*000, ditos cora dito ba-
    Msa a 3iO rs. dit;s com agua de cologne a 240
    e 400 r?. pecas de ga!5-s brando para eofeites dt
    vastido? de craoi;a, a 400 e 500 rs, massos core
    t pecas dq tranca branca a 240 n ditos coa
    titas de -rores a 320 e 400 rs duiias de pbjspbo
    ros segaran^a a 240 rs. e a groa a 2*400, e oo-
    tros muitos ar'ii5", q"ie para nao torcirmo-ao*
    eofadoobos deisamos de me.nciooar, os rjuaes veo-
    lemse bir'.'os pan ar.h-r.
    O homem velho toma Hesperidioa para bter
    VIGOR
    O homem doente toma Hesperidioa para obter
    SALDE
    0 homem dbil loma Hesperidioa para obter

    -

    Nos bailes as dookellas e os mocos tomam a Hesperidioa para obter boa <& a
    ;>.nmac5o dorante os loncos gyros da
    BARROS JNIOR d C, roa do Vigario Tenorio n. 7, Io andar, receberaif eet
    grande especifico, e vendem-no nos depsitos seguales:
    J laquim ferreira Lobo, roa da Imperatriz.
    Zfferioo Carnero, ra do Commercio.
    Marcelino Jos Goncalves da Fonte, roa da Cadeia n. 2.
    Actonio Gomes Pires A C, roa da Cadeia.
    Antonio Gomes Pires d C., caes 22 de Novembro.
    Gomes A IrroSo botel da Passagem.

    NUV1ADES E f
    EM
    A narai. Nalmco A C. avi*am a rapazea.iia i-.tr-
    r.a-.ilesca e ar" habitantes rio Cabo. Apipuei)!
    IgH .rassd. Casa-Forte. Limoero, Afogados, Boyan-
    na. Santo Antin, Nazaretb. Vanea, (Miada, Mo-
    tocoiomb e aos demais amantes do carnaval ijue
    reVeheran um completn sortimento de mascaras
    de papelao, sera, seda e rame, para qnalqacr
    carcter : e franjas, trancas douradas e pratca-
    d.is. cajxileiras, 'antejoulas. voltas etc. Vendem-
    s i,(i Bazar Victoria, ra do Baro da Virtoria
    BAZAR VICTORIA.
    Amara!, Nabnco ^ C. acabam de receber ia
    Enrona pelo ultimo vapor o seguinte, e cornil m
    aa Etma- senhoras a virem ver:
    Ricas rhapelinas para visita, d>' palha, fellro.
    velludo e seda, a Rabagtfres Msntpensier, ultima
    moda
    Chapeos de palha para passoio.
    Knfeites de seda, de eores e para talo, paja ca-
    cera Je Sra.
    (."-turnes de cambraia para Sra., coatendo v.?s-
    lido. chapeo nV ciitta < de sol. tudo da mesma
    faz anda < t; iguaes enleUcs.
    Ccrtes de vestido? de la e seda., de cambraia
    bu .lado a aguiha, ptalad06 o estampados, e de
    baptisias d cores.
    Elegantes guarnires de cores para senhonu
    con'.endo 1 par de brincoi, 1 alfinete. i pulceiras,
    t diadema e utua bjrboleta para cabello.
    Leqqea de cota, laraoja etc. etc. lisos e bordados.
    jeques de p.u'lirrK bajas, twr-lndos e com ?eda,
    . I.-ques de tartaruga.
    lx-ques de uutdcira. osa te. ata.
    Vendem-se no Bazar Victoria, ruajio Barao da
    Victoria n. 2.
    I
    'I
    Vende-.-e baianca decimaas tanto peqoen
    como gandes : na roa du Impera tor n. 29.
    Encllente, toucioho togle em lataa
    abras a 900 rs. a Irsa : no aroaazem
    lusavs & C, ra do Arncrim o. 37:
    de qaalro
    de Tasso
    Mea? s de flamburgo
    Veode se a 1?# o ceoto, muito barato : na
    roa da Cro; n. *V 1* anda*, sali de cab^ei-
    Ee?oyeaa
    ae priaiira tiaatidade, aaica Devoes, venem
    fietair* da Cuaba Icoa'js, a ra de Uarqaez de
    Ohntt d. ii. i aadas. .
    Cemento.
    Vende *e o veriadeiro Purtland em l.
    l.'t arrotas : uo arrruuem n. :tl na ra do Anio-
    rlm.
    barricas de
    SIOUS SE HAMBUEGO
    As mais weentes e melbores.
    YcnJi.'ia-se iiixpkarmada edxujfai'iadeBar-
    jaolotinHi A ., ra f^irga dosarip o Hn> fe,
    Mka ^tene.
    te trja jm/a da Ira p\ ^gn_
    as-
    fn *ar-
    ^reWm-'Oliawra fatrea t$ T., rt do
    EfiMntantflntn j, y^nda. ____~ |^
    preto CQziabaio: WWP 3,
    . de bfr-.af qoaW
    Olireira Miranda &
    hw!
    FAZENDAS FINAS E ROUPAS FEITAS
    NA OFFICINA
    DA
    LOJA DO PAPAGAIO
    Tendo por mestre Mr. Charlea Laarent
    RA DA IMPERATRIZ S. 40
    Meudes Carvalho scientificam ao respeitavel poblico, qne acabam de recehtr o
    completo sortimento de fazendas finas de todas as qualidades, taoto de 13a como 4* ti
    nbo, seda e algodao, o qoe ba do mais modernoe do melhor gosto, e portanto MM
    dam as Exroas, familias amigas da economa do mestica, a virem oomaodarem Da OJ
    DO PAPAGAIO, e verSo qoe^ compram fazendas bonitas e baratas por menoa preco qn
    jamis comprarSo.
    COMO SEJAM:
    Granadinas de seda de ama s cor, lar-, Cbitas fraocezas de todas as qcali4id*a.
    gas a 1-5600. de 320 rs, at os crelones de 560 rs. co-
    Poupelinas sarjadas de furia cor boa lar- vado,
    gara, a 1^-200 o covado. I Cortes de casfa braocos bordados co
    Alpac3o de cores com listras de seda para;babados de seda de cor, e branco, e tatrn
    enfeite, a 800 rs. o covado. .bordados com listras.
    L5azinbas de cores, em grande qoantida- PARA LUTO.
    Veos de fil de seda pretos a 84000,
    Merinos para vestidos, bombazina, cao
    t3o, alpacas, Raiinbas, crep, cassas e efe
    tas, todo em qnaotidade, e para diverso
    precos.
    Groadenaples pretos, de 1^600. 40(0
    3500 at ftjeot).
    Seda preta com listras assetinadaa par*
    vestido*.
    CbapSos de sol de seda para meninas,
    400'-0, a Uradoi.
    Ditos para beaem de iOdOCO al 000O
    Ditos de alpacas de cor e preto, para di
    versos preco*.
    Tapeta* avelludadaa desdf o* tpaja pe-
    qaenos ateas maionsf
    Damasco carmezim para colchas, o me-
    lhor.
    Petaos de croch psra cadeiras a so-
    pbs.
    Calbralas victorias de todos os nafa*
    roa.
    Ditas transparentes inglesas e soissas, epa
    a largara de -larlatana.
    Fil da linhp e de se^a, branco e greta
    liso, de "salpico e de fljrea.
    Camisas bordadas para seobora, dti dj
    de, de 320 a 500 rs. o covado,
    Cachenez francezes para senhoras e me-
    ninas, a 3)9000.
    Cretones francezes para coberus, cor fiza,
    a 800 rs. o covado.
    Alpacas lisas e lavradas, de coros moder-
    nas, de 500 a 800 rs. o covado.
    Ciertas de fostSc de 13 e de oatraa
    qualidades, brancas e de corea.
    Ponpelioas de seda, de flor e de qnadro
    a 1,3800 o covado.
    Pecas de cambraia bordada para cortinado
    com 25 varas.
    Ditas de cambraia adamascada com 30 va-,
    ras, a 123000.
    Saias bordadas moito finas de i e 5 pan-
    nos.
    Batoes de chita e de cambraia. a 000.
    Nansouks e baptistas com listras para en*
    eitar.
    Diversas qualidades de ISasioh.s e alpa-
    cas em retalbos, para todos os precos.
    Bramantes de linbo para leoces, de iou
    at 40000.
    Dito de algodo moito largo a i80D a
    vara.
    Algodo largo para lenco**, a i#000 a
    vara.
    versos precos,.
    Meias, para senbnras, d,as n-aia infeno?at
    Atoalbado adamascado de linbo alfo- ateas mfb sapriqr^s ^
    dio.-
    Espariilbos;de linho finos, de 3)J000 para
    cima.
    L3azinbas largas com listras de seda, a
    800 rs. o covado.
    Mariapoles ioglexes e francezes de 56000
    at i2000.
    Algodaosinbo de todas as marcas, diver-
    sos precos.
    Bareges com fietra di seda, a 500 rs. o
    covado.
    Casjaa francezas de cores fizas lizas
    com barras, os padroa* mais bonitos qo.e se
    team viaio.
    FORNfCEM-S; AS AMOSTRAS A
    FW-GU
    gj?e teem appare
    cido.
    PARA IJOMENS E MENINOS.
    xNeste e^labelectmento se qoDj om.
    officiqaj. e qpalqjer bomyj) que (jnizex ve
    tir com costo,, Scjjar mjuli' variedaa> en
    camisas de cores, panpcsfjooa e c^sem ra
    o melhor qoe ha no mercado, ronpa feu
    em quantidade, assim com i camisas frao
    cetas e inglez**. lias bwdMas, ceroola
    deJObj) AfijjgQW4l-W- *oUinlW*
    ri|Jp qianiijaji, criyiia* 0> W<* o
    teiiiuf, cmiaM d| m,ei, em snwma ww
    trajfelBTpflnf pttiiar pAT veiUrfW
    gosto t aiecncia.
    ' t M F1GCBINPS A3
    aGO^ttisieae.
    **dem-se as Aa\s casas, ra do Vhjcon-
    4e do erval hs.'*7 e 99 : tratar Pa ra 4*.
    Sentaja Velba p. 106. !
    botk an-egwUa pk*
    Ijronrj pa*
    ito Aniwo; a,
    Yende-se urna taverna
    ra a tsn fiow >obfo
    irUvwfe najfcuezlae
    tarta tw tuvm- fi, %
    tjiUiydl f jllvl*'"
    A-melhor bolaehinha at tje onhee.Aas ^^>

    s
    ^\
    "t-ii
    1


    *
    I


    w
    .-
    Diario de Ptmiaibuco Quarta feira 22 de Jane foM73.
    7
    Baria as noivas
    ssimos v.,Val.loal, capolas <,!
    drtnrofa e o/e.as de sed, tule aspe-
    ooridaile t a naflHkr ftieodt qae tem linda
    Perfumaras
    Nnk uii*, i. pr*siM dar axfjNeedaa, aaa
    ?" fabricante-Job* GosoeiH. Ctueray,
    L2: Rml MS""1 > I" perfotnariae desta
    'ei vieran eeo vagos iU modero boto, qne
    l* n* tfcgaiKia sa lorata aroprl tara om
    linda prauo.
    Trampas e franjas de seda
    branca.
    DwUi oiwtteMt) vela mapojfeo, faaD auito boa, moilaUai uo"a e de ledas aa lacgaraa.
    Bcw&cas i% borracha
    Dmai aonaeat velo pequea prelo e de tari
    MUSMhM. .
    Diademas
    Liodos e de modello novo?, velo consa mnito
    boa.
    Queo duvMtr venha ver
    Deeedida sent a Magnolia raa Diqoe da Ca-
    li as a. 45, >.nvencer ios seus amigo fregae-
    zes, de saa especlalidade em correspondentes, na
    parte mas alegame do mando ; agora mesmo o
    nHiuio vapor eheg.ido da Europa trooxe nm. par-
    lo atacas iiieoaaainda para o lempo de fasta,
    uoustando do sf guile :
    Para o bello sexo
    Lidiimos brincos, .ilfioetee, croies, pulseiras
    e Actelas Je tirtarnga bordadas a onro, assim
    eooM bonitos grampos eon perolas e airas po-
    dras atara a caneca : a Magnolia solicita do bello
    sexo, que prima seopre no chique e na moda, que
    venna ver _....
    Laxo e bom gosto
    Para enriqaejer eafcrmosear ama sala veram
    lindes jarros e jardineins de porcelana omito Boa
    e de tnftoe- asodelios iateirameole novos, com
    lindos desellos e arados; ajsim como urna es-
    peciaiidade eni pannos de chroebel para sof e
    esdarraw.
    . verdadeira car veja o a .fia viera enarca aaa-
    nde
    aira, aaauperior qnalidada: va
    ios &. C. am sea armaiem da roa
    Taaao Ir
    Aiorim
    cownvjkCio
    miau
    lili!
    HaCBtTMMOS
    InnlflM
    f
    t
    ^rPUf4T/VES C
    -i e.n,,.V.___"
    m.
    IOOSE purgativa|
    '.-ASAbOVTAR-i
    V
    Utefem
    itHmur '" i" .V SAUDB
    DEPOSITO GERAL
    HA
    Pharmacia c drogara
    BARTHOLOME & C.
    34Ra larga do Rosario34
    %*sjuri,
    CllnM'
    O bacalbio da Noruega, em caixas e meias
    ditas : no caes da Alfandega n. I, atmazem de
    Tasso Irmies & C
    Qual?
    O maco cbiqm e da moda qae rao aproeiar
    urna linda gaarolco de mar ti m, madreperola, onro
    plaqaat, causa Uodissima e de molde especia) e
    nunca vindo aqu; rouio bous chapeos de sol com
    cabo de m trflm e bengalas mitacao de oucornio
    'rae*' de madreperla, por eerto nenhom dei-
    xar de vir i luja da al agnoia a roa Baque de
    'linas n. 43, escolher c,ualquer desles objectos :
    oao caro I
    CALCADO
    00
    Antonio Ferrara de Oliveira Maia lem para ven-
    der em seu estabeiecimento ra da Senzala-nova
    n. I, camellas para honiens eseaharas, tan uncus
    t sajiaios ds tranea para os mesmos, borracha
    para timas: tudo de superior qualidade a por pre-
    w comomao por ter \1i;do de sua conto propria.
    Diademas e aderemos de raa-
    dreperola.
    A loja di Aguia branca a ra do Duque
    llantas n. !0, recebeu urna pequea porrao
    iliaaVmae e aderecw le med
    .paralo posto.
    de
    de
    de meareperola, obras de
    Vende-se
    (Mi boa casa terrea, chao proprio, servindo
    para familia, sita na na das Criolitas Vendase t.mbem park de urna outra casa ter-
    rea em chao proprio, sia na ra da ventura (Ca-
    punga) : tratar na ra Primeiro de Marco n.
    7 A, i." andar,
    JAIWOS
    ;oa tripas e oobraaa d) vacca iogieza a U^OOQ
    ii* om : o* armaran de Tasso Iroaaos k C,
    roa do Amrrim n. :i7.
    Xaro]>e d%grio do ParT
    \ ntigo e conceitutido medi tira das molestias dos orgios respiratorios,
    orno a phtysica, bronchites, asthma, etc.,
    applicado ainJa cem ptimos resultados no
    eorbuto.
    Veride-se na pharniacia e drogara de Bar-
    'holomeu C, ra I.a'rga do Rosario n. 3i.
    Libras sterlias.
    Vaade-se no armaran: de (vendas de Acgtea
    v <| Oliv-.ra A r. j rra i^ Commercio n. i
    Perriri da CouDa Innos, a ra Mrquez de
    tiiada n. SI, vendem o seguiote :
    Vaquetas para carro c b-taa de viagem.
    Msrroqoios.
    Cji*daDts.
    Oleados para forro dt carro.
    Potassa da Ru--i;i.
    Vinhe do Porto, fino, em caixa?.

    (liiitas ..variadas
    Estao quasi limpas e sao
    tinas, tem tucuras e claras, a'210, e algodiozinho
    'argo e superior quasi limpos, a 4^o00 a peca :
    heguem dt prensa
    A ROSA BRAJVCA
    ra da Imperairiz n. Mi.
    8 A COROA DE CURO.
    4 rita dn Imperacric
    M n **
    Acaia de receber de eonta pi-opria,
    Xtt; pele iiHno vapor da Europa, uin com
    ^ pletn sortiinento de objectos de prata.
    fB os mai s lindos que tem vinde a este iner-
    t" cado, sendo os segmntes : aderemos d<
    lila-izianra, abra de apurado gorto,vol
    tas, minos, rozetas, salvas, relogios.
    palhit'iros, collieres etc. etc., pelos pre-
    ces mas resumidos possiveis. Assim
    tjj^ coma um completo sortimento de obras
    - de ui'o : anneis de brlbantes, rozetas,
    W| adoret;os etc. e tambeansem brilUantes. Xb
    SEtjEDO ECONOMA E CEUvRIBADE.
    Obtem-se com o uso
    HtffiCCA1 SH0ST
    Liuoa, hyfliciiica, ia:licaieMilalIvtjl lia cu-
    ra das gouorlieas, flores beancas e fluios de
    tuda especia), remites ou, cUronicas; e que
    oTerece coino garanta cle-salutaresresultado
    a contiruukite affiicagia.qiae.sewura cora a
    maior vaqtagem se tem fujio delU nos iios-
    ^itaas-da fa/is.
    Uhm (iap & C, ra Larga do I losara n. 34.
    Cortes- bords^(fo?ra ^jrW(?T
    -Ricos ooites. de eambmia eodl boedado dt tur, -
    ultima mola, petodminuW preede JJ| c>a
    certe : na ra do Crespo n. 20, loja de GoDMoM
    C a Cuita* <
    Q
    A iHaeMiaria.
    O Prelada Pernambue _
    A propoaiutjlo act-iai conlicte religioso, "ende
    e uuiversal, preop
    W rus
    600 re.
    lnTaras fraiceca
    Ti
    'ara o carnaval.
    N* ruada Trincheii ;is n. i i, loia do ciiiduei-
    ro, vate>i#.aWifimiM rfeariaie praW
    dos para viatoarioe de maaearaa.
    Obras de plianlasia.
    A loja da Aguia Branca, roa do Duque de
    Caxi s n. 50, recebeu um bello sortimento de bo-
    nitas e modernas obras do phantasia, sendo :
    Brinc.s e cruzes prctas, comdourados e pedias.
    Outros de ir adrep rola queimada com bonitos
    tnfeites de delicadas flores.
    Outros ("e fin dourado cem pngelcs de core*.
    Outros encarnados e de bonit s moldes.
    Rosetas de fino dourado com pedias branca,
    Aderecos d madreperola.
    Ditos dourados eom camapheo preto.
    Ditos enramados.
    Ditos imitando folhas c flores naturaes. .
    Ca soletas de madreperola
    Voltas de grossos aljofares de cor s.
    Outras He ditos pret s com donrados.
    Pulceiras de tartaruga com dourado.
    Outras prctas.
    Grampos pretos e de cores.
    Bonitas abotoaduras de fino dourado, com pe-
    dras, coral etc. para abertura de camisas.
    Kotoestlourados e de outras qualidades, para
    aberturas e collarinhos.
    Novas gollinhas e punhoB
    bordados.
    A loja da Aguia Branca ra do Duque de
    de Caxias n. 50, recebeu novas gollinhas e po-
    tabas bordados, e outros enfeitados com ntremelos
    e bicos ; assim como recebeu ignalmen e no as
    guarnieses de grvelas com franjas c laeos para
    os cabellos, tudo do melhor e mais mod rnos gos
    tO!.
    Bonitos leques.
    A loja da Aguia Branca, ra do Duque de
    Caxias n, 50, recobeu bonit s leques d- perfeita
    phantasia, pre'o com dourado1, e outros de apu-
    rados goslos; assim como recebeu ou ros de ma-
    drina qne se confunde com o sndalo, e tem el-
    les lindos coloridos n > c ntro, ainda assim ven-
    de estes pelo barato proco de 000 cada nm.
    Vasos de crystal para toillet.
    A loja da Aguia Banca, a ra do Duque de
    Caxias n. 50, r cebeu bonitas garralnhas de crys-
    tal em par com ramagens douradas e mui pro-
    prias paca arranjos de toilet, ote,
    . m<
    4TTENCA0
    Veode-se am excedente cofre com sbre-
    lo, obra feita oa ierra com muda seg..rao-
    <:: a tratar na tbesouraria das loteras,
    ra Io de .Marco o. 6.
    Nao ha maia cabellos
    braneos.
    Tinturara japoneza.
    So e coica approvaaa pelas academias de
    scieocias, recoubecida soperior a toda qoe
    tem apparecido at boje. Deposito prin-
    cipal ra da Cadeia do Recite, boje Mr-
    quez de Ooda d. 5i, 1. andar, e em to-
    das as boticas e casas de cabeeireiro.
    Tijolas francezes sextavados
    De 4&3000 a 5.VOOO
    auilheiro.
    Estes tijo'os, fabricados de barro venuelho con-
    solidado, s> us melhores e os mais econmicos
    pela sua barateza para ladrilhar os pavimentos
    terrees das casas, porquanto, pouro mais costan-
    do do que os feitos no paiz, sao, sein comparaeao
    algunia, saperiores a estes pela limpeza de que
    sao susceptiveis. Custam alm disto menos da
    decima paite dos de marmoro, j reprovados, e
    dos de differeutes mosaicos, os quacs nao estao
    certamente ao alcance de todas as fortunas, e s
    sao empregados c proprios para as salas priuci-
    paes. Alm da vantagem que ha no emprego
    distes lijlos para os pavimentos teneos e casas
    de campo, tem estes ainda a de seren os melho-
    res e mais proprios para ladrilhar cozinhas nos
    sobrados da cidade, atiento a sua solidez e pouco
    peso; estando mais que provada a conveniencia
    de sercm assoalitadas as cozinhas toda. de tijolo,
    e nao s a paite junta ao fogao, no que al as
    companhias do seguros se deveriam intpressar.
    Vendem se nos armazens de farmha de Tasso Ir:
    mos & C, no caes do Apollo.
    CARNAVAL!
    Itorraeha para limas,
    Vende-se borracha de primeira qualidade para
    limas de cfaeiro, nos seguimos lugares : na phar-
    macia f-eutral a ra do lmperadur n. 38, na mes-
    ma ra n.ti e no pateo da matriz de Santo Au-
    e no pateo
    ionio n. 4, por preco razoavel.
    ai
    Uii'do gosto
    Cadeiraa preus dooradae e marehetada d<) toi
    .ir. perol : noa rmazens de Taaso Irmij & C>
    oo ca^ rto Aooll.
    Farinha de mandioca.
    "v>nde-9e no trapiche Companhia ehegada ha
    i ouco do Rio de Janeiro: tratar cosa Thomaz
    de Aquino Foaeeca & C. suecessures, ra do Viga-
    rio n, 19.
    Novidade.
    Itiea-i -Aaej.* para aenaora, de pama de Italia
    a da nadayaaaa- uitormento aova ueste merca-
    do : so se eftceirtram na Prcdikcta, ra do Ca-
    bo g o. t A, a eltes antes qve se acabem
    (Vais dellesa
    Amrcfc efedricns.
    o -
    Dr aapeia- s ti otaia paga o
    n^^, aqua^Jimotw,, n Duque de Ca-
    nias n. .B'triir vamaw -poreao f e que por seren
    e* adieav vwJaeMww, nal* mm aaieveitado ,
    pea-altia arre aavataamaH,: fiUusaa-
    taa &4 aa.acaaua.4N4 Uafiwfe a.4S, la Dia#a
    fri wn fnade.
    Vt^-sejiti^tttnq^ltea, cftegaat uWma.
    yiw ala fliaajfrt)ii n. twvarat oa pracfcdo
    Cmde d'u, esquina da ma do Arafio-
    ARMAZEM DOS LEOES
    Ra Duque de Casias n. 29.
    08 proprietarios deste bera montado estabelecimeoto scienlificam ao
    <*espeiUvel publico desta proviucii que se acbam cem oa variado e completo torti
    atento de movis, tanto nacionaes como estraogeiros, sendo eetee escolhidos por om dot
    losios que se acba actualmente na Europa. 0 mesmo tem contrastado com os melboret
    fabricantes daquellecontmente as remesaas das mais ricas mobilias eitas all.
    Na officina tem os mais habis artistas deste genero, e por sso pedem qoe te-
    nbam visitar o estabeiecimento, aonde encontrario a realidade do qoe acabara de expr
    oe se pode examinar; ricas e completas mobilias de Jacaranda, mogoo, faia, carvulho, a
    marello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pa setim, amarello, etc., ete.,gaardi
    vestido de amarello, guarda looca de nogueira de aaaarello com tampo de pedra, apa
    radores dedto dita, peti toilettes especialmerde para (azor a barba, toHettes de Jaca-
    randa, amarello, pedra, secreta-ia da Jacaranda e mogoocus toreiras ae mogno, san
    lanos, thears para bordar, bercos, lavatorios coa espelho, de pera mamore e seuf
    pertences, cadeiras privadas, bids; etc., etc., e mnitos ootros artigo? qoe deixamoa *
    mencionar por 8e;torn*T enfadnbo
    SORTIMENTO
    DE
    OBCECEOS JZVkQBm&Q& WMM& A miA-
    N. 1S Kua do Uarao da Victoria N. H.
    Antonio Pedro de S uza Soares, recebeu om lindo e variado sortimento da objectos
    orno tejam : lindas caixinha? de madeiras com extractse sabooeles, bolsa*, indenpesa-
    veis deconro da Russia.para seoooras, potes e catangas eom banbs dos melboresperfa-
    xistas e muitos objectos abaixo declarados, os qoaes vende por preces resumidos.
    Galbeteiras dooradascom extracto.
    Dozia de talberes cabo de viado (a
    imita(io) a 3#000
    dem dem cabo de osso 1 B com
    toque a 45000
    dem idem idem i B finos a 5<$500
    Livros para notas a 320 e #400
    Abotoaduras para cutele, grande
    variedade a 520
    Lamparillas a gaz a lOOO
    Gaixa de linba cem 40 oovelios a 500
    Groza de botSes de osso para cai-
    fa a ,$200
    Dozia de ditos para enfeitar vesti-
    dos a 200
    Resma de papel pautado e lizo a
    3^000 45000, e 45500
    Caixa de papel amizade muilo
    bom a 600
    I lem idem boira donrada a 5^00
    1 em de envellopes linos de Pi r-
    :elana a 800
    dem idem a 400 e 5500
    Duzas de bralhos fraccezes canto
    lomado a 35P.OO
    dem idem lisos a 25500
    N0V1DA0ES.
    Redes enfeitadas para Senhora a 1580O
    Brincos com pedras o qne tem rindo
    le mais gosto.
    Bonecas e animaes com cerda.
    Mdios adere gos pretos com cama-
    feo a 5640
    Luvas de pellica me lo fresca a 25500
    dem idem cura toque a 54tO
    Dozia de pegas de trancas de ca-
    racol a 5400
    dem idem liz s a 5200
    Microscopios (sem vistas) a 5000
    Dozia de pentes de borracha para
    alisar com costa* 25400
    Mimosos leques de osso para se-
    obora a 75000
    dem idem de sndalo com Unte-
    jotilaa t 55000
    I4f m idem a imi'acio a 25000
    Garrafas de tinta rosa mnito boa a 15000
    Potas de dita ingleza (preta) a 5160
    100*
    Sapatosde tranca tapete, casemira e
    cbarltte.
    Botinas par^ senboras o pam 55000
    PERrMARIAS.
    Macos de sabooetes ingleses amito
    booe a dO0
    Dozia-de saboo j=s de ameoda a 25500
    Mam idem decnraeao e flores a i 5500
    Pacote com pos de arroz mnito
    fino a 40Oe 5500
    Garrafa de agua florida verdadei-
    ra a I52OO
    dem idem kansnga a 15200
    Frasco core olao oriaoa *5000
    Gaixa ooi p para denles a 5200
    Opiata moitobd a 15000 1500, e 25000
    Agua de Cotogne mnito fina fraeo
    de 00 a 250OO
    T-nico oriental de Kem a 15000
    Variado sortimecto de vasos com banba
    Caixiobas com extractos a 25,35 e 45000
    Frasco com extracto oriza muito
    fino a 15500
    dem idem a 240 400 e 5500
    OUINQUILHARIAS.
    Tzmbres para criancas, bailas de borra
    cha, b( ecas de massa e louca, candieiros
    a gaz, bonecas de porcelana, qaadros de
    parsageos, cidades e machinas decostura de
    Howe.
    MZEO DE JMAS
    N. 4 Ra do Cabug 39. 4
    JOSEPH KRAUSE d\^erc39i-c2K
    DE
    (OMES M MATTOS, BMAOS
    Nesie importante estabeiecimento de primorosas joias, achara o rtspelavel
    publico dcsta capital um grande e variado sortimento de joias de todos os
    procos, queja existiaru no Muzeo, quosero vendidas cora grande reduccao
    de prego, alm dos novos objectos recebidos directamente da Europa, que
    se vendero por prego animador, bom como sejam, aderegos de brilhanles,
    pulseras de ditos, broches e rosetas de ditos, ditos de diffareutes pedrarias de
    pregos ; aunis de brilhantes e de esmeraldas, rubias e perolas, e de todos
    mais objectos de valor, quepossam ser dcsejadospelo bom gosto e aprecodas
    familias, que sabom dar valor a objectos dp primor.
    Os proprietarios do Ml'ZEO DE JOIAS, con vidam as familias queso
    queiram prover de oxcellentes joias, a virem oscolha-la-eutre o variado
    sortimento dellas, garantindo os proprieUnios que ser sanceros para todos
    que se dignarem procurar seu estalxiecimento.
    Entre o grande sortimento de -bej litantes, esmeraldas, perolas, e obra
    simplcsmente de ouro de lei, se ver uui elegante soctiwento de obras de
    prata primorosamente trabamadas, quetaueui se vendem prego reduzido,
    bem como, relogios de euro e prata dos melhoree autores conbecidos, que
    se vendem mediante pouco dinheire e garaua dos donos deste estabeieci-
    mento.
    Os bomens do centro, que procisarem de quatquer objecto de grande
    ou pequeo valor, procurem o-MUZEO DE JOIAS, attenro e sinceridade.
    >!.!#
    DO
    BAZAR NACIONAL
    Ra da Imperatriz n. 72
    de Louren^PereiraMendesGuimaraes
    Declara ao respeilavel publico que, tendo concluido o conseno que fez em sea es-
    tabeiecimento da roa da Imperatriz o. 72, declara qoe o sortio de novas fazeodas pro-
    proprias para a (asta do natal, os preces sao os mais baratos possiveis a saber:
    LAS1NHAS A' 120 RS. CORTES DE BR1M A' 15500.
    Vende-se laasrabas para vestidos a 120 Vende-se cortes de brim para calca a
    tOO, 360, 400 e 500 rs. o eovado. 15500 e 2 OLINDENSE A 800 KS. MADAPOLO A* 3JC00.
    Veade-se nma nova fazeoda de seda e Vende se pecas de madapolJo a 35000,
    hnho, por nome olindense, propria para ^m, 55000, 65000e 850C0.
    640 e 800 vestidos, a 800 rs. o coado. chapeos de palha a z#000.
    ALPACAS DE CORES A 440 RS. Veide-se chapeos de palba, de feltro t
    Vende-se alpacas de cores, lisas e lavra- de castor, para bomens e meninos, a 2|,
    das, para vestidos de senhora, 440, 500, 2550u, 35 e 45000.
    rs. o eovado.
    .BAPTISTaS A 800 RS.
    Vende-se nma nova fazenla por nome
    baptiatas, para vestidos, a 500 rs. o eo-
    vado.
    SOTANAS A 640 RS.
    Vende-se orna nova fazenda de 13 e seda
    por nome se tanas, para vestidos de senbo-
    ras e menios, a 640 rs. o eovado.
    PHANTASIA A 800 RS.
    Vende-se orna nova fazenda lisa, por nome
    phantasia, para vestidos, a 800 o eovado.
    1'nsto braacn a 3SO rs.
    Vende-se fustal braoco e de cores, para
    vestidos, de senbora, a 32.0 e 400 rs. o eo-
    vado,
    CHITAS FRANCEZAS A 140 RS.
    Vende-se chitas fraocezas escoras e cla-
    ras, a 240. 280, 320 e 360 rs. o eovado.
    BRAMANTE A 15600.
    Vende-se bramante com 10 palmos de
    targora, proprio para lengoes, a 5600,
    e 25200 o metro.
    Groademaples preto 25000
    Vende-se grosdenaple preto a 25000,
    25500, 35500 e 55000 o eovado.
    PANNO PRETO A 1*300.
    Vende-e panno preto para caigas e pa-
    litos, a 15500, 25500, 35COO, 450OO e
    55000 o eotado.
    ALGODAO A' 45000,
    Vende-se pegas de algodao americano,
    45W< 55000 65000.
    BOTINAS PARA SF.NHORAS A 55000.
    Vende-se botinas para senbora, a 55C00
    e 55500.
    CAMBRAIAS A 35000
    Vende-se pecas de cambraias lisas par
    vestidos, a 350C0 45000 e 55000.
    CAMISAS BRANCAS A 2/000.
    Vende se esmisas brancas a 25500 e 25.
    Ditas de linbo a 35, 355C0, 45000 a
    55000.
    Palitots de panno preto a 55000, 75000
    e 85000. Patots de casemira de cores, a
    45, 55000 e 85000.
    SAPATOS DE TRANCA A 5'iOO.
    Vende-se sapatos de tranca e tapete, para
    bomens e senboras, a 15500, li.si 0 e25-
    St patos de casemira pretos a 25500, 35 e
    355X0.
    CHALES A' 8C0 RS.
    Vende-se chales de 13a cem qoadros e lis-
    tras, a 800 rs. e tflOOO, ditos de erni
    estampados, a 25000, 35500, 45 e 55000.
    E outras muitas fazendas quo se vende
    sem reserva de prego, na loja do baraldiro
    Bazar Nacional.Roa da Imperatriz n.
    72.
    *
    Samuel Power Johns-
    ton & 0.
    Roa do Apollo n. 38 e 40
    Fatem eieote aes seas freguezes qne teem
    modado o sea deposito de machinas va-
    por, moeodas e laxaa da mnito acreditada
    fabrica de LowMoor para roa do Apollo n.
    38 e 40, onde eooimoam a ter o mesmo sor-
    timento do cosame.
    Fazem sdente tambem qoe teem feito am
    arranjo eom a fondicao feral, pelo qne po-
    , dem offerecer-se para asaeotar qaalqaer
    machloismo emeemo garant lo.
    Os proprietarios da fondicio geral fa'era
    seientes aos seobores de eogenbo e mata
    pessoas, qoe teem estabeleeldo nma !oaJi-
    go de ferro e brouze a roa do Brurr, jun-
    to a euaco dos bond?, onde aprontarlo
    qoalquer obra de escommeoda com perfei-
    cao e promptidao.
    Os memos rogam as pesgoas qae qpsi-
    ram otilisar se de seus servigos de Jeixa-
    rem as eneommeodas em casa dos Sr's. 3a-
    moel Power Jobojtcn & C. a roa do Apol-
    lo o. 38 e 40, oade acbarao persoa habili-
    >c
    tada com qnem possam entender-sa.
    Apparelho para fabricar assncar, do aystema.
    WESTON CENTREFGAL
    nicos agentes em Pernambaco a foodigio geral.
    Para tratar em sea escriptorio a ra do Apollo n. 38 e 40.
    : 2&& 'M^l $^Si \
    ? )''a*'! fm'k'm\ wM'W<
    Aderecos de bri-
    lhantes, esmeraldas
    rubins e perolas, |
    voltas de perolas.
    onrii e
    A SAPHIRA
    Obras de
    prata de todas as
    qualidades.
    NOVA LOJA DE
    N. 2 ARa do CabugN. 2 A
    Achando-se completamente reformado este estabeiecimento, e
    tendo os seus proprietarios feito urna importante aeqursjo de
    joias as mais modernas vincas ao mercado, e de qualidades-superio-^
    res, convidara ao respeituvel publico a fazer urna visita ao seu es-
    tabeiecimento, aftm de apreciar e comprar urna joia de gosto por
    pre^o razoavel.
    \<,

    TNICO E FEBRFUGO
    aH.vf i.tito 'OH i. KiiiiHit di: :a( k parim
    Heiialli
    Onro.
    auiNA
    Premio
    DS
    9
    MOA Fw
    ELUIR TOKICO, FEBRFUGO, FORTIFICANTE E REPARADOR,
    Nupertor m Vlnh* e uroprn de falsa.
    Experimentada com pleno succesao nos hospitaes, k Qoina laaoooi (ou Extracto tomfltto\
    dt Quina) 6 urna preparacio excepcional, por ser privada do amargo da Quina. Agrada por
    coaeeguinte as pessoas as mais intolerantes e aos paladares os mais delicados, pois ncm
    muito doce ero muito viscosa, sendo de urna limpidez constante. Emprega-se com muilo
    proveito nos casode : gastralgia, dytpepcia, mvralgta, anemia, marasmo, cecherim.
    mtgrtia, fastiu tm causa appareate, sonvalescencas demoradas, chlorote $ tscrophutat.
    E O ESPECIFICO OU MOLESTIAS FEBRIS.
    QDIA LAROCHE FERRGI10SA R-qhuJo todas as proprieilades do Ferro et da Quina, 15, ru Drouot.
    Na pharmacia Naurer ra de Barao da Mictoria d. 25.
    e
    Nov-9 ostabelecimentx)
    de joias.
    *e-


    do CaUataejai ii. 1.
    aua aatafeeleriuepto xa encontrar
    um ..-benito sortimento de joias que 'se 5-
    Tea*anpor tai preco que auiniari ao
    ^ ieaiwief, anorto ae vaatajom syMe-*|E
    m ma, gaahar pouco para vtoimr, mui- fia
    ** fS* ? ertaiaenta aui ao. compra- -r
    Yidros para vidra^a
    Oiiinihoem kiil
    Estanfiu em v?r^nn1ii
    Na ra do Mrquez de Olinda n. 4, armaran oV
    Silva Barroca,
    _______------------ > 1< ...--------j-------------i. m. ,----------
    Boa aewttiei^ao
    Vende-SB tm tfTTertd na' rrra fmpernil, soKi
    proprio, com 1 0 pxMhe*de fwaile W a
    *H toaa atfiradov aaMaiatai yw=* rdilinr. porto
    (wadeMrawia;jai^riaJ, estand) nm lado mu-
    rado : a ex na" mea, ra, casa n 3R, ca'tra-
    weiISMlllMWlWiWem ,,-b^
    cabriolet americano de. r V ueeaml,
    *j^* novo o muito oMpaita/
    doj^jatTendedor.
    , 'Taatii se compra ouro, prata e pa
    m-
    >f<, i mearnaarte.
    bem eom w'fabrir e
    ejnaapier abra tenactlta zj
    *

    A 200 e 240 rs. o
    Chitas finas com toque de agua doea a *H) e
    -O.
    "Vfeit**^* **-.*-lene**', na-rua
    caica n. MI
    e^CMtraica
    A
    Ym
    '!r^at^paiiTtfi
    Da mais nova qne ha o meo
    ftfca*w0,a>vailo, e*ta venda a roa do (.respo1 Pereira Viaapa. A C, A roa do" V
    a ff, loja de Guilnerre G. da Cunha C. andar
    endop


    !
    a
    Diario de Pernambiiccr -r.Qorta feira 22 de Janeiro d 1873.
    YiJffiDIDE
    U/TO* K BUXOS
    {Ccncluso. )
    c A primeira es'.rophe pouoo ais
    menos assim:
    u
    u Kaios te partam nos p.-ofur'los antros
    u Onde te escondes, ol metal bovarde !
    <( Demoraos bebaiti-te !
    - No uiimlo atiabe leu poder ignobil.
    . Attrahes os brutos, dos poetas foges
    Oh !ouro prfido ;
    Daqui a republicano un passo.
    No segundo caso fici o trovador de
    oratorio. Seconsegue dormir, ello, que
    nunca sonho cora hoiaens, v o editor
    ora desfrangindo ora sorriso ile approvac/io,
    ora torcondo o r ariz como quom quer dizer
    na sua nio me chora a obra
    u Passam os di:is vagarosos,
    e chega
    Antonio
    lmar*
    dor d4
    hendis, pois^
    ficuldadu este
    poldo, Euzebio
    a e todo o espen^
    proferio. Compre-;
    consocios, a dif
    eoMMttiment, a que de
    momento fatal. O poeta, tmido e nervoso
    como quando pola primeira vez n'uina for-
    mosa noite de mar dos tropicos a beijou
    em verso de redondillia maiora mo
    nevada da sua Ella, espera cora o chapeu
    na mo e o riso na flor dos labios, a res-
    posta de sugeito. V o rolo, cofre das joias
    da sua alia e de seu coraoo, aportado en-
    tre as mos grossas o callisas do mercador,
    o estremece de horror e de impaciencia.
    Afigiiram-se-lhe garra* de ahutre dilaceran-
    do misara pomba.
    Afiual offset em-lhe pelo lilho primo-
    gnito ilo seu talento o das suas inspiracoos
    a mesma qtianti.i (pie o Wtor poderia ga-
    nhar em trinta dias remamlo um bote oa
    governando umtilbury.
    a O demonio do suicidio faz-lhe gaifonas
    le longo Vai ao morro ci Santa Thereza,
    mas a populago invadi aradle refugio do
    tristes, e o poeta quer por leito de morte a
    solido ou o desarto. Sobe ao Corcovado,
    e averigua que o tombo grande de mais,
    o que pode morrer em caioinho, o elle, de-
    soja no ultimo paroxismo ixilbuciar o nome
    'K'.lc
    Felizmente, pensando melhor no caso,
    e dozendo de s para si qui peta que Byron
    .veudesse o /). Joan a de/ libras libras ester-
    linas cada verso, dirige-seao editor :
    Paraca os cobres, diz elle.
    Venha o cartapacio, responde o mer-
    cador............
    a Passados seis meaos o infeliz editor con-
    templa tristemente a tirugem que fez do
    volume, e conta o umero dos ejemplares,
    que verifica ser o mesmo qno sahio do pe-
    lo, faltando apenas sois qie foram offereci-
    dos sredacedes dos prioelpaes seis jornaes,
    que se distizeram em elogios, pouoo mais
    ou menos do theorsoguint?:
    a Acaba o Sr. /ufano de publicar as aus-
    piciosas premicias de um talento de primei-
    ra orJem. Melgo como Lamartine, arreba-
    tado como Vctor Hugo, gracioso como A.
    de Musset, amante como (iarrot e sarcastico
    oorao Spronceda, soube o joven poeta der-
    ramar sobre todas as suas mimosas compo-
    ic.os um colorido suavo que faz lembrar a
    transparencia do posso co e o murmurio
    dosnossos regatos.
    Nao podemos dentar de transcrever as
    primeiras cstrophes da poesa a que o ma-
    vioso autor chamou Deus e fatria.
    certo nte nao abalanzara, conscio da propria
    fraqueza se me fdra tieito racusar ao mestre
    os insigmfican|es frustos de ma intelligeroia
    que ol es aifcventou.com suas liAes ecp o
    seu nobre etemplof c se,,afm ao mafc, nao
    contara con a vossa nunca desmentida be-
    nevolencia e amisade.
    PaHiilo raflexo infssaram, servirlo nimbas palavras para en-
    grandecer o que boje por circunstancias
    extraordinarias nao podis ouvir dos labios
    do orador do Instituto. Tereis duas sau-
    dades a lamentar : a dos nobilissimos vultos
    que se perderam para sempre, porque l
    foram caminho da morte, e a ausencia do
    mavio.w cantor a quem competir eternisar-
    lhes o nome nesse ostylo florido, elegante o
    numeroso, que todo sen; masa magni-
    tude do assumpto assegura-me desde j o
    vosso perdao, porque em nobre empreza
    a mesma queda nobre ; e porque se me
    (' permittida a comparaco, haveis de per-
    doar a Isorratcs os defeitos de sua pouca
    inspirac.io, j que elle celebra as grandezas
    ile Athenas e de seus tilhos.
    Senhores, o ando* da morte descou ainda
    urna vez ao seio do Instituto, e durante o
    anuo que fin Ion roubou-lhe cinco de seus.
    mais estimados ornamentos. Inexoravel,
    nao ouvio o soluto dos amigos nem os la-
    mentos da patria, nem os piantos sentidosj
    da sciencta e os do Instituto. Mas embado;
    a historia, que a niestra da vida e a teste-
    inunlia dos tempos, encarrega-se dr burilar
    nos seus marmores perennes o nome dos
    hroes que suceumbiram ; a gratidao nacio-
    nal levanta estatua a este ; quelle as gera-
    nOS posteras cobrem de louros sempre vi-
    rentes, e ainda ao quo preferir viver nos
    reoessos da obscuridade ergue thronos de
    urna luz. que se ftlo apaga, luz que nao tem manchas e que nao descahe no
    occidente, porque a verdade, filha do co,
    um ponto lixo o incorruptivel sobre os in-
    mensos paramos do mundo moral.
    Os homens sentimos a morto de nossos di-
    rectos roaos do trabalho, e lamentamos a
    pona, porque o eora^o um instrumento
    mgico, que vibra sempre sob a impressao
    de certa ordom de factos; a patria chora
    sobre o tmulo de seus filhos queridos por-
    que elles lhe fazem falta, e porque o bom
    cidado um elemento de prospertdade que
    se nao perde impunemente; a sciencia, a
    sagrada deusa da sciencia, cobre-se de crep
    liando lhe roubam urna do suas candidas
    Miuha patria, ouve o meu canto,
    Que em turbilhoos se desata-.
    T vas, 6 patria qnerida,
    Do Amazonas ao Prata.
    vestaes, porque o numero dolas e sempre
    pequeo, o o coro misterioso desta so lhe
    fallece alguma de suas notas peregrinas.
    Polo esquecimonto, nao Esquece.m-se os
    vaidosos da trra, os parsitas sociaes, os
    fatuos que incensaran ao prazer e ao gozo
    dos sentidos porque todos elles sao como o
    tenue fumo, que agora se ennovella e d'aqui
    a pouco nao subsistir mais; mas nao se
    apaga com a morte a lembranc,a dos bons
    servidores da patria, nem a dos paladinos
    desta cruzada idealista, que immortal por
    isso mesmo que uo sonha com os thesou-
    ros da materia contingente.
    Esqucce-se a riqueza, a formusura, e at
    o crime; mas a virtude ea inteireza de
    Phocion o desinterosse de Ciminato, o genio
    de Homero e Dante, esses ir5o at s ultimas
    gerayoes, e rodeados sempre de urna aureola
    divina e da benelo dos seculos.
    Imaginai a aore robusta de nossas flo-
    a
    x
    Meu Deus, a vos os weus hymnos,
    a Meus hymnos vou-te offertar,
    Tudo man las, tudo podes
    i No co, na trra e no mar.
    (Jornal
    do Commercio do Rio.
    UTTRACTRA.
    lnatltuto IMiwtorif c Geogra-
    pliico Braiilei*o.
    P1SCIRS0 DO DR. HEMJAMIN FRANKL1N K\MIZ
    CALVAO, FAZENDO AS TE7.E8 DE ORADOR RA
    SF.SSAO MASA, CELEBRADA EM lo DE
    DEZF.MBRO DE 1372.
    Oneroso encargo sempre, senhores, ba-
    talhar na arena e;n que os mais distmctos
    talentos provaram a sua pujanea e os gran-
    des recursos de Urna sciencia adquirida em
    largos anuos sobre a rude mesado trabalho.
    Que onus nao entilo ser sopesar o discpulo
    a clava herclea do mestre, arcar nesta ca-
    dena com as vivas recorJi.;oes da eloquon-
    oia de Porto Alegre, o pico e magestoso
    cantor de Colombo, ou com a de Macedo,
    o suaviloquo bardo de Nebulosa ?
    4inda aqui .nidos resoam os elogios de
    restas americanas. O tufo vertiginoso
    desfolha e despe-a de flores; a foure cruel
    dos devastadores lacera-a o a desgalha; o
    tempo a desnuda e corroe-lhe o alburno;
    mas o cerne incurruptivel, e nvulneravel; jAiiemao.
    pois bem I e como o cerne da arvore sym
    bolica da humanidade esta geraoao nunca
    interiompida de lidadores da idea e apost-
    los do dever.
    K em honra delles que o Instituto vem
    boje pagar a sua divida sagrada de todos os
    anuos, ainda que polo orgo do mais hu-
    milde de seus membros.
    (iiacomo Raja (iabaglia, de origera hes-
    panhola, nasceu em Montevideo, provincia
    cisplatina, a 28 de julho de 182G, cera filho
    de Caetano Raja e D. Carlota Raja.
    Dedicado carreira das armas, mais talvez
    por vontade de seus pais do que por vocaco
    propria, assentou praca de aspirante de ma-
    rraba em t de marero de 1839, c ao cabo
    de tres annos de estudos da academia foi
    nomeado guarda marinha a 24 tle novem-
    bro de 1842. Feita sua viagem do instnic-
    ^ao na fragata Paraguassu, foi promovido
    por lei a segundo tenente em 23 de julho de
    1844.
    Nao cuidis, senhores, que se vai desenro-
    lar dora em diante a vida de um valente
    tilho dos mares, ou de um desassombrado
    de ce:n batalhas. Seduziam
    menos ao genio calmo e pensador de Ga-
    baglia, as glorias de NeLson e Farra^it df
    que as palmas virantes colhidas no retiro do
    gabinete pelo homein da sciencia.
    No se fazera as vocagoes. Coocada na
    vestid4o do owano, e entrof ue ao furor dos
    elementos que ameacam submergir nave
    alterosa, nossp consocio seria taire/ o 'mais
    tmido e ioeiperjente dos pilotos; no retiro
    do sabio, e entregue aos vdos da raedilacao
    profunda, foi conscencioso algebrista e um
    dos distinrtos mathematicos que o Brasil
    tem possuido.
    Desejoso de adtantar conhecimentos de
    que seu espirito era vido, pedio e obteve
    licen<;a em 30, de junho de 1847, para fre-
    quentar o curso da escola militar, onde
    alcancou merccidaHlente, e com geraes ap-
    nlausos, a carta de bacharel em mathoma-
    ticasaSOde novembro de 1853. Mas j
    antes a parola fra descoberta, por muito
    que a quizesso esconder os escrpulos da
    modestia; o moreciioento real coran
    regia victoria dos igaraps amaaoniaos; tem
    rnizos no loito dos rios, mas sobe sempre
    tojia d'agua para desabrochar-se em flores
    de esplendida belleza.
    Antes de bacharel, j o goyerno imperial
    achara digno de sentar-so naquellas mes-
    mas cadeiras, de ondopuvira Gabaglia, as
    sabias licoes de seus mestres; em 30 de
    setembro de 1851 foi nomeado lente subs-
    tituto da academia de marinha, e. a 3 de
    man;.o do 1852 promovido por antiguidade
    ao posto de primeiro tenente da armada.
    Kstava as-untada sua vida, e enriquecido
    o magisterio com urna das mais dignas
    ucquisic/>es quo por ventura poderia azer.
    Mas o homein de talento um raineiro
    iufatgavel que nunca chegou aos ltimos
    B ambicionados limites de sua exploracao.
    Levingstones de outra ordera de regios,
    conhecem sempre a immensidade do que
    ignorara o nao ha contrariedades qne os
    demovam do estudar e aprender.
    Gabaglii senil* que lhe faltavaum campo
    mais vasto, um theatro de applicacjjes inais
    extenso e digno de seu talento. Foi este o
    movel de sua viagem em 1854, Europa,
    onde se applieou a hydraulica com sutura
    especialidade notavel aproveitamento.
    All dilatou o circulo de suas ideas; em
    meio dos sabios euriqueceu-se de thesouros
    que nao niorrom, e o que mais importante,
    bebeu urna somma de conhe<-iiaentos, que
    s a observado propria pode dar, o que
    mais tardo vieram ter applicacfio feliz no
    seio da patria, no desempenho de coinmis-
    soes seientiicas de que o governo imperial
    o achou sempre digno.
    Quatro longos annos durou essa ausencia
    do bom cidado; porm foi urna dessas
    ausencias que nao dem, mas aproveilain,
    porque o bom cidado volta melhor, mais
    til e mais rico para o sou pai/., como esses
    rios que em tortuoso gyro demorara sou
    tributo ao ocano, mas quando o prestara,
    vem caudalosos com as aguas de cem tri-
    butarios.
    Ainda ausente Gabaglia mereceu em 11
    de setembro de 1855 a nomeacao por de-
    creto de lente cathedratico da ento acade-
    mia, e em 22 de maio de 1858 a de lente
    da primeira cadeira do seguudo auno da
    escola de marinha, que nesse anuo passra
    por modiftcai.'oes. radicaes.
    Chegado que foi em 1859, nio lhe foi
    dado o repouso porque eslava nomeado
    desde 7 de marco de 1857, para membro da
    seceso astronmica e geographica da com-
    missao sciontilica encarregada da explorare
    de algumas provincias do norte do imperio.
    Parti, pois, incontinenti para o Cear,
    onde se achavam ento os seus companhei-
    ros de trabalho sob a direcc,o do sempre
    momoravel e respeitavel botnico Freir
    travou com o grande mathemaco, Gomes
    de Souza ; era S de abril de 1882 namea-
    ram-n'o para inspeccionar o trabalho do
    excars<;o,do porto do Rio-Gran le do Sul e
    [examinar os trabalhos de desobs uceo do
    rioS. Goncalo ; em 10 de marco de 1863
    4>ra dar parecer sobre as causas do dosaba-
    mento Jas obras da alfandega e propor os
    raers de as reparar; em 20 de nuio do
    mesmo aono para dar ppfaaiao sobre as
    obras do dique imperial; era 8 de junho
    seguinte para o lugar de engenheiro das
    construci;es hydraulicos do.arsiraat.de ma-
    rinha; em 20 de junho de 1864 para ir a
    Pemambuco estudar os cleils do rompi-
    mento do isthmo de Olinda ; era 1866 mem-
    bro de urna das comraisses encarregadas
    de estudar a exposico nacional desta corto ;
    em 15 do margo do 1867 para ir estudar e
    propor os meios de obviar a falta d'agua
    que se d em certas estac/ies do, anno na fa-
    brica da plvora da Estrella ; o a 3 de
    maio soguintc para organisar o projecto do
    regulamento, que tinha do servir de base
    introducto .do systeraa mtrico no paiz.
    De todas estas numero>as e difficeis in-
    cumbencia, senhores, deu canta o nosso
    consocio, e sempre de modo digno de seus
    reconbecidos talentos.
    Parta para onde quer que a patria recla-
    masse os seus servidos, o qnanlo findava as
    suas commisscs extraordinarias ahi vnha
    o mestre jubiloso sentarle da sua cadeira
    de inathematicas superiores onde o ouviram
    militas das notabilidades, que hoje fulgaram
    nos quadros da marinha brazileira. Mes-
    tro no rigor da palavra, reuna grande
    sciencia amor ao ensino. Ameno no trato,
    mas severo e integro na distribuirn da jus-
    tica; dcil e paciente para quera jueria
    aproveitar dos seus elevados conhecimentos
    na diffiel o rida especialidade do calculo
    superior, masjuiz inexoravel dos descuidos!is
    que soem atalhar as academias e affruntar
    os actos publico, sob o manto protector das
    recoinmenda^oes i minoraos; claro, exacto
    e preciso na exposico da doutrina, mas a
    nm tempo elegante o para bem dizer diser-
    to todas as vezes que o assumpto o pttmit-
    ti; trabalhador incansavel e consciencioso ;
    engenho capaz de descobrir, posto que nun-
    ca houvesso feito garbo do taes deseobri-
    nMnitos; eis, sonhores, o que ora Gabaglia
    na rude misso de] educador da raocidade e
    sentado nestas cadeiras, quasi altares, onde
    deve sempre arder o fogo sagrado da scieu-
    ci, e da" probidade.
    Por muito repetida nao deixa de ter sem-
    pre feliz applicaciio aquella imagem, que
    compara a juventude mole eera susceptivcl
    de todas as impressoes. V dos mestres que
    defiende o seu adiantamento intellectual o
    moral, e por consequencia o fiUuro da pa-
    tria, porque como a amphora das imraoiro-
    douras odes de Horacio, guantera sempre es
    moros o aroma dos blsamos que primeiro
    seniram. Os preceptores sao a columna
    de fogo do deserto ; ai dos destinos de todo
    o paiz onde at l sobo a ond da mmorab-
    da faltecem nocorpo do magisterio esses do-
    tes de honradez e iuteireza que constituem
    a primeira garanta do bom desempenho da
    mHo que a bem de sua amorta ciuopre
    t___tl._ ..i^ ------- > (oirn- practristica
    dor, que alias recaben cora a firmeza de
    um christo, "cortando-lhe os dias, roubou
    infeliz viuta debulhada em lagrimas o
    guerreiro
    Nunca se preparou no Brasil, senhores,
    urna commisso com iguaes elementos de
    grandeza mas tambem forcea dlzer, nunca
    de maiores proraessas surgiram resultados
    tao exiguos. O patriotismo e intelligancia
    de quem a animou, o talento dos especiaiis-
    tas a quem foram confiados os trabalhos
    arduos, mas gloriosos e utilissimos de seroe-
    Ihanto explorago ; os recursos raateriaes
    que nao faltaram, tudo, tudo fazia presagiar
    urna abundante colheita de louros, e um
    manancial do riquezas para a historia natu-
    ral, civil e poltica daquellas partes do vasto
    imperio americano.
    Por m sina"assim nao acontecen. Fos-
    sem quaes ossem as cousas dessa calamidade
    nao dado agora investigar ; o que cumpre
    saber-se, senhores, que Gabaglia, o nosso
    consocio, foi de quantos alfestiveram o me-
    nos responsavel, porque em fins de 1859 j
    encontrou o monumento em ruinas.
    Numerosas commissoes frara dasde eu-
    to incumbidas a Gabaglia: em 23 de setem-
    bro de 1860 foi nomeado para aoir Maranho
    proceder exames na construccio do dique,
    e d'ahi proveio urna renhida discussio que
    FOLHETIM
    AVl\Gm\D.\B\Rflm.\
    PELO
    VISCONDE PONSON D TERRAIL.
    PRIMEIRA PARTE
    oawtelU Am afidjgrUB negrot
    '\ XVI
    (Gontinuagio dc> n. 15).
    E o conde de Holdengrasburgo, dizendo
    isto, abri a janella, e o baro reconheceu
    a sua paysagem risonha H pittoresca da ves-
    pera, o prado era flor, o parque umbroso, a
    alegro aldoola e a uores.ta verde, e, como
    oa vespera, vio ota hornean e urna raulher,
    passeando sob os muros do castello, e pi-
    sando a herva tapra, orv alnada arada pelo
    roci da raanha.
    Somente, nao *ra nem Roschen nem
    Wilhelm, roas sira Grtcben e Hermann, seu
    amanto.
    Como na vespeira, o bario estremeceu e
    gento uroa nuvem paaaar-lhe pelos olhos.
    Tinha cimis de sua mulher raorta.como
    se ella estivesss ainda m.u
    Senhor (saaetti ao conde, esque-
    cendo repennaraente a iituaao hostil que
    tinha tomado par com elleest bem certo
    de que essa miiUier amante do seu filho
    Hermana ?
    GretchenT semdurida.
    Pois ban I eu digc-lhe qua nhiha
    mulher, mihii mulher defunta que volta
    para me atornantar eatigar-me no peacoos
    todas as noites...
    Est fon' I
    IUo^jici atou louw, Hoho a minha
    diwr bom alto, eram a eicO' caracterstica
    do distincto Gabaglia.
    Dedicado ao estabelecimento onde profeS"
    sava, era alli alvo de respoito geral, eaomes
    me tempo o iniciador de todas as reformas
    e-mehoi amentos de orgaiusaco, porque na
    escola de marinha passou o ensmo em va-
    rias pocas,
    Membro de diversas assoctacdesscientilicas
    industriaes, e trabalbou nellas com reconhe-
    cido zelo, e se rae licito urna menc.o espe-
    cial, apontarei a sociedade Auxiliadora da
    :Industria Nacional, onde seus luminosos pa-
    receres erara constantemente acolludos cora
    aiHjiauso e por assim diier o pharol das reso-
    luces daquella assembla. a Instituto
    Histrico, para eujo gremio entrou no anno
    de 1868, apreciou varios de seus trabalhos,
    entre os quaes nao sea. ocioso, apuntar o es-
    clarecido parecer que deu sobre a memoria
    do conde de La HusoExplorado do Rio
    ParahvbadoSul.
    Subi a capito-tenente era 2 de dexciu-
    brode 1861, e ueste posto se reformou .a
    14 de maio de 1868, quando j contava 29
    annos de incossanes servicos ao paiz.
    Fra agraciado em 1859 cora o habito da
    ordera de S. Beoto de Aviz, o ora 18G7 pe-
    los seus trabalhos na exposico nacional
    cora o de cavaHieiro de Cliristo. "
    Casra-se etn 1861 cora D. Mana da Na-
    vidade de Albuquerque Barros, c deste
    consorcio houve cinco filhos, que anda vi-
    vera, mas que infelizmente, senhores, nao
    tiveram perinissao de admirar, adolescentes,
    s provadas virtudes de seu progenitor, por
    que a hora fatal de nosso consocio soou a
    23 de Janeiro do anno que corre.
    A morte bateu casa do pobre trabalha-
    seu consol) nico na torra, aos tenros or-
    phics o amparo de seu legitimo protector;
    aos amigos, sciencia, patria, a todos utn
    valioso thesour. So urna cousa nao pelo
    ronbar ; foi a idea da honra e da probidade,
    q'iio ainda alli vagueia sob os tectos daquel-
    lo tugurio, e que ha de ser o sol vivificador
    das virtudes da progenie de dosso chorado
    consocio.
    Ernesto Ferreira Franca era urna alma
    grande, que soffrera todos os embates da
    fortuna, consegrando manter Ileso o nomo
    prestigioso de seus pais c os merecidos fo-
    ros de homem intelligente e probo.
    Talento nao vulgar, inteireza de carcter
    e utu animo sobranceiro a todas as contra-
    riedades, que o saltearatn durante largos
    annos de vida, eis os seus traeos caracters-
    ticos.
    Era extensa carreira publica de 47 annos
    prestou sera descanoo serveos patria, ora
    sentado na veneravel eadoira de juiz como
    arbitro do destino dos seus concidados,
    ora as lucirs do partido poltico, a que
    dedicou os melhores dias de sua mocidade ;
    aqui na representado nacional, aonde por
    mais da urna vez o clevou a gratidlo do
    povo ; alli em paizis fongqUOS a desempe-
    nhar commissos dipli)maticas de elevado
    merocimento; acola sentailo aos conselhos
    da cora a gerir os negocios do paiz era
    pocas anormaes e diflkeis, Franca oston-
    toii sempre grande cabedal de conhecimen-
    tos, patriotismo inexcedvel o rnn desinte-
    rosse quo s tinha igual na modestia e affa-
    bilidade de suas maneiras.
    O mundo costuma dizer, senhores, que
    so prezam os talentos e o mrito dos ho-
    mens pelos fructos de sua intelligeucia.
    Nao creio que isso seja sempre verdade na
    varia o inconstante polkica, onde os mais
    provados talentos tem feito governo
    esteris seno perniciosps patria. Mil
    circumitancJasndo[Mndeutes da vontade de
    quem administra, e que socra empecer a
    marcha dos aconteciraentos o desfazer os
    planos mais bem combinados; a mutabili-
    dade dos partidos quo nem sempre se atora
    ao ponto lixo donde partiram, a lula dos
    interessos particulares e das paixoes que
    sao coinpanheiras inseparaveis do homein e
    mais que to los ao hornera politico, tudo isso
    coutraria as concepc,des theoricas do melhor
    talento o pode cencorrer para esterilizar
    urna a Iministraco ennunciada sob os mo-
    lhores auspicios, e garanta polo saber dos
    homens de gabinete, que se ha piizeram
    frente.
    A vida administrativa de Ernesto Ferret-
    ra Franca nao foijtalvez correspondente ao
    que se poder esperar de seus elevados ea-
    bedaes scientificos e litterarios; roas a his-
    toria ha de sempre fazer fustiga s intenyoes
    nobfes e puras do ministro de estraugeiros
    do gabinete de 2 de feverriro de 1844.
    Eleito deputado geral por Pemambuco,
    quatro vezes pela Bahia, sua provmcia natal,
    o outra por Minas-Geraos oceupou Ernesto
    Ferreira Franca urna a cadeira na cmara
    temporaria, desde o anno de 1830 at o d
    1847 e em todas as discussdes em que se
    envolveu patenteou-se, nebre, leal e nota-
    velmento ilustrado, con sempre folgaram
    de o conhocor quantos tratarara de porto o
    digno primognito de Antonio Franca 0 pa-
    triota da inxlependencki e das primeiras lu-
    las polticas do paiz.
    Acariciado pela benevolencia do governo
    de 1847, e gozando de justa noraeada na
    provincia de Pemambuco, que j unw vez
    o achara digno de representa-la na cmara
    temporaria, foi honrado cora o voto dos
    distinctos- filhos de Vital de Negreiros para
    tima cadeira no senado ; mas a poltica nao
    assonins a forca das maiorias ostentou o
    seu predominio primeira o segunda vez, o
    conselheiro Ernesto Franca foi rojeitado pe-
    lo senado, o annullada a sua oleico.
    Dala dahi, senhores, a retirada de nosso
    consocio da arena poltica, onde nao rara
    tpie se gastem o physico e o moral dos
    lntadores. Como que a vida so esvae aos
    poucos ueste torvelinho de ambicocs, nesse
    ocano inquieto de decepces e prazeres,
    de recriminarles e apotheoses, qual mais
    eivada de fed, qual mais inspirada pelos
    caprichos da parcalidade partidaria.
    Beatus Ule qui procul negoliis, dizia-o
    sempre admirado Horacio; anda mais feliz,
    senhores, o que depois de haver affrontado
    os perigos da carreira poltica consegue
    chegar ao porto dos ltimos das da vida
    com a bandeira da honra e da dignidade,
    salva do naufragio das posi;oes elevadas.
    O conselheiro Ernesto Ferreira Frasca,
    que comecara sua vida publica as cadeiras
    da magistratura e conseguir ser nomeado
    desembargador desde 1852, isto aos" 28
    annos do idado voltou em 1847 aos pri-
    meiros arraiaes, onde brilhram suas erai-
    neutes qualidades e e-4o ah asta de novo
    sustendo a balanza de Astra com aquella,
    firraesa que nunca jamis lhe recusaran! seu^
    ntais encarnizados inimigos. {
    Volva maduro e rico de experiencia 4 aos.
    lemne misso do juiz. Gomo vnha to
    outro O cidado que exhuberanto de vida
    fora em 1888 aos Jstados-4Jodos em. misso
    diplomtica,que pouco mais Urde nego-
    cioii como plenicotenciario o casamento da
    Seronissima Princezaa Sra. D. Januaria e
    em 1845 o tratado com-a Inglaterra, e
    que tanto se preoecuparam os nimos
    naqea peca *, continuas inquielaoes.
    Mudado no aspecto e na figura j brancos
    os cabellos, s nao mudara seno para
    melhor o vigor d'alma, que coraecn a
    reteraperar-se na escola da adversidade e
    das desillusoes, o que fui d'ahi etn diante
    sua melhor arma contra os acoutes da
    mesraa fortuna: jEquamrebvs inard-ui*
    servare mentem.
    //

    /
    \
    >
    razo, o uo dorma esta noite. Dirigio-se
    ella para mira, a passos lentos, como na
    noite precedente ; deitou-se ao meu lado,
    mordou-me como na vespera...
    Olhediste o conde de Holdengras-
    burgo com indifferencaa melhor prova qu
    lhe posso dar do que ella o nao mordeu no
    pescoco, quo a picada que hontem fez eora
    a ponta da sua espada, ost meia fechada
    esta manh, e nao tem, ao lado della, ne-
    nhuma outra cicatriz.
    E' verdademurmurou o baro ad-
    mirado, depois de se ter visto ao espelho.
    O que nao impedo, creia-me, que tudo que
    lhe digo seja escrupulosamente exacto.
    Duvido.
    E se eu lhe repetir, palavra por pala-
    vra, a extraordinaria historia que ella rae
    contou ?
    Vejamos essa historia.
    O Sr. de Nossac, sempre com os olhos ti-
    tos era Hermann a Grtcben, que se encos-
    tavara um ao outro, com voluptuoso aban-
    dono, o Sr. de Nossac, dissemos, cont,
    em voz breve, entrecortada, semeada de in-
    terrupsoes a cada movimento inesperado dos
    dous amantes, essa estranha odyssa de sua
    mulher atravz dos cemiterios do Franca e
    daAUemanha.
    Decididamentedisse o conde em vos
    commovida arrependo-me amargamente,
    Sr. baro, do meus loucos graeqjos. Wri-
    raro-lhe o espirito a ~ul ponto, que sonha
    mesmo acordado.
    O Sr. de Nossac olhou para o conde.
    A figura deste ultimo exprima urna pro-
    funda corapaixo, urna coromiseraco to
    bem sentida que se nao poda por m du-
    vida.
    Olhedisse-lhe o bario a-toroso
    que o convenga
    [? Vejamos.
    casa-do cura da aldea.
    Est certo disso ?
    Muito certo.
    Bem v que nao sonhei, que bem
    realmente vi e ouvi, porque nem o conde
    nem seus filhos me deram estes pormenores,
    e comtudo, eu sabia-os. D-lhe um cavallo,
    no assim?
    E'disse o conde admirado.
    E ella veio de Heidelberg aqui, a pe e
    mendigando ?
    Como e sabe?
    Econtinuou o baro, animando-se
    sei muitas outras cousas ainda ; por exem-
    plo, estavam ao fogo quando ella chegou.
    Hermann perturbou-se e o conde pargun-
    tou-lhe; Nao a assusta o papel que vai
    representar ?
    Palavra de honra 1 barioexclaroou
    o castellao de Holdengrasburgoquo deci-
    didamente feiticeiro, a acabarei por acre-
    ditar nos seus vampiros.
    Em quanto elles conversavam, tinha co-
    mecado a despontar o da e a aurora franja-
    va fo purpura e opala os curo* indecisos e
    asulados das moutaohas vizinhas.
    Olhedisse o Sr. de Nossac, indinao-
    do-se para fora da janella a chamando pelo
    condeveja 1
    Acaba vara de traair ua oavaMoa Qi ataisn
    e GretcheiUinha montado nelle, com a aiuda
    do joelho de Hermann, depois da tac dado
    uro longo beijo aoseu amanta.
    Entoperguntou o anida fui *4
    de extraordinario nisso?
    E o conde nada vaque nao saja na-
    tural?
    Eu nao; 4 Gratehan que monU a oa-
    valloequa vai embofa. Que qaer? am
    mulhpr orgulhosa como urna vardadaira
    bahemiaqua. Hermann nha-a abando-
    nado, ella sef uio-o porque o amata; as
    Era 1857 foi-lhe passa-da por direito de
    antiguidade a nomeagode miiMitro do su-
    premo tribunal de justicia, ponto culminante
    da carreira que encelara em 9i^t como
    juiz de fora da cidade de S. Paulo; foi ao
    menos um consolo para o nosso chorado
    collega ver premiado o esforco de se da
    de juventude com a cadeira curul, que
    uem maiorias derroco, nem partidos dis-
    cutem.
    O honrado lidador leve, pois, occasSo
    de prestar ainda assignalados servjc/js suei
    patria, e nao obstante a decadencia de-
    formas, os prostou, porque nanea pode com-
    prohender seno antiga o que se chama
    o dtcer.
    Ernesto Ferreira Francia desempenhou
    aiuda por espayo de 15 annos as funevoes
    de ministro do supremo tribunal de juanea,
    e all foram sempre acatados os seus perece-
    res como filhos de estudo muito serio e, alma
    muito independente.
    Ambiyo de riquezas, essa nunca pairen
    soquee um momento em espirito to bem
    dotado por Deus.
    No meio da posiyoes mais einififlafes,
    cercado das rail sedirccoes que as aeoinpa-
    nham, viveu pobre, muito pobre. Opou-
    quissimo que lhe poda sobrar de Seu r-
    ditos, disribuia-o ero esmolas, porqua-era
    urna alma esencialmente christ. Sua
    virtuosa esposa e seus- filhos educado na
    mesma escola, erara outros tantos advogados
    da pobreza desvalida, de surte que bera
    se poda dizer naquella casa havia o espinto
    de Dos.
    Nos seus ltimos dias-de vida Franca con-
    Uumido pelas dores atrotes da enfermidade,.
    ! posto quo consolado e contricto porque os-
    blsamos da religio de Christo o alliviarara
    sempro ; rodeado de filhos muito amados,
    mas a quem os favores do mundo nao aeari-
    ciaram; certo d morte,. mas incerto do que
    seria da infeliz familia, ero meio da extrema,
    de incomparavel pobreza j.nesses dias angus-
    tiosos, senhores, o conselheiro Franca ofie-
    recia, a quemo visitasse, maquadrodoloro-
    so e dign do mais acabadla pincel, aquella
    casa, por assim dizer em cinzas, o fogo da-
    caridade a extinguir, roas a roesina carida-
    de parece que ainda a sustinha.
    Erafirn, o lidador cahio extenuado de tor-
    ces ; o Senhor ora servido de chama-lo roo
    rada dos justos.
    Imaginai, consocios,, ahora derradeirai
    do vvente filho de Christo, purificado na*
    aguas lusUaes da peHUsncia, todo elle san-
    tificado peto cerpodo-proprio Deus, os olhos
    j annuviados mas anda filos no manyado
    Golfeolha; trmulos,, paludos os labosmas
    ainda capazes de urna oraco extrema :
    Deus 1 diria o justo, meus pobres filhos l
    E a alma voou aos ps do Infinito.
    Dalli elle v cumprido o seu derradiro
    voto, porque a Magestade, que divina-quan-
    do da pao aos pobres, estendeu o seu manto
    de purpura sobre % virtuosafa milia doibene-.
    mrito da patria t
    A Bahia, antg* Athenas do Brasil,.tem tidu.
    o privilegio do ver iiascer em seu seio at-
    guns dos mais conspicuos var6es que na
    politica, as sciencias e as lettras aqui ten*
    brilhado.
    Francisco Goncalves Martins, filho do si*-
    pito Raymundo Goncalves Martins, vio- a
    luz do da na villa de Santo Amaro, na pri-
    meira decada deste seculo:
    Segundo costume daquelles tempos, seguio
    ainda muito moco para Portugal, e depois
    de haver cursado os estudos do seminario
    de Cornache do Bom Jardira prioral do Gra-
    to, matriculou-sc na universidade de Coim-
    bra, fonto de luz onde foram beber instruc-
    co tantos dos jovens brasileiros, que en-
    verodavam o caminho ds altas posi^des.
    (Coiinuar-*e-JuJ.
    Sabe onde vai Gwtchen todo Id iasjfsio quer coner o seu po
    E vai para casa do cura ?
    De corto.
    Pois bem I eu digo-lhe quo vai para o
    ceraiterio.
    Que loucuia I
    Quer segui-la comigo ?
    Ah Idisse o condebem odesejava,
    meu caro baro, ainda que nao fosse seno
    para o convencer da sua loucura, mas espe-
    re que o nao posso fazer.
    Porque?
    __Porque sou para o paiz inteiro o ter-
    rivel catador negro, e que se um camponez
    me encontrasse s portas da aldea, nao dei-
    xaria de dizer que vio o calador negro sem
    morrer, o que faria grande mal minha re-
    putaco.
    Pois bem 1 rei s.
    V, mas loucura.
    O baro acabou de se vestir prossa ; de-
    pois, sem querer ouvir o seu hospede que se
    matava a provar-lhe que estava louco, cor-
    reo para fra do quarto, desceu a oseada, e
    cora a espada na mo, sahio do castello, e
    tomou, correndo, o caminho que Gretchen
    acabava de percorrer, ao trote do seu ca-
    vallo.
    Era urna bella manh da vero, na mais
    completa acoepeo da palavra.
    O co d'uro azul perfeito, pareca esperar
    a chegada do sol, com a impaciencia d'uma
    joven noiva; cada mouta esconda um ni-
    nho, da cada uinho sabia urna meloda.
    O roe oohria osprados, um ultimo sdpro
    do vento nocturno curvava, fugindo, os pin-
    caros dos pinheiros, a arrancava-lhes mu
    vga harmona.
    A raorta caminhava entra duas sabes flo-
    ridas, a passo, e pareca aspirar eom deli-
    cia os aromacampestres de queo ar estava
    Twu^cn.hTa atraz della, estrerae-
    cendo a seu pezar e nao ousando alcanca-la,
    bom que isso lhe fosse fcil.
    De repente, a morta, que pareca meditar
    com melancola, levantou os olhos o interro-
    gou o co oriental.
    Ondas de purpura tinhara succeddo s
    cores, desmaiadas da madrugada, e o sol es-
    tava prestes a romper.
    A defunta pareceu comprehende-lo, por-
    que aprossou o passo do seu cavallo, que
    largou a trote largo.
    O baro, para a nao perder do vista, foi
    obrigado a correr.
    Dentro em dez minutos, Gretchen, a ca-
    vallo, e elle a p tinham chogado aldea.
    Fra das portas della havia um recinto de
    alguns metros quadrados, fechado por urna
    sebe em flor, plantada decyprestos e semea-
    da de cruzes negras e brancas, a maior parte
    sem inscripeo. Era o cemiterio da aldea.
    A poita estava entre-aberta, ou, antes,
    nao tinha sido fechada durante a noite.
    O prado de repouso estava aberto a to-
    dos.
    Gretchen parou a esta porta e desceu do
    cavallo coro o mesmo vagaroso inteiricamen-
    to ; depois interrogou de novo o ceo que se
    tingia cada vez mais cora os claroes precur-
    sores do sol, a o baro, que estava atraz
    della, ouvio-a murmurar com. ioiantil ale-
    gra:
    Oh
    de colher flores I
    tere terapo
    torei tempo!...
    A morta largou o cavallo, que acostuma-
    do, sem duvida, a semelhante liberdade,
    largou a galope para o lugar onde a herva
    ara mais tenra; depois, pola sua vez, apro-
    ximou-e d'um pequeo regato que corra
    por entre a relva, ajoelhoo-se com costo, e
    colheu um pnohado de wergiss-mem-nicht a
    de roargarida ;.dapo aproximou-sea sa-
    be a trou della uro ramo de pioheiro manso.
    Uro jact de lux cabio repeonament so-
    bre o cume d'uro rochedo vziuho, e a extre-
    midade opposta do valle reflectio o primeiro-
    raio de sol.
    A defunta deu um grito, entrou precipit-
    damente no cemiterio, fugioatum pequeo
    grupo de pinheiros oude desapparecoo du-
    ranlo um minuto, depois appareceu do novo
    en volta dos ps cabeca n'um sudario hran-
    co ; o seu, sem duvida, que olla occoHava
    cuidadosamente todas as noites antes de ir
    ao castello.
    OSr. de Nossac tinha ficado porta do
    cemiterio, ithmovel, com o suor na fronte.
    Vio-a sahir assim vestida, dirigir-se para
    urna cova recenteroente aborta .a deitar-se
    nella.
    O baro sentio treroerera-lhe e fraquaa-
    rem-lhe as pernas; mas de repente essa du-
    vida, que por tantas vezo o tinha aeeouv-
    mettido e que o levava a crer que o mjstifi-
    cavam, apossou-se delle e axclaraou:
    Cora a breca I desta vez quero Ut o
    coraco era descanso.
    E correu para a cova, junto da qual pa-
    rou repentinamente.
    A morta estava imroovel no fundo do seu
    tmulo, envolta no sudario e cora as iores
    aportadas ua sua mo inteiri$ada...
    Nonbum movimonto mdicaa que arada
    havia pouco tempo que oeminbava... *aor"
    te tinha-se apoasado dalla... dorma at
    noite... > ,
    O baro abaixou-se para pegar nuraa
    oouta da mortalha e levanta-la mas da r-
    bente apossou-o dalle o terror a foi ancos
    ter-se, desfallecido e pallido, a um capeaste
    vziuho.
    (CmtmtarHM).




  • Full Text
    xml version 1.0 encoding UTF-8
    REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
    INGEST IEID EQ6VSV8GE_CID0HY INGEST_TIME 2013-09-19T22:52:46Z PACKAGE AA00011611_12817
    AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
    FILES