Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12805


This item is only available as the following downloads:


Full Text
r
i
i
ASNO XL1X. NUMERO 8

l'AHi A CAPITAL K Ll GARES OYDt: NAO SE PACA PORTE.
'Por tres mezes adiantados......'. *....... 6J?000
Por seis utos idera.................... 129000
Por um inno idem .-............, ." 24?H)00
Cada numero' avulso........... \...... 320
01 ARTA FEIRA 8 DE JANEIRO DE 1873.
PARA DENTRO E FRA DA PROVINCIA.
Por tres mezes adiantados.............,-... 69730'
Por seis dhos idem.................... 139500
Por nove ditos idem.................. 209250
Por ura anno idem................ i ... 279000
PROPRIEDADE DE MAN0EL FIGUEIROA DE FARIA & FILH0S.
Os Srs. Gerardo Antonio Alves Filhos, no Para; Gonralves & Piulo, no Maranho; Joaquim ^Jos de Oliveira& Filho, no Cear; '^tonio do Lemos Braga, no Aracaty ; Joao Mara Julio Chaves, no Assi; Antonio Marques da Silva, no Natal; Jos
Pereira d'Almeida, em Mamangua|)e ; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da |*enha; Beknnino dos Santos Bulco, cm Santo Anto ; Domingos Jos da Costa Braga, era Nazareth;
Antonio Ferreira de Aguiar, em Goyanna; Francino Tarares da Costa, em Alag;-^*-,; Al ves & C, na Baha; e Leite, Cerqunho C. no Rio de Janeiro.
Justino

PARTE OmCIAL
Governo dn provincia.
EtPKMKITI DO DI.V 27 IIK "dEZEMBRO DE 1872.
Acto :
O presidente dt provincia, aliu das pessoa?
? cadas por portara de 21 do corrente para,
> minando o actual rgulamcnto do corpo policial,
indicaren) as alteraees ou reformas que so lh
deve fazer, nomeia mais o coronel Francisco Ca-
II" Pessoa de Lacerda. Coinmunieou-se ao
nomeado.
Ollicios :
Ao director geral da secretaria de estado dos
i icios da guerra, devolvendo o rcqnerimento e
iiuis apis do 1 sargento graduado da eompa-
u a de enformeiros da corle, Jos Ignacio da (2on-
ceicao Silva, que poiwnguio vieram annexos
poticao ilo tente reformado do exorcito Jos Ig-
nacio Bibeiro Roma.
Ao coronel commandante das arma', devol-
v-ndo o pedido de forneciweiito de todos os objer-
to- necessarios ao hospital militar, \|ue veto anne-
xo ao sen oflico de 2(5 de novembro ultimo, alim
de que o respetivo director mande formular outro
li.i que for mprescindurel, visto ser insufflciente o
saldo existente na rubrica Corpo de sande e nos-
pitaes *, do ministerio da guerra ; tirando os de-
ntis artigos para quando o governo impericl ha-
bilitar a tliesouraria de (atonda com o necessario
crdito.
Ao Dr. chefe de polica, mandando proceder
ao inqtierito c outras diligencias que forero ne-
oe-sarias para se verificar se o fado de que trata
0 engenheiro fiscal da estrada de ferro do Recite
ao S. Francisco, de 20 do crrente, fui ou nao ca-
sual.
Ao mesmo, recommendando que providencie
para que nao se reproduzam os abusos de que se
queixa o director da companhia do Beberibe, pra-
ticadospor alguns individuos as freguezias de S.
Jos e Affogados, que damnificaran! o encanamento
d'agua e chafarizes do Vivoiro do Muniz, da Ca-
banga e da ponte da ultima daquellas freguezias,
aggredindo os agentes da.ompanhia, de modo que
a populacho all rosente-se de falta d agua. Com-
inurucou-se ao director da mesnia companhia.
Ao inspector da^thesouraria de fazenda, eom-
municando que a 8 do crreme o bacharel Candi-
do Alves Machado, juiz municipal e de orphaos do
termo dofixu, assnmio a_ junsdieeao interina da
vara de direito da comarca de Cabrob, no impe-
dimento do effectivo bacharel Manoel Caldas Bar-
rel), que entrn no gozo de brenca, passamlo qa-
q tilla mesma data o 3. sapotete Jos Peixoto e
Silva a exereer as fuiroes daquelle.
Ao mesmo, eonimunieando que por portara
de hontem foi dispensado Hilario Urbano da Silva
do lapso de lempo em que nrorreu para tirar ti-
i i de nomc.v-ao da serventa dos oftieios de es-
rrivJto de jory e execuedes do. termo da Escada,
d"' endo sidit;-lo no prazi epte a lei concede na
l>r irogacjto. |
Ao inono, mandando pagar ao bacharel
Austerliano (Jorreia de Crasto, sob responsahilida-
de da presidencia, os venciinenlos a que tem d-
reito como juiz municipal do termo do Rom Jardim
al que o govern i imperial resolva a ^respeito co-
mo eutenderv
Ao metano, mandando pagar as seguimos
piiitias aos agentes recenseadores da freguezia
de S. AntVi^ Joaqum Pereira Borges, Joao Diniz
!-' --reir. Joao Paulo de Brito (uimires, Joaquim
(''lio do Reg Cavalcant. Atistrioliari o Coutinlio
Pohce de Len, Francisco das Chagas Pereira Bas-
i -, Antao Uiriiirdiii) di Rocha Arag.io. Alexan-
dre Jos di; Pontea e Firmino Herculano da Rocha
ao I." 1'OJ. ao 2., 8. e 4." a de Si)i, ao o., 6. e
7.' a de "US, e a >s outros a de 6)f. Couimu-
ii ou-se respectiva eommissao censitaria.
Ao inspector da thesouraria provincial, eoin-
municando que neste data foram dispensados os
sen icos, que. como colaborador, prestava na se-
cretara da presidencia, Ovidio Pergentino de
s i-iza.
Ao captao do porto, mandando por em liber-
dade o recruta Lourenco Ladgero da Cruz, por
tur sido julgad) incapaz di s;rvico.
Ao inspector d> arsenal de marinha, commn-
n iudo que por aviso do respectivo ministerio, de
; do corrente, ileterininou-se que o I)r. Estevao
C i ilcanti de Albnqnerque continu a prestar ser-
vicos de 2.* medico na enfermara do mesun ar-
senal. Communicou-se 10 inspector da thesou-
rara de fazenda.
Ao coiniiiandahtc do presidio de Fernando,
feuietlendo :2 goiae dos sentenciados de instiga
que para ah segucm no primeiro vapor, alim de
nprirem sentenca. .
Ao minino, rl-comme idando que remeta pa-
ra esta Capital na primeim opportunidade e com a
precisa segoranea, acomunnadoa das respectivas
guias, os sentenciados Vi-ente Vieira do >'asci-
roento e Henriqno Das do Nascimento. Com-
municon-se ao juiz de din ito da 1.' vara civel, e
offlciou se no mesmo sent do quanto aos senten-
ciados Pedro Antonio da Silva e Joao Rodrigues
Kepomoano.
-Ao mesmo, mandand) que envi aojuiz de
direito da 1." vara, copia da guia que aeompaohou
para esse presidio o "sent iciado da provincia de
Minas-Geraes, Jos Tavaies de Oliveira, que se
aclia na casa de detencao desta cidade.
Ao juiz de direito da 1." vara, mandando que
informe se os sentenciadas que figuram na lista
i)i e aciiinpanhou o seuoflicio de 2:1 do corrate,
com os nomes de Januaro (liberto), Joao Gou-
^alves do Naseimento e Manoel Antonio dos Anjos,
si os inesmos rpie as guias estfw com os de Je-
iii:)iiio, Joo (oncalves Nepoiuoceno e Manoel
Antonio de Araujo, e nes?e caso qiiaes os verda-
d -iros noines.
Ao da 2.' vara, remetten 'o o proeesso de
juJgamcnto da praca do conw de polica Rernar-
dino Jos dos Santos, afin de apresentar o relato-
rio do estylo junta que em ultima instancia deve
jiilsa-lo a 3 de Janeiro prximo as 11 horas, lio
p.laco da presidencia. Olliciou-se ao comman-
dante siqierior do Recife rara que designe ires.of-
ficiaes superiores, alim dt fazerem parte da refe-
rida junta. ,.
Ao'commandantedo corpq^de polica, man-
ando engajar, sendo idneo, o paisano Angelo
Custodio d-B Santos.
Ao engenhiro encairegado das obras milita-
res, recommendando que mande concertar o bico
de gaz da enfermara de iaedicina do hospital mi-
litar. Communcou-se ao coronel comutandante
das armas.
Ao juiz de paz mas votado da freguexia de
Grvala, declarando, em solucao sua consulta de
.'{ do corrente, que deve convocar para a junta drf
qualificacao que tem de f inccionar na 3.* domn-
ga de Janeiro, os eleitores ltimamente eleitos, co-
mo determina o aviso de 14 de novembr ultimo,
coinpetindo-lhe a presidencia nos termos do art.
110 da lei n. 387 de 19 de agosto de 1846, visto
constar officiahnetne ter ido apj>ro.vada pela c-
mara dos Srs, deputadof -a eleicao dessa parochia
para a 15." legislatura.
Portaras; ,
A cmara muncip il de Nazareth, remetten-
i. por copia o acto de 24 do corrente para que
expeca diplomas aos cid:.daos eleitos vereadore* e
juizes de paz, e jurameute-os no dia 7 d^janeiro,
para que possam entrar no exercieio de* seu
cargos. '.
A de S. Bento, declarando que com o officio
de 18 do corrente e.a copia authentica da eleiclj
para vereadores e jzes do paz da puochia dessa
villa nao ticou *asfeito oque foi ordeaatij pir
portara do dia 3 ; por quanto o que se exig foi
a acta da apuracao a que d.'va proceder para va-
readores do municipio, oni i prescrevo o ariigo
IU.'j da respectiva lei e aviso do 3 de fevereiro di
1849; o que devora satsf.izer, para que se p>s-i
resolver sobre a mosiua eleijrio.
de Bom Jardim, approvando as eleico.-s do
vereadores e juizes de paz, feilas a 7 d selembro
ultimo, e recoinuiandando que expeca diplomas aos
cidadaos eleitos e juraineute-os no dia 7 de Janeiro,
liara que possam entrar em exercieio.
Ao gerente da compaiih a Perna nbucana,
mandando transportar para o presidio de Fcnian-
d i, por renta do ministerio da guerra, um caixao
centondo 168 camisas de algodi izinh i c igual na
mero de calcas de briin e um caixote com ferros
cyiurgicos, destinad>s respectiva enfermara.
CommunicoU'Se ao director do arsenai de guerra.
EXCEDIENTE O ) SECRETARIO.
, O.Ticios:
Ao coronel commindante das armas, coai-
muni 'ando, de ordom do Kxm. Sr. presideute da
provincia, que por despacho desta data conee leu-
se o praxo de 13 das aos remitas, Manoel II ;n-
i|ue de Barros e Antao Francisco de Lima para
prevarem isencao legal.
Ao juiz de direito de Cabrob, aecusando, de
ordem do mesmo Exm. Sr. a recepe/io do sen offi-
cio de 13 do corrente, em que participa haver con-
cluido a revisao da lista de jurados nos termos de
Cabrob e Salgueiro ; sendo apurados no 1. 140
no i' 139.
KXI'KDIKNTE DO DI.V 28 DE DEZEWBIX) DE 1872
Actos :
O presidente da provincia, attendendo ao que
requeren o capitn Joao Pereira Chaves, da 2."
com aina do batallian n. 43 de infantaria da
guarda nacional do municipio de Serinhaem, e
vista do parecer da junta d; sande e informa^ao
do respective) commandante su|>erior, resolv,1 de
conformidade con o disposto ni artigo (i:t da lei
n. 602 de 19 de setembro de 1850 transfer lo para
o serviciada reserva, a cujo batalhao ficar aggrc-
gado. -Communcou-se ao referido commandante
superior.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requereu o bacharel Alfredo Ernesto Vaz de Oli-
veira, juiz municipal o do orphaos do termo de
Goyanna, resolve conceder-lhe um niez de licenja
com ordenado na forma da lei, para tratar de sua
saude onde lheconver.
O presidente da provincia, attendendo a) que
requereu Ante io Samuel Pereira Giraldes, prati-
iqut
cante da thesouraria de fazenda, e tend cm visto.
a nforniaQao do respectivo inspector, datada d;
20 do corrente, sob n. 548, serie B, resolve conce-
der-lhe tres mezes de lieeoca com veneimontos na
forma da lei, para tratar de sua saude.
Oillcios :
, Ao coronel com mudante das armas, cha-
manilo a sua attencao sobre o que expoem 0 Dr.
chefe de polica e o delegado do i. dstrclo nos
ollicios que se rein ;tte quanto ao proceJimento
irregu'ar e criniiuoso dos tambores do 2.' batalhao
de niantaria de linha, alim de se proceder como
for de lei.
Ao mesmo, recommendando que faca apre-
sentar as 3 horas da tard de amanha. na estacan
da estrada de ferro de Olinda dez pracas comman-
dadas por um ofli ual, que deverao seguir para
aquella cidade disposicao do subdelegado da fre-
guezia de S. Pedra Martyr, sendo dispensadas logo
que sejam desBoeessarias.
Ao mesmo, recommendando que providencie
para de hojo em diante se apresentarem todas as
u mtis ao Ur. chefe de polica, 4uas patrulhas de
cinco pracas, tiradas dos batalhdes 2.' e 9.#, para
empregarein-se no servico das rondas.Comniin-
cou-se ao Ur. chefe de polica.
Ao inspector da thesonraria de fazenda, om-
muiiieando que o bacharel Manoel Cddas Brrelo,
juiz de direito da comarca de Ouricury, entrou a
27 do corrente no gozo da liceuca que > b!eve, e
i|ue llie foram abonadas as fallas que por molestia
deu uo dia 8 at o dia 2G.
Ao mesmo, coinmuncando que o bach ird
Alfredo Ernesto Vaz de Oliveira, juiz municipal e
de orphaos do termo de Goyanna, entrou a 27 do
corrente no exercieio de seu cargo.
Ao mesmo, eommnnicando que o juiz de di-
reito da com uva de Ouricury noraeou a 7 do cor-
rente o advogado Antonio Raymundo Brigido dos
Santos, para exereer o cargo de promotor da mes-
ma, por ter pedido exoneracao o bacharel Julo
Antones Corroa Lias Wanderley.
Ao inspector da thesouraria provincial, decla-
rando que para se poder resolver acerca da arrema
tacao feita pelo bacharel Joaqum Jos Ferreira da
Bocha, sendo fiador Lu^z Bernardo Castello Bron-
co da Bocha, do forneemeuto dos presos pobres
da casa de detencao por um trimestre com o abato
de 1 / U"* presos das respectivas tabellas, cum-
bre que faca reuiessa das mencionadas tabellas e
ilas propostas, e que informe so houve outros con-
currentes, assim como se a arreinatacao do trmosv
tro a lindar c inferior ao futuro.
Ao inesmi, autorsando a encarregar o col-
lector da cidade de Goyanna do mandar fazer por
admnstracao a illuinna^ao da mesma, visto ha-
ver ido praca pela segunda vez, sem que appa-
recessero licitantes, eonvindo, porm, que essa au-
torisicao nao importe excesso do crdito votado
para esse melhoramento. Communcou-se ao en-
genheiro chefe da ropartcao das obras publicas.
Ao mesmo, mandando abonar um mazda
sold as dez pracas do corpo de polica, que vio
augmentar o destacamento da villa do Bom-Conse-
Iho, contando-se do dia primeiro de Janeiro vin-
ionro.ComiQiinicou-se ao commanibnle d) refe-
rido corpo.
Ao reverendo conego regedor do gymnasio
provincial, recommendando que coiii a possivel
brevidade remeta conta da receta e dospeza des-
se cstabekicimentn, a qual d^ver viraconipanhada
dos documentos comprobatorios, a contar do pri-
meiro de Janeiro ao ultimo de dezembro do cor-
rate auno, e que dora em dianta preste conta?
peante thesouraria provincial de tres em tres
mezes, da roceita que arrecadar e da despeza que
eectuou. Communicou-sc ao inspector da the-
souraria provincial.
NAo reverendo vigario da freguezia da Esca-
da, aecusando recebido o seu ofllcio de 25 de cor-
rente em que refere os (Moa dcsagradaveis e cri-
minosos que se deram por occasio da missa de
Natal; c declarando que nosta se recommenda ao
Dr. chefe de polica, que mande proceder ao res-
pectivo inquerito c aos juizes de direito c munici-
pal respectivo, que procedam na forma da lei em
relaco aos autores do delicio, dando o promotor
pullico a devida denuncia, para seren punidos.
Expediram-se as necessarias ordens.
Ao commandante do" corpo de polica, recom-
mendando que proceda de conformidade com o re-
gulamento, alim de ser punido o alferes Bellarmi-
naPinto de Paiva, commandante do destacamento
dos Montes, por W-lo abandonado para vir a esta
capital.
Ao mesmo mandando eliminar o soldado Jo-
s Joaquim da Silva, por ter sido julgado incapaz
do servico.
Ao juiz municipal de S. Bonto, aecusando
recebido o seu officio de 30 do correte, a que
acompanhon o mapp das denuncias e queixas da-
das perante esse juizo no mez passado, e recom-
mendando que nos seguintes nao omitta a declara-
cao relativa aos procesaos que devera tor instau-
rado, como- se deu com o de que se trata.
A' com nissio censitaria da freguezia de Ou-
ricurv, doclaraud) que pode fazer a remossa das
listas de familia o miis papis relativos ao re-
ci'iiseamonto, contratando portador seguro pilo
lmenos prec> possivel.
Portara*:
A' cmara municipal da Villa de Agua-PreTa,
declarando que o documento que veo 1100X0 ao
seu e'Hc.iode 31 de oiitubro foi a apuracao presidi-
da pela mesa parochial dessa villa, e nao a que de-
va fazer a mesma cmara em sessao especial, oemo
reeominenda o artigo 105 da le de 19 de agosto de
1846; pelo que deve proceder referida apuracao,
enviando com urgencia a acta respectiva, para que
se possa resolver sobre a eleicao.
EVeEDIE.NTE 00 DI.V 30 D{ DICZEMBPO DX 1872.
Actos:
O presidente da provincia, de conformidade
com o disposto nos arts. 3 e 4 do decreto n. 4824
de 22 do novembro de 1871, resolve que continu
a substituicao da reciproca dos juizes substitutos a
regular-se pela portara de 29 de Janeiro deste an-
no o no prximo vin louro de 1873.Fizeram-se as
devidas conrnu nicacocs.
O presidente d provincia, resolve exonerar
ilo servico do deposito de remitas o alferes hono-
rario do exorcito Mithias Carlos de Araujo MirH,
por assim o haver pedido. Communicou-se ao
inspector da thesouraria de fazenda.
O presidente, da provincia vista do officio do
tenento-coronol commandante do corpo de polica
de 26 do corrente, resolve conceder a Folicissimo
de Aleve lo-Afelio a exoneracao que pedio o ten Mt
da primeira companhia do dito corpo. Fuerau-
se as precisas communicacocs.
O presidente da provincia, attendendo. ao
que requereu Antonio Augusto Pereira da Silva,
resolve couceder-lhe liceuca para embarcar com
destino ao presidio de "Fernando di Nroiih* no
primeiro vapor da companhia pernambucana, que
para all seguir, e a serem entregues a Francisca
Candida de Jess, os gneros constantes da rea-
cao junta, assiguada pelo secretario interino da
presidencia ; nao podendp prm, efTcctuar o des-
embarque dos ditos generes sem que por parte do
commandante daquelle presidio se proceda a exa-
m', alim de se verificar se n.1 agurdente ou on-
tra qualquer bebida espirituosa.
O presidente da provincia, attendendo ao
3ue requereu Jos Antonio de Albuquerque Pe-
roza, resolve conceder-lhe hcenca para ir ao pre-
sidio de Femando de Xoronha no primeiro vapor
da companhia pernambucana que para all seguir,
levando em sua companhia os gneros constantes
da relaclo junta assiguada pelo secretario interino
da presidencia, os quaes nao podero ser desem-
barcados sem que por parte do commandante da-
quelle presidio se proceda a exorne, aflm de so
verificar se ha agurdente ou outra qualquer be-
bida espirituosa.
O presidente da provincia, attendendo ao que
requeren los lavares, resolve conceder-lhe liceu-
ca para conduzjr em sua companhia, com destino
a i presidio de Fernando de .Norenha no primeiro
rapor da companhia pernambucana, os generes
consuntos da relacao junta assiguada polo secreta-
rio interino da presidente, nao pudendo porm e-
foctuar o desembarque dos ditos ge"heros sem que
por parto do comimndante d aquolle presidio ge
proceda a exame, afim de se verificar se ha agur-
dente en entra qualquer bebida espirituosa.
Oillcios:
Ao coronel commandante das armas, remet-
iendo copia do aviso de 18 do crrenle em que o
Exm Sr. ministro da guerra declara que bom pro-
ceden o tenente-coroiiel commandante do 9 bata-
lhao de infantaria, registrando contra o voto do
major fiscal e de outros memores do consetho eco-
nmico, o ofTerecimento feito pelo (oroeeeder do
rancho do mesmo batalhao, do um abatimento de
cinco por eento na importancia total dos generes
que fornecer, em favor da msica eu da caixa eco-
nomas licitas, e que lira approvada a derisao do
mesmo commandante das armas, rospondendo af-
firmativameute consulta que a esse respeito lize-
ra o referido commandante.
Ao mesmo, recom nendando que informejeom
o que se loe olerecer acerca da allegacao, que no
memorial dirigido ao ministro da guerr*, faz o sol-
dado do 1 batalhao de infantaria Jos Bodrigues
da Silva, de haver marchado desta provincia para
a campanha do Paraguay, em fevoreiro de 1867,
na qualidado do guarda nacional designado.
Ao mesmo, idem, ouvindo o teiionte-coronel
commandante do 2" batalhao do infantaria, sobre
a transferencia do soldado do batalhao naval Ma-
noel Caetano de Araujo para aquella, conforme
requereu.
Ao Ur. chefe de polica, recommendando que
d suas ordens para activar-sc o recrutamento,
alim de preoiicherem-se os claros existentes as
Qleiras do exereito, come ordena aquelle ministe-
rio em aviso circular de 18 do corrente.
Ao mesmo, commuiiicando que nesta data foi
(aneado a cumpra-se no exequtur imperial,
concedido nomeaeao do Sr. Jos Antonio Pinto,
para vice-consul da" Russia nesta provincia.Fize-
ram-se as domis communicacocs.
Ao inspector da thesouraria do fazenda, re-
mottendo copia do aviso do ministerio do imperio,
do 18 do corrente, cominunicando ficar approvado
o^acto da presidencia, que aulorisou sob sua res-
ponsahilidade o abono das gratificaces mensaos a
que allude o seu officio n. 2o6, serie*B, de 11 de no-
vembro ultimo, dirigido aquelle ministerio ; e de-
clarando que nesta data se rerominende ao Dr.
inspector da sade do porto, que informe se anda
ha arereseimo de servico, que d lugar j, referida
despeza, afim de que possa ser aberto o crdito
mencionado no mesmo aviso e sobre quanta defini-
da, como precetua o decreto n. 2884 do 1" de fe-
vereiro de 1862.Offieiou-se neste sentido ao Dr.
inspector da sade do porto.
Ao mesmo, remetiendo duas ordens do the-
soure nacional ns. 280 e 281, e um officio da di-
rectora geral das rendas publicas, do 19 dost
mez.
Ao mesmo, remoliendo a patente de major
commandante do"3"esquadrao de cavallara da
guarda nacional de Goyanna, Leodegario Correia
de Oliveira Andradc, para serem pagos os dreitos
e emolumentos devidos.-Communicou-se ao res-
pectivo commandante superior.
Ao mesmo, mandando que remeta urna de-
monstrado das despezas feitas com os reparos da
ponte Sote de Setembro, afim de que possa o mi-
nisterio da agricultura, commcrcie e obras publi-
cas, expedir as ordens precisas para a abertura do
crdito devido, como exigi o mesmo ministerio
em aviso de 17 de novembro.
Ao moiino, coinmuncando que pelo referido
ministoiio se detorminou ao engenheiro Luiz Jos
da Silva, que se apresentasse presidencia desta
provincia para receber as instruceoes tendentes ao
proseguimento des trabalhos de mediciio e domar-
cacao dos terrenos da colonia agrcola do Pimen-
leras, e outros devolutos que all existen).
Ao mesmo, eommunicando que a contadoria da
marinha processou em nevembro ultimo no exer-
cieio de 1871 a 1972 a quanta de 33|7O0, para
ser paga ao imperial marinheiro sentenciado, Ma
noel Goncalves Barroso, proveniente dos semestres
de fardamente vencidos do 1* de jullio de 1870 ao
ultimo de junho de 1871; cumprndo que mande
realisar esse pagamento, o d scipcia do que oc-
corror ao respectivo ministerio para se fazerem as
devidas annotaces.
Ao mesmo, eommunicando que por aviso do
ministerio-da guerra de 20 do corrente, concedeu-
se a essa thesouraria por conta do I 14Obrat
Milttaret^o exercieio de 1872 a 1873, o augoei-
to'de-SMdito ux mp)rlanca d i 185*280, para oc-
correr despoza com os repares do quartel do de-
posito de recrutas.
Ao mesm), coinmuncando que a liceuca
concedida a Jos Augusto da Cesta Guiuiaraes, aju
danto do porteiro da alfandega, para tratar do sua
sade fra do iinporie, foi approvada pelo ministe-
rio d^ fazenda em aviso de 14 desto mez.
,Ao m '.sino, cOnnumc ind) que o baeharel
Alfrauo. Ernesto Vaz de Oliveira, juiz municipal e
de orpllbs" do tenn > do Goyanna, entrou boje no
gozo de liceuca que lhe foi concedida.
Ao' mesmo, eommunicando que o barbare!
Erne) Vieira do Mello, reassumio a 20 de corren-
te efkerciciodo cargo do promotor publico da co-
uurA'de Palm iros, que doixeu no da 17, por in-
ciiiiizodo do sade.
,'Ao mesmo, eommunicando que nesta data
toi Jt Benriquu da Silva Lins, relevado da mulla
de Iwf 000, imposta polo collector do municipio
di EaC-it, por ter deixado de matricular no lempo
competente o liberto Sabino, filho de sua escrava
Felicijln.
f) mesmo, mandando pagar aos agentes re-
censoSdores da freguezia dos Montos, a quanta do
3O}OO0a cada um, como reiiiuneracae dos servi-
ros pf-emdos por occasio do recenseamento da-
quella freguezia. Cominunicou so rospectiva
rommisslo censitaria.
Ao inspjctor da thesouraria provincial, re-
metiendo copia do officio do presidente do Bauco
do Brasil, em que communica ter entregado no
thesooro nacional a quantia de 200:0005, ltima-
mente pedida por conta do emprstito > di
1,800:0001.
Ao mesmi, mandando pagar ao' Bario do Li-
vramaoto a qiuiitia de 19:916i4.'J5, proveniente do
clcame
Por oficio do 4 do concille, recebido hoje. com- quaiido estas tiveraro lugar, 11 de junho, rentdi
iiuicou-me o Dr. delegado da capital, que pelas r a |(a entro as duas opinioes que se dogladia-
lao Aragono, fra ate gravemente ferido por Jos das, enffac do resultado goral dessa eleico.
Victorino, de que resultou fallecer quatro horas Penco antes desta vorilicou-sc as provincias a
depois, sendo o dolinijuento preso em flagrante ; cleicao para renovaco dos respectivos conseiho.-.
que o respectivo sui|delogado fez a vistoria e pro- triuinphando nesse pleito a opiniae conservadora,
segu uos de.nais termos do injuerilo policial, c o quode corto modo robusteceu o ministerio,*
que apenas fr est r.'inottido ao f)r. juiz de direi- Sr. de Theix, at entae bastante gasto e 'embalan
lo de district.i criminal, me dar sciencia. cade.
Com o Hcio desta da'a, o subdelegado de S. Jo-, jfi Uto valeu, porm, essa victoria para-as de-
s, reeolheu osla rcparlic'io oito armas defoeas, ^e< municipaes havidas no dia 1* de julho, e b
por elle appi eliendidas allr. i pleito sahiram vencederos os liberaos, cujo centn
Deus guarde a V. Exc Illm. o Exm. Sr. com- (.tn Bruxellas receben a noticia desse resultad
mendador Henrqoc Pereira, de Lnccna, dignissi- com grandes demonstrare* do satisfacrio.
mo presidente desta provincia.OYhefc de polica,
Luiz Correia de (Jiuiruz Burros.
P
parliciptcao da respectiva secretarla,
mesmo. CoDimunicou-se ao inspector da
raria d fazenda.
Ao juiz de direito da prmoira vara civel, re-
meneado o requerimento do coinmendador Anto-
nio Gomos N'etto, cessionario da companhia Recife
Drainige, para que, citados os interessads e os
Drs. promotor publico e procurador Hscal da me-
souraria provincial, interrogue as testemunhas
que assignarm o cntralo a que allude o mesmo
coinmendador, alim do que, sob juramento, de-
claren! se o pceco de 730 rs. por palm > de cano
de chumbo par agua foi justamente o estipula-
do e se esse proco foi escripto na occasio em que
o contrato foi la'vrado e assignado.
Ai director interino do arsenal de guerra,
approvndo os contratos que celobrou com Joa-
quim Alves da Silva Santos, Manoel Antonio do
Jess e Manuel Joaquim Ferreira Estoves para o
foruociiunto de gneros alimenticios companhia
de o lucaodos do onjsuio arsenal no trimestre de
Janeiro i mareo vindoiiro. Communicou-se ao
inspector d thesouraria de fazenda.
Ao engenheiro chefe da repartir das obras
publicas, recommendando que mande c ocular
pela v<"rb repuioi d rer!. i*stne preesa o ladriloo da poui; da M;ig-
d den i. providenciawlirpar! Tjw*;ai^<,itos cooi
ecooomia. Communicou-se ao inspector da the-
souraria provincial.
Ao mesin i, recommendando que quanto an-
tes providencie ue sentid) da serem reunidos os
objectos pertencontes a essa reparticao, os quaes
oectipain parte do edificio nacional denominado
Calabiiuco, sito trafSSSB dos quarteis, man-
dando entregar as chaves ao inspector da thesou-
raria de fazenda, por ter de ser posto em basta
publica o mesmo edificio al o dia 15 de jan uro.
Expedio-se ordem no mesmo sontidd a Rima,
cmara municipal do Recife, e communicou-se ao
inspector da thesouraria de fazenda.
Ao eogeabeiro fiscal da estrada de ferro do
Recife a S. Francisco, aecusando o receliiment
de sen oficio d" hontem, no qual-participa o ac-
cidente que houve no lugar denominado Gomes,
pisando o Irem que seguia para L'na, a peni i
de un homem que dorma uos trilbos, na nimba
daquelle dia e lerem sid) dadas asrdeos preci-
sas para ser elle tratado expensas da compa-
nhia.
Portaras : ,
. A cmara municipal de Garuar, acensan-
do a reeepcao do seu officio de 17 do corrente a
que ra annexe o balance da receito e despeza do
exercieio lindo, e recommendando que remeta
com brevidade o ornamento oara o de 1873 a
1874 e tabella explicativa a que se refero o mes-
ni) ofllcio.
Ao gerente da companhia Pernambucana,
mandando dar passagem a r" no vapor Ipojuca,
at a Parahyba, por conta do ministerio da mari-
nha, ao engenheiro fiscal dos pbaros do norte,
Julio Alvaro Toixeira de Maccde.
DESPACHOS DA MtHtDSHCM 08 4 DE JANEIRO DE
1873.
Antonio Carlos de Ahneida. Passe portara na
forma requerida.
Antonio Francisco de Souza Magalhaes Forne-
ca-se.
Antonio Francisco do Souza Magalhaes. dem.
Cumulo Primo das Chagas. Nao tem lugar o
que reqoer.
Francisco Antonio de Magalhaes. Informo o Sr.
inspector da thesouraria de fszenda.
Francisco Xavier Carneiro da Cimba. Informo
o Sr. director da reparticao das obras publicas.
Jos Alves Rarbosa Jnior. -Informe o Sr. ins-
pector do arsenal do marinha.
Joao Ferreira Vilella do Araujo. -Passe porta-
ra na forma requerida.
Joao Pereira Lagos.Por ora nao pode o suppli-
eante ser attendido.
Solero Bernardo Gomes Indeferdo.
Vicente Ferreira da PerciunculaInforme o Sr
inspector da thesouraria de fazenda. declarando
em quanto deve importar o gratificacao que com-
peto ao supplicante no prazo de tres mezes.
Secretaria da presidencia de Pernambuco, 7 de
Janeiro de 1873.
O porteiro,
Silcino A. Hhlrignei.
DIARIO DE PEBrlAMBCO
lteti*opecto politieo de 1899.
RECITE, 1. DE JANEIRO DE 1873.
BLGICA.
Xe anuo que acaba de escoar-se pela garganta
da ampulheta do lempo, o reino da Blgica, atlen-
do-se aos principios salutaros do sua bem entendi-
da poltica externa, conlinuou a mantee com todos
os pazes do continente as mais cordiaca relceos
de amizade, proseguindo assim no caminho que
pre procurado manter as mais salutares relacoes
com a curia romana, c, despeilo das exigencias
de algnns espirites mais alarmados, ainda no anno' seu'irtimigoTnais tcrriveT."
Depois das^agitaces movidas pelas eleink's a pi-
titica como que adormeceu, e o govem, piios--
guindo nos seus trabalhos, entrou n'uma pha>
mais tranquilla eoceupou-se de preparar algn-
prejeclos para levar aojiarlamento na sessao ipr-
derla inaugurar-se, e efiectivaiiiente foi aborta a
12 de novembro com todas as formalidades dos es-
titos.
Apenas isto se verilicou, recrudesceram os mo-
vimentes politioos, o a vida do paiz como que se
concentren no parlamenta como set acontecer nos
paizes regidos pelo systei. a parlamentar.
As cmaras entraram as suas lides ordinaria.-.
e piovavolnicnte torio do so oceupar nesta sessao
de iuiportantes prejeclos, entre os quaes diz-se qu
figurar o da reorganisaoao do exorcito a prussia-
| na, contra o qual os propries amigos de govern
tralavaiude erganisar um protesto.
Tal era o astado poltico da Blgica as ultima-
noticias : e por isto nao descabdo por urna n-
terregacao esse estado, do qual bem podem sur
gir dilliciildadiM, mxime se o governo insistir no
tal projocto de reorgausacio de exereito, e, ainda
mais se nao touiarem nov curso os negocios po-
lticos, affastando-se do germ;mismo, que boje .
Iti|iirlrili da pullrln.
9." seceso.Secretaria da polica do Pernambuco,
7 de iaaeiro de 1873.
N. 25. Illm. e Exm. Sr. Leve ao couhoci-
uiento do V. Exc. que, segundo consta das par-
ticipares recebidas hoje nesta reparticao, foram
hontem rocelhidos casa de detencao os seguin-
tes individuos:
No dia 4 do corrente, minha ordem, Juliana
Francisca Xavier, como alienada.
A' ordem do subdelegado de Santo Antonio,
Raymundo Procopio de Souza e Jos Barccllos, por
briga.
A' ordem do da Boa-Vista, Jos Victorino, por
crime de morie.
A' ordem do dos Alegado, BrecKiel, escravo de"
Antonio Rodrigues Campello, por andar fgido.
No dia 5 nao houve prisao alguma.
"co dia 6, foi recollndo, ordem do subdelegado
de S. Jos, Joao de-Deus Gonijalves, por embria-
guez e disturbios.
A' ordem do da Boa-Vista, Marcelino, escravo
do Dr. Gervasio Rodrigues Campello, a requeri-
mento deste.
A' ordem do do Belm, Carolina Mara Anua do
Espirito Santo o Paulina Mara do Espirito Santo,
por disturbios, e Antonio Loureneo de Lemos, por
insultos.
lindo," conservou junto ao pontifico urna legaran o
UTO*ministro, nao obstante ter outro acreditado
junto corte do rei Vctor Eininanuol.
A quoslau-dos catronos do ferro luxembiirgucn-
sos leve no anno lindo, a sua solacio pacifica, as-
sgnando-so em Boiiiiu duas convnceos, por for-
ca das quaes o grao-ducado do Luxmburgo con-
tina sor o que d'antos era, isto neutro, posto
que, ligado commorcialuiente ao Zollverein allemao,
Meando o governo allemao com o direito do explo-
rar os camiuhos do forro que passam no seu ter-
ritorio, e a Blgica com igual direito rolativammte
ao ramal que atravessa o territorio bolga.
Ficou, pois, o grao-ducado do Luxcmburgo, sal-
vo e livro de approhonsoes at 1912, torm) da con-
cossao dos cainiih )s do ferro; c por semelliaiito mo-
do, sein arruidos nom dosavencas, foi resolvido um
problema que, p ir um Iriz, ia ccendondo, ha lre_s
loaos, es lumos da guerra n) continente, tondo si-
do em todo caso, o ponto do partida, inda quo re-
moto, da posterior guerra fraoco-prussiana.
A resolucio desto problema tirou de sobro os
lio;ubres da Blgica o poso do um grande plian-
tasma, e desanuviou o* sou* horisonlo politicos,
tranquillisando is espirito*, ainda mesma os mais
timoratos, que vivero hoje embalando as suas
|-i enea sombras das conquistas liberaos do paiz,
sem so lembrarem todava de que nenlium sacri-
ficio fez a Allemanha resolviendo esse problema,
nao s porque, depois das suas conquistas sobro
a Franca, nao mais tinha carencia de disputar o
Luxemburgo, mas Dbem porque mais largas sao
hojo as suas vistas, quo abrangom lalvez toda a
Blgica, cujas sympathias conviii-lho angariar,
einquante nai se precipitam os aeontecimentos de
que ella ha de sabor tirar todo o provoito possivel
no sentido do suas aspiracees de conquista.
Nada disto eochergain os politicos belgas, ou, se
o eiichorgam, fingein nao coinprohonder o seu al-
cance ; e por isso cntregani-se com todas as abun-
dancias do coracao s praticas da poltica alloma,
germanisarao do sen paiz, prelendeinlo organisa-
lo a prussiana, e, sem o pensarem, prpara-lo para
a sua futura ncorporacao no imperio allemao.
A' essa poltica dlo-se especialmente os libe-
raos, cujas vistas nianifostam-so constantemente
cupidas de peder, de cujas cumiadas mas fcil-
mente podem levar cabo a sua iogloria trela.
Os propries clorcacs ou conservadores, ainda
no poilor, posto quo bastante desacreditados, dos-
do es lins de 1871, partcipam bastante d'osso mo-
do de ver as oousas do seu paiz, e. exceprao feita
do que diz respeito s questes religiosas, as quaes
sao ellos imiilo afferrados, bem com curia ro-
mana, cujas doutrinas acetam o eiisiiam. quasi
que se nao distancian! dos liberaos, por cuja car-
tilha vai coineeando ler a inaioria ,de paiz. em
prejuizo corto do seu futuro, da suaautoiiomia po-
ltica.
Ao abrir-so o anno do 1872, funecienava o par-
lamento em Bruxellas, e no seu soio tinha iiiaie-
ria o partido clerical, que apoiava o gabinete Theix,
successor do ministerio Anethan, cabido nos Bol
do anno de 1871, por iiin'verdadoiro golpe de
ineonstitueionaldado desforido pelo re.
Depois desse golpe e da ascencao do Sr. de Theix
ao poder, o cu face da dosmoralsaco e despres-
tigio do partido clerical, houveram serias doscou-
liancas de dissolucao das cmaras.
O're, porm, leve o bom sonso do nao autorisar
essa medida, sempre violenta, e ainda bem que as-
sim o pratlcou, porque eximo-s da grave respon-
sabldade que lhe cabera se tal fizosso quasi as
vsperos, por assim dzor, dajenovacao parcial da
cmara.
Assim, pois, conlinuou a dirigir os. negocios do
estado o mesmo partido clerical e por isso ainda
foram adiadas as reformas requeridas pela epnao
publica, evpara cuja feitura nao mais linham for-
jas os conservadores, cujo ministerio era todos
os momentos inlerpollado na cmara.
De feito nao Iho davam treguas os liberaos, cm
numero rcspeitavcl no parlamento, o todos os
proposites desferiram golpes sobre golpes no go-
verno, abrindo cada vez mais a garganta da opi-
niao publica, cuja voracidade quera devora-lo.
Fw assim que, a proposito da permanencia do
conde de Chambord na Antuerpia, e das conferen-
cias polticas e desordens que alli tiveram lugar,
interpellou a opposicao o ministerio, obrigando-o
a vir tribuna declarar que a Blgica Java ao
conde a inesma hospilalidade que jamis negara
outras personagens de todos osiuatizes, o que alias
estara de accordo com as suas leis, com a sua n-
dole e com os. seus costumes.
O debato foi renhido, e o ministerio, nao obstan-
te a razio que lhe assista, e o voto de confianza
que lhe deram os seus amigos, soffrcu muito com
esse choque.
Pouco depois disto ausentou-sa de Antuerpia
o conde de Chambord, e serenaran as desordens,
contra as nnaes protestaram os catliolicos belgas
por moio ae um manifest dirigido ao illuslrc
conde.
A'essetmpo as cmaras oceupavam-se com
varios projoctos de atersse local, entre os quaes
um reformando a polica de Bruxellas, contra o
qual se pronunciou _a respectiva municipalidade,
por ser contrario sua lberdaderobrigando assim
o governo rctira-lo da discussao e da apreria^ao
do parlamento, cujas sessoes foram aflnal encer-
radas '17'de roaio, depois de se achar p governo
munido das leis annexas indispensaveis a sua mar-
cha.
Desde ntio concentrarani-se. todas as vTstas,
convergiram todos os esforcos dos partidos para
a? elelp^es de renovaao parcial d* parlamento; e
HOLI.ANDA.
A Hollanda, OU, come outros lhe chamam, a
confederaran dos Paizes Buiros, vio escoarem--
es dias do auno que voni de lindar sem que ue-
nhuma nuvein obscurecesae o co de sua Hilitic i
externa, cujos lies foram e vio sendo conduzido-
coiu grande habihdade pelos homens pblicos a
testa Jos seus negocios, e sem que nenhuma quei-
xa transpareca, da qual redundo prejuizo para o
modo pratco do dirigir a difcil moiada dos negocios
internacionaos.
Apenas do lado da Allemanha como que se di-
visa em tanges nerjsootes um ponto negro, bem
que contra tal visao protesten! os hollandeze-.
i-uja boa fe custa adiiullir que as aiubiees ger-
inaiiiras crescain de lado do seu territorio. Doro
que el les enrhergueni quo ellas so encamiiiha.ii
para a Blgica e-para aSuissa, deis outros amel -
cides pomos, para os quaes olhan o Sr. do Bi--
mar< e o rei Guitliermc da Prussia com aquolle-
ternos olhos com que eutr'era almejaram epor
liin consoguiram a encorporac.io no imperio Alle-
mao (los pequeos- oslados de sul do Meno e a Al
fteia-LorTaina, hoje em ras de>oiuph-ta germani-
saeao.
Dqiois que a serte das batalhas pronunciou->.'
lelas amliices prussiana^; depois que o sol das
victorias illuininoii as armas da conquista alloma .
militas e por ventura bem ludiris questes nasce-
ram do grave desequilibrio da Enrona, o (Kir cert
muitas peripecias ter o velho mundo de testemu-
nliar autos que o uiappa geographico-pelilico d>
son continente desenlie a face em que deve Ocar
definitivamente.
Entre essas questes. que pedem mais ou ineiio*
um prolnpto ou remoto desenlace, nenhuma sem
duvfda aprsente a inosnia face, excita tanto iote-
rosse cuino a qiiedecerre da situacao era que (toou
a Hollanda depois dos iiltim is aeontecimntos que
constitoiram o imperio Allemao e rebusteceram as
suas amliices.
Sem duvida essa situacao nao de naluroza
tornar-so critica em curto lapso de tempe; na-
baste 0 facto de poder ella assim tornar-se de un
para entro momento, para que "quem nao se quer
deixar sorprender lelas tempestades polticos,
busque estudar os aeontecimntos e os factos que
podem complicar as relceos entro os deis patees
para d'olles deduzir as consequoiicias necessa-
rias.
At 18Gli a posicio internacional da Holland i
pedia passar por multo forte, e para ella certamen-
lo nao se dirigiam as vistas da Alll-iuanha, ainda
dividida e procurando rumo atravez d'essas divi-
sos, que todava Iho nao mpeilcriam de se oppV
a qualquer potencia, que tentassoougrandocor-se :
cusa dos Paizes Baixos. A Inglaterra, tondo re-
nunciado as ideas de conquisia. era lora de duvid
que protegera esse paiz martimo e cotonisador,
por seu lado a Franca nao pedia ser acensada d
souhar semelhante empresa, nom es noHaodeaes
tal consentiran), embalados pelas glorias da sin
historia, quo lhe leinliravaiii os moiiioiaveis dia.*
das lulas sustentadas contra Felippe II o eontra
Luiz XIV.
Esteva, pois, at 186G a Hollanda n'uiua exfol-
ente situacao |litea, viste come os tres Doleos
paizes quo a podiam inquietar, oeotralsavani-s<>
reciproeameoto, sem contar que o estado roipech-
vo do cada um era urna barreira tal tentameu
Alein d'isso a rcgularisacao dos negocios Itlga.*
fortificara ainda mais essa situacao cuja sombra
ella comecou Irabalhar actualmente pelo seu des-
envelvimeiito pacifico, j cavando canaos, melho-
rando portos, construindo estradas de ferro, desce-
rando lagos, e pagando sua enorme divida, ja
emancipando es escravo.s de suas colonias,^ <
muliplicando seus estabelecimonles de instrueco.
sem so inquietar com as tempestades polticas di
Europa, elijo equilibrio olla sabia res|>eitar,-assim
como os seus diques fazain-n'a respeitada do lado
do mar do dorte.
A guerra de 1866 nao lhe foi, porem. mu favora-
vel, posto que enlio ainda fosse moderada a poltica
prussiana, que se ateve respailar o pavilliiio hol-
andez e entregar-lho MacstrichI, cujo* tacos a
prendiam a anliga confederacao germnica.
Estes resultados sem duvida engaaran) quem
se contenta com ver as cousas superficialmente, <
nao "desee ao mago deltas; o por eerto mais de
una vez deve ser dito que a Holanda ganhou a
gucrg em 1866. A verdade, porem, que ella
perdn, e perdeu muito com essa guerra^ visto como *
em vez de limitar-so com o Hanover o com a Prus-
sia, ficou circumscripta pelo nove reino da Prussia.
engrandecido, considoravelmcnte fortificado, e ton-
do sua ili-|iiei i todas as torcas muiteres d:i
Allemanha.
E cffectivamento essa perda era patento, o ainda
mais patente se tornen depois qw a nova Prftssia
deu os primeiros signaos de que Iho nao ora indi i
ferento o Zuiderzeey que Iho abra espaco para i
mar, signaos que provocaram a derlaracao di
Franca de que esta e a Jnglaterra tinham a flrm-'
intencait de se opir qualquer extonsao do ter-
ritorio allemao para'esse lado da HoHamU.
Esta potencia, oporm, nao se yiquietou muito
com as manifestaees da Prussia, nao s porque
esta tinha milite que fazer, sem satr da Allema-
nha, mas tambem porque a espada ds franca go-
zava da reputarlo do bem aada e a Inglaterra
tinha par habito auxiliar os seus alliados. Ni
obstante, porm, tratou a Holtenda de dar granoV
uoremento s questlles da roorganisacio do sen
exereito, da defeza nteional, e das novas fortiftea-
coes, esludando conveoieatemente a linha de def*
j*


Ti
DiftD & Pernambuco Quavte fiara 8 de Janeiro de 1873.
-7m

xr
ilo Ys.-=(il, e jiinttmti algms Wntor> *eea fru*. I ir^sfen^va V eoneutii<.gefaJ;,na ingiafttrrji t*H Pranciseo Jos do S'.nta Antw, preto, Pernam-lllaaoetiaicelmo Monteiro.
Quando es apt* sr |Ts-:tv.i u. tinha j a nova as ^adea-TW&iHS romo f-.ra
Ifus*ii"r.'jlvi -forpou depois osla, poten ra a dei larar-Iit artesas*
irosa guerra de fw ella sabio a'ida o ttcsoigtf-
sada pin 1871. ai passo que i uia-innnig sa-
nhaya innmeros luiros, complotandu-sc p ornear
rnentc, e Huilkando-se sol o ]Kunpnso titnl tle
Imperio Allemi i. .
E- inqnesUoiuvel. aent enrice. oteinawvacSo.
que om lace Juacio da Hollando friwoii,ag(Vuauilo-swnsdi'T
i .ivelnen6r a -na p.sr:.> geagrapliica peante a
UlcmanUa, mais foronda vel qa?1 nunca, e mais
que nunca senhnra dos destines da Ewopa, anni-
pnllada. abatida u drspreMigiadn.
A Sollamla, pois. arfmu-seie ichf-so aineacada.
t aew sequer pJe cantor con. a protecelo da
Fraila e da Inglaterra, viste runo esto se aeha
ludbriada pola posirio ex*ruxiil* em .(je se col-
Jwou por cansa da sua poltica egostica, e aquel-
la se aeha abalalla, a** o mafo dos setis alicer'
es, pelos furacoes qne lito passarain sobre 0
vurpo. Indo de.-trindo e tndo terrnbando.
A AHemanha te por MTta i unto ein que cui-
dar, dentro eai si mesir.a. pan completar a sua
rganisariid'interna- e consolidar a obra das__suas
i-mnpiists do ((tiniqnciian nllinio ; mas nao se
leve Hludir a Hollania cere; dos MUS desrjits,
que sao, que nao pftcti'Ut deixar de svr a entrada
daese paiz para o novo imperio, islo o sen .Thni-
quillatnento politicu. a periit da sua autonoma,
ein proveto" da All-manha KM, que I lie" far.i o
obsequio de o e pparar a Saxi e a Baviera, per-
iiiittindo 30 seu rei qui' li mubii ie rom os sobera-
nos daqttelles estados, eom tonto que seja Vassafle
dJ gracioso scuber do BtIiii.
C-i-taim-ntc ni"-exist- na Alleiii atiba "nenltum
Ijartido que prnrlanie esse deseo, qur ipiera re-
alisar quand Mhm eesa suppista utopia; ui*s,
alin de que possivel sua fon lacio, n-leva pon-
derar, fue a Auemanha trabalha indMivtamntc
i> o ehegar esse resultado, e ,wr isso derrama o
germanismo na Hollauda, assim romo o val derra-
mando na Suissa a na Relajea.
liiqu.wtioHavlHim*!'. por em panto, nao ba na
llulJauda neuiuma idea acariciada acerca dessa
ncornoracio, e o sentmeiilo de Independencia
nacional vive arraigad) no coraeao dos neherlan-
deaas. mitro os qna's a- vent transpaiece;i vairas
mqui-Uu-ois acerca dos pongos qnc ptMtem s ibre
vir"do lado de univizinho tao pi deroso u lao nouco
i-scrupuloso cilo i %Alleinanht.
Esses re/cios. jioiiu. do ord arioduram pouco.
o o que cerl o e qie a opinia) publii-a, na Hol-
1auda. iuquieta-siy menos rom a Btuacao do paiz
do iptp. p-ralni-nte se pide suppr e aereditar.
Dessa falto de in-.luieiaeao. desaa- especie dij
aiiandouo cn qcu I "Ios afata n eaininbiu- os ne
gocio* Hadantes a poltica allema, que teem re-
sitltailn .H-facilidad'-s roii que o gyiW>Bio vai
rateado proalytot. vai-se ingerindo por toda a
parto, romo qno pepa ra ido o fraete que ns al
iiia.s bao de vir a rolbo, se. por vonttira veutj.s
i nilrarios nao dcriiibarein o immoral rastel lo que
efles ergueram sobre a Abrdale dos povns. op-
oiudo a torca ao dreito, a espada e o ranbao a
i a'.o Kn'retanto os bomens polilieos ila Hollxinlaf
nao se aparcaban o flngoiu nao poreeber que
a'oalliaoi eontra a pinpria patria.-v vao levando
i.j. diauto j* obra do germanisoi., quemado ae-
mu,Miar as OItilBCoes do sen a-s d aquello paiz,
como ltimamente o tciitaraiu o vao peislslmdo
no tocante ao exercito. sera ao inen is se lembra
rea de ajae, se o carcter individual aUeuiaa de
uatureza pivsti:r-se subser.-iencia disciplinar.
icio se lito assraiea o bollando/., que < altivo por-|
ndole e por liabit* do viver ei 1 librdade.
Como quer que soja a obra progride, o boje.
ci;u) bonteni. ir l'a;'.rido a si a gestoyao raima,
iiaciliea. atravoz das 'peripecias da palitun W>r
ib Horlanda. as vaos rrequiVta, mas de ordinario
panuca tamlicm.
Ao eomecar o anuo de 187 tralialbavain em
lava as eamaias n-licrlaid:zas, cliaiuadas alli BS-
tad sjantes,oiaui diiandi owz cinn algnmai
boas lea, entre as qiiaes sobresalid a que appro-
vou o tratado eetebrad > pelo govenio cain a uigla-
ierra wlativauwate a-ilba de Sumatra e livre
i! aigraeio de iraballiad ire angloiindianos em Su-
' riiiiau. e bom assm a que soppriuiio do codi|0
penal as ponas ostobelecidas isentra a c,>lligai;ao
,i operarios.
Por esse te upo o ministerio uebeiiandez soffrea
ii ivj ligeir.i alieacfn na sua coHiposicao. reran-
i.i-so o ministro da guerra, que l'oi substituido
general Delprat. o nao foi sena dais disto
pe i gabineCe rb nnlrikar a dentissao dada ao
.-:. le Cbaslel. ministro dos Paites llaixos junto ;
Santa S, extinguindo ao_ idimiii lempo aipiell
earg >. da eonftirmklade 'eom as vistas do parla-
ieio, que assim se manifestara, esquecendo-sa
ii- que os uti-res.-es dos calbolicis neberlandiv/.es
p. liaiu milito b sin per-litar em liorna, sen aquella
lejrano, da qual si pdiain vir bens e nunca mal
., elua llollaada.
V'essa supjir--.-. ao de legaelo viram nmitos.e
o un viram in ruxo, anda una inteili-reuca
i i germanismo as aegocios nolicrlandezes; e por
i->o os eatlidicos.se resentii:i!ii'd'esse__ajgravo,
oi!i ira se caliassom, aiiiiardaud > oecasiau nppr-
ioi de mosir.ir osen resent nenio, uccaso que
'. offerec u h u testas nacionaos peloanuiver-
-i.,o Ai tenada de In-lle. ni 1" de abril, aas
~ viram cues antes uui pi-Oteto contra a par-
; cipaeao do catliolicismo romano nos actos de
elnipc II, do que yma manilestican patritica,
pie ciinipria respeitar.
'essas rustas, pois, se aproveitarnin os eathedi-
. is para manifestarem o sen auvravo eontra a po-
lil que ordenara a lebrada do uuislro neber-
; 1 /. de Juuto da Santa S, e as suas manl'esta-
. ehegaram al a dosordem, que em Itfuitos
|i atea foi grave, majnw id Brabante sejiten-
i, loiial. onde domina a popularan ca'liolca.
::ssas dasorens, porem, nao tiveram serias con-.
- oenejas, e pasaaram sera autor dificuldade. li-
nittando-se ogpvemo deinittir alsrumas autori-
dadea e aptistonar alguns dos amotinados. _
Kntretanto o parlamento proseuia 008 sau
.raballios. e, tendorei;eiiadou;n artigo do pinie.to
conheceraiit que, petas snas consequeneias, fora -lie
milito til.
A' vista disto votou o parlamento a resposta em
(piesto por unanimidade, nao liavendo discrepan*
ca sinio le un voto, pelo facto de todos se aeha-
rem acrorics cora a poltica tracada do discurso
la eom. "
Km seguida oecuparain-se os Estados geraes eom
as leis an'nnas, cujas propostas Ibes foram apresen-
ladas pelo govero, e deviam entrar depoi's na apre-
riacan Jos projectos mencionados, na falla do
tiirono.
Assim. pois. nos fias do anao corriam calmos e
desanuvados os negocios internos da Holianda,
rujo estado; despeito di sua divida, era tlores-
cente, inclusivamente^ as colonias, om todas as
quacs reinava ordem, e ganbavam terreno as ideas
de libei ilade, proeouisadas pelo scalo.
Excepto o ptnntsenM da annexacao possivel.
embora remota, ao imperio Allema, era tamben)
,'iiis|iicioso, ao ealir do anno, o estado da poltica
externa, ruja sombra poden) e. devem os Paites-
Baixos abrigar-se, eom reservas, para proseguir
un obra de engranduriiuento comecada em 180.
la faada, retrou-seeste, < eom elle juigoii dever
r-irar-se i.mI i o gabinete, que fui peair a sna de
inissao ao rei, solicitando da camaia o seu res
,.-!,o adiainento at a solueo da crise.
re Guillieruii- HI nao quiz aeaulescer as so-
:-tacoes iloscu g.Miiuete. e iitstou para que elle
c latonasee no govenae, ao menos provism a-
Hate, ale que ki-:oin cuiicluidas as questoes pea-
d -oles na cainai: .
lesna- fez o gabinete, declarando i.^) mesino
ns cmaras, que prosegffiraiii nes seus trabalbos.
-en se inquietaren cao esa anomala que, em
verdade. nao le prejmiicava a marcha neni tao
pouco fazia peiiiat a n.ii ilo Estado.
O gabinete consenoa-se por mais duus meses
no iiodor. at que em juina terntiii'ei a crise. in-
i-un>bmdo-se o Sr. Beores dt> orgeisacae d sen
-ubstiluto. que elle eoinpiz eom elementos lodo;
ureyjress&Kas. ,
O novo gabinete apivsentou se ao parlamento na
(eran dos estyios. e foi p ir oste#em feeektdoi visto
eom i (ora femado sua frc,"io, continuando depois
dessa apresentv i nos seus trabalhos. at que foi
encerrado 19 M MteaAao ]r commissao real,
pan reabrt-se Iti debaixo ios aospleios do rei,
que praticou a nec-ssaria ceriMitonia da abertura,
pronunciando urfi discurso, nc qual, depois de dar
c ma da situacao poltica interior e exterior do paiz,
d-se que progrediain os traiialhos de dtala, e
lroinetlou qne o sea govnroo ipreseuiari.i umpro
jacto -obie a re >rganisacao do exercito. e outro
sobre a extensao do direiio eleKoral no sentido' li
beral.
Poneos di as autos do duplo aconleeimento do en
-rerramento e abertura do.jiarlameuto, eelcbrou-aS
em Haya o congresso dos nUrnaconalistas, abri-
gado sob a liberdade de rcuniao, garantida no pac-
to fundiinenial da naci e ltimamente, alargada
pela cxclnsao que flzera a caniara de alguns arti
gos do cdigo penal, applcaves essa sociedade.
lo<|Qeslionav cimente a derugac.o desses artigos
fora feta para o lira de pcrmiitjra rcuniao do con-
gresso, e assim obrando, a Holanda proceden mais
ti lie ramente c den prova de uie.llioi tenso pratici
-do qne aquellesvi)aizes (|ue eollocaram essa nefasta
sociedade fora de suas rospecUvas luis.
Se a sociedade internacional in. se suas don-
trinas sao aliaineate coudenuiaveis forra de sc-
rem extravagantes, romo cren)os c j otemos dito,
uesiruaraos todos, destinara U.dos os movernos es-
tas doutrns? contrapindo-lhes as sas doutrinas
moraes c polticas acatadas ne universo, mas nao
Ihe opponliaiu iiblaculos livre propaganda, por-
Ihe urna urea fagueira que a proteger.
Fui \m o que fez a ifollanda,peiinittindo a rcu-
niao do eongresOj e nao teve uu que arreponder-
. azo aos internacioaalistos reunidos era Haya para
chocaren) oy seus mteresses, para se divdirein,
t >ato de facto soulie-se que elle* se dividirn), nao
JjsUnte terein sido secretas at, Suas reunioes, aca-
. badas depois era Efiucllas e oo. Amstevdam pelos
qae se^araraui, prJiestando conifa ai
----------s-------------;
sjsjS'.es Jo eongtesso.
li!:o (1-pois daabertura da parla menio. piu'^ee-
casiao ila dseusso 'da r sposta ao discurso dx'ro-
la, foi a gabinete inteTpetlado cerca- desse con-
nre-sn da inlcriurioii.-il..e o resjieelivo ^ninjstr de
estrangeirrs, respondendo interpelarlo disse, que
iieiilium governo curopett redamara cnica a sua
minia em Haya, e que, pelo contrario, todos res rite aguda
votado numa das VlCn, I < anuos. liWiro, Hoa-Vista, iHispitoV PeCre
! It : abeesso^srrofutaso.
J lio (le li|;iis otv-nav'.i. par-l), ^PernalnHuc^ 36
aHti IR, sobein- ; ipfljimitacao no ligado.
Bita Teixeira dos pantos, branca, Pernambuco,
anuos, rasada; S Jos1 ; intente aguda.
2Maria do Corarlo de Jess Seve Cardim, bran
ca, lVrraunleacu, L airaos, tttada, g. Jusc ; tul..
PEB.NAMBCO.
BEVISTA DIARIA
( i arii'a munict^al do tteeife. -Nao
se realisoi honteui a posse dos vereadores elcitos
para n qintriennio de 1873 a 1876, em vrtude do
ceguint acta da presidencia da provincia :
t Palacio da presidencia de Pernambuco em 4
de jan-aro de 873. Acl>ando-se exuberante-
mente veri eado, pelo exame feito no juiro compe-
tente na acta da eleicao inunicqml, a que se pro-
ceden na Iregueza dos Afogados, a lalsidade da
referida acta, a qual tera por fim alterar a ordem
da vot icio, daudo aos eletos collocacao diversa da
que deveria ser. se pira tal Um nao fosse empre-
gada semelhaote fraude, recommondo lllma. c-
mara municip.J do Becifo que sobr'eslola na posse
dos noves vereadores, at que pelo poder compe-
tente-fBta julgada dita eleeio. -Hfiriqw. I'a*ra
de Lucetia,
Trlbuualdolluiiuiiierei. Por porta-
ra da presidencia da provincia, de 3 do corrente.
foi designado o dcpntado Joaquim Olyntho Bastos
para servir o cargo de secretario do Tribunal do
C imaierci o.
Iliult.-ii-o iiiiuilo Sentimos quasi billa
absoluta d sedulas de pequeo valor, de 10. -\ z
e 1 mil i:s, por exemplo, assm como do pro-
mottidi dubeiro de nickel para trocos, resultando
dahi serias dillculdades nao s agricultura e
comnn-reio, c.om ao p ivocm ger 1 isto augmenta
de imp irtaneia em lempo de safra, como o actual.
Coui a retirada dos bonds da circular io, o i|ue
alias appla xilinos, subi de ponto esta neces.-idade,
que esperamos seja eom brevidade satisfeila.
i-:->iiiik^ainciitu. -O tivm da va-ferrea do
Heeil a s. Francisco, que desda do interior na
tarde de O do corrente, raatou um lioinem de cor
parta, que dorma cora a cabera sobre o trilito
da l-nba na curva denominada -Contendas. Im-
possivel foi evitar-so o oesa ir, pois adiando se
o individuo justamento em urna das extre-
mi'.ailes da curv, SO foi visto em distancia que
nao pennillio parar o trem sean depois de me
liiver es auado o cranei. O.ito-nos que esse
boinein era morador em trras d" engenbo Bello-
nionte. viveudo em continuada embriaguez.
/rlitieisto mortt'.- Pelas 11 horas da
manba d > da 3. ra do Gervasio I ir fregu-
zia da Boa-Vid travaram-sc em luto desesperada
os subditos italinnos -Vicente Victorino, J .?.- Victo-
rino. Fraiicie Victorino e Xicob'ia Aragono. resul-
tando sabir gravemente ferido Jos Victorino, que
reion fallecer 4 bor.rs depois. A autorid.'de teve
coiiIk ciuieuto do facto. .
~Su\:\ Tbttlia.O espectculo que nao pode
ter lugar no domingo, om consequenea de ler
adoecido um dos socios representantes, lera lugar
hojd(). -alvo o caso purera de grande thuva de
horas da tarde em diante.
\'V i..ist.ai ;\oli eorrelo. Nontez
esta -repartie'. -
pantaleao. asertivo, prato, Peroanibuco, 41 an-
uos, sol'.eiio, Boa-Vi'ta ; gastro hepatite cliro-
n ico.
Mara, parda, IMrnaoranco. 10 janos, solteira,
Graca ; interite.
* 5
Jos I'rliano dos Santos^ brapen, l^rnaniboco,
40 anuos, splteiro. Becifc inllammarao ebronica.
Bento, esravo, pelo, grnambuco, 57 annos,
soltelro. iloa-Vista ; liyrtropisia.
Joaquina Maciel Monteiro, preta, Affrica, 60 an
uos. solleira, Boa-\fsta ;' gasiro hopatito.
Trujano Rereira da Silra. Urseu, i'ambyba,. 'iS
annos. solleiro. Becfe ; t\sicn.
Marta Thcodora ^le Albuquerque Larangcira,
branca. Pern.linbure 10 annos, casatU, S. Jes ;
ttano. '*
'Jos Bfino da Silva Baraos, betico, Pernambu-
co. 37 annos, soltero, S. Jos ; caingestao cere-
bral.
de dezoiobrn ultimo
0:79o 51 SO. sendo de
Sellos
Carlas
Moviuieuto de fundos
Premio de saques
Multas
Extraordinaria
Assignaliiras
o anuo civil de
tic.'.o a quaata de "i:
Janeiro
PovcreUii
Marco
Abril
Main
Jiiubo
Julho
Agosto
Setembru
Oulubro
ovejubro
Dezemltio
Vuvu ai'iuu/.eni.
arrecadou
172 arre a,
i78.>04l, assim
2:708 23 i
t-.naoitsa
i 1:13 #008
220fK)
*t#8'
IOJ000
104 0,i
i i esta repar-
divididds :
.o:23!U^i80
:i:29348
:i:2t)*8.t-o
7:3704WO
lit5M*78
.;:ti.-)'i5.-ilo
0:140O3n
tt:05U3G0
5:57644*0
o::l3Wlri
6:609 J380
6:79o* 180
A' i ua de Fcroandes V-
eua n. 24 acaba de ser installado um novoe gran-
de arma/eui de gneros de estiva, no qual encoir-
Erarao os fregupzes variado sorttmento. ueste -ge-
ni'i'o. por presos razoaveis.
iLiva"--* de ii^lv/.. Na scelo competente
vai publicado um anniracu^lo Sr. Joo Carneiro da
Silva Bego, no ciual se propte a aosinar a lingua
ngleza, eom esmero e perfeicao. Rerommendamoli i
^luuelle-f de nossos lelores que precisareni de
o qual fa.:.a questao o mm.stro^J^. ^ |mgua
Fentividades reliias.Inforiiia-nos
ane'aeha-se marcado o dia 9 de fevereiro pro
rao pan nelle ser celebrada a rosta de Santo
Amaro das Salinas, e o dia 16 dese mez para a
de Nossa Senhora das Angustias, que se veneran
u. capel la daquella nvocacao.
ImpiKttN piinviaetaes. Auiaiiha ter-
mina o reoebnento da dcima urbana e ita i;n-
posto de o por "/ sobre bens de corporario de
mao morta, sem dependenda de multa.
Casa de detesjupao.Moviinente do da
6 de Janeiro de 1873 :
Existjaui (presos) 322, entraran) 5, cxsteip 327.
A saber :
Nacionaes 22o, inullieres 12, estrangeiros 42,
eaeravos 44, esclavas 6.Total 327.
Alimentados acusta dos cofres pblicos 2o9.
Movinieiilo da enfermara do da 6 de Janeiro
de 1873.
Teve baixa :
Joaipiim Pereira de Albuquenjue, abeesso.
Teve alto :
Antonio dos Santos Barros.
Lotera. -A que se aclia venda a 35
a beneficio da matriz da Villa Bella que corre no
dia 11 do corrente.
Manta C;sa de Misericordia. .0
IKssoal de enfermos, mendigos e educandos exis-
tentes nos esJabelci montos cargo da Santo Caga.
isn dezembro foi o soguinle :
No lu.spiial Pedro II. 276
Filbios de. enfermos 11
No hospital dos Lazaros 38
.NoAssh 9
So collegio ,d js orphaos 95
No eollegio'das orphlas 136
Na casa dos eXixWtos 88
Bui crelo 80
913
l!Lsitni Por}ii$;'uez. Esto de semana*]
o Sr. i: ni domo Jos Antonio de Souza Basta.
0 movnento das enfeaniarias de 1 a 6 de Janei-
ro joi o seguate : existiaui doetes 46, entraran)
20, sairam 14. fafleceram i, Fi'-am' em tratamento
37.
Ccuiiterio publico.Obituario do dia 4
de Janeiro de 1873 ,
Joanua Mara da Goiiceirao;-{uela, Pernambuco,
30 anno*, solleira, Becifo ; metrte puerperal.
N'icotoo Bogasse, branco, Italia, 33 annos, Boa-
Visto ; leriineuto |ienetratite.
Mafia,, uram-a, Peritimbuco, i mezes, Boa-Vis-
ta ; convulsoeN
Maluias Jos das Chagas, yeto. frica, 90 an-
uos, casado, Becfe ; aiulecimento eerenraL
ilauMc) Antonio de Souza, pardo, Goyana, 60
annos solleiro, Boa-Vista, l^ospital PedrotH ; en-
tarite cbj-ouica.
Mara; parda, Pernambuco, 10-annos, solleira
Graea; euterite.
3Josepha Mara do Prazeres, parda, Pernamba-
, fffamws,-solleira, Boa-Vista; hospital ftidro
, tubarcu.lo pulmonares.
tfi
38LhTAC0ES A PEUtOir.
------------1---------------------------------------------------------------------------------------------------!-------------*
Ma^onaria de Periiambueo
A tiacoiiaria de Pernambuco, consca de que a
q-.ialidade de macn. Iinge de ser imta noli, pro-
testando contra as ideas e os scntiinentos do ver-
dadi-iro eatholico. segundo acaba de declarar en)
acto ollieial o actual ordinario desto diocesc, tes-
tilica a identificaba > mais natural, mais paca e mais
completa cora esss sentimentos e ideas ; e que
por tanto, desacatada como acaba de ser nas pes-
soas de rniaos respeitoveis por urna circnlar qi,e
corre impressa. do Sr. hispo, que ordenou, eom
violarao das leis eivis, aos juiztjs das irmandades
que ei/pulsasscm dessas corporacoes os iniaos
macons dzendo-os crcofftmu/ijiwfo.i.cumprc^he pro-
testar i toda a luz, contra esses inmerecidos bal-
dees, resolved publicar os nomos dos operarios
activos e avulsos das suas ollicinas, para para que
o diocesano e o publico mclhor conhecam op im-
pos que se rennem. mi j se rcunirnm nos autros
t tubrosos, qualieacao indecente qne d .o Jesui-
tismo as nossas ofltcmas, onde o cscravo, a viuva,
a orpha, o udigeme e o persgnido lem sempre
encontrado toda sorte de oonfortos.
Ahi eslao, pois, os nnmes dos jnacoas de_Per-
nambueo, para que o Sr. bispo os excouuunngue
oupriMiin! obter delles abjuracoes s proprias de
pusilnimes ou daquoRes que nao tein conscienca
dos actos que praticain.
Qiuulrod'i .\ug.-. Ltj.'. S'gredo e Amor da Or-
dem.
MMemb.-. elTectivos :
Manocl Antonio Viegas Junior.
Ktiiilio Xavier Sobrcira de Mdlo.
Alexandrc Rodrigues dos Anjee.
Joaquim de AsOinpcao (Jueiroz.
liarlos Kduardo Miihlert.
Liberato Tibiirtiuo de Miranda Maciel.
Justino Martyr Xlorreia de Mello.
Luir Cleinentlno Carneiro de Lyra.
Bicardo Pereira de Parias.
Lydio Alerano B.indeira de Mello.
Joaquim Leocadio Viegas.
Bicardo Pereira de Sant'Anna.
Alfonso Moreira Temporal.
Augusto Pinto de Lemas.
Scbastao Jos Gomes Penna.
Joii KvaugelLsta Gomes.
Manoel Alves de Mem.-zes.
Jos Gomes de Oliveira.
Jos de Mello Alhnjpwrqiic Motenegr.)..
Ile'raeterio Vidal de Negreiros.
Antonio de S Leita .
Antonio Vll.-la de Castro Tavares.
Antonio da Cruz Hibeiro.'
AntonLi da Silva Baraos.
Austriclino de Castro S Brrelo.
Aiexan.lre (Li Motta, Canto.
Adolpho Koberto Kwip.
Adriano da Silva Paria.
Dr. Adolpho Lamenlia Lins. -
Coiiimeiidador Antonio Ib-nrique Rodrigues.
Antonio T.'lemaeo Ferretea Lima-Verde.
Americo Kanes Correi;.. .
Antonio da Silva (atrpos. -
Antonio Aunes Ja orne.
Antonio Adolpho Leite Bego. -
"Antonki Francisco das Noves.
Andr Jos l>as Pereira,
Antonio Angosto Pereira da Silva.
Augusto do Carino Braga.
Belmiro Gomes de Mivcin.
M.ijor Beato Lniz da Gama.
Coronel Coriolano Vellozo da Silveira.
CluisolMo Forreira de Castro Chave-,
Carlos Brnesto ile MeequHa Falcan.
Cineinnato Vellozo da Silveira
Clcmentine Monira Temporal.
Custodio Franriseo Martins.
CarlosO. V. Suenson.
Carlos Alves Barbota.
K'luirdoFirmino da Silva.
Elias Augusto de Almeida.
Eduardo Lniz de f>rqueira
Francisco Jos de Oliveira Barbosa.
Padre Francisco Joao de Azevedo.
Francisco da Costa Bibciro.
Francisco Augusto Pacheco.
Francisco u> Assis Castro e Silva.
Francisco Jos -Jayme Galvo.
Francisco Ferreira Maja.
Felippe Francisco Vicira.
Francisco Xavier BodrigiteS Pinheiro.
Francisco Paulino Almeida e Albuquerque
Guilherinini Paos ltorreto.
Jorra Adolpho Birle.
Gnilheraie Hemall.
Henrque S. Aniltade Brederodes.
Heriuno Ferreira da Silva,
llenrique Bnarte Lopes'de Vasconc-Hos.
Henriquo Gibson.
Joao Leopoldo Lopes.
Joao Silveira Camello da Cunha.
Jos (Jomes da Fonsee.
Jos Alves da Silva.
Padre Jos; Boberlu da Silva.
Jos Moreira da Silva.
Jos Hara de Azevedo.
Jos Candido Viegas.
Jos Vellozo Soares.
Jos Ferreira ("olho.
Jeronvmo Gomes da Fonseca.
Jovin Kpphauio ito Cunta.
.lose Antonio Soares de Azevi-do.
JoaipimBiiic.io da Gama.
Jttyme Kiias Gomes da Silva.
Joqura Gomes Kerreira S l.eilo.
Jos de Souza Bjaz.
Jos Alves Barbosa Jnior.
Joaquim de Souza Neves.
Jos Francisco Hilieiro de Souza.
Jos Henriqaes Salles de Abren.
Jos- Tavares Pinheiro.
Jos Brrelo Paes de Mello.
Jos Francisco Moreira.
Joao Romaneo Azevedo Santos.
Joao de Assis Pereira da Bocha.
Dr Jos Vicente Pcseira Dutra.
l)r. Jos Goncalves da Bocha,
Jos Bnlinn Cuiaro da Silva.
Mofnel F.ti eir llarthoio.
[Wuuel Arcliaiijoida CmzjMnnis
Di. Maopel Bibeiro Brrelo Minwzo^.
Manuel Soares- Fortuna.
Mljfnel Soares Moreira de Arauiy.
Rufino Luiz do Bego Barros. "
Sebastiio Antonio Silva Baixa.
Silvinij Amouio.Hodriguoa. ^*-
Tluiputz -Valtmio Kspenea.
Ttjamaz Jos Marinbo. W
fJed SwesOU.
Aeerino Carneiro de .Miaeida.
Avulsoa. .
Antonio TdxeifePeixotn..
Antonio Marque> Corren.
Antonio Jos Duart- (".oimbra.
Antonio Teixeii a de Carvalbo Lisboa.
Antonio Joatapin de CarvaJIto iluoa-
Aiil,uno JitseHbero de Moraes.
Alfredo Prisco Barbosa.
Armiiiio Fernandos Alves de Lima.'
Jtis Antonio Mondes da Costa Santos.
Firinino Candido de Figneimlo.
Ifnrique da Confia Rodrigues.
Heliodom Fernandes da Uruz.
Joo Panipbillno 'avalcai)te.
Joao Paes do Oliveira.
Joao Francisco do Nascmento Feitosa.
Joaipin Manoel de Castro Santos.
Jos Pinto Ribeiro. 3
Capilo-tenente Jos Avelino da Silva Jaques.
Jos Theodoro de Sena.
Jos Francisco de Salles Baviera.
Jos Bento Gil Carmindes.
Jos Theodoro Gomes.
JesuiuoRodrigues Carduzo.
Jos Pedro de Souza e Silva.
Joaquim Antonio de Castro Nones.
Joo Ferreira dos Santos.
Dr Laudado de Moraes Pnliero.
Marliniano Jos Rilieiro Besada.
Dr. Manoel Joaquim da Silveira.
Marcelino Santiago Y. Leita) de A buquerque.
Manocl Gomes Leal.
Manocl Joaquim de Miranda e Souza.
Paulino Carrilho do Bego Barros.
Dr. Ravmundo Braulio Pires Lima.
Vicente de Paula de Oliveira Villas-Boas.
Vicente Ferreira da Porcuncula.
Vicente Ferreira Leal.
Dr. Joaquim Jos da Fonceca.
Frederiro Augusto de Leraos.
Aurelano de Pinho Burgas.
Virgilio Peixoto.de Araujo Palmcira.
Joao Grgorio dos Santos.
Joo Hara de Albuquerque Oliveira.
Capito Manuel Joaquim Bello.
Jos Pedro Correa.
Vicente Antonio do Espirito Santo.
Antonio Leonardo Bezerra de Ainoriin.
Andr Avelino Sobrcira de Mcl o.
Hombros honorarios (1).
Coramendador Joao Goncalves da Silva.
Manoel Firntino Ferreira.
Manoel Moreira Rodrigues do Nasciuiento.
Brgadeiro Francisco Joaquim Pereira Lobo.
Dr. Jos Soares de Azevedo.

Joaquim Baptista" da Silva.
Jeaqnim Antonio de At-aujp.
Jos Vidal de Negreros.
Josi liops Dias.
Jos Joaquim de Aze>"odo.
Joaipaini Lucillo de Siqueira Varejo.
D. Juan d'-Vndrada y Pontes.
Joo Xavier Bibeiro de Andrade.
Joaipiim Antonio de Vasconcellos.
JooMarlins da SilvaVillela.,
Jiiquini Maxmiano Pestaa.
Dr. Jos Carrilho de Rivqredo Barros.
Joo Luis de Araujo.
Jos Joaquim Coelho Barjxisa.
Jo o BiJieifo PessOa de Lacerda Jnior.
Joo Jos Pereira de Parias.
Joao Igivaeio Soares de Avenar.
ijiio Antonio de Saraiva.
,uiz Leopoldo dos Guimaraus Poixoto.
Jaeon Maro Larduret.
Luiz Antonio dos.Santos Pereira
Luiz Antonio Pereira .. %
Marcoliuo Jos Pojrae.
Manoel Antonio Ribeiro.
Manuel Joaquim Alnas dos Sanies.
Manoel Jos da Cosa Pereira.-
Manocl Rodrigues do 0'.
Manoel Jas Victoriano Barba.
Miuerviop de Souza Lean.
Marttniano Jos Fcrnandei.
Dr."Marciano Goncalves da Rocha.
Br, Manoel Quintiliano da Silva.
Oerwio do podra ostranniro, tonelada motriea
KiiiXO.
Alfandega d^ Peruanione, ile -Janeiro- m
1871 ....
O t conferente-Joi Ribeiro da Cunha,
O 1" conferente Joaquim Aurelio Wandotiey,
Approvo. Alfandega 4" de Janeiro de 1873:
Servndo de Inspector
Pedro bopes llmlrigtu*.
CAPATAZIA DA ALFANDEGA
Rendimeato do dia i a 4 1:7*)I4
dem do da 7...... 17602O
I:2t2:i4
VOLMES SABIDOS No da 2 a 4...... Primen a porta no dia 7 Segunda porto ..... Terceira porta ... .- Trapk-be CoBduieao . 4,:tl7 53 "s 60 77 1,018 ...127
OMMERCIO.
BARCO CONHERCIU.
DE
PERNAMBUCO
Descorita lettras de eambio, de torra o
quaesquer ttulos pblicos.
ttecSbe dinhoiro om conta corrente simples,
6m conta corretee eom juros e por let-
tras.
Eacarrega-se por commissao de qualquer
o|Ktraco Iwncaria.
0 expedii-nte principiar is 9 horas da
maulla
Una
dar.
e lindar s I da tarde,
do Vigario n. 1, ptimeiro
an-
eaphnl
Fundo
' COMPANHIA
.N0RTHEI1N.
.....20,0(HI:0(0."?000
de reserva. ^ 8,00:OOOW)00
Agentes,
M ilh--tiailuun & C.
ROA DA CHUZ N. 38.
Sentir. conliM-ogo
THE LIVKIU'Oi)!. & I.O.NIK)N(fe liLOB
INSURANCE COMPASY
Agenten
SAL.NDERS BROTHE&S & C.
11Corpo Santo-II
CO.Ml'ANHIA
Phenix Pernaml)ucana .
Toma riscos marinios em mercadorias,
fretes, dinheiro a risco e finalmente de qual-
quer Dataren, em vapores, naytos vela ou
barcacas, prenosinnito.modjos.
1UA DOCOMMISBC.ION.34..
- PH\i:\ DO HKCIPK 7 DE JANEIRO
DE 1873.
\> :t i/2 nonas d\ taro*
Colacitos olliciae.
Assucar-bruto.spe/ior 20j0 por 15 kilos, em 4
do t-orreute.
Assurar Bruto hom 2 por lo kilos, em i do
y crrente.
Asnear'-Canal i*C00 por lo kilos, era 4 do cor-
rente.
jVIgodaodo sertao 1' s rtc 10 ior l'i kilos, em
4 do corrente.
Algodiude Penedo sem inspeegao 0JI1O0 por 15'
kilos, ein 4 do corrente.
Algodao -de 1- sol-to 10*20;) por 15 kilos, hoje.
Couros -salgados- seceos fi88 rs. por kilo, hoje.
Catnhiosobre Londres a 90 djv. 26 1|8 d. c 26
l|4 d. por 15000, no dia I c hoje.
Cambio -M*ae Pars a 90 d|v. 360 rs. por franco,
il0F- ,
Descont-de letras 10 0|0 ao anno, em 4 do cor-
rente.
Dubourcq
Presidente.
Leal Feve
Secretario.
ALFANDEGA
Rendimento d dia 2 a 4
dem do dia 7......
ISMttTfOH
91:4174641
218:924*695
Descarregam hoje 8 de Janeiro do 1873
Vapor ingle: ihmendi mercadorias para al-
fandega.
Barca francezaS. Ijouu mcrcadoria para al-
fandega.
Ilrigue iuglez Uruguay kerosene para o trapi-
che Coneoieao, para despachar.
Palaclto nacionalMura Emilia -gneros nacio-
naes para a companhia peruainbucana.
Barca inglesaHermione carvao [tara o trapiche
Conceicao, pnra despachar.
Lugar nacional -Amelia pipas vasia* para o caes
da companhia.
Barca noruegueiiseGitana taboalo j despa-
chado para o caes do Brum.
Palacho inglesEcltptie varias gneros para o
trapiche Cuiceicao, para dospaeltar.
Brigne inglesComdze farmua de trigo j des-
pachada para o caes do Apollo. .
Barca ingle.Afafefjc-I'arinha de trigo ja des-
pachada par o eaes ojo Apollo.

AtTnnaeAo ha pauta bou mojos dos gbneros
sunrros dwbi ros u axMen-Ae>or km sbsuxa
| D 6 A 11 DE AWRIJM B 8.
Algedao*-em rama oa la 613 rs. o kife.
reo branco 43tt-rs o kilo.
sucar masca vado 130 rs. o ko. v
Maleirae-eaibriW :Oo rs. ura.
Ket-*>Le.ra*7*0r^olitfa__________
,~ft)"Qs menibroshciiU>rari03 faiOTn parte efectiva
deltftrw quadro*.
SERVICO MAIUTIMO
Alvarengas desearrogadas no trapiche
da alfandega no da 2 a 4 .
Ditas ditas no da 7......
Navios atracados no trap. da alCandega
Alvarengas ........
No trapielie Conceicao.....
17
liii]ii*tacto.
I por inglrz (assandi
Carga de Liverpool.
Arroz SO sacras a J. <. Bastos, 25 a J. J. Gon-
calves l'eltrao, 10 a Fernandos da Costa. Argolas
1 caixa a l). T. Bastos. Agulhas i caixa a Paren-
te Vianna ^ C- Apparellio elctrico 1 a Atnorim
Irnto 4 C. Aro 2 b irricas a Heeife Drainage.
Biscoitos 1 caixa a J. S. Alves A C, 10 a ordem.
Botes 2 caixas a S. P. Johnson. Bombas 1 eaxao
a Villaca. Birimbaos I caixa a D. T. Bastos. Bur-
ras de ierro 2 a Isidoro Bastos & C.
Cerneja 25 barraos a A. Prisco Barbosa, 5 a A.
L, 0. Asevedo, 50 a A. F. Corga, 160 a Cunha A
Manta. 50 a Sonsa Bastos A C, 1,2 caixa a Johns-
ton Pater & C, 17 a Mills Letham v C. Cha !"
caixas a A. F. Corga, 1 a Prisco Barbosa, o a T.
do Aquino Fonceca & Successores, 18 e al moias
a Costa Auiorini. dtilaria 1 caria a Almeida &
Vianna, 2 a Ferreira 4 C. Calcado .'I caixas a
Oliveira Sobrinho, 1 a Araaral & Motta, 4 a Bodri-
gues Irmao J: Guiniaraes I a Moiihard & ('.., 7 a J.
A. Araujo, 1 a Goncalves Irmai, 3 a Lyra *
Vianna, 1 Cunha & C, 2 a Lemos & Gereneau, 2
a Porto A Baatos. Cognac 10 caixa; a A. F. Oli-
veira.. Chapeos 2 a 14. P. Wild A C, 3 a BiNlrigue<
Irmao A Guiniaraes I a J. Christiani. 1 a Keller
c C.. 4 a Cunha & Manta, 1 a Amaral A Motta, 2
a Monteiro Gregorio A C, 1 a Prenle Vianna< ('.
.1 a Monteiro A Silva, 1 a Carneiro h Nogucira, 1
a Augusto Pollo. Ditos de sol 2 caixas a Adriano
x Castro, 1 a L. A. Siqueira, 1 a Oliveira Sobri-
nho. Couro 1 eaixa a J. A. Araujo, 1 a Isidoro
Bastos A: C. 3 i llecife Drainage, 1 a Prente
Vianna a 1). P. Wild, 2 aOtto Bohers, 1 a J. A. Araujo.
Cobre 2 barricas a S P. Jolmston. Chales 7 cai-
xas a Keller A C. Conserva 1 caixa a Cunha A
Manta. Chumbo 25 harris a Goratdo Bastos. Cider
50caixas a Guaba A Minia. Cabos 6 volumes a
J. J. Goncalves Beltrao. Cadeiras de Perro 1 caixa
a S. P. Jilmstoii.
Drogas I caixas a Bart'iolomeu A C
Perragetn 3 caixas a Monbard A Mettler A C.,
1 a Sonsa Castro A Almeida, 2 a Mondos Aseved >
A C, 1 a >a Leitao A i oimbra, 1 a Almeida A
Vianiin, 2 a Cunha e Manta, 1 a Sousa e S;'i 0 C.,i|
4 a Otto Beliers, 12 a Prente Vianna e C, 18 al
S. P. Joboston, 2 a Roeifc Drainage. Ferro 148
barras a Ledistone II ibillard e C. Formas 90 a
Silva Barroca
Joias 2 caixas a Lehniann Freres.
Loura W ggos a QeraMo Bastos, 1 a J. F. dos
Santos. Ierres para escriptock) 1 a 1.1. Coneal-
ves Beltrao.
Mantciga 15 bar s a G. Bastos, 25 a J. M. Pal-
meira. 2o a Silva Pinto e Ferreira, 25 a Mooteiro
Bocha e ().. 25 a A. F. Carvalbo, 25 ordem, 13 a
T. de Aquino Fonceca e Successores, 10 caixas a
Christianseu, 2 a J. di Costa, 2 a Tisso Irmao c C.
Meias 1 raixa a Sa Lei[a>fe Coimbra, 1 a D. A.
Matheus. Medicamentos i caixa a Maurer- c C.
UnsLirda IO caixas a Correia Braga.
Ohjectos de botica, 2 caixas a Maurer ct- C, 3 a
J. S. llamo?. 2aCaors. 4 a M. AI ves Barbosa. Oleo
1 caixa a Si'i Leitao > i'oimlira.
Presuntos, 1 caixa a Goncalves Beltrao, a Rea.
Phueuta 20 saerv a Pereira da Cimba A C, 30
a Costa Aiuoriin. Papel 10 caixas a Sa Leitao &
Coimbra, i a S. P. Jonnston Perfumaras 2 a D.
T. Bastos. 1 a Cunhajf Mana. 1 i Pereira Simos A
C. P.i-i 1 atado a Drainage. Pregos 5 harris a
Basles Oliveira A C.
Queijoso caixas a Costa A frmo. 10 a .1. !. V-
sevedo.
Beodas 1 caixa a Costa A Irm.io, 1 a Isac. Be-
troz 2 caixas a Cunha \ Manta.
Sellas 2 caixas a M. B. Meno. SaiMinha-. 5 ca-
a S. Nevos.
Teeidos 2 caixas a Verheiter. 3 a Duarte A Ir-
mao. I a Vas Leal. 1 a Vas luitior t C, 1 a A.
C. Vasconcellos. 5 a D. P. Wild. 30 a Babe Scha-
uiotleau, 52 a Keller-I a Oliveira Sobrinho. 2 a
Mandes Lobo & C. 5 a Burle. 2 a Carvalbo Gui-
mariies. 1"> ordem, "i a Adriano A Castro.
7 a Augusto F. Oliveira A C. 5 Olrell Blindos, :I5
a Linden Weiden A (;.. 4 a Rodrigues Irmo- \
G., I a Pinto da Silva Cascan e C. 29 a Carneiro e
Noguca, ll a uouoajves A; Irmao, l a Lemos A
Guereiieau. I a Augusto C. de Abren 40 a Phipps
Brothers C. 28 a Wild A C. 18 a Aleoforado
Vieira a C. 129 vohiraes e 10 caixas a Cramer
Fry, 16 a \V. Wiatt. 28 a L. a Siqueira. 3a Gon-
calves A Ferreira,.25 a Me-quita & Cardse, 8 a
Monhara v C. 2 a Adamson llowie A C. 6 a A-
tnonson Prere, 13 aos consignatarios. Toneinho 1
caixa a B. P. Wild.
Vidi. 1 caixa a Bartholoinou A C 2 a Shaw
ilwhers. 3 a l.emos & Gereneau. 1 M. G. Silva.
Vino 20 caixas a Keller A C.,'2 a Johnson Patet
iC.
5 de Janeiro.
Patacho imjlez makl sxmfrindo tlr ires.
couiigiutdo a J. Gerardo Basta mattifnloH :
Biscoitos 20 caixas a Isidoro Bastos ti) C. 15 a
J- M, Rosa A Filho.
Cemento 100 barricas a Gerardo Pastos.100 a E.
B. RabeHo A C. Canos para esgoti) 1713 a Beei-
fe Drainage, ditos de chumbo.26 rodas a mesina.
Chumbo 120 a Isidoro Bastos. Carvao de podra
90 toneladas ao consignatario. 74 ordem. Ca-
ra-Ha 8 lardos a M. F. Paria & lnnao.
Drogas 8 caixas a F. M. da Silva, 1 a J. Ha-
mos.
Estanto 5 cajtcts a Isidoro Bastos A C.
Perragem 3 caixas a llecife Drainage.
Carrafa- vastas 4 caixas a P. M. da Silva.
Louea 40 gigos a Antonio Jos Dantas.
Ohjectos para esgoto :tO a Becfe Drainage.
Pneeis 8 caixas a J. Jos G. Beltrao.
Belogio 1 caixa a M. S. Parias & C.
Salpelre 10 harris a F. M. da Silva.
Tinta 20 caixas a Isidoro Bastos 4 C. Terebenti-
na 3 caixas a J. J. G. Beltrao.
iniHifeitou :
Arios 50 saceos a A. P. Corga. Alpi-la 20
larris a J. M.v Paliueira, Agul'.uTl raixa a P Mil-
lo Vianna.A C. *
Baealbo 200 caixas a D. A. Matln-us. Botes 1
eaixa a Prente Yianua 4. C.
Cervea 100 caixas a A. Corga, 1 a J. F. Santos.
Cevadinha 50 galTafoos ao consignalario. Carvan
20 toneladas ao mesmo. Canella 10 caixa- a Alv-
Lebre, 10 a consignatario. Culilarias 1 caixaa
H. Garle, 1 a liamos i oixoto. Capsulas 1 caixa a
Ferreira & C. Chapas de nurraore 1 caixa a J.
llamos, 3 a Ai -minio A Moreira.
Droga 2 caixas a Anuinio Moreira, 2 a Fer-
reira Raa,
Espoletas 1 caixa a Prente Vianna A C, 1 a E.
C. Medeiro, 3 a S. e S & C. Esjiclho 3 caixas a >>
inesmos.
Ferragem 3 caixas a Prente Ymia C. Fer-
ro 80 barras a J. A Araujo A C. Follia em lami-
na 19 caixas a MciuoriAC. Frascos vasks Mgigp!
a Ferreira 4 C. .
Genobra UKl frasqueiras a J. J. Alves, 600 a
Martins de Bal ros Filho & C, 25. caiu.se, Moaionro
Bocha A C. 21X1 a Magalhaes A Irmao, 800 fras-
i|ueiras, 400 caixas, 100 harris a 300 garrafoes ao
cousiguatario, 150 a 1. J. Leilao, 400 a Lima A
Costa.
Mohlia 6 volumes a J. Bamos, 4 a M. S. Paria,
2 a Pacheco A alendes. Miudesa 1 caixa a Bamos
Peixoto.
Obras de pau 2 caixas a C. da Cunha. Ditos >l
barro 22 laboS e 2 caixas a J. Christiani.
Papel de eulbratho 50 fardos a Magalles A li-
maos, 19 a Alves Lebre. 10 a A. P. Carvalbo. I
caixa a Arraillio ft Moreira. Pranchfces 40aosc,onsgiiatarios.,Piiu'nla 5li saews a or-
dem. Pljospheros o caixas a J. F. dos Santos, 10 a
M. de Barros A Filho, 10 a J. J. Costa.
Sag 50 garufees ao consignatario. Sardinlia^
25 caixas a Antonio F. Corga.
Tranca i caixa a Armino A Moreira. Teeido '.
a Keller A C. Tenas de video 6 caixas a Cesto*
A Soares.
Volas 50 caixas a J. J. Costa, 100 caixas aos*
consignatario. Vinagre 100 harris aos ronsigna-
tarios. Vdros 1 caixa a E. C. Medilos.
Barca ni'jlrza B0DEHCK, rinda de Greenooli, COU-
.fi/n'ida a E. PVetou, manifest ;
Garvio 470 toneladas ao consignatario.
Lugre inglez iialmia. lindo e Terra Soca, con-
signado a Johnston Pater A C, mjmifestou :
Bacallao 2980 barricas ao# consignatarios.
frlgne francez MvsrKi., vmlo de Liverpool, con-
signado a Sannders llrothers k C, iuaife*t'ji>
Carvao 254 toneladas aos consignatarios..
Escuna ingleza camklforo, rinda de Terra Ato-
en, consignada a Saundrrs Ifrothers A C, ttMMf-
festou :
Bacallio 2307 bat ricas aos consignatarios.
Galera i ngleza midis, r/da de Pidn, e '?/-
uada a Hcnry Forstr A (!,, manifestiai :
Carvao de pedia 713 toneladas aos consignata-
rios.
DESPACHOS DE CX.POBTACAO NO Di \ 4 DE
JANEIRO DE 187
Pora M portos do exterior
No navio portugus Latir, (tara Lisboa, tu-
regaran: tassoInnaos228 saceos con li;828
kilos de loinuia.
Sa barca portuguesa Aul-riu. para o Porto
carregou L J. da Si va Guiraai'es 600 saceos.
eom 4,50:) kilo.- de auca mascavado. .
o brigno noruegense Jonliinnina, para
Hampton Boa 1,000 saccos.com 75,000 kilos de a>sucar raas'a-
vado.
No navio he.-,panhol .Vweo l^gilunte, para o
Ro da Prata. carregou : A.'Bastos 50 barricas
e un 63,995 kilos de assucar-branco c 200 ditas
om 24,738 ditos de dito iiiascavadb.^
Na barca ingiera llosamonde, pan Liverpool,
carregou : A. bastos 100 saceos eom 73,000
kilos de assucar m."i:uvadn.
Na barca hespanhola Concepcon para Bui-
ellona, carcegou : P. M. Maury 83 aaeeas coo*
6,377 kilos de algodio.
Na p.lac.i he p raliola Mfr ila Prata. ca regaranr: l'x-reira A Carneiro. -'>
barricas eom 2.130 kilos de assucar branco.
No vapi>r ingles Gladiator, para Liverpool,
easfegen : M. M. Peixoto 3 barricas cora an-
chis.
P,ru os part da nteiijr
Pava 0 Rio lirnnde do Sul, na barca brai-
leira Pomhinha, carre^aram : Auiuij lrmaos 10
sacos cuii 750 kilos de assucar blanco, 18 b.ir-
riquinha* eom 1.0U ditos de dito masi-avado e 12
ditas cun 1,513 ditos de dito brauco : M. J. Alees
1 harriqunha,coni 134 kilos de assucar relraa-J).
Para Lrugnayanna, no navio noroajanense
h/n, carregaranj : Orvuno A Nogneint 105 bar-
reas eom 11,070 kilos de assucar branco a 40
ditas eoiii 4,443 ditos 'ale dito mascarada
Para Mamaiiguape, na harcjiea jmstanc.u,
carreepu : J. S. Radiche 2 raeias barricas coto
127 kilo de assucar braneo retando.
Para Mamraiguape, na barca i Es>erunr>.
carregou : M. J. Fernandos 2 garrafoes eoiti espi-
rito de muliin.
RECEBEBtfUA DB MKN'DAS IXTEBNAS GE-
RAES di: pebnamblco -
B.-ndmento do dia la 4 6:(8*11H
Id-jn do dia 7...... 2:012Wi
S.I0UOI4
CONSl'LADO PROVINCIAL
llendimenlo do da 4 a i 25:83*472
dem do dea 7...... 2*:7U9*870
4S:6%*3Vt
Barca i ngleza hermionk, viuda de Liverpool,
consignada a Johnston Pater A C, mrnifeslou :
Asarcao 11 barricas a Bartholomeu & C. Ar-
res 20 sarcos a ordem.
Barrilba 27 harris a Cardse cv Irmao. Baldes
2 fardos a Simpson A C. Banheiro de cobre 1 a
D. A. Matheus.
Canos 80 a Simpson 4 C. Cerveja 50 harneas
a Sousa Bastos A C Cofre de ferro prova de fogo
13 a Simpson tfc C. Columnas de ferro 5 ao mes-
an, ('.acarlas e seus pertences 390 volumes a
Santos Oliveira. Canos fundidos 180-a Cardoso *"
Irmao. Cofre 1 aos mesinos.
Ferragem 3 barricas a Isidoro Bastos, 4 a J. A.
Araujo. 60 a ordem, 2-a Oliveira -obrinho, 29 a
Won Shotcn. 2 a Santos OliiSeira. 26 a S. P. Johns-
ton^ a P. Vianna C. Folha de Flandres 25 eu-
nhetes a Prente Vianna k C. Formas 2 a Car-,
dozo Irmao. 18 a S, P. Jolmston &C.
Genebra 60 frasqueiras a J. F. dos Santos.
Loura 45 gigos a A. T. Corga. 30 a M. J. M. Ne-
v?, 16" a ordem. .....
Machinas H a S. P, Johnston. Matenaes diver>
sos 110 caixas ao mesmo.
Ohjectos diverso? 2 caixas a Simpson A C, 1 a
Prente Vianna A C,6 S. P. Jolmston, ditos de
botica caixas a Bartholomeu A C.
Pregos 1 Barrita a S. P. Johnston.
Seda de sapateiro 5 fardos a D T. Basta.
Tinta 6 caixas a Prenle Vianna A C. Tachas
5 barricas a S. P. Je'hnston. Teeido b caixaa *
Braga Sen Terebentna 1 eaixa a ordem.
Vdros : careas a M. 1. M. Nevos.
Patacho holtondezTim CoHSRtssBCW, ^*^*
jjfobm> tmtiptM a V! J Sn^altei B'l'rao.
VIOVIMENrO 00 PfiBTB.
Marios entrados no dia 7
Rio do Joneiro10 dias, lugre brMfoiru
AmeUalB 320 toneladas, capitao Au-
gusto Wenceslao dos Santos, equipgem
II, carga pipas razias e lastro ; a Podro
M. Manry.
B.ihia7 dios, barca ingleza res. de 22S
toneladas, capitao John Hoy, equipgem
8, em lastro ; ludem.
Rio de Janeiro-24 dias, barca ingleza L'av-
tharirut Scott, de 395 tonelailas, capito
I. S. L. Sesen, equipgem 11, em lastro ;
a Wilaon Roe.
Rristol73 lias, briguc inglez Duesy, de
209 toneladas, capito Uadolbrd, equip-
gem 8, carga] carvao; a Saun'lors Bro-
thers' C.
Sacio sakido notnemo d BarcelonaBarca hespanhula L'/aceptici,
capitao Estape, carga algodao.
Observacao. <.
Suspenileu
a barca ingleza Providential, capito W.
Malls, com o mesmo lastro que trouxe do
Rio dp Janeiro,
dem,para Babia, lugre inglez Valcnoi,
capitio Day, carga, a mesmaque trouxe le
Terra Nova.
EDITAEs
KIMTAL N. 66.
Pela inspectora da alfandega se intima, de <)-
fumndwte rom os arts. 300 S 3 e 302 do regu-
iamtsnto'de 19 ue seleinbro de 1860, aos don os ou
eonignotarios da plvora abaxo mencionados^e-
positada nos arinazens desta alfandega, sites n
fortaleza do Buraco, para de!lpaha,ea, "
porvoia no pnizo de 10 dias, a contar da dala
deele, sea pana de. lindo elle, ser vendida por
sua oonla, seol que Ihes llque competindo allefar
contra s elfeito desta venia.
0 1 k t!., M barra, emda de Loiidrea m ea-
taeha tatez lcliptk, entrado em 20 de detefane
de tWt-eoensignados a A. G. Moveira Dias.
Mea. 8 (jarado, 2e*. ditos, dera idm), eea-
s4gnades deondets Brochen-A C.
dem F D B 72, 800 dito, idean- ideal idern.
l.lem 8 diamante. 300 ditos idam dem; eenet-
nadae aade F. de Oliveira.
Idenvdiamante, 380dltoaidem kle e
signadas ordem.
Atfandega de PernanAnce, de Jaaeiee
IBM.
Serviado de inspector,
Pedro topet Rodrtgues
'I
i

>w


Diferio de Pemambnco Cuarta Feira g fie Janeiro de ISffi.
S
:^
>
,
?

K*al u. 3.
lV(a --.cnlflHs la 'sltandga se fx publico,
3 ti-, liao se toado concluido a venda das ihitci-
orus posta a leilu por odital n. 63 du 30 de ile-
-'mnro prximo passado, continuara diariamente
a meina vala at na condusao.
Alfandega "de PWnaiubuce, 3 de Janeiro de
tt7J.
Servado de -inspector,
_____ Pedro I.ofHs Ki)dri|u(S.
*ssca-sm
noDMlCarfwlH>,t'u*i ees (mwtnrfd rila de Fiorau, nirtulo alytitn g:itj.iacujn e c.
rallar eco numero de 31 ReoWe por Is<) pro-
postas tu Jala da ftlas -rs-os pelas 4 hira* da
urde do dia tOd&jamiru tindoaro.
Secretaria da Sanie Casa d Mirttordla ,teeife, 30 de selembre da 1871
O esc ri vj?,.
Pedro R-d-isa*' Saou.
EdITAI. N, 6*. ,
Prta iwpeetaria" li alaittJesa *> faz publico,
que se ha do arrera-fcir, livres de direitos de son-
sumo, porta testa fuparticio, ond se encn-
trar amostra, is li hopa dp dia 7 do cmate,
w ftiorea.tams afeis declaradas annunciadas
Sara consumo por dital n. 55 do mez pas&a-
o, e qilo do xarar de er despachadas dentro de soj>ruceder o ajaste ainigavel sobre a desapro
OBRAS PUBLICAS.
A eoininissao enrarregada de promover a des.
apropriaco do terreno silo ra da Aurora do
lado do norte.-- do gym'nasio provincial destinado
para o pasen publico, convida de novo as pessoaj
que posseiu terrenos de mariuia nessa localidade
a (presentaran" seas ttulos na rcparticiio das
obras .publicas dentro do prato de lo .lias, aiuu
COMttt.NHIA
DK
\rt\ora brult-iru.
Do dh 9'em diaOM
esperado do* por >
lo* do norte o vapor
Para, eotnuiandant
o capillo tente Pe-
dro Hypoiito Dttartt'i
o qun! dftpols da demora *o cdstume eguir para
jaV> .ni.
Encotnmendas Be petfiteno valor, pesoi medida
e tambara dmheiro, recebem-se at i hora da tar-
de do dt da sabida ito vapor.
Para fretes e passasens, trata-sr na agencia,
ra Jo Commercio n. 8.
do prazo mareado.
Fortaleza do Buraco.
Marca F diamante, IOUO b.irris qom plvora,
viados no patacho inglez Etelro, entrado em 86
d<* Jezemltro de 1871 e consignados urdatn.
dem P N & C, 5UQ ditos ideni. vindos no bp-
5ib nortc-allemao Argot, entrado em 9 do abril
p 1870. consignados oidem.
Alfandt-ja do Peraainbuco, 2 de Janeiro de
lo/I.
Servindo de inspector,
Pedro Lopes Rodrigues.
O'CUIRACES.
8 ANTA casa da misericordia do
ui:i;ife.
A nima. junta administrativa da santa casa da
misericordia do Recite, manda fazer publico que
na sala de suas sesada*, no dra~ 9 da jane;o cr-
reme, pelas i horas da tarde, t.iin de ser arrema-
tada- a ijuem chais v.mtagons offerecer, pelo lem-
po de uiu a tr s aonos, ns rendas dos predios em
jeguida declarados.
ESTAUKLECIVIEN'T DE CARIDADE
Ra dos A^onguinl)o>
Casa terrea n. 26..... 98000
Ra do Amorim.
dem n .26......... 303*000
Ra de S. Jarge.
Sobrade n. 30.......... 2'*0500o
Ra do Padro Floriano.
Casa terrea ,-17 ...... 200^1)00
dem n. 47...........2003000
*ital de Negreiros ('.'inro Ponas).
Casa terrean. 112 ...... 3O*000
Ra ca Moeda.
Lojs do sobrado n. 37 131*000
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Ra da Madre da Dos.
Ca terrea il 4....... 1:4003000
Rita da S.mzala-velha.
Casa terrea n, 16...... O0SQO0
Ra de S. Jorge.
. isa terrea n. 99......" 3o03000
I lera n. 100........ 240*000
dem n. 102.......... 210*000
/ Ra das Larangetras.
Casa terrea n. 17...... '60*000
Os pretendentes de ver o presen'ar no arto da
arrematatjio suas lianzas, ou comparecerem
acompanhads dos rt'speettvos Madores, devendo
pagar alem da renda, u premio da quantia-por
qS for seguro o"predio que contiver estabeleci-
tn^nto commTeial, a^siir como o gerrico da lim-
l -i e preew d>s tq^wrtlhos.
SeorePara da sama ca-a da misericordia do Re-
-'.:'. *t de Janeiro de 871.
O escrivo
_____ Peniro Rtdritjtus de Sonza,
priacao dos ditos terrenos.
Secretaria das obras publicas, 7 de Janeiro de1
1873.O secretario, Peiielano Rodrigues da Silva.
0 administrador da recebedona de reas
internas geraes faz publico que, em virtude do art.
1 do decreto n. 4721 de 29 de abril de 1871 e em
enniprlmento aportara da thesouraria de fazenda
ti. ufe, serie B, de 6 de dezembro prximo lindo,
procedeu a nova lotaeio dos oinolumontos dos lu-
gares do juizes de direito e seus substitutos, pro-
motor publico e sen adjunto desta comarca, abai-
xo mencionados, aflu de que possam contra ella
reclamar dentro do prazo de 30 dias, contado do
da publicacaa
Junde direito da i-vara 800*000
Dito dilo da 2- vara 800*000
Dito dito dos feito.- da fazenda 3?900*OtX)
Dito dito da vara do commercio 1:850*000
Dito dilo da vara de yrphos 1:830*000
Ditodito da provedonade capellas i:' 50*000
Juiz substituto da 1- vara 100*000
Dilo dito da 2 vara 100*000
Dito dilo dos fetos da fazenda 200*000
Lito dito da vara do commercio loO*000
Dito dito da vara de orphlos l'i()*0o0
Hito dilo da provedoria de cape!! J3 150*000
Promotor publico 700*0fl0
Adjunto 100*000
Rvcebedoria de fernambuco. 7 de Janeiro de
1873.Mancel Curneiro de Souza Lacerda.
i 114
LEILOES.
Fazemljis
AVISOS MMHTJMOS.
PARA'
Santa Oas;i d-a" -Misericordi;
di) Hecif.
A Illm. jaata 'aiminisir?;ivj da Sinta'Ca?a,
coa aaturi^acb do preridents em cOctB; corn o
ficho 3e 31 de onnihro rtod", e d ccofuriL-iilade
coco o disputo no '.). Jo artigo 52 dj stu cotn-
promisio, pennuia p.r apoiicsj da divida g?rl os
eguinm pieos pertfocemei ao legado de Joa-
qii.u da Sil < Lopes.
A mil-ida do cobrado de 3 aodares o. 17 do
largo da Assemble.
A :er?a prt do Cobrado n. 1 de 2 aod.-.res do
be5o lo Abren.
O sobrado de doas acfefM o. 69 da raa da
i 'lia.
A :aa larrea n. 9 Ja ro d-* S. Jorge.
0 .obrad i 1-f nm andar d. 20 da mesan ra.
Oairo .\o nieiago. na tnesoia roa.
A tasa tarrea n. 72 da roa da S-lelade.
A casa-terrea n. i6 da ra Jos Acnoguiabos,
A casa terrea o. '.'-> da roa dos Guarpss..
A :a.a terre^ raei?.-i(raa d. 5 do becco doTai-
Sdira, ca travesa da Fundieab.
C terrfo da ea>a 1 > largo das Cinco Ponas.
A casa terrea n. 3 do largo da Campia.
errroo da ea^a da esquioa da ra da A?-
r'.iiipco. -i
O prriendent-es prd--ro apreseatar as soas pro-
postas em carta* fechadas com o devido sello no
d>a i! J Janeiro vq 1 ur nesta secretaria, onde
tarao dados todos os necesarios e.u'UreciueoUis.
Secretaria da S30U Lasa de Misericordia do
Rddfe, 25 de oeveabre-tte 1872
O ercrivao,
Pedro Rodrigue di Smz>.
Pretende segoir com pocos das de de-
mora, a barca portugaeza Clcmenna, por
ter qusi a sai c-rga completa, e para
ponca que Iha fatta, trata se na ra do
Commercio ?. 5, escrtpt,no de J/aquim
J s Goncalves Be|tr3o.
CONSTANDO DE
Uu rhit*. eilopai. e hrins.
As 11 limas em ponto.
Por interveiko&o 4o arante Pinito
Horayes*.
NA RIA DO BOM JESIS N. 53
Vender-se-h.o em continuado tambeiu algumas
fazendas limpas para feehamento de facturas, e
outros artigos, onde o agente espera os seus fre-
ntes. '
P-ir.i o Kio-G.andrt do ul.
!em parte de
o reto que
Sfgoe o brifoe naeiooa! Amelia
sea earregsaifoto rcgajad-1, psra
Ihe falta, ira'as com 05 s^us eob^igoatarios An-
tonio Luiz de Olive-Ta Azevedo A C, no sea es
crlotorio i roa da Crn? n. 57.
COMPAJHIA
i'-.
liavegarSo
ItraaMnraa
Dos portos do sul
esperado at o dia 8
do correte o vapor
Guar, o qual depois
da demora do c stu
me seguir para os do
norte.
Enconimendas de pequeo valor, peso, medida
e tambeni dinheiro, re>-ebe-se at 1 hora da tarde
do dia da sahida do vapor.
Para fretes e passagens, trata-se na agencia, rna
do Commercio n. 8.
Vice-consulado de Italia em
. Pernambuco
Taodo-se ausentado ha porto de seis mezes, o
menor italiano Miguel foinelli, de idade de 12
anuos, da casa do irmao 10 annunciado fpinelli.
ji-.Je-se todos os que tiverem noticia oasoube-
rem r.onde se acha o sobr>:dito menor, so sirvam,
a pedido dos prenles e Inn o do dito menor, de
commaniGa-k) ao vice-consulado de Italia nesta
cidade : consta ter ido para o sul, visto ter cm-
1 mu! 1 na es^ao das linca Ponas. Pernambu-
30 ao dezembro de 1872.
Pilo vice-consu!
. Jos Saporili,
ChanceDer.
Pela thesouraria provincial se faz publico,
que foi transferida para o dia 9 de.janeiro prximo
vuidouro, a arrematacao do custeio da illuminacio
publica da ct'lade deGo\anha, por tempo de m
auno e a nulo de 287 r diarios por cada lam-
peo.
Searetarie da thesouraria provincial de Peruam-
il de dezembro de l">72.
i) olficiaL mal ,
Miguel Affimso Ferreim.
SANTAL CASA DA HTBEPiCORDIA DO RECfrE.
Pela retaria da Santa Casa da Misericordia
faz seiente 1 qiiem iteressar i[ue o Ulm. Sr.
tli -soureiro, no sali da casa dos expostos 110 di
1! do correntc. pelas 9 horas da tiiauhan far pa-
iziento do trimestre vencido de outubro a de-
zembro lindo s amas que se apresentarem cou-
duzindoos expoatos que* I. es foram confi;wlos.
Santa Casadla Misericordia do Recife, 4 de Ja-
neiro dt 1873.
0 escrivo,
Pedro BoVigues de Souza.
DO
BEBEaiB
Nao se toado reunido numero sufficiente
do accionistas para ser nstallada aasseoibla
K'"ai convocada para (. dia 2 do correntc
ir./-., san.de novo convidados os Sr8. accio-
nistas para-! reuijirom em asscmbla geral
exlraordinaria uo'dia 10 do crrente ao eio
dia para deliberarom sciire o augmente de
capital da companhii. (Js Srs. accionistas
io previnidos de.qnc nasae dia (it 4o cor-
rte) a assetnbla gcral ser installada com
o numero de socios que comparecerem como
di.MiOt' o artigo 23 dos estatutos.
Racriptorio dacompa-ihia do Beberibe, \
dejnoirodel873.
Ojjecretari^
Jos H. B.dttnezes.
COMIIANUIA
B.VS
M^N.<*j;rje^ iai-liait-w.
Ate o dia 8 do corrate n-z e pera--e da Eu-
ropa o vapor francez Mendoza, o qual depois da
demora do costume seguir para Buenos-Avres,
tocando na Baha, Rio de Janeiro o Montevideo.
Para condicoes, fretes e passa"gens, trata-;e na
agencia, ra do Commercio n. 9.
No dia 9 do correte mez espera-se dos portes
do sul a vapor francez Ro Grande, rommandan-
te Giost, o qual depois da den; ira do costume se-
guir para Brdeos, tocando em Dakar (Gore) e
Lisboa.
Para condiees, fretes e pasjagas; trata-sena
agencia, ra do Commercio n. 9.
Para o Rio de Janeiro.
O brigue nacional Uabei pretende seguir para
o porto cima neste de: dias ; para o resto da
carga que lhe falta trata-se com os seus consig-
natarios Antonio Luiz deOliveira Azevedo A C.,no
seu escriptorio- ra do Bo;n Jess n. 57. outr'ora
rua da Cnjz.
D
*CO ciiivas iHHi-ca DA Mi -o S
lulas de t libras cada tuna
com bolaxtnhnx le soda.
QTARTA-FE1RA 7 DO CORRKNTE.
O agente Pestaiia far leilo por conla e rieo de
quera perteVer, de 20 caixas com 800 latas com
bolaxinhas de soda, vindas de Ne .-York no navio
John H. Kemrckay, entrado neste porto em 13 de
dezembro prximo pnssado. T? serao \-endidas em
un ou mais [otes, no dia acirpa terca-feira 7 do
corrente, s 11 horas da manila, no armazem do
Annes defronte da alfandega.
AOS 5:000P00.
HLIKTES GAIU\Tfl)OS.
i' na Primtiro deilaren nfr'ora ra do
Crespo'; )'35 e casas do fontunir.
O abalxo asignado, tendo vendido no setls fe-
lizcs bilhetes t^ro ip^irtos -o. 6'J!) dii 5:000J,
um inleiro n. K52 rom*30n|, O'm meo n. 2583
(Virt Wflf; dous quartos n. 683 rom 1IXJ|,> oBlras
sorteB de 40 e 20fl da lotera que se af:fwn de
enmthr (34.*), convida w posnMoTes a tlrera
reoeber na coiiftw-niidade do costume, sem descon-
t algmn.
Ahnm-sc a venda os foibio hilhelcs parantidos
da V parte das loteras a beneficio da matriz de
Villa-Bella (35'), que se ertfalilr na terca-feira 1
do carrate mez.
PRECOS.
Wlhete Inteiro
'Seiobilhete
Quarto
EM >om,:.\o Di: iO0?M)00 i-ai\a cima.
iiUiete intero 8a|O
MeiObilhete 2750
Quart U375
Uanoel Mmlins Fiuza.
l PERDE-SE
a-a hoiletn, 110 nateu de S. Pe.h-.v m ni i mi
fillKK
30IX)
1*500
LEILAO
548 barricas
. DE
com farinha
ricana.
de
trtg
atne-
0 agente Pestaa far lila ,por coma e risco
ue quem pertoneer, ^ e eiu presenca do Ulm. Sr.
cnsul dos Estados-Unidos, de 548 naiticas com fa-
riaha de trigo americana em nio estado, vindas
de S. Thomaz, no navio inglez Florenet, entrado
neste porto em 9 le dezembro prximo passado,
as quaes serao vendidas-em timou mais lotes.
Quarta-feira 8 do corrente, s 11 horas da ma-
nila, no armazem alfandegado do bariio do Livre-
mento, rio caes do Appollo.
(I
DA
armaro de ouro, gneros e mais perten-
ces da taverna da praca do Cond? d'Ku
n. 9.
Ouinla-feira ft do rorrente.
O agente Martins far leilo em uro ou mais lo-
tes da armacao de lauro, gneros e mais pertpn-
ces da taverna da pra'ca do Conde d'Eu n. fl, a
qiml se acha muito hem localisada rara qualquer
principiante.
A II \:- ras do dia ai-imana :r.es::ia ^averna.
NOSSA SEHHORi
DO
10M IONSELHO
DIRIGIDO PELO
Bacharel Antonio Coliunbano Sera-
phico de Assis.Carvalo.
Ter lugar no dia 13-do corrate mez,
neste instituto, a abertura das aulas de
pnmetras ettras, latm, francez, inglez,
t>ortugiiez. geographia, historia, geome-
tra, arthmetica, rhethorica e phoso-
Ausentou-sc de casa de sua senhora, no dia
31 de dezembro. a escrava Liberata, negra, do ida-
de de 25 annos, levon taboleiro. vestido de perca-
te com (lequenaslistras verles, casacobranco com
folho, de n.iixa estatura, ps e raaos mal fel'os,
labios limito grossos, com urna pequea marca
-em cahellfs no alto da cabecji, tem urna cicatri?
em um di>s hombros, tem mu liberta, moradora
em Igtiarass : ffii comprada o auno passado ao
Sr.ManoelF.PintoMalhiiroresiliente nestacidade:
quem a capturar tenlia a bondade de eva-la
ra do Hospicio n. 81. na se gratificar
hofifetn, no pateo de S. Pedro, em Olind,^ ttm
arteira prela, deetftgrin, contendo alguin dinlmi'
fo e diversos doeumentos : roga-$e, p*, a quem
a tcwla encontrado o favor d* a entregar- no
uiesmopal^odu S.Pedro, em casa do Sr. Fran-
cisco Guia Hett. ou na ra do Cslmg n. X
em casa da nmoula A C.. gue se gratificar.
Prccisa-se de nrrn cozinhelra forra'ou captiva :
na ra larga do Rosario U. 3i.
O abaixo assignato faz sciente ao raspeila-
vel publico e com es|Mclidade ao corpo do cora-
mercio. que tendo tiesta data dissolvido a socieda-
dr que tinha atuigavelmente com o Sr. Joao Luiz
de Paula nasduas tavernai sitas 110 largo do Con-
de d'Eu ns. Id o 18,?s*hlndo dito socio pago o
satisfeito de seu capital e lucros at a presente
data, fleando de hoje em diante targo do abaixo
assignado todo o activo e passivo'da rasa 11. |t, e
cargo do ex-socio Joio liUit de Paula todo o
activo e passvo da casa 11. I", cuja casa d hoje
em diant-. gyrar com a firma social de Paula 4
Guimares. Recife 4 de Janeiro de 1873.
____________Antonio Luiz da Costa. ______
Urna pessoa inteifamente Inbililada na lin-
goa francera,, propQe-su a ir cnsinftr era algumas
casas ou estabeleciiiientos. assm como particu-
larmente e;n sua residencia, podendo deixar car-
tas fechadas nesta typographia.
LEILAO
1-
D-:
20 caixas marea l) A M com latas de 10
*>ras 1 .ola urna cotn bolachinhasde soda.
SEXTA-FEIRA 1 DO CRREME.
O agente Pestaa far leilao iwr conta e risco
de quera perUsncar, de 2*) caixas com KX) latas
com bolachinhas de soda, viudos de New-York no
navio John II. Ktmecka entrado nesta porto em 13
de.dezembro jhoxiiio passado, e serao vendidas
em um ou mais lotes, no dia cima dito, as 11 ho-
ras da manha no armazem do Aunes, defronte da
alfandega.
Vai shir com poneos das de demora a polsc
italiana 5ani,.podeaJo reeeber aiguma cirga, por
isso, quem lesejar cirregar pode entenderle com
o consignatario Jjaqaii) Jos Goac*l rna do Commercio n. 5
PAR4 LISBOA
Segae com toda a brevidado o l|tar portngnez
Julio, tem grande parte de sua carga engajada, <-
para o reno e passigeiros, trata-se com os eco-
ignatarios Tbomaz de Aqnino Fonse-a Si C Sue-
eessores. rna do Vigario n. 19.
VENDA
Vende-so o patacho brasilelro Elvira, o qual se
acha em bom estado, e preparado com todos os
seus pertences para navegar : os pretendentes
podem dirigir-se bordo do mesmo navio para
ve-lo, no ancoradouro da Carne -secca, aonde est
em descarga ; e a tratar com os .consignatarios
Amorim Innio3 4 C.
Para Lisboa
a barca portugueza Venus vai sabir breve, recebe
carga a frote commodo : trata-se com E. B. Ra-
bello & C, ruu do Commercio 11.48.
8anta Vm (U JfcericorUt
do Recife
A HiDD. juoia dmiBiitraiia dea Santa Casa
aunrtsad peto Exm. Sr. pretiteote da provtnoi*
am data de "3 do corrente, e de con/aroaioada com
o qae ittde fr ." da art. 31 do coworaailm per
^ue m rega, psritat por aaolica a*-4iwda po
Mica, a fiaesaa i cr*r -dos, qa pariaoea **
esttbaiaeimeotoa de ariaade a im oar<,
Para o'Rio de Janeiro
o lugre portuguet Almedina, de l1 cla3*e, capi-
tiio J. P. Das, recebe carga a free commodo :
trata-se com E. R. Rabelio 4 C-, ra do Commer-
cio n. 48._______________________________
COMPASHIA 1-ERNAMBLCANA
. DE
.^ ui i-jjrariao roxlciraa vapor.
OOYaWttfc.
O vapor Parahyba, se-
guir para o porto cima
no dia 12 do corrente, s
9 horas da noite. Rece-
be carga, econimendaB,
passageiros e dinheiro a
frete : escriptorio ne For-
te do Mattos n. 12.
COMPANHIA I'ERSAMBTC.ANA
DE
"lavesncJo costeira a vapor.
MAMANGI'APE.
' O \"apnr Coruripe, com-
maudante Silva, seguir para
o parto cima no dia 11 do
corrente, as 5 boraa da larde.
Recebe carga, encommendaa,
passageiros e dinheiro a fre-
:te at4 as 2 horas da tarde do dia da sahida: es-
criptorio no Forte do Mattos n. 12.
Para Lisboa
o brigue peituguez Sapkira pretendo sahir com
toda a prepsa. para o ana carga tratada : para- o resto e passageiros
trata-se cora os- consignatarios T. de Aquino Fon-
^aeca A C. Sutceaeores. rp do Vigario a. 19,
4. wbt.
"DE
una caixa oom botinas de bezerr-i e corda-
vao, para homens.
TERCA-FEIRA 14 DE JANEIRO DE 1873
As 11 horas em pflnto.
Por iutervcni;0.o do a'gont" Pinto.
Ra do Rom Jess n. 43.
LEILO
DE
urna caixa com fitas de sarja e outras miu-
dezas.
Ti'i'cu le ira 14 do corrente.
Tor intervengo do agento Pinto.
Ra do Hoin-Jesus n. 43.
LEILAO.
DE
fazendas inglezas
(avariadas)
Constando de chitas, madapol,?s, alg )i6ea,
lencos, outras fazendas e
I na burra prava de fogo
' nova )
TERCA-FEIRA li DO CORRENTE.
"s 10 1]2 horas em ponto.
- Por intervenalo do agente Pinto.
Ra do Rom-Jasus n. 43.
AVISOS DVERSOS
Instituto iircheologico e Geo-
graphico Pernambucano.
llavera sessao ordinaria quinta-feira, 9do
corrente Janeiro, ^las 11 horas da marmi.
,OftlEll no da.
IPareceres e mais trabalhos de com-
roissoes;
IIProvidencias a tomar para a festa do
anniversario do Instituto;
IIIPalestra litteraria.
Secretaria do Instituto, 6 de Janeiro de
1873.
J. SOARES D'AzEVEDO,
Secretario perpetuo.
Criado.
Para (ratar Je dous cavalkos c mai;. alguru ser-
vico n'um pequera) sitio, prccisa-se de um cradq
que sfa activo e cuidadoso.
AVISO
m dipissiinis senhures fus de
Joao Valcntim Forreira Bastos, professor parti-
^Jlar de primeiras letras, autorizado elo Exn.
Sr. presidente -des'a provinci.i e directora geral
da nstruccao publica, avisa ao* Ilustres pas |p
seus alumnos e ao resp^itavel pubSca desta cida-
de, que no dia 7 abri a sua aula e contina
seus exercicios na ra de Santa Cecilia n. 37, e
Jas 3 s 6 da tarde leciona por casas particula-
res e a naute aquellos que nia puderera fre-
quentar durante o dia ; desde j o mesmo pro-
fessor protesta o maior carinio o amor e o mainr
desenvolviniento para com os alumnos que
bondosmenle Ih forem runfiadas.
eclaracao.
Guiiheerme C. da CaDha & C. avisa a todas os
fregueses que deixou de ser ealxeiro de co-
brancas de seu estabeleciroanto o Sr. Antonio Al-
ves'da Silva desde o dia 3 do confute.
Recife, 5 de Janeiro de 1873.
Preeisa-se de ama escrava que saina bem co-
zinhar : a tcatar na ra da Cruz, armazem n. 42.
Ao niiaiim'ii.
Os abaixo assignad'S fazem sciente ao corpo
mercantil, que tem nesta data dissolvido a sucie-
dade que tinham no ntabelacimento sito no eata>
beiocimento sito 1 Uavessa do Espiriheiro ra
da Hora 11. 6. o qual girara sob razo de Machado
4 Almeida, fleando o socio silvino da Costa Ma-
chado, encarregado de todu o activo e pnsivo ; e
o socio Manoei Rodrigues de Alm- ida pago e sa-
tisfeito de seu capital e lucros, sem enns mais al-
gum a satisfazer.
Recife, 3 de Janeiro de 1863.
Silvino da Costa Machado,
______ "ManoelJBodrigucs de Almeida.
Sociedade Beneficente Luso-
Brasilora
Por ordem do presidente desta sociedade con-
vido a todos os Srs. socios e pi oposlos j appro-
vados, a- comparecerem a sessao magna que ter
lugar as 6 1(5 horas da tarde de 8 do corrente
mez, tendo de se iniciaren) diversos sucios e para
mais brilliantisr.io do"arto. secretaria espera o
comparecimento de todos.
Sala das sfssoes. i de dezembro de 187.
O i." secretario,
Souza Mira. *
ttw a -- >Mai 11 upa i
lle>ieml))M'jailoi' Anioaaio Joa-
111 i 111 da Nila 1-ome-.
D. Loa da Silveira convida os prenles 0 ami-
gos e os do. fallecido deseinbargador Antonio Joa-
am'm da Silvra Gomes, para assisrem mi^sa,
que por alota do mesmo manda dizer quarta-fei-
ra, 8 do crrente, 7 horas e meia da manh,
na matriz da Boa-vista.
Criado.
Precisa-se de um criado para compras e man-
dados : a tratar na ra do Dutfne da casias, loja
n. 8fc______________________ ________
MuLta atiendo,
Vmho de uva pora da Ma de S. Miguel, aseim
comopeixe de versas QttdidttD em bawie :
vendem Olveim ^Rrawla M&, a fu do Bnean-
tamente n. 14, vowa>. *
Aeha-se fugidbtruiIaiO'Joviiio.Qserar
vo do tonMte-cafonsl Vllala <*Het aggo-
73 C"-
satdo.
73. Corte-tordo Kapo. ^^Fr^tmm- amSotS^S' Sfr
Quarta-feira 8 do corente mez, s 9 horas da
manh em ponto, serao, celebradas na igreja de
Nossa Senhora do Carino desta cidade, algumas
missas por alma do Exm. Sr. desembargador An:
tonio Joaquim da Silva- Gomes, pedido de um
seu amigo; o qual convida aos domis amigos
delle para assislirem e prestar-Ihe estes ltimos
suffragios.
11 ; im _......iiiiiiii"'"i>iiiiiiH
Hodi mili! vrna tlbi.
Antonio Tpxeira dos Santos Ju-
[.moragradece a todos os- seus ami-
gos e prenles que dignaram-se.a
ce .111 partlhar as affliccoes e duras
pravas que acaba de* pansas, por
orcasio do fallecimetite di' sfta
querida niulher. em suffragios da
qual manda rezar ama missa por sua alma, na
igreja do Carmo, as 7 horas da manh d > dia 10
(sexta-foirai.
Irmandade das Almas da ma-
triz da Boa-Vista.
De ordem da mesa rgedora e reqiterimento
do nosso irnio ex-juiz o liba. Sr. r. Antera Ma-
nee! de Medeiros Furtado, convido a todos nossos
irmos para corupareoercm em nosso consistorio
da matriz, no flia qinta-feira 9 do corrente, s 6
horas da tarde, afim de lomaren) conhecimento do
requerimento do referio irmao.'
' '.onsistoHo da inaaadade das-Almas em mesa,
6 de Janeiro de 1873.
O escrivo, N
FranciBco das Chagas Pereira.
mMk
Precisa-se de urna ama Ktre ou eactam : na
oa! jnm ,"9?. ~Maoo
; ia<
Um 0^ rna dh-Hospicio, meca do Sr. Jos.
0 GRANDE PURIFICAOOR DO S.\NG(^E:
Esta excellente e admiravel medicina, e
reparada d'mna maneira a mais saentifl
a por Chimtcos e Drognislas m'ii doutos e
Puma instruc(;3o profunda, teadotido ma-
los annos de experiencia ao par d'uiaa Ion
ja e laboriosa pratica.
A sua composieo nao consiste d'um sim-
ple extracto d'um s artigo; mas sim,
omposta d'extractos d'um numero de ra-
tes. hervas, cascas, e folhas, possuindo to-
las ellas, sua virtude especial ou poder
im curar as molestias as quaes leem sede
)u essento, no sangue oo. nos humores;
j estes diterentes extractos vegeta*, acham-
je por urna tal forma combinados ponto
le ennservarem em toda a sua forca, o cu-
rativo especial de virtude, que cada uinde
fer sf possue. A raix. da planta de Salsa-
parrha, produzida as Honduras, a que
as usamos nesta preparado, sendo a qua-
dade que todos os mdicos mais prezam
$ estimam. Na composigo da ftialsa-
parrha de Brlstol entra mais de 5C
wr cento fieste concentrado extracto. Ella
ao encerra em si cousa aiguma, que pos-
la por leve, ser perigosa oj injuriosa
ude; e tanto n'este, como m qtiasi to-
los os mais respeitos, ella mteiramente
liversa de todas essas mais preparacSeSi
is quaes debatxo do nome de Salsaparr-
iha, s3o-accondicionadas ou postas em gari
rafas pequeas, sendo receitada em dOM*
nui diminutas d'uma colher de cha por
:ada vez. Nos pelo contrario engarrafa-
nos a
SALSAPARRIRA DE BRISTOL
im frascos grandes, e assim por este modo,
vidimos com os consumidora*, o grande
proveito e vantagem alcancado por aquelies
jue acondicionam sua preparaco em-i
rafas pequeas. Cada um dos frascos da
aossa Nasapnri'ilha de Bri&tol
>onteem a messa quantidade igual porgac
ontida naquellas garrafas pequeas, e alru"]
iisso, possue ainda muito mais torga e
"irtude medicina! do que aquella, que por
yentura se possa achar contida dentro de
eis garrafas de pequeo tamanho. Por-
tanto mui natural, que aquees, que se
icham oceupados em preparar e vender as
mas producQoes, em garrafas pequeas
murmurem e gritem contra os nossos fias-
es grandes proclamando, que a nossa Sal-
aparrilhu de BrJstoI no possue
aienor virtude; porm quao effectivamen-
r.e s5o elles postos em silencio, quando indi-
lamos, ou simplesmeute referimo-nos para
m essas centenares de certidoes e tes-
vemunhos authenticos, por nos Fecebidos
le todas as classes da sociedade, nos quaes
plenamente attestam o poder curativo e vir-
tudes maravilhosas da nossa.
SALSAPARRILHA DE BRISTOL.
A vantagem de termos os nossos pro-
prios agentes naquelles lugares aonde as
lifferentes raizes, .drogas, hervas, e plan-
tas de que se compoem as nossas medicinas
to produzidas, que nos habilita exer-
oer aquelle constante cuidado e disvello ns.
minuciosa escolha; e o que assegura e ga-
rante uniformidade de excelleacia.
Em quanto que, por outro lado, nos tc-
aos poupamos nem dinheiro, nem dili
jencias; afiin de alcancarmos o melhor
a nicamente o melhorde cada um artigc
ou ingridiente que entra na sua composi-
"lo; pois levados e compenetrados 11
mais firme e persuasiva confianca; que po-
lemos afoutamente dizer aos doentes de to
las as naces, e de todos os paizes, que na
alsaparrllha de Brlstol. possueic
im remedio mais efficaz e seguro; do que
aenhum outro, que vos tenha sido offere-
;ido at hoje, e o qual por certo to hade
aiallograr vossas expectativas, na prompta
a effectiva cura das seguintes enfermidades:
DE
BARTHOLOME t C.
3iKIA I.AKCA IMJROSAR10-34
Catalg:o de 110vos tlfcdk'ammtos, Uv
nicos, i-stiniulaiitea. e estmiHacaes.
revonteinent.' dwtobertosp^los
nielbores iiliarnweeutit"
liiimicos da Eurofii
A SABIl:
Pl KI'ARADOS DE AUOtD.Vinho ferrugi-
noBode quina, tnico estomacal, repa-
rador das forc,rt dos eoiivalescentes, nos
febros typhoider iMperdaa de sangue,
ele, etc.
Xaropr-pfHMntrado, com 1,1,
saino de tol e todo prirtfipios nutriti-
vos soluveisilo extracto de carne de Lkv
bif, medicamento uks (xideroso par 1
os phKsicos,- tas alto<-^bn catarrnaes,
etc., etc.
Xarope de csea de laraiija..
amorfas, com todos o principios nutr
ti vos soluveis do extracto de carne -
Liebig, o mais poderoso dos ayleptkus,
para os teniperaiik-nlos di-bcj-Lis- uor-
vosoS, estomal por oxceUencia,(-:-.. etc.
ANDl'RAJf.Vinho ante-gotoso anl :c,i-
niatico, como grande espeett
1 AI.IKRKS.Xaropo ante-nerv* o inalte-
rivel de bromureto de potijAio, nu"dica-
inento especial contra as til*-",KS nervo-
sas { coiiviirsi\as.
SHKRKY-K1NA.V'iiho 'de 'nina. \>ic>
ante-febril de tiftigoato agradaVef, upe-
. rior ao Madira, o Vermnth.
THO.MMIJIKT GEL1Zliratiulos xaropes,
banl.os ,su!fo-as, pat\> o Uraluan 1
das noleslias de peil >, garganta v a>
pello, de um grande pruveit 1 pava aa or-
gaOs i"spiratorios.
C1IKVR1KR.VinbooH\:: de Cacado, l,;-
rou, tnico d^um gost agrad iva!,
mulante, nutritivo e estomacal; empre-
gado com grande vaataaera :; is-criaxici
debis, lias mullicres cbioctit as, ftac >.-
das de llores brancas, ij velhos fraco.
- |w!a idade cpelas molps'i.is, na atcm ad oxjjaos digestivos, as gastrite, gastra
gias-, etc.,'etc.
Escrfulas,
Chagas antigs,
Ulceras,
Ftidas Ulcerosas,
Tinha.
Syphilis.ouMal Ve-
nreo
Humores Escrofn
lesos,
* Irregularidades de
Sexo
Feminino,
Nervosidade,
Debilidade Geral
Pebra e Malignas e
Febre e Sezoe
Biliosas,
rumores
Abscessos Apostemas,
Srupcoes.,
Srpes,
SiTsagem
Impigens,
Lepra, febres intermitientes e remittentes
hydropesia e ictericia, etc., etc.
Ontro-sim, acoar-se-ha, que para o boo
resultado eperfeito curativo de todas aquel-
las enfermidades cima aportadas o adan
lamento da cura, grandemente promovi-
do e apressurado; usando sp ao mesme
lempo das nossas mui valiosa pilnlai
regetaes assucaradas de Brlstol.
tomadas em doses moderadas em co'nnec-
5.I0 ou conjunctamente com a Salsaparrilha;
aUts fazem remover e expela- grandes
ixaantidades da materias morbifica* e ho-
taares viciados que se desprendem e livre-
aaaote circulam esp alhados pelo systema,
tito causada pelo utso da Saliparrha,; a
por esta forme*actuar a volta.e o exercicic.
ttH-aal das oparacSes funecionaes,
i ^lai preparada smento pe(W tmico
Proprtrietaoa,
* yr^ Ajtes
r.ABPK.NTrai.-T-Vbiho (erru^paeM de rltui
barbo, tnico e purgativo agradare! sem
proluzir constrpacres ;::.. ateraedes tu
estomaga.
SAVORY E MOORS.SmuSsau paucreu-
ca, muito estomacal,.rom graudo pro-
veito no tratamento la pittsica, podando
ser eir.pregado cm grande vantagem.
quando o oleo de (igatio de bacallio ni ?
possa ser tolerado 110 estomago dos doe:i-
t"-; sendo o nico remedio que rom
eflicacia facilita a digesUo do oleo, fa-
zendo apparecer o appetite e ( augmen
to^da tuitricaoa etc., eto.
CHANTREI..Ceaieitoa da In iMawai d
potassio,'grande especifico contn as af-
ecQoes nervosas, ataque*-hystericoa, epi-
l.'psia, tost,convulsa, coquelueha, m-
somnia tristeza, derin lodosa .;
commodos que tam par c tasa 1 er -Ui
ao nervoso.
MENTKLGraoutosdeaub-uitrata de Bsr
muth. Este mcdiuiuianlto L'um
de elcacia contra aa arrh; *, c'i :
na, dysenteria gastralgia enoi uevdti
digeswes diflktels e d locosas.
L. BEl'F.Emaisao vegeta! de alcatri".
Este medicamento administraHe d urna
maneira commoda e precisa. 0 aleatr*i
<-m seu mais pereito estado de pi
vantagem que Hanbuma 'outra pn-pjra
clo de alcatraa possue.
DKCROLJl.Solurao de pyropboapha'.'i
de Ierro e soda. Esta soblfao consu-
me um excallente repaiader das for-;as,
obra sempre as pessoas que tendem
para clilorose orespaludas, loami
quau geral. Este preparado tito a rao-
tageni de no ter nenmisa sabor.
(ilUMAl'D.Confeitos especfieot,para ura '
da incontinencia da urina, easmeomm 1-
dos das senboras .-nloroticas, ftc.vOt-.
CHAMRARDCha tnico purgativo e i p'J
rativo, possue v.m gosto sfiboroso e um
aroma suavissimo, e as pnipiiadadn as
mais notaveis sobre os eaaaaraaaa da
toinago, dos iiitestiiiis e do ligado, u o
desobstruente por eaceDencifl na coos-
tipaco do ventre ? nao tem QSB*niar*ki
nenhiuii
L BEl'FCoaltar Sajioiiine, aaadala des
infectante enrgico, cicatrisante das
chagas.
H FLOXXarojvo Uoitiao a pejtotai aa
gado com vantagem na tasas frequeol .
,. catarrho chrorrico, coqii'luclii-, e etc.
etc.
MENTE!.Granulos da pbospiato de cVt
medicamento til nns molestias dos '--
sos, fracturas, diarrlw^as chfoni. as. dia-
betes rachitismo, etc.
HlMillPululas de peprina acidula-las, e n
prega-se as afleo^oes gastralgicas, em
todos os casos em que a digesto 1* Jil-
cil 011 impossivel. -Com 4r*nde van'a-
gem-
BLISS KEEN i ('..Extracto hjdnxilro.)..-
co de condurango, niedicamento m:,(
estimulante e depurativo, inipnaja 11
contra asjphilis, scrofulas, rheur.rUi--
mo, ulceras, etc.*etc.
VAlOlEl.l.N Hl^AlRIERS Elixir deqi -
na e caf-tonino especial contra as
bres uevralgicas, eBxaqueca, empobrat -
ment de sangue, fraquesa geral, cur*
palllidas etc etc.
R. CKOMIERUlulas anti-nevralgi i,
omprega-se com a maior elicacia em :->-
das as alTeccdes ne* ralgicas, nos im
modosda menstruacao,fcilitaloofl.!\
sanguinco.
OlJER;tiela de oleo de figado de baca-
lhau aromatisado, i^om todos, os p-oci-
pos activos do oleo de ligada de baca-
lhau. fota gela nao irrita o estomag >,
podondo osdoeates usar delle p.>r nuuir
lo sem a'menor repngaancia. V trr
grande especifico para tasa, catan li >
onsumjM;o bronermd' tailHMTiilar. e-
crofula, debilidade gc-rol etc. etc.
JOHNSONEssencia de salsaparrlnt 1
melh da Jamaiea, empregb-la como o
nico depurativo umeJiato do sa
ge*.
ELIXIR ANTI-ASTHSIAI'IC.OS 1 niw Pei-
toral applicad.ceua gran k- vantaj' .1
no tratanientadiiastlima, tosse coinnis.i,
defluxos camarrhaes ts moW
dos puliftoes.
--------------------------1-------------------------------------------------------------*,----------------------------------------
Pa-sc 300 a m
ja-se ao eseriplorio ifcsta tj-iMtraplU* i
u Perr.-
Precisare da 1.
taffluK, de t*a auna, f* -r.
dos; a tratar aarua da u

Diario de Pemambuco Quarfa feira 8 de Janeiro de 1873.
Comedoras 1 Gialiioetc IVrttngnez de Leitura era
Na-na eslrta do Hosafio, sotMo-n. io, easa | PiHaiMLiiA
de dailia, continua-se a foroeeer comida para HU.
lora, por prtcot commodos e cera f rompdao ;
algaru cidade e qwser que loe fornec,a oi eos cantaros,
4h-ir na diia caa bnu u-aiaraenln. ^^^^
LOJA DE JOIAS
ESMERALDA
Acaba de chegar a ette estabelecimento nm importante sortimento de joia di
lo melbor gosto e qualidade que tem viodo nesle genero, como cassoletaa d
n lettras de diamantes e pintoras finas, adereces e meios aderecoi com pedral
te. etc.
elogios de ouro, de dilereoies gostos e qnalidade9 para homens e senboras, dea
eco de 405 at 300;?, sendo estes ltimos de machioismo mais aperfeicoado pos
guarneeides com diamantes.
i tos de prata de 16,5 e 400
Ra do Cabuga' n. 5.
Moreira Duarte & C.
. Alog**M o 2* andar mu oo avbrimo o.
28 da rna de Santa Rita, estando He em botn es-
tado : a tratar na raa Dugoe de Caxias n. 44.
1004000
Fugio do engenho Pontal, em Serinbaem, no
dia 7 la mei prximo pastado, o mnlato Simio,
com os signa* siguiles: estatura regular,
corpo seeco, cor atarantada, barba torrada, ca
bellos carapinbo e hila descansada. Qoem o
pegar leve o o ?eu seflhor o teoente-eoronel Vi-
cente Hende WaoderUy, no dito engenho, on n
Recite ao Sr.Beroardino de Sena Pontaal, na roa da
Madre de Oeus n. 36, qu reeeberi a gratirkaco
de 1004.
*
0 BACHAREL
americo netto de men-
DONCA
Reside presentemente
A' RA NOVA DE SANTA RITA
\. 43.
Botica Popular
Precisa de nm offlcial enm bastante -pratica de
pharmacia, e.capai. Da s l;000/de ordenado an
nnal.
O Drl Sarment Fi-
Iho, cirurgiao do hos-
pital Pedro II, ci toI-
ta de sua viagera a Eu-
ropa, contina no exer-
cicio de sua profisso,
na casa de sua residen-
cia a' ra do Impera-
dor n. 29.
(Directora.)
Devendo proceder-sc inventario geral na bi-
Wkitlieca do Gabinete, avisa-se aos Srs. socios que
fiea suspenso o expediente desde o dia i." a 13 do
Janeiro prximo.
Outro sim, roga-se aos Srs. so ios o obsequio
de recolher ao Gabinete os livros pertencentes ao
mesmo que tiverem em seu poder, aflm de mais
fcilmente se proceder ao citado inventario.
Secretaria da directora do Gabinete Portuguez
deLeitura em Pemambuco, 28 de deiembro-de
1872.
V. Ferreira Chaves Jnior,
i.'.secretario.
i 'tu iuuIh urgencia.
Precisa-se de un* ama idosa que tenha bons
costumes para andar com una menina de 10 rae-
zes, e tambem de um criado de 12 a 14 annos,
Sempre^bcm.
Com qnantc j esteja bem no dominio do ret-
^"maKZrTtnto^toto^into- peitavel "publico desta cidade qne niogoem st
^l.?.,* n?!.a.r. V S^m a g deve dirigir a entra parle qoando e qneira cbier
n. 62 da mesma ra.
*
ARMA
Ra Duque de Casias n. 29.
Os propietarios deste bem montsdo estabelecimento scientifkam so
respeitavel publico desta provincia que se acham com um variado e completo sorti
m8nto de movis, tanto naoionaes como estrangeiros, sendo eates escolbidos por um doi
tosios que so acha actualmente na Europa. 0 mesmo tem contraetsdo cora os meihores
fabricantes daquellecontinenie as remessas das mais ricas mobias fritas all.
Na officina tem os mais habis artistas deste genero, e por isso pedem que ve-
cham visitar o estabe!ecm.?nto, aonde encontrarlo a pealidade do qce acabara de expr
ne se pode examinar; ricas e completas mobias de Jacaranda, mogno, faia, omino, >
ruarello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, po selim, amarello, etc., etc., guard?
vestido de imwello, guarda lorjca d8 no^i.eira e de amarello com tampo de pedra, apa-
radores d9 d to dita, peti toilettes espscialmenta para fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, imirello, pedra, secretarias do Jacaranda e naognocastoreiraa ae mo^no, san-
icarios, tbears para bordar, bercos, lavatorios com espeiho, de pedra marmore e ses
pertences, caleiras privad, bids; etc., etc., e moitos ontroa artigos que deixamos df
mencionar por re'tcrnar e.asdonbo
COSTDREIRAS
Na Chapef'? des Dames rqa do Barao da Vic
'Cia n. 16, precisare de co?turelf. _______
Aluga-se a casa terrea na travessa das Bar-
reira-", na Boa-VisU n. 16 : tratar na ra do
Crespo, loja do Passo junto ao Arco de Santo An-
tonio__________________
Sobrado.
luga-se o sobrado n. 9 da ra da Aurora : a.
tratar na ra da Imperatriz n. 8, loja. _____
nsiiio de primeiras letras, musir.
piano, YaiiiTz e a fllalo.
Propoc-se nma senhora evidamente habilitada
perante a directora da nstruccao publica, a enci-
nar as materias snpra com todo o esmero, espe-
rando a proficuidade de seus esforc/ da expe-
riencia que tem do ensino. Esta senhora de ori-
gem franceza, por isso falla bem esse idioma ; e
j tere alguns annos collegio em Macei. Ensina
piano copio poucos ensinam,0leccionando as prin-
cipiantes todos os dias, e tem o piano preparado
com um escolente guid-mains, para pereita posi-
cao de raaos das discipulas. Os presos sao mu
razoaveis, attendendo s mis circumstancias do
tempo. Dirigir-se-ho ao n. 3 da ra do Cama-
rao. Na mesma casa precisa-se de urna ama para
lavar e engommar para duas pessoas. Tambem
se precisa de urna senhora solteira ou viuva, ca-
paz, que saiba bem coser, bordar, fazer flores, etc.
para encarregar-se do ensino desta materia as
meninas.
ADVOCADO
ia. mmsco:: paula
SALES.
RIJA DUQUE DE CAXIAS N.
Alugse
O sobrado de nm andar, sito ra do Mrquez
de Herval a. 11: tratar na ra da Aurora nn
mero 51.
Alu^ci-se
a tala e alcova do 3* andar, e pal do solio do
obrado n 70 i ra Daiae de C?xia : a tratar
la lija. ______________
\
Fiambres
Salames
Cajas
Lega mes
Peixes
: Rolacbohas
AOS 5:Q000O0
islio veuda os felixes bilbrias da lotera i;
nia, na casa feliz do arco da Conceico, loja di
'orive no Recifa.___________________ _
Precisa-se de urna ama para comprar e co-
jinhar para casa de horuem soiteiro : ua ra Di-
reita n. 8.
Os abaixo assignados fa'ein sciente ao res-
peitavel publico e com especialidade ao corpo do
commercio. que dissolveram amigavelmenie a so-
ciedade que guava nesta pra?a sobre a firma de
Parbosafli silva, sahindo o socio Jos Antonio
Barbosa pago o satisfeito de seu capital e lucro,
e fi'cando cargo do socio Bclarmino Lourenijo
da Silva todo o activo c passivo da referida firma.
Becife 31 de dezembro de 1872.
Jos Antonio Barbosa.
Belarmino Lourenco da Silva.
GASA DA FORTOM
RA 1* DE MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO H: 23.
Unlea qne paga as sortea
los 20:00|>0()0.
O abaixo a;sit;nado tem sempre exposto i t.q
ia os felizes bilbetes do Rio de Janeiro, pagaud
remptamente, como eostuma, qualquer premio.
PRESOS,
nteiro 24000
Meio 12^009.
Qnarto 13:6*000-
Manoel Martins Fiuza.
AMA?
Precisa-9e de urna ama para com-
prar c cosinhar para casa de peque;
na familia, preferindo-se escrava :
ua estreita do Rosario n. 32, 2.*
andar.
Precisa-se de urna ama pa-
ra casa de familia de duas
pessoas para cozinbar e en-
tratar na ma Direita n. 28, 2* an-
gomraar:
dar.
No 3.* andar desta lypigra-
v pbia ainda se precisa de duas
|y ama?, nma p?ra coziohar e
outra para engnmmar para pouca familia.
Precisa-se d* um ama que sal-
bem cozinhar (forra" ou e; era va,)
a ra Nova, loja n. 11. ______
O abaixo asslgnado participa ao publico e
especialmente ao conimercio desta praca que con-
tina na mesma casa e genero de negocio da ex-
tincta firma de Soares Primos, sol sua firma indi- [ {"g,""^'
vidual. Recife, 2 de Janeiro de 1873.
______________Tito Livio Soaree.__________
Precisa-se de una uiullier purtitgueza ou
nacional, branca, que entenda de costuras para fa-
zer companhia a una menina de menor idade e
dirigiros arranjos da mesma em casa de um ho- deeuucuon^lar^,pV",HarirconservuTa'
mein soiteiro, paga-se bem sendo inulher em |l reaoindo a PED1D0 grande quai
quem se possa confiar, que d abonador de .sua. aDmDhos qae a convile especial e
conducta : ijuem cstiver neste, caso pode indicar
sua residencia rua do Livramento n. (i, loja, pa-
ra ser procurada.
rogaria homeopathica
Wt 41-lina do lm|ionilor- II XX
Bj Os proprietarios deste bem conhecido e ^
m montado estabelecimento, offerecem con- ^/
tinuamente aos amigos da lumieopathia 5W
)fi um completo sortimento de carleiras de i
X glbulos e tinturas de 12 a 120 medica- vk
5K nientos, chocolate de Enpes, encerado de *j*
V*6 rnica c a excellcnte obra do Dr. Mures
XMedico do Povoj em s* ediecao, tu- w
W bos c fi'ascos vazios, finalmente tudo o XX
^ que concernente ao systema homeopa- W
v^ tlliOO. a%
5K Os medicamentos principaes srio leva- W
^ dos desde a 1* at a 30 dymnamis.ie.ao e <^
m garantc-se o bom preparo de todos." W
K Adjaccnte ao n;esmo contina a ter XX
SS consultorio nm acreditado medico ho- w nieopalha, dando consultas do meio dia yv
^ at as 2 horas, c aceitando chamados a Qg
^ qualquerbora. ^
m& w&mm mm&
AVISO !
Os abaixos assignailos, encarregados da
testa de S. Gonzalo de Aniarantlio, erectajia
igreja do Sr. do Bomfim em linda, fazem
sciente aos devotos que a festa do mesmo san
to foi transferida do dia 5 para 19 do cor-
reme.
Oliii'la, 3 de Janeiro tic 18T3.
Joaquim Quintino (loncotees.
Julio Coelho do (osario.
Miguel Archanjo da Silva Braga.
TraneuiUino S. Castello-Branco.
PaitilbM
Gelea
Fruetas
Chocolate
v Pretinas
Ervilbas
Assncares
datena, hoteqaiiii do Bcnto n.27. __------, --^ ~{g t0BceitttM", C0Dfeuari. paaUU-
Antonio Pereira de Olivcira Maia tem para tii< eoosrvria e culinaria, secio b*m connt-
vender em seu estabelecimento superiores laman- ci(la (ConteHana do Campo) :
eos para hflmem e senhora, chnelos e sapatos do gempre boo que seus proprletario facam
tranca chegados pelo ultimo navio : na ra da |emurar aos ttas Dumi rosos amigo e fregoeies,
Sen'ala nova n. 1. qQ6 este to til, qna > vantajoto estabelecimento,
te acba como nunca prvido do* maii delieoso
acepipes, proprios para o regaboe lio commona
nesses lempos que te aproximam ; prometiendo
Cramer Frev & C. teem mudado seu armazem nao ponparem eforc^o Ti>f be"1 se'*ir ,0*0'
de fazendas do n. 20 da ra do Bom Jess para o, que o bonrarem cem snas en:onjmendai, KB40
para io nao t
Uma grande reimio
DE
Pitea
Doce
Quedo
Amendoas
Lieort
Viobo
Cosaques
Como
de agora cui liante a coufeltarla
do lampos
tendo om sen recinto nma bem montada fabrica
e eulioaria,
quanlidade de
qae a convite especial e depo's de
bem assados devem fazer as delicias da vida per-
narebucana, e para que pelos seu nomet nao
percam da lembraoca ot amantes dot regabofes,
vai era cnsoame :
Patos, per", gal.chas e gneos
Capotes, marrecos e gordos eiioes.
Vuelas, caraeiro, cabritos e pombos
Saborosas cvalas e os laes camaroes
Asin como
Rolos inglezes. pudins e lenas
Da Russia e Milao cobenas fatiaa
tremes, gelado, de caree os pasiei?
Frescas empadas em todos os dias.
E depois
Ricos presentes de talas
O Campo agora tem
Na ana CNFEtTARIA
Quetu Ibe competir? ninguem t
E' L-.m qne todoacencorram
P'ra quelle estabelecimento
De caixinhas ricas, Qaem ha t
Qna lecha maior sonimeoto
Olbem todos vejam bem ;
Aqnillo que o Campos cuer,
R, que todos p'ra all enrrara,
Nao escape um ; se quer
P'ra antes e depois da missa
1)3 lal nonio de natal
Quatro pslcis e um copito
A uioguem por arto faz mal.
C0XFE1PAMA 00 CAMPOS
ra d> Imperador o. 2.

AMA
paga-fe bem :
Precisa-se de uma ama para cozinhar e en-
gommar para uma s pessoa : na ra do Rangel
n. 9, segundo andar._______________________
n.
- Precisarte de um eixeiro no pateo do. Terco
63.
COXSILTORIO
SE^
i Precisa-se, de uma ama
^Vllltl nnar na rua do Barao da
22. ou rua da Aurora n. 67.
%
clona n.
l'.oga-sc s autoridades policiaes desta prc-
* vincia que appreliendam e levem a sua senhora o
mulato Jovino, lioleeiro, que nao anda fgido, n.;.-
sim com a maior insolencia como forro pelas ras
dcsla cidade, (rabalhando para si, dizendo que tem
familia para nao ser vendido a ninguem, pois que
senlwr nenhum suportarla) tal proctHlimento de
um captivo: esse oseravopertence legtimamente a
D. Isabel Ignacia de Gusmo Villela, como hc-
ranca paterna, seu escravo como eonsta em va-
rios carlorios, levem-o ao corredor do Bispon. /3.
AO (30M1I
II
V rrucisa-oc '
A I \ prar e cozir
|\ I i\ nomens solt
^.tl i i- praca da Ind

e 20.
Precisa-se de una para com-
coznhar para casa de
s solteiros : tratar na
praca da Independencia US. 18
AMA
Precisa-se de uma ama qui-
sa iba cozinhar : tratar na
rua do Barao da Victoria n.
ii, antiga rua Nova, loja.__________________
Com urgencia.
Na rua larga do Rosario n. 21, loja do calca-
dos, precisa-se de uma ama que saiba comprar e
cozinhar. .___________.
Francisco Teixeira Mendes, e Jos Maria de
Carvalho fazem sciente ao rcspeitavcL corpo do
commercio c a quera inlcressar possa, que em 31
de dezembro do anno Prado da lt<72 dissolveram
a sociedade que tinham na loja de fazendas rua
da Imperatriz n. W, e que gvrava sob a finna
social de Mendes & Carvalho, Picando daquella
data em diante responsavel pelo activo e passivo
o ex-socio Francisco Teixeira Mendes, retirndo-
se Jos Maria de Carvalho, pago e satisfeito de
toda e qualquer quanlia que por direilo I he per-
tenceu na extracta sociedade de Mendes & Car-
valho.
Hccifc, o de Janeiro de 1873.
Francisco Teixeira Mendes.
Jos Maria de Carvalho.
i Precisa-se de una captiva ou forra pa-
^Vni quena familia : na rua Direita n. 127, 2* andar.
CEWTBIFfeJG
Acaba de ser experirrentado no engenho Fragozo o apparelho para sprornptar o as-
Botar pelo sytema Centrifugo.
0PR0CESS0
E' mnito simples.
Tirase a meladnra das taxas de coser; botea-se dentro de qaalqaer vsilha para
coatoar.
Logo que esteja coalhado passa-se psra o apparelho em partidas de 3 1/2 arrobas
de cada vez.
Sendj assim cheio e post) em movimento, dentro de 5 m;nutos estar o assucar
prompto e em estado de ser logo remettido para ser vendido.
0 resultado
Foi fazer-se de i 1/2 pues de assecar 21 arrobas de sonaenos i. sorte. 0 mel
extrabido pelo apparelho tjndo sido em nada prejodicado pelo processo qne soffreo, sa-
bindo mel d'engenbo e n5) me! de furo, prestoo-se a ser novamente cosido, dando do
apparelho assocar de qnalidale e ponco inferior ao do i.9 processo, dando alm disso
mesmo as formas t5o bom resultado como se fosse psssado logo das taxas para as mes-
u.as, aproveitajido-se assim mais metade do mel do que com o anligo systema.
Sendo 15o evidente as vantagens prodozidas por semelhante apparelho, o qae po-
der ser verificado peloa froprios senhores d'tngeaho, esperam os proprietarios de dito
apparelho, depois do risco que correrma com semelhante experiencia, merecerem a pro-
teccSOdos Jlaslradou sniores d'engenho.
A' tratar com o$ Srs. Samuel Power Johnston A C, roa do Apollo ns. 38 e 40.
M edico-ci rurgico
Dr. Ferreira pode ser pro-
curado para o exercicio de
sua profissao em geral, e es-
pecialmente operacoes-c mo-
lestias cirurgicas, no antiga
consultorio de seu pai rua
largado Rosario n. 20.
mi
I
Criada
Precisa-se alugar uma ama ou criada de boa
conducta, livr ou escrava, que ?aiba cozinhar ou
engommar e coser, paga-se bem. Tambem com-
pra-se uma escrava de casa de familia conhecida
e que tenha aquellas habilidades ; na" rua 7 de
setembro h. 13, esquina da rua Forraos a.______
idvocaeia.
O bacharel Angelo Henriques da Silva mudou
o seu escriptorio para a rua do Crespo n. 12,
prineiro andar, onde pode ser procurado.______
Aluga-3e a
dalena.
asa n. 7 na Passagem da Mag-
A1VA
Precisa-se de una ama pa-
ra casa de hornera soiteiro :
na rua da Cadeia n. .'i9.
Precisa-se de uma ama para engommar e
que entenda de 'costura : tratar na rua Impe-
rial n'. 53, defronte do viveiro do Muniz e na rua
do Rangel, taverna n. 7.
1 FHITORAL JAMES
PTIMO REMEDIO CONTRA
MOLESTIAS de PUTO e PBTYSICAS
ensaiado e "aprjrovado jios hospitaes de Lisboa,
legalmnte auctorisado pelo Consollio de Sade Publica,
auct'isacao que se acba uconhecida polo
Cnsul geral do Imperio do Rrazil.
"------nao : E^=r^= &*.*^
NICO DF.POSIT E,1I V KRVAMBLCO
B^lraTIraOLOIEy ^ Q.
Rna lai* do I^os:ar*io
STTENCAO
Alnga se (a quem pagar parte de bem-
feitorias) o andar e sotao de um pequeo
sobrado de om andar, com duas salas e
dous qaartos, e no sot3o dons qoartos, es-
tando novamente caiado, pintado e esteira-
do : quem pretender, declare sua morada
em carta fechada, com as iniciaes J. G. S.,
em sobrescripto, deixsndo nesia typogra-
pbia para ser procurado.
Escrava fgida
Ansenten-te da casa de sen senher, no dia II
de dezembro, a escrava Manuela, negra, de idade
9e 45 annos, levon vestido de cbita escora e cha
le cor de cinza, com riscs. Tem nma'orelba ra
cbada pelo qne nao pode rendnrar brincos, falta
de denles na frenie e ps grosso?, com signaes
de cravos as ponas dos dedet. Foi comprada a
sgaos mezes ao Sr. Francisc Jos Gomes, de9ia
ridade : quema capturar qneira leva-la a rua
da Cadeia n. 6, ou na Capnnga, rna da Ventora
n. 10. que e .gratificar.
Deutscher huelfsverfin vor
schlag zur abaenderung l^^iffiSftriSf
(Jer statuten -c.t-.b-,.
GeneralVersammlung
am 16 ten Januar 1873.
Pemambuco 7 Januar 1873
der Secretaer
Henri Quanz
Aluga-se uma arria que. cotinhe e engorhrne pa-
ra casa de pouca familia, preferindo-se escrava:
na rua do Imperador n. to, 2* andar.
Alnga secmamoleca part o servido interno
de casa de familia, e yende-se uma negra de todo
servico, boa quitandeira : na' rua do Rangl
iiiimem ?ft------------------
Para casa de uma pe-
quea familia precisa-sc
de uma ama - bem engommar c frisar
c outra que entenda de
costura e ensaboado: pa-
ga-se bem : -cm S. Jos do Manguinho, sitio n. 2.
I GABIMETE
Medico-cirurgico
RUA DO IMPERADOR N. 73,1 ANDAR
0 DR. NNES DA GOSTA
MEDICO OPERADOR E PARTE1RO.
ESPECIALIDADES.
Molestias e operages de o!hos.
Cura radical e instantnea dos
estreitamentos da uretra.
Consultas: Das 7 s iOboras
da manb.3, rua do Mrquez de
Olinda n. 52.
Chamados : A qualquer hora.
COLLEGIO DE SANT1 RSULA
TABA
I
)
ESTABELECIDO,
\a rua da Inineratriz n. 3%
A directora deste collegio, abaixo assignada,
faz sciente nso s aos pais de suas alumnas como
aos demais que quizerem conflar-lhe a educagao
de suasfilhas. que no dia 10 do corrente come-
cam os trabamos deste estabelecimento, no qual
se ensina todas as materias que comppem a per-
feita educacao de umi menina, por proessores
competentemente habUitados. O espaco maior de
13 annos que foi montado este collegio, sufficien-
te para patentcar o ;nteresse,dedicacao e relio c*m
que a directora tem sabido manter o bom nome e
crdito de que go;a; agradecendo em extremo a
confianca com que honram os senhores pas de
familias, conando-ihe a educacao de suas inno-
centes fllhas. Boa-Vista 2 de jqneiro de 187J.
L'rsula Alexandrina do Barros,
Directora.______ -
Os abaixo assignados scientificam ao com-
mercio que dissolveram amigavolmente a socieda-
de que gvrava sob a firma de Jos Correa Braga
-or conla.dosmesmos.
Domingos Ferreira da Silva.
Collegio da Conceico
Avisa-se aos senhores pais de alumnos externe
deste collefio, que tendo o seu. respectivo director
entendido dever acabar com o extrnalo secunda-
rio, nao receber mais dora em diante aluranqs
externos para o esludo de preparatorios. 0,ex-
ternato primario, porm, que acaba de passar por
uma refcrma completa, pela adopcao do systema
de ensino elementar asado no collegio Abiiio, no
Rio de Janeiro, continua a estar aberto paraos
e, tendo lugar a sua abertura no
da 15 do corrale.___________________.
Aluga-se uma ama de leite : no becoo da
n. 25, defronte do oitlo de S. PgdJM
PRODUZIR :
Cem perda de carital
' 993*000
3:115*000
8tiU2O0
2:402S0O
o6:637*700
m PPLAB FLUVir
Assoc^qao de beneficies mutuos
Para ce cacao de capUacs e readss, e aaforlsada |telo ga-
verno fipes i I
POR DECRETOS. 5022 DE 24 DE JULHO DE 1871.
Capital de reeponabi'idade admioistrativa
1,000:000^000
conversad dos capitaes dos socios emtipolices d divida pu-
blica nacional.
TAHEIjIjAS
100(50co pagos annualmente devem
No flm de Setn perda de capital
8 annos 680/300
10 annos 2:3721000
13 nnos 6:5821:00
20 annos 17:058/500
25 annos 45:128/500
Uma impoiicao cnica de 1:C00/000 deve produiir :
Noflm ds 5 annos 2:13i/C00
de 10 annos 3.819/510
de 15 annos 6.839/000
de 20 annos 12:985/(00
de 25 annos 23:255/000
O objecto desla associacao induzir todas as classes da sociedade, tanto os pitres
como es ricos, a pensarem no porvir e a gsranlirero, por meio da economa, a fortuna do
ralbes, o pao da velb,ce e a iranquilidade do espirito.
A riqnea dos povos, isio a riqueza particular e a riquea poblica, tem o sen fon-
damento mais solido e a sua funte mais fecunda na simples economa. -
A economa a proviso do faiuro. O que hoje nos sobra qoasi serapre nos falta
amanba.
Sendo a Popu/ abastadas da secedade, a adraini?lracao, de coo'-'rmidade com seus estalntos, declara qne
recebe subscriptores por quanlias mnimas al 10/000 e sVn limite para maiores quaoilas.
Os subscriptores da Popular nao estao sujeiles a onns algum de exames mdicos e atiesta-
dos de vida: seos caintaes, acumulados e accrescidos vantajcsameble passarem, em caso
de morte, a seus herdt-iros naluraes.
As fubsenpeoes da Popular Fluminense podem ser feilas de tres modos distinctos,
conforme o deseio do socio, a saber:
COMBINACOES.
1* Pagamento das prestaedes aunuaes on semestraes (desde 10/000 at a maior
qnantia cada orna) podendo liquidar e retirar capital e lucres em qualquer poca depois
dos primeires 5 annos; tem perda do capital em nenhum caso.
2* Ignal ao anterior, porm, com perda do capital e joros no caso de deixar de pa-
gar algnma das prestares marcadas na apolice.
3a Pagamento de nma qnaniia (nnoea menos de 100/000) e de urna s vez e sen
perda em nenbnm caso rem do capital nem dos lucros.
A 1* comblnacao offerece ao-socio a vantagem de nunca par Jer o capital qne liver
entregado;
A 2* arrisca o capital, porm, o socio qae pagar pontua(meote as prestares, anfe-
rir mitis lacros qae os qne pertencam al"; ,
A 3" combinacao iflere grandes vaniagens aoi capitalistas, pois sem correr ne-
nhum risco pode se garantir que se bao deaoferir, pelo menos, una-juro de 120/0 ao anno.
Pde-se obter qafcraer outra informacao no escriptorio dos agentes da associacij
nesla provincia, Augusto F. de Oliveira <_ C, rna do Commercio o. 42.

/
Empieza' do gaz
Respeitosamenle informo aos senhores
cansumidores do gaz desta empreza, qoe
as contas entregues, devem ser pagas mea-
salraente aos hossos cobradores, e na au-
sencia dsstes podem se dirigir roa do Im-
perador n. 31 ou fabrica do gaz, em' S.
Jos, lodos es dias uteis, desde as 10 horas
da manha at as 4 horas da tarde.
Previno aos mesmos enhores, sem ex-
cepeo, que n3o continoarei a fornecer gaz,
a aqnelle que n5o pagar suas contas de
consumo de conformidade com este aviso^
Fabrica do gaz, 3 de dezembro de 1872.
O engenbeiro e gerente.
Thoraas Ncwb'gging.
?
Adereces de tori-
Iliantes, esmeraldas
rubins perolas.
voltasde perolas.
A SAPHIR
Obras de ouroc
prata de todas as
qualidades.
NOVA LOJA DE JOIAS
N. 2 ARu do OabugN. ; 2 A
Achando-se completamente reformado este estabelecimento, e
tendo os seus proprietarios eito uma importante acquisio de
ioias as mais modernas vindas ao mercado, e de qualidades superio-
res-, convidara ao respeitavel publico a fazer urna visita ao seu es-
labelecimento, afim de apreciar e comprar uma^)ia de gosto por
pre^o razoavel.
\
I
.


Diario do Pernanibuco Quarta feira 8 de Janeiro de 1873.

>

r

i
*
m\
I Ll
ALTA MOVID/ADE
PIANOS E MSICAS
--
ANTONIO JTOSfS .1112 AZEVEDO
Ra do Barfio da Victoria n. 11, armasen!, e 12 1. andar, antiga ra Nova
SCGQ &MBE.1LZEM
donde o publico ero gem encontr, }sempre o maior e mais esplendido sortment deptauos de
Pianos, msicas e instrumentos de msicas para banda militar
e orchestra.
Acaba de abrir no primeiro aodar do sobrado n. 12 confronte
botica Maurer, do grande saio onde esli expoftos os magnficos
MAIS de armario, de Pleyel.
----- de meia canda, do mesmo aotor.
-------- de hT Henri.
de Amede Thibout.

nico agente nesta eidade, dos eelebrea afamados
PIANOS DE ftUCHER FOES
re miados em diversis exposi;6ss om 14 medalhas de onro e prata.
Sao os onicos pianos que aqni veo da Europa, perfeitamente afina
dos, fetos coo elegan :ia e solidez.
D'aqni emdiante continnar a annnnciar todas as publicares que se foretn friendo as snas offlcioas de msicas.
Tambera receben grande ortimeoto de ro.nsicas psra piano, piano e
canto e entre ellas as lindas composicoj do mnito sympaihico oaes'.ro
F, SAWlMI
A SABER :
Vec me quer Walsa.
Olga Mazurka.
La Separacioni Pira canto.
A Luz elctrica, grande Walsa.
Franco Brasileir Polka.
Turnada de Valleta Galope.
J?aninha Walsa.
A Libertadora Poka.
A Primeira e?pada Wal-a.
A Minha Lyra Walsa.
A Natalicia PTO
Slodieoie P ka.
Ultimas publlea$5es
Peitas as offlcioas de mancas
do annonciante.
Emilia, polka por I. Stuoltz.
Circaciana, .chotcb, por Smoltz.
Jardim do Campo das Pricezas,
quadriiha, por J. Popne.
Chnva de Rosas, Walsa, por H.-AI
btrtazzi.
Ausentou-se.
.0 escravo Pedro, de lannos de idade
mais. ou men, con os signaes seguales :
cji; parda, cabellos corridus, nguns signaes
de 1>exigas, levou vestido camisa de chita,
catea de casemira: rog-se as autoridad.es
policiaes e aos Srs. capitcs de campo" de o
prenderera e le\a-Io caja do spu senhor.na
ra da Imperatrz n. 4 1. andar, ou nr>
na da Madre de Deus n. 5 1.-andar.
CASA'DOOURO
.%m 5:000^000
Bilhetes garantidos
Ruado Bardo da Victoria (outr'ora Nova)
n. 63, e casa do eos turne.
Aobam-se tenda oa rauite feliiea bilhetes ga-
rantidos da 4* parte das lutrias a beneficio da
matriz, da Villa-Belfa, que ser extrahida no da
11 do corrente mor.
Presos
Inteiro 6000
Meio 34000
Quaito 1*500
f para na.
De
Inteiro
Meio
5*300
27'0
1*373
Quarto
Recife, i de Janeiro de 1873.
Jos Joiujunn da Costa Leite.
Precisa-tt de ura menino de 12 oa 14 aono?
de idade para caixeiro : na padaiia da rna do
Rangeln. 8.
AW

Ei
nos
os compradores do bem conhecido e acreditado rap
es e meios botes,
mea o neme dver-
desoiiho se pode
REA PRETA, que reparem
pois que os ha de rap de outra f
so, e com papel da mesma cor, cujo
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do
Kw*3
Rfea
ir
\S3
Pernambuco Street Kail-
way &C.
Tendo reeebido crdem do governo de nao dar
mais bilhetes em troco de passagens nos carro
desta compaohia, previno ao respeitavel pntlico
qne, do 1* de Janeiro era di inte nao se dar em
troco, nenv se vender mais bilhete*. Oolro irn,
a compaohia nopodendo arranj r moeda de ni
ckle oa broose snfflcieote para troco?, r ps aos
Srj. passagiiros de semonirem com dioheiro mia-
do para facilitar a eobraoca dos conductores.
Os bilhetes da compaohia que actualmente es
tioem circulacio, sero recebilos nos carros ero
pigamento Je passagens, e trocadas por dinbeiro
no Eoglish Bank of Rio de Janeiro, eno eseii^to
rio desta compaohia ai qae seja resgatado o nl-
liroc birhete.
Recifu, 26 de dezerabro de 1872.
Pelo gerente Bernardo Wbitmann.
_____________________Ihor Eadfonh._________
Novos e escolhidos appare-
lhos ti gaz.
A companhia do gaz desta eidade, tem a honra
de annunciar que receheu ltimamente uui eseo-
Ihido sortimento de lustres, lampeos para corre;
dores, pendentes, arrandelas e outros apparethoa
gaz, de vklro e olujtsal, de varios e novos modelos
e desenhos ; rom estes apparellios a companhia
est proinpta a supprir aos treguezes. As amos-
tras para se vercm estao no escriptorio da compa-
nhia ra do Imperador n. 31.
Aula particular de primeiras
lettras para o sexo femi-
irino.
Anna Theodora Simos scienlilica sos senhores
pais de snas alumnas e ao respeitavel publico,
que se achara aborta sua aula particular do ins-
trueeao primaria, no dia 7 do corrente me', a
qual'funccionava na ra travessa dos Expostos n.
16, 2o andar, e-hoje funccionara na mesma na
n. 18. 1 andar, aonde melhor noder accommo-
dar maior numero de alun.na^ tanto internas
como externas e meio pensionisfSs ; podendo as-
segurar aos senhores pais de familia que lhe con-
fiaran snas filhas.todo o esmero no adiantamento
das mesmas, tanto as materias que constituem
a sobredita instrueco, como tambera em msi-
ca vocal, e no que for consernento as habilidades
de agullia._____________________v __________
YSI
'daeiro
PRETA,
para nao serem
egaiia-;
os botes tragam o nome de MEURON & G,
nao&o de REA PRETA.
REA
los ver que
, e a desig<-
ron a
Deelaracjo
NO dia 18 do corrente se far leiBo do todos os
ponhoros vencidos que estao a dever juros, sen
attender a reclamacoes de quaesquer natuicza
que sejam, salvo a permittida reforma de tempo :
na travessa da ra das Cruzes n. 2, Io andar.
Aluga-se una casa cora bastantes eoinmo-
dos, na ra do Amparo, em Oliuda, n. 67, o pde-
se tratar com o Sr. Thomaz Jos de Gusraao, ne-
gociante na mesma eidade.
iWS&fc
Feiioj" para ongenho
>"o engenho (Jbinpriai. IrefHc de Agoa Prer
ta, prcci?a-e de uui ftitor, prefre-se pci-l^in; :
quont preieiul.ir di|.use a ra Augusta n. 248.
**************
Imperial fabrica |
DE W
Rap arda fina da B hi*
DE g
Moretra & C.
O abaixo a*si|oado, nnico agente de-sa *
WL fabrica, avisa ao publico qne tem abertu M
35 o deposito de dito rap no sen escripto- ??
9 rio rna do Vigar n. ti, eode 9 fre- at gaezes encontrarlo sempre a qnantidade fy
X qe preersarem. 2*
Recife, 29 de abril de 1872. 0
mL Domiogoi Alves Matheus. '
************#<*
Joaquim Jos Goncal-
ves Beltrao
Roa do Commer,cio n. 5, i" andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o
banco do Minho, em Braga, e sobre os se-
quintes logares de Portogal.
Amarante.
Arcos de Val de Vez.
Darcelios.
Beja.
Chaves. .
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimares.
Lamego.
Lisboa. /
Miranrlella.'
Moncao.
Ponte de Lina.
Porto.
Tavira.
Valpaasos.
Vianna do Castello.
Villa de Conde.
Villa Nova de Famalice.
Villa Nova de Portim'u.
Villa Real.
Viren.
Valenga.
Figaeira.
Penafiel.
Regoa.
Aveiro.
Compra-te urna ecrir >- ;l" a 50 iodo, qn
saiba c ziohar : oa i!iis;< urna das icr.a, raa
H* de Marco n. 6.


MARTIMOS
COrWTRA FOGO*
k companhia Indemnisadora, estabdlecidt
esla praca, toma seguros marilimos sobn
laviosjelsens carregamenios e contra togf
mi edificios, morcadorias e mobilias: u;
roa do Vigario n. 4, pavimento terreo.
CompanMc
seguros maritimo3 e terrestres
estabelecida na Baha em 15
de Janeiro de 1870.
CAPITAL..Rs. 4,000:000*000.
Tocia seguro de mcrcadorias e dioheiro
i risco martimo em navio de vel'a e vapo-
res para dentro e fra de imperio, assiro
:omo contra fogo sobre predios, gneros e
jzendaa.
Agente Joaqoim Jos Goncalves Beltrao.
roa do Gommercio n. 5, 1. andar.______
Methodo Cas*illio
Secnndino Jos de Faria Sn:oes, pr-ffs?or par-
ticular de initrac{o elementar pelo metho lo Cts-
tilho, avisa ao respeitavel publleo-e c.m tapara-
lidade aos pais de seus alumnos, que no dia 7 de
Janeiro ena bera fna aula na ra da Penh3 n.
23, i* andar, aooje re'i:b3 penciotistas pi-r pre-
cios commodos.: o mesmo professor promette mai-
to se esmerar no adiantamento de .tus alumno?.
JAROPE
6RAHDE UQDID ACAO DE C
Para acabar .al o lm do mez
RA DO MRQUEZ DE OLINDA
OUTR'OR.4-
Cadeia do Recife
n.
53
Tendo o novo proprietario do mudar os artigos deste estabclocimento, desejando li-
tpiidar ah ao fim desto mez, ten.resolvido vender por" precos muito commodos com o lien
de apurar dinheiro e liquidar vista-, pelo que convida aos Illms. Sr. chefes de familia
a virem sortircm-se, pois a occasio opportuna, e encontrando um completo sortimento
de chapos.
Chapos de pajha de Italia para senhoras e meninas, com onfoites e sem elles.
Chapos de \ eliMo com eneites. Gordos de velludo com enfeitos. Chapeos dcpalha
de differentes quandales, enfeitads, para senhoras e meninas. Chapeos de palha de Ita-
lia, enfeitados, para montara de campo. Chapos de palha para homens e meninos, de
dilereiites qualidades. Chapeos de eltro pira homem. Chapos de massa pretos e de
cores, ipara homens. Challos de la para hornera e menino. Chapos altos de pello de seda
para hemem.
Bonets de ditlerentes qualidades, Unto de seda, como de palha de Italia, panno, case-
mira e alpaca, tanto para hornera como para menino.
Gorros de" seda, velludo, l, tanto par. hornera como para menino.
E muitos outros artigos que s com a vista poderao ser examinados, afianca-se que
nao engeita-se dinheiro. ^^_^_^_
|50000.
No engenbo Massnaa.'d, frtgnezia da Escada, se
dar de gratifleaeo qoantia cima a quem ap
prebender tres cavallos qae naquelle engenbo,
toram furtados na nonte do dia 29 para 30 de no
vembro presimo passado : o 1* tem t> Bnos, e
esstanho e castrado, tem a orelba direita bastante
lascada, ama estrella na lee ta, e no quarto esquer-
do tem orna croi; o 2* rnc^, cpm pintas ver-
melbas nos quarto i, grande, goroo, com o pes-
clo 8no, castrado, lera oa qaadri ferides ca
cwgalha, trrado cera a 'marcaI. R.do lado
dlrwio, e teto a idide -d & auno?" o 3 rndado
aanhM'clare, caito grosso, nm ponco eambilo.
5 castrado, pBqoeno, e esta ferrado con a msrea
Ono quart direito : gratiflca-se ^om 50/UOO
por cada um em preawc* da pessoa, em enjo po-
dar for eueontrade qoalqaer dos ditos aTallos.
na roa do (k-
Preclsa~e d' 600$ a juros :
tovefis n. *5 sedir i quem precisa.
MOFI
Est eucouracadoll
Roga-se ao lllm. Sr. Ignacio Vieira de Mello, ea-
erivlo na eidade de Sazaretb desta provincia, o
fsvor de vir raa Dagae de Caxias n. 36 con-
cloir aquelle negocio qne S. S. se comprcmetten a
alisar, pela tercera cbamaaa deste jornal, em
dos de desembro presimo passado-, e depois pan
Janeiro, paasen fevereiro e abril, e nada cum
srio.- e pal* este-ontivo ie novo chamado para
totn, pois S. 8..J6 deve lembrtr que este ce-
io'n i irpi? de cito aones, e qbandu a enbot
sen filho & acbava nesta eidade.
Esc-rato fgido
i50;000 rs. de gratificacao
Aoientou-se desde o da 13 de maio de 1872, o
preto.de nome Alfredo.de trinta e tantos annos,
:rl!o, e bastante ladino ; este preto perfeito co.
iinbeiro,es:atnra alta, m:gro, olnos grandes, j
esteve no oogenho do Sr. Lolti de Calar, em S
Ljnrec?ONla Matta, onde consta ter prenles, foi
sscravo do3 Srs. Adriano & Castro, e do Sr. Jos
Joaqnim Gonsilves Bastos, negociantes desta pra-
;.a; de todos estes Senhores foi cozinbeiro, tem
sido visto per pessoaa que o conbecem, dizen lo qae
est forro, assim tem podido encapar de ser preso.
Pede-se a todas as autoridades e capules de
ampo que o pegando leve-o a rna do Duque de
Caxias n. 91, Toja de Mindazas do Rival sera Se
gando que recebe a gratilkaco cima deca
rada.
PEMORES
Na travessa da ra
das Cruzes n. 2, pri-
meiro. andar, d-se
dinheiro sobre pe-
nliores de ouro, pra-
ta e brillantes, eja
qual for a quantia.
Xa mesma casa
compra-s os mea-
mos metaes^pedras.
Prime iro andar .
Alnga-se o 1' andar i rna do Padre Floriano
a tratar na rna larga" do Resano c. 22.
CASA DA FORTUNA
Roa Ia de ttarce
(Outr'ora do Crespo) n. 23
O abaixo assiguado tendo vendido nos seus fe-
lizes bilhetes da lotera do Rio n. 436" a sorte de
4:000 em quatro qtiartoS de n. 2403; convida os
possuidores a irom 'receber, quo promptamente
serao pagos, como do osturae.
Manoel Martins Fiuzal
A Mil AFAMADA \_
AGUA DE FLORIDA,
SE
ni'RRAV fc LIXMAX.
He o mais delicado e mimoso ao mes-
mo tempo o mais estavel de todos os per-
fumes, e encerra em si, no seu maior auge
de excellenckt, o proprio aroma' das verda-
deras flores, quando anda na sua flores]
cenca e fragancia natural. Como um meio
seguro e rpido allivio contra as dores de
cabeca, nervosidade, onbilidade, desmaioS:
flatos, assim como dectra todas as frrflas
ordinarias enteca s decid hystericos; de
iumma efficacia e n3o tem outro queos
iguale. Igualmente, quando destemperada
com agua, torna-seum dentifricio o mais
igradavel e encllente, dando aos dentes,
aquella alvurae aperolada apparencia t5c
altamente apreciada e desejada pelas Se
ohoras. ,.,
orno um remedio contra o mau hlito
da boca, depois de diluida em agua,
summamente encllente, faz remover neu-
tralizar todas as materias impuras que se
criam roda dos dentes e das gengivas;
tornando-as duras, sadias e d'uma linda cor
encarnada. Quanto a delicadeza, riqueza
e permanencia do seu fragrant aroma, ella
porcerto n5o tem igual; e a sua supe
rioridade sem rival. Ella igualmente tor-
na-s um meiomui excellente, para fazer
remover de sobre a pelle do rosto, toda a
qualidade de brotoejas, ebulic5es, sardas,
pannos, manchas, impigfens e espinhas.
Quando se queira servir della como reme-
dio para fazer desaparecer qualquer urp
destes disfiguramentos, e que tanto desle-
anlas lindas feicoes do bello sexo; devera-
se usal-a n'um estado de dilluicSo, destem-
perando-a n'uma pouca d'agua ; por no
ratamente de qualquer eSpinha, usar-se-ha
della ptW em toda a sua forca. Final-
mente como um admiravel meio de com*
municar as feicoes trigueiras e paludas,
orna pelle macia e d'uma tnansparente al-
vura, dando-lhe urna linda cor de rosa :
para um tal fim, ella leva a palma a todos
os perfumes que se teem inventado at ho-
e, e existe em plena soberania sem rival.
Bem entendido tudo Isto se refere nica-
mente a Agua dr-Flortoa de Mwut 6
Laman.
As imitac5es quQ. se tem feito na Franca,
Ailemanha, assim como -em outras partes ;
s3o inteiramente inuteis invaliosas ; por-
tante recommenda-se mui especialmente
s senhoras, que ''tenham toda a precaucao
e cuidado, de quando comprarem, estojan)
sertas que comprara.
.rfll
ESPECIALIDADE
BARTHOLOJVI.EO &-C?
Para clra certa das tosses anti
gas, recentes, catarrhos br0nchi09
e pllm0nae, asthma, tosse convul-
sa, etc., preparado inicamente em
sua Pharmacia, 31, itiv Larga do
Rosario.
A ilierapetflic das difertaa molestias do |icil,
Jcsde a uhaiyngile ou mal ila garganta ule a I11M -
ula(o pulmonar, passamln pelas dvnsas Imiui-
chitea catarrhaea e o empliyenia aeaU ile sff
cJircnoeciJa com mais este mclicanunlo, que
tomari a primeira ordem entre todos t t c rs
conlicciJos. O jarope Vegetal Americano, garaiilinM
iinramenlo vegetal, nao conten em sua ci.iiipostio
i um plaas indgenas, elijas pr^pricdides Unelitas na
cura da* molttias que peilenceni nos oigis ilc
cespitado oram por uus obser<--.las por lo-fo
lempo, com ptimos resallados caita tez mais
crescentes ; \.t\o qm nos jtgBmo< aui(n;sa.los-a
comiKir o jarope que agora nresenlanios, e a olle-
reec !n aos mdicos e ao publico, l'rovtuuoa "'
e aitesados o que le^anioa dito. comamos que
CQMP..AS.
Attei-co
o eonceito de qrio Jl gosa o jarope Vegetal Ameri-
cano crescer de dia a diu, deiando muito apda de
ti todos os peiloraea em voga.
VENDAS.
Ke-;)$:na
de primeira qnaidad', iraica ftev*s. vendem
Pernira di >'utitra IrmijS, mi do Mirquzd-i
CMir.da o. 21. f anrtr.
aam d\ mvi\m
Ai ma nao se acli.i proii) ta. niM brevemeule
sahiri luz ctta obra orpaiaada pur um pl^n)
inteiramente no\-o, o qoe a loma mnito mata in-
toivssantc do que atf liojc wm sal do.
Como Intrpduff^a l">i-lh* ajnMo uin m
da historia do Brasil, danto a deaeoberU at a
independencia e unlru la bMuria <'-o Pe\
desde o principio at ctptiIsSo dasitolland
Scgtic-tr a i>ln nm.i i |i(is ao diii.'-tadi ad
da provincia, n um e*b*qa liisiorirn da cM
do KcCife, desde a ^ul luiiij... ,"d al a en i
arlual
Esta norte do alma ;tl, >*> por de 100 paginas, sendo esta) :icii' si-inm de li
Iho a c.'iusa de uti fe trlnr sita atada
cliiiil .
Sem embargo doli grandi mdlho*aine (, i
eustoda obra. ooinp n-n nabaniitM A* -'. I
en liroi'lmra e 3U0 euradernada.
VENDE-SE
O sitio cxisleiilu na travesi (o iteineilio. fi -
zia dos Afogarins i. 51 ; lm-. berro da u.r
do Remedio n. 18, em eiao- proptim : ajom >
pretender onlcnda-se com o na piiqnictaii >, na
rna da S. I'r,.....-c.) ili-.ii i-ii ,nl ''.> Ilci-ili'. i
quem \ii para a rna Bella n. !<'.
Camisas ik iliasilasia.
A toja da Tnnweza recebwi um lado -
ment de ramisas de phanl ras -.:.i
bailes e partida*: ra da Baro da Vi i i
D, antiga rna Nova.
I
A
A COROA DE ORfl.
Im!fi>rrnfrz
<^
fi
m
. 51?.
Acaba ti.) receber
.lo uJtin nva| da r na, um roro-
pleto sortimento de idVpfala
os mais Iin4aqn*(tan\indf!a n
rado, sendo os s ; adw ii '
lila-cranna, obra de aparado pn
tas. brincos, ruzet&a, satvaa, ral
p.'illiileiros. cullii i''-* te. ele., pelo- i-
cos mais resnmidoa posalv-ns. Aim
coma um completo soriimenioile afetai
de oiuo : anneis de britbaataa, roa
aderecos etc. e tamboin sem brilbantes.
&
a
fifl
Vi n.li'-'"
coiiio g.nd-1
halar,-
. na roa
i feo
.lo latfi
s ? r 11 |
r-iaJor n. 29.
|
IJl.
Exc?lir.;e tfoeloho iogei >tn latas
irr-'s a 900 rs. a !i r. : re m a
rream & C, roa do Anwrim n. 37.
ta
Eugenho S. Matheus.
Vondc-se um engenho d'a n i la
com umitas boas obras, meia l*gna dastanted
frrea, es da lia | i i ni kIco
de l6:00i(%M>I didheiro vista, r" il
se dando 6:000*000 .
cinco | nuafs. 1 '
descontadas a 1 %ao met,piij de res : a tratar a i u d i Li
andar.
Vend........ ufo d
lo na rna de Marcilio Das b. W.

Aviso
Vendtvso mu ?i'i > enm
pedir acal,em (Hinda, rna d |% sta n. i
rom arvoresdo frac! i,len11 !"!
em solu proprie; para vei e tratar na ni .
casa. ,____________________________ _____
Vt'iwleni-se y s de taren ja nV lunlij
e cra.o.sijiolis, pinhas, pttaiiga, li ic .
oa Ponte de Uchoa u. 10. ______
Vende-sd nina mobilia cania do amarcllo, (ranee a, e n obj *c-
tus para urna casa, ludo cin boiu estad.....:
pouen nso : na ra do Coronel Saasaua n. IW.
Grande tropa de burros
venda.
Ignacio da Silva Deir avjsa i a> Ci'i-gu-
a i|uein mais uitcrcisar possa, que eoaoni i
tnpa de burros, o me patear p ir Barrefcw, i
l-'nriiio-ii. H-cada, Cabo, etc., ctf.: qnem. p -
qui arfceroorapras iode mandar avisaa-lj i
encoutra-lo.
. :,, ,;.
Xovo estabeleciitiento
-; de ioias.
, Riin lo Cufm,' n. t*.
; Nestc eslabeleciinento -e encootraia
nm bonito sorlinftnto de joias que re
ii leni por tal praea non animara ao
comprador atiento ao vantajoso s\sle-
~3k ma, ganliar ponco para vender mul-
lo, que e certamen te til ao eompm-
jt dor e ao vendedor.
Tambem se compra ouro, prata e pe-
S dras preciosa*, bem ci mo se fabrica e
conccrLi toda e qnalqjer obra tendente ".
;; mesma arle.
m
Vnh. Ptn:t.Ai"XARtPE Tintura
de jurcbeba simples e ferruoinoso;
Oleo, Pomadas Emplastro da mesma
planta preparados por
BaRTHOLOHIEO & V
Ph arma ce uticos-Droguistas
PERllMItUCO
A Junliitia : e;a ptaata hojo reconhee da
como o niis poderoso tnico, como o *elhor
desohsiruente.etoiiio lo applieada nospadecimentoa-
do ligados jajo, bepaiiiea, duresas, tumores inter-
nos e ejfec.aliuenle do ulero, fcjdropesias, erysi-
pg||. -uciadu so ferro, c utih as pai|ldas
cores, chlorose* e falla de mentruacao, desarran-
jH do estomago, Mo., e o pse diemos 11691*0
iiinumtras caas impelanles obtidas .com nossoa.
preparados ,a IjciO cpnhecidos e usados pelos mais
dilioetos mdicos do paix e Porlpgal. Em todos oa
nmos gratis folbeloa oue
BICHAS DE KAMBURG9
As niais recentes o melliores.
Vondcm-senapharmacia enVogaride!'. ir-
tholomeu A- C, ra Larga dosario o Ru. '^.
Ultimo gosto
C;deiras pretadoorattaa o tcar:Letadas d- nja-
dreperola : oes armazena de Tasso Irmii '--
no caes do Apoitu.
>sq c
i^p^p^Hni conhecer a Jurubcba seos resul
appkv '
SEIIREDO ECONOMA E (XLERIliADC.
Obtem-se. com o uso
INJECCAO SHOST
Uica, hygienica, radical einfallival na cu-
ra xlas gonorheas, flores bramas e flu\< *
toda espocie, recentes ou chronicas e que
otTerece como garantadesalutaresresultadas
a continuada appliracau que sempi-e c-m a
maior vantagem se tem feito della nos hos-
pitaes de l'aiis.
nico deposito parao Brasil, Bartholom.-u
& C, ra harga do"Rosario n. 34.
""TfrEcAO.
Vende-se urna exceiiente taverna sita a rna do
Rangel : a tratar na ra da Concordia n. US.
* "Ycnde-se
Aloja de calcados da,ra'de Marcilio Dia? n.
69, muito afreguezada e com poucos fundos, pro-
pri a para princlpianfe.


Diario de Pernambiteo Quarta feira 8 de Janeiro de 1873.
r
mwm i
Para acabar at o fim do anno
Na ra da Imperatiiz o. 60
DO PAVO
M
PEREIRA DA SILVA &
Teodo os proprioiarios deste grande estabelecimento, um avultado sortimento de
fazendas em ser, e desejinlo liquida-la', al o fim do corrate anno, tem resollido ven-
da-las por precos maito commodos, com o fin de aporar dinheiro, a vista do qae
convidam os lira. Srs. chafes da familia a virem scrti-fe, nao s de fazenda* de primei-
ra.nessecidade, romo de fazendas de laxo e gasto, das quaes encontrarlo um sortimeto
das mais novas do mercado, cbegadas pelos ltimos vapores da Europa.
FAZENDAS DE LE
CORTES DE WSSAS A 2551)0 E 35:00.
O Pavo vende cortes je cassas de core*,
com p id res muiio benitos pelo barato
preco de 25300 e 350GO.
CORTES DE CHITAS A 20400 E 25830.
O PavJo vende cortes de rhitas francezas
aas, com 10 covados polo diminuto preco
de 254CO cada corte. .
Ditas com 12 covados pelo preco de
25880 cada corte.
PECAS DE CHITAS A 7,5200.
O PavSo vende pecas ce cbitis finas, lffr-
d ssimos padroes, tendo 30 covados cada
pe$a, pelo b>rato preco de 75200'cada
ama muio barato.
LENCO'KSDE BRAMANTE.
O Pavao vende lences de bramante mui-
t) grandes, sendo deum panno s, pelo ba-
ratissimo prego de 25W0 cada om.
CHAILES BARATOS A 50O0 E 2-J0C0.
O Pa'o vende chailes de larlatana gran-
des pelo barato preco de 150U0 e 25000.
Pitos de 15a estampados imUacio de
ners 250C0.
Ditos de qmdros modernos, mnito cn-
:orpados 35000 e 45000 ; sssim como
grande sortinunto dos mais finos cbaiiea
yepon e merino que se vndem por precos
maito em cont.
MADAP0L0F.3.
Pe?as de m.daaolao francez mnito loo
com 20 jarda* a 35500 e 1:5000.
Dits com 24 jardas mnito soperior a
65500 e 750O >.
Di:o ingle/, fdzenda muito finia 5$000,
65">00 e 65300 ai 5000.
Dit 3 frsocexeae ioglezea rajito fiaos de
iO ardas par3 differen'es pre;os.
ALGODOZINHO.
O PavSu vende p;>r prego mallo barato
pfcaa de aigodaozmbo 3mericjao mnito
b':m com 18 arlas a 4500<'.
Dito ccm -J4 jird.s a 4^500 e 55000
itt 65000.
largo marca T muito encorpado a
Diio
i 00.
ALGODO ENFESTADO.
O Pavao vende u verdjdetro e superior
_ daozinho de daas larguras para lences,
secdo maito enorpado 15 00 cada vara.
Pito ,-; ido da mfsoia largara 15480.
CHITAS LARGAS.
O PavS) tende estas exeeelleotes chitas
:<>zas clara' e escuras om muito com
mno !40 rs. caa covado.
Dita muito ria 280, 20 e 380 rs.
miuihos 360 e
presos e
Percaifes Qaissinos
400 rs. cada cavado.
. CAMBRA (AS.
O Pav3o ven le corles de cambraia trans-
parete prupria para vestidos a 25500 e
350 0.
Pega de dita mui'.o fina com 10 jardas
Unto ia; ad coso transparente a 45000,
55000 e 65000 at a mais fina que vem
ao mrcalo.
BRAMANTES PARA LENCO'ES.
O PavJo vende soperior bramaute de al-
godSo lindo 6 palmos de largura que s
percisa de i Vi vara para um lencol, me-
tro 15600 e a'vara 15800.
Dito de linho paro soperior muito encor-
dado com a mi-sma largura a vara 23400
Ditos francezes muito linos a 25500 e
35OOO.
Pega de Haraburgo e panno de liobo com
20 e 30 varas, para todos os
qualidade.
Pegas de bretanha de pero Moho, tendo
30 jarda pelos precos mais barato que se
-tem vito.
Pecbincba de finissimo esgniio -sacelena
com 6 jirdas 75COO.
Pee de Soisaiora celena com 30 jardas
a 353^0, atoalhado adamascado com 8 pal-
mes de largura a vara 25t.C0.
LAZLMUS DE FURIA CORES.'
O Pavo .ende um elegante sortimento
5azin.rw3 de furia cores qae brilb3o qua-f
aso seda tendo de tod.'S asc6re9, e ven-
d 330 rs. o covado.
CALCAS DE CASEMIRA.
O Pavao tem um grande sortimento de
Caiga de casemira, assim como cortes 01
mais modernos qoe tem vindo nos ltimos
figurina e em fazenda das mais finas e mais
novas ao mercado", e vende s' por barato
prego para apurar dinbeiro assim como cal-
as oe brioi hrauco e de cores por pregos
mn'.to razoavets para acabar.
CORTS DE PERCALIA COM DUAS SAIAS
A 45000.-
O Pavao vende bonitos corles de precalia
com duas saias, sendo fa'zecda de multo
gosto a 45000, pecbincba.
TNICAS PRETAS.
0 Pav3o recebea om grande aoriimento
das mais ricaa tnicas de gnu preto, rica-
mente enfeitadas, e vende por prego moa-
ve!. <. :
VESTIDOS BRANCOS BORDADOS DE
3550000 AT 60,9000.
O Pavao recebe om lindo sortimento
'j mais ricos cortes de cambraia branca,
ricamente bordados, e com todos oa enfti
tes aecessarios, e venda "pelos pregos de
355OOO at 605000, nao tem viudo nada
mais rice nem mais moderno.
CORTINADOS PARA CAMAS E JANELLAS
A -5500, 85000 E 10000.
O Pavao tem um grande sortimento de
cortinados para cama e janellss, qoe ven-
da pelo barat) prego de 75500; 85000 e
IO5000 o par, teodo'at por {,85000, assim
como colchas de damasco para camas de
noivos, e grande sortimento da taperas tan-
to para 4caieiraj coma para carnes, pianos,
portas, etc., tudo veode-por pree'os razoa-
veis, { I
FAZENDAS DE GOSTOS
BAREJES DE SEDA A 150.0 E 10400 O
COVADO
O Pavo recebea pelo ultimo vapor
francez, um grande sortimento dos mais
lindos barejes de seda, sendo em cores
e gostos o melbor que tem vindo ao mercado,
esta nova fazenda muito propria para
vestidos para bailes ou casamentos, tendo
entre esta fazenda delicados padroes bran-
cos propriopara vestdos de noiva.
MODERNSIMAS POPELINAS
Popelinas a 15500 e 25000 o covado.
O Pavao recebeu om elegante sortimento
das mais modernas e lindas popelinas de
13 e seda, e linbo e seda qae veadem
15500 e 25000 o covado, tendo padroes
listrados miado e graudos qae parecem
propriameote seda, assim como das mesmas
t'mbem tem brancas proprias para vestidos
de noiva.
TAFETAES ASSETINADOS A 10200 O
COVADO
O Pav3o recebeu um grande sortimento
dos mais bonitos tafetaes assetioados, sendo
nma n .va fazenda de l com listras de seda
rciito modernas para vestidrs e vende pelo
b^ratissimo prego de 15200 cada covado,
asas las recomendam se s pessoas de
gosto por serem excesivamente baratas.
NOVAS SEDAS A 20500
O PavSo vende bonita e moderna seda
de um3 s cor, tendo <*e todas as cores, com
delicado lavrores miudinbose vende a 25500
o ;ovado para vender' barato.
CORTES DE SEDA A 455000 E 505000
O Pavao vende b>nilos cftrtes de seda,
fazenda de muito gosto, tendo 18 covados
cada crte e vende por 450O0
Ditos de 20 covados a 500000
SIo muito baratas em relago superior
qoalidade d'esles cortes.
BAPTI5TAS DE GRANDE NOVIDADE
O PavJfo vende um grande sortimento
da? mais modernas, baptistaj com lista de
cor, proprias p ira vesiido, comas cores mais
novas que tam viado ao mercado sendo
mnito maii largas dijoa as cbitas francezas,
e venda pelo bJrais"simo prego de 500 rs.
cada covado.
OFFICINA DE ALFAIATE NA LOJA DO
PAVAO-
Nest? grande estabelecimento encontrar
o r-.spaitavel pobco, orna bem montada offi-
cina de alfaiate, onde se manda execntar
qaa'qaer pega de obra, tanto para hometn,
-orno para meninos, com a maior pres-
lesa e perfeigo assim como para qoalquer
luto que de repente apparega, tendo na mes-
ma offiema om perito official destinado para
farda dos Ilm. Srs. ofliciaes de goarda na-
cional ou trepa de linba, sendo esta officina
dirigida pelo babil artista Pedro Celestino
Soares de Carvalho.
NO VOS VESTIDOS A 45000.
O Pavo recebea um elegante sortimen-
to de no vos vestidos de cambraia branca
com bonitos bordados de cor, e vende pelo
barato prego de 45 cada um : maito ba-
rato.
ESPARTILHOS A 30000.
O PavS o tem um grande sortimento de
espartilbos, tanto para senhora como para
menina, qbe vende pelo barato prego de
30000. Ditos muito finos.a 45000 e 55000,
s3o do3 mais moderos qae tem vindo ao
mercado.
CHITAS A240RS.
CHITAS A 240 R3.
CHITAS A 240 RS.
O Pa*3o vende chitas francezas proprias
psra vestido, sendo muito boa fazenda, com
padrSes claros e escuros, pelo barato preco
de 240 rs. o covado, por ter um leve to-
que de mofo: pecbincba.
Libras sfofliaafi.
Vtcdc-se do annitm 6 fueadas do
f. OTivair A C, i ni lo Cotataareu, n. 4
.Ouem. duvi*r venha ver
0oedi4ftseale a Magoolja i roa Dq ziu a. 45, convencer aos neaJ amigas e fr'gas-
es, de su espeeialidade em eorrespondeates, l>
parto mais etoffaoto 4o mtmdo ; agora mesrao o
llimo vistor ctegalo da Boropa troaxe orna par*
la de anas enoeoBimoaai para o lempo de tala,
oslando do eegoiote:
Para o bello sexo
Liodiaaimoa brdeos, alflaetei; erales,, palseiras
a eaeoJetas da iartaraga bordada a oaro, assim
como bonitos grampos com perolas e ontras pe-
dral para a eabeca : a M sexo, qoe prima sempre D) chique e oa moda, qae
venha ver e..
Laxo e bom gosto
Para enriquecer e afonaosaar ama sala vieran)
lindos jarros e jardineiras de porcelana maito fina
o da bonitos modellos loleirameoto novos, com
lindos deseno e donrados ; assim eomo ama es-
pecialidad em pannos da cbrocbet p ra sota e
cadeiras.
Qual?
O moco cbiqai a da moda que nao apreciar
ama linda guarolifio de raarlim, madreperola, oaro
e plaquet, cousa hndissima a de molde especial e
nanea vindo aqu; louito nona chapeo? de sol com
cabo de niirGm e bengalas i imiUclo de unicornio
com cab? de madrepercla, por ceno nenlmm dei-
xar de vir luja da Magnolia roa Daqae de
Canas n. 45, estoiher qoalquer destes objectos :
oao caro I
Para asnoivas
9Riqaissimcs veos de blond,' capellas de cera, le-
qoas de msdreperoia e me,as de seda, todo espe-
cial novidade e a melbor fazenda qae tem viada a
esta mercado.
Perfumaras
Neate artigo nao precisa dar axplicacoes, basto
dizer-se rs fabricantesJohn Gosneitl, Coadray,
Lubin, Rime! e Legraad ; estos perfumaras dests
vei Weram em vasos de modellos novoa, e qae
pela saa elegancia se tornan proprios para om
lindo presento.
Trancas e franjas de seda
branca.
Desla vez o sortimento veio magnifico, fazenda
maito boa, modellos novs e de todas as larguras.
Bouea8 de borracha
Destas bonecas veio pequea porcia e de diver-
sos tamaonos.
Diademas
Lindos a de modellos
fcam
novos, veto coasa amito
mmm\
Praga da Independencia ds,
e40.
C0STUR4
Gbegaramao Dazar Uoiversal da roa No-
va n. 22, om sortimento de machinas para
costura, das melbores qualidades qae existe
na America, das quaes moitas j s3o bem
coabecidas pelos seos autores, como sejam;
Weller & Wilsou, Grover 4 Boka, Silen-
ciosas, Weed e Imperiaea e ootras. muitas
qae com a vista deverSo agradar aos com-
pradores.
Estas macbioas tem a vantagem de fazer
o trabalbo que trinta costureir^s podem
fazer diariamente e cozem com tanta per-
feico como as mais perfeitas costureiras.
Garant-se a sua boa qoalidade e easim-se
a trabalbar com perfe:3o em menos de ama
hora, e os prejos s3o to commudoa qoe
deven agradar aos pretndeme*
Lehmami Frra ^ eucitin
libras- sterhnas : a' ra do
Crespo 11, 16, primeiru andar,
RIVAL SEM SECUNDO
Cbegararo agolbas para mecbioas, do fa-
bricante Grover 4 Biber. bmra a i^OCO.
CORTES DE VESTIDOS MODERNOS A
9,5000.
O Pavo recebeu um elegante sortimento
dos mais lindos cortes de cambraia com ba-
badinbos braceos e enfeites de cor, tendo 5
pannos com 2 1/2 metros de fazedapara
corpo, e O metros de babadinbos para en-
feites, e vende pelo barato preco de 9k)00,
pecbincba.
SAIAS A 250CO.
SAIAS A 20000.
O PavJo vende saias brancas de orna s
peca com fazenda equivalente a 4 pannos,
com bonitas pregas em volta, a 25000 o
2J500.
Ditas con pregas e bordadoa a 3jJ000,
pecbincba.

LIQUIDACAQ DE CAICAS DE CASEMIRA
O Pavao tem om grande sortimento de
caigas de casemira de todas as cores e qoa
lidades, para todos 03 preco*, e desejaodo
maito liquida-las, resolveu vende-las por
um preco muito em conta* para diminuir a
grande porfi.
CORTES DE FUSTO PARA VESTIDOS A
300.
O Pavao vende cortes de fosto branco,
teodo 12 covados para vestidos a 3JO0O,
pecbincba.
CORTES DE VESTIDO DE C4MBRAUA
(MWOO.
O Pavo vende bonitoa cortes de cambraia
branca transparente, com bonitas vstase
livores, proprios pera vestido, tendo 8 va-
ras cada corte, pelo barato prego de 64000,
pecbincba.
LENCOS BORDADOS.
O Pavo vende finissimos lencos borda-
dos para mi, sendo de Boisiima cambraia
de liobo ricamente bordados! fazenda
qae seapni se veodea a .44000 e 54000 e
iqnida-se por se ter feito ama grande
compra i,j600 e 2000 a doaa.
*.fa.ba de receber om completo sorti-
ztento de tbjectos de looga, vJro e por-
celana, com bonitos de do ricos jarros de todas as qualidades e la-
nanbos, garrafas com copos, vasos para pos
le arroz, garrafiohas ecasticaes de porcela
aa com pingentes de crystal, todo9 estes
)bjeclos proprios para t lletj, s na Madre-
silva
ALBUNS
Rico sortimento de albtins com capa de
oadreperoia, marfim, bfalo, e cbagriat de
todos os tamanbos, de 50 a 200 retratos
;om muzica e sem ella, por pregos modra-
los, s na Madresilva.
CAIXINHAS
Bonitas caisinbas com preparos para cos-
tara, de novo systema, sendo com lampas
le erystal, uzeada de mnito gosto para pre-
sentes e pregos razoaveis, t na Madresilva.
LAGOS -
Completo sortimento dd acichos oa gra-
ratinbas para senboras, sendo lagos para
jescogo e cabellos; s na Madresilva.
PANNOS
Lindo sortimento de pannos de crocoet
jara caderas, sendo de diversos tamanbos
1 largaras, s na Madresilva.
PARA NOIVAS
Tem a Madresilva blond de seda, bramo,
:om ramagens e de 4 larguras, veos, capel-
las eespeciaes s;ps de flores para guarn-j
;es de vestidos, 1 ques de madreperola,
oarfim, sondo todos abortse com seda
representando duas vistas, assim como de
)otras muitas qualidades, branco de cures
) pretos, fazenda nova.
CHAPEOS
Rico sortimento de chapeos para senho-
raa, sendo da paiba da Italia e velludo, as-
meninas, sendo fazenda mteirameute nova
la Madresilva.
NOVIDADE
Bonito sortimento de meios aderegos de
plaquet verdadeiro, voltas de bfalo com
:roz, assim como lindo soriioaento de brira-
;o8 e crozes, proprios para lato, tudo de
maito gesto.
FACAS
A Madresilva acaba de receber facas com
:abos de m-rlim, para mesa esobre mesa,
? especiolidade da Madresilva.
RETRATOS ,
Completo sortimento de quadros ou pas-
upatos para retratos de todos os tamanbos
3 qoalidades assim como qaadros com bo-
litas pbotograpbias, s na Madresilva.
OBRAS DE MARFIM
Lindas carteiras para oitas, carteiras para
bonds, Ciixinhas para phospboros, faca para
cortar papel, caetas para escrever, mara-
-s para creangas, sinetesjpara abrir Armas,
igalbsMros, e dedaes para senboras e meoi-
oas, so se pode encontrar estes artigos na
Madresilva.
LUVAS
A Madresilva acaba de receber palo ol-
iimo vapor a saa especial encommenda de
laws de Jouvio, para bomeos e senboras,
brancas, pretas e de cores. .
CAIXINHAS
Ricas cai.xii.has com perfamanas proprias
para presente, assim como bonitos vazes
um pos de arroz e outros de pa.auusa,
t oa Madresilva.
Roa do Mrquez de Onda
n. SO a.
Tem para vender os seguiates bjectos abaiit
mencionados, pelos precos mais resnmtlos, come
sejam : Coques modernos a 2000. p-^n de eo-
iremeio bordados de diversas larguras a 500 rs.
dazias i co'larinbos de linbo a 4^500. ditos aiai?
tinos a o000, icrc/)3 para aigibira a OO rs. boa
fazenda, lionas deuarriUI de 200 jardas i 60 rs.
; para bordar a S000 a l'.bra, leqoM a imitacac
de sndalo a l|5C0, lampariuas a 600 rs. a dazia,
caixas ccm papel amizade a 600 rs. d;tas com di-
to superior a 700 rs., envelopes a 400 rs. o cen-
to, botinas nacionaes para homem a iJoOO, focos
para eriancas a 1 oOO, agalhas trncelas a 40 rs
o papel, sabooetes de alcatrao a 300 rs. ajaa il -
rida V6rdadeira a li'0 a garrafa, dita aferion
t^OOO, frascos com sndalo a IfOOO, ditos coa
oleo pbiloeome 800 e i000, ditos cut dito ba-
bosa a 330 rs. ditos com agua de cologne a 24o
e 400 rs. pe^as de gales branco para eufeites -U
vestidos de crianza, a 400 e 500 rs., massos cea
12 pe<;as de traeca branca a i't t citos com
ditas de cores a 320 e 400 rs., dalias le phospilQ
roe seguraoQa a 240 rs. a a grosa a 25400, e ou-
tros mwtos artigos, eofadenhos deaamos de mencionar, os o/ae van-
dem 'a barauw para acabar.
(25 IE boje o aia snbiimo
Em qae a natura exprima :
Gran-Jeta, mor e prarer,
Razia esta porque,
Dominado de Alegra,
Ej ds.-ejo freguetia
AS BOAS FEsTAS.
E para que tejad) f-stas
Samptuosas e esplendidas,
Deve haver boas raerendas
De acepmes delicados,
Vinbos fiaos eogarrafados,
Como o Campoj (era
Em mo repleto armatem :
Alem de outros manjares
De exqtusilcs pala Jafes;
?,ranlo, pele aos amanto*
De virem i, quanto antes,
Comprarem eila oairaTesta;
Pelo qce sa man.fe Grate a todos -.ne e veabam,
Desejand) qae estes teuham
Urna das mais sublimadas,
Felicsimas das entradas
NO ANNO "NOVO
Pede obter em. pouco lempo com o oso do melbor dos licoresa aflamada
; HESPERIDINA
Faz'oito annos que conbecido este precioso tnico, e diffieil acbar ama pessoa
qoe, tendo experimentado pessoalmente, nao falle em sea favor, j como coa estomacal
e apetisador, tomando nm calix detla antea de jactar, oa como faci.iudor da digestSo
tomando-se depois.
ABASE
da HESPERIDINA a LARANJA AMARGA, nao ba om s habitante do BRASIL (a trra
especial das laranjas) qoe ci conhega as proprieades medicinis da doorada frofca.
ora bem, a
LARANJA AMAHGA
em seo estado natnral tem om gosto pouco agradavel, e o mrito da Hesperidioa con-
siste em reter soas boas propriedsdes, e ao mesroo lempo apresenta-la como
EXQUISITO LICOR
A HESPERIDINA como INDUSTRIA NACIONAL dSo tem nada qoe invjar k
melbores importaerjes eoropas de cathegoria semelhante. Estas, qoando moito, podem
ser gostosas, porm a Hesperidina a combinado perfeita do
f AGRADAVEL E SADAVEL
Para prova de que um artigo no qual pde-se terioteiraconflanca, por ser poro
e innocente, basta dizer-se que foi plenamente approvada e aotorisada pe
JUNTA DE HYGIENE
do Rio de Janeiro, permittindo saa livre elaboracao no imperio; oatra
BOA PROVA
e a aojitaco geral que tem em todas as parles onde aoresentada. Em 1864 estabe-
leceu se a primeira fabrica em Buenos-Ayres; em 1869 a segaodi em Montevideo; e
oo da da cbpgada de S. M. O IMPERADOR inaogaroo-se a fabrica qoe actoalOen^
trabalba na curte. Em Valparaizo e em toda a costa do Pacifico tem boa acceilac>j.
tanto que rara a casa que considera completo seo aparador sem urna garrafa de
HESPERIDINA
O bomem velho toma Hesperidina para obter
VIGOR
O bomem doente toma Hesperidina para obter
SAUDE
O bomem deb toma Hesperidina para obter
FORCA
Nos bailes as donzsilas e os mocos tomam a Hesperidina para obter boa coi' e
Aimago dorante os loucos gyros da
mam*
BARROS JNIOR & C, ra do Vigarlo Tenorio o. 7. Io andar, receberam ehte
grande especifico, e vendem-no nos depsitos seguiates :
Hotel de l'Ueivers, roa do Commercio.
Zcferico Carneiro, ra do Commercio.
Marcelino Jo Goncalves da Foote, roa da Cadea a. 2.
Actonio Gomes Pires & C, ra da Cadeia.
Antonio Gomes Pires C, caes 22 de Novembro.
Gomes & Iro3o hotel da Passaaem.
> E PECH1NCHAS
EM
FAZENDAS FINAS E ROUPAS FEITAS
NA OFFICINA
DA
LOJA DO PAPAGAIO
Tendo por mestre Mr. Charles Laurent
RA DA IMPESATBIZ N. 40
Mendos de Carvalho scientifkam ao rspeitevel publico, qae acabam de recener *
completo sortimento de fazendas finas de todas as qaalidades, tacto de 13a como de .
obo, seda e algodSo, o qoe ba de mais modernt-e do me!b:;r <;osto. e portaaio eco?-
dam as Exraa?. familias amigas da economa do mestica, a v;rem oumandarem na LOJ*
DO PAPAGAIO, e ve-5o que compram fazendas bonitas e tiratas por menos pre^o qo
jamis comprarao.
COMO SEJAM:
Granadinas de seda de orna s cor, lar- Cbitas franceas de todas as qoalidaOet
gas a 15600. de 320 rs, at os crotones de 360 rs. o o-
Poupelmas sarjadas de forta cor boalar- vado,
gura, a 15200 o covado. Cortes de cassa brancos bordados con
Alpacao de cores com listras de seda para jabados de se'da de cor, e branco, e BMra
enfette, a 8G0 rs. o covado. bordados com listras.
LSaziabas de cores, em grande quantida- PARA LUTO.
28
n
^
n
ROA DO IMPERADOR
Lzinhad para vestidos a 30
res o covado
SO na roa 4o Daqae de Caxias n. 60 A, ooir'ora
roa doQueimado, leja da esquiaa, .de Beato da
Silva A C.
Ai'iiH'ii
yeode-se uroa bonita arraa$ao de amareo, toda
envMracada, propria para qiialjuer ramo de ne-
gocio, garantiado-se a loia em.que est colloeada
por um mdico alugjiej, arta ao principio da na
da Imperatriz : tratar a pra^a da Indapenden-
cia n. (4 e 16.

n

de, de 320 a 500 rs. o covado,
Cachenez francezes para senhoras e me-
ninas, a 35000.
Crotones fraDcezes para coberta9, cor fixa,
a 8C0 rs. o covado.
Alpacas lisas e avradas, de cores moder-
nas, de 500 a 800 rs. o covado.
O.bertas de fustao de 12 e de ootras
qaalidades, brancas e de cores.
Poopelinas de seda, de flor e de qaadro
a 1(5800 o covado.
Pecas de cambraia bordada para cortinado
com 25 varas.
Ditas de cambraia adamascada com 20 va-
ras, a 123000.
Saias bordadas maito finas de 4 e 5 pm-
nos.
Bales de chita e de cambraia "a 2^000.
Naosoukse baptistas com listras para en-
eitar.
Diversas qaalidades de ISasinhas e alpa-
cas em retalhos, para todos, os precos.
Bramanles de linbo para lences, de 23200
at 5000.
Dito de algodaomuito largo a-15800 a
vara.
Algodo largo para lences, a 150C0 a
vara.
Atoaibado adamascado de liobo e algo-
do.
Espartilbos.de linbo finos, de 35000 para
cima.
Laazinhas largas com listras de seda, a
800 rs. o covado.
Madapoloes inglezes e francezes de 55000
at 125000.
Algodlosinho de todas as marcas, diver
sos precos.
Bireges com stra de seda, a 500 rs. o
covado.
Cassae francezas de cores fixas e lizas
com barras, os padroes mais bonitos que se
teem visto.
FORNECEM-SE
Bioiaas de Hamburgo
Vende se a 11 f o eeoco, amito barato : na
, roa da.'Cre n. 2t, 1" andir, sali de cfballei-
Irairo.
VNOES
a oteara dama do MircUh das, amiga ra Di-
FelU n. fi9 : a tratar oa mesojc
Gafeiras utaiwnas com aaseoio de isioiaha
JQ5000 cada tuu : o oaes 4o Apollo, arma-
im da Taaso ItaAu & C
AS AMOSTRAS A QUEM AS EXHIBIR, E
FREGUEZAS DA CASA.
Veos de fil de seda pretos a 85000.
Merinos para vestidos, bombazina, cau
to, alpacas, 13a:inbas, crep, cassaa e co.
tas, tudo em qnaotidade, e para diverso
precos.
Grosdenaples pretos, da 15600, 25>0
25500 at 55000.
Seda preta com listras assetisadas par.
vestidos.
Chapaos de sol de seda para meninas. >
450t0, e forados.
Ditos para bomem de 1050C0 at2050<>j
Ditos de alpacas de cor e preto, para d
versos precos.
Tapetes apellidados desde os rx.. p<-
qoenos ateos maiores.
Damasco carmezim para colchas, o m
Ibor.
Pannos de croch para cadeiraa e w-
pbs.
Cambraias victorias de toV>j oe nom
ros.
Ditas transparentes ing'ezas e soms, coa
a largura de tarlatar.a.
Fil d* linho e de seda, branco e preu
liso, d salpico e de >res.
Camisas bordada* para seobora, de di
versos presos.
Meias para senboras, das mais interior*
at as mais superiores qae teem ap at*
eido. '
PARA HOMENS E MENINOS.
Neate estabelecimento se montn om.
officina, e qualqaer homem qoe qnizer -?-*
tit com gosto, achar maita variedade ea
camisas de cores, panpes finos e casem raa
o melbor que ba ao mereado, roana fit
em qaantidade, assim como camisas f: tu
cezas e inglezas, lisas e bordadas, cercla*
de I abo e oe algodSo, meias, coiiarwbos ea
grande quaniiiiade, gravaus de todos o
feitius, camisaa de meia, em aumma eocoo
tra de tudo qoe p ecisar para vestir coa
: gosto e elegancia.
OS FIGURINOS AS
ATTENCA
'Cf de boa qaalidade ebegado aUimameolo do
Rio ds Janeiro, a relalbo qu por atacado : venda-
se raa do Conunerclo q. 3, V andar, por cima
do Loadoo Bruiliaa
Torras.
Sugar WAfs.
(Vanilla) _
A raelhor balachinha at hoje coaheckla. Upu>
Bank, entrada pala raa do para ola. coiiio para dietas ; vende-bo na egofei-
taria do Caaipos, i ra do topecaior a,.
> .,
x


Diario de Pernmbuco Quarta feka # de Janeiro de 873.
5

1
i
i -

-r-
A loa do Cabula a. i A, .c>b rie rrceiier iic..-
iivros de mis-a tnm cars de aadrepertila, mar-
fim, tartaruga a v eludo.
Bioculs da madwperola, arm tartaruga
madeira. s
lbum con) capt.< d< madreperol, rasrira, as
so, vetado e nadar*, iodos lies de multo boro
gesto e barato preco.
Obras de plaque
Uro bello sortimeoto ce correales para relogios,
aderemos para senhora-, reos diademas de mi
reparla toando, rnedalna*. ates ete ele.
de lo Lea qaalidade que nao (as differrnga das
de ouro de le : na loja da Predlleeu, ra do
Cabug o. I A.
Para nivas
H cas capailas de dores de laraogeiras, reos
ve,>, espartilbos (a du(]iieza) de todas as quada-
des, bordados e Usos, multo lindos.
Ligas de seda branca e de cores.
M-ias de seda braneat, cor de carne e pretas.
Laques de tradreperola, mar tito, <*o, a imita-
cao destes, sanclaio e dos mon modernos da, ei-
lia de borboietas de sj e seda uiui'o toopils e
ultina moda : oa ra du Cabog n. 1 A, na Pre-
dilecta.
Coques
mats modernos bonitos acaba de recebar
como lindos en fe; lea para os
i vardadeira .cerveja a Baviera, marea ba-
ara, de superior qualidad*: veudam Taseo Ir
ot 4 djm sen armaum da roa do Ar&orim
POTASSA
da Russia, nova e de boa qaalidade. lem barrls
intfiiro e meios : vendtm Pereira da Canha Ir-
mio?, ra do Mrquez de Olinda n. 21, eserip-
torio.
MBUUTNMM
Itinlilu
lapicfii
g 55 B4 Sebastopol
purgativa!
Os
Predilecta, bem
iDSsmos.
Para luto
Aderaeos, vokas, medathdes, erases etc. ele.
de madeira, como de borracha, obra bem aca-
bada.
Correotoes para rt-lozio.
Ricos leqoes de tuno, por preco commodo : i
ra 4o Cabag n. 1 A, na Predilecta.
Collares, aunis e puloeiras elctricas, preser-
va :iv.) contra os espasmos : vende-se na loja da
Predilecta, a roa do Cabug o, 1 A.
Bonecas
D9 cora, borracha, rrassa, madeira e louca,
imito bonitas, e ama irotneostdade de objectos pa-
ra eotreleoimento das eriancas, nao esqaeeendo
as apreciareis bolas de rorncha : todos estes ar-
tigo? vendan se por barato preco, a roa do Ca-
bu; o. I A, na Predilecla.
Port-relogios e port bouquets, boleas muilo
lindas, tanto para homeni como para senhnras e
meniM, ricos estojos para viagem con 02 prepa-
ro mata necossar'os i.ar:t hornera e senbora ;
rus do Cabug n. I A, leja da Predilecta.
A Predilecta, ra do Cabnga n. I A, tem a
honra de offerecer as Eroas. seohoraf, nm bello
-crtimeDto <*e goliinbas, puntaos e grvalas de
cambrata, multo tinas, lieos de seda para puto,
oiios para cabera, gravMinhas de seda, tudo da
ultima moda de Pars o indispen?aveis para o
lempo de testa, que se aproxima.
Caminas de liobo bordadas, lisas e de algodo
i'ars turneo e meninos, as mtlbores qne teern
visde a este mercado, (natos e collarinbos de
nbo de diversos (ormat js que se vende barato :
8 loja da predilecta, a ra do Cabug n. 1 A.
N& Predilecta
Eoootrar-se-ha primos os mais modernos,
quer em gosljs como em qualidades.
Ricos vestuarios para baptisados, de cambraia
bordados, oas soas competentes caixas.
Fitas
De grosdenaple, tafeta, setim e velado de todas
as largaras e diversas cores, o que ha le liom no
mercado % enconlraro 111 Predilecta, ra do
C*bug o. 1 A.
Bicos
Da blonde e de algodo, das raelhores qualida
e* e dos mais modernos rtesenhos, aebaro urna
beUa escolha delles e de diversas larguras : na
mja da Predilecta, roa do Cabag n. I A.
Luvas de Joavin
As verdadeiras luvas d9 Jen vi n para homens e
i-enhoras, garaate-se a qualidade, ditas de pellica
svslema Joavin, por barato preco : oa ra do
Cabug o. 1 A, oa Predilecta.
el
IM-
littltrrr
\ (Hurtar
t.f' s.\.yr>E
DEPOSITO GERAL
NA
Pharmacia e drogartar
BArTTHOLOMEU & C.
34Ra larga do Rosario34
uiem
O bacalh?o da Noruega, em caixas e meias
ditas : no caes da Alfandega n. I, armazem de
Tasso Irma** & C.
Lt
CHEGADOS PARA A FESTA
pitre os .
MAIS BAIUTO P0SS1VEL
pitidos
MAIS BARATO POSSIVEL
i AGUJA
Ra
Flores
Neste artigo a Predileoia aprsenla um bello e
rico sortimeotoque satisfar aos caprichos das se-
Giioras mais difflceis de N contentar.
Chapeos para scnhoras, meninas
c meminos
A Predilecla, a ra do Cabag o. 1 A, recebe
por todos os ;.. )!!!.'.- un bonito soriimento de
'h.'((' ps de oalha de Italia, velludo e tecido, das
ultima* modas de Pars e vende por baratissiino
preeo, a nao encontrar competidor.
p:ira costura
O que ha de mais rico e braito, cora lelreiros
as tambas e corn msica, apropriadas para pre-
tales, encontram se na Predilecta, ra do Ca-
bug n. I A.
A Predilecta
desejando bam. servir ao re-peiiavcl publieo.de
:uem tem recebido lison(;eiro acolhimena, vem
aje offerecer ora eompleto strttmento de perfu-
marlas dos mais acnditados fabricantes, e a precos
muilo commodos, altelo as qualidaies das-perfa-
mtUM
Liadas c-ixinhis eom finas perfumirias, prt-
prias para presentes de fesla. Estas caixinhas (em
oas lampes os dsticos mais engranados : s encon-
trars dallas na I .ja da Predilecla a fu do Ca
bag n. i A.
Na Predilecta
encontra-s os melhores extractos era /icos vi iros.
Oleo muito lino de Oriza, higienoico, C:udrav e
G snel.
Agua de Colcgaa simples e ambriada.
Tnico imperial e oriental.
Liados sabonetas.
A predilecta Um
ricos vasos e liaos crytaei eom [i de arroz
oraDco e cor de resa, cujas propriedades sao j
bem aprecia Ja*, nao t por refrescar a culi
:omo conservar a raaciez d'ella, este um artigo
isdhpesavel ao toilel das scnhoras, especialmente
aa e; la cao calmosa, que atraveisamos. Delica-
das caixiohas eom (. de ouro e de prata, um r c-
rtiimiiio de jarros de diversos tamanhos e lio
dM deseohos a preeos que convida compra-Ios
p:ra ornato das salas : na 1- ja da Predilecta n
I A.
E barato.
Coi tes le gorgurio pura, colletes de valor de
75 a 4J.
Lencos de eseuiao fine de valor de 81 a 'ii a
iluzia: na ra ao Crespo n. 20.
Vencl^-se
Urna boa rabeca de-asior italiano -Gagliano:
na travessa da Duque de Caxias 2, segundo an-
dar.
Boa acquisicao.
Vendem-se as duas cisas, ra do Viscon-
de do Herval ns. 37 e 39 : tratar na rna da
Stmzala Velha n. 108.
Vende-fe dmis en^aatK, ambo? d'agua, de
vaneas, lavradas^moens correates,coiu grande
exlensao, coberto de matas, a,ssiin como uiua
propriedade que une amos os engenhos : tra-
tar em Olinda, sobrado inearnado, junto a groja
do Bom-Fim______
Cote e leoes
Colchas muito grandes, brancas a 4*, ditos de
core-., a 64 urna, lenco de bramante a 2j um,
6 gechinoha : na raa d Crespo n. 20, loja de
Guilherme C. la Cunha Itorradn!!!

Para limas, vende>se ra pharmacia Torra
ra de Mareio Diaa n. 136, antigo pateo do
Torf. ^
HU
Duque de Caxias n. 50,
A Aguia Branca sempre affeila a vender o bim,
e nunca es(|uecila de bem servir a sua constante
freguezia, teto continuado a mandar vlr objectos
de sua encommenda, e agora mesrno acaba de
rewber um bello sortimeoto de especiaes perfu-
mana de Lubn, cuja perioridade ett ao co-
nhecimento dos amidores do bom.
Ella recebeu mais :
Frascos grandes e menores eom superior agua
de Colonia.
I lem i.le.,, eom agua de Labio para toilels,
lencos, et;. etc.
l:em idem eom superiores extractos, cojos fi-
no e agradveis odores sao eseolhidos a gosto.
dem eom. leite virginal para sacias.
dem eom leite de rosas brancas lambem para
sardas, pannos, marcas de epinhas, ele.
dem eom extracto de quinquina para conser-
Taca das gengivas.
diera eom pomada philocome.
Vaso> de porcellana eom extracto de pomada.
Outro; eom cj\A creme para auiaciar e refres-
car a pelle.
Cosmetique, pastilh s fumante?, etc. ele
K bem assim monas ootras perfumaras dos
bem conhecido< fabricantes Piver e Coudray.
Flores finas-,
A agair. branca, a ra do Duque de Caxias, re-
cebeu ii.ui finas flores em ramos e rosas para ca-
bees.
Meias brancas listradas para
sen hora s
A aguia branca, ra do Duque de Caxias n.
50, recebeu por amostra urna pequea quantida-
de de roeijs brancas eom listras tambera brancas,
gosto Bteirameate novo e boa faienda.
Cutileri f ancesa.
A aguia branca, a ra do Duque de Caxias n.
50, recebeu novo sortimeoto de linas tesouras de
sp polido, sendo para nnhas, e costura, e estas
de diversos tamanhos at utn pslmp. A polidei
de taes obras faz bem conhecer a sua superiori-
dad*.
Cartas finas para voltete.
Na aguia Branca, a 141a do Duqoe de Caxi:s n.
50, encontrarao os pretendentes fioas cartas fran-
cezas eom beiras douradas, e ouiras a precos
mais baratos.
Brin quedos
de borracha para crianqas
A Agaia Branca, ra Duque de Caxias n. 50,
recebeu um bello s-'Tliuitiiio e b.inquedos de
borracha paracriangas.
Bonitas
golinhas e punhos bordados
A Aguia Brama, ra Duque de Caxias n. 50,
recebeu bonitas goiinbas e punhos boi dados para
sennoras.
Novos coques cora tocinos
de seda
A aguia branca, rna do Duqas de Caxias
n. 50, recebeu urna pequea porco da coques
de tecido de seda, os quaes pela novida e e boni-
tos moldes, provavelmente se acabar5o log?, por
isso, a elles Exmas. apreciadoras do boro.
& ABE!)A3BIH m apjiq aaiaaiia
N.7Ra do Bariio da Victoria outr'ora ra NovaN.7
Calcado francs, perfumarla, planos, espelao, qulaqnilha-
ria de thantazia, Hioblllas de vlnie e hriaquedoi.
Este esubelecimento est recebeodo nao por i'dus os vapores como pelos navios da Tela
que esto ebegando da Europa (odas as suas encoramendas pira o grande expleudido soriimento da
festa, e offereee ao pobiico em geral, por precos main barato possivel os artigos segaintes :
Bengallas de luxo, cana, eom castOes de raarflm-
Bengalas d.veras em grande scitimelo para bo-
tren- e nenios.
Cbicolinhos de baleia e de mnitas qnalidadea di-
versas.
Esporas de larraxs para salios de bola.
Pooleiras de espuma para charutos e cigarro*.
Peotes .le tartaruga para desembaracar e para
barba.
Dims de marfim muito fiaos para limpar cabera.
Ei-covas para roupa, cabello, unhas para denles-
Carteiriohas de madreperola para dinbeiro.
Meias paia homens e pars meninos.
Grvalas brancas e de oda prt-ta para' bomens e
meninos.
Campanbias de mo'a para chamar criados.
Jogos ds gloria, de dama, de hagatelias, de domin
e cntros muitos difireme joguilhos allemes e
franceies.
Halas, bolsas e saceos de viagem de mar e cami-
nhos de ferro.
Mamadeira de vidro de dar leite mui fcil as
eriancas.
Argolinhas do marfim para as eriancas morderem,
bom para os denles.
Berros de vimes para embalanear eriancas.
Cestinhas de viroes para braco de meninas.
Carrinbos de quatro rodas para passeios de crian-
zas.
Ven.-zianas traO'|iarenles para perlas e janellas.
Reverberos trinsparentos para uandivir.> de gat.
E>iereoseopos e eosmoramas eom escribidas vistas.
Lanteroas mgicas eom ricas v>ia* de cores em
vidro.
Vi Iros avnlsos para eosmoramas.
Globos de papel de cores para illumioa(5es da
fesla.
BaJoes aerostticos de papel de seda mui fcil de
subir.
Encerados bonitos para conservar as mesas de
jamar.
Machn s de vario* systemas para eaf.
F.-| anadores de pal a e de penuas.
TH.-ourinhas e caivetes finos.
para
para
Calcado francez
Botinas de luxo e phantazia, brancas, pretas e de
diferentes cores, taoio para senboras, como pa-
ra meninas.
Sapatichos eom sallo no rigor da moda, braacos
e de eore* par* seohonw.
Bolioas de Melles, d# Suser e de Polak, para hu-
men
Sapatos de eordavSo Mtlier para homens.
Bolinas para menino de qoalquer tamaoho.
Botas e meias botas de montana o meibor possi-
vel para bomens.
Perneiras e meias-perneiras tanto para bomens
como para meninos.
Sapaies de Suser, para horneas e meninos.
Sipatoi de verniz cem sallo para horneo*.
Abotinados de muitas qualidades e precos
meninos e meninas.
Sapaies de verniz eom sola de pao proprios
sitios, jirdios e baohos, soriimento para horneo*
e seoborar.
Sapatos de tapete, catemira, cbariot ivliudado,
de tranca porluguez e francez.
Perfumaras
Finos extractos, hanhas, leos, opiata e pos den-
trittcie, agua de flor de laranja, agua de toilet-
te, divina, ti -rida, lavande, pos de arroz, sabo-
netas, cosmticos, mui ios artigos delicados em
perfumara para presentes eom frascos de ex-
tractos, ca!xinha sortidas e garrafas de difieren-
tes tamanhos d'agua cecologne.tudo de pnmt-ira
qaalidade dos bem conhecidos fabricantes Piver
e Coudray.
Fia aos
Muilo boa piano- fortes de elegantes modelos dos
mais notavois e bem conhecilos fabricantes
Alphoose Bioudel, Heory Uer?, Pleyel Wi-lff A
C. Erard.
Mobilias de vimes
, T'petes eom vidrilhos para mingas e lanteroas.
Cbegou ama grande f.tora eom amostras de ca- Tioleiros de lonca branca, modelo bonito bom.
deiras de balao^o, de braco, de gaarnicfies. so- Tiras de moldaras douradas e pretas para quadros.
ATTE^A
Vende-se nm escelleote cofre eom segre-
do, obra feita Da trra eom milita seguran-
za: a tratar na thefiouraria das loteras,
ra i de Marco d. 6.
Nao ba mai* cabellos
brancos.
Tinturara japoneza.
S e nica approvada pelas academias de
scif ncis, recoobecida superior a loda qoe
tem apparecido at boje. Deposito prin-
cipal ra da Cadeia do Becife, boje Mar-
qoez de Olioda d. 51, 1. andar, e em to-
das as boticas e casas. de cabelleireiro.
Tijulos franeezes sextavados
De 15-000 ta 5.V?O0O
o milheiro.
Estes' tijo'os, fabricados de barro vennelho con-
soliilado, sao os melhores e os mais econmicos
pela sua barateza para ladrrihar os pavimentos
terrees das casas, porquanto, pouco mais custan-
do di que os feitos no paiz, silo, sem comparar;ao
algimia, superiores a estes pela limpeza da. que
sao susceptiveis. v Custam alem disto menos da
decima parte dos de marmore, j reprovados, e
dos de dill'p'i rutes mosaicos, os quaes nao esto
certamente ao alcance de todas as fortunas, e s
sao empregados e proprios para as satas princi-
para. Alm desles tijolos para os pavimentos terreos e casas
de ('ampo, tem estos ainda a de seren os melho-
res e mais propxios para ladrillar cozinhas nos
sobrados da cidade, attento a sua solidez c pouco
peo, estando mais que provada a conveniencia
de seren assoalhada* as caeirmas todas de lijlo,
e nao s a parte junta ao fogo, no que ate as
companliias de seguros se doverjam intcressar.
Vcudcrn se nos armazens.de farinha. de Tagso Ir:
mios A 0.j no caes do Apollo.
i
Borradla |ira limas.
Vende-se borracha de rjTiieira qualldade paraf
Unas de cheiro, nos segrales lugares : na phar-.
mpcia Central a ra do Imperador n. 38, na mes-
au. ra n. 22 e no pateo da matriz de Santo An-
tonio n. 4, por preco razoavel.
fas, jardineras, mesas, conversaderas e costa-
reiras, tudo i.-to moito bom p.r serem forte* e
leves, e es mais proprios movis para saletas e
gabinetes de recreios.
Quinquilharias
artigo de ditfrredtea goales c
phautaala.
Espelhos d nirados para salas e gabinetes.
Leqaes para seohoras e para meninas.
Luvas de Jouvin de lia da Es ocia e de eamurca.
Caixinhas de costura ornada eom msica.
Albuns e-quadrinhos para retratos.
Caixjnbas eom vidro da augmentar retratos.
Diversas obras de ouro b un de le garantido.
Correles de plaqu muito bonitas para relngio-.
Brincos a irwtaro e boles deounhos de plaqu
Bolsinhas e cofres de ed, de velludo e de cauri-
rodo ds cores.
Novos objecios de phantazia para cima de mesa e
toilette.
Pin.:enez de cores, de prata dourado, de ac e d;
tartaruga.
Oculos de ^o fino e de todas as graduarles.
Ainda um pouco de attenqao
O riooo deste eslabelecimento vende tempre mais barato nao f porque reeebe em direitura
seus artigos, como pelos abalimento e concessoes que outem d-s ftbricanles e commissionarios, em
attengo as graodts e repetidas encororaeodas, assim P"'* animad.i pede a fecs fregnezes, amigos, eo-
nhecidos e ao public em geral, coadjuvfio, vindo poaipTM escolheodo a vonlade o que precisar.
MO AWUtZEW VAPOR VUAJSVEX
N. 7-Rua do BaraS da Vitoria ou^r'ora riu Nova~N, 7
Quadros j promptes eom paysagens e phantazia.
Eslampas avalsas de santos, p&ysagens e pnanta-
lias.
Objectos de mgicas para di ver lmenlos em fa
milias.
Ileal-j prqusnos de veios eom lindas pecas.
Realejos harmnicos nu aeoordions de tolos os la
mnhiis. e oolros muitos artigos de qoinqilba-
vas difflceis de meneiooar-se.
Para lapinhas
Caxinhas eom presepios completos eom toas as
pecas,-e para augmentar as lapinbas ha um sem
numero de Ggurinhas, casinha^, jarains e ani-
maes surtidos.
Brinquedos para me-
ninos
A maior variedada qne ^e ple desejar de todos
o* hrinquedos fabricados em ilTereDtes partes
da Europa para entreteDimeoto dar eriancas.
N. 28 Ra do Bario da Victoria N. 28.
Antooio Pedro de Sjoza So a rea, recebeu nm lindo e variado sortimeoto d) objectos
como sejam : lindas caixinbasdemadeiras eom extractosesabinetes, bolsas, indeupesa-
veis decouro da Rossia.para senboras, potes e calongas cop banlia dos melhores perfu-
mistas e muitos objectos abaixo declarados, os quies vende por precos resumidos.
Galheteiras douradas eom extracto.
Duzia de talheres c-bo de viado (a
imitecao) a 3(5000
dem idem cabo de osso i B eom
toqne a 4000
Mem idem idem 2 B finos a 5A500
Livros para olas a 320 e ?5i00
Abotoaduras para collete, grande
variedade a M
Lamparinas a gaz a IOO
Caixa de lioba eom 40 novellos a $500
Groza de botSes de osso para cal-
a a ,5200
Dozia de ditos para enfeitar vesti-
dos a (200
Resma 4a papel pactado e lizo a
30000 44000, e 44500
Caixa de papel amizade muito
bom a 4600
I em idem beiradoarada a 0300
dem de eovellopes fiaos de Pcr-
:elana a 0800
Mem idem a 400 e 0500
Duzias de baraihos franeezes canto
ioorado a 306OO
dem idem lisos a 20500
NOVIBADES.
Redes enfeitadas para Senbora a 10800
Brincos eom peoras o qoe tem vindo
ie mais gosto.
x Bonecas e animaes eom corda.
Meios aderecos pretos eom cama-
fea a 0610
Luvas de pellica moito fresca a 20500
dem idem eom loqae a 0lcO
Dozia de pecas de trapeas de ca*
racol a 0400
dem idem liz*i a 0206
Microscopios (sea vistas) a 20000
Dutia de peotes de borracba para
alizar eom costa a 20400
Mimosos leque6 de osso para se-
nbora a 70000
Mem idem de sndalo eom Unte-
joolas a 50000
I i-^rn idem a imi acio a !f0OOO
Girrafs de tinta rxa moito boa a 10000
Potes de dita iogleza (prcta) a 0160
100 e
Sapatojde
charlte.
Bolinas para seoboras o para
PERFMABIAS.
Macos de sabonetes ioglezes muito
b.ons a
Duzia de sabonetes de amenda a
dem idem de coraco e flores a
Pacota eom pos de arroz moito
fino a 400 e
Garrafa de agna florida verdade-
r a a
dem idem K manga a
Frasco eom oleo orizo a
Caixa eom pt "pan dentes a
Opiata muito bota 10COO15OO. e 20000
Agoa de Cologoe moito fina fraco
de 500 a 20000
Tnico orientar de Kem a 10000
Variado sortimeoto de vasos eom banba.
Caixinbas eom extractos a 20,30 e 40000
Frasco eom extracto oriza muilo
fino a 10500
dem idem a 240 400 e 0500
QUINQUILHARIAS.
Tambores para eriancas, bailas de bom -
eba, bonecas de massa e louca, candieiros
a gaz, bonecas de porcelana, quadros de
pawagens, cidadese macbiftas decostnra de
Howe.
trartc* tapete, casemira e
50000
0600
20500
10500
0500
10200
10200
1000
0200
BAMTEIRO
DO
|V
BAZAR NACIONAL
Ra da Imperatriz n. 72
de Lourenco Pereira MendesGuimares
Declare ao respekavel publico qne, tendo coocluido o conserto que fez em sea ei-
labelecimento da roa da Imperatriz n. 72, declara qoe o sortio de novas fazndas pro-
proprias para a festa do natal, os precos s3o os mais baratos possiveis a saber :
COBTES DE BRIM A' 10500.
Vende-se,cortes de brim para caiga a
10500 e25O0.
MADAPOLO A' 30COO.
120
LASINHAS A' 120 RS.
Vende-se llasinbas para vestidos
MO, 360, 400 e 500 re. o covado.
Iil.l.NDENSE A 800 US.
Vende-se orna nova fazenda de seda e
Vende-se pecas de madapoiao a 30000,
linbo, por nome olindense, propria para 405O(, 50000, 60000 e 80000.
640 e 800 vestidos, a 800 ra. o covado.
ALPACAS DE CORES A 440 RS
CHAPEOS OE PALHA A 5*000.
Veide-se chapeos de palba, de feltro e
Vende-se alpacas de corea, lisas e lavra- de castor, para homens e meninos, a 20,
das, para vestidos de seohora, 440, 500, 20500, 30 e 40000.
nome
o co-
Farinha de milho
Vende-se feriaba de milho maida a vapor, dia
riaroen.e, palos precos segoMies: grossa para
mifionz a 90 rs., dita para acgii, pintos e^assa
rinhos a 100 rs., para cangica pao de proveces
a 120 rs., e para cttcii a 140 m., em arroba
maia barata : oa ra do Cotorello o. 8.
Pereira da Cunts Iroios, roa Ifarqoei de
O'inda ni 21, veodem o segainie :
Vaquetas para carro e bolas da viageaa.
Marroqnins.
Cordaves.
Oleados para forro da esrro.
Potasas da Russia.
Viob do" Pyrto, ftoo, em caiaaa.
Camafeuse mosaicos
\
Achaca venda na roa do Imperador n. 10 nm
grande soriimento de amafeat mosaicos, tanto
simples, como encasto idos, de diversos goales,
bem como orna linda eolleccao de objecos da bel-
las arles. -
f
JARROS
eum tripas e dearada da vacca ingleza a 4 cada nm : no armaum de Tasso Irmaos t C,
ra do Anaorim a. 37._______'
eaaa-se muito boas imimqo o lielm,
Beberibe e aa Torre, todos perto Ja estaco, do
eamioho de ferro a do baiiho : a tratar core o Sr,
Joio Peitosa, na ros estrelta do Rosarlo n. K.
Xacope, cTagrip d^Par.
Antigo a eonceituado modicaxnanto .para
car a de* molestias dg orgaos respiratorios,
comoa-phtyeka, brouchaes, asthiaa, etc.,
appBcado arada coen ptimos resallados no
escortto.
Veade^se na phawnaeia-e drogara de Bar*
tfaolomeu A C, ra Larga do Rosario pi 2bv
Vende-se nm eabriolet inglez, de daa ro-
das, cem quatro assaatos e ora excellente cavalk
para o mesmo; ver- aa cocheira da rus, da Ro-
da e a tratar na ra Direitan. 10.
, I
rs. o covado.
BAPTISTaS A 600 RS.
Vende-se orna nova fazenla por
baptistas, para vestidos, a 500 rs.
vado.
SOTANAS A 640 RS.
Vende-se orna nova fazenda de 12 e aeda
por nome sotanas, para vestidos de senbo-
ras e meninas, a 6i0 rs. o covado.
PHANTASIA A 800 RS.
Vende-se orna nova fazenda lisa, por nome
pbaniasia, para vestido, a 800 o covado.
FhsISo brancoa 390 rs.
Vende-se fnstJo branco e de cores, para
vestidos, de seohora, a 320 e 400 rs. o co-
vado.
CHITAS FRANCEZ AS A 2i0 RS.
Vende-se chitas francezas escoras e cla-
ras, a 240, 280, 320 e 30') rs. o covado.
BRAMANTE A 10600.
Vende-se bramante cora 10 palmos de!
largura, proprio para lencoes, a 10600,
e 20200 o metro.
Gresdenaples preto a
Vende-se grosdenaple preto
20500, 30500 e -5*000 o covado.
PANNO PRETO A IJ300.
Vender panno preto para calcas e pa
litla, a 10500, 20500, 30COO,
50000 o covado.
ALGODO A' 40000,
Vende-se pecas de algodSo americano,
40OO, 5000 e 6*000.
BOTINAS PARA SENHORAS A 50000.
Vende-se bolinas para senbora, a 50000
e 50500.
CiMBRAIAS A 30000
Vende-se pecas du cambraias lisas para
vestidos, a 30000 40000 e 50000.
CAMISAS BRANCAS A 2*000.
Vende se esmisas brancas a 20500 e 20.
Ditas -de linho a 30, 305CO, 40000 e
50000.
Palitots de panno preto a 50000, 70000
e 80000. Palitots de casemira de cores, a
40, 50000 e 80000.
SAPATOS DE TRANCA A 10500.
Vende-se sapatos de tranca e tapete, pira
bomens e sen';.oras, a 10500, 10800 e -J0.
Sapatos de casemira pretos a 20500, 30 6
305(0.
CHALES A' 8G0 RS.
Vende-se chales de 13a cem quadros e ul-
tras, a 800 rs. e 10000, ditos de merino
estampados, a 20000, 30500, 40 e 50000.
E ontras mnitas fszendas que te vende
sem reserva de preco. na loja do barateiro
40000 e Bazar Nacional.Roa da Imperatriz o.
172
9.SOOO
a 20000,
Samuel Power Johns-
ton & G.
{Ra do Apollo n.38 e 40
Faiem cieote aos seos freguezes qoe teem
mudado o sen deposito de machinas a va-
por, moendas e laxas da muito acreditaba
fabrica de LowMoor para ra do Apollo n.
38 e 40, onde continuara a ter o mesmo sor-
timeoto do costme.
Fazem seianie tambera que teem feito nm
arranjo eom a fundilo geral, pelo que po-
den offerecer se para asentar qualquer
macbinismo eine.-rao garant lo.
[j
Os propietarios da fundico geral fartm
scientes aos senbore de engenho e mais
pe?soa, que teem estabelecido orna (ondi- 1
co de ferro e brouze a ra do Brum, jun-
io a earao dos boodM, onde aprontarao
qualquer obra de encommenda ctm perf.'i- gC
(ao e proroptidao.
Os me.-mos rogam as pessoas que qaei-
ram ntilisar se de seus servieos do deixa-
rem as encommondas era casa dos Srs. Sa-
muel Power Jobnston & C a ra do Apol-
lo n. 38 e 40, onde acharao pe?soa habili-
tada eom qnem po^an entenderse.
Apparelbo para fabricar assncar, do syslema.
WESTON CENTREPGAL
nicos agentes em Pernmbuco a fundico geral.
Para tratar em seu escriptorio a ra do Apollo o. 38 e 40.

W'm
RA DO BRM N. 52
(Passando o chafariz)
Os proprietarias desta fundiqao recoinuaendam-se aosSrs
agricultores pela boa qualidade das obras que durante irais de
30 annos, a casa Ihes tem fornecido.
Po8s,uem sempreum avultado deposito de machnismo e im-
plementos em toda a variedade de tamanho, proprios para todos
os mystcres da agricultura e preparo do assucar e algedao; entre
os quaes algumas novidadesnesla provincia, merecendo ser vistas.
Vender a prazo ou a dinheiro eom descont, a vontade
do comprador.
CftTltfllfll Av'sam ao publico que diversas encommendas dirigidas a esta
vaubtjuitgp* C3Sa) lea] gjdo desviadas: pelo qoe, rogam a exigencia da ton-
ta impressa, para prova da procedencia do qoe se lies foroece.
(Jotro 8m, qoe por ahi aodara especuladores (algons empregados em obras e concer-
tos, etc.,) a inculcar encommendas e compras de macb nismo : acautelara aosSrs. de en-
cobo contra os taes, lembrando-lbes, peosem se sem iritere.-ss aquella industria: e
quem paga as retas recebidas pelos ditos incubadores.
COMMSSOES
Fazem encommenda a Tont de do pedinte, mediante urna
commissao, de qualquer machinismoou obra, dando ao compra-
lior a vantagem obtidapor su habilitaqao e costume no negocio,
tanto em respeito ao pre auxilio em montar e trabalh&r eom o machihismo vindo.
HERDEtaoS BOWMAN
por AlbertB. Ghewy, Engenheiro.
DO IIISOI l\. 52
ASSA>llO O CHAFARIZ
NOVIDADE
s
Ao^ senhores fumantes.
Completo sortemento de novos artigos para fumantes, alguna raros nee mercado
eomo seUro :
Pontairas de espumas verdadeira para cbarutea e cigarros, da muito benitas Lrmas
e diversos precoe.
Ponteiras coto mbar, cereja e espuma, pata charutos e eiaarros.
Ponteiras de mbar para charutos e cigarros, de differentas tamanlio?, gestos e
presos.
Cachimbos de espuma verdadeira, de diffareotes formas e diversos prec w.
Cachimbos "de mas imilacao de espuma, de diversos tauaahos a prego.
Cachimbos de madeira de diferentes formas, qualidades e precw, o meibor qoe se
pode desejar neste genero.
Urna grande variedad* de boleas para fama, da divereas qnalidade.
Fumo para cachimbo e cigarros, sendo :
Novo caoeral (imitaejio do funjo francez ).
Bast BIr Serge ( lho de Passaro ) ImatSo do fnmb ingles.
Flor de Brasil e ontras qnalidade*.
Este fumo venda-aa por netade de paseo do qoa vnada aalraapkw, e oio aaa -
\> ikttoTk coato fcil wiflearj '. *
Os precos do fumo um abalimento de 3 a Q por cenjQ, conitrme a qmntidade qoe
sexomprar.
Na fabriea & vapor de cigarros, ra larga 4o Rosario n., artiga rea 4o Quartel 4a
.aaaaqB^^^ji^py^-ir ^LJ llf' U'" U



8

Diario-de Peniambuco Quita feira 8 de. Janeiro'de 1873.
CONTINUAM AS III NDACOES. ^ Di-
zam d Nantos, em 4 i de dezembr que os
cues da Fossa c os barros baixos da ciclado
estavam completamente inundados. O es-
pectaculo era temeroso. Nos ditos bairos
as .casas fchalas'
Os correios de I'ai-is o do Bretanha nao ha-
viam chegado.
Os oscriptork daalf,ulr-ga esto fecha-
dos o o trabalho ciuisequentemjuta suspt-n-
didc.
Temia-se "urna te'mp"-tiidc.
Desde 185TJ, no quj tan i cioveu em
Franga 147 dias seguida nente-, nao tornou
a haver outro to chuvoio como o de 1872.
f para temer, re/ere um jornal francez, que
o 72 seja peior ainda que o 55. O venlo
ronserva-se sempre a 0. ou a S. 0. ;,a chb>
x&M a raros intervallos cossa de cahir; os
ros yo subin lo sempre.
Asollicinas ciii que'funccioiiam as ma-
chinas que distribue.n a igua'pefa cidade fo-
ram invadidas e nao podra funcionar.
Os habitantes refugiados nos prim -iros an-
dares, pelas jauellas, embaos, entrame
sahem, ou seservera por tunas puntes, que
cono grande risco se arraujaram.
A fabrica do gaz est igualmente inun-
dada.
Os logaros ciivumvi/iuhos cidade esto
bloqueados pelas aguas.
Era Augur, era Sainmur e em tola a el-
sea la da Luir, us barcos substituirain as
viaturas, e ospera-se ato la a hora que o ser-
viro dos eaminhos de fono saja interrom-
pido.
O Sena, em Paris, suba meio centmetro
por hora.
No dia 14, s i) horas/la manh, liona o
Sena atlingido sUHS maior nivel de que ha
noticia.
Na ra Watt as aguas inham um metro
e vinte centimetros de altura.
Em outros pontos da -ida le nao corre-
rn! as cousas melhor. N'algumus parles a
tub.igc.n.do gaz est cheij de agua.
Muitos estabeleeimentos fabris tem sido
forcados a lechar e a desdedir os operarios.
Era lim, as inundacoe-estondem-scaniui-
tissiraos pontos e os damnos causados por
ollas, sobein a valor asss importante.
BOM INCITAMENTO.Houve ha pouco
urna exposii.o de pinturas e.n Liverpool. Dos
quadros ah expostos se vendern) muitos
'deltas, na importancia de vinte e dois contos
e qninhentos mil ris, moeda forte.
Diz um jornal iuglcz'q ie, nao lailn lo na
exposii.o de Londres, fi aquella a melhor
ven la de pinturas que se tem feito as cx-
posigoos do reino unido.
MAGNAJUDADE.O 'stabelecimento pi
de Chest, denominado llnjal Hospital for
Destoses (hpspital real para enfermos] rece-
ban de um particular o donativo de mil li-
bras esterlinas.
Tamben outro estabelecimento de cari-
d< le, intitlalo Woodorfd Convaescet
lio)", rasa de couvalescencia de Woordrf',
recebeu de una distincta dama, Mrs. Glads-
lone, o donativo de identi.-o valor.
MELllOfi ATIRADOR.Foi declarado o
primeiro atirador do exer.ito mglcz, no anuo
de 18711872 o soldado do regiment de
iufantaria n. 02, chamado firyant.
Camo tal recebeu um premio de vinte so-
beranos e una medalha de prata.
No auno precedente fo o soldado Smith
quem ganhou aqnelle po;to de honra.
i -
INCOME TAX-.Em Landres um meeting
reunido em (iil Jhal no da 13 de dezembr,
adoptou resolugoos contrarias a Incomc fax,
ou imposto sobre rendimento, constituinde
urna liga nacional contra este imposto. O
lord maire que presidio a este meeting, de-
elarou que desejava mautej a neutralidade
Das quesles polticas, e (pie por isso nao se
jnlgava ligado s opinies que o meeting
exprimisse.
DjNHEIRO PARA DESPEZAS 1)AS EXP.O-
SICOES.A assembla nacional franceza vo~
tou 500 contos para as despezas da exposi-
'ro de Vienna.e 100 contos para as da expo-
sico de Londres. ltimamente o ministro do
commercio apresentouuma proposta supple-
mentar de 120 contos applicaveis na cons-
truego de pavilhes e annexos, que a sec-
r fio franceza requerem Vioona.
F0LMTIM
IfriHiiit D.1 R.M0M.I
, PELO
* VISCOJDE POSON D TERRAIL.
PRIMEIRA 1'ARfE
O castello dos curadores nebros
V
(Continuagio do n. 4).
Ou realmente o fdho, o sobrinho ou
um prente qualquer do diabo, e nesse
caso...
Nesse caso? baro...
Eis aqui urna arma que me livrar,
til vez, de-si.
E o baro levou a mo ironte e prepa-
rou-se para fazer o signal da cruz.
O amador soltou urna gargalhada.
Meu caro bario disse elle tenho
Satanaz por pai, mas minha mi era urna
seuhora de boa nobreza e catholica. Fui
baptisado ha novecenfos e dezesete annos uo
reinado de Carlos Magno, na cathedral d'Aix-
la-Chapelle. pois, inutil o seu signal da
cruz. ,
A mo do baro cahio.
/ Com que condic,es rae deixar V. S.
.passar ?
-r Como acabo de lho dizer, tenho no-
vecentos e dezefiet airaos, urna soberba ve-
lhice, segundo v; mas enTado-me prodi-
giosamente. O bario o mais espirituoso-
lidalgo da corte de Franca, e jurei t-loem
minha casa algitns dias. Pode recusar isto
a um velho !
Tein l'rinho soffiiyel?ptfguutou
Nossac com sobertwj socego. s
Tenho Chaiabertin de 1500, Ai de
1630, Johannisbeig de 1463, e... ? '
-i- Basta I senhor, acorapanho-o.
." -1- Pois bem !disse o caladorentio a
-taminho E, beca que S itanaz, meu hon-
rado pai, me recuse. um. tcelo, vamos Mr
tochas I
O calador negro emboou a trompa, ti-*
rou dola urna potente e rouca meloda que
0 govcrao.behja tambom apresenta novas
propostas s calcaraj, pedindo o augmento
da verba volada.
CREAQAO DOrBlCHODE SEDA.-^bcon-
selheiroSchlictht, commissario do governo
alltmo no cingresso de fcovereto (Tjrdl),
cujo programpia nea secfo p|bhcajn|s,
apesentou um olterdBsaiito nehitd'rio ampu
governo, no qual coudue qu para extinguir
a doe.:u;a 'do bicho,o meio mais elhcaz con-
siste cfn escolher para a reproduccio exclu-
sivamente os individuos que'forera jeconhe-
cides como coinplotamente saos. O con-
gresso hade celebrar um Montpeler a sua
sesso do anuo prximo.
RECOMPENSAS A OPERARIOS.A 8o-
ciedade nacional animadora dos trabalhado-
res, fundada em Paris, concede animalmente
inedalhas de honra aos operarios, ontra
mi'strtis e raostres, que pelo sen comporta-
ment, o aptido as merecem. Para a con-
cesso exige-se a proposta firmada pelos che-
fes dos estabeleruncntos, e documentada com
informaees suliicicntes.
OCANDEEfRO CATOPTRICO.Genera-
I isa-se na Inglaterra o uso deste novo can-
doeiro, inventado pelo Sr. T. A. Skelton,
para a illuminaro das mas. Com o mesmo
Consumo de gaz triplica-se o claroda cham-
nn, obten lose urna illuminaro esplendi-
da. ltimamente a na principal de Sou-
thampton, qn^ vai de Ordminee Offuie a
Toivn Qituy, que tem o comprimento de
dois kilmetros, prnCQ mais ou menos, foi
alumiada com os caudeeiros deste novo,sys-
tema, sendo realisada a installai,o pela coui-
panhia do gaz, sob a direceao do Sr. Lemuu,
magistrado que tem a seu cargo os servieps
da viaeo. O resultado foi perfeitament sa-
tisfactorio, e tonia-se mais notavel depois de
fechadas as lojas.
UM VALENTE DE MENOS !-Sepultou-se
no cemiterio de Roleermont, sem apparato
e sem discursos, como convinha sua mo-
desta condiro, o Sr. llenrique Soeur, guar-
da de sala, na estaco do caininho de ferro
de Guillemins, na Blgica. Este humilde
cidado tinba comtudo tido os seus dias de
gloria ; cm 1830 foi o hroe de um episo-
dio interessante, cuja recordaco licou con-
sagrada em gravaras, alguns.exemplaresdas
quaes se vem ainda em umitas casas de Maes-
tricht, onde esse episodio se produzio.
Antes do combate de Oreye, no qual Hen-
rique Soeur tomou una parte muito activa,
ten lo elle visto esconderem-so na casa de
urna herdade, um oflicial e doze soldados
Hollndoles, cerreu logo a fecha-Ios alli, e
depois, com o auxilio de alguns companhei-
ros que conseguio reunir pressa, capturou
aquella pequea escolta, fazendo todos pri-
sioneiros.
Se esse acto de coragem mereceu mais tar-
de urna condecoraeo ao que o praticou, va-
lheu-lhe desde logo, por isso que a noticia
se propagou ser procurado pelos hollaude-
zes, que conseguiram lanzar mo delle, e fa-
ze-lo tambera prisioneiro. Conduzido a
Maestricht, foi condemnado, depois de um
processo summario, a ser passado pelas ar-
mas, a nao consentirera, os belgas em resti-
tuirem, como resgate delle, os treze prisio-
neiros que tinhara em seu poder.
Nao temi este offerecimento sido prorap-
tamente aceito, o valente Soeur foi entregue
escolta de cxeeiu'o ; todava os hollande-
zes, pie sao conliecidos pela sua coragem, e
apreciara os homens de valor, offereCeram-
lhe o perdi cora a condigo nica de gri-
tar ; ,
Viva a Hollamla. A esta proposta Soeur
apressou-se a responder:
Vivtt a-Blgica!
Tinba, pois> decidiilo da sua sorte, e j se
carregavam as armas que deviam feri-lo,
quando chegou ao logar onde se, achavam,
a grande galope, um general que vinha sus-
pender a execuco, e dar a liberdade, con-
cedendo-lhe urna somma de 10 florins para
as despezas deviagem, ao valentoSoeur, pela
soltura do qual os seus compatriotas tinham,
consentido em restituir o oflicial e os doze
soldados presos por elle.
0 general sabendo que-Soeur tinba recu-
sado o seu perdo com a condic-io simples
de gritar : *
Viva a Hollanda, dirigio-lhe verdadei-
ras.felicitaces.
Um grande-numero de maestrichenses que
assistiram aos preparativos da execuco, che-
gou'a mostrar o seu withusiasmo. Desde
entio o recalo dp v#lente Soeur tojnouvse
nm artigOjeB|m|rcio, qile teve to tempo fcil consumo.
se asscmelhava a um -desses furacoes que
curvara, sob o seu vflo estridulo os cumes
de urna floresta intensa, e immediatamente
as moutas vizinhas se illuminaram, e urna
duzia de oavalleiros to vermelhos quanto
seu amo negro, surgiram com um brando
de resina inflammada na ma.
Decididamentepensu o baroes-
tou realmente mettido com o diabo I
Os portadores das tochas estavankuuifor-
memente vestidos de casaca verraelha, de
calges vermelhos, e os seus rostos, masca-
rados, como o de seu amo, estavam igual-
mente dissimulados debaixo de urna masca-
ra de velludo vermelho.
O baro, atravz dessas mascaras, julgou
ver brilhar carvOes que lhes substituiam os
olhos.
Oh 1 ohldisse el leo calador ne-
gro menta ; ha alli um tomo de brazeira
paterna I
A situago era, realmente, infernal, e era
preciso ser-se to bravo quanto era o fidalgo
francez para nao se icar assustado vista
desse colosso negro cercado desses phantas-
raas vermelhos, tudo allumiado pelo clario
trmulo e sinistro da resina." Mas, o cora-
gao do bario nao- baten urna s pulsac,o
mais, e a sua fronte conservou-s lisa e so-
cegada.
_ Mea caro futuro hospededisse ella
ao cacedor negrovejo que tem urna casa
bem montada,, c desejava estar j no sed
castello para julgar o resto della.-
S l poderemos chegar na segrate
noite,
Ora 1 quando se tem o diabo por pai,
podem-sebemfazer dezoito leguas em duas
oras. "
Sem duvidat mas-o raeunome indca-
me suBicientemente que todos os dias caen,
e quero cagar hoje.
Ah! ah 1
E com a sua habilidade de monteiro^
bario...
Mil vezes abrigado t
.Meas filhos estio batendo o bosque)
vou ehama-los.
ntab, tem filhos?
Quatro, bario. >{j
Julgava-o cetibataro, meu caro se-
nhor.
QUE PRENUNCIO.-ConV um jornal
francez o seguintecaso, cuja veracidadcx*^-
segura: Perante o fnnecionario civil de um do-
departamentos da Franca, deviam-cfmip
per dous noivos a certa hora qHe me foia
aprasarfi. Ojmpareceram, vmas den<>is ie
torera feito esperar rauilo tempo o maire. .,
IJste, apesar de estar bastante azedf >, nao
profewo palavra lguma de queixa, ebegift
da dos iiubentes. Lavrou o antt t prati-
caram-se os demais actos necessarios con-
cinsi' do casamente civil.
Mas depois, nao se conteve sem botar dis-
curso, e ojez n'estes termos :
Nio ojuiz perturbar a vossa felicidad*
dirigiudo-vos reprehensoes pela demora do
v'ossq compareeimonto ; mas agora que es-
taos jasados sempre ves advertirei para sor-
dos mais pontuaes miando cvoltardes.
O marido predendeu replicar.
Fallo respeito de um e outro, aecres-
centou o maire, carrejando o' sob'olho e
encarando-os com modos ameayadores.
Os conjuges retirarara-se, ra ddizendo o
vaticinio do funccioiiario brutaraoutes.
ITALIA.Segundo os primeiros clculos,
as despezas do estado para o anuo de 1872
elevaram-se a 148.625:920 francos.
As despezas peupostas no orgame/ito para
1873, elevam-se a 148.571:690 francos para
as despezas ordinarias, e a 21.127:000 fran-
cos para as despezas extraordinarias, for-
mando um total de 169.698:690 francos,
com um augmento de 21.072:772 francos,
da parte preventiva de 1872.
A maior parte d'esta differenca deve attri-
buir-se s despezas extraordinarias tara a
compra d'armas, para as construeces e
obras de defeza martima.
A GRANDE TEMPESTARE EM PARS.
Foram muito serios os estragos causados pela
tempestale, que allligio a grande capital no
dia 11 de dezembr. Houve muitos feri-
mentos occasionados per destrozos de chami-
ns, telhados, etc.
Na ra Montholon um transente licou
mor lo, pela pancada que recebeu na cabera,
de urna telha que veio de cima do um te-
lhado.
L'm mirante, na ra de Montmartre, onde
estava urna seuhora e um homem, foi derro-
cado, indo parar inteiro a um jardiin pr-
ximo.
Na pra;a da Concordia, um mancebo, que-
rondo apanhar o chapeo, que lbc fugira da
cabera, foi colbido por um mnibus e fitou
cora ambas as pomas quebradas.
No boulevard rname a barraca de saltim-
bancos fof por aros, durante a representa-
go, arrastando por algum tempo todos os
phenomenos um exposigo ; amulher colosso,
que tambem fazia parto d"elles, foi talvez
quem, pelo seu enorme peso, obstou & que o
vento pespegasse com tudo aquillo em casa
deS. Pedro.
Os fios telegraphicos desarranjaram-se, os
postes, em grande numero, cairam. Era va-
rios pontos as arvores foram arrancadas pela
raiz, e carado sobre os lios telegraphicos os
partiram. D'ahi resultou grande confuso
no servido, chegando a Paris os despachos
muito alterados, o que deu lugar aos mais
extravagantes fui pro qiios.
No dia 13 estes inconvenientes estavam sa-
nados, gracas grande actividade desenvol-
vida jwra repr as buhas em bom estado.
Einlim, os damnos foram numerosos, e
ainda que poucas, algumas vidas se perde-
ram.
At a baste de ferro que segurava a ban-
deira franceza na cpula do edificio do corpo
legislativo foi derrocada.
Pela primeira vez neste invern cahio nev
em Paris uo dia 12, pela volta do meio dia.
O observatorio de Paris annunciava a pro-
habilidade de tempo secco, dentro de breves
dias, e o decrescimento das aguas dos^ rios.
ABUNDANCIA.Couta um jornal hespa-
nhol que ha actualmente em Hespanha 43
tenentes generaes, 74 marechaes de campo e
150brigadeiros,sem desempenharem cora-
missio alguma.
LIBERDADE DE IMPRENSA.Os peri-
dicos que se publican era Marselha intitula
Ento, nio ouvio o ultimo couplet da
raiuha legenda ?
E o cardador negro, entoou com a sua vzj
atroadora, os ltimos versos dessa lenda es-
tranha, que tinha feito conhecer ao baro
sua existencia e, depois, a sua presenta.
Assimdisse o baro corn muita fleug-
ma, depois que o caca.dor terminou a candi
V. S. tem tres filhos? '
E urna filha, meu fidalgo.
Bom !exclamou alegremente o Sr.
de Nossaceis-me socegado Comprehen-
do to pouco urna ceia sera mulheres, que
receiava saborear os seus maravilhosos \-
nhos, em face de rostos masculinos e bar-
bados.
Ter urna mulher sua direita, ba-
ro.

dos Ssimphore e Jigalit, foram levados,
ox-oflicio, ao tribunal de polica correccio-
nal, por.baverem publfcadoumarepresenta-
go do conselho municipal de Tarascn.
O governo republicano francez realmen-
te cauteloso com a liberdade de escrever.
At o* dedos lho parecem hospedes.
A I cenca ra ; pffia sffmHlhante repres-
siotoca a nieta do ridiculo.
. Tambem leaos n um jornal de Paris, que
se trata de formular um projecto de nova le
sobre a imp>cnsa. Ter por lim Jupprimiro
imposto'sobre o papel e restabeleeero sollo,
viudo a pagar todos os jomaos md&tincta-
mente um dcimo de franco.
Da direita da cmara partir esto projecto,
attinento a guerrear as folhas radicaos a dez
res; as quaes-"pela modicidade de seu prego
propagara entre as massas ideas anti-sociaes.
UM LADR0 ENGRACADO.A um com-
merciante de pelles, na ra des Petites E'cu-
ries roubou o caixa uns setenta rail francos,
e fogio.
Quando o dono da casa entrou do manha
no escriptorio, antes de terera chegado os
caixeiras, sentio ruido dentro do cofre.
Admirado, e nao com o animo muito quie-
to, corren a abrir o cofre, e o encontrou
vasto.
Ao mesmo tempo o tambor que na part*
superior tinha o cofre, comecou a tocar.
Era un coelho que imprimir movimento
ao apparclbo que ligava o tambor ao cofre.
O empregado ladro quizcra*^evestir o fur-
to de peripecias extravagantes. '
Agora ha de o coelho figurar no proeesso
crime, instaurado contra o foragido.
O JOi'.O EM HAMBL'RC.O. O jogo au-
gmenta de dia em ilia, segundo contara de
llamburgo-; a banca perdeu na ultiiiia sema-
na quasi um milbo de francos, eento c oiten-
ta contos do ris.
Os grandes jugadores formam quatro ca-
thegorias bem distinctas; prussiauos, .ingle-
zes, americanos e russos.
Um alto personagera da Russia tinha par-
tido.
Antes de sabir fez gran les generosidades.
Aura guarda que de noite o acompauhava
do Casino hospedara, deu-he una nota
de mil francos.
O hornera mal poda crer ver-so possui-
ilor do tanto dinheiro.
No dia immediato collocava-o na caixa
econmica. Signal de que morigerado.
ESTATISTICA.Circulara cm Paris......
8,000 carruagens particulares ; 10,000 ia-
cres e carruagens de aluguel; 1,200 mni-
bus e 25,000 carros de transportar merca-
duras.
Ha na mesma cidade 12,000 buhares, que
pagara ao thesouro publico 300 contos de
ris. ..
PE.NA CAPITAL.O tribunal 'assises da
Sarthe (Franga) condemnou inorte um in-
dividuo chamado Pavillon, por crime.de aa-
sassinio na pessoa de seu patro, que era
fazendeiro.
A viuva do assassinado, acensada como
cumplice, foi condemnada trabalhos pbli-
cos perpetuos.
Ao mesmo tempo que esta noticia devia
ter chegado a Paris, ahi, um homem de cin-
coentae.dois annos, matava sua propria mu-
lher, com um instrumento perfurante.
RECONSTRUCCES EM CHICAGO.Para
se avahar odegenvolvimento quetomaa nova
cidade do Chicago, basta dizer que em 30
dias foi construida urna nova academia de
msica no mesmo sitio em que se acbava o
quo foi destruidajielo pavoroso incendio que
devastou aquella cidade no principio do cor-
rente auno. Em igual numero de das foi
construido o theatro Gardner, que pode con-
tar 1,500 possoas. Outras salas de espect-
culo esto tambem a construir-so, incluindo-
se n'estas a da Opera Hooley's. Muitos thea-
tros da opera allem, sabios de concert ede
gymnastica erguem-se como por encanto, e
bom depressa nao existir o menor vestigio
do desastre que tantos estragos causou aquella
grande ciilade americana.
CRIME MISTERIOSO.L-se oseguinte
na Patrie:
Na noite de 9 para 10 de dezembr, al-
guns pescadores de Rebec (Mancha), viram
urna embarcarlo immovel no meio das on-
das. Preveniram inmediatamente o guarda-
-- A filha de V. S. ?
Sim, senhor.
r E negra como V. S. ?
Nao, branca.
-*- Tanto melhor 1 -
Tem lim dote immenso.
, Entio, est para casar ?
' Sem duvida, destino-lh'a.
- A mim ?
* A si, meu fidalgo. /
Ah 1 com a breca! essa a melhor de
todas I E os raeus amigos de Yersalbes
muito se ririam de me verem o genro em
perspectiva do filhodo dibo I
El por isso, bario, que Ihe enviei um
diabreto subalterno que o trouxe aqui.
Entio, era um laco ?
De modo aigum ; o a prbva que se
recusa ser meu genro, tempe ainda de re-
trogradar para Marienwerder, e cagaroi s.
O bario hesitou durante um minuto.
E4isse ellese sua filha fof feia ?
Se a acuar tal, recusar.
Seja assim l-disse Noasac, com fovia-
lidadeChambertin de 1.S07, Johamusberg
de 1463 e urna linda rapariga valemjbem aj"
pena de sementar, a ventura, Irei at ao
tira I Quer venham do diabo ou de Obs,
do paraizo ou do inferno, o vinho velho e
asmnlheres bomtas teem sempre mereci-
mentoj *)
, O cagador negro embocou a trompa e ti-;
rou della urna meloda tio potente e forte
que as arvores rochedt* treraera'm, e os
chos prximos ou remotos repetiram com
um riborabo tal, que fazia parecer bem sua-
ve essa extraordinaria composigo musical
que se chama o galope infernal de Musacd.
No momento em quo se extingua o ulti-
mo echo, a mesma msica comecou de novo
ao mesmo tempo e com igual vigor, nos
bosques circumvizihos e em dillerentes di-
reegoes; inmediatamente chegaram do sul
e do norte, do nascnte e do poento, quatro
cavalleiros negros como o cagador, como
elle mascarados, e com trompa na bocea,
dardejaudo olhares de chammas atravz do
bano das suas mascaras.
Eis os meus filhos !disse o cagador.
Dous delles eram to altos como seu pai,
e de compleigo to vigorosa como elle, so-
mente debaixo da mascara Ae um delles sa-
bia urna barba j quasi inteiramente branca
em quanto que a do outro era de um preto
lustroso que attestava a mocidade."
0 primeiro poditt ter vinte annos mais do
que o segundo.
Os dous outros, mais baixos e monos for-
tes, eram exactamente da mesma estatura, e
trabara ambos a barba loura.
Eram geraeos.
Aproxiraaram-se uns aps outros de seu
pai, inclinaram-se diante do bario o falla-
ran ao cagador negro u'uraalinguagem des-
conhecida, que nao se pareca com a allemi,
era cora a slava, era com a russa, liugua-
gem inteiramente hfferente da que os sim-
ples mortaes empregara, de um hemispherio
a outro. ,
Veafo do Norte^ disse o cagador ao
majs velhoque animal encontraste ?
Um bfalo, meu pai.
E tu ? Yonio do Sul ?
Um urso,*meu pai.
E tu, Vento de Invern?
Umjavali.
EM, Brjsada Noite?
Umgarao.
Oh !f-dj8s o barioeis aqui cagado-
res com noraes singulares.
\ -i- Julga isso ?perguntou o cagador ne-
gro*, respondendo reflexap mental .do baro
- comtudo, bem simples, chamei ao pri-
meiro Vento do Norte, porque elle' batou o
bosque na floresta septentrional; ao segn-'
do, Vento do Sul; porque vem do sul; ao
costa, que se-fesao mar com dous escaleres
da alfandega im de fazer um reconheci-
mento ao navio. Depois de remarem du-
rante 20 ,minutos, aproximaram-se da cha-
lupa, que" trazia*8cripto na pfipaonomed
iSeptune. Depois de terem chamadoem vio
a tripolaro, sifbiram para bordo, offerecen-
"lo-se-lhes ani um horrivel espectculo. Sobre
o tombadflhjp estavam esendido&tres mari-
nheiros, nm dos quaestinia a oabega sepa-
rada du corpo ; os outros dois tinham rece-
bido navalhadas no peito e no buixo ventre.
A embarcagio estava completamente desman-
ti'la la, nao leudo neni amarras, nem bussola,
era ipiaUpier-outro instrumento nutico.
Us ca lavares* a chalupa foram trazidos para
trra. Ignora-se o paiz das victimas bem
como os seus nomes.
REFORMA MONETARIA. Treta-sc ee-
riamentq entre a Suecia, Noruega e a Di-
namarca, de remodelar o systeina mone-
tario.
O governo sueco noraera ha annos urna
commisso especial, e esta, dando o seu
parecer em 1869, opinava pola adopgao do
systema mtrico francez.
Viram depois os deploraveis acontecimen-
tos que pozerara a Franga em conllagiago,
e como to grave cokjunctura trouxe todas
as nages em sobresalto, e atientas aos fac-
tos que se iam succeileudo, o governo sueco,"
nao s.....i-upon por enlo daquelle assump-
to, se bem que lhe hgasse toda a importan-
cia.
Serenada aquella grande e espantosa tem-
pestal(* pje assoinbrou o mundo, os gover-
nos dos tres reinos scandinavos entenderam
ducado o momento de estudarem a materia,
primeiro ventilada pelo paiz quj j refe-
rimos.
Foi assim que, tendo sido Horneada urna
commisso de nove membros, representan-
do a Suecia, i Noruega e a Dinamarca, el-
la estalxleceu o ponto de suas conferencias
em Copenliague, e deu comee/) sua tarefa
em agosto ultimo ; tarefa que tinha por lim
assontar o systema monetario a adoptar uni-
formemente nos tres paizes.
A commisso formulou j o seu relatoric
e nelle assontou como ponto decidido nao
acceitar o systema francez ; dizendu que os
terapos muilarara, que o systema francez,
segundo todas as probabiliilades, perdeu to-
da a possiblidade de se tornar universal, e
nao tomar maior ;xtenso que ora tem ; e
a I luz ainda que s ,systemas inglez, o alle-
ino ne conviria:n por divers* motivos ser
adoptados*.
Propde, portiuito, a commisso que seja
creado um systema monetario peculiar aos
tres reinos scandinavos ; o qual tenha por
base o calculo decimal o o estallao de oirO.
O ricksdaler sueco, que se divide cm 100
ore; o specie daler norueguez, que vale 5
marks o 120 tkUlingse o rigsdaller dina-
marques, que igual a 96 skillings, sero
todos ri'tirailosda circulaco, lx*m como as
suas subdivisies.
Para os sulwtituir crear-solka urna moeda
de oiro denominada goldkroiv, e outra de
duplo valor que ter o nomo do doppelkro-
tw*. Com uno killogramma de oiro fino fa-
bricar-se-ha 248 goldkrone.
A moeda le prata cuja adopeo propos-
ta igualmente para os tres reinos, valen a
decima parte da moeda padrao de oiroo
ijoldkrone. Chamar-se-ha krowlhater, e
se gubdividir em 100 Ore.
Conclue a commisso pedindo que o no-
vo systema coniece a vigorar era Janeiro de
1874.
O relatorio da supradita conimisso passou
s raaos dos encarregado* de coordenar a
convenc> monetaria que sei- firmada pelos
tres governos scandinavos.
Conta-se como certa a approvago pelas
assemblas legislativas los tres paizes, tan-
to do relatorio da commisso especial-cons-
tituida por delegados das mesmas tres na-t
abes, como da convenga quo ora tratara d
redigirem.
HORACIO GREELEY.Os compatriotas
de Horacio Greeley, mesmo longe da sua
patria, testemunham ao desditoso preten-
(lente ao primado republicano, a sympatbia
e venerago que por elle professavam.
Os americanos residentes em Londres.ce-
lebrarm urna reuniao era Longham Hotel,
e sobre proposta de Mr. Hugh M'CuUoch,
se raandou escrever urna memoria, na qual
so consigne quo a colonia americana em
Londres, lamenta o passamento de Me. lio-
terceiro, Vento de Invern, porque aqui o
vento do invern ven* do oeste ; e o quarto,
Brisa da Noite porque o vento nocturno que
curva os cumos das arvores chega do orien-
te. Este percorreu a floresta do ste.
E' muito engenhoso mur-murou o
baro de Nossac.
Cada um dollesproseguio o cagador
tem outro norae ainda, mas sao nomos de
santos, que lhes deu minha mulher, e de
que s usaro quando um padre os tiver
baptisado.
Ah ah !
OraHCntiimou oeagadornio pude
encontrar ainda um, porque todos os ho-
mens quo me vem morrem de inedo.
Dar-se-ha casodisse o baroque
eu seja bravo I
To bravorespondeu o cagador ne-
gro-j-que creio, emfim, ter encontrado um
genro. Ha dez annos que o procuro.
Entoperguntou o baro, iuquioto
que idade tem sua filha ?
Vinte e cinco annos.
S?
J bastante.
Econtinuou o bario mortal ?
Infelizmente. 9
Ah 1 tanto melhor Iraurmurou elle,
alliviado.
Porque esse tanto mdhor ?
Porque urna mulher torna-se, muitas
vezes, muito enfadonha a*o cabo de oito ou
dez airaos, e podara muito bem tornar-se
insupportave!, se fosse eterna.
Descance^disse cora tristeza o cag*P
dor negroeu, s, sou immortal, raeus fi-
lhos estio sujeitos le cotnjnum; e, por
proVa do que lhe digo, veja a barba grisalha
de Vento do Norte, tem quarenta annos ;
Vento do Sul tem s trinta, por isso a sua
barba preta; Vento de Ibverno 6 Brisa da
Noite teem apenas dezoito, e a delles
loura..
Bluito bem: estou socegado.
. Agora, meu carocontinuou o caga-,
dor negro- tempo de coraegrraos a cagar.
Escolha, que quer comer hoje; um urso,
um bfalo, umgamoou umjavali?
0 bario reflettio.
Um urso e uraygamo; agradara- m
ambos igualmente.
raco* Greeley, soexalte a pureza de ma vida
privada, ese refiramos seus servigos sua
patria c i bumanidade.
OS ARCHIVOS DE MAZAS.m Maza^
trata-se de reconstruir urna obra manus- ,
cripta extremamente curiosa, que desappe-
roceu durante o saque daqueila priso, u;
poca la (Ximmuna. Era urna especie de
lbum de grande formato, centondo os re-
tratos photographados de todos os indivi-
duos que se tem suicidarlo n*|uelle estabe-
lecimento, desde o diada sua fundagio.
Com rolaco cada urna das photogra-
phias, tinha-se-lhc collocado c nome, id-
dc e o lugar do nascimetito do individuo
com a designacio da condemnagio. Tinha
tambem obscrvages medicas do mais ele-
vado interesse.
Folheando este lgubre albura, poderia
mostrar-se que os suicidas em Mazas, mui-
to nmuerosos nos primeiros annos, tinham
cessado quasi completamente, desde que
trabalho uas cellnlas se tinha tornado obri-
gatorio.
Em 1868, houve apenas duas mort>
Nos archivos daqueila priso encentra -
ram-se quasi na totaidade ubservagues mp-
lico-legaes, redigidas pelos mdicos de ser-
vico, e cujo original, depois de ter sid*
transcripto no lbum, havia sido enlregu
ai > secretario. Com estes docu ment e com
o auxilio de outros registos, ende se ach.
ciMisignad o genero de inorte dos ptesn-
mortos na priso, recompoz-sc a obra que
l5Sii|pareceu, menos o* retratos phototfra
phicos dos suicidados, pnrque nio poew-
vel sulkstitui-Ios.
A TRANSFUSO DO SANGLE.-Encon-
traino era urna folha belga a seguinte ci-
riosa noticia:
O professor italiano Adbani acaba !
salvar a, vida de urna joveu por meio d
opejagao da transfuso do sangiie, applicad.
duas vezes com intervallo de quinze dias.
Estranlia operago, na vgrdadb^que tem si-
do bastante controvertida, manque tambero
j muito antiga, j>ois que Meileu asseve*-
ra tel-a feito em Pelias. Foi no meado d-<
seculo XVII que esta operago tornou a sei
adoptada. Dets e Emmerets em Franga.
Lower e King em Inglaterra, Riva e Man
fn*di em Italia, tentaran a transfuso d
angue, obtendo cada um resultados diver-
sos. Os accidentes que sobrevierau fae-
no com que a operago fosse abandonada.
fniaido desde eiito prohibida era> Franga.
sob pena de priso, por urna sentenga dad.
no Chatelet em 17 du abril de t68.
- Dcnis esperara at poder modificar, por
meio d'esta operago, o carcter das doen-
gas, e chegou atransmittir s veas de un
louco furioso urna porgio de sangue prove-
niente da arteria de um veado, animal paci-
fico. O doente manifestou logo alguma
appacencias de cura, porra terceua ope-
rago morreu as mos do cirurgio.
No reinado de Luiz XV um clebre pro-
cesso revelou estranhos mysterios. sobre esl*
modo de curar. Alguns vel]io roubavar.i
civancas, das quaes faziam passar para as
suas veias o sangue dos menores com a es-
[teranga inseitsata de prolongaren!, por este
meio os seus dias- e at rejuvenescerem, >
que, repetipo por muitas vezes podia leva-
Ios immortalidade. No comeen do pre-
sente seculo, em 1820, os mdicos franceze>
otliavam a transfuso do sangue como ama
culposa chimera, porin depois. d'esta po-
eha novas iuvesligages demonstraram* qui'
a operago, hbilmente feita, podia salvar d<>
inorte os doentes-exhaustos por urna hemor-
rhagia abundante. O numero de bons t-e-
suftados obtirfos cresce de anuo para anrtu
lentamente, e, em verdade se diga, de ama
maneira segura. Hoje j nao.se podem ne-
gar os bons servicoa que a trajtsfusao do san-
gue pilo prestar, nem appeMSdar os. parti-
darios d'estesystema de ca;uW* carrascos,
etc. como o faziam os adversarios de DeuN
em 1667.
CARRIS D.ACO.Os directoresdaBoston
aiui Albamj Hailroad decidirn stkbstituir
os parris de ferro pelos carris de ago* em to-
das as suas buhas, corn & maior brevidade.
Para este lira 9,000 toneladas de carris fo-
ram j compradas na Europa, das quaes
5,000 ainda neste anno serio fbrnecidas, e
4,000 no anno prximo.
Nesse caso, comeremos um e outro.
N'um dia?
De certo !disse o cagador, estenden-
do a mo para o oriente, ligeiramente tini..
de braucosao quatro horas apenas, nio
chover, e temos muito tempo para isso.
O baro levantou os olhos para o co.
A abobada de nuveu> escuras que ha pos-
eo pesa va, opaca, snre a sua caneca, buha-
se despedacado em mil sitios differeutes,
atravz dos quaes' appareciam pedagos de
co azul; e os relmpagos, que, at ani.
nao tinham cessado de brilhar, Unhara-t<
extincto, como lampadas que se tornara
imitis.
As tochas de seu filho tinham, sem duvi-
da alguma, levado Satanaz, a fazer econo-
mas na illuminago.
Meu caro hospede disse o Sr. de
Nossacat agora, apezar de todas as cousas
mystoriosas que, se teem paasado era torno
do mim, nao tenho podido acreditar nesse
papel de filho do diabo que tio bem repre-
senta; mas, eis-me obrigado a reconhecer
que deve ser, decididamente, um persona-
geni sobrenatural. Quando um hornera do-
mina a tormenta e dispersa as nuvans do
co em alguns seguimos...
Deve sor o diabo, ou, pelo menos, seu
filho, nao isso?
Justamente.
J Ique lhe preciso, para o conven-
cer, cousas sobrenaturaes, bario, vou servi-
lo. Tomos aqui cavallos e cagadores, mas
faltara-nos os caes. Pois bem I vai ver.
O cagador negro chegou aos labios a sua
terrivel trompa, e coraegou de novo a sua
aria favorita.
- Apenas se ou viram as primeiras notas, le-
vantou-se as moutas vizinhas, e d todos
os lados, umbarulho sem eieroplo,' um con-
cert infernal de latidos, urna symphonia
gigantesca de vozes agudas o sonoras.
O bario, aturdido, levou as ouas mios
aos ouvidos, e exclamou : .
Cora a breca! entio, tera dez rail
ciesT,
-^Nio, dez mil, mas sim quinbantos ou
seiscentos. Ora, vaja.
(Continuar-46-ha).
I
\
-
v
JTYP. DO MARIO RA DUQUE DE CAJUAS
-^


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID EL8866H0U_34HU07 INGEST_TIME 2013-09-16T21:49:09Z PACKAGE AA00011611_12805
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES