Diario de Pernambuco

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Diario de Pernambuco
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Publication Date:

Subjects

Genre:
newspaper   ( marcgt )
newspaper   ( sobekcm )
Spatial Coverage:
Brazil -- Pernambuco -- Recife
Brazil -- Pernambuco -- Recife

Notes

Abstract:
The Diario de Pernambuco is acknowledged as the oldest newspaper in circulation in Latin America (see : Larousse cultural ; p. 263). The issues from 1825-1923 offer insights into early Brazilian commerce, social affairs, politics, family life, slavery, and such. Published in the port of Recife, the Diario contains numerous announcements of maritime movements, crop production, legal affairs, and cultural matters. The 19th century includes reporting on the rise of Brazilian nationalism as the Empire gave way to the earliest expressions of the Brazilian republic. The 1910s and 1920s are years of economic and artistic change, with surging exports of sugar and coffee pushing revenues and allowing for rapid expansions of infrastructure, popular expression, and national politics.
Funding:
Funding for the digitization of Diario de Pernambuco provided by LAMP (formerly known as the Latin American Microform Project), which is coordinated by the Center for Research Libraries (CRL), Global Resources Network.
Dates or Sequential Designation:
Began with Number 1, November 7, 1825.
Numbering Peculiarities:
Numbering irregularities exist and early issues are continuously paginated.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
Applicable rights reserved.
Resource Identifier:
aleph - 002044160
notis - AKN2060
oclc - 45907853
System ID:
AA00011611:12692


This item is only available as the following downloads:


Full Text
AJINO XLVIH. NUMERC 167

"

*
*
^

-
*
fABA A CAPITAL I lUfiAUZS OIDI IA0 SI ?AA POITL
Por tros neies adiaoUdot".
Por seis ditos idea ...
Por ara ar>no ideat.. V^W
Cid* maiaero svulso. .

OUARTA FEIRA 24 DE JULHO DE 187

?A1A DimO E FOSA DA P10VTJCIA.
IIOO
tuooo
144000
ISO
Por Ira imxm idiindoi
mu*
fitotid
Por Mis tos idea. .
Por note ditdi dem .
Por am uno dem .

i i

*-
6,5750
0,1250
270000
MAMBICO.
Propriedade de Manoel Figmproa de Paria & Filhos.
s.4o AtiSiwrmn
Ot Srs. Gerardo Antonio Alves & Filho., no Pari ; Gonces 4 Pinto, no Miranhio ; Joaquim Jos de Oliveira 4 Fiiho, m CearA ; Antonio da Litaos Braa, no Aracaty ; Jlo Mari. Jnli Chaves, no Ass ; Antonio Varqnei da Sita, no Natal; Jos Jostioa
Pereira d'Ahneida, m Mamangnape; Augusto Gomes da Silva, na Parahyba ; Antonio Jos Gomes, na Villa da Penha : Belarmino dos Santos Blelo, em Santo Antio; Domingos Jos da Costa Braga,
em Nazareth Antonio Ferreira de Agniar, em Gojanna; Francino lavares da Costa, em abgoas; Alves 4 C. ni Baha; e Leite, Cerqninho & C no Rio de Janeiro.
PaiftTE OFFICIAL
Inlsiorlo do iisuperlo.
Por carta* iioperiaes de 26 de junln loram
comeados :
O tenante coronel Antonio Gon^ilve? ja Justa
5.* vico-presadentc d provincia do Oara.
Conigo Joaqoira Eloy de Medeiros 6o vice-prs-
daote da provincia do Smta Cathirina.
Por decretes de 10 de juho :
Fo exonerad > c bacharel Beujamin Rodrigues
Poreira do cargo le viea-presidente da provincia
de Minas-Garaes.
Faz-se merc :
A) marechal de campa Jos Am di Siiva Ga-
marias, do titulo Je iWro de Jiguaro.
Ao chefe de esquacraconselheiio Francisca Cor
deiro Torre* e Alvim, do de Biro de Iguatemy.
A Sabino Eloy Pessoa, diree'or geral da secreta-
taha de estado dos negocios di mirlaba, do titulo
do conselbo.
Foram comeados :
Cavalleiros da orcem de S. Beato de Aviz, os
capitaes do exercito : Nicolao Antonio Baodeira
ogueira da Gil, Amonio Naoes Ramos. Igna-
cio de Sonza Gauva Jnior, Benjamn Pereira
Itonleiro e Jos Cravoiro de S.
Offlcial daorJeii 1.a Ri>* Joaquim Lopes de Al-
meida, e cavalleiro Jos Manoel Garcia.
Foi promovido a ollcal da inisaa orJera o te-
oente coronel Ji) Diu Cariosa.
Foram concedidas as seguales penadas:
De 600^ annuaes a* paire Baro Silva Peaedo, vigario collsdo da freguezia de' Nos-
sa Ssnbora da Ooncei^ao da Lgos, provincia de
Santa Caibanna.
De W)i auonaes i D. Julir. Augusta Botelbo e
Mello, viuva do marochal de campo Lapo de Al
me.Ja II mrique Botelbo e Mello.
Da 'i mensaes D. Umbalina Candida de Mu
deiros Seabra, mai do tallecido lenle de volun-
tarios Joaqun Mara Saabn.
De 103 rs. diarios a Joo Francisco Antonio Ca-
bral, soldado do 1* regimeuto de artilbana a ca-
vallo.
Foi aeceita e e infirmada a renuncia que o padre
Antonio Rodrigaes da Costa fez da igreja pare:hi-
al de Nossa Senhora da Conceicao da villa de Pi-
raliny, da diocese e provincia de S. Pedro do Rio
Grande do Sal.
Por artas iraaeriaes de 10 de julho foram ni
turalisados os subdito porwguezes, Jos Antonio
Kune3 e Tnomaz Goicalves de S. Joao.
Ministerio da Justica
DBCBltTO 5-303 DE 10 DI JULHO DE 1871.
Marca o orden id) dos promot iras pblicos das no-
vas comarcal de Barreiros, Bm Conseibo, Cim-
bres, Igoarass, Ouricury o Villa-Bella, na pro-
vincia de Peroambuco.
IIdi por bem decretar o seguirte :
Artigo nico. Fica marcado o ordenado ancua!
de 800/000 a cada um dos promotores pblicos
das novas comarcas de Barreiros, Bota Conseibo,
Cimbre*, lguaras.-, Ouricury e Villa-Bella, na
proviocu de Pdrnaiobace.
O Dr. Manoel Antonio Duarte de Attelo, o
mea conselbo, ministro e secretario de estado dos
O'gjcios da ju liga, assim o lenha entenido e fa-
C* execotar. .
Palacio do Rio de Janeiro, em 10 de jumo e
187, 51.* daindepejdencia e d> imperio.Com a
rubrica de Sua Migestada o Imperador.Manoel
Antonio Duarte de Azevedo.
DECRETO N. 3001 DB 10 DE JLIIO DE 1871.
Declara da seg'inda entraacia as comarcas de Bar-
reiros e de Uuarass, e do prtmeira as do Bim
Ofeelno, Ciubres, Oaricury e Villa-Baila, crea-
das ltimamente na provincia de Peruambuso
lii por bem decretar o seguinte :
Artigo unieo. Ficara declaradas de segunda en-
transa as comarcas de Barreiros e de lguras.su, e
de primeira as do Bom Conselho, Cimbres, un
cury e Villa Billa, creadas pela le n. 1057 da as-
sembla legislativa da provincia de Pernambuco.
ODr. Manoel Antonio Duarte de Azevedo, do
meu eonselhe, ministro e secretario de estado dos
negocios da Justina, assim o leona entendido e faca
m -ii* Litar
Palacio do Rio de Janeiro em 10 da Jnlho de
I87J, 31-* da independencia e do Imperio.Com a
rubrica de Sua M.igestade o Imperador.Mnoel
Antonio Duai te de kzevedo.
DCRBTO N. 80CI3 DE 10 DE JULHO DE 1872.
Declara especiaos as comarcas de Olila e Igna-
f ass, da provincia de Pernambuco, e xa-lhes
oumero de juizas de direito e de seus snbsli-
Hei por bem, de eonformidada com a lei n. 2033
de 20 de seiembro do anno passado, declarar o
scguiole : ...
Art. !. Sao declaradas especiaos, as condi-
roos do aru 1* da referida lai as ornareis de O.in
da e Igoarass, da provincia de Pernambuco.
Art. 2, Haver era cada urna das ditas comar-
cas um j'nizde dreito e am juiz substituto.
Art. 3-' Firam revogadas as disposicoss em con-
0 \>t. Manoel Antonio Daarle de Azevedo, do
meu conselho, miaistro e socretario de estado dos
Begocios da jastial, assim o tenba entendido o Ta-
ca exeeutar. ... ,,
Palacio do Rio de Janeiro em 10 de julbo da
1872.31.' da ndspendeucia e do imperio.-Com
rubrica de Sua Magestado o Imperador.Mantel
Antonio Duurle e Azeoedo.
Ao Dr. juiz de dreito da 2." vara da corle foi
exped lo era 9 do corrate o ssgumte aviso :
Levei ao cinheciraeoio de S. M. o Imperador o
offkio de Vine, de 29 de maio nllimo, consultan-
do se, vista da le n. 2033 de 20 de setembro do
anno passad), continuara am vigor as correic5es,
como foram estabalecilas pelo decreto n. 834 de
2 de outubro de 1831 ; e no caso affirmalivo, a
quera incumbo faz las ua< comarcas espeeiaes.
E o mesmo augusto seohor, confirmando-se,
por sua imperial e immeiiata resolucao de 3 da
corrente mez, com o parecer, junto por copia, da
seccao de jnstici do conselho de estado, manda
declarar a Vine. qu, em quanto o poder compe-
tente nao decretar outra providencia, devera as
correiQe a> comarcas espe:iaes ser MUS alter-
nadamente pelos juizes de dreito, cumprinlo ao
corregedor, cojo servido flea redazdo no que toe*
aos autos e papis judiciaes, prestar toda a atten-
Qo ao exime da oscnpiuraca dos livros de que
trata o art. d7 do citado dee.'sto de 2 de outubro
de 1851.
Seohor.Mandou V. M. Imperial q'e a seccao
do eonselho do estado ds negocios da justica d o
seu parecer sobre o oQi:io em que ojuiz de direito
da 2.' vara commerci3l da corte consulta se, a
vista da ultima reforma judiciaria, coolinuam em
vigor as corraieoes, co.no foram estabelecidas pelo
decreto o. 83i de 2 de ontubro de 1831, e nesss
caso quera as deve fazer as comarcas espeeiaes.
Informa a secretaria:
i Nao ba dovida que as correic3s continuara.
o Pelo art. 203 do regulamento n. 120 de 31 de
Janeiro de 18'i2, nos lugares onde havia mais de
um juiz de dreito do enme, tendo elle jarisliccio
cumnlativa, faziam alternadamente as correifSes.
t H je pela nova reforma judiciaria os juizas de
direito teem jurisdiceao criminal cumnlativa, e
aos 11 da ertese marearara diatrictos especiaos
(decreto n. 4.835 de 18 de dezembro de 1871).
Oanlo corre i? ao, oada dispoz especialmente
a nova reforma ; mas entendo que para os juites
de direito das comarcas especiaos deve servir de
ragra, iadijiinctaaeate, a raesma j consagrada no
art. 203 di regolamento n. 123, lato jurisdiccao
alternada, visto qne todos aqueiies magistrados a
teem cumulaitva em materia criminal, e devem
assim exerc la quanto s correiQdes como os an-
tigos inizes de direito privativos do erme.
t Em 23 de maio de 1572.Cunha Figueireio
Jumor.t
Parece qne Has comarcas especiaos as cor-
rei(des devem bear a cargo de um desembarga-
do^ designado pelo presdeme da relaco ; mas,
em qnanto nao houver disposicao especial decre-
tada peo podar competente, o avitre indicado pela
seccao i o que te dadas da legislarlo vigente ;
om excluso, potm, dos aaditores de marrana e
guerra.
D.rectora geral, 28 de maio de 1871.-4
Fleury >
A seccao concorda com o parecer da secretaria^
observa : Com a nova reforma judiciaria, emquanto
forera os juizes de direito os encarregados de abrir
correigao, naturalmente se reduz o objoclo dos
exames d'ella, no qae, toea aos aulos e pipis ju-
diciaes que perieoceram jurisdiccio ordinaria
des'-es juizos; visto como, decidindo ollas meamos
as ** em !. lastsmea? falta-Hwa a om>maii
ca de snperioridade para conheeerera em correi-
gao dos respectivos Jautos e papis judenos do sen
proprio exercieio ordinario ; e tal a dsposic>
que ja encerra o regulamento das correicoas (por
decreto de 2 de outubro de 1851) no art. 57.
Rssta, porm, materia vastatpara oceupar a at-
t^ni.-ao do corregedor, com transcendente vantagea
da regularisagao de importantissimo servico que
entende com a fortuna de todos.
Basta o exame da eseripturacao e moralidada dos
livros mencionados no art. 27 do referido decreto
de 2 de outubro para ser objecto de grande pon-
derado e salutar providencia, de que se nao pole
prescindir sem risco de multiplicarem-se os abu-
sos. Anda agora a experiencia vein demonstrar a
necessidade de acarados exames em correigoas nos
livros de tabelliaes da corte ; e cerlo, se ellas re-
gularmente se fizessem, nao se teriam dado os
abusos que, notorio, foram por aeaso descobertos,
e que de reeeiar, tenbam anda maior extensao.
Vossa Magostada Imperial ordenar o qae for
mais acertado. .
Sala das conferencias da seccao de justica do
conselho de estado,em 1 de jalho dc-1872 Fran-
cisco de Paula de Negreiros Sayao Lobato.Jote
Tliomaz Nabuco de Araujo. Barao das Tres
Barras.
Como parece.Paco, 3 de julho de 1872.
Com a rubrica de S. M. o ^Imperador Manoel
Antonio Duarte di Azevedo.
canti, da de.Pernambuco, com o ordeaado corres-
pondente ao tempo de servico, na forma do art. i
| 10 da lai n. 2033 de 20 de setembro de 1871. e
com as honras de ministro do aopremo tribunal
de justica.
Foi removido, a seu pedido, o dosambargador ta dodrect?r gerai dos crrelos, nomear para
Joao Baptista Concalves Campos, da relacao do Ma
ranbao para a do Rio de Janeiro.
Foram removidos os juizes de direito :
Jos Antonio da Rocha, da comarca do Rio Par-
do, de segunda, para a do Rio Grande, de terca ira
eotraacia, ambas na provincia de S. Pedro do Rio1
Grande do Sul.
Antonio Vicente de Siqueira Pereira Leitao, da
comarca de Santo Aatonio da Patrulba, de primei-
ra, para a do Rio-Pardo, de segunda entrancia,
ambas na referida provincia.
' Francisco Luiz Corre i de Andrade, a sea pe-
dido, da comarca de Flores para a da Villa-Baila,
ambas de primeira entrancia, oa provincia de Per-
nambuco.
Foram noraeados juizes de direito :
O bacharel Jos Antonio Correa d Silva, da co-
marca de Flores, na provincia de Pernambuco.
O bacharel Francisco Brando Cavalcanti de Al-
buquerque, da eoraarca da Cimbrea, na mesma
provincia. ...
O bacharel J io Vieira de Araojo, da comaraa
do Btm-Cinselno, oa mesma provincia.
O bacharel Manoel Caldas Brrelo, da comarca
de Ouricury, na mesma provincia.
Determinou-se qna_os juixes mumeipaos o ae
orphos, Jos Domiaguaj da Silva, do termo de
Olinda, e Carlos Augusto \Va* de Oliveira, do de
Iguarass, na provincia de Pernambaco, M*t*''
sera a servir como subsiiutoi dos juizes de direito
das respectivas comareas, declaradas especiae3 as
condlc5es do art. 1. da lei n. 2033 de 20 de se-
tembro de 1871.
Foram exonerados, a sea pedido :
O bicbarel Joao Vicente Pereira Dntra, do logar
de juiz municipal o deorpaos do termo da Barra
de S. Joao, na provincia do Rio de Janeiro.
Foram comeados :
O eapitao Tnomaz Duarte de Aqaioo. tenente-
eoronel ebefe do estado-maior do eomm .ndo supe-
rior da guarda nacional dos municipios de Lavra
e Talba, oa provincia do Cear.
O alteres Jilo Jos*de Medeiros, raajor ajudaote
de ordans do commando saperior da guarda na-
cional dos municipios de Aquiraz e Cascavel, da
mesma provincia.
Concedeu-se reforma no posto de major ao ea-
pitao Paulino Pires Falcao, da guarda-nacional da
provincia de Peraambuco.
Fez-se mere* ao tenente-ceronel honorario do
exercito, Apolinario Florentino de Albuquerque Ma
ranbao S ibrinho, da serventa vitalicia do oficio do
tabellio de notas da capital da provincia de Per-
nambuco.
oiao e sgenheiro em ebefa dos estudos, dispen-
sarem estabelecimento da via frrea.
Por portaras de 13 do corrente mez honve
por bom S. M. o Imperador, atteodendo a propos
adalaialracao do eirreio da provincia de Minas-
Geraes os seguintes empregados :
Para-o lugar de tbtsoureiro, Joao Paulo Ferrei-
ra do Oliveira.
ofcial, o 2* Luiz Manoel dos Res
offlcial, JoSo Antonio de Moraes
En 2 de jolito nao ftram agracalos os se-
,apompiUo de Brito Gramacho, condemnado em 23
de desembro ultimo, polo jory de Jaguar.be na
provineta da Baha, pas de ato anno^de pr.ao
com trabalho o malta eorrispondente a metade do
teapo, porcrimo do frim.m;os graves.
Felippa dos Santos Pereira, condemnado em Oa-
iubro de 18(59 pilo jaix do direito da eoman.a de
So!im6es na (oviteta do Amaionaa, a pena da o
mais de prisie m traliUho, por crime do ho-
aEm\-Ree9!ue*eott-se ais presidentes das
provincias da Eahia Pernambaco, da rela?ao
de Pernambaen, d%.. OtlMsal do coromereio ao
Maranbio e ** jalw dos fetos da lawna,
da provedoria As eaMai; e residuos e de direito
da* V "" *" ** c*^.,^* df,in
com argtaW pafeeer so'ire as inoovaees o alte-
rK3es qoToVail santlUi'-M ao actual regiment
do coatia, de ceja mlsi>> s* aeha eaearregada a
SAsso de jutlicn do eonsalbo de estado.
- Ao pre-ideato de Pornamboco, em resposta
a$ offlos ds 9 desetmoo do anno passado e de
10 de fevereiro sIMn*, aos qVe& nrh
ira o major ajolaote de orden* da gaard nacio-
nal da capital F.aa*i*eo Xavier Carneiro Lia, qae
recommwde o commandante superior o emprego
dos moio* coorelttvw da le de 19 de
1830 para elMSjar' aqoello offl^al ao eamprimento
de seuidowre. .. ..
Ea 8.~lle*ia**aYoii-se aos presidentes da
provincia qae rafjjSBs oi'ganisar remettam com
brevilade um mapta dnmoastrativo dos offljios
de jastic, nuneiottaado i lei qae os creou os no-
nes dos serven oario*, as eidades e villas oole t*m
teas cartorios, a data e qoalilade ds proviaa"1
o todo mais qc.e fot aatMiiario para qae se i
fazer "Tiesta soeretttia de eta4a o assntamenlo
Rio de jaoeiro, em 9 de julho de 1872.Illm. e
Exm. SrFoi presente a S. M. o Imperador o
ofcio dessa presidencia de 31 da maio ultimo, sob
n. 1,837, com a copia do que Ihe dirigir o juiz
de direito da eomarca do Rio Grande, consultando
sa as appella;oes civeis interpostas para aquello
juizo das sentencas dos juizas muoielpaes e dos de
paz, na conformidade da lei n. 2033 de 20 de se-
tembro do anns passado, davem servir os escrivaes
do judicial ou do jury.
E o masmo augusto senhor manda, em resposta,
declarar V. Exe. qae, vista do art. 108 da lei
de 3 de dezembro de 1841, n5o pode o escrivo do
jury e das exeeucSas erimlnaes escrever em pro-
cesaos diversos do3 que Ibe sao privativos, como
j o expliearam os avisos n. 33 de 20 de janho de
1844 e 3 de'setembro de 1850, salva a dispo.-icao
do art. 21 do decreto n. 707 de 9 de outubro do
dito anuo, relativa aos processos criminaos, cujo
juigamento final pertence aos juizes de direito, e a
do art. 6 do dscreto n. 874 de 2 do ontubro de
1831, concerneule ao servico das correcc5as.
Nao compete, pois, ao escrivo do jury, mas stm
aos do jadiJial, escrever em autos ou processos
eiveis que os juizes da direito tiverem de julgar em
1." ou 1* Instancia : o que V. Exe. far constar ao
referido juiz.de direito. ,
Deus guarde V. Exc. lf te de Aiecedi.Sr. presidente da provincia do Re
Grande di Sil.
Ministerio da ffazeada.
Por decretos de 11 do corrente tveram lagar
as seguales noraeacoes e aposentadoria*:
Thesouro nacional.F irara noraeados:
3" escripturanos, os 4M ditos Taomaz Aotooio
de Seuia Neiva, Antonio Lopes Pacegaeiro, Leon-
cio Alvares da Silva Peana e Amonio Jos de
4fcre*M : <"*>< anw^^n-^u ^ j
Alfaodega do Rio do Jieeiro.Foraa aara*a-
dos:
l* escriptarario, o 2 dito Joio Baptista Ferrar
de Campos. ,
2" eseriptararios, os y ditos Joao Carlos de
Oliveira Gaiaaares, Jiio Evangelista Cordeiro de
Araujo e Joao Domingues Soares de Magalbes.
1 conferentes, o 1* escriptarario Augusto Hen-
irqaeGonzaga e o ex inspector da alfandega do
Para Augusto Cesar Sampaio. ...
2" eonferentes, os 2" escriptarario Joao Los
de Albuquerque e Gabriel Afleoeo Rigueira.
Foram aposentados :
Os l" confereotes Joo da Slveira Sampaio e
Joo Ferreira Leal e o ajudaote do stereomstra
Henriqoe Augusto de Miriz Sarment.
Alfandega da Pernambaco.Foi no meado 2* es-
criptarario, o 2 dito da do Rio Grande do Sul
Bemviodo Moutinhi.
Por titu'os da mesma data foram noraeados
3" eseriptararios da alfandega do Rio de Janeiro:
O 4* oscripturario, addido, Jos Gustavo da Cos-
ta e Azevedo, o 2 dito da de Peraambueo Carlos
Augusto Cesar Plaisaot e o 2* dito da do Rio-
Grande do Sul Tbimaz Velloso Tavares.
A' thesouraria de Mraas-Geraes se declara,
em resposta ao officie de 14 do mez passado, que,
segundo o regolamento de 26 de maro de 1833
e a ordem n. 97 de 20 de marco de 1838, no caso
de demissli ou impedimento dos collectores,
devem sabslital-los interinamente os respectivos
escrivaes; e que a ordem n. 102 de 14 de marco
de 1831 s teva em vista declarar que nanaum
descont soffrerSo os collectores em aoas porcen-
tagens, quando licenciados, visto terem substitutos
pagos sua casta e sobsaa respoosabilidade; Dio
se podando, porm, dabi dedoxrr qae am tas cir-
cunstancias devam sobstitai-los os sea* agentes,
que fmete servem sob saa immediata r*spoosa-
bilidade, e por isso nao presto jarameato.
A' colleeteria de Piraby foi declarado, da con-
formidade com o despacho de S. Exe. o Sr. naiiis-
tro da fazenda de 20 de juobo e em -
consulta constante do sea offljio o. 8
raarg prximo passado, qae embora taita .
da beraoc ainda pro indiviso por herdeiro. aeeas-
sario a ontro, houve verdadeira transmissio a U
tulo oneroso de compra de bens de raz lanoada*
depois da venda no qoiohie do primeiro dos aar-
deiros vendedores, snjeita ao impost de traw-
missao de 6 o|0 ( da primeira venda dos mencio-
nados heos por aquello eila ) pois de tal la*P**t>
s eolao isenios os herdeiros neeessarios pelas adja-
dicacoes que Ibes sao feitas de bem da referida es-
pecie em remisso de dividas oa de desperas do
casal, effictaadas antes de consummada qualqu
execaco contra o casal oa de foiu a part
como oxpresso as erdeoes de 23 de agosto de
1850,18 de setembro de 1851 o mais legislacj
em vigor.
Para o de !
iHM Ti.
o de 2*
forres,
triarla de 11 do corrente foi exonerado
mandes de Lima de lugar de amanuense
tieso especial das trras pnbcas da pro-
vincia de S. Pedro, sendo nomeado por outra de
igual data para snbstltat-lo Aristides Jos Meirel-
les, com o ve-cimento que Ihe competir.
Cirealar aos presidentes das provincias.Rio do
Janeiro, em 6 le julho de 1872.
illa*, a Exm. Sr.Tendo este ministerio deapre-
sentar na prxima reunio da assembla geral le-
gislativa o relalorio dos negocios que se achao a
sea cargo, e convndo mencionar nesse dcuman
to lude quanto possa interessar viagao do Impe
rio, reeoinmeodo a V. Exe. qus at o fia do mez
d* oetBbro futaro, raiostre-me os segoiotss escla-
reeiaseatos:
1.* Qaaes os privilegios para a coostroccao de
linhas firreas e de carris urbanos concedidos por
essa presidencia.
2.*, Ques as liohas que j se aebam em via de
execaco.
3." Quaes as qae se achara em estudos.
1 O/ial o destino de taes estradas, te smente
para o transporte de pastageiros, ou se de cargas
tarabea; qa*l o motor aellas empregado ; o ;eo
custo ; o trafego e renda daquellas q le j lunccio-
oam, e llialnianle a inlicac) dos pontos que
terio de parce rrer com a especificacao do preco
de cada kilmetro das liabas j coostruidas
Igoaes iofor.nacOaa dever V. Exe. prestar sobre
os eaoaes, estradas de rodagem e outros camnhos
importantes, existentes oa em construccio nessa
proviocia o bem assim se ter essa presidencia
feito eoneessdss para a coasjrucco de linhas
telegrtphicas, e nesse caso dever V. Exe.
eonar-me ama copia de taes eoncessoes.
Cirealar aos presidentes do provincia.Ro de
Janeiro, ora 12 de julho de 1872.
Illm. aEam. Sr Sendo repetidas as quenas
qae ot indios iirigem ao goveroo imperUl contra
as violencias de que s5o objecto suas pessoas e
beos, 0 tomar do-se cada ve: mais momeotosa e
catachese e civilisacao dos inligenas, visto as
vantagns mo-aes e sociaos que o paiz aoterir da
to imp ante servio ; bei por mailo reeommen-
dado a *.. Exe. aste assampto, e, dispensando todos
os auxilios ais missionarios, d as providencias
qae jalsjar oecessarias aflea de qae sa nao repro-
danm tase qtieixas o so eonstgam todos o* beae-
iat domados do estabelecimeoto e prosperidads
da* aldis/ solicitando do goveroo imperial o em-
prego da medida* qae aao eouberem em saa al-
fazer os mais siaceros votos pela prosperidade e
eograodecimento da generosa nacao brasileira,
unida argentina (era esqueeer a Repblica Ori-
ental do Uruguay) pelas glorias e sacrificios cora-
muns de duas pocas memoraveis oa Iota contra
duas barbaras tyrannias que erara o opprobno da
hnmanldado e am obstculo e am perigo para a
paz e para a liberdade destas regides.
< Contribuir para que essa unio se consolide
no presente e :e prolongue no futaro, sob os aus-
picios' do direito e em uome dos recprocos in-
leresses, marchan to araba* as oaedes com passo
firme e tranquillo para os grandes e pacficos des-
linos qae ssto reservados aos potos civilisados o
livres que obedecem lei do progresso e sao fiis
moral e justica, taes sao, Augusto Senhor, os
objectos geraes da missao que me fo confiada.
c Qaaolo aos fins espeeiaes de minlia missao,
ttm elles por limite e como regra o mutuo aecoro
e a mutua conveniencia no espirito mais araiga-
vel.e para preenche-los me lisoogeio de poler con-
tar com a cooperaco e bia vontade do vosso il-
lnstrado governo, e mai especialmente com a alta
benevolencia de V. M. Imperial, em cuja augusta
pessoa saudo respeitosamente a magestade de um
povo livre. >
Sua Magestade o Imperador responden :
Sr. ministro.Os sentimentos, que manifestaos
em nome do governo argentino, tambera animam o
brasileiro.
i A poltica de boa f e amisade que o Brasil
sempr* tem seguido para com seos visiohos, o
ningoem roelhor do que vos c rahece, qBando re-
cordaos essas duas pocas de tanta gloria para as
tres nacas adiadas, e o procadiraeoto, por que sem
duvida,|haveis de angariar merecida benevolencia,
augurara vossa missao xito honroso e feliz para
ambos os estidos.
Legajao do Brasil ni repblica Argentina.
Buenos-Ayres, 29 de jonho de 1872.
seccao n. 26 Illm. e Exm. Sr, Te-
1."
i sr. milis-
T
taaveada
Por decreto o. 4,997 de 3 de julho corrate
fu concedido a Gustavo Adolpbo War(Toara e
Tbeodaro Jot, privilegio pir de* annos, para a
introducto s venda no Imperio de apparelhos
destinados fabricacao de gaz liydro-cartxmleo,
deseriptos em saa peticao datada de 6 do outubro
d anno prximo Rodo, ficaodo o privilegio depen-
dente de ulterior approvaclo da assembla geral
legislativa. *
Ministerio dos negocios da agricultura.Jcora-
marcio e obras publicas, em 6 de julho de 1871.
Sereoissimo senhor.Communicando-me em of-
fleio de 6 do mez passado a ioaagoracao dos ira-
bainos da eommissao saperior da exposico nacio-
nal, digaoa-ss Vossa Alteza indicar, em oome da
raesma eommlsso, qos a exposico oaeional ti-
vesse lugar no edificio da escola ceotral, e se ve-
nfleasse i abertura della no dia 2 de dezemoro
prximo futuro.
Approvanc o a iudicacao do edificio e do_ da
em qne se dnvs abrir a mencionada exposico, o
goveroo impuri al acaba do expedir as neeessarias
ordeos, affai do qae seja posto disposic/io da
commisso presidida por Vossa Alteza e referido
edificio, enaprindo-me declarar que o ministerio
do* negocios da guerra j provideoeiou no sen-
tido de poder a referida commisso oceupar desde
j algomaa salas e fiear de posse das oalras aecom-
modacoas de 13 de outubro em diaote, a excepeo
das salas em qae esto os apparelhos de chimiea
e pbysica.
Deas guarde a Vossa Alteza. A Saa Alteza o
Sr. Duque di Saxe.Baiao i Itana.
Por decreto o. 4,993 de 3 de julho correte,
foi prorogado o prazo flxadc para a org anisa cao
da compaob a destinada a eonsrluir urna doca oo
local em qus se acha a capitana do porto do Ma-
raobo e concluir o dique das Merc?.
' Por dterelo n. 4,996 de 3 de julho cor renta,
foi concedido a Candido de Souza Raogel, privile-
gio por 15 ; nnos para estabelecer na provincia
da S. Pedro do Rio Grande do Sal, ama fabrica de
atejos, porcellana, lonca fina e crystaes.
Por decnto n. 4,993 de 3 de julho corrente, foi
sucedido a Francisco de Paula Bellido, privilegio
jotra introdurir do paiz o apparelbo de saa in-
aaa$o den iminado regulador automtico.
Rio de Janeiro, em 9 de jaluo de 1872,-Illm. e
Exm. Sr.Faca V. Exe. constar ao escrivo do
jury.o das execocoes criminaes do tormo de Jaca-
reby, dessa provincia, que a sua representa?ao
de lo de maio ultimo, contra o acto do juiz de di-
reito da comarca, que o excluio do escrever nos
processos civeis que o mesmo juiz ti ver de julgar
em 1." oa 2." lasiaocla, na conformidade da le
n 2033 de 20 de setembro de 1871, nio foi atlen-
dido por falta de fundamento, vista das raidos
exposui no aviso, por copia incluso, dirigido nesta
data ao presidente da provincia di Rio Grande do
Sul, sobre idntico assampto.
D>us guarde a V. ExeManoel .Momo Duar-
te de AzevedoSr. presidente da provincia de S.
Paulo.
Em 10 di corrente declarou-se que a serventa
vitalicia do offliio de escrivo do jury a exeeu-
c5es criminaes do termo do L'moeiro na provincia
de Pernambuco, exercida por Herminio Dellioo do
Na-cimento Lima, comprebende ta abem oofflcio
de \ taballrao de notas do mesmo termo, na con-
formidade da lei provincial n. 602 de 13 de maio
da 1864. ________
Por decretos de 10 do crrante mez:
Foras aposentados a sea pedido os desembar
adoesIoseJiaquim de Siqueira, da Nacao do
Por d serete n. 4,999 de 3 dj jalho corrente,
r conced la a Souza & Ferreira, permisso por
toaos, para explorarem mioas de carvo de
ra a ostros mioeraes as margeos do Rio
A eiptartco proeeler-se-ha oa conformidade
4o dispMt* ao decreto o. 1,527 de 21 de maio de
4870, .-
. Realisadi a exploraco, !coneeder-se-ha permis-
so, par 3' annos, para a lavra em 1 0 dalas mi-
nlolslerlo da agrleilUnra, CO liofaei, no mximo.guardadas as pra"Pv8Mdoi
mf-rolia o nhrs nnhlloavs decretos 0!. 3,236 de 21 de marco da I86i e i 630
!fie i %Z^ Y?hrt!rri87* dn de noverabro de 1870, e salva ao governo
- O decreto o. 5,000 de 3 de jalho de' hlj5ptri| f,culdade de fazer novas coocess5es,
ministerio da agricallara, esteodea a Compaohia
Publica Works Constroctioo Compaoy Limited, de
Londres, a concesso feita por decreto n. 4,797 do
4 de ontubro de 1871, ao enganbeiro Manoel Ba-
arqoe de Macado e Barae do Livramente, para
estados de linhas Jarreas e navegacl) oas bacas
dos Ros de S. Francisco e Tocaotins, e altera as
clausulas do citado decreto.
Os empresarios obrigam-se a fazer por saa
eoota as exploraos e estalos preliminares:
1." De nma liona frrea nos valles do* Ros Pa-
ropeba e S. Franeiseo, desde S. Goncalo da Ponte,
ijsam'p'rejjoda preferencia a que Sooza & Fer-
reira tiveram direito nos lngares por elles ex
florados.
nbo a honra de remetter a V. Exe. copia da nota
pela qual o Sr. Tejedor me communieou ter sido
mineado o brigaleiro general D. Bartholomeu Mi-
tre na qaalidade de eoviado extraordiaano o mi-
nistro plenipotenciario em missi especial junto de
3. M. o Imperador, para terminar amigavelraeote
o desaceordo existente entre o governo imperial e
o da repblica Argentina.
Aproveito o ensej > para reiterar a V. Exe. as
expressdes da miaba particnlar estima o alta con-
sideraco.Illm. e Exm. Sr. eonselbeiro Miooel
Franeiseo Corre i, ministro e secretario de estado
dos negocios estrangeiros.Domingos Jone Gonc if
ns de Magalhes.
Ministerio de relaedes exteriores da repblica
Argentina.Buenos Ayres, 23 da jnnho de 1872.
Sr. ministro.Teoho a hoora de participar a V.
Exe qae, por motivo da desiotelligeocia que exis-
te entre o Brasil o a repblica Argentina, foi no-
meado o Sr. brigadejro general D. Bartholoraen
Mitro enviado extraordinario e ministro plenipoten-
ciario em missao especial junto ao governo do Im-
perio.
Animado o governo argentino do desejo de ter-
minar amigavelmeote o referido desaceordo, jalgou
aever dar ama prova dame desejo, enviando para
stmtlhaote fim ama missao especial.
Sado a V. Exe. eom a mmha *iais disliocla
coosideraco.
A S. Exe. o Sr. eoviado extraordinario o minis-
tro plenipotenciario do Imperio do Brasil, eonse-
lbeiro Domingos Jos Goncalves de Magalhes.
C, Tejedor.
Ministerio da guerra.
Por decreto de 10 do corrente loram concedidas.
na conformiJade das imperiaes resoluccoas de 3
do corrente, lomada sobre consultas do conselbo
supremo militar, as binras depostos do exercito,
abaixo designadas, em atiendo aos relevantes ser-
vicos prestados na guerra do Paraguay pelos in-
dividuos seguintes:
Da eapitai :
Aos capitales do extineto 30* corpo de voluntarios
da patria, Albino Brcdt; da guarda nacional da
provincia do Rio-Grande do Sul, Francisco Alves
Pereira Jnior, Jos Pinto Balsemo e Zsferino de
Oliveira Fagundes.
Di lente :
Aos tenentes da guarda nacional da provincia^ do
Espirito Santo, Joo Autuoes Barboza Brando :
do exlincto 27* corpo provisorio de cavallaria de
voluntarios da patria, Franklin Octavio de Alen-
castro.
Foi reformado, de conformidade com a impe-
rial resolnco de 3 do correte, tomada sibre con-
sulta do conselho supremo militar! e com o que dis-
pe o I 1* do art. 9- da lei n. 648 de 18 de agos-
to de 1832, o capitn sggregado arma de infan-
tarla, Thomaz Affonso da Silva, visto soffrer mo-
lestia ioearavel qos o torna incapaz de continuar
oo servico do exercito.
Foram transferidos :
Para a 3' compachia do 2* batalbo de infanta-
ra, o capiiao do 8a balalho da mesma arma, Po-
lycarpo Jorge de Campos.
Para a 6' oompanhia do 8' batalho de infama-
ra o capilo do 2 batalho da mesma arma, Luiz
Fraocisco de Paula Albuquerque Maraobao.
Para o 1* regiment de cavallaria ligeira, oa
cooformidade do arL 5 da lei n. 1,220 de 20 de
juDho de 1854, o 1* teoeote graduado do bata-
lbo de arlbaria a p, Csrios Augusto Piolo Pac-
Foinomeado capelloalferesdareparticao ecle-
sistica do exercito o padre Joo de Araujo Alves
Marinho. ______
Por portarla de 10 de Jnlho de 1872 foi comea-
do auditor de guerra da provincia de Pernambu-
co o juiz de direito da 2" vara da cidade do Reei-
fe, Dr. Manoel Tertuliano Thomaz Henriques.
Por portara da 11 do mesmo mez foram conce-
cadidos ao addido reparticao fiscal aooexa e se-
orelaria de estado dos negocios da goerra, Pedro
Jos da Soledade. tres mezes de licenca, sem ven-
cimento, para ir provincia do Rio Granda do
Por outra portara de 12 tambem do m:smo mez,
concedea-se licenca ao capillo reformado do exer-
cito Manoel Jos Emigdio de Moraes, para residir
na provincia de S. Pedro do Rio Grande do Sul.
Hlnlaterio dos negocios estran-
geiros.
Sua M*it*stade o Imperador receben hontem as
7 horas di tarde, em audiencia publica, no paca
de S. Christovo, a S. Exe. o Sr. brigadero general
D. Bartbo lomeo Mitre, que, na occasiao <
avisode20dejunho de 1866, toi incamb.d* i% e ministro Pta"18.11""'?* R*pa^'"A TuBastc
...______iu..___i. .....*. j ,.... i\ a, am mUnn ntnftr.ia dTSO *0 mesmo AUgUSH
sstudar o roelhor traca da estrada de ferro D. Pe
dro II, at o ponto em qae eomeea a navogai^f
deS. Francisco, logo abaixo da eachoeira do Pira
pora.
1* Da potra liaba frrea doslinada a ligar as
bacas navegaveis dos Ros S. Francisco e Tocan-
tos pelos valles dos Ros Cariohanbaf Paran, oa
pelos do Rio Grande, Rio Prelo e Rio do Somno,
como for mais cooveniente, segando demoosire*
rem os reconhecimentes geraes que nessas
direecflss serad pratameate feitos.
3 Das S8cc5?s navegaveis dos Ros S.
'SiT'-vv
insir-
is doajf
.p,2
n mlssio' especial, dirigi ao mesmo Augusto
Senhor a segoiote allocicao :
t SenhJr.Teoho a hoora de apresmtar a V.
Magostado a earta pela qual o presidente da Re-
publica Argentina me acredita na qaalidade de
eoviado eitrtordinario e ministro plenipotenciario
em miss > especial janjo ao governo de Vossa Ma-
gestade Imperial, sendo om dos principaes objectos
de minhi missao demonstrar em quo alta, eslima
lmopooeo governo argentino a amisade, a
allianca n as boas relacoes eom o povo e o goveroo
braiilein,
CioTeriio da provincia.
EXPEDIENTE DO Dl\ 27 DE JUNHO DE 1372.
Actos:
O presideai.1 da provincia, atteodendo ao que
requeren Manoel Levioo de Aroorim Luna, len-
te quartel-mestre do batalho n. 54 de infamara
da guarda nacional do municipio do Cabo e a visia
do que informou o respectivo commandante supa-
rior. resolve que se Iba d a gua de qae trata o
artigo 45 do decreto n. 1130 de 12 de maio de
1833 para o da capitaloode reside Communieou-
se aos respectivos commaodantes superiores.
- Aobrigadeiro commandante das armas, re-
metiendo, em resposta ao seu offlslo rente sob n. 631, copia de qne dir giu o director
do arsenal de guerra em 23 sob n. 197.
- Aame.mo. remetiendo para lera devida exe-
compaohia de cavallaria, no semestre e de jalho a
dezembro do corrente anno.
Ao mesma, enviando copia do offlcio do ins-
pector da thesouraria de fnenia, de 23 do carra-
te sob n. 414, acerca da flanea qne deve prestar
qnanto antes o escrivo do hospital militar Joaquim
Agripino Fuado de Mendonca, nomeado para ser-
vir interinamente o lugar de almoxonfe do mesmo
hospital.
Ao mesmo, mandando p6r em liberdade o re-
cruta Antonio Francisco de Almeida, por ter pro-
vado isenco legal.
Ao inspector da thesouraria de fazenla, man-
dando pgar a Soares Primos, em vista da conta
junta, a quantia de 750*000, proveniente da com-
pra de urna lancha para espiar os ferros dt draga
n. 1, em virtude de autorisaco da presidencia, da
19 de abril ultimo.Commuuicouse ao inspector
do arsenal de marnha.
Ao mesmo, maodaodo pagar, era soluta) ao
seu offlcio de 19 do corrente sob n. 404, os venci-
te ates do destacamento da guarda nacional esta-
cionado em Cirapioho, conforme a ordem da pre
sidencia do desle raz, visto serera os destaca-
mento do dito serto pagos pelos eofres geraes,
segundo determinou c aviso do ministerio da guer-
ra do de setembro de 1865 junto por copia ; fa-
zendo-se esse pagamento como indica em seu ci-
licio.
Ao mesmo, mandando paear ao cabo de es-
quadra 4o 2. batalho de infanlariado linha Anto-
nio Manoel do Nasclrnento a quantia le 9*000 a
que se julga com direito por ter capturado o solda-
do do mesmo batalbo, Jos Felippsde Brito, que
havia desertado.Communieou-se ao brigadeiri
commandante das arras. .
Ao inspector da thesouraria provincial, man-
dando pagar aos chafes da e 2- seccao dessa
thesouraria, Fraocisco de Birros Falcao Livalcan-
te de Albuquerque e Maneel Pereira da Cunba nao
obstante o que expoe em offlcio da 3 di corrente,
a dilerenca que se d entre os respectivos venc-
memos e os de 1' escriturario, a contar de a<*
fevereiro em que foram creados aqueiies lagares
at 25 Je abril ultime, em que foram prvidos can-
forme a deciso dos ouiros membros da joma, fla
qual dlvergiu; visto acharem-se aqueiies emprega-
dos as mesmas jircunstancias do 1 ofliciai da
5* seccao da secretaria da presidencia, a qnem se
mandou pagar os venciraentos de chefe de seccao
at que foi esse lugar definitivamente prvido.
II- Ao mesmo, mandando pagar ao"eapiiao_Ja?
Firmo Pereira do Lago, vista da relacao o
conta juntas, a quantia da 173*100, despendida
durante o mez de maio ultimo com o sn*tentodo3
presos pobres da cadeia de Oricury.-Commu-
nieon-se ao Dr. chafa da polica.
Ao mesmo, manda ado por em coneurr-ncia,
fim de ser contratada coro quera melhores vauta-
gens olferecea a confecclo e impress) do Jimio k
daprovincia para o anno de 1873, e para ente traba-
lho est marcado no artigo 13 da lei n. 1061 desta
anno a quantia de 2:000*000.
Ao Dr. chefe de polica, mandando que recom-
raende s autoridades policiaes que sao Ihe subor-
dinadas toda a actividade na apprehenso de ar-
mas defezas, procedendo-se de cooformidade eom
a lei uara serem puoidos os iodividuos que Torea
encontrados armados, e cesse a frequ^ncia do*
crines que resoltara do rain habito de andar
armadas pessoas do povo. Recoramendando.ou'.ro-
sim, quo empregne toda a diligencia para que ao-
jara presos e punidos todas as pessoas que, tendo
commettido crimes, nao foram captaradas.
Ao capilo do porto, autonsando-o a contra-
tar jangadas e remadores para se prestar or-
ro no casi de dar se inuodaedes no rio Canteara*
e dispr de outros meos ralispensaveis a es5o
Um. -
Ao Dr. director geral interino da iostruc<\..
publica, declarando ficar inteiralo pelo seu xffl:i
de 17 do correte sob n. 234, de havsr o eonsa-
lbo director approvado em sesso de 27 de maio
ultimo a obra-Elementos de Grammatica Portu-
guezapelo padre Jernimo Emiliano de Andra-
de, aftra de ser asada oas escolas publicas, do
conformidade com a deliberarlo lomada pelo me>-
rao conselho em 29 de outubro de 1868, e appro-
vado pela presidencia em offlcio da 6 da fevereiro
de 1869.' ...
Aoengenhero encarregado das obras mili-
tares, mandando ccncerlar com urgencia o arrom-
harnalo do xadrez do-hospital militar, feito pelos
presos nele recolhidos.Communieou se ao bri-
gadero commandante des armas.
Aojniz de direito da comarca de Ttearalu.
enviando, em resposta aoseu offl:io de 15 de mai.,
ultimo, cjia do que dirigi o director geral inte-
rino da instmeco publica, sobra a nome*?ao d
um sacerdote para reger interinamente a eaoaira
creada no aldeiamento do Brej i dos Padres.
Ao commaudaote do eorpo policial, aotori-
sando-o a engajar, sendo idneo, o paisaoi Ja-
quim de Barros e Silva, de que trata o seu aBsia
de 21 do corrente.
A' Illma. cmara municipal do Reeife, aato-
risando-a, como solicita em offlcia de 13 do cor-
rente, a despender mais at a quantia de oOOJWi
com a eonstrucco do mausoleo destinado aosiowo*
do 2* baro deltamara?, visto ter sido insumien-
te a quota consignada no 4* do art. f da le d.
1815 de 13 do janho do anno passado ; devend i
correr o accrescimo desta daspeza pelas sobra*
de outras verbas da mesma lei.
A" de Aguas-Bellas, aecusando a re:epco
aoseu offlcio de 13 do corrente, em que partici-
pa haver-se na mesma dala inslallado a respectiva
villa o lomado posse a mesma camara.-
Ao presidente e membros do conselho do
qualifleaco da guarda nacional do municipio d
Rio Formoso, declarando-lhes em resposta ao seu
offlcio de 20 do corrente que o inspector da the-
souraria de faz-rada ponderou era offleio n. 339 d*
5 de3te mez, junto por caia, sobre o fornecimen-
to dos livros pedidos em 23 de maio, o que nest
sentilo se offlciou ao commandante saperior d
guarda nacional desse municipio a 8 do corrente.
dando-se de tudo sciencia em offlcios dessa data
a esse eonselho, a quena se adverte que quand >
liver de dirigir-se a presidencia faca-o aom a de-
vida aitencao, e nao do modo incoaveoiaote per
que Qnalisaram o sea dito offlcio.
Ao ongenheiro chefe da reparticao das obras
publieas. remllenlo, em setucao ao sea offl:io fl.
13 do corrente, copia da informaco prstala ea
21 pelo inspector da thesouraria provincial, acerc
da quantia pedida pelo tbesoureiro dessa repart-
cao para occorrer s despezis com os reparos e
conservaco das obras em administrado no diti
Ao mesmo, aatoriaodo-o, como |propus em
sea offlcio de 21 do correte, a encarregar ao
conductor, que tem de assistir fundaco da ca-
deia de Flores e outras obras em construyo em
varios lugares, do exame do acude de Villa Bella,
arrombado pelas grandes chuvas, como commu
nicou a cmara municipal respectiva no offlcio a
que se .refere o sen. Commaoieoa-se mesmi
cmara. ,
Ao ongenh.iro fiscal da estrada de ferro da
Caxang, declarando llcar inteirado pelo sao offl-
cio de 23 do corrate do accideote que se dea na
mauh de 24 na ra do Conde da Boa Vista ora
frente ao becco dos Ferreiros pela morte de ora
boi que. atravessava a linha quando o trem pas-
ma, resaltando o desencarrilhamento da machi-
na o o onsequeme.retardamento as
.=, a tahila indass Dor copia, approvaia pro- u o u wujvhuvu.s.vW-- -
vUori^eme, da arbitramente da. "W P"a." P??tidl dos re*peeUro trena; *m*J*J*
pracas do exercito eda guarda nacional destacada
*>

.
videncias que tomou acerca dos empregados, a ea-



--
/
\
)
I
*
)
#.
\.
\
Ao le* gado Je s.licia do termo do Braja,
renjettoido, tva satfsfica> ao seu pedido constante
do offlcio ds & de correle, copia do decreto o.
3572 A K'A ietenibro de 1865, na parte trae
Ib dii rete. etto.
Ao Dr. Mf Francisco de Arrnda Falcio,
oaaro di eowaissao censium da freguena do
Cafco, direwlo qoe os ootroi membros da commis-
sao eensttaria dessa freguena sao : o raajor Um-
belino de Piula Soma Lea, tenante coronel los
le Moraes G ornes Ferreira, major Jos falo do
Reg Ramio, e o vitarw Jee Lat Pereira de
Vueiroa, aos quaes ja forem remettidas as circula-
res acompaubadas do regulamento, que baixeu
m o deemto n. W; de 30 de deten bro ulliejo.
coa os quaes deveM eoteoder se, t^ado em vis-
ta o-meemo regu'ns>?nto e portaras.
Aos agentes di mpauia de navegacio ora-
seira, mandando lar transporte para a corte no
>*por Paran coarta do ministerio da guerra ao
alfares praduaflo loao Antooio de Barros Laeerda.
-rCommanieoo^se ao brigadeh" cominaodante das
armas.
Aos usnaos, iden.ao alteres Manoet Lniz dos
ntsar sea amtivewaro nauiieio cMeedea caria
"de IwferdM* aos *sos e^raver-Anven*,! ff ao
nos, e Mariana de 17. arabos solteiros. ,
O Afrimtftr, da Parahyba ao Vji, de bostem,
releen :
O (atendeiro desta manicipio, o Sr. Vicenta
Rodrigues da Costa, libartoo na pia baptismal as
innoentes Libania s Aoastacia, sendo aquella as
cid a 6 do setembro da 1871 e esta a 20 da da-
zembro de 1870, Albas da anas es raras Maria
Eliza.
Consta-nos lamben qne am oatro hcendeiro
deste manicipio alforriou 35 eseravos qne possai.
com a condlcio de servir restrictamente por 16
anaos a si, ana mnther e Qlbos.
Era Piailaraconangaba o Sr. major Joaqaim
Carlos de Noreona conceden Nberdada aos seas
eseravos Raphael, Banto, Ananlas, Matbeus, Lu-
ciano, Joaqun e Elias, ssm cenicao alguma.
E O socio da sociedad Aotparo da Virtode, ao
Lavradlo, Francisco da CaJta Rodrigues, pot oe-
casiiQ da festa qae-boave na quarta-felra prxi-
ma patsada concedan liberdade' a nma
ta feira 24 d
Julho d. 1372

Rtise I' catate Joo lose de Andrade Pinto.Fea- crava de nam-o Mara IsabsJ, de 9 annos da ida-
de. A carta foi lavrada e assignada drenle a
sesso, servindo da tesiemunbas os membros da
se igual conmuoicaec.
RPKBIENTE *e SECRBTMOO.
Offlcios:
Ao bacliarel Joaqaim Cordeiro Coelho Ciotra
aecewando, de ordena do Uxra. Sr. desembargador
presidente da provincia, a recepcao de sea offlck)
de i*, do eorrente, en qaa pariecipon ler nessa
data recesa nido o exercicio do cargo de jaiz rru
oieipal e de orpbaus do termo de Goyanna, pas-
eando a onOslituir o juti de direito qua est com
lense, e dudaran lo qne tlcatn abonadas as fallas
qnedeu.Comrauateoa-se ao inspector da thesou-
raria de fareoefa.
Ao jais iDunicip-il do Cabo, aecusando, de
ordem do mesmo taca. Sr., a recepcao do sen of-
ejo de 23 co crreme, em que explica o edltal
desse juizo a respeito do escravo Nilo.
Ao bact arel linli de Meoezes Vasconcelos de-)
Drumond, aecusando, da ordem do mesmo Ex n.
'Sr., a recepcio de stu offlcio de 52 do crrante,
em que parieeipa ter nessa data entrado no goso
da liceoca c deixoa ocx^rclcio do cargo de adjunto do pro
motor publico la comarca do Ro Formoso no ter-
mo de Sarnhaem.Cmraoaicou-se ao iospeclor
da tbesourai'ia de fas>nda.
Ao Sr. Aelooio do Carvalbo e Albnqnerque,
aecnsando, de ordem do mesmo Exra. Sr., a rece-
S. M. o Imperad >r, acompanhado palos seui se-
manarios, visitn bontem, as 10 J/a horas da ma-
abia, o bospital militar da corte e suas dependen-
cias, de onde dirigile, ponco depois, do meo-dia,
para o imperial observatorio astronmico, onde
Sob a denirainacio de Mutualidade acaba de
ser fundada nesta praca urna associacao nacional
de seguros mataos sobre a vi la e contra incen-
dios, esiabelecendo ao mesmo lempo ama caxa
geral de economas mutuas.
Hornera a 1 hora da tarde, a convite do Sr. Dr.
Joa) C Cervatto de Stockmann, fundador da as-
z>5o do seu cfBeio do
partecica ter assomido
jaiz municipal do tern
bsioto do effeciivo e,do
communicacao.
^-Ao geronla da
mandando, de ordem
passageni do estado a
Aegelica de Cdrvalbo
aos agenies da
correte, em que
cicio do cargo de
nbaem no imped
me.Fez se igual
a psrnarbacana,
Exm. Sr., dar tre>
Aracajd, a Mara
us nlhos menores.
ehra de navegar ira-
sileira, deenrando, de" ordtm do mesmo Exm. Sr.
que o vapor Paran, chtgado nesta data dos por-
loe de norte, podeo seguir para os do sal no da
e hora indicados em seu ffleio.
0ESPACej D.V PRESIDB.fUI\ D 21 DE JCLHO DE
1872.
Aima Jjaquiaa Peres Campello de Millo.
Informe o Sr. inspector da thesouraria
provincial.
Alexandrina Umbeliaa de Freilas Jha.
l'asse portara, prorogaado o praso por
qoarenta e cinco dias. *
Francisco deAssis Mjnteiro Pessoa.
Passe portara na forma requerida.
Dr. Felipps Nery Collafo. Pagae-se em
termos.
francisco Americo de AragSo Rabello.
Passe portara concadecdo a licenga pedida
nos termos da lei n. 1,063 de 13 Je junho
ultimo.
Hermilla#Fhresta da Canha Sales.Pro-
ve a supplkante o estado de molestia que
allega.
(Jjpitiio .haquim liilaoisID Civalcane de
Albaqaerqu?.Coio reqoer.
Padre Jo loorma o Sr. engeoheiro chefe da repar
j/o das obras frablicas.
Coronel Joaquim Cavalcaote de Albaque-
que.Informe o Sr. director das obras pa-
biieas.
.lolo Pereira Lagos.Iadeferido era vista
das informai;5es.
Bacbarel Lniz de Menezes Vasconcellos
de Dromnjond.Smsiste o despacho ante*
nor.
Manoel Joaqaim Torres Galindo.Defe-
rido com oflicio desta data ao Sr. conego
regedor dar gymnasio provincial.
Manoel Clemente Teixeira.Deferido com
ollicio desta data esmara municipal da vil-
la do Cibo.
Rita Cecil a de Franca e Mello.Inforine
o Sr. iospdctor da thesouraria de fa-
Flavio Jos dos S30tos e Silva.Deferi-
da com cilicio destadata dirigido tbesou-
lariadelazeuda.
SaereUria d presidencia de Pernambuco, 23
de julho de 1S72.
O porteiro,
Stlcino Antonio Riiriguis.
directora. Actos taes honram o digno socio e a
sociedade a que .perteece.
13
SS. MM. Imperiaes toraaram loto com sua cor-
te, pelo fallecimento da Sra. archidnqu: Sonhia,
Alna do fallecido re da Biviera^fajijpjrihno I, por
espajo de dona raei-?s, sendo HHf e ouiro
aliviado, a contar do da i do cotrOTle.
A exp idicSo esterideiK'e. t ^*^^L
leguas alm de Leaba ; Mariano fo
Carfucor e Baigorria. desapparecteo, eem
qo
Segundo m mijucioso e detalhado rela-
torio, ao goveroo ipresentadOpalo Dr. Ste-
lozer, professor de sciencia physiaas 8 ma-
t'nematieas da aniversidade de Cordo-va, exis-
tem ns provincias da Tacoman, Catamarca
la Kioja importaates minas de Cfrvio de
pedra.
RHhCRAVDB DO SOL.
Troaxe-nps o Caldern fs-Rias deita pro-
cedencra, cajas datas alcancam al 5 o
eorrente.
Refere) o Prlo de Bag :
< Urna lamentavel oceurrencia acaba de
dar-s no 2* districto desta termo, da qoal
resaitoo-a morte do honrado cidalo Joa-
quim Madeira.
i Em companbia delle viva am sea so-
brinho de nome Gamillo, que a tres para
qnatro mezes est soffreodo de alienac5i>
mental, e qoe no da 10 de junho, armado
com urna faca, teotava asaassinar a o meni-
no da casa em que resida. Aos gritos da
crianca acodia Joaqaim Madeira, porm o
desventurado louco avanca para elle e d-
Ihe duas facadas, cau-ando a marte instan-
tnea de sea prente e protector. >
Na mesma ddade fallecer o negociante
Antonio Manoel Pilar.
Fjllecra tambera, na capital, o eapitSo
de infautaria de linha Jos G mgalves Mei-
relles, nm dos bravos da campanha do Para-
guay. Deixa viuva e ama filbiaha em ex-
tremosa pobreza.
L-se no Constitucional:
Na no te de 24 do correte, no logar
denominado Parador, costa da serra, moni
no predio n. 59 da ra (os Ourives, timando a
presidencia da reumo o Sr. conselheiro Tilo
Franco de Almeida.
Procedeodo-se elefeo dos membros do conse
Iho llscal, obtiveram mainria devotos os Srs.:
coaseiheiro Aaiaoio Joaquim Ribas, para presiden
te ; Francisco Foster Vidal, para secretario hono-
rario ; commendador Antonio de Calizans Raythe,
Joaquim da Costa Ramalho Orligao e Antonio Jo-
s Alves Coelho, para vogaes; leuente-coronel
Jos Mara Pires Camargo, Br. Candido Gomas de
Vasconcelos Guanabara, commendador Miguel
Cont dos Santos e Miguel Augusto Alves, para
suppleote?.
A direccao geral da associacao cornpde-se dos
Srs.: Dr. Joo C Carvallo da Sd-kraaoo, direc
lor geral; Julio Laoglois Nossar, sob-director ;
Eduardo da Franca Ferreira, secretario; con?o
Ibeiro Tito Franco de Almeida, advogado ; Jos
Pedro de Souza Meirelles, corrector ; Banco Na-
cional, br.n oelro.
As garantas que offerece esta associacao sao :
1." O caiiital primitivo respoosavel de 300:0o;1*.
2. O capital em etTective que c,alara um diao-
te para a immediata iodemnisa^So dos iocendios
que occorrerem no modo e forma que prevn a
coodicihs e clausulas da apolice. '
3 A circamstancia de ser o segurado ao raes
me lmpo segurador, e depois ds pagos os siois
iros oceorrido ler elle dirnto ao seu q nho as
partilhas dos associados, sm proporcao do seu ca-
pital segurado.
4.*~A vigilancia consume da um craseibo fi-c.il,
eleilo em aseembla geral de associados, na forma
eslabelrcda nos estatuios, sera prejuizo da com
mnnicacao dos livros e documentos aos segurados
que qnizerem i-xamina-los.
3.* E oalinente : a notavel economa nos- pro
mos do seguro.
16 -
O Sr. Noel, ministro plenipotenciario da rep-
blica fracceza, junto repblica Argentina, acaba
de ser aomeado na mesma graduaco e carcter
junto do goveroo de S. M. o Imperador do Brasil.
qne altragia ao co*
instantnea, a Jos
INTERIOR.
ltio de Janeiro.
RECIPE, 8 DE JULHO DE 1872.
Escreve-nos o Sr. Dr. Tannay :
Aeabo'de receber urna carta do meu amigo o
Dr. Lago e tiansmilto-lbes os pormenores mais
interessantes :
< Cheguel hoje (l de junho) a^ilha de S. Bento
no Re Aragnaya. A'- o presente estou com todo
o aiaeo trabaihaodo na picada qne em ponco
lempo esr estrada marginal deste rio. Ta
abo ja 3o kilmetros feitos ; um dallas est
prompto era largura n ouiros tres, tomados de
empreitads, breve eslato concluidos.
O matio vrgem ;it hoje de p de boraara,
pelo menos civilisado. Muitas vezas elle com-
pletamente encharcado, o que rae obriga a procu-
rar as trras jUtas. E' um obstculo lerrivel, mas
olio desanimo.
Nos prirreros das de agosto estar na Ita-
boca para ver o qne poderei fazar, aliai de me-
tborar as cav.heeiras de:ta diffictl navegado do
Tocantios/i Ai aguaya.
Acho que o goveroo de ve empenhar todos os
aforaos alnn ce eolonistr este grande valia.
A riqueza est principalmente na trra que
nbernma. As matas nao sao tao dignas de ad-
mirado como 7. pie crer. A vrgetaco quasi
semeinante a dos capes de Matto-Grosso qne V.
studon. As madeiras de constroccio sao raras,
rauito espalbadas.
* As descripedes rae nos fUeram desta zona
sae tedas faisn. Piotaiam nos raaravilhas eso
oeeatraeos os incommodos inberantes vida do
deserta.
c At tenho tido med da forne. Nessas oeca-
sifies bera rae* lembro do V, porque junio a sa-
graramos na oussa exploraeo serra de Maraca-
ja, em Malto-G-osso.
c Vitilei dea; trtbns indias : dos Aoarnbis e
Apinag*. A prlmeira babtta no logar chamado
Arapary, pertode Tocantins, anda vestida e est
ponco mais ce menos civilisada. A segunda
qnasi selvagem. Vivm no distrieto da Boa-vista,
< Tanho disposiiio dd mnito trabalbar. Em-
inanto liver sale, irei para diante. *
- 9 -
Por deereto de 6 esto mer foi o bacbarel em
direito Lw Ci.etano Pereira Guiraares Jnior
aomeado addido de 1* ciarse legaeo deste Im-
perio na repblica da Bol. va.
Falleceu hontem e sepulta se hoje as 10 horas
da maoha no cemiteiio de S. Joo Baptista, o con-
selheiro Dr. Joaquim Octavio Nebias ex-rainUtro
da Justina, ex-deputado assembla geral pelo 3*
distrieto da provincia de S. Paulo e actualmente
jaiz los feitos da fazenda nesta corte.
O conselheiro Nebias lomou parta eonsiJeravel
as Duj-aa Iotas polticas; mas, posto nellas se
envolvesse com todo o atdor de suas coovicooas,
nunca desmentidas, sonbe pela sua slzodez e leal-
dada merecer de seus adversarios respeilo igu eslima e amizade que Iba consagravam seus ami-
gos polticos.
Como magistrado gosou sempre do mais lison-
geiro conceito.
O Grande Oriente BraMIeiro abri solemnemen-
te, ante-hootem s 7 '/z boras da tarde, o seas
corsos pblicos gratuitos de lingaas e scien^ias.
applicadas s artes.
Acharam-se presentes mais detrezentos raar;:ns,
sob a presidencia do Sr. desembargador Maoool de
Freitas Travassos, e os 291 alumnos j matricula-
dos.
Depois de varios discursos em que foi exposto o
pensamento que dictara a abertura daqnelles cor-
sos e felicitados os que erapreheoderam to impor-
tante trela, forana nomeacbs os professerea e
adjuntos para a) diversas eadeiras, terminanlo a
solemnidade s 9 boras da noite.
/
Palkiceu {inte hontem i noate o corono! Nor-
foert J Angosto Inopes, commandante do batalhao
de arlihana da juarda dscobI da edrta.
Servia ioterinimeate do coaioandante superior
da mesma gnard.i,
- l -
Foi conferido bontem na Escola Cantral o
grao e bicharel em seisncias matbemalbieas e
pbysicas, ao Sr. capio do i* regiment de arti-
maria a eavallo Cesarlo de Almeida Nobre Se
Gvanlo.
- 12
O Sr. tenenle Jo5o Martins Tosa Scbrinho,
- i licjub de 20 s patudo qacrcaa colea-,
sociat;o, raoniram-se varias pesioasMnteressadas,- cpj0 ae Taquary. Jo5o NerT Bueno, assas-
sinra, com urna facada
racao,-sendo a morte
Teixeira Santiago.
c O assassino evadia-se.
O Sr. Antoaij Soares de Lima, do Rio-
Grande, alf rrioa seos eseravos" Jo5o, Jos,
Ignacio e Josepha.
Falleceram : na mesma cidade, o portei-
ro di tbesboraria Jos Jjaqnim da Rocha,
e em Pe'otas o negociante e proprietario
Felippe J>aquim Xavier.
Este ultimo era natural de Santa Camari-
na e contava 99 annos de idade.
s. PAULO.
As ultimas datas recebidas sao : Aras,
Loreja e Piodamoobaogaba 2, Campias 7,
capital 10 e Santos II do corrate.
Rea isra-se no dia 7 a reumo da assem-
bla geral da companbia de seguros marti-
mos e terrestres denominada UoiSo Paulis-
ta, para o fien de eleger a directora e con-
selho fiscal que teern de presidir ios desti-
nos da companhia durante os tres primeiros
annos da sua durado. Peram representa-
das 5,375 acfes, e sabiram eleitos por
grande maioria de votos:.
Presidente, barSo doTiet; directires,
coronel Antonio Proost Rodovalbo, tenente-
coronel Bento Jos Alves Pereira, Rodolpho
Weosten e Jayme Romaguera Filbo.
O conseibo Inca I ficou composto dos Srs.
commendador Nicolao Vergueiro, r. Dalra
Rodrigues e Dr. Theodoro Reicher.
No dia 4 ebegou pela primeira.vez a Cam-
pias urna locomotiva coaduzindo cinco
wagons com trilhos ecarvai. Foram nesse
trem o Dr. Falco, presidente da Compa-
nhia Paulista, e o engenheiro liscal Dr.
Dias.
No dia 8 houvera defezi de iheses na
academia, sendo approvado o Dr. Jos Pe-
reira Terra.
No mesmo dia omegra-se o assenta-
mento de trilhos para os bonds da cipi.
De Cifapava communiearam ao Pinda-
monhangabense qae no dia 2 fra barbara-
mente assassinado o fazendeiro daquelle
municipio Easlaquio Antonio de Brilo Gan-
di, por dous dos seos eseravos.
Refera a mesma folha:
< A ponte sobre#0 rio Parabyba ba mDi-
tos annos que ameaca ruina, e boje, amea-
Cando mais" que ruina, ameaga tambera a
fortuna e a v'da de todos aquellos qae por
ella transitam.
f Admira, mas real, que sobre um rio
da ordem daquelle de que tratamos, em
urna estrada da importancia daqiella a que
nos referimos e que concorre abundante-
mente para os cofres pblicos, exista urna
ponte no estado desta, que impede a passa-
gem mesmo aos que camiobam a p. >
No dia 5 varios c:dad3os, representando
todas as classes da sociedade de Campias,
offereceram no hotel Oriental am jaratar de
despedida ao capilao Ewdrton, commandan-
le da forga de futileiros, que all se acbava
destacada ba cinco mezes, e que no dia
itrjmediato recolbea-se para o seo batalho.
Cootinuava a grassar a bexiga em Santos,
com carcter epidmico.
Na noite de 9 fra esbordoado dentro de
sua propria casa, por nns 20 marioheiros do
vapor jnglez Rydall Hall, o negociante An-
tonio J. Luiz Moreira.
t O offendido defenden-3e em qoanto
pude, diz a Revista Commercial, e qoando
sua situacSo mais se aggravava, aproximoa-
se o Sr. Jos Ferreira dos Santos, que cha-
moa soccorro por meio de am apito. S
depois qne os marinbeiros fogiram foi qae
appareceram duas patrulbas, qae n3o os
quizeram perseguir por estarem em numero
inferior a elles. Erara ao todo seis pra-
cas.
Falleceram : em Taobat o Sr. Benedicto.
Googalves de Oliveira Bastos, e em Campi-
as o abastado fazendeiro Antonio Correa
Barbosa e o Rvm. Miguel Archanjo de Cas-
tro Camargo.
ESPIRITO-SANTO. "
Temos datas da capital ate 8 do correte
e das Cacboeiras do Itapemirim at 30 do
passido.
Haviam ebegado da Europa 59 emigran-
tes na barca Hara Hydau II e 170 do pa-
tacho Anna Helena, todos allemes.
Fallecer o capltio Jo5o Ctarysostomo de
Carvalho.
RIO DE JANEIRO.
Por decreto n. .4,968 de 24 de maio ul-
timo foi mandado executar o regulamento
consular desta data, em substituido do de
II dejunbode 1847.
Es ae noticias ceaaaerciaes da ulti-
ma data :
< O mercado de cambio sobre Londres
tem apresentado maita firmeza, e fecboo
hontem a 24 3/8 d. para o papel bancario
e de 24 1/2 a 24 3/4 d. para o particular.
Nada se tem feito ltimamente sobre Franca.
As plices geraes de 6 % tambera
teem apresentado firmeza e tendencia para
altj de pregos. As ultimas rendas/oram
reasadas de i:01d a i:Oi70o f; mas hontem lizeram-se ffrtat a
^Hfs qoe os posauidores rejeitaram,
Tornou o nosse mercado deacc58s de
baocis e companhias publicas aaquiriro
antig > estado do animafSo e actividade. As
transaccSes qae ltimamente t realisaram
foraoi, em geral, regalares; mas dos tito-
Ios do banco do Brasil o movirnento foi
avnttido, e com alta de precos. as ulti-
mas vendas foram pagas as cotages seguin-
tes: banco do Brasil, 470 a 494 de pre-
mio, a diobeiro, 600 e 610 Ato, a prazo ;
banco Commercial de Pernaalbuco, 20500
dito ; companbia de carris de ferro de S.
Luiz d MarauhSo, 200 dito; ditas de Per-
nambuco, 1300 dito, a dinbeiro.
c Os soberanos teem apresentado cons-
tante frouxidao, tendo os precos baixado
atV9800 ; hontem, porm, a ultima hora,
mercadb melhorou alguma cousa, e am
lote de cerca de 7,000 soberanos alcanca
90840, a dinheiro. Nada se fez em ooro
nacional. Tem bavido algama abundancia
de dinbeiro e facilidade ]de descontos ; ou-
tras t ixas regularam de 6 1/2 a 3 */,.
BAHA.
Lemos no Jornal:
Arnbou este porto a barca ingleza Bes-
sie H.. que com carregamento de carvSo re-
gnia ce Cardiffpara a liba de CeylSo.
O eapitSo, tiavendo no dia 9 do cr-
rante determinado am trbalo o ao mari-
nbeiro Hadson, e n5o tendo sido mmedia-
tmente obedecido por allegar este que nao
tinha almocado, encolerisou-se a ponto de
armar-se de nma espingarda qoe, ao dis-
parar errou o tiro; descendo cmara,
de novo carregou aquella arma e subiu com
ella e mais um rewolver: o i piloto e um
marinbeiro procuraram dissuadil-o do si-
nistro intent), mas elle reluctou disparan-
do sobre o dito piloto, qae ficou grave-
mente ferido.
Foi preso pela tripolago qoe desde
hgo procuroa este porto, e allega embria-
guez.
c Aps as visitas da polica e alfandega,
desem iarcou o enfermo e foi recolbilo ao
bospital de caridade. >
< No dia 16 depois da leitara da prova
escripia, leve logar na faooldade de medi-
cina o jnlgamento -do Dr. Jos Alves -de
Mello, concurrente ao logar de oppositor
da sec;I!> accessoria, o qoal obteve apenas
5 votos contra 9.
c Fallecen bontem 18 e sepulta-se boje
s i horas da Urde no cemierio do Campo
Santo 3 Sr. Jos de Azevedo e Almeida. n
gocianie desta praca e proprietario da fa-
brica 2 de Julbo no Cabrito. >
A alfandega renden de 1 a 19 do cr-
reme 539:7210460.
O cambio regalava sobre Londres 24
1/2 .i 24 7/8 d., e sobre Hamburgo 720
res.
ALAGOAS.
Fallecen, victima de antigos padec-
mentos, o Dr. Antooio de Carvalho Ra-
poso.
PEBNAMBUCO.
Ante-hontem s 4 '/2 horas da tarde travoa-se,
na e.-uiagem da ra de S. Leopoldo n. 1, grande
desordeno e tnta entre o italiano Salvatore Capello
e Domingos Leal, Qcando aqnelle ferido levemente
Conduzidos os dous presenga do respectivo
subdelegado pelo major Contreiras, coramandante
da 8* esisgao, ordenou aquella autoridade por em
liberdade o ferido e recolber Domingos ao xidrez
da estacao.
Apenas se vio solt, Salvatore, regressou para a
estalagem, e, reonlndo se a dous seus irmos,
iraveu lula com Luiz Tourisco. Qoanio acudi
a polica, achava-sej este gravemeate ferido, ten-
do recibido varios golpes de navalba na cab-gi e
no oaixo ventre e urna punbalada no peito do la-
do do coracao.
Ao ebegar a polica, fagiram os tres aggrevo-
res, atirando nm delles a navalba, com que se
achava arreado, para o lado das obras da Jgreja
deSaot'Anna, onde depois foi ella encontrada e
entregue a autoridade; sando, porm, persegaidns,
foran presos Salvatore e Luigi Capello, tendo con-
seguido evadir se o tereeiro irmao.
O ferido, tendo sido levado para a 8* estacao,
sucenmbio poucos momentos depois de all che
gir; nao se tendo podido applicar-Iha nenhnm
soccorro medico, to proaopta chegoa a morte.
O commandante da 8* estadio coaopareceu no
lugar do crime e lomou conbocimento dos fact03,
mandando levar os dous assassinos presos pre-
senta do subdelegado do distrieto.
O cadver da victima foi entregue -ua familia.
DIARIO DEPERNAMBUCl
RECIFE, 24 DE JULHO DE 1872.
Noticias do sur do Imperio.
Hontem s 1 i boras da manb fundeou
em nosso porto o vapor brasileiro Cear,
trazendo datas: do Rio da Prata !*, do Rio
de Janeiro 16, da Babia 20 e daa Alagdas
22 do corrento.
Alm do que damos sob as rubricas Par-
le Offkial e Interior, eis o que encontramos
nos jornaes.
RIO DA PRATA.
Continuava pela impreosa a ser discutida
e commentada a opportuoidade da missSo
do general Mitre junto ao governj impe-
rial.
No qoe, porm, est5o accardes em fa-
zer cal-.r as rixas intestinas desde que se
trata da grave qaesto de paz ou d3 guerrg
entre o Rio da Prata e o imperio.
Conbeciam-se detalbes do triompbo obti-
do pelas forcas do general Arredondo e co-
ronel Hoco sobre os indios Ranqueles.
Conseguir o general Arredondo deseo-
brir o novo acampamento de Mariano Ro-
jas, graeas ao recarso de intimidar com a
morte dooi indios colbidos em ama cor-
rera:.
roe a 1:0200 a prazo
prestigio, nacbnal de
curto. As doosm-
1863 iV-iflCJiaffi
REVISTA DIARIA.
S0CII5DADE EMAMCtPADORA.-Em sesao de
aTsembtoa geral, de SJ do crreme, resolveu esta
sociedade eleger novos membros para a direccao,
em subsiuicao dos qne nao aceitaram os cargos.
A direccao ficou assira composta :
Presidente da assembla geral.Coronel Pres-
clliaoo de OarrrS Accioly Lins.
Presidente da) direccao.Coroael Anlonio Go-
mes Leal.
Vice-presidente.Lniz de Moraes Gomes Fer-
feira.
t 1* secretan?.<-Dr. Adolpbo Lamenha Lins.
I* secretario.Manoel Jos da Silva Gnimares.
Thesoureiro.Lniz Gongalves da Silva.
AdJoii-to.-Dr. Manoel de Barros Brrelo, R
Kurk-^mberg. Dr. Estavo Civalcanti de Alou-
querqw, Dr. Jos Eustaquio Ferreira Jacobina,
Dr. Gervasio Rodrigues Campelio, Lniz Jos da
Cosa Ainorim, Dr. Paulo Jas de Oliveira, Joo
Jos Rodrigues Hendes.
Quarta aira ao meio dia no Ctob Pernambnca-
no naver rennio da direeloria.
RCENSE A MENT D\ POPULACAO.-A com
missao censuara de S. Jos desta cidada, eom-
posta dos Srs. rtvrr. eonpgo vigario Joo Jos da
Costa Ribeiro, e padre Amonio de Mello e Albu-
qaerqne, Joo flaptista do Reg, Jos Lopes Das,
e prufesior Fel.x Paes |'a Silva Pereira, em ren
nio da (lia 13 do cerrada, dividi a fregnezia em
27 seccoss, e noraeoa para ellas os respectivos re-
censead( res, enjos nomes sao os segnintes :
Professor Joo Jos da Silva Jnior, eapilo Joo
Cezar Cavalcanti, Ciandino Jos de. Cerqoeira,
advogado Leopoldino Antonio da Fooseca, Affonso
da Cruz Mnoiz, Miguel Gomes de Barros, Joo
Soares da Fonseca Velloso, Benjamn Martinano
dos Anjos, Joio de Sena Barbosa. Francisco Cie-
taoo de Asis, Joaqnim de Paula Lyra Flores Fi-
Iho, Jos Lniz da Cosa Rocha, Pelix Jos Ferrpira
de Carvalbo, Feliciano da Fonseea Gomes, Jao
Xavier Faustino Ramos, Joio Ferreira Pinto Gui-
mares, Belchlor Miguel dos Santos, Francisco da
Costa Ramos, Jos Amonio Candido de Lyra, Fran-
cisco Jos dos Santos Honorato, Sabino Vennsti
niano Rouo de Luna Freir, Agoslinbo Jacome
Bizerra f'essoa, Manoel Rodrigues do Reg Matta
Fernando de Carvalho, Miguel Jos da Cesta Mei-
ra, Manoel Felippe de Gouveia Cavalcanti, e Fran-
cisco Egidio da Luna Freir.
DINHIRO.-O vapor brasileiro Cear treuxe
para :
Jos Rodrigues de Sonza 3:0001000
Manoel Manins Pinza 2:000*000
Baro de Nazareib l :408<000
Jas da C de Oliveira Figneiredo SOOaTOOO
Narciso J. Ferreira & Filno OOaOOO
Jos dos Sanios Naves 200*000
VaPOR CEARA .A demora deste vapor foi
devida; 1* a ter elle encaltudo dentro da baha do
Rio de Janeiro no baneo de arela existente entre
o arsenal de gnerra e a fortaleza de Villegaignon,
quando sihia no dia 15 do eorrente para o norte
do impero, sarando-se apenas nonte desse dia,
pelo que s reallson a sabida a 16 ; e 2* por ter
tomado multa carga no porto da Baha,
FERfMENTO LEV&-No dia 20 do eorrente
nonte, foi ferido levemente na eabeca, por um
tambor do 1* batalho de infamara da guarda na-
cional, o Sr. Antonio de Sonza Campos.
TERMO DO RIO FORMOSO,-Com o praso de
sessenta das, contados de 11 do crreme, aeha-
se a concurso o provimento vitalicio dos offlcios de
escrivo de orpbos, ausentes, capailas e residuos
do terme do Rio Formoso, vago pelo fallecimento
do serventnaro Jote Gomes Coimera.
MAO PROCSDIMENTO.-Moradores da ra de
S.Jorge no pedem para chamar a attenco de
qoem competir para nma professor particular que
ahi foncciona, a qnal castiga brbaramente as
alumnas, a algunas das quaes tem postoas maos
sobre a meza para que prodnzam mais effetos as
palmatoalas. A ser exacto, ejse procedimento ca-
rece punico.
MISSA FNEBRE. O Sr. teiente coronel
eommandanle do corpo de polica a a respectiva
offlcialidade, mandara boje, s 9 horas da manb,
celebrar, no convento dos religiosos Carmelitas.
um solemne offlcio por alma do alferea do mesmo
corno Antonio Hnriqoei de Miranda, qne no da
16 do crreme foi brbaramente assassinado, na
cidade de Carnaii, onde se achava desicada,,
NOVO ATHEMEU.-Reuni-se esla associacao
no sabbado sdb a presidencia do Sr. Eduardo
Jayme.
Depois da leitara do expediente, passgo-ss no-
meacao do ihesonreiro, qne reeabio no Sr. Ber-
nardo Lind^pho de Mendonca.
Entrndose na ordem do dia, qne era discnsso
de varice projeetos adiados. ol reqaerimenlo
da nm socio preferida a urgencia para a 2' ds
cusso do plano d'ania pratlea. Posto em discos- i
sao foram aprsenlas e approvadas varias emen-
iu iteiifrte, a xer;urinEtc fie Sr. Yi I
cenia de Le'Dos. a 3.* diseaeeie, Sean lo deede
toga Sm vigor.
Procedea so ao sorieio para oh cargos da ios-
tttuicio flo jai y, cuja pnraeira sesso tari lagar
no dta i reito, o Sr. Francisco Ijldoro Rodrigues da Costa;
promotor, o Sr. Joo Amerieo de Carvalho ; ad-
vogado, o Sr. Antonio Ctemenlino A. Llns ; eecrl-
vio, e Sr. Francisco do Reg To>cauo de Brito.
Hoje s S boras' baver sesso ordinaria, para a
qnal sao convidados lodos os jucoj.
ENTERRAMENTO E RRIGA.- Tendo fallecido
han em e devuado ser dado a sepultara, tarde,
nm preto de tiaco Congo, i quem os pareeiro.'
chamavam Duque de Congo, na occasio em que
deva sor eonluzido o corpo para o cemiterio pu
buco teve lujar na pona da igreja do Resano
nma calorosa rieba entre os preos all congrega-
dos. Uas qoeriam que o morro fosse levado
mo at a sua ultima morada, outros porm opi-
navam para que fosse elle eondnzido em nm
carro fuaebre, qae a irmaodada do Rosario man-
dara vir em aitenjio qnalidade e serviej do
finado Duque.
Travada a disputa, e finalmente a lata, acuda
a polica e procarou accommodsr os tarbaleo-
tos. Estes, porm nao estiveram pelos amos, e
voltaram-se contra a forca publica, que, assim
desrespeilada, vln-se na necessidade de empregar
nelos algum tanto enrgicos, mais talvez do que
convinba, para raanter a ordem.
Depois disso resolvente o problema, indo o
cadver do tal Duque no carro faoebre, como
qaeria a irmandade do Rosario peda a aristo-
cracia da naeo Congo.
A NACAo.Tal o nome de nm nove campeio
que, na imprensa jornalistica da corte, substituio
o /oran/ da Tarto, que eesson de apparecer deads
o dia 3 do eorrente.
O novo jornal propriedale do nosso compro-
vinciano o -Sr. Dr. Joo Juvencio Ferreira de
Agniar, qne naturalmente o sea principal re-
dactor.
Recebemos os primeiros nmeros da yacao, e,
agradecendo a hondada, continuaremos a remol-
ler i ana redaeco a nossa folha, como raziamos
para com o Correio da Tarde.
SOBRB A QUBSTAO ARGENTINA.-X' prep-
sito da quesio argentina, motivada iel.1 imperii-
nencia ioqualificaval do goveroo de Buenos-Ayres,
o Exm. Sr. bara de Colegipe pnblicou, na "pro-
vinciana Baha, nm opsculo, sob o ltala: As ne-
gociares con o Paraguay e a nota do governo Ar
entino de 27 de abril, eontendo urna carta por S.
Re. dir.gid* ao Exm. Sr. conselheiro Manat
Francisco Correia, ministro de es-lrangeiros, na
qaal o illnstre negociador dos tratado celebrados
entre o Brasil e o Paraguay discate a referida no-
ta, assigoada palo Sr. Tajador, e rectifica as fal-
sas allegacdes do ministro argentino com referen-
cia a actos pratica ios pelo enviado brasileiro.
A referida cana digna de leitara pela mnia
luz que langa na quesio argentina e pelo mnilo
qae diz em prol da lealdade e boa f do Brasil e
conira as ambices pretenciosas e m f da nossa
alijada do Prata.
Agradecemos a remessa de am exemplar desse
opuicnlo, e brevemente trnseme-lo-hemos em
nossas eolnnmas para facilitar-ihe a lettara.
THEATRO GYMNAZIO DRAMTICO.-Os artis-
tas fraoeezes madama Valerio e Sr. Valier do ho-
{'a nm espectculo variad), no iheatro Gymnano
)ramatico. Artistas de mrito real,depois de
(erem trabalhado com applauso3 no sul do impe-
rio, vieram ellas a esta provincia tornar-se conde-
cidos, e diertndo o publico, colher algara resul-
tado qae Ibes sirva .a reparar as pardas qae sef-
freram no sea pas por occasio da guerra franco-
prussiana. Recommendamo-lo ao nosso pu-
blico.
DlC:iONARIO DE BOTNICA BRA3ILEIRA.-
Por todo o mez da setambro prximo deven aqu
cnegar alguna, exemplares deste importante tra-
balho do fallecido pharmacealieo Joaqaim de
Almeida Pinto, cuja impras-o acaba de ser con-
cluida no Rio de Janeiro, sob as vinas e as ex-
pendas do Sr. Dr. Zi'-nao da Almeida Pinto,
faltando apenas gravuras, que foram confiadas ao
Sr. Carlos Schnenha, nm dos melhores artUlas
allemes ne Pesfa que vio algaraas foibas de irapresso,
diz-nos ser o trabalbo ntido e bem acabado.
INSTITUTO ARCHEOLOGICO E GEOGRAPHI-
CO.Nao tendo comparecido terceira rennio
os S-s. Drs. convidados para a conferencia medi-
ca sobre o crneo do padre Joio Ribeiro Pesso, e
na quarta compirecendo someole os Srs. Drs. Pi-
tanga e Pereira do Carmo ; a commissao especial
ao Instituto, pala quinta vez, convida aos mesmos
Srs. Drs. Joio da Silva Ramos, Syrapbrnio Cezar
Coulioho, Esteva) Cavalcaote da Albu^uerque,
Prxedes Gomes de Sonza Puauga e Alexandre de
Sonza Pereira do Carmo, para comparecerem
araaoba pela meio da, aun de erminar-se esse
Iribalh, com a reaposta aos iraesitos apresenta-
dos pela commissao do Insinto, e poder esta,
cora esse auxiliar, dar a aquella sociedade o seu
relatorio. Isio posto, a commissao roga o com-
parecmento daquelles Srs. e dos socios e mais
pesrc'us qae qneiram assistir a esta ultima confe-
rencia medica, na secrelaria do Instituto no dia e
hora indicados.
LOTERIA.-A qne se aeba venda a 13*. i
beneficio da nova igreja de Nossa Senhora da Pa-
nha, a qual corre no da 27.
PROTESTO DE LEFRAS.-O eserivao dos pro-
testos Jos Marianno esla de semana ra do
Imperador n. 12.
HOSPITAL PEDRO II.Movirnento deste esta-
balecimento do dia 15 a 21 de julho de 1872
foi de 308 existentes : entraran 50, saturara 30
falleceram 8, existem 320, sendo 210 bomens e
110 mnlberes.
Advertencia.
Foram visitadas as enfermaras estes das as 7
1/2, 7 1/2, 8, 8,10 1/2, 8 1/i, pelo Dr. Ramos; as
9.10 i/i, 11 l/i, 10 1/2,10 l/2.pelo Dr. Sarment ;
as 8. 8 1/2,9,8 l/i, 9, 8 1/2,9, pelo Dr Mala-
quas ; as 8, 8 I/i, 9, 8 l/i, 9, 8 I/i, pelo Dr.
Vanos,
Fallecidos.
Antonio Jos Baptista ; miente chronisa.
Lundina Mara da Conceico : tubrculos pulmo-
nares.
Julio Mara Ferreira ; cancro nos labios.
Dativa ; cacbexia.
Mara Epiphania ; tubrculos pnlraonases.
Maria Josepha do Nascimento ; tubrculos pulmo-
nares.
Claadioo Francisco de Sonza ; epilepsia.
Emilio Manriques da Silva ; tubrculos pulmo-
nares.
PASSAGEIROS.-Vindos do sul no^apor Cear:
Carnillo Pnmo das Chagas e 2 eseravos, Fre Es-
tevo Maria, alteres Maaoel Simplicio da Cnnba
Leal, D. Anua de S Oliveira e 2 fi!uo3, Dr. Espi-
ridio de Barros Pimeniel, sua senhora, nma ir-
ma e urna, escrava, Joo Jos de Oliveira Freitas,
Dr. Domingos Jos Pereira Pacheeo, sua senhora,
i Albos e 7 eseravos, Dr. Primitivo de Miranda
Sonza Gomes, Francisco llamean Pereira do Porlo,
Pulcheria Felicidade de Almeida, Elenterio Jos
Antonio da Silva, Mmervino, Joio Martina do as-
cimento, Jo.- Alves Moreira, Bernardino Jos dos
Santos, Manoel Joaqaim de Sani'Anna, Manoel
Gomes de Sam'Anaa, Angosto Capitulino G0051I-
ves da Silva, Colelo Luiz da Cunba, Jos Candido
de Moraes, coronel Apolinario Maranbo, Marian-
no Fort, Rosa Maria de Amorim Maeiel e l Alba,
Tooraaz Soarensen Christiansen e 1 criado, Erai.io
ffohler e 1 criado, Fernand Dalessert, Dr. Jos
Tbeodoro de S Barrete e sua familia, Joaqnim
Jos da Cmara, Jjs Goojalves Leiie da Silva Ri-
beiro, Araemiro, Cesar, SaSioo, Jeronymo, Andr,
Jean Benrand Tala, Antonio, Benedicta Maia
ama fiiba, Floriano Antonio II .?gel. Raymnndo
Bizaina, Mana Christiane, conego Alfonso Albu-
querque Mello, Jos Ignacio de Medeires, Joaqaim
Sonza silva e Cnoba, Anteaio Carlos do Carmo,
Fructuoso Pereira, Emilia Rolland, Bartholomeo
Guada Ico, Jo> Francisco Borges Fluminense,
coaego Gregorio, 5 pravas do exerello, ama mn-
lher e duas chancas.
Seguem para o norte: Henriqne Jos de
Moura, Pedro Baptista de Alueide, Maria Robera,
eapito Feliciano Calliope Mjnteiro da Mello e
soa familia, Roberto Angosto Collio, Dr. Eduardo
Mora Wilson, Dr. Henrique de Carvalbo, Dr. Epa-
minondas de Sonza Gouveia, Jos Manoel Pedro,
Jos Theodorico da Castro, deserabargador Silverio
Fernandes de Araajo Jorge e 27 praoas.
CEMITERIO PUBLICO.-Obituario do dia 12 de
julho de-1872.
Anlonio, pardo, Peroamboeo, 49 das, Boa-vis-
ta, espasmo.
Eulalia, branca, Pernambuco, 8 mezes, R^ca,
vanla?.
Josepbiua, parda, Pernambuco, 2 annos, Graca,
anemia.
Mana parda, Pernambuco, 6 mezes. Boa-vista;
espasmo.
Margarda Vellozo, preta, Baha, 68 annos, 10I-
teira, S. Antonio, anemia.
Josepha Maria da Conceico, preta, frica, 60
annos, solleira, S. Jos, bronebiteasada.
Fanstina, parda, Pernambueo, 18 mezas, Boa-1
tifia, fei:s atlcutaaic .
Maaoel, eseravo, relo, ternarobaco, 37 ann*,
Graca, pertooite.
Maria, parda, Pernambuco, I das, Boa-vista,
espasmo.
Anna Mara da Coaceica Resello Braga, parda,
Pernambuco, 65 aanos, vtava, S. AMMie, eryai-
pela.
Idalina, parda, Pernambueo, 9 mezes, Reefe,
eneephaliie. ,
CHRONICAJDHIIIIJL
IRIIII \ %l, DA RELAClO.
SESSAO EM 23 DE JL'LHO DE 1871.
^BKSUMNCIA DO KXU. SR. COMU!IH0 CAKTA50
sAirriAGO.
Secretario Dr. Virgilio. Cotlko.
As 10 horas da maoba, presente oe Srs. des-
enrbtrgadores Gitirana, Loarenco Santiago, Almei-
da Albuqnerqne, Doria, Djram*aes e Silva,
procarador da corda, Regueira Costa e Sonza
Leo, faltando eom causa Mola, abrite a ses-
so.
JI'I.CAMENTOS.
Appellacoes crimes :
Do jury do Bom Conselho.AppeHaM e jaizo,
appelladn, Joaqaim de Lyra Bapitia I
Reformaran) a sentenra e condemnaram
gales perpetuas.
De Ifjaarassii.Appellante, o jaizo; appethl-
do, Jeao Franci?:o do Niscimento. Improie-
dente.
Do AcaracilApp liante. Joo Maadea da Sil-
va ;appellada, a jusiica.-A' novo jai y.
De MaraoguapeAppellante, o jnizo; appellado,
Jo.- Maurioo da Silva.A' novo jar*.
De Mamaneuape Appallaate, o proototor; ap-
p?llad>, Jis Mauricio lavares.Nafcmarara co-
nbecimento.
Ds Malta Grande.Appellante, o jaizo; appe.la-
do, Jo- Barbosa d>s Res.A' novo Jary. mhW
De Balnrii.Appellante, Jos de Barros Feito-
sa ; appellado, Amonio Silvno Ferreira Lima.
Annullaram o processo.
Da Iraperatri.Appellante, o iaizo ; appellado,
Candido Jo.- do Nascimento.A nove jnry.
Appellante, Leonel Jos da Silva; appellado, o
jaizo.Annullaram o proeetso da pronuncia em
diante.
De Salgneiro.Appellante, Jos Gomes Caval-
canie; appsllado, o juizo.Absolveram e sappli-
cante.
DeMaraanguape. Appellante, o jaizo; appella-
do, Francisco Pacheeo de Airada. A' novo
jury.
Do Barbalho.Appellante, o jalao; appellado
Domingo liberto.A' oovo jury.
Da Caraar. Appellante, o jaizo; appellado
Loureoco Jos de Oliveira.A' novo jaiy.
Do Cabo.Appellante, o promotor; appellado,
Joo Antonio de Aaaujo.Improcedente.
De Alagoas. AppeHante, o juio ; appellado,
Francisco Anlonio de SouziImprocadente.
Appellanies, Joo Roberto Carol a outros; appel-
lados, Joio Carol e* outros.Connrmaram a seo-
tenca.
Appellante, a Santa Casa de Misericordia ; p-
Seilado, Jos Lucio Lins.Despresaram os em-
argos.
Appellante, Jos Pedro Velloso da Silveira : ap-
apelrado, Maaoel Jjaqaim Ramos e Silva.Nio to-
ra arara conheci manto.
PASSAGKNS.
Do Sr. desembargador Gitirana ao Sr. desemtiar-
gador Loarenco Santiago :
Do juizo mnnicipai do Reeife :
Appellante, Jos da Costa Doorado e oairos;
appellado, Joo Luiz Ferreira Ribeiro.
Do jnry de Agua Preta :
Appellante, o juizo; appellado,Cesario,escravo.
Dj Sr. desembargador Lourenca Santiago ao Sr.
desembargador Almeida Atbaqoerqne :
Do jury da Granja :
Appellante, Rieardino Francisco da Concei^ft ;
appellado, a jnsiica.
De Cajazeiras :
Appellante, o jaizo ; appellado, Manoel do O' da
Costa.'
Do Sr. desembargador Sonza Leo ao Sr. des-
embargador jiiirana :
APPKt.LACO i-.IVEL.
Appellante, Francisco Manual da Nora ; appel-
lado, Antonio Lopes Rraga.
DILIGENCIA CBI.ME.
Ao Sr. deserabargader pormotor da jaatica.:
Do jury do leo :
Appellante, Antonio Flix Simplicio ; appellado,
a justica.
De Canguareana :
Appellante, Joo Carlos Bastos de Oliveira ; ap-
pellado, Jos Joaqnim da Medeiros.
Assigoou-se dia para julgamento dos feitos se-
guimos :
appellai;ao civkl.
Appellante, a fazenqa nacional ; appellado, 6
bacharel Joaquim Mana Caroeiro Villela.
Do jnry de Cajazeira :
Appellante, o jaizo; appellado, Manoel do O' da
Costa.
Do jury ;de Sobral:
Appellante, o juizo ; appellado, Jos de Sonta
Castro.
Da Atalaia :
Appellante, Jos Ferreira Tiba ; appellado, a
justica.
Appellante, Luiza Maria Bandera de Mello ; ap-
pellado, Jos Nicolao Cavalcanti Maranhao.
Levantoa-se a sesso i i 1|2 hora da tarde.
Tribu un do conunercl.
SESSAO JUDICIARIA EM 18 DE JULHO DE
1872.
Secretario Julio Gtumaraes.
Ao meio dia, deelara-se abertaa sesso, estaa.
reunidos 03 Srs. desambargadores Silva Guima-
res, Reis e Silva e Accioli e os Srs. depntados,
Olinto Baslos, Candido Aleoforado, Alvaro de Al-
meida e suppleote a Leilo.
LiJa, foi approvada a acta da sesso antece-
dente.
O escrivo Alboqntrque registrou o ultimo
protesto de letra a 16 do correle, sob n. 2597,
e o escrivo Alves de Brilo a 20 do mesmo mez sob
0. 2532.
CC0RDA0 ASMGHADO.
Embargante, o administrador .da roassa fallida
de Sebaslio Jos da Silva ; embargado", Aatpoio
Valenlim da Silva Barrosa ; embargantes, Antonio
Severioo de Vascoacelloi & Irmo ; embargad.
Manoel Jos de Oliveira Figueiredo.
JULGAMENTOS.
Jnizo especial do commercio : embargantes ap-
pellados autores, a viuva e herdeiros de Costo-
dio Jos Alves Guimaras ; embargado appellante
reo, Antonio Ribeiro Pontes ; juizes, os Srs., Silva
Guimares, Reis e Silva, S LeHo e Candido Al-
eoforado.Foram despresados os embargos, sendo
voto vencido o Sr. desembargador Silva Guima-
res.
Jnizo mnnicipai de Pedras da Fogo, comarca de
Itamb : embargante appellante autor, Jos Flix
do Reg ; embargados appellados reos, Balduino
Amando Freir '. juizes os Srs., Silva Guimares,
Reis e Silva, Alvaro de Almeida e Candida Aleofo-
rado.Foram despresados os embargos, seodo
voto vencido o Sr. desembargadar Reis e Silva.
Juizo municipal da cidade do Natal : embr-
game appellado reo, Antonio Pinu ds Moraes Cas-
tro ; embargado appellante autor. Manoel da Silva
Ribeiro ; juizes, os Srs., Reis e Silva, Silva Gni-
mares, Candido Aleoforado e Alvaro ds Almeida.
Foram recbidos os embargo eom vol do
Exm. Sr. oonsalbeiro presidente, sendo votos ven-
cidos os Srs., Silva Guimares e Candido.
Jnizo municipal da cidade da Fortaleza : appe!-
lanta credor, Maaoel Vieira Castre ; appellado, o
fallido concordatario Joo Luis Raogel; juizes, es
Srs., Silva Gnimares, Reis e Silva, Otinlo Baslos e
Alvaro de Almeida.Foi confirmada a senteoca
appellada.
Jaizo municipal do Rie Formo : embrgame
appellante amor, Jos Joaquim-Gasee de Abreu ;
embargados appellada reos, a viuva e herdeiros
de Jos Antonio de Barros Wanderiey : jaizes, os
Srs., Reis e Silva, Accioli, Olinto Baslos e Alvar
de Almeida.
Juizo especial do oomrasrcio: apoellaatas auto-
res, os administradores da massa falhda de Maaoel
de Souza Caroeiro Pimpo ; appellado*, Bailar 4
Oliveira ; juizes, os Srs., Accioli, Sva Gaimarae,
S Leitao e Candido Aleoforado,Foi confirmada
a sen tenca appellada, seodo voto veoeido o Sr.
desembargador Silva Guimares.
Juizo especial do commercio : appellante aator,
o Bario de Campo-Verde ; appelladas reos, es
administradores da raassa fallida de Amorim, Fra-
goso, Santos 4 C.; jaizes, os Srs., Silva Guima-
res, Accioli, S Laitao a C.udido AJooferado.-foi
confirmada a senteoca appellada eom o voto do
Exm. Sr. conselheiro presidente, asado votos ven-
cidos os Srs., Silva Gnimares e Si Laito.
AppeHante, Joaquim FraneMeo do Espirita San-
io ; .apellados, J. de Salle 4 C ; appellante,
Bernardino de Sena Wanderdey ; appellado, Joo
LuisVda Costa Ribeiro; aMeetame,Garlos Pinde
I Lamo 4 C. ; appellado, Theodoro Christiansen :
jajiptiliuie, w. U. Feaneiy, Uassoarerro-a awapita.
..-
.

> -

/


MUTILADO


mi, d Jr*m*mhvm Q
I
ioglaz; appi'lados, os administradores da massa
fall la da Amarina, Piagoxo, Santos k C.; appel-
laata. Joaqun J>s* Ganealves Bellrio e ouiros ;
appoilado, Jlo Alijos o Torras ; app* liante, Joa-
(jaifB da S.'lra Casia; appalladd, Joio Rodrigue
C irdiro ; appellaote, Joio Affoaso Torres; ap
aliado, Francisco da Silva Cardos.Adiados, a
p ,-liio dos Sri. diputados.
PA3UGBNS.
Bd Sr. deasmbargador Silva Guimarae? ao Sr.
desembargador Reis e Silva : appellaotei. Save-
riano Ribeiro da Cuolia & Irmae ; appellado, o
carador flcal da massa fallida da Marque, liirros
G.
j Sr. deMmbargaior Reis e Silva ao Sr. des-
embargador Accin :- .paellaote, Joaquim Fran-
cisco do Espirito Saato ; appellados, os adminis-
tradores da massa fallica da Manoel de Sonta Car-
nairo Puspa; appellantes, Tasao Irmaos ; ap
pellado, o Dr. :5ilvm.i Gavalcaati de Albuquerque;
appallanles, Tasto Irmaos ; appellados, os bsrdei-
ros de Hoory ibson appeilaoles, os adminis-
tradoras da massa falla de Antonio Jos de Fi-
gueredo; appellad), Francisco Jj- de liveira.
Do Sr. desacabargador Accioli ao Sr. desembar-
Saor.Silva G: maraes : apojllaote, Antonio Jx-
olfb.a ', appeltado, Francisco Munz Pontes; ap-
pellaute, Fraacisco Farraira de Audrais ; appel-
lado, Francisco Vai Pereira.
CARTA TESTBMI.'.VIIAVKI..
Juico esj eci.il do coin.uercio : aggravantes, G jes
& Bastos) ; aggrarado, Jos de Mello de Albuquer-
q'ia Montenegro.
0 Exm. Sr. conselheiro presidente negon pro-
tmenla.
Eooerrou e a sessao s 3 hjras da tarde me-
os 8 minutos.
, caiiaraIncipal.
SESSAO EXTRAORDINARIA AOS 10 DE JLHO
DE 1871
PRESIDENCIA DO 3H. DR. SOUZA LKAO.
Presaales os Srs., Gameiro, Dr. Pitanga, Sal-
vador Heuriquo, Quinieiro, Dr. Villas Bas, Dr.
Moscoso e Ramo Costa, abnu-se a sessao e foi lida
e approvada a acta da anterior.
Leu-se o seguale
EXPEDIENTE.
1 :n oflkio do Exm. Sr. presidente da provincia,
de -i do correnta, remellando cmara municipal
para sen eonbocimento o fias convenientes o acto
'aquella presidencia pe'e qaal tem designado o
numero de eleitores que devem dar as fregaezias
da Boa Vista e a de Noss.a Ssohora da Graca.Iu-
tetrada, e mandon-se commnnicar nesie sentido
aos respectivos Juizes do paz.
Ontro do me.-mo, dizeudo a esta cmara qae o
empreiteiro da obra do mercada pablico s tem
dlreito s pedras qne possam ser encontradas as
excavares dos alicorees e nao nis pedas do cal
omento, ponanlo sendo ellas de propriedade da
provincia tem de ser aproveitadas nos reparos
da roa Imperial.Inteirada, e neste sentido des-
pachou-se a pe.ico do empreiteiro.
Ontro do mesmojeommonicando a cmara mu-
nicipal para sen eonheclrasnto e flns convenientes
qae, sob consulia de alguns eleitores da freguezia
de Jos, resolveu declarar ao respectivo jniz
ae, paz mais votado qne era elle incompetente
para presidir a mesa paroehial.na prxima eleig)
qae se vai proceder, por se acbar elle exercendo
empreeo de lateada, para o qual fura nomeado ;
cabendo igualmente declarar mesma cmara
que, existjodo o mesmo Tacto com os trabalbos da
qualifi-aci j presidida pelo dito jalz de paz no cr-
reme anno, davtrado ser elles considerados ai-
las, a vista do que dispon o aviso de 14 de'Janeiro
de 1665, dsvenda, portanto, 9ervir na eleicao mar-
cada a mais moderna das qualilicarjes anteriores,
regularmente urmioada.Ioieirad, e neste sen-
tido mandou-sa communicar ao jniz de paz imme-
diato.
Oatro do mesmo, tambem dizendo a cmara
municipal que nao cabe as attribuitSas d'aqueIJa
presidencia dar ao'orisacao para fazer desistencia
da acQo que a mesma cmara propda contra Jos
Francisco de Souza Lima, conviodo declarar en-
tretanto, qne pelos meios legaes pode esse negocio
ser resolvido em juizo, requerendo ou promoveado
a cmara o que fr mais conveniente aos seus
ialeresses.Ao advogado.
Ojtro do jniz de direito da 1.* vara civel desta
comarca, commonicanJo a esta cmara baver en-
trado em exercico de sen cargo em o dia 8 do
corrente.I ateirada.
Outro da commisso encarregada de proceder
ao recenseamento da popubeo da freguezia de
Sanio ADlonio, communicado a esta cmara
baver dado comeco aos trabalhis que Ib9 foram
encarregados.Inteirada.
Outro da mesma, rogando cmara municipal
se dignasse ministrar ama relaro dos nomas das
Suas, largos, bebeos travessas da dila fragaezia
e Santo Antonio.Inteirada, e que se foraecesse,
Oulro do engunheiro cordeador, iniormando fa-
voravelmente a peticao da masa regadora da ir-
. mandade da Sanlissima Trindade.Concedeu se.
Outro do procurador, declarando ter pago a
quantia de 222/000 com o despacbo e desembar-
?ue das pedras para o mausoleo do 2.a bario de
lamarac, e bem assim a quantia de 44180 que
despender com o aggravo de Jos Francisco de
.Sraza Lima no tribunal da relagSo, e pede c-
mara qne Ih.i mande levar em conta.lateirada,
e qne se desse ordern ao contador para levar s
verbas competentes as ditas quantias.
Oatro do secretario da cmara, communicaudo
que, por incommodo de sauda, nao podia estar
asseniado por muiu tempo, pelo que pedia
mesma.cmara atin de serem relevadas as faltas
que est dando ni exercicio de seu cargo.=In-
teirada.
Outro do flseal da freguezia da Boa vista, in-
formando contra o requerimento de Manoel Joa-
qun) de Sonza Mjtta.-Iadefcriu-se.
Uffl parecer da commisso de polica nos se-
guintes termos
t A commisso de policia a quem toram pre-
seates os bataneles da receiia e despeza dos me-
zes de abril e maio, depiis de os baver examina-
do, os acha em con Jigojs de serem aseilos; p)lo
que de parees r que depois de approvado se dei
aq procarador a competente quitacio
Pago da* cmara muaicipal d> Recite, 10 de
juluo de 1872. Dr. Prxedes Gomes de Souza
Pitasga e Dr. Podro de Atabyde Lobo Moscoso.
Approvado.
Despacbaram-se as petigoes : de Antonio Au-
gusto da Costa, Autonio Joaquim de Albuquerque,
Antonio Climaco Morelra Temporal, D. Camarina
de Serpa Brando, '"Faustino Jos da Fonceca,
Fraacisco Joaqa.m Gimes da Silva, Hsnrique Ber-
nardo d'Oliveira, Igoez Feliciana Lopes BasDs,
commenador Jos Jacoma Tas-o, Joao Benigno
Pereira do Lago, Joio Jos Rodrigues Mandes,
Juliana Francisca de Josas Bastos, Icio Jos da
S:lveira, Jjs Ignacio Avila, Jos Ferreira da
C)3la, Jos Augusto de Araujo, Loureng) Pereira
Meades Gqimarae?, Manoel Joaquim de Sonza
Motta, a meza regedora da irmandade da Sao lis-
sima Triniade, barao de Nazareth, Dr. Rufino
Acga.-to de Alineida e levanten se a sessao.
Eo, Augusto Gmulna de Figueiredo, offlcial
maior servlndo de secretirio, a escrevi.
Ignacio Joaqtim de Souza Leo, pro-presidente.
Dr. Praxi'S Gomes Ae Soma Pitanga. Sal
vador Henrique de A'buqueraue. Antonio Ber-
ardo Quinleir.J. Dr. Pedro de A. Lobo Mos-
SANDERS BROTHERS
IHl-CorpoSMtoJ-ll
C.
PUBLICACOES A PEDIDO-
Declaro qu9 nunca tlve
entrevista alguma com o Sr.
Alfreio Martins de Barros.
Refe, 23 de jalho de
1872.
Dr. Joaquim d' quino Fon-
ceca.
COMMERCIO.
Companlia PJienix Peraam-
bucana.
Toma riscos maritimo? em mercadoriss, frates
dinbeiro ris:o a finalmente de qaalqner natn-
rau, em vapores, navic s a velta on barcagas, i
premios noito mdicos: a ra do Commercio ou-
Biero 31.
SEGURO CONTRA FOGO
Tbe Liverpool INSURANCE COWPA
Royal Iusurance Oompany.
Real compaahla de sesaros
de Londres e Liverpool.
CAPITAL
2,000,000 libras sterlinas
ou
20,000:0004000
Com autorisa;ao do governo.
Segura contra o riseo de fogo, cas-'s, fazendas,
ejqualquer outra especie de mercadoria.
O agente nesta provincia
/. O'C. Doyle.
38 Roa do Commerclo 38
N. B. Para seguros de vida da pessoai livres
qae a companbta tomar em saa sede em Londres
oa Liverpool, o mesmo agente servir de corres-
pondente, recebe as propostas, reclamares e pre-
mios dos segaros das pesaoas aqui residentes para
transmuto* a companbia, e entregar aos segurado''
so respectivos ttulos. t
Seguros contra-ogo
COMPANHIA
NORTHERN.
Capital........20,000:0004000
Tmio da reserva .- 8,000:000/000
Agentes,
jVUU Lathan C.
at*na-BB
Segaros martimos e
terrestres
A compauhia Fidelidade de Lisboa, toma na
sua agencia em Pernambuco, seguros martimos e
terrestres, dando nestes ltimos (dobaixo de saa
mesma respoasabilidade) o stimo anno gratuito
ao segurado : o. 44, ra do Mrquez de OliAda
n. 41.
SEGUROS
CONTRA FOGO
OIPERIUL
RA DO COMMERCIO N. 38, Io ANDAR.
Ageote.l
W. G. FENNELLY.
PRACA
D RECIFR 23 DE JULUO
DE 1872. -
AS 3 i/2 HOBAS DA TARDX.
CotacSes officiaes.
Cambio sobre Lmlres a 90 div. 2i 3il
1*000.
F.J. Pinto,
Presidenta.
Dubo')rcq,
Secretario.
d. por
ALFANDEGA
ttendioMnlo do dia I a 22. .
dam o dii 23. ** .
7U6.-53U801
31:583/086
828:114/887
Descarregam buje 24 de julno de 1872. .
Polaca hespanboia=-'-c/iavioho.
Barca rancezaCd/iont/varios geBeros. -
Birca ngleza Kcdrondem.
Barea ioglezaWacW=adaellase varios gneros
Brigne inglezAa>//avarios, gneros sobre agua.
Vapor nglezGladiatormercadorias.
Patacho nacionalJaboalo dem sobre agua.
Escuna norueguenseMathtldefarinha de trigo.
CAPATAZIA DA ALFjVNDEGA
Kendimento do dia i a 22. 10.036/744
dem do dij 23...... 471/054
10:567/798
SAHIDAS DE MERCADORIAS.
Volumes sabidos com fazenda 127
dem dem cem gneros diversos 298
Somma 425
Despachos de exportago no dia 22 de
julho de 1872.
Para os portas do exterior.
Na escuna ngleza Royal Arch, para o Rio
da Prata, carregaram : Saunders Brotbers & C.
20 pipas com 9,600 litros de agurdente.
No vapor inglez Elf, para Liverpool, carre
garam : Simpson & C. 50 saccas com 4,489 kilos
de algodo.
Ne navio norte-allemo Maria. para Crons
tal, carregaram : Keller & C 319, saccas com
14,002 kilos de algodo.
No brigue nacional Olinia, para o Rio da
Prata, carregaram: Balthr Oliveira & C. 300
barricas com 36,rj72 kilos de assucar branco.
No lagar noruegnense Alegrta, para o Rio
da Prata, carregaram : P. Carnero & C 300 bar-
ricas com 33,627 kilos da assucar branco.
No patacho bespanhol Alfreio, para o Rio da
Prata, carregaram: J. da S. I. vi & Filbo 487
barricas com 47,032 kilos de assucar branco.
No patacho portuguez Vanda, para Lisboa,
carregaram : J. J. Goncaives Beltro 600 eonros
seceos salgados com 7,200 kJos; E. R. Rabello &
C. 2 369 ditos com 28.428 ditos; J, S. Carnero &
C. 250 ditos com 3,000 ditos.
REGEBEDORIA DE RENDAS INTERNAS
GERAES DE PERNAMBUCO.
Sendimento do da 1 a 22. 44:138/918
dem do dia 23. 747/515
44:886/433
CONSULADO PROVINCIAL.
rtendimento do da 1 a 22. 123.875/809
demdo dia 23 ". 2:877/521
126:753/330
MOVIMENTO DO PORTO.
Navio entrado no dia 23.
Rio de Janeiro e portos intermedios7
das, vapor brasileiro Card, de 1546 to-
neladas, commandante Eustaquio Fraa-
cisco Rodrgaos, equipagem 47, carga
differentes gneros; a Henry Forster
AC.
Navios sahidos no mesmo dia.
LiverpoolVapor ioglez Elf, capiSo Jobo
Robioson, carga assucar e algodo.
Aracaj Vapor inglez de reboque S. Anto-
nio, commandante David Forman, em
lastro.
CanalBarca iogleza Redbreast, capito
Walsb, carga assucar.
EDITAES.
O Dr. Sebastiao do Reg Barros de Lacerda, Jniz
da direito especial do commercio nesta cidade
do Recife de Pernambuco, por Sua Magestade
Imperial e Constitucional o Sr. D. Pedro II, a
qnem Deas gaarde, etc.
Paco saber pelo presente que Alueiro Oveira
& C. por seu procurador me dirigi a peticlo do
tbeor seguinte :
Peticao.Illm. Sr. Dr. juiz do commercio.D-
zem Alheiro Oliveira & O que leudo se veneido
ha mais de 4 annos e achaolo-se prximo a pres-
crever quatro letras, a primeira de rs. 1:823/800
sacada por Jos Lopes Alheiro e acceita por Mi-
guel Soares da Almeida, Jos Gomes do Naaeimen-
toLirna, Jo Pedro da Costa e Silva e Joao Fer-
reira de Almeida. Tenpida em 27 de deiemtre de
18C7, a segtrada de tj. 1:306/120, sacada -por
Josa Lopes Alheiro, acceita por Estevo de Albn-
querqn Mello Msntenefro, vencida em 16 de abril
de 1881, a tercera de n. 379/040, saocada por
Jos Lopes Alheiro a aeceita por Mano8tEafenio
da Silva e Pranolsco Ferreira de Almeida, vencida
A de Janeiro da 1866; a qqaru de ra. 100*000
sacada por Jas Lopes Alaeiro a aeeeita por Joa-
quina Lapas da Souza, vencida im 13 da jalho de-
1869 ; qaerem os sapplieantas interromper a pres-
enpcio nos termos do an. 433 | 3* do eadifo em-
mercial, sendo qae para laso reqaerem a V. S. a
sirva, da mandar tomar por tarso o saa protesto
por ser eompelenlemeoie assigaado e intimado a
porque os aecsitantes das sopramenconadaj letras
aeham-se auzeatea. V dalles oto ha ja noticia, re-
quaram ouiroaim a Y. S. para qae se p-oceda
a iotmaco por ditos, conforme presumir a tai ;
mandando paasar os precisos editaos.
Pede V. S. Issm Ibes deflr*..S R. M.
Estava sellada com o sallo da astampilQa na im-
portancia de 100 ris inutilizada.
Recife, 22 de jonbo de 18710 procurador,
Rodplpbo Joio Bara(a da Almeida
Despacho :
Dutribuida eomo reqa<-rem, juatando ai letras.
Recife, 22 de jamo de 1872. tarros de Laceria.1
E nada mais ae eoatiaka em odio despacho, de
pois dj fora feila a distribuirs ao escrivao deste
jazo Ernesto Machado Freir Pereira da Silva, qne
lavrou o termo de protesto do tbeor seguate ;
Termo de protesto.Aos 6 de jalho de 1872 f es-
ta cidade do Recife, era msn cartario comparecen
o supplicani por dea procurador o solicitador Rj-
dolpho Jlo Barata de Almeida a peraala as tes-
temuohis infra disse que reduzio a termo da pro-
testo constante de saa peticao retro em qne assig-
aoa depois de lido.
Ea, Ernesto Hachado Freir Pereira da Silva,
escrivao, o aserivi.Rodolpbo Jao Barata da Al-
meida, Maaoei Silvioo de Barros Falca, Anloqio
Bezerra Cavalcaota ds Albuquerque.
E nada mais re eoatioba em o dKo termo de pro-
testo, depois d) que, prodozindo osapplicaots aaai
testemanbas, deposerem conveniente aeerca da an-
uncia dos supplicados o respectivoesenvao, (asan-
do sellar e preparar o anios, ma os fez conclusos
nelles dei a senieoca do thaor seguinte :
Senteoja.Ihi por justificada a amencia dos
supplicados de 11 i. 2; saja Ibes intimado o protesto
de fls. 3 verso, por editaos com 30 das de praso
afxahose publicados, cusas i-cansa.
Recife, 15 ds jalho de 1871Sebastiao do Reg
Barros de Lacerda,
Segurado o que se continua em miaba senlenca :
em observancia da qaal o escrivao respectivo te%
passar presente editai pelofquai se tbecr, e chamo,
cito e hei por citado tos mencionado) justificados
na peticao ae principio daste j transcripta,Mi-
gasl Soares de Almeida, Jos Gomes do Naseiman-
to L'ma, Jos Pereira da Costa a Silva, Joao Fer-
reira de Almeida, Estevo de Albuquerque Monte-
negro, Manoel Engenio da Silva, Francisco Fer-
reira de Almeida a Jiaqoim Lopes de Soma, para
qne dentro do praso de 30 das compare*,am ante
este juizo por si oa por seas procuradora), alle-
gando e provando o que or' bem do direito e
justica sob pena de revalla. Portanto toda e qual
quer pessoa, parantes, amigos oa eonheeidos dos
referidos justificado) poder-Ihes-bio .faxer sciente
de todo o expendido.
E para qae ctegue ao eonhecmento de todos
mandi passar o presente, qae ser publicado pela
iraprensa afflxado nos lagares do costume.
Dado e passado nesta cidade do Rseife de Per
oambueo aos 21 das do mez de jalho de 1871.
Eu, Ernesto Machado Freir Pereirs da Silva,
escrivao, o snbscrevi.
Rseife, 2) de jalho de 1872. .
Stbasha1) *do Reg Barros de Lacrdi.
te.
heiro encarregado H Sscalisaeio as tra-
!-
O arrematante dar comeco as trabalhos no
prazo da trinta das, e oa concrorr no de detoho
ates, cootados ambos 4a data da eoaxrato.
3.
O trabalbo sari execoudo a partir dos dops
pontos extremos para o cea-tro.
*'
Os pagameatos serio feitos em seis prestacSes
ignsas, cetraspondente ata ama aura seiioia
impertaoeia fetal, quando os trabalhos exeeataos
eorresponderem a essa quaniia.
Em todo o mais qae aqai nao vai eipeeidcado,
tegoir-ae-ba o qae a respeito dispSa o regalamen-
to a 31 da jalho de 1866.
Conforme,
^^^^ Miguel Ajfml Ferreira.
O Dr. Luiz Ferreira Maciel Piobeiro, juiz
substituto do juizo especial do commer-
cio nesta cidade do Recife, capital da pro-
vincia de Pernambuco e seu termo, por
S. M, Imperial e coustiiucional o Sr. D.
Pedro II, a quem Doqs gaarde etc., etc.
Faco saber aos qae e presente editai vi-
rem e delle noticia tiverem qne no dia 25
de jalho do corrente anno, se ba de arre-
matar por venda a quem mais der, em
praca publica deste juizo, depois da res-
pectiva audiencia,.o segninte : cinco apoli-
ces da companhia de Bjberibe, do valor de
cincoenta mil ris cada ama, e sendo ava-
liada por oitenta mil ris cada orna. As
qoaes foram penboradas por execuejo de
Jos Joaquim da S.lva GaimarSes, contra
Jos Mandes Salgado Guimar5es. E n5o.
havendo lanzador que cubra o pre$o da
avalizo cima declarada, a arrematado
ser feita pelo prejo da adjudicac3o na for-
ma da lei.
O abaixo assigoado, tende sido nomeado per
portara do Sr. administrador para fazer o tanca-
ment da decima urbana e mais mpostos das fre-
guezias de S. Fr. Pedro Gin^alves e Santo Antonio
para oexerclcio de 1872 a 1873, dar principio aos
Epara qae chegae ao eonhecmento de rf ^id^a^,luieaaos n01iia 2' pdl *Be/"'-
r i b vv~ v-j u.w UD Depaosaquilinos dos predios para que lenham
todosr mandei passar o presente que ser
publicado pela imprensa e afluido nos la-
gares do costume.
Cidade do Recife de Pernambuco, A de
jalho de 1872.
Eu, Manoel Maria Rodrigues do Nasci-
mento, escrivao o subscrevi.
Luiz Ferreira Maciel Pinheiro.
Pela inspectora da alfandeg) se faz po-
publico que, nSo se tsndo effecloado por
falta de concurrencia a arremataco de 30
b Tricas de sal refinado, descarregadas em
20 de jalao de 1870 do patacbo norte-alie-
mo Atla tico, e 4 saccas de la encontra-
das fluctuando sobre o mar pelo mestre da
barcada Lindo Paquete, expostas a leilo
pelos eefitaes de 20 e- 21 de junho ultimo,
se traDtere a referida arrematarlo, nos ter-
mos do art. 310 do regularoento de 10 de
setembro de 1860, para as 11 boras do dia
26 do corrente.
Alfandega de Pernambaco 23 de jalho de
1872.
Servindo de inspector,
Pedro Lopes Rodrigues.
O Illm. Sr. inspector da tbesouraria provin-
cia), era cumprimento da ordern do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia, do 1.* do corrente mez,
manda fazer publica qae no dia 19 de setembro
prximo vindooro, peran.e a junta da fazenda da
mesma thesourana, se ba de arrematar a quera
por menos fizer, a obra da eanalisacio do riacho
Jordo e cambSa da Bia-Viagem, na importancia
de 16:882/ 951 ris, e sob as elansuhs espeeiaes
abaixo transcriptas
As pessoas que se propozerem essa arremata-
(So, compaream na sala das sesadas da referida
junta, no dia mencionado, pelo meio dia, e compe-
tentemente habilitadas.
E para cooslar se mandn publicar o presante
pelo jornal.
Secretaria da thesourara provincial Je Pernam-
baco, 17 de jaoho de 1872.
O offlcial-maior,
Miguel Affonso Ferreira.
Clausulas especiaos.
1.* A obra da canalisacli do riacho Jordo.e
Camba da Boa-Viagem serlo executadas de con-
formidade com a planta e orcamento approvado
pelo Exm. Sr. presidente na importancia de......
16:882/931 ris.
2.' O arrematante dar comeco s obras no pra-
so de um mez, a as concluir no de 1 anno, ambos
contados da data da approvaco do contrato.
3,* A importancia da arrematagao sera dividida
em qoatro prestacSes tguaes, sendo paga cada
urna d'ellas proporc.au qae o arrematante tiver
execntado urna qoarta parte da obra.
4.* Em tudo mais que'nao se acha especificado
as presentes clausulas" se observar o regdla-
mento de 31 de jalho de 1866.
Conforme
_____________jMignel ffonso Ferreira._____
O Illm. Sr. inspector da thesourara provincia
em cumprimento da ordern do Exm. Sr. vice-pre-
sidente da provincia de 7 do crrante, manda fa-
zer popco qae vai novamente a pra;a do da 8
de agosto prximo vindouro, para ser arrematada
a quem por menos flzer obra do segundo laneo-
da estrada de Ua a Capoeiras, orjada eHJ.:
22:000/000 e sob as clausulas abaixo copiadas.
As pesadas que se propozerem a essa arremata-
cao comparecam na sala das sessdas da referida
junta no da aeima mencionado, pelo meio dia e
competentemente habhadas.
E para, constar se manflou pnplcar o presente
pelo jornal. *
Secretaria da thesourara provincial de Pernam-
buco, 10 de malo de 187J.
O offlsial-malor,
Mijuel Alfonso Ftrrnra.
Clausulas espeeiaes.
!.
O segundo ianijo da estrada da Una a Capoeiras
de 2302,90 metros de exteaf^oT aaorMioia' da
hOODjrorjD sert execatado de MnformWa* dom
o respectivo, ortaasanto e deaaoaoj iaato*, aparo-
doape.14 freaideate da, provincia, e, iaatrne^tfl
O illa, Sr. inspector aa Uieouran* ^i ovm-
cial, em imprmenlo da ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia de 27 de maio ultimo,
manda fazer publico qae no dia S de setembro
prximo vinloaro, pirante a jama da fazenda
desta tbesoararia-, ae levar pregao, para ser
arrematada por quem por menos |xer, a obra de
5* l*0^9 fl estrada de Monbeea, oreada em
19:2aOZ, e seb as clausulas espeeiaes abaixo de
claradas :
As pesaoas que ae propozerem i essa arremata-
oao comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria da thesourara provincial de Pernam-
buco, 6 de junho de 1872.
O offlcial-maior
Miguel AffoQso Ferreira.
Clausulas eepeciaes.
As obras do R* tasco da estrada da ramifica-
o de Muribeca serio executadas de coufjrmida-
eom a respectiva planta e orcamento no valor
de 19:250/. r
2* O arrematante dar comee) as obras no pra-
so de um mez a as concluir no de oito, arabos
contados da dan do contrato.
3' A importancia do contrato ser paga em qua-
tro prestacSes jruaes, corresponden lo cada orna
A 4* parle da obra total.
4* Era todo mais que nao vai especificado as
presentes clausulas se observar o regalamento da
reprtela das obras publicas. Conforme
_____________Miguel ArTooso Ferreira.
O Illm. Sr. inspector da thesourara provin-
cial, em curaprrmedto da ordem do Exm. Sr. vice-
presidente da provincia de 27 de maio ultimo,
manda fazer pablico qae no dia 5 de setembro
prximo vindouro, peranie a junta da fazenda da
mesma thesourara, se levar pregao, para ser
arrematada por quem por menos fizer, a obra do
i' lan?o da estrada de Muribeca, oreada 'em
14:190/, e sob as clausalas espeeiaes abaixo de-
claradas :
As pessoas que se propozerem a essa arrema
lacAo comparecam na sala das sessoes da referida
junta, no dia cima mencionado, pelo meio dia, e
competentemente habilitadas.
E para constar se mandn publicar o presente
pelo jornal.
Secretaria* da tbesouraria provincial de Per-
uambao 6 de junho de '1872.
O offlcial maior,
Mignel Affonso Ferreira.
Clausulas especiaos.
1* As obras do 4 lanco da estrada de Muribeca
oa importancia de 14:190/, serao exscntadas de
conformidade com o orcamento e planta apprsva
da pelo presidente da provincia.
2a O arrematante dar principio as obras no
praso de ora mea e as concluir no de oilo mezes.
3' Os pagamentos serio effeetnados em quatro
prestacSes iguaes, correspondendo cada urna
4' parte da obra execulada. *
4* Em tudo mai3 que nao vaf espacificado se-
gnir-s-ba O que dispoe o regulamento de 31 de
julho de 1866.
Conforme
M. A. Ferreira.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO
RECIFE.
Pelo presente sio convidados, de ordem da
Illma. junta administrativa, os prenles dos meno-
res constantes da relaco qae se segu, para qae
em vala de dupoto no art'gn 43 do regulameato
do eqHegio dos orpnaos, es venbam tirar do mes-
mo eollefio onde nao podera por mais lampo con-
tinuar.
Antonio de Mendcnga Albuquerque MaranbSo,
lltho do finado Jeroayrao Salgado de Alboqaerque
Maraobio.
Manoel do NaseimeBto, filbo de Joao Francisco
do Nascimento, fallecido no hospital Pedro II.
Lniz Vicente da Fonseea Continho, Albo de Gi-
-Iheme Florisberto da' Fonseca Continbo.
Antonio DalphiBo da Suva lavaras, lho de
Francisca Maria de Moraes.
Pedro Alfonso Ciaudino Lete, alilbado do Dr.
Manoel de Siquelra Cava lante.
Manoel de Souza Machado, filbo do velaatario
Raymundo de Sonza Machado.
Secretaria da Santa Casa da Misericordia do
Recife 10 de julho de 1S7,
O escrivio,
-___ Pedro Rodrigues de Senza
DECLAMCOES.
sens recibos e arrendameo^s a mi, afim de pjr
ellas se fazer o laocamento, e nao se atlendendo
aos que pareeerem dolosos oa lesivos a fazenda,
Qxaudj-aenesle caso o prego provavel do arreo-
daraento que poderia render em rela;ao a capaei-
dade-e localidade delles era aluguel pagos por
outros semelbautes.
1* seccao do consalado provincial 22 de jalho
de 1872.
O lani;alar,
Joio Pedro de Jjsus da Malta.
O abaixo assigoado, c julerenie o consulado
provincial, tendo sido nomeado por portara do
Sr. administrador para preceder aolancamento da
decima urbana e imposdos decsetidos pela lei
do orcamento vigente da freguezia de 8. Jos do
Recite, avisa aos seus proprieiarios dos predios
urbanos e donos de estabelecimentos, qae tenh*m
promptos os seas recibos e mais documentos no
que diz respeito, afim de que po*sa preceder com
regularidade seus trabalbos, dando principio no
dia 24 do corrente. Masa do consolado 20 de ju
Iho de 1872.
Servindo de lancador,
Jpo Baptista do Reg.
O abaixo asslgnado, lanzador do consulado
provincial, avisa aos senhores proprieiarios de pre-
dios urbanos e donos de estabelecimentos das fre-
gaezias dos Afogados, Poco da Paaella e seccojs
da Varzea e Jaboalio, que tendo sido nomeado
por portara do Sr. administrador pan proceder
aos differentes langamenios dos mpostos decreta-
dos pela lei do orcamento vigent), pelo qne pede
aos mesmos -senhores que tenbam promptos os
seos recibos e mais documentos inherentes ao qae
diz respeito, afim de que possa proceder cem re-
gularidade e sem vexame das partes, danJo prin-
cipio aos seas trabalhos pela freguezia dos Afo-
gados.
Mesa do consalado proviucial 22 de jalho de
1872.
O lancador,
Izidoro Theodulo O abaixn asaiguaJu, laucaaor ao UiUsuuau
provincial, faz sciente aos locatarios dos predios
urbanos das fregaezias da B-a-vista e N. S. da
Sracs, qae no da 23 do crrante mez dar prin-
cipio aos lancameotos da dcima e mais mpostos
para o anno vigente de 1872 a 1873, e que no
acto do lancamento devem apresentar os seas re-
cibes e contratos de arrendamenus" dos referidos
predios, vista dos guaes tem de ser fizada a
qnota dos ditos imposto. Epara qae chegueao
eoaheciment de todos faz o presente.
Consulado provincial 20 de julho de 1872.
O lancador,
Joaquim de Gusmo Coelho.
Pela thesourara provincial se faz publico que
oram transferidas para o dia 25 do corrente s
arrematacoes dos mpostos provinciaes (menos o
dizimo de gads -taecum) qae se achara as comar-
cas seguintes :
Boa vista por um anno 732/000
Cabrob idem 732/000
Secretaria da trresonraria provincial de -ernam-
buco, 12 de julho de 1871.
O offlcial-maior,
Mignel Affonso Ferreira.
Mos ternwe do artigo 745 do regulamento de
19 da setembro de 1860, se intima ao dono de
quatro parea de sapatoes apprehsndidos em 23 de
maio ultimo a bordo do vapor inglez Aera, pelo
guarda Silva Lima, para no praso de 15 dias, in-
depender de qualquer ontra Mlimaeao, apresen-
lar saa defesa, requerer o qo for a bem de seu
direito e ver proseguir os mais termos do proeesso
deipprebensao, ttoe-contra-a^mosmo e est Ins-
taurando nesta reprtelo.
Alfandega de Pernambuco 11 de julho de 1872.
Servindo d Inspector,
Wdrd* -Lope Rodrigues,
O Illm. Sr. ioepeclor d> ibaaoorria d-uzen-
da desta provincia manda fazer publico que- existe
em peder do cartn* totrBO**da. messia, para se-
rem vendidos, exoaplares da celtec^ae das'lea e
decs5es do govarno, promulgada no anno de
XVH. pelo praia *-?* cada xatnplaf.
Saarataria d laesooraria de fazenda da Per
nambaco dq j#h Sermue de att-ial-aaior,
Jlaooel tod hato.
^PBMBI
lilTIlADO^i
^-------------------------------------------------,_________m
Tribunal do Commercio
Tanda ser reeolhidjs thesonroria de fazenda
para serem cobrados execntivameoie os erooln-
mentos resaltantes dos papis infra mencionados,
como determina o artigo 9* do decreto a. 4356 de
21 de abril de 1869, e por isso esla secretaria pelo
presenta convida os ioteressados a virem receoer
taes papis afim de nao eoffrerera a cebranca ju-
dicial.
Secretaria do tribunal do commercio de Per-
oambueo 17 de jalho de 1872.
O offlcial-maior,
Julio Gulmaries.
Conbecimento de Antonio Carlos Ferreira da Sil
va.interprete do commercio 1/500
Dito do corretor Augusto Pinto de Lemos 1/320
Recibo de Antonio Pedroso de Lima 3/360
Nomeacao de Antonio Ferreira de Lima 1/560
Dita de Affonso Jorge de Souza Barcellos 1/440
iU de Alexandre de Molla Couto 1/440
Nota de Aodrade & Mello 2/000
Dita de Antonio Augnsto de Vasconcellos 1C00
Conhecimenij do corretor Bernardino de
Vasconcellos 1/380
Distrato de sociedade de Bonann & C. 5/000
Nomeacao de caixeiro dos mesmos 1/620
Nota no registro dabarcaca Nova Espe-
ra oca. 1/000
Nomeacao de Claudio Dnbeax i/320
Distrato de Cardse & Meroz 5/000
Certidlo de Daniel Antonio do Reis 10&500
Nomeacao dej). Mellors k C t620
Cartiddes de Eulampio Leandro de Gou-
veia (2) 3/000
Coobeclrnento de Felippe Nery Collaco 1/380
Dito de Francisco de Miranda Leal Seve 1/310
Nometcao de Fgaeiredo Paiva & Lou-
reoQo 1/500
Nota de Francisco Antonio de Brilo &
Filho 1/500
Nomeacao de Ferreira Ihrtios & C 1/440
Conhecimeoto do corretor Goncah) Jos
Affonso 1/320
Nota do Gaspar Antonio Vieira Guima-
raes 2/500
Conhecimeoto do corretor Henriqae Gal-
IbermeStepple 1/32(1
Contrato de Joio Francisco Otero A C. 5/000
Dito de Joaquim Berlina & C. 5/000
Distralo de Joao Pereira Pedroso & Irmio 5/000
Certidode Jos Antonio da Silva 11/500
Nomeacao de Joao Baptista B. Rodrigues
de Almeida
Coobeclrnento do agente
Izidoro Manas
de leudes Jos
1/440
1/200
Nomeacio de J. S. Tonnghusband J. por
procuradlo de Byder di C 1 500
Nota de Jos Bernardo da Motta 1/500
Dita de Joio da Rocha e Silva 2/000
Certidao de Juao FernDodes Lopes 11/000
Nota de Joio da Rocha a Silva i/000
Nomeacjio de Joaquim Julio da Rocha i/260
Dita de Jos Francisco de Flgueiredo 1/500
Certdio de Jos da Cruz Santos 2/500
Nota de Joaqaim Bezerra Pessoa & C. i/500
Nomeacio de Jos Francisco de Figue-
redo ii 10
Dita de Joao TiioTnaz de Aquino "$
Dita de Joaquim da Costa Amorim i/380
Certidao de Jaymes Ryder & C. 1H00
Diilrato de Gomes k Pavo 5/000
Dito de Loureiro k C. 53000
Conhecimemo do corretor Luiz Amavel
Dubonrcq Jnior i/200
Certidao de Lailhacar k C. 3/000
Contrato de Moraes & Pinto 5/000
Nomeacio de Manoel Moraes de Oliveira i/560
Certdio de Manoel Jos de Freilas 1/500
Nomeacio de Joaquim Nicolao Ferreira i/320
Documentos de Olimpio da Silva 11/800
Conhecimeoto do corretor Pedro Jos
Pinto 13260
irato de Pacheco 4 Pinto 5/000
Cerlidao de Pacheco 4 C. 11,8500
Dita de dito dito 1 i/500
Nota de Raymnudo Remigio de Mello
Jnior i 3000
Distrato de Rapbael & Sonza 5/000
Nota de Rodrigues & Freitas i/000
Nomeacao de Sabino Bruno do Rosario 1/200
' Certidao-de Santos & Primo i/500
Notas de Samuel Power Johnston & C. 2/0O0
Nomeacio de Silva & Malta i/200
Nota de Silva k Joaquim Felippe 13000
Nomeacao de Siqueira k Irmaos 1/320
Dita de Sebastiao Jes Bezerra Caval-
cante i/380
Dita de Victorino de Almeida Rebello 1/140
Secretaria do tribunal
nambaco era al sapra
do eommercio de Per-
O otfleial-maior,
Jniio Guiroaries.
Pela ihesonraria provincial se faz publico
que foi transferida para o dia 25 do corrente a
arremacao da obra do rebaixamento da ladeira
do Timb, oreada em 9:900/.
Secretaria da thesourara provincial de Per-
nambuco, 19 de jonbo de 1872.
O offlcial-maior,
^_____________Migoel Alfonso Ferreira.
SANTA CASA DA MISERICORDIA DO RECIFE
A Illm, junta administrativa da Santa Casa de
Misericordia do Recife, manda fazer publico que
na sala de suas sessoes, no dia 23 do mez de
julho pelas 3 horas da tarde, lem de ser arrema-
tados a quem mais vanlagens offerecer, pelo
lempo de um a tres annos, as rendas dos predios
em seguida declarados:
WADELECIMENTOS DE CARDDADE.
Travessa de S, Pedro.
Sobrado de 2 andares n. 2.....604/000
Roa do Farol.
Casa terrea n. 72........181/000
Ra da Soledade.
Casa terrea a 72....... 96/000
Ra de S. Jorge.
Sobrado n. 20 .-.......2iO/00
Roa larga do Rosario.
Terceiro andar, n. 24 A.....
Loja do mesmo n. 1. B......
PATRIMONIO DOS ORPHAOS.
Rna da Cacimba.
Casa terrea n. 2.........
Ra do Encantamento,
Sobrado de 2 andms u. 9 1:00011000
Roa do Rosario da Boa Vista.
Casa terrea n. 58........301/000
Ra de S. Jorge.
deam n. 99......... 350/090
dem n. 100..........203/000
Os pretendemos devero apresentar no acto da
orrematacao as suas flaneas, oa comparecern
acompanhados dos respectivos fiadores.
Secretaria da Santa Casa de Misericordia do Re-
cife, 13 de jalho de 1872.
O escrivao,. -
Pedro Rodrigues de Souza
244/000
320/000
150/000
Fago constar a quem conver qne o Illm. (Sr.
Dr. director geral interino tem designado o dia 8
de agoste prximo vindouro, palas 11 boras da
nanbaa para ter lugar no palacete roa ds Pe-
dro Affonso, onde faneciona a Escola Norte al, o
concurse s cadeiros vagas de instruccao prima-
ria para o sexo masculino abaixo declaradas, bem
como que o" exame de veritkaio de capacidade
anonadado para o dia 22 do corrente, Sea adia-
da para quando for novamente designado.
Os alumnos mestres habilitados pela Escola
Normal que qulzerem oppor-se s ditas eadeiras,
devetio inscrever-se nesta secretarla na forma
das instruec/iee de 11 de jnnbo de 1839, al o dia
7 dottestno met *** '" ''
As* eadeiras sin as seguales localidades:
Goyaninba," Garantan, Timbeaba, S. Vicente,
Angelina, Bengalas, Pedra Tapada, Cedro, S- Be-
ueM, Po-Fflrro, Poco Fundo, Cimbres, N,. S.
das Doras, Alagoa de Bailo, Garanhuns, Palmai-
ra, Aitus-Bellas, Assnierna, Buique, Pedia, to-
jo di Padres, Yariea EeOnaa, Ftoresu i* *
deira, Flores, Bjlmontf, Afogsdo de loffaaeira,
S. Jos da Ingazelra, Varas, Cabroa-, Salgo n*:
Leopoldina, Ouricnry, Serr-Brauca, Granito a
Ex.
Secretaria da m3tmccio publica ds Peruamba-
eo, 16 de julho de 1871
O sacralario,
Aureiiano A. PT de Carvaibo.
ADMINISTRACAO DOS CORHElOS DE _
BUCO 24 DE JULHO DE 1871
Malas pelo vapor Cear da Companhia
Bmileira.
A correspondencia que tem de ser expedida
aoje (24) pelo vapor cima mencionado pan os
portos do norte, ser reaebld pala maneira se-
grate :
Macos de jornaes, impressos de qoalqaer uta -
reza|a cartas a registra*-, al X boras da Urde.
cartas ordiaarias al 3 horas, e estas at 3 !*
horas, pagando porte daplo.
O adm-nlstrador interino,
Vicente Ferreira da PjreoncaU.
THEaTB)
........ DH4M1TIC0
L reprsenlatien de Mme. AiWrl **,' Tal-
lier, qui devait avoir lea 9 18 codraat a at M.
mise aujnord'bui 24.
PROCsiKA
Tragdie en fofa g
Oa les imprcati9ns d'und poase rpa.
1
A la reche reli d'un homme
THEATRO
Kinpreza-Vicente e Baha
COXPAXIIIA DRAMTICA
COM O CONCURSO Da PRIKEIRA ACTAIZ
Manuela Lucci
Quarta-feira 24 k jnlho
NOV1DADE I
Espectculo .em que toma parte o artista
francez Caries Hurbaiu.
Primeira representacao da comedia em doas
actos, de Scribe :
LUISA
OU
A REPARA^lO
Seguir-se-ha pelos Srs. Babia e Vicente o entre-'
aclo em verso :
0 SALTO DE LECADE
coroposir-So do Sr. Juaqnim Sena.
Terminar o espectculo cem a 1* representa-
do da comedia em i acto, ornada* de msica :

Diitribnicao. _____
Joanua D. Minoela *
Pro;:opio Sr. Baha.
Simi) Mr. Hurbaio.
Principiar as 8 1-2.
Ao publico,
A erapreza, desejando corresponder ao benvolo
acolhiraento que lem recebido era todos os espec-
tculos, trata de augmentar o pessoal da saa com-
panhia, afim de podar levar scena algnns dos
bons dramas do repertorio da actriz Manuela
Lucci. Com este proposito acaba de contratar o
Sr. Justiniano Faria, distinco actor portuguez.
muile conhecido a apreciado nos theatros da rna
dos Condes, Pnncipt Real, e oulros de Lisboa e
Porto. Este artista far a sua e-tra no sabbado
27 do corrente.
I
Tauanho natural
NA
Ra do Commercio n, 17
Prmeiro andar.
Todos os dias uteis das 4 horas da tarde as I
da nonte, e em das santificados das 10 boras i
manbia s 10 da noute.
Entrada geral 000
A' nonte dorante a expo.sic.ao o eximio piani.-u
o Sr. Jalio Poppe tocar diversas pegas de seu
repertorio.
AVISOS MARTIMOS 1
cohp anua
DE
Navegado Brasileira
Dos portos do norte esperad i
at o dia 26 do correle o vapor
Baha, commandante Felippe.
o qaal depois da demora do aae-
tnme seguir para os portos di.
Para carga e passageiros trata-se na agencia
Encommendas de pequeo valor, peso, medidu >
tambem dinbeiro, recebem-se at 1 hora da tard
do dia de saa sabida : na agencia, roa do Com
mercio n. 8. .. *
As encommendas vindas por esto vapor serV.
entregues at o dia da sabida do mesmo no as
criptorio da companhia, e depois deste termo se-
rio recoibidas no trapicha Dsntas.
Para eondicoes, fretes e passagens trata-se n*
agencia, roa Commercio n. 8.
Para o Tara
A barca portngaeza Despiquen, eapilo F. ioi
de Carvalbo, de 1" elasse, e teado j dous terco*
de earga engajada, pretende sabir com brevidade :
e para o resto qae Ihe falta trata-! com Ferreira
k Loureiro, na travessa da Madre de Dos n. W.
Para o Porto
Vai sahlr aom brevidade o brigne portogai-
Triumj-1*, recebe carga a frates commodos a um -
bem pasfafeeiros, para os qoaes offereee mi'
boa accommodacao : a tratar com Soares Prima
roa do Vlgario n. 17.
Para o io. de Janeiro
segu com brevidade o veleiro patacho nacional
Kelaa; recebe alguma aaiga : a tratar era Par.-
nandes & (rmao, na travsssa da Madre de D->
n. 13.
Para o Rio de J>nei
Pretende seguir com maita brevida. o brig
nacional kebel, tea dous taraos de sea earre_,
meato prompto, para o resta qae Ihe falta traa-
se coa os sao* oooaigastarioa Anloilo Laix *
.OUtM Aievedo & c, ra do hm hw a- 37.


C0:VDANH1\ PERMAMBCANA
na
regado crj$telra po* Vapor.
0 <*Gr Coruript, *om
niat dante Sanio., seguir
para o poflo cima no
di 27 do corrente s
noria ra urde.
Rueebe earga, encom-
dinlioiro a frete at as 1
horas da tarda do dia de sua sabida : escriptoric
'do forte do Manos o. 11
PARA O
PORTO
Vai sabir em po icos dias a galera .Vota Fama
3.' : para carga o passage ros aos qaaes offerece
exeellentes commodos, trata-se com Soares Primos,
roa do VIgario o. 17.
Para o Porto
O patacho portigaex O'.mda, caplo Maraes
a sabir al o Om do corrate mez, lema anda
tratar com os consignatarios
& C, a rna do Bom Jesns na
Quinta-toira 25 do corrente
aTsI HORAS EM PONTO
3o *ntlgo amacena de lelles,
m do Imperador n 1G
O agente Pesian lra leilo por tonta de di-
versos, ao correr do martello, dos cbjectos cima
mencionados: no armazem da ra do Imperador
o. 16.
LffiiO
Dods consollos, 2 marquetas e ama cama
de ferro, masa fallida de Manoel Jos
Lopes 4 IrmSo.
SEXTAFE1RA 26 DO CORRENTE
O agente Martina (ara leilao, por mandado do
Illm. Sr. Dr. juiz especial do ceramercio, dos mo-
vis (cima, pertencentes massa fallida de Ma-
noel Jos Lopes & Irmo.
No armazem da ra do Imperador n. 48, as 11
boras do dia.
rm
(Jomar ca de Flora
0.baeharel Felte de Pifaairoa, pruno-
tor publico da comarca de Pajeh de
Flores, advoga nos termos de Flores, la-
gaieira. Villa Bella e Municipio do Tri-
umpbo. Eucarrega-ie da obraoca ami-
gavel oa jadicial de qualquer debito, por
eommoda porcentagem : quem do sen*
prestimos se quizer ntilisar, pode dirigir*
tt direcumente ao>nnnnciaDle,on enten-
der-se com os Drs. Manoel de Figueira
Paria e Felippe de Figueira Faria, na
rna Duque de Caxias n. 44, eeeriptorio
do Diario i Pernambuco.
signa earga : i
Mont'iro, Gregorio
aera 56.
Para o Eio Grande do
Sui
cegoe imprelerivelmenle oestes dez dias o brigae
nacional Amela, a inda pode receber algnma car-
i: tratJse com os seas consignatarios Antonio
oix de Oliveira Azevedo, ra do Bom Jess nu-
mero 37.
f orto por Lisboa
Para os indicados portos pretende sabir com a
poesivel brevidade a barca portogueza Ceres, na-
vio de 1* classe, por ter a naior parte de sen car-
regamento engajado, e para o que Ibe falta, que
recebe a frete commodo c passsgeiros, para os
qaaes tem acetados commodos, trat-se com o
consignatario Joaquim Jos Goncalves Beilro
rna do Commercio n. 50.
/
ft
PARA O PORTO
Sabe com brevi jade o brigus portuguez l'nmo.
Recebe carga a frete commodo e passageiro : a
tratar com Soares Primos, ra do Vigario Tenorio
n. 17.
IEILOES. ____
LEILAO
DO
Brigae nacional Santo Amaro
HUME
AS 11 HORAS DA MANHA
' O agente Oliveira, antorisado pelo competente
dono tara leilao, por inlervenco de seu preposlo
Pinbo Borges, do brigne Santo Amaro, ancorado
oeste porto, e consistindo m velas grandes e pe
quenas, joantes, traqueas de lona, 2 mastros
com todos ossetis pertences, masiaros, vergas,
mondes, 1 relogio da bitacola, 1 g'.Obo para a raes-
oa, 2 slgnaes, 1 sino de bronze, 1 escaler, 4 re-
mos de faia, 2 de pinbo, I canoa, bomba, guin-
cho?, estopa, farr; gen;, e riis ntencilios de bor-
do, dos qaaes se daro as iuformaces necessarias,
no escriptoric do referido agente sito ra do
Bom Jesns n. 53 'ontr'ora Cruz) onde ser effe-
etnado o leilao mi dia e hnra cima mencionados.
LEILAO
Diversos
DA
movis, louca, quadros e algans
livros
Espolia de Epilanio
O agente Martins far leilao, a reqnerimento do
Dr. carador geral dos ausentes, e por despacho
do Illm. Sr. Dr. juiz de orphos e ausentes, de di
versas mesas, quadros, livros, bahs, roupas e
ontres objectos|pertencenies ao espolio de Epifanio,
escravo.
SEXTA FEIRA 26 DO CORRENTE.
No armazem da roa do Imperadar n.48, s 11
boras do dia.
nico doposito em Pernambneo dos chara
toi G. Scbnorhasch da Babia, no escriptorio de
Cunha & Manta : vende se de todas as marcas,
por preces etabelecidos, e em porcao de 5,000
para cima se dar descont : na na do Mrquez
de Olinda n. 40. __________ ..
GASA DA FORTUNA
RA 1* DI MARCO OUTR'ORA DO
CRESPO N M.
(Jalea qae paga as sortea
los 20:000^000.
O abaizo assignado tem sempre exposto i ven
la oifeliies bilhetes do Rio de Janeiro, pagande
womptamente, como costnma, qualquer premio.
PRECOS.
Inteiro 14*000
Meio 11*009.
Qoarto i 6*000-
Manoel Martina Fiuu.
LEILI
Leilao
DE
Femigens avariadas
HOJI2.
meio dia
O agente Pinto levar a leilao por conta e risco
de quem pertencir 3 barri:asmarca D T diaman-
te B. i,s. 61, Ib e 17 com tezoaras, colheres e
tachas de ferro araadas a bordo do vapor inglez
Ariel, na saa a,tuna ffagem a este porto: o leilao
ser efectuado ao meio dia do dia cima dito, no
escriptorio do referido agente, ra do Bom Jesns
n. 43.
Leilao
DE
Ceneja norneguense
iio.i:
A'S 11 HORAS DA MANHA.
0 agente Pinto levar a leilao por conta e risio
de qnem perteneer, 200 caixas com cerveja
noraeguense da afamada marca M, ebegadas ba
poneos dias no r avio Adele de Hambnrgo, em lotes
avontade dos compradores s 11 boras do da
acuna dito, no armazem do Aunes defronte da al-
fandega.
Leilao
DE
FitZEIVDA
AYARIADAS
Hoje
AO MED DIA.
DA
LOJAI INZU
A' rna da Imperalriz n. SI
Sexta-feira 2 de agosto
A'S u HORAS
O agento Oliveira far leilao por ntervencao de
sen preposto Pinbo Borges, reqnerimento do in-
ventarame, e por despacho do Illm. Sr. Dr. juiz
de orpbos e ausentes, da loja de miudezas e
todos oe sens accessorics pertencentes ao espolie
do tinado Manoel Rodrigues de Almeida, sita i
rna da Imperalriz n. 54.
Os Srs. preiendentes podem examinar anteci-
padamente a relaclo das fazendas, armacao e mais
artigas existentes no dito eslabelecimento, e para
este fim dirijam-se ao escriptorio do referido agen-
te, sito ra do-Bom Jess n. 53, 1* andar, onde
se daro as informacSes necessarias.
O leilao ser effoctnado na dita loja, no dia e
bora a-ima mencionados.
LEILAO
DE
Um excedente predio de 2 andares e so
to no principio da roa do Pilar n. 23.
QUINTA FEIRA 8 DE AGOSTO
A's 11 boras da maohaa.
O agente Oliveira, por intermedio de sea pre-
posto Piho Borges, vender em leilao o predio
cima mencionado, o qual se acha bem situado,
podendo servir para um estabeleclmento de mo-
Ihados por ter um e paco3o pavimento terreo e
pela posica em que se acha.
Os Srs. pretendentes tero todas as informales
precisas no escriptorio do referido agente, silo
rna do Bem Jfsus n. 53, i* andar.
CO
Escravo fgido
Auzentou-se desde 13 de maio prximo pana-
do o preto Alfredo, de trinta e tantos anuos, es
talara, alto e magro, olbos grandes e tem or
geito no andar, perfeito eczinheiro e foi escravo
do Srs. Adriano & Castro, e ultima mente do Sr.
Jos Joaquim Goncalves Bastes, costnma andar
pela Capunga e Poco da Panella, e consta que j
foi visto na eidade de Olinda ; estes lio os pon-
tos aonde elle tem andado : qnem o pegar ira-
gao a ra Duque de Caxias o. 91, leja do Rival
sem Segundo, que ser bem gratificado,
LT01U0 HOM
DO
Dr. Santos Mello
43Ra do Bario da Victoria43
Residencia mesma ra n. 7, 2* an-
dar.
Vaceioa todas as quintas-feiras e do- Oj
mingos. 2
Gratis aos pobres.
ttKMH38MMMI
Loja
Traspissa-se o arrendamento da loja da roa do
Bario da Victoria n. 45 : tratar na mesma.
Precisa se de una ama para flfczmhar e ou-
ira para engommar : na roa do Corredor do Bis-
po n. II.
a. ymar m Precisa-se de orna aiua que sai-
im.l.^m ba petftitamente eczinhar : a tra-
tar na rna du Hospicio n. 50.
Precisa-se de urna ama para pequea fami-
lia : na rna de Hortas n. 94.
Ama de leite
Precisa-se de ama ama de leite para urna fami-
lia franeeza : na ra do Imperador n. 79, tercei
ro andar.
AMA
andar.
Precisa-ie de ama livre ou eserava :
na travesea de S. Pedro o. 4 primeiro
Fugio no fim do mez de novembro do auno de
1869. do engenbo Goit, sito na comarca de Na-
lareth, a eserava Thereza, de 30 anuos de idade
pouco mais ou menos, eom os signacs segnintes
cor mulata bem clara, balxa e grossa do cor
po, rosto redondo, olbos eastanbos e grandes, na-
riz um Unto chato, bocea grande, denles grandes
e eangullos, cabellos raeios loaros e eaxeidos
para as pontas, bracos e pernas grossas, ps cor-
tos e grossos, eom algams cicatrizes de relbo
as costas.
Igaalmente est fngido desde o dia 26 de feve-
reiro do correte anuo o escravo crioulo de no
me agostinho, de 40 anuos de idade pouco mais
en menos, e os signaes segnintes : cor bem pre-
ta, alto e grosso do corpo, rosto redondo e car-
nudo, olbos pretos e grandes, nariz chato, boc-
ea grande, beicos grossos, representando doas
beicos do lado de cima, com falta de denles na
frente, eabeca comprida e calva de diante para
traz, principiando a pintar tanto no cabello como
oa barba, pernas finas, ps tortos palhetados,
eom orna cicatriz em nm dos regeitos dos ps,
Este escravo foi comprado a Pedro Garca,
morador no seriad do Sabogy, e j fez nma sabi-
da com destino ao sertio e foi preso em Bom
Jardim da comarca do Limoeiro.
Roga-se a todas as autoridades policiaes, oo
mesmo pessoas particulares, que os prender e con-
duzir ao referido engenho Goit, a serem entre-
gaos a sea senhor o major Cbristovio de Hol-
landa Cavalcanie de Albnqaerqae, ser por cada
om gratificado com 200*000 rs. _______
a %i a Na rna do Alecrim n. ;0 precisa-se
o.liii de ama ama para lodo o servlco de nma
familia de duas pessoas.
AM3T
Precisa se de urna ama para
nbar: na rus Imperial n. 199.
cozi
Precisa-se de nma ama
roa da Sol Jade n. 76.
de leite sera fllho
Cosinheira
Precisa-se de ama mnlber forra oa eserava que
teja boa coziubeira e engommadeira para casa de
familia : a tratar na roa Duque de Caxias n. 93,
$** *******
Imperial fabrica
DE # :
Rap areia fina da Baha
DE
Morara & C.
O abaixo assignado, nico agente dessa
fabrica, avisa ao publico que tem aberto
o deposito de dito rap no sen escripto-
rio ra do Vigario n. 21, ende os fre-
guezes encontrarlo sempre a qaantidade
que precisarem.
Recife, 29 de abril de 1872. 9
Domingos Alves Malheos. )
**** ** ****e***
Casa da fortuna.
Ra 1 de Marqo numero 23.
O abaixo asignado, tendo vendido nos seui fe-
lizes bilhetes da lotera do Rio n. 408 daos meio?
de n. 3744 eom a sor te de 4:000,5, convida os pos-
suidores a virem receber, que p rom pamente se
rao pagos como coslume.
Manoel Martins Viuza.
*
*
*
Precisa-se de urna ama pa-
ra comprar e c ziohar para
ponca familia : na ra de
Pedro Aff >nso n. 3. antiga da Praia.
Ama de leite
Precisase de nma ama que tenha bom leite
ra Duque de Caxia?, (Queiroado) n. 89.____
na
Precisa-se de urna
rna Direita n. 10.
ama para cosinbar, na
AMA
milia.
a ra do Imperador n. 49 2* andar
precisase de nma ama que saiba eo
sinbar e engommar, casa de pouca fa
AMA
Aluga-se
o 3* andar da casa da ra do Amorim n. 39, com
commodos para pequeoa familia ; a tratar no ar-
mazem do mesmo.___________________________
Companhia de Seguros Phenix
Pernambucana.
Sao convidados os senhores accionistas a virem
Mceber o segando dividendo na razio de 24a por
accao. Peroambaco 8 de julho de 1872.
Os directores,
Lnii Duprat.
J. H. Tnndade.
Luiz A. Siqueira.
LEILAO
DE
FAZENDAS
Quarta-feira 14 de agosto.
A'S ti l\2 HORAS EM PONTO.
O agente Oliveira por intermedio de sea prepos-
to Picho Borges, e por mandado do Illm. Sr. Dr.
juiz do commercio, far leilao de diversas fazen-
das, pertencectes a massa fallida de Estevo Can-
dido da Silva; consistinio em chitas, madapolio,
cambraias, chales, castores.batas, aigodoeszinbos,
lencos, baloes, cobertores, chapos_ para homeos
e muitos outros ariigos que esiarao patentes na
oceasiao do leilao.
Em seu escriptorio i ra do Bom Jess n. 33,
1' andar.
AVISOS DIVERSOS
O agente Pinta levar a leilao, a requenmento
de Linden WeydmaBn de C, por aulorlsacao do
cnsul da Blgica, e por conta e risco de quem
pertencer, nm fardo marca LW 4 C. n. 45
com cebertores avariados a bordo do navio Mar-
gauth, na ua ultima viagem a este porto : o lei-
lao ter effei tuado ao me o dia do cima Jito, no
escriptorio do referido agente, ra do Bom Jesns
n. 43.
Em continuado
vender o mesmo agente 4 duzias de eache-nez de
lia, guardanapos, camisas de linho, grvalas,
manteletes e potras fazenc'a?.__________________
V
' DE
Urna casa terrea na rna de Vidal de Ne-
greiros. (octi'ora Cinco Pontas), n. 102,
edificada em solo proprio, contendo 2
salas, 2 quartos, csinna tora, quintal e
encanamento de gaz.
Urna ontra tambem nos fundos da cima
mencionada, com lrente para a rna das
' Cariocas n. 7, 2 salas, 2 quartos, csi-
nna ra, quintal e em solo proprio.
HOJE
Por intervengo do agente Pinto, em seo
eferiptorio rna do Bom Jesni n. 43,
DE
piano de armario, 2 grandes espelhos com mol-
dara de Jacaranda, taoblias de Jacaranda e
amarello, 1 aachina de costara, urna porcao
de cortinados para janellas, urna porcao de glo-
bos para gai, mesa elstica, 1 secretaria para
advrgado, guarda-roupa, guarda-lonca, jarros
safa flores, candieiros a gaz, figuras para cima
de mesa, qu idros de differentes fetios e gostos,
J etaieres, marquetas, 1 estante para livros,
toreadores, privadas, abides, cadeiras avolsas,
I machina pira lavar ronpa, 'commodas, lonca
almoce, reloglos aovos de onro patente in-
Ee de pnta (para fechar ama factura), re-
s de vllro, relogiai de parede no vos e usa-
dos, bancas para Jtmt-j de cama, cama france-
zas, veneziaiua, eaman de ferro, ontro* mal-
los abjecioi que esurSo plente ao Sr. com-
piadores
Precisa-se alugar um sbradinho de um
andar, porem que tenba sotSo, ou om 2'
andar na mesma condigo, com tanto que
seja no bairro de Santo Antonio, e as se-
gnintes roas: Crnzes, pateo do Carmo, pa-
teo da Penba, largo do Paraso, ra Direita,
ou em outra qualquer ra, com tanto que
tenha de tres quartos para cima.. O pre-
tndeme nao duvidar fazer algum concert
ligeiro, pintura e caiacSo no caso de preci-
sar e sendo qae o aluguel convenha.
Quem tiver e quizer alugar, deixe carta
fechada nesta typograpbia com as iniciaes
F. G., com a declaraco da ra, numero e
aluguel, bem como 03 commodos que ti-
ver.
SEGUROS
MARTIMOS
E
CONTRI FOGO.
A companhia Indemnisadora, establecidt
esta praca, toma seguros maritimos aobrt
lavios e sena carregameatos e contra toge
*m edificios, mercadoras e mobilias : n>
fu do Vigario n. 4, pavimento terreo^____
Companhia AllianQa
seguros maritimos e terrestres
estabelecida na Baha em 15
de Janeiro de 1870.
CAPITAL. .Rs. 4,000:000*000.
Toma seguro de mercadoras e dinheiro
a risco martimo em navio de vel'a e vapo-
res para dentro e fra do imperio, assim
como contra fogo sobre predios, gneros e
fazendas.___________________________
Caixeiro
Precisa-se d um menino para caixeiro, de 12
a 14 annos, com pratica de taverpa no pateo da
Santa Crnz n. 2. __________\
Precisa-se de urna ama perteita cosi-
nheira, paga se bom ordenado, para ca-
sa de bomem solteiro : na rua.do Livramenls n. 6,
lojs._______________^_______
Precisa sede orna ama
para czsa de rapaz sol-
teiro : a tratar roa de
Pedro Alfonso numer
quarenta, antiga roa da
Praia._______________
Precisa-se de ama ama Dar servico de casa,
preferindose eserava: ruando Bom Jess, ontr'ora
roa da Cruz n. 55.
AMA
AMA;
Pre:isa se de urna
cozinhar e ensaboar
a o. 184.
ama que saioa
: na roa da Glo-
MAA
Preciase de nma ama
qua saiba comprar e co-
zinhar com perfeico :
na roa da Aurora n. 5,
2* andar.
GRANDE
CASA DA FORTlli
Aos 5:0001
Bilhetes garantidos.
4 ra Primeiro de Marco (ontr'ora roa do
Crespo) n. 23 e casas do costme
O abaixo assignado, tendo vendido nos seos fe
tizas bilhetes quatro quartos o. 664 com 5:000a,
dous meios n. 1290 com 800J, dous raeios o. 2053
com 3C01000 e outras sones da 404000 e 201000
da lotera que se acabou de extrahir (12a), con-
vida aos possoidores i virem receber na canfor-
midade do costme sem deecento algum.
Acham-se venda os bilhetes garantidos da
14a parta das loteras a beneficio da nova igreja
de Nossa Senhora da Penba (13), que se extra-
oir no sabbado 27 do corrente mez.
. PRECOS.
Bilhete inteiro 64000
- Meio bilhete 31000
Quarto 1*500
Em porcao de 100*000 para cima.
' Bilhete inteiro 5*500
Meio bilhete 2*750
Qoarto i*375
Manoel Martins Finia.
Joaquim Jos Gonpal
ves Beltrao
Roa do Commercio n. 5, i* andar.
Sacca por todos os paquetes sobre o
banco do Minho, em Braga, e sobre os se-
gointes lugares de Portugal.
Amarante.
Arcos de. Val de Vez.
Barcellos.
Beja.
Chaves.
Coimbra.
Covilha.
Faro.
Guarda.
Guimaraes.
Lamego.
Lisboa.
Mirandella.
MoncSo.
Ponte de Lima.
Porto.
Tavira.
Valpassos.
Vianna do Castalio.
Villa de Conde.
Villa Nova de Famalico.
Villa Nova de PortimSo.
Villa Real.
Vizen.
Valenca.
Figueira.
Penafiel.
Rega.___________ '
Ao commercio
Os abaixo assignados deelaram ao publico e es-
pecialmente ao corpo do commercio que nesta
data eomprram ao Sr. Joaquim Goncalves de
Azevedo Maia, o sea deposito de pao e bolacha,
sito no largo da Penba n. 8, livre e desembara-
zado de qualquer debito que possa appareeer
at esta data.
Recife, de julho de 1872.
Joaquim da Silva Salgneiral & C.
Escravo fgido
Ausentou-se desde o dia 14 do corrente o preto
creoulo de nome Rodolpbo, idade 26 anuos, pouco
mais ou menos, estatura regalar, olbos v tem nm geito no andar; foi escravo de Luiz de
Oliveira Lima, babil, sabe lerecosiuma intitular-
se eomo forro, tem andado pela Saledade, Cisco, e
caminbos de Olinda ; quem o pegar traga-o na
rna Direita n. 16, que ser recompensado.
Jardim da praca do Conde
d'Eu.
Precisa-se de alguns ps de jasmim-laranjinba,
preferindo-se es qne j estiverem grondes. Se
alguma pessoa que os possuir quizer da-los oa
vende los ter a bondade de avisar ao Dr. Mos-
coso que os mandar buscar onde se acharem.
Espera-se qne qnem quer que os tenha e possa
dispor delles por urna forma ou outra nao se re-
cusar de concorrer para o.bem publico.
DE
PIANOS
Ra Nova d. 14, sobrado
ANTONIO JOS" DE AZEVEDO
partecipa aos amigos e ao respeitavel publico qne
acaba de abrir um grande deposito de pianos e
officina para concertos, na ra e numero cima,
onde sempre encontraro pianos a venda dos se-
gnintes fabricantes :
Erard.
Henrique Werzs,
vpleyel Wolfl & C.
Blondel.
Amede Thibanlr.
AFINADOR.
Na masma cfflcina encontraro nm perito a fu-
ador prompto a aecudir a todos os charradas.
Na praca da Independencia b. 33 t da de gra-
liicaco a quem apreieoiar a eserava Man&B-
na, pr< is, de idade mait de 50 anno, bastante la-
dina, eom falla de deo'.es.eMatura baixa, tem stdo
por duas vezes encunirada cora urn balaioho na
ra da Anrora em direccao da via-ferrea.on entio
em Santo Amaro; em todo o caso parece qne deve
estar por aquellas immedia .des, est ausenta de-
ep 6 de fevereiro._______________
Tintura da China
Para Ungir os cabellos, barbas, bigodei
restitoi-lbes a cor natural, em
2 minutos
Entre todos os preparados ehimicos destinados
ce lorisaco do cabeilo, deve a Tintura da Chi-
na, por soa soperiordade, oceupar um dos mais
dislioctos logares. Ella d ao cabello a cor qne
se deseja, sem o damnificar, mais antes o conser-
va e fortifica.
Deposito na pbarmacia americana de Fer
reir Maia A C roa Dnqoe de Caxias n. 57
P ESPECIAL
e eommom, todos os dias as 2 l|2 horas da tanto
sahir da forno, podendo os freguezes compra-lo
ainda qnente, sendo fei o de farinba especial; as-
sim eomo o pao ebiaez : na roa do Gervasio Pires
o. 45, nova padaria americana.
ATTENCAO
Tres escavos fgidos
Desaprareceram no dia 23 de novembro de 1871,
do dogeoho Doas Bracos de Cima, na freguezia da
Escada, os escravos egninles :
Flix, erioolo, de 50 annos pouco mais on me-
nos, altura regular, ebeio do corpo, bem feilo de
ps e pernas, rosto redondo e om pooco carrancu-
do, falla poseo, tem todos os denles da frente,
alguns dos qnaes sio limados, asa de tufosas, tem
cabellos brancot celias e na eabeca ; foi escravo
de Joaquim Rapbael da Cruz, de P.j- de Floree,
d' onde veui para ser vendido na eidade do Recife.
E' a segunda vez que desapparece este ejtravo do
poder de abaixo assignado, sendo qne da primei-
ra foi preso em S. Jos da Ingazeira, peto que 9
suppoe ter ido para o mesmo logar.
Joo, que representa ler 32 annos, multo alto,
secco do cerpo, bracos e pernas finas, rosto com-
pride, com marcas de bexigas, olbos pequeos e
vivos, nariz um pouco chato, falla bem e nm
pouco gago, toca viola e gaita, e dia ter sido es-
cravo de um padre, j fallecido, e ser natural da
-villa de S. Joao ou S. Thom no serlio de Carir.
Antonio, finalmente, de altara e rosto regula-
res, cor fola, com 22 annos, bem feilo de corpo.
ps e pernas, olhos amortecidos, nariz bem feilo,
falla mansa, tem falta de denles na frente, st
agora bucando, diz ter sido escravo de Luiz Pe-
drosa, morador no rio Piranhas e vendido para o
sertao de Pianc. Foi tambem escravo de Cypria-
no Bezerra Leite, por coja precaracio o venden
o Sr. Marcerlioo Francisco Alves da Silva, no
Recife.
Rcga-se s autoridades policiaes e eapities de
campo a captura dos escravos aeima podendo
ser elles entregues ao abaixo assignado, no en-
genbo cima, oa no Recife, ras da Madre de dens
n. 36, 1.' andar, e do Queimado n. 47, onde ser
generosamente gratificado quem quer qne appre-
beoda os escravos referidos.
ilanoil Rodrigues da Silva Cmara.
AtteiK'o
0 Sr.': da roa Imperial, qu ajustn o
piano na ra da UniSo'n. 49, queira man*
da-lo buscar quanto antes, senao ser ven-
dido outro.
4G0*S000.
Novo Atheneu
De ordem da directora participo a todos os se-
nhores socios qne as sesioes ordinarias foram
transferidas para as quartas.feiras as 5 horas da
urde. Outro sim, em virlude da dellberacao da
assembla geral, fica marcado o praso de 8 das
para os lelas qne posiuea livros da nossa b;bIio-
theca vir ou man lar a esta secretaria entregar-
Ih'os, e se porveninra, Andado que teja este nraao,
nu tenbam cumprido este convite, serlo elimina-
dos e seos nomes publicados nos jornaes deila
capital. Recife 22 de julho de 1871
Rodrigues da Costa,
1* secretario.'
Lava-ie e engomas** perfelamente
hornera '. na rna da Gloria n, 64.
para
GASA DO OURO
Esta feliz c?sa acaba de vender nos sem mal-
lo felices bilhetes, dons meios de n. 2894 cora a
sor te de 10:000*000 da lotera n. 409.
Precisa-se de um
andaa,
Feitor.
i ra Direita n. 93, segado
AttentfLo
Desippireeeu no da 22 do corrente da roa de
Pedro Affonso u. 49, 2* andar, a eserava mulata
de nome Umbellna, alta, secea do corno, cabellos
carapinha aberto estrada, anda calcada, jniga-se
ter sido seduzida pelo aeu amigo Alfredo de tal,
parto, que ha pouco tempo teta baixa do corpo de
p:lieia; suppde-se qne onde indar o mesmo Al-
fredo anda i dita mulata : pede se, portanto, a
autoridades policiaes i ipprebensio da mesma <
leva-la i rna cima mencionada, que ter recom-
penMdo com a qnanila da 80*.
Precisa-se de um eaileiro para naleao
urna ama para comprar coiioJr; na rui n
Coronel Suaisana o. i.
Os credores da massa fallida de Fernando
Stepple da Silva sao convidados a apreSentarem
com a maior brevidade possivel em casa dos admi-
nistradores da dita massa roa da Companhia Per-
nambucana n. 14 os seas ltalos, am de proe-
der-se a classificacao de crditos. Recife 10 de ja-
ibo de 1872. .
Os adminisfadore?,
Joiqaim Dia dos Santos & C.
Ao commercio
Os abaixo assignados scientifleam ao respeitavel
corpo do commercio que cempraram ao Sr. Mar-
cos de Almeida Lima o estabelecimento de mo-
rcados sito no pateo do Terco n. 11, livre e de-
sembarazado de qualquer debito : quem se julgar
eom direito ao mesmo queira nestes tres dias en-
tender-fe eom o Sr. Marcos de Almeida Lima. Re-
cife 4 de julho de 1872.
Minervino Francisco Lobo.
Francisco Ignacio Lobo!_______
Aluga-se um terreno na roa da Aurora n
91, murado at a rna da Uniio, com 70 palmo;
de frente e 262 de fundo : tratar na rna do
Mrquez de Olinda n. 56, escriptorio de Leal a
Irmos.
D-se a quantia cima a quem apprehender os
escravos Manoel Ricardo e Fiel, que fugiram no
dia 14 de maio desle anno : o 1* da provincia
do Cear, e veio para esta pequeo, cabra ataio-
cado, cabel'os cacheados, ps pequeos, baixo,
bom corpo, bocea lascada, com pouca barba no
queixo, e pouco blgode, representa ter 30 annos,
ladino, e gosta de andar limpo ; soppSese ter le-
vado em sua companhia urna mulher de nome
Rachel, alva, com cabellos cortados. Fiel, cabra
claro, idade de 27 annos, altura e corpo .regula-
res, cabellos carapinhos, andar vagaroso e espi-
gado, tem falta de ama unha em um dos dedos
grandes dos ps, um buraquinho no nariz encos-
tado as ventas, proveniente de nm conce de ca-
villo, pouca barba; levou em sua companbia urna
mulher de nome Felismina. de cor alva, com bom
caballo. Da-se metade da gralificacao cima a
quem levar qualquer um destss escravos ao en-
genho Macanass, fregnezia da Escada. cu no Re-
cife, rna do Cabng n. 18, casa de Manoel Jos
Ferreira Cruz. .
mwmwmmwmmmwsmm
i
Aluga-se ama casa com 3 quartos, eozinba
fra e nm pequeo sitio na Casa Forte : a tratar
na roa Veiha n. 84.
^^^ommanaante^ecm-
eiaes do corpo de polica,
profundamente commov-
Mallas milagrosas.
A COROA BRILHNATE, loja de joias na
esquina da ra do Cabug n. 11, recebeo
um sortimento de medalhas milagrosas e das
Dores, de ouro e prata dourada, e junta-
mente cassolelas para meninas, de bom gos-
to, a 3|J000 e para senhoras 8W00, assim
como tambem um completo sortimento
de ocolos e pince-nezs de ac e tartaroga fi-
nos, ludo por pre?os mdicos. A loja es-
tar a berta noite at 8 horas.___________
loglez e francez
Urna p.'ssoa competentemente habilitada offe-
rece-se a animar a fallar e escrever inglez e fran
eez em casas particulares, e pode ser procurado
oo pateo de S. Pedro n. 17.________________
! O abaixo assignado laz publico em geral que
d'ora em diante deixa de assignar-se por Jos An-
tonio de Carvalho Jnior e sim por JosAntonio
da Costa Carvalho.
Aos senhores de engenho
Urna pessoa competentemente habilitada o (Tere-
ee-ae para administrar qualquer engenho, propon-
do-se a leceionar msica vocal e instrumental'.
quem de seu presumo te quizer utilisar annnncie
para.ser procurado. ^^___^_
Off rece-se um rapaz com pratica de fazen-
das e miudezas, para caixeiro de qualquer esta-
belecimento : qnem precisar deixe carta fechada
uesta typjgraphia com as iniciaes S. M. L
CRIADO
Precisa-se de um criado, forro ou escravo, para
eondnzir nm taboleiro de comida: rna Nova
loja n. H.____________
Preeisa-se ee urna criada
geira, pa*a cozer e engommar
co Commercio n. 38.
para casa estran-
a tratar na ra
Precisa-se
de um menino de 12 a 14 annos para ca xeiro de
loja; na roa Noti d. 4 ie o quem precisa.
Na travessa da roa
das Crnzes n, 2, pri-
meiro andar, da-se di-
nheiro sobre penbores
de onro, prata e brilhan-
les, seja qual Cor a qoan-
lia. Na mesma casa com-
pram-se os mesnos me-
taes e pedras.
i.
O Sr.- Melquades Antunes de Almeida
queira vir esta lypographia concluir o pa-
gamento do aluguel da casa em qua mora
em Olinda.
__Fugiram do engenbo Cachoeirinba, freguezia
da Escada, os escravos Runo e Ignez, na nolte de
12 para 13 do corrente, os qnaes teem os signaes
segnintes : Rullno, cor fula, estatura regular,
corpulento, ps mal feitos, falta de dentes na fren-
te do lado de cimaf 23 a 28 annos de. idade, olhos
regalares, nariz chato, cabellos carapinrios, levou
roupa de bnm; Ignez, mulata clara, rosto largo,
olhos salientes, alta, secca, ps grandes, cabellos
carapinhos, nariz chato. Eates escravos sao ca-
sados e -perteueem ao abaixo assignado, que gra-
tiQcar ganerosamente a qnem os apprehender e
levar ao referido engenho.
Manoel Cavalcante de Albuqnerque.
Agencia de leiloes.
Ra do Imperador n. 16
0 nova dono deste impottante estabelecimento
(o mais antigo nesta provincia) scientiflca ao res-
neiUvcl corpo do commercio e ao publico em ge-
ral que recebe constantemente para ser vendido
em'leilao publico ou particularmente todas as qua-
lidades de objecics, gneros, mercadorias, fazen-
das, miudezas, trntes novos e usados, pianos, lou-
ca, qainquilhirai e todos os perlences do uso do-
mstico de qualquer casa.
Precisa-se de um caixeiro brasileiro que te-
nha. pratica de taverna: a tratar na ra Imperial
numero 31. _________^_;__
Deiencaminnu-se hontem (J3 ) um preto
qae eondazia para a estacie de Apipucos nm
saeco contendo cerca de 10 cuias de fetjao, al
guns pares de Utnancos e miis doui embrulnos:
qnem delle der noticia ou ipprehende-lo terare-
compensado i rui do Rangel d. 10.
des pela infansta e doloro-
sa noticia do assasMoato da
en infeliz companheiro a
amigo, o alteres Antonio
Henriques de Miranda, mandam celebrar nm me-
mento solemne e missas por alma do referido at-
ieres, no da 24 do corrente no convento de N.
S. do Carmo, pelas 9 horas da maaha ; e para
esss acto convidaos ios prenles e amigos do fi-
nado. __________________
Mana Augusta Lias Baha e seos
flihos convidan) acs'parentes e ami-
gos de sea finado e sempre chora
do manto e pai o Dr. Jos Antonio
Baha da Canba, para assislirem a
ama missa qae por saa alma man-
dam celebrar na matriz da Boa-
vista as 7 1|2 horas da manba de 26 do corra-
te, 2" anniversario do sen passamento; pelo qae
desde j se confessam eternamente gratos. .
ATTENAO
Aluga-se um sotao na roa do Raogel n. 54 :
tratar na ra da Praia n. 3i; prefere-se urna
pequea familia._________________^_______
Attenpao
Pede-se aes Srs. Aareliano Augusto de Souza
Serrano e Antonio Affonso Moreira, o obzeqaio
de virem ra da Madre de Deus n. 11, eumprir
o que nao igooram.________;____________^__
Na ra do Vigario Tnenorio n. 17 precisa-se*
fallar com o Sr. Joaqnlm Goncalves Carneiro a
negocio de sen interesse._______________-
Abilio Viegas Martina Guimares, faz publi-
co e com especialidade ao corpo do commercio,
qne eomprou ao Sr. Francisco Panline Lopes de
Almeida, a taverna da roa de S, Gonealo n. 27,
livre e desembarazada de Iqualquer onas. So
alguem se julgar com direito alguma reclama-
Cao dirija-se mesma taverna no praso de 3 dias.
UBI
A botica popular n. 77, da rna da Imperatris
para a mesma rna n. 69 e 71, conitnuam a func-
cionar, com quauto ainda nao esteja prompla.
Bouquet das Damas
Qs proprietarios deste esiabelecimento fazem
sciente ao respeitavel publico que tem recebido
por todos oj paquetes da Enrona um bello sorti-
mento de mercadoras propriis deste mercado o
por barato prego.
Perfumaras.
Um grande sortimento de perfumaras finas dos
fabricantes Rimel, Glenel, Lubin, Coudray, Piver a
sociedade bygienica, que se vende por precos
commodos; roa 1* de Marcpn. 11, antiga d
Crespo, no Bouquet das Damas.
Obras de cabellos.
As Exmas. Sras. encontraro no estabelecimen-
to roa 1* de Marco n. 11, intitulado Bouquet das
Damas, nm perfeito sortimento de obras de ca-
bellos vordideiros, como seja, coques de tranca,
ditos de cachos, trancu, bicos, cacbe-paine e to-
petes, tudo da ultima moda, segundo os figorinos
recibidos de Pars, e se vende por menos do que
em outra qualquer parle ; tambem se alaga pelos
segnintes precos :
Aluguel de um coque tf.
Dito de um par de trancas if. *
Dito de um topete 1J.
Ponteado de coque ili.
Ponteado de senhora em sua residencia 34 e no
eslabelecimento a 2; para cojo fim tem os an-
nunciantes urna sala preparada para as senhoras.
Corte de cabellos e barba,
O Bouquet das Damas contina no miter de
cortar cabello e fazer barba, para cajo fim tem
bons artistas: ra 1* de Marco n, 14, i* andar
antiga do Crespo. -_________ .
rrecisa-se alugar urna preta que teja en-
gommadeira e quiundein, agradando tambem is
compra : na roa da Santo Amaro n. i, taverna.
Offerece-se urna mulber de idade para casa
de hemem solteiro ou de pouca-familia: a tratar
oa ra da Pecha n. 13.


I
-
1
FABRICA DE MACHINAS
A1 Ra do Battlo do Triwnpho (ra do BrumJ ns.
100 104.
CARDOSO a IRMO
AV1SAM aos Si*, de engenhos e ao publico em geral, qoe teem recebido da Europa,
grande sortiraento de ferragens para engentaos e para lavoura, e quaesquer outros ozos
e austeros da iodostiria agrcola, o qoe todo vendem por precos razoaveis.
V^.mmmm %m% AaanAAM pintadas e galvanisadas de diversos tama-
Formas para assucar h08.
Tr0_Altaa borixonUes e verlicaes j bem conhecidos nesta provincia e lora dola,
Vaporo osmelhores qae teem rindo a esje mercado.
JlLOOIlvLaS (jompletas de diversos tamaahos, obra maita forte e bem acabada.
Ju6iaS m06Uu.aS para assentar em grades de madeira.
TaiXaJS 6 lOrrO Q ferro fQndido e batido de diversos tamanuos.
JttOClaS Q ag'U.a JcCOdaS Q6Ilta(iaS e diversos tamanhos e qualidades.
PfttinflwfAO Concerlam com promptidao qualquer obra oa machina, para o que
vOUC/OJl LOS teem 8ua fabrica bem montada com grande e bom pessoal.
t JSiIICODlIlienaaS chD8mo, para o que se correspondem com orna respeita-
vel casa de Londres e com um dos melhores engentaeiros de Inglaterra; incumbem-se
de mandar assentar ditas machinas, e se responsabilisam pelo bom trabalho das mesmas.
RA DO BARAO DO TRIUMPHO NS. 101, 102 E 104
FUNDICAO DE CARDOSO IRMO
RU i DO RRIM N. 52
t. _j
nos,
desta
(Passando o chafariz)
Neste estabeleciment fundado ha cerca de trinta an-
vende-se todo o inachinismo preciso para a AGRICULTURA
provincia e para O FARR1CO DO ASSUCAR E PREPARADO DO
ALGODO entre outras machinas de vapormoendas decanna
para vapor, agua ou animaes,rodas d'agua,rodas dentadas,
=aguilhdes e chumaceiras, tachas para engenhos, = crivos e
boceas de fornalha,=*moinhos para mandiocacannos de ferro,
=torneiras de ferro e bronze,oges,bombas para cacimba,
ditas de repuchoguindastesguichosalambiques,pren-i
sas hydraulicas,=ditas de parafuso,ferragens para carros, na-
vios e obras publicas, columnas e travs,serras e serraras,
diversos utencilios, preparos e motores para descaroqar algodo.
CAUTEI-XA.
Tendo sido engaado diversas pessoas em procura d'esta
fandiqo, recommenda-se amellas que nao conhecem hem a
pra<;a ohservem para se, e para seus mandatarios que a
FUNDICaO DO B0WMAN .
est entre o chafariz e a fortaleza, perto a cocheira.dos bonds,
que os edificios estfio de ambos os lados da rna e pintados de
verde nos andares inferiores.
" Vende-se a prazo ou a dinheiro com
descont.___________________
AOS 5:000$000
Ssto venda os felizes bilhetes da lotera 4a
iania,na casa feliz do arco da Conceigo, 3oia;di
nrives no Recife.
A0 ARMAZEM
DO
Roa do Bao da Victoria
N. 7_Outr'ora ra Nova_N. 7
Sempre novos sorlimentos
Caipado francez
Botinas- novas para senhoras e meninas.
Botinas para bomens, bom bezerro, pellica, cor-
davo, taqueta e panno, duraque com biqueira de
veroiz, pellica com biqneira de veruiz, bezerro e
pell.ca com ilhs e com bot5es, unto dos fabri-
cantes Suzer como de Polak.
Bous russianas, meias botas, perneiras e meiai
uerneiras para icontaria.
Saptos de vaqueta de veroiz com sola da ma-
deira, proprios para os sitios, jardins e banbos,
tanto para senbora como para taomem.
Sspaies de borracha para taomem, senhora e
menino. '
Botinas e abotinados de multas qualidades e
preos para meninas e meninos.
Sapatos de verniz, charla!, caseruira, Upetes
avelladados e de tranca, franceies e portugueze.
Perfumaras
Finos extractos, banhas, cosmticos, leos, opia-
tas e pos deoiriQcio, agaa de Uore*"de Urania,
agna de Colognn, divina, florida, Uvude, e de
toilette, tintura para barba e cabello, pos de arroz
sabonetes e muitos argos delicados, como iras
uninos ae ex'.ractos, tudo de primeira qaalida-
de dos bem c mbecidos fabricante*, Piver e Coa?
dray. #
Quinquilhanas
Finos artigos de Pars, de differentes goslos e
pbanlasia, como sejam os seguiotes :
Leqaes para seohoras e menina?.
Lovas de pellica e de fio de Escocia.
E*pelhos diferentes, para sala e gabinete.
Vidros avalsos para espelhos.
Csixinhas de costura ornada com mnsica.
Albuns e quadrinbos para retratos.
Diversas obras de ooro de lei.
Correntes'de plaqu para relogios.
Bolsinhas e cefres de seda e de velludo.
Diversos objectos de phantasia para toilette.
Pinienta, oculns e bengalUs de Inxo.
Chicotes e bengallas de baleia, catroa e junco.
Ponteiras de espuma para charutos e cigarros.
Escovas para cabellos, ronpa, deotes nabas.
Pentes de marm muito floos, para caspas.
Ditos differeolei para cabello e barba.
Carteiras para notas e para dinheiro.
Malas, bolsas e saceos de viagem.
Garolas ae rame para passarinhos.
Veuezianas transparentes para janellas.
Abais-jours transparentes para candiciros.
Mamadeiras de dar leite mu fcil as crianzas.
Tiras de molduras douradas para quadros.
Ricos quadros ja preceptos para paisagens.
Eslampas de santos, ciaades e pbantasias.
Esteroescopos e cosmoramas com ricas vistas.
Ol.jcctos de mgicas para enlretenimento.
Machinas de dillerentes systemas para caf.
Berros de vime para embalar erran^as.
Cestinbas para meninas de escola.
Jogos, de dama, domin, bagatellas e da gloria.
Campainbas de molas para chamar criados.
Realejos, accordiobs, vidros avalsos para cosmo-
ramas e outros muitos artigos de qaiaqoilharias
difitteeis de mencionar. .
Brinquedos
Para crianzas.
0 maier sortimento que se pode dsejar de
toda sorte de brinquedos fabricados em diversas
partes da Europa para eatretenimeato dos me-
nino?.
amael IPower Johiis-
ton & C.
La do Apollo n. 38 e 40
Ftiea seiente aos seas freguezes qne teem
m idado o sea deposito de machinas a va-
por, motadas e taxas da muito acreditada
falisiea de LcwMoor para roa do Apollo n.
38 e 40, onda continuara a ter mesmo sor
lie lento do costme.
Fazem seiente umbem qae teem feito nm
ar ranjo com a fandicao geral, pelo qne poi
dem offereeer-so para aseeniar qualquer
BUhinismo e mesmo garant lo. ,.
luda com quem p)ssam entender se.
Apparelho para fabricar assucar, do sistema.
WESTON CENTREFUGAL
nicos agentes em Pernambaco a fundi?io geral.
Para traur em sea escriptorio a roa do Apollo o. 38 e i).
Os proprietarios da fondi?ao geral faiera
scieotes aos sent.oros de engenbo e mais
pessoas, qot teem estabelecido urna lonJi-
cao de ferro e brcuze a ra do Brora, jun-
to a esUcio dos bonds, onda apronurio
qaalqner obra de encommenda com perfei-
co e promptidab.
Os mesmos regam pessoas que quel;
ram niilisar se d sens servidos de deiia-
rem as encotaneiidas em casa dos Sn. >a-
moel Power Jobcston & C a na do Apol-
lo 0. 38 e 40, ende acharo pe^soa habili-
publico
Mnir.ervio l'iact ac U bo & I.m
eslabeiecidos coi) rasa de inn lidos'no Pa-
teo do Terco a i i, avizatn ao respeitavel
publico que se acharo bem sortdos cem
txcellentes gt-neros, e qoe os venden) por
. recos moito commodos: e por c 'nsegoin e
m aos teus amjg s nao s joto do mato, q'ie experimenten.
FAZENDAS BARATSIMAS
. NA
Loja do Papagaio
A' RA DA IMPERATRIZ N. 40
O proprietarios deste bem conbecido estabelecimento scientifleam ao respeitavel pa
blico qae acabara de receber ora completo sortimento do ?oe ba de mais moderqo, em
laazinbus, alpaca?, cortes de seda e popelinas, tudo do raelhor gosto. ass imcomo:
espartilhos, vestuarios para meninos de 13a entecados, veos de fil de seda brancos e
pretos, e mais.
Luv;s de pellica branca, Lavas brama de fio de Escossia.
ISrSSfc isssfKsr-r^ '
Cretonea para vestidos. BaeUg g flDel|as de creg
Daseos largos carmesim. Barejes C0E| i8tra8-e seda para enfeite
Camisas francezas e tnglezas, lisas e bor- ^ vestidos-
dadas. Cambraias brancas transparentes de todas
Canbriiis brwca victorias pan todos ag qnaiidades e largaras,
os pre;os. Atoalbados de linbo e algodo brancos e
Bramantes de linbo 6 de algodo para de cores,
lences. Saceos de viagem avellodados.
Macapoles ingleies e franceies de todos Tapetes avelladados de lodos os tama-
MFmSa! pXs'de todas as qaatdades ^Fii de seda branco e preto, liso e de
como sejam: Crep, cassas,merinos, bom-,salpico.
baiim,cant3o,princetas,a!pacasechitas. \ Fil dei lrobobranco e pre o.
iVlo qne fica especifleado se v, que o estabelec.meato est bem sortid. deoutra,
muiuulazendas, qoe deixamos de mencionar, para rio nos tornarmos enfadonhos.
"ao declaramos precos. mas n5o deixamos sabir freguez algompor servir.
Officina d alfaiate.
Dirigida por Mr. Charles Laurent babii mestre alfaiate. Grande sortimento de
pannos pretos, azuea, casemiras pretase de cores, cortes de collete de gorgurao, e um
completo sortimento de roupas feitas de todas as quahdades.
Os precos sao menores do qoe em qualquer outrsi officioai. Na .
LOJA DO PAPAGA10 A' RA DA IMPERATRIZ N. 40 PE MENDES & CARVALHO
'.Estrada do Lucca
Aluga-'se um sitia e casa com 3 salas, 7 qnar-
lo, ccitoba fra, cocheira, estribara e cacimba;
o sitio proprio, por ser bastante grande, para
criacao : quem pretender dirija-so raa do Viga
ll/ll
No da i de sgisto du anno pasado aasentou-
e do engenho Cauwragibe o efcmo Vicente, de
d*de 40 anno?, cabra, de ahora rfguir, ler.i
lodos os deiitfs, e sao limados, tem Cicainiea de
ferida qae leve as pernos, e i^m maneh>s bran-
cas nos [,a e as roaos, bem ladino qae costi:
invo!ver-se em presepio, julga-s* qoe esteja era
Montes de Una oa em Gryaaoa por ter la paren-
e roga se as autoridades on a quem o appre-
beoder leva-la ao Uecife ao Sr. lea d Sca.-a
Barreiros na rna da Companhia Pernambueaca
o. i. qne frao gpn>-ro?amenle rfcump-nsado.'.
Engenho Soledade,
Este engenho situado na ribeira de Gitiluba,
a margem do rio Caroaiagib, de grande exitosaj
m terrenos os melbores que se | oJem deaejar
para a cultura de cannas; m com agua lem
[.roporcies para se levantar miis deas fnienh|
a'agua guarnecidos com rlcis maltas. Esla pro-
priedatfe vende se cu arreodi e, e tamben, dase
terrenos para levantar oniros eogenhos pelo lempa
que se convenciooar : a traur com sea proprie-
tario ao largo do Corpo Santo n. 17, priman
andar. '
3:000^000
D se a premio de om e meio por cento sel ;e
'ivpotbeca em preilin d? maior valor e nesta ctda-
,le a quantia de 3.0005000 : qaom precisar deixe
arta ne-u typ'grathi cem as iniciaes I. B.
Da-so anda 405 sob peohor em alguma e;-
:rava : n rui dt II irlas n. 9i.
Dr. tt. Yiinaa
Medico operalor e partefrn, recen-
temente cliegado da Eurrpa, oode do-
dicou-se a cirurgia, partos a especial-
mente as molesn?s e operacSes de vas
genito ourtnartas. tem o seu coosnlto-
1 rio a ra do Vigario n. 1, scponJo an-
dar, onde consultas do 1|2 da as 2
' horas, gratis a03 p;bres.
l Pode ser procurado a qualquer hora
' do da on da nonte.
. Una do Vigario n. 1.2' audar. ,
:.'
m
i pret
i.3l,
Pre Em vir lude de novas ordena n fabricantes,
vende-te tudo a precos barati9simos : no arma-
zem do vapor francez, ra do fiarlo da Victoria,
ootr'ora ra Nova d. 7.
NOTAS
Troca-s* notas do banco do Brasil e de suas
niiaes-'na na do Bario da Victoria d. 63, antiga
roa Nova, loja de Joo Joaqnim da CostaLeite
Acha-se aberta desde o 1
aula nocturna da villa da Escada.
do corrente a
=Presi:a-se alagar dous moleques para seYvico
de hotel na rna das Langelras n. 29.
ftistilhas de Mannita,
As pastiihss de Mannita s5o por oerlo a
medicina racional dos meninos, aos qoaes.
3e administrara com excellente resultado
para os males de garganta, coquache e
falta de apetite. Par elles n3o ba purgsn-
te mais suave e que lomera com mais pra-
zer. Estas pastilbas previnsm tembem as
cenvulsoes que resultam dos accidentes da
denticao, e tem urna acolo muito poderosa
como o ve.-nn fugo.
Deposito Pharmacia Americana de Fer-
reira Maia & C, roa Duque de Caxias n. 57.
rio Tlienorio n. 31, f andar.
Terrenos a' venda
Na estrada dos Afflictos, sitio o- 33. qoe fol al-
Urnas rente snbdividido por aeu proprietario, ven-
de-** lotes da Ierra a vontade dos compradores,
a pnco raioavel, e bem assim duas casas as
mesDiau trras. A' vista de sua situaclo esses
ierre ios dffereeem proporcSes nuilo vanlajosas
para qntn qnizer edificar boas casas de campo ;
a loealidade convida os coneortentes, pois na fren-
la do dito sitio ba a estcao da estrada de ferro
do Cixang, qae offereoe fcil e barata conduc-
rio ',iaraateriaes, e para passageiroa a 100 e 300
rs. en* e 2' classe Arrabalde aprasivel e sala-
bre id> ta on* Ifcreja quasi efronle do dito
sitio, ^e offereoe vantaens incontestaveis para
4)oa9 casas de vivenda. Os prebendantes podem
enteuder-se cora T-risUo Francisco Torres nos do-
miniios e santificados no referido sitio, e nos dias
uteii na raa 4o Imperador, armatem n. 48.
ATTENCAO
Na raa Nova n. li, 2* andar, lava-te e engira
ma*e com a maior perfeicao e asseio, por moaico
pre{;x ____^___,
CAIXEIRO
Precisa-se de um menino qne teha pratica do
tatema oa stm ella, dando fiador de saa conduc-
ta : no largo do Paraito n. 14.________- ... .
Na Pra<;a da Independencia n. 33 so compra
oaro, pratt e podras preciosas, e tambera sa venda
obras de igual especie.
Escravo fgido
Ansenrou-se no dia 8 do corrate ton do enge-
nho Fragoso, termo de Ol ida, o mulato Man sel,
,dadede20a 22 annos, principiando a barba.,
e:aiura regular, bom feito do corpo e ralos pe-
quena', cabello crespo levando vestid) camua ae
algodo de islra e por ba.xo desta camisola ie
isa nassa, do Porto, caiga de bnm p:ifo velha e
chapeo de Ma.i,ha v.lao ; e alem desta ronpa. i- -
vou cberur de lgola) b-ancp e cuts r.up.s
que pode ter tnwli*) ; e-Milaodyiae ogo j
auseatoa. proenroa irab*.h) na ira la Je m
deOinda, dizeodi ser forro ""*: KJ
escravo veio ha poueos metes doAfae'iy. el
(fall remelddo pelo Sr. Bon.fa:to Pereir. Ja Cos-
a Qaeiroz ao Sr. Anton.o Alberto e Soaza_ A-
guUr, que o veuleu-a seu actual senhor AnUn.o
Salves da Silva, e ure^ume-se que^ ndaJ
esta cidato ou arrab.We : quem o' pegar queir-
lvala ao ditoeugenho, ou a ra do InP-aw
n. t los Dias da Silva, que se gr.ttli-ara.-----
- Pede-e ao mano digno Sr. "B^Sf,0.^
S Io de laucar sua? vistas para os plaaiftas qa
se rene n,s vendas do peleo d, Terco. og g
lo nlo s o prejaditiat aos doaos das d tas ca;;s
Quem precisar de um cosiobetro, para cesa par
ticular, oa me-mo para algum navi,o diraja-se ao
ra das Larangeiras n. 30.
m
CAUTELA!
y
MEURON&C.
A^MSAM
MOFINA
Sic^sio..., nao ouve?
Bsga-ee aoJtlm. Sr. Ignacio Vieira de Mello, es-
crivona cidatie de Nazaretb desta provincia, o
avir de virarua uqae de Caxias n. 36 con-
cluir aquello negocio que S. S. se compre melleu a t _
reairsar, pela terceira chamada desle jornal, em ] sens, irattalhos no da 16 do
Acaba 4e chegar a esta capital o sr. Amo-
nio Pereire, director de urna compAnhia eqttestre,
fundada nesta cidade, j bem ccnheci-io do nosso
publrce, que leao ido Earcpa para contratar
rtrsws demerito, adm de*qai crear um circo qae podesse mostrar qaawe sublime essa arte.
Tem o prazer de anounciar ao respeilav&l publico
que seus esorQos a sacrificios forara eoroados com
leliz xito, pois qae conseguio contratar artistas
de mais tata, qvie trabalbavam com applanso3 no-
circos de Pars, Loodres, Hamburgo, Bertim, Vien-
na, Costanliaopla, etc. etc., como seja os Srs. Ce-
lesteq, prlme yas, artista do circo de Vienna, Madcma, Anduyw,
Mdame PTeira. al hoje conbecida por primeira
atista de uapesio, nos primaires circos de baro-
pa.e entre estes o sea irmo e socio Albano Pe-
reir, muito conbecido pelo en genero de traba-
Ibe, r quaes estarlo aqui impreierivelmente dp
dia 9 do vitidauro para poderem dar principio aos
mesmo. Despido de
j0mo pele originar birulhos qnenciasuneUs^___________,______.--------
Na ra do Rangel n. 43 precisa-se de um ba-
edor de sacar, que seja b
gas de dezembro procimo passado, e depois para
jamiro, passoa fevereiro e abril, e nada cum-
pri; ^ e por este motivo de novo chamado para
dte am, neis S. S. se deve lembnr que este ne-
igoc o de mais de oite annos, e qoando o senhor
aen filho-se achava nesta cidade._____________
~- Offerece-se am homem casado eem lhos
qoe emende bem de plantafoes para feUor de am
flrtki, o qual da fiador de saa condneta, ou mesmo
qualquer outra oecupacao : na segunda travessa
da rna do Rangel n. 3, confronte ao sobrado quei-
ilo. -^* **^_
pretencioso o cheio de esperanza, confia que c
hospitaleiro povo perncmtracaco saber apreciar
detidamenle os seus enforcos e sacrificios, sfim flft
putar -offereeer um dirertiaanto digno lo mesmo-
COMW toar
tridas de onro e prata na lote te-**- do Mar-
jaez de Oiinda n. 58._____________,-------.-----
Compra--e.
urna :rava que saiba vender na ra : no km
do comtnendador Tasso, na Cruz de Amas.------
Compra-se
jornaes a 3i a arroba: na ra larga do Rosario
n. li, fabrica de cigarro*
CRIADO
Freotea-se de am bom eriado para casa de ho-
aeioaolteiro, paga se bem : na raa do Mrquez
dB-Minda n.30.__________________________
" O Dr. EstevSo Cavalcante de Albu-
qoorgae pode ser procurado pan os mis
leres de saa profissSo, em sea gabinete
aedico, roa Mrquez de Dunda n 52,
i* andar, nos dias uteis, das 8 horas da
aanba 1 da tarde; e em soa residencia,
raa do Atalbo n. 19, das 6 horas da tar-
de s 7 da manha.
CaLxeiro
Precisa-.ie de am caixeiro para a villa de Ga-
mfdleira. de 12 a 18 annos, que tenha alpnma
prtica de (azendas e moihados : a tratar na ra
do Livramcnto o. 10.
9)
m
ss

aos compradores do bem conhecido e acreditado rap
REA PRETA, qne reparem nos botes e meios botes,
pois que os ha de rap de outra fabrica e nome diver-
so, e com papel da mesma cor, cujo desenho se pode
confundir com o d'aquelles.
Os apreciadores que quizerem do verdadeiro REA
PRETA, devem para nao serem engaados ver que
os botes tragam o nome de MEURON & C, e a desig-
nado de REA PRETA.
FGIRAM
Da eog-eoho Prado sahiram hontem a meia nen-
ie os eecravos Felippe, cabrinha de li annos, e
Pedro, crioulo fulo, da mesma idade ; o 1* alto-
sinho e magro e o a> mais baixo reforjado.; es
tes escravo vieram da Guanta e foram aqu com-
prados a Maooel Quirino do Nascimento ; o Sr. a
Jtum boje perteocem Francisco Pinbeiro de
Meiezes, senhor do enfeafao cima referido qae
Salificar a quem os apprehender e leva-Ios ao
to engenh) on a Rodrigues, Almeida & C roa
estreita do Rosario.
Recife, 20 de Jalho de 1872._______________
MEURON 8: C.
J)eseja-se arromar ama menina branca de
to anos em casi de algema senbora de bons
eosuuies para aprender costuras, e J sabendo 1er
eeterever; paga-se bem senda casa que agrade e
q<> ao tenha mais de duas a tres pessoas de
maior idade : as pretendentes podem indicar saa
resideneiai ra de S. Francisco n. 30 para serem
prt caceis.
ATTENljiO
i'reeiea-se alogar nm escravo para o servico de
orza casa; tratar na rna Primeiro do Marco
n. 8, loja de Manoel Azevedo de Andrade._____
Desde o dia 6 de Janeiro do asno passado
que ausntou-se da casa da sea senhor na raa da
Cruz, a eserara Tbomazia, crioula, com 26 a 28
annos de idade, baixa, eorpolenta, eabeca chata,
beiips grossos, mos bem feitas, com as juntas
dos dedos calejadas, peitos grandes, ama marca
redonda em un dos bracos, pi meio chatas;
desconfa ae andar por estes arrbaldes acontada
poi nm Portngaez, Ja tem sido encontrada em Ca-
xang e Jaqueira : roga-se s autoridades oa a
qmm a apnrehender leva-la i rna* da Cruz n. 23,
ou ra de Hortti n. 14, qae serio bem recom-
pensados.
Servente e ajudante de co-
zi&ha,
Preeisa-se no hotel te Alllanca, rna estreita
do Rosario o. 10, de nm servente diligente e de
om ijadante te wsinba babitiado.
O Dr. Sarment Fi-
lho, cirufgiao do hos-
pital Pedro II, de \ol-
ta de sua viagem a Eu-
ropa, eohtina no exer-
cicio de sua profssao,
na casa de sua residen-
cia a ra do Impera-
dor n. 29
fe


Aos 5:000^(000.
BHhctcs garantidos da pro
?huela.
Ra do Barao da
Victoria,
Outr'ora ra Nova n. 63 e casat
do eos turne.
O abaixo assignado acaba de vender nos seas
muito felizes bilhetes a sorte de lOOj em qaatn
quartos de a. 1339,e am bilhete inteiro de n. 1468
com a sorte de 1004, alem de outras sones meco
res de 404 e 204 da lotera qae se acaboa de ex
Irabir (12*), e convida aos possoidores a virem
receber, que promptamenlo sero pagos.
O mesmo abaixo assignado convida ao respeita-
vel publico para ir ao sea es'.abelecimento com-
prar oa mnito felizes bilhetes, qoe nao deixar de
tirar qaaigner premio, como preva com os mes-
mos a on uncios.
Aeba-se i venda rs muito felizes bilhetes ga
rantidos da 14a parte das loteras a- beneficio da
igreja de N. S. da Penba, qae ser extrabida no
dia sexta-feira 26 do correle mez.
PRECOS.
Inteiro 64000
Meios 34000
Quartos 14500
De 100,5000 para cima.
Inteiro B48O0
Meios 24760
Qnartoa 14375
Joio Joaqnim da Coata Leite.
Comprase a fottm denominada A Careta
n. 2o ao alterne numero : quera a tiver dirija-
oracada iodppi'ndepca ns. 7 e 91
Ooinp,arse
Urna casa terrea, sil* nos bairros de Boa-i
Santo, Antonio ou S. io ; na casa n. 24.da r;
Rosario da Boa-vista se dir quem a gnar co
Comora-se uiaa n^grinha do 10 a 12 a.
eama prcta que saiba beta cozialrar : na ra
Bom Je.-us n. 87.
MUS.
PIANO
Vende-se umjpiano de armario ji usado,
porm em bom estado, e muito barato
proprio para quem quizer apprender.que
pretendel-o dirija-se a Oiinda ra do Am
paro d. 17 sobrado.
Piano.
Venle-se um piano novo : a tratar no Corred.:
do Bispo n. 49, porlo, depois de 3 |2 horas d
tarde.
Criada,
Precisa se alagar no eierava, para cozinhar
e comprar: na >aa do Vigario n. 16, paga-se
bpm.
Vende-se a padar'a da ra Direita dos Alo-
gados n. 27, assim como a casa onde est eslabele-
:ida a mesma, a qual tem bastantes coramodc-
para familia; vende se mais tres escravos traba-
lhadores na mesma : os prelendentes podem din
gir-se ao mesmo estabelecimento, que aeharf
com qoem tratar.
Vende-se urna canoa que pega 2.000 lijlos
de alvenaria grossa : na ra Imperial n. 245.
Cimento Portland
Vndese no armazem da rna de Domingos Jos
Mamas n. 136, (antiga roa da Senzallaj e travessa
da Madre de Beos n. 15. *
Altenfo
Vende-e o hotel Luziano sito no pateo do
Tergo n. 2< : a tratar no mesmo pateo n. 24.
Quem nao comprar
0 qae valle I2S000 por 5$S00?
Meias ioglezas mnito encorpadas para senbo^
a 5''Q0 a duzia, on 500 rs. o par. Na loja das t>
ponas em frente do Livramento.
Terrenos no Caxanga'
Vende-se terrenos no Caxanga, no povoado, com
a frente para a estrada nova, muito proprios para
edificacao por terem altos, e a ebeia nao es cobre:
qoem pretender dirija-se ao mesmo lagar a en-
tender se com o Sr. escrivo Salgaeiro, qae dar
as informales necesarias.____________^___
Vende-se dous sobradinboa de am andar, em
chaos preprios, obra moito nova, sendo bem cons-
truida, no meltnr Ingar da Cisa Porte, tanto para
moradia como para negocio, os qaaes rendera 704
mensa es, e o prego convida aos compradores :
quem pretender dirija-se ao mesmo logar a filiar
som Benlo Jo' Domingues.
I
MUTILADO



i)
OiaiU d Parnamoue Quarta eira 24 dt Juho le 1872

ALTAS NVIDADES -
GRANDES PECHINCHAS
LOJA DO PAVO
Na ra da Imperatriz
n. 60
. PEREIRA DA SILVA 8: C-
Para as Testas do Diez de jimlio
Preira da Silva & C. tendo recebido am grande aortime'nto de fazendas de 15a
seda e algodiio, com os padres mais novas que tem vindo ao mercado, teem resolvido
hqaidal-as, por preces moito baratos com o nico fim de agradar aos seas numerosos
regaezes o aparar dioneiro, de todas as fazendas se d5o amostras deixande penhor, oa
maadam se Kvar em casa das Exmas. familias.
&4ft tt && iW WfW
kELLER
Ra do Bom Jess u. 55
Vendem
Ferro gavaloisad em folhas para le
Ibas.
Leite condnsalo.
Cognac Martineau.
Yinho de Brdeos em cairas :
Tommard
Volmay I
Haai Falerne
Penillac
Vioho do Rbeno :
Scharlacbberger
Kisdeaheimer Berg
Hochkeimer Berg
Marco Crumer ansese
Ranea tbaler Berg s
Wt Steinberger CabinaL
Libras sterliaas.
Vende-se do armaxam de fazendas de Augusta
F. de OliTeira A C, roa do Coromerelo n. 41
0
0
0
0
0
0
0
0
?ii
LAASNHAS
O Pv5o vande delgadas alsacianas de to-
das as cores con maito lastro edMicadas
lisera^ matiea tos a s )Ja, proprias para os
enfeites e babadintns a iSW covado.
Ditas listralas a seda, sendo as mais de-
licadas que tem viada ao marcado a 10500
o covado.
* Delicadas laJsinhis com rauito brilho e
l Utriohas de se h a IdOOO o covado.
Ditas cm listras de seda larga e maito
errcorpadas, com Jeiicadas c&res a 803 rs.
o covado.
Dita t m lito delicadas com listriahas de
seda a 500 rs.
Ditas sendo bastante largas com listra os
iado, pira os enfeites e com cores maito
delicadas a 500 rs. o covado.
Ditas d* lis tras miadinhas com fbs da
seda, que loe d maito brilho, lando de to-
das as lr-'S a 500 rs.
Gargurjs de 15a, de ama f cor, tendo
Uzead i a'uito moderna a 400 rs.
I/aasir/ias lisas de tima s cor, tendo de
todas as cre3 a 400 rs. o covado.
Alpacas lisas de todas as coros a 500 rs.
J) COvado.
L'ia ;ialns i cores com delicados qoadri-
nhos de seda tendo de todas as cores e sen-
do maito modernas a 800 rs. o covado.
Gnrgmojs asues de 13a, com delicadas
listriniias brancas lavradas sendo o que ha
de mais novo no mercado a 640 rs.
- Delicadas alpacas de seda com delicados
padrees e maito brilbo, de gosto inglez
a 800 rs.
Dei adas LTiaskjbas de urna s cor, sendo
de todas as cores,como sejam: verde e asul,
roio liri', cor de canoa, cor de rosa, bran-
cas cen listras da masuaa cor a 800 rs. e
1,5000
Grande soriimento de fazendas de todas
as cores, e diferentes qualidades a 320 o
covado o 400 rs.
Bjreg^ de irtrasparente tendo do to-
das as cores a 200 rs.
POUPELIN\S
O P-vo vende as mais delicadas poupeli-
nas fie v rdadoiro linho e seda, senJo com
os pad oes listrado*, e os mais delicados que
tom vini'o ao mercado, havendo de todas
J3 corea a 2)5000 o covado.
Ditas com differentej padroes, para aca-
tar, ^ -5600.
Sedinns de listras com delicadas cores,
toado aie rxas para la'.o a 1400.
NOVAS SEDAS A 2500
O Pato receben una nova remessa das
maii Lia J s sedas para vestidos com ss mais
lindas tres e mais delicados desenhos
miofji'ih s, em urna s cor, garantindo-se
que A Beda pura e qao seria fazenda para
ma3 de 3000, a nao se ter feito urna gran-
de cum.jra e liquida-se a 25500 o covado.
GROS PRETO
O Pato vende sempre grosdenaple pre-
to para vestidos sendj soflnvel a 10600 o
covaoo."
Diio bom com ourella branca a 25000,
? D.to mojto encorpados e muito largo
25500 e 35CC0.
Dito tu tecido de gorgorao sendo fa-
zenda rauito incorpada a 35000 e 45000.
Sedj preta lavrada muito encorpada a
2^000.
BRAMANTES PARA LENCOES
O Pavo vende superior bramante de -al-
godSo tendo 6 palmos de largara, que e pre-
cis? de U/4 vara para que leneol, metro a
I0GO ou vara 15803.
Dito de liaho poro superior, maito encor-
pado ora a mesma largara a vara 25400.
Dito/ franeczes mu.to finos a 25500 e
3500).
P.i; de Hamburgo e panno de linho
com O e 30 varas e para todos os precos
eqna idades.
P-q de bretanha de puro linho, tendo
30 jardas, pelos grecos mais baratos que
se tem visto.
Pecinhas de linissimo esgoiSo oa celesia
com 6 jardas a 7i5O0O.
Pec> de fiaissima silesia, tendo 30 jar-
das a 325000.
Atoainado adamaacado com 8 palmos de
largara, a vara a 25000.
Dito de linho superior, a mesma largara,
a 35200.
Dito trancado sen ser adamascado, mas
omito encorpardo a 15600.
Guar lanapos tanto grandes como peque-
nos a 3500'u a duzia.
AL30DAOSINHO.
O Pav3o vende, pegas de algodaosinho
amr* cano com 16 jardas pelo barato prego
dflMOtO.
Dito muito melhor com 18 jardas 45000
.Dito americano moito encorpardo com
O jardas a 550 O, 55500 e 65000.
Dit largo marca T, sendo o mais fino
qae tem vindo ao mercado proprio para
ances a jarda a 280 e 320 rs.
D to eufestado para lengoes sendo maito
encorpado e com 8 palmos de largura, a
vara a 15000.
niin com a meima largura, sendo tranca-
do e muito eacorpado a'i#580.
CASSAS fran:ezas
O Pavio vendo finissimis cassas france-
s, com as mus delicadas cores, sendo
tradis ede fiares, fajeada ebegada pelo
timo vapor a 400 rs. o cavado.
Ditas francezas, finissimas padreas mia-
dos a 400 rs. o covado.
Ditos de ditljrentes gostos a 820 o
covado.
CIMBRUAS BRANCAS
O Pv3) vend'i combiaias verdadeira
com 8/2 varas cada.pefi, sendo fazenda
;jo le maito mais dinnairo a 45000.
Dte muito finas a 55030 e 65000.
DUaj com 10 varas a Um e 75000.
PANNOS FINOS. .
O Pav3o tem am grande soriimento dos
raalbores pannos fiaos qae tem vindo a
este mercado, send > preto do mais fino at
ao mais baixo, assim como ditos azues,
verdes e c6r de caf, proprios para palitos
e fardas, qae se vendem mais barato do
que em oatra qaalquer parte, por ter gran-
de porcao.
SAIAS.
O Pavo vende am grande soriimento
de saias brancas muito bem bordadas, ten-
do 4 pannos cada ama pelo barato preco
de 45500.
Ditos ricamente bordadas com i pannos
cada ama a 65000.
Ditas j feitas com folbos macheados
sendo moito fios a 35500.
Citas da mesma porm mais abaixo a
25'00.
Ditas tambem j promptas sendo de 13a-
sinha da cores com barras enfeitadas a 3i5O0O
e 45000.
ESPARTILHOS.
O Pav2o vende os mais modernos espir-
tilhos de todos os tamanhos sendo os
mais modernos qae tem vindo ao mercado
a 450OO e 55000.
C.SAQINH05.
O Pavo vende moderoissimos casaquj-
nbos de seda preta, maito bem enfeitados
15000 e 25000.
Dito de croch brancos a 65000.
Ditos por terem algum defeito a 35000.
Ditos de fil muito fino a 125000.
BORNU'S.
O Pavo recebea am grande sortimento
dos mais^rices borns, tendo brancos e de
cores que vende a 165000.
MEIAS PARA HOMEM.
O Pavo tem um grande soriimento de
meias croas para homem qne vende em
dosia a 45000, 55000, 65000 at 105000.
Ditas para meninos de todos os tamanbos
de 35jOO at 650O0.
Ditas para senhoras sendo francezas e
inglezas, tendo tambem maito encorpadas e
bastante largas de 55000 at 125000.
Ditas para meninas de todos os lmannos.
TAPETES.
O Pavo vende tapetes grandes para sof
proprios para 4 cadeiras a 255000.
Ditos muito bonitos avelludados para
duas cadeiras a 105000.
Ditos para o mesmo fim, oa para ao p
da cama a 75000 e 85000.
Ditos pequeos para jan ellas a 45500.
Assim como grande sortimento de pan
nos de crosh proprios para encost de
sof, de cadeiras de bracos, oa de balando,
oa de guarn,ao todo por presos maito ba-
ratos para acabar.
CAMISAS.
O PavSo acaba de receber grande sorti-
mento de camisas inglezas com peito de li-
nho para todos os pregos e tamanbos, qae
vende como pecbincha por ter grando por-
?3o.
Ditas com peitos de algodo das mais
baratas at as melbores que veem ao mer-
cado.
Ditas francezas de cbitas miadinhas com
os mais delicados gastos.
Ditas de meia de algodo e de loa.
LENCOS.
O Pavo vende finos lengos de cambraia
branca abainbados, em dazia a 25400.
Ditos finissimos tambem abainbados a
35GOO.
Ditos com delicadas barrinbas de cores,
garanlindo se serem fixos a 25000.
Ditos finissimos de cambraia branca, tan-
to proprios para bomem con o para senho-
ra, sendo fazenda qae sempre so vendeu a
65000 e liquida-se a 45000.
LENCOS BORDADOS
O Pavo vende finissimos lencos borda-
dos para mo sendo de finissimas cambraias
de liaho ricamente bordado*, sendo fazen-
da que sempre se vendeu a 45000 e 55000
e liqoidam-se por se ter feito urna grande
compra a 15000 e 25000.
CHAPEOS DE SOL.
O Pavo vende chapeos de sol de para
seda com barras tendo de todas as cores e
sendo com cabos de canoa e mnito leves,
fabricados no Porto,- sendo fazeoda qae
vale 145000 e liquida-se por ter ama gran-
de porco a IO500O.
Ditos com delicadas cabos de marfim a
165000.
Ditos pequeos proprios para senhoras
e meniaos a 85000.
Ditos de alpaca com armaco de ehapo
de sol de seda a 45000 e 45500.
PUNHOS E COLLARINHOS.
O Pav3o tem grande sortimento de pu-
ncos e collarinhos de linbo e algodo, pro-
prios para horneas que vende por preco
maito barato*
CASINETAS ENFEITADAS.
O Pavo vende cortes de casinetas en-
listadas de algoiaa de qoadros, para cal-
Cas pelo barato preco de 15000 o corte.
A mesma fazeoda em covado tendo duas
largaras qae tambem serve para roapa e
vestidos de escravos a 610 rs.
BRINS.
O Pavo tem grande sortimento dos ver-
daderos brins de angolia, proprios para
calcas, colletes e palitos a 15003 o covado..
Dito moito buoito imitaejio a 800 rs. o
covado.
Bros brancos de liobo dos melbores fabri-
cantes que tem vindo a este mercado, de
15000 a vara at 45000.
Bros de cores pira todos et preees 6
qualidades.
Ditos pardos, de 640 rs. 1 vara at 15303.
Dito pardo liso muito encorpado, para
roapa de escravos a 400 n. a vara.
Quando parece que naj ba man novidade a
descobrir, nam objeetos de mais phantasia, alm
dos que tem appareeido at agera, oa qae a Nova
Baperaoca recoba es mais elegantes mais mo-
dernas, de forma que indispeosaTel aos apre-
ciadores do bom apparecerem consianiemenie n>
dito estabelecimento afina de mareta o que ha de
mais chiaas no mondo das modas1; agora mesmo
a Nova Esperaoca receben os em lio grande
quanlidade que mesmo nao sabe por onde come-
car ; "pelo ultimo varar chagado da Europa aca-
ba receber os seguales, anda nao vistos neste
mercado, eamo sejam:
Meioa adereeoa de tartaruga.
Polseiras e eroZes de tartaruga.
Lindissimos pincenez com arcos de madreferola e
marfim.
Delicadas bengalas de unicornio, (a imitaeio)
Bonitas guarnieses de seda para senhoras.
Lindos chapos de palha escara (aovidale).
Esses artigos nao se pode farer urna idea del-
les sem qae sejam vistos; por sso a Nova Espe-
ranca ,a ra Duqne da Casias n. 03, apressase
em convidar a todos geralmente, e com especial!
dade ao bello seso para vir aprecia-los.
Qaereis faier am presente 1
Qaereis preparar um vestido ?
Qaereis ter um bom cheiro em vosso roncador !
Qaereis um lindo leqae de -qaalqaer qaalidade ?
Qaereis am nao olee tnico ou baaa para vos
cabello ?
Nao indaguis nem procuris em oatra parte, por-
que correris o risco dejvos cansardes e nao en-
contrardes; dirig vos logo a Nova Esperanca, ra
Duque de Caifas o. 6?, onde tereis a certera de
achardes e por preco rasoavel.
Nova remessa
Aqaelles engranados pedes que dansam um
quarto de hora mais ou menos, mostrando diver-
sas caracteres, a Nova Esperanca receben ultima-
mecte. ______________________
Nao se arrependam
E' certo que qaalquer pessoa, quando compra
um frasco de extracto, banba, on oleo, um enfeite,
um lenco, nma fita ou outro qaalquer objecto
desaja qae seja bom e da moda ; porj), quasi
sempre temos o desprazer de ver essas pessoas,
desgostosas e arrependidas, e potqae ? por nio se
dirigirem a nova loja da Magnolia, ra Duqne d
Casias n. 43, qne qoera Ibes poje sapprir de
bons extracto?,, de um lindo enfeite, fiaalmente,
daquill 1 que boiiver de melhor e de mais elegan-
cia no mando das modas.
Soffrera' quem quizer
Guantas pessoas vsmos soffrer de nervoso, e
com especiaiidade as maos I os aunis etetriets
de Royar, cura infallivel para semelhante mal,
e -porque se nio faz uso delles T lalver essas pes-
soas Igaorem o sen effeito, e qae a Magnolia, ra
Daqne de Caxias n. 45, recebea desses collares,
e deseja que cada urna dessas pescas comprem
o sen, aficn de ver-se livre de um mal qae na
realidade to incommodo.
Nao ha mais duvida
Qaem tem melhores e mais modernos.artigos
de moda e phantasia a Magnolia rna Duque de
Caxias o. 43 ; pota que acaba de receber, alm
de oulros muitos'objeetos qae se torna enfado-
nho mencionar, os segaintes : meios aderecos de
madreperola, brancos e de c5res,.meios ditos imi
tando coral, agulheiros de madreperola e marfim,
cruzes de dito e dito, btalos com prepares para
costara, cintos modernos (novidade) chapeos de
palha de cores para senhora, bengalas de uni-
cornio (imilacj) Com dabo de madreperola, rica*
camisas bordadas para senbora e para bomem e
aderecos de marfim.
Na Magnolia
E' geralmente a resposta que se d, quando al-
guem perguota, onde encentrare! um lindo sorti-
mento de leques ? urna rica caixnha cora msi-
ca para costara t um lindo albam ? um objecto
de gosto para fazer um presente ? onde pederei
achar nm completo sortimento de objeetos de mo-
da e por precos commodos ? sempre a res-
posla, na nova loj da M3gnolia, ra Duque de
Caxias n. 45.
Cuidado.
Os collares Rover, sao privativos das convul-
sdes as triancas e garanta do feliz desenvolvi-
mento delta?, porm, mister que sejam verda-
deros e novos : maitas vezes, vemos pessoas com-
pr.irem e nenhum resultado obter, porque 1 por-
que nao teem o cuidado de procuraren dos ver-
daderos, assim a Magnolia roa Duque de Ca-
xias d. 45, qae recebea desses cotlarss, e cffe-
rece a:.? pas de familia garantindo-lhes o real
desenvclvimento de sea eSeito.
ITA MU TODOS
Todos devera cortar daqui este annancio e tra-
ze-lo na carteira ou livro de lembranca, eomo cou-
sa de grande utilidade,
PORQUE 'ELLE
indica onde com certeza se pode encontrar ou en-
eommendar um bom presente qne de improviso se
qneira mandar a qual juer pnsea,
ASSIM COMO
indica elle onde se poder eneontrar'nm fiambre
bem preparado, urna empada, um garbeaos de la
reine, um maog.tb, nra puding, nm bolo fino, am
pao de l e urna infinidade de bolos e pastis di
versos, proprios para lanche, sobre-mesas e ma-
readas.
ALEM DTSSO
rauca mais onde se encontrar sempre : fractas
do tempo tanto nacionaes carao estrangeiras, doces
seceos e em calda nacionaes e esirangelros, licores
e vlnhoj finos, conservas alimenticias e excitantes,
bolaxinhas e bolinboa para cha e outroi maitos
objeetos qae se tornara por demais enfadonhe a
sua inteira discrpcao
E PIJALMEJTE
para qae se possa fazer um jazo aproximado
SO' INDO PESSOALMENTE
a confeitara do Campos
Ra do Imperador n. 24.
Tome-se bem a cautella de que, a frente deste
estabelecimento se acha eolloeado um lampeo qne
se conserva aceso i noute, at js dez horas.
MACHINAS
DE
COSTURA
Gbegaramao Bazar Uai versal da roa No-
va a. 22, um sortimento de machinas para
costara, das melbores qualidades que existe
oa America, das quaes muitas j sao bem
conbecidas pelos seos autores, como sejam;
Welrer A Wilson, Grover & Boka, Silen-
ciosas, Weed e Imperiaes e outras muitas
que com a vista deverao agradar aos com-
pradores.
Estas machinas tem a vantagem de fazer
o trabalbo que trinta eostureiras podem
fazer diariamente e eozem com tanta per-
feic3o como as mais perforas eostureiras.
Garante-se a sua boa qaalidade e ensina-se
a trabalbar com perfieo ero menos de urna
hora, e os precos sao lao commodos que
devem agradar aos pretndenos.
Farinha de mandioca
Superior e muito propria para mesa, em barr
ricas de farinha de trigo ; a HOi'O rs. a barrica
nos armazens de Taiso Irmios & (',.
A 1$00U.
Vende-se sapatos de tapete pelo barato preco de
1 : venham ao Rival do Recife o. 50 A, loja de
mindeza.
Fadaria
Veqde-se a pactara da Casa Porte, pertencente
a Gabriel O. Campo : para ver na mesma, e para
tratar com Tasso Irmios & C.
Em casa de Tisset freres, na ra do Com-
mercio n.-9 ba para vendar :
Agua de Vichy das tontea Haubeiwe, Celestins,
Grande Grillo, Hospital e Mesdames, em eaixas
de 50 garrafas.
Agua de Chateldon, excellente agua de meza,
em caisas d- SO garrafas.
Agua de Vals das tontes Presiense, Magdaline,
Desire, Santa Jeau, Rigolette e Donimique, em
eaixas de 24 garrafas.
Ccgnac das marcas : Blanchy frres & C. .
Royer Gaiet & C.
Marre! frres de Velros.
Nao a mais cabellos bran-
cos.
Tintura Japuneza.
S e nica appravada pela academia da scen-
eia, reconbecida superior a toda que tem appare-
eido al boje. Deposito principal rea da Cadeia
do Recife hoie Mrquez de Olinda n. 51, i* an-
dar e em tudas as boticas e casas de cabellei-
reiro.
Verdadeiras bixas ham-
bTguezas
' nico deposito era Peroambuco : n. 53 rna da
Cadeia o. 53, primero andar.
II BU
Claro, purificado e transparente, em barricas
grandes de 10 e II arrobas, o melhor qae se pode
desejar para o fabrico do s?bao : nos armazens de
Tasso Irmaos C, caes do Apollo.
urna rica cadeirioha de passeio com todos'sens
perlences : ver e tratar na roa do Duque de
Caxias n 64 loja.
A 2^000
O Rival do Recife recebea grande sortimento
d coques os mais bonitos e modernos qae tem
vindo ao mercado, os quaes vende a 2000 por
ter grande quaniidade; venham a ra do Mrquez
de Olinda, amiga da Cadeia n. 50.
O verdad6iro Portland :&6 se vende na
roa da Madre de Deus n. "2-2. armazem de
Jo3o Martins de Barros.
Desapparetfi o nervoso
Os homens que (odrera de nervoso as mos es-
cialmente quando escrevem inteiramente pr'ju-
dicial; mas> querendo ver-se livre desse mal, ve-
nham a Nova Esperanca e comprem nm annel
elctrico qae o mal desapparecer; assim tambem
a seohora qua sollrer de igual mal comprar
ama pulseira elctrica e ncar perfeilamenle boa
boa ; ludo isso s se encentra na Nova Esperanza
a-ra Daque de Caxias n '03.
A 4^500 rs.
Vende-se saeos de mnito bom milho : nos ar-
mazens ra do Amorim e caes do Apollo, de
cisoa Dmaos & C. i
Alerta!
Kerosene
. Da primetra qaalidade, marca Devoe? ven-
dem Pareira da Caoba Irmios, i ra do Marqtie
de inda n. 24. ^*
Esponja
Chicotes e rebenques
Acaba de ebegar do Rio Grande do Sul, mui
lindos chicotes e rebenques de transa e appare-
Ihados de prata, qne se vendem baratos para
acabar: no Rival do Recife. roa do Mrquez de
Olinda n. 50 A.
AON. 9
No progresso do pateo do Carmo vende-se man-
taiga ingleza flor a 800 rs. a libra ; issim eomo
leo am bom serlimento para qaalquer chefa de
familia vir fazer sua dispensa, que encontrar
precos mais commodos do qae en qaalqaer ouira
pjtte : poruoto psde-se atienjao dt>.ratpeiuve]
publico.
^GRANDE
i JBIAS
Liquid
lecimento, ha
das entradas.
N.2D
O OORAQlO DE OUfiO -
i suas joias por terde acabar o estabe-
grande reducc,ao mesmo nos precos
Ra do Cabuga N.2D
ZR NACIONAL
iiiii
Lourcnco Pereira Mendes OuimarSes
Participa aq respeitavel publico, seus amigos e fregueaes que, tendo-se dado no d
28 do mez prximo passado o incendio na loja de miudezas jonto a saa, foi obrigadn
a mudar todas as soas fazendas para a mesma roa da imperatriz n. 77, aonde foi a bo-
tica Popular do Sr. C. CatSo A C e tendo de entregar esta casa no fim do mez son obli-
gado a fazer orna grande liqoidacSo de todas as soas fazendas que se liquidis sem re-
serva de preco. Boa da Imperatriz n. 77.
NOVIDADE.
Vende-se fuslao braoco para vestidos ds
senbora e roupa de meninas a 300 rs. o
covado.
CASSAFBANCEZ\A*200RS.
Vende-se cassas francezas para vestidos
de senhoras e meninas 240 e 320 rs. o co-
vado.
LASIHHAS PARA VESTIDOS A' 120 RS.
Vende-se ISasinhas para vestidos a 120,
240, 400, e 500 rs. o covado.
CORTES DE CASSAS A' 2,5400..
Veode-se cortes de cassa de cores 20000
para liquidar.
CHITAS FINAS A' 340 RS.
Vende-se cbitas francezas finas escuras
e claras a 280 e 320 rs. o covado.
CAMBRAIA TRANSPARENTE A' 3,0000 A
PEQA.
Vende-se pecas de cambraia transparente
finas a 30000,30503, 4,5000 e 50000.
Pecas de cambraia Victoria a 3,5500,
4^000, 40500 e 50000.
ALPACAS DE CORES A 440 RS.
Vende-se alpacas de cores para vestidos
a 440, 500 e 640 rs. o covado.
TIRAS E ENTREMEIOS BORDADOS
20000,
10500 a dasia, ditos de linfas a 20500 e
40000 para liquidar.
CORTES DE BRIM A' 10500. para
Vende-se cortes de brim de cor
calca de bomem a 10500, cortes de ganga
a 10OCO, brim de cor a 520 e 400 rs. o
covado.
ATOALHADO A* 0OOO. .
Vende-se atoalnado para toalbas a i000o
o metro.
Bramante de 10 palmos de largara a
10800 e 20500 o metro.
MADAPOLO A' StfOO.
Vende-se pecas da madapolSo a 30000,
40000, 405OC, 50000 e 60000.
COBERTAS DE CHITAS A' 20000.
Vende-se cobertas de cbita a 20000
cada orna,
ALGODO A' 30000,
Vende-se pecas de algodosinbo' a 30OOO
40000 e 50000 a peca.
ROUPA FEITA.
Vende-se camisas brancas 20000, 20500
30000.
Seroalas a 10000, 10500 20000.
Paliles de'panno preto a 5-5000, 70000
e 1O0OCO.
Paliles de alpaca preto e de cores a
Vende-se entremeios e tiras bordadas 20500, 30000 e 303CO.

para enfeitar vestidos brancos a 20000 e
20500. 30000 e 40000.
SAIAS BRANCAS A' 20000.
Veolle-se saias brancas e de cores para
senhora a 20000 e 36000.
CHALES A' 10000.
Vende se chales de 13a a 10000, ditos de
merino estampados a 20000, 30, 40s 50.
LENCOS BRANCOS A 10500
Vende-se lencos bramos com barra a
PERFUMARAS PARA LIQUIDAR.
Venle-se um frasco cora pomada franefi-
za a 200, 320 e 500 rs.
Vende-se om sabonte fino a 200 e 320.
Veode-se am frasco d'agoa de cologue a
240 e 32) rs.
E outros maitos extractos fiaos qae
vende sem reserva de preco, do Bazar Na
cional, na ra da Imperatriz n, 72.
ARMAZEM
DO
CAMPOS
Ra do Imperador n. 28.
Fiambres.
Prezuntos.
Salames.
Cbourica?. Conservas. Sardinhas. Amendoas.
* Chocolate. Araruta.
.Viies. Licores.
Batatas. 4**Y.4lak Doces.
Arroz. fio Oelas.
Paios. J V Banba.
Caf. XA Rap.
Figos. /|l Gaz.
Cha. m w Feijao.
Mante ga ingleza e france-
A lgfOO
Vende-se leques muito delicados e bonitos pe-
lo diminuto preco de l>00: veoba ao Rival do
Recife o. 50 A.
ceza, aves em conservas,
cerveja de todas as marcas,
queijos do sertio, prato, fia-
mengos, suisso e londrino,
leite condensado, araruta
em lata?, fructas em calda,
charutos dos melbores fa-
bricantes, massas para so-
pa, azeite doce, cebollas,
albos, toucinho e urna infl-
dade de gneros e acepipes deleitaveis e por pre-
cos asss commodos, que s se visitando diaria-
mente o armazem do Campos, que se ple crer
de que s elle o uni:o que est habilitado
a fornecer, vontale dos amantes da gastrono-
ma, puros e saborosos gneros alimenticios I I
E' muito commodo!
*S3S$ O Campos, nico que
mmm procura desvelladamente
agradar aos seus fregu-
^^b> zes e amigos, conside-
rando que muitos delles
gg ( e o publico em geral;
^J^ deixam de vir ao seu
' armazem per rcorarem
^^^ raals longe, presta-se a
mandar levar gratis qusl-
JI5E 1uer genero comprado
i nf em seu armazem, quer
^ dentro da cidade quer
nos sens suburbios, poif
SSSf Ia9 P*ra <'-*'* lin) 'em
_ um moleque aptol...
5 Fiflalmente
o Campos na> querendo
dar massada sem dis-
trabir e deleitar a todos
pede aos adeptos do pra-
zer da viia, de virem ao
sen armazem afim de
ezaminarem o completo
sortimento que se acha a
disposicao ido
Respeitavel publico !!
ATTENCAO
o
Cimento Portland, barricas de 240 libras.
Salsa-pamlha muito nuva.
Sola em meios.
Cerveja branca em botijas e metas botijas.
Vinho champagne superior.
Cognac Marteil.
Genebra .d Tem, frascos grandes.
Estes artigos se vendem por precos muito ra-
zoaveis na ra do Vigario n. 16, escriptorio de
Joaquim Gerardo de Bastos._____________
Armapao
Vende-se urna armacao que foi de loja de fi-
zendas, propria para qnalquer estabelecimento :
a tratar na ra de Pedro Alfonso n. 6.
Cartas finas.
A Agaia Branca ra Duque de Caxias n. 50,
recebea novamente mui boas cartas francezas
com os cantos douradoi, e todas dourada, e as
esl vendendo baratamente.
A quem precisar
Vende-se duas vaccas muito bonitas e muito
boas de leite, ambas paridas de novo e viadas
cimamente de S. liento ; assim como urna boa
turra para carro ou para sella, mansa e iebo-
nita cor : as pessoas que precisarem dirija-ie a
rna da Cruz n. 51,-que encomra com quem tratar
Barr s vasios^
Venie-se 15 barris de oleo, j bem secos pot
serem ant'gos e por commodo preco : no pareo
do Terco n. 12.
Corrupiao
Lehmarm Frres vendem
libras slerlmas : a' ra do
Crespo n, 16, primeira andar,
Tamancos do Foto
Vende-se tamancos do Porto para bomens, se-
nhoras e rapazas, fazenda especial para a chuva:
oa ra da Seozilla Nova n. I.
Finaj esponjas para toilette, e proprias para la*
var movis, veniej se tn-onar Victoria, ra Nova
1,1.
POTASSA
Da Rflssia, nova, em barra inteiros e meios:
vendem Pereira da Cunha laaos, rtw do Mar-
quei de Olinda n. U.
FUNDS
DE
BORRACHA
Rainha das fundas!!
Esta nova ovencao de fundas a mais perfeita
de lodo* os systemas connecidos at hoja, nao ten-
do molas, nao enferrujam, nem quebram, pres-
tam-se a lelos os movimentos do corno, precioso
para viagens a cavallo. nico deposito na pbar-
mada americana, de Ferreira lala & C, ra Du-
qae da Caxias n. 5?.__________________^__
Ni ra do Alecrim u 20 vende-se dous ca-
filloa gordos e bons andadores.
Veode-se um muito cantador, proprio
para presente, ou embarque : nesta typo-
graphia, das 9 da msnha em diante.
\i\ mw
Amaral, Nabuco & C. ven-fin aza de mosca de
todas as cores, fazenda especial para eobrlr es-
pelhos, quadros, imagen, etc. ele. a IJ o covado :
no Bazar Victoria, ra do Baro da Victoria o 2,
antiga ra iova.
Bazar Victoria
Amaral, Nabuco & C. vendem trancas, galoes e
franjas de diversas larguras, lantij<>ulas, moscas,
borboletas, passaros, etc etc., de diversos forma-
tos, tndo d nrado verdadelro, aderemos, brincos.
correte^ para re gio e voflas de plaque! fino
para senbora e meninas, de apurado gosto : na
ra do Baro da Victoria n 2, antiga ra Nova.
Vende-se coqueiros pequeos no sitio do
Catund : quem pretender compra-Ios dirjase
e.-lrada de Juo de Rarroi.
Vende-se a tawrna da ra do Coronal Suas-
suna d. 12, o motivo por que se vende ie dir ao
comprador : a tratar na mesma.
"WBPF
dous terrenos, um ao oeste da roa Imperial divi-
dido em tres ras, do norte ao sul, tendo cada
urna ra 402 palmos de comprimento, todo ater-
rado e com algamas arvore3 de fructo ; e outro
terreno na travessa do Brilo, junto uelle o tam-
bem aterrado e proprio para edificar-se: a tratar
na ra Coronel Suassuna (ootr'ora de Hortaa) nu-
mero 86.
A menagre. n 17 juada
lmpararis
cosmoram* completo.
Ha para venler
muito barato.
am

L IULJ


-"--* *"


y
i


tiui* dt Pruambub
Qutla*1eira **

m :,.> y
RIJA DO DUQUE DE CAXIAS
(Oatr'ora do Queimado)
Esta esubelecimento acaba de receber am importante sortimento de diversas fa-
Modas proprias para vestidos, sendo ponpehnas de seda, sedas, lias, percales, ditas coa
farras proprias para babados, lindas cambraias crox, e em fim ama infinidade d'arti-
fos de moda, tudo propr o para a festa, o que todo vender por precos inteiramenU
razoaveis, em cosequencia de estarmos prestes ao fim do anuo, e o 65 nao qoer te:
grande trabalho com o son balando, preerindo tomar dinbeiro a fazendas, convida-ai
portanto ao respeitvel publico a virem sortir-se na loja do 65 aonde comprarlo por pre
toa qne n3o obt(ir2o em ootro qualqoer estabelecimento; em fim ver para crer
iftUA DO DOUE DE CAXIAS
J
(Outr'ora do Queimado)

105OO
15300
40
200
500
200
240
80
600
700
14000
45500
10000
500
4(0
Rival 5era segundo
Roa Duque do Caixias n. 91, loja de
mindezas de Jos de Azevedo Maia e Silva,
conheciio por Jos Bigodinbo, contina a
vender todo que tem por menos do que
ontra qoalquer loja, saber :
Correnes ,pretas de borraxa
paa~ ftJtabora a
Garrafas de agu Florida verda-
deira a
Caixas com obreias de masta a
Frascos com macaca porola a
Pacotes com pox de arroz fa-
senda fina
Pares de botoes de osso
para punho a
Sabonetes de bolla muito fino
a 160 e
Cartas de allketes de latSo
fazenda boa a rs.
Carriteis de retroz preto com
2 oitavas a
Capacho de palaa muito boni-
ta a 600 rs. e -
Frascos com olto Philocome a
500 rs. e
Pares de tpalos de tranca
para menino a
Pessas de tiras bordadas a
500, 600, 800 rs. e
Frascos com agua de Colonba
muito boa a rs.
Grvalas pretas o de cores a rs
Pessas de trancas modernas
de todas as cores e todo o
preso
t Libra de areia preta muito
boa a
Nvellos de liuha con 400
.ardas a rs.
Livros da misso abreviada a
Silabarios portngaezes a rs.
Cartas com 100 contas im-
presas a
Caixas com 30 novellos de li-
aba gaz branca a rs.
Gaitinhas para meninos a 40,
60 rs. e
Caixas coa 12 frascos de
heiros a
Caixas com 6 sabonetes mui-
to finos a rs.
Pentes para segurar cabello
de menina a 200 rs. e
Chapeos branco: para bapti-
ados a 20500 e
Copinbos com superior banba
!00 rs. e
Frascos com oleo para cabel-
o fazenda fina a rs.
Frascos com oleo Baboza a
600 rs. e
Frascos e garranchas de agna
Je Colonba a
Frascos com'verdadeiro azeite
para machinas a rs.
Redes com caitas para segu-
rar cabello a rs.
Latas com bauha de Piver a
800 rs. e
Garrafas com agua Celeste
moito fina a
160
60
10500
500
10500
500
80
10500
800
320
40000
320
320
10500
500
400
320
k All lilil
Roa de Duqne de Caxias n. 50
Receben:
Lindas caucionas com os necessario para mar-
car roapa, sendo abcedano e numeraran, frascos
com (inta preta e encarnada, pinceis etc. etc. o
que de certo noridade em tal genero.
Novos eoqnes grandes com bonitos desenhos
vindo entre ells alguns Afeitados com fitas e flo-
res ; assim como bonitos crespos.
Aderemos encarnados de madreperola.
Crnies pretas eom enfeites dourados e ontra?
brancas de christal.
Smaocome
Tnica especial contra a calvice
Com am bello sortimento de perfumara qne a
Agua Branca acaba de receber veio tambem o
apreciadoSmaoconecnjo provaitoso effeito
j bem conheeido por quantos o tem osado e ser
anda mais por aqaelles qae necessitam de sna
nulidad*. O eontioaado nso do Smaccome da o
bom resaltado de impedir a queda dos cabellos,
faze los renascer e conservar o sea brilbo natural
alm de qne feu odor mais agradavel qae d'on-
tro qaalquer tnico continua a ser vendido oal oja
;ia Agu a Branca.
Leite de rosas brancas
Excelleote para acabar com as sardas, pannos e
espinhas ne rosto.
Vende-se a 2* o frasco, na leja da Agnia Branea
ra Dnqae de Caxias n. 30.
Bonitas caixas com perfumarlas
proprias para presentes
Vendem-se na loja d'Aguia Branca ra Daqae
de Caxias n. 50.
Modernas e lindas csaquinhas
para senhoras
LOJA DE JOIAS
Acaba de ebegar a este estabelecimento um importante sortimento de joias de
ouro, do melbor gosto e qualidaJe que tem viudo oeste genero, como cassoletas de
nix com lettras de diamantes e pinturas finas, aderecos e meioa aderec'ot com pedras
unas, etc. etc.
Ra do Cabuga' d. 5.
Mreira Duarta & C.
lr)500
Adamson Howie
i C.
Vendern:

Cerveja Basa, em barris pequeo?.
Superior cognac, em barril.
Vinho Xerez, dem.
Charutos de 1 lavara.
No sea armazem, roa >lo Commercio
n.40.

A agnia branca ra Duque de Caxias o. 80
reeebeu ama pequen* qaandade de lindas casa-
quiobas de lia branca primorosamente enfeitadas
com setim de core?, obras essas tao modernas
quo liadas. A prova dessa verdade est no apre-
So que Ibes estao dando as Exmas. apreciadoras
o bom.
A Agnia Branca
NA
Ra Ruque de Caxias n. .
reeebeu bonitas bolsiobas com necessarios para
crochet.
Agulbeiros de osso com agalbas e cabo para
ditos.
Papel verde liso e listrado para folbas de ro?a?
Dito de cores para flore.
Dito fino verde e pardo para cobrir os talos das
rosas.
Dito de cobre de cores para flores, sombra, etc.
Lindas bonecas enfeitadas, e ontras com rosto,
inaos e ps de porcelana.
Modernos aderemos de madreperola.
Ditos de fllagrana dourada com camapbcos.
Ditos preto?, gosto ioteiramente novo.
Cruzes de madreperola.
Delicadas carteiras com capas de marm.
Ditas pequeas proprias para lembrauca.
AGUA DERTRIFICE
DO
DR: P1ERRE.
a Agnia Branca roa do Duque de Caxias n.
50, receben essa apreciaveHagna dentritiee do Dr.
Pierre, coja snperionde bastante conhecida.
Colares Royer
contra as convulqdes e a favor
da dentiqo.
A Agnia Branca roa Duque de Caxias n. 50,
. recebe por todos os vapores francezes certa qaan-
I tidade desses apreciaveis colares Royer, e por isso
est sempre prvida dos mexmos. Ja 6 bem co-
nhecida a utilidade desses colares Royer, e metno
a necefflldade que ha das enancas os (razerem ao
pescoco para assim estarera privadas das eonvol-
Coe?, e cootarem com fcil deoticao. Esses cola-
res Royer qae se vendem na loja d'Agnia Branca,
rna buque de Caxias n. 50, bem merecidamen-
te ?e Ihes chamaraSalva-vidadascrianijas.
Cerveja de Noruega.
Verdadeira e superior : venda nos armazen?
de Tasso lrmaos 4 C.
Cimento.
O verdadeiro Portland inglez ; se vende na
aa do Amorim a. 39., e mais barato que em cu-
riqualquer parte.______________
Arro? de casca
Superior em saceos muito grandes: nos rma-
teos do Tasso IrmSos & C.
Camisas bordadas para se-
nhor.
Amara), Nababo & C. vendem ricas camisas
bordadas para seolior, ditas para enancas de 1 a
10 annos de idade, ditas para homem tambem
bordadas e lisas: no Bazar Victoria n. 2, ra do
Barao da Victoria n. 1.________________
Xarope Hydrocotyia Azia-
tica
A hydrocotyia asitica orna planta qne
se acba muito a miado em Mauricio, Borbo,
Singarope, Bomnaim, Madras, e ontras pro-
vincias das Indias Orienlaes onde desde
mu i tos aonos est em pregada com a maior
effcacia contra an diversas molestias de
pelle, taes como o lichen, o eczema, o acn,
prurido, o pemphigo, a lepra vulgar, a
kphantiask, as *kerac8ei scrofulozas ou
fijphiliiicis, assin como contra todas as
doenc cornee da debaixo do nome gene
rico dartros. Experiencias nomerosas feitas
pelos medjeos dos bospitaes de Pars, sobre-
todo no hospital de Sm. Luiz, destinado es-
pecialmente ao tralamento dos doentes deste
generf? de molestias, provarS a efflcacia
dessa planta nos casos signalados cima.
Deposito Pharmacia Amuricana deFerrei.
a Haia & C, rn;i Dpqoe de Caxias n. 57-
Libras esterlinas
Vcn&a rcrc.:.-a da Cuul Uaii, i r v
Kaxauex le Olintla n. Ji.
ARMAZEM DOS LEES
Ba Duque de Caxias n. 29.
Os proprietarios deste bem montado estabelecimento sefentifieam ao
respeitavel publico dtsla provincia qae se acham eom um variado e completo se ru-
men to de movis, tanto nacionaes como estraogeiros, sendo estes eseolbidos por nmdos
osios que se acha actualmente na Europa. O mesmo tem contractado com os melhores
fabricantes daquellecontinente as remessas das mais ricas mobilias feitas all.
Na officina temos mais habets artistas deste genere, epor isso pedem que ve-
nbam visitar o estabelecimento, aonde encontrarlo a resudado do que acabam de expr*
ue se pode examinar; ricas e completas mobilias de Jacaranda, mogno, faia, carvalbo, a-
marello, etc, ricas e elegantes camas deja caranda, pao setim, amarello, etc., etc., guarda
vestido de amarello, guarda louca de nogueira e de amarello com tampo de pedra, apa-
radores de d to dita, peti toilettes especialmente para -fazer a barba, toilettes de jaca-
randa, amarello, pedra, secreta' ia? da Jacaranda e mognocus tureiras oe mogno, san-
tuarios, taears para bordar, berros, lavatorios com espelbo, de pedra marmore e seos
pertenece, cadeiras privadas, bids; etc., etc., o muitos ontros artigos que deixamos de
mencionar por se;tcrnar enfadonbo
DE
i
A verdadeira cerveja da Baviera, marca ban-
deira, de superior qualidade : vendem Tasso lr-
maos & C em seG armazem da roa do Amorim
o. 37.
Meias de la
para homens e senhoras
A Aguia Braoca roa Duque de Caxias n. 50,
reeebea mai finas meias de la para borneas e
senhoras, e como sempre vende-as por prego coa-
modo.
Libras sterllnas
Vende-se no armazem de H. Landgren, ra do
Commercio n. 4.
Fabrica de pianos de j, Rhi-
gas, successor de J.
Vignes
Julio Dhibaut, na ausencia do Sr. Jos Rbigas,
aeha-se eoearregade da so a officina de pianos, sita
ra do Imperador n. 55, ende o encootrarao
sempre prompto para coocertoe e afinaedes de
pianos. Acha-se na mesma casa, no 1* andar,
venda, grande qnantidade de msicas de pianos de
bons autores, e de varios precos.
Vapor usado.
Vende-se am vapor ds torca de qnalro cavaljos,
de ptima constrneco, e em moito bom nso, pro
prio para engenho de assuear on qaalqner obtro
mister: a tratar no- armazem n. 2o da travessa
do Corpo Santo.
Luvas da camu sa .
A Aguia Branca i roa Duque de Caxias o. 50,
receben lavas brancas de camarsa mui fina, pro-
prias para militares e mesmo para montarla.
Vende se urna mobilia (oda de Jacaranda :
a roa Neva d. J3, loja.
(jaleado barato
Borzegnins de bezeTro para bomem a 7KW0 :
Vco-M u pm fyrw aatos.
DE
SINGER MANFACTURING COMPANY
Grande reduepo de presos II!
! 90^000. 90*000. 9OP00
AVISO ESPECIAL
A alta repatacdo obtiia pelas machinas fabricadas pelo
um mwmmm msi
tem levado diversas pessoas a fabricar imitaces que ellas vendem quasi sempre sob
pretexto de serem ellas fabricadas pelo systema Singer.
SNENHUMA MACHINA HIX-
t'GR l" LEGIHHA SE
NAO LEVA ESTA MARCA F1X A
\Q BRACO DA MACHINA.
PARA EVITAR COSTRA-
FACCdES NOTEM-SE BEM
TODOS OS DETALULS
MARCA.
MARCA DA COMPANHIA
A companhia, desejando proteger seos amigos e freguezes contra as imitaces, tem
adoptado a marca cima representada.
Previne-se ao publico de nao comprar machinas que ni* levem a marca da
companhia.
W. H. oumM
NICO
N. 45 Ra do Imperadora. 45
a casa da roa dos Guararapes n. 11 : a tratar com
o commeadador Tasso.
Moeda de ouro
Na ra da Apollo n. 20 vende-so libras sterlinas.
Vende-se mantelga ingleza a 500 rs. a libra
oair'cra roa tls. Pr&ia.
Bom Degocio
Vende-se ana boa casa arrea em ehos pro-
prios, com 5 quartos, 2 salas, cozinha externa, um
grande qninfal plantado e morado, sita na Capan-
ga.rua das Creonlas n. 6 ; vende-se tambem par-
te d tima fntr easa terres, siu roa da Vento-
ra n. i : a traur na roa n Marco n. 7 A, i*
Mar.
Veoda-se om prtno j osado, porm eaa
bom estado o moito proprio para- principiante,
i por aer o prego moito eoamodo : i tratar b ra
oVgo.
MOITA ATTENQAO
GRANDE REDUCTO EM PRECOS
Antonio Pedro de Sooza Soares, com loja demiudezas na
raa do Barao da Victoria n. 28,
PEDE AS EXMAS. FAMILIAS MUITA ATFENCAO PARA OS PRECOS ABAIXO
ESPECIFICADOS, A SABER :
Sapatos de tapete para bomens e
senhora a ......
Dozia detalberes % B mnito bons a
dem idem 2 botoes (com pequeo
toque) a.......
dem idem cabo de viado a imita-
Cao a....., .
dem idem cabo branco cravados a
Duria de pe$as de trancas de cara-
col brancas a rs.....
dem idem lisas a rs.....
Grosa de botoss de osso pretos
e braucos a rs......
Dazias de pecas de cordao impe-
rial a rs........
Caixa de linha de marca a rs. .
Duzia de cartes de lmba preta e
branca ars.......
dem de pecas de fita de linbo cbi-
neza a .......
Carteiras para notas a rs. 320 e
Meios aderemos pretos com cama-
feo (broxe e brinca) a .
Grande sortimento de espelbos,
moldurado, doorado e touca-
dores de 2500 a .
Resma de papel pautado e liso a
30000, 3J500, 40000 e .
Caixa de papel amizade muito
superior ars......
dem idem beira doorada a rs.
dem idem de qoadrinbos a rs. .
Caixas de envelopes de porcela-
na a rs.......
dem idem a rs. 400 e .
dem de peonas a rs. 400, 500 e .
Abotoaduras para collete, grande
variedade ars......
dem douradas para pnnhos a rs.
Duzia de baralbos francezes a. .*
dem idem idem canto doorado a
Lamparinas a gaz a .
Completo sortimento de fitas de
sarja, de todas as largnras, co-
res e precos. .
1,5280
50500
40300
3,5000
30000
400
200
200
320
280
iO
ItfOOO
3^500
40500
700
800
610
0OOO
20000
90OP-'
dem idem de velludo encamada,
pretas e ditas com beira bran-
ca.........
Coques de trancas modernos a .
Diademas modernos a rs. 640 e
.Mimosos leques de osso para se-
nhora a.......
dem idem de sndalo com lan-
tejuelas a.......50000
dem idem a imitaejo a 20200
Transparentes com paisagens para
janellasa.......114000
Bico de seda preto e branco peca
de 20500 a......74000
Fita de selim Maco escosseza lar-
ga, vara a ...... 30000
Collarinhos bordados para bomem
duzia a.......80000
dem idem lisos a .'. 70f 00
10000 Caixa de linba do gaz a rs. 800
400 Garrafa de tinta roxa extra fina a 10000
I Potes de dita ingleza a rs. 100 e 160
Ferros para frizar, differentes pre-
cos. ,.....
PERFUMARAS
Garrafa de agua florida verda-
deira, a.......
dem idem kananga do JapSo a .
Frasco de oleo philocome verdadei-
ro a........
dem idem antique a rs. 400 e
Rosas com extracto a -. .
, Frasco com extracto de 10000 a
8001 Macos de sabonetes inglezes muito
500 i bons a rs........
10000 Duzia -de sabonetes de anjinho a
I dem idem de concito a .
200 Pacotes com pos de arroz moi-
500 to fino a rs. 300, 400 e .
206001 Caixas com dito moito fino ka-
30600; nanga a........14500
14200 Frascos com agua de Colognea rs.
500, 14000 e.....14500
Garrafas com dita o que ha de me-
lbor a 34000 e.....40OOC
,
10300
14300
14000
500
14800
40000
600
24000
145C0
500

QUINQUILHARIAS
ama infinidade de objectos que se-tornarialongo mencionar.
N. 28 Ra do BarSo da Victoria N. 28
AC e ferro em vergoinha.
ARADOS e grades para lavrar a trra.
BOMBAS americanas.
CAMAS para meninos, solteiros e casados.
CARRINH0S de mo.
CHUMBO em cano, lencol, barra e mnnc5o.
COBRE em lencoes e armellas.
COFRES de M.lnor o outros.
COUROS preparados.
CIMENTO de Portland.
CHAPAS para cobrir casas.
ELECTRO- PLATE em obras finas.
ENXOFRE, limalba e salitre para fogueteiros.
ESPINGARDAS, rewolvers e pistolas.
! ESTANH0, em verguinba e barras.
FOLHAS DE FLANDRES, grandes e pequeas.
FOGES americanos e inglezes.
cj FORMAS para porgar assuear.
FELTRO para caldeiras.
MACHINAS a vapor.
DITAS de lavar roupa e picar carne.
DITAS de cortar fumo, estivar algodo (macacos.)
DITAS de descarocar algodao mo e a vapor.
LEOS, azeites, sabio e trincal.
PAPEL de diversas qualidades.
* PEZ iS francezes de todos os tamanhos.
PRENSAS para copiar cartas.
TACHOS estanbados.
ZINCO em folbas lisas e forradas.
35 e

\J-H-*,
Fazendas baratas
LENCOS de linho Gaos eom barra de cor, abamhado largo a 9< a doria.
POPELINAS a 1#600 o eovado.
SBDINHAS a 1*300 o covido.
CAMISAS Bordadas a 60*000 a dua.
VBTlQS de pnantasia a 15*000.
A' lojrda Tuque, roa Nova n. 9.

; MUTILADO


0iar rrnamfe*ee> Quarla eira 44 ata Julho da 1812
____LITTERATURA.
IN5TRUCCJA PUBLICA.
HELATOBIO APRESEN!VDO PELO MINISTRO IRA-
8ILEIR0 Eli lAM3.
(Coaclotio)
Dito das cntas dos etudos. 4,877
O numere t tal dos alumnos internos sen-
do de 11.6(17, conUindp-.ie dous meo-pen-
stas_ per alumno, a som;j pagi por
cada um vem a ser de 519 francos, e o na-
ce d de externos 46 em cada estabeleci-
mer.to.
As despezas deconp5im-se assim :
F anco?.
Despesas com o pessoai. 4.156.530.12
> cu a iltaHnUcao. 3 913 414 5'
Gastos diversos........ i.421.471.34
Total... 9 486.39S.OO
Ou 711 fraacos por aluraio, sendo'459
franws para as despozas necesarias de ma-
terial. O masm) alumno pagando 349 frs.,
o producto correspondente a cada interno
de 90 francos.
Os collegios communaes, relativamente
inslrnco, dividem-fe como se segu:
131 do a in.-truc'.ao completa at ao ba-
charelalo ;
3 possuem um curso de matemticas
especial pira os alumnos que se destinan)
as escolas do E*t3do.
29 s do a instrueco at rhetorca:
li o segundo anno;
at o lerceiro anno ;
UO so possuem a divisio de grammatica.
A istrucf'o especial est organizad i era
3G eollegio.
O pessoal de um ollegio commuoal com-
prehende o principal, um ou dous mestres
de estudo, e de prefessores segundo o nu
mero de discpulos, e o gio de instruccao
qoe se pfVie alcancar em cada estabeleci-
mento.
Os emolumentos destes funecionaros sao.
em geral, inferiores aos dos lyceus; em
primeiro lugar porque a administrado exi-
ge para o ensino graduacoes menos eleva-
das, e em segundo lugar porque a vida
material mais bara'a nos pequeos cen
tros do que nas grandes cidades.
O numero de alumnos que frequeotam o*
collegios communaes de 33.009 pouco
roais ou meros, dos quaes 13 000 sio in-
ternos e 20.00:) externos, o que correspon
de a 5) iuiernos ea SO externos para cada
estabelecimento ; em ludo 130.
A metade dastes alumnos segu o ensino
classico, mais da terca parte o especial e as
outras partes o primario.
Em ultimo lugar deve-se fazer mencio
de 935 estabelecimenlos particulares de
instruccao secandaria, dos quaes 657 diri-
.gilos por seculares, e 278 por ecclesiasti-
c.s. Estes estabelecimentos sao frequenta
dos por 77.906 aiomnos, e em termo me-
dio 123 em cala estabelecimento ecclesias-
tico, e 3 em cada secular.
Os preoos, em termo medio, e em geral
para o intrnalo e o extrnalo sao as se-
guintes:
Nos estab3lecimentos seculares:
Pensio 5S0 francos.
Meia pensio 333 ditos.
Extrnalo UO ditos.
N >s estabelecimentos eclesisticos:
Pensio 530 francos.
Meia pent.ii 29) ditos.
Extrnalo 97 ditos.
A'guns distes est-ibelecimentos sao sub-
vencionados pelas eommouas.
Resumo. O numero total dos estabele-
eiuisntos de iostracco secundaria em toda
a Franca l. consequenteraento de 1.263;
contando 140 253 alumnos, isto um es
tabelecimeoto por 29 621 habitantes e um
alumno sobre 267 habitantes.
O numero total dos individuos do sexo
masculino de.8 a 18 annos sendo, em toda
a Franca, de 3.313 9S8, segue-se qoe a
iastrucco secundaria conta um alumno so-
bre 24.
O pessoai dos professores da instruccao
secundaria fornecido pela escAa normal
e pela oggregaco, da qaal se. tratar na
ultima parte deste relatorio.
Baro de Itajub.
VARIEDADE
l 1 Unta enta Iva dos Hollosle-
zes para se assenhorearem d<
r Idade da Baha.
I.
Motive urna poca em que a estrella de
Portugal refolgiu no horisonle poltico do
mundo mais luminosa e brilhante que a de
nenhoma outra naci. Nesta poca sorri-
ram-nos todas as glorias e felicidades que
um povo pode desojar nas suas mais eleva-
das aspiracoes, nos saus mais dourados so-
FOLHETIM
LIQAO AO MESTRE
ROMANCE
POR
A. A. TEIXEIRA DE VASCONCELLOS
VII
(Continuacio do n. 166.)
Aqu estou, Loiz, aqoi estoa, disse o
alfares a.Silva passmi por diante de Luiz
de Mattos e cortando-lhe o discurso com
receio de que a iraagiaaca'o poaco frtil do
mancebo nao descobrisse invento adequado
a occoltar o caso e a arredar as suspeitas
dos circumstaotes.
Ainda bem que te mandaram chamar,
respondan. Loiz de Matos sorrindo para o
slflrfis
Niagaem l mandn. Vim eu, repli-
cn Domingos de Sampio, porqae me tar-
dava em casa. Logo me quiz parecer qoe
tinhamos alloma das toas.
Nio foi nada, disse Loiz de Mallos
levantando-se. Ea ia a Gailbofe, mas ao
pasfar deionle da igreja de Castellaos,
sent zuir no ar oina pedra que me atira*
ram; corr ao sitio d'onde me parecer
expellida, e vi non rapaz escondido por de-
traz de omti parede. Mal me avistoo, fu-
gio para este lado, segui-o correndo, o
quaado ia apanha-lo, subi ao soveiro gran-
de e saltou para dentro da quinta. Sabi
igualmente, porm o ramo da arvore qae^
broa com o mia poso e dea "coitgo no"
clru.
ohos. Os nautas partidos 4o Tejo devassa-
vam anta o todos os mares a desveodavam
as mais longinqoas e incgnitas relgi5ee.
O pavilbiodas quinas tremolava triomphan-
te so mismo teinpo nas praias da America,
nas trras da frica, em opulentas cidades
e provincias da Asia e nas ilhas da Ocea-
nia. Os capitSes portuguezes sojeitavam ao
scepiro dos nossos res grandes e podero
sissimos monarchas. A India derramava
seco cessar nos cofres de Portugal o sen
ouro, as suas podras preciosas, os seas ri
eos es:ofos e especiaras de sobido valor.
As letras e as artes,' cultivadas por homens
de genio, fbresciam e brilhavam com,ex-
traordinario lastre. Lisboa, traosfornnda no
granie emporio dos gneros e mercaderas
do Oriente, procurada da navegac-) de to-
das as ponencias martimas da Europa, tra-
jada de sumptoosas galas, cingla a cora de
rainha das mais cidades europeas. E Por-
tugal, por todos admirado e respailado, vjs
os miiores polenta los do mondo requesta-
rem e disptarcm a sua amisade e allianca
com a auciedade e fervor com que apaixo-
nado mancebo se esforca oara alcancar om
olbar e um sorriso daquella que ama e se
Ihe esquiva.
Essa estrella, t5o refulgente, precipita-
se um da, e l foi sumir-se e perder-senos
inhspitos areaes de Aleacar-Quibir t Por-
tugal viu se entao, de improviso como qoe
acordando de terrivel pesadelo, de seohor
feito escravo. A sua forca convertea-se em
fraqueza, os seos brios em prostracio, o
seu poder era fumo, a sua gloria em oppro-
brio e a admrac5o e respeiio, que ainda
ha pouco inspirava aos estranbos, em es
carneo e affroniai! Apenas os exerciios de
D. Felippa H-aVCastella, aproveitando-se
do abatimeno em qae nos lngara umi
grande catastropbe, conseguiram abafar di
peito dos Portuguezes o espirito de inde-
pendencia, a Franca, a Inglaterra e a Hol-
i m la, desassombradas daque le poder ma-
'itimo que Ibes embargava o cubicado do-
minio dos mares, arremessaram-se sobre
as possessas de Portugal, como se arre-
messa o.abutre sobre um co:po> prostrado
e exan-ne. Entretanto essa luta, em que
estas tres poderosas nacoes nos dispataram
a p)sse do Brasil com tanta porfii e encar-
nicamento, deu para a historia portugaeta
algnmas das mais gloriosas paginas qae a
i lustrara o ennobrecem.
O.quadro das descobertas e conquistas,
emprehendidas no reinado de El-Rei D. Ma-
noel, sem da vida, magnifico e maravilbo-
so. Era muito para admirar, cortamente.
ver como um punaado de homens sabidos
de um canto do globo, onde o valor mili
tar formara am pequeo reino, ousra levar
s mais distantes regios as armas victo-
riosas da sua patria e a soberana do seu
re. Mas era ainda mais admiravel o qua-
dro daquella luta que os portuguezes osten-
tarara com tamaoha gloria a grandezi do
seu amor da patria, e a elevacao do seo
esforco e valor, quando nao tinbam na pa-
tria mai que os protegesse, nem no sobe-
rano re que os premiasse, nem na fortnna
esperanca q te os alentasse, porqne de lo-
dos e de tudo pareciam qoasi esqaecidos e
abandonados I Custa a crer como bavia
(orea naquelles bracos, valor e coragemna-
quellcs peitos, animo e perseveranca na-
que les coracoes,. para sustentar, durante
tantos annos, qaasi que entregaos aos seas
proprios e nicos recursos, ama guerra tio
gigantesca, to desproporcionada, na qaal
os inglees, franeexes e hollandezes renova-
vara a cada momento as suas esquadras e
os sens exercites I
II.
* A cidade de S. Salvador da Baha, nesse
lempo capital do Brasil, e as do Rio de Ja-
neiro, do Peroambaco e do Maranhao, ti-
nbam sido tomadas1, a sea turno, pelas tro-
pas daquellas tres nacoes, e reconquistadas
pela bravura dos portuguezes, quaado, no
da 14 de abril de 163S, se apresentoa em
frente da primeira daquellas cidades ama
esquadra bo'.landeza de qoarenta navios,
trazendo a seu bordo 7.800 soldados, cap
taneados pelo principe Mauricio de Nassau.
A vista de Uto grande poder lancoa a cons-
teroacao entre os pacficos habitantes da Ba-
bia, que nio esperavam, atientas as noticias
recebidas pouco antes, ver to cedo o ini-
migo di ante de si, nem se achavam aperce-
bidos para a defensa, que a gravidade das
circunstancias demandava forte e enrgica.
A cidade da Baha apeoas dispuaha de nma
guarnc3o de 2,500 soldados, em grande
parle inexperientes nas lides da gaerra. A
armada hallan ieza lancoa ferro em Itapagi-
pe, defronte das capailas de Nossa Seohora
da Escala e de S. Braz. Era este om dos
pontos mais fracos da costa, o qual os por-
tuguezes nao tinbam podido defender. Por-
tento desembarcaram os hollandezes sem
opposc3o e immedutamecte marcharam so
brea cidade.
Governava entSo o Brasil Pedro da Silva,
Criaucices que j nao s5o da taa
idade t Vamos, agradece a estas senooras
a bospitalidade qae te deram, e se o Sr.
Nones acha. que nao te fari mal, vem comi-
go at Silva.
lado de vagar, alo tem davda, res
pondea o cirorgiSo. O Sr. Luiz de Mallos
de tempera rija.
E' de familia. Os Mattos lodos so-
mos assim. Mea lio SebastiSo de Mattos
morrea de 90 annos; mea pai aos 70 ainda
ia s perdizes; e minba ta D. Sancha aos
80 annos lia sem oculos o Portugal Res
taurado do conde Ericeira.
Pois sim, men Luiz, accrescentoo
Domingos de Sampaio. Voces nio sao
matto, sao tojo e do mais doro, porem nao
iicommodemos estas senboras. Bem basta
o sobresalto que Ihes causamos, accordan
do-as de madrugada.
E' verdade, disse Luiz de Mattos, olhando
em volta de si basca de D. Francisca. Eu
sinto muito, minbas senboras, o desarranjo
de que foi cansa involuntaria, e fleo sum-
mmente grato a tamaaha bondade.
O qae nos estimamos, balbuciou D.
Francisca, nio ter havido desastres. O Sr.
Loiz de Mattos nio olba a perigos...
Rapazes, rapazes 1 Sao todos assim,
acudi o cirargio Nones dando urna garga-
lbada. Felizmente nio foi nada. E agora
roa, qae estas senboras querem descansar.
E tomando o chapeo, sabio para o pateo
e foi desceodo os escadas, segoindo-o Loiz
de Mattos pelo braco de Domingos de Sam-
paio e Goncato de Miranda acompanhado
pelos qae tioham viodo com elle. Fora da
quista do Aido ainda principiaram de novo
a fallar no caso, porm Domingos de Sam-
paio atalhou a conversacio ^despedindo-se e
camnhando cora Luiz'de Mittos eDxiror
giio para as Paredes em qnaato Gojca'.o de
feito ae diante conde de S. Lourenco, foi
o primeiro que lew este litlo em o nosso
paiz. E-a om vafearte militar, e possoia
urna alma verdaewamente grande e ebea
de patriotismo, como o demonitroa poaco
depois, em occasiio miito solemne. As-
sim qae Pedro da Silva soubs do desem-
barque do ioimigo, maodoo sabir lhe ao
encontr a guampo da praga, aclo de re-
solucio e de energa que a todos an-
mou.
Mauricio de Nassau, vendo os movimen
tos dos contrarios, e tomando esse ra;go de
audcia como prova da confianja qae o
inimigo tinha na soperioridade das suas tor-
cas, (ez alto sobre amas collioas visinhas da
cidade. Em seguida prepararam se os doas
exercitos para o combate. Pan alo se lan-
car cota de imprudencia governaliva, e
anda mais de grave erro facer sabir da
cidade am corpo de tropas qae mal pode-
rla, defeude-la dentro dos seas maros quaa-
do vi esse dar-lhe assallo o exercito hollan-
dez, tio superior era oauero, em discipli-
na e em tctica de gaerra, mistar dizer-
se que foi colpa, nio da autoridade, mas
da opioiio publica, exaltada e desvairada,
que assim obrigou o governador Pedro da
Silva a proceder daqaelle modo pira evitar
urna sedicio popular, o qae. em tio peri-
gosa conjuoctura, ainda seria maior des-
graca.
Pondo-se em marcha as tropas porta
gnezas sob tio tristes anspicios, pararam a
distancii de ama legua da prac e ahi cha-
mou a cooselbo os seas officiaes o general
Bagnaelo, qae era o commandante em che-
fe desta praca.
Proposta a qaestio sobre a conveniencia
e riscos de se entrar em batalba campal
om forcas tio inferiores s de inimigo, e
occopando este ama posicio tio vantajosa,
foi corta a controversia, porqae todos fcil*
mente convieram em qae baldado seria todo
o esforco para vencer, e qae a perda da ba-
talba poda ter por conseqoencia immediata
a perda da cidade. -
O inimigo, que se acbava vista, sobre
as alturas prxima*, fez nesse momento, e
muito de proposito do qae se deliberava ao
cooselbo, ostentoso appirsto das suas tro-
pas, movendo-as e metendo-as em liaba,
como se estivesse j a batalba para mo-
ver-je.
Resolvda, pois, a retirada, esperaram os
nossos que anoatecesse para a occnltar ao
inimigo, torneado qae lbe viesse no encal-
ce. Amotinou-se o povo logo qae via re-
coltier a tropa sem ter disparado om tiro.
Tomando a prudencia por covardia ou trai-
Cio, exaltoa-se cheio de ira, at romper se
nos maiores excessos. Uns corriam a bus-
car armas e voltavam apressadamente com
o primeiro instrumento aggressivo de qo
podiam laucar mi. soppindo qae o inimi-
go j vioba a entrar na cidade. Oatros di-
rig am se s torres das igrejas, correado
qaanto podiam, para tocar a rebate. Nas
roas, portanto, todo era tumulto e desor-
deno. As lujas fecaavam-ee presea, tra-
tando os seas doaos, primeiraveme, de ti-
rar para esconder o qae tioham nsllas de
maior valor, contando j com os horrores
de umsaque. Muitas familias, tentando fu-
gir da cidade para o sertio, com o seo movel
mais precioso, andavam afOnas e errantes
de ama para a outra parte, sem saber por
onde haviam de sabir, livres do perigo
rigo de cabirem nas mios do ioimigo. As
pragas e vociferares dos mais valentes,
acoimando as autoridades de covardes e
traidoras, misturarara-se, em confuso e pa-
voroso som, com os gritos e alaridos dos
mais ti mi-ios, e com as vosee siuistraa dos
sinos, tocando desesperadamente a rebate.
De momento para momento crescia a onda
popular, bramindo de furor cada vez mais,
planeando e dispondo-se para terriveis ace-
as de vinganfa.
Emqumto a anarebia assim levantara o
eolio hediondo, ameacando franquear aos
invasores as portas da cidade, estavam em
conseibo os homens da governanes, dividi-
dos em pareceres oppostos sobre as provi-
dencias, qae tio grave caso pedia* Os mi-
litares, excepcio de Pedro da Silva, qae-
riam qae s tropa fosse dispersar o povo
viva forca. Os oiros, teodo soa (reate
o bispo, entendiam qae, sendo a tropa o
alvo da anmosidade do povo, seria ioevi-
tavel a lata, e qae os tiros disparados nella
advertiran o inimigo do ensejo qae se of-
ferecia para se apoderar sem costo da cida-
de rebelde. Parecia-lhes, portanto, qoe se
devia osar smente de brandara e per-
suasio.
Approvado este parecer. oram encarre-
gados da missio pacificadora o bispo e o
governador da cidade 1) jarte de Albuquer-
qae. Estavam os slhorotos no seu auge,
quando appareceram entre o povo aquellos
doas apostlos de paz. Todava, apezar
das palavras do prelado, affectaosas e cheias
de anecio religiosa, nio obstante pedir-lhe
Miranda e os domis tomavam o caminho de
Freiamande.
J era dia claro quando o fidalgo de Pa-
cos de Ferreira ebegou com o alteres
qaiuta da Silva onde D. Josepba, a pe des-
de o nastor da aurora, andava inquieta por
nio saber qae motivo extraordinario impe-
dir o marido de se deitar, e obrigara a
sabir de casa ai oda de noule. A/agentados
porm qaaesqaer receios com a chogada de
Domingos de Sampaio na companhia de
Luiz de Mattos, cuidou dos Albos e da casa
sem inquirir de nenhoma outra coasa, e
pareceado, como liaba por costme, alo ter
dado pelo passeio nocturno 'do nosso al-
teres.
E qae me dizes tu a esta aventara,
exclamou Luiz de Millos sentando-se em
um banco de pedra porta da capaila da
qainta da Silva.
Nio sei o qae te bei de dizer, responden
Domingos da Sampaio. Deveras nio sei.
O braco do sovereiro nao quebrava assim.
O melhor a gente callar-se al descobrir
a verdade.
A minba pena o susto que teve a
pobre D. Francisca, e o mal que este caso
pode fazer a reputacao d'ella. Ainda nio
joigas que eu deva sanar o mal .que por
ventara lhe fi ?
Deixa ver, homem. Ha males qae
vem por bem. Vai para casa. Descansa
e eu l irei ter eomtigo para fallarmos
nossa vontade.
E' qa ea cada vez gosto mais d'ella.
Nio reparaste como eslava paluda qaando
aos despedalos ?
Nio reparei, mas as malheres qaando
se levaatam estremunhadas de madrugada,
fleam sempre com m cor.
Mi dizes ti. Pois nunca me parecen
tio linda a gentil viuvi.
o governador, am aome di patria em par
go, qae iocegasse, e deixaaie acclr, go
aroativa a tsrefa de velar pela seguranca
defensa da cidade, foi forcoso pactuar
com a multidao, promettendo-lbe qae a tro-
pa toreara a sabir ao encontr 4o inimigo.
Com esta promessa desarofba-se a colera
popular e restabeleceo-se a tranquIIidade,
Com effeito a9 r. rapar da aurora sahiu a
gaarnicio, resoNida a-lado arriscar en urna
batalba.
Marcbop por espaco do omj legua, mas
n5o eocontrou o exercjto hollandez, o qual
dorante a noute Qzera um movimento de
flanco, aproximando-se di cidade por oulro
lado. Recolberam se, pois, de no7o as tro-
pas portogaezas, e, se o nao fazem com
tanta rapidez, conscias dos seus deveres e
do perigo qoe Ibes cumpria evitar, acha-
riaru a cidade, uo seo regresso, em poder
do ioimigo.
Y
Mauricio de Nassau intenlod, cora effiilo,
lomar a cidade de 8)bresalto, emquanto a
guarnigo eslava fra, e para o conseguir
fez, com o seu exercito, o movimento du-
rante a noute a que nos reforjaos. Fo-
rera, Libando esta tentativa om a entrada
da tropa portogueza oa cidade, e nio se
atrevendo a dar assalto praca, por a jol-
gar mais forts do que mimante eslava, re-
salveo o general hollandez obriga ia a ren-
dar se, ou pelo menos facilitar a victoria,
pela forae e por uno-bem dirigido bombar-
deamento. Para dar execucio a este p'ano
comecoo por atacar algons fortes exteriores
que defendan! a cidade e a constroir an-
tros para a combater, estreitanlo a> mes-
rao lempo o cerco quaoto lhe era pos-
sivel.
O mais feliz successo veiu coroar a pri
meira parte deste plano. Ao cabo de
maior oa menor resitencia renderam-se
aos bollandazes quarto fortes bem anuba-
dos. Qaasi em seguida drversas bateras
romperam contra a cidade vivismo fogo,
sustentado por tres das consecutivos, sem
pre com igual vigor. A con desalent causados na oopulago por estes
acontecimentos foram lio grandes que, se
o inimigo investo logo a cidade,, apoderar-
se-bu della sem muito sacrificio. Os habi-
tantes, assastados pela perda dos quatro
fortes, que 'julgmm essenciaes defensa
da praca ; afiliaos por verem escassear os
vveres de dia para dia, e chei s de terror
pelos eitragos do bombardeamenlo ; sem
esperanca nasorte. sem constancia para pa-
decer as privaces de um cerco e resignaco
para sapportar os revezos da fortuna, s pen
avam oa entrega da cidade e j se djspunbam
para todas as consequencias desta catas-
tropbe.
O espirito da gaarnicio nio eslava muito
melhor qae o do povo. Se a oio domi-
nava o terror apo3sava-se delta ootro sent-
ment igualmente fatal aos exercitos, a ia-
subordinacio. Uns obedeciam com muita
repagoonciare manifesta desconsideraco ao
governador Pedro da Silva, porque o repa-
ta vam muito inferior em setene.a militar ao
general Bagouolo, que commandava nma
parte da forca armida. Outros recnsavam
iberiamente obedecer a este ultimo chefe,
porque attriboiam a fraqueta retirada
que elle fez qaando sabia ao encontr do
inimigo, logo depois do sea desembarque
Em taes circunstancias, todo pareca per
dldo, fois que nao polo haver salvacio para
a causa publica, qaando, em occasi5os de
tamanbo perigo, a ons fallece o animo e
aos outros fallece o accordo, e sobram-lhos
os odies e a dosconfianci. Esta lastimosa
desaniraacao e fatal discordia, inuiilisando
todos os meios de defensa, entregariam mi-
seravel e vergonhosamente a cidade em po-
der dos invasores, se nio fosse a sublima
dedicacio de algans |Portagaezos, qae ante-
pozerano amor da patria e a honra do pa-
vilbio nacinil a todas as ideas de perigo c
a lodis as considerabas de amor pro-
prio.
Sebistio do Couto, frente de 100 ho-
mens, por elle escolhidos, accommetle de
itnpro' iso o arraial inimigo com grande
furia t denodo, que, toxados de sobresalto
e terr r os. hollandezes, deixaram-os pene-
trar at dentro das barracas, e o que mais
para admirar, nem oasaram oppr-se a
que voltassem inclumes ssuas triucheiras,
levando despojos e prisioneiros, depois de
terem tirado muitas vidas t Esta fa;anha,
repetida mais doas vezes pelo mesmo aven-
toreirc, com egual fortuna, e logo depois
imitad i por Francisco Ribollo, que, sahrado
com i.essenta soldados, recolben-se com
muito gado, de que tanto se careca, e em
seguida renovada por Francisco Gincalves,
qae, apenas com trila companheiro3 reso-
lutos o destemidos, fez consideravel destro-
co no acampamento, inimigo, logrando na
volta iotrodozir vveres na praca, dea os
mais importantes resultados que ee podiam
desoja: em tio critica situacoo. Os babi-
Sim, sim, o que la qo;zeres. Monta a
cavallo e vai para Pacos de Ferreira. Anda.
A pas to. Oaves ? Tu ests fraco. Nao
abuse... L fallaremos.
Nio descaason Domingos de Sampaio em
qaanto aio vio a caminho o namorado de
D. Francisca. Tamanbo era o receio da
qae lbe lesse ao semblante a verdade de toda
aquella historia.
VIII
Nio vi via a mulher de Domingos de Sam-
paio i iteiramente livre de suspeitas acerca
dos freqaeotes passeios do oosso alfares
para lado das Paredes. Nio fra visitar
a irmii casa da igreja depois que D. Fran-
cisca viera habitar a qainta do Aido, mas
nio lbe falleciam as informales qae os
criados se dio reciprocamente e com facili-
dade communicam aos amos. Entenda,
porm, D. Josepba que os defeitos e fra-
qaezas dos maridos, sendo provenientes de
tedio oo desapego das docuras conjagaes,
nica nente se remedeiam forca de amor
e de resigaaco e qae melhor se mantera a
digaidade de ama senhbra pelo silencio que
por contestares acaloradas ou violentas ex-
plosoes de came. Entretanto D. Josepba
era mulher e portanto cariosa. Rasolveo,
pois, ir no domingo segaiote visitar a irmi
e encontrar-se emeasa della com r viuva do
sarge ito-mr Ayres de Queiroz.
Aoiaia Domingos de Sampaio ao intento
de D. Josepba, e como viesse a proposito
fallar de D. Francisca, gabou mu natural-
mente a formosnra e descripeo, to afama-
das da gentil viuva, mas recommendaado
mulher qae se nio deixasse levar de appa-
rencias e qae a nio convidas se para vir i
Silva onde prximamente deviam passar am
da Luis Goelho e a irmi de D. Josepha.
Mu se a tal D. Francisca vai a casa
de miaba irmi, dtz:a a molbsr de Domin-
tantes da Babia, entusiasmados com estes
continuados actos do audacia e esforco, que
mostravam a mais nobre dedicacio pela can
sa em qae todos se achavam empenhados,
foram cobrando animo e esperaocas. A
experiencia de todos os lempos e em todos
os povos di tesiomunho de qae o espirito
publico ergue-se e exalti-se com a mesma
promptidao com qu se deixa abater e pros-
trar. Os bollandazes, at^morisados com
estes repelidos exe.nplos de tio arrojada
valenta e de (3o grande- fadlidade, que re-
velavam a firai; intencao de defender a ci-
dide a todo o transe, comaciram a esmo-
recer e fraqoejar, adiando o ataque para se
aaxiliarem com mais alguns reductos e ba-
teras, que iam guarnecendo com oscanhas
dos navios da esquadra.
Ao passo qae aquellos acontecimentos
iam estabeleceodo no povo a ordem e a
conflanca, o jovernadir Pedro da Silva res-
labeleceu oa tropa a disciplina com am acto
de heroica abnegarlo. Raconhecendo a ne-
cessidade de se conceatrar em am s gene-
ral loda a anlordido militar, tanto para a
melhor e mais prompta combinaco das
medidas e execucio das ordens, como para
a:abar cora todos os conflictos e parcialida-
des, de que resoltava umi crescente e
ameacadora iasubord naci, resigna no ge-
neral Bagnoolo o coramando em chefo da
forja armada em^aanto durassa o cerco.
Foi urna inspiracio de acrisolado patriotis-
mo que, pelo i effeitos moraes e physcos
qua produzio, comp'etou a traosformacio
j comecada a operar na cidade.
O general Bagnoolo, extremamente lison-
jea lo cora a escola que della rizera o chefo
supremo do governo- em ama conjiinctara
tio arriscada e diffii, enche-se da brios e
da resolucS', e desenvolve pasmosa activi-
dado na construccio de novas obras de de-
fesa, no reparo das antigs, e na iaspevjio,
ex redos e dstribnicio das tropas.
Os seus parciaes, qae tudo esperavam
Jos seus talentos militares, exultara, e, con
lando j i com a victoria, traasmttem o sen
enibusiasmo a quantos se acercam dalles.
Aos adversarios de Bagnoolo impSem silen-
cio e fazem entrar na ordem a autoridade e
o exemplo de Pedro da Silva.
Emquanto a cidade assim passava dos
terrores da morte para as esperances da
vida, no arraial ioimigo tamban as coosas
iam mudando, mas para peior. Ao desa-
lent que lavrava activamente nas leiras
do exercito sitiador veio a escassez de vve-
res accrescontar pnvacoes, desgostos e
cuidados.
Tal era o estado moral dos doas exerci-
tos, quando o principe Mauricio de Nassau
se decidi a empenhar todas as forcas de
que dispunha em um ataque geral cidade,
decisivo e desesperado. Como general ex-
perimentado nas variadas pbases de urna
gaerra, bem conbecia qae lhe era desfavora-
vel a occasiio, e ainda mais por nio esta-
reai concluidos os trabalhos que empreben-
dora para assegarar o exilo feliz de urna
batalba, de que eslava dependente a sorte
da campanba. Porm, attenta a imperiosa
necessijade de prover de remedio pro-
gresso daquella mal, e, cando que lbe
seria fcil por termo ao descorocoamento
das suas tropas e revocar os aotigos brios
ao espirito de seas soldados, resolveu cor-
rer todos os riscos, confiado na sua pericia
e boa estrella.
VI. ^
No dia 18 de maio, pelas 7 horas da
tarde, avancarara 3,000 hollandezes sobre
as trincheiras da praca, accommettendo-as
com pouco vigor depois de alguma appa
rento hesitado. Contra todas as praxes da
guerra, mandara o principe de Nassau dar
principio ao resalto, quando o dia eslava a
acabar. Mas o seo fita era Iludir os con-
trarios, fazendo-os persuadir da qoe esse
movimento, visto ser impropria a hora para
um combate regular, oio passava de am
reconbecimento i prac, e, qaando mui.o,
um prenuncio de batalba para a seguinte
madrugada. Por este motivo sabiram do ar-
raial smente aquelles 3,000 homens e nio
devia sabir o resto do exercito emquanto a
claridade do dia deixasse observar aos da
cdada o que se passava no acampamento
bollandoz. Portanto as instrueces dadas
ao commandante daquella forca determina-
vam lhe qae nio se empenhasse em com
bate serio; que affoctasse querer apenas
escaramuce, e que nossos termos mantives-
se a lula al ao cabir da nonte, em qae se
lhe havia de reunir o restante do exercito.
A noute affigurava-se ao Ilustre general da
II).lauda tambem um elemento de triumpho
para as suas armas, porque contava qae
assim seriam maiores o terror e a incerteza
entre o povo, e que desse estado poderia
mscer a anarebia que inutilisasse oa pelo
menos enfraquece;se a defensa da praca.
Porm nio correram as coasas como deso-
ja va e planeara.
A guarnico da cidade repollio vgorosa-
gos de Sampaio, porque razio a excluire-
mos da nossa ?
Por qualqaer razio, retrucava sorrin-
do o malicioso do alferes. As vezes tam-
bem razio nio ter razio nenhoma.
Pois sim. Mas que necessidade tem
minba irmi de receber em sua casa quera
oio digna de vir nossa ? Deves fallar-
Ihe a tal respeito.
Taa irmi mnlber de Luiz Coelbo, o
qual primo do desembargador Gaspar
Coelbo, o qaal lhe recommendoa aquella
mulher, a qaal tratada na casa da igreja
como se fosse o proprio Gaspar Coelho.
Percebes este aulem genuil f
E' como se percebesse, responden D.
Josepha qoasi livre de suspeitas acerca do
marido e de D. Francisca. Ea nio qaero
saber deesas coasas. A taa vontade a
minha.
Nestas boas disposiges foram no domin-
go a casa de Luiz Coelbo e ouviram missa
oa igreja de Castellaos. Nio appareceo,
porm, D. Francisca nem a mulata, e como
se aproximassem as horas do jaratar, foi om
criado ao Aido saber se a viavinba estava
doente, pois que faltara missa e costo-
mada visita.
E Lu:: de Mattos tambem hoje nos
desamparla, exclamou Luiz Coelho ao des -
pedir o criado para o Aido. Para onde iria
aquella maganio ?
Est doenle e bem mal, coitado, res-
ponden Domingos de Sampaio. Fui ante-
bontem a Pacos de Ferreira encootrei-o de
cama e eom muita febre. Dea ama queda;
perdea os sentidos; depois voltoa a si, e
foi bem para casa, mas no dia seguinte
adoeceu e cabio de cama.
Pobre rapaz 1 Cabio do cavallo tai-
vez ? Se elle doudol Pois d cabo
de si.
anete o ataque do ioimigo, e, como o va
frouxo aa peieja, ale ae limitou a recatea-
lo das trincheiras, dispoz-se a transpo-las
para o sccosamettere perseguir. Destemo-
do a vafee ti a dos nossos abrigou os Hol-
landezes a orna retirada precipitada. Era
j noute, mas apezar disto Mauricio de Nas-
sau, enraivecido por ver qoe os saut sol-
dados assim tinham abandonado 'o campo,
no momento em qae elle ia com a reserva
accoraraetter a cidadi por ootro lado, reooe
todas as suas tropas, proclama Ihes em
oome da patria e da honra, prometi pos-
tos e distinccOes aos mais valorosos, amea-
Ca com a morte aos covardes e ordena im-
mediatamente segando assalto. Desta vez
o impeto dos H illaodezes (oi terrivel. A
cidade estove qaasi entrada.
Assenboreanlo-se dos fossos e dest'arle
inutilisando a artilharta da praca, combatan
peito a peito, e onde a peieja era mais
ronbda ahi se ouvia a voz de Mauricio de
Nassau animando e exaltando os seas sol-
dados. Se o ataque era violento e encarni-
zado, a defoza era obstinada e desesperada.
Biguaolo fazia prodigios de valor, ao mes-
mo lempo quo commandava a aecio com
acert, energa e prudencia. Pedro da Sil-
va apparecia pelejanlo onde o perigo era
mais i amiaeate e o seo exemplo inspirava
bro aos menos esforcados. Grande numero
de habitantes, amados e reunidos aos cor-
pos de milicias, susteotava a resistencia com
o denodo de soldados veteranos. Quaado as
armas da fogo j nio podiam trabalbar, ser-
v.ara do armas as padras, os madeiros in-
cendiados e as panellas de agua e azeit
a ferver. Fraquejam e fecuara os Hollan-
dezes diante daquella ebuva intensa de pro-
jectis e materias inflammadas. Mauricio de
Nassau forca o i a avuncar de aovo, mas
ellos, intolramente descoro;oalos, vollam
ao combate mais dispostos a morrer que a
vencer. Os sitiados, animado i por estas
vaniagens e pelo visivel desalent dos Hol-
landezes, aproveitando-se do escoro da nou-
te e do conbecimento qae tinbam do ter-
reno, fazem duas sortdas em forca, e, gra-
cas rapidez do movimento, accommettem o
ioimigo polos flancos e pela retaguarda.
Este ataque insperado desconcertoa com-
pletamente o exercito Hollandez, qae, fa-
gindo em desordem para seu acampamen-
to entrinebeirado, deixi o chao janeado
do cadveres, e grande nomero de prisio-
neros em poder dos portuguezes.As bateras
ioimgas ainda contiouaram a fazer foto con-
tra acidado durante urna semina, porem nio
se atreveu Mauricio do Nassau a tentar batra
vez a sorte das armas. No flm de qoaren-
ta das de cerco, em qae as soas tropas
foram dizimadas pelo fogo dos combates e
pelas doencas originadas dos pantanos vizi-
obo3 do arraial, dea ordem para o embar-
que do todo o exercito.
O principe Mauricio de Nassau, am dos
mais habis e arrojados generaos do seu
tempo, v-se, finalmente, obrigado a desis-
tir di empresa, e l se embarca e fai-se de
vela para a Hollanda com loda a esquadra,
levando seiscentos feridos e maior numero
de enfermos, e teodo perdido porto de
3,000 homens, muita artilheria, algamas
bandeiras, e grande quanlidade de armas e
mais petrechos de gaerra. Dast'arte se
mallogrou a ultima tentativa dos Hollande-
zes para se assenhorearem da cidade da
Babia. Assim conseguiram as virtodes c-
vicas de alguos porloguezes, em circumstan-
cas bem adversas e em urna crise gravsi-
ma, trocar em palmas da victoria os ferros,
qae j estivam prestes a aportar os poleos
dos infolizes Bahianos.
I. DE VlLHENA BARBOSA.
CUBA E PORTO RICO.
( I1EVISTA DE SANTIAGO).
Do outro lado da cordilheira existe um
ocano, o Atlntico. Navegaodo-se do su!
para o norte, encostado sempre a costa
oriental da America do Sal, v-;e a rep-
blica Argentina, a do Uraguay, do Brasil,
das tres Goyannas, e chega se at a embo-
cadura do famoso Orinoco. Se eolio seoa-
vegar na direceo do nordeste, a poaca dis-
tancia se encontrar urna ilba verde, repou-
saodo sobre as ondss de om mar lio verde
como esta.
E' a ilha da Triodada, urna das peqaeoas
Antilhas; o mar) o mediterrneo do Novo
Mando, consagrado como o ootro mediter-
rneo do antigo, a ser o caminho ondulan-
te de todas as ideas, de todos M prdgres-
sos da geraco moderna.
Nesse mar das Antilbas, dominio de Ca-
ribe e de Colon, cujo nome anda associado
nos fastos mais gloriosos da historia moder-
na, brilham por sea esplendor, pelas grinal-
das de seus bosques, pelo ramalhete de
sens frondosos valles, pelos encantos de
soas perspectivas, pela soperioridade de sea
clima, doas grupos de ilhas destinados i
virem a ser, no futuro, a Grecia do novo
continente. (Continuar st-ha).
A queda foi aqu parto, a oio foi do
cavallo abaixo que bom picador elle como
poneos, replicn o alferes da Silva. Cabio
de urna arvore.
Eotio andava aos ninbos ? 11
. Quaes ninhos nem meios oiahos, re-
trncoo Domingos de Sampaio. abaixando a
voz para nio ser oovido das senboras. Ta
sabes como elle perdido por molberes,
deu-lbe no goto a D. Francisca; principioa
a rondar-lbe a porta e o moro, e como a
visse no mirante em orna noute de loar,
suba ao sovereiro grande para lhe fallar, e
com o peso do corpo fez desgalhar um ra-
mo e vea ao cbio de cabeca para baixo.
Pois foi elle, interrompea Loiz Coe-
lho ? Dous criados meas tinbam* ido para
o matto de madrugada, e viram de longe
quebrar o ramo da arvore, cabir o homem,
e demorar-se depois all gente vinda dos
lados de Paco de Sooza, mas nio fizeram
caso. '
Pois era o pobre Loiz de Mattos, e
qaem lhe scadia foi o Miranda do Pisio qoe
ia para Freiamande com varias pessoas. Eu
estava na Silva espera delle. Tinha l
deixa do o cavallo sem me dizer para onde
vinba, mas vendo qae tardavs, receei algum
desconcert e grande. Montei a cavallo e
vim at onde me pareca poder encontra-lo.
Acbei-o j em casa de D. Francisca e o No-
nes a sangra-lo.
Ento elle foi para casa da viava ?
Naquelle estado para onde o haviam
de levar ?
(,Contnuar-$e-ha).
YP-O DIARIO ROA DO DUQUE DK CJUa*
I





>
'
.
/

.
tnmmoo


Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8GDZ7X5Q_QLZGYL INGEST_TIME 2013-09-16T20:52:02Z PACKAGE AA00011611_12692
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES